Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11813


This item is only available as the following downloads:


Full Text
4
ANNO XLV. NUMERO 81.
PAIA A CAPITAL E LGAH& OIDE I'SE PAGA PORTi.
Portees mezes adkmtados.
Por seta ditos idem. .
Por um armo idem. .
Cada numero avnlso .
6,5000
12,5000
240000
,1320
SEGUNDA FEIRA 12 DE ABRIL DE 1869.
PARA DEHTRO E FORA DA PROVIHCIA.
Por tres mezes achantados.
Por seis ditos idem. .
Por nove ditos idem .
Por um anno.....
60750
13^500
20,5250
27(5000
DIARIO DE PERNAMBUCO.
Propriedade de Manoel Figueira de Faria & Filhos.

r
/
v
\
y
I

SAO AftK\TES:
Os Srs. Gerardo Antonio Alves & Filhos, no Para; Goncalves Pinto, no Maranho; Joaquim Jos de Oliveira, no Cear; Antonio de Lemos Braga, noAracaty; Jo5o Mara Julio Chaves, noAss; Antonio Marques da Silva, ao Natal; Antonio Joaqnim
Guimartes Pancada, em Mamanguape; Antonio Alexandrino de Lima, na Parahyba; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha; Belarmino dos Santos Bulco, em Santo Anto; Domingos Jos da Costa Braga,
em Nazarett; Francino Tavares da Cssta, em Alag6as; Dr. Jos Martins Alveff, na Bahia; e Jos Ribeiro Gasparinlio, no Rio de Janeiro.
paite ornciAL
relatorio
aprf.senrado a asskmbf.a legistativa pro-
VINCIA!., PF.1.0 F.XM. SR. CONDE DE B.VEPEN-
OT, PRESIDENTE DA PROVINCIA, NA INSTAL-
I.A?O DA SESSO DO CORttF.NTE ANNO, EM
10 DO CORRENTE HEZ.
' Senhores da Assembla legislativa Provincial.
Vate cumplir o preceito imposto pelo art. 8* da
varta de le constitucional de 12 de agosto de
1834.
Nao o fiz no dia de marco, porque, julgando
f' inveniente que nao lieassem privados os mem-
me do mesmo modo acerca da seguranca indivi-
dual e dr propriedade.
Os dados que forneceu sobre este assumpto,
"o chefe de polica, e que abaixo transcrevo, de-
monstrara que estamos bem longe do que se deve
desojar.
Assignalar precisamente as causas deste mal e
propr o remedio a elle, nao sem duvida cousa
fcil : demandara estudo longo e providencias que
nao estao ao vosso e ao alcance da administraco
da provincia.
Todava, pens que a falla de mcios adequados
para tornar efflcaz a perseguico dos criminosos,
previnir os delictos e remover as diffleuldades
com que lutam as autoridades para colligir as
provas, resultando disto muitas vezes ficarem im-
punes taes delictos, e que alias se attribuc princi-
palmente indulgencia nos julgamentos ; urna
das maiores cansas do estado actual deste ramo da
Importaram os emolumentos arrecadados c rc-
colhidos thesourara de l'azenda, duran o mes-
mo anno na quantia de I:3i*i80.
Existem 36 delegacias policiaes nos 31 termos
'udiciarios em que se divide a provincia, compje-
lendendo 141 subdelegadas, como consta do qna- Victoria
Escada
Pagos pelos cofres provincaes.
LUGARKS. OFFICIAES. 1NFER10KKS. PRAVAS.
Olinda
Pao d'Alho........
Nazareth.........
^A^^mSJStSS^ adunnistracao^bre o qual deves esperar que os
,iham | fid&TlSn K, por V******* nao se descuidarao de prever con-
deliberacao de 29 de Janeiro, adiar a abertura da
segunda ses Assira apresento-vos hoje a exposicao das oc-
currciicias, que se deram desde que foram en-
friados vossos trabalhos na ultima sesso, eof-
l'.-roeo vwsa considerado as ideas que me pare-
eem dignas de attenco no intuito de liabilitardes
. presraeaeil da provincia a promover os melho-
ramentos, que esta reclama.
Pele que diz respeito ao periodo decorrido at
23 ri<: agosto, submetlo-vos os relatnos de mens
antecessores, datados de 23 e 28 de julho. com 09
antea passnu-me a administraco o Io vire-presi-
dente, desembargador Francisco de Assis Pereira
Hucha, no dia 23 de agosto, em que prestei jura-
meato e tnniei posse do careo, que me foi confe-
rido por carta imperial de 2o do mez antecedente.
Quanto a > ape de man exercicio que ape-
nas de pouco mais de rete mezes. nao Kiderei sem
duvida tratar com proficiencia e conbecimento de
causa de todos os variados assumptos, que se
prendera administrarn deste importante provin-
cia : entretanto, alera da fiel exposicao que farei
de todos os factos occorridoj, que devam rhegar
ao vosso conhecimento, dir-vos-bei o que o llz e o
qae peoeo que cumpre fajer de preferencia no in-
leresse da provincia, bem considerando os diver-
so! ramos de sua administraco, sobre os quaes
compete-vos providenciar.
Antes, porni, de oceapar-me de outros as-
sumptos, permitli, Srs. menibros da assembla le-
gislativa provincial, que me congratule eeamiseo
pelos brilhantes feitos das nossas armas na guerra
om o governo do Paraguay : feitos que nos deram
victorias st.ccessivas at a becupaco da cidade de
Assuinpeao, realisada no lu de Janeiro do corrente
auno, o que indica o prximo termo dessa prolon-
gada luta.qre tantos sacrificios tem distado ao
nosso paiz.
Klel?es.
A 7 de KClerabro do anno passado procedeu-se
aa eleicSes de joizes de paz e venadores as pa-
rocinas da provincia, excepto na de Aguas Bellas,
mide oVxaram de eTfectnar-se por entender o res-
pectivo juir. de paz que devia adia-las; visto adiar-
se o povo aterrado por causa de grupos armados,
que nessa parochia ameaeavam a tranqnilidade
publica, desde que a 21 de agosto deu-ec o assas-
sinate da alferes lago Rodrigues Lins de Albnquor-
gae, do que tratare! em logar competente.
Sobre a ncnlaiklade do processo eleitoral,al-
iiii ,r me foram directamente fortes,
i' oatras ch igaraai ao mea conbecimento por in-
termedio d ; cmaras manieipaes.
Examinando essas redamacies e verificando
lelas a"las que em algumas parochia- se havia
procedida com infracrao da lei e respectivas ins-
truec5es,annaUei as eleicoes de vereadores ejaizes
de pat taa paroehias do Buique, Pedra, Fazenda
Grande, Sant"Anna do Saceo, Oiiricury, Gloria de
Goit, Kio Formse o Una ; eadejuizes de paz
t.io sement de S. Lonreoeo de Tijucupapo.
Annullei tambera as thipli.-alas f.-itas fura das
matrixes do Ex. Limoeiro, .Vazarath, Tracunhaem,
Agua Preta < S. Beata
rodas estes miabas decisSes mereceram a ap-
provari d governo imperial.
I'roredeu-se a nova-; eleicoes para vereadores c
juizes de pe as paroehias de Fazenda Grande,
Ouricury, Kio Formoso, Ina. BnJqae e Pedra, tcn-
do entao lagar a eleicio nade Agnaa Bellas: e
parajutaei de paz onieameaW oes de SanfAnna
do S lia deG.iita c S. Loureneu de Tiju-
cupapo.
S3 i coo tanto das respectivas actas irregulari-
dades ou vicios que annullassem estas eleicoes,
inandei uitimainento dar posse aos cidadaos, que
nellas oboveram maioria de votos.
Tendo sid < dissolvida, |lo decreto n. 4,226 de
l8 de julho do anno passado, a cmara dos depu-
tad e convocada outra para reunir-se a 3 de
maio prximo, procedeu-se nesta provincia eloi-
! )S respectivos eMtores na ultima dominga do
ii -7. de jaoeiKK
Neste mesmo dia procedeu-se tambem a eleirao
de oleitores eapattaei para o preenchmerfto das
vagas, que doixaram. no senado os fallecidos conse-
llieiros Antonio Goeiho de S e Albuqnerque e
Francisco do Paula de AlmeiJa e Albuqnerque,
de conformidaa com as ordensdo governo impe-
rial em avisos de 21 de julho e 21 de setembro do
anuo paseado e instrucciles de, 30 deste ultimo
mez.
As eleij.o inioiarias fizeram-se em todas as pa-
rocliivs s -:.i a menor alterara da tranquillidade
publica.
O resultado das votaedes dos collegios eleitoraes
ja conuecida.
Nao mandei proceder eleicao para preenebi-
mento da vaga deixada nesla assembla, pelo fa|-
b'cimento do" bacharel Candido Martinsde Almei-
da, porque, estando cassados os p.>deres dos elei-
tores da cunara dos deputados ultiraaineute dis-
solvida, entre! era duvida se os novos eleitores, ra-
les de ree-nliecidos podiam fazer aquella eleicao.
A este, respeito consullei o governo imperial.
Tranquillidade publica.
Ten ni a salisfacao de afnrraar-vos que a provin-
cia gosa de tranquillidade ; e havendo percorrido
os mais importantes pontos della. coraprehenddos
as ouze comarcas mais prximas deste capital,
acredito que nenhuma alteracao baver da ordem
publica, maniendo as autoridades o espirito de
juslica e imparcialidade, que o pensamento da-
queles que tcm a suprema direceo do estado,
jiois que nenhum obstculo encontram da parle
dos governados, cuja ndole eficazmente contribue
para o estado de paz, em que felizmente se acna
a provincia.
Se factos tem havido que contrariam este jnizo,
nasceram em parte da injustka e arbitrio com que
se fazia o recrutamento e a dasigoacao de guardas
nacionaes para o servico da guerra.
Comprova este juizo. a exposicao que sobre este
ponto fez um de meus antecessores no seu relato-
rio do Io de marco do anno lindo, do qual se v
que a quasi totalidade desses factos refere-se
tomada de recrotes e designados da guarda nacio-
nal do poder da forca que os escolteva.
Convencido disto, tenho expeJido as mais ter-
minantes ardeos no sentido de serena Belmente ob-
servadas as instrucedes que regulara o recrute-
neato e a designacao dos guardas nacionaes ; e
durante minhaadministraco apenas um caso deu-
e de tomada do recrutas no munieipio de Cim-. *
brea,.
eguraaoa ladlTldoal e de pro-
vementemente.
Entretanto, ncm o zeloso magistrado que esteve
testa da polica, nem o seu digno successor.deixa-
ram de cuidadosamente attender para o pessoal,
a quem incumbe a ardua missao de -previnir os
crimes, e reprimir os seus autores.
Cabe-voj agora auxiliar a accao dessa autori-
dade com os meios necessarios para este flm, que
podis dar-lhe na fixacao da forca policial.
Eis o resumo dos crimes commettidos e dos fac-
tos notveis occorrdos na provincia, durante o
anno Je 1868.
CRIMES PBLICOS.
Resistencia......................'........ jj
Tirada ou fuga de presos.................
Arrombamento de cada.................. *
Totl........ 19
CRIMES PARTir.ULABES.
Homicidio............................... *j
Tentativa de homicidio...........:....... M
Frimentos e offensas.physieas graves...... 47
01
1
1
13
1
1
6
I
Ditos ditas leves.......
Estupro............................
Calumnia e injuria..................
. Furto..............................
Estellonato........................
Danrao............................
Roubo............................
Tentativa de roubo.................
191
Total.....
cuan policiaes
Armas defezas.......................... 6
Sommam todos os crimes.-.
factos tttftfna.
Mortes.. .(Por imprudencia ou negligencia).
Casuaes. .(Por asphixia)..................
Suicidios...............................
Tentativa de suicidio.....................
Frimentos graves casuaes................
Idem leves dem.........................
Incendios...............................
Total.
197
3
8
12
2
3
1
C
35
dw annexo.
Dirislo Indiciarla.
Nenhuma alteracao soffreu a diviso judciaria
da provincia, que comprehende anda as mesmas
19 comarcas e 33 termos, de que deu noticia o
relatorio, com que foi aberta a primeira sessao da
actual legislatura deste assembla.
No pessoal dos juizes de direito houvo as se-
guintes oceurrencias, durante a minha adminis-
traco :
Tendo sido nomeado chefe de polica o jun de
direito da primeira vara crirae desta capital Joao
Antonio de Araujo Fre tas Henriques, foi removi-
do para essa vara por decreto de 8 de agosto do
anno pascado, o juiz de direito da comarca do Ara-
caty, no Cear, Francisco d'Assis Oliveira Maciel,
qu entrou em exercicio a 18 de novembro.
Acha-se vaga a comarca de Tacarat, por ha-
ver sido o juiz de direito Marcos Correa da Cma-
ra Tamarindo, nomeado por decreto de 16 de no
verabro, para o cargo de chefe de polica da pro-
vincia do Amazonas.
No pessoal dos juizes municipaes as alleracoes
que se deram, fciam :
A nomeacao por decretos de 8 e 22 de agosto, e
23 de setembro dos hachareis Antonio Francisco
Correa de Araujo, Joaquim Cordeiro Coelho Cin-
tra e Livino Lopes de Barros e Silva, para os luga-
res de juizes municipaes e de orphos dos termos
de Ps d'Alho, o primeiro, de Goyana o segundo, |
e do Ex o terceiro.
A remofao para o termo do Bonito em yirtude
do decreto de 4 de novembro do juiz municipal e
de orphos de Gurupa, na provincia do Para, Jos
Rodrigues do Passo Jnior.
Todos achara-se no exercicio dos respectivos
cargos.
-No pessoil dos promotores pblicos as alleracoes
foram estas:
Por deliberadlo de 2 de setembro foi removido
da comarca da Boa-Vista para a de Cabrob, o
baeliaiel Tiburcio Raymundo da Silva Tavares.
Por deliberares de 19 do mesmo mez do setem-
bro, foram exonerado seu pedido o bacharel An-
tonio Epaminondas de Barros 'forrea, da comarca
de Garanhuns, e nomeado para substilui-lo o ba-
charel Joaquim Francisco de Amida. ^
Por deliberacoes de 4 de fevereiro* do corrente
anno foram tambera exonerado seu pedido o ba-
charel Francisco Machado Pedresa, da comarca de
Palmares, e nomeado para substitui-lo o bacharel
Pedro Affonso Ferreira.
Por deliberacoes de 9 do presente mez foram
removido para a promotoria da comarca da Boa-
Vista, o bacharel Joaquim Francisco de Arruda, e
nomeado para substtui-lo Ha de Garanhuns, o ba-
charel Jos Francisco de Ges Cavalcante.-
lstatistlca.
Cabo..............
Serinhcm.........
Barreiros..........
Agua-Preta........
Rio-Formoso.......
Limoeiro..........
Iguarass.....:...
Total.
Alm desta forca
1
i
1
1
1
1
1
1
i
1
I
11
20
15-
20
20
lo
15
15
15
15
20
15
10
195
4
foram distribuidos destaca-
mentos do orpo de polica era algnns municipios,
como inostrarei qtando tratar desse corpo.
ltimamente mandei retirar, por nao ser mais
necessario o destacamento da guarda nacional, que
eslava na freguezia de Aguas-Bellas, e rednzi a
10 pracas e 1 inferior o da villa de Buique.
A guarda nacional nesta provincia esta dividida
em 18 commandos superiores, comprehendendo os
seguintes corpos :
Servico activo.
2 bataloes de artlharia.
4 corpos de cavallaria.
13 esquadrocs a*ulsos do cavallaria.
2 couipanhia avuls* de cavallaria.
58 batalhoes de infantina.
Servico ta reserva.
9 batalhoes de infa'nlaria.
14 seccoes de batalhoes de infantera.
3 companhias avnlsas de infantaria.
Por decreto n. 4,363 de 29 de outubro do anno
passado. foi extracto o commando superior de Bui-
que e Bom-Conselho, creado por decrcton. 4,193 de
23 de maio do mesmo anno.
Deixo de apresentar-vos o mappagerai da_forca
da guarda nacional da provipcia, porque nao me
foram enviados os parcaes, apezar das ordens que
com malta antecedencia exped aos commandantes
superiores.
A forra policial desta provincia, que est soh o
commando do distincto e zelob tenente-coronel
Francisco Carneiro Machado Rio Jnior, foi lixada,
segundo o disposto no art. Io da lei n. 787 de 11 de
abril do anno passado, em 500 pracas, qne, occor-
rendo circunstancias extraordinarias, podem ser
elevadas 600.
Suaorganisaco, porm, provisoria, ecessar
desde que voltar da campanea do Paraguay, para
onde seguio em 1863, o corp effectivo.
Nao me pieccm suflicientes para o servico que
tem esta forra de desempenhar, as 500 pracas que
foram (ixadatnaquella lei.
A experiencia tem demonstrado que mais vale
para conter os criminosos a presenca de urna di-
minuta forca regular do que numerosos destaca-
mentos de iardas nacionaes, que sem os hbitos
ak vida miUtec, sem a necessaria disciplina e ge-
ralmente djisarniados, mal so prostam as diligen-
Acha-se reduzda a um pequeo contingente de
artilharia que est destacado no presidio militar
Fernando de Noronha, a algumaspracas invalidas,
que fazem o servico em fortificacoes da provincia.
e a um pequeo nncleo de soldados de cavallaria
aquartellados no deposito de instruccao, onde se
preparara para seguireui depois para o exercito.
Ha alm disto um deposito sob o commando de
um oficial superior, onde sao recolhidos os recru-
tas antes de apurados e remettidos para a corte.
Existem mais aquartlados na fortaleza das Cin-
co Pontas os prisioneiros paraguayos enviados da
corte, que na data do relatorio apresenlado pelo
commandanie das armas, compunhara-se de* um
capito, um tcnente, dous alferes, um segundo sar-
gento, dous cabos e quarenta e oito soldados.
Anda contina no commando das armas o dis-
tincto general Joaquim Jos Goncalves Fontes, cu-
jo zelo e importantes servces sao por todos reco-
nhecdos.
A forca naval a que se acha de guaroi^o no
briguc-barca Itamarac, que pertence ao segundo
districlo, a de urna companhia de aprendizes ma-
rnheiros aquartlados em um brigue, que Ihe
serve de escola, e a de outra companhia de apren-
dizes artfices alojados na arsenal de marraba.
A companhia de aprendizes raarinheros, que
commandada pelo Io tenente reformado Braz Jos
dos Res, na data do ultimo relatorio apresenlado
pelo inspector do dito arsenal, contava apenas o
numero effectivo de 60 pracas, qualido o seu esta-
do completo deve ser de 200.
Esla companhia tem concorrido para a armada
desde o anno de 1864 com 228 pracas, caliendo :
Ao anno de 186410
186570
f a 186635
t 186756
196837
A companhia de aprendizes artfices compnnha-
se na uiesma data de 44 pracas, alm de 29 avul-
sas, tendo dado para o exercito em operacoes 35
voluniarios.
Ilceriitamriito.
Desde 23 de agosto do aano passado, em que
entrei no exercicio da administraco desta provin-
cia, al 31 de marco ultimo, lera sido enviados :
Para o exercito83 recrutas.
t a armada27
0 assassinato do alferes lago Rodrigues Lins de
Albuqnerque, acontecido na freguezia de Aguas-
Be lias, do termo do Bonito, a 24 de-agosto do an-
no passado, oceupou muito a minha attenco, por
que, segundo as noticias que chegaram ao meu
conhecimenio, reeeiou-sc que fosse all alterada a
tranqnilidade publica.
Assint se pensava, por quanto tendo-se como
certo que esse assassinato t vera por causa o do
major Loureneo Bezcrra de Albuquerque Mara-
nho, perpetrado a 3 de Janeiro, diversos membros
das familias das victimas protestavam reciproco
exterminio, e para este flm se armavam.
Achando-sc investidos dos cargos policiaes do
termo individuos dessas familias, o delegado te-
nenlc-coronel Manoel Camello Pessoa Cavalcanti.
qie alias nao se indigitava como adherente a ne-
nhum dos grupos, deu-sepressa em pedir sua de-
misso, que conced, na obstante reconhecer sua
iirparcialidade em tal occurrcncia; e demitti o
subdelegado e supplentcs de Aguas-Bellas, sera
prever entao estes lugares, mas smente o de de-
legado na pessoa do juiz municipal, bacharel An-
tonio Fernandes Trigo de Loureiro, que era reco-
nheciJo geralraente como alheio as questoes que
orcasionaram aquelles desagradaveis econteci-
mentos.
Ao mesmo juiz municipal ordenei que pasasse
immediatamente a residir na freguezia de Aguas-
Bellas, afim de que melhor podesse exereer sua
autoridade em relacao a taes aconlecimentos; e
para que fosse devidameritc habilitado a prender
os criminosos, desarmar e dispersar os grupos,
que se ameaeavam, puz sua disposicao urna for-
ca de 50 pracas de polic'a e de 50 da guarda na-
cional, alm do dcstacamen'o pocial'nlli existente.
Tudo isto fiz com a_ presteza que o caso exiga,
de modo que em 2 de,'outnbro enlrou em exercicio
da delegacia de polica o relerido juiz1 municipal,
e 27 do mesmo mez communicou-me ter cense-
Ji.ido a captura de seis criminosos, entre elles
ous do grupo refugiado no lugar denominado
Manoel Alves,da parochia da Pedra, os quaes
eram indigitados como eo-ros do assassinato do
infeliz lago.
Nessa data tambem participou-me ter-se reco-
lhido a prisao o capito Manoel Tenorio de Albu-
qnerque Bato, pronunciado como cmplice da
m irte do majsr Loureneo Bezerra, e estarem j
dispersos os grupo armados que existapi no dis'-
tricto de sua jurisdieco.
Mno dia 3 de novembro pode chegar a Aguas
s o mencionado juiz municipal.
Ahi deu comeco a instauraco do processo pela
niorie de lago, concluindo-o com a pronuncia de
nove individuos, inclusive Jos Afro de Albuquer-
que Maranho, irmo do finado major Loureneo.
Destes criminosos dous ja foram capturados, c
o; outros andam foragidos por diversos muni-
epios.
Empregam-se as necessarias deligencias para
a prso delles.
O capito Rato respondeu ao jurv do Buique, e
sindo absolvidos, nao houve appellaco da sen-
traca.
Folela.
Tendo sido promovido ao lagar de desembarga-
c'ior da retecao do Maranho o juiz de direito Joao
Antonio de Araujo Freita? Henriques, foi elle por
decreto de 21 de outubro do aeno passado dispen-
sado do cargo de chefe de polica, sendo nomeado
na mesma date para substitui-lo o juiz de direito
Francisco de Faria Lemos.
Achando-se ausente este magistrado, exerceu
interinamente o lugar o dezembargador Fran-
cisco Domingues da Silva, desde 9 de novem-
bro at o dia 19 do mesmo mez, em qne entrou
em exercicio o novo chefe.
A repartlco da polica, que foi reorganisada pe-
lo decreto h. i,m de 21 de tevereiro de 1857,
eompoe-se de um secretario, trrbffleiaes, um dos
quaes faz o servico etterrio da visite do porto, qua-
tro amanuenses, um porleiro e um continno. XTm
dos offleiaes exeree as 'fanoe9es de thesoureiro.
Apezar dos esforew dos empreados, nao se
acha em dia o registro. 0 ehefc reoenhefe a ne-
eassidade de mais alguns empregados para poder-
se veoeer o trabalho que cresee proporcionalmen-
te todos os anuo.
No Mesado, segando urna estaristica por elle
aunenli expeifam-sn *8:6M pecas offleiaes,
-alose comii
Em data de 18 de outubro de 1867 contraten
esta presidencia com o Dr. Jos Joaquim Tavares cas, que delles se exige.
Belfort, a confeceo da estatistica da provincia, se- A isto accresce a morosidade na satisfacao das
sico aeco dessas autoridades,
a demora quasi sempre prejudicial da prestacao
da forca reclamada.
E' pis minha opinio que convm, anda em
circunstancias normaos, elevar a 600 o numero
das praca#do corpo de polica, e, a exemplo do
tori-ar a creaeo de una companhia de 120 pra-
cas de ore!, nc com a denominaco deUrbanos
prazo
recebendo a quantia de 13:0005000 em quatro
preslacoes iguaes c vista do trabalho leito que a
ella equivalesse.
Tendo o Dr. Belfort apresentado urna parte des-
se trabalho, e havendo a commisso noraeada para
exaraina-lo, composta do conselheiro Jos Bento .
da Cunha e Figueiredo e dos Drs. Joaquim d'A- que foi esfibelecido para o municipio da ^'^au-
quino Fonceca e Francisco Manoel Baposo de Al-
meida, informado estarem preenchidas pelo con-
Iratante condicoes do contrato, que me davam jus
ao recebi ment da competente prestacao, ~assim o
declarei por deliberacao de 10 de novembro do
anno passado, e em virtude della foi paga a pri-
meira prestacao na importancia de 3:2502000 de-
pois de satisfeta a formalidade da flanea exigida
pelo art. 9o do mencionado contrato.
Forca publica.
Aparte militar da administraco deste"-provin-
cia comprehende :
Guarda nacional.
. Forca policial.
Fora de linha.
Forca naval.
A guarda nacional faz presentemente o servi-
co da guarnico nosta capital e suas fortalezas,
bem como no presidio de Femando de Noronha,
d destacamentos para os deraais municipios da
provincia
Total 110
Alm desles foram mais para o exercito :
8 voluntarios.
I liberto.
I guarda-nacional designado.
8 recrutas.
3 Qtenores para o arsenal de guerra.
Para a armada :
II menores para a companhia de aprendizes na-
rinheiros.
Tendo. estado suspenso o recrutamento, na for-
ma do art. 108 da lei n. 387 de 19 de agosto de
18i6, desdefcdia 1 de dezembro do anno passa-
do at 3 do marco ultimo, em que se concluio as
eleieSes parfdeplados e senadoras, apenas isso
se deu, exped as convenientes ordens ao chefe de
81 polica para continuar-se nesse meio de obter au-
" tillaras para o nosso exercito e armada, principal-
mente por haver o governo imperial exigido cora
presteza a remessa de recrutas que devera pre-
resultando d ah -"-- --
encher os claros que as enferinidadcs e os comba-
tes tem aberto as respectivas lileiras.
Recommendci aquella antoridade o maior es-
crpulo no exercicio desso dever, para que sigam
sraente para a corle os individuos, que nao live-
rem a sea favor nenhuma das isenedes da le, e
nesse ..luito mandei imprimir, para serem dislri-
tuidas por todas as autoridades, as instruccocs,
cas de prel, que com a denominaco aei roanos 0 ^^ d|1 1eia recopiiOU) relativas a este
lirasse addida ao corpo policial, mas immediala-! Jarvil,n a c hwtq me devem ser abonadas
mente subordinada ao chele de polica, para dis-
servico e s despezas, que devem ser abonadas
tribni-la no servico da capital, e das freguezias
dos arrabaldes della, conforme julgasse conve-
niente.
Deste modo o corpo pedera prestar-se melhor
aos destacamentos do interior, ereando-se ahi cen-
tros, ondn pcrinaneccsse forca sufficiente para o
servico policial dos termos prximos, que deveria
ser substituida peridicamente para que as pracas
e offleiaes nao adquiran relacoes e hbitos, tu
projudiquem a disciplina e o servico.
Neste caso indispensavel alterar a actual orga-
nisaco do corpo e os seus regularaentos.
Ao vosso esclarecido zelo e solicitude em bene-
ficio da provincia cabe apreciar, como melhor vos
parecer, a idea que deixo consignada.
O estado effectivo do corpo policial actualmen-
te de 466 pracas, inclusive os offleiaes, faltando 34
para o estado completo fixado na lei.
Em 5 de novembro do anno passado foi elle di-
para transporte e sustento dos recrutas.
Nao bavero desigp.acoes de pracas da guarda
nacional para o servico de guerra, durante mi-
nha administraco. O guarda nacional cima men-
cionado, entre" os recrutas apurados e remettidos
para a curte, foi designado em administracoes an-
teriores, tendo s agora sido apresentado.
(Continuarsc-ha./
A falta de forca do linha, que preste esses ser- vidido nos seguintesMestacamentos :
icos, para os quaes nao sulficiente o corpo pro- lloares. offjciaes. nter
VICOS
visorio de polica, exige o emprego da guarda na- iguarass........
cional, principalmente em alguns municipios, onde Trombeta (povoacao)
mais necessaria se torna a presenta de forca para Gamelleira (idem)...
proteger a accao das autoridades na represso dos
criminesos e na prevenco dos delictos, e satisfa-
cer a todas as requisicoes dellas para muitas e im-
portantes deligencias.'
Quando entrei no exercicio da presidencia achei
aquarteladas na capial 1,026 pracas de pret e 85
ofhciaes da guarda nacional, para fazerem apenas
o servico da guarnico e nos outros municipios
destacamentos da mesma guarda, mais ou menos
numerosos, conforme as requisi&oes que as auto-
ridades linham permisso para dirigir aos respec-
tivos commandantes.
Considerando na avultada^espeza que tamanha
forca acarretava aos cofres pblicos, e querendt
conciliar a nece'ssidade que tinham os municipios,
principalmente os do interior, de gente que fizesse
a guarda das prisoes, provase seguranca indi-
vidual e raanutencao da ordem puhiiea, por de-
liberacao do 14 de setembro reduzi a 717 pracas
de pret e a 31 offleiaes da guarda nacional, nu-
mere das que se achavam na guarnico deste ca-
pital, determinando que de dous em dous mezes
revesassem neste servico os differentes batalhoes,
que c o ni po-' o commando superior do Reeife, e por
outra deliberacao de 5 de novembro ragularisei o
servico dos destacamentos fixando-os pela forma
seguinte:
Pagos pelos cofres geraes :
LUGARES. OFF1CIABS. INFERIORES. PRACAS.
Ipojuca
Ouricury..........
Granito............
Floresta ...........
Flores e Baixa-verde
Irfgaaaira..........
Buique............
Aguas-Bellas (fre-
guezia) ..........
Jaboato (idem).....
S. Loureneo da Matte
(idem)........
Afogados, Peres, Po-
co da Panella e Ca-
pnnga
INFERIORES.
i
i
1
1
1
1
1
t
PRAQAS.
IB
B
5
15
15
15
15
15
13
38
66
1
be:para lamentar qarni pos expresear-
__ comprehendendo nesse- nnmero' osinterro
gatohoe, e grande nameto de coplas que se extra-
Boa-Viste \..
Ouricury......
Tacarat.....,
Floresta.......
Cabrob......
Salgueiro.....
Granito.......
Brejo........
Cimbres......
Flores .......
Villa-Bella....
Ingazeira.....
Garanhuns
Bom-Conselho.
Sao Bento...,.
Buique......
Aguas-Bellas
gaezia)..........
Goyana.....<-'i'
Itamb............
Bonito............
Fomleu^Bru:
Dita do Buraco.....

(re-
1
1
1
1
1*
1
1
i
1
1
1
1
1
i.
3
1

1
1
1

1
1
1
1
1
1
1
i
1
1
1
1
1
1
1
1
3
1
1
i
34
20
20
20
20
20
20
20
20
20
20
40
20
20
15
20
30
SO
25
20
1
508
Posteriormente mandei reduzir a 30 as pracas de
pret do^estacamento de Buique e a 23 o de Aguas-
Bellas e a um ofhciaL>
Cabe aqui declarativos que no dia 31 de agosto
do anno passado, foi assassmado no termo de Ou-
ricury o capito deste corpo Carlos Augusto de
Barros Lima, pelo soldado delle Basilio Luiz da
Silva, o qual, sendo preso, foi entregue antorida-
de judicial, e por ella processado.
Devo tambem inlormar-vos que havendo-se eva-
dido do poder da escolta que os conduzia, sob o
commando do alferes Miguel Joaquim do Reg
Barros, os reos Cesario Ferreira de Araujo e Fran-
cisco Correa de Athayde Siqueira, este quando re-
gressava para a capital no dia 3 de dezembro ul-
timo, e aquello na oeeasia em que ia para a villa
de Flores, aflm de responder ao jury, logo que
Uve conhecimento destes evasdes, a 19 de dezem-
bro, fiz prender o dito offlcial e submette-lo pri-
meiro conselho de investigacao, que achou ma-
teria para aecusaco, e o sujeitou^ a conselho^le
disciplina, no qual foi absol vido.
Tendo vindo, na forma do regulamento, o pro-
cesso junte de justiQa, ahi foi elle condemnado a
tres mzcs de prisao, levando-se-lhe em conte o
lempo que j linha de reeloso.
Cumprid* a pena a 18 de marco frado, nesse
mesmo dia exoneref-o do posto, por entender qae
nao devia conservar em um corpo de polica quera
to negligente se havia mostrado no cumplimento
de seus deveres.
Tambem em 22 do mesmo mez, demitti o tenente
Francisco Xavier Rodrigues de Miranda do servi-
co, e raaodei-o submetter processo, por haver
extraviado a quantia de 1:847*220, que levara
para pagamento das pracas destacadas na villa de
Floresta.
A forca dtHnht, qae existe actualmente, mui-
to diminuta.
Repartico ':1 polica.
2* seceo.Secretaria da polica de Pernambuco,
10 de abril de 1869.
N. 513.Illm. e Exm. Sr.Tenhaa honra de
levar ao conhecimento de V. Exc. que, segundo
consta das participacoes recebidas neje nesta re-
partico, foram hontem recolhidos casa de deten-
cao os seguintes individuos :
' A'minha ordem, Firmino, qne diz chamar-se
Antonio Jos dos Santos, vindo de Iguarass,5como
indiciado em erime de furto de cavallos.
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, Do-
mingo?, escravo deanoel Francisco Duarte, a
requerimento deste ; Jos, escravo de i os Fran-
cisco Accioli Lins, por aadar fgido ; e Afttonio,
escravo de Luiz Ignacio Be Andrade Lima, por
susperto de and?r fgido.
A' ordem do de S. Jos, Roberto Jos Goncalves,
como indiciado em crime de furto ; Francisco da
Coste Miranda e Januario Ferrei da Silva, para
serem conservados em custodia.
Por offlcio de 8 deste mez, participou-me o de-
legado de Pao d'Alho, que o indiciado em mine do
roubo Serino Gomes da Silva, que desta capital
seguir para aquello termo, afim de assistir a no-
va formaco da culpa pelo mesmo crime, sendo
naquella villa entregue a urna escolta que devia
conduzi-lo presenca do subdelegado da Gloria de
Goit, foro do delicio, em caminho ^vadio-se o
mesmo criminoso ; que trata de captara-lo, bem
como de proceder contra a mencionada escolta nos
termos da lei. _. .
Deus guarde a V. Exc. Illm. Exm. Sr. conde
de Baependy, presidente da provincia.O ehee
de polica, Francisco de Faria Umos.
DIARIO DE PERNaMBUCO
RKCIFS, 12 DE ABRIL BE 1869.
| PRESIDENCIA.
Depois de 7 mezes e 19 dias de nma administra-
cao pautada pela justica e com economa dos di-
nheiros pblicos, passon hontem 1 hora da tar-
de, S. Exc. o *Sr. Conde de Baependy as rdeas ad-
ministrativas para as raaos do Exm. Sr. Dr. Ma-
noel do Nascimento Machado PDrtelhv^egundo vi-
ce-presldente dla provincia, segurado para a
serte bordo do Cruztiro do StU.
Com o systema, ha alguns annos adoptado, de
se derdorarem mui diminuto esparo de lempo as
provincias os respectivos presidentes, estas'perdem
eonsideravelmente no incremento, que porventnra
ter-lhe*-hiam de dar os funcckraarios que as diri-
gen! : porque, tnal teenveHes tomado conhecimen-
to das neesssidades provincaes, logo sao incum-
bidos de outras comraBfes, que rednndam sem-
prtn'um prejuizo indirecto para o brftho das es-
trellas da cora brasfleira,
Asslm acottteeeo eom referencia ao Sr. Conde
o Baependy. Aqai enejando, S. Exe. tratoa de
se por a par das necessidades mais urgentes da
provincia; e agora qae, conhecedor dos males,
devia applicar a dse apropriada de remedios, eis
que deixa Pernambuco, verdade que as mss
de um hbil e illustrado piloto, tendo fttfto muito,
mas nao tanto, quanto a provincia esperava de '
sua administraco.
Foi um dos primeiros actos de S. Exc, aps
sua posse, a nomeacao de urna commissio eem-
posta de pesssas gradas de arabos os partidos po-
lticos da provincia, que, examinando o estado dos
seus cofres, emiltisse um parecer que, amotdan-
do-se s primeiros e mais urgentes necessidades
publicas, e concertando-se com o principio de
economa, saivasse-a dos compromissos que
tinha.
Essa leinbranca. por deraais feliz, deu em re-
sultado urna severa economa dos dinheiros da
provincia, sem que todava fos-:em suspensos os
diversos trabalhos que corriam por conte della e
sob a dirceco da reparticio das obras publicas.
Foi debaixo de urna rigorosa nspeeeo qae se
fizeram as despezas publicas, cortando o Sr. Con-
de, no curto espaco de lempo que dirigi a pro-
vincia, muitas verbas inuteis, que apenas serviam
de onus ao orcamento. Entre ellas bastar-nos-ha
citar o desaquartelamento de dous batalhoes da
guarda nacional, Picando apenas um dos tres que
S. Exc. encontrn em servico activo.
Durante sua rdministraco tiverara lugar as
eleicoes municipaes e as de eleitores geraes e es_
peciaes para senador, as quaes, fonja confessar,
S. Exc. manteve-se na devida altura, nao toman-
do directa u indirectamente parte no pleito, pro-
curando fazer respeilar a lei e a liberdide do vo-
to, abstendo-se de mandar forca para as matrizes e
I"outras igrejas onde se faziam as eleicoes, e final-
mente exonerando e mandando processar as auto-
ridades que, contra sua expressa doterminacao,
abusavam do podjr qne Ihes fura confiado.
A provincia, gracas abstenco da administra-
co e ndole nimiamente amigavel do povo, alra-
vessou sem abab essas pocas de exaltamento po-
ltico, sem ter de lamentar as scenas de que n'ou-
tras occasioes foro theatro.
Sempre que da parte do governo nao houver
emprego do violencia do voto ; sempre qne a ac-
tir no pleito eleitoral, Pernambuco atravessar as
diffices quadras de exercicio da soberana popu-
lar, sem registrar um fado que a deshonre, sem
dar s suas irmas o triste espectculo do fratre-
cidio.
Animado dos mclhores dssejos, S. Eic. oSr
Conde de Baependy assistio hila, preseneiou a
feitura das eleicoes com a impassibilidide do ho-
rnera da lei, tendo a ha lauca da justica na sinistra
e o gladio do direito e da lei na de.xtr.
Anda durante sua administraco leve lugar a
i '-nivel endiente do Capibaribe, que tantos ma-
les causou provincia: e S. Exc, solicito pelo
bem de seus governados, empTegou e soubc des-
tribuir convenientemente os meios seu alcance,
no intento de tornar menor pos?ivel o prejuizo,
quer publico quer particular.
Para a reconstruceo das obras pblicas, como
pontes, estradas etc. gtc, a respectiva reparticio
tein j organisados quasi todos os planos e orca-
mentos que S. Exc, na impossibildade de ver re-
construir o que a cheia derrubou, quiz deixar
promptos, para o que ordenoq que o engenheiro
chefe das obras publicas sem perda de lempo tra-
balhasse na sua confeecao.
Solicitando do governo geral um auxilio para
essas despezas accrcscidas -por um caso de forca
maior, S. Exc. anda deu copia do seu amor s
cousas da provincia, que fra confiada aos s^us
paternaes cuidados. Esse auxilio foi proraeUido
pelo governo, por intermedio do ministerio da
agricultura, coramercio e obras publicas, no pr-
ximo vindouro exercicio : elle vira, assim o espe-
ramos, porque temos conlianea no governo.
Alm d'essea^niutios outros actos da adminis-
traco do Sr. de Baependy tornam-n'a credora das
nossas sympathias, e das heneaos dos nossos com-
provincianos, dando-lhe um carcter especial, e
una face das mais risonhas que tem yisto a pro-
vincia.
"No relatorio, que S. Exc. leu assembla pro-
vincial, acha-se descripto fielmente e col minu-
riosidade o estado da provincia, e indicados alguns
meios de melhor occorrer s suas necessidades.
Em resumo, a administraco do Sr. conde do
Baependy leve por norma a justica, a equidade, a
fiel execucao da lei, a tolerancia poltica tao ne-
cessaria, a economa da riqueza publica, e a des-
tribuiejio de Deneficios consentanea cora o estado
dos cofres provincaes, que alias, .se acham em
muito melhores cendicoes do qae quando S. Exc.
entrou na posse das rdeas administrativas, em
23 de agosto do anno prximo passado.
A provincia, pois, deve um voto de agradeci-
mento ao zeloso funecionario, ao prudente e ju-
ticeiro administrador, que dirigi os seus negocios
por'espaco de quasi oito mezes, sem levantar
serias e fundadas queixas.
k Exc. o Sr. Dr. Portella proseguir sem duvida
na missao regeneradora, encetada pelo Sr. Assis
Roelia, e continuada pelo Sr. conde de Baependy.
Sao garantes dessa nossa asplraeSo os honrosos
precedentes de S. Exc em todos os actos de sua
vida.
NOTClAS DO NORTJS DO IMPERIO:
O vapor Cruzeiro do Sitt, ebegado; sabbadaT"
trouxe jornaes do Para at 2, do Marannao* at 4,
do Cear at 6, do Rio Grande at 8, e da Para-
bjyba at 9douMin1ii II niin-tioHieinosdelles.
PARA.
Chegaram capital o Exm. e Rev. bisn,
i

*


Diario de Peraambuco Segunda fcira 12.de Abril de 1869.
----------*____________________._____________________________~_.________________^^
diocesano de G >\az, e o Sr. Dr. Couto 'Magalhos,
tendo subido pelo Ai-aguaya c Tocantins.
Tambem achava-se na capital, em viagcn
para a Bolivia, o consoj brasileiro nessa rcpubi'a
Henrque Pernanles Eiras.
Pelnjuizo municipal 'da capital foi julgado
improcedente o proeesso de sedulas falsas.
Arribara da ponta do Tavp o patacho iagloz
Florist, que saliira do porto de Belm para o
Liverpool.
A alfandegirendeu no mez do marco...
380:3693:111 rs.
k
O cambio regula va : sobre Londres 19 V* iL
sobre Paris de WOa 509 rs., e sobro Portutal
90
As a* vcndain-se da 1330O a 14*000 rs.
cada urna. ,,,.,,
Ficavam a carga o* navios: Adelaidet Ama-
zonas para Lisboa; Liberta e Mtuagnan para o
Havre; Fler do Vez, Cassandra *e llalian fero
para Liverpool; Salina*, para New-York.
MARANH.VO.
Exm. Sr. desembargaior Ambrosia Leile
da Cnnha passara a administtaco da provincia ao
I vec-prcsidenle Dr. Maa, seguindo para a do
Para, afirn (je ver um genro seu que se achava
pravamente diente.
-- Fallecer o ex-earirrario da thesouraria de
fsfzenda Fernando da Scra Carnciro, dcixando a
familia em oxlrcma mirria.
O Sr. Joaquim "Marques Rodrigues, agente
ua companhia Fideliade e os Srs. "tbao de Ol-
veira Santos & C, agentes da companhia Garanta
mandaran* vir da Inglaterra uma bomba para
apagar incendios, e aeabam de pote, disposicp
rda presidencia da provincia para sor cmpregala
n'aquelle servico.
--Realisara-sc a festa de 8. Benedicto, sen lo
alforriadas nessa occasiao 35 mancas do sexo fe-
menino.
A alfandega rendeu no mei de marco........
189:i29*85 rs.
Durante css" mei vieran ao mercado : 7,891
saccas com algodao, 160 pipas c mi agurdente,
7,462 Igueiras de arroz com casca, 3.071 sanos
com assacar, 2,439 couros de boi e 2,673 alquoi-
res de farinha de mandioca.
Ficavam carga os navios : Medora. Sarie-
ilon e Secret para Liverpool; Palestro para o
Havre; Mara I.uizn para Lisboa; e Despique II
para o Porto.
PIAUlfY.
Era conhecido o resultado de todos os colic;
gios da provincia, menos o de Paranagu, que j
nao pode influir no total, sendo deputados 13-
sembia geral os Sis. Drs. Antonio Coelho Rodri-
gues, Aurcliano e Antonio Francisco de Salles.
CFMII.
No mor. de marco rndeu a alfandega......
101:180*96 rs.
Seguir para Liverpool o vapor inglcz Ai-
brose.
Fallecer o piloto do hiato de guerra Ra de
Contns, Francisco de Assis Mallos, victima de in-
tlammacito no baeo.
O Dr. chcta'de polica achava-se na capital,
de volta do Ico, onde fcira instaurar o proeesso | e-
los feriinenUis tai tos no juiz de direito da comarca
Luiz Jos de Mcdeiros.
Duraute o trimestre de Janeiro a marco eu-
traram no porto da capital 64 embarcacoes cun
25,836 toneladas e equipadas por 613 pessoas Ji-
vres c 69 cscravas; .-ahiram 63 com 23,073 tone-
ladas e tripuladas por 690 pessoas livres e 09 e<-
cravas ; a saber, nacionacs entradas: vapores 18,
hiates 11, barcacas 6, cuters 9 ; sabidas as iuc-
mas.
Estrangeiras entradas: vapores 4, barcacas 7,
brigue 1, escunas 3, patachos 3 ; d'estas 9 ingtj-
-zas, 4 alemaas, 2 portuquezas, 2 noruguenses, i
dinamarqueza, 1 hollandeza e 1 americana.
Saludas : vapores 4, galera 1, barcas 6, lugar 1,
brigue 1, escunas, 5 patacho 1; sendo 9 nglezas,
2 nnruguenser, 1 portugneza, 1 hamburgueza, 1
allema, 1 hollandeza e 1 americana.
Le.nos no Cearense:
A convite do vicc-prcsidento da assocacao
commercial Jos Francisco da Silva Albano, coni-
liarcceu hontem (29) no salo da praea do com
mercio grande numero de negociantes, captalistis
e engeuheiros, aflm de se discutir o melhoramen
to de nosso desojado porto.
O vicepresidente abrindo a sesso declarou
que o objecto da reuniao era ouvir os entendidos
Marea da plaa que se achava sobre a mea,
apresentada polo Sr. ungenheiro Compton, geren-
te da companhia do gaz.
E .11 secando tugar sob o porto do Mucuripe,
cujos previlegi dos os Srs. Drs.: Zozimo Barroso
e Postar, esUvam promptos a fazer sesso do pre-
vilegio a qualquer companhia que porventura po-
desee levar a ilcito o Icvantamento do porto, pres-
tando-se acoadjuvar aemprezaabracada pelaoj:-
nio geral.
Cmcluio o rice-presidente aprovetando a op-
portunidade para agradecer ao benemrito e illu--
trad i Sr. Dr. Pimenta Rueo o interesse que ten
tomado liberalmente a favor do porto do Cear,
levantan lo-se o arrecife, idea abracada geralnien-
te pelos protissionaes.
Depois do diversas diseu=sdes onde se mo-
trou claramente a repugnancia do serem aceitas a
propos.a do p mtilho c a idea de porto no Mucu-
ripe, foi nomeada urna commissao para dar o scu
parecer, apre-entando os raeos para se levar
avante o ? i mojado porto do Cear, cujos membros
sao os Srs.:
Victoriano Borges, J. Fostcr, E. Compton, Dr.
Jos Pompeo., Dr. Thebergc, Dr. Herbster, Dr.
oncalo Lagos, Dr. Theophilo Ribeiro e Luiz Ri-
beir da (unha.
No dia 5 do passado chegou ao Crato o vone-
ravel missionario, Rrd. Jo< Antonio Maria Ibiapi-
na, depois de haver com grande proveito para a
regiao, rnissionado na freguezia da Barbalba.
Foi solemne a recepeo do missionario.
No dia 7, foi in>tallda naquella cidade, a
*anta easa de caridade, fundada pelo Rvd. Ibia
pina.
O capito Pedro Lobo de Menezcs offerecera
mais a qnantia do 4:0K)3, para as despezas da
dificacao e installacao da casa de caridado o hos-
pital de mirecicordia da villa da Barbalha.
Com esta quantia, diz a Voz da Religio, pre-
faz-sc a somma do 7:0003 que o Sr. Lobo tem pos-
to disposico do veneravel missionario apostlico
para fazer face s exigencias do servico do edi-
ticio.
r.lO-GHANDE.
Nada occorreu digno de mencao.
PARAHYBA.
Nosso correspondente escreve-nos, om 9 do cor-
rente :
provincial, o banquete poltico que os numerosos
amigos do Exm Sr. Dr. Theodoro Maehado, digr.o
presidente de-ta provincia, Ihe offereceram. cono
um testemunlio publico de sua gradao pelos re-
levantes tarricos prestados durante sua fecunda
adminisiracao.
O banquete estove profuso e esplendido :
nao ha noticia do outro semelhante na provincia :
exceden mesmo espectativa de todos, fazendo-5e
o servico com mnita rapidez o mximo aceio,
achando-se presente cerca de cem convivas.
Pizejam-se grande numero de brindes, que
seria longo numerar, sendo cada um acompaa-
do de msica e gyrandolas, terminando s9 horas
la noite, com a sado de honra proposta por H.
Exc. S. M. o Imperador, executando a mosica
marcial nessa occasiao o hymno nacional, e su-
bindo ao ar uma inmensa gyrandola.
No dia seguinte, teve lugar o baile offertado
pela guarda nacional da capital, ao mesmo Exm.
Sr. Dr. Theodoro Machado, sendo bastante con-
corritio de senhoras o cavalheiros.
Os aloes do paco da assemblea estava bri-
llantemente ornados Iluminados, fazendo-se o
servico respectivo com gosto e profusio, reinando
a maior ordem, alegra c cordialidade, entre os
concurrentes distinctos que assistiraoi a seme-
lhante festa.
< O baile eomecou s 9 horas cem a chegadi
de S. Exc, e terminou s 2 e meia horas da mar
drugada, sendo o mesmo Exm. Sr. acompanhado,
tanto na ida c mo na volta, de uma commissao
da nossa briosa guarda nacional, e de muitas pe.--
soas gradas.
Hoie ao mcio da passou S. Exc. a adminis-
tracan da provincia ao Rvm. Sr. padre FrancIscD
i into Pessoa, na qualidade de sen segundo vice-
presidente fauno.) tarde seu embarque no vopor
(.ruzeiro do Sul acompanhado de grande nu
^""ra, n,^8;;^ P?80 d0 consderacao d;.
guarda nacional da capital o de muitos funeciona-
nos pblicos, fazendo-lhe urna guarda de honra
postada no caes do Varadouro, 4 contintK
a Possam ventos propicios acompanhar odistinc
to administrador em seus novos destino* n
continuar a prestar ao paiz os aorvicos anat,',
-l3 esperar de sua illustraco e capacidade admi
nistrativa. ^ "'
NOTICIAS DA ECROf A.
Hontem tard chegon o vapor francez iVociu--
re, trazoiido data;.: de Ham!mrgo 2i), do Londres
23, de Paris 24 e de Lisboa 28 do passado.
Hkspanha.Eurididl iras: insistencia pela eleiro
de D. Fernando. Manifestaroes populares con-
tra o recrutaHunU). Sublevarlo n Xerez, rspri-
mida pelas forras ilo gorerno. Projecto de cons-
tituido liespankola. Promessa de le de ts'rttc-
ruoyubltca. Apfrwarao do emprestmo de mil
mimes de rales, Approvatfia do conlip.ijcnte de
25fi00 horneas. R'misso a dinhein pela mu-
nicipalidade d-. Madrid de todos os conscriptos.
I.nolateniu. Dscussao as oamaras do bil da
abolcao dos privilegios da igreja offioiil na Ir-
tanda. Dficit, de 4078 mil *.
Frasca k bb.gjca. Terminou o conflicto franco-
belga, peta nomearo le uma commissao mixta,
para trttar ^ste ass^.mpto e de um tratado de
commenio. A conferencia ser fot Pon. Qnts-
too anloga entre a Franca e a Hollamla. oen-
ca de ilapoleao III
Italia k roma.Melhoras do sanio padre.Prepa-
rativos para ocoiulio. Retardes amigaveis aun
a Pr-ussiu e com a Austria. Allianca entre Fraura, a Austria e a ItaUa. Crise ministerial
em Ftorenca, espera-se que o gabinete Menubr
ravel allianca.
Au.rma.nha. Viagem Ftfonvs da Bohemia para que Ihe seja reconhe-
nlia do Norte discut a le eleitoral. fazendo-lhe
emendas importantes. Este parlamento quer a
nomeacao de um ministerio federal responsuvel.
A Prussia oppoe-se Doenca do re da Baoiera.
Oriente.Inquietacao na Grecia. O general Igna-
lieff affastado dos negocios em consequencia da
parte que tomen n conflicto greco-turco. A ques-
illo entre a Turqua e~aPersia est resolvan.
Agitacao nos prqu.tnas nacSes do Baixo Danu-
bio.
Estados-unidos.Projecto de reconhecmentoda in-
dependencia de Cidu. Achi-se constituida a no-
va enmara dos representantes e reconstruido o
ministerio. A divida nacional ser reembolsada
em Ostro.
Portugal. Reforma eleiloral c eleroes para 11
de abril. Noticias aiversas.
mar amia.
Assovera-se que o governo portuguez rece-
bera uma nota do governo hespanhol, expondo as
dilliculdadcs em quo se acha este governo para
eonter a revolucao, c que so el-rei B. Fernando se
nao decidir a aceitar a candidatura ao throno hes-
panliol inevitavel a fonnaci de nina repblica.
Uoia carta do Madrid datada de 21 diz que o
ministro de Portugal naquolla corle diz a quem o
quer ouvir, que el rci D. Fernando, se as cortes
Ihe offerecerem a coroa nao aregeitar; diz a
mesilla carta, que taes boatos ammam os partida-
ros da uni3o ibrica, que proclaman] a luso das
duas nacionalidades; e assegura-se que todos os
ministros estao de accordo em propor a D. Fernan-
do; que brevemente ir a Lisboa uma commis-
sao para tratar ileste assumpto. .
Diz uma tyiha semi-offleial do governo hespa-
nhol que a candidatura de D. Fernando aceita
por sote ministros c pela maioria dos deputados;
e que nestes ltimos tempos tem havdo commu-
nicacoes entre Portugal, Hespanlia, Franca c In-
glaterra, c que estas communicacoes deixam es-
perar um xito favorf.vel esta solucao.
Diz um correspondente de Pars Correspon-
dencia de Hespanka, que se assegura que o gover-
ii) Franeex te a palavra do Sr. Olozoga, de que o
duque de Mom> nsier nao sereleito para o tino- .. '
no; que varios ministros sao decididos partidarios i '-L'-..
de D. Fernando, que este ceder por fin perante
um voto das cortes eu por pedido de uma commis-
sao que enviarlo de Madrid; que em troca disto*
o governo imperial, que entreten o acaricia os
emigrados, se comproinette a annular os planos
carlistas; e que nj sendo possivel a duracao de
D. Fernando uo tlirono de Hespanha, vira por flu
a restauracao, razio porque em ultimo extremo
os isabelinos nj combaterao este plano.
Dizem de Madrid que o duque de Monxpcnsier
declarar que nada f ira para obier o throno de
Hespanha, que aceitara a coroa nicamente se
fosse nomeado por una grande maioria, nao que-
rendo que a sua eleicao soja pretexto de uma
guerra civil, desejando, pelo contrario, para a
Hespanha o principio de uma era de tranquilida-
do c ile prosperidade.
Escrevem do Paris que se falla muto anda na
retirada de Madrid do baro Mercier de Losleude,
dizendo-se que a sua vagem tem relacao com a
candidatura do duque de Montpcnsier. Sabe-sc ha
bastante tempo que a corte dasTulberias desfa-
voravel esta candidatura, e ouc se esforca para
que esta seja mal succediiia ; diz a citada corres-
pondencia que .Vapulea i III facilitara a unio ibe-
rici, com a comiice de receber em troca as lihas
Baleares; para que a Inglaterra senaooponhaa
essacessai, e a unio de Portugal Hespanha.
parece que esta se vera na nccessidade de ihe dar
tainbeincomo compenacao cenia. E-ta noticia
tao extravagante que nos niio mei eco crdito, e
mesnw por.pic vemos a Hespanha, fazer tao gran-
des esl'oi eos para conservar a ilha de Cuba, oque
mostra que n > sacrlicaria com tanta facilidade
possessoos tj prximas das suas costas ; e tre-
tanlo a poltica tem mysteros quo nao dado de-
vassar.
Chamou muito a attencao om Pars a demo-
rada visita que os impiradore* flzeram a D. Isa-
bel c D. Francisco de Bourbou.
Diz o Goulois de 20 de marfo que em Pars
se fazem preparativos carlistas, afflrma que na
vespera haviam prtdo para Hespanha quatro
agentes carlistas.
Diz o Iinparcial que o general carlista Cabrera,
nao quizera reconheccrD.Isabel de Bourbon, apc-
sar das diligencias para esse Qm empregadas; que
declarou ao neto de Carlos V. que estava resolvido
a ajuda-lo para oceupar o throno de Hespanha;
e que D. Carlos Ihe escrovera propondo-lbc o pla-
no de campanha, para que elle o aceite, ou endi-
ta a sua opinio modificando-o.
Urna carta publicada pelo jornal Puente ie Al
colea, diz que houve um ajusto formal entre D.
Isabel de Bourbon e D. Carlos ; que no dia 3 de
marco se reuniram quatorze pessoas a jantar em
um gabinete da Muison Dore, e antes de jan'ar
se fizara uma escriptura perante dous tabellies,
cujas partes contratantes so ignoram, posto que
se advinbcm, bein como o assumpto que fez parti-
do contrato, pelo nom das tettemunhas ; estas
eram : de nma parteMarfori, Albacete, Chest.-
e Gasset, e por outra |iartc=Elio, Morales, Algar-
ra c Apanste. St:rvoi entusisticos brindes Hespanha, Carlos VIL
Isabel II, c por ultimo a seu fllho, dissolven-
do-se areunioa 10 lioras e meia da noite.
Diz-se qne paca ver realisados os seus projeclos
do restauracao, a familia Bourbon conta em Ma-
drid com pessoas de alta e babea posicao, com
um numeroso corpo di p<)lcia e com muitos nni-.
Os carlistas tem mandado os seus agentes por
differentes provincias ele Hespanha a recrutar para
as suas bandeiras as (ssoas que podem reduzir,
espalhando mos lar jas dinheiro. Os isabelistas
de accordo com os carlistas tambem nao desean
cam, sendo j crescide o numero dos ?eus parti-
darios entre todas as classes sociaes, tanto na-
provincias como em Madrid.
Na Hespanha o estado dos espiritos anda
muito sobresaltado. Succedem-so as raanifesta-
coes, os meatings paciiieos, a desordem, o a sublo-
vacao armada; daremos conta aos nossos leitores
destes fados pela sua ordem cbronologica.
Terminado o conflicto de Malaga, do que j ti-
vemos noticia, o ministro da fazenda, o Sr. Figue-
rolas, deu conta s cmaras, que o conflicto se
originara entre carabineiros, e individuos que veo-
dem tabaco s classes baixas, julgando que tinha
havdo uma tomada de consideracao ; que tal
conflicto nao tivera carcter poltico.
No dia 14 verilicou-.- e em Madrid o annuncia lo
meeting contra o recrutaraento ; concorreraio mais
de tres mil pessoas, o general Pierrad fallou ao
povo ; houve gritos deviva a repblica federal,
mas a ordem nao foi alterada.
A^sessao das cmaras no dia 13 estove muito
animada. O deputado o Sr. Abascal, interpellou o
governo sobre a maniftstacao. O ministro do rei-
no, o Sr. Sagasta, disse que s tinha noticias ex-
tra-ofciaes, a q le tinha diiBculdade de dar cr-
dito quo constava ao governo que hornera um
deputado (o Sr. Orense) que pregara a rebelliao
contra as resolucdns das cortes; e que um gene-
ral (Pierrad) dissera qua o paiz nao devia dar ho-
mens nom dinheiro; que se expenleram doutri-
nas anarchicas, subsnrvisas e dissolventes, por
pessoas que teera assento as cortes, o que por
esse motivo linham o lever de serem rircums-
pectas c de lembrar a todo o mundo o reapoito que
merece a soberana da naci representada pelas
oortes.
OSr. Orense respondn a* Sr Sagasta, dizendo
que a manfestacao ha'a sido muito pacificare
quo poleria servir de mxlello s dos paizes mais
uberaes. Censurou o ministro por dker cousa
le declarava niio salwr offlcialmente, qne se
oouve doutruus boas i ms, isso succedia em
'odas as partes e nao ha mcio de o evitar, e que
mesmo no seio do parlamento se nao poderia
evitar.
O ministro da marinha declarou que nao estava
=atslcito ce* as explcac5es do Sr..Orense, e que
sen lia bastante as palavris ditas na reuniao pelo
Sr. Pierrad c mais alguns deputados,Tomaram
anda a palavra o ministro da governaco e o da
guerra, que aecusou o Sr. Pierrad de haver cha
mado'idroos aos ministixis, Pierrad negon. listas
explicacoes causaram rumores por algmnas vezes
e grande confuan. Castellar asscgurou que a mi-
nora republicana hava de sustentar a decisa i
das curtes constituintes, e que se insensato su-
blcvar-se qnando existe libertado, mais insensato
era ainda governar contra os principios liberacs,
accivscentou que neta e governo ncm a maioria
etavam de accordo a respeito do candidato ao
throno. O ministro da gnerra, e general Pierna,
responden que e governo o a maioria cstavam
conformes sobre quem devia ser esse candidato e
que elle seria brevemente eleito e chamado.
Figueras dis&e tjno a iutOHc) 4o governo era
expulsar da cmara os republicanos, mas que
ello< jamis falliran!, parque licariam perdidas as
liberdades adquiridas. Em toda a sesso houve
tumultos o frecuentes interrupcSes.
No dia 17 foi o ministro do interior declarar s
cortes que havia urna sublevaran em Xerez e Mo-
rn, em conseqaenca da conscripcao. Em Xerez
havia barricadas. O capito genera! de Sevilha
bata podido ao governador de Cadix que man-
dasse tropa para Xerez. O caminhode ferro ha-
via sido cortado entre Sevilha e Cadix. Prepara-
vam-se desordens em Alcal del Valle Paterna.
Figueras, deputado republicano,tomou a palavra
anatematisando, e protestando da maneira mais
nobre o patritica, contra a alteracao da ordem.
Apresentou uma proposta, oflerecerido o apoio da
anara ao governo para rostabelecer a ordem.
A propostado voto do confianca foi logo appro-
vada por completa unanimidade.
O presidente do governo executivo, o general
Serrano declarou que agradeca minora repu-
blicana esta pacifica manifcstacio, e que a liberda-
do nao correra risco em quanto a minora con-
servasse aquella attitude.
A sublevacao de Xerez foi rpidamente reprm-
ad.mas com perdas sensiveisdeum o outro lado.
O batallio de Rcus dividile em duas partes para
atacar os sublevados. A ala direita teve um te-
nente, um altores e dous sargentos contusos, fe-
rdos um cadete, dous sargentos e 12 soldados,
e morios dous cabos e um soldado. A ala esquer-
da teve nm capito e quatro sargentos contusos ;
feridos dous tenentes, um cabo c 37 soldados ;
o morios m altares e 7 soldados. Nao se sabe
ainda o numero de victimas dos sublavados. A
guarda civil persegua os insurgentes.
Em Cadix. Sevilha e mais pontos da Andaluzia
notam-se anda symptomas assnstadores.
No da 18 salaran) varias columnas volantes do
excrcito para percorrerem a provincia do Teruel,
aonde se notava certa agitacao produzida pela
presenca do varios eabecilhas carlistas aconse-
jando a rebelliao. -
Os insurreccionados de^ert davam vivas a D.
Izabel II. Parece que se apprehendcram corres-
p mdencias graves de Paris para o comit restau-
rador de S. Sebastio. A nsurreico tinha rami-
ficamos na catalunlia, e um contra director em
Madrid. A insuricieo foi dominada mas o go-
verno va tomar medidas muto enrgicas.
A cmara nomeou nmcomniissao de ordem pu-
blica. O chefe republicana Figueras faz parte
d'ella.
- Xo dia 21 houve manifestacoes populaivs em
a e Granada, contra o recrutamento. Em
Sevilha tambem houve por este motivo uma pro-
cissao de penitencia custa das confrarias. A
ordem, porcia nao foi alterada.
Houve em Madrid no dia 22 urna manfestacao
de perto de 200 mullieres para'a abolcao do recru-
tamento. Reunio-se grande numoro de curiosos.
A manfestacao parti do monumento de Doi de
mato, dirigiodo-se d'alli para o edificio das cortes,
agrupando-se no atrio o nos corredores onde se
pronunciaran! varios discursos, e encarregando-se
o_deputado Orense de apresentar s cortes a peti-
co do meeting.
O ministro do fomento declarou cmara, que
dianto do edificio estava reunida a multiao, mani-
festando-se contra o recrutaraento; que os depu-
tados Castellar e Figueras havian fallado
turba, pedindo-lhe que se rerasse,' masque outro
deputado republicano havia excitado*) povo a en-
trar na sala das sessoes. fundando-se em que a
minora nada podia obter a respeito da abolcao
do recrutamento.
O ministre da guerra ordenen enrWoz alta, ao
general Milans del Boscli, une fizes^ojapproximar
os voluntarios e as tarcas do cxoreiioV para que,
restabeleccudo a ordem, e dispersando a turba,
dexassem as cortes deliberar trauquillamente.
O deputado republicano Garca Lpez combaleu
violentamente o recrut miento, mas declarou em
nome da minora, que ella reprovava as manifes-
tacoes tumultuosas. O seu discurso produzio
profunda excitacao nos bancos da maioria. Duran-
te o discurso, cstiveram os ministros' conferen-
ciando.
Na sesso de 23 Juariste negou formalmente
as palavras que Ihe haviam sido altrikudas pelo
ministro do fomento na sesso da vespera. O mi-
nistro insisti em que Juariste nao intimara a
multdo a retrar-se. Castellar disse que os ami-
gos de Juar ste o haviam impedido de continuar
o seu discurso, reeeiando que as suas palavras
fossem mal interpretadas. Havia cstabelecido em
divessos pontos da cidade postos de voluntarios, e
especialmente as cortes e no theatro da Opera ;
mas a ordem era\icifeita, e nao havia recetas, de
que fosse alterada.
No dia 22 apresentou a commissao s cortes o
seu relatorio favoravel ao projecto de le do con-
tingente de 2o mil hoineus. No dia 24 foi appro-
vada a le por 139 votos contra 48. As sessoes
f ram interrumpidas at o da 29, em consequen-
cia das solcmnidadas religiosas do-tas das.
Um edtal de Rvero do dia 20 marcava o dia
21 para o comeen do sortearaento para o exercito.
e aonunciava que a municipalplade de Madrid
havia resolvido resgatar do servjc militar todo-
os seus conscriptos. A muncipaldade de Madrid,
ao tomar tao importante deliberacao, resolveu di-
rigir aos povos visinhos da capital um manifest
uesse sentido, c especialmente aos pas de familia,
cojos Ollios tem de ser sorteados, ilim do coad-
juvarein esta id, com a quant que Ihe seja
possiyel dar.
Foi apresentada as ci es e admittida dscus-
sao ama proposta para serem dispensadas da
conscripcao as provincias que pagarem com di
nhetro o 6eu contingente.
Cartas de Barcelona dizem que naquella cidade
reina grande agitado no parldo republicano;
o motivo apparente o recrutamento, e o verda-
(teiro os esioroos de certos agitadores obscuros
le aproveitam este ncid-snte, para se collocarem
n uma posicap superior dos deputados represen-
tantes que aquella cidade enviou ao parlamento,
itepulilicanos cuja sensatez e innmeros servidos
pela causa da liberdade sao conhecdos lamentam
a attitude daqueila parlo do partido republicano
Segundo diz a Reforma j se acha terminado
o projecto da constituico hespanhola ; j tai lido
em uma reuniao de deputados dajnaioria, e deve
ser apresentado com toda a brevidade s cortes
eonstituint-s.
A maioria da commissao da constituico'propoe
a completa separacao do estado da igreja, e a
maioria propoe uma religiao de Estado, e toleran-
cia para os outros cultos.
Na sesso de 24, a commissao de azenda
apresentou o seu relatorio favoravel ao empres-
timo de mil milhoes de reales. Py-Margall com-
bateu o projecto ; espera-se que seja votado o
projecto depois das ferias.
nflu,^"ifroDZrrilla' r-MPondendo a uma nter-
pellacaode Ballaguez, annuncou s cortos que
Hit fita VU onro.nplnm, Hn ._^_ .
dos easamentjs celebradas actualnnnte, que s3o
consilerados concubinato, nao 03 autorisairl i a
leu
O deputado republicano Orense apresentou
uma proposta de Ici para que o mandato de de-
\ putado seja compativel com toda a fnnecao publi-
ca retribuida 0 ministro do inle/ier Sagasta
declarou-se contra a proposta.
O Sr. Doblas, embaixador na Hollanda, e
Posada Herrera embtador cm Ro.ua, forajn do-
raitdos, por incompalilvilidade dos seus cargos
com o mandado de deputad i.
Causou profunda stinsacao em Mard o re-
sultado faial do duello entre o Sr. Celestino 01o-
maiorcuii! algumas pequeas observa-
jo tratado acerca das tarifas; e estas obscr-
Wcoes, que nao toeam na baso do contracto, sao
nesla nioineuto* assumpto de negociaces espe
ciaes, nao se duvdando do resultado favoravel.
Falla-sc vagamente em Pars na prxima ch-
gada aquella capital do re dos Paizcs-Batxos. Nao
e preciso dizer que a vagem do monarcha hollan-
dez va dar vulto aos boatos sobre os tratados da
allianca concluidos, ou para concluir para o caso
de um prximo conflicto na Europa.
Tem dado muito cuidado a doenca do impe-
rador Xap ileo, no dia 21 anezar do se achar
, no dia 21 anezar do
bastante indisposto. presidio ao consellio de mins-
3 Iff.^"" das C')ne9,-f t^f9 -e ara ; i tros>,nM fo levado da sala do conselho em muito
duelo teve urna causa muito ftil, e nao foi por | mao estado, e em todo o resto do dia nao tinha
motivos polticos ; o joven Olozaga, foi queinde-
saliou o conde Jara ao sabr. Logo depois de
crusarera os saores o conde de Jara den urna es-
tocada em Olozaga, que o varn morto aos seus
ps. As cortes, quand tveram conhecmento do
fado suspendewm os seus trabalhos cm manifes-
ao,l^.rol0 l?"*x Y'8 ^ ei!t,:c. a9 PC^s Depois da audiencia tai o duque compri.nentar a
senlido allvio. Um telegramma de 24 diz que o
imperador entrara em convalescenca e podra
nesse diapasseiar de carruagem nos Campos-Ely-
sios e no Bosque de Bolonha.
0 imperador receben em audiencia publica c
l ao duque do Saldanha, embaixador de
ue assistam : Serrano, alguns ministros, Rvero,
3uc
os
tacameatos do exercito, e dos voluntarios, c
uma deputacao das cortes.
D. Salustino Olozaga, muito magoado pela des-
gracada morte de seu sobrinho, tem estado doente,
mas espera-so que a sua sado Ihe consulta to-
mar parte as discussoes da constituico. D. Jo-
s Olozaga. pai do infeliz mancebo, contina n'um
oslado de consternacao difllcl de descrever, recu-
sando-se a t miar o menor alimento.
- duque comprinentar
imperalnz. Xo dia 19 foi o embaixador portuguez
recebido pelo principe Napoleo.
foi nomeado vce-presidente do senado o Sr.
lloger, grao-cruz da legio de honra.
Coufirma-se a noticia da existenc i de una cir-
circular do ministro da guerra digida a todas os
commandantes das dvisoes militares, que prohibe
terminantemente, at segunda ordem, todas as mu-
danzas de gdarnicao. Todos os soldados que linham
lor alimento. permanecido at agora nos depsitos, foram envia-
O conde de Jara transpnz a fronteira hespanho- dos aos seus respectivos bataihoes, para que estes
la em direceao ao norte, passando por Perpignao. fiquem o.ganisados em p de guerra.
Diz-se que tai preso em Rurgos um carpin-
tero 4uo so suppde ser o principal autor do as-
sassinato do governador.
INGLATERRA.
,0 Sr. D'Isracli apresentou na cmara dos com-
muns a regeico do bil da abolico da grejaan-
gheana da Irlanda. O chefe dos" lories fund-se
em que ha duzentos annos a niesma tentativa sus-
citou imia guerra civil, e que a unio da igreja
do estado a nica garanta da liberdade religio-
sa.^ Gregory combateu a proposta de regeieao.
(.ladstone falln durante tres horas a favor da
aboico dos privilegios da igreja anglicana na Ir-
landa, e em todo o seu discurso, segundo a op'
no da 29 apresentaria as cmaras um projecto de
le muito liberal sobro instruccao primaria o se-
cundaria, e outro sobre obras publicas no sentido
de completa descentral isacao.
0 ministro da fazenda Fguerola annuncou a
prxima apresenlacao de um projecto de le re-
lativo a prosenpeao de certos crditos contra o
cstaflo.
A Gazeta de 23 publica uma ordem de Fgue-
rola relativa a interdiecao de pagar s classes
passivas no estraqgero durante mais de auatro
mezes improrogaveis.
A Gazeta publica um decreto de amnista para
aimprensa; as cmaras foi apresentada uma
proposta para que sejam devolvidas aos peridi-
cos as multas de qne tarara victimas desde 1864,
por meio decoupons do thesouro pelo proco da
cotacao. e v ^^
A Gazeta publica tambem uma ordem de Sa-
gasta para que sejam affixadas durante dous me-
zes listas das cartas, cujos sobrescriptos estejam
incompletos, ou mntelligiveis, queimando-as em
seguida em lugar de as abrir como d antes se
razia para encontrar o nome do autor.
O deputado Del Rio apresentoa uma proposta,
pedindo o estabelecimento do casamen o civil ;
Ortiz respondeu que o governo estada a qaeeto
niao do sen proprio adversario, o Sr. D'Israeli, nao
pronunciou uma nica palavra snperflua, uem
sequer uma phrase seni utilidade pratica.
No da 18 pnblcou-se em Londres uma longa
declaraco, redigida por varios membros legos da
igreja irlandeza. Nessa declaraco, que asigna-
da por cincoenta pares irlandezes, e por cem
sub-gove nadores, magistrados, juizes, fidalgos c
membros da alta burguezia, nega-se a competen-
cia moral do parlamento britannico para pronun-
ciar a abolcao da igreja irlandeza.
Gladstone pode contar no parlamento com uma
maioria de 67 a 80 votos, mas parece que Iho se-
r difflcl reunir tantos para quebrar as tradiejocs
que exstem no coraco dos inglezes.
Foi apresentado no parlamento inglez o orca-
mento que patenta um dficit de 4:878 mil li-
bras esterlinas. As enormes proporeoes do dfi-
cit fazem- uma revelaco quo se nao tinha repro-
duzido desde a guerra da Crimea. As folha in-
glezas, dedicadas ao governo actual, dizem que os
lories poderam ter dexado de si outra especie de
recordacoes.
Na cmara dos conununs houve uma ds-
cussao entre o duque de Somersct, lord Claren-"
don e outros membros do parlamento, em que se
revelou uma especie de mudanca elTectuada no es-
pirito publico cm Inglaterra. Tratava-se da China
e de actos de violencia de que teem sido vctimas
certos missimarios anglicanos. O duque de So-
merset sustentou que as reclamacocs dos missio-
narios eram iniquas, c at perigosas para a ma-
nutencao das relacoes pacificas entre a Inglaterra
e o Celeste imperio. Lord Clarendon nao o con-
tradsse, e a cmara mostrou-se unnime a favor
do principio de que a propaganda religiosa deve
ser feita por eonta e risco do quem a intenta.
FRANCA E LELGICA.
Desappareceram as difflculdades entre a Franca
e a Blgica O Sr. de la Guerronre partiu no
da 15 para Bruxellas, levando instruccoes muito
conciliadoras. as conferencias celebradas pelo
ministro belga Frre Orban e o representante
francez, insistiu este cm declarar que a Franca
quer tratar sobre as bases, mediante as quaes po
deria resolver a questo dos caminhos do ferro
belgas, de tanta importancia poltica na occasiao
actual, e no sentido do convenio ajustado com a
companhia do E'ste da Franca.
O visconde de la Guerronre deu ao governo
belga letura da nota do governo francez, mas
sem doxar copia de dita nota, o que considera-
do como o procedmento diplomtico mais ben-
volo e de amisade.
Parece que o governo inglez havia offerecido a
sua mediaco para solucao da questo, mas o im-
perador Napoleo nao quiz ouvir fallar em media-
cao ou arbitragem para resolver a questo.
A Independencia belga, diz que segundo Ihe
consta, so cliegra a um accordo sobre alguns
pontos ; que se acha decidido em principio que
se ha de reunir uma conferencia para resolver es-
tas questoes, que a conferencia se ha de reunir
em Pars, segundo os deiejos do governo francez. I
O governo belga prope-se submetter a esta
commissao o exame das tarifas internacionaes, de
modo que assegure s companbias francezas os
transportes que ellas aproveitariam por meio da
exploracao directo do grande Luxemburgo, e do
Liegeois Limburguez.
Resultar d'ahi uma tentativa para fixar as ta-
rifas internacionaes.
O governo francez, aehando estas propostas I i -
mitadas, pede 'que a conferencia se oceupe de
todas as questoes econmicas que interessam os
dois paizes, sem excluir o exame das convencoes
de caminhos de ferro.
Apontam-se j os membros que ho do fazer
parte da commissao; diz-se que por parte da Bl-
gica scrao o Sr. Fassiaux director geral das com-
missoes de caminhos de ferro do estado,o Sr. Fisco,
inspector geral no ministerio das financas, c o Sr.
Wanderslaehen, director na mesma repartco, e
falla-seno director geral das alfandegas": por
parte da Franca, fallase no Sr. Barbier, director
geral das alfandegas e contribuicoes indirecias,
Sr. Franquevlle, director geral dos caninhos de
ferro, Sr. Ozenno, director do eommercio exterior
"no ministerio das obras publicas, e Sr. Meurant,
chefe da dreccao commercial no ministerio dos
estrangeiros.
As questoes de que deve tratar a conferencia
dividein-se em dois grupos : ao ipriraoiro, per-
teucem as relativas as alfandegas, s tarifas e
nutras quaesquer materias anlogas.
Afim de incln ir se poder resolver este assump-
to, ser tomarlo por ponto de partida a renovacao
do tratado de eommercio entre a Franca e a Bl-
gica, que termina d'aqui a alguns mezes.
Diz se que este tratado submettido a nova ds-
cussao, ser modificado, augmentado, e depois
prorogado por novo periodo de de? annos.
O segundo grupo encerra particularmente as
questoes relativas aos caminhos de ferro.
O ministerio belga irttarmou offlcialmente o Sr.
de la Guerronre, no dia 19 de maceo, que o go-
verno belga acceitava a proposta franceza.
Tmh.'l 4lHn t\npii\tt\n nalna ^rj bVArit f
p ue guerra.
Dizem de Paris que o governo fra nterpcllado
na cmara sobre se projectava ou nao a supprcs-
so do imposto de cunsumo.
O governo respondeu negativamente, dizendo que
aquello imposto era necessario, tanto para o the-
souro, como para proporcionar recursos s muni-
cipalidades ; e aps animada dscussao, passou a
cmara ordem do dia.
O corpo legislativo regeitou por 193 votos con-
tra 24, a emenda da esquerda pcdmdo se reduza o
contipgente de cem mil homens a setenta mil.
O rotatorio do orcamento destribuido no corno
legislativo, diz que o governo declarara commissao
que a sluaco do paiz era muto pacfica.
O governo francez publcou um decreto sepa-
rando o servico das contribuicoes indirectas do
das alfandegas.
O Santo Padre enviou no dia 16 a sua bencao
ao principe imperial, pelo motivo do seu aniver-
sario natalicio. O imperador cscreveu uma carta
autographa Sua Santidade, dando-lhe expressi-
vos agradecraentos.
ITALIA E ROMA.
A sade do Santo Padre, acerca da qual se es-
palliam de lempos a tempos noticias assustadoras,
nao inspira ncnliuin receto serio. Pi IX assistio
todos os ollicios da qnaresma e semana santa, con-
tinuando a dar as suas audiencias ordinarias e ex-
traordinarias, e oceupando-se activamente dos pre-
parativos da festa de 11 de abril, 50 anniversario
da sua primeira mssa ; e tem assistido s reunios
da commissao encarregada dos preparativos do fu-
turo concilio, cuia celebraco comecar, apezar dos
rumores contradictorios, no dia 8 do prximo mez
de dezembro. A sua constituico ainda tao vigo-
rosa, c os casos de extrema lougevdade sao tao
i'uen|es na sua familia, que o levam a lis. n-
gear-se nao s de abrir e encerrar o concilio, co-
mo de celebrar o 40 anniversario da sua sa-
gfKao.
Os addtamentos em vez de eneotrir a aspereza de
uma argumentado que nao eonlfcee limites ten-
dem peto contrario a dar latitmlc a um pensamen-
por mais de urna vez maraviihon a Europa
O parlamento federal discutio a lei elcitoral,
sendo approvada urna emenda esta lei, determi-
nando que os soldados em actividad devem ser
os muras excluidos do direito d? votar, o que os
liomcnsda reserva sejam admillidos ao voto.
A Gazeta Nacional de Berln diz que tal dispe-
sico seria de muito pouca importancia em qual-
quer paiz ; o na Allemanha do norte de grande
imporlancia, porque all todos os eidadios sao sol-
dados, pois tem obrigacao de servir tres annos no
exercito permanente, quatro annos na reserva, e
pcrmaneceni at idade de 39 annos no land-
wher.
Tinha sido decidido pelos Srs. Frre Orban e
de la Guerronre que o Moniteur belge publica-
ra uma nota annunciando as resolucoes tomadas
de commum accordo, e que essa nota seria depois
reprodnzidt pelo Journal Officiat de tempere fran-
eis, mas segundo os desejos manifestados pelo
governo belga, concordou-se em que tal nota
seria publicada simultneamente em Bruxellas e
em Pars, nos dois jornaes oCQciaes dos respecti-
vos governos.
Ao passo que desappareceram as difflculda-
des entre Pars e Bruxellas, coraplica-se por outro
lado a questo.
A fusao entre os caminhos francez o belga,
devia trazer comsigo a fusa da linba de E'ste
franceza, com o caminho de ferro hollandez de
Rotterdam; mas o governo dos Paizes Baixos
oppde um formal veto esta combinarn, que
dara Franca um pont- de apoio as proximida-
des do Rheno.
Suppoe-se ne a Inglaterra tratou com o gover-
no hollandez para precipitar esta decisao, para
perturbar a Franca na conciasao desta dupla
cessao,
A Patrie desmente esta noticia, explicando a
stuacao do seguinte modo:
A liuha neerlandeza nesta occasiao acaba em
Eindhoven, e trata-se do continuar na dreccao de
Utrecht e Amsterdam, roas a sua construecu
exige grandes trabalhos d'arte, e a eonstruccii
de varias pontos sobre o Mease, qne se nao po-
dem terminar antes de doze ou quinze mezes; a
inaugnraco desta parte da rede nao se pode ef-
fectuar antes de dois annos. Os proprietarios
ileste caminho de ferro, comprehenderam o pro-
veito que aufererlam, se se jontassem ama
companhia tao poderosa como a do E'ste francez,
e preparou-se nm projecto de tratado.
O governo de Haia mostrou-se sempre favora-
vel s negociaedes propoetas, exaraiaou-as com o
Sumino Pontfice deu um breve concedendo
ao orbe catltolco indulgencia plenaria no dia 11
de abril, 50" anniversario do dia em que celebrou
sua primeira missa.
As_ reanles entre a corte de Roma e a de Rcr-
ln sao muito amigaveis, o asSegura-se nos crculos
diplomticos, que em vista da provavel allianca
en're a Franca, Austria e Italia, o governo prus-
siano se tomar o protector da integrdade dos es-
tados do Papa.
Diz a Frnce que o estabelecimento de um nun-
cio em Berln, nao um acontecimento ordinario ;
que um laclo que ha de contribuir mais do que
se suppoc para que o sul allemo e catholico se
precipite nos bracos da Prussia protestante. Es|c-
ra-se que as relacoes de Berln e Roma, de Vicu-
a e Florenca, facan importantissmas altcracoes
na poltica da Europa.
A Correspondencia de Nordeste afflrma que sao
amigaveis as relacoes entre a corte de Roma e
o governo austro-hngaro. Diz aquelle jornal que
se espera urna declaraco da santa s, sobre as
Icis relativas ao ensino, promulgadas na Austria c
na Hungra. Resulta desta declaraco que o go-
verno pontificio est dsposto a occeitar, ou pelo
menos a tolerar os factos occorridos para conse-
guir um modus vivendi com a Austria.
E' desmentida a noticia dada por alguns jornaes
sobre a revisay da concordata vigente entre a san-
ta s e a Franca.
Acha-se contratado o matrimonio do darme
Roberto de Parma, com a prnceza Maria Pa, ir-
ma de Francisco II de aples.
Os boatos dos pesVimistas que agora circu-
lara fundam-se na prxima entrevista do impera-
dor d'Austria eom Vctor Emmanucl, na chamada
Florenca de Usedon, pelo governo prussano, na
partida para Florenca do embaixador de Italia na
Prussia, o cavalheiro Nigra, na partida para Pa-
ris do embaixador francez em Vienna. o duque de
Grammont.
0 re de Italia enviou o general Della Roca para
Trieste, afim de comprimeular o imperador d'Aus-
tria, c Francisco Jos recommendou aos archidu-
ques que assistssem festa do anniversario nata-
licio do re de Italia.
Os peridicos da Allemanha "e da Italia conti-
nuara a oceupar-se do projecto da trplice allianca
da Austria, Franca e Italia, allianca que s pode
ser dirigida entra a Prussia. Os jornaes franceses
dizem que a allianca nao contrahda para fazer
guerra inmediata, mas para obrigar a Prussia a
respeitar a lnha do Meno, a restituir o Schjeswg
Dinamarca e a abandonar a sua poltica de eon
quista.
Nos circuios polticos de Berln tem-se como
cerlo que o conde de Beust quer desforrar a Aus-
tria da sua derrota de 1866, e .]ue nao desperdica
meio algum para o conseguir.
Afiirma-se que a retirada, de Usedon de Floren-
ca, nao foi urna salisfaco dada Austria, em con-
sequencia da famosa nota do desmembramento
deste imperio;o motivo real, segundo se afflau-
o, tai nao saber prevenir a conclusao da allaniia
entre a Franca, Austria e Italia.
O gabinete Menabra contrario trplice allian-
ca, e os partidarios della trabalham por o fazer
cabr, e protegem urna combhiaco ministerial
presidida por Cialdni, que partidario da projec-
tada allianca.
A cmara dos deputados de Florenca appro-
vou todos os captulos do orcamento da marinha.
O ministro da fazenda apresentou cmara um
projecto de convenco com a companhia do canal
de Cavour.
O senado votou o cdigo milita* e martimo.
Os deputados da opposicao celebraram uma re- j
unio, e pozeram-se de accordo-para rebater todas
as novas contribuicoes cujo estabelecimento plli-
jectou o ministro da fazenda, calculando a sua
importancia era 120 milhoes de francos.
Desraente-se a noticia de terem obtido resulta-
do definito as uegociacoes relativas aos bens ec-
clesiasticos.
As cmaras italianas foram addiadas at 12 de
abril.
7 O principe Amadeu vae com uma esquadra
couracada fazer uma viagem de inspeceo em tor
no da pennsula italiana.
ALLEMANHA.
O imperador e a imperatriz d'Austria tem sido
alvo das mais entusisticas ovacoes na Croacia.
A Patrie, que publica uma pittoresca (ieiicripc'.i
das feslas de Agram em honra dos imperadores,
nota com prazer a unio entre os croatas e ou
hngaros, e elogia os condes de Beust e Andrasy,
a quem se deve este resultado.
A presenca, diz a France, do re da Hungra, da
Croacia, Slavonia e Dalmacia, ha de sellar a reno-
vacao do pacto recentemente concluido entre i
casa de S. Estovan e os paizes annexados.
Os tcheques, porm, niostram se cada vez mais
decididos a nao enviaren* deputados ao Reichstag,
emquanto nao (lzereni a corda de S. Wenceslao, o
que lizcram de S. Estevo. Os tcheques aspi-
rara a formaco de um reino da Bohemia, fundan-
do-se no successo q%e alcancara n os Hngaros fa-
zendo restabelecer o reino da Hungra.
IlnnA r Jffn U f\ \\ ama a ma ^ M & 1 : &_*. _
0 conde de Bsmark oppoo-se enrgicamente a
formaco de um ministerio federal rcsponsavel.
Corre o boato de que a Prussia est resolvida
a fazer oceupar n ducado dBade por parte do seu
exercito. Funda-se esto boato, que nao tom sido
desmentido, na noticia dada pela Gazeta da Bolsa
de Berln, que afflrma estar o conde de Bsmark
resolvido a oceupar-se, deaccido com o grao-
ducado de Bade, da questo do direito de goarni-
(*o na fortaleza de Ulm e Rastadt; e que o chan-
celler da confederaco do norte quer tratar deste
assumpto, ainda que provoque alguma opposicao
no cstrangeiro.
A commissao nomeada para estndar a ques-
to das indemnisacoes propositas pela Prussia ci-
dade livro do Francfort, va apresentar em breve
os seus trabalhos ao conselho municipal de Franc-
fort ; a maioria da commissao propoe declarar
que o terceiro milliao concedido pelo re, nao
um duin gratuito, confequanto essa cxpresso fos-
se empregada pelo ministro das financas, mas que
se deve aceitar e resultado, pos que nao -pissi-
vel oppr-sc uma lei. A minera da commissao
declara que o donativo feto pelo re incompatf-
vel com a dignidade da cidade de Francfort, e que
por consequencia preciso recusar.
Os frauclbrtenses preferem ser despojados a ser
humlhados.
negada a noticia de preparativos militares da
Prussia contra qualquer potencia estraDgeira. O
re.da Prussia licenciou alguns olieiaes, e deu or-
dem para nue o contingente de 1806, que devia
ser licenciado no outomno, o seja do mez do Janei-
ro cm diauto.
Est gravemente doente o rei da Baviera,
com um abeesso na bocea, que Ihe causa tabre
lentissina.
ORIENTE.
Dizem le Alhenas que Maurocordato, pretaito
de Corf, ser noin-ado ministro da Grecia em
Conslanlinopla ; a imprensa grega pede qne se fa-
cam preparativos militares, e que se tornen medi-
das a favor dos Cretenses, que nao quizerem vuliar
sua patria. Apezar da imprensa d'aquelle paiz
ter pouca nlluenca, bastante ardua a misso do
governo.
A terminacao do bloqucio de Canda, e a aber-
tura dos portos otlomanos tai motivo para em se-
guida se cohrirem os mares do Levante, de inn-
mera quanlidade de navios mercantes gregos. A
alegra das populacoes do litloral hellenico, das
quaes o eommercio o nico recurso, nao fcil
de descrever.
O general IguatielT receben do imperador da
Russa uma licenca de tres mezes. A publicacao
dos despachos diplomticos da Russa, relativos ao
contlicto greco-turco, explica os motivos que le-
varain o governo russo a dispensar momentnea-
mente os serviros do general IgnatiefT.
No lvro-azul do gabinete grego via-se iffectiva-
mente a intem'ao de comprometir a BosMa e de
a tornar responsavek pela poltica betlicosa da
Grecia.
O general Ignatieff nao obeervou a reserva que
as circumstancias Ihe aconselhavaine foi a exa-
gera^o do scu zlo, que causou a sua retirada
dos negocios.
Dizem de Conslanlinopla que os boatos de
guerra entre a Turqua e a Persia, sao destituidas
de fundamento. A questo entre aqnelles paizes
est terminada, Amdy-bey nitendeu-se com as au-
toridades da fronteirii, para dar uma satisfago s
reetamaeSea dos subditos do Sehah da Pcrsia.
Falla se em preparativos bellicosos que eslo
fazendo as pequeas nacoes do Baixo Danubio, e
diz-se que sao provocadas pela Prussia e Rus-
sa.
O telegrapbo do Bucharest reiternu a firme
intenco em que est o governo roumanico de im-
pedir, por todos os meios ao seu alcance, a forma-
co de guei'rilli.fs hostis Bulgaria.
ESTADOS-UNIROS.
Osjorn&esinglizes publicara um despacho de
Washington do 16 de marco, dizendo quo tai apre-
sentada ao senado e renieitida commissao nos
uegocios exteriores, tuna resoluco autorisando
presidente a recnhecer a "ndcjendenca de
Cuba.
O ministerio da inaiinba inandou que fosse
reforcada a esquadra americana das indias occi-
dentaes.
A caihara alta approvou o bll de Schenk,
declarando que a divida nacional ser reembolsa-
da em ouro. Esto bil j tai tambora approvado
pelo congresso ; falta-lhe s, para ser convertido
em lei,aassignatura do presidente.
Aeha-se constituida a nova cmara dos re-
presentantes, sendo nomeado presidente James
Blane. A sesso durar al l'ms de abril.
Em consequencia da Clise ministerial, o ge-
neral Dix dexa o cargo de ministro em Pars'
sendo substituido por Elihu Washburn ; esto
diplmala c amigo amigo pessoal do presidente.
Grant.
O novo ministro das financas Boutwell inspira
tanta confianca aos americanos, que o premio so-
bre o ouro desceu 2 '. apenas se soube da no-
meacao.
O general Rawlns,- que subsltue o general
Schofield no ministerio da guerra, tai por muito
tempo chefe do estado maior no exercito de
Grant.
Ramilln Fsh foi nomeado secretario de estado;
muto estimado nos Estados-Unidos pela sua pru-
bidade o sagacidade poltica.
PORTlIiAL
Por decreto do governo, de 18 do passado
reforraou-so a le eleitoral,reduzindo-so do 179 de-
putados que erara a 107, dando cada circulo um.
Contra essa reforma houveram tres meelngs
da opposicao, os quaes tarara presididos pelos Srs,
Alexandre Calheiros, e marquez da Vallada.
Falleccram : o conde de Cabral, par do rei-
no e couselheiro de estado eftactivo; o visconde
de Correa Godinho, juiz aposentado, da relacao do
Lisboa; Joan Ilibeiro de Para Transk, opulento
capitalista portuense; e Jos Januano Torres e
Almcida, ex-deputado por Famalico :
Na nnute de 27 do passado, ardeuo palacete
do visconde de Valvr, no Campo de Sant'Anna.
Achava-se em Lisboa, de volta de sua virgem
ao Oriente por Gbraltar, o arcobspo primaz de
Goa, afim de rc|iousar e depois seguir a tomar
parte no concilio ecumnico.
Foram condecorados com a commenda de
Christo, os Srs. Drs. Francisco da Silva Castro o
Alvaro Pinto de Pontos e Souza, da provincia do
Para.
Continuavam a descobrir-se no Aleratejo mi-
nas de manganez.
PERNAMBCO.
Depois daBohema, vr aGaliia que revindica
ha muito os seus diretos; depois da GalUziaoTy-
rol, que levado pelo exemple, tambem pedir mi-
nistros, orcamento e parlamento.
0 conde de Bismarck mandou traduzir e
imprimir em francez os discursos que pronunciou
durante a dscussao acerca dos bens confiscados
ao re do Hanover, e ao eleitor de Hesse. Aquelle
estadista enviou a sua brochura grande numero
de deputados francezea.
Diz-se que os discursos sao dfereotes dos que
eram pubbcados pelos jornaes allemaes. As pala-
vras do conde de Bismark sao muito wxnplicadas
. ASSEMBLEA PROVINCIAL.
SESSAO PRESIDENCIAL DE ABERTURA EM 10
DE ABRIL DE 1869.
As 11 horas, taita a chamada, acharam-se pre-
sentes os Srs. Joo Frauklin da Silvein Tavora
Cicero Odn Peregrino da Silva, Ermiro Cesar
Loutinho, Antonio Columbano Serfico de Asis
Carvalho, Ayres de Albuquerque G ma, Joo Bap-
tista do Amaral e Mello, Augusto de Souza Leao,
Francisco Amynthas de Carvalho Moura, Maximia-
no Lopes Machado, Felsbino de Mendonca Vas-
concellos, Samuel dos Santos Puntual, Arminio
Loriolano Tavares dos Santos, Miguel Bernarda
Vicira de Amorra, Jos Joaquim do Reg Barros,
Joaoda Silva Ramos, Joaquim Eduardo Pina, An-
dr Cavalcanti de Albuquerque, Antonio Epami-
nondas de Barros Correa, Jos Baptista Giraua,
Pedro do Araujo Beltrao, Tiburtino Barbesa No-
gueira, Lniz Goncalves da Silva, Gaspar de Vas-
concellos Menezes de Drummond, Hisbello Floren-
tino Correa de Mello, Jos de Vasconcellog, Fran-
cisco de Carvalho Soares Brando, Manoel de Car-
valho Paes de Andrade.
0 Sr. presidente convida aos Srs. deputados pre-
sentes para assistirem missa votiva do Espirito
Santo.
A meia hora dapois de meio da voltam os Srs.
deputados e oecu'pam os seus lugares.
Presta juramento o Sr. doputado Ayres de Al-
buqnerque6ama. .
Sad'nomeadospara a commissao qne tem de re-
ceber o Exm. Sr. presidente da provincia, 03 Srs.
Ayres Gama, Pina e Columbano.
1
(



/ \l
l
/'I


1.
/
V
Diario de Ferrurrrfbiico Segando feira 12 Te Atril de 18G9.
AnnunM-tda a chegada 6n Exm. 9r. presUent
da prerin -lo, i', in-
trodu l i'.ii didalva do eslylo, tema ii-
aaato e t a t 'i itori >d>t slum i.
Terminada o!la. retira-so S. Esc. coa aseoslu-
madas formull la.
Procede-se en seguida a elei(*o da mesa, > qcuil
licaassim constituida :
Presidente, o Sr. Auguro de Soma Leao.
Vlee-presi dente, o Sr. Hisbello Florentino Correa
de Mello.
1. Secretario, o Sr. Arminio Giriolano Tavarcs
dos Santo?.
J. Secretario, o Sr. Joao Franklin da Silveira
Tavora.
SdMlentes, os Sis. Joao Baptista do Aniaral e
Mello c Miguel Bernardo Vleira de Amnrim.
Verificndose nao haver numero, o Sr. presi-
dente designa para ordeoido diada sesaao seguin-
tecleiciu de eeauniasdes.
REVISTA DIARIA.
ri!WRUCCO PUBLICA.*- PorJeliberacdea di
t, Francisco Cavalcanti de Alhuquerqtie
Foi dividida om dnas a delegada luterana do
Agua Prcla, Bcando ama na vdla de Agua neta,
e mitra na povoaci i do Trorabeas.
Peratn removidos os professores de instrnccao
publica: Alexandra Magno Peixotode Alcnear, da
eadeira da Csehoiera do Roberto, para ajda villa do
Salgueiro; Manuel Franeiseodo K'o,dado Abroa
de Una, para a de N. ScnMra do <> de Ipojuca ;
LourencoGuedesAcofnrado,da deQueimadas.para
a de Abren de lina; o Manuel Flix do .Nasci-
nirnto, d.i da filada Boa Vista, para a de Quei-
madas.
IMPERIAL INSTITUTO PERN'AMBUCAXO D!
AGRIC.ULTI'BA Km vista da 1" base do decreta'
n. fiU de 22 .1 dezmbru de 18'i', e dos arts. >
e 0* dos estatutos do 23 do mesan mez c anno, re-
soiveu o Exm. Sr. presidente da provincia, por de-
liberaba de !i d-i corrente, nomear :
nirecioria.Conde da .-Vista, Dr. Francisco
do Reg Barro Barreto, Dr. Manoel Buarque de
Mac :d, Dr. Francisco do llego Barros de Lacer-
da, Dr. Ln Fclippe de Souza Leao, bario da So-
lo lade eFi lippe Needham.
Conselho fiscal.Viscondes de Camaragiho c do
Suassuna, Bardes do Rio-Forrooso, de Muribeca,
de Villa-Bella, do Livramonto, de Ulinga. de Ara
cagi, da Guararapes e de Tabatinga, eommendado-
res Manoel Jos da Cosa, Antonio de Souza Leao
e Braz Carm-iro Leao. Dr. Francisco Joao Caroeim
da Cunha. coronis Francisco Accioli de Gouvi
Lins, Joao Joaquim da Cunha Rogo Barros e Joa-
Juim Cavalcanti de Allmquerque, tenente-eoron:
os de Miraos Conos Ferreira, Miguel Angust
deOliveira. Manoel da Vera-Crnx Lins oMcllo, >
Manoel de Mesqulta Barros Wanderley.
PROMOTORES PBLICOS.Por deliberaran de
9 d corrate, foi removido o promotor publico da
comarca de Garanhnns Dr. Joaquim Francisco do
Amida, para a enmarca da Boa-vista : sendo no-
nieadi) promotor da comarca de Garanliuns o Sr.
Dr. Jos Francisco de Ges Cavalcante.
COLLECTOIt DE RENDAS PROVECIAES.
Foi Borneado, para o nr.iniripi > de Pao d'Alho, o
Sr. Jesuino Domingues Carneiro.
CASA 1)'.': DETBNQO.Como annunri.inio?,
te ve lugar sabbado a uiissi celebrada por S. Exc.
Uvma. neste cstabeleeimento, destribuindo depois
o pSo eaehar&tico a 00 detento-, que se tinliam
confessado.
Os misionarios capucliinhos prestaram-sc coni
zelo e dedicara > predica no cstabeleeimento, e \
ouvir de eooflsfl&o os detentos, que, por seus con-
seihosi eonvieram ein recorrer ao tribunal da pe-
nitencia.
As prdicas comecaram no dia .*>, c termina-
rlo a 15. quando ter lugar a ultima commu-
nbao.
O acto da primeira communho esleve edifican-
te. S. Exc. Rrma. foi auxiliado nos actos religio-
sos pelos missionarios eapnebinhos frei Fidelis e
frei Paulino, pelo seu secretario o Rvm. Dr. Pe
linea, padre Carlos Caecia. e un mestre de ccre-
munias.
Assistiram missa e coinmanhfto os Srs. Drs
'rhefa de polica, Araripe, Manoel de Figueira e
Buarque de Macedo, conselbeiro Lopes .Netto, ins
pector do arsenal de marinha, bario de Bonifica,
e mas respectivas familias.
Louvamos e applaudimos mais esta prova de in-
teresse do digno director, o Sr. Dr. Rufino de Al-
meida, pelos infolizes detentos, que ali se acham
sob sua dirccc.ao.
MORTE DE MENDIGO.Amanheceu sabbado
morto, no prtico do tbeatro de Santa Isabel, uin
mendigo de cor preta, que all eostumava dormir.
Fui mandado sepultar pela polica.
EVASO DE CRIMINOSO.Do poder da escol-
ta que o conduzia para a Gloria do Goit, afim de
all scjhe instaurar o urocesso, evadio-se Severino
Gomes da Silva, criminoso de roubo, no dia 6 do
corrente.
LEILO.Hojc elTecta o agente Pinto o leilao
le fazendas inglezas depositad-i* no cstabeleei-
mento da ra Nova n. 38, conforme se acha an-
nunciado, para as 11 horas cm ponto.
FORO DO RECIPE.Ein coiisequencia de se
aebaram eom asseato na assemblea provincial os
9r>. Drs. Soares Brandan e Arminio Coriolano, pas-
saram o exercicio ao Dr. Jos Eustaquio Ferreira
Jacobina, da vara de orphaos, c ao Dr. Virgilio de
Glismie Coelbo, da 2.a vara municipal.
FALLECIMENTO.Sabbado deu alma ao Crea-
dor o Sr major reformado Joaquim Jos de Faria
Neves. Bom cidadao c. ptimo pai de familia, o
Sr. Faria Noves fi, sempre dtvidamente aquilata-
da entre nos, quer por eases caractersticos eqner
pela de homcm probo e sincero. sua Exma. fa-
milia, com especiadade sen digno filho e nosso
rollega Dr. Antonio Maria de Faria Neves. damos
nossos sinceros pezames.
LOTERIA.=A que se a -ha a venda a 10. a
beneficio da igroja de S. Sebastiao do Bonito, que
corre no dia 0 do corrente.
BILIIETES OFFERECIDOS. Numeracao dos
biiheles da 102.^oiTerecidos pelo thesonreiro daslo-
terias para auxilio das despezas da guerra :
Billictes ns. 4o4 a 4063
D1NHEIRO.O vapor Paran levou as soguinles
quantias :
Para a Paralivba 1S:M1#I43
o Natal.... (i.-lJOOiOOO
o Ceara.... 400*000
. o Para.... : 200*000
O vapor Cruzeiro do Snl trouxe as seguintes
quantias :
Para Pernambuco... 7:137*300
Macei........ I:277000
a Babia....... 4603001
o Rio de Janeiro 027:181^340
sendo desta ultima parcella 922:2073640 para o
thesouro nacional.
O vapor Cruzeiro do Su! levou de nossa
praca para a do Rio de Janeiro 13:093.4000.
O vapor Navarre trouxe da Europa para
os Srs. E. A. Burle & C. 17,500 francos em ouro.
GNEROS DE ESTIVA. O vapor francez
N-rwirre trouxe : 8 caixas eoni queijos a J. Ge-
rardo de Bastos, 11 a Jos Ferreira da Costa, 18 a
Carvalho Zenha A C. a J J. Gongalvcs Deliran,
18 i Manoel Fcrnandes da Costa A C, 7 a Joo
Ignacio da Costa, e SO cora sardinhas a Joao da
S. Faria & Irmao.
EM TRANSITO.Da Europa vieram, no vapor
francez Navarre, com destino ao sul do imperio,
vi passageiros.
FUNDOS BRASILEIROS. Ficavam cotados na
praca de Londres:
5%i865........ 79 Vj a 80 /
4 'A % 1852-58... 73 a 73
4 '/,% 1860-63.. 70 a 72
NAVIOS SABIDOS.-De Lisboa: Julio para
Pernambuco, a 16; Ligeira para o Para, a 10
Angustine para T) Para. Maranhao e Cear a 23
NAVIOS CHEGADOSA' Lisboa : Vencedora
de Pernambuco, a 13, Jokanna, do Para, a 21:
ao Porto, Marcial, de Pernambnco, a 13.
NAVIOS A' CARGA. Em Lisboa, Florinda e
Constante para Pernambuco, Bom Successo e n-
gel wa, para o Maranhao; no Porto TWumpao, para
Pernambuco, Josephina para o Para,
NOTICIAS COMMERCIAES Eis as ultimas das
prir.cipaes pracas da Europa:
Londres 27 de maryo.
O algodio flea firme aos procos de 12 '/ a 14
o de Pernambuco, 11 '/i a ** Va oda Parahyba,
11 V a U }/t o de Macei, 13 Vi o do Cear.
O assucar tambem est firme at8/ a n/t o
brinco, o de 21 a *V6 o mascavado deTernambuco.
O cacao do Para vende-se de *y a M/.
Havre, 27 de marco.
Ha actwidade rio mercado de algodao, ficando o
de Pernambuco ordinario a frs. 148.
Os couros sao procurados.
PA3SAGEIR03.V ndos dos \xirtry do n-jrte- no
vapor Cruzeiro do Sul:
Amonio Momia, .oaa Fio
Santos, Manoel Ferreira Cam;>
Villaea e dousBIbos. D.Tbeodolhta Marta ta i
eica'i. Francisco Fenaira de Aibuqncnpie, Xieola
FloVenciano, Domenici Constanza, B. Pereira da
Silva, irmaa de eandide Josefina Rebello, Joaquim
de Sonza Ribeiro, sua senhora, 1 irmao e estrava,
D. Josefina Frota dos Santos, Salustiano Francisco
Cacho, Dr. Octaviano Cabral Raposo da Cmara, 1
criado e um escravo, Vicente Ferreira de Araujo
Cabral, Mariano de Souza Faleao, vigario Joao Jos
do Espirito Santo, Manoel Jos da Costa Pereira,
Francisco Soares da Silva Retumba, padre Flix
Hermeto do Kego, .loo Jos Baptista, Baiao
de Manianguape, dou- filhos o um criado, Joao de
Deus Faria, Dr. Theodoro Machado Freir Pereira
da Silva, seu pai c um criado, Manoel Baptista
Evangelista, Ignacio Maia da Silva Coelbo, Dr.
Antonio Goncalves Justa de Araujo o um criado,
Salviano Raujos e 4 cscravos a entregar.
SeguenTpara o sul .
Nicolao Marcos, Aflonso Octaviano PCuimaraes,
Jos Soares de Almeita, Manoel de Almeida, cone-
go Manoel Jos de Siipieira Mendos c um criado,
Antonio Forte Bustaimmte de Menuzcs e um osera*
vo, Augusto Fetisardo, Dr. Thomaz Costa Ferreira
Sorra >-. sua senhora, duas lilha-, dnas escravas e
duas criadas, Jo Belarmino Gomes da Costa,
consclheiro Joao l'cd 'o Dias Vieira, sua senhora,
dous lilhos, dous aggrcgados, quatro criadas e oito
oteravos, D. Anna Bit i de Sonza Belfal e una es-
ciawi. Dr. Jos Jaiisen do Paco e 10 escravqs, An-
tonio Eduardo Berred), sua senhora, nina criada
e sele esclavos, DomingosDelinoMedes,Jos Fer-
reira de Oliveira Santos, Dr. Jos Antonio Rodri-
gues, Fredi-rieo lieniemmuiler, Thomaz Nicolao
Olm.Dr. Justino 1) uni igues da Silva, Dr. Domingos
Jos Pinto Braga e um eaeravo, Franklin de Souza
Bomlim, Julio de MatUs, tenente Laurenlino Perei-
ra do V., F. Joaqium, Francisco Joaquim, um volun-
tario para o exenito, > pracas, 2 desertores do e\-
ercilo, 4 recrutas para o exercito e 38 escravos
a entregar.
Viudos da Europa, no vapor francez Ate-
rorj'c :
Dr. Lndgero Goncalves da Silva, Vctor Sau-
vaga, Kalmann Cohn e Rosa Fcry Vidal.
Sabidos para o norte do imperio, no vapor
Porniir :
Alfred* Fernandos Arantes, Francisco Ramos e
1 criado, Gustavo Tavares de Oliveira, Francisco
Jo.- Macario, Joaqun da Silva Noves, Antonio
da Costa Lima, Miguel Antonio do Nascimento Ly-
ra, Joao Viegas, Bernardo Xorat, Mayor Roccback,
Bernardo Senet, Jos Antonio Pereira Vinagre, E.
Souza Ribeiro, Joo II. de Almeida Albuqucrquc.
Joao Jos dos Santos Lima, 2 criminosos. 3 pracas
de polica que os escoltam, Pedro da Silva Lima
c E. C. de Souza.
Sabidos para o Aracaty, no mate Santa
Cruz :
Pedro Jos Goncalves da Silva, Canuto Severi-
no A. de Lima.
i^^imijo PORTO.
NavtOt mitrados no dia O.
Portes do nme-B-iias c 12 oras, vapor brasilei-
ro Cruzeiro do Sul, de 1,114 toneladas, coin-
mandante J. de P. &. Alcoforado, equipagera 6i,
carga dilferentes generes ; a Antonio Luiz do
0. Azevedo & C. ..
Assii15 dias, hiato w-.'sileiro Gractoza, de 3
toneladas, capilo Jos Antonio de Figueiredo,
equirigem 6, carga sal e velas de carnauba ; a
Bartnolomeu Lourenco.
Cardiff por Falmouth110-dias do primeiro port<>
34 do segundo, patacho inglez John Etnesl de
1C9 toneladas, capitao William Grefflsh, cqui-
pagem 7, carga carvao ; a Wilson k llett.
Navios sahidos no ntesmo dia.
CanalBrigue inglez Protheza, callao Joseph
Wood, carga assucar.
Canal pela ParahybaBarca ingika Azelia, capi-
lao Anderson, em lastro de assucar.
Araearv Hiate brasileiro Santa Cruz, capitao
Jos'V. das Ni've-, carga diferentes gneros.
EDITAES.
O inspector interino da alfandega, em virtu-
de da autorisaeao da thesourara de fazendu desta
provincia em portara n. 44 do Io do corrente, faz
publico a quem interessar possa, que tem de con-
tratar os concertos do teeto da sala da abertura
desta repartidlo, tudo de confornndade rom o res-
pectivo oreamento, que se- presente aos preten-
dentes; devendo ser realisado o contrato at o dia
15 do corrente.^
Alfandega de* Pernambuco 10 de abril de 1869.
O inspector interino,
L. de C. Paes de Aadradc
s.-' eeeiio. Secretarla do go-
rrno de Pernainbnco O de
airS de 1SSB.
Pela secretaria do governo se convida aos senlio-
res : Dr. Manoel Innoceni-io Pires de Figueircdo
Camargo, Luiz da Silva Gusmao, rpita) Joao
Ferreira Vilk-la, Evaristo Velloso da Silveira, Joao
Baptista do Amaral e major Vicente Ferreira Pa-
dilha Calumby, a irem ou mandaren) a adminis-
traba) do correio pagar o porte de seus requeri-
mentos para que possatu seguir para a corte.
O secretario,
Dr. Joaquim Concia de Araujo.
Joaqun Candido da Silveira, filho de Maria da
da Gloria Silveira.
Lanrimfo Fortunato de Muimes Lyrav fiEw tic
'les Loioiim de Araujo.
Secretaria da Santa Casa de- Misericordia do
Recite 9 de abril de 1869.
Oescrivio,
^^__ Pedro Rodrigue de Souza.
Protectora das familias.
de
Estado dessa associacao em 19 de marco
18.K
Conlribuintes...... 3*0
Capital subscripto ris. 8.127:771-5890
Capital em apolices de 6 / 2.500 1003000
Agencia de 'ernanibuco ra do Livramento
n. 19.
F. F. de Vidal.
C0MMERC10.
PRACA DO RECIFE 9 DE ABRIL
DE 1869.
AS 3 1/2 HOnAS T)A TARDB.
Assucar americano purgado = 3530 por arroba.
Algodao de Pernani'mco 1" sorte = 15J800 e
15,i900 por arroba (hontein c hoje).
Algodao da Parahyba sorte173200. 2' 163200
e 3o 15*200 por arroba posto bordo a frote de
5/8 d. e 5 0,0
Cambios sobre Londres 90 d/v 19 d., e do ban-
co 18 7/8 d. por 1*030.
F. J. Silveira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
O Dr. TrisQ (le Alcucar Araripe, oflicial
da imperial ordem da llosa, juiz de di-
reito especial do commercio nesta ci-
dade do Recife de ''einambuco por Sua
Magostarle Imperial que.Dcus Guarde,
cct.
Faeo saber aos que o presente cdital viren e!
delle noticia livereni, que no da 12 de abril do
corrente annn se ha de arrematar por ycpda a
quem mais der em praca publica dcste Jalao o se-
guinte.
A sexta parte da casa terrea de pedra e cal, si-
ta na ra Imperial n. 68, freguezia de S. Jos,
com porta e duas jancllas de frente, com,27 pal-
mos emeio de largo no vo, e 89 c meio de fundo,
duas salas e seis (loarlos, cozinha fra, quintal
murado com cacimba, avahad dita sexta parte
por 400*000. sendo avaliacao total de lodo o pre-
dio de 2:400-5000, a qual "foi penhorada por exe-
dncao de Jos Dativo dos Passos Bastos, contra a
chiva de Joaquim da Costa Brandao e o cnsul
vortuglrcz.
E nao liavendo lanrador que cubra o
preco da avaliacao a arremataejio ser fei-
la pelo preco da adjudicaejo na forma da
lei.
. Recre, 4 de fevereire de 1869.
Eu, Manoel Maria Radrigues do Nasci-
mento, escrivao o subscrevi.
Tristo da Menear Araripe.
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 1 a 9. .
dem do dia 10.....
327:909*018
44:571*897
372:480*913
MOVIMEXTO DA ALFANDEGA
Volumes entrados com fazendas
dem .idem com gneros
Voluntes sahidos cora fazendas
dem idem eom gneros
217
474
-----691
118
272
-----390
Descarregam hoje 12 de abril.
Vapor inglez Sapphyremercadorias.
BarcS inglezaBorlochaidem.
Barca frncezaSolideidem.
Escuna nortc-allemaImmanuelidem.
Barca ng\eza=jHogene carvao.
Brigue inglezC/(/'/iif=carvao.
Brigue inglezR. F. JJ('=ferro.
Barca pnrtuguezaA'oro Sympathiadiversos g-
neros.
Barca portuguezaPereira Borgesidem.
Barca inglezaIscantferro e carvao.
Barca inglezaBlaomeridem.
ItECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 9. 15:466*378
dem do dia 10...... 1:153*380
16:619*958
COXSITLADO PROVINCIAL
llendimento'do dia 1 a 9. 27:719*8
Idem do dia 10....... 5:030*6
32:770*541
PRACA DO RECIFE
EM 10 DE ABRIL DK 1869, S 3 HORAS DATABDE.
REVISTA *i:HAV\I..
Cambios.Saccou-se sobre Londres de 18 7/8 a
19' d. por 1*; sendo o valor dos saques efectua-
dos durante a semana de 100,000.
Algodao.Vendeu-se o de Pernambuco, antes
da chegada do vapor do sul, a 15*700 e depois de
13*300 a 13*900 a arroba; o de Macei, posto a
Bordo, de 175200 a 17*300; e o da Parahvba de
17* a 17*200.
Assucar.Vendeu-se o mascavado purgado de
3*550 a 3*800 e o bruto de 35 a 3*300.
Aouardentr.Vendeu-se de 92* a 93* a pipi.
Arroz.O pilado da India vendeu-se a 3*000
a arroba.
Azeite-doce.O de Lisboa obteve 35400 por
galio e o do Estreito 3*300.
Bacalho.Contina a haver falta no mercado.
Batatas.Venderam-se a 25600 o gigo.
Bolachinhas.dem a 4* a barriquinha.
Caf.dem de 5*200 a 6* a arroba.
Ciidem de 2*200 a 2*850 a libra.
Cerveja.A duza de garrafas vendeu -se de
4*300 a 8000.
Farinha de mandioca.Yendeu-sc a 6*500 o
sacco.
Loug\.-A ingleza ordinaria vendeu-se de 415
a 420 por cento de premio sobre a factura.
Mantsiga Vendeu-se a ingleza de 15150 a
1*200 e a franceza a 840 rs. a libra.
Massasdem a 10*a caixa.
Oleo de linhacadem a 2*400 por galao.
Passas.dem a 6|500 a caixa.
Presuntos.dem a 20* a arroba.
Queuos.Os flamengos venderam-se a 2*300
cada um.
Sabao.Vendeu-se o inglez a 170 rs. por libra.
TouciNHo.-^Ideuiode Lisboa a* fl* a arroba.
Vinagre.O de Portugal veneu-se de 1005
a 130* por pipa.
Vinhos.Venderam-se os de Lisboa de 220* a
260*000 e os do estran^eiro a 205* a pipa.
Velas.As de composicao regularam a 680
rs. o pacote de 6 velas.
Descont.O rebate de letras regulou de 8 a
10 por cento ao anno.
Fbetes.Carregando em nosso porto para Li-
, pool, 1/2 d. por libra 5 <>/ nominal em navio de
vela,pelo algodao, 5/8 em vapor; carregando em
Macei 9/16 d por libra; na Parahvba 5/8; pelo
assucar 20/ 5% carregando em nosso porto e para
o Canal 35/ 5 ^
CouseJho de compras do arsena 1
de guerra.
0 conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o seguinte :
1,000 baixas,sal> o inodcllo n. 1.
1,000 binas para reccituario sob o modvllo n. 3.
1,000altas sobo modello n. 7.
l,00(i ollias para pedidos das dietas sob o mo-
dello n. 23.
10 toneladas de carvao de pedra para ferreiro.
50 pies de obreias (macos).
40 garrafas com tinta p'ara escrever.
10 teoces de lati de 12 libras cada um.
1 mastro prompto para bandeira tom 30 palmos
de comprimento.
As pessoas que quizerem vender ditos artigos,
apresentcm suas propostas em caria fechada
na sala do conselho, as 11 horas do da 16 do cor-
rente.
Conselho de compras do arsenal de guerra de
Pernambuco 9 de abril de 1869.
F. Raphael de Mello Reg,
Presidente.
Jos Baptista de Castro Silva,
Secretario.
Conselho de compras
navaes.
O conselho promove no dia 12 do cor-
rente mez, vista de propostas recebidas
at as 11 horas da manliaa, c sobre as co:i-
dices do estylo, a compra dos- objectos do
material da armada, seguintes: I ancora de
6 quartillios, 6 pegas de arrribem, 2 bu-
les de ferro estanhado, duzias de chica-
fas e pires de ferro estanhado, 1 peca de
cabo de linho de i */ pollegadas, 20 ca-
chinhas de lapes sorlidos, C arrobas de col-
la da Bahia, 20 libras de cora preta para
corrame, 2 arrobas de Qo de algodao, 5
lences de ferro inglez de '/i, C arrobas
de graxa, i0 resmas de lixa de esmeril
em panno, 10 livros de soccorros apres-
aos para marinhagem, melado de 50 l'ulhas
e a otilra melado de 101), (5 arrobas de mia-
Ihar, 10 libras de obreias francezas, 12 ar-
robas de oleo de linhaca, 83 arrobas de
plvora grossa,.20 crozas de pennas d'aco,
duzias do pralos de forro estanhado, 1
regiment de signaes para navio, 3 terri-
nas de ferro estanhado, 1,000 tijolos de
fogo, 20 tiralinhas e C grosas de torcida
para o pharl.
Tambem o conselho no mencionado dia
12 do corrente mez, contrata por igual for-
ma, o fornecimento de bacalho e boiachi-
nha americana, para completo do de vve-
res aos navios da armada e estabelecimen-
tos da marinha no corrente trimestre.
Sala das sessoes do conselho de compras
navaos, 8 de abril de 18G9.
O secretrio
Alexandre Rodrigues dos Arijos.
COMKtfHIIA PEUNAMBUCANA
M
.VaTegacoi tosleira por vapor.
Macei, escalas Penedo e Aracaj.
O vapsr Putengi, eomrnandarite
Pereira, seguir para osportos acim
_ no dia 13.de abiil as 5 horas datar-
le. Itecebe earga at o da lias 3 llrasela tar-
de, encommenilas. pa-.sageiros e dinheiroairefe at
as 3 horas da tarde do da da sabida no cscriiitoii
doF.-.rtedoM.utos n. i
Vende-se o palhabote portuguez Enrien. &>r-
radt> e pregado de cobre e proni|>to para navegar
para qualquer parto, de lote de 103 toneladas, pe
ga en setc mil arrobas de carne, para ver em
frente ao trapiche do bario do Livramento. onde
est fondeado, e para tratar om Antonio Lu:< de
Oliveira Azevedo A C. na da (3w& n. 57.
Irlaronluto
Para o porto cima segu com brevidade o pa-
lhabote Joieft Arlliur, por ter a mlnr liarte do
seu carregamento engajado, para o resto que llie
falta trata-se com Antojlo Lua deOliveira Aze-
vedo A C, na da Crol n. 57, 1 andar.
MI
Para o indicado puto pretende sabir em pou-
cos dias a Telte e bem conbecida barca Social'
capitao Bocha, por ter a maior parlo do seu car-
regamento prompto, o para o resto que llie falta
e passageiros, para os qnaes tem bous eommodos,
trata-se com o consignatario Joaquim Jos Gen
calves Beltrao, ruado Trapiche n. 17.
Rio de Janeiro
Para o indicado porto segu com muita brevi-
dade o veleiro e bem contiendo brigue Aelaide.
por ter a maior parte do carregamento tratado ; e
par o resto que Ihe falta e csc-avos a frote, tra-
ta-se com o consigna*, i rio Joaquim Jos Goncalves
Beltrao, arpa do Trapiche n. 17,
Lisboa
Segu com brevidade abarra portugueza Ptw-
rs Borges por le parto da aaa> carga prompta :
para o restante e passageiros, trata-se com Olivei-
ra.;. Pulios A C, largo do Corpo Santo n. 10.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Xavcga^o coscira por vapor.
Mamanguapc.
O vapor Coruripr, rouimandantePenna, seguir
para o porto cima no dia 12 do corrente as 6
liaras da tarde, recebe carga, cneommendas, pas-
sagens e dinheiro a frote at as 3 horas da tarde
do dia da sabida noe.-crintorio do Forte do Matos
n. 12.
molha de jacaraiHla ai'li-n. taieics para sofs e
pollas, espedios, candelabros d rrystal, jarros e
vasos para llores, esearradeiras, qudros, mappas.
relogio, bonitas vistas, 1 mobilia de amarello, 1
cama franceza de Jacaranda, 1 guarda vestido de
ama relio, i lavatorio, 1 mesa de jautar, louca e
vidros, 1 sota de amarello, 12 cadeiras, 1 com-
moda, 1 apparador, 2 inai iu :as, 2 consolos, 1
cabido, 1 quartiubeiro, 2 c; deiras de balanc,, 1
cama franceza de amarello. 1 mueadur, 2 venena-
na? -' nie-as de jogo, 2candi.in>s agaz, e mudos
ontros objectos pertencent.'s a casa de familia.
Ouinta-feira li de abril.
No Io e 2o andar do sobrado da ra da
Cauz n. >:>
O agente Pinto, autorisado |K>r urna familia que
retirou-se desta provincia, fa hilo dos inovei-
o mas objectos cima descript-- oe( ijuaes serao
transportados da casa de campo ein quo se acham
para > sobrado da ra da Cruz i. 53, onde podc-
io ser examinados ditos movis na v.-spera edia
do leilao que ter lugar no di;i 13 do corrente.
Principi ;.; as 10 horas.
Da "rande casa com soto na na da Veri-
lut o. 15 porto do Lasserre na Capun-
ga, com silio murado, cacimba e arvore-
dos tudo era chaos propri s.
Sexla-feira 16 de abril.
Luiz Puech tendo vendido o seu cstabeleeimen-
to da ra do Trapiche c mudado sua residencia
para Paris, vender cm leilao por intervencaodo
agente Pinto a sua casa de campo na Capung, a
qual se torna rccominendada por ser edilicadaem
chaos proprios, pcrlo da estacan dos trilhos urba-
nos e perto do rio, sendo qn" por oecaaO das
ch ias nao tem entrado agua em dito sitio.
Os pretendentes podem entenderse edoj
com o referido agente (unieo encarregado da ven-
da) e comparecerem as 11 leras do dia cima
dito em sea escriptorio ra dJ Crn n. 38.
IW
Para o Porto
pretende seguir com a maior brevidade possivel a
barca portugueza Seguranza ; recebe carga c pas-
sageiros, para os qnaes tem excellentes eommo-
dos : a tratar cem Cunha fruaos A C, ra da
Madre de Dos n. 34.
0 Dr. Tristo de Alencar Araripe, oflicial
da imperial ordem da Rosa, c juiz de di-
reito especial do commercio d'esta cidade
do Recife de Pernambuco, por SuaMages-
tade Imperial e constitucional o Sr. D.
Pedro II, a quem Deus guarde, ele.
Faro saber pelo presente, que no dia
12. do mez de abril do corrente anno, se ha
de arrematar por venda a quem mais der
em praca publica d'este juizo depois da au-
diencia respectiva, os escravos seguintes:
Saturnina parda de 2." annos pouco mais
ou menos.avaliada por nove centos mil reis,
Thercza crioula de 12 annos de idade, ava-
hada por oito centos mil reis, Maria parda
de I anno, filha de Saturnina avaliada*por
cem mil ris, Pedro pardo de 2 annos de
idade, avahado por duzentos mil ris, os
quaes vo a praca por execuco de Antonio
Duarte Carneiro Vianm, contra Estev5o de
Albuquerque Mello Monte-Negro. E ra fal-
ta de lancador que cubra o prego da avalia-
cao, ser a arrematado feita pelo preco da
adjudicar!) com o abatimento da lei
E para que chegue ao conbecimento de
todos mandei fazer o presente edital que
ser afixado nos lugares do costume e pu-
blicado pela imprensa.
Recife, 4 de fevereito de 18G9.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nasci-
mento, escrivao, o subscrevi.
__________Tristo de Alencar Araripe.
Baha
O conde de Baependy, rerando-se para a
corte no vapor Cruzeiro ilu Sul, e nao leudo podi-
do despedir-so pes-oalmente de to las as patefltS-
que o lionraraui com suas \>i*as, pede-Ibes des-
culpa e offerece-lhes all os sen; servicos.
Jos Soares de Azevedo, ptolessorde
ngua e litteratura nacional no gymnasio
provincial do Recife, tem aberto em sua
casa, rita Bella n. 37^ran
(X'RSO DI^LlNOl'A FRANCEZA
DE GEOGHAI'IIIA e historia
DEPtltLOSOPIlIA
DE R1IETORICA E POTICA.
Os estudantes qne pretenderem frequen-
lar qualquer destas discipliuas, podem diri-
gir-se indicada residencia, de manha at
as 10 notas, e de tarde a qualquer hora.
gt O Dr. Manoel Eiiedino llega Valenca SS&
jai pode ser procurado para o exercicio de 3&
8 sua prolTssao de medico a ra da Can- ^
Impreterivelmente nestes poucos dias sabe o pa-1 g| ba u0 Car"10 n- -' lo andar-
lhabotc Garibaldi para a Rahia : para carga tra-
ta-so com o capitao Custodio Jos Vianna, ou no
escriptorio de Tasso Irmos. ____
DECLARACOES.
COMPANHIA
DO
BEBERIBE
Para qne chegue ao conhecimtnto de
todos os concessionarios de penas d'agua
que esto atrazados em seus pagamentos, a
administraco da mesma companhia manda
fazer publico os trechos das actas de 18 de
junbo de 1867 e de 17 de novembro de
1868, relativos aos mesraos concessiona-
rios.
Deliberou-se que se.avizasse aos de-
vedores de penas d'agua, para que facam
effectivos seus pagamentos dentro de 30
dias, sobie pena de se Ibes cortar a pena
d'agua o serem accionados.
Que se fa^a eflectiva a deliberaco to-
mada na sesso de 18 de junho do anno
prximo findo quanto aos devedores por
concess5o de penas d'agua.
Escriptorio da Companhia do Beberibe 7
de abril de 1869.
O secretario,
Dr. Prxedes Gor,ies de S. Pitonga.
Pelo juizo de orphao d'esta cidade, escrivao
fiuimaraes, tem de ir a praca, Andas as 3 audien-
cias, i casinhas de madeira, roberas de tenas,
sem nmeros, sita na ra do Nascente, freguezia
de S. Jos, prximo ra Imperial, pertencentes
aos menores herdeiros da finada Joanna Francisca
de Menezes, avahada cada urna em lOO.
Santa Casa de Misericordia do
Recife
Pela secretaria da Santa Casa de Misericordia
do Recife se faz publico que a Illma. junta admi-
nistrativa em sessao de 8 do corrente resolveu que
fossem convidados os pa rentes dos orphaos em se-
guida declarados para virem requerer a presiden-
cia a sua retirada do mesmo collegio, visto que j
tendo completado a Idaae de 14 annos nao podem
all continuar como dispoe o respectivo regula-
mento.
Francisco Pereira de Araujo, protegido do viga-
rio Camillo de Mendonca Furtado.
Antonio Bezerra de Mello, sobrinho de Francisco
Ribeiro da Silva.
Manoel Felippe de Soma Magaihaes, filho de
Thereza Febronia Esteves Alves. .,
Francisco Antonio do Monte.
Antonio Leocadio do Reg Barros, filho de Ignez
Maria de Mello Reg.
THEATRO
DE
S. ISABEL.
EMPREZA DRAMTICA
DE
Tcrga-feira 13 de abril de 1869.
BENEFICIO DA ACTRIZ
Julia Carlota de Azevedo
Depois que a orchestra executar urna linda ou-
vertura, a beneficiada recitar em MHM aberta,
urna poesa de gratidao, dedicada ao re buco peii-
namulca.no, intitulada
VOZES D ALMA.
Seguir-se-ha depois a rcprcscntacao do mullo
interessante drama em quatro actos, intitulado
A HISTORIA DE MA MOfJA RICA.
(A beneficiada far o papel da protogonista : os
dous primeiros actos, passam-se em Pernambuco ;
os ltimos, no Rio de Janeiro.)
Seguir-se-ha, pelo Sr. Joaquim Augusto, a sem-
pre applaudida scena dramtica, intitulada
Terminando o espectculo com a belissima sce-
na cmica, ornada de msica c desempenhada
pelo actor Jos Victorino
1 ACTOR rmURO ROEFICIO.
No intervallo do segundo ao terceiro acto, a-or-
chestra executar a nova polkaJI'LIAcompo-
sicao do regente o Sr. Jos Colho, o dedicada
beneliciadar
Para e Rio de Janeiro
pretende sabir com a maior brevidade possivel o
brigue nacional Trovador, capitao Antonio Dias de
Lima, com destino ao dito porto, recebe carga e
escravos a frete : a tratar com es consignatarios
Marques, Barros A C, no largo do Corpo Santo n.
6, i' andar. ___________________________
llio de Janeiro
Segu com muita brevidade para o porto cima
a escuna dinamarqueza Elise, tem a maior parte
do seu carregamen o engajado : para o resto que
Ihe falta trata-se com Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo A C., ra da Cruz n. 57, Io andar.
Quem precisar de urna ama para casa de
homcm solteiro de muito boa conducta e tambem
boa engommadeira dirija-se a ra do Jardim nu-
mero ft.
A beneficiada confia na coadjuvacao do genero-
so publico pernambucann, a quem se recommen-
da ; bem como ao distincto corpo acadmico e
honrado corpo commercial.
Os blhetcs acham-se disposicao do respeitavel
publico no Hotel Central, e no dia do espectculo
no theatro.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA.
DE
navegar o eosleira por vapor.
Parabyba, Natal, Maco, Mossor, Ara.
caty, Cear, Momlahii^Acarac
e Granja.
O vapor Ptrapama, commandante
Torres, seguir para os portos cima
no dia 15 do corrente as o horas
da tarde. Recebe carga at o dia 14, encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at as
i horas da tarde do dia da saluda no escriptorio
do Forte do Maltosa. 12.
Companhia americana e brasilei-
ra de paquetes a vapor.
At o dia 15 do corrente esperado de New-
York por S. Thomaz e Para o vapor americano
Mississippi, o qu depois da demora do costume
seguir para os portos do sul, para fretes o pas-
sagens trata-se com os agentes Henry Forster A
C, ra do Trapiche n. 8.
LEILOES.
IJ
Da armarao, gaz, pipas para deposito, can-
teicos e diversos gneros da taberna do
pateo do Terco n. 30.
ME
0 agente Martins far leilao da armacao, gaz e
um resto de gneros existentes em dita taberna as
11 horas do da cima.
LEILAO
IIOJE
Segunda-feira 12 de abril as 11 horas em
ponto.
O agente Pinto far leila a requerimento de
Jos Fernandes Gomes A C, e por mandado do
Illm. Sr. Dr. juiz espacial do commercio de 6 far-
dos e 2 caixoes com diversas fazendas inglezas e
:) volumes de estopa com amarra J. B. M. e'con-
tra marca J. F. G. A C, as quaes fazendas achain-
se em poder do depositario particular Antonio
Pedro de Souza Soares, no estabelecimento da ra
Nova n. 2% onde se effectuar o leilao no dia e
hora cima mencionados.
Aluga se a luja do sobrado da ruadas Cruzes
n. 9: a tratar no mesmo sobrado primeiro andar,
das 9 horas ao meio dia.___________________
Preeistt-se de ama ama para servioo de pe-
uena familia : na ra das Larangeiras n. 21
CASA DA FWTDIU
Aos 4:000S
Biliietes garantidos.
A ra do Crespo n. 23 e casas do costume.
TJ ahaixo assignado tendo vendido nos seus mui-
to felzes bilhetes garantidos 1 meio n. 2936 com
a sorte de 4:0003, 1 meio n. 3523 com a sorte de
7004, 1 inteiro n. 280 com a sorte de 202, e
outras muitas sorte? de 100, 404 e 20 da lotera
3ue se acabou de extrahir em beneficio da igreia
e Nossa Senhora do Livramento de Pao d'Alho
(101'), convida aos possuidores a virem receber
seus respectivos premios sem os descontos das
eis na casa da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da l1 parte da lotera a
beneficio da groja de S. Sebastiao do Bonito
(102), que se extrahir terea-feira 20 do corren-
te mez.
Procos.
Bilhete.....45000
Meio.....2S000
Quarto.....U000
Em porce de 100J para cima.
Bilhete. .... 31300
Meio......11730
Quarto..... 875
Manoel Martins Fiuza.
LEILAO
De urna armacao envernisada e parte encaixilha
da, balca, gaz e canteiros para pipas da
taberna sita nos Quatro-Cantos sobrado n. 1
esquina da ra de S. Goncalo.
Tcrca-feira 13 do corrente.
O agente Martins far leilao da armacao cima,
garantindo-se a casa ao comprador da armacao,
as 11 nocas do dia cima._________________
LEILAO
De dous carros de passcio com
arreios e tres cavallos para os
mesmos.
Quarta-lra 14 de abril as 10 horas em
ponto.
O agente Pinto, far leilao precedido da compe-
tente autorisaeao, de dous carros e tres cavallos
existentes na coxeirada ra do Imperador n. 11,
onde se effectuar o leilao as 10 horas do dia ci-
ma dito.
Em continuacao vender-se-ha um cabriole! de
2 rodas.
LEILAO
Para Lisboa
O patacho portuguez Maria, capitao Pedro Mar-
tins Branco, vai sabir com brevidade ; para carga
e passageiros, trata-se com E.*R. Rabello, ra do
Coniniercio n. 44.
Loanda
O brigue portuguez Bemvinda, capitao Silva, a
chegar de Lisboa, sahir para Loanda poucos dias
depois de recolhido a este porto : pode receber
alguma carga, e trata-se com o seu consignatario
Joaquim Gerardo de Bastos, rna do Vigario n.
16, andar
Para o Porto
pretende seguir com a maior brevidade possivel a
mui veleira barca portugueza Claudina; recebe
carga afrete epassageiros, para os quaes tem ri-
cos e excellentes eommodos : a tratar com Cunha
rmaos A C, ra da Madre de Dos n. 3W
De un: sobrado de 3 andares e urna grande
casa de campo sita a ponte de Ucha
n. 17.
O agente Puntual vender em leilao por auto-
risaeao de diversos, um sobrado de 3 andares, bem
construido, todo de paredes dobradas, em solo fo-1
reiro, sito ra da Praia n. 59, sendo o seu pro-
ducto para liquidacao de dbitos. Na mesma oe-
casiao vender-se-ha urna magnifica casa de cam-
po, solo proprio, sita a ponte de Uchoa n. 17 jun-
to a estacao dos trilhos urbanas que entrada da
ponte da Torre, com os eommodos seguintes :
Srande sala de visita estucada, dita para jantar,
grandes quartos, cosinha, um terraco atraz da
mesma de 40 palmos (coberto) fora da casa, 3
quartos, cocheira, deposito d'agua do Prata um
tanque de marmore para {banho, um dito para
lavagem de roupa, sendo o sitio plantado e tendo
400 palmos de fundo dividiodo com o rio.
Os Srs. licitantes poderao examinar os dito*
predios, mas somente das 3 1(2 as 6 horas da tar-
de e concorrerem ao leilao.
Quinta feira 16 do corrento
no 1 andar do sobrado -tf. 62, ra da Cruz as
11 horas.______________
LEHAO
De movis, lonea e vidros.
A SABER :
Um piano de armario, 1 rica mobilia de Jaca-
randa com 1 sof, 1 mesa oval, 2 consalos com
pedra, S cadeiras de bracos, S de balanco e 18
do guaroicao tudo em perfeito estado, unja outr>

Prevenpo.
Perdeu-se urna letra da quantia de 5:4Mff515
aceita pelo Sr. Vicente Elias Cavalcanti de Albu-
querque, senhor do engenho Minas Novas, a qual
nao tem sacador ; pede-se a quem por ventura a
tenhaadiado leva-la ruado Calinga n. 7, que se
gratificar ; adverte-se que tanti a reparticao do
reto como o aceitante esto prevenidos para que
a reL'rida letra em qualquer tempo nao tenha ef-
teito nenhum.____________________________
Casa para alagar.
Aluga-se o 2" andar com sota da casa da ra
da Cadeia n. 10 : a tratar na roa do Crespo n. 8,
esquina.________________________________
Gremio Recreativo.
A direccao desta sociedade pede aos socios que
se acham atrasados em suas mensalidades, para
pagarem at o dia 15 do corrente, do contrario
verao seus nomes por extonso neste jornal.
O Io secretario,
Manoel Caliste de Souza.
.AMA
20-i
Paga-se a quantia cima indicada a urna mu-
Iher forra ou escrava, que cozinhe e engomme, e
se encarregue de todo o servico de una casa de
pouca familia : na ra da Cruz *n. 63, 2 andar.
Tambein se precisa nlugar urna negrinha para
carrogar urna menina.
Previno aos nieus constituales que durante
minha estada na corte, podem entender-se com
qualquer dos senhores advngados Drs. Ernesto de
Aquino Fonseca, Alvaro l'choa Cavalcanti e Joao
Barbalho Uchoa Cavalcanti, aos quaes encarreguei
de promover o andamento dos feitos em que sou
advogado. assim na inferior como na superior ins-
tancia, devendo para isto procura-Ios.
* Joaquim de Souza Res.
Aos senhores eleltores da 1
dlstrlcto
Sigo para a corte a tomar assento na cmara
temporaria, por me terdes feito a honra de eleger-
me representante da na^ao : subida honra, a que
Srocurarei corresponder no desempenho do man-
ato que me confiastes. Asseguraudo-vos isto,
cabe-me agradecer-vos o acolhimento que pres-
tastes ao nieu nome, e offerecer-vos os meas ser-
vicos.
Joaquim de Souza Reis.
DE "
RESIDENCIA
O Dr. Cosmo de S Pereira mudou sua residen-
cia para a ra do Imperador n. 22, Per anda-
res, onde continua no exercicio de sua profissao
medica, para o que pode ser procurado a qual-
quer hora do dia ou da noite, nos casos graves.
Todos os dias das 6 as 9 horas da manhaa, menos
aos domingos, dar consultas indestintamentoa
qualquer pessoa, sobre qualquer ponto de sua pro-
fissao, e com especial cuidado sobre molestias de
olhos, do peito, e dos orgaos genito urinarios ; e
quando o caso for cinrgieo, praticar as opera-
edes que julgar conveniento para o restabeleci-
mwto do seu cliente.
Hamo


Diario de Vernambuoo Segunda feira 12 de Abril de 1869.
Trocaran
m notas do banco do Brasil e das caixas filiaos,
com desmato nuito rana ve J: na praca da iide-
peudencia n. 22.
Resta venda' um escomido sortimento de ob-
jectos de marcineria, como sejam, '"o"1''^ Ja-
caranda, magno eamarello, obra nacional e estran-
SdTpurado go SaVna eslreita do* Rosario n 32. Nejp.mema
casa fazem-se com perfeico todos os trabalhos de
palhinha, como sejam, empalhamentos de lastros
Tasmmwm mwmm
[EMPRESTIMO SOBRE!
(SEM LIMITE.)
Na Iravcssa da na
_.. Crnzes n, 2, pri- i
meiro andar, da-se qnal- jj|
quer qwanlia sobre ouro, m
prata c pedras preciosas. I
O dono (leste estabelecimento, ej
competentemente autorisado pelo SS
governo, est as condicBcs de ga- p|
rantir a transaeco que se fizer em W
sua casa, promettendo todo e zelo |^
e considerar!) s pessoas que se j||
dignarem de honra-lo em sen esta- a
belecimento. H
Na mesnia casa compra-so ouro, |j|
prata e brilhantes.
Joaqun. Jes Goa-
qalves Beltrao
TOJK DO TRAPICHE N. 17, l. ANDAR.
Saccfcpor todos os paquetes sobre o Ban-
co do Mraho, em Braga, o sobre os seguin-
tes logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valeria.
GuimarSes.
Coimbra.
Chaves. *
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val'de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de FamalicSo.
Lamcgo.
Lagos.
Covilha.
Vassal (Valpassos).
Miraudea.
Beja.
Barcellos.
BUaTHOLOMEU 8: C.
UTILIDAD!)
Aos500 pares de brinco*.
Clicgou e vende-se no Corac3o
d'Ouro, ra do Cabng, brincos de
mosmhas com urna franja penden-
f te a um rico desenlio e ouro de ||
t le, pelo pequeo preco de 15000 B
r cada par. baratissimo..
lCSSiL7-J_SJi_=."
Ama de leite.
Prccisa-se de urna ama de leite sem filho : a
tratar no Coracao de OnrS n, 2 D, ra do Calinga.
_ .
Aluga-se um grande sitio com casa o mallos
arvoredos, propno para ler gado* pela sua csta-
fio, o memo para pluntacecs por ter lugares al-
tos c baixos, as Salina*, entrada do Campo Gran-
de : a tratar na roa da Cadeia do Recife n. 3.
MA\II'i:vrO
DO
Centro Liberal
Brochara in 8"
141000
HARA FRAXCEZA.
A pessoa me annunciou ler pratica de
eos e molhados irse car ncxla typographia
as inieiacs P P, indicando quacs as pessoas
podem informar a sen respeito. __
Aluga-se um sitio na Torre, com 5 quartos o
iuas sala, c cosinlia e quarto fora : a tratar com
Andr de Abrou Porto.__________________
Club Pernambucano
A parlida do correte mez, ter lugar
na noute do da _'i._______________
Ama
Prccisa-se de urna ama forra ou escrava para
comprar e cozinhar para urna ea>a de pouca la-
india : na ra das Crines n. 28, Io andar prele-
re-se escrava e paga-se bem agradando.
Atiendo
l'm individuo com 28 aanos de idado, chegady
ha poucos dias da Europa, com bacante pratica
do commercio. habilitado a escripia, ou servico
externo, e tendo conhecimento do idioma francez,
offerece sen pre-iimo, dando fiador ao sen com-
portamento : qupm dello precisar queira dirigir-Be
a rua Direita n. 43. ou a ra da Madre de Dos
n. 18.
nOA
f!
O (Lampos da rua do Imperador n. 28, l> m
para wndor qoeijos de coalha omito frescos, l-
timamente i-negados do Cesta o aproveita a occa-
siao para avilar ao rcspeitavel publico em geral o
ni particular aos amitjos ti passar bem c at ga-
rante, que c o seu estabelecimento, um dos que
pode proporcionar melhores manjares, aos que
gostam d> que bom, por se adiar bem prvido
de gneros que llie sao compativeis Qcando deste
modo dispensado do fazer annuncios pomposos c
extensos que se costuuia publicar somonte para
chamar a attuncao e para que os seus freguezos
o o publico acreditem basta ira na do Imperador
n. 28
ARMAZKM DO CAMPOS.
Arrend.i-se o engeiilui Mmguiio, inoculo e
corrento, oaeia legua distante da cidade do Rio-
Fonnoso. onde ten porto de embarque, ime m
agua, tein mallas, amitos terrenos para qualqucr
cultura : a entender-se com o bhcharel Christovo
Xavier Lopes, na rua da Imperatriz u. 42, segunda
andar._____________________________
Jos Pereira, cessionario de Jos de Oliveira
Campos o sua mulher Felismina Martinlia de Cam-
pos, filha legitima dos finados Antonio Jos Tei-
xeira Castro e sua mulher, declara que nao se
tendo feito o respectivo inventario protesta contra
qualquer venda que facam os lemenos d'elle dos
lieos que exfctpm.
J. Ferreir.i Vlllela.g
Photographo ta casa imperial
&'"premiado em diversas exposi-
Qoes.
Na sua pholographia rua do Cabug n.
18, entrada pelo pateo da matriz tira retra-
es por todos os systemas photegraphicos.
Em porcelana Era vidro
Em talco Em papel
CART ES DE VISITA A 9,f A DUZFA.
Os retratos carte-de-vite sao collados
ou cailo de luxo bristal ou porcelana,
lourados ou lithographados, qtiadrilongos
m vinlietas para o que existe urna varieda-
le de 12 modelos a escolha de quem se re-
jalar. Para as outras especies de retratos
;eraos caixinhas, passe-par-touts, qaadros
) molduras douradas c pretas cassolelas de
mro e alfinctes simples e cem pedras pre-
ciosas, havendo nos alfinetes urna mimosa
'ariedade de feitios.
0 nosso estabelecimento photograpbico
:st sempre em dia com os melhoramentos
i progressos que na America do Norte, na
Europa ou no Rio de Janeiro se consegu'
ia arte photographica, e para alcancarmos
al fim nunca poupamos despezas ncm sa-
;ricios, de sorte que os nossos numerosos
reguezes podem ter a certeza de que sem-
pre encontrarlo em nosso estabelecimento
:udo quanto a arte e a moda offerecer de
lom no novo e vellio mundo aos amantes
la photographia.
PARA USO INTERNO
p R EPARA nOS SIMPLES
Xaropc de jurnbeba garrafa. 1^000
Vinlio dejurubeba garrafa. Ii3600
Pilotas de jurubeba vidro. 10600
Tintura de jurubeba vidro. 640
Extracto bydracoolico dejurubeba. 120500
PHEPARAnOS COMPOSTOS. *
Vinho de jurubeba ferruginoso garrafa. 2)5000
Xarope de jurubeba ferruginoso garrafa. l^GOO
Pimas de jurubeba ferruginosa vidro. 2^000
Oleo de jurubeba vidros. 640
^Pomada de jurubeba pote 640J
Emplastro de jurubeba libra. 2500
PAR.\ USO EXTERNO
rA JURUBEBA*
Esta plaa hoje rcconfcccida como o mais poderoso torneo, como um excel-
lente desobstruente, e como tal applicada nos engorgitamentos do gado e bago, as
liepatites [ropriamente ditas, ou anda complicadas com anazarchas, as inflammacoes
subsequen^es as febres intermitentes ou durezas, nos abeessos internos, nos tumores es-;
pecialmente do otero e abdomen", nos tumores giandulosos, na anazarcha, as hodropc-
zias, uryjpt lias; e associada as preparages ferruginosas, ainda de grande vantagem
as anemias, chloroses, faltas de menstruacao', lencorrbeias, desarranjos atnicos do:
estomago, di bilidade orgnica e pobreza de sangue, etc.
O quedizemos alliimam os mais distinctos mdicos desta cidade, entre os
quaes podemos citar os Illms. Srs. Dr. Silva Ramos, Aquino Fonseca, Sarment, Seve,
Pereira do Carmo, Firmo Xavier, Silva etc. Todos elles reconhecem a excellencia d'este
poderoso medicamento sobre os demais at hoje conbecidos para todos^os casos citados,
tanto|que todos os dias fzem d'elle applicai;ao.
Apresentando aos mdicos e ao publico cm geral diversos preparados da juru- j
beba, tivemos por im generalisar mais o uso"d'este vegetal, fazendo desapparecer a |
repugnancia que at naje sentiam os doentes de usar dos preparados empricos d'elle, e
rmjis das vezes repugnantes a tragarem-se, e que tinham ainda a desvantagem de nao
ser calculada a dose conveniente a applicar-se, o que torna muitas vezes improficuo um
medicamento, que poderia produzir ptimos resultados.
Os nossos preparados s forain apresentadOs depois de havermos conveniente-
mente estudado a jurubeba, fazendo as experiencias precisas para bemeonhecer as pro-
piedades medicameritosas d*esta planta em suas raizes, folhas, fructas ou bagas, e a
dose conveniente a appiicaco, tendo alm d'isto procurado levar os nossos preparados
ao rnaior grao de perfeico possivel, para o que nao poupamos -esforfos, nao nos im-
portando o pouco lucro que pos saraos tirar.
Por tanto os que se dignareis recorrer aos nossos preparados podem ter a
certeza de que elles offerecem a garanta, de que se pode encontrar, a prompta c infalli-
velcura de qualquer dos soirrimentos,que dexamos innnmerados, se forem em tempo
applicados, tendo alm d'sso, medico eu doente a vantagem de escolher as nossas va-
riadas preparaces, aquella que melhor Ihe pode convir, j pela fcil applicago, c j pela
complitacSo das molestias, idade, sexo, ou ainda natureza de cada individuo.
As nossas preparaces ferruginosas sao feitas de forma que se tornam comple-
tamente soluveis nos suecos gstricos, porque procuramos os compostos de ferro que
como tses estao hoje reconhecidos.
Para aquelles que mais minuciosamente queiram conhecer as propriedades da
jurubeba, e saberem a applicac5o do nossos preparados, destribuimos gratuitamente
em nosso deposito um folheto, onde tratamos mais extensamente d'esta planja e dos
mesmos preparados.
Deposito geral de todos os preparados
Rotlca c drogara
34Rua larga do Rosario34.
Da zarape Vegetal Americano, especialitlade de llar I bolortir u A o
34RUA LARGADO ROSARIO34
Nao costumamos procurar attestados para acreditar nossos preparados, e de-
xamos que sua applicago e os resultados obtidos pelas pessoas que se dignaram acceita-
los, Ibes deem crdito e voga; porque s3o sempre os attestados considerados gratuito,
e delles que langa m5o o charlatanismo; mas, n5o querendo ofiender as pessoas qw
espontneamente nos offerecerm os que abarxo vo tcanscriptos, os fazemos publicar,
manifestando-Ibes nossa gratdopela altengo, esperando que venham elles corroborai
o conceito, e acceitagao que tem merecido nosso xarope.
Bartholomeu & C.
ATTESTADOS *
Illms. Srs. Bartholomeu & C com a mais subida satisfago que declaro
ser o xarope Americano de urna eflicacia extraordinaria, pois que solfrendo ha dias de
intensa tosse, ponto de nao poder dormir a noite a despeito raesmo de medicamento
que tomava, a elle recorr e na terceira colher fui alliviado, e de todo me ado hoje res-
tabelecklo com o uso somente de quasimeio frasco: grato, pois,ra esseresultada mani-
fest a Vv. Ss. meu reconhecimento.De Vv. Ss. amigo,- venerador e obligado.Ma-
noel Antonio Vicgas Jnior.
Sua casa 20 de abril de 1868.
Illms. Srs. Bartholomeu C.Penhoradissimo com o favor que me fizeram
de aconselhar o uso do xarope Vegetal Americano, de sua compesigo, quando me acha-
va bastante doente de urna constipago, que me tornou completamente rouco e que
trouxe urna forte tosse, c me impossibilitou de cumprir os mcus deveres de cantor da
empreza lyrica, vou agradecer-lhes meu completo restabelccimento, que oblivf com um
s vidro do raesmo xarope, depois de haver recorrido a muitos tratamentos. Desejarei
que outros como eu recorram ao seu xarnpo para se verem alliviados de taa termal
incommodo, to fatal neste paiz. Com raaior considerago contino a ser de Vv. Si.
atiento, venerador e obligado.Luiz Cremona.
Recite, 25 de setembro de 1868. -
Illms. Srs. Bartholomeu & C.O xarope Vegetal Americano que Vv. Ss. teem
exposto venda de toda eflicacia para o curativo d'aslhma, conforme observei appli-
cando-o a meu Gibo Joaquim, menor de quatro annos; victima d'esse flag.llo, que ati
ento por espago excedente a dous annos havia resistido a outms xaropes de granda
nomeada; Queiram, pois, Vv. Ss. acceitar a expresso altamente sincera de meu reco-
nhecimento ao meritorio servigo que lhe prestaram com o indicado xaropc. acreditan-
do-me para sempre de Vv. Ss. criado, atiento e obrigado.Americo Netto de Jlendonga.
Recife, 2 deoutubro de 18fi8.
DE
PLIIO
DE
!J. VIGNES
DOENGAS DO PEITO
XAROPE d'HYPOPHOSPHITO DE CAL
A efficacia d'esta preparaclo estestabelecida desde 4857, pelos mais celebres mdicos. Desde
entSo muitas imiuctes tea sido feitas, mas nenhnma poude susteotar a comparacBo com o
producto apresentado pela nossa caza. Por isso excitamos o publico para que exiga sempre
este xarope com urna bella cor de rosa, nunca branca, e com a nossa asignatura i. roda do
frasco.
Sob a sua influencia, a tosse acalma-se, os suores nocturnos cesslo e o doente volve rpida-
mente sade. 0 seu empreo da tambero os mais brilhantes resultados nos defluxos, catar-
rhos, bronchitee, irriu?6es do peito, etc.
Deposito em Pernambuco, em casa de Haarer O*.
N. 53RUA DO IMPERADORK. 55.
Os pianos dcsta anliga fabrica sao hoje assz conbecidos para seja necessarie
insistir sobre sua superioridade, vanlagens e garantas que offerecem aos compradores,
qualidades estas incontestaveis, que elles tem definitivamente conquistado -sobre todoi
os que tem apparecido nesta praga; possuindo um teclado e machirismo que obedecen
todas as vontades c caprichos das pianistas, sem nunca falhar, por serem fabricado
de^iroposito e ter-sc feito ltimamente melhoramentos imporlantissimos para o clim
deste paiz; quanto s vozes sao melodiosas c flautadas c por isso milito agradaveis ao
ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como nado Sr. Blon-
del, de Pars, socio correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premia-
dos em todas as exposicoes.
No raesmo estabelecimento se achara sempre um cxplcndido e variado sorti-
mento de msicas dos melhorcs autores da Europa, assm como harmnicos e pianoi
harmnicos, sendo tudo vendido por pregos commodos e razoaveis.
Prectsa-se le dous humeas csti an-
geiros, de prsferencia portuguezes ou hes-
panhes, que qeiram em pregar-so em um
ongenho drstente (Pasta praga 18 leguas'
a tratar rua iloLivranit'tito n. 6, loja.
Ama
Precisa-se alagar urna escrava para ama de casa
de urna s pessoa : na rua da Senzala-Vellia n.
18, 2 andar.
Precisa-e de mu Portuguez para eaixeiro de
um engenho : a tratar no largo do l'araizo n. 14.
Caixeiro
Offeree-se um caixeiro de 16 annos pouco
oais ou menos, o qnal tora pratica do padaria, o
garauUi- so a conducta: a tratar na Soiedade, pa-
daria n. 14.
Oopeiro
No caes do Santo Amaro, sobrado n. 23, preci-
sa-sc alngar mu coneiru torro ou escravo.
Constituicao do Brasil
Analyse e commentario da constituigo
poltica do imperio do Brasil, ou theoria
a pratica do governo constitucional brasi-
leo.
Pelo desembargada Joaquim Rodrigues
deSouza.
Acaba de ebagar do Maranho esta obra,
e vende-se na livraria econmica ao p do
arco de Santo Antonio.
NOTAS PERDIDAS
Poesas de Antonio Joaquim Bodrigues
da Costa, um volume.
PEDRO I.
Drama histrico, pelo autor das notas
perdidas.
Chegaram pouco da Babia estas obras,
e vende-se na livraria econmica ao p do
arco de Santo Antonio.
--------------- -^_______
A companhia do Beberibe
precisa de bous t rabal hadores
para suas obras uo montelo,-e
paga 1&600.
Luiz Manoel Filpueiras participa ao rcspei-
tavel corpo commercial de Pcniambuco, que desde
1 de marco do corrento admittio como sen socio
o seu caixeiro o Sr. Thoin I.oito do Olkreira. cuja
firma gyrar sol) I.uiz Manoel b'ilgueiraa i >..
VISI)
aos constructores e
mestrs de obras.
errarla a vapor da rua do nn-
deg n. 9&.
Os donos desta serrara acaba ni de receber urna
grande remeda d madeiras de primeira qualida
de. Para dar grande cxtraci\o a suas madeiras, c
asshn dar sempre a fazor a "sua serra, ellos teom
resol vido vender muito barato. Os mostres de
ulira acliarao sempre taboas serrados de qualquer
grossura e largura, c apparelhadas, para coni fa-
cilidide e promptidao, fazer portas e janellas. v&j-
dem caixilhos para jaucllas e parta?, segundo a
postura da cmara., por procos como oo : poai-
vcl laze-los em qualquer parte ; taboas para ali-
saren com moldura, taboas para paredes ue di-
visad mteira, etc, etc. En 'arregam-se de fazer
portis e janellas com muita brevidade. Para a
com nodiade dos freguezes, elle tem aberto um
depesito de suas madeiras seiradas, na rua de
Santo Amaro n. 6, junto a cstaeao dos trilhos ur-
banos dos Apipncos. L esta urna amostra dos
caixilhos, das janellas e Jas portas que se costu-
inai i fazer.
VVISO
i
i) cngtftiliciro Antonio 1'oliciano RodrijuesSet-
te, competentemento autorisado pMo proprieta-
rio io sitio denominado Aguasinba, cm Beberibe,
vende lotes de trras, formados pe9 pidan do ar-
mamento noves, organisado para o retalhamento
da superficie geral do supraclado sitio, todos com
coufiguragao rectangular, lies ras novameote
abei tas no sentido longitudinal, isto de leste a
oesto, declinaran do 17. sul tres ditas no senti-
do transversal, isto de sul ao norte, declinarlo
de 17.a a oeste, darao para corto systema e belleza
a essa divisao. A proximidade do rio Beberibe, a
feriilklade do terreno suflieientemente demonstrada
pelf vigr da vofetofo existente os recommen-
dam e convidam os totnpradores. Os procos se-
rn ditrerentes, flueiuando entro mil at tres mil,
conforme a loralidade o diine isoes. Pode ser pro-
curado as quintas feira i e dtmingos no sitio ci-
ma mencionado, e nos mais dias em casa de sua
residencia, estrada do Joao de Barros n. 5.
== Procisa-se comprar uiu.i escrava que saiba
engommar e cozionar, e que wja da boa conducta:
na rua do Queimado n. 69.
Vinho degestivo de
chassaing
COM
PEPSINA B DIASTAEX.
Remedio por excellencia para cura certa
las igestoes diffices e'ampielas, acalmar
ts dores gastralgicas, o reparar as forcaf
priduzindo urna assimulacSo completa dos
alimentos; sendo mais um oxcellente tnico
NA
PHARMACIA E DROGARA
n
BartbolofMM t& c.
34RUA LARGA 00 ROSARIO34
. Vf&mw do nm caMlro,O>m pjtr iaft-
berna. de 14 a 16 annts : no pateo da Bibeira
n^O________________________________
Preeisit-M de um* boa casinheira forra ou
captiva : no Iwgo doJPilar na___________
- Quemprwir^tmw ama para oriirtiare
engommar; dirjja-se ao becco do Pocinno a. 24,
Frederico Maia
Cirurglo dentista pela escola
de medicina
de Rio de Janeiro.
Tem a honra de participar ao rcspeitavel publi-
co desta capital o seus suburbios, que tem aberto o
seu gabinete do consultas e operacoes dentarias a
rua Direita n. 12, prlmeiro andar, onde pode ser
Procurado todos os dias das 8 horas da mantea as
da tarde. Elle acha-se competentemente habdi-
lado para com perfeico col locar dentes artificiaes
por qualquer dos systcinas, e bem assim desempe-
nhar qualquer outro trabalbo concernente sua
profisso. O mesmo, reconhecendo que nem sem-
pre possivel ssenhoras ou enancas sahirem a
procuar o remedio, ollereec-se a remover qual-
quer obstculo, declarando que na cidade se pres-
tar a qualquer chamado sem que isso influa cousa
alguina na commodidade dos presos de seuS traba-
Ibas, e quando para foca della assim mesmo ser
precedido de um ajuste rasoavel, garantindo elle a
seguranca e perfeico de sens ditos trabalhos. Em
ieu gabinete se encontrar cons tantemente cxecl-
lenteps dentifricio, elixir o outras medicamen-
tos odontalgicos : rua Direita n. 12, primeiro
andar.________________________
CUBA DOS CALLOS.
PELA
Pomada galoaipeaii.
Deposito especi;,l
Pharmacia de Bartholomeo G.
i------Rua larga do Becario-34.
SEGUROS
MARTIMOS
f O\TK A F<0OO.
A Companhia iMdemnisadora, estabelecind
testa praca. toma seguros martimos sobre
avios e seus carregamentos e contra fogo
tm edificios, mercadorias a mobilias: aa
ta do Vigario n. 4, paviraetito terreo.
MOFiA
Sr. Antonio Francisco Duarte e sen mano Dr.
Maximiano Francisco Duarte, venham rua Di-
roite n. S'i, loja do Braga k z.___________
Para coeinika
Precisa-se de um escrava que cosinhe bem: na
rua do Crespo n. 23.
Eu abaxo aasignado declaro pelo presente,
que vend ao ao Sr. Miguel Ag<*linlio Ramos Ma-
chado, a armacj do minlia tiborna sita a rua
Direita n. f0 livre e desembarcada de todo e qual-
quer debito. Recife, 6 de abril do 1869.
Jota Joaquim Hune Teixeir
Precisa-se de um criado para compras e
recados: na casa n._28 da ruajlos Col
___.____ii_
Boga-so ao Sr. Roberto Mario de Oliveira de
so dirigir rua da Cadeia u. t, loja, a negocio de
ieu interessf. ______L__________ *r
Kusommadeira.
Precisado do urna criada pan engommar : em
noinftoa^siiio do Sr. Barroca._________^
Pede-se ao Rvm. Sr. padre Jo%i Bemardino
de Paiva, ou a nuem mesmo fQuher dar noticia
do sua rosttpcia, de cammuBiowto a rua de
Hortas n. 90, atim de tratar-se de urna ncranca, e
negocio b multo interesse do mes rao 8r. reve-
rendo. ________^______
Ama de leite
Oftemw-se unta ama com minto bom leite : na
roa do Livramemo n. 19.
GRANDE HOTEL
II ORIENTE.
Inaugurou-se este commodo e elegante
estabelecimento d'onde os seus frequenta-
dores poderao apreciar a especialidade na
confeceo dos gneros alimenticios.
As bebidas sao as mais primorosas e re-
commendadas.
A decencia e bom servico primam n'esta
casa no bello gosto oriental.
Mandam-se domicilio comedorias, tanto
avulso, como por assignatura mensal. Os
preces sao mdicos e convencionaes.
Ha urna espacosa e bonita sala para o
elegante jogo de bilhar.
Ha tambem aposentos corammodos e bem
mobilhados para hospedagem.
Rua larga do Rosario
n. 44_____
Fundi(?o da Aurora.
Neste vasto estabeleclmente sempre se encontra
um completo sortimento de taixas de ferro batido
e fundido, fabricadas rceentemente, o se fabricam
de qualquer molde a vontade dos compradores, e
recos razpoavei. ______________________.
Se for bom.
Pagar-se-ha bem um moleque que se pretende
alugar : na rua larga do Rosario n.44,1* andar.
Em casa de THEODOBO CHBISTI-
ANSEN, rua da Cruz n. 18, encontram-se
effectivamente todas as qualidades de vinho
llordeaux, Bourgogne e do Rheno.
T^EDIDO
Pede-se ao digno chefe das obras publicas que
lance suas vistas para o nto estado da estrada da
Victoria no lugar das Areias,
Um padicente.________
SolNias do peito.
A farinha de S. Bento o nico alimento capaz
de sersupporttdo pelos estmagos fracos, o mais
conveniente pelos seus boas resultados pessoas
atacadas de molestias do peito, aos convalescen-
tes s pessoas enfraquecidas por toda a qu3lidade
de'excessos e s senhora que teem perdido as
cores pelas perdas de sangue : nico deposito, na
pharmacia do Pinto, rua Taiga do Rnsario n. 10.
Caixeiro.
ITerecese um caixeiro de 18 annos do idade
com pratica de taberna, dando conhecimento de
sua conducta : a tratar na na do Imperador n.
<26,1 andar._____________________________
Precisa-se de urna criada livre ou escrava
3ue saiba coser, engommar e fazer os arranjos
omesticos de urna familia composta de i pessoas :
dirija-so a rua do Trapiche n. 14, 2o andar, ooan
sulado franrez.
RUA LARGA BO ROSARIO IV. 37
Este acreditado estabelecimento augmenta
de dia em dia quanto possivel para che-
gar ao cume do bem vivev.
Alm dos saborosos manjares confeccio-
nados com o melhor asseio, tem bellos apo-
sentos de hospedagem, tanto para urna s
pessoa, como para numerosa familia.
A agua, indispensavel elemento para a
vida e hygene, temo-la sempre cm abun-
dancia para facilitar excellentes bandos.
Ha tambem urna boa bibliotheca e peri-
dicos nacionaes e estrangeiros, piano para
recreio, buhares, etc. etc.
Sendo ociosa qualquer recommendaco
para to acreditado estabelceimento, omit-
timos mais prembulos, fazendo ver por
fim, que o bom servigo, ordem e morlida-
de imperam n'esta casa, como observancia
fiel do regulamento que possue.
Comedorias a la carte.
CnARLTERIA E PETIT RESTALBAHT
Annexos ao Hotel Central, rua estreita de
Rosario n. 4 A, andar terreo.
Para dar a conhecer a variedade infinita
de charutos de Havana, Baha. Rio. etc. qua
existem neste novo estabelecimento pres-
cindimos dos annun< ios. pomposos que ge-
ralmente se fazcm, reduzindo-nos apenas i
tres letras que sao tres bbb bom, bonito
batato. A' vista do genero annunciado po-
de-se julgar de nossa veracidade. Esta casa
gosa tamliem das condices de um eleganla
e pelit resianrant onde se pode ver a es-
pecialidade dos fiambres e salames de Lion
para lanches e at fazer urna boa eolac5o,
juntamente com os principaes vinho* do
mercado, sobresabindo entre o bom a pura
c fervenle champagne, o mu saboroso Rbe-
no, a primorosa ceneja, o licor espirituoso,
.o quanto pede urna mesa. Faz-se noutt
sorvete e variedade de refrescos.
GUSTAVO WERTHEIMER
Tendo montado urna completa olficina paha conckuto r. _f inaco be vanos e
tendo contratado para o mesmo fim o experimentado contra-mestre Sr. A. Rastouil
chegado da Europa pelo ultimo paquctc.tem a honra de recommendar este aa estabeie-
cimento s'Exmas. familias Pernarabucanas, prometiendo promptidao e perfeico no
Iraba'.ho.
Riia Formosa n. 14
LIMA, LESSA & C.
1_til mk i\-14
0 respeitavel publico encontrar nesta ofllcina habis rae.stros o bem conliecirfps
na arte, aflanfjndo-se o melhor desempenho conforme o gosto e vontade do fregpez,
assim como a maoc pontualidade na entrega das obras; recebemos de Pars, por todos
os vapores, os mais modernos figulinos para nao haver nada a desejar; bem como
varias encommendas de casimiras modernas c outros artigos proprios para bomens
temos grande deposito de roupas feitas do toda a qualidade, como sejam: camisas
francesas, inglezas, ehapos de sol de seda trancada, o que ha de melhor. grande
sortimento de mchs, colarinhos, punhos e grande novidade em grvalas modernas, e
finalmente completo sortimento de fazendas finas e roupas feitas, sendo os pregos'os
ia!d Kiritric nncii-ic
mais baratos possiveis.
INJECTION BROU
lrtuandttde das almas da matri-
elo C'orpo Santo
Aluga-se o armazem n. 5 sito no caes da Apollo,
muito proprio para qualquer estabelecimento pela
sua extenea/fe embarque a qualquer hora : os
pretendemos podem dirigir suas propestas a mesa
regedora : o para nwlhores esclarecimentos com q
thesoureiro rua da Cruz n. *>.
O ccrivo,
1.1. Unta Bairao-
Baltar, Oliveira C sacam sobre a prar do
Porto.

rtiCTrtea luralilvrl e rmrrvailta, abtokiUmt nu. t u. u.. >,. t cura kui ncuiu.. .au.i.>... \
M. prtMi|M_ baiie! amado. (Kiiglr a -Wiaimi 4a ). (M tnaat d atMaMU.) ra.
4a -._H_J. >__. Mi_i li. Ilt ________ ._________
CAPSULAS VEGETAES
COM
deGRIMAULT eG lRWACEticos em PAi
Bsiat capsulas, com capa de glwen, cowem o balsamo tltpabiba **^_ 2J?^__j
Mateo larvore do Pert), e coo.uu.am m remedio, infallivtl contra a jW__ _r!___X_1
mn cansar o estomago e nlo ptwraoto nuuea o. enjoo e n.nsw ^fr__."^*
ordinarias, taoo- a immenat vaatagem da nao eommnnicar oheiro as o_n__
I _roa que ella ale aaperioree s capsalas de copahiba, cubabas, ote.
Deposito'cm Psrnamlmco, em casa de Mear. a O*.
** l I
?
}
N


Diario de Pernambucc Segunda feira 12 de Abril de 1869.
!
-'
AMA
Pceeisa-se, de urna ama que cnzinhe oom per-
feicao e soja descmbaracada : na rua da Palma
n. 3.
Cozinheira.
Pracisa-se do urna ama para cozmhai' em casa
de familia: na rua Nova de Santa Jlia n ti:t. junto
a o deposito de carvao.
Amonio da Costa Saldas relira-se para Eu- f"
ropa.____________________'________
ARA.
Na rua do Torres n. 16,2" andar, precisa se de
urna ama que cozinhc c egotnmo para urna pe*:
soa.___________________
Precisa-so de um caixeiro para padaria, de
12 a 16 anuos de idade : para tratar no pateo do
Toreo u. 61
Penteu-se. ontom s 8 horas da noute pone
niais ou menos, na rua das Crines, nina rarteira
de notas, conteni urna lettra de IMiflOO e tanto
ivis. aceeita por Manoel Caetane Prorio, outra de
403000 aroihT por Antonio da Silva iiismao, e
mais alguna napea c notas que s ao dono apro-
veiUm. Queta acliar entregar nesla typogra-
phia que ser recompensado.________________
Na rua de Sania Hila n. ll olleivceni-se
duas amas militas boas, urna para engomimr ou
ira para eosinhar; querem servir na mesma rasa
-o larro~do Cupj-Sauto n. 19, preeisa-.e
.le una Mn forra ou rserava: puga-se bem c
Irata-se so proprio tnpiehe-
__ Prccisu-scTte urna ama para casa do lioineui
sollein* : na roa da \h ai 42.______________
HaooeJ Jos te Iba-tea retira-se para fra
do imperio, e deixa por sen bastante procurador
nesla cidade ao Si*. Manoel Alves Barbosa Subrinho.
Miguel Jos da Costa participa ao respeita-
M'i publico principalmente ao corpo do conimcr-
rio, que venden ma taberna sita na rua do Hon-
go n. !I7, passando a fazer seus pagamentos de
ora emdiaate na rua Imperial taberna n, I7.
- Precisare lie um cosinheiro : na padaria da
rua do RangeL
O abatato assignado le escnpTono a
ma d> Imperador n. :2, Io andar, e ah
pode ser procurado para os misten! e
sua pn.'is partirtflares das 10 horas da raanha as
14a Hte,
Manoel Joaquiai Sdveira.
mm
GRANDE LIQUIDACAO
a dinheirq na loja e armazem
paao
DE
Flix Fereira da Silva, successor de Gama
& Silva
0 proprietario d'este estabelecimento convida ao respeitavel j.tiJlico desta ca-
)it le lei, e as pessoas que negociara em pequea escaila, tanto da praca como do matto-
esta casa poderao fazer os seus sortimenlos em pequeas e grandes porcoes, venen-
to-se-lhes pelos precos que se compram as casas inglezas ; assimeomo as excellcntis,
tincas familias, poderao mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou mandare-
nos levar em suas casa:; pelos nossos caixeiros, para o que acha-se este estabelecimen-
o aberto constantemente desde s 6 horas da manhaa s 9 da noute.
0 toalhado do Pava AS CAMBM1AS DO PAVAO ,
Vended superior toathado de algodo Vendera-se linissimas pecas de cambraias
ROUPAS FEITAS
Na loja do Leao da porta larga
do M
i na nou'.c So 8 |mra rt do crreme,
ngeM Rala, freguer.ia 8* Cscada, os sera-
vos Tratmiiiiia.i e Silvestre, os quats leeu os sig-
naos segaintes: Traiuimlino mulato, idafie de. 20
antes, Dais ou menos, babee, grosso, coni o dedo
pilles! de u:n. das naos atojado, ps grandes e
largos. Siiv-i preto, boa figura, seco-do oor-
no, pena* irasi*, paManmos, er quedo (alta
BWStW i-- denles em queiii ri. uaem os captu-
rar Ir.-..-- >< a Mamii'l Antonio Das em o referido
engenko i !:>. estarlo Freseiras, no a Albino los
Ferrara da Ciwha largo de S. Pedro n. 17. que
seta i o graBeado. __________
SI i me sendo pisstvel despod>-ifl pessoal-
mente de todas as pessoas que me hunraui com
sua y n zade, li-io por eseripto. Como por.m po-
de acontecer que .ligninas dessas pessoas deixcm
de reeebor minM carta, por aoih|aer circums-
tam-.ia. alh.ii. sem duvhia, de minha von'ade, pa-
ra Mas ro o preser.e annuncio, psdindo-lhes
fUMseitoin niinbaa despedidas, c offerccendo-llies
incas gervicos na corte.
Joarmm de Souza Res.
m 8 palmos de largura, adamascado a
JilOO a vara; dito de linho fazenda muito
mperior a 3 5200 a van ; guardanapos de
in 10 adamascados a 4$500 a duzia e muito
inas a 83OO, c ditos econmicos a 330O
i .duzia.
Fistes para restidos forneos
a .lio.
Vendem-sc os mais modernos fwstocs bran-
m flexiveis com padtoes de listas e de
?a'picos proprios para vestidos e roupas de
nenino a 640 rs. o covadb, na loja c arma-
'.em do Pavao rua da mperatrizn. GO, de
Telix Pereira da Silva.
iros Chegou para a loja do Pavo pelo ultimo
/arpor um grande sorttmento dos melhores
%rosdenaples pretos e de cores, tendo verde
Cot-u reiras.
Pr.;,'i-:i-se para corar e coser calcas grasas e
ceroulas, na loja da rua da Cadeia do Recife n. >.
Com muito maior vantagem
Compra o Coracioda uro, n. 2 D, rua do Cabu-
la, moedas de OQTO e prata e pedras preciosas.
ompia-se atoadas de ouro e prata, bem
como libras sterlincs por maior proco que
a* outra parte, na rua do Crespo n. 10
P, andar. __ ____________
Ouro e prata
*m moeda e em obras iautilisadas, compra-se por
bom preco : na prara da Independencia^ 22._
~~_ .\a praoa da Independencia n. 33, loja deon-
rives. comnr-seooro, prata, e podras preciosas, e
laoibem se faz qualqner obra de eneonuieuda, c
ti)do e (pi.-ilqaer concert. ______ ______
0 mnzeo de joins
Na rua doCatagi n. 4 compra-se ouro. prata
e neds preciosaspor presos mais vantaji-os do
ainbem, que so vender mais baiato que Pereira da Silva.
m outra qualquer parte.
MIUDINHOS
Vendem-se finissimos babadinhos. tiras
wrdadas e ntremelos, mais baratos do qae
mi outra qualquer parte, assim como espar-
ilboa dos mais modernas, no armazera de
?ex Pereira da Silva, rua da Imperalriz
i. GG.
UTA NOVIDADE
A .LOJA D PAVAO
Gurgurode seda
Chegaram pelo ultime vapor os mais bo-
litos-garguroes de seda, proprios para ves-
idos, sendo lisos e lovradinhos, com muito
ustro, garantindorse que a fazenda -mais
inda-e demaisphantssiaquecsteanno tem
-hegado a este mercado, e vende-se por
jreco muito razoavel, na rua da Imperatriz
i. 60, de Flix Pereira da Silva.
CAMBRAIA BRANC.\ A 3,S5O0.
Vende-se pecas de cambraia branca
.ransparente, com 8 e meia varas peto ba-
rato preco de 3-550, ditas muito finas tanto
lapadas como transparentes 45500, 5$000,
*JjSeo, 7.-5000 e 8^900, assim como organ-
li muito fino tanto lizo, como de li6tas e
(uadros na loja e armazem do PavSo na
la emperatriz n. 00 de Flix Pereira da
;ilva.
ALPACAS LAVIUAS PARA LUCTO.
Vende-se na loja do Pavao, as mais mo-
dernas alpacas lavrada? para luoto, sendo
muitelargasepelo Iwirsto pre^o de800rs. o
jovado, s na loja e armiem do Paveo, rua
ia Imperatriz n. 00 de Flix Pereira da
Silva.
Cseas inglezas a 4 4O rs o metro
Veade-se urna grande porcao de bonitas
;assas inglezas tanto graudascomo miudi-
nhas e de cores fixas pelo barato pre?o de
140 rs. o metro,garcnlindo-se que 7 metros,
lo na vestido para gualquer Sra. s na
loja do Pavao rua 4a Imperatriz n. 60 -de
Flix Pereira da Silva.
Bareges a 400 rs.
Se na Io|a do Pave
Se Ttadow as mais bonitas bareges iransparen-
.es, propras para vestidas oom listrinhas a imita-
;ao de liaras de seda, e vendem-se pelo barato
ticas transparentes tanto inglezas como suts
sas tendo mais de vara de largura, pelos
precos de 5#000 at IO000 a peca, assim
como fisissimos organdys branco liso que
serve para vestidos de bailes, por ser muito
transparente a 1)5000, a vara, na toja do
Pavao rua da Imperatriz n. 60, de Fcix Pe-
reira da Silva.
Alpacaslavradas
Chegaram pelo ultimo vapor as mais mo-
dernas alpacas lavradas cora as mais lindas
cores, que se vendem a 15000, o covado,
ditas lisas tendo tambero cor de canna a
800 rs, ditas aacscladas muito tinas a 1:200,
o covado, e cetras muitas fazendas de goste
e moda que se vendem msis barato do
que em outra qualquer par*;, no armazem
do Pavao, raa da Ingente i. 00. de FdSx
Rua da Imperatriz n. 52, junto aloja deourives.
N'cste estabelecimento se encontrar rua da Imperatriz. n. 82, loja do Paredes
sempre um cerapleto sortimento de roupas Porto.
feitas de todas as qualidades. Como se- Nestc estabelecimento encontrar o respei-
jam: paletots de alpaca, de merino, de tavel publico um completo sortimento de
casemira, bombains de panno preto, fra- fazendas e roupas que. se vende pelos pre-
ques e sobrecasacos de brins de cores e eos seguintes:
pardos. FAZENDAS BRANCAS,
CAMISAS E SIROULAS. MadapolSo de diversas qualidados e pre-
Encontrar sempre o res)citavel publico eos commodos, cambraia de 3)5500 IflSOO
(i bonito sorlimento de todos os nmeros, &&, ditas victorias de 55500 a 125, pegas
MF.IAS CRUAS. de cassa liza o mais fino que ha no mcrca-
Sortimento de todas as qualidades, de do a 95, 105, 125. com 12 varas, e vara
um
Iteupas para fe-oincm
Vendem-se superiores yalitts de paano
sobrecasacos forrados de alpaca e de ^da,
camisas inglezas e franeszas com os peitos
de esguiao, ceroulas francezas de linhe al-
godo, meias croas ingieras superiores, ca-
misas de Sanella e' de meia de la, assim
t como neste estabelecimento existe um grande
! sortimento de pannos pretos, e de casemiras
inglezas de cores, e que se manda fazer
qualquer obra a contento dos Srs. fregue-
zes, e promette-se-lhes que sero servidos
com a maior promptid3o e muito mais ba-
rato do que em outra qualquer parte
na rua da Imperatriz n. G0.de Flix Perei-
ra da Silva.
Cortinados
Para camas e janellas.
Vande-se om grande sortimento dos me-
lhores e maiores cortinados lwrdados pro-
prios para camas e paca jajkdlas, que se vc.i-
dom a !25#00 rs. cada par at 2W000 rs,
isto aa rua da Imperatriz n. GO, de Flix
Poreiw da Silvf.
Crekme-para len^es m 10
palmos de largura a 2$,
Acaba de diegar esta nova e excedente
fazenda branca propria para lenoes de om
s panno, garantindo-se que um metro e
urna quarta ou um wel o e meto d um
excedente lengol de um s panno, assim
como esta boa fazeada tambem muito
propria para tMlhas de meza, rosto etc. e
outros ysteres e vende-se "pelo baratissi-
mo pre^o de 25 cada metro.
MOCAMBQUE PARA VESTIDO A 500 RS.
Chegou para a loja 4o Pavao um elegante
sortimeato dos mais bonitos moeamfeiques
proprios para vestidos com as cores mais
modernas e que se anden pelo batato
preco de 500 rs. o oteado.
ALPACAO 1>ECOUDGF.Ul.V Ylli!IDO A 14
Chegou esta nova fazenda con o nome
de alpaco, sendo de cordto c com mais
largura do que a alpaca, cores, eximo sejam Hisniark, lyrio, petlas,
35 a 55, assim como tambem sortimento
de lencos de linlio brancos e com barras
de cor, chinezes, bonitas gravatas pretas e
de cores. Rua da Impcratm h. 52, por-
ta larga.
PARA ACARAR.
Urna grande porcao do cH"as ordinarias
paratrabalbo a 640 e 800 rs. cada uto par,
pechincha na loja do Leao junto a lufa de
ourives.
GRANDE PECHINCHA,
Cassas lie cores a 160 rs. o covado, na
160 RES 0 COVADO
Chita preta pelo batato preco (fe 160 o
covado na rua da Imperatriz n. &2 na loja
que tem um LeSo pintado.
PANNO 4IE LINHO
Paredes Porto 'peoebeu um sortimento da
pannos de linh, com 27 varas a pega e
f75000 e 185006, a rua da Mperatrizn.
52,JBito a loja de ourives de parla larg;i,de
Paredes Porto.
de largura
SEDAS DE LIS TRAS.
Recebeti-se um bonito sorlimento,d'esta
fazenda que se vende a 25500 o covado.
CHITAS.
Vende-se chitas escuras a 280, 300, e
320 rs. o covado.
GUARDANAPOS
Vende-se esta fazenda de linho. fazenda
boa a 15000 e SUMO a duzia.
MEIAS PARA-IIOMEM
Sorthwcnto de raeias inglezas para ho-
rnera a 45800 55800 e 65800 fazenda boa.
THOALI1AS
Sortimento de toalhas de perneta a H5
a duzia.
LENCOS HKANC05 a 25200
Para acabar lencos de algodo a 25200
duzia,
25000
ipfll vara de bramante de buho superior c
Vende-se lencos brancos de Itabo a 3& tem 10 PtaOS.dtf tafie,
a duzia para mm na loja 6e Paredes Por- t.ALLAb K wIEITh.
to. Rua da Iaq.eratriz n. 52 loja da porta Tem sempre no me#mo sentido um sor-
larga que tem um Leao pintado, de Paredes timento osmpleH a preco commodo.
Psrto.
No armazem do Leo, rua da taperatriz n^sa^uoto a loja de ourives.
11-RTJA DO QUEINADO~ll
DE
AUGUSTO PORTO & C.
ltoceberam superiores vestidas de blond com manta e caplla para noivas,.que
vendem-se-r.*>r precos mais mdicos do que era qualquer oulra paite.
SAUIIMS E^Wl-kVd* aefaemira branca ede r.ores o que ha de mais nnuo.
ASOlNES-de renda prcta, e de ^Ji^uio pelo, o que ha do mais
CHAPEOS DE SOLpara senioras delicadamente bordados.
B4M)ESbrancos e de cores para seonoras e meninas, csparUlhos, satas bor-
dadas, e saiasde la- contbarras de GOGLRAO-de seda beana. e preto para vestidos, sedas de cores, moircan-
tique branco, e grosdeuapte branco, de cores e preto, pnucezas, bombazinas pretas,
aloacas de muitas cores, e lindos cortinados bordadas.
CAMIZAS-dr folio para hornera de Avenas qualidades, camisas bordadas
para noivoe, sobretodos, eapas de borradla brancas a piva, bnn de cores e Iwanco,
nanos finos ccaserairas pretas e de cor por commodos precos.
TAPETESgrandes e pequeos para sof e cama, tapete e alcatifas em pecas
para sallas, e connuam sempre a vender pr mdicos preewj ai anana da india para
SAM.AS.
0 cordeiro previdente
lina do <|Bieimado u. fl Q.
Novo 8 variado sorliuiento de penumarias
linas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, deque effectivamente est prvida a
toja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se torna
notavel pela variedade de objectos, .-aiponon-
dade, qualidades e commodidades de pre-
ces; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
e espera continuar a merecer a apreoac3o
do rospeitavel publico em geral e de soa
boa fregueziaem particular, nao se tos-
tando elle de sua bem conheeida mausto
o barateza. Em dita loja eucoiiUaiTio os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Munay 4 Lamraan.
Dita de Cologne ingleza, aauk na. Iran-
ceza, todas dos melhores c mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentrilicia.
Dita de llor de lorangeima.
Dita ilos Alpes, c vilete paca toflet. -
Elixir odonlalgico para couse vaco do
.asseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chti-
ros agradaveis.
Copos e hitas, maiores e mnores, i
pomada lina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente,
lho.
fJonpraaiiM N kbrim vapor de cigarros : na
anliga rua do (iuarlcl do Polica n. 41.
COLCHAS PARA CAMA A 55000.
Vendenwe colchas de fusto adamasca-
Oanpm W moedas <1e ouro e prata o.jjas para cama, pelo barato preco de 55. c-
bem como libras sterlinas, na rua do La-! grande peotiincha, na toja e armazem do
bui/ -i. 0. i-i-loioaria. Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Flix
- Onp-tt niha werava que sba coankiar, \ Pereira da Silva.
tmgammar kmc me t.mha boa eoataen : na cobertores iNOUzs a 45, 4f$500 i: 55-
n*4nm n. 3.________________Vendem-se os verdadeiros cobertores
Iatka nnra pmhmJIDtes'de Pttra ,* P6'0 bai'at( ,prT
ti Oriitit; pdd ct cIIIUl U- ^ ^t 4^300 e 35, assim como colchas de
; fusto do cores, pelo barato preco de 35. na
loja e armazem do Pavao. rua da Impera-
triz n. 60. De Flix Pereira da Silva.
Madapolao entestado a 8H500
Vende-so superior madapolao entestado,
sendo muito encornado, para carnizas, e
tendo cada pega 21 jardas, pelo baratissi-
mo preco de 85500, na loja e armazem do
Pavao, rua da Imperatriz n. 60. Do Flix
Pereira da Silva.
CHAPE.LINAS
DA
ULTIMA MODA
Chegaram para a loja do Pavao as mais
ricas e mais modernas chapelinas rica-
meote enfeiladas, com enfeites e fitas de
setim e de todas as crese com ricos bicos
de blond e as mais lindas e finas llores,
VENDAS..
No araiazem de Henrique Azevedo
rua da Cadeia n. 31, ha para vender vi-
olios puros, das marcas seguintes:
KM ANCOHETAS
Collares.
Vlcobaca.
Dui-ellas.
liil CAl.VYS ENGARRAFADO.
Alrobari.
Bastos.
Braa fino "'" Torres Novas).
Boceltas.
Catavetlos.
Porlo, branco e tinto..
Moscatel do Setobal._________________
11 -se un cavallo para cabriole!, grande
o. bstanla ?ordo : a tratar na pra^a do Ind^peii
ilencia n. i ; ___________________
Vergootoaa du piuho para martaros, verga;
rotrancas. todas do sapenor qualidade. Tintas-
Verde Pnris, branco de zinco e preta, em latas di
14 e 48 libras, j prep.-adas, oleo de llnharae
barris : no armazem de deposito da companhis
Pernambucana, no largo da Assembla n. 10.
Vende-se fumo de Garanhuns muito bttm e
muito em cunta, clicgao a pouco: na rua di
lamina do Carmo n. 10. ^^^^
VendB-w o sitio n. 3 na iravossa dajCruz ic
Alnas, rom grande casa ds podra c cal com 4
qaarios, 2 salas, eozinha fra, cneheira, eMtribarii,
ipiarto para eriado, bem que necesite de algum
cono rl); i'sto sitio tem grande cacimba do piara
''. cal com boa a_na de beber, bastantes arvons lo
inicio e boa baixa de capim, e 6 em terreno pro
lirio. Tambem poilnr-se-ha trocar por duas casi
i 'ir. tis om Santo Antonio e Boa-Vista : a Iratfr
rojMh de Mon^enlior Muniz Tarom om Parn:-
nifirim. .
tratar cn
i.recodeum cruzado cada um covado," unicamen- /roxo, cor de eanna, magenta etc. e vende-
te ua loja e armazem do Pavao, rua da Impera- |se pe|0 baratissimo preco de 1$ o covado.
riz ^J5"J_ fo XJ!%f ^L?1?" __ ESGUIAO DE LLMIO DE 12 JARDAS A 10J.
Vende-se pecas de esguilo de linho, fa-
zenda superior, com 12 jardas cada pega, a
10^000.
ALTA NOVIDADE
A
Loja do Pavfto.
GLfiGLROES PARA VESTIDOS A 1 >000.
O COVADO.
Chegaram os mais modernos gurguroe.-
para vestidos, sendo de todas as cores, com
sejam verde, azul, rosa, bismark, perola.
rxo A 6c tendo quasi quatro palmos de lar-
gura e vende-se pelo baratissimo preco
do 1(5000, cada colado nicamente no ar-
mazem de Flix Pereira da Silva, na rua da
Imperatriz o. 60.
RETALHOS PARA LUTO NA LOJA DO
PAVAO.
Vende-se urna grande quandade de re-
talhos de chitas e cassas pretas por preco
muito barato, e quanto maior for a porcjo
que o fregu comprar, mais barato se lhe
vender na ruada imperatriz n. 60 de F-
lix Pereira da> Silva.
Grosdenaples preto
,. Vende-se um grande sortimento dos me-
vendado se cada una pelo barato preco de ,h g^naples pretos, tanto lar-
150000 garant.ndo-se serem muito raa.s ^ ^ d d> im)
:^I SSeo2"S^al garantiese que
ln isPdoTu um moto1to'Vmbelntm 'es^7 n^***^uatoe
muitas de prntinho, proprias para mocas e\W**ternm barato do que em outra
Velf-s- um sitio na Torre : a
Eonst-ncio Manta no mejmo lugar.
Cana na apnga
-se urna casa ierre* oom grandes eom-
modos oar.i ramilla, eorlnha fra, arando q :inlal i
ieT!HM proprios, e milito perto da &&$
ila via-Cerroa
i n. i9
pira tratar do preco. na ruad)
meninas, isto na rua da Imperatriz n. 60
loja do Pavao, de Flix Pereira da Silva.
Tabellas vermicidas
DE
Antonio Nunes de Castro.
Vermfugo cfficaz, e preferivel a todos os
coohecidoS j* |)ela certeza- de seu rewilta-
do, ejpela fcil ipplicacoas cranlas,
quasi sempre mais atacadas de to terrivel
e muitas vezes fata. soffrimento.
. NICO DEPOSITO m
KA
Pharmaca e drogara.
DB
Barthomeu A C.
34Rua l,ar;a do Ilosaro34
EFFICACIA
DO
XAROPE DE RBANO I0DAD0
0 Xarope de Rbano iodado de Grimani e C, pharmaceuiicos de S. A. I. o principe
petelo, em Pars, e preparado com o sueco das plantas anli-escorbulicas coja efucacia
mui popular.
Encerra o iodo como comhinaclo orgnica, e considerado come o melhor snecedaneo
do oleo de figedo de bacalha. .
A rara perfeicio d'este producto anima-nos a dar a conhecer aqu a pimo de alguns
"entre os pruieipaes mdicos de Pars, que diariamente o prescrevem.
0 Xarope de Rbano iodado um medicamento d'um efleito suave e seguro para a
medite* dos meninos, nio smente suppre a oleo de figado de bacalbo, mas anda fu
t as suas vezes com vaitagem. >
Dr A. CAZENAVE, medico em chefe do hospital Saml-Louii, em Parts.
c 0 Xarope de Rbano iodado um medicamento de prmeira ordem para o tratamento das
t affeccoes lympbatieas e escrofulosas. Muitas vezes, empreguei-o com feliz xito, em certos
< casos de tsica ao seu principie, como snecedaneo do oleo de figado de bacalhao.
Dr A. CHARRIER, vUige chefe de clnica daFaculdad de farit.
0 Xarope de Rbano iodado sempre nos deo excedentes resultados como regenerador
de salgue, e succedaoeo do oleo de figad* de bacalbo. >
D' A. FAVROT, autor do Traite des maladiu des femmet.
' 0 Xarope de Rabaao iodado um dos mais poderosos modificadores das constuicoes
lymphalicas. Tenho visto ulceras escrofulosas que nada podia curar, cicatrizarem-se,
c gracas a sua accao, com promplidio extraordinaria. Tambem, pele seu uso desapparecem
u affeccoes tuberculosas dos ossok nos meninos. > ...
Dr GUESNARD, antijo externo dos hosfitaes de Paru.
0 Xarope de Rbano iodado possne todas as vamagens do oleo de figado de bacalhao,
sem ter nenbnm dos inconvenientes que aprsenla este ultimo medicamento.
Dr GUIBOUT, medico dos hospilaes. Presidente da Sociedade de medicina de Part.
0 Xarope de Rbano iodado de Grmault e C encerra tp por cerno de iodo, ua sua
composiclo orgnica anloga que se aeba no oleo de figado de bacalhao.
D'KLETZINSI, professor de chymica, louvado dos tribunaa de Vunnm.
Deposito em Pernambuco, em casa de s-mmt O*.
eoutras qualidades.
Finos extractos ingleses, americanos
francezes em frascos simples eenfeitados.
Esseucia imperial do lino o agradavelciin-
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igu.-i-
menle finos c agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
com escolhidos cheiros, em frascos de di-
ferentcs tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menores
para mos.
Ditos transparentes, redondos e era_ figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Caixinhas com bonitos sabooetes imitando
fructas.
Ditas de. madeira invernisada cor.icndo fi-
nas perfumirias, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papeloigualmente bonila?., l..m-
bem de peiTuraaris linas.
Bonitos vasos do metal coloridos, e de
moldes novos c elegantes, com p de ai r-
e boneca.
Especial p de arroz sem composirlio de
cheiro, c por isso o mais proprio para crian-
zas.
Opiata ingleza e franceza para denles.
Pos de camphora e nutras -fferentes
qualidades tambem para denles.
Tnico oriental deKcmp.
Aluda mais coques.
Um outro sortimentos de toques de ne-
vos e bonitos moldes com filots le vidrilhdS.
e alguns d'elles ornados de I!<,r s i filas,
estao todos expostos a apreciacSo tlcquem
os pretenda comprar.
COLUNHAS E PUMIOS BORDADOS.
Obras de muito goslo e periek'io.
Fivcllas e fitas para Bello c variado sorlimento de laes i ''o
tos, ficando a boa esculla aogo.-t.> to ro -
piador.
FLORES FINAS
0 que de melhor sepdeeiicoiili;.n;t se
genero, sobresahindo os detcadqf ramos
orvalhados para coques.
Para viagem.
Bolsas de tapete ecarleiras de couro, \vr
precos commodos.
Cliapelinas de palha da Itaa mui bem
nfeitadas, e enfeites de flores obra de bom
,'OStO.
E assim mudos oulros objectos que se-
io presentes a quera se dirigir dita loja
lo Cordeiro Previdente a rua do Queimaiio .
.. 16.
'.NFE1TES DE PALHA PABA VESTIDOS,
CHAPEOS E COQUES.
O Cordeiro Previdente rua do Qucim^-
io n. 16 acaba de receber um bello sorti-
uento de trancas de palha para enfeites de
-istidos, outras para chapeos, coques ele,
ndo isto est sendo vendido com a sua bc'ro
mhecida commodidade de precos.
ALEM D'AQUELLES.
Recebeu outros lindos enfeites de seoa
ara vestidos ; assim como um variado soi -
ment de galloes de la, habadinhos de
imbraia com bordados de cores, cuja va-
edade de gostos os toniam reconimend*-
os e apreciados ; comparecSo pois os pr-
ndenles que sero servidas, a contento.
TO BEM RECEBEU.
Novo provimento de bicos e rendas d
uepuie.
LUVAS DE PELLICA.
De todas as cores tanto para horner
mo para senhoras, constantemente acham-
' a venda na loja do Cordeiro Providente '
rua do Queimado n. 46.
'ara encanamento dgia
Canes do forro, ditos estanbadod, ditos forrados
e porcelana, todos com as competentes torneiras,
nrvas etc. : a rua do Qneimad n. 3*
qualquer parte, na rua da Imperatriz n. 60,
de Flix Pereira da Silva.
2. OS BALDES DO PAVO.
Vendem-se superiores balos america-
nos de trinta a quarenta arcos, tendo as fi-
tas bastante largas, sendo mnito fcil trarts-
forma-los para outro qualquer novo modelo,
e liquidam-se pelo barato proco de 2# cada
um, sendo fazenda que sempre se vendeu
a 74 e 84, isto na loja e armazem do Pa-
vao, rua da Imperatriz n. 60. Do Flix
Pereira da Silva.
A* 9.000 varas a SOOm>.
Vendem-se a vordadeiras cAbraias
francezas, com lindos, padrese cores flxas,
sendo tapadas e transparentes, pelo barato
preco de 500 rs. a vara, ou 300 rs. o co-
vado, sendo fazenda que ningnem vende
Vendem- o divcrs.. escravg pega* viudo por menos de 7 ou 8 tustoes, e liquidam-
do Cear no ultimo v;.por, proprios pare qualqner se por eete barato pi'eco, por se ter feito
Mrvi{odcarmaz1>m ou oneenho, assim como um a/ni avultada compra, na foja e armazem
escrttW) por lW}i coninrn braco Inntlli'ado, edi- pav.n rna da Inmeratm n ftfl n
ve-sai escravas com liaWlidade e sem ella : a tra- rPa^0',^n n" pe n> 6" De
la na rua da Craz n. 53, 3 andar. .'FcliX Pereira da SYl.
SOFFRIMENTOS D'ESTOMAGO. CONSTIPA Cun em pouoos das pelo carvo DE bclloc em p ou om pas-lb-s.
ENXAQUECAS; MEVRALGIAS. _tiec*k--io-to-
ilpadas rpidamente pelts KROLM D-CTHER fcl'CUIH.
ANEMIA, A PALLHJEZ e m ssflrimeniwque nacessitam*
anpKao d*s ferruinosns alo Bemre combado com o mellior resulUda
pelas plui AS BE vallet. Cada Pihua tem incravado n nonse IIUIT.
P DE ROG. Basta dlsaoh-er um frasco d'este p em rosto
garrafa d'agna para se obtOr ama limonada agradavel que purea sem b-
streaikw.
VINHO DE QUIN1UM de Utoerrept*. Este tinho, um o*
poucoe cuja eompesieo garantida constante, ama da* mHbom pre-
poracoe de qainine, jem accao netafel obre oa conTalescentes, dando-
lhea ercae e apreseande volta a mude. Cura w febre antiga que re-
*UUo a* tuKato de q-no
MOLESTIAS- DA BEXIGA. A maior parte d'eetu motee-
ta, cerno a citicas, ktmbagoe, catarros, e todas as dore nerosss em
geral alo curadas pelas perOLAS de cstENCiA oe theueb ntina de
I>r. Ck-ten. O prelhBor Troomean em sea Tral*> de tiicrapeuiice con-
tena as par* eran tomadas na oeeasiio do jantar. n dote de 4* 11
OLEO DE PISADO OE BACALHAO OE BERTH.-
Guwitido puf e Je primeire qaalidade, mu dos pouco apretados pela
Academia de medicina.
ifISO, Todos ate* medicamentos fmm aprovudc* pe* Academia
imperial de medicina de Pars.
DEPOSITO
t> Varia, U rsE, ID. r. J*e^
Mo-Jlutn. Ddobobu; i*auuKli ? Pernemtucc -oeett>.
IMD80". c*-.....*BM k-
Baha.. IjAerietCv *
Barato que admira
Manteca ingleza flora I 400 a lihra. dita fr.i-
ceza a I cha miudo a 'i A100. dito praudo a >.*.
caf a 220 r., sabio a ISO, alpisla a 40, ama *
100 rs.. passas a 440, idom^nartos com 6 lihrajf..
por 2 5200, vinho a40rs. a garrafa, azeite Joca
de Lisboa a 900 rs., caixinhas com amoixas, pa*-
sas, ligse peas, proprias para mimos a U66,
bas com doce a 500 rs. : so na esquina da roa
da Penha n. 8.
XAROPE PE1T0RAL fiBASILEIRU
DE
POIVTA DEKJIIBAIBA
COAlPQSTO E PHFPABAPO
Pe! pkarniaceuro
Jos da Cruz Santos.
Esta planta cujas virtudes inodicinae*
xistiam desconhpcidas par^'a maior parte
dos nossos facultativos, devmdo-se a sw
dcscolerta ao uso que dYlltv (tabra os
nossos indgenas que merinscaliavam cott
a sua applicaclo de todos os soffnmcntos
pulmonares, hoje conhecido corno n me-
dicamento mais eficax para a cura de a-
Ihma, bronchite, coquelffche. henpaww,
e at a phtysica, produziudo um cffeito mi-
lagroso e prometo.
Para um adulto 3 4 colhen* te s6pp
ao dia puro ou em cosimento pcitorat.
Crianzas, 3 4 4 colheres de cli.
Preco 2)5000 o frasco.
PemMtriHico, rua Nova botica -_gj__.
Vende-se quatixTmil alqu*-^ <\? "H^'
icado no engenho Ilapopoca ao norte dai una iu-
%eM; os (n*tf-ents dirijam-se a rua da Wo-
?
V-
X
^


6
Diario de jrMmbuco Segunda feira 12 de ALrl de 1869.

>
Lindos cortes de cassade cor com baria.e com figiirino indicando o molde do vesti-
do pelo baratissimo preco de 3#50 b corto
Ditos de percafia muito modernos com daas saias a 5 080 rts
Na loja das Columnas da ra do Crespo n. 13 de Aitonio Correa de Vascon-
cllosd-C.
Orando liquidadlo do miudezas!
Alfonso Moreira Temporal, querenio liquidar a3 miudezas existentes em sna
loj.i ra do Queimado n. 55, resolveu annnnciar as mesmas miudezas, para que o pu-
blico se certifique do diminuto preco porque as est vendendo, a saber:
Caixa com agulba franceza a
Gakas com 10 enveloppes a.
PeQas de babadosecntre-meios
a 500, GOt), 700, 800 e. .
Pecas de fita de coz com 10 va-
ras a ........
Linia de marca, caixa com 10
novellosa......
Coques muito (nos com rede, s
a rede val......
Frascos com santos muito finos
a.........
Latas com banha (familia), a
160 e.......
Cartao com lmeles a .
Copo com opiata muito fino a
*00 e ...... .
Cartas francezas a 200 e .
Ditas portuguezas a 120 e .
Caixa de liaba do gaz.branca 50
novellos a......
Frasco com tinta a 100 e .
Frascos com banha a 3-20 c. .
Frseos com agua de Colonia
I*iver a........
Pentes de travessa para cabello
de meninas, s a vista faz
fe, a........
Laa para bordar, libra. .
Novello de linha grande com
400 jardas, S a vista* faz
f a........
Pares de liga de borrachi para
pernas ele .senhora, muito
boas a .......
Franja branca para toalha vara
100 Resma de papel almaco, muito
500 boa fazenda, com 85 cader-
nos a. .'......
1J000 Caixa com papel amisade a .
Jogo de vispra a.....
500 j Sapa tinhos de la para meninos
a.........
2i0 Pecas d$ transa e caracol a .
Sabonete* de todas as qualida-
1500 des a 80, iUO e .
Frascos com oleo babosJ a
L5200 400 c .......
! Pinceis par barba a. .
200 Gaz a........
100 Frascos com sgoa de Colonia a*
! 320, 400 t\ .
500 Pentes com costas de metal .
210 Carteira de marroquin a .
ICO Pentes presos para tirar piolhos
Escovas para cabello a 400,
600 500 c .......
160 Garrafa com agua (Tirina .
400 Grvalas de seda ir c6r a .
Ditas pretas a 400 e .
1(5000' Botoes de lenca-para camisas,.
Garrafa de tinta roxa a. .
Lencos brancos para mSos
320 a.........
65800 Par de suspensorios para- lio
mens a.......
Espolho de toncador a .
60 Frasco com chairo muito Gao-
a.........
Bandeja para copos a .
60 Meis cruas para homens. boa
fazenda Zs>. 3*0OP 4,5 e. .
200 Abotoaduras para cohetes a .
2^800
700
400
320
40
200
600
200
320
ALTAS NOVIMDES
LOJA DO PASSO
Ra do Crespo il ,
Impe
PARA CASAMENTOS, BAILES, THEA-
TIIOS, eti. etc.
Lindos corte3 do blcnd, contendo setim,
mantas e grinaldas.
Requissimos cortes re sedas assim como
para covados.
Gurguro branco.
Moireantique branco azul e verde.
Gros-de-naples brancos e de cores.
Setim branco macau.
Setim, branco, azul, verde, cor de rosa
e amarellos.
Fil de seda, branco e prcto.
Cortes de seda com duas saias.
Chales de gurguro de seda de cres.
Camisas bordadas para homens.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas bordadas .
Fronhas de linho bordadas com primor.
Lencos de cambraia de linho bordados.
Na loa do Passo ra do Crespo
1, esquina da do
in.. ias colchas de damasco de seda,
ass., >mo de seda e algodao.
D:!..- de crochet para cama.
Chapeos de seda bordados, para sol,
Poil de chevre de lindas cores.
Alpacas de lindas cores.
Chapelinas de palha da Italia, assim
oemo de seda. _
Enfeites para cabeca de senhora.
Esparthos para senhoras.
Metas de laia para padre.
Ditas de la
Ditas de seda fio da Escossia e afgodo.
para senhoras c meninas.
Lencos de labyrratho.
Fronhas de labyrintho.
Bicos, rendas e grades.
Finissima cambraias de cores, percal,
I5as, e outros- muitos artgos de goste e
de alta novidad, isto s
n. 7 A. esquina da do Imperador.
600
d5500
320
500
160
800
240
200
2,5500
1,5000
400
;i,5500
320
i4pprots;oo
ia academia
*tdeci%
4* Paris.
^POS
iiiicr
"&>:*& ."--
Pharmactukw
lauread
U acLiemU
i* mdttk*.
INEGGAO VEGETAL
DE GRIMAULT E G* PttARMACEUTIGOS EM PARS !
entrada na Russia tenba ido
O successe d'eswinjeccfto, preparada com M folhu do Matice de Pero, M ti msMSy p (
ella se tem tornada popular em lodo os paizes do mundo, par. a cara da goaarrhta e daa^pwga- 1
c6es-de toda a natnreza. E' o nico producto neste genero cuja
authorizada pelo conselho medico de Sio Pelersburgo.
Deposito em Pernambueo, em casa de atn C".
-------------------------------------
As prenaracoes femiginosai liquidas tem desde muitos anpos merecido a approvacWj
especial dos mdicos, porque ellas obrSo mais rpido e seguramente do que as pilulas, e
sio mais fcilmente teleradas pelos doentes. Os Pos ferro-manganicos possuem a rnappre-
ciavel vantagem de poder fferecer n'um instante urna agua ferruginosa gazeosa, de gosto
agradavcl, mais activa do que as aguas mineraes, e contendo de mais um elemento precioso,
o Manganese, que sempre se acha no Mague, junctamenie com o ferro. Empregao-se em
todas as molestias que tem por causa o empobrecjmento do sangue, assisa como para vigorar
os temperamentos debis e lymphaticos. A Morse, as- Piraos broncas, dores d'estotmgo,
a irregularidade da menstruac&o e amenorrha ou suppresslo do menstruo, eedem rpida-
mente a seu em prego. Devemos mencionar aqu ura fado notavel, isto que os doentes cara-
dos peta agua preparada eem estes pos esli muito menos ezpostos m recadas do que
aquelles que forao tratados pelas preparacSes ferruginosas ordinarias.
Deposito em Pernambueo, em casa de Mnm o*.
TOSSES
ClTlIrRHOS
*&3&%3m&@8g3&
PASTILHAS PEITORAES
E LOURO MEREJO
IRlTICOES
DO PilTO
E' este o mais novo e delicioso confeito at agora contiendo. Pe* isto tem adquirido r-
pidamente a popularidade de que goza. Os mdicos os mai distinsios o corrsefhao contra
as Iones, defluxos, catarrhos, tases convulsas, caUrrhos epihmico*, irritacSes do peito. Com
grande empenho o proenrio as mies, de familia, aaMm para ellas ceaao para as enancas, pois
primeiro que ludo inoffensivo, e as suas propiedades adoexntes sio deixio nada a desejar.
Deposito em Pernambueo'em casa de Maanr o*.
TERDADEIRAS
r.c, iri-iTATrTaC em tod*8 "P*1^ do mundo, empregam, com o maior eiito,
(Jo MLUlLiUoj o phosphato de ferro soluvel de Leras, para curar a chlorosis
(cores paludas), as dores do estomago, e a exhaustacio do sangue; com esta preparacSo, dio
ao corri o vigor, e s carnes, a sua firmeza natural; facthtam o desenvolvimento tio labo-
rioso da puberdade. Com effeito, ludo, n'este medicamento, se acha reunido para lhe
assegurar o maior crdito, pois que entram, na sua composicflo, os elementos dos ossos e
do sangue. 0 seu autor, M. LBRAS, doutor em sciencias, pharmaceutico, proressor de
chymica, inspector da Academia, foi, recentemente, condecorado da ordem da Legilo de
Honra, diena recompensa dos sens importantes trabalhos.
As segintes apreciacoes dos mais celebres mdicos anda vem corroborar e justificar
todos Cstes ttulos confianca publica : ___-. -~
c Precisa classificar o phosphato de ferro soluvel entre os ferruginosos que melhor
< convem aos doentes cojos org&os digestivos supportam mal as prenaracoes de rerro.
SOUBEIRAN, professor na Escola de medicina e de pharmacia.
t 0 phosphato de ferro soluvel em quanto a mim, a melhor das preparacSes ferrugi-
nosas, e o seu emprego d os mais promptos e seguros resultados.
m F ARAN, medico do hospital Satnte-Eugme.
t A forma liquida do phosphato de ferro soluvel d-lhe urna immensa vantagem sobre
i as pilulas; eu considero este medicamento como mui superior s preparacSes odadas.
v ARNAL, medico de S. M.o Imperador.
Entre todos os ferruginosos, nSo conheeemos ura s que obre tio prompta e efficaimente
t como o phosphato de ferro soluvel, e isso, sem cansar o estomago.
BELLOC, BAUME, BIG0T, FOLLET e PRVOST, mdicos dos hospttaes.
i Os effeitos da preparacio de phosphato de ferro soluvel me parecem ser mui seguros
t e promptos.. BEBOT, redactor em chefe do Bulletm thrapeutique.
Entre todas as preparares ferruginosas, o phosphato de ferro soluvel foi a que sempre
c me deo os melhores e mais satisfactorios resultados. Gl'IBOLT, medico dos hospitaet.
0 phosphato de ferro soluvel tem, sobretudo, a vantagem de evitar a constipaclo
convir aos temperamenos delicados. Dr rAVROT.
Deposito em Pernambueo, em casa de Murer e C.
PILULAS nEBUNCARD
COH IODWKTO DO FlUHO INAUtIMVEL
APPROVADA6 PELA ACADEMIA DE MEDICINA DI PARS, ETC.
' Possuindo as propridadesdo iede et do farrea eonveaseeeialmente as Amccos
Bcbotolosas, t Tsica no pracipio^ ftaqmta de temperamento tambes nos casos de
Falta m cor, amencRRHrx.em que precisareagtr sobre o sakgui seja pera restituir
lhe a sua riqueza e abundeneia normaes oe> pera-provocar erefular o seu curso peridico.
A'. B. O odnreto d ferro impar ea Jurado ni modicamont* iaol,
Irriunte. Como pro d< pnreaa d aatbcneidad das wmr+mm*mwom rt-
*r, Blanreard, deve-M exigir Bou* aetB ato prata raakaatoa %
nosso flrana, aqn reprodosida, qoa sa aehai na parta inferior da asi
rutni Ter#>.- Dere-sa deiconflp das faisifatafaM.
a tAmm ata reiaa. FharmacmUn, nta toaaf arlSfcdaV Pmtt^
Irritante. Come
W lula, de Blai
^W nosso Arana,
tfct, retala tci
TASSOlMOS
Tem para vender era seus armazens, alm de ou-
tros, os seguintes artigos :
Papel para imprimir.
Perlina azul.
G rev paulado e liso.
Vinhos em (Hixas de dozc garrafas
Donrgogne.
Hery.
Madeira.
Hermitagc.
Chamblis.
Licor de curaco de Hullanda em caxas de vin-
tc e quatro botijinhas.
GESSO,
Nos armazens de Tassolrmaos.
Grades de ferro
para jardn?, porteiras etc.
Nos armazens de Tasso Irmaos
< VISUlMOS Dl i i:ino
Para serv eos de grandes armazens, para remo-
ver harneas on eaixoesdeum paracmtio, lado pelo
mdico preco de 12000 cada um.
Farinha de trigo de Trieste
Das melhoras marcas Panonia fverdadeira) Fon-
tana e grande sortinreetodas melhores mareas de
farinhas americanas.
Saceos de farinha de trigo do
(Me
Todas nova?, chegadas ttimamente nos arma-
zens de Tasso Irmaos.
Cemento romano
Nos armazens de Tasso Irmaos.
Cemento hyclraolieo 12$
Omwrlhor para todo qne sao obras para agua, eo-
raoasseitamcnto de canos de esgoto, algerozes, Ae-
poMtb, tanques d'agna, etc., ele.: em poredes de
einreento liarrlcas s far reduceab no prec/j: nos
armaaeiradc Tasso laaos.
Cemerrtb Portfen'd
0 vcwtedciro cementoPortland encasa de Tasso
Irmaos.
Grades de ferro, cercas, por-
teiras, etc., ete.
De difTer^ates qualidaes para cerrados de ani-
maes, chirpuiros para garnhas ou jardn: nos ar-
mazens de Tasso Irmaos.
Barris emii bren'
Nos armazens de Tasse* irmaos.
CANOS DE BABBO
Na ra Nova> de Santa Rita, na antiga fabrica de
saao, ha para vender por preco o mis mdico
poasivel, canos; francezes para ediflearoes-e esgo-
tos- de toda a qulidade, snpeiiores a toe es que
aij:i tem appan ?tdo pela soa solidez.
pre;s.
1.4400 por can* grande de 3 e meia pofejadas.
1*200 por ditode 2 e tres-qttartos de uita.
1 flOOO por dito de 2 e um quarto de dita*
500 ris por pistoleta de pollegadas.
Cotovellos,cunasecanos de maor gpossora,a
vista se far o proto. Compras maiores- de 200a
tem apor cento ae descont por prompto paga-
mente Pdc-se ver as actoetras nos armazens
de Tassolrmaos.
Tijolos fraacezes
Para tadrilhar casas terrea eom asseit>-3' precos
modicosf inurto convenientes e- proprios pera ladri-
Ihos do coainhas em sobrados, pelo se asseio e
evitar a passagem de aguas pura o andar ieferior
emesme operigode-fogo, ao precos de 3f*it)00a
i5000 o milheiro : na ra Nova de SantiRita, na
uitiga fnica de sabao, e compras maiores-de 200.S
^e far 5-por cento de deseor.topor prompto paga-
mento. Pbdem-se ver as arcestras nos laazens
de Tassolrmaos.
Vetas de esparmacete verdadeiras paw lan-
ternas d&earros: noarmazen* de Tasso Irmaos.
Viabo do Porto fino supH-ior: no araiazem
de Tassolrmaos.
O melhor cognac-Gautfeier Freres: no arma-
zem de Tasso Irmaos>
Esleirs da India
Em casa, de Tasso rmeosvende-se steiras da
India de diversos padoes e larguras, jh prego
commod.'
OLEO DE HOGG
TTl
PHOSPHATOdeFERRO
DE LERAS DOCTOR]
INSPECTOR DA ACADEMIA DE PARIZ Et
Debaiie da forma d'um liquido sem sabor,
anlogo a urna agua mineral, esle medica-
mento rune os elementos qne constiluem
os ossos e o sangue. E' o mais racional dos
ferruginosos; por esta razao o adoptarlo
os mais eminentes mdicos do mundo in-
teiro. Convem muito s meninas de temperamento delicado, cojo desenvolvimento tardo,
s senhoras que padecem d'eslas dores "estomago intoleraveis, causadas pela chlorose,
anemia, menstmaco on leucorrha, s criancas d'uma compleicao paluda e delicada, e a
todas as pessoas que tem o sangue empobrecido pelas doencas. Efficacia, rapidez d'accio,
cura perfeita, sem constipacSo de ventre nem acelo sobre os den tes, taes sto as razoes que
imperio para que os senhores mdicos o prescrevo aos sens doentes.
Deposito em Pernambueo, em casa de Mamar a O.
DD
Figados frescos de fcacaDi^
Para cura certa de phtisic.% aftae*>6es escrefa-
loss, tosse flironica. fraqueza do memHros e d.v
bilidade gccal, recommenda-se a e icollencia de~ia>
oleo aioda por ser agradavel no paladar.
YNDE-SE
i M
Pharmacia e dsogarla
DE
BArrTHOLOME1 A C
34 == Rita larga do Rosario = 54
CAPSULAS MOLES
DE
ALCATRA
Remedio por exceltenria para, cura rpi-
da e completa das coqueluches^bronchites,
catarrhos, tosses coavuislvas, escar ros san-
guinos, e outras molestias do peito,
NA
PHARMACL\ E DROGARA '
Bactholomeu. & C.
3iRA LARGA E> ROSARIOU
IiOJA
AO BAZAR DA MODA
Ra Nova n. 50, esquina da ra de S. Amaro.
NOVIDAPES
Para senhoras.
COQUES da ultima moda, enfeitados e lisos, gran-
de sortimento.
CHAPELINAS de palha da Italia, guarnecidas eom
delicados e elegantes enfeites branro* e de cores
CHAPESINH08 e gorras de velludo e de pennas
(alta novillada I) de palha da Italia, a emtiacao,
especial sortimento.
CINTOS de cores e prelos, rico sortimenio ulti-
ma moda. ,'
CAMBAS bordada por commofos precos.
LCNCOS hordaiot e com lekm^ novidad neste
genero
LEOUES a emitacao de marfim, gosto novo e de
sndalo.
COLN HAS e punhos, a emitacao de guipure.
ENFEITES pretos e de cores para cabeca, lindos
moldea,
GUARNICAO alta novidad I a Mare Rose, lti-
mamente usada era Paris.
CORPINHOS de guipare brancos e pretos lindos
modelos.
BORNOUS de laa e seda, tres claras, elegante
moda em Paris.
GRINALDAS de flores finas.
ESPARTILHOS superiores.
MEIAS superiores de fio de Escocia.
LUVAS de pelica chegadas pelo ultimo vapor.
ADERECOS de coral verdadeiro e camafeo, gosto
delicado.
DE PALHA
GUARNICOES para vestidos.
TRANCAS para enfeites de coques.
BOTOES lisos e com pingentes para vestidos.
CINTOS alta noyldade.
FLORES finos, grande sortimento.
GRINALDAS de ditas para coques.
LACHOS, fivelas, penachos para enfeites.
Para homens.
deli-
CA^QSAS com peitos, colarinhos e punhos
nho fino, lisos e bordados, moda,
COLARINHOS de linho e algodao.
PUNHOS de ditos.
GRAVATAS de todas as qualidades.
BOTES para punhos e guarnieses para coletes.
COK RENTES de plaqu a emitacao do ouro, lia-
do gosto.
CHAPEOS de pello de seda, forma a Rotchil, qua-
lidade superior.
CHAPEOS de seda, para sol.
MEIAS de superior qualidade.
BENGALINHAS finase chicotes.
LUNETAS aro de ac e tarturaga.
Para criancas.
VESTUARIOS completos para baptisados.
SAPATINHOS de merino e setim enfeitados,
MEIAS de seda c fio de Escocia.
CHAPEUSINHOS de palha da Italia.
TOUCAS de fil e setim enfeitadas e de chroch.
BUNECAS vestidas, muito bonitas e diversos
brinquedos.
_ Perfumar las Anas.
de Murray 4 Lan-
e superior agua e
AGUA FLORIDA vordadeira
man New-York.
TNICO oriental, verdadeiro.
AGUA DIVINA de E. Coudr^r
essencia de Colonia.
ESTRATOS e essencias fioAs. e de agradaveis aro-
mas para o lenco.
VINAGRES aromticos para toilet.
POS DE ARROZ para amaciar a pelle : em pacc-
tes e ricas caixinhas com irminho *
POS superior para limpar os dentes,
COSMETIQUES de Ana qualidade.
SABONETES, grande sortimento. deste genero e
de superior qualidade.
LEOS de philocome, babosu e anfiques.
BANHA fina para os cabelles.
AGUA do flores de larania.
CREME de sabao para barba.
Caucas preparadas com perfumaras finas.
Miudezas finas.
SUPERIORES fitas de grosdenaples de todas as
cores e larguras de veludo preto e de cores, e
gurguro para cintos.
BABADINHOS e entremeios lardados.
GUARNICOES de seda de cores para enfeites de
vestidos.
ANCAS pretas com vidrilhos e pingentes.
BOTOES de cores, brancos e pretos com vidrilhos
lisos e com pingentes.
DEDAES de madi aperla, de marfim, de co e
metal. ^
THESOURAS finas para costura e unhas.
CAIVETES finos com quairo folhas. E muitos
outros artigos de miudezas que se torna enfa-
donho menciona-los.
DO
GALLO VIGILANTE
lina Os proerietarios deste bem conhecido estabolc-
imento, alm dos muitos objectos que linhaui ex-
postos a aprecia^ao do respeitavel publico man-
daram vir e acabam de yeeeber pelo ultimo, vapor
da Europa um completa e variado sortimento de
linas e-mui delicadas especialidades, as quaeses-
tao resolvidos a vender, como de seu eostume,
por psocos mnito baratiiihos o commodospara to-
dos, com tanto que o &1II0....
Muito superiores lavas de pellica, pretas, bran-
cas e-de mui lindas cores.
Mui boas c bonitas gollinhas e punto para se-
nlvosa, neste genero, o que ha de mais moderno.
Superiores iwntes de tartaruga para, coques.
Lindos e riquissinws enfeites para caberas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cf*os eom vidri-
lhos e sem ellos; osta fazenda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos loques de madrepcrola,
marfim, sndalo e osso, sendo aquelles brancos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores ineias fio de Escossia para se-
nhora?, a? quaes sempre se venderam por 305000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 205,
alm desta.% temos tambem grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas.
Boas bengalas de superior canna da India e
castio de marfim com lindas c cncanladoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
quantidade de outras qualidades, como sejam, ma
detra, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotnlios do cadeia e
de outrasqualidads.
Lindas e snperiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga para fazer
barba; sao muito boas,e de mais a m&is sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por uossa vex tam-
bem asseguramos sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para voltarete, assim
como os tentos para o mesmo flm.
Grande e vanado sortimento das melhores per-
fumarias e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsoes, e
facililam a donticao das innocentes criancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a reccbe-los por todos os
vapores, afira de que nunca faltem no mercado,
como j tem acontecido, assim pois poderao aquel-
les que delles precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontrarlo destes verda-
deros collares, e os quaes attendendo-se ao flm
para que sao applicados, se venderao cora um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos objec.fos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes c amigos a virem
comprar por precos muito razoavois loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
Tudo se vende por presos bastante commodos.
Capsulas de Eaquim
Os bons effeitos destas capsulas para nuer ces-
sar os gonorrheas acham-se comprovadas pelas
experiencias de muitos annos.
Os mdicos de todos os paizes as recommendam
pela sua efficacia.
VENDE-SE
NA
Pharmacia e drogara
M
BARTHOLOMEU 4 C.
Ru34a larga do RosarioU
A NOVA ESPERABA
21= Ra do Queimado 21
E para presentes
A Nova Esperarla, ra do Queimado
n. 21 tem um variado sortimento de objec-
tos de gosto e phantasia proprios para pre-
sentes, sobresahindo entre elles ricas caixi*
rhas de bano com finfc perumarias, cos-
lureiros de chagrn, agulheiros de madre*
[Xirola : assim, pois, quem quizer fazer um
linda offerta, dirigir-se Nova Esperaiga
ra do Queimado n. 21.
Collares anodinos ellectro-magnett
eos contra as convulfes das
creangas.
No resta a menor duvida, dc-qpe muito
collares se vendem por ah intitulados o
verdadeiros de Royer, e eis porqae muitos
pais de familias nao creem (comprando-os)
no effeito promettido, o que s pdem dar;
os verdadeiros; a Nova Esperanca, pornj,
quff detesta a falsifieaco principalmente no
que respeita ao bem- estar da humanidades
fez urna encommenda directa destes collares
e garante aos pais de umtias, que s5o o
verdadeiros de Royer, que a tantas creas-
?as tem salvado do. tewivel incommodo d
conMilcoes, assim pois preciso, que ve*-
nham a Nova Esperanza a1 ra do QueimadC'1
n. 21 comprarem o salva vida, para seut
filhinhos, antes que estes sejam acommetti-
dos do teir) mal, quando ente ser di-
lBcil alcan^r-se o effeito desejado-, embor
sejam emptegados os ver&deiros1 eollare
de Royer.
Para extinguir as sardas e
panno
Recebeu a> Nova Esperanr?i rae do
Queimado n. A, leite de rosa; especiai
para extinguir sardas e pannos.
RCNECA DE CERA-
A No*a Esperan?a a ra do Qwimado- n.
21, acata de receber um completo sorti-
mento de finas bbnecas de cera de diver-
sos tamanhos, sondo as maiores do cora-
primento d'um eovado ; estas bonecas tr>
zeaa bonitos cernes e b*4inas, ha7endo en-
tre ellas algum* que fallam e outras que
choram de sorte- que fcilmente podem ser
preparadas, e fasor-se um presente de milita
accertaeo.
Finas caixas de tartaruga para rcp ven-
dent-se a ra do^Queimado n. 2i'na loja
da Hova Esperan?a^
Medernosbrineos-de saodalo, sse en-
contrarlo na Nova E^peranc.a a na de-
Queimado n. 21.
MEltSfDE UA
A Nova Esperanoaa rm do Queisaadon.
21, 3aba de receber un> especial sorlimen
to de meias de laa para homem e senhora.
CONTRA A9-0NESTOES
mal terrivel a congesto fulminante:
de repente leva am inoivido, d'es'a para
m/Rior vida, sem dar-lhe tempo de reeeber-
eointrM medie; deixando as nnis daa
veses mulher e fabos no mais amargurado-
pranto-; a Nova Esperanca que deseja pres-
tar servicos recerreu a Tojer, o qual lhe-
mantlou aunis elctrico magnticos, como
o uaieo preservativo para semelhane elles antes que 30 acabe : na Nova-Espe-
i-aeMja*
NAVAJMS .
A Nova Esperanca a ra do Queimado
m 21'recebeu anv sortimento de navalhas.
ds qualidades, e tamanhos especiaes- assim
como afiadores e massas para as mesmas.
Maearthy
Hachinas.de dac>carocar algodao.
Hoje rjue est reconheeido que as machinas de
serrote prejudicam e quebram a fibra do algodao,
preciso recorrer a. maehinismo meos spero,
que produindo o mesmo servieo qua aquellas, e
lacilidade no trabalho, nio quebrem a fibra da laa,
para que essa pfssa ebter-nos mercados europeos,
a differenca que ha>eotre o algodaa descarocado
por aquellas mencionadas machinas que estao li-
cando em de-mzo, peto prejuizo que- tem causado,
e o da antiga bolandeira, que nao- pode competir
pela morosidade de seu trabalho. F assim que
estas machinas se tornara as mais wroprias paca o
nosso algodao, porque ao par da facilidad e
promptidao conserva a fibra da laa, que limpa por
ella, qualificada na Europa a nar da melhor. bo-
landeira, valendo assim entre i-i arrobas 2Q- 0/0
mais do que a laa limpa pela machina de sarjte.
Estas machinas nao sao novas, pois que ha,muito
estao adoptadas no Egypto, aonde as de serrote
forara inteiramente abandonadas, e por isso a algo-
dao daquella procedencia, sendo da qualidade do
da nossa provincia, obtem haje de 10 arrobas 20
0/0 mais do que o nosso : wndem-se a 160000
aos armazens de Tasso Irmaos.
Oleo de aiuendoas.
Em caixas de 8 latas, rada caixa 100 libras :
nos armazens de Tasso.Irmios.
Charutos da Havana.
Excellentes charutos da Havana, e por baratissi-
mo preco : em casa da Tasso Irmaos, ra do-
Amorim n. 35.
Teadem Augata- F. dfr Gliveira & C ra di:
Gounercio, n. 42.
EIVAL sem segundo
Kua do Queimado n. 49, toja de miudezas de
Jos de Azevcdo Maia e Silva, tem para vender os
artigos abaixo declarados, tudo bom e baratissi-
mo, que sao para acabar.
Duzia de sabonees muito finos a 700 rs.
Pares de sapatos de tapete para homem a 13280.
Ditos de tranc. para creaaca a t.
Tramoia do Peeto, bordada", a melhor a 2*0 rs.
Bita do Porto liza, da melhor qualidade a 100 120,
160 e 200 rs.
Resma de papel almaco, liio superior a 3#2QO.
Dita de papel almaco pautado a 4|.
Livro do missoes abreviadas a 2.
Cartilhas cora toda a doutrina e muitas resas a
320 rs.
Silabarios portngnezes com estampas a 320 rs.
Baralhos francezes muito finos a 200 e 240 rs.
Sabao iaglez superior qualidadeaOO e 1&.
Grvalas pretas e de cores muito finas a 500 rs.
Duzia de meias para senhora, fazenda fina a 45.
Redes protas lisas para segurar cabello a 320 rs.
Varas de transa de seda de todas as cores a 600 rs.
Pares de brincos dourados com maozinha e pc-
dras a 320 rs.
CartSes com corchetes de duas ordens e sao de la-
ti a 20 rs.
Abotuaduras de vidro para colete muito finas a
120, 240 e 400 rs.
Pares de bot5es dourados para punhos a 160 rs.
Caixas de peonas de ac muito finas a 240, 320 e
500 rs.
Cart5es- com doentas jardas de linha do fabril
cante Alexandre a 100 rs.
Caixas de pennas de ac, a verdadeira penna a
15J00.
Carritels de linha Alexandre n3. 70,80, 100 at
200 a 100 rs. ,
Caixas com supeiiores obreias de massa a 40 rs.
Carriteis com duas oitavas de retroi pteto a 500 rs
Duzias de agulhas para machinas a 25.
Libras de^regog francezes de todos os lmannos
a240H|rW.
Livrosesoripturados para rol de roupa a 120 rs.
Caixas com papel amisade muito fino a 700 rs.
Caixas com cem envelopes da melhor qualidade a
600 rs.
Talheres para meninos* muito boa fazenda a
240 rs.
Cemento de Portland.
Vende-se no armaxem de Vicente Ferreira
Costa & Filho, na ra da Madre de Dos D. 22,
barris grandes.
Para familias
Grande-Bazar, rna Nova ns. *#
29, de Carnelro Van a t C
Acaba de chegar a este estabelecimento
grande porcao de machinas para costuras-do
autor Wheeier Wtlson, apprcvadas na- nhi-
ma exjosi'code Paris,as quaes cozemeom
dous posponas toda a costura, e tem a
vantagem de ser tao suave o moviaiento,
que qualquer crianza de oito annos fcil-
mente trabalaa, e pode, com este entrete-
nimento, levar vantagem ao servieo diario
de trinta costurciras. A comprehensSo
simples, neis em um quarto de hora se ri-
ca senhor do movimento da machiaa, ten-
do a mesma a propriedade de fazer as se-
guintes costuras: pospontar, abainhar,
franzir, marcar e bordar, como apresentam
os desenhos que acompanhanMias. Os pro-
prietarios do estabelecimento se encane-
gam de mandar ensinar n'esta cidade, a
garantom entregar o importe dispendido ao
comprador, no caso de nJto trabalhar com
perfeicao a machina vendida, nao teado*
porm, soffridoella alguma avaria. Ha tam-
bem no mesmo estabetecimento machina
do autor Grow^er & Baker, de trabalho sim-
plesmente mao, e outras com moximente
dos ps; e mxime todos os perteaces daa
mesmas machinas, para vender avnlso.
Tintura japoneza
Instantnea paratingir os cabellos e a
barba, a 4)5000 o frasco.
E' a nica approvada e recommendada
por ter sido reconliecida superior a todas
as tinturas d'este genero.
A venda em casa de Gustavo Hervelin n.
51. ra da Cadeia n. 51.
GAZ GAZ GAZ
Chegou ao antigo deposito de Henry Forster ft
C, ra do Imperador, um carregamenlo de gax
de primeira qualidade; oqual se vende em partidas
e a relalho por meaos preco do que em eutra qual-
quer parte.
FUNDICAO DOBOWMAN
Rna do llrum m. S-
Machinas de vapor.
Rodas d'agoa.
Moendas de canna.
Taixos de ferro, batido fundido.
Rodas dentadas, paia moer com agoa.
vapor e animaos.
Alambiques de ferro.
Formas para purgar assucar.
E outros muitos objectos, etc. etc., pro
prioflpara agricultura.
Cal de Lisboa
Vende-se cal de Lisboa chegada ha pooMsdi:
traur na ruada Cnu n. 27, andar, esenpto-
a tratar na.-
rio da Ramos & Temporal
-i 1
:>
^

s
<
l
V


Diario Ae Fernambuco Segn la feira 12 de Abril de 1869,
,

>

>-t
..ti 9'W aau^

h

A 60 ^ttMAU
NOVO EXPLENDIDO SORTIMENTO
Agu
o flAm^o #ln (Tnic_ Ditos comditas de velludo, outros imi-
a-noriaa ue uui&- uao charSo miKftetado.
lain
Ditos com ditas de marroquira com cruz
e guarnicao, dourada ou prateada.
Coras e tercos de cornalina.
Assira como.
Grande bello sorthnento de leques
propriedade extraordinaria de dar a cor pri-
mitiva aos cabellos, quando estiverem bran-
Tintura indelevel paratingir s cabellos,*
sum manchar a pelle.
A bem conceituada aglla-florida do Guis-
ain que entilo era deswnhecida em Per-
nambuco, j hoje estimada e procurada
por seu efficat resultado, e anda mais se- todos de madreperola, naadreperota e seda,
r, quando a noticia de seu bomeffeito e a sndalo, sndalo e seda, osso, oss e seda,
-experiencia tornar de todos conhecida. e faia etc, etc. tendo nos de sndalo alguns
A agua-florida de Guislam composta unt-j^coin 4 distas, eoutrosjaponezesenfeitados
camente de "vegetaos inoffensivos, tem a de flores.
Bonitas Voltas de cerrente de borracha.
Meias de seda para meninas e-senhoras.
Ditas de fio de Escocia abertas, tambem
para meninas e senhores.
Ditas muito finas -d'algodao, alvas, e
cruas para meninas e-aenhoras.
Luvas -de fio d'Eseocia, torcsl, e seda
para meninas e senhocas.
Meias de 15a para wmens, malheres e
meninos.
Gollinhas e.punhos bordados obra de
muito posto.
Entre-mesos finos tapados e transparen-
tes cora delicados bordados e .proprios
fiara enfiar fita.
c
os, e lhes restituir o brilho perdido, e as-
-sim como preservar de embranqaecer, sena
ser prejudicial de modo algum
E' porm necesario fazer conkeeer, que
o bom resultado produiido pela agua-flori-
da, nao instantneo, como muitas pes-
soas tal vez sapponham, mais sim ser pre-
iso azer uso d'ella, trez ou quatro vezes,
e logo se obter o fim desojado, como bem
provam tstemunbos de pessoas insuspei-
tas, e d'entao por diante, basta usa-la duas
vezes por mez, contando empre com o bom
xito, podendo a experiencia ser -ferta em
outra qualquer cousa.
Assim pois esta agua-florida aeha-ae ven-
Ja na bem conheeida loja^d'Aguia Iranca
mi do Queimads n. 8,
A Aguia Branca, contando com a protec-
-;lo de 6ua boa freguezia, tambera caprieba
emnolh'a desmerecer, procurando sem-
pre corresponder aida fvoravel com que
-a honrara, e em prava ao que fica dito, d compedras, aljofares, etc.
:omo exemplo o explendido sortimento | Ditas de tartaruga para joias.
E OS PRODIGIOSOS
Rua do Queimado n, 49 laja de
miudezas de Jos de Jzevedv
Mata e Silva conftecido por Jos
Bigodinho.
Est queiraando os objeelos abaixo declarado*
pelo diminuto preco, a saber : _
Frascos cora agua do Coloma verdadoia a i*.
Garrafas com agua Florida verdadeira, que so ga-
rante al 200.
Penies para regacarcabellq de meninas a 320 rs.
Thcsooras muito tinas liara unbas e costuras a
50 rs. "
ioiroscheio9(letlntairuilepreta*80, 100, 16t>
*00 rs. .
Varas de franja tranca de tome para toalhas a
Ors.
Careas de phosphoros de segnraoca a 20.40 *
160 rs.
Navalhas de cabo de maifim-e ajue so garanto a
qualidade a 2*.
labra de laa para bordar a 7*.
Tecas de lita brama elstica multe superior a BOX'
e 300 rs.
Sovellos deliirfia branca om 466 jardas a60irs
Resmas de papel de peso .liso mnKo lino a 2*300
Latas ni ni superior badba a 200 e 400 rs.
s Caixas om seis frascos de cheiro muito fiao a
-a 800r
Caixas com u.e frascos, faienda so boa a IJttOd
e 2*500.
/Frascos com superior oleo filocotnc a 500 rs.
Malungas de-sabao transparente muito bomtofi-
no a 210 rs.
Duzia de paos de pomada do Reino, da meHior
qualidade a 240 rs.
Teras de tiras bordadas muito lisas a 500,600 e
OOrs. .
-Bitas de babadinhos com Carritcis de lidia de todas as cores, para acabar
a20rs.
Garrafas com agua divina a 13500.
Fraseos com superior marac peritia a 320 rs.
Caixas de vidro com doze didaes, que s a caixi
vale dinheir a 200 rs.
Bitas de madeira com alfitietes, o que ha de e-
*or a 320 rs.
Grosas de botes de louea, lisos e bordados a
6rs.
Caixas redondasfara rap mittando tartaruga a
W500.
Paa de fita paca cas da melhor qualidade a
590 rs.
Escoras para lmpsr denles, fazenda que so a vis-
-ta a % 10 rs.
Dtus .para limpar uahas de sujierior qualidade a
OtU ts.
Vende-se urna escrava de muito boa conduela
com todas as habilidades, pois cozinha, lava, en-
gomma, faz labyrintho, cose, borda, etc., de 15
annos, ponco mais ou menos, sem vicios nem
achaques de molestia, por l:3O0jl; a tratar em
Santo Antonio, rua dos Ex postes n. 20._________
Meias elsticas de borracha
As melhores e excellentes meias elsti-
cas de borracha contra varizes e erysipellas.
Vende-se na
Pharmacia e drogara de
Bartholomeu C.
34rua larga do Rosario34
tA*.GERM%^
PINTO PtfARlL\CEUTICO
Anneis e collares Royer para cizaeas.
Bonitos cabases ou beisinhas de pelica
e etim para meninas ou senhoras.
Lindas cestiohas bordadas a froco, e lisas.
Delicadas caixinhas de vidro cnfeiladas
llai'ofif de salsaparrilba do Para
ou
DEPURATIVO DO SA.NGUE
Aiegiai-vos myopes, e prsbitas, ja po-
dis ver de losge, ja podis ver de perto,
nao ha mais vistas curtas, nem caneadas.
F. i. Germann acaba de receber pelo
ultimo vapor tmi rico e variaJo sortimento
deoculos, lunetas, pin-eenez, face--main,
lorgnons de ouro.prata, tartaruga, roarfmi.
ac, bfalo, ncar, unicornio e mekhior;
asstm como binculos de urna a tres mu-
dancas para theatro, campo e marinba da
rultima invocao; duquezas, vienezas, de .
08 e 12 vidns, tudo dos elhores fabrican-
tes da Europa.
O mesmo vapor trou-
xe urna excellenfe ma-
china para graduar e
observar o numero dos
vidros que se necessrta
on forme a vista de
qualquer pessoa.
PASTILH4S ASSUCARADAS
DO
DR. PATERSON
De blsmuth e uiasnezia.
100$ (le gralilcaflo
Fujtio no da 11 do Janeiro dn corrento anno,
Jo ctirenho Itataiura, ireguezia da Escada, o'e-
cravopreto, ranlo, de 24 annos de dado.elia-
, mado Marcelino, qqc fo do Sr, Joo da Cuaba
Remedio por excellencia para combate; j pereira, cujo escravo esteve no deposito ger;,(,
a magreza, facilitar a digestao, fortificar.
estomago etc.
DEPOSITO ESPECIAL.
Pharmacia de Bartholomeu & C.
34-----Rua larga do Rosario-----34.
ASTMA E PTISICA
I ni des o!n iu.t uio espantosa!
0 xarope de fedegoso, de Pernambneo,
preparado pelo pharmaceuti0 J. de A. ^J
to, cura radicalmente a ptbisica e "gthKt %
todas as molestias #dos pulm5e.
Podem ver-se os attest^ios de iras to
nico deposito das prtyaraofas tle fedegoso
d'este autor, rua iarga do Rosario n. 10
junto afl quarte'. de policia.
Vende-sc enchamis c travetas de lonro, se-
(lix> de varios comprimentos e superior qualidade,
por preeos mais baratos que em outra fualquer
parte : na travessa do Carioca n. 2, caes do Ra-
mos.
odras coro mnis
fivguezia do Cabo
roupa,
quero
Pennas de eina.
Vende-se raa do Queimado n. 13, tmeiro
andar. *^
tem ossigriaes soguintes: alto, seceo do corno'
roslo muito marcado de bexigas, falta de denfe*
na fenle, cor preta, sahio oechapeo do cli' -a
letot c calca de castor, levando um b* .-^ Tv
5 f,,r -mizinho ds
.f.pojc-fe estar na
aodito eageuho, ou i ," i^re't"^\ TV
eBcriptorfo do Sr. r *,a da S*mala-nova n. 3,
ber a crati" ^ornaruino I'onrual, que rece-
__ ,.- _.^artlo cima._________________
n$o'do"rngenho Jacobina, enmarra do Ca-
-S o Atmheeor do dia 13 do crreme mez e
asmo, do abaixo assignado, un escrav prcto de
nomo Antonio, conhecido por Canda, idade de 26
a M annes, pouco mais ou menos, alto, pos gros-
sos, tem una das juntas do mesmo um pouco
troasaa, andar banzeiro, levando chapeo de felfio
j usado, camisa de alg'jdao azul c seroula de al-
godao americano, eujo escravo veio de Fujquc, ji
raPao d'Alho.para onde cdesconfia ter seguido:
roga-se a qualquer autoridade policial ou capit
de campo a captura do dito escravo, levando ao
engenho cima, ou a rua do Caldeireiro'n. 42, a
Sr. Francisco Quintino Rodrigues Esleves, que
sera generosamente gratificado.
_^^^^ Antonio Carneiro Lins e Mello.
Cera de carnauba
Vende-se na rua do Queimado n. 13, primein
Vende-se
urna escrava crioula bem preta e corpolenta, co-
zinha, lava, e tem principio do engommado, vinda
do Aracaty hontem no vapor Pirapama : a tratar
na rua do Vigario n. 14, 1 andar, cscriptorio de
Jos Lunes Davim
Fugio de bordo d* palliabote nacional Ata-
ro, unmulato ci'ro de nomc Justino, estatura re-
pu.ar, rabeles rarapinhados e meios ruivos, pouca
barba, tem una pinta preta no canto do olho dirti-
to o um talho as costas ao mesmo lado,; levou
vestido camisa de chita com listas verdes, e osa
de urna cinta com borla encarnada para apellar
as calsas, natural de Santa Anua do Malte na
provincia do Rio Grande do Norte, para onde tarrea
queira ir, tambem muito desenibaracndo no fal-
lar. Hecommenda-sc aos niesties de barcaca i u
a qualquer pessoa que o agarrar, e levar a ru
do Trapiche n. 4 ou a bordo do referido navio que
sera generosamente gratificado.
ESCRAVOS FGIDOS.
-que acaba de receber, a inda mesmo aehan-
Jo-se bellamente provida do que de hom
e melhor se pode desejar nos gneros que
o de sua competencia.
Haja viata aos necessarios livros de missa
e orafo, obr,is de apurado gosto e perfei-
5o, sendo: com capas de madreperola e
tocantes quadros em alto relevo.
Ditoa com kditas de m'-rira igualmente
bonitos.
Bonitos albuna cora msica.
Pinseis ou bunecas para poz de arroz.
Novos e delicados ramos de flores com
marrafes para enfeitar coques.
Bello sortimento de trancas de palha.
Fitas largas para cintos.
Cintos de fitas largas com bonitas rama-
geos.
Brincos e alfinetes de madreperola.
Ditos esmaltados, obras novas e bonitas.
BOTICA E [ASA BUS
77 RUA Da IMPERATRIZ 77
'este novo estabeiecimento h um compielo sortimento de medicamentos, pro-
iJuctos eiiin^icos, e drogara, tudo de primeira qualidade, e se vendem por menos d(
que em outra qualquer parte.
H tambem un sortimento de medicamentos homeopathicos, tinturas e globo
os inertes, por precos commodos; bem como xaropesde jurubeba ferruginoso simples
vinlits de jurubeba simples e ferruginoso, e o bem conhecido xarope de Paracary, es-
pecial Testa pharmacia. Aviam-se receitas a qualquer hora do dia, e noite, com promp-
;;do, cuidado, e pericia ; n5o se negam a qualquer occurreiuia era casos urgentes. 0
socio gitrente cncarregado do estabeiecimento mora no jaesmo, para o que est
iromptoa brir a porta a qualquer hora que for preciso.
C. Clao & C.
Usado 7ias molestias de pelle, impUjens do-
res r/ieumaticas e ukeras venreas.
Ba larga do Rosario n. 10.
PILULAS,1H"
XAROPE
DE
JURUBEBA
PREPARADOS
PKLO
PHABMACEUTICO
Joaquina d'Almiefda Pinto.
As preparaces de Jurubeba, sao hoje
vantajosamente conhecidas e preconisadas
pelos mais habis mdicos, tanto da Euro-
pa como do paiz, pela sua eflicacia nos
casos de anemia,. chloroze, hydropes,
obstruccSo do abdomen, e tambem nos de
menstruaeodiflicil, eatharrona bexiga, etc.
Vendem-se em porco e a retalho na ci-
dade do Recie, pharmacia do sen composi
tor, rua larga do Rosario n. 10, junto ao
quartel de policia.
lean excellentes sterioscopos, instrumen-
tos de mathematiea, barmetros, vidros de
chrystal de rocha, e de cores para resguar-
dar a vista; concerta todos os objectos a
precos commodos e com promptido; tira
o mofo dos vidros e encarrega-se de toda a
encommeoda relativa a ptica.
Recebeu tambera os excellentes relogios
do antigo e afamado fabricante Roben Gerti
& C, os quaes vende precos commodos
garantindo a sua superior qualidade.
Scbonete de alcatrdo.
DE
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que t5o b/>a
acceitac2o tem merecido n'esta provincia
muito se recomraenda para a cura ceru
das impigens, sarnas, caspas e todas at
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu r C,
34rua larga do Hosario34.
Fugio no dia 21 do presente mez de marco, de
engnbo -Cracuipe, freguezia de Agoa Preta, o es-
cravo de nome Joaquim, idade 2.'i annos, rrioulo.
cor preta, estatura regular, testa grande, olhos
afumacados, denles limados, e tem os dedos pole
gaes dos ps vohados para fra, sabio com cha-
peo de palha do Chile, levando um bah pequen<
deiolha de Flandres. Ha certeza de que o dito
oseravo seguio para a cidade do Recite, embar-
cando na estacao de Gan>eleira en um dos trem
do caminbo d ferro : quem o apprehender quei
ra leva-lo ao mencionado engenlio, a entregar a
seu senhor o tenente-coronel Pedro Francisco d-
Albuquerque, ou no Recite ao Sr. Antonio Jos
Leal Reis, escriptorio rua da Cadeia n. 49, quf
ser generosamente gratificado.
VENDE-SE
Por GOOOOO urna crioulinba de 9 annos. de EBOc
l>oa moral e seude : na rua da Imn-.-iatriz, lo.
n.28. J
XAROPE PEIRORAL
DE
RABO DE TAT'
PLANTA DO BBAZ1L.
E1 expectorante e recommendado as
affeces do peito, bronchite chronica he-
moptise, e tosse chrocica.
PREPARADO
POR
Joaquim de Ameida Pinto
11. t II .11A CEUTICO
Pernambuco rua lardo ao
Rosario n. 10.
No dia 8 de marco ultimo fugio de Snhar,
no termo de Simbres, o mulato Arcbanjo, cujos
signaes sao os seguintes : tem 33 annos de idade.
altura regalar, corpo grosso, rosto redondo, pouca
barba, sernas grossas c cabelludas, o os ps mal
feitos, tem sido vaqueiro desde pequeo, profissao
de que muito gosta, provavel que tenha mudad.)
o nomc e passo por livre : quem o apprehender c
entregar om Cimbran a seu senhor o tenente-coro-
nel Antonio Rodriguei de Frailas, ou rua do
CoiWdor do Blsjw n. O, no Recite, ser bem re-
compensado.
AVISO
o boa gratificaqao
Em outubro do anno prximo passado fugio do
de 5G#000'.
Xo da 23 do mez passado fngio do engenho
l'imentel, o mulato Jafemfas, de idade 20 annos
litura regular, goi-do, com fala de dentes na fien-
te, pes hem feitos, com una cicatriz na penia d-
reita, testa pequea, cabrea compridn, cabellos
pouco enearaplnhados, levou eal^a azul e camia
azul de algoda>. c chapeo de conro : quem o ap-
prehender c leva-lo ao dito engonhfl, na frecTiezia
do Cabo, ou ao Sr. Rernardino di; Sena Ponlu^
na rua da Senzala-.N'ova n. 8, no Recifo, recebe-
ra a gralificacao de ">0.
Acha-sc (agido desde domingo de entrdVo
moleque de nome Tito, com 21 annas de idade
estatura regular, olhos afamarados, com todos os
dentes, esperto e hem fallante. Km no ertomaco
urna cicatriz de urna qceiinadura pequea, tem
um dedo da mao direila aleijado em .nenuenc*a
de um pauancio : eo pe esqoerdo mais gro^o
do que o direito : i|uem o apprehender leveo a
Afogados, casado JJr. Jos Roberto de Moraas e
Miva, que indicar a casa de seu senhor.
compensar generosamente.
que re-
IVVJWVV Jlljl
de gratificaco.
i, que foi do Sr. Claudio Duhenx. e que au'Cu-
tou-se da casa de seu senhor ha d^z mezes, cuio,
signaes sao os seguimos : cabra, magra, estatura
regular rosto descarnado, cabellos rar.ipinho. e
comprido?, andar descantado, representa ter 40
annos ou pouco mais, e costuma faflar s auanOo
trabalha ou anda, tinha no seio e nos bracoste-
naes pardacentos mu visiveis de impigens fut-
en genho Albuquerque da comarca de Nazarcth, o P'^'umam apparecer-lhe. Ha todo motivo rrua
escravo Jos, cabra claro, do idade de li a 10 *"PPor que ella anda mesmo por esta (-dado ou
annos,-c tendo os signaes seguintes : cabellos ea- 8eM rrabaJdes, j tendo sido vista'da ama vez
rapinhos testa pequea, nariz gran Je echato, ros-! "a rua ^ova P'1' "ni pardo, e pela segunda tci
to secco e queixo bem uno, secco do corpo, per-
nas finas e ps seceos, tendo no peito direito urna
pequea cicatriz proveniente de urna* pequea fe-
rida, que quando fugio tinha, tem o olhar disfar-
Cado,o muito ladino e vellwco, tendo j por cos-
tume qnando fugia inculcar-so forro e como tan-
gedor de gado, tem mai e prenles n.i povoacao de
Cruangy, con o tambem seus antigos ex-senhores,
e deste lugar para o Gurinhem da provincia da
l'arahyb aonde tainhem tem senhores mocos e
prenles, muito provavel estar aeoulado por li-
guen) : roga-se, pois, aos ?enhorcs capitacs de
campo e autoridades policiaes a captura deste ca-
brinha ; c desde j protesta o seu senhor por
quem o tiver seduzido e acoutado, prometiendo a
quem o entregar no mencionado cncnho receber
boa gratilicacao.
na praca da Boa-Vista. Da-se aquella gratifica-
Cao a quem appreh.mder dita escrava ou delta der
noticias exactas na rua do Imperadoilns. ;] 0 3i
Io andar, e pmtesta-so proceder criminalmente
contra quem a tiver em sua enmpanhia.
Do engenho S. Frandsw da Vanea rugi o
nu''''Td,a0 d(L:{ a ('orrc",p- Lwoari<>. mulato
i iaro, oe IX a 20 annos, comecando a barbar c.-
helios solios, oraos grandes, estatura regalar ron-
so, robeslo e bem feito, hons denles, vaaarso n<.
andar, c farcnla, ,-arreiro. Do mesmo engenno
esta fgido desde julho do anno passado Hrescer.
co, mulato, vclho, de cribellos sollos, pVos'er
tes, andar cabido pan diante, e (em os dedo's
grandes dos pes mettidos para d-aitro : a ontr,^
gamo mesmo euge.nho, ou na ru de Apollo n 8
ao Sr, Francisco do Assis Brito.
I.
101.
a '
DOS PREMIOS DA la PARTE DAS LOTERAS CONCEDIDAS POR LE J-ROVLXCML N. 33, A 1'FNEHtO DA JGREJA DE KOSSA SENHOBA DO L1VBAWENTO DE PAO D'ALHO, EXTRAHIDA EM 10-BE ABRIL DE 1869.
RS. PMatB.INS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. RS. PREMS. R8. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.iNS. PREMS. tS. PREMS.jiS. PlUaiS.jKS. PREMS. RS. PREMS. RS. PREMS. RS. PR1CMS. S. PREMS. RS. PREMS. RS. PREMS. RS. PRBMS
3
i
13
14
31
32
4i
42
72
84
x86
88
100
4
S
c
8
20
22
28
30
32
34
46
47
48
87
61
C3
65
67
72
77
82
83
84
204
16
21
24
29
36
6S
66
72
79
80
82
87
i
4*
8*
44
202*
4
296 4* oO
306 24
10 30
17 33
21 30
22 39
23 54
27 60
29 64
30 72
36 79
40 81
.'3 85
62 90
65 93
68 608
69 15
71 21
73 2o
74 26
78 29
79 H
82 46
H 48
86 49
89 51
405 ,_ 55
6 ^_ 59
7 _ 69.
13 ^m 74
16 __ 75
25 ^^ 81
28 _ 82
32 _ 84
34 q* 91
38 --- 99
40 700
43 --- 1
46 --- 9
53 --- 23
56 --- 26
73 --- 33
74 --- 38
76 89 t 42 43
93 --- 46
94 --- 49
505 52
11 --- 54
IS. 4 RS. Pl 769 1EMS. 4*
63
77
78
82
8* 86
4* 97
98
800 7 13
_ _
__ 22
28
II
46
:.a
ii8
60
61
(8
72
I8'
95
98
902
5
6
17
19
-~ !S5
31
34
-~ 37 8*
~ 41 4*
43 ...
-~- 47
49 __
63 40*
8*' 69 4*
4* 70
75 8*
76 4*
82
89
97 __
_ ?98 __
ICO
10
13 .
1019
20
21
30
35
51
59
63
69
71
75
76
77
80
85
83
89
93
95
98
99
1105
8
11
12
20
23
28
32
35
51
54
59
65
79
84
87
88
91
97
M04
18
24
26
29
32
41
*7
8*
4*
4*
1260
62
66
67
76
78
84
89
95
1309
15
26
31
32
40
41
44
50
57
58
62
63
69
74
77
88
91
91
99
1402
9
11
12
15
23
24
28
30
31
39
40
45
46
47
52'
55
56
57
44 1461
66
69
73
77
81
82
t-5
94
98
1500
1
4
13
15
16
17
19
30
37
40
44
47
50
52
55
8*
8*
4*
8*
4*
20*
20*
4*
8*
4*
60
64
65
66
80
85
87
89
93
98
99
1600
6
#
23
28
33
34
40
42
50
8*
4*
8*
4*
1G52
53
54
63
6
68
71
76
83
84
88
92
94
95
98
1705
7
8
11
12
15
18
20
22
24
25
28
33
34
45
57
58
60
61
66
79
84
93
1810
15
16
19
22
25
26
28
30
31
35
4*
20*
4*
1853
55
70
73
75
92
93
98
1900
2
3
7
9
12
22
23
30
32
33
34
42
46
49
59
61
70
72
78
81
88
89
92
97
2007
9
14
15
16
19
22
34
35
40
61
71
73
77
80
92
U
8*
4*
*
09S
2102
4
11
to
28
32
38
36
37
38
39 i i 20*
45
47
48
50
53
55
71
75
76
78
86
87
96
97
2203
8
11
12
15
20
23
27
30
46
80
54
58
61
62
64
70
77
87
88
90

8
4*
8*
4*
2291
96
306
19
21
29
31
36
49
52
58
66
67
72
75
79
82
85
87
89
2415
18
21
29
30
36
38
44
53
61
63
64
69
70
74
80
81
88
90
94
2504
U
17
27
31
35
36
45
.RS. F unan .11. PREMS . RS. 1 'REMS . RS. I REMS RS.
S2546 4J |2788' 4j i 2994 k J 3327 a 3526
- 48 . 93 -3010 20 1 28 27
- 52 i"".- 95 21 a 30 28
- 53 4* 99 i 24 33 Si 29
61 2800 4* 25 34 4* 30
- 68 1 27 39 36
76 5 65 52 47
- 86 m 14 67 55 74
2602 15 69 56 76
i 31 78 58. 78
6 35 ' 83 62 8* 83
7 40 85 67 4* 84
10 44 94 70 85
16 49 96 71 89
17 _ 53 3115 _ 74 93
18 54 19 , 81 94
23 57 20 ,, 84 95
26 60 38 90 97
32 63 43 ,n 96 8* 3603
52 68 8* 54 3407 41 4
58 71 4* 61 _ 8 16
60 75 65 9 __ 18
67 -d ?-76 75 __ 11 _ 29
78 ^^ 86 80 __ 19 .^ 31
82 _. 89 20* 93 ,, 23 __ 34
85 _ 94 4* 3209 25 _ 46
87 2901 11 33 8* 47
88 2 . 14 ^m_ 34 4* 48
9 4 17 _ 44 50
97 15 25 _ 47 __ 51
2704 ^^ 17 26 _ 49 __ 57
9 _ 25 35 . 53 82
10 m^ 29 42 , 55 84
12 30 43 8* 58 96
15 M 31 46 4* 59 98
16 _ 36 4:000* 50 61 -. 3701
17 --- 42 4* 53 __ 72 4
21 52 57 _ 80 - 12
22 55 05 71 __ 81 . 18
29 57 87 20
38 --- 59, 95 _ 88 21
39 61 98 _ 89 22
41 64 3305 _ 92 31
42 72 __ 8 _ 97 33
47 73 __ 13 _ 3501 34
69 2 15 20 5 . 37
71 85 _ 18 4* 14 43
73 88 ^_ 21 22 44
81 91 *! 23 23 700* 52
4* ,3754
56
87
58
69
77
85
87
96 -
3809
11
17
26
37
39
41
48
71
75
76
84
87
94
3911
19
21
.29
32
36
49
56
59
65
71
73
75
76
86
87
92
97
4001
4
11
12
I 2
35
-I 39
8*
4*
4* 4041
47
48
53
54
58
59
65
66
72
73
77
82
83
85
90
91
92
99
4101
3
4
17
21
28
29
32
33
37
43
49
50
51
52
54
64
76
89
91
92
4260
7
8
9
10
15
18
21
28
4
20*
4*
4*
8*
4*
4242
47
53
57
62
63
67
69
75
76
84
85
91
99
4305
9
li
21
25
28
38
48
53
55
58
60
72
74
80
85
86
90
97
4400
.8
11
12
16
19
34
45
64
69
80
84
87
96
97
i*
4*
4*
4/
un
4*
8,'
4*
8*
8*
4505
6
14
15
16
28
34
37
38
39
47
48
59
64
69
71
74
85
87
88
90
94
4f07
13
17
21
22
25
26
35
37
44
51
52
55
61
62
65
70
71
72
73
74
81
83
91
93
97

I_BP J.


Diario de Pernambuco Segunda feira 12 de Abril de 1809"."".
UTTERATOSA.
i'i.ui\s \( \ii:hk %*
(POR W. FIGUEIREDO) |
vii
l M\ VISITA
(Continuardo)
k sociedade o estado natural do bo-
no
ro;s, c somonte para prestar um pequ
sei vivo ao Sr. Presidente.
Ora, Sr. Niceto! estragou tudo! ex-
camou a filha do eommendador.
|VejSo! vejlp! (orne nola.Sr.iafhygra-
pho! bradou Carlos requeiro a nullidade
da votocao, e adiamento da questo!
Assigno o requerimento ajuntou Leo-
nor.
Nao apoiados! exclamou Amelianao
porque oshomens nao podemwer;ha fundamenta para tal nullidadc, no
sem auxiliarem-se reciprocamente: mas adiamento: o Sr. Nicetofez a declaracao a
para que o hornera possa viver em com- qU6 alludem, particulamente, na ante cama-
muim), precisa de tete, que assegurem o ra, e quando ja eslava encerrada a sessao.
barr estar, e sirvi de normas s sues Entao requeremos com urgencia, que
mas essas leis nao pedem se ouca o declarante, considerando-se aber-
la a sessao*.
Pois bem: est aberta a sessao! tem a
palavraoSr, Niceto.,.
-Sr*Presidente orou o rapaz pondo-
se de p e assumindo um ar cafbegerico;
quando urna vez dou meu voto pro' ou con-
tra qualquer questo costumo .era a ro-
sus-
eelaces soeiaes:
isfir aem conseguir o seu li
POde
que;
podar soberano, que as'confeccione, c appli-
logo nao se pode conceber hon
sem sociedade, sociedade sem leis, e leis
aem poder. Ora; si um baile no e mais
do que urna sociedade perteita; visto
coato urna reuniio de homens (emulheres)
quecombinam os scus esforcos particulares bustez de principios de que rflrjacto
para alcancarem um tiracommum (definico tental-o, ainda que tenha de carretar com
de Charma \); ergo : um baile tem neces- |a odiosidade, quer do governb, quer dos
sidade de leis, e de um poder soberano,' membros da oposico (apoiados! qsuito
que nao oiro seno o.que se conven- bera !); portanlo. Sr. presidende, declaro
solemnemente que vatei e vetarei sempre
coger a moclo; e que protesto alta o car
thegoricamente contra o procedimento .dos
dous membros signatarios do requerimento,
a que respondo, por chegarem n duvidarda
inmlia autoridade. o independencia: Disse.
'o-lho como modelo o raciocinio cima ela* (Apoiado! muito bem\ o orador comprimen-
Y irado cim tanto metiodo c rigor philoso- tado pelos memoras da matoria.)
jico. Peco a patavra pela ordem
Dito teto para provar a necessidado de Carlos,
urna rainha em todo o baile, torna-sc evi- Tem a palavra.
lente que entre Carlos, Amelia e Leonor, I Sr. Presidente Nao posso deixar pas-
que etaversavam justamente sobre o sarao sar sem resposta o discurso luminoso, que
do Sr. M"" nao se podia deixar de agitar acabamos de ouvir. Sr. Presidente, quan
cloneu dar o nome deRnha.
Podaramos com o inesmo r#gor lgico
provar ainda que se tem andado b?m
avisado (phrase escolstica) em preferir
urna rainha a um re; mas deixamos esta
uestao a indiligencia da leitora, offerecen-

disse
o magna quosto
E com effeito : Carlos e Leonor acclaraa-
ram, por unanimidade de votos, Amelia
i jinlia do baile ; mas esta recusou-se obsti-
nadamente a acceitar t3o elevada digni-
daae. ,. m
Originou-se portanlo urna discuss3o tao
calorosa, to importante, tao interrompida
e tao scientifica, como muitas daquellas que
se levantar) no seio do nosso 'parlamento
proposito de mudanca ministerial em ex-
pectativa.
Oh I senhor Niceto exclamou Amelia
dirigindo-se ao vermolho rapaz, que entra-
v.ina sala naquelle momentoSr. Niceto !
vnha salvar-me de urna vergonhosa derro-
ta I j nao posso hitar sozinha contra dous!
ajude-mel
Com summo prazer, minha senhora :
de que se trata !
Eu lli'o digo; mas hypolheque-me
desde j o seu vot '
Pode dispar dello.
Ol! isto 6 feio que caballa! murmu-
rou Leonor.
Ordem disse a lourinhaSr. Niceto,
nuca-mc: o Sr. Carlos e Leonor leimo em
quererem proclamar-me a rainha do baile
do Sr. M.---; recusei-me a tal honra por
consideral-a altamente off-nsiva todas as
-mtras mocas, que assslram ao sarao ; dis-
cutimis muito ; e essa discussu tornou-se
to renhida e tulmutuaria, que fez-se pre-
ciso eleger um presidente para manter a
ordem; cseolherara-me, e ea consent em
Bter tao alto cargo com a con iicao pre-
via de ter dous votos: o ordinario e o de
qualidade; assim concoides, e investida de
todos os poderes requer forc armada para
garantiros trabalhos, eestabelecia assem-
bla : afinal depois de caloroso debate, du-
rante o qual fui por diversas veros obriga-
da a observar aos oradores, que elles este-
vio violando o regiment interno ; e a pas-
sar por muitas outras a cadeira da presi-
i neta ao Sr. vice-presdente para oceupar a
iuna; vai a mocjta a ser posta a votos;
O senhor como actual cidado votante, e
futuro representante da amo deve tomar
parte nessa votacie.
Requeiro a suspego do Sr. Niceto !
ixclamou Carlos.
-Nao apoiado faiteo Leonor nada de
iltegal dados! voto contra a suspeico re-
quirida : peleamos ; mas com honra...
Cahio.o requerimento do Sr. Carlos
Alberto I exclamou a supposla presidente
agora, meus senhores, vou por a votos a
inorio da Sra. 1). Leonor e do Sr. Carlos :
aquellos que votao no sentido do ser a Sra.
Amelia proclamada do bail do Sr. M*",
queiro levantar-se V
Carlos e Leonor ergueram-se; Niceto e a
lourinha conservaram-se sentados.
' Dous votos a favor c dous contra !
empatendisse a [(residenteora, eu com
q m-'u voto de qualidade desempato con-
tra, logo a mocSo do Sr,Carlose da Sra. D.
Leonor foi regeitada em terceira discussao!
sando-se da forca e do prestigio da
autoridade concluio Carlos.
Nem me consta que actualmente sirva
ella para nutra cousa 1 respondeu Amelia.
Declarodisse Niceto que votei con-
tra a moco, aberrando das minhas convic-
FOLHETIM
MAMAS BE CAYEF
POR
Elie Berthet.
XIII
l na proposta inesperada.
(ContinuacSo do n. 80)
Pelo caminho for Josephina instruindo
Miguel e o capitio da favoravel mudanza
que ia operar-se na situado de seu pai.
Grandval, calculando os perigos a que
pai c filho iam expor-se nos bosques, jal-
ara, como a joven, que a nova condic&>
de vida promettida ao forjado era prefer-
vel a to perigosas eventualidades, porm
Miguel nao era do mesmo parecer. No sen
ceg amor pelo pai. nao podia renunciar i
planos to bem combinados. Puxando pela
carteira, escreveu com mo trmula o se-
guinte :
Ou hei de libertar meu pai oa mor-
rerei de magoa I
Josephina esforcou-6e por o traaquHHsar ;
nao" o consegnindo, parm, escrevea-lhe,
tembem na carteira estas palavras:
Vamos consultar o pai e a sua res-
posta decidir.
Assim se tranqallisou o snrdo-mudo e
proseguiram seu caminho.
A penitenciaria propriamente dita consis-
acabamos de ouvir.
do requeremos que se ouvisse o nobre ora
dor que me preceden, foi tao somonte por-
que podia ser que S. S. depois de ter pen-
sado maduramente sobre o objecto da mo-
cao, que a minha nobre collega a Sra. D.
Leonor juntamente coraigo teve a honra de
propor a casa, tivesse mudado de opimo
(apoiados,)e sejsentisse disposto a dar o seu
voto a favor della: foi, pois, esta a razao,
que pela qual enviamos a mesa o requeri-
mento em discussao. que tanto alarmou o
nobre Sr. Niceto, julgo ter assim respondi-
do e justificado as nossas intences. Tenho
concluido. (Muito bem ( muito bem!)
Peco a palavra, Sr. presidente: ex-
clamou por sua vez Leonor.
Tem a palavra: mas previno ao no-
bre Sr. vice-presidente, que n3o posso per-
mittir que se abra urna discussao n'um ter-
reno tao inconveniente, pessoal e odioso.
urna simples declarado, que vou
fazer, Sr. presidente; serei lacnica.
Em face d'esta Ilustre assemblla, que
me ouve, e me julga, declaro que de hoje
em diante me const tuo na mais decidida
opposirao ao governo pela pressao malfica
(apojados e nao apoiados) (sussurro)^-,...
Attenc3o! attencao! gritou o presi-
dente.
Pela pressao malfica, repito, que
acaba de exercer sobre um do* membros
d'esta casa (vivas reiiamacdes); e que me
alisto sob as bandeiras da opposicao* por
ser o partido mate liberal c que sabe melhor
sustentar a sua autonoma!-----
(Applausos prolongados das galeras!
snssurro! muito bem! o orador abracado
cordealmente pela maior parte dos senhores
presentes).
Nao est em discussao a materia so-
bro que fallou a Sra. D. Leonor: disse a
presidentee nao havendo mais ordem do
dia declaro encerrada a sessao.
O que isso ?! entao constitiiiram-se
deputados, e transformaram-me a casa em
parlamento ?! exclamou urna voz reconhe-
cida.
Fizcmos urna sessao ordinaria, papai!
disse Amelia beijando a testa do commen-
dador, pois fra elle quem fallaraA oppo-
sicao quiz vencer o governo; mas foi der-
rotada !...
Assim acontece sempre, minha filha!
E t eras o presidente da Cmara ?
Sim, senhor; Leonor o vice-presiden-
te, o Sr. Carlos Io secretario, e o Sr. Niceto
2" secrefario.
E quaes eram os membros que cons-
tituiam a assemblea?
Eramos nos mesmos: Vmc. bem sa-
be que est muito em voga o systema das
incorapatibildades e accumulaces; c nos o
adoptamos em nossa cmara.
E qual teu partido, minha esta-
dista ?
O meu barmetro poltico 6 dos mais
variaveis; assim si o governo anda bem
comigo, dando-me o que lhe peco para mim,
o para os meus afilhados, eu o sustento
desinteressadamente ; mas si recusa servir-
me, e quelles por quem peco, entao torn-
me com todas as (breas o mais gritador op-
posicionista.
Quanto s pastas ministeriaes preferes
sempre dar por ti algum dos teus filholes.
tia n'um cercado, onde havia diversas casas,
soladas urnas das outras e dispostas regu-
larmente para melhor serm vigiadas.
Urna esplaoada que se estendia em fren-
te d'estas casas era assombreada por gran-
des arvores, sobre as quaes os urubs ti-
nha o seu domicilio.
N'esta especie de prado se achavam os
degredados aquella hora, uns conversando
ou passeando, oukros entregues a diversos
jogos e todos vigiados pelos respectivos
guardas.
Josephina apressou-se a abaixar o veo,
oceultahdo-se o mais possivel com o guar-
da-sol.
Grandval, posto soubesse que Rigaut es-
tova ainda no calabouco, ia sempre preca-
vido e acautelando-se para n3o deixar ap-
proximar-se d'elle ninguem.
S Miguel pareca 03o receiar cousa al-
guma e olhava para .odos os lados a ver se
descobria o pai no meio d'aquella turbu-
lenta multidao.
Bertomy, seguqdo o costme, eslava, tra-
tando de jogdr cqm algrim camarada, quan-
do Ihe-disseram que o procuravam. D'esta
vez veie logo, sem se fazer esperar, e, pro
curando umbiqco solado, assetofl-se
n'elle ao lado da fliha. Ainda bem lhe n3o
tinham-dirigido o primeiros cumprimentos
quando elle em tem spero mas baixo.per>
guntou :
Entao em que alturas vamos ? Est
tudo preparado ?].. Agora, que estou na
resoluco de ma safar, sinto-me aqui n'um
aborrec ment dp morte, e voces padece
que andam ainda i a mandriar com o ne>
ocio l
Josephina dkse-lhe com ar tmido que
Sem davida! pan salvar a responsa-
bilidade, e poder arranjar-me inellioc-sem-
despertar o olfacto das rapozas... %
Que theoria nociva f murmurou Ni-
ceto.
Qual nociva! al ultra-Hberatl ....
BemI Sra. estadista: interrompeu o
eommendador affagando o rostinho rosado
da filiaj estou a par dos teus bellos
principios; agora vai conversar com o Sr.
Niceto e Leonor, que preciso fallar com o
Sr. Carlos.
Amelia e Alberto estremeceram : aquelies
coraces amantes e por ssj mesmo deaa-
socegados pulsaram violentamente. Os dois
jovens fitararase mutuamente parecendp
perguntarem-se qual seria o negocio impor-
tante que obrigava o eommendador a pedir
aquella eatrevista.
Sr. Dr. Carlos, disse estetenha a
bondarie de vir para o aosso gabinete; l
conversaremos mais coimnodamente sobre
o negocio que me leva a pedir alguns mo-
mentos de attencao.
Estou como sempre s soas ordens,
Sr. Carvalhosa : reepondeu o coma^nda-'
dor.
Apenes entrermn no gabinete, o honrado
negociante offereceu urna poltrona aCrlos
Alberto, e otssc:
Tenha a bondae de sentar-se, e
aceitar este charuto, e ouvir-me:
Como sabe.Sr. Carlosprncipiqu o eom-
mendador sentando-se por sua vt em urna
espreguicadoirason negociante*principal-
mente porque a minha decidida vocacao para
carreira nSo consentio-rne abracar qualquer
ontra ; estndei-a quanto possivel, c nao
fazendo d'ella um meio somente de adquirir
cabedaes, n5o posso por isso deixar de in-
teressar-me sinceramente pelo commercio
em geral e prosperidade do meu paiz.
A minha pouca experiencia, e os peque-
nos estudos, que sobre um o oulro tenho
feito ma asseguram, que vamos nsensive
meffle caminhando para urna epocha, em
que o estrangeiro monopolisar completa-
mente esse grande elemento de riqueza pu-
blica e vida social: raro entre nos o Bra-
sileiro, qae commercia e prospera; e s por
acaso costa de inauditos esforcos o con-
sgue, urna causa oceulta, porm quasi in-
vencivel, que nao direi por temor de que
me nao classifiquem de bairrista, o pre-
cipita na mais medonha bancarrota, que os
corvos, seus collegas, mais n3o compatrio-
tas, procuram fazer passar por fraudulenta
com o flm de o inutlisarem, e fazerem
acreditar, que os filhos do paiz nao sabem
negociar, ou, o que peior, sao sempre
dolosamente falliveis.
Estes e outros males, que na minha hu-
milde opiniao ameacam um terrivel gangre-
na em o nosso corpo commercial nacional,
me activaram o desejo de concorrer com o
meu fraco contingente para sanal-os, toman-
do medidas tendentes a melhorar o nosso
futuro mercantil, tratando seriamente do
commercio a retalho, esforcando-me espe-
cialmente por dejK>sital-o as mos dos nos-
sos patricios, e cercando de cerlos previle-
gos e vanlagons os negociantes, que em-
pregal-os de preferencia em suas casas com-
merciaes : e como o meio mais immediato
e seguro de que poderei lancar mo afim
de realisar esses melhoramentos.para a in-
nlia classe e para o meu paiz obtendo
urna cadeira no seio da representarlo pro-
vincial ; pretendo em as prximas eleicoes
propr-me deputido. Escolhi j o segun-
do circulo, onde cont .alguns amigos, espe-
cialmente o senhor seu pai, que seu resi-
dir em Iguarass, e gozar tartto all, como
em outras freguezias, que formam -o colle
go eleitoral, de grande influencia polti-
ca. Assim peco-lhe, Sr. Carlos, que cm-
penbe todo o seu valimento, para que toda
sua familia se interesse pela minha can-
didatura, amparando-r; com o seu podero-
so auxilio e prestigio poltico.
Agradeco-lhe, Sr. eommendador, a
lembranca, que teve de fallar-me acerca
de sua ligtima, justa e patritica preten-
cao, proporcionando assim a nossa familia e
a mim urna occasiao feliz de provarmos-lhe
a alta consideracao, cm que o temos. As-
seguro-lhe desde j que envidaremos todos
os esforcos, afim de que a sua candidatura
obtenha o mais completo triumpbo ; e se
por ventura o resultado nao corresponder
a nossa espectativa, deve V. S. increpar tao
somonte a deficiencia da nossa influencia, e
nunca a mais pequea falta do deligencia da
nossa parte.
Si eu nao confiasse tanto na bondade
e generosidade do senhor, e de sua Exm.
familia, por certo que nao me atreva ape-
dir-lhe um favor tanto maior, quanto enven-
do nao ha ver para elle retribuicao possivel.
Nenhuma outra apreciamos tanto, Sr^
Carvalhosa, como de sermos honrados co
a sua amisade. ,
E' extrema bondade exclamou o eom-
mendador apertando com efusao a mo do
jovenobrigado te Nao desejo prival-o por
mais tempo de urna conversacao mais va-
riada do que aquella que acabamos de ter:
a!gun% minutos, e eu Irei rcunir-nie ao se-
nhor na sala.
Carlos Alberto agradeceu ao negociante
cpm*uraaleve inclinadlo de cabera, e sahio
ao gabinete.
O olhar jnterrogador, que Amelia lancou-
Ihe apenas entrou na sala o attrahio a
ella.
Nada, que nos affecte directamente
murmurou baixinho o rapazlogo dir-
Ibe-hei em conlianca qual foi o objecto da
possa audiencia. "
Ent3o segredao ? perguntou Leonor
alguma coaspiraco ?...
N5o ; respondeu promptamente Car-
los estava dizendo a D. Amelia que no sc-
ro ie sexta-feira umUneu amigo nao cessou
de fazer a corte a certa moca tambenrtnrff-
to minha conhecida....
E como se chama esse seu amigo ?
Almeida.
Ali!. j sei! exclamou Leonor co-
migo ? pois declaro-lhes em abono da ver-
dade, que o 9r. Almeida nao me requestou,
visto como ama outra moca.....
E chegou a fazer-lhe confidencias ?
perguntou Alberto piscando os olhos..
O Sr. Almeida me pareceo de tao bel-
lo carcter, que tornei-me muito sua reco-
nhecida por essa prova de conlianca, que
emrnim depositou: quejuizo forma d'elle,
Amelia ?
O que ? inquiri a lourinha, que tdr-
narr.-fje pensativa ao ouvir pronunciar, como
sendo amigo de Carlos, o nome d'aquelle
que 15o afouta e positivamente a requesta-
ra no baile.
Oh meu Deus que distraccSo!....
pergunto-lhe se sympathisou com um moco,
que estove no baile do Sr. M* chaa-
do Almeida ?
Nao sei!.. respondeu Amelia destra-
hidamente.
Como nao sabe ?! tornou Leonor
rindo-sepois voss nao passeiou com
elle ?!
Ah! e cu disse que n3o sabia ?.. n3o
me lembrava!...
O que que voss tem, Amelia ? est
pensando as settas in/lammadas do meni-
no vendado?...
Talvez!... disse Carlos.
Enganam-se! respondeu a lourinha
olhando para Carlosestava lembrando-
me de urna historia, que Ii hoje, cujo en-
redo versa sobre um abuso de confian-
ca.....
O sentido oceulto dessas palavras da fr-
ua do eommendador, qae alias passoo
completamente desapercebido para Carlos
Alberto, fez entretanto estremecer Leonor.
A pobre moca sentio oprimeiro effeito
afflictivo de sua complicidade com Almeida;
e soffreu o primeiro espinho do remorso
sangrar-lhe o coracao: pensou que Ame-
lia tive"sse se referido ella!
VIH.
VV MNTAR.
Temos atravessado o pendo de dous me-
zes e meio, depois do que demos conta no
capitulo anterior.
Os acontecimenios que dorante elles se
deram, foram poueo mais ou nrenos os se-
guintes i-
0 eommendador Carvalhosa havia se re-
tirado do llecife para oceupar um dos me-
Ihores sobrados da ra de S. Bento em
Olinda ; e estava satisfeitissimo com o es-
tado de seus negocios eleitoraes, do qual
contava obter o mais feliz triumpbo.
Os nossos quatro estudantes, sempre em
companhia do inseparavel Niceto, que tor-
nara-se amicissimo de Carlos Alberto,
achavam-se acampados na casinha do pateo
de S. Pedro Martyr, na qual jitivemos oc-
casiao de introduzir os leitores.
O physico dos nossos hroes nenhuma
alteracao soffrera: conservavant todos as
mesmas- caras. Entretanto o mesmo nao
podemos dizer quanto a posicao escolsti-
ca de cada um clelles.
Carlos tinha j feito acto das materias
do 5o anno jurdico, e s lhe faltava a con-
firmacaoo graopara ser bacharel em .-
reito.
Almeida estava quinto annista, tendo le-
vado umlino i anno por intrigas, se-
gundo elle dizia.
Marcondes assumira dobrada gravidade:
Ura segundo annista.
MagaMhaes n3o caba em si de contente ;
tinha filado escandalosamente os exames de
lam, francez, philosophia e geographia,
tendo sabido a >provado sraplesmente em
todos esses preparatorios; o que para
elle era unvi gloria immensa; pois taes sim-
plilicaces somente provavam, que ovlente
e estudioso cascabulho espichara desapieda-
damente os examinadores, que despeitados
o haviam assim castigado por tanta audacia.
O ncpmparavel Niceto era o nico que
segunda a sua innocente mana, conserva-
va-se ainda quarto annista ; acto este, que,
no dizer de Almeida, era de um desinte-
resse verdaderamente philantropco; visto
como podendo aquelle rapaz ter se formado
pelo menos urnas seis vezes, emperrara
tinha a communicar-lhe um acontecimento
que modificava completamente os seus
planos.
Mo I Temos algum embaraco I Pro-
vavelmente imaginaste ainda alguma pea !
Se me convencesse d'isso... Mas oucam :
n3o ha tempo a perder. Rigaut manh3a
ou depois vai ser posto em liberdade, visto
n3o haverem provas suBcientes para o
criminaren^, o, se o temos pela proa, nao
dou nada pelo negocio nem mesmo quero
estar na pelle do pok| Grandval I Pelo
que me diz respeito, Rigaut, que j me faz
espiar por va dos seui companheiros, ata-
car-me-ha com pergunus para me obrigar
a dizer alguma causa dos nossos planos.
Repito : ou temos que partir quanto antes
ou elle dar cabo de ros todos l
Meu pai, interroalpeu Josephina
talvez haja um meio raehor de o livrar da
domnacSo de Rigaut. Tenho orna grande
novidade a dar-lhe.
Varaos, falla : o que ha de novo ?
Josephina disse-lhe que ia ser nomeado
concessionariq e comecava a demonstrar-
lbe quanto esta situacSo seria: invejayel,
quando elle interrompeu speramente :
Ests louca ? Ir agarrar-me ao tra-
ballio durante um ou dous annos, a derri-
bar arvores, abrir vilas, rocar terrenos,
construir casas, para no flm possuir urna
rcasinhola e urna tira de trra, que, reunkj
das, n5o valeriam de renda na'nossa Nor-
mandia cem escudos I... Obrigado I Antes
de a concluir morrena en I Ja me abor-
'rece o trabalho; faz muito caJor n'este
damnadb clima I V5o para o diabo com a
sua coocessSo I Nao a solicitei nem a
quero !'
A pobre Josephina ficou consternada em
presencie tao positiva determiuaco.
Tem cateulado bm, meu pai, as pri-
vaces, fadigas e soffrimentos de toda a
natureza que o esperam n'essa jornada ?
Nao lhe valena antes...
Isto sem duvida negocio urdido por
essas santanarias com quem andas re-
da rguio Bertomy encolerisadoPrefiro tudo
a esta vida que levo e estou certo de que
gosarei ainda bello tempo, se me protege-
rem a fuga. Logo que eu chegue aos Es-
tados-Unidos com algum dinheiro no bolso,
pode cada um tratar da sua vida, que n3o
os incommodarei mais. Sei o meio de en>
riquecer: tirem-me d'aqui e o resto fica
por minha conta.
O olhar do jogador brilhaya com um ful-
gor extraordinario. Sem duyida a esperan-
ga de se fttregar livremente ao seu irre-
sistivel vicio contribua sobretudo para o
corroborar as ideas de fuga.
Josephina, comprehendendo a inutilidade
de novas instancias, balbuciou tristemente :
Vamos: est decidido A Santa
Virgem os proteja I
Entrou-se na discussao do projecto de
fuga. Grandvate Josephin, lastimavam.que
Bertomy nao quizesse abracar a nova car-
reiragte vida que se lhe d^parava. S6o
surdafcnudo esteva satisfeito.
Petas as dteppsices definitivas, Josephi-
Lna e o capitSo, que devertem partir na ma-
nhaa seguinte, dospedram-se de Bertomy.
A pobre raparjgyiorava lagrimas amargas.
' Meu pai,-Qiza ella meu charo e
desgracado pai,, aperta-se-mo o coracio
como'se o alo nouvesse da tornar a ver I
faU amor de Dus lembre-s dos terriveis
no h" anno com o lira' nico de perpetuar
a memoria dos primitivos coilegas: pelo
que Niceto vinha a ser o decano dos aca-
dmicos passados, presentes, e suppomos
mesmo que at futuros.......
E' fcil portento de advinhar que o pra-
zer tranaoaava dos quatro estudantes pelo
resultado satisfactorio dos seus trabalhos
escolsticos. Carlos principalmente exulta-
va por haver chegado ao termo de sOa car-
reira, e por conseguinte em condicSo de
realizar o sonho querido de seu coracao.
Tanto.triumplo nao podia pois deixar de
ser selemnisado pelos quatro athletas da
sciencia. Elles se reuniram em sessao or-
dinaria, c resolveram por nnmimidado de
votos dar um magnfico jantar em sgnal
de regosijo.
Assim nomearam urna commissao com-
coinposta de Almeida e Magalhes,- como
mais aptos para confeccionarem o freamen-
to ; e marcaram o dia posterior ao do grao
de Carlos Alberto para ter lugar o banlpete.
Os dous commissarios mais lestos que
quaesquer dos nossos financeiros de polpa,
e menos barrigudos que elles, apresenta-
ram no dia seguinte, convocada a assem-
blea, um trabalho financeiro to digno de
ser apreciado e profundamente estudado
com um perfeito modelo de orcamento, que
entendemos dever aprcsenta-lo ipsis v rbis
aos nor-sos leitores:
Orfamento das despezas fazer cora o
jantar magno resorvido em sessao extraor-
dinari da Sociedade EscolsticaPhilo
Pancaem 25 denovembro de 18G--:
Lm per gratis(da visinha); duas ga-
linhasdem(dem); um leitodem
(dem); 16 libras de carne gorda5($00j
i duzias de ovos2^1000conservas
100.0 temperos 25000 verduras
gratis(da visinha) vinbos10^cham-
pagne 21*000ceneja16)5000 "quei-
tes85000dAces30000 fructasgra-
tis(da visinha); caf1 5000aluguel
de louca50000idem de vidros50000
eventuaes100000. Total900900^-
Almeida, Magalhes, membros da com-
miss3o de orcamento.
Adoptado este orcamento, convertido em
lei, e sanecionado pelas algibeiras dos es-
tudantes, poder moderador de suas leis,
nomeou-se dois encarregados pora recolher
as quotas, com que cada um tinha de
contribuir para o jantar; e sorteoo-se Al-
meida para empalmar o per, leitao,
gallinhas da visinha, Magalhes as fructas e
verduras; Marcondes para ajudante dot
dois empalmadbres; e Carlos para fazer
acquisicao de tudo que fosse concernente
a arte culinaria.
Deixemos por algum tempo os estudantes
us preparativos do banquete, e vamos
tornar a vel-os no dia e hora designada
pora a festonea.
Dav3o cinco horas da tarde.
A sala de jantar da casinha do pateo- de
S. Pedro estava repleta de gente ; oito era
o numero dos convidados; e d'entre eHes
mencionaremos somente o Sr. Samico Bor-
dado, que tinha a insupportavel inania de
carregar para qualquer festa, a que era
convidado, urna porcao immensa de in-
sulsas poesas,, e decursos luminosos, com
que brindava a paciencia do auditorio
qualquer que elle fosse!
Carlos Alberto havia sido acclamado
por suflragio universal presidente do ban^-
quete, e oceupava a caueira de honra.
N3o fatigaremos a attencao dos leitores.
copiando a conversaco urnas vezes grave e
calorosa, outras jocosa, que animou o jantar
at a sobremeza: estudantes, quando
comem fallam por forca ; elles gostam em
geral d adubar os manjares com ditos es-
pirituosos, ou discussao renhida.
Oucamol-os pois, no momento em que
o champagne estourando ruidosamente
annunciou ter chegado a occasiao das saudcs.
Carlos, como presidente do banquete,
foi quem primeiro fallou ?
Meus senhores-I comefou elle
solidariedade de- pensamento, a unidade
de acc3o e a amiaade reciproca, que co-
meca a axstir entre nos desde os bancos
da Academia, fr um penhor seguro da har-
mona e accordo, que guiar os nossos passos
futuros, quer as relac5es intimas de fa-
milia, quer as polticas, como membros
de um Estado. A vossa presenca aqui
neste momento d um vivo testemunho de
que vos achaes compenetrados desta im-
portante verdade, e que vos associaes de
prompto, sempre que se tratado festejar o
triumpho que um amigo, ou simplesmente
um collega obtem na carreira das iettrai.
E eu, meus amigos, que saudoso, e com
pesar deixo de hoje em diante de fazer
parte da bella c esperancosa communho es-
colstica, devo por rainha vez dar-vos um
protesto das minhas futuras intencoes, offe-
recendr>vos a pequenhez de minha pessoa
e servicos, qualquer que ser possa o lugar
onde o destino me collocar, dando-vos um
estreito abraco, e convidando-vos a beber
saude da nossa confraternidade de hon tem
de hoje e d'amanha
Viva viva! viva! grtaram todos os
estudantes tocando os copos no de Carlos-
viva upa I upa hurrah !...
Peco a palavra disse Magalhes..
Silencio! silencio! exclamramos con-
vivasoucamol-o.
Meus senhores! principiou o orador
Nos, que um dia havemos de concorrer com
o nosso contingente para a grande obra da
felicidade do nosso^paiz, devemos desde j
indagar quaes os males, que o fazem ago-
nisar hoje, para applicarmo-lhe amanhaa o
remedio efBcaz c enrgico. Senhores! se
encaramos,a nossa pobre patria pelo lado da
agricultura, veremos qOc esta delinha sen-
sivelmenle falta de bracos, e de cultivado-
res habis e incansaveis; se attendermos a
industria e commercio, veremos que ambos
esses ramos de riqueza publica esto infe-
lismente em mos estrangeirts, promptas a
guerrearem traicoeiramente.o nacional, que
pretender metter-seem qualquer especuhic3o
agrcola, ou mercantil; se lancarmos as
vistas para as nossas financas, o triste es-
pectculo de urna bancarrota se nos apr-
senla, e o desgracado povo geme com fome,
perseguido e aguilhoado pela miseria, sem
que se procure minorar tanta treSgraca ;
porque assim o querem os potentados,
afim de tel-o sempre esfoimado, e dispost;
a receber vilmente urna esmola por um crime,
oupor um servico mesquinho; se attender-
mos a retribuicao pecuniaria, com que o
Estadorecompensa aos seus servidores.a po-
breza, a penuria, a deficiencia, muitavez o
suborno e peculato provao deraa'w a escas-
sez dessas retribaicoes, e o receio de ser
se deposto amanhaa do emprego, que at
a ultima hora se preencheu com zeto, hon-
ra, e habilidade ; se attentarmos finalmente
para a nossa poltica, .pmsi truadesca,vere-
inos, que a m f, o patronato, o senilis-
mo, a dobrez, a desmoralisacao lavra em
tudo, succedendoo despotismo connpcao,
dnalidade de carcter tao hbilmente apro-
veilada para saciar pretences mesquinhas
e desarrasoadas; prostergandfte a lei ;
violando-se os direitosmais sagrados; so-
phismando-se o nosso bello e salular sys-
tema de governo ; inutilisando-se as ver-
daderas capacidades para encartar-se nos
altos cargos pblicos nullidades sem outra
habilitacao njue a que Ihes empresta o po-
der protectivo; tornando-se odiosas as
nossas mais santas insttuices; e oscanie-
cendo-se da boa ndole de um povo outr'ora
to brioso, mas que a descrenca, a escra-
vido e a torpeza tem hoje lineada no ulti-
mo grao de abjeccao e imbecilidade f E tan-
tos males se compadecen! com o marasmo,
ern que vivemos ? Nao! Unamo-nos, pois,
senhores e procuremos salvar a patria
de nossos futuros filhos; esforcemo-noepor
legar-Ibes um paiz digno delles, e nao um
abysmo de miserias e prosfituieesque Ihes
atassalhem a alma e o corpo! Unamo-nos,
senhores, c bebamos nossa regeneracao
social ;-ao triumpho da ordem, harmona e
legalidade sobre a desordera, conftiso e
arbitrariedade! Saudemos o futuro engran-
decimento do nosso paiz! Saudemos a nossa
felicidade poltica, civil e moral!!
(Continuar-se-ha).
PO^ODE TUDO.
E' do Sr. Luiz d'ndrade esta poesa :
A HOSA. t OUlBEinO.
A. M.
Era urna vez um ermo abandonado e lindo
Junto ao qual boibulhava alvo ribeiro ;
Quando o 'norte soprava lisongeiro
Balancava urna flor sempre sorriifflo.
Sosinha, entorno o ermo, a linda rosa
Borbollas d'amor, leda beijava,;
Manso o regato ao ve-la suspirava,
Porque ella era gentil e meiga airosa.
Se, se secca a folha, desprendida a malva,
O ribeiro a tomava em seu regaco,
Se a rosa lhe quera dar abraco
O regato ondejando a flor- beijava.
Retrahia-se.a rosa da torrente
Por maift qu'ella affagasse em seu frescor,
A rosa n3o sabia o que era amor
E alegre vicejava bem contente...
Triste o regato, desusando airoso.
as aguas as tristuras reflecta...
A rosa dar-lhe um beijo nao queria
E o regato mira va, c bem chorse.,
Mas um Oa o vento norte a fez pender ;.
E a morte se mostrou as lindas folhas...
A pobre flor nao leve mais escolhas
E pendida ao regato, foi morrer.
Abracou elle a flor triste ala Forcejou, mas em vao, por dar-lhe a vida.
Mas era j sem vico a rosa qu'rda
E o ribeiro infeliz, morta beijou-a.
Rosa, a vida p'ra ti breve acabou-se,
Junto a ti bem dssera o frreo laco...
E unndo-a sobre o peito em forte abraco
O regato gentil, logo seccou-se...
Recife, 4 de abril de 1869.
presentimentos que rae aglam ; peco-lhe
que reconsidere Se tem de lhe aconte-
cer ou- a meu irmao alguma desgraca, ser
para mira objecto do eterna magoa !
O proprio Bertomy n3o pode deixar de
commover-se.
Vamos, vamos! disse elle Isso
sao arneiras f Prometto-te que nos vere-
mos. Segundo os nossos clculos, estare-
mos reunidos d'aqui a oito ou dez das, e
depoisproseguio em voz baixa e com o
ar cora que se costuraa fallar s creancas
dizer-te-hei o famoso segredo ; ters os
papis, os dez rail francos, tudo, tudo I
Casar-vos-hei, visto que o vosso desejo ;
mas, como renuncio em vosso favor, pre-
ciso tambem que me ajudem a fazer boa
figura nos Estados-Unidos.
Esta allusao, cuja baixeza Bertomy nao
pareca avahar, ferio um pouco os senti-
tnentos affectuosos de Josophina. Ella ca-
calou-se e envolveu-se no veo, tanto mais
que a scena ia attrahindo as vistas dos de-
gredados e dos vigas, que andavam all
prximos, e a joven receiava expor-se
irrisn
Graodyal despedio-se por sua vez de Ber-
tomy, e, depois de lhe apertar a mao, pe-
gn no chapeo, que havia deposto sobre o
banco! Quando ia a po-lo na
tou-llp de dentro um enorme
tandoa cauda armada do venenoso bico.
Josaphina nao pode conter um grito, re-
cuando precipitodamente.
O capitio, rpido como um raio, poz o
p sq^re o insecto, e esmagoiH),! quando
elle ia a levantar-se furioso. ...
Haua all de certo novo estoateaejua dos,,
degredados, porque, quando flrandval ma
tou o lacro, notou-se um sorrir motejador
entre os espectadores.
E' verdade que durante a conversa nin-
guem se approximra da familia Bertomy :
o banco em que se haviam assentado es-
tabei;a sal-
Tacro, agi-
portanto, difticil
porque o insecto
de
alii
lava solado, sendo,
explicar a raaneira
podia ter sido posto.
Grandval, porm: fingi attribuir ao
acaso este acontecimento e envergoohou-se
mesmo de o comraunicar aos vigas, mas
Bertomy, meneando a cabeca, disse :
Anda Bgaut n'este negocio segura-
mente Repito-lhes : n3o durmamos, por
que, se elle sahe solt antes de estormos
longe d'aqui, capaz de fazer tr.anstornar
tudo l .
Este incidente fez abreviar as despedi-
das, e Josephina, depois de beijar seu pai
ainda urna vez, foi levada em tarimas por
Miguel e Grandval.
Na manhaa seguinte, conforme se conven-
cionra, Josephina e o capitao embarcaram
para Cayenna. Sror Rosala, regressando
deacompanhar a joven a bordo dd aviso,
dizia com ar de profunda tristeza:
Esta deagracada rapariga ainda me
oceulto o quer que seja I Deus permitto
que ella se nao deixasse arrebatar pela sua
exaltada imaginacio, e que, julgando salvar
o pai, n3o contrijua para o perder t
(Contnmr-u-h)
TIT. DO 0IAIIORU DAS CRIES I.

r-

.)
t
s
"H


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9RLO9060_MISKCX INGEST_TIME 2013-09-13T22:03:30Z PACKAGE AA00011611_11813
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES