Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11811


This item is only available as the following downloads:


Full Text




ANNC XLV. NUMERO 79.
r
1
PARA A CAPITAL E LUGARES OBE NAO SE PAGA PORTE.
Por tro raezes adiantados.................... 6000
Por seis ditos idem.................... i25000
Porum anno idem. ... ............... 24<$000
Cada aumero avulso................... ^320
SEXTA FEIRA 9 DE ABRIL DE I8B9.
PARA DENTRO E TORA DA PROVDTCIA.
Por tres mezes adiantados.............* ,
Por seis ditos idem............... ,
Por nove ditos idem ................
Por om anno.......
6^750
3^500
O025O
27)9000
DIARIO DE PERMMBUCO.
Propriedade de Manoel Figiieira de Faria & Filhos.

SAO ACJEMTE*: \
Os Srs. Gerardo Antonio Alves de Hlhos, no Para; Goncalves Pinto, no Maranhao; Joaguim Jos de Oliveira, no Cear; Antonio de iemos Braga, no Aracaty; Joao Mara Julio Chaves, no Ass; Antonio Marques da Silva, o Natal; Antonio Joaonia
Gnimaraes Ruteada, em Mamanguape; Antonio Alejandrino de Lima, na Parabvhi; Antonio Jos Gomes, M Villa da Penha; Belarmino dos Santos Bolco, era Santo Antao; Domingos Jos da Costa Braga,
em Nazareth; Francino Tavares da Csta, em .Jagdas; Dr. Jos Martins Alves, na Bahia; e Jos Bibeiro Gasparinho, no Bio de Janeiro.
EXTERIOR.
"
ASSKPCO, ti DE MAECO DE 1869.
Cinauam com aitividadc os preparativos dr3
laarafoos contra Lopaz, de que fallei na miaba
ultima, corre-pondencia. Miver-se-lio, por nossa
parle, 0) daus corpas de exereito comnandades
p.'los bngadeires J >o Manoel llenan Barrete e J;.-
ciatho vTiciiilt Bitteneiurt, generaos bees conhe-
cidos pela sua bravura e intelligencia e merece-
dores di gratda d) Brasil polos servidos que
t:euprestad) nesta tai ardua quo prolongada
c un tanha.
O'gen-ral c;n chafe ir, em lempa oppartano,
olloeame frente do exereito e dirigir as opera-
|5ds (lu. de esperar, tenham prompto o feliz
xito, deitruiado os restos d) poder do dospoia
cruel, que tantos males lera causado human -
dada.
j dia 2) do corrente am diante comecaro es
iDvimenlos definitivos.
Com auxilio eHcaz s operaejes qae vio ser
emproh "i lidas, tratou-se de utilisar a estrada de
ferro estratgica de Lpez. Para esse fi;u foi con-
eerta 11, p >r marinistas da esquadra, u na leeo-
uDtiva rae aqui eneontroii-se desananjali. A li-
ahajluncciona oom regalaridade entro Assump-
bu [u.', c val mais adianto, at o rio Yuquc-
fi, cija ponto foi queimada pelos Paraguayos, e
qae .1 *a gente trata de reconstruir.
a da U do corrente recebju-se aqui a noticia
telegrapliiea ds que o inimigo, que anuava em wa-
gons at o lugar da dita ponte, na unngem oppos-
ti qae occiipah pala nossa divisa*), ao mando
d 1 c tr M I Vasco Alves, vendo qae a nossa loco-
111 itiva ja cliegava tamben a e<*e lagar, vcio no
ride dia com cerca de 20) horneas de infanta-
ria e .1 na bocea de fogo montada em um um des
wagn*.
L-igo que ap-troximiu-s,; de nossa avanzad 1,
de-eaarcou o inimigo a iufantaria c fez sobre a
nossa (orea alguns tiros de metralba, que furam
immodiatameote respv.i lid 1-, c, vendo-se ameac;.-
- tltn tota a su gente no treai, fugindo a todo o
vapor. O inimigo deixou no campo um lumen)
mirto o vio-se que levou para os carros tres fer-
doi. NJs ti ven )s tres pravas graveaiante fondas,
am 1 leveeseate c outra contusa.
O talegraama sobre este aconiecimento ehegra
ai ganara! Gulherm ia 2 horas da tardo, e a.
Exc. ordeaoa im:ne lialamente que o primoiro cor-
pa de exereito nurehasse para encapa* a pisicio
do qae so trata.
Foi granda a presteza c mi que se prearon c
Corana o grosso do nosso priaaetro corpo de e.xer-
I: ti abortan orden de mirona depaia a \s
2 horas aa larde, antes das 5 saho desta cidade,
1 i \ frente o sen coramandaute geneial
Mi ma Brrelo.
Causava pracer ver desfilar a nossa indomia
avallara c vatente im'antaria. No rosto de todos
oj o '. e soldadoj n ivava-se a alegra d)_ln-
m;:n qu l indo BMueleaela da gloriosa missao de
desaffroatar asna patria, faz completa abnegacao
de si 11 ni >/nento de ir arrestar nevos perigos.
Butre aa baadeiras dos nossos corpos de ufan-
laria, crivahs da gloriosos aignaes das bala? e
ni'.ral'ia'- paraguayas, njtavam-se algunas con-
(1 rad i- c m a insignia da orden do Cruzeiro.
d 1- batoides l. e ti', 1" de artilharii a
p o :i' de volunuarios da patria.
A for^a que marchou no dja 10 eorapunlia-se de
niais de 7,000 das tros armas, q'io, reunidos aos
3,00 i le immanda o coronel Vasco Alvos, or-
ra 111 o primeiro corpo de exereito.
de ju-tica declarar que o b im espirito actual
da tropa devido aos incessanles c combnalos
esforcoj do general em chefe c do Sr. consellu iro
Paranbas, os quae na mais perfeita harmani:., e
com eavalheiros, que so leem vista bem servir
a s 1 p:z, lo trataclo con o maior zelo de fai-
na ir o n >3se brioso exereito c de preparar-lhecui-
;nte todos os recursos matoriaes de jue
O Sr. conselheiro Paranhos dea aqui dous jan-
tares, i.) primeiro dos quaos reuuio o general em
chefe 1 os eomaiAndaate- (enj isnomasj citei) do
primeiro e do segundo corpos do exereito eorr os
respectivos ostados-maiores. Ao segundo assistiram
. a D. Emilio Mitre e Henriqae Castro, e
eefe de asoaadra Elisiario Antoaio dos Sainos,
l i : a t n os seas e-tad i-maiores. Nessa re-
unio reinen a mais perfeita harmona ccordi.ili;
dade, trocndose eloquentes brindes relativos
gaerra, a auianea aj reorganisacao da repbli-
ca do Paraguay.
Con a partida do primeiro corpo de cxerciio e
a pr.A'na marcha do segundo flearamtristes os
lerosos com nsrcianles de todas as nacional-
s establecidas na Assampcao, vendo afasta-
lem-se lanos e lio prdigos consumidores^ E' (ja-
ro qae l > do ter prejuiz >s. mas estes nao se'ao
iiiuitu sensiveis, porque grande numero dejg|
sang ambulantes acompanharo os nm-
meatos do exerefto, e os que aqui ficarem poderao
cevar-se uas boleas da forte guaruicao que flear
guardando a cidade.
Cono se s ibe, Lpez era no Paraguay sen'ior
ab )!u!o de todos ede tudo, monopolista daqr.a*
tolalid id dos generes d; cxporlacao ; entretaiito,
q te as n usas forjas entraranrna Assampcao,
appareeeu ama chusma de proprietarios de cau-
ro?, fama e outros gneros de prodcelo dj paiz
reetamando a entrega asmesmas, cajo numero
seria talvez necesMlfo centuplicar, caso se qu-
Z33se satisfazor as exigencias .dos especuladores
estrangeiros e paraguayos.
O nosso general vio-sc atropellado com seme-
1!.antes rcclamacjs e, de aQCordo com 03 chites
dos exerdltes alnados, rosolveu crear um tribi.nal
ou commissie mixta para conhecer das mesnas.
Emc tribunal j est funecionando c cis as ins-
trucoes por que se rege :
0:>generaos alnados, desejando dar mais ima
prova da generosidade com que teem procedido
sempre para cora os subditos das nacoes r eu-
iras e para com o povo paraguayo, resolveram
, jpifteoiuiderar presa de guerra a todos os fruotes
di solo paraguayo que oncontraram nes|a capital
abandonada polo inimigo depoisde suasulUinas
derrotaste por elle declarada praea de guerra,
coma do facto era muito antes da entrada as br-
eas adiadas.
Cmsequentemantee conforma o qae sepres-
creveu no edito de 3 do crreme, os meamos g me-
raes alliados concordaram em crear u* trib inal
quo conhera das reclamacoes da sobredita espjcie,
que Ihe sejam apresentadas pelas pessoas qv.e se
coniderarem com direito aos couros e outro; g-
neros de produccao paraguaya encontrados nos
depsitos desta capital e suas dependencias.
O dito tribunal reger-se-ha pelas segantes
disposlces:
Art. i. Os fructos de prodac^ae paraguaya,
que se aehavam em differentes depsitos desti ea-
pital, sao considerados despajos do inimigo, e i^mo
taes cam disposicao dos generaos alliados, ex-
cepto os de que trata o artigo seguinte.
t Art. 2 Dos ditos froctos considerar-sn-hSo
cerno propriedade particular neutra^ e sera > en-
taegae* quem de direito, oa qae nao parte ces-
sem ao gpvarao do general Lpez, nem a i divi-
Ladee.
c Art. 3." O tribunal, instituido para conhecer
das reclamaeles comfrehemlidas no artigo ante-
cedente, se compor dsete juies, tres Brasiliiroa,
tres Argentinos um Oriental, nomeados pelos
respectivos generaes.
Art. i. As causa instauradas neste tribunal
sarao julgadas breve e suninariamente, decidindo
a materia do votos.
tribunal nao funecionar sem que eslejam
presentes cinco de seus inembros, nos quacs se
acham reprentadas, pelo manos, duas das nacoas
alliadas.
Arl. 5 Os juizes attendero de preferencia s
provas escripias, sejam publicas ou particulares,
e s em casos mii especiaos paderao separar-se
desta regra, devendo, sempre que seja possivel,
ouvir as pessoas habilitadas para informar sobre
a veracida la das reclamacoes.
Art. 61 As senteucas sao inappellavcis, tornan-
do-se logo exequiveis, tanto as que se resolvam
afOrmativamente, como as que se decidam in-
deferindo as pretencoes dos reclamantes.
a Exceptua-se desta disposifao os casos em que,
por sua importancia ou dilliculdade do apreciara >.
o tribunal declarar na competente sentenca que
appella er oficio, ou a pedido das parte, para os
generaes alliados, os quaas juigarao em ultima
instancia.
Art. 7. As decisoos do tribunal terao forca de
causa julgada, nao se podendo promover nova rej
clamaco sobre objectos que inotivassem o scu
julgamento c sobre os quaes recahisse sentenca
definitiva.
Art. 8. Os juizes communicarao inmediata-
mente a seus respectivos generaos a decisao que
recahirem em cada causa.
t Art. 9. Naj se admiltir reclamarlo algu-
ma sem peticao escripia, a qual deve ser acompa-
uhada de documento ou documentos em que o re-
clamante funda o seu direito, devendo outrosim o
interessado apresentar-se pessoalmente na audien-
cia que llie for marcada, para dar as explicacoes
que os juizes julguem uocessarias.
Se os juizes se couvenecrom de manifest do-
lo da parte de alguna reclamante, apresentando-se
rom 1 dono ou representante de frutos que perlen-
cessem ao inimigo, assim intormaiio reservada-
111 ule aos generaos alliados, para que estes deli-
beren! se o dito individuo deve ser ou nao cim-
pallido a sabir para fora do territorio que domi-
nan os alliados.
Art. 10. A votaelio do tribunal ser nominal,
manifestada pelas palavras sim ou nao, e a sen-
tenca firmada por todos os juizes.
Art. 11. O tribunal ser presidido pelo mais
graduado de seus meninos militares, nao impor-
tand) esta presidencia mais do que a drece,3o dos
trabalhos e julgameatos, pois en tudo o mais o
presidente se adiar as mesmas condiges legaes
dos outros juizes.
Arl. 12. O tribunal installar-sc-ha no dia 8
do corrente, e funecionar desde as 7 horas da
manhaa ats 11, e das 2 s 6 da larde.
Art. 13. As presantes disposicoes sonto pu-
blicadas, para conhecimanto dos interessados, e
delles se d ir um excmplar a radium dos inein
brea que compuzerem o tr+lmnal.
AssumpQau, 6 do Marco de fMft.Guilherme
Xavier de Souza, marechal de campo.E. Mitre.
Enrique Castro.
Conslame que o tente Kirkland, commandan-
te da canhoneira norte-americana Wntp, pedio ao
general Guillienne a devolaeio dos despachos que
liaviam sidj entregues ao S. marquez de Caxias,
para serem opportunamente encaminhados ao mi-
nistro da Uuio, que anda cauda de Lpez re-
presen'and) o seu paiz as cordilheiras. onde se
aeoutou o fugitivo general. A esse pedido accres-
centou o dit> comm andante outro, querr nada
menos do que permisso para ir, ou antes mandar
um porladorAfccompanhado de urna escolla brasi-
leira com bandoira de parlamento, levar nao so
quelles como novos depachos ao referido minis-
tro, general Mac Ma'aon.
obvio que o marechal Guilhermo nao podia at-
tender a tao injustificavel pretencao.
Becobendo a recus', veio o Sr. Kirkland com
novo pedido que nao sei como qualificar ; quera
que o general brasileiro Ihe indicasse a posigao das
linlias brasileiras pan que pudesseelle, sem pas-
tar pelas mesmas, ir ter ao acampamento do ai-
miga Semelhante pedido, que tambem nao foi al-
tendido, nao se com menta.
Um dos motivos allegados pelo Sr. Kirkland, pa-
ra insistir na sua pretencao, era o recete, que da-
se ter, de que o general Mac-Mahon estivesse coac-
to junte de Lpez. Custa a crer ua realidade de se-
meihante recete, mas como tudo se pode esperar
de Lpez, bem possivel que fosse essa a satisfa-
r 1 que iulgasse dever dar ao Sr. Mae-Mahon pe-
lo procedimanto que Uvera para com o Sr. Was-
burn.
Idnticos pedidos foram tambem pelo Sr. Kirk-
land dirigidos ao general Emilio Mitre, que negou-
se a satisfaz-los.
O official norte americano terminou a questao
por mete de um protesto contra o procedimento
dos generaes, retirando-se logo depois aguas abai-
.xo, naturalmente para Buenos-Ayres.
I'ioccdimento muito differente teve o comman-
dante da canhoneira ingleza Beacon, que, tendo
solicitado permisso para ir ao acampamento de
Lpez tratar de salvar mais algn* subditos bri-
tannicos que all se acham, deu-se inteiramente
pufc&itisfeito com as razos apresentadas pelos ge-
neraes alliados para nao annuirem actualmente ao
^eu pedido.
Corre que vai ser concedido legiao paraguaya
o uso de sua bandeira nacional. A idea dessa con-
cessao parti do governo argentino, que a conside-
rou como justo premio dos servicos prestados por
essa legiao, que acompanha o sea exereito desde
o comeco da guerra. Parece que os Srs. conse-
lheiro* Paranhos e general Guilherme annuiram
dita concessao, que um pasa dado para a futu-
ra reorganisagao da repblica paraguaya.
Aqui chegou ha dias de Mato-Grosso urna com-
missao composta de tres offlciae#Bo exereito, que
vinha comprimentar o Sr. marquez de Caxias pe-
las briUiantes victorias do mez de dezembro, que
livraram aquella infeliz provincia das privaefies
que Ihe impoz a guerra.
Essa commissao apresentou as suas congratu-
lacoes ao Sr. Paranhos e' ao general em chefe do
Na embocadura do rio Manduvir, onde se rCTU-
giaram os vapores que restara da esquadra de L-
pez, qnando perseguidos pelo barao da Passagcm,
acham-se dous navios de guerra de observacao.
Parti para o Brasil o Sr. senador Silveira da
Motta o aqui chegou o Sr. Marcondes Homem de
Mello. E' bom que os nossos estadistas vcnhain
estudar de perto o theatro e as cousas da guerra,
comtanto que sejam depois imparciaes nos juizos
3uc emittirem, o que sem duvida se deve esperar
os dous distinctos Brasileiros a que acabo de rc-
ferir-me.
0 Sr. Homem de Mello, tonque chegou, fez
urna visita ao Sr. conselheiro Paranhos, de quem
recebeu o mais cordial acoihimento.
Acabam de fornecer-me a copia de um tele-
gramma que tran 1 Da estacla do Yuqueri.
t O Illm. Sr. coronel Vasco Alvos communica
ao Illm. Sr. eoronel Dr. chefe do estado-matar,
que, tendo mandado um esquairao de 50 pracas
ao mando do capilao Bruce, todos do 8> de cala-
dores a cavallo, explorar hoje o campo inimigo,
encontrou a tres quadras alm da Aregu urna
partida de 20 homons. mais oa manos ; carrejan-
do sobre ella conseguio desbarata-la c faser dous
prisioneiros, que nesta ocrasio Ihe vao seqmpre-
sentados.
A' meia legua mais ou menos alm de Are-
gu acha-se a' estaco da Patinho-Cu, e nesse
panto diz o referido capital que se acham 300 ho-
mons de cavallaria, mais ou manos, e 30 a>40 4('
infantaria.
Acaba da chegar a parte do piquote que est
alm do rio. Vdelas do inimigo foram vistas.
Vai seguir urna brigada ao mando do tenente-co-
ronel Isidoro, em perseguirn dessas vdelas, c
para explorar o que ha de novo da parte (| ini-
migo.
Hoje, anniversario natalicio da nossa Impera-
triz, reuniram-se noite em casa do Sr. conse-
lheiro Paranhos os genera s em chefe dos excrci-
tos alliados, o nosso almirante, muilos officiaes do
nosso exereito, o Dr. Elizalde, que por aqui anda
agora, e outras pessoas de dis'nccao, as quaes
foi pete nosso ministro offerecida urna explendida
ceia volante, durante a qual SS. Excs. o general
Mitre e Guilherme, o Dr. Elizalde e outros levan-
tarara brindes relativos questao palpitante;
guerra e reorganisacao do Paraguay.
Terminaran) os discursos com inn brinde, en-
thusiaslictinento applaudido, em que o Sr. Para-
nhos fez sobresahir as virtudes raras que aJor-
nam a Imperatriz do Brasil.
fornecedor do exereito para a guarniqao que all
se acha, 6 vapores c 5 escunas com gneros de
diversos commerciantes, que vao al quelle pon-
to eooiboiados, e que d'alli para cima, at Cuya-
ha, erao acompanhados petes navios da flotilha
de Matlo-Grosso.
P*o n Tebiquary seguiram no dia 6 os cncou-
racados Btdiiu, a canhoneira Ypiranga, e una
lancha a vapor.
Em Angostura continuam os ncouracados
Henal e ifira e Barros.
as Tres Boceas permanecem os ncouracados
Silvado, Cabial, e as canhoneiras Biberibe e Ita-
jahll.
Desle modo ficara nossos javios estacionados
nos pontos convenientes a exercer urna rigorosa
liscalisafio e polica, e neste servco inglorio, mas
nem por isso menos til ao paiz, demonstrara nos-'
sos officiaes e guarnieres a inesma intelligencia e
dedicaco que revelaran! em frente ao inimigo,
combatendo-o sempre.
O chefe Elisiario se preparava para subir rio
cima, alim do adaptar as medidas que toasen
precisas para polica dos rios I par e Aqaidaban.
No rio Paraguay s est habilitado para o coin-
merco o porto da Assampcao, e vedado por con-
seguinte todo o%afico com suas niarguns e cora
seus afllucntes.
Alm destas providencias tem o chefe Elisiario
tomado outras do'elevado alcance para diminuir
as despezaa da esquadra, satisfazendo assim a um
dos importantes fin3 de sua commissao. Por sua
ordem acabam de sor despedidos do servco os
vapores Lima e Silva c Tiyre, que estavam frota-
dos por 23:000^000 por mez. E' una diminuicao
init.nel, sem prejuizo para o servico.
Tiveram baxa no arsenal do Derrito as canho-
neiras Maracan, Chuy, Onze (le Junho, e pata-
cho Ljiiass, por esteren) mui arruinados, e deve
regeessar ao Brasil por estes dias o Mag.
Em ge ral os nossos vapores de madeira cstao a
concluir-se, com excepcie da Lmonte e Aragua-
rij, que soffrerarn importantes rejiaros nessa cor-
te. Ainda assim ellos tem supportado to assiduo
e pesado servico por que de vez em quando re-
correin ao arsenal do Cerni, e ao incansayel
constructor Bastos, que com_ notavel dedicai-ao
tem prestado servicos que nao se podem pagar,
pelo muito que valem.
Nada mais digno de raenco.
INTERIOR.
Itlo de Sandro
27 de HABCO if. 1860.
MO.NTICVIDO. 21 DE M.VP.gO DE 18G0.
Depois da ultima correspondencia que d'aqui
escrev nenhum acontecimento notavel ha a re-
gistrar.
Continuam algnns jornaes (Siglo e Tuibitna) ac-
ensando o barao de Maua, que deffendido com
calor pelo diario Libertad. Tambem no Siglo de
honleai vem urna caria do Dr. Martens Magarinos "hof Jess Cbristo : hei por bem, usando da at-
neste sentido. Irlhulcan que me confero o art. 101J 8 da cons-
Desejando manifestar por actos de minha impe-
rial clemencia o profundo respeito c veneraco
qiu consagro ao dia de boje em que a igreja com-
mepvira a sagrada paixo e morte de Nosso Se-
exercite.brasileiro.
Depois de demfrar-se alguns das, regressoua
10 essa commissao para Cuyab, com o Sr. capiio
de fragata Sido, commandanle da esqaadrilha de
Mato-rosso, que a acompanhra.
Para essa provincia seguiram no da 5 do cor-
rente alguns vapores e navios de vela do commer-
cio, carregados de gneros e comboiados por va-
sos de guerra. A chegada desse fornecimento im-
portante deye fazer baixar raoito os elevados nre-
cos porque tudo alli estava.
Por ora nao estao ainda abcrlas ao commercio
os portosda provtecia de Mato-Grosso, porque nao
esta ainda estabelecida urna polica efflcaz nessa
parte do rio Paraguay, assumpto de que se oceu-
pa o nosso chefe de esquadra Elisiario. Actualmen-
te s se permitte ti subida de navios mercantes
comboados por vanos de guerra, nao porque haja
receto de tentativas por parte, do inimigo, mas pa-
ra evitar-se o desenlbarque, as margens do rio
Paraguay pertencenles rrepublica, de gneros e
artigo* de guerra destinados
O ministro da fazenda, no ontto que dirigi
commissao nomeada para organisar urna le han-
caria, felicitando-a. pelos seus trabalhos, aliauca
que o governo cumprr fielmente o disposlo no
decreto de 16 de julho de 1868, obrigando con-
versan total do papel-moeda logo que se cumpra
o prazo de 20 mezes, e continuando na liquidajSo
dos bancos fechados. Nao obstante, ha quem au-
gure que o proprio governo, antes doste tempo,
ser o primeiro a violar a le para poder encon-
trar recursos, que nao ter seno com o curso
toreado.
Agora reconheee-se com espanto que todaa
prosperidado desta Ierra ficticia, e que ella nao
teni recursos sufficntes para manter-sc. Foi-se
o papelorio, vou a riqueza publica.
Contina as alias regioes poltica* a ferver a
intriga sobre os negocios do Paraguay o sua reor-
ganisacao. A Confederacao Argentina tem vonta-
ue de absorver aquelle paiz, mas comprehende
bem que au Ihe dcixarao saborear o boceado.
Anda assim seus hoinens influentes nao desani-
mara, e so esforcam em dourar a pilula, nao s
para que o Estado Oriental consinta n'aquella. ini-
Suidade, como que se deixe tambera '.bsorver.
ncontram o apoto de um grupo a que aflagam
com promessas seductoras, mas ao lado desta
sympathia de cnconimenda erguose a antipathia
popular, quo nao se desvair e que fundase na
verdadeira apreiago do negocio.
Consta que anda nesta cidade um agente secre-
to do governo vizinho tratando de levar avante a
propaganda, c que o ministro oriental permanece-
r em Buenos-Ayres ata que elle alli volte. Di-
zem-me que homem actv%, intellgente e perse-
verante, mas que nada tem adantado para o fim
de sua missao ; porqu para conter a ambicao da
repblica depara sempre com a influencia genero-
sa do Brasil, que nada quer, nada exige, depois
de ter vingado a sua honra ultrajada, senao cons-
tituir mais utia nacao soberana, livre c indepen-
dente nesta parte 'da America, em lugar de um
feudo escravisado a um brbaro senhor.
Devemos, portante, estar alerta, sem deixar que
os nossos fiis alliados consigam Iludirlos ; fe-
lizmente ainda eacontram elles alguns elementos
3ue os atrapalham na reazaco de seus designos
e engrandecimento.
Do Paraguay o que consta ajeapparigao do
inimigo, que "deu signal de vida ;.o que foi bom
para fazer-nos sabir do torpdr em que tnhamos
cabido. As cartas do exereito que receb de As-
sumpgo, descrevem-rae com enthusiasmo
prompdao e ordem com que o primeiro corpo
moveu-se voz de marcha.
Nossa bella e aguerrida cavallaria foi reorgan-
sada, sendo dividida em qnflro divisdes, comman-J,
dada a 1." pelo coronel Manoel de Oliveira Bueno,
a 2." pelo origadeiro Jos Amonio Corrada C-
mara, a 3." pelo coronel Vasco Alves Pereira e a
4.*, que sa acha no Aguapehy, tica sob o mando
do brigaaeiro Portinho.
Fallecefam no hospital de Humait o major Joa-
quim Francisco de Paula e o capitao Belisario
Olyrapio de Carvaluo, ambos em conseqaencia de
feiraentos recebidos en combate.
Para acompanhar ao inimigo em seu novo modo
de combate em wagons, vete o vapor Presidente
buscar 3 em Buenos-Ayres para o nosso exereito.
O novo comraandante da esquadra vai revelan-
do qualidades mui distinctas, e que justificara
plenamente a sna nomeacao. Nao tem descanca-
Souza Gouva, da comarca de Gequitahy, na1 pro-
vincia de Minas-Gentes, para a dos Bejs Mag< s, na
do Espirito Santo, ambas de entrancia, por as-
sim o lttvcr pedido.
tituir.a). perdo.ir os ponas a que estaocondemna-
dos os reos constantes da relaco que com este
haixa, astigaada per Jos Martiniano de Alencar,
de ioeu conselho, ministro e secretario de calado
dos negocios da justica, que assim o tenba entendi-
do e faca ejecutar.
Palacio do Bio de Janeiro, em 26 de marco de
1869, 48 da independencia e do imperio.Com a
rubrica de S. M. o Imperador.Jos Martiniano de
Alear.
Relacao dos reos aos quaes se refere o decreto desla
data, perdoundo-lltes as penas a que foram con-
demnados.
Corle.Antonio, mina, a pena de galea perpe-
tuas a que foi condemnado pelo jury da edrt em
18 de abril de 1816, por crine de homicidio e
furto.
Thomaz Norctt, o rosto do tempo que falta
para cumprir a de^O anuos de prisocom t ral ta-
ino, imposta pelomesmo jury emde abril de 1862,
por crime de homicidio.
Valeriano Demetrio da Silva, o resto do tempo
que falta para cumprir a de 20 anuos de pnsao
com irabalho, a que foi condemnado pelo jury de
Campos, da provincia do Bio de Janeiro, em 23 de
mato de 1853, pelo mesmo crime.
Antonio Luiz de Macado, o resto do tempo que
taita para cumprir a de 8 anuos de prisao e multa
correspondente metade do tempo a que foi con-
demnado pete jury de Capivary, da mesmaprovin-
cia, em 27 de setembro de 1850, per crime de feri-
nientos graves.
Francisco Jos falta para cumprir a de 12 annos d* prisao com
trabalho a que foi condemnado pelo jury de Mo-
gvmirim da provincia do ^>. Paulo, era 26 de no-
vmbro de 1862, por crime ac homicidio.
Jos Estanislao de Moraes, o resto do tempo que
falta para cumprir a de' 8 annos de prisao com
trabalho a que foi condemnado pelo mesmo jury,
em 16 de abril de 1861, por crimo de tentativa de
homicidio.
Joaquim Pumhy, a de gales perpetuas a que foi
condemnado pelo Jury de Piumhy, da provincia de
Minas-Geraes, em 11 de Janeiro de 1860, por crime
de homicidio.
Zeirino Soares, a de galos perpetuas imposta
pelo jury de Minas-Novas, da inesma provincia,
em 22 de oulubro de 1811, pelo mesmo crime.
Manoel Izaias, o resto do tempo quo falta para
cumprir a de 12 annos de prisao com trabalho a
que foi condemnado pelo jury de Mar de Hespa-
nha, da mesma provincia, era 3 de novembro de
186a, p.r crime de cpula por molo do violen-
cias.
Pedro Bornes de-Faria Sambambaia, o resto do
tempo que (alta para cumprir a de cinco anno* e
tres mezes cWpriso a que foi condemnado pelo
jura'de Propri, da provincia de Sergipe, em H
de dezembro de 1865, por crime de ferimentos'
graves.
Aniceta, conheeida por Aniceta Maria da Con-
ceico, a de prisao perpetua em que Ihe foi com-
mutada a de morte imposta pelo jury de Porto de#
Podras da provincia das Alagoas, em 20 de novem-
bro de 1861, por crime de homicidio.
Pedro Loureiro da Silva, o resto do tonipi que
Ihe falta para cumprir a de seis annos de pri?ao
com trabalho que Ihe foi imposta pelo jury de Gu-
rupa, da pAvincia do Para, em 15 de junho de|
1866, pelo mesmo crime.
Antonio, cabinda, o resto do tempo que falta
-sa na
do para tornar effectiva a polcia e bloqueio do para campnr a de 14 annos de prisao a que foi
- condemnado pelo jury de Caxias, da provincia do
Maranhao, em 8 de marco de 1853, pelo mesmo
crime.
Joao Antonio de Souza, o resto do tempo que
falta para cumprir a de seis annos de prisao com
trabalho que Ihe foi imposta pelo jury de S. Fran-
cisco do Sol, da provincia de Santa Catharina, em
9 de julhofde 1864, pelo mesmo crime.
Palacio do Bio de Janeiro, em 26 de jnarco de
1869.Jos Martiniano de Alencar.
rios, de modo a prohibir completamente que o
inimigo delle se possa utilisar para receber re-
cursos.
Na bocea do Manduvir, rio em qae se mette-
ram os seis vapores paraguayos que escaparam
perseguicao do chefe barao da Passagem, foram
estacionar o encouracado Barroso, o monitor Piau-
hy, a canhoneira Belmonte, e urna lancha a vapor,
regresando d'aquelle ponto para Assumpcao, no
dia 2, o Tamandari e o gualeny.
No dia 4 seguiram para o Alta Paran, que fica
completamente bloqueado, as canhoneiras Ara-
guary, Greenhalgh, Taquary, Htnrique Dias e
urna lancha a vapor. Neste rio inteiramente
prohibida a navegaban pela margem paraguaya, e
s concedida pela margem correntina s embar
. a Lpez.
O comraandante da esquadra tem desenvolvido cacos argentlas, mas neste caso mesmo sob con-
grande actlvidade. Urnadlvisoda mesma est blo: dices severas, e p^sando^ da__vigUancia cte um
qoeaado o Tebiqnnry, outra polieia o ato Paran
e urna terceira aelm-se as Tres-Bocea, nao s fa-
zendo o bloqoeio qae anda efleetivo em relacao
ao alto Paran, corno registrando os navios de eom-
raercio qae soben para a Assumpcao, nico pon
lo franqueado ao mesmo no ro Paraguay
dos nossos navios para a dos outros, at entrega-
rem sua carga no porto competente. Nao ha. meto
de escapar a esta rigorosa fiscalisacio.
Na 4a 5 seguiram para o Faixo da Morros as
canhonoiras Mearim, Henrique Martins, e moai-
4tor Cear, um pontlo com tropa egeuetOdg
Pac decretos de 24 do corrente
Foram nomeados:
O bacharei Antonio Augusto Bilieiro de Almeida
juiz de direito da comarca de Gequitahy, na pro-
vincia do Minas-Geraes.
O bacharei Augusto Carneiro Monteiro, juiz mu-
nicipal ede orphaos dos lerrnos reunidos do Trium-
plw. o Taquary^ na provincia do Bio Grande do
SuL, ficaaoo sem eiTev> o decreto deaat de novem-
bro uo anno passado, que o nonseou pasaipskl
cargo uo termo de Itaqui, da asasau provin-
cia.
Foi removido o jai de direito F^aminonda da
Temos folhas da provincia de Goyaz at !3 d6
passado.
O bspo da diocese partir no dia 11 para o Para
d'onde tencionava vir a esta corte entender-se com
o governo imperial sobre negocios do scu bis-
pado.
A respeito da viagem at ao Para l-se no Moni-
tor Goynno:
Seguiram nos dias 10 e 11 do corrente parao
presidio do Jurupensen, ende se embarcaram para
o Para, osJxms. Srs. hispo diocesano D. Joaquim
Gongalves de Azevedo e Dr. Jos Viira Couto do
Magalhes, ex-presidente da provincia de Malto-
Grosso, e negociantes os Srs. Antonio da Cunha
Bastos, Joaquim Manoel de Oliveira, Jos Soares de
Almeida, Manoel Alves de Castro e Jos da Silva
Marques, a Exma. Sra. D. Antonia Balbina de Oli-
veira e Silva, e o frade capiichinho frei Antonio
de Ganges, 4 menores que o Sr. bspo leva emsua
companha para faztf-los educar expensas suas
nos seminarios da Europa. Seguem mais 60 pes-
soas entre fmulos dos viajantes, cantaradas des-
tinados a guarnecer os botes na regio aonde o
vapor nao navega, que entre o secco de S. Mi-
guel c Camet, provincia do Para.
O roteiro dos viajantes o seguinte: seguem
a cavallo al o Joropeasen, que demora a 14 le-
guas a NO desta capital, na margem direita do Bio
Vermelbo. Em Jurupensen embarearao cm um
bote tic probidade do Sr. Dr. Couto de Magalhes,
no qual descera as 37 leguas que o rio tem at sua
foz 110 Araguaya, junto ao presidio militar Leopol-
dina.
Em Leopoldina tomam o vapor Araguoya,
que rebocar as embarcacoes particulares al o
alto das cachoeiras do Araguaya, 110 lugar deno-
minado S. Miguel, e que dista de Leopoldina cerca
de 250 leguas. Deste ponto descera os botes re-
mo at Camela, que fica a 50 leguas de distancia
do ultimo : em Camet tomam o vapor da compa-
nlfa do Amazonas, que faz o servco entre essa ci-
[.dade e a de Belm, de que dista outras 50 leguas,
ao todo 392, das quaes 14 leguas por trra, 67 em
botes c 300 em vapor.
Esta tenga viagem calcula-se que ser exe-
culada em 18 dms, e isso mesmo porque nao lia
pontos de lenh* para o vapor, e era se viaja a
noite, nao s por causa dos grandes madeiros que
carregao rio, como por nao ser este ainda bem co-
nhecido.
t Qando lia seis annos atraz o Sr. Couto de Ma-
galhes emprehendeu a primeisa viagein parao
Para por va desses rios, que estavam ento intei-
ramente deshabitados, a nao fallarse as tribus
ferozes de indios que oceupavam as suas margen*.
aqui mesmo em Goyaz houve quem dis*csse quo
era um acto de loucura ; quando se fallava nessa
navegacao vapor, ningueai acredita va na sua pos-
sibilidade.
t Elle persisti seis annos; e com aquella tena-
cidade pacifica, propria dos caracteres fortes, que
estao convencidos (taquillo tradas por esses sertoos, fundou povoados ao lon-
go das selvticas margens do rio, o ahi collocou
o vapor I As pretendidas cachoeiras do soberbo
Araguaya j aerara passagem ao nosso virtuoso
prelado, e v de novo d-la a elle, e aos primei-
ros mancebos, que tem de fazer revver o clero
quasi extinelo cm nossa diocese. por ahi que
nos ha de vir a riqueza moral e physica; a pri-
mera com a religiao c a instrueco ; a segunda
com um commercio, que nao se sustentar, cuno
at boje, dos cofres da thesouraria de fazenda,
mas que vivir da exportaco da provincia.
Sob O ttulo tentativa de assassinato, l-s
mesma folha :
Da cidade da Boa-Vista do Tocantins, pessoa
conceituada nos esefeve em data de 21 da dezem-
bro ultimo, o seguinte:
No da 16 a Providencia Divina permittlo que
se descohrisse o projecto de um crime atroz, qual
era o assassinato do juiz de direito de*sa comarca
o Sr. Dr. Lima, planejado pelo faccinoroso Patri-
cio Tavares Bastes, o qual aluciara um tal Manoel
Gonealvcs da Silva por antonomazia (Pombo roxo),
para executor do crime. Declarara ao mandata-
rio que nada receiasse, pois quo havia muito di-
nheiro para o lvramcnto, c elle era o delegado de
polica.
O mandatario communicou muito em segre-
do o horroroso plano a urna sua irtnaa, moca ain-
da honwta, a qual aconselhou-o para nao coramet-
tor o crime, e que se lembrasse que tinha dous fi-
lhos para criar.
t A mesma Providencia Divina inspirou a es-
ta moca para referir o segredo a urna comadre ;
este revelou a seu marido, e assim descobrio-se a
trama.
Para xecutar-se a prisao do mandatario sem
estrondo, simulou-sc haver na cadeia uns barff-
lhos de presos, e ello como delegado foi chamado
para providenciar; logo que l chegou, dea-sc-
Ihc a voz de preso pelo crime de tentativa de mor-
te na pessa do Dr. juiz de direito, e foi rccothido
prisao.
O homem tomou-se qnasi moribundo, nao pro-
ferio palavra, deu a conhecer seu crime descober-
to miraculosamente.
J se fez o interrogatorio ao preso; as suas
respostas o condemnam.
O interrogatorio e a confrontacao cora o man-
datario foram remettidos por copia ao Exm. Sr.
presidente, o qual se nao mandar brevemente tor-
ca para este lugar to remoto, Boa-Vista ser o
thoatro de scenas luctuosas.
28-
Peto vapor inglez City of Rio de Janeiro recebe-
mos hontem folnas do Ilio da Prala at 21 do cor-
rente.
As noticias da Assumpcao sao de 13. Segundo
ellas os Paraguayos vendo que ninguem os busca-
va vieram elles mesmos buscar os alliidos e dar
signaes de vida. Urnas duas leguas almjde Lu-
que havia sobre o arroto Yuguery urna ponto so-
bre a qual passava a estrada de ferro, mas que
havia sido destruida pelas tropas de Lpez na sua
retirada.
Trabalhava-so na reconstruccao desta ponte
quando na outra margem appareeeu urna locomo-
tiva puxando alguns wagoes, e sobre esto urna ter-
ca paraguaya com duas pecas de campanha qae
principiaran) a metralhar os trabalhadores. Ape-
nas se conseguio passar algnma cavallaria para o
outro lado do arroio, silvou a locomotiva e desap-
pareceu com os-Paraguayos.
Este episodio* assim narrado pelo correspon-
dente da Nacin Argentina
t No dia 10 marchara te Luque para Ynguer)
urna forca de cavallaria e infantaria, alim de po-
der reparar-se alli a ponte queimada haiempos
pelos paraguayos. Quando as avancadas ebeaaram
cerca de Aregu, pequea poveacao fnnoaiaa pe-
los frades das Mercas, encontraran) vesUgMn
inimigo, mas nao virara viva alma. Bft**B~?e2"'.
as avancadas os seus piquetes desle aae ao ia-
guary, e- aeasaaoa o rest da roe. ,..,.-,
* feWMaeSrno measen*) em joe havia che-
gado um wagao cm qua uiu.eaaWBgsdo.dos forne-
cWesLecai Lairas esta distribuindo vve-
res tropa, avtstou-se ama locomotiva paraguaya
que com quatro wagilea c*fctoa,dniparaguayos se
approaimava toda a torea' wsasr.
< Os pneles avaaeaaw estenderam-se imme-
diatamena sea liaba de a'radores, e outfo tomo
Iflieram os Pai
com urna peca teoampanha. P^pcipiea ou- paula Xavier, em
teto, sendo os piquetes brasileiros reforcados pelo
resto do bala lio- 23.
013-de cavallaria brasilcira, que acud em
proteccao, veado a possibilidade de vadear o ria-
cho c flanquear o inimigo, assim o fez, mas tendo-
se os Paraguayos apercebido do movimento, torna-
rain a subir aos seus wagues e desapparaceram
com a mesma rapidez-com que tinham vmdo.
< Neste combate de- nova especie liveram o
Brasileiros dous feride graves, um leve e um con-
tuso, perdendo tambera quatro cavaos com osa
tiro de metralha. Os Paraguayos deixaram osa
niorto, e levaram coinsigo os feridos, uto numero
se ignora.
t Veio este incidente apressar as operacOes pro-
jeciadas, o urna terca de 10^300 horneas das tres
armas, s ordens do general, Joo Manoel Mean
Barreto, pz-se em marcha para Luque.
Apezar de dizer-se que o exereito havia de
costar muito a mover-se, esta forca aprouiptou-se
c sabio dentro de tres horas.
Outros corres|tondontes narram o fado eom al-
guma variedade de prjmenores e uisstein em qae
linvia graude falta do ca valles, de que se ia enviar
de Buenos-Ayres grande poroto para o exereito
argentino.
Alm da partida dos 10,000 hmcns de que ci-
ma se falla, da Assumpcao para Luque, nada mais
encontramos digno de nota. .Na capital paraguay
creara-se una commissao para julgar as reclama-
coes de pr tpriedade.
O governo argentino dirigi a segrate nota ao
governo oriental e ao nosso ministro o Sr. conse-
lheiro Paranhos:
Ministerio das rea cues exteriores.Buenos-
Ayres, 20 de feveroiru de 180*.Sr. ministro.O
governo da Bepnblica Argentina, que no correr da
guerra do Paraguay to cheia de atarea, tem man-
tido inalteravel o proposito, de que esu conven-
cido, participam os seus generosos alliados, de
restituir ao povo paraguayo, custa de seus sa-
crificios, o direito que Ihe arrebatara a tyrannia
anliga c tenaz que e-to-prximas a destruir.
er chegada a oppurtunidade de promover por to-
dos os metas Ique a poltica e a juslica pdem ao
seu alcance, a reconstruccao da naeioalidade pa-
raguaya.
t .Nao Ihe escapam, como V. Exc. sabe as enor-
mes difiiculdades que neeesaaro superar para
conseguir este proposite final A areno do ter-
ror c habites inveterados de obediencia pasaiva,
(em dado guerra o-caracter duro e sanguina-
rio que a deslingur na historia c nos nossos
dias, dispersando a populaco ou levando-a ao
acarapamentoado dspota fugitivo, tense de todos
os sitios dominados polas armas vencedoras daal-
lianca.
Nesta intelligencia o mcu governo, conside-
rando que a legiao paraguaya, cutos servigos acei-
teu em 186*i, c que afTrontou todos os perigos c
fadigas de quatro annos de campanha, engrossa
diariamente suas lileiras pelo concurso espontaneo
de numerosos cidados do seu paiz que veear'por
amor da sua liberdade a compartir com ella o sen
esforco, julgou conveniente conceder-lhe o uso da
sua bandeira nacional.
t Desta maneira appareeer um elemento pa-
ramente paraguayo, contribulado para a redemp^
gao daquellc povo, e disposto a servir de ncleo
populaco, que voltar sera duvda_ em busca dos
seus lares sombra do seu pavilho-, e segura da
paz e do direito, que em vao procurara junto do
tyranno a quera ainda hoje, por desgraca sua, se-
gu e obedece.
c O raeu governo expedio as ordens convenien-
tes ao general em etofe do seu exereito. afim de
que, pondo-se de aceordo com o general brasleiro
e oriental, obrena todos de aceordo com este pen-
samento.
Convido, pois, V. Exc a dar iguaes instrnc-
ces ao general da sua naca", e estou eonvencido
que doste aceordo- resultaran grande* yantagens i
mesma allianca e ao povo, cujas legiaS ella tem
tido que couibter sera odio, porque seguramente
nao o merece um povo ni.artv r da sua depressao
moral e da influencia crimino-a de um tyranno.
Por esta occasiao ten lio a satisfago de reno-
var a V. Exc. os protestos da iriilia mais alta es-
tima.Mariano Varella.
O governo oriental responden conformando-se
inteiramente com estas ideas, e declarando que o
Dr. Adolpho Bodrigues, qpc ja havia partido para
Buenos-Ayres, levara nslrncces para resolver
este assurpto, e que ao general Castro, comuian-
dante da diviso oriental 110 Paraguay, se liaviam
expedido as ordens convenientes.
O Sr. conselheiro Paranhos, depois de haver re-
produzido, paraphraseando-a, segundo o ostvlo di-
plomtico, toda a nota argentina, conclue a sua
resposta, datada da Assumpcao a 9 de marco :
t O abaixo assgnado, felicita-sc de que o Sr.
D. Mariano Varella lhc proporeionasse tao favora-
vel occasiao para repetir por cscripto o que em
conferencias verbaes j leve a honra de manifestar
aos Ilustres alliados do governo imperial, isto K
que este abunda no pens;imento altamente poltico
e justo de promover e accelerar, no mais perfeito
aceordo com os seus alliados, e tanto quanto delle
depender, a reconstruccao da naconalidade para-
guaya, conforme o solemne compromsso da mes-
ma amanea.
t A rtiedida de que se trata, nao alterando em
nada as condicoes do pacto do Io do maio de 1865,
e sendo, como de manifesta jnstica e corisequen-
te com o empenho commum dos alliados, nao
pode s nao inspirar ao governo do Sua Magesta-
de a mais viva sympathia e a nlior conlianca no
lgico desenvolvimento que este acto ha de lar,
conforme os desejos inalteraveis, e, o abaixo assg-
nado, pode tambem dize-lo cada vez mais ardentes,
por parte dos tres governus alliados.
0 abaixo assgnado, se deu, pois, pressa a com-
municar*a intencao do governo argentino ao Sr.
marechal Guilhermo Xavier de Souza, general
em chefe do exercilo brasleiro, c felicita-se por
poder assegurar ao Sr. D. Mariano Varella, que o.
representante miliiar do Brasil se achou desde logo
de perfeito aceordo com os generaes argentinos e
oriental, acompanhando-me igualmente nos votes
que fago para que os governos alliados julguem
chegado o momento opportuno de conceder mais
significativa representaco importante parte ao
povo paraguayo que hoje dsjeansa a sombra da
allianca, e lhc adhero cordialmente.
o'abaixo assignado tem a honra derenova rao
Sr. ministro os protestes da sua mais alte conside-
racao e estima.-Jos Do Bio da Prata nada ha de importancia:
As noticias do Pacifico fallam de um pavorosa
incendio que em Valparaizo devorou cerca de trin-
ta edificios as ras mais commerciaes, e custoa
a vida varias pessoas. As companhias de seguro
perderam para cima de 100,000.
Na Bolivia am mancebo de non Zaeoneta ten-
tou assassinar a pedradas o presidente Melgarejo.
Foijiiorto golpes, de espada pelos soldados da
guarda.
Melgarejo assnmio a dictadura at que se paci-
fique o paiz.
Por decretos de 24 foram nomeados :
Ajudaute do procurador dos feites da fazenda,
na curte e provincia do Bio de Janeiro, baobaret
Jos Carlos Pererrs de Almeida Torres.
9* escriptnrario da alfaodega de Paranagaio
3* dito da de S. Pedro, Satasto Carta Navarro
doBipirit-Saato, posto
dasgu;
da BeUaruno I


Porttiroda alfa
r mu



Diario de Pernambuco Sexta feira 9 de Abril de 1869.



Tinoco, a quem se concedeu a exoneracio que pe-
dio do dito lugar de porteiro.
O Sr. capitao de fragata Joo Mendes Salgado,
que commandava o encouracado Brasil, Jai Ho-
rneado ajudante de ordena de S. A. o Sr. ronde
d'Eu, commandante em ehcfe de tolas as torcas
brasileiras em operares no Paraguay,
O capitao da barca ingleza Mary Hamilton, -sur-
ta neste porto, chegando antc-hontem a bordo re-
prehendeu o piloto por nao tereste feito convenien-
temente eerto servioe. Parece que o pilot redar-
guio e que a tripolafio poz-se do lado deste. O
cario que travoa-se mu conflicto do quaf resul-
tou a morte do capitao. A polica tomando eonhe-
imento do fado, reeolheu priso o piloto e os
seus marinheB que compunham a trpolae).
Por decreto u. 4,310 de marco foram autorsa-
. dos Augusto Eduardo da Costa c outros para in-
corporaran na provincia do Para urna sociedade
anouvma com o titulo Banco Commercial do Pai.
- :io -
Pelo vapor inglez Hipparckut recebemos hohtem
folhas do Rio Prata ate 2i. Cartas da Assumpco,
datadas de 10, dizem que continuava a apromp-
tar-se una expedieao para o interior, mas um te-
legramma publicado as folhas do ultimo dia asse-
vcra'haverem partido para a sorra forjas alliadas
e ter Lpez tropas em Ibicuy.
Em outro lugar publicamos urna carta do nosso
correspondente da Assumpco, trazida pelo trans-
porte Wernedc, tanibem entrado hontem. Alm de
alguns pormenores interessantes, falla de umaoc-
currencia com o commandante da canhoneira or-
te-ameriiv.na Wasp, que, nao alcanzando liccnja
para mandar um emissario ;o interior do paiz em
Srocura do ministro da sua nacao, general Une-
lahon, relirou-se para Buenos-A vros, protestando
contra os genoraes alliados, que nao haviam atten-
dido ao seu pedido.
Brevemente publicaremos outras correspon-
dencias.
Rcalisou-se limiten) a aseeiicao annunciada pelo
Sr. Baraille. O balo elevou-se mansamente do
quartel do campo da Acclnmaco e, impcllido pelo
vento, foi cabir na baha junto a ilha de Santa
Barbara. Um pequeo movimenlo dado pelo aero-
nauta fez que o balo so elevasse de novo e fosse
definitivamente pousar sobre o telhado do una
casa da Iba sem novos accidentos.
31
Hontem s 10 1(2 horas da manha chegaram
ao arsen .1 de niarinlia S. M. o Imperador e S. A. o
Sr. duque de Saxe acompanhado S. A. o conde
d'Eu que a embarcar para o Paraguay, onde vai
commaudar as nossas forras em operacocs.
Grande foi o concurso Je povo que acudi pre-
senciar o embarque. Acbavam-se presentes todos
os membros do ministerio, muitos offlciaes gene-
raes o superiores de mar e trra, o commandante
superior da guarda nacional com os commandantes
e oficialidade dos corpos, varios funecionarios pu-
bbcos e pesadas de distmeco. Diversas bandas de
msica so achavam postadas em varios lugares.
O vapor Mice, que tinha sido ricamente prepa-
rado e abundantemente prvida para transportar
o Sr. conde d'Eu, eslava atracado ao caes, c S. M.
Imperial e Altezas passaram-se Kgo para bordo
seguidos dos ministros da corda, semanarios e
muitas outras pessoas. Embarcaran) igualmente
o Sr. tenento-general Polydoro, brigadeiro Fonseca
Costa, coronis Pinheiro Guimaraes e Tiburcio, e
ouiros oflBciaes quo seguem para o theatro da
guerra.
Seria 1 hora da tarde quaudo o Atice se pz em
movimento. scguiido-lhc as aguas o Morcillo
Dias. As fortalezas e os vasos de guerra surtos
no porto salvaram passagem.
Proteja a providencia o joven principe e os que
com elle se embarcaran).
DlafflO DE PEnNUMBUC
BECIFE, 9 DE A8EJL DE 1869.
NOTICIAS DA EUROPA.
Procedente do Liverpool Lisboa, de onde sahio
o 16 do passado, chegou Baha o vapor inglez
Valiteo. Adianla tres dias s noticias que recebe-
mos pelo vapor inglez La Blata. Eis asmoticias
que transcre vemos do Jornal da Bahia :
t Lnglatemu.A rainha com suas ilhas I.uiza
e Beatriz saino de Wndsor. para Londres.
Blgica.O milico com a Franca ser re-
gulado por urna commissio mixta a bitral.
Fkanc.v.Foi apresentada no corpo legislativo
una memoria respeito do orcamento. Espera-
vi-sc movimento no pessoal dt.corpo diplom-
tico.
4fJmprensa das provincias mostrava-se vio-
lenta, e os prefeitos recefcerara ordcni para perse-
guir os joruaes que assim procedessem.
Dava que pensar a chegada dos cmbaixadores
da Fran;a em Vienna, em Berlim e em Conslauti-
nipla: suppunha-se qne elles eram chamados
n.'gocio importante.
Austuia.O imperador viajava com deslina n\
Croacia e Eselavonia.
.Na Hungra fazia-se pacificamente a cleicao
pira a dieta.
PoiiTir,Ai.i-Falleceu o general de brigada Jos
Mara de Magalhaes, que foi ministro da guerra
em 1867.
Ogovcrno delberou que as eleicoes fossem
feitas pela le vigente, sendo reduzidos os circuios,
mas de um s deputado. O continente dar 100
doputados, e as ilhas e provincias ultramarinas
l.
A companha de fia^rio e tecidos lisbonenses
dividi 4 3300 por aceao.
Foi laneada ao mar a canhoneira denominada
T'jo, destinada ao servi'co d'frica.,
t Hespaniia.As seses da cmara eram sem-
pre interrompidas tumultuariamente.
As noticias da Ha vana contnuavam a inquietar
o governo, apesar de una victoria na Porta-Prin-
cipe.
a questo da nomcaeo das 4 commissies
obteve maiora. A minora foi de ll votos.
Estados-cxidos.Grant acceitou a demisso
de Slewart ministro da fazenda.
Na cmara dosr epresentantes foi derrogada
alei chamada Leare office, por 143 votos contra
16.
Por caria imperial de 24 de marco de crrente
foi naturalisado o subdito portuguez Abel Lpez
Pereira.
Por decretos da mesnia da'a :
Foz-seaere di titulo de conselhoao desemhar-
gador Jeronymo Martiniano Figueira de Mello.
Foram concedidas as seguintes pensoes por ser-
vicos prestados na guerra, e que ficam pendentes
de* approvayao da assembla geral:
A D. Maria Jos Ferreira Freir de Carvalho,
viuva do tenente-coronel Domingos Jos Freir de
Carvalho, a de 965 mensaes.
A D. Anna Francisca Bezerra de Mello e Silva,
viuva do alferes do 8o batallio de infamara Ma-
noel Vieira de Mello e Silva, a de 18> mensaes,
sem prejnzo do mco sold que Ihe competir.
Ao capitao do 31a corpo do voluntarios da na
tria Joao Tlieodomiro da Costa Monteiro, a de 60i
mensaes.
Aos alferes do 2" corpo de cavallaria da guarda
nacional do Rio-Grande do Sul Pedro da Cunha
Slveira, do 24 dito de voluntarios da patria Joao
Candido Borges de Athay Je, do 46 dito Pudro 6o-
nii's Je Abren e ao de voluntarios da patria Luiz
Maria de Sonta, a de 363 mensaes a cada um.
Hei por bem nomear o bacharel Antonio Augus-
to Monteiro de Barros para o lugar de inspector
geral das obras publicas do municipio da corte.
Palacio do Rio de Janeiro, em 29 de marco de
1869, 48 da Independencia e do Imperio.Com a
lubrica de S. M. o Imperador. Joaquim Antao
Fernandes Leo.
Por portara datada de 23 do crrente foi no-
meado para servir em rommissn na provincia de
Pernambuco o engenheiro Raphael Archanjo Gal-
vao Filho.
Por portara de 24 do corrente concedeu-e l-
cenca para residir na provincia de Santa Catliarina,
ao capitao reformado do exercito Henrique Au-
gusto da Sepalveda HdreranL
1' U: ABH'L.
Sua Magestade o Imperador, acompanhado de
seus semanarios, visiten hontem as olficinas de
machina-; do arsenal de marinha. Emquanto se
acliav-i alli soube Boa Magestade que se aera urna
cxplosao na Armaco, e para aquelle lugar se di-
rigi logo. Regresando Sua Magestade desem-
barenu no arsenal de guerra, cujas dependencias
visitn.
dis-
321
314
267
336
28o
202
Pelo vapor inglez Panam recebemos hontem do
Rio da Prata folhas at 23 e cartas de 20 do pas-
sado. Nada reterem de interesse.
S. M. o Imperador recebeu no da 27 do passa-
do, s 7 horas da tarde, em audiencia publica, no
pac) de S. Christovo, o Sr. conde de Gobncau.
que na occasiao de apresentar a sua credencial
ilii enviado extraordinario o ministro plenipoten-
ciario de S. M. o Imperador dos Francezes, nesta
corte, dirigi ao mesmo augusto senhor a Segra-
le allocncS'' :
Senhor.Tenbo a honra de entregar a V. M.
Imperial a carta ^ue me acredita junto de Vossa
Magestade no carcter de enviado extraordinario
e mini-aro plenipotenciario de Franca.
Sufficientemente nunca me seria possivel ex-
pressar a Vossa Magestade, senhor, quanto me es-
timo feliz pela nova prova de confianca que o Im-
perador mcu augusto soberano, nouve por bem
canceder-me nesta circumstancia, e que me per-
mute aproximarme da vossa pessoa.
a No desempenho dos deveres de que me aeho
incumbido, ouso contar com urna bondade cujos
effeitos ja sent c a qual faz-me esperar que meu<
consumes esfor^os paraeslreitar cada vez masos
Jacos que unem os doos imperios, obtero a hono.
._ que unem os dons imperios, obtero a bene-
volencia de V. M. Imperial.
Sua Magestade regpondeu:
8u muito sensivel a esta nova prova de am-
lade de rneu muito prezado irmao o Imperador
dos Francezes.
Espero, Sr. conde deGobineau, que vossa mis-
sao contribuir para estreitar anda mais os la-
eos que to felizmente unem os nossos dous pai-
0 Sr. Dr. Francisco Bonifacio de Abreu parti
H"e'bn^ra'pPm COn,panhia de s- A- o Sr. conde
dEn, para o Paraguay, onde vai prestar os soc-
rorros mdicos s nossas lorCas em opTraces
Hontem, por volta das 9 horas da manha den-
se nina explosao em um reparmento do labora-
torio pirotechnico da Armarn, quando se tritura-
va nina porcao de plvora.
O repartimento ficftu destruido, perecendo um
individuo de nome Manoel Goncaives de Oliveira
que estava nesse servico, e Picando gravemente fe^
riti o menor Leopoldino Antonio de Camino, qne
provavelnv-nte suecumbir atienta a gravidade
dos ferimentos. Comparecern) os Srs. presidente
e chefe de polica da provincia do Rio de Janeiro.
Sr. delegad > o varias autoridades policiaes com-
cubados de forca publica.
NOTICIAS DO SUL DO IMPERIO.
Chegou hontem o vapor brasleiro Paran, tra-
zendo datas do Ro de Janeiro at o 1, da Babia
at 3 c de Alagoas at 7 do corrente.
Sob as rubricas Exterior e Interior vo por ex-
tenso as noticias mais importantes; alm das quaes
apenas encontramos nos jomaos o que segu.
RIO DE JANEIRO.
Por decreto de 20 do passado, do ministerio
da fazenda, foi renovada a junta da cala de
amortisac i, na forma da le de 13 do njvembro
de 1827, licando composta dos Srs.: conde de
Bomfim, har de Itamaraty, Jos Joaquim de Lima
e Silva Sobrinho, Mililo Mximo de Souza e Can-
dido Jos itodrigues Torres.
Por decreto n. 4,313 de 22 do passado, do
me-mo ministerio, foi mandada executar a nova
tarifa das all'andegas e suas disposicoes prelimi-
nares.
Por decreto de 23 do passado, do ministerio
da guerra, foi aberto um crdito de 21,9i7:07637
na a oeeorrer as despezas dos g| 2a, 6a, 7a, 8a e 15a
do orcamenlo da guerra.
O cambio sobre Londres rcgulava de 18 1/2
a 18 3/8 i por 13
As apolices geraes do 6 % vendiam-se a 80
1/2 % de premio, e as do emprestimo do........
30,000:0003 a 305 de premio ex-dvidendo.
Os soberanos () vendiam-se de 135330 a
133340 cada um.
A alfandega da curte rendeu no mez de marco
ultimo 2,394:9465010.
s. paulo.
Lmos no Correto Paulistano de 22 do pas-
sado :
i Consta-nos quo na prxima segunda-feira
parten) para o interior os engenheres da compa-
nha Paulista, a cuja frente se acha o Sr. Dr. V-
riato de Medeiros*, allm de encetarem os irabalhos
e estudos definitivos da planta, que a companha
tem de apresentar ao govorno para o prolonga-
menlo da linha frrea do Jundiahy Campias
O Sr. Dr. Falcan, presidente da directora,
conforme nos consta, acompanha o Sr. Dr, Viriato
de Medeiros at Cnnpnas.
* MINAS-GERAES.
A apurarlo de todos os collegios do 4'
trelo deu o segunte resultado:
Dr. Capanenia........
Dr. Penido.........
Dr. Cerqueira....... .
No 2a districto o resultado final foi:
Dr. Pinto Moreira.......
Dr. Caedo.........
Dr. Perdigao Malheros.....
Nos collegios de Patrocinio, Paracat e Baga
Sem, pertencentcs ao 7a districto, eram mais vola-
os:
Dr. Joaquim Podro de Mello. ... 170
Dr. Luiz Carlos da Fonseca. ... 134
GOYAES.
No collego de Catalao obtveram votos :
Dr. Joao Cardoso de Menezes Souza. ". 40
L)r. Mello e Mattos....... 40
Esta provincia compoe-se de um s districto
eletoral.
baha.
A cmara municipal da capital, depois da
competente apurarlo, expedio diplomas de depn-
tados geraes, pelo lu districto, aos Srs.: Drs. J. J.
Fernandes da Cunha e Antonio Luiz Alfonso dv
Carvalho.
Do 3a districto, apenas faltava o collego de
Carinnanna, que j nao poda influir no resultado
final. Sao, portanlo, deputados geraes por esse
districto: desembargado- Araujo Goes, Drs. Juo-
quera c Bonifacio de Abreu.
Por acto da presidencia do 2 dT eor^ente, foi
adala a abertura da assembla provincial para o
dia fi.
Aclia-se no porto a fragata de guerra ameri-
cana Plymouth, vinda de Tenerife. E" um bello
navio, armado com 18 canhoes.
Fallecer, na villa de Monte-Alto, o capitao
Joaquim Pereira de Souza Costa, ricopropretario
aclH'fe do partido conservador no lugar.
Arribara, em viage n de Montevideo para
Quecnstonn, com carregamento de cinza e ossos, o
brigue italiano Yi. Estava fazeado agua.
Chegra o brigue inglez beathron, trazendo
materiaes para a empreza do Paragnass.
O cambio regulava: sobro Londres 18 3/4 a
18 7'8d., sobre Pars 495 a 500 rs., sobre Hambur-
go 930 rs., e sobre Portugal 188 a 190 %
Lemos no Jornal:
No dia 23 de dezembro do anno passado, no
districto de S. Felppe do termo de Santo Antonio
da Earra, foi casualmente morto Antonio Pereira
da Pilva por um tiro disparado por sen irmo Cle-
mente Ignac-o Pereira. O" delegado inandou ins-
taurar o competente processo.
Tendo no dia 24 do mez passado, no hotel
Fnllevle, ra de Baixo, os dous irmos Salomn,
e Len Netter, tentado contra a vida de D. Osear,
o que nao poderam levar a effeto por serem obsta-
dos por pessoas da casa, poz. ram-se em fuga, con-
seguindo no dia 30 o subdelegado de S. Pedro
prender o de nome Len.
t Havendo D. Osear seguido para Pernambuco,
e desistindo da queixa que dera, prosegue a justi-
ca, n>s termos legaes do processo.
PERNAIOCO^
ASSEMBLA PBOVINCIAt.
PRIMEIRA SESSAO PREPARATORIA, EM 8 9E
ABRIL DE 1869
PRESIDENCIA DO SR. AUGUSTO DE SOMA Lr
A's-ld *i horas da manh., feita a chamadaTC-
rifica-se eslarom inesentos >s Srs. : Cicero Odn
Peregrino da Silva. Armini i'.orolano Tavares dos
Santos, Hishello Florentino ('.' rn'-a de Mello. Miguel
Bernardo Vieira de Amorim, Felsbino de Mendon-
ca Vasconcellos, Joao Baptist i do Amamal o Mdio,
Jos Joaquim do Rogo Barro>, Antonio Epaniiaon-
das de Barros Correa, Joaquim Eduardo Pina. Sa-
muel dos Santos Pontnal, Augusto de Souza Leio,
Ermro Cesar Coutinho, Franeisco Amynthas de'
Carvalho Moura, Jos de Vasconcellos, Avie* de
Albuquerque Gama, Antonio Columbano Serfico
de Assis Carvalho.
Tendo couimunc.ado acbarcm-se promptos
comparecer os Srs. Maximiano Lopes Mchalo,
Francisco de Carvalho Soares Brando, Juo Fran-
klin da Slveira Tavora, Andr Cavalcanti do Al-
querque, Joao Afves Mergulho, Luiz Goncaives da
SiNa e Joo da Silva Ramos, resolve-se offlcar ao
Exm. presidente da provincia, allm de que designe
a hora em que deve ter lugar a sesso solemne de
abertura. ~
O Sr. presidente convida os Srs. deputados pre-
sentes comparecerem amanha, s horas do cos-
tume, c levanta a sesso.
REVISTA DIARIA
ACTOS OFFICIAES. = Pelo ministerio da agri-
cultura, commercio c obras publicas, foi expedido
o seguint) aviso, em 22 de iiu.njo ultimo, presi-
dencia desta provincia:
Illm. e Exm. Sr. Foi-me presente o oBcio
de V. Exc. de 10 do, mez prximo passado, eni
que expondo os accidentes e prejuizos, causados
pelas innundaces havidas nessa capital, c as po-
voaQoes circumvzinhas, em razao das copiosas
chuvas que cahiram durante quatro dias successi-
vos, pede um auxilio pecuniario para ser applica-
do reconslruco das pontos, e aos reparos das
estradas vista' dgs poucos recursos, de quo pode
dispor a provincia : em respoila declaro a V. Exc.
que, nao dispondo este ministerio no corrente
exercicio dos fundos precisos para altender desde
j a tao justificado pedido, ser ello tomado em
consderacao no futuro exercicio, entretanto faco
seguir para esta provincia dsposco de V. Exc.
o engenheiro Raphael Archanjo Galvao Filho, a
im de proceder toa estudos c orcamentos dos
reliaros reclamados c obras a lzer, a quaes po-
dem ser comecadas com os recursos que V. Exc.
por ventura lenlia sua disposicao o possam desde
j ser applicados a esse fim.
Ne-se trabalho deve guiar-se o Sr. engenhei-
ro Raphael Archanjo Galvao Filho, pelas seguintes
instrucc/ics que Ihe foram dadas pelo ministerio
respectivo:
< As onnndaeSes que ltimamente tveram lu-
gar na cidade do Roeile, e as povoacocs circum-
vizmhas, pelo extra r linariocrescimento das agua<
do Bcberibe o Capibaiibe, camaram consideraveis
damnos propriedade particular, arruinaram as
estradas que comniunicam a capital com o inte-
rior da provincia, alera de outros lamoalaveis ef-
fetos destruirn) completamente a ponte pensil
do Caxang e outras.
Convindo estodar do modo o mais completo
e satisfactorio as causas dess-i plwnomcno c os
mcios de removel-as ellicaz e permanentemente,
tenbo resolvido incumbir Vine, desses estudos,
para o que deveri, com a mxima brevdade,segur
para a provincia de Pernambuco disposicao da
respectiva presidencia, de quem receher as rdens
ejnstruccoes que entender conveniente dar-lhe e
nao forera incompatveis cora as oue nesta occa-
sio recebe Vmc. desta secretaria de estado.
O seu primeiro cuidado chegando provincia
ser estudar os effeitos geraes das ultimas innqda-
coes. os estragos que cansaran) as propredados
publicas e particulares, avahar csses damnos e
prejuizos, orear as obras de que precisaren) os
eaminhos, afim de que sejam restituidos s con-
dceoes regulares de viablidade, as que se refe-
ran os pontos da extremidade, indicando o sys-
tema mais apropriado para a sua reconstruecao.
e de tudo formar um circunstanciado relalorio,
que remetiera a esta secretaria de estado com a
maior brevidade, convindo addieonar a esse tra-
balbo urna tabella em que sejam aesignadasjire-
cisamenle as alturas das aguas nos pontos que
mais sofrieran) de sua invasio, principalmente
dentro da cidade do Recife-
Desenipeuhada esta primeira parle do sua
copnnisso, procurar estudar de um modo mais
detido e cireumnslancado as cansas das innun-
dacocs do Capibaribe e Beberibe, sua influencia
em relacao ao pouto, meios pratcos de remover
permanentemente suas causas, dando um rgimen
regular ao curso das aguas de um e outro ro,
tendo em vista os mmensos trabalhose estudos que
a este respeito so tem feto parcialmente e em
pocas diversas.
Quer os estudos para a canalsacao dos ros e
a remocao de suas suas aveias, quer outros Iraba-
lhos hydraulicos que foram ulgados precisos
para o fin que tem em vista o governo imperial,
devero ser acompanhados das plantas respecti-
vas, orcamentos geraes e delalhados.
E porque a questao do rgimen das aguas dos
dous ros interessem inmediatamente do me-
Ihoramento do porto e obra nenhuma deva ser
planeiada que nao tenha por fim o complemento
dos planos existentes, cumpre que Vine, estudan-
do os elfeitos das ultimas innundacoes em relacao
ao porto, determine precisamente os nivelamenlos
das suas aguas em relacao allura dos caes, das
ras adjaeentes e da alta.e baixa mar, proce-
dendo a este respeito com o maior escrpulo c
exactido; porquanto, vista desses nivelaiuentos.
minuciosamente feitos, se poder ,conheeer se
bem ou nao bara fundado o receio da possibilida-
de de serem innundadas algumas das ras da ci-
dade, elTecluar se a abertura do canal projectado
atravs do thmc, para dar oulra sabida as aguas
do Beberibe.
Esta importante questao dever ser por Vmc.
nfil:
i em relacao aos diversos pc-
nao cora precis
lior rapidez c evitar
am obstruidos.
le emitos que para tornar o
mercial de pnmi'ira ordem,
las as obras e melhoramento
loa nos projectos dos engenheiros Lame,
laukshaw e muros, entretanto
MPW* ha como o.capitao-tcncnte Gaba-
gla, que Ji planos existenles, o orcamen-
to das otras sem prejuizo ios melhoramenios ne-
(cssarios, Vmc, pois estudando o parecer deste
engenheiro, e aemnpanhando as discussdes havi-
das a respeito deste importante assumpto as to-
mar c.n consderacao, quaadoem seu llnal rela-
lorio livor de dar conla ao governo imperial dos
estudos e trabalhos que Ihe sao eommetidos.
SUICIDIO.Hontem, s 5 horas e mala da ma-
nha, suicidou-se, por mco de estrangulamento,
o preto Ado, escravo do Sr. Joaquim Pinto Lapa;
guorando-se o motivo que o levara a alicatar con-
tra sous dias.
GREMIO PERNAMDUCANO.llavera hoje ses-
so extraordinaria, ao meio dia, ra do Impera-
dor n. 73, casa de residencia do Sr. Dr. Ignacio
Joaquim de Souza Leo ; para a qual sao convida-
dos todos os membros do conselho director."
PRESIDENTE DE PROVINCIA.-Veio da corte,
A Sra. B. Julia e o Sr. J. Augusto sao dons ar-
tistas que sabem realmente reconheecr o sen
reclnenlo, assim, pois, dcbaldo que se laura
mao desses ignobeis manejos.
Sei donde parte tudo isso, sinto que eu tenha
confiado o original com as emendas aTgpem
to mo uso fez delle.
Esta declaraco somente para o pblico qne,
mero espectador, vive albeio essas intrigas que
por ah se fazeni.
Recife, 7 de abril de 1869.
Francisco Altlno Correa de Araujo.
Saca d vista ou praso sobre as cidade
prattipaes da Europa, tem agencias na Ba-
nja, Buenos-Ayres, Montevideo, New-York
Kew-Orleans, e imilte cartas de crebito,
para os mesmos lugares.
Largo do I'elourinho n. 7 '
bordo do vapor Paran, e segu nelle para o
Rioirandedo Norte, o.Exm. Sr. Dr. Pedro de
O Sr. bispo de" Pei'uainbueo e o
geoeral Abren c Una.
Lemos no Jornal do Commercio de hontem algu-
mas transcrpeoes de varios jornaes de Pernambu-
co sobre a profaibiajo de sepultura em lugar sa-
grada ao cadver do general Jos Ignacio de Abreu
e Lima no dia 8 do corrente.
Importante e extraordinario como o facto, e
tanto mais narrado capciosamente com o llm de
chamar o odioso sobre a autoridade ccclesastica,
servio de assumpto aos grandes pensadores de ma-
terias religjos'is nesta corto, c o venerando prela-
do, que nao fez mais do que seu dever mandando
executar a lei escripia, tem sido a victima de tan-
tos juizes quantas sao as cabeeas. Mas cssa gri-
tara infernal que cchoou desde Pernambuco at a
corto, e fea mais alm, nao mais do que o resul
., lado dessa desenfreada liberdade religiosa que nos
BaiTos Cavalfanti do Ai ,;aerque, presidente ul- tem accommettido nos ltimos anuos.
finiamente nmneado. O general Abreu o Lima foi um homem probo e
DINHEIRO.O vapor Paran trouxe as seguin- honesto, de saos costumes c de urna illtistraco
oa quantias para os Srs. : pouco vulgar ; mas em seus ltimos dias, queren-
Domngos Al ves Matheus........... 6:8o03000 do tornar-se segundo Voltaire, servio de pomo de
j':000-3000' discordia entre o bom povo que profeasa o catholi-
2:300i0001 cismo em nosso paiz. fazendo-se gratuitamente
loO-jOOO) apostlo da seita protestante ; e ei-lo queso ntro-
l:306Sl:)0 ",eItc no sc' das familias espalhando maliciosa-
80050001 mente a biblia truncada, viciada e condemnada
GOOOOO | P?la greja ; o, abusando dos dons com que a Di-
300000! vina Providencia o enriquecer, snphisma c per-
400^000 suade aos incautos de que a sua biblia a verda-
400-5000 (ieira- lfm sacerdote respeitavcl, um dos orna-
400^000 i mentas de nossa tribuna sagrada, procura desva-
iOOjOOO ^ crro em qtw por sua desgraca cahira ; e
- Para as provincias do norte trouxe elle : elle' Prlinaz, nao somente desprza as suas adver-
Para a Parahyba................. 2005000! 'encas, mas anda, semelhante hydra enfurecida,
o Cear.................... 19:833000 i arremette sobre o Ilustrado padre que o avisa, n-
o Maranho................. 9:6973000; snlta-o, derrama sua bilis sobre o clero, sobre o
o Para......... ........... 68 8103000 'c,iefe supremo do catholicismo, sobre a disciplina
Y DO no\im TArm!n"r a. ih,ihn ecclcsiastica, c at sobre os dogmas mais sagrados
de nossa santa rehgiao, nica onde existe sal-
vaco!
O dia final se Ihe approxima, o bom prelado, na
qualidade de pai, emprega todos os meios para cha-
Augusto F. de Oliveira & C.........
Juan Busson......................
Joao dos Santos Vieira..............
Antonio C. Moreira Temporal........
Fortunato Ribeiro Bastos...........
L. A. Siqueira.....................
Jos da C. de Oliveira Figucrcdo___
Jos Simplicio de S Esteves........
Manoel da Silva Mendouca Viauna...
Carvalho & Nogueira...............
Luiz Jos da Silva Guimaraes.......
JURY DO BONITO. Terminaran) os trabalhos
do jury desla comarca, uo dia 23 do mez passado,
depois de treze dias uteis de sesso, que foram pre-
sididos pelo joiz de direito interino o Sr. Dr. Jos
SffiffS accuS T'prSo^y tsta j *i*tS ^^^^ .* '
nlior ; mas o velho general, orgtilhoso de si, e com
THE0D0RO81M0N4C.
Vompram
Libras esterlinas
Moedasde ouro...) Nacionaes e estran-
prata..) geiros
Cdulas do governo)
de 141 a 104....)
Cdulas do banco do)
Brasil c das caixas)
iliaes.........)
Largo do Corpa Santo
n. 21.
GASA DE CAMBIO
Tlieodoro Simn & C.
Vendem
Soberanos 130550
Ouro nacional ) 52 1/2 o/0 de pre-
portugez )
Sedulas do governo de
mo
1 a 5:>000
Largo do Corpo Santo n. 21
isqajaes se deram apenas duas apppllacoes.
pcnitei
era catholico
^ttux^vui \ jsskssj assis
a nao desmerecer do conceito que autorisara seus ( ,,. ,, D ,, ,. _
Pedentes honrosos, papundo a esUmaec^
importante que Ihe fura entregue? Transgredirs
leis impostas pela igreja e por elle to solemne-
mente juradas? Oude estara neste caso o exem-
deracaode todos que sabem apreciar o magistrado
delicado o cheio de integrid.ide.
MTSSA FNEBRE.Amanha, s 8 horas da
manha, ser celebrada urna missa pela alma do
primeiro escripturaiio da thesourara de fazenda
desta provincia, Herculano Duarto de Miranda
Henrique, na matriz da Boa-Vista.
PARAN.Esto vapor tira a mala, para os por-
oto para os futuros delinquemos, onde a disciplina
ecclcsiastica, onde o cumprimento da lei ?
O magistrado no foro civil, quando julga as
causas que esto sob sua aleada, applica a le onde
a lei necessar.i; e facto nenhura se passa, de-
tos do norte do imperio, hoje s 3 horas da tarde.:,ict0 nenhum se commelte, sem que o cdigo Ihe
LEILO.-O agente Coidero Smoes faz hoje Wnh? Ul"al)en.a ; e o uz, revestido da autori-
Icilo de predios, as 11 horas da manha, na-pra- ^', ao |5,)de Umar de conde.nnar o delin-
ca do Corpo Santo, era frente ao sobrado onde es-
tove a Associaco Commercial.
LOTERA.A que se acha a venda a 101% a
beneficio da greja de Nossa Seuhora do Livrainen-
to de Pao d'Alho, que corre sabbado 10.
PASSAGEIROS.Do vapor brasleiro Paran,
entrado dos portos do sul :
Paulino Dias Fernandes, sua senhora, 1 fibja c 1
criada, Pedro de Almeida Garett, Dr. Adriano Luiz
Pereira da Silva e 1 criado, tenente Pedro Janua-
rio de Paiva Dias, Francisco Ignacio Tinoco, sua
senhora, 1 cunhada, i sobrinba e 1 escravo, Al-
fredo de Abreu, frei Jos Mara dollolonha, Joo
Das da Cunha, Jos Antonio da Cruz, Joo Anto-
nio Gosendle, Jos da Cunha Corinho, Jos Mar-
ques dos Santos CarregaL Justino da Silva Torres,
quente.
Ora o hispo o sumnio magistrado ecclesastco
em sna docese, tem os sagrados caones em vir-
tude dos quass governa, applicando as penas as-
sim como prodigalisa beneficios ; o que devia, pois
nesta circumstancia obrar o bispo de Pernam-
buco ?
O velho general apostalou e pecou grave e pu-
blicamente, recusou-se a reconciliar-sc com a
igreja, o prelado empregou os meios e nao conse-
guio a sua conversao, e fi almente em vez de ser
o guarda do seu rebanhu devia consentir que um
herege participasse das gracas que sao concedidas
quelles que contrictos e humilhados morrem no
gremio do catholicismo! S nesta poca de tantas
luzes, neste lempo em que impera o racionalismo,
neste paiz onde o proteutantisino tem feito tantos
progressos, que se v doutrinas semelhantes.
O nosso paiz, tornando-se nacao ndependente,
ALAGOAS.
A cmara municipal da capital expedio diplo-
mas -le deputados geraes, aps a competente apu-
racY dos votos, aos Srs. Drs. Manoel Joaquim de
Mendonca Castello Branco, Jacinlho Paes de Men-
danc i, e Matheus Casado Lima Aruaud.
Foi nomeado commandante do corpo de poli-
ca, o major da guarda nacional Manoel Martins de
Miranda.
Do relatoro, apresentado pela presidencia
assembla provincial, extrahimos o segninte:
I teceita provincial do exercicio de 1867 a 1868
foi do 487:320^438, inclusive as espociaes na im-
pornciade 17:373^552;
IB a despeza montn a 488:095*151, inclusive
as especiaos no valor de 11:816*434;
Havendo, portante, um dficit de 774*713, que
foi supprido pelos saldos dos airaos anteriores.
a O rendiraentoda provincia obtido pela thesou-
rara e mais estaefies arrecadadoras no exercicio
de 1867 a 1868, softreu urna dnminuicao de.....
i6:8H7*656, em relacao ao exercicio anterior.
A receita arrecadada no 1 semestre do
comnte exercicio foi dedi3:818, inclusive as
espe wes na importancia de 1:504*889.
;& *J* mmao Pe"0^ ria
184:. *o*lz7, is laiM as espociaesreis......
I'MIIJOU.
r conseguala dficit de
60:87R*3W, supprido pola cNe eaercicio de
com toda a clareza ventilada, a fim de que o go-
vorno imperial fique perfeitament habilitado a
julgar da conveniencia ou desvanlagem da medi-
da, que alguus profissionaes incluem no com-
plexo dos planos do melhoramento do porto como
uecessaros, entretanto que outros recelan) que
seja causa nao s de innundaces como da des-
truicao de alguns caes e pon tes, e arrastamento
constante de reas para o porto, pela grande velo-
cidade das correnies do canal, se por elle nesse
ponto tivessem sahida as aguas do Beberibe. Ou-
tros, entretanto, sem condemnar a medida por
e-ses efieitos desastrados, a julgatn prematura,
dispendiosa e de resultados pouco favoraveis ao
melhQfaineato do porto.
idea de um quebra-mar em contrauaeo do
Recife, sendo gerakuente acceila por todos os pro-
fissionaes, em urna parte encontra serias objec-
Ces: renro-me ao entupimento da lavra pequea
que p le ser prejudicial aos interesse do com-
mercio de cabotagem, entretanto que em relacao
aos melhoramentos do porto nao se pode conside-
rar medida indispensavel.
Procurar Vmc. verificar se ou nao possi-,
vel alguma modificaco no traca&o feito pelo enge-
nheiro Hauwksav, para o alinban^nto sul do caes
do arsenal de marinha, de me do a evitar-se as
(randes desappropriacoes a qt.e dar lugar se
or adoptado e a serem ellas nevitaveis, procura-
r colher todas as informaooes sobre o valor dos
predios e terrenos que para esse fim tiverem de
ser desnppropriados.
Sendo como sao anda incompletos os planos
mento do porto de Pernambuco, e nao tendo o go-
verno imperial acceitado definitivamente nenhum
dos projectos existentes,porqnanto no mais antor-
sado delles,o do engenheiro Haukshaw, apparecem
faltas confessadas pelo seu autor, que s podero
ser preenchidas, mediante novos esludos feitos na
localidade, ter Vmc. muito em consderacao essas
lacnnas, a fim de as estudar e preencher.
t Referem-se ellas principalmente escolha do
melhor local para o estabelecimento de d'-as, e
aos estudos sobre o desvio e alteracao do rgimen
das aguas dos rios e orcamento ci mnitas obras
projectadas, que s na propria localidade podei o
ser reitas mediante observaco.
Sendo de ordem muito complexa as questSes
que se referem ao melhoramento deste Wto e
nao cony.ndo que fique em esgueciraento cirenms-
tencia alguma, que possa influir na decisio dos
planos a adoptar, compre lembrar-lhe a aecumu-
lacao das reas I an|douros e formacao rpi-
da de bancos e cortas,1fee uns attribuera a ban-
cos e aras tetadas peU ailavips dos ros, e
outros nao a esu cansa p;rmanente, como
tarabem as invasoss das aras io mar, e sendo
oomo se tem observado rpido o desenvolvimento
da obstrueeao dos ancoradouros do porto, procu-
rara reconnecer Vine, por indo de sondagens
Jos da Costa Jnior, Manoel Firmino Ferreira Fi-
lho, Theroneo Pires Galvao, Joo de Albuquerque ufn01
Mello, Adelino Claudino Duarte, Carino Jos de ^-n[e^0.11.?'" sua car.u fundamental, que a re
Castro, Manoel Alvcs de Souza Leite, Manoel Can
dltto dos Santos Lima Rocha, Ernesto Lopes Rodri-
gues, Jos Manoel de Araujo, Miguel Vita, Domin-
gos Moiaes, Miguel Peixe, Francisco Goncaives
Torres, Antonio Mace, Jos Caetano de Moura
Leite. Joaquim Jos Vieira da Fonceca, sua senhora
e 1 filha, Cherubin Bandera, Joo Alves de Carva-
lho, Antonio Francelno Goncaives Feries, Manoel
Arraendo Cm-dciro Guaran', Joanna Carolina de
Jess e 1 criada, Joo Vasco Cabial, Ignacio Mo-
reira da Silva, Joaquina Mara da Conceicao, Rosa
Maria dosPrazeres, JoaquimlG de Farias e 1 ir-
m, Dr. Adolpho Lainenha Lins, Pedro Correa
Vieira, Thomaz de Aqumo Loureiro, Manoel Tei-
xeira Machado Jnior, Ignacio de Barros, i poli-
cial, 2 ex-pracas de marinha, i 1 pracaa do exer
cito, invlidos, 1 escravo a entregar.
Seguem no mesmo vapor para o norte :
Antonio de Oliveira Pereira Santo-:, entiado, e
1 escrava, Joaquim Carneiro de Audrade Filho,
Dr. Jos Bernardes Belfort e duas prenlas, Isidora
Maria da Conceicao, tenente Francisco Ignacio Ma-
noel de Lima, Tenente A.bino Jos de Fara, sua
senhora c 1 filha, Epamnondas de Souza Gouveia,
Dr. Pedro de Barros Cavalcanti, sua senhora o 2
filhas, alferes Manoel Francisco de. Almeida Pas-
sos, Juan Bahnos, Constanca Carolina B. Ribeiro e
2 filhas. Candido Jos Goncaives Braga c sua se-
nhora, Joo Jos Manoel Vianna, Domingos Ma-
nuel Alfonso Pires Prado, Manoel Cabral Fernan-
des, Frederico Peres, 24 invlidos.
Vindos de Goanna no vapor brasleiro Ma-
manguape : r -----------
Francelino Ferreira Crespo, Antonio Pinheiro de 1ue,san'ra vencedor, e para o venerando bis-
iado, Manoel Francisco de Aguiar 1plD13,ia<,o;,{0'Pdentee v""Joso, como nao
giao catholica apostlica romana continuava a ser
a religio do estado, um decreto especial mandou
por em execuc-o as disposices do Sagrado Con-
cilio do Tren to, o nosso cdigo penal estabeleceu
penas para punir quelles que por actos, palavras
ou escriptos olTenderem a religio do estado, o bis-
po na qualidade de chefe ecclesastco em sua dio-
cese, ou como supremo juiz applica a pena im-
posta pele Sagrado Concilio do Trente, e anda em
cima aecusado I
0"que queris entb qne se faca ? si tendes o
direito de recusar-vos ao cumprimento de vossos
deveres religiosos, se estis aulorisados a desobe-
decer igreja, abandonar as suas leis e fugir das
penas que ella impe, podis tambem recusar a-
penas que vos forera impostas pela autoridade ci-
vil, porque esta cumpre nina lei to escripia e to
legitima como a ecclcsiastica.
Se houvesse impunidade na sociedade civil, cer-
lamente os homens se tornaran) fras ; igualmen-
te se, a par da misericordia, nao houvcr castigo
na sociedade catholica, os homens tornar-se-ho
verdadeiros monstros.
Tantas familias religiosas, cujos costumes anda
nao tinham sido pervertidos pelo lamaral do pro-
testantismo, vram-se perturbadas pelos sophismas
do velho que ja estava decrepito, e nao obstante
conheceroseu erro esse velho conserva-se perti-
naz I E euto o bispo devia tornar-se indolente...
Para desewar mais o facto, os aggressores do
Sr. bispo d Pernambuco altrbuem a sua ordem
a insuflar,! do padre com quem a hydra peleja-
2' mais urna injuria para o Ilustrado sacer-
BANCO MAUA i C.
Una do Trapiche u. 34.
Descorita lettrasconmerciaesa laxa con-
vencional. Recebe dinheiro, a premio con-
vancional, por lettras e em conta corrente.
Confere crditos, saca sobre as primeiras
pracas do imperio, Rio da Prata e Euro-
pa, e compra cambiaos sobre as mesmas
pragas.
Encarrega-se, por commissSo, da com-
pra e venda de fundos pblicos e aeces de
oompanliias, da oobranca de lettras e di-
videndos ou de seu pagamento, e de qual
quer outr operacao bancaria.
O expediente para o publico comecar
s 10 horas-da manha, e terminara s 4
horas da tarde de todos os dias uteis.
ALFANDEGA.
Rcndmcntn do dia 1 a 7. .
dem do dia 8.....
267:183*463
29:012*2'!.'!
296:S2.'i*702
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
Volumes entrados com fazendas
dem dem com gneros
Volumes saludos com fazendas
dem. dem com gneros
318
422
-----740
191
428
----- 589
Mendcnca e 1 cri
Duarte e sua senhora.
PUBLICACOES A PEDIDO.
Ao pnbllco.
Nao se tendo anda podido reallsar a ereceao
de um monumento fnebre sobre os restos mor-
taes do raen fallecido sogro e amigo, o Dr. Antonio
Vicente do Naseimento Feitosa, por parte de mui-
tos de seus amigos; nao se tendo tambera levado
effeto a impresso de sua biographa, cujo pro-
ducto liquido era consagrado por seu Ilustre au-
tor a esse fim; mas, sendo instantemente recla-
mada a leitnra d'esse primoroso escripto. nao s
por muitas pessoas d'aqui, como de differentes
pomos do imperio, obteye do Sr. Dr. Francisco Ma-
noel Raposo d'Almeidf fazer-so desde j urna edi-
p5o para aatisfazer a curosidade publica, e se de
futura #alisar-^e o empenho do mausoleo, se far
ama outra ediga i acompanhada de diversos e pre
ciosos documentos lusloricos relativos o*a)ssumpto
da mema biographa.
Peco, portante aos meus amigos, aos do meu
finado sogro, e aopuWicoem geral, dgnem-so au-
xiliar esta edieSo com suas assgnaturas, afim de
tornar-se menos penosa essa publicaco; e pode-
ram para esse fin mandar subserever-se em meu
escriptorio de advocaeia, na ra estrela do Rosa-
rio n. U primeiro andar, e as livrarias econmica
e francesa; pelo que desde j me confesso agra-
decido.
O prec do cada cxemplar 5*000.
Recife, 8 de abril de 1869.
Jos Austregesllo Rodrigues Lima.
precisa que Ihe ditera as. accoes que deve prati-
car no rgimen do seu governo.
O Sagrado Concilio de Treuto, e como conse-
quencia delle, as constituicoes do arcebispado, que
nos regem, prohbem expressamente de se dar se-
pultura ecclcsiastica aos suicidas, hereges, e neste
caso eslava aquelle a quem o Sr. bispo negou se-
pultura no cemilero publico de Pernambuco.
O que deveriam dizer quelles, que vivendo no
seo da religio catholica, vissem dar-se sepultura
a um herege no mesmo lugar onde doscansam i><
restos mortaes de Untas pessoas piedosas e que
niorreram na paz do Senhor ? O que se dira do
bispo que se deixasse conservar no retiro quando
a lei impunha-lhe o dever de punir ao deliquen-
te ? Ja estamos por ventura no lempo em que nao
ha diTerenea entre catholico e piotestante ? Sao
porvflutnra os protestantes dignos de comparti-
lliar das mesmas gracas que Jess Christo conce-
deu a seus verdadeiiys filhos ?
Era qne consiste a punico daquelles que tem a
ousadia de ifegaros dogmas de fe to sabiamente
reconbecidos e proclamados pela greja catholica,
nica em que existe sal vacuo ?
M. C. B.
Corte, 22 de marco de 1869.
(Do Apostlo do Rio de Janeiro.)
13:876*353
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendmento do dia 1 a 7.
dem do dia 8 .
19:635*110
2:792*332
22:427*442
COMMERCip.
AO PUBLICO
as publicacoes pedido do Diario de Pernam-
buco, de hoje, depare com urna poesa por mira
recitada no theatro de Santa Isabel, e offerecida
Sra. D. Julia Azevedo, pedido de algn amigos,
a que no entretanto vem oflerecida ao Sr. Joaquim
Augusto sob o titulo Sunm cuiqne tribuere.
E' verdade que eu a lnha feito com o incito
de recita-la ao Sr. Joaquim A amisto em a noite de
sen beneficio, mas nao me sendo possivel naquella
noite ir ao theatro, deixei assim de realisar o meu
dse jo.
Aconteceu. porm, que indo ao espectculo de
4 do eorrente, ah com pequeas alteracdes reci-
tei-a Sra. D. Julia Azevedo.
O queha do censura vel nesse mea proceder, se
ambos essos artistas sao osluzeiros do nosso thea-
tro dramtico T
O que realmente me fez pasmar que alguem
queira asara) angariar sympalMas de artistas por
nwo de mesquinhas rivalidades.
PRACA.DO RECIFE 8 DE ABRIL
DE 1869.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDI.
Assucar mascavado purgado 3*600 por arroba
(hontem).
Algodo de Mace f sorte 17*200 por arroba
posto a bordo, a frete de 5/8 e 5 0/0 (hontem).
Algodo da Parahyba f sorte18*000 por arro-
ba posto bordo a frete de 1/2 5/8 e 5 0/0
Dito d> dita l' sorte 16*800 por arroba posto a
bordo; a frete de 5/8 e 5 0/t)
Cambio sobre Londres 90 d/v 19 d. e 19 1/16
d. por 1*000
F. J. Slveira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
ENGLISH BANK
O Rio de Janeiro Limited
Descanta lettras da praca taxa a con-
vencionar.
Recebe dinheiro em conta corrente e a
prazo fio.
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no da 8.
Portos do sul8 das, vapor bra^leiro Paran,
de 850 toneladas, commandante capitao de fra-
gata Santa Barbara, equipasen) i.i, carga dife-
rentes gneros ; a Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo & C.
Goyanna6 horas, vapor brasleiro Mamanguapc,
de 333 toneladas, com nandanto Oliveira, equi-
pagera 16, em lastro ; companha Pernamhu-
cana.
Navios sahidos no mesmo da.
Rio Grande do SulPatacho nirte-allemao La
Plata, capitao Malkenbuhr, carga carvo do
podra.
HavreBarca franceza Fgaro, capitao Michel,
carga assucar, algodo e couros.
Liverpool Brigue inglez Alfim, capitid Stay,
cartra algodo e assucar.
MaceiVapor brasleiro Parahyba. commandan-
te Mello, carga varios gneros.
--------* ____________
ECITAES.
0 Dr. Tristao de Alencar Araripe, official
da imperial ordem da Rosa, juiz de di-
reito especial do commercio desta cidade
do Recife de PernarabucoV e seu termo,
por Sua Magestade imperial e Sr. D.
Pedro II, quem Deus guante etc.
Faco saber pelo preseDte, que aos i do
mez de maio do corrente anno, se ha de
arrematar por venda a quem mais der em
peaca publica deste juizo, depois da audi-
encia respectiva, casa de sobrado de dous
andares e sotao, numero 41 sito a ra do
Rangel, tendo em cada um andar, duas sa-
las, quartos e cozinha tora, quintal, avaha-
do em 10:000^000, a qnal vai a praca por
execucSo de Jos Alves da Silva Guimaraes,
contra Guberme Augusto Rodrigues Seto,

> *
'
Descarregam boje 9 de abril.
Vapor inglez Sapphyremcrcadorias.
Barca ingleza=/no/(,/ie mercaderas.
Barca frncezaSolidedera.
Barca inglezaLevuntferro e carvo.
Barca inglezaBloomerdem.
Barca portugiiezaNova Sympathiadiversos g-
neros.
Barca portuguezaPereira Borgesdem.
Barca francezaZf-=vinhos.
Brigue inglezC'>/ana=louca c ferro.
Brigue inglezR F. Be//=canos de ferro,
alera francezaFierreassucar.
Barca inglezaimperadormercaderas.
Patacho americano//oradodem.
Barca ingleza Borlochaudem.
Escuna norte-Allemammanueldem.
liiiporta?o.
= Vapor brasileiro paiian, rindo dos portos do
sul do imperio, manifeslou :
336 rolos fumo ; a C. A. Sodr da Motta.
82 ditos dito ; a A. L. de Oliveira Azevedo & C.
20 ditos dito ; a A. *a Silva Pontos Gomes.
55 ditos dito, 1 caixo charutos ; a J. Bernardo
dos Res.
1 dito chapeos ; a Christani Irmo.
1 dito rap ; a J. J. de Lima Bairo.
50 ditos ignora-se ; a Manoel Fernandes da
Costa.
10 ditos dito ; a Taso Irmo.
2 ditos livros ; a Lalhacar.i C.
2 ditos ditos ; a Nogueira & Medeiros.
5 canudos queijos; a Manoel Jos F. da Cruz.
Encommendas.2 volumes a L. A. Siqueira, 3 a
J. J. Goncaives Beltro, 1 a J. Gerardo de Bastos,
I a D. Mariana Goncaives Pereira, 2 a Joo Wal-
fredo de Medeiros, 4 a Jos Luiz Goncaives Fer-
reira & C, 1 a David Ferreira Bailar, 1 a Domin-
gos Affunso Ferreira, 1 a Jos Carlos Nabuco, 1 a
Jos Xavier Vieira, I a Jos Barbosa de Mello, 1 ao
presidente da provincia, 1 a J. J. Ramos, 1 a Juan
Busson, 2 a Meuron & C, i a Monbard Meltler 4
C, 4 a Domingos Alves Matheus, I a Francisco G.
T inca, 1 a Alberto Ilenschel & C, 1 a ordem, e 3 a
Joo da Cunha Soares Guimaraes.
RECEBEDOUIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendmento do dia 1 a 7. 11:686*943
dem do dia 8...... 2:189*410

-
1
'II



>*
Diario de Pemanwbaco Sexta eira 9 de Abril de 1869.
ia mullier, e na falta do Iaucador
i fia nvaliariu), so
tac^o taita polo preco de adjin
o abatimento da fei.
E para qive ehegue ao conh
todos, mawlei fazer o presente edHal que
ser aflixado nos lugares do costume epu
blicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife
de Pernambuco, aos 8 de abril de 1869.
Eu, Manoel Silv'mo de Barros Falcao, escri-
vo interino o subscrevi.
Tristo de Menear Araripe.
DECLRACOES.
Sabbado JO -da correte mez, depois da au-
diencia do Illm. Sr. Dr. juiz municipal da 2' vara
eive!, lora de ir a praca por venda, os bens segura-
es : mu soph, tima meza redonda, dous conso-
ios, doze oa deiras de guarnidlo, urna commoda,
urna meia dita; ludo de mdeira de araarello,
avallados por 923, por execueo que movo Jos
Ignacio A villa, contra Elias Pereira Gomes da
Cunha. .
Peraate o Sr. uiz de paz do 1- districto da
freguezia da Boa-Vista tem de seren arrematados
os bens seguimos: nina duzia de cadeiras de pao
d oleo, un sof de Jacaranda, urna Commoda da
mesina inaleira e duas bancas do pao d'oloo, teodo
lugar a praca no dia 10 do correlo, as 4 horas da
tarde.__________________________________
O administrador da recebedoria de rendas
internas geraes faz publico que neste correte mez
e no de maio prximo futuro, visto cstarem con-
cluidos os laneanieios, e que os devedores do
imposto pcssoa'l, relativo ao cxereioio corrente do
4868 a 18o9, residentes as freguezias do Recife,
Santo Antonio, Affogados, Poro da Panella, Varsca,
S. Lnurenro da Malta, S. Amaro do Jaboato, e
Muiibeca, toem de paga-lo,livre da multa de C 0/0
c c.oiu ella dopo's do referido prazo.
Recebedoria de Pernambuco :ide Abril de 1839.
MniKirl twrnetnit So-'za I/ieei "Tela secrelaria da Santa Casa da Misericordia
do Recife se faz publico, ^ue nos autos de execu-
r.o que a mesan Santa Casa eneaminha pelo juizo
municipal da 1* vara eeerivio Kantista, eontra
Felippo Mena Callado da Fonseca c sens fillios c
netos para haver o sitio denominado cruz das al-
mas matinlia na freguezia da Boa-vista loram pro-
feridos os seguimos acordaos.
Acordo era relaco etc. Que vistos e expos-
tos e-tos autos confirinam a senUnoa appcllada;
o im declararn, porm, que o valor dar ao aln-
guel c mais rendas d sitio para que se proceda a
liquidaran determinada na senteura deve ser re-
rulada polo estado actual, que tem taes cousas,
aguem as cusas os appellantes. Recife 12 de
julho de 1859.
t Aeordo ein relaco etc. Que vistos c rela-
tados os autos, despresam os embargos qner <>s de
( Ib-is 285, per os de folbas 289, rom d:elaraoao
porm, que a renda do sitio ser Celta e calculada
segundo o valor actual sem altencao as bemfoo-
lias dasquaes sera somonte liquidadas as que fo-
rera utois e necessarias. Por lauto, e o mais dos
autos, faca o acord > lvre-transito,pela chncela-
ria. Paguen) as cusas os appellantes o jappella-
dos na divida proporcao. Recife 10 de marco de
1863. .
'.anca Belarmina de Souza Line,. fci>s
SanVJS Callado. Francisco An-
Chagns, Fr.nc|co Lauro &n
,' Al ves Gulmara'os, Frand
o d'Assis, Francisco de Paula Cor-
rea de Araujo, Francisco dos Santos Lomba,
Hanrtibal Frederico Fernandes da Cunha
Rocha, Ignacio Joaquina de Souza Leo,
D. Joaquina Maria do Sacramento, Joaquina
Eduardo Primo, Dr. Joaquim Newton- de
Caraiba, Dr. Jo3o Jos Ferreira d'Aguiar,
Joo (la Silva Faria, Jo5o Silverio de Sou-
za, Dr. Jos Ayres do bastimento, Dr.
Jos d'Araujo Pereira Cavalcante, Jos
Carlos M. Pires Nabuco, Dr. Jos Araujo
Rosa Danim, Jos Francisco Bitencourt,
padte Jos Francisco da Silva Burgos, Ma-
noel Jos dAlmeida Soares, Manoel Maria
Rodrigues do Nascimento, Manoel Rodrn
gues dos Santos Moura, Dr. Nstor Car-
neiro B. Cavalcanti, Narcizo Francisco Vi-
dal, Dr. Silvio Tarquimio' Villas-boas, D.
Virginia Fernandina Martins C.
tan-
ra.
alguns de seus amigos para que campar
se tornar ura b
2000 o senhoras peto
cumprido (ielnieiite o reguUmeWe
mesmo estabeleciraento se al gam r
cas, respostoiros, espeftos ijrandes e I
para qualquer festividad*; assim como se encarre-
ga para ir preparar quaknier banquete na capital
ou mesmo* no matto. Ainda se reeebo aswgnaiu-
ras para o divertimento, que dev ter lugar aos
domingos do tarde, as quites pagam ndiantauo
14000 raensaes. ntes da abortara, sanira nes
folha o programma do mesmo divertimento do
caf, concert commcrcial.
O administrador,
Luiz. Mees Caruciro Lopes.
LEIL0ES.
AVISOS MARTIMOS.
LEILAO
CASA di:. CAMBIO
Teodoro Simn & C.
Gompram e vendem por conta propria
metaes, moedas nacionaes e estrangeiras,
letras de cambio, sedulas do governo e do
qanco do Brasil.
Descontam letras da trra e outros ttu-
los commerciaes.
Encarregam-se por conta alheia das mes-
mas transaccoes, da cobranza de letras da
trra e de outros ttulos commerciaes.
Recebem quaesquer quantias em deposi-
to, em conta corrente, e a prazo flxo.
Largo do Corpo Santo n. 21.
COMPANHIA
DO
BEBERIBE
Para que chegue ao conbecimento de
todos os concessionarios de penas d'agua
que esto atrazados em seus pagamentos, a
administracao da mesma companhia manda
fazer publico os trechos das actas de 18 de
junho de 1807 e de 17 de novembro dt
1868, relativos aos mesmos concessiona-
rios.
o Deliberou-se que se avizasse aos de-
vedores de penas d'agua. para que facam
effectivos seus pagamentos dentro de 3C
dias, sobre pena de se Ihes cortar a pena
d'agua e seren accionados.
Que se faca efJfectiva a deliberado to-
mada na sesso de 18 de junho drranno"
prximo Ando quanto aos devedores por
concess5o de penas d'agua.
Escriptorio da Companhia do Bberibe 7
de abril de 1869.
O secretario,
Dr. Prxedes Gomes de S. Pitonga.
CORREIO GERAL
Pela administrado do correio desta cidade so
faz publico (jue hoje (9) pelas 3 horas da tarde
fechar-se-hao as malas para os portos do norte,
que o vapor brasileiro tem de conduzir.
Os jornaes seria recebidos at meio dia e a*
cartas a registrar at as 2 horas.
As cartas ordinarias postas no correio, at meia
hora depnls de findo o praso cima declarado, re-
eeber se-hao cora o porte duplo.
Administracao do correio do Pernambuco 9 d;
abril de 1869.
O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
CORREIO CERAL.
Relaco das cartas registradas vindas d)
sul, e das existentes na administrarlo do
correio d'esta cidade, para os senhores
abaixo declarados:
Dr. Alexandre Bairoso de Souza, Alfon-
so Jos d'Oiiveira, Alvaro Ucha Vieira,
m
THEATRO
DE
IBEL.
EMPRpA DRAMTICA
DK
8a r cita da assignalura.
Sabbado 10 de abril de 1869.
ESPKCTACII.0 F.M GRANDE GALA PARA SOI.KM-
MSAH A AHKMTU.V DA ASSEMHI.l.V LEGISLATIVA
PROVINCIAL.
A' ehegsda de S. Exc. o Sr. presidente a pro-
vincia, executar-so-ha
0 IIMO NACIONAL
SeguinJo-se a primeira representacao do drama
em ."> actos, de Anicot ourgesis, liduzido pelo
Sr. J. V. da Silva Azevcdo
1 tmu
Pcrsonagons.
O presidente Delannoy. .
francisco Beandonin." .
Marcelino, rcudeiro. .
SimSo.......
Samuel, joalbeiro. .
Jorge......J
I.apierre......
Cea oflicial do cavallaria. .
Amlr.......
Estevao, menino de 0 anuos.
Maria........
A Sra. Gorin......
Victorina......
Mieclielletlc......
Hocos, mocas, soldados etc.
Dcnominario dos actos.
1A honra e o dever.
J*Una crime espantoso.
3oO encontr.
40 sacrificio da victima.
5"A conlissao.
A accao passa-se o Io acto em Paris em casa
de FraoUco, o 2o na herdade de Marcelino, o 3"
e 4 em Huinont em casa do Sr. Gorin, o 3o em
Troy era urna prisao.
Comecar as 8 horas.
THEATRO
Gymnasio Campestre
ASSOCIACAO ARTSTICA
Primeira representacao do magnifico drama em
3 aclos, ornado de msica, intitulado:
01
senhores.
J. Augusto.
Jos Victorino.
C. Rocha.
Martinho.
Hroehado.
Guimaraes.
Santa liosa.
Jordn i.
Flurindo.
Zulmira.
Julia Azevcdo.
Maria Velluti.
Clelia.
Ca'rolina.
COxHPMHIA
D.VS
Messagerics imperiales.
Ale o dia 14 do corrente mez e.-pera-so da Eu-
ropa o vapor franeez Navarre, o qual depois da
demora do costeme seguir para liahia e Hio de
Janeiro.
Previne-so aos Srs. passageiros para os portos
do sul que por delibcracjio Jo conselho do admi-^
nistracao os antigos precos das passagens forara
postos novracnte em vigor, sendo :
Cmara (ida e volta 6 mezes de prazo) Proa
Para Babia rk 503000 7.')3000 1S3000
i Rio de Janeiro. 100000 1303000 283000
Montevideo, pa-
tacoes. 113.150 I732S 34
Buenos-Ayres.. 12C 189 30
Os passageiros de Pernambuco para os portos
da Europa que quizerem >egnrar as mesmas pas-
sagens a bordo dos paquetes desla companhia nos
mezes de maior allueneia tem a faculdade de 69
tomar no dia em que os vapores segnirem para o
sul pagando porm como se fosse do Bio do Ja-
neiro.
Para condicoos. fretes e passagens trata-se na
agencia ra do Commereio n. 9. ______
de j\otes o pertcnce* le navios,
A 9 do corrente.
O ajera Otiveira fan'i leila > por ordem do Sr.
consta de S. M. Britannica e emi>resenca do res-
pectivo Sr. fiee-consul e'por Mita e risco de
quera peirteneer, precedida a cotpeteiite autori-
sa^ao da alandega e com assistoncia de "ura em-
pregad ftseal desta repart can b H botes, e 1 lan
cha, pipas para agua, balea para carne, tanques
para aacito, balaustres de 'latao pava prtalo, ca-
deira cbancos, galheteiro, podaros de madeira o
cabos, encerado, costo, mastro de boto, escova
grossa, rolos de lonas, macos do-fios, colxao e tra-
vesseiiT) para ^f., Imaa *0ll ventilador, 1 botica
el leme, temi tudn pertencido a galera ingieza
Fon,qutt encalhara sobre as pedias do arrecife
prximo a este porto.
as 11' horas da manhSa no lugar do desembarque
(antigaLingoeta) defronte do anrauein da viuva
Hayinoad.
1GIJALMENTE
se far loilao na mesma oceasiio do 3 botes com
remos e mais pertcnces que foram do navio in-
glez '(i Ptilmcrston,, perdidn- em alto mar a 18
de morco ultimo.
COMPANHIA PERNAMBUCANA.
DE
Mavega^o costclra por rapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara.
caty, Cear, Mondah.Acarafty
e Granja.
O vapor l'iivpnma, coraraandantt
Torres, seguir para os portos cima
no dia lo do corrente as 3 horas
da tarde. Bocebc carga at o dia li, encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at as
i horas da larde do dia da sahida no escriptorio
do Porto do Mattosn. 12.
Loanda
O brigue portuguoz lemviiuta, capitao Silva, a
chegar de Lisboa, sahir para Loanda poucos dias
depois de recolhido a esle porto : pode receber
alguraa carga, e trala-secoui o scu consignatario
Joaquim Gerardo de Bastos, rna do Vigario n.
1G, 1" andar ________________
I)
Ou
OS MENINOS DALDEIA
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Xavega^o costeira por vapor
Porto de Gallinhas, Rio JFormoso e
Tamandar.
O vapor Mmtumgvape, com-
mandante Oliveira, seguir para
os portos cima no dia 10 do cor-
rente a meia noite. Recebe car-
ga, encommendas. passageiros e
dinheiro a frote no escriptorio do Forte do Mal-
los n. 12.
Ou sobrado do um andar e solo, com 4 quartos
no sotao e .! no primeiro andar e um na oseada
9A esclavos, tem duas lojas. na ra Velha n. 92,
a oito para o pateo da Santa Cruz, com quin-
tal p cacimba.
Urna casa terrea na ra Velha n. 90, com dous
qwartos grandes.
Um terreno coberto com 3 norias do frente para
o pateo da Santa Cruz n. 1, lira nos fundos do so-
brado.
AVISOS DIVERSOS.
Jos Soares de Azevcdo, professorde
Atten$lo
I'in individuo com 28 aanos de idade, chegado
la poucos dias da Europa, com bstanle pratica
, do commereio. habiniado a escripia, ou servico
lingua e lltteratltra nacional no gymnasio externo, e tendo cwihecimento do idioma franeez,
provincial do Recife, tem aberto el sua offenece seu prestimo, dando fiador ao seu com-^
casa, rita Bella n 37 um I pofamento : quera delle precisar queipa dirigir-se
CURSODE-linca ntANCEZA 'a B,a Direila n" 43' ou a rua da Madre de Deo
DE GEOGRAPIIIA E IIISTOntA
DE PIIK.OSOPIIIA
DE RHETORICA E POETICAi.
Os estudantes qne pretenderem frequen-
tar qualquer destas discipliuas, podem diri-
gir-se indicada residencia, de manhaa at
as 10 horas, e de tarde a qualquer hora.
Caixeiro.
OITerece-se um caixeiro de 18 annos do idade
eoin pratica do taberna, dando conhociinoi.lo do
sua conducta : a tratar na rua. do Imperador n.
26,1 andar.
Prccisa-se de urna criada livre ou escrava
que saiba coser, engommar e fazer os arranjos
domsticos de urna familia composta de 4 pessos:
dirija-se a rua do Trapiche n. 14, 2o andar, con-
sulado franeez.
In-l.
NodiaSdemarcd nltinio fugio ite Snhar,
no'tenno de Simbres, o mulato Archaojo, cujos
signaos sao os seguiHes : tem 33 annos de idade.
aWura regular, eorpo grosso, rosjo redoodo, pouca
barba, nenias grossa- e cabelludas, e os pos mal
fetos, tem site vaqueiro desde pequero, profisso
deqim milito gosta, provavol que Kiha mudado
o nomo e passe por livre : quem o apprebender e
entregar em Cimbres a son senhor o eneHte-coro-
nl: Antonio Bodrigues de Freilas, on rua di>
Corredor do Bispo n. 20, no Berilo, ser bem re-
compensado.
Luiz Vianna previne aos similores commer"
cbntos que nao pagnem nina ordem, a seu favor,
viuda da liahia e sublrahida i i ci rreio.
Precisa-sc do urna criada livre ou eserava
para comprar, cozinliar c engommar para urna s
pessoa, paga-se ora salario : na rua de Hurtas
n. 06.
Cordeiro Simoes
legalmente autorisado far leiliTi dos predios ci-
ma, os quaes podem ser examinados por quem
pretender, cujo loilo lera lugar no dia
HOJE.
Soxta-feira 9 de abril s 11 horas na porta do
predio (pie foi a Associacao, largo do Corpo Santo
LEILAO
De um sobrado de dous andares e solo
em chaos foreros a rua da Senzala No-
va n. 16, rende 60 mensacs.
Cordeiro Kinxes
competentemente autorisado far leilo do sobra-
do acua, isto
as II horas a porta do predio que foi a Associa-
cao Commercial largo do Corpo Santo.
B?
Da armacao, gaz, gneros e mais utencilios
existentes na taberna sita na rua das
Cinco Puntas n. 08, em um lote ou a
relamo.
Sexta-fcira 8 do correte as 11
horas da inanha eni ponto.
O agente Pestaa far leilo da taberna cima
declarada assim como o leilo ser no atesmo es-
tabel."cimento as II horas da manhaa.
Actores.
De-Giovanni.
Silva.
Personagens.
Conde de Castelli........... Sr.
Boland, mordomo..........
Gervasio, ura dos principaes
habitantes d'Olival........ Braga.
Paulo |................. D. Jesuta.
>mancebos abandonados.
Justino )................. D. Bernardina.
Jacquinet, sobrinho de Ger-
vasio................... Sr. P. Augusto.
Baroneza de Castelli........ 1). Olyrapia.
Marcolina, rendeira d'Olival. D. Joaquina.
I.uiza, fillia da dita......... A joven Heuriqucta
l- soldado................ Sr. P. Montani.
2o dito................... Emiliano.
1 camponez.............. Serian.
2 dito................... Henrique.
3o dito................... Oliveira.
Soldados e camponezes.
A scena passa-se na aldeia d'Olival, na Proven-
ga, no anno de 1C45. *
Este drama foi representado innmeras vezes
nos theatros da trte, com applauso geral.
Terminar o espectculo com a milita applaudi-
da comedia em um acto, ornada de msica, deno-
minada,
0 dote de Maria
Tomam parte as Sras. D. Jesuina, D. Bernardi-
na e os Sr. Silva e De-Giovanni.
AVS0
*!s pessoas que morarem no Becife e em toda a
linha forrea, at Apipucos, querendp honrar este
espectculo tero depois do mesmo, passagem gra-
tis, em
Trem especial
Para maior commodidade dos distinctos frequen-
tadores deste theatro, os esjiectaculos d'ora avan-
te, principiaro s 7 horas em ponto, afim de ter-
minarem, pouco depois das 10 horas.
Os bilhetes acham-se desde j, no theatro; e
por obsequio, em casa do Sr. Godofredo, cabelle-
reiro rua do Crespo, pelos preces seguintes:
camarote cora 6 entradas 12000, cadeira 2,5000,
geral 15000.
(1
COMPANHIA PERNAMBUCVNA
DE
.\avcgaeo eostelra por vapor.
Macei, escalas Penedo e Aracaj.
O vaper Potengi, commandante
Pereira, seguir para os portos cima
no dia lude abril as 5 horas datar-
de. Boeebe carga at o dia 14 as 3 horas da tar-
de, encommendas, passageiros e dinheiro a frete at
as 3 horas da tardo do dia da* sahida no escriptorio
do Frte do Mattos n. 12.
2L
II.lllC A< A
Compra-se urna barcaca boa, de lotarao de 30
callas, pouco mais ou menos: para tratar na rua
do Commereio n. 3. __________________
Vende-se o palhabote portuguez Eurica, for-
rado e pregado de cobre e prompto para navegar
para qualquer parta, de lote de 103 toneladas, pe
ga era sete mil arrobas de carne, para ver em
frente ao trapichero baro do Livramento, onde
est fundeado, e para tratar com Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo & C, rua da Cruz n. 57.
Maran futo
Para o porto cima segu com brevidade o pa-
lhabote Jorn Artliiir, por ter a maior parte do
seu carregamento engajado, para o resto que llie
falta trata-se com Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo &. C, roa. da Cruz n. 57, Io andar.
Para Lisboa
O patacho portusniez Maria, capilo Pedro Mar-
tins Branco, vai sabir com brevidade ; para carea
e passageiros, trata-se com E. B. Babello, rua do
Commereio n."44.
Da armacao, gaz, pipas para deposito, can-
teiros e diversos gneros da taberna do
pateo do Trro n. 30.
Segiinda-feira i'i do eorrente.
O agente Martins far loilo da armacao, gaz e
um resto-de genero* existentes em ditl'taberna as
11 horas do da cima.
LEILAO
Segunda-feira 12 de abril as 11 horas em
ponto.
O agente Pinto far leilo a reqnerimento de
Jos Fernandes Gomes & C, e por mandado do
Illm. Sr. Dr. juiz espacial do commereio de 6 far-
dos e 2 caixoes cora diversas fazendas inglezas e
3 volumes de estopa com a marca J. B. M. c con-
tra marca J. F. G. A fj., as quaes fazendas acham-
se em poder do depositario particular Antonio
Pedro de Souza Soares, no cstabelecimento da rua
Nova n. 23, onde se efectuar o leilo no dia e
hora cima mencionados.
fe
Moreira Duarte & C. tendo feito urna
completa reforma no seu estabelecimento
de joias da rua do Cabug n. 5, (junt a
loja de cera) acabam de reabri-lo ao res-
peitavel publico, a quem offerecem um es-
plendido sortimento de joias as mais mo-
dernas e primorosas que teem vindo a esta
praca. e por prepos o mais resumido possi-
vel. Tambem compram ouro, prata e pe-
dras preciossas.
\. S RUA DO CABUG \ 5.
LEILAO
De una armacao envernisada e parte encabulla-
da, balead, gaz o canteiros para pipas da
taberna sita nos Quatro-Cantos sobrado n. 1
esquina da rua de S. Gonealo.
Terca-feira 13 do corrente.
O agente Martins far leilo da armacao cima,
garantindo-se a casa ao comprador da armacao,
as 11 hoeas do dia cima.
LEILAO
Para o indicado porto pretende sabir em pou-
cos dias a veleira e bem conhecida barca Sociat
[ capitao Bocha, por ter a maior parle do seu car-
regamento prompto, c para o reslo que lhe falta
e passageiros, para os quaes tem bons commodos,
trata-se com o consignatario Joaquim Jos Gon-
calves Beltro, ruado Trapiche n. 17.
rna nova de Santa Rila n.l
scientifica ao respeitavol publico, que sabbado 10 do
corrente dar a segunda estra de bailes pblicos
a carcter, e que tem grandes convites feitos entre
Eio de Janeiro
Para o indicado porto segu com muita brevi-
dade o veleiro e bem conhecido brigue Adelaide.
por ter a maior parte do carregamento tratado ; e
para o resto que lhe falta e escravos a frete, tra-
ta-se com o consignatario Joaquim Jos Goncalves
Beltrao, rua do Trapiche n. 17, ________
Lisboa
Segu com brevidade a barca porjugneza Perei-
ra Borges por ter parte da sua carga prompta :
para o restante e passageiros, trata-se coraOlivei-
ra,|Filhos & C, largo do Corpo Santo n. 19.
De um sobrado de 3 andares e urna grande
casa de campo sita a ponte de Ucha
n. 17.
O agente Pontual vender em leilo por auto-
risaejio de diversos, um rarado de 3 andares, bem
construido, todo de paredes dobradas, em so o fo-
reiro, sito rua da Praia n. 59, sendo o seu pro-
ducto para liquidacao de dbitos. Na mesma oe-
casio vender-se-ha urna magnifica casa de cam-
po, solo proprio, sita a ponte de Uchoa n. 17 jun-
to a estacao dos trilhos urbanos que entrada da
ponte da Torre, com os commodos seguintes :
grande sala de visita estucada, dita para jautar,
6 grandes quartos, cosinha, um torrado atraz da
mesma de 40 Kpalmos (coberto) fora da casa, 3
quartos, cocheira, deposito d'agua do Prata, um
tanque de marmore para Jbanho, um dito para
lavagem de roupa, sendo o sitio plantado e tendo
400 palmos de fundo dvi Os Srs. licitantes podero examinar os ditos
predios, mas somonte das 3 1|2 as 6 horas da tar-
de e coneorrerem ao leilo.
- Quinta-feira 16 do corrente
no Ia andar do sobrado n. 62, rua da Cruz as
11 horas.
o
C/5
a
a.
JO
4 a
O 5r .
a
o ._-
o
fe
O o
p.8s
o -a
S^ o-i I
.2 C Pr
S P

i
O
a?
&
o
9
P O
il
t/1

.2og
.2. 2
JSSn
X ^ S
5&ao
r. C
a ll O O)
re s -a
s c j o a
j i- s p ^
re o o &
-u a X "
o re P re
fe a
O S 2 o >
*^ re
2 fe 2
SIJ,8|
O re __ a O
re p*w
la
st 35
rerec
.2,Q< -_ c
- a>T3^
-i V c fi
.gw J2 cu*3,
"o re 2 o
2",3 TL
23 2
o a a fe
o 2 S
si-
RUA
DO
CABUGI
esquina
da rua larga do
Rosario.
AMEL
01R0
^0*17% de: jcbm^s
KlA
EO
CABUG
esquina
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortimento sem igualJ esquina W
e vende por presos que nenhuma outra casa pode vender. '""Ida i a i
vista da qualidade e do pre$o das joias cada um pder-se-ha convencer da verdade.l raa lar^a dol
Crarante-se ser tudo de lei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por prepos muito ele- Rosario,
vados.
* lI A loja est aberta at s 9 horas da noute.



*
I
Diario de Pernaiubuco Sexta feira 9 de Abril de 1869.
-rz:
Trocam-se
s notas do banco do Brasil e das caixas Aliaos,
com descont muito raioavd : na praca da Iade-
pf*jocia n. 22.
VTTENCAO
Jos Vital de Negreiros, com oja
e oficina de ourives, ra do Im-
perador n. 30, vende, troca- con-
ceda tdRa e qualquer obra de ouro
ou piala, por preco muito mais
barato do que em outra parte, pa-
ra o qw tem sempre completo
sortimento de joias de esmerado
gosto e feitios, assim como, tem
bons artistas para desempenhar
todo e qualqtier concert ou encom-
menda, no prazo o menor possivel
e a contento, como do seu cc-s-
tume, o que tudo faz por precos
muito commodos.
mi
Joaquim J os Gon-
(jalves leltrao
BA DO TRAPICHE N. 47, i. ANDAR.
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
) do Minho, em Braga, e sobre os seguin-
tos logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenga.
Guimares.
Coimbra.
Chaves.
Visco.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castcllo.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famalico.
Lamcgo.
Lagos.
Covilhaa.
Vassal (Valpassos).
Miiaudella.
Bcj.
Barcellos.
BARTHOLOMEU 8; C.
ject
Resta venia um oseolhido sorti;nento de ob-
elos de marcineria, pomo sejam, mobilias de ja-
caranda, mognoaama relio, obra nacional e estran-
ira, de apurado go^to c por precoz razoaveis:
aa ra estreita do osario n. 32, N'esta mesraa
casa bzem-se cora perfeieao todos os trabalhos de
palhinha, como sejam, ^npalhamcBtos do lastros
para cama-. eadejraa e Manas._______________
: Ama
No boceo das liarreiras n. O, precisa-se de una
na capaz para o servico interno o externo de
casa de urna SO pessoa.
.VTIIilDA.DE
Aos 300 paros de brincos.
Cliegou e verde-se no CoracSo
d'Ouro, ra do Cabug, brincos de
mosmhas com tima franja penden-
te a am rico desenho e ouro de
lei, pelo pequeo pre?o de tajtOOG
cada par. baratissimo.
MfflPRESTIWO SOBRE|
A pessoa que antuneou terpratKa de sec-
; eos e molilos dcixe carta Resta typographfa com
:<- niciaes P P, indiearido quaes as pessoas que
podan informar a seu rospeito.________
(SEM LITOTE.)
Aa travessa da na
das Cruzes n, % jiri-
lueiro andar, da-se qisa!-
quer quanlia sobre ouro,
prata c podras preciosas.
O dono deste estabeleeimento,
coinpctniti mente auonsado pelo
governo, est as condir/ies de ga-
rantir a transaccao que se fuer em
sua casa, prometiendo todo e zelo
c cunsideraco s pessoas que se
dignarem de honrado em seu esta-
beleeimento.
Na mesma o asa compra-se ouro,
prata e briMtantes.
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama de leite, sem ftlho : a
tratar no f.oracao de Onro n, 2 D, ra do Cabug
Massa fallida de llasto
$ Lcmos.
Tondo os administradores da massa fallida d(
Basto & Lomos, feito em lempo o seu primeiro di-
videndo de tO 0,0, na importancia de cerca dt
60:000, como consta dos reeihos dos senliore*
credores, nos respectivos autos da fallencia ; tam-
ben tem'ultimamcote roallsado o pagamento de
segundo dividendo de 3 0,0, e alguns do primeiro
qne en to nao receberam ; e como deste ultimo
dividendo que monta a 25:067-3923 .anda restam
pagar se uns 820297 que perteneein a onze ere-
dores de monores quanlias, visto como so se tem
pago, desde 16 de novembro ullimo a 10 de feve-
reiro prximo passado, a quantia de 2i:2i7j628,
roga-se de novo ao; senhores credores d refer-
Ja massa, qoe anda nao rceeberam aquelles seo*
dividendos, para que tcnhaiii a bondad mandar
receber, apresenlando os respectivos ttulos para
seren averiados, no largo do Cnrpo Santo n. 6, 2"
aadrr. Os mesmos administradores, aproveitando
o ensejo, rogain muito encarecidamente a todos
os senhores de vectores o e-pecial favor de manda -
rem saldar seus dbitos, aran de por este modo
se proceder como desejam a liquidacao tial da
referida massa.._________________
D-se a juros a qnantia de l:3ps sob hy
pslhcca em predio de obrado valor, livre e de
embancado : dirija-so a ra nova de Santa Rita
o. ."i, que se dir quera d.
gf. Ferreira Villela.^
Photographo da casa imperial
,premiado em diversas exposi-
qoes.
Na sua photographia ra do Cabug n.
18, entrada pelo pateo da matriz tira retra-
es por todos os systemas pliotegraphicos.
Em porcelana Em vitlro
Em talco Em papel
CART ES DE VISITA A U A DZIA.
Os retratos carte-de-visite sao collados
!U carlo do luxo bristal ou porcelana,
lourados ou lithographados, quadrilongos
va vinlietas para oque existe urna varieda-
Ie de 12 modelos a escollia de quem se re-
latar. Para as nutras especies de retratos
emos caixinhas, passe-par-touts, qtndroi
5 molduras douradas e pretas cassoletas ile
>uro e alioetes simples c com pedias pre-
ciosas, havendo nos allinetcs urna mimosa
'ariedade de feitios.
0 nosso estabeleeimento piotograpbico
jst sempre em dia com os melhoi amentos
) progressos que ni America do Norte, na
| Suropa ou no Rio de Janeiro se consegue
a arte photographica, c para alcncennos
al fin nunca poupr-mos despezas nem sa-
^ificios, de sorle que os nossos numerosos
reguezes podem ter a certeza de que sem-
jre encontraro em nosso estabeleeimento
;udo quanlo a arte e a moda offerecef de
>om no novo e velho mundo aos amantes
la photographia._________
PARA USO INTERNO
p n F. PAIl A DOS SIMPLES
Xarope de jorubeba garrafa. 1^5000
Vinlio de jurobeba garrafa. 1(5600
Pilulas de jurubeba vidro. ,10600
Tintura de jurubeba vidro. 640
Es tracto hydracoolico de jurubeba. 120500
I'IIEPAn.VDOS C0.MPOSTOS.
Vinho de jurubeba ferruginoso garrafa. 20000
Xarope de jurubeba ferruginoso garrafa. 10600
Pilulas de jurubeba ferruginosa vidro. 20000
Oleo de jurubeba vidros. 640
Pomada de jurubeba pote 640|
Emplastro de jurubeba libra. 20500
PARA USO EXTELtNO
rA JURUBEBA.
Vista planta boje reconhecida como o mais poderoso romeo, como um excel-
lente desobstruente, e como tal applicada nos engorgitamentos do gado e bac-o, as
hepatites propriamente ditas, ou anda complicadas com anazarchas, as inflammacQes
subsequentes as febres intermitentes ou durezas., nos abeessos,internos, nos tumores es-
pecialmente do tero e abdomen, nos tumores giaudulosos, na anazarcha, as hodrope-
zias, erysipellas ; e associada as preparaces ferraginosas, ainda de grairde vantagem
as anemias, chloroses, faltas de mcnstruacrio, lencorrhcias, dcsarranjos atnicos do
estomago, debilidade orgnica e pobreza de sangue, etc.
O que dizemos affirmam os mais^iistiiictos mdicos desta cidade, entre os
quaes podemos citar os Illms. Sis. Dr. Silva Ramos, Aquino Fonseca, Sarment, Seve,
Pereira do Carmo, Firmo Xavier, Silva etc. Todos elles reconhecema cxcellencia d"este
poderoso medicamento sobre os demais at hpjc couhecidos para todos^os casos citados,
tanto|quc todos os dias fazem d'ee applicago.
Apresentando aos mdicos e ao publico em geral diversos preparados da juru-
beba, tivemos por fim gencralisar mais o uso d'este vegetal, fazendo desapparecer a
repugnancia que at hoje sentiam os doentes de usar dos preparados empricos d'elle,_e
mais das vezes repugnantes a tragarem-se, e que tinlwm ainda a desvantagem de nao
ser calculada a dos* coaveniente a applicar-se, o que torna rauitas vezes improficuo um
medicamento, que poderia prodazif ptimos resultados.
Os nossos preparados s foram apresentados depois de havermos conveniente-
mente cstudado a jurubeba. fazendo as experiencias precisas para bem conhecer aspro-
priedades medicamentosas fl'esta planta em suas raizes, folbas, fructas ou bagas, e a
dose conveniente a applica$fo, tendo alm d'isto procurado levar os nossos preparados
ao maior grao-de perlV.ico possivel. para o que nao poupamos esforfos, nao nosim
portando o pouco lucro que possamos tirar.
Por tanto os que se dignarem recorrer aos nossos preparados podem ter a
certeza de que elles offerecem a*garantia, de que se^ode encontrar, a prompta e infalli-
vel cura de qualquer dos soffrimentos, que deixamos innumerados, se forem em tempo
applicados, tendo alm d*sso, medico eu doente a vantagem de escoltar as nossas va-
riadas preparaces, aquella que mclhor lhe pode convir, j pela fcil applicaco, e ja pela
complicado das molestias, idade, sexo, ou anda nattfreza de cada individuo.
As nossas preparaces ferruginosas sao feitas de forma que se tornam comple-
tamente soluveis nos suecos gstricos, porque procuramos os compostos de ferro que
como taes esto boje reconhecidos.
Para aquelles que mais minuciosamente queram conbecer as propiedades da
jurubeba, e saberem a applicaco de nossos preparados, destribuimos gratuitamente
em nosso deposito um folbeto, onde tratamos mais extensamente d'esta planta e dos
mesmos preparados.
Deposito geral de todos os preparados
Botlfca e drogara
34Ra larga do Rosario34.
.' g M k. & -y w%&. H&&?&&>gi&?g[&$/Z 'Wf&"': '
DOENCAS DO PEITO
Do xarope Ycscal Americano, esneeMIdade de Bartholomen fk O
34--RUA LARGADO R0SAHI0-3i
NJo costumamos procurar attestados para acreditar nossos preparados, e dei-
xamos que sua applicaco e os resultados obtidospelas pessoas quesedgnaram acceita-
los, Ihesdeem crdito evoga; porque sao sempre os attestados considerados gratuito,
e delles que langa mi o charlatanismo; mas, nio querendo offender as pessoas qo
espontneamente nos offerece-am os que abaixd vio transcriptos, os fazemos pubfrar.
manifcstando-lhes nossa gratidao pela attencao, esperando que venbam elles corrobora;
o conceito, e acceitaco que tem merecido nosso xarope.
Bartholotheu & C.
ATTESTADOS
Illms. Srs. Bartholomeu & C com a mais subida satisface) que deelm
ser o xarope Americano de urna efficacia extraordinaria, pois que soffrendo ha dias dt
intensa tosse, ponto de nao poder dormir a noite a despeito mesmo de medicamento*
que tomava, a elle recorr e naterceira colher fui alliviado, e de todo me ado lioje res-
tabelccido com o uso somente de quasimeio frasco: gr^to, pois,r esse resultado mani-
fest a Vv. Ss. meu reconbecimento.De Vv. Ss. amigo, venerador e obligado.Ma-
noel Antonio Viegas Jnior.
Sua casa 20 de abril de 1868.
Illms. Srs. Bartholomeu A- CPenboradissimo com o favor que me fizeram
de aconselhar o uso do xarope Vegetal Americano, de sua composico, quando me acia-
va bastante doente de urna constpafo, que me tornou completamente rouco e qu*
trouxe urna forte tosse, e me impossibilitou de cumprr os meus deveres de canfor d
empreza lyrica, vou agradecer-Ibes meu completo restabelecimento, que oblive.com um
s vidro do mesmo xarope, depois de haver recorrido a muitostratamentos. Desejarei
que outros como eu recorram ao seu xarope para se ve rom alliviados de to terrivei
incommodo, tao fatal neste^iaz. Com maior considerarlo contino a ser de Vv. Ss.
attento, venerador e obrigado.Luiz Cremona.
Recife, 25 de seternbro de 1868.
Illms. Srs. Bartholomeu & C.0 xarope Vegetal Americano que Vv. Ss. IMM
exposto venda de toda efficacia para o curativo d'astbma, conforme obsi rvei appli-
cando-o a meu fiilio Joaquim, menor de quatro annos; victima d'esse flagello, que at
ento por espaco excedente a dous anuos havia resistido a outros xaropes de granda
nomeada. Queiram, pois, Vt. Ss. acceitar a expresso altamente sincera de meu :eto-
nhecimento ao meritorio servico que lhe prestaram com o indicado xarope, acreditan-
do-me para sempre de Vv. Ss. criado, attento e obrigado.Americo Netto de Men :
Recife, 2 deoutubro de 868.
ii
DE
DE
XAROPE D'HYPOPHOSPHITO
CAL
ATTENCAO
Alaga-se un sitio na estrada do Rosannho com
boa casa de vivenda, aciomuiodigocs para escla-
vos, cocheira, estribar!, duas cacimbas, taaqtie,
duas baisas para capini : quem pretender alagar
dirjale prac.a da Bo.vy!rta. botica n. 6- ____
Precia-se de urna criada forra que eompre,
para o servico de pequea familia : na ra Direi-
ta u 70,2o andar.________________________
Precisa-sc lugar urna escrava que saiba co
zinhar bem e l'azer compras : no Corredor do Bis-
I po n. 23. <
GRIMAULT e C'f pharwiacexigos ew PARS
A efficacia d'esta preparacSo estestabelccida desde 4867, pelos mais celebres medico*. Desde
eniio martas, imitacies tem sido feitas, mas nenhuma poude sustentar a comparado com o
producto apresentado pela nossa caza. Por isso excitamos o publico para que exiga sempre
este xarope com urna bella cor de rdsa, nunca branca, e com a nossa assignaiura roda do
frasco!
Sob a sua influencia, a tosse aca!ma-se,os suores nocturnos cessSo c tf doente volve rpida-
mente sade. 0 seu emprego d lambem os mais briihantes resultados nos definios, catar-
rhos, broneniles, irritaefies do peito, ele.
Deposito em Pernambuco, em casa deHaint O*.

l V1GNES
N. oRA DO IMPERADORN. 55.
Os pianos dcsta airtiga fabrica sao hoje assz conhecidos para seja necesssric
insistir sobre sua superioridade, vanlagens o garantas.quc offerecem aos c(inpradorea.
qualidades estas.incontcsta\cis, que elles tem definitivamente conquistado sobre lodo*
os que tem Jipparecido ncsla praca; possuindo um teclado e madiinismo que obedecen)
A todas as vontades c caprichos das pianistas, sem nunca falhar, por serem fabricado*
de proposito c ter-se feito ltimamente melhoramentos importantissimos para o ciima
deste paiz; quanto s foses sao melodiosas e flautadas e por isso muito agradaveia aoi
ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as cncommendas,tantonesta fabrica como nado Sr. Bien-
del, de Pars, socio correspondente de J. Vgnes, em cuja capital foram sempre premia-
dos em todas as exposices.
No mesmo estabeleeimento se achara sempre um cxplenddo e variado sorti-
mento de msicas dos melhores autores da Europa, assim como harmnicos e piano*
harmnicos, sendo tudo vendido por precos commodos e razoaveis.
A Inga-se um grande sitio com casa c m.iilos !
arvoredos, propno para ter gados pula sua i-!a-
fio, e memo para pluntaees p^r ter lugares al-
tos e batas, nas Salinas, entolda do Campo ftg-'
de : a tratar na ra Ja Cadcia do Hecife n. 3.
mv\ifi:to
DO
Centro Liberal
Brorhura in 8o
15000
hara franceza.
Criado.
Preeisa-se de um criado tl : na ra do Impe-
ador n. 7:t, 2o andar.
fcAlllga-se um sitio na Torre, com .'i qnartos e
salas, e cosinha e quarto fora : a tratar com
Aodr de Abreu Porto.
Club Pernambucano
A partida do crrente mez, ter Jugar
na noute do dia i.________________
Aia de Ule.
Na ra da Penlia n. i, Io andar, se precisa de
urna ama que tenba bom leite e >iue nao tenba
filbo.
Cao
Desapparcceu no dia 4 do corrente urna cacbor-
rinba inglcza com os signaes seftuintes : branca
com manchas pretas, cauda cortada, muito gorda :
a peisoa que a tiver ou adiar, dirija-se a rua da
Ptniha n. 25. 1" andar, que ser recompensad*
Ama
Precisa-se de urna ama forra ou escrava para
comprar e cozinhar par urna ca*a de pouca la-
milia : na rua das Crines n. 28, i" andar prele-
re-se escraxa e pagase bem agradando.
GHAfFirACAO.
de 50|00(
So dia 2t do mez passado fugio do engenlio
Punentel, o mulato Jeremias, de idade 20 anuo?,
altura regular, gordo, com/al.a de denles na fren-
te, ps bem fcitos, com unn cicatriz na perna di-'
reiU, tesU pequea, cabera comprida, cabellos
pouco enearapuihados, lovofl calca azul e cami>a
azul de algodao, a eftap : qUeni 0 ap_
prebeBder e leva-lo ao dito engenho. na freguezia
do Cabo, ou ao Sr.JBernardino do Sena Pontual,
na rua da Senzala-Nova n. S8, no Recife, recebe-
r a gratificar lo de 902.
Precisa-se de urna ama de leite que seja de cor
parda ou preta : i tratar na rua da Cruz B. 89,
S ;;idar.
Lu/ ManoeJ Filgueint participa ao respei'
tavel eurpo comiuercial de. Pernambuco. que desdi'
i de mar*o do corrente admittio com.) sen socio
i sen eaixeiro o Sr. Thnm Leite de QJiveira, cuja
Arma gyrar sob Luiz Manael l'il^neiras & C.
Precisa-sc akgar una escrava ou a
que saiba cozinhar e engommar; tambca se com-
pra una escrava moca com as mesmas liabilida-
Ues, garantindo-sa a sua boa conducta : quem pre-
tender, dirija-se a rua da Imperatriz n. 25.
V\!S0
aos constructores e
mestres de obras.
Serrara a vapor da ra do Uoo-
dego o. 99.
Os donos desta senaria aeabam de receber urna
grande remesHide madeiras de primeira qualida
de. Para dar grande extraeao a suas madeiras, e
ssim dar sempre a fazer a sua serra, elles tee.n
esolvido vender muito barato. Os mestres de
'ibra achanto sempre tabeas sorradas de qualquer
{rossura e largura, e apparelhadas, para com fa-
i-ilidade e promptido, fazer portas e janclla3. Vcn-
leni caixilhos para janellas e portas, segundo a
rostura da cmara, por presos como nao 6 possi-
vel faze-los em qualquer parte ; tabeas para ali-
sarem com moldura, taboas para paredes oe di-
visao mteira, etc, etc. Encarfcgam-se de fazer
portas e janellas cota imita brevidado. Para a
commodidade dosfregn:zes, elle tem aborto um
deposito de suas madeiras serradas, na rea d
Santo Amaro n. G, junto a estacao dos tnlhos ur-
banos dos Apipo eos. Liest urna amostra dos
caixillins, das janellas e Jas portas que se costu-
mam fazer.
Ao commer<3io.
Jas de Souza Reg tem contratado com os Srs.
Oveira A Souza a coui|! meato
tto mohados rua do Hange! dgnem ae
jnlgar eom direito a opper-se referida coa^ira
appareea ao praso de m dias, a contar de boj.
na rua do Crapo, loja da esquina n. 8.
Desappareceu no dia i do cornae o e^eravo de
nome Marcoliho, idade le 25 a 3f7^naos, crioulo,
cor preta, baixo, cheio do eorpo, testa grande,
ollios afmnacndos, com todos os dentes, tem o pes-
coco-curto e a cabera chata, ps grande e um
taino apallietados, tem nm p mais grosso que o
mitro, as uios grandes e as juntas dos dedo< todas
alia-, e os dedos todos tortos, levou chapeo de
bata cinzenta, calca ejaquctao de brim branco :
quem o apprehender leve a rua do Livramento, na
toja de cera n. 36, qw ser generosamente re-
enmpen ado. ""___________________
A inmrme gfnK nesta praga job a rano
d Theodorio- & Carvaiha, fui awigawlmeote i<-
solvida em 31 do pausad), cando Joaquim Caeta-
no de Carvalho o nico respcmsavel pelo activo e
passivo da extincta firma, e o socio Joan Theodorio
da Silva pago e satisfeit. de seu capital e lucro.
Frederico Maia
Cirurgio dentista pela escola
de medicina
do Rio de Ianeiro.
Tem a honra de participar ao respeitavel publi-
co desta capital eseus suburbios, que tem abertoo
seu gabinete de consultas e operaees dentarias a
rua Direila n. 12, primeiro andar, onde pode ser
procurado todos os dias das 8 horas da mar,t..a as
i da tarde. Elle acha-se competentemente habili-
tado para com perfeicao collocar dentes artificiaes
iwr qualquer dos systemas, e bem assim desenipe-
nliar qualquer oatro trabalho concernente sua
prolissao. 0 mesmo, reconhec^pdo que nem sem-
pre possivelssenboras ou enancas sahirem'a
pructuoi'o remedio, offerece-se a remover qual-
quer obstculo, doclaiando que na cidade se pres-
tar a qualquer chamad sem que issointiua cousa
alguma na commodidade dos presos de seus traba-
dlos, e quando para fra della assim mesmo ser
precedido de um ajuste rasoavel, garantindo oe a
eguranca c perfeicao de seus ditos trabalhos. Em
seu gabinete se encontrar constantemente excel-
lentcps denlifricio_, elixir e outros medicamen-
tos odontalgicos : rua Direita n. 12, primeiro
indar. _____
cu dosuallos:
PELA
Pomada gyioupeau.
Deposito especial
Pharmacia de Barthol orneo & C.
34------Rua larga do Rosario------34.
GRANDE HOTEL
Attenpao
Manoel Augusto de Menezes Costa, pro-
fessor de msica, contina a dar lictes de
sua arte, tanto vocal como instrumental,
em casa particular ou em algum collegio;
assim como tem aberto urna aula na casa
de sua residencia na rua da Palma n. 53.
ROS
MARTIMOS*
rCOVTK.V FOGO.
A Companhia Isdemnisadora, estabelecind
tesia praca. toma seguros martimos sobre
tavios e seus carregamentos e contra fogo
>m edificios, mercadorias c mobilias: aa
ua do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Inaugurou-se este commodo e elegante
estabeleeimento d'ondo os seus frequenta-
dores poderlo apreciar a especialidade na
confeccao dos gneros alimtnticios.
As bebidas sao as mais primorosas e re-
commendadas.
A decencia e bom servico primam n'esta
casa no bello gosto oriental.
Mandam-se domicilio comodonas, tanto
avulso, como por assignattira mensal. Os
pregos s5o mdicos e convencionaes.
Ha urna espacosa e bonita sala para o
elegante jogo de bilbar.
Ha tambem aposentos comramodos e bem
mobilhados para hospedageim^
Rua larga do Rosario
n. 44.
RA LARGA DO ROSARIO N. 37
Este acreditado estabeleeimento augmenta
de dia em dia quanto possivel para che-
gar ao cume do liera viver.
Alm dos saborosos manjares confeccio-
nados com o melhor asseio, tem bellos apo-
sentos de liospedagcm, tanto para urna s
pessoa, como para numerosa familia.
A agua, indispensavel elemento para a
vida e bygiene, 'temo-la sempre ca abun-
dancia para facilitar excedentes hanhos.
Ha tambem urna boa bibliotheca e peri-
dicos nacionacs e estrangeiros, piano para
recreio, buhares, etc. etc.
Sendo ociosa qualquer recommendaco
para t3o acreditado estabeleeimento, omit-
timos mais prembulos, fazendo ver por
lim, que o bom servico, ordem e moralida-
de imperam n'esta casa, cxoo observancia
el do regulamento que possuo.
Comedorias a la caite.
CILIBITERIA E PETT ESTAUBAOT
Annexos ao Hotel Central, rua estreita do
Rosario n. 4 A, andar terreo.
Para dar a conhecer a variodade infinita
de charutos de Ilavana, Bahia, Rio, etc. que
existen neste novo estabeleeimento pres-
cindimos dos annuncios pomposos que ge-
ralmente se fazem, reduzindii-nos apenas i
tres letras que sao tres bbb boto, bonito e
barato. A' vista do genero annunciado pr>-
dc-se julgar de nossa veracidade. Esta casa
gosa tambem das condicocs de um elegante
e petit restaurant onde se pode ver a es-
pecial idade dos fiambres e salames de Liun
para lanches e at fazer urna boa colarlo,
juntamente com os principaes vinhos do
mercado, sobresahindo entre o bom a pura
e ferrante champagne, o mui saboroso Rhe-
no, a primorosa ceneja, o licor espirituoso.,
o quanto pede urna mesa. Faz-se noue
sorveto e variedade de refrescos.
PEDIDO
Pede-se ao Sr. Manoel da Costa Pereira, prati-
cante da reparti^o das obras publicas ora em
Jaboato, que compareca rna Augusta sobrado
n. 102, alim de saldar o seu debito mbu pagar o
que poder e isto com brevidado.
MOFINA
Sr. Antonio Francisco Duarte seu mano Dr.
Maximiano Francisco Duarte, ventaam rua Di-
reita n. 53, loja do Braga & C.
Para eosinha
Precisa-so de un escrava que cosinhe bem: na,
rua do Crespo n. 23.
Precisa-se de urna ama
casa de pouca familia: na Toa <
iara cosinhar para
oCaldeireiro n. 58.
Eu abaixo as-ignado declaro peJo presente,
que vendi ao ao Sr. Miguel Agostinbo Ramos Ma-
chado, a armacao e mlnha taberna sita a rna
Direita n. 50 livre e desembarcada de todo e qual-
quer debito. Recife. 6 de abril de 1869.
Jote Joaquim Gomes Teixeira
Aluga->e um bom oo-inheiro e copoeiro: na
rua do Imperador n
leuMl-ci-Mo
, n. 28 da i-oa i
iBipras c
llhos.
illar co I?
Sr. loflLuiz Pinto da Costa para negocies de -ee*
interesge, e roga-lbe que so dirija casa dos Srs.
Vianna d Guimaries.
Fundipo da, Aurora.
Neste vasto estabeleeimento sempre se cncontra
um completo sortimento de labias do ferro batido
e fundido, fabricadas recentemente, e se fabrican)
de qualquer molde a vontade dos compradores, e
recos razpoaveis._________________________
Be br bom.
Pagar-se-ba bem um moleque que se pretende
alagar : na rua larga do Rosario n. 44,1 andar.
- Em casante" HEODORO CHRISfT-
.\NSEIf, rua da Cruz n. 18, encontram-se
effectivamente todas as qualidades de vinho
Bordeis, Bourgogne e do Rheno
Paga-se bem.
Precisa-e de urna ama forra ou captiva, de
nieia idado, que cozinhe bem, para casa de pouca
familia : trata-se na rua da Cadcia do Recife n.
00, 2 andar.
Francisco Pereira da Costa, ae assignar de
hoje em diante, Francisco Pereira da Costa Bastos,
por h*er outro de igual nome.______________
Trocou-se por engao um relogi de ouro
coberto patente inglez n. 23477 com o nomo do
fabricante Ja Duff c Son Castel Stz London : ro-
ga-se a pessoa que por engao levon que tenha
a bondade levar na rua Nova n. 21, loja de Fran-
cisco Jes Germann.
PEDIDO
Pede-se ao digno chefe das obras publicas que
lamw suas vistas para o mo estado da estrada da
Victoria no lugar das Areias.
Um padicente.
Molestias do peito.
A farinha de S. Beoto o nico alimento capaz
de ser.aupporudo peles estmagos fracos, o mais
ronveiiMsite petos sea* bons resultados as pessoas
atacadas de molestias do peito, aos convale
toB,s pessoas enfraqneeidas por toda a quafidade1
de excessos s maheras que teem perdido as
cores petas perdas dcsangno : nnico deposito, na
pharmaeia do Pinto, rua laip do Rosario n. 10.
Tendo montado urna completa officina para conoebto b afinaco pe pianos i
leudo contratado para o mesmo fim o experimentado contra-mestre Sr. A. Rastouil
chegado da Europa polo ultimo paqueteJgm a honra de recommendar este seu estaljele-
cimento s Exmas. familias Pernambucanas, promeltendo promptido e perfetc,3o no
trabalho.
Rua Foraiosa n. 14
di:
LIMA. LESSA & C.
H.-RM NM l
O respet5\'el publico encontrar nesta oiiina habis mestres e bemconhiVn,.-.
na arte, alliancando-se o melhor desempenho conformo o gosto e vontade do fregu^^
assim como a maior pontualidade na entrega das obras; recebemos de Pars, por tod0s
os vapores, os mais modernos figurinos para nao haver nada a desojar; bem com,,
varias encommendas de casimiras modernas e outros artigos proprios para homens
temos grande depsito de roupas feitas de toda a qualidade, coaao sejam: caBigas
francezas, inglezas, chapeos de sol de seda trancada, o que ha de melhor, grande
sortimento do meias, colarinhos, punhos e grande novidade em gravatas modorras,
finalmente completo sortimento de fazendas finas e roupas feitas, sendo os precos os
mais baratos possiveis.
INJECTION BROU
_f(lrBlca lllllel e l"rrM>rll, bsolulamcuiu a ui.icii <|' < vuiu kih iwiui*iii Wiuvu. V 4
su prttc* bollen mando. (Eligir a InilruccM < nhunna.l P*m. en
4* bwaawr BBt>D. baahmra Macu. >*i
CAPSULAS VEGETAES
co
ATT
deGRIMAULT EC*nH?p.w^CEUticos em PARS
Batas
Matice (arvore
capavie
capsula, com capa de gluten, comiera o balsamo de eopahiba a8*06^" a Sf011^
,,arvore do Per), e constncm nm remedio infallivel contra a
m cansar o estomago e nio provocan nunca os eojoos a anacas bis, "
- qe eHsa ase wpriwea s esslat BeposHo*em Pernambuco, em euptoM***_
\
y
N.
-
^


Diario de Pemambucd Sexta feira 9 de Abril de 1869.
*
t
i
*

Agua
&G \%UtUA^6
NOVO EXPLENDIDO SORTIMENTO
-florida de "Guis-
lain
para Ungir os cabellos,
Ditos com ditas de velludo, outros imi-
tando charao machetado.
Ditos com ditas de marroquim com cruz
e guarnico, dourada ou prateada.
Coras e tercos de cornalina.
Assira como.
_ Grande e bello sorlimento de leques
porscu fficaz resaltado, r, miando a noticia de son bumeTeito e a: sndalo, sndalo e seda, osso, osso e seda,
experiencia tornar do todos onliccida. c faia ele. etc. te#o nos de sndalo a guns
V agua-florida de Gttislain composta uni>com i vistas, c outros japoneses enredados
camente de vegetaes inoffensivos, tem a de flores.
Tintura ndeleve
sem manchal- a pello.
A bem conceiluada agua-florida de Gnis-
lain que ento era des;onhecida em Per-
nambuco, j hojo estimada o procurada
propriedade extraordinaria de dar a cor pri-
mitiva aos cabellos, qnando estiverem bran-
cos, c lhes restituir o brillio perdido, e as-
sim como preservar de emblanquecer, sea.
ser prejudicial de modo algum
E' porm necessario finir conheeer, que
o bom rebultado produ/ido pela agua-flori-
da, lio instantneo, como muitas pes-
soaa talvez supponhaifi, miissim ser pre-
ciso Euer aso d'ella, trez ou quatro ve/.es,
elogo se obterolim tosejado, como bem
provain lestemunUos de pessoas insuspei-
tas, c d"entao por dianle, bast usa-la las
vezes por mez,contando serapro com o bom
xito, podendo a experiencia ser feita em
outra qnalquer cousa.
Assim |)oisesta agua-florida acba-sc ;i ven-
da na bem conheeida loja d'Aguia Branca i
ra do Queimado n. 8,
A V-fui< Branca, contaudo cora a protec-
yao de sua boa l'reguezia. tambora capriclia
em nao lira desmerecer, procurando sem-
pre corresponder a idea favoravol com que
i honrara, o em prova ao que iea dito, da
como exemplo o esplendido sortimento
que acaba de resaber, anda mesmo acban-
do-so bellamente provida do que de bom
a melbor se pode desojar nos gneros que
ai) de sua competencia.
Haja vista aos necessarios livros de missa
e oraeso, obras de apurado gosto e perfei-
cao, sendo: com capas de madreperola e
tocantes quadros em alto relevo.
Ditos cora -ditas de marlim
bonitos.
Bonitas voltas grandes de aljofares azues.
Voltas de eerreate de torradla.
Meias de seda para meninas e senhoras.
Ditas de fio de Escocia abortas, tambera
para meninas e senhoras.
Ditas muito finas d'algodo, alvas, c
croas para meninas e senhoras.
Lavas de fio d'Escocia, torcal, c seda
para meninas e senhoras.
.Meias de lita para homens, mulbercs e
meninos.
Gollinhas c punbos bordados obra de
i mito gosto.
Entre-meios finos tapados e transparen-
tes com delicados bordados e proprios
CASA DAJORTUA
Aos 4:000$
Bilhetes .garantidos.
A ra do Crespo isas do cestume.
o
to fi'lize
comas,
te de 700, c outras militas sortes de 1005, w* <_
20 da lotera que se acaboa da extralnr en)
nclirio da igreja de Nos-a Senhora do Monte ue
Onda (100), convida aos possuidores a virem re-
eternas respectivos premios sem os dcscontos
das leis na Casa da Fortuna na do Crespo n._w.
Aeliani-sc a venda os da i" parte da lotera a
beneficio da igreja de Nossa Senhora do uvra-
omdIc de Pao d'Alho (101) que se extralina sab-
bado 10 do corrente mez.
Procos.
Bilhete.....000
Meio.....2*000
Quarto.....1*000
Em porcae de lOO para cima.
pilhete.....3*o00
Meio......1*7.'
Quarto..... 875
ManoelMartins Pinza.
Convite dos irmaos da irinan-
dade do S. Sacramento de
S. Jos
O cscrivo da rmandade do S. Sacramen-
to da freguezia de S. Jos, convida a todos
os irmaos dest irmatidade, para acomga-
nharem o S. Viatico aos enfermos de sua
freguezia, domingo 11 do corrente as 8 ho-
ras da manhaa em ponto.
AVISO
Ama.
Precisa-so de urna ama nara cngnmaiar
ra do Aragao n. 2i, Io andar.
na
tos com delicados
para enfiar fita.
E OS PRODIGIOSOS
Amis e collares Royer para creanras.
Bonitos cabases ou boteinbas de pelica jdesfrandalte
Conciliacito.
llavera seso magna no da 10 do corrente, pe-
las 6 I| horas da tardo, para o que convido a to-
dos os socios. Rccife 7 de abril de 186'..
Andrade,
Secretario.
Proeig|-Se de nina ama portugneza para casa
do homem solteiro : na n:a da /loa-Hora,' defron-
te da igreja, na cidade de Olinda, taberna, a tra-
tar na mesuia ou na na do tnjperador n. 28.
O oageoheiro Antonio Feliciano Rodriga
ment aulorisado peto pruprieta-
fio ilo Jin'o denominado Aguasinha, em Bdicribe.
3 de torras, formados pelo plano do ar-
ruaJfofo rovos, o ganisado para o refalnnment
da stlperflcio geral do >upraeitailo sitio, todos com
roul rtclanguJar.' Tres ras novamentc
abortas no sentido longitud,nal. ist- dele
oeste, dbclinacao de 17." sol. (res Jilas no senti-
do transversal, isto de ~ 111 ao norte, decliincao
de 1?. a oc^stOjdarao para corto systeuia e belleza
a essa divisan. A proximidade do' rio Boberibe, a
ferlilidade do terreno suflicicntemente demonstrada
pelo vigr da vegetacio existente es rceommen-
*mh e convidam os iwnpradorcs. Os precos se-
rio differcuies, fluctuando entro mil at tres mil,
conforme a localidade e dhnenoes. Poda ser pro-
curado as quintas feiras o domingos no sitio ci-
ma mencionado, e nos mais dias em ca-a de sua
residencia, estrada de Joao de Barros n. 3.
AMA'
Precisa-se de una ama que cozjnhe eom per-
feicao e seja desembaracada : na ra da Palma
n. 15.
Cozinlieira.
Precisa-se de urna ama para cozinhar em casa
de familia: na ra Nova do Santa Rita n. 0-1. Junto
ao deposito de caxvo.
FRESCOS!!
O Campos da ra do Imperador n. 28, tem
p*a;vender qtieijos de coalha muito frescos, l-
timamente chegados do Cearc aproveita a occa-
siaO para avizar ao respcitavel publico em .'eral c
em particular aos amigos do paitar bem e at ga-
rante, que c o sea csialicleeimento, uin dos M)iie
pode proporcionar melbores manjares, aos que
goslam do que bom. por se achar k-ni prowlo
eros que Ibo (3o compalivcis Meando deste
modo dispensado de. lazer annuncids pomposos c
extensos ipio se cosluuia publicar sumeale para
chamar a attencao e para que os scns freguezos
e o publico acrediten) basta ira ruado Imperador
n. 28
ARMAZEN DO CAMPOS.
COMPRAS.
Com muito rttfk'or vantagem
^ Compra o Cornean de Ouro, n. 2 D, ra do Cabu-
^, moedas do ouro o prata e pedias preciosas.
Compra-se
l'm preto cozinheiro de to a 18 annos : a tratar
na casa da ra da Cruz n. li(, t- andar.
GOIHPRBF"
Compra-se moedas de ouro c prata, bem
como libras sterlinas por maior proco' que
em outra parte, na ra do Crespo n. 10
Io, andar.
Ouro e prata
em moeda e em obras inntilisadas, compra-se por
bom prego : na [iraca da Independencia n. 22.
Na praga da Independencia n. J3, loja de ou-
rives, compra-se ouro, prata, o podras preciosas,e
tambero se faz qualquer obra de encoinmenda, e
todo e qnalquer concert.
0 muzeo de joias
Na ra do Cabucr n. i compra-se ouro, prata
e pedras preciosas por procos mais vantajosos do
que em outra qnalquer parle.
Compra-se
hoje libras esterlinas, ouro e prata de todas as
naces e por maior preco do que em outra parte :
n ra da Cadeia o(Rteife n. fe, luja de a/.ulejo.
e nm
Compra-se moedas de ouro c prata e
bem como libras sterlinas, na ra do Ca-
bug n. 0, relojoaria.
fogo
de 12
nu-
n:j
Jin
Precisa-sc de urna ama
una casa do puuca familia :
ti2, ".iular.
para t.ido serico de
na ra de Hu tas n.
iguabnentc
e setim para meninas ou senhoras.
Lindas cestinhas bordadas a frooo, e lisas.
Delicadas eaixinhas devidro eufeitadas
com pedras, aljofares, etc.
Ditas de tartaruga para joias.
Bonitos albuns com msica.
Pinseis ou bunecas para poz de arroz.
Novos e delicados ramos de flores com
marrafes para enfeitar coimes.
Bello sortimento de trancas de palha.
Fitas largas para cintos.
Cintos de fitas largas com bonitas rama-
Ura dos cotnpanheiros do tinado t escriplura-
rio da tbesouraria de fazend.1, Herculano Dtiarte
nriques, convida aos amigse com-
I'reeiv.t-so de nina ama de leite : na ra de
Apollo n. 43, 3* andar.____ _____ _^_______
l'recisa-se de n na ama pura comprar e co-
zinhar : na ra da IVnh i n.- W, 2" andar.
Rapara akigar urna oscrava, que sinba,
gens
Brincos e alfinetes de madreperola.
Ditos esmaltados, obras novas e bonitas.
A viuva, tillio- egenros do tinado Joo Francis-
co de Sonza Xavier, convidaiu a todos os s<'us ami-
gos 6 prente*, c aos do fallecido, para assistirem
s missas qno tem de seren celebradas, pelo pri-
meiro anniversano do sen passamento, naordofli
tereeira de. S. Francisco, na segunda-leira 12 do
corrente, pelas 7 horas da inaihaa,pclo que se ew-
fessain desde j agradecidos.
- Convida-se'aos^laranbenses residen-
tes nesta capital, que se runam domingo i I
do corren e petas -40 horas da manhaa
casa n. 92, da ra Vellia. .
77 RA DA IMPERATRIZ 77
N'estenovo estabelccimento hum completo sortimento de medicamentos, pro-
ductos chimicos, e drogara, ludo de primeira qualidade, e se veodem por menos de
'[oeem outra qualquer parte.
U tambera um sortimento de medicamentos homeopatbicos, tinturas e globu
!o^ inertes, por precos commodos; bem como xaropes de jurubeba ferruginoso simples.
nabos do jurubeba simples e ferruginoso, c o bem conhecido xarope do Paracary, es-
pecial d'esta pbarmacia. Aviam-se receitas a qualquer hora do dia, e noite, com promp-
tidio, cuidado, e pericia ; nao se negara a qualquer ocurrencia em casos urgentes. 0
socio gerente encarregado do estabeleeimento mora no mesmo, para o que est
prompto a abrir a porta a qualquer hora que for preciso.
C. Calm & C.
IpfTOTJfl
h andnii
t aeitcm
k Paria
debRINdBIIISSon
0 tratamenlo das affcc.jOcs chloroiicas, lymphalicas ou escrophalosas sempre leoiis-
simo, e mmtas vszes essas molestias resistem s preparagdes ferruginoses ordinarias. As
indagares feitas pelos professores Hannon do BruxeUas, Gensoul e Petroqoin de LySo e
Berzelins e Trousseau de Pars, tem provado que a causa d'essa persistencia era a completa
ausencia do Manganese, elemento que sempre deve-se acnar no sangue jueamenle com
o ferro. Estas pilulas supprem, pois, na the-apctica urna falta importante, e por este
motivo ellas tem merecido a approvacio da Academia de Medecina e das principaes socie-
dades medicas. Deposito em i'e.rnnmbuco, im casa de Hhnt O'.
lilil

lilllll
Vinho degesxivo de
chassaing
COM
PEI'SrNA E DIASTAEX.
Remedio por exec-llencia bom cura cei'ta
.las digestoes ditficeis ocomplctas. acalmar
as dores gaslralgieas, e reparar as forcas
produzindo urna assimmVao completa dos
alimentos; sendo mais um excellente tnico.
PHARMACIA E DROGARA
S. Joao n. 8, perto do gazometro.
panheires do mesmo assistirem a missa que, pelo engomma, eoso, ensaba e corapra: a travesa de
repouso de sua alma, manda celebrar sabbadi 10,
trigsimo dia de scu passamento, pelas 8 horas da
manha. na igreja matriz de Santo Antonio.
l'edo-se a pessoa que desejava tallar com o
abaixo assigftado c que ltimamente Iheescrcvcn
una caria expon lo o motivo do sen annuncio
queira ter a bitndaJe de declarar pur este jornal
osso mesmo motivo, aim de que o public-i li;pe
inteirado. O abaixo assi^uado deixaria de mi-
conuiK)dar afl mesmo senlnr se tifesse assignad
sua carta e livcssc coiienlimento para a publi-
cac.ao da mosina.
Manuel da Silva Mendonca Viauna.
Compra-se duas pretas pecas
20 anuos, tratar na ra do
mero !).
Compra-se um balcao de aman lio. de volta:
na na Isrga do Rosario n. 22 loja do Vianna.
Compra--e una oscrava quesaiba cozinhar,
engommar bem e que lenha boa conducta : na
ra do Crespo n. 23.
Coinpram-se cinco ou seis selliris inglezes ou
franceses que sejniu ja usados : quem os tiver
pode annunciar a casa e o numero para ser pro-
curado. ______________________________
Atteneiio
Compra-se ima escrava cozinbeira e que lam-
bem engommc : na ra da Mocil;:, armazem nu-
mero 21.
PINTO PHAItMACKITICO
Xarope de salsauarrlut do Para

DEPURATIVO DO SAXGUE
Usado vas mnii'stias peUe, impi
res rliemnalitii* e Hicera
Ra larga do Rosario n.
10.
1
Vendc-se una escrava de muito boa conducta,
com todas as habilidades, jiois coziiiba, lava, en-
gomma, faz labyrintho, cose, borda, etc., do ifi
annos, pouco mais ou menos, sem vicios Daa
achaques de molestia, por 1:3003 : a tratar en
Santo Antonio, ra dos Bxpflstos n. O
Meias elsticas de borracha.
As melhores e excellentes meias clsti-
cas de borracha'contra varizes e erysipellas.
Vende-se na
Pbarmacia e drogara de
Rartbolomeu A- C.
34roa larga do Rosario24
^YERM/%
Jwmn'j/rue Jt. N__'
Jornaes para embru-
lho.
Compram-se na fabrica vapor do cigarros : na
antiga ra do Quartcl de Polica n. 21.
A7K0.
Roga-se ao Sr. Roberto Mara de Oliveira de
se dirigir Tua da Cadeia n. ii, loja, a negocio de
seu interesse. B r -
l]a^oinmr,(eii*a.
Preci-a-so de ua criada para ngoim lar : on
Kumlica, sitio do Sr. Barroca.
Precisase OB<|*jr ama escrava que sai|
engamniar e cojiuhar,^ (|ae seja de inia conducta:
na ra do Qttomfttlo n.69.
Antonio da Costa Caldas retira-se para Eos
ropa.
amado Torres n. 16,2* andar, proclsa'so de
urna ama qne cozinhe e engomme para urna pes-
so?
1
DE
Bartboloincu A C.
34RA LARGA 00 ROSARIO-
-34
Pars, 36,RuaVivienne, D*
CHABLEMDECIN
ASENFKRMIDADAS DESSEXUAES, AS AIRO
gOES CUTNEAS, E ALTERAgOESDO SANGUE.
I 0 000 curas das m/.n7*ru
[rstalas, herpes, sarna
.omixoei, acrimonia, etU-
erices, viciosas do san-
__j/ue; vrua, alteracoel
do tunyue. (Xarope vegeta! sem mercurio).>-
rafivaa -(<-tr BANaiOS HIIveRAES
lomao-se dous por semana, soguindo o traciamenu
Dr""ralim : em- regado Das mesmas molestias.
Esto Xaropa Cilraoto d
farra de CHABLE. car*
imoiediatamenie qualquer
pur mi f ao, rtiaxafoo,
debilidade, e igual-
ente os luios e flores brancas das mulhere.
Ssta injeccao benigna mprega-ec com o Xarepe da
Citracto a "Ferro.
rniomMu Pomada qot aa cara em tres diaa.
POMADA ANTIHERPETICA
Contra t as affeccoes cutana comixoes-
PILULAS VEGETAES DEPURATIVAS
te sv ciuiMe, eaaa fraaeo a aaaaaiaaaada te
ai olbeto.
DEPURATIF
i,. SANG
PLUS DE
COPAHU
icisa-se ile um caixeiro com pratica do ta-
lerna, de 14 a 16 anuas : no pateo da Ribcira
n. 13.
l'recisa-se de urna boa cosinheira loria
captiva : no largo do Pilar n. 10.
mi
Aluga-se urna preta escrava para casa de
piuca familia ou honieni solti-iio, para cosinha :
quera quizer dirija-so a praca da L'niSo n. 8, que
se dir quem alura.
Tinta rxa de Mon-
tsiro.
Vende-se tinta roxa de Monteiro para escrever:
na loja de calcado do sobrado amarcllo da ra da
Cruz n. 2t.
Vende-se enchamels e travetas de lonro, se-
dro de varios comprirnentos e superi por precos inais baratos (|uo em outra qualquer
parte : a travessa do Carioca n. 2, caes do lia-
mos. _____
Vende-se fumo de Caraumns muito bom c
muito em conta, ehegado a pouco: na ra da
Caniboa do Carmo n. 10.
Vende-se urna taberna na ra de Santa Rita
n. 1, com frente para a ribeira do peixe : a tratar
no largo da Assambla n. 17. _______________
Penhas de ema.
Vende-se ra do Queimado n. 13, primeiro
andar.
Cera de carnauba
Vende-se na rna do Queimado n. 13, primein
andar.
Arrenda-se o engeuho Miuguito, miente c
corrente, moia legua distante da cidade do Rio-
Formoso, onde tem porto de embarque, moe com
agua, tem.maltas, muitos terrenos para qualquer
Vende-sc a taberna da ra Direita dos Af-
fogadu3 n. 42 com poneos generes e coromodos
liara familia propria para principiante: a tratar na
mesma.
Alegiai-vos myopes, prsbitas, ja po-
dis ver de longo, j podis ver de filo.
Dio ha mais vistas curtos, netn canfadi
F. J. Germano acaba de recel er r ultimo vapor um rico e variado sortimento
de oeulos, lunetas, pin cenez, lacc--mafn.
lorgnnns de ouro, prata; tartaruga, mnrfim,
ago, bfalo, ncar, unicornio e mel Itior;
assim como binculos de "urna a Ires mc-
dancas para tbeatro, campo e marinba da
rultima invego; duquezas, vienezas, de t;.
08 e 12 vidns, tudo dos melhores fab ic;.i-
tes da Europa.
O mc.-mo vapor truu-
xc tuna excelli'iite m;i-
china para gradanr e
observar o numero dos
vidros que se necessita
conforme a vista de
qualquer ptssoa.
Tem excellentes sterioscopos, instmn
tos de matheraatica, barmetros, viaros de
chrystal de rocha, e de cores para resj i
dar a vista ; concerla lodosos objecti
precos commodos e com promptidao ; tia
o mofo dos vidros e encarrega-se de toda a
encommenda relativa a ptica.
Recebeu tambem os excefkn ti relogirs
do antige afamado fabricanb bcrl > c
& C, os quaes vende apceos c inri
garantindo a sua superior qoaiidai'ft.
IScbonctc de ahatrdo.
DE
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que to
acceitaco tem merecido n'esla pimhm
muito se recommenda para a cura o tta
das impigens, sarnas, caspas e todas as
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu A C,
34rna larga do Rosario34. -
XAROPE PEfRORAL
DE
RABO DE TAT'
Vende-se, para qual uer engentvo dentante
ilesta praca, urna escrava de 17 annos, muito ra-
dia e habilidosa : a tratar com o niajor Antonio
eulura :*""entenderse'eomVbaeharefdris'tovo Jos Duaite na tbesouraria provincial, das 'J horas
Xavier Lopes, na ra da inftperntriz n. 44, segundo
andar. _
Jos I'eieiri^, cessionario de Jos de Olivt-ira
Campos e sua mulher Felismina Marimba de Cam-
pos, lilha legitima los tinados Antonio Jos Te-
xeira Castr e sua mulher, declara nue nao se
teodo leito o respectivo inventario proies'a contra
qualquer venda que faean os hcrdeiros ffeHe" dos
bens que existem.
^^Trecisa-se Je dous liuinens estran-
geiros, do prsferencia portugueses ou lies-
panhes, que qeiram empregar-so om um
engenho distante d'esta praca 18 leguas,
a tratar ra doLivramento n. 0, loja.
0
GOiES DE MOTOS IRMAOS
tendo feito completa mudanza em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe maiores proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoahnente
das 6 horas da manhaa s 9 da noute na
RA DO CABUGA N. 4
onde eiicoutrarao um completo sortimento do que ha de mais elegante,
bello e precioso em briihantes, esmeraldas, rubios e tudo que em obras
de ouro, prata e platina se pode desejar.
ADERECOS DE BRILKANTES, ESMERALDAS E RUBINS
de oovos gostos, assim como grande variedade de salvas e paliteiros (fe
prata contrastada e de gosto anda nao visto, e completo sortimento de
objectos de prata pura uso das igfejas,
Compram e trocam qualquer joia ou pedra preciosa e garautem
a qualidade dos objectos vendidos.
cy^
0 MUSEO DE JO

!
Vapor Paran
Hoje ao desembarcar do vapor Paran urna
pessoa de mkiha familia esqueeeu no beliehe urna
bolsa com dinheiro e nao pequea quantia: feliz-
mente o criado Sr. Paulino algumas horas depois
veto a minha casa dizerquo havia adiado a bolsa
e me a restitutria. Acto tao tonvavel nao deve
licar ignorado do publico, e o Sr. Paulino criado
a bordo do vapor Paran deve ser conhecido co-
mo homem honrado.
Uecife 8 de abril de 1869.
F. I. Tinoco de Souza.
Precisa-se de urna negra nara vender bolos :
na ra do Bom Jess das Crioulas n. 8, captiva gu
livre.
Precisa-se de urna ama para o servicio de
urna casa de pouca familia : na Soledade, ra de
Joo Fernandes Vieira n. ti.
Berna da Silva Rosas e sua mulher, rogam
peto presente a todos os seiis amigos e paren tes, o
caridoso obsequio de assistirem algumas missas
que mandaim resar sabbado 10 do corrente as
horas da wanhia na igreja do Divino Espirito-San-
to, pelo, repouso eterno d'alma de seu presadissimo
filtro JoaoCaprislano da Silva Rosas, tillocido na
cidade da Fortaleza capital da provincia do Cear,
em 10 de abril de 1868 ; por cujo obsequio Ihe
serao eternamente agradecidos. _____
Quem precisar de urna ama para cozinhar e
engommar : dirija-sc ao becco do Pocinho u. ti.
Carta perdida com
dinheiro.
Hontetu pelas 10 horas da manhaa" per-
deu-se da ra estreita do Rosario para
a do Queimado, um envelloppe fechado
coDtendo 2004000 e dirigido ao Sr. Dr
Vicente Pereira do Reg. (Juem o acliou
eleval-o ra da fado i a n. i8, ser ge-
nerosamente recpensado.
Bailar, Oliveira 4 C. saeam sobre a praca do
Porto.
Irmandade do Senhor Bom Jess das Bores
tendo do celebrar no dia U do corrente, na sua
igreja, e sob sua direccao, a testa de N. S da Sau-
d-, que por inconvenientes foi -aurferida para
esse oia, vem convidara todos e devotos
da mesma Senhora assistirem a sua-feata e con
correrem coai a esmola que me for possivel.
el A'c!
da manha s ;( da tarde.
Vende-se
urna escrava crionla bem preta e corpolcuta, co-
7,inba, lava, e tem principio de engommado, vinda
do Aracaiy hontem no vapor Pirapama : a tratar
na na do Vigario n. li, Io andar, cscriptorio de
Jos Lopes David).
Vende-se
um cabriolet todo retocado de novo, com arreios,
e por preco oemnKido : no pateo do Hospital, co-
cheia de carros fnebres ns. 10 e l
Vendem- e diversos escravos pecas viudo>
do Cear no ultimo vapor, proprios para qualquer
sefvico de armazem ou engenho, assim eon o um
escravo por 150 com um braco inutilizado, e di-
versas osera vas com habilidade e sem ella : a tra-
tar na ra da Cruz n. 65, 3o andar.
Vende-se i delicada criouliuha de idade 13
anuos, reeolhida c bem educada, 2 bonitas mole-
cas de idade 15 a 10 annos, 2 boas escravas com
todas as habilidades, 1 dita propria para engenho,
I mulato de idade 20 annos, bom cozinheiro e co-
peiro, 6 negros de meia idade : na travessa do
Carmo n. 1.
Vende-se um sitio na Torre : a tratar com
Constancio Manta no mesmo lugar._____^___
Vende-se urna casa terrea, com trras, sita
no Arraial. juntamente urna casa principiada ao
pe da mesma com cacimba d'agua doce : a tratar
na mesma casa.
Vende-se um sitio a margemda estrada de
Jaboatao no lugar de Tigipi, com nina grande casa
de.tijolos. e baixa de capim,com diversos arvoro-
dos e. um cercado para aniniaes : quem pretender
dinja-se a Cinco-Ponas n. 71, taberna. ____
Vende-se a casa terrea de pedra e cal sita
na cidade de Olinda rna do Cabral n. 10, por pre-
co commodo : a tratar com Braga Gomes & C, a
ra da Cruz n. 36.
Vende so quatro mil alqueires de sal fabri"
eado no engenho Itapepoca ao norte da ilha lia-
marac ; os pretendentes dirijam-sc a ra da Glo-
ria n. 70.
Vende-se o sitio n. 2 na travessa da Cruz de
Atinas, com grande casa ds pedra e cal com 4
quaros, 2 salas, cozinha fra, cncheira, estribara,
quarto para criado, bem que necessite de algum
conc rto ; este sitio tem grande cacimba de pedra
e cal com boa anua de beber, bastantes aores de
fruclo e boa baixa de capim, e e em terreno pro-
prio. Tambem poder-se-ha trocar por duas casas
terreas em Santo Antonio e Boa-VisM : a tratar
no sitio de Msenbor Muniz Tavares em Parna-
meirim.
No armazem de Henrique & Azevedo
ra da Cadeia n. 34, ha para vender vi-
nhos puro^ das marcas segaiotos:
EM ANCORETAS
Collares.
Alcobaca.
Bocellas.
KM CAIXAS ENGARRAFADO.
Alcobaca.
Bastos.
Branco lino (de Torres Novas).
BuaeHas.
Carcavellos.
l'orto, braco e tinto.
Moscatel de Setnbal.
PLANTA DO BRAZIL.
E' expectorante o recommendado as
nfecoes do peito, bronebrte chronica he-
moptise, e tosse chrocica.
PREPARADO
ruR
Joaquim de Ameida Pinto
PIIARHl tlUTICO
Pernambuco ra lardo ao
Rosario n. 10.
= Vende-se um cavallo para cabriolet cramb
e bastante gordo : a tratar na praca da Innepen
dencia n. 1 o 8.
VENDE-SE
Por COOOOO urna criouhnlra de 9 annos, de nwiW
boa moral e saude : na ra da Imperatriz, loja
PILULAS, Y10
E
XAROPE
DE
JURUBEBA
PREPARADOS
PFLO
PHABMACEUT1CO
loa|iiiii d'.tlmelda Piulo.
As preparacoes de Jurubeba, sao hoje
ventajosamente conhecidas e preconisadss
pelos mais habis mdicos, tanto da Euro-
pa como do paiz, pela sua eflicacia nos
casos de anemia, cbloroze, hydropcsias
obstruego do abdomen, etainbem nos de
menstruacodiificil, cathatTona bexiga, etc.
Vendem-so em porcSo e a retalho na ci-
dade do Recifc, pbarmacia do seu composi-
tor, ra larga do Rosario n. 10, junto ao
quartel de polica._____________
HmWkS ASSUC4R4DA8
DO
DR. PATERSON
le lisnuitli e Hiasticzia.
Remedio por excellencia para combat*
a magreza, facilitar a digesUSo, fortificar
estomago etc.
DEPOSITO ESPECIAL.
Pharmacia de Bartholomeu A C.
31------Roa larga do Rosario------34.
ftSTMA E PTISICA
Un desobrlaueato c*ipa O xarope de fedegoso, de Pertiamboco,
preparado pelopharmaceutico J. de A. Pto-
to, cura.radicalmente apthisic.i eastlima.e
todas as molestias dos pulmoes.
Podo -ver-se os MeMtados de curas no
nico deposito das preparte8es deiIMffo|
d'est.
1 junto ao quartel de poli-
n. !0



Diario de Pcrnambuco Se la feira 9 Je Abril de 1869.
Lindos cortes do cassa de cor com barra.e com laurino indicando o molde do vesti-
do pelo baratissimo preco de 3o00 o corte
Ditos de pcrcalia multo modernos com (loas saias a 5-5000 ris
a toja das Columnas da ra do Crespo n.!3de Antonio Correa de Vascon-
ct0SdcC.
ECO CORRERTE D05, CHAPEOS DETsOL
Da fabrica de
&c.
Cabug n. 8
Ra Nova n. 23,
Pernambuco
a m; 26
a 143;
Chapeos de seda trancada, Paragon, de ti> bastes, 2S pollegadas
pollegadas a 15*, e 2i pollegadas a 14^000.
Ditos de seda G. de N. Bara, de reo.* de 16 hastes, 28 pollegadas
de 20 pollegadas a 130; e 24 pollegadas a 120000.
Ditos de seda G. de N. lisa, de ac, de 12 hastes, 28 pollegadas a 120 ;
26 pollegadas a il& : e 24 pollegadas a 100(00.
Ditos de alpaca, de ac, de 12 basts, 23 pollegadas a 0,5; e 20 pollegadas
de
a 55500.
Por duzia faz-se descont de 15 0[0
de 8 hastes, 24 e 20 pollegadas a 320
Chapeos de sol de pnn.no, de baleia,
i duzia. (Descont dff 10 Ditos do panno, de junco, 8 hastes,
a 185000 a duzia, liquido.
ALTAS NOVIDADES
PASSO
Ba do Crespo n.
Impc
PARA CASAMENTOS. BAILES, JHEA-
TKOS, etc. i
Lindos cortes do blond, contendo setim,
mantas e grinaldas.
Requissimos cortes de sedas assim como
para co vados.
Gurgurao branco.
Moireantique branco azul e verde.
Gros-de-naples brancos e de cores.
Setim branco macau.
Setim, branco, azul, verde, c6r de rosa
e amarellos.
Fil de seda, branco e preto.
Cortes de.seda com duas saias.
Chales de gurgurao de seda de cores.
Camisas bordadas para homens.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas bordadas .
Fronhas de linho bordadas com primor.
Lencos de cambraia de linho bordados.
A, esquina da do
.simas colchas de damasco de seda,
;. .no de seda e algodao.
Da., de crochet para cama.
Chapeos de seda bordados, para sol,
Poil de chevre de lindas cores.
Alpacas de lindas cores.
Chapelinas de palha da Ralia, assim
oemo de seda.
Enfeites para cabeca de senbora.
Espartilhos para senhoras.
Meias de laia para padre.
Ditas de 13a
Ditas de seda fio da Escossia e algodao.
para senhoras e meninas.
Lencos de labyrintho.
Froohas de labyrintho.
Bicos, rendas e grades.
Finissimas cambraias de cores, percales,
las, e outros muitos artigos de gosto c
de alta novidade, isto s
Na loja do Passo ra do Crespo n. 7 A, esquina da do Imperador.
Grande liquidare de iniudezas !
Affonso Moreira Temporal, querendo liquidar as miudezas existentes em sua
loja ra do Queimado n. 55, resolveu annurciar as mesmns miudezas, para que o pu-
blico se certifique do diminuto preco porque as est vendendo, a saber:
Caixa com agulha franceza a
Caixas com 100 envcloppes a.
Pecas de babadoseentre-meios
a 500, 000, 700, 800 e. .
Pecas de fita ce coz com 10 va-
ras a ........
Linha de marca, caixa com 10
novellosa .:....
Coques muito finos com rede, s
a rede val......
Frascos cora santos muito finos
a.........
Latas com banba (famiiia), a
100 e........
OarSo com alfinetes a .
Copo com opiata muito fino a
400 e.......
Cartas francezas a 200 e .
Ditas portuguezas a 120 e .
Caixa de linha do gaz branca 50
novellos a......
Frasco com tinta a 100 e .
Frascos com banhaa 320 e. .
Frascos com agua de Colonia
Piver a. .....
Pentes de travessa para cabello
de meninas, s a vista faz
f, a........
Lia para bordar, libra. .
Tsovello de linha grande com
400 jardas, S a vista faz
f a........
Pares de liga de borracha para
pernas de senbora, muito
boas a .......
Franja branca para toalha vara
a.........
100
500
15000
500
240
15500
15200
200
100
Resina de papel almaco, muito
boa fazenda, com 85 cader-
nos a....... .
Caixa com papel amisade a .
Jogo de vispra a.....
Sapatinhos de la para meninos
a.........
f'ecas de tranca c caracol a .
S.abonetes de todas as qualida-
des a 80, ICO c .
Frascos com oleo babosa a
400 e.......
F'iBceis para barba a. .
Gaz a........
eos com agua de Colonia a
320. 400 e......
500 Pentes com costas de metal .
240 Carteira de marroquim a .
100 feotes pretos para tirar piolhos
Cscovas para cabello a 400,
000 500 e .......
160, Garrafa com agua divina a. .
400 ; Grvalas de seda de cor a .
Ditas pretas a 400 e .
15000 Itotes de louca para camisas, a
Garrafa de tinta roxa a. .
Loncos brancos para mos
320 a. ......
65800 Par de suspensorios para ho-
mens a.......
Espelho de toucador a .
60 Frasco com cheiro muito fino
a.........
Bandeja para copos a .
60 Meias cruas para homens, boa
fazendaa 3.5, 35600, 45 e. .
200 .botoaduras para rolletes a .
25800
700
400
200
600
. 200
320
500
320
400
200
600
15500
320
500
160
800
240
200
25500
15000
400
45500
320
Apprtna&o
ia acadmit
tUntdccine
4$ Parto.
Aspre
Hwmifc
laurnd
ieecadtmta
i citein:
rac5es ferruginosa liquida lem desde muito annos merecido a approvacSo
especial dos mdicos, porque ellas obrJo mais rpido e seguramente do que as ptalas, e
sao mais fcilmente toleradas pelos doentes. Os Pos ferro-manganicos possuem a inappre-
ciavel vantagem de poder offerecer n'um instante urna agua ferruginosa gazeosa, de gosto
agradavel, mais activa do que as aguas mineraes, e contendo de mais um elemento precioso,
o Manganese, que sempre se acha no sangue, junctamente com o ferro. Empregao-se em
todas as-molestias que tem por causa o empobrecimento do sangue, assim como para vigorar
os temperamentos debis e lympbaticos. A Morse, as Peraat brancas, dores 'estomago,
a irregularidade da menstruacio e ameuorrha ou suppressSo do menstruo, cedem rpida-
mente a sea emprego. Devenios mencionar aqu um faci notavel, isto que os doentes cura-
dos pela agua preparada com estes pos estio muito menos expostos a recadas do que
aquelles que forao tratados pelas preparacoes ferruginosas ordinarias.
Deposito em Pernambuco, tm casa de W O.
izmsmzz
PASTILHASPEITORAES
de SUCCO deALFACE
E LOURO GEREJO
CiTaRRHOS
E' este o mais novb e delicioso confeito al agora conhecido. Por isto tem adquirido r-
pidamente a popularidade de que goza. Os medico os mais dislincios o aconselliSo contra
as tosses, defluscos, calarrhos, tosses convulsas, catarrhos epidmicos, irritacScs do yeito. Com
grande empenho o procurio as mes de familia, assim para ellas como para as enancas, pois
primeiro que tudd inoffensivo, e as suas propiedades adocantes nao deixo nada a desejar.
B Deposito em Pernambuco*em casa de Manrer e O*.
m^^^s^^s^^^y^4^^^^^^^^^^^^m
r*
TASSO IRMAOS
Tem para vender ein scus armazens, alera de ou-
tros, os seguinles artigos :
Papel para imprimir.
Perlina azul.
Greve pautado liso.
Vinlios em caixas de doze garrafas
Bourgogne.
Hery.
Madcira.
Hennilagc.
Chamiilis.
Licor de cura?o de Hollanda em caixas de vin-
te e quatro botijinhas.
GESSO,
Nos armazens do Tasso Irmaos.
Grades de ferro
para jardins, porteiras etc.
Nos armazens de Tasso Irmaos
t MtltlM.O* E FERRO
Para servicos de grandes armazens, paTa remo-
ver barricas ou caixoes de um para outro, lado pelo
mdico preco de 12000 cada um.
Farinlia de trigo de Trieste
Das melhoras marcas Panonia (verdadeira) Fon-
lana o grande sorliraento das memores marcas de
farinhas americanas.
Saceos de fariiilia de trigo do
Chile
Todas novas, chegadas ltimamente nos arma-
zens de Tasso Irmaos.
Cemento remano
Nos armazens de Tasso Irmaos.
Cemento hydraulieo 12$
O molhor para tudo sjue sao obras para agua, co-
mo assentamento de canos de esgoto, algerozes, de-
posito, tanques d'agua, etc., etc.: em porc5cs de
cincoento barricas se far reduccao no preco : nos
armazens de Tasso Irmaos.
Cemento Portland
O verdadeiro cemento Portland em crea de Tasso
Irmaos.
Grades de ferro, cercas, por-
teiras, etc., etc.
De differentes qualidades para cercados de ani-
maes, chiqueirospara galinuasou jardins : nos ar-
mazens de Tasso Irmaos.
Barris com bren
Nos armazens de Tasso Irmaos.
CANOS DE BABEO
Na ra Nova de Santa Rita, na antiga fabrica de
sabao, ha para vender por preco o mais mdico
possivel, canos francezes para edificacoes e esgo-
tos de toda aquaiidade, superiores a todos os que
;;>]ui tem apparecido pela sua solidez.
PRECOS.
1*400 por cano grande de 3 e meia pollegadas.
lOO por dito de 2 e tres quarlos de dita.
1000 por dito de 2 c um quarto de dita.
500 ris por pistoleta de 2 pollegadas.
Cotovellos, curvas e canos de maior grossura,a
vstase far o preco. Compras maiores de 200
tem 5 por eenlo de desenlo por prompto paga-
mento. Pde-se ver as amostras nos armazens
de Tasso Irmaos.
Tijolos francezes
21
VERDADEIRAS
PILULASDEBLANCARD
r*
CON IODURETO DO FERRO IRALTERAVEL
APPROVADAS PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARS, ETC.
Possuindo as propriedades do lodo et do ferro, eonvem especialmente bu AmccoS
scufiFULosAS, a Tsica no principio,a fraavesa de temperamento e tambem nos casos de
Falta dk cor, amf.norrhk, em que precisareagir sobre o sangue seja pan restituir
lhe a sua riqueza e abundencia normaes, ou para provocar regular o seu curso peridico.
K. B. O iodnrato d. ferro impura on atorado i im medicamenio infiel.
Irritante. Come prora de pnreu de aatheneidade dai vardadelrsa rl-
He niancard, deTC-M exigir nosso ella ate prata reactiva *
so ora. aqu reproduiida, qne u aeba na parta inferior 4a Ut
rotula Tarde. Dere-se desconfiar da faliificaco^s.
kArham-e eaa eda# yhawaMraiaja Htmrnaet%He, nta ttmmpmrt*, 40, Pmri*
lrritanle,
k lula. d<
^^ no50
|^ rete
1 Bk"
Para ladrilhar casas terreas comasseioe preces
aprios para ladri-
llaos de cosinhas em sobrados," pelo scu asseio e
mdicos, muilo convenientes e proprios para!
evitar a passagem de aguas para o andar inferior
e mesmo o perigo do fogo, aos procos de 30000 a
450O0 o millieiro : na ra Nova de Santa Rita, na
antiga fabrica de sabao, e compras maiores de 200|
se far 5 por rento de descont por prompto paga-
mento. Podem-se ver as amostras nos armazens
de Tasso Irmaos.
Velas de esparmacete verdadeiras para lan-
ternas de carros: noarmazem de Tasso Irmaos.
Vinho do Porto fino superior: no armazem
de Tasso Irmaos.
O melhor cognac Gauthier Freres : no arma-
zem de Tasso Irmaos.
Esteiras da India
Em casa de Tasso Irmaos vende-se esteiras da
India de diversos padroes e larguras, por preco
commodo.
/\C liTTMrAC em todas as partes do mundo, empregam,
\JO MijIJlLiUSe o phosphato de fero solnvel de Leras, p
noso
assegurar
do sangue
chymica, inspector
com o maior xito,
para curar a cfalorosis
(cores paiidas), as dOres do'estomago, e a exhatsUcSo do sangue; cm esU preparacSo. do
ao corpo o vigor, e s carnes, a sua firmeza natural; facilitam o desenvolvimento lo labo-
da puberdade. Com effeilo, todo, n'esle medicamento, se acha reunido para lhe
o maior crdito, pois que entram, na sua composiefio, os elementos dos ossos e
0 seu autor, 11. Leras, doutor sm sciencias, pharmaceulico, professor de
da Academia, foi, recenteinente, condecorado da ordem da Lep3> de
HoDrardigrrecompensa dos seus importantes xabalhos.
As seguintes apreciacoes dos mais celebres mdicos anda vem corroborar e justificar
todo estes litlos confianca publica : .
c Precisa classificar o phosphato de ferro soluvel entre os ferruginosos que memor
eonvem aos doentes cojos oreaos digestivos rapportam mal as preparares de ferro.
SOUBEIRAN, professor na Escola de medicina e de pharmacia.
c 0 phosphato de ferro soluvel em quant) a mim, a melhor das preparacSes ferrugi-
t nosas, e o sen emprego d os mais promptos i) seguros resultados.
ARAN, r,iedico do hospital Sainte-Eugnie.
OLEO DE HOGG
DO
Figados frescos de bacaHio
Para cura certa de phtisica, affec^oes escrofu-
losas, to bilidade geni, recommenda-se a exccllencia dcste
oleo ainda por ser agradavel no paladar.
VENDE-SE
HA
Pharinacia e drogara
DE
BARTHOLOMEU & C.
34 = Ra larga do Rosario = 34
t A
as pilulas
fdrma liquida do phosphato de ferro soluvel d-lhe urna immensa vantagem sobre
ilulas; eu considero este medicamento orno mui superior s preparacSes iodadas.
ARNAL, medico de S. M.o Imperador.
t Entre todos os ferruginosos, nio conhecemos um s que obre Uo prompta e efBcazmeate
como o phosphato de ferro soluvel, e isso, em cansar o estomago.
BELLOC, BAUME, BIGOT, FOLLST e PRVOST, mateos dos hospitaet.
e Os effeitos da preparaclo de phosphato de ferro soluvel me parecem ser mui seguros
e promptos. BEBOUT, redactor em chefe do Bulletin thrapeutique.
c Entre todas as preparares ferruginosas, o phosphato de ferro soluvel foi a que sempre
me deo os melhores e mais satisfactorios resultados. GUIBOUT, medico dos hospitaet.
0 phosphato de ferro soluvel tem, sobreudo, a vantagem de evitar a conspacto e
Dr FAYROT.
c eonvir aos temperamentos delicados. >
Deposito em Pernambuco, em casa de
I.urrr a O*.
CAPSULAS MOLES
DE
ALCATRA
Remedio por excellencia para ura rpi-
da e completa das coqueluches, bronchiles,
atarrhos, tosses convulsivas, escarros san-
ruinos, e outras molestias do peito.
NA
PILVRMACIA E DROGARA
DE
Bartholomeu A C.
34RA LARGA DO ROSARIO31
AO BAZAR DA MODA
Ba Nova n. 50, esquina da ra de S. Amaro.
NOVIDADES

Para senhoras.
COQUES da ultima moda, enfeitados e lisos, gran-
de sorti Tiento.
CHAPELINAS de palha da Italia, guarnecidas com
delicados e elegantes enfeites brancos e de cores
CIIAPEUSINIIOS e gorras de velludo e de pennas
(alta novidada I) de palha da Italia, a emtiacao,
especial sortimento.
CINTOS de cores e pretos, rico sortimenio ulti-
ma moda.
TAMISAS bordadas por commodos precos.
LENCOS bordados e com letras, novidade neste
genero
LEQES a emitacao de marfim, gosto novo e de
sndalo.
GOLIN'HAS e punhos, a emitacao de guipare.
ENFEITES pretos e de cores para cabeca, lindos
moldes,.
GUARNigo alta novidade I a Marie Rose, lti-
mamente usada em Paris.
CORPINHOS de guipure brancos e pretos lindos
modelos. K
BORNOUS de laa e seda, cores claras, elegante
moda em Pars.
GRINALDAS de flores finas
ESPARTILHOS superiores.
MEIAS snpe ores de fio de Escocia.
LUVAS de pelica chegadas pelo ultimo vaoor
ADERECOS de coral verdadero e camafeo gosto
delicado. *
DE PALHA
GUARNIOES para vestidos.
TRANCAS para enfeites de coques.
BOTOES lisos e com pingentes para vestidos.
CINTOS alca novidade.
FLORES finas, grande sortimento.
3RINALDAS de ditas para coques.
LAGOS, fivelas, penachos para enfeites.
Para horneas.
deli-
CAMISAS com peitos, colarinhos e punhos
nho fino, lisos e bordados, moda,
COLARINHOS de linho e algodao.
PUNHOS de ditos. (
GHAVATAS de todas as qualidades.
BOTOES para punhos e guarnieses para coletos.
CORRENTES de plaqu a emitacao do ouro, lin-
do gosto.
CHAPEOS de pello de seda, forma a Rotchil, qua-
lidade superior.
CHAPEOS de seda, para sol.
MEIAS de superior qualidade.
BENGALINHAS finase chicotes.
LUNETAS aro de acp e tarturaga.
Para crlaueas.
VESTUARIOS completos para baptisados.
SAPATINHOS de merino e setim enfeitados.
MEIAS de seda e fio de Escocia.
CHAPEUSINHOS de palha da Italia.
TOUCAS de fil e setim enfeitadas e. de chroch.
BUNECAS vestidas, muito bonitas e diversos
brinquedos.
Perfumarlas finas.
de Murray k Lan-
AGUA FLORIDA verdadera
man New-Yorlc
TNICO oriental, verdadeiro.
AGUA DIVINA de E. Coudry e superior agua o I
essencia de Colonia.
ESTRATOS e essencias finas e de agradareis aro-
mas para o lenco.
VINAGRES aromtico? para toilet.
POS DE ARROZ para araaciar a pelle ; em pce-
les e ricas caixiahas com arminho.
POS superior para-limpar os dentes.
COSMETIQUES de fina qualidade.
SABONETES, grande sortimento deste genero e
de superior qualidade.
LEOS de philocome, babosa e antiques.
BANHA fina para os cabellos.
AGUA de flores de laranja.
CREME de sabao para barba.
Caixas preparadas com perfumaras finas.
Hludczas linas.
SUPERIORES fitas de grosdenaples de todas as
cores e larguras de veludo prelo e.de cores, e
gurgurao para cinti
BABADINHOS e entremet bordJBe.
GUARNICOES de seda 4m| Kara -enfeites de
TRANCAS pretas com vidrilhos e pingentes.
ROTOS de cores, brancos e pretos com vidrilhos
lisos c com pjngentes.
DEDAES de maa. tperola, de marfim, de co e
metal.
THESOURAS finas para costura e unhas.
CAIVETES finos eom quatro folhas. Emuitos
outros artigos de miudeas que se torna enfa-
donbo menciona-los.
Tudo se vende por presos bastante commodos.
IiOJTA
DO
GALLO VIGILANTE
Rna lo Crespo n. 9
Os proprietarios desle bem conhecido eslabele-
cimento, alm dos muitos objectos que tinhain ex-
postos a apreciacao do respeitavel publico, man-
da ram vir e acabam de receber polo ultimo vipor
da Europa um completo e variado sortimento de
linas e mui delicadas especialidades, as quaes es-
lao resolvidos" a vender, como de seu costuuie,
por precos muito baratinhos e commodos para to-
dos, com tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, bran-
cas e de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas gollinhas e punhos para sc-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfeites para canecas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas c de cores com vidri-
lhos e seni elles; esta fazenda o que pode lia ver
de melhor e mais bonito. '
Superiores e bonitos Jeques demadreperola,
marfim, sndalo e osso, sendo aquelles brancos
com lindos desenhos, o estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 30000
a duzia,'entretanto que nos as vendemos por 203,
alm destas, temos tainbom grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas.
Boas bengalas do superior canna da India e
castao de marfim com lindas e encantadoras figu
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
quanlidade de outras qualidades, como sejam, ma-
deira, baleia, osso, borracha, eje. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicofinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marfim c tartaruga para fazer
barba; sao muito boas,e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguramos sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para croxe.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labvrintho.
Rons baralhos de cartas para voltaretej assim
como os tentos para o mesmo fim.
Grande e variado sortimento das melhores per-
fumarias e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsoes, e
facilitam a denticao das innocentes enancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e,continuamos a recebe-lOs por todos os
vapores, alm de que nunca fallem no mercado,
como ja tem acontecido, assim pois poderao aquel-
les que delles preoisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontrarao destes verda-
deros collares, e os quaes attendendo-se ao fim
para que sao applicados, se venderao com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos objectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7._______
A NOVA ESPERABA
Ra do Queimado-=21
L para presentes
A Nova Esp#ranca, roa do Queimado
n. 21 tem um variado sortimento de objec-
tos de gosto e pliantasia proprios para pre-
sentes, sobresaliindo entre elles ricas caixi-
nbas de bano com finas perfumaras, cos-
turaros de chagrn, agulbeiros de madre
perpla : assim, pois, quemquizer fazer um
!in4a olorta, dirigir-se Nova Esperanca.
ra do Queimado n. 21.
Collares anodinos ellectro-magnett
eos contra as convvlccs da*
creancas.
Nao resta a menor duvida, de que muito
collares se vendem por ahi intitulados o
verdadeiros de Hoyer, e eis porqae muito
pais de famjlias nao creem (comprando-os)
no eleito promettido, o que s.pdem dar'.
os verdadeiros; a Nova E*peranca, porm
que detesta a alsificaco principalmente no
que respeita ao bem estar da liumanidade.
fez urna encommenda directa destes collares
e garante aos pais de familias, que s5o os
verdadeiros de Royer, que a tantas crean-
cas tem salvado do terrivel ineemmodo de
convulges, assim pois precise, qne *e-
nham a Nova Esperanca a ra do Queimado
n. 21 comprarem o salra vida, para seu
frlbinlios, antes que estes sejam aeommetti-
dos do terrivel mal, quando entSo ser di-
ffieil alcanrar-se o effeito desejado, embora
se>am empregados os verdadeiros eollare
de Royer.
Para extinguir as sardas e
panno
Recebeu a Nova Esperanza,
Queimado n. 21, leite de rosas,
para extinguir sardas e pannos.
BONEGA DE CERA
A No*a Esperanca a ra do Queimado n.
21, xa}-* de receber um completo sorti-
mento de finas bonecas de cera de diver-
sos tamanhos, sendo as maioses do com-
primenlo d'um covado ; estas bonecas tra-
zem bonitos coques e botinas, bavendo en-
tre ellas algumas que f;ilam e outras qufr
cloram de sorte que fcilmente podem ser
preparadas, e fazer-se um presente de muita.
acceitco.
Finas caixas de tartaruga para rap ven-
dem-se a ra do Queimado n. 21 na luja-
da Nova Esperanza.
Modernos brincos de sndalo, s se en-
contrarao na Nova Esperanca a ra do
Queimado n. 2i.
MEIAS DE LAA
A Nova Esperanca a ra do Queimado n.
21, acaba de receber um espesial sortimen-
to de meias de laa para homem e senhora.
CONTRA AS CONGESTES
mal terrivel a congestSe fulminante:
de repente leva um individo, d'esta para
milhor vida, sem dar-lhe tempo de receber
converja medica; deixando as mais das
veses mullier e filhos no mais amargurado
pranto; ajova Esperanca que deseja pres-
tar servir/bs recorreu a Vojer, o qual lhe
manden anneis elctricos magnticos, como
o nico preservativo para semelhante mal
elles antes que se acabem : na Nova Espe-
ranca-
NAVALHAS
A Nova Esperanca a ra do Queimado
n, "21 recebeu um sortimento de navalhas,
de qualidades, e tamanhos especiaes assim
como afiadorese massas para as mesmas.
ra do
especiaJ
Macarthy
Hachinas de descarocar algodao.
Hoje qae est reconhecido que as machinas de
serrote prejudicam c quebram a fibra do algodao,
6 preciso recorrer a maclnismo menos spero,
que produzindo o mesmo servico que aquellas, e
facilidade no trabalho, nao quebrem a fibra da laa,
para que essa possa obler-nos mercados europeos,
a differenca que ha entro o algodao dc.scaro<*ado
por aquellas mencionadas machinas, que eslao fi-
eando em deauzo, pelo prejuizo que tem causado,
e o da antiga bolandeira, que nao pode competir
pela morosidade de seu trabalho. E' assim que
estas machinas se tornam as mais proprias para o
nosso algodao, porque ao par da faeilidade e
promptidao conserva a fibra da laa, que limpa por
ella, e qualificada na Europa a par da melhor bo-
landeira, valendo assim entre 10 arrobas 20 0/0
mais do que a laa limpa pela machina de serrote.
Estas machinas nao sao novas, pois que ha muito
estao adoptadas no Egypto, aonde as de serrote
foram inteiramente abandonadas, e por isso o algo
do daquella procedencia, sendo da qualidade do
da nossa provincia, obtem hoje de 10 arrobas 20
0/0 mais do quo o nosso : vesdem-se a 1304000
uos armazens de Tasso Irmaos.
Oleo de ameudoas
Em caixas de 8 latas, cada caixa 100 libras :
nos armazens de TassoJIrmos.
Charutos da Havana.
Excellentes charutos da Havana e por baratissi-
mo preco : em casa de Tasso Irmaos, ra do
Amorim n. 35.
Capsulas de Raquim
Os bons effeitos destas capsulas para fazer ees-
sar os gonorrheas acham-se comprovadas pelas
experiencias de muitos annos.
Os mdicos de todos os paizes tt recoramendam
pela sua efficacia.
VENDE-SE
Pharmacia e drogara
Y
BARTHOLOMEU C.
Ru34a larga.do Rosario U
RIVAL SEM SEGUNDO
Ra do Queimado n. 49, loja de miudezas de
Jos de Azevedo Maia e Silva, tem para vender os
artigos abaixo declarados, tudo bom e baratissi-
mo, que sao para acabar.
Duzia de sabonetes muito finos a 700 rs.
Pares de sapatos de tapete para homem a 15280.
Ditos de tranca para creanc al|.
Tramoia do Porto, bordada, a melhor a 200 rs.
Dita do Porto liza, da melhor qualidade a 100,120,
160 e 200 rs.
Resma de papel almaco, lizo superior a 35200.
Dita de papel almaco pautado a 4j.
Livro de missoes abreviadas a 3.
Cartilhas com toda a doutrina e muitas resas a
320 rs. I
Silabarios portngnezes com estampas a 320 rs.
Baralhos francezes muilo finos a 200 e 240 rs.
Sabao inglez superior qualidade a 500 e 13.
Gravatas pretas e de cores muito finas a 500 rs.
Duzia de meias para senhora, fazenda fina a 43
Redes pretas lisas para segurar cabello a 320 rs.
Yuras de transa de seda de todas as cores a 600 rs.
Pares de brincos dourados com mozinha e pe-
dras a 320 rs.
Cart5es eom corchetes de duas ordens e sao de la-
to a 20 rs.
Abotuaduras de vidro para coleto ^nuito finas a
120, 240 e 400 rs.
Pares de botoes dourados para punhos a 160 rs.
Caixas de pennas de ac muito finas a 240, 320 e
500 rs.
Cartoes eom duzentas jardas de linha do fabri-
cante Alexandre a 100 rs.
Caixas de pennas de ac, a verdadeira penna a
13200.
Carriteis de linha Alexandre ns. 70,80, 100 at
200 a 100 rs.
Caixas com superiores obreias de massa a 40 rsJ
Carriteis com duas oitavas de retroz preto a 500 r#
Duzias de agulhas para machinas a 23.
Libras de pregos francezes de todos os tamanhos
a240rs,
Livrosescripturados para rol de roupa a 120 rs.
Caixas com papel amisade muito fino a 700 rs.
Caixas com cem envelopes da melhoi qualidade a
600 rs.
Talheres para meninos muito boa fazenda a
340 rs.
Vendem Augusto
Commercio, n. 42.
I
F. de Oliveira 4 C. ra do
Para familias
Grande Bazar, rna \ova ns. ao e
*- deCarnelro Vianna& C.
Acaba de chegar a este estabelecimento
grande porcSo de machinas para costuras do
autoiiaJVheeier Wilson, approvadas na ulti-
ma exposiejo de Paris, as. quaes cozem com
dous pospontos toda a costura, e tem a
vantagem de ser tao suave o movimento.
que qualquer crianca de oito annos fcil-
mente trabalha, e pode, com este entrete-
nimento, levar vantagem ao servico diario
de trinta costureiras. A comprehensao
simples, pois em um quarto de hora se ti-
ca senhor do movimento da machina, ten-
do a mesma a propriedade de fazer as se-
guintes costuras: pospontar, abainhar,
franzir, marcar e bordar, como apresentam
os desenhos que acompanham-nas. Os pro-
prietarios do estabelecimento se encarre-
gam de mandar ensinar n'esta cidade, e
garantem entregar o importe dispendido ao
comprador, no caso de n5o trabalhar com
perfeico a machina vendida, nao lendo,
porm, soffrido ella alguma avaria. Ha tam-
bem no mesmo estabelecimento machinas
do autor Grower Baker, de trabalho sim-
plesmente mo, e outras com movimento
dos ps; e mxime todos os pertences das
mesmas machinas, para vender avulso.
Tintura japoneza
Instantnea para tingir os cabellos e a
barba, a 1 9000 o frasco.
E' a nica approvada e recommendada
por ter sido reconhecida superior a todas
as tinturas d'este genero.
venda em casa de Gustavo Hervelin n.
51. ra da Cadeia n. 51.
Cemento de Portland.
?ende-se. no armazem de Vicente Ferrcira
Costa k Filho, na ra da Madre de Dos n. 11,
barris grandes.
GAZ GAZ GAZ
Chegou ao antigo deposito de Henry Forster &
C, ruav do Imperador, um carregamento de gas
de primeira qualidade; o qual se vende em partidas
a retalho por menos preco do que em outra qual-
quer parte.
FUNDICAO DOBOWMKN
Roa do llriiui u. 59.
Machinas de vapor.
Rodas d'agoa.
Moendas de canna.
Taixos de ferro, batidor fundido.
Rodas dentadas, paia moer com agoa.
vapor e animaes.
Alambiques de ferro.
Formas para purgar assucar.
E outros muitos objectos, etc. etc., pro
prios para agricultura. _________
. Manteiga
No largo do Carmo n. 1 vende-se superior man
teiga ingiera em latas de 1 e i libras, pelo pref
de 13300 a libra.
*
N
(
MPaVata*


r
v
i -
]
*
Diario de Peniainbuca Sexta feira 9 de Abril de 1869.
GRANDE LIQUIDACAO
A DINHEIROHA LOJA E ARMAZEM
^ DO ^,
DE
Flix Pereira da Silva, successor de Gama
& Silva
O proprietario (Teste estabelecinento convida ao respeitavel publico desta ca-
Sital a \ir surtir-sc no grande estabelecimento que tem defazendas, tanto da moda como
e let, e as pescas que negociam em pequea escalla, tanto da praca como do matto-
nesta casa poderlo fazer os seus sortimentos em pequeas e grandes porcSes, venoen-
do-se-les pelos preces que se compram as casas nglezas ; assimeomo as exoellentis,
simas amilias.'podero mandar buscar a:; amostras de todas as fazendas, ou mandare-
mos levar era suas casas pelos nossos caixeiros, para o que acha-se este estabelecimen-
to aserto constantemente desde s 6 boras da manhaa s 9 da noute.
O atoalhado do Pav3o AS CAMBRAIAS DO PAVO
Vende-se superior atoalhado de algodiio Vendem-se finissimas pecas de cambraias
cora 8 palmos do largura, adamascado a lizas transparentes tanto inglezas como suis-
2i5OO a vara; dito de linlio fazenda muilo
superior a 3^200 a vara ; guardanapos te
linho adamascados a 4 500 a duzia e muilo
finos a 80G0, e ditos econmicos a 3#00
a duzia.
Fastcs par vestidos brancos
a40.
Vendem-se os mais modernos fustes bran-
cos flexiveis com padies de listas e de
lpicos proprios para vestidos e roupas de
menino a 640 rs. o covdo, na loja e armr-
zem do Pavao ra da Imperatrizn. 60, de
Flix Pereira da Silva.
Clrosdenaples
Chegou para a loja do Pavao pelo ultimo
varpor um grande sortimento dos melhore:,
grosdenaples pretos e de cores, tendo verdt;
tambera, que se vendem mais barato que
em outra qualquer parte.
BABADINIIOS
Vendem-se finissimos babadinhos, tiras I
ROUPAS FEITAS
Na loja do Leao da porta larga
PORTO.
Ra daImperatriz n. 52, junto aloja deourives.
N'estc estabelecimento se encontrar ra da Imperatriz n. 52, loja do Paredes
sempre um completo sortimento de roupas Porto.'
feilas de todas as qualidades. Como se- Neste estabelecimento encontrar o respe-
jam: paletots de alpaca, de mermo, de tavel publico um completo sortimento de
casemira, bombains de panno preto, fra- fazendas e roupas que, se vende pelos ore-
ques e sobrecasacos de brius de cores e eos seguintes:
PardS' riMKKP^nun I aaw. fAZENDAS BRANCAS,
gaaii&as L blROULAb. I Madapolao de diversas qualidades e pre-
Encontrara sempre o respeitavel publico eos commodos, cambraia de 3,?500 411500
i bonito sortimento de todos os nmeros, e H, ditas victorias de 5500 a 42,5, pegas
Snri.mo WUA? ,CRUAS- ... <|e 881 liza o mais Gno que lia no merca-
Sortraiento de todas as qualidades, de do a 90, 400, 420. com 42 viras, e vara
sortimento de largura
um
30 a 50, assim como tambera
sas tendo mais de vara de largura, pelos
precos de 50000 at*IO0OOO a peca, assim
como flnissimos'organdjfs franco liso que
serve para vestidos de bailes, jwr ser muito
transparente a 40000, a vara, na loja do
Pavao ra da Imperatriz n. 00, de Flix Pe-
reira da Silva.
Alpacas tarradas
Cliegaram pelo ultimo vapor as mais mo-
dernas alpacas lavradas cora as mais lindas
cores, que se vendem a 40000, o covado,
ditas lisas tendo tambem cor de canna a
800 rs, ditas mescladas muito Anas a 4:200,
o covado, e outras muitas fazendas de gosto
e moda que se vendem mais barato do
que em outra qualquer parte, no armazem
do Pavao, ra da Imperatriz n. 60. de Flix
Pereira da Silva.
Roupas para homem
Vendem-se superiores palitts de panno
sobrecasacos forrados de alpaca c de seda,
bordadas e ntremelos mais baratos do que I amia" igte 7fi-an^m7oVo7peitos
ero outra qualquer parte, ass.m como espar- de esguiao.Vroulas francezasTlmh? eai
lhos dos mais modernos, no armazem de
Flix Pereira da Silva, ra da Imperatriz
. 60.
ALTA NOVIDADE
A LOJA DO PAVAO
Gurgurao de seda
Cbegaram pelo ultimo vapor os mais bo-
nitos gurguroes de seda, proprios para ves-
tidos, sendo lisos e lavradinhos, com mudo
godo, meias cruas inglezas superiores, ca-
misas de flanella e de meia de 15a, assim
como neste estabelecimento existe um grande
sortimento de pannos pretos, e de casemiras
inglezas de cores, e que se manda fazer
qualquer obra a contento dos Srs. fregue-
zes, e promette-se-lhes que serao servidos
cora a raaior promplido e muito mais ba-
rato do que em outra qualquer parte
de lencos de linho brancos e com barras
de cor, chinezes, bonitas gravatas pretas e
de cores. Ra da Imperatriz n. 52, por-
ta larga.
P.ARA ACABAR.
Urna grande porcao de calcas ordinarias
para trabalho a 640 e 800 rs. cada um par,
pechincha na loja do Leao junto a loja de
ourives.
GRANDE PECHINCHA,
Cassas he cores a 160 rs. o covado, na
460 RES O COVADO
Chita preta pelo barato prego de 460 o
covado na ra da Imperatriz n. 52 na loja
que tem um Leo pintado.
PANNO DE LINHO
Paredes Porto recebeu um sortimento da
pannos de linho, com 27 varas a peca e
173000 e 480000, na ra da Imperatrizn.
52,junto a loja de ourives de porta larga.de
Paredes Porto.
LENCOS DE LINDO
Vende-se lencos brancos de linho a 30,
a duzia para acabar na loja d
SEDAS DE LIS TRAS.
Recebeu-se um bonito sortimento d'esta
fazenda que se vende a 20500 o covado.
CHITAS.
Vende-se chitas escuras a 280, 300, e
320 rs. o covado.
GUARDANAPOS
Vende-se esta fazenda de linho, fazenda
boa a 40000 e 50000 a duzia.
* MEIAS PARA HOMEM
Sortimento de meias inglezas para ho-
mem a 40800 50800 e 60800 fazenda boa.
THOALHAS
Sortimento de toalbas de peluda "a 410
a duzia.
. LENC.0S BRANCOS a 20200 '
Para acabar lencos de algodSo a 20200
a duzia,
20000
Vara de bramante de linho
tem 10 palmos de largo.
CALCAS E COLETES.
Tem sempre no raesmo sentido um sor-
e menores, com
superior e
e Paredes Por-
to. Ra da Imperatriz n' 52 loja da. porta
larga que tem um Leao pintado, de Paredes timento completo a preco commodo.
Porto.
No armazem do Leo, ra da Imperatriz n. e 52, junto a loja de ourives.
lustro, garantindo-se que a fazenda mais "a | ?a ImPeratriz n. e Flix Perei-
-inda e de mais phantasa que esteanno tem ~
chegado a este mercado, e vende-se por cortinados
preco muito razoavel, na ra da Imperatriz Pai'a camas e janelias.
n. 60, de Flix Pereira da Silva. Vende-se um grande sortimento dos me-
CAMBRA1A BRANCA A 30500. i ln?res e maiores cortinados bordados pro-
Vende-se pecas de cambraia branca Prios Para Mmas e para janelias, que se ven-
transparente, com 8 e meia varas pelo ba-
rato preco de 30500, ditas muto finas tanto
tapadas como transparentes 40500, 50000,
60500, 70000 e 80000, assim como organ-
d muito fino tanto lizo, como de listas e
quadros na loja e armazem do Pavo ra
da Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da
Silva.
ALPACAS LAVRADAS PAILA LUCTO.
Vende-se na loja do Pavo, as mais mo-.
dernas alpacas lavradas para lucto, scndo^ma..(Iuarta ou um metro e meio d um
muitolargascpelo barato preco de'SOOrs. o
covado, so na loja e armazem do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da
Silva.
Cassas Inglezas a 110 rs o metro
Vende-se urna grande porco de bonitas
cassas inglezas tanto graudascomo miudi-
ahas e de cores fixas pelo barato preco de
440 rs. ometro,garcntindo-se que 7 metros,
d5o um vestido para qualquer Sra. s na
loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de
Flix Pereira da Silva.
Bareges a 400 rs.
S na loja do Pavo
Se vendem as mais bonitas bareges transparen-
tes, proprias para vestidos com listrinhas a imita-
yao de listras de seda, o vendem-se pelo barato
jreco de um cruzado cada um covado, nicamen-
te na loja e armazem do Pavo, ra da Impera-
"j'iz n. 60, de Flix Pereira da Silva.
COLCHAS PARA CAMA A 5000.
Vendem-se colchas de fusto damasca-
das para cama, pelo barato prego de 50,
grande pechincha, na loja e armazem do
PavSo, ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
COBERTOliES INGLEZES A 40, 4)500 E 50.
Vendem-se os verdadeiros cobertores
inglezes, de pura laa, pelo barato preco
de 40, 40500 c 50, assim como colchas do
fusto de cores, pelo barato preco de 30. na
loja e armazem do Pavo. ra da Impera-
triz n. 60. De Flix Pereira da Silva.
Madapolao enfestado a 8S500
Vende-se superior madapolao enfestado,
sendo muito encorpado, para carnizas, e
tendo cada pega 24 jardas, pelo baratissi-
mo prego de 80500, na loja e armazem do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60. De Flix
Pereira da Silva.
CHAPELINAS
ULTIMA MODA
Cliegaram para a loja do Pavo as mais
ricas e mais modernas chapelinas rica-
mente enfeiladas, com enfeites e fitas de
setim e de todas as crese com ricos bicos
de blond e as mais lindas e finas llores,
vendendo se cada urna pelo barato preco de
150000, garantindo-se seren muito mais
bonitas do que outras que se vendem em
outras partes a 2<0 e 250, e entre ellas
dem a 120000 rs. cada par at 250000 rs,
isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
Cretone para lenqes com 10
palmos de largura a 2$,
Acaba de chegar esta nova e excellente
fazenda branca propria para Ienges de um
s panno, garantindo-se que um metro e
oxcellente lengol de um s panno, assim
:orao esta boa fazenda tambem muito
[iropria para toalbas de meza, rosto etc. e
outros mysteres e vende-se pelo baratissi-
mo prego de 20 cada metro.
MOCAjMBIQUE PARA VESTIDO A 500 RS.
Chegou para a loja do Pavo um elegante
sortimento dos mais bonitos raogarabiques
proprios para vestidos com as cores mais
modernas e que se vendem pelo barato
prego de 500 rs. o covado.
ALPACO DE CORAO PARA VESTIDO A 1.3
Chegou esta nova fazenda com o nome
de alpaco, sendo de cordo e com mais
largura do qye a alpaca, com as mais finias
gires, como sejam Bismark, lyrio, perolas,
roso, cor de canna, magenta etc. e vende-
se pelo baratissimo prego de 10 o covado.
ESGUIAO DE LINHO DE 12 JARDAS A 105. .
Vende-se pegas de esguio de linho, fa-
zenda superior, com i 2 jardas cada peca, a
100000.
ALTA NOVIDADE
A
Loja do Pavao.
GURGUROES PARA VESTIDOS A 10000.
0 COVADO.
Cliegaram os mais modernos gurguroes
para vestidos, sendo de todas as cores, corno
sejam verde, azul, rosa, bismark, perola.
rxo tendo quasi quatro palmos de lar-:
gu-a e vende-se pelo baratissimo prego
de 10000, cada covado nicamente no ar-
mzem de Flix Pereira da Silva, na ra da
Imperatriz n. 60.
RETALHOS PARA LUTO NA LOJA DO
|PAVO.
Vende-se urna grande quandade de re-
tallios de chitas e cassas pretas por prego
muito barato, e quanto maior for a porgo
que. o fregu comprar, mais barato se lhe
vender na ruada imperatriz n. 60 de F-
lix Pereira da Silva.
Grosdenaples preto
Vende-se um grande sortimento do? me-
Ihores grosdenaples pretos, tanto lar-
gos como estreitos, sendo de 20000 rs. o
covado at 40000 rs. garantindo-se que
11--RUA DO QUEINADO-11
DE
AUGUSTO PORTO & C.
Receberam superiores vestidos de blond com manta e capella para noivas, que
vendem-se por prego? mais mdicos do que em qualquer outra parte.
SAHIDAS DE RA1LEdo cachemira branca ede cores o que ha de mais lindo.
RASgINESde renda preta, o de gorguro preto, o que ha de mais
elegante.
CHAPEOS DE SOLpara senhoras delicadamente bordados.
RALOESbrancos e de cores para senhoras e meninas, espartilhos, saias bor-
dadas, e saias de laa com barras de cor.
GORGUROde seda brancoe preto para vestidos, sedas de cores, moirean-
tique branco, e grosdenaple branco, de cores e preto, princezas, bombazinas pretas,
alpacas de muitas cores, e lindos cortinados bordada*.
CAM1ZASdt- linho para homem de diversas qualidades, camisas bordadas
para noivos, sobretudos, capas de borracha brantas e pretas, brira de cores e branco,
panos finos e casemiras pretas e de cor por commodos precos.
TAPETESgrandes e pequeos para sof e cama, tapete e alcatifas em pegas
para sallas, e continuara sempre a vender p>>r mdicos pregos as esteibas da india para
SALLAS.
EFFICACIA
DO
XAROPE DE RBANO IODADO
0 Xarope de Rbano iodado de Grimartt e O, pharmaeenticos dt i. A. I. o princine
naptle&o, em Paria, preparado com o sneco da plantas anti-escorbneas coia efficacii A
mu popular. ""*"*
aJSZTE a 5*. como>lMnaco orgnica, e considerado como o melhor succedaneo
do oleo de figado de bacalho.
A rara perfeico d'este producto anima-noa a dar a rahecer aqni a opinilo de alema
a entre os pnncipaes mdicos de Pars, qne diariamente o prescrevem.
"-*8?^ de Rabano odado nm medicamento d'nm effeito suave e segnro para a
t medicac dos meninos, nao smente snppre o oleo de figado de bacalho, mas ainda fu
as suas veaes com vantagem. '
Dr A. CAZENAVE, medico em chefe do hospital Saint-Louis, em Parit.
. *tP X?r0De d Rbano iodado nm medicamento de primeira ordem para o tratamento das
t aiieccoes lympnaiieas e escrofulosas. Muitas vezes, empreguei-o com feliz xito, em certos
t casos de tsica ao sen principio, como succedaneo do oleo de figado de bacalho.
D' A. CHABR1ER, antigs chefe de clmica daTou,ldade de Parit.
0 Xarope de Rabano iodado sempre nos deo excellentes resultados como regenerador
do sangue, e succedaneo do oleo de figad* de bacalho. swwwrar
( D' A. FAVR0T, autor do Traite da maladiu des femmet.
. lf \a** d Rabw iodado nm dos mais poderosos modificadores das censtitoic5e
tymphaticas. Tenho visto ulceras escrofulosas qne nada poda curar, cicatrizarem-se,
! El8 8* SM f0^0!com proropdSo extraordinaria. Tambem, pelo seu uso desapparecem
t as afleccoes tuberculosas dos ossos, nos meninos.
D' GUESNARD, anligo externo dos hospitaet de Parit.
0 Xarope de Rabano iodado possue todas as vantagens do oleo de figado de bacalho,
sem ter nenhum dos inconvenientes que aprsenla este ultimo medicamento.
falBOUT, medico dos hospitaes, Presidente da Sociedade de medicina de i
O cordeiro previdente
Una do Queiiuade u. 16.
Novo e variado sortimento de perfumaras
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, de que ellectivamente est provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro imento que se torna
notavel pela variedade de objectos, superiori-
dade, qualidades e commodidades de pre-
gos; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
e espera ctjptinuar a merecer a apreciagao
do respeitavel publico era geral e de sua
boa freguezia em particular, nao se afas-
tando elle de sua bem conliecida mansidc
e barateza. Em dita loja encoutraro o?
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray & Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
ceza, todas dos melhores e mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentriGcia.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odonlalgico para conservago do
asseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza. transparente,
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos e
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel chei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de eligiros igual-
mente finos e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade.
com escolhidos cheiros, era frascos de dif
ferentes tainanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menores
para m3os.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha pan barba.
Caixinhas coni bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
nas perfum iras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaris finas.
Ronitos vasos de.mctal coloridos, e de
moldes novos e elegantes.com pode arroz
e boneca.
Especial p de arroz sem composigo de
cheiro, e por isso o mais proprio para crian-
gas.
Opiata ingleza e franceza para denles.
Pos de camphora e outras diferentes
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Afnda mais coques.
ITm ,uii- >,:. a i iiwuu aiai ciiuio, quo lu uu sr. JOao 03
m OUtro sortimentos de coques de no- Pereira, rujo eseravo estovo no deposito !
vos e bonitos moldes com filets de vidrilhos. tem os signaos seguintes: alio, secco do
e alguns d'elles ornados de flores e fitas,
est3o todos expostos apreciagao de quem
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E l'UNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeigo.
Flvelias e Otas para cintos.
Bello e variado sortimento de taes objec-
tos, ficando a boa esculla ao gosto do com-
prador.
FLORES FINAS
O que de melhor se pode enconrarnes se
genero, sobresahindo os delicados ramos
ominados para coques.
Para viagem.
Bolsas de tapete e carteiras de coaro, por
precos commodos.
Chapelinas de palha da Italia mni bem
nfeitadas, e enfeites de flores obra de bom
-rosto. *rf
Ra do Quci'mado n, 49 loja de
miudezas de Jos de Azevedo
Mam e Silva conhecidopor Jos(
Biyodinho.
Est queiii'.ando Os objct-los abaiso declarados
pelo diminuto preco, a saber :
Frascosoonragua de Colonia vordcil<.-iraal.
Carrafas com agua Florida verdadeira, que se car
Pentes para rearar cabello de meninas a 320 rs.
ilicsouras nmiti. Unas para unlias e costaras a
MO rs.
Tiiiteiios elieios de tima muito niela a80, 100, 160
e 400 rs. '
de franja branca da linho para loallias a
iou rs.
Cai'f'V d0 P1 ,:'sl':""'os do segnranca a 20 40 t
-Navalhas de cabo de marfim e que se garante a
qualidade a 2.3.
Libra de 13a para bordar a 7.
Pecas de lita brama elstica muilo sopertor a 200
e 300 rs.
Novellos delinha braaca com 4C0 jardas a60i?.
Resmas de papel de pe>o liso muito fino a 2*600.
Latas com superior bania a 200 e 400 rs.
Caixas com seis fraseos de cheiro muito fino a
800 rs.
Caixas com doie frascos, faienda s ba a 15200
e 2#500.
Frascos com superior olee Alocme a GOOrs.
Calunsras do sahao Iranspareute muito bonito e fi-
no a 250 rs.
Duzia de paos de pomada do Reino, da melhor
qualidade a 240 rs.
Pcl,Ie Uras Lor,lada3 muilo linas a 500,600 e
800 rs.
Hitas de babadinhos com dez varas a 600 rs.
Carriteis de linha de todas as cres, para acabar
a 20 rs.
Garrafas com agua divina a 13300.
Fraseos com superior macaca pcrula a 320 rs.
Caixas de vidro com doze didaes, que s a caixa
vale dinlieiro a 200 rs.
Ditas de madeira
llior a 320 rs.
Grnsas de betes de
IGOrs.
com ailinetes, o que ha de mo-
lonja, lisos e bordados a
Caxaswdoiidas para rap mittaudo tartaruga a
Pecas de
5'00 rs.
fita para eos da melhor qualidade a
Estovas para limpar dentes, fazenda que s a vi-.-
Ifl 1 'il M *
nperior qualidade a
la a 210 rs.
Dilus para limpar unhas de
500 rs.
Vergonteas de pinho para mastaros. venas
e retrancas, todas de superior qualidade. Tintas--
)l uaPTls' hnnea !o zinco e l,reIa. latas de
14 e 28 libras, ja.preparadas, oleo de linhaca em
larris: no armazem de deposito da rompanhia
Pernambucana. no largo da Assembla n 10
Vende-se urna
,dade, sadia e aclia-se
riz n. 73.
iiiolaluiba com 18 ai nos de
p jada: na ra da Impdra-

l(IO$i de gratificaco
Fuglo no da M de Janeiro do correte annv
do engenbo Balatura, freguezia da Escada, o ss-
cravo preto, ci ionio, de 24annos de idade, cha-
mado Marcelino, que foi do Sr. Joo da Cunha
geral, e
_J corno'
rosto muito marcado de bexigas, falla de denles
na frente, cor preta, sabio de chapeo do chile, p,i-
letol c calca de castor, levando um babuzinho o>
flandres eom mais roupa, e supp5e->e estar ra
reguezia do Cabo : quem o apprehcndcr leve-*
ao dito engenlio, ou ra da Scnzala-nova n. 38
escriptorio do Sr. Bernardino Pontual, que re.
ber a gratificacao cima.
ba mais do que um modollo, tambem tem neste 8ener0 ninguem tem melhor fazenda e
muitas de pratinho, proprias para mocas e ^ue se ven(^e ma'8 barato do que em outra
meninas, isto na ra da Imperatriz n 6& (InaI(uer parte, na ra da Imperatriz n. 60
loja do Pavo. de Flix Pereira da Silva de J?e,ix Pfirfiira da Silva.
Tabellas vermicidas
DE
2, OS BALES DO PAVO-
A'endem-se superiores balbes america-
nos de trinta a quarenta arcos, tendo as fi-
tas bastante largas, sendo muito fcil trans-
forioa-los para outro qualquer novo modelo,
e hquidam-se pelo barato preco de 24 cada
f 0 Xarope de Rbano iodado de Grimanlt e C encerra 4i por cento de iodo,
i composicao orgnica analoea a* que se acba no oleo de figado de bacalho.
D' KLETZINSKl, professor de chymica, louvado dos tribunaet de Vien
Parit.
a ina
Deposito em Pernambuco, em casa de ;
Vienna.
C
Antonio Nunes fie Castro.
Vermfugo efficaz, e preferivel a todos os
conhecidos, j pela certeza de seu resulta-
do, ej pela fcil applicacio as creancas. um> sndo fazenda que sempre se venden
quasi sempre mais atacadas de tao terrivel a_7 8&>ist0 na loja e armazem do Pa-
e muitas vezes fatal soffrimento. v5- rua da Imperatriz n. 60. De Flix
NICO DEPOSITO Pereira da Silva.
na A ?.ooo varas a & rs
Pharaaaeia e drogara. \ftdem-se as verdadeiras cambraias
_ DE fraccezas, com lindos padroes e efirps fitas
Sal Sarth0IDJf,C- en-lo toprfa etrmLreS. STbSto
aA-jiiaj^rga doRosario-84 pie?o de 500 rs. a vara, ou 300 rs o co^
T>7\>y?lde"tt a a^nia da rua da Matriz da v*d >. ndo fazenda que nimmem vflnilp
capaz em virtude do proorietarip ter dn w rlirar L i. u l,lwes, e liquiaam-
pwoiMfcaonira'BeSd^qal^ ^este barato prece, por se ter
zada tanto para a ierra como para o mato, bom "m avultada coniPra' foja 6 armaiem
tagar, c a casa tem os necessarto commodos para do avao. roa da Imperatriz n. 60.
,,,,a- .FoIU Pereira da Silva.
SOFFRIMENTOS OESTOMAGO, COH3TIPACO.-
ir em poneos das pelo CAftvio OE ULLOC em p ou em pastimas.
ENXAQUECAS; NEVRALGIAS. Basasaffeccaes do dv
Upadas rapidamonte pelas KMH.U VETHE* fc I'OltTH.
ANEMIA, A PALLDE2 e os sollrimentosque necessitamde
emprego dos ferruginosos sSo sempre combaliHos com o atelhor resutlaio
pelas pilu. a OE vaLLET. Cada Pilula tem incrarado o noui) lUlT.
PO OE ROG. Basta fiissoiver mu frasco d'este p em meio
arrala d'a*ua para se obtfr urna limonaila afrradavel que purga tem U-
xer clicas
VINKO OE QU1NIUM poucoe cuja composicao garantida constante, urna dai melhores pre-
parace de quinin, sem acc*o aoUvel sobre os convalescentes, dando-
Ibes forcas e apresando folu a saude. Cure as febrea antigs que re-
sisti ao sulfato de quinino.
MOLESTIAS DA CEXIGA. a maior parte d'enu meh
Uas, cerne as auaticat, lombago, catarros, e todas as dores uerrosai eso
geral sao curadas pelas perolas ot eskncia o thereb ntina d*
Dr. Clertan. 0 professor Irousseau em sen Trefe 4* tntrtfmaiu acoB-
selba as para terem tomadas na occasiao do jaatar. na dote de 4 i 12.
OLEO 0 P1GADO OE BACALHO OE BERTH.-
Carantido puro e de primeira qualidade, uro des poneos aprovadee pela
Academia de atedicina.

E assim muitos outros objectos que se-
ao presentes a quem se dirigir dita loja
lo Cordeiro Previdente a rua do Queimado
.. 1C.
NFEITES DE PALHA P.\RA VESTIDOS,
CHAPEOS E COQUES.
O Cordeiro Previdente rua do Queima-
io n. 16 acaba de receber um bello sorti-
ento de trancas de palha para enfeites de
^stidos, outras para chapeos, coques etc.
ido sto est sendo vendido com a sua bem
nhecida commodidade de precos.
ALEM D'AQUELLES.
Recebeu outros lindos enfeites de seda
ira vestidos ; assim como um variado sor-
mento de galloes de la, babadinhos de
imbraia com bordados de cores, cuja va-
iedade de gostos os tornam recommenda-
')S e apreciados ; compareci pois os pre-
ndentes que serao servidos a contento.
TO BEM RECEBEU.
Novo provimento de bicos e rendas de
tepure.
LUVAS DE PELUCA.
De todas as cores tanto para hornei*
rao para senhoras, constantemente acham-
o a venda na loja do Cordeiro Previdente :
rua do Queimado n. 16.
'ara encanamento d'agua.
Canos de ferro, ditos estanhados, ditos forrados
-i porcelana, todos com as competentes torneiras,
orvas etc. : a rua do Queimado n. 32.
Barato que admira.
Manteiga ingleza flora I00 a libra, dita fran-
ceza a {i, cha miudo a 3JI00. dito graudo a 3|
caf 3 220 rs., sabo a 180, alpista a 240, arroz a
100 rs., paseas a 440, idem quartos com 6 libras
|Mir 2*200, vinho a 400 rs. a garrafa, azeite doce
de Lisboa a 900 rs., caixinhas com ameixas, pas-
sas, ligse peas, proprias para mimos a 1600
latas eom doce a 500 rs. : s na esquina da rua
da Penha n. 8.
Fogio \\'> ongonlio Jacobina, comarca do Ca-
be, ao amanhoeer do da 13 do rente mn e
anno, do abaixo asatgnatl, um esera preto nome Antonio, conhecSdo por Canda. idade de 20
a 30 aun s, pooeo mais ou menos, ana, p pre-
sos, lem urna das juntas do momo um poace
groesas, andar banzeiro, levando chapeo de feli'ri
ja usado, camisa de algodao azul e seroola do ;..-
godao americano, cujo escravo veio de Buique pa-
ra lo d'Albo,para onde se desconfa ter seguido
roga-se a qualquer autoridade policial ou capi'a*
de cani|)o a captura do dito escravo. levando a%
eiigenho cima, cu a rua do CaJdejreiro n. 42. ao
br. francisco Quintino Rodrigues Estoves, qne
ser generosamente gratificado.
Antonio Cameiro I.ins c Mello.
tugio de bordo de palhabolo nacioiial Ama-
ro, um mulato claro de nome Justino, rstaiuraje-
pular, cbelos carapinhados e moioa ruhes, pura
barba, tem una pinta preta no cantado olho direi-
to e um talho as costas ao mismo lado,; levou
vestido camisa de chita com listas verdes, e osa
de urna cinta com borla encarnada para aprtal-
as calsas, natural do Santa Auna do Mallo na
provincia do Rio Grande do Norte, para onde talvez
queira ir, tambem muito desembarcado no fal-
lar, lteeommenda-se aos mestres de, barcaca a qualquer pessoa que o agarrar, e levar a rua
do Trapiche n. 4 ou a bordo do referido navio qne
ser gencrosemento gratificado.
JllilfV I LU
Fugio no dia 21 do pie-ente mez de mareo, do
engenho Craeoipe, freguezia de Agoa Prela, o es-
cravo de.nome Joaquim, idade 25 amio?. erioubj
cor preta, estatura regular, testa grande, olhos
afumacado?, dentes limados, e tem os dedos polo-
gaes dos ps voltades para lora, sabio com cha-
peo de palha do Chile, levando um bahii pequero
de folha de Flandres. Ha certeza de que o dito
escravo seguio para a cidade do Retire, embar-
cando na estaejio de Gan eleira en um dos trer.s
do caminho de ferro : quem o apprehender quei-
ra leva-lo ao mencionado engenho, a entregar a
seu senhor o tenente-eoronel Pedro Francisco de
Albuquerque, ou no Reeife ao Sr. Antonio Jor
Leal Reis, escripforio roa da Cideia n. 49, que
ser generosamente gratificado.
ANS. loaos
tete medicamemoe fertm aprouidt* peto Academie
imperial de medim 4e Parit,
Bebie.
tal Vare,
Piimhhii;
ntiewa
let O.
, EI'USITO
aV ruEMB, I, rae Jaea
Hauuas Ptrnemtuet Nuia et O.
Cetw.
* t>
XAROPE PE1TORAI BRAS1LIIR0
PE
POITA DEJMBAIBA
COMPOSTO E rRFPAnADO
Pelo pharmaceutico
Jos da Cruz Santos.
Esta planta cujas virtudes medicinaes
existiam desconhecidas para a maior parte
dos nossos facultativos, devendo-se a sua
descoberta ao uso que d'elle faziam os
nossos indgenas que menoscabavam com
a sua applicacao fle todos os soffnmento
pulmonares, hoje conhecdo como o me-
dicamento mais ellicaz para a cura de as-
ihma, bronchte, coqueluche, penemonia,
e at a phtysica, produzndoum effeito mi-
lagroso e prompto.
Para um adulto 3 $ colheres do sope
ao dia puro ou em cosimento peitoral.
CriancM, 3 a 4 colheres de cha.
Preco 2J00 o frasco.
Pernambuco, rua Nova botica n. 51,
l-ae ata sitia ou parte de suas torras
daras dos Remcdios-e duas casas terreas
na roa dos Peleadores: a tratar na loja n. 46 da
i roa do Queimado
Acha-se fgido desde domingo de eiitrndn o
moleque do nome Tito; com 21 amos de idade,
estatura regular, olhos afumacados, enm todos os
dentes, esperto o bem fallante, tem no estomago
una cicatriz de urna queimadura pequea, tin
um dedo da maodiroita aleijado em cmseqiirncia
de um pauaricio ; c o p esquerdo mais prosso
do que o direito : quem o apprehender levo o ans
Afogados, casa do Dr. Jos Roberto de Morars e
Silva, que indicar a casa de seu senhor. que re-
compensar generosamente.
de gratificaco.
Ainda se acba fgida a escrava Maria Benedic-
ta, que foi do Sr. Claudio Duheux, e 6ie ausen-
tou-se da_casa de seu senhor ha dez metes, cojos
signaes sao os seguintes : cabra, magra, estatura
regular, rosto descarnado, cabellos carapmhrs e
compridos, andar descanrado, representa ter 40
annos ou pouco mais, e costuma fallar > quando
trabalha ou anda, tinha no seio e nos bracos si-
naes pardacentos mu visiveis de impigens qne
costumam apparecer-Ihe. Ha todo motivo para
suppor que ella anda mesmo por esta cidade ou
seus arrabaldes. j tendo sido vista de urna vo*
na rua Noya com um pardo, e pela secunda vea
na praca da Boa-Vista. Da-se aquella gratifira-
ao a quem apprehender dita escrava ou della (^
noticias exactas na rua do Imperador n. S e 32,
andar, e protesla-se proceder rriininalawote
contra quem a ti ver om sua rompa^M
Do engenho S. Francisco da Varzen fugio ca
madrugada de 3 do corrente, L"oncio, mulato
claro, de 18 a 20 annos, comecando a buhar
bellos soltos, olbo9 grandes, estatura r?gular. gros-
so, robest e bem feito, bons denles, vagan>s no
andar, e fareola, carreiro. Do me "ho
est fgido desde jateo do anno pa> 'oeo-
cio, mulato, vatbo, do cabellos soll<^ dea-
lea, andar cabido par* Maate, o tem os deoot
grandes dos pea aittidos para d^olr : a entre-
gar no mesmoe iu na ru de A|Uo b. 8
ao Sr, Francisco de Assis Brilo.

-


8
Diario de Pernambuco Sexta feira 9 de Abril de 1869.
LHTERAT1IBA.
FERIA* ACADMICAS
(P0I\ W. FIGUEIREDO)
(Conlinuaco)
IM S All O
Nada lia mais encantador, mais potico,
-, iis seductor, de que o aspecto de urna
ota de campo, onde est prestes o come-
to de um bello sarao.
' O sitio do Sr. M...... tro arrebalde de
....... offerecia nessa occasio esse espec-
tictilo, que tanta vez temos admirado.
A casa de urna soberba architectura res-
plandeca ao brilho de militas luzes dispos-
.1 a por toda a parte.
As portas e janellas gothicas estavam en-
ditadas de ricas hambinellas do cassa bor-
darda, presas por grossos cordes de la
?anegada, donde pendiam grandes bolotas.
O longo terraco, que embellezava a fa-
chada, eslava intervaHado de jarros, corna-
dos de llores, de estatuas demamore, e ar-
cos, donde pendiam accesas lanternas enei-
tadase de cores diversas.
O bellissimo jardim, que rodeava essa
opulenta habitacao, deslumbrava de ores
as maisesquisitas e delicadas, e de perfu-
mes os mais trescalanfes, rociadas de go-
tas de ocvalho. Lampeas de todas as co-
res o illmninavo todo, dcixando ver hgu-
rassymbofieas, e um elegante repuso de
rio marmore, cuja agua crystabna, ca lin-
do em urna bacia cheia de peixmhos dou-
r.idos, pareca solucar um cntico de ndi-
-vet melancola.
Caramanchel, e kosques de todas as
formas, ornados de cadeiras, sofs e mesas
rusticas, atulhadas de bebidas, doces e fruc-
ras, offereciam aos convidados estancias re-
tiradas, onde, lopge do ruido e borborinho
da festa, podessem refocillar para reentra-
rem na lata e trepelias do baile.
Rozeiras e trepadeiras, plantadas ao re-
dor dessa luxuosa morada invadiam as ja-
nellas, apresentandp seus ramos coroados
do flores s pessoas, que enctiiam as salas.
Ah ludo era confuso, movimento, es-
plendor, perfumes,msica e harmona!
[^Convidados d'um e outro sexo abrillan-
ta vam os ricos, espacosos e bem adornados
sales do Sr. M.....
As mocas ostentando a elegancia dos seus
toilettes, e as seduccoes de sua fonuosura
miravam-se nos immensos espelhos de pu-
ro crystal, que circumdavam as salas, es-
perando impacientes o comeco da danca, e
flcspaehando os requerimentos dos mance-
bos, que, supplices, impldravam-lhes a gra-
ta do urna quadrilha, sochth'sh, ou \valsav
Estes, divididos em grupos, passeavam,
conversavam as entradas, ou contractavam
contradancas com as deidades da festa,
procurando render com mil ditos espirituo-
sos e lisongeros aquellas que mais rebel-
se mostravam em defirir-lhes favoravel-
mente as petifes.
Os nossos quatro esludantes desde mudo
que fazio com o Sr. Niceto parte da es-
plendida reunio.
Almeida, apenas chegra, comerra o sen
officiode galanteador: fazia tornar-se ru-
bicunda a quanta pobre mocinha, ou mes-
mo matrona Ihe cahia as mos. Marcon-
des passeava gravemente, dando de vez em
quando algum bote seguro, de que resulta-
va a acquisic5o de urna contradanza. Ma-
galhes nao tirava os ollios da porta de en-
trada ; e apenas ah apparecia alguma mo-
ca, corra apressado. a ella, e atordoava-
flie os oiivi los com repetidas supplicas:
para tudo o que V. Ere. quizar dansar
dizia elle sempre em seus pedidos. Niceto,
-litado! desde achegada da primeira senho-
ra, que trbalhava sem dar quartel as dan-
ss: j estava suado, afogueado e horri-
velmente fatigado, e entretanto s havia con-
seguido empalmar um par. queseja dito
muito em segredonao lhe fazia muita
honra! -
S Carlos Alberto nao se achava no meio
dos gkvtia lores dansantes. Ao chegar cora-
primentra o dono da casa e sua senhora,
(Ora em seguida postar-se atiento no tr-
ra cd.
E' que a sua estrella nao tinha anda ful-
gido no horisonte: Amelia nao havia ainda
chegadol
Pobre namorado! emquanto os teus com-
panheiros folgam l dentro, tu, sozinho,
suspiras contemplando a paluda la; e fi-
ts qe vez empiindo olhares inquietos no
porto da chcara!
Ser una felicidade amar assim?
Soaram nove horas.
A msica cessou de annunciar convida-
dos, e tocou a introdcelo de urna quadri-
lha.
Carlos Alberto suspirou, e o seu* cora-
rlo bateo com violeueia.
Oh! nao vira talvez! murmurou tris-
temente.
Almeida veio ter com elle:
Entao ?! nao dansas ?! que diabo de
cytiisim este?
Nao.-
Porque?
Nao tenho vontade.....
FOLHETIM
OS DRMS DE (\m\K
POR
jfllie Berthet.
ao
o
(Confmuaco do n. 78)
X11I
lima proposta inesperada.
NVssemesmo da Grandval dirigio-sa
palacio do governo colonial para notificar o
novo attentado dirigido contra a sua pes-
soa. As singulares particularidades d'ast 3
negocio nao podiam deixar de excitar viva-
mente a aitencSo da autoridade, e as repe-
oectoSt3 de 1ae maritimo ril
deSm ?Ua ?**** Guiaunano
M\avam a menor duvida acerca dos in-
tentos e machinares dos sea7r!eVuido-
res. Com tudo, pesquizas feits"em de-
mora na casa abandOnida nao deramTesub
^do algum. Quando os agentespS,
alh ebegaram, j n3o eacontraram o meno
vestigio da recente aventara. Aporta es
tava fechada e a chave mettda dbaixo da
escada, onde os visinhos sabiam ser do
usa estar. No interior nao havia urna s
serpaarte : o cesto desapparedlra e'o wj-
Ah! ji sei......da nao veio aiadi!....
e creio qae n5o vira. '*
Estimas sso?
Eu estimar! t porque ?
Fallaste com tanta alegra, e com um
certo ar dotriumpho que......
Ora que estes namorados h5o de ser
todos desconfiados e tolos! Adeus, meu
scstnador; vou danzar, e...... pescar......
Eis um ente bem feliz! exclamou
Carlos olhando para Almeida, que retirava-
se, frocando a cabelleira com as pontas dos
dedos enluvados.
A primeira contradanza coanecou. Nice-
to cabisbaixo e triste veio para o terrr-co
alim de nao assistir a danca, c no excitar
assim o seu furor choreographico.
Entao, Sr. Niceto, no danca? per-
guntou Carlos.
S consegu arranjar um par! Estas
mocas s3o 15o vaidosas e tolas, que suppo-
nho nada ter perdido..... Ate D.Amelia,
e D. Leonor, je me prometieran quadi-
llias parece-me que nao veem ao baile, por
minhainfelicidade!...
Ei-las! exclamou Carlos alegremente,
apontando para urna familia, que acabava
de apear-se d'uma rica caleche, e encami-
nhar-se para a escadaria. .
Era com effeto o commendador Carva-
Ihosa, Leonor e a bella lourinha.
Carlos Alberto, embriagado pelo perfu-
me de sndalo c mil essencias, que ex-
halava de Amelia, offereceu-lhe o braco
i sem poder articular urna palavra; Nrteto to-
I mou conta da outra moca; e o commenda-
dor foi disputar o seu lugar na meza do
; voltarete.
Ao atravessarem os dous pares o salo
para entrarem no toittete, um murmurio sur-
do saudou a entrada da rainha do baile. O
cavalheiro, que a levava triumphanie rio-se
de orgulho; e Almeida, que dansava com
uma.interessanle paluda mordeu os beieos
em um gesto de despeito.
E era bem justa e merecida aquella saa-
daco! Amelia estava com effeto radiante!
A magestosa cabeca, povoada de cabellos
louros, crespos e abundantes, estava coroa-
da com urna capella de flores esquezitas, e
delicadas, deixando interamete desooberta
urna testa alta, liza e meio arqueada; os
olhos nadavam-lhe em languidez pura e sua-
ve; o marfim de seusdentes iguaes se en-
tre mostravo no leve sorriso, que lhe ro-
Cava nos labios; o eolio alvo, seductor et
meio descoberto arfava suavemente, fazendo
scintillar em mil chispas de luz os preciosos
brilhantes do seu collar; o lindo e esbelto
corpnho, presioneiro de um vestido de cus-
tosa t irlatana branca e verde, todo constel-
ado de lantejoulas e canotilhos d'ouro, de-
senhava-se na maisperfeita forma, ena mals
apurada elegancia; os bracinhos rosados,
meio-ns terminavam encantadores em urnas
mosinhas mimosas, ajustadas em aromti-
cas luvas de pellica; emfim os psinhos de
creanca, oceultos embotinas desetim bran-
co, mostravam-se matadores, quando ella
caniinhava soberana.
Feliz Carlos! tu, que ha pouco maldizias
a tua sortc; tu, que ha pouco te abysma-
vas na escurido de um co sem estrellas:
abencas agora o teu destino, e contemplas
ebrio de prazer a tua aurora, o paraizo
para onde te guia o astro, que te faz na-
dar em um ocano de luz!
Oh! poder do amor! com que prestigio-
sa influencia metamorplioseas desptica-
mente os variados sentmeutos docoracao!
Carlos Alberto nao cabia em si de con-
tente : o sarao tonira-se para elle um Edn!
O venturoso joven eslava na sua bemaven-
turanca: Amelia tinha lhe cedido a segun-
da c quinta quadrilha, alm de urna schot-
tsli e polka.
Migalbese Marcondcs estavam tambem
satisfeitissimos: ambos iam dansar com a
raiulia do baile. S Almeida tinha o infer-
no no coracfio: orgulhoso e vaidoso, mo
havia se apressado ema convidara bella lou-
rinba para alguma contradanca; e quando o
fez, j era rarde: Amelia estava compro-
mettida para todas as dancas. Foi tete
u:ua derrota insupportavel para o fatuo ga-
lanteador e conquistador, que nunca Uvera
o desprajer de soffrer urna recusa. Deses-
perado fugio para o lerraco, e pensou pro-
fundamente por algum tempo.
Ah!... at ella!... exclamou elle logo
depoisexpulso-me com um renegado!
Pois bem: ha de serminha..... ou......en-
lai tremao de mim!... Carlos atirou-mc a
lava: aceito-a!.....
O demonio do ciume, da inveja e do des-
peito, tinha-lhe desleal e prfidamente acu-
lado um plano de vinganca a mais negra e
infame.
Era uma*alma vil e cynica!...
Fazer a corte, e ganhar a confianca de
Leonor, ailhada do commendador, e a mais
intima amig'a de Amelia, constitua o primei-
ro passo a dar para a execuco de sua mes-
quinha perfidia.- Almeida assim o fez.
A msica deu signal para a segunda con-
tradanca, e elle foi offerecer o braco a sua
futura cmplice. Conyersaram muito du-
rante a quadrilha; mas oobjecto da con-
versa ninguemosoube; o que se notou foi
que, desde aquelle momento, a mais cor-
deal intimidade cpmecou a reinar entre am-
bos, e durou at o fim da noite.
Tinham-se entendido perfeitamente I.....
As duas victimas do Almeida, que do na-
da deseonfiavam, dancaram tranquillas, e
felizes; conversaram e passearank depois,
entregando-se aos mais innocentes, collo-
quos.
E' que oracoes puros, e almas elevadas
nao podem suspeitari que crimes, de que
nem ideia ellas tem possam ser maquina-
dos e postos em pratica : coafiam nos ou-
tros porque confiam em si. '
D.'ixenios por.n por umpoiro os nos-
sos dous nain irados entregues paz de sua
consciencia; e vamos ver por onde andana,
e o que azem os onlros nossos cinhecidos.
^cabavam de dar onze horas, e o sarao
eslava no auge da animac5o.
Marcondes dava o braco, e passeava com
urna mocinha gordinln, corada e de cabel-
los castanhos, e Migalhes estava senly)-
junto de una outra, que campava entre as
companlieiras de Utterata e espirituosa.
Oucamo-lhes successivaniente a conver-
saco.
Minha senhora, dizia o calouro com
ar dj importanciaos mcus planos para
quando franspozer o grande prtico da vida
pratica sao da mais fcil realisaco; vou
ter a honra de expo-los a V. Exc em'or-
demchronologica: logo que receber o grao
de bacliarel fonnado em Scencias Jurdi-
cas eSociaes, screi infallivelmentenomeado
secratario do governo de alguma provincia
de primeira ordem ; poisque a minlu de-
cidida vocacao para a c:irreira administra-
tiva, e a minha reconhecida inteligencia
abstraccao feita da modestiad-mc jus a
isso; em seguida para prestar um servi-
CO ao meu paiz, aceitarei a presidencia guma provincia de 1" ordem, e far-me-hei
eleger deputado geral por qualquer outra;
o qup tambem farilimo, visto como farei
sempre o que o governo central quizer. D i-
rante a minha deputaco nos intervallos das
sessoes, Irei commissionado peb governo
a Europa tratar de compras de armamen-
tos, estudar financas; ou encarregar-me-
hei ainda de alguma presidencia para pas-
sar a festa mais commodamente: depois
de tantos servaos, sacrificios e experiencia
accumulada, sen-i sem duvida chamado ao
ministerio, preferindo sempre a pasta da
fazenda para salvar o nosso florescente im-
perio do critico estado financeiro, que amea-
i;a urna banca-rta geral; como ministro
aproveitarei o ensejo para fazer-me eleger
penador, podendo logo depois ser nomeado
coiisellieiro de estado; e obter ainda ou-
tro qualquer emprego rendoso; porque nao
sou iaimigo das accumnlac3es, e entendo
que deve-se aproveitar o mrito, onde quer
que elle se ache....
O senhor dnitor nao aspira tambem
a governanra suprema do estado! nao con-
ta chegar a Imperador do Brasil? pergun-
tou a moca, que com imperturbavel serie-
dade ouvira todos os castellos de Marcon-
d.is.
V. Exc. adimira-se de que tonha cu
a mais plena convieco de vir a ser um
dos vultos mais preeminentes do meu pair.'
Perdo, minha aenhora ; mashomo sum
etnihil aleinmn ms puto; parece-mj, qu
nao sou somenos a tantos outros que por
ah algures sem trabalho, e sem habilita
Ces lem conseguido mais do qu3 isso.
Meus planos csto feitos e systemitisa-
dos: bei de ser grande; hei de conseguir
o meu fim, realisar o meu dmiieratum e
collimar*o m mi alvo ; e em ultimo caso: si
o governo teimar em deixar-me no olvido,
pondo bices s minhas legitimas aspiracoes,
serci opposcionisia extremado; irei para a
corte, tornar-me-hei escriptor publico, de-
mcrata, popular, e republicano; emfun cla-
marei at que se memorem de mim!
Os meios sao efficazes,^ Sr. doutor:
ha exemplos bem excitantes; auguro-lhe
perianto um incommensuravel futuro :....
E' que V. Exc. faz-me justica; agra-
decolhe do sacrario de minha alma, excel-
lentissima; e tenho grandiloca satisfaco
em poder retribuir a sua extrema delicade-
za, assegurando a V. Exc, que a sua cli-
ca belleza c recto espiritme ateou uniades-
sas sympathias t5o impatuosas, t3o canden-
tes, que parece-me que urna grande frac-
' a i do meu futuro dep ;nde tambem de V.
Exc!.. sim; porque V. Exc. o espelho
onde me narciso! o pharol multicor que
ha de guiar o barco da minha existencia ao
porto da felicidade!......
Obrigada, senhor! disse a moca com
um sorriso mofadoraconselho-lhe que aba-
fe essa candente sympathia que lhe ateei; e
procure fazer corte a alguma titular......
am passo gigantesco, e urna bella acquisi-
Co, que muito oajudar a subir at......
at-as nuvens!...
Em V. Exc. s se d a omisso do
titulo, minha senhora; omisso hoje fcil
de ser preenchida!......
moca sorrio-se, mordeu os rosados
beicinhos 8 disse:
Quer ter a bondade de sentar-me ?
jestou tao fatigada de passear......
Como lhe apraz, minha senhorares-
pondeu Marcondes; e assentando a moci-
nha, foi para o terraco fumar, e sonhar ao
luarcom as pastas e senatorias, mercado-
nas, que todos hoje importo de conta pro-
pria.
Vejamos agora o que est dizendo Ma-
galhes a sua companheira de conversaco.
eos movis deixados pelo antigo proprieta-
rio estavam nos seus lugares, parecendo
que ninguem lhes tocara desde muitos me-
zes.
Se nao se houvesse demonstrado o fado
pelos signaes que as balas haviam feito as
paredes e sobre 'tudo pela existencia a um
canto de urna nuvem de forraigas devoran-
do os restos mutilados de urna cobra, po-
deria julgar-se que o maritimo tinha que-
rido zombar da credulidade publica, inven-
tando esta historia romanesca.
No pateo e trras da concessao a mesma
ausencia Je indicios : no se via o menor
vestigio de passos alm dos tres europeus
e em v3o se bateram todos os mattos cir-
cumvisinhos.
Foram interrogados os trabalhadores da
serrara all prxima: nenhum d'elles vira
o negro cujos signaes se apontavam nem
raesmo tinham visto outro qualquer no da
anterior.
Nao pode saber-se qaal foi o forcado que
Fra propor dona da casa onde o captSO
resida a venda de madeiras. Sem duvida
esse individuo se tinha disfarfado de phy-
sionomia.
Como, porm, era evidente que o autor
da cilada estava em relaces com os fon
dos e sendo Rigaul obiecto Je sus
odio queja antes manifestara ar"
C^aBdval, foi aqueH chamado
ido e multo apalr
guntas acerca da sua complicidade no cri-
me.
Hespondeu que ignorava o que se lhe
perguntava e nao bouve promessas nem
ameacas qoa lhe arrancassem a menor de-
claraco.
Foram-no-metiendo no calbouco espe-
rando que o negocio se esclarecesse, mas
esta correccao nao era de natareza a fazer
diminuir o seu odio contra Grandval.
Decorreramalguns das.
Josephina affligira-se cruelmente sabeado
do novo perigo que correr o seu generoso
amigo. Felizmente, a febre, depois de al-
guns accessos, ceder as applicacSes e cai-
dados das religiosas, e, anda que ella se
achasse iraca, recobrara am tanto de acti-
vidade, podendo novameote oceupar-se com
a empreza commum.
Por seu lado Bertomy insista porque a
ovaso se verificasso antes do regresso do
peu supposto amigo, ceatra o qoal ao ap-
paralara indicios que lhe podessem faaw
carga e euja astucia elle tanto receiava no
momento decisivo.
Tomaram-se, po3, as ultimas disposicoes
e agora devemos repetir o compfc d^
medidas que constituiam o plano de evasao
qjue se tfltava de por em pratica.
Grandval, assim como Josephina e Mh-
el, deviam voltar a Gayenna peloproxmo
liso, regressando coa o brigue embo-
dura do rio e d'alli ao recife do Diabo,
Bom que os leitores v5o conhecendo as
parvoces, que occupSo a attencao das mo-
cas e rapazes em um baile.
E' comoj tivea honra de dizer-lhe,
miBha senhora; exclanma Magalhaes, en-
vergando o corpa a modo de meio arco a
materia jamis se incarnou sob urna forma
to bella como em V. Exc! A natureza pa-
rece te-la formado da sua melhor massa; o
dia dovia estar brlhante, o co azul, o sol
em pleno zenith. os anjos entando hym-
nos, quando lancou Deus a scentelha vital,
que deu animo e espirita ao corpo de V.
Exc!
Tanta lisonja!.... murmurou a moca
revirando os olbos.
Nao lisonja, excellentissima senho-
ra; juro-I he que o mau coraco quem
falla; queinsympatlisa-se tanto com V.
Exc, que me ordena dizer-lhe que eu se-
ria feliz, si em urna ilha deserta, no meio
do ocano, onde houvesse urna palmeira,
V. Exc em cima dessa palmeira, e eu aos
ps della, podesse assim vver deliciosa-
mente pr toda a minha vida!....
Ora.Sr. Magalhes! que extravagan-
cia o senhor leu isso n3o sei em que ro-
mance, e quiz por forca applicar a mim....
Minha senhora! eu nao plagiario!..
Mas gosts de repetir os pedacinhos
bonitos?
Aprecio o bello; si disse o que nao
meu porque,V. Exc. o sabe:
Umpauvreaimant dit ce qu'il pense
Sinstrop penser ce qn'l dit;
t La desordre est son eloquence,
% Quand le corar parle, adieu l'esprit!...
na plirise de celebre escriptor l'rancez De-
moustliier. x
Assim! as?im! cite logo o auctor:
mais decente !....
E' meu" costume, minha Jsenhora;
sempre tive por divisa: nomo debet loca-
pleturi cun jactara aliena.
Oh! senhor.' por favor falle o porlu-
guiz, si quer que eu o entenda! si conti-
nuar assim, meu Deus! diqui lia pouco tem-
me fallado em todos'idiomas do globo!....
Quid inde, minha senhora ? V. Exc.
urna divindade.'eas diviadades sao poly-
glottas.
A quadrilha va comecar, o senhor
n3o danca? perguntou a moca nao poden-
do mis conter o riso prompto a soltarse
de seus mimosos labios.
Sem duvida ; com licenca, excellentis-
simo; vou tomar lugar.
Magalhes, um pouco enfiado. levantou-se
e ao atravessar o salo pisou ^psastrada-
mente no vestido nfsgado de urna moca que
passeava, obrgando-a a parar, cuwar um
tanto o corpo e a voltar rpidamente o
rosto.
Mil perdoes, mil perdes! exclamou
elle desculpando-sacabo de involuntaria-
mente pisar-lhe na extensa cauda...
* Do vstido, senhor ajuntou ligeira-
mente a moca;
Era isto mosmo o que eu quera dzer,
minha senhora !...
Nao duvido.,, respondeu a donzella
rindo-se zombeteiramente.
Foi um lapsus linjwr smplesmente,
excellentissima... murmurou o pobre rapaz
atopdoadi) ; e dirigindo-se ao seu par offe-
receu-lhe o braco, o foi collacar-sc defronte
de Niceto, seu vis--v*.
Dancava este com urna velha quarento-
na, encarquilhada, corjwtte, com os seos
cngelhadas quasi em exposifo, deixando
ver a medonlia ossaria do eolio, e duas
enormes covas no tronco dos bracos, que
se hio abysmar no corpnho de um vesti-
do de cambraia branca decolado, enfeitado
de fitas cor de rosa !...
Na cabeca dessa mulher em ruinas oslen
tava-s atrevido um immenso turbante de
fazenda, fitas c flores de todas as cores,
formando a guarda avancada de um co tao ineommensuravel, tao volumoso, tai
complicado, to horsontal que pareca urna
segunda cabeca sem cara !
Este par tao pouco int?ressante, e at
um tanto repulsivo extasiava, nao obstante
o maldito coque-espora), o nosso Niceto,
que nao cessava de render-lhe mil finezas,
que a velha commentava citando mil histo-
rias dos tempos, em que ella tinha estava
na Europa, e revolvendo os olhos amarella-
dos as rbitas, contrahindo os labios res-
sequidos, e pousando no seio, j deteriora-
do pelos annos, as mos nervudas e sec-
cas !
Minha senhora dizia Niceto na > sei
de que modo lhe revele os sentimntos vol-
cnicos, que aineaco-me urna terrivel erup-
Co neste momento. V. Exc tem captivado
o meu escandecente corarao, e me reduzi-
do a seu constante satilite!
O senhor estudante ?
Sim, excellentissima; do qmrio auno:
respoudeu o rapaz, cuja innocente mana de
ser quarto annsta sem matricula os leitores
j conhecem.
Ah logo vi! continuou a senadora,
ensaiando um sorriso inquaficavel nos del-
gados beieos, e pondo os olhos em alvo, o
seuhor tSo galanteador !.,. quando eu es-
tivo em Pars...
Protesto-lhe que tal vicio nao penho ;
s a belleza meridional de V. Exc me ar-
rancou estas palayras amanteticas e apaixo-
nadas!
Ouantas vezes nao lera o senhor dito
isto mesmo as ou'.ras mocas 1 Quando eu
estive em Portugal... nao; em Londres...
Perdi, se a interrompo, minha senho-
ra ; atalhou Niceto, morto por dzer todas
as phrases, e palavroes, que d'ante-mo
alinhaiop-nos tempos priscos, eu podera
ter sido talvez lisongeiro, porm na poca
hodierna, tiiocte V. Exc. convencer-se de
que s digo o que siuto; e demais, a fornio-
sura transcendental, e os dotes physicos,
moraes e -monetarios de V. Exc s inspi-
ra) a mais decidida constancia ; la beaut
estleprimier p esent, que la nature nons
donne.
Ah isto inglez ? eu fallo soffrivel-
mente o francez: quando urna tarde estava
no Hoisde Bohnha... ia dizendo a quaren-
tona ; mas Niceto, sem duvida horrorisado,
interrompeu-a ainda esta voz:
Pelo que ouco, excellentissima senhora
V. Exc. viajou j muito....
E o pobre rapaz naopode continuar: Al-
meida, que dansava a seu lado, disse-Ihe
baixinho :
Oh! Sr. Niceto! onde foi o senhor
desenterrar esta mumiaegypc'raca?! visitou
algum hypogo ? Meu Deus urna careta
s que ella me fizesse rrfarttr-me-hia de
pavor, ou eu abandonara immediatamen-
te o baile, se por irilagr^ da Providencia
escapasse !...
Douttrfoh! por favor.... deixe-se
dsso !...bpUMCou Niceto olhando assusta-
do para a soa dama.
Nao receie n3o lhe direi mais na-
da : si temo at olhar para seu lado!...
Niceto, livre das galhofas do quarto an
nista, continuou a abrasar a velha, que
nao cessava de rcpetir-lhe sem comtudo
terminar : quando eu estive na Europa....
e s poude descartar-se della, quando a
msica romper n'uma polka.
Ao ouvirem aquelles sons to magnti-
cos, as mocas sorriram, e olharam embria-
gadas para os jovens, incitando-os ao de-
lirio da dansa: estes por sua vez nao se
(izeram esperar.
O primeiro par, que gyrou no salo foi
Carlos e Amelia. A formosa menina ex;i-
tou o enlhusiasmo de todos: Com a lonra
cabeca meia inclinada sobre o hombro de
Alberto; com os olhos hmidos de langui
dez, com as faces coradas com urna cere-
ja, resvalava pelo tapete felpudo, como
urna rolinha saltitando naareia dum jar
dim.
Os pesnhos macos batiam o compasso
com animacao; as mosnhas, urna pousa-
da no hombro do cavalheiro, e outra entre
as deste; tramiam ligeiramente e to encan-
tador era o garbo inexcedivel com que pol-
kava, que transformava embellasevolucoes
os passos montonos da dpfta.
Era um anjo ensaiando o vo para ir
a^plher-se ao cu nos bracos de Deus.
Almeida mesmo, que dansava cora Leo-
nor, nao pode deixar de parar, o murmu-
rar :
Oh muito linda realmente um
cherubim !.... Ah Carlos! Ah Car-
los !..... .*
Durante mea hora tudo as salas foi
um voltear constante, urna vertigem louca,
um redemoinhar confuso, um respirar op-
presso O farfalhar da seda e o bater dos
ps, corresponda ao compasso da msi-
ca ; e foi smente quando esta expirou a
ultima nota, qne os pares offeganfes c ex-'
haustos cessaram tambem de tanto dou-
dejar.
Carlos e Amelia foram respirar o ambi-
ente embalsado dojardim.
Estou realmente fatigado, D. Amelia,
nao de polkar, mas de contel-a! disse Carlos
Albertoa senhora queria fugir da trra,
e volver ao cu, moradaidos anjos louros,
deixando-me s e inconsolavel de tristeza e
angustia?!
Abstrahndo a lisonja, falln a meni-
na rindo-se angelicamemteo senhor che-
gou realmente a pensar que eu me lembras-
se de abandonal-o ?
Oh nao, D. Amelia nao; apenas
um gracejo: jnro-lhe que jamis duvidarei
da constancia lealdade e amor de um ente,
que considero prevlegiado de Deus!... *
Ah nao jure! atalhou a ingenua me-
nina fazendo um gesto de fechar a bocea
onde esperariam Bertomy. Este devia,
n'um da convencionado, evadir-se da peni-
tenciaria, o que, como j dissemo3, pareca
nao ser difficil, dirigindo-se a um ponto da
floresta, onde se encontrara Gom f> indio
Gallibi Zo, contratado para seu guia. De
S. Lourenco ao recife do Diabo contava n
dose leguas por trra, mas julgavam-se
quatro ou cinco dias de jornada em raz3o
da difficil marcha atravez de terrenos ex-
cessivamente innundados "aquella quadra.
Chegadps ao porto, fazer-se-h um 4gnal
ao brigue para mandar a trra urna lancha
basca-Ios. D'esta forma se contava nSo
ter Bertomy tribulaco alguma mais a pas-
sar.
Tudo assim se combinara c at j estava
fixado o dia da partida, quando appareceu
urna nova pretencao de todo imprevista.
Miguel tinha pelo pai a mais ardente af-
feico, tanto mais poderosa quanto o surdo-
raudo estava por sua natureza inhibido
de apreciar certas circumstancias do sau
carcter, que; cotfceidas, poderiam at|e-
nua-la. Sabendo que seu pai tinha a par-
correr, sem outra proleccao mais do qne
a da um aalvagem, desertos temiveis, ex-
primi enrgicamente o desejo de acompa-
nhar o fugitivo e partilharos seos perigas.
Nem os rogos da irm3a nem as razSes
prodbztdas para Ble fazerem comprehender
a iDutildade da sua dedtcaco poderam, de-
move-lo de tal proposito, porm Bortomy
de Carlosn3o jure! tive sempre, o te-
nho ainda hoje mtiito medo de juramento !
... para mim tem sido de to mo agou-
ro.... Minha mi jurou-me que nao mor-
rena, e-----morreu!----
Duvida enlio da minha fidelidade.?
Para que m'o pergunta ? para ou-
vir-me dizer que deposito no senhor todas
as minhas crencas e esperancas----e qne
terei para sempre descrido do amor desde
o momento em que for engaada!-----
Sim, D. Amelia! para enlevar-me
as suas melodiosas eapresses, que me
enchera de orgulho, enthusiasmo e amor
para ver seus labios rosados entre-
abrirem-se com os de urna creanca, e bal-
buciarem phrases, que me fazem sonhar
com o cu! para aspirar o aroma divi-
no que se exhala do seu candido coraco, e
me purifica a alma para imaginar ou-
vir a linguagem terna de minha querida
mi, que j nao vive !....
- Oh! sim, Carlos! eu amo"-o com a
sinceridade de urna amiga, com a ternura
cannl.osa de urna rali, e... com o*ardor
fle.... uma. noiva!.... exclamou a gen-
til menma com uma expansJo de sublime
candura.
Amelia !.... balbuciou o feliz mance-
bo arrebatado.
E as maos dos dous amantes se aniram
em terncr aperto, os coracoes se ligaram
om artaroso amplexo, e as almts casadas
trocaram um febril sculo d'araor!....
Que mais diremos sobre esta scena de
um extasef o mais tocante e sublime ?
A imagraacao do letor ou letora sup-
pra a lacuna do humilde escriptor, que a
vista disto deve voltar para o interior do
baile, e observar o que all se passa.
E' triste a sorte do narrador Ter de
passar do quadro platnico, que fica esbo-
zado para o materialismo de uma ceia, 6
cahir das nuvens, das regioes do idealismo
as... as-realidades mlqunhas e prosai-
cas da vida !
Se podessemos aspar esta pagina, e fa-
ze-la desapparecer completamente... nos,
que sempre fomos inmigos ligadaes das
cetas nos bailes, verdadeiras assassinas de
um tempo to precioso, ein, leitdra ?... Se
contasseraos com a indulgencia pteoara de
todos os leitores e leitoras assim o faria-
mos.... Mas, quem sabe se entre ellas e
elles quantos nao haver3o que sejam desses
glotoes vorazes to perigosos e temidos em
uma mesa ?....
ssim, pois, vamos a cea; porm con-
sintam-nos ao meuosque sejamos to lacni-
cos como um spartano.
Era j mea noute : convite do Sr.
M* dono da festa, cada cavalheiro offere-
ceu o braco a uma dama, e foi conduzin-
do-a para um pavilhao levantado em uma
grande rea dojardim, ornado de bandeiras
e arcos cobertos de ramagens e flores
aromticas, donde pendiam rail frustas gra-
ciosamente dispostas ; e sob os quaas se
estendiam duas mesas, cobertas de viandas
fras, doces, bollos, vinhos, e champagne
de todas as qualidades, e emfim todos os
productos da arte culinaria.
cbmecou o sido moiotono das mand-
bulas, s interrompd pelo tinir dos copos
e pelos brindes.'
As senhoras, segundo o costume, coine-
ram pouco, ou antes, debicaram somente :
aquelles corpinhos, j to comprimidos pe-
los vestidos espartlhados. nao podiam sup-
portar alimento em abundancia; demais : as
regras do bom tora e da etiqueta impoem
despticamente, que as mocas em qualquer
reunioonde ha homens, bem entendido
toquem simplesmente nos manjares mais
delicados, mas nao mastiguem.
As matronas e os homens, que nao csto
para obedecerem as prescripces absolutas
do bom tuin, sao os que comem e bebem
at salisfazerem o esfaimado appetite ; e...
muita vez os bolsos carregam o que o ab-
domen repleto nao pode mais comportar !...
Por isso os convidados golosos do Sr.
M" conservaram-se na mesa, at que a
msica annunciou o comeco de um laneci-
ros. A esse chamado to imperioso os
jovens, deixando os velhos emperrados no
pavilhao fazendo mil saudes, correram aos
sales para satsfazerem tambem as neces-
dades do coraco e do espirito, quo nao
dispensam ambos os alimentos que os nu-
treni mulher e amor.
(Continuai-se-li)
ERRATA.
Por descuido na pagnaco foi suppri-
mida a continuaco do 11." paragraphos da
3.a (columna da 8.* pagina, do romance
Ferias acadmicas; o que hoje publicamos
como errata, reproduzndo as 3 primeiras
linhas do referido paragrapho, que os be-
nvolos leitores tero a bondade de collo-
car em lugar competente.
Vamos, Marcondes: tambera quero
mostrar-te uma velhusca, cora quem tiro o
meu cacaquinho, e que pretende conquis-
tar-me enchendo-me o abdomen dos mais
temperados acipipes !
Que namoro adubado! s um tive
dessa lucrativa especie Oh! que sauda-
des !...
Faze como eu: procura-os; partamos.
At a volta exclamaran os dous sa-
lndo de braco dado.
Ens vamos para o mea quarto; l
conversaremos mais commodamente : disse
Carlos a Niceto.
Entrando no seu aposento, Alberto poz-s
em hbitos menores, embrulhou-se em um
chambre, accendeu um cachimbo, eespi-
chou-se em uma rede ; Nice.o tirou o pa-
letot, e deitou-se em uma raarqueza.
Entao, doutor? perguatou este; va
para Oliuda este anno ?
Precisamente; os mdicos, que o
anno passado receitaram-me os banhos do
mar para as minhas palpitaces nervosas
no coraco, teimam, que v ainda este anno
fazer uso dos mesmos banhos, afim de ca-
rar-rae radicalmente: entretanto sinto mui-
to nao poder passar a festa com minha
familia em Iguarass ; talvez possa somente
ir gozar em alguns dias intercalados da
companhia de meus parentes.
MI
considerava a resoluco do filho debaixo
de ouiro ponto de vista.
Estou de accordo dizia elle. E'
verdade que Miguel mudo, mas sabe
fazer- comprehender e nao falto de
juizo. N3o me desagrada te-lo por compa-
nheiro, tanto mais que me parece ter de
passar bem mos bocados n'esta jornada.
Elle vigoroso e poder-me-ha salvar de
algumas difficuldades. Devo confiar mais
d'elle do que d'esse bruto do Gallibi, que
incapaz de differencar um s de copas de
um dez de paos! Venha, portanto, com-
go Miguel ; e depois, se elle tiver que ar-
rostar com alguma infelicidade, n3o um
dever dos filhos exporera-se por amor dos
paes ?
Apesar das consideracoes egosticas de
Bertomy, Josephina e sobretodo Grandval
viara inconvenientes no plano de Miguel,
mas por fim, tendo ella meditado bem so-
bre o negocio e dirigido a Deus uma ar-
dente orafio, disse ao capito :
Cedamos aos desejos d'este pobra ra-
paz, meo bom amigo. Devo avahar as
suas intenses, porqaanto se eu, em vez
de mulher ffaca e doente como sou, fosse
homem robusto como elle, n3o cedera a
ninguem o prazer de acompanhar meu pai!
Para qae, pois, oppor-me a que Miguel fa$
o que eu em sen lugar faria ?
Convenxionou-se finalmente que Josephi-
oa a Grandval partlssem sos para Cayenna.
Quanto a Miguel ficaria em S. Lourenco
apparentementp. para fazer companhia a seu
pai, devendo dzer que s partira quando
o brigne Prosperidade viesse completar o
sea carregamento foz do rio.
Estes preparativos deviam parecer nata-
raes ao governo da colonia, alias desconfia-
do em geral, mas ninguem poderia suppor
que o surdo-mudo interviesse n'um arisca-
do plano de evasao.
Grandval industriou a Miguel a respeito
de todas as aventualidades da viagem. Tra-
Cou-lhe um mappa do paiz entre S. Loa-
renco e o recife do Diabo e deu-Ihe uma
bussola de algibeira para se orientar no
caminho, caso lhe faltasse. o guia. Os co-
nhecimentos que o surdo-rnudo tinha de
naotica habilitavam-no a tirar partido d'es-
tes objecios. Deu-lhe vastas informaces
acerca da vida nos bosques, sobre as pre-
cauces a tomar e os meios de vencer cer-
tas difficuldades : chegoo at a redigir-lhe
algumas instruccBes, que elle deveria 1er
pelo caminho. Miguel dedicava-se ao es-
tado de- tude isso, q*e tanta importancia
devia ter mais tarde, e a experiencia qae
obtivera pessoalmente fazia lhe apreciar a
necessidade.
H
>.
t
ti


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E908LKK56_3YSPFP INGEST_TIME 2013-09-14T04:06:26Z PACKAGE AA00011611_11811
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES