Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11806


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO XLV. NUMERO 74.
9> h
PARA A CAPITAL 1DGABES ONDE IAO SE PAGA PORTE.
Foi* tres mezes adianlados
Por seisijitdsj
Por tm ano
Cada numero avulso
&5
WOOO
120000
24,5000
4320
l/i1
SABBADO 3 DE ABRIL l 1869.
?7^
MA8 Ri PARA DEHTRO E TORA DA PROVCIa-
Por tres mezs adianlados. ,,....,......" riJt
Por seis ditos idem. *...........
Por nove ditos dem.................
Por um anno........,."......'.....
6#7
48a9>
20|2)
270000


mmnJ
Propriedade de Manoel Figiieim de Fama k Filhos.

>

-----l_
...
Os Srs. Ge

o Antonio Al ves GuimarSes Pancada, em Mam
_
..........

i
-
PARTE 0FFICIA1.
i ACJKVTES*:
l*?s#Mto(f, no MaranbBo; Joaquim Jos de Oliveira, no Gear; Antonio de Lemos1 fraga, no AraCaty; Jdao Mara Julio Chaves, ne-As*; Antonio Marqnes da SHva, no Natal; Antonio
.pe; Antonio Alex*ndrino de Lima, m Parahyba; Antonio Jos Gomes, na fM envNaznjelh; Frauetoo lavares da Cssta, em Aiagas; Dr. Jos Martins-Alves, na Babia; e Jos Ubeiro Gasparinho, no Rio de Janeiro.
- r.-. .: i --------zs=zzzz~-=~ ___

ru\ rtY.
f
Gorerno d.-t provlacia.
KXMOir.NTK ASSIGKADO PEtO F.XM. Sil. COSOE DE BAE-
PBNOT, l-llKSI0K*fTE DA PROVIKCJA, EM l'1 DE MARgO
re um.
4.*0OQ9.
S. 6>9.Porlarit a* general commandante das
armas.Mande V. Exc. por ora lihecdade e entre-
.rar^seii pai Jos da Aununeiacao Carvalho o o
recruVi Francisco Licioo de Carvalho, visto ler si-
lo jugado incapaz do servico militar, eonwi-e v
lo termo de inspeceao que veto anouso ao ottitio
lo V. Eu\ do 18 do crrante sol n. 133.
Y 70J.Dita ao masillo. Picara expedidas as
convenientes ordens aos agentes da eouipanhia
bra-ileii i de paquetes, para azereio receber e*
transportar para a corto, hoje no vapor Gmtr, o
guarda nacional designado pira o servico da guer-
ra, os reclutas a desertores de ipio trata oolHr-ki
le V. Exc. dsta data sob n. tlW.
N. 701.Dita ao raesino.Sobr'esteja V. Exc.
na remessa para a corle uo vapor Gwox.nae se-
,'ue boje para alli, do guarda nacional designado
para a guerra pelo batalUio n. 90 de inrantaria do
municipio deOlinda, Jos Carlos dos Santos, a
quera u>sla data concedo para pro va r isenco le-
gal o trato que" decorror ate a clieg;ula do vapor
tocaHtin*, que se espera do norte.
N. 70i.~Dita ao director do arsenal > guerra.
Em vista do que informara o inspector da the-
ouraria de fazenda em 17 e V. S. e em 13 do
corren, reeommendo-Ilie que d posse* faca en-
trar no exercieio do respectivo cargo, ao adante
do porteo nomeado para esse arsenal, Joo de
Souza Rangel Filho, independentc de titulo, que
.ipre>eiit; i.i no prazo de doits mezes que Iba tica
mareado.
N. 703.Dita ao mesmo.Mande V. S. substi-
tuir por outras, em bom estado, 24 armas arrui-
nadas do batalho de infantatia da guarda na-
cional (hule municipio, e bem assim concertar as
que pelos eoininandantes dos de mata batallics da
mesilla guarda nacioual, que pan esse In Iho*
forera apresenladns.
*v 717.Dita ao.mesmo.Ao .capitao Joaquim
SiUerio de Soma, mande V. S. pegar, depois de
liquidados, em vista da relaco nominal e pret
juntos em dupcaU que mesreneUcu o eomnian-
ilante sujierior da oonurea d-Gininmtn^com ofl-
ci de 13 de feverairo ultimo, sob n. H, os venof-
mertfis relativos ao mez de fevereiro ultimo, dos
pii.-rdas nacionaes destac dos na villa do Bui-
qu<.
T. 718.Dita ao me-smo.Em vistazo que in-
fonnaram o director do arsenal de guerra em 13
e V S. em 17^(10 oorrentc, antorisei a dar posse c
faz< r entrar no exerriclo do respectivo cargo ao
aju lante dporteiro nomeado para aquelle estabe-
leciment Joaode Sonza Rangel Filho, independen
te de titulo, que apresentar no praso de *m-
ii ie es que I he tica marcado.
T. 719.Dita ao inspector da tliesou raria pro-
vincial.Annuindo ao que solicitnu o lincnte-co-
roi.el eommnndante dororpo provisorio lie plicia,
em ollicio de 17 do crreme, sob n. S3, recom-
mendo a V. S. que mande adiantar tres mraes de
vencimentos ao alteres Laurentino Goncalves de
az vedo, coinmandante do destacamento de Bui-
que e tres mezes de sold, nao so paivf 0 pracas
inclusive os sargentos de (fpe se compoe aquelle
destacamento, mas tambem para 14 e 1 argento
destacadas em Aguas-Bellas, tudo a contar do Io
de abril prximo vindovro.
'A. 70.Ditaao niesnift- piwidqncieV.S. para
que depois de liquidadas em vista do incu^o pret
nominal, os vencimeotos relativos ao mez de feve-
reiro ultimo, dos guardas nacionaes destacados na
villa do Limneiro, mande pagar sua importancia a
Jo< i Mara Ferreira da Cunha, para isso indicado
pe co'iimandante superior daquelle municipio em
ollicio de 2 do crrante.
S. 721.Dita ao mosmo.Depois de liquidado?
em vista da fmha e-pret nominal, junto em dupli-
can, que me remetteu o enmmandante superior
da comarca de Santo Antao, com oftlcio de 12 do
crrante, mande V. S. pagar a Flix de Figneiroa
Faila os vencimentos relativos ao mez de fevereiro
ult mn, do offlcial e pracas destacadas na cidade da
Victoria.
N. 722.Dita ao chefe da reparti^ao das obras
puilieas Mande Vmc. combrevidade um dos eli-
ge heiros de-sa rrparticao a cidade de Goyanna,
V. 70kDita ao capitao do porto.ommuni
eando-ni o ^r. Osmin Laporto. cnsul da Franca,! alin de que entendendo-se com o gerente do reroi-
sn.i vragem Europa, reassuiuido Ihi tiento de Nossa Senhora da Soledadc naquella
ter de vota da sua vtagein Europ
o exer-icio das funcedes de sen cargo
declaro a V. 8. para seu eonhecimonto
H. 7ii:;.I>it ao commandaiile do hrigne barca
Ih igentes ita eompaiiLia tir.isiieira de paquetes a va-
\" r. p; a !:*er deseniban-ar. e p>ra dispesieao de
Vmc, aiiui de ser xecolhido a enfermara de ma-
rinha o secundo tenenie de eommi.-sao, Francisco
Jos de Abreu, pertencente a guaruicao do vapor
ijn'ir, vi.-'.) aclar-se bastante doeale, segundo at-
lea o medico desse brigue barca, assim o cotn-
inunieo a Vine, para seu conlieciineiito.
N. 7' i.Otllciu ao Sr. cnsul da Franca.Ac-
ensando : ebid-* ulncio de 1C do correal?, em
que i< .-.. Osmin Lepoite cnsul da Franca, um
communica ter chegado a essa capital, de vollade
sua viagein a Europa e rdassomle o ejercicio
das fuuw'iies de seu cargo, cabe-nie retribuindo-
os benvolos cuinpiiineiiios que me dirige o nies-
mo'Sr. cnsul, assegtirar-lbe a contiuuacao de
niinlia iierlcda e>tima e distmeta consideracao.
N. 707.litio aoSr. Ocar Oolle.-m.In^.-irado
pelo officki d 16 do correte, de haver o Sr. Os-
car Cottem BOTregado ao Sr. Osmin Laporte, cn-
sul da Fran^.j. as respectivas uncfdes consutarea,
ii iiiUM'iujtiiMiite exercui duraute a viagem do
mesmo Sr. amoli a Europa, donde regressou a.
esta capital, cabe-me agradecer o retribuir ao Sr.
Osear Coiieau os benvolos cumpriiontos que me
dirige.
2." seccao.
N. 709.Offleio ao Bxm. presidente do tribunal
le jus'i;i.Transmuto a V. Exc a tBsposta que
>obio a rtlaniacao de antiguidade do juiz de di-
rei'.o, (KiHe Joaqipm de P.uva Freir de Ainlra-
J '. dctl o juiz de direito Adelino Antonio de Lima
Freir.
Y 710. Portara ao Dr. chefe de polica.
Ommunieando o Sr. Osmin Laporte, em ollicio de
l( do crrenle, que de volta da sua viagem Eu-
ropa, reassiimra o exercieio das funcc sul da Franca nesta provincia, assim o declaro a
\\ .-<. para ^eu couliecinieiito.
.\. 711.Dita ao comniaudante superior interi-
no iia guarda nacional de>te municipio.Expeca
V. S. Ktas ordens, alim de que urna guarda de
honra de uta dos batalhes da guarda nacional sob
?eu euBuaando superior, acoinpanhc as procissoes
de Enterro e da Hessurreicao, que tem de sabir
da igreia matriz da freguezia do Becfe, nos dias
i> e 28 do correte, bem como a do Sanlissimo
Viatico aoi enfermos no domingo da paschoella, 4
de alud vindonro, sendo as duas ultimas s ti no-
ras da mauliaa.
N. Ili.Ditas aos juizes de direito Fraueisco de
Assis d'Olivcira Maciel c Hermogenes Scrates la-
vares do Vascoacellos.Itenietto a V. S. o incluso
ollicio que Iho dirigido pela pre dencia da pro-
vincia Jo Cear, e que me fui transuiittido em 2
do corrate pela mesnia presidencia.
3.* seccaov
N.714. Ditoaoniesnion.2;{--CometeofBcopas-
so as uaos de V. Exc. o que com a data de 12 do
corrcnle Ihc dirigi o inspector da thesouwia de
lazctida dest provincia, propondo o 2. escritu-
rario j'os Goncalves de Medeiros, para a va^a do
l.qua detl-sc no dia 10, com o f.dlecimento de
Herculano Duarle de Miranda Henriques.e para o
lugar daquelle ao amanuense Francisco de Salles
de AnJrade Luna. Havendo entre os 2." escrip-
tararws alguna mais antigus, que o proposto para
i.', taes como Joo Gregorio du< Santos e Januario
Constando Monteiro de Andrade, quecontam anti-
guldwh de classe des le 4 de marco de 1839 e Ig-
nacio Francisco Martius, desde 5 do mesmo mez.
il-;n de ter mais de 36 annos de servico; sendo
a de Jos Goncalves de Medeiros de 27 ac novCTn-
bro, de 1861, com ti annos de servico ; c seguin-
do-se Thoni Arvellos Espindola.que tem 31 annos
de servico e 2.' escriptiirario desde 30 de julho
de 1866 : c tend) algans dessos empregados apre-
-ent'il i rcqucrimentiie pediado ser prvidos na-
quella vaga, entendo do meudever prevenir disso
a V. Exc. para (jue se o julgar coovniente se dig-
ne demenr a Nsuucio da mesma proposta, al
que sam. ionna"dos pela tlMsooiariai a quem
mnd .i ouvir, e que apenas respondeu-mo sobre
o escripturario Arvell Espindola e possa ento
esta presidencia aprasentar V. Bxc. os mencio-
nados requerimentos, com todos os esclarecimen-
tos que colher aserca da idoneidade, habilHacdes
e c N. 715.Dito ao mesmo n. 2iTransmuto a V. Ex.
com a infnrmacao prestada enul6 do crrante pelo
inspector da thesouraria de fazenda desta provin-
cia, o requerimento em que o i." escripturario
delta Tiioiu Atwm K.-piudute pede ser prvido
na vaga de 1/ que deu se por faUecimenlo culano Duarte de Miranda Heoriques. A insr-
maeo de- referido inspector so pnsso aectescentar
agora que o supplieaote, segiuklo^ me consta ter
3 annos de servico e eonta aijgiiidade de 2." es-
cripturario desde |0 de julho -d.lS66. conforme
disse a V Exc. em outro ofBcio-desta data...
N. 716.-Portara ao nspectoj da thesj>uraria de
sendaCommuniandome ^.Sr. Osmin Laporte
om uBjcio do 16 do crrante, anc, de votta 'da sua
viagem a Europa, reassuimra e-exercicio das func-
~*Qi de cooMl-.da- Uranca msM pTevei, assim o
aro a *. ptsaaeu eonheeimento e aran de
t constar ao inspector <*ffMa.
de 1 sulflente do mesmo Suelegado, de oHfor-
midade com a proposta de V. S. eraofflcio de 6 do
crrante sod n. 320
>'. 737.Dito" ao commandann? superior interi-
no da guarda nacional desle municipio.O Exm.
Sr. presidente da proviarin ruada declarara V. S.
quo nesta data se expedio ordem ao director de
arsenal de guerra para .trocar por nutras e eoa-
certar as-armas de qne trata o seu ofllcio de 17 do
crrante Mb n. 40.
& TUL. Dito ao commandante superior da
guarda nacional de Santo Antao.S. Excu Sr. pre-
sidente da provincia, re>pondendooofllciodeV.S. >
12 do corrate, manda declarar que a tbcsddra-
ria provincial tem ordem para pagar a Flix de
Figueiroa Faria os -veacimenses constantes de seu
citado ofllcio.
N. 739. Dito ao commandante superior da
guarda nacional do Limooiro.Nesta data autori-
sou-se a thesouraria provincial a pagar a Jos Ma-
ra Ferreira da Cunha os veooimentns, constantes
do ofllcio de V. S. datado de f do porrete, o quat'
lira assim respondido, de ordssn do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia.
N. 740. Dito ao commandante superior da
guardajtacional de Nazaretb.O Exm. Sr. presi-
dente da provincia manda declarar a V. S. ra inteiradq auo em ofBcio de 25 de Janeiro lindo,
de haver o alferes Jos Ignacio de Seabra sub
i i"CTnovnlrrTO c
de haver o alferes Jos Ignacio te ^eaDra sud- iv r0 u^i.;,,,,^^
stituido no comraando do destacamento dessa ci- j J"r f,,r
Fbi lnAviVua cadeira d%lnslrrtccao primaHa
do S. Jos de Ingazeira, para a de Gorrentes, o pro-
fessor publico Deocleciano Ferreira dos Santos,
E RELIGIOSA.--Amanhia cele-
z da Bea-vista. a fasta dt< fenhor
m-Fia, nswsfeiid iloldeja-
pobAirosos Motivas. Orar a* Efange-
|WdtJl>a|i|r^. I .\A I
4U.Klft>UES.Becohemos oe-
alo rt duas fregueeia, qne fatem
fb'i TOa-vpfa, il!. 5 msfrietn :
F^-egueleM it tanta Mara.
Eleitores para senador.
Joo Jos Rodrigues Coelho ....
Ma*eel Bodrigues da Silva ....
Estanislao Al ves de Azevedo. ...
Jos Gregorio de Barros Galvao. .
Manuel Rodrigues de Souza ....
Manoei Rodrigues Coelho.....
Vicente Ferreira Barroso.....
AntonsBpias do Bom-Fim ....
Jimio Pairo Rodrigues Coelho....
Jos Bayuumlo Rodrigues Coelho .
Antonio Rodrigues do iliMiyFin. .
litMnV4ino Gomes de Souta. .
Bt-nedLto Jaconie ftt.
Antonio .Mines FVrreWJ .f f.
836
830
829
828
827
826
825
823
812
719
%
assim o+ciclade, examine e orce os reparos de que precisa
0 edificio do referido recolhfmento.
4" seceao
N. 724.Ollicio ao presidente da provincia do
Cear.Nesta data remeti aos juizes de direito
Ht rtnogi'nes Sftcrates Tavares de Vasconcellos e
Fiancisco de Ass Oliveira Mackl os oftlcios que
para terem esse destino V. Exc. enviou-me com
data de 2 do convine.
N. 72.Dito ao presidente da provincia da Pa-
ra i\ ba.Nesta data o-de eorifotmtdade eximo que
V. Exc. solictou em seu ofllcio de 18 do crreme,
soi u. 1174, expceo as comentantes ordens ao ge-
re ite da companba Pertiambucana pai a fazer
triinsportar para essa provincia a disposico do
ropi'ctwo inspector da,-tbcwrarari de fazenda os
gneros alimenticios que oneaociantc Franeisco
d; Silva Torres est ncumbiao de comprar.
N. 726.Dito ao mesmo.Com o ofllcio de 13
do correte sob n. 1081 recebi dous exemplares
inpres.-os das expsicoes apresentadas pelo ex-
prsidente dessa provincia, Dr. Innocencio Serfi-
ca de Assis Camino, proceasio de passar a ad-
ininistraco della ao 2o vice-presidente padre Fran
ci-co Pinto Pessoa, bem como igual numero do re-
latorio com que V. Exc. abri a sesso ordinaria
di assembla legislativa provincial no dia ln de no-
viinbro ultimo.
N. 727.Dito ao mesmo.Recebi o ofllcio de Y.
Exc. de 16 do crrante sob u. 1148, c agradeeo a
a rainessa das bases ou condicScs do contrato por
V. t-xc. celebrado para a illainiaac/io a gaz eor-
retite e fornecknenlod'agna potatel nessa capital
bom como das observa^oes feitas sobre as mes-
ir as bases confrontadas com os deoutras propos-
t; s e das razos da preferencia.
N. 728.Dito ao presidente da provincia do P
ra.Vo ser transmitidos opportunamenic aos di-
vjrsos plenipotenciarios e ministros residentes em
ilitTerentespaizes da Europa os offlcios que para
terem esse destino V. Exc. me envin com o seu
el do crrante.
N. 729.Portara ao bspo diocesano.Partecipo
a V. Exc. Rvma. em resposta ao seu ofllcio de 18
do crrante sob n. 71, que nesta data expeco as
necessarias ordens ao chefe da reparticao das obras
publicas afim de mandar* cidade de Goianaa um
dos engonheiros d'aquella reparleio, entenjer-sc
com o ingente do recelhjinento de K. S. da Sole-
ilade da mesma cidade e examinar e orear os re-
1 aros de que necessita o edificio do predilo reco-
I imeato.
N. 730.Dito ao adminislrador do correio.
Transmiti a Vmc. para terem o conveniente des-
tino os 9 offlcios inclusos dirigidos a diversos ti-
nados e ministros do Brasil residentes em difiran-
les paizes da Europa que para esse fim me forain
temettidos pelo presidente do Para eomoflkkxto
1 do crrante, coavindo que me envi recibo dos
inesmos ofllcios.
S. 731.Dita aos agentes da companhia Brasi-
iletra de paquetes a vapor. Respondendo ab OfB-
cio de Vmcs; destaidata, tebho a dizer-lhe quepo
dem fazer seguir para os portos do sul o vapor
uar, boje as 6 horas da tarde.
N. 732.Dito ao mesmo.Os Srs. agentes da
ompanhia Bt-asileira de paquetes a vapor, man-
iera dar transporte para a corte, por conta do
ministerio da guerra, no vapor Oteara, ao guarda^
nacional designado para o servico da guerra Jos
Carlos dos Santos, aos reerutas Manoel Firmino de
Souza e Guilhermino Joaquim Cordeiro, e ao de-
sertor da extineta companhia de cavallaria desta
provincia Jos Martiniano do Nascimento.
N. 733,Dita ao mesmo.Os Srs. agentes da
Companhia Brasilefra de paquetes mandem des-
embarcar, pondo a disposicSo do commandante do
brigue-liarca Itpmwac. lim de ser recoitrido a
enfermara de martnha a I* tenente de comtnisso
Francisco Jos de Abren, que segn lo atiesta o
medico daquelle brigue*barea acha-se bastante
N. 73VDito ao gerente da coapankia J?eanam-
bucana.De conformidad* com o que ib selici-
tou o presidente da provincia da Parahyba em ol-
licio de-^8 do crranle sob n. 1174, mande Vmc.
transportar para aquaUa provincia, eai um dos
vapores de*a companhia. a disposico do inspec-
tor da thesouraria de fazenda daquella Capital os
gneros alimenticios que para ala tem de.seren
enviados pelo aefoeiaate deita praca Francisco da
Silva Torre* *
r1.-'73SDHberafio.-^O presidente daprdvin-
cia, attendendo ao que requereu Joo Fsjiciana da
Malta e Albuquerque, e ao que intoraou o director
getal da instruecii publica em 17 do crrante
sob n. 72, resolve trmnea-lo para xereer fowflna-
mente e sem vencimento algum o lugar da repeti-
dor doGymnasto provlorlar
BxrsniBNra.asswrADOfELo sr dr. joaqioi coa-
RrA DK AKXCTO, SKCBETAHIO DO G0VER.NO.8M 19
dr ifAtrep tw 1869.
N. 798.r^)n1c1oab'bt'. ehete de polica,De or-
dem do Bxm. 9r. presidente da provincia ommu-
nieo a'V.S. qnepor tteliberacSo dqsta data, Id exo
uerae a sen pedido o baeharel Francisco f
Velloso de Albuquerque Lio*, dOnOfl^
lefflde lo^'WfiWtf dafrffiezia damr^j)
do teraw*/ publico, FirW(no*tneotomo da Cmara Sautiag i
dade de Xazareth ao alferes honorario do exercito
Francisco Mathias Pereira Diniz.
N. 741. Dito ao commandante superior da
guarda nacional de. Garanbuns.O Exm. Sr. pre-
sidente da provincia manda declarar a V. S, em'
resposta a seu ollicio de 13 de fevereiro ultimo sob
n. 12, que a thesouraria de fazenda tem ordem
para pagar ao capitao Joaquim Silverio de Souza
os vencimentos constantes do citado uffieio.
N. 742.Dito ao commandante do corpo provi-
sorio de polica. 8. Exc. o Sr, presidente da p/Oj
viuda manda declarar a V. S. em resposta ao seu
ofllcio de 17 do corrente sob n. 123, que a thesou-
raria provincial tem ordem para adiantar o* vi
cimentes o sold dn que trtala o citado ofllcio.
3a >eccao.
N. 743.Offieio ao inspector da thesouraria de
fazenda.O Exm. Sr. presidrute da provincia man-
da derolvar a V. S. competentemente despachado
o requerimento documentado de Francisco a>rgln
de Matto a que se refere a sua inforawrSo da 17
do crrante sob n. 184.
N. T44.Dito ao inspector da thesonraria pro-
vincial.0 Exm. Sr. presidente da provincia man-
da eomniunicti- a V. S. para os lilis canyenientes.
que, segundo ofliro do commandante superior da
guarda nacional de Nazaretb de 25 de Janeiro ul- *"\ '"V '
tuno nessa data o alferes Jas lenaco d.Seahra
substituo ao alferes honorario do exerdto Fran-
cisco Mathias Pereira Diniz no conimando do des-
tacamento da cidade daquelle Dome.
N. ik_d[ ;,o mesmo.S. Exc. q Sr. presi-
dente da provincia nidada declarar a^r. c. pira
seu conhecimento, afim de qnc o faca constar a
iuem competir, quo.uo requerimciito a que seje-
are a u nlorm.tfao de II do correte, sr* .
134 no qual Jos Octano de Medeiros pede per-
missao para que no seu armazem danta do Apol-
lo n. 9 tambem possa inspeccionar e embarcar al-
godao de mitras provincias, proferid o despachn
das inlormacoes, como re-
. 709
... 708
... 708
... 707
. Ktf
... 706
ji r
'
po Rodrigues Coelbq
ERstMfenicio S**lAra. .
Andr Rodrigues Cuelho .
Joo Ferreira N'unes.. .
Joaquina Cvpriaoo Rouigues Cojilbo
Dionisio Rodrigues Coelhirde AU/Uo
Klesbail t;iirispinianoCoellio.Br^ri6o
\ atona Rodrigues de Al incida ... *
Jus Ferreira Gomes.....
Joo Tertuliano Rodrigues Coelho .
Eleitores para deputados.
Rodrigues Cwdho .
ira Gomes.....
uliano Rodrigues Cwllio .
Rodrigues Je Afhiaa ^
"Chrispiniano i'.oelho Brando
llodrigues CoeU (ia Aquino
Cypriano Rodrigues Coelho
.freir Nunes .....
Bodrigues Coeho .
Elised Bentcio S e Lyra,
Jos Pmropio^Biidriges CooHw .
Victo* Rodrigues i^jell .
Antonio Nunes Ferreira ^. '. ....
Benedicto Jacome Bsandio .
Miranolnii Gomes do Souza.
Antonio Riio^igucs'fl^'aWoi-Viiu .
_ mirado Roilrionf s Coellig .
Joo Reiro Rodrigues Cielli.
Antoni'Dias do Roiii-Fin .
VnentFerreira Rarrnao.
Manoel Rodrigues Coelho. .
ManoaF-Rodrigiies de Souia
"***aoraario de Barros Gstlvao. .
Estani^l,, Alves de Azevedo. .
taiim! Hotmj < wi.....(
'fl-tgitUia do Senlior Bom Jess da'Iyieja Nova da
C.achoeira ao Roberto.
Eleitores para senador.
Fraactsco Jos da Silva Amorim. .
Antonio d N'a-eunento Pereira de Mello
CEMITERJO PUBIJCO.-Obituario d dia 30 de
mareo:
Manoel, Pernambuco, Santo Amonto : conge -
lao cerebral.
Antonio, frica. 40 annos, Santo Antonio; con-
gesto cerebral.
Jos, Pernambuco, 11 mezes, Santo Antonio ;
febre maligna.
Manoel Fehx de Oliveira e Silva, Pernambuco,
36 annos, ca>ado, S. Jos ; hvpertrophia.
Antonio Flix dos Santo, Portugal. 70 annos,
solteiro, Boa-vista ; paralysia.
Norberto, Pernambuco, 36 annos. Recite ; per-
cardite.
Mara de Castra Tavares, Pernambuco, 19 annos,
casada, Be a-vista; eclampsia.
Antonio, Pernambuco, 6- aanos, Recite ; inte-
rte.
Joanna Mara dos Prazeres, Peraambneo, 24 an-
nos, solteira, Santo Antonio; phlysica. 9
I-abel de Frejtas. frica, vi ana, sateira. S.
Jos : cancro uraao
Maria. Pernapibneo, -1 dia, S. Jos ; ttano.
Francisca liarla da Concei^b, rwnamnuco, 47
anuos solteira. Boa-vista; hernopethese.
Gertrudes, Peaambuco, H mezes, S. Jos ;
desinteria.
Maria, Pernambuco, 2 mezes, S. Jos ; es-
pasmo. .
31 -
Joao Ferreira dos Anjos. Pernambuco, 5."i annos,
solteiro, Saato Antonio ; congesto eerebral.
Januaria, Pernambuco, 23 annos, S. Jos
phtvsca.
Joanna Maria do Carmo, Pernambuco, 70 annos,
viuva. Boa- vista ; tu I lerculos pulmonares.
Joo Francisco Rodrigues, Nazareth, 80 annos,
| solteirp, Boa-vista ; gastro inlerite.
Joaquina Pernambuco. 7 dias, Bpa-.vista ; te-
no. II fi
Latiran* Oiindiiia QuaiWsnta Torreb, Pernam-
buco, 33 annos, solteira, Boa-vista ; tubrculos
pulmonares.
Guilherme Augusto Ribeiro, Portugal, solteiro,
Boa-vista; anemia.
705
704
703
702
701
700
700 ta,
836
830
829
8W
827
ta dos respectivos autos, que o Sr. ImHo a
o$ seus prupriot olhoi.
Fui levado ordenar essa permuta, cuu a qual
cuncordou o Dr curador geral por ler-me con-
vencido que_ della resultavam raae vantagens
para os urplios, e nao por influencia de atiiuade,
que iMugein nielhoi do que o Sr. Basilio taba qne
em lempo aleum tem actuado as miabas decisoos
como autoriaade.
Havendo oceupado por duas vezes o logar de
delegado de policadaste termo m largos periodos,
e tendo em deu. quadrienmos, qua>i completos, de
supplente do cargo de juiz municipal Marcado por
diflerentes vezes o dito cargo, apra/.-me ver qua
um inimigo, tj rancoroso, quanto digno de lasti-
ma, no seu niaior desejo de aggredir-me s reear-
rendo a calumnia pode satistaier o seu satanice
furor.
Por esses tartos nao serei eertamente cxpellido
de templo da justica, nem delles resultar a mas
leve mancha para a miaba reputacao.
Falta anda a verdada o Sr. Basilio, quando dia
que tenlw precisado de espoletas eassassinos, com
que me tenho aeompanhado em minhas i^iupanhas
eleitoraes, entrando com elles na igreja e misan-
do as estradas.
Nunca semelhante gente me acompauhou e
quando as occa de ir igreja, bia sempra em companhia de ho-
, ineus iuipoi'lanles, coiu tenho relae. s, sendo qtu-
, nasmlnhaexcnrsoeseteitoraes apenas era aeom-
., panhado pelo meu criado, e atgtunas veees pele
' Sr. Basilio, como podom te.-teiounliar os habitan-
tes desta enmarca. *|
Falta finalmente a verdade o Sr. Basilio, quando.
aflirma que ontrora eu abundava em encomios
sua pessoa, j em urna correspondencia inserta no
Diario de Pernambuco, e j na asscmbJa provincial
em urna npugnaoao, quando se tratava da trans-
ferencia de certos engenlios da freguezia de Tra-
cunhem para Pu d'Alho.
Na correspondencia alludda, propoito de urna
questo em que liaba inleresse, tratando de deffen-
der una certidao passada pelo Sr. Basilio e rgni-
do Sr.
tafi'nZUilfsiis Randein Pernam- da de falsa, apenas disse que a reputaeo
tgnLynSL*Sa^^^ V"^n,a,v.- I^ili'! .""a superior a urna tal arguioo, .e na
solteiro, S. Jos ; congesto ce-
5g | buco, 45 annos,
sil \rebni
Eletitpria, Pernambuco, 45 annos, Boa-vista
hcatltijK
PelisfSna, Pernambuco, 2 anuos, S. Jos
astbma.
812
719
710
709
709
708
708
707
707
70C
703
m
702
701
700
-55SS
CORRESPONDENCIAS.
seguinte :-A vista oas ,ior,i.a.;.H->, v'" -" js cbrisplniann Rodrigues C. Brando
quer.-Palaco do governo de Pernamliueo, lTde (),tvio Jo^ lm,|.jgllt,s 8
mareo de 1869.C. de Bae^endy.
4a seecao,
N. 7*6.- Ofllcio o administrador do eorroio. jPeraira lliveira
De ordem de S. Exe. o Sr. presidente da nrovn-!
Ha communiro a V. 5., para seu conheclmenu, Marnjano ^fo Silva
Joaquim Manoel Rodrigues Coelho .
Antonio Leopoldo Pereira de Brilo .
Antonio Pereira Je Oliveira .
, Alexandre Magno Peixoto de .Menear
cominuiiiro a V. 5., para seu connectinento, ., _,
que o vapor Guar, procedente dos portos do nor-
te, deve sabir hoje pRra os portos do sul as 6 ho-
ras da tarde.
502
499
498
484
474
473
470
469
332
DESPACHO DA I'RESIDKNCIA DO DA 1' DE ADRII.
DK. 18G9.
A haixo assignados proprictarins moradores na
ra Imperial da freguezia de S. Jos. Informe o
J Sr. engenheiro fiscal da estrada de ferro, ouvindo
e Sr. superintendente da mesma.
Alferos Augusto Palor Cesar.Ao Sr. n=peetor
da thesouraria de fazenda para satisfazer o que
pede o supplicanle.
Engenheiro Antonio Vicente do Nascmento re-
tosa.Ao Sr. inspector da Ui souraria de. fazenda.
Archanjo Chrispiniano de Gouva Cavalcante.
Conceda-se a prorogacao pedida eom ordenado so
Jos Cypriano de Amorim..... '346
Francisco Manuel Rodrigues Coelho. 344
Jos Antonio Freir do Andrade. 338
BerthoJino Rodrigues \le Macedo. 335
Hygine Pereira de JJello...... 327
Eleitores para deputados._
Jos Ghri-piniano Rodrigues C. Branda o 502
Francisco Jos da Silva Amorim. 499
Antonio do Nascmento Pereira de Mello 498
Aloxandre Magno Peixoto de Alencar 48*
Jos Cjpnano de lnorim. ..... 474
Francisco Manoel Rodrigues Coelho. 473
Manoel Francisco de Amorim _. 470
Ignacio Francisco da Purificaeo 409
Jos Fran :tsce de^AIbunucTque Cavalcante 352
monte, e a contar do dia 22
(Indo.
Baeharel Chryssolito Ferreira de Castro Chaves.
Ao Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Carolina de Azevedo Carvalho eiqueira Varejo.
Infonne a directofto do tlieatro de Santa Isabel.
Deocleciano Ferreira dos SantosPasse porta-
ra remo vendo o supplicanle para a cadeira da
povoacSo deCorrcntes.
Eduardo Monteiro Moura.Dirija-se ao Sr. di-
rector geral da nstruce,o publicai
Francisco Ignacio de Met'iros. Infirme o Sr.
inspector Ja thesouraria da fazenda.
Frederico Colombiano da Silva Gujmares.In-
forme o Sr. commandante suportar.
Heraclio Constantino de Paula MonteiroJa se
providenciou no sentido jue requer o suq.dicante.
Joq im Goncalves Ayres. Indeferido vista
da iuforma^o.
Joaquim Manoel da Costa.A' vista da infrma-
le* conceda-se a pforagaco pedida.
Engenheiro Manoel Buar |ue de Macdo. Ao
Sr. inspector da thesouraria de izenda.
Srafim Pera ra da Silva MonteiroAo Sr. di;
rector geral da instruee > publica para juntar
iHitra postaao do sunphcante, qne Re (oi envina
em 30 do novetnbro do- tnai oassatlo, e informe
com brevidade. .,'-
de marca prximo ; J()S(, jfiT,,ae& Kodrpues
338
Antonio Tolentina Rodrigues..... 335
Jos Mariins dos Anjos......327
PUNflALADA.O autor do ferimenlo, feto ante-
hontaaa noutena ra de Santa Thereza, na pes-
soa deiErncstu Goncalves de Macedo, deque bon-
tem afeiramos os leitores, fi Antonio Ricardo Ro-
gers. Q ferimento foi jiilgad mortal pelos mdi-
cos, e q criminoso esta sendo processade pelo Sr.
Dr. subdelegado da freguezia de Santo Antonio.
TRIIJTOS URBANOS DE JABOATAO. Depoi*
da ultima pnbHcaco inscroveram-se na lista de
sflbscii)ic3o nnis vinte e qutro pessdas com a
quant de 48:0003000 ; que, reuhaa ao anterior,
eleva 0 total a 4Oi:6O04OO. Eis os novos subs-
criptor :
Adriano Augusto de Almeida Jordao 2:000i|0u0
Manoel Jos Dantas............... 2:000*090
Joo de Castro ttuimares......... i :000400o
Francisco Goncalvos Netto......... 400|000
Albino Jos Ferreira da Cunha..... 2:000JW0
Hepartlcio da polica.
. 2* seceo.Secretaria ua poBcia qV Pernambuco,
9 de abril de 1809.
. 462.Bn. e Exm. Sr.Tenho a honra de
levar ao tontetimento de V. Exr. que, segundo
consta das paTtinpa^des rerebidas hnje nesta re-'
partieo, foram hontem recolhidos casa de uwen-
igao ce seguinte individnos ;
A' rmona ordem, Sebastiao, escravo de um Fu-
lano Fofiseca, por infracto de posturas.
A' ordem do subdelegado de S. Jos, rsula Ma-
ra tas Nevos, por desobediencia.
i A'ordem o da Bba-Vista. Pirramo' Gomes da
Bilva, como suspeito de ser escrvo.
Parttcipnu-me o Dr. subdelegado da fregtteria
de1*. Antonio, por ofBcie desta, que hontem a 8 e
1/2 horas da note,.na ra de S. Theraja. da mes-
tnafregneria, Antonio Ricardo Royer raHo cotn
estocada sobre o pelto estjurdo a Wnsto Gon-
calvos de "Macedo, sendo iin^manametite preso ;
qne proceden crpo de deheto no lfendidb de-
ctarattdd os peritos ser mortal o feraamto,.e pas-
ma a instaurar o processo contra o autor.
. Deu? guarde a V. ExcIllm. Bxm. Sr. conde
fie Bapendy, presidente da provnlcia.-^ycttfeMe
porcia, Franciico de Faria leos.
5 00O0O0
2:0004000
fcatajMO
2:0001000
1:0004000
2:0004000
2:0004000
" 1:0004000
1:000*0011
1:0004000
1:0001000
5:0005000
1:0004000
1;0004000
1:0004000
1:00000'
Ymttitm.
------V, ,,.w !..------"
r
UBfAVlkUL
aW> 0WtC?AE*.-Pnr ffHl*r?6eJ. dSpri-.,
idaa^*'l'd,vcoranv:
'.fu iaa^rd^sga''fcafan*d ilves Marinho Falcao.
Bento de Barros Feij.......
Antoni Augusto Ferreira Lima.....
Bernandtno da Silva Costa Campos..
Andr d Abreu Porte.............
Dr. Mnocl Thomaz de Bittencourt
Cor Real.....................
Bernardo de Siqueira Castro Monteiro
Thomai Fernandos da Cunha......
los Lu-io Monteiro da Fonseca Finw
Dr. Maioet da Fgneiitoa Faria.....
Alexandre dos Santos Barros.....-
MJttofJ na Lunna Wantrortey Lns.
Migue Jos da Cosa... .........
Bernardino Jos (USvaiaia......
Antonio de Sonaa-Guerra..........
Jos Antonio de Almeida Cunha...
Antonli Jos da Cunha..........
Luiz Manoel Rodrigues Valonea
Manoel Pedro Noronha............ 1:fl0w?5
Francisco do Reg Bapttsta........ 3:0004000
GONSULABO AMERICANODurante a anua-
ria do Sr. Adaman Janier, aeba-se servindo de
consol t) Sr.'aao. Gratb, e enearrogado da chan-
clarla consular o r. Carlos L. P. Moeck.
BARGA FOAM.=Fo hohtem vedldd em leilio
por 1:3)54, o casqo, astratcao e dejuais apres-
tos desfe navio, no lugar do naufragio. Foi com-
prador o $r. Guiarme VieadaiRocha.
DE HABDwrTAC.40 PABA O MAGIS:
is' senhorav ap se apresentaran
nos dias .t a 24 do mez passad, foram
W WwmflAq*; por unam'midado de votos
adoresDD, Lpella de Albuquerque Mel-
-.Budocia Bapsta. Anua Laurinda de Si-
arajaTi," Mffa Adelina da Silva e Anna
'e Linw,Bego ^aVuen; i'.port maioria
DD Dbmiogas Paulina Ayree, Btaez Fe-
fa de Xxra, Guilttertiuna FraHCisca
e Idagn? cptastica Guedes Al-
A qne se acata yenda a 100*, a
,reja de Noasa Senhora do Monte da
da, que corre "hoje.'
Srs. redactores. Unta correspondencia publi-
cada em seu Diario de 24 do crrante, sob a Arma
de Basilio Goncalves da Luz, attribuindo-me a pa-
lernidade de um communcado. que no Liberal da
17 do passadofoi dado estampa sobre negocios
da freguezia de Tracunheni, obriga-ine a vrr de-
clarar pelo tm.Dinrio em ajtncao ao publico que
o audido communcado nao meu, assim como
pie na ro esnij" cr> miun nnynii^a, un.
pi.'dido meu, assegnrando que formando orna opi-
nio dianietralmeljte opposta a que no referido
communcado foi manifestada em relaco a impor-
tancia attribuida ao dito Basilio, nao podia vir dar-
Ibe pela imprensa, anda quando descesse a oceu-
par-me delle, aquillo que inui positivamente se
oppoe a evidencia dos fados.
Debaldc procura esse Sr. Basilio apadrinhar-sc
com o meu nome, tornando me responsavel por
tudo quauto se diz e se escreve respeito delle,
afim de ver se por esse meio dex de soffrer o
que nao passa do consequencas da anmadverso,
em que geralmente lido na sua freguezia, c es-
pecialmente na povoac> de Tracunliein, pelo seu
mo procedimenio. .Nao temo os effeilos dessa
respnsablidade, que nao accelo, nem llic servi-
rei jamis de padrinho, como deseja,
Devis liuiitar-nie ao que levo dito, mas j que
venc a repugnancia, que me inspira esse nome,
para vir dar-llie resposta, nao quero deixar de a-
zer ligeiras con-ideraces soliro alguns tpicos da
correspondencia, a quo m reJiro, votando ao mais
profundo despiezo os juizosenunciados a meu res-
peito, os quaes nao passam de verdadeiras banali-
dades, as>im como os insultos que foram vomita-
dos contra miiu. insultos s proprios de quem,
como o autor delles, nao nde esquecer o que Ihe
coube em part I lia eom o leite da iofancia-
Sou incapaz de fazer ao Sr. capitao Lonranco
Bczerra Marinho Falcao, a gravo injuria de o apre-
sentar como instrumento de tima enlidade como o
Sr. Basilio, c estou convoncidissimo.de que o mes-
mo Sr. Marinho Falcao me faz a justica; de acre-
ditar que s o inverso dessa Droposi$o c'que po-
deria partir de mim em relaco sua pessoa.
Entretanto, assim enuncia ndo-he acerca do Sr.
Marinho Falcao, cujas relacoes para com Sr. Ba-
silio sempra foram olhadas por mim com a maior
indiferenea, devo declarar qoeifooro completa-
mente quaes sao os beneftcxM qne por dle me fo-
ram felos, segundo so diz, na mencionada corres-
pondencia, assim como qna-s sao os meus paren-
tes e bemfeUores, i que tenbo correspondido com
UesleaWade e ingeatido, conirme foi acensado
em outro tpico da mesma eorr-espondencia.
OSr. Basio fatendo-me taes aecusaeoes nao
para do echo das falsidades, que o Sr. Dr. Lou-
reneo Bezerra Carnelro da Cunha tem propalado
aqu contra mim em desaha* do odio profano,
que me vota, por nao me: ter resignado ao papel
do seu pupillo, e portauto ao Sr. Dr. Lourenco
Bezerra que esse respeito eu me dirijo, provo-
cando-o mui formalineate qu venha pela Im-
prensa fazer-me as aecusacoes, que tem tdo a in-
sensatez de me dirigir em particular e de declarar
quaes sao esses bemfeitores, que se tem referi-
do, e quaes os fados de togratidao por mim pra-
ticados, pois qu tenbo 04nal>vivo tosejo deque
. S. abra dtscussao a esse respelti afhn de que
se me offereca um ensejo opp> rtuno de dar-lhe
prompta e satisfactoria resposta.
Espero que o Sr, Dr. Loupenco Bezerra se nao
recusar ao repto que Ihe dirijo, sob pena do II-
car tido e havido por um covarde c despresivel
calumniador.
Falta a verdad o *r. BasKk), quando diz que a
queixa, que se referi o communcado do Libe-
ral, fora dada efn virtude de ordem minba, como
juiz municipal supplicanle em exercieio, segundo
declarou o proprio queixoso, que diz seu meu ins-
trumento, julgando capar-d'aquillo que s elle
*epode prestar. .---
Nenhuma imlueuiBia firteM na anhnd do uet-
xoso para dapa mencenJtr|uenra, nem o julgo
eapaz de attribaJrm semsttana caiomiMa, ae s
se coadoiua nom o carcter do;an aggresor.
Falta a verdade o Sr. Basiliu, quando diz que
vio com os mis pTopriot-nlhos p cartoro de or-
baos deste termo registrad* srh sentenca, pela
qual mandel permutar tOM enea pertencente aos
arpbbs do padre JoioCavalcau no rala}da.,.
JO0400O r?. por um casebre no valor de 704000
fs. pertencente ao tatdr dos msmos rphaos,
sendo a permuta feta parte por parte, sem rapo-
sico do tutor, audia ser m*u antifai,
A casa do padre J Cavalcanti tove o valor
de 3004000 rs., e a permuta de aue so.. traU nao
versou sobre a totalidide do valor da mesma, e
sim sobre una pa*WuelH4?*9, que nell^hlham
os referidos orpbioa, tartdo ado avaNada por
200*000 rs. a casa, que f" .:dfrlu4v 9 tina* '
dala de 3 de afiosto de imraQdlhen ^olwctoija
geral desto ntanleipid a ^dj^f jrgsp!
la casa do padre Joo Cavatoanti, o que tudo cons
assembla provincial nem urna palavr profer
seu respeito, quando se tratou da questo de que
fez menea >, como se pode ver nos Diarios do
anuo de 1858.
Em Dcniiiiua occasio pois foi o Sr. Basilio
apregoado por mim como parocho zelloso, amcei-
tliado entre os seas parechianos e amigos sincero e
devotado, conforme o diz na sua corrspondencia.
Se purera podesem pi eoeupar-uie o* pompo-
ros elogios, que o Sr. Basilio incessaBtmente ae
prodigalisava, at que, recorrendo mim par*
"bter de amigos meus urna decisiq manisfesta-
mente contraria a lei, nao foi servido, eu para
comproval-os poderia apresenlar era lesleraunho
toda a enmare* de Nazareth ; mas sernpre dei aos
seus elogios o mcmio valor, que hoje duu s suas
inventivas e calumnias.
Tenho respondido ao que merece resposta. Foi-
.... fn.inn ).nnn ijin mu atlpny'iit n,> mihlJC. JUt-
rante que fui aecu-ado, robaixar-me a'e o nivel
do Sr. Basilio; mus declaro que jamis isto me
prestare!, pois a minha dignidade ,i*a.> comporta
que eu esiejo medr-me com um cooteudor d>.
seinelliante qui'ate.
Pode pois o Sr. Basilio fazer me de hoje por di-
ante pela imprensa as aggressdes quo quizvr, va-
lendo-se para isto de qualqur pretexto, nao mas
respooderei. rSa^aMASasaaB^aa
Ao publico a*sagnro que tenho muilo em que
empregar o meu teiupo para occaoar-uie cora a
pessoa do Sr. Basilio, a quem bem Innge estou de
votar odio, como disto t-ni elle consciencia, einbo-
ra diga o contraria para Justiflcar-fe do e-tado
hydrophobieo em que vive para" consigo, tendn
consistido at aqu o meu nico empenho em re-
laco um tal inimigo em afastar-me o mais pos-
sivel delle, rindo-me dos vais eSlutcos. quena
cessa de empregar, para denions.rar q_uo pode fa-
zer-me algum 111 il, o que felizmente nao te ohtido
at o presente, c espero cm Deus que jamis po-
der conseguir.
Tenho concluido.
Nazareth, 2!) de marco de 1869.
Joaqiiiin. Francisco de Mello Ciualcante.
PUBLICACOES A PIUCO.

CONCILIO TRIDENTINO.
Do que vale, para a questo, o quo diz Manoel
Borges Carneiro, que nao quiz ver mais de du-
zentos actos legislativos concernenr.es sicecila-
co e execuco dos decretos do Concilio Triienli-
no, e preferid reproducir o que a es-e respeito
havia dicto Jos do Seabra, om sua Deduccwi
hronologca t
A questo de saber, si os caones ou decretos;
do Sagrado Concilio Tridentino oram ou nao ac-
cedes pelos res de Portugal, e si a legislaeo^que
os acceitou c mandou executar, *st;i ou nao em
vigor entre nos. Creio que a atBrniativa destt
dous pontos nao pode ser impuguada, em vista da
legislacjio, que citei era meu artigo de 24 do mez
passado.
Os decretos do Concilio foram recebidos por D.
Sebastiao, nao s era sua menoridale, mas tam-
bem depois que assumiu as redeas do governo ,
foram depois recebidos, ou antes reconhecidos co-
mo lei durante o dominio tos Filppes ; no reina-
do de D. Joo IV, no do D. Pedro II, no de D.
Joo V, no de D. Jos, no de D. Maria I e no do
D. Joo VI.
Afastemo-nos do reinado de D. Sebastiao, e ve-
jamos quarenta annos depois do Alv. de 12 de se-
tembro de 1364, o inie so ordenava a este respei-
to. as ordenacoes Frlippinas, promulgadas em
II de Janeiro do 1603, Liv. 2. Tit !. 13 diz-so
o seguinte:
____: os prelados e seus olciaes deven
guardar em suas vizitacoes a forma do Direito Ca-
nnico e o dcoreto' do Sagrado Concilio Triden-
tino.
E mai> adan te no mesmo 8 :
E nos outros casos fra uestes, em que o di-
to Concilio Ibes di faculdade para prenderom, ou
penhorarem os leigos, por se evitaran censuras,
devem guardar a forma delle, etc.
No mesmo Tit. 27 se diz :
E quando deelinarem nossa junsdico, ale-
gando qne sao clrigos de ordens nenores, e pe-
direm quo os reineltam a seus juizes ecclesiasti-
cos, na forma do Sagrado Concilio Tridentino.
ele.
Oitenta annos depois, a 45 de outubro de 4863;
di-punlia D. Pedro II o seguinte :
.. .. : tiei por bem e me prsz de declarar
ao dito hospital (de Santa Eulalia da Oliveira) por
logar da minha immediata proteccao, para que
como tal logre os privilegios eono'didos pela lei
do temo Liv. 1.- Th. 02 4 in fine, e Ctodtin
Tridentino, cap. de rtformat., sess. !2.' etc.
Noventa annos depois, aos 28dB;igesto de 177?,
promulgaram se os estatutos da Vniversidade dn
Coimbra, dds qnaeattractarti o wguinte
Liv. 1. Tit. 3., cap. 2., g 27.
Daro (o profossor) a conhooeT a autoridad
das decse dos meamos Comlifs: musir!*
que os universaes sib a supremo amado o o.J
liunal mais augusto da Igreja; por alies
Unid o corpa de todos os pastoral l r*-
Christo, debaixo de eu tega^^p
immo Ponuflce, para o Ora e'


C0O1
t v
Diario de Pernambeo Smbbado S de Abril de 1869.
3., _
ll^w fodas
OS IVTOS
ipo'/MM. o de
I''>ium4 e
i iiadt pao Ss
idade da ||
mares
Jurdi
controversias da F e da Moral
fixar a disciplina e polica da Iprrcja.
28. Mostrar, que por esta razad si i os
meamos Concilios os manumonlns ma auto-i*a-
dos da lreja, epois da Sancta Eserjptura; qae o
juizo dellea as materias dogmticas edoutnnae
irreforiaavol s que a-; sua* deflnicoes e dc'-etos
sao infaulvei; e que a eltes deven aequitsrer e
sukjeitar-se todos i fitis, abrai;ando-os, seamndo-
oi, e respeitando-ts cm> caculosiypiqa.dos p|k
Espirito Saneto. que MPf* msisto
So mesmo Liv.,
Continuar da:
iot e formulas, c
m qac elles se
o ire no, o Contri
na;to, o Laterane.
copiosa Confissao
tice Pi IV
so, que no fi
No v. 2.' (
3. 18:
Nao deixar sea memoria as partes de qne
se frma o Direitti Cannico Novisalmo. Intr*
ellas tara urna resumida menco do Concilio Tri-
dentino, etc.....: dando a co heeer oM( au-
toridad* de todas de cada urna desea* ptrte*,
que eatram na composieao do Direilo Cannico
Novissimo. >
No mesmo Liv. Tit. 8., capit. 5.", 18:
a Coi este metbodo explicar todo o decreto,
sem preterir distincco, cau ma dale ; dando a eonhecer em cada ama iem*
os titulo* parallelos das ecretaes dfc Gregorio IX,
do Sexto, da* Clementinas, das Extravagantes e
tamben) do concilio dk trknto e das outras pe-
sies do Dlreito Cannico Novissimo etc. o
No mesme Liv. e Tit.* can. 6. 8.:
. Explicaro o Direilo Cannico ernnno, ver-
da>iro' propriamente tal, assim PuWco, f ora
Particular ; e asem Commum e Universal, como
fspeeial da Igreja Portngaem, etc.....Co (bi-
nario sempre as rcjrras e os prereitos do Dirito
de cada tit. com os DireMus natural, divino, v. ec-
elestastlcn positivi antign; com o direlto evil,
conforme a qualidade da materia ; com o DI "Cito
nflhWWo rdo Sexto, das Clementinas, das Extra-
cafantes; e com o Direlto noris*imo do concilio
tribenti*, das Bullas posierbrs, etc. o .
No i do mesmo eap. anda se repete :. re
eotnnjen'la*So da explieacao dos decretos do Sa-
grad* Concilia Tridentino.
E cao** observar que os Estatutos da Unlvorsl
dade tonm promuinaoos depois que Jos de *>a
era escreven e apresentou ao re a sua neduytlo
Ckrono'ogica, na qual pretenden negar a autoiida-
de do Sarrado Concilio Tridentino.
No art. l. da Cmordafa de 80 de jtilh) de
1778 anda se traer da observancia do Con.:itio
Tridentino quanto ao concurso dos beneficio? ec-
ctesa A opinlao, perianto, de Borges Girneiro nao
pode er "eriamenle opposla s disposicSes de le,
ijue ficam citadas.
Reeife, I.* de abril de |8<59.
Dn. J. C\mp* x>k C. t>". M. e A.
:f1i tti huafli i rfg_Y ff'T I! ietemunha<
naell,*p**4 i ersos art. 192
do cdigo crmipal, seni autores o primero (
naudaote,e os (rmis'ultrmos oawio mandatario*, o
sujeitoa -priaao firaiHite. O escriao rneam-
mende o priineico o. terreiro roo na primo em
que se acham, e passe mandado de prisao contra
o segundo, e remetta este pracesso ao Dr. Juiz
municipal do termo. Cidade de Gtianna, 2.1 de
mais
pronuncia e
Vetitiodespadiod'.; Mjn-
estarcenforaae o direito. nasa
mas, c paftaemoiriM* as is-
an.-eos s>iiniaeuo rol dos rl-
processo ao juizo d'amto
tubfuj i8Jf.loi/i Uir-
se cBtinha em ditos despachos d
sustenlacao de pronuncia, que_eu
roBa?Brr liw9yF[Siifc)n#'C. r<*>stt:
' meSl
dt^HPi^tZirl-
f sejttl a unirte do Mea pa(
elo e antis; .4alalo Bernardo
de Matiza.
Ei-lo sem vida, paludo seu corno ali repoiis,-.
Alguns minutos mais e a negra e fra louza
sens restos cobrir. Morreu to cedo I anda
lbo desiMiitava a aurora risonha, fresca o linda,
ga mite, o envolvendo no glido sudario,
e deu por cabeceira deixou-o ad irmece- em lnguido abandono
entregue a > peso li irrivel do seu eterno somno
Ap *nas vinte anivis que sonhos cor de rosa
aquella alma no teve, de gosos sequiosa '
en'anto os labios seus apenas se entreabriram
para sorver o nctar, e logo aps sentiram
4 amargor do (l. Meu Dens, que triste sorte I
ler apenas vnte anno* e ser presa da mortc I
Elle era nossoirma, devemos lamen'a-lo ;
elle era nosso amiiro, devemos pra-itcalo.
Porem p'ra aossa d.ir inda ha consolacao,
inda ba um alivio santo que cura osta alQic^o:
Kra obra do Senhor, rcpoua alm nos cos;
o Creador o fez, tirou-lhe a vida Dos t
Porm a djr que mata, a dr exeruciantc
a de um pai qne looge, alem, mutn distante,
pensando no seu filho, julgando-o inda com v da.
recebe a triste nova Sua alma commnvida
estala de pesar, de angustia e de agona.
Em seu neit" de pai elle acba tvrana
o acto d apartar o filh > de seu lado,
e delle, ha tanto lempo, o ter-se separado.
iVw bo, rmSr,.', o quo cuidosos todos devemos consolar.
O lamento q-ie fazemos
pelo filho que se vai,
pode servir de consol
ao sen vclho e triste pai.
Si de Mareo de 1869.
C.M.
l i es I So Abren e Lima.
(Um aadrm'co.)
Um gran le cri ne com n tli en luz do da, ;in-
teponl) me a opio a di mm illu-trad me*lr i
Dr. Vigila Tavares, sob o p demico e n um artigo publicado no Jornal do Re-
eife de S du marg.i passalo s.>bre a ti'n celebre
qnestao sepultura erclesias'ira !
Nao tive outro desejo. escrevendo o meu-art go,
que e;c.larecer-me na m tpria quanto mais defmis
de ouvir do Sr. Dr Vella urna preleccao lio ix-
tran'ia la q fp esperara
Entretanto contei que S. S. voltasse a impreisa
d*-ertand> longim-nte sobre o as-umpto em t|U
tantos Mas. de que modo ?
Na primeira columna de sen escripto arma"-se
de az irrague con'ra os que ousara n levantar a
voz em opposicao a S. S.
Ne n ludo articulista da Vilella quer ter um camppor orneo e equivale it.-
contendor o Sr. bNpo dim^'sanii, todos ns m;n-
nn re", e mimosea com alchool branca otirxo ra
rel'o. etc.
E' S S. ntuito generoso !
Felizmente coube-me menor dse porqne decla-
rei em tem[K) que era mnito pequenino, e queria
aprenderfoi o que me valen.
?aj pretendo mais occnoar-me da quelao, a
qn-il se acha bem ecida pela imprensa, fi-
cando plenamente ju-lifica I" u Sr. bispo.
Ao Sr. Dr. Vilella, qu- at mo nega nin lagar na
faculdade de direilo, onde Trapiento n quinto anuo,
pee i perdi do ncommodo que Ihe necasi mei.
rest^nd >-ine a satisf -e/i > de que em breve e*que-
cer-se-ha de mim porque nao deve. m&o v nen a
que nem a quem responda.
Miguel Lucio Filho.
Victima da baba inmunda e pestfera do Jani-
neiro, e-crptr da comarca de Nazareth da Mata
p tra ii periidico Liberal, ou o pelo.irinhn, on le
sai acontadas as reputaeoes alheias, por mais Ixm
iirmid.ii que ellas snjam. venho por e.se jorral
desa'i.ir a a (uelle inf une, im noral, corrupto e ve-
nav.'l escrptor, para que assiffie o escriptos qne a mun forem dirigidos, para que'ou
o possa chamar pera ile os tribunaes c"o p-tiz. e
com suas docisoes imprunir-lhe aa testa o ferrete
deinfame calumniad ir, e para qie o puWieo
fiq'ie certo quem forain os pronuncia los eoni
m tu lanos e mandatari >* d i assassina'o da Custi-
di-i \ranha. P"eo a puhhcacao dosd >a- dtca nmi
to) d; ns. t e 1 S >\ natural d T m lalia do -
dn vim pira esta coinrea d',\i?ireth hi onf
anuos, e tenlo morad ni enaenhi Verteate c
teae ite-coronel J is C ibral de Oliveira M -lio. eu
din lo soliente di me.i trabih i da agricultura
at6 h ije anda nao fui neo n andad i por aut#i-
dade alguma, inclusive as do partido do Jardi-
nero.
Vrteme de Nazareth da Ma'taM7 de marco d.-
llii, -Dm'nps Dios de Araujo (conheeiJo p-ir
Dominhos Vtgario.)
N. I.
R>mn?os Das de Arauj i cinheeidn por Domin*
foa Vigario, unraliH* ne engenho Vftentes. di
com ir w de N izaroth, e outr'ira m iradnr em Tnn-
bobi de-ta comarca,a bemde seudired > necesi-
ta que ii escnvi do jury desle tormo lhe d pr
car.lij os despachos de pr m incia existentes n >
procens.i ostaurado pelo awMBalo do infeJu
Custodio Machad i Araoj da Fiasaea, morad '
que fii eoT.uoa desla in"*m4 comarca, e assim
Pele V. ium. sr. or juix de direito assim
o mande.E. R. M.
Cu. pede GHftana, i de deiembrode 1M1-
Gonc lipes diRtcki.
Ei ecnvi i abnx i assigi^i, eertiflc qne, re-
vidi opricesio crine ipra, a fimt* 7ivrtrsi acn-^g despihi d
pronuaeia i i tbUM* seguinte :
Vistos estas aut .s, etc., ja |o pr.iee Vwt n pm-
eOi entoex-ontcw contra os r'-ns Jote Guber-
14a Coa, Joj Felippe, 0 aLuwai Gjumw da I
de direito da comarca, aqu fielmente
propros orignaes, aos quaes me reporto em meu
poder e eartoro, sendo estes os nicos despachos
de pronuncia exarados em dito processo. Nesta
cidade e comarca de Nossa Senliora do Rosario de
Goianna da provincia de Pernambuco, aos 2 das
do mez de dezeinbro do anno do nascimeuto de
Vosa Se ibor Jwns Christo de 1863. Escrevi e
assigaei Eai f e testemunho de. vordade.O ei-
crivao interino do juryAntn io nrreira de
Agmiar Jnnior,
N.2.
IHm. Sr.Domingos Dias de Araujo, branco,
casado e morador na comarca de .Hazari, a bem
de sea direito necessita que V. S. mande ao ea-
c.rivi'i desaa subdtdegacia, que revendo o rodos
culpados, lhe passe por certidao so no correntt
lempo em que MfeW lugar morou, o snpplicante
levo algum criine, ou se existe algura processo era
audameato eontra o suplicante, isto om modos
que faca f ; pelo quePede V. 8. Ulm. 8r.
subdeiegad''de Trombeta e Mocos lhe defira na fir-
ma re juerida.E. R. M.
C*rtiqu(}. reragbe, 7 de Janeiro de 1863.
montenegro.
Csrtieo qne revendo raou rol de culpados, nelle
nao ache culpa alguma do snpplicante,e nem aos
ma papis mdente* i subdelecacia, processo al-


itlSH n
O Rao de Janeiro Liimite Oevmta lettns da praca ataxa a eoo-' "*"** descontadas,
ventilar.
em corita
JafclaBo dacaixa flltal em Pemarhbuco,',af" Bselam letras'da trra e outros ttu-
los commerciaes.
Ehcarregam-se rwr cont alheia das mes-
praca
ftebe'riinhairo
prazo im.____
Sa rnojpkesJR)uro;
hia, BaeHH^nes,
e New^rteane, imitte c
para o Minos lugares.
Laig-de Pelwrioho n
7
Garantas e valores de-
1.011:744^580
enrronflfla1 Podados....... '488:474,5370
, MobU etc. do Bancal.. 7:0920350
a recebet-.
Diversas conlas. .
<*aitt. ......
w
3t$:80*0
370:478 >ti30
nulas
pies
correntes
475:15,
Sobei'anos
Ouro nacional
Vendem
13A7O0
54
tn.o
portugez )
Sdalas do goveruaj
de 1 a M j
Largo do Corpo Santo n. 21
l^ "'vfFifP*- JrjjrOlq&Ji^ caucao e de-
Letras 4 pagar.....
Jvaraas canta. .
U, y>
S. E. 0.
IIIIU
M/^o/.iepre-
i iiii.U r.n
mo


THEODOROSIllONiC.
Comprara
Libras esterlinas
tras
i'iiaati.
sim-
.40
e por le-
1.363:2584880
mas transaccSes, da cobranca de letras da
trra e de outros ttulos commerciaes.
Recebem qaesquer quahtias em deposi-
U), em conta ci^rrentet e a prazo fiiO..
"Effisc T. -! m^-mo largo do Corpo Saut n. 21.
receber. .t 434355.100
,,
.4^8:440 514(0 Soberanos
Ouro nacional
THE0D0R0 SIMN
endeni
13^700
C.
1.838:4145400
453:4745370
5:0080960
131:5510420
2.428:4460150
Pernambuco, 2 de abril de 1869.
Joseph S. Lambley, Accountant.
. F. B. Bloxham, Manager.
Hendimentn do
dem do da 2
ALFANDESA.
da I. .
:;;i:i.17*i
38:2364661
91:473488o
i
a 54 #^2 % de premio.
portugnez )
Sedulasilo governo)
1 -1/2 % de pre-
mio.
deta50O(K) )
Largo do Corpo Santo n. 21
'
MOVIMENTO DA ALFANDEGa
Volumes entrados
dem idem
com fazendaa
com generoa
gum do mesmo em andamento. Tmbaba, 7 de_ ja- MoedaS de OUrO...)
< prata..)
Cdulas do governo)
de 10 a 105....)
Cdulas do banco do)
Brasil e das caixas)
filiaos.........)
neiro de 1863.Era f de verdadeO escrivao
di sulul -legaca, Jos (Estavatn sedados e peeonhecdos.)
PEDIDO
Ao Sr. fiscal da freguezia da Boa-Vista,
que por favor, ou por caridade, nao
cinsinta servir de deposito do miteries
sobre o passeio do caes da ra da Aurora,
que se acha de frma tal. a imposibilitar
o transito publico; materlaes ha ali deposi-
tados, a mais de 15 dias, como sua Sa sabe
que aquel le pas-eio um dos mais impor-
tante desta cidade. porra continuadanenie
inulilisado.
UM ADVOCADO,
De quem otivio rtizer, de que Dcus
uiandou a Jaoob offerecer a Isaac em holo-
causto ?
Isaac foi offerec'ido i sacrificio por Abrn
seu proprio pai, (Gnesis Cap. 22), e nu
por j icob.
Quando Isaac foi levado ao sacrificio na
trra da viso, era menino, (citado Cap V.
12), muito depois, na idade de 40 annos,
rasoo corti Rbecca, de qoem tev^Jalnb
contando ja uns 60 annos, (GeaeshfCap.
25 Vv". 20 c 96,) como pois poda Ja-
eob antes de nascer sacrificar Isaac seu
pai?
Historia sagrada 6 cousa muito fina, nao
negocio de procar, onde todos mettem
o seu bedelho...
0 melhor de tudo istn que se inventou
eStC-Dedacii rlp hicLi om um" ;ai J
aggravo, fallando pessoas egregias I
Sacul.
_____
Poda em vez desta publcacSo fazer urna repre-
sentaijao ao Illin. Sr. capitn do porto; mas quero
ver se planto aqu o systema de publicidad^ e se
espanto e afogeulo para longo u po sinistro e
agonrero de certas aves nocturnas.
Chamo a attcnco do Illm. Sr. capita do porto,
para o arranjo do levantamento de um cnrral de
upanhar pexes, que com gravissimo prejuizo d>
navegacao vai fundar em frente da ilha do Grva-
la um tal Sr. Romualdo, (digo que levantar porque
i'xiste no lugar a madeira) nao obstante a tenaz
opposicao que desde inaio de 1865 encontrou este
senhor no capataz de entin, nos martimos matri-
culad is, na capitana e at na lilma cmara muni-
cipal respectiva, qne todos a prol dn bem publico
repre-entaram a capitana, eontra ta nociva pre-
lencao; e foi tal o clamor quo levant >u-~e, qiv
fez com que a capitana mandasse duas comms
soes examinar o iugar =endo a primeira incumb
da ao Sr. pratieo-mr Pa li'ha* e a segunda a e t
mesmo senhor tendn por ajilante "Sr. praUeo Ma
noel dos Rcis; o relatorio destes d mis senho'res
|ue b -m pode orientar olHn Sr. capitn do por-
to, de qoem espero, fara abortar tao escndalo
sapatota, confirmando dest'arte o acto de seu
muito digno antecessor, qne Hez o pretndante Bear
de cara banda, e assentou em tiio con-entr qne
levan'assom enrraes no espaco que medeia da
barra do r* l'na a barra da Cruz.
Abreu de Una, 24 de maren de 1869.
Antonio Augusto Maciel.
A perda de um amigo, vacuo eterno que Pica
no erara i, e na memoria daqnelles que tiveram a
felicidade d apreria-lo.
O alteres da esquadro n. 4 da euarda nariona'
ilo municipio do Bonito, Aleixo Jo.- da Luz Jnior,
fallecido I Amigo do finado, e extremamente
sen-iivel as imoien-as prrras de bondade que re
cebi de sua extremosa mi mediam o dever de
iirainia-li. e de dirigir sua incon->olavel mai tud
uanto patee deve dedicar um corara > que num-
Bscoobeeer os favores eattencoes que della meie
ci. Ao tinado, preces que hi de enviar ao Crea
dor, pela sua alma, e i ana familia, meus sinceros
pezames. E' bomenagem que rendo memoria d<
amigo, que desappareeeu, e um tributo que paga
amiaade.
Vida do Bonito, 39 de mareo de 1869.
Um amigo.
COMMERCIO.
PHAC-AJDO REC1FH 2 DE ABRIL
DE 186!*.
A8 3 1/2 HiHIAS 0A TABAS.
\ssucar bruto Cmal=340o0 por arroba.
Algodao de Maceio 1* surte 17noo pjr arroba
pol a tordo, a frote da 5/8 e 5 0/0
f. J. Silveira
Presidente.
Loal Seve
Secrotario.
BANCO MAUA i C.
alna do Trapicaie 4.
Deacotita lettras co unerciaes a taxa con-
vencional. Recebe dinheiro, a premio con-
vencional, p ir IqUras e em conta coi rente.
Coitfere crditos, taca sobre as primeira^
pracas do imperio, Rio da Prata e Euro-
pa, e compra cambiaes so 're as mesma?
p rafas.
Encarrega-M, por eommiaaio, da jcom
pra e veodl de fundos pblicos e acebes d
Himpanhias, da oobranfa de lettras e di
videndos ou de seu pagamento, e de qua
|uur mitra operario bancaria.
O expediente para o publico comecara
t 10 horas da marJba, e terminar 4
ion da tarde de todos os dias uteis.
Nacionaes
geiros
o estran-
Larg-o do Corpo Santo
n. 21.
Eaghlf$ Bank of Rio de laaeiro.
Limited.
Capital do Banco 50.000
accoes de 20 ... 1.000.000
Capital realisado ..... 500;000
Fundo de reserva .... 99.903
Volumes sahidos cora fazendas
idem idem com gneros
314
475
-----789
242
:i86
Descarregam hoje 3 de abril.
Vapor inglez Sapphiremorcadorias.
Barca ingleza=lwoocii mereadorias.
Barca inglezaIjtvanlmereadorias.
Barca inglezabtoomeridem.
Escuna ingleza Zephirn-idem.
Patacho portuguez Mara da GloriaMikm.
Barca portuguezaNova Stfmpathiaidem.
Patacho inglezPortiadem.
Sumaca heap^naolaCartrn=vinhis.
Barca francezaZebre iil<'in.
Barca in/leza 7VuvUrr= Brigue dinainarqiiezJeancltn idi-in.
Brigue inglezSaltoau Queenidem.
Brigue inglezR. F. B/*=canos de ferro.
Urigue portuguezBenvimlolagedo.
Barca inglezaConradlijlos, etc.
alera francezaPresseassucar.
Barca inglezaFtoating Cloudcarv >.
i Lugar inglezPearl idem.
Barca p.irtugueza=Se3uionca lagedo.
138
THEATRO
DE
S. ISABEL.
EMPREZA DRAMTICA
DB
Sabbado 3 de abril de 1869.
Anda a pedido de umitas familias improle ri-
velmente pela ultima vez subir a scena o mag-
nilco, apparatoso e sempre applauuido drama
histrico de grande espectculo em 6 actos
lili
A descoberta da America.
Dar fim ao espectculo a applaudida comeda
em um acto
O recrutament na ro na qual o Sr. Martnho faz o interessant papel do
sargento Ferrabraz.
Principiar as 8 horas.
Domingo 4 de abrit.
Segunda represeotacao do interessante e mui-
to applaudido drama em 1 prologo o 3 actos
TABELLA DO REXDIMENTO DA ALFANDEGA DE PERNAMBUCO DO MEZ DE MARCO DO
CORRENTE ANNO FLNA.NGEIRO, COMPARADO COM O DE IGUAES MEZES DOS DOS
AN.NOS LTIMOS.
Importocfio
Direitos de consumo......................
Ditos addiciunaes de 5 %.................
Ditos addicionaes de l %.................
Ditos de baWeacao e reeiporta^ao.........
Ditos de ditos de reexportacao para a Costa
d'Africa.:.,..........................
Expediente dos gneros estrangeiros navega-
dos por cabotagera.....................
Ditos de i "/ % dos gneros do paiz. a
Ditus de 3 % dos gneros lirres.....!"....
Arraazenagem........'...................
Premios dos assignados........."..........
Despacho martimo
Ancoragem..............................
Exportaco
Direitos de lo % do po*rasiI............-
Oilim .la 1 ,'.. >.. ,, ,?-lac5n7 4/. nrt ori-
cio de 18661867)...............'.....
Ditos de 2 % idem.......................
Ditos de 1 % do ouro em barra...........
Ditos de '/i % dos diamantes..............
Expediente das capatazias...............,
Interior
Sello do papel flxo.......................
Dito do papel proporcional...............;
Emolumentos .......................
Imposto dos despachantes.................
Dito de 5 e 15 % de transmisso de proprie-
dade.:.....................t.........
Extraordinaria
Receta eventual e multas...............-.
Dizimos da provincia das Al aguas..........
Ditos da provincia da Parahyha...........
Ditos da provincia do Rio Grande do Norte.
Contribuidlo de caridade..................
1368 1869
620:888!I78
82:854*521
2004216
159*161
656*270
3:379*042
3:366*415
711*399
4:094*400
63*900
'264:374*8*8
988*480
-859*800
244070
45*800
418*750
1*250
1:609*595
984:916*655
15:570*518
7:916*965
5*446
836*235
1:009:245*819
1867 1868
237:i95*2a
30:781*514
39*SM
462*765
1:583*831
3:458*759
910&5 >
624*518
2:607*150
233:105*776
1:089*500
630*920
277*590
6U2O0
156*250
77*000
747*001
514:172*036
9:859*674
5:516*891
398*950
533*1G0
530:480*711
1866 i 1867
515:140*369
70:546*592
128*921
238#17t
1:135*566
4:36'*19l
363165
3:734*193
4:2374900
221:809*782
1:344*700
611*000
300*620
113*000
457*322
217*300
1:630*907
85o:748*6JO
7:479*27.1
5:275*075
807*507
698*356
870:008*811
Auandeg de Pernambuco. Io de abril de 1869.
Scrvindo de chefe da 2* seccao,
Anselmo Jos Pinto de Souza,
HEGEUEDUlUA Ufc KE.SDAS LVTEU.NAa Ofc-
RAES DE PEItSAMBUCO.
tendimento do dia 1..... 1:0424308
Idem do dia 2...... 2:123*615
3:165*923
CONSULADO PROVINCIAL.
tendimento do dia 1..... 2:5W*0.*i9
Idem do dia 2. .-. 1:316*847
3:872*906
MOVIMENTO DO PORTO.
Nanos entrados no diu 2.
^anta Helena10 480 toneladas, capitn C M. Laudgreu, e'qnipa-
gom 13. em lastro; a ordem.
Kii> de Janeiro21 dias, brigue brasleiro Trova
dar, de 220 toneladas, capitn Antonio Dias de
Urna, equipagem 11, carga 4,000 saceos com
farinha de mandioca; a M roue Carros & C.
Cardiff40 dias. escuna ingleza Accra, te 108
tonelada^, capi > Le Fenere, equipagem 7,
carga rarvo; a Saunders Brothers & C
Pona-Arena (na Gwta-Riea)82 dias. liarca or
te-alleinSi Excelsor, de 600 toneladas, rapili >
I. C. Beni.hr, equipagem 14, carga madeira de
tengir; ao mesmo capitn. Veio refresear.
Navio sah-do no mesmo dia.
BarcelonaRngue hespanhol Marta Boas, rpita
Caetano Bertrn, carga algorfa >.
Os concurrentes devero previamente aiiresen-
tar seus requerimentoo instruidos de documentos
que provein idade completa de 18 annos, isencao
de pena e colpa e bom comportamento na forma
lo arL 3o do decreto n. 2,549 de 14 de marco de
1860.
Secretara da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco, 27 de marco de 1869.
O omcial-maior,
fanoel Mamede da filva Costa.
ECITAES.
0 inspector interino dt alfandega faz publico
jue no dia 5 do c.rrente, d-pois do inriodk'e
p.irta da mesma reparta serio lovatfjv cm
hasta publica. Ihrre de direitos para n arn%iatan-
t -, seis caixas de marea I M, viudas d- Ls ox no
brigue portuguet Bemcindo, entrado em do
i nos poxiin passad, cooteado peras aeceu. p-
anJj bruto 708 libras e lqtido nao vannVad
618 libras, valor ofBcal da libra 313 ra^ Mal
212*454 rs., abandonadas aos direitos por E. R-
Rabeho.
Alfandega de Pernambuco 2 de abril de;
O inspector interino,
__________ Lniz > C Pas de Amlradn.
la tliitsourria
A cmara municipal ue>U ciaiie. itiiuo Uc
proceder no dia 2 de. abril prximo vindouru, a
apuracao geral d votos para deputados a as lila geral lepi-lativa pelo primeiro di-tricto dwta
prnvincia, convida, conforme rccommemla n g 12
do art. do de-reto n. 842 de 19 d seteoibro de
i855, e art. 25 do decreto n. 2621 de 22 de agosto
de 1860, aos eleitnres dos collegos qne compdem n
mesmo drstricto, para assisiirem a dita apurarn
no dia citado.
Paco da cmara municipal do Reeife, 27 de mar-
co de 1869:
Bardo de Mun beca,
Presidente
Francisco Canuto Ai Boaviagem,
Secretario.
DECLARACOES.
O fili. Sr. inspector da tlx^ouraru la^fa-
Z'-nda desta provincia, manda fazer publico que
tem marra lo o dia 4 de ma o prximo vindouro,
p ira o concurso qne ae t-mi de abrir nesta misma
thesouraria para preenrhiHmto das vagas depra-
canies exi tefltes nesta repartico, na ah"and*p e
na recRbed'jria.
Os exaines versarii, sohte as materias de qne
trata o Io do art. di decreto a 3,114de27d
junho de 1863, a saber, leilura, analyse grarnaad
cal e orthographia, arkhmetica e suas anpjVMcSes
ao couiiuercio, com especialidade a reduccao de
m eilas, pesos e medida, calculo de desentui Ia
roo -imples e oampo^los, theoria de cambio e ***
applicacoes.
COXSEIJIO DE COMPRAS l.WABS
0 conselho proniuve no dia 5 do enrreuie mez,
sob n condiees do eslvlo e vista de propostas
reeeuidas aU as 11 horas da maulia, a compra
dos objectos do material da armada, eguintes :
1 anf^ira de 6 quintaos, 6 pecas de arribem, 2
bulee de ferro estanhado; 5 dnzias de chicaras e
oires de ferro estanhado, 5,000 estopares, 5 arro-
bas de fio de vela, 20 r> sina.- de lixa de esmeril
em panno, 6 arrobas de mialliar, 10 libras de
'hreias francezas, 5 duzias de pratos de (erro e*-
taabado, 100 pratos travesMts de folha, 3 terrii a
de ferro estanhado, 1,000 lijlos de fugo. 1,000 >.
bras de tinta branca de zinco, 20 tira-liuhas, 10
irados de ferro de 4/8, e 60 grosas de torcida para
pharol.
Tambora -conselho no mencionado dia, e por
igual forma, eontra ta e fornecimento de ba^alh' >
e bolachinha americana, para,completo de viveriv,
dieta- e outroa artigo, de consumo aos navio- da
armada e estabeleciinentos de 'mariulia no corren-
.o i rime tre.
Sala das sessoes do conselho de compras navae*
! de abril de 186. T_
0 secretario
Alexandre Rodrigues dos Anjea.
Persouagens do prologo.
Manat de Castro......Sr. 1. Augusto.
Antonio de Freitas......Q Rocha.
Augusta de Castro......Sr. D. Julia.
Margarida, criada.......D. Francisca
Io, 2o c 3o actos.
mdoudo.......Sr. J. Augusto.
O baro do Parafita. .... Tnomaz.
Macedo, advoKado. Eduardo.
O cunde de Soutello. C- Rocha.
Dr. Meudes........p. Costa.
Andr, criado.......Martinho.
O administrador do barro. Geovani.
Um criado........Florindo.
Mara........Sr. D. Julia.
A baroneza de Parafita. Clelia.
Eugenia........ Candna
Gertrudos, criada...... Apolonia
Denominaco dos actos.
PrologoDeshonra e loacura.
1." acto | Um grande da torra e um elcito do
co I
2." actoO algoz e vicima.
3. acto Nubreza.
A aeran passa-se : no prologo mjf\"
pequea aldea do Traz os Houte-, ^os 1
na actualidi.de em Lisb >a.
Segue-se a chistosa comedia em 1 acto ornada
de msica
BURTH1 IM: 4 \VH4.<
o papel de Bertha desempenhado pela Sra
Julia Azevedo cudo Felsirdo pelo Sr. Martinho.
Dar dm a espectculo a pri neira representa-
cao ta chistosa come la em 1 acto original bra-
sleiro do Illm. Sr. Dr Eunanoue
. Um sabio cama ha poneos
Personagens. Actores.
Ambn-zio, 0 annos. Sr. Martinho.
Gonerosa, 45-annos. Sr.* D. Clelia.
Mari ramhas, 18 anuos. Sr." D. Carolina
Juca, 22 annos. ...... Sr. Eduardo.
Pejeira, 30 annos..... c. Rocha.
Joo, criado, 20 annos. Jordani.
Actualidade, no Rio de Janeiro.
Cometa ra as 8 horas.
COMA IAS1LEIRA
Paquetes a vapor.
Dos porto* do *sl esperado
ateo dia 8 d-, abril p. f. o vapor
Piurflwd. cjinjiuamlanle o capilar>
fie frajfa fntahio Joaquim dr
Santa^iu-boft, o qual depois da
_nje seguir pira os do norte.
Desde j roertieni-se passafeiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzh*. a ijual dever
ser embarrada no dia de sua eaegada. Encommen-
das e dmiiero. Ipete at o dia da sua sabida as 2
botas.
Nao se recebem romo encoinmendas seno ob-
jectos de pe<|ueoo valor equeliaexeedam a dua?
arrobas de-pe*0 "n 8 palmos cbicos de medica.
Tudo que passar destes limites dever ser embar-
cado como carga.
Prevoe-se aos Srs. passageiros que suas passa-
gens s6 se recebem na agencia ma da Cruz n. 57.
1 andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo a C
COMPANHIA PERN.LMBUCANA.
DE
avegaeSo coatelra por vapor.
Parahyba, Natal, Maceo, Mossor, Ara.
caty, Cear, Monda ht'i.Acarac
e Granja.
O vapor Pirapama, commandante
Torres, seguir para os portos cima
_ no dia 15 do rorrante as 5 horas
da urde. Recebe carga ati o dia 14, enrom-
mendas, passageiros c dinheiro a frete at a-s
i horas da tarde do dia da sabida no escrstorio
do Forte dn Maitos n. 12.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE %
.\at ega^o eoaleirn por tapoi
Porto de Gallinhas, Rio Formoso e
*- Tamandar.
0 vapor Mamangvape, %\w-
mandante Oliveira, seguir para
os portos aciria no dia 10 do cor-
rente a meia'noite. Recebe car-
ga, encommendav. assageiros c
no escriptorio do Forte do Mat-
M*
dinheiro a frote
tos n. 12.
COMPANHIA PERNAMBLCANA
DB
.'iai.', i'/
2L
por vapor.
ero urna
,2 e 3
Alcafar (Janeante, roa nova de
Sania Rila n. i.
0 administra lor deste estahelecimento participa
ao respeitavel publico que se acha aberta a assg-
patura para todos os divertimentos que diz res-
peito. Aos domingos baver caf, e concert das
3 horas da tarde at as 6. Aos sabbados bailes
pblicos, e cada fim de mez um baile particular.
Sabbado 3 do corrate
Ter lugar o primeiro baile a carcter, e ser
cumplido fielmente o rcgulamento policial,
ATTENCAO
Grande representaqao theatral
K UM das vastos saldes do
club Caasador u< palacete do
caes do Ka moa.
O director do club cassador participa ao res-
peitavel publico qu conven u cm um dos seu*
vastos saldes um lindo amph theatro o qual dar
a sua primeira representadlo
'utbbado 3 de abril e a segunda
domingo 4.
Gustando do programma seguinte :
l>ize quaJros moventes ao^vivo cm interval-
los de msica pelo nn-garcopio egypcio constando
de d iges Diamantinos, caricatos, diversas phan-
iasmagorias e differentes sorprezas.
Procos de entrada
iJooo
Principiar as 9 horas.
No fim do espectculo baver um solemne bai-
le em outro salo para as pessoas que quizerem.
As pessoas que esiverem no espectculo teru
entrada franca no baile
Preco de en'rada para o baile
f^OOO
Sero mantdo os regula lientos poticiaes.
\av<-t:aro costelra por vapor.
Maceio, escalas Penedo e Aracaj.
O vapor Potengi, commandanU'.
Pereira, seguir para os portos cima.
_ no da 15 de abril as 5 horas datar-
de. Recebe carga at o dia as 3 horas da tar-
de, encommendas, passageiros a dinheiro afrete at-
as 3 horas da tarde do da da sahida> no escriptorio
do F.-.rle do MaOos n. 12.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DK
navegacao costelra
Goianna
O vapor Mananguape, comman-
dante Oliveira, seguir para o
porto cima no dia 6 do corren-
to as 9 horas da noilc. Recebe
carga, encommendas, pnssigei
ros e dinheiro a frete uo escriotorio do Forte do
Matos n 12.
COMPANHIA PERNAMBGVNA
DE
Xavejavo eotelra por vapor.
Mamanguape.
0 vapor Corurpe, commandante Penna, segui*
para o porto cima no dia 12 do corren te as 6
h.ras da tarde, recebe carga, encommendas, pas-
sagens e dinheiro a freto at as 3 horas da tarde
do dia da saluda oo escriptorio do Furte do Matos
n. 12._________________
Para o Porto
Segu at o dia 8 de abril a barca portuguesa
Novo Silencio, a qual ufferece excellentcs commc-
dos para passageiros : a tratar no largo do Corpo
Santo n. 10, e com o capto na prara do conunerco.
IWO
Para-o Indicado porto pretendo sabir em pou
eos dias a veleira e bem conhecda barca Social
capitn Rocha, por ler a roaior pane do seu car-
regamento prompto, c para o esto que lhe falta
e passageiros. para os quaes tem bou commodo-.
trata-se com o cousignatorio Joaquim Jos Gon-
galves Beltro, na d Trapiche n. 17.
Lojinda
O brigne portuguez Bemvindi, caplfSo Silva, a
chegar de Li-boa. sahir para Loanda ptiucos dir.
depois de rerolhido a este porto : pode receber
alguma carga, e trata-se com o seu consignatario
loquim Gerardo de Bastos, ma do Vigario.
10, 1" andar
Rio de Janeiro
Para o indicado porto segu com muita brevi-
dade o veleiro p bem conhecido brigne Adelaiic.
por ter a malar parte do carregamento tratado ; e
para o rosto que lhe falta e eseravm a frete, tra-
ta-se com oconsignat'rin Joaquim Jos Goncalv..-.
Beltro, rua do Trapiche n. 17,
Rio de Janeiro
Segu com muita brevdade |ara o porto cima
a escuna dinamarqueza lite, tem a inainr parte
do sen carrt-gamen u engajado : para o resto que
lhe (alta trata-se com Amonio Luiz de Oliveira
Azevnfci p C., na da Cruz n. 57, l'anda-.
Para Lisboa.
Vai sahir rom brevdade o patacho portugne.
Mana da Gloria, rapito Valente, para carga tra-
ta se com E. R. Rabello ra do Couiinercio nume-
ro H.
------------------------
Para o itio Graade do Mu.
Pretende sahir nestes dias o palhabote portu-
guez Voro 5. Lourenco, p para carga o passagei-
ros trata-so rom os consignatarios Thomnz de
Aquino Fnnscca & C. on com o capitn na praca
AVISOS MADTIMOS.
CASA
Ted
CAMBIO
imoj .&.U.
Compram e
metaes. moe letras te cambio, sedulas do
baoeo do Brasil.
em por
nacionaes
conta prapa
e eiOraogtara.
guvarooe do
COMPAA ibasilkiia
DB
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte enfad<
at odia 8 de abril p. f. o vapni
Cruzeiro do Sul, commandante
Alcoforado.o qual depois da de
_______ mora do costume seguir para i*
losul.
Dnde {i recebem-se passageiros e engaja-se *
arga une o vapor poder coduzir, a uual dever.
*eremarcada no dia de suaejiegada. Encommen
las e dinheiro a frete at as dnaa hora do dia di
*na sabida.
Nao m recebem como eneornmenda sena 06-
(ctos de pequeo valor e que nao exeedam a :
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medican
Tudo que passar destes limites deveri ser embar
cada romo carga.
Pre^pe-mao Srs. passageiros que suas para-
len. Ase recebem na agencia nja d* Crui n. K7
1* antar, escriptorio de AntonioMtU de Oliveira
AieveoaC
Para o Porto
pretende seguir com a maior brevdade posivel;.
barca portugueza Seauranca ; re-ebe carg.i e pas-
sageiros, para os quaes tem excellentcs coturno-
do* : a tratar com Cunha Irmaos St C, ra dn
Maire de Oeo< n 3i.
Para o Porto
pretende seguir com a maior brevdade pnsive| ,i
mu veleira barca portugueza Claudina; recebr-
carga a frete e passageiros, para os quae- teo r
cose excellentes comniod-is : a tratar com Cunha
Irmos & G, ra da Madre de Dos n. 3i.
LEILOES.
LEIliO
da taberna sita a ra imperial n. 7S. e das dividas
pertencf ub-s a loeonia na imporUneia de rs ... .
1:20S4470.
O agente Pon'.ual, vender em leilao a taberna
cima (e as dividas penmeenk** a n*lem um
s lit ou diversos, a vonlade d ritantes, a .re-
luermento dos depositarios da aussa fallida de
Joaquim Jos Ramos e per manaaa do Illm. Sr.
Dr. juiz do couimerrio.
4MG.
O leilao ser eflVtuado na BV>sma taberna s
II horas.
Os >fnnre pretendentes. pedero examinar no
escriptorio do agente, ra da Cima o. 52, quaes
i* devedores, bem romo o man).
HILAD
De duas armaeoes de taberna senlo una oVsar-
m .da. ru. oalanra e pesos e diversos gneros
a roa Direita n. '0.
HOJI-.
O agente Martn* far leilao m* annacle, gaz
e generen da taberna acuna em aa on mais lotes
a vontade,.do* eompradorea,.
Aa 11 horas do dia cima.
C*e !i


,1
'
Diario de Tkrrambaco Sabbado 3 de Abril de I8S9.
*
EJ
i!
DE
madapolao avariadu
HOJE.
O agento Pinta far leilao a requer ment do
Linden Weydmanii 4 C, por autorisacao e em
presenta do Sr. cnsul da Blgica, e por conta e
risco de quem peNenecr de ama caixa marca L.
W. k C. n. 25, com 20 pecas de madanolo fran-
ca avariado a bordo do patacho altemo Anna,
na sua ultima viageni de Antuerpia para este por-
to; o leilao ser elfrntuado as 11 horas do dia
cima indicado, na porta da alfandcga.________
LEILAO
de 3 escaleres e pertences.
A 5 do corrente.
O afete Oliveira faf ludio por ordem e em
^iresencu do Sr. cnsul de S. M. Britannica, c por
conti e risco de quem pertencer precedida a com-
petentc autorisacao da alfandega e com assisten-
cia de um einpregado llscal desta repartieao, de
3 escaleres, 12 remos o lemes, 5 velas, 3 mastros
e 3 baldes, que pertcnceram ao navio inglez U rd
Palmerston, eapitao Kdwin Balsn, de Liverpool,
perdido cm alto mar a 18 de marco ultimo.
Segunda-feira 5 do crrente
ao meio dia e:n ponto junto ao trapiche de de-
sembarque na referida alfandega.____________
Tabaco Si monte
J ehegou o desdado taharo Simontc, ra es-
trena do Rosario n. I, taberna d) Pocas.
Alnjra-se um grande sitio eotn casa e mnitos
arforedos, proprio para ter gados, pela sua esta-
ao, e meimo para planta?* por ter lugares al-
tos e baixos, as Salinas, entrada do Campo Gran
de : a tratar na roa da Cadeia do Reclfe n. 3.
De pipas com vinagre tinto.
Terca-foira 6 de abril.
O agente Pestaa far leilao por conta e risc
de quem pertencer de 23 pipas do excelente v'
uagre tinto desembarcado ltimamente c sera
vendido em um ou mais lotes a voutade no dia
cima mencionado as II horas da manhaanotra-
liche do Sr. Dantas no Forte do Matos.
MANIFEST
DO
Centro Liberal
Brochura in 8
IJQQO
L1VRAR1A FRANCEZA,________
Trocou-sc por engao um relogio de ouro
coberto patente ingle n. 231.77 coi o nome do
fabricante Ja DnIT o Son Castel Su London.: ro-
ga-se a nessoa que por engao levou que tenha
a bondaue levar na ra Nova n. 21, loja de Fran-
cisco Jos Germann.
Offerece-se nm caixeiro com pratica de ta-
berna on loja de farngeos garaniinlo sua con-
ducta : a tratar na ra do Imperador sobrado n.
26. 1> andar.____________l_ ______
A commisso encarregada de tratar dos tra-
bamos desta irniandade de Nossa Senhora do Bom
Parto, convida a todos seus irmaos para reunir-se
no dia 4 do corrente mez ?s 9 horas do dia, para a
confirmacao do scu compromiso.
Domingos famos^Bmiosa,
Secretario*
Ha para alugar una escrava, que cusinha,
engomma, cese, ensaboa e compra: na travessa de
S. MO n. 8, porto do gnzometro. ____________
Compra-se um preto de 40 a 50 annos
idade: na ra do Rangel n. 9. __________
de

LEILAO
flor
He calas com cigarros
de fumo do Para.
Terca-feira 6 dfl abril de 1809.
O agente Pinto far leilao as 10 horas do dia
cima dito do 4 caixas com masaos de cifcarres
Aluga-se um grande sobrado por acabar*
travejado, sera assoalho com porto de embarque,
proprio para qualquer estabelecimento; e bem
assim, aluga-se nm quarto no oilao do dito sobra-
do, com repartimento; ludo no lugar dos Colhos
defronte do hospital Pedro II i a tratar ra do
Mondego olaria n. 13.__________
GOSPAMA PERHAMBCABA
C 01SEL1IO DE DIKEi { lO
Os Senhores.Sauders Brothers & C, Tasso
Irmaos, Luiz Antonio de Siqueira.
0 SE. F. F. BOEGFS
Restando ainda emittr algumas acetes d'esta companbia, da qoantia nominar de
206$000 cada urna, das auaes s se aceitam em virtude da lei, 20 /0, ou 40;JU00 por
cada aeco; convda-se filo presente ao publico era geral c especialmente aos Srs.
capitalistas e interessados no commercio, que queiram dar emprego seguro aos seus
capitaes, disponiveis, a subscrever o numero de acetes qu Ihes approuver.
Akumas fiestas accoes j tem sido tomadas por pessoas que conbecem a vaDtagem,
de na presente tgcasfto (conhecidamente a melhor), empregarem o dinheiro de que
poderem dispr em objectos de valor real, como vagares, predios etc., que Ibes garan-
tam seus capitaes. ... ,.
A companhia possue boje lO.vapores, 6 inteiramente novos, e destes o ultimo esta
a (legar de Inglaterra, onde foi construido expressamente para ella.
Alm disso est edicando vastos armazens, no terreno que possue no largo d'As-
scmbla.
Seus dividendos tem sido de 10 */ ao anno, nos ltimos 4 ateos.
As acetes que se emittirem gozam dos mesmos direitos, e perceberao o beneficio
dos mesmos dividendos \m os ntigos em proporcao da entrada.
Recebem-se asignaturas no escriptorio aa companhia no seu edjficio ao caes da
Assembla n. 12
. Na ra da.Penha junto ao serrador de cou-
ros, precisa-se de urna ama para o servico exlcr-
iente ao no de urna casa.
Precisa-se de urna mulher capaz e de bom
genio para criada de portas dentro, sendo para
cosinhar, engemmar e lavar para duas pessoas,
ra Direita n. 104, luja de mindezas.__________
Perdeu-se o bilheite inteiro u. 2612, da lote'
viudos do Para no u timo vapor para este porto, ria da provincia, 100, que corre boje (3 de abril),
o leilao ser cffectuado no escriptorio do .referido pertcnecnte ao abano assignado : pede pois. ao
agente ra da Cruz n. 38.
LEILAO
Sr. thesoureiro que nao pague dito bilbete senao
ao abaixo assignado, se acaso tirar algum pre-
mio. Bccife, 3 de abril de 1869.
Francisco Nogueirn da Silva.
DE
Um sobrado de um andar e sotao, com 4 quartos
uo soto e 3 no primeiro andar c um na escada
para escravos, tem duas lojas, na ra Velha n. 92,
tica o oitio para o pateo da Santa Cruz, com quin-
tal e cacimba.
Urna casa terrea na na Velha n. 90, com dous
(u artos grandes.
Um terreno coberto com 5 portas de frente para
o pateo da Santa Cruz n. 1, fica nos fundos do so-
brado.
Cordeiro Srotes
legalmente autorizado far leilao dos predios ci-
ma, os qmes podem ser examinados por quem
pretender, enjo leilao ter lugar no dia
Sexta-feira 9 de abril s 11 horas na porta de
predio que foi a Associacao, largo do Corpo Santo
Pennulta-se por urna moleca ou negra, um
moleque dj 12 tonos, ou vender-se-ha: a ra do
Imperador n. 50. __________^^
Desencaminhou-se na occasio do embarque
em una barcaca, que segua para o Bio-Formoso,
um caixotc conlendo um ve-luario para anjo, e com
letreiroAo Sr. Pedro J. Vianna Lima. Sup-
p5e-se ter havido troca de barcaca; roga-se a
a quem livor sido entregue diio caixote, o favor de
o levar ou no Bio-Formoso ao dito Sr. Vianna Li-
ma ou no Reeife, ra da Cadeia n. 48, armazem,
que ser gratificado.___________________^_
AVISOS DIVERSOS.
N8
U ,< ~X
Os abaixo assignados, tendo resolvido mandar
celebrar urna missa de Rquiem, com memento,
pela alma do nunca asss chora o )l)n. Antonio
Vicente do N ascimentoFeitosa por occasio do
primeiro anniversario do fallecliilBiuu de se illus-
tre Pernamhucano, convidam a todos os amigos <
religionarios do flnabo para que se digne di i
com sua presenca concorrer para maior solem
nidade de semejante acto, que ter lugar no con-
vento de N. S. do Carino, as 9 horas da manha i
do dia 6 de abril corrent.
Becife 24 de marco de 1869.
Barao de Villa Bella.
Bario de Palmares.
Luiz Jos Pereira Simoes,
Joao Francisco Teixeira.
Antonio Jos da Costa Bibeiro.
Dr. Carolino Francisco de L. Santos.
Floriano Correa de Brito.
Innocencio Serfico de Assis Carvalho.
Conego Francisco B. P. de B. Medeiro;.
Feliciano Joaquim dos Santos.
Antonio Jo< Silva do Brasil._________
Jos Soares de Azevedo, professor de
lingua e litteratura nacional no gymnasio
provincial do Recife, tem aberto em sui
casa, ra Bella n. 37, um
CURSO DELIMGUA FRANCEZA
DE GEOGRAPIIIA E HISTORIA
DE PIIILOSOPIIIA
DE RHETORICA E POTICA.
Os estudantes qne pretenderem frequen-
tar qualquer destas discipliuas, podem diri-
gir-so indicada residencia, de manh5a at
as 10 hotas, e de tarde a qualquer hora.
Angelo Botilho Pereira Chaves participa a:>
respeitavel publico, que deixou de ser caixeiro dos
Srs. Porto A Bastos, desde o dia 31.de marco pr-
ximo passado.
Becife, 1- de abril de 1869.
Angelo Rotilho Pereira Chaves.
Caixeiro.
Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica de
taberna, e d fiador a sua conducta, e que tenha
de 16 a 20 annes
mero 37.
na ra larga do Bosario no-
A.TISO
Vndese urna rica machina de costura do me-
lhor autor, pesponta. embanha, franze e borba : a
tratar no pateo de S. Pedro n. *, taberna.
Ama
Precisa-sede urna ama para todo'servico de
ama casa de pequea familia : a tratar na ra da
Palma, taberna n, 37.
Francisco Pereira da Costa, seassignar de
hoje em diante, Francisco Pereira da Cosa Bastos,
por haver outro de igual nomo.______________
Precisa-se de urna ama e de um criado: na
ra estreita do Bosario n. 32 segundo andar.
Offorecc-se orna rriada p. rtogueza para casa
: na ra
Festa dos Prazeres.
O D. abbade de S. Bento, faz
publico, que as festividades religiosas qu^
se celebravam na capella de Nossa Senhora de hornero.soteiro ou de pouca fam.ba
dos Prazeres, continamu a fazer-se da mes-
raa forma em solemnidade, e magnificencia,
e terao lugar do dia 4 de abril at o dia
10 inclusive, e pede ao mesmo publico,
que por decencia, honestidade e acata-
mento a nossa religiao, cesse por urna vez
com os divertimentos profanos que costu-
mava a fazer-se no domingo depois .das
festividades.
ESMERALDA
i
ci
Moreira Duarte & C. tendo feito urna
completa reforma no seu estabelecimento
de joias da ra do Cabug n. 5, (junto a
loja de cera) acabam de reabri-lo ao res-
peitavel publico, a quem offerecem um es-
plendido sortimento de joias as mais mo-
dernas e primorosas que teem vindo a esta
praca. e por prepos o mais resumido possi-
vel. Tambem compram ouro, prata e pe-
dras preciossas.
\. S III\ DO c.m\ X 5
AMA
Irmantlacle- do Divino Espirito
Santo do Collegio.
Tendo de dar principio s obras da ca-
pella-mor da greja, resolveu em urna de
suas sesses nao pedir no presente anno
esmolas para a festa e procisso do cost-
me, visto como tem nomeado commisses
para obter esmola para as referidas obras,
tendo todava de apresentar vista dos
liis a solemne procissSo a expensas da
mesa e de quem voluntariamente para ella thartico ou de orna medicina purgativa, ha
quizer concorrer. As commisses de que muito que tem sido sentida, tanto pelo po-
acima fallo, segundo sou informado, tm vo, como mesmo por meio da faculdade
de ser publictdas pelos jornaes dentro em medica; e por isso, infinito o gosto e
pouco lempo, isto aflirnia. prazer que sentimos, em pdennos com
Precisa-se de urna ama para a casinha, prefe-
re-se escrava : ra do Queimado u. 12 primeire
andar.
Sabbado 20 do corrente mez, depois da au-
diencia do lllm. Sr. Dr. jniz municipal da 2* vara
civel, tem de ir a praca |>or venda, os bens seguin-
tes : um soph, urna meza redonda, dous conso-
ios, doze cadeiras de gnarnlcao, urna eommoda,
urna meia d-ta; ludo de madeira de amarello.
avahados por 92*, por execujao que move Jos
Ignacio Avilla, contra Elias Pereira Gomes da
Cunha.
ASTMft E PTISICA
i'm de.seobrliuciito espantos!
O xarope de fedegoso, de Pernambuco,
preparado pelo pharmaoMitico J. de A. Pin-
to, cura radicalmente a plhisica c asthma, e
todas as molestias dos pulmoes.
Podem ver-se os attestados de curas no
nico deposito das preparacoes de fedegoso
d'este autor, ra larga do Rosario n. 10
junto ao quartel de polica.
PINTO PHARMACEUT1C0
Xarope de salsaparrilha do Para
0L-
DEPURATIVO DO SANGUE
Usado as molestias de pelle, impigens do-
res rheumalicas e ulceras venreas.
Ra larga d.o Rosario n. 10.
Gremio Philw&phico Litterario
De ordeiii do Sr. presidente do Gremio Philoso-
phico Litterario, convido aos socios quer effecti-
vos. quer honorarios, a comparecerem no dia 4 de
abril a sessao solemne de abertura da mesma so-
ciedade.
O Io secretario,
V. S. Pereira de Lemos.
GRATIFICACO.
Perdeu-se na sexta-feira de Passos, da casa do
bilhor dos arcos, esquina do Ouvidor at o. arco
de Santo Antonio, indo pilo caes 22 de Novembro,
urna pulceira de ouro da largura de dous dedos,
com fivela, pedrs e fita de ouro : quem achou,
querendo restitui-la, sera gratificado, na ra da
Matriz da Boa-Vista n. 21.
Ama secca.
Offerece-se urna escrava perfeila engommadeira
e cozinheira, e tambem entende de todo servico de
casa : quem precisar dirija se esta lypographia
que se dir qnem aluga.
Aluga se a loja do sobrado n. 32, sita praca
da Boa-vista : a tratar na ra do Alecrim n. 3.
Precisa-se de urna ama para engommar e
cozinhar : na ra da Cruz n. 11, 2o andar.
Pilulas assncaradas de Bristol.
NAO CONTEM NEM CALOMELANOS NEM NENHUM
OUTKO MINERAL.
A grande necessidade e falta de um ca-
Um irjtmo.
Ama.
Precisa-se de urna ami para casa de homem
sol teiro : na ra Direita n. 61, loja de chapeos.
Hospital Pwlugiiez
cenca.
Domingo 4 do corrente, as 7 horas da manhaa,
tem a junta deste hospital deliberado que seja mi-
nistrada a sagrada coramunho aos enfermos do
mesmo. Pede-se para tao solemnissimo acto a haver chimicamente exlrahido e separado,
asistencia dos senhores socios e dos christaos que os p,ncpios activos, OU aquellas partes
que contem o verdadelro valor medicinal,
toda a confianca e seguridade, recommendar
as plalas vegetaes assncaradas de Bristol,
como ama excellente medicina porgativa, a
qual encerra em si todas as partes e mais
ingredientes essenciaes, tomando-se cm um
perfeito, seguro e agradavel cathartico de
familia. Este remedio n3o composto
dessas drogas ordinariamente usadas na
composicSo dessas pululas, que por ah se
vendem, mas sim, sao preparadas com as
mais finas e superiores qualidades de raizes
mediciriaes, liervas e plantas, depois de se
^uuoaam acomp>nUar este acto de caridade e ro-
ligiao.
Secretaria do Hospital Portuguez de Beneficen-
cia 30 de marco de 1809.
J. F. da Costa Soares,
Secretario._________
Precisa-se de um rapaz de 12 14 annos,
Eara caixeiro de taberna : na ra do Baogel n.
1, taberna. _____
Cozinheiro
Precisa-se de um cozinheiro ou cozinheira
tratar na ra do Imperador n. 73, 2 anda/.
. Precisa-se de urna ama para todo o servico
de casa de pouca familia : ra das Trmcheiras
n. 48, 2o andar.
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama de leite sem filho : a
tratar no Coracao de Onro n, 2 D, ra do Cabug
Engommadeira
Na ra do Imperador n. 73, 2o andar, precisa-
se de urna criada para engommar.
Criado.
Precisa-se de um criado fiel : na ra do Impe-
rador n. 73, 2o andar.
daquellas porcoes fibrosas. inertes e agres-
tes inteiramente destituidas da menor virtu
de. Entre esses agentes activos ou ingre-
dientes especficos, podemos nomear a po-
dophgtn, a qual segundo a experiencia
tem demonstrado, possue um poder o mais
maravilhoso possivel sobre as regioes do
jigado, assim como sobre toda^ as secre-
coes biliosas. Isto de combinaco com o
leptandrin, e mais alguns extractos vege-
taes e drogas altamente valiosas, consti-
tuem e formam urna pilula purgativa, tor-
nando-se por isso muitissimo superior,
qualquer urna outra medicina da mesma
natureza, qtie jamis fora apresentado ao
publico. As pilulas vegetaes assncaradas
de Bristol, acbar-se-ho sempre um reme-
dio prompto, seguro e eminentemente effi-
caz, para a cura de molestias, taes como
sejam as seguintes.
AMA
Precisa-se de urna ama para cozinhar : na ra
do Imperador n. 57.
AMA
Precisa-se de urna ama secca para todo o ser-
vico de casa, e tratar de urna menina. a mesma
casa precisa-se de um criado para todo servico :
na ra das Larangoiras n. 10, hotel francez.
Protectora das familias
Em cumprimento do prevenido no artigo 29 do
regulamento, se convida a todos os senhores con-
tribiiinti's desta associacao, que ainda nao liverem
apresentado as certidoes de idade dos segurados,
para que facam entrega dolas na ra do Liga-
mento n. 19,' 1 andar, afim do ser expedidas o
maie breve possivel para a inspectora, geral do
Rio de Janeiro. As certidoes devem ser selladas e
reconhecidas por tabelliao. Becife 15 de Janeiro
de 1869.O representante,
N. F. de Vidal.
Dyspepsia, ou indi-
gesto,
Adstringencia, ou..
pris5o' do ventre
habitual,
Azia do estomago c
flatulencia,
Perda do apetite,
Estomago sujo,
Hydiopesia dos mem-
bros ou do corpo,
Affeccoes do figado,
Ictericia,
Ilemorrodias,
Mau hlito, e irregu-
laridades do sexo
femenino,
Dores de cabeca.
Em todas as molestias que derivam
sua origem da massa do sangue: a salsa
parrilha de Bristol esse melhor de todo^
os purificadores deve ser tomado conjun
tamente com as pilulas, pois que estas
duas medicinas, tendo sido expressamente
preparadas para obrarem de harmona urna
com a outra, quando fielmente assim se faz,
n5o nos resta a menor duvida em dizer,
que no maior numero dos casos, podemos
afianzar nao s um grande alivio, como
tambera urna cura prompta e radical, isto
est bem visto, quando o doente n3o se
ache n'um estado muito alm dos recursos
humanos.

W Q O
3 C 3 p>
as**
I .-sl
s "
fifi
9 o.
sggfe0-
gal
II]
lioif
o^;o
sl
"i.
Xa
f *
Sm^tt)^^
EPIDEMIAS
O LICOR DE LA.iARRAO.UE um preservativo seguro era tempos de
epidemias : cholera, febre amarella, peste, tjpho, etc. Devem evitar-se as Cal
sicacdes as quaes sao a maior parte das vexes mal preparadas, sendo por aso
mais nocivas do que uteis. Deposito em Parix, L. FUERE, 19, ru Jacob.
Km ate-jasatro. DuponcheUe; H. Tadorpf. rirww.. Mturer.
INJECCAO VEGETAL
con MATICO
de GRIMAULT e C pharmaceuticos em PARS
0 soceauo d'esu injeceo, preparad com as folha do Malco do Per, foi tilo rpido, qst
ella ae tem tomada popular em todos os paizei do mundo, para a cura da gonorrbea e das ponp>
ede de toda a natureza. E' o anico producto oeste genero ova entrada na Rus.ua unna aM*
aothorisada pelo couelho medico de Sao Peterabnrgo.
Deposito en Pernambuco, en casa de aa O*.
\0 ANL DE OURO
Este importante estabelecimento no sen genero, tem sempre nm sortimento sem igual,
e vende por prepos qne nenhnma outra casa pode vender.
vista da qnalidade e do prepo das joias cada um pder-se-ha convencer da verdade.
Garante-se ser tudo de lei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por presos muito ele-
vados.
A loja est aberta at s 9 horas da noute.
BIJA
EO
CABUG g
esquina
da ra largado!
Bosario.



Diario de Peruambuco Sabbado. 3 e Abril de 1869.
PARA "A BOA CQNSEWACj^
de
OSSO CABELI rA)-
usal i^

Elle um preventivo seguro e certo ontra
Me d e restaura forca e sanidade a plle
da cabeca,
Elle de prompto faz cessar a queda pr%ma-
tura dos cabellos.
Elle d grande riqueza de lustro aos* ca-
bellos,
Elle doma c faz preservar os cabellos era
qualquer forma e posiro que se deseje
n'um estado.formoso, liso e macio,
Elle faz crescer os cabellos bastos e com-
piidos,
Elle conserva a pelle e o casco da cabera
lirapo e livre de toda a especie de caspa,
Elle previne os cabellos de se tornarem
trancos, *
Elle conserva a cabeca n'uin estado de fs&i-
cura rcfrigerante e agradas'!.
Elle nao demasiadamente oleosu>gordu-
reuto ou pegadico,
Elle nao deixa o menor cheiro desagra-
davei, ,
Elle o Dielhor e o mais aprasrvol artigo
para a ba conservaco o arranjo desca-
bellos das senhoras,
Elle o nico artigo praprio para o pen-
tcado dos cabellos e barbas dos senbo-
res
Nenhum toucador de senhora se pode con-
siderar como completo sem o
Tnico Oriental
e qualpreserva. Iiinp;i, fortilicae aforroosea
O CABELLO.
Acba-se a venda nos estabeleciraentos de
A. Caore, I. da C. Bravo & C. 1, Maurer
dVC, M. Barbosa, Bailholomeu & C, e era
todas as principaes lojas de perfumaras
e boticas.
Joaquina Jos Gon-
ijaivea Beltrao
MJA DO TRAPICHE N. 17 t. ANDAR.
Sacca por lodos os paquete sobre o Ban-
jo do Minho, em Braga, e sobre os segara-
es logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Guimaries.
Coimbra. .
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Yilla-Nova de Famalicao.
Liuego.
Lagos. f
Covilba.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Deja.
Ba i-cello
BARTUOLiM & C.
1II
VTLfDE
Aos 500 pares de brincos..
Cliegou e vende-se no Coraco
maosmhas cota um'franja,penden-
te a ur rico desenho o oro de
lei, pelo pequeo precode ia5!000
cada par. baratissimo.
A pessoa que annunriou ler pralica de sec-
eos e motilados dais* carta nesta typogrniiiiia rom
a< iniciaes P P, indicando quaesas tes*n$ quo
podem informar a mu respeito.
Alvaro LVha Cavalcauti lera escrqito- fig
rio de advocada ra da crabo do g~
r Carmo n. 8 1" andar, onde podaser pro
['carado pata osmisteres de sua profissio fija

O testamenteiro do finad Antonio rVlix'doS
Santos manda no sabbado, J de abril, celebrar na
matriz da Boa-vista mismas do stimo dia pelo re*
puuso eterno de sua alma, cujas missas terao col
meco as (i lloras da manila* ; rnaa, portanto, aos
amigos e |>arentes do tinado se dignem compare-
cer a este acto de prande caridade. pelo que I he
ser eternamente grato.
Basilio Lui/. Gdelho eoovida pelo presente aa
gen unto fl ao prente? da fallecida 1). Fran-
cisca do lego Barros, madrinha de sia mullier
paia as-i-tovm a ooia missa, que pretendo man-
dar celebrar puralma la me rente, as 1 lloras da manliaa, no convento de S
Francisco.
tlandido fonralves Torres rordialmonte agrade
ce a- pi'ssnas que so diimaram acoinp nhar ao'ce
miterio publico os restos moraos de sua mili pre-
sada esposa I). Mara do Ca-tro Torres, m iba i'.'
*> paeaado, e polo prsenlo convida m*inu:>
pesias e ses ainiuM- parentes para nssi-tnvm
a miera do 7" dia. que o r alma da mesma Unida
manda relabrar segunda fei .'i le abril, pelas '.'
horas da manbaa, na reja de N'osso Senhnr din
Atbelos, e desde j significa o scu cierno rww-
nbeciiiieiilo.
Comida para fra
Na ra estrella do Rosarte; sobrado de um aq
dar n. 33, continuase, a preparar a tinoco e jan-
Ur em una casa le familia, e manda-so levar,
tndoco;n |roiii|itidao e assi'i-i.
AftenfiSo
Precisa-sc de um pequeo livre ou escravo part
servico interno e externo de una casa de pequea
familia : a tratar aa ra do Imperador n. 28, ta-1
terna do Campos.
----------------------
' a. Ferrcira Vlllela.
r^hotographo da casa imperial
premiado em diversas exposi-
goes.
Na sua plu'tographta ra do Cabug n.
18, entrarla pelo pateo da matriz tira relra-
.os por todos os systemas pliotogiapliicos.
Em porcelana Em vidro
Em talco Em papel
CAUT ES DE VISITA A !)> A DZfA.
Os retratos carte-de-visite sao collados
i.t carto de luxo bristal ou porcelana,
lourados ou Itftioprripliados, quadritngos
a vinhetas: para o que existe uuia varieda-
le de lmoiklosa oseollia de'qnemse re-
latar. I'ara as outra6-es[)eces de retratos
emos caixinhas, passc-pur-tnnls, quadros
* molduras donradns epretas cassoletas de
aro e alfinetes simples e com pedias pre-
tpsas.. havendo nos alfinetes orna mimosa
aredade de fetlios.
0 nosso estahele.-imento photograpbico
-sti^empre etft^Ua-com os nielk>raraentos
progressos qae- ua Amarira to Norte, na
uropa ou no Rio de Janeiro se consegu1
ta arte photographiea. e para alcinrarmos
at fim nunca puupaiuos il>'spes nemr sa-
^ificios, de sorte qiTe os nossos numerosos
'regue/.es podem ter a certeza de que sem-
>re encontrara em nosso estabelecimento
udo quanto a-ariee-amoda offereccr de
iom no novo vaibo mundo aos amantes
I a photographw.
PARA USfINTErNO
PREPARADOS -S^MPLB-
XaroiM de jurubeba garrafa. iJOOO
Vmbo de jurubeba garrafa. 14600
Ptelas de jurubeba vidro. 1^00
Tintura de jurubeba*idro. 640
Extracto hydracoohco de jnrebeba. 120500
PREPARADOS COMPOSTOS.
Vinlio de jorobeta' ferruginoso garrafa. 2*000
Xarope de jurubeba ferruginoso garrafa. 1^600
Pilulas de jurubeba ferruginosa vidro. 2O00
Oleo de jurubeba vidros. 64p
Pomada de jurubeba pote 6lu|
Emplastro de jurubeba libra. 20500
PARA USO EXTERNO
u A JURUBEBA.
Esta planta o hoje reconbecida cbmo o m'ais poderoso loracoT como om excel-
lente desobstrente, e como tal ^pplicada nos engorgitamentos do figado e taco, nas
hepatites propriamente ditas, ouainda complicadas com anazarchas, nasinflammacSes
subsequentes as febres intermitentes ou durezas, nos*abcessos internos, nos tomore* es-
pecialmente do tero c abdomen, nos tumores glandulosos, na anazarcha, nas hodrdpe-
zias, tjrysipellas ; eassociada as preparacesTerruginosas, ainda de grande vantagem
nas anemias, chloraaes, faltas de menstruaco, leucorrhaas, desarranjos atnicos do
estomago, debilidade orgnica e pobreza de sangue, etc.
O que dizemos alBrmam os mais dstinctos mdicos desta cidade, entre os(
quaes podemos citar os Ulnas. Srs. Dr. Silva Ramos, Aquino Fonseca, Sarment, Seve,
Pereira do Carmo, Firmo Xavier, Silva etc. Todos elles reconhecema excellencia deste
poderoso medicamento sobre os demais at hoje conhecidos para todos.os casos citados^
tantoque todos os dias fazem d'elle applicaco. *
Apresentando aos mdicos e ao publico era geral diversos preparados da juru-
beba, tivemos por fim generalisar mais o uso d'este vegetal, fazendo desapparecer a
repugnancia que at hoje sentiam os doentes de usar dos preparados empricos d'elle, e
mais das vuzes repugnantes a tragarem-se, c que tinham ainda a desvantagem de nao
ser calculada a dose conveniente a applicar-se, o' que torna muitas ve/.es improficno um
medicamento, que-poderia produzir ptimos resultados.
Os nossos preparados s foram apresentados depois de havermos conveniente-
mente estudado a jurubeba. fazendo as experiencias precisas para bem conhecer as pro-
priedades medicamentosas d'esta planta em suas raizes, follias, frnctas ou bagas, e a
dose conveniente a appcacao, tendo alm d'isto procurado levar os nossos preparados
ao maior grao de perfeif;5o possivel, para o que nao poupamos esforcos, nao nosim-
j portando o pouco lucro que possamos tirar.
Por tanto os que se dignarem recorrer aos nossos preparados podem ter a
certeza de que elles offerecem a garanta, de que se pode encontrar, a prompta e infalli-
vel cura de qualquer dos soflrimentos, que debamos irinumerados, se forera em tempo
applicados, tendo alm d'sso, medico eu doente a vantagem deescolber nasnossas v-
'riadas preparacSes, aquella que melhor tlie podeconvir, j pela fcil applicaco, e j pela
complica?5o das molestias, idade, sexo, ou anda natoreza de cada individuo.
Asnossas pn'paracoes ferruginosas s5o feitas de forma que se tornara comple-
tamente soluveis nos suecos gstricos, porque procuramos os compostos de ferro que
cimotaes estSo hoje recwltecidos.
Para aquelles que mais minuciosamente queiram- conhecer as propriedades da
jurubeba, e saberem a applieacSo de nossos preparados, destribuimns gratuitamente
em nosso deposito om folheto, onde tratamos mais extensamente d'esta planta e dos
mesmos prepaiados.
Deposito gersd de lodo os preparados
Ioi:i e drogara
3ilina larga do Rosara34.
Do xarope Verata! Aieriea. especlalldade de BarihIouea dk O.
34RIJA LARGA 00 ROSARM>34
* N5o costamaraos procurar attestatos para acreditar nossos preparados, e del-
xamos que sua applicaco e os resultados obldos pelas pessoas que se digusram acceitt-
lo, liies deera crdito e voga; porque sao sempre os attestados consideracos gratuito*,
e delles que lancam5o o charlatanismo; mas, nao querendo offender as pessoaa qat
esponunearaentt nos olereceram o& que abaixo v5o transcriptos, os fazemos publicar,
manifestando-lhes nossa gratida pela attenco, esperando que veubam ellts corroborar
o conceito, e acceitago que tem merecido nosso xarope.
Bartholomeit & C.
ATTESTADOS
Illms. Srs. Bartbolomeu & G com a mais subida satisfacSo que declaro
ser o xarope Americano de urna eflicacia extraordinaria, pois que soflrendo lia dias da
intensa tosse, ponto de nao poder dormir a noite a despeito mesmo de medicamentet
que tomava, a elle recorr e na terceira colher fui allvado, e de todo me ado hoje rea-
tabelecido com o uso somente de quasimeio frasco: grato, pois,' esse resultado mani-
fest a Vv. Ss. meu reconhecimento.De Vv. Ss. amigo, venerador e obligado.Ma-
noel Antonio Viegas Jnior.
Sua casa 20 de abril de 1868.
Illms. Srs. Bartbolomeu & CPenhoradissimo com o favor que me fizera
de aconselhar o oso do xarope Vegetal Americano, de sua composiro, quando me acba-
va bastante doente do urna constipacSo, que me tornou completamente ronco e qua
trouxe urna forte tosse, e me impossibilitou de cumprir os meus deveres de cantor da
empreza lyrica, vou agradecer-Ibes meu completo restabelecintento, que (lilive com um
s vidp do mesmo xarope, depois de haver recorrido a muitos tralamenti s. Desejr.rei
que outros como eu recorram ao scu xarope para se verera alliviados de to terrivel
incommodo, to fatal neste paiz^ Com maior consideracSo contino a ser de Vv. Sa.
attento, venerador e obligado.Luiz Cremona.
Recife, 25 de setembro de 1868.
Illms. Srs. tartholomeu d- C.O xarope Vegetal Americano que Vv. Ss. teem
exposto venda de toda eflicacia para o curativo d'astbma, conforme obsi rvei appli-
cando-o a meu Gibo Joaquim, menor de quatro annos; victima d'esse flagillo, que at
entd por espaco excedente a dous annos bavia resistidoa outros xaropes de grande
nomeada. Queiram, pois, Vv. Ss. acceitar a expressio altamente sincera de meu reco- .
nhecimento ao meritorio servico que llie prestaram com o indicado xan pe. acreditas-
do-me para sempre deVv. Ss. criado, atiento e obrigado.Americo Nelto de Mtndonca.
Recife, 2 deoutubro de <868.
DE '
DE
J. VIGNES


- ;-" > '.'--' .' i''-' *;':'*-.".ir,-?..'."s >#..
DOENCASDOP
XAROPE o'HYPOPHOSPHITO
JL\ JL
N. 55RA DO IMPERADORN. 55.
Os pianos di sta antiga fabrica sao hoje assz conhecidos para seja necessam
insistir sobre sua superioridade, vantagens c garantas que offerecem aos compradores.,
qualidades estas incontestaveis, que elles tem definitivamente conquistado sobre todoa
os que tem apparecido nesta pra?a; possuindo um teclado e machinismo que obedecen
todas as vontades e caprichos das pianistas, sem nunca faltar, por serem fabricado!
de proposito e ter-se feito ltimamente mrlhoramentos importantissimos para o clima
deste paiz; quanto as vozes s3o melodiosas e flautadas e por isso muito agradaveis ao
ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as eneommendas. tanto nesta fabrica como nado Sr. Blon-
del, de Pars, socio correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premia-
dos em todas as exposiees.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um explendido e variado scrii-
mento de musitas dos mdhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianoi
harmnicos, sendo ludo vendido por precos eommodos e razoaveis.
~ ^ -----------------------------------------------------------------------a. .-.... ^i -. --------------
tllUCV
A efAcacia d'esta pr.'paracao esl esiabelecida desde (R97, petos mais celebreamedico. Decde
en to muitas imitacocs tem sido feitas, mas nenhum poude sustentar a comnaraco com O
producto apresenudo pela nossa casa. Por isso excitamos o publico para eme exiga sempre
este xarope com urna bella cor de rosa, nunca bra.ica, e com a nossa assiguaiura roda do
fraseo.
Sob a sua influencia, a losse aca!ipa-e,os euore nocinrnm cessSo e o doente volve rpida-
mente saiile. O seu emprreod lambem os xnais brilhaulcs rualudos nos dfluio, catar-
rhos, bronchiies, irrilaeoes do peno ele
* Deposito em Pernatnlmco, em casa de ataorcr O*.
i .-V?>^V>v^;#.a>.--^><>. '>> ** i -/*. ov&&fj&ft'm&c#&fc&f&e&t* '
ESTRADA DE FERRO
DO
Secife ao S. Francisco.
smm
Pelo proponte se faz puMic que a companhia
nao resBDnsavel no? jcns transiori&<, pelo esjrfl-
to dos liqMos, o que p der recu-ar despacho
os que estvirem acotidicionadiis em involnero
em man eeUdo. Em todo o caso o transporii' le
semelliante* subnUncias s se far coulbrino o
rticos do regulainenlo. aUaixo transcripto :
Art. 6.1. A admtnfatr.tHSw nao rrrpoid^ peta?
-ayarias inherentes a natureza das mercad iras.
taes cumn deleliorac ra.i ordinaria de peso, coubu>tao espnnianea, ef
fervpsci'tieia, eva|oracafl ou e-Mo de liquidas,
Se. Nao resiiunsav! igualmente p de nutra natureza. desde que n3L> forem authenti-
cadas pelo rliefe da o-tae5o, :int<-s da etfrega dos
lijictis, e nao hnuvcr nos involucros esU*go e-
aherido. procedenle de negligencia de seus em-
primados.
Art 78. Os olijertos que au se ailianin auflif
cientemeiile acondicionail^ e que nao tiverera um
Bdereeo ou marea intelligivcl, podem serrecuWr.
ou transportados sem re^ponsabilidado da
aumpauliia, faz>;ndu-se esta-declaradlo noresper-
lro cnnh'-ritiMNt**.
Villa do Cabo, ai de marco de 1861
_______________ti. O sltun. siperintiindenie.
Jos6 llrnriiiae Ja Silva, IIIh dulanVid
Jaio Henrique da Silva (eonheeido por Joo Ceg)
declara pelo pre-ente a todos os seus amigos^
eaaaeeidos. que havendi mais de un coni i^nal
i ao sen, como por vezes ja se tem encentrad*
mesmo jornal em pocas ililTerentes, a pealo
um d'elles ja ter subido ao tribunal do tarj
corno ladrao de cavallos uu estelli mato : o nao
Modo o mesmo a honra de conhecer estes ssoho-
Tts, pede-lhes a bondude, ao menos a um que es-
rra despachos da presidencia, como so v no
Rispio d$ Pernnmhnro do 1 do eorrente no expe-
diente do povemo, ir ru estreita do Rosario nv
2, no primro anipr (tu* cri^lurin^ e com elle
eatemler, po? bas'at fVAzeir lera de o ronhe-
ar. O a un uncante nao muda seH Borne por ser
familia, augmentando smenteGuimarae- :
que muito positivamente declara todos
^Hes |iara aman, umii&cm conlian^a, quseii
gantigo nnnie.e do que de .presente vai mar,
deve, e por nada responsabilisar, ben
se ha alguma transaccao c*iii alguein qu<
>io feita^Kir teroeiro, nao obsUnle o ms-
alo aojiunciante declarar qua nao a wavquei.can
lar a bondadr de se dirigirem em seu sitio na
Pasaagem n. 40, das 4 horas da tarde s 9 da ma-
ntas, ou na nu estreita. do Itosario, das as 3
da tarde. ^ .1,
DE
RISSIDEXeiA
O Dr. Cosmo de S Pereira tnudou sua residen-
cia para a na do Imperador n. 22, Io e 2 aila-
res, onde contina no exercicio de sua prolissao
medica, para o .que pode ser procurado a qual-
quer hora do dia ou da noite, nos casos graves.
Todos os dias da* 6 as (I horas da manhiia, menos
.us domingos, dar consultas indeslintamente a
j qualquer pe>soa. sobre qualquer ponto de sua prn-
tissao, e com especial cuidado sobre molestias de
olhos, do peito, e dos orgos genito urinarios ; e
quando o caso for cirurgico, pralicar as opera-
ooes quo julgar conveniente para o restabeleci-
inenb do sen cliente. JZ
Vinho degestivo de
chassaing
COM
PEPSINA E D1ASTAEX.
Remedio por excellencia para cura certa
las dip-estoes dtfficeis e completas, acalmat
is dores gastralgias, e reparar as Torca?
iroduzindo urna assimulae5o completa d#
ilimenloa; aendo maja um iy;ceHile toniao
Frederico fflaia I
Cirurgio deatista |elu estola
e medeiaa
do Hio de iauoiro.
Tema honra depariieipar ao respeiuvel publi-
co desta capital o seus suburbios, que tem aborto o
~eu gabinete ite consultas e operaces dentarias a
ra ireita n. 12, |>rimeiro andarj onde pode ser
procurado todos os dias das 8 horas da. mar.t.a a>
.1 da tarde. Elle acha-se cotnpeteutomente nalnli-
tado para com perfeicaocillocar dente artificiaes.
porqualnnerdossjtemas. e bem assim desenipe-
nliar qualquer out'ro trabaron concernente sua
protisso. O mesmo, reeonheceado que nemse-
pre pcsivel s seniioras ou rriaacas sahireni a
procu aro remedio, ollerece-se a remover qual-
quer obstculo, declarando que na cidade se pres-
tar a qualquer chamado sem que isso inulta cousa
tlguma na commodidade dos preces de seus traba-
ihos, e quando para fra della assim mesmo ser
precedido de um ajuste rasoavel, garantindo elle a
*eguraneae perfeigao de seus ditos trabalhos. Em
eu gabinete se encontrar constantemente excei-
lenteps dentifricio, elixir e outros medicamen-
tos odontalgicos : ra nireita n. ti, primeiro
indar.
PHARMACIA E,
ur.
-
34RA
LARGA DO
DROGARA
ROSARIO34-
CUA DOS CALLOS.
PELA
Pomada galonpeau.
Deposito especial
Pharmacia de Rarlholomeo & C.
34-------Roa larffa do Rosario------34.
Attenco
Manoel Augusto d^ iMenezes Costa, pro-
fessor de msica, contina a dar lices de
>ua arte, tanto vocal como- instrumental.
em casa particular ou em algum collegio:
assim como tem aberto urna aula na casa
de sua residencia D ra da Palma n. 53.
GRANDE HOTEL
BE ORIENTE.
Inaugurou-se este commodo e elegante
estabelecimento d'onde os seus frequenta-
dics poderao apreciar a especialidade na
confecfo dos gneros alimenticios.
As bebidas sao as mais primorosas e re-
commendadas.
A decencia o bom servico primam n'esta
casa no bello gosto oriental.
Mandam-se domicilio comedorias, tanto
avulso, como por assignalara mensa. Os
pregos sao mdicos e convencionaes.
la utna espacosa e bonita sala para o
elegante jogo de bilhar.
la tambera aposentos commmodos e bera
raobilhados para huspedagem.
Ba larga do Rosario
44.
RA LARGA DO ROSARIO 137
Este acreditado estabelecimento augmenla
de dia em dia quanto possivel para che-
;,'nr ao ctrniei rr Iwm viver.---------------
A lew- das saborosos inaiijares jiifcccio-
nadoa. cn o nriellnir aageio, tem beHos apo-
s.'iilos de liospedagem, tanto para tuna sj
pessoa, como para numerosa familia.
A agua, indispensavel elemento para a
vida e hygiene, temo-la sempre em abun-
dancia para facilitar excedentes banJios. .
lia tatmVm urna boa bibliotheca e peri-
dicos nacionaes e estrangeiros,
recreio, buhares, etc. etc.
Sendo ociosa qualquer
CIIARITERIA E PETT InTAIMF
iVnnexos ao Hoiel Central, ra estreita do
Rosario n. I A, andar terreo.
l'ot-^ de charutos de Ilavana. Babia-, Rio, etc. qa
existem neste novo estabelecimento pres-
cindimos dos annncios pomposos que ge-
ralmente se fazwm, reduzindci-nos apenas i
tres letras que sao tres bbb bom, bonito e
barato-. A' vista do genero annunciado po-
. de-se julgar de nossa veracidade. Esta cas?
' gosa tambem das condices de um elegante
piano paia e petil reslaurant onde se pode ver a es-
pecialidade dos fiambres e salames de Lioa
recommeDdaco para lanches c at fazer urna boa colacao,
para t3o acreditado estabeleeimento, omii- juntamente com os principaes vinhos d
timos mais prembulos, fazendo ver por mercado, sobresahindo entre o bom a. pura
fim, que o bom servico, ordem e moraliila- e fervente champagne, o mui saboroso Rhe-
de iinperam n'esta casa, como observancia no, a-primorosa ceneja, o licor espirituoso,
fiel do regtilamento que possuc. o quanto pede tima mesa. Faz-se noute
Comedorias a la carte. sorvete e variednde de refrescos.
ranmn
n.
PEU1JMI
Pede-se ao Sr. Manuel da;osta Pereira, prati-
cante da rcpartii-w das obras publica'; ora em
Jaboato, que compareca ra Augusta sobrado
u. 10-2, aiim do saldar o sea debito ou pagar o
que poder e isto com brevidailo.
Gosinheiro
Precisare de um cojinheiro em casa de Taaao
frua i-, rua lo Ktm rlro o. '7.
' .i .
Precisa-se de urna criada Torra que comnre,
para o servico de pequea familia : na rua Direi-
'a n 7!>. 5* andar. _
Precisa-se altigar urna escrava que saibaeo
ziuliar bem a le# owuqwt : no Correaor da-Bis-
pa n. M.
l'ivcisa-s.' de ama ama para comprar e co-
.'inhar para nnia pessoa : na rua eitreitai do Rosa-
no n. % i
andar.
10*5000
dorar radical das her-
nias. *
Garantida na maior parte dos casos por
meio de um tralamento simplta, fcil a se
jmir, tanto para as crianzas como para
adultos e mulheres sem operacao, sem die-
ta particular, noilewlo o duent* continuai
m u*ti^iliio^fiem-enomofofif>,
^io Rio de Janeiro
1CTBAVESSA R S. FRANCISCO DE PAltt.A16
; GtuMtotiodo Df.Q Mais de 300 attestados dados por doen-
les OTiadoi* cordAiciilna, nfi* drt3anfdaf.
da nenhuma sobre a elCeacidade destetura-
tivo.
Para mais informacoes, na rua do Impe-
rador n. 32, das oito s nove horas da
maula 2 2
Perden-se do Recife rua do Sebo, na Boa-
Vista, urna argola cern quairo chaves, e urna pj
te pequea de retomo ; quem aclioa^o
aatrefir na rua do Boupicio, casa que fej esqu
Moan a rua Formosa, recaer a gratifiacao Jo Hectfeflrociaa-se faif anb'r Intdi fialanat
am, e muito se agradeceri
MARTIMOS
31
am^HLB. HMH aato- :^'
rO\T&4FOGO.
A CouipaidiiadlK^IoRKtabelecind
iesta praf*. tonii segurM marifllios sobre
M\ios e seus carregamentos e ontra fogo
a edificios, .mwcadorias e nwbilias: aa
T do Viga
Na pada
da tres traWhBdores.
ribn. 4, payiraentolyreo.
tria da rua do RaiigJ a:-U preci
precisa-fe
Fundipo da Aurora.
Neste vasto estabelecimento sempre se encontra
um completo sorthnento de taixas de ferro batido
e fundido, fabricadas recentemente, e se fabricam
de qualquer molde a vontade dos compradores, e
recos razpoaveis.
Se br Iwm.
Pagar-se-ha bem um moleque que se pretende
alugar : na rua larga do Rosario n. 44, 1 andar.
Tendo montado uina completa officina paih coNcunTO E afinacAo nr. pianos e
lendo contratado para p mesmo fim o experimentado contra-mestre Sr. A. Rastou
cliegado da Europa pelo ultimo patptete.linia honra de recominendar este seu estabele-
cimento s Exmas. familias Pernambacanas, prometiendo promptido e perfcicSo no
trabaiho.
Rua Formosa n. 14
..------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------*

Em casa de THEODMRO CHRISTI-
VNSEN, rua da Cruz n. !8, encontram-sc
effectrfamiite todas as quididades de vmhri
Bordiiaux, Rourgo^ne e do Rlteno.
Aluga-sr
Uan am dr naoia idade para comprar e
para nmaca^ade penca familia,jpfere se
va, e paf-*e ten : a tratar na
ou anmuieie-se para ser perorado.
Direi
raga-s bem.
tfrekM- de ama. ama forra oa captiva, de
mei idade, que coainhc bem, pan casa de poura
larodU : trata-se na rta da Cadeia do> Recite n.
tiO, tr andar.
Afuga-se nni sitio na estrada do Roearjnho
coi ben casa- defrivemla, accrmimodaedes para
escravo, cacheira, estribara, duas caciaabas, tan-
i|uo, datas baas para capim : quem pretender
alu|ar dirija-so apray da Boa-vista, l>otiea n. 6.
ffl
DE
LESSA
&C.
H.-M1
l'rni asa d homjem soKeiro, i
fronte da igreja, na
tratar na mesma ou,"na. rua
rrnarda bW^
- O abaixta*s*griadi. urntessor iuBjj
aairadt*irtJBratbb < '*"r J
i. da
0 respeitawel publico encontrar iwsta Bicma habeis mestres e liem conheeidos
a arte, affiahcando-sc o nieftirtr desemponho confonmr n gosto e vontade do freguez,
4-assim^uino a maior pontm^rdarje na entwfa das obras ; recebemos de Pars, por todos
os vapores, os mais moderno* tiguriiios para nao haver nada a des.jar; bem coiio
variag eneommendas de casiurat ino'lgHias e outros argos proprios para hoiiaps;
temo*frapde deposito de roupts feitas di toda a quaiidader couu sojam: caamsis
franceas, inglezas, cbapos de sol do seda trancada, o qm ha do melhor, glande
soriimento de meias, colarinhofc, ptmlm e grande novidade em grvalas moderna*, .e
finajaiwite completo sortitnentdo fazndls finas e roupas feitas, sendo os pregfci 9s
majo baratas possiveis.
uilfierr Augusto RodrTgues Sette dexa de
aerprofuj-atiorjjasiaata de Jordjjo. Jos rErafbso,
para r. sateoU e Li-boa, sendo FubJiaida diuaaJu
> mi ausencia pelo Sr. Joaquim Antonip Pereira,
(W>-qoe setaa**wn(enere- tHmaf(-
A'ao#1aidaiuataiia de miaedeordM
11 tecife prociaa-w ''
RuoDuarte.
_ do.
cidade, atonsSo pefii directora geral da instruc- ,
ca fmbliN^MM onwnar prtneiaafc-teuras, pbW^Hoattt afc,
SaTfraa*, r*Mora e^ geotpiia. Rech ICT!"3 MalZ,
alumnos internos, externos c meio-p.-n>kmistas,
para o que tem as aeconiiiiodacoe precisas os tros
indares do predio n. id sito rua. Nuya, para
onde se m^*. ^^ ^ ^^^
pOMoa
eaaajrarai
booeo do Lobato n.
praferiaaWa "cram.
em atafaaintr>Mt m^
xnoel da*SiKa Mfndmqa Vianna.
Engento.
Arrenda-se o^ngenhp Gongaeanr. n* freguezia
*a IfcHanw^jdiSUnlApau doaa 5 Ugnas, rom
exeeltente sobrado de vivenda, tona sitios de la
andar.
priaMfr
LUJA US FA
N-14
SSre anda7^uT5^ Vaftedo,sortimento de fazendas de toda a qualidade, como sjam, fazendaW
* Ii lanzinhas do custo de 400 r. a 20. 240 a 280 rf., isto 'baralissimo, alpacas de
s cor a 4i0, GiO e 800 n. o covadjg(HMNte de cor finas a BOO, 6i vara, pecas de carabraias transparentes a 33SOO, pitas mais finas a 5.$, 64300 e 7 _.
assim como tapadas para os mesmos precos, c^ihbraias brancas de salpico pelo bar
tissium preco de 63 a peca, cliitaafinas a :i20, 340 e 300 o covado, bramante para
"**"* JS5 l*Am
^"fSm+m. e muilos mitros objectos que nao flaJioaaBts o que vendemos meo biwto que em
\

1

i
otra qualquer porte.
HHftll "1


%

ti
)
r*
'i
r
^

NOVO EXPLEND1D0 SORTIMENTO
Agua^florida de Guis
lin
os cabellos,
Tintura indlevei para lingir
sem manchar a pelle.
A bem cunceituada agua-flortda de Guts-
lain que enlao era des ;onliectda ein Pei-
oambuco, 'j hoje estimada e procurada
Ditos rom ditas de velludo, outros imi-
tando chao machetado.
Ditos com ditas de mnrroquim com croi
e gnamico, dourada ou prateada.
Coras e tci\'os de cornalina.
Assim como.
Grande e beSto sortimento de leqoes
Joi Vital de Negreiros, com loja
e ofScina de-ourives, ra do Im-
, perador n. 30, vende, troca e con-
| certa toda e qualquer obra de ouro
f ou prata, por preco rauito mais
. barato do qe era- outra parte, pa
* ra o que tom sempre completo
I sortimento de joiaaitle esmerado
fgosto e feitios, assim como, tem
bons artistas para deseippenliar
m todo e qualquer concert oanfncom-
menda, no prazo o menor poasivel
e a contento, como do seu cos-
tume, o que ludo faz por precos
muito commodos.
jmmmmm-
Precisa-sO*de urna, ama para o meo ae
ama casa de pequea familia : na Soledadex ra
de Joan Fernandes Vieira n. 2.___
USA D FORTUU
Aos 4:000$
Bilnetes garantidos.
A na do Crespo n. 2* e casas do eostume
Ai-ham-se a venda os felizes bilhetes. garanti-
dos da parte da lotera a beneficio fa igreja
*No*sa Seuliora do Motte de Olinda (100) que
yjp exirahh- sabbaflo 3 do mcz vlndouro.
Procos;
'" Bilhete.....44000
Meio.....20O0
Quarto.....14000
Em porcia de 1004 para cima,
ilhete. .... 34*10
Meio......1*730
Quarto..... 8"3
Manoel Marina Fiuza.
flcaz resultado, ainda mais se- lodos de madre.perola,giadreperola e seda.
por scu
r, quando a noticia de sea bom emita e
experiencia tornar do todos conhecida.
A agua-florida d.' Gaislain composta ni-
camente de vcgetaes inoflunsivos, tom a
propriedade extraordinaria de dar a cor pri-
mitiva aos cabellos, quando estivcrem brar -
eos, e lhes restituir o brilho perdido, ea:,-
sim como preservar de embranqaocer, soin
ser prejudicial de modo algum .
E' poFctn necessario fazer conheoer, que
o b.mi resultado producido pola agua-lloi -
da, al instantneo, como mntes pes-
soas tatvez snpponham, mitssim ser pre-
cia facer uso d'ella. trozan quitro vezef,
i loga se obtor o lim desojado, como bwa
prawam testemtinhos de pessoas insusn: -
tas, e d'entao porillante, brtuusa-la duas
venes por mez. contando sempre com o bota
xito, pdenlo a experiencia wr feila en
otra qualquer cousa.
Assim p:s esta agua-florilta aoha-se ver:-
-da na bem condecida laja '&guia Rranca a
ra do: Quaimado n. 8,
. A Aguie Branca, cantando com a protec-
fao de sua boa frcgcezia, laMbem caprieba
em nolfc'a desmerecer, procurando sem-
pre corresponder a dea favoravel com ahoapam, e em prava ao qae Qca dito, iH
como exmplo o entendido sortimaotu
que acaba de recelwr, ainda mesmo aclimv
do-se bellamente prvida do que de botu
ameHusr se pode desojar nos gneros qui'
sao de sua competencia.
Haja vista aos necessarios livros oracio, obras de apunado gostoe perfri-
cao, sendo": com copas de ma.lreperola e
tocantes quadr Ditos com .dites de marfAm iguahnefl
bonitos.
sndalo, sndalo e seda, osso, osso e seda,
e faia ele, etc. tendo nos de sndalo algsns
com 4 vistos, e outros japoneces enfeitados
de flores.
Bonitas vallas grandes de aljofares azaes.
Vottas do cerrente'de barracha.
Meias de seda para mermas eaeaboras.
I>itas de lio de Escocia bertas, tambem
para menias.e senhoras.
Bitas muito linas Mgodo, alvas, e
crtias psra meninas e seilioras.
luvas de fio dISscecia, topral, e seda
para meninas e senhoras.
"Meias de la para liomens, mulheres e
meninos.
Grillinhas o ptmlies bordados obra de
multo oslo.
fintre-meios fines tapados e transparen-
tes com -delicados- bordad-as o prop^ies
l?a enfiar fita.
E" Aunis e crtllares Royer para creancas.
Bonitos cebases ou bolsinbas de pdica
t setim para meninas ou senhoras,
Lindas cestiabas bordadas a fraco, e-*sas.
Delicadas-oaisinhas flevidro ufanadas
com pi'draa, aljofares, etc.
Ditas de tartaruga pera joias.
Bonitos gibans eom msica.
PinsHis oc bunecas para poz de arroz.
Novos e delicados ramos de flores com
marrafes para enfeitor coques.
Bello sflfrttmento de trancas depfca.
Fitas largas para cintos.
Cintos de lilas lapgas com bonitos rania-
gea*<
Brinca e alfinetes de madreperola.
Ditos esmaltados, obras novas e bonitas.
Aluga-se o i- andar do sobrado da ru*i dn
Madre de Dos n. 36. wm excellentc* commodos
paradfcmilia c liastantr limpo ; qnem qur ver
p.Jn pedir a chave n% loja do mesmo, (annazem
' gneros) e ahi di i eom quem trata-se.
Ama
Precisa-se 3e una ama para comprar e coz-
nhar para sa de homem dtefro : na na da
Cadeia do ReniTe n. 53, armaren e molbadns.
NIOFINA
Sr. Antonio Francisco Duarto e seu mano Di
Maximiano Francisco Duarte, venham ra i-
MU n. 53. toja do Brnp & C._________________
- Alupa-se urna csifava para todo e nnalquer
servir. : a tratar na rna do Queimado n. i.
Precisa-se
Na fal)rica do sabio, no A logado, de trabajado-
res Uvres on cscravos, pagase bem : a tratar na
nipsma ou na ra do Amorioi n. 43, annazem.
Vpme.^uma ojcrava ** muito'boa conduela,
com (lasas habilidades, pos eozinba, lava, cn-
faz laliyrinlhn, rose, borda, etc., do l.'
pouco maw ou menos, srm vicios nem
a tratar ein
I annns.
Atteaete
Na oidade de Santarem, provincia, do ^^t^SXS^^.
Para, deseja-se saber onda reside Frawaseo- -r-----------1--------;------------------
Jos fie Almeida, subdita portuguet, qu AlllO.
nageoiou por murtos aams na eidade do. Nq ^^ ^ ^.^ n 9 ^ de.
lieorfe, para nefWftWS de utteresae -lmarapajiraw o rvico interno'e externo de
ibo auuuauiado,, devenda este ser wgo qQi\casa de uiua speasoa.
e.4e cliegue aa seu conbecimenlo, ou da
pessoa que o represenfcir, estande auserit,
dhigir-se para ema cilade a Guilberme Ar-
lenio II.ill e -oSo Vctor Goncalves Campes.
Cidade de Santarem, i" demarco -do
18611/ ._____ __________
Alufra-w-por 20i mensaes 'im primeiro a,
.lar da.sa la na-do Apollu n. 43, do lana do
mar : itrtsi ilcfroift.> do caes (te'LmgueteM. 10
-egundo ailar, com Manoel Antsnio dosantos
Fontes. *____
t'recTSse*e uoia ama forra Od ca|iti:
na ra de S. Fn*ci>ro n. 54.
COMPRAS.
Com muo mnior vantogtm
Compra o Coracao'de Oitro, n: f D, rna do Cabn-
||, nwedis do oun e prata e Redro preciosas.
(Juro e muta
;ra moeda e em obras inutilisadas, compra-se por
Dom preco : na praca da Indepeniencia n. 23.
iNa praca da Independencia n. 33, loja deou-
rives, compra-seouro, prata, e pedrxs preciosas,e
tambem se faz qualquer obra de eucouunenda, e
todo c qualqwpr cuncerto.
0 muzeo de joias
Na ra do Cabug o. 4'con^pra-se ouro, prata
e pedras preciosas por- precos naais vantajosos do
|ue em outra quabjuer parte. .
Compr
u-se
hoje libras esterlinas, ouro n prata de todas as
naoiee e por maior pre<;o do que em oulra parte :
n ra da Cadeia do Recife n. 58, loja > azulejo.
01110 E PRATA
Compra-so moedas de duro e prata e
bem como libras slerlinas, na ra do Ca-
bug n. 9. rilojoaria.
COMA-sr
Compra-se moi'das dt; oyro e prata, bem
como libras stcrlinas por maior preco que
etb outra parte, na ra do Crespo n. D
Io, andar. ______________^___
Compra-se una escrava [tara una encom-
menda, bonita figura, parda on |ir<-ta, que seja de
muito boa conduca, para ponto capaz : no Cnrre-
dor do Bipo n. o", a tratar a qualquer hura. Na
mesma ca^a vender urna machina de costura de
patente inglez, nova, por seu dono retirar-se para
fra.
(Untarme'Augusto Rodriguestiatle, re-
tirand-se para-L^ha deiqiede-se par este
meio (SEM u:.aTE.)
\' ravwsa ii
J&MCS % %
adir awtaivda-se
rna
pri-
Offereeeado a u ti. g ^ (JUTr,r SlT MfO,
xfleprSo alguna, os scs seificos naquea'
jcvfade, pede-Ibes o annusemate, qne o o*vll
! ,-^mn cii franqueza sempre epe d*elle
l-rt'cisem. Racife, SO de marco de 1^6',.
jrirta c pflras preciosas.
O dono (leste estabelecimento,
5 OAmnetenten^nte autorisado pelo
- K-eeisa-Pe de ma -calima, (jatohlada para | "" ^.^ ,.|llMi,-w a*. ?
^asioar a ling* portufwaa n'im*Hip;nho dis- ,VSI""' tU ru;, ..onai^Ot Qc g-
unte desta pi -nhor.i de idade e que mu ente l'ainiiw : 'luowijfi^ua casa, pjmettitido todo e zela
-i fnaender dwqa-a ra doHospieio n. 8t, "-||p^, con xar;_____________:-----------------:----------4 gi -liffnnB') bonra^to emseu-esta-
-^t Mrteynn'-tiio.
Na nxvuaa casa compra-se ou%^
H -praflAi flNtadtsi
PASTILHAS ASSICARADAS
DO
DR. PATERSON
De bfeiuiEth e inaguc2Ela.
Remedio por exccllcmia para omibater
a magreza, facilitar a digeslao, lottilicar
estomago etc.
DEPOSITO ESelXi.SI..
Pharmacia de Bartliob rncu & C.
34-------Ra larga do Roaario------U.
Com pra-se
| Un preto cozinheiro de lo a 18 annos : a tratar
nacaya da ra da Crm n. 19, Io andar. ______
"MSJTDE CAMBIO
DR
Theo'faro Simn $* C.
COMPBAM :
Cdulas do governo de I a a 35000, sendo por-
Mo maior de 1 .0003000. a 1 0/0, o menor a 3/1
O/O de preniio : no larco do Corpo Santo n. t\.
- N'esta tvpofrrapnia conipram-^e os sepuintes
numer"s do Constitvc!nal Pernambucano :
N. 1 do anno de 1863.
Ns. 2 e 47 do anno de 1864.
N. 6 e de 21 em diante do anno de 4863.
Tambem se compran os sguintes nmeros de
Conservador :
Ns. 1, 2 e 3 no anno de 1868 ; pajia-se bem.
XAROPE PEIT0R4L IMHM
POXTA IlfiEJfHBAIBA
COMPOSTO E tU I'AIIADO
Pelo |h:s'Miace!i<'o
Jos da Cruz Santos.
Esta planta cujas \iIu(1h> roadteiMgs
exisliam desconhi'i idas para a maior parte
dos nossos facultativos, duvendo-so a si
descoberta ao uso que d elle laziain os
nossos indgenas que maooscabavam o m
a sua applicac5o de todos os soHiinieutt.s
pulmonares, boje-condecido como o me-
dicamento mais ellicaz para a cura de as-
llnna, bronchile, cotpielticlic, penemorio,
e at a phtysica, produzindo um eltito im-'
lagroso e |i*rcmplo.
Para um adulto 3 i colheres de spc
ao da puro ou em cosinu.iilo.pt-itoral.
Criancas, 3i 4comer detli.
Preco 2MI00 o frasco.
Pernambuco. ra Nova botica n. 51,
tScboncie de a/culro.
DE
Antonio Nunes de Castro.
Este acrediUido preparado, que tic boa
acceilaco tem merecido n'esla provim'.a.
muito se .recomratiida para a cura certa
das Impigens, sarnas, caspas e todas as
molestias de pelle.
Deposito nico.
Pharmacia de Rarlbolonicu A 6,
tina larga do Rosario34.
iVleius elsticas de lorroi-Ha.
As melbores e excellenles meias ciaste-
cas de borracha contra varizese erysipellas.
Vende-se na
Pharmacia e drogara de
Rartliolomeu & C.
34roa largado Kosurio34
%rro. atteneo !?!
Compra-se urna <-a e eai boa ra; a tratar na ra
mero 107.
da Concordia nu-
VENDAS.
TICA E GASA SE
77
EUA DA IMPESAfRIZ 77
N'este novo estabelccimanki tocm compteto sortimeto de medicaiea>ns, pro-
ducto chim"ic que em oulra qualqueripane.-
Ha mbam um sortimento do edicamentos homaoplbicos, tinteros e globu
los inertes, por procos oomnodos; foem-eamo xarepe de jun*eba ferrugmoeo simples
vinhofi dejurubebn simples efcmyaooo, u o'bem conhecido xarope de Paracary, es-
pecial delta ptoanaacia. Awim-se roceias a qualquer horado dia, e noite, com promp-
tidao, cuidado, o .pericia ;-uao se negam a qualquer oceurreada em casos rgeutes. 0
^ocio gepente encartagado do catabeieimenfo -ora no eaesmo, para o que esl
promptoa abrir atpoila a fualquer hora ,ue for preciso.
C. ~tjxto '(fc C "
DOENCAS o CRIANCAS
rXAHOPfi oe lUJSANO JOSADO
H;tiAWIM141^S
Ccie medicaaienio ui em Pars noawnilo inieiro 4r uihi tama j>isianirnie aiereoda, por
achar-? intimaateou- coenhinado celleoiointu<-C4) da* plantas antMoorbtiticaa, cuja Htkacia
bem conherid uas qsae.x ji naturalmente eiiate o iodo. E' eom Me motivo que elle suppre
com vanta^em o Ojeo de tigadoM r Bacalhao. <|tir deve. secundo os hacien scientitieos, a sua
I. eicacit i presenca *1ooo. K' preciosa ao usuiueaio das ataas para nombater IjrmpKuiamo.
Ijtsob&irKccoes da glaalulas do ^ts.-ovo, e diversas rapies do roeUi, to freqaeniea as
| tran^asde poui-a hiade. Tnico e eourativo 10 i>miio lemfto, elle excita o appetate. facilita a
digesiio. rpsiituf aos veidos a sqa nrniexa etujer naturaaa- cada da receiad petos med opa
eepecialiKas para eaaakater as diversa affeecfta* da.pelle.
nepanio wn t**mafnlwi. em casa de.
O*.
t
A mu
Brecisa-se de orna ama -da meta idade e de lioa
;i |*n09^ir#e*tjnhir--paM un* fafi
pouR*t>66soas. : .a trtar oit raa Uwa'u*-
zinhnr, po-
Daiiwuule/jnf tU lia 18nA 110 pateo da
mair7. de Santo Atin.nto n: 2, Io andar ; paga-e
PrecWF^itT ,;n asa "pura ci
ido dormir Hn : na ru*ltialBaeJii(l<^.,
^msmmi wmmmmw
,$tt*a#\ omwiMe-de Aib'*ef(|ne,, jj||ibiii.-e--f.r*^> bhm breve
prvte>r jubilado, 4st'umlo aimla de al-
guma Uoras nu da. anide e.w-eewute-
uoote aceitar o om4iHipor 'mai* *
-asas parlan larca, d-- liiiniins de ti .11 e
nutro sexo, para a hrtrueco primaria,
inwtaaitaite
Pre(5iss--se
BAS CTZES S! 30. 2" AKDAR'.
~"JYa" do Ararn "li. Id, if a>.(Uiiv*existe
! r.nu carta para o Sr. Marros Jos da Silva t-
. tfi'nty, vinda de Seiirliie. ___^_
P1-e1-4sa-.se de o 1 na ama jue teuha Imnh leifc?,
Uflm a.tMtuoaaaio. paga-se taem : a
lir *>.**: -'-
^recisa-'e de um inentno para cuixeiro de
rocaia-se
as-natas do banco =^0 dkasH odas caitas Tilines,
oto descont maito razoavel : na praca da Inde-
lecdeacia n. 22.
Reata venda um escolhido sortimento de ob-
yectos de marcinerja, como sejam, mobilias de ja-
arand.mognoeamarello, obra nacional e estran-
eica, de apurado.gcto e por^preeo razeavais :
la roa estreita do Rosario n. 32. Nestaimesma
a> fazein-se com perfeu-ao todos os traballios de
ialbinna, como sejam, eipalhasientos de lastros
jara camas, cadeirase suplas.
AVISO
Guilberme Augusto Hodiisnes Sette, re-
tirando-se para Lisboa, dma durante sua
auseneta, por seus piocm adoses extra-ju-
dicjat*s, aos Sis. Manoel Ribeiso de Carva-
Mo, i)r. Joaquim Jos da Fooseea e-Or.
ios Soares' d'Atevwdo cora poderes o>
tratarem de todos os -seus negocios. Re-
cife, 30 dmaifO dei809.
__J_____! ________ ________
0 MUSEO DE JOIAS
C/2
GliWES OE MATTOS IRMlOS
tendo feito completa mudanpa em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe maiorss proporcoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom josto a comparecer em pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da noute na
RA DO CABUGA N. 4
onde encontrarlo un completo sortimento do que ha de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes. esmeraldas, rubias e tudo que em obras
j^ de ojito, prata e platina ae pode desejar.
ADEREQOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBINS
de navos gostos, ass; m como grande variedade de salvas e palitiros de
prata contrastad'.e de-^osto anda nao visto, e completo sortimento de
objectos de prata para uso das igreja, r^,
Compram e trocara quaVquer joift ou pedra preciosa e garantm
a qualidade dosobjectos vendidos.
tatiema : na rna das Apnas-T
de u ntito para
'Tifes n.
ViMVonieas de pioln para iha>iaren>. WtRas
e retrancas, todas de superior qualidade. Tin'at.
Verde Pars, braneo de zinco c in-ta. "em la as ile
li e_28 libras, j preparadas, oleo de linna;a ei"
barris : no annazem de deposito la ronipanBia
l'ernanibucana, no lai-po da Assenibli'-a n. 10.
Veiidein-%se diversos e-cravos piras viudos
do pear no ultinu vapor, proprius para qiukiuef
servico de annazem cu enpt-ii|>, assira cnnn ffto
escravo por l.'OS rom nm braei nutilisado, o di-
versas escrjivas com habiiidade e seo ella : a li-
tar" na ra da Cruz n. oo, 3 andar.
A Perfuman 1'iclona 6 hoje mitito itroruo^.
pth'ttor da aristocracia, e o as elegantes, *o
eafisa da fabncaco superior dos productos das-
tinados aos usos do loor ador, e entre os quu>-
ella creen ama aperia4ii*Ndc em cada artigo.
Os seus noves perfumes, preparados com.
Essencia de Ylanyylang.mnc ella oUem mesin-
nas illias#hjp|iinas, pel> di>liilacoodo l'to;o
oiaralistinta, riaolemeninenhunia cenurrencia
BO que'diz respeiio i fineza e sun\ iitadedo cbfiro
pelo ave acoaseJhmes ao publico elegante qu<
peca como perume para o lenco
0 EXTAACIO D-E YflLANGVLANG
0 COlLET DF. MAML11A
Alcm d'efics dois extracios excepcitfcaec, q_u
so propriedade exilus\ a de sta casa, os .Sur
igaud e C\ preparan {ualmi-nte, com paRbcu
ltr perl'civo, lodosos extractos adoptadosaiei.
naeda, e entre os qnaes citaremos os seg.vHtis
Jockey-Club. Vilela* -Resria.
Es. Bouqurt. NarenluUe. Jnsmui.
feno fresco- ilousseliae. M<;nolia.
Flor dos prados. Rondeleta. Rosa mmsgosa.
Tinta rxa de Mon-
teiro.
Vende-se tifrta rxa dn Mnnti-iro para escrevor
na loja oo cabjado do sobrado amarelln da rna d<
Cruz n. H _________,_________________
"PlLllLAS, VINI10
\.VKOPE
m
JRUBEBA
PREPARADOS
P LO
PUARMACEUTIX)
loaqniu As prts)rfoes "o Jumbotta, sao hoje
vantajosMirte conhewilas e preconisadas
pelos antis habis mdicos, tanto da Euro-
pa i'oii i. lo pii/,, pela Ma ellkacia nos
caso anomia, cliloroze, tiyitropesia.
ob8tnjf(,.-2o do dxlomin, c tambem nos de
renst-tiuSodiflicil, catliarrona bexiga, ele
VtHutetH-sn oto porcio n a rela-Hw ni c-
dde do ilecile, pliarmacia do sen composi
tor, rna larga do Rosario n. 10, junto ao
qiarterde polica.
JVA1
Por 600-iOOO nina rrioubnlia de i) anuos, de nu
boa mora
n. 28.
e saude : na ra da lmp; ralriz,
lite
Dj
Vende-se um pequeo K-rn no nu lii(.ar ik
nominado Sicupiva Torta, entre a estrada roa! u
a liona forrea que u-m de regttir para Jafcuatio;iia
freguezia dos ,Afi-o;nlo<, e miiilo pn rio para c licar predios: quem pn-tinder iluajai-se lra*M
^a doQueimadon. t. Natnesffia casa se piofwa
de tuna boa ama de. ieite, e paja-Mi Lem, agr
dando.
' .Vende-se una armacao-de uborna
na na Tiiiperal n. :ili.
a iralaa
rOMKIt H1U1ID
E' uaaa Agua admiravel para o Lailetle, eons-
titueclla ovcnkdeiio talismn da belleza, e con
aerva a pelle fresca, e a tez do rosto bracea. E'
ultima ejtprcsso da scieur.ia. Est por iodo:
reconhec.ida a sna incoutestavel su|>eririda(!'
sabr as aguas de Colonia, a agua de Florida e o>
viaagres aroaaiicos de maior nomeada.
LfO K PONAUA NIH^M
Exeelleuia preparavoes que se podeiw chamai
theseuro do cabello, e qne, cotn-iostaa de-sub-
tancias tnicas e fortificantes,-embeHczio e con-
aervao o cabello, ao mesmo lempo que ihe com-
mnnicio um cheiro auavissimo.
8ABO MIUAMDA
Quem comparar este sabo com os que ie
vendem por ahi. facilmenie reconhecera i supa-
rodade do nomo. Este torna a cutis muiiimo
ucia, taz nina escama abundante qne forra un
verdadeiro banhe de leite, e nada deixa a desejai.
como delicadeza de. perfume*
BNTORINA
'AMA DBNTIFRICIA
AJIenterina um elixir denufrieio dos mal
tmma : perfunra reftetca agradavetmente a
bs, (oruftea as feafivas, e preserva os dme*
da cana.
feu paua dmttfricu fet urna verdadeira ea-
ncM sxrtarpiaaaiw; abao paaa aaaapre osn>
as pos e putas, que sao mais ou meaos asidos
ajoa. la*paaar,sjaM,aawr*|*4
por cima, para otear onaa aauctaet> sauwa
netoosa que toma os di
ntaproaa. ______
POS k\SAGS
ftM^*a>fUa.do rigor dos veoioao ds fri,
sMmsBwao-lbe ana agiadavel freacara. im
me .a sardas. SCe;..penoresaaopd dd srm
da amldo. Sen perfume delicioso.
*2*J* ******** m**mA*
Vende-se d' da inaio fina o superior qualidade, em posieoe ou
a retalht, para prveme e para embarque, uo
bairro do Recife. ra da Cadeia loja n.42.
' VeadAit-seses sacadas deautana de Lis-
boa : quem as pretender dirija-se a ra do Quei-
uiado, Inja n. i9.
Vmide-se. um preto do meia idade. proprit
para todo o servico. nrincipalinen'.e di nu ou do
eampo : rna da Coneeicfin n. 2.
* .-------------
Tf
MANTEI6A M
1&-UO is. a libra, o que pode liaver de,
nielhor;
Ra (la Impera!riz n. 2
0 BOM IEMOMO.
bsj.
' M
do Passo na do Crespo
$m* H- 7, A.
Raceheu 4 toaihas as mais ricas que tem
vmdo do Cear, proprias para baptizados,
asfim cono lindos longos do labyrintbo t
ricas frontias-pata cama de ooivos; saia^
loja do Passo que sa venda lalryrintiios.
para qnfinrqu^r principiar com aegorin da taber-
na, a armaran da pequea taberna n. 2 da ra d
Forte, enmasados os terno* diw aaedida* e pesos,
caudiein)aifaa>-etiuis utoieilios que sin precisos
em urna tateiwt; aluda t*ai* se Wrna recoinmen-
davel por ser bastante auvguezada, e pelo preco
eo i modo : a tratar com o solicitador Ignacio Bar-
roso, na ra do caes do Capibaribe, rn-a nova
com portan de ferro ao lado, o parame a chave.
Pptus$a nova
de superior qualidade, cnegada na presente sema-
na : vende-se no armazn de Jos da Silva Loyo
FtHio & C, ao largo da as^eydiloa.
Vende-fe um sitio ou parte de suas ierran
junto as olarias dos Remedios eduac casas terreas
ina roa dos Percadores: a tratar na loja n. 46 da
Ale^tai-vus itiyopes, e prsbitas, ja A
deis ver de longe. j pmleis wr de pi-, ffi.
nao ha mais vislas curtas, nem raneadas
F J. Germana acaba de receler pe
ultimo vapor um rico e variado sutiim.-nto
de nenio?, lunetas, pin cenez. race--maht-.
lorgnons de ouro.prala. tartaruga, maifin,
aen, bfalo, ncar, unicornio e melchi
assim como binculos de Ima a tres
daneas para theatro, campo e niaiiidia
ultima mvemjao; dqueza*. viene/as, de &
8 e!2 vlros, tudo dos mellioies labiitjh
tes da Europa.
0 mesmo vapor trnu
xe urna exoellepie inj
china para fluiMasf
observar o niunoio (los
vidros que se iierestoa
conforme a vista do
qualquer pessoa.
' do Queimado
Alaterna do pateo do Terco n. 4
que pertrncia a Jos Das Marques, flea
boje pertencendo ao mesmo SfarqMes e An-
tonio Luiz da Silvia qual gyrar na raaio
de Marques & Shvi.
Recife J de abril de I80.

' Tenffexcellmes sterioscopos. instrumen-
tos de mathematica, barmetros, vidros do
chrystal de rocha, e decores para rosuiw
lar a vista ; concerta todos os nbjertos a
presos commodos e com promptido ; rtra
o molo dos vidros e enoarre|,'a-se de toda*
enrommenda relativa a ptica.
Recebeu tambem os excelentes reopio
do antigo eafamadoifabricante RiJht Gn/k
d;C,-os quaes vende- piecos o uuuodcs
garautindo a son soperior qualidade.
-----------------------------__-------L---------------
XABOPE PEIROBAL
BSJ
A
A
B1B0 DE TAT'
PLANTA l0 BRAZAL.
JE-"HWtoraiite e- roGomneiidadrv nao-
.rtferfips- do peito, bronchite clu nica tto-
uioptise, ie.**e .ebrocida.
J'KEPIKA IIO
POR
C^lcJiaAoroBria* par caoi ou para mesa.
fimbralas de cores matizadas, /azoada Coa co-
rvado a :i60 rs. ..____
Gnmadioi odm listm da seda, tw*d* non,
covado a 640 rs.
Punhos com golinha a S00 rs. o par.
Calcas francezas para >enh'.ra a ** .
Na!rua dad^all *.** *' **-e,ulBa da
Jadre de Dens____________________
Mnnteiga
No largo do Carmo n. 1 vende-se superior man-
teisaJ_wa-en iaias.de i o Jiibcas, pelo precu
Soaqum de A*n?id PiiU#t,
piiAHn%o:i tuco
Pernambuco ra lardo ao
tonrio n. 10.
Cera de carnauba
Vende-se na rna do Qawwnado n. i:i, pnmou
andar.
Vende-se uta burra
se ve para carro e prroca, e tambem de I-
ga.^a.tralar.na rua:da imperatriz n. 38, das 7 9*
i2Jiurasda-ni>olwa.




G
ovlo (le Pehiambueo. Sabbado 3 Lindos cortes de cassa de cor com barra.e com flgurino indicando o molde do vesti-
do pelo baratissimo preco de 35500 o corte
Ditos de percalia muito modernos com duas saias a 5/5000 res
Na loja das Columnas da ra do Crespo n. 13 de Antonio Correa do Vascon-
celos A- C.
~PRECYCQBRENTETDO$ CHAPEOS DESOL
Da fabrica de
MANOEL & C.
Ra Nova n. 23,=B,ua do Cabug n. 8
Pernambuco
Chapeos.de seda trancada, Paragon, de 16 bastes, 28 pollegadas a I6(J[; 26
pollegadas a l'$, e 2i pollegadas a 140000.
Ditos de seda G. de N. Bara, de ai o, de 16 bastes, 28 pollegadas a 14)9;
de 20 pollegadas a 133 ; e 21 pollegadas a 12^000.
Ditos do seda G. de N. lisa, de ac, de 12 hastes, 28 pollegadas a 120 ; de
26 pollega'hs a 113 : e 24 pollegadas a 1030(0.
Ditos de alpaca, de a$o, de 12 hastes, 28 pollegadas a 6$; e 26 pollegadas
a 53500.
Por duzia ftiz-se descont de 15 0^0
Chapeos de sol de panno, de baleia, de 8 hastes, 24 e 26 pollegadas a 324
a duzia. (Descont de 10 0|0).
Ditos de panno, de junco, 8 hastes, a 183000 a duzia, liquido.
Grande liquidadlo de miudezas!
Alfonso Moreira Temporal, querendo liquidar as miudezas existentes em sua
ioja ra do Queimado n. 55, resolveu annunciar as mesmas miudezas., para que o pu-
blico se certifique do diminuto prego porque ai est vendendo, a saber:
ALTAS NOVIDADES
LOJA DO PASSO
Ra do Crespo n. 7 A, esquina da do
Imperador.
PARA CASAMENTOS, BAILES, THEA-
TROS, etc. etc.
Lindos cortes do blond, contendo setim,
mantas e grnaldas.
Requissimos cortes de sedas assim como
para co vados.
Gurgurao branco.
Moireantique branco azul e verde.
Gros-de-naples brancos e de c6res.
Setim branco macau.
Setim, branco, azul, verde, cor de rosa
e amarelos.
Fil de seda, branco e preto.
Cortes de seda com duas saias.
Chales de gurguro de seda de cores.
Camisas bordadas para homens.
Saias bordadas para senioras.
Camisas bordadas .
Fronhas de linho bordadas eom primor.
Lencos de'cambraia de linho tordados.
Riquissimas Colchas de damasflo de seda,
assim como de seda e algodao.
Ditas de ifcchel para cama.
Chapeos de seda bordados, para sol,
Poil de chevre de lindas cores.
Alpacas de lindas cores.
Chapelinas de palba da Italia, assim
oemo de seda.
Enfeites para cabeca de senhora.
Espartilhos para senhoras.
Meias de laia para padre.
Ditas de 13a
Ditas de seda fio da Escosskr e algodao.
para senhoras e meninas.
Lencos de labyrintbo.
Fronbas de labyrintbo.
Bicos, rendas e grades.
Finissimas cambraias de cores, percales,
las, e outros muitos artigos de gosto e
de alta novidade, isto s
Na loja do Passo na do Crespo n. 7 A. esquina da do Imperador.
Apprevcio
ia ecadmie
it mtd itini
d$ Part.
Pharmt44HHct
leuriei
AwMl
U audacia*.
Caixa com agulha franceza a
Caixas com 100 enveloppes a.
Pecas de babadoseentre-moios
a 500, 600, 700, 800 e. .
Pecas de fita de coz com 10 va-
ras a ........
Linha de marca, caixa com 16
novedosa ......
Coques muito finos com rede, s
a rede val......
Frascos com santos muito finos
a ......
Latas com banha (familia), a
240
13500
13200
200
Carto com alfinetes a . 100
Copo com opiata muito fino a
500
Cartas francezas a 200 e . 240
Ditas portuguezas a 120 e . 160
Caixa de linha do gaz branca 50
novellos a......- 600
Frasco 'com tinta a 100 e . 160
Frascos com banha a 320 . 400
Frascos com agua de Colonia
13000
Pontea de travessa para cabello
de meninas, s a vista faz
320
Laa para bordar, libra. . 63800
No vello de linha grande com
400 jardas, S a vista faz
60
Pares de liga de borradla para
pernas de senhora, muito
boas a ....... 60
Franja branca para toalha vara
200
160 Resma de papel almaco, muito
500 boa fazenda, com 85 cader-
i nos a........
13000 Caixa C0m papel amisade a .
Jogo de vispra a......
500 Saoatinhos de laa para meninos'
a.........
Pegas de tranca e caracol a .
5a bonetes de todas as qualida-
des a 80, 160 e .
Frascos com oleo babosa a
400 e.......
Pinceis para barba a. .
Gaa........
Frascos com agua de Colonia a
3O, 400 e......
Pentes com costas de metal .
Carteira de marroquim a .
Pentes pretos para tirar piolhos
Escovas para cabello a 400,
500 e.......
Garrafa com agua divina a. .
Grava tas de seda de cor a .
Ditas pretas a 400 e .
Be loes de louca para camisas, a
Garrafa de tinta roxa a. .
Lencos brancos para maos
P; r de suspensorios para ho-
mens a.......
E.pelho de toucador a .
Frasco com cheiro muito fino
a.........
Bindeja para copos a .
Muias cruas para homens, boa
fazendaa 33, 33600, 43 e. .
\botoaduras para cohetes a .
23800
700
4001
320
40
200
600
200
320
500
320
400
200
ms\
13500!
3201
500!
160
800
i
24
200
23500
l
13000
400 i
43500
320
As preptracSes ferrugmaeai liquidas tem desde mnitos aune* merecido a pprovaef o
especial dos mdicos, porqne ellas obra mais rpido e seguramente o que as punas, e
sio mais fcilmente toleradas pelos doentes. Os Pos ferro-mngameos poesnem a inappre-
ciavel vantagem de poder offerecer n'um instante urna aga ferruginosa gaseosa, de gosto
agradavel, mais activa do que as aguas mineraes, e contendo de mais um elemento precioso,
o Manganese, qe sempre se acba no sangue, jnnetamente con o ferro. Bmpregio-se em
todas u molestias que tem por causa o empobrecimento do sangue, assim como para vigorar
os temperamentos debis e lympbalicos. A ehlorou, as Peraas brancas dore: i'estomaga
a irregularidad da menstruafo e amenorrha ou suppressao do menstruo, cedem rpida-
mente a seu emprego. Devemos mencionar aqat ora facto notavel, isto que os doentes cura*
dos peta agua preparada com estes pos eslo nraito meaos expostos a recadas do qurl
i fono tratados
aqnelles qu foro tratados pelas preparacoes ferruginosas ordinarias.
Deposito em Pernambuco, em easa de Wf C.
*&^&;w&&&;&c&}W&;&'&&c&tt$7&&;ttri
C1TAMH0S
PASTILHAS PEITORAES
de sueco DEALFACE
JE LOURO GEREJO
IR RIT irg 0 E S
E' este o mais nove e delicioso confeito ate agora conbecido. Por isto tem adquirido r-
pidamente a popularidade de que goza. Os mdicos os mais distmetos o aconselhSo contra
as losse, defluxot, caiarrhot, iones convulsas, catarrhorepidmicos, irritaedes do peito. Com
grande empenhoo proeurio as mies de familia, assim para ellas como para as enancas, pois
prmeiro que lado inofensivo, t es snas propriedades adoeantes nao deixaO nada a desejar.
Deposito em Pernambuco'em casa de iai O*.
..-/"".',.-.-; z ;-,} < i -,." ':*y4?:r, w;fyw:ryc4i:*y>r4$L f?.,
Fni
VERDADEIRA3
H
PILULASDEBLANCARD
eOsl IODURETO DO Ttnno IMMtMVtfc
APPROVADAS PILA ACADEMIA DI MEDICINA DI PARS ETC.
Possnindo as propriedades do lodo el do tarro, eeavora esoeclalmeote bu Amcooffl
scrofulosas, a Tsica no principio,a frarfuea de temperamento rtamban nos ene*do
Falta de cAr, amenorhhea, em que proetnREAom sonti o sawsui teja para restituir
ido sua riqueza e ahundeneia normaos, ou pan provocar e regular o sen curso periodieo.
H. t. O iodarai da farro impar* o alterada aadifMiH tunal,
irritante. Conio prora da parata do wUwncidad* *a *9**r%nm ri-
f^ hilaa I
^k aosio ln, iji
mtUn ,
Ulortor
ir4, wro^o nifir mim
aqai raproduida, ovo ada aa parla
Dare-ao daatonfiar da* faiaifteaceaa.
can uim ma !aaSaiai. PkarmateutUo, rmm
TASSOIRMiOS
Tem para vender em seusarmaiecs, alin de ou-
tros, os seguintcs artigos :
Papel para iniprimir.
Perlina azul.
Greve pautado e liso.
Vinhos em caixas de doze garrafas
Bourgogne.
Hery.
Madeira.
Hcrmitage.
Cliarnblis.
Licor de curacio de Hollanda em caixas de Tin-
te e quatro botijinha?,
GESSO,
Nosarmazens de Tassolrmos.
Grades de ferro
para jardins, porteiras etc.
Nos armazens de Tasso limaos
C \II It IMIOH DE FERRO
Para servieos de grandes armazens, para remo-
ver barricas ou caixoes de um para outro, fado pelo
mdico preco de JOOO cada um.
Fariiiba de trigo de Trieste
Das melhoras marcas Psraoma (verdadeira) Fon-
tana e grande sortimenlo das memores marcas de
farinhas amerteanas.
Saceos de ftirinha de trigo do
(Me
Todas novas, cfregadas ultmente nos arma-
zeas de Tasso Irnis.
Cemento romano
Ifos armazens de T.?w>o lrmao3.
Cemento hyniulieo I2|
0 meihor para tudo qae sio obras para agrio, co-
mo a -.enlmenlo de cano: de es goto, algerozea, de-
posito, tanques d'agua, el?., etc.: em poredes de
'.incoenSu barricas se far duccao no preco : nos
armazemdc Tassolrmos.
Cemento PbrtlantF
O verdadeiro cemento PortHtsd em cas* de Tasso
Irmaos.
Grades d ferro, cercas, por-
teiras, etc., etc.
De diferentes qualfdades par rercados A'ani
maes> chiqueirospara gaiinhasoujarflins: ueear
mazeas de Tasso muios.
Barris com bim
Nos armazens de Tarso Irmaos.
GANOS DE BABEO
Na ra Nova de Santa Ma, na antiga fabrica de
sabo, ha para vender por preco o mais modieo
possivel, canos francezas- para ediflearoes e esgo-
tos de toda a qualidade, supeiiores a todos os qu
aqu tem apparecido perH-soa solidez.
PHEQ08
1^400 por cano grande de 3 e meia pdllegadas.
11200 por dito de 2 e mes quartos de afta.
UOOOpo? dito de 2eun quartode'dita,
500 res por pistoleta e-2pollegadas.
Cotovellosyurvas e canos de maior greesura, a
vstase Tara o preco. Compras maiore* de 20
tem 5 por cento d descont por promete paga-
mento. Pde-se ver as amostras nos armazens
de Tasso Irmaos.
lijlos francezes
Para ladriHtar casas terrea com asseio o procos
mdicos, mu lo con veniente., -e proprios para ladri-
Ihos de cosiobas em sobrados, pelo scu asseio e
evitar a passagem de aguas vara o andar inferior
emesmo o perigo de fogo, as precos de 390600 a
iS^OOO o milheiro : na ra Nova de Santa Rita, na
untiga fabrica de sabio, e compras maiores de- 200
se far 5 por cento de descont por prompt paga-
mento. Podenk.se ver as amostras nos armazens
de Tasso Irmaos.
Velas do esparmacete wrdadeiras para-Jan-
ternas de carros: no armazer de-Tasso Irmis.
Vinho do Porto fino superior: no amaazem
de Tassolrmos.
O meihor cognac Gauthior Freres: narma-
zem de Tassa Irmaos.
Esteiras da India
Em casa de Tasso Irmaos vende-se esleirs da
India de diversos padrees o larguras, per preco
couimodo.
f\o \\VT\\Pf\ Ud M rA)l\A)i5i o phosphato de ferr> solnvel de Leras, para corar a coloreis
(cores paludas), as dores do estomago, e a exhausiacao de sangue; com esta preparacao, dio
ae corpo o vigor, e as carnes, a toa firmeza au ral; facilitara o desenvolvimento lio labo-
rioso da puberdade. Com effeito, tudo, n'esie medicamento, se aclia reunido para lhe
assegurar o maior crdito, pois que entrara, na sua composioo, os elemento dos ossos e
do sangue. 0 sen autor, M. Leras, doutor em sciencias, pharraaceutico, professor de
chymiea, inspector da Academia, foi, recentemonte, condecorado da ordem da Lego de
Honra, digna recompensa dos seus importantes tr.balhos.
As seguintes apreciaedes dos mais celebres ziedicos anda vera corroborar e justificar
lodos estes titulos i confianca publica :
c Precisa classificar o phosphato de ferro solnvel entre os ferruginosos rae meihor
c convem aos doentes cujos relos digestivos sn aportam mal as prepraedes de ferro. >
SOL'BEIRAN, profester na Eicola de medicina e de pharmacia.
a 0 phosphato de ferro solnvel em quanto u mira, a meihor das preparacoes ferrngi-
i nosas, e o seu emprego di os mais promptos e seguros resultados.
ARAN, me. (ico do hospital Sainte-Eugnie.
a A frma liquida do phosphato de ferro solnvel di-Ihe urna immensa vantagem sobre
< as pilulas; eu considero este medicamento cono mui superior is preparacoes iodadas.
ARNAL, medico de S. M.o Imperador.
Entre todos os ferruginosos, nio conhecemos um sd que obre lio prompta e eficazmente
< como o phosphato de ferro solnvel, e isso, sen cansar o estomago.
BELLOC, BAUME, B1G0T, F0LLE1 e PRVOST, mdicos dos hospitaes.
Os effeitos da preparacao de phosphato de ferro solnvel me parecem ser mui segaros
e promptos. BEBOUT, redactor em chefe do Bullelin thrapeutique.
< Entre todas as preparacoes ferruginosas, o rhosphato de ferro solnvel foi a que sempre
me deo os raelhores e mais satisfactorios resnltidos. GUIBOL'T, medico dos hospitaet.
a O phosphato de ferro solnvel tem, sobretodo, a vantagem de evitar a constipacio t
a eonvir aos temperamentos delicados. Dr FAVROT.
Deposito em Pernambuco, ein casa de Maurer o*.
OLEO DE HOGG
DD
Figados frescos de bacalho
Para cura certa de pntisica, alfeccoes escrofu-
losas, tosse ehronica, franjueza dos memores e de-
bilidade geni, recomnienda-se a excelleneia deste
oleo ainda por ser agradavel no paladar.
VENDE-SE
NA
drogarfa
Aarnacia e
BE
BARTHLOMEU & C.
34 == Ra larga do Rosario = 34
CAPSULAS MOLES
DE
ALCATRAO
Remedio por excellencia para cura rpi-
ta e completa dos coqueluches, bronches,
atarrhos, tesses convuislvas, escarros san-
,ruiao6, eoutras molestias de peito.
VEXDE-SE
PILVRMACIA E DROGARA
DE
Bartliolomeu d G.
34RA L.\RGA DO ROSARIO34
liOol I
Macarthy
AO BAZAR DA MODA
Ba Nova n. 50. esquina da ra de S. Amaro.
Para senhoras.
COQUES da ultima moda, enfeitados e lisos, gran-
de sorti'iiento.
CHAPELINAS de palha da Italia, guarnecidas com
delicados e elegantes enfeites brancos e de cores
CHAPEUSINHOS e gorras de velludo e de pennas
(alta novidadd !) de palba da Italia, a emtiacao,
especial sortimento.
CINTOS de cores e pretos, rico sortimemo a ulti
ma moda.
CAMISAS bordadas por commodos precos.
LENCOS bordados e com letras, novidade neste
genero
LEQUES a emitaco de marflm, gosto novo e de
sndalo.
GOLINHAS e punhos, a emitaco de guipure.
ENFEITES pretos e de cores para cabeca, lindos
moldes,
GUARNIQAO alta novidade I a Marie Rose, lti-
mamente usada em Pars.
CORPINHOS de guipure brancos e pretos lindos
modelos.
BORNOUS de lia e seda, cores claras, elegante
moda em Pars:
GRNALDAS de (lores finas.
ESPARTILHOS superiores.
MEIAS supe, iores de fio de Escocia.
LUVAS de pelica chegadas pelo ultimo vapor.
AHERECOS de coral verdadeiro e camafeo, gosto
delicado.
DE PALHA
(ARNICES para vestidos.
TRANCAS para enfeites do coques.
IIOTES lisos e com pingentes para vestidos.
CINTOS alta novidade.
NOVIDADES
PICORES finas, grande-aortimento.
GRNALDAS de ditas para coques.
LAGOS, fivelas, penachos para enfeites.
Para horneas.
CAMISAS com peitos, colarinhos e punhos de li-
nho fino, lisos e bofflados, moda,
(OLARINHOSde linho e algodao.
I'UNHOS de ditos.
CRAVATAS de todas as qnalidades.
LOTES para punhos e guarnieses para coletos.
CORRENTES de plaqu a emitaco do ouro, lin-
do gosto.
CHAPEOS de pello de seda, forta a Rotchil, qua-
lidade superior.
CHAPEOS de seda, para sol.
HEIAS de superior qualidade.
IIENGALIN'HAS oase chicotes.
LUNETAS aro de ac e larturaga.
Para crlancag.
*
VESTUARIOS completos para baptisados.
3APATINHOS de merino e setim enfeitados.
KEIAS de seda e fio de Escocia.
i]HAPEUSINHOS de palba da Italia.
TOUCAS de fil e setim enfeitadas e de chroch.
JUNECAS vestidas, muito bonitas e diversos
brinquedos.
Perfumarlas finas.
AGUA FLORIDA verdadeira
man New-Yorfc
de Morrajr & Lan-
TONICO oriental, verdadeiro.
AGUA DIVINA de E. Coudray e superior aga e
essencia de Colonia.
ESTRATOS e essencias finas e de agradaveis aro-
mas para o lenco.
VINAGRES aromticos para toilet.
POS DE ARROZ para amaciar a poUe; em pacr^-
tes e ricas caixlnhas com arminho.
POS superior para limpar os denles.
COSMETIQUES de Una qualidade.
SARONETES, grande sortimento deste genero e
de superior qualidade.
OLEt de philocom, babosa e antique?.
BANHA fina para os cabellos.
AGUA de flores de 1 aran ja.
CfiEME de sabao para barba.
Caixas preparadas com perfumaras finas.
miudezas finas.
SUPERIORES fitas de grosdenaples de todas as
cores e larguras de veludo preto e de cores, e
gurgurao para cintos.
BABADINHOS e entremeios bordados.
GUARNICOES de soda de cores para enfeites de
vestidos.
S pretas com vidruos e pingentes.
de cores, brancas e pretos eom vidrilhos
lisos e com pingentes.
DEDAES de mai aperla, de marfim, de 6co e
metal
THESOURAS finas para costura e unhas.
CAIVETES finos com quatro foraas. E muitos
outros artigos de miudezas que se torna en'-
donho meneiona-los.
DO
GALLO VIGILANTE
llua do Crespo n. 9
Os proprietarios deste be.ui conbecido estabele-
cimento, alm dos muitos objectos que tinbam ex-
postos a apreciacao do respeitavei publico, mai-
daram.vir e acabara >- receber pelo ultimo vapor
da Europa ura completo e variado sortimento de
finas e mui delicadas especialidades, as quaes es-
tao resolvidos a vender, como de seu costua*e,
por. procos muito baratinhus e cmimodos para lo-
dos, com tanto que o Galio....
Muito superiores lavas de peluca, pretas, bran-
cas o de mui lindas sores.
Mui boas e bonitas-gollinhas c punhos para se-
nhora, neste genero o que ha d mais moaoia
Superiores pentes de tartaruga para coques. ^
Lindos e riquissimos enfeites para cabeeas da?
Exmas. senhoras.
Superiores trancas.pretas o de cores com vidri-
lhos e sem elles; esta fazenda o que pode baver
de meihor c mais bonito.
Superiores e bonitos l?ques de madreperola,
marlm, sndalo osso, sendo aqueltes brancos
com lindos desenlio, o estes pretos.
Muito superioies mcias. fio de Escos&ia para se-
nhoras, as quaes sempre so vendern por 3000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 905.
alm des las temos tambera grandev sortimento de
eutras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas.
Boas bengalas de superior raima da India e
castao de raarfim com lindas t-encantadoras figu-
ras do mosmo, neste genero o que de meihor so
pode desojar ; alera dcstas tomos tambem grande
3uanlidade de outras qualidades, como sejam, ma-
eira, baleia, osso, borracha, ele. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos ehicofinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores fagas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de I a 12 anuos de idade.
Na vainas cabo de marfim c tartaruga para fazer
barba; sio muito boas, e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tauu
bem asseguramos sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para erox.
Linha muito boa de peso, Crouxa, para oncher
labyrintbo.
Bons baralhos de cartas para voltarote, assim
como os lentos para o meemo fim.
Grande c vanado sortimento das memores per-
fumaras e dos melhorcs e mais coobocidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Electrices magni ticos contra as convulsdes, e
facilitan) a denlirao das innocentes criancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por .todos os
vapores, afim de que nunca faltcm no mercado,
como j tem acontecido, assim pois poderao aquel
les que delles precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontraro destes verda-
deiros collares, e os quaes attendendo-se ao fim
para que si) applicados, se venderlo com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos objectos que delxamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virera
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, rwi do Crespo n. 1.
achi na de descarocar algptlo.
Hoje que est reconhecido que as madrinas de
serrote prejudicam e quebnam a fibra do algodao,
preciso recorrer a maehmismo menos spero,
que produzindo o mesmo servico que aquellas, e
faciUdade natrabalho, nao-quebrem a fitiw.da.iaa,
para que essa possa obtep-nos mercados-europeos,
adifferenca.que ha entre o algodao d3*carocado
por aquellas mencionadas machinas, qo estao fi-
cando em deuzo, pelo prajaizo que ten causado,
eo da aulaga bolandeira, que nao pe competir
pela moresidade de seu>krabalho. E' assim que
estas rnaabisas se tornas* as mais proprtas para e
nosso algodao, porque ao par da facilixlade e
promptidio conserva a fibra da laa, qso. limpa por.
ella, e quncada na Europa a par da meihor bo-
landeira, valendo assim- entre 10 arrobas 20 6/0
mais do .que a laa limpa pela machina de serrote.
Estas maebinas nao saotvovas, pois^qoe hameito
esta adoptadas no Egypto, aondo-as da serroto-
foram inteiramente ahanidonadas, e-por isso o alga-
da daquella prordenrtay sendo Ja qualidade de
da nossa provincia, obtem hoje do 10 arrobas 20
0/0 mais do que o nosso : yenem-se a iiMOu
nos asmazens de Tasso Irmaos.
Oleo de amerado:)*
Em caixas do 8-latas, cada- eaixa 100> libras :
nos armazens de Tasso. Irmaos.
Charutos da Havana,
Exccllentes charutos da Havana e per baratissi-
mo preco : em easa de lasso Irmaos, ra do
Amorm n. 35.
A NOVA ESPERABA
21=Kua do Queimado = 21
L para prsbites
A Nova Esperanza, ra do Queimado
. 21 tem um variado sortimento de objec-
tos de gosto e phantasia proprios para pre-
sentes.-sobresaliido eutre elles ricas caix
nhas de bano com finas perfumurias, eos-
tureiros de chagrn, agullieiros de madre}
perola : assim, pois, quemquizer fazer um
linda offerta, dirigir-se I^oya Esperanfa,
roa do Queimado n. 21.
Collares anadinos cllectro-magnett
eos contra as convulces das
* cieangas.
N3o resta a menor duvida, de que muito
collares se vendem por alii intitulados o
verdadeiros de Royer, e is porqae muitoi
pajs de familias nao creem (comprando-s)
Doelfeito promettido.o que s pdem dar.
os verdadeiros ; a Nova Esperanca, por
que detesta a falsificacao principalmente no
que respeita ao bem estar da humanidae,
fez ua eneommenda directa destes collares
e garane aos pais de familias, que sSo o
verdadeiro de Royer, que a tantas crean-
cas tem saltado do terrivel incoramodo do
cosvulcSes, assim pois preciso, jue ve-
nliam a Nova Esperanza a ra do Queimado
n. 21 comprarem o salva vida, para seui
lilliinhos. antes que estes sejam acommtti-
dos d% terrivel joal, quando ent5o ser A-
fflcil aeancar-se o effeito Jesejado, eaibor
sejam empregados os verdadeiros cofiare
de Royef.
Para extingikr as sardas *
pairao
Recebec a Nova Eperan?,.
Queimado n 21, leite de rotaey
para extinguir sardas e oannos.
BONECA DE CERA
A Nora ^peranga a ru- do Qoeimade n.
21, ac^^i d receber ura'compteto sorti-
mento de fina bonecas de cera de diver-
sos tamanhosy sendo as maiores do eom-
primento d'oiK'covado; estas bonecas tra-
zem bonitos csqse e botinas, bavend en-
tre tilas algumas que fallad e outras que
clioram de sortc que fcilmente porten ser
preparadas, e feaer-se um presente demni
aeceita Finas cafxas 'tartaruga par* rap Ven-
dm-se a ra t Queimado a. 21'na toja
d Nova Esperanza.
Modernos brceos de sandao, s se- en-
contrara na EfOva EsperaD^a-'a ra* do
fjoeimado n. 2.
MEZX9-DE LAA
A'Nbva Esperanc-a-a ra do- Queimadan.
21^ acaba de receber ou esper! sortimeo-
to-d meias de a para hornea e senhora.
CONTRA A8>0NGESTES
mal terrivel a eongesta Mminanta;
de repente leva Hirr individo, desta par
mHber vida, sem daHbe temjwde receber
conversa medie; deando .s mais
vesos awilher e filhOs- n mais amargur3*JO
pranto ; a Nova Esperaofa que eseja pres-
tar servieos recorren a Vojer, o qual lne
mandos anneis eleotcie6 magnticos, cono
o uniee preserva ti wr> para semethante mar
elles-anles que se-acaaWm : na Nfcva Espe-
ranoa*-
NMMiMS
A> Nova Esperan?* a ra d Queimado
n. 2t recebeu un sortimento d navalha,
deqHftRdades, e tomadios espaeiaes assim
como anafloies e imbm para as mesonas.
ra di-
especia.
Vndem Augusto > F. de Oliveir & C. ra d.,
Caairaerrio, n. 42.
Tudo se vende por presos bastante commodos.
Capsulas de Raquim
Os bons effeitos destas capsulas para fazer cas-
ar os gonorrheas acham-se comptovadas pelas
experiencias de muitos anuos.
Os mdicos de todos os paizes as recommendam
ti sua eficacia.
sua eficacia,
VENDER
NA
PharHtacla e drogara
DE
BARTHOLOMEU & C.
Ru34a larga do Rosario34
RIVAL SEM SEGUNDO
Ra do Queimado a. 49, loja de miudezas de
Jos de Azdvdo Maia Silva, ten pata vender os
artigos ahaixo declarados, tudo bom e baratissi-
mo, que sao para acabar.
Duzia de sabonetes muito finos a 700 rs.
Pares desapatos de pete para- Itoaaem a 15280.
Ditos de tranca para creanca a 15.
Tramoia do Porto, bordada, a meihor a 200 rs.
Bife do Porto lita, da metoor qualidade a iOO, 120*.
160 e 200 rs.
Resma de papel almaco, lizo superior a 3S200.
Dita de pape* almaco paulado a 4*.
Livro de missoes abreviad:s a 9a.
Cartillas com toda a doutrina o muitas rasas a
320 rs.
Silabarios portuguezes com estampas a 320 rs.
Baralhos franeeaes muito finos a 200 e 240 rs.
Sabao inglez superior qualidade a 300 e W.
Grvalas pretas e de cores muito finas a 500 rs.
Duzia de meias para. senhora, fazenda fina a 45.
Redes pretas lisas para segurar cabello a 320 rs.
Varas de transa de seda de todas as cores a 600 rs.
Pares de brincos donrados com mozinha e po-
dras a 320 rs.
Cartoes eom corchetes de duas ordens e sao de la-
ti a 10 rs.
Abotuaduras de vidro para colete multo finas a
120, 240 e 400 rs.
Pares de botoes dourados para punhos a 160 rs.
Caixas de pennas de ac muito finas a 240, 320 e
600 rs. .. .
Cartoes oom duieatas jardas de linha do fabri-
cante Alaxandre a 100 rs.
Caixas de pennas de aeo, a verdadeira penna a
15200.
Carriteis'de linha Alexandre ns. 70,80, 100 at
200 a 100 rs. v ..
Caixas com superiores obreas de massa a 40 rs.
Carriteis com duas oitavas de retroz preto a 500 rs
Duzias de agulhas para machinas a 25.
Libras de pregos francezes de todos os tamanhos
a240rs, .
Livrosescriptnrados para rol de roupa a 120 rs.
Caixas com paiel amisade muito fino a 700 rs.
Caixas com cem envelopes da meihor qualidade a
600 rs.
Talheres para meninos muito boa fazenda a
240 rs. ____________________-
Cemento de Portland.
Vende-se no armazera de Vicente Perreira
Costa & Pilho, na ra da Madre de Dos n. 22,
barris grandes.
LXHWI
Pira famihas
Cueaade Bazar, raa 3teva w*. > c
*. de C u-aeiro ltfBA C
Acaba de cnegajr a esta estabalecimetto
gradepoirao^k' machin;'-para sosturas do
autor Wheeiau Wilson, apijrovaas- na titi-
ra exposica&de Paris, as quaes cozemeom
Jos pospontos toda a costura, e tem a
vantagem de ser to suave o moviakento,
que qualquer crianga de oito anuo* fcil-
mente tra-ballia, e p^le, com este entrete-
nimento, levar vaniageni ao- sen'ico diario
de trinta eosturirns. A compcnens3o
simples, pois em um.quario de hera se fi-
ca senhr do movi.mento da rnaalna, ten-
do a masma a pro^riedade de twer as se-
guintes costuras,- posponta, abainhar.
franzir. marcar e bordar, como apresentan
os desenhos que acomganhaawaas. Os pro-
prietarios do estabelecimenl se encamt-
gam de mandar ensilar n*esta cidade, e
garantem entregar a importe dispendido ao
comprador, i caso, de n3o trabalhar. com
pepfeicio a machioa vendida, nao tendo,
porm, soffrido ella alguma avara. a tam-
bem no mesmo ostabelecimento machinas
do autor Crower & Baker, de trabamo-sim-
plesmcnte- mao, e outras com movimento
dos pos; e mxime todos os portences das
mesmas machinas, para vender avulso.
Tintura japoneza
Instantnea para tingir os cabellos e a
barba, a *<5000 o frasco.
E" a onic approvada e recommendada
por ter sido reconhecid* superior a todas
as tinturas d'este genertv
A venda em casa do Gustavo tfcrvelin n.
Si. na da Cadeia n. SI.
GAZ GAZ GAZ
Chegou ao antigo deposito de Henry Forster 5
C., ra do Imperador, um carrogamento de gaz
de primeira quaWado; o qual se vende em partidas
e a retalho nrmenos precedo que em oatra qual-
quer parte.
FUNDICAO DOBOWMkN
Rna do Brum u, &9.
Machinas de vapor.
Rodas d'agoa.
Moendas de canna.
Taixos de ferro, batido fundido.
Rodas dentadas, paia moer com agoa,
vapor e animaes.
Alambiques de ferro.
Formas para purgar assucar.
E outros muitos objectos, etc. etc., pro
prios para agricultura. _____
Vende-se
um cavarlo pedrez, muito novo sem acba''
qoes, andador baixo e bonita figura : i
Hra da roa da Paa n. 13.
u




>
k
s


r
m
Diario de Peinambuco Sabbado 3 de x\bril de, 1869.

I.
k.
A


.

*.i
tA
\
GRANDE LIQUIDACO
A DINHEIRO NA LOJA E ARNIAZENI
DO ^. _____
DE
Flix Pereira d Silva, successor de Gama
& Suva
O proprietario d'este estabelec: ment convida ao respeitatfe] publico desta ca-
pital a vir surtir-se no grande estabelecimento que tem defazenda, tanto da moda como
de lei, e as pessoas me negociam em jw quena escalla, tanto da praca como do matto-
uesta tasa poderao fazer os sous sortimentos em pequeas a grandes porches, venaen-
do-se-lhes pelos precos que se compram as casas inglesas ; assimcomo as excellentis,
simas familias, podero mandar buscar as amostras de todas as fasendas, ou mandare-
mos levar em suas casas pelos nossos caixeiros, para o que aeha-se este estabelecimen-
to aborto constantemente desde s 6 hoi is da manlia s 9 da noute.
O atoalhado do Pavao AS CAMBRAIAS DO PAVAO
Vende-se superior atoalhado de algodo Vndem-se finissmas pecas de cambraias
oom 8 palmos de largura, adamascado a lizas transparentes tanto inglesas como suis-
dQO a vara; dode linho faienda muito
superior a 3a00 a vara ; guardanapos de
nho adamascados a 4^500 a diuia e muito
finos a 800G, e ditos econmicos a 3#>90
a azia.
ttostes para vestido* braucos
a 49.
Vendea-se os mais modernos fustesbnm-
x>s Qexiveis com padrees de listas e du
lpicos proprios para vestidos e rospus de
menino a iO rs. o covado, na loja e arma-
zem do Pavao ra da Imperatrizn. 60, de
Flix Pereira da Siha.
Grosdeaaples
Chegou para a toja do Pavo pelo ultimo
varpor un grande sor ti ment dos melbores
grosdenaples pretos e de cores, tendo verde
tambem, que se vendem mais barato que
ta outra qualquer parte.
BABADINHOS
Vendem-se finissimos babadinhos, tiras
bordadas e entremeios, mais baratos do que
em outra qualquer parte, assim como esp;ir-
lhos dos mais modernos, no armazem de
Flix Pereira da Silva, ra da Imperafiz
a. 60.
ALTA N0V1DADE
A LOJA DO PAVO
Gurgurao de seda
Chegaram pelo ultimo vapor os mais bo-
litas gurgures de seda, proprios para ves-
sidos, sendo lisos e lavradinhos, com muito
lustro, garantindo-se que a fazenda m? is
inda e de mais phantasia que este anno tem
Aegado a este mercado, e vende-se p)r
proco muito razoavel, na ra da Imperatiiz
2. 60, de Flix Pereira da Silva.
CAMBRAIA BRANCA A 33500.
Vende-se pecas de cambraia branra
transparente, com 8 e meia varas pelo ba-
rato preco de 3>500, ditas muito finas tanto
tapadas como transparentes 45500, 5503,
?55500, 7*000 e 8-5000, assimcomo orgai-
muito fino tanto liza, como de listas e
piadros na loja e armazem do Pavo ra
da Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da
Silva.
ALPACAS LAVRADAS PARA LUCTO.
Vende-se na loja do Pavo. as mais mo-
dernas alpacas lavradas para lucto, sendo
muitolargac e polo tanto prcc> 'Je 800 l'S. 0
aovado, s na loja e armazem do Pavo, rt a
3a imperatriz n. 60 de Flix Pereira ca
Silva.
Cassasiaglezas a 440 rs o metro
Vende-se urna grande poroso de bonitas
,'assas inglezas tanto graudas como miut i-
ahas e de cores fixaspeio barato preco re
140 rs. omelro.garentindo-se que 7 metro*,
do um vestido para qualquer Sra. s r.a
loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de
Flix Pereira da Silva.
Bareges a 400 rs.
Ho aa loja do Pavo
Se vendem as mais bonitas bareges transparer -
:es,propinas para vestidos com lislrinhas a imiU-
;.ao Je listras de da, e vendem-se pelo barato
recode um cruzado cada um covado, unieamei-
te na loja e armazem do Pavao, roa da Impen-
iriz n. fin. de Flix Pereira da Silva.
COLCHAS PARA CAMA A 55000.
Vendem-se colebas il fustao damasca-
das para cama, pelo barato preco de 5& '?
grande pechincha, na loja e armazem do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
COBEBTOHES IN'fiLEZ A 45. 4:>5O0 K 53.
Vendem-se os verdadeiros cobertore;.
inglezes. de pura 13a, pelo barato preco
de 4#, 43500 e 55, assim como colehas dt
usto de cores, pelo barato preco de 33. m
loja e armazem do Pavo. ra da impera-
triz n. 60. De Fex Pereira da Silva.
Madapolao eufestado a 85500
Vende-se superior madapoloenfiestado,
sendo muito encorpado, para carnizas, e
iendo cada peca 24 jardas, pelo baratissi-
mo preco de 8.?5(H). na loja e armazem do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60. De Flix
Pereira da Silva
sas tendo mais de vara de largura, pelos
precos de 53000 at 103000 a pera, assim
como finissimos organdys branco liso que
serve para vestidos de bailes, por ser muito
transparente a 13000, a vara, na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Flix Pe-
reira da Suva.
Alpacas lavradas
Chegaram pelo ultimo vapor as ritis mo-
dernas alpacas lavradas com as mais lindas
cores, que se vendem a 13000, o covado,
ditas lisas tendo tambem cor de caima a
800 rs, ditas mescladas muito finas a 1:200,
o ovado, e outras umitas fazendas de gosto
e moda que se vendem mais barato do
que em outra qualquer parte, no armazem
do Pavo, ra da Imperatriz n. 60. de Flix
Pereira da Silva.
it oupa para hoinem
Vendem-se superiores palitts de panno
sobrecasacos forrados de alpaca e de seda,
camisas inglezas e francezas com os peitos
de esguio, ceroulas francezas de linho al-
godo, meias cruas inglezas superiores, ca-
misas de ftanella e de meia de la, assim
como neste estabelecimento existe um grande
sortimento de pannos pretos, e de casemiras
inglezas de cores, e que se manda fazer
qualquer obra a contento dos Srs. fregue-
zes, e promette-se-lhes que sero servidos
com a maior promptido e muito mais ba-
rato do que em outra qualquer parte
na ra da Imperatriz n. 60,de Flix Perei-
ra da Silva.
Cortinados
Para amas ejanellas.
Vende-se um grande sortimento dos me-
Ihores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se ven-
dem a I23OO0 rs. cada par at 253000 rs,
isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
Cretone para lenqes com 10
palmos de largura a 2 >, .
Acaba de chegar esta nova e exceHente.
fazenda branca propria para Icnces dum
s panno, garantindo-se que um metro e
urna quarta ou um metro e meio ca um
excellente lenrol de um s panno, assim
como esta boa fazenda tambem jmiito
propria para loaHias de meza, rosto etc. e
outroe oayeteree o voiido-tu polo barutioei
mo preco de 23 cada metro.
MOCAMBIQUE PARA VESTIDO A 500 RS.
Chegou para a loja do Pavo um elegante
sortimento dos mais bonitos mocambiques
proprios para vestidos com as cores mais
modernas e que se vendem pelo barato
pre^o de 500 rs. o covado.
ALPACO DE CQRDOPARA VESTIDO A 1
Chegou esta nova fazenda com o nome
de alpaco, sendo de cordo e com mais
largura do que a alpaca, com as mais finias
cores, como sejam Bismark, lyrio, perolas.
roxo, cor de eanna, magenia etc. e vende-
se pelo harassimo preco de 13 o covado.
ESGIHAG DE LINHO DE 12 JARDAS A 105.
Vende-se pecas de esguiao de linho, fa-
zenda superior, com 12 jardas cada peca, a
103000.
ALTA NOVIDADE
A
Loja do Pavo.
GURGURES PARA VESTIDOS A 13000.
O COVADO.
ROUPAS FEITAS
Na loja do Leao da porta larga
PAREDES PORTO.
Ra da Imperatriz n. 52, junto aloja de ourives.
N'este estabelecimento se encontrar ra da Imperatriz n. 52, loja do Paredes
sempre um cempleto sortimento de roupas Porto.
feitas de todas as qualidades. Como se- Neste estabelecimento encontrar o respei-
jam: paletots de alpaca, de merino, de tavel publico um completo sortimento de
casemira, borabains de panno preto, ira- fazendas e roupas que. se vende pelos pre-
ques o sobrecasacos de brins de crese eos seguintes:
pardos. i FAZENDAS BRANCAS,'
CAMISAS E SIROULAS. I Madapolo de diversas qualidades e pre-
Encontrar sempre o respeitavel publico eos commodos, cambraia de 33500 4A500
um bonito sortimento de todos osnumeros. e 53, ditas victorias de 53500 a 123, pecas
MEIAS CRUAS. de cassa liza o mais fino que ha no merca-
Sortimento^de todas as qaalidades, de do a 93, 103, 123. com 12 varas, o vara
33 a 53. assim como tambem sortimento de largura
de lencos de linho brancos e com barras SEDAS DE LISTRAS.
de cor, chinezes, bonitas grvalas pretas e Recebeu-se um bonito sortimento d'esta
de cores. Ra da Imperatriz u. 52, por- fazenda que se vende a 23500 o covado.
ta larga. CHITAS.
'PARA ACABAR. I .Vende-se chitas escuras a 280, 300, e
Urna grande pnrco de calcas ordinarias 320 rs. o covado.
para trabalho a 640 e 800 r. cada um par, GUARDANAPOS
pechmcha na loja do Leo junto a loja de Vende.se csta fazenda de ,inho> fazeuda
"ves- 'boa a 43000e 53000 a duzia.
GRANDE PECHINCHA,
Cassas he cores a 160 rs. o covado, na
160 RES 0 COVADO'
Chita preta pelo barato prego de 160 o
covado na ra da Imperatriz n. 52 na loja
que tem um Leo pintado.
PANNO DE LINHO
Paredes Porto recebeu um sortimento da
pannos de linho, com 27 varas a peca e
173000 e 183000, na na da Imperatrizn.
5,junto a loja de ourives de porta larga.de
Paredes Porto.
LENCOS DE LINHO
Vende-se lencos brancos de linho a 33i
MEIAS PARA HOMEM
Sortimento de meias inglezas para ho-
raem a 43800 53800 e 63800 fazenda boa.
THOALHAS ,
Sortimento de toalhas de peluciaa 113
a duzia.
LENCOS BRANCOS a 23200
Para acabar lencos de algodo a 23200
a duzia,
5J3000
Vara de bramante de linho- superior e
tem 10 palmos de largo.
CALCAS E COLETES.
Tem sempre no mesmo sentido um sor-
duzia para acabar na loja de Paredes Por-
to. Ra da Imperatriz n 52 loja da porta
larga que tem um Leo pintado, de Paredes tmenlo completo a preco commodo.
Porto.
No armazem do Leo, ra da Imperatriz n. e 52, junto a loja de ourives.
SOFFftlMENTOS D'ESTOHAGO. CONSTIPAQO-
Cura eni poucos das pelo Cnvlo DC WLLOC em p >u eiu pasuihas.
ENXAQUECAS; NEVRALGIAS. hhi****
tpulas rpidamente pela* KllOUtS O'CTHER U I' ClUTil.
ANEMIA, A PALLIDEZ e as.sonruuentosque necessitam At
empreo dos ferruginosos So sempre combatidos com o melhor resultado
pelas pilim as OE VALLET. Cada Pilula tem incruvado o nome T1UIT.
PO OE ROG. Basta diwotar nm frasco d'este p em mato
garrafa d'agua para se obtr nina laonada agradavel que purga sem fa-
ter coUcas.
VIH HO OE QUINIUM tt UUnnu,. Este Tim. um dos
poucos cuja conipgsivao garantida constante, urna das memores pre-
paracoes de quinino, sem accio ntate! sobre os eonvalescentes, dando-
Uies torca* e apressaudo i volia a saude. Cura aa febres antigs que re-
sisti ao sulfato de qtiinino.
MOLESTIAS OA BEXIOA. A maior parte d'estas moUs-
Uas, como as sciaticas, lombagos. catarree, e tedas as dores nertosas em
geral sao curaday pelas perolas oe ESSENci* DE tmepes ntims do
Dr. Clertaii. U prolessor Trousseau em sen Trwtode de tiitraptuHc* seon-
sclha as para serem tomadas na eocMo dp jamar, na doeedesilt.
OLEO DE FIOADO OE BACALHAO DE BERTH.-
Garantido puro e de prncira qualidide um dos poucos trovados pela
ii>tieuiia de mudidna.
ATISO. Todas
este* mdicamente* fertm aprovadtt pe* Academi*
imperial de medicina de Pars.
Ric-Jentir.
Baiti*..
aUe arle. L.
DuroxcHEut;
Tesuokps
Hus et f>.
DEPOSITO
rstests, l, rae Ja. k
Penunbue. Minan et O.
Cetr.....aUeaa M O.
Tabellas vermicidas
DE
Antonio Nunes de Castro.
Vermfugo efficaz, e preferivel a todos o*
eonhecidos, j pela certeza de seu resulta-
do, e j pela fcil applicacao as creancas.
quasi sempre mais atacadas de Uto terrivel
e muilas vezes fatal sorTrimento.
NICO DEPOSITO
NA
Pharmacia e drogara.

Barthomeu & C.
j^Ha l*arg;a do Rosarlo 84
Pennas de eim
Vendd-ie i ra do Queimado a 13, primeiro
Cbegaram os mais moderaos gurgurw!-
para vestidos, sendo de todas as cores,com
sejam verde, azul, rosa, bismark, perola
roxo A <$: tendo quasi quatro palmos de lar-
gura e vende-se pelo baratissimo preco
'le IdOOO, cada covado nicamente no ar-
mazem de Flix Pereira da Silva, na ra d.
Imperatriz n. 60.
RETALHOS PARA LUTO NA LOJA DO
PAVO.
Vende-se urna grande quantidade de re-
la Utos de chitas e cassa pretas por preco
muito barato, e quanto maior for a porc5<>
|ue o fregu comprar, mais barato se Un
vender na ra da imperatriz n. 60 de F-
lix Pereira da Silva.
Grosdenaples preto
Vende-se um grande sortimento dos me-
Ihores grosdenaples pretos, tanto lar-
gos como estretos, sendo de 2K)00 re.
covado at 45000 rs. garantindo-se qm
n'este genero ninguem tem melhor fazenda t
que se vende mais barato do que em outra
qualquer parte, na ra da Imperatriz n. 60.
de Flix Pereira da Suva.
A 20, OS BALOES DO PAVAO
Vendem-se superiores balees america-
nos de trinta a quarenta arcos, tendo as li-
tas bastante largas, sendo muito fcil trans-
i forma-Ios para outro qualquer novo modelo
e liquidam-se pelo barato preco de 2# cad^
um. sendo fazenda que sempre se vende
a 70 e 80. isto na loja e armazem do Pa-
vao, ra da Imperatriz n. 60. De Feli>
Pereira da Silva.
As 9.SMM Taras a 5O rs.
i Venrlrm-se a- verdadeiras cambraia.-
I francezas. com lindo padrnes e cores flxas.
sendo tapada e transparentes, pelo barato
p-eco de 500 rs. a vara, ou 300 re. o co-
vado. sendo fazenda que ningnem vend.
por menos de 7 ou 8 tustoes, e liquidam
se por este ttarato preco, por se ter feit<
nma avultada compra, na loja e armazen
do Pavao. rna da Imperatriz n, 60. D<
Folia Pereira da Sirva.
VALOR THERAPKUTICO
DO
XAROPE DE QUINA FERRUGINOSO
DE 6RIM1UIT E COMP.
VaewsnaeeatMae de S. A. I. o peeaeipe SJapeleeto, a rU.
A asMciafSe do ferro e da quina resolvea nm des mais importantes problemas da pharmacia,
e fax cbhi que se ceagralulam os mdicos dos relevantes servicos que lhes presta esia pre-
parado.
Com effeito, ninguem ignora qne a quina, em mateira medical, o melhor tnico qne se
posst emprejtar. sendo, sobretodo, nnide ao Phosphato de ferro, a mais estimada das pre-
praedes ferruginosas, pois que enlram na sou composicio o ierro, elemento do sangue, e o
phosphato, principio dos os.os.
Por isso. julgmos qne, para os sfirs mdicos, serio interessaates as observacoes feitas pelos
seas collegas, os mais distincios de Paris:
e Este Xarope produz os mais felizes resultados nos casos de dyspepsia, chlorosis,
e ameuorrbea, hemorrhagias, leucorrheas, febres typhoidas, diabetes, e quando precisa
reetabelecer as forcas dos doentes e restituir ao eoro as foryas alteradas ou perdidas.
ARNAL. medico de'S. M. o Imperador.
e E nma das raras combinacoes que, ao mefmo lempo, sati6fazera o medico e o doente. Em
e quanto a mim, eu a considero como a mais efGeaz preparado ferruginosa, cujo uso dos
e mais agradaveis para os doenies.
CAZEW4VE, medie do hospital Saint-Louii,em Paris.
c Com Ha preparacSo d'uma lnaa agradavel, e Cacil de digerir, administra-se aos
doentes dois medicamentos importantes. >
CIIARRIER, chefe de clnica daPaculdade de Parts.
En emprego com o maior xito o Xarope de Quina ferruginoso, e o considero como
e nma das mais felizes innovaedes, na matrira medical.
CHASSAIUNAC, cirurgi&e em chefe do hospital Lariboitiere.
e Bete mprlicamento, sempre bem aceito pelos doentes, deo-me constantemente os maif
vaaujosoe resultados.
HERVEZ DE CHEG01N. memtro da Academia de medicina.
a A lmpida d'esta preparacSo, o seo gosto agradavel. isento de qualquer sabor de
e ferro, fazem d ella um modkameato tao effcax como agradavel.
MONOD. addido a Paculdade de medicina.
0 cordeiro previdente
Rna do <|iceliuudo u. 16.
Novo e variado sortimento de perfumaras
linas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento, de perfu-
maras, de que ellectivamente est prvida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se torna
notavel pela variedade de objectos, superiori-
dade, qualidades e commodidades de pre-
cos ; assim, pois, o Cordeiro Previdente pide
e espera continuar a merecer a apreciarlo
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, nao se afas-
tando elle de sua bem conhecida mansido
e barateza. Em dita loja encontrarn os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray & Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fr;m-
ceza, todas dos meiores e mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentrificia.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservaco do
asseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, eom
pomada Gna para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente,
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos e
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do lino e agradavel ebei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de.cbeiros igual-
mente Anos e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade.
com escolhidos cheiros em frascos de dif
ferentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menores
para maos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba
Caixinbascom bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas d madeira inveniisada contendo fi-
nas perfumarias, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelSo igualmente bonitas, tam-
bera de perfumaris linas.
Bonitos vasos de metal eslordos, e de
nwides novos e elegantes, com p de arroz
e boneca.
Especial p de arroz sem composicao de
heiro, e por isso o mais proprio para criau-
cas.
Opiata ingleza e francezapara dentes.
Pos de campbora e outras dillerentes
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Alada mais coques.
Um outro sortimentos de coques de no-
vos e bonitos moldes com filetsde vidrilhos
e alguns d'elles omados de flores e fitas,
esto todos expostos apreciaco de quem
os pretenda comprar.
GOLLLNHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeic3o.
llvellas e Otas para cintos.
Bello e variado sortimento de taes objec-
tos, ficando a boa escolha ao gosto do com-
prador.
FLOBES FINAS
0 que de melhor se pode encontrarnes st*
genero, sobresahindo os delicados ramos
firvalliailiw para rrurnfn
Para vagom.
Bolsas de tapete e carteiras de couro, por
precos commodos.
Chapelinas de palha da Italia mui bem
enfeitadas, e enfeites de flores obra de bom
gosto.
E assim muitos outros objectos que se-
rlo presentes a quem se dirigir dita loja
do Cordeiro Previdente a ra do Queimado
n. 16.
ENFEITES DE PALHA PABA VESTIDOS.
CHAPEOS E COQUES.
O Cordeiro Previdente ra do Queima-
do n. 16 acaba de receber um bello sorti-
mento de trancas de palha para enfeites de
vestidos, outras para chapeos, coques etc.
tudo isto esta sendo vendido com a sua bem
conhecida commodidade de precos.
ALEM D'AOUELLES.
Becebeu outros lindos enfeites de seda
para vestidos ; assim como um variado sor-
timento ile gallees de la, babadinhos de
cambraia com bordados de cores, coja va-
riedade de gostos os tornam reeommenda-!
dos e apreciados ; compareci pois os pre-
tendentes que sero servidos a contento.
TAO BEM BECEBEU.
Novo provimento de bicos e rendas dt
guepure.
LUVAS DE PELLICA.
De todas as cores tanto para homer
como para senhoras, constantemente acham-
se a venda na loja do Cordeiro Previdente :
ra do Queimado n. 16.
M}
v
'i
Ra do Queimado n, 49 loja de
miudezas de Jos de Azevedv
Mata e Silva conhecido por Jos
Bigodinho.
Est queimando os objectos abaixo declarad**
pelo diminuto preco, a saber :
Frascos cun agua de Colonia verdadeia al/.
Garrafas com agua Florida vcrdadcii a, que se ga-
rante a 13200.
Pentes para regacar cabello de meninas a 320 rs
Tliesouras muito linas para uiibas e costuras a
500 rs.
Tinteiros chcios do tinta muito preta a 80, 100, 160
e 400 rs.
Varas de franja branca de linho para toalhas a
100 rs.
Caixas do pliosphoros de segnranra a 20. n e
160 rs.
Navalhas de cabo de marfini c que se garaate a
qualidade a 2j.
Libra de la pan bordar a "i.
Pegas de tita bran a elstica muito superior a 200
e 300 rs.
Xovellos delinlia branca rem 400 jardas a 60 r?.
Resmas de papel de peso, liso muito fino a 2/500
La las com superior Lamia a 200 e 400 rs.
Caixas com seis frascos de ebeiro muito fino a
800 rs".
Caixas com doze frasco?, fazenda s bOa a 1#200
e 2*500.
Frascos com superior oleo filoenme a 500 rs.
Calunpas de sabio transparente muito bonito e fi-
no a 240 rs.
Duzia de paos de pomada do Reino, da mellior
qualidade a 240 rs.
Pecas de tiras bordadas muito finas a 500,600 800 rs.
Dilas de babadinhos cojn dez varas a 600 rs.
Carriteis de linba de todas as cres, para, acaba
a20rs.
Garrafas com agua divina a l^iOO.
Fra-cos com superior macaca peruia a 32Q.,rs./
Caixas de vidro cun doze didaes, que s a aix
vale dinheiro a 206 rs.
Ditas de madeira com alfinetes, o que ha de me-
lhor a 320 rs.
Grosas de botes de louca, lisos c bordados a
160 rs.
Caixas redonda? para rap emulando tartarugas
15500.
Pecas de fita para eos da m Uior qualidade a
500 rs.
Escovas para linipar dentes, fazenda que s a vis-
La a 240 rs.
Dilns para liiupar unhas de superior qualidade *
00 w.__________________________________
Vende-so um excellente piano cun porteo
uso : na ra do Vicario n. 5, 3o andar.
SE
Um grande sitio na estrada de Agoa-Fria, drnonn
nado sitio Jacar, au pe ta ponte, Ana Bata de ny
rada de pedra e cal, coeheira, quarto pan feitnr,
casa para banbo, cacimba e bomba, toda a abra
foi retificada de novo, eom grande porga de fruo-
leii as e coqiHros, tudo de inicio, una vertento
de agoa permanente, grandes baixas para capim,
terreno para eriaco de gado, una malta c~
umita lenha : para' ver no mexno silio. e para
tratar na ra do Imperador n. 77. Io andar.
Vende-se orna taberna u ra de Santa Eira
n. 1, com frente para a ribeira do peixc : a trat:-r
no largo da Assambla n. 17.
ESORAVOS FIGELOS.
100$ de gralificaco
Fugio uo da 11 de Janeiro do rorrete afino,
do eiigenbo Balaiura, freguezia da Escada, o es-
rravo preto, rrioul, de liaunos de idade, cha-
mado Marcelino, que foi do Sr. Joao da (unha
Pereira, cujo escravo esteve no Srposiao geral,
tem os signaes seguintes : adto. arreo do corpo,
rosto muito marcado de bexigas, falla de dentes
na frente, cor preta, sahio de chapeo do chile, pa-
leto! e calca de castor, levando om babuzinh de
iiandres cun mis roopa, e suppde-o estar ira
freguezia do Cabo : quem o apprehender levct
ao dito engenhb, ou ra da Sezala-nova n. 38,
eseriptorio do Sr. Bernardiuo Puntual, que rece
ber a graiilieacao cima.
Fugiodo engenho Jacohiua, cinarra do Ca-
bo, ao amanhecer do dia 13 do cuirente miz
auno, do abaixo assignado, um escrav pn-to n>
mime Antonio, conhecido por Cand, idade d* 25
a 30 aun s, |ioueo mais ou menos, alio, ps (iros-
sos, tem una das juntas do nomo um pinico
grossas, andar hanzeiro, levando chapeo de feltro
j usado, cainita de algodo azul e sejntila de al-"
godao americano, cujo eferavo veto de Ruiqne pa
ra Pao d'Alho. para onde se desenlia ler seguido:
roga-^c a qualquer aotoridade policial <.u capitao
de campo a captara do dito eorravo, levando .-jo
engenho cima, on a ra d<- Caldeireiro n. 42. r.n
Sr. Francisco Quintino Rodrigues Estevas,
ser generosamente gratificado.
Antonio Cameiro lins e Mello.
qo
Deposito em Pernambuco, em casa de
c\
CAPSULAS VEGETAES
com M TICO
deGRIMAULT eC.apharmaceuticos em PARS
Estas capiulas com capa de gluten, contera o balsamo de copabiba associtdo i esseneia da
tico (arvore do Pern), e constiiuero om remedio iafallivel contra a gOBorrha. Ella obria
sem cansar o eatomago e nio provocJo nuuea a enjoo* e nauseas qne occasionio as "^ptnlis
ordinarias, tendo a immensa vaniagem de nio communicar ebeiro As onrinas. E' por este* mo-
tivos que ellas sSo superiores s cpenla de cattabiha. enhebas. etc.
Deposiio*m Peruambuco, em eaa*de S*.
-J Madame Adour lem a honra de parti-
cipar ao respeitavel publico que recebeu pelo
ultimo vapor fazendas finas de muito gosto
como sejam:
Vestidos de gase de chambery
obra rica
Chapeos para senhoras e meni-
nas
Mantilhosde renda preta
Casaquino de guepure preto
burnous
Bal oes brancos
vestuarios de fustao ptjra ho-
ruen
Ra do Imperador l.-andarn.
23
rugi ile iM.rdn do palhab le ua ro, um mulato claro de nome Justino, estatura ro-
tular, cbelos earapinhados e amina ruivi s, poura
barba, tem una pinta preta no r;nio do olho diiei-
lo e um tallio as costas ao mesmo lado.; levr.u
vestido camisa de chita com listas verdes, e usa
de urna cinta com borla escamada para apertar
as falsas, natural de Santa Auna do Maltona
provincia do Rio firande do Nrrt<\ para onde taras
queira ir, tambem muito desembaracado no fal-
lar. Rpcommenda-sc aos mesires de barrara u
a qualquer pessoa que o ag.trrr.r. elevar a rna
do Trapiche n. 4 ou a bordo do referido rSrvio
ser genen smente gratificado.
Ivio qnt
rugi nodia l do presente nez demarco, do
engenho Crarolpe, fregnezia de Agua Preta. o es-
cravo de nome Joaquim, idade 2 anuos, criruln,
cor preta, estatura regular, testa grande, olho's
afumarados, denles limados c lem os dedos polo'-
gaes dos ps vollados para fra, sabio rem cha-
peo de palha do Chile, levando um bah pequeo
de folha de Flandn*. Ha certeza de que n rfif0
escrav.) segaio para a ridade do Recite, embar-
cando na estacan de (Jan eleira en um dos ims
do caminho de ferro : quem o apprehender quei-
ra lvalo ao mencionado engenho, a enTegara
seusenhor o tenente-roronel Pedro Francisco dp
Albuqnerqne, ou no Recife ao Sr. Antonio Jin
Le.il Res, eseriptorio roa da C;.deia n 49
sera generosamente gratificado.
qtre
Fugn no dia 24 do ronenie, do sllio da es-
trada do< Afllietos n. 17, urna pivta crieula de
nome Ignez. de idade 17 innos, alu, bem pareci-
da, levou urna porcSo de roupa e algnm dinheiro,
consta qne foi seduzida, e o abaixo a-signado pro-
testa rontra qnem a titer em seu pi der > npa-n
polieia e aos capitaes decaiepo a^ua apprehpn-
so e levem-na ao mesmo sitio o ra d fa-
deia VVIha n. 1, que serlo pagos do lodo o scit
trabalho.
Jo< ?i.ne.ilves Torr".
[rife LERAS DOCTOR EM SOEWCIA&1
Dehaixo da forma d'um liquido sem sabor,
anlogo a ama agua mineral, esie medica-
carito rene oa elementos qne constituem
o oksos e o aangue. E' o mais racional dos
ferruginosos; por esta razio o adontarito
os mais eminentes mdicos do mundo in-
teiro. fjoneni mu u> is meniaas de temperameoio delicado cujo desenvolvimenio tardo,
is senhoras que padecem d'estas dores d estomago BtoJeraveia, cansadas pela cblarose,
anemia, menstmacio ou tencorrba, is enanca* d'uma complejo padida e delicada, e a
todas
cura
a pessoa que w-m o sangue empobrecido pelas doena. EfBcacia, rapidea d'accio,
perfeita. sero consitpacio de ventre m-m acclo sobre os dentet, U
imperio para que Os enhorea medicoa preaerevio aos seus doentes.
Deposito em P/rnarntuco, ra can de sa*r a O*
Uea ao u razOes que
y. >; -y. >v ',.-,; /y.-; ^ -,;.,^. -,; ^ -,; ,\..,; >,,-, ,,. v ,
VINHO DO PORTO
Chegaram dilTerentes qualidades no de-
posito de vinhos em rasa de Theod. Chris-
tiansen. ra da Cruz n. 18.
Para encinameiito d'agua
Canos de ferro, di bis estanbados, ditos forrados
le porcelana, lodos com as competentes torneiras
nrvas etc. : a rus do Queimado n. 31________
Barato que admira.
Manteiga ingleza flora UVOO a linra, dita fran-
eeza a 11, fh miu lo a .3*100. dito grando a 3*.
at a 210 rs., sabao a l, alpista a 240, arntz a
100 rs, passas a 440, ide;n quartos mm 6 libras
iN>r 200, vinho a 400 rs. a garrafa, azeite doce
le Lisltna a M\fi rs., caixinbas cora ainoixas, pas-
sas, figose peas, pmprias para mim a I600
latas com Jooe a 500 K. : so na esquina da ru
da Peana q. &
'elia-sefuk'iilu desde sabbado 27 do em fOU-
te o preo iSeio fula de nome S.'zario. df idade de
IS a Uannos nouco oais ou mensa, levou ami-
sa de madapolo, caifa de briin e rbaiin de fel-
tro j usado, tem os signes seguintes : estatura
rogular. bem feito do corpo, vesgo je mu olho.
lem um brac/i junto ao hombro mais ero queft
"tro fugio d.i engenbo Linmeirinho do termo da
Escada e pelas notieias diripio-ye para e-sa e da-
do para onde foge j segunda vez ili-farcanilv-se
em ganhador : roga- tes a eiplnra di mesmo, be n qoiiv. ,i mtakmer
pessoa que o negar e o levar a sen senhor no 'dito
engenho a Jos-r,.nta ves da Rocha mi ne-ta
praca na ra doLivramento n ser bem re-
com|>ensado.
Arha-se fugido desde domingo de enlrnd.
moieque de nome Tito, rom 21 anuos de idade,
e-tatura regular, olhs afumarados, com b-dos oa
dentes. esparto e bem fallante, tem no estomago
una cicatriz de urna queimadura pequea, lena
um dedo da man direita aleijado em cen^ quenfia
de um panaririo ; en pe esquenlo mais gro^so
do que o direito : qn*m o apiirehenuer leve o sos
A fugados, casado Dr. Jos Roberto de M>raes e
Silva, qoe indicar a rasa de seu senbor. que re-
cumpensar generosameale.



9
^
*.-
wUm
8
Diario de Pernaipbuco Sabbado 3 de Abril -de 1869.

=
\
UTmATURA.
A 1LI1A -E CHUTA
(Continuarn.)
O representaate othomano foi encarrega-
dp de dirigir ao ministrados negocios estran-
geiros da Grecia observacoes, as qnaes es-
tavara expostas as rerlamacOes ta Sublime-
Aorta, contra is violaras incessantes do
direito dos p >vos comettidas p-do governo
befcnico. As resposWs nao foram safisfa-
torias. Canuda de tantas perfidias e falsi-
dads, a Turqua dirigi Grecia um ulti-
mtum, ao qual esta respondeu por urna
pecosa altiva.
O cursario grego o FTnosis que substi
. iuira o Arcadi no servico nsurreicional, foi
preso em flagrante delicio, perseguido no
'mar, e bloqueado no porto de Syra. A
i hostilidades iam comeoar entre a Turqua e
a. Grecia. As potencias ourupeas tomaram
conta do conflicto grego turco para regula-
Jo a seu arbitrio na conferencia quo acaba
de liaver em Pars. N
O artigo 7 do tratado de Paris, de 30 de
-marco de 1838. que por fim guerra do
Oriente, contom a estipu'aco segninte :
i Se sobreviesse entre a Sublime-Porta e
urna ou militas das outras potencias signa-
tarias, urna questo que ameacasse a con
servaran de suas relaces, a Sublime-Porta
c cada urna d'estas potencias, antes de re-
correr ao emprego da forca forneceram meios
a outras partes contratantes de prevenir esta
axlroniidade por sua acro medianeira, E'
poisbem natural que a diplomacia europea,
insinuando-se no sentido do tratado, procu-
rasse prevenir, por urna interpretarlo com-
mum.a conflagrarn geral prompta a sahir da
desavena levantada entre a Turqua- c
Grecia, urna vez que a difliculdade era de
natmeza a por em jogo a questo do Ori-
enie, Por outro lado se nenhuma das po-
tencias setinha involvido directa ouinderec-
lamente nos negocios da Grecia, bastava
esta abstengo sincera e completa para tor-
nar a conferencia intil, porque os dou
estados terminario entre si suas quosles.
polo direitodas gentes e da guerra. Seria
para arredar sua responsabilidade dos acon-
tecimentos ulteriores, que a Prussia e
Russa, vendo as cousas comprom tidas,
proposerara a eonvoeaco d'uma conferencia
europea?
Qualquer que seja o motivo secreto d'esse
passo, paree estranho que esta proposta
viese das dnas cortes do Norte, mas ou
inenos involvidis nos actos da Grecia du-
rante a insurreico cretense.
Nao havia ali alguma intenco dissimula-
da de estonar a livre acro da Turqua,e de
fazer depender, por assim dizer. o ligitimo
ejercicio d seus direitos de estado soberano
e ind'pendente, doconsentimmto da Euro-
pa? Noairia esse um meio inderecto de
icar miralmef.te o poder e a dignidade do
imperio Othomano, como tambera d'estabe-
decer urna certa igualdade entre a Grecia e
a Turqua, a ponto de colocar a aggressi
e a repress j as mesmas condices de re-
ciprocidade ?
Evidentemente, as potencias protectoras
da Grecia, sem se rcunircm em conferencia,
teriam podido simplesmente obrigar o gabi-
nete d'Atlienas a curnprir suas obrigaces
para com a PorU ; e esta, subordinando
sua conducta s resolures das potencias,
provaria o seu verdadeiro espirito de conci-
iiaco.
Seja como for, a Turqnia tendo diferido
u proposta d'uina conferencia, seu ultim-
tum imposto Grecia tornava-se a base das
delibranos.
O direito da Turqua era iiidisculivel. As
qoeixas articuladas contra a Grecia eram no-
torias e patentes. Desde o principio da in-
surreico cretense, ella Dio tiuha donado
de protestar pecante as potencias protecto-
ras, contra as violacoes de territorio, os
actos de pirataria e asaggressoes continuas
dos Gregos, e apesar de m vontade d'ellas
acabou por fazer reconhecer a ligitimid.ide
de suas queixas. Dos cinco puntos formu
lados na nota de 10 de desembro, commu-
iiicada ao gabinete de Atbenas, por Photia-
des Rey, e submettida depois aos plenipo-
tenciarios de Paris, nao ha um que nao es-
teja perfeitamente conforme ao direito in-
ternacional. A Sublime-Porta pede primei-
ramente que a Grecia eiapenlie-se em dis-
par as gu arnires de voluntarios ltima-
mente organisadas ede einpedir a fonnacao
de outras. Este pedido plenamente jus
lineado pelo apoio ostensivo que os agentes
a coinmissojs e os jornaes gregos deram
insurreico de Canda indepenrientemente
dos principios geraes do direito, a Grecia
era votada m lis stricta neutralidade pelo
FOLHETIM
OS MUS DE WBNk
pon
Elie Berthet.
(Continuaco don. 73) .
XI
O plano de evaso.
H3viam decorrido-dez dias desde que
Josephina e seus fiis companheiros habi-
tavam S. Lourenco, e, em vez de aplana-
rem as difLuldades, sobrevinha agora urna
das maiores..
A saude de Josephina apparecia sensi-
velmente alterada. Nao podia impunemen-
te ter soffrido to violentas commoces,
tantas failigas; alm de que, era natural
que quem tinha tao dbil compltelo ni
fosse isenta de pagar o seu tributo ao cli-
ma da Guianna. Fra, pois, assaltada de
febres intermitentes, all to comrouns, o,
apesar do uso da quinina e dos desvelados
cuidados das religiosas, os accessos mul-
tiplica ram-se de urna maneira seria.
Anda assim, nao deixra ella passar um
da sem ir vir seu pai. Urna manha em
qae Grandval e Miguel foram ao convento
para a acompanharem floresta, Josephina
m,al pode ir at grade e all cauto exte-
nuada de fadiga sobre um banco.
' Hoje "5o me possivel acompanha-
lo, meu cbaro Pedro. Esta cruel febre
nio me deixa e sror Rosala prohibio-me
de sahir.
Pois obedeca-the, querida Joaaphraa.
\ sua enfermidade comeva a inquietar-me
e j lempo que termine esse sea estado
prato 'olq de Londres de 1833, que tor.iou
i ^dependente c As potencias alliadas, est
ihi excripto, nao adiliriam o direito da
>ecia de intervir, em relajo -maneira
lela qual o governo turco exerce sua anto-
idadena ilha de Canda.
O segundo ponto da qnestSi, corOlaris,
los primeiro, diz respeito ao desarma-
nento dos corsarios Enonis e Panhfllemon
ou em todo o caso ao accesso dos portes
ellemos a estes corsarios. Via-se com ef
eito o papelque representaran! durante a
insurreicSo.
A volta de muitos emigrados cretenses,
det'tdos em Atheuas, que o objecto do
terceiro ponto, a lem de ser de stricta jus-
lica, depois de acabadas as hostilidades,
realisaria o voto-das familias, manifestado
muitas vezes por cartas tornadas publicaste
por urna peticioem massa dirigida ao Sal tan
lista emigracaofleticia como conta M.Willot
o como attestam documentos diplomticos
;>oblicados depois, era obra das commwsQes
hellenicas e das influencias estrangeiras. .
Nada mais jnsto anda do que esta quar-
la condcc5o, d'um castigo infligido, con-
forme as Iei9, aos qne se tornaram crimi-
nosas d'agressSo contra os soldados e os
vassalos othomanos, e urna indemnlsacSo
s vif^imas d'esteattentado. Sao ligithnas
represalias- exercitadas ordinariameate' em
casos do mesmo genero, e ha muitos exein-
plos posteriores que as justificam. Emflm
o Divn intimm o governo hellenico a se-
guir urna conducta conforme os tractados
existentes e o direito das gentes. >
A legilimidade d'estes pedidos toma a
recusa tanto mais inexplicavel quanto 4lla
audaz. Como um pequeo estado ousa
{>or-se s era contradicho com os tratados,
com os principios reconhecidos pelo direito.
com o julgamento inevitavel das patencias
europeas ? Qual o movel secreto que o
levou resistencia*-Com que apoio centa-
va elle ? Que garanta tena elle de sa
m fe e desuaimpunidade?
Basta dizer que os documentos do livro
Azal, communicados s cmaras gregas.pelo
governo hellenico, provam que a Grecia con
lava muito com a Russia. M. Delyannis,
ministro dos negocios estrangeiros, deu
entender claramente, que tinha rato de
acreditar que, a pesar da autorisacao dada
a seus representantes de ceder s reclama-
coes da Turqua, a Russia e a Prussia nio
consideraran, a opposicSo da Grecia como
motivo bastante para abandonal-a as repre-
salias da'Prta.
A recusa do representante de Athenas
conferencia, toma a conducta anterior da
chegar um estado salisfatorio d ordem e
de prosperidade. Sempre em revoUas no
interior, e seiuprfcouj aspirado noesM'rior,
povo leviano, Wrb*ento; e ambieiosi, n3o
merece augaientar, *om pre#mo im ou-
tros, quando n3o pode governar-se a sunes-
mo.
A annexacto, longe de procurar a Creta,"
a destruir-So do iiMpo do Crescente, nos
interesses dala catlica.
A qpe*o reigioa que ficou no fundo
4a qiMti) do Oriente, Jgita-se agora, nao
mais^tre o islamismo w feroses turcos,
mais entre o mahamotismo 4a Sublime-
Ofort. torrado, e o czariano scismatico,
orgulhoso, duro, iinplacavel. N'este esta-
algum lucihoranienio, p-U-lia em peor,.do'no ponto de vista poltico, ariategridade
do imperio othomano urna necessidade
para! Europa occidW'l e. c.ftholica.
O papa Calixto H!. oodetmo-setimose-
>ressa a.laaiealar o dominio turco, como culo, no tompe danltimainvazaoAs Tur-
estado: mais ihe -ale o regimem othoma-
no, qui a dministrago grega. Incorpo-
rada a i reino Helnico, tila vria bem d*-
as ilhas Yoneas lanienlain boje o. pootecto-
rado inglez.
Alm d'sso a ce^3o de Creta, consenti-
da pelo Sult5o, s excitara mais a Cubica
insaciavel da Grecia, a quem neobnma cob-
t^So parece mais insupportavel que. atran-
qtiilidade. Depois de-Creta, seria preciso
o Epiro, a Ttiessab'a, todas .as piwincias
gregas do imperio turco.
Emfitn, abandonar Canda Grecia, 6
entrega-la fatalmente Russia. A Grecia
s o agente da Russia no Oriente at que
seja sua victima. Torio o augmento da Gre-
cia casta da Turqua, urna exaltarlo
proporcional da Russia.
A Europa occidental nio pode mais en-
tregar-se s illuses do pltHhellenismo, d'es-
se generoso sentimento, partilhado peas
mais bellas almas e pelos mais sabios es-
pirites quando se jolgava libertar um povo
da oppresso; mas inpoHtico, quan> se
considera hjeos seus resal ados. A vic-
tona de Navarino contra a frota turca, como
todos os desastres da Turqua no Oriente,
antes de fundara independencia dos Mlle-
nos, fez a fortuna dos Russos. Tainbem.
quando o ontbusiasmo den lugar a raza 1.
eomecou na .Europa a perceber-se uto. Os
boraans de estado mais entendidos compre-
henderam bem depressa os effeitos d'este
fcil e perigoso triumpho, e, emquanto em
Franca, poucos mezes -depois, o discurso
do throno na abertura das cmaras, procla-
cns no occidente, pensiva qo o imperio
ae^Jahomet s podia ser substituido-por
um reino calholico. J Po II n'umaassem-
ilea solemne Uawda em ttoma em 1M53,
rejeitando toda a lembranfa do restabele-
cimenlo d'um imperio grego scismatico no
Oriente, desejava antes a convers3o d'um
successor de Mabometque reinava em Cons-
tantinopla.
Hoje a religao catbolica to livre e to
respeitada nos estados do Sulto, ondo o fa-
natismo nao prepondera sobre as leis, como
por toda a parte, na Europa; e Pi IX lou-
v.ou publicamoute Abdul-ittis diante-da
christandade.
Ser preciso admittir como esperanca de
regenerado da Turqua, a par d'estes sig
naes felizes de tolerancia e de civilisaco, a
crenca fopular espalhada entre os Turcos,
que lhe faz esperar, no meio do sentimento
iuvencivel da.fatalidade que as ameac-a, que
Jess decretar sa> decadencia quando vol-
ta r um dia trra?!
ahuwblotu.
. {feme da Monde. Chaloliqiie.-=LandeU-
na JrseffJ
POTTCODETUDO.
A' ARMIA
Em quanto nos jardins as lindas flores
Exhalarem seu perfume embriagante,
Beijando a casto os purpurinos dedos
Trementes, ledos, muimureiperdSo
Pendeu-lfce a fronte como rafa agreste,
Que bafo alpestre fez tumbar no cnWT....
Depois seos labios nwrmurawm tantos
Tristes e sautos, d'iofeK coado.
Olhei a vir^em reflectindo encantos,
Ledos quebrantos Jb'involera osolhos.
Oa linda face j roubara as cores
Crueis teiflores de calcar abrolhos.
Nistoaisaudoo s'esvaitr 8a selva,
A mansa relva, estremecer eu vi.....
O peilo cbeio.de. paixSes, ardor.
Eu, sem temor, p'ra defender corri.
Fujamos, lha, aue grande e lindo
O mando infindirque s'estende ali.
Pujamos, vamos que dopeito as magnas
Qu'eu digo as aguas, s as acho aqui.
Depois a virgem rae sorrie anciosa.
Festival rosa em divinal jardim.
Puusou-me a face sobre o peito ardnte
E meigamente ella me dissesn.
Senti no peito palpitar-me a vida
E resurgida j iniuhalBia eu cri....
Olhei o mundo respirando ditas.
E das desdttas en ento descri.
Porm foi curta a illuso d'amores
Tantos ardores, n'um viver tristonho....
0>iando aiainh alma iaa transpor escullios
Abr osolhos.... nao foi mais que mu soulio.
inavaque a batalha de Navarino tinha for- g a briza deslizar vevifleante,
nocido um ensejo s armas francezas para
se cobrirem. de gloria, na Inglaterra, oha-
mava-se esta batalha um acontecimento
desastrado, queso se podia considerar
com dr.
Vinte tres anuos depois, a Franca, a In-
glaterra, e.a Russia, que tinham participa-
do da victoria de Navarino, acharam-se em
face urnas das outras para desfaze em a
obra de t8i7 que tinham feito reunidas.
A cesso de Creta, assim como a crea-
co do reino Hellenico, s servira ainda urna
vez aos interesses russos, e bem depressa
Grecia mais significativa. Nao ser a mes- seria preciso urna nova intervencao armada
na influencia que animava secretamente o das potencias occidentaes para reparar a
governo hellenico as suas recusas a Porta,.Ubra da diplomacia,
que o conserva fora dasdeliberces da con-T o lempo do sentimentalismo e dos en-
ferencia ? A boa-f. a equidade, o desinte- thusiosmos passou: a qaesto do Oriente
resse de todas as. potencias europeas era tornarse cada dia mais terrivel. e trata-sc
urna condico necessaria para o bom resul-, menos agorando libertar os Gregos, que de]
lulo das negociaces empenhadas no confli- reprimir os Russos. A independencia
10 grego, turco, e para a soluco ou ao me-
nos para a pacilicaclo dos negocios do Ori-
ente. Toda segunda tenco d alguma d'ellas
i.uia reapparecer cedo ou tarde as mesmas
lUilieuldades, e ainda mesmo que a confe-
rencia conseguisse relugar momentnea-
mente a desavenga da Turqua e da Gjvcia,
ella nao conseguiria seu fim principal e de
nada servira para o futuro da questo du
Oriente.
O discurso do imperador na abertura das
cmaros acaba de informar Europa que
lodos os plenipotenciarios concordaraib
sobre os verdadeiros principios que devem
estabelecer a recoociliaco entre a fifteia
e a Turqua.*
Estes principios, necessariamente confor-
mes com o direito, s pode ja dar satisftt-
Vo ao governo othomano.
Se lr assim, deve-se abandonar toda a
idea de independencia de Creta ou aoexa-
vao Grecia.
Apezar uas sympatias que merecem os
(j-eienses, raga viril e pura, nvnguem pode
desejar rasoavelmente sua autonoma este
rgimen precario em to pequeo paiz, e
contrario a siluaco dos estados visnhos,
nao sena duravel entre elles, e os expona
bem depressa ambico do primeiro con-
luistador. Por outro lado, a anuexaco,
Grecia nao melor para elles.
A Greciaentregue outr'ora s acclama-
c6es da Europa, saudada na sua indepen-
cia com enthusiasmo. como se a Hellade
uos lempos amigos fosse renascor, nao jus-
tilicou uem as simpathias, nem as espe-
1 angas do Occidente. Entregue a lutas in-
tariorts e a revolucoes parlamentares, ora
aiudando da ris, ora de minisiros, entre-
gue spretencoes dos partidos, as brigas
dos ambiciosos, aos artificios dos revolu-
cionarios, sem re'.ursos, sem exercito, sem
tiuancas, o remo Hellenico nao fez nada para
de dessocego. Eu e Miguel iremos estar
mu seu pai. Estou certa de que as suas
longas conversas com elle lhe deve ter dito
os nossos planos.
Ah meu charo Grandval,redarguio
ella profundamente entristecida quando
fallo a meu pai, elle s trata de rae apa-
nhar lodo o dinheiro que rae presente, e
de mais a mais nao consigo all ir urna s
vez sem que Rigaut se nao venha intromet-
ler comnosco !
Mas havia o recurso de o expulsar,
queixado-se aos vigas.
Nao me atrevo a isso nem meu pai
o permitliria, e at quando eu me mostr
enfadada com a presenca d'aqnelle homem
reprehende-me por ser mais atleuciosa com
outra pcjssoa, que nao to merecedora
;omo elle.
Eu bem sei quo o Sr. Bertomy, qu
to benvolo se mostrou para coofig >
aossa prifflera entrevista, eomecou a abr-
recer-me desde qife se acha sob a influen-
cia d'aquelle malvado Rigaut. Por isso f
jrgente subtrahi-lo a to funesta dorainaco
i logo que lhe restituirmos a sua indepen-
dencia, sem que tenha mais a receiar a
jolera do seu associado, tornar-se-ha affa-
vel o dcil. Nao ha, pois, que hesitar, ,e,
se m'o permitte, vou hoje mesiu > revelar
a seu pai o nosso plano de eva*o, com o seu consenti.neato se podar effec-
toar dentro de -poucos dias.
Pois acham-se as cousas j to adian-
tadas ?perguutou Josephina admirada.
helleoica e a f christ i j nao seo pretex-
tos bastantes, para que seja preciso permit-
tir aos czars de se prevalecerem do Orien-
te co^ra o Occidente.
A historia da Russia altesla a Ja polti-
ca de ^sublevar systematicamente. cada urn
de por si, todos os psvos christos, para
desppende-los do'Imperio othomano, e fa-
ze-los entrar no gremio do pauslavismo.
A Russia nao cessou de crear, d'esde
sua origem, toda a surte d'embaiacos
Turqua, ede praticV contra ella asmis
perniciosas manobras.
E" ella que recebe o proveito do anta-
gouisiBu poltico e, religioso nos cnrisiaos e
dos tarcos do imperio othomano, que o ex-
cita, qpe o conserva, que o muda em guer-
ra CVH.
E' fila que fomenta mais poderosamente
as prturbacoes e as rebellines traba bando
em segredo para enflaquecer a Turqua pela
desalteico de seus^assaios, pelo desmem-
brameoto de suas provincias, pelo solamen-
te poltico em que ella procura te-la na Eu-
ropa.
E" ella erafim que a desconsidera polo
desprezo, por suas representacoes injurio-
sas, por suas caluunias offieiaes, e que a
denuncia sempre bruscamente opinio
publica em aomeda.rcligio, dalmtnanida-
de. do progresso, da eivilisaclo oomo se
todas estas cousas florecessem na Polo'oia.
\ historia que nos mostra que a Russia
a grnelo agitadora do Oriente* deve ser-
vir de experiencia s potencias europios. A
conservado de Creta.sob o dominio otho-
mano, conforme o direito publico, a ni-
ca soluco possivel e desejada, do confuto
suscitado de ha muito pelas intrigas russas
eatre a Grecia e a Turqua.
to tempo das crusadas, e at aos tempos
modernos, a Europa occidental lutou, para
nha comprado em S. Lourenco deviam sor
expedidas, alguus dias depois* em canoas
para a foz do rio, onde Grandval, depois
de regressar a Cayenna em companhia de
Jflsepnina e Miguel, iria busca-las no seu
brigue. Effectuado o carregamento, iria o
navio fundear em urna pequea baha si-
tuada entre o Maroni e Cayenna. Esta ba-
ha denominada Recife do Dabo, era de
perigosissimo accesso, e por isso raras ve-
zes procurada, mas Grandval, gragass
particulares informaces obtidas, suppunha-
se em circum4ancias de abordar all fcil-
mente. N'aquolle lugar esperariam Berto-
my, que para l se deveria transportar por
trra, e, depois de estar a bordo, fazer-se-
hiam de vela para os Estados-Unidos.
O mais diflu era fazer ebegar Bertomy
dentro de tempo determinado. Entre a
ualbaha e>L iteurenco havia muitos dias de
nf itarcha atfavez de matus impeoe Ira veis e
ttfrenot paludosos.
c mi), pois, expor o pai de Jesophioa^
ai|ielles terrivtis desertos, onde tanjtos de-
gopdad is havia aates d'Ue,acbadia-BOrte,
qOando tentavam salvar-se t
gfceiito em ha caco julgw Graodvai 4twer
confiara Lefranfois o seu plano. Esta fa-
f^ianada poder recusar aos Berjumy e
uwsmo Grandval tinha adquirido sobre olla
bastante influencia. Por is*o.o oocoso-
nario a .ipttjwM trtiiMr nnrrlr n'a-
quilla oojuuotura, apesar das severas pe-
na em que incorriam os culpados de *m-'
plicidade na eyasj) de qualquer dejgnda-
oceupado desde que estou n'esta4erra ?
O meu plano est feito e pusso p>lo quan-
lo antes em execuco.
E' possivel 1 E eu que o julgava s
oceupado as suas spaculaeoes commer-
ciaes!...
zer ?
Eis 00 que consista o plano :
As excelietes madeiras que o capUao ti-
Ento em que pensa que metenhod). Por ntervoo^j, pois, de Lefraocois
pofcee o capito emffejlacoas com-uoi d'es-
ses indios GaNibts qfle andam .errantes
pelas' colonias guianeas, vi vendo epca
e cafa. Este vootraiouaso, mediaota nao
recompensa, para condatir orna pessoa qu*
Eoto diz^oi o que teacioaa fa* loe fesse apresentada at ao.jpaptp idO'j-.
cife, alimentando-a at all o.o> 'Wsdj sua industria.
Assu o ajaetcir -o imw< ^ ***?***>**# <*
Da relva revivendo os cxplendores;
Em quanto no prado, entre os rumores.
Desprender o seu canto delirante
A avezinha que chora pelo amante
Com Arme esperanca e m seus amores;
Em quanto no lago, adormecida,
A Iaa for mirar-se, e descuidosa,
Retratar sua luz amortecida;
Tu sers, Arma, a mais mimosa
Vizo de miuif alma infebrecida
Pelo encanto da esp'ranca mais formoza
A. Y.
so \ II o
A' MP...
L muito ao longe, em solido d'aldeia
Fot qu'eu sonhei-a, eradilirante ardor.
Nos olhos bellos que sorrir eu via
Doce magia, repulsava a dor.
Era n'Mdeia.... Ao desmaiar do sol
J o arrebol l vem douran to a flor,
As leves risas, murmurando calmas.
Nutrem as palmas d'iufinido amor.
Era n'aldeia quando as carvalheiras
Tristes, fagueiras mal balouca o vento:1
E quando as auras rastejando mansas
us dofolgancas ao perdido alent.
Paluda a la lhe dourava as trancas.
Almas lembrancas de volvido amor;
Cumia era torno perfumada arage.nl
Doce bafagem de encantado ardor.
Ento eu louco de delirio, amores,
Vi mil primores nos encantos seus;
Ai se loucura desejar um beijo
N5o ha desejo d'entrever os ceus.
Anciosa e triste n'um fagueiro ertleio
Amante o seio palpitar eu vi;
Oue lindo seio... que encantado sonho
Feliz risonho, eu nao gozei d'ali !....
Louco, eu jurei-lhe sobre a grata la
Que a imagem sua m'afagava a vida;
Sorrio-se a virgem, suspirante bella,
Rosa singella, e salutar, querida-----
Se as vezes pens n'esse amor volvido
Fico esquectdo, de quanto risonho....
Quando a descrenca o corafo m'invade
Tenho saudade do passado sonho.
Recife demarco de 1869.
Luiz d'Andrade.
Virgem, lhe dis%e, quando a'ragem saata
f To meiga canta suspirando ardores
* Que.diz rosa, festival airosa
Linda mimosa, de genKs fulgores?...
Ai olha, virgem, como a ret| mansa
Leda balanca quando a beija a ragem.
Ai olha as aves, soletrando amor
Mago frescor, sobre o pendor da margem.
E tresloucado de delirio, amor,
Ai sem temor eu lhe tomei a mo.
LONGEVIDADE DO PADRE SANTO.
L-se no Sicle:
Tem-se feito rauitas vezes arrer boatos
infuietadores, a respeito da saude do Santo
Padre.
Tem-se tantas vezes repetido que a
paz do mundo pode ser alterada cora a
raorte de Po IX, quo nao temos o direito
de hesitar para tranquillisar os nossos leito-
res.
Pi IX ha de.viver ainda por muito
tempo; viv mesmo excessivaraente mui-
to, se as mais de familia quizerera imitar o
exemplo que segu e que nos extraamos
de urna folha piedosa.
Se ha homem em favor do qual mi-
Ihoes de fiis violetttem o co com as suas
oracoes, Pi IX. Eis aqni alm d'sso
um novo fado, umaprova ainda recente.
a Nao tendo dous esposos descendencia,
imploraran! a misericordia Divina e lizeram
voto de consagrar seu filho a Pi IX. O
seu voto foi attendido: tveram um fi-
lho.
A mi entristeceu.
De que serve, disse ella, ter consagrado
to nosso lilho ao papa que est velho e que
j nao existir quando Pro (eraeste o nome
dado a crianca) poder tomar as armas ?
l'ma idea me occorre e me persegue : se
offerecemos a Deus o vida do nosso filho
para prolongar a do Santo Padre ?
Digno esposo rio urna mullier to he-
roica, o pai consente no sacrificio.
t A crianca tinha nascido em exceden-
tes condices e passava iiem; mas quando
rggnassavam da grnia encontraran o.fiho
doente.
1 Tinha o sacrificio sido agradavel a
Deus? Pouco depois aquella alma nova
.voaya at ao co.
1 As boas tra licoes nao se perdem como
se v.
Abraham o patriarcha sacrificador, tem
imitadores, ou antes deixou-os pelo fervor
dos fiis da actualidade.
O Eterno tinha dito a Abraham: care-
en de teu filho e Abraham ia immolar seu
lilho ao Eterno, quando um anjo lhe suspen-
den o braco.
A Biblia diz-nos que a mi de Isaac, que
tinha -noventa e cinco annos quando nasceu
seu filho, provocara Abraham a offerecer
ao Eterno aquella crianca que viera ao mun-
do to tarde.
Tinha eu razo de dizer que o sacri-
ficio de Abraham era tardo
Eis-aqui outro modelo entre todos.
Dous esposos sem filhos aleaicaram de
Deus um filho com a nica condieco de
que esse filho sena soldado do papa.
Retrospectivamente a mi reflectiu que
Pi IX j nao existira quando seu filho es-
tivesse em idade de ser soldado.
Havia n'isto mercado de engao pelo
conhecia o Gallibi de ha muito, responda
pela sua fidelidade, restando apenas fixar-
se o da da evaso.
Josephina, escutando assustada os pro-
menores do plano, disse-lhe :
Crio que O seu projecto offerece ain-
da bastantes e perigosas difliculdades.
E' verdade, ha-as para todos nos :
para si e seu i-mo, que devem esperar a
bordo em quanto o brigue cruzar sobre
urna perig.sa costa, expostos de mais a mais
a um clima insalubre; e principalmente
para seu pai, tendo de transpor as fl restas
a planicies pantanosas durante a qaadra dar
chovas. E no meio de ludo nao ha outos
recurso de evaso : debalde tenho procu-
rado descobrir, de accordo com Lefrancois.
perfeito oonbecedor do paiz, vas ramos
perigosas. Existe ao sahir dosportos ens
embocaduras dos rios a mais activa vigi-
lancia ; todos os navios sao visitados na sua
passajem. Se teutassemos a evaso do
seu -pai oceultaado-o em qualquer d'esses
uavios, seria inevitavelmente -descoberto.
preso e sujejto a nova condenioaco. 0
meu plano o -unjeo praticawl e tal vez
riumphe, a despae de todas as diflicul-
dades.
;,fi)s^pbina m *Mot icyeticp, exclir
n-farm dga-me: ser justo tudo i
Uta Miilim faier i Teoho por vezes
aagMtos e at remreos !
De que ? Pois So flae tem assegu-
radoa innecoacia ^e 'floa pai t ....
-aio que est B)cefltt|i8'Sen3io
o esveise ?
% a infeliz rapariga redobrava de ancie-
dade ; jorros de lagriioa;. Iht brotavam dos
albos at que por fim exolamou :
iTOnba compaixao de mim como d
qjtqo^J tem outro lqitfvo alm d'estas
ligwpiif f Coofio no sea bom coraco, na
bom Deus ou por Pi IX; nao se brinca
com estas cousas.
A crianca deve pertencer a Mo IX ape:
aardelodo. Como se ha du fattir ? A mi
instantneamente inspirada.
Offerecomos esses dias ao Semhor *
pela, ffolongaco dos fio soberano pMUi-
fice.
O pai consente no sacrificio.
E a crianca que at ento eslava boa,
ftae enferma a entrega a'Deus os seus dias
em troca dos do Santo Padre.
Engaitavamo-nos porventura nos quan-
do panucamos dizendo que os dias de Pi
IX estariam garantidos por muito tempo,
mesmo por muito tempo, se os paes ct as
mis de familia o quizessem ?
Deu-se o exemplo.
Vamos pois, pais e mis; olerecei ao
Eterno os dias de vossos filhos para acres-
centar o numero dos do papa rei.
Nio admittiremos a este respeito urna
nnica reflexo; os que envolvem to triste-
mente a divindade as suas pequeas intri-
gas fzem o maior mal causa qae jolpm
defender.
Nao sabamos, que nunca os mysterios
de nenhuma das religiSes vessem ido to
longe.
Nunca se fez um semelhante desper-
dicio das alegras da familia do mais nobre
dos sentimentos que elevavam o coraco do
homem : a paternidade.
E o que acabamos de citar est publi-
cado, com as reservas ordinarias, pelos Ait-
naes Religiosos da cfdade de Orleans, nu-
mero de Janeiro de IH09. Assigna-se para
esta folha em casa do abbade Gelot, no
presbyterio da cathedral do mais cloquete
prelado da Franca mr. Dupanleup.
IGREJA C.1TII0LICA ROMANA.A pro-
ximidade do concilio ecumnico torna mui-
to interessantes os seguintes dados estads-
ticos que traduzimos de um peridico es-
trangeiro :
A igreja catholica romana cont 12 pa-
triarclias, 170 arcebispos e 905 bispos.
Descontando d'estas cifras 229 arcebispos
ou bispos in partibus infidelinm ficam '132
arcebispos e 657 bispos do rito latino, e
7 e 63 respectivamente do rito oriental.
Actualmente s oceupam as suas cadeiras
982 prelados.
O numero rcgnlaraentar de eardeaes
de 70, havendo actualmente II lugares
vagos. Dos '59 que hoje constituem o
sacro collegio, 5 sao eardeaes bispos, 45
eardeaes presbteros e 8 eardeaes diconos.
O mais novo de todos o prncipe Luciano
Bonaparte, que tem '0 annos.
O sacro collegio diviile-se em 17 con-
gregages : do Santo Ollicio, do Consisto-
ro, da Visita apostlica, dos Bispos e dos
regulares, do Concilio, da Residencia dos
bispos, da Immunidade ecclesiastica, da
Propaganda, do ndice, dos Ritos sagrados,
da Disciplina regular, das Indulgencias e
das reliquias, do Exame dos bispos, da
Fabrica de S. Pedro, dos Negocios accle-
siasticos extraordinarios, dos Estudos.
Ha alm d'isso quatro congregaces es-
peciaes ; a de Revjsao dos concilios pro-
vinciaes, a das Ordens regulares, a dos
Negocios do rito oriental e a da Rcconstruc-
co da baslica de S. Pedro.
\
!
Grandval, pondo-se dep, disse-lhe :
Agradeco a confianca que lhe mereco;
Miguel e eu vamos ao matto, e alli terei
com seu pai nm 1 explicar > definitiva, a
qual s noute lhe poderei communicar.
Depois da mihha entrevista cora seu pai,
Miguel deve ir a casa e Lefrancois onde
lhe pediram qno fosse para fazer certos
escriptos ; eu fui convidado pelo senhorio
da iniulia pnusada para achar-me hoje pelas
tres horas n'uma colonia de concessionarios
perto das serraras. L, segundo me cons-
ta, poderei comprar madeiras para comple-
tar o carregamanto do brigue, negocio este
que nao posso differir. .
Proximudas serraras repeli Jo-
sephina sobresaltada Isso muito longe
e um lugar bem solitario i Esqucce-lhe
\sempre que tem inimigos temives I
Era Cayenna por corto, mas em S.
Lourenco nao me parece que se tenham
oceupado da minha pessoa. No regresso
d'alli virei por casa de Lefrancois buscar
Miguel e ambos lhe traremos o resultado
da entrevista aira seu. pai. Entretanto so-
cegue e faga a diligencia por se acaar me-
laor ; bem v que ndispensavel eslar.de
perfeita. saude para poder arrestar com no-
vas provacos.
Tem razo, Pedro ; vou para o raeu
quarto e sujeitar-me-bei a toda as pres-
eripcoes de sror Russia. Ser-me-hia du-
plicadamente doloroso se por esta inopi-
nada enfermidade eu fosse mais um obsta-
culo para a reahsacaadas .sus esperaacas!
Estendeu a delicada mo a Grandval, e,
depois df abracar Miguel, dirigise com
desatento para a sua celia,
Os dous maacebos dejxaram o convento,
e desapparececam peladonga avenida que
se estende entre a penitenciaria de S..Loa-
rengo, e a de S. Luiz.
.Segundo o ,co|tume, ,Jmyj>mcalcalado a
tempo de marcha, de JCcueaja que ebegaatem
hora de descanso dos U-abalhadores. jjfrn
O SAPATEIRO VALENTE. Havia em
urna cidadeum sapateiro que tinha a ob
sequiosa mania de velar os mortos.
em ou uns poucos de raaganes lem-
Oram-se de llie pregar um smfch
Nesta tarde chega-se um ao p d'elle e
diz-lhe:
Vote nao sabe, fulano niorreu (era
um dos da conspiraco.)
Morreu! pobre rapaz to alegre que
el le era.
Pois verdade, e como elle nao tem
familia, voce (aria urna obra de misericor-
dia se lhe fosse velar o corpo.
.Vou, sira I Ora porque nao bavia
de ir ? Mas, como tenho muito que fazer.
se lhe parece levo o trabalho.
Leve o que quizer, homem ; com
tanto que nao falte.
Nessa noute o honrado sapateiro dirigi-
se a casa do defunto Entra, ve o cadver'
na cama, debaixo do lencol, e com o rosto
lvido meio escondido por urn lonco.
Nisto, o cadver levanta-se, senta-se na
cama e diz.com voz cavernosa :
Quafldo se vela um defunto, nao se
canta.
O sapateiro fica atrapalbado nm instan-
te, mas logo recobra o sangue fri, e vi-
brando ao finado urna vleme correada
com tira-p, responde no mesmo tora 1
Quando se esl morto, nao se falla.
Escusamos dizer que o defunto resuscitou
immediatamente.
quelle dia, porm," o sol apresentra-se de
urna ardencia insupportavel : degredados e
vigas nao apresenlavam aquella aspecto de
auiraacu que nos primeiros dias sorpren-
der Grandval.
Os forcados estavam dormindo ou pelo
menos deitados sombra das arvores, des-
cuidados dos escorpies, das forangas de'
fogo e at das moscas hominiotyras, insec-
tos qvasi imperceptiveis que, se chegam
a introduzr-se no nariz ou nos ouvidos de
alguem que surprehendam adormecido, lhe
causara infallivelmente a morte com os
mais atrozes soffrimentos.. O calor|emma-
deeia os mais falladaces e enerva va os
mais ageis. Nao obstante, ilguns ma-
gotes conwsavaaa a aneia voz, pausada-
mente e com difliculdade, como se alguns
raonosjllabos, trocados de longe em louge,
lussem pra os interlocutores um sacrifi-
cio. Por este motivo reinava profundo si-
lencio n'aquellas solitlbes e ningueni dira
que se achavam reunidos all ama centena
de homens.
Grandval e Miguel eram conhacidos dos
vigas, que os authorsavara ara fallar
com Bertomy, levantando-se nm d'elles
para Ihes indicar a pessoa qua procura-
vara. Bertomy, meio detado sobre urna
carnada de folhas seccas, empregava, como
de ordinario, asWasda ssta a jogar as
cartas com outro Coreado: o seo adversa-
rio era ento Rigaut. Urna volumosa pe-
dia, eollocada otre ambos, servw de me-
sa, sendo preciso baver deareww* aaabi-
Co de ganbar dinlieire para qae dous tra-
balhadores eitenuados de tadiga fizessem
tal uso de seus ocios.
C
<&
>'
nr. m-*! as cotes i.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EU0VT40PS_0K0EQW INGEST_TIME 2013-09-13T21:38:36Z PACKAGE AA00011611_11806
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES