Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11819


This item is only available as the following downloads:


Full Text

I
i v
ANNO XLV. NUMERO 87.
PABA i CAPITAL I 6ABES OIDE IA6 SE PAGA POITL
for trw nene tfttatftos.
Por seis ditos iem. .
Por. ubi uno idem. .
CriamuMroavuteo .
61000
431000
2M000
SEGUNDA FEIRA 19 DE ABRIL DE 1869.
PABA DEITRO E TORA DA PBOVUCU.
Por tres meses adiantados.
Por 8v ditos idem. .
Por bo\t ditos idem .
Por mamo.....
64750
13*100
aowao
2710
MARIO DE PERNAMBUCO.
Propriedade de Manoel Fignera de Fara & Filhos.

,
v
BAO ACSEItlSS:
Os Srs Gerardo Antonio Alves A Filhos, no Para; Connives & Pinto, no Maraohao; Joao^iim Jos de OHveira, no Cear; Antonio de Leaos Braga, no Aracaty; Jlo Mara Julio Chaves, no Assn; Antonio Marques a Silva, no Natal; Antonio Joaqnai
GnimarSes Pancada, em Mamanguape; Antonio Alejandrino de Lima, na Parahvba; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha; Belarmino dos Santos Bulcft em Santo Antio; Domingos Jos da Costa Braga,
em Nazareth; Francino Tavares da Cesta, em Alagas; Dr. Jos Martina Alves, na Bahia; e Jos Ribeiro Gasparinho, no Rio de Janeiro.
i
PAITE OmCIAL
Ri:i.ATHIW
*fEESr\M A ASJUMtL.V LBGISTATIVA MO-
VI.VAL, PELO EXH. SR. OONDE DE BAEPEX-
DT, PRESIDENTE DA PilOVIMCl.V, NA I.NST.U-
LACO DA SESSO DO COilOE.NTE ANNO, EM
10 DO COMENTE MEZ.
(Continua cao.)
Inaandarao do rio Caplbarlbe.
Nsminha do da 8 de tavereiro do corrente
aano fui informado de que este rio hara, durante
a u)ite antecedente crescdi comanla rapidez e
rietuosidad!, que tnha j destruido algumas
p )ts un proximidades desta capital, e posto em
pjri}?o maitas familias, qae resdiarauas tairgens
do unsm) rio, au'mentand ) tatito as aga-, qae
se e*praiara;a por urna grande extensa), flcando
rauitas casas comptament ajagadas, e soflVenda
seas iinraa >res, atando risco de vida, maitos e
roasideravei* prejuizos.
A-mis tiw alucia desse inesperado aconleei-
unaio, tr.itei d) pro vid sitiar sobre a salvaca i das
aosaa* e.a purig). e de pcoporci marinos meios
,i reWrar*-sadoi pinto* invadidos pelas aguas.
Dingi-msJiaahefe da estaca i naval do soguud
dijtrcto, qctf ae achara nestc pino, o chafe dedi-
vi lo Raolnel Meados di Mirajf c Valle, ai ins-
p-tir di arsenal d m triaba,, o capital de mir c
U-rra Hjr.ajneikl Antino Barbosa do Almeid,
i; ao cajuti do porto, o capital de mir e guerra
Jos Mmool Pican?.) da C>stt; e Ins ordene que
mialisse.u ira aeiiat unate e*caleres. lanchase
guie pira prestare n os socarros necessarios.
tilo* dstractoi ofl:iaes da mariuha imnidiata-
nttale cu noriram as minlns orJjus, e poucos mi-
au'.)*. d;p lis partan elles proprios, como* o 11-
iaes e g i irai.;o da corveta a vap ir rcife, c d >
brigue-bare fitmtrac, alia de aculirn ais
f jatos iuiis invadidla pelas aguas, desle o lujar
pinte di l'elioi e a Jj cenles atea pontos di
i-lilcna. Torre, Caxang e outras, a que as
3 us liohaia chegado, destruindo algumis.
A> mst.ai tenpi que artas pro vid indas se da-
va:ii. por sea lab o Chafe do polica, teado-se diri-
gil ;i diveris diqielle* lugares aco.noanhili
pilo coranuntante d carpo policial, eaviava jan-
gi I is o u ilr os si'ori'os. q u se tura ira n aito
J .lies na salvaca i dos respectivos h ibitantos.
KelizBiato na tarde dwai dia con-firan as
ajis a biixar, e viram-se entai nos das se^uin-
tis os estragos que ellas causaram aos parti;ula-
ras c provincia.
Paro aviliardos a extea dlHag e.-:ragos, que
1 nos arra'uldes desta cidaJe qutn.lo os perc un
dar ale a c!i;ia, c depois na viage.n qae fu at a
villa d Li.ntei'ro, oxtratarei ajai a informiei
inte euviou-.ne o engenh -iro chefe da reparliai
0.is liras publicas, e que c impleta.
A- aguis coin-i^tram a crescer coai unarapi-
tstprol!gbi.i, do mil que s 4 hiras da mi-
ah.ia do dia 8 tinhau-se. ejevado a crea de [i
t ais aeim di nivel notoitual d i rio na povoocl
di olmteiro ; e continaaran a subir mis de un
Pal r.) p ir ora at s 9 e inrt d > dia, e n qae at-
iinia n o mixim de sai eljva;ai, subinli m-
qiiUe pifio 5.8J antros oa ii palmos aciau di

uito do no
lira tal a velocidad da correnteza, que lu-
I i l\ava diante de si, proJuzinli tanto tnaior
d-ostraiejii runto maioies eran os obstculo*
(U caroatrava. Foi p>r isso qas niais solTrera n
i pivoafoe* di Caxang e Passajeai. onde mi-
ai;' a largara do leiti do rio.
A pinte poasil di Caxang, a qtu as agua* das
muars encaeafcis que len tmiJi, naica altin-
guan, de-ta vez toi ci'oorta pir ollas, e licanl)
.1 >31,11.1 nilas as cola naas de ferro, que sustenta-
> iJ is eaoos do a uirrae >, dosabora n, aibran-
d i-se din pel i cb iqae. e os cabos c nurgirau s-, ni) havenli pissibilidale de ser
na u* aprovedados.
O lie'aba n Mili d;sla ponte nao fii, com alguas
prelcu.le.D. devido a defeito ou ruina dismiro*
d: earoit). que eoiservo.n-se e n porfeila silidez,
e s pi ser clas*iilca l) ni na n ro d>s ac.-.idi i
tes imprevistos, nai d-'^SUli pr isso de ser.
a us i.upirUae e la ueatavel, j pela nterrapcii
3ie causa ai transito plOj6J, ja pd i avallad i
ipM.|i; a:.irreta aos cofres provinciiesa
cjaslrucci) de nova ponle.
A Ji tfaMigfda da .tiigluana fiou inatilisada
co.u desab.imoato de tres vais,na ex'.e.iso de li)
fil.ax. ciase [eooia lociiiiiu disdiO.il 1 i
reiro e Tirre, perteucentcs a Aair de Abrea Pf-
t% qieseali arroba adis pila i.npdtao>idaJe do
jrreale, viera n.capir sobre, ella.
Os d'trojos dessa pate, reanidos aos das d i
Cddeireiro e Torre, desirair-im. das estelos da
di Bu-vista, iji era-olidez de sai XJa ^ae i n n:li i'a n:nt llxe fora n prstalos pela o;i-
Sx azia da alfanjega, dse uoara?iadi-a dis ioa-
:ira* o 'outros uSjeelosque eacalnajis nos es-
teio*,aagalavain.a fec^a da corrate.
a los tam'i :.u iilTrea ajialocoma
de patitas,' madeicase oatros ob-
niezi teoojie le eoc atro aos es-
_ qaas cototuJo llcoa deslraid >.
d s. pro aptos soec irtos presta 1 >s.
.Ri.nel.os, alo la en eoastru'-
*asuj por.algu.nis horas; ini<,
ep ir.ilos aaarstcagt causad is nos mires de ea-
costo, foi ello logjo cpsubelecido, .
A rao Unperul, qa, nx*$ aades enchen'os fic.a
qaisi se npre ianaalla, loi.lavada peta* aaas
en qiisi lila ae.xtd.wii, arruiaali-ee con*iii
ravelo tute o e npelra.n;nM, e es atorros latorae*.
J dea-se ontre.taolo corneo aosdaessarios re-
B-iros.
Oiestragos ainli exlcnleraa-se as estradas dos
Hmi-.Iim. Pass:igdji Cixwgi. e pontedi
ra niohi, ni estradAdi.Pi d'Alho, cuj >s uur is
dd enenki .liearan sylapabs,.e a m aa estrad i,
*airecs*a1ontea! a d.i Caxang, safrea un ar-
r. no meato de.SJ metros con a profuaJidade
de 6.
A estrad i do. Apipucos, ni la Iktii, soirea umje.n ajn considera val arro.o )i-
m'.it, iaidrro apea lose nesse pial ouiipleta
monte o iransit > alo. s na asteada de rodage n
eo.no na i Hlvis de ierro.
A di P d'Alao leve en muitos lugares c-
melo de arro.ahaavntos,.mas nao taram caaside
raveis.
Nessa villa maitas caas Uouveram arruinads
O chefe de p ilicia informou qae 101 ; eu fui tes-
te n taha des*es estrag.
Na do Li n idira dd.spachoa-se cap a (arca das
aguas o eavado .da.pinto, da Pirauhyra, a Hooa
destraidt en grande parte a estraaa para a serr.i
da Moinidinh i, que se doseuvotve pela uargem
doapibiribd.
4} ac la desta laesml via, construida ba d-ius
^aaaos, flcoa coo o uald i destruido, da mido qae
precisa ova coostmcgai em ludar miis appro
priado, que pareae ar o vaMe
daLi.ni ua margeuj do no,
villa.
Giras muitas iacaidades aoffreram, a os part
calares tweram consideravejs prejaizos.
lia pirinlativa s apras pabjicas ) dei uati-
i* de qua eanvcm fazer par co#mr pontos, nos Jugares e.a que as aguas a/reto-
uram as autras-T-Kefiro-uv! *o que tpaaA, (
r) maito vossa aUeaea? sobfe i*e tpica des
BBlaterio. "
A dos Al
je'.os, quai c
Jetos, neuMp
JB.H.qie
O pinto
rt), ni]
Nao possivel analysar as causas, que produ
zira-n esta enchente.
0 engenheim attribuio-a a nao terem hayido
peq tenas cchenles dos tributarios do CapibarHe,
que tronxesse.il as balsas e plantas aquaticas ; as
qnaes. accu:nalando-se em diversos pontos, op-
pnnba use ao livre emana nento das aguas ; ac-
cresceodo a isto o estar o leito do rio em algn*
pontos estrellado por desmoronamentos de suas
margens e outras circumslancias.
As altaras, a qae as aguas chegarura, (uram
Na villa do Limoeiro................. lt~, *8
Na villa de Pao d'Alho................ 18, 77
Na ponte de S. Joan.................. 70
fa ponte do Gaxaiw................ ^ 7, 4
Na povoac.ai de Apipucos............. 6, 25
Na p.)voacai do Moateiro-............ C, 80
Va povoaco do Poca da Panaita....... 4, 40
Na povoaco de Ponte do Uchoa....... t, OS
Na povoac i da Passage n da Magdalena. 8. di
A altura da endient, pnis, foi tanto menor
Juanto era raaior a varaea, em que as aguas po-
ian espalhar-se.
Uatras anomalas catreanlo aotam-se ua ttgu-
laridade, com que essa altura devora diminuir.
Assim, em Pao d'Alho foi maior do que.no Li-
moeiro, e na Ponte do Uchoa maior do que no
Poco da PaneUa ; o que se explica pela estreitza
do valle do rio em Pao d'Alho, a grande valla
que ello faz na Ponte do Uehoa e a proximidade
da ponte da Torre.
O engeuheiro. a q lena me retiro, faz sensatas
reflexdes a este respeilo. e qaanto s providen-
cias que julga convenientes para evitar que oa-
iras eachentes do mesmoto causen ideticos ou
maiore- prejaisos.
Transcreverei aqai essas reexo33 :
t Hije(diz o en^enheiro) qae se tem experi-
menta 11 d llorosamente os effeitos das enchenle*
do Capibaribe, encheate, que, com* quasi en
lodos os gran les ros, sao periidicas, eqae lee n
de se reproJ izir etn intervallos, qua nao se pode
Qxar, mas que varia n p hicii, torna-se reconheci-
da a oaasaiJ ide inJeclinavel do se exeeularem
Irabalhos leadites a diminuir os damnos de tai
lamentavel flagetlo.
t Ni possivel com os poucos dalo*, que se
possae actualmente sobre o rgimen e mus cir-
cu nswncias des se rio, indicar as obras necessa-
rias para conseguir attonuir c **es elleitos.
a Todava algamis ndicacoas geraes p-odetu
servir dirigir qmiquer deliberara!, qae se lenha
de toai ir a tal resp Mta
i En minln opinii.oobjecto qae se deve espe-
cialmente ter e o vista, quanto antes, livrar a
pipal-ici de*ta cidtde e seus arrabaldes das
gran les mu idacoe*, e isto se pileria cwseguir
pir meio da alienara de un canal, qae, partind i
das i n neliicods da Varzea, v desaguar as pro-
xi ni la les da ilha do Pina pola Barreta, dand >
u na salida miis pr inapta e miior s aguas das
encnintes. Des*e niidi, (icari livre; das en-
ehmte* tiJw os arrabaldes djsde o Casanga at
A fugados.
t Isla, pirm, nao tea maita utilidade para
as localida les sito i las mats cima da Varzea, a
nargen di rio..Para qie e n*-essario algn meio de impedir qae a* aguas
cres-in pir de mis, fizenli co.n iiuj as enchen-
le< *dis a B mates tribuarios do Capibaribe nai
veaha n a c ncidir e n ep icas.
Para esse -fin, certamente um do3 raeios,
que se apresenta c i n m lis probabilidade d s b ira
xito, a coustruco de grandes re*ervatonos,
Iae p issam foard ir as aguas desses tributarios,
1 un > eadiere n, e disp isto* de mid) a pota-
ren dir-lhes esgitn leato, e qiandi se julgir
conveniente ; alternand i-se as pocas, em qae
ca la u n d v* fu icci mar, claro quo pJe-sc
evitar granles enchoatcs.
a Algunas objetes se apresentam a e*sa
idia, e co o qaanto ni i seja p issivel, se n cuul is,
re*i|ve-las tolas, algunis hi que se pode.n des-
do ji destruir, cr.n i seja a hv'pithosc de viren
esses reservatorios oa acules a ramperem seus
bailes na raes.ni pica, o que occasionaria gran-
de desastre.
< C iav n observar que esses a$u4e* nii esta-
rlo til i? chiis na mesma poca, visto como se
ter a ficullile de esg ita-los opportunamente ;
iile-se ra;*mi dizer que, haveuli raeios d; faze-
ios evacuir alterna la nenie, nai se poder facil-
nente verillcar a hvp ithese cima.
t D i n lis, deve n ser estabelecid is em lugares
ipnpriali* c con a seguranca necessaria para
resistir n s eventualidades.
a E>ses acales teri a grande vantagom de
ibuteeer certa localidades, qie se vean priva-
la* d'igaa durante grande parte di aun.
tar con rapidiz, p soa importancia e pela des-
p^za, qae teri de occasionar ; deipeza esta qae
ai faed prever.
Eitretanti, convm desde j t-las era v*ta e
proenrar os meios de leva-las a efeito dentro de
a n pr iso, q i j na i p >de ser gran lo ; p ir qaanto
S raiiti pissivel qae venham a repetir-se essas
graa les eachentes.
Tws sai as ocearrencias que se derara por oc-
easli dis-a eachen'.e ; camprinli-mi infirmar-
vis qielevei-as tidis ao oonhecimialo dos m-
aisterios da agricultura e do imperio.isla auto-
n* i.i- mi a d ospeatar pire rata d i cofre garal a
Iaiutii precisa con succorros s p^ssoas, qae
siTreran cna a innundajio e afielle, deca
ranb-mi nao lispir o givernt no 0reato exir-
ccio dd fin 1 ts precisos para alian tar dado j ao
lelil qae Ihe U? do un auxilia peeuniarii para
ser applicadi coastracQo das pontos e repiros
las estradas, vista dis poucos recursos da pro-
viniia, aa*egaron nn que ser o ravnipedili
11 nal i em c maidamcM n fataro exsrcicio. E i-
tretailo, oxdenuu que soguisse para aq i o enge-
nheiro Kap'uel Arclianji #*Uii r\lhi, ai n de
iroueder aos estulos o orc^meutos dos reuiros e
ibras a fazer, dmlilhe instrmjSjs, as qaaes,
il n desses trahalhis, se inclaem as qua sai re-
lativos ai n*4ham:at> do pirio dssla capital.
Antes de feohar este artiiza, jinti vivo prazer
e n Jeclarar-v is q 10 Sua Mi?Jude o Imperad ir
mis una vez digaou-se -entontar saa augusta
ni i aos itosvaM is.
Pala casdhuro mirdiai de sua casa miad tu
pir ,l di so nica i desta pred sacia a qaiatii de...
o:t)MJ WJ, aa n de ser distrib tida polas fa ndias
p ihres, que -ara n na misara, em cense ju mcia
lesla innuadacio. .
Para lamr esaa ilialribuiao, rraspaadendo as
vistas partanaes de S.;*.o tmpami *, n nfleai u na
i n nissao c.omposta do Bari de Jluriboca, Dr.
tltnicio Iioq rlm;d Smza Laii, a do Dr. Franch-
r i de Para Leais, chefe do polica, aqaa.n dei as
canvaaeatea nstracodes.
lavereiro do dito
sado, fundado no aviso do 1
anuo, achain-se extinctos.
Acerca do estado de cada urna d'essar aldeas,
cotn exeepcao da do termo daEscada, nenhuau *
fonnacio pbsso rainistrar-vos por nao haver rece-
bido esclaracimeal8 do respectivo, director gerai.
Esle lugar est preenchiao pelo baro de (ua-
rarapes.; us achaudo-se elle ha tempos imped- j
do, por enl'ermidades, de desempenha-lo, e t*oo |
concedido em 7 de Janeiro do corrente anuo ao
teaenle-ceronel Antonio Marques de Hollanda Oa-
valcanti, a demisso que pedio do mesmo lugar,
que exercia iateriaamenie, nonieoi nessa oocasiao
a r'rancisco Alves Cavalcanti Camboim para subs-.
titui-lo.
O aldeamento da Escada foi estinoto porque os
poucos Indias qae all habitavam achayaiu-se p
confundidos na massa geral. da populacao, e pm
isso determiue que se djase a cada um daqueltas
que quizesseni est-ibelecaf-se ams trras do Kiacno
do Mallo, qae u governu imperial coocedeu para
ser a dislnbaidas pelos ansmos indios. in lote |
de ii,5JD bracas quadraihs, respeitada a disposi
5o d i art. Io 3" do decreto n. 446 de
lio de 18i"i.
O eugen eiro Lutz Jos da Silva, deu cometo a
essa medicjio, e prosegua nella, quaadopor aji>o
do ministerio da agricaltura de i de narenabro
do aano passado, foi extiucla a emomissao dalne-
mircaro das trras publicas nesta prove
Entretanto, nao sendo justo que os joflona-
dos indios se dexasse de proporcionar meios de
mmutencao para si e suas familias, determine! ao
sabredilo engeuheiro qae contimwtsse na med comecada ; e segundo infbrmacpoes que tonho adia-
se omito adiantada.
Julgo coaveniente qae, conservando-se da legua
de ierras da Escada concedida ao sen aldeamen-
to, o terreno em que est edificada a villa, para
patrimonio da respectiva cmara municipal, se
proceda vend do restante pela forma qae o go-
verno julgarauais eunveniente.
riiexoarara de faiendaj eral,
alfaadega e mesa de rendas l-
teraas geraes.
Estas reparticoes funeconam com regulari-
dade.
A renda geral, segundo v-se dos ltimos dados
que me foram uiinislrados pelo inspector da tbe-
sourara, tem Udo sensivel augmento.
A reuda do e.xercicio de 1867 a 1868 foi, inclui-
das as operacds de fundos, de 16,032:1063414-
A do semestre do exercicio corrale subi a
3 6l9:93Si271, inclasive. timbem as operacoes de
crdito e movimentos de fundos.
A despeza tem sido inferior a receila.
Arsenal de guerra.
hoje chefd desta reparticao o digno major do
estado-maior de primeira classi>. Francisco Ra-
phael de Mello Reg, nomead'i por Mecreto de 18
denoyembr. dijiui) passado, e qu exercicio a 11 de Janeiro do corrale.
Al.u desse chele, que se denomina director,
existen mais os seguales embregados :
ram^que os seus rejeros importariajp em urna
nova construir*).
Quaai oas mesmas TOndicOes de ruina est a de
Tanaandare ; precisa de reparos para nao deauo-
ronar-se esta iortaleza. que ein ntinha opiniao de-
ve. MT conservad.
Bxiatein nclla, como vi, quando estiva em de-
zembro do aano passado, algumas pecas de bron-
ze, que me parece conveniente transportar para
ouru iMHit i. pelo abaadono, enique
mais nao seja, ao menos eamo reo ^
rim da guerra movida pehw heroicos .
canos aos hollandezes, que se haviam apossado de
l^sua patria.
A fortaleza das Cinco-Pontas apenas, hoje, serve
para aquartellameiilo dos prisoneiros paraguayos.
Cercada de cdllcios particulares, nao se presta ac-
tualmente ao lim para que foi levantada.
O forte do Pao Amareilo nao foi acabado pelo
lado de Ierra, mas a abra taita acha se em bom
es lado. neeessiliUHk) de alguns reparos.
O de feaibu o Nazareth acliam-se em soffrvel
estado, apenas carecendo do alguns concertos e
ajudante do .director.
nlm ivurfn
2 de jjh I caiacao.
O da Mar. que com a fortaleza do Brua defende
a barra da capital, desde 1831 que est desarma-
do. AeUa-sc em bom estado o edificio principal :
s ligeiros reparos que se tornara precisos.
Oaftirtins de S. Francisco e Monte-negro tam-
bera esto desarmados desde 1831. O primeiro
necessita de concertos; e o segundo, que est
amito arruinado, fui o anno pausado cedido ao
Kxm. hispo diocesano para delta se ntilisareni aa
seminaristas de Olinda, por occasio dos baaos de
mar.
Quanto ao presidio de Fernando de Noronha etn
lagar proprio vos darei ri nta do que ha a seu
respeilo.
Colonia mlHar de rtaeate ras.
Tendo eessado os metivos, porque foi ostabele-
cida esta colonia, e parorciido, nao ser mais con-
veniente a sua eonservacau qqp s acarreta hoje
despezas ao estado, propu?. deTtccord > com o ge-
neral cm.uandante das anuas, So governo impe-
rial a sua extiticcjo.
U governo, segundo communicou-me lia pouco o
8r. uiiatstro da guerra, trata deste a O pcssoal all empregado compunha-se de um
director, do mu vice-director, de um capellao
contratad o, qne serve de profesor de primeiras
toHras. de um medico c de um cscrivo, alm do
destacamento de 18 colonos, que foram pravas do
exercito e se wiipivgam no seirco da guarda e
poneia diar i do esiabeleaBento.
Acha-sa baje dirigindo interinamente esta colo-
uia o respectivo cap.'lllo, por estai vago olngar d<'
vice-director e ter seguido o director .por ordem
dgoverno imperial pira o presidio de Fernando
de Noronha, alim de comnianda-lo interinamenle.
Est) tainbem vagos os lugares de medico e es-
criv-j. que entend nao deverem ser preerchidos
pela desuecessidade da conservacao deste estabela-
ciinento.
Os eiifici.is qae all cxislem sao : um barracan
de lijlo, oito casas de taipa," quatro das quacs es-
Par....... I
Ptauhy........4
Em junho deseavolveu-se aHi a varila, fazeodo
porn estas como outras enleroaidades, diminuto
numero de victimas, o que se verifica dos bitos
acoa mencionados.
Existem na ilha 9 fortificacoes tora 63 canhoes
de ierre.
Sao ellas :
A fortaleza dos Remedios com S4 boceas de fogo.
A de S. Jos do Morro com 12 ditas.
O ferte de Sanio Antonio com 8 ditas.
0 da CoBceicao com 3 ditas.
0 do BoluV com 2 ditas.
O dos Dou-i Irmos com 4 ditas.
O do Lea i com 6 ditas.
0 do Sueste com 4 ditas.
E o parque de Sant'Anna, que serve de qnartel
do destacamento da guarda nacional.
A maior parle desias fortiiiaares t em rui-
nas, c desmontadas algumas pecas qae variara en-
tre calibre 9 e 24.
Ha tamben urna capella, cuja nvocacao Nos-
so Senhora dos Remedios, a que se destina ao cul-
to divino, carece esta de alguns reparos.
Ha anda um cemtero que nao est as condi-
coes convenientes, tornando-se por isso urgente a
conslrucio de outro.
Ha finalmente, 373 edificios, sendo 34 pblicos,
339 particulares.
Os pblicos sao:
1 igreja, 1 casa de enfermara, 1 almoxarifado,
1 paiol de milbo, 1 de feijao, 1 tnoinho, 1 casa de
prensa de atgodao, i dormitorin para sentenciados,
1 arsenal, 1 quartel onde reside o comuiandaute,
1 casa de guarda, 1 do eartorio, 14 habitables de
offtaiaes e empreg.ados, 3 para casa de tarinha, 1
caixa d'agua, 1 casa para bombeiros e 3 outros
para differentes objectos.
Dos edificios particulares, 7 sao de pedra e cal,
48 de podra e barro, e 38i de taipa.
A receita do presidio foi de rs. 10:4'*8i3o, ao
passo que a despeza monlou a rs. 126:910^102.
A 14 do mez prximo fiado, seguio para este
presidio urna commisso, coinposta do bacharel
i iivmpio Marques da Silva, capito reformado do
exercito Jos Ignacio de Medeiros Reg Montero,
e primeiro escriturario da thesourana de fazenda
Joaquim Pereira Bastos, para syndicar d*i estado
do mesmo presidio e dos fados ullimainente nclle
occorridos, aliin de habdilar o governo imperial a
providencial' coavunieateinent. A esla commisso
dei as precisas tustruecoes.
4|uar(eis.
Os que existem nesta capital sao os do Hospi-
cio, da Soledade, do Parama, do Campo das Prin-
cezas, de Santo Amaro, das Cinco Ponas, da cotn-
panhia de operarios da arsenal de guerra e o de
Olinda.
O 4o Hospicio, que o que oferecc melhores
accommodacoes para um hatalho, est oceupado
peta guarda nacional, que faz o servico da guar-
mcao.
Tinha sido convenientemente concertado e p n-
lado uo auno poetado, a expensas do comraandan-
di lliaelio da ra
em qqe asienta a
!ND9
Os Mdeamaatos da indios existentes nasta pro-
vincia si) : _.
O dadtoajo dos Padre comarca de Taoarat.
O de rqb, n> raaniuipio do Cimhres.
O de Santa Mari da Bi-Vista, no miaicipio do
mesmo norae.
O de Atoaasai. trnaada ankaa do m*W n0"16
Q de Rarrairos, n) tnamcipio deste nome.
E o ito Baite-n i. na fregoezia de Aguas BeHa-,
da laantoaptoa qua.
Q.daia* Yarda, nj maaeia a Cifnsa da
seguado e v do relatono lo aspeetivo director
garir Hef de de sembr de tfT, e esta por deli-
quau
aira ixarife.
esenvo.
escripturario.
esenvo das ofticinas.
ainiiiuense.
liel.
1 apantadot.
1 porteiro.
1 ajudante do porteiro.
6 gaardas le annazens.
7 coaijuvantes de escripta
13 servoiites.
Ha tambera urna companhia do aprenaizt-s me-
nores e outra de operarios militares.
Aquella em 2 de Janeiro contova li menores,
deveadi ser # estado completo de 120.
De sea (ratamente e eJacacao eatita iacojjbt-
dos : ,
1 raedieo.
1 capellao.
i instructor.
1 pedigogo.
1 ajuiaate do pedagogo.
1 professor de prun iiras letras.
i professor de msica.
1 dito de geometra.
2 guardas.
4 serventes.
1 cozinhdiro.
Dos quatro serventes, dous coadjuvaui os gaar-
das, u enfermeiro, e o ultima tem a seu car-
go a escripluracao da enfermara.
A companhia de operarios m.ltare est confia-
da a u.n tonen'e reformado do exercito.
Devndo ser o seu estado completo de 93 ope-
rarios, tnna apenas na manas poca o efteclivo
de 33, inclusive 19 mancebos a ella addi los
achando-se 11 no exercito em operacoes contra o
goveruo do Paraguay. .
Ha am laboratorio pyrotechnico, dWgido por
u.n capital reformado, em que trabalham tres
operario* e tro* paisanos,
Tanbo.n existem as segrales officnas, que
fu iccionarain no anno passado com 5 mestres, 6
contra-.nestres, ti priraeiros officiaes, 5 segundos,
7 apren lizas e 2 serventes.
i Utcina de construicao e reparos,
c de obra branca.
" de lanoeiro.
de tornairo.
o de toqueiro.
de pintura.
19 de cronhuiro.
'de ferr.ro.
de serralheiro. gtt0^9
de espingardeiro
de latoeiro.
< de fundicao.
de fanileiro. JtA'
< de instruraenlal.
* de correeiros.
< de aelleiro.
de snrradar.
. deatlarate.
A despeza 19 com este estabelecimeato, ao 1
se nestre de julh > a deze libro do exercicio de*
18o8 a 1869, importou era 41:16*1023, dosquaes
abaieado-se 19:98Ii83, valor de objectos forue-
cidos a oatros ministerios vem a redazir-se a
21:185*538.
Anda faacciona a cammissao de ayagnacia
noraeaJ i em virlude da aviso do miaiama da
gaerra de 21 de fevereiro do anno passado.
E h >je composta d brigadeico refoMtado Joa-
quim Rodrgaos Coelho Kelly, orno presidente,
o do bacharel Olympio Marqaes da Silva, ujiMate
da procurador fiscal da tbesouraria provincial, a
de Joaquim Pereira Bastos, t aaormturario da
thesouraria da fazen la.
Fortifleaeiss.
As que temos aa provincia iao :
A* tortolezas do firum, Buraco, Itamarac.Ta-
mandar e Cinco Pontos, e o tartas do Pao Ama-,
rallo, Caib, Nazareth, do Mar, S. Franaiscq 4
Maule Negro, e o presidio da Fernando d JVp-
ronha.
paf>rtataza do Brum tern-se feito aiguns' re-
paros para melharar p sea uessirao estodo : pe
cisa-aasretoaso da sauitos oatro* que sao dascrip
tottjia informasoes que m; foram preaeote*. .
Ada Buraco pode ser CDnsiderada em bom n
Udo, precisaado todava da algn reparos.
A de Uauurari aena-se um UI astado de ruina
i-apada* pela seiM-etara, destoeauurato, fer- j u- e olliciaos do priiuoo bataio de artlh ira da
c serrara, um grande tolhelro ein mao es- uiesina guarda, quando all esteva aquartelado,
lado, onde se guardara os uiencilios para o fabrico mas boje carece de n^voS reparos, pintura, e^de
da uriaha, e um outro com alpendre', que serve de
capella, e qne se acha em bom estado.
Ha tambera uratvHiit-.no inorado na frente, c
cora urna pequea casa no fundo.
Os predios era geral precisara de reparos para
sua cansen acao.
O terreno era que esta assentado a colonia, e
frtil e salubre, o. apropriado a qualquer genero
de oltaca.
. Poder-sc-ha tirar bom proveilo, se como infor-
mou o director, a quasi tolalidade dos-colonos nao
fo*se pouco laboriosa.
A populacao da colonia, segundo calcula o mes-
mo director, nao excede de 1,909 2,000 almas.
Hospitiil inltar.
C raserv-se era bam estad.) o edificio, que serve
de hospital miiilar, c est collocado na ra dos
Pires. ,.
As construcQoes qae os particulares tena feito
as proximidades deste edificio, alienando os pan-
tanos e aguas estagnadas que ah haviam, torna-
him-no mais salubre, desapparecendo algumasdas
causas que a isso oppauham-se.
No anno passado l, rain se-lhe alguns ligeiros
raparos, de que necessitava, concerlou se radical-
mente o cano do eneanamento que abasteca (Tagua
potavel as enfermaras, bem como o do gaz; sendo
todo catado e pintado.
Com essas obras despendeu-sc a quanlia de----
1-1791)80 ; e ha necessidade de outras que foram
oreadas e.n 5235800.
Presidio de Femando de No-
rooha.
Rege-sc actualmente este eslabclccmonto para
omta"a i mandados os sentenciados militares e ci-
vis pelo regulameato n. 3,403, dado pelo governo
imperial cm 11 de fevereiro de 1865.
Alm do com nandante, que interinamente o
teneute-coronel Sebastio Antonio do Rogo Barros,
par nomeaca da minislero da guerra, existem
mais os seguintes empregados :
Um major da praea.
Um secretario.
Duu* capella um dos quaes tambem profes-
sor de primeiras teltras.
Um cirurgio.
Um phar.naceutico.
U.n almoxarife.
U.n escrivo.
Um fiel. "
Um profcssar de primeiras lellras.
Faze n o servico da guarniese dous destacamen-
. um de artimaa de linha composto de 56 pra-1
is' c li guardas nacionaes addidos; o outro da
uarda nacional com 101 piacas. |
Esta forca me parece insulticiente em visto do
"rande nnmero de condemnad que cumprem
Seutc'tca no presidio, tanto mais quant >, tendo al-
gumas pracas do destacamento de lnha, perten-
cente a essa tarea, praticado ltimamente actos de
isaborjinacao, pelos qaaes se Ibes formou con-
seihode investigacio, tarara recolhidas a esta ca-
uiial, allm de serem julgadas segando as tais p) -
atares-
A populacao da ilha era uo (ira do auno passado
de 1,9-tl alas, perlencendo 3i4 ao sexo feunmo
a 1,390 ao masculino, comprebendidos os empre-
gados, a guarnicau, rivaudpiros e suas familias, e
1,213 sentenciados.
No aiesrao armo bonveram 6 casamentos, 517
oasciinentos, t, "baptisamenlos, e 4$ bitos, dos
quaes 26 de sentenciados, -6 de paisanos, 8 de
eranc># e 2 de soldados.
Dos 1,233 sentenciados, 345 eram condemnados
prsi) perpetua, 763 pruso temporaria ; nao se
saliendo das penas de 123, por nao os terem acota-
panhado *s respectivas guias.
Desses eram por crimes militares 212, e ppr cr-
mes C|Vj> 868, jujgados as eguintes prowacias :
1
lanoso, qutomai J# de satamhr*o ana saa- fu a aga'aMw* ee* examinado, dad*?
collocayo^le fechaduras e chaves em quasi todas
as portas.
Por couta do estado fizeram-se no anno passado
obras, que importaran) ein 1:186/840.
O da Solediide nao tao vasto como o preceden-
te, o nelle estao alojados os recrulas, que sao re-
metdos para a corte.
Carece de concertos que estao oreados era.....
78*i20. tendo-?e. feito no anno passado apenas
alguns que importaram em 283.^270.
0 do Paraizo serve ao corpa policial desde mul-
los anuos. Necessita de muilos e grandes cncer
tos, que impurtariam em urna nova constniocao.
A le ii. 787 de 11 de abril do anno pas-ado, no
art. 6" aulorisou taes concertos, mas o estado das
nanlas da provincia nao permute que por ora se
facam dispendios avultados.
O do Campo das Pnncezas accommoda as pra-
cas que cou.-liluem o deposito de iustruego. Fi-
ca defronte do palacio do governo, entre a ra da
Florentina e o c invento dos religiosos francisca-
no*. de acanha las proporcoes, e n> pode con-
venientemente receber urna companhia montada,
de irte que tai preciso tomar por arreudauento
urna pequeua parte do pavimeutu superior do
convento, onde estao a secretara, casa de arroca-
dacao. etc.
Fizeram-se alguns iosignificantes concertos, que
no auno passado importaran! em 1404000; e es-
tao oreadas na biuportaucia de 1:0104410, oulras
obras que sao ndi.s|ien.saveis.
O de &xiUo Am tro edificado exclusivamente pa-
ra i coinpauhia tic cava lia ria de linha, nao serve
ao liui a que se desuou, uo s porque foi in a
sua conslruccao, como pelo pcssuuo local, em que
esi enllocado, cercado de mangues e de lama-
caes. Acha-se desocupado ba uiuito, e bastante
arruinado.
O das Cinco Pontos dentro da fortaleza do
mesmo uoiiie, e nelle est i hoje accouimodados os
prsioneiros Paraguayos. Cartee grandes reparos;
lendo-se j tallo alguns qae importaram em......
767*380.
0 a companhia de operarios* do arsenal de
guerra, est uo mesmo edificio do arsenal, e de
acautuda pruporgos. Necessita ser caiado o piu-
lado.
O de Olinda estova nelle aqaartellado o quarto
batalu de rtilluna de linha, mas desde que e.*-
te uiarchou para a cauuuuha do ul acha-se des-
oceupado.
Os coaiparliraentos carecem da concertos, e to-
do o edificio de ser calado e pintado.
Arsemal de ni ara aba.
A inspeceo deste arsenal est a cargo do capi-
to de mar e guerra Hermenegildo Antonio Barbo-
sa d'AInteida.
A secretaria compoe-se de um secretorio, um
porteiro e dous araanueuses, estando vago um des-
ies lugares.
Ha um almoxarifado, que tem um almoxarife,
um escrivo e um ajudante.
Funceiuua urna aula de primeiras letras regida
par um profess t, a qual centava ao i.u do anno
pastado 36 alumnos.
A auto da geometra, que devia estar a cargo
de um dos ajudantes ou directores da companhia
de apr.andixes, conservan-se sem funcciuuar por
abjura tempo, at que Joaquim Jos de Carvalho
do iquaira Varejo, requeroado lecciooar gra-
luiameuto, e o govorno imperial ooosentinao por
aviso de 6 de fevereiro, comecou a exercer as re>-
poclivas uaccoes no da 31 de marco ultimo, sen-
do as lifdas as segundas, quartas e sextos fcira-,
qae nao torean impedidas. I
4 wspeite das eompaaias da aprendizes map-
uheiros o apreudizos artfices, ja tratei uo artigo
rqlativo 4 tarca naval. ., ,.
Nao funeciona o qaservatoro coqslrutlp por |nc
faltarem tados os objectos iudisDensaveis, como u-
vros, mappas, tastrnineqtos, etc.; nio haveqi
lima canoa de 30 ps e I escaler de 15 ps e 8
pollegadas para o to-igue-barea famarac.
Urna baleefra de 27 ps, e otra de 30, para o
arsenal.
Urna baleeira de Vps, para acorreto,queseeat
coustruindo, achandb-se em anameato 1 escatar
de 12 reinos.
Concertos na barraque serve de quartel a com-
panhia de aprendizes markiheiros, e no 2 e 3*
escalcres da mesma barca.
Concertos da barca de escavaro a. 2, de 6
bateloes do servico desta, a de bote.
Na offlcina de fundieao est o pessoal da de
machinas empregado no preparo de balas de arti-
Ihana, das quacs remetierani-se para a corte
17,900 de calibre 3, etC<3m> de cahbre 2, existindo
9,000.
Esto parausadas as obras oVeonstroccao da
casa de residencia do inspector, da muraHia da
ilha do Nogueira, concert do caes ao norte do ar-
senal, da corveta de guerra, em ciiineeo, cojo
consructorfei chamado a corte, do iwmoramenlo
do porto, que todava contorna a ser teatamente
excavado com o emprego da segunda barca.
O inspector db arsenal de marinlua no relatorio
apresentado ao ministerio, donde cothi estos escla-
reciraentos, declara, que as caunar*, que tendero a
deteriorar o porto desta capital sao:
O lancamento dti lixo o das materias focae/ as
praias do ancoradouru, ou nos ros Beberibe e Ca-
pibaribe
Os curraos de peixe;
O abandono de navios velos na cora dos Pas-
sarinhos encalando-os ali;
A con-*ervacao da barca ingles* -Bisbeaqae
nau.fragou entre abrrela c a barra graade e ah
anda permanece.
Lembro como remedio a taba matas.
Completar-se a obra da nmratba da ilha do
Nogueira.
Coat miar a c. rtina sobre o recita, elevando-a
para que cora as vagas nao venham para o anco-
rad., uro as areias por rilas r.-\..lta<.
Concluir a obra do caes do norte, segundo o
plano geral.
Haver no porto urn pequeo vapor que receba
as varreduras de bordo dos uuvios.
Levantar um quebra-mar ein eontinuaco do t
Recife at Olinda.
Ter em continuo trahalbo duas barcas de esea-
vafao.
E estabeleCer que nos contratos que se fizerem
por conla dos cofres geraes on piovioeiae* os
entulhos para qualquer ol*a sejam tralos das
coras ou montes de lixo. acuuiuIados junto aos
caes.
C'apiaaniu lo pasrio.
Exerce presenleuieiite as funecoes de capito do
orto desta provincia o capilar de mar e guerra,
os Manoel Picaneo da Costa, Borneado por decre-
to de 14 de seterabro do anuo passado, e que
entrou em exercicio a 26 de outuhro segninte.
Nessa commisso contina o referido omcial a
prestar bons ser vicos, o pelas suas prora pas e
acertadas providencias tara concorrido para qu o
servico de praticagera da barra se faca com moi>
regularidade.
O servico do reboque das embarcacoes anda
prestado pela companhia denominada Vigilantes
que apenas tem para faz-lo um pequeo vapor j
arruinado. O contrato, que conferio a essa cam-
paata privilegio para seniollianic servico dve
terminar no anno prximo, e pens que n> con-
vc.n a sua renovaco, deixando a livre concur-
rencia a prestar.) do reboque as embarcaedes que
o exigirem, ou quando na i soja rcalisavel esta
idea, e todava indispensavel reduzir os precos que
exige a companhia existente.
O coiumercio quexa- se geralraenle desses pre-
Qos que obrgado a pagar, quando precisa re-
correr ao reboque p ira a entrado t sahida de
seus navios e com effeito os acho excessivos. akim
de obrigatorios para aquelles que necessitam desse
servico.
Crrelo.
io divla provincia.
lUJdBMeve at principio de
i.irTn cor"
a........
I.......
agttos......,
irnambuoo......
Parahyba .......
WQrQrafld* do Norte ... 16
Msiaihft.....
SI
igualmente que sfl vp*nqfatta*+ *?'i??-
tas lima entarraaria oo aSM%^airtgi^ P^r am
pavwo de 1
poTiabrbe'lSW.
iratoctas a7 enfei
.as olficonas de
anno, fflicsi-sfl, !
tos, um escaler 'de
mstrfa(j4o para o
Dauj^ucb.i de
eapilanta do pota
lua pudo tarara nella
iccjta, durante o mesmo
ira da otitras obl-as coqcer-
30. ps de eumpnmenlo com
i m*aroacao, paca a
': o-Noric.-
O servico desta reparticao tailo cota lenldo c-
irregularidade, cm pane devdas a > seu pequeo
pcssoal e a m relrib.iicao que esto tara.
O director geral mau-lou. em principio do cor-
rale anno o rospeclivo contador inspeccionar a
administradlo do orrejo T
Esta euipregado aqi.
marco, e relirou-so paflTa corte, mas na live
cjinhecimeato do resultado de sua inspecco.
O ministerio da fazenda communicou-me que,
sendo indispensavel |.ara o servico da recebodoria
das rendas iiitarnas a parte do proprio nacional,
em que funeciona o mesiiio correio, scr-me-hio
expedido pelo ministerio competente as ordens
ciiuv.'m"iiles pira a transferencia desta reparticao
para oatro editi. io.
Nada anda se taz a este respeto por nao terem
chegado as ordens mencionadas.
Faeulilade de Direito.
Est sof) a Ilustrada direcca i do vsconde de
Cainaragibc, e funeconam regularmente, asshn as
aulas de preparatorios auuexas f .cuidado, cunto
as de .1 rei|... .
O edificio, em que se acha este estabelecimeato,
e que de propriedade particular, foi em parte
incendiada no dia II de seembro do anno prxi-
mo passado, nao tendo tiavido, porra, intarrupcao
dos estudos seno por mui puiicos dias.
Derau-sie por esta presidencia todas as provi-
dencias para a pronipta ivparacao dos eslragos
causados por aquelle incendio, aflu de evitarse
aoraenos4fcis braga interrupeo das aulas; e ten-
do sido as ditas providencias t-ubmettidas ao
conhecimento do ministerio do imperio, esteappro-
vou-as, autorisando a despeza com os reparos
mais urgentes e indispensaveis, que, oreados em
3:0004000, alienas importaram ein 1:7|04170.
e cora a compra de alguns movis para substituir
a outros, que licaram destruidos, lendi-se despen-
dido com ella a quanlia de 7394600.
Fui autonsado pelo governo imperial para reno-
var o contrato taita com os proprielarios da odilcio
era que funeciona a taculdade de direii o, era a
clausula, entre outras, de ser reedificada a parte
destruida pelo incendio, de que acuna /ailei; cor-
rendo as despezas reparlidamenie parconta da
governo e dos inesm is pcoprietaros, que pga-
ro a sua parte com os alugueis vencidos a os
que se forera vencendo, Icando todava o contrato
que se h.mver de tozer depeadeate de approTaco
do governo imperial.
eereiaria da asrorjaela.
Acba-se a te Jesd da 2(taajosto dsona pido, q.fjr.
joaquim Correa de Aiaujo, nomcio por c&rta
imperial d 19 do mes-no mez.
E' um zeloso e "pregado, cuja intelligeueia e
excellentes qualidades roteo de reconhecer, e que
louito me tora auxiliado, bem como m germ os
empregados da secretaria, d'anlre os qaaes uo
posso dexar de distiogair o respectivo omcial
maior, hacJiarel Amonto Aunes Jacoine Pires.
O f*f olamealo do 26 de Janeiro de 1833 que
km** vigora, carece de maitas altoracds para,
melhorar o servico dessa repsittcio.
A dsvtoio causatioafusao e atropoll ao expediente na verda-
deexeegsivo.
Nao etiste oreado urapnaoc 41o, oode sajara
laucados todos os papis qa eatram ou sabam e
o andamcMo qe> ca#a anafrtendo ato completa.
se4o^fe daaajaaatdasatogeius aoMvarno. assuz
fcil o extravio, e d'ahl iUHMe esetareaanou-
X
toan



!U \

Diw de Pernambueo Segn la feira 19 de Abril de 1869.
I
f
!
tos e dados segaros a respeito de qu
Quando entrei no cxereicio da adminsti
acbei introdtuid na secretaria a pratica do entre-
garem-se os requerimcQtns,de-pact>;.dos s pr"
prias panes, o maltas mipanhados das
abrraacoes que prestavara as repartios uuvidas
a respeito dos mesmos requenmcntos. Vi logo
quao pt-rnico-a era se^Brtlutiitc I)*$J*:r'Mi'a^'11'*
abusos poda Jar lugar; o onp asa sep
inulas mes as tradwJrs ejjplos neg
T-omci desdo lora dclilieraco ein cotilrai
prohib expressaSS <|ie R*6111 entregues as
partes os requeriaenlos despachados pela prei-
tenela, deten n inania quo apenas so Ibes resti-
tussem sendo reclamad o mediante recto os
documentos qu una*, (piando fos.se
destovni-avcl a 4eeis3 e nao bascada nes-es docu-
mentos, porque no caso ronirari<, ptra nblfreni ta..
originaes, seria necssario deixar delles copia ou
traslado. .... ..
Coin esta providencia muito tem melliorado a
marcha do servieo.
foto, porm, nao bata para se obterem todos os
resultados desejaveis e coiiveniemes.
FUra preciso urna reforma na reparticao, pon-
do-a hus em harmona com as exigencias do
servieo sera coin ludo elevar-se a despeza que
actualmente se faz com o pessoal da secretara
regalando convenientemente os seus vcocimen-
tos, e cessando por una vez a admissao de add-
dos ou colaboradores.
Urna das faltas mas sensveis administraco
a ausencia de un otllcial de gabinete que auxilie
uo pesado expediente que est a sen cargo e no
andamento dos dlfcivnte.-, e multiplcalos negocios
que sao sugeitos ao seu exame e de-pacho.
Ninguem que couhoca o inovlmcnto iucessante
de importantes e variados assumpUfe que -e pren-
dem. administracio de urna provincia desconlie-
cer'a lacuna de que acabo do tallar-ves.
Cabe-me aqui informar-vus d i|ue seundo a
noessidade desse auxiliar, touapi a deliberacao de
paraisso convidar ao uflleial-mater aposentado da
secretaria do governo da provincia do Rio de Ja-
neiro, J.MHuim Francisco Leal, cojos conheci-
mentis pra'icos, ntellgencia e ac.tvilade de mul-
to prt.veilo foram a niinlia a.lministracao.
Marque! a esse offl.-ial urna gralihcacao de 2UU5
mensaes mandando-a pagar pela verbaeven-
tuaes-visto nao haver para sso verba especial na
le d > oreamento.
Outra providencia a menver do grande alcance
a de serein arrecad.-idas por conta dos cofres
provinciaes os emolumentos que fazem parte dos
vencimentos dos nie-mos ompregados, dando-se-
ihesencompeiisacao pelos ditos cofres, urna re-
trbucao proporcional s vantagens quo ptree-
biam.
Todas as repartieses quer geraes quer de oulras
proviiaias, touiaraiu ossa providencia o escuso de-
raonstrar os bous resultados que della se tem co-
lindo.
Assim tendo sido arrecadados, segundo urna in-
fermacao que prestou-me o secretario, no auno
passado, emolumentos na importancia de 21:UUO.
tocando ao dito secretario cerca de S:430*3W, an
offlcal maiur 2:033#68, a cada un dos cbefes de
seccao inclusive o archivi ta 1:388912, aocsrrip-
turarte e p .rleiro l:0il*6<4, e aos aimmoen.-es
6943456; peuso (|ue se deve marcar os seus vun-
eioienUs, tendo coi aliene\o a perda de laes emo-
lumentos se passarem a ser arrorados peJN cofres
privnciaes, sendo Reate caso revista e mais equi-
tativamente regulada a tabella actual dos mesmos
emolumentos. ...
Urna outra providencia que em nimba opiuiao.
convem tomar para esta e as dentis reparticoes
provinciaes, a Rxaffe do prazo, dentro do qual
pode a presidencia conceder licencas coin venc-
ments aos ompregados.
Enlendo que as concessocs de ta s brencas com
todos os vencimentos te devem ser auionsadas por
acto legislativo, e que fra disso s tem direito os
empregados licenciados por motivo julilicado, a
penvpcao do ordenado cessando absolutamente as
gratitic'iicoes qualquer que seja a causa da falta,
excep'uada apenas accommettida por servieo gra-
tuito ob igatono por le.
gegandR nina estilstica apresentada pelo se-
cretaVio da provincia durante o anuo passado ex-
ped rain so 1806 papei. sendo 1330 oficios para
os differentes ministerio, Ii,i58 portaras, 1*8
leliberaees, e 3.234 offlcios do uiesino secratano.
.Nao uclueo aeese irabalho as copias de tea i
o expediente para a imprensa e para acninpanlia-
rem os offlcii, os ttulos patentes, provisoes, por-
taras para Sabida de einbarcacoes, pasaportes,
|MMM5es de offlciaes da guarda nacional, regis-
tros ileilas e das expedidas pelo governo impe-
rial ele.
O archivo que conten ninitos o importantes do-
cumentos, no se acha em boni estado, nao s pe-
te desarranjo ua classilkaeo delles como pelo es-
trago dos livros amigos de registros dos actos mais
d itaveis da ad iiinisiracao da provincia que tanta
Iue podeni foroecer a historia patria.
A providencia que temaste*, autorsando a no-
mea^jo de um c. llaborador ncumlHdo de copiar
esses livros, nao tem irazdo resultado, porque as
necesidades do expediente da secretaria o des-
valo quasi constanteineiite daquelle servieo.
O peipieno espaco di edificio queoecupa o ar-
livo taiubem concorro para que nao posea este
conseivar-se em devla ordem.
Ass'un, me parece que removendose para mi-
tro edificio a reparticao das obras publicas, con-,
vem passar o archivo da secretaria para o lugar
q/ie presentemente oceupa a mencionada repart
fao, e establecer ah o gabinete do secretario da
provincia, que nao pode continuar onde existe.
Por esta forma baver mais espaco paraos tra-
balhos dis secews do expediente que esl sob a
imuiediaia direccSo do offlcial-mater.
O secretario lembra, e eu concordo, a nesessi*
dade de dar-so alguma somina para a compra de
movis iudispensavejs a secretaria, pintura da
raesma, as-om comew-aa acquisicaode livros de
administrara i que slrtoniain precisos para su a
Miotneea, que esta uteiraiueute despruvida de
tudo.
Obc-vos dar a estas ponderacocs o peso que
for inelbor.
Os rs. Francisco de Paula Salles e Joaquim
Pires Machado Porlella j apresentaram os traba
Ih >s que eontr.itaram, u primeiro de um ndice
alpbabetico da legi>lacao provincial^ c o segundo
da classilica^o da mesma legslacao.
Este ulliuio reqnereu-me urna commssao para
examinar e dar parecer sobre o seu trabalbo, ao
que annui nomeando em 27 de.marco a uita com-
missao.
Senhorcs da asscmbla legislativa provincial.
Eis a expo-icao qu.- tenho a fazer-vos, incompleta
e defetiva, como nao poda deixar de ser, urna
vez que foi elaborada em pouco tempo e no me'm
dos variados e complicados negocios que pendem
da adiiiinstra(;ao desta provincia, cont todava
que vossas luzes e patriutotismo supppriro suas
taitas..
Recite, 10 de abril de 1869.
CONDE Dg BAEPESDY.
qil,e Marcelino Francisco de Lima,
i do do Santo Antonio, Herculano, ci-
erno do Dr. Graciliauo de Paula Baptisu, per
'listort^^H
A' ordear^ de S. Jos, Leandro Cecilano Dias
da Costa, por desrdem.
ordem do da Boa-Vista. Vicente, escravo de
HareoJW' Ped;
;nlii
s Jasiiii i
i no CvHt
iini#ui.Tnu Catratlto, por tmpeito de andar fu*' moteo, Itnrtii Jos la
gd*
A ordem do do Peres, Francisco Camello da Sil-,
va, como indiciado em crrnia de furto de cavalloeJPr. Car
Km oDicio de H do crrante, participio -me o Rasado,
subdelegado da cidade di Victoria, que no da an-
i alli e-pancdo Manoel Jos de Briio,
por Pnp'-iseo los Jlartins. que toi preso em fla-
grante ; i|ue pioeedeuo competente,auto de ves-
Tendid i. e ia proseguir nos termos da
le flnnlra o di*tquj. M.
us guarde a V. Exc. Illm. Sr. Dr. Ma
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Domingos Constancio, J. Francisco Peifira da I Ibes o copiador que p'ertenceu a extincta firma.
Silva Juuier, Hvd. padre Pelix H. lURogo, Anto- merem.
nio Raymundo Cavalcanti, Ismael Candeon i I le Joao Baptista Guelf de Lailhacar, regis-
Mendonra,'D. Emilia da Costa Fguerelo^Jorf riptura de removaca do".arlamento
Ferneades de Magalhaes, Oljtnpio O. S. Barrero de+frito a elle supplicante por D. Claudia dos Sant is
Carvjlljo,Q.Jdaria da Concccao Ccsuafilha, Ma-
riano C. Falcao, El viro Silva Caldas, sua senhora,
sua sogra, 1 fillio menor e 2 criados, Manoel Tili-
ntar, Pe
Azevedo
FrancisC
ra. Luiz__
de S.iuzaHHire e 1
Ainorim, Antonio
Coila e Sltni, pncl J.iaBMMf
senhora otRlh enor, F. hx Antey,
es da lva d<*Ka asua si
jcI BilgulM, isSitqVo Po^^
n'jfcor
Viega da parte que possue no sobrado de 3 an-
dares da ra do Crespo n. 9.H
Dito de Francisco FerreirasBorges, gerente da
idKomM*!Wfcpiain1)ucaan -de pnqneics a*apor.
j;utfM
  • iloTegisHyi vapor Mim.M.Vista, ao Sr. de-
    Dftb do Antonio Augusto dos Santos Porto e
    I laqmni orge de Fonseca Bastos, registro de seo
    c ntrl sdoinl.Vista ao Sr. desembargad >r fUotl.
    Dito de Jos Francisco de Atlyde e pello, apre-
    senlando MHripiura de liinefe hypotheca que
    prestou panModer exereer o c'Sclo de agente de
    Jeiloes da Iwayba.A nttQanio. est prestada
    na forma da le .
    Com informaca do Sr. desembargador fiscal:
    la Bmga, Kalkman Caso, Julo Eugenio de Olvei-
    do Naseimento Mchalo "portea, vico-presidente ra Cajueiro, Joo P. Gomes da Motta e 2 cralos,
    da provincia. O chele de polica, FrAWi#>t& lAntu t',^4J|*-4SP1?,%APtl,)-* ^l't-r- ^ JS U;ai 1''trl*r!l d* Gnnba o 411-ui*) \>-
    Fari'tLemot .CTQT jl-% va^fciJAiuaii4te FenMlTBAb- reir Temporil, estrato de sociedafle. Reg-
    PERNAMBUCO.
    hpacaos d.v vice-prksidkncia do da lo de abril
    db 1869.
    Bacharel Angelo Caelano de Snuza GoQsseiro.
    Coneeda-se por tres mezes com ordenado, na for-
    ma da le.
    Padre Antnnio Generoso Bandeira.Passe por-
    tara, concedo a gratiticacao requerida
    Bernardo do Aquino Lopes.Indeferdo por nao
    ter o Olhii do supplicante isencao emseu favor.
    Pranrisco de Souza Guerra Informe o Sr. ins-
    pc-lor da thesouraria provincial
    Coronel Francisco Joaqunn Perera Lobo.Inde-
    ferdo viste das informales.
    Isidoro Mariubo Cesar.Conceda-se a reraocao
    pedida.
    Joo Goncalves de Souza.Seja dispensado do
    servieo para que fui designado.
    Jos Sicario da Silva.Informe o Sr. Dr. direc-
    tor geral da instruceo publica, ou viudo o regedor
    do Gymnasio.
    Justino de Souza Ribeiro.Concedo o prazo de
    8 das.
    Jos Ignacio Avilla.Informe o Sr. inspector da
    tesouraria de fazeuda.
    Migutjl Mara do Naseimento.Aguarde o sup-
    pucaute as informaeoes qu se pediram.
    Pedro Lopes da silva.Aguarde o supplicante
    ae informaeoes que e pediram.
    Reparticao da pollela.
    V see?*>-^reuriadaponciade Peroambnco,
    17 de aonl de 1869.
    Ai. 652.Illm. Exm. Sr.Tenho a honra d.
    lavar ao coohecimento de V. Exc. que segundo
    consta das participacoes recebidas boje nesU re-
    paniego, forain hontem rocolhiaos casa dedeton-
    (2o os seguinies individuos :
    A' m nha ordem, Joaquim Jos de Santa Anna
    indo de Tacarat, como errawso de boncdi..
    to termo do Brete.
    A ordem di subdelegado do Recife, o subdito
    LanbardJoe sph Angoit, k requisicao do
    TPStfX&'XA DIARIA.
    AUTOS OFFICIAES. Por deliboracos da pre-
    sidencia da provincia, de- li 4o correnle, e sqb
    proposta da directora geral da instruceo publica :
    Fo creada mas una delegaca Iliteraria na fre-
    guezia da Boa-Vista, co nprehendendo primeiro
    os limites do jiilgado de paz do primeiro districto,
    e a segunda os do segundo.
    Foi nomeado delegado lit'erario da segunda de-
    legacia, o Sr. Dr. Francisco Augusto da Costa.
    Por deliberacocs de 16 :
    Foi nomeado Joao Correa de Carvalho, director
    da sociedade Beneficente dos Artistas Alfaiates.
    Foram divididas em duas cada urna das delcaa-
    cias Utterarias da povoacao dos Afogados, e da vil-
    la de fiamb, comprehndendo: a primeira dos
    Affogados as povoacoes desse nome, daBoa-viagem
    e da Passagem da Magdalena, e a segunda as do
    Gqui, Tigipi e Peres ; e a nova do ftamb, todo
    o lerritorie do julgado de paz de Timpaiiba e
    Mocos.
    Para delegado Iliterario dc=ta ultima delegacia,
    fo nomeado o Sr. Virginio Velloso Freir.
    Por deliberacocs da presidencia, de 17 do
    correnle, foraiu noneados :
    O pralicanle da reparticao das obras publicas
    Jos Barbalho choa Cavalcante conductor inte-
    rino ;
    Jos Lucio de Albuquerquc Mello praticante in-
    terino.
    ASSEMBLEA PROVINCIAL.Na ordem do da,
    a assembla na scsso do ante-hontom, approvou
    em 1* discussao o'projecto n. 30 do anno passado,
    creando duas cadeiras, urna p ra o sexo masculi-
    no, outra para o femenino no povoado da Torre
    rreguezia dos Afogados.
    Em 1" rejeilou tambem o de numero 40 de 18o
    autorsando o governo a despender a quantia de
    10:0003000 com a adquisco de livros para a bi-
    bliotbeca publica.
    Approvou cin 1' o de numero 25 do mesmo anno
    que antorsa o governo a crear nesta provincia um
    curso agrcola, fallando sobre a materia o Sr. O.
    de Drummond.
    Entrando em 1 o de numero 16 do mesmo anno
    aut irisando a junta da Santa Casa vender os pre-
    dios de seu patrimonio que estiverem inhabitados,
    foi rcmettido commssao de coustituiejio a reque-
    rimento do seu autor.
    Entrando om 1" o de numero 23 de 1868 crean-
    do urna cadeira para o sexo masculino no povoado
    do Giqu, fallaram em defeza do projecto o Sr.
    llego Barros, e pedfndo explicaco sobre a conve-
    niencia do projecto, o Sr. Arminio Tavares, contra
    o mesmo o Sr. Lopes Machado.
    O projecto ficou empatado na votaco.
    Continuando a discussao das posturas da cma-
    ra de Nazaretb, verticou se nao liaver casa.
    A ordem do dia manada para a sesso de hoje
    a euntinuacao da antecedente, e mas a 1* discus-
    sao dos projctos nmeros 21, 48 e 107, 2a dos de
    nmeros 78 o 7P, todos de 1868.
    NAVIO ENCONTRADO.O V!.por Giqui, da
    Companhia Pernambucana, ein sua viagem de Fer-
    nando de Noronha para nosso porto, faitea com a
    barca ingleza Waijfire, indo do Ro de Janeiro para
    Ballimorc, no dia 16 do correntona lat. N. o- 58
    elong. O. de Gieenwicli 33" 31' 7".
    SUICIDIO. Amanbecea hontem enforcado,
    n'uma trave do tclbado da casa em que moran,
    na travesa do Ouvdor, Ant nio Luiz da Cunha,
    ollicial de pintor, de 26 para 28 anuos, pardo. At-
    iribue-se esse acto ms circunstancias finan-
    ceiras.
    COLLEG10 DE S. JOS.Assislimos hontem
    .lestribuicao do sacramento da confirmacao, s
    alumnas do collego de S. Jos, na Soledade, diri-
    gido pelas irmi.s de SauU Dorotha. Foi um ac-
    to solemne o tocante, sobre tudo por ser celebrado
    pelo nosso virtuoso prelado, que antes delle des-
    iribuio o pao eucharislco por quasi todas as r-
    mas c alumnas do collegio.
    Deze ete meninas, trajando candidas vestimen-
    tas, lizcram sua primeira communho, com reco-
    lliimeuto e pedade, sendo levadas mesa sagrada
    por urna de suas mestras.
    Concurso numerosi de familias assistio ao acto,
    sahndo todos sat-feitos da boa ordem e regulan-
    dade, par do carinhb e zelo com que sao abi tra-
    tadas as alumnas.
    ESPANCAMEN'TO.No dia 10 do correnle, na
    cidade da Victoria, Francisco Jos Martins, espan-
    cou a Manoel Jos Brto, sendo preso em conti-
    nente.
    FERNANDO DE NORONHA.Salibado a tarde
    chegou destepresidio o vapor Giqui. Escrevem-
    nos d'ah o seguinto :
    Volta nesta data (16) bordo do Giqui, a
    commssao que aqui veio, por ordem do governo
    imperial, syndcar de factos occorridos nos ltimos
    tempos.
    Nada occorreu que mereoa mengao. O presi-
    dio fica em paz, continuando a populaco a felici-
    tar-se pela acertada escolha do novo comman-
    danle. >
    PAO D'ALHO.Escrevem-nos dessa localdade
    a 12 do and nlc :
    Um facto bastanto lamentavel deu-se em a
    noile de domingo (II do correnle) na freguezia da
    Glora desle termo.
    f Tendo o subdelegado supplente em exercicio
    reunido alguns polciaes, com o fim de proceder
    ao rerrutatnente, ao chegar em trras do engenho
    Canavicira de cima, poz cerco urna caa, onde
    Iheconstava haverem pessoas no caso de servircm
    no exerrilo ;' succedeu, porm, qne na occasio do
    cerco apparecra resta da porta Felippe de tal,
    a quem um dos policiaca deu ordem de priso.
    Este ouvndo tal ordem disparou dous tiros de
    clavinote sobre a patrulha, do que^resultou ser fe-
    rido gravemente um dos polciaes.
    A' vista flisto o subdelegado mandou continnar
    o cerco e niimou ao criminoso que se rendesse,
    obtendn em resposta um novo tiro de clavinote,
    que occasionou a moite de um dos soldados.
    Em presenca. de lao perlioaz quao criminosa
    re-islcncia, ord^nou a autoridade que a patrulha
    penctras-e na casa, foreando a porta, afim de fa-
    zer-se effectva a priso dos delinqoent-s. Nesias
    circum-uancias assim procedeu a patrulha, sendo
    ainda eridos os dous soldados que primeiro en-
    traran!.
    Apezar das terminantes ordons para nao sc-
    rem offendidos os criminosos no acto da priso,
    om dos guardas da diligencia^ movido sem duvida
    ptdo insiinclo da conservaco, disparou sobre o
    facrinnra um tiro, que o abalen morto.
    O delegado do termo, logo que teve scencia
    do occorrido, offlciou ao Dr. jniz de direto da co-
    marca, afim de dar as providencias que o caso
    reclamava ; providencias que nao tardaram, pois
    j se acha, segunda rae ioformam, em andamento
    o respectivo processo.
    c Aguardo-me para noticiar-lhe o que for oc-
    correndo relativamente esse facto em outra oc-
    casio.
    PROTESTOS. O eserivo dos protestos Jos
    Mariano est de semana a roa de S. Amaron. 20.
    LOTER A=A que se a ha a venda a IOS/ a
    beneficio da igr ja de S. Sebastin do Bonito, que
    corre no dia 0 do correnle.
    PASSAGEIROS. Do vapor Potengi sabido
    para os portes di sol:
    Antonio Frantadino G. Fortes, sua senhora e I
    escrava, Adelioo Claudno, Antonio de Albnqner-
    queH. CavalcanJ, J<>s Hara Vasconeellos, Joao
    A.itonio Reseode, W. W. Robilliard, Pedro Cor-
    rea Vieira, Migud Vital, Domingos Moraes, Miguel
    Peixe, Julio d Sanie* Pereira'e 1 criado, Robn
    Beluario, Manoel Pulins Fernandes, Domingo
    ,J .s de Farias, Manoel Luiz Carneiro de Albuquor-
    que, Eugenia Carolina Pereira.
    Do vapor lirasiteiro Pirapama, sabido para*
    norte :
    Paulino C do Reg Barros Nicolao Floriano,
    roana
    Dr. Olympio Marques da Silva, capitao Jos Ig-
    nacio de'Medeiro Reg Monteiro, Joaquim Perera
    Bastos, alferes Anlo do Sacramento Rosa, Frei
    David da Nalvidado ile Nosia Senhor,a|rJ^|\Jm
    riques da Silva, Paula Joaquina do Nasement) o 5
    criados, Idana-Adolorada ie Mello, 10 pracas de
    fuziteiros navacs, 10 imperiaes marinlieiros, 13
    pracas da guarda nacional e 8 sentenciados,
    Sahido na barca portuguesa Social :Be:-
    nardo Ferreira Maia.
    CEMITERIO PUBLICO.-Obtuario do dia 16 do
    corrente: u
    Guilhermlnide Oliveira Coragem,Pernambueo,
    30 annos, solteira, S. Ant-Miio ; phtisica pulmonar.
    Petronilla Theodora da Encarnacao, Pernambu-
    eo, 20 annos, solteira, Bda-Vista ; febre.
    Joaquina. Pernambueo, 1 mez, Boa Vista; con-
    Vil I^Of*^
    Antonio, frica, 60 anuos, S. Antonio ; hydro-
    thorax.
    Catliarioa, Afric.i. iW anuos, Boa Vista; diar-
    rha.
    OeodJwfVeruambuco. 8 mezes, Boa Vista; den-
    tieo.
    Eugenia, Pernambueo, 3 mezes, S. Antonio; con-
    vnlsoes.
    Recem-nascido Tiburco, Pernambueo, S. Ante
    nio; congostao cerebral.
    Maris Manoela dos Santos Martins.Pornambuco,
    23 annos, viuva, Boa Vista; pulmona.
    CHRONICA JDDICIARH.
    TRIBUMAE. D.4 lli:i. V, AO.
    SESSAO DE 17 DE ABRIL DE 1869.
    PRESmSciA D3 EXM. SR. DESEMBARGADOR SANTIACO.
    As 10 horas da manha, presentes os Srs. desem-
    bargadores Gitirana, Guerra procurador da coroa,
    Louren^o Santiago, Almeja Albuquerque>JMolta,
    Domingucs ila Silva, faltando os Srs. ucseinoarga-
    dores Souza Leio, Uchoa Cavalcante e Freitas Hen-
    riques, abrio-se a sesso.
    Passados os feitos deram-se os seguintss julga-
    mentos:
    Appellaqoes crimesAppellante, Profiri Ri-
    beiro de Mello; appellada, a justica.Anuullou-sc
    o processo. Appellante, Antonio da Rocha Lima;
    appellado, Jos Perera Castello Branco.Nullo o
    processo, abaivida o appelkmte.
    PASSAffSSS.
    Do Sr. desembargador Gitirana ao Sr. desembar-
    gador Guerra.Appellaeao civcl: appellante,
    Alexandre Franclueo de Ohveiro; appellada, Boni-
    facia Maria da Rocha.
    Ao Sr. desembargador I.oureiiQO Santiago.Ap-
    pellaeao crime: appellante, o promotor; appellado
    Antonio Vicente dos Santos.
    Do Sr. desembargador Guerra ao Sr. desembar-
    gador Loureng.) Santiago.Appellaeao civel: ap-
    pellaBtes, o curador geral e ontros; appellado,
    Manoel Elias de Moura.
    Do Sr. desembargador Lourcnco Santiago ao Sr.
    desembargador Almeida AlbuquerqucAppella-
    eao crime; appellante,oinizo; appellado, Antonio
    d'Araujo Costa. j\ppnila(;a.) civel: appellante,
    Francisco Al ves da Veiga; appellada, afazenda.
    Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembarga-
    dor Domingucs da Silva.Appellaeao crime: ap-
    p.ilaule, ojuzo; appellado, Mximo Pereira Bar-
    bosa. Appellaces civeis appellante, Dr. Manoel
    do Reg Barros Souza Leo; appellado, Francisco
    Baptista do Almeida. Appella ite, Jos Rodrigues
    Paz; appellada, Rellena Maria do Carino. Appel-
    lante, a preta Fabrica; appellado, Jos Luiz de
    Albuqucrque.
    Do Sr. desembargador Domingucs da Silva ao Sr.
    desembargador Souza Leo Appellaces crimes:
    appellante, Manoel Antonio AI ves; appellada, a
    justica. Appellante, ojnizo; "ppellado, Joao do
    Goes Nogueira. Appellante, o juizo; appellado,
    Joao Vieira Dantas do Couto.
    Deligescia crimeAo Sr. desembargador pro-
    motor da justica: appellante e juntamente appel-
    lado, a justica eo To Francisco Goncalves Bar-
    bosa. Appellante, o juzo; appellado, Manoel Gon-
    calves do Naseimento.
    Assignou-se dia para julgamento dos segrales
    feitos: ...
    Appellaces civeis.Appellante, Joao CamiHo
    do Bego Barros; appellado, Dr. Francisco Joo
    Cirnciro da Cunha. Appellantes, os herdeir-is do
    cominendador Manoel Fi.'ueiroa de Para; appel-
    lada, a fazenda.
    Ao meio-dia encerrou-se a sessao.
    tre-se.
    De Antonio Ferreira de Carvalho, Jos Salgado
    Zenha e D. Maria do Rosario de Fon-eca Malbeiros,
    contrato de sociedade.Registre se.
    De IpaeefccoTeixcira Barbosa e Custo lio de P-
    nbo Porto, dislrato social.Regislre-se.
    De Joaquim de Souza Ferreira carta matricu-
    la. (Adiado).
    De Francisco Lelao de Carvalho (adiado), peln-
    do matriculada de commerciante.Nao tem lugar.
    Dada a hora jll e 1|2) o Exm. Sr, presidente
    eccerrou a sessao.
    TRfli! \AL DO COMMIRCIO
    ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 15 DE
    ABRIL DE 1869.
    PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR ANSELMO
    FRANCISCO PERBTTI.
    As 10 horas da manha, reunidos os Srs. depu-
    lados Rosa, Miranda Leal e baio de Cruangy, fal
    tando ainda por incommodado o Sr. deputado sup-
    plente S Leilo, o Exm. Sr. presidente abri a
    sessao.
    Lida, foi approvada a ac!a da sessao de 12.
    EXPEDIENTE
    Offlcio do Exm. Sr. conde deBacpendy, com da'a
    de 10 do corrente, dzendo que por tor de ir to-
    mar assento na cmara temporaria passava no da
    segrate a aJmmistracao da provincia ao 21 vice-
    presidente em consequencia de tambera ser depu-
    tado o ld Intcirado. .
    Offlcio d i Exm. Sr. Dr. M inoel do Naseimento
    Machado Porlella, datado de 11, commu
    liaver assumido a admmistracao desta
    na qualidade de seu 2' vice-presidente.Accuse-se.
    Oico do mesmo Exm. Sr. vce-presidencla fir-
    mado de 12, exigndo qua se lhe envlassem at o
    fim de junho prximo vndouro o mappa que cum-
    pre ministrar para a conlecijo da estatistica judi-
    ciaria.Inleirado, e deram-sc as competentes or-
    dens respeito.
    fficio do secretario do tribunal do commercio
    da capiteljlo imperio, do I1 do corrente, remetien-
    do a relacao dos commerciantes matriculados no
    mez prximo lindo.Accuse-se.
    Olficio do presidente e secretario da junta dos
    correteros, firmado de 11, pedindo resoluco do
    tribunal no sentido de facultar-se a junta lazar a
    colaco dos precos correnles da praca somente
    nos sabbados,o que fra concedido pete decre
    4245 de 16 de selembro de 1868, que j est i
    do exe miado pela juntado correteros do Rio de
    Janeiro.O tribunal resolveu que a secretaria in-
    forme se existe e n seu archivo o decreto citado.
    Olllcio do Sr. deputadj supplente Jos Fran-
    cisco S Leiio, declarando que por incommodo
    deixava de comparecer presente sesso. In-
    leirado.
    Aos Srs. depulados foram distribuidos os se-
    grales livros.Diario e copiador de Manoel Fef-
    naudes da Costa & CCopiador de Jos Ferreira
    da Costa. Diario de Candido Alberto Sodr
    Motta.dem de Joo Maria Cordeiro Lima.
    Foram prsenles os nmeros do Diario Offlcal
    de 80 83 inclusive.
    DESPACHOS.
    Requerimento de Benio Eleuterio de Souza Cas-
    tro, cidado brasileir, com 34 annos de idade, es-
    tablecido com loja de cera ra do Cabug dis-
    ta cidade, pedindo ser admitiido matricula, jun-
    tando um atlestado subscripto por Thomaz de
    Aquino Fonseca, Henrique Bernardo de Oliveira.
    Doraingues Alves Matheuse Jos Joaquim de Lima
    Bairo, com o qual prava gosar de creJite e eonsi-
    deracao.Vista ao Sr. desembargador fiscal.
    Dito do bacharel Miguel dos Antes Barros para
    certificar-se-lhe, 1* >e afirma Maia & Landelino
    tem'conlrato registrado, 2 se tendo, s i eltes con-
    siderados commerciantes, 3 filialmente se do non-
    trato consta'qual o genero do negocio que se
    SESSAO JUDICIARIA EM 15 DE ABIL DE
    1869.
    ftlESTDENCIA DO EXM. Sn. DESF.MBARGADOn A. F. PE-
    RETT1.
    Stmtario, Julio Gnhnares. >_
    Ao meio dia declarou-se aberta a sessao estan-
    do reunidos os Srs. desembargadores SiUra Gui-
    uiraes. Res e Silva e AceioR, e os Srs. deputados
    Rosa, Miranda Leal, e barao de Cruangy, fallan-
    do com patticipacao de doento o Sr. supplente S
    Leilo,
    Lida, foi approvada a acta da precedente ses-
    so.
    ACCORDAOS ASSIGNADOS.
    Embargante, Arminio Pessoa de Albuquerquc,
    embargado David William B-iwmann. Embargan-
    tes, D. Joanna Francisca da Conceico Murta eou-
    tros, embargados Antonio Correa do Vasconeellos
    & C Embargantes, Duarte Pint i k 8, embarga-
    dos, Bailar & Oliveira. Embargante, Domingos Ra
    mos de Aranjo Pereira, embargados, Mocd.i Me-
    deiros & C\
    nTLGAMRNTOS.
    Juizo especial do commercio : embargante ap-
    pellante embargante terceiro, Francisco Jos de
    Paiva. embargados appelladns exequentes, Mon-
    teiro % Irmo ; juizes os Si s Silva Gumaraos,
    iteft e Silva, Rosa e barao de Cruangy.Despre-
    sados os embargos.
    Juizamunicipal e do commercio de S. Miguel,
    provincia das Alagois, appellantes appellados au-
    tores, Jos Maria Goncalves Perera o outro, ap-
    pellante appellado, reo* Belarmino Pinto de Aran-
    jo ; juizes os Srs. Res e Silva, Accioli, Miranda
    Leal e Rosa.Annullado o procssO da sentenca
    em dian'e.
    Juizo especial do commercio : embargantes ap
    pcllantes, reos Prente Vianna & C., embargados
    appellados autores, os administradores da nnssa
    fallida de Amorim, Fragoso, Santos t C' ; juizes
    os Srs. Reis e Silva, Accioli, Miranda Leal e barao
    de Cruangy.Despresados os embargos.
    Juizo especial do commercio : embargantes ap-
    pellantes autores, Johnslon Palor & C, embargado
    appellado, reo Flix Sauvago & C* ; juizes os Srs.
    Reis e Silva, Accioli, Rosa e barao de Cruangy.
    Despresados os embarcos.
    Appellante, D. Juan de Anglada Hijo, appellados
    AranagaHijo & C. Appellante J< s Antonio Pe-
    rera Lessa, appellados, M ieda, Mwteinrj & C. Ap-
    Lpellante, D. Mara Cordeiro, apellado Joo Ribeiro
    Fessoa de Lacerda. Appellante Joo Casemiro da
    Silva Machado, appellado Innoc ncio Salustiano
    da Silva. Appellantes, Antonio Lourcnco Tehtelra
    Marques o outro, appellado Manoel Monteiro da
    Cunha. Appellante Nicolao Jo> Ferreira, appel-
    lado Antonio Jos da Co ta 'Aranjo. Adiados a
    pedido dos Srs. deputados.
    E-ti em poder do Sr. S Leitii os feitos adia-
    dos as sessoes anteriores, ontre partes, appellan-
    te Joo Pinto de Lemos Juuior, appellado Mariano
    Xavier Carneiro di Cunha. Appellante JoRo-
    drigues de Araujo Porto, appellados Isidoro Bastos
    & M
    Por" nao esmr presente o Sr. S Leilo nao fo
    sorteado o feto em que sao ; apiielanie Francisco
    do Lago, appellados os adui'uiisiradore* da raassa
    fallida de Joaquim Jos G unes de Souza.
    PASSAGENS.
    Do Sr. desembargador Silva Gumares ao Sr.
    desembargador Reis e Silva : appellante Joo Pe-
    reira dos Santos, appellado O car Uestibeaux.
    distribicSes.
    Ao Sr. desembarga lor Silva Gumares; appel-
    lante o barao de Bonifica, appellado Braz Carneiro
    Leo.
    Ao Sr. desembargador Reis e Silva : appellante
    Jos Antonio Moreira Dias, appellado Jos Lopes
    de Oliveira.
    Ao Sr. desembargador Accioli: appellante Gas-
    par Cavaicanti de Albuqucrque Ucha, appellado
    Ji*o de S o Albuqnerque.
    AGGRAVO.
    Juizo especial do commercio: aggravante : Julio
    dos Santos Pereira, aggravado Antonio Joaquim
    Moreira de Sampaio.
    O Exm. Sr. presidente negon provimento.
    Nada mais houve, e encerrou-sc a sesso a urna
    hora da larde
    ivam se era sua arnnsia; awm
    declararam que essa mulher este
    do mencionado Flix Paes ha 6 aun
    ou menos no entanto que elle o diz que ba 2 an-
    nos sQmept&
    Cmcluo afilrmando que sao calumniosaslas im-
    pdtace>,'que Flix Paes faz ao vigari JooBap
    lista Soares, sobre aconselhar a Feliciana Maria da
    f-Cnnceico, e j/mtmr os serrieos de suw img^'
    com prcjuiMo casal.
    O viganpoe Uarreiros um saeerdote ^robo> e-
    Incap.iz ib pnticar*'nm qualquer acto desairoso ao
    seu duplo caracteir de uarocho, e de cidadao:
    presta snnalgtins Menoras a ea pobre wptua-
    genaria e CaeVlica, assim como otea _utra-
    pessoas eiidnnticas circuiiUncias ote a elle se
    soeeorreni..
    E' o que ru offerew a informar a Y. S.
    tivin.', oque faco fnnseieMMiainJtlIk
    Villa de Barreiros 6 de fevereiro de 1869.Co-
    nego vigario, Amonio Eustaquio Alces di Srfca.
    tlXHr ^T"'" Sr Dl- v'8^rio geral.Tendo aca-
    *TY ""nha nformacao extrajudicial no
    mandado de V. S. Rvm. pedido e requerimento
    de Fel tana Maria da Conceico ; n'esla (informa-
    ra i) qncdcvo dar ao mandado a requerimento de
    Flix ^Antonio Paes, reliro-me aquella visto ser
    a ac.aia mesma, slo divorcio perpetuo destes
    dous conjnges.
    S lenlm a accrescenlar que soube que om urna
    das vezes ( a ultima ) em que Flix Antonio Paes,
    veio a esta villa a casa, de sua mulher (pois j es-
    tavam separados ) ho ive entre elles urna alterca-
    cao, do ipie resullou ficar ella em lal estado que
    pedio cenfiss i; porquanlo detava guipadas de
    singue pela bocea; e sendo interrogada por al-
    guem, di-.e que elle a impurrra sobre urnas
    areias ficando visto bastante molestada.
    Repito, p iri-n, que Flix Antonio Paes vive te-
    da o in.miedameiile com nina sua prenla ; o
    que publico e notorio. Supponho ter cumprido
    a missodeque fui por V. S. Rvm.'encarregado.
    Villa de Barreiros 6 de fevereiro de 1869.Co-
    neg vicrario, Antonio fustaquio Alces da Silva,
    juiz ad hoc.
    E nada mais se continha cm ditas informaeoes
    oxlrajudiciaes, que eu eserivo no principio d'esla
    declarado e abaixo assgoado,lRm e fielmente co-
    piei dos proprios originaes, aos qnaes me reporlo;
    e vai esjiia verdade sem cnusa que duvida fae.i.
    conferidxe concertada na forma do cstyllo, por
    niiin escripia e assignada n'esta cidade de Olinda
    em meu cartorio aos 13 de abril de 1869, quadra-
    cresimo sptimo da independencia e do imperio do
    Brasil, i screvi e assigno, em fe de verdade Ma-
    noel Pereira Bra dao.
    COMMERCIO.
    PRACA DO RECIFE 17 DE ABRIL
    DE 1869.
    AS 3 1/J HORAS DA TARDfc
    Algodo de Pernarfibuco sorte 16A800
    res ^90 ^v 18 7/8, 18 3/4 e-
    Ca
    18
    por
    ,
    F. J*Keira
    Presidente.
    Leal Sei-e
    Secretario.

    ENGLISH BANK
    Of Rio de Janeiro Limited
    Descont lettras da prafa taxa a con-
    vencionar.
    Recebe dinheiro em cont corrente e a
    prazo xo.
    Saca vista ou praso sobre as cidades
    principaes da Europa, tem agencias na Ba-
    ha, Buenos-Ayres, Montevideo, New-York
    e New-Orleans, e imitte cartas de crebito,
    para os mesmos lugares.
    Largo do Peiourinho n. 7
    eteui-
    i *
    liode
    applicam.Como requer.
    Dte de J. N. Graf & C, negociantes da capitel
    do Rio Grande do Norte, pedindo o regidro u
    urna prtfcuraco bastante, que juntara. Regis-
    tre-^.
    Dito co Francisco Jos da Sirva Santos, pedindo
    n registro de nina procuraco qne lhe u-
    sna mulher.Keglstre-se.
    Dito de Carvalho & Moura saccessores de Tho-
    maz Ferreira de Carvalto & C, para trausferir-ie-
    PUBLICACOES A PECICO.
    Em um coramunicado do Liberal n. 5o, de 7 do
    correle, faz-se a narraba inexacta do uns factos
    succedidos na villa nc Barreiros, a respeito de una
    aecao de divorcio intentada por Feliciana Maria
    da Conceico, contra seu marido Flix Antonio
    Paes. O Rvm. vigario daquelle lugar, pessoa dig-
    na de lodo o respeito e consideracao, foi spera-
    mente injuriado naquclle cscrpto, cheio de falsi-
    dades.
    Em quanlo este nao recebe urna rofutacao mi-
    provincia^nuciosa, offereceinos aprecaco publica o docu-
    mento seguinte, cxEiahdo dos proprios autos de
    divorcio.
    Elle s por si constitue urna refutaco cabal de
    tudo quanto se diz no referido coramunicado.
    Manoel Pereira Braado, eserivo do juiz siaslco contencioso d'este bispado de Pernam-
    bueo por S. Exc. Rvm' quo Deu* guarde por
    nimios annos etc.
    Certifico ser o theor verbo.ad verbum das
    duas informaeoes extrajuliciacs que se acha
    juntas aos autos de divorcio perpetuo de D. Feli
    cana Maria da Conceico, contra seu marido Fel x
    Antonio Paes, que me foram pedidas por cerlid i
    da forma seguinte:
    Illm. Rvm. Sr. Dr. vigario geral.Nao me tend
    sido possivel cuniprir logo omandado de inquiric.,
    de teslemunhas, a qual vai appensa esta mi.iha in-
    formaco extrajudicial, j por tolo recebido mui
    prximo as ferias, e j por rao acbar de cama, a que
    me prostraram chronieos encommodue hepa'icos,
    que soffro, apenas cessaram essa* causas dirig-
    ine a villa de Barreiros, e do que onvi das tesle-
    munhas, e tive scienci3 por oulras diligencias e
    canaes, que me pareceram seguros e nsuspeitos,
    passo a informara V. S,lvm.*
    E' cerlo que Flix Antonio Paes, apezar de se
    xagenaro, como elle mesmo o declara, vive con-
    cubinato com urna parete, que tem em sua cm-
    panhia titulo de ama, que suas reiacoes illiciu
    com esta mulher, datem do tempo, em qu3 sua
    conjugo Feliciana Mara da Conceico, eslava ain-
    da om sua casa, da mal sahio por que Flix An-
    tonio Paes, desvairado por urna puixo criminosa
    (sob.qualquer ponto de vista que so encare ) lhe
    negava nao as) aquellos cuidados e attmeoes, que
    moa esposa deve esperar de um desvellado e fiel
    marido, como afinal ainearou-a (o-qne logo effec-
    tuou) de trazer para sua companhia a sna concu-
    bina, i -
    G* verdade que elle, por algura tempo, mesmo
    depois de sua separaco forn-x'eu o sustente a sua
    mulher; mas, bem se v que iste a nao compen-
    sava da injustica e desprezo, que lhe elle fizera,
    preferindo-dhe outra.
    Soube miis, por pessa que vive sob o dominio
    do dito Flix Antonio Paes, que este na occasi >,
    em que fra conduzr essa narenta para sua com-
    panhia, dis: desejaria acha-la mais em casa.
    Finalmente que Fell* Antonio Paes, vive teda
    e manteddamente com urna mulher, sem ser a-
    quella que receben por sua consorte face dos al-
    tares ; um (acto que as proprias tjstemunlias
    pir elle produtidas nao poderam negar, apezar de
    dizerem (talvez contrarndo snae conseiencias)
    que Flix Antonio Paes tem ama mulher, mas
    3936-------o,868:67o4970
    1106-------2,l73:42o920
    3342-------8,042:1015890
    Protectora das fami-
    lias.
    Esta assocaeao caminha as vas de prosper-
    dade, nao sem os euiraves inherentes emprezas
    grandiosas.
    Contratos Capitel
    Em 30 de juuho Je
    1868 tinha regis-
    trado .............
    Duraute o semestre do
    30 de junho a 31 de
    dezembro de 1868..
    Estado dessa assoca-
    eao em 31 do dezem-
    bro de 1868.........
    O capital dessa assciaco iluminado e con-
    verte-sc cm apolices di divida publica nacional de
    6 %. JVo se pude dar melkor garanti. Se na
    hipothese de quebrar o Brasil e que essa asscia-
    co pode soffrer; urna especie demonte pi de
    grande utildade para as familias.
    Para conseguir com toda securauca o maior e
    mais instante desidertum da vida do homem, que
    crear para o tuturo um capital cerlo e urna ren-
    da infallivel, para si, seus filhos e familias, bastar
    fazer um calculo (cada qual conforme seus pro-
    prios haveres) de que pode dispr durante o pe-
    rodo de cinco annos ; signalada que seja a quan-
    tia ser esta dividida em duas classes de contratos,
    um chamado contrato de capital e.outro de renda
    Estes dous seguros devefo salisazer-so em cinco
    annuidades consecutivas, e depois de passados os
    cinco annos o contribuinte licarlvre doonusdos
    pagamentos das annuidades subsnenles.
    Estas duas classes combinadas produzera resul-
    tados maravilhosos para o futuro.
    Por exeraplo, um pai que quizer formar para o
    futuro um capial e urna renda vitalicia para cada
    uin-de seus albos, conseguir esle imprtenle in
    despendendo para cada ura delles a quantia de
    1:1553, que se pagara da seguinte forma :
    Direitos de entraa.. 1553
    No primeiro anno.... 2003
    segundo > .... 2003
    terceiro .... 200
    quarto .... 200J5
    quinto...... 2003
    Ter despendido no m de cinco
    annos a quantia de,
    tendo creado para cada filho um cap^o para o fu-
    turo, que conformo a idado dos segurados ser de
    33:0005 a 47:000.5 e urna renda vitalicia do 1005
    ananaes.
    Aduittem-se contratos de materos e menores
    animidades, sendo os lucros sempre proporeonae*
    ao producto dos seguntcs factores : v valor da
    contribuicao, o risco de raorte do segurado
    e a duracao do coitrato (art. 38 do regulamento).
    Para eflectuar as formalidades dos contractos
    dirigir-so-ho ra do Uvrament n. 19, a tratar
    com o Sr. N. F. de Vital, encarregado pelo Banco
    rural c liypollieeario do Rio do Janeiro, que pre-
    .seutemenic acha-se cm commssao neste provincia.
    Protectora das familias
    Em cumprimento do prevenido no artigo 29 do
    regulamento, se convida a todos os senhorcs con-
    trbuiutes desta assciaco, que ainda nao tiverem
    a presentado as certidoes do idade do3 segurados,
    para que facam entrega dellas na ra do Livra-
    raento n. 19, Io andar, afim do ser expedidas
    mais breve possivel para a inspectora geral do
    Ro do Janeiro. As certidoes devem ser selladas c
    reconhecidas por tabellio. Recife 15 de Janeiro
    de 1869.0 representante,
    N.F. de Vidal.
    Um advogado
    Que conceito pode merecer um advogado
    que pondo em tluvido a competencia du um
    juizo para conhecer de certo inventario,
    que julgando-se incompetente este mesmo
    advi)gadi,requereu por outro juizo, e que
    depois do respectivo termo de juramento,
    tambem poz em duvida este mesmo juizo
    peranle qum requereu ?
    Que conceito pode merecer um advoga-
    do que em vez de sustentar o direito da
    parte, traa de calumniar a parte adversa ?
    este procedimento estar de accord > com o
    que elle pratica nos templos vestido d>
    habito talar, faza^} va sacras com o sem-
    blante hypociuffttc desfiarurador discipli-
    nando-se nos nmttes de quarta-feira, de tor-
    vas de tod'ts annos nos antigs catacumbas,
    fazeno estacoes com os bracos abortos em
    dias de jubete?? de certo que nenliura. sal-
    vo se quer por este meio ver se obtem
    ser nomeado advagado de partido.
    Que conceito pode merecer um advoga-
    do que requerendo a abertura de urna fal-
    tencia, na occasiio em que se proceda ao
    inventaro da ma.ssa, requereu ao prob"
    juiz do commercio que m.iudass< retirar
    a familia do fallido,c ra e de tres creancas'que oceupava o inte-
    rior do estabelecimento, cujo requerimento,
    foi indeferdo, pur i sso que, o estabeleci-
    mento fuixado interiormente, communica-
    cSo alguma tinha com o interior oceupado
    pala familia I
    Queta! o espirito religioso deste hypo-
    crita quo quera' por no meio da ra urna
    senbora e tres crianzas?
    Que conceito pode merecer um advogado,
    que a mais de um anno (um mez depois do
    fallecimento de um seu collega), propoz
    urna acgo arbitral para pagamento de seus
    salarios, e que at o presente acha-se pa-
    ralizada por ter a parte adversa presentado
    embargos ? o que Be deve concluir de seme-
    ntante abandono ? isto acara para outra
    vez se for necessario. Sacui,
    THE0D0R0 SIMN 4C.
    Comprara
    Libras esterlinas
    Moedas de ouro...) Nacionaos e estran-
    prata..) geir^os
    Cdulas do governo)
    de \$ a 105....)
    Cdulas do banco do)
    Brasil e das caixas)
    filiaes .........)
    Largo do Corpo Santo
    n. 21.
    CASA DE CAMBIO
    Theodoro .ISimon & C.
    Vendem
    Libras sterlinas i3fJ600.
    Ouro nacional e estrangeiro a 53 1/2 o/o de
    premio.
    Sedulas do governo de 1 a 5O00
    Largo do Corpo Santo n. 21
    BANCO MAU & C.
    Rna do Trapiche n. 34.
    Desconta lettras co nmerciaes a taxa con-
    vencional. Recebe dinheiro, a premio con-
    vancional, por lettras e em conta corrente.
    Confere crditos, saca sobre as primeiras
    pragas do imperio, Rio da Prata e Euro-
    pa, e compra cambiaes so!>re as mesmas
    pracas.
    Encarrega-se, por commisso, da. com-
    pra e venda de fundos pblicos e aeges de
    oompanhias, da oobranca de lettras e di-
    videndos ou de seu pagamento, e de qual
    quer outra operacao bancaria.
    O expediente para o publico comecar
    s 10 horas da manha, e terminar s 4
    horas da tarde de todos os dias uteis.
    ALFANREGA.
    endimente do dia 1 a 16. 371:9414388
    dem do ,dia 17......89:449#J8;
    664:391*371
    MOVIMENTO DA ALFAXDEGA
    Volnmes entrados
    dem dem
    com fazenOas
    com gneros
    Volnmes sahidos com fazendas
    dem dem com gneros
    31
    364
    -------395
    244
    782
    1026
    Descarregam hoje 19 de abril.
    Vapor \pg\uiGladiatormercaduras.
    Barca inglezaBor/oWteu ferro.
    Lugar inglezJuliodiversos genero?.
    Bam partuguezaNova Si/mpafAialagodo.
    Barca portuguezaPereira Borgesdem.
    Barca ngleza=/Mjojeiie carvao.
    TABELLA DOs precos dos g.nehos suj ritos a di-
    reito DE EXPORTACO. SEMANA DE 19 DE ABRIL
    A 4 DO MESMO MEZ DE 1869.
    - Mercadorias: Unidades. Valores.
    Abanos :..... cento 2^500
    Alcool ou espirito de aguarden-
    te .......... caada
    Agurdente cachaba.....
    dem de canna...... >
    dem genebra....... .
    dem resillada ou do reino
    Algodao em caroco..... arroba
    i
    duzia
    arroba
    caada
    arroba
    libra
    4
    arroba
    dem em rama ou cm laa.
    Angico (toros )......
    Arroz com casca......
    dem descascado ou pilado .
    Assucar branco......
    dem mascavado......
    dem refinado.......
    Azeite de amendoim ou amen-
    dobim.........
    dem de coco.......
    dem de mamona......
    Batatas alimenticias. ....
    Baunilba.....- *
    Bolacha rdinariai, propria para
    embarque.......*_
    Meen fina.........
    Caf bom.......-
    dem escolha ou restolho ...
    dem torrado.......libra
    Caibros........ am
    Cal preta........arroba
    Cal branca........
    Carne secca ( xarque ).
    Garneiros........um
    Carvao vegetal.......arroba
    Cavernas de sicupira .... urna
    Cera amarella.......arroba
    dem de carnauba em bruto. libra
    dem dem em vellas .... '
    Gevado ( porcrf)......um
    Ote ..........hura
    Charutos........a*
    Gocos seceos.......
    Colla.......... libra
    Couros de boi, salgados ... i
    dem dem seceos espichados. >
    dem idem verdes.....
    dem de cabras cortidos um
    dem de onca....... >
    Doces, seceos.......libre
    dem em gela ou massa. >
    lem em calda...... .
    Enxams........um
    Espanadores .grates. ....
    dem pequeos......
    Esleirs para forro, ou estiva de
    navio.........cesto
    dem de carnauba.....urna
    Estopa nacional......arroba
    900
    440
    1*000
    880
    800
    3*730
    15800
    OOJOOO
    1JM0
    5600
    43700
    ,1330(1
    ti400
    2*300
    I 800
    13400
    lSOO
    2*300
    3*000
    7*000
    6*500
    440
    360
    400
    380
    33800
    4*000
    1*600
    3*500
    6*500
    200
    , 350
    20*000
    3*000
    3*000
    4*000
    660
    SSO
    290
    170
    350
    10*000
    1*000
    360
    320
    lcoOO
    4*000
    2*000
    Farinha de mandioca
    dem de ararula......
    Feijo de qualquer qualidade .
    Frechaes .......
    Fumo em folha bom.....
    dem em folha, ordinario ou res-
    tolho ,........
    dem em rolo, bom.
    Fumo em roto, ordinario ou res-
    tolho........;
    Galinhas........
    Gomma de mandioca. ....
    Ipecacuanha ( rata )..
    Jacaranda ( oou^eras) .
    Lenha em achas
    dem de mangue em tocos. .
    Linhasc esletos......
    12*000
    160
    2000
    alqueire 3*000
    arroba
    i
    um
    arroba
    urna
    arroba
    >
    duzia
    cento
    >
    um
    10*000
    4*000
    5*000
    13*000
    9*000
    10*000
    8*000
    1*000
    2*500
    25*000
    95*000
    3*000
    12*000
    6*000
    'i
    "
    i



    JiolhJ.' l
    Mel ou melara......caada
    ......r v .arroba
    ....... j-
    Palha do carnauba '.< '
    Papagaife .
    Pao Brasil.....
    dem de jaagada.
    Pochury. .
    Pedras de amolar.
    dem de filtrar.. .
    dem de rebollo.
    Peanas de en. ...*.. libra
    ,[assava.........molho
    Ponas ou chifres de vaeeas e
    nevilhos........cento
    Pranrh.Vs de amarello de dous .
    ... un
    2001 PUF ostv; os appcltantes;
    Diario de Pernambuco Segunda, feira 19 de
    ae



    Abrir
    1
    1869.
    b4>J>s.ioios ei
    :: :
    arroba
    uq
    par
    arrolla

    un
    diuia
    >
    arroba
    costados..... um 203000
    dem de louro. ... 10*000
    Up....... libra 1000
    Sabo.......... 1 160
    Sal. ...,....,. alqeuiro 400
    Salsaparrilha.......arroba 30000
    Snalos de couro branco .
    Sebo em rama .
    dem em venas.. .
    Sola 11 vaqueta .
    Tabeas de amarello .
    dem diversas.....
    Tapiocas.......
    Tatajnba........quinto!
    Travs.........">na
    liiliasde boi. .-.....piito
    Vassouras de piassava....
    dem de timbo...... *
    dem de carnauba.....
    Vinagre..........cnada
    ADITAMBNTO.
    Cigarros.........-
    Costadinho de vinhatieo de man
    de urna pollegada.....
    Dito de outra qualquer madeira
    de urna pollegada.....
    Cerveja em botija ou garrafa .
    Mi-I de abelbas......
    Taboas de vinhatieo at una
    pollegada........
    Dito de outra qualquer madeira
    at urna pollegada.....
    Era ud supra.
    Alfandega de Pernambuco, 17 de abril de 18G9.
    O 1. conferente, Francisco de Paula Gonralve*
    thi Silva.
    O 2." confcrcntc, AlexamlrinoChristoto de Oli-
    reira.
    Approvo. Alfandega de Pernambuco, 17 de
    abril de 1869 Pars de Andrade.
    Conforme.Joaauim Tertuliano de Medeiros.
    RECEBEDOMA DE RENDAS INTERNAS GE-
    RAES DE PERNAMBUCO.
    Rendimentodo dia 1 a 10. 26:0frt890
    dem do dia 17...... 1:368*706
    Que vistos e rea-
    llSU-oH'o, db^isanfos embargos quer os 1!.'
    28j, trac jSO^mui d4.n
    rqpil.ido calculada
    TKBrlrtaal 'em all<-nplBpnfnio
    UsOOB "as 1"** serio sol lente liquidada! asaue fo-
    r rem uteis e necesarias Por lanic, e o mais dos
    auli fi o arordi livre-traptjfl pela chncela-
    ria. Paguern as costas os appellantes e apella-
    dos na divida proporcJio. Recife 10 de marra do
    1863. >
    1 A vista destas deciCes que passaram em jul-
    Sado, nao ha mis razio do ser, para os oxecula-
    os conservarem a posse do sitio, e se a consr-
    vame porque Santa ('isa de niesmo sitio no acto em que receber a renda, que
    devora sor compensada com as bemfeltorias uteis
    e necessarias, para o que teem de ser avahadas as
    mesmas bemfeitorias, c a isto se tem opposto o
    execotado Mena Callado, sem duvida para estar
    na pMM do sitio ; posse que nao d direito a ne-
    nhun dos exeruiados para arrendar o menciona-
    do sitio ou fazer ouiro qual jier c intrato.
    Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
    cife, 5 de abril de 1869.
    O escrivao,
    ^______ redro Hodriqiies de Souza.
    a
    1*000
    22O0
    160
    2*800
    ceuto.
    um
    caada
    una
    81K)
    5*000
    7,1)00
    3*500
    1025000
    06800
    8MQ0
    2*000
    6500(1
    3H0
    10*000
    8*000
    CSiOO
    800
    320
    16*000
    12*000
    13600
    1*280
    12*000
    8*00!)
    28:033*396
    CONSULADO PROVINCIAL
    Rendimento'do dia 1 a 16.
    dem do dia. 17. .
    86:135*79."
    1:301*788
    77:727*58)
    MOVIMENTO DO PORTO.
    Navios entrados no da 17.
    lina de Fernando40 horas, vapor nacional G<-
    qu'n'i, de 223 toneladas, comiiiandaiite loaqmm
    Custodio-Duarte de Azevedo, equipagem 23, em
    lastro ; a ompanhia Pernawbucana.
    Rio Grande di Norte:i dias. biate nacional So-
    bratensc, de 96 toneladas, capitao Antonio Go-
    mes Pereira, equipagem 7, m lastro ; a Sa
    Leito & Irma 1.
    Navio sabidos no mesmo dia.
    Rio Grande do Sul Brigue portuguei Adelina,
    capitao Maaoei Joaiiuim da Silva, carga assucar
    e oulros gneros.
    Rio Grande do SulBarca portuguesa Sor/al, ca-
    pillo Joaquim Gomes Rocha, carga assucar e a-
    rinha de trigo.
    Rio Grande do SulEscuna norte-allemaa Johan-
    na capitai) Rottegrs, carga farinha de trigo e
    outros gneros. v
    New-YorkBrigue inglez habellu, capitao Broker,
    carga assucar.
    Nano sahJdo no dia 18.
    Rio Grande do SolBarca nacional Santa Mara
    Boa Surte, capitao Jlo Goncalves Res, carga
    assucar. .
    BEfiLARACOES.
    Santa Casa de Misericordia do
    Ificclfe
    Pela secretaria da Santa Casa de Misericordia
    do Recite se faz publico que a Illma. junta admi-
    nistrativa em sessao de 8 do correte resolveu que
    fossnn convidados os fia reo les dos orphios em se-
    guida declarados para virem requerer a presiden-
    cia a sua retirada do niesmo collegio, visto que j
    tendo completado a idade de 11 annos nao podein
    alli continuar como dispde o respectivo regula-
    mento.
    Francisco Pereira de Araujo, protegido do viga-
    rio Cimillo de Mondn ;a Furlado.
    Antonio Bezerra de Mello, sobrinho de Francisco
    Itibeiro da Silva.
    Manoel Felippe de Souza Magaihae^ filho de
    Thereza Febronia Estoves Alves.
    Francisco Antonio do Monte.
    Antonio Leocadio do Reg Barros, filho de Ignez
    Maria de Mello Reg.
    Joaqun) Candido da Silveira, filho de Maria da
    da Gloria Silveira.
    Laurind.i Fortunato de Menczcs Lyra, filho de
    Gortruiies Lourenca de Araujo.
    Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
    Recife 9 de abril de 186'J.
    O escrivao,
    Pedro Flodrignes de Soma.
    O administrador da reeeliedoria de rendas
    internas geraes faz publico que neste crrente mez
    e no de maio prximo futuro, visto cstarrm con-
    cluidos os lan$ament os, c que os devedores do
    imposto pessoal, relativo ao excrcicio correte de
    1868 a 1859, residentes as freguezias do Recife,
    Santo Antonio, Affogados, Poco da Panella, Var.-ea,
    S. Lourenco da Matta, S. Anaro de Jaboatao, e
    Muribeea/toem de paga-lo, livre da niulta.de 6 0/0
    o com ella depojs do referido prazo.
    Recehedoria de Pernambuco 3 de Abril de 1859.
    Manoel Ca neiro de So za Ijicerdn.
    o capital de 4:0323390 para o qual entra
    o prjiMkurcojp
    com JC^OW rio valor Ai irmac^"? "Mci-
    liiis, gistMiteie^ti' iK4$-f lecimenro
    O contrato do Jlo Pereira Pedroso dB
    Lima e Joo Francisco Henriques, estabere-
    cidos nesta cidadu coro negocio de taverna,
    sobre a firma de Pedroso A Henriques, e
    o capilal de 3:10380 para o qual entra o
    socio Lima com 2:67i$280 em coaman-
    dila.
    0 contrato de Joo Fernandas Lopes,
    Manoel Jos da Silva Maia, Ricardo Barbo-
    sa Monteiro e Joo Francisco Maia. estabe-
    lecidos nesta cidade com loja de fazendas,
    sob a firma de Maia, Monteiro Ca. o o
    capital de 40:000*001) foraecido em partes
    igttaes. sendo o capital dos socios" Fernan-
    dos Lopes e Silva Maia portas em com-
    mandila.
    Secretaria to tribunal do comraercio 14
    de abril de 1869.
    O ofllcial rnaior
    Jnlio Gitmaraes.
    Eio de Janeiro
    Para o indicado porro segije com niuita bvevi-
    Iciroobeni cobIhm ido brigue Ad/iwle.
    (lorter a maior parle do eairegampnto tratado ; f
    para o resto que I he falla e escravos a frete, tra-
    ta-sc_com o consianatUTd Joaquim Jos Goncalves
    Beltrao, rna do Trapiche n. 17.
    ~
    .lo de Janeiro
    Segu com muita brevidade para o porto cima
    a escuna dinainarqueza Eli', tem a maior parte
    do sou carregamen, o engajado : para o resto que
    I he falta trata-so com Antonio Luiz de Oliveira
    Azevedo & C, ra da Cruz n. 57, 1" andar.
    FAP.4 O ?ORTO
    Deve seguir corn a inaior brevidade possivel a
    barca portugueza Nova Sijmpithia, de 1* marcha,
    porjterprompti a maior parto de sua carga:
    para o resto que llie falta c pas-aaairos. aos quaes
    olerefe ricos e exrelloiile= ctii'd*, trat-e
    com Rallar OTiwira ^ C... ra di Vigarlo n. 10
    EDITAES.
    *.a Meeeo. Secretaria do go-
    verno de Pernambuvo 1 de
    abril de ISO.
    Pela secretaria do governo se convida aos senho-
    res : Dr. Manoel Innoceneio Pirffl de Figueiredo
    Cainargo, Luiz da Silva Gusino, capita) Joo
    Ferreira Viilela, Evaristo Velloso da Silveira, Joo
    Baptista do Amaral e major Vicente Ferreira Pc-
    dilha Calumby, a irem ou mandarem a adminis-
    tracao do correio pagar o porte de seus requeri-
    mentos para que possam seguir para a corte.
    O secretario,
    Dr. Joaquim Crrela de Araujo.
    O Illin. Sr. inspector da thesouraria de Ta-
    renda desta provincia, manda fazer publico que
    tem marcado o dia 4 de ma o prximo vindouro,
    liara o concurso que se tem de abrir nesta mesma
    thesouraria para preenchimento das vagas de pra-
    ticantes existentes nesta reparticao, na alfandega e
    na reeebedoria.
    Os exames versarao, sobre as materias de que
    nata o Io do art. Io do decreto n. 3,1 li de 27 de
    junho de 1863, a saber, leitura, analyse grammali-
    al e orlhographia, arithmetica e suas apphcaces
    ao commercio, com especialidade a reduceao de
    nioedas, pesos e medidas, calculo de descont, ju-
    ros simples e compostos, theoria de cambio e suas
    applicagoes.
    Os concurrentes deverao previamente apresen-
    tar seus requeriinentos instruidos de documentos
    que proveni idade completa de 18 annos, isencao
    de pena e culpa e bom eomportamento na forma
    do art. 3o do decreto n. 2,549 de 14 de marco de
    Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
    nambuco, 27 de marco do 1869.
    O offlcial-maior,
    Manoel Mamede da Silva Costa.
    Pela secretaria da Santa Casa da Misericordia
    do Recife se faz publico, que nos antos de execu
    rao que a mesma Santa Casa encaminha pelo juizo
    municipal da 1" vara escrivao Baptista, contra
    Felippe Mena Callado da Fonseca e seus filhos e
    netos para haver o sitio denominado cruz das al-
    mas matinha na freguezia da Boa-vista foram pro-
    feridos os seguintes acordaos.
    c Acordao em relacao etc. Que vistos e expos-
    tos estes autos confirmam a sentenca appellada;
    com declaracao, porm, guel e mais rendas de sitio para que se proceda a
    liquidacao determinada na sentenca deve ser re-
    gulada* pe'0 esUdo actua1' Peraote a cunara municipal desta cidas
    de estar em prara nos dias 15, 19 e 22
    do corrente, para ser arrematada por quem
    menor preco offerecer, a obra dos repa-
    ros do aterro da estrada, que da ra Im-
    perial vai ter a Cabanrt, oreada na quanlia
    de 814-)000 quem pretender arrematar essa
    obra compareea nos indicados dias, no pa-
    ro municipal, munido de fianea idnea.
    O ornamento da dita obra acha-se na se-
    cretaria da mesma cmara, onde ser apre-
    sentado aos que o quizerem consultar.
    Paco da cantara municipal do Recife, 12
    de abril de 1809.
    Iynacio Joaquim de Souza Ia'o.
    Pro-presidente
    Francisco Canuto Biki-Yigem
    secretario.
    Pelo juizo de orphaus oVsta cidade, escrivao
    animarle, tem de ir a praca, lindas as tres au-
    diencias, 4 casinhasde madeira. cobeitas detenas,
    sem numero, silas na ra do Rscente, lreguezia
    de S. Jos, prximas a ra Imperial, pertencentes
    aos menores herdeiros da linada Joanna Francisca
    de Menezes, avaliada cada urna em 100*.
    Saaia (:ia di Misericordia do
    Keeife.
    A Illma. junta administrativa da Santa Casa da
    Miscricordiando Recife manda frzer publico quena
    sala do suas sessoes, no dS 22 do abril, pelas
    quatro horas da tarde, tem de ser arrematadas a
    quem mais vantagens olTcrccer, pelo lempo de um
    a tres annos, as rendas dos predios cm seguida de-
    clarados :
    ESTABELF.CIMENTOS DE CARIDADE.
    Ra da Imperalriz.
    Casa terrea n. 68, por anno............320*000
    Ra de Hortas.
    Loja do sobrado n. 41, por anno........ 120*000
    Ra da Moeda. __
    Primeiro andar do sobrado n. 37, por anno WJjOO
    Segundo andar, idcni.................. 96*000
    Areal do Forle. _^
    Casa terrea n. 1, por anno.............. 100*000
    Ra do Padre Floriano.
    Casa terrea n. 43. por anno............ 170*000
    Ra da Concekao.
    Casa terrea n. 5, por anno..............249*000
    Ra das Cacadas. j|
    Casa terrea n. 36, por anno.......... 178*000
    PATRIMONIO DOS ORPAOS.
    Ra da Lapa. ....
    Casa terrea n. 41, por anno............ 155*000
    Ra do Pilar.
    Casa terrea n. 100, por anuo'........201*000
    Sitio n. 8 do Forno da Cal. idem ........ 150*000
    Os pretendentes deverao apresentar no acto da
    arrcniatacao as suas llancas, ou compareccrem
    acompanbados dos respectivos fiadores.
    Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
    cife, 17 de abril de 1869. O escrivao.
    Pedro Rodrigues de Souza.
    C0JIPAM1IA BBASDIIKA
    Paquetes a vapor.
    Dos porlos do sul esperado
    ate o dia 22 do cprrqnte o vapor
    Guar, conniandanta o primeiro
    tenenle P. H. Duarte, o qual de-
    poi's da demora do costume se-
    guir para os porlos do norte. "
    Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
    carga que o vapor poder con'duzir, a qual dever
    ser embarcada no dia desuachegada. Encommen-
    das e dinheiro a frete at as duas horas do dia da
    sua sabida.
    Nao se recebera como encommendas seno ob-
    jectos de pequeo valor e que nao excedam a^ 2
    arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medico.
    Tndo que passardeslcslimites dever ser embar-
    cado como carga.
    Previne-se aos Srs. passageiros qtrtsnas pasca-
    ens s se recebem na agencia ra ua Cruz n. 57.
    andar, escrtptorio de Antonio Luiz de Oliveira
    Azevedo A C.
    Lisboa
    Segu com brevidade a b
    ra Uonjes por ter partt fda
    para o restante c paiStgcns;'__
    ra, Filhos A C, largo do Corpo SaSwfl. 19.

    w
    ^4 J>--------
    LEILOES.
    lili
    LE1LA0
    .
    Sania Casa da Misericordia do
    . Recife
    Pela secretaria da Santa Casa da Misericordia do
    Recite se faz publico que o Illm Sr. thesourciro
    comnienJador Jos Pires Ferreira, no salao da casa
    dos expostos, as 9 horas da manhaa do dia 20 do
    corrente, far pagamento do quarlel de Janeiro
    marco s amas que couiparecerem, trazendo as
    criacas que llies foram eonadas, nao o fazend >
    aquellas que nao trouxerem os mesmos menores.
    Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
    cife, 14 de abril de 1860.
    O escrivao,
    Pedro Rodrigues de Souza
    CASA DE CAMBIO
    Teodoro Simn & C.
    Compram e vendem por conta propria
    melaes, moedas nacionaes e estrangeiras,
    letras de cambio, sedulas do governo o do
    qanco do Brasil.
    De^contam letras da trra e outros ttu-
    los commerciaes.
    Encarregam-se por conta albeia das mes-
    mas transaeces, da cobranca de letras da
    trra e de outros ttulos commerciaes.
    Recebem quaesquer quantias em deposi-
    to, em conta corrente, e a prazo lixo.
    Largo do Corpo Santo u. 21.
    Tribunal do com-
    mercio.
    Por esta secretaria se faz publico que
    nesta data ficam registrados.
    O contrato de sociedade do Francisco
    Boa ventura da Luz Loureiro e Francisco
    Ferreira da Xocha Leal, eslabelecido nesta
    cidade com negocio de fazendas, sobre a
    firma de Louteiro A C, e o capital de...
    25:000#OO, fornecendo o socio Leal------
    15:000*000 em conunandita, em fazendas,
    armaco e utencilios do estabeleciment, e
    o socio Loureiro 10:000^000 em di-
    nbeiro.
    O contrato de Francisco Domingues Dias
    e Bento Domingues Dias, estabelecidos
    nesta cidade, sobre afirma de Francisco
    Domingues Dias A Irmjfc, com tavern", e
    O inspector interino da alfandega faz publi-
    co a quem inleressar possa, que o praso marcado
    para a realisacao do contrato para o concert do
    terto da sala" da abertura da mesma reparticao,
    como foi annnnciado cm edital de 10 do corrente,
    tica espassado para o da 19.
    Alfandega de Pernambuco 15 de abril de 1860.
    O inspector interino,
    L. de C. Paes de Andrade
    GOMPANHIA PERNAMUUCANA
    DE
    Xavegaeo costeira por vapor.
    Camaragibe eni direitura e Macei.
    O 'vapor Purahyba, commandan-
    tc Mello, seguir para os portos ci-
    ma no dia i 7 do corrente as 3 horas
    da tarde. Recebe carga, encommundas, passa-
    geiros e dinheiro afrete at a 1 hora da tarde
    do dia da .sabida no escriptorio do Forte do Mat-
    tos n. 12.'___ ___________________
    companihaTernambucana
    DE
    tfavegacio coste! ra por vapor.
    Mamangtiape.
    O vapor Coruripe, commandante Penna, seguir
    para o porto cima no dia 28 do corrente as G
    hars da tarde, recelie carga, encommendas, pas-
    sagens e dinheiro a frete at as 3 horas da tarde
    do dia da sabida no escriptorio do Forle do Matos
    n. 12.
    de 1 mesa redonda do Jacaranda, 2 coudos, 2
    cadeiras de mogpn; 1 sof de amarello, 1 banca
    de dito, 1 citante, i castioaes de vidio, *dii<
    de bronze, I f>nr d*1 jarros, 1 jirTo prtmde de
    marmore, 1 sof de Jacaranda usado, 5 cadeiras
    vclha, 2 ramos de flores, 1 commoda de adgire,
    1 banquinha, 1 mesa de jantar, 1 lavatorio, 1
    mesa redonda.
    CORDEIRO SMI ES
    A requerimenlo do curador liseal da massa fal-
    lida'de Thomaz de Figueiredo e por mandado do
    Illm. Sr. Dr. juiz de direito do commercio, far Ici-
    lao dos trastes cima dito.
    IIOJE
    Segunda-feira li do corrente as 11 horas
    Na casa do depositario geral, ra do Imperador
    n. 3, andar terreo. __________________
    "LELQ
    de dous carros de passeio com
    arrrios e tres eavallos para os
    mesmos.
    BOJE
    Segunda-feira 19 de abril as 11 horas em
    poni.
    O agente Pinto far leilao precedida a competen-
    te aulorisacao, de dous carros e tres eavallos, exis-
    tentes na cazoeira da ruado Imperador n. 11,
    aonde se cffecluar o leiio as 11 horas do dia
    cima dito.
    Em continuaco vender-se-ha um cabriolet de
    duas rodas..
    LEILAO
    casal eoai os de superior quah-
    sof e ffiarmiezas. ;ij le loaras finas
    nenas, canaler enfeiles, esleirs e
    tapetes, quadros, Irem de cozinha, e variedado de
    outros obieclos titois. como necessarios uira olfa-
    tos de caM decente, c cujaiidtnenelatra seria por
    demaitdeclarar-se.
    Quarta-fetr, 22 do corrente
    s-40 hormifi mnlia. fnaMo Trapiche Novo
    (modernamente do Commercio) n. 16, nos 2o e 3*
    Iflareft por cima do aruMci> de fazendas do Sr.
    simpson.
    Grande leilao d SEN1)( :
    rTf cnnso.is, rjardhiei'aWwflRn;'' de pedra.
    18 cadeiras razas, 4 ditas de bucos, i tocador
    com tmpo de pedra e seus pertc'nees, 1 cama
    franceza cornos cpnjpetentes cortinados, 1 guarda
    vestido, 1 guarda louea, 1 mesa elstica, 1 mar-
    queza, 1 mobilia de anarello raz coinposta de 12
    cadeiras rasas, 1 sof, 2 eonsolos, 2 cadeiras de
    hracus, 2 ditas de balance, I mesa redonda, 1
    banc? do pe de cuna. 1 dita para jogo, 1 appara-
    d"r, 1 earteira, 1 cadeira para orino!, 2 mesa* de
    pinho, 2 bahs de folhx 1 quartinheiro, 1 berce
    com ebixSo, 1 tapete grande, 2 ditos menores, 6
    ditos peqnenos, 1 rolo de esleirs, 2 pares de
    jarros de porcelana, 1 par do serpentinas, 1 can-
    dioiro a gaz, casticacs, 1 apparclho de porcelana
    para jantar. 1 dito do dito para cha, 1 dito de
    jantar para uso diario com algumas faltas de pra-
    tos, 1 duz a de facas grandes com cabo de marfim.
    1 dita pequea, 2 duzias de garfos de metal do
    principe, 9 colheres de dito para sopa, 9 ditas de
    dito para cha, 2 compoteiras de vidro, garrafas,
    copo*, callees para vinbo e campagne, gateteiros.
    pnliteiro* c mnitos outros objectue que estarn
    patente aos concorrenles no dia
    Quinta-feira 22 do corrente.
    O agente Martins competentemente autorisado
    por u na pessoa que se retira da provincia, far
    leilao dos ohjectos e movis aeima relaciona os
    no armazem da ra do Imperador n. 16, as 10
    horas om ponto.
    De 50
    velas stea-
    Santa Casa da Misericordia
    do Recife.
    A Illm' junta administrativa' precisa contratar
    cofn quem maiores vantagens olTereter o forneci-
    mento de carnes verdes que precisarem os esta-
    belecimentos aseucargo nos mezes de maio e ja-
    nho vindouros.
    . Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
    cite, 16 de abril de 1869.
    O escrivao,
    Pedro Rodrigues de Souza.
    THEmO
    DE
    S. ISABEL.
    EMPREZA DRAMTICA
    10' RECITA DA ASSIGNATURA.
    Quarta-feira 21 de abril de 1869
    Ultima representarlo d) muito applaudido dra-
    ma cm qnatro actos #
    TATiTaliri
    Prlmeira representacao da comedia vaudevillo
    em 2 actos toda ornada do musiea
    COilUO
    o;
    0 PRINCIPE CAIADOR
    Personagens.
    Cosimo......
    O principe Henrique. .
    O marquez de Farambulo
    O conde Strans. .
    Matneus. .....
    A condessa Elzida.
    Os senhores.
    Martinho.
    Eduardo.
    Brochado.
    Guiraares.
    Florindo.
    Carolina.
    Angela........Julia.
    Convidados, criados etc.
    C imegar as 8 horas.!
    AVISOS MARTIMOS.
    COMPANHIA PERNAMBUCANA
    DE
    Kavegaco costeira por vapor.
    Porto deGallinbas, Rio Formoso e
    Tamandar.
    O vapor Mamanguape. com-
    mandante Oliveira, seguir para
    os portos cima no dia 20 do cor-
    rente a meia noitc. Recebe cat-
    ga, encommenda-. passageiros e
    dinheiro a frelo no escriptorio do Forte do Mat-
    tos n. 12.
    COMPANHIA PERNAMBUCANA.
    1)E
    Ifavegaco costeira por vapor.
    Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara.
    caty, Cear, Acarac e Granja.
    O vapor Ipojuca, commandante
    Martins, seguir para os portos cima
    uo dia 30 do corrente as 5 horas
    da tarde. Recebe carga at o dia 29, encom-
    mendas, passageiros e dinheiro a frete at as
    2 horas da larde do dia da sahida no escriptorio
    do Forte do Mattos d. 12.
    Para o Porto
    vai seguir com muiurlrevidade a barca portuguc-
    zo Saphira por estar quasi carregada : para o
    resto e passageiros, tratase com os consignata-
    rios T. de AquinQ Fonseca & C, ra do Vigario n.
    19, Io andar.
    caixas com
    rias.
    O agente Pestaa far leilao por conta e risco
    de quem pertenec' de 30 caixas com velas stea-
    rinas em um ou mais lotes arrematada no dia se-
    gunda-feira 19 do corrente as 11 horas da ma-
    nha no armazem do Sr. Azevedo, no largo da
    escadinlia da alfandega.
    "LEILAO
    De urna grande casa de campo sita a Ponte
    deUcha n. 17.
    O agent Ponina! vender em leilao a casa ci-
    ma, junto a estarao dos trilhos urbanos, que a
    entrada da ponle "da Torre, com os commodos se-
    guintes : grande sala de visita estucada, dita para
    jantar, seis grandes quartos, cozinha, um terraco
    atraz da mesma de W palmos (coberto), fra da
    casa 3 quartos, cocheira, deposito d'agna do Pra-
    la, um tanque de marmore para banhos, um dito
    para lavagem de roupa, sendo o sitio plantado e
    tendo 400 palmos de fundo dividindn com o rio.
    Os Srs. licitantes pndrao examinar a dita casa
    e concorrerem ao leno.
    TERA-FEIRA 20 DO CORRENTE
    No Io andar do sobrado n. 02, a ra da Cruz as
    U horas' -
    Baha
    LEILiO

    De
    Impreterivelmente nestes poucos dias sabe o pa-
    Ihabote Garibuldi para a Rahia : para e*rga tra-
    ta-se com o capitao Custodio Jos Vina, ou no
    escriptorio de Tasso frm03.
    COMPITO BIUSILEIILl
    DE
    Paquetes a vapor.
    Dos portos do norte esperado
    at e dia 28 do corrente o vapor
    Paran, conimandante o capitn
    de fragata Antonio Joaquim de
    Sania Rarbara, o qual depois da
    demora do costume seguir para os do sul.
    Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
    carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
    ser embarcada no dia de sua chegada. Encommen-
    das e dinheiro a frete at o dia da sua sahida as 2
    horas.
    Nao se recebem como encommendas senao ob-
    Jectos de pequeo valor e que nao excedam a duas
    arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medico
    Tudo que passar destes limites dever ser embar-
    cado como carga.
    Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
    ens s se fecebem na agencia ra da Cruz n. 57.
    andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
    Azevedo A C.
    Para Lisboa
    O patacho portuguez Maria, capitao Pedro Mar-
    tins Branco, vai sahir com brevidade ; para carga
    e passageiros, trata-se com E. R. Rabel lo, ra do
    Commercio n. 44.
    COMPANHIA PERNAMBUCANA
    DE
    Xavegaeo costeira por vapor.
    Macei em direitura e Penedo.
    O vapor Jaguaribe, commandante Moura, segui-
    r para os porlos cima no dia 22 do corrente.
    Recebe carga ateo dia 21 as 3 horas da tarde,
    encommendas, passageiros e dinheiro a frete at
    as 2 horas da tarde do dia da sahida no escrip-
    torio do Forte do Matos n 12..
    dividas na Importancia de
    ;:IOM30.
    O agente Martins far leilao por autorisacao dos
    procuradores dos herdeiros de Joaquim Francisco
    da Silva Coelho das dividas activas pertencentes
    ao espolio do mesmo Coelho na importancia de
    7.1055729.
    Terca-feira 20 do corrente.
    No armazem da ra do Imperador n. 16, as 11
    horas do dia. _____m
    ___AVISOS DIVERSOS.
    Convite especial de Tructuoso
    Martins Gomes
    Aos que nao sabem do nosso estabeleci-'
    ment de cestas o balaios, os convida-
    mos a vir a ra larga do Rosario n.
    36, ahi cncontraro todas obras de
    palha e de vime fabricadas na ilha da
    Madeira em Lisboa, Franca c Hambur-
    go, sendo cestinhas finas milito elegan-
    tes para meninas de escola c maiores para
    senboras, bercos para recem-nascidos, ba-
    laios de todas as qualidad s para costura
    groca, depoisito de papis rasgados nos
    escriptorios, grandes para depositar r- upa
    suja, de men nos aprender andar, cestas
    para compras no mercado, bandejas de vi-
    me, cadeiras. condecas. capachos de espar-
    to compridos e redondos, maracas, ninhos
    para canarios, tudo feito com seguranca
    e perfeicSo, aos que nos honram com a sua
    amizade solicitemos sua preferencia aocon-
    suiumo do nosso excellente pao, bolaxa e
    massas doces' de araruta torradas ; certas
    de que envidaremos nossos maiores esforz-
    eos para sempre serem bom servidos.
    Protectora das Fami-
    lias.
    Estado desta associaeo em 19 de marco de
    1869:
    Contribuintes................. 5o65
    Capital subscripto ris.......... 8,427:771 JMO
    Capital em apolices de 6 %..... 2,500:100*000
    Agencia de Pernambuco ra.do LivramenU.
    n. 19.
    N. F. de Vidal.
    . Para o indicado porto pretende sahir em pou-
    cos dias a veleira e bem conbecida barca Social'
    capitao Rocha, por ter a maior parte do sen car-
    regamento prompto, o para o resto que Ihe falta
    e passageiros, para os qaaes tem bons coromodos,
    trata-sc com o consignatorio Joaquim Jos Gon-
    calves Beltrao, ra do Trapiche n. 17.
    De diversas obras de ouro e prata, urna porcao
    de tijolos de alvenaria grossa e batida, cal prc-
    ta e de Lisboa, enxameis, caibros, ripis, soiei-
    ras de pedra, "bancos para marcineiro, ferra-
    menla, diversos movis velbos e dividas activas
    na importancia de 2:7773930.
    Quarta-feira 21 do corrente.
    O agente Martins far leilao a reqnerimento do
    testamenleiro do fallecido Joao Antonio Peres de
    Moura e por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz de or-
    phos das dividas o objectos cima pertencentes
    ao espolio do dito Moura. No Camlnho Novo ra
    da Esperanca n. 37, as 11 horas do dia, onde tora
    lugar o leilao._______________________
    Amanha, s 5 horas da manha, serSo
    ditas algumas missas na igreja do Pilar,
    pelo descanso eterno de D. Constanza Ma-
    ria da Silva, esposa do Sr. Joo Nepomu-
    ceno Coelho da Sitoa, fallecida a 13 do
    corrente. Para esso acto de caridade sao
    convidados todos os parentes c amigos do
    inconsolavel esposo.

    LEILAO
    da olaria n. 5 no lugar dos Coelhos
    O agente Rernardino Guimares autorisado por
    Zeferino Carneiro de Almeida com alvar de;li-
    cenca do juizo de orphos, vender essa olaria
    actualmente arrendada e pertencenie aos herdei-
    ros da finada D. Anna Theodora Carneiro de Al-
    meida, podendo ser examinada por quem pre-
    tender.
    Quarta-feira 21 do corrente as 11 horas
    na mencionada olaria. ____
    L
    DE
    loicas e
    erystaes.
    A 22 do corrente.
    Tendo-se retirado para Inglaterra a familia do
    Rvd. Sr. Charles Addison, o agente Oliveira far
    leilao de toda a mobilia e mais arligos da casa que
    fra da sua residencia, consistindo em linda guar-
    nicao de sala de visitas, um rico lavatorio com pe-
    dra marmore e utencilfos de porcelana dourada,
    toilette, e magnifica machina para costura, ele-
    gantes guarda-veslidos e guarda-toura, cadeiras de
    encost e outras usuaes, ptimas commodas de Ja-
    caranda e de amarello, magnifica estante para 1-
    vros, mesas redonda de sala e para jantar, apara-
    dores modernos, um retrete patente, cama de fer-
    Precisa-se de urna engommadeira, para casa d.
    ponca familia : rna do Cabug n. 5 segundo an-
    dar, entrada pela das I.arangeiras. Na mesma casa
    vende-se um piano de mesa proprio para apred
    der, por preco mdico.
    laboatao.
    Quaudo esperamos que o Sr. Mariuua procura
    jusiiflcar-se de tanto que delle se tem dito dos
    seas bons feios ne^Ct tregueiia, e que'aposenta-
    mos sem rebuco alguem assignado e respon lisado, quando apresenla-se no immundo Liberal.
    furioso, cuidando s cm encher suas paginas, elo-
    giando-se a si proprio, e alirando-se sem nenhuma
    responsabilidade, e indirectamente a cidadaos res-
    peitaveis^desta freguezia, tirando elle de si tud-
    quanto tm para emprestar a quem esta muito,
    alem de seu procedimento Nao aqui, senhor d<
    Manass, que se ha de justificar, se nao o pdi-
    fazer, como creio, enlo calp-se, c nao d anda
    mais copia do seu mo procedimento, se deseja
    que o botija chame alguem a responsabilidade.
    porque temos muita lenha para lhe aricar; nesta
    nao cabe o rato, porque j estando com o poli'.
    tostado, nao quer de todo ser queimado.
    O chronista.
    No dia 16 do corrente, no tejadilho de om
    dos wagoes do trem das 4 1/2 horas, que part"
    para Aqinacos, por esqueciinento ticou um cha-
    peo de sol de seda cor de caf quasi novo : queui
    oachou, querendo restituir, drija-se a ra estrei-
    la do Rosario n. 47, que se recompensar.______
    Sr. Jos Joaquim Carneiro tem urna carta
    no eseriptorio de Joaquim Jos Goncalves Beltrao,
    ra do Trapiche n. 17.
    w
    CABUG
    esquina
    da ra larga do
    Rosario.
    Ei
    ANNEL DE OURO
    MMS JOIASI
    RA
    EO
    CAIMA es
    esquina
    JHL^B^L^^^*-^^ -- JUWtL-imiw.utt^^* ; ^"-^^ ^^
    Este importante estabeleciment no seu genero, tem sempre um sortimento sem igual,
    e vende por prepos que nenhuma outra casa pode .vender. ,, Ida ra largado
    vista da qualidade e do pre Garante-se ser tudo de le. Compra-se our8, prata e pedras finas por presos muito ele- Rosario.
    vados.
    A loja est aberta at s 9 horas da noute.


    Ditro de Pemambuco Segunda feira 19 de Abril de 1869.
    COMPAHU PERHAMBOCAIIA
    >
    7
    COfSELIIO DE HIREC^lO
    Os Senhores.-Saunders Brothers & C, Tasso
    Irmos, Luiz Antonio de Siqueira.
    RENTE
    0 SR. F. F. BORGFS
    Restando anda emittir algumas acedes d'esta contpanhia, da quantia nominal de
    200*000 cada urna, das quaes s se aceiUm em virtade da lei, 20 / ou 400000 por
    cada aSo; convida-se pelo presente ao publico em geral e especialmente aos Srs.
    capitalistas e interessados ao commercio, que queiram dar emprego seguro aos seus
    capitae8, disponiveis, a subscrever o numero de aocoes que Ibes approuver. -
    Alguraas destas acc5e j tem sido tomadas por pessoas que conhecem a vantagem,
    de na presente occasiio (conhecidamente a melhor), empregarem o dinheiro de que
    poderem dispr em objectos de valor real, como vapores, predios etc., que mes garn-
    tala seus capitaes.
    A companhia possae faje 10 vapores, 6 inteiramenja novos, e destes o ultimo esta
    a cbegar de Inglaterra, onde foi construido eipressamente para ella.
    Alm disso est edificando vastos rameos, no terreno que possue no largo d'As-'
    sembla.
    Seus dividendos tem sido de 10 / ao auno, nos ltimos 4 annos.
    As acces qne se emittir-m ozam dos mesmos direitos, e perceberao o beneficio
    dos mesmos dividendos 'jue os angos em propoi\ao da entrada.
    Recebem-se assignaturas no escriptorio da companhia no seu edificio ao caes da
    Assembla n. 12
    Jos Soarcss de Azevedo, professor de
    ingjua e litteratura nacional no gymnasio
    provincial do Recife, tem aberto em sua
    casa, na Bella n. 37, um
    CURSO DELINGUA FRANCEZA
    DE GEOGRAPHIA E HISTORIA
    DE PI11LOSOPHIA
    DE RUETOBKA E POTICA.
    0 estudantes qno pretenderem frequen-
    tar qualquer destas discipliuas, podem diri-
    gir-se indicada residencia, de maaliSa at
    as 10 lioias, e de tarde a qualquer bora.
    Ama de lite.
    Precisi-se de urna ama de luite sem filho a
    tratar no Coracao de Onro n, 2 D, ra do Cabug.
    Club Pernambucano
    A partida do corrente mez, ter logar
    na noute do dia 24.
    Casa para alugar.
    Alnga-M o 2* andar com sotea da casa da ra
    da Cadeia n. 10 : a tratar na ra do Crespo n. 8,
    esquina.
    i* S
    ce sr w
    cr 3
    a o1
    S2.STd.cd
    *3
    6 5>
    I
    1
    o
    ^ -
    o as o
    i'! B
    c o
    3 2. ~ 3
    s? ?? C6 2
    O. CD
    ^ U o

    , 3 c/i -, _
    g. q, o o .o
    Si-'Se
    g ES-2
    e


    Irmandade do Divino Espi-
    rito Santo.
    A mesa regadora cm sessao de M do corrente
    mor, a pedido de milito* irmos, deliberando fazer
    a festa de seu Divino Padroeiro com simplicidade,
    e a tarde a procisso, visto ir j dar comeco as
    obras da capella-mr, e nao lhcs ser possivel fazer
    a sobredila festa com aquella pompa e magnificen-
    cia costumada, aflm de nao cancar aos irmos
    com tao repetidos olilos, pois que tem de os in-
    commodar para as obras ; pede, pois, acuelles que
    voluntariamente qnizercm concorrer com sitas es
    molas para a'jpciss.ao, de o fazerem, dirigindo-so
    ao tiioo'itri'iro-.o Sr. Manocl Rodrigues da Silva,
    na ra do Queiutado n. 37, conciliando por esta
    forma os desejos (pie muitos teem manifestado de
    nao ilcixar de fazer-se os ditos acto-.
    Manuel Luiz da Veiga,
    Escrivao interino.
    Trocam-se
    \s notas do banco do Brasil o das caixas filiaes,
    ;om descont muito razuavcl : na praca da Inde-
    lendeucia n. 22.
    ilLilllll
    Resta veud um escolhido sortimento de ob-
    ectos de marcineria, como sejam, mobilias de ja-
    :arand. mogno cama relio, obra nacional e estran-
    zeira, de apurado go>to eporpreco' razoaveis :
    a raa estreita do Rosario n. 32. Nesta mesma
    asa azem-se com perfeicao todos os trabamos de
    jalhinha, como sejam, empalhamentos de lastros
    tan camas, radiras o _____
    Ama
    Precisa-se de urna ama forra-ou captiva para
    comprar c cozinhar, para duas pessoas, paga-se
    bem : na ra da Cadi ia n. 29, 2 andar.
    _ 3.
    . ce ce
    S
    sea i
    w 3 M o
    D n*
    2 o as
    2n S3
    O. CS ^ CJ
    A C6 g CO

    AMA
    I'rocisa-se alugar tuna ama para casa de
    mocos solteiros. Ra do Jardim n. 7, nos
    Coellios.
    TTENCAO
    o
    Nova con fcitara e hotel, ra Di-
    re/ta n. 59,
    Nesta casa aprom|itam-sqjom perfeicao, asocio,
    delicadeza e presteza, toda n qualquer qualidade
    do iguarias proprias para cha c sobre-mesas.: e
    igualmente se apromptatn almoeos e jantares, ser-
    vindo-se na mesma casa ou fura,, por preeos com-
    mudos, para o que tanibem rcccbcni-se 'assitriia-
    tra.
    Akiga-se qin armazem proprio para qual-
    (|icr negocio : a tratar na ra da Concordia nu-
    mero 12
    Joaquim Jos Gon-
    (jalves Beltrao
    MA DOTRAPIGHE N.17, 1. ANDAR.
    Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
    co do Minho, em Braga, e sobre os seguin-
    tes logares em Portugal:
    Lisboa.
    Porto.
    Valenca.
    Guaaraes.
    Coimbra.
    Chaves. .
    Viseo.
    Villa do Conde.
    Arcos de Val de Vez.
    Vianna do CasteUo.
    Ponte do Lima.
    Villa Real.
    Villa-Nova de Famalicao.
    Lamego.
    Lagos.
    CovilhSa.
    Vassal (Valpassos).
    Mirandella.
    Beja.
    Bar cellos.
    -*
    IJTIIilDADi:
    Aos 500 pares de brincos.
    CUegou e^vende-se no CoracSo
    d'Ouro, ra do Cabng, brincos de
    maosinhas com urna franja penden-
    te a um rico desenho e ouro de
    lei, pelo pequeo pre?o de 15^000
    cada par. baratissimo. -
    lSagoniniadeira.
    Precisa-se de urna criada para engommar
    ra do Imjterador n. 73,2 andar.
    na
    I
    Precisa-sc de um oaixeiro de 14 a 16 annos,
    de tenba alguma praticade taberna : na ra da
    urora n. 56.
    Precisa-se
    alugar dous escravos^agradando paga-se bem :
    na fabrica a vapor de cigarros na antiga ru^ do
    Quartel de Polica n. 21.
    Ama
    de
    urna so
    BRASIL E PORTUGAL
    Situado em um dos bairros mais contraes de Paris, sendo as iuiaiediaces do*
    principaes theatros c outrosmuftos divertimentos, e assim das eslacSesdos caminhos di
    ferro para todos os pontos da Europa, acabado de ser inteiramente renovado, nijo st
    tendo jwupado o seu novo proprietario a despezas para seu completo embellesamento e
    aceio, tonna-se portante vantajosamente recommendavel aos senhores brasileiros e por-
    tuguezes, a onde cncontrar5o sempre aquella convivencia desejada em paiz estraubo.
    ^por ser constantemente frequentado por seus compatriotas. O tratamento superior a
    todo o elogio, mesa redonda, ou a carta, ou servilla nos apozentos; habitacoes conve-
    aieatemente despostas para familias, e quartos para urna s pessoa, o servico feito-
    com a precisa regularidade: os pregos muito rasoaveis e ao alcance tambero d'aquellas
    pessoas que se queiram limitar.
    Gabinete de leitura com os principaes jornaes dos dous paizes, saiao de recepcaoe
    de msica, etc. etc. Todas estas vantagens podem ser applicadas igualmente aos senho-
    res passageiros das repblicas do Prata, porque alera da semelhanca da lingua, ali en-
    contrario muitos senhores hespanhoes, por quera tambera esta casa bastante re-
    quemada.
    3. Ferrelra VIHela.
    Photographo da casa imperial
    premiado em diversas expos i-
    qoes.
    Na sua photographia ra do Cabug n.
    i8, entrada pelo pateo da matriz tira retr-
    os por todos os systemas photographicos.
    Em porcelana Era vidro
    Em talco Era papel
    CARI ES DE VISITA A 9$ A DUZIA.
    Os retratos car te-de-visite sao collados
    ju cart5o de luxo bristal ou porcelana,
    lourados ou lithographados, quadrilongos
    m vinhetas para oque existe urna varieda-
    le de i 2 modelos a escolha de quem se re-
    catar. Para as outras especies de retratos
    temos caixinhas, passe-par-touts, quadros
    3 molduras douradas e pretas cssoltas de
    >uro e alftnetes simples e com pedras pre-
    ciosas, havendo nos alnetes urna mimosa
    'ariedade de feitios. *
    0 nosso estabelechnento photograpbico
    jst sempre em dia com os melhoramentos
    ; progressos que na America do Norte, na
    Europa ou no Rio de Janeiro se consegue
    ia arte photographica, e para alcancarmos
    .al fim minea poupamos despezas nem sa-
    crificios, de sorte que os nossos numerosos
    'reguezes podem ter a certeza de que sem-
    pre encontrarlo em nosso esjabelecimento
    ludo quanto a arte e a moda offerecer de
    )om no novo e velho mundo aos amantes
    ia photographia.
    Precisa-se de urna ama para caa
    pessoa : na ra da Senzala n. 128, 2o andar.
    Vinho degestivo de
    chassaing
    COM
    PEPSINA E DLVSTAEX.
    Remedio por excellencia para cura certa
    las digestes difliceis e completas, a calmar
    as dores gastralgias, e reparar as forcas
    produzindo urna assimulacSo completa dos
    ilimentos; sendo mais um excedente tnico.
    VEtfIME-SE
    NA
    PHARMACIA E DROGARA
    DE
    Barttiolonten A C.
    34RA LARGA DO ROSARIO34,
    O Dr. Manoel Cncdino Hcgj Valenca
    podo ser procura*) para o excr<*icio de
    sua profrssao de medico a ra da Cam-
    boa do Carino n. 21, 1 andar.
    KTTTTTTTtTtttt.aVfriJB
    CIGARROS "INDIANOS
    trrrrrtt ttrrg
    IDPFOCiI
    lOUQOIlll
    IITIIi
    ]|docanabis indica!
    OPPII Al
    h
    Todos os meios at hoje preconisados con ir a asthma nao tem sido mais do qne palliativos
    debaixo de todas as formas, tendo por base a belladona, o estramonio ou opio. Recentes expe-
    riencias feitas era Allcmanha, repelidas em Franca e na Inglaterra, tem provado qne o cnamo
    indio de Bengala possue as mais ootayeis propriedades para eombater essa teraivel affeccSo,
    assim como a tosse nervosa, a insomnia, a tysica laryngea, a ronqaidlo, eitinccio da voz,
    e as nevralgiss faeiaes. E'pois coa o apoio da sciencia que offerecemos estes cigarros, prepara-
    dos coa o extracto de enaao das Indias, qne nos importamos de Borabaim.
    Deposito em Prnambuco, em casa de ** C.
    TTTTTTTTTtTTTTZFTTTTT*-
    ir*
    IXU'XXXXXX
    PEDIDO
    Pede-se ao Sr. Manoel da Costa Pereira,
    praticanteda repartigSo das obras publicas,
    ora em Jaboatao; que comprela a ra
    Augusta sobrado n. td$, atim de saldar o
    seu debito ou pagar o que puder, e isto
    com brevidade.
    CASA DA FORTUNA
    Aos 4:000$
    Billietes garantidos.
    A ra do Crespo n.23 e casas do costume.
    O abai.xo assignado tendo vendido nos sensmui-
    to felfees bilhetes garantidos 1 meio n. 21)36 (km
    a sorte de 4:000j, 1 meio b. 3523 com a sorte de
    7005, 1 inteiro n. 280 com a sorte de 202:3, e
    outras mona sortes de 1003, 40 o 203 da lotera
    que se acaben de extrauir em beneficio da igreja
    de Nossa Senli-ra do Livramento de Pao d'AIo
    (101'), convida aos possuklores a virem receber
    seus respectivos premies sem os descontos das
    leis na casa da Fortuna ra do Crespo n. ftt
    Acham-se a venda os da 1* parte da lotera a
    beneficia da igreja de S. Sebastiao do Bonito
    (102), qae se extraair terca-feira 20 do corren-
    te mez.
    Preeos.
    Bilhete.....43000
    Meio.....23000
    Qnarto.....lOOO
    Em porcae de 1003 para cima.
    -Bilhete. .... 33500
    Meio......13730
    Quarto..... 87a
    _____Manoel Martina Finza.
    O abaixo assignado previne ao publi-
    co de que est tratando de propr, por
    va de seu cessionrio Matliias Lpez da
    Cosa Maia acc5o de sunegados. pela pri-
    meira vara municipal desta cidade, contra
    Jos Joaquim de Castro Moura, como tes-
    tamenteiro e inventariaRte dos bens deixa-
    dos pelo finado Jos Joaquim Borges de
    C^tro; para que ninguem faca contracto
    alpum, gratuito ou oneroso sobre os bens
    do dito Moura, que esto sugeitos a resti-
    toifo dos sunegados c da pena legal, do
    duplo valor delles ; a-para que nao se pos-
    sa alegar ignorancia ou boa f, faz o pre-
    sente.
    Recife, 13 de abril de 1869.
    Jos Maria de Castro.
    BARTHOLOMEU & C.
    PARA USO INTERNO
    PREPARADOS SIMPLES
    Xarope de jurubeba garrafa. 14000
    Vinho de jurubeba garrafa. 10600
    Pilulas de jurubeba vidro. 10600
    Tintura de jurubeba vidro. 640
    Extracto hydracoolico de jurubeba. 120500 .
    PREPARADOS COMPOSTOS.
    Vinho de jurubeba ferruginoso garrafa. 20000
    Xarope de jurubeba ferruginoso garrafa. 10600
    Pilulas de jurubeba ferruginosa vidro. 20000
    Oleo de jurubeba vidros. 640
    Pomada de jurubeba pote 64|
    Emplastro de jurubeba libra. 20500
    PARA USO EXTERNO
    A JURUBEBA.
    esta planta hoje reconhecida como o mais poderoso lomeo, como um exet-
    lente desobstruente, e como tal applicada nos engorgitamentos do figado e baco, as
    hepatites propriamente ditas, ou ainda complicadas com anazarchas, as jflamaes
    subsequentes as febres intermitentes ou durezas, nos abeessos internos, nos tumores es-
    pecialmente do tero e abdomen, nos tumores giandulosos, na anazarcha, as hedropc-
    zias, erysipellas ; e associada as preparacoes ferruginosas, ainda de grande vanfegem
    as anemias, chloroses, faltas de menstruaco, leucorfheias, desarranjos atnicos d<>
    estomago, debilidade orgnica e pobreza de sangue; etc.
    O que dizemos affirmam os mais distinctos mdicos desta cidade, esire o
    quaes podemos citar os Illms. Srs. Dr. Silva Ramos, Aquino Fonseca, Sarment, Seve,
    Pereira do Carmo, Firmo Xavier, Silva etc. Todos elles reconliecem a exeelleieia d'estc*
    poderoso medicamento sobre osdemais at boje conhecidos para todos'.os casos citados,
    tanto que todos os das fazem d'elle applicacao.
    Apresentando aos mdicos e ao publico em geral diversos preparados da juru-
    beba, tivemos por fim generalisar mais o uso d'este vegetal, fazendo desapparecer ;t
    repugnancia que at hoje sentiam os doentes de usar dos preparados empricos d'cc, t
    mais das vezes repugnantes a tragarem-se, e que tinham ainda a desvantagem- de nao
    ser calculada a dose conveniente a applicar-se, o que torna muitas vezes improfieuo um
    medicamento, que poderia produzir ptimos resultados.
    Os nossbs preparados s fbram apresentados depois de havermos conveniente-
    mente estudado a jurubeba, fazendo as experiencias precisas para bem conliecer as pro-
    priedades medicamentosas d'esta planta em suas raizes, folhas, fructas ou bagas, e a
    dose conveniente a applicacSo, tendo alm d'isto procurado levar os nossos preparados
    ao maior grao de perfec5o possivel, para o que nao poupamos esforcos, nao nos im-
    portando o pouco lucro que possamos tirar.
    Por tanto os que se dignarem recorrer aos nossos preparados podem ter a
    certeza de que elles offerecem a garanta, de que se pode encontrar, a.fronipta e infalli-
    vel cura de qualquer dos soffrimentos,quc deixamos inntimerados, se forem em tempo
    applicados, tendo alm d'sso, medico eu doente a vantagem de escolher as nossas va-
    riadas preparacoes, aquella que melhor Ihe podeconvir, j pela fcil applicaco, e jpeto
    complicaco das molestias, idade, sexo, ou ainda natureza de cada individuo.
    As nossas preparacoes ferruginosas sao feilas de forma que se tornam comple-
    tamente soluveis nos suecos gstricos, porque procuramos oscompostos &' ferro qu-
    como taes esto hoje recouhecidos.
    Para aquelles que mais minuciosamente queiram conhecer as propriedades da
    jurubeba, e sabercm a applicacSo de nossos preparados, destribuimos gratuitamente
    em nosso deposito um folheto, onde tratamos mais extensamente d'esta planta e dos
    mesmos preparados.
    Deposito geral de todos os preparados
    Botica o drogara
    34.Ra larga do Rosario34.
    GUSTAVO IEfiTHEII
    Tendo montado urna completa oflicna para concert e akinaco de pianos *
    tendo contratado para o mesmo fim o experimentado contra-mestre Sr. A. Raston
    chegado da Europa pelo ultimo paquete.tem a honra de recommendar este sen estelo-
    cimento s Bsmas. familias Pernambucanas, prometiendo promptid3o e pereljSd d
    trabaltio. ,
    Rua Forinosa n. 14
    Frederico Maia
    Cirnrgio dentista pela cseola
    de medicina
    do Rio de Janeiro.
    Tem a honra de participar ao respeitavel publi-
    co desta capital e seus suburbios, que tem aberto o
    seu gabinete do consultas e operacoes dentarias a
    rua Uireita n. 12, primeiro andar, onde pode ser
    procurado todos os dias das 8 horas da inanh'.a as
    3 da tarde. Elle acha-se competentemente habili-
    tado para com perfeieio eollocar deites artificiaes
    por qualquer dos s>stomas, e bem assim desempe-
    nbar qualquer outro trabalho concernente sua
    proflsso. O mesmo, reconhecendo que nemsem-
    pre possivel s senhoras on criancas sahirem a
    procuijr o remedio, offerece-se a remorer qual-
    quer obstculo, declarando que na cidade se pres-
    tar a qualquer chamado sem que issoinflua cousa
    alguma na commodidade dos procos de seus traba-
    mos, equando para fra della assim mesmo ser
    precedido de um ajuste rasoavel, garantindo elle a
    3egurancae perfeicao de seus dilos trabalhos. Em
    seu gabinete se encontrar constantemente excel-
    lenteps dentifricio, elixir e outros medicamen-
    tos odontalgicos : rua Direita n. 13, primeiro
    andar.
    O abaixo assignado, tendo lido o aviso que
    no Diario de Pernambtico de hontem (16) fe, con-
    tra elle, publicar Jos Maria de Castro, limita-se,
    p ir ora, a responder que, em lampo competente.
    usr ilo recurso que a lei Ihe concede, chaman-
    do a juizo quelle individuo, pela injuria que con-
    ten o dito annuncio.
    ___________Jos Joaquim Castro Moura.
    Ama
    Na rua da Cruz, no Recife, n. 43, 2o andar, pre-
    cisa-se de urna ama de leile sem filho.
    IIIII11IHIIIRI
    m
    riLUIiAS
    lili
    Jiiioj&bSfiM&H
    PBRIlN.uBlTlSSnN
    Huraacenlic*
    lurait
    U
    Ktitm
    0 tratameit* das affeccfteschloroticu, lymphaticas on escrophulosas senipM leniis-
    simo, e muilas vzes essas molestias resistem IPpreparacoes ferruginosas ordinarias. As
    indagaedes feitas pelos professores Hannon de BrnteUas, Gensoul e Patrequin de LySo e
    Bereelius e Trousseau de Paris, tem provado qne a cansa d'essa persistencia era i completa
    ausencia do Man|anese, elemento que sempre deve-se acbar no sangue jnnclamente com
    ferro. Estas pilulu snpprem, pois, na therapetica urna falta imporunte, e por este
    Ama,
    i
    DA
    NACIONAL DA BAHA
    DE
    TEIXEIBA FREDERICO & C.
    Acaba de chegar a este mercado urna ponjao
    deste ptimo rape, nico que pode supprir a falta
    do princeza de Lisboa por ser do agradavel perfu-
    ma E' fabricado pelo systema do Areia Preta.
    porm tem sobre este a vantagem de ser viajado,
    o que para este artigo urna especialidade. as
    pracas da Baha, do Rio de Janeiro o outras do
    imperio tem o Rap Popular sido asss accolhido.
    e prevavelmente aqui tambem o ser, logo que
    seja conhecido e apreciado. Acha-so venda
    por preco commodo, e para quem comprar de .*>0
    libras para cima, far-se-ha um descont do 5 0/0,
    e de 300 libras para cima o de 8 0/0 : no cscrip-
    jpiio de Joaquim Jos Goncalves Beltrao, rua do
    Commercio n..i7.
    Precisa-se de urna ama para todo o servico de
    dnas pessoas : na rua Formosa n. 6._________
    Francisco Moreira Pinto Bai#a vai Por- Arrendare~o~engenho Dous Bracos rnoente e
    tngal, levando em sua companhia sua mulher, corrente, d'agua, tem boas varzeas para planta-
    o ferro. Estas punas snpprem, pois, na Um
    motivo Ut* tf dades medicas. PeposiH Ptrnomkuce,
    lllllll
    dous filhos e una criada ; e deiaa como seus bas-
    tantes procuradores, durante o tempo de sus. au-
    sencia, em l' lugar seu socio o Sr. Francisco dos
    Santos Macedo, em 2 o Sr. Jeao Pereira Moaleirt,
    e em 3 o Sr. Antonio Baptiza Nngtpaira.
    Pwci*a-se domma amo com loite ; na rua,
    do Bcum n. 65, largo do chafagie.__________
    Fugio do eofcnbo Guararapcs um mulato
    nome Affonso, alto, olhos amortecidos, cor bastanr
    te retinta, ps grandes e chatos, vestido de calca
    de brim branco e camisa branc, o qual j tem
    sido visto aqui no Recife : pede-se aos capitaes de
    campo que e pegueut e Jevem tcawssa dp Quei-
    mado n. 3, on ao referid engenta, que se reooav
    pensar genarosaj^en
    Precisa-se de ama ama para servio de posea
    familia; n rua dae Larangetras n. ti.
    - para pl
    cao, maltas e dista urna legua da estaco drCa-
    meller* Tambem so faz negocio com a safra
    creada: a tratar com sen proprietario Albino Jos
    Ferreira da unha Largo de S. Pedro n. 17.
    recisa-se de urna criada livre u eKrava,
    iosinhar bem e comprar, parama s
    bem, rua de H ras n. Gtt.
    CURA DOS CALLOS.
    PELA
    Pomada galonpean.
    Deposito especial
    Pharmacia de Bartholomeo 4 C.
    34------Rua larga do Rosario-34.
    SEGUROS
    MARTIMOS
    COMTRA KM.4)
    A Companhia Isdemnisadora, estabelecida
    esta pra^a, toma seguros martimos sobre
    navios e seus carregaraentos e contra fogo
    em edificios, mercaderas e mobilias: a
    ruadlo Vigario n. 4, pavimento terreo.
    MOFINA
    Sr. Antonio Francisco Duarto e seu mano Dr.
    Maximiano Francisco Duarte, venham rua Di-
    reita n. 53, loja do Braga & C.
    Para- cosinha
    PreelM-se de um escrava que cosinhe bem: na
    rua do Crespo n. 23.
    wpp$ mm mmii
    |K O abano assignado tem escriptorio a jKi
    fgg rua do Imperador n. 32, Ia andar, e ahi 2
    pode ser procurado para os misteres de
    sua prtitisso do advogado e negocios
    iculares das 10 horas da mauhaa as
    da tarde.
    Manoel Joaquim Silvoira.
    GRANDE HOTEL
    DE ORIENTE.
    Inaugurou-se este commodo e elegant1
    estabelecimento d'onde os seus frequenta-
    dores poderlo apreciar a especialidade na
    confecc3o dos gneros alimenticios.
    As bebidas sao ai mais primorosas e re-
    commendadas.
    . A decencia e bom servico primam n'esta
    casa no bello gosto oriental.
    Mandam-se domicilio comedorias, tanto
    avulso, como por assignatura mcnsal. Os
    preeos sao mdicos e convencinacs.
    Ha urna espacosa e bonita sala para o
    elegante jogo de buhar.
    Ha tambem aposentos commmodos c bem-
    mobilhados para hospedagem.
    Rua larga do Rosario
    n. 44.
    Fundipo da Aurora
    Neste vasto cstabeleclmente sempre se encontr
    um completo sortimento do taixas de ferro batid*
    c fundido, fabricadas recentemente, e se fabrican
    de qualquer molde a vontado dos compradores, e
    recos razpoaveis.
    8e br bom.
    Pagar-se-ha bem tim moleqno que se pretend
    alugar : na na larga do Rosario n. M, i' andar
    Em casa de THEODOUcTciRisf-
    ANSEN, rua da Cruz o. 48, encontram-sc
    efectivamente todas as quahdades de vinho*'
    Bordeaux, Bourgogne e do Rheno.
    Molestias d# peifo.
    A farinha de S. Denlo A o nico alimento capaa
    de ser supportado pelos estmagos frncos, o ma5
    conveniente pelos seas bons resoltados s pessoa-
    ataeadas de molestias do peito, aos convale*-
    tes, s pessoas enflaquecidas por toda a qualidade
    de excessos e s senhoras que toem perdido as
    cores pelas perdas de sangue : nico deposito, na
    pharmacia do Pinto, rna larga do Rosario n. 10.
    Precisa-so de urna criada livre on escrava.
    3ue saiba coer, engommar e fazer os arranjos
    omesticos de urna familia oomposta do 4 pesaoes:
    dirija-se a rua do Trapiche ni 14, 2o andar, con-
    sulado francez.
    Ama
    Precisa-se de urna ama para
    do Ramos, sobrado n. 32,
    cozinna
    andar.
    no eses
    Manoel Jo
    uga-se o segundo andar do sobrado da rua
    da Madre de Deus n. 36, bastante limpo a com
    Mllenles commodos para familia : trata-se na
    loga do mesmo armazem de gneros.
    Preeisa-se de um caixeirode Uberna de 14 a
    16 annos: a roa do Cordoois a. 7.
    ncaapfa
    Urna senhora se encaava de tomar conta
    imemmot : os senhora paise familia que i
    zerem ter seus nlhos no estudo, o nao o qi
    bota-Ios no eollegio, podem vir tratar na I
    Patata a. S7, que se fuaate o b-.m tnuoMto.
    Ama
    Precisa-se de urna aran forra ou escrava por
    omprar dcoriltar para una casa de |iouea la-
    milia : na rna das Cruzes n. 18,1* andar m prete-
    re-se escrava e paga-se bem agradando.
    Ainda restam alguraas coiiec.5ea de
    Biographias de algans^poetas, e outros ho-
    mens Ilustres da provincia de Pemambuco,
    tres tomos escriptos pelo comraendador A.
    J. de Mello: rua Augusta n. 94\
    SSL
    rua ry
    to. I
    Precisa-se de urna ama
    33, 2* andar.
    na rna do Vigario h.
    Josofoa Benvinda d Cuuba Sciuto-
    Maior, autoiisnda pela directorio gera* da
    instruccao publica desta provincia, a ensi-
    nar o sexo leminino; faz sciente ao ptiblic.i
    que em virtude da aotorisaoSo, prop3e-sc
    ensnar nao s primeiras lettrn*, comn
    tambem a grammaticar portugueza, Uondar.
    labiryntho, trabadlos de la, flor o cor
    etc, para o que tem aberto a sua aula na
    casa de sua residencia, rua da Imperatrn-
    numero 63 primeiro andar, onde poder;
    ser procurada.
    Precisa-se de urna ama qnecozinho com per
    feicao : na rua do Vigario n. a, terceiro andar.
    . Ama ~
    Preeisa-se do urna ama pan tote o servico d*
    duas peesoas : na rea da Imperatrix n. 3, seftm-
    * ^
    f-


    Diario de Pemambuco Segunda feira 19 de Abril de 1869.


    ESMERALDA
    Muras Mataras
    '"EMPRESA
    Morera Duarte & G. tendo feito urna
    completa reforma no sea estabelecimento
    de joias da ra do Cabug n. 5, (junto a
    loja de cera) acabam de reabri-Io ao res-
    peitayel publico, a quem oferecem um es-
    plendido sortimento de joias as mais mo-
    dernas e primorosas que teem vindo a esta
    praca. e por precos o mais resumido possi-
    vel. Tambem compram ouro, prata e pe-
    dras preciossas.
    13 M'.t DO (Illlll\ \ 5.
    (SEM IMM1TE.)
    Na fravessa da ra
    das Crines n, 2, pri-
    meiro andar, da-so qual-
    quer qiianlia sobre ouro,
    prata e pcdras preciosas.
    O dono deste eftabelecimento,
    competentemente autorisado pelo
    governo, est as condifoes de ga-
    rantir a transaccio que se fizer em
    sua casa, prometiendo todo e zelo
    e considerado s pessoas que se
    dignaran de lionra-lo em seu esta-
    belecimento.
    Na mesma casa compra-se ouro,
    prata e brilhantes.
    Aluga-se
    una prela esrrava, boa coxinlipira, o de muito
    boa conduela, a qnal compra e faz os mais servi-
    ros de una casa do familia : na ra da Manguei-
    ra n. 6._______________| ______
    Prerisa-ae comprar urna carteira em bom
    uso. com 6 palmos, pouco mais ou meaos, de com
    prlmento : na masa Imperatriz n. 13.
    Sitio ou engenbo
    Precisa-se arrendar um sitio que seja muUo
    grande barque dos Prjueres n. 16.
    DE
    LIMA, LESSA & C.
    li-RI 111 NH
    luiio dos Santos IVreir.* temi seguido para
    o sel a negocio de seu inwvsse, dcixa como seu
    prociiranr at sua votta o Sr. inajor Joaquim de
    Afcaquerquo Mello,
    Manoel Cavateanti de .mquerquc eS,do
    engenho Campo Alegre, comarca de Santo Ano,
    faz seiente a quem jwsHh; urna letra de seu acei-
    te, vencida hontem 1$ do cn-rente mez, paraapre-
    wnta-la no dito cnpcnbe, ou no Rccife em casa de
    Correia & C, roa do Livramento n. *ue sera
    promptamente papa -; e desde j se declara nao
    pagar os jures que a niesuia for vencendo.
    MVaL SEM SEGUNDO
    Ra do Queimndo n. 49, loja do mhideas le
    Jos de Asevedo Mnia e Silva, tem para vender os
    artigos abaixo declarados, tudo btm e baratissi-
    mo, que sao para acabar.
    Duzia de sabonetes inuito finos a 700 rs. -
    Pares dcsapatos de tapete para fcotnem a 15280.
    Ditos de tranca para creanca a t.
    Tramoia do Porte, bordada, a melhor a 200 rs.
    Dita de Porto tiza, da melhor qualidade a 100, 150,
    160 e 200 rs.
    Resma de papel almaco, lizo superior a 3->z00.
    ac paulado a i.
    Livro de nissoes abreviadas a ?.
    Dita Se papel almaco pautado a_*J.
    s a
    toda a doutrir e mnitasresasa
    O respeilavel publico encontrar nesta offirina habis mestres e bem c-OTihecidos
    na arte, afiiancando-se-o melhnr desempenho conforme o posto e vontade do freguez,
    assim como a maior pontualidade na entrega das obras; recebemos de Paris, por todos
    os vapore*, os mais modernos figurinos para nao haver nada a desojar bem como
    varias encommndas de casimiras moderna e outros artigos proprios para homens;
    temos grande deposito de rotipas feitas de toda a qualidade, como sejam: camisas
    francezas, inglezas, Chapeos de sol de seda trancada, o que ha de melhor, grande
    sorlimento de meias, colarinhos, punlios e grande novidade em gravatas .modernas, e I Atomamw de vidro pare tete
    finalmente completo sortimento de fazendas finas e rospas feitas, sendo os precos os I.. 130,^40"*wo_rs.
    mais baratos possiveis.
    QmUMmu com
    3f0rs.
    Silabarios portnsaezes com estampas a 320 rs.
    taralhos francotes muito fines a-200e 2'iOts.
    Sai" ingtexsuperior qiial'KlRlea.'iOO c 15.
    Grvalas, pratas e do cores muito linas a .'OS rs.
    Duzia de meia* para seatiora, fazenda lina a i
    Redes pretas lisas para segurar cabello a 320 rs.
    Varas de transa de seda difterias as cures a-600 rs.
    for.-s de briM6 dentrado -eoui iuaozkiua e po-
    dras a 320 rs.
    Gort#es> com-ribetes dedms or*l*is e sio de la-
    t a M.
    muito finas a
    ESTABELECIMENTO EM 1832
    Salsaparillia df Brisiol.
    LEGITIMA E ORIGINAL
    EM FRASCOS CHANDES
    OGRANDE PURIFICADOR DO SANGUEI
    Esta exccllente e admiravel medicina, e
    preparada d'uma inaneira a mais scientifi-
    ca por Chimicos e Droguistas mui doutos e
    d'uma instrueco profunda, tendo tido mui-
    tos anuos de experiencia ao par d'uma ton-
    ga e laboriosa pratica.
    A sua composico nao consiste d'um sim-
    ple extracto d'um s artigo; mas sim,
    composta d'extractos d'um numero de ral-
    les, torvas, cascas, e folhas, possuindo to-
    das ellas, sua virtude especial ou poder
    oin curar as molestias as quaes teem serie
    ouessento.no sangue ou nos humores;'
    e estes differentes extractos vegetaes, achat-
    se por urna tal forma combinados ponto
    de conservaren! em toda a sua torca, o cu-
    rativo especial de -virtude, que cada um de
    per si possue. A raiz da planta de Salsa-
    parrilha, produzida as Honduras, a que
    nos usamos nesta prepararlo, sendo a qua-
    lidadc que todos os mdicos mais prezam
    c estiman. Na coinposir^o da *alsa-
    patrrilha c Bristol entra mais de 50
    por cento deste concentrado extracto. Ella
    nao encerra em si coma atgnm, que pos-
    sa por leve ser perigosa Ja injnriosa
    sade; e tanto u'ete, como em quasi to-
    dos os mais respeitos, ella inteirameinv
    diversa de todns essas mais preparacoes,
    as epiaes debaixo do nome de Salsaiiarri-
    Iha, sao accondotoadas ou postas em gar-
    raas pequonas, sondo reeeitada em doses
    mui diminutas d'uma colher de cb poi-
    cada vez. Nos pelo contrario engarrafa-
    mos a
    SALSAPARRI11A DE BRISTOL
    em frascos grandes, e assim por este modo,
    dividimos com os consumidores, o grande
    provetto c vantagem alcancado por aqnelles
    que acondicinala sua preparaco em gar-
    rafas pequeas. Cada um dos frascos da
    nossa fcalsaparrlllu de atristo!
    oontecm a messa quantidade igual porra o
    contida aquellas garrafas pequeas, e alin
    disso, possue anda muito mais torca e
    virtude medieinal do que aquella, que por
    vfTilura se possa adrar couda dentro de
    seis garrafas de pequeo tamanho. Por-
    tando mui natural, que aquelles, que sej
    acba oceupados em preparar e vender as
    suas luoduocots, eu* -garrafas pequeas,
    muisnureui e gritem contra os nossos fras-
    cosiandes: prm-aniHto,qucanossa*al-
    saiiawfltaa de Hristnl nio possue a
    menor virtude : porral qio eireclivamen-
    le*j elles .postos emtilmiio, quando indi-
    camos, ou simplesment feferimo-nos para
    com essas "eeirtenares de certidoes e les-
    twwmHis Ahentioos, porns recebidls
    de todas as classes da soeiedatle, nos quaes
    plenamente attestamo poder curativo e v-
    hides mara\illiosas da nossa.
    SALSJkffABftUU DE BRISTOL.
    A vantagem de termos os wsssos pro-
    prios ageites naquelles lugares aonde as
    lilerentes raizes, drogas, torvas, e plan-
    ATTENCAO
    Manteiga ingleza flor a l e l200 a libra : no
    a ntigo estabelecimeuto denominado i'orta larga,
    ra das Cruzes n. 41.
    AVISO
    Eh abaixo assignado, faoo seiente ao publico
    com especialidade ao corpo do commercio. que
    doixei de ser c xeiro do Sr. Salyro Seraplnm i a
    Silva, nesta presente data.
    lenle, 15 de abril de 18C9.
    Luiz Carlos Drand;ii i._____
    Paulo Jos da Costa Araujo e Manoel Mar-
    tin Fernandos, fazem seiente ao respeitavel publi-
    co, que tendo sido por Paulo Jos da Costa Arau-
    jo vendida a botica da ra do Imperador n. 38, e
    tendo letras aereitas por Paulo Jos da Costa A-
    raujo, e endcadas por Manoel Martin* Fernandez,
    o endonante declara que serao por elle pagas nos
    vencimentes : na ra do Qneimado n. 42, casa de
    Joaquim Narciso da Silva, onde tambem se d-sa
    conta.
    Precisa-se alugar urna eserava para vender
    na ra : no pateo do S. Pedro n. 1.
    COMPRAS.
    Com muito maior vantaycm
    Compra o Corarlo de Ouro, n. 21) m iJ i
    ", moedas de ouro e prata o pcdras piecmsiuv
    "COMPBA-SL^
    Compra-se moedas de ouro e piala,: n
    como libras sterlinas por maior prego, ue
    em outra parte, na ra do Crespo n. Di
    Io, andar.
    Ouro e prata
    em moeda e em obras inutilisadas, compra-se por
    bom preco : na praca da Independencia n. 22.
    X* praca da Independencia n. 33, loja de ou-
    rives, compra-se ouro, prata, e pedias preciosas.e
    tambem se faz qualquer obra de eucomnicnda, e
    todoe qualquer concert.
    0 muzeo de joias
    Na ra do Cabug n. 4 compra-se ouro, prata
    e pedras preciosas por precos mais vantajosos do
    que em outra qualquer parte.
    PASTILDAS ASSIICARADAS
    DO
    DR. PATERSON
    De blsmnth c magnez|a.
    Remedio por excellencia para combater
    a magreza, facilitar a digesto, fortificar
    estomago etc.
    DEPOSITO ESPECIAL.
    Pharmacia deBartholomeu- C.
    34-Ra larga do Rosario-----3i.
    Cera de carnauba
    Vende-se na ra do Queimado n. 13, primeirr
    andar.
    Meias elsticas de borracha.
    As melhores e excellentes meias elast
    cas de borracha contra varizese erjsipellas.
    Vende-se na
    Pharmacia e drogara de
    Bartholomeu & C.
    34ra larga do RosarioSi
    0 mesmo vapor troo-
    se urna exoelloiile ma-
    china para graduar c
    observar o numero dos
    vidros que se neoessiU
    conforme a vista de
    qualquer pessoa.
    Tem excellentes sterioscopos, nslnmien-
    tos de malhematica, barmetros, vidros de
    olny.stal de rocha, e de cores para resguai
    dar a vista ; coocerta todos os ohjertos a
    procos oommodos e com promptidao; lira
    o molo dos vidros e encarrega-se de toda a
    encommenda relativa a ptica.
    Receben tambem os excellentes EelogJM
    do antigo e afamado fabricante Jtobcrt Geri/i
    & C, os quaes vende preges commodes
    garantindo a sua superior gualidade.
    nsiu fliii!
    PRATA
    ompra-se moedas de ouro e prata e
    bem como libras sterlinas, na ra do Ca-
    bug n. 9. ri'lojoaria.
    Compra-se una escrava que saiba cozinbar,
    engommar bem e que tenba boa conducta : na
    ra do Crespo n. 2.1.
    CARRO DE ESTIVA.
    A ra do Imperador n. 57 se diz ipiem quer
    comprar um carro de estiva em segunda mao e
    um silban para montara do senbora.
    Compra-se nina escravinha de S a 6 annos.
    qne Seja sadia : na praca do Corpo Santo n. 19,
    1" andar.
    VENDAS.
    ll..
    SU LARGA 90 OSARIO 1.37
    Este acreditado estabelecimento augmenta?
    .le dia em da quanto possivcl para che-
    gar ao eume do bem ujyer.
    Alin dos saborosos anjares .lonfeccio- de charutos de Havaaa, Babia, Rio, te. qu
    uaes com o melhor aeseio, tem bellos apo-
    sentes de bospedagem, tanto pare urna s
    pessoa, como para numerosa familia.
    A agua, indispensavei elemento para a
    vida e hygiene, temo-la sempre em abun-
    daacia para facilitar esoellentes bashos.
    Ifa tambem urna boa-bibliotheca e peri-
    dicas nac-ioaaes e estrangeiros, pino para
    recneie, bdkares, eto. etc.
    Sendo ociosa qualquer recommendago
    para to acreditado estabelceimento, omit-
    timos mais preambslos, fazendo ver por
    fim, que o tom servico, ordem e meralida-
    de inperam n'esta casa, como observancia
    del do regulaaiento que p.^.-ne.
    Conederias a la cari'.
    charlara e ?etit umm
    Annexos ao Hoiol 'Central, ra eatreita di
    Rosario n. 4 A, andar terreo.
    Para dar a c&nheoer a variedade infiniU
    tieres de btes donmos $sr& pu*tws a ieft.rs.
    Gaxas de pcauas de aejo bu&o Anas a 540, 310 e
    800 rs.
    Cartees e*m duentas jardas de linha do fabri-
    cante Atexandre a 100>rs.
    Gsixase peanas
    15200.
    Cerriteisdc tinha Alexandrc ns. 70,8, 100 at ^p aquelle constante cuidado e disvello na
    SOO a IOOts. .._.. minuciosa cscolha; e o que assegura e ga-
    %SS^^^re^:*! raule unifo.-midade4e excellencia.
    tazias de afi-.llias para ttiinasa Em quanto que, por outro lado, nos nao
    Labras de pregos francezes de todos os-tamanhos
    a2Wrs,
    de ar^'a verdadeira penna a*as deqaeecomp>masnossas medicinas,
    sao produridas, que nos habilita a exer-
    Lftrosescripiarados parafol de ronpa a 120 rs.
    ifjssxas com papel amisade muito fino a 7001 rs^
    ' Cainas com eenienvektpesamelhoi
    eaors.
    Tameres para meninos inwito boa (azenda
    i 240 rs. *
    hexistem neete novo estabelecimeirta pres
    cindimos dos annunotos pomposos que ge
    ramente se fazem, reduzindo-oos apenas i
    k-es letras que sSotnes bbb bom, ibnito i
    barato. A' sta do .genero annunciao po
    de-se julgar de nossa veracidade. Bata cas;
    gesa tambem das condigoes de um eiegant*
    e/petit restaurtmt onde se pode ver a es
    pw-ialidade dos fiambres e salames -de. Lioi
    para lanches e atfaaer urna boacoiagSo
    juntamente com os prineipaes vmhos de
    morcado, sobresahiodo -entre o bom a pur:
    e farvenle chanapagne, o mui saberoso Abe
    no, a primorosa cerveja,^ licor ecptritnaso
    o quanto pede urna mesa. Faz-se uoub
    sorvete e variedade de.refrescos.
    da devoco 4e K esa
    Scatwra da liu, erecta iu (greja ite 8. Jos de
    A Jiova iHe>a regedora
    Rib-llar, eonvkla a viuva, ^rentes.e amigos do
    iiossm tinado irniao Kpipbanin Jcm- de Souza, para
    assislirem umajiiissa, que se manda celdtrar no
    da 24 do corrette s o horas da nianlia, trigsi-
    mo
  • 4c seu faUecimentn.
    Rotiife 19 de d*rii de 1809.
    Oaaantap,
    Joao Joaquuu 1'eruand.s.
    nos poiipamos nema dinheiro, netn dili-
    gencias ; afim de alcangarraos o melhor
    e nicamente o melfaorde cada am artigo
    gualidade a ou ingridiente que entra na sua composi-
    ao; pas levados e compenetrados da
    mais firme e persuasiva con(ianca;aque po-
    demos-afautamente dizer aos doeates de to-
    das as naces, e de lados os paizes, que na
    ttal8apaa*rilha 4e Bristol. possuem
    um remedio mais efficaz e seguro do que
    aenhum oatro, que ves tenha sido offere-
    cido at.hoje, e o qual por certo uo hade
    mallograr vossas expectativas, na prompta
    e effectiva cura das se?uintes enferaidades:
    DE JOIAS
    GOMES OE MOTOS IRMAOS
    tendo feito completa mudan acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
    dar-lhe maiores proporpoes e elegancia, convidam
    ao publico em geral e com especialidade as Exms.
    Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
    das 6 horas da manha s 9 da noute na
    RUI DO CABUG N. 4
    onde encontraro um completo sortimento do que ha de mais elegante,
    bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubins e tudo que em obras
    de ouro, prata e platina se pode desejar.
    ADEREQOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBINS
    de hoyos gostos, assim como grande variedade de salvas e palitefros de
    prata contrastada e de gosto anda nao visto, e completo^sortimento de
    objectos de prata para uso das igrejas,
    Comprain e trocam qualquer joia ou pedra preciosa e garanten!
    a qualidade dos objectos vendidos.
    Escrfulas,
    Chagas antigs.
    Ulceras,
    Feridas Ulcerosas,
    Tinba,
    Syphilis.ouUal Ve-
    nreo
    Humores Escrofu-
    losos,
    irregularidades do
    Sexo
    Feminino,
    Ucrvosidadc,
    ebilidade Geral,
    Fibra e Malignas e
    Fe&re e Sezes
    RSLosas,
    oa
    0 MUSEO DE JOIAS

    Tumores
    Absccssos Apostemas,
    Erupges,
    Herpes,
    Salsafein
    Impigeus,
    Lepra, turnes intermitientes e remittentes,
    li$dropesia e ictericia, Ontro-sim, aeltar-se-ha, que para o bom
    resultado e perfeito curativo de todas aquel-
    las t'iifei'iidadi's cima apontadas o adiau-
    tamento da cuia, grandemente protnovi-
    do e apreseurado; usando s ao mesmo
    tempo das nossas mui valiosa pilulas
    Tes;etaes aastiearadas de Bristol,
    tomadas em doses moderadas em connec-
    go ou conjunetaroentecoma Salsaparrilha;
    ellas fazem remover e expellir grandes
    quantidades de materias morbficas e Ihi-
    mores viciados que se desprendem e livre-
    mente circulam espalhados pelo systema,
    isto causado pelo uso da Salsaparrilha; j
    por esta forma facilita a volta e o exercicio
    normal das operages funecionaes,
    Acharse a venda nos estabelecimentos de'
    A. Caors, J. da C. Bravo 4C.,P. Maurer
    C, Mdt A. Barbosa, Bartholomeu & C.
    Precisa-se de urna ama de bons C(*siumes,
    qne saiba bem engommar e cozinhar: na ra do
    Imperador n. 63,2 andar.
    Um bom professor franeez deseja enearre
    ar-se do ensino dessa lingua em algum engenho.
    )hy
    procurado a ra Nova n.
    Maurer.
    oder tambem enearregar-se de pnsinar gengra-
    phia, matliematicris, pnyaiel
    i' e latim
    5, plu-riBacia
    pode ser
    do Sr.
    Escrava fgida
    Fugio hontem 16, a escrava Cecilia, cor fula, de
    annos. ebegada na pouco dos sertes de Pos-
    lira, levou vestido de atgouaozinho azul de ris-
    cada e brincos redondos pandes, assim como
    urna truuxa com alcama roupa de seu uso ; des-
    eonfia-sequo ro pea Estrada Nova, em procura
    do camlnbo do. sertao : quem a pegar leve ra
    do Hospicio n. 36, gaa ser bem gratificad".
    Quew quizor ser feitor de n\.gitio, dirija-se
    ao largo da ribeira de S. Jos. sobraUP nS.
    Precisa-se alugar nm meleque ou um preto
    de maior idade para distribuir piar e botadla : a
    tratar no pateo do Terco n. 3.
    No armazem de Henrique A- Azevedo
    ra da Cadeia n. 34, ha para vender vi-
    nhos puros, das marcas segnintes :
    EM ANCORETAS
    Collares.
    Alcobaga.
    Bucellas.
    EM CAIXAS ENGARRAFADO.
    Alcobaga.
    Bastos.
    Branco fino (de Torres Novas).
    Bucellas.
    Carcavellos.
    Porto, branco e tinto.
    Moscatel de Setubal.
    phosphoros de segnranca a 20. V-
    que se garanu a
    Fazendas de gado.
    Vendem-se seis fazendas de gado na ri-
    beira do Serid, denominadas Boa-Vista,
    P de Serra, Mulung, Mundo Novo, Inga e
    Serrote, todas muito boas de criar e de um
    ser bem conhecido naquella ribeira : os
    pretendentes podem dirigir-se ra do Vi-
    gario n. 3i, Io andar, escriptorio do Baro
    rje Bemfica.
    Ra do Queimado n, 49 loja de
    miudezas de Jos de Azevedv
    Mata c Silva conhecido por Jos
    Bigodinho.
    Est queimando os objectos abaixo dadaMdof
    pelo diminuto proco, a saber :
    Fraseos com agua de Colonia verdadeira a 1.
    Garrafas com agua Florida verdadeira, une se ta-
    rante a I200.
    Feotes para regarar cabello de matan a 320 n.
    Thesouras muito finas para unhas e costuras*
    SOO rs.
    Tintcirns cheios do tinta muito prela a 80, 100. W.<
    e 400 rs.
    Varas de franja branca de linlio para loataw >
    100 rs.
    Caixas de
    160 rs.
    Navalhas de cabo de marital e
    qualidade a 2.
    Libra de la para bordar a 73.
    Pecas de fita branca elstica multo superior ;. 200
    e 300 rs..
    Xovellos de linha branca com 400 jardas a60i:
    Resmas de papel de peso liso niuilc Do a 20(\
    Latas com superior banlia a 200 e 400 rs.
    sCaixasoiii seis frascos de cheiro limito fino-
    o 800 r
    Caixas rom dozc frascos, foseada SO boa a 15 (C
    e 23500.
    Frascos com superior oleo (lenme a 5C0 rs.
    Calungas do sabio iransparente omito bunil i ti-
    no a 240 rs.
    Duzia de paos de pomada do Renta, da melba
    qualidade a 240 rs.
    Pecas de tiras bordadas muito lina? a .'00, 600
    Ditas de babadinhos com dez varas a 6C0 rs.
    Carriteis de linha do todas as ewes, para ; va*
    a 20 rs.
    Garrafas com agua divina a 1.;00.
    [Frascos com superior macaca penda a 320 rs
    Caixas de vidro com doze didaes, que s a caim
    vale dinheiro a 200 rs.
    Ditas de madeira com alfinetes, o que lia de nt*
    Ihor a 320 rs.
    Grosas de botoes de Jouca, liso? e bordad
    160 rs.
    Caixas redondas para rap emittando tartaragi.
    12500.
    Pecas de
    500 rs.
    Vendem-se dous cylindros em bom estado, pro-
    pries para padaria, por mdico preco : quem os
    pretender dirija-se ao pateo do Terco n. 63.
    = Vende-so um carro americano de quatro
    assentos e quatro rolas, para um e dous cavallo3:
    na ra da Florentina n. 14.
    Scbonete de alcatrdo.
    DE
    Antonio Nunes de Castro.
    Este acreditado preparado, que t3o bot
    acceitaclo tem merecido n'esta provincia
    muito se recommenda- para a cura cert
    das impigens, sarnas, cascas e todas ai
    molestias de pelle.
    Deposito nico,
    Pharmacia de Bartholomeu A C,
    34ra larga do Bosario34.
    Vendem-se 37 saceos com farinha da trra,
    com mais de um al ,ueire cada sacco : ra da
    Praia n. 4.
    De superior qualidade da mui accredita-
    da fabrica de Ksquit Dubouch & C, em
    cognac urna das que mais agurdente de
    cognac, fornecem para o consummo do
    Reiao da Inglaterra'.
    Vende-se em casa de Th. Just, ra do
    commercio n. 32.
    Vendem-se |is de laranja de umhigo, de
    eravo, de ceteta e da china, dito de sanoli, fructa-
    po, dito de lima de imibigo e palmeira : na Pon-
    te de Ucba n. 10.
    Queijos do sertao
    Vendem-se superiores queijos frescos do sertao:
    na ra da Madre de Dos n. 1. ________
    Vende-se a botica que foi do fallecido Pra-
    nnos, ra Direita n. 88 : a tratar na ra do
    Queimado n. 13, Io andar.
    BOA PINGA
    do Douro
    Em casa de Flix Percirada Silva, ra da Ira-
    peratriz n. 60, vendem-se barris de 5* e 10 com
    puro vinho do Douro, garanimdo-se qne nao tem
    confeica" alguma ; neste genero o melhor que
    em vindo a este mereado, o muito proprio para
    usar as horas, de comida, e vende-se por preco
    raroavel, na luja do Pavao.
    Vende-se um escravo, offlcial de ferreiro,
    vindo uiumamente do norte : no oscriptono de
    Joaquim Jos Goncalves Beltrao, ra do Trapi-
    che n. 17.
    Luvas duqueza
    A nova Esperanca na do Queimado n. 21 aca-
    ba de receber por.este ultimo vapor luvas de Jon-
    vin, duqunu, brancas, pretas e depures, para
    homense senhoras ; a elfos, antes que se acabem
    Cfemento de Portlan.
    . Veod-se no-armaiem de Vicente Ferrara
    Costa & FlHb, na ru da fladre d Peos o. J
    barris granlBfc
    fita para eos da melhor qualidade 9
    Escovas para Humar denles, hatada que s a vis-
    ta a 240 rs.
    Ditus para linipar unhas' de superior qualidade i
    500 rs.
    XAROPE PEIRORAL
    RABO D TAT'
    PLANTA DO BRAZIL.
    E' expectorante e recommendado as
    affeces do peito, broncliite chronica he- .
    moptise, e tosse chrocica.
    PREPARADO
    POR
    Joaquim de Ameida Pinto-
    NniHucM tico
    Pernambuco ra lardo w
    Rosario n. 10.
    Explendido sortimento dr
    roupas feitas
    NA LOJA DO PAVAO RLA DA
    LMPERATRIZ N. 00
    Acha-se este grande estabelecimento coui-
    pli'tamente sortido das melhores roupas,
    sendo caifas pah'Iots e coletos de'casemira.
    da panno, de bhm, de alpaca, e de-todas
    as mais fazendas que os compradores pos-
    sam desejar, assim coma na mesma loja
    tem um bello sortimento de pannos casemi-
    ras, brins, etc. etc. para se mandar fazor
    qualquer peca de obra, coma maior promp-
    tidao vontade do freguez, e nao Modo
    obngados a acceita-las, quando nao stejaia
    completamente ao seu contento, assim como
    n'este vasto estabelecimento encontrar *
    respeitavel publico um bello sortimento de
    camisas francezas e inglezas, ceroulas do
    linho e algodo e outros muitos artigos
    proprios para homans e senhoras proftnt-
    tendo-se-lhe muito mais barato do que rm
    outra qualquer parte. Na ra da Impera-
    triz n. 60, loja e armazem de Flix Perag-
    ra da Silva.
    AS PELERINAS DO PAVAO A 8*000
    Chegram as mais modernas pelerinas fte
    fil preto muito bem. enfeitadas, que se
    vendem por 8^000 ris cada nraa, na toj
    e armazem do Pavo. Ra da Imperatri? r.
    60 de relix Pereita da Silva.
    Grande expfeifio
    DE
    CASE MIRAS DE CORES NA LOJA DO
    PAVAO
    Chegaramas mais bonitas emais mo as casemiras de eores proprias para ali
    coletes e patts, tendo at das mais fi
    que tem vindo ao mercado com fios de sen
    e vende-se mais barato do que em outru
    qualquer parte, por haver grande sortimea^
    to de. vario* preoos, na toja e armazem fl
    Pavao, ra da Imperatriz n. 6b, de Pmtt
    Peraira da Silva.
    trada
    flotarse tanos rolos de Scuplra : na es-
    D Arrala!, siodeMarcelino.
    Jos Lopes,



    6
    Diario de Feruaiubuco Segunda Ceira 19 de Abril de 1869.
    Lindos cortes do cassade cor cora barra.e com flgurino indicando o molde do vest
    I) barassimo preco de 3#o()0 o corte
    Ditos do percalia milito modernos com dtias saias a 5/>GOO tis
    Na loja das Columnas da ra do Crespo n. 13 d- lio Cerra de Vascon-
    ;llosAC;
    T
    Grande liquidado de miudezas!
    Affonso Moreira Temporal, querendo liquidar as miudezas existentes em sua
    loja ra do Queimado n. 55, resolveu annunciar as mesmas miudezas, para que o pu-
    blico se certiflque do diminuto prego porque as est vendendo, a saber:
    LOJA DO PASSO
    Ra do Crespo n. 7 A, esquina da do
    Imperador.
    Riquissfmas eolebas de damasco de seda,
    TASSO RAOS
    Caixa com agulha franceza a
    Caixas com 100 enveloppes a.
    Pegas de babadoseentre-meios
    a 500, 000, 700, 800 e. .
    Pecas de fita de coz com 10 va-
    ras a ........
    Linha de marca, caixa com 10
    novellosa......
    Coques muito finos com rede.s
    a rede val......
    Frascos com santos muito finos
    a.........
    Latas com banha (familia), a
    160 e........
    Cartao com allinctos a .
    Copo coiu opiata muito fino a
    400 e.......
    Cartas francezas a 200 e .
    D(tas portuguezas a 120 e .
    Caixa de linha do gaz branca 50
    novellos a......
    Frasco com tinta a 100 e .
    Frascos com banha a 320 e. .
    Frascos com agua do Colonia
    Piver a........
    Pentes de travessa para cabello
    de meninas, s a vista faz
    f, a........
    La para bordar, libra, .
    Novello de linha grande com
    400 jardas, S a vista faz
    f a........
    Pares de liga de borracha para
    pernas de senhora, muito
    boas a .......
    Franja branca para toalha vara
    10
    500
    1^000
    500
    240
    10500
    10200
    200
    a
    Resma de papel almaco, muito
    boa fazenda, com 85 cader-
    Doa a........
    Caixa com papel amisade a .
    Jogo de vispra a.....
    Sapalinhos de la para meninos
    Pec^s de tranca e caracol a .
    Sabonclcs de todas as qualida-
    des a 80, 160 c .
    Frascos com oleo babosa a
    400 e.......
    Pinccis para barba a.
    . Caz a......
    100 .Frascos com agua de Colonia a
    ::0, 400 e......
    500' Pentes com costas de metal .
    2iO,Cartcrademarroquim a .
    160 Pentes pretos para tirar piolhos
    i Escovas para cabello a 400,
    600' 500 e .......
    160 Garrafa com agua divina a. .
    400 bravatas de seda de cor a .
    j Ditas prelas a 400 e .
    10000 Botes de louca para camisas, a
    Garrafa de tinta roxa a. .
    Lencos brancos para mos
    a.........
    Par de suspensorios para lio
    mens a.......
    Espelho de toucador a .
    Frasco com cheiro muito fino
    a..........
    ! Bandeja para eopos a .
    60 Meias cruas para homens, boa
    fazendaa 30, 30600, 40 e. .
    200 Abotoaduras paracolietcs a .
    320
    60800
    60
    20800
    700
    400
    320
    40
    200
    600
    200
    320
    500
    320
    400
    200
    600
    10500
    . 320
    500
    160
    800
    240
    200
    2>00
    10000
    400
    40500
    320
    PARA CASAMENTOS, BLES, THEA-
    TROS, etc. etc.
    Lindos cortes do blond, contendo setim,
    mantas e grinaldes.
    Bsquissimos cortes de sedas assim como
    para covados.
    Gurguro branco.
    Moireantique branco azul o verde. .
    Gros-de-naples brancos e de cores.
    Setim branco macau.
    Setim, branco, azul, verde, cor de rosa
    amarellos.
    Fil de seda, branco e preto.
    Cortes de seda com duas saias.
    Chales de gurguro de seda de cores.
    Camisas bordadas para homens.
    Saias bordadas para senhoras.
    Camisas bordadas .
    Fronhas de linho bordadas com primor.
    Lencos- de cambraia de linho bordados.
    Na loia do Passo ra do Crespo n.
    assim como do soda e algodao.
    Ditas de crochet para cama.
    Chapee de seda bordados, para sol,
    Poil de chevre de lindas ;orcs.
    Alpacas de lidas cores.
    Chapelinas de palha da Italia-, assim
    oemo de seda.
    Enfeites para cabe?a de senhora.
    Espartilhos para senhoras.
    Meias de laia para padre.
    Ditas de la
    Ditas de seda fio da Escossia e algodao.
    para senhoras. e meninas.
    Lencos de lbyrintho.
    Fronhas de lbyrintho.
    Ricos, rendas c grades.
    FinisSimas cambraias do cores, percales,
    las, e outros mnitos artigos de gosto e
    de alta novidade, isto s
    7 A, esquina da do imnerador.
    I
    Approvatio
    la tcadmit
    U mi decine
    i Parts.
    ZEl
    ,wPOS
    liSS
    PharmaetuHc*
    *urui*
    it acaiim.it
    Do xarope Vegetal Americano, especialidade de Bartkolonieii 34RIJA LARGADO ROSARIO34
    Nao costumamos procurar attestados para acreditar nossos preparados, e de*
    xamos que sua applicaco e os resultados oblidos pelas pessoas que se dignaram acceitj
    los, lhesdeem crdito e voga; porque sao sempre os attestados considerados gratuito*
    e delles que lancamo o charlatanismo; mas, nao querendo ofender as pessoas qo>
    espontaneam.inte nos offereceram os que abaixo vao transcriptos, os fazemos publica)
    manifestando-lhes nossa gratido pela attenco, espiando que venham clles corrobora
    o conceito, e acceitarlio que tena merecido nosso xarope.
    Bartholomcu & C.
    ATTESTADOS
    Illms. Srs. Bartholomeu' A C. com a niais subida satisfaca) que decan
    ser o xarope Americano de urna efcacia extraordinaria, pois que soffrendo ha dias d<
    intensa tosse, ponto de nao poder dormir a noite a despeito mesmo de medicamento
    que tomava, a elle recorr e na terecira colher fui alliviado, c de todo me acho boje res
    tabelecido com o uso somente de quasimeio frasco: grato, pois* esse resultado man
    festo a Vv. Ss. meu reconheciinento.De Vv. Ss. amigo, venerador e obrigado.Ma
    noel Antonio Viegas Jnior.
    Sua casa 20 de abril de 1868.
    Illms. Srs. Bartholomeu A CPenhoradissimo cora o favor que me fizeran
    de aconselhar o uso do xarope Vegetal Americano, de sua composico, quando me acha
    va bastante doente de urna constipaco, que me tornou completamente rouco e qui
    trouxe urna forte tosse, e me impossibilitou de cumplir os meus deveres de cantor d;
    empreza lyrica, vou agradecer-lhes meu completo restabelecimento, que obtive com un
    s vidro do mesmo xarope, depois de haver recorrido a muitos tratamentos. Desejare
    que outros como cu recorram ao seu xarope para se verem alliviados de to terrive
    incommodo, to fatal neste paiz. Com maior consideraro contino a ser de Vv. Sh
    attento, venerador e obrigado.Luiz Cremona.
    Recife, 25 de setembro de 1868.
    Illms. Srs. Bartholomeu & C.O xarope Vegetal Americano que Vv. Ss. teen
    exposto venda de toda efcacia para o curativo d'asthma, conforme observei applv
    cando-o a meu fiiho Joaquim, menor de quatro annos; victima d'esse flagello, que at<
    ento por espado excedente a dous annos havia resistido a outros xaropes de grand
    nomeada. Queiram, pois, Vv. Ss. acceitar a expresso altamente sincera de meu recO'
    nhecimento ao meritorio servico quelhe prestaram, cora o indicado xarope, acreditan
    do-me para sempre de Vv. Ss. criado, aliento c obrigado.Americo Netto de Mendonca
    Rcife, 2 deoutubro de 1868.
    71
    As preparares- ferruginosas liquidas tem desde
    pecial dos mdicos, porque ellas obrao mais rapid
    especial
    sao mais fcilmente tolera
    las
    muitos annos merecido a approvacto
    rpido e seguramente do que as pilulas, e
    pelos doentcs. Os Pos ferro-manganicos possuem a inappre-
    eiavel vantagem de poder offerecer n'um instante urna agua ferruginosa gazeosa, de costo
    agradavel, mais activa do que as aguas mineraes, e contendo de mais um elemento precioso,
    o Manganeso, que sempre se acha no sangue, junctamente com o ferro. Empregao-se em
    todas as molestias que tem por causa o empobrecimento do sangue, assim como para vigorar
    os temperamentos debis e lymphaiicos. A chorose, as Perdas brancas, dores d'estomago,
    a irregularidade da merutruaco e amenorrha ou suppresslo do menstruo, cedem rpida-
    mente a seu emprego. Devenios mencionar aqu um facto noiavel, isto que os doentes cura-
    dos pela agna preparada com estes pos esto muito menos expostos a recadas do que
    aquelles que forao tratados pelas preparares ferruginosas ordinarias.
    Deposito em Pernambuco, em casa de Hua O*.
    TOSSES
    CATRRHOS
    PASTILHAS PEITORAES
    E LOURO GE REJO
    IRRIT AQOES
    DO PEITO
    este o mais novo e delicioso confeito ate agora cnhecido. Por isto tem adquir)
    popularidade de que goza. Os mdicos os mais dislinctos o aconselhSo
    nirido r-
    pidamente a popularidade de que goza. Os mdicos os mais dislinctos o aconselhSo contra
    as Iones, deftuxos, catarrhos, tosses convulsas, catarrkos epidmicos, irritaces do peito. Com
    grande empenhoo procurSo as mies de familia, assim para ellas como para as criancas, pois
    primeiro que ludo noffensivo, e as suas propredades adocantes nSo deixto nada a desejar.
    , Deposito em Pernambuco*em casa de Maurer e o.
    VERDADEIRAS
    PILULAS DEBLANCARD
    COa IODURETO DO FERRO INALTCftAVEL
    APPROVADAS PBU ACADEMIA DB MEDICINA DE PARS, ETC.
    ' Possuindo as propredades do lodo et do forro, eonvem ospeeialmooto as AmcooCf
    kcbofulosas, a Tsica no principio.a fraque** dt temperamento o tambem nos casos do
    Falta de cdR, amenorrha, em que precisa rkagir sobre o SAifem soja para restituir
    Ihe a sua riqueza o abundancia normaos, ou para provocar o regular o sen curso peridico.
    N. 8. O iodnreto da ferro impara oo Iterada aBunadicananlo inflal,
    irritante. Como prora de paraca o de antheocidede dai eraaa>lra r%-
    " le manean!, dere-se axifir nosso acta le arata rraetiT
    nosso arma, a tala verde. Deve-se desconfiar das fabificacoM.
    aaa tedae a aharmi-Haa.____PharmttuHeo, nu gama-arto, tb, ParU
    JT. 0. W MI
    irritante. Co
    W lulas le m
    ^^ nosso flrm
    {^.Arhar
    y
    Tem para vender em seus aruuens, altia de ou-,
    tros, os seguinlea artig09 :
    Papel para imprimir.
    Perlina azul: T:x ijts
    Grevc pautado e liso.
    Vinlios em eaixas de doze garrafas
    Bourgogne. \1
    Hery. 'Nv'
    Madeira. h
    Hermitage. '" /
    Chamblis.
    Licor do curasao de Hollanda em eaixas de vin-
    te e quatro bolijinhas.
    GESSO,
    Nos amazens de Tasso Irmaos.
    Grades de ferr
    pat* jardins, porteiras etc.
    Nos armazene de Tasso limaos
    C Uil!l',lIOS DE FERRO
    Para servicos de grandes armazens, para reMo-
    ver barricas ou caixoes de um para outro, lado pelo
    mdico precede 12.5000 cada um.
    Farinlia de trigo de Trieste
    Das mclhoras marcas Panonia (verdadeira) Fon-
    tana e grande sortimento das memores marcas de
    fariuhas americanas.
    Saceos de farinha de trigo do
    Chile
    Todas novas, clicgadas ltimamente nos arma-
    zens de Tasso Irmaos.
    Cemento romano
    Nos armazen9 de Tas*) Irmaos.
    Cemento hidrulico 12$
    O melhor para tildo que sao obras para agua, co-
    i mo assentamento de canos de esgoto, algerozes, de-
    psito, tanques d'agua, etc., etc.: em porooes de
    i eincoento barricas se far reduccao no preQo : nos
    armazens de Tasso Irmaos.
    Cemento Portland
    0 verdadeiro cemento Portland em casa de Tasso
    Irmaos.
    Grades de ferro, cercas, por-
    teiras, etc., etc.
    De differontes qualidades para cercados de ani-
    maes, chiqueiros para galinhasou jardins : nosar-
    mazeus de Tasso Irmaos.
    Barris com bren
    Nos armazens de Tasso Irmaos.
    CA1OS DE BARRO
    Na ra Nova de Santa Rita, naantiga fabrica de
    sabao, ha para vender por preco o "mais mdico
    possivel, canos francezes para edificacSes e esgo-
    los de toda aqualidade, superiores a todos os )uc
    aqui tem apparecido pela sua solidez.
    PHEljOS.
    100 por cano grande"de 3 e meia pollegadas.
    i 200 por dito de 2 e tres quartos de dita.
    1 000 por dito de 2 e um quarto de dita.
    500 ris por pistoleta de 2 pollegadas.
    Cotovellos, curvas c canos de maior grossura, a
    vstase far o prego. Compras maiores de 200
    tem por cento de descont por profllpto paga-
    mento. Pdc-se ver as amostras nos armazens
    de Tasso Irmaos.
    lijlos francezes
    Para ladrilhar casas terreas com asseio e procos
    mdicos, muito convenientes e proprios para ladri-
    Ihos de cosinhas em sobrados, pelo seu asseio c
    evitar a passagem de aguas para o andar :nferior
    e mesmo o perigo de fogo, aos precos de 305000 a
    'toOOO o milhciro : na ra Novado Santa Rita, na
    antiga fabrica de sabao, c compras maiores de 20S
    se far 5 por cento de descont por prompto paga-
    mento. Podem-se ver as amostras nos armazens
    de Tasso Irmaos.
    Velas de esparmacete verdadeiras para lan-
    ternas de carros: noarmazem de Tasso Irmaos.
    Vinho do Porto fino superior: uo armazem
    de Tasso Irmaos.
    O melhor cognac Gauthier Frcres : no arma-
    zem de Tasso Irmaos.
    Esteiras da India
    Em casa de Tasso Irmaos vende-se esteiras da
    india de diversos padrees e larguras, por preco
    commodo.
    21
    OLEO DE HOGG
    DD
    Figados frescos de l)acaHiao
    Para cura certa de phtisica, affeccOes escrofu-
    losas, tosse chronica, fraqueza dos membros e de-
    bilidade coral, recommenda-se a excellencia desto
    oleo anda por ser agradavel no paladar.
    VENDE-SE
    na .
    Pharmacia c drogara
    DE
    BARTHOLOMEU St C.
    34 = Ra larga do Rosario = 34,
    iPHOSPHATOdeFERR
    Kp*E LERAS DOTJTOR EM SCIENCIAS]
    INSPECTOR OA ACADEMIA DE PARIZEt
    Debaixo da forma d'um liquido sem sabor.
    anlogo a urna agua mineral, este medica-
    mento rene os elementos que constiluem
    os ossos e o sanguo, E' o mais racional dos
    ferruginosos; ty>r esta razao o adoptrao
    os mais eminentes mdicos do mundo in-
    teiro. Convem muito as meninas de temperamento delicado, cujo desenvolvimento tardo,
    s senhoras que padecem d'estas dores d'estomago intpleraveis, causadas pela chlorose,
    anemia, menstruacao ou leucorrhea, as criancas d'uma compleicio paluda e delicada, e a
    todas as pessoas que tem o sangue empobrecido pelas doencas. Efcacia, rpidos d'accio,
    cura perfeila, sem conslipaclo de ventre nem accio sobre os (lentes, taes slo as razos que
    imperio para que os senhores mdicos o prescrevao aos seus doentes.
    Deposito em Pernambuco, em casa de Manrer a O*.
    f W5&&?&< K:^?:^:?^i:^i>yc^?-Jv^^:^^.:^. 's&f}'';'W*
    CAPSULAS MOLES
    DE
    ALCATRAO
    Remedio por excellencia para cura rapi-
    dae completa das coqueluches, bronchitcs,
    catarrhos, tosses convulsivas, escarros san-
    guinos, e outras molestias do peito.
    NA
    PHARMACIA E DR0G.\RLV
    DE
    Bartholomeu & C.
    3 iRA LARGA DO ROSARIO-
    -3i
    AO BAZAR DA MODA
    Ba Nova n. 50, esquina da ra de S. Amaro.
    NOVIDADES
    Para sccihoras.
    COQUES da ultima moda, enfeitados e lisos, gran-
    de sortimento.
    CHAPELINAS de palha da Italia, guarnecidas com
    delicados e elegantes enfeites brancos e de cores
    CHAPEIISINHOS e gorras de velludo e de pennas
    (alta novidada I) palhwda Italia, a emtiacao,
    especial sortimento.
    CINTOS de cores e pretos, rico sortimenio ulti-
    ma moda.
    CAMISAS bordadas porcommodos precos.
    LENCOS bordados e com letras, novidade neste
    genero
    LEQUES a emitagao de marm, gosto novo e de
    sndalo.
    OOUNHAS c pannos, a emitacao de guipare.
    kNFElTKS pretos e de cores para cabeca, lindos
    molde-, v r
    GUARNI(;\o alta novidade I a Marie Rote, lti-
    mamente usada m Pars
    mdTs ,"e brancos e Wtos lindos
    GRINALDAS de fleres finas
    ESPARTILHOS superiores. "
    MEIAS supe.iores de fio de Escocia
    LUVAS de p-lica chegadas pelo ultimo vannr
    ADdSoS ^ fl0nl Verda^r Pio-o
    ' DE PALHA
    GUARNICOES para vestidos.
    TRANCAS para enfeites de coques.
    BOTOES lisos e com pingentes para vestidos.
    CINTOS alta novidade.
    FLO*RES finas, grande sortimento.
    GRINALDAS de ditas para coques.
    LAGOS, fivelas, penachos para enfeites.
    Para liomeus.
    deli-
    CAMISAS com peitos, colarinhos e punhos
    ho fino, lisos e bordados, moda,
    COLARINHOS de linho e algodao.
    PUNHOS de ditos.
    GRAVATAS de todas as qualidades.
    BOTES para punhos e guarnieses para coletos.
    GORRENTES de plaqu a emitacao do ouro, lin-
    do gosto.
    CHAPEOS de pello de seda, forma a Rotchil, qua-
    ldade superior.
    CHAPEOS de seda, para sol.
    MEFAS de superior qualidade.
    BENGALINHAS finase chicotes.
    LUNETAS aro de acp e tarturaga.
    Para crianzas.
    VESTUARIOS completos para baptsados.
    SAPATINHOS de merino e setim enfeitados.
    MEIAS de seda e fio de Escocia.
    CHAPEIISINHOS de palha da Italia.
    TOUCAS de fil e setim enfeitadas e de chroch.
    BU ECAS vestidas, muito bonitas e diversos
    briuquedos.
    Perfumarlas finas.
    TNICO oriental, verdadeiro.
    AGUA DIVINA de E. Coudray e superior agua e
    essencia de Colonia.
    ESTRATOS e essencias finas e de agradaveis are-
    mas para o lenco.
    1TINAGRES aromticos para toilet. '
    POS DE ARROZ para amaciar a pelle ; em pacr--
    tes e ricas caixinhas com arminho.
    POS superior para limpar os denles.
    COSMETIQUES de fina qualidade.
    SABONETES, grande sortimento deste genero e
    de superior qualidade.
    LEOS de philocome, babosa e antques.
    BANHA fina para os cabellos.
    AGUA de flores de laranja.
    CREME de sabao para barba.
    Caixas preparadas com perfumaras finas.
    Hfludczas unas.
    AGUA FLORIDA verdadeira
    I man Nfw-York.
    de
    SUPERIORES fitas de grosdenaples de todas as
    cores e larguras de veludo preto e do cores, e
    gurguro para ciatos.
    BABADINHOS e entremeios bordados.
    GUARNICOES de seda do- cores para enfeites de
    vestidos.
    TRANCAS pretas com vidrilhos e pingentes.
    BOTES de cores, brancos e pretos com vidrilhos
    lisos e com pinjrentcs.
    DEDAES de mach aperla, de marfinj, de co e
    metal.
    ITHESOURAS finas para costara e nnhas.
    CAIVETES finos com quatro folhas. E muitos
    * outros artigo de miudezas que se torna enfa-
    . donho menciona-los.

    Todo se vende por pre^s bstente commodos.
    LO*JA
    DO
    GALLO VIGILANTE
    l&ua do Crespo n. 9
    Os proprietarios deste bem conliecdo eslabele-
    cimento, aJm dos muitos objectos (uc tinham ex-
    postos a aprecacao do respetavel publico, man-
    daram vir e acabam de recebar pelo ultimo vapor
    da Europa um completo e variado sortimento de
    finas e niui delicadas especialidades, as quaes es-
    tilo resolvdos a vender, como 6 do seu costume,
    por precos muito baratinhos o commodos para to-
    dos, com tanto que o Gallo....
    Muito superiores luvas de pellica, pretas, bran-
    cas c de mu lindas cores.
    Mu boas e bonitas gollinhas e punhos.para se-
    nliora, neste genero o que ha de mais moderno.
    Superiores pontos do tartaruga para coques.
    Lindos e riquissimos enfeites para canecas das
    Exmas. senhoras.
    Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
    lhos e sem elles; esta fazenda o que pode haver
    de melhor e mais bonito.
    Superiores e bonitos lequcs de madreperola,
    marfim, sndalo c osso, sendo aquelles brancos
    com lindos desenhos, e estes pretos.
    Muito superiores meias fio de Escossia para se-
    nhoras, as quaes sempre se venderam por 30t)0
    a duzla, entretanto que nos as vendemos por 203,
    alm destas, temos tambem grande sortimento de
    outras qualidades, eutre as quaes algumas muito
    finas.
    Boas bengalas de superior canna da India e
    castao de marfim com lindas e encantadoras figu-
    ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
    pode desejar ; alm destas temos tambem grande
    quanlidade de outras qualidades, como sejain, ma-
    deira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
    Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadeia e
    de outras qualidades.
    Lindas e superiores ligas de seda e borracha
    para segurar as meias.
    Boas meias do seda para senhora e para meni-
    nas de i a 12 annos de idade.
    Navalhas cabo de marfim e tartaruga para fazer
    barba; sao muito boas,c de mais a mais sao ga-
    rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
    bem asseguramos sua qualidade e delicadeza.
    Lindas e bellas capellas pitra noiva.
    Superiores agulhas para machina e para crox.
    Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
    lbyrintho.
    Bons baralhos de cartas para voltaretc, assim
    como os tentos para o mesmo fin.
    Grande e variado sortimento das roelhores per-
    fumarias e- dos melhores e mais conhecidos per-
    fumistas.
    COLARES DE ROER.
    Elctricos magnticos contra as convulsoes, e
    facilitam a dertticao das innocentes criancas. So-
    mos desde muito recebedores destes prodigiosos
    collares, e continuamos a recebe-los por todos os
    vapore*, aflu do que nunca fahem no mercado,
    como j ten acontecido, assim pois podero aquel-
    les que dclUe precisarem, vir ao deposito do gallo
    vigilante, aonde sempre encontraro destes verda-
    deros cobres, e os quaes attendendo-se ao fim
    para que s5o applicados, se venderlo com um mu
    diminuto lucro.
    RojaWBi.pois, avista dosobjeetos que deixamos
    declarados, aos nossos fregoezes e amigos a virom
    comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
    vigilante, ra do Crespo n. 7.
    NOVA ESPERANCA
    Rua do Queimado = 21
    h para presentes
    A Nova Esperan?a, roa do Queimado
    d. 2i tem um variado sortimento de objec-
    toe de gosto e phantasia proprios para pre-
    sentes, sobresahindo entre efles ricas caixi-
    nba de chano com finas perfumarias, coa*
    tureiros de chagrn, agulheiros de madre?
    perola : asBim.pois, qaemqtiizer fazer um
    linda offerta, dirigir-sc Nova Esperanza,
    rua do Queimado n. 21.
    Collares anodinos elleclro-magneti
    eos contra as convitlecs das
    cr caneas.
    NIo resta a menor duvida, de que muito
    collares se vendem por ah intitulados i
    verdadeiros de Royer, e els porqae muitoi
    pas de familias nao creem (comprando-es;
    no effeito promettido, o que s pdem dar,
    os verdadeiros; a Nova Esperanza, portD
    que detesta a falsificaco principalmente DO
    que respeita ao bem estar da humanidade,
    fez urna encommenda directa destes collares
    e garante aos pais de familias, que sao os
    verdadeiros de Royer, que a tantas crean-
    cas tem salvado do terrivel incommodo de
    convulfocs, assim pois preciso, que ve-
    nham a Nova Esperanca a rua do Queimado
    n. 21 comprarem o salva vida, para sena
    filhinhos, antes que estes sejam acomeetti-
    dos do terrivel mal, quando ent5o ser i-
    fcil alcancar-se o effeilo desejado, embora
    sejam empregados os Verdadeiros collare
    de Royer.
    Para extinguir as sardas e
    panno
    Recfcbeu a Nova Esperanca, rua do
    Queimado n. 21, leite de rosas, especia*
    para extinguir sardas e pannos.
    BONECA DE CERA
    A Nca esperanca a rua do Queimado n.
    21, acal* de receber um completo sorti-
    mento de finas bonecas de cera de diver-
    sos tamanhos, sendo as maiores do com-
    primento d'um covado ; estas bonecas tra-
    zem bonitos coques e botinas, havendo en-
    tro ellas algumas que fallam e outras qu
    choram de sorte que fcilmente podem ser
    preparadas, e fazer-se um presente de muiU
    acceitaco.
    Finas caixas de tartaruga para rap ven-
    dem-se a rna do Queimado n. 21 na loja
    da Nova Esperanca.
    Modernos brincos de sndalo, s se en-
    contraro na Nova Esperanca a rua do
    Queimado n. 21.
    MEIAS DE LAA
    A Nova Esperanca a rua do Queimado n
    21, acaba de receber um especial sortimen-
    to de meias de la para homem e senhora.
    CONTRA AS CONGESTES
    mal terrivel a congeslo fulminante:
    de repente leva um individo, d'esta para
    milhor vida, sem dar-lhe tempo de receber
    conversa medica; dei.xando as mais daa
    veses mulher e filhos no mais amargurado
    pranto ; a Nova Esperanca que deseja pres-
    tar servicos recorreu a Vojer, o qual lhe
    mandou anneis elctricos magnticos, como
    o nico preservativo para semelhante mal i
    elles antes que se acabem : na Nova Espe-
    ranca*
    NAVALHAS
    A Nova Esperanca a rua do Queimado
    n. 21 recebeu um sortimento de navalhas.
    de qualidades, e tamanhos especiaes assim
    como afiadores e massas para as mesmas.
    Macarthy
    Capsulas de Ra(fnim
    Os bons effeitos destas capsulas para fazer es-
    sar os gonorrheas acham-sc comprovadas pelas
    experiencias de muitos annos.
    Os mdicos de todos os paizes as recommendam
    pela sua eficacia.
    VENDE-SE
    Pharmacia i drogara^*
    BARTHOLOMEU & C. *
    Ru34-a larga do Bosario^i*
    Hachinas de descarocar algodao.
    Hoje que est roconhecido que as machinas de
    serrote prejudicam e quebram a fibra do algodao,
    preciso recorrer a machinismo menos spero,
    que produzindo o mesmo servico que aquellas, e
    facilidade no trabalho, nao quebrem a fibra da la,
    para que essa possa obler-nos mercados europeos,
    a dfferenca que ha entre o algodao descarocado
    por aquellas mencionadas machinas, que esto fi-
    cando em deuzo, pelo prejuizo que tem causado,
    e o da antiga bolandeira, que nao pode competir
    pela morosidade de seu trabalho. E' assim que
    estas machinas se tornam as mais propras para o
    nosso algodao, porque ao par da facildade e
    promptidao conserva a fibra da laa, que limpa por
    ella, e qualficada na Europa a par da melhor bo-
    landeira, valendo assim entre II 20 por 0/0
    nnis do que a la limpa pela machina do serrote.
    Estas machinas nao sao novas, pois que ba muito
    estao adoptadas no Egvpto, aonde as de serrote
    foram inteiramente abandonadas, e por isso o algo-
    dao daquella pro'-edencia, sendo da qualidade do
    da nossa provincia, obtera hoje de 10 a por
    0/0 mais do que o noss > : vendem-sc a loOi&OOO
    nos armazens de Taspo Irmaos.
    Oleo de amendoas
    Em caixas de 8 latas, cada caixa 100 libras :
    nos armazens de Tass firmaos.
    Charutos da Havana.
    Excellentes charutos da Havana e por baratsi-
    mo proco : em casa de Tas30 Irmaos, rua do
    Amorim n. 37.
    Mogios de ouro.
    Relogios de ouro de patente com bataneo de
    ehronometro do famigerado actor John Rogers, no
    escriptoiio de Tasso Irmaos.
    Pianos inglezes.
    Panos inglezes do bem cnhecido autor Charles
    Cadby, no escriptorio de Tasso.
    Ac de milito.
    Nos armazf ns de Tasso /rmos.
    BARRIS DE SALITRE
    Noi armazens de Tasso Irmaos.
    PILULAS, VINHO
    XAROPE
    DE
    JLRUBEBA
    PREPARADOS
    PELO
    PHARMACEUTICO
    Joaquina d'Alnaeda Pinto.
    As preparaces deJurubeba, sao hoje
    ventajosamente conhecidas e preconisadas
    pelos mais habis mdicos, tanto da Euro-
    pa como do paiz, pela sua efcacia nos
    casos do anemia, thloroze, hydropesia,
    obstruccSo do abdomen, e tambem nos de
    menstruapSo difficil, catharro na bexiga, etc.
    Vendem-se em porfo e a retalho na ci-
    dade do Recife, pharmacia do seu composi
    tor, rua larga do Rosario n. 10, junto ao
    quartel de polica.
    Vendem Augusto F. de Oliveira dt C. rua di-
    Commercio, n. 42.
    Saias modernas
    Elegantes e modernissimas taas' d la, acaba
    de receber a loja de A. M. Rom G., rua do
    Queimado n. 31:
    ? Vende-se urna iihlrna na rua
    Whtas n. 71, com bastante freguezia para o mat*,
    queut a prctonder iiirija-se a niesma.
    Para familias
    Graude Bazar, rua \ova ns. SO e
    S *, de Carnelro Vlanna A v.
    Acaba-de chegar a este estabelecimento
    grande porgo de machinas para costuras do
    autor Wheeier Wilson, approvadas na ulti-
    ma exposico de Paris, as quaes cozem com
    dous pospontos toda a costura, e tem a
    vantagem de ser to suave o movimento,
    que qualquer crianca de oito annos fcil-
    mente trabalha, e pode, com este entrete-
    nimento, levar vantagem ao servico diario
    de trinta costureiras. A comprehenslo
    simples, pois em um quarto de hora se fi-
    ca senhor do movimento da machina, tol-
    do a mesma a propriedade de fazer as se-
    guintes costuras: pospontar, abainhar,
    franzir, marcar e bordar, como apresentam
    os desenhos que acompanham-nas. Os pro-
    prietarios do estabelecimento se encarre-
    gam de mandar ensinar n'esta cidade, e
    garantem entregar o importe dispendido ao
    comprador, no caso do nao trabalhar com
    perfeico a machina vendida, nao tendo,
    porm, soffrido ella alguma a varia. Ha tam-
    bem no mesmo estabelecimento machinas
    do autor Grower & Baker, de trabalho sim-
    plesmente mo, c outras com movimento
    dos ps; e mxime todos os pertences daa
    mesmas machinas, para vender avulao.
    Tintura japoneza
    Instantnea para Ungir os cabellos e a
    barba, a 1(5000 o frasco.
    E' a nica approvada e recommendada
    por ter sido reconhecida superior a toda
    as tinturas d'este genero.
    A venda em casa de Gustavo Hervelin n.
    "Sl.rua da Cadeia n. 51.
    " GAZ GAZ GAZ
    Chegon ao antigo deposito do Hcnry Forstor *
    C, rua do Imperador, um carregamento de gas
    de prlmeira qualidade; o qual se vende em partiaai
    e a retalho por menos preco do que em outra qual-
    quer parte.
    FUNDICAO DO BOWMAN
    Rna do Bruna n. *.
    Machinas de vapor.
    Rodas d'agoa.
    Moendas de canna.
    Taixos de ferro, batida fundido.
    Rodas dentadas, paia moer com agoa.
    vapor e animaes.
    Alambiques de ferro.
    Formas para purgar assucar.
    E outros muitos objectos, etc. etc., pro
    prios para agricultura._________
    CTdtTLisboa
    Vende-se cal de Lisboa chegada ba poneos dias ,
    a tratar na rua da Cruz n. J7, Io andar, escripto;
    rio. da Banjos Temporal


    I
    Diario de Pernantbuco Segunda feira l> de Abril de 1869.
    >-

    *
    I *>
    !
    t
    GRANDE LIQUIDACO
    DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
    DO ^,
    DE
    Flix Pereira da Silva, successor de Gama
    & Silva
    O propietario d'este estabelecimento comida ao respeitavel publico (testa ca-
    pital a vir surtir-se no grande estabelecimento que tem do fazndas, tanto da moda como
    de lei, e as pessoas que negociam em pequea escalla, tanto da praca como do matto-
    nesta casa poderao faier os seus sortimenlos em pequeas e grandes porcoes, venen-
    do-se-lhes pelos preeos que se compram as casas inglezas ; assim como as excelleatis,
    aimas familias, poderao mandar buscar as amostras de todas as fazndas, ou mandare-
    mos levar em suas casas pelos nossos caixeiros, para o que acha-se este estabelecimen-
    to aberto constantemente desde s 6 horas da manha s 9 da noute.
    ' O atoalhado do Pava AS CAMBR.VIAS DO PAVO
    Vende-se superior atoalhado de algodao Vendem-se tinissimas pecas de cambraias
    com 8 palmos de largura, adamascado a lizas transparentes tauto inglezas como suis-
    25200 a vara; dito de linho fazenda muito
    superior a 3200 a vara ; guardanapos de
    linho adamascados a 4-3500 a duzia e muito
    finos a 8i$000, e ditos econmicos a 35500
    a duzia.
    Fustes para vestidos brancos
    a 646.
    Vendem-se os mais modernos fustoes bran-
    cos flexiveis com padrees de listas e de
    lpicos proprios para vestidos e roupas de
    menino a 640 rs. o covado, na loja e arma-
    zem do Pavao ra da Imperatrizn. 60, de
    Flix Pereira da Silva.
    Grosdenaples
    Chegou para a loja do Pavao pelo ultimo
    varpor um grande sortimento dos melhores
    grosdenaples pretos e de cores, tendo verde
    tambem, que se vendem mais barato que
    em outra qualquer parte.
    BABADINHOS
    Vendem-se finissimos babadinhos, tiras
    bordadas e entremeios, mais baratos do que
    em outra qualquer parte, assim como espar-
    tilhos dos mais modernos, no armazem de
    Flix Pereira da Silva, ra da Imperatriz
    n. 60.
    ALTA NOVIDADE
    A LOJA DO PAVAO
    Gurgurao do seda
    Chegaram pelo ultimo vapor os mais bo-
    nitos gurgures de seda, proprios para ves-
    tidos, sendo lisos e lavradinhos, com muito
    lustro, garantindo-se que 6 a fazenda mais
    linda e de mais phantasia que este anno tem
    negado a este mercado, e vende-se por
    preco muito razoavel, na ra da nhperatriz
    a. 60, de Flix Pereira da Silva.
    CAMBRAIA BRANCA A 3#>00.
    Vende-se pecas de cambraia branca
    transparente, com 8 e meia varas pelo ba-
    rato preco de 34300, ditas muito finas tanto
    tapadas como transparentes 4(5300, 5r>000,
    35500, 75000 e 8.5000, assim como organ-
    d muito fino tanto i izo, como do listas e
    quadros na loja e armazem do Pavo ra
    da Imperatriz n. 60 do Flix Pereira da
    Silva.
    ALPACAS LAVRADAS PARA LCTO.
    Vende-se na loja do Pavo. as mais mo-
    dernas alpacas lavradas para lucto, sendo
    muitolargasepelo barato preco de800rs. o
    aovado, s na loja e armazem do Pavao, ra
    la Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da
    Silva.
    Cassas inglezas a 446 rs o metro
    Vende-se urna grande porgo de bonitas
    ;assas inglezas tanto graudascomo miudi-
    nhas e de cores lixas pelo barato preco de
    iiO rs. ometro,garentindo-se que 7 metros.
    d3o um vestido para qualquer Sra. s na
    toja do Pavao ra da Imperatriz n. 00 de
    Flix Pereira da Silva.
    % Bareges a 400 rs.
    %o na loja do Pavo
    Se vendem as mais bonitas bareges transparen-
    tes, proprias para vestidos com strinhas a imita-
    cao de listras de seda, e vendem-ee pelo barato
    preco de um cruzado cada um covado, nicamen-
    te na loja c armazem do Pavao, ra da Impera-
    riz n. tiO. de Flix Pereira da Silva.
    COLCHAS PARA CAMA A 5*003.
    Vendem-se colchas de fusto adamasca-
    las para cama, pelo barato preco de 5#,
    grande pechincha, na loja e armazem do
    Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Flix
    Pereira da Silva.
    COBERTORESINGLEZES A 4-5. 4-5500 E 5?5.
    Vendem-se os verdadeiros cobertores
    inglezes, de pura la, pelo barato preco
    de 4$, 4(5500 e 55, assim como colchas d
    rastao de cores, pelo barato preco de 3#. na
    loja e armazem do Pavo. ra da Impera-
    triz n. 60. De Flix Pereira da Silva.
    Madapolao enfestaclo a U&500
    Vende-se superior madapolao enfestado,
    sendo muito encorpado, para carnizas, e
    tendo cada peca 24 jardas, pelo barati?si-
    mo preco de 83500, na loja e armazem do
    Pavo, ra da Imperatriz n. 60. De Fex
    Pereira da Silva.
    CHAPELINAS
    ULTIMA MODA
    Chegaram para a loja do Pavo as mais
    ricas e mais modernas chapelinas rica-
    mente enfeitadas, com enfeites e fitas de
    setim e de todas as crese com ricos bicos
    de blond e as mais lindas e finas flores,
    vendendo se cada urna pelo barato preco de
    muito mais
    sas tendo mais de vara de largura, pelos
    preeos de 5000 al i 0J000 a peca, assim
    como finissimos organdys branco Uso que
    serve para vestidos de bailes, por ser muito
    transparente a i?5000, a vara, na loja do
    Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Flix Pe-
    reira da Silva.
    Alpacas tarradas
    Chegaram pelo ultimo vapor as mais mo-
    dernas alpacas lavradas com as mais lindas
    cores, que se vendem a I #000, o covado,
    ditas lisas tendo tambem cor de canna a
    800 rs, ditas mescladas muito finas a 1:200,
    o covado, e outras muitas fazndas de gosto
    e moda que se vendem mais barato do
    que em outra qualquer parte, no armazem
    do Pavo, ra da Imperatriz n. 60. de Fex
    Pereira da Silva.
    Roupas para hornera
    Vendem-se superiores palitts de panno
    sobrecasacos forrados de alpaca e de seda,
    camisas inglezas e francezas com os peitos
    do esguio, ceroulas francezas de linho e al-
    godao, meias cruas inglezas superiores, ca-
    misas de flanella e de meia de la, assim
    como neste estabelecimento existe um grande
    sortimento de pannos pretos, e de casemiras
    inglezas de cores, e que se manda fazer
    qualquer obra a contento dos Srs. fregue-
    ses, e promet!e-se-lhes que sero servidos
    com a maior promptido e muito ma3 ba-
    rato do que em outra quakraer parte
    na ra da Imperatriz n. 60,de Flix Perei-
    ra da Suva.
    Cortinados
    Para camas e jahellas.
    Vende-se um grande sortimento dos me-
    lhores e maiores cortinados bordados pro-
    prios para camas e para janellas, que se ven-
    dem a 125000 rs. cada par at 25000 rs,
    isto na ra da Imperatriz n. 60, do Flix
    Pereira da Silva.
    Cretone para lenqes com 10
    palmos de largura a 2$,
    Acaba de chegar esta nova e excellente
    fazenda branca propria para lences de um
    s panno, garantindo-se que um metro e
    urna quarta ou um metro e meio d um
    excellente lencol de um s panno, assim
    como esta boa fazenda tambem muito
    propria para toalhas de meza, rosto etc. e
    outros mysteres e vende-se pelo baralissi-
    mo preco de 2?5 cada metro.
    MOZAMBIQUE PARA VESTIDO A 500 RS.
    Chegou para a loja do Pavo um elegante
    sortimento dos tnais bonitos mocambiques
    proprios para vestidos cora as cores mais
    modernas o que se vendem pelo barato
    preco de 500 rs. o covado.
    ALPACAO DE CORDOPARA VESTIDO A 13
    Chegou esta nova fazenda com o nomo
    de alpaco, sendo de cordo e com mais
    largura do que a alpaca, com as mais finias
    cores, como sejam Bismark, lyrio, perolas,
    roxo, cor de eanna, magenta etc. e vende-
    se pelo baratissimo preco de Id o covado.
    ESGUIO DE LINHO DE 12 JARDAS A 10*.
    Vende-se pecas de esguio de linho, fa-
    zenda superior, com 12 jardas cada peca, a
    10,5000.
    ALTA NOVIDADE
    A
    Loja do Pavo.
    GURGURES PARA VESTIDOS A lOOO,
    O COVADO.
    Chegaram os mais modernos gurgures
    para vestidos, sendo de todas as cores,como
    sejam verde, azul, rosa, bismark, perola,
    rxo gura e vsnde-se pelo baratissimo preco
    de 15000, cada covado nicamente no ar-
    mazem de Flix Pereira da Silva, na ra da
    Imperatriz n. 60.
    RETALHOS PARA LUTO NA LOJA DO
    PAVO.
    Vende-se urna grande quantidade de re-
    talhos de chitas e cassas pretas por preco
    muito barato.e quanto maior for a porco
    jue o fregu comprar, mais barato se lhe
    vender na ruada imperatriz n. 60 de F-
    lix Pereira da Silva.
    Grosdenaples preto
    Vende-se um grande sortimento dos me-
    lhores grosdenaples pretos, tanto lar-
    o
    ROUPAS FEITAS
    Na loja do Leao da porta largu
    PAREDES PORTO.
    Ra da Imperatriz-n. 52, junto aloja ele ourives.
    N'esle estabelecimento se encontrar ra da Imperatriz n. 52, loja do Paredes
    sempre um cempleto sortimento de roupas Porto.
    feilas de todas as qualidades. Como se- Neste estabelecimento encontrar o respei-
    jam: paletots de alpaca, de merino, de tavel publico um completo sortimento de
    casemira, bombains de panno preto, fra- fazndas e roupas que. se vende pelos pre-
    ques e sobrecasacos de brins de' cores e eos seguintes:
    pardos.
    CAMISAS E SIROULAS.
    FAZNDAS BRANCAS,
    Madapolao de diversas qualidades e pre-
    Encontrar sempre o respeitavel publico eos commodos, cambraia de 30500 411500
    e H, ditas victorias de 50500 a 120, pecas
    de cassa liza o mais fino que ha no merca-
    do a 90, 100, 120. com 12
    um bonito sortimento de todos os nmeros.
    MEIAS CRUAS.
    Sortimento de todas as qualidades, de
    30 a 50, assim como tambera sortimento
    de lencos de linho brancos e com barras
    de cor, chinezes, bonitas gravatas pretas e
    de cores. Ra da Imperatriz n. 52, por-
    ta larga.
    PARA ACABAR.
    Urna grande porco de calcas ordinarias
    para trabalho a 640 e 800 rs. cada um par,
    pechincha na loja do Leo junto alafa de
    ourives.
    GRANDE PECHINCHA*,
    Cassas he cores a 160 rs. o covado, na
    100 RES O COVADO
    Chrarpreta pelo barato preco de 160 o
    covado na ra da Imperatriz n. 52 na loja
    que tem um Leo pintado.
    PANNO DE LINHO
    Paredes Porto recebeu um sortimento da
    pannos de linho, com 27 varas a peca e
    170000 e 180OOO| na ra da Imperatrizn.
    52,junto a loja de ourives de porta larga.de
    Paredes Porto.
    varas, e vara
    de largura
    SEDAS DE LISTRAS.
    Recebeu-so ura bonito sortimento d'esta
    fazenda que se vende a' 20500 o covado.
    CHITAS.
    Vende-se chitas escuras a 280, 300, e
    320 rs. o covado.
    GUARDANAPOS
    . Vende-se esta fazenda de linho, fazenda
    boa a 40000e 50000 a duzia.
    MEIAS PARA HOMEM
    Sortimento de meias inglezas para ho-
    mem a 40800 50800 e 60800 fazenda boa.
    THOALHAS
    Sortimento de toalhas de pelucia a 110
    a duzia.
    LENCOS BRANCOS a 20200
    Para acabar lencos de algodao a 20200
    a duzia,
    20000
    Vara de bramante de linho superior e
    LENCOS DE LINHO
    Vende-se lencos brancos de linho a 30, tem 10 palmos de largo,
    a duzia para acabar na loja de Paredes Por- CALCAS E LOLLTbb.
    to. Ra da Imperatriz n. 52 loja da porta Tem sempre no mesmo sentido um sor-
    larga que lera um Leao .pintado, de Paredes timento completo a preco commodo.
    Porto. .
    No armazem do Leo, ra da Imperatriz n. e 52, junto a loja de ourives.
    O cordeiro providente ASMA E PTISICA
    Rm do Ojiceimado n. i. l" IcscobrfnieiKo espantos!
    Noto e variado sortimento de perfumarias'' 0,wpo de tedegeap, do l'ernarobuoo.
    finas, e outros objeeto!

    11--RTJA DO QTJEINADO--11
    DE
    AUGUSTO PORTO & C.
    *
    Receberam superiores vestidos de blond com manta e capella para noivas, que
    vendem-se por preeos mais mdicos do que em qualquer outra parte. ....
    S\H1DAS DE BAILEde cachemira branca e de cores o que ha de mais itnuo.
    BASQUINESde renda preta, o de gorguro preto, o que ha de mais
    elegante. j
    CHAPEOS DE SOLpara senhoras delicadamente bordados.
    BALDESbrancos e de cores para sennoras e meninas, espartamos, saias Dor-
    dadas, e saias de la com barras de cor. Mn,.,
    GORGUROde" seda branco e preto para vestidos, sedas do cores, monean-
    ttque branco, c grosdenaple branco, de cores e preto, princezas, bombazinas pretas,
    alpacas de muitas cores, e lindos cortinados bordados.
    CAMIZASde linho para hornera de diversa qualidades, camisas boracias
    para noivos, sobretodos, capas de borradla- Wmcs-e-pretas, bnm e cores e branco,
    panos finos e casemiras pretas o de cor por commodos preeos.
    TAPETESgrandes e pequeos para sof e cama, tapete e alcatilas em pecas
    para sallas, e continuara sempre a vender por mdicos pre?os as esteiras da india para
    SALLAS.

    ^'.
    & Ifc
    i
    Ag
    NOVO EXPLENDIDO SORTIMENTO
    ua-florida de Guis-
    lain
    S^do^^^n vendara 8
    outras partes a i)S a 250. e entre ellas
    ba mais do que
    partes a 200 e 250. e entre ellas covado at 40000 rs. garantindo-se que
    is do que ummodello, tambem tem n'este genero nmguem tem melhor fazenda e
    que se vende mais barato do que em outra
    muitas de pratinho, proprias para mocas, e,W -> da tontn 60
    meninas, isto na ra da Imperatriz n. 60 qualquer parte, na ma aa imperatriz n. ou.
    Impera tn
    toja do Pavao. de Flix Preira da Silva.
    Tabellas vermicidas
    DE
    de Flix Pereira na Sirva
    U, OS BALES DO PAVO.
    Vendem-se superiores' bales america-
    nos de trinta quarenta arcos, tendo as fi-
    tas bastante largas, sendo mnito fcil trans-
    Antonio Nanes de Castro.
    Vermfugo efflcaz, e preferivefTtodos os forma-Ios para ontro qualquer novo modelo
    conhecidos? j pela certeza de seo resulta- e quidam-se pelo barato preco de 2 cada
    do. ei pela fcil applicacao as creancas. u'B8enodB0 !fPda f.e a6mf>n se nJeu
    a 7(9 e 85, istb na loja e armazem do Pa-
    do, e j pela fcil applicacao as creancas
    quasi sempre mais atacadas de tSo terrivel
    e mokas vezes fatal soffrimento.
    NICO DEPOSITO
    NA
    Pharnacla e drogara.
    M
    Barth orneo & C.
    4-Rna Larga o Rosarlo1
    Vende-se uroa escrava boa c*sinhera,
    setn vicios, na Camba do Carmo nume-
    ro 22.
    \tm*-* tama de Garanbons muito txm e
    mato ni
    Cambo
    vo, ra da Imperatriz n. 60. De Flix
    Pereira da Silva.
    As .MM> varas a & rs.
    Vendem-se a verdadeiras cambraias
    francezas, com lindos padroes e edres fixas,
    sendo tapadas e transparentes, pelo barato
    pieco de 800 rs. a vara, ou 300 rs. o co-
    vado, sendo fazenda que ningnem vende
    por menos de 7 oo 8.tnstoes, e liquidam-
    se por este barato preco, por se ter feito
    urna avultada compra, na loja e armazem
    60. De
    i**-w ramo de tarannons rouiw wwi o p-vSn na da Imnflratri? n
    Tintm'a indelevel para Ungir os cabellos,
    sera manchar a pelle.
    A bem conceituada agua-florida de Guis-
    lain que ento era desxmhecida era Per-
    aambuco, j hoje estimada e procurada
    por seu eflicaz resultado, c anda mais se-
    r, quando a noticia de seu bom effeito e a
    experiencia tornar de todos conhecida.
    A agua-florida df Guislain composta ni-
    camente de vegetaes noffensivos, tem a
    propriedade extraordinaria de dar a cor pri-
    mitiva aos cabellos, quando estiverem bran-
    cos, e lhes restituir o brilho perdido, e as-
    pira como preservar de embranquecer, sera
    *er prejudicial de modo algura
    E' porm necessario fazer conhecer, que
    i bom resultado produzido pela agua-flori-
    ia, nao instantneo, como muitas pes-
    cas tal vez supponham, miis sira ser pre-
    nso fazer uso d'ella, trez ou quatro vezes,
    d logo se obter o fim desejado, como bem
    provam testemunhos de pessoas insuspei-
    las, e d'entao por diantQ, basta usa-la duas
    vezes por mez, contando sempre com o bom
    xito, podendo a experiencia ser feita em
    ratra qualquer cousa.
    Assim poisesta agua-florida acba-se ven-
    da na bem conbecida loja d'Agoia Branca
    ra do Queimado n. 8,
    A Aguia Branca, contando com a proteo-
    c3o de sua boa freguezia, tambem capricha
    em n5o lh'a desmerecer, procurando ,sem-
    ore oorrestonder a idea favoravel cora que
    i honrara, e em prova ao que ca dito, d
    -.orno exemplo o explendo sortimento
    |ue acaba de asceber, inda mesmo aclwn-
    lo-se bellamente provida do que de bom
    i nf&lhor se pode desejar nos gneros que
    <5o de sua competencia.
    Haja vista aos necessarios livros de missa
    i oraco, obras de apurado gosto e perfei-
    ;ao, sendo: com capas de madreperota s
    locantes quadros era aho relevo.
    Ditos dora ditas Ve-'mrfln igualmente
    bonito:.
    Ditos com ditas de velludo, outros imi-
    tando charo machetado.
    Ditos com ditas de marroquim com cruz
    e guarnico, dourada ou prateada.
    Coras e tercos de cornalina.
    Assim como.
    Grande o bello sortimento de leques
    todos de madreperola, madreperola e seda,
    sndalo, sndalo e seda, osso, osso e seda,
    e faia etc. etc. tendo nos de sndalo alguns
    com 4 vistas, e outros japonezes enfeitados
    de flores.
    Bonitas volias grandes de aljofares aznes.
    Voltas de cerrente de borracha.
    Meias de seda para meninas e senhoras.
    Ditas de fio de Escocia abertas, tambem
    para meninas c senhoras.
    Ditas muito linas d'algodo, alvas, e
    cruas para meninas e senhoras.
    Luvas de fio d'Escocia, torca!, e seda
    para meninas e senhoras.
    Meias do la para homens, mulheres e{
    meninos.
    Gollinhas o punhos bordados obra de
    muito gosto.
    Entre-meios finos tapados e transparen-
    tes com delicados bordados e proprios
    para enfiar fita.
    E OS PRODIGIOSOS
    Annes e collares Royer para creancas.
    Bonitos cabases ou bolsinhas de pelica
    e setim para meninas ou senhoras.
    Lindas cestinhas bordadas a froco, e lisas.
    Delicadas caixinhas devidro enfeitadas
    com pedras, aljofares, etc.
    Ditas de tartaruga para joias.
    Bonitos albuns com musiCa.
    Pinseis ou bunecas para poz do arroz.
    Jovos e delicados ramos de flores com
    marrafes para enfeitar coques.
    Bello sortimento de trancas de palha.
    Fitas largas para cintos.
    Cintos de fitas largas com bonitas rama-
    gens.
    Brincos e alflnetes de madreperola. -
    Ditos esmaltados, obras* novas o bonita.
    Alm Ho completo sortimento de perfu-
    maras, de que efectivamente est provida a
    loja do Cordeiro Providente, ella acaba de
    receber um outro sortimento que se torna
    notavel pela variedade de objectos, superiori-
    dade, qualidades e commodidades de pre-
    Cos; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
    e espera continuar a merecer a apreciaco
    do respeitavel publico em gcral e de sua
    boa freguezia em particular, no se abas-
    tando elle de sua bem conhecida mansidao
    e barateza. Em dita loja encontraro os
    apreciadores do bom:
    Agua divina de E. Coudray.
    Dita verdadeira de Murray Lamman.
    Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
    ceza, todas dos melhores e mais acreditados
    fabricantes.
    Dita balsmica dentrifida.
    Dita de flor de laranwiraa.
    Dita dos AJpcs, e vilete para toilet.
    Elixir odontalgico para conservafSd do
    asseio da bocea.
    Cosmetiques de superior qualidade e chei-
    ros agradaveis.
    Copos c latas, maiores c menores, com
    pomada fina para cabello.
    ^Frascos com dita japoneza, transparente,
    e outras qualidades.
    Finos extractos inglezes, americanos e
    francezes cm frascos simples c eufeifdos.
    Essencia imperial do lino e agradavel chei-
    ro de violeta.
    Outras concentradas e de cheiros igual-
    mente finos e agradaveis.
    Oleo philocome verdadeiro.
    Extracto d'oleo de superior qualidade,
    com escolhidos 'cheiros, em frascos de dif-
    ferentes tamanhos.
    Sabonetes em barras, maiores c menores
    para m3os.
    Ditos transparentes, redondos c cm lige-
    ras de meninos.
    Ditos muito finos em caixinha para barba.
    Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
    fructas.
    Ditas de madeira nvernisada contendo fi-
    nas perfumirias, muito proprias para pre-
    sentes.
    Ditas de papelSo igualmente bonitas, tam-
    | bem de pcrlumaris linas.
    Bonitos vasos de metal coloridos, e de
    moldes novos e elegantes, com p de arroz
    c boneca.
    Especial p do arroz sem composicSode
    tfheiro, e por isso o mais proprio para crian-
    Cas.
    Opiata ingleza c francezapara dentcs.
    Pos de camphora e outras differentes
    qualidades tambem para dente*.
    Tnico oriental de Kemp.
    Anda mais coques.
    Um outro sortimentos de coques de no*
    vos e boqitos moldes com filetsdo vidrilhos
    e alguns d'elles ornados de flores efitas.
    estao todos ex'postos 3prcciacio de quem
    os pretenda comprar.
    G0LLINHA9 E PUNHOS BORDADOS.
    Obras de muito gosto e perfeico.
    B'ivcllas e Otas para ciutos.
    Bello e variado sortimento de taes objec-
    tos, ficando a boa escoiha ao gosto do com-
    prador.
    FLORES FINAS
    0 que demelhor sepdeenconlrarnesso
    genero, sobresahindo os delicados ramos
    orvalhados para "coques.
    I"ara vlagem.
    Bolsas de (apete e carteiras de couro, por
    preeos commodos.
    Chapelinas de palha da Italia mui bem
    enfeitadas, e enfeites de flores obra de bom
    gosto.
    E assim muitos outros objectos que sc-
    r3o presentes a quem se dirigir dita loja
    do Cordeiro Previdente a ra do Queimado
    n. 16.
    ENFEITES DE PALHA PARA VESTIDOS.
    CHAPEOS E COQUES.
    O Cordeiro Previdente ra do Queima-
    do n. 16 acaba de receber um bello sorti-
    mento de trancas de palha para enfeites de
    vestidos, outras para chapeos, coques etc.
    tudo isto est sendo vendido com a sua bem
    conhecida commodidade de preeos.
    ALEM DAQUELLES.
    Recebeu outros lindos enfeites de seda
    para vestidos ; assim como um variado sor-
    timento de galloes de I5a, babadinhos de
    cambraia com bordados de cores, cuja va-
    riedade de gostos os tornamjpcommenda-
    dos e apreciados ; comparecSflpois os pre-
    tendentes que serao servidos a contento.
    TO BEM BECEBEU.
    Novo provimento de bicos e" rendas de
    guepure.
    LUVAS DE PELLICA.
    De todas as cores tanto para homen-
    como para senhoras, constantemente acham-
    se a venda na loja do Cordeiro Providente:
    nra do Queimado n. 1K.
    Barato que admira.
    Mnnteifra ingleza flora 14400 a libra, dita fran-
    ceza a {, cha niulo a 34100. dito grando a 34.
    i-at a 20 rs., sabao a 180, alpiFta a 240, arroz a
    100 rs., passas a440, i.lem qnartos om 6 Mimas
    por 24*00, vinho a 400 rs a garrafa, azeite dnpe
    de Lisboa a 900 rs., caixinhas com ameixas, pas-
    sas, figose peas, proprias para niiiiiosji. 4600.
    latas com doce a 500 rs. : s na esquma da ru
    da Penha n. 8.
    XAROPE PEIWRAL BMSILEIRO
    DE
    POMTA III IHII VI KA
    COMPOSTO E PRFPARADO
    Pelo pharinaceutico
    Jos da Cruz Santos.
    Esta planta cujas virtudes medicinaes
    existiam desconhecidas para a maior par*
    dos nossos facultativos, devendo-se a su<
    descoberta ao uso que d'elle faziam os
    nossos indgenas que menoscabavam com
    a sua applicacao de todos os soffnmento
    pulmonares, heje conhecido como o me-
    dicamento mais eficaz para a cura de as-
    lima, bronchite, coqueluche, penemonia.
    e at a phtysica, prodzindo um effeito mi-
    lagroso e prompto.
    Para una adulto 3 4 colheres de spi
    ao dia puro ou em cosimento peitoral,
    Criancas. 3 4 colheres de cha.
    Preco 2*000 o frasco.
    Pernamhuco. roa Nova botica n. 6i,
    "Peimas de ema.
    Vende-so ra do Queimado a 13, pruqgrn
    indar.
    preparado pelo,pba'iaceutco J. de A. Piu-
    lo, cura radicalmente a pthisica e asthma, e
    todas as molestias dos pulmoes.
    Podem ver-se os attestados de curas no
    nico deposito das pieparar.i.s de fedegoso
    d'este autor, rita larga do Rosario n. 10
    junto ao quarlel de polica.
    PINTO PIIAIi.MACElllCO
    Xarope le salsaparrlh do Para
    DEPURATIVO DO SANGUE
    Usado fas molestias de ftlle, Htpigms lo-
    res rheumaticas e ulceras ttkerc**.
    lina larga do Rosario n. 10.
    Vcrgonleas de pinbo para uiastarcos, vergas
    e retrancas, todas de superior (jualidade. Tintas-
    Verde Paris, branco de zinco e preta, em latas de
    14 c 28 libras, j preparadas, oleo de linhaca em
    barris : no armazem de deposito da conipanhia
    l'crnambucana, no largo da Assembla n. 10.
    MVBSO \OV(>
    PARA
    0 MEZ DE MARA
    Acabam de sabir luz o acliam-sc ven-
    da na livraria france/a.
    OS CAMICOS EIIYWOS DEVOTOS
    PARA
    0 MEZ DE MARA
    volume nitidamepte impresso em
    . 1(3600
    Um
    Paris.
    Quadernado de couro.
    Encadernacao de mar-
    roquim domado.......SOO
    BRINCOS PARA LUTO
    Aloja de joias na ra do Cabuc n. 11. de An-
    tonio Seralim da Silva, recebeu um grande sorlt-
    mento de joias, e juntamente brincos pretoa *;
    bom gosto para luto ile senhoras e Meninas, chis-
    pas paraofllcial da llosa, e hbitos la Koa e Chri-,-
    to com as suas respectivas titas.
    Vcnle nina taberna bem anvpueada e
    com ponco kind, para quem quier prinopur,
    na Ba-ViftU. neceo das Barreiras : a tratar na
    roa do Ar9g*> IR
    GSESOS.
    100$ de giu
    Fugio no dia 11 do en'genbo Balalura, freguezia da Escada, o a-
    cravo preto, crioulo, de 2i anuos de idade, cha-
    mado Marcelino, que fui do Sr. Joio da Cunha
    Pereira, cujo esclavo esteve no deposito geral, e
    tem os signaes seguintes : alto, secco do corpo'
    rosto muito marcado de bexigas, falta de dentes
    na frente, cor preta, sabio de chapeo do chile, pa-
    leto! c calca de castor, levando nm babnibtho de
    Qndres cm mais roupa, e suppee-se estar na
    Ire'uezia do Cabo : quem o appreh nder leve-e
    ao dito engenho, ou ra da Senzala-nova n. 36,
    escriptorio do Sr. Bernardino l'onlual, que rece-
    ber a gratilicacao cima._____________________
    Fugio do engenho Jacobina, comarca do Ca-
    bo, ao amanbecer do dia 13 do crrente mez e
    anuo, do abaixo assignado, nm escrav preto de
    nomc Antonio, conhecido por Canda, idade de S6
    a 30 ann s, pouco mais ou menos, alto, p* grus-
    sos, tem urna das juntas do memo um punco
    grossas", andar banzeiro, levando ebapo d fellro
    j usado, camisa de algodao azul e seroula de al-
    godao americano, cujo escravo veio de Ruiqie pa-
    ra No d'Alho, para onde se desconfa ter Regoldo:
    roga-fe a qualquer autoridade policial ou rpitas
    de campo a captura do ditu escravo, levando ao
    engenho cima, ou a ra do Caldeireiro n. 42, ao
    Sr. Francisco Quintino Rodrigues Esteves; qut
    ser generosamen'e gratificado.
    Antonio Carneiin l.ins c Mello.
    - Fngio de bordo de pulliabute nanimal Ama-
    ro', um mulato claro de nome Justino, e.-talura re-
    gular, cbelos carnpinhados e nieios ruivus, pouca
    barba, tem una pinta preta no canto do olho dirci-
    to e um talho as costas ao mesmo lado,; luvou
    vestido camisa de chita com listas verdes, e usa
    de urna cinta com borla encarnada para apertar
    as calsas, natural de Santa Auna do Matto na
    provincia do Rio Grande do Norte, para onde lalvcx
    queira ir, tambem muito desembaracadn no fal-
    lar. Recommenda-se aos tr.'sii es de barcaea <.u
    a qualquer pessoa que o agarrar, e levar a ra
    do Trapiche n. i ou a bordo do referido navio que
    ser generosamente gratificado.
    Acha-se fgido desde domingo de entiud" o
    muleqne de nome Tito, com 21 anuos de dado,
    estatura regular, olhus afumacados, com todos oh
    denles, esperto e bem fallante, tem no estomago
    urna cicatriz de urna queimadura pequea, tem
    um dedo da mao direita aleijado em cHi-equeneia
    de um pauaricio ; c o p esquerdo mais grosso
    do que o direito : quem o apprehender leve o aoi
    Afogadus, casado Dr. Jos Huberto de Moraes e
    Silva, que indicar a casa de seu senhor. que re-
    compensar generosamente^_____________
    FUGIO
    a escrava de nome Francisca, do cor fula, can
    toda marcada de bexigas, beic,(.s tromBodos, bar-
    riga grande, com urna perna enchada. estatnra
    mediana, vestido de chita escoro e chales rzb) di
    mesma fazenda, e con.~ta andar nesta cidade :
    quom a pegar leve-a ra do Imperador n. 27,
    * andar, que ser gratificado.
    r
    i
    iwn
    Acha-se fgida a escrava de nome Luiza, pre-
    ta, idade 22 anuos, pouco mais ou menos, ra i
    redonda, altura regular, seios um punco rresei-
    dc.s, e bem corpulenta : roga-fe as aoUiridades
    policiaes e a qualquer pessoa que a appreheiidr.;i
    e coiHiiizaoA-na casa de seu senhor, na >ua Di-
    reita n. 13?, que genercisamenle gratificar, pro-
    testando desde j usar dos meios que a lei lhe fa-
    culta contra quem a tiver oceulta anda mesmo
    sob qualquer pretexto.______________
    Fugio no domingo prximo pa-fado, do si-
    tio junto a igreja de S. Miguel da freguezia & i
    Afogados, o-preto escravo Mannel, crioulo, Idade
    30 annos, pouco mais ou menos : qui m o fvgai
    e o levar ao mesmo sitio, a *tn senhur, seF ben
    gratificado.
    Do engenho S. Paulo do abaixo assignado,
    fugio no dia 4 da correle mez, o >ou escravo Ja-
    cintho de cor parda clara, idade 18 aniins, bailo,
    corpulento, cabellos caixados, com falta di? dentes
    no queixo superior, coi um talho na lesta dea-
    trisado, levando camisa de madapolio, cali;.i di
    brini pardo trancado, chapen de bata de palha
    de carnauba ; e tenu na mesma oarasSu desan-
    parecido, tambem do mcjtno engenho, mu cavallo
    castrado, desconfia o abaixo a. que di.o
    seu mulato, fngisse montado em n ditn cavallo,
    sendo os signaes do cavallo, quo se lembra o mes-
    mo abaixo assignado, os segu ntes : abli >, bon
    estradeiro, pequeo c c;ordo. Rogo, pnrtanto, a
    todas as autoridades policiaes, de prestareiri todo
    auxilio a Francisco Antonio da Suma Largalxa, ou
    a quem quer que com este, se apresenlar para so
    conseguir a captura do mencionado escravo e do
    cavallo,obrigando-se o mesmo abaiXo aaj|nadoj)or
    qualquer despera
    Engenho S. Paulo, 8 de abril de 1869.
    Trujano Cicero de Itrdeiros Pinto.
    II
    Fugio do engenho Campo \ leyre, comarca do
    Santo Antao, um escrav*, natural do Orejo da Ma-
    dre de Dos, de cor preta, cheio do corpo. ps ben
    feitos, falta do tres dentes na frente, p uca barba,
    e altura regular, levou vestido calca branca, ca-
    misa de algodao e eh; niro, falla pinico o
    descansado : rogm-se as' antiiridJes policiaes o
    rapilaes de campo o apprebendam e lerem ao di< i
    engenho, ou ao Recite,, ra. do Livramento n. 20,
    qua scrao eeompensado.



    8
    4
    Diario de Pernambuco Segunda feira 19 de Abril de 1869.
    LITTERATBA.
    A* eximio
    actor loaqmlam Ai
    fasto

    0' caminheiro das arte,
    Oue prodigio era ti se occulta?
    Oue for?a tu'alma avulta,
    N'este var sobranceiro?
    Como subir assim podes
    as azasdo peosamento?
    Tu buscas o firmamento,
    Tbabor do genio altaneiro?
    Oue estrella guia teus passos?
    Oue luzeiro em ti retrae!
    nuera ala alma preside?
    t ze-me, senhor, quem tu s?
    Tu que do seio das artes,
    Rasgando mn inmenso vu,
    Surges, qual astro no cu,
    E calcas tudo teus ps ?
    Conta-nos anda o segredo
    D'este viver to feliz
    Rompe o myslerio e nos diz
    Se s do cu enviado.
    Eu pergunto-mas, eu vejo.
    O'a tua esseneia 6 divina,
    Que do genio tens a siaa,
    Oue s um vulto inspirado.
    O teu poder desforme
    Guia-te a sombra de Deus
    Os ratosdivinos sao teus
    D'arte teu o imperio!
    Tu nascestee l do cu
    As vistas cm ti (tarara,
    E do palco te confiaram
    Os segredos, o mysterio.
    E tudo fita assombrado
    Desse teu genio o fulgor,
    Do cu immenso esplendor,
    Thescuro dos grandes vultos!
    A c'ra tucinges de rei
    E tens dos homens as palmas.
    Do mundo todas as almas,
    -E das almas lodos os cultos.
    Avante pois caminheiro
    Coibe as palmas da gloria;
    Grave em toda memoria
    D'esse teu genio o signal
    Sobe, busca o infinito
    E deixa que o mundo p-ismado
    Contemple entbusiasmado
    Este subir immortal.
    Recitado no tlieatro de Santa Isabel no
    da do sjju beneficio,
    /. B. Carneiro.
    m\s:to
    A'G...
    Quando alta noute a viraclo suspira,
    E a flor pendida no vergel se inclina:
    E a melga la virgem peregrina
    Vum cu de puro ail, rpida gira,
    Triste um mancebo que de amor delira.
    Um pobre vale sua lyra alia;
    "Jesce-lhe fronte a in-piraclo divina
    E um doce norae do instrumento tira.
    E bago lempo lea cxtasiado t
    llgand i ver a paluda donzella,
    Cojo nome no peito, tem gravado,
    vli que d icura no semblante d'ella!
    Ou tnn anio em virgem transformado
    0 b de Dos a crearlo mais bella !
    Recito, l de abril de 18(59.
    C. M.
    a episcopado brasileiro e os se-
    minario*
    (Concluso.)
    3." anm. -Grammatica Portugueza de
    Pinheiro, toda; analyse grammateal elogi-
    ca, exercicios pralicos, sobretudo por es-
    cripia Grammatica latina, repetido de
    Castro Lipis augmentado, thernas cornos
    unos, tradcelo d'Eutropo e Cornelio.
    Grammatica Ingleza. de Constancio, atos
    verbos irregulares; leilura e tradcelo da
    historia da Grecia. Grammatica Franceza,
    de Seveune, toda; aula c conversac/io toda
    ni fraucez. Geographia Asia. Historia
    autiga 2.a divislo. nstrucclu religiosa.
    '."auno Grammatica Portugueza de Du-
    irlocoraposcas dissertacoes grammati-
    aes. Granimitiea Latina de Lhomond, syn-
    laxe, guabas, tradcelo de Cornelio e Phe-
    dro. Inglez. syntaxe, compsires, traduc-
    a i do Paraizo Perdido. Grego, Gramma-
    tica de Cognet. atfea a syntaxe com excep-
    to dos verbos irregulares, themas, leitu-
    FOLHETIM
    6$ DRAMAS DE CAYENA
    POC
    Elie Berthet.
    XV
    O encontr.
    (Continuado do n. 85)
    Ao mesmo lempo ao ciarlo da fogueira
    appareceu Rigaut com o facto todo rasgado
    e as pernas enlameadas. Acompanhavam-
    00 mais Ares forjados e um negro. NSo
    iraziam provisoes nem bagagens, e armas
    s o negro que servia de guia empunliava
    um sabr. Todos parecram extenuados de
    fadiga e de tome.
    Em presenca d'este temivel bando, Zn
    e Miguel recuaram espantados ; Brtomv,
    porm, dirigio-se aos recem-chegados, di-
    zendo com ar de admirarlo que nlo en-
    jliria a sua contrariedad*; :
    Ah s tu. Rigaot ? E tambera o
    Cagnard-Coupe-Sifflet, o Mardocbe e o
    IJouche-en-Coeur !.. Viva a sorpreza-!...
    Mas pffjne diabo me naodisseram voces
    que esiavam dispostos a passar o p ?
    Ah I sonso, redarguio Rigaut e
    ara que le aboioaaietu com o leu raelhor
    migo Uso, porta, sao canias para
    .justar mais torito, oihara que os seguimos
    la manilla 1 Team-nos feilo andar
    por caminhos diablicos t Djpois perde-
    -Ihes o rasto, e, se bo j a foguein.
    i amos a ficar semceia \ Chegamos fina-
    mente, e, visto que voces teem o que nos
    falta, vamos a dividir conao bons cmara-
    das... Eh f amigos, drsse elle para os
    voropanbeirosque pectocha. para (pera
    ra e traducco do Novo Testamenta. Geo-
    grapliia frica e Oceania. Hiatoria, idade
    media, primeiraparte. Instrucftao religiosa.
    5' auno. Gramtica Portugueza de
    Duarte, composiclo, historia da literatura.
    Grammatica Latiua de Lhomond, repetirlo,
    themas sem termos, tradcelo de Virgilio,
    Sallustio (Catlina). Arithmetica at pro-
    porcoes. Grego toda a Grammatica, the-
    mas, traducco de Homero e Xenofonte.
    Geographia Europa. Historia, idade media
    (2U. parte) e o principio da historia mo-
    derna.
    6'. asno Grammatica Portugueza de
    Duarte, compostt*j8s, continuaclo da I litera-
    tura. Grammatica Latina de Lhomond, pro-
    sodia, tradcelo de Virgilio, Cicero pro Mt-
    lone e Ovidio. Neste anno os jalumnos
    fazem versos latinos. Grego toda a Gram-
    matica, themas, Sophocles, Plato, historia
    da litteratura grega. Geographia America
    Septentrional. Historia, tempos modernos
    (ll parte). Instruccio religiosa.
    7". anno. Grammatica Portugueza de
    Duarte, composices, fim da litteratura.
    Latim Lhomond, versos,-narrac5es, compo-
    sices sobre a litteratura latina, Horacio,
    Cicero, Tcito, Tito Livio. Geometra
    plena e Algebra (Equacoesd 28grau, at
    o binomio de Newton). Geographia, Ame-
    rica meridional. Historia, tempos moder-
    nos, conlinuaco e fim. Instrucco reli-
    giosa.
    8'\- anno.Grammatica Portugueza (phi-
    losophica). Rethorica (Uieorica e pratica,
    exercicios d'estylo). Resumo da littera-
    tura antiga e moderna. Latim, Lhomond,
    discursos .latinos, francezes, portugueses.
    Physica e Chimica, noces geracs. T-igo-
    nonietria. Geometra no espaco. Trigo-
    nomelri rectilnea e espherica. Geographia
    do Rrasil. Historia do Brazil. Iastruccao
    religiosa.
    Destas aulas a de latim e portugez se
    fazem todos os dias, as outras se alternara.
    Depois d*este curso de humanidade, os
    alumnos tem de seguir durante dous annos
    um curso de philosophia (a de 5. Thomaz)
    em latim, acompanhado de um estudo mais
    profundo de phisyca, chimica, historia na-
    tural e astronoma.
    Segue-se o curso theologico em 4 annos
    abrangendo todas as materias que se en-
    sinam nos seminarios das dioceses de
    Franca.
    O programma de instrucc3o secundaria
    que ahi deixei transcripto, ser modificado
    no anno prximo, em que espero, gracas
    ao pessoal habilitado" que vou recebendo,
    collocar o pequeo seminario do Para,
    quanto organisacao das aulas, absoluta-
    mente no mesmo p dos estabelecimenbs
    anlogos de Franca.
    Nao menciono estes debis esforcos,
    para d'ahi tirar vaidade alguma. Sei de-
    sinteressar-me pessoalmente de tudo isto,
    e se fallo em publico do que est toito na
    diocese do Para (Deus me testemunha).
    s para desviar de sobre o episcopado
    nsinuacoes lio injustas como 'desairosas.
    ezelar aquello bom nome, aquelle patrimo-
    nio de honra, que todo homem, por conse-
    Iho do Espirito Santo, deve guardar intacto.
    Nao, nao verdade! Os bispos que tem
    mandado alumnos para os seminarios da
    Europa n5o se tem descuidado de ref< r-
    mar os seus proprios seminarios. Antes
    para isso, justamente para tratar da ra-
    dical reforma desses-pids estabelecimentos
    para ter no paiz. mesmo bellas escolas sa
    cerdotaes na altura das exigencias do:
    homens e dos tempos. que elles tem en-
    viado, cusa de tantos sacrilicios, para
    os melhores seminarios de Roma e da
    Franca, os mais esperancosos e bem apro-
    veitados alumnos do seus seminarios.
    Tal o facto. S;m deixar de prestar
    seria attenco, antes para dar efticaz im-
    pulso a obra principal (o seminario), assim
    cmo s outras obras da diocese, que
    elles julgaram deve"r empregar este meio
    arcessoio, mas utilissimo.
    E e's-nos chegados ao segundo ponto que
    temos de sustentar em opposico s deas
    do digno lente do seminario d'O'.inda
    utilidade da medida adoptada pelos bispos
    de mandaran alguns alumnos aos semi-
    narios da Europa.
    O autor do discurso declra francamente
    que esta medida dos prelados netihum bem
    re l traz ao paiz, antes lhe nocivo, assim
    como as familias e aos alumnos.
    Eis aqui os argumentos que elle faz.
    Admiremos-lhes a torca.
    Nenhum bem traz ao paiz porque em
    razo da depresso do cambio necessarto
    para susMMar estes alumnos transphmtar
    (sic) para ^paizes estranyeiros immensos
    rabedaes. Ora essa trantplantaco de ca-
    bedaes para o estrangeiro traz a pobreza do
    parz;logo----- logo, voltem da Europa
    nao come ha vinte e quatro horas I... A
    ceia est prompta : toca para a mesa !
    Aquelles a quem Rigaut se diriga nao
    linbam esperado por convite : haviam-s*
    alirado como lobos comida, sem se im-
    portarem com o consentiiuento dos pro-
    pietarios. Rigaut foi-os imitmdo, e Ber-
    lomy, tanto para so Irvrar de perguntas
    como para mitigar a tome, foi disputtndo
    0 seu quinho.
    Miguel e o Gallibi conservavam-se a traz
    dellea>comendo socegads o ponco que Ihes
    deixavam. Zo tinha muito mudo d'aquel-
    1 -s brancos, cujo despreso pela sua raca
    elle bem conhecia, porm o surdo-mudo
    nao tirava a vista de sobre o negro guia
    los toreados, o qua! de ccoras devorava
    lustantaneamentt tudo o que padia agar-
    rar,.
    Todava a refeicSo preparada para tres
    nao poda chegar para oito, que pula maior
    parte estavam desesperados com fome. O
    macaco assado, a tartaruga gr dliada'e os
    touclos, tudo voou, fiJand i h appett-is lon-
    ge de salistoitos. Entilo precipi'ar,im-se
    sibre os saceos dos raantim'it >* qae fo-
    ram postos a saque. D -balde Seriony e
    Zo faziam suas observacoes d luda se
    allendeu. O Gallibi, querendo tiiflr ao ne-
    gro, de quem menos Motan se raostrava,
    algamas bolachas de que elle se apossra,
    este, ag rrndo-o pelos caberlos, deu-me
    um puxSo, como se Ih'os quiz^sse arrjncar.
    O pobre Zo, a chorar, largou o ohjeeto do
    litigio e toi-se pondo ao largo. Em pou-
    ciis momentos lado toi devorado ou nxc-
    valhado, e at a garrafa de eataaoa, rasen-
    vada para as grandtfc ccaiiSds, fariMgQU-,
    da al ultima pm.ja.
    Miguel e o indio conteflrplavim com prot-
    Imito nrgoa este vandalismo, tpe fhes cov
    mecava a fazer suppor impossivel a COnli'-
    noaclo da viasra mas Bertonf Q^J
    maito mais occiipido m iadaviota te IW
    ma cousa *wwa 'fla'fttg aradas
    n5o somente os que l foram applicar-se,
    s sciencias sagradas, mas todos os mala-
    vi sados, que l esto cstudando medicina,
    engenharia, mecnica, agricultura, pinturas'
    msica, arcliitectura, etc., em urna palavra,
    todos os abramos brasileiros que esto na
    Europa, afrm de evitar que o Brasil se
    despenhe nos abysmos da bancarrota !
    Isto nao se creria, se n3o estivesse escripto
    em lettra redonda, no discurso que analy-
    samos! Mas j que o autoi; delle quz re-
    baixar a pobre queslao da illustraeao e re-
    generacio do clero, reduaindo-a a urna
    miseravelquesto pecuniaria, pirque razio
    nlo abarcou o problema econmico em todo
    o seu complexo ? Secalcttlou tao bem
    o que cvsta a educac3o de um padre por-
    que nao calculou do mesmo modo o que
    prodKS essa educarlo ? Porque nlo cmtot
    os militares de bracos que a palavra in-
    telligente e zelosa desses sacerdotes arran-
    carlo inercia e empragarao nos la-
    vores da agricultura e da industria ?
    Porque nlo computo o augmento da ri-
    queza particulir e publica, que a con-
    sequencia da moralidade, como a morali-
    dade a consequencia da religllo, como a
    religiao *a consequencia de um ministerio
    sacerdotal nobremente desempenhado ?
    Veria que, anda econmicamente fallando,
    nada perde o paiz neste negocio, e que
    bem poderamos applicar aqui, inda que
    em diverso sentido, "aquella bella exclama1
    cao da nossa liturgia: Oh admirabile com-
    inercia m!
    Depois prosegue dizendo que a medida
    de que se trata ainda nociva por conser-
    var a nossa cara patria n'uraa bumilhante
    dependencia da Europa. Respondo. A ins-
    trucclo nlo nem europea, nem asiastica,
    nem americana. Nao lia rontoiras no
    mundo das sciencias. A verdade o pa-
    trimonio, do espirito humano, e elle toma
    o que seu onde o acha. Se. por exemplo
    as nossas academias de medicina se abrs-
    sem cursos sobre materia medica brasileira,
    ou se sujeitassem ahi a sabios exames os
    prodigiosos vegetaes e outras preciosidades
    dos nossos climas equatoriaes sabios eu-
    ropeus viriam assistr a essas aulas se-'
    quiosos de conhecimenlos que era suas tr-
    ras nlo poderiam adquirir. Nlo ha desar
    algum em ir beber nstrucco onde'quer
    que ella se ade. Tem o Brasil porvir im-
    menso ; raas curto seu passado E'
    naco de hontem; estji na idade de apren-
    der.
    Esse louco orgulho nacional que nos le-
    vasse a levantar era torno de nos muralhas
    da China para nao dependermos dos outros
    povos, nos mergulharia no mais estupido
    selvagismo. Os seminarios da Europa tem
    attingido a urna perfeirao de qoe estamos
    muito longe ainda. Que muito l vio
    alguns aspirantes ao sacerdocio formar-se
    mais slidamente as sciencias e na vir-
    tude?
    Outra razio pela qual se pronuncia o
    lente do seminario d'Olinda contra a idea
    dos bispos : as difficuldndes qae liiclam os
    pas de familia para sustentar, etc. Re-
    calamos no triste argumento das cifras.
    Passemos adianto; mas digamos sempre
    para tranquilisar os escrpulos Quanceiros
    do professor d'Olinda que as desfffcas de
    um alumno nos seminarios da Europa nao
    excedem antes em muitos seminarios sao
    inferioras, s que se fazem em qualquer se-
    minario do Brasil, e que como os pais nao
    sao forrados a mandar para l seus lillios,
    nao ha tirar dm difficuldades em que elles
    se possam adiar argumentos algum contra
    a obra emprehendida pelos bispos.
    Mas eis cousa muito mais grave : sao os
    perigos a que ficam expostos em trras es-
    trauhas os jocens inexpericntes que p ra l
    enviam os nossos bis>os. O seminarista
    brasileiro, educado na propria t rra natal,
    aprender a respeitar as leis do seu paiz e
    applical-as (sic) aos preceitos da morm e s
    leis da igreja : conhecer que nao existe
    antagonismo algum entre ser ministro de
    Christo e cidadao brasileiro; aprender a
    mutua harmona d')s dous poderes......o
    qiiitudo, bem entendido, nlo aprender,
    ignorar, ou nao saber bem o seminarista
    brasileiro educado na Europa.
    Alem disso os seminarios da Europa.
    recebendo alumnos da America do Sal, e
    f/uic mesmo de lodo o mundo, nlo conse-
    guir HaVez, apezar da piedade de seus
    directores, incutir nos anintos dos jovens
    os principios mais santos da moral e d%,
    religiao, m razio das rivalidades e dis-
    cordias que devem suscitar n'aquells esta-
    belecimentos as diJerentes nacionalidades.
    De que seminarios d'Europa quer fallar o
    Ilustrado professor de rhetorica? Eu nao
    os couhecotodos. Pode ser que hija al-
    guns era que se ensine a desrespeitar as
    leis; em que se ensine que ha antagonismo
    entre ser ministro de Christo e cidadlo de
    qualquer paiz: em quo se ensine que nlo
    deve haver harmona entre os dons poderes,
    etc. Pode ser tambem, que baja alguns
    onde tal rivalidade e discordia reine entre
    os alumnos que se torne impossivel ou
    pelo menos mu diffieil a formarlo delles
    nos hbitos da piedade e vida corista. Mas
    esses seminarios, se existissem. seriam
    casas de corf pelo e d'immoralidade, onde
    s'insinariam doutrnas absurdas e falsas;
    doutrinas contrarias de todo ponto aochns-
    tianisrao. Nlo seriam seminarios catho-
    licos! Nem para elles, certamente, acu-
    diriam alumnos da America do Sul e quif
    tnesmo de todo o mundo.
    Querer acaso o Ilustrado professor de
    Olinda aludir ao seminario americano de
    Roma, e aos seminarios da Franca ? Pois
    slo estes de facto os nmcos para onde
    tem enviado alumnos os nossos bispos.
    Que! Serpossivel quequizesse tancar o
    descrdito sobre um seminario fundado por
    Po IX, collocado debaixo das vistas pater-
    naes deste santo Pontfice, c drigdo por
    var5es" da mais alta seiencia e piedade ?
    Consentira o chefe augusto da igreja qu
    s'ensmasse no seminario americano de Roma
    as doutrinas errneas e perniciosas de que
    falla o professor d*01inda; e seria o augusto
    iontifice o proprio a exhortar, como tem
    eto os bispos a mandarm para este se-
    minario alumnos de suas dioceses, se nao
    esfivesse certo de ahi offerecer joventode
    ecelcsiaslca os meios da mais perfita edu-
    cacao e insirucc), no centro mesmo da
    unidade catholi:a;? Ser possivel que qui-
    zesse o Ilustr professor desacreditar
    aquelles outros piedosos asilos^pem que
    vive ainda o espirito dos Olier, dos Be-
    nito, dos Vicente de Paulo, asilos, sobre'
    que vella o sabio episcopado da Franca, e
    d'onde tem sahido um clero que por suas
    luzes e virtudes faz a admirarlo de todo o
    universo ?
    Nao, antes quero crer que essas cousas
    foram escripias h'um momento de irre-
    flexlo.
    Acabamos de v-lo : nenhuma razo so-
    lida e convincente tem o digno professor
    para impugnar a medida salutar adoptada
    pelos bispos.
    Agora a todos os sophismas e falsidades
    cora que elle procura csteiar a sua these,
    s lh$ opporei um simples argumente, mas
    irrespondivel.
    Um catholico, um ccclesiastico. um lente
    de seminario nao pode achar mo e peri-
    goso aquilio que o summo pontitice, viga-
    rio de Jess Christo, recommenda como
    bom e salutar. Ora tal a medida de
    fpae fallamos; Ioko um catholico, um eccle-
    siastieo, um lente de seminario nao pode
    achar m e perigosa essa medida.
    Provenios a menor, nica das premissas
    que carece de pro va.
    O summo pontitice Po IX, na bolla da
    instituicao do seminario latino-americano
    se extende largamente sobre a alta utili-
    dade e conveniencia de enviaren os bispos
    jovens aspirantes ao sacerdocio para alli
    se formaran mais slidamente na seiencia
    e na virtude ; e em documentos ulteriores
    tem insistido sobre este assumplo %m vi-
    vas instancias e recommendaces.
    A idea de mandar alumnos para os se-
    minarios de Franca, toi igualmente appro-
    oada e recommendada pelo mesmo augusto
    pontfice. Na miuha ultima estada e;n Ro
    ma, alm das mais affectuosas anmacoas
    qoe de viva voz se dignou dar-me Ma
    sautidade, ordenou ao seu primeiro mi-
    nistro escrevesse ao excellentiss'mio nuncio
    de Paris, para que em nome delle Pi IX,
    recommendasse aos arcebispos e bispos de
    Franca a obra emprehendida pelo bispo
    do Para, Desejoso. como elle (o bisp)
    de reconstituir o Clero na sua vasta dio-
    cese, e ter ecclesiasticos. que, fornecidos
    da necessaria piedade e doutrina. sejam de-
    pois capazos de exercer dignamente o sa-
    cerdotal ministerio, c prover s necessida-
    des esprituaes dos liis sua solicitude
    confiados na deficiencia de meios em que
    se acha, enviou a vartos bispos da Franca
    joveas para serem alli educados.
    E nisto tem achado todas as facilidades
    que podia esperar, pois que com mdica
    despeza, attinge um fim to importante
    (ragiumgc mos copo cosi importante t)
    Aiim de que ento esta empreza tenha
    ama maior desenvolvimento, recommendo-a
    "a V. Exc. Rvma., afm de que se sirva por
    sua parte cooperar para que se realisem
    os intentos do mesmo prelado, empregand
    V. Exc. Rvma., de accordo com elle, aquel-
    les m -Ihores officios que julgar convenien-
    tes ao p dos outros bispos. .
    Taes foram as palavras enviadas do Va
    cano a M insenhor Chigi. Este digno pre-
    lado dirigi em data de 27 de jumo de
    1867 a segninte circular a todos os arce-
    bispos e bispos de Franca- Apezar da
    exagerada e immerecida benevolencia cora
    que son tractado neste importante docu-
    mento, nlo hesito em publical-o, visto as-
    sim o exigir o interesse da obra, que em-
    prebendi e que com tanta injustica acaba
    ae ser atacada. Eis, pois a circular:
    No intuito de formar urd clero nlo me-
    nos respeitavel por sua piedade, que por
    sua doutrina, S. Exc. Rvma. o Sr. Macedo
    Costa, bispo do Para no Brasil, enva em
    Franca para ser educados em dftorente
    seminarios episcopaes os jovens de sua
    diocese que mostram disposicos para o:
    estado ecclesiastico. De volta de Roma,
    onde o chamara o convite do summo pon-
    tfice, assim como aos outros bispos da
    cathoicidade, o po e zeloso prelado se
    prepara a visitar os bispos de Franca que
    tem acolhldo em seus seminarios com bon-
    dade digna de todo o elogio, os jorens
    alumnos de sua diocese, e os outros pre-
    lados de quem espera obter o mesmo
    favor.
    Sua santidade que aprecia altamente
    as virtudes e o zelo de S. Exc. Rvma. o
    Sr. Macedo, nao somente dionou-se appro-
    VAH O QI'E ESTE PRELADO ACABA DE E.M-
    PREHENDER PARA O BEM DE St'A DIOCESR,
    MAS QIER AO MESMO TEMP0 QUE OS BISPOS
    DE FRANCA SAIBAM POR INTERMEDIO DO SEf
    REPRESENTANTE EM PARS QUANTO LHE SE!UA
    ACRADAVEL QUE ESTA OBRA FOSSE ANDA
    MAIS LARGAMENTE ESTABELECIDA E ANIMADA.
    O abaixo assigoado nuncio apostlico
    pede em consequencia, aos excellentissimos
    senhores arcebispos e bispos de Franca
    acolliam com sua bindade e amabilidad''
    41o conhecidas este excellente prelado, e
    satisfacam o mais possivel aos pedidos
    que para o fim indicado elle for levado a
    fazer-lhes.
    (Assignado)Flavio, arcebispo de Myre,
    nuncio apostlico.
    Estou que o lente do seminario de Per-
    nambuco, ficar d'ora em diante bem con-
    vencido que nem os bispos tem descurado
    seus proprios seminarios nem toito mal
    algum em mandar alumnos para os de Eu-
    ropa.
    t ANTONIO, BISPO DO PAR.
    sobro o que, em quanto os outros se iam
    Guiando brutalmente de comida, obteve os
    segu n tes promenores:
    Rigaut, tendo sahido d) catabouco, onde
    fra encerrado durante alguns dias pela
    curaplicidade que se lhe attribuia no atten-
    tado contra Grandval, havia se-lhe desen-
    volvido enthusiasticamente a antiga mana
    de evaslo. Entendera-se com alguns ca-
    maradas possuidos das mesmas ideas, sen-'
    do que o objocto das suas conversas eram
    os proj'Ctos da fuga.
    Haviam abandonado o local do trabalho
    poneos instantes depois de Bertomy, e ti-
    nham de reunir-se na floresta a um negro
    que devia serv Ibes de guia e sobre o quai
    Kigaut exercia certa influencia. O seu
    plano era esperarem urna noute bera escu-
    ra, afim de se ap iderarem por meio do
    estrategia ou ti rea da um barco, ainda
    que nlo fosse senlo urna canoa in liana, e.
    Iludmdo a vigilancia rigorosa exercida n i
    f >z do rio, sahirem para o mar, onde
    aguardariam a passagem de algum navio
    estrangeiro.
    Com tudo, para o bom xito d'este pla-
    no convinha esperar alguns das, porqnan-.
    lo, logo que dessem pela falta d'elles, re-
    dobrariara aspesquizas era todu'brio Ma-
    ron. A prudencia a.:onselhra-os a inter-
    na rem-selo mais possivel no sertlo, afim
    de- fazerm perder os vestigios dos seusj
    passos, e como Bertomy, por torca de iguaes
    circumstancias, houvesse tomado a masma
    direoelo, nao tardaran a ncontrar4be a
    pista.
    CertQg indicios deram-lhas a convicelo
    de que aqueles rastos ainda frescos doviam
    ser de forrados evadidos como elles ; Ri-
    gaut suspeitou mesmo que seriam de Ber-
    tomy.
    O pai de Josaphina, com eftoito, alo dis-
    simulra tanto o seu segredo que nSo-dsse
    occa>ifio a desconfianzas.; alm de quo, R-
    l^aut vira Bertomy desappacecer do traba-
    lho um momento antes d'elle, e finalmente
    os tiros de arlilharia dados noute adver-
    tiram-node que um toreado, alm delle e
    satis companheiros, se tinha igualmente
    evadido n'esse da.
    Em vista disto, Rigaut nlo duvidra sup-
    por quem eria o quinto desertor. Era real-
    mente urna fortuna para elle e seus cora-
    nheiros o associarem-se no sertlo a um
    companheiro prvido de m mtimentos, qu
    ellt;s nlo tinham. Por isso insistir por
    que se seguissem as pizadas, urna vez en-
    contradas, sabende nos j como, depois de
    as terera perdido ao cat.' da noute, as
    lascobriram por altirao.
    Nlo foi sem difficuldade que Bertomy
    chegnu a conhecer todas estas particulari-
    dades e mesmo os recem-chegados nlo
    tardaram a impossibilitar-se de responder as
    perguntas. E*tavam como ator loados pi';i
    enorme quantidade de alimento com que
    sobreearregaram os estmagos, e a gtrrato
    s cachaca que esvasiaram foi bistinte, em
    razio^o cansaco, para Ihes causar um es-
    tado de embriaguez. .
    Tattbem, consuraraidas as provises, nlo
    tardn que todos dormissem em volla da
    togueira. A choca tonstruida peloGallib1
    era demasiado estreita para poder conte-los]
    todos, e Rigaut, que exercia a autoridade
    de neto que de mais a ra lis n'este rao-
    mento se nlo actrava era pleno uso das
    sois facatdades, declarou que oceuparia a
    ^ymana com os dous Bertomy, installan to-
    se iThem seguida, semlbn importar a-vot-
    tade dos outros.
    O agro, que a sua parte absomra a
    maior parle dos viveros e da agurdente,
    etgmado-ae e approximando-se de Zo.
    da*4he insoisutemente na sua liogua-
    gaau:
    Eu nao oascer para dormir no chao
    Turjaou Gaibi, fazer j urna cama de ra
    magem para mim, mandar eu 1
    POUCO DE TUDO.
    REGIOES POLARES.O vapor ienen-
    korb, di; G5 cavallos, capitlo Hayens, lar-
    go u no dia 20 de tovereiro de Bromen, para
    exploraras regios polares, em presenra
    da segunda expedirlo ao polo do Norte,
    que prepara o doutor Petermann. O navio
    construido para resistir aos gelos, e leva
    muncoes para oito mezes, A empresa
    inteiramente particular, e faz parte d'ella o
    armador Mr. Rosenthal.
    O navio deve no primeiro lugar, na altu-
    ra da ilh.i Jan Magen, entregar-se pesc;i
    da baleia e cara das phocas No princi-
    pio de inaio, o vapor Albert ir encontrar
    aquello navio, trazendo ento os productos
    da pesca, e urna parte da equipagem.
    E' depois d'isto que vapor fienenkarb
    se ha de dirigir para E'ste de Groenland,
    afim de estudiar alli at ao mez. de outu-
    bro, as dispusieses dos gelos, que se pre-
    sume deverein sor e*.le auno favoraveis <
    sondagens, e para obter, sob a direcelo d >
    doutor Dorst, physico e naturalista dislinc
    lo, todas as particularidades dos paizes ar-
    ticis.
    EaTL0S\0.Urna terrivel oatastrophe
    acaba de ter lugar na commuua de Bierges.
    prximo de Saintes. em conse puneia da
    exploso de urna card ira. O Sr. Havaux,
    fabricante de linhos, tinha empreheudido o
    trabalho de propasar urna porcao de linho;
    a machina ainda nlo tirina todo o vapor
    quando teve' lugar a exploslo O edificio
    em que estava a machina ficou completa
    mente destruido, e urna parte da caldeira
    toi impedida a mais do 3i0 metros. 0 to-
    go, encontrando alimento fcil, propagou-so
    n'um instante a diversos edificios.
    Sao grandes os estragos malcraos, mas
    nada slo, em comparacao da horrivel des-
    graca, que temos a la neniar. Debaixo das
    ruinas encontraram-so cinco cadveres car-
    bonisados.
    O Sr. Havaux, propietario 'do estabeto-
    cimento, teve urna perna esmagadi. A ex
    ploslo teve lugar no dia 16, s oito horas
    da mmlila.
    O liltio d '.'Havaux, qoe estava pondo em
    movimentoa -michina de vaoor, tor instan-
    tneamente despedacad. e o pai ficou de-
    blixo das ruinas nn>>-nnta com a cabfifa
    de fra, consegu: do-se salva-lo com muiti
    difficuldade.
    O togo communicou-?e ao deposito, qu'
    estava cheio de linbo. As viciuas erara to-
    dos menores de vinte annos. 0% soccorros
    foram promptos, e os trabaihos muito acti-
    vos. A machina, na sua projeecao, arrasou
    um campo de trigo, na extenso de cea
    melros. Se a catastrophe livesse tido lu-
    gar urna hora mais tarde, a desgrana seria
    muio maior, por isso que ento quatrozs
    operarios teriam tomado parte no trabalho.
    Madame Havaux, e seuTilho mais velhp,
    que se acharara n'uma casa prxima, na
    qual sequebraram todas as vidracas, tam-
    bem ficaram fehdos, ainda que ligeiramente.
    Os ferimentos do propietario slo graves.
    O edificio estava seguro.
    TEMPORAL.Nos ltimos dias do mez
    de marco toz-se sentir um furioso tempo-
    ral as costas da Mancha, causando um
    grande numero de naufragios. Publicamos
    em resumo as primeira noticias recebidas
    acerca d'estes sinistros pelos jornaes fran-
    cezes.
    Urna goleta, que se suppe ser aExpe-
    ditive, com destino de Bordeus para Saint-
    Valery-sur-Somme, encalhou na'embocadu-
    ra do rio Somne; a tripulado nlo corre
    pe rigo.
    O brigue inglez Fannu deu costa porto
    de Fcainp; a tripulaco toi salva pelos
    empregados fiscaes.
    Apouca distancia do Havre foi a pique
    o brigue inglez Aialie; a tripularlo con-
    seguio metter-se n'uma lancha e ebegar a
    tena.
    O brigue Edmond, de Courseulles, cor-
    reu risco de perder-se na embocadura do
    Sena. O barco salva-vidsa do Havre mel-
    teu-se ao mar no meio de um temporal
    medonho, e pode recolher de bordo do
    mesmo navio a tripulaco. Depois de al-
    auma hesitaclo, um vapor de reboque dc-
    cidio-se a sair tampem, c troaxe a reboque
    o navio abandonado para o-porto do Havre.
    A oeste de Trouvilie naufragou o brigue
    fnonl Aurelie, de Granville; toi salva a tri-
    pularlo.
    No littoralde Calvados, um barco de pes-
    ca, do porto de Deppe, deu costa na foz
    do Dive, e a barca ingleza Janet MiicheU,
    as visinhancas do Sallenelles; foram salvas
    as tripulaces. Perdeu-se totalmente o na-
    vio sueco Parliski'bet entre Le e Lion-sur-
    mer: vieram costa trez cadveres e nu-
    merosos destroros. Em Port-en-Basskn e
    em Grand Camp foram arrojados costa
    muitos barcos de pesca inglezes e francezes,
    salvando-se comtudo as suas tripolacoes.
    Perdeu-se um navio em Saint-Marcouf,
    e a chalupa France-et-Marie, de Paimpol,
    encalhou em Barfieur; salvou-sc a tripola-
    Cio. *
    Em Cherburgo doram costa seis navios
    mercantes, salvando-se ,as tripolacoes.
    Naenseada de Saint-Malo e as paragens
    visinhas foram terriveis os effeitos do tem-
    poral. Encalharan em varios pontos da
    costa os brigues Mogador, Glaueur, Jules
    e o brigue-golota Eugne, de Saint-Malo, e
    o brigue-goleta Fena, de Dunkerque.
    As tripolacoes do Mogador e do Jales,
    em numero de 80 marinheiros, foram sal-
    vas pelo barco salva-indas do porto, aaxi-
    liado pelo vapor de reboque fance.
    As outras tripolacoes rhegaram a trra
    sem grande difficuldade. '
    Finalmente, em Conquet, o barco salva-
    vidas recolheu a bordo a tripolacl do na-
    vio americano Selesia, em numero de dwoi-
    to homens.
    E com o sabr a araeacando Zo.
    O indio responden todo trmulo que
    escuridlo lhe nlo permittia achar no bos
    |ue a ramagem propria para fazer n
    b mean,
    O preto, furioso agarrou-lhe pelos ca
    bellos e piixava-Ih'os de forma que o fazia
    soltar gritos ho privis.
    Vamos, amigo da pelle vorraelha,
    lisse Rigaut placidameute do interior da
    cabanafiz o que esse patusco te manda
    oorque ello nlo para gracas. Olha qu
    fallas com o Rongou.
    Rongou fropetio Zo, para quem o
    celebre negro tinha as proporc5es de utn
    mon'-tro de tondas.
    O Rongnn t repeli igualmente Bji-
    t irav espantado.
    Aquello que era objocto de tanto trro
    tonge de so escandahsar, mostrou-se satis-
    toito, dizendo todo orgulhoso :
    Sim, ser o Rongou Eu malar lulo
    ronbar tudo e inceudiar de roda de Cope-
    ron, e njnguem tocar em mun, nom sol-
    dado nem p *cw \ O Jio^ou alo tsmV
    br.raco nem proto : nem sabrs nem lial-
    ntrar na plto "oito I Mi temar serpen-
    tes nem tigres, e elle fazor obedecer ara
    GaHibi !
    Zo nlo oa o. 9em mais rtiwr, orreu ao hosqoe, onde,
    coraeonu a cortar raBHs ao acaso. Trou-
    xe sucoessi va mente tres molhos. com os
    qoaos se aprossoa a Fazer -om abrigo para
    o seu Oabrion.
    O Rongou inspsftctosava o servico com
    ar orgulhoso o foi so quando estava quasp
    prompto que ette se dignou por-lbo as
    : mospara o afatfo^oar, iaual, parecondo
    satistoito com a subansOy do indio, dei-
    tou-se no boncaa ednrmio.
    Tambem IMgMla Bertonjy, venadas pela
    adiga, se entregaran -a anmaarimo os
    ESTATISTICA.A casa real da rainha
    de Inglaterra emprega 173 pessoas perten-
    centes aristocracia.
    A casa do principe e princeza de Walles
    42. .
    O conselho privado compc-se de 221
    membros.
    O numero dos pares de 450, sendo t
    arcebispos. 27 duques, principe de Galles,
    :{ duques, membros da familia real, 32
    marquezes, 160 condes; 33 viscondes, 27
    bispos, 161 hartes. Total 450.
    Deputados 654.
    Juizcs em Inglaterra, 25. Irlanda 18, es-
    cocia 13, bispos e arcebispos 40, bispos as
    colonias, 53, ministros extrangeiros residen-
    tes em Londres 28, ministros inglezes, jun-
    tos a differentes estados 31, governadores
    le possesses britannicas 48. marechaes de
    campo 3, olfieiacs generaos na India 312.
    almirantes 329, ajudantes de campo da rai-
    oba, 5 i, capolles da rainha 65 e oiabs>
    em Londres 58.
    -------
    ou'ros forcados. S Miguel, encolhido a um
    canto, velava ainda. pensando na sua nova
    situaclo.
    Reconhecera no aspecto brutal o malva-
    do contra quem hitara no jardm do Gal-
    lois e que era inimigo mortal de Grandval.
    A idea de so ver em companbia d'aqiielte
    ualvado horrorisava-o- e perguntava a si
    .nesmo como poderia ver-se livro da tyran-
    nia de que acabava de ver uma.araostra.
    Approximou-se mansamente de Zo. que,
    acocorado diante da fogueira, a ia alimen-
    tindo com ram>s seceos, e fez-lhe alguns
    ngnacs affectuosos, porem o indio pareoeu
    rio o co norehendor. Com oj olhos fixos
    na ramagem onde dorma o R ngou. limi-
    av.i-so a dizor a raeia voz: Ol t baar !
    \Iigoril, snppondo que o indio comec/ava a
    dirmir, resalveo esprar pela raanhia pira
    tomar algum expe tiente. Dep is. suntin-
    lo-se fatigado, toi recostar-se ao p da ca-
    nana onde estava o pai e nlo tardou ador-
    nir.
    Ao rtosp mtar da aurora desperMh -e psr-
    eorreu em volla de si un olhar ancioso :
    todo dar na amia, porm ficou sorprendido
    le ni ver o Gallibi.
    Ao principio jnlgiu 'que Zo estara dor-
    flindo em algum canto affastado ou mesmo
    que loria ido ao bosque em proiwra de
    ilimentos. Ergoeu-se e comeeou a procu-
    rar nos arrodores, mis em breve adquiri
    a certeza de que o Gallibi se evadir far-
    tivamente, levando conwigo todo o que hc
    pertencia.
    Quando lhe nlo restou a menor duvida.
    a tal respetto, Miguel da va gritos desespe-
    rados, que (bwram aaordar sobresaltados
    lodosos companheiros adormecidos.
    i
    >
    Cont1n*or-***a)
    Trr.wvmm^nkWLitum%

    ,


  • Full Text
    xml version 1.0 encoding UTF-8
    REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
    INGEST IEID E6A1R79TK_IAT6MS INGEST_TIME 2013-09-13T21:57:59Z PACKAGE AA00011611_11819
    AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
    FILES