Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11805


This item is only available as the following downloads:


Full Text
.-.

ANNO XLV. NUMERO 73.
.
PARA A CAPITAL E LOGASES OHDI IAO SE PAGA PORTE.
Por tres mezes adiantados.................. 6)5000
Por seis ditos dem. -y-.............* 20OOO
PM utf ajfco ide, ..fkl................. 241000
Cada numero avulso................... ^20
SEXTA FEIRA 2 DE ABRIL DE 1869.
PABA DENTRO E PORA DA PROVDICIA.
Por tres mezes adiantados.................. 6W
Por seis ditos idem.................... 13/tOC
Por nove ditos idem...................
Por um anno. MtM..............
JTmri
Propriedade de Manoel
a de Faria & Filhos.

i......
___


--------------~9m----------
* iO ACiKWBft:

rt.okvr ~ i t^iAiicAikM imito*- finw-lw^* Wnm nr. MaranhSo Joami/m Jos de Oliveira, no Cear; Anton/o de Lemos Braga, n Aracary; JooJVIaria Julio Chaves, no Ass; Antonio Marques da Silva, no Nata!; Antonio Joaqoiin
0> Srs. Gerardo Anto^Ah^A ^^^L^1X'lSiSSffii K % baflntonio Jos Gomes, na Vftfa da pS; W* dos Santos Blelo em Santo AntSo; Domingo, Jos da Costa Braga,
* i Nafareth; Francino Tabres da Cfcsfa, em Alagas; Dr. Jos Martms Alves, na Baha; c Jos ibe.ro Gaspannho, no Rio de Janeiro.
PARTE OFFICIAL.
*' .....*---------------------------'
(.ourno d:i BN-oviucia.
r.VKDIEKl'ir .A3SBKAD0 PELO EX*. OO.VDB DE BAK-
PKNDV, PRESIDENTE DA PROVINCIA, KM 18 DE SIARQO
.a saccaa.
N '602. Portara ao general commandante
das armas. Determinando o Exin. Sr. ministro
-la oerra em aviso de 27 de fevereiro ultimo, que
s a pnfea de nome Benedicto de Sou/a Lima, mel-
le de ontubro dezembro do anno prximo pas-
sado.
N.iJ81.-Dita ao iiiismo.Autoriio V. S. nos
temos de sua informa*;;** de *6 do carrale,seb B.I
l4l a mandar pagar ao rigario da freguezia de
Barceno.-*, padre Joo Iftiitsta^uaro*, acuantiada.
m
oso
por
zdan
elle desjfcndjua coai as obre da
Krfja nwrtriz dqeelfc* freguesa, segunde as cun-
tas e documentos anneaes a requerimento, que
incluso devolvo, urna vv. que o mencionado viga-
rio ubrique tres contas e documentos como se de-
terminou por despacho de 18 de novembro do an-
no prximo passado.
N. 682.Dita ao mesmo.Becomroendo a V. S.
que. depois de liquidada, em vista da inelusa cun-
ta, t despeza feita durante os mezes de novembro
do anno prximo passado fevereiro ultimo com o
suftent dos presos, pobres da cadeia ido .termo do
Bonito, mande pagar sua importancia-a Jos Tho-
V m MlVa> mesme. Ceuuumiieo a V. maz Paulino de Mello ou a pessoa por elle coi. -,
Kxc oar seu eonhecimerto, que por aviso da re- ternemente autorfeada conferme sohdtou o che=
paaimdfcguui, de. .do correal, junto por co-1 de......ca em oiciu du hontein seb n.402.
piaTSWroferwicia ao requerimento em que o al- V .-I)il! nB/tio^Manle ^J-JW
feres Krincisro Jos
da Silva, pede pagamento, de
\ .meimeeto* relativos as das ftecorrid s
d2dC
agosto d > amo passado, ate 5 do referido mez, em
que este-ve mipregado como ajudante do deposito
de Ufemia*, me M declarado (pie o mencionado
all>re< durante os dias arima indicados 80 tem cu-
rato ao seu respectare sold.
N. (561.Dita ao mesmo.Para poder dar cum-
plimento aii qu* me foi determinado pit* consc-
ho supremo militar, remeta-me V. Bxe. com ur-
gencia, a i' de otucios do padre Chrystovao de
ftolhnda 'Svafeante, capejlao alteres reformado
pur decreto de 23 de setembro de 1832.
N Gti.DKfl ao inspector do arsenal de mari-
jiha.Ornando de aviso da reparlicao da mari-
dhi (te i do corrente, haver-se. concedido licenca
ao imperial marinheiro de primeira classe refor-
mado De*kuo Iz Franco Monteiro, para residir
nesla provinea: assm o communico a V. S. para
seu conliecimentoge ftns convenientes, prevemndo
de que a contar do mee de fevereiro ultimo, deve
ser ello pag do seu sold pela respectiva tliesou-
raria la. ,.
.Nrf WaDita" ae nn^nm. Communico a v: S.
para seu couliecimento. e aflmde que laca constar
ao ofllaal de tonda Augusto Jos tioncalves lies^
sa, que ae.lia-se na secrelai ia do governo pora ser
entregue depoi.s de papar os respectivos diroitos, a
portada p!aqnal o pwverno imperia1 concodeu 2
mezes de liconra ao i-eferido l,essa:
2.* seccao.
N. 668Portara a Wr.'eliefe de pdMa.-Nes-
ta data ord i ao respectivocotipiandinle supe-
rior da guarda nacional, que faga substituir por
outros as pracas, que compile o destacamento da
villa do l.iraeiro. o que V. S. Tara constar ao
delegad e polica, qae devia ter-so dirigido ao
doYoininindanie superior reclamando ess me-
dida
S. 66!). Dita ao iuow. Kemetto por copia a
V. S. para o liin convelicate as inclusas listas dos
trabalbadores da omeervaflo da estrada de ferro,
(tue lia fonu o* ctnrt.uo= cirtr- govurou Ji
,'..Hi|.;iii!ih d fucsina estraik sao isentos do re-
,-rnUiuiiui*.U wrvi^o.Mio d f arda nauuiiwl.
N. 670. Dita ao cummandaiUe superior da
iruarda uaeinnaldo municipio du Liiooeiro.BM*>
i-a V. S. suas ordeps. para que sejam substituidas
|i routrasas pracas que eoinuoo o destacamento
deesa villa. .
N. 671.Dita ao |ulz de ilireito da comarca ao
l'.lo-l'ormoso.Remello a V. S s inclusas copias
11 ollieio da cmara municipal da cidadfi do llio-
Formoso, datado do primeiro do corrente, e do pa-
recer de 13 e.miido pelo procurador fiscal da tne-
sooraria proWaal, alim de que baja de proceder
como for uj direilo contra os vereadores da mes
ma enmara do qualriemiio lindo, que consentiran
em que Bernardo d'Albuijueniue Feniaudes Gama,
contra qneui se dever igualmanto proceder em
i competente, asarcesse *as funecons de seu
procurador eti noineacao e juramento. Do re-
sultado dar-me-ta V. S. conta com a necessana
brevidade.
N. 672.Dita ao juiz municipal do Labo.fcm
additamento ajinen ollieio de 26 de jaueiro do
correal anao.relatiramele a citacao da menor
Man, fiiliado Dr. Manoel Carvalho Lius d'Albu-
qoerque, remeti a Vibc. para seu conbecimento
>; de que n mais pertencer, copia do ollieio que
pela legado do Brasil em Londres oi dirigido em
de fevereiro prximo findo ao ministi-o dos nego-
cios estrangeirw na corte acerca da mesina me-
nor.
N. 675.Dita ao coinniindante do corpo provi-
sorio de polica. Conimunico a Vmc. para seu
conhecimento e execucaO, (|ue por conveniencias
doservico demiui nesta data a Miguel Uoaquira do
P.pgo Barros, do posto de alferes da 5- companhia
d.'--e corpo.
N. 67'i.Deliberacao0 presidente da provin-
cia deniiito. por cnfeoleneia do serviQo publico,
a Miguel Joaquimrio Reg Barros, do posto - da S" compaftlfi do corpo provisorio de po-
lica deSU provincia.
N. 67o.Portara ao inspector da thesourana de
fazenda.Communico a V. S. para seu conbeci-
mento e lins convenientes, que de aviso da repar-
licSo da guerra de 2 do coi rente, junto por copia,
com referencia ao requerimento em que o alferes
Francisco b= da Silva, pedia pagamento de ven-
eimeiitos, relativos aos dias decorridos de 2 de
agosto do anuo passado a 5 do referido mez, ein
que foi emaregado como ajudante do deposito de
recruta, coma que mencionado alteres, duran-
te os da cima indicados, s tem.dii'oUo ao res-
tiv sold. .
N. 676.Dita ao nteamo. Devolvo a V. S. os
.1 ius inclusos re|inrimentos, em que o viganoen-
eommeudiio da freguozia de Sanu Anna do Sac
pagar a
Alfiedo A C, ilepnis du'liquidados, em vista do
pre. junto em duplcala qe me remelteu o coin-
maiidante|pperrgdcouiai e.i de Palmares com
otl'n o de t| de ceirenis. os veneiriiomos relaltvo<
ao mez>de*Terra ulthno dos guardas nacionaes
des ar.-rdo' novilla deBarreiro*.
N. 68i.Deliberaao O presidente da provin-
cia attendendo ao que requeren o arrematante da
obra da ponte sobre o rio Tractinliaem Miguel
Laurintode Siqneira Varajao resalvi, d| couformi-
dade cem a iHfi*ma*ao preslada aestewsjieilo
pelo ebeto da reparti^io. das obras puWicas em
offle-io de 16 do corrente, sol) n. 108, conceder-llie
mas 30 dias de prurogacSo para a concluso das
obras do seu contrato a contar da data em que se
limlon que para < mesmo lim ja obteve. E esta
seriapresentada as estaees competentes parater
a devida e\ecucao.
4' eceao.
N. 689.Portara aos membros da commissao
em arregada de distribuiros soccorsos peJosestra-
un da cheia.Remet, a \. Ss. o requerimento
junto de Salustiano da uva subdito francez sobre
que nformou o chafe de polica enroffltio de 23
do iarz llimajunni >or copia, para que examino
cuidadosamente do estado e pessoas da familia do
mesmo Salustiai. aftiidioiK sa estwar no caso
rio te
particao, oram bontom recolludos casa de deten-
eao os segun'.es individuos :
miaba ordem, Satyro Modesto de A raujo, pre-
so em flagrante, por crime de tentativa, de es-
tupro.
A ordem do subdelegado da Varzea, Salustiano.
que se diz livro e reclamado como escrayo pelo
major Simplicio Lavares de Mello, para verilicar-se
a sua venladeii a condicao.
Por offlcio de 30 do mez passado, participou-me
o subdelegado do distrcto dos Afogados que se
acha pronunciado no art. 20o do cdigo cruninal
o individuo de nome Mauoel Goncalves Telles,
pelos ferimentos (eitos na pessoa de Manoel Anto-
nio de Moraes, do que fiz mencau em minba parte
do da iS do dito mez.
O delegado do termo do Cimbre?, por offlcio de
17 daquelle mez, me parlicipou que fizera prender
no musmo dia, em flagrante delicio de furto, ao
individuo de nome Jos Francisco dos Anjos, tur-
eulento o aflato pralica..de crmes, pelo que ja
tem sido condemnado no'rhesmo termo, e que cou-
tra elle ia instaurar o competente processo.
O delegado do termo de Fiares, em data de 19
do sobredito me, comniunicou-me que pelas 10
horas da manliaa do da lo evadio-se do poder da
guarda de 4 pnaoas do desta(;amento daquella vil-
la, acompanhado do respectivo carcereiro, o cri-
minoso Alesandre Ferreira Brasileirb, que por
ordem do juiz municipal fura tirado da cadeia para
deligenoras do juizo, nao tendo sido anda possivel
conseguirse captura do mencionado crimi-
noso.
Em offlcio datado de 5 do mesmo mez de marco,
cipiwmunieou-flwo delegado do termo da Boa-vis-
ta que ha vendo, nos ltimos das, do mez de fevo-
reiro do corrente anno, um moleque, eecravo do
teneiite-ceronel Antonio Nunes Braulio, assassma-
do outro seu parceiro oom tres facadas, o fizera
capturar e recollier cadeia, o passava por isso a
nstaurar-He o compleme summario.
Deus guardo a V. ExcIllm. Exm. Sr. conde
de Baependy, presidente da provincia.O ehefe de
poilcia, Francisco de Faria Leos.

RID1A0 DE PERNAMBUCO
proreda a este respeito de couformidade com o
parecer da contadoria dessa thesourana, ao qual
se refere a sua iuforwaco do 46 de Janeiro ulti-
mo sob n. 26:
de ser sorcorrido rid ternos da concessio feita
por Sua Magestade Imperial.
It 690.Dit a cmara municipal da cidade do
Ro Farmoso.A' vala do que me partiripou a c-
mara municipal do actual quadriennio da cidade
do Ro Fwmoso era oflicio da 1" do corrente, de-
termiuo nosla data ao juiz de direilo da comarca,
qus proceda conu fur dadjreitufloutrt ps verea-
do-es d cmara transacta, que conseiiliram que
Bernardo de Aluaquerque Fernandes Gama, exer-
ceae o lugar de seu procurador sem que livesse
sido nomeado e juramentado, o que communico a
mtsma cmara, cumprido que touje conlfts,ao
dito Ferdandes (moa do teiiiK em qiie exercet as
fuicroes de procurador, e faeo recolher ao respec-
nv i oro os salilos. se os liouvef-bem como o "*
exercicio de tsooa too/, cuja existencia venflcou
coinpellindo pelos meios cunviinientes a quem o li-
ve em seu p ider ou o lioqver extraviado, a pres-
ta conta del le* i
De tuda devar a Amara r a*sta presid<>n-
e i pan remlfcr o qpe mais pareer necessario,
a bem das renrns efeaia inimlcipalidade.
EXrKDIKNTB .%S^IGN.\O PELO SR. DR. JOAQUIM CORRK.IA
DE Ar.AUJO, SF.C.nET.VRIO DO GOVBRXO, NO DIA 18 DE
MASCO DJJ.89.
Io seccao.
N. 691De ordetn de S. lxc. o Sr. presidente
d; provincia, d claro a V. Exe. em resposta ao
seu oflicio de 17 do corrente, sob n. 152, que nes-
ta dota se mandou satisfazer o pedido de mil bai-
x^s, mil altas, mil folhas para receituaro, e mil
fo has para pedidos de dietas que sao necessarias
ac sorvico da enfermara militar.
2." seccao.
N. 692.Oflicio aoDr. elfefe de polica. V Exc.
o Sr. presidente da provincia manda declarar a
V. S. em resposta aos seus ofllcios de 16 e 17 do
corrente, sob ns. 38J e402, que a thesouraria pro-
vi icial tem ordem para pagar a Vicente Ferreira
d Porciuncula a i uanta de 6i800, o a Jos Tho-
niM Paulino de Mello, ou ao seu procurador a de
2)i800 constante de taes ofllcios.
N. 693Dito ao t*mmandante superior da guar-
da nacional de Palmares.O Exm. Sr. presidente
di provincia manda declarar a V. S. em resposta
a seu oflicio de 13 do corrente, que a thesouraria
provincial tem ordem para pagar a Alfredo A U
o:; vencimenlos constantes do citado oflicio.
3a seccao. .
\ C9i OOicio ao inspector da thesouraria de
fazenda.S. Exc. o Sr. peas id ente da provincia
manda transmittir a Y. S. as seis inclusas ordeus
d) tribunal do thesouro nacional sob ns. 22 e ti
a 6 e 2 do ministerio da guerra datado de 1 e 5
do corrente.
4.' seccao.
N. 695Oflicio ao vigario da freguezia de Bar-
raros. S. Exc. o Sr. presidente da provincia
manda declarar a V. S. em resposta a seu offlcio
de 26 de Janeiro ultimo, que a thesouraria provin-
cial tem ordem para pagar-lhe a quantiade 2:7a04
constante de seu citad, ollieio.
DESPACHOS BA PRESIDENCIA DO DA 31 DE MARCO
DE 1869.
Francisco de Pinbo Borges. Ao Sr. inspector
da thesouraria provincial para iifofmar, ouvindo
o Dr. procurador fiscal.
Francisco Ferreira Borges.Informe o Sr. Ins-
i lector da thesouraria de fazenda.
Guilherme de Almeida Guedes Alcororado.
Dirija-se ao Sr. desembargador provedor da Santa
Casa de Misericordia em sessSo da junta.
Capitao Honorato Joseph d'Oliveira Figueiredo.
Certifique.
Justino Manoel Ramos. Os documentos que o
supplante pede foram remettidos a thesouraria
de fazenda.
Jos Thomaz d'Aqaiuo Jnior.Junte-se a re-
RECffE, 2 DE ABRIL DE 1869.
A GUERRA E 0 SR. CONDE DEU.
E" esse o titulo que serve de diadema um es-
tirado artigo edictorial do JaraaJ do Ricife de
hontom.
Sua leitura d que pensar, fornece materia para
crias reflexoes.
g
Qual foi a inlencao do Ilustrado collega
Ignoramos ; ou antes, nao a queremos compre-
hender, tal qual se nos aflgurou quo ella alli se
encerrava.
Urna aranu> Ae ti?, tendo wr liquido lif
dor um eomposio de incens e 4o cciwui-bp ote
tudo.
Mas essa argamassa una injustica; mas esse
incens intempestivo pouco lisongeiro ; mas essas
censuras, que se revestem em nraitos pontos com
a capa de um louvor dissimulado sLo pouco
recida: fallecem por si mesraas.
Vejamos I
A guerra do Paraguay, diz o collega, nao est
'erminada I
t A nova campanha vae comecar I
Em que se funda o culloga para dizer que a
guerra nao est terminada ?
0 que indica cntao aehar-so forgido o ex-pre,-
sidente do Paraguay ?
Desde que Lpez, reconhecendo sua impoten-
cia ante nossas armas victoriosas em Angustura,^
fugo e foi refusiar-sc nos matos, declinou de si
in plicitamenle o direilo do chefe de urna nacao be-
ligerante : constituo-se um simples caudilho, um
chele de guerrilhas, receioso, e sempre a espreita,
para ferir de emboscada, de momentos azados que
lhe forueeaui pasto aos instinetos selvagens.
E o cunlio da torca e a dtroccao inlelligente foi
imprimida campanha por esse quem o governo
acaba de chamar duque de Caxias.!
t Quando esvaecido o fumo da> pelejas, diz o
collega, vio-se clao a realidade.
t E a realida le era o dictador tena/ oom dous,
tna,-quatro mil horneas, e cinco ra^feridos;
Era o dicladar armado com desoilo canhw;
Era urna guerra mal acabada, que por seus
erres gerava outra.
A realidade, era o exercito Brasileiro adorme-
cido sobre louros que murcham;
Era o exercito qae se licenniava a si proprio ;
Era a esquadra que se debandava ;
Era a indisciplina que desorganisava.
Qnania injustica!
Custa crer que a miio de um bnuuleiro tenha
tracado essas linhas sem eslremecer !
E' assiin que je paga aos bravos, que elevaram
o nome brasileiro |a-> alto como niuguem ainda o
elevou, quatro anuos de fadigas, quatro seculos
de privacoes longe da patria, em busca de imar-
cessiveis louros, que umitas naces poderosas com-
prariam p -so de sangiie e ouro!
E ainda se^liz que o bravo Caxias e seus com-
panheiros de glorias e soflrimenlos aliandonaraiii
seus pnatos e Insnlta-sp a homens qnf arri?caram
a vida pela patria^dtemto-sa-llias que foram an-
tes e so movidos pela ambicio de poder e gloria.
do que pelo desejo de bem servir patria 1
A missao do valente general, do here de Itosso-
r, esta va terminada. A' caudilhagem nao lhe
cumpria dar caca.
Velbo, cheio de enfermidades adquiridas om
campanha, enfermidades que punham em risco
sua preciosa vida, o general Caxias nao poda
mais demorar-se no Paraguay : seria isto quasi
um suicidio.
Voltou,*pos, ao scio de-ua patria ; mas voltou,
como bem diss o reuu:ur do .* Or*t, tomo
Scypiao. AMaana, deio3 da d*H*itao de Car-
tlago.
A honra nacional nao licon merc dos ventos
em Assumpcao, como pensa o collega, sem reflec-
tir que mais urna injuria que langa ao nosso bra-
ha m*ni%jii4.\ ^
Por outro da mesma data, foi nomeado para
o referido lugar, Abel Rosa Teixeira.
Tiveram ordem de se apresentar S. A. R. o
presidencia do Exm. Sr. conselheiro inonsenhpr
Muniz Tavares, e com assistencia dos Srs. Drs. Joa-
piim Portella, Cicero Peregrino, Ayras Gama,
Sr. conde d'Eu, afira de o acompanharem ao ihea- I s nares Braodao, Jacintho deStnpyo, Aflbnso de-
tro da guerra, os. Srs. general Polydoro, brigadoiro j Albuquerque, e os Srs. coronel Leal, major Sahra-
Joao de Souza da Fonsec:- Costa, corom^s Pinbeiro dr Henrique e padre Lino.
nie-
vo exercito.
A disciplina contina a reinar nos nossos acanv
pamentos do Paraguay ; e la fieou testa do va-
lente exercito um general, que tem dado muita^
pro vas de bravura e de pericia iu arte da guerra.
' Desean?jyt^'-, o olleg* (]uu o orasn icm a sua
uonta .as. mos de quem a sahejelar; e esse
exercito, que lavuua nodoa quo lhe lancouo ty-
ranno Lpez, ainda tem bastante torca e energa
para lavar oulras que porvenlura Iho intenleni
cuspir vis assa/siuo.- da honra das nacOes.
Ainda trata o collcga da missao Paranhos ; nao
o acompanharciBos nesse ponto.
0 collega, como nos, ignora o fim da viagem
do miniatro.da cslrangeirc*.
Nao o acompanharemos nesse ponto ; porque
nao queremos argumentar sem bases : esperare-
mos que se ellueide o fim dessa missao.
Guimares e Tiburcio, e tenentc Escragaoles
Taunay.
Fallecer o Dr. Antonio Goncalves turbosa
da Cunna, antigo advogado e deputado geral pelo
2o distrieto de S. Paulo.
Lemos no Jornal do Commercio :
Leontinc Villeaux assignra em Franca nm
contrato obrigando-se a fazer o papel da estrella
no firmamento do Alczar do Rio de Janeiro. Na
passagem da linha, aprovetou a opporlunidade do
baptismo tradiccional enlre os marojos. Chris-
mou-se em Theodora, talvez em memoria de Theo-
dorus da Abvssinia.
No Rio de Janeiro Theodora, pouco aplaudi-
da no Alczar, mas bem acollada na ra do Ouvi-
dor, ein pouco lempo con^eguio grangear crdito
entre as modistas e forneredores.
Sendo j crescido o alganiemo de seu debito,
a estrella, lembrando-se de certos babitos astron-
micos, resolveu fazer um eclipso, deixando em
trevas os credores.
t Havia, porm. entre elles um Mr. Fraocpis,
que parece ter queda para a sciencia dos astros, e
adevinhando os projectos da estrella, oppoz-lhe
embargos.
A autoridade, avisada a tempo, drigio-se a
bordo do paquete francez Estremadure, onde o as-
tro occuitava o seu brilho, e obrigou a voltar para
o ecu... do Alcasar.
t Segundo noticia o Pharol de 24 do corrento,
suicidou-se no dia 17 do corrente, atirando-se *
rio Parahybuna, Januario Henriquos de Oliveira,
maior de 60 anno* e pai de numerosa familia.
0 infeliz ancio padeca de mana suici a,
por isso que, conforme diz a mesma folha, ja por
diversas vezes tentara atirar-se ao mesmo rio.
O cambio regulava o mesmo das cotacoes de
23 do passado.
As apolices do emprestimo di 30,000:0004
vendiam se a 9504 ex-dividendo.
A alfandega rendeu de 1 a 2i do passado
2,134:4763860.
MINAS-OEItU^.
Recebemos folhas da capital at 19 do pas-
sado.
O Noticiado)- desta data publica o seguate :
Do poder de ama escolta que conduzia o reo
Aprigio Jos de Souza, para responder ao jury no
Rio Pardo, evadio-se este depott de um conflicto
entre elle e a dita escolta, do qual resultou fica-
rem duas pracas contusasl
Este facto uen:s a 7 leguas- distante, de Mi-
nas Noras, no dia 13 do mez nado e na tonda de
Man lacaia.
t Foram dadas as precisas provid -acias para a
priso doevadido e processo da escolta.
baha.
Nos collecios de Maracas, Leuees, Macahu-
hi< IVnhi.'mooe uonusr^afctj ^^- *".?
i~a.'.ei, tSetlie, Sanio Antonio fc Barra do Pilao
Arcado, do 5 distrieto eleitoral," eraoi mais vota-
dos para depntados assombla geral :
Dr, Junqueira........................ *>*
Desembargador Araujo Ges........ .. >>!
Dr. Bonifacio de Abrou................. 366
Dr. Marcolino Moura................... 303
Fallecer o antigo negociante Marcolino Adol-
pno Cassiano Maia.
A alfandega rendeu at 29 do passado......
714:1825897.
Tiernos no Jornal:
No sabhado (27) pela manhaa cm urna ca-
poeira quj existe no fundo da Ponte das Pedias,
foi encontrado o cadver de um m ico bem trajado,
nao foi possivel dlstinguir-se pe-
mas cujas feicoes
lo estado de putrefacca > era que j se achava. Ao
No intuito de incensar S. A. o Sr. Conde d"Eu> j lado delle havia urna caixinha com plvora e balas
e na mo tinha elle, ainda urna pistola, com a qual
se suppe que realisra o suicidio na quarta reir
jf ( t jo mesmo.Constando de aviso qu*riraeuto a que este se refere e informe o Sr.
da reoaiaico da nurinha, de i do crreme, ha inspector da thesourait de fazenda.
ver-se MnMdWo' licenca ao imperial marinheiro Dr. Jo5o Paulo Monteiro de Andrade.Junte se
da 1 elas*e relormado Dnodaio Lins Francisco o reqmrimento a qus este se refere e informe o Sr.
Menieiro para residir nesta provincia ;" assim o inspector da tbasouraria de tazenda.
vonMimnieo a V. 8. pac seu conheeimento e (Ins j0ao Jos Lins Wanderley.Conceda-sea liceu-
conveniente, iprevinmdo-o deque a contar do mez ca requerida com venoimento, na forma da le.
de fevereiro ultimo, deve elle ser pago de seu sold Joo Goncalves de SouzaJunte certidao de ca-
de-
por essa thesouraria.
r K 67g._Dita ao inspector da thesouraria pro-
viB'ial.Ctmmumco a V. S. qH, por dolilwracao
desta datademitti a Miguel JoaquimdoRcgo Barros
do posto de alferes da 5.- cumpaubia do corpo pro-
visorio de p.liaia dasta praviaeia.
N. 679Dita ao mesma.Ca* inclusa rela-
cao que me remetleu o hel d* potw'a com offl-
cia de i6 eorrcnle, sob a. 394. dos prunos po
bres que estiveram reoolliidoa a*ad#ia da Villa
Bella durante os mezes de julho setembro do
arwoprenimo paesado, sasfec* m>W> .*'
V Sl couda em-ofltewB. Si da 3 aefoveretfi.
ultimo a que vieram annexas as couts que inclu-
so devolvo, das despezas fetas .naqaetjes meze;
susteato de taes presos.
3
ma raaMtteu 'ebe* de pohm'WMn onr de
do corrente, sob p. 389, o que justamente sa-ftsve*
da deapasa feitaaom o sarta*-'mMMa oobfs
da cadaia Jo tenao da VlIh-MMt, dnraate sa ment.
Jos Pranciseo Bento.Dirija-se thesouraria
provincial.
Dr. Joaquim Antonio Carneiro da Cunha Miran-
da. luforme o Sr. enfeuheiro fiscal da repartl-
ea > das obras puWicas.
Jas Chrispiano da Silva.Informe o Sr. inspec-
tor da thesouraria provincial.
Jos Carlos dos Santos.Juntos os papis, que
forem relativos a pretencao. do supplicant, infor-
me o Sr. Dr. chafe d polica.
Luiz Antonio Cabra!. Informe o Sr. Dr. ebee-
de polica.
Manoel da Silva Santos. Informe o Sr. i
oheiro che da. raparticao das obras pnbl
Repartido da polica.
1' seceatk Socrqtana da, pobeda de Pernamooco,
1 de abr de 4869.
N. iflm. e Exm: Sr.Tab* a hanra 6>
le*ar ao- aijrfjaaimftn*) de V. Exe. que, segado
COB9ta>dM9artiipAoee reeeWdas. haje neata ra-1
uauaiihos como elle, guernioeiros mais impor-
tantes, mais audazes c teraiveis, temos nos visto na
America meridional; e ncm por isso temos estre-
mecido de susto, e nem por isso a patria teo es-
tado em perigo.
Lpez de facto e de direito est vencido; a
guerra est consequentemente terminada.
O collega ha-de lembrar-sc que, em dezembro
passado, poca em quo as cousas da guerra cor-
ralo escuras para us como urna noute de tem-
pestade. eramos de opinio que deviamos aca-
bar pela paz honrosa.
O deus dos exercitos vigiava-nos, porm, e do
alto de seu throno imprimir inoviinento acodera-
do maquioa da guerra, levando o nosso exercito
de victoria em victoria at Assumpcao.
Datemos palmas, entoamos hosanas, ao chega-
rem aqu essas ooticias de transceudente valor : era
mais do que quizeramos ; era a gloria sem o me-
nor vbhimbre de ouropeis!
Estupendos fcitos, que devem ter enchido de
admirarlo o mundo, fizeram baquear os ltimos
eatrincheiramentos do nefasto dictador do Para-
guay.
Lpez nao podp mais resistir ao embate da on-
da assoberbada da valenta brasiloira: fugo como
um cobarde, procurou a sociedade das outras f-
ras, foi viver as matas, toraou-se simplesmeute
um caudilho, mais selvagem que quantos tem ba-
lido.
, A guerra esteva, pois, terminada; cometa va a
caudilhagem.
E esta que persiste, e nao temos nova campa-
ana a comecar. Tudo mais viso, creaeao de
ipiaginacoes ardentes, que tem mister de ateiai' o
incendio em alguma cousa, antes que si mesmo
e ineendiem.
O que era a guerra qttando subi ao poder o
au-do conservador ? Quem lhe impwoio o ejnhaj
o Ilustre collega nao irepidou em deprimir um
exercito inteiro ; foi injusto sem necessidade.
Chamc-se embora abnegacao c acrysolado pa-
.riolismo a resolucao que tomou S. A. de nao
mais se recusar a ir para a guerra ; mas nao se
oflenda o bravo e velho general Caxias, dizendo-se
que /)'(/(' foi confiado jg e&rcjto ao Sr. Conde
dSu I
Nem todos pdem contar na sua vida militar um
Itossor, um Estabeleclmento j! nina Angustra !
Os Scypioes sao mui raros; e foi um liberal
(ainda bem !) quem comparou o moderno ao anti-
go general, veucedor de Carthago.
E do mais, quem clpalo de nao ter ido
mais lempo para o Paraguay o Sr. Conde d'Eu ?
Ninguem ignora que o Sr. Zacaras, quando
ministro, sempre oppz tenaz resistencia essa
resolucao. elle, pois, crimine o collega, c nao
outrem, por essa tardia viagem do S. A.
O Sr. Zacaras fez at quostao de gabinete da
permanencia do Sr. Conde d'Ei^ na corte ; e o
collega, que parece ter sciencia,m missao do mi-
nistro de estrangeiros, nao devra ignorar isso.
Devia, pois, ser trauco e fazer pesar a culpa, se
nisso ha crime, sobre o verdadeiro culpado.
Queixe-se ainda o collega do Sr. Paranagu.
ministro da guerra de. entao, que igualmente se
oppoz partida de S. A. para o theatro da guerra,
dando lugar que na corte se espalhasse quo ha-
va, por essa causa, urna desinielligencia na familia
imperial.
Fazer aecusacaes fcil; sustente-las, porm.na
altura conveniente e basea-las em factos; eis a
difflculdade.
Discuta-se a guerra; mas nao se faca aecusa-
c5es quem est longe de merece-las.
Sonhe-se embora com o terceiro reinado : do
sonto realidade ha sempre grande distancia, e
as raas da fbula nao sao urna utopia.
noit ttnbuind i-se elle um tiro, que nessa
occasiao fra ouvido, e que causara muito mo e-
feito emtoda a circumvsinhaeca.
Ha- estrellas que empaldeeftn no momento de
antrarera na maior phase de brilho.
' Deus vigiar pelo Brasil. Nos reeeberemos a
luz de Deus.*
NOTICIAS DO SUL
DO IMPERIO.
Cbcgou honjem o vapor ameriean^nrtt Ame-^
foram reformados oiwj sold por
. ^fa^ndo jrnaes la corte e 8 e e da
Ja Torca, quem lhe deu a dlreccao meligeate qWj I^fefe^flJ M^'jU da Brata.
Na>obstante os bons desejos dos homens do Pprjecreios, tf.m|! erio damarinha.d
ojfer, at 16 de inlboda 1868, .guarra poHC 1
{jpraasaA dava de prxima oonebasao.
, Sobirm aa eanservadoies e como que una Anto"HL
ate. estrella, fltemjooa-mes os pasaos,,derramando &gi
(orrntes de luz e de euuiijaiaamfl iw.oxadu?.
{ De 16 de julto em diaote dalara os ia>tartaa*ee
necessos qu te-rarjua a.gaerr ao seu termo.
toteiro, na codfomildade 6 r*r de 11 de de-
aBnmMr18ltt,"o imperial marlahielro Mauoel
, ld^te&iojk'a'oWdtifetle do corpo deim-
PERNAMBCO.
REVISTA DIARIA.
ACTO OFFICIAL.Por aviso, do ministerio do
imperio, ie 20 do passado, dirigido presidencia
da provincia, cpmmunicou-^e o segrate:
n Declare V. Exc. thesouraria de fazenda, era
solucao -do offlcio n. 2 dirigido em 17 de fevereiro
ultimo a ste ministerio, que a divida de exercicios
(Indos, na importancia du 761640, constante do
processo de liquidacao que acompanhou oeto offl
co, reclamada polo padre Joaquim Graeaoo de
Aracj, como substituto das aulas de rhetorica,
philosopha, historia e geographia, do curso de
preparatorios anoexos faenldade de direito, nao
pode ser reconhecida, visto que o figurado credor
nenhum direito tem ao pagamento de veocimentos
que se lhe coatou.
Os substitutos especiaes, como sao os das fa-
culdades de direito, quaodo regem cadera, aiio
llcaoi pelo facto da substituicao cooi maiores ven-
cimeatos, mas oontiouam a perceber os que Ihes
cempetem, tenham ou nao exercicio, urna vez que
ostejam promptos para os trabalhos do magiste-
rio. Acoreioe-que os dhs aulas preparatorias, por
isso que o sao de mais de urna materia, sao tam-
bera obligados agencia simultanea de oais de
urna cadera, como j explicaran! os avisos de 27
de abril e 17 de junho de 1861, dirigidos ao direc-
tor da faenldade da capital da proviucia.
O decreto n. 1995 de 14 de outubro de 1857,
cujas disposicoes se tornaram extensivas aos em-
pregados do ministerio do imperio pelo de n. 2">23
de O de Janeiro de 1860, e se faz valer para
apoiar a reclamacao, s comprehende os casos de
suhstituieo, em que o empregado de vencimento
ou categora inferior chamado ex-oflicto a des-
empenhar os deveres de lugar estranho ou imme-
diatamente superior e nao pode ter applicacao s
substituicoes por outra forma reguladas como as
dos cargos de que se tratam, que tem substitutos
privativos, com vencimento especial, que por essa
unir qualidade de substitutos lhes compete.
a Cumpre, portento, que a divida seja annullada,
e que se faca inleira resthucao de todo que por
semelhante motivofpor ventura se tenha pago.
COMPANHIA LYRICA rTALIANA.-No vapor
italiano Aqns, chegou Baha, no dia 27 do passa-
do, a companhfa lyrlca do Sr. Jos Amat, que deve
trabalhai* oo corrente aun as proviueiaa da Ba-
ha e Pernambuco.
Eis o elenco:
GialdiOoSialdini, rajtstro e regente da orchestra.
Clementlna Amaldi, douna soprano.
Carlotta Brattt, 1* donna.
Victoria Pierotti, doana contralto.
Perdlnando Cesari, 1* tenor,
T Ernesto Bonarielo, idem idwn.
Leonlda Boschini, 1* bartono.
Giovanni Scolari, \* baixo.
Adel Contmi, 2" donaa.
Antonio Galassi, baixo cemprimario.
femiaiao e nove do sexo
P1S4?
oe>umbtle de corpo
b," aquatle pr tr-s invalidado
coFe este ein combate.
i de lStfo ebriebdida a demlssao
i Magno de S^unaliObd, do lugar
la^mra-mb*.
E' lida e approvada a acta da antecedente.
Nao se adiando presente o Sr. secretario perpe-
tuo, o Sr. 2*> secretario 6ubstituindo-o, d leitura
do seguinte expediente:
Um offlcio do Sr. secretario perpetuo, scienlj-
camloquedeixava de comparecer presente sesso,
por ter de achar-se oceupado em servieo publi-
ce.Inteirado.
Outro do Sr. Jo5o Carlos Wanderley, offertan-
do alguns nmeros do peridicoAssvense do
Rio-Grande do Norte.Inteirado e que se areni-
vasse.
Outro de Sr. Antonio J. F. de Mendonca Be-
ln, offertando urna moeda de prata, encontrada
em orna escavaeo junto as muralhas da fortaleza
das Cinco-Ponas. Inteirado c que se archi-
vasse.
Outro do Sr. Dr. Francisco Manoel Raposo de
Miranda, solicitando se o considere no qnadro dos
socios correspoadentcs, assim como a d'iensa das
commissoes para que fora votado, visto ter-se mu-
dado para fra da sede do Instituto.O Sr. presi-
dente declara qae a materia do offlcio ser tratada
na seguinte gento
Urna carta, assignada pelo Sr. bario de Villa
Bella e outros, eoovidaodo o Instituto para assuuir
missa de Rquiem com memento, qi.e mandara
celebrar pela alma do finado Dr. Antonio Vicente
do Nascimcnto Feitosa, por occasiao do primeiro
anniversario de seu fallecimenlo, no dia 6 do cor-
rente.O Sr. presidente pede aos socios, presentes,
que comparecam ao referido acto.
O Sr. 2 secretario d conta das sega totes offer-
tas: varios nmeros do Diario de Pernambuco,
pelo consocio Dr- Figueira; alguns Dameros -da
Opiniao Saronal, Opinio Liberal e Unioo Dem-
crata, pelas respectivas redaces; pelo Sr. Joa-
quim Francisco Duarte.Urna carta de nnmeaeao
dada em Lisboa aos 27 de agosto de 1803, pelo
hispo D. Jos Mara de Mello, inquisidor geral da
reino do Portugal e seus dominios, nomeandofami-
liar do Santo offlcio Domingos Adorno Germano
Regueira ; outra dita regia, do 30 de outnbro do
1760. assigoada por ol-rei D. Jos le sm ministro
marquez de Pombal mandada dar quilacio ao al-
moxarife da fazenda real de l'ernaoibiico, capitn
Pedro Marques dc'Arujo. desde o fil agost de
1756 at o nllimo Je jufio de 1757, ci.rta de no-
meaco de syndco e provedor do convnto de reli-
giosos de Santo Antonio da cidade de Olinda, em
favor do capital M*i*el Harttues. (fe AiWijq, assig-
nada pelo provincial fre Manoel de Jess Maria,
em 25 de novembro de 1763; de Just.no Eugenio
l.avencre.Dius fosseis encontrados na freguezia
do Bonito-Todas e-tas estas offertas sao rectbldas
com agrado e mandain-se archivar.
E' lido o remellido commissao de fuodos c
orcameotos, o.balanco de receita e despeza. verifi-
uim un o H-tn* -i" 'Tt 'iniiioio atlisciiTOro uoim-
rente anno acadmico.'
E' igualmente lido, eremettido commissao
respectiva^ una proposta para socios corres[)on-
dentes.
0 Sr. major Salvador Henrique, obtendo a pala-
vra, faz a leitura do relatcrio sobre um cruzeiro
de pedra existente no passo do Gqui no povoado
do Adogados; o qual amanhaa publicaremos.
TENTATIVA DE DEFLOR AMENTO. -Ante-hon-
tem noute, conduzndo o corrector de escravos
Satyro Modesto de Araujo, nina pretkiha de oito
amos de idade para ser vendida, tentn deflora-
la no caes do Capibarhc. Aos gritos da creanca,
acudi a ordenanca do Sr. subdelegado da Boa-
Vista, que prended o criminoso.
PRONUNCIA.Pelo subdelegado da freguezia
do Afogado, foi pronunciado no art. 205 do cdigo
criminal, Manoel Goncalves Telles, por haver feito
ferimentos cm Manoel Antonio de Moraes.
EVASO.Quando se achava fra la cadeia da
villa de Flores, para diligencias do respectivo pro-
cesso, evadio-se do poder da escolto o criminoso
Alexandre Ferreira Brasileiro. ac npanhando-o
o carcereiro da cadeia, uo dia 15 do passado.
ASSASSINATO. N'ura dos ltimos dias do mez
de fevereiro, um uioleque, escravo co teoente-co-
ronel Antonio Nunes Braulio, assasninou, na villa
da Ba-Vi nente preso.
D1NHE1RO.O vapor americano South Amri-
ca, trouxe as seguintes quantias, para os senho-
res *
Augusto Ferreira de Oliveira & C. 10:000*000.
Pinto Barbosa & C, 5:0004000.
CNSUL AMERICANO. Seguio hontem para
>{ew_York o Sr. Thomaz Adamson Jmior, cnsul
dos Estados-Unidos nesta provincia, deixando in-
terinamente enrarregado do respectivo consulado
o Sr. Carlos P. Roeck.
COMPANHIA PERXAMBUCANA.-Pela geren-
cia desta assoeiacao fomos informados de que me
sendo pedido um vapor pelas 8 horas da manhaa
de ante-bonteni, para ir buscar a barca Foam.
naufragada neste porto na ooite autenor, promp-
tamente prestou-se a isso. de aecrdo cora os con-
signatarios e o capitao Bak, com quara coatratou,
obrigaado-se este ura mdico pagamento estipu-
lado, que deveria fazer a Companhia Pernambu-
caoa,no caso nicamente de que cooduzsse a
reboque o navio, e o collueasse dentro do porto.
Tendo, porm, os consignatarios mandado exa-
minar o estado do navio, verlllcando-se faxer bas-
tante agua, e finalmente ser impossivel saJvarse,
teve a companhia aviso para nao fazer seguir o
vapor, que se achava j prompto para esse fim.
THEATRO DE SANTA ISABEL. Reahsou-se,
cmo eslava annunciado, na quarta-feira, o espec-
tculo em beneficio do priraeire artilla dramti-
co brasileiro Joaquim Augusto Ribeiro de iauza,
indo a scena o drama D. Cesar ie Basan.
A execucao do drama corren muito bem, pri-
mando os artistas Joaquim Augusto.. Jos Victori-
no, Jnlia Azevedo e Marti nho. O Joaquim Augus-
to moatreu D. Cesar de Bazau sob um novo as-
pecto, o do fidalgo amante de beber, jogar c di-
verlir-se, conservando sempre a pureza dos senti-
inentos nobres do eoragao. Agradi.-no* mais o
D. Cesar de Bazan de hoje, do que o de tempos
O* artista beneficiado foi muito applaudido, e ob-
sequiado com diversas chamadas cena.
HOSPITAL PORTUGUEZ.Domingo teni lugar,
neste estabelecimento a solemmdade da flistrilmi-
co do pao eucharistieo aos enfermos ah era tra-
tamento. Gomo nos demais annos, <- aeto sera ce-
lebrado com toda a decencia. A junta adminis-
trativa convida, no presante numere, todos os
assoeiados para a referida feeta.
PUNHALADA FATAL. Hontem, por volts
de 8 horas da noite, Antonio Rieardo Roger, to-
mando-se de razes com Ernesto Gonc-alves do
Macdo, na ra de Santa Thereza, el flearregou so-
bre este urna panhalada na regio interior-supe-
rior do trax, lado esquerdo, a qtal se presume
ter ofendido o pulniao e o coraca'. O ferimenta
foi considerado mortal na vestona.
O delinquente foi preso em flagrante, pela poli-
ca de Santo Antonio, na ra de Hurtas, atd onde
Sete coristas do sexo
foi perseguido pelo clamor publict
* HrtM """" ....."..........."
6 ofledido "eslava moribando s 10 horas da
ooiie; da va-se-lhe apenas minuto de vida.
LOTERA.-A quo se acha a venda a 100 a
beneficio da igreja^do Nossa Senlwra do Monte da
cidade de OHoda que corre a^.djj orrem



I
I


.y.1-*-
'38*
Diario de Pernambuoo Sexta tetra 2 de Abril de 1869.
\
ESTABELECIMENTOS DE CARIDAD
meato do hospicio de alienados na Mi
Olinia, do 1 ao ultimo de manco (te 1869.
Eiistiam 24 horneas e 44 aiulheres. entrou 1
homem, faio 1 malher, mwreram i humea.',
existan 23 fcomens e 43 imillipres. Total oG.
Existem i i enprcga!os ueste estabeleciinento
borneas ei mulheres, sendo: 1 regente, 1 medice,
4 cjpeia, iporteiro sfchristao I; i onfermeiros,
1 barbeiro, 2 euferowins; 1 rednr Tl|i -i
nheira. _!*.
Foi visitad o mcsaw estabecinmtopi*> e|i
Sr. Dr. Seve, em lugar *)o Sr.'Br ffinno, Bfcdia;
2,6, II, IS, i9, 22, t* 29, as ti liaras e
manilla, as i e > da tarde.
Advertencia.
Entrou 1 toomem *.17, d nonwi Muioel
da Silva, branca^
Sahio nodia 3. Josaplia Mari a te basoiisenM,
parda, ntrala fC do mee pmxune tudo.
Morreram f himiens, 1 no dia 9, de aonie Fran
cisco Carlos Teixeira Borges, pardo, casado, e
ptbysiea pulmonar, entrado .i 8 de mate de 186S, i
o outro no dia 24, de nome Milito Ferreira Lima,
pardo, soltero, de apoplexia, entrado a 174o me:
de fevereiro lindo.
mordomodeniez,
A. J. Gomes do Correio.
O regente,
Luis do Reg Barros.
Movhnento do hospital de Nossa Seabon
da Conceieo dos Lazaros, do 1 a 31 de marcj
de 1869.
Existiam 12 homens e 10 mulheres, entraran i
borneas e 2 mulheres, existem 14 homens e 1
mintieres.Total 26.
Advertencia.
F visitado o estabeleciinento pelo medico <
Sr. Dr, Seve, nos dias seguintes 3,d, 10, 13, 18,
2127 JO. .. K
Exiatem erapregados ueste eslabejocmento 8, i
saber: capello 1, medico 1, regente l.djtt i, bar-
beiro l,,cosraliero 1, serventes 2.
0 mordomo de ujez,
A. J. Gomes do Correto.
O regente,
Diniz Ignacio P. dos Sanios
PASSAGEIBOS.Saludos no vapor Jpojucu, pa-
ra Acarac c portes intermedios :
Antonio Francisco Leal e um criado, Mauoel Jo
s da Co-ta Pereira, Antonio Pereira Viiella, Fran
cisco Rodrigues Monleir", Francisco Antonio Coe-
lho, Dr. Francisco Jos Rabello e um criado, Fran-
cisco Coelho da Fonceca, Dr. Jos Ignacio Fernan-
dos Barros, Sebastiao Antonio de Mello Reg, Ri-
cardo Wettig, Dr. Gustavo Adoliibo Walbaunu,
Joao Rodolpho, Dr. Joao Antonio Ferreira C., An-
tonio Manoel da Silva, Manuel Jos Fenea, Ma-
uoel Groba e Porto, Gifone e Nicolao Gorlez, Fre-
derico Mrnav, Manoel Nunes de Mello, Jos Gon-
calves da Silva Pinto, Jos Lopes d'Almeida, l'eli;
de Albuquerque Mello e sua sentara, Jos Lui
Barreto e tres criados, Mauoel Jos de Souza e uu
escravo.
Sabidos no vapor Gequi, para Jenedo e Ma
cei :
Jos Manoel Teixeira, Clinsliano d'Almeida Mon
teiro. Thotnrz Cerkeet, Antonio Fernandes da Sil
va, F'elippe da Costa, Dr. Bernardo Antonio dr.
Mendonea, Julio de Assis Carvalho, Jos Joaquim
d'Oliveira, Manoel Carneiro da Rocha, Manoel Lo-
pes de Albuquerque, Francisco de Vasconcelloi
Mendonea. Roineu da Rocha Bastos, Manoel Xa
vier de Albuquerque Maranh, Jos de Oliveira
Bas, Joao Cardim de Oliveira e sua senhora,
Francisco Goncahes Torres, Eugenio Presan, Jo
o Bvangelista da Costa, Antonio Lopes Ferreira,
Jos Mauricio Wanderley Jnior, Bernardo Al ven
Ferreira e Jacqucs Bonnefond.
Entrados dos portos do sal no vapor SjiiII
America:
Man >el Feliciano da Silva.
Sabidos no mesmo vapor para Naw-York ti
portos intermedi*:
Cnsul americano Tilomas Adanson Jnior, suj.
senhora e dous fillios, Jean Canere e Patricio Au-
reliano Ferreira.
POLiriCA INTERNA'
Partido conservador.
ANDA 0 PROThSTO DO SR. BARAO DE VILLA BELLA.
Em noss.i artigo de 13 do passado refutamos o;
fundamentos do protesto do Sr. baro de Villa
Bella.
O Liberal a. Si reproduzio as bases de nossa
argumeutacfu. mas em vez de refuta-las sahio-s;
ara estacaacetada :
Se queris tratar da quemo, se teno.es eon-
viccio foruiada, e estudos feitos sobre ella, se
vossa convlecao sincera, profunda, inabalavel,
comecai refutando os artigo que no Liberal n....
publicamos transcriptos dos jornaos da corte,
onde encontrareis, pela nossa parle, dado o des-
envolvimeuto preciso. Nos vos acompanlian
mos como a sombra ao carpo, e protesta nos naj
deixar um argumento sem resposta cabal.
Que tal I Senos quer acompanhar como a som-
bra ao corpo, e dar urna resp i nossos argumentos, cuino em vez do responder-
nos chama autora uns artigue transcriptos ? Ha
de responder-nos, mas com a condigno de refu-
tannos priineiro os taes artigos I
Aquelle numero em blanco den-nos que faze:\
Examinamos todos os nmeros do Liberal, e em
nenbum delles encontramos artigos transcriptos
dos jornaes da corte, em que se tratasse da que
tao vertente I
O'ie eaconda !
Que mangacao I
Fazer iM ter m.irada
de lr tod i a collccao
do Liberal
(que nao tal),
por a'.'iorda traiiseripco
que fez o numero..., nada !
Apenas no liberal n. 2 vem o protesto feito ni
corle \h>r oito deputadjsde Peruambuco (e nao to-
dos, com i alguein ple suppor, lend i no protesto
do Sr. barao de Villa Bella, que os de ~Pe>-nambu-
co protestaram.)
Apezar de nao querer bater-nos desde logo, aven -
turou o Liberal a. ->2 algumas proposigoes qu;
vamos examinar.
De surte que a lei dispoz urna banalkUuh,
urna sandice. Mand >u fazer eleitoressem missa)
alguma, para que depois de feitos ex'inguissem-
se por si mesmosom satisfazeremfim algum. Con-
voca-se o povo, reuncm-se os comicios, agitani-
se os altos interesses, abala-se a socied ide, i
tndo isto para qne Para fazerem-se eleiture?
qae na > nao de ser eleitores, para conferir ubi
mandato que nunca ha de ser exercido !
tTobeoraot be. Sai eleitores pirque forari
eleitos, nao sao eleitores porque nao excrceran
o mandato. >
Nao esperavamos que o Liberal confundiese ;i
existencia da um direito com o sen exercid i. O
direito nunca existi, porque nunca foi exercido '
Ni existi o mandato, porque os eleitores na i
Tt ra n I
Eleitos nlo s aquelle que ja rolou ou que
est vo'ando, mas aquelle qne tem o d:reito d(
votar, que ja r ebeu o mandato. Mas a |uelle que
tem o direito de votar pode perde-lo antes de u
exercer; como se deixar de ser cidadao brasi-
ieiro.
Fira un dispropisito conferir o mand to com
a intencao de que elle n'iu fosse exercid > ; ma-
nao se segu que o maniato urna vez inferid
nunca piissa extinguir-se antes de ser exeFcido
No direito coimnuin vemo* que pode, at sem qu<
tenha sidt revogaJo iielo mandante.
Lugo nao ha sandice na lei. por extinguir en
corto caso os poderes dos eleitores, que ahila na
votarain
O decreto de 10 de julln de 1830, qufi citaes
diz : os eleitores u na vez eleitos sat aptos par;,
a todas as eleicoes que se tem de fazer a: o a
da legislatura.
* Vos dizeis com o acto di governo : os eleito
res urna vez eleitos nao sao aptos nem para c
priwira eleicao para a qual furam eleitos.
Isto eacitad i, pois, nos dizemo- semelhantecoa-
sa ? Apenas repelimos o <|ue diz o citado decreto
os eleitores sao aptos pira v linda a legislatura. contrnrioscnsu qua ido find;
a legislatura extinguem-se os poderes dos eleitos
ja nao podem votar.
Segundo a vossa opinia > temos urna especii
de eleitores encantados, mysticot, fabu'ova con
vida e sem vida, eraflin um aborto que veio ai
mondo poltico para na Ja, eleit tres sem legis-
iatara.
Na pertencen a actual legislatura (14) p"r-
qae seas poderes estao extinetos pela lei (causa
* elBciente ) ; nao pertencem a legislatura passa-
sada, linda, (13) porque nao exrreeram su po-
dere-i que extinguiram-se pela dissolugan, (cau-
sa occasional) antes de serem exercidos.i
Para a existencia de qualqu-r legislatura na i
sao necessariosos eleitores especiac, nem estes se
coqUid por legislaturas.
U^jodaro dftes ol*itres padem Ur quatru
aunos, e rsrtibem qnalro das, cobtanio que nj
exer^im o mandao depois que o pai:Jflr consul-
tado ou" liver de ser consultado.
- Maie elaramente. Extiitfue-se nina .legislatura,
quer tenha lindad* .o quatcienuio, quor tenha ha-
vido dissolugao da cmara t,mir|,Mk Trata-se
3e consultar o paz. que ,pd(' nESiMBar um es-
pirita jdifferente do que -presidWlt^Kfeeeau do
inanirtnaos eleitores erinemes.-foi' iseo estes dei-
xam -.de ser aptos para votar.
IVrtanlo dos parece (oque dir o Lttral qnan-
ilo Me Bo T) que seaextincaoTlo mandato cou-
feridn nos eleitores (quaesquer que se ja mi tem
lugar tona vez que o paiz consultado ordinaria-
mentt ;;ain negotiot politeos, seja de pWstimir que elle nao
se mnaifeste dilTcreutemento ; coto grande inaio-
i'ia d>aeao devem liear exIiMCtos os poderes dos
eleiurw espedaes, qnaalo da-ee o fado extraor-
dinario da dis oinefi.); em que a necessidade da
consultacao nao presumida pela lei, que a esta-
beleciMi. mas reconbeeida iinmediatamoute pelo
poder competente.
Ainda temos mnito que dizer, mas o que disse-
mos no Diario de 13 anda est em pe, qnaj (la-
vemos de estar balendo-nos eom o vento. w
Por nossa vez dizemos ao Liberal que tome ao
serio a questo, se quer tratar deila.
Foi injusto e Liberal nesta censura :
Bem 'se emfiere portanu que os conservado-
< jes que escrevein para o Diario, zouilain das
qnestoes polticas mais importantes, nao to.mam
ao serio nem a competencia do scu castello po-
uiieo, do corpo por excedencia conservador, o
senao. A competencia do senado nada val, na-
da *
Se a nossa arguaentacSo foi precedente, e se
todo o nufso artigo foi escripto com a maior se-
riedade ; porque esta censura ".' nicamente por-
que elle acabou deste modo ao tenninarmos
ven-uos iembranca um dito proferido ha dous
auno pelo Sr. conselheiro Zacaras na cmara
dos deputados : O protesto th vencido o da ra-
pos* que qliando nao pode alcancar s uvas, o
memrmal que diz deltas i qae esto verdes.
0 Sr. Zacaras disse isto, fez omito bem ; repe-
timos suas paJavras, fizemos muilo mal !
De que maneira
devo esci-ever,
se bao de entender
que tndo o que eu disser brinesdeira I
Se quando ousa
no parlamento
um grao talento
repetir a anedocta da rapoza:
em quanto eu
no mea artigo
apenas digo
o mesmo que elle disse, e nao meu;
Sou censurado,
mas elle nao I
Um tem razao,
o outro nao a tem, fui muilo ous&lo I
Se nao houve plana seriedade no que dissemos
no dia 15, o que ser agora ? Dirao peior, mas
por i*so mesmo acabamos com esta
ALLEGORA.
A creanca, o rapaz e a pinha.
Debaixo de urna pinheira,
Urna ereanea traquina
Salta, pula e se amotina
para yma pinha aicancar.
Euifim na pona de um galbo
pode pegar, e puchando,
vai com geito aproximando
o que eslava a cubicar.
Ja de gosto se extasa,
E-tende o bracinhn, quando
un rapagote chegando
tira a frueja e pdc-se andar.
Que dr qne sent o pequeo
quando se ve se ni a pinha I
Grita logo : i minha, minha .
E depois vaiSse qneixar.
m
A.
OfTuscar 03 louras c glorias do nobre Duque de
Caxias, e atterrar 9 oZtBaa&n eam n.ithantasina
ua cortiinuacao ai feuerra, o flin snnrpmo dos
pseudos liberaos da fiossa trra I
Assim que um articulista do Jornal do fecife
de hoje, atravs de aJguns elogios forjados c fin-
gidos ao nobre Duque de Caxias, procura com
todo o empeno tornar odiosa a sua retirada do
Paraguay,Tazendo crer que o fizera pela vertigem
de urna falsa idea deque a guerra eslava aca-
bada Sao sempre os mesm is por tuda a pane !
Folgamos, porin, do re.conhocer urna excep^ao
honrosa nos redactores do A'ot-o Brasil, jornal li-
beral, que acaba de apparej-er na corte do impe-
rio, do qual diz o Diario do Rio o que se segu,
transcrcvendolhe um trecho, que o mais so-
lemne desmentido s apprehensoes, e apreciaedes
do articulista do Jornal o Recife. Oucamos o Da-
no do Rio :
NOVO BRASIL.-Fomos obsequiados com os
tres primeiros numeres de-ta n iva folha, de que
sao editores os Srs. Faurhon i Dupont.
0* novo campeao da imprensa prop5e-se a de-
fender os principios liberaes, oceupando-se espe-
cial nento da analysc da poltica professada no
Brasil c notando seus erros.
Propoe-se a ex|K>r com clareza suas ideas a res-
peito da vereda |uedeve seguir o paiz, para con-
quistar o lugar de urna naca i poderosa.
Masem suas culu nnas guardar-sc-ha o respeitu
e asattences de vi la* ai* rindes vultos do paiz,
no qu i nos d una medra tratando, em scu ultimo
numero, da guerra do Paraguay.
Eis o que diz o novo puguador das ideas libe-
raes :
Sttve-se o Brasil.A guerra de campaahas
e batalhas est linda as margens do Paraguay.
Os militares que de l leeui viudo assim o afDr-
uian :
" L'Pfc nao aceitar mais um s balalha ; a
raissao dos geoeraes em chefe est finda.
Cuuipre ao governo imperial certificar-se des-
ta yerdade, e dar ja as providencias q.ie as largas
feridas da naca reclaman], m-didas prompta-t de
economa e reduca de despezas ; reduela ou
suppressao d> general em chefe, e grande estado-
maor, suppressao de divises. que s exstein no-
minalinente, quanlo ao pessoal, sendo as despeza<
enormes; suppressao de conunissoes, gratifica
-^oes, ele.
Mas porqnc nao se aprsionou Lpez, ou nao
cahio elle mono cm urna das renhidas e sanguino-
lenlas batalhas ? A resposta simples, porque
elle sempre se conservou no quartel da sade, e
se evadi ha tempo para o mallo.
a No millo quasi impossival aprisionar um
raudilho sagaz. **
Pirque nao aprisionaram Pedro Ivo e Vicente
de Paula ?
S por mel de urna cilada os prenderam a
final; Lpez caliir prisioiiuro da inesina forma,
sequizerem empregar este meiu; di conlrario,
nao acreditamos que os alliados o possam agarrar.
Mas Lpez foragido as maltas de Piraueby
nao mais dj que um homem liare fra da so-
ciedade humana e que se redifcir por si mesmo
a nullidade, e hahiliur a todo e qualquer para-
guayo a prende lo e entrega-lo autoridad.) de
seu paiz. A guerra de batalhas e.-t Onda ; gloria
e honras aos militares que livraram o Brasil de
um tao sanguinario e feroz inimigo. necessariu
convencere.n-ae que o nobre Mrquez de Caxias e
todos os generaes em chefe findaram as suas inis-
ses gloriosas e salvaram a patria de urna arande
affronta. ,
O carcter e o proceder do nobre general
Mrquez de Caxias tao elevado e Ilustro no
meio Jas sanguinolentas batalhas, com m tenni-
nacao da guerra. Vnltando modestamente para
seus laresMomesticos, poupando patria a gran
des despezas, e dispensando com modestia as glo-
rias e os louros que a nagao deve consagrar a
seus hroes, voltou a seu paiz como Semino, o
Africano, depoivd.i destruicao de Carlhago.
Ora eis aqni como um liberal sincero e con-
sciencioso aprecia a guerra, e o n. *re Duque da]
Caxias, e seus Ilustres companheir* I E' que
esse liberal nao sonhava com o terceiro reinado e
nao linha por fim exclusivo qoeiinar insi-nso da
lisonja ao Sr. Conde d'Eu, que alias na altura em
que se acha no4sabe olhar para baixo, para ver
quera o incens I
portas do seu estabelecimen'o, as noites de 27 e
28 do correnle, para o publico assislira doispom-
posot bailes niascarados, os quaes estiveram mag-
nillcose Ibrara bastante concorridos, especialmen-
te na primeira norte.
O salo aeliava-se decorado com decencia, e a
illummacao, interna e externa, feta por grande
quantidade de lampies de variadas euros, svme-
tricamente collocados produzia bellissimo' eTeilo
r A'nrelftlraJWi'a direeejo do dsttiXS drd-
fessor de inusla-o Sr. Colas Filbo, nada deixon a
desojar.
0 servieo do kotequin steve boni e eprocos
raspveis.
Aordeai e moralidade qne reinou durtate os
bailes gcralmeBte surprondeu.
Todos rjram, todos folgaram: e'caso raro ne-
nhura distMfcio porturbou essa deliciosa festa.
Ha multo lempo, ao assistimos t u. diverti-
mento d'ewegene, que tanto nos agradasse.
A associaijao do Gymnasio Campestre, amante
do iraballioe do progjesso, constantemente con-
quista. icvas^yimpaJhias. k
Nao seria possiv*, pftr consequenfia, que men-
satnenle houvesse no Campestre um saboroso bai-
lesinlio de pbantasia?
Appellamos para a digna directora.
_______^________0 domin preto.
A' senta morde ao r. Aatoaio
Bernardo de *ouza. esludan-
te do Haraakao.
Ai, mocidade O vento do sepulchro
Veio bem cedo te rojar no p I...
Doe tanto ver-te desfolhada e murta
No cemiterio abandonada o I...
Ai, mocidade Coraroes de fogn,
Crneos augustos que vivis de hiz,
Onde leus sonhos ? Teus amores onde ?
Tudo quebrado... mas aos ps da cruz.
Quantas enuncias affagais sorrindo ?
E qnantos sonhos recordis com f f
Quando teu seio mais prometle vida
Sentcs a morte junto a ti de p.
Ai, mocidade I O vento do sepulchro
Veio bem cedo te nijar no p I
Dc tanto ver-te desfolhada e murta
No cemiterio abandonada e s I
Oh I ninguem peje d'encarar o tmulo I
Elle nos prega salutar licao :
Boruao o sceptro, virgindade e crime
Elle rene sobre o mesmo chao.
A morte ensina A sepultura a berta
E' mais um livro que nos falla em Deus,
Conta a miseria do terrestre orgulho,
E diz que o morto vai viver nos oos.
Mas mocidade I do sepulchro o vento
Porque to cedo te rojou no p ?
De tanto ver-te desfolhada e murta
No cemiterio abandonada e s I .. *
, Pljmo de Lima.
Navios sabidos no mesmo dia.
Bio-Grande do SulBriguevseuna nacional Cys-
,^capitao JosMonteiro d'Almeida, carga as-
suca r e agurdente.
New-Tork por S. Thomaz ParaVapor ameri-
cano South America, eommaudante Tenkle-
pangh.
Portos do Sul Vapor brasileiro Mamanguape,
. eommaudante,Oliveira, eu lastro.
^B----------__________ X-g-B
ECITAES.
COMMERCIO.
PKACAlUO ItECIFE Io DE ABBIL
DE 1869.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDE.
Assucar bruto Canal =3050 por arroba.
Couros seceos salgados2i0 rs. por libra.
Cambios sobre Londres 90 d/v 19 d. por 1=5000
(ontein e hoje).
F. J. Sveira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
BANCO MAUn & C.
Una do Trapiche n. 34.
De;cunta leltras co rnerciaesa taxa con-
vencional, decebe dinbeiro, a premio con-
vencional, por lettras e em conta corrente.
Confere crditos, saca sobre as primeira?
prac.as do imperio, Rio da Prata e Euro-
pa, e compra cambiaes sobre as mesmas
pravas.
Encarreja-se, por winrmss5o, da com-
pra e venda de fundos pblicos ajcxoes de
jompanhias, aa oobranga tle ieTWiao di-
videndos ou de seu pagamento, e de'tyia!
|uer outra operacao bancaria.
O expediente para o publico comecar
is 10 horas da manltia, e tenninar as 4
horas da tarde de todos os dias uteis.
ENGLISH BANK
Of Rio de Janeiro Limited
Desconta lettras da pra^a taxa a con-
vencionar.
Recebe dinheiro em cont corrente e a
prazo flxo.
Saca vista ou praso sobre as cidades
principaes da Europa, tem agencias na Ba-
liia, Buenos-Ayres, Montevideo, New-York
New-Orleans, e imitte cartas de crebito,
para os mesmos lugares.
Largo do Pelourinho n. 7
IllSA DECAHRIO
Tlieodord Simou & 0.
Vendem
Soberanos 13)5700
Ouro nacional 1 51 l/ o/0 de pre-
0 Dr. Trisllp de Aleucar Araripe, offlcial da im-
perial orfem da lio-a. iuiz de direito especial
do roinmerdo desta ciAde do Becifo de Per-
uambuco e seu termo por & M. I. que Deus
guarde etc.
Faco saber peto present, me a requerimento
dos commerciantes Guimaraes & Alcoforado, e
outros credores do commercianie Antonio P^dro
de Mello, e requerimento deste, se acha aborta a
folleneia do mesmo cnmme cinnte, Antonio Perlru
de Mello, pela sentenca do theor seguinte :
Vistos os requerimentos a folhas.oito, nove, e
vinte, dos auacs consla ter o commerciante Anto-
nio Pedro de Mello, cessado os seus 'pagamentos
Ma ifc deelnraco do mesmo commerciante a fa-
las tres, o declaro fallido a Jalar do dia 27 do cor-
rente mez, e mando que, so proceda nos termos
de arrocadacao amanh as dez horas du dia, dis-
pensado a opposi^ao sellos por j se adiar feixado
o estabeleciinento commcrcial de fallido. Para
curadores fiscaes nomeo os credores suppliantes a
' tullas oito e nove, os quaes prestarao juramento,
isto Fraga & Kocha, e Guimaraes & Alcoforado,
e para dcpo>i'arios nomeio os credores Vicente Fer-
reira da Gosta 4 Filhos, que servirSo interinamen-
te, sendo convocados os credores para no dia 3
do mez prximo futuro, noinearein depositario ef-
fectivo, na sala das audiencias. Publique-se a
fallencia por editaes na forma da lei, e pague a
a massa fallida as custas.
Wecife, 31 de marco de 1869.Tristaode'Alen-
car Araripe. Em tempo. Comccado o inven-
tario hoje mesmo a I hora da larde.
Recife, era supra.Alencar Araripe.
E por forca desta sentenca o respectivo escrivo
fez p.issar o presente edital, pelo theor do qual
sao convocados todos os credores do referido fal-
lido, para comparecerein no indicado dia pelas 11
lioras da manh na sala das audiencias, al'nn de.
3ue reunidos todos em minha presenca se proce-
a a nomeacao do depositarios, que receba sob sua
guarda os bens da mesma massa fallida.
E para que chegue ao conheriinento d todos
mandei passar o presente edital que ser anisado
nos lugares do costurae, e publicado pela iru-
prensa.
Dado e passado nesta cidade de Pernambuco em
1. de abril de 1869.
En Manoel Silvno de Barros Falcao, escrivo
interino o subscrevi.
Tristao de Alencar Aearipe.
0 Dr. Tristao de Alencar .Araripe, oUlcial da im-
perial ordem da llosa, juiz de direito especial do
commercio nesta cidade do Recife de Pernambu-
co, seu termo, por Sua Magestade Imperial e
Constitucional o senhor D. Pedro li, a quem
Deus guarJe etc.
Faco saber, pelo presente, que os commer-
ciantes "Carneiro & .Nogueira, por seu advogado,
me liseram a pet'cao seguinte:llhn. Sr. Dr. juiz
de direito especial do commercio.Dizem Carnei-
ro & Nogueira, commerciantes de groado trato
nesta praca, que Guimaraes e Silva, eslad lecido
com luja de fazendas na ra da Imperalriz desta
cid ide, tem cessado seus pagamentos sem que se
hajam apresentado conforme Ibes incumbe a lei,
(arK 801, 803 do Cdigo de Commercio, e art.
313 paragrapho 4, do regulamento a 888) e s aos
supplrante* devem a letras juntas na importan-
cia de 13:198jt20, das quaes duas acham-se ven-
cidas, bavendo smeiite dado por cunta da primei-
ra a quantia de LiOO. E porque nestas circums-
tancias deva ser declarada a faHencia aos ditos
Guimaraes c Silva, nos termos lo art. 807, do ci-
tado cdigo, os supplicantes vem requerer a V. S.
sirva-se de assim declarar, mandando proceder nos
termos ulteriores, mandando-sc desde logo passar
mandado de detencao conlra os mesmos suplica-
dos, visto se acharem incursos no arligo 3i3, i
do regulamento numero 737.
Pede a V. S. defermeuto.E. R. M. Costa Ri-
beiro. Autoada venhain coclusos.Recie, 27 de
marco de 1869.Alencar Araripe.
E sendo fela a destribuicao ao escrivo deste
juizo Manoel do Carvalho Paes de Andrade, este,
eutcumprimenlo de meu despacho fazendo autoar,
-ellar e preparar os niltus, me os res uom-invui. ..
uollc Ocl a sonteuca do the>ir seguinte :Estan-
do provado o citado, de cessacao de pagamento da
firma social Guimaraes 4 Silva, a he por
fallida a datar do dia 21 do mez prximo passado,
e mando que se proce la a inventario, no da 2 do
mez prximo futuro, as 10 horas da manhu, dis-
pensada a opposico de sellos, por estar fecha lo o
e meio curadores fiscaes aos credores supplicantes,
que preslarao juramento. Eo auto do iuvontario
nomearei depositario interino ; e para se nomear
effectivo sejam convocados os credores para o dia
3 do futuro mez, as dez horas da inanhaa na sala
das audiencias,
das audiencia.
Publique-se a fallencia por editaes, e pague a
massa fallida as custas. Recife, 31 de marco de
1869Alencar Araripe.
E por forca desta sentenca o respectivo escrivo
lez passar o presente edital pelo theor do qual san
convocados todos os credores dos referidos fallidos,
para comparecerem no indica lo dia pelas 10 ho-
ras da manha na sala das audiencias, afim de
ue, reunidos todos em minha presenca se proce-
a a nomeacao de depositario que receba soo sua
guarda os bens da dita massa fallida.
E para que chegue ao conhecmento de todos
mandei fazer o presente edital que ser affixadn
nos lugares do costume e publicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do lie^ife de Per-
nambuco, ao Io de abril de 1869.
Eu Manoel Silvno de Barros Falcao, escrivo
interino, o subscrevi.
_____________ Tristao ae Alencar Araripe.
I
Ittapeeeoo do arsenal d
marluha. .
Do rdm do llm. Sr. inspector faco publico que
aelia-se mareado o praso de sessenla dias, a' conlar
da dala do presente, para o concurso a que se vai 1
proceder uesta inspeceo, Unto para provmeotoj
dos lugares de eserivao do almoxarifado e seu I
ajiidanto, como de dous amanuenses dasecretaria.
"Os pretendedfcs (leverao nscrever-se no ien-
eionado prado, e exige-se-llies que lenhaoi boa
letra, bom comportamenlo, e a idade de 21 anuos
completos*assim como saberem grammadea da
Kngoa naeional, prinOfiio dft, escripturaijo por c
partidas dftradas, aryCmiielicnie suas ariplieacoe. s
Insueco do arsenal de ttnainha de Pernambu
co 2 de maigode 1865.
0 secretario,
Alexandre, Rodrigues dos Anjos
COUPAlADBfiSUEiRl
Paquetes a vapor
demora
portugez ) mi
Sedulas do govdrnoj 1 1/2 o/0 de pre-
de 1 a &000 ) mi
Largo do Corpo Santo n. 21
Kendimento do
ALFANDEGA.
dia 1. .
33:237*224
MOVIMENTO DA ALFANDEGa
PBLICACOES A PEDIDO.
yniaaslo campestre.
A aasociacio artstica d'este theatro, abri
as
/olumes entrados com fazendas
dem idem com gneros
Volames sahidos cora fazendas
dem idem com gneros
3i3
468
-----811-
197
222
419
Descarregam hoje 2 de abril.
Vapor inglez Sapphiremereadorias.
Barca ingleza=I;/'^ mereadorias.
Escuna inglezaZepkiraidem.
Patacho inglezPortiaidem.
Brigue inglezCejana=idein.
ilarca inglezaFoating Cloiferro c earvao.
Itrigue inglezR. F. B=canos de ferro.
Hatea inglezaLevantmereadorias.
Lugar inglezPeorl -idem.
Ilarca inglez*Bhomeridem.
Barca portuguezaeptraneu -divrersos gneros.
Barca portuguozaJVwra SytKpatkiaidem.
Patacho poriuguez Mara da Gloria=idet.
Sumaca taepantoula*-atwti=vinbis.
Barca ingleza-TrufWfcr.=farinha de trigo
Brigue dinainarquezyeoettu=idem.
Brigue portoguezBenvindolagedo.
Galera francezaPresseassucar.
Barca inglezaConrudlijlos, etc.
KECEBEDOHJA DE Rfi.MJAS INTERNAS GE-
KAES DE PEHNAMBUCO.
Rendimento de dia 1..... 1:042*308
O lllui. Sr. inspector da thesouraria de l'a-
zenda dtsta provincia, manda fazer publico que
tem marcado o dia 4 de ma o prximo vindoum,
para o concurso que se tem de abrir nesta mesma
Ihesouraria para preenchiinento das vagas de pra-
ticantos exi-tentes nesta reparticao, na alfandega e
na recehedoria.
Os exames versaro, sobre as materias de qne
trata o f 1 do art. Io do decreto n. 3,114 do 27 de
jtuiho de 1863, a saber, leitura, analyse grammali-
cal e orthographia, arithmetica e suas applieaeees
ao commercio, com especialidade a reduecao de
moedas, pesos e medidas, talculo de descont, ju-
ros simples e compostos, tbeoria de cambio e suas
applicacoes.
Os concurrentes devero previamente apresen-
lar seus requerimentos instruidos de documentos
que provem idade completa de 18 annos, L de pena e culpa e bom compnriamento na forma
do art. 3o do decreto n. 2,,r49 de 14 de marco de
1880.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco, 27 de marco de 1869.
oflical-maior,
Manoel Mamede da Silva Costa.
CONSULADO
(endimento do dia I.
PROVINCIAL.
2:500*039
A cmara municipal dota cidade. leudo de
proceder no dia 2 de abril prximo vindouro, a
apuracao geral de votos para deputados a assem-
bla geral legislativa pelo primeim di-tricto desta
provincia, convida, conforme recomrnenda o g 12
do art. 1 do de/reto n. 842 de 19 de setembro de
i8oS,e art. 28 do decreto, n. 2621 de 22 do agosto
de 1860, aos eleitores dos collegios que eompoem n
mesmo distrcto, para assislirem a dita apnraeo
no dia citado.
Paco da cmara municipal do Recife, 27 de mar-
co de 1669.
Barao de Munbeca,
Presidenta
Francisco Canuto da Boaviagem,
Secretario.
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no da i;
Rio de Janeiro Baha6 dias. vapor americano
South America, de 2,150 toneladas, couimandan-
te Tenklepangh. equipacem 73, carga difieren-
tes gneros; a Henry Forster & C
Bio de Janeiro 14 dias, patacho pnrtugnez Ma-,
ra. de 176 toneladas, capitao Pedro Martin
Branro, equipasen) 10 em lauro; a Euxebio Ha
phael RabeiJorj
DECLARACOES.
Yice-consulado da Itaa em
Pernambuco.
Por este V. consulado se faz publico a qnaiqaar
credor que possa haver du subdito italiano at
Paganette, fallecido em 22 do corrento na Imbiri-
beira, povoacao dos Alogidns, que deve denero do
praso nwrcado na convengan c-nsular, cetokrada
entre o Brasil e aliaba em 4 de fevereiro de 1863, J
apresentar seus ttulos para serem verificados e
tonudos oo) eonaiderarao.
Pernambvo 30 de marco de 1869.
Pelo cnsul,
Jos SaporitiChancelJer.
DE CAMBIO
Redoro Simn & C.
Compram e vendem por corita propria
metaes, moedas nacionaes e estrangeiras.
letras de cambio, sedulas do governo e de
banco do Brasil.
Descontara letras da trra e outros ttu-
los commerciaes.
Encarregam-se por conta alheia das mes-
mas transaccoes, da cobranca de letras da
trra e de outros ttulos commerciaes.
Ilecebem quaesquer quantias em deposi-
to, em conta corrente,, e a prazo flxo.
Largo do Corpo Santo n. 21.
THE0D0R01 SIMN i C
Vendem
a 135700
Dos pnrtos it o dia 8 do abril p. f. o- vapor
aua^mmtm^M- o capitao
raMto AataBio Juaquim de
[ntaafrbora, (f qual depois da
.me segura para os do norte.
Desde ja recebem-se psa8eiroi e ongaia-se a
carga que ..vapor poder .-conducir, a uualdever
er embarrada no diaddtuarhegada. Encommen-
: dase dinheiro a rete ate" o dia da ua sahida as *
horas.
Nao se rechem como epeommendas senao ob-
jectosde pequeo valor equenSoflcedam a duas
I arrobas de peso ou 8 palmos cubiios de medican
! Tudo que passar desles limites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros r|ue suas passa-
gens s se recebem na agencia ra da Cruz n 57
! andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo ix C
Soberanos
Ouro nacional )
) a 54 1/2 \ de
< poi tngner )
Sedulas do governo) 1 1/2
de 1 a o;)000 ) mi.
Largo do Corpo Santo n. 21
le premio.
/, de pre-
THEATRO
DE
S. ISABEL.
EMPREZA DRAMTICA
DE
Sabbado 3 de abril de 1869.
Anda a pedido de muitas familias impreteri-
velinente pela ultima vez subir a scena o mag-
nifico, apnaratoso o sempre applaudido drama
histrico de grande espectculo em 6 actos
(IIIISTOLlll CflLflll
0
A descoberta da America,
Alcafar dancante, ma nova de
Sania Rita n. i
O administrador deste estabelecmenio participa
ao respeitavel publico que se acha aberta a assig-
natura para todas os divertmentos que diz res-
peito. Aos domingos baver caf, e concert das
3 lioras da tarde ate as 6. Aos sabbados bailes
pblicos, e cada fim de mez um baiie particular.
Sabhado 3 do corrate
Ter lugar o priineiro baile a carcter, e ser
cumprido fielmente o regulamento policial,
Dar fim ao espectculo a applaudida comedia
em um acto
2SU
COMPANHIA PERNAMUUCANA.
DR
Havcgaco costelra por vapor.
Parabyba, Natal, Maco, Mussbr, Ara.
caty, Cear, Mondah,Acarac
e Granja.
O vapor Pirapama, commandanto
Turres, seguir para os nprio cima
_ no dia 1$ do corrente as 5 horas
da tarde. Recebo carga at o dia 14, enrom-
niendas, passageiros e dinbeiro a frete at as
i horas da tarde do dia da sahida no escriptorio
do Forte do MattoS n. Vi *'''
COMPANHIA PERNAMBCyA
VF.
Xavegaco eostelra por vapor.
Porto de Gallinhas, Rio Formoso e
Tamandar.
O vapor Mamxnguape, com-
mandanto Olivein, seguir para
os portos cima no da 10 do cor-
, rente a meia note. Itecebe car-
. ga, encoramenda'. pasgageiros e
dmheiro a frete no escriptorio do Forto do Mal-
los n. 12.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DR
NavegacSo eostelra por vapor.
Macei, escalas Penedo o Aracaju.
O vapor Potengi, commandanie
2L
Pereira, seguir para os portos cima
_ no dia la de abril as 3 horas da tar-
de. Recebe carga ate o dia lias 3 horas da
tar-
de, encommendas, passageiros e dinheiro a Irete at
as 3 horas da tarde do da da sahida no escriptorio
do Ffirtejio Mattos n. 12.
sabida no escriptorio
O recrutamento na
roqa
na qual o Sr. Martinliu faz o interessantc papel do
sai-wnto FerrabrM.
Fnncipiara as 8 horas.
ATTENCAO
Grande representaqao theairal
Um ii.-ii das vastos saloea do
club Cassador no palacete do
ees do Ramos.
0 director do club cassador participa ao res-
peitavel publico qu conven-u em um dos seus
vastos saldes um lindo amph theatro o qual dar
a sua primeira representacao
Sabbado 3 de abril e a segunda
domingo 4.
Constando do programma seguinte :
Doze qualros inoventes ao vivo com niervoI-
los de msica pelo niegarcopio egypcio constando
de d iges Diamantinos, caricatos! diversas-phan-
tasmagorias e differentes snrprezas.
Procos de entrada
looo
Principiar as 9 horas.
No fim do espectculo ha ver um solemne bai-
le em outro saio para as pessoas que quizerem.
As pessoas que estiverem no espectculo tero
entrada franca no baile
Preco de entrada para o baile
looo
Sero mantido^os regulamentos pociaes.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Xavega^o costelra por vapor.
Goianna
O vapor Mamaiujuapc, eommau-
dante Oliveira, "seguir para o
porto cima no dia 6 do airren-
te as 9 horas da noile. Recebe
carga, encommendas passagei-
ros o dinheiro a frete no escriptorio do Forte do
Matos n 12._________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegacao eosteira por vapor.
Mamanguape.
0 vapor Coruripe, couimandanto Peana, seguir;'
para o porto acuna no dia 12 do corrente as 6
h.ras da tarde, recebe carga, encommendas, pas-
sagens e dinheiro a frete at as 3 horas da tarde
do dia da sahida no escriptorio do Forte do Matos
n. 12._______________
Para o Porto
Segu at o dia 8 de'abril a barca porlugueza
Nono Silencio, a qual ofterece excellcntes ronimo-
dos para passageiros : a tratar no largo do Corpo
Santo n. 19, escriptorio de Oliveira Filhos & C, on
com o capitao na praca do commercio.
Para o indicado porto pretende sahir em non -
eos dias a veleira o hem conherkl br4 Social
capitao Rocha, por ter a maior pane do sen rar-
regamentn prompto, o para o rosto que Ihe falta
e passageiros. para os quaes tem bous commodo1-.
trala-se com o consignatorio Jua(|iiim Jos Gon-
calves Beltro, rua do Trapiche n. 17.
Loanda
O brigne portoguez Bemvinda, capitao Silva, a
chegar de Lisboa, sahir para Loinaa poucos das
depois de recolhido a est porto : pode reeeber
alguma carga, e trala-se com o seu consignatario
Joaquim Gerardo de Bastos, rna do Vigario n.
16, Io andar
AVISOS MARTIMOS.
C0MPA1IA MAURA
DB
Paquetes
dosul
a vapor.
Dosportosao norte esperado
at o da 8 de abril p. f. o vapoi
Cruzeiro do Sul, commandaiit
Alcoforado, o qual depois da de-
mora do costume seguir para os
Desde ja recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no dia desuachegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at as duas horas do dia d>
sua sahida.
Nao se recebem como encommendas senao ob-
lectos de pequeo valor e que nao excedam a 2
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medirn.
Tndo qne passar desles limites dever ser enmar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros qne snas pas=a-
gens s se recebem na agencia rua da Cruz n. 57.
I* andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.
LEILOES.
LEILAO
De movis e objeetos de eserip-
torlo.
COMO SEJAM :
Um cofre de ferro, 1 carteira (secretaria), 1
prensa para copiar cartas, i niarqueza, 2 mesas,
eadeiras, 1 mobilia de amarello, I cama franceza,
I commoda, 1 me-a de jantar, 1 relogio de cima
de mesa, 2 quadros e 2 vasos.
immi:
O agente Pinto far leilao as 10 horas do dia
cima dito dos objeetos supra-menconados exis-
tentes no 1* andar do sobrado da rua da Cadea
n. 10.
LEILAO
De um guarda vestido, urna commoda. 2 mesas
elsticas, 1 guarda roupa de inocuo, 1 santuario.
2 pares de radi iras de balanco. sofs de ama-
relio, 36 eadeiras com punco uso, 1 rama france-
za, 1 Feemtaria.de mugno, 1 lavatorio com pedra.
I armario, consolos, mesas redordas, ditas para
engommado, ca eiras de palba pa mimo, ditas
de balanco, marquezao de aniareilo, raarquezas e
um cabriole! como co,"n""ente cavallo.
HOJE.
Pelo agente Martins no arma.'.em di rua do
Imperador n. Ifi^as 11 horaa em ponto, sem li-
mites.
LEILAO I
Rio de Janeiro
Para o indicado porto segu cora mnila brevi-
dade o veleiro e bem conhecido brigne Adelaie.
por ter a maior parte do carregamento tratado ; e
para o resto qne Ihe falta e escravos a frete, tra-
la-se com o consigna! -rio Joaquim Jos Goncalvo
Beltro, rua do Trapiche n. 17^_____________
Kio de Janeiro
Seone com muita brevidade para o porto cima
a escuna dinamarqueza Elise, tem a maior parle
do seu carregamen o engajado : para o resto qnp
Me taita trata-se com Amonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C, rua da Cruz n. 7, 1 anda-.
Para Lisboa.
^Hsabir rom brevidade o patacho portugus
Mana da Gloria, capitao Valente, para carga tra-
ta se com E. R. Rabello rua do Commercio nume
ro44.
da barca ingleza Foain.
UOJK.
O agente Oliveira (ara leilao por ordem e em
presenca do Sr. cnsul de S. M. Britanmos e por
conta e risco de quem pertonejr, precedida a
competente autorisacao da alfandega e rom asis-
tencia de um empregado fiscal desta reparticao,
da barra ingfc-za Fonm. consignatarios os Srs.
Saunder Brothers A C, de 290 to ieladas, capitao
Thomaz Baker, no estado e tal qnil se acha en-
calhada as pedras do Itecife desie porto, acon-
teeendo este desastre ante-hontein as 8 horas da
noite, quando segua em lastro pi.ra carregar na
Parahiba.
Sexla-feira de abril
ao meio dia em ponto, no salo terreo de entrada
na associaco commereial benell(nte da nossa
praca
-----
LEILAO
Para o Rio Grande do Mol.
Pretende sabir tiestos dias o palhabote pnrtu-
gnez Novo S. Lourenco, e para carga o passagei-
ros trata-se eom es consignatario Thomaz de
Aqoino Fonseca & C. ou com o capitao na praca.
da talierna sita a rua imperial n. 75, e das dividas
pertencentes a mesma na iroporUieia fle rs......
1:205*470.
O agente Puntual, vender em leilao a taberna
cima (e as dividas pertencentee a mesma) em nm
s lote on diversos, a vontade dos licitantes, a rc-
uerimento dos depositarios da massa fallida de
taqnim Jos Ramos e por mandaio do Illm. Sr.
Dr. juiz do commercio.
Sabhadn 3 do corrate
O leilao ser electuado na mama taberna s
ti horas.
Os seabonM pretendemos, podero examinar no
escriptorio do afate, i rua u* Cruz n. 52, quaes
os devedores, bem como o mandado.
<**
/
r
'-.i
i

H

,-' -

.
-.


Diario de Pernambuco Sexta feira 2 de Abril' de 1869.
8
LfilLO
madtpolao a variado
Sabbado, 3 de abril.
O agento Pinto far leilao a requerurinto de
Ijnden \\ cydtnann & C, por aulorsacao c en:
presenca do Sr. cogsul da Blgica, o por eonta ii
nsco do quom prtcaeer de una eaixa marca L.
w. & (,. a. 23, coni 20 incas d eezavanado abordo do patacho allemao Anna
na sua ultima viageni d>> Antuerpia para este por-
to ; o leilao ser efleclnado s ti horas do di:,
cima indicado, na porta da alfandega.
I
De dnas arrnafoes de taberna aendo nina desar-
Bada, gas, oalanoa e pesos e diversos gneros
a ra Direita n. SO.
K:ibba O agento Martinsfar leilao das armacvs, gaz
. gneros da Liberna cima en um oti mais lotos
a vontade dos compradores.
As 11 lloras do dia cima.
LEILAO
de 3 escaleres e pertences.
A 5 do corrente.
O agente Oliveira far leilao por ordem e em
presenta do Sr. cnsul de S. M. Ilritaniiica, e por
conta c risco de qnein pertenec' precedida a com-
petente autorisaeai da alfandega e rom assistea
ia de mu emprgado lisca desta reparticao, de
3 escaleres. 12 romos e lemas, > vela", :i masiros
e 3 baldes, que perteneerain ao navio togtol l.tnl
Palmcrstoii, capitao Edwin Balsn, de Liverpool,
perdido em alto mar a 18 de marea ultimo.
Segunda-feira o do carrele
ao meto dia en ponto junto ao trapiche de de-
sembarque na referida alfandega.
e a. pipas com vinagre linio.
Terca-feira 6 de abril.
O agente Pestaa far leilao por eonta e risco
le quem pertencer de 23 pipas de exntente vi-
nagre tinto desembarcado ltimamente e ser
vendido cm um ou mais lotes a vontade no dia
cima mencionado as 11 horas da manhaa no tra-
piche du Sr. Dantas no Forte do Matos.________
"LEILAO
DE
Um sobrado de um andar e sola:, eom i ojiarlos
uo solio e 3 no pi imeiro andar o um na escada
iara eseravos, teni duas lejas, na na Velha n. 92,
ica o oilo para o pateo da Santa OTO, eom quin-
tal e cacimba.
lina casa terrea na ra Yelha n. '.*), eom dous
quartos grandes.
lu terreno coberto eom 3 portas da frente para
0 pateo da Santa Cruz n. 1, tira nos (hados do so-
brado.
Gordeiro Simpes
legalmente autorizado far leilao dos predios ci-
ma, os quaes podem ser examinado* por quem
pretender, rujo leilao tora logar uo dia
Sexta-f'-ira 11 de abril s 11 horas na porta do
predio que foi a Associaeo, largo do Corno Santo.
lIMifl DE R,\S MYAES
0 cotiellio piomove no -, 3tS do frrente mcz.
s >b as sondicesjo esljloaaisla do propostas
i v,iM.v ,\!c as 1) li'T- di nanh.i, ;i compra
ol.j|ctos io antora! da arniada, reguintes :
1 knaWa de 6 quiataes, 6 pe?as de arribem, 9
bules de ferro estanhado, 5 dunas de chicaras e
pires de ferro estanhado, 5,000* estopares, 5 arro-
bas de fio de vela, SO resmas de lixa de .esmeril
em panno, 6 arrobas de mialhar, 10 libras de
obreiasranceza!', 5 durias de pratos do ferro es-
tanhado, 100 pratos travessos deatblha. 3 terrinas
de ferro estanhado, 1,000 lijlos de fogo, 1,000 li-
bras de tinta branca de zinco, 20 tira-linhas, 0
Irados de ferro de 4/8, e OOgrosas do torcidas para'
pharol,
Tambem o conselho no mencionado dia, c por
igual forma, contrata o fbrnecimento de naralho
e bolachinha americana, para completo de vveres,
dietas e outros artigo do consumo aos navios d
armada e estabelecimentos do marmita no corren-
te trimestre.
Sala das sesscScs do conselho de compras navaes
I de abril de 1869.
secretario
____________Alejandre Rodrigues dos Anjof.
CORKElOURAL
Relacjio das cartas regi>tradas viudas do sul pelo
vapor frencez Extremadme e das existentes na |
administracao uo correio desla cidaile para s
sen hores abaixo declarados :
Andr de Abren Porto, Antonio Bernardo de
Souza, Antonio Dornellas Cmara, Antonio Fausto
Neves de Souza. Antonio Goncalves Torres, Anto-
nio Mara, padre Antonio de Mello Albuquerque,
Bolefon Ribciro da Fonseca, Dr. Carlos Justiniano
Rodrigues, Dr. Francisco Elias do Rogo Dantas,
Dr. Francisco Domingues da Silva (2). Francisco
Lauro? Conicke, Francisco Monteiro do Assis.
Francisco Ribeiro Pinto Guimaraes (2), niajor
Francisco Raphael de Mello Reg, Francisco dos
Sanios Lomba, tenente-coronel Hemeterio Jos
Velloso da Silveira, Dr. Ignacio Joaquim de Souza
Lco, Dr. juiz municipal da 1* vara, juizdeor-
phos do Recfe, Joaquim Augusto Ribeiro de
Souza, Joaquim Feliciano Gomes, Dr. Joaquim Jos
de Campos da Costa, Dr. Joaquim Newton de Car-
valho, conego Joaquim Pinto de Campos, Joao An-
tonio Gomes Guimaraes, Dr. Juan Jos Ferreira de
Aguiar, Dr. Joo Lin> Civalcanti do Albuquerque,
Joao da Silva Faria & Irmu, Jos de Araujo l'e-
reira Cavalcanli, Dr Jos de Araujo P. Damio,
inajor Joo Al ves Valonea, Dr. Jos Guimaraes
Mangabeira, capitao Jos Joaquim Pereira de Oli-
veira, Jos Moreira da Silva (2), Jos Maximiauo
Soares Avellar, Dr. Lourenco de S Albuquerque.
Dr. Lourenco Trigo de Loureiro, I). Mara Felicia
Martins Brito Tmrlez. Manocl Ferreira Lima, Maia
4 Espirito Santo, Manocl Ignacio de Oliveira Mar-
tins (i), Manoel Joaquim de Miranda Seve, Manocl
Jos de Almeida Soares, Manoel Pinto de Souza
Dantas l'ilho, Manoel Rodrigues Caldoso, Mauoel
Rodrigues dos Santos Moura.
COMPARHIA PEMAMBCAM
w.
C O^SI-lilIO IM DIREC^lO
Os Senhores.Saunders Brothers & C, Tasso
Irmaos, Luiz Antonio de Siqueira.
-GERENTE
8B. F. F. B0RGF8

Vi
AVISOS DIVERSOS.
O testamentoiro do finado Antonio Flix dos
Santos manda no sabbado, 3 de abril, celebrar na
matriz da Boa-vista missas do stimo dia pelo re-
pouso eterno de sua alma,-cujas missas terao co-
meco as 6 horas da manhaa ; roga, portanto, aos
amigos e parentes do finado se dgnem compare-
cer a este acto de grande candado, pelo que lhc
ser eternamente grato.
Os abaixo assignados, tendo resolvido mandar
celebrar una missa de Rquiem, eom memento,
pela alma do nunca nsss chora o )Dn. Antonio
VlCENTB DI) T*f f niMMllll 1'niTortA por oPCiaME* *
prmeiro annversario do fallecmenio de se Ilus-
tre Pernarabucano, convidam a todos os amigos e
correlitfMuu'i.w d'> ftnabo para que se digne de
com sua presenca concorrer para maior solem-
nidado de semelfiante arto, que tora lugar no con-
vento de N. S. do Carino, as 9 horas da manhaa
do dia 6 de abril corren!.
Recifc 24 de marco de 180'.'.
Bario de Villa Bella.
Baro de Palmares.
Luiz Jos Pereira Standes.
Joo Francisco Teixeira.
Antonio los da Costa Ribeiro.
Dr. Caroliuo Francisco de L. Santo?.
Floriano Correa de Brito.
Innocencio Serfico de Assis Carvalho.
Conego Francisco R. P. de B. Medeiros.
Feliciano Joaquim dos Santos.
Antonio Jo* Silva do Br.is
Janoel Joaquim do Higo ferido do mais |iro-
fundo eutimento pelo passamenlo de sua presada
mai Feliciana de Barros Lins, convida aos sens
amigos e aos de seu pai Jos Joaquim do Reg,
para assistireni a una mi'sa qu |ielo eterno
descaneo de sua alma manda celebrar na segun-
da-feira 3 do correte, as 7 horas da manhaa na
matriz da Boa-Vista. ______________
Convida-se aos parentes e pessoas da amisade
da fallecida Francisca Mara da Concegao, o cari-
doso obsequio de ouvirem as missas que pelo seu
eterno descanco se ho de rezar na matriz da Boa-
vista, sabbado 3 do corrente, das 6 s 9 horas da
manhaa.
Os amigos e collegas do finado Dr. Henrique de
Alencastre Autran, convidam aos seus parentes e
amigos para assistlrem a nma das missas do 7" dia
que por sua alma se ha de celebrar na matriz da
Boa-vista, sabbado 3 do corrente, pelas 8 horas da
manhaa, e pelo que desde j se confessam gratos.
oftifehrt ao^fesa^t Mujfvm
.'sea do Reg Barros, madr'mha de sua mulher,
para assistirem a urna missa, que pretende man-
dar celebrar por alma da mesma, no dia 5 do cor-
rente, s 7 horas da manhaa, no convenio de S.
Francisco.
- 0
Restando anda emittir algumas ac?oes d'esta companhia, da quantia nominal de
OOiJOOO cada urna, das quaes s se aceitam em virtude da le, 20 "/, ou 40^000 por
cada ac?5o ; convida-so pelo presente ao publica en geral q, especialmente aos Srs.
capitalistas e interessados no commercio, que quetram dar emprego seguro aos seus
capitaes, disponiveis, a subscrever o numero de accSes que lites approuver.
Algumas destas aeces j tem sido tomadas por pessoas que conhecem a vantagenv,
de na presente occasiao (conhecidamente a mellior), empregarem o dinheiro de que
poderem dispr em objectos de valor real, como vapores, predios etc., que Ibes garan-
tan! seus capitaes. ,
A companbia possue boje 10 vapores, 6 inteiramente novos, e destes o ultimo est
a ebegar de Inglaterra, onde foi construido expressamente para ella.
Alm disso est edificando vastos armazens, no terreno que possue no largo d'As-
sembla.
Seus dividendos tem sido de 10 '/ ao anno, nos ltimos 4 annos.
As acc5es que se emittirem gozam dos mesmos direitos, e perceber5o o beneficio
dos mesmos dividendos que os antigos em proporeao da entrada.
Recebem-se assignaturas no escriptorio da companhia no seu edificio ao, caes da
Assembla n. i 2
Festa dos Prazeres.
! Na rna da Penlia junto ao sorrador de cou-
ros, preeisa-se de una ama para o servir- exter-
0 D. abbade de S. Rento, faz sciente ao no de urna easa._________
publico, que as festividades religiosas qiM offerece-se urna criada para casa de homem
se celebravam na capella de Nossa Senbora soltero ou de pouca familia : na ra d Santo
dos Prazeres, continamu a fazer-se da mes- Aluaro n. 28.
ma forma em solemnidade, e magnificencia,______
e terao lugar l\ dia 4 d% abril at o dia
10 inclusive, e pede ao mesmo publico,
que por decencia, honestidade e acata-
mento a nossa religio, cesse por urna vez
com os divertimentos profanos que costu-
mava a fazer-se no domingo depois das
festividades.
ESMERALDA
Irmandade do Divino Espirito
Santo do Collegio.
Tendo de dar principio s obras da ca-
pella-mr da igreja, resolveu em urna de
suas sessoes nao pedir no presente anno
esmolas para a festa e procisso do costu-
me, visto como tem nomeado commissoes
para obter esmola para as referidas obras,
tendo todava de apresentar vista dos
liis a solemne procisso a expensas da
mesa e de quem voluntariamente para ella
Pilulas assucaradas de Drislol.
NAO CONTEM NEM CALOMELANOS NEM NENHJI
OL'TRO MINERAL.
A grande necessidade e falta de um ca-
tbartico ou de urna medicina purgativa, ha
quizer concorrer. As commissoes de que muit0 que tem sido sentida, tanto pelo po-
acima fallo, segundo sou informado, tem Vo, como mesmo por meio da faculdade
de ser publicadas petos jornaes dentro em medica; e por isso, infinito o gosto e
pouco tempo, isto allirma,
Um irmo.
Gynnasio eampeslre
Pede-se encarecidamente ao Sr. De Jeovanni
que tenha a bondade de levar scena domingo, 4
de abril,a omito applaudida commedia O Apre-
ciador da Boa Pinga.
0 apreciador do que bom.
de
homem
Ir-
D. Elvira Po Autran e Anna Peres Carapello
Jacomc da Gama, mulher e av do fallecido ba-
charel Henrique de Alencastro Autran, convidam
aos seus parentes e amigos para assistirem una
das missas do stimo dia, na matriz da Boa-Vista,
sabbado 3 do corrente, pelas 7 e meia horas da
manhaa, pelo que desde j lhes flcam agradeci-
das.
Jos Soares de Azevedo, professorde
ltngua e litteratura nacional no gyimftsio
provincial do Recife, tem aberto em sua
casa, ra Relia n. 37, um
CURSO DE LINGUA FBANCEZ V
DE GEOGRAPHTA E HISTORIA
DE PHILOSOPIIIA
DE RHETORICA E POETIC\.
Os estudantes qne pretenderem frequen-
tar qualquer destas discipliuas, podem diri-
gtr-se indicada residencia, de manhaa at
33 40 horas, e de tarde a qualquer hora.
Angelo Bnlho Pereira Chaves participa ao
respeitavel publico, que deixou de ser caiiciro dos
Srs. Porto & Bastos, desde o da 31 de marco pro-
** ximo passado.
Recife, Io de abril de 1869.
Angelo Rotilko Pereira Cltaves.
Candido Goncalves Torres cordialmento agrado-
ce s pessoas que se dignaram acouipanhar ao ce-
miterio publico os restos mortaes de sua mui pre-
sada esjiosa D. Mara de Castro Torres, no dia 29
do passado, "e pelo presente convida as mesmas
pessoas e seus amigos e parentes para assistirem
a missa do 7 dia, que por alma da mesma finada
manda celebrar segunda feira 5 de abril, pelas 7
horas da manhaa, na igreja de Nosso Senlior dos
Afilelos, e desde j significa o seu eterno reco-
nheeimento.
Jos Henrique da Silva, filtn d> fallecido
Joao Henrique da Silva (conhecido por Joao Ceg)
declara pelo presente a lodos os seus amigos c
ronhecdos, que havendo mais de um com igual
nome ao seu, como por vezes j se tem encontrado
acste mesmo jornal oa. pocas differentes, a ponto
le um d'elles j ter subido ao tribunal do jury
Mimo ladrao de cavallos ou estellionato ; e nao
tendo o mesmo a honra de cooliecer estes senho-
res, pede-lhes a bondade, ao menos a um que es-
pera despachos da presidencia, como se v no
Diario A Pernambnco do 1 do corrento no expe-
diente do governo, ir ra estreita do Rosario n.
2, no primero andar (seu escriptorio), e com elle
se entender, pois bastante prazer ter de o conhe-
cer. O annunciante nao muda seu nome por ser
de familia, augmentando smenteGuimarae>:
pelo que muito positivamente declara todos
aquellos para quem merece conlianca, que em
seu ango nome e no que de presente vai usar,
nada deve, e por nada se respousabilsar, bem
como se ha alguma transac?o com alguem que
tenha sido feita por terceiro, nao ufestanlo o mes-
mo annunciante declarar que nao a tem, qneiram
ter a bondade de se dirigirem em seu sitio na
Passagem n. 40, das 4 horas da tarde s 9 da ma-
nhaa, ou na ra estreita do Rosario, das 9 s 3
da urde.
Ama.
Precisa-so de urna ami para casa
solteiro : na ra Direita n. 61. loia de c
Hospital rortagoez de
cenca.
Domingo4 do corrente. as 7 horas da manhaa,
tem a junto (teste hospital deliberado que seja mi-
nistrada a sagrada communho aos enfermos do
mesmo. Pede-se para tao solemnsimo acto a
assistencia dos senhores socios e dos christaos que
atarea acompanhar este acto de caridade e ro-
ligiao.
Secretaria do Hospital Portuguez de Beneficen-
cia 30 de marco de 1869.
J. F. da Costa Soares,
Secretario.
10^000
Perdeu-se do Recife ra do Sebo,, na Boa-
Vista, urna argola com quatro chaves, e urna cha-
ve pequea de relogio : quom acbon, querendo
entregar na ra do Hospicio, casa qOo faz esqui-
na com a ra Forinosa, recebar a gratcaeo
cima, e muito se agradecer. ___________
Criad*.
No collegio da Cpnceicao precisa-se de um cria-
do copeiro.
Precisa-se de urna ama para casa de urna so
pessoa sem filhos, preferindo-se escrava, para
comprar e cozinhar, e mais servicos internos : no
berro do Lobato n. 3.
Louvorcs ao Sr. fiscal da freguezia de S.
Jos, pela judiciosa-medida tomada esta manhaa,
respeito dos moradores da casa n. 62, da ra das
Aguas-Verdes, que pelo portao da mesma casa fa-
zem da rna de Hortas praa, c nella despejam
aguas porcas e ptridas. Rogase ao mesmo Sr.
fiscal de estender suas medidas ao morador da
n esma ra de Hortas n. 31, que con ra as postu-
ras municipaes, despeja todos os dias, e a qual-
quer hora, aguas porcas c ptridas, com grave
detrimento dos transentes e visinhos, levando seu
arrojo em atira-las s casas dos visinhos, cujas
frentes eniporcalliam Espera-se tambero a pre-
cisa medida.
Um risinlio dos CHN.
prazer que sentimos, cm podarmos com
toda a confianca e seguridade, recommendar
as pilulas vegetaes assueareidas de Bristol,
como urna excellente medicina purgativa, a
qual encerra em si todas as partes e mais
ingredientes essenciaes, tornande-se em um
perfeito, seguro e agradavel cathartico de
familia. Este remedio nao composto
dessas drogas ordinariamente usadas na
composicao dessas pululas, que por ahi se
vendem, mas sim, s5o preparadas com as
rhefHetnae*, hervas e plantas,' depois de se
baver chimieamente extrahido e separado,
os principios activos, ou aquellas partes
que contem o verdadeiro vafor medicinal,
daquellas porches fibrosas inertes e agres-
tes inteiramente destituidas da menor virtu
de. Entre esses agentes activos ou ingre-
dientes especficos, podemos nomear a po-
dopkgtiin, a qual segundo a experiencia
tem demonstrado, possue um poder o mais
maravilhoso possivel sobre as regies do
figado, assim como sobre todas as secre-
coes biliosas. Isto de combinaco com o
leptandrin, e mais alguns extractos vege-
taes e drogas altamente valiosas, consti-
tuem e formam urna pilula purgativa, tor-
nando-se por isso muitissimo wperior,
qualquer urna outra medicina da mesma
natureza, que jamis fora apresentado ao
publico. As pilulas vegetaes assucaradas
de Bristol, achar-se-hao sempre um reme-
dio prompto, seguro e eminentemente eD-
caz, para a cura de molestias, taes como
sejam as seguintes.
Moreira Duarte & C. tendo feito urna
completa reforma no seu estabelecmento
de joias da ra do Cabug n. 5, (junto a
loja de cera) acabam de reabr-lo ao res-
peitavel publico, a quem offerecem um es-
plendido sortimento de joias as mais mo-
dernas e primorosas que teem vindo a esta
prapa, e por prepos o mais resumido possi-
vel. Tambem compram ouro, prata e pe-
dras preciossas.
I.5
ii.i do i:\ini;a y:;
Precisa-se de um rapaz de 12 14 annos,
para caixeiro de taberna : na ra do Rangel n.
41, taberna._____________________________
Cozinheiro
Precisa-se de um cozinheiro ou cozinheira : a
tratar aa ra do Imperador n. 73. 2 andar.
Precisa-se de una ama para todo o servico
de casa de pouca familia : ra das Trincheiras
n. 48, 2o andar. ___________
Dyspepsia
gesto,
Adstringencia, ou..
prisio do ventre
habitual,
Azia rro estomago e
flatulencia,
Peda do apetite,.
Estomago sujo
Ama d leite.
Precisa-se de urna ama de leite sem filho : a
tratar no Coracao de Puro n, 2 D, ra do Cabug.
Engommadetra
Na ra do Imperador n. 73, 2- andar, precisa-
se de urna criada para engommar.____________
Criado.
Precisa-se de um criado fiel : na ra do Impe-
rador n. 73, 2o andar.
ou indi- Hydropesia dos mem-
bros ou do corpo,
Affeicoes do figado,
Ictericia,
Hemorrodias,
Man balito, e irregu-
laridades do sexo
femenino,
Dores de cabera.
Em todas as molestias que derivam ?
sua origem da massa do sangue: a salsa
parrilha de Bristol esse melhor de todoi
os purificadores deve ser tomado conjun
lamente com as pilulas, pois que estas
duas medicinas, tendo sido expressamente
preparadas para obrarem de harmona urna
com a outra, quando fielmente assim se faz,
nao nos resta a menor duvida em dizer,
que no maior numero dos casos, podemos
affiancar n3o s um grande alrfo, como
tambem urna cura prompta e radical,_ isto
est bem visto, quando o doente nao se
ache n'um estado muito alm dos recursos
humanos.
INJEGCAO VEGETAL
som MAT1CO
deGRIMAULT e C^ pharmaceutigos m PARS
cesso d'esta injecco, preparada eom as olba do Matlco do Per, foi Uto rpida, qw
ella se tem tonuda popular em todos os paixes do mundo, para cura da |MjUia ai pva-
fdes de toda a Bttureza. V o nico producto oeste genero cuj entrada na Rumii, traba sido j
authorixada pelo conselho medico de Sio Petersburgo.
Deposita em Ptnumbueo, tm ca deMii C.
ANL DE 0110
HIJA
EO
CABUG
Este importante estabelecmento no seu genero, tem sempre um sortimento sem igual, esquina
e vende por prepos que nenhuma outra casa pode vender. da ra lanado!
vista da qualidade e do pre Garante-se ser tudo d'lei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por presos muito ele- Rosario.
vados.
/. A loja est aberta at s 9 horas da noute.

X


MI





Diario de Peruambuco Sexta feira 2 de Abril de 1869.
TR1UMPH0 MEDICA DA S42ENCI
H
Joaquim Jote Gon
palves Beltro ,
*UA DO TRAPICHE N. 17, l. ANDAR.'
Sacca por todos os paquetes sobre oan-
x> do Minho, em Braga, e sobre os segra-
les logares em Portugal:
Lisboa. .
Porto.
Valenca.
Guimares.
Coimbra.
Cbaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
' Vianna do Gastello. JB
Ponte do Lima.
Villa Real.
f?Villa-Nova de Famalicfo.
Lamcgo.
Lagos.
Covilbaa.
Vassal (Valpassos).
Mirandolla.
Reja.
Barcellos.
I
*
*-4-
BARTHOLOMEU 8: C.
9
ijtii,iiivii:
Aos 500 pares de brincos.
Chegou e vende-se no Coracao
d'Ouro, ra do Cabuga, brincos de.
mostnhas com urna franja penden-
te a mu rico desenlio o ouro de
le, peto pequeo pre?o de iJWIOOO
cada pai. baratsimo.
PHL\ HSO INTERNO
PREPARADOS SIMPLES
Xarope de jmbeba garrafa. UOOG
Viuho de jurubeba gafrafa. 1*600
Ptalas de jiirubeba vidro. ^GOO
Tintura de jurubeba vidrb. 640
Extracto hydracoolico de jusubeba. 120500
HI1F.PABADOS COMPOSTOS.
Vinho de jurubeba ferruginoso garrafa. 2*000
Xarope de jurubeba ferruginos'garrafa. 1 600
Pilulas de jurubeba ferruginosa vidro. 2*000
Oleo de jurubeba vidros. 640
..Pomada de jorubeba pote 640|
Emplastro de jurubeba libra. aWiOO
PARA LSO EXTERNO
t 'A JURUBEBA.
Esta planta boje rcconhecida como o mais poderoso inico, como um excel-
lente desobstruente, e como tal applicada nos engorgitamentos do flgado e baco, as
hepatites propriamente ditas, ou ainda complicadas com anazarchas, as inflammacoes
subsecpientes as febres intermitentes ou durezas, nos^bcessos internos, nos tumores es-
pecialmente do tero e abdomen, no tumores' glandulosos, na anazarcha, as hodrope-
zias, erysipellas ; e associada as preparaces ferruginosas, ainda de gran
m
a
3
Km lempos modernos nenbum descubri-
Bento operpu maior corar anteriormente em voga do que o
PEITOKVL DE AMUEITA
TANTO NO TRATAMENTO DA
tosse, cropo,
,1* astuma, thisica,
rol'quido, resfmamentos.
bronciiites,
tosse convulsa,
doies de pkito,
EXPl CIRACO DE SANT.UE.
Como om toda a grande sede de onfcrmi-
dadesda galuanta, do peitoc dos orcaos
abeshiiacao, que tanto atormentara e fw
zemsoll'rera humanidade. A mneiraan-
tiga le curar consWtia fteralmontena appli-
cacao de vesicatorios, sangrias.sarjarou ap-
plicarextoriormente ungentos l'ortissimos
compostos de sulistaucias vesioaittes, alm*
deproduzir-empolhas; rojos djOTenteamo-
dos de curar, nao faziam seno enflaque-
cer o diminuir as forras do pobre doente,
eontribuindo poresta forma (Tuina maneira j jg
me fcil e mi para a enfen.daab; a des-1 A pes?l}a qtH. ,. ,,,,. Jel de sec- '"ais repugnantes a iragarem-se, e que tinham ainda a desvantagem de nao
truicao inevitavel de sua victima Quem dif-'cose moldado Seise cana ne>tartjj)ograpbja em ser calculada a dose conveniente a applicar-se, o que torna mudas vezes improbcuo um
ferenta- poiso ell'e.ito admiravoldo
PEIT01UL DE ANACAIIUITA !
EM VEZ"DE IRRITAR, MOHTinCAR E CAUSAS
INAUDITOS SOFFIilMKNTOS AO DOENTE,
CALMA, MtlFICA E SUAVIZA ADOR.
ALLIVIA A MHttACO
BESanOLVE O KNTENDIMSNTO,
fokutca o copeo
6 faz com que o systema
grande vantagem
as anemias, chloroses, faltas de ienstruacao, leucorrheias, desarranjos atnicos do
estomago ^J^J^^^* .^.f^' etc- JT ... ns hcommodo, to fatal neste paiz. Com maior consideraco contino a ser de W. S..
O quedizemos alnrmam os mais distinctos mdicos desta cidade, entre os ......... _.__'__.,__" .^l/T._____
pjae* podemos citar os Illms. Srs. Dr. Silva Ramos, Aquino Fonseca, Sarment, Seve,
Do xarope Vegeta! Americano, especlalidadede itartholoitncu c& O
34-RUA LARGA DO R0SAR10^34
N5o cosUrmamos procurar attestados para acreditar nossos repaiados, e dei-
xamos que sua appliea?ao e os resoltados obtidos pelas pesoas que se dignaran aceeita-
los, Ibes deeft crdito e-voga; porque s3o sempre os attestados considerados gratuitos,
e delles que lauca mo o charlatanismo; mas, nao querendo offender as pessoas qu
espontneamente nos oflereceram os que abaixo vo traHScriptos, os fazemos publicar,
manifestando-lhes nossa gratidao pela attenc5o, esperando que venbam elles corrobora!
o concedo, e acceitaco que tem merecido nosso xarope.
Dartholomeu & 67.
ATTESTADOS
Illms. Srs. Rartholomeu & C com a mais subida satisfacao que declaro
ser o xarope Americano de urna efficacia extraordinaria, pois que sofireudo Jia dias de
intensa tosse, ponto de nao poder dormir a noite a despeito mesmo de me'dicamentof
que tomava, a elle recorr e na terceira colher fui allrviado, e de todo me aelio boje res-
tabelecido cora o uso somente de quasimeio frasco: grato, pois,' esse resultado mani-
fest a V?. 9s. meu reconliecimcnto^-De Vv. Ss. amigo, venerador c obligado.Ma-
noel Antonio Viegas Jnior.
Sua casa 20 de abril de 1868. v
Illms. Srs. Rartholomeu & CPenhoradissimo com o favor que me Czeram
de aconselhar o uso do xarope Vegetal Americano, de sua composigo, quando me acba
va bastante doentc de urna constipado, que me tornou completamente rouco e que
trouxe urna forte tosse, e me impossibilitou de cumprir os meus deveres de cantor di
empreza lyrica,.vou agradecer-Ibes meu completo restabelecimento, que oLlive com um
s vidro do mesmo xarope, depois de haver recorrido a inuitos tratamenlos. Desejarei
que outros como eu recorram ao seu xarope para se verem alliviados de to teirei
Pereiravdo Carmo, Firmo Xavier, Silva etc. Todos elles reconhecem a excedencia d'este
poderoso medicamento sobre os demais at hoje conhecidos para todos.os casos citados,
tanto|que todos os dias fazem d'elle applicacao.
Apresentando aqs mdicos e ao publico em geral diversos preparados da juru-
!beba, tivemos por im generalisar mais o uso d'este vegetal, fawtdo desapparecer a
g?.|^ j repugnancia que at boje sentiam os doentes de usar dos preparados empricos d"olle, e
at o ultimo vsstigio la efermidade. aielliores votos em medicina da Europa (os
Lentes dos Cotlegios dg Medicina de Berlim)
tsti!ii'am serem exarlas e venladeras estof
relaces analgicas, oualm disso'a experi-
encia de militares de pessoas da America
Hespanhola, as quaes forain curadas coni
este maravillioso reineilio, sao mais que
suflicientes para sustentarem a opinio do
PEITORAL DE ANACAIILITA !
Deve-se notar que este remedio se acb
iuteiramente izento de venenos, tanto mii%
as iuieiees v p, inilirar.do (|uaes,;if pesjswn que medicamento, que poderia produzir ptimos resultados.
poicm informar a seu recito.____________ qs nossos preparados s foram apresentados depojs de havermos conveniente-
nrMnnt nT" O F" 11 men,e estudado a jurubeba, fazendo as experiencias precisaPpara bem couhecer as pro-
I p X fl PHfl Kt La 11 priedades medicamentosas desta planta em suas rai/.es. folbas, fructas ou bagas, e a
ULiwni nlluUbU | cjose conveniente a applicacao, tendo alm d'isto procurado levar os nossos preparados
Tem-M> mandado da ra estreita do Rosario i ao maior grao de perfeico possivel, para o que nao poupamos esforcos, nao nosim-
ijura o lugar Peres da iv^mm de :^f**.''! portando o pouco lucro qdc possamos tirar.
^*lZ^.*?^^!!^J!S? Por tanto os que so'dignarem recorrer aos nossos preparados podem lera
certeza de que elles olTerecem a garanta, de que se pode encontrar, a prompta e inl'alli-
velcura de qualquer dos soffrimentos.que deixamos innumerades, se forem em tempo
applicados, tendo alera d*sso, medico eu.doente a vantagem deescollier as nossas va-
riadas preparaces, aquella que melhor flie pode convir, j pela fcil applira$ao, e ja pela
complicarn das molestias, idade, sexo, ou ainda natureza de cada individuo.
As nossas preparaces ferruginosas sao feitas de forma que se tornara comple-
tamente soluveis nos suecosgstricos, porque procuramos oscompostos de ferro que
como tas estao boje recouhecidos.
Para aqoelles qtfe mais minuciosamente queiram conhecer as propriedades da
de mobilia, c. juulaiuenle alyuus joruaes e livros,
por nina carroca que eonduz assuear do enge-
naiiibuco e lio Jornal do Recite, completa, do
anno de 1868, e diversas collecrSes dos meamos
jomaos nao completas do anno de ISGfi e 07 ; as-
Oriente
sim como una grande poreao do jornal
raes, como vegetaes, em quanto que porem!
alguns d'estes ltimos, e particularmenjil
aquellos que sae dados*ob a forma de Opio
e Acido livtlrociaim-o, formara a base da
maior parte dos Xaropes, comosFquaes to
facilmonte se engaita a wdulidade do pu-
blico. A Corap isico de Anacahuita Peto-
ral aeba-se linda e swiosamente engarrafada
em frascos .d medida de cerca de ineio
quartillio cada um, e cuino a dose que te lo-
ma s diiina i'ottor pequea ;J>esla ge-
ralmeutc a applicaeao duin ou dmu Irascos
para a elfectuaeai > de qualquer cura.
A C, M. A, Barbosa. Bsrtholomeu 4 C, e
em todas as piincipaes -bolicas e lojas de
dragas-
i; Mercantil de 1866/67 6R : roga-se o favor,
a quem comprou, pTOViVelmente [iara enibmlho.
ii^ue se digne entregar na roa de Santa Tlieraza n.
14, ou annunoiar jur este jornal, pois que. aleni
de"
za .
Alvaro Uena Cavajranti tem e-cripto- ff|
rio de ndvoran fi raa da camboa do S:
Carino n. 8. i" andar, onde pode ser pro- ]M
curado naf* WtuistcMs de >ua piolissio fg
iAear-aeaanfVMA, tingar todas as despe- jurubeba, e saberem a applicacao de nossos'proparados, destribuimos gratuitamente
TV"T''^aT-UUbe^Jl ^'l1!!^.^ iem nosa> dePOSit0 ^ncto, onde tratamos mais e
extensamente d'esta planta e dos
mesmos preparados.
Deposito geral de todos os preparados
Hotfien e drogara
34Rnalanra do Rosario3i.
?#. Fer reir V i I lela.
Photographo da casa imperial
premiado em diversasexposi-
^5es.
Na sua pliotograpliia ra do t'.abug n.
ljmi,nt|7 ticapclra^L
iystemas pnoto Em-vidro
Em papel
abaixo signado professor jubilado da ca-
deira de ge< praphi.i c historia do ex-hreu dest
cidade. lutonsaflbpela diiectnria geral da nsirue-
eo publiea, contina a encinar primeiras leiiras,j
laiiin, l'iai ;, ilietorica e, geographia. Recebe
alumnos internos, externos e meio-pen-ionistas,
para o que (em as accommodacoes precisas os trw^iTatar.
ailare- do pn-dio n. 23 ato ra Nova, para
onde >e mudou.
Affinuo Jos ile Ot'neira.
Cura radical das her-
nias.
Garantida na maior arte dos casos por
meio de um traiameuto simples, /acil a se-
guir, tanto para as ..'enancas cmo fiara
adultos e ntulheres ssm operaco, seno die-
ta participar, poilendo o doen'e continuar
em seus trabajaos sera encomraodo,
So Rio de Janeiro
16TRAVFSSA DK S. FRANCISCO DE PAULA16
Consultorio do Dr. Gassier.
Mais de .'100 attestados dados por doen-
teaeurados e conhecidos, nao deixam duvi-
da senhuma sobre a eliieacidade deste cura-
tivf
Pira mais iniormacees. na ra do Impe-
raior n. 32, das oito s nove horas da
manlia. ,., _.
______________________________________________________________________i
Atteimio
Prccisa-se de um peijueno livreou escravo para
aarvico interno externo d nma casa de pequea
familia : a tratar un ra do Imperador n. i% ta-
" I >erna do Campo*.
,
os por lodo* os s
Em porcelana
Em t;ico
CART ES DE VISITA A 9 j ADLZIA.
Os retratos carU-de-risite sao collados
tu cartao de litio bi stal ou porcelana,
lourados ou litliographados. quadiilon^os
>u vinheias para oque existe urna varieda-
le de 12 modelos a esto!ha de quem se re-
Para as outraa.especies de retratos
emos caixinhas, passe-par-touis, quadros
3
DOENGAS DO PEITO
XAROPE o'HYPOPHOSPHITO OE CAL
GRIAMULTe Ca PHARMAOtlTJCOSXM PARS ll.^
A efliacia d'esiprparacSosiesubetecidadesdf S57, pelos mais celebremedicot. Desde
entio muita imilaedes tem sido feitas, mas nenhuma poude sustentar comparacSo com o
producto apre-sentado pela nossa caza. Por sao excitamos o publico para que exiga sempre
este xarope com nma bella cor de rosa, nunca branca, e com a noasa assignaiura i roda do
frasco.
----^w^-ja^^-fr-. .. ^. ....- 1ini.lr._._J ,.^..n e u ^04.,,^
mente a saude. 0 seu emprego di uonbom os mais brilbames resultdos nos i
rlios, bronchites, -irritaves do peilo. etc.
lile volve rnp
i dafluxos ol
Deposito em Pervambuco. em casa de Matue* e O*.
Frederico Maia
Cirurgio deatista pela escola
de uicdiefua
de icio de faueiro.
Tem a honra de participar ao respeitavcl publi-
lesta capital e seus suburbios, tute tem aberto o
molduras dourada* epretas cassoletas de j^u gabinete de consulta? o operacos dentarias a
mro e alfinetes simples e com pedras pre-
msas, havendo nos aBnetes una mimosa
ai iedade de feitfos.
A 0 nosso estabelccimento pliotograpbico
st sempre em da com os melhorainentos
! progressos que na America do Norte, na
uropa ou no Rio de Janeiro seconsegue
ia arte photographica, e para alcancannos
al fim nunca poupamos despezas nem sa-
rificios, de softe que os nossos numerosos
reguezes podem tr a certeza de que sem-
jre encontrarlo em nosso estabelecimento
udo quanto a arte e a moda olTerecer de
>ora no novo e velho mundo aos amantes
ia pbotograpliia.
GRANDE HOTEL
IOBMTI.
Iuatigurou-se este commodo o elegante
D.reita n. it, pruneiro andar, onde pode ser estabelecimi'ntn- donde os seus frenuenta-
;uradu todos os diaa das 8 turas da mar.t.a as ^"t-'t-unitnio u onuc os seus irtquenia-
doies poderao apreciar a especiahdade na
atiento, venerador e obrigado.Luiz Creraona.
Recife, 2o de setembro de 1868.
Illms. Srs. Bartholomeu d- C.O xarope Vegetal Americano que Vv. Ss. teem
exposto venda de toda eDcacta para o curativo d'asthma, conforme obst rvei ppli-
caiido-o a meu liibo Joaquim, menor de quatro annos; victima d'esse flagello, que ala
ento por espaco excedente a dous annos havia resistido a outros xaropes de grande
nomeada. Queiram, pois, Vv. Ss. acceitar a expresso altamente sincera de meu reco-
nhecimento ao meritorio servico quelhe prestaram =com o indicado aarope. acreditan-
do-me pai-a .sempre deVv. Ss. criado, aliento e obrigado.Americo Nette de Mendonya.
Recife, 2 deoutubro de 18(!8.
DE
DE
J. VIGNES
:
N.uoRUA-DO 1MPEIUD0RN. 5a.
Os pianos di sta anliga fabrica sao hoje assz conhecidos para sejn necessaric
insistir sobre sua superior idade, vantagens e garantas que offerecem aos compradons
qualidades estas incontestaveis, que elles tem deinitivamente conquistado sub.'c todoi
os que tem apparecido nesfs> praca; possuindo um teclado e madiinismo ru obedecen
. todas as vontades e caprichos das pianistas, sem nmica falhar, por seren fabiicados
de proposito e ter-se feito ltimamente melboramentos importautissimos para o clim
deste paiz; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas e por isso muito agiadaveis aoa
ouvidos dos api-eciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesla fabrica como na do Sr. Bien-
del, de Pars, socio correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre prsaija-
dos em todas as exposicoes.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um explendido e variado soib-
ment de msicas dos melhores autores da Europa.. asaim cuino baimoiuxos e piaiM
harmnicos, sendo tudo vendido por precos coinmodos e rasaveig.
Rl'A URG BO ROSARIO 137
Este acreditado estabelecimento augmenta
d-dia eju dia quanto possivel para .dio
gar ao ame n ueni vuei.
Alm dos saborosos manjares confeccio-
nados, cora o melhor asseio. tem bellos apo-
sentos de hospedagem, lauto para urna s
liessoa, como para numerosa familia.
A agua, indispensavel elemento para a
CARLTERiA E PETtT ESTAIMST
Annexos ao Hoiel Central, ra estreita do
Rosario n. A, "andar terreo.
Para dar a couhecer a variedade nfimla
de charutos de> Havana. Baha. Rio, etc. que
existem neste novo estabelecimento pres-
cindimos dos annuncios pomposos que ge-
ralmente se fazem, reduzindo-nos apenas a
Ircs letras que sao tres bbb bom, bonito
(i llr. Cosmo de S l'ereira uiud.01 sua residen:
;a para a ra do Imperador n. 2-2, Io e *> anda
ra
proc
J datarde. Elle acha-se competentemente habili-
lado para com-perfeico enllocar denles arliliciaes
por nliar (uainuer oulro trabalho eoncernente taia
pi'ollssau. mesmo, rccoidiecendo que Deaiseni-
prep,>ssivcIsseiihoras ou enancas sahirem a
precu.aro remedio, olTerece-se a remover qual-
quer obstculo, declarando que na cidade se pres-
tar a qualquer chamado sem que issoiiiflua eousa
alguma na commodidade dos procos de seus traba-
Ihos, e quando para fora della assim mesmo ser
precedido de um ajuste rasnavel, garantindo elle a
segurani;ae perfeico de seus ditos traba!los. Em
seu gabinete se encontrar constantemente excel-
leutops dentifricio, elixir o outros medicamen-
tos odontalgicos : ra Direita n. 12, primeiro
indar. "___________
CUBA DOOI3M
PELA
Pomada galoupean.
Deposito especial
Pharmacia de Bartholomeo 4 C.
34-^-Roa larga do Rosario-----34.
tSlRAUAM; IERRO
Eecife ao S. Francisco.
Pelo presen'. se faz pdblte que a eompanhia
nao responsavet nos feustransportes.pelo eSno-
to os lquidos, e ime peder recu>ar despacb^
oe que esiiverem acondicionados em inviduoNis
am man estado. Em todo o caso o transporte de
epelhante.- substancias s se far conforaw os
artigos do regulanwnto, abaixo transcripto :
.J^rt. 63. A adulimislraeio nao p-sponde pelas
avarias inherentes t nature/.a das inercadorias.
taee como a deterioraeo de fructas, etc., diminui-
<"5S ordinaria de pesoVrombusto espontanea, ef-
Itrfesceucia, evaporado ou e.-goto de lquidos
ele. .Nao e respousavel igualmente por avarias
loutia naliiP'.-a. desde (Re na < fotvm authentl-
pelgWliei'e a e||ac..o, aSt. s d.M'ntrega dos
ifectos, a nao l#ttve not iiwnlueri estrago co-
etiacido. precdeme de neglfpn'ncia de seus em-
prtgados.
Irt 78. s Ajeets qw thh se aeharem fuM-
cientemenU'. acnndirionada- e que nao tiverati nfrf
^ere^n ou marca intelligivcl. podem ser reeusa-
ou transportados M>m responsabilidade da
uuaiibia, tomi+M esta datwacrf*! respec-
tVilla do Cabo, 31 de marco de 1861
. G. O. Ma%, snperintende
^ RK M ----- .- i
;
Comida para fra
na estreita do Rosario, sobrado de am an-
. 35, continua-se a preparar almoeo e jan-
#m ama casa le familia, e manda-se levar,
" com promptidlo e asseio.
res, onde contina no exercic.i.i de sua prolissao
medica, pai a o que. podo sui'-procurado a qu.il-
quer hora do dia ou da noite, m <"> graves.
Tolos os dias da a* 9 tova* da intnhaa. maos
aos ..-duioiiig"*, itar eoitsulias tnSMintaineAe a
qnalrrawpessoa.Torfn qtiaiiuer ponto dr sua ro-
flarao, e com eapecial yidaile sobre-niole-tiaj de
olho-, do peit", e dos ur^m* aenito orinarlos ; e
quando o caso lor cirurgiro, pratiear as opera-
J6es qae jnljrar conveniente para o restahelaci-
lueut'.doseu-cliente.___________________
Vinho degefetivo de
.ehassaing
^*mmm(gpkWt*mmmrr
' W5P3INA E 1HASTAEX.
Remedio por escellencia para cura certa
Jas digestes difficeis e completas, a calma i
""Sudores .gastralgjcas, e reparar as Coi ea>
jWriuziao ums-assimularao completa d'osl^ 1. dar.
daentos; sendo maisjum eMgMi'iile tenioo.
VEMIIE-9E
IARMACIA E DROGARA

Bartholomeu C
_8iRA LARGA SO RQSAIUO-3't
Cosinheiro
Preca-se de um cozinheiro : cor cana de Tasso
Irmos, ra lo Amorim n. 57.
confecc5o dos gneros alimenticios.
As bebidas sao as mais primorosas o re-
eommendadas.
A decencia e bom servico primara n'esta
casa no bello gosto oriental.
Mandam-se domicilio coraedorias, tanto
avulso, como por'assignaiura mensa!. Os
pregos sao mdicos e convencionaes.
Ha urna espacosa e bonita sala para o
elegante jogo de bilhar.
Ua tambera aposentos commmodos e bem
mobilhados para hospedagem.
Ra larga do Rosario
n. 44.
Attenco
Manoel Augusto de Menezes Costa, pro-
fessor de mtisica. contina a dar licoes de
sua arte, tanto vocal como instrumentar.
kem casa particular ou em algum coftegio;
assim1 como tem aberto urna anla na casa
de sua residencia na ra da Palma n. 53.
Pajia.Mainanguapeest carga na e-cadinha
para o pono cima a barraca Angelicn de Lima.
de iotacao de 4:000 arrobas, a qnal seguir via-
em at o tbn da semana; os seihores carrega-
wes.podwn dirigir-so aomeatre da mesuia, Uau-
lino Luiz dos Passos, no mesmo lugar.
g ANTONIO EPAMIKOJDAS DE
Pj MELLO tem o seu escriptorio de
advogaJo ra do Queango n. 8,
Pede-se ao 8r. Manon! da Gasta l'ereira, plati-
cante da reparticao das obras publicas ora em
laboatao, qne coinpareca ra Augusta sobrado
n. 102, atim de saldar o* seu debito ou pagar o
que poder e istocom brevidade.
Funclico da Aurora.
Neste vasto estabeleolreente siempre se encontra
um completo sortimento de taixas de ferro batido
e fundido, fabricadas reeentemente, e se fanrieam
de qualquer molde a vontade dos compradores, e
recos razpoavels.
8e tbr bom.
Pagar-se-ha bem um raoleque que se pretende
alnpar : na ra larga do IVisario n. 44,1 andar.
f-.Eftiesfla >de flEODR- ClittlSTI-
ANSEN, ra da Cruz n. 18, encontram-se
ludas as pialidadcs de> vinitu
Bordfiaux. Buurtogne e do Rheno.
vida e hygiene, temo-la sempre em abun- barato. A' vista do genero anmmciado
dancia para facilitar excelentes hanhos. |de-se julgar de nossa veracidade. Estacas
Ha tambem urna boa bibliotheca e perio-'gosa tambera das condicoes de um elegante
dicos nacionaes e estrangeiro's, piano para e pett restauran! onde se pode ver a es-
recreio, billiarcs, etc. etc. peciaiidade dos fiambres e salames de Lioa
Sendo ociosa qualquer recommendaco para lanches e at fazer urna boa colaco,
para tao acreditado estabelceimento, oniit- juntamente com os piincipaes vinhos do
timos mais prembulos, fazendo ver por mercado, sobresabindo entre o bf-m a pra a
lim, que o bom servico, ordem e moralda- e fervente champagne, o mui saboroso Rbe-
de imperam n'esta casa, como .observancia, no, a primorosa cerveja, o lio>r espiriluo .
fiel do regulamento que possue. o quanto pede unta mesa. Faz-se no...*
Comedorias a la caite. somete e variedade de refresros.
Tendo montado urna completa olliciria paua coxcero e aflnacAo ni: n\N03 ;
tendo contratado para o mesmo fim o experimentado conlra-mestre Sr. A. Rastoi. i
chegado da Europa pelo ultimo paquete,tem a honra de recotniicndar este sei*,e$tabetf.
cimento s Exinas. familias Pernambucanas, cometiendo promptidlo e perfeico mi
trabalho.
RuaFormosan. 14 HH

- Precjaau de moa criada futra uue coinnre,
para o -er\io de patfuena familia : na raa Direi-
ta n 79, Candar.
Precisa s de um menino dos ltimos ctae-
eadp* do Porto ^,no pateo da Ribeira n. 13, ta-
erna.
Prefisa-se"lugar ama-wM-wa flttf saina eo
zinhar Sem e fazer compra^ : no Correaor do Ois-
poftM. _L_J
rtests prsw/twna, sefwosinaritnnej.
tavios e eus carregamentos e contra Tog
jm edificios, meTOtta/ier sjr mskt^i ^aa
oa do Vigario n. %, pavimento terreo.
Caixeiro
~Na secretarla da santa cas de mfcaclcordia
lo Becife precisa-se fallar ao Sr. Jeae de Gdasans
HsJbDuarte.
Precisa-se de um menino para caixeiro de ta-
berna, prefere>se do- ltimos chegados : na ra
Augusta n. 78.
luu ama para comprar e co-
r para urna pasaua
rio a. i, 2* andar.
oa ra etiwia do Rosa-
MABITIMOS
Pa^a-se beiiL
'^".Precisa-se deapia ama forra'ou captiva, de
meta idade, que atninhe bem, para icast do pouca
ramilia : trata-seMu ra da C*dea ik> Itecifc n.
i.i), i* andar.
Sluga-sa um sitio na estrada do uosarinho
con boa casa e ipie, duas baixas para eapini : quem pretender
alngar dirija-se praca da Boa-vista, batir n. (t

DO
sendo as Immediac
das estacoesdos cami
AVISO
Na'p
de tres tr,
*
idllarrconi o abaixo res"iwssagoiius u^> i^nw.! u"
j da ruado tanga s-pfw,^ aa^fnauiliieiixdu-i^r-w a"rwub i'kr a m- cfipiraraa.iSJiitc4:>3enhoree hosi^tnlioes, por quem tambem esta asa bastanjfM-
tetreiro andar, qu ahi orScbarT ou com^quejal^ntada*
Ain?a-se
Gultliei me "Augusto-Rodrigues Sptte deixa de
\er pn>curador bastante de Jordao Josa I
r*|d*e n Li^oa, sea*i aWWad.) v
*- absencia"j5elo Sr. Joaquim Antonio ...
*um s^k^W^teD^^y^agckiu^ui-
A Companbia l.Mderanisadj>ra,eslabelecind{ser procurador bastante de iorio7os Fragos* craT"BWsa*regulariuradt: os.pr##os niuito rasoaveis eao alcance tambem d'a
r#atente en 'Lisboa, seado saSsOMido .danmte, ^.^m ^ aminncutar. U -
^bnete doleilura cora os jwncinaesjornies dos dous paizes, salao de reo
A (Kfsoa que deseja. fall
Situado em um dea bairros mais cen rae> de Pars, s
piincipaes theatros e outros raudos divertiinentos. e assim i
ferro para todos os pontos da Europa, acabado de ser iuteiramente renovado,
tendo pompado o seu now proprietario a despezas para seu completo embellesai
aeeio, torna-se portanto >aut;ijosamonterecominenda>el aos senhores brasileiros
tuguezes, a onde encontraraVsempre aqnella convivencia desejioa en| pnis es
me ser e^etentemente frequentado por seus compatriotas. Orateqlslfl Asa
todo o elogioi mesa redonda, ou a carta, ou servida.nos apozante*,- JabAapes
nientemente-tiespostas para familias, e quartos para ama so pessoa, o servico
j etc. Totlas esUss Mitupis podem .ser applicadas igualmente a^
res^passageiros da^s lepublicas do Brala, porqueaJm da-semelhantaiflalinglii
ymM-tto Mfi 'Mendonrn Vi**m.
Urna ama de meia idade para comprar e eniinhar Enqenho.
para "marasade pouca familia, prefere-se sera- Arrenda-se n engenh Gongacary, M freguozia
ou annunne^ie pura torpn+mmt.i excelfent sobrado de enday bons sitios de la-
i'recis-e de aan i|Brjsiil"f"1<"a JM? VI':"1'TO cafal^r"nniiuia,'' .tftrrpiij casa debeauem aoMeiro, nT rrg>,,,m^lt1. sedreiras e w%m d 4uoim.ar cal: oa preUaoVa-
Cronta da igreia, aaeioade doliad, tabeTn: a te dja>m-e a Joa d> toyaratrU n. 8, \vrim\so
tratar os nesna oa as roa do toperador a. iW. andar.
+

o\
INJECTl'ON BRO
l,lBfaiMr( tiiii i Mi, MMlutiuiwnii/ *u. #. ^ .nttt temui*hua. *uui. .
r
i

*ttrzftZ?


Diario de Pefnaifcbco Sexta feira 2 de Abril de 1S69.
A
r ,
)
1 b* CEiMA
NOY EXPLEMIDO SORTIMENTO
Agua-florida'de Gui
lain
c*o I
'5-
Tintura rridelevel para tingir os cabellos,
- 'iu manchar a pello.
A hem conceituada agua-florida deUnis-
lain qno ento era des ;onhecida em Per-
nambueo, j boje estimada o procurada
por Mu Cficaz resultado, e anda mais se-
r, quamlo a noticia de sen bomeleito ( a
experiencia a tornar de todos couhecida.
A agua-florida de Guislain composta ni-
camente de vegetaes inoflensivos, tem a
propriedade extraordinaria de dar a cor pri-
mitiva tos cabellos, qoandoesliverem ban-
cos, e Ibes restituir o brilho perdido, e is-
sira como preservar de embranqoetet, som
ser prejudicial de modo algum
E* porm necoaoaria fczer ennhecer, que
obom resultado produzido pela agua-flori-
da, o instantneo, como militas pes-
soas tu I vez siipponham, miissim ser p-e-
iso hzer uso (Pella, trez ou quatro vezes,
dogo se obterolim desojado, comofcrm
plWaM hsteraunhos de peaas kimispi-
tas, e d'ento por diante, basta usa-la duas
vezes por mez, contando sempre com o Ixun
titilo, podundo a experiencia ser tedia em
outra qnalqucr cousa.
Assim pnisesta agua-florida aclia-se ven-
da m bem mohecida loja d'Aguia Brancs
ra do (Jtieiniadon. 8,
A Aguia Branca, contando COO) a prote>
cb de sea boa fregueta, tuibem catrtcaa
'.'mnaolh'a desmerecer, procurando sem-
pre corresponder a idea favorave! ooni q w
a bonram, c em prova ao que tica dito, l
ionio exemplo o expandido sortimento
que acaba de rexober, anda mesmo ach.in-
do-se bellamente prvida do que de fccm
e melhor se pode desrjar nos gneros- qie
sao de sua competencia.
Haja vista aos necessarios livrosdemissa
e oraco, obras de apurado gosto e perfei-
i;ao, sendo: com arpas de madreperola e
tocantes quadros em alto relevo.
bitos com ditas de marfim igualmente
bonitos.
outros mi-
Ditos com ditas dd velludo,
tando ebarao machetado.
Ditos com ditas de marrsquim com cruz
e guarnico, dourada ou plateada.
Coras e tercos de cornalina.
Assim corno.
Grande e bello sortimento de leques
todos de madreperola, madreperola e seda,
sndalo, sndalo e seda, osso, osso e' seda,
e faia'ctc. etc. tendo nos de sndalo alguns
com 4 vistas, o outros japonex.es enfeitados
de flores.
Jss Vital ile NegreiroSfc.com loja
e oficina lo oiirrves, i roa do Im-
perador n. k), vende,troca* con-
ce- ta toda e quai<|uer obra d*i ouro
ou prata, .por precQ rauito mais..
barato do4fuenudulra parte, pa-
ra o que tem sempre completo
sortimento de joias de esmerado-
gosto e feitios, assim como, tem
bons artistas para desempenbar
todo-e qualquer concert ou encom-
menda, no prazo o menor possivel.
e a contento, como do seu cos-
tume, o que ludo faz por pregos
muito commodos.
lAHHHI
Deseja-se fallar com o Sr. Manoel de
Moura Pacheco, a negocio de seu interesse
na ra da Cadeia n. 51, loj*.
CASA DA FORTUNA
Aos 4:Q0fi$
Bilhetes garautidfli.
COMPRAS.
* Com muit < maior vantagem
Compra o Corarn de Ouro, n. 2 D, na do Cabu-
A ra oo Crespo n. II e casas do eoslunie Ji, nioedas de miro e prata podras preciosas.
Wl|fn-se a vwd* otofeliises bUlictes garami- f\ ,
(Juro e prata
em moeda e em obras [mitin! adas, compra-se por
boni preeo ^na praca da Independencia n. 82.
Na praca da Independencia n.33, loja dcou-
rives, compra-seoqro,piala. 3 podras preciosas, e
tambem se fa* qualquer obn de enconiinoiid., o.
'ojo_e_qnalqirw- concert. _
O mu)de jolas"
Na roa do Cabugi n. i compivi-se onro, prata
e pedras preciosas |r presos uuis vaniajosos do
que em outra qualquer parle. ^T
Gompra-se
hoje libras esterlinas, onro o prata de toda? as
!' na<;5es o por maior pri'i'o do que em outra parte
Di- nrua da Cadeia dn Kei-ifen. "iH, lojs
-Jos da parte da lotera a lieneticio da ireja
deKossa SenhondMoiited* Oiinda (tOOi que
*e extrahii sabbado 3 do nn vmdouro.
l'rei-os.
Diliete.....43000
Meio.....2*000
Quarto.....1*000
Emporcad de 100* para cima.
Buhte.....3*500
Meio......i*750
Quarto......875
Mauoel AlavtniB Fiua.
IVIORNA
Precisa-so do urna ama para o servieo de
urna casa de pequea Jamilia : na Soledade, ra
de Joan Fernandos Vieira n. 22. ___________
Aluga-se o 2- andar- do sobrado da rua da
Madre de Dos n. 30. com xccllontcs comniyd^s
para familia e bastanto lintpu ; ijuem <|iiizcr ver
pode pedir a chave na !<>ja do mesmo, larmazem
de gneros) e all dir com qaem trata-se.
Ama
nliar para rasa de homeni soUeiro
na rua da
Bonit;is voltas graades de aljofares aiues. !.tMeta o Rcctfe n. 33, arfflatem do motbaftw.
Yoltas de crrente de borracha. /L.1. ~
Meias de seda para meninas e senhoras. | AtiLCIlCSlO
Na citfadc dev Santarein, provincia do
Sr. Antonio Francisco Duarte e s Muximianrt Francisco Duarte, vcnhiu nu*
reitaj: S3. luja do Braga & C
Aluga-se ulna eserava para todp e qualquer
semen : a tratar na na do Qneioiadn n. I.
Freeisa-se
Na fabrica lj sabao, no Afogado, de trabalhado-
res livres ou escravos, paga-sc licm : a tratar na
mesma ou na rua do Aun rim o. 4:t. arnuuem.
\
_'ll
Vemle-se urna e-crava de muito boa conducta,
cooi todas a* habilidades, pms cozinha, lava, cn-
l'recisa-se. do una amajiara comprar e cojst- omina, lat lab>i-jjjUi-i, cose bni|lar ele de Vi
aunas, pouco mais oti menos, sein vicios nem
achaques de molestia,'por 1:300*"; T tratar cm
S;into Antonio, riit dos Expstos n 20.
Dlas de fio de Escocia abertas,
para meninas e senhoras.
tambem
alvas, e
e seda
Ditas muito linas d'algodo,
cruas para meninas e senhoras.
Luvas de fio d'Escocia, torzal,
para meninas e senhoras.
Meias de la para homens, mulheres c
meninos.
(Jollinbas c punlios bordados obra de
muito gosto.
Entre-meios finos tapados e transparen-
tes com delicados bordados, e propriosjj
para enliar fita.
E OS PRODIGIOSOS
Par;., desrja-se saber otutewskfe Ffimcisco I
Jos de Abueida, subtlito portuguez, (Hie
nogociou por moitos annos na cidade do i
Recife, para negocios de mteresse domes-'
Wo aiiiiuuciado, Revendo este ser logo que!
esto chegue ao seu conhecimeoto, ou da i
pssoa que o nept-esentar, estando ausente,
dirgir-se para esta cidade a Gtlherme Ao-|
ionio IIll e Joao Vctor toncalves Campoti..,
Cidade de SanUirem, H de mareo ttet
69._________________
AlglT-sejurlO*'7n"en dar da isa da rua do Apolb) n. 43, do lado do;
mar : tnrmr defmnte i* rnoo da Lincnela n. W
serondo andar, com Manoel Antonio dos Santos
Funtes.
Aunis e collares Royer para cranlas.
Bonitos cabases ou bolsiubas de pelica
Lindas cestinhas bordadas a froco, e lisas. \
Delicadas caixinhas de video enfeiladas uv
com pedras, aljofares, etc. fugio do engenho ir Ditas de tartaruga para joias. de Gj"anii3, de proptiedade do major Sim-'
Bonitod albans com msica. plcio lavares de Mello, no din 22 do cor:j
l'inseis ou bunecas para poz de arroz. rente, o escravo Feliciciano, ci ioulo, estatura ,
Novos e delicados ramos de flores com \ regalar, bem-feito de corpo, cabellos ca-
ntairafes paraenfeitar coques. rafinhos, ollios esgazeados, rosto redondo,
Bello sortimento de trancas de palha. spaeixo fino, pannos no rosto e no pesclo,
Fitas largas para cintos. pernas tinas, pos compridos. Foi montado I
tintos do filos largas com bonitas rama- n'um cavallo ruj^jjj^mieno. com cangalua
o(.|ls. [4evando vestido jaqnetao."calca parda, ca
rincos e alfinetes de madreperola. Ditos esmaltados, obras novas e bonitas. mir'.i *m ojjtap. d*p-iUia-d,wbnsfJ;u'gas.
lat luirse forro. Oueni-o pegar, leve-o,
i------------

BOTICA S CASA DE BROGAS
77 RUA DA MPELUTMZ 77
tpi'U setior do rfei uioefigiho, Joao I'-Tfii^ MimtTihrr, na d.'i Oarir-n n. >
K.* RUA DIREITA N.a 3
As-pilulas. o xarope alcobolico o ^
o etbereo de veame, conforme a gij
formula do finado pliarmaceutico Par'
ranhos, assim como a pomada codV
tra as inclKicoes ervsipelosas, acli3o>''tp-
se_ venda, na botica de Francisco %';.:
Antonio das Chagas rua Direita i\. '^
3, defronte do armazem de molba- M}
dos denominado viado branco. Es- 0,
tes medicametitos..kem sido e sao fe^
dos mais enrgica.agentes auxilia-
dores, da natureza na debellaeo das pj
doencas, servindo de grande alivio i
a humanidad;1 sol redora, principal-
mente aquelles. que dispondo de
[xnicos recursos e nao podendo poj
muito terang permarrecerem em ui
inUmenh talv'7. intil, pela inellr-
cacia de certos letnedios, recorrer*
eiles ; e por islo asss recom
mondados se tomo, para aspessai<
que soflrem de riiumatismo, escr-
fulas, ulceras, impigens, erysipl.V,
tumores nos ossos. tosse, asthma,
amenorThea on !HTppne?so de mens-
- r^'tnwvw BBstniacao ditlici!. sendo
n,i''f ^0,',*,1 usados conforme a direccj
esenpta que os_awmoanha.
i.t d azulejo.
01ROE PRATA
Compra-se moeilas do ouro e prata e
bem como libras slerlinas, na rua do Ca-
bug n. 9. relojoara.
COfPB-1"
Compra-se moedas de ouro e prata, bem
como libras slerlinas por maior preso que
em outra parte, na rua do Crespo Di
Io, andar.
Compra-se nina casa terrea na <-id;ide de
Oiinda. que seja pequena e ipie tenlia quintal com
cacimba : a tratar na rua da Boa Hora, casa ter
rea contigua a taberna do Sr. Jos Doaiigoj
Compra-se tuna e-crava para una encom-
menda, bonita figura, parda ou pivtn, quo seja e
muito lina conduca, para gente capaz : no Corre-
dor do Fiispo n. SS, a tratara qualquer hora. Xa
inesnia casa vende-e nina marhina de costura de
paiente ingle, nova, |ior sou dono relirar-se pan
tora.
Compra-se
Um prcto cozinlieiro de 13 o 18 annos : a tratar
na casa da rua da Cruz n. !!, t andar.
" CASOElAlBIO"
DE
Theorforo Simn fy C.
COMI'RAM :
Cdulas do crovernn de t a 30O0, sendopor-
Qao maior de 1:000OOO, a i 0/0, n menor a .!
0,0 de premio : no lano do Corpo Santo n. 2t.
PASTILIIAS ASSICARADAS
XI
DR. I'ATEHSON
e Dismilh c uiagneza.
ReiuefH^por excellcucia para combatir
a magreza, JhsilUar a digesiao, fottillca
estomago etc.
BErosiTONLrecitr"
Pharmacia deBrtlMlouirt A- C.
34-Rua larga do Usario-----U
nE
COMPOSTO E tfffiPARADO
Polo pharmacoeiico
Jos da Cruz Santos,
Esta planta cujas virtudes mediciaaQ?
existiam descontiecdas par a maior parV,#
dos uossos facultativos, devendo-se a sna"
descoberta no uso que d'elle fa/.i. m OS
jnossos indigenas que menoscabavam con
! a sua applicaco de ledos os soi'i inultos
pulmonares, boje conhecidu u -mo o me-
dicamento mais cltcaz para a cura do as-
ihma, bronchite, coquelinlie, penemonla,
e at a phtysica, prodozihdo uin elfcito mi-
lagroso e prompto.
Para um adulto 34 colberes deajte
ao dja puro..ou em cusimcntn peitoral.
Cnancas, 3 comeres de cha.
Preo 25000 o frasco.
Pemambuco, rua Nova botica n. !I.
Scbonetc de aicahxo.
DE
Antonio Nunes (ie Castro.
Este acreditado preparado, que lao boa
afcfceifccfo tem merecido n'esta provinoa.
muito se iccommeuda para a cura eeru
ilas impigens, sarnas, caspas e tedas *
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartliolcmeu d- C,
34rua larga do Rosario34.
JPRJ
N"ete novo etabelciipat) b iun "-"otupleto sortimento dOtmediGawcatos, pro-
ductos chimicos,e drogara, tubo de primeira qualidade, e se vondem por menos <
que em outra qealquer parte. -
Il tambem um sortimento de medicamentos bomcopatWcos, tinturas e globu
los inertes, por procos commodos; bem cono xaropesde jwftnto ferruginoso simple*,
viuhos de jaubeba simples e fes-ginoso, e o bem conhecido aropo de Paracarj-, es-
pecial desta pliamiacia. Aviam-se receitas a qualquer hora do dia, e noite, com promp-
tidao, cuidado, e pericia ; nao se negam a qualquer oceurrencia em casos urgentes. 0
socio gerente encarregado do jetalxle:imenlo mora no mesmo, para o que est?
prompto a abrir a porta a qualqter hora flue for preciso.
C. Cato & C.
|26, que gratificar ganeromente.
l stvtHr- UoNrque ds Ahni(uM'i|U,
Ama
Nn licccii das Barreiras n. '.>, pjeci?a-se de
ama capaz pata o> srvico inienio-Ve exterm
ms;i ik: nina |<*tfna.
extern o,*de
1
pixite8(ir^cl#iljido,Oisp(inlo anda de al-
SS
Di-s'ja-?c fallar ao Sr. Maooel 0*L ^,'l"-.;i.JV*r.'.i -
B.OItfara&^la^ poVesto-^nI a rua e numero da
Ig casa* particukras, de atanuio* ^ u.n e {^ casa onda mitra. ^^__________________
outro s*!u, paca a instru.*cao ^Hwrari!, $ --^- "'U +_, _
ju^WiM'la'wcnte liara o enii"0 & lingua.^g-*-
ff-POHlOWlidffflP.
Ama de leite.
lilho : o.i
Precisa se de una aaia de leite sera
nn daCnBreTfio n. t'i.
Nesta tvpftgrapnia eomnram'-'V os sepuintes
numer>s do Cunslitvr:onal Perumnbiicmo :
N. I do anuo de ! Ns. 2 o 47 do auno de tKfii.
N. o e de t em diante do anno de tG.'.
Tambem se comprain os sgnintes nmeros Be
Contervaot'.
Ns. 1, 2 e 3 oo anno de I8(8; p((a-sc Iwm.
L0|TUT: na ias elasj-
lVIcus elsticas e
As melbores c exce.llintes
cas de borracha contra varizese crysipeilas'
Yende-se na
Pliarmacja e drogii a de
Bartliolomeu A C.
3irua larga do Rnsarir>~34
\lleucao. n Compra-sc urna ca^a terrea em cliiis propnas
e em boa rua: a tratar na i ua. da Concordia
mero 107.
a tratar na rua. da Concordia uu-
Vergonteas de piwho pitra mamal'eV, \ a i otrancas, todas de superior qualidado. Natal
Verde Pars, branco de zinco e prela, es) ia as >u
li e 28 libras, j preparadas, oleo de untiacae'-'
barris : no arniazein de deposito da eominaffi
Pernambncana, no largo da AsemlW n. 40.
Vendem-se diversos e-ca vi i> peral vind"*-
jdo Cear no ultim vapor, proprio- pnia (VUlpkei
servicu de armazeiB ou engenho, a>-in>. c me
escravo por ISO com nn hrati iuii'li..niiv,f in-
versas escr; \>.s com Imbili.lade e sm ffla : a li-
lar na rua da Cruz n. So, >Mmlar.
t
VENDAS.
Tinta
rxa de
teiro.
Mon-
Por liOOiOOO urna crioulinhada 0 ai.: i wnift
lioa moral esaudc : na rua da nii l> .-i
n. 28.
Vende-se tinta n'ixa t; Monteiro .para eserevor:
na loja de calculo do sobrado amarello da rua di'.
Cruz n. 21
Vende-.-e un pequeotetruiu no lugar 0.
nominado Sicupira Tolla, entre a estrSii u.i!'
a linlia frrea que lein de soiir | ara Jai aro,
j frnguezia dos Afogados, e mniti pnipi o baja ctli
| licar predios : qiiem prebnder dilijo-si i. ra
sa doQueiinado n. 1. NaiiUMina asa ,'i i ..
Precisa
oa i na de S.
>e de nina ama
Krancisco n. ."ii
forra ou captiva
t notas do banoo do Brasil das caixas filiaes, j
m descont muito razoavel : na praca da Inde- \ \
lendencia a. 24.
EMPRESTIWO SOBRE

DOENCAS d|s CRI ANCAS
XAROPE oe R4BAI\0 IO DAD O
I QE GRIMAULT E C* PhAMACFUTICOS EM PARS
Err mcriicHiiicnto goza em Pars e no mundo niieiro de una fama josumenu* merecida, por
idisr-.se iuiimamncie combinado nelle oiodo >om o tueco dan plaoias aubscarbulieu, cuja elfiV.ac
* bem conlier.idx e as quaes j. utiiraloienie existe o iodo. E' com este imaivo que elle suppre
com vaniagein o Oleo de figados r R^caHiao, qur lieve, secundo oe bornea ecieoiiticoe, a sua
eticaci.i i (iresenca Ao iodo. K' precios* no irUiueme as crianzas para corubaier o lyoipnatismo,
anohs'ruei;oes das flandulas do pescoco, e as diversas erupfdes do rosto, to frequeoies aas
enancas de pouca idade. Tnico e depurativo ao mesmo lempo, -elle excita o appetite, facilita a
digesuio, restue sos tecidos a saa armera o vigor luluraes. E cada dia recetado peto* medico*
especialistas paracombater as diversas ^fjgreses da pelte.
i-- -J-
llpposito em Prmtkmhw.o. em casa <\f
O*.
Resta venda um escollado sortimeiito do ob-
ectos de inarcineria, eoino sejam, mobilias de ja-
arandii. meffno eamarello, obra nacional e estran-1
a rua estreita do Rosario n. 32. Nesta-mesma
asa faiem-se com perfeicao todos os trabalhos de
jalhinha, como sfjam, eni|ia*iamentos de lastros
tara camas, cadeiras e sophs.

VVISO
Guillterme Augusto Rodrigues Sette, re-
tirando-se para Lisboa, deixa durante' sua
aiwsencia. por seus procuradores extra-ju-
diciaes, aos Srs. jUanoel Ribpiro de Carva-
Iho, Dr. Joaquit Jos da Fonseca e Dr.
Jos Soares TAzevedo com poderes de
traUrem de todos os seus negocios. Be-
cife, 30 demarco de 1869.
0 MUSEO DE JOIAS
GOMES DE MATTOS IR MOS '
tendo foito completa mudanqa em sea antigo e
| acreditado eatabelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe maiores propori?5es e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manha s 9 da nonte na
RUA DO CABUGA N. A
omle encontiaro um completo sortimento Jo. o^iie ha de mais elegante,
j bello e precioso eci brilnautes, esmeraldas, rubias e tudo que em obras
de ouro, prata e.patina, se, pode dieseac.
ADEBEQ0S DE BRILHftNTES, ESMERALDAS E RUBINS
de novos gestos, assim como grande variedade de salvas e paliteiros de
prata contrastada e do. gosto aijada nao visto, e completo sortimento de
objertos de prata para uso tkw rgrejns, ^
Compram e trocem qualquer joia ou paira
a qualidade dosobjeetos vendidos.
preciosa e garanten)
7
MUSI 11J0IAS
ii# '9 r, i( CH
(SEM LIMITE.)
Xa Imm* da
das Cruzcs n, 2,
iiiciro andar, da-so qual
E
DE
JURLBEM
l.lillin.
>PIHBPARADOS
Pt'LI)
IHAR.M\t;r.lTiCO
fu.iqciiui 1 \IiiiOB A* prepar.ic.oBS de Jurubelia, sao luije
vantajosamente coiiurcidas o. prpconisadiis
los miis habis mdicos, tanto da Euro-
como do paiz, pela ^^la. ellicicia nos
onsos de anemia, chloroze, hydropesia.
struccSo do abdomen, e t;iinbem nos de
nstruacodifllcil, catharro na boxita, etc
i Vejiderq-se em pq|cao e a reta.lhu na ci-
^ade do Recire, pharmacia do seu oomposi
a J*c, rua larga- do Rosario n. 10, junto ao
ijiMT qiianlia sobre nro, ffi e^ ,'''luia_______________
prat8 i podras preciosas. Julio Eiiku
O dono deste estabelecJmeuto,
I competeotemente aUorisado pelo
goverm i. est nas coodigoes de I rautir a trattsacto que se fuer em
SS, sua ca.vi, proinetti.-ndo todo e zelo ^j
a e consideraco s pessoas que se ^
| dignarem do honri-lo era sou esta-
B belecimento.
Na mesou casa.compra-se ouro, X
^ prata e brillantes. $%
Precisa-?!' de lima ama de leite sera fifho :
na rua do Viga rio n. '>, > andar.
sS I Na ra lo tJomiiwmo n. 7,1 an 'j', vcadeilibra
^ i esterlinas i curo nacional uiais banilo (|ue.onj
p giialf|uor outra part1.; "ifflntm compra ouro e
S5! prata vellia em obra
VeB4e-se ou alttpi-se unta rasoa que, rar-
rega 800 lijlos : quein a pretender dirija-sc as
Cinco Pon tas n. 82.
u
Precisa-se
Deum moleque de 14f a 18 annos : no pateo da
matriz de Santo Antonio n. i, Io andar ; pagase
bem, e servieo mui breve.
Prcia-se de una ama para cuzinhar, po-
dendo dormir fra : na rua da Cadeia n. iO.
Jia
Precisa-se de urna ama de meia idado e de boa
conducta para comprar e rozinbar para ama fami-
lia de poucas pessoas: a tratar na ri Bell nu-
mero 3.
TOBE
b grande sitio na estrada^de AgoaFria, denomi-
0 sitio Jacar, an u l'a ponte, emu caa de mo
rada de pedra s cal, coclieira, quarto p;ira feitor,
casa para Iianho, cacimba e bomba, toda a obra
foi ratificada de novo, com grande porcao de fruc-
leias e coqueiros, tdo de fructo, urna vortente
de agoa permajaeuie, grandes baixas para capun,
terreno para criajfio de gado, ttma watu com
muita leha : para ver no m.-mo sitjp. e para
tratar ama do fmperaimr n. 77. t"andar.
MANTEIGA IfifiLEZi
a 1^200 rs. a libra. Oque pude iiaver mellior,
Rua da lmpepdn'z n. 'A
o mm mm\Q.

vfafirvlxic S.
|u,in,!>'
na
fiuilherme Augusto Rodrigues Sette, re-
tirando-se para Lis-ba despede-se por este
meio de. iodos os seus amigos eonhecidos
desta provincia. Offereceudo a todos sem
exc^peo alguma, os seus servidos naqoelta
cidade, pede-les o.auouncianle, que o oer
cupem com franqueza sempre que d'elle
precisem. Recife, 30 Ae majyo dej_-6tf.
Precisa-se de urna senhora habilitada pa'ra
ensilar a lingua portuguesa n'unxengenbAdiar
tante tiesta t4dade >es legua*; preferid$ama
enfcera de idade e qm nao tenha familia : gtiem
o pretender dipja-se rua do Hespido n. f6, 2o
andar.
Na rua do Aragao n. fO, 5 andar, existe
iima carUpura n Sr. Marco*. Jos dat&ta Ca-
btity.-vuidA.deScrginc., ,
Precisa-se de urna ama que tenhaTbom leite,
para towac caita de um laeaino, paga.se hem: i
rua da Roda n. 38.
ja *, obrado n. 33, sita a.ra'a
da Be^vi-ta: a trarar tii rna do Alerrim n. 3. '
Precisase de urna ama para.engouiinar e
eoznliar : na rua da Cruz n. l, *> andar.
Precisa-te de un
taberna ; aa rua das,
de
yen.de-se_!
njperjaj
- Ven
ruti
una aruiacao de taberna : rtrataa
' n. :li
Vende-se urna talierna na rua d< Santa Bita
n. I, com innto |nr;t wtij-ii Jv|j'iixe : a traar
nojarpo daW.iBibl'.'. n. I"* ___
Vcii^i^l.y iC^rtmw litar. da mais lina e superior qualidade. em Rosigues ou
a retalho, para plvsenie e para embanue, ne
baiiTo do Rcife, ru da Cadeia lop n. i.______
Veude'm-se se^s sacadas de cantara di! Lls-
boa
mado,
W VllUVIil-ilV .'Vil.'- .-> .- \M\s i oll-.-il 1.1 UK Ul.'
: quem as pretender diriia-se na do Quei-
lo, loja n. .
Vende-se um preto. de meia idade, proprio
para todo o nervino. prmeipalmMiti* di rua ou i>
campo : rua da'Oinrei^ao n. 2.
Alcgiai-vos tnyii|ifs, e uu'sbitas, j-pe-
deis ver de longe. j podis ver de porto,
b3o lia mais vistas curias, nem caneadar.
F. J. Germann acaba de rorther pe
idtimn vapor um rico e variado soriinien>
de oculos, lunetas, pin cenez, face--maln,
lorgmms de ouro.prata. tartarug?. ruar,
ac, bfalo, ncar, unicorrrio e.melcliior;
assim como binculos de utna a res m-
dancas para theatro. caupo e warintiO f*
ultima uveoco; duquezas. nieanjuas, do b,
8qi2 vidros, tudo, dos melhores fabrica*
tes da Europa.
O mesmo vapor trft
se urna excelluote ttto-
cbmn para graduar e,
observar o oumero dan
vidros que se Decessfta
conforme a vista *;
qualquer pessoa.
Tem expelientes steiioscopos, mstnmea
tos de matliematica, barmetros, vidios tk
clirystal de rocha, e de cores para resgua
dar a vista ; concerta todos os objectos a
pregos commodos e com promptido : Itia
o mofo dos vidros e encarrega-se de toda a
encMumeada relativa a ptica.
Rtcebeu.tambem os exilenles relo^iop
do antigoeafamado fabricante Robtittitk
& C, os quaes vende a pfeos cormoo*i
garairtindo a sua superior qualidade.
i~r
Loja do Passo rua do Crespo
M 1 A
Recebeu i toalhas as mais- bc*s que tem
vindo do Cear, proprias para Baptizados,
assim como lindos,.lanfoa de ktliyiiotlM)!*
ricas frondas para cama de noivos; s na
loja do Pasito q se vftndWi lahyrinthos.
para qoem qm-r princip"iar com negorlrr de taber-
na, a armaban da pequea taberna xL^ da rua ao
Forte, com todos os temos de inmia* e peSP*,
fandh#4a ga, e mais utenofio-' qtfe sao preetsos
HnmTaberna ; anda mis-wrna reeoirmien-
davel por ser bastante afreguezada, e pe prtxp
coamodo : a trajrcom u soli.Mtadorkaaeio Bar-
roso, na ruaOfl we i (WlMrlftWa nova
com porta.) ilc ferro aojad.j -liave.
Potassa nova
de superior qualidade, chcgaila n* presenje sf>ma-
XAROPE PEIROSAL
JABO DE U1V
PUNTA DO BRAZ1L.
,E1 expectorante e recommend ido tas
affecoes do jieito. bronchite chrotca b-
Haytise, e-tose chrocica.
PKKP1RA1IO
con
Jwiiqttim le Ameida Firrt-
l>ll\ltH\( 12-UTaCO
Pemambuco na lird> a>
Cera de carnauba
Vinde-se na rua do Qneimado n IX \ rirapt
andar.
Vende-se urna burra iafc* se ve para carro c carroc, ( uinbm
{JK-; v*de-*o no 'jmmoiu deJ m A C, ao largo da aaswnWa. \% boa Ua-mairfa.


I
o
Diario de Pernambuco Sexta feira 2 e Abril de 1869.
Lindos cortea de cassade^tfr'com barra.e com flgurino indicando amolde do vesti-
do pelo barassimo preco M #500 o corte ^ ..
Ditos de percalwnuito modernos com duas satas a 5^000 res
Na loja das Columnas da ra do Crespo n. 13 de Antonio Correa de Vascon-
celos A C. ___ .__-_,
PREQO CBRENTE DOS CHAPEOS DE SOL
Da fabrica de *^
1AN0EL & G.
Ra Nova n. 23,Ra do Cabug n. 8
Pernambuco
Chapeos de seda trancada, Paragon, de 16 bastes, 28 pollegadas a 40(j(; 26
pollegadas a 13& e 2i pollegadas a 14000.
itos de seda G. de N. Bara, de co, de 16 bastes, 28 pollegadas a 14(5;
de 26 pollegadas a 13,$ ; e 24 pollegadas a I2000.
Ditos de seda G. de N. lisa* de ac, de 12 bastes, 28 pollegadas a i-2 ;' de
iQ pollegadas a H5 ; e 24 pollegadas a 10/5000.
Ditos de alpaca, de ac, de 12 hastes, 28 pollegadas a 6; e 26 pollegadas
Por duzia faz-se descont de 15 OjO
Chapeos de sol de panno, de baleia, de 8 bastes, 24 e 26 pollegadas a 32$
a duzia. (Descont de 10 0|0).
Ditos de panno, de junco, 8 bastes, a 18f$O00 a duzia, liquido.
NOVIDADES
LOJA DO PASSO
Ra do Crespo n. 7 A, esquina da do
Imperador.
PARA CASAMENTOS, BAILES, TIIEA- Riquissimas colchas de damasco de seda,
TROS, etc.. etc. assim como de seda e algodao.
Lindos cortes do blond, contendo setim, Ditas de crochet para cama,
mantas e grinaldas. Chapeos de seda bordados, parasol,
Requissimos cortes de sodas assim como' Poil de chevre de lindas cores.
a 55300.
para covados.
Gurguro branco.
Moireantique branco azul e verde.
Gros-de-naples brancos e de cores.
Setim branco nfacau.
Setim, branco, azul, verde, cor de rosa
amarellos.
Fil de seda, branco e preto.
Cortes de seda com duas saias.
Chales de gurguro de seda de cores.
Camisas bordadas para homens.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas bordadas .
Fronhas de linho bordadas com primor.
Lencos de cambraia de linho bordados.
Alpacas de lindas cores.
Cbapelinas de palha da Italia, assim
oemo de seda.
Enfeites para cabera de senhora.
Espartilhos para senhoras.
Meias de laia para padre.
Ditas de 15a
Ditas de seda fio da Escossia c algodao.
para senhoras e meninas.
Lencos de labyrintho.
Fronhas de labyrintho.
Bicos, rendas e grades.
Finissimas cambraias de cores, percales,
las, e outros mudos amigos de gosto e
de alta noyidado, isto s
n: i.iiiinri ,11,1 us iimiu IHIIUUUUS. UB Ullil IHI.'llldUU, ISIVI su
Na loia do Passo ra do Crespo n. 7 A, esquina da do imperador.
Grande liquidaglio de miudezas!
Alfonso Mareta Temporal, querendo liquidar as miudezas existentes em sua
ioja ra do Queimado n. 5o, resolveu annunciar as mesmas miudezas, para que o pu-
blico so certifique do diminuto pre;o porque as est vendendo, a saber:
Approvfio
4a ecadmie
iewudecim
* Psris.
Pkarmacevtico
laiirtad*
i* uadtmit
4$ medteu%a.
.Caixa com agulha franceza a
Caixas com 100 enveloppes a.
focas de babados e entre-meios
a 500, 600, 700, 800 e. .
Pecas de fita de coz com 10 va-
ras a ........
Linha de marca, caixa com 1G
novellosa......
Coques muito finos com rede, s
a rede val......
Frascos com santos muilo finos
a.........
Latas com banha (familia), a
160 e........
Cartao com alfinetcs a .
Copo com opiata muito fino a
400 e.......
Cartas francezas a 200 e .
Ditas portuguezas a 120 e .
Caixa de linha do gaz branca 50
novellos a......
Frasco com tinta a 100 e .
Frascos com banha a 320 e. .
Frascos com agua de Colonie
Piver a........
" Pentes de travessa para cabelle
de meninas, s a vista faz
f, a........
La para bordar, libra. .
Novello de linha grande com
*00 jardas, S a -vista tez
f a........
Pares de liga de borracha jwru
pernas de senhora, muito
boas a .......
Franja branca para toalha vara
a.........
160 Resma de papel almaco, muito
500 boa fazenda, com 85 cader-
nos a........
15000 Caixa com papel amisade a .
'Jogo de vispra a.....
500 Sapatinhos de la para meninos
a.........
240 Pecas de tranca e caracol a .
Jabonetes de todas as qualida-
1^500 des a 80, 160 e.....
Frascos com oleo babosa a
lr>200 400 e.......
Pinceis para barba a. .
200 Gaz a........
100 Frascos com agua de Colonia a
320, 400 e......
500 Pentes com costas de metal .
240 Carteira de marrquim a .
160 Pentes pretos para tirar piolhos
Escovas para cabello a 400,
600 500 e .......
160; Garrafa com agua divina a. .
4001 Gravatas de seda de cor a .
Ditas prctas a 400 e .
1 -)000 Botoes de kwca para camisas, a
Carrafa *de tinta roxa a. .
Lencos brancos para mos
320 a.........
3$i00 Par de suspensorios para ho-
mens a.......
tttayaiMH i Vmt-Aili, a. i. _,
60 Frasco com cheiro mnito fino
a ........ .
Bandeja para copos a .
60 Meias craas para homens, boa
j fazendaa 35, 3,5600, 40 e. .
200 Vootoaduras para colletes a .
2S800
700
400
200
600
200
320
500
320
400
280
As preparantes ferruginosas liquidas tem desde mnito* aonos merecido a approvacio
especial dos mdicos, porque ellas obrito mais rpido e seguramente do que as pillas, e
sio mais .fcilmente toleradas pelos doentes. Os Pos ferro-manganicos possnem a inappre-
ciavel vantagem de poder offerecer n'nm instante nma agna ferruginosa gazeosa, de gosto
agrada vel, mais activa do que as aguas mineraes, e comeado de mais nm elemento precioso,
o Manganese, que sempre se acha no sangue, jnnetamente com o ferro. Emprego-se em
todas as molestias que tem por cansa o empobrecimeato do sangue, assim como para vigorar
os temperamentos debis e lymphaticos. A chlorose, as Peritas brancas, dores 'estomago,
a irregularidade da menstruacio e amenorrha on snppresslo do menstruo, cedem rpida-
mente a sen emprego. Devemos mencionar aqu nm facto notavel, isto que os doentes cara-
dos pela agna preparada com estes pos estio mnito menos ezpostos a recadas do que
aquelles qne foro tratados pelas preparares ferruginosas ordinarias.
Deposito em Pernamtuco, tn casa de Ms O*.
'$:rsiti;&c&;*?c4S.
TCSSES
CATrRRHOS
PASTILHAS PEITORAES
sueco deALFACE
E LOURO GE REJO
r$:&v&&4F*y&
IRRITICOES
DO PEITO
E' este o mais novo e delicioso coufmto ate agora condecido. Por isto tem adquirido r-
pidamente a popnlaridade de qne goza. Os mdicos os mais distincios o aconselhSo contra
as losset, defluxos, catarrhos, tosies convulsas, catarrhos epidmicos, irritacSes do peilo. Com
grande empenho o proenrio as mies de familia, assim para ellas como para as enancas, pois
primeiro qne tudo inoffensivo, e as suas propriedades adocantes nio deixio nada a desejar.
Deposito em Pernambuco'em casa de nm O*.
'-:^:ry-^
240
200
2a
1,5000
400
4J500
320
VERDADEIRAS
PILULAS DE BLANCARD
ul
coa ioduhto oo rumo hultcpuvel
APPROVADAS PEU ACADEMIA DI MEDICINA DI PAR, ITC
Possulndo as propriedades do lodo ot do forra, eonrom especialmente lat Airtecols
escbofuuisaS, a Tsica no principio,a fraques* do temperamento tambera nos casos de
lhe a sua riqueza o abndencisi norman, oo pirprovoea^regmwoeuettito peo_S!
H. B. O iodnreto da farro impuro m alterad* a u nadkaatnta infla!,
irritante. Como prora da parata d* anthoneidads das verOttOetraa ri-
* ibM a> Rla-eara*, dpre-si nifir DOSIS aeale *a araa rraatlra
dosm tma, a raimo vera>. Dero-M daseonnar daa faltiSeacoai.
W lulaa O* filaae
lj_ Boato arma, i
k rao i vera
^SfkaaHH
i a> aa a4ii
rota
**amarnitfco, nta Btnaparte, *Jb, PeHe
TASSOIRMOS a
Tem para vender em seus#naa#os,aliu de ott-
tros, os seguintes arttgqi :
Papel para imprimir.
Perlina azul.
Greve pautado e liso.
Yinhos em caixas de doze garrafas
Bourgogne.
Herv.
Madeira.
Hermitage.
Chamblis. Licor de curaco do Hollanda emeaias devin-
to e quatro botijinba
Kosarmazens de Tassolrmaos.
Grades de ferro
para jardins, porteiras etc.
Nos armazens de Tasso Irmos
c:aiiecmios de ferro
Para sorvicos de grandes armazens, para remo-
ver barricas ou caixoes de um para outro, lado pelo
mdico prego de 12*000 cada um.
Farinlia de trigo de Trieste
Das melboras marcas Panonia (verdadeira) Fon-
tana e grande sortimento das memores marcas de
farinhas americanas.
Saceos de fariuha de trigo do
Chile
Todas novas, chegadas ltimamente no9 arma-
zens de Tasso Irinaos.
Cemento romano
Nos armazens de Tasso Irmaos.
Cemento hydraulico 12S
O raelhor para tudo que sao obras para agua, co-
mo assentamento de canos de esgoto, algerozes, de-
posito, tanques d'agua, etc., etc.: em poredes de
cincoento barricas se far rcducc,ao no prego : nos
armazens de Tasso Irmaos.
Cemento Portland
0 verdadeiro cemento Portland em casa de Tasso
Irmaos.
Grades de ferro, cercas, por-
teiras, etc., etc.
De differentes qualidades para cercados de ani-
, macs, cliiqueirospara galinliasou jardins: nosar-
| mazens de Tasso Irmaos.
Barris com breu
Nos armazens de Tasso Irmaos.
CANOS DE BARRO
Na ra Nova de Santa Rita, na antiga fabrica de
sabao, ha para vender por prero o mais mdico
possivel, canos francezes para diieacfes e esgo-
tos de toda a qualidade, supeiiores a todos os que
aqui tem apparecido pela sua solidez.
PREgOS
13400 por cano grande de 3 e meia pollegadas.
13200 por dito de 2 e tres quartos de dita.
1 000 por dito de 2 e um qnarto de dita.
500 ris por pistoleta de 2 pollegadas.
Coto vellos, curvas e canos de maior grossura.a
vstase far o preco. Compras maiores de 200*
tem 5 por cento de descont por prompto paga-
mento. Pode-se ver as amostras nos armazens
de Tasso Irmos.
Tijolos francezes
Para ladrilhar casas terreas eomasseioe precos
mdicos, muito convenientes e proprios para ladri-
Ibos de cosinhas em sobrados, pelo scu asseio e
evitar a passagem de aguas para o andar inferior
e mesmo o perigo de fogo, aos precos de 30*000 a
i "i yxKl o milheiro : na ra Nova de Santa Rita, na
antiga fabrica de sabao, e compras maiores de 2003
se far 5 por cento de descont por prompto paga-
mento. Podom-se ver as amostras nos armazens
de Tasso Irmos.
Velas de esparmacete verdadeiras para lan-
ternas de carros: no armazem de Tasso Irmos.
Vinbo do Porto fino superior: no armazem
de Tassolrmaos.
o in-iiup i-,i,.'mi Gauthiftr Frprp nn arma-
zem de Tasso Irmaos.
Esteiras da India
Em casa de Tasso Irmos vende-se esteiras da
India de diversos padroes e larguras, por prego
commodo.
A NOVA ESPERABA
21=-Ra do Queimado = 21
t para presentes
A Nova Esperanca, ra do Queimado
n. 21 tem um variado sortimento de objec-
to de gosto e phantasia propriosi para pre-
sentes, sobresahindo entre elles ricas caixi*
nlias de bano com finas perlumarias, cos-
tureiros de cbagren, agulheiros de madre!
perola : assim, pois, quemquizer fazerum
linda offerta, dirigir-se a Nova Esperan?^
ra do Queimado n. 21.
Collares anodinos ellectro-magnett
"c9 contra as conwlces das
creancas.
N3o resta a menor duvida, de jae muito
collares se vendem por ah intitulados o
verdadeiros de Royer, e eis porqae muitos
pais de familias nao crecm (comprando*os)
no effeito promettidoro que s pidem U,
os verdadeiros; a Nova Esperarla, porm
que detesta a fa!sificac3o principalmente no
que respeita ao bem estar da tu manidade,
fez urna encommenda directa destes collares
e garante aos pais de familias, que sao o
verdadeiros de Royer, que a tantas crean-
Cas tem salvado do terrivel incommodo de
convulces, assim pois preciso, que ve-
nham a Nova Esperanca a ra do Queimado
n. 21 comprarem o salva vida, para tea
lilhinhos, antes que estes sejam acommetti-
dos do terrivel mal, quando ent5o ser di-
fficil alcanfar-se o effeito desejado, embora
sejam empregados os verdadeiros coliare
de Royer.
Para extinguir as sardas e
panno
Recebeu a Nova Esperanca, rea do
Queimado n. 21, luite de rosas, especia)
para extinguir sardas e pannos.
BONECA DE CERA
A Nova esperanca a ra do Queimado n.
21, acal de receber um completo sorti-
mento ae finas bonecas de cera de diver-
sos tamanhos, sendo as maiores do com-
primento d'um covado ; estas bonecas tra-
zem bonitos coques e botinas, havendo en-
tre ellas algumas que fallam e outras que
choram de sorte que fcilmente podem ser
preparadas, e fazer-se um presente de muita
acceitaeo.
Finas caixas de tartaruga para rap ven-
dem-se a ra do Queimado n. 21 na loja
da Nova Esperanca.
Modernos brincos de sndalo, s se en-
contrante na Nova Esperanca a ra do
Queimado n. 21.
MEIAS DE LAA
A Nova Esperanza a ra do Queimado n.
21, acaba de receber um especial sortimen-
to de meias de la para homem e senbora.
CONTRA AS CONGESTES
mal terrivel a congestSo fulminante.:
de repente leva um individo, d'esta para
milbor vida, sem dar-lhe tempo de receber
conversa medica; deixando as mais dai
veses mulher e filhos no mais imarjjurado
pranto ; a Nova Esperanca que deseja pres-
tar servigos recorreu a Vojer, p qual me
mandou anneis elctricos magnticos, como
o nico preservativo para semelhante mal i
elles antes que se acabem : na Nova Espe-
ranca-
NAVALHAS
A Nova Esperanca a ra do Queimado
n. 21 recebeu um sortimento de navalhas,
de qualidades, e tamanhos especiaes assim
como afidores e massas para as mesmas.
I
f\C \sT?\\JP\sl em 10^as as Parle* ('o mando, empregam, com o maior xito,
U5 iTlEjl/lLjUOa o phosphato de ferio soluvel de Leras, para corar a chlorosis
(cores paludas), as dores do estomago, e a exhau;lacio de sangue; com esta preparacSo, da
ae corpo o vigor, e s carnes, a sna firmeza natural; facilitam o desenvolvimento tao labo-
rioso da puberdade. Com effeito, tudo, n'est; medicamento, se acha reunido para Ihe
assegurar o maior crdito, pois que entram, ni sua eompoaioo, os elementos dos ossos e
do sangue. 0 sen autor, M. Leras, donter em sciencias, phannaceutico, professor de
chymica, inspector da Academia, foi, recentemente, condecorado da ordem da Lego de
Honra, digna recompensa dos seus importantes trabalkos.
As seguintes apreciaedes dos mais celebres nedicos anda vem corroborar e justificar
lodos estes ttulos confianca publica :
c Precisa classificar o phosphato de ferro iioluvel entre os ferruginosos que melhor
c covem aos doentes cujos orgios digestivos scpportam mal as preparares de ferro. >
SOl'BEIRA.N, professor ta Escola de medicina e de pharmacia.
0 phosphato de ferro soluvel em quanto a mim, a melhor das preparares ferrugi-
c nosas, e o seu emprego d os mais premptos e seguros resaltados.
ARAN, midico do hospital Sainte Eugenio.
A fdrma liquida do phosphato de ferro soluvel d-lhe urna immensa vantagem sobre
< as pillas; eu considero este medicamento como mui superior s preparaedes iodadas.
ARNAL, medico de S. M. o Imperador.
Entre todos os ferruginosos, nSo conhecemos um so* qne obre lo prompta e efficazmente
< como o phosphato de ferro soluvel, e isso, sem cansar o estomago. *
BELLOC, BAUME, BIGOT, FOLL'r e PRVOST, mdicos dos hospitaes.
Os effeitos da preparacSo de phosphato de ferro soluvel me parecem ser mui seguros
t e promptos. BB0UT, redactor em chefe do Buelin thrapeuttque.
Entre todas as preparacoes ferruginosas, o jihosphate de ferro soluvel foi a qne sempre
c me deo os melhores e mais satisfactorios resaltados. GU1B0UT, medico dos hospitaes.
0 phosphato de ferro soluvel tem, sobretudo, a yantagem de evitar a eonsupacto e
convir aos temperamentos delicados. D* FAVROT.
Deposito em Pernambuco, en casa de Maoror o O*.
OLEO DE HOGG
DD
Figados frescos de bacalho
Para enra certa de phtisica, affecedes escrofu-
losas, tosse chronica, fraqueza dos memhres e de-
bilidade geral, recommenda-se a excellenria deste
oleo anda por ser agradavel no paladar.
VNDESE
NA
Pharm.icia e drogara
DE
BARTHOLOMEU& C.
34 = Ra larga do Rosario = 34
w
CAPSULAS MOLES
DE
. ALCATRAO
Remedio por excellencia para cura rpi-
da e completa das coqueluches, bronchkes,
atarrhos, tosses ccovuislvas, escarros- san-
guinos, e outras molestias do peito.
VENDE-SE
PHARMACIA E DROGARA
DE
Bartholomeu C.
3 iRA LARGA DO ROSARIO34
LOJA
AO BAZAR DA MODA
Ra Nova n. 50, esquina da ra de S. Amaro.
Para senhoras.
COQUES da ultima moda, enfeitados o'Heos, gran-
de sortimento.
CUAPELI.NAS de palha da Italia, pifiecidfls com
delicado* e elegantes enfeites braneos e de cores
GHAPEUSINHOSe gorras do velludo e do pennas
(alta novidad.) t) de palha da Italia, a emtiacao,
especial sortimento.
CINTOS de cores e pretc?, rico sortimenio ulti-
ma moda.
CAMISAS bordadas por commodos precos.
LENCOS bordados e com letras, novidade neste
genero
LEQUES a emitaao de marfim, gosto novo e de
sndalo.
C0L1NHAS e punho3, a emitacao de guipure.
HNFRITES pretos e de cores para cabera, lindos
moldes,
GUAKNICAO alta novidade I a Mario Rose, lti-
mamente usada em Pars.
CORPINHOS de guipure brancos e pretos lindos
modelo?.
BORNOUS de lia e seda, cores clara?, elegante
moda em Paria.
GKINALOAS de flores finas.
ESPARTILHOS superiores.
IEIAS superiores de fio de Escocia.
LUVAS de pelica chegadas pelo ultimo vapor.
ApERECOS de coral verdadeiro o camafeo, gosto
delicado.
DE PALHA
QUARN'ICES para vestidos.
TRANCAS para enfeites de coques.
BOTOES lisos e com pingentes para vestidos.
CLYTOS alta noTidade.
NOVIDADES
Fi/)RES finas, grande sortimento.
GRINALDAS de ditas para coques.
LAGOS, lvelas, penachos para enfeites.
Para homens.
CAMISAS com peitos, colarinhos e punbos de li-
nho fino, lisos e bordados, moda,
COLARINHOS de linho e algodao.
PUNHOS de ditos.
GRAVATAS do todas as qualidades.
BOTOES para punhos e guarnicoe3 para colotes.
COR RENTES de plaqu a entacao do ouro, lin-
do gosto.
CHAPEOS de pello de seda, forma a Rotchil, qua-
lidade superior.
CHAPEOS de seda, para sol.
MEIAS de euperior qualidade.
FENGALINHAS finas e chicotes.
LUNETAS aro de ao e tarturaga.
Para erlaneas.
'rESTUARKB completos para baptisados.
SAPATINHOS de merino e setim enfeitados.
HELAS de seda e fio de Escocia.
CHAPEUSINHOS de palha da Italia.
lOUCAS de fil e setim enfeitadas e de caroch.
EUNECAS vestidas, muito bonitas e* diversos
brinquedos.
Perfumarlas Unas.
AGUA FLORIDA verdadeira de Murray & Lan-
man New-York.
TOXICO oriental, verdadeiro.
AGUA DIVINA de E. Coudray e superior agu e
essencia de Colonia.
ESTRATOS e essencias finas e de agradaveis are-
mas para o lenco.
VINAGRES aromaticof para toilet
POS DE ARROZ para amaciar a pelle ; em pacc-
tes e ricas caixinhas com arroinho.
POS superior para linipar os entes.
COSMETIQUES de fina qualidade.
SARONETES, grande sortimato deste genero e
de superior qualidade.
LEOS de philocome, babosa e antkmos.
BANHA fina para os cabellos.
AGUA de flores de laranja. ,
CREME de sabao para barba.
CaLxas preparadas com perfumarias finas.
Miudezas finas.
SUPERIORES fitas de grosdenaples de todas as
cores e larguras de vellido preto e de cores, e
gurguro para cintos.
BABADINHOS e entremeios bordados.
GUARNICOES de seda de cores para enfeites de
vestidos.
TRANCAS pretas com vidrilhos e pingentes
BOTOES do cores, brancos e pretos com vidrilhos
lisos e com pingentes.
DEDAES do math aperla, de marfim, de co e
metal.
THESOURAS finas para costura e unhas. *
CAIVETES finos com quatro folhas. E muitos
outros artigo de miudezas que se torna enfe-
donbo mencionados,
Tudo se vende por presos bastaute commodos.
DO
GALLO VIGILANTE
Ra do Crespo n. 9
Os proprietarios deste bem conhecido estabele-
cimento, alm dos muitos objecos que tiuliam ex-
postos a apreciacao do rcspeitavel publico, man-
daran vir e acabam de receber pelo ultimo vapor
da Europa um completo e variado sorliinouto de
linas e mui delicadas especialidades, as quaes es-
tao resolvidos a vender, como de seu cosame,
por precos muito baratinhos e conutodos para to-
dos, com tanto que a. Gallo....
Mnito superiores lavas de pellica, pretas, bran-
cas e de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas gollinhas e ponlios para se-
nhora, neste genero o que na de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfeites para caberas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
lhos e sem elles; esta fazenda o que pode haver
de memor e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de' mad'reperola,
marfim, sndalo e osso, sendo aquellos brancos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderai por JOOOO
a duiia, entretanto que nos as vendemos por 204,
alm destas, temos tambem grande soiiimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas.
Boas bengalas de superior canna da India e
casto de marfim rom lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
quanlidade de outras qualidades, como sejam, ma-
deira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicofinbos de cadeia c
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de i a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marflm e tartaruga para fazer
barba sao muito boas, e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante e nos per nossa ves tam-
bem asscgurainos sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas rapellas para noiva.
Superior* agulhas para machina e para crox.
Linha omito boa de peso, frouxa, para cuche,
labyrintho.
Boas bacal los de cartas pata voltarete, assim
como os lentos para o mesmo lim.
Grande, o vanado soriimento das melhores per-
fumarias c dos melhores e mais coanecidos per-
fumistas, ^
COLARES DE RTJER.
Eleemws rangni ticos contra as convulsoes, e
facilitam a denticao das innocentes criancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e conlinuamos a recebe-los por todos os
vanares, afim de que nunca faltem no mercado,
cuno ja tem acontecido, assim pois poderao aquel-
les que delles precisaren, vir ao deposito do galle
vigilante, aonde sempre encontrarao destes verda-
deiros. colares, e os quaes attendendo-se ao fim
partque sao applicados, se venflerao am um mol
diminuto luoro.
Rogamos, pois, avista dospbjectos que deixamos
declarados, aos nosaos freguozes e amigos a virm
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, roa do Crespo n. 7.
Macarthy
Maekinas de descaroear algodao.
Hoje que est reconhecido que as machinas de
serrote prejudicam e quebram a fibra do algodao,
preciso recorrer a marhinismo menos spero,
que produzindo o mesmo servico qne aquellas, e
facilidade no trabalho, nao quebrem a fibra da la,
paro que essa possa obler-nos mercados europeos,
a dilTerenca que ha entre o algodao descarorado
por aquellas mencionadas machinas, qne estn fi-
cando em deuzo, pelo prejnizo que tem causado,
e o da antiga bolandeira, qae nao pode competir
pela morosidade de seu trabalho. E' assim que
estas machinas se tornam as mais propfias para o
nosso algodao, porque ao par da faeildade e
promptieSo conserva a fibra da laa, que hmpa por
ella, qaalificaila na Europa a par da melhor no-
landeira, vatendo assim entre 10 arrobas 20 0/0
mais do fue a lia hmpa pela machina de serrote.
Estas machinas nao sao novas, pois que ha muito
estm adoptadas no Egypto, amule as de serrote
(oram inteiramente abandonadas, e por isso o algo-
dao daquella pro*odencia, sendo da quaMade do
da nossa provincia, obtem hoj* de 10 ambas 20
0/0 mais do que o nosso : vendem-se a 150*000
nos armazens de Tasso Irmaos.
Oleo de amendoas
Em caixas de 8 latas, cada caixa 160 libras :
nos armazens de Tasso.Irmaos.
Charutos da Havana.
Excelentes charutos da Havana e por baratissi-
mo preeo : em casa de Tasso Irmos, ra do
Amorini n. 35.
Capsulas de Raquim
Os bons effeitos destas capsulas para fazer oes-
tar os gonorrheas acham-se eomprovadas pelas
experiencias da muitos annos.
Os mdicos de todos os paizes as recommendam
pela sua efflcacia.
VENDE-SK
KA fl i
Pharmacia e drogara.
M
BARTHOLOMEU & C.
Ru34a larga do Rosario34
RIVAL SEM SEGUNDO
Ra do Queimado n. 49, loja de miudezas de
Jos de Azevedo Maia e Silva, tem para vender os
artigos abaixo declarados, tudo bom e barassi-
mo, que sao para acabar.
Duzia de sabonetes muito finos a 700 rs.
Pares desapatos de tapete para homem a l$28ft
Ditos de tranja para creanca a 1.
Tramoia do Porto, bordada, a melho a 200 rs.
Bita do Porto tiza, da melhor qualidade a 100, 120,
160 e 200 rs.
Resma de papel almaco, tizo superior a 3*>200,
Dita de pape* almaco pautado a 4.
Livro do inissdes abreviadas a 2{.
Cartillas com toda a doutrina a mui tas resas a
320 rs.
Silabarios portuguezes com estampas a 320 rs.
Baralhos francezes muito rtnos a 200 e 210 rs.
Sabio ingle supcrla-quattdade a 300 c 13.
Gravatas pretas e de cores mnito finas a 500 rs.
Duzia do meias para senhora, fazenda fina a 4.
Redes pretas lisas para segurar cabello a 320 rs.
Varas de transa-' de seda de todas as cores a 600 rs.
Pares de brincos dourados om mfozmha e po-
dras a 320 rs.
Cartees com corchetes de duas ordots o sao de la-
tan a 20 rs.
Abotuadunvs de vidro para colete muito finas a
120, 240 e 400 rs.
Pares de botoes dourados para punhos a 160 rs.
Caixas de pennas do ac muito finas a 210, 320 e
500 rs.
Candes com duzentas jardas de linha do lhbri-
cante Alexandre a 100 rs.
Caixas de pennas de ac, a verdadeira penna a
1*200.
Carriteis de linha Alexandre ns. 70,80, 100 at
200 a 100 rs.
Caixas com superiores obreias de massa a 40 rs.
Cat-riteis com duas Kavas de retroz preto a 800 rs
Duzias de agulhas para machinas a 2&
Libras de pregos francezes de todos os tamanhos
Livrosescriptorados para rol de roupa a 120 rs.
Caixas com papel amisade muito fino a 700 rs.
Caixas com com envelopes da melhor qualidade a
600 rs.
Tameres para meninos multo boa fazenda a
240 rs.
I
11
.1
Vendem Augusto F. de Olivcira & C. ra de
Commercio, n. 42.
Cemento de Portland.
Vende-se no armazem de -Vicente Perrelra
Costa & Filho, na ra da Madre de Dos a. 22.
barris grandes, *
Para familias
Grande Bazar, rna Xova ns. SO e
. deCarnelrollaunak C.
Acaba de chegar a este estabelecimento
grande por^ao de machinas para costura^ do
ator Wlieeier Wilson, approvadas na mlti-
ma exposiejo de Paris, as quaes cozem eom
dous pospontos toda a costura, e ten a
vantagem de ser I2u suave o movimeito,
que qualquer crianea de oito annos fcil-
mente trabalha, e pode, com este ntrete-
nimento, levar vantagem ao servido diario
d trinta costureiras. A comprebeasio
simples, pois em um quarto de hor se fi-
ea senhor do movimento da machina, ten-
do a mesma a propriedade de fazer as se-
!intes costuras: pospontar >bamhar,
franzir, arcar e bordar, como apresentam
os desenhos que acompanham-ras. Os pro-
prietarios do estabelecimento se encarre-
gam de mandar ensinar n'esLi Gidade, e
garante entregar o importe dispendido ao
comprador, no caso de nao trabalhar com
perfeic5o a machina vendida, nao leudo,
porm, soffrido ella alguma avaria. Ha tam-
bem no mesmo estabelecimento machinas
do autor Grower & Baker, de trabalho sira-
plesmente m5o, e outras com movimento
dos ps; e mxime todos os pertences das
mesmas machinas, para vender .avaho.
Tintura japn eza
Instantnea para tingir os cabellos e a
barba, a IIOOO o frasco.
E' a nica approvada e recommendada
por ter sido reconhecida superior a todas
as Unturas d'este genero.
venda em casa de Gustavo Hervelin n.
51. roa da Cadeia n. 51.
GAZ t.\Z GAZ
Chegou ao antigo deposito de Henry. Forster &
C, raa do Imperador, um carregamento de gaz
de primeira qualidade; o qual se vende em partidas
e a retalho por menos preoo do que ein outra qual-
quer parte.
FUNDICAO DOBOWMAN
Ra do Rrmu n. 59.
Machinas de vapor.
Rodas d'agoa.
Moendas de canna.
Taixos de ferro, batidoi fundido.
Rodas dentadas, pata moer com agot.
vapor e animaes.
Alambiques de ferro.
Formas para purgar assucar.
E outros muitos objectos, etc. etc., pro'
prios para i agricultura^___________
Vende-se
um cavallo pedrez, muito novo, sem acha'
ques, andador baixfr e bonita figura : t
coxeira da ra da Paz n. 13.
^*

t
i
a /
:.- ^""



\
r
I
>4
.r'-
n
Diario de Peruambuoo Sexta feira 2 de Abril de 1860.
GRANDE_______________
A DINHEIRO NA I.0JA E ARMAZEM
DO
DE
Flix Fereira da Silva, successor de Gama
& Silva
O proprietario d'este estabelecimento convida ao respeitavel publico desta ca-
pital a vir surlir-se no grande etabeledinen .o que teni defarendas, tanto da moda comn
de fcei, e as pessoas que negociam em pequtna escalfo, tanto da praca como do matto-
nesta casa poderlo fazer os seus sortimento em pequeas e grandes poicos, venacn-
do-se-lhes pelos precos que se compram na:, casa* ingteas ; assim como as excellentis,
simas familias, poderSo mandar buscar as amostras de todas as faeendas, ou mandare-
mes levar em suas casas pelos nossos caixel-os, para o que acba-se este estabelecimen-
to aberto constantemente desde s 6 horas da manaaa as 5) da no ule.
O atoathado do Pavao AS GAMBRAIAS DO PAVO
Vende-se superior atoalhado de algodao Veaem-se finisskaas pecas de carabraias
com 8 palmos de largura, adamascado a lizas transparentes tanto ingiezas como suis-
ALTA
A LO
2)$200 a vara; dito de linho faaenda muito
superior a 30200 a vara ; guardanapos de
nho adamascados a 45500 a dezia e raaito
finos a 8;J000, e ditos econmicos a 3$500
a';duzia.
Fintees para yestUtes braacos
a64.
Vendem-se os mais modernos fnstoes bran-
cos flemeis com padtoes de listas e de
lpicos proprios para vestidos e roupas de
menino a 610 rs. o covado, na loja e arma-
zem do PavSo ra da Imperatrixo. 60, de
Flix Pereira da Silva.
<.rosdcnap.es '
Chegou para i loja do Pavao pelo ultimo
varpor um grande sortimento dos melheres
grosdenaples pretos e de cores, tendo verde
ambem, que se vendera mais barato que
m outra qualquer parte.
BABADINHOS
Vendem-se finissimos babadinhos, tiras
bordadas e entremeios, mais baratos o que
em outra qualquer parte, assim como espar-
lilhos dos mais modernos, no armazem de
Flix Poreira da Silva, ra da Imperatriz
n. 60.
NOVIDADE
LOJA DO PAVAO
Gurgurao de seda
Chcgaram pelo ultimo vapor os mais bo-
nitos gurguroes de seda, proprios para ves-
tidos, sendo lisos e lavradinhos, com muito
lustro, garantindo-se que a fazenda mais
Unda e de mais phantasia que este anno tcm
chegado a este mercado, e vende-se por
preco muito razoavel, na ra da Imperatriz
n. 60, de Flix Pereira da Suva.
CAMBRAIA CHANCA A 34MO.
Vende-se pegas de cambraia branca
transparente, com 8 e meia varas pelo ba-
rato preco de 35500, ditas muito finas tanto
tapadas como transparentes 45500, 55000,
65500, 75000 e 85000, assim como organ-
d muito fino tanto fizo, como de listas e
ernadros na loja e armazem do Pavao ra
da Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da
Silva.
ALPACAS LAVRADAS PARA LCTO.
Vende-se na loja do Pavao, as mais mo-
Gras alpacas lavrodas para lucto, sendo
muitolargasepelo barato preco de800rs. o
covado, s na loja e armazem do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da
Silva.
Cassas Inglezas a lio rs o metro
Vende-se urna grande porcao de bonitas
cassas inglezas tanto graudascomo mhidi-
nhas e de cores fixas pelo barato prego de
440 rs. ometro.garcntindo-so que 7 metros,
do um vestido para qualquer Sra. s na
loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60 de
Flix Pereira da Silva.
Bareges a 400 rs.
S na loja do Pavo
So vendem as m3s bonitas bareges transparen-
*es, | iroprias para vestidos com listrinhas a imita-
;5o Ue listras de seda, o vendem-se pelo barato
preco de am cruzado cada um covado, unicamen-
e na.bja e armazem do Pavao, ra da Impera-
Iril n. 60. de Flix Pereira da Silva.
COLCHAS PARA CAMA A 55000.
Vendem-se colchas de fustio adamasca-
ses para cama, pelo barato preco de 55,
grande pecbinclia, na loja e armazem do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
CflHERTOBES 1NGLEZES A 45, 45500 E 55.
Veodem-se os verdadeiros cobertores
inglezes, de pura 13a, pelo barato preco
de 45, 45500 e 55, assim como colchas dt>
fustao de cores, pelo barato preco de 35- na
loja e armazem do Pavo. ra da Impera-
triz n. 60. De Flix Pereira da Silva.
Madapolo enfestatlo a 8 $500
Vende-se superior madapolo enfiestado,
sendo muito encornado, para carnizas, e
tendo cada pega 24 jardas, pelo baratissi-
mo preco de 85500, na loja e armazem do
Pavo. ra da Imperatriz n. 60. De Flix
Pereira da Silva.
Tabellas vermicidas
DE
Antonio Nunes de Castro.
Vermfugo efllcaz, e preferivel a todos o?
conhecidos, j pela certeza de scu resulta-
do, ej pela fcil applicaco as o-cancas.
quasi serapre mais atacadas de to terrivel
e muitas vezes fatal soffrimento.
NICO DEPOSITO
NA
Pharmacia e drogara.
DS
Bartbomeu & C.
<*Rwa l-arga do Rosario3 i
Pennas de ema.
Vendo-ta a ra do Queimado n. 13, primeiro io Pavao. roa da Imperatriz
axkr- Flix Pereira da silva.
sas teado mais de vara de largura, pelos
preces de 51000 at 105000 a peca, assim
como finissimos organdys branco liso que
serve para vestidos de bailes, por sor muito
transparente a 15000, a vara, na toja do
Pavo ruada Imperatriz a. 60, de Flix Pe-
reira da Silva.
Alpacas tatvradaa
Chegaram pelo ultimo vapor asmis mo-
dernas alpacas lavradas com as mais lindas
cores, que se vendem a 15000, o covado,
ditas (isas tendo tambern cor de crina a
800 rs, ditas mescladas muito finas a 1:200,
o covado, e outras omitas fazendas de gosto
e moda qoe se vendem mais barato d
que em outra quaiqscr parte, no armazem
do Pavao, ra da Imperatriz n. 60. de Flix
Pereira da Silva.
Koupa* jmi-a bomveo
Vendem-se superiores palitts de panno
sobrecasacos forrados de alpaca e de seda,
camisas inglezas e francezas com os peites
de eeguio, ceroulas francezas godo, meias cruas inglezas superiores, ca-
misas de flanella e de meia de 13a, assim
como neste estabelecimento existe um grande
sortimento de pannos pretos, e de casenriras
inglezas de cores, e que se manda fazer
qualquer obra a contento dos Srs. fregue-
zes, e promette-se-llies que sero servidos
com a maior promptido e muito mais ba-
rato do que em outra qualquer parte
na ra da Imperatriz n. 60,de Flix Perei-
ra da Silva.
Cortinados
Para camas e janellas.
Vende-se um grande sortimento dos me-
Ihores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se ven-
dem a 125000 rs. cada par at 255000 rs,
isto na ra. da imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
Cretone para lenqes com 10
palmos de largura a 2$,
Acaba de cliegar esta nova e excellente
fazenda branca pasara pan lonco flu um
s panno, garantindo-se que um metro e
urna quarta ou um metro e meio d um
excellente lengol de um s panno, assim
como esta boa fazenda tambem muito
propria para toalhas de meza, rosto etc. e
outros mysteres e vende-se pelo baratissi-
mh prego de 25 cada metro.
MOCAMBIQUE PARA VESTIDO A 500 RS.
Chegou para a loja do Pavo um elegante
sortimento dos mais bonitos mogambiques
proprios para vestidos com as cores mais
modernas e que se vendem pelo barato
prego de 500 rs. o covado.
ALPACO DE COUDO PARA VESTIDO A l
Chegou esta nova fazenda com o nome
de alpaco, sendo de cordo e com mais
largura do que a alpaca, com as mais Unas
cores, como sejam Bismark, lyrio, perolas.
roso, cor de eanna, magenta etc. e vende-
se pelo haratissimo prego de 15 o covado.
ESGUIO DE LINHO DE 12 JARDAS A 10,5.
Vende-se pesas de esguio de h'nho, fa-
zenda superior, eom 42 jardas cada pega, a
105000.
ALTA NOVIDADE
A
Loja do Pavao.
GURGUROES PARA VESTIDOS A 15000.
0 COVADO.
Chegaram os mais modernos gurguroes
para vestidos, sendo de todas as cores, corno
ejam verde, azul, rosa, bismark, perola.
'xo & & tendo quasi quatro palmos de lar-
ura e vende-se pelo baratissirao preco
le 15000, cada covado nicamente no ar-
mazem de Flix Pereira da Silva, na ra d>
Imperatriz n. 60.
RETALHOS PARA LUTO NA LOJA DO
PAVO.
Vende-se urna grande quandade de re-
alhos de chitas e cassas pretas por prego
nuito barato, e quanto maior for a porco
jue o fregu comprar, mais barato se Ih*-
i-ender na ruada imperatriz n. 60 de Fe-
ix Pereira da Silva.
Grosdenaplea preto *
Vende-se um grande sortimento dos me-
hores grosdenaples pretos, tanto lar-
dos como estreitos, sendo de 25000 rs. o
;ovado at 45000 rs. garantindo-se que
'este genero ninguem tem melhor fazenda *
jue se vende mais barato do que em outra
pjalquer parte, na ra da Imperatriz n. 60.
le Flix Perira da Silva.
25, OS BALES DO PAVO
Vendem-se superiores balfies america-
nos de trinta a quarenta arcos, tendo as fi-
tas bastante largas, sendo muito fcil trans-
forma-I os para outro qualquer novo modelo,
e liquidam-se pelo barato preco de 25 cad.
um, sendo fazenda que sempre se venrtei
a 75 e 85, isto na foja e armazem do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60. De Fel
Pereira da Silva.
As J.ooo varas a 500 rs.
Vendem-se a- verdadeiras cambraia;-
francezas, cora lindos padroes e cAres fixas.
sendo tap.las e transparentes, pelo barato
p-e?o de 500 rs. a vara, ou 300 rs. o co-
vado, sendo fazenda que ningnem vem*
por menos de 7 ou 8 tustoes, e liquidam
se por este barato prego, por se ter feii
a avuluda compra, na loja e arraazen
n. 60. fh
ROUPAS FEITAS
Na loja do Leo da porta largra
DE
PAREDES PORTO.
Ra da Imperatriz n. 52, junto a loja de ourives.
N'csle estabelecimento se encontrar ra da Impeatriz n. 52, loja do Paredes
sempre um cempleto sortimento de roupas Porto.
Teitas de todas as qualidades. Como se- Neste estabelecimento encontrar o respei-
jam: paletots de alpaca, de merino, de tavel publico um completo sortimento de
casemira, bombains de panno preto, fra- fazendas e roupas que. se vwide pelos pre-
ques c sobrecasacos de brins de cores e ^os segutfes :
pard0S' M-laMi.^WlLuiiUa I FAZENDAS BBANCAS
a\MISAS E SIROCL-VS. I Madapolio de divwsas qualidades e pre-
Encontrar sempre o respeitavel publico ^ios comowdos, cambraia de 35300 4H5O0
um bonito sortimento de todos os nmeros, e 50, ditas victorias de 5fJ5O0a 42, pecas
MEIAS CROAS. de cassa liza o mais ino que ha no merca-
Sortimcnto de todas as qualidades, de do a 9*, 10#, 42. com 42 varas, e vara
30 a 50, assim como tambem sortimento de largura
de lencos de linho braacos e com barras SED\SOE LISTRAS.
de cor, chlneces, bonitas grvalas pretas e Roeebeu-se um bonito sortimento d'esta
de res. Ra da Iaperatriz s. 2, por- fazeadaqoe se vende a 2$500 o covado.
ta larga. CHITAS.
PARA_\CABAR. Vende-se chitas escuras a 280, 300, e
Urna grande porcao de calcas ordinarias 320 rs. o covado.
Ocordeiro previdentej|)|lfA| ]
Kua do UHeiniado u. 1. 111 I lili J
Novo e variado sortimento de perfumaj-ias I
linas, e outros objectos. Kua to (uamato n, 49 loja de
miudezas de Jos de Aztvedv
Mata t Silva coriheeido por Jos
para trabalho a 646 e 800 rs. cada um par,
pechincha na loja do Le5o junto a loja de
ourives.
GRANDE PECHIXCHA,
Cassas he cores a 160 rs. o covado, na
160 RES O COVADO
Chita preta pelo barato preco de 160 e
covado na ma da Imperatriz n. fia na loja
que tem um Leao pintado.
PAWs'O DE LINHO
Paredes Porto recebeu um sortimento da
pannos de linho, com 27 varas a peca e
17^000 e 180000, na na da Imperatriz n.
52,junto a loja de ourives de porta larga.de
Paredes Porto. >
GUARDANAPOS
Vende-se esta fazenda de linho, fazenda
boa a 40000 e 50000 a duzia.
NHAS PARA HOMEM
Sortimento-de meias inglezas para ho-
mem a 40886 50800 e 60800 fazenda boa.
THOALHAS
Sortimento de toafcas de petucia a '410
a duda.
LENQOS BRANCOS a 20200
Para acabar leos de algedao a 2$200
a duzia,
20000
Vara de bramante de linho
superior e
LENCOS DE LINHO
Vende-se-lencos broncos de nho a 30, tem 10 palmos de largo,
a duzia para acabar na loja de Paredes Por- -CALCAS E COLETES.
to. Ra da Jmperatriz n 52 loja da per Tem sempre no mesmo sentido un sor-
larga que tem tim Le5o pintado, de Paredes timento completo a preco oommode.
Porto.
No armazem do Le2o, ra da Imperatriz n. e 52, junto a loja de oorrves.
_
SOf FRIMENTOS O ESTOMAGO. CONSTIPACO.-
Curt eni pouca- das pelo CMvlo oc belloc em p au era pasmu.
ENXAQUECAS; NEVRAL01AS. z*** ** 4-
stpadas rpidaiiieote pelas PtHOLAt DTTHEi fcl'CUITi*.
ANEMIA, A PALLiDEZ os soBrimenlos que necessium d
emprego dos ferruginosas sio sempre combatidos com o melhor resultad
pelas pluias OE VM.LCT. Csd Pilub tem incravado o nome I1UIT.
PO OE ROG. Basta dissolver un irasco d'este p em meto
gnala d'agua para se eitter urna limonada agradara! que porga sem Ca-
ler clicas.
VINHO OE QUINUIM Ubarrmt. Este Tinho. um do*
poucos cuja composicio garantida constante, 4 urna das mi Inores pre-
paravoes de quininv, sem accao noUvel sobre os convalescentes. dande-
lhes foreas e apressande a tolla a saude. Cura as febres antigs que re-
sisti ao sulfato de luinino.
MOLESTIAS DA BEX10A. A maior parte d'esUs moles-
Man, ino as sciaticas, lombagos. catarros, e tedas as dores nerrosas em
geral sio curadas pelas PEROLAS oe csknciA OC therei ntina de
Or. Clertan. 0 prolrssor Trousseau em sen Trotado 4 tiieraptuiU acn-
seiba as pan serem tomadas na eccasiio do jantar, na doae de i 12.
OLEO DE FIGADO DE BACALHAO OE BERTH.-
Garantiiio puro e de pruoira qualrtad, dos pouoos sprovado hIi
Acai AVISO. Todos
este* medicamentos ftram aprovudes pel Academia
imperial de medicina de Pars.
RhJenetrt.
Balito..
Km Parla.
DuroMcKELLi;
TESDaara.
ae el C'v
DEPOSITO
IV FREnE, I, rs J.c,fc
Hzuuh* f Ptnumbuco. Miran et O.
Cetro. ,
Maraca t>.
VALOR THERAPEUTICO
DO
XAROPE DE QUINA FERRUGINOSO
DE GP.IMf.UlT E COMP.
aWMinieafiaiiieoa de I. A. I. o principe Vopoleko. em Valia.
A associa$8e do ferro e da quina resol veo um dos mais importantes problemas da pharmaeia,
e tai com que se congratulam os mdicos dos relevantes servicos qoe lhes presta esta pre-
paraco.
Com effeito, ningnem ignora qne a quina, em maleira medical, 6 o melhor tnico que se
possa empregar, sendo, sobretudo, unido ao Phosphalo de ferro, a mais eslimada das pre-
paracoes ferrupnosas, pois que cnlram ca sua composico o ferro, elemento do sangue, e o
phespbato, principio dos ossos.
Por isso. julgmos que, para os srs mdicos, scr5o inleressanies as observaedes feitas pelos
seos coliegas, os mais distincios de Pars:
EsK Xarope produz os mais felizeS resultados nos casos de dyspepsia, chlorosis,
amenorrhea, bemorrhagias, leucorrheas, febres typhoidas, diabetes, e quando precisa
restabeleeer as foreas dos doentes e restituir ao corpo as forjas alteradas ou perdidas. *
ARNAL, medico de S.M.o Imperador.
E urna das raras combinacoes que, ao mesmo tempo, satisfazem o medico e o doente. Em
quanto a mim? eu a considero como a mais efficaz preparacSo ferruginosa, cujo uso dos
mais agradaveis para os doentes.
CAZEN4VE, medico do hospital Saint-Louis,em Pars.
e Com esta prpparacSo d'uma tdrma agradavel, e fcil de digerir, administra-so aos )
doentes dais medicamentos importantes.
CHARRIER, chefe de clnica daFaculdade de Pars.
Eq etsprcgo com o maior xito o Xarope de Quina ferruginoso, e o considero como
ama das mais fclizes innovaedes, na mateira medical.
CHASSA10NAC, cirurgio em chefe do hospital Lariboisiire.
Este medicamento, sempre bem aceito pelos doentes, deo-me constantemente os mais
vantajoeoa resultados.
HERVEZ DE CHEG01N. membro da Academia de medicina.
A lmpidos d'esta preparacSo, o seu gosto agradavel. isento de qualquer sabor de
ferro, fazcm d'cila um medicamento to eflicaz con agradavel.
HONOD, addido a Faculdade di medicina.
Alm do comteto sortimento de perfu-
maras, deque efectivamente est provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se loma
notavel pela variedade de objectos, superiori-
dade, qualidades e commodidades de pre-
cos ; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
e espera continuar a merecer a apreciacao
do respeitavel publico era geral e de sua
boa fregueaia em particular, nlo se aras-
lando elle de sua^em conhecidumansido
e barateta. Em Uta loja encontrarao os
apreciadores do bom:
Agtia divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray i Lamman.
Dita de Cologne ingteza, americana, fran-
ceta, todas dos meihores e mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentricia.
Dita de fior de larangeiraa.
Dita des A^ses, e vilete paratoilet.
Elixir o&mtlgico para conservacSo do
asseio da bocea.
Casaaetiques de-sperior qualidade ediei-
ros agradaxeis.
Copos e latas, maiores e menores, eom
panada flna para cabello.
Fraseos com dita japoneza, transparente,
otras qualidades.
Fines extractes inglezes, americanos e
francezes em frascos simples o enfeitades.
ausencia imperial do iioe agradavel dici-
ro de violeta.
Oatras concentradas edecbeiros tgual-
meote Anosea^adaveis.
'Oleo pnitoeeme vei-dadeht).
Extracto d'oleo do superior com escoMttaios cheiros, em frascos de dil-
fenantes taw;nhos.
"Sabonetcs en barras, maieres e menores
fiara mos.
Ditos taBsparehtes, redondos e em figc-
1*K de DMSlBsBS.
Ditos muite finos em caiiinba sara baite.
Caixiohas C9tn bonitos saboMVs imitando
fractas.
Ditas de raadeira inve^swada contendo fi-
nas perfumanias, muito propri&s para pn>
s Ditas de p&peloigo#isnte benitas, tam-
bem de pertanaris iiae.
onitos asos de metal oaleridos, e de
moldes noves e elegam>5fcw com p de arroz
e feoneca.
"Especial p de arrot sem coBaposicode
ebeiro, e por ihso o mafe praprio para crian-
oas.
tiiiiata inglts e frjezapara denles.
Pos de castpliora o oatras dillerentcs
qualidades taaiaem para dtoetes.
Tnico orkital de Kemp.
A i ula otis orases.
Uta outrosonmentos de coques de no-
vos e -bonitos moldes com filete de vidrilbos
e alguns d'eltes ornados de flores e fitas.
esto> todos expostos apreciacao dequem
os pretenda comprar.
GGLLLNHAS PNUOS BORDADOS.
Obras de muito posto e perfeico.
FivHIas c filas p.ira ciatos.
Bello e variado sortimeito de taes objec-
ttos, ficando a boa escollia ao gosto do com-
prador.
FLORES FINAS
0 que de uwlhor s3 pode encontraracs se
sfenern. snhrAoiiinHn .io ^..i'...: .....^,...
orvalhados para coquee.
Para vfageni.
Bclsas de tapete e caneiras de amo, por!
precos Cjmmodos.
Chapelinas de palha da Italia mui bem
enfeitaas, e enfeies defieres obra de bom
gosto.
E assim muitos outros objectos que se-
Bigodin/io.
Evti qneimando os objecl-s abaixo ectaraoa
im'Io diminuto prec/i, a Sbcr :
Frascos com agua de Colonia verdulera a 1*.
Garrafas com agua Florida vtrdadeita, qne se ga-
ranto a I $200.
Pentes para reeacar cabello de meninas a 320 r.
Thcsouras muito linas pa/a unlias e costurara
500 rs.
Thiteiros cluios de tinta muito preia a 80,100, !(J0
c 400 rs. _
Varas de franja bran.-a de linlw para toalhas a
160 rs.
Caixas de pltosplioros de scguranca a 20. aj a
160 rs.
Navalhas de eabo de marflm c que ?e garame a
qttndade a 2|.
Libra de lita para bordar a 74.
Pecas de fita brau'.a clsticauiuito superior a/Ou
e 300 rs. ^
Xovellos delinha branca rom 400" jardas aoOrs-
Resmas de papel de peso Irso (nuito lino a 2a00.
Latas com superior banha a ttO e 400 rs.
Gaixas com seis frascos de fhfiiro muilo fino a
800 ra
Gaixas com doro frascos, fazenda s boa a $20o
c 2S500.
Priscos eom superior oleo ilocome a 500 rs.
Ualungas de sl>io transparente muito bonito e fi-
no a 240 rs,
uzia de \-.'~ de pomada do Remo, da melttor
qualidacb a 240 rs.
IVeas de Vtras bordadas muito finas a 1*0, &w
80ft rs.
Ditas de babailiithos eont dez varas a 600 rs.
CorriTcis de linha dewuas as ceros, para awbar
a^rs.
Garrafas com agu: divina a i$50%
Frascos com supertor macaca parata a 320 rs.
Caixas de vidro vale dinheiro a 200 rs.
Ditas de madeh-a com affaMes, o que ha de mb-
Ihor a 310 rs.
Groas de lioto.-^ de leuca, lisos e bordados: a
160 rs.
Caixas redondas para rap milfando tartaruga a.
150O.
Pecas (te fita para eos da meUkOf qualidade >
Escoras para limpar denles, bzeada que s a v;A
la a 240 rs.
Ditus para limpar uuhas de supe! ior quatkladc
500 rs.____________________________;__
Vrnde-sc uin e>:eellente piano com pnncmj
uso : na ra do Vigario n. 3o andar.
ESCRAVGS FUSCOS.
nlii <|>
lar r%
lOOS de ^ralilicaeo .
Fupiono dia II de Janeiro do coirenteinai j.
do engento Balaiura, freguezia da Esrada,* i -
rravo preto, crioulo, de 24 annos de id:ide, di a -
mado Marcelino, que oi do Sr. Joao da Ceri ft
Pereira. cajo eseravo esteve na deposito geral, v.
tem os signaos segnintes : alto, seceo do r>r>ji(r
rosto mito marcado de bexigas. falta de Vn te
na frente, cor preta, sabio 4erh-pt'o do cn'le,
letoi e calca de castor, levando um 1 ..luizmfc
(landres eoru niai* roupa, e snppfle-se estar
freguezia lo Cabo : t}Mm o apprebeMtv levr^i
ao dito i '-l-tiiu. ou ra da 8tnzala-nova n. ,':3,
escriptoria Vi Sr. Bernaruino Eojittial, .que reca-
ber a gratifica eao cima,
Pogio do engetih^JaT-oWaTnlTar.ii (| K
bo. an amaidiarer do dia 13 d) carente m.z
anno, do abis asignado, um escrav i.rm *
nome Antonio. ctaAerido. por Canda, idade de *\
UU) ann s. ponco mais ou menos, alto, pe* ch.s-
sos, tem tima das /unhis do me.-n.o un Donen"
giossas. andar baiuein, levando rbapA de fptm>
j usado, camisa de ahc-ulao azul e-onmla de >!
godao aniencano. enjo eseravo velo de Kuiuoe tia-
ra Pao d Albo, para onde, raga-so a qualquer auioridade policial (,u taba
de canpo a captura do KWrrno, levando'^
engenlio acuna, ou a ra d- Caldeireiro n 4" a,
sera generosamente graliticado.
______ Anlimio Carneirn fjn.s
um
Fngio de tundo
e Mello.
do pallialioie rianunal Amut-
ro, um mulato claro de nome Justino, pafainri ro-
gular, cbelos farapinhadps e meios rom ,VJL
barba, tem unta piula preta no rant.i do olbo direi-
to e um talbo as rustas ao mesmo lado
vestido camisa de chita com lisias
de urna cinta eom borla encamada
as ealsas, natural de Santa Amia
rao presentes a quem se-diririr dita loja! provincia'do | do Cordeiro Previdente anudo Queimadt
n. i.
ENPEJTES DE PALHA PARA VESTIDOS,
CHAPEOS E COQUES.
O Cordeiro Previdente ra do Queima-
do n. 16 acaba de receber nra belfo sorti-
mento de trancas de palha para enfeites de
vestidos, outras para chapeos, coques ele.
ludo isto est sendo vendido com a sua bem
conheeida commodidade de precos.
ALEM O'AQELLES.
Recebeu outros lindos enfeites de seda
para vestidos ; assim como um variado sor-
timento de jalloes de ia, babadinhos de
cambraia com bordados de cores, cuja va-
riedade de gostos os tornam recommenda-
dos e apreciados ; comprelo pois os pre-
tendentes'que sero servidos a contento.
TO BEM RECEBEU.
Novo proviment de bicos e rendas de
guepure.
LUVAS DE PELLICA.
De todas as cores tanto para liomen
como para senlioras, constantemente achar-
se a venda na loja do Cordeiro Presidente :
ra do Queimado n. 16.
. levos
v'er'.;?, p t"i
para aportar
ilo Matto na
. ra onde talviu
qnetra ir. tambem muito drtembaracado no fal-
lar. Recommeiida-se nos tneaires de 'barrara '
a qualquer pessoa t|ue n agarrar, e levar a rr*
do rrapiebe n. i u a bordo do referido navio ano
sera gener. smente pi a titieado. '
a
JkJILlIU f LU
Fngio no da 21 do pcente mez de marco
eupenlio Craeaipe, fresue/ia de Agoa Preta o o
pravo de nome Joaqnim, idado 25 annos. criouro
cor preta, estatura regular, testa grande, olhos'
alumacados, denles liniailos, e tem ns dedos poln-
gaes dos pos voliadns para fra, sabio conr cha-
peo de palha do Chile, levando um bainj peiir/--
de ralba de Fhmlres. Ha certeza .le que o dito
eseravo aeguio para a ciade do liecil.-, etubai-
eandooarstacao de Ganelcira en tundotren
do caminio de ferro : quem o ppprehennYr que-
ra leva-lo ao meneionado engenho, a entmarv
seusenbor o te tiente-e.ronel Peilro Francisco*!
Albpquerqne. ou po Recife ao Sr. Antonio J-^
Leal Res, esripCnrln a ra da Cadeia n. 4), tm
sera generosamente gratificado.
Deposito em Pernambuco. em casa de
O*.
CAPSULAS VECETAES
coitl MATICO
DEGRIMAULT E Cf PHARWACEUTICOS EM PARS
Catas capsulas, com capa de gluten, Anteen) o baiaamo de copabiba associado eueneia (W
tico farvore do Per), e constnuem um remedio innlivel contra a gonorrna. Ellas obrlo
sem cansar o estomago e no provode nunca os enjos e nauseas qne occasionao as cptalas
ordinarias, tendo a immensa vaniagetn de no communicar cheiro as ourinu. K' por estes mo-
tivos que ellas sSo superiores s capralas de copabiba, cnbebas. etc.
Deposito'em Penambuco,tmeasadeMaata,.o*.
Madame Adour tem a honra de parti-
cipar ao respeitavel publico que recebeu pelo
ultimo vapor fazendas finas de muito gosto
como sejam:
Vestidos de gase de chamberj
obra rica
Chapeos para senhorase meni-
nas
Mantilhosde renda preta
Casaquino de guepure preto
burnous
Baloes brancos
Vestuarios tle fustao para ho-
mens
Ra do Imperador l.-andarn.
23
Fngio no dia 24 do crreme, do. sitio da eV-
trada dos Aftlietos n. 17, urna preta crioula de'
nome Ignoz, deidade 17 inn*, alta, bem pareci-
da, levon una porcao de roupa e algom dinheini,
consta qne foi sediuida, e o abaixo a>sign*di< pro-
testa contra quem a tiver em sen poder : ruga-M
a ptilicia e aos eapilaes decampo a sua appreheti-
sao e levem-na ao mesmo sitio ou ra da Ca-
deia Velhan. 1, que serao pagos de lodo osm
mbalho.
Jos Goneatves Torro.
.'< ">.. &'<*:?-.
HPH0SPHAT0m.FERR0
Debao da forma d'um liquido sem sabor,
logo ma agua mineral, este medica-
ferruginosos; por esta razio o adoptaro
----- mais eminentes mdicos rto mundo in-
teiro. Loo*em muao as meninas de (emparamento delicado, cojo desenvohimento tardo
s senboras qoe padecem dVetas dores d'eatomafo intoteraveis, cansadas isela ehloraae!
anemia, mensiruacao ou leucorrba, as enancas d'uma comaleicio paida ebeada ea
todas es pessoa que tem o sangue empobrecido pelas doen^as. Efbcaa,'rapidez d accao.
rara perfetM. sem eoB*iipco de veutre p aeco aabre os dntes, taes sio as raieaToue
imperio para qne os aenhores mdicos JKtcrevio ao seas doentes. ^^ ^
Deposito ea Pernambuco, em casa de fiae O*.
' '^n '' -^> W"0. v.v r.
VINHO DO PORTO
Chegaram differentes qnalidades no de-
uosito de vinhos. em casa de Theod. Chris-
liansen, ra da Cruz n. 18.
Para encauamento d'agua.
Canos do ferro, ditos estatihados, ditos forrados
de porcelana, todo* com as competentes torneiras.
corvas etc. : a ra do Queimado n. 31.
Barato que admira.
Maiteiga ingleza flora.UVOO a libra, dita trn-
cela a 14, cha miudo a 3*100. dito graudo a 34,
caf a 120 rs., sabio a 180, aloisia a 2U), arroz a
100 rs., passas a 410, idem quartos eom 6 libras
por iOO, vinho a 400 rs. a garrafa, azeite doce
de Lisboa a 900 rs., caixinhas com ameixas, pan-
sas, figose peas, proprias pau mimos a i000.
latas com doce a 800 r?. : s na esquina da ru
da Peona n. 8. *
. Escravos fnddo.s
Fugio no dia 22 de f-vereiro prximo patrio
ires escravos, da cidade de Carnani, pertenfeBtea
ao abaixo asignado, cujns ewrirvos leeni os sig-
naes seg intes : um mulato de nome Bencdirb,
idade 28 aonos, |K>uco mais ou menos, eerno re-
gular, barbado, tendo falt de deutes na Trente ;
urna mulata de idade 22 annos. de nome Dina,
ninlBer do mesmo, secea do corpo, pescoeo tino,
cabellos cortados rentes, denles perfeitns, olhos
vivos, a qual conduz tim lilhinho qne vai andanda,
de nome Nicanor : roga-se as autiidaiies poli-
ciaes c rapitaes de campo a ipprehensao dos mea-
mos escravos, os qnaes sendo entretue na mes-
ma cidade de 'aniarii, ou no engenho Firmer.; M
freguezia da Escada, sero genei osa mente raanm
pensados.
Antonio Bezerra da Silva.
/cha-se fgido desde sabbadu t7 do Corre V
te o pre'o meio fula de nome Secano, de iiladi
18 a 20 annos poueo mais ou menos, lema cami-
sa de madapolo, cale* de brim e chapee de fe4-
Iro j asado, tem os signaos segoinhs : esUtnra
regular, bem feito do corpo, vesgo Je um albo,
lem um braco junto ao hombro mais eco que T>
ootro, fugio do engenho Limoeirinho do termo A
Escada e palas noticias dirigie-separa essa c da-
de para onde f,.ge j segunda vez disfareandn-se
em ganhador : roga-se as autoridades competen-
tes a cipturado mesmo, ben como a iialnivr
pessoa quo o pegar e o levar a sen senhor no '"-n
ongeoho a J.ts Goncaves da Rosta oa net
praca na ra do Livraweiito n >i, sci bem ro-
enmpensad.
Aflw-se fgido desde domingo de enlrnd o
moleqne de nome Tito, eom SI annos de idade,
estatura regular, olhos afnmacados, rom todos os
denles, esperto e bem fallante, tem no estomago
urna cicatriz de urna quoiinadera iMitraa, 'e i
um dedo da modireita alegado ri ct*siqoeBU
de um pauaricio ; co |w esquerdn mais grcfso
do que o direito : quem o apurehender leve n a Afogados, rasa do Dr. Josd Robert'i de Morarse
Silta, que indicar a casa de seu senlu r. quo re-
compensar generosamente.


MTTERATURA.
A ILH.% *#B CHUT*
(CotUinnacao.)
A verdade histrica, que esta tora das
tirites e dos entusiasmos precipitados,
fez um deVer reconVcendo, que prtmdo
n"esta poca, o sulto de ConstanImopla,
'bdulMedju, e principalmente .seu soeces-
, ,r, Abdql-Azis, entraram no caramho i -
Imito -arto mura vez sot a autonddde rr-
nedita do sulto, leve parte as vaota -
*hs do' novo systema de governo. Re-
formas e promessas maiores anda nao Bl-
ferain! Apelar dist, um odi instinctiv >
do Taren e um. Velho amor d'mdepedencn
itinuava a fermentar no coraoaodos Ca-
diotas. AHi wrtslftm elementos sempre
frovos d'iusurreicjk). .
Nao havia em 1850 outro pretexto eftec-
t?vo o seria para ama suWevaco contra a
Porta; mas a ambicio helleniea, appoiada
na poltica -russa soube acba-lo a geito.
Gracas as influencias e. as excitaces cs-
trangeires, urna era msurroico rebentou
emCrela em I8BG. O velho grito da in-
dependencia retena as montanhas cretense:).
Liberdade ou morte! Os sobreviven; s
de 1851, estes velhos Sphakiotas mdoma-
reis, e que nao estavam acostumados ao
descanto, desceram de seus rochedos a
flanicie empuhando as armas e vestiiflfo o
rag'pitoreseo do combate. Os filbos das
victimas da primeira guerra tomaram o fus
paterno ; a luta compon de novo.
Um voluntario francz, M. JuJes Btelo',
passou no campo dos Garibaldinos para o
dos Candiotas, ctieio denthusiasmo na par-
Ha'e desilludido na volta, escreveu a his-
toria da nova insurreico cretense, narra-
rlo imparcial de feitos mal conhecidos at
ntlo pelas noticias dos jornaes, e que os
docnmeatos diplomticos recentemente pu-
blicados vieram confirmar.
A opinio publica entbusiasraou-se tora
de tempo pela causa cretense, e nao per-
? ceben a questo poltica que eslava em jogo
t detraz d'um falso sentimento liberal e hu-
w manitario. Vio Cretenses onde s havia
, Gregos, Garibaldinos e Rusos, e o inte
resse de sua libertaco Ihe oceultou as
0-awas empresas da Grecia e as maquinace-
mais desloaos da Russia. Hoje, pode-so
preciar as cansas da insurreico cretense,
e melir o novo perigo que resulta d'isso
lira a paz da Europa. E' preciso exa
minar um graw episodio da qnesto do
Oriente, e talvez o principio d'uma grande
guerra,
O prmeiro acto da insurreico cretense
foi..um requerimento dos Cretenses, diri
gido ao sulto no mez de maio de 1866.
Este documento continha urna serie de
rechmaces cojo resumo tirado dos jornaes
gregos ah vai :
i1. Reclamaces contra a venda de di-
rimos, prejudicial ao? adjudicatarios t
aos coatribuintes ;
2*. Contra a desigualdade d'impostos ni.
i!ha ;
:t\ Pedidos de previlegios a favor dos
Sphakiotas;
4*. Queixas contra os ltimos tratados
de oommercio ;
5*. Pedidos d'entradas novas o repara
oyes das antigs ;
6*. Pedido da.approvaco pura e simples
da nomcaro das' pessoas designadas por
e.'les para farar parte dos ronse.lhos admi-
nistrativos ;
7\ Pedido d'um banco agrcola ;
8. Queixas contra a aceb dos tribunaes.
Jfc, Pedido para se escrever todos os
autos em grego*;
10*. Reclamaces
'.cus compatriotas ;
H" Pedido de autorsaco
trangeiros abrircm escolas ;
12*. Pedido de abertura de portas novas
hi illia.
13*. Quixas contra a offensa liberdade
do consciencia;
Este sabio programma to pouco em re-
hcao com os costumes simples e primi-
tivas dos Cretenses, onde pedia-se para a
FOLHETIIW
OS BIAI1S DE CAYim
Iba estradas, portas, escolas, tratados de
eommercio, bancos agrcolas, como n'um
estado ondea eiviliseco moderna e_a ero-
nomfa polHica tivessem penetrado, tfao po
ditvir d'estes montanheses guerreires e
d'estes camponeses trbalhadores, que
nunca souberam pedir%itra couza senoi
a liberdade. com as armas na mov Esta
lembranca inverosmil, e d'uma origem
grega, levadas aos Candiotas, fui todava o
pretexto da insurreico.
As qneixas- contra as offonsas da liber-
dade de consciencia nao oxitiam mais na-
quella poca: Creta, diz M. Ballot, est
c
ziam o jogo de urna o outra. A repblica. derem-se com o comisario ServerKffeh
dos Estados-Unidos e a Italia mostravam-se di sobre o motivo das reclaraacoas. A as-
igualmente favoraveis oauta dos Cfndio- ^bablia feial ofp-se. ve, por um d-.cre-
tas, a primeira fft um saerolo ihetorlque a
leva desde algirtn looipo pam o Uedmerra-
neo, a segunda por urna d'essas aspiraces
duvida "a v6Ka de Canala aVefteza;
cnsules em Canoa trabajjiavara em
quencia fisto.
Assi
anjand
abin
"seus
consij-

contra a priso de
para os es-
\s, di 1 i (fc feoreiT(i d* 1867, constituio
flKgSvernJ p*\-isorlb 'composto de oito
membrps, pa/a organisar aviosurreicao e
extravagante que llierfazwm eenhw jerar proveras saasH>reei5es. jAs^arnicoes es-
coberta a igreja, de capellas e do mos-
teirosT... A tolerancia era taminha e
to 'hnittida nos oestumes. que os chris-
oseos MustilmadBliabitavatn eracoai-
mum.nas mesmas povoaces, sem dis-
cusso, sem conflictos, contundidos, as
reunies da noite, aproxioMindn-e' lado
a lado de suas igrejas e de saas mefequi-
tas, sempre visnbas.
Os Cretenses, a quem este programa foi
entregue, isto os christios d ttontanhas,
dispostos a pegar as armas, comprehend^-
ram onicamente que isto era para ellos um
meio de se tornarem livres dos Turcos.
Fizeram pois urna declaracio de guerra. A
resposla da Porta fez-se esperar muitAs
mezes, e as hostilidades comecaram n-otna
parte da toa. Pde-se ver ento e< tfcp d'onde veio a idea do insurreico, e a parte
poco importante que n'ella tomaram os
Candiotas.
Na verdade, como dizM. Ballot,oprogram-
ina chamado As reclamtpdes dos Cretenses,
era (obra do-gabinete grego e do S. ieters-
burgo, elaborado como o do 4856, nao s
para fornce* um pretexto aos Cretenses e
motivos Europa de se intrometter nos
negocios da> Turqua, mas ainda para por
esta potencia em cheque na o"pini3o, e para
permktir aos Russos e aos Grego i la-
mar contra a oppresso e a bartaria.)
A insurreico estava preparada d'aute-
mo. Trabalhava-se activamente de ra
para sublevaf as poplacoas christaas, e
para entret-las as ideas de revolla e-de
independencia.* Procurava-se illudi-las com
premessas patriticas, e anima-las com
promessas estrangeiras. Os jornaes gregos
e russos narrm-am as prentendidas cruel-
dades dos Tarcos; m excessos de um nfi
admnistrafo as miserias da ilha; dejlara-
vam Europa^iqueixas dos opprimidos.
e dirigam aos chrisios appellos provocan-
tes. As coramislnes insurreccionaes, of-
ganisadas em Atlftnas, enviavam ilha pro-
clamaces, armas, munces e vveres; a
commisso central'-de acord com S. Peters-
burgo, Nova-Yoi#. Londres e Marselha.
recebia fundos destinados obras de be-
neficencia que defciava as despezas
guerra.
Todos os dfls no*Os voliintarios alistados I
pelas commisses com as stibscripces na- j
cionaes, ou aventuraros vindos ta Hungra.
da por ca^ dK'ei
me pila djplnmeia
pirad"pTf d^inacies helnicas, sustidaT3a pf^mavera, restiiuio a esperan;;
no estrangeiro pelas'paixes revolucionarias', [mo aos raros insurgentes. y,on,p
du pelrts" itnusiasmos-clasicos, provida
de combatentes no exterior pela ireeia.
de armas e de viteres; a insurreico re-"
bontou em Creta, sem ajee1 os insorgentes
mesmo cortheressem a rs3o, e sem que
elles tivessem um pretexto-pessoal de en-
trar em re*Ka contra a Turqua.
r Eu acreditava, diz M; "Ballot, comb to-
i liosos que se tinham exaltado ppfas
Ipitros aos jornaes gregos-, nos abusos
do pokr, na tffrnmm, nn' bnrhmn do
* govetno ottftinwf), ejqnei admirado de
saber que suas relaces com os Tbwos'
eram qoasi rn^Hlis. que elles estavam li-
vres 'dV serviro militar, mediante urna
paquerta fenda. e que a'tinior reclama-
C era contra um imposto que queram
t por no vinho.
A resposta- do Dican ao remierim^nto
dos Cretenses foi negativa. Os insurgen-
tes esperavam-na armados n'uma planicie,
nos arrabaUles;Cane onde se tinham re-
unido IsiKa**-Paclia, governador geral da
ilha. inlimou-os a render-se.
palliada* e dimmuihs, comecaram de novo
as hostilidaies em alguns lug.ir^., A pro-
elamaCS de tmnistia que tomaram por um
arto de 'fraquesa da Poit u o I mato que co-
uAva a espalfcaivse entloih irHervenco
das peteucias^uaupeas e a.- ppjttimaro
ac ani
'Diante desta re-
sistencia, e vendo todos as suas tentativa*
de concJlic3n, malogradas pelas intrigas da
Oi-cia. a Porta resohcu recorrer de novo
fa forra para completar a submisso da
ilha."
Omer-Pacha, o mclhor general do exer-
cito turco, Ilustrado pelas felizes recorda-
ces da guerra da Crimea, desembarcou
em Canea, no da 9 de abril.
Logo que chegou tra'.ou de promover vi1-
gorosamente as operafoes da campanhat
dirigind ao mesmn tempo c por diversas
partes tres corpos de exereitoj para blo-
quear os insurgentes do oeste. A i"""
reirb foi Creada por todos os lados.
este tempo, a diplomacia europea co-
mecou a oceupac-se com os negocios de
Creta. Os relatnos dos cnsules dirigidos
aos emba xadores de Constanlinopla, todos
desfavoraveis Turqua pelas raz's polti-
cas, que j se vram. trouxeram a interven-
co das potencias. O cnsul de Franca
mesmo, ap.;zar de sua prudencia e de sua
refclirtSo, deixou-se seduzi iVs bolletins
gram-visir voltando a Constanlinopla diri-
gi ao Sulto gmrelatoro cireimslanciauo
da admiistatflo e da siWaco pacifica da
ilha.
A insurreico poda ser considerada como
coiNiMis^on^ral fgitfacaM Af wnAas
emigradas em Athenas pe sua volta a
patria.~-AltniftaVgirarmro.!S*tre ittshrgentes
sob o commndo. .-4o ZiibracajciS esUvam
anda nos montes e. nao tinlian dapostuas
armas. Nao era fMMtiiO iMfc-'' gratas as
pjriidas macninaces da Russia-e da Grecia,
para renotaivas plcturbacie^ pflnciaas.4q^|
ebentaram no fim do annt) de 1868. Dsta
rcz a Turqua. ho'Jv*s6 coma verdfldeire
inimico. feomifitmr-se-hn)
de escaramucas; os Cretenses emboscados
nos montes tiveram inuitas vezes a vanta-
gem contra as tropas regulares.
A immensa maora dos habitantes, onde
............... M- ------- 1'^--------------->---------------- ""--------------- *J.
Giles recusaram. Ento comecon urna daassembla nacional, e pelas nrranos
exage#das dos jornaes, e nduzio seu go-
verho o erro. No principio da insurreico
as instruccoes dos agentes diplomticos
da Franca eram claras e poiitiva*; coaspr-
avia um trco de Musolmano, os chrisios mr n integridad^ da Turqua, deixar-lhe
sua liberdafk de acedo na fqpessfl d'ium
rerolta interior.
Mas em pouco tempo apoptica dogoverno
francez mudou< por um falso- sentimento de
huraanidade ao qual a arrastou a Russia, o
o abandono de Creta foi considerado como
das cidades e das planicies nao tomaram
parte na revolta: o centro e oeste da ilha
estavam calmas. Desde o principio mis-
ino da insurreico, os temiveis Spliakiotas,
os mais terriveis campies da independen-
cia ; os primeirqs, quem se fez appello
POUCO DE TUDO.
DEM0N9Td\<:A0 FESTIVA PELO TRI-
MPHO DAS AM\S BftASILEIRAS. As-
sim como n'esta cldade no dia H db de-
zembro de 1867 se fizeram na igre]a da
Conceico preces -solemnes pelo bom e
pompto resultado daglorhza empreza em
que se achara empenhado o imperio do
Brasil na desastrosa guerra com o Para-
guay:assim tambemrtodia 2 do corren-
te mez (dia de N. Sehbora da Candelaria,
insur-^-que to solemnemente se festeja no Rio de
Janeiro) teve lugar nesta tnesma cidade, e
na referida igreja a^aceao de gracas pelo
desejado remate daquella guerra, e brilhan-
tes'triumpbos das armas brasileiras.
0 vice-consul daquefle imperio nesta ilha,
o commendador Joaquim Antonio de Men-
donca e Menezes, tq apreciado na corte im-
perial, e t8'b%rfcWiceitaado pelo seu bom
s.'ivco perartt o conselho de ministros do
imperador D. Pedro 11. nao se demorn em
promover a congratularlo e acto solemne
pedindo.para elles privilegios, fizeram sua^ecessidade pelo sulto. Foram dadas or-
submisso. dens ao almirante Simoemjulhode 1867,
de accordo com o almirante, russo. de
O velho MiustaphaPacha, cuja admi-
nistraco outrora ti alta sido to moderada
e geralmente agradavel aos Candiotas, foi
mandado outra wz a Creta como governa-
dor.' fim balde tentou elle a calma a re-
volta. Osangue tnha corrido, as paixoesl
estavam sobrexcitad', nada poda mais pa
rar os horrores inufHs da lula.
Croa assembla nacional foi constituida.-
Esta BprescntacSo irrisoria de um povo
da J que (|reriam tornar livre a seu pesar, com-
' puniese de seis individuos.
Foi tomada ao serio na Europa: alm
disso ella decretava e rdigia bolletins de
victorias ficticias.
da Italia e de Franca, ao redamo da pala-
vra lihrrdade, desembarcavam na ilha e su-
blevavam os habitantes. O consulado russo
em Canea era um dos principaes centro?
da revoluco; all se redigiam as corres-
pondencias dos jornaes gregos reproduzidos
no estrangeiro, ali, tambem, che^aram as
miSsotS secreta/de S. Petersburgo. Todo
cretas (
ag^ia
o dinheiro agiflfciado pelas commisses de
Alhenas nao vinha da Grecia, onde o estado
das (mancas nao pcrmtlio anda' terminar
cinco leguas de camnlio do ferro entre
Pire e Athenas, nem de esgotar o lago Ca-
paio.
A Grecia ambiciosa einsaciavel, nao con-
tente de ter reconquistado sua nacionalidade
e sua independencia, achando-se muito
aperlada nos limites geographicos dos trata-
dos de 1830, offerece soccorro Creta, em
nome do hellenismo, e aspira a incorpo-
raco da mais bella e mais rica das llias do
archipelago grego. A Russia de seu lado
(prompta a explorar) as ambicoes nacionaes
dos pequeos f>ovos do Oriente, ou as quei
xas dos chrstos, prosegue lenta o surda-
mente no plano de desonganisaco do im-
perio Turco; de tal forma qu os candiotas
levando insurreico eram do mesmo tempo
victimas das aspiraces turbulentas da Gre-
cia e da poltica secreta da Russia, e fa-
POft
Elie Berthet.


Os eoacessiouarlos.
(Contmuaco do n. 7)
Margarida contemplou Josephina fixa-
mente e sobre a sua physionomia perpas-
sou um nao soi que de tristura, mas isto
to rpidamente como o relmpago. Logo
as feices se illuininaram de urna alegra
sincera, immensa, exclamando impetuosa-
mente :
A menina Bertomy f Pois possi-
vd ? Podem os anjos vir assim manso
dos condemnados ?
Nao son arijo, Margarida, nem no
mundo ha condemnados, porque a piedade
e o arrependimento podem beatificar os
convertidos... Ento nao quer abracar-rae ?
E a virtuosa joven abrio-lhe os bracos.
Margarida fez um movimento como quem
se a precipitar n'elles, mas deteve-se re-
pentinamente, e, catando de joelhos a seus
pite debulhada cm lagrimas, exetamou :
Eu nao mereco a Deus tanta ventora,
-mtjtha boa e santa amiga t Abencoado o
dia da sua entrada n'esta casa, onde nunca
3 sua imagem cessou de existir I Quando
olho para o passado, antolha-se-lhe sempre
um vulto compassivo> sereno e radiante
como o da Virgem ; o seu !... Quando
todbs me repelliam, amaldicoavara e odia-
vam, s encontrei a seu auxilio, a sua
compaixo, o seu conforto! Foi a sua
recordaco que me fe^ horrorisar das mi-
nh^s faltas e me encamiohou para o arre-
pendimento t
Josephina, ergnendo-a, cobrio-a de bei-
05. apesar da sua resistencia-. A pobre mu*
ther estava suffocada pelos soocos.
-r- Coragem, boa Margarida ; esqueca
to doloroso passado Diga atguma cousa
a cites senhores, que Ihe nao sao di, todo
estranhos. E' meu irmo Miguel e o ca-
Sito Grandval, fimo do Sr. Grandval "da
e.-Vieille.
A mulher do forcado, dirigindo-se aos
dos mancebos, balbuciou ^Igumas. pala-
vms inntelligiveis, porque todas a* suas
ideas convergan em Josephina.
Eatao, miaba amiga, disse esta
fallc-me da sua sittiagao presente. Creio
que tranquilla e feliz, no assim?
Mais feliz do que eu mereco res-
pondeu Margarida submissamente Vive-
mos aqui na abundancia ; tenho um mari-
do bom, econmico e laborioso. Como eu,
commelteu faltas, porm guardamos silen-
cio sobre o passado. Somos bem vistos
por toda a gente, salvo alguns mal inten-
cionados que ha por ahi ; somos visitados
frequentemente pelo Sr. abbade, pelas
boas religiosas e pelo proprio Sr. governa-
dor, que todos nos animam com palavras
consoladoras... Todavaaccrescentou ella
em alegre arrebatamento nao sabe ainda
qual a nossa principal- consolaco I
E, correndo ao quarto prximo, voltou
logo, tra '.endo nos bracos Urna creanca de
oito ou dez mezes, gorda e corada, que,
posto despertada era sobresalto, vinha
sorrindo-se para sua mi. Margarida apre-
senlou-a a Josephina, dizendo-lhe :
A assambla deeAarou solemnemente que
a slberania da Turqua era para sempre
abolida m todo o territorio de Creta e
proclamava ao mesmo tempo a uno
indssluvel esterna de Creta com a Grecia
para q sceptro de Jorge I. i Acrediton-se
verdafloramente que toda a ilha so suble-
vara va saecudir o jugo dos Turcos. A
insurreico era activamente entretda polas
commisses gregas: dous-navios piratas, o
Areadi e o PanMttaibn abasteciam n-ilha,
apezar do cruzeiro turco, os jornaes de
Athenas, a Grecia a lnitpemlencia hetleni-
r.a, o lnrreio '!> Orienta connuavsm a pu-
blicar atrocidades los ferozes Turcos, e as
victorias dos insurgentes.
Promessas, socorros, animaces nada fal-
tava aos Candiotas. Os hroes desta guer-
ra, Zimbracabris, Coronos, Petropoulaki
faziam o papel de libertadores da Gre-
cia.
Entretanto as tropas turco-egypcias, aju-
dadas por voluntarios Musulmanos, come-
cavam a senhorarem-se da insurreico e
oceupavam os pontos principaes.
r u i proclamago do sullao, no mez de
Janeiro de 1887, veio prometter a amnis-
ta plena e intera a todos os insurgentes
que fizessem sua submisso, c pedia a no-
para enten-
meaco do delegados da ilha
E' a mmha filha. Nao a acha bonita?
Eu e meu marido somos loucos por esta
creanca abencoada, que Dius na sua mise-
ricordia se dignou enviar-nos !... E sabe
:omo ella se chama ? Josephina. Pareceu-
ne que o seu nome Ihe seria de bom aus-
picio, como o de'to virtuosa creatura I
Agradeeo-lhe muito a sua delicada
lembranca, porm esse nomo nao me tem
sido propicio !
Mas que cabeca a mnha I interrom,
peu MargaridaHa que tempo estes senho-
res aqui esto e eu sera ibes offorecer al-
?uma cousa I Creio que nao recusaro
um copo de eidra.
Cidra, aqui ? exclamou Grandval
Pois na Guianna ha macas ?
. Margarida, sorrindo-se, $ahior iregressaQ-
do inmediatamente. Collocou sobre- a mesi
alguns cppos e um grande vaso cootendo'
um liquido espumoso, de cor loura e eflee-
tivamente muito seraelhante cidra de or-
mandia. EsU -bebida, feite com aguae
suco da cana doce por meio da fermenta-
permitta a Virgem poupar nossa filha a sof-
IVimenlos como os que sentimos I
Durante esta conversa, a chuva, que ca-
hira torrcncialmente, cessou de sbito e o
sol reappareceu cora mais brilho do que
anteriormente, e quando Margarida, esfor-
cando-se por moderar a sua impresso, ia
mostrando ar agradavel para com os hos-
pedes, a porta abrio-se de repente euma
voz rude exclamoo:
Com mil diabos I Quem faz aqui
chorar minha mulher 1 Nao sabem qo.
ella anda creando urna filln, qual podem
prejudicar os dissabores da mi ?
Lefrancois, que acabara de fallar, era
nm horaem de estatura elevada, robusto,
corado e de physionomia mais grosseira do
que antpathica. Vestia camisola e calca
grossa.e na cabeca trazia chapeo de paHia
de abas largas. Vinha descalco, o que im-
pedir de Ihe ouvirem os passos. Parou.
olhaodo desconfiado para os desconhecidos
que va all quando Margarida Ihe disse
cora ternura:
-Nao te inquietes, ni3U amigo. As
mnhas lagrimas sSo de alegra f... N)
te tooho fallado muitas vezes da menina
Josephina, boa e generesa creatura da mi-
nha trra ? Pois aqui a tens na tua pre-
s$Q$a, bem como seu irmo MigiWl o 8r.
l'edro Grandval, capito de navios, filha d um visinho men. Nanea esta casa recebes
la a bons hospedes !
O degredado, ouvindo estes promenores,
mudou de aspecto. CoMocou atraz da por-
ta *n instrumento agrcola- que *4raia, e,
tirando o chapeo, disse eom toda a attea-
C3-:
Muite-bera. En- 'n*.sabia; estava
mesmo longe de o suspeitar... E' verdade
que-mitas vezes temos fallado da menina
Ji)sepbma e fulgor muito de a ver aqu,
assim como a ests senhores, aiada-que
esticaa insufficiente...
In*Ute depMft, iutebelra oa ama coa-
versa sobra cousas do paiz, e Grandval disse
a Lefrancois que, sen oflm da sna vi
com o almirante, russo,
transportar a Grecia, as familias cretenses
que as perturbacotss tinham expedido da
costa : medida hlprevidente que redusio os
refugiados raaor miseria, n'um naz 0:ide
nao acharam outro acolhimento seno a in-
diferenca. tant i era egostica a parte da
Grecia na msurreico cclense.
Apezar das diSculdles da empresa.
Omer Pacha conseguio cercar e dispersar as
guarnices ; mas ellas reformavam-se, sem
pro nos montes, onde era difficil apa-
uhal-as.
A insurreico durava ainda.
O serda-eerem Omer-Pacha, cuja energa
noera sem vigor, parado pelas besit5es
da Sublima Porta, que as grandes potencias
accamulavara de consettios e do represen!a-
co8,! desaprovado algnmas vezes por sen
proprio governo. diminuto os ataques, e os
insurgentes tomaram a tomar algumas po-
sicoes vantajosas. A presenca dos navios
Crncezes, Italianos, rus'sos, prussianos o
americanos as bahas transporte dos emigrantes, os animava a
resistencia e Ihes fazia esperar cedo ou tar-
de urna intrvncao armada.
JfPorta resolveu ento abandanar intei-
ranMnte osystema da repress), e substi-
tuio no m;z d'outubro, Omer-Pacha pelo
gram-visir Aali Pacha. Este ejffCpu-se por
estabelecer urna annistia, por medidas libe-
raes e reformadoras, por urna mellior ad-
minstraro da ilha, a iinde restabeleccr a
tranquili Iade. Todas as concesso foram
fetas. Um decreto publicado depois d'uma
proclamaco aos Cretenses, da tosas as sa-
tisfacoes desejadas. Os habitantes acolhe-
ram fayoravelmente estas boas disposico >-.
a maior parte s pedia a paz. Ento os
principaes chefese os volunt trios estrangei-
ros abandonados pelo voto qnasi unnime
da populara), deixaram a ilha nos navios
europeos. Em alguns mezes a ordem se
restabeleceu, e no 1. d mareo de 1868, o
de reconheermento para coro o Todo-Pode-
rbso, pelo deferiraento das preces, que,
com tanto fervor, se haviam feto pelo tri-
nmplio agora alcanzado.
#Escolhida poisamesma igreja.coube aoseu
parocho, o conego-vigario Francisco Roge-
rio da Costa, a satisfagao de conporrer quan-
to pod/? *IWTOStbr da sua parte, para a
realsaco desso acto com aquelie esplendor
que sempre em occasio de triumpho da
causa da justic e 09 humanidade, deve or-
nar funecesto distinctas em wnra e lou-
vor de Deus, sob a mediaco da Padroeira
do Imperio, a immaculada Virgem da Con-
ceico.
Dito isso, fcil conjecturar quanto o dig-
no representante da, naco brasileira encon-
trou de dedicaco naquelle parocho para
que a sua iniciativa, e o seu acrisolado pa-
triotismo pela patria adoptiva, e pelos iute-
resses da naco que representa, tivessem
um correspondente desenvolvimento, que,
siguificasse, bem claramente, que elle exul-
ta va de prazerpVSo'' auspicioso ensejo.
E tiveram de corto.
No dia % do fevereiro correte, pela urna
hora da tarde, achou-se reunido na igreja
da Conceico um escollado e brilhanto con-
curso, apezar do temporal desabrido, que
ento se havia deseOcadeado nesta cidade.
Collocada entre vistosas gallas, e mimo-
sas flores em elegante altar, rodeada de
luzes, se achava a VIRGEM DA CONCEI-
CO, orago da igreja, e padroeira de Por-
tugal e do imperio do Brasil, tendo ao lado
direito do altar o estandarte das armas da
torra dlr Sania Crirs, o pavilllO imperial
do Brasil.
No altar-mr, e no topo de seu elevado
throno se achava exposto o Santissimo Sa-
cramento para o Te-Deum que havia de ce-
lebrar-se.
Apresentaram-se em grande galla peran-
te esses dous to Sagrados Objectos de cul-
to e veneraco, as autoridades publicas, e
um grande numero de funecionarios, con-
vidados pelo vice-consul.
O governador civil, visconde de Bruges,
o secretario geral do disuado, o conselhei-
ro commandanto interino da divizo militar
e seu chefe de estado maor, o juiz de di-
reito da comarca, o delegado agente do mi-
nisterio publico, o intendente de marioha
dos Acores, o commissario dos estudos do
dstricto, o chantre vigario geral do bispa-
do, e os cnsules representantes da Fran-
ca, Italia, Hespanha, Blgica, Grecia, Roma,
Prussia, Russia, Estados-Unidos e Dinamar-
ca, va ros conegos capitulares da cathcdral
de all estavam.
Depois subi ao pulpito (como j tnha
feto no dia das preces) aquelte j mencio-
nado conego vigario Francisco Roge-
lio da Costa, e all n'uma succinta eifo-
sico, mas muito honrosa para o nome, x-
tencao e lerritrin do Brasil, e para suas
gloriosas tradigoee.de rique/a e de inde-
fendencia, derrtonstroa^ espirito queani-
mava aquella religiosa fcfsembla em tribu-
tar e renda* accij de gracas pelas victorias
ieancadas>pel09 herosmo aos brasileiros,
e pelo tacto governativo, prudente e juslv-
airo do sempra amado imperador o Sr.
D. Pedro ILpredispondo finalmente todos
os coneorrentes a pedirem que por inter-
venco da Augusta Padroeira do Brasil, fos-
sem convertidas aquellas hcmeuageas- de
reconheciiento em bengaos para o imperio,
pa -a a sua independencia, e para o seu ma-
gnnimo, quanto Ilustrado monarcha.
O digno vice-consul, o Sr. Mendonca, to
convicto daquelles mesmos sentimenlos.que
o conduziam.a rodear-se n'esta occasio das
autoridades de Sua Magestade o re de Por-
tugal, c dos representantes das naces mais
importantes da Europa e da America, nao
se demorou era acompanbar e ir buscar o
orador, logo que elle acabou a sua oracJo.
Seguio-se depois o Tc-Deiun, que foi ex-
celentemente cantado pela inuzica da ca-
pel la da igreja episcopal, vindo para a ca-
pella-mr grande numero d'ecelesiasUcos,
vestidos com capas d'asperge?, e officiando
o revd. chantre vigario geral do bipado.
Antonio Jos Ferreira d Souza, como, pri-
meira dignidade que ento alli se achava.
Concluido este acto todos se retiraram
satiste: os de lerem, concorrido a esta solem-
nidade, achando-se to ligados os seus in-
teresses com oe d'uma naco to amiga, e
to nossa por tanta recordaco.
I' noite a casa do digno cnsul, cuja
frontaria se achava Iluminada, converte
se n'uma. boln estancia de regosije e de pra-
zer, pelo esplendido baile que o mesme
Sr. ein applauso do faeto que se comrae-
morava, deu s autoridades publicas e agen-
tes consulares, inuitoscavalhe.ros. negocian-
tes, pnipritarios, e lmi ias de suas reta-
ces, encontrando-se all as diversas opinioes
u cores polticas, era que se divide a fami-
lia terceirense.
Suas salas, mui bem preparadas c rica-
mente mobiladflis, serviram recepeo dos
convidados, e ao baile que suceessivamen-
te se entreteve com animaco.
i
Margarida apressou-se a eneher'os copos,
e-osephina, antes de approximar o seu
dos labios, enteadeu dever fazer um brind
no estylo mipestre.
Margarida, disse ella bebo pela
continuaca! d prosperidade qqe teve ori-
gem n'et casa oque durar por toda a
sua vida *
cao, tem um sabor dos mais agrad&veis. gema compra de madeiras para marcen-
ria, talvez elle tivosse algumas que qoizeese
vender-lhe.
Sem dolida', Sr. capfto reptcou
Lefranfois. S, cltua da miaba fazenda
np me priv.i de urna vea ou
mato cortar abroma arcare, qn faco con-
dhiiipafe aqui pf^u: junta de boi.
quindo por c apparecem negAciantea de
Obrigsda, nimba boa amiga Eu a mailebjis, tenho occasio de ibes vendar
meu marido passamos dias bem triste: alguns paos de ao*e cwtots qntdwte.
Quorer-me-hia mostrar aquellas de
que pode agora dspor ?
Grandval lembrra-se de que Josephina
desujaria talvez estar s com Mirgirda, e
por isso fizera aquello convite a LefrarK.ois-,
0 qual, tendo acceitado, sahio com o capi-
to, ficando o surdo-mudo, cuja presenca
nao poda contrariar as duas raparigas
Elfectivaraente ficaram ellas conversando
mais em liberdade. Josephina entregou a
Margarida as cartas da lia e em seguida of-
ferecen-lhe os presentes que levava para
essefim. A pobre rapariga.estava confun-
dida com tanta bondade e quiz que os prer
sentes ficassem sobre a mesa para sorpren-
der seu marido, quando voltsse ; depois
perguntou-lhe com certo erabaraco o mo-
tivo da sua viagera all.
Pois ignora-o ?redarguio Jospbina
tristemente.
Completamente nao. E' verdade que
ouv fallar da condemnaco do Sr. Bei to-
my ; sei mesmo que elle se acha ha dias em
S. Lourenco, posto que nem eu nem meu
marido podessemos ainda ir ve-lo, o que
devido circunstancia de ser eu a ama de
minha filha e nao me permit ir meu marido
por esta razo que eu saia, a nao ser
missa ou a casa das religiosas. Por sin
parte ha urna tal repugnancia em se en-
cootrar cora os dentis degradados, que
poderia ajuizar-se que os temo. Nao obs-
tante, tem elle tirado inforraaces a respei-
to do Sr. Bertomy, na idea de o procurar
eoflejofor-lhe os seus uervieo*. Gomo e
fosswet pora^quo urna pessoa to pe-
dosa" e caritativa baja sofiVido tul golpe ?
Mismo que assim seja, o ialH U-ea dever ser indulgente pira
-com trwws dos oatros. E' facto,termunorrererastl
pai delinauido e o meu, dever etrazer-ibe
iodb'i) oowbrto de que elle- carees.-
M'eaie easo,
Niee. Tinta os measpilaos, que
me vioipafecendo agora inexequiveis;.
OWpl^aa fteou por algara terapo; triste e
Oesalrwf; depois perguatott eoi- lom sin-
-Qialasua opiS>, Itoiaridw, so*
br to-.nuvo systeraa j^toadarie?
Poit nossa parte, rawfa* amiga, nem
outra ir n^u neanreu marido temos-mzSb'de o re- deira, que jualtroi
;^rdv;atos; antes pelo (entra, oao ees
trabalbo e arrependimento. Por isso tam-
bem tnuitos desgracados, que, como nos,
conservavam ainda bons sentimento?, se
felicitara pos este estado de cousas. Infe-
lizmente, ha incorrigtveis, ndoles perversas
em quem este systema nao produz meior
effeito do que o aatigo e brbaro rgimen.
Estes teem em si o germen do mal e nada
os pode salvar I
D'essa forma, Margarida, se se Ihe
deparasse occasio de fugir cora seu marido
nao a aprovoitaria ?
Fugirmos ? E para onde ? E' ver-
dade que aqui nunca podaremos passar a
um estado do riqueza, mas temos o secego
do espirito e o bem estar, c por isso temos
resolvido nao deixar esta propriedade con-
cessionaria ainda depois de terminado o
tempo do desterro. Eu, por exomplo, o
que ira fazer minha trra ? Arrostar
com o despreso dos meus conhecidos, e ir
ver o autor da mnha desgraca feliz e talvez
estimado, em quanto eu viva infamada?...
E o meu pobre Lefrancois para qoe vol-
taria sua aldeia ? Elle era um excel-
ente trabalhador empregado em urna ser-
rara das montanhas. Nunca houvera con-
tra elle a menor queixa. U na vez o con-
tra-mestre iratou-o brutalmente : queixou-
se ao patro, que anda em cima o poz lora.
sem o ouvir. Lefrancois irascivel e san-
-guineo. Na noute seguinle pode introdu-
zir-se na serrara, fazendo-a em cinzas por
incendio. Foi preso poderia ter negado,
Jmaspreferio confessar ludo e foi condem-
nado. Em vista d'isio, que motivos o
podem attrahir sua Ierra natal ? Encon-
ramos aqui urna aova patria, uraa nova
familia ; aqui lusoeu urna filha nossa, aqu
Esijuecn, oefm. que sua filha eres-
leer a que tomate edca-4n n'este centro
decora-te enn Los-lte obstinada pereeraidade ou de M0ac9o
olorosa ?
Comprebendo-a^ minha amiga, e essa
idea objecto para mira de serios euidados,
\aa$ a minha filha ainda to pequea I
| N'este. nMwaaptn votaram Grandvtl e
Lefrancois, appareotetaeate mui sasfeitos
um dio outro.
Negocia coaclntdo; Sr. Leiraopiis
ija bemdizer os A.ipiritas-hiMlltgrsa
ilaonfieo qne eenretawmp laf id.
;d|zia Graudvafe.arei transportar est: ma- pois que-1 do rtparij#J*" be^aram e
j_- __^ __. .. "... ... _.* ______^^^ MAinaMai-im larnuram i
a urna partida, j com-
prada, e qne deve aer lewacb brevemente
para a foa do rio; entretanto vna pagr*lhe
o procoajustado. Quema dar-n urnre-
A#u|a>dcon daser w*w^;^s*ul' 4bo<
ffuto vm meio de HtMtfMnreift fidoJ E, tirando da algibcin. twat boba, qoe TYF. rlHUUMn DAS CftflES I, ,
Ao comecar o bailo a Exm. D. Ignz Mi-
quelina de Mendonca Ferreira filha mais
velha do Sr. vice-consnl, tocn a pianno o
hyinno brasileiro, e depois em alguns in-
lervallos a Exma. D. Isabel Beosabat can-
tou cora grande mestria a catalina final de
Lucia de Lammcrmoor, a Una mee poco f do barbeiro de Sevilha, o a Romanza Ati-
ce de J. Ascher ainda no fim cantaram as
ExmaSi Sras. D. Isabel e 1). Ignez Men-
donca filhas do mesmo Sr. v.ce-consul,o
qne tudo foi devidamente applaudido.
0 cha foi bem e profusamente servido com
delicados manjares, assim como os refres-
cos, os gellados, e vnhos da raelhor quali-
dade.
Aimla s 3 horas da madrugada, do da
3 se dancava com enthusiasmo at que de-
pois se dsporson to decente e aprecb'ji
reunio.
Pareca que todos se congraluhjvam por
vgr terminada urna guerra, cuja influencia
traba esusado graves transtornos e reecios
s operacoes comraercaes do reino e das
i llias.
Ningiiem deixava d'acorapanbar em to
pJausivel ensejo os votos que o Ilustre vi-
ce-consnl to notoriamente manifestava pelas
felicidades do povo brasileiro.
E' assim, e por este modo, que nesta
ilha Terceira se festejou a agradavel noti-
cia do triumpho da naco brasileira, e que
o seo representante nesta cidade, o Sr. Joa-
quim Antonio de Mendonca e Menezes, sig-
nilicou a sua considerarlo para com esse
novo marco de gloria, que, a casto de sa-
crificios, se acaba d'alcancar para as armas
e para a historia daqnelle vast imperio.
pareca repleta, contou sobre a mesa nm
certo numero de moedas de ouro. t
Porm, capito, a dilficuldade nao
saber eu escrever... Margarida. qne uma
sabichona, quem me supre n'esses casos.
Pois seja ella quem passe o recibo.
Margarida apressou-se a ir buscaros
aprestes e rabiscou o recibo pedido.
Ento Lefrancois pegou cora mo tr-
mula no ouro, que eram trezentus francos.
Nunca os dous esposos haviam possuido
tal quantia, e por isso nao poderam cunter
a alegra.
Aqui tens, Margarida ; tudo isto ser
para a Josephina f Amanha irei cidade
comprar em sea nome urna accao da Caixa
Econmica, pois nao convem er qai tanto
dinheiro em sitio to ponco seguro : o que
exijo que guardes dinheiro para compra-
res urna saia nova.
Nao preciso d'ella : este dinheiro de-
vemos reserva-lo para mais tarde constituir
o -dote da nossa filha. Es-aqui nm dia bem
feliz, porm nao admira que desea sobre
esta casa a benco do co estando aqui a
menina Josephina.
Margarida mostru ao marido os presen-
tes offerecidos por Josephina. Nenhnm
d'efies sabia 'como exprimir o seu enthu-
siasmo. Nao era to smente os presentes
e aquello dinheiro que os torna vam alegres,
porm elles sentiam-se unificados com
aquella boa companha : aquello typo fran-
co do martimo, aquella formosa e pura ra-
pariga infbndiam-lhes a maior confianca.
Para aquelles pobres repiVmos era a supre-
ma satisfaco e o mais enrgico estimulo
de persistencia no bem.
Em quanto assim se entregavatf aos mais
livres impulsos do coracSo, faj.ian>se ouvir
do quarto prximo os vagidos; da chanca.
Valha-me Deus! disse Margarida
E' sera duvi^i al^uraa d'essas crueis raps-
cas que se introdazio ne* beitoda Jose-
phina I
Correo ao quarto, mas de certo nao /Ora
ocasotabfeio como ella o imaginara, por
que nm breve reappareceu eevn a pequeni-
ta nos bracos, fsempre risonHa.
Urga, porm, a hora de wsUarem ci-
dade. Os visitantes despediram-se, e de-.
recprocamente pcometteram lernarem a
ver-se com frequencia, sejartraai-se defi-
nitlvamente.
C


i

^i
f
*
w
** rm*-*-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ETV9YTXQV_7XMT6P INGEST_TIME 2013-09-13T22:13:13Z PACKAGE AA00011611_11805
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES