Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11810


This item is only available as the following downloads:


Full Text

V. NUMERO 78.
PJUtA A CAPITAL
Por tres mezes adlatados. .
Por seis ditos idem.....
Por om anno idem. ....
Cada numero avulso .
I LUGARES ONDE NA0 SE PAGA PORTE.
6,1000
42ooo
240000-
QUINTA FEIRA 8 DE ABRIL DE 1869.
PARA DEITRO E FORA DA PROVINCIA.
Por tres mezes adtentados.
Por seis ditos-idem. .
Por nove ditos idem .
Por um anno. .
6*750
430500
200250-
270000
DE PEMA
Propriedade de BTanoel Fig-ueira de Paria & Filhoe.
. i'
HO ACENTOS
I
'


>
k
Os Srs. Gerardo Antonio Alves A Filhoft, no Para; Goncalves & Pinto, no MaranhSo; Joaroim Jos de 0^^ p., i ,
Guaraes Pancada, em Mamanguape; Antonio Andrino de LimJ, na Parahvba; Antonio Jos Gomes., naV/Ila KeK **** ***
_________________;________________^ ; m eS da CSta' ^ Alagas; Dr *** ^S',ia Ba4,ia; e /os Ribeiro Gasprmho, no Rio de Janeiro! ommgos Jos da Lostd Bra*'
PARTE OFnCIAI.
Clrenlo da provincia.
I\PBIHKNTK ASSIfiNAOOPELO EXM. SR. CONDE DERAE-
PBNIIY, I'|(ESIDENTE DA PROVINCIA, EM 27 DE MARCO
DE lS'->.
i* serco.
N. 879. Portara ao director do arsenal de
,'uarra \hnde V. S. fornerer pan a parada do
lia i) d> corrente ao quartel-mestru interino,
Rroaaiseo G. de Oliveira Sobrinho o earlux une
isfapsulas precisas, constante* do pedido junto.
2J seccao.
N. 882. Portara ao Dr. riio.'V* de polica.
Cimiaunicu a V. S. que secundo consta de ollcio
do c.enni indante interino do presidio de Furnan-
I i, datada de 18 do correnle verara para esta
capital aliu do Ihe seroiu apresenlados os senten-
ciados Amonio Jos de Sant Anna, Jos Franeiscn
do Paiva, e Joaquim Jos de Sant'Anna, o primeiro
para tratar do suasaudo; o aguada para consti-
tuir procurador que em jtiiso promava o que fur
i) MI fU Wl direito em uin inventario, em que
h iatoressad >; e o terceiro a requisico do juiz de
direito da comarca de Limieiro, onde- tem de res-
ponder ao jury.
N. i "!ii>mto e lins convenientes, que, de con-
lormi lade t a a nformacao do chele da repartir)
obras datada de 24 lo corrente, e sob n. 1*25,
i i.i c inceder a permissao, que solicitou Fran-
cisca Jos do Cont Rocha, para continuar a dar
espectculos dramticos, por esparo de um auno,
na casa que servia de cadea na cidade de fiara-
reth, eom a clausula de reparar elle, a sua costa a
t i d'a pi'll" elillcio, construir urna calcada
em t o ni d i mesmo, e eutrega-lo lmpo e caiado.
N. 8'JfeDita tw mesmo.0 inspector da the-
- i'-;i provincial participou-ni! em oflbio de
2i d i crranle n. 161, quo da quantia de 27360o1
rs. quH. segando a conta annexa ai na V. S. me
dirigiarein 12 de-te ma, sob n. 362, importara a
: iiiii c un o sustento dos presos pobres da
i da villa do Cabo acontar de 18 de agosto
de non proxinn pasudo a 28 de fevereiro altimo.
tamba parir somonte263001) rs. por se haver
daednUMk liOO rs., corresp viente ao preso
Manoel (Angola, que sendo eseravo. deve essa
despera correr por conta de sen senhor. O que
irn a V. para sea conhecmento, e afim de
que o Caca sentar aquem competir.
II, HsS.-Dita ao mesmo.Inteii-ado'do exposto
i r V. 8. en ofllcio n. 4:t:J de2i do corrente re-
rommendo-the que promova a captura dos presos
que se er.nliram da prisa) da villa de Itambe, bftn
; i o pror.isso contra as pracas eos gaard'ran
tn priso.
B86. Dita ao juiz municipal da l." vara
dcsir cidade. Para sen etiBelmMlM e lins con-
incluso remeti a V. S. o auto do visto-
ria iliiiiilade de pessoa, a que se proeedeu no
> i i ircr i sentenciado de iusca da provincia do
Rio da Janeiro, Pedro da Silva Dutra, que fallcceu
na enfermara do presidio de Fernando deNoro-
n!ia a o do corrente.
'.. 887. -Dila ao mesmo. Para sen conheci-
lns e)iivenientes transmuto a V. S. a re-
l.i io inclusa por copia e guias dos individuos,
re coinpiiram sentenea no presidio de Fernando
de Noronba, e que vieram no vapor Giqui, como
:. i 9 respectivoeomuiaadanle em ollicio de
18 do c irreate, sob n. 2.
N. 888. Dita ao mesmo. )e oonformidade
i |i V. S. KOliciton em olflcio de 8 de feve-
proximo fiado regressod do presidio de Pei-
nando no vapor Giqia o sentenciado de justica,
d i Espirito Santo, aflra de ser apresentailo
Dr. diere de polica, por [er findd sua senlen-
I communco a'V. S. para sen conheei-
il i e lias convenientes.
3' Meefio.
N. 8b9. l'orlaria ao impector da thesourara
w ili. Tendo o lente < ironel Sebastian
mi i da Rago Barrea partieipido liaver tomado
b eatratfc no exercco do commaudo do pre-
Peman la ao da 18 do crrenle assiin o
lie i a V. S. |iara sen conheeimento.
S. 899;Dito ao mama Remetto a V. S. afim
i ir latisfater omeluso pedido de medica-
ineni is ind'ispensaveis a pharmaca do presidia de
II lo.
N. ; l lita ao mesmo. ** Ti-ansmilto a V. S.
para os lin- conveniente o indos i pedido dos ge-
e objectos necessarios ao almoxarifado do
presidio de Fernando.
N. 892.Dita ao mesmo.Transmiti a V. S.
para os lins convenientes a inclusa copia do termo
que se proeedeu nos gneros remettidos
por essa thejoararia para o almoxarifado do pre-
i de Fernando, e das faltas encontradas pela
c-imiuissao all nomeada.
PT. 833.Dita ao mesrao. Participanilo-me o
i ldante do presidio de Fernando em ollicio
de 21 do correte son O- 14. haver remeltido no
Qgui com destino a essa thesourara
i saeeasm algodao em la, de produccio do
oo presidio; pesando vnte e quatro arrobas
a daaa Kbrae, aastm o declaro a Y. S. para
seu conheeimento e direccao.
N. 8Ji. !)',a ao ii-j tetar da thesouraria pro-
vincial.Em vista da infonn icao junta por copia,
i,.ii io c i u n.ui l.mie ,|., ilotacamenio do pre-
i r,lando, nae se refere o do respec-
tivo Bomman lauto dataaa de 19 d) corrente e sob
, o. recommondo V. S. que manle pagar a Jos
Corra d; S, primeiro sargento do 3o bataihao
d iafan'.ara da guarda nacional deste municipio,
assiin o solicita no requeriaienlo que incluso
que se refere o seu oflleo n. 106, de
2(i de l'evereiro ultimo, a (iiiantia que Ihe for de-
vida, proveniente do fardamento que veneeu co-
no praca do destacamento naf[nelle presidio.
vilDita ao mesmo.Mande V. S. liquidar,
rista d i- inclusas sontas que me remetteu o
1 >r. chefe de polica com offico de i do corrente
o 'i 1. a-- despegas feitas com o su-tent dos
pobres da cadeia do termo de Ooricury; a
contar de novembro do anno prximo passado a
i iro uitiim e pagar saa importancia a Fran-
cisee oaaata da Biavia.-em.
N. 8J6.Dita ao mesti.Doelare V. S. para
seu cenieclmento e flns convenientes, te, de co-
formidaie.com a informacae do clwfe da repartv-
eai das obras publicas datada da2 do corrente e
sob n. If.. resolv conceder a pemissao que soli-
Citou Francisco Josf *>eonte RokUa para conti-
nuar a dar espectculos dramatiew, por aspaco
de um anno, na casa quo servia A* ""Ttatwat
dade de Nazareth,*nm a clausula de reparar elle
sua custa a coberta daquelle edificiot construir
urna calcada em torno ,do mesmo e entrega-lo lim-
xY 897.Dlo aotapeje nlrM-ticao das obras
publicas.Declaro Vjpia bap *u conheeimento
is convenientes, que do coofqroiiaade come
sua infortnaco de zioo corrate iob n. 123, r,e-
johri conceder a Fraucisco Jos Coulo ftoaaa
permissao que solicitoU para coniinuar a dar, par
um anno, espectculos dramticos na
i que serva de cadea na cidade de Nazaretk,
com a clausula de reparar elle sua ctuia berta daquitila editko, con*truir orna ealeada em]
torno do raesmat eiffk> e entrtg>lo Itpo ecaia-
do, do quo se-dever lavrar termo ne^sa repar-
I residi de Fernando de Noronha em ofcio de 18
i ) correnle, all fallecen a S deste mez o senten-
ciada de'jnsttca dessa provincia Pedro da StlvaDu-
tra, cujo aute'de vestoria e idontidade transmitto-
1 e por co|)ia. -
N. 899.Dito ao Exm. Sr. presidente da pro-
vincia do Para.Tiveram o conveniente destino
os oftlcios que para serem transmttidos aos mi-
niaros brasileiros em Paris e na Blgica, V. Exc.
uros, remetteu com o seu de 16 do corrente.
N. 900.Portara a cmara municipal da villa
do Pa d'Aiho,Nao tonda chegado at agora i
e de eleitores geraes e esoeciaes que se proeedeu
| na fragnzia de N. S. da Luz do municipio de Pao
d Allio no dia 31 de Janeiro do corrente an-
uo, compre que a cmara municipal da mes-
illa villa com a maior brevidade faca extrahr do
litro que Ihe deve ter sido remeltido pela mesa
pirochial respectiva, e enve com toda a urcenciae
a este governo copias authenticas em duplcala,
t.-.nto das actas da organisacao da mesa, e da pri-
meira, seganda o tercera chamadas, como das da
naurac-ao dos votos de urna e outra eleicao, viudo
a* referidas copias escripias pelo secretario da c-
mara e concertadas por tahellio, e na falta por
e.icrivo de paz, o que muito reeommendo so-
l -edita cmara.
N. 901.Idnticas s cmaras muncipaes de
Tracunhaem, Ilamb, Iguarass, Bonito. Bezerros,
ravat, Garanhuns, Buque, Aguas-Bellas, Boa-
Vista, Cachoeira do Roberto, Ouricury e Agua-
1 "reta, mutatis muland.i.
N. 902.Dita ao Dr. Joaquim Correa de Araujo.
--Tendo nesta dala nomeado V. S., o Dr. JoSo Jos
Fjirera de Aguiar, e o bacharel Francisco Tei-
X3ira de S;i, para exainnarem e darem parecer
sobea os irabalhos da confeegao das leis provin-
ciaef, contratados pelo bacharel Joaquim Pires
S tachado Portella, enr 30 de novembro de 1861 e
2*i de julho de 1866 ; assiin Ih'o communco para
s ni conheeimento, esperando que desempenhe esta
incumbencia com o zelo que costuma.
N. 903.Idnticas ao Dr. Joao Jos Ferrera de
.Agiiar-eao bacharel Francisco Teixeira de S.
N. 901.Deliberarao O presidente da provin-
c a resol ve noraear'os Drs. Joao Jos Ferrera de
Aguiar, Joaquim Correa de Araujo e bacharel
Francisco Teixeira de S, para examinaren! e da-
rem parecer sobre os trabamos da confeccao da
classillcacao das leis paovinciaes, contratados pelo
bichare! Joaquim Pires Machado Portella, em 30
da novembro de 1861, e 23 de junho de 1866.
EXPEDIENTE ASSIGNADO PELO SR. DR. JOAQUIM COR-
REA DE ARA1JO, SECRETARIO DO I10VERXO, I.M 27
DE MARCO DB 1969.
1* seccao.
N. 90o.Ollicio ao fixn. Sr. general comman-
dinte das armasDe ordem deS. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia, declaro V. Exc. em raspos-
ta ao seo o.rteio de 2i do corrente, sob n. 166,
que nesta data se mandn salisfazer o pedido do
ci'inmandante do forte do Po-Amarello, que veio
armeto ao seu citado ollicio.
N. 906.Offlcio ao Dr. chefe de polica.S. Exc.
o Sr. presidente da trovincia, manda declarar
y. S. em resposta ao seu offlcio de 21 do corrente,
s ib n. 131, que a thesourara provincial tem ordem
para pagar a Francisco Canut i da Boavagem a
quantia de 1204900 rs., constante de seu citado
o li :io.
N. 907.Dito ao commandaute superior da guar-
dt nacional deste muncipio.=De ordem do Exm.
Sr. presidente da provincia, comraunico V. S.
qae nesta data se expodio ordem ao director do
arsenal de guerra para fornecer ao quartel-mestre
giiral interino, Francisco Gomes de Oliveira So-
brinho, o cartuxamo e capsulas precisas para a
glande parada do dia 29 do corrente, como solci-
to V. S. em offlcio desta data.
N. 908.Dito ao juiz municipal da primeira
vara desta cidade.0 Exm. Sr. presidente da pjo-
vncia manda declarar V. S. que, segundo ofcio
do comuiandanto do presidio de Fernaudo de 18
do corrente, foram remettidos para esta capital a
pedido d'elles os sentenciados Jos Francisco de
P.iva e Antonio Jos de Sant'Anna, c para res-
ponder ao jury do Limociro, o de nome Jos Joa-
q um dos Santos, os quaes devem ter sido apre-
sentados ao Dr. chefe de polica.
E'IPEDIBNTE ASSIGN'ADO PELO EXM. SR. CONDE DE
BAEPENOT, PRESIDENTE DA PROVINCIA, NO DIA 30
DE MAItgO DE 1869-
1* seccao.
N. 911. Portara ao brgadeiro commanJante
di s armas.Pelas 12 horas do dia 3 de abril pr-
ximo vindouro, tem de sahr um vapor para o pre-
siifto de Fernando : o que a V. Exc. communco
pura seu conheeimento e lins convenientes.
912.Dita ao director do arsenal de guerra.
Tendo o Exm. Sr. ministro da guerra approvado,
segundo declarouom aviso de 16 do corrente, a
nomeacao que liz de Joo de Souza Rangel Filho,
para e lugar de ajudantc do porteiro desse arse-
nal, assim o communco a V. S. para seu conhe-
eimento.
N. 913.Dita ao mesmo. Pelas 12 horas do
da 3 de abril prximo vindouro, tem de sahr um
.por para o presidio de Fernaado; o que a V.
S. para seu conheeimento e lins convenientes.
. 911.Dita ao inspector do arsenal de mari-
nha.Eia respwta-ao seu offlcio de 24 do corren-
te sob n. 1703, tetiho a diaer-lbe que effectup pelo
m ide indicado por V. 8. em segundo lugar o
transporte para o Rio-Grande do .Norte, da lancha
qie com dejtino a capitana d'aquelta provincia,
fura construida nesse arsenal em vrtude do aviso
do ministerio da manaba de 22 de dezembro de
1864. Da presidencia vPmesma provincia, soli-
cito a expedicao de ordens para o regresso da
marinhagem, que vai tripolando a referida lan-
cba.
N. 91o. Dita ao commaadante do presidio de
FernandoNa primeira occasiao opportuna re-
meta V. S. para esta capital, com a precisa se-
guranza o preso Domingos Gomes d"Aguiar, que
s; ada nesse presidio.
2' seccao.
N. 916. Portara ao Dr. chafe de polica.
C ommunieo a V. S. para sou conheeimento (fue, se-
gundo uie declarou em ofcio de 23 do corrente sob
a. 1817,0 desembargador provedor da Santa Cas
de Misericordia, foram expedidas as convenientes
ordensflara er reeolliido a hospicio dos alienados,
o louccea. Mauricio de Mina "Bastos, de que tra-
ta o sen offlcio de 10 deste mez sob n. 390, nao
dor, caottnuar a remesa de loncos pelo policia,
nao s pala1 deficiencia do cofre do patrimonio,
'Bas tambe por j nao ter o referido hospicio
iccommadafOsa para eontr enfermos do sexo
, mascolin, ...
fectivamento a mencionada forca se reclha a seas
quartois.
-N. 919. Dita ao commandante superior da
Suarda nacional da Boa-Vista.TenWo presente o
fllcio de 8 do*orrente om que V. i; eoiiinia-
nicou estar grassando no termo do Oitrcury Mina
uma-opidema de febres, que tem feJk> victimas,
principalmente entre a ciaste pfianv da popula-
gao.
Em resposta declaro que nesta data mando en-
tregar ao delegado daquelle termo, por interme-
dio da collectoria do Crato no Cear, a quantia de
um cont de res, para a compra de medicamentos
e alimentacao dos indigentes que alli fuium accom-
metlidos de senieluante enfermidade.
N. 920.Dita ao juiz de-direito dft comarca de
Cabrob.Accuso o recehiinento do ollicw do V.
S. datado de 11 de Janeiro do corrente anno, em
que d-me noticia da existencia de urna epidemia
que est grassando no termo de Salgueiro, e que
tuui feito algnmas.vietimas. Uut respeta declaro-
lue-qne tanto iwsto dula t>rovide>-iaM pafa qae
por intermedio do delegado de Ouricury, seja re-
mettida ao de Salgueiro, quinnifitos mil ris, para
compra de medicamentos e (ornocimento de ali-
iirentos aos desvalidos d'aquella localidade, deven-
do o dito delegado enviar importunamente a e-ta
presidencia documentes justificativos da dwpeza
que fizer, e hrformacoes circumstanciadas sobre o
estado da enfermidade, seu augmento ou diminui-
eao, numero de victimas ella, e ludo o mais que
occorrer.
o presidio
ras do dia 3 de abril prximo vindouro, ponha V.
S. disposieo do Dr. chefe de polica, os senten-
ciados que tiverem de cumplir sentenea alli, e
remeta com antecedencia a esta presidencia as
respectivas goias para terem o conveniente des-
tino.
N. 922.Dita ao commandante do corpo provi-
sorio de policia. fixpeca Vmc. s convenientes
ordens para que a forca do sen commando desta-
cada na villa de Buique, e que de piarenta pra-
cas, fique reduzida a trinta, passandn as dez que
sobrain para a fregnezia de Aguas-Bellas, para
com as qunze all existentes perfazer o numero
de vnte e cinco, a que se elevar o destacamento
desse lugar.
N. 923.=Dita a Raymundo I delegado de polica de Ouricury.Accuso o rece-
hiinento do ollcio de Vmc, datado de 8 do cor-
rente, em que d-me notietadaxstcuria de urna
epidemia de labres de mao carcter, que assola
esse municipio, hiendo victima*, principalmente
entre a classe pobre da'pjpulaeao, que nao tem
meos para tratar se, ucm mesmo para alimen-
tar-se.
Em resposta declaro-the, que tomando em con-
sideraeao o que Vmc. refere, nesta data amado
entregar-le, por intermedi da thesourara deTa-
zonda da provincia do Cear e da collectoria da
Crato da mema provincia, a quantia da 1:.*003,
sendo l:00Oj; para Vmc. empregar na compra de
(,e2S'.\0s (,ncerlos de que prerisava a coberta da
enBeittaria militar.
.** Dha ao mesmo.Constando de aviso
do inmisorio da perra de 16 do corrente, ter sido
approvda a nomeacao que fiz de Joo de Souza
Rangel Filho para o'lugar de ajudantc do porteiro
do arsenal de guerra desta provincia ; assim o
communco a V. S. para seu conheeimento.
N. j3i._i)ta ao mesmo.A autorisacao que
deu-me o Exm. Sr. ministro do imperio, po'r aviso
de 23 de fevere\ro ultimo, para abrir crdito afim
de pagar-se despozas com socrorres pblicos, era
bastante para que fosse enmprda a minha porta-
ra de nofe, em iiue communiquei a V. S. que,
usando daquella autorisacao, e na conformidado
,2,?r'- ^ decret n. 2,8'84 do 1" de fevererode
1862. flueliMuMld abra um crdito de 3:0003
para o sohredito pagniento.
Nao vejo, como a Y. S. parece, necessidade de
tomar en a responsablidade de um acto que foi
previamente antorisadi pelo Sr. ministro do im-
perio : entretanto, coma as exigencias do servco
publico nao devem ser preteridas, e urgente re-
moller para o delegado da villa de Ouricury a
quantia a que me refer iva mencionada portji'ria,
declaro a V. s. qu tomo sobre mim a respontam-
lidado da abertura do sobrefino crdito de 5:0005
ja ordenado pelo citado art de 23 de evereiro
ileste anno : fica assim respondido o sen offlcio
desta data sob n. 176.
N. 932.Dito ao mesmo.Attendendo ao que
V. S. representou em ofllcio de 23 do corrente sob
n. 16 acerca da necessidade abertura de um
N. 921.Dita ao juiz municipal da primeira va
ra desta cidade.Tendo de sahr nm vapor para I crdito da quantia de i:202 3001V rubricaCom-
de Fernando de Noronhha, pelas 12 he missdes militaresdo ministerio d;i gi
gnerra, para
poder ser abonada essa quan'.ia, despendida por
eotfa do pxerccio de 1867 a 1868, ao almoxarife do
do presidio militar de Fernando de Noronha, por
desjieza* feitas pela dita rubrica ; visto nao haver
al Agora o mesmo ministerio resolvido a seme-
I liante respeito como Ihe foi pedido em 3 de nth-
vembro do anno passado : declaro a V. S. que, na
conformdade do artigo 5 do decreto 2884 do Io
de fevoreiro de 1862 fica aborta, sol ininha res-
ponsahildade o mencionado crdito de 1:2023000
para o lim indicado na representaco de que se
trata.
N. 933.Dito ao inopector da thesourara pro-
vincial. Pode V. S. de eoufonuidjde com a sua
nformacao de 27 do corrente sob n. 163 mandar
pagar ao professor interino da eadeira de instruc-
eao elementar daPassagemda Magdalena, Joaquim
Jo- de Mmira, a quantia a que tiver direito, pro-
veniente de seu ordenado o uns gratificaeoes re-
lativas aos mezas dbdzemfiro da anno prximo
passado a metro nltiin i cara excepcao dos 33834
para que, aegnndo a citada nformacao nao existe
crdito.
X 934.Dito ao mesmo.^-Inteirado de quanto
V. S. expoz em sua inform icao de 24 do corrente
sol n. |ii acerca do eaqperimeoto de Felippe
Kuiilio Mena da Costa, teuho a dizer, que, haven-
do sido o suplicante nomeado interinamente para
o lugar vago de preparador do Gymuasio provin-
cial, deve perceber os vencmentos que se acham
medicamentos que cousta haver no dito municipio estabelecidos para o mesmo lugar, e neste sentido
do Crato, e de alimentos para os doentes pobres j cuinpre ijue sejam expedidas as suas ordens.
desse termo de Ouricury, e iHWi afim de remette- 4 seccao.
os ao delegado da villa o Salgueiro, onde tam-
bem grassa igual enfermidade, para ter al i i idn-
tico emprego.
Vmc. enviar opporlunameulc a osla presiden-
cia os docttmenti s juslilicativos das despezas que
lizer, e transmlir tamben) informaroes crcums-
N. 936.Dito ao presidente da provincia i
Grande do Norte.Tendo de segtnr pira esa
do Rio
Grande do Norte.Tendo de seguir para essa pro-
vincia, para o que dei as fteeessaras ordens, a lan-
chaeaja dimensoes e pertonces constam da nota in-
clusa, e que com destino a respectiva r api tama do
porto fra mandado construir pelo aviso flomi-
tanciadas sobre o estado da enfermidade, seu aog- i nisterio da marinlia de 22 de dezembro de 1864,
tieo.
seeejm.
vmcia
que, segando oxanmtot^ do cemntandaate do
N. 9*7.Bita ao mesmoFaca V. .embarcar
nom seguratca no vapor qne tem de paflfr para o
presidio de Fernando, pelas 12 horas do da 3 de
abril prximo Tindouro, os sentenciados que para,
terem eses destino forem postes a dispoajcao de
miRq /lu,*!}ume'Pal a primeira vara.
^ A^i^n a> comtnafidante supetior fia
guarda nSefOnal de aara,ahnns.-Teodo resolvdp
que o destacamento da guarda naelonal deB
commando superior, qn se compSe dir trinta Dra-
gas, e se acha na villa de BuiqOe, fique reuzido
a dez pracas e um inferior; assim domo qije seja
retirado o destacamento da nresma guardTexis-
tonte na freguezia n Agnas-Befias, do dito mun-
dpiOje (Juecontera cincoenta prtcas de pret. um
cofMto, un alteres o um inferen- do batatlo de
icioaoBam. Sr. presiden da pro- Garanhuns; assrffl'o oOfljrmanieo aV. S. paraex-
do Rio de Jsmire,Participo y. Exc par a con*enlentes ordens no seotldo deMa mf-
ima resoracSo, dando-me parte de dfi em que af-
nenlo ou decrescmento, numero das victimas
della, e tudo o mais que occorrer.
N. 924.Dita ao delegado de policia do :ermo de
Buique.Communco a Vmc. que nesta data expe-
d ordem ao tenente-coronel commandante do cur-
rogo a V. Exc. que se sirva de providenciar afim
de (pie as (iracas de marinhagem que vo tripolan-
do a referida lancha regressem a esta capital no
primeiro vapor da compauliia Periiamhucana.
N. 937.Dito ao presidente da provincia do
po provisorio de policia para reduzir a 30 o nume-1 Cear.(lavando nesia data determinado ao ins-
ro de 40 pracas do destacamento do mesmo corpo, pastor da thesourara de facenda desta provincia
ora existente nessa villa, passandn as dez qne so- que fizess" remetter, pel.i vapor que sabe amanha.
bram para a fregueza de Aguas-Helias, alim da I ao inspecto de igual rei:u'tico dessa provincia a
que, reuiiiilas s qunze que alli se acham, perfa- quantia de 1:301,. alim de ser entregue por in-
cam o numero de 23, a que fica elevado o desta- termedio da collectoria do Crato, ao delegado de
camento desse lugar. policia do municipio de Ouricury desta provincia
Communco igualmente que dei ordem ao com- para applica-la as despezas com a prestaco de
mandante superior de Garauliuns para reduzir soccocros as pessoas desvalidas, q'uenesse muiiici-,
dez pracas e un inferior o destacamento de trinta po e no de Salgueiro. esto sendo flagelados por
pracas da guarda nacional que est na villa de
Buique, assim como para fazer retirar todo o des-
tacamento do bataihao de Garanhuns qne exiw?
na fregueza de Aguas-Bellas, e se compSe de 30
pracas de pret, um capitao, um alteres e um infe-
rior, visto nao ser mais precisa ah a presenta
dessa forca.
N. 925.Dita ao delegado de policia do termo
do Salgueiro.Communco a Vme. que-nesta data
mando eairtga*-Ihe, por intermedio do deleeado
de policia do OuricurV, 500-5000, alim de empre-
ga-los na compra de medicamentos e alimentos
para os doentes pobres desse termo, que forem as-
saltados pelas febres de mo carcter, qae rcin&m
presentemente por esses lugares. Vmc. enviara
opportunamonte a esta presidencia os documentos
justificativos das despezas que fizer, c rransmittir
tambera informacoes circumstanciadas sobre o es-
tado da enfermidade, sen augmento ou derre-^i-
nieiito. numero das victimas della, e tudo mais
que occorrer.
3* seccao.
N. 926.Portara ao inspector da thesourara
de fazenda.Tendo resolvido, na conformidade da
autorisacao do aviso do ministerio do imperio da
23 de feverero ultimo, e do art. 6a do decreto n.
2,884 do 1 de feverero de 1862, abrir um crdito
da quantia de 5:0003, por conta do mesmo minis-
terio, e pela verba competente do actual exercicio,
para soccorrer as pessoas desvalidas que teem
soffrido com a secca que bnuva nos sertoes desta
provincia, e as que nos municipios do Salgueiro e
Ouricury estao sendo flagelladas por febres de
mo carcter que assolam os ditos municipios, e
tem feito victimas ; bem como para as que nfeta
capital, e em Pao d'Alho e Lmoeiro ficarau redu-
zdas miseria, em consequencia da innundacao
do rio Capibarbe no dia 8 do sobredito mez de
fevereiro ; assim o communco a V. S. para sua
ntelligencia e execucao. E porque oonwenha en-^
var quanto aptas sbecorros ao habitantes dos
termos de Sarguero e Ouricury, curapre que V. S.
remeta ao inspector da thesourara da provincia
do Cear, pelo vapfflr-quesegaeamaahla, a quan-
tia de 1:500*, para que efin, segundo a requsioSo
que ora faCo ao presidente da dttepsorineia,'mam-
de entregar a sobrodita auantia por nterujedk) da
callectoriado Grato, ao detegado de polica da Ou-
ricury, afim de apphcar l:dDW s despezas com
soeeorros aos habitanles desse municipio e do en-
viar 500 ao delegado do Salgueiro para dar-lhe
igual arjpficcli).
N. 927.Djja ao mesmo.Transmiti a Y: S\
paraos flngoOnvpnlente* a*orto-wluas'rehedes
de pagamento e de alteracoes havidas ao mea de
feverero ultimo,
no presidio de Fernando.
N. 9W.-*Dita aoiMsirM-Peia?iil hars do da
3 da abri| nroximq ymdouro tem de aahk um va-
por para 6 presidio de Fernando ; o qae a Y. S.
comSBnico para seu conh3ciraenio eftns conve-
nieoteu. -1) S
% W9-Dita a* mesmo.Aaittindo aa armao-
licitom o aogenhsira encanre^afio daa oaraatniUta-
res ero oflfeio de boje, recoinmendo a \,&,qp
em vista da conta junta em duplicara, mande pa-
Sar a Jos Paraiqa, da. Aieanta,do, O, aqjqaatm
b BKJOO, a maa-se jtti^eomidifaiitK^r haver
tTMfataifl em vrtude de- antoracao 4eu t*rai-
febres de mo carcter, i[ne os assolam, e pela
lesea que houve nos sertoes ; rogo a V. Exc. que
se -rva ordenar ao referido Inspector que apenas
receber a dita quantia providencie sobre a sua
prompta remessa qnelfe delegado, pelo meio in-
dicado.
N. 938.Portara a cmara municipal da villa
da Estada.Nao tendo as mesas dos collegioselei-
toraes da villa da Escada, para as eleicoes de de-
pntados a assembla geral legislativa "pelo 3o d s-
tricte, e dotra senadores por esta provincia enva-
do copias authentieas das artas da organisacao das
niesmas mesas nos das 2 a 4 do corrente, limitan-
do se a remetter as das acias do recebiraento das
cellas e apuracao dos votos, compr que a cma-
ra municipal da dita villa com toda a urgencia fa-
ja extrahr e enve a esta presidencia quanto an-
tes as sohredtas copias das aetas da organisacao
das refer las mesas, viudo em duplirata conferidas
Eelo secretario da cmara, e concertadas pelo ta-
elliao do lugar, c na falta pelo escrvao de paz.
N. 939Dita ao vigario da fregueza de Sal-
gueiro.-^Vo offlcio do 24 de Janeiro ultimo, em que
V. Rvma. me conrnuntcou estar reinando una
fbre nessa villa, respondo dzcudo-lhe, que nesta
d n i providencio para que ao delegado desse termo
seja entregue a qn.tntla de 900S para compra de
medicamentos e alimentado as peesoas indigentes
que forem aeoaniuietlidas daquella enfermidadft
N. 940.Dita ao gerente dacompanhia Pernam
bocana.O Sr. gerente da companhia Pernamhu-
cana mand dar urna passagem de estado a r at
a Parahvba a Joojlodolplio Gomes.
N. O 1.Deliberacao.0 Exm. Sj. presidente da
provirifa, em vista do ofllcio do director geral ua
instrueco publil.de 27 doeorrotite sob n. 76,
resolve exonerar rrbacharer Jos Maria Cardoso
so cargo do delegado litterario do dstricto de Na-
tareth.
N. 942.Dita.O Exm. St. presidente da pro-
incia, em vista do offlcio do director ge,ral da
istruccao pubMca de 27 d eorrente sob n. 76.
resolve nomear o bacharel Manoel Barata de Ol-
teira e Mello delegado Iliterario do dstricto de
Nazareth.
XPEDIENTE ASSH1NADO PELO SR. DB. JOAQUIM CORREA
, BE ARAUJO, SECRETARIO DO GOVERNO, EM 30 DE
MASCO DE 1869.
V !>41-OMMo Sr. prefidenle aj&laiMicw manda dec|rrarili Vj
S, eiarespaa. ao saS aUcio de hoatem, mierV
tfiesouraria da fwaqda :tam dora- para pagar a
Jos PereSra #AlemWaVa do O' qnsntia de 1033,
constante do citado effici.
i," seceso.
N. 944.OffliaolDr. juiz de direito da comar-
por ter esse bacharel pedido exonerara foi nomea-
do para substituirlo o cidadao Astoffo Hoarton de
Souza Gomes.
N. 946.Dito ao juiz municyml do Ruinoo
Exm. Sr. presidente da provincia manda declarar
a V. S., que lica interado por seu offlcio de 6,
de haver nessa da'a entrado no goso da lieenca,
que Ihe foi concedida por decreto d 16 de Janeiro
ultimo.
3. seccao.
N. 947.Offlcio ao inspector da thesouraria
de fazenda.S. Exc. o Sr. presidente da provincia
manda transmittlr a V. S. as 4 inclusas ordens,
sendo 2 do tribunal do thesouro nacional sob ns. 29
e 30 e 2 do ministerio da gnerra, datadas de 15 e
18 do corrento, o bem assim um offlcio do director
geral das rendas publicas, tambem datado do 22
de mesmo mez.
N. 948.Dito ao mesmo O Exm. Sr. presiden-
te da provincia raaoda declarar a V. S., que se-
gundo olcios do juiz de direito da comarca de
Bamb, de 6 e 18 do corrente, foi nomeado promo-
tor publico interino daquella comarca o hachare
Maximiano Jos de Inojosa Varejao no impedimen-
to do effectivo. sendo que tendo o dito bacharel
pedido sua exoneracao foiIhe esta concedida a 16
deste mez, e nomeado em snbstituico o cidadao
Astolfo Hoaston de Souza Gomes.
N. 949.Dito ao mesuro.O Exm. Sr. presiden-
te da provincia manda declarar a V. S. para os
flns convenientes, que seguudo o offlcio do juiz
municipal do termo de Buique ba-harel Antonio
Fernando Trigo de Loureiro de 6 do corrente,
nessa data entrn elle no goso da lieenca que Ihe
foi concedida por deliberacao de 16 de Janeiro
ultimo.
4.* seecao.
N. 930.Offlcio ao director geral da instrueco
publica.S. Exc. o Sr. presidente da provincia,
tendo por deberacoes desta data e em vista de
seu offlcio de 27 do" corrente sob n. 76, resolvido
examinar o bacharel Jos Maria Cardoso do cargo
de delegado litterario do dstricto de Nazareth e
exonerar para o substituir, o bacharel Manoel Bara-
ta de Oliveira e Mello; assim o manda communi-
car a V. S. para seu conheeimento, enviando-lhe
o titulo do nomeado para ter o destino conve-
niente.
EXPEDIENTE ASSIGNADO PELO EXM. CONDE DE BAE-
PENDY, PRESIDIRTE DA PROVINCIA, EM.3I DE MARCO
DE 1869.
1." seccao.
N. 952:Portara ao Exm. Sr. general comman-
dante das armas.Para cumprmento do que foi
quartel ao destacamento de guardas nacionaes
existente n'aqoella villa.
N. 967.Dita ao mesmo. An'rso v. 3. noo
ecrruus uc su* iRi mai*) uX; honlant, sob n. 173,
com referencia a da cotadoria dessa thesouraria,
acerca do requerimento que incluso devolvo,
mandar pagar a Miguel Ferreira Velloso a quantia
de 4531o! proveniente da gratificacio que veneeu
de 6 a 19 de agosto do anno prximo passado,
como cncarregado do curativo dos indigentes ata-
cados da varila c cmaras de sanguc na cidade
de Caruar, devtmdo esse pagamento ser effectua-
do por conta do crdito de 3:0003000, aberto por
portara de hontem, para soccorros pblicos.
N. 968.Dita ao mesmo. Transmiti a V. S.
as folhas relaces nominaos e prets juntos em du-
plicatai que me remetteu o commandante superior
da comarca da Boa-Vista com offlcio de 9,do cor-
renle, relativos aos venciinenlos nos mezas de fe-
vereiro a abril do anno prximo passado do offi-
cial e pravas destacadas na villa do Ouricury, alim
de que mande liquidar taes veneinientos, flLjaro-
cessar a sua importancia para ser paga quahao o
governo imperial votar o necessario crdito, visto
pertencer essa divida ao exercicio j encerrado de
1867 a 1868.
N. 969.Dita ao inspector da thesouraria pro-
vincial.Em vista do recibo junto em duph'eata,
mande V. S. liquidar c pagar ao delegado do ter-
mo do Buique, ou ao seu procurador, conforme
solicilou o chefe de policia em offlcio de hontem,
sob n. 439, o aluguel, vencido de 8 de outubro a
8 de dezembro do anno prximo passado da casa
que servio de quartel a urna forca do corpo pro-
visorio de policia que alli esteve'sob o commando
do capitao Francisco Borgtt Leal.
N. 970.Dita ao mesmo.Com as inclusas re-
lacoes nominaos dos presos pobres recolldos a
cadeia do termo do Buique durante os mezes de
outubro e novembro do atino prximo passado, sa-
tisfago a requisicao de V. S. comida em offlcio de
29 de dezembro ultimo, sob n. 824, a que vieram
annexas as duas cotilas que incluso devolvo, rela-
tivas ao sustento de taes presos nos dous primei-
ros mezes.
N. 971.Dita ao mesmo.D V. S. as conve-
nientes providencias para que das subvencoes vo-
tadas nos artigos 12 e 29 da lei n. 832 de 5 de ju-
nho do anno passado, (orcaniento provincial do
corrente exercicio) para a sociedade dos artistas
mchameos e liberaes, e para o collegio de Papa-
caca sejam pagas as quantias que se Ihe esliverem
' devendo.
N. 972.Bita ao mesmo. Attendendo ao que
. I \ *' *----i'n.* au lliu-lliu. ---- .-Kicmicjnr a" uur
determinado em aviso da>reparticao da guerra de V. S. representou em offIcios de 21 de dezembro
15 do corrente, convm que V. "Exc. oxpcea as
suas ordens para que me seja remettida a conta
corrente da pracajla companhia de operarios mili-
tares do arsenal ne guerra desta provincia, Alfon-
so Ernesto do Seixas, julgada incapaz para o
servco do exercito, afim de qne se possa definiti-
vamente ajustar^lhe contas.
N. 953.Dito ao capitao do porto.Inteirado do
sen offlcio de hoje sob n. 44, do sinistro acontecido
na noute de 30 do corrente, a bar/'a ingleza Foom
capitao Baker, por occasiao de seguir viagem para
a Parahyha, dos soccorros que Ihe foram presta-
dos, tenho a dizer-lhe em resposta, que vou levar
tudo ao conheeimento do governo imperial.
N. 934.Deliberacao.O Exm. Sr. presidente
da provincia attendendo ao que reqnereram Fer-
nandes & Irmos, resolve conceder-lhe lieenca
para embarcar para o presidio de Fernando de
Noronha, no primeiro navio a vapor que para alli
seguir, os gneros constantes da relacao junta,
assignada pelo secretario do governo, nao poden-
do porm effectuar o desembarque dos referidos
Seeros, sem que por parte do commandante do
) mesmo presidio, so proeeda a exame, afim de
se verificar se ha bebida expirituosa.
2a seccao.
N. 957.Portara ao Dr. chefe de policiaCom
o offlcio junio por copia do commandante superior
da guarda nacional dos municipios de Garanhuns e
Buique de 24 de Janeiro ultimo e documentos a que
elle se refere, fica respondido o offlcio do V. S. de
4 de dezembro uMmo, sob n. 9640, relativamente
a represeutacao do delegado do termo do Bom Con-
seibo, o que V. S. far constar ao mesmo delegado.
N. 938.Dita ao esmmandante superior interino
da guarda nacional deste municipio. "Remeti a
V. S. o requerimento foiio a sua magestade o Im-
perador pelo tenente-coronel Manoel Gamillo Pires
Falca), pedmdo ficar aggregado guarda nacional
desta capital, onde hoje reside afim.de que V. S.
haja de informar sobre esta preteneao com o que
se I lie offerecer.
N. 939.Dita ao director geral da secretaria de
estado dos negocios da justica. Acenso o recebi-
mento do offlcio de V. S. de 18 deste mez, e bem
assim das patentes de que trat o mesmo offlcio.
N. 960. Dita ao commandante superior da
guarda nacional do Brejo.Devolvo a V. S. o pret
cm duplcala, que veio annexo ao seu offlcio de 5
do corrente, tirando vencmentos relativos ao mez
de fevereiro ultimo, para as pracas da gnarda na-
cional destacados na villa de Cimbres, alim de que
seja substituido por outro nominal, cujo recibo de-
ver ser passado ao tliesoureiro pagador, Mener-
vino de Souza Lelo, conformo seieitou o respecti-
vo inspector, em ofllcio do- hontem, sob n. 172.
3a secoao.
N. 961.Portara, ao inspector da thesouraria
do fazenda.Tendo resolvido, em vista do incluso
attestado medico, que me remetteu o promotor
publico da comarca da Santo Anto bacharel Jos
Antonio Correa da Silva, com offlcio do 34 do cor-
rente, abonar as faltas-que por molestia deu o men-
cionado bacharel a contar de 26 de fevereiro ulli-
mo a 20 doste mez, dia-em que reassumio elle o
exercicio do seu cargo, assim o declaro a V. S.
para seu conheeimento e flns convenientes.
N. 962.Dita ao mesmo. Expeca V. S. suas
ordens para que amanha o empregado que desig-
nar, passe revista de mostra s 8 horas da manhaa
ao Io bataihao de artilhara e contingentes a elle
addidos, que se acham aquartelladoe.
N. 963.Dita ao mesmo.Reeommendo a V. S.
4ue, depois de liquidados, em vista das folhas rea-
gao nominal e pret juntos em dnplieeta, que me
remetteu o eommandante superior da comarca de
Garanhuns eom offlcio de 11 do corrente sob n,
17, mande pagar ao capitao Joaquim Silverio de
Souza os vencmentos do oflkial -e pracas da guar-
d* nacional destacados na villa do Buque, sendo
os d'aqnelle, relativos sos mezes de Janeiro e feve-
reiro deste asna e os destas ao citado mez de fe-
vereiro.
N. 964.Dita o mesmo.Inteirado do conte-
do da offlcio que V. S. me dorigio em 24 do cor-
rente sob n. 176, aeompanhado" d eohta que in-
clusa devolvo na importancia de 12*800 e relativa
a tto* coberWpes de algodao comprados pela se-
cretaria de policia para os indegeites aeommetti-
dos d varila no termo de Serta* aem, tenhe a l-
ier em resposta, que mande pagar essa despen p*T
"doata do crdito de 3:*W0#G0 aborto por portara
aaaVfirejDO EOn-'St. presidente! da provincia 'de honten para soccorros pabJlce*.
ibandft declarar a V. S., qute nesta data tem pre-
deneiado para ser enviad para esta cidade o
[sentenciado Domingos Gomes de Aguiar, de que
(tfata o so*o1eido27tevo prximo pas
.'^.Iiloa^Dr. jniz d>fiireito da coaarca
*de Itamb.O Exm. Sr. presidente da provincia
manda djclarar aa-^ j> gm xntwlra aotiseus
is sojf nsas a
lo de
rol
d aargada-pKWWi
N: 965.Dita ao mesmo. -- Declaro a V. S. epi
resposta sor 8eu offle d 30 do corrente sob n.
175 que o ultimo prase mareado para o registro
das ierro, et virando dO- dfepos no art. 91 do
oegulamento de 30 de Janeiro de 1854 findou-se a
30 de mal >da 1861.
N. 966.Dita ao mesmo.DonoJi_Ae
r Julqpo.'Oa ao
bcBefede
a em offlcio de hontem sgb n. 44,'t, o aluguel ven-
dido de W de outuMlMMM>^roximo passado
a. 10 d teroreiro aitmav da casa qae sarro do
do anuo passado, sob n. 810 e de 21 e 26 de feve-
reiro do corrente, sob ns. 603 e 105 acerca da in-
sulll'-icncia das verbas decretadas pela lei do or-
camento do exercicio vigente no | 2 do artigo 4"
j 2", do artigo 5o | 2o do artigo 6', 5 4 do artigo
33, j do artigo 34, c artigos 40 e 42 para occor-
rer aos pagamentos das despezas com expediente
e asseio da casa da directora geral da instrueco:
expediente, movis o asseio da casa do gymuasio
provincial iuclusive a diaria ao servente: expe-
diente e asseio da casa da escola normal e diarios
aos serventes; expediente e asseio do casa da the-
souraria provincial; expediente e asseio da casa
do consulado provincial: impressao de trabadlos
das repartieres publicas e eventuaes; coinmunico
a V. S. que tenho aberto segundo o seu pedido, e
as informacoes que ministmu por ofliiios de 20 de
Janeiro, 5 de fevereiro e 16 do corrente ns. 32, 58
9 140 os seguintes crditos supplementares s
mencionadas verbas :
Para as despezas do 2. do art. 4..._ 1433081)
Para as despezas do g 2. do art. 5....' 133143
Para as despezas do 2." do art. 6."... 3773931
Para as desperas do | 4." do art. 33... 4303777
Para as despezas do 2." do art. 34... 3813763
Para as despezas do art 40.......... 181 840
Para as desperas do art 42........... li'.iHal
De todas estas quantias, na importancia total de
2:3383174 deve ser dada opportiinameiiie conta
justificada a assembla legislativa provincial para
sua definitiva approvacao nos termos da lei. O
que communico a V. S. em resposta aosolficios ci-
tados.
N. 973.Dita ao chefe da renarticlo das obras
publicas.Sendo muito conveniente preparar nes-
ta capital um terreno onde sejam inhumados os
cadveres das pessoas que nao devam ter sepul-
tura eeelesiastica; ehavendo aoladodocemiteriopu-
blico e da parte exterior, una extenso do terre-
no a elle pertenconle, que [rde servir aquello lim.
cumpraqueVmc. entendendo-se como adminis-
trador do dito cemiterio examine quies os. traba-
dlos necessarios para tornar o nwamo lerrano a-
propriado, oreando as despezas que se toro de
Basar para eoiiverte-lo em cemiterio decente. Re-
commendo-lhe urgencia na remessa de suas infor-
macoes a este respeito, e do competente orea-
mente.
4.* seccao.
N. 973.Offlcio ao Exm. Sr. presidente da pro-
vincia do Rio Grande do Norte.Remello, por co-
pia a V. Exc. a inclusa nota dos preces das baii-
leiras e galhardetes requisilados em ofllcio dessa
presidencia de 9 desto mez. para a fortaleza dos-
Santos Heis Magos, alim de que servindo-se V.
Kxc. de providenciar sobre o respectivo pagamen-
to, possa-se ordenar o fornecimento e remessa dos
referidos objectos.
N. 976.Portara ao desembargador provedor
da Santa Casa de Misericordia.Alteml-ndo ao
que reauereu Gulherme de Almeida (Juedes Alco-
rorado, autoriso V Exc. a mandar entregar-flic
sob as condic5es mencionadas em sua ioformacao
de 23 do corrente, sob n. 1821 o menor que lora
deixado na roda da casa dos Expostos na noite de
31 de Janeiro prximo fiada.
N. 977.Dila ao gerente da companhia dos tri-
Ihes urbanos do Recite a Apipucos.Remetto ;*
Vmc. o inclusp officio de 23 do corrente, sob n.
122, do engenheiro chefe da reparlicio das obras
uublicas e papis, a que se refere, acerca do pedi-
do que Vmc. fez de modificacoes no regulamento
me esta presidencia tenciena publicar para os
trens de passageiros e de carga, afim de que exa-
minando as observacoes do mencionado engonhai-
ro ao offlcio de Vmc. do 17, declare com urgencia,
dcvolvendo todos os pap.eis.se concorda com asea*
observacoes, para ^erem depois considerados pala
mesma presidencia.
N. 978Ditaaogarenteda companhia Pernam-
bucana.O Sr. gerente daeompanbia Peruamba-
cana d passagem a r no primeiro vapor que se-
guir para o presidio de Fernanda de Noronha, por
conta do ministerio da guerra ao alteres do 3." ba-
taihao da guarda nacional do municipio do Recite,
Augusto" Paler Cesar, qu vai substituir alli ao al-
teres Antao do Sacracento Rosa, que deve regrea-
sar esla'capital.
N. 979,-^Wa ao mesjao.*=0 Sr. gerenta dacom-
jianhia Pernambucana mande dar urna passagem
de estado a' r at Pejiedo no vapor que segu
tpara o sul a JoSo Evangelista da Costa.
980.=Dira ao mesmo.=0 Sr. gerente d
companhia Perhanibucana mande dar urna passa-
gvm de estado a proa at ao Cear no vapor qne
segne neje par o norte a pTanChco Rodngues
Monteiro.
EXPEDIENTE ASSIGNADO PELO SR. DR. JOAQFtM COn-
RE4 DB AAt;;0 SECBETARK)DO OVEIWO E M
, DaiAncoBE 1869.
1 recelo.
N.'fiMP.OBio'ao Dr. chal do potteia.Sa*
Exc. o Sr. presidente da provincia manda decla-
rar V. S. em retosta os seos ofltfios de hontem
sob Os. 439 e 4-13; que ira i ; mesonrartas
geral e pro^lpara osfeotrreriietifes, es 5-
>-


*

i
Diario de PeranmlMeo Quinta feira 8 de Abril de 1869
que em duplicata vierara annexos a W\
.s.
,. 982.Dito ao commandante superior inten-
da guarda nacional deste muncipice=0 Exn
. presidente da provincia manda declarar a, \-
para o fins conveniente1* que nesta data se ex-
dio ordem ao gerente a eompanhia Pernanrou--'
apara dar passagem no prirneiro vapor qu
seguir para Fernando de Noronha ao ^u-
Susto Pater Cesar, qucallude o sen efllcio de 3)
o corrente, sob n. 48. .
N. 983.Dito ao mesmo.O fi*m sr. prqs
lente da provincia manda declarar a V.J^queii-
.-ara expedidas as convenientes ordens para a na
Sa as 8 oras do dia ser pa*ada revistado mos-
tra ao batallio de artimaa e aes coifliogentcs
a elle addido? de conformidade coi o offleio de \
S. n. 47 de 30 do corrente. .
m. ggi Dito ao commaBdante superior da
Kurda uaeioaal da Boa-VistaO Kxm. Sr. pre-
sidente da provincia mswda declarar a V. S. ein
resposta ao sen offlcio de 9 do corrente, que tran:-
mittio a thesourana de fazenda para os fins con-
venientes, as folhas, relaces norainaes e prets. qie
em duplicata vieram annexos ao citado otario.
N 983.Dito ao coinmandanle superior de G;.-
rauuns.Nesta daU autorisou-se a thesourana t e
fazenda a pagar ao capito Joaquim Silvcrio de
Souza, os vencimentos constantes do offlcio dei \.
S datado do 11 do corrente, sohn. 17, o qual tica
assnn respondida de ordem do Ex. Sr. presdeme
da provincia.
\ 986.Dito ao juiz municipal ne Cabrooo.
O Exin. Sr. presidente da provincia manda decla-
rar a V. S. que fica inteirado por seu olucio de 1
do crrente, de haver V. S. doixado nessa dala o
exercicio da vara de djreito dessa comarca reassu-
mindo o da de seu cargo.
N. 987Dito ao juiz municipal einterino defli-
rcito de Lainub*n Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda declarar a V. S., que tica inicira.io
por seu officio de 6 do corrente, de haver V. 5.
nessa data assumido interinamente o exereieio da
vara de direito da comarca, eomo prirneiro substi-
tuto delta. ,,. i
N 988 =Dito ao promotor publico da comarca
de" Santo Antao.-Sua Exc. o Sr. presidente ra
provincia, ficando inteirado de hayer V. S.reassu-
indo no dia 20 do corrente, o exercicio do seu
cargo, expedio ordein a thesouraria de fazenda no
sentido de serem abonadas as suas faltas a cont: r
de 26 de feverciro ultimo, at o mencionado da
10
O que de ordem do mesmo Exm. Sr. lhe declaro
em respesta ao citado ofcio. .....
N 89.Dito ao Sr. Andr Cavalcanti de Albu-
qserque Arco Verde Communico a V. S. paia
o seu conhecimento e lins convenientes que nesia
secretaria se acha a patente imperial que o nomea
tenente-coronel conimaudante do batalhao de m-
Iguai ao Sr Sevcriano Camello Pessoa Cava-
canti, omeado major coinmandantc do esquadrao
n.,12.
3.a secuto.
jl 990 OfDcio ao inspector da thesourana de
fazenda O Exm. Sr. presidente da provincia
manda declarar a V. S. para os fins convenientes
que segundo offlcio do juiz municipal do term > do
Cabrob bacliarcl Agncllo Jos Gonzaga, do I. de<-
te mez, nessa data deixou elle o exercicio da vara
de direito da comarca reassumindo o
da de se i
cargo.
N. 991.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. presiden-
te da provincia manda declarar a V. S. para os
fins convenientes, que segundo participou o juiz
municipal do termo do Ex, bacharel Livino Lopes
le Barros e Silva, nessa data assumio, como pri-
rneiro substituto della o exercicio da vara de di-
reito da comarca de Cabrob.
DESPACHO DA PRKS1DENCIA DO DIA 6 DE ABRIL
DE 18C9.
Augusto Pater Cesar. D-sc a passagem pe-
dida.
Antouio Joaquim dos Santos. Como requer,
sendo porm o prazo limitado ao tempo da heen-
ca, que, segundo informa o capitn do porto, e da-
tada de 8 de man do anno anterior.
Antonio Candido de Oliveira. Informe o Sr.
commandante superi r do municipio do Liraoeiro.
Alexandrina Mara dos Passos GuimaraesIr
forme o Sr. inspector da thesourana de fazenda.
Andr de Abrcu Porto.Informe o Sr. inspec-
tor da thesouraria provincial.
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & L.lnlot-
me o Sr. inspector da thesourana de fazenda.
Candido de Souza Miranda Couto. VolleMudo
ao Sr. inspector da thesouraria provincial para in-
formar, ouvindo o Dr. procurador fiscal.
Domingas Paulina Ayres.Informo o Sr. desem-
barcada provedor di Santa Casa de Misericordia.
Henrique Bernardos d; Oliveira.Passo porta-
Jos Mara Ferreira da Cunha.Passc portari
na forma do regulamento.
Joaquim Rodrigues Maia de Oliveira.Inform;
o Sr. Dr. chefe de paiieia.
Jos Mara Ferreira da Cunha.Passe portara.
Joaquim Gomes do Souza.Como requer.
Joao Francisco Paes Brrelo. Informe o Si.
inspector da thesouraria provincial.
Major Jos Polycarpo de FrcitasInforme o Si.
Dr. juiz de direito da 1* vara.
Luiz Antouio Cabral.-D-sc passagem de proa.
Manoel Pedro Ribeiro de Oliveira. Informe o
^r general commandante das armas.
Mar-colino de Souza Travasso.D-se, nao ha-
vendo inconveniente.
Manoel de Hollanda Cavalcante de Albuquerque.
Informe o Sr. engenheiro chefe da reparticao
das obras publicas.
Paes de Mello & CInforme o Sr. inspector di
thesouraria de fazenda.
Repartlco da polica.
V seccao.Secretaria da polica de Pernambuco,
7 de abril de 1869. M .
N. 489.Illm. e Exm. Sr.Tenho a Honra de
levar ao conhecimento de V. Exc. que, segundo
consta das participacocs recebidas hoje nesU re
particao, foram hontem recolhidos casa de deten
cao os seguintes individuos :
A' minha ordem, Fortunato, cscravo de Manoe
Jos da Cunha Porto, por disturbios.
A' ordem do subdelegado de S. Jos, Manoe I
Belchior, por embriaguez, e Manoel Joaquim Flo-
res, por desordem.
A' ordem do da Boa Vista, Firmino, escravo do
Jos Ferreira, por ter sido encontrado depois da:
9 horas da noite sem bilhete de seu senhor.
A' ordem do do Poco, minha dispo9icao, Joac
Silvestre da Silva Leite.
Por offlcio do I. de marco ultimo, participou-
me o juiz de direito interino da comarca de Taca-
rat que no dia 27 de fevereiro do corrente anno,
Jos Geraldo de S e mais iref individuos assassi-
naram ali a David Rodrigues de S.
Deus guarde a V. Exc. Illm. Exm. Sr. conde
de Baependy, presidente da provincia.O chele
de polica, Francisco de Fari't temos.
PEKNAMBCO.
REVISTA DIARIA.
SENADORESChegou hontem o resultado do
ultimo collegio de Tacarat. Com elle fica assim
organisada a lista sxtupla, para a formacao da
3ual comparcccram 1,833 eleitores nos collegios
a provincia :
Sisronde de Camaragibe....., 1,809
mselheiro Jos Bcnlo da Cunha e Figuei-
redo........._: *?
Desembargador Alvaro B. Ueha Caval-
canti......... ">*
Dr. Ignacio Joaquim de Souza Leao. 1,743
Dr. Joo Jos Ferreira de Aguiar. l,o71
Conego Joaquim Pinto de Campos 1,548
DEPTADOS A ASSEMBLEA GERAL.-Tam
bem chegou o resultado da eleicJo para deputa-
dos no collegio de Tacarat, onde foram votados
osSrs. :
Dr. Manoel Ciernen t no.......39
Conego Campos.........39
Sao, portanto, deputados pelo quinto districto da
provincia os Srs.:
Dr. Manoel Clementino Carocho da Cunha. 374
Conego Joaquim Pinto de Campos. ... 371
INSTRUCCAOPUBLICA._Durante a auzencia
do Sr. Dr. Juaqmm Portella, que vai tomar ama-
to na cmara temporaria, fica servindo de direc-
tor geral interino da instruccao publica, o Sr Dr
Braz Florentino Henriques de Souza, por delibe-
racap da presidencia de 6 do corrente.
PROFESSORES PUBUGOS PRIMARIOS. Por
deliberaeded da presidencia, de 6 do corrente :
Foram exonerados os Srs. Manoel Freir do La-
vor, e Joao Sil vino de Alencar, de professoree In-
terinos da povoaso do Sacco e da villa de Gra-
nito.
Foram nomeadns. interinamente, os Srs. Come-
lio Carlos Peixoto de Alencar Filho e Chilon He-
jaclito Peiioto de Aleocir, para regerem aquello
a-adeira do Granito, -e-te a do Sacco, median-
te a gratificacao anmM-de 600^000.
THESOURARIA PROVINCIAL. Por delibera-
cao do 7 do corrente, foi nomeado o segundo es-
eripturario Manoel Pereira da. Cunha, para o lu-
gar vago de primein escripturario destairefar-
tijao. .
COMM1SSO.S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia nomeou, por dolibeacao de 27 de niar^o,
uffla coiiimssai, conforta dos Srs. Drs. Joaquim
Correa de Araujo, Joao Jos Ferreira de Aguiar e
Francisco Teixeira de S,paraexaimnir e dar pa-
decer sobre os trabalbes da confocio da clas-ili-
cacao das leia provinciaes, contratados polo Sr.
Dr. Joaquim Pires Machado Portella era 30 de no-
vembro do 1864 e 25 de julho de 1866.
ASSEMBLEA PROVINCIAL.Hoje *omeca as
sessfles preparatorias, ara as quaos acham-se na
capital os Sre. deputados Drs. Tavora, Fesbiao de
Mendonca, Avres Gama, Armlnio, J. Pina, Augus-
to Leao, Soar'cs Brandao, Hisbllo, Cicero Pere-
grino, Silva Ramos, Epauinondas, Maxmano, Ba-
eellar, Vieira de Amorm, Gitirana, Andr Caval-
canti, Seraphico, Mergulhao, Samuel Pontual, e os
Sr. Jos de Vasconcellos e Jos J. do Reg
Barros.
ANNIVERSARIOPor ser hontem o da abdica-
cao da cora do Brasil, em S. M. o Sr. D. Pedro
II, esliveram embanderados os navios de guerra
e estaeves publicas. A 1 hora da tarde houve a
salva do costume,
SEMINARIO DE OLINDA Mais dus valiosos
bolos foram entregues ao Rvm. Sr. reitor, sondo
um de 200000 pelos Srs. Amorm Irmaos, e 100
pelo Rvm. Sr. conego da nossa cathedral Pedro Jo-
s de Queiroz e S.
ASSASSINATO.No dia 27 de fevereiro ulti-
mo, Jos Geraldo de S e mais tres sequazes as-
siir'.'innram, na villa do Tacaralii, David Rodri-
gues de S.
.\nSS.\S FNEBRES Amanliaa, s 7 horas da
manhaa, nandam os Srs. professores pblicos desta
cidade celebrar tres missas, na igreja do conven-
to do Carino, por alma do seu collega Sabino Ani-
zio de Furia ; e para esse acto de caridade convi-
dan] aos domis collegas.
PARA O PARAGUAY.-O Sr. coronel Manoel da
Cunha Wanderley Lins, commandante do 14 ba-
talhao de infantafia, renunciando o resto da li-
cenca que lhe foi concedida para restabelecer-se
de seus incommodos e ferimenlos, volta para o Pa-
raguay, indo at o Rio de Janeiro no prximo pa-
quete que se espera do norte.
O Sr. coronel Wanderley, assim pratcando.tor-
na-se nao s digno de apreco de todos os seus
commandados, como tambem da estima de s^us
patricios, que vem nesse interesse pelas couzas
de sua patria urna prova irrecusavl de seu pa-
triotismo.
Bons ventos o levem e o tornem trazer cada
vez mais coroado de louros.
TROVADORES Pedem-nos varios assignantcs
que lembremos aos Srs. fiseaes a necessidade de
ser executada a disposieao do art. 86 da lei muni-
cipal de 21 de junho de 1861, que se refere aos
perturbadores do socego publico.
Ha com effeito urna sucia de vadios que, prin-
cipalmente as noules de luar, sao por demais in-
commodos com as suas serenatas de desafinados
violoes e assombrosas vozes. A polica nao deve
esquece-los ; porque, alm de perturbarem o re-
pouso daquelles que trabalham durante o dia, sao
elles ordinariamente motiradores de disturbios.
PROCLAMAS.Foram lidos na matriz dafreguc-
zia de Santo Antonio no dia 4 do corrente mez os
seguintes proclamas :
1." denunciacao.
O bacharel Jos Nicolao Tolentino do Carvalo,
com Jovina da Silva Antunes.
Augusto Cesar de Moraes Figueiredo, com Eula-
lia de Paes Barreto.
Caelano Simpes da Silva, com Raquel Ignez da
Cunha Mello.
Jos Maria Teixeira, com Josepha Joaquina de
Siqueira.
Jos Antonio da Cosa e Silva, com Cesara Ma-
ria Schefler.
Innocencio Xavier Vianna Sobrinho, com Cor-
dolina Virginia da Silva.
2.* denunciacao.
Francisco Antonio Gomes ele Mattos, com Maria
Emilia Ferreira.
Argemiro Jos Peixoto, com Angela de Senna
Rodrigues.
Tliomaz Eadsforth, com Amelia Arminda Dows-
ey.
Candido Marcelino Peres, com Josepha Leonida
Gomes.
3." denunciacao.
Joaquim Roberto Guimaraes, com Clemencie
Maria Fulgencia.
Marcolino Jos dos Santos, com Olympia Mana
dos Santos.
Caetano Sime3 da Silva, com Rachel Ignez da
Cunha e Mello.
SANTA CASA DA MISERICORDIA DO RECI-
FE. O pessoal do estabelecimento do mez de
marco loi o seguinte :
Hospital Pedro II.
Enfermos nacionaes. ... 192
Ditos estrangeiros..... 20
Mendigos.......... 14
Filhos de enfermas..... 10
Empregados......... 18
Serventes e lavadeiras. 16
reconhecimeato, para coiii-uaf em numero de ca-
valheiros e amigos que espontanea e inoessante-
menie me vieran visitar, em asa de miaba resi-
dencia, dando-mo provas nao equivocas, ^ue elles
e todo o puhleo foram a-meu favor, repugnndo-
me acreditar o torpe e infame aleive que um /-
grato me quic .assacar, pilo qe sob maneira me
confesso grato.
Dobrado prazer me cabe.por ter sido confirma-
da esta opima or aijuelles mesaroe que m mi-
nha ausencia protogeram a causa injusta !!!
Pego desculpa esse Sem numero de eavalhei-
ros e"amigos, de pessoalmmto nao ir eunprimen-
ta-los (como era de meu dever) pois de todos nao
(lz lembranija, o que nao era possivel, principal-
monte nos primeiros das do minha chegada ; e
confesso-me ao s etornamente grato.a estes, co-
mo-lambora ao publico em geral, que foi todo un-
nime em meu favor, excedendo-se alm de minha
espectptiva.
Aproveito de mais a orcasiao para agradecer
Ilustrada redaeco do Liberal Goiannense, as ma-
neiras delcadss, e attencicsas com que me tralou
em um dos aeus nmeros por oecsasiio de dar
parte da minha chegada, honra aquella que por
cerlo nao mereca.
Cidade de Goianna, 23 de marco de 1869.
Joaquim Cardozo Almeida.
___^
Ao Sr. -#r. Joaquim Francisco
de Helio CaTalcantt.
O horisonte estreito do homem vio e o universo
para elle; suppe oceupar um grande espacp no
mundo; entretanto que o homem de mrito se
suppoe mnito poucacouza no meio do circulo im-
menso, que percorrem suas ideas.
Apresente-se o Sr. Dr. Joaquim Francisco.com
toda sua vaidade a fallar no publico em termos ao
descommedidos, e exaltando-se de niodo, que po-
deria bem servir do modelo aos hroes de Cervan-
tes em formas infinitamente mais rediculas.
Respondendo a caria do vigario Basilio enlcn-
deu de chamar-me e autora, provocando-me a
urna discussao la o inconveniente para mira, como
deve ser paradle.
Nem fui o autor, era inspire o vigario Basilio,
do quem me confesso muito amigo c a quem devo
mutos obsequios.
A alguns amigos, quo se tein empenhado cora-
rago para reatar os lacos de minhas antigs re-
lacoes com o Sr. Dr. Joaquim Francisco, tenho de-
clarado que nao me sinto dspost#e isso, por que
o considero desconhecido ao sem que se lhe faz.
Nao retiro essas expressoe*.
Mas para exibir as prova? ser preciso entrar
em urna discussao indecente, e humllhaliva para o
Sr. Dr. Joaquim Francisco^ ora quanto eu nunca
tenha tido a prelenro de querer guiar seus pa-
cos, vou agora dar-I lie um parecer.
Nao insista, seja mais commedido e attencioso,
quanflo houver de comparecer dianto do publico.
Falluu em termos to virolentos, que o desco-
nheceram lodos, que o consideravam at eiuao,
como um homem sensato, e comido ein suas
paixoes.
Lourenro Bezerra Carneiro da Canha.
UM ADVOGADO,
A Onl. L. 3o Tit 59, trocla das provas
que se deve fazer por escripturas publicas,
tanto que no 5., quando o reo nega,
absolvido logo pelo juiz e condemnado o
autor as custas.
Nenhuma applicaco tem esta Ord., quan-
do esse advogado exigi o depoimento da
parte para jurar aos artigos de um acc3o
ordinaria.
Se esse advogado tivesse consultado a
Ord. L. 3.. Tit. 53 veria ah a maneira pela
qual a parte obrigada a jurar, e no aquel-
la que s tracta da accao de juramento d'al-
ma.
N5o seria melhor que advogasse com
mais criterio para nao errar?
Sacul.
vancional, por letlras e em conta-eerrente.
Confere crditos, saca sobre asjrimeiras
pracas do imperio, Rio da Prata e Euro-
pa, e compra cambiaes sobre as mesmas
pracas.
Encarrega-se, por commissa, da com-
pra e venda de fundos pblicos aeces de
Dorapanhias, da oobran^a de lettras e di-
videndos ou de seu pagamento, e de qual
queroutra operacao'baocaria. .
0 expediente para o publico comecar
as 10 horas da manli5a, e terminar s 4
horas da tarde de todos os das uteis.
ENGLISH BANK .
O Rio de Janeiro Limited
. Desconta lettras da praca taxa a con-
vencionar.
Recebe dinheiro em conta corrente e a
prazo fixo.
Saca vista ou praso sobre as cidades
principis da Europa, tem agencias na Ba-
bia, Buenos-Ayres, Montevideo, New^York
e New-Orleans, e imitte cartas de crebito,
para os mesraos lugares.
Largo do Pelourinho n. 7
dem do dia 7...... :023080
11:686495 3
CONSULADO PROVINCIAL.
THE0D0R0 SIMN &C.
Comprara
Libras esterlinas
Moedas de ouro...) Nacionaes e estran-
< prata..) geiros
Cdulas do governo)
de Un 405....)
Cdulas do banco do)
Brasil e das caixas)
. filiaes.........)
Largo do Corpo Santo
n. 21.
Rendimento do
dem do dia 7
ALFANDEGA.
dia 1 a 6. .
212:1121428
55:071*0il
Rendimento do dia 1 a 0.
dem do dia 7 .
15:93S2{i2
3:699*813
.19:635*1.05
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios. entrados to da 7.
Liverpool44 das, bricue austraco Viervca, de
201 toneladas, eaptao Vkenzo Bagdenoricli,
equipagem 10, carga carvc ; a Thomaz Jeffe-
ries & C.
Hamburgo130 das, escuna norte-allemaa Em-
manuel, de 130 toneladas, eaptao T. Markmann,
equipacein 6, carga differestes gneros ; a Jos
Maria Palmeira.
Navios sonidos no mesmo dia.
PortoBarca portugueza So o Silencio, eaptao
Jos Antonio Ferreira, car;a assucar e outros
gneros.
GoiannaVapor brasilejro Mamanguape, comman-
dante, Oliveira, em lastro.
MaceiBrgue inglez Plantn, eaptao W. Mae-
trs, em lastro.
Obseriacao.
Suspendeu do lamarao para o Ro de Janeiro o
patacho porluguez Georgense, capito Oliveira, com
o mesmo lastro que tronxe da ilha de S. Miguel c
52 passageiros.
DECLARAGOES.
AVISOS MARTIMOS.
2L
267:183*469
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
Volumes entrados
dem idem
cora fazendas
com gneros
Volumes sabidos com fazendas
dem idem com gneros
310
237
----- 567
127
286
----- 413
Total
Hospital dos Lazaros.
Enfermos..........
Empregados.....
Srvenles .... .

270
26
6
2
34
TottJ
Hospicio de alienados.
Enfermos.......... 66
Serventes.......... 10
Total 76
Casa dosexpostos.
Educandos no estabeleci-
mento........... 95
Dito em creacao...... 75
Empregados. .
Servente. ,......
Total
Collegio dos orphos.
Educandos.........
Empregados........
Serventes..........
14
1
185
71
11
7.
89
Total
Collegio das orphaas.
Educandas......... 131
Empregados......... 12
Srvenles......... 2
Total
Secretaria.
Empregados......
Advogados......
Solicitadores.....
Serventes .......
145
2
2
2
12
da
Total
Recapitulacao.
Enfermos.......... 304
Mendigos........... 14
Educandos.......... 307
Criancas em amamentacao. 75
Amas............ 68
Empregados......... 83
Serventes ,...... 28
Total 879
Deste pessoal 645 periencem ao patrimonio
caridade e 234 as dos orphos.
LOTERA.A que se acha a venda a 101*, a
beneficio da igreja de Nossa Senhora do Livramen-
to de Pao d'Albo, que corre sabbado 10.
PASSAGEIROS. Da barca portugueza Novo &
lencio, sabidos para o Porto :
Antonio AI ves da Silva, Joao Luiz Mondes, Ma-
noel da Silva Baplista, Domingos Manoel Ribeiro,
Francisco Pinto dos Santos e Joao Theodoro.
CEMITERIO PUBLICO.Obtuario do dia 5 de
abril.
Anna, frica, 70 anuos, solteira, Boa-Vista ; ele-
phantiase.
Manoel, Pernambuco, Santo Antonio ; ao nascer.
Maria, Pernambuco, Santo Antonio ; idem.
6
Antonio Manoel Jos, Pernambuco, 80 annos,
Boa Vista ; enterite chronico.
Affbnso, Pern.mbuco, 19 mezes, Boa-Vista ; en-
tente.
Antonio, Pernambuco, 7 das, Boa-Vista ; es-
pasmo.
PUBIICACOES A PEDIDO.
Nao posso por mais lempo calar os impulsos de
3.Ra Direita 3. -
As legitimas pilulas de veame o xarope al-
cohlico e o etliereo tambem de veame, re-
cente-mente feitos conforme a formula do fi-
nado pharmaceutico Paranhos, assim como
os pos refrigerantes acham-se venda na
botica de Francisco Antonio das Chagas
ra Direita n. 3, defronte do armazem de
molhados denominado Veado Branco. Estes
mediflpnentos, ha muito conhecidos pelos
benficos effeitos que bao produzido em
nao pequea parte da populaco d'esta pro-
vincia, na do Maranhlo e Alagas, incontes-
tavelmente sao dos mais enrgicos agentes
auxiliadores da natureza no vencimento das
doencas, servindo de grande alivio a huma-
nidade soffredra; e por isso se tornan
asss recommendados e preferiveis para as
pessoas que soffrem de rheumatismo, gln-
dulas enfartadas, ulceras, impigens, asthma,
tosse, amenorrha ou suppresso de mens-
truo, erysipela, amarellido e menstruafo
difQcil ; sendo porm usados conforme a
direceo escripia que os acompanha.
Illm. Sr. Francisco Antonio das Chagas.
Soffrendo eu de rheumatismo e gota n*um
joelho e tendo usado de muitos remedios
aconselhados para o referido mal, nao tirei
resultado algum no periodo de um anno;
neste estado recorr ao veame a venda em
sua botica ra Direita n. 3, e gracas
a Deus, com urna s garrafa e urna caixinha
de pilulas acho-ine restablecido. Agrade-
co-lhe portanto e espero que faca publico
este facto, afim de que| outros as mesmas
circumstancias aproveitem o seu proficuo
remedio.
Recife, 31 de marco de 1869.
Julio Juvencio da Costa.
Descarregam hoje 8 de abril.
Vapor inglez Sapphyremercadorias.
Barca in%\ezzImogene mercadorias.
Barca inglezatevantmercadorias.
Barca inglezaBloomeridem.
Barca frncezaSolideidem.
Barca portuguezaiVoco Sympathiaidem.
Barca portuguezaPereira Borgesidem.
Barca francezaZebre=\iaho.
Brigue inglezR F. BeU=ferro.
Brgue inglezC/(/na=idein.
Galera francezaPierreassucar.
Barca ingleza Imperadormercadorias.
Patacho americanoHoratioidem.
Barca inglezaBorlochauidem.
Importado.
Patacho americano horatio, vinio New-York, consignado a Theodoro Just,
tnanifestou:
418 barricas farinha de trigo ; a Matheus,
Austin & C
201) ditas dita ; a Joaquim Jos Ramos.
2 caixas vermfugo ; a A. Caors.
9 dita* machinas de descarocar algodao,
6 carrinhos de mo ; a Shaw, Hawkes A C.
1 caixa impresos ; ao cnsul americano.
9 ditas machinas de descarocar algodo ;
a ordem.
300 ditas kerosene ; a Keller & C.
500 resmas de papel de embrulho, 29
volumes candieiros e pertences, 50 barris
pixe, 100 barricas e 10 caixas bolachinhas,
2 ditas machinas de descarocar algodo ; ao
Fiscalisacao da fregueza da Boa-Vista, 3 de
abril de 1869.Por esta llscalisacao se faz publico
a quem interessar, que se aeoam depositados urna
vacca e um boi, manso, quemse julgareom di-
reito aos meemos, animaes, co npareca que, satis-
fazendo o disposto no arligo 16 do titulo H das
posturas muncpaes de 30 de junho de 1849,' Bies
serao entregues.
Jei'Gnynt') Jos Ferreira.
Sabbado 20 do corrente mez, depois da au-
diencia do Illm. Sr. Dr. juiz municipal da 2* vara
civel, tem de r a praga por venda, os bens seguin-
tes : um supla, urna meza redonda, dous conso-
los, dozc cadeiras de guarnicao, urna commoda,
una meia d>ta; tudo de madera de amarello,
avahados por 92, por execu(;ao que move Jos
Ignacio Avilla, contra Elias Pereira Gomes da
Cunha.
Perante o Sr. juiz de pu do Io districto da
fregueza da Boa-Vista tem de serem arrematados
os bens seguintes : urna duza de cadeiras de pao
d'oleo, um sof de Jacaranda, urna commoda da
mesina madera e duas bancas de pao d'oleo, tendo
lugar a praca no dia 10 do correle, as 4 horas da
tarde.__________________________________
O administrada da recebedoria de rendas
internas geraes faz publico que neste corrente mez
e no de maio prximo futuro, visto estarem con-
cluidos os lan^amentos, e que os devedores do
imposto pessoal, relativo ao exercicio corrente de
1868 a 1859, residentes as freguezias do Rsjitc,
Santo Antonio, Affogados, Poco da Panella, Vanea,
S. Lmenlo da Matta, S. Amaro de Jaboalao, e
Muribeca, teem de paga-lo, livre da multa de 6 0A>
o com ella depo's do referido prazo.
Recebedoria de Pernambuco 3 de Abril de 1859.
Manoel Car nnro de So iza Lacerda.
COMPANHIA PERNAMIICANA
DE
Xarega?o eostclra por vapor
Macei em direitura e Penedo.
O vapor Parahyba, commandan-
te Mello, seguir para os portoa ci-
ma no dia 8 do corrente as 4 horas
da tardo. Recebe carga al o dia 7, encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at as 2
horas da tarde do da da saluda no eseriptorio do
Forte do Mattos n. 12.
TMPAMIA BRASIIJIF
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at o dia 8 de abril p. f. o vapor
Cruzeiro do Svl, commandante
Alcoforado, o qual depois da de-
mora do costume seguir para os
dosul .
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at as duas horas do dia da
sua sabida.
Nao se recebem como encommendas senao ob-
jectos de pequeo valor e que nao excedam a_ 2
arrobas de peso on 8 palmos cbicos de medico.
Tudo que passardestes limites dever ser embar-
cado como carga.
Prevlne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
5ens swe recebem na agencia ra da Cruz n. 57,
' andar, eseriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C. _____"_________________
GOMPANHIA BRASILEIR1
DE
Paquetes a vapor..
Dos portos do sul esperado
ate o dia 8 de abril p. f. o vapor
Paran, commandante o capito
de fragata Antonio Joaquim de
Santa Barbora, o qual depois da
demora do costume seguir para os do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor iioder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sua sabida as 2
horas.
Nao se recebem como encommendas senao ob-
jectos de pequeo valor e que nao excedam a dua9
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medica.
Tudo que passar destes limites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageirps que suas passa-
gens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 87,
t andar, eseriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo 4 C
*W ?l
Illm. Sr.Francisco Antonio das Chagas.
Beberibe, 1 de abril de 1869.om o
maior prazer levo ao seu conhecimento, que
a garrafa do xarope ethareo de veame e
os pos que comprei na sua botica ra
Direita n. 3, poderam extinguir a dor que
senta no peito, tosse e febre que Unto me
flagellava, de forma que me julgo restabe-
lecida.Desta sua criada obrigadissima
Maria Joaquina da Silva.
COMMERCIO.
PRACA DO RECIFE 7 DE ABRIL
DE 1869.
AS 3 1/2 HOBAS DA TARDE. '
Cambio sobre Londres 90 d/v 19 1/8 d. por
14000
F. J. Silveira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
CASA DE CAMBIO
TJieodoro Simn &C.
Vendem
Soberanos < 130550
Ouro nacional ) 52 i/a e/0 de pre-
portugez
Sedulas do governo de
mo
a5000
Largo do Corpo Santo n. 21
BANCO MAUA & C.
Ras do Trapiche a. 4
Desconta lettras co nmerciaesa tasa con-
vencional. Recebe dinoeiro, a premio cou-
consignatario.
immamce;l
Patacho norte allemo
viudo de Hamburgo, consignado a J. Ai".
Palnwira, manifestou:
50 barris potassa ; a Oliveira Filhos d- C.
i caixa ferragens; a Carneiro Vianna
AC.
5 ditas movis; a Rocha Lima & Gui-
maraes.
5 ditas mudezas ; a Costa Irmaos 4 C.
20 ditas vidros ; a Vicente F. da Costa
6 Filhos.
150 fardos papel de embrulho ; a Theo-
doro Just.
5 caixas marroquins; a Isidoro Bastos
AC.
3 ditas ditos; a Vaz Leal.
3 ditas escovas, cestinhas e papel; a
Medeiros A- Antunes.
10 ditas miudezas, vidros-, louca de
barro e chapeos de sol;' a J. A. Moreira
Dias.
15 ditas tecidos de algodo, miudezas,
presuntos, chouricas, arenques, carne sal-
gada e papelo; a D. P. Wild.
5 ditas tecidos de algodao ; a Keller d- C.
5 ditas meias, creioes e espoletas, 20
fardos junco, 998 barras de ferro ; a P-
rente Vianna d- C.
11 barricas e 28 caixas, tintas, pinceis,
vidros, miudezas, pregos, legumes, obras
de barro, e tecidos de algodo, 5 toneladas
carv3o; a Otto Bohres d C.
150 garrafoes vazios; a Joo Martins de
Barros.
700 ditos ditos ; a Carvalho, Zenha d C
850 ditos ditos; a Francisco A. Monteiro
Jnior.
. 20 ditos ervilhas; a Thomaz de Aquino
F. C.
1 barrica de madeira; a Bartholomeu
dC.
5 caixas movis e marmore; a Rabe
Schmettau d C.
2 ditas miudezas; a Ed. de Moraes d C,
4 ditas e 1 barrica drogas e vidros ; a
Jo3o da Silva Faria d Irmao.
1 dita e 1 caixa chapeos e arenques ; a
Christiani Irmao.
3 ditas fio de 13a, ferragens e espoletas ;
a Joao da Rocha e Silva.
10 ditas canella, 8 ditas movis, 40
barricas arpistas; a Candido Alberto Sodr
da Motta.
3 ditas papel, Z lardos papelo; a Mon-
bard, Mettler C.
4 volumes drogas, 3 pecas de madeira,
10 barricas cevada gelada, 10 caixas agua
mineral; a Th. Edlefson.
f dita miudezas, 600 tabeas de pinho,
7 barritas ferragens; a Manoel Ferreira da
Costa d C.
25 ditas salitre, 7 ditas e 4 fardos drogas,
6 barris oleo, 20 saceos pimenta, 2 caixas
brins, 10 ditas canella, 1 dita caparosi ;
ao consignatario.
RECEBRDOiaA DE BERDAS INTERNAS QB-
RABS DE PERNAMBUCO.
RentiMBfei ia i a. 10:663*863
Santa Casa da Hiuerlcordla do
Recife.
A Illma. junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife manda fazer publico que na
sala de suas sessoes, no dia 8 de^bril, pelas
quatro horas da tarde, tem de ser arrematadas
quem mais vantagens offerecer, pelo tempo de um
a tres annos, as rendas dos predios em seguida de-
clarados :
ESTABELECIMENTOS DE CARIDADE.
Ra da Imperatriz.
Casa terrea n. 68, por anno............3205000
Ra de Borlas.
Loja do sobrado n. 41, por anno........ 120J000
Ra da Moeda.
Prirneiro andar do sobrado n. 37, por anno 7C000
Segundo andar, idem.................. 96000
Areal do Forte.
Casa terrea n. 1, por anno.............. 100^000
Ra do Padre Floriano.
Casa terrea n. 43, por anno............ 170*000
Ra da Coneeio.
Casa terrea n. 5, por anno..............249000
PATRIMONIO DOS ORPUAOS.
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 100, por anno........201000
Idem i. IOS, idem....................201000
Sitio n. 5 do Forno da Cal, idem ........1504000
Sitio do Rosarinho n. 3................3253000
Os pretendentes deverao apresenlar no acto da
arrematacao as suas flaneas, ou comparecerem
acompanhados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Sania Casa da Misericordia do Bjj-
cife,18 de marco de 1869. O escrivo.
Pedra Rodrigues de Souza,
CASA DE CAMBIO
Teodoro Simn & C.
Comprara e vendem por conta propria
melaes, moedas nacionaes e estrangeiras,
letras de cambio, sedulas do governo e do
qanco do Brasil.
Descontam letras da trra e ontros ttu-
los commerciaes.
Encarregam-se por conta alheia das mes-
mas transaccoes, da cohranca de letras da
trra e de outros ttulos commerciaes.
Recebem quaesquer quantias em deposi-
to, em conta correute, e a prazo fixo.
Largo do Corpo Santo n. 21.
THEATRO
DE
S. ISABEL.
EMPREZA DRAMTICA
DB
mxn mmz.
8a r cita da assignatura.
Sabbado 10 de abril de 1869.
. ESPECTCULO EU GRANDB GALA PARA SLMI
SISAR A ABERTURA DA ASSEMBLEA LEGISLATIVA
PROVINCIAL.
A' chegada de S. Exc. o Sr. presidente a pro-
vincia, executar-se-ha
0 IIMVO NACIONAL
Segoindo-se a primeira represntenlo do drama
em 5 actos, de Anicet Bourgesis, irduzido pelo
Sr. J. V. da Silva Azevedo
A I1RGRM DO MURO
Personagens. Os senbores.
O presidente Delannoy. J. Augusto.
Francisco Beandonin. Jos Victorino.
Marcelino, rendeiro. C. Rocha.
Simio........Martinho.
Samuel, joalheiro. ... Brochado.
Jorge........Guimaraes.
Lapierre.......Santa Rosa.
Um ofllciaJjde cavallaria. Jordani.
Andr........Florindo.
Kstevao, menino de 6 annos. Zulmira.
Maria.........Julia Azevedo.
A Sra. Gorin......Mara Velluli.
Victorina.......Clelia.
Micchellette......Carolina.
Mocos, mocas, soldados etc.
Denominac.ab dos actos.
!A honra e o dever.
8oUm crime espantoso.
3^-0 encontr.
4O sacrificio da victima.
5A conflasSo.
A ae$5o passa-se o acto em Paris em casa
de Franci co, o 2 na lierdade de Marcelino, o 3*
e 4* em Rumont em casa do Sr. Gorin, o o em
Troyemumaprisao.
Comecar al 8 horas.
COMP ANUA
da
Mcssagerics imperiales.
Ate o dia 14 do corrente mez esnera-sc da Eu-
ropa o vapor francez \avarre, o qual depois da
demora do coslume seguir para Baha e Rio do
Janeiro.
Previne-se aos Srs. passageiros para os portos
do sul que por deliheracao do conselho de admi-
nistragao os antigos presos das passagens foram
poslos novinente em vigor, sendo :
Cmara (da e volta 6 mezes de prazo) Proa
Para Baha ris. fio000 75000 151.000
Rio de Janeiro. lOOOOO IbOOOO 28J00O
Montevideo, pa-
tacoes. 115-50 17325 31
Buenos-Ayres.. 126 189 36
Os passageiros de Pernambuco para os portos
da Europa que quizerem >cgurar as inesma* pas-
sagens a bordo dos paquetes desta companhia nos
mezes de maior afluencia tem a faculdade de as
lomar no dia em que os vapores seguirera para o
sul pagando porm como se tosse do Rio de Ja-
neiro.
Para condicoes, fretes e passagens trata-sc na
agencia ra do Comniercio n. 9.
COMPANHLA PEBNAMBUCANA.
DE
Huvosavo costelra por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara.
caty, Cear, Mondah.Acarac
e Granja.
O vapor Pirapama, commandante
Torres, seguir para os portos cima
no dia 15 do corrente as 5 hora
da tarde. Recebe carga at o dia 14, encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete al as
horas da tarde do dia da sahida no eseriptorio
do Forte do Mattos n. 12.
L
Loanda
O brigne portuguez Bemvinda, ranitao Silva, a
chegar de Lisboa, sabir para Loanda poucos dias
depois de recolhido a esle porto : pode receber
alguma carga, e trata-se com o seu consignatario
Joaquim Gerardo de Bastos, ra do Vigario a.
16, 1 andar___________.__________________
COMPANHLA PEBNAMBUCANA
A DE
\aTegav'o costeira por vapor.
Porto de Gallinhas, Bio Formoso e
Tamandar.
O vapor Mamanguapc, com-
mandante Oliveira, seguir para
os portos cima no dia 10 do cor-
rente a meia noite. Recebe car-
ga, encommendas. passageiros o
dinheiro a frete no eseriptorio do Forte do Mat-
tos n. 12.
COMPANHLl PERNAMBUCANA
DE
.\avegariio costelra por vapor.
Macei, escalas Penedo e Aracaj.
O vapsr Potengi, commandanto
Pereira, seguir para os portos cima
no dia 15 de abril as 5 horas datar-
de. Recebe carga at o dia 14 as 3 horas da tar-
de, encommendas, passageiros e d inheiro a frete at
as 3 horas da tarde do dia da sahida no escriptori j
do Forte do Mattos n. 12.
3L
jESDedIE
Para Lisboa.
Vai sahir com brevidade o paiaeho portugus
Mana da Gloria, capito Valente. para carga tra-
ta se com E. R. Rabello ra do Commereio nume-
ro!^._________________________________
Vende-*e ofalhabote portuguez Eurica, for-
rado e pregado de cobre e prompto para navegar
para qualquer parta, de lote de 103 toneladas, pe
Sa em sete mil arrobas de carne, para ver em
rente ao trapiche do baro do Livramento, ond
est fundeado, e para tratar com Antonio Luiz do
Oliveira Azevedo k C, ra da Cruz n. 57.
Maranhdo
Para o porto cima segu com brevidade o pa-
Ihabote Joven Arthur, por ter a maior parte do
seu carregapento engajado, para o resto que Ibo
falta trata-se com Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo A C, ra da Cruz n. 57, 1 ttndar._______
Para Lisboa
O patacho portuguez Maria, capito Pedro Mai-
tins Branco, vai sanir com brevidade ; para carca
e passageirc*, trata-se com E. R Rabello, ra do
Comniercio n. 44.
PORTO
Para o indicado porto pretende sahir em pon -
eos dias a veleira e bem onecida barca Sociat
capHle Rocha, por ter a maior paite do seu car-
regamento prompto, e para o resto que loe falta
e passageiros, para os quaes tem tons coipaiodos
trata-so ota o consfgnatorio Joaquim Jos Gon-
calves Behr3o, ra do Trapicho a. 17.
tiode Janeiro
Para o indicado porto segu can muita brevi-
dade o veleiro e bem, condecido brigue Adelaidc.
por ter a maior parte do carregamemo tratado ; e
para o resto que lhe bita e eacrave* i frele, tra-
u-se com o consigna irio Joaquim Jos Goncalves
Beltrao, i ra do Trapiche n. 17,

v..

\
II
<
> i
I


Diario ete Pernambuco Quinta fetra &J1& AbriT de 18691
COMPAKHIA PEMAMBGAM
C O isimio di: DIRECTA
Os Senhores.Saunders Brothers & C, Tasso
Irmaos, Luiz Antonio de Siqueira.
GERENTE
0 SE. F. F. BOEGFS
Restando ainda emittir algumas acces desta companliia, da quantia nominal de
20Q000 cada urna, das quaes s se aceitam em virtude da lei, 20 /0, ou 40000 por
capitalistas e interessados no commercio, qun queiram dar emprego seguro aos seus
capitaes, disponiveis, a subscrever o numero de acc5es que llies approuver.
Algumas destas acces j tem sido tomad.'.s por pessoas que conhecem a vantagem,
de na presente occasio (conhecidamente a melbor), erapregarem o dinheiro de que
poderem dispr em objectos de valor real, cono vapores, predios etc., que lhes garan-
tam seus capitaes.
A companbia possue hoje 10 vapores, O- inteiramente novos, e destes o ultimo est
a chegar de Inglaterra, onde foi construido e> pressamente para ella.
Alera disso est edilicando vastos armazens, no terreno que possue no largo d'As-
sembla.
Seus dividendos tem sido de 10 e/o ao auno, nos ltimos 4 annos.
As acces que se emittirem gozam dos n.esmos direitos, e perccberSo o beneficio
dos mesmos dividendos que os antigos era pnporc3o da entrada.
Rccebem-se assignaturas no escriptorio da companhia no seu edificio ao caes da
Assembla n. 12
ds-
de ca-
Pur^aqae e fortalec ment..
E' alcancado- mediante o uso das pK*>s
assucaradas de Bristol, estes dous processos
sao inseparavehuente reduzidos um so-e o
ftfsmo j n3o se pode dizer de nenbam
outro catbartico existente.
Por esta mesm* razo ellas sao indubrtt-
velmente o remedio alterativo o mais effiaf
e precioso que jamis foi recitado para
curas da paralysia, fraqueza nervosa
bilidade geral, vertigens e tonturas
Estas enfermidades acbara-se geralmen
mais ou menos ligadas quer j como ene*
tos ou causas, coro urna certa condica
morbosa do estomago, do figado e dos it>
testinos. .
Sobre estes orgao as pilulas operam de
urna maneira directa- e com urna tal promp-
tido e forca curativa, que verd>deirarnent>!
faz admirar, emquanto que por outro lado,
ellas do vigor a todo o systema.
A salsaparrilba de Bristol sendo de todos
os agentes o mais notavel para a renovar*)
da vitalidade do sangue, torna-se portanlo
em taes casos indispensavel.
Ellas esto mettidas dentro de frasqai-
nhos de vidro, e por isso a sua boa conser-
vac3o duradoura em todos os climas.
Acba-sc venda as pharmacias de A.
Caors, J. da ConceicSo Bravo A C, M-
A. Barbosa, P. Maurer 4 C, e Bartholo*
meu & C.
Para e Rio de Janeiro
pretende saliir com a maior brevidade possivel o
brigue nacional Trovador, capilao Autonio Das de
Liiua, com destino ao dito porto, recebe carga e
escravos a frete : a tratar com es consignatarios
Marques. Barros & C, no largo do Corpo Santo n.
6, 2" andar.______________________
Lisboa
Segu com brevidade a barca portugueza Perei-
ra Borges por ter parte da sua carga prompta:
para o restante e passageiros, trata se comOIivei-
raJFilhos & C, largo-do Corpo Santo n. 1 9.
Rio de Joneiro
Segu com muita brevidade para o porto cima
a escuna dinamarqueza Etiu, tem a maior parte
do seu earregamon ;o engajado : para o resto que
lhe falta trata-se com Antonio Luiz de Olivan
Azevedo & C, ra da Cruz n. 57, Io andar.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Vtvesmo costelra por vapor.
Mamanguape.
O vapor Corvripe, coiumandante Penna, seguir
para o porto cima no dia 12 do corrente as 6
hras da Urde, recelie carga, enconnnendas, pas-
sagens e dinheiro a frete at as 3 horas da tarde
do dia da saliida no escriptorio do Forte do Matos
n. 12._________________________________
Para o Porto
Eretende seguir com a maior brevidade possivel a
arca portugueza Seguvnnra ; recebe carga e pas-
sageiros, para os quaes tem exeellentes commo-
dos : a tratar com Cunta Irmaos & C, ra da
Madre de Dos n. 3>.______________________
Para o Porto
protende seguir com a maior brevidade possivel a
mui veleira barca portugueza Claudina; recebe
carga a frete e passageiros, para os quaes tem ri-
cos e excellentes comraodos : a tratar com Cunha
Irmaos & C, ra da Madre de Dos n. 31.
Risco martimo
0. S. Bakker, capitao do patacho hollandez Ca-
therine, precisa tomar a risco martimo, sobre o,
casco, apparelhos, victualias, corregamento de
assucar e frete do dito navio para pagamento de
desperas encorridas pela sua arribada neste porto,
a quantia de 5 a 6:0004000, para poder continuar
a sua vi igem para Falmouth. As propostas de-
vem ser entregues em cartas fechadas at o dia 9
de abril, as 2 horas, no consulado dos Paizes Bai-
xos, ra da Cruz n. 9.
Cordeiro Simes
legalmente autorizado far leilao dos predios ci-
ma, os quaes podem ser examinados por quem
pretender, cuio leilao tora lugar no dia
HOJE.
lexta-feira 9 de abril s 11 horas na porta do
liredio que foi a Assoeiaeao, largo do Corpo Santo
LEILAO
De um sobrado de dous andares e soto
em chaos foreiros a ra da Senzala No-
va n. 16, rende C0,-> mensaes.
Cordeiro Ninies
competentemente autorizado far leilao do sobra-
do cima, isto
HOJE.
is 11 boras a porta do predio que foi a Assoery-
ao Commercial largo do Corpo Santo.
&
LEIL10
de 7 saceos com noaes

AVISO
aos
constructores e
mestrs de obras.
Serrarla a vapor da ra do Moa-
(lego n. 99.
Os donos desta serrara acabam de receber urna
grande remes>a de madeiras de primeira qualida-
de. Para dar grande extracao a suas madeiras, e
assim dar sempre a fazer a sua serra, elles teem
resolvido vender multo barato. Os mestres de
obra acharao sempre taboas sorradas de qualquer
giossura e largura, e apparelhadas, para com ta-
cilidade e promptidao, fazer portas c janellas. Ven-
dem caixilhos para janellas e portas, segundo a
postura da cmara, por piceos como nao possi-
vel faze-los em qualquer parte ; taboas para ali-
saren! com moldura, taboas para paredes ue di-
visao inteira, etc., etc. Encarregam-se de fazer
portas e janellas com muita brevidade. Para a
commodidade dos freguezes, elle tem aberto un
/] deposito de suas madeiras serradas, na ra de
Santo Amaro n. 6, junto a estacao dos trilhos ur-
banos dos Apipucos. L est
urna amostra dos
aixilhos, das Janellas e das portas que se costu-
mam fazer._________
Pilulas asswaradas de Bristol.
NAO cotem nem calomelanos nem nenhum
OUTRO MINERAL.
A grande necessidade e falta de um ca-
thartico ou de ubkv medicina purgativa, ha
muito que tem srdo sentida, tanto pelo po-
vo, como mesmo por mcio da faculdade
medica; e por issti, infinito o gosto e
prazer que sentimos, em podermos com
toda a confiancae-seguridade, recommendar
as pilulas vegetis assucaradas de Bristol,
como urna excellente medicina purgativa, a
qual encerra e si todas as partes e mais
ingredientes essenciacs, tornando-se em um
perfeito, seguro- e agradavel catbartico de
familia. Este remedio nao composto
dessas drogas ordinariamente usadas na
composifo dessas pululas, que por ahi se
vendem, mas sim, s3o preparadas com as
mais finas e superiores qualidades de raizes
medicinaes, hervas e plantas, depois de se
haver chimicamente extrahido e separado,
os principios activos, ou aquellas partes
que contem o verdadeiro valor medicinal,
daquellas porfes fibrosas inertes e agres-
tes inteiramente destituidas da menor virtu-
de. Entre esses agentes activos ou ingre-
dientes especficos, podemos nomear a po-
dophgtim, a qual segundo a experiencia
tem demonstrado, possue um poder o mais
maravilhoso possivel sobre as regioes do
figado, assim como sobre todas as secre-
coes biliosas. Isto de combinacao com o
leptandrin, e mais alguns extractos vege-
taes e drogas altamente valiosas, consti-
tuem e formam urna pilula purgativa, tor-
nando-se por isso muitissimo superior,
qualquer urna outra medicina da mesma
natureza, que jamis fora apresentado ao
publico. As pilulas vegetaes assucaradas
de Bristol, achar-se-bao sempre um reme-
dio prompto, seguro e eminentemente effi-
caz, para a cura de molestias, taes como
sejam as seguintes.
ESMERALDA
Moreira Duarte & C. tendo feito urna
completa reforma no seu estabelecimento
de joias da ra do Cabug n. 5, (junto a
loja de cera) acabam de reabri-lo ao res-
peitavel publico, a quem offerecem um es-
plendido sortimento de joias as mais mo-
dernas e primorosas que teem vindo a esta
praca. e por precos o mais resumido possi-
vel. Tambem compram ouro, prata e pe-
dras preciossas.
DO
mmi \ s
Quinta-feira 8 do correnta.
O agente Pestaa far leilao por conta e risco
de quem pertencer de 7 saceos com nozos, no dia
icima no armazem do Sr. Annes defronte da al-
fandega, as 11 horas da manhaa.
Da armado, gaz, gneros e mais utencilios
existentes na taberna sita na ra das
Cinco Pontas n. G8, em um lote ou a
retalho.
Seita-feira 9 do corrente as 11
horas da manhaa em ponto.
O agente Pestaa far leilao da taberna cima
declarada assim como o leilao ser no aiesmo es-
tabelecimento as 11 horas da manhaa.
AVISOS DIVERSOS.
LEILOES.
LEILAO
de botes epertences de navios.
A 9 do corrente.
O agente Oliveira far leilao por ordem do Sr.
cnsul de S. M. Britannica e em presenca do res-
pectivo Sr. vicc-consul e por conta e risco de
quem pertencer, precedida a competente autori-
sacao da alfandega e com assistencia de rum em-
pregado fiscal desta reparticao de 2 botes e 1 lan
cha, pipas para agua, balea para carne, tanques,
para azeite, balaustres de latao para prtalo, ca-
deira c bancos, galheteiro, pedacos de madeira (i
cabos, encerado, cesto, mastro de bote, escovu
grossa, rolos de lonas, macos de tos, colxao e tra
vesseiro para sof, manga ou ventilador, 1 botica
e 1 lemo, tendo tudo pertencido a gala#,ingieza
Foam, que encalhara sobre as pedras do arrecife
prximo a este porto.
iio.ii:
as 11 horas da manhai no lugar do desembarqus
(antiga Lingoeta) defronte do armazem da viuvi
Rayraond. *
IGUALMENTE
se far- leilao na mesma occasio do 3 botes com
remos e mais pertences que foram do navio in-
glez Lord Palmerston,, perdido em alto mar a 18
de marco ultimo.
Chegando-me ao conhecimento que alguem
nesta cidade pretende em meu nome exigir mi-
nha remocao, declaro em tempo que ta > cedo nao
ponh'o em pratica essa pretencao, e tudo quanto
neste sentido apparecer apocripho. Victoria, 31
de marco de 1869.
Olimpio Francisco Honorato.
GRATIFICACAO.
de
No dia 23 do mez passado fugio do engenho
Pimentel, o mulato Jeremas, de idade 20 anuos,
altura regular, gordo, com falta de dentes na fren-
te, ps bem feitos, com urna cicatriz na perita di-
reita, testa pquena, cabega comprida, cabellos
pouco encarapinhados, levou cal?a azul e camisa
azul de algodao, e chapeo de couro : quem o ap-
prehender e leva-lo ao dito engenho, na freguezia
do Cabo, ou ao Sr. Bernardino de Sena Pontual,
na ra da Senzafa-Nnva n. 28, no Recifc, recebe-
ri a gntil'u'acao de 50|.____________________
Na ra da Concordia, pidaria, so precisa de
urna ama para casa de familia.
Dyspepsia, ou indi-
gesto, *
Adstringencia, ou..
pris3o do ventre
habitual,
Azia do estomago e
flatulencia,
Perda do apetite,
Estomago sujo,
Precisa-se de una negra para vender bolos
na ru do Bom Jess das Crioulas n. 8, captiva ou
livre.
Jos Soares de Azevedo, professor de
lingua e litteratura nacioifal no gymnasio
provincial do Recife, tem aberto era sua
casa, ra Bella n. 37, um
CURSO DELINGUA FRANCF.ZA
DE GEOGBAPIIIA E HISTORIA
DE PHILOSOPIIIA
DE RHETORICA E POTICA.
Os estudantes qne pretenderem frequen-
tar qualquer destas discipliuas, podem diri-
gir-se indicada residencia, de manhaa at
as 10 horas, e de tarde a qualquer hora.
Pede-se a pessoa que desejava fallar com o
abaixo assignado e que ltimamente lhe escreveu
urna carta expondo o motivo do seu annuncio
queira ter a bondaJe de declarar por este jornal
esso mesmo motivo, afim de que o publico fique
inteirado. O abaixo assignado deixaria de en-
commodar ao mesmo senhor se tivesse assignado
sua carta e tivesse consentimento para a publi-
cacao da mesma.
Manoel da Silva Mendonca Vianna.
LEILAO
DE
Um sobrado de um andar e sotao, com 4 quartos
no soto e 3 no primeiro antlar e nm na escaca
para escravos, tem duas lojas, na ra Velha n. 9,
fica o oitao para o pateo da Santa Cruz, com quin-
tal e cacimba.
Precisa-se de urna criada livre ou escrava
3ue saiba coser, engommar e fazer os arranjos
omesticos de urna familia composta de 4 pessoas:
dirija-se a ra do Trapiche n. 14, 2o andar, con-
sulado francez.
FRESCOS!!
A firma que gyrava nesta praca sob a razo
d'Theodorio A Carvalho, foi amigavelmente di>-
solvida em 31 do passado, licando Joaquim Caeta-
no de Carvalho o nico res|)onsaTel pelo activo ei
passivo da extincta firma, e o socio Joao Thcodorio
da Silva pago e satisfeito de seu capital e lucro.
Recife 6 de abril de 1869.
Joaquim Caetano de Carvalb i.
Joao Theodorio da Silva.
Ilydropesia dos mera-
bros ou do corpo,
Affecces do figado,
Ictericia,
Uemorrodias,
Mau hlito, e irregu-
laridades do sexo
femenino,
Dores de cabeca.
Em todas as molestias que derivam
sua origem da massa do sangue: a salsa
parriUia de Bristol esse melhor de todof
os purificadores deve ser tomado conjun
lamente com as pilulas, pois que estas
duas medicinas, tendo sido expressamente
preparadas para obrarem de harmona urna
com a outra, quando fielmente assim se faz,
nao nos resta a menor duvida em dizer,
que no maior numero dos casos, podemos
amanear n5o s um grande alivio, como
tambem urna cura prompta e radical, isto
esta bem visto, quando o doente nao se
ache n'um estado muito alm dos recursos
humanos.
AVISO.
Desappareceu no dia 4 do corrente o escravo de
nome Marcolino, idade de 25 a 30 annos, crioulo,
cor preta, baixo, cheio do corno, testa grande,
olhos afumacados, com todos os denles, tem o-pes-
coco curto e a cabera chata, ps grande e um
tanto apalhetados, tem um p mais grosso que o
outro, as maos grandes e as juntas dos dedos odas
altas, e os dedos todos tortos, levou chapeo de
bata cinzenta, cal?a e jaqueto de brim branco :
quem o apprehcnder leve a ra do Livramento, na
loja de cera n. 36, que ser generosamente re-
compensado. .
Carta perdida com
dinheiro.
Hontem pelas 10 horas da manhSa per-
deu-se da ra estreita do Rosario para
a do Queimado, um envelloppe fechado
contendo 200#000 e dirigido ao Sr. Dr
Vicente Pereira do Rogo. Quem o achou
e leval-o ra da Cadeia n. 48, ser ge-
nerosamente recompensado.
Ao commercio.
Jos de Souza Reg tem contratado com os Srs.
Oliveira & Souza a compra de seu estabelecimento
de molhados ra do Rangel n. 3 : se alguem se
i .Jiulgar com direito a opper-se relerida compra,
O Campos da ra do Imperador n, 28, tem J d ^ d te de oj
para vener que.jos de coalba muito frescos, ul- naprua\i0 Cl4po> loja da esquina n. 8.
timamente chegados do Ceara e aproveita a occa- ""----------i-iJ-J--------------
sino para avizar ao respeitavel publico em geral e Irraandade do Senhor Bom Jess das Dores
em particular aos amigos do passar bem e at ga- tendo de celebrar no da 11 do corrente, na sua
rante, que o seu estabelecimento, um dos "que igreja, e sob sua direccao, a testa de N. b. da hau-
oode proporcionar melbores mangares, aos que d-, que por inconvenientes foi transferida para
bem prvido esse dia, Tem convidar a todos os fiis e devotos
AMA
Precisa-se de urna ama- para todo servico de
una casa de pouca familia : na ra de Hortas n.
142, 2o andar.____________
Precisa-se de urna
para comprar, cozinhar e
pessoa, paga-se
a. 66.
criada liv* ou escrava
engommar para urna s
bom salario : na ra de Hortas
Precisa-se de urna
Apollo n. 43, 3" andar.
ama de leite : na ra de
Precisa-se de urna ama para comprar e co-
zinhar : na ra da Penha n. 29, 2 andar.______
Ha para alugar urna escrava, que cosinha,
engomma, cose, ensaba e compra: na travessa de
S. Joao n. 8, perto do gazometro._____________
VERDADERO LE ROY
dalDoclorSIGMORET.&nico Sucesor,
RU DE SEtNE, 51, en PABIH.
prix6fc
postara do que bom, por se adiar
de gneros que lhe sao compativeis ficando deste
modo dispensado de fazer annuncios pomposos e
c, Ve na rna Velha n O rom do s extensos que se costuma publicar somante para
Urna casa terrea na ra veina n. w, com do as chamar a'atlenQao e para que os seus freguezes
quartos grandes
Um terreno coberto com 5 portas de frente para
o pateo da Santa Cruz n. 1, fica nos fundos do so- j "
brado.
e o publico acreditem basta ir a ra do Imperador
28
ARMAZEM DO CAMPOS.
da mesma Senhora assistirem a sua festa e con-
correrem com a esmola que lhe for possivel.
O escrivao,
______Raphael Archaujo da Rosa Lima.
Precisa-se do urna ama para o servico de i
urna casa de pouca familia : ua Soledade, ra de
Joao Fernandes Vieira n. 22.
"I"
I*
u
^
licuil
n mo
preciosos rs-
medios ha des-
* T ^pt rtado la codicia
de un gran nmero
falsificadores; for
lo tanto debe exigirse il
visMSHO Li Ro, cuyo
tulo impreso en negro sobre
un fondo veteado de amarillo
llera tas firmas Le Ro i u ais,
asi como mi nombre SI6N0BKT
ni n Mima rasTi >n mfii.
N. *.Sobre el corcho, debajo del papel
que llera 1 ello Psamela Com
ra pegado -
el traraa del ^
coillo de ta botella. /\*S '
rotulo amarillo con JSS OfS'
elimo ID. eouiMO
ranr***
Por todo eoTio de m rale
di 900 rancos aceptable so-
bre Pars 6 Londres, se haei
el mayor diaeto posibta.
A8THI1
CIGARROS INDIANOS^,.
DOCAN1NABIS INDICA!
ICFFQCUI
lOBDIDll
Todos os meios at hoje preconisados contra a asthma nio tem sido mais do que palliatro
debaixo de todas as formas, tendo por base a belladona, o estramonio on opio. Recentes expe- i
riencias feitas em Allemanha, repetidas em Franca e na Inglaterra, tem provado que o cnamo
indio de Bengala possue as mais notteis propriedades para combater essa temivel affecclo,
assim como a tosse nervosa, a insomnia, a tysica laryngea, a roBqurdao, extinecio da yox,
e u nevralgias facaos. E' pois com o aooio da sciencia que offerecemos estes cigarro, prepara-
dos com o extracto de cnamo das Indias, que nos importamos de Bombaim.
Depdsito em Pernambuco, em casa de Mauti 0*.
EPIDEMIAS
O LICOR DtS LABARBAOUE um preservativo seguro em lempos de
epidemias: cholera, febre amarella, peste, typho, etc. Devem eritar-se as fivl-
*ificoUes as quaes sao a maior parte das vezes mal preparadas, sendo por isso
mais nocivas do que uteis. Deposito em Pari*. L. FRERE, 19, ru Jacob.
Mam 1 Iwilri. DuponchelU; H. Tesdorpf. Km Poraambaeo. Uawrtr-
BIJA!

'IDO
CABUGI
esquina
da ra larga do
Rosario.
40 ANNEL DE OURO
Este importante estabelecimento no sen genero, tem sempre nm sortimento sem igual,
i) vende por presos qne nenhnma ontra casa pode vender. ****
vista da qnalidade e do prepo das joias cada nm pder-se-ha convencer da verdade.
(}arante-se ser tndo de lei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por presos muito ele-
vados. i
A loja est aberta at s 9 horas da noute.
RIJA
EO
CABUG
esquina
da ra larga do
Rosario.


Trocam-se
as notas do banco do Brasil odas eaixas filia es,!
com descont muito razoavel : na prajp da Inde-
pendencia n. 22.
ATTENCO
Jos Vital de Negreiros, con toja
e officina de ourives, ra d Im-
perador n. 30, vende, troca e con-
cepta tuda e qualquer obra de ouro
ou prata, por preco muito pais
barato do que em mitra parte, pa-
ra o que tem sempre completo,
sortimeno de joias de esraeraV
gosto c fetfes, assim como, tem]
bons artillas para desempenhar
todo e qualquer concert ou encom-
menda, no prazo o menor possivel
e a contento, como do seu eos- .
turne, o que tudo faz por precos I
muito commodos.
iTl
1114
Rosta venda um cscolhido sortiiupnto de ob-
jacto de nareineria. toato sejam, mobilias de a-
jarand.mognooaunrello, obra nacional e cstrm
ir, de apurado go>to c por proco* raioaveia:
na ra estrRa do Rosario n. 85: Nena mesma
cas fazom-se com perfoicao todos us irabalhos de
palhkiha, como sejam, empalhamentos de lastros
para camas, cadoiras e sophs._______________
Ama
No baeoa ds Uarreiras n. ', prgeH-se de urna
ama capaz para Q servido interna c externo de
casa de urna s pessoa.
m
Joaquim Jos Gon-
palves Beltro
ftfJA DO TRAPICHE N. 17, 1. ANDAR.
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
co do Minho, em Braga, 80bw Os segui-
tos logares em Portugal-:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
G ui maraes-
Coimbra.
Cliaves.
Vj CAO
* Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famalico.
Lamego.
Lagos.
Covilha.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Beja.
Barcellos.
.*%
i
IJTIIilBAllK
A os 500 pares de brincos.
Chegou e vendt-se no Corceo
d'Ouro, ra do Cabuga, brincos de
inosmlias com uma franja penden-
te a um rico desenlio e euro de
lei, pelo pequeo prego de 150000
cada par. Iwiratissimo.
ip.,.-.,,
EMPRESTUVIO SOBRO
mwmmmmwm-
A pessoa que annunciou tur pial'
eos e moldados deixe caita nesta typoiiraphia coim
as iniemes P P, indicando quaes as pessas que
podem informar & seu raspeito. __^^
(SEM LIMITIv)
Na travessa da na y
das Cnies n, 2, pri- i
meiro andar, da-se ( J- |
(jikt qiwnlia sobro ouro,
prata e podras preciosas. j
O dono deste estabelecimento, lj*
competentemente autorsado pelo ^|
governo, est as eondicoes de ga- H
rantir a transaecn que se fizer em |
sua ca^a, prometiendo todo e zelo
e consideraco s pessoas que se
disiurem de lionra-lo em seu esta-
belecimento. K
Na mesma casa compra-se ouro, H
prata e brOhantes.
Ama de Site.
Prccisa-se le urna ama de leite sera Albo ; a
tratar no Coracan de Ouro n, i l), ra do Cabula
Massa follada de Basto
& l.enios.
Teudo 03 administradores da niassa Wlida de
Basto f Lemos, (cito em tempo o seu primeiro i i-
rfdendo.de 10 O O, na importancia de cuspa ile
60:000, como consta dos recibos dos scnUm-js
credores, bbrespectivos utos da fallencia : tani-
bem lera ltimamente realisado o pagamento do
segundo dividendo de :l o o. o afanos do primeiro
me antis njofeacberam; e como deste ultmo
dividendo que monta a 2o:0673'.l2o anda re-lam
Sagar se mis 8f),i7 <|ie perteneem a onze em-
ano, de monores quanas, visto como s se teiq
pago, desde 16 de novemhro ultimo a 16 de fevo-
reiro prximo passado, a quantia de 2i:2i73G2l,
roga-se de novo ao; senhoros eredores d referi-
da maesa, que ainda nao reeeberam aquelles scus
dividendos, para que tenham a Ijondade mand;ir
recebar, aposentando 03 respectivos titules para
seren averbados,no largo do. Corpo Santo n. O, if
andrr. Os manatos administradoreB, aproveitandj
oeusejo, rogam muito encaseeidamonte a todo*
os senhiH'es dcedoies u especial favor de manda-
rem saldar seas flebitos, afim de por este modo
MDraeeder come desejam a liquidacao final di
reierida maca. +.
l. Ferreir Villeia."
Photographo da casa imperial
premiado em diversas exposi-
<;oes.
Na sua photogiapiia ra do Cabug 11.
1 18, entrada pelo pateo da matriz lira retra-
s por lodos os syslemas photsgraphicos.
'Em porcelana Em vidro
Em talco Em papel
CART ES DE VISITA A 9, A DUZIA.
Os retratos carte-de-visite s5o coliados
Ma carlao de luxo bristal ou porcelana,
lourados ou lithographados, quadrilongos
1 >u vinlietas para oque existe urna varieda-
ie de l modelos a esculla de quem se re-
1 ;ratar. Para as.ouas especies de retratos
! emos caixinhas, passe-par-touis, quadros
; molduras douradasepretas cassolfea de
mroe alfinetes simples e com, ped as pi.'-
osas.. iiavendo nos alGneles uma mimosa
'ariedade de feilios.
0 nosso estaberecimento ithoto^iapbico
jst sempre om dia com os meliioiainentos
jprogressos que na America do Norte, na
Suropa ou no llio de Janeiro sneonsegue
a arte photographica, c para alcancarmos
^i fim nunca poupamos despeww tem sa-
aiQcios, de sorteque os nossosjuimerosos
V. guezes podem ter a certeza r^. que sem-
ire eucontrarSo em nosso estubdecimento
;udo quanto a arle e a moda ofi'eieccr de
)om no novo e velbo mundo aos amantes
la photograph.ta.
SARTHOLOMEU 8; C.
i
PARA USO INTERNO
pUPARADOS SIMPLES
Xarope de jnrubeba garrafa. iiJOOO
Vmlio de jurubeba garrafa. 1)J600
Pilulas do jurubeba vidro. /600
Tintura de jurubeba vidro. 610
Extracto hydracoolico de jurubeba. 12,3500
puepauados cojpostos.
Vinho de jurubeba ferruginoso garrafa. 2)5000
Xarope de jurubeba ferruginoso garrafa. IiJ600
Pilulas de jurubeba ferruginosa vidro. 2^000
Oleo de jurubeba vidros. 640
y Pomada de jurubeba pote 640J
Emplastro de jurubeba libra. 2*500
PARA USO EXTERNO
fA JURUBEBA.*
5ta planta Rojo recenhecida como o mais poderoso inico, como um excel-
1 lente desobstruente, e como tal applicada nos engorgitamentos do ligado e baco, as
rhepates propriamente ditas, ou ainda complicadas com anazarchas, as inflammaces
subsequentcs as febres intermilcnes ou durezas, nos abeessos internos, nos tumores es-
pecialmente do ulero e abdomen, nos tumores glandalosos, na anazarcha, as hodrope-
zias,ety8pUas; e associada as preparaces ferruginosas, aida de grande vantagem
as anemias, chioroses, faltas de ineustruai;o, leucorrheias, desarranjos atnicos do
estomago, debilidade orgnica e pobreza de sangue, etc.
O quedizemos allirmam os mais distinctos mdicos desta cidade, entre os
quaes podemos citar os Illms. Srs. Dr. Silva Ramos, Aquiuo I-'onseca, Sarment, Seve,
Pereira do Carmo, Firmo Xavier, Silva etc. Todos elles rcconbecem a excellencra d'este
poderoso medicamento sobre os demais at boje conhecidos para todos'os casos citados,
tanto|que todos os dias fazem d'elle applicago.
Aprcsentando aos mdicos e ao publico cmgoral diversos-preparados'da juru-
beba, tivemos por lim generalisai- mais o uso d"cste vegetal, fazendo desapjiarccer a
repugnancia que at boje sentiam os doentes de usar dos preparados empricos d'elle, e
mais das vezes repugnantes a tragarcm-se, e que linbem ainda a desvantagem de nao
ser calculada a dose conveniente a applicar-se, o que torna multas vezes improcuo um
medicamento, que poderia produzir ptimos resultados.
Os nossos preparados so foram a presentados depois de navennos conveniente-
mente estudado a jurubeba, fazendo as experiencias precisas para bem conhecer aspro-
priedades medicamentosas d'esla [danta em suas raizes, folhas, fructas ou bagas, e a
dose conveniente a BpplieacSo, leudo alera d'isto procurado levar os nossos preparados
ao rnaior grao de jierfeicao possivel, para o que nao poupamos esfor^os, nao nos im-
portando o pouco lucro que possamos tirar.
Por tanio os que se dignarem recorrer toe nossos preparados podem ter a
certeza de que elles ou'ereecm a garanta, de que se pode encontrar, a prompta e infalli-
velcura de qualquer dos soffrimentos, que deixamos innumerados, se t'orem em tempo
applicados, teiido -ilcni d'sso, medico eu doente a vantagem deescolher nasnossas va-
riadas preparaces, aquella que melhor lhe podeconvir, j pela fcil applicago, e ja pela
complicaro das molestias, idade, sexo, ou ainda natureza de cada individuo.
snossas preparaces ferruginosas sao feitas de forma que se tornam comple-
tamente souveis nos suecos gstricos, porque procuramos oscompostos do ferro que
como tacs esto boje reconocidos.
Para aquelles que mais minuciosamente queirnm conbecer as propiedades da
jurubeba,. esaberem a applica<;ao tio nossos preparados, destribuimos gratuitamente
em nosso deposito um folbelo, onde tratamos mais extensamente resta planta e dos
mesraos preparados.
Deposito geral de todos os preparados
Botlea e drogerfa
'34Ra larga do Rosario34.
v^-^:v.-'-v.v^;^v^.-".^^-^^^^-;^^":r"
DOENCAS DO PEITO
D xju-ope vegetall Americano, csprdalldadeie IBartboIoracu 4Lc
34RA LARGADO BOSAR10-34
Nao cosUmamos procurar atiesados para credHar nossos preparados, e dte
xamos que sua appltcaco e os resultados obtidos pelas pessoas que se dignaram acceita-
los, Ibes deem crdito evoga; porque sao-sen^ie os agestados considerados gratuito*,
e delles que lancamao o charlatanismo; mas, nao querendo olTcnder as pepsoas qw
espontneamente nos offereceram os que abaixo to transcriptos, os fazemos publicar,
manifestando-lhes nossa gratido pela attenco, esperando que venham elles corrobora
o conceito, e acceitacao que tem meiecidonosso xarope.
Bartholomeu & C.
ATTESTAUOS
Illms. Srs. Bartholomeu C com a mais subida satisfaco que decan
ser o xarope Americano de uma efficacia extraordinaria, pois que soffrendo lia dias dt
intensa tosse, ponto de nao poder dormir a noile a despeito raesmo de medicamento!
que tomava, a elle recorr c na terceira colher fui alliviado, e de todo me acbo boje res
tabelecido com o uso somente de quasimeio frasco: grato, pos,r;'i esse resultado man
festo a Vv. Ss. meu reconhecimento.De Vv. Ss. amigo, venerador e obrigado.Ma
noel Antonio Viegas Jnior.
Sua casa 20 de abril de 1868.
Illms. Srs. Bartholomeu CPenhoradissimo com o favor que me fizera.
de aconselhar o uso do xarope Vegetal Americano, de sua composico, quando me acha
va bastante doente de uma constpacao, que nR; tornou completamente rouco e qu
trouxe uma forte tosse, e me impossibililou de cumprir os mcus develes de cantor da
empieza lyrica, vou agridecer-lhes meu completo restabelecmento, que oblive cem ua
s vidro do mesmo xarope, depois de hayer recorrido a muios tralamentos. Desejare.
que outros como eu recorram ao seu xarope para se Vcrem allivados de lo terrivej
incommodo, to fatal neste paz. Com maior consideraco contino a ser Vv. Ss.
aliento, venerador e obligado.Luiz Cremona.
Recifc, 25 de setembro de 1868.
Illms. Srs. Bartholomeu A CO xarope Vegetal Americano eme Vv. Ss. teeir
exposto venda de toda efficacia para o curativo d'astbma, conforme observei app-
cando-o a meu tiiho Joaquim, menor de quatro anuos; victima d'esse flagcllo. que aW
ent5o por esparo excedente a dous amos havia resistido a outros xarope* de grand
nomeada. Queiram, pois, Vv. Ss. acceitar a expresso altamente amcera de meu reco
nbecimento ao meritorio servico que lhe prestaram com o indicado xarope. acreditan
do-me para sempre deVv. Ss. criado, ltenloeobligado. Americo Netto Recife, 2 de outubro de I8G8.
DE
DE
1VIGNES
N. 55RA DO IMPERADORN. 55.
Os pianos dcsta antiga fabrica sao hoje assz conhecidos para sej necessark
insistir sobre sita superioridade, vantagens e garanliasque ufJerecem aos compradores
qualidades estas incontestaveis, que elles tem definitivamente conquistado sobr odM
os que tem aparecido nesta braca; possuindo um teclado e machinismo que obedece
todas as vontades e caprichos das pianistas, sem nunca falhar, por seren labricadw
de proposito c ter-se fcito ltimamente melboramentos importantissimos para o clirr.i
deste paiz; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas e por isso muito ogradaveis aw
ouvidos dos apreciadores.
Eazem-se- conforme as cncommendas, tanto nesta fabrica como nado Sr. B'02
del, de Pars, socio correspondente de J. Vignes, ercuja capital foram stipre premia-
dos em (odas,as exposicoes.
No mesmo estabelecimento se adiar sempre um explenddo e variado sort
ment de msicas dos memores autores da Europa, assim como harmnicos e piaw,>
harmnicos, sendo ludo vendido por precos commodos e razoaveis.
XAROPE d'HYPOPHOSPHITO
CAL
Cozinheiro
Pr-^a-se de 11111 co/.inhefro 011 rozinheira
tratar na ra d.i Imperador n. 7.'), 2" andar.
Alnga se aluja do sobrado 11. .'12, sita pi-ae;
a Boa-vista : a tralar na roa do Alecrim n. t.
D-se a juros a qnaiitia de 1::J0D
spsthcca cm predio de uobradn valor, livre
sob li\
o de
embarcad.) : dirija-se a ra nova
n. 54. fie se dir quem da.
Prcca-se de urna auut para cosinliar : 11a
roa do Ljvrnmento n. 16
TriltioN (rbu.i'.is de laboalo.
As*igna--e na ma do Tones n. 2ft eseriptorio
do coiretor geral Gonzalo Jos Attoma.
' Miguel Svnra Martim, rafcdiM hspauhol,
jetirase para Europa a tratar de sua saude.
Aluga-se o segundo andar do sbralo da
ra Nova 11.58.
Na ruii da Cruz ti'i, 2' andar, precisare
de nina ama de cor para lodo o servicn.
Deseja-se saber quem o propriotario da
<4M lita no palw quem alnga.
O Dr. Cosmo de Ss'feivira niudou sua rasiden-
cia para a ra do nperador n. 22, Io e 2o anda-
res, onde continua no cxwolcio de sua profissao
medica, para o (joo piide .er procurado a qual-
quer bora do dia ou da noitc, nos casos gravas.
Todos os dias das C as 9 horas da manhaa, menos
aos domingo?, dar consultas indeslinlanieate a
qualquer pessoa, sobro qualquer ponto de sua pro-
li sao, e com especial cuidado sobre molestias de
olhos, do peito, e dos orgos enito urinarios ; e
quando o caso for cirurgico, praticar as tera-
eoi's que, juigar Conveniente para o resiabebvi-
ment do seu cliente.
ATTEN(X"
Aluga-s um sitio un callada do fiasai iuhj com
bou caade viveuda, accommoda^Oes para escra-
vi.s. .Mclieira, es'ibjiria, duas cacimbas, tai^ue,
duas baixas para capini : quem pretendo" alagar
dirija-*e i pratja da Boa-Vista, botica 11. ti
Precisa-so de Bina criada forra que conjure,
para o senict) de pequea familia : na ra Diivi-
Ui 11 79,2U andar.
GRIMAULTe C* pharmaceuticos em PARS
A efficacia d'esta preparacao est estabelecida desde 1857, pelos mais celebres mdicos. Desde
ento muitas imitacocs tem sido feitas, mas nenhuma poude sasteotar a comparacSo com o
produelo apresenlado pela nossa caza. Por isso excitamos o publico para que exiga sempre I
esle xarope com uma bella cor de rosa, nunca branca, e com a nossa assignalura roda do
frasco.
Sob a sua influencia, a tosse acalma-se, os suores nocturnos cessio e o doente volve rpida-
mente sade. 0 seu em prego d umbem os mais brilbanies reauliados dos dsQuxos, catar-
rbos, bronchiles, irrila(5cs do peilo, te
* Deposito em Pernambuco, cm casa de Maurer O*.
^^i^9$c#&#^$5r*;'s. i
Frederico Jaia
Cirurglo deutista |cla escola
de mediciua
do Rio de tf auciro.
Tem a tyra de pailicipai' ao respeiuvel publi-
co destaeapital eseus suburbios, que tem abarloo
seu g.ujinete de oonsutlM e u|>eracJ.'s dentarias a
ra Direila n. 12, primeiro andar, onde pode ser
procurado todos os dias das 8 liorasda maiit'.a as
3 da tarde. Elle acha-se competentemente habili-
tado para coui (lerfoicaocollocar deutes aitificiaes
por qualquer dos sysleinas, e bem assim dcsein|)e-
uiiarqualquer oufro ti.iballio cinceinonte sua
: pi'uii.s.so. mesmo, reconhecendo que ucniseni-
I pre possivel s seuhoras ou enancas saliirem a
l proeja; ji'o re medio, oirerece-se a remover qual
; ipier obstculo, dtvlarando.quo nacrdadese pres-
ura a qualquer chamado sem que isso ifrffn'a cousa
ilL;iiinanatM!iiniodidadedospre:iS'do seusfiraba-
ili"s,equando para fra.della a/sn inesino ser
precedido de um ajusto ratoavel, carantindo elle a
ieguraneae perfeioao de seHs ditos trabalkas. Em
*c:u gabiiiett; se encontrar constantemente excel-
Icnteps dentifricio, elixir <: outros medicanii'ii-
los odontalgicos : ra Direila u. 12, primeiro
andar
l'roeisa-se alugar tima escrava que saiua co
zinhar beui e fazor compras : no Corr-Jdor do His-
po n. 2.1.
Aiuga -so um grande sitio com rasa o muitos
amuvdos, proprio para ter gados pela sua esta-
ao, e inepo para planta gees por ter lugares al-
tos o baixds, as Salinas, entrada do Campo Gran-
de : a tratar na ra da Cadea do Recife n. 3.
Hl\;Si:%IO -
UJ
Centro liberal
Brochura in 8*
I SOOO
RADIA PRANCEZA.
Criado.
Precisa-se de um criado fiel ;
adiar n. 73, 2a andtr.___ _
na ra do fcnpe-
<" Aluga-se um sitio na Torre, com KqiiaMoB e
loas salas e cosinlia e quarto lora : a tralar cot
Audr de Abreu Porto.
Club Pernambucano
07.. jter lugar
k partida do c-iritiite
na noute do da --li.
Ama de leite.
a ra da Pejtvu.aS, i^alar, se precifvle
uiia ama que MnKa bwu teiw e que naieaha
Baltar, Oliveira^C. sacam sohre praca do
Porto. 1- v-
Co
lk-sapp ti*orrenl.! urna oaabor-
rinba ini i manrtias protas, cauda cortada, muito gorda :
a quoa tiver ou achar, dirija-se a ra da
n. fe. 1* andar, que ser recompensado.
Ima
ftpciaa-aetcuraa ama forra ou sfara par*
wnprar e cocinbar para orna caa. d,c pouca la-
milla : na ra das Cruzes n. 28,! inBar \ prefe-
-seeserava e paga-sc ima agradando.
Cura radical das her-
" IPrfl.il
Garantida na maior parte dos casos por
uieio de uin tratamenlo simples, fcil a se-
guir, tanto para as crianzas como para
adultos e mulheres sem operac3o, sem dic-
ta particular, podendo o doente continuar
em seus trabadlos sem oneommodo,
\o Rio de Janeiro
W-THAVKSSA DE S. PRANCISCl M PABLA10
CmhsuUqm do Sr^tasaifr.
Mais de 30 atteslados riamos por doen-
tes curados c audiexidus, mu deiam duvi-
da neiuiuBia suin-e a afliwcidade desle jura-
tivo.
I'ara maj,sinfoimai^es, nariyi do Impe-
rador n.32, das oito s uove hovaa tb
inanhaa.
GEA DOS CALLOS.
PELA
Pomada galouf>eau.
Deposito especial
Pharmacia de Bartholomeo d C.
34------Ra larra do Rosario-34.
GRANDE HOTEL
Attenco
Manuel Augusto de Menezcs Qista, pro-
fessor de msica, conlina a dar le8es de
sua arte, tanto vocal como instrumental,
em casa particular ou em algum collego;
assim como tem aberto uma aula na casa
de sua residencia na na da Palma n. 53.
Fnaugurou-se oste commodo e elegante
estabeleetmento d'onde os seus frequenta-
dores poderao apreciar a especialidade na
confe&c3o dos gneros alimenticios.
As bebidas sao as mais primorosas e re-
cominendadas.
A decencia e bom servido priaaam n'esta
asa no bello gosto oriental.
.Mawkm-se domicilio cdiaedorias, tanto
avulso, como por assignatura-meMal. Os
precos sao-mdicos e cunveacionaes.
Ha uma espaeosa e bonita sala para o
elegante jogo de buhar.
Ha tambem aposentos cominmodos e bem
mobilhados jiara hospedagem.
Ra larga do Rosario
n. 44.
m \U DO ROSARIO 137
Este acreditado estabelecimento augmenta
de dia cm dia quanto possivel para clie-
gar ao ciimo do bom viver.
Alm dos sabulosos manjares confeccio-
nados com o melhor asseio, tem bellos apo-
sentos de hospedagem, tanto para uma s
pessoa, como para numerosa familia.
A agua, indispensavel elemento para a
vida e jiygiene, temo-la sempre cm abun-
dancia para facilitar excellentes banhes.
Ha tar.ibtm uma boa bibliotheca o peri-
dicos nacionaos e estrangeiros, piano para
recreio, buhares, etc. etc.
Sendo ociosa qualquer reeommendaco
para tao acreditado estabelceimento, omit-
timos mais prembulos, fazendo ver por
fim, que o bom servico, ordem e moralida-
de imporam nesta casa, como observancia
fiel do regulamento que possuc.
Comedori \s a la carie.
-----------------^------------------------!__________j_______:
CIIIITERIA E PETT ESUM
Annexos ao Hoiei Genual, ra calrtia d.
Husario n. 4 A, anda icireo.
Para dar a conhecer a variedade infinilj
de charutos de liavana, Babia. Rio, ele. qct
existem ueste novo estabelecMiivnto ]rer-
cindimos dos annmicios panposaa que ga
ramente se fazem. reduzindii-nos apenas i
tres letras que s5o tres bbb bom, bonito
harau. A* vista do genero annunciadu y.-
de-se jtilgar do nossa veracidade. Esta c ;
gosa tambem das condices de um elegaii'.
/6-fttit rtttaurant onde se pe vi-r a es-
' pecialidade dos fiambres e salames de Lob
para lanches e at fazer una boa colaco,
juntamente com os principaes vinbos de
mercado, sobresaliindo entn; o hom a pur
c fervenle champagne, o mu i saboroso Rba-
no, a primorosa ceneja, o licor espirituos.'.
o quanto pede urna mesa. Faz-so nou.*
swvete e variedade de refresixjs.
;vf'N
ntado
xtvro v. akinaco v.r. pianos
contra-mestre Sr. A. Riste ~
MARTIMOS
piectaank) deuai cixeiro do li
.om pratica d> tobeniil : no largo
Ama
-P ocikMe de-uma ania que alba <-
casa di homcm solteiro : na ra do
mero 20.
a te anii;s,
do Carros
inhat pare
Crespo nu-
Sr. Antonio Francisco Dtiarte e seu rnano Dr.
Maximiano Francisco Duarte, venham ra Di-
reita n. I, luja do Braga C.
Pr:cw*e~4to nina- vnt-de (oito qu seja de ot>r
parda ou preta : a tratar aa ra da Cruz n. 59,
3 andar.
Lu Manuel Filgu(;ii.. ja fallaj; como
tf. JosLii Pino di ata para n9550fios.de ?eu
interessp, e roga-lha que se dirija a casa dos SST
Vi^Ha 6 eHara~.
Luz tfanoel Pilgnriras participa a*respei-
tavel corpo coinmeruial do Pernambuo, quedede
Io de margo do corrento admittio como seu socio
o seu caixeiro o Sr. Thnm Leite de Oliveira, euja
firma gyrar sob Luiz Manoel Filgueiras & C.
Preeisa-se alngar uma escrava ou ama forra
?ui*Ha|a**m- jfTiwmimw com-
>r* ama escrava moca can aaneanas h?bilida-
de, garaiflfMo-M a'iua boa conducta : quem pre-
tender, dirijas* a ra da Imperatriz n. K.
RA
A Companhialsdemnisa'dora, stabelecind
esia pra?a. tona seguros martimos sobre
Havios e seus carregamentos ejeontra fogo
un edificios, raercadorias o mobilias: aa
ua do Vigario n. 4, pavimento terreo.
MOFINA

Para cosiiAa
Precisa-se de um escrava qjte cosinhe bem: na,
fu b Crespn. M.
ana para cosiahar para
riftKal(U*-eron-S8
fu
l'reefSa-so de uma a
casa de pouca famiNnt na
Eu abaao ussignado declaro mo presente,,
niraii.i n. W) iirre e ntsemljarcada,de todo e iiuaj
quer debito. ReefeTde abrl^ig(59.
___________ Jw. Jo'iqu:m leixtira
Alaga-se um bom eoonheirn e copociro : na
ra do Imperador n. O ter< eiro a '
--mms
m
recados: na caa n. 2* da raa do
;ra
^Ihos."
Pede-se ao Sr. Manoel da Costa Pereira, prati-
cante da repartirn das obras publicas ora em
Jahoato, que compareca ra Augusta sobrado
n. 102, aliin de saldar o seu debito ou pagar o
que poder e isto com brevidade.
Fundipo da Aurora.
Xesle vasto estabeleeimente sempre se encentra
um completo sortimento do taixas de ferro batido
e fundido, fabricadas recentemente, e se fabriram
de qualquer molde a vontade dos compradores, e
rejos razpoaveis.____________
Se ibr bom.
Pagar-se-ba bem nm moleque que se pretende
alugar : na ra larga dp. Rosario n. 44, andar.
Em casa de THEOJxmo CHHISTI-
a.NSEN, ra da Craz n. 18, encontram-se
effectrfament todas as qnalidades rte vinho
Burdeaux, RourRogne e do Rhano.
Tendo montado tuna completa officina paim
tendo cdmratado para o mesmo Cm o experimenta_.
chegado da .'idopa pelo ultimo paquete.!ema honra de recommendar este seu cstabe'-.
cimento s iv raas. I'nilias Pernambucanas, promellci.do promptidSo e perfeiao va
trabalho.
llua Formosa n. 14

LIMA, LESSA & C
. IMHM-Ii
Pti^a-se bem.
Preeisa-se de orna ama forra ou captiva, de
mala idade, que eozinbe bem, para casa de pouca
familia : trata-so na ra da Cadeia do Itecite n.
60, andar.
Piau-isco Pereira da Cosa, *eassigaar de
h^e eai diante, Francisco Pereira da Coala Bastos,
por hav^r mitro de igual nomo.______________
- Irooou-se por engao am relugia de ouro
rtibcrto patente infrlez n. 23177 con o ilomc d
fabricante Ja Duff e Son Castel Su London : ro-
ga-ae a pama que por engao levan que lala
a bondado lvar na ra Nova n. 21, loja e Fran-
cisco Jos Germann.
O rcspoilavel publico encontrar nesta oicina hateis strts e bca. conin
na arte, afliancandn-so o melhor dcsemp'nho conforme o oslo~c vontade do fr^gp.
assitnt.t)fmo a maior pontijahd*dc na ent^aga das obras; recebemos de Pars, por t i uepusiui*. ua roupw iciia; ue iuuj a i|uauuiiuu, uuu scj.iih .
francezas, inglezas, cbapos de sol de seda trancada, o que ha de mellior, giaaoV
sortimento de meias, oolarinhus, jwiiIu e graude no\ idade em gravatas moderna, ,.
linahnenle completo sortfanento do fuaeadas finas e roupas feitas, sendo os pregos-iv
mais baratos possiveis.
INJECTION BRO
Bede-se ao digno chefe das ~obsas publicas que
que veudi ao ao.Sr. Miguel Agostinao Hamostb-; lance soas vistas para o rao escoda itraoa'fkul!
!w?' n ^KnuSf!*,* mm.,w ^^"^ *iu a rn* *iMr,a no higar das Ai*ciae.
.-4ii padicenle.

CAPSULAS VlLCLTALS
Molestias do peito.
COM
TICO
EGRIMAULT ECf DKARMnCEUTICOS EM PARS
A larinha de S. Bento o nico alimento caj
sUltadba s pessa
atacadas de molestia!' do peito, aos eonvalescen]
* >m fiVp^ -pUfMttr uw,uyeaiw aitwnpii^ pui toda aujUBuM^
dando conheciiaento de sai eewuicta, alo uf ] nharido bem sua obriga^ao t-oSr*Jbnnj uifleua 1ewe palas nenias de sangue : unleo deposito, a j
do: na ra Direita dos Afolados n. 66 A. 'jwarmaeia do Pinto, ra larga do Rosario n. 10.
Estas capsulas, com capa de gluten, comeen) o balsamo de copabiba assoado i
Hatico (arvora do Per), e constiiuem nm remedio i infallivel centra a gaoorrMa. Ellas
m cansar estomago e nio provocao nunca os eajoos e naaseas que t
mm~io siperiiMai ;fitW*4* aahfta, cfcaba. ate.
Dsfiaiw* que
j lHrH.
v ,


Diario d Pernambuco Quinta feira 8 de AbriKde 1869.
6


A b$ ^UEIMAfc6
15*
I?-'
Ag
ua-florida de Guis
lain
os cabellos
Ditos coin ditas de velludo, outros imi-
tando charo machetado.
Ditos com ditas de marroquim coin cruz
' e guarnicSo, dourada ou prateada.
Coras e tercos de cornalina.
Assira como.
Grande e bello sortimento de leques
CASA DA FMT11U
Vos 4:000$
Bifcetes ^rautidoe.
A. ra do Crespo n. sas do costuruj.
-7 Preeiaa-sc de uuia ama portugueza para casa
c homem sulieiro: na ra da Upa-Hora, den-un-
to da igreja, na cidade de Olinda, taberna, a Ira-
tar na inesma ou na ra do Imperador n. 28.
Engommadetra
^ ra do Imperador n. 7, 2o andar, precsa-
lo felaes
com a sor
; ;'oad i leudo vendido nos seus mu- sejlejuma criada para engommar.
r- i
te de 700, e oulras mi tas surtes de W0, 40
bitliet
irte de
otes gara dos 2 quartt-n. 1311
Bitton.aoOI. ooiii a sor-
iO da. leicria que se acabou de extra ir em lie-
aeQtio da freja de osca Senliora do Monte de
Olinda (100 ), convida ais possuidores a virot re-
ceberscus respectivos p einios sem o esetmtws
das leis na Casa da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-sc a venda os da i" parte da lotera a
beneficio da igreja de Nossa Senliora do prra-
nenio de Pao d'Alho (101) que se extrahira sali-
vado 10 do crrente inez.
Procos.
- Bilhete. .... 4|000
Meio. .... 2*000
Quarto.....1A000
Em porcae de 100 l para cima.
>|iilhetc. ". 3i5a0
Meio......14750
Quarto..... 875
Man'-'d Martina Fin.
Tintura ndelcvel para tingir
sem manchar a pelle.
A lun euncenoada agua-florida de Guis-
lai'\ qu entao era ddSSOhhecida em lVr-
wmbuco, i lioje estimada e procurada
por seii eliicaz resultado, c anda mais se- todos de madreperola, madreperola e seda,
r,i,.]uando noiida de sen bom cffeito e a sndalo, sndalo e seda, osso, osso e seda,
wp srJencia 1 tornar de todos cMbecie. | c faia etc, etc. tendo nos do sndalo alguns
A agua-florida de Guislain composta ani-' com 4 vistas, e outros japonezes enfeitados
etqknte de vegetaes noffensivos, tem a de flores.
Bonitas" voltas grandes de aljofares azues.
Voltas de cerreote de borracha.
Meias de seda para meninas e senhoras.
Ditas de fio de Escocia abertas, tambem
para meninas e senhoras.
Ditas muito finas d'algodo, alvas, e
i
Convite dos irmas da irnian-
dade do S. Sacramento de
S. Jos
O escrivio da rimuidade do S. Sacramen-
to da freguezia de S. Jos, convida a todos
os irmaos desla irmandade, para acoran*-,
nharem o S. Viatico aos cufernios de sua
freguezia, domingo 1 i di eorruate as 8 ho-
ras damanha em nonio.
BBMQB
O engenheird Antonio Feliciano, RodrigucsSet
te, cunipeienteinento aulurisadn pelo propieta-
rio do sitio deuuuiinadu Aguasiuha, em Uebeiibe,
vendo lotes de trras, formadas pelo plano de ar-
mamento noves, organizado para o retalhamento
da snperllcie geral do suprarilad.i sitio, todos cum
eonliguraco rectangular. Tres ras uuvamente
alienas no sentido longitudinal, isto de teste a
oeste, declinarao de 17." sol. tres ditas no senti-
do transversal, isto 6, de tal ao nofte, declinacao
de I7." a oeste, darau para certo systeina e belleza
a ana divisiio. A pivxinmla'do do rio Iteberibe, a
fertilidade do terreno siilliricntementc demonstrada
polo vigor da vegetaco existente os rerommen-
dam e convidan) os ('oinpradoros. Os precos se-
rio dilTerenies, fluctuando entre mil al tres mi
conforme a lucalidade e dimensdes. Pude ser pro-
Orado nas quintas luirs e domingos no sitio aci
ma mencionado, e nos mais dias ein casa de sua
residencia, estrada de Joao do Barros 'i.
OurQ e prata
em moeda e em obras inutilisadas, compra-se por
bom preco: na pragajtofadependencia n. 22.
Na praca da Independencia n. .Ti, loja de uu-
nves, compra-se ouro,prata, e podras preciosas, e
lninbem se faz qualqnor obra de encommenda, e
todo e qnalquor concert.
re
ERDADEIRO LE ROY
de SIGXORKT, Docteur-Mdccin
Ru de Seine, 51, PARS.
- Jas finia rogam a Mitaa as p38MM ipte 03 honra
com sua nmizade, o especia! e earidotoj
obsequio de assistirem as missas e memen-,
to que mandan {celebrar na igreja do con-
vento de S. Francisco, por alma de sita
proprieda !e cxlraordinaria de dar cor pri-
mitiva aos cabellos, quando estiverem hran-
cos, e liies restituir o brilho perdido, cas-
lim como preservar de embranquecer, sem
ser prejudicial de modo algura
E' prm necessario fa/.er conheeer, que]
0 bom resultado prodiuido pela agua-llori-,' cruas para meninas e senhoras.
4a, Min instantneo, c uno umitas pes~; Lavas de lio dTCscocia, torca!, e seda
soa. lal\*ez suppouliam, iniissim ser pre- para meninas e senhoras.
fisn taer usod'ella, trez ou patro vezes, Metas de 15a para homens, mulheres c
1 logo se ol)!ero(im desojado, c-imo bem meninos.
provan lestemunhos de pessoas insiis|>ci- (ollinhas e punhos bordados obra de prosidissima esposa o itiai. Segunda-Tetra
tas. e d'onUo por diante, basta usa-la duas muito gosto. 12 ,!C abril as (5 d ffleias horas, da manhaa.
\e/..-> ii.ir iti^/.eoandosemprccomoliom Entre-meios finos tapados e transparen- fe universari de sen i'aihimeiit(j. dflUj,
xito, pudendo xpwioncta ser teita em .tes com delicados bordados e proprios jj se confessam gratos a todits quantos
ooira qnalqtier consa. para enriar lita. 'acceitarcm ppr este nico meio, o presunto.
Assim pois MU agua-florida acha-se ver- ppnnirjn^K CQCv'te-
4a na heni conhecida loja tlAu-uia Branca i H os Ipiws0i>
na A Aguia Branca, comando com a proteo-! Bonitos cabases ou bolsinbas de pelica Precisase d
eo de sti.i boa freguezia, lainbem caprjeba e setim para meninas o senhoras.
em ; ao Ih'a esraereeer, procurando sem-| Lindasceslfnfas bordadas a froco, e lisas,
o; e corresponder a idea favoravel com que! Delicadas caixmltas de vidro enfeitadas
I honrato,1 e em prova ao que tica dito, da com pedns ajotares, ele. J^hS-TK.^r?^ %S&\Z
como cxemplo o explendido sortimento Ditas oe tartaruga para jotas. : dos os socios. Recito 7 de abril de I8i;.t.
Bonitos albuns com msica. Andrade,
Piaseis ou buuecas para poz de atroz. !_________________Secretario.
Novus e delicadps ramos de flores com ''j-PeHe-seencirocidajaonte i| achrfu
marra-fes para enfeitar coques. urna cassofcta graiVdo de ouro, que cabio d Betto sortimento de trancas de palha. '.' d,'.l"l1 ;1I,J" 38? '"' *M
Fitas laicas para cintos.
ia ama para eugaumar
na do Ai-agio 0. %. V andar.
na
EM cada pirrafa, val, nitrf a rollm r o papel Un
rflln com o Sei.u iKftaiAi. o covcr.NO rB*scii.
/'. i-.iicllcii.lo-w uma Mira Je Mi! !RBCut
|nb ( Pil *, an',i:n KiiliMt lio .r.'iM'.nt'i e J" ir:ilr ileteunto.
Coueiliago.
Kilo l>rinri>al *
&' e^ittmo l.t Snjf S*\ ,.ft .
eni ( a*i rio ims CJ-'V 0/?
fa lio in^J _^_^V eyWrl*.--**
J!tfflle pete ------/-=~*--&aS
que acaba de receber, aiuda mesmo achan-
lio-se bellamente provida do que de bom
e mejor se pode desejar us gneros que
sao de sua competencia.
Haja vista aos necessarios livros de missa
e oracao, obras de apurado gostoe perfei-
y.>, sendo: com cipas de madrepe ola e
tocantes quadros em alto lelevo.
Ditos com /lilas de marfim guarniente
bonitos.
Jl..:l?il *
">. Pr : .le t,k-
JWM m Mata l
5n'>s peiiieip^:. plwr-
|i:j;triii.!T'^.
fui VOStid')
Madre do Deos'nt F&ra de Portas, o de Fra do
Perlas at o Corpo Santo, ao rccolbcr danmt'rssao
Utntos ue utas largas com bonitas rama-; ju subor .wuim**. iWi-.U-: 4iih -^.-irii.
llri. is e altinetes de madreperola.
Ditos esmaltados, obras novas e. bonitas.
77 RUa Da IMPER1TRIZ 77
Veste novo cstabolecincuto b um completo sortimento de medicamentos, pro-
' doctos cjiimicos, e drogara, ludo de prirneira qualidade, e se vendem por menos do
tjoe em entra qualquer parte.
Ha tambem um sortimento de medicamentos homeopathicos, tinturas e globu
tosinert'is. por precos commodos; bem como xaropesde jurubeba eiTUginoso simples,
vinbos de jurubeba simples o ferruginoso, e o lwm conliecido xarope de Paracary, es-
pecial .i e.^ia pliarmacia. Aviam-se receitas a qoalquor hora do dia, e noite, com promp- '
ttddo, cuidado, e pericia ; nao se negara a qualquer oceurrencia em casos urgentes. 0
socio gerente encarregado do estabelecimeuto mora no mesmo, para o que est
promptoj abrir a porta a qutlquer hora que for preciso.
C. Cato & C.


ipirovaf
da acadeaii
t mtecm
k Pai
;csta eassoteta. dirla-se a ra da P Rundo andar, que ;cr generosamente rovm>pon-1
sado.
I'ri-JB de uui.i ama que eobiidifre.vuai-,
pre; a Bitaj-.ua r. Diretta n. 3i.
Vinho degestivo de
coy
I'IPSIXA E DUSTAEX.
! ^SSJ0^"6" Pt,? CUPa S? I A Perfumar* Victor boje muito procurad.
;:(las dlgpjtjfes dimews O completas, acalmai ^U flor da aristocracia, e as eieganu, ptr
u dores gastravgicas, e reparar as ferias j ansa d fbrict\ao superior d productos des-
WOdUEldo ama aSSimnlatliO completa dos nnadoa aos usos do toueador, e entre os quaes
ilimcnios; sendo mais um'excellento tnico.' *i*ertM mnaespcciaiKkdceinrada artigo.
' ^7_, ^^^_, t,, w Os mus novos perfumes, preparados com i
MiSk mMJE.mSmlj EtwvimM Yl*#(#la*g, que. ella obiem mesme
nas ilhasPhilippinas, pela disiillacSo do Uona
cdoratissinta, iiioiememnenhuma conourreBcia.
bo que ti2 respeito fineaac ;uavidade docheiro
pelo ouc aconacHimos ao publico elegante quf
peca como perfume para o lenco
0 EXTRACTO DE YLANGYLANG
0 BMJQliET Mt MANtLHA
Alm d'estes dois extraos exeopcionaes, q
s9o propriedade e.\elusiva de sua casa, os Sr
Rigaud e C; prepa.ao igualmente, com parlicu
lar perfeico, todos os extractos adoptados pe
moda, e entre os quacs citaremos os seguintes :
Jockey-Club. Violeta. Resrda.
Ess. Bouquct. Narecliale. Jasmin.
Feno fresco. Nousseline. Maynolia.
Flor des prados, itondelelia. Hosa musgosa.
KA
34-
i'HARMAOA Ji DUOGARIA
lili
BarthoSomcu & C.
-RUA lM\r.\ on !fs\liiO-:ii
Pars, 36,RnaVivienne, D*
CHABLEMDECIN
DEPURATIF
dn SAIVG
DlBRlNiuBUlSSOK
0 tratamento dasaffcccescblorocas, lymphacas ou escrophalosas sempre lentis-
simo, e mokas ves essas molestias resktem s preparacCes ferruginosas ordinarias. As
indagacoes feius pelos profesoores Hannon de BnweUas, Gensonl e Peireqnn de LySo e
Berzelus e Trousseau de Paris\ tem provado que a causa d'essa persistencia era a completa
ausencia do Maa^anese, elemento que sen pre deve-se aebar no sangue junctamente com
o ferro. Estas pilulaa snnprem, pois, na therapctica uma falu importante, e por este
motivo ellas tem merecido a approvacio da Academia d Medecina e das princi]
dades medicas. Deposito em P prmcipaes socie-
iiiiiiiiiininin
ASEVFERMIUAUAS 0ESSKXUAE9, AS A7FSO-
COES CUTNEA1*. P. ALTERACOE8DO SAKOUK.
~110*00 cu ras d u impingtns
ustulas. herpes, sama
\-omixoS,acrimonia,i al
reo*, viciosas do san-
gue virus, alteraeots
do Jungue. (Xarope vegetal sem mercurio). {)
rlir. vetrtae< BAIflHM IIHFRKI
tomao-se douspor semana, segnindoo tractamenu
Dri'vratirn : ( embregado nas mesaiaa oolecliai.
Este Xarope Ciiracio da
ferr de CHABLK. cura
immediatamesuequakrMr
puroacao, relaxacao,
$ debilidad*, e Igual-
mente os /lusos /torea o y aucas das mnmeret.
Beta iojeceao beoigna enprega-ee com o Xarepe e
Citracto de Ferro.
aieaaerroidaa. Pomada we as cura ees tres di**.
POMADA ANTIHERPETICA
Contra* oas affceom cutneas i comixoes-
LULAS VEGETAES DEPURATIVAS
a av orne, cala frasea tai aeeemjaaae Ha
si Maeto. ^^
PLUS DE
COPAHU
0
r-
U

!
GOMES t)E MftTTOS IRMAOS
tendo feito completa mudanza em seu antigo e
acreditado estabelecimeuto de joias. com ofimde
dar-lhe inaio.res proporcoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manMa s 9 da noute na
RUA DO CABUGA N. 4
ontle encoutraro um conpleto sortimento d que ha de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubiiis e tndo^jue em obras
de ouro, prata e platina se, pkde tl^ejar.
ftDERECOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBISS
de novos gostos, assim como grande variedade de salvas e paliteiros de
prata contrastada >a denosto anda nao visto, e completo sortimento de
objeotos de prata para n*odus tgrejas,
Compram 3 troeain qnalqner joia ou pedra preciosa e garanten*
a qualidade dom^biectos vendidos.
cy^
TOMTIVV ItH/ttD
E' uma Agua adiniravel para o toilette, cons-
tilueella overdodeiro talismn da i>elleza, e con
serva a pelle fresca, e a tez do rosto branca. E' a
ultima pxpressao ua sciuncia. Est por todo?
reconhecida a sua iBcontcStavel sujn ioridade
tabre as aguas de Colonia, a agua de Florida e o>
vinagres aromticos de maior nomeada.
JI.KO 10 PON A I A Hlllt\l)\
Exccllentes pieparacoes que se pndem chama?
thesouro do cabello, e que, comoslas de subs-
tancias tnicas e fortificantes, cmbeileio c con-
servio o cabella, ao mesmo lempo que Ihe com-
raunicao um ebeiro suavissimo.
C/2
:
,.
I
DE JOIAS
8ABAO IIIBAMIl
Quem comparar este sabo com os que se
veadem por abi, fcilmente reconhecera i supe-
riodade do nosso. Este torna a cutis muiissimc
macia, faz orna escuma abundante que forma, um
verdadeiro banho de leile, e ndda dea a deaejai
como delicadeza de perfume.
Dli\TORI\A
FASTA D8ITIFBICU
A Deatsrina ura elixir denfricio dos mai
ve ; perfuma e refresca agradavelmente a
boca, fortifica aa gengivas, e preserva os denles
da carie.
Esta pasto dentifricia fez ama verdadeira re-
voluco na Perfumara; acabau para sempre com
o pos e opiatas, que sao mais ao menos cidos
oo aeriade*. Basta passar uma cscova hmida
por cima, para obter orna mucilagem suave
mMMejaa que torna oa denles perfeiumente
trancos. ______
POS ROSADOS
Preaervlo a pelle do rigor dos ventos e do fro,
eommunicao-lbe ama agradavel frescura, e |rs-
TCaea as sardas. Us> superiores aos pos e i
de amida. Seo parlme delicioso.
0 muzeo de joias
Na ra do Cabug n. 4 compra-se onro. prata
a pedras preciosas por precos maia vantaiosos do
que em outraqiiu!<|iier paite.
PINTO PHAflMACICUTIC
\ar|r de salsapairllhado para
Of
DEPURATIVO DO SANGUE
Oompra-se
hoje libras esterlinas, ouro e prata de todas as
naques epor maior prego do que em outra parle :
o ra da Cadeia do Recite n. 58, loja de azulejo.
ORO E mw
Compra-fii titocilas de ouro e prata e
bem como libras stcrlinas, na rita do Ca-
bug n. 9. relojoaria.
Compra-se duas pretas pegas de 12
;l I i tinaos, i tratar na ra do fog# nu-
mero 9.
Compra-se um balcao de atnarello, de vulla:
na ra larga do llosario n. 23 loja do Vianna.
- Compra-se urna escrava que salta cozinliar,
engommar bem e que tenlia boa conducta : na
ruado Crespo n. 2:i.
Corbpram-se cinco ou seis sellius inglezes ou
Iranceteg que sejain j i u*dos : quein os tiv.ir
pode annuneiar a casa o o numero para ser pro-
curado.
Atteuco
Compra-se ama escrava corinheira e qne tam-
ben) engomme : ua ra da Hoeda, armazetn nu-
mern 21.
U.IRCti.A
Comprase urna barcaca boa, de lotaeao de 30
eaixas, potii-o mais ou menos : para tratar na ra
do Commercio n. 3.
Attenqao.
Ciunpra-se urna qscrava ds 2.'i a 30 aunes, que
nao tenbn vicios nein acliajues : quciii livor di-
rija-se a ra de Santa fhereta n. 2't, quem compra.
Tinta
rxa de
teiro.
Mon-
Vende-se tinta ifa de Monteiro para escrever:
na. loja de calcado do sobrado araurello da ra da
Crnzn. 21.
? Vende-se enehamjs e travetas de louro, se-
aro de varios cooiprmienfoa e superior ipialidade,
por precos mais baratos |.:,' (>iii outra qualquer
parle : na travesa do Carioca n. 2, caes do Ha-
mos.
Usado tuto molMtkto de ortte,
res rltc/tinaticas e meras ruinen.-.
Ra larga do Rosario n. 10.
"~ifiiar
Vendc-se uma escrava de muito boa conui.
com todas as babilid;.di s. una, lava, i.u-
gomma, faz labyriutlio, cose, borda, etc., di
annos, pouco mais ou meaos, sem vicios neto
achaques de molestia, por 1:3004 ; a tratar em
Santo Antonio, ra dos Exnustos n 0.
Meias elsticas de LorraclT;.
As melhores e excellentes meias clasi-
cas deboiTacha contra varizes e eryape!)
Vende-se na
Pharmacia e drogara de
Barlliolomcii & C.
34roa toreado ins..nn :\\
t.V.GERMH%
/tKnv--ijfjtu ;c. \__)
Ai^grai-Y.os tuyupes, e prsbitas, ja !
deis ver de longe, ja podis ver de pt
nao lia mais vistas curias, nem caoc
r. J. Germaim acaba (JerprcLer i u
ullimo vapor um rico c variado ortinw
de oculos, lunetas, pin cciny. fr.ce--rr: '
lorgnons de ouro.praia. tartaruaM; mariin,.
ac, bufalo, ncar, unicornio ncklur:
assim como binculos de urna a ti< s nm-
dan^as para theatro, campo e tnarinlia il
lultima invecao; duquesas, vienezos,
08 e 12 vidns, tudo dos melhores fabricai-
tes da Europa.
O mesmo wpwlrou-
xe uma excelinie i
cuina para giaatoai t
obsei'var o bod ara \
videos que se ueeositi
confoinit; a vi.-ta efe
qualquer peasoa.

_Vende-se fumo de Garanliuns muito bom e
muito em cunta, chegado a pouco: na ra da tos de mallieliialioa,
Camboa do Carino n. 10.
Tem expelientes ^letinscopos. instn
laromeiBos, \idMM
_ Vende-so urna taberna na ra de Santa Hila
n. 1, com frente para a ribeira do peixe : a tratar
no.largo da AssamWea n. 17.
Tabellas vermicidas
re
Antonio Nunes Vermfugo eflicaz, e prefeiivel a todos o>
eonhecidos, j pela certeza de seu resulta-
do, ej pela fcil applicaco as creancas.
quasi sempre mais atacadas de tao terrivel
e muitas vezes fatal soffrimento.
nico DEPOsrro
NA
Pharmacia e drogara.
DE
Bartuomuu d- C.
SIRna M.;*rsn do Itosario3J
Vende-se ra
andar.
Pernios de ema,
do Queimado n. 13,
pnmeiro
;' Vende-se uma maceira em muito bom estado :
ao boecode Bolni'!i. 3, sitio deD. Carlota Joaquina
'de- Carralbo, antes da ponte-do Maduro.
Vende-fo uma ascrava, parda, de meia idade,
Aoa cosnhera e por preeo comm
Whder dirija-se a Ponto Velha n.
mmod i: quem pre-
9.
i dnbeiro e aprazo
Sfftnle-siJ tmia loja de fazendas inglezas na
*ua da Imperatriz n. 28.
, O abaixo as>igngdo, proiupto ne>te mez a reti-
(Tr-se para Europa, vendo seu estabelecmento de
Qendas, e aproveita a occaso de declarar, que
3 esta data nada deve. Recifo 4 de abril de
1869.
linio Cesar Pntr de Oliveira.
fndese urna casa na travessa do Monteiro,
com duas janellas de frente e uma porta, tres
quartos" e afns, co7.inha fra, um bom banlio da
parle d^detraz, lugar muito alto que a cileta nao
che^a:aarm- pretender dirija-se a ra d Concor-
"dJa n. Jl, que achara com quem tratar, no caso
ojee baja aljnim pretndeme a casa que existe
wn ..atvoredo na porta.
Cera de carnauba
13, primeir
Veitde-se na ra do Queknado n.
raiular.
Vende-so a taberna da ra Direita dos Af-
agados n. 42 com poucw queros e commodos
para familia propria para principiante: a tratar na
mesnia.
Vende-se uma molatnha com 1$ annos de
jdade, sadia e acha-se pejada: na ra da Impera-
triz n. 75.
Venia-so, pira ijual tier engenho destaute
desla praca, urna escrava do 17 annos, muito sa-
dia e habilidosa : a trata com o major Aatooi
Jos Duartc na tbesouraria provincial, das 9 horas
da luanhaa s ') da tarjle^ l v ^ /hJl
Vende-se
urna cscrifva crionte lem preta o corpolenta. co-
?inha, la*, e tem principio de engommado, viuda
do Aracarf-hontem no-vaftir Pirapama : a tratar
na ra do Vigario n. 14, 1 > andai\ escriptorio de
Jos Lope? Davim.
Depoaiio
em rtmsmituco,
COMPRAS.
4o
Com niuitu- maior uaiitagem
Compra o Corarlo de Ouro, n. 2 D, ra do Cabu-
la, moedasdeoHro_ejnjnti epedras proeiosas.
Compra-se
Um prcto cozinhoiro de IB a 18 annos: a tratar
na casa da ra da Cruz n. 19, Io andar.
ttteiico. atteacoln
Connira-se tm% casa terrea e.n chaos turoprioi
e ent boa ra ; a tratar na i>ua da ConoriH* nu-
mero 101.
(Offlll-SK
Coiupra-se afir, Wmi
como libras sierlinas por mafor pfe#) que
em outra parte, tespo n. lap^Km^w^^^aS
Ycnde-se
um cabriolet tedo relafcMto d ntive>. com arreios,
e por preco commodo : do pateo do Hospital, co-
cheira de carros fnebres ns. 10 o 12.
Vendem- e di ve-sos esvrats pe$as viudo
do Cear no ultimo vapor, proprios para qualquer
servico de armazem ou engenho, assim emo um
escravo por 150a comnm hrai;o inntili^ado, e di-
versas eseravas com habllidade e sem ella : a tra-
tar na ra da Cruz ni 88, 3* andar.
eurystaJ de rocba, e de cores pata icsguat-
dar" a vista ; cuneen a todus o.s object
precos eoiumodvis e com Rromplidto ; tira
u mulo dus vidros e encati
encummt'inla relativa u ptica.
Recebeu tambem os cellentcs r'.
do antigo c afamado fabril
& C, os qtiaes vende precos n mnMj
garantindo a sua superior, q'ual
Schonete de alca'n-
DE
Antonio Nunes dtrCastfo.
Este acreditado preparado, que pf l *
acceitacao tem merecido n'fesia provin..,.
muito se recummenda para a curateru
das impigens, sainas, campas
molestias de pelle.
Deposito nico.
Pharmacia de Bartholomeu & D,
34ra jaiya d Rosario34.
XAROPEPEIEOML^
RABO D TATO'
PLANTA 1)0 BRA7.IL.
E' expectorante e recommendatlo lias
affecocs do peito, broncfiite ebronica b -
moptise, e loege tbcoeka.
cor,
Joaquim de Ameida Piulo
PHilin.ttEITEO
Pentambtico rna lardt)
llosario n. 10.
= Vende-se um cavallo para cabriolet. iatm
e bastante sordo : a tratar na prafa da Indepr.'
dencia n. 1 e 8.
L
Por 60OA00O uma criouliulia de 0 auno?, de t.
boa moral o samie : na ra da bnparauax, lo.i
n.28.
Vende-se i delicada crwuhnha de idade 13
antros, recollnda e bem educada. 2 bonitas mole-
cas de. idade 15 a 16 anuos, 2 boa* eseravas com
todas as habilidades, f dita propria para engenho,
1 mulato de idade 20 annos, bom eotinheiro e co-
peiro, 6 negros de meia- idade : na travessa do
Carmo n. 1.
Vendo-ge a tebfrna da nta da Matriz da
Boa-Vista n. o, ou ao d sociedade a uma pessoa
capaz em virtudodp proprietarie ter d se retirar
para c^ftecife a otttao ngocio, a <|uat afregue-
zada tanto |>ara a trra eorao .para o mato, bom
lugar, e a casa tem os necessarios commodos para
familia. -____________
Libras esterlinas
Ha para vender, no escriptorio de Amorini Ir-
maos, ruadftfrftQ,.a Vende-se um sitio na Torre : a tratar com
Uenitannio Manta no MMiim-Jiigar.
Vende-^e uma casa terfe,'WAi twms; sita
no Arraial. juntamente orna casa principiada ao
fp-d m9ri!mt*nj oaohnla d-^wdw a- trW
ma me*ma casa.
PLUAS, VINHO
E
XlROP
DE
JURUBEBA
PftEPARlilOS
PRLO
PHARMACEUT1C0
Joaquim d'Alinelda Ihi.
s prepararles de Jurubeba, sao boje
ventajosamente conhecidas e preconisadas
pelos mais liabeis mdicos, tanto da Em.i-
pa como do paiz, pela ^ua ellii acia mv
casos de anemia, chloro/.e, hydropesi...
obslrucc3o do abdomen, o tambem nos '*c
menstruacodiflicil, catharro na bexiga, i
Vendem-se em porcao e a reall ,
dade do Recife, pharmacia do sen omp
tr, roa larga do Rosario n. 10, jurtfso
quartel de polica.__________________
"rlf mus asscamms
DO
DH. PATERSON
De blsointh e luagnezia.
Remedio por excellencia para comfeaiP
amagrexa, facilitar a digest'o, fortificar
estomago etc.
DEPOSITO ESPECIAL.
Pharmacia de Bartholomeu d- (
34------Ra larga do Rosario-----
ASTMA E PTISICA
l" 4eteHriMMe e|iBtisa ?
0 xarope de fedpgoso, de Pernaoibi
preparado pelo pharmacnuiico J d
to, cura radicalrneut a pn
todas as molestias dos ro%
Podem ver-s6 os ati
nico deposit daeprep
(Uesta auioi-, raa larga d
junta-av |narte! ^ppolicia.



G
Diario de Pernambuco, Quinta feira 8 Je Abril de 1869.
I
r

Lindos cortes de cassade cor com barra.e cora figuriao indicando o molde do vesti-
do pelo baratsimo preco de 3^00 o corte
Ditos de percalia muito modernos com cuas snias a..-tOOOreis
Na toja das Columnas da ra do Crespo n. i3 de Antonio Corra de Vascon-
celos A C.________________ _______m
" PRECOCORRETE DOS CHPEOS DE SOL
Da fabrica de
MAN0EL & C.
Ra Nova n. 23,Ba do Cabug n. 8
Pernambuco
Chapeos de seda trancada, Paragon, de 1G bastes, 28 pollegadas a 160 ; 26
poilegadas a 155, e 24 pollegadas a 14J000.
Ditos de seda G. de N. Bara, de seo. de 16 bastes," 28 pollegadas a 140;
de 20 pollegadas a 134 ; e 24 pollegadas a 12*000.
Ditos de seda G. de N. lisa, de ac, de 12 bastes, 28 pollegadas a 120 \ d
26 pollegadas a 11;*; e 24 pollegadas a 103CO0.
Ditos de alpaca, de ac, de 12 bastes, 28 pollegadas a 6>; e 26 pollegadas
j W500.
Por duzia faz-se descont de 15 OjO
Chapeos de sol de panno, de baleia, de 8 bastes, 24 e 26 pollegadas a 32(5
i duzia. (Descont do 10 0[0).
Ditos de panno, de junco, 8 hastes, a 183000.a duzia, liquido.
ALTAS N0V1DADES
LOJA DO PASSO
Ba do Crespo n. 7 A, esquina da do
Imperador.
PARA CASAMENTOS, BAn.ES, THEA-
TROS, etc. etc.
Lindos cortes do blond, contendo setim,
mantas e grinaldas.
Requissimos cortes de sedas assim como
para covados.
Gurguro branco.
Moireantique branco azul e verde.
Gros-de-naples brancos e de cores.
Setim branco macau.
Setim, branco, azul, verde, cor de rosa
amarellos.
Fil de seda, branco e preto.
Cortes de seda com duas saias.
Cliales de gurguro de seda de cores.
Camisas bordadas para homens.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas bordadas .
Fronhas de linho bordadas com primor.
Lencos de cambraia de linho bordados.
Riquissimas colchas de damasco de seda,
assim como de seda e algodao.
' Ditas de crochet para cama.
Chapeos de seda bordados, para sol,
Poil de chevre de lindas cores.
Alpacas de lindas cores.
Cbapclinas de palha da Italia, assim
oemo de seda.
Enfeites para cabeca de senhora.
Espartilbos para senhoras.
Meias de laia para padre.
Ditas de 15a
Ditas de seda fio da Escossia e algodao.
para senhoras e meninas.
Lencos de labyrintho.
Fronhas de labyrintho.
Bicos, rendas e grade.
Finissinlas cambraias de cores, percales,
15as, e outros muitos artigos de gosto e
de alta novidade, isto so
Na loja do Passo na do Crespo n. 7 A, esquina da do Imperador.
Grande li(iuida$o de miudezas!
Affonso Moreira Temporal, querendo liquidar as miudezas existentes em sua
loja ra do Queimado n. 55, resolveu annunciar as mesmas miudezas, para que o pu-
blico se certifique do diminuto preco porque as est vendendo, a saber:
Afprotacij
ia tctdmU
iintdtci*
4$ Ptriu
iihwPOS
sys
II
Pharnaciv tico
Iturtai*
i* tuitcin.
Caixa Com agulha franceza a
Cabra com 100 enveloppes a.
Pecas de babados e entre-meios
a 500, 600, 700, 800 e. .
Pecas de fita de coz com 10 va-
ras a ........
Linha de marca, caixa com 16
novellosa......
Coques muito finos com rede, so
a rede val......
Frascos com santos muito finos
a.........
Latas com banha (familia), a
160 e......'. .
Carto com allinetes a .
Copo com opiata muito fino a
400 e.......
Cartas francezas a 200 e .
Ditas portuguezas a 120 e .
Caixa de linha do gaz branca 50
nevellos a......
Frasco com tinta a 100 e .
Frascos com banha a 320 e. .
Frascos com agua de Colonia
Piver a........
Pentes de travessa para cabello
de meninas, s a vista faz
f, a........
Laa para bordar, libra. .
Novello de linha grande com
400 jardas, S a vista faz
f a........
Pares de liga de borracha, para
pernas de senhora, muito
boas a .......
Franja branca para toalha vara
a.........
160 Resma de papel almaco, muito
500 boa fazenda, com 85 cader-
nos a........ 2(5800
i;5000 Caixa cem papel amisade a 700
.logo de visara a..... 400
500 Sapatinhos de 15a para meninos
a......... 320
240 Pecas de tranca e caracol a 40
Jabonetes de todas as qualida-
i500 des a 80. 100 e 200
Frascos cun oleo babosa a
1,5200 400 e....... 600
Placis para barba a. 200
200 Gaza........ 320
100 Frascos com agua de Colonia a
320. 400 e...... 500
500 Pentes com costas de metal 320
240 Carteira de marroquim a 400
160 Pentes pretos para tirar piolhos 200
I Escovas para cabello a 400,
600 i 500 e....... 600
160 Garrafa com agua divina a. li$500
400 Grvalas de seda de cor a 320
Ditas pretas a 400 e 500
li$000 Botcs de louca para camisas, a 160
Garrafa de tinta roxa a. 800
Lencos brancos para maos
320 a......... 240
6#80O Par de suspensorios para ho-
mens a....... 200
Espelbo de toucador a 2#>00
60 Frasco com cheiro muito fino
a......... 1000
Bandeja para copos a 400
60 Meias cruas para homens, boa
fazendaa 3#, 3,5600, 4 e. 4,5500
200 Vbotoaduras para rolletes a 320
As preparares ferruginosas liquidas tem desde mnitoi annos merecido a approvaelo
especial dos mdicos, porque ellas obrSo mais rpido e seguramente do que as pillas, e
sio mais fcilmente toleradas pelos doentcs. Os Pos ferro-manganicos possuem a inappre-
ciavel vantagem de poder offcrecer n'um instante urna agua ferruginosa gazeosa, de gosto
agradavel, mais activa do que as aguas mineraes, e contendo de mais um elemento precioso,
o Manganese, que sempre se acha ao sangue, junctamente com o ferro. EmpregSo-se em
todas as molestias que lem por causa o empobrecimento do sangue, assim como para vigorar
os temperamentos debis e lymphaticos. A Morte, as Peraas brancas, dores d'estomago,
a irregularidade da menstruac&o e amenorrhia ou suppressSo do menstruo, cedem rpida-
mente a seu emprego. Devemos mencionar aqut um facto notavel, isto que os doentes cura-
dos pela agua preparada com estes pos esto muito menos exposto a recadas do que
aqueiles que foro tratados pelas preparacbes ferruginosas ordinarias.
Deposito em Pernambuco, m casa de Mwmm O*.
TCSSES
emitimos
PASTILHAS PEITORAES
E LOURO GEREJO
rtt&&'&k'i.
IRMTftCOES
DO PEITO
E' este o mais novo e delicioso confeito at agora conhecido. Por isto tem adquirido r-
pidamente a popularidade de que goza. Os mdicos os mais distinctos o aconselho contra
as tosses, defluxos, catarrhoi, tosses convulsa!, catarrhos epidmicos, irritacoes do peito. Com
grande empenho o procurlo as mies de familia, assim para ellas como para as crianfas, pois
primeiro que tudo InofTensivo, e as suas propriedades adocantes nio deixto nada a desejar.
. Deposito em Pernambuco'em casa de Hainr O*.
^y, ."-/?./>. *#ycA
VERDADEIRAS
PILULAS de BUNCARD
COM IODURETO DO FEM INALTCRAVIL
'A.PPROVADAS PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARS, ETC.
* Possuindo u propriedades do loto et do forre, eonvem especialmente as Amccofis
escrofulosas, a Tsica no principio, a (raqueta de temperamento a tambera nos casos de
Falta de co, amf.norrhf.a, em que precisa mugir sorb o s augur soja para restituir
lhe a sua riqueza e abundencia normaes, ou para provocar a regular o seu curso peridico.
N. B. O icxlnrelo da (erro impnro oa alterado mm mediramento Infiel,
Irritante. Como prora de pnrexa do atheneidada du T*r4m4r\rmm r-
late* ala Blaaeard, dara-sa exigir nos aell* arate reactiva at
nosso firma, aurai reprodmida, qua ta acha na parla inferior da oa
roalo rarae. Deve-sa desconfiar du falsificacoi.
Aehaaa-aa rm todas ao aaaratrete*. PharmaeeuUee, ra Mi
TASSO IRMAOS
Tem para vender em seus rmateos, alm ao ou-
tros, os seguales artigos :
Papel para imprimir.
Perlina azul.
Greve paulado e liso.
Viudos em caixas de doze garrafas
Bourgogne.
Hery.
Madeira.
Hermitage.
Chamblis.
Licor de curaco do Hollanda em caucas de vin-
teequatrobotijinlias.
GESSO,
Nos armazens de Tasso Irmaos.
Grades de ferro
para jardins, porteiras etc.
Nos armazens de Tasso Irmaos
C A SI III \IIOS DE FERRO
Para servicos de grandes armazens, para remo-
ver barricas ou caix5es de um para outro, lado pelo
mdico preco de 12*000 cada um.
Familia de trigo de Trieste
Das melhoras marcas Panonia (verdadera) Fon-
tana c grande sortimento das memores mareas de
farinhas americanas.
Saceos de farinha de trigo do
Chile
Todas novas, chegadas ltimamente nos arma-
zens de Tasso Irmaos.
Cemento romano
Nos armazens de Tasso Irmaos.
Cemento hydraulico 12$
O melhor para tudo que sao obras para agua, co-
mo assentamento de canos de esgoto, algerozes, de-
posito, tanques d'agua, etc., etc.: em porcSes de
cincoento barricas se far reduccao no preco : nos
armazens de Tasso Irmaos.
Cemento Portland
0 verdadeiro cemento Portland em casa de Tasso
Irmaos.
Grades de ferro, cercas, por-
teiras, etc., etc.
De difTerentes qnalidades para cercados de ani-
maes, chiqueiros para galinhas ou jardins : nos ar-
mazens de Tasso Irmaos.
Barris com breu
Nos armazens de Tasso Irmaos.
CANOS DE BARRO
Na ra Nova de Santa Rita, na antiga fabrica de
sabao, ha para vender por preco o mais mdico
possivel, canos francezes para edificagoes e esgo-
tos de toda a qualidade, superiores a todos os que
aqu tem apparecido pela sua solidez.
PREQOS
1 400 por cano grande de 3 e meia pollegadas.
1 i200 por dito de 2 e tres quartos de dita.
13000 por dito de 2 e um qaarto de dita.
500 ris por pistoleta de 2 pollegadas.
Cotovellos, curvas e canos de maior grossura.a
vista se .ar o preco. Compras maiores de 200
tem 5 por cento de descont por prompto paga-
mento. Pde-so ver as amostras nos armazens
de Tasso Irmaos.
lijlos francezes
Para ladrilhar casas terreas comasseioe precos
mdicos, muito convenientes c proprios para ladri-
Ibos de cosirthas em sobrados, pelo scu asseio c
evitar a passagem de aguas para o andar inferior
e mesmo o pergo de fogo, aos precos de 30$000 a
loSOOO o milheiro : na ra Nova de Santa Hita, na
antiga fabrica de sabao, e compras maiores de 200i
se far 5 por cento de descont por prompto paga-
mento. Podem-se ver as amostras nos armazens
de Tasso Irmaos.
Velas de esparmacete verdadeiras para lan-
ternas de carros: noarmazem de Tasso Irmaos.
Vinho do Porto fino superior: no armazem
de Tasso Irmaos.
0 melhor cognac Gauthier Freres: no arma-
zem de Tasso Irmaos.
Esteiras da India
Af Tini,TiTir,iriC em todas as partes do mundo, empregam, com o maior xito,
\JO 3111jL/1LUO) o phosphato de ferro soluvel de Lbras, para curar a chlorosis
(cores paludas), as dores do estomago, e a exhaustacio de sangue; com esta preparacio, dio
ao corpo o vigor, e as carnes, a sua firmeza natural; facilitam o desenvolvimento lio labo-
rioso da puberdade. Com effeito, tudo, n'tate medicamento, se acha reunido para lhe
assegurar o maior crdito, pois que entram, na sua composioo, os elementos dos ossos e
do sangue. 0 seu autor, M. Leras, doulor em sciencias, pharmaceuco, professor de
chymica, inspector da Academia, foi, recentemente, condecorado da ordem da LegiSo de
Honra, digna recompensa dos seus importante:, trabalhos.
As seguintes apreciacSes dos mais celebres mdicos anda vem corroborar e justificar
todos estes ttulos confianca publica :
c Precisa classificar o phosphato de ferro soluvel entre os ferruginosos rne melhor
eonvem aos deentes enjos org3es digestivos supportam mal as preparacSes de ferro. >
SOUBEIRAN, professor na Escola de medicina e de pharmacia.
0 phosphato de ferro soluvel em quanto a mim, a melhor das preparacSes ferrugi-
a nosas, e o seu emprego di os mais promptos e seguros resultados.
ARAN, medico do hospital Sainte-Eugnie.
A forma liquida do phosphato de ferro soluvel d-lhe urna immensa vantagem sobre
a as pilulas; eu considero este medicamento como mu superior s preparaedes iodadas.
ARNAL, medico de S. M.o Imperador.
Entre todos os ferruginosos, nlo conhecemos um sd que obre lio prompta e efneazmente
c como o phosphato de ferro soluvel, e isso, sem cansar o estomago.
BELLOC, BAUME, BIGOT, FOLLET e PRVOST, mdicos dos hospitaet.
Os effeitos da prepafteio de phosphato de ferro soluvel me parecem ser mui seguro
e promptos. BEBOUT, redactor em chefe do Bullelin thrapeutique.
Entre todas as preparacoes ferruginosas, o phosphato de ferro soluvel foi a que sempre
me deo os melhores e mais satisfactorios resultados. GU1BOUT, medico dos hospitaet.
0 phosphato de ferro soluvel tem, sobretodo, a vantagem de evitar a constipacio
convir aos temperamentos delicados. Dr FAVROT.
Deposito em Pernambuco, em casa de Maurer a O*.
OLEO DE HOGG
DD
Figados frescos de bacaHio
Para (ira certa de phtisica, affecefies escrofu-
losas, jossechronica, fraqueza dos membros e de-
bldade geral, recommenda-se a excellencia deste
oleo ainda por ser agradavel no paladar.
VENDE-SE
NA
Pariuacia e drogara
DE
BARTHOLOMEU& C.
34 = Ra larga do Rosario = 34
CAPSULAS MOLES
DE
ALCATRAO
Remedio por excellencia para cura rapi-
'lae completa das coqueluches, bronchites,
atarrhos, tosses convulsivas, escarros san-
guinos, e outras molestias do peito.
NA
PHARMACIA E DROGARA
DB
Bartholomeu 4 C.
i 34RA LARGA DO ROSARIO34
MM.t.
Em casa de Tasso Irmaos vende-so esteiras da
India de diversos padroes e larguras, por preco
commodo.
A NOVA ESPERABA
21= Ra do Queimado = 21
E para presentes
A Nova Esperanca, ra do Queimado
n. 21 tem um variado sortimento de objeo
tos de gosto e phantasia proprios para pre
sen/es, sobresalndo entre elles ricas caixi*
nhas de bano com finas perfumaras, coa-
tureiros de chagrn, agulbeiros de madre
perola : assim, pois, quem quizer fazer urna
linda offerta, dirigir-se Nova Esperanca,
ra do Queimado n. 21.
Collares anodinos elleclro-magnett
eos contra as convulces das
cr caneas.
Nao resta a menor duvida, de que muito
collares se vendem por ahi intitulados o
verdadeiros de Royer, e eis porqae muitoi
pais de familias nao creem (comprando-oi;
no effeito promettido, o que s pdem dar,
os verdadeiros ; a Nova Esperanca, porm
que detesta a falsificafo principalmente no
que respeita ao bem estar da humanidade,
fez urna encommenda directa destes collares
e garante aos pas de familia, que sSo o
verdadeiros de Royer, que a lantas crean-
Cas tem salvado do trrivel ineommodo de
convulces, assim pois preciso, que ve-
nliam a Nova Esperanca a ra do Queimado
n. 21 comprarem o salva vida, para seo
filhinhos, antes que estes sejam acommetti-
dos do trrivel mal, quando ento ser di-
fiicil alcancar-se o effeito desejado, embora
sejam empregados os verdadeiros coarea
de Royer.
Para extinguir as sardas e
panno
Recebeu a Nova Esperanca, rea do
Queimado n. 21, leite de rosas, especia;
para extinguir sardas e pannos.
BONECA DE CERA
A N("'a Esperanca a ra do Queimado n.
21, acaf> de receber um completo sorti-
mento de finas bonecas de cera de diver-
sos lmannos, sendo as maiores do com-
primento d'um corado ; estas bonecas tra-
zem bonitos coques e botinas, havendo en-
tre ellas algumas que fallam e outras que
choram de sorte que fcilmente podem ser
preparadas, e fazer-se um presente de omita
acceitaco.
Finas caixas de tartaruga para rap wn-
dem-se a ra do Queimado n. 21 na leja
da Nova Esperanca.
Modernos brincos de sndalo, s se e-
contraro na Nova Esperanca a ra do
Queimado n. 21.
MEIAS DE LA
A Nova Esperanca a ra do Queimado n.
21, acaba' de receber um especial sortimen-
to de meias de la para homem e senhora
CONTRA AS CONGESTES
mal trrivel a congesto fulminante,:
de repente leva um individo, d'esta par
milhor vida, sem dar-lhe tempo de receber
conversa medica; deixando as mais da
veses mulher e filhos no mais amargurado
pranto ; a Nova Esperanca que deseja pres-
tar servicos recorreu a.Vojer, o qual lhe
mandou anneis elctricos magnticos, como
o nico preservativo para seaielhante mal
eKes antes que se acabem : n Nova Espe-'
ranea*
NAVALHAS
A Nova Esperanca a ra do Queimado
n. 21 recebeu um sortimento de navalhas,
de qualidades, e tamanhos especiaes assim
como afiadores e massas para as mesmas.
Maearthy
AO BAZAR DA MODA
Ra Nova n. 50, esquina da ra de S. Amaro.
NOVIDADES
Para senhoras.
COQUES da ultima moda, enfeitados e lisos, gran-
de sortimento.
CHAPELI.NAS de palha da Italia, guarnecidas com
delicados e elegantes enfeites brancos e de cores
CHAPEUSINHOS e gorras de velludo e de pennas
(alta novidada !) de palha da Italia, a emtiacao,
especial sortimento.
CINTOS de cores e pretos, rico sortimenio a ulti-
ma moda.
CAMISAS bordadas porcommodos precos.
LENCOS bordados e com letras, novidade neste
genero
LEQUES a emitacao de marflm, gosto novo e de
sndalo.
GOLINHAS e punhos, a emitacao de guipure.
ENFEITES pretos c de cores para cabeca, lindo?
moldp<.^
GHARNl^AO alta novidade I a Marte Rose, lti-
mamente usada em Pars.
CORPINHOS de guipure brancos e pretos lindos
moil r
BORNOUS de laa e seda, tres claras, elegante
moda em Pars. *
GRINALDAS de flores finas
ESPARTILHOS superiores.
MEIAS supeiiores de fio de Escocia.
LUVAS de pelca chegadas pelo ultimo vapor
ADERECOS de coral verdadeiro e camafeo i
delicado. '
DE PALHA
Gl'ARNICES para vestidos.
TRANCAS para enfeites de coques.
BOTOBS lisos e com pingeotes para vestidos.
CINTOS alta novidade.
gosto
FLORES finas, grande sortimento.
GRINALDAS de ditas para coques.
LAGOS, llvelas, penachos para enfeites.
Para homens.
deli-
CAMISAS com peitos, colarinhos e punhos
nho llao, lisos e bordados, moda,
COLARINHOS de linho e algodao.
PUNHOS de ditos.
GRAVATAS de todas as qualidades.
BOTES para punhos e guarncoes para coletes.
CORRENTES de plaqu a emitajo do ouro, lin-
do g09t0.
CHAPEOS de pello de seda, forma a Rotchil, qua-
lidade superior.
CHAPEOS de seda, para sol.
MEIAS de superior qualidade.
BENGALINHAS finase chicotes.
LUNETAS aro de acn e tarturaga.
Para crlancas.
VESTUARIOS completos para haptisados.
SAPATINHOS de merino e setim enfeitados.
MEIAS de seda e fio de Escocia.
CHAPEUSINHOS de palha da Italia.
TOUCAS de fil e setim enfeitadas e de chroch.
BUNECAS vestidas, muito bonitas e diversos
brinquedos.
Perfamarlas Haas.
AGUA FLORIDA verdadera de Murray 4 Lan-
man New-York.
TNICO oriental, verdadeiro.
AGUA DIVINA de E. Coudray e superior agua e
essencia de Colonia.
ESTRATOS e essencias finas e de agradaveis aro-
mas para o lenco.
VINAGRES aromtico? para toilet.
POS DE ARROZ para amaciar a pelle; em pacc-
tes e ricas caixnhas com arminho.
POS superior para limpar os dentes.
COSMETTQUES de fina qualidade.
SABONETES, grande sortimento deste genero e
de superior qualidade.
LEOS de philocome, babosa e antiques.
BANHA fina para os cabellos.
AGUA de flores de laranja.
CREME de sabao para barba.
Caijaa preparadas com perfumaras finas.
nindezas finas.
SUPERIORES filas de grosdenaples de todas as
cores e larguras de veludo preto e de cores, e
gurguro para cintos.
BABADINHOS e ntremelos bordados.
GUABNICES de seda de cores para enfeites de
vestidos.
TRANCAS pretas com vidrilhos e pingentes.
BOTES de cores, brancos e pretos com vidrilhos
lisos e com pingantes.
DEDAES de mad> aperla, de marflm, de co e
metal.
THESOURAS finas para costura e unhas.
CAIVETES finos cora quatro folhas. E muitos
outros artigos de miudezas que se terna enta-
donho menciona-los.
fuo se vende por presos bastante commodos.
DO
GALLO VIGILANTE
llua do Crespo n. 9
Os propietarios deste bem conhecido cslabele-
cimento, alm dos muitos oujectos u.ue tinham ex-
postos a aureciacao do respeitavel publico, man-
daran vir e aoabam de receber pelo ultimo vapor
da Europa um aimplato e variado sortimento de
linas e mui delicadas especialidades) as quaes es-
tao resolvaos a vender, como de seu custume,
por pregos muito baratinhos e commodos para to-
dos, com tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, bran-
cas e de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas gollnhas e punhos para se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tarlaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfeites para caberas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas c de cores com vidri-
lhos e sem elles; esta fazenda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de madrepcrola,
marfil, sndalo e osso, sendo aquelles brancos
com lindos desenhos, e estes protos. "
Muito superiores meias lio de Escossia par se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 3XH)
a (lii7.a, entretanto que nos as vendemos por 305,
alm destas, temos tambem grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas.
Boas bengalas de superior canna da India e
casto de marflm com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de methor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
auantidade de outras qualidades, como sejam, ma-
eira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicofinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marflm e tartaruga para fazer
barba; sao muito boas, e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vei tam-
bem asseguramos sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para erox.
Linna muito boa de peso, frouxa, para eneber
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para voltarete, assim
como os lentos para o mesmo flm.
Grande c variado sortimento das melhores per-
fumarias e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsoes, e
facilitam a denticao das innocentes mancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, adra de que nunca faltem no mercado,
como j tem acontecido, assim pois poda/ao aquel-
les que delles precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontrarao destes verda-
deiros cofia res, e os quaes attendendo-se ao fim
Sara que sao applcados, se venderao com um mui
minuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos objectos que dexamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
Capsulas de Baquim
Os bons effeitos destas capsulas para fazer ees-
sar os gonorrheas acham-se comprovadas pelas
experiencias de muitos annos.
Os mdicos de todos os paizes as recommendam
pela sua efflcacia.
VENDE-SE
NA
Pharmacia e drogara
DB
BARTHOLOMEU & C.
Ru34a larga do Rosario**
Machinas de descarocar algodao.
Hoje que est reconhecido que as machinas de
serrote prejudicam e quebrara a fibra do algodao,
-preciso recorrer a machinismo menos spero,
!|ue produzindo o mesmo servico que aquellas, e
acilidade no trabalho, nao quebrem a fibra da laa,
para que essa possa obter-nos mercados europeos,
a differenca que ha entre o algodao descarocado
por aquellas mencionadas machinas, que estao fi-
candoemdesuzo,pelo prejuizo que tem causado,
e o da antiga bokandeira, que nao poda competir
pela morosidade de seu traba!i. E" assim que
estas machinas se tornam as mais proprias para o
nosso algodao, porque ao par da fcil idade e
promptidao conserva a Hbra da Ka, que limpa por
ella, e qualificada na Europa a |ar da melhor bo-
landeira, valendi*- assim entre rO arrobas 20 0/0
mais do que a laa limpa pela machina de serrote.
Estas machinas nao sao novas, pois que ha muito
estao adoptadas no Egypto, aonde as de serrote
foram inteiramente abandonadas, e por isso o algo-
dao daquella procedencia, sendo da qualidade do
da nossa provincia, obtem hoje de 10 arrobas 20
0/0 mais do que o nosso : vendem-se a 150*000
nos armazens de Tasso Irmao?.
Oleo de amendoas
Em caixas de 8 latas, cada caixa 100 libras:
nos armazens de Tasso^lrmaos.
Charutos da Havana.
Excellentes charutos da Havana e por baratsi-
mo preco : em casa de Tasso Irmaos, ra do
Amorim n. 35.
EIVAL sem segundo
Ra do Queimado n. 49, loja de miudezas de
Jos de Azevedo Maia 6 Silva, tem para vender os
artigos abaixo declaradas, tudo bom e bapatiesi-
mo, que sao para acabar.
Duzia de sabonetes mnito finos a 700 rs.
Pares de sapatos de tapete para homcm a 1*5280.
Ditos de tranca para creanca a if.
Trsmoia do I>orto, bordada, a melhor a 200 rs.
Dita do Porto liza, da melhor qualidade a 100, 120,
160 e 200 rs.
Resma de papel almaco, lizo superior a 3{5200.
Dita de papel almaco pautado a 4.
Livro de missoes abreviadas a 2*.
Cartilhas com toda a doutrina e muitas resas a
320 rs.
Silabarios portuguezes com estampas a 320 rs.
Baralhos francezes muito finos a 200 e 240 rs.
Sabao inglez superior qualidade a 500 e 15.
Gravatas pretas e de cores muito finas a 500 rs.
Duzia de meias para senhora, fazenda fina a 4$.
Redes pretas lisas para segurar cabello a 320 rs.
Varas de transa de seda de todas as cores a 600 rs.
Pares de brincos dourados com maozinha e po-
dras a 320 rs.
Candes com corchetes de duas ordens e sao de la-
ti a 80 rs.
Abotnaduras de vdro para coleto muito finas a
120,240 e 400 rs.
Pares de botoes dourados para punhos a 160 rs.
Caixas de pennas de aoo muito finas a 240, 320 e
500 rs.
Cartees com duzentas -jardas de linha do fabri-
cante Alexandre a 100 rs.
Caixas de pennas de acn, a verdadera penna a
1*200.
Carriteis de linha Alexandre ns. 70,80, 100 at
200 a 100 rs.
Caixas com superiores obreias de massa a 40 rs.
Carriteis com duas oitavas de retroz preto a 500 rs
Duzias de agulhas para machinas a 25.
Libras de pregos francezes de todos os tamanhos
a240rs,
Livrosescripturados para rol de roupa a 120 rs.
Caixas com papel amisade muito fino a 700 rs.
Caixas com cem envelopes da nelhoi qualidade a
600 rs.
Talheres para meninos mulo boa fazenda a
240 rs.
Cemento de Portland.
Vende-se no armazem de Vicente Ferreira
Costa 4 Filho, amada Madre de Dos n. 22,
barris grandes.
li
Vendem Augusto
Commercio, n. 42.
F. de Oliveira & C. ra do
Para familias
Crande Bazar, rna NoTa ns. 8O o
99, de Carnelro Ylanna dt c.
Acaba de chegar a este estabelecimeoto
grande porcSo de machina para costuras do
autor Wheeier Wilson, approvadas na ulti-
ma exposico de Pars, as- quaes cozem com
dous pospontos toda a costura, e tem a
vantagem de ser to suave o movimento.
que qualquer Grianca de oito annos fcil-
mente trabalha, e pode, com este entrete-
nimento, levar vantagem ao servico diario-
de trinta cosireiras. A coraprehensao fr
simples, pois em um quarto de bora se fi-
ca senhor du movimento da machina, ten-
do a mesma a propriedade de fazer as se-
guintes costuras: pospontar, abainhar,
iVaiizii-, marear e bordar, como apresentam
os desenhos que acompanham-nas. Os pro-
prietarios do estabelecimento se encarrs-
gam de mandar ensinar n'esta cidade, e
garantem estregar o importe dispendido ao
comprador, no caso de nao trabalhar eom
perfeic5o a machina >endida, nSo tendo,
porm, sofTrido ella algama avaria. Ha tam-
bem no mesmo estabelecimento machinas
do autor Grower & Baker, do trabalho sim-
plesmente m3o, e outras com movimento
dos ps; e mxime todos os pertenees daa
mesmas machinas, para vender avulse.
Tintura japonea
Instantnea para tingir os caberlos e a
barba, a 1(5000 o frasco.
E' a nica approvada e recommendada
por ter sido reconhecida superior a toda*
as tinturas d'este genero.
venda em casa de Gustavo Hervelin a.
51. ra da Cadeia n. 51.
GAZ GAZ GAZ
Chegou ao antigo deposito de Henry Forster *
C, ra do Imperador, um carregamente de gai
de primeira qualidade; o qual se vende em partidas
e a retalho por menos preco do que em outra qual-
quer parte.
FUNDICAO DO BOWMAN
Una do Bran n. t.
Machinas de vapor.
Rodas d'agoa.
Moendas de canna.
Taixos de ferro, batidor fundid*
Rodas dentadas, para moer
vapor e animaes.
Alambiques de ferro.
Formas para purgar a5 t
E outros muitos objectos, etc. etc., pro*
prios para agricultura.
com agoa.
Manteiga
No largo do Carmo n. 1 vende-se superior man
teiw ingiera em latas del el libras, pelo pros*
de 1*300 a libra.
i


Diario de Pernambuco Qunita feira 8 de Abril de 1869.
GRANDE LIQUIDACAO
A DINHEIRQ NA LOJA E ARMAZEM
8(>aaa aa ma psaavaassi qo
Flix Pereira da Silva, successor de Gama
& Silva
O proprietario d'este estabelecimento convida ao respeitavol publico desta ca-
pital a vir surtir-se no grande estabelecimonto que tem de fazendas, tanto da moda como
de lei, e as pessoas que negociam em pequea escalla, tanto da praca como do matto-
nesta casa podero fazer os seus sortimemos em pequeas e grandes porces, venoen-
do-se-lhes pelos precos que se compram i.as casas ingleaas ; assim como as exoellenUs,
simas familias, podero mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou mandare-
mos levar em suas casas pelos nossos caixeiros, para o que acha-se este estabelecimen-
W aberto constantemente desde s 6 horas da manhaa s 9 da noute.
O atoalhado do Pavao. AS CAMBRAIAS DO PAVO
Vende-9e superior atoalhado de algoao Vendem-se finissimas pecas do cambraias
com 8 palmos de largura, adamascado a lizas transparentes tanto inglezas como suis-
20200 vara; dito de linho fazendamuito
superior a 30200 a vara ; guardanapos de
linho adamascados a 45500 a duzia e milito
finos a 8i$000, e ditos econmicos a 3>0
a duzia.
Fnstes para vestidos brancoi
aG4.
Vendem-se os mais modernos fustes bran-
cos flexiveis com padroes de li&as e e
lpicos praprios para vestidos e roupas de
menino a 640 rs. o covado, na loja e arma-
zem do Pavao ra da Imperatrizn. 60, de
Flix Pereira da Silva.
Grosdenaples
Chegou para a loja do Pavo pelo ultimo
Tarpor ura grande sortimento dos memores;
grosdenaples pretos e de cores, tendo verdf
tambera, que se vendem mais barato que
em outra qualquer parto.
BABADINHOS
Vendem-se inissimos babadinhos, tiras
bordadas e entremeios, mais baratos do que
em oatra qualquer parte, assim como espar-
lhos dos mais modernos, no armazem de
Flix Pereira da Silva, ra da Imperatriz
n. 60.
ALTA NOVIDADE
A LOJA DO PAVAO
GurgurSo de seda
Chegaram pelo ultimo vapor os mais bo-
nitos gurguroes de seda, proprios para ves-
tidos, sendo lisos e lavradinhos, com muito
lustro, garantindo-se que a fazenda mais
anda e de mais phantasia que este anno tem
chegado a este mercado, e vende-se por
preco muito razoavel, na ra da Imperatriz
o. 60, de Flix Pereira da Silva.
CAMBRAIA BRANCA A 35500.
Vende-se pecas de cambraia branca
transparente, com 8 e meia varas pelo ba-
rato preco de 3-5500, ditas muito finas tanto
tapadas comotransparentes 46500, 50000,
65500, 75000 e 85000, assim como organ-
sas tendo mais de vara de largura, pelos
precos de 5)51000 at 10*000 a peca, assim
como finisswnos organdys branco liso que
serve para vestidos de bailes, por ser muito
transparente a 10000, a vara, na loja do
Pav3o ra da Imperatriz n. 60, de Flix Pe-
reira da Silva.
Alpacas lavrxdas
Chegaram pelo ultimo vapor as mais mo-
dernas alpacas lavradas com as mais luidas
cores, o,ue se vendem a 10000, o cavado,
ditas (isas tendo tambera cor de canna a
800 rs, ditas mescladas muito finas a 1:200,
o covado, e outras muitas fazendas de gosto
e moda que se vendem mais barato do
que em outra qualquer parte, no armazem
do Pavo, ra da Imperatriz n. 60. 4e Flix
Pereira da Silva.
Roupas para homem
Vendem-se superiores palitts de panno
sobrecasacos forrados de alpaca e camisas inglezas e francezas eom os peitos
de esguio, ceroulas francezas de linho e al-
godao, meias cruas inglezas superiores, ca-
misas de flanella e de meia de la, assim
como neste estabelecimento existe ura grande
sortimento de pannos pretos, e de casemiras
inglezas de cores, e que se manda fazer
qualquer obra a contento dos Srs. fregue-
zes, e promette-se-lhes que serlo servidos
com a maior promptido e muito mais ba-
rato do que em outra qualquer parte
na ra da Imperatriz n. 60,de Flix Perei-
ra da Silva.
Cortinados
Para camas e janellas.
Vende-se um grande sortimento dos me-
lhores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se ven-
dem a 125000 rs. cada par at 255000 rs,
isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
6 ~
di mito"no tanto lizo, como de listas e Cretone para lenqes
quadros na loja e annazem do Pavlo ra
da Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da
Silva.
ALPACAS LAVRADAS PARA LCTO.
Vende-se na loja do Pavo, as mais mo-
dernas alpacas lavradas para lucto, sendo
muitolargasepelo barato preco de800rs. o
aovado, s na loja e armazem do Pavlo, ra
da Imperatriz n. 60 do Flix Pereira da
Silva.
Cassas Inglezas a I -I o rs o metro
Vende-se urna grande poivo de bonitas I =.,.
:assas inglezas tanto graudascomo miudi- MOCAMBIQUE PARA VESTIDO A 500 RS
nhas e de cores fixas pelo barato preco de Chegou para a loja do Pavlo um elegante
440 rs. ometro,gai-Bntindo-se que 7 metros, sortimento dos mais bonitos mocambiques
lio um vestido para qualquer Sra. s na
oja do Pavlo ra da Imperatriz n. 60 de
Flix Pereira da Silva.
Bareges a 400 rs.
SO na loja do Pavo
com 10
palmos de largura a 2$,
Acaba de chegar esta nova e excellente
fazenda branca propria para lencoes de um
s panno, garantindo-se que um metro e
urna quarta ou um metro e meio d um
excellente lencol de um s panno, assim
como esta boa fazenda tambem muito
propria para toalhas de meza, rosto ele. e
outros mysteres e vende-se pelo baratissi-
mo preco de 25 cada metro.
ROUPAS FEITAS
Na loja do Leao da porta larga
a DE x
PAREDES PORTO.
Ra da Imperatriz u. 52, junto aloja deourives.
N'este estabelecimento se encontrar ra da Imperatriz n. 52, loja do Paredes
sempre um completo sortimento de roupas Porto.
feitas de todas as qualidades. Como se- Neste estabelecimento encontrar o respei-
jara: paletots de alpaca, de merino, de tavel publico um complato sortimento de
casemira, bombains de panno preto, fra- fazendas e roupas que. se vende pelos pre-
ques e sobrecasacos de brins de crese eos seguintes:
pardos. FAZENDAS BRANCAS,
CAMISAS E SIROULAS. I Madapolao de diversas qualidades e pre-
Encontrar sempre o respeitavel publico eos commodos, cambraia de 30500 411500
um bonito sortimento de todos os nmeros, e H, ditas victosias deSfioOOa 120, pecas
MEIAS CRUAS. de cassa liza o mais fino que ha no merca*
Sortimento de todas as qualidades, de do a 9#, 100, 120. com 12 varas, e vara
30 a 50, assim como tambem sortimento de largura
de lencos de linho brancos e com barras SEDAS DE LISTRAS.
de cor, chinezes, bonitas gravatas pretas e ftecebeu-se um bonito sortimento d'esta
de cores. Ra da Imperatriz u. 52, por- fazenda que se vende a 20500 o covado. .
ta larga. CHITAS.
PARA ACABAR, Vende-se chitas escuras a 280, 300, e
Urna grande porc5o de calcas ordinarias 320 rs. o covado.
para trabalho a 6*0 e 800 rs. cada um par, GUARDANAPOS
pechincha na loja do Lelo junto a loja de Vende-se esta fazenda de linho, fazenda
ourives. boa a 40000 e 410000 a duzia.
GRANDE PECHINCHA, MEIAS PARA HOMEM
Cassas he cores a 160 rs. o covado, na
160 RES O COVADO
Chita preta pelo barate preco de ICO o
covado na ra da Imperatriz n. 52 na loja
que tem um Lelo pintado.
PANNO DE LINHO
Paredes Porto recebeu um sortimento da
pannos de linho, com 27 varas a peca e
170000 e 180000, na ra da Imperatrizn.
52,junto a loja de ourives de porta larga.de
Paredes Porto.
LENCOS DE LINHO
Vende-se lencos brancos de linho a 30,
a duzia para acabar na loja de Paredes Por-
to. Ra da Imperatriz n. 52 loja da porta
Sortimento de meias inglezas para ho-
mem a 40800 50800 e 60800 fazenda boa.
THOALHAS
Sortimento de toalhas de pelucia a 110
a duzia.
LENCOS BRANCOS a 20200
Para acabar lencos de algodlo a 20200
a duzia,
20000
Vara de bramante de linho superior e
tem 10 palmos de largo.
CALCAS E COLETES.
Tem sempre no mesmo sentido um sor-
larga que tem ura Lelo pintado.de Paredes tmente completo a preco commodo.
Porto. l- ...
No armazem do Lelo, ra da Imperatriz n. e 52, junto a loja de ourives.
proprios para vestidos com as cores mais
modernas e que se vendem pelo barato
preco de 500 rs. o covado.
ALPACAO DE CORDOPARA VESTIDO A 13
Chegou esla nova fazenda com o nome
: de alpaclo, sendo de cordlo e
preco de um cruzado cada um covado, umeamen-
e na loja e armazem do Pavao, ra da Iuipcra-
riz n. 60, de Flix Pereira da Silva.
COLCHAS PARA CAMA A 50000.
Vendem-se colchas de fustlo adamasca-
das para cama, pelo barate preco de 50,
grande pechincha, na loja e armazem do
Pavlo, ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
COBERTOttES INfiLEZES A 40, 40500 E 50.
Vendem-se os verdadeiros cobertores
nglezes, de pura la, pelo barato preco
de 40, 40500 e 50, assim como colchas de
fustlo de cores, pelo barato preco de 30. na
toja e armazem do Pavlo. ra da Impera-
triz n. 60. De Flix Pereira da Silva.
Madapolao enfestado a 85500
Vende-se superior madapolao enfestado,
sendo muito eucorpado, para carnizas, e
tendo cada peca 24 jardas, pelo baratissi-
mo preco de 80500, na loja e armazem do
Pavlo, ra da Imperatriz n. 60. De Flix
Pereira da Silva.
CHAPEUMS
ULTIMA MODA
Chegaram para a loja do Pavlo as
ll-RUA DO QUEINADO--11
DE
AUGUSTO PORTO & C.
Receberam superiores vestidos de blond com manta e capella para noivas, que
vendem-se por precos mais mdicos do que em qualquer outra parte.
S MUDAS DE BAILEde cachemira branca ede cores o que ha de mais lindo.
BASQUINESde renda preta, e de gorgorito preto, o que ha de mais
pipera ntG
CHAPEOS DE SOLpara senhoras delicadamente bordados.
BALOESbrancos de cores para senhoras e meninas, espartilhos, saias bor-
dadas, e saias de lia com barras de cor. ______mliro,n
GORGUROde seda branco e preto para vestidos, sedas de cores, moirean-
tique branco, e grosdenaple branco, de cores e preto, princezas, bombazinas pretas,
alpacas de muitas cores, e lindos cortinados bordados.
CAMIZASd* linlio para lioraem de diversas qualidades, camisas bordadas
para noivos, sobretodo* capas de borracha brancas e pretas, bnm de cores e branco,
Danos finos e casemiras pretas c de cor por commodos precos.
TAPETESgrandes e pequeos para sof e cama, tapete e alcatifas em pecas
para sallas," e continuara sempre a vender p-r mdicos precos as esteibas da india para
SALLAS.
EFFICACIA
DO
XAROPE DE RBANO IODADO
com mdis
Se vendem a* mais bonitas baregesranaparm-1 j d j com as mas Iin-jas
es, propnas para vestidos com listnnhas a imita-1 '' "*- 4" "H- > nioc
-ao de listras de seda, e vendem-se pelo barato i cores, como seiam Bismark, ljno, perolas,
roxo, cor de eanna, magenta etc. e vnde-
se pelo baratissimo preco de l& o covado.
ESGlAO DE LINHO DE 12 JARDAS A 10$.
Vende-se pecas de esguilo de linho, fa-
zenda superior, com 12 jardas cada peca, a
I05O0O.
ALTA NOVIDADE
A
Loja do Pavao.
GURGUROES PARA VESTIDOS A i 000.
0 COVADO.
Chegaram os mais modernos gurguroes
para vestidos, sendo de todas as cores, come
sejam verde, azul, rosa, bismark, perola.
rxo & tendo quasi quatro palmos de lar-
gura o vende-se pelo baratissimo preco
de 1-5000, cada covado nicamente no ar-
mazem de Flix Pereira da Silva, na ra da
Imperatriz n. 60.
RETALHOS PARA LUTO NA LOJA DO
PAVO.
Vende-se urna grande quantidade de re-
talhos d chitas e cassas pretas por preco
muito barato, e quanto maior for a porclo
que o fregu comprar, mais barato se lhe
vender na ruada imperatriz n. 60 de F-
lix Pereira da Silva.
Grosden.iples preto
Vende-se um grande sortimento dos me-
0 Xarope de Rbano iodado de Grimaalt e C", pharmaeeniicos de S. A. I. o principe
NapeleSo, em Pars, preparado com o uceo das plantas anli-escorbacas cuja emeacia
mni popular.
tanto lar-
ISmfm 83 como estreitos, sendo de 2&000 rs. o
covado at 4<5000 rs. garantindo-se que
mais
ricas e mais modernas cuapelinas rica-
mente enfeitadas, com enfeites e fitas de
setim e de todas as crese com ricos bicos
de blond e as mais lindas e finas flores,
vendendo se cada urna pelo barato preco de ,hores dena ,es t
155000, garantindo-se serem
bonitas do que outras que se
, t a~ pilniri nronrhs nara mnra p (me se venderaais barato do que em outra
murtas de pratinho. proprws para mocas e ^ da ImJeratrizDi 60t
meninas, isto na ra da Impeatnz n. 60 1 A Aac\va ^
,a do Pavo, de Pe,. Percra d, SUva.f *f ?B^LES DO PAVAO.
Vendem-se superiores bales america-
nos de trinta a quarenta arcos, tendo as fi-
tas bastante largas, sendo muito fcil trans-
forma-los para outro qualquer novo modelo,
e liquidam-se pelo barato preco de 25 cada
um, sendo fazenda que sempre se venden
a 70 e 84, isto na loja e armazem do Pa-
vlo, ra da Imperatriz n. 60. De Flix
Pereira da Silva.
As 9, Vendem-se a* verdadeiras cambraias
francezas, com lindos padres e cores fixas,
sendo tapadas e transparentes, pelo barato
preco de 500 rs. a vara, ou 300 rs. o co-
vado, sendo fazenda que ningnem vende
por menos de 7 ou 8 tustes, e liquidam-
se por este barato prefo, por se ter feito
orna avultada compra, na foja e annazem
do Pavlp, ra da Imperatriz n. 60. De
Fcx Pereia da Silva.
Encerra o iodo como combinacio orgnica, e considerado como o melbor snecedaneo
do oleo de figado de bacalbo.
A rara perfeicio d'este producto anima-nos a dar a conhecer aqni a opinilo de alguna
d'entre os prncipaes mdicos de Pars, qoe diariamente o prescrevem.
0 Xarope de Rbano iodado nm medicamento d'nm effeito snave e seguro para a
i medioicao dos meninos, nSo smente snppre o oleo de figado de bacalho, mas anda fax
i as suas vezes com vantagem.
D A. CAZENAVE, medico em ehefe do hospital Sainl-Louis, em Pars.
0 Xarope de Rbano iodado un medicamento de primeira ordem para o tratamento das
a affecc6es lympbaticas e escrofulosas. Muitas vezes, empreguei-o com feliz xito, em certos
a casos de tsica ao seu principie, como snecedaneo do oleo de figado de bacalho.
Dr A. CHARRIER, antigo chefe de ctnica daFaculdade de Pars.
0 Xarope de Rbano iodado sempre nos deo excellentes resultados como regenerador
do sangne, e snecedaneo do oleo de figad* de bacalho. > ...
D A. PAVROT, autor do Traite des maladtes des femtnes.
* 0 Xarope de Rbano iodado 6 um dos mais poderosos modificadores das constituieSes
lymphaticas. Tenho visto ulceras escrofulosas oue Bada podia curar, cicatrizarem-se,
gracas a sna aceto, eom promptido extraordinana. Tambem, pelo sen oso desepparecem
t as affeccoes tuberculosas dos ossos, nos meninos. ... ...
D' GUESNARl), antigo extemo dos hotpitaes de Pont.
0 Xarope de Rbano iodado possne todas as vantagens do oleo de figado de bacalhlo,
t sem ter nenhum dos inconvenientes que aprsenla este ultimo medicamento. .
D' GIJIBOUT, medico dos hospitaes. Presidente da Sociedade de medicina de Parts.
0 Xarope Al Rbano iodado de GrimanIt e C encerra M
composco orgnica anloga i que se acba no oleo de figado de bacalbo.
Dr KLETZ1NSKI, profeuor de chymica, louvado dos tribunaes de Vienna.
Deposito em Pernambuco, em easa de ataurcr C*.
O cordeiro previdente
Ra do Queimado n. 16.
Novo e variado sortimento de perfumaras
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, de que euectivamente est provida a
loja do Cordeiro Providente, olla acaba de
receber um outro sortimento que se torna
notavcl pea variedade de objectos, superiori-
dade, qualidades e commodidades de pic-
eos; assim, pois, oCk>rdeiroPrevidente pede
e espera continuar a merecer a apreciacSo
do respeitavel publico ein gerol e de sua
boa freguezia em particular, nao se afas-
tando elle de sua bem conhecida mansido
e barateza. Em dita loja encontraro os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira do Muiray A Lamman.
Dita de Cologne inglezs, americana, fran-
ceza, todas dos melhores e mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentrificia.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita, dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservarlo do
asseio da bocea.
JDosmetiques de superior qualidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente,
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos e
francezes em frascos simples e onfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel chei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finos e agradaveis.
Oleo philocome vcrdade.ro.
Extracto d'oleo de superior qualidade.
com escolhidos cheiros, em frascos de dif
ferentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menores
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
nas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papeleo igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaris finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
e boneca.
Especial p de arroz sem composicode
cheiro, epor isso o mais proprio para crian-
cas.
Opiata ingleza e francezapara dentes.
Pos de camphora e outras differentes
qualidades tambera para dentes.
. Tnico oriental deKemp.
Ainda mais coqnes.
Um outro sortimentos de coques de ne-
vos e bonitos moldes com filets de vidrilhos
e alguns d'elles ornados de flores e litas,
esto todos expostos apreciaco de quem
os pretenda comprar.
GOLLINIIAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeiro.
Flvellas e Dtas para ciatos.
Bello e variado sortimento de taes objec-
tos, ficando
prador.
FLORES FINAS
O que demelhor sepdeencontrarnesse
genero, sobresahindo os delicados ramos
orvalhados para coques.
Para Tlagem.
Bolsas de tapete e carteiras de couro, por
precos commodos.
Chapelinas de palha da Italia mui bem
enfeitadas, e enfeites de flores obra de bom
gosto.
E assim muitos outros objectos que se-
ro presentes a quem se dirigir dita loja
do Cordeiro Providente a ra do Queimado
n. 16.
ENFEITES DE PALHA PARA VESTIDOS,
CHAPEOS E COQUES.
O Cordeiro Providente ra do Queima-
do n. 16 acaba de receber um bello sorti-
nento de trancas de palha para enfeites de
vestidos, outras para chapeos, coques etc.
udo isto est sendo vendido com a sua bem
onhecida commodidade de precos.
ALEM DAQUELLES.
Recebeu outros lindos enfeites de seda
ara vestidos ; assim como um variado sor-
iment de galles de la, babadinhos de
ambraia com bordados de cores, cuja va-
iedade de gestos os tornam recommenda-
los e apreciados ; compareco pois os pre-
endentes que serao servidos a contento.
,TO BEM RECEBEU.
Novo provimento de bicos e rendas de
uepure.
LUVAS DE PELLICA.
De todas as cores tanto para hornen*
orno para senhoras, constantemente acbam-
pe a venda na loja do Cordeiro Previdente
' ra do Queimado n. 16. _________
Para encanameuto d'aga.
Canos de ferro, ditos cstanhados, ditos forrado?
le porcelana, todos oom as competentes torneiras.
curvas etc. : a ra do Queimado n. 31
5^s^
80FFRIMENTOS D'ESTOMAGO. CONSTIPAQAO.
Cura em poneos das pelo canvlo oe eCLLOC em po ou em pastillas.
ENXAQUECAS; NEVRALGIAS. fosMiffecSesSodt-
itpidas rpidamente pelas kmolas octnir itl'atUll.
ANEMIA, A PALLIOEZ e os aoffrimentoe qtte necessitamdt
emprego des ferruginosos saMempre combatidos com o melhor resultad*
pelas pilui as OE VALLET. Cada Pilula tem incravado o norae (1UIT.
PO DE ROG. Basta dssolTW um frasco d'este po em meto
gvrafa d'agua para se oUer urna limonada agradavel que purtra sem ia-
ser clicas.
VINHO OE QUINIUM de U$*rret*$. Este Tintio. um d
poueoc cuja composi(io garantida contunte, urna das melhores pro-
para,e de qniuiM, sem acejo aotaTel obre o* convalescentes, dando-
Ibes foreaa e apreasand* TOtta a sauda. Cura aa febrea antigs qua rs>
cUUo ao sulfato de ipoino.
MOLESTIAS DA BEXIGA. A autor parte d'esta. motos-
tas, cerno as sciaticas, lombagos, catarres, e tedas as doras oarrosas en
geral ato curadas pelas kmmU ot ESWNCi* OE them* ntina de
Dr. Clertan. 0 profeesor Trouaseau em san Tritio dt tiertpeuiic* acn*
alba u para serem tomadas na accasMo do jantar, na doae de ? i 1S.
OLEO OE FIGADO OE BACALHO OE BERTH.-
Gtranudo puro e de primeira quadade, nm dos poucos aprovados pela
academia de medicina.
AVISO. lodos etles medicamentos {nm aproimdee pela Academia
imperial de medicina de Parte.
Ht-Ja*etn.
Mam-
es Verle.
DuacscacLU;
Tueean.
sUaeaetO.
DEPOSITO
ratas, I*, rae J
Pememtm
Cerne.
Ra to Queimado n, 49 loja de
mitidezas de Jos de Azevedo
Mata e Silva conhcct'do por Jos
Bigodinho.
Est untando os objectos ahaixo declarados
pelo diminulu preco, a saber :
ig coin ugua de Colonia verdaden i i*r
Garrafas com agua Herida verd.idcira, que se ga-._
rante a I 200. .
Penles para regacar cabello do i'ie*tina> a m rs.
Thcsouras muito linas para uuhas e costuras a .
500 rs
Tinteiros clieios de tinta multo prela a 80, 100, 16C
e 400 rs.
Varas de franja branca de linho para toailias a ,
160 rs.
Coilas de phosplioros do segnranra a 20. 4'J ft
160 rs.
Navalbas de cabo de maifim e que se garante a
qualidade a 2.
Libra de laa pan bordar a 7.
Pec,as de lila branca clstica multo superior a 200
e 300 rs.
Novellos delinha branca com 400 jardas a60 rs.
Resmas de papel de MEO liso muito lino a SjSGft
Latas com superior banlia a 200 c 400 rs.
Caixas com seis frascos de cliuio muito fino a
800 rs.
Caixas irnmdoze frascos, fazend s bOa a 1J200
e 2*500.
Frascos com superior oleo filocomc a 500 rs.
Calunpas de sabao transparente muito bonito c fi-
no a 240 rs.
Duzia de paos de pomada do Reino, da melhor
qualidad.* a 240 rs.
Pecas de liras bordadas muito finas a 500,000 e
800 rs.
Dilas de babadinhos rom dez varas a C00 rs.
Carritcis de linha de tcda3 as cores, para acabar
a 20 rs.
Garrafas com agua divira a !300.
Fra-cos com superior macar perola a .'!50 rs.
Caixas de viilro com duze didacs, que s a caixa.
vale dinheiro a 200 rs.
Dilas de madeira com allinetes, o que ha de me-
lhor a 320 rs.
Grasas de botos de looea, Usos e bordados a
160 rs.
Caixas redondas para rap emittando tartaruga a
ItUOO.
Pecas de fita para eos da nalhor qualidade a
500 rs.
Eseovas para limpar denles, fazenda que s a vis-
ta i 240 rs.
Ditos para limpar unhas de superior qualidade a
500 rs.
Vergonteas de pinho para mastaros, vergas
e retrancas, todas de superior qualidade. Tintas-
Verde Paris, branco de tinco e preta, em latas de
14 e 28 libra*, j preparada-;, oleo de linhaea cm
barris: no armazem de deposito da companliia
Pernambncana, no largo da Assembl n. 10.
Vendom-se seis sacadas do cantara do Libv-
boa : quem as pretender dirija-se ;i ra do Quei-
mado, loja ii. 20.
a boa cscolha ao gosto do com-
.00$ de gratificado
.Fugio uo dia 11 de Janeiro do frrente anno,
do engenbo Ralatura, freguezia da Estada, o es-
cravo preto, crioulo, de 24annos de idade, cha-
mado Marcelino, que foi do Sr. Joao da Cunta
Pereira, cujo eseravo estovo no deposito geral, e
tem os signaes seguintes : alto, secco do coi ge
rosto muito marcado de bexigns, falta de dentt*
na frente, cor preta, sahio de chapeo do chile, pa-
letot e calca de castor, levando um bahuzinho
(landres cm mais roupa, e suppoe-se estar ira
freguezia do Cabo : quem o apprenendcr leve-e
ao dito engenho, ou ra da Senzala-nova n. 35,
escriptorio do Sr. Bernardino Pontual, que recV
ber a gratilieaejio cima.
Fugio do engenho Jacobina, comarca do Ci-
bo, ao amanhecer do dia 13 do coi rente Bfzi
anno, do abaixo assignado, um escrav preto de
nome Antonio, conhecido por Candea, idade de 26
a 30 ano s, pouco mais ou menos, alto, ps gros-
sos, tem urna das juntas do mesmo um pou(o
grossas, andar banzeiro, levando chapeo de felif
j usado, camisa de algodao azul e seroala de al-
godao americano, cujo eseravo veio de Buique pa-
ra Pao d'Alho, para onde se desconfa ter seguido
roga-se a quaiquer autoridade policial ou capita
de campo a captura do dito eseravo. levando a
engenho cima, cu a ra do Caldeireiro n. 42, ae
Sr. Francisco Quintino Rodrigues Esteres, que
ser generosamente gratificado.
Antonio Carneiro Lins e Mello.
Fugio de bordo dt palbabote nacional Ama-
ro, um mulato claro de nome Justino, estatura re-
gular, cbelos carapinhados c meies railes, pouca
barba, tem una pinta preta no canto do olho dirci-
to e um talho as costas ao mesmo lado,; levou
vestido camisa de chita com listas verdes, e. trsa
do urna cinta eom borla encarnada para apertai
a> calsas, natural de Sania Anna do Matto na
provincia do Rio Grande do Norte, para onde talvea
quoira ir, tambem muilo desembaraeado no fal-
lar. Recommenda-se aos meslres de barcada i.u
a qualquer pessoa que o agarrar, e levar a mi
do Trapiche n. 4 ou a bordo do referido navio que
ser generosamente gratificado.
(I
Fugio no dia 21 do presente mez de marco, do
engenho Craeuipe, freguezia de Agoa Preta, o es-
eravo de nome Joaquim, idade 2o aunes, criouh),
cor preta, estatura regular, testa grande, olho?
afumac^ados, dentes limado?, e tem os dedos pote-
gaes dos pos voltados para fra, sabio com cha-
peo de palha do Chile, levando um bah pequeo
de. folha de Flandres. Ha certeza de que o dito
eseravo seguio para a cidde do Recife, embar-
cando na estacao de Gan eleira en um dos trens
do caminho d ferro : quem o apprebender quei-
ra leva-lo ao mencionado engenho, a entregar a
seu senhor o tenenle-coronel Pedro Francisco de
Albuquerque, ou no Recife ao Sr. Antonio Jo^
Leal Reis, escriptorio rna da Cadeia n. 49, que
ser generosamente gratificado.
Barato que admira.
Manteiga ingleza flora I#400 a libra, dita fran-
ceza a 1J, cha miudo a 3#t00, dito graudo a 3-3.
caf a 220 rs., sabao a 180, alpista a 240, arroz a
100 rs., passas a 440, idem quartos eom 6 libras
por 2I2O0, vinho a 400 rs. a garrafa, azeite doce
de Lisboa a 900 rs., caixinhas com ameixas, pas-
sas, figos e pe as, proprias para mimosa l600,
latas com doce a 500 rs. : s na esquina da ru
da Penha n. 8.
XAROPE PEITORAL BRASIL
DE
POXTA DEE9IBAIBA
COMPOSTO E PREPARADO
Pelo pharmaeeutlco
Jos da Cruz Santos.
Esta planta cujas virtudes medicinaes
existiam desconhecidas para a maior parte
dos nossos facultativos, devendo-se a sua
descoberta ao uso que d'elle faziam os
nossos indgenas que raenoscabavam com
a sua applicacao de todos os soffnmento
pulmonares, hoje conhecido como o me-
dicamento mais efficaz para a cura de as-
thma, bronchite, coqueluche, penemonta.
e at a phtysica, produzindo um effeito mi-
lagroso e prompto. '
Para um adulto 3 4 colheres de sOpe
ao dia poro ou em cosimento peitoral.
Criancas, 3 4 comeres de cha.
Prec 2#)00 o frasco.
Pernambuco, ra Nova botica n. 51,
Vende-se um sitio on parte de sas trras
Junto as olarias dos Remedios e duas casas terreas
na ra dos Pescadores: a tratar na loja n. 46 da
ra do Queimado
Acha-se fgido desde domingo du entrudh o
moleque de nome Tito, com 21 annos de- idadt.
estatura regular, olhos afnmacados, eom todos ne
dentes, esperto e bem fallante, tem no estomaga
urna cicatriz de urna queimadura pequea, tem
um dedo da mao direita aleijado em consequenefa
de um pauan'eio ; e o p esquerdo mais grosso
do que o direito : quem opprehender leve o aos
Afogados, casa du )r. Jos Roberto de Moraes.e
Silva, que indicar a casa de seu senhor. que re-
compensar generosamente.
1
de gratificaco.
Ainda se arha fgida a escrava Mara Benedic-
ta, que foi do Sr. Claudio Duheux, e que ausen-
tou-se da casa de seu senhor ha dez mezes, cujos
ssrnaes sao os seguintes : cabra, magra, estelara
recular, rosto descarnado, cabellos carapinhos t
compridos, andar descantado, representa ter 40
annos ou pouco mais, e costuma fallar so quamft)
trabalha ou anda, tinba no seio c nos bracos sig-
naes pardacentos mui visiveis de impigens que
costumara appareeer-lhc. Ha todo motivo para
suppor que ella anda mesmo por esta cidade ou
seus arrabaldes. j'tendo sido vista de urna vea
na ra Nova com um pardo, e pela segunda vu
na praca da Boa-Vista. Da-se aquella gratiica-
co a quem apprebender dita escrava ou della der
noticias exactas na ra do Imperador ns. 3 e 32,
1" andar, e protcsta-se proceder criminalmente
contra quem a tiver em sua comnanhia. _____
Do engenho S. Francisco da Varzea fugio na
madrugada de 3 do corrente, Leoncio, mualo
claro, de 18 a iO annos, comecando a barbar, ca-
bellos solt, olhos grandes, estatura regular, gros-
so, robesto e bem feito, bons dentes, vagaroso no
andar, e farcola, carreiro. Do Besnn engenho
est fgido aesde julho do anno passado, Crescen-
cio, mulato, velho, de cabellos uros den-
les, andar cahido par diante, e tem os dedos
grandes dos ps mettidos para dentro ^entre-
gar no mesmo engenbo, ou na ru- de Apeno n- o
ao Sr, Francisco de A8 Bnto.
m


8
Diario de Pernambuco Quinta feira 8 de Abril de 1869.
I

LfITERATTOA.
\n \I ll< DO BOTICARIO
(CHRONICA BOMBSTICA
BECIFE, 7 DB AUL DE 1869.
Ja houve lempo em que o meu maior
desejo, a minh ambicio umca,era ser
miado provincial. .
Para mim um deputado provincial era o
,il ,la poltica encarnado n'um ente hu-
mano. Eu achava-o Ho gracioso Ilavia
:ta origiMlidade no lypo desse eleito das
er deputado provincial ou mor-
! Era o motte glorioso do meu escu-
do de guerra.
(.mu o andar dos tempos puz-me a reflaa-
Vr, e acbei superior do deputado pro-
vincial a posico d'um official da guarda
iijcional.
Nova ambiguo! repetida lula, novo e in-
saciavel desejo! Quem me inspirou tal
lauca, foi o typo marcial d'um rapaz
meu amigo da ra do Crespo, porta ban-
deira do batalho de Santo Antonio, n'uma
irada que houve por motivos de consti-
riigo do imperio,ha uns dez annos pas-
cados.
Abandonei fcilmente a nova aspirado.
Quiz ser desembargador, fazer nove caram-
bolas ao buhar sem tomar folego; quiz ser
cntregador de jornaes, advogado, dansari-
no, padre, moedeiro falso, cacador, poeta,
barithono, relojoeiro, empregado publico,
ministro de estrangeiros, director de cir-
ro, amanuense de secretaria, chefe de po-
licia, alfaiate etc ele etc.
O destino que lem o poder de a um s
Lomem dars qualdades de deputado, ca-
i unboleiro c at dansarino, nao me cedeu
a mira urna s dessas virtudes era sepa-
rado.
O que fazer ? A que expediente recor
i .; em caso tal ? Quiz suicidar-me mas o
piantasma do cemiteri i inglez fe/.-me recuar
trmulo e o fatdico revolver cahiu-me das
mitas sacrilegas...
Oh meus sonhos! oh minhas ambices
d'outr ora, porque vos evaporastes to ce-
do ?
Tentoi matlar-me de aborrecimento; mo-
la a que um negociante inglez do Reci-
fe d o nome de spleen :assisti a tres
sessoes da cmara municipal, li urna pagi-
na do O" Pestaa at o iim, devorei as
traduegocs poticas d Sr. Candiani, passei
urna noote na fortaleza do Brum, joguei
rotea com os seminaristas um dia inteiro,
decorci circulares, li o expediente do go-
verno.... e nada I Nao me era possivel
morrer de forma alguma. Consolei-me.
Hoje sinto pruridos insupportaveis na
ponta dos dedos. E'-me forgoso escrever,
escrever dia e noute, escrever a todo vapor,
escrever horrorosamente. E enlo I ? No
momento era que pelos jornaes da capital
o alplnbeto inteiro anda na ordem do dia,
desde o A at o W, na poca era que de
liatem-se questoes to importantes; em que
lodo o mundo pensa, vocifera, falla e rabi-
ra tmatkg&ra, grita, pula c pinto o padre
como se diz no senado; devo eu conser-
\.ir-me mudo e quedo ? eu, Procopio dos
Arredores, o Jernimo Paturot, o J. Pru-
dhommi da litteratara pernambucana ?
Decididamente (pensei entre parenthesis)
vou escrever alguma cousa digna de ser
archivada pela honrada posteridade.
Escrever o que ? Ce yit le lievreI como
diz Vctor Hugo. Hoc hoptts hic labor est
na phrase de Virgilio. Mi 4 que est o
famlisl como dizia meu mestre de por-
(umk.
Nao importa! Armei-me de resolugo e
fui tomar cha em casa do padrinho de mi-
-!ia defdnta mulher. que o diabo baja.
O padrinho de minha mulher boticario,
e vale por tres boticarios. Falla na razo
de o niilhas por hora como o paquete in-
giez, ea lingua maisdesesperada da pon-
te da Boa-Vista.
Quando entrei fui recobido na sala do
visitas por um pOUp, oulorgado in/an-
lilinente minha pessoa por um dos me-
ninos da casa, o Cazuzinha.
Antes de sentar-moa Maroquinhas, ou-
tra menina da casa, pregou-me um bilisco.
e depois desculado, uuiro menino da casa
o Roquebeliscou-me no mesmo lagar
que servio para a entrevista do beliscu da
Maroquinhas e do ponlap do Cazuza.
A mam dos tres, senhora gorda ed'uma
melancola proveniente da gordura, rio-se
e estendendo o pescoco esperou pelo meu
exordio.
0 boticario, poz o ponto final n'uma
carta um eleitor do Paja de Flores, e
v/io lomar parta na conversarlo.
Eram 10 horas da noite.. A la ;nao
havia la n'essa noite, verdade!a luz
das es relias batia n'uris frascos de ipeca-
ruaiilia estemlidos sobre a mesa, c o som
d'um violo recortando o espago vinha mor-
rer a meus ouvidos.
FOLHETIM
OS D1.UL1S DE CAYEM4
POR
Elie Berthet.
xu
A. casa deserta
(Continuago do n. 77) >* *
O perigo, porm, ainda nao cossra de
existir : a casa eslava cheia de fumo, e,
como era de prever, os numerosos reptis
que ella encerrava, instigados pelo susto,
sattavam por um e outro lado, erguendo-se
sobre as caudas, sibillando e rangendo com
as speras escamas. Um d'elles atirou-se
a Grandval, mas cahio por trra sem poder
toear-!he.
O capito, vendo-se perseguido por estes
; iriveis animaes, eocostou-se .1 parede e
descarregou ainda algomas vezes o revol-
ver na idea de os affasiar. Estas reitera-
das explos5es nao fizeram mais do que re-
dobrar a furia dos bichos* que continuaram
volteando por entre o fumo, como se tives-
semaaas, e dirigindo toda a sua furia con-
traOfudacioso que os provocara.
^Hnval recoriheceu-se perdido, se a
lula durasse ainda um minuto : s por um
milagro poda ter escapado s venenosas
mordeduras d'aquelles inimigos ameagado-
re?. Restava-lhe apenas um tiro a dispa-
rar, c, se as eiplosoes cassassera, teriam
ellas occasio de se approxiniarein.
O Cazuzinha ouvindo a toada do violo
deu um salto japonez, e enroscando-se-me
s pernas trmulas, poz-sc a cantar deses-
peradamente urna modinha pouco mais ou
menos concebida nos seguintes termos:
Assim como as flores nascem,
A minha rosa nasceu;
Assim como as flores morrem,
A minha rosa morreu.
No fim fizeram coro os dous outros e o
boticario acompanhou-os entre dentes. Fi-
quei com mdo que a gorda senhora en-
trasse no coro tambem. Felizmente ella
tranquillou-me com um gordo olhar e....
poz-se a assobiar o mttdinho I
Ninguem sabe como era sinistra aquella
mulher no assobio I Urna locomotiva a toda
torga nao faz aquel le barulho. Se nao bou-
vesse trombeta no dia de juizo final, aquella
mulher deveria ser contractada para asso*
biar n'esse momento solemne.
Era vez de trombeta teriamos um pfano
capaz de ensurdecer o valle de josaphat.
Finalmente aquietou-se o lyrismo d'essa
familia extraordinaria, e o boticario, com
um enorme sorriso dirigio-se a mim da' se-
grate forma:
Meu caro Procopio, isto tudo nao fias-
sa da alegra que sentimos pe'a saa Pr&~
senga. Ha que tempos I Por onde tens
andado, Procopio dos arredores ?
Contei-lhe a minha vida, os meus dese-
os e os meus desapontamentos socaes.
No meio da narrago ouvi junto a mim
j raido do lamaro: era a mulher do boti-
cario que dorma. Um dos meninos mar
cava o compasso emquanto a mama" ron-
cava.
Pobre Dondon 1 murmurou o botica-
rio olhando a consorte com aquelle nobre
olhar de Phara, nao pode ir a theatro. No
dia seguinte o somno nlo a deixa. Leva
urna semana dormindol Continu, raeu
caro Procopio.
Dei-lhe a entender que tencionava escre-
ver para o publico, e vinha tomar os seus
preciosos conselhos.
O homem arregalou o olho, que faiscava
de cobiga, e despertando a mulher sbita-
mente :
Ohl falle-me assim I exclamou elle.
Quer escrever e nao me dizia.? Eu serei
o seu mentor, o seu segundo eu; havemos
de mudar a face da provincia; revolles,
intrigas, inimisades, tiros, mortes....!
Trem at a rais dos cabellos.
Perdo ; articulei eu sentndo desmn
char-se-me a lingua, nada de morte nem de
intrigas !... Tiros! Misericordia,nao preci-
so nada disso !
O que quer ento ?
Quero que me guie, expeliente homem!
Quero que me leve pela mo como Malvina
13vava Ossan e mostre-me um por um os
ridiculos da capital. Ridendn castigan... .
Mores I gritaram os meninos nos meus
ouvidos.
Ah I quer ento que ? volveu o bdtica-
tio amolhando a lingua.
Justamente. O meu amigo oceupar-
se-ha dos...
De tudo, Procopio, eu me oceupare
do tudo! Sers o meu secretario, serei o
teu fides Atchates, o teu queridinho, a teu
;tnjo salvador,, o teu boticario, o teu cun-
plice I
Embirrei coma palavracumplicemas
emfim, apertei cordialmente as mos do
meu mentor.
Chegamos as cadeiras, tossimos, limpa-
inos o suor. eu dei-lhe rap, elle deu-me
rap, a senhora sacudi o vestido, os me-
ninos escancararam as oucas e foi aberta a
sesso.
Em primero lugar, comecou elle, nao
le des mulo com a polica.
Hein f Que eu nao me d com a po-
lica ?
Sim, horaen! Se Ihe descobrires algu-
ma vontade de surrar os ridiculos e as ma-
itellaa dos ostros, s logo preso para averi-
guagoes. E no da seguinte os teus amigos
iero as gazetas: Parte da Polica preso
para averguagoes policiaes : Procopio dos
Arredores.
Basta Que calafrios Nao me darei
com a polica.
0 boticario continmu :
Entra nos escriptorios dos advogados,
r.os botequns, as casas dos alfaiates, de-
i ora-te as estages das estradas de ferro,
vai conversar em casa d'algum barbeiro de
bastante freguezia, entra na cmara muni-
cipal, vai a Apipucos de vez em quando,
nao percas theatro, nem mesmo o tal Alca-
jar de santa Rita (que pelos annuncios nao
terca ;) vai missa, ouvo sermo, compra
manifestos de todos os partidos, fr^equenta
o Club, nunca uses chapeo baixo, nao dei-
j es criar o bigode ( feio,) procura amigos
entre os estudantes, nao sejas acanhado,
(mprega na conversa termos francezes como
sa/iristi! omellete toilette, etc. etc Quando
descutires poltica diz que o Brasil vai mal
e cita Lord Palmerston, grita contra a e<-
cravatura, contra os menino mgraxm e
contra os bilhete de sorv<
Fiquei pasmo.At os billetes! ponde-
rei eu.
Meu Procopio, os taes MBetinaoRso
os diabos.
lia bem pouco tempo houve um divorcio
por causa d'elles..
Oh !
Urna pobre senhora, doceira, c
se n'um dia e divorciou-se n'outro,
.Emporqu, Deus piedoso ?
Porqne apresentda de dott ao noivo
cinco contos em biliieles do caf da fini)"-
ratrz. O sujeitoque nao quera transae-
coes bancarias com o caf, divorcioa se.
Com effeito "
Nao te esquecas do theatro, Proeopo!
O theatro a base da sociedade, segundo o
almanak de lombrangas. Aprecia os.tra-
balhes gigantescos d'um artista q*e se
cltaraa-Joaquim Augusto e que tei ia duas
vezes maior nome se timase nascido Ion ge
d'estc nossb Brasil, onde a arte e-para
muitos um desdouro e o artista um especu-
lador apenas. Nao deixes em silencio o
nome d'um das mais brilhantes estrellas
do pateo brasileiro, a Sra. D. Julia Azevedo.
Se soabessee'Cem que talento essa artista
passa do profundosentimentalismo do drama
s salttantes scenas da comedia popular I
Devias tel-a visto como eu Mmte a elo-
quencia da lagrima e a 'profundeza do
espirito.. Resucita o nome de D. Maria
Velluti, de Thomaz Espuca, de Edsaijo da
Silva, de...
D'aquelle marinheiro dd C 'loinho,
papai gritou Casu/.nha esperneando.
Ah o pequeo gosta milito do Coulo
Rocha., por causa das barbas. Vai, Pro-
copio! Fustiga o vicio e ergoo a virtade.
Nao poupes; censura com delicada irona
e sers o novo Jnveual. A imprensa t"
soja leve Vum todas as quaiLis-feias
noite ouvires novidades! Eu porei em
campo toda a minha habilidade de bbli-
carjo para servir-to.
Eu me oecuparei da sexo a que per-
tenro I bramo a esiosa. Uar-lhe-hei notas
importantes.
E nos? gritramos meninos pqfcrado,
Voces, disse o boticario, irao para
um collegio espiar o que por la se passa.
D'essa forma o Procopio tera tudo o que
quizer.
Batia mea noite. Apertei a mo dos
dois conjuges e recebi povos beliscoes dos
meninos.
At quarta-fera!
At rpiarta-fera !
E assim fez-so esta primeira chronica
Procopio dos Arredores.
(POR W. FIGUEIREDO)
II
OS ESTUCANTES K\: SESS.io
Eslava, pois, a ponte de perder comple-
tamente a esperanga de salvago, quando
da parte de fora gritaram :
Coragera, Sr. Grandval Nos aqu
estamos!
No mesmo instante a porta rec*beu um
choque to violento e irresistivel, que a
fichadura enferrujada estalou e as taboas
jorros de luz, aos mesmo tempo que sa-
liiam turbilhoas de fumo. Os reptis, logo
que viram urna sahida patente, arremessa-
ram-se porta e um dos libertadores de
(irandval sentio a cauda de urna cobra chi-
cotear-lhe o rosto.
N5o obstante a sua perturbago, o mari-
time teve presen? de espirito para gritar:
N3o se approximem! A casa est
cheia de serpentes!
E, saltando de um pulo a pequea esca-t naram os seus soccorros.
la de madeira, foi cahir quajj inanimado
.10 centro dos seus salvadores, que eram
Miguel Bertomy e Lefrangois, o marido de
Margarida,
Expliquemos agora a razo da sua ida
iquelle sitio.
Devenios lembrar-nos de que Miguel, se-
iarando-se de Grandval, se dirigir a casa
de Lefrangois para Ihe organisar certos ser-
vicos de escripturago relativa admiaistr*.
lher nao se esqueceram de pedir noticias
do capilo, cuja preseoga aguardaVam coa
(Continuarn)
KM CASA
Nao nos canearemos, nem oeeuparemos
a attongo dos leilorw, descrevendo a ha-
bitago inteiramente eeeolastioa dos jovens
estudantes. Seis cadeiras, urna mesa re-
donda, cheia de livros, jornaes, escovas,
luvas, etc., um sof, tudo em desorden!,
nao merece as honras de urna descrpe
mesmo de nossa tosca penna.
Assim, ougamos antes o que dizem os
habitantes desse alcacar da sciencia, na
phrase de Marcondus; e .tomemos contieci-
mento eoin um importantissimo persona-
gem, que ahi estava aboletado muito ao
fresco, quando chegaram os quatro man-
cebos.
Como se porta, impagabilissimo Sr.
Niceto? perguotou Magalhes entrando.
Oh! c est u nosso Ilustre e dfgnis-
simo representante dos locomotores ambu-
lantes ajuotou Almeida.
A que regies tem dirigido os seus
soberbop adejos, Sr. Niceto, que ha tanto
tempo nao volatoa sobre este liuinil le bazar
scientifico ? perguntou t|mbem Marcondes.
Como vo os altos negocios polticos
do Estado, imraenso cidado votante? in-
quiri por sua vez Carlos Alberto.
Todo este diluvio de peguntas era feito
a um individuo de altura nridianna, rosto
vermelho como umpiraento maduro, olbos
verdes, como os de gato, nariz incommen-
suravel, batatudo e extremamente rubh
cundo, barba cerrada, cor de fogo, ca-
bellos de igual natureza; emfim um todo
to afogueado, qne dir-se-hia que o tal Ni-
ceto havia sido ao nascer mergulhado as
caldciras do inferno.
Quanto ao moral nao era eHe mi rapaz;
tinha boa ndole; mas, sem quasi nenhuma
educago, deixava-se as vetes arrastar por
certos hbitos peculiares mocidade d
gtial estava deshabitada havia mezes em
consaquencia do proprietario haver regres-
ado Franga por ter completado o seu
degredo. Era, pois, evidente que nlo po
dia all haver quem vendesse madeiras para
marceneria. Lefrancois estava ao facto das
tentativas criminosas de que Grandval es-
tivera prestes a ser victima : pa!pitou-lhe>
rbnramrse, penetrando no interior da casa- portanto, um novo lapo armado ao marit-
I U'l'lli.' \:\ livi .,.-. w.tfiMnr. nnMHH *.... tas ^ ______._ ..*. .
mo e communicou as suas suspeitas a Mi-
guel. Este, que, depois de seu pai e sua
irma, a pessoa que mais estimava no
mundo era o' capito, tomou altor ao pri-
meiro indicio de verdade, e, depois decora-
binarem o o adiamento para o dia seguin-
te da projectada tarefa. npressaram-se a
correr a\casa deserta.
Acabamos de ver quo judiciosas foram
taes suspeitas e de quanta efficacia-se tor-
ooiosa passada fra dos ostudos. Era
IWo de corro, per* bem solfrivel d'alma :
com algum aperfeicoamsnto e limadura
ter-68*hia nelle nm homam perfeito.
Passo perfeitamente bem! disse
afinal o mancebo ho oterrogado, que os
leitores j conhecem pelo sudclnto retrato,
que dellc acabamos de fazer passo per-
feitamente bem! c vim hoja ter o prazer
devel-os, esaber como io de saude?
Eu, fiel interprete dqs. meus compa-
nheiros, Iho agraden), eshmabilissimo Sr.
Niceto, essa subida prova d'amiade, que se
dignou dispensar-nos; e apTVette a oppor-
tunidade para reiterar-lhe (estro diploma-
[UtO'f) os Bnoeros protestos de nossa sn-
liid estima e alta cousideraco. Disse.
Bravo! viva o pendantesco orador !
viva o Marcondes! clamaiam os outros
tres estudantes.
Basta de cacoada! disse Niceto ; res-
pondam-me: onde foram assim commissio-
nalmente.
Commissionalmente ? bravo do termo!
o senhor roubou este palavro de Marcon-
de*? perguntou Almeida.
Nao sei; mas dgam-me: onde foram
todos esta tarde ?
Pomos a Olinda tratar de um negocio
(-de alta transcedencia, que demandava a
presenga de todos nos: fomos alugar urna
casa para passarmos afidalgadamente as
nossas ferias em indagaces archeologcas!
E desde ja" temos a honra de convi-
dal-o. 8rt Niceto, ajnntou Almeida, para
que felicitando-nos com a sua inaiiferivel
presenga, sirva-se de jntar comnosco
galln!a<, pen'is, I'ts, ce; achuchar as
mais saborosas nvtas.
Oh! exclamou Niceto, dandi um es-
talo com a linguapois pretenden! obse-
quiar assim os amigos 1'. louvavel!....
Assif#r temos ivsolvido respondi
gravemente Marcondes para o que j
zemos o ii"sso orcamento: tresentos e
cincuenta mil res s para comida.....
E para os extraordinarths e eventuaes
taremos crditos suppleraenlares! concluio
.Magalhes.
Perdeu um magnifico passeio, Sr.
Niceto! disse Carlos.
Sinto muito nao te-Ios acompanhado
mas os meus negocios.....
Ola exclamou Almeida rindo-se; c
ento?! os seus negocios ?! irrisorio!
nys vejamos quaes seiam esses importantes
negocios : o senhor acorda as nove horas
da manlia, ahnoca, e sahe; em seu ar-
dente esejo de ser considerado aos olhos
das bellas como quarto annista, passa, de
livro em punho, morando no pateo do Car-
ino, pelas ras, Nova, Imperatriz, atraves*
sa o Hospicio com todo o seu insupporla-
vel areal, e segu pela ponie de Pedro 11
para a roa do Imperador; all escondendo os
livros na algibeira, visita todas as livrarias.
e lypographias, d&a/ni?a0eraoscax|4k'O8 e
s pessoas que l encentra, fallando sobre
direito, poltica, litteratura, theatro, guerra,
e modas, disscrlando emfim sobre todo
(pie ignora, porque nisto que est a ousa-
dia dos pedantes: le'sta iis'.nictiva oceu-
pago leva o Sr. Insiri belgando at as
tres horas, cm que vai para casa jantar
pie.ndo o nao Un d'algu-a amigoA's cin-
co horas da tarde veste-so, peMMia-se, ati-
ra-se as roas, e agarrando o p.meiro
acadmico pie encontra, parcorre com elle
os quatro bairros da cidade, tratando-o sem-
pre por Gollega, afini de Iludir o bello sexo;
noite vai o Sr. Niceto ats-primeiros b-
Ihares, toma caf, fuma o classco cigarri-
nho, torna a sabir, vai s boticas, pontes, e
ahi questiona com os leigos, que o ouvem
pasmados ; arranja mentiras, inventa novida-
des, prophetisa cousas grveas, ou- o que
muita vez acontece,o Sr. Insecto enca-
minha-se para s ru s solitarias, e atracando
aliruma descendente dos habitantes d'frica,
estuda, e ensaia o crusamenlo das ragas
... e. ,.j.
Basta, Almeida mterrompen Carlos,
que va Niceto de vermelho que era, ir-se
tornando airoxeado nao admllo, que
contines por tal modo a fazer a biographia
do Sr. Niceto est protegido t
Oh! enfiou, Sr. Insecto? perguntou
o quarto annista.
Nao; mas.....balbuciou o pobre
rapaz.
Ha verdades, que se nao devem d/.er
assim na cara, e em um portuguez to vul-
gar, nao,-Sr. Niceto? concluio Magalhes.
Avista disto, deixo de importuna-lo e
choca-lo, impagabilissimo Sr. Insecto Cha-
laca Samico de Arroxellas Galvao e Souza I
Safa seis noraes I a nica cousa grande
que o senhor tera! Boa noite !
E Almeida fazendo urna mesura ridicula,
acompaohada d'ma visagem, ao dcscoro-
goado rapaz, retirou-se para o seu (piarto.
Nao gosto d'aquellas cagoadas do Dr.
Almeidamurmuroa Niceto limpando o
rostoparece que elle implicort comigo
)eixe-sc disso, meu
amigodisse
'ivo interesse. Miguel, j pon meio ie, afinal :
lignaes, j escrevendo sobre as folhas da
>ua carteira, Ihes explican o motivo parque
Grandval nlo fra.
GrandjVal assentra-se em um banco na
outra extremidade do pateo, distante da
porta, per onde iam sahindo alguns reptis.
,Moment96 depois levanlou-se, e, fazendo
um esforf o para sonrir-se, disse :
Or at que -emfim, com todds os
.diabos !V Se nao vem to depressa, n3o
me encofitravam vivo !... Obrigado, meu
bravo Lefrangois; obrigado, meu bemilb
jguel j
Era safuida narrou como um negro des-
conhecidf o encerrara n'aqnella casa, o
qne Lefrangois oovia attemamente, dteende-
lespertou a attoncfo de Lefrangois. A
asa de concessior arios designada por Mi*
Cali effeito, s um negro poderia
cemceberf a idea de to infernal cilada Q
africanoslteem instinctos ferores e aquefl
N'eatas. explica;oes urna circomstaocia enartnn n .t,....x> J. I ,vf_an/,nH 1 4i'n i-iaoBMp n conran mi lili ilmiM II
deve pogluir o segrego ij se altribut .
pretos de ae tornarem invulneraveis s
mordeduras: deve ser algum dos que se
chamam lavados da serpete. Ora ne-
nhum negro do paiz possue este-degredo,
e, alm d'isso, nao conhego nenhum por
estes sitios com os signaes que acaba de
dar-me... Pormcontinuou elle, erguen-
do-seesse hornera nao pode estar longe :
tratemos de o procurar a ver se justamos
contas com elle !
Tem razo exclamou Grandval
Resta-me urna baaWentro do rojvolver, a
qual muito estimara metfer nos milos do
malvado !
Ento pozeram-se a dar busca com todo
o cuidado s dependencias da casa, por
quanto esta, compondo-se apenas da sala
onde Grandval estvera preso, logo se vio
nao encerrava ninguem : procuraram no
curra! e no casebre d'onde o preto sahia,
onde apenas encontraram urna cabega corn
um resto de suco de cana doce, nico In-
dicio obtido da existencia all de creatura
Iraniaoa, e, pereorreado os terrenos adya-
centes, nem m s vestigio enconti-aram do
negna.
i teraogois pedio novos promenores acar-
ea do mystertoso negro e Grandval afir-
rva qud elle tinha os dentes ponteago-
i,
I
N'esse caso, disse mroellepertan-H
ce raga dos cambaes chamada Rongou;
s eHes, que eu saiba, usam ssira os
fronUSS.
0,s Rongous repetio Grandval
Agora comego a desconfiar de urna coas*.
Leibra-me que o tal velbaco fazia todas'as
diligencias por oceultar o rosto com o chi-
p*. Ora diga-ma, Lefrancoig, quelle mal-
vado D'Chmbo, o Rongou, que assolava
Carlos aquillo genio ; nao creia que haja
inteuco de debiqve-----
Tambem pens assim; peciso n5o
desconfiar comnosco; ajutitou Marcondes.
Ol! hoje s 26 de setembro cla-
mou Magalhes pondo-se de p n'um pulo-
E o que tem isso^ sarapantado cisca-
bulfi ?
Oh indigno catauro! imperdeavel
desmemoriado! nois nao te lembras que
amanha, sexta reir, ha um esplendido
sarao de anniversario no sitio do Sr. M*,
meu illusfa correspondente; e-qae *s!
----- nos fomos solemne e categrica-
mente convidados ?!
Ol! cus! ijuel bonhenr! exclamou
Marcondes ensaiando urna polkaeeu que
nao me recordava Ah! endouta cabega!
eu te anathematizo em nome do bello sexo,
a quem por tal forma vilipendiaste esqne-
cer um sarao! oh humilhante! ver-
gonhoso! horripilante!___
Pois eu me lembrei porque nao tenho
dinheiro! disse Magalhese vosss bem
sabem que soirc de correspondente, no
campo, e dinheiro, sao ideas que forcosa-
medte se associo por seraelhanca ; segun-
do a philosophia do velho Charm homeo-
pathizado, que o que leio as horas va-
gas.
He de divertr-me muito gritou Car-
los por sua vezque schottishs, que quadri-
Ihas suceulentas!-----
E eu ? ajuntou Marcondes agarrando
Magalhes, e forcando-o a dansar com elle
um galopeque noite, cascabulbo I que
noite deudosa MW.....continuou mu-
dando de tom, e largando o seu parsex-
ta-feira kdia depeixe! e portanto vespera
de sabatina! Oh! e que sabatinas?! urna
hedionda, horrvel de direito romano, e
outra estiradissima de direito natural! que
horror!.....Ter de devorar vinte e tan-
tas leis do gordssimo corpus juris civilis
Romanorum Justnianeo .confecto!-----
e que questoes ?! linhas de agnaco e cog-
nago! computac/ies de graos! usufructo !
servides! propriedade litteraria funda-
mento da propriedade!.. misericordia !..
misere me!... E que diabo hei de fazer?
se filar a sabatina, levo quatro faltas duras,
durissimas, capazos de endureccr-me no
banco por todo o resto do anuo!.. Ora,
viva o flauteio! viva o sarao! que leve o
diabo a sabatina, pontos, e objecroes!..
urna vez nao sempre!.. Toca a msica !
j tenho par !.....
Apoiado, Marcondes! gosto dessa
tua valenta, meu calouro canino Tambera
pretendo dar a minha cabula em philoso-
phia e geographia, e perfazer assim sym-
pathco numero de 39 faltas! viva o flan-
teiul
Viva cascabulho damnadamente en-
conracadol viva! Vamos dar um gyro pela
ra dos Pires ; quero mostrar-te urna tri-
tjueirinlm, com quem me esfarelo as horas
de cynismo!
Vamos, Marcondes: tambem quero
mostrar-te una velhusca, com quem tiro o
meu cavaquinho, c que pretende conquis-
Ah coraco !... exclamou Niceto
rindo-se maliciosamente; supponho que at
o fim do ando correnle, ficar o senhor
perfeitamen e curado, ein ?
Porque ?
Ora; as taes palpitarles ho de des-
apparecer com os banhos.....sim, com
os banhos, nao do mar; mas..... de
igreja!
O senhor muito malicioso!.....
Nem tanto, doutor; mas, mudando
de assumpto: sabe que muito se falla no
seu prximo casamento com a filha do
commendador?....
Entretanto ainda nem a pedi! oh!
que gente, meu Deus! parece que vive vi-
giando os passos de outrem para d'ahi
tirar consequencias as mais absolutas! que
ociosidade! essas creaturas, supponho, nao
se oceupam sono da vida alhaja : nao po-
de um rapaz visitar com mais alguma assi-
duidade urna casa de familia, sem que a
malevolencia ociosa Ihe empreste intenges,
que elle nem por sonho teve!'... D'onde
porm procede isto ? da insipidez, monoto-
na, e falta de divertimentos, de que se re-
sente esta nossa trra : a exccpgo das bo-
ticas, calgadas e bancos de pontes, onde a
vida do prximo passa sem piedade pelo
cadnho da critica a mais mordaz e injusta,
os espiritos vadios sem outro passatempo,
sem lugares pblicos, onde com pouca
despesa oncontrem distraeces, cntretm-
se em espionar os coctumfs uns dos oulros
para critica-los, analysal-os, e muita vez
desnatural-os indignamente. Vivemos como
se fossemos, nao urna gerago de irmos,
mas hordas selvagens e raimigas, q-.ie es-
preitam occasio azada para ferirem-se e
atassalharem-se mutuamente: s as feras
tem um viver to brbaro!
As familias entre nos, ou aferrolham-se
as casas no mais feroz isolamento e apathi^
ou, o que peior, franqueiara com incrive
tenores! pessoas suspeilas, de reputago
duvidosa, e, as mais das vezes, filhas de
paizes estaangeiros, sem nome, sem outra
habihtaeo, que, por exemplo, a de tocar
e cantar alguma cousa, sem outra qualidade
que a de ser bom;* cas e fallar francez!....... e depois
queixam-se dos abusos de confianca o das
desgragas, que por ventura venbam a succe-
er! Pois que querem?! si, como temo
visto, a pretexto de ensinar piano, canto,
francez, geograplria, d-se siples estran-
geiros completamente desconheridos, urna
lberdade perigosamente ampia e sem limi-
tes, c urna famlilaridade e tratamento o
ipais intimo !----- Si, como ainda temos
visto com desgosto profundo, acerca-se
estes homens, muita vez sem educago,
sem titulo algum, de um prestigio immenso
para eleva-los at onde elles nao merecem,
e consideral-os umnon plus ultra, con-
correndo-se assim para que as filhas fami-
lias inexperientes e descuidosas se illudam
sobre o verdadeiro mrito e valor intrnseco
d'esses aventureiros, e..... commettam
grandes faltas, que trazem necessariamente
a vergonha e a deshonra de familias inte-
vias !___
Muito bem, doutor! muito bem! cla-
mou Niceto; continu; estou gostando de
ouvilo.
Aperfeigoe-se a educago moral e re-
ligiosa das familias: escolha-se com lodo o
escrpulo e severdade as relaces, que se
queira manler; nao se de entrada e fran-
queza a certa gente..... e amito menos
occasio para conversas perigosas; passe-se
o tempo de dverso com a leitura amena,
brinquedos innocentes, com a msica c canto;
que os casos nefamlos ho de desapparocer,
ou pelo menos decrescer consideravelmen-
te; e quando por ventura appareca algum
rarissimo, ha pelo menos facilidade em re-
paral-o. Porm qual! pregar no deserto!
Ha nesta nossa trra urna tendencia irre-
sistivel e fatal para pegar-se sempre no
peior!... Parece, que existe urna mpossi-
hlidade absoluta de se couhecer os homens
e as cousas.....e que urna catarata geral
faz enxergar o que pessimo como pti-
mo !... Era concluso, Sr. Niceto; este
paiz para os impostores, charlates e ca-
valheiros de industria! e havemos de con-
tinuar sempre assim porque infelizmente o
nosso mal de origem I___
Tem toda a razo, doutor; e este o
o motivo porque a hospitaldade e as inno-
centes reunes familiares tem-se tornado
cada vez mais raras, sendo substituidas
pelas conversas de calcadas; o ascetismo, o
egosmo, ou a liecnca vo camnhando a pas-
sos 'argos!
Porm eu que nao tenho dsposigoes
para a existencia monstica c egostica, ou
licenciosa, fago ouvidos de mercador e vou
andando como entendo.
E' o melhor methodo.
Ora----- o senhor estove hoje em ca
sa do commendador ?
Estive; elle perguntou-mc pelo se-
nhor; D. Amelia disse-me que nao o va ha
quatro dias! Oh nao sabe ? ella vai par-
tida do Sr. M-" ? t
J o sabia.....
Ah tem razo; esquecia-me....
De que, Sr. Niceto ? perguntou Cal-
los, fitando-o.
Nada....
Cuidado o senhor ia catando no
mesmo vicio, que anda ha pouco censura-
mos nos outros!
Que quer ? sou filho da trra! Mas;
sao dez horas: adeus.
J?
Preciso ir para casa mais cedo, dou-
tor.
Ento" adeus; al a vista.
Carlos Alberto ficou s, e preparava-se
para escrever, quando Almeida entrou.
las cstudar? perguntou este.
Nao; ia rabiscar-----
Ah! j sei; sobro a tua bella louri-
nha de Olinda, e inspiraco de algum
beijo e abraco furtivo ?
Almeida!-----
Oh! nao te zangues: gracejo...
Mas que como amigo e collega pego-te
que nao m'o repitas! disse Carlos franzindo
os sobr'olhos.
Ora adeus! esls malcreadamente in '
supporlavel! Boa noite!
Insupportavel, poique nao quero ou-
vir as tuas indscripges ?
Almeida, por nica resposta. langou Al-
berto ura olhar de despeito e ra va ; e ape-
nas entrn em seu quarto, murmurou com
accento terrivel:
Ah! devagar, Sr. Carlos, devagar!...
eu tambem apeteco muito ;i D. Amelia-----
nao despert, pois, a serpente que ein mim
aAjdprme cuidado! muito cuidado!
el
facilidade os seus salces e at gabinetes in-
os arrabaldes de Cayenna, teria meie-^ailem estive com o indioGallibi Zo, queme
se transportar a estes sitios por trra ?
Creta que tal jornada seria invensivel
para um europeu, mas quem sabe quanto
podem estes selvagens, affeitos ao viver
dos bosques ? Pois, raeu capito, o negro
d'esta manha nao seno o Rongou da
Iha de Cayenna.
Nao duvido : este acontecimento ex-
plica-se pelas razoes que ha entre este mal-
feitor e certos degredados. Vou, pois, fa-
zer s minhas declaragoes autoridade
competente, e provavel que d'esta vez
se descubra o malvado que me persegue
e os seus cmplices.
Nao Ihe digo que nao. faca as suas
declaragoes, mas o que Ihe peco que se
retire quanto antes d'este paiz. Os seus
inimigos sao iraplacaves, e ainda que at
hoje Ihes haja escapado milagrosamente,
acabarla, como Ihe protestaram, por ven-
cer a lula !
Decididamente tem toda a razao, Sr.
Lefrangois ; mas, como sabe, eu e os fi-
lhos. de Bertomy viemos a este paiz para
cumprirmos urna misso a que nao podemos
renunciar.
E eu, capito,disse Lefrangois, sus-
pirandonao me comprometti tambem a
ajuda-los 1 E' necessaiio nj^os^estune-
raos (fVeras que Margarida haja coo-
trahid com a menina*Bertomy urna grande
divida de Junizade para que nos nos resoi-
vessemos a,cooperar em Jal commettiraen-
to. Mas,, emflm, visto que temos tudo
combinada, porque n3o flearei eu encarre-
gadod'esl negocio, parimdo o senuor io>
fCohtiuuar-se-haJ
raediatajnente com Migele sua, inuaa para
Cayenna? Farej evaair BertomyeeonV
zl-lo-hei ao rcif do Diabo.
ha de servir de guia, e o qua1 est promp-
to primeira ordem. Para que, pois.se
ha de demorar aqu mais tempo ? O sim-
ples motivo de querer ajuntar mais alguns
paos carregago do seu navio ser bas-
tante para o deter aqui, onde tantos peri-
gos o ameagam ?
Nao essa a razo, meu charo Le-
frangois. A carregago do meu navio nao
me d cuidado, porque, a dizer a verdade,
nao passa ella de um pretexto, porm Jo-
sephina acha-se doente, e, alm d'isso, o
navio que nos deve transportar "a Cayenna
s toca n'este porto d'aipji a tres ou qua-
tro das. Entretanto vou oceupar-me pes-
soalmente de certos promenores da em-
pieza, no intuito-de attenuara sdarespon-
sabilidade, no caso inesperado das cousas
terem mo resultado.
Durante a conversa tinham elles chagado
ao pateo da casa. Grandval ia a assentar-
se etfttim banco ;m, reflexiommdb, dis-
scHJjesr,
- J^kfLyergcwifcawta o conftesar,
srato as paroas enfrttjfcaidas l
file o-e4o ntWPWas minhas capi|_
Nao nos dBJ^remos^jiu.i, onde sanos ojp-
rece'taWra^tsinhajicj^ Sigaflio^para mi-
nha casa : alB tejqayj^- vib copa-jle cidra
ou Uft^wgfMwqfte jewwniBe
G4vatoi do mesmo parec5 e, dan*
du^HkSraija MigBINMoIro--* Lefraoc^iir
dinBBm-aa para a^habttago do cor,
harjfe i ^*^-
OD.
(^mtnmr-se-ha.)
N.



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EIOGSCVFF_TCD08K INGEST_TIME 2013-09-14T02:41:19Z PACKAGE AA00011611_11810
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES