Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11803


This item is only available as the following downloads:


Full Text

s>
ANNO XLV. NUMERO 71. ,.


.PASA A CAfTAi E LUGARES OTOE NAO SE PAGA PORTE.
Por tres rostes achantados.................. 60OOO
Por seis ditos idem..................[ [ <%8006
Por um ajino idem.................. 7 24)OOO
Cada numero avulso.............. DIARIO DE
OUARTA FEIRA 31 DE MARCO DE 1869.

PARA DEHTRO E PORA DA PROVINCIA.
Por tres aezts adiantados...........
Por se ditos idem.........< !
Por nove ditos idem.........* *
Por om anuo............
i3*900
27*000
Propriedade de Manoel figneirte de Faria & Filhos.
SA ACEXTEfti

em NBzaretb; Francino lavare,* *a, ero Al*; Dr. Jes nfert Afe, na Batria; 'e J^^^SS^I^kZ^:
-^-
jPArapinm,
Ciorerno da provincia.
OH
I para o servio do exercito em consequeneta de mo-
j tesiia adquerida era eampanha, o soldado do 51
corpo de voluntario da patria, Custodio Pedro.
j Fot reformad, na eonformidade das disposteSes
dei 3a do plano que baixou com o decreto de II
da presidencia do da 27 de maiwjo de dezembro de 1815, com o respectivo sotdo por
de 1869. inteiro, visto aobar-e imposibilitado para o ser
Andr de Abreu Porto. Informe com urgen- viendo exercito era conseqneneia de molestia ad-
''* Sr- engonheiro chere da repartido das obras querida emeampanna, o soldado do corpo de pon- reioe dTio-o o~ vakirs
publicas. toneiros, Antonio Jos Fernandes.
Bsrharel Cactano Mara de Palta IWve*. Fn- Foi reformado, na eonformidade das disposicoes
lome o Sr. inspector do arsenal d.; marinha. I do g 1 art. 9o da lei n. 648 de 18 de agosto de
PeranJes a lrmo. Passe portara, j 1852, o cai>itae do *> regiment de cavaharia li-
Francsco Jos do Cont Rocha. irija-sc ao geira, Marcellino Ferreira de Azevedo, rato soffrer
hr. engeabetro chele da repartidlo das obras pu- molestia incuravel qae o torna incapaz de coat.
Mr.
das seradeclaracao de valor, as quaes se suspci-
tnu existirem valores. Abortas estas cartas em
preenea d >s destinatarios, efectivamente" enron--
trou-se ncllas a quanlia de 6:376JW99 em ouro,
bllietes d lotera e m da papal.
O regulatnento do crrelo, como se v de urna
puMieaeao que esta repartido faz hoje,. indica o
metes seguros de enviar de nn para antros cor-
llont
gnroii-sey
dora da iJ
Micas*
Gu.lhernina Basiiissa de Oliveira e Silva. In-
forme Sr. inspector da thesouraria provincial.
loaqarm Manoel da Casta. Informe o Sr. en-
i-jnheiro chafe da ropirlicao das obras publicas.
Jato llrcuorio dts :ints. Informe o Sr. ins-
' Btor da thesouraria de fazenda.
Muzod Joaqun do Reg Barros. Entregue-
- pangando r-.iribo.
Qnjtnru Mana da (kmceico. Indeerido a
(a Ja> inwnnacoes.
Renardf o da polica.
-'' secdm.Secretara da polica de Pernanibnco,
30 de maree de 1869.
N. 441. Htm. e Exnt. Sr.Tenho a honra de
levar ao conhecimento de Y. E\c. que, segundo
consta das participantes receidas hoje nesta re-
particao, furara recomidos casa de detenco nos
dias 27, 28 o 29 deste mez os seguiutes indivi-
duos :
No da ]7. a minha ordem, Francisco de Souza
Feria, por .pan-amento.
A ordem do subdelegado da Magdalena, Fis-
tuiaa Joanna Baptista da Conceioao, por feri-
lil'ltlS.
No Eraba da Silva Brasil, por insultos, e Alexaudra.
sera va do I). Francisca de Assis, por ter sido en-
contrada 'I >is de 9 horas da noute. sem bilhete
"iii na.
ordem do de S. Jos, Manoel Farncelino do
Barros o iurmino Jos Pernambueo. por distur-
bio
No dia 29, ,i ordem do subdelegado do Recite,
i- man!oiios Antonio, Moteo Goagiun, Nicols M-
'h'-l e Con-ianuno Manuel, a requisico do cnsul
portuj
\ od mi b de Santo Antonio, Jesuino AlbertQ
tneii!,(. por Bfigt.
A oi'dctn do de S. Jos. Mara Theodora do Ro-
sario, por cabraguez ; David, africano Bvre, para
->r eenaarvaria em custodia e Rita Mara da Con-
coinao, p ir (I.sordera.
'n o .'i -i., do 27 deste mez, partiripou-m ode-
ca do termo de rao d'Alho, que no
da 2."t praaunetuu a Vicente) eecravn de 1). The*
reza de Aratijo Pinheiro, como incuiso as peaM
i i art I9 '11 c:'dii:o criminal pelo a-sassiint i i'T-
potrado all na pessoa de Cosme Caliste, do qnal
ii.itei di minha parte, sob n. 10,204, de 26de
dezembr.i duanno prximo lindo.
P.ir olli-io (lisia data communicou-mco sub-
delegado !' 8. Jos, que hontem pelas nove o meta
horas da i.oute, o menor Daniel Jos Monleiro, cai-
xeiro da taheraatle Joao da Cotia Campos, sita na
i uno\i niidisc de nina pipa de agurdente, com
mu relia aneen, airo de versea meama p^pa es-
ova c-!a..qae, incendiou casoafaneate o liquido :
une. em vista destefacto e doatguH de fono dado
P los sin is, a-udirain iminediatamente varias pes-
ia vizinnanea, que conseguiram extinguir hi-
go o iucendi>, do qual resultou somente licar gra-
vemente qneunadu o mencionado raixeiro.
Dens guarde a V. Exclllm. Exra. Sr. conde
de H lependf, presidente da provincia.O chefe de
, i'xincisco Je Faria Lemas.
Por decreto de 12 do corrente mez foi promo-
vido a eirurgvo-mr da armada, o einirgiiio-mr
graduado Dr. Carlos Frederico dos Santos Xavier
de Azevedo.
Ilir aviso datado do 8 do corrente foi incumbido
o chofe* do corpo de fazenda Miguel Joaquin Ri-
beieo de Carvallio, d seguir em eommtsso para
o Paraguay, para o lira de inventariar lodo o ma-
terial pertcncente reparticao da marinha. que
exisla nos depsitos eu trra on no mar, as ofli-
ci iias e nos hospitaes.
Por avisas da mesroa data e de 10 oram desig-
nados para serrircm na referida eommssao, o
amanuense do.corpo de fazenda Simeao Joaquin
Velloso, 3 escripturario da contadura Pedro Au-
gusto de Castro Menezes, ajudaote do escrivao do
almoxarifado Camillo Primo das Chagas, e oescre-
vente do dito corpo Manoel Joaqnim de Sant'Anna.
Para substituir interinamente o chefe do corpo
de fazenda, foi nomeado o director da 2* seceo
da secretara de estado, Constantino do Amoral la-
vares.
Por decretos de 13 do torrente:
Foi designada a referida comarca do Bananal,
de I' entrancia, para nella ter exercicio juiz de
diieiio avulso Joao Ladislao Japvast de.Fiaueire
do Mello.
Foi tambero noaieado o hacha re Antonio Au-
gusto dos Reis Serapiao, juiz municipal e de or-
phios do termo da villa Formosa, na provincia de
Minas-Geraes.
Foi aposenfculo a se pedido, sera vencimento
algum, o juiz de direilo da comarca do Bananal,
na provincia de >. Paulo, Bonto Luiz de Olivcira
Lisboa.
Por despacho da mesroa data fo marcado ao
juiz de direilo Joao Ladislao Japyass de Figpei-
rede Mello, o prazo de .'I meze- para-entrar em
exercicio na comarca do Bananal. que Ihe foi de-
signada, e nenhuraa ajuda docusto, por ser a dis-
tancia menor de 50 leguas
17
Em dala de 13 do corrate foi nomeado Euge-
nio Lopes de Gotiiensoro para o lugar de ajuda i te
do director das oHBeinas de machinas do arsenal
de marinha da corte.
Na Assumpci foi tomadpo sguinte depoiinen-
to sobre ns lonnrntos padeeidos por Emiti Neu-
niann :
Eu abaix asajgnad% a4rroo> que oonbeciB.
Emilio Neumann ha matad, quatru aunos. e vi-
vendo oum elle era relacoes do aiuizade durante
todo esse tempo.
D. Emilio Neumann foi prcao no mea de agos-
to de 1867i poueo mais eumenos, e nwreu na
priso em S. Fernandfl nrjunho de 1868 pouco-
mais ou menos, em cmiseqenca de miseria, for-
tes castigos o torturas. Neumann era conheeido
por todos como um dos mais fortes negociantes,
e pela sua araabilidade o liberalidado era querido
e estimado por um grande circulo de amigos.
Os motivos da prisao de Neumann Acarara,
seropre em roysterio como os de todos os-dWme
estr ngeiros presos. Porm o caso de Neumann
doferente dos outros. parque Neumann foi preso
muito antes do invento da pretendida revolucao
dos estrnngeiros. e nao ha davala que as primeU
depois das 9 horas da manhSa, inau-
ponte de ferro corredica da entrada da
ndega, sendo honrado este acto com
a nugu*MFpr,seuca de S. M. o Imperador e de S.
A. o Sr. eonde d Eu, e com a de varias pessoas
graiU desta capital.
A iMM%urada ponte lem 66 metros e 189 milli-
metros de.eomiM-imcnto total, e destinada a com-
niunicar o molde da praa dos Mineiroscom o mo-
I lie exterior da dora, separada por um canal de
30 metow e 830 milliraetros de largura, pelo qaal
entrara os navios para a daca. A largura di pon-
te do Vmetros entre os eixos das travs prinei-
paes, o (*x> .le todo o ferro do 1ID,368 klograav-
mas. No-eon-ta existirem doca alguma da Euro-
lia ponte de ferro corredica tao importante.
A 1oiitaaeompe>ae de duas panes: a martima
ou a pont|b.propriamente dita, e a parte terrestre,
que Ihe.parve de, contrapeso quando avauca sobre
o mar. flor toda 9 extensao da ponto, soaluaria
com praaelias de perada, ha urna va frrea de
833 miliiineti-us de largura, igual aqualquerdas norae Francolino, evadio-se.
)r da alfandega, terminada |nr nm gyra- Tinbam fallecido os neeoci
do Rjo-Graude, Pelotas, Piratinv, Cangussd, Ja-'
guaro e B*g, incluidos os vol* das Cacimbi-'
nbas, tomados em separado :
Dr. Joao Jacintho de Mendonca............. 149
Deserobargador Antonio Rodrigues Fernandes
Bra#................................. 140
Coronel Dr. Pederneira?.................. 110
Harao de Man........................... 53
Na eleicao para um senador a votaci o reunida
dos eollegios do Rio-Grande, Pelotas, Piratiny, Ja-
guarao, Bag, Cangussd, Porto-Alegre, Taquary,
Rio-Pardo t Cachoeira. incluidos os votos de Ga-
iimbinhas, tomados em separado, foi este :
Dr. J. J. de Mendonca..................... 275
Desembargador J. E. Savo Lobato......... 220
Desembargadur Fre tas travassos........... 203
vi-conde do Herval....................... fio
Fura assassiuado na margom do rio de S. Gon-
vicos prestados na guerra .com o Bacatjuv
mrachal je eiefato naaetroaa de CwSTe que-
pelo
reno,) iiovronenW diatmgui-ki e eleva*, het por
ero lazer-lhe merc do titulo de duque de Catias
I86J, 48* da Independencia e do Imperio. Cora
a rubrica do S. M. o Imperador. P>nditto los
Soares de Sonta.
Uei por bom conceder ao marecbal de enercib
mai quez de Caxas a deraisso qu>- jiedio do om-
inando em chefe de todas as forceas em operaedes
contra o goverao do Paraguav, vMa de soffri-
mento de moieMia que o iui|K.ssibilita de conti-
nuar uaquelle commaodo ; loiivando-o petos rele-
vantes servicos que nelle prestou.
O Darn de Mtiriliba, conseMieiro de estado, se-
dor e destinada ao transporte de mercadoi as em
wagouetr do mollie exterior da doca para os ar-
mazensdanlfandega.
E a ponte posta em movimento por mu pequeo
cabrejjiBjie de tirar e per, manobrado por 8 a lli
hornea:-a ac-cio do eabresiante transroitte-so a
urna engequosa combinasi do rodas dentadas
eunnexas com as duas rodas .uiotrizes da ponte,
os
ras desgracas de Neumann comecaram depois da que rolara enm as duas posteriores sobre trilh
compra de urna grande^ porco de herva matea de ferro fundido assontados sobre a plataforma de
granito do caes do sul do molde da praia dos Mi-
neiros.
Por meio tao. sniente deste interessante mach-
nismo puronrre.a ponto em 12 a 16 minutos os 33
metros eSOO mULimetros da largura do canal da
estraia da doca.
No centro da.ponte ha duas elegantes columnas
de ferro fimdido, das quaes partera 4 tirantes, que
impedem a flexao da parte martima e suspensa.
As columnas sob#las porum arce de ferro, em
cujo vrtice asta o mcdalhao que conten a inscrip-
cao da poma O medalhao eiliptico, circundado
por uma.ita verde coro friso dourado, presa com
calo, vindo a caminio paraTcidade" de"peotis,"o f}l>Jj." .'"'t1''0' l,u"islr(l. e >ccretario de *do
subdito portugus Francisco Vaz da Costa, artezao. 7* ne^'{ "f (la W1, assim o tenba rutendido e
Oassassino, que diziara ser um esrravo pardo do 1?..!^. j,rHi. H ^
l alacio do Rio de Janeiro, em 22 de marco de
IKU /.Qa A I,l_____i___ j -f
Tent ni ante-hontem suicidar-se, disparando um
tiro de pistola na bocea, Francisco Joaquim Fer-
reira, empregado na enfermara da fabricada pl-
vora da Estrella. O desgosto em que o traziara mo-
lestias graves e prolongadas foi a cansa dttoae ac-
to de desespero. O infeliz anda viva na hora em
que nos communicam esta noticia, mas havia pon-
ea esperancade que sobrevivesse.
18
S. M. o Imperador, acorapanhado de seus sema-
narios, foi hontem ao arsenal de marinha, onde
p.ieorreu as ofllcinas de machinas ; depois cin-
barcott na galeota iinjieriaJ e vsitou as enferma-
ras da armaeao.
INTERIOR.
alio de Janeiro
16 DE ARCO DE 1869.
Por cartas imperiaes de 13 de marco corrente :
l'oram naturalisados os subditos portuguezes
i le, Souza Ferreira o Jos J laqiiira de
o subdito inglez Clemente Meather-
ley WHmot
Foram :i meados :
ib. Braralsy Moore, subdito de S. M. Brilan-
n: m. dignitario da ordem da Rosa, o Eduardo As-
-is i! is santas Banata, subdito portagaes, cavaihei-
10 d i diu ordem.
da matna data foram noraeados :
0 Dr. Francisco Bonifacio de Abreu, grande dig-
iiitano da ordem da Rosa, pelos servicos presta-
d .' ira i ciritrgio-iHor do exercito na catupanha
do Paraguay.
Os camdKM Tertuliano da Costa, Feliciano Jos
Henri.pi ;, Fclippe Vctor de Araujo, Luiz Jos
Ferreira Jnior e Carlos Augusto Pereira de Car-
valho, eavalheirea da ordem de S. Bento de Aviz.
Fes- do foro de moco fidalgo com exer-
cicio na casa imperial'* Francisco Pinheiro de
Souza Weraeok, filho legtimo do barao de Ipia-
bas.
Fcz-se inerr^i da medalha de 2* classe ao bacha-
rel Jesuiii Aateaio Pereira de Alineida, por ter
salvado o italiano Atexandra Cardone, que seati-
rra ao mar de bordo de urna das-barcas da com-
p;inhia 'Vrry.
Foram concedJdaa as seguintes pensoes, que fl-
iv.n dapeadeaaw de approvacao da asseinbla ge-
ral:
Ao cap tao do 2i" corpo de voluntarios da pa-
tria Jo> Antonio de Oliveira, a de 60| mensaes;
aos alfares de 24" corpo de voluntarios da patria
iiancisco de Oliveira Campos, e do 31 dito Joao
do Souza Maer.es, a de 36 mensaes a cada um.
Foram apra i ntados: em um canonicato de pre-
benda mi-ira da cathodral metropoiitaoa o cone-
o ile raeia prebenda Dr. Jacintho Villas-Boas de
: n is canonicatos \-agos da S do Marawhao
os padres Jos Antonio Gomes Pinheiro e Joao Luiz
Martins; e nr.s beneficios da ordem presbiterial da
mesma S, os padres Joo Francisc > Carlos Bar-
bosa e Manoel Pereira da-Encarnaco; as grojas
parocliias: de Santa Helena, o padre Jos Antonio
Carnciro; de S. Francisco Xavier de Moncao, o
padre Man .I Vriato de Araujo Bogea; do Santa
Mara do Icat, o padre Joao Valeriano Cortes Ma-
cicl ; de S. Lu^ Gonzaga do AltoJa1ienry,o padre
Jos Goncalves de Oliveira.
Por carta imperial do 27 do mez lindo foi no-
meado cavalheiro dnordem da Rosa, Michel Krou-
ter e nao Ser** Rrangaer, como por engao se
publicon.
Por decreto de 13 de margo de 1869 :
Foram cnacedidas as honras do posto do teen-
te do exercito ao tpneate do fe> corpo provisorio
de oavalkria da guarda nacional de S. Pedro do
Rio Grande do Sul, Pedro da Cuaba Silveira, eiaj
attenco aos relevantes servgus-prestados na guer-
ra actual contra o govurno do PaipguAy.
Concedeu-sc wansferencia. paca al" compan'iia
do 1 batatMao de infanlaria ao napito do 6* da
niesiiu arma Joa-de aples Telles de Menezes.
Foi reformado, vencndo sold dobrado d*vo-
luntario da patria, .na eonformidade das dspo$-
cBes da ultima parte do arL,O do decreto n. 3,371
Por portara de 10 de marco de 1869 conceden-
se lcenca ao captao reformado do exercito Anto-
nio dos Santos Caria para residir na provincia dos
Alagoas.
19
Pelo vapor inglez Xcwlim, entrado hontem do
Ro da Bruta, recebemos (alnas de Buenos-Ayres
at 10 e Montevideo 11 do corrente.
A pouco se reduzem as noticias do Paraguay.
Continua va a preparar-se a expedicao que de va
pereorrer as serras a busca de Lpez, e que, se-
gundo distara, seria comtnandaaa pelo general Men-
na larreto.
Alguns correspondentes, porm. querem fazer
crer que havia grande falla de cavallos para esta
expedicao, quedevia ser composta das tres ar-
mas.
Segundo as deelaraedes de dous tranfugas viu-
dos de Cerro Len tinha-so Lpez internado mais
pela serra, onde eslava com 5,000 homens, temi
em Paraguary dous wagSes com artilharia e todo
o material da estrada de ferro
Diz-se que a mai de Lpez, tendo aconselhado
ao filho que deixasse o Paraguay, vendo a cara
com que este recebeu o consellio, se enforcou
para evitar o castigo que a ameacava. urna
noticia que pode valer o que tcm valido tantas ou-
tra.
No da 5 subiram para Cornmb nove navios
mercantes escoltados por embarcacies de guerra.
Urna divisao da esquadra ia bloquear os arrojos
ero que se haviain mettido os vapores paraguayos
c procurar aprisioua-Ios. O vapor D. Francttcn
foi a pique defronte dn Assurapcao, perdendo-se
completamente.
I)izia-se anda, ignoramos com que fundamento,
que o marechal Guilherme eslava seriamente
doente, e que o visconde do llorval era esperado
na Assumpcao para tomar o commando do exer-
cito.
O no Paraguay tinha epehido muito. Taes sao
as noticias que encontramos as foUias platinas, e
que nos limitamos a transcr^ver.
Na repblica Argentina tinha havido novas
vasoes de indios.
O presidente Sarmiento declarou rebelde o go-
verndor da provincia de S. Juan, e* mandou
apromptar forras nacionaes para snbmelt-lo.
Em Montevideo o ministro da fazenda Stwart
deu a sua demissao no dia 6. por ter a cmara dos
deputados na vespera approvado um requeri-
uionto uodindo ao gverno explcacoes sobre a na-
cionaldadc daqueHa ministro, que dizem ser ar-
gentino.
A pasta nao tinha sido preencliida ainda, sup-
pondo-seque haveria difflculdades em achar quero
so encarregasse detia vista do estado lastimoso
das linancas. Corra, porm, que o ministro da
guerra Gregorio Suarez havia pedido igualmente
a .-ua demissao, e seria acompanhado pelos colle-
gas, e, o que era man grave, acredtava-se que
havia proposito de responsabilizar o presidente ida
repblica por haver vilalo a constituirn, no-
meando ministro de estado um estrangeiro, e que
esta aecusacao seria o passo preliminar para de-
por da presidencia o general Baile.
O facto da ser Argentino o ex ministro Stwart
irritava os aa irnos tal vez mais do queso elle fdra
de outranacionalidade, pois havia em Montevideo
(escrevom-nos ero carta jiarticurUr) quemprevs que a inib>riaida praengaaao.da-guerra contra L-
pez, debitando o BrasTaria em ultimo resulta-
do a incorporacao nao s do Paraguay, se U>pez
chegarelTectivamentc a ser expplso, mas tambero
a do Estado Oriental fiepnUicn Argentina
Contauara aliquidacao dos bancos e ao masmo
tempoaerLve monetaria que j havia acarretado a
quebra da varias casas commercaas.
-20 r-
Tem sido aprehendida na teparticao do eorrcio
um negociante, ingle/ de Bnenos-Ayrcs, o Sr. D.
Jorge Stwart, eque o governo do Paraguay havia
troeado em Assunipco por um navio a vapor,
pertencente a 0. J. Stwart.
Estas trocas e compras entre o governo do
Paraguay, J. Stwart e Emilio Neumann verifica-
raro-se no principio doanno do. 1864, e a herva
carregada em dous navios tbanos foi delida por
muito tempo pelo governo paraguayo, at que po-
de passar Humayt no mez de agosto de 186
(pouco mais ou menos.)
Sendo muito onmpiieado estenegocio.de herva
por seu carcter poltico a transaccoes commer-
ciaes, caiisavaa Jeumann muito i rereios. e delle
originava-.se ndiihiiaveluieiue una divergoncia en-
tre o governo e Neumann,pnicursindn ele apla-
na-la por todos < meios possiveis, sem no eunto
poder conseguido
Outros motivos mais vsvdw da divergenria
entre Neumann e o giivernu eonsiatiam n* aroizade
minia que aquelle- linda com o eonsul frant o
Sr. Oichelel, e com o cnsul portugus Sr. Lei-
te Pereira, dous sentMVes detestadas pelo a>vetno
paraguayo^
Neumann foi preso, pela primara vez, uo mo-
mento em que o cnsul rraucazo Sr. CocUelotsa-
bido do paiz, no mez de agosto de 1807 (|kmco
mais ou menosj, uor tei' contado que o general
Bruguez havia sido fualado, entretanto que IVaa
somente preso. Neiiinann sabia desta milicia pelo
familia do SlierilTe, vtzinjjos da qninu'd" Jd
mann, no caminho de Lambar, dirtgio-se : con-
versa das senlioritas para este assumpto e Nen-
in.nn aasegtirava a noticia da mor le de Rurguez.
As filhas de SlierilTe roferiam a noticia a um me-
dico Alvarcz e por intenmedta deste descubri a
polica a diviiigaraq de ujna noticia falsa e pren
una IIven, no interior da qual se aeha 1867, dala
em que foi feita a enconimonda. E" coroado pelas
armas imperiaes. n*s quaes so 4-se : Pedro II, cir-
rundado per vinte estrellas que symbolisaw as
piovincj.wdo H^Hfrii. Na.hU l-sInguieur Ma-
IIiu, Scnnoider & C, Creusot ; no centro do
nicdaltio :
Hmislrn da fazenda
Zacaras de Cues e Vasconcellos.
Eagenheiroa da doca
Charles Neate
c
Andr Reboticas.
O .-inte-priijeoto da ponte foi feitp-pelo eugenhei-
ro An uea: o projecto definitivo |ielo en-
genlieirefnharles Brnesl Matbien. que dirigi sua
labricaca > no grande est ibeleciment metallurftic.o
da Silva Soares e Joaqu
primeiro da praca d
Rio-Grande.
Sob o tituloAccao meritoriarefere o Echo do
Sul de 12 :
A viagem do Gerente, esta vez, deve ser de
grata recordacao para os sen pas-.ageiros, c prin-
cipalmente para o entezinho que a tornou no-
tatel.
Urna escrava que vinha a bordo de luz,
em viagem. urna crianemha, que deveu a esse
facto, providencial sem duvida, a sua lber jade.
Os passageh-os (nao sabemos a quero conbc a
iniciativa) entre si, ao saberetn do fado, delibera-
ram para logo libertorem o innoceiitinlio, c para !
isso se cotisarara eincontiu nterealisarara tao me-'
ritoria accao.
Louvres a tao nobres coracoes.
Por portara de lt de marco de 1869 foram lio-
meados : Luiz Adolpho Ribeiro de Oliveira, para o
lugar de almoxarifc dohospi al militar provisorio
do Andarahy ; o major da guarda nacional Anto-
nio Ferreira de Lima Abdoral, para o de ajudante
de oi-dens da presidencia da provincia do Rio-
Graude do Norte, e o tencnle do 1" batalhao de
infanlaria Francisco Ignacio Manoe! de Lima, para
interinamente servir este mesiuo lugar.
con-ul Cchele!, e uro dia entrando naquiiita,da de Creusot. A montasen) da ponte foi feita uo Rio
de Janeiro pelo Sr. Jeao Baptisle Duelonx, enviado
especialmente para esse mhler, segundo o contra-
to, pelos Sis. Schneider & C.
Precedenda concurso, foi contratada esta ponte
em Bovembro de 1867, eom a easaLeeomte & C,
represeutanle tiesta praca dos Sr. Schneider & C,
por "'.OOO francos, rcafisaveis em tres.pag.amen-
deu a Neumann. as Sheritfes diziam que sal.iam tos: o primeiro. de 30 por ceulo, na dita da a-sig-
desta noticia por Neumann, poru. Neumann as-
segurava que as Shmflies foram as primaras a
dareina no!iei.t,nu qae por ter sido urna conver-
sa) pouco importante eja de tempes passados, niy
poda r.mrdar-sc, e aceitava por ultimo a lerisl i
e a condemnacao do juiz. ra a observar que esta
noticia, a reepeito de Bragonz, eslava naqueile
tempe na bocea de todos no Paraguay*
Neiimann foi levado ao eaiaboofs de Assnmp-
cao, omle eslava irawinmunieavel e recetiin os
natura do contrato: o segn lo. do W por cento,
ao.chegar a pon-e ao Rio de Janeiro, e o terceirn,
de 30 por cento, depois de armada e aceita pelo
governo imperial.
Depois de fechada a Dfll, S. M. Imperial e S.
A. o S. conde d'Eu segnjrm por eU a examinar
a construcaS > da superstructura ahoondadn do
m illie \terfor da daca e os outros tral-alhos em
cxeruefio.
S. M. Imperial S. A. oS. ouddd'Eudignaram-
seus alimentos por intermedio do cnsul portu-fae depois collocar a primuira pedra do pavilliao da
guez o Sr. Lnte Pereira, que diariamente mndava auanla-miria da al(addoga, o retiraram-se as id
comida analabouco para diversos presos cstrangei-1 horas e um quarto da nwnhaa.
ros. Adoeceu gravemente Neumann na prisao. e 21
inandou-me por intermedio de um prieteneiro, que Entran tamben) do Rio daPratao paquete fran-
irazia a uiiolia casa i!ariamente agua, enrolado' cez Aunis, com folhas al 14 do .oriente.
7 de Janeiro de 1865, visto acbar-se iautilifado' e multadas diversas artas ordinarias e registra
era uiwehariito um testamento em papel pequeo
e escriptoa lajiis, no qual dava relacao de lodos
os seus bens e nomeava-me seu testameateiro no
ca-o de sua morte no calaqouco, e a seu pai em
Hamburgo,na Allemanha, unicohcrdiiro de lodos
os seus bens.
Dvsgracadamente esto documento, como duas
copias delle, estn perdidos com todos os outros
meus papis e bens em minha quinta da Recole-
ta, e somente me record que Neumann tinha seis
considera veis deposiiosuh couros o tabacos.
O ministro norteamericano o Sr. Washburn,
hem como o novo cnsul francez o Sr. Cuverville,
interessavam-se rouilo pela soltura de. Neumann
e por.diver.sas vezes reprcseiiUram pessoalmenle
ao proprio presidente Lpez, pedindo a linerdade
como una graca em consideracao do mo estado
de sade de Neumann, porm a nalteravel res-
posta de Lpez foi que Neumann.tinha que soffrer
pelas faltas de seu amig-, o cnsul francez o Sr.
CocheJet, e que por ellas Ncuniann nao ser o ul-
tiuio a respouder. intimamente, no mez de dezeiu-
liro de 1867, cdnseguio o ministro Washburn una
licenca para Neumann poder inorar em sua casa
em Assumpcao para curar-se. Sem permissao de
sabir de sen quarto, ficou Neumann em sua casa
at 20 de feverciro de 1868, quando apparecou
urna ordem do governo de evacuar a ciando de
A sumpeao.
Entao levaram outra vez Neumann para o ca-
labouco e o mandaram com outros prisioneros ao
acampamento de Cerro Len, onde tambem rece-
bia alguns pequefos recursos do cnsul o Sr. I>ete
Pereira, at que lodos os prisioneiros de (^erro
Leou foram levados ao acampamento de S. Fer-
nandez, onde depois leve lugar um grande lu-
zilamento da raaior parte dos presos Nesse tem-
po tambem -foi preso o cnsul Leile Pereira, ac-
ensado de ter gasto muito dnheiro em favor dos
presos inimigus, o que era este acto pralicado
de accordo com o governo do Brasil. Neumann
entao foi acensado de haver emprestado dinheiro
a Leite Pereira para o un de manter subditos
brasleiros.
Neumann foi severamente castigado durante
a sua prisao, como muitos de seos companheiros
de prisao ontaram-rae uando posteriormente fui
Sreso, e parece que o tribunal quena conseguir
ectaracoee de Nenmann a respeite de L*ite Pe-
reira, por meio de continuados aeeites, ato que
Neumann morreo por cansa dos castigos e priva-
coee de urna prisao barbara, om junho de 1868.
Defceu o finado em Assumpcao. na ra do
Commercio, urna casa allugada cheia de tabaco,
charutos, seus livros de commeroio, moreis, ote-.
No caminho de Lambar tinha o finado urna ch-
cara aUngada em bom estado de lavonra. Alen
dislo, eu sei pelo seu testamento que ulfe tiolia
seis depsitos de coaros e tabaco em anaompeao.
arra.bales e no Campo-Grande, rua dja dos
papis nao pnsso indicar os lugares, AmRomPleni-
bro-me qte uat deposito era uo armazem do fal-
lecido PioBussolf, na case de tambero fallecida
engeobero Whytchead, no arrabalde de Assun-
cao.
D..Emilio Neumann foi seoapre considerado
ctMuo.um negociante de urna.fortuna de io&oOO
patacoesrpelp meaws.
< Teruwfeiio estas declafacods om.teda.aver-
dade e conforme coma qi**,sei ac oa.mmha
coawieueM,.e flnra.firnww assigno.Asupcao
As noticias da Assumpcao chegain a 10, c se-
gundo ellas ora no dia lo' quo dovia marchar pa-
ra o interior a expedicao composta de tropas lua-
sileirase argentinas, sendo estes ultimas sob o
coaunando do coronel Alvares.
Dizia-se que Penbcbe j fura abandonada pelo-
Paraguayos que se reliraram lo leguas alm, mas
que destacamentos de cavallarkl enviados por L-
pez percorriam os campos, tornando pouco seguros
mesmo os arredores de Luque.
O rio Paraguay continpava extraordinariamente
crescdo elencionava-se sprovetar a encliente a
ver se se poda chegar ao arroo em que estavam
refugiados os vapores paraguayos.
Os alliados, diz um telegraronia, arroararo urna
legio paraguaya para fazer a guerra a Lpez. la
ser arrematado o fornocimento do exercito brasi-
leiro.
A cauhoneira norte-americana Wasp deseen
sero ter podido communirar coro o respectivo mi-
nistro general Mac Mahon.
A Tribuna de Montovidn, cujas reveladla team
algum peso, pois a folha de Bustamanlo, minis-
tro do governo, obserjja :
i A guerra do l'aYagtyi't'iilium incidente offe-
rece digno de consignar se. Lpez mantm-se
ainda no interior : dau-se-llie cinco ou sete mil hn-
niens, cattribuem-se-lhe projectos a respeite dos
quaes impossivui obter iiformacoes seguras. O
3un fra de duv3a gozar lie das syrouathias
os Estados-Unidos, apezar da oceupaco da capi-
tal c de tbda a margem do rio pelas torcas alija-
das. lAlni disto acha-se a allanca tambem um
pouco abalada depois da temada da Assumpcao,
pois parece que aRepuldica Argenlina recusa no-
mear um ministro extraordinario, como fez a Re-
nuWica Oriental, para, de accordo com o ministro
brasileiro Paranhos, occupartse da reonganiaacao
do.Paraguay. Ja temos, pois, desiulcUigeiicia on-
tro os alliaides, mas tiao se Ihe cuuheceo motivo.'
Na Repblica Argentina tenaiuoii a quesiao da
provincia de S. /uan, u o general Arredondo, qtie
all e,n4raraom iorcasi uaeisaes, j se havia reti-
rado.
Segunda aJgurnae#folias era o Sr. conselheiro
Paranhos e^radp.brevemente em Bqeuos-Ayres.
Em Montevideo foi nomeado ministro da fazenda
o Dr. AlexandrcMagarinos Cervantes, cujas ideas
sao com arias aorso forrado das notas do ban-
co, o como alero disto ainda a cmaradns deputa-
dos adopto urna resuluco declarando que nao
disentira projecto nenhuro sobre tal assumpto re-
lativamente aos bancos em qnidacao, reputa va-se
deliBivainenle julgada esta questo.
Mngarinos era ministro de estrangeiros, reparti-
eao ^ue ficou a cargo do respectivo oHkial-inaior.
Os outros membros di minisUiriconservavam as
suas pastas.
Herva de Montevideo lomos ohaequiados .pelo
commandante do vapor Gerente com. follias dn-Rio-
rand* dogul que.alcancam a 12 do corrente.
Havia naquella cidad dalas de Porte-Alegre at
10.
teiava ojncluida a eleico para depuiados as-
serabla geral pelo 1" Uistrielo. O resultado foi o
segninte, segundo a apurago publicada .as.-folhas
iBwrGrande :
Dr. Aqtonia Alves de.Azambuja............ 238
Deserobargador JoaoEvaugeli 'la do Negreros
tinao Lobato.......................... *9
21 de feverciro de 1860.R. voa Ftsher Trenes DrTje Bernardino da Cunba BUenceurt... 288
Do 2 districto eca-esta a apuraoao dos coUegios
Por decretos de 28 do corrente :
Foi revogado, sobre renresentacao Jo bacharol
(iiiilhermeCordeiro Coelho Cintra, o decreto de 2
de setembro do 1868, que declarou sem effeito a
sua uomeacao para chefe de polica da provincia
de Matto-Grosso, pur nao ter entrado ero exercicio
dentro do prazo legal;" devendo o mesmo bacliarel
ser considerado como juiz de direilo exonerado
dauuolle cargo, uos termos do decreto n. 1.296 de
16 de dezeinl.ro de 1853?vislo achar-se autorisado
por portara de lo de jnllio do anuo prximo An-
do, a permanecer no cargo do membro da junta
militar de justiea junto ao exercito ero operacocs
no Paraguay.
-23- v
Por carta imperial de 20 do corrente :
Foi iialuraiisado o subdito portuguez Joaquim
de Almeida Guiinaraes.
Pur decretos da momia data .
Foram Horneados ca val lei ros da i rdero de S.
Bento do Aviz os capitaes Mathias da Gaiiia.Cahral
de Vasconcellos, Manoel d Conceicao Pereira de
Castro e Francisco Vllela de Castro Tavares.
Foram concedidas as seguintes pensoes, que 11-
caro pendentes da approvacao da assembla geral:
A' viscondessa de Inhariiiia. vmva do almirante
visconde de Inliauia. fallecido cm consequencia
de molestia adquirida em campanha, a le 3:000&
annuacs, sero prejuizo do inonte-pio qu Ihe com-
petir ;
Ao grumete reformado da marinhagem da ar-
mada Antonio Martins, invalidado em combate, a
de 7 j mensaes ;
Aos cabos de esquadra do 4 batalhao de arti-
lharia a p Jos Virssimo Pinto Ramos, do 9 cor-
lio de cavallaria da guarda naciunal do Rio Grande
do Sul Jos Mana Leal, do 44 corpo de volunta-
rios da patria Thomaz Ant nio de Castro Torres
aos anspecadas do 39" corpo de voluntarios da pa-
tria Le tironeo Paulo dos Santos, do 19 dito Joan
Baptsta Braga Jnior, a de 500 rs. diarios a rada
um ; aos soldados do 1" regiment de artilharia a
cavallo Felsberto Marianno de Castro, do 13" ba-
talhao de infanlaria Antonio do Rosario Goncalves,
do 26' corpo de voluntarios da patria Manoel Fer-
reira Lima, e ao msico do 12 batalhao de infan-
tera Domingos Fernandes da Silva, a de 400 dia-
rios a cada um.
chefe de todas as forras em operaooes contra o go-
verno do Paraguay.
O baro de Mliritiba. conselheiro nador do Impeli, ministro e secretorio de estado
dos negocios da guerra, assim o teuha entendido e
faca executar.
Palacio do Rio do Janeiro, em 22 de marco de
1869, 48-da Independencia e do Imperio.Geno a
rubrica de S. M... Imperador. -Bardode Mariiba.
Publicando estes decretos, faz o governo a se-
grate declaracao, que nos foi comraunirada:
S. Exc. o Sr. duque de Caxia* obteve do go-
verno a dispona que pedir do cumulando em be-
fe de todas as forcas era nperacoes contra o dac-
dor do Paraguay, por. mo Ihe permttir o estado
de sua saude regressar ao exercito.
Roceiandose que, por igual rooliv ., o Sr. ge-
neral Guilherme Xavier de Souza nio possa conti-
nuar no cumulando interino do exercito, e adian-
do so infelizmente lamlieiu impedidos uniros dis-
tinctos generaes, resdveu o governo imperalno-
mear a S. A. o Sr. mareebal do exenito conde
dEu para o referida commaudo cm.chefe..
Apezar dos desejos manifestados de naoencar-
regar-se desta cnminsanonas actuacs ciicnmsten-
cas, Sua Alteza, compreheudendo a exteusaado
dever militar e a conveniencia da undade du com-
mando das forcas de Ierra e navaes, e animado ao
mesmo fempo do nobre sentimeuto de prestar ao
Brasil o rclevantissimo servico de acederar a iftr-
nnacjfo d guerra, dcixou de rekteiar; e vai
partir brevemente para tomar o posto que Ihe foi
confiado.
Sendo puramente militar esta eommssao, Sua
Iteza nenhuma ingerencia ter nos ajustes diplo-
mticos que possam celebrar-se entre as potencias
belligerantos.
RIDIAO DE PERlflWBUCO
Por decretos de 20 do corrente :
Foram concedidas as honras (lo posto de capitn
do exercito aos capitaes Jos Moreira da Silva Me-
nezes Jnior e Joao Ribeiro da Silva Menezes, este
do corpo de voluntarios da patria servindo no 10
batalhao de infantera, e aquello no 32 corpo da
mesma denominacao, pelos relevantes servicos
prestados na guerra actual contra o governo do
Paraguay.
Por decreto de 20 do corrente mez'foi demittido
o Dr. Joao Baptista Pereira, do bigardo ajudante
do procurador dos foitos da fazenda da corte e pro-
vincia do Ru de Janeiro.
24 -
Pelo vapor Gerente, entrado hontem dos portes
do sul, recebemos datas de Porto-Alegre at 15,
Ro-Grande 18 e Santa Catharina 20 do correte.
As jinicas noticias da provincia de S. Pedop do
Sul sao as deitoraes.
O resultado da eleicao para um senador em
todos os eollegios da provincia, faltando somente
o da Cruz Afta, tendo votado 483 eleitores, era
este :
Dr. Joao Jacintho de Mendonca............ 407
Deserobargador Joao Evangelista de Negrei-
ros Sayao Lobato...................... 359
Desembargador Mapoel Jos de Freit is Tra-
vassos ............................... 330
Visconde de Herval...................... 133
Dr. Jeao Dias de Castro.................. 97
Conde de Porto-Alegre................... 66
Barao de Mau.......................... 53
Para deputados geraes pelo 2 districto a apu-
raoao de indos os eollegios, faltando tambera o da
Cruz-Alta, era a seguate :
Dr. Jfao Jacintho de Mendonca............ 203
Conselheiro A. R. Fernandos Braga........ 193
Coronel Pederuoiras..................... 164
Baro de Mau.......................... 56
Dr. Gaspar Martins...................... 19
Dr. Timollieo........................... H
Fallecer na cidade do Rio-Grande, em idade
muito avaneada, o drurgin Thomaz Rodrigues
Pereira.
Em Santa Catharina eslava terminada a eleicao
para deontados geraes. Keuniraui a materia de
votos:
Conselheiro Jesuino Lamego Costa......... 175
Dr. Manoel do Nascbnento-Konseea Gaiwo.. 161
Tinha fallecido na capital o abastado oouuner-
oiante Pedro Grnnsey-
$> M. o Iroperader, aeompaohado de seus.ema-
narios, foi non lem noaraennlde martnfcvfnda
vsitou as oJBciuas.de tnachiuaa; em aegnidn.diri-
gio-s ao arsenalda guerra epawarjieu indas as
ofllcinas daqnallo estabeleciatMto.
Atlendudo aos relevantee OTlwmriiaarios ser.
RECIFE, 31 DK HARCO DR 18W.
NOTICIAS DO SUL DO IMPERIO.
O vapor francez Estremadure, rhegado hontem.
foi portador de jornaes da corte at 24 e da Bahia
at 27 do corrente.
Sob a rubrica Interior vio por extenso as noti-
cias mais importantes; alero das quaes s encon-
tramos as que seguem. '
lllo DA l'RATA.
A's noticias do theatro da guerra, quedaiiKK
u'outro limar, temos a arcre-centar o seguinte,
que transcrevemot do Mario de lli:
t 0 alcance deifioeoos-A] res pan Montevideo
d as seguintes noticias cm dala de 14, as 7 e meia
horas da manhaa:
Chegou o vapor do Paraguav, trazeado a
agradavel noticia de que militas das familias que
foram mandadas por Lpez para as imml inhas de
Ascurra, tiiiham-se escapado e regressadn a As-
sumpejb ; os canijios de Cuque, porm, na > estao
livrcs, porque sao pereorrnos per gente do Lo
pez.
Lo|M-z manda piquetas pereorrer os campos
para juntar armamento.
Desde a chegada do ministro Paranhos a As-
sumpcao, osjiegocios all teem tomado tnellior
as|Hcto. A cidade est em ordem c todas as pro-
pnedades sao respailadas.
0 general Menna Brrelo com una forra ex-
pedicionaria sahir de Assumpcao, e segundo a*
ultimas noticias, que sao dignas de confUnca, es-
lava ajustado que a 15 do corrente os Brasleiros
marchariam para Fruridaa atim de encorpora-
rein-se divisao argentina para marcharem para
as montanhas.
Parece que o povoado de Pirabeb est com-
pletamente deserto e todas as torcas paraguayas,
liospitaes, etc., foram removidos "para 13 leguas
alm das montanhas, porm os alliados teem bons
guias e suppoe-se geralmente que esta expedicao
pora termo a guerra.
O rio Paraguay continua a crescer e j ten
nundado todas as suas margens em toda as di-
recedes.
Cerrito, que est na embocadnra do Para-
guay, o que ltimamente servio de arsenal aos
Brasileiros, est coberto d'agua nao pudendo quasi
ver-se os toctos das casas.
O Testo da esquadra paraguaya est fondeada
em um pequeo rio, em cuja embocadnra os Pa-
raguayos submergiram um grande vapor para
impedir a possioilidade de ser nassado; porm os
Brasileiros querem aproveilar a grande endiente.
que ha agora para subir o rio, atim de capturar os
vapores que se sahe e-tarem all.
De Assumpcao teem sido fetos grandes caer-
gaientes de todas as mercaduras para Mallo
Grosso. >
Nesso correspondente de Montevideo, escreven-
do-nos ultima hora, remetle-nos umtelegramroa
uue acaba va de receher de Buenos-Avr.-s com data
desse dia, s 3 tenis da larde, o quai diz:
c O magnifico vapor 17, que ha pouco tempo
chegou dos E>tados-Unidos, foi devorado pela-;
chamtnas hoje a I hora da madrugada. Faltara
quatro hqmeiis da IripoJacao q\ toe terem
sido victimas do incendio ijue propagou-sc com
tal velocidade que den lempo s pessoas que se
achavam a bordo do atirarem-se n agua.
Cliegou o vajior do Paraguay cora datas ate
10 de Assumpcao.
i Os alliados tinbam autorisado que se arnjasse
tuna feiio paraguaya para fazer guerra a Lpez.
Baixou o vapor americano IVnsp, nao se tendo
|x>ddo fallar com o inmistro americano Mac-
Mahon.
n A' ultima hora chegarara noticias de Lu-
que. Os alliados tomaram puase da ponte da
terree carril deste 4101110.
nio DE JAMURO.
Achava-se concluida oda a eleicao senatorial,
compondo-se toda a lia tripbicedos.Srs.:
Conselheiro Sayo Lobato. 1541
CouaejQeiro Pereira da Silva 43*>
Veador Lima o Silva...... |05"
Eis as noticias cnmnierdaes da ultima data:
Cambio.Londres 1* V-e 18 o/8 d. a 90 d V
liante n, 18 5/8 e 3/4 d. a 90 d/v. bajes 513 e olo rs. por franco a 90 d/V. bnntem boje ;
Hnnburgo 940 rs. pur B a 99 d,v. bontnm
ApoTices.Geraes de % aH l/2^1nrateni
eiioje; numrostirao nacional de M|O6Ol(tt0f a





H

M%\
\(
iAUQl)iario 4e Pernambuco Quarla feira 31 de Marcp de 1869.
0R3
-
de
vista.
. 30d/v.
. 60 d/v.
. 90 d/v.
6 % eOeetuaram-se
861 de premio hontera dito dito a *0 dito ex-di-
videndo. ,. .___
Incluindo transac3cs em cambio regulare?
sobre Londros a 18 1/2 d., papel bancano o a i8
3/8 c 18 3/i d.. papel particular, c menos que re
guiares obre Franca de 310 a 313 ris por franco,
effectuadas hoje, sonraam os saques para o paque-
te francez Estremuduve:
Sobre Londres carca de 440,000 a 18 L2 d.,
papel nanearlo, e 4J8 %4. 18 8>8 18 1/2 pa-
pel particular. sobre Franca cerca de francos
2,800,000 (tendo sido al* hontem S.'OJOO frs. e
nao 2,250,000 coito foi poMhado por ttaasposicao
dealgarismo) aos extremo de 30o a M rs. I*'
franco. i
Sobre Haratmrgo cerca B 20,000 a.040 res
por B. \ L -
Sobre Lisboa e Porto vigoru o premio da
tabella seguinte:
.. !<*> a 196 .
189 a 193 o,-o
188 a 134 %
187 a 193 %
Era apolices geraes
hoje transaccSe* importantes a 80 1/2 % As do
emprestimo nacional de 186-forain negociadas a
403 de premio juros para o vondedi r, e a 80* dito
dito para o comprador.
No mercado de accoes nada nos consta que se
B metaes 9 tra'nsaecoes hoje toram limita-
das, vondendo-se apenas urna pequea partida de
soberanos a 13*500.
A taxa do descont no banco do Brasil conti-
ntfe.a.O a/o; na praca cgular de 7 a 10 % para
priuieiras tirinas.
Sabio para Fernambuco, a 17 do corrente, o
patacho portuguez Marta.
Ficava a carga, para Pernambuco, o briguc
Isabel. W*
JUNAS GERAES.
Para diputados assembla geral achavam-se
eleitos:
2. districto.Drs. Pinto Moreira, Caedo e Per-
digoMalheiros. .....
3. districtoDrs. Jos Caimon Nogneira 4alie
da Giima e Joaquim Delphino Ribeiro da Luz, e
commendador M Proeopio Ferreira Lage.
3. districto.Drs, Evaristo Ferreira da Veiga,
Jos Ignacio de Barros Cobra Jnior, e Joaqun)
Delphino Ribeiro da Luz.
Tinham maioria de voto9 :
No 4* districtoDrs. Capanema, Ponido e Cer-
queira. _. ". .
No 6 districto.Vicente Jos de Figueiredo,
Cruz Machado, e Candido Murta.
O Pharol. da cidade do Juiz de Foras, noticia
que a 8 do passado Alexandra Curiba de Jess,
Jos Antonio Curiba e Benjamn Jos Teixcira
assassinaraiii com 6 tiros e una punhalada a Jos
Estoves do ferino, pai de numerosa familia.
L-se na ines;oa folha : .
,i No dia 6 do corrente desabou sobre Barbacc-
na una medmha tempestado. Cahiram 4 rains nos
segaintes pontos : I na ponte prxima ao Ganga-
lheiro, matando un homem chamado Lourenco,
que por ella passava a cavado, vindo do seu tra-
balh e que licra preso pelos estribos junto ao
animd, tambera fulminado; outro na casa do Sr.
Belisario Penna, estragando as paredes e quasi
matando um preto que no momento da queda do
raio se levantara do lugar por onde elle passara:
um terreiro no adro da capella de Santo Antonio.
no rito da Cangalheiro, sobre nmaarvore; e final-
sent o quaito cin pleno campo.
S. PAULO.
Foram eleitos deputados assembla geral:
Pelo 2" districto. Drs. Antonio G. Barbosa da
Cmilia. Manoel Antonio Duarte de Azevedo e Iba-
qui-u FI nano de Godov.
Pelo 3* districto. Prado, Nebias, c Costa
Pinto.
"O Correo Paulistano de 14 do corrente no-
ticia o seguinte passamento:
Fallecen hontcui o veltio arrediago dcsia dioce-
se Bvd. Fidelis Jos de Morara, um dos sacerdo-
tes mais amigo-, deste bispado e o mais antigo da
calh-dral. Era natural desta provincia. Basculo
em 1777, cantn uiissa nova em 1806, sendo logo
depois nomeado coadjucior da S. Parochiou a
freguezia de Nossa Senhora do O" nesta provincia
e a da cidade do Rio Pardo na do Rio-Grande do
Sal. Em 1816 foi por D. Joan VI despachadoi co-
uego, co n espectativa primeira vaga no cabido,
e em 1844" elevado pelo governo imperial a digni-
dad' de are -d:ago.
a Cea i un Paulista da velha tempera, carcter
respeitavel e geralmente considerado.
ESPIRITO-SANTO.
Por esta provincia foram eleitos d-pufados
awainMa : Drs. Luiz Antonio da Silva Nunes e
Custidio Caldoso Fontes.
BAHA.
O Dr. chefe de polica proceda por si mes-
n a i iu o-rog.it oos e demais pesquizas, sobre
o de-f lae da adm'mis'racan do correio.
Fallecer, con 73 annos de idade, o Rvm.
Fr Anadeo de Cheavari, vicc-prefeito dos missio-
narios epachinhos. O tinado habitava a provin-
cia desde 1836.
Achavam-se mais votados para deputados
geraes. nos collegins conhecidos :
4. districto.-Drs. Luiz A. Pereira Franco, Ci-
cer DinLw c Jo< (ione.ilves da Silva.
S. districto. Dr. Junqueira, descinbargador
Ges e Dr. Bonifacio de Abreu.
O cambio regulava sobre Londres de 19 a
19 Vid. por 130.X.
A alfandega rendeu de 1 a 24 do corrente
672:181 Viot
alera 'dos invites Belaes s autortades e vice-
cnsules das entras nacoes, nao houve ouviles
reservados para o Te-Veum.
t noite o Sr. Menfonca reuni em soa casa
muitos dos seus amiju a quem obsequiosameitfe
c-onvido, bem como todas "os autoridades. F bai-
le, eom-que S. Exc. terminou as suas demonstra-
coes de jubilo |telos triumphos das armas bra*i-
fuiras, foi explaudido-; o lodos d'ajji retirarangfi
Itenbiirados pela obsequiosa recepojk) do Sr.^j
puouI Mendonea c de sua excellentissima fani-
lia. (
a Foi o dfci 2 do con .te um de *rdadeira ale-
cria para o* Tettselrenses ; e ao Sr. Mondonca ca-
be muita louvor pela brilliante demonstra^o que
d<-u de dedica cao e amor ao pau, que representa
Je un modo tao distincto nesta Ria, a qaal hoje
por tantos ioi.'resses se acba lijada naci ra-
-ileira. >^^ J8K.jl
PRONUNCIA.Pelo delegado de Pao dAlho foi
pronunciado, como ineurso as penas do art. 192
do cdigo criminal, por haver assassiaido a t-os-
ine Calisto, no mez le dezembro nHfaio, Mettsm,
escravo de D. Thereza de Araujo Plnheiro.
INCENDIO.Ante-houteio noite, indo o menor
Daniel Jos Mrateiro, calxelni da taberna n. 131
da ra Imperial, verificar, com urna vela na inao,
se urna pipa de agurdente, que eslava no tundo
do armazera, achava-se estanque, incendiou ca-
sualmente o liquido. Foram prquenos os estragos
polos promptos soceorFos prestados pelos visinhos
DINHEIRO. O vapor francez Etii-emadwe
tronxe as si^uinlrt-quantias, para os senhores :
Lehmann frrea 23,000 frs.
Manoel Teixcira Bastos 28:000^000
Tbomaz de Aquino Fonceca & C. 10.000 frs.
DECLARAgO EM TEMPOO artigo sobre o
pontfice romano e o srisma do Occidente, que pu-
blicamos em nossa oitava pagina de antc-bontcm e
bontem, foi vertido'do francez pela Exma. Sra. D.
Philomena Jersey.
SOTH-AMERICA.Este vapor, da compaulua
ancricana, devia sabir do Rio de Janeiro, para o
nosso porto, no dia 26 do corrente a 3 horas da
tarde. Deve hoje chegar.
de sua familia, mas a fera terrivel do Paraguay
que aintia eslava desejosa de beber o sangue dos
bravos hrasilL-iros, em 21 o> dezembro do anno
pasando na* Lombas Valentinas, procurando des-
trtr4di os distnctos patriotas; n'essa occasiao
l'.d o bravo alferes ferido pw urna mctralha em
um dos calcanhacs, e desse ferimento rcsultou-
Ike a morte.
f)jtiiti ie distincto. patrate n'wla provincia
-ua esposa a quem estina"te e-lremosunente, e
com ella sua filhinha com qoatro annos de idade,
deixon para seai|ire esses dous entes os niais ca-
ros, ambos sa pobreza; gemdn a esposa incon-
solavel pdrda do seu -limado esposo, e a fllhi-
ailia simflhanles as ^ves .pie qbs seus |irirociros
das esperam no niuho o^Hnento traztdo por
seus progenitores, ina por multas vezes d balde
esperam por osles, porque o tjranuo caasador
Ih'o lem roubadua exwencifcM. i
Infeliz esposa, consolai-vos, o manto da Provi-
dencia Divina, cobre a lodos aquellej, que com os
nlllOS IllOS 110 CCO podeiU SOCColTO ; VOSSOS 0)003
serio ouvidos por Deas, e a soriedade vos ajima-
r a criar e educar a parte do coraeao, que o bra-
vo soldado morrendo em defesa da paria e da
rcligift >, deixou entregue a seus concidadaos, le-
gando-lhe to somcnle um nomo heroico as pa-
ginas brilhantes do imperio do Brasil.
Detis so leuibre d'alma do bravo, e a sociedade
soccorra a pobre viuva., o sua lhinha..
_________ L'm wf
D. Mana
Lira..
Amelia de Gusmao
10 2:0004000
COMMERCIO.
Inspee^ao do arsenal de
mariaha.
Do ordem do Illm.ijr. inspector faco publico que
acha-se marcado o praso de sessenta dias, a conlar
da data do presente, para o concurso a que se vai
' proceder nosta inspeccao, tanto para provimento
_ na a i a f d|):< lugares de escrivao do almoxarifado e seu
KAnl IVlllA & L ajudaiite, como de donamanuenses da secretaria
UHIIUU iiinwn w. Os pretendentos devero inscrever-e no rnen-
Itlia do TrauiCBe n. cionado pr*so, e exige-se-lbes que tenham boa
DesCOOla lettras cu ninerciacaa taxa COn- tetra, bom comporumento, c a idade de SI annos
vencional llecebe dijilieiro, a premio con-! completos, assiaa como abeivm frammatica da
vennonal, por Atrs e em coala corrente.' "nga nacional, principio de ,
PEMAIBUGO.
EK^S A DIARIA.
S9
39
41
II
26
26
1,770
1,713
L6S8
1.68 i
i^o i
1,50!
DEPUTADOS ASSEMBLA GERAL. -
districto collegio da Boa-Vista, 39 eleitores.
Conego Joa piini Pinto de Campo.......
Dr. Manoel Clementino Carneiro da Cnnha
C dlegio de Cabrob, II eleitores.
Congo Joaquim Pinto de Campos.......
Dr. Man .el Clementino Carneiro da Cnnha
Colleiiio do Ex ou Granito, 26 eleitores :
Conego Joa mim Piulo de Campos.......
Dr. Manoel deinentinn Ornein da Cunha
Resultado da cleicao para deputados nos colle-
gios do o" districto, faltando apenas de Tacarat,
que se compoe de 39 eleit >re-.
Dr. Manoel Clementino Carneiro da Cunba 3.1o
Conego Joaquim Piuto de Campos........ 332
SENADORES. Resultado da eleico, para se-
naloros faltando apenas o collegio de Tacarat
com :t'.t eleitores :
Vi conde de Cainaragibe................
Cnselbeiro Jos lenlo da Ce Figueiredo.
De Dr. Ig acio loaqnim de Sonza Leao.......
Dr. Man lo 6 Ferreira de Atentar.........
Co lego Joapiim Pinto de Campos.........
TIIE \TRO.Hoje faz beneficio no nojfti'theatro
de Santa Isabel, o d stincto artista dramtico a Sr.
J aqnun Augusto R.beiro de Andrade, levando a
C lupaohia a scena o drama D, Cnnr de Buzan, a
causoueta o Miudinho e a coinedia Izdoro o ca-
queiro. .
O Sr. Joaquim Augusto artista tao festejado
pelo nosso publico, que nenhuma necessidade tc-
m s de ivcommendar -Ihe o seu beneficio, crentes
como so nos, de que nao deixar elle de taibutar-
liie em i azada occasiat urna prova de seu amor
aos artistas dignos desse nome.
ILHA TERCE1RA.No jornala LAonniA-dn
Angra do kroismo, na ilha Terceira, em Portu-
gal, dem se as linhas abaixo sobre um Te-Deam
que, em accan de gracas pelo triiimoho das arma"
bwikra*, mandn celebrar o nosso rice cnsul
all re dente, o Sr. comiin-ndador Joaquim Anto-
nio de tteodonfad Menezes. ,
O Si. commendador Menezes nao se limitou a
esse f.stejo, oifereceu tambein, na casa de sua re-
sidencia, seus amigos e a* autoridades d'aquella
loealidade, um suinptooM baile, de que osjornaes
fazem os mnieres elogios.
Como v.1. o'aquelle lugar nao foram caque-
cid.is os triumpbos das nossas armas noParaguav,
gracas ao Sr. commendador Menezes, nosso vice-
cnsul, que por isso torna-se digno de enco-
mios.
Eis as linhas citadas da lagrima :
i Nidia 2 do corrente celebrou se na paro
chi;.l igreja de Nossa Senhora da Conceicao um
solemne Te-Denm em accao de gracas pelo trium-
pbo da- armas brasfleiras no Paraguay
Esta solemnidade foi promovida o realisada
Cilo Exm. commendador Joaquim Antonio de
endonca e Menezes, digno viee-consul do Brasil
nesta ilha.
Foram presentes, por convite de S. Exc, as
autoridales civil, militar e eclesistica, e juntos
outros cavalheiros desta cidade. O Sr. vioe-oon-
sul tinha, alguns dias antes, annonriado no- pe-
ridicos da loealidade esta ceremonia religiosa
convidando a todos quantos mais polemne a qui-
ssem tornar com a sua presencia, E portanto,
PARAN. As malas do sul para o norte do
imperio, na primeira quinzena de abril, serao tra-
zidas pelo vapor Paran, que devia partir da cor-
te no da 1.
BABAO DO TRIUMPHO.Chegaram hontem da
corte, para a toja de madama Falque, a na do
Cresjio n. 4, alguns xemplarcs do retrato liino-
graphado desse Ilustre e bravo general do exerci-
to brasileiro ltimamente fallecido. Asseguram-
nos ser fiel. Vende-se a 2000 cada um.
LEGACO DO BRASIL NOS ESTADOS-I.'NI-
DOS.Refere um jornal de Nova-Wk quoobr.
conselheiro Magalhaes, nosso ministronos.Estados-
Unidcs da America, deu no da 15 de reveretro,
em Washington, um grando jantar ao general
Grant, presidente eleito da Uniao Americana. As-
sistiram a esse jantar mudas pessas notaveis tan-
ta do corpo diplomtico como do paiz.
CLUB RADICAL. Hoje, s 3 horas da tarde,
baver si^ssao deste club, no salao do Club Per-
nambucano. 0 secretario respectivo, o >r- Dr.
Ferreira Jacobina, convida para ella a lodos os so-
cios.
CONCILIO TR1DENTIN0.Chamamos a alleu-
cao dos leitores para um artigo, sobre essa mate-
ria, que publicamos boje em nossa oitava pagina,
escripto pelo Sr. Dr. Joaquim Jos de Campos da
Costa de Medciros c Albuquerque.
ESTREMADURE. ste vapor levou honb-ni
para a Europa 26t passageiros, dos qnaes 46 re-
cebidos no nosso porto.
MORTE REPENTINA-Morrcu hontem na pra-
ca do Corpo Santo repentinamente, as 3 c inoia
horas da tarde, um homem que por all passava.
A polica da freguezia couipareceu em conli-
ucnte.
ERRATAS. Corrigimos alguns erros de im-
pressao da nossa coi respondencia da Paraliyba,
hontem publii ada.
A data de 27 de marco, e nao de 7, como sa-
nde le-sosegundo districto desta provincia,
no periodo que comeeacausn verdadeira satis-
facao la-so segundo districto dessa provni-
Cll
o final da correspondencia, onde l-sclucro
diiiiril de seu trabalbo, la->e lucro snflmcl do
seu trabalbo. E onde se diz-<-i-coro adnunistra-
cao, la-se criadora adWiaistraco.
PASSAGEIROS. Chegados hontem no vapor
Estremadwe: ..
AITouso Caetano Val-, Bartali Orazm, Bartoli
Luigi, Joan Carrero, Davia O-car Cevy c Jos
Wieselas.
Sabidos no mesmo vapor:
Francisco Jorge Rabello, Joao Pinto de Lemos
Jnior, sua senhora, tresfimas, urna cunhada cmn
mu tilho menor, Frcderico Giles, Joao B. rragoso,
Jos Julio da Silva Ramos, Jos Cordeiro do llego
Fontes. Vicente de Paula de Oliveira Villas Boas,
Antonio da Silva Ferreira Jnior, sua senhora,
dous filhos, um cunhado, Pergentno Jos Pereira,
Guilherme Augusta Rodrigues Seite, Bernardina
Maria de Mello e quatro lilhos, Mana Claudma da
Silva, Felipi>e de S e Albuquerque, Leopoldo
Bourgard, Joao da Rocha e Silva, Eugenio Artnur
Guedes de Araujo, Luiz Ferre.ra, Vicente Cnelhn
de Magalhae>, '.liarles Len Desfrei, Alfredo (.no-
des d'Araujo, Francisco Fernandos Duarte, Anto-
nio Maria de Pata, Jos L.ipes, Veltei Salom,
Caetano Charles G, Joao Rodrigues d Andrade Pai-
va, Anselmo Jorge Segot, Adolpho Riviere, Henry
Tbomeiy, Joaquim Pereira de Carvalho, Dutningos
Jos da Silva c Francisco Domingos Das.
CEMITEKIO PBLICO.-Obituano do da 29 do
corrente: ,
Maria Svcundina dos Santos, Pernambuco, 21 an-
uos, solteii a, S, Jos ; tubrculos pulmonares.
Maria Rosa ds Martyrios, Portugal, 70 annos, sol-
teira, Rerife; estupor. .
Svmphona Prente Correa da Silva, Pernambuco,
' 31 annos, solteira, S. Jos; tubrculos pulmo-
nares. .
Theodora Petronilla dos Prazeres, Pernambu-
co, 44 annos, viuva, Santo Antonio; phtysici
pulmonar.
Felisuiina da Conceicao Teixeira, Pernambuco, 3
annos, solteira, Boa-Vista ; ttano.
Arthur, Pernambuco, 3 annos, S. Jos; febre dy-
nainica.
Heurique de Alencaslre Autran, Pernambuco, -'>
annos, casado, Boa-Vista : febre maligna.
Mana Alexandrina da Tnndade, Pernalubuco, oO
annos, solteira, Boa-Vista ; anemia.
Francisco, Pernambuco, 6 mezes, Rccife ; convul-
socs. '
Joauna, Pernambuco, 3 meies, b. Jos; convul
soes.
Protectora das fami-
lias.
Esta sociacao caminha as vas de prosperi-
dade, nao sem os entraves inherentes emprezas
grandiosas. /! ,
Contratos Capital
3936------5,868:6755970
<
1406-----'24rW:42.-920
5342------8,042:1015890
toda sesuranc-a o maior e
de junlio do
tinha regis-
Em 30
MOB
trado
Durante o semestre de
30 do junho a 31 de
dezembro de 1868..
Estado dessa associa-
cao em 31 de dezem-
bro de 1868........
Para conseguir com
mais instante desidertum da vida do homem, que
crear para o luturo um capital certa e una ren-
da infallivel, para si, seus filhos e familias bastara
fazer um calculo (cada qual conforme seus pro-
prios haveres) de que pode dispor durante o pe-
riodo de cinco annos; signalada que seja a quan-
lia -erosla dividida em duas elasses de contratos,
um chamado contrato de capital e outro de renda
Estes dous seguros devero saisar-se em cinco
animidades consecutivas, e depois de passados os
cinco annos o eontribuinte ficarlivradoonusdos
pagamentos das animidades subsecuentes.
Estas duas elasses combinadas produzem resul-
tados mararilhosos para o futuro.
Por exemplo, um pai que quizer formar para o
futuro um capital o urna renda vitalicia para cada
um de seus lilhos, conseguir este importante fim
despendendo para cada um delles a quantia de
l:lr)'il, que se pagam da seguinte forma :
Direitos de entrada..- I55,i
No primeiro anno.... 2004
segundo .... 200-5
i lejreiro 2005
quarlo 2005
quinto 200
fiera despendido no lim de cinco
annos a quantia do........... LI535
tendo creado para cadafilho um capital para o fu-
turo, que conforme a idade dos segurados sera de
33:0004 a 47:000$ c urna renda vitalicia de 1005
ananaes.
Adinitlem-se contratos de maiores e menores
annuidades, sendo os lucros sempre proporeionaes
ao producto dos seguintes factores : valor da
contribui?ao, o risco de morte do segurado
e a dura?*! do co-Urato (art. 28 do regnlamenta).
Agencia de Pernambuco, ra do Livramento
.V. F. de Vidal.
Confero crditos, saca sobre as primeira*
pragas do imperio, Rio da Prata e Euro-
pa, e compra cambiaos sotire as mesmas
pravas. J m^~
Encarrega-se, por commiss5o, da com-
pra e venda de fundos pblicos e acc5es de
aompanliii, da oobranca de lettras a "di-:
videtidos ou de seu pagamento, o de rjual
raer outra operaco bancaria.
0 expediente para o publico cmegar
s 10 linras da manha, e terminar s 4
horas da tarde de todos os dias uteis.
ENGLISH BANK '
O Rio de Janeiro Limited
Descinta lettras da praca taxa a con-
vencional
Recebe dinheiro em corta corrente e a
prazo fixo.
Saca vista ou praso sobro as cidades
principaes da Europa, tem agencias na Ba-
bia, Buenos-Ayres, Montevideo, New-York
e New-Orleans, e imitte cartas de crebito,
para os mesmos lugares.
Largo do Pelourinlio n. 7
CASA fCAMBIO
Theodoro Siraon & C.
.
AVISOS MARTIMOS. '
Soberanos
Ouro nacional
Vendem
, 13^700
) 54 1/ o/0
partidas doliradas, arMhiiietica e suas appheaeoes.
Inspee^ao doarMnal.de marinha de Pernambu-
co 2 de ma. co de 1863.
0 secretario,
44 Alexandre Rodrigues dog Anjos _
s ni J i -i .11 Misericordia do
_er Reclfe.
A Ilhn.-i. junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Hccife manda fazer publico que na
sala de suas sessoes, no dia 1 de al r 1, pelas
quatro horas da tarde, tem de ser arrematadas a
quem mais vantagens offereccr, pelo tempo de um
a tres anno, as rendas dos predios em seguila de-
clarados :
ESTABELElJMENTOS DE CAIUDADE.
. Ra da lmpcratrz.
<3asa terrea n. 68 por anno............38O$00O
Hua de Ilortas.
Loja do sobrado n. 41, por anno........ 120$000
Ra da Moeda.
Primeiro andar do sobrado n. 37, por anno 7t$000
Segundo audar, ide-m.................. 96*000
Areal do Forte.
Casa tarrea n. I, por anno.............. 100$000
Ra do Padre Floi iano.
Casa terrea n. 43, por anno............170J000
Ra da Conceicao.
Casa terrea n. o, por anno..........y. 219*000
PATRIMONIO DOS ORPHOS.
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 100, por anno ........201 000
dem n. 102, idem....................201 000
Sitio n. 3 do Forrio da Cal, idem ........ 130$000
Sitio do Rosarinho n. 3................32a$000
Os pretendentes devero apresentar no acto da
! arremataco as suas liancas, ou comparecerem
aeompanliados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Sania Casa da Misericordia do Rc-
cife,18 de niarc/i de 1869. O escrivao.
Peo Rodrigues de Sou-za,
Para o Porto
Segu sem demora a larca portngueza Noio
Silencio, por i.T grande parte da sua carga promp-
ta, para o resto e pa-sageiros aos qnaes oflereco
excell.-ntes coinmffdo trata i C, largo do Corpo Samon. 19 ou com o capito
na praea do coinmercio.______________________
Kio de Janeiro
Para o indicado porto segu com muita brevi-
dade o veleiro e bem conhecido brigue Adelante.
poiter a maior parle do carrgaineuto tratado ; e
para o resto que Ihe falta e escravos a frete, tra-
ta-se com o eonsignatmo Joaquim Jos Goncalve*
Beltrao, rua do Trapiche n. 17,
"
Rio de Janeiro
Segu com muita brevidado para o porto cima
a escuna dinamarquesa lite, tem a maior parti-
do seu carregamen o engajado: para o resto que
Ihe falta trata-se com Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo A C, ma da Cruz n. 37, 1- andar.
de prc-
portugez
Scdulas do governo j
mo
1 1/2 o/0 de pre-
mio
de 1 a 3*)00 )
Largo do Corpo Santo n. 21
ALFANDEGA.
Rendimenlo do dia 1 a 27 .
Idem do dia 30 .
890:231*497
39:21S#. 03
949
M0V1MENT0 DA ALFANDEGa
:430402
Volumes entrados
dem idem
com fazendas
com gneros
Volumes sahidos com fazendas
Idem idem com genero ^
187
348
------333
151
352
------301
30
30
20
10
10
10
15
5
10
5
5
5
10
3
5
10
5
5
10
10
10
5
10
8
10
5
3
10
HUBLICACOES A PEDIDO.
Protectora das familias
Em cumprimento do prevenido no artigo 29 do
regulamento, se codvida a todos os senhores con-
tribiiintes denla associacSo, que ainda nao tiverem
apresenlado a certidoes de idade dos segurados,
para que faeain entrega dellas na ra do Livra-
mento n. 19, 1 andar, aflm de ser expedidas
mais breve possivel para a inspectora geral do
Rio de Jauciro. As certiddes devem ser selladas e
reconhecidas por tabelliao. Recito 15 de Janeiro
de 1869.O representante, .
N. F. de Vidal.
luii Li xi-mi i subre o tuniaio il
alteres .U.ireelao Franeo da
Nilvcira l.ewsii.
mais urna vida roubda pelo fcarbaro do Pa-
raguay, mais urna espoza na vluvez ; mi:
una innocente na orphandade. Entre os bravos
que compunham o nosso exercito, Qg^urava um jo-
ven, que por suas qualidades mereca toda cousi-
deracao ; flllio obdiente, espozo dedicado e pai ca-
ri nlhtto.
Marcelino Franco da Silva Lessa em 1839, sen-
do por seu pai o major Pedro Miliano da Silveira
Ussa apresentadn a S. M. o Inqierador, e por elle
offerecido ao mesmo augusto senlmr para o ser-
vico do exercito, e de laclo em jullio de 1860 sen-
tou praca no 3 batalho como cadete, e dessa
data em diante foi sempre considerado por seus
superiores.
Em I8dl casou com D. Emilia Jovinina de Al-
buquerque Lessa e o dia de fevereiro de 1863
eguio para o sul, deixando sua espora e urna fi-
lhinha com tres annos de idade.
Desde o comeco da guerra com o Paraguay,
que o atieres Marcelino presta seusservicos, tendo
entrado em diversos combates, taes como o de
Corrientes, Riachuelo, Potrero Ovelha e outro-,
tendo sido nomeado alferes em 1867.
At bem poneos metes o alferes Marcelino se
achava chei de vida, e esperando que se termi-
naste a guerra para vir gozar do socego no seio
Trilhos Urbanos fpara
Jaboato.
Lista los subscriptores de ac-
coes para a formaco de urna
coiupauhla.
accoes
Joao da Cunha Wanderley----- 100
Vicente de P. Oliveira V. Roas
l'Yrreira 4 Matheus..........
Tliomaz de Aquino Fonceca o
Filhos...........41......
Joao Fernandes Lpez........
Henrique Gibs.m,........
Rento Magalhaes.............
Demetrio Acacio de Araujo B.
Amerieo Nunes Corrcia......
Dr. Claudino de A. Guimares.
Francisco Goncalves Netto
J. F. S. Porto................
Augusto Frederiro dosS. Porto
Jos Alexandre Ribeiro.......
Dr. Estevao Cavalcanti de A..
Antonio Jos da Costa e Silva..
Luiz Jos da Costa c Silva....
Jos Alves da Silva Gulinaraes
lose Joaquim Lima Bairao
Joaquim Jos da Costa e Silva.
Antonio Cesarlo Moreira Dias..
los Antonio Moreira Dias.....
Jos lntonio da Silva Jnior..
Antonio Baplista Nogueira
Beato dos Santos Ramos......
Antonio Augusto dos S. Porto..
los Fernandes Lima.......
Francisco Fernandes Duarte...
Antonio Jos C. Ouimarace
Joao Evangelista de S.......
Antonio Moreira de Mendonca.
los da Costa Hispo.........- 5
Paulo Jos Gomes...........
Dr. Symphronio Cesar Coutinho
Domingos Teixeira Bastos.....
Jos Antonio de S Leitao-----
Bernardin.i Concia de R. Reg
Manuel de Al.evu Macedo.....
Manoel Joaquim Baplista......
Tiliureio Valeriano Baptista...
Modesto do Reprn Baplista.....
Justino J. de Souza Campos...
Jos Moreira Lop<*3..........
Antonio J. P. de Carvalho.....
Dr. Francisco do R.B.Barreto.
Bario da Soledade...........
Francisco Ferreira Borges-----
Conselheiro Jos Bento da Cu-
nha Figneiredo............
Dr. Jos Bento da Cunha Fi-
gueiredo Jnior...........
Antonio Pinto de Barros......
Manoel de Souza Tavares.....
Parisio Belarmino de Moraes P.
Tenente-coronel Francisco C.
M. Rios Jnior............
Manoel de Souza Lean........
Jernimo de SouzarLeo......
Jovino Coellio da Silva.......
J. .o G. da Cunha Soares.....
loa njoaquim da C Leite.....
De. Ignacio J. de Souza Lelo..
Alfre lo Jos A. Guimares....
Manoel de Mesquita Barros W.
Thomaz Lins de Barros W...
Dr. Gaspar Cavalcanti de Al-
buquerque Uehoa.........
Joao F. Cavalcante de Albu-
querque..................
Commendador Antonio de Sou-
za Leo.................. 250
Joao Manuel de Mesquita Bar-
ros Wanderley............ H)
Descarregam hoje 31 do marco.
Vapor ingles Sapphiremercadorias.
Barca ingleza=Iio0i mercadorias.
Barca inglezaFlouting Cloudidem.
Esc una i ng I eaZeph iraidem.
Patacho inglezPortiaidem.
Brigue inglezfl. F. fle//=cerveja.
Patacho portuguez Maria da Gloria = diversos
gneros.
Brigue nacionalfloio=balatas.
Brigue portuguezBciium/tolagedo.
Lugar inglezPeor i rarvo.
Barca inglezaLevantmercadorias.
Barca inglezaBloomeridem.
Barca in/leza lVntw//rtfarinha de trigo.
ilECEBEDORlA DE RENDAS INTEHNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimenlo do dia 1 a 27. 00:6064312
Idem do dia 30...... 3:270*53b
63:8768V8
CASA DE CAMBIO
Teodoro Simn & 0.
Comprara e vendem por conta propria
metaes, moedas nacionaes e estrangeiras.
letras de cambio, sedlas do governo c do
banco do Brasil.
Descontara letras da Ierra e outros ttu-
los comraerciaes.
Encarregam-sc por conta alheia das mes-
mas transaecocs, da cobranca de letras da
trra c de outros ttulos commerciaes.
Recebem quaesquer quantias em deposi-
to, em conta corrente, e a prazo fixo.
Largo do Corpo Santo n. 21.
THEODOROTSIMON 4 C.
Vendem
Soberanos a 1307l'O
Ouro nacional )
) a 51 1/2 | de premio.
a portugnez )
Sedulas do governo) 1 i/i % de pre-
da l a o50t'0 ) mi.
Largo do Corpo Santo n. 21
Para Lisboa.
Vai sahir com brevidade o patacho portuguez
Jlfawi da Glora, cap tao Valente, para carga tra-
ta se com E. It. Babello ra do Commercionumc
ro 44._____________________________________,
Para o Mi Grande do *ul.
Pretende sahir nestes dias o pttfttbote portu-
guez Novo S. Lourero, e para carga e passagei-
ros trata-se coiu os consignatarios Ihomai de
Aipiino Fonscca A C. ou com o capitn na praca.
CPAHIA BR.\SILE1H\"
Dr.
Paquetes a vapor.
I) m porlos do norte espeado
al odia 8 de abrilp.4. o vapor
Cruzeiro do Sul, commandanle
Al.of.irado.o qual depois da de-
mora do costume seguir para os
dosul .
Desde j recehem-se pa.v-agoiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia desuachegada. Encomnien-
das e dinheiro a frete at as duas horas do dia da
ua sahida.
Nao se recebem como cncominondas seno ob-
jectos do pequeo valor e que nao excedam a^ 2
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de menico.
Tndo que pascar destes limites dever ser embar-
cado como carga.
Previue-se aos Srs. passageiros que suas passa-
gens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 87,
I- andar, escriptorio do Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.
25
8
S
5
o
50
30
10
10
20
o
50
50
50
20:000000
10:000000
10:0000U0
10:000000
4:000 000
2:0004000
2:000 000
2:000000
3:000000
1:000 000
2:000 000
1.000 000
1:000 000
1:0004000
2:0004000
1:0004000
1:0004000
2:0004000
1:0004000
1.-0004000
2:000 000
2:0004000
2:0004000
1:0004000
2:000.000
1:000000
2:0004000
1:000 000
1:0004000
2:000 000
1:0004000
1:0004000
1:0004000
5:0004000
1:0004000
, 1:000400.
1:0004000
1:0004000
10:000000
CONSULADO PROVINCIAL
iendimento do dia 1 a i\
Idem do dia 30 .
134:9094838
6:9454412
141:9434250
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no da 90,
Rio de Janeiro e Bahia -6 dias, vapor francez Ex-
tremadme, de 1 !7l t melada comnandante H.
de Somer, equipagem 114, carga diferentes g-
neros ; a Tisset Fr re.
Liverpool 37 dias, brigue norie-allemao Geory
Andreas, de 1881-meladas, capitn Beiiner, equi-
pagem 10, carga carvao ; a ordem.
Trieste68 dias, brigue d.namarquez Jeanelte, de
275 toneladas, rpita. P. Fynk, equipapem 9,
carga 2400 barricas com fariuha de trigo; a
Henry Forster 4 C.
JVat'io saJiido no mesmo dia.
Bordame portos intermediosv; por francez Ea;-
ulure. comman lante Somer.
Qiwpafda.
Suspendeu do lamarao para Bahia a barca in-
gleza Harbottle, capitn G. L. Hood, com a niesma
carga, que trouxe de New Ca>lt'\
Idci'n para Cabo de Boa-Es|ieranca, barca ingle-
za Nawerley, capitao Vautiur com a mesma carga
que trouxe de Cardilf.
Parahyba barca Jesie Cott. capitao Tliomaz, com
o nicsmu lastro que trouxe de Liverpool.
2:0005000
-2:0 04000
4:0004000
4:0004000
110:0004000
J0:0004000
>10:0004000
ECITAES.
!0 2:0004000
&
8
10
5
5
S
8
28
8
10
23
25
50
25
5
2
O Illm. Sr. inspector da oVsouraria de fa-
zenda desta provincia. Blanda fazer publico que
10:0004000 tem marcado o dia 4 do ma o prximo vindouro,
para o concurso que se t thesouraria para preenchimentn das vaga de pra-
ticantes exi-tentes nesta reparticao, na alfandega e
na recebedoria.
Os exames rerearao, sobre as materias de que
nata o Io do art. 1" do decreto n. 3,114 de 27 de
juphn de 1863, a saber, teitura, analyse graimnati-
cal e orthygraphia. arithinetica e suas applica^s
ao cominercio, com especialidad.; a reduceao de
moedas, pesos e medidas, calculo de descont, ju-
ros simples e compostos, theoria de cambio e sua*
applicacoes.
Os concurrentes devero previamente apresen-
tar seus requeriinentos instruidos de documentos
que provem iilade complrta de 18 annos, isencao
de pena e culpa e bom comportaincnto na forma
do art. 3 do decreto n. 2,549 de 14 de marco de
1860
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco, 27 de niarc/i de 1869.
O offlrial-maior,
Manoel Mamede da Silva Costa.
luspec^o do arsenal de
mariaha.
Faz-sc publico que a conimissao de peritos exa-
minando, na forma determinada no regulamento
annexo ao decreto n. 1324 de 5 de fevereiro de
1854, o ca inalreaca >,vela no-amarraa e ancoras do vapor
tpojuen da companhia Pi-rnambucana de navega
* i costeira, achou todos esses objectos em estado
poder o vapor navegar.
Inspeccao di arsenal de marinha de Pernambu-
co 30 de marco de 1869.
. O inspector,
H. A. Barbosa de Almeida.
S \NTA CASABE MISERICORDIA DO RECIFE
Pela secretaria da Santa Casa de Misericordia
do Recife se faz sciente quem eoavier, que o so-
brado n. 3 A sito ra Augusta e a casa terrea
n. 39 da ra dos Percadores, estn sujeitas se-
guinte dispo^icao testamentaria, com que fallece!
I). Esmenia da Conceicao Souza, mulher do Dr.
Jos Joaquim de Souza :
< Declaro mais que instito por herdeires de
minha meia acc) ao meu marido o Dr. Jos Joa-
quim de Souza,* com a obrigacao de com suamor-
le passar a terca de meu< liens para os meus ir-
maos o padre Jo> Leite Pitia Orligueira e D. Car-
lota Esmenia da Conceicao Leite, aos quaes tam-
bem instito por herdeiros da mesma terca na con-
formidade do que fica disposto, e no caso de que
nao sobrevivam seus irmos *eu marido, a terca
que ellespertencer, vontade sua que pa^separa
o hospital de caridade que Oca assun instituido.'
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, 5 ile marco de 1869.-0 escrivao, Pedro Ro-
drigues de Souza.
O administrador da recebedoria de rendas
internas geraes declara que tendo-se concluido o
lancamento do imposto pes-oal do exercicio cor-
rente de 1868-69 das fregnezias de S. Jos e Boa-
vi-ta, flea marcado o pra futuro em que deve ser pago o referido imposto.
!in multa, das sobredita- fregnezias, como deter-
mina:! ordem n. 17 do ministerio efcpzenda de
10 de Janeiro ultim.
Bocebedoria de Pernambuco 19 do fevereiro de
1869.
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
Companhia americana c brasilei-
ra de paquetes a vapor.
At o dia Io do abril esperado dos portos do
sul o vapor americano South America, o qual de-
oois da demora do costumo seguir para New-
York tocando no Para c S. Tliomaz, para fretes e
passagen- trata-se com os agentes Henry Forster
4 C, na do Trapiche n. 8._____________
COMPANHIA FERNAMBUCANA*
DR
!VaTega^o coseira por vapor.
Forlo deGaltmhas, Rio Formoso e
Tamandar.
O vapor .W(jmoi//iipc,_ coni-
mandante Oliveira, seguir para
os poitos cima no ilia 31 do cor-
rente a meia noite. Recebe car-
ga, eocommenda.. passageiros e
dinheiro .virote no escriptorio do Forte do M.it-
tos n. 12.
U_^t-
C0JIPA1IA BRASILEIRA
Paquetes a vapor.
Dos portos do sul upando
al o dia 8 de abril p. f. o vapor
'arana, viiiiii.'indante o eapWN
de fragata Antonio Joaquim de
Santa Bar ora, o qual depois da
mora do costume seguir para os do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual deven
ser embarcada no diado Buachegada. Encouinien-
das e dinheiro a frete at o dia da sua sahida as 2
horas.
Nao se recebem como cncommendas senao ob-
jeclos de pequeo valor e que nao excedam a duas
arroba- de |ieso ou 8 palmos cbicos de medica.).
Tudo que passar dc.stes limites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
gens s se recebem na agencia ra da ;rn' n. '>.,
Io andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C._____________________________
Para o Porto
Segu at o dia 8 de abril a barca portugt
Soco Siteticio, a qual ulTcrecc excedentes comnio-
dos para passageiros : a tratar no largo do Corp
Santo n. 19, escriptorio de Oliveira Filhos A C., W
coin o capitao na prava do commercio._______
1:0001000
1:000000
2:0004000
1:000*000
1:000*000
-1:000000
1:0004000
5:000000
LOOOOoo
2:000*000
5:000i0(K)
5:000*000
10:000*000
5:000*000
1:000*000
,400*000
50:000*000
8
8
8
18
5
Adolpho Wanderley Lins.....
Vicente Mondes Wanderley...
Coronel Antomo G. Leal.....
Francisco Manoel de Sonza e
Oliveira..................
Dr. Francisco E. do B. Dantas
Dr. Jos Honorio Bezerra de
Menezes___..............
Laurentino J. de Miranda..... 20
Dr. Manoel do Nascmeuto Ma-
chado Portella.............
Joaquim Salvador Pessoa de Si-
queira Cavalcanti..........
Dr. Joao J. Pinto Jnior.......
Jor Francisco P. S. Jnior...
Dr. Lniz Salazar Moscoso da
Veiga Pessoa.............
Jos Cesario de Mello........
Dr. Antonio Joaquim Buarquo
.Nazareth................. 8
2:000*000
1.000*000
1:000*000
1:0004000
3:000*000
S:000000
1:000*000
4:000*000
25
5
8
8
8
A cainaia municipal tiesta cidade, tendo de
proceder no dia 2 de abril prximo vindouro, a
apuracao geral de votos para deputados a assem-
bla geral legi-lativa pelo primeiro di-lricto desta
provincia, convida, conforme rerommenda o 12
do art. Io do de -reto n. 842 de 19 de setembro de
855, e art 25 do decreto n. 2621 de 22 de agosto
de ln, aos eleitores dos collegios que conipdem 0
mesmo districto, para assislirem a di ti apuracao
no dia citado.
Paco da cmara municipal do Recife, 27 de mar-
co de i869.
Bardo de Munbeca,
Presidente
Francisco Canuto da Boaviagem,
Secretario.
T11EATH0
DE
S. ISABEL.
EMPREZA DRAMTICA
DR
Quarla-feira 31 de margo.
BENEFICIO DE J, AUGUSTO.
Sobo a scena o acreditado drama ein 5 actos
ornado de msica
El
DECLARACOES.
1:000*000 Commando da* armas.
O soldado reformado Eugenio Alves de Aquino
5:000.5000 que chegou a esta provincia vindo da corte no
!:0fJ0*jO0 vapor Cruzeiro do St, a 23 do corrente, pode ir
1:000*000 receber no quartel general a sua guia de soccor-
riraeuto, webida nauta data.
1:000*000 Secretria do commando das armas de Per-
1:000*000 aambnco 30 de margo de 186D.
Franeisco Camello P. de Lacerda,
1 000000 Tenenle-coroMi secretario.
Personagens. Os senhores
D. Ctsar de Bazan.....J. Angosto.
I). Cailos II do He-panba. C. Rocha
I). Jos .de Santaretn Io ministro Jos Victorino.
O marques do MonteQvre, go-
vernador dos passarinhos. Martinbo.
Prez........Le O banmeiro......Santa Ros3.
Soldado........Guimaraes.
Io fidalgo.......Jordani.
2o dito........Florindo.
Um alcaide.......Brochado.
Lsz3rilho, Maritana, cantora da nas. Julia.
A marqueza de Montefivre. Fi ancisca.
Povo, fidalgos arcabuzeiros etc.. etc.
Segu pelo Sr. Martinho. a linda cansonet*
O flll DI MI.
D fim ao espectculo a primeira representaco
da comedia em I acto ornada de msica
lzidoro o vaqueiro.
Didoro.........Brocfcado.
Lniza........Apol'"1'8'
Magdalena.......Carolina.
Visinhos etc., etc.
J..Angosto tudo espera do Ilustrado publico.
Os bimetes acham-se no theatro do terca-fcira
da tardo em diwte.
Para o indicado porto pretenda sahir un p<>u-
cos dias a veleira e bem conhecida barca Soda?
capitao Rocha, por ter a maior pane do seu car-
regamento prompto, c para o resto que Ihe falta
e passageiros. para os quaes tem bons commodos
trata-se com o consignatario Joaquim Jos Gon-
calws Beltrao, a roa do Trapiche n. 17.
COMPANHIA PKKNAMBUCANA,
PE
llavegaoo eosleira por Tapor.
Parahyba, Natal. .Mneo, Mossor. Ara.
caty, Ccar, Moniah.Acarac
c Granja.
O vapor pofuca, cominandanto
Martins, seguir para os portos acirra
no dia 31 do corrente as 5 horas
Ja tardo. Recebe carga at o dia .'10. encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at as
i horas da tarde do dia da s.thida no escriptorio
.vi Forte d Mallos n. 12.
JL
COMPANHIA PERNAMBUCANA
n:
\'avegat'3o costeira por vapor.
Macei escalas b Penedo.
0 vapor Gigui, cominandante Aze-
vedo, seguir paraos portos cima fio
dia 31 do corrente s 5 horas da tar-
de. Recebe carga at o dia 30, enrommrndas.
passageiros e dinheiro a frete at as 2 horas da
urde do diada sahida no escriptorio do Forte do
Mallos n. 1?.
2L
Loanda
O brigue portuguez Bemtn'nda, capitao Silva, a
chegar de Li-b >a, sahir para Loanda pnueos dias
depois de recolhido a este porto : pode receber
alguma carga, e tratare com o seu eon-gnatano
Joaqnim Gerardo de Bastos, rna do Vigarlo n.
16, 1* andar
LEILOES.
LEIO
2S TB3DICS.
0 agente Pontual vender em IciBo pur auki-
risacao de diversos, os predk seguintes :
1 sobrado de 3 andares, soto proprio, sito ao
becco do Abren n. .
ketade do sobrado de 2 andares sito a ra da
Cruz n. 60
1 parte do sobrado de 3 andares sito a ra da
Senzala Velha n. 70.
2 casas terreas em solo foreiro, sitas a travess
das Barreirasni. 16 c 18.





*
6^
Diario de Pernambuco Quara feira 31 de Margo de 1869.
.______'-, '.....; ] .......
iioji;
-Vo 1 andar do sobr uli n. 63, run ba Cru-
11 horas.
Os Sis, prcteudcnti podero examinar os pre-
dios cima, e dirigiiem-se ao i usu de
precisaron) deai^uin i'si-l8rociniBtitc>,a respei.
LEILAO
De movis e objectos de escrlp-
torio.
COMO SI-.IAM :
Um corre de ferro, 1 earteira (secretaria), 1
prensa para copiar carias, 1 marquoza, 2 mesa-
eadeinas, 1 mobilia de amarcllo, 1 cama (ranean
1 commoda. 1 mesa de jantar, 1 relogio do cini.
Sexla-fetra 2 de abril.
O asent Pinto l'ar leilo as 10 horas do dia
cima dilo dos objeetM supra-mencionados exis-
lentes n.< Io andar do sobrado da ra da Cadea
n. 10.
Yice-coiisnlado da Italia em
j Pernambuco.
Per este V. ronfli lati se mi publico a rfnalquor
i-ri'diir que pi>s>a liaver do sobdito italiano Jos
Paganette, fallecido em 22 do corrente na Imbiri-
heira, povoacao dos Alagados, que deve dentro do
praso marcado na convenci consular, colebrada
entre o Brasil e a Italia em 4 de fevereiro de 186;,
apresentar seus ttulos^ para serem verificados e
tomados em consideraeao.
Pornanibuco 30 de margo de 1869. .
Pelo cnsul,
Jos SaporitiCbaneeller.
AVISOS DIVERSOS.
INSTITUTO WOEIILOIHC E (EOi.RAPHirO
Primeira sessao ordinaria o corrente
anno acadmico, quinta-feira, 1 de abril,
pelas 11 horas da manbSa.
OBDEN DO DIA
Posse dos novos officiaes da mesa e das
diversas commissdes eleitas;
Discussao do Orramento para o anno
ocial de 18691870.
Secretaria do Instituto, 2!) de marco de
I8G9.
Jos Soares de Azccedo,
Seeret rio perpetuo.
^NGYU/H,.
Oa abaixo assignados, toado resabido mandar
alebrar urna inissa de Rquiem, c un memento,
pela alma do nunca ass.is chora o )a. Antonio
YICBRI o i N \- ::m :xto Fhtosa por oecasiio do
primeiro anuiversario do filiocimento dse illus-
tre Peraarabucano, convidan! a todos os amigos e
-correligionarios do llnaho para que se digne de
con sna presenca eoncorrer para ruaior solera-
nidado de semelhante acto, que tora lagar no con-
vento de N. S. do Carino, as '.) horas da inanhaa
do dia C de abril prximo futuro.
Redfe 24 de marco de 1869.
Bario de Villa Bella.
Bario de Palmares.
l.uiz Jos Pereira Simcs.
Joao Francisco Teixoira.
Antonio Jos da Costa Ribeiro.
Dr. Carolino Francisco de L. Santos.
Floriano Correa de Brito.
Innoeenrio Serfico de Assis Carvatho.
Coneso Francisco R. P. de B. Medaos.
Feliciano Joaquim dos Santos.
_______Antonio hr Silva do Brasil.
Jos Soares de Azevedo, urofessorde
Itngua e lilteratura nacional no gymnasio
provincial do Recite, tein aberto em sua
casa, ra Bella n. 37. um
CURSO DELCSGOA FRANCESA,
DE GEOGRAPHIA E IIISTOIUA
DE Pllll.OSOPHI Y
DE RIIETOIUCA E POTICA.
-Os estudantes fjne pretenderen! frequen-
lar qualquer destas disciplinas, podem diri-
gir-se indicada residencia, de manha at
as 10 horas, e de tarde a qualquer hora.
AVISO
Fugio do engento S. Jos do Pacoval, o csciavo
Tioulo, fulo, por nome Anselmo, idade 17 ou 18
annos, teroa camisa de algodii izinho branco, iber-
ia na frente, calca da mesma fazenda, chapeo pe-
queo, Carij, ile alpaca, tem urna tMMrif no
beico superior, e alguma* marcas as costas pro-
venientes de rclho : quem o pegar leve-o ra
Imperial n. 173, que ser generosamente recom-
pearado.
Aluga-se um eseravo bom eozinhciro e eo-
pciro, um moleque de 12 annos para qualquer
rviro de casa ou hotel. na ra do Imperador
n. 80.
Quem precisar de um homem sem familia
para eosinar priineiras letras em algum engenho,
mi mesmo para caixeiro, annuncie.
Precisa-se de una ama de leite : a tratar na
ra da Imperatriz n. 63, loja de marcineiro.
Precisa-se fallar com o Sr. Antonio Mendos
ile Souza Machado, pare negocio de seu atereeae
na roa do Trapiche n. 17, cscriptorio de Joaquim
i i Gonealves Bellro.
Escravos fugido.s
Fugio no dia 22 de fevereiro prximo panado
tres eseraros, da cidade de Caraar, pertencentes
ao abaixo assignado, cajos eseravos teem os sig-
ues seg dates : um mulato de nome Benedicto,
idade 2rt annos, poueo mais ou menos, corpo re-
gular, barbado, tend falta ile dentes na frente;
urna mulata de dado 22 annos, de nome Dina,
rnnlher do mesmo, seeea do corpo, pescoco lino,
eabeHos corlados reales, denles perfeitos, olhos
vivos, a qual conduz um lilhinho que vai andando,
de nome Nicanor : roga-se as autoridades poli-
ciaes e capitaes de campo a apprehcnsao dos mes-
naos escraros, os gnaes sendo entregues na mes-
ma cidade de Caruar, ou no engenho Firmeza da
fregueTia da EseaJa, serio generosamente recom-
pensados.
Antonio Beterra da Silva.
IfTECAT
lima pessoa bastante habilitada, que tem de fa-
/.er una viagem ao centro da provincia, offerece-
se para promover alguma< cobranzas, amigavel ou
judicialmente quem de sen prestimo se quizer
utilisar, pode dirigir-se por carta fechada com as
iniciaes J. A., loja do Sr. Thom Lopes de Sen-
ta, ra Nova n. M.______________
Precisa S9 de un menino dos uttiims ene "
gados do Porto : no paleo da Bibeira n. 13, ta*
liorna.
pJP' OES P^Qj
A Perfumara Victoria hoje mnito procurad
pela flor da aristocracia, e das eleganies, po'
causa da fabricacAo superior dos productos des-
tinados aos usos do toucador, e entre os que^
ella creen urna cspecialidndc cm cada artigo.
Os sens novos perfumes, preparados com
Estencia de Ylangylany, que ella obtem mesmi
as ilhasPhi'ippinas, pela dislillnco do Vnono
odoratifsima, nSoiomem nrnliuma concurrencia
no que diz respeiio fineza c suavidnde do cheiro
pelo que aconselhamos ao publico elegante qu>
peca como perfume para o lenco
0 EXTRACTO DE YLANGYLANG
0 BOUQl'ET )F. J1AN1LHA
Alm d'estes dois cxtnplOs excepcionaes, qui
sSo propriedade exclusiva de sua casa, os Si*
Rvjaud e t>, prearlo igualmente, com pardea
lar perfeicao, iodos os e.xlrac'.os adoptados pe.
moda, c entre os quacs citaremos os seguintes
Jockey-Club. Violeta. Reseda.
Ess. Bouquet. Nmedate. Jusmm.
Feno fresco. ilousseline. Magnolia.
Flor dos prados. Rondclelia. Rosa musgosa.
TOMiTm HIGAim
E' urna Agua admirave! para o toilette-, cons-
titue ella o verdadeiro talismn da belleza, e cor.
serva a pellc fresca, e a le/, do rosto branca. E'
ultima expresso da sciencia. Ksl por todo;
reconliecida a sna iiironics'.avo! superioridad*
sobre as aguas de Colonia, a agu* de Florida e o
vinagres aromticos de niaior nooieada.
OlillO i: POMADA MlltA3D.%
Excelentes preparares que se podem chamal
o thesouro do cabello, e que, com postas de subs-
tancias tnicas c fortificantes, embcllezao e con-
servao o cabello, ao memio lempo que lhe com-
municio um cheiro suavissimo.
SABO .11 ( U A \ A
Quem com|iarar este sabao com os que sf
vendem por ahi, fcilmente reconhecera supc-
rodade do nosso. Este torna a culis muiissimc
macia, faz urna escuma abundante que forma um
verdadeiro banho de leite, e nada deixa a desejai
como delicadeza de perfume.
BENTORIMA
PASTA DENTimiCIA
A Dentorina um elixir dentifricio dos mas
suaves : perfuma e refresca agradavelmente i
boca, fortifica as geagivas, e preserva os dentes
da carie.
Esta polo dentifricia fez urna verdadeira re-
voluro na Perfumara; acabou para sempre com
os pos e opiatas, que sio mais ou meuos acidoi
oa perigosos. Basta passar ama escova hmida
por cima, para obter ama mucilagem suave
unciuosa que torna os denles perfeilamenu
braceos. ____
POS ROSADOS
PreservSo a pelle do rigor dos ventos e do fro,
commuoico-lhe ama agradavel frescura, e |>re-
venem as sardas. SSo superiores aos pos de arroi
e de mido. Seo perfume delicioso.
Deposito em Pernambuco, em casi do S"
Confruria de Jos d Agona.
Pelo presente convido a todos os nossos irmao?
ex-mnsarios /comparecer em nosso consistorio
amanhaa 31 do corrente, pelas 4 horas da tSrde
para reuniiio de mesa conjuncta.
Secretaria 30 de marco de 1869.
O secretario,
M. P. de.Magalliae' Junior.______
Precisa-se alugar urna escrava que saiba eo-
zinhar bem e fazer compras : no Corredor do Bis-
po n. 23.
Alcarar danzante, risa nova de
Sania Rila n. 1.
O administrador desle estabelecimento participa
ao respeitavel publico que se acha.aberta a assig-
naluia para lodos os divertimentns que diz res-
peito. Aos domingos baver caf, e concert das
3 horas da tarde at as 6. Aos sabbados bailes
pblicos, e cada fim de mez um baiie particular.
Sabbado 3 do corrente
Ter lugar o priinciro baile a carcter, e ser
cumplido fielmente o regulamenlo policial,
COMPAHHIA PERNAMBCAIfA
A ESMERALDA
O^NFI.IIO BE I11RIX \f
Os SnioresSaunders Brothers & C. Tasso
Irmaos, Luiz Antonio de Siqueira.
CEREXTE g
0 SR. F. F. BORGFS
Restando anda emittir algumas accoes d'esta eompanhia, da quantia nominal de
200^000 cada urna, das quaes s se aceitam em virtude da lei, 20 /0, ou 405000 por
cada accao; convida-se pelo presente ao publico em geral o especialmente aos Srs.
capitalistas e interessados no commercio, que queirara dar emprego seguro aos seus
capitaes, disponiveis, a subscrever o numero de accoes Tjue Ihes approuver.
Algumas destas accoes ja tem sido tomadas por pessoas que conhecem a \antagem,
de na presente occasio (conbecidamente a melliorX empregarem o dinbeiro de que
poderem dispr e4n objectos de valor real, como vapores, predios etc., que Ihes garan-
tam seus capitaes.
A eompanhia possue hoje 10 vapores, 6 inteiramente novos, edestes o ultimo est
a chegar de Inglaterra, onde foi construido expressamente para ella.
Alm disso est edificando vastos armazens, no terreno que possue no largo d'As-
sembla.
Seus dividendos tem sido de 10 '^ao anno, nos ultimas 4 annos.
As acc5e que se emittirem gzam dos mesinos direitos, e percehero o beneficio
dos mesmns dividendos me os antigos em proporc^o da entrada.
Recebem-se assignaturas no escriptorio da eompanhia no seu edificio ao caes da
Assembla n. i 2
w
SOFFRIMENTOS D'ESTOMAGO, CONSTIPADO.-
Cura em poucos dias pelo CARviO 0C belloc eio p ou em pasldliu.
ENXAQUECAS; NEVRALGIAS. e.*m airaos sio dis-
tlpadas rpidamente pelas PEROL* VETHER U I' CLI TlV
ANEMIA, A PALLIDEZ e os soflHmcntos que necessitamde
emprego dos ferruginosos iSo sempre combatidos com o raelhor resultad*
pelas PILULAS DE VALLET. Cada Plala tein incravado o noiae Vi'.Ltl
f
PO DE ROG. B3313 dissolver um frasco d'esie p6 em meio
garrafa d'apua para se obt *r urna limonada agradavel que purga sem fct-
rer clicas.
VINHO OE QUINIUM << Laearraquc. Este rinho, um dos
poucos cuja composicio garantida constante, una das mclbres pre-
pnragdcs de quiniw, sein acejio notavel sobre os convalescentes, dando-
lhes torcas e apressando i volta a saude. Cura as febres antigs que re-
sisti ao sulfato de quininn.
MOLESTIAS DA BEXIGA. a malor parte d'estas moles-
tias, cerno as sciaticas, lonibagos, catarros, e todas as dores nervosas era
geral sSo curadas pelas perolas oe essencia de thereb ntina do
Dr. Clertan. 0 professor Trousseau era seu Tratado de tnerapeuliet acon-
selha as para serem tomadas na oecasiio do jantar, na dse de 4 i 11.
OLEO DE FIGADO DE BACALHAO OE BERTH-
Garantido puro e de primeira qualidade, um dos poucos api-ovados pela
Academia de medicina.
AVISO. Todos estes medicamentos {oran aprovudcs pela Academia
imperial de mediana de Pars.
Rio*Jtnstr$.
Boho.. .
DEPOSITO
a Vare. IV r*BM, l, rae Jaaaa
Dufoculu ; Hemj I Peruamtuc. Minan et Cu.
I Cetro.....aUsuB et C1'.
Tuieara.
Hissx et Cu.
Acha-se rugido dede sabbado il do corren-
te o pre'.o meio fula de nome Sezario, de idade de
18 a 20 annos poueo mais ou menas, levou cami-
sa de madapolao, calca de brim e chapeo de fel-
tro j usado, tem os sigues seguintes : estatura
regular, bem feito do corpo, vesgo de um olho,
lem u n braco junto ao hombro mais seco que o
otitro, fugio do engenho Limoeirinho do termo da
Eseada e pelas noticias dirigio-se para essa c da-
de para onde foge j segunda vez d cm ganhador : roga-se s autoridades competen-
tes a Ciptnra di mesmo, ben como a qualquer
pessoa que o pegar e a levar a seu senhor no dito
engenho a Jos (nica ves da Rocha ou nesta
praea na roa do Llvramento n Su, ser bem re-
compensado.
Caixeiro
VALOR THERAPKUTICO
DO
XAROPE DE QUINA ^FERRUGINOSO
DE GMMIULT E COMP.
Vkarmaaaatiao* d S). A. I. o ptiieipe WapeUao,
> Vari*.
A associacSe do ferro e da quina resolveo um dos mais importantes problemas ds pharmacia,
e faz eem que se congratulara os mdicos dos relevantes serviros que lhcs presta esta pre-
paracSo.
Com effeito, ninguem ignora que a quina, em mateira medical, o meihor tnico qtie se
possa empregar, sendo, sobreludo, unido ao Phosphato de ferro, a mais estimada das prc-
parac6es ferruginosas, pois que cniram na sua composicio o ferro, elemento do sangue, e o
phosphato, principio dos ossos.
Por isso, julgamos que, para os srs mdicos, serio interessantes as obscrvacSes feitas pelos
sens collegas, os mais distinclos de Pars:
Este Xarope prodtsx os mais felizes resultados nos casos de dj-spepsia, chlorosis,
t amenorrhea, hemorrhagias, Ico'Wrheas, febres typhoidas, diabetes, e quando precisa
t restabelecer as forcas dos doentes c restituir ao corpo as forcas alteradas ou perdidas.
ARN AL, medico de S. M. o Imperador.
E urna das raras combinaedes r\in, ao mesmo tempo, satisfazem o medico e o doente. Em
e quanto a mim, eu a considero amo a mais efficaz preparacio ferruginosa, cujo uso dos
t mais agradaveis para os doentes. >
CAZE3AVE, uieftco do hospital Saint-Lou, em Paris.
e Com esta preparacSo d'uma forma agradavel, e fcil de digerir, administra-se aos
doentes dois medicamentos importantes.
CHARRIER, cliefe de clnica da Faculdade de Paris.
Eu emprego com o maior xito o Xarope de Quina ferruginoso, e o considero como
urna das mais felizes innovacocs, na mateira medical.
CHASSA1GNAC, cirurgio em chefe do hospital Lariboisiire.
e Este medicamento, sempre bem aceito pelos doentes, deo-me constantemente os mais
vantaiosos resultados. > ,
HERVEZ DE CHEG01N, membro da Academia de medicina.
A limpidez d'esta preparacSo, o seu gosto agradavel, isento de qualquer sabor de
c ferro, fazem d'ella um medicamento tao efficaz como agradavel.
M0N0D, addido a Faculdade de medicina.
Deposito em Pernambuco* em casa de Maorev e c\
......

Precisarse de um menino para caixeiro de ta-
berna, prefere-se (o- ulliinos chegados : na ra
Augusta n. 78. v
Aluga-se um bom cria I > di l> >x conducta
ropeiro e bolieiro : na r.u Direita n. i3.
\0 a 4ajnaaf ap tSBO uia oonqvtnuuvri las oiiiodj() -sisoipju sopep
-apos sacdisuijd sep a cuioapapi op eiiuopeoy sp ojOBAOJude t oppojam uiai sv\\o o ir oiu
ela jod a-oiuk'jwiu! ei)ej Biun eonoadiiidui bu 'siod 'mojddns su|ri|id stisg 'Ojjsj o
uioo aiuouieiounf an^ues ou jqaB as-aAjp ajduras anb oinauia|a 'asauB^UBn] op Biauasne
eiapliuoD b Bja iM.iiiaisisaad Bssatp bsobo b anb opBAOjd mai 'subj op neassnojj, a sni|ozjog
o oc.'] ap uinb.uia,! o [nosuag 'SBuaxiuj op uouubh sajossajojd so|od seiiaj soQEotpui
sv sBUEUipjo SBSoinSnjJaj sOQBJBdajd sb uiaisisoj sbiis3|oui sesso sazs.v ssiiniu o 'ouits
-siiuoi ajdmas a sBsomqdoJOsa no sB3iiBqdmi''sBonojoiqo soqjoojje sbp oiuouibiji q
tnijptJi
?
opjnj|
Jjinawnijfqj
wossia8naNItffl!I
:l|VjimfiVlC";^O.lMHll
sviinid
iniiiiiiiiii
MIWp l
tnaptJI tf
tcSuueif
I lili
Moreira Duarte & C. tendo feito urna
completa reforma uo seu estabelecimento
de joias da ra do Cabug n. 5, (junto a
loja de cera) acabam de reabri-lo ao res-
peitavel publico, a quem offerecem um es-
plendido sortimento de joias as mais mo-
dernas e primorosas que teem vindo a esta
praca. e por presos o mais resumido possi-
vel. Tambem compram ouro, prata e pe-
dras preciossas.
US
M't DO CVIHIii \.:
i- <
o>
re
se
c3
re
w.
g re
Se
. ee e-o
S"iB|
|Ere-S
^3 re '
t/i Q\ <
SS -Sil
"es!
re o O S*
-U a ^
O re re
g .-a -
3 re
S fe f?
'&|-
9 9 ^, 5
^ c-os a
m "2 c .2
.2 2 o <= w
a =
.2,0. o 2
O O 13 13
b f a cu
^?W o.0*
re O _,
t re o
> u -
?

i>
mmmmmmmmmmmmmmw
EPIDEMIAS
O LICOR DE UABARRAQUE um preservativo seguro em lempos de
epidemias : cholera, febre amarella, peste, typho, etc. Devera evitar-se as fal-
sificacOes as quaes sao a maior parte das vezes mal preparadas, sendo por isso
mais nocivas do que uteis. Deposito em Par, L. FRERE, 19, ru Jacob.
Km aia-Jaaelro. Duponche'.le; H. Tesdorpf. Mm rrnambaco. Mimrer.
INEGCA0 VEGETAL
com MATICO
de GRIMAULT e C* pharmaceuticos em PARS
O successo d'esia injecelo, preparada com aa folhas do Matico do Per, foi Uo rpido, que
ella se tem tornada popular era lodos os paizes do mundo, para a cura da gonorrha e das parga-
edes de toda a namreaa. E' o nico producto oeste genero coja entrada na Russia tenna sido
authorizada pelo conselho medico de Sao Petersbnrgo.
Deposito era rnoweiMro, em casa de Maura a O*.
-
RIIA 1
IDO
GABUGA
esquina
da ra larga do
Rosario.
ANNEL DE OURO
he:
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortimento sem igual,! esquina
e vende "por prepos que nenhuma outra casa pode vender. a raa larga do I
vista da qualidade e do preqo das joias cada um pder-se-ha convencer da verdade.l |
Garante-se ser tudo de lei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por presos muito ele- Rosario,
vados.
A] loja est aberta at s 9 horas da noute.
'mti
^


Diario de Perwwnbuco Quarta feira 31 de Marqcr de 1869.
.1
1
m ,f '
i2r
JC
' r "
Natrimnte
MEBICI1TA!
' l'BKI'ARADO POR
lAMiuin & Kemp
PARA
Tsica c toda a
qualidade de do-
,.ihjas ijuer seja
na garganta, pei-
to ou bofes.
E x p re 8 s-
mente escolhido
dos melhores li-
gados dos quw
se extrae o
Oleo, no banco
Ja Terra Nova
purificado chl-
micalmente,' e
suas valuaveis
propriedades
conservadas
com todo'o cui-
dado, ern todon
frasc*>. segaran-
te prriritam.'ii-
iptk.
Est oleo tetfr
-"lo sirbmettfflo.
a nm exame
rmtto severo, pele eliiinieo d? mais talen-
to, do governo bespanhol em Culta, e Ibi
por ella a couter,
MAIOR PORfAO D'IOIMNA
do que oulro qnalquer sled que 041o tem
examinado ^mtmu__^
KM UNO E' UM' PODER SAiYAVflt
Em todo o oleo de ligado de bacalho,
enaqueHe no quid conten a aaior poreo
d'esta invaluavel prnpriodade o nico
meio para curar todas as d tencas de
GARGANTA, PEITO, BOFES, FGAD0,
Tsica, brttocjiites," asma, eaanbo, tesse^
resfrftmeintos, etc..
Uns poucos.-frascos d earoes ao nnfto
magro que seja,clarea avista, e d virar a
todo o corpo. .Nenhutn eutro artigo co-
ndecido na medicina ou sciencia, d tanto
nutrimento ao systema e encomsnodando
quasi nada o estomago.
As pessoas cuja organisacao tem sido
destruida pelas affecces das
ESCROR'LAS (II RHEUMAII910
e todas aquellas cuja digestSwe aclia com-
pletamente isarfatijada, ilevem tomar
O OLEO tE FIGAIM) BEBACALBAO
Joaquim Jos Gon-
palves Beltrao
RA DO TRAPICHE N. 17, i.u ANDAR.
Saoca por todos os paquetes sobre o lian-
o do Minho, em Braga, e sobre os seguin-
tes logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valonea.
Guimaraes.
Goimbra.
Ghaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Gastello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famalico.
Lamego.
Lagos.
Covilliaa.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Reja.
Bavcellos.
^?=
32T=
V
BMTHOLOMEl) & C.
PARA USO INTERNO*'
fBEPAIIADOS 8IMPLB8
Xarope de jurubeba garrafa. liOO '***
Vinbo de jurubeba garrafa. liWOO
Pilotas de jurubeba Vidro. liWOO
Tintura de jurubeba vidro. 640
Extracto nydracoolico de jurubeba. 12*500
PIEPAHA0S C0MPOST0S.
Vinho de jurubeba ferruginoso garrafa. 2$00G
Xarope de jurubeba ferruginoso garrafa. I tfOO
Pilulas de jurubeba ferruginosa vidro. 090
Oleo de jurubeba vidros. 640
Pomada de jurubeba pote 640|
Emplastro de jurubeba libra. 2^500
PARA USO EXTERNO
M Jl Kl'BKBA.
Esta planta hofc ftconheeida como o mais potterosolomcov como umexcel-
tefrtedesobstruente, e como tal app! cada nos engorgitataentos do ligado e baco, as
hepatites propriamente ditas, ouainda complicadas com'anazarchas, as inftammates
sabsequeutes as febres intermitentes ou durezas, nos abeessos internos, nos tumores cs-
pocia.tUe-do tero e abdomen, nos tundes glandulosos, na anazarcha.nae hodrope- E? 1?^Zr^^^t.TSLfJ^L^,
IT1I,SBIVI>I.
Aos 500 pares de brincos.
Chegou e vonde-se no Coracao
(Pfluro, na do Cfthrig. brincos de
mosiuhas com urna franja penden-
j a nm rico desenlio e oaro -do*
|4ci, pelopequeno prc.o de l*f>000
cada par. barcttissimo.
A pus.-a qoe-annuricou tcrfatlica desec-
oas o mo(hadvs dehn cana tiesto typbgraphia com
as iniciaes 1 P, imliciinlo quaes as pessoas que
poili'in infirmar a l'recisa-se de qoatro ou seis eScravos bo
mra traballiaijeai mu sitio perlinla ridade: quem
isnuef alutraf pdc dar avsn nbotica dw Sr.
l;arbi>sa, ruada Cadhia doRerlfoti. (H, junto ao
arco da CwHvit i.
DKiPPlRECEU
i[uu su iiiuue iiiuujiiir 11.1 ra ue o.i
a j f1tal)elemientos J^^ ft^
a toac^icao Bravo & (.. a^ou inesinu aljnm* notMa a la
Ijnmau Kemp,
Se que dsejam v de enformidades.
Ac.lia-sc vrinl
de A. Caers, J. da
M. A. Barbesa, P. Maurer : C. e lartholo-f
meu & C.
E em todas as prinoipaes lojas de perfu-
mabas e bricas.
u jjj J)I1 UlilllJi
l'ara<:(*te rio ears do Ramos
u. 1
ADMIMSTUATJO
pon
Sf&d&tb Caimeiro
Acaba de abrir-se este fbportante estabe-
lecimi-nto. Oflerecendo ao respeitavel publi-
co multo fresca hospedaglh, e boas corae-
djirias ; laiHliem se toraam asignaturas,
mandand(i-se levar "in casa dos assignanes.
sendo isto por pre^o mais commodo do
que em mitra qualquer parte ; lambem lia
banbos nvirnos a frios a qualquer hora, e
mui linas bebidas.
No estabelecimento lia dois terrados que
ofiferecein duas lindas vistas, sendo urna
para o mar e oulta para o centro da cidade.
O proprietario espera merecer do respeita-
vel publico, a devida concorrencia, visto
que se esfbrca para bem servir a todos.
O t'Slabi'leiiinento abre-so s o horas da
manliaa e fecha-se meianontc.
PRIMEIRO LIVRO
DE
LEfTURt
PELO
Dr. Abilio C. Borg'es.
2a edico ME[:iion.\i>.\ r. ai-omentadv
V veada na Ifvrai'ia Fraaceza
Esta oiwinha, primeira que com tal ttulo
aparecen no paiz, composta segundo um
systema especial, abreviado, pliilosnphico e
ameno, e muito dillerentc das cartas co-
uhecidas com o nome e A R C.
Recomeoda-ao facto de hvbr sHro adop-
tada para as escolas ptffificas de qnasi to-
das as provincias do itnperio, seado por
toda a paite to v.intajosrnenteaceie, que
em menos de 18 ratees achoii-se. es<;olada
a primeii-a eilic de dez mil exSiHfMttbs.
Tendo-sc mandado da ra eslreita i Rosario
para o lu.'af Peres da l'repusiia de Afopados, no
liin de levei-eiro do frrente anuo, algumas pecas
do mobilia, e Jantamenie alguns jornaes e livros,
|mh- pina carroca (|U(! conduz assucar dos enge-
nhos, aeooloce que desappareceu ou roubaram da
me na carroea, una roliec^ai do Diario de'Per-
ndmbuco e do "Jornal do Recite, completa^ do
anuo de 1868, e diverjas eolleceoe dos megmos
(ofnaes nao rompalas do armo de ISfifi e 67 ; as-
ism como urna grande poreao do jornal Oriento
e Mercantil de 1866, 67 efi8 : roga-se o favor,
a tyiom enmprou, provatelrnente para ombri'ilo.
que se digne entregar na ra de Sania Thereza n.
pois que alero
todas as despe-
tal respeito.
Alvaro l'chta Cavalranii tem i rripto-
rio de advoraeia ra da ramboa do S
Carino n. 8 1" andar, onde pode ser pro- C
curado para osaiisteres de ?ua pTWssao
j sias,erysipellas ; e associada as prepaiacoes ferruginosas, ainda de grande vantagem
as anenuas, cbJorose*, faltas de menstrnaco, le'ucorrfteias, desarranjos atnicos do
estomago', debilidade orgnica e pobraa de sangue, etc.
O que dizemos aflirrmn os mais distinctos mdicos desta cidade, entre os
quaes podemos citar os Ttlms; Srs. Br. Silva Ramos, At^aino Fnseca, Sarment, fcve,
Pereira do Carmo, Firmo Xavier, Silva etc. Todos elles reconhecema exccllencia d'este
poderoso medicamento sobre os domis at hoje conhecidos para todos^os casos citados,
tantoique*todos os das fazetTTotle app!icac5o.
Apresetitando aos mdicos e ao publico emgerai diversos preparados da juru-
beba, tivemos por lim genprasar mais o uso d'este vegetal, fazendo desapjiarecer a
repugnancia que at hoje sentiam'os doerrWs de usar dos preparados empricos Velle, e
mais das vena repugnantes a iragarem-se, que tinliam anda a desvaniagem de nao
ser calculada a dose convuientea applicar-se, o que toma muitas vezes improlicuo um
medicamento, que podera produv.r ptimos resultados.
Os nossos preparados s forana apresentados depois de hayermos conveniente-
mente estudado ajur /befea, fazendo as experiencias precisas para bem conhecer as pro-
priedades medicamen'osas desta planta em suasraizes, folhas, fructas ou bagas, e a
dose convenieuie, chippiicaco, tendo alm d'isto procurado levar os nossos preparados
ao maior grao de perlWcao possivel, para o que nao poupamos esforcos, nao nos im-
portando o pouco lucio que possamos tirar.
Por tanto os que se dignarem recorrer aos nossos preparados podem tera
certeza de que elles otferecera a garanta, de que se pode encontrar, a prompta e infalli-
velcura de qualquer dos sofTrimentos, que deixamos innnmerados, se foiem em lempo
applicados, tendo alm d'sso, medico eu doente a vantagetn de escomer as nossas va-
riadas preparaees, aquella que melhor Ihe pode convir, j pela fcil applicaco, c j pela
complicacao d.is molestias, idade, sexo, ou anda natureza de cada individuo.
As nossas preparaees ferruginosas s5o feitas de forma que se tornam comple-
tamente soluveis nos suecos gstricos, porque procuramos oscompostos de ferro que
como taes eslo lioje reconhecidos.
Para aipiclles fue mais minuciosamente queiram conhecer as propriedades da
jurubeba, e saberem a applicaco de nossos preparados, destribuimos gratuitamente
em noaio deposito um folheto, onde tratamos mais extensamente d'esta planta e dos
mesme* preparados.
Deposito geral de todos os preparados
Roiira e dro^arfa
t 34Roa lacea do Rosar in34.
J. Fcri*elra VllIeJa.
r*fcotogr;ij)ho da casa iinpeml
premiado em diversas exposi-
qoes.
Na sua photografjiliia !i ra do Cabugd n.
8, entrada pelo pateo da matriz tira reta-
os por lodos os sysiemas pholograpliicos.
Em porcelana Em Tdro
Em talco Em papel
CAftT ES DE VISITA A !> A LZI.V.
Os retratos mric-dc-risUn sao collados
ra carlo de luso brsial ou porcelana.
lourados ou lithograpbados, quadrilongos
m vinhetas para o que existe urna varian-
te de 12 modelos a escolha de quem se re-
ratar. Para as oulras especies de retratos
emos caixinhas, passe-par-touts, quadros
i molduras degradas e prelas cassoltas de
uro e alinetes simples e com pedras pre-
aosas.. havendo nos alinetes urna mimosa
ariedade de feitios.
0 nosso estabelecimento photograpbico
ibt sempre em da com qs mellioramentos
i progressos que na America do Norte, na
iuropa ou no Rio de Janeiro se consegre
la arte photographica, e para a|cancarmos
al fira nunca poupamos desperas nem sa-
xificios, de sorte que os nossos numerosos
reguozes podem ter certeza deqne sem-
br, encontraro era ibsso estabelecimento
udb quanto a arle e a moda offerecer de
wm no novo e velhb mirado aos amante
la photographia.
:*tt*Sx*& *$&'&:?*.
DOENCAS DO PEITO
XAROPE d'HYPOPHOSPHITO
A efflcaeia d'esta preparacao eitestabelecida desde 1857, pelos mais celebres medico. Desde
enlio muitas imitaedes lem sido feitas, mas nenhuma poude usientar a comparacao com o
producto apresentado pela nossa caza. Por sso excitamos o publico para que exiga sempre
esu> xarope com urna bella cor de rosa, nunca branca, e com a nossa assignatura i roda do
frasco.
Sob a sua influencia, a tosse acalma-se. os soores nocturnos eessSo e o doeot volve rpida-
mente i sade. O seu empreo d lamamos mais brilhaiaes resultados nos defluxos, catar-
rlios, bronebites, irritayoes do pcito. etc.
Deposito <>m Pernatnbuco, em casa de i
Ma ra do Padr-e rioriano n. 34 preria-''de
ama ama para lodo ervieo de rae.
Prehisa-se de una auiirpa7a~cozirih'r : a
tratir na na dos Piros n. _'i.
.v policia.
Tendo hartn no da S nm rranrte enterro.
jiiBtou-se um grande numero de carros no i*emi-
teno, houve prande deleixo .da p.rtedun Imeei-
ros. a ponto de nm (Mies dirigir"varas indi
a urii dos ronviitados, dizen In at i|nR tomasse ns
redeas e voliassc para o Itecfe,' se tfnli'-se. qne
elle c'ava "deitado na rlva ; mmtn nesre
dia'*? portan do ceniibrio paneia a Cabanga, pela
fal'a de respeifo qne alli honre : pddie-se, portaa-
). eiieareijidamente ao Sr. I)r. chefe d policia as
rtrovM'Artas que o caso erigir.
D imm-'os Jos
ti|raI a tratar de sua
proeii d |,,.,,
Antonio da Sfva. eem
reir Abre*.
da Silva retira ge para Por-
'l'ixa como seu-
d *sr. Jofqutm
indo o Sr. AntonWTer-
.^VvfTa
risa-sede uma ama para cozinhar em ra-a
da hduien solteiro que tem pouea familia : na
roa do Crespo n. 12.
O abaixo assignado pndessor jubilado da ra-
deira de geographia e historia do ex-lvreu loMa
cidade. autorisadopela direiteiia geral da instrtoc-
cio pobliea, contina a ensinar primeiras li-tt,
latini, francez. rhetowa e geof-raphia. Hi-eebe
alumnos internos, externos e niein-penionjsBM,
para o que lem as ae.;iiiiinodai;oespreri.-.is os ira*
.andares do predio n. ii Mo rui Nova, para1
>aide se, niudoii.
_______ \ffim Piii ; ipar un m>v\a pata andar
po dr Oiirn n. 4.1).
Frederico Maia
Clrnrgio deafisla |icla cscoln
de ui do Klo de laueiro.
Tem a honra d" partieipaT au respeitavel publi-
co desta eapital eseus suburbios, que tem abertoo
seu gabinete de cousultas e oper*fdes dentarias a
ra Direita u. 12, priineiro andar, onde pMe ser
i iroe urad t da tarde. Elle aelm-se competentemente habili-
lado para com uerieic^aocollocar deotcs artifleles
por qualquer dos sjtemas, e bem assim descinpe-
nliar qualquer mitro trabalho eoneernento sua
ei'oiissao. O mesDio. reconhecendo (|ue nemsi m-
re vssivels senlioras ou eriancas sahir'em a
>n>ru. ar o remed, 'oiTerece>se a remover qnal-
|uer obstculo, declarando que na cidade se pres-
tara a qualquer chamado soni (pie issoinllua Mtui
.lguinauacommiididadi'dn> nreeps de son traba-
dlos, equando para fura della aSsim niesnio sera
prwedido de um ajuste raaoavel, garanndo elle a
segurante perfeieo de seus ditos trabalhos. Em
seu gabinete se encontrar constantemente excel-
ente pos dentifricio, elixir e uniros medicamen-
tos odontalgicos : ra Dirlta' n. 12, primeiro
Bifar.
CtA DOS GAJAM.
PEHA "
Pomada gaioiipeau.
IlepriWtn espeMal
Pharniacia de Bartliiilomeo & C.
3*--Rira la^ra do RrwrrftV34.
Attenco
GRANDE HOTEL
DE ORIENTE.
Inaugurou-se #ste cotmuodo e elegante
estabelecimento ronde os seus frequenta-
dores poderao apreciar a especialidade na
confeefao dos gneros alimenticios.
As bebidas sao as mais primorosas e re-
commendadas.
A decoikia e bom srvico primara n'esta
casa no bello gosto oriental.
.Mandam-se domicilio comedorhis, tanto
avulso, como por assignatura mensa!. Os
pivcos sao mdicos e conmicionaes.
Ha uma espacwa e bonita sala par* o
elegante jogd de buhar.
Ha tambem aposentos comrrtmodos c bem
mobilhados para hospedagm.
Ra larga doHosario
______n. 44.______
Aluga-se
t'ma prta pserava que esteja acostumada a ven-
der holns pelas mas : a tratar na na do Vicario
rr. U.
Do xarope Vegetal AaMrtame.eftperialidadedc Uartholomeu O.
3i-Rl'A LARUA DO HOSARUMM
N5o costumarao8 procurar atlestados para atetillar nossos preparados, e dei-
xamos que sua-apnlioacoo os resultados obtidospelas pessoas'me se dignaram aceeito-
los, Ibes deem crdito e vqga; porque sao sempre os attestados onsideratlos gratuito!,
e delles que lancamSo o charlatanismo; ma$ nSo querendo offender as pessoas qut
espontneamente nos Orferecetam os que abxo vao transcriptos, os fazeuios publicar,
nianifestandolnes nossa fratidalrifcla attencio, esperando que venham elles corroborar
o conceito, e acceitacSo que tem merecido nsso xarope.
Baitholomeud: C.
ATTF.STAD08
Illms. Srs. Bartholomeu 4 C. com a mais subida satisfago que declare
ser o xarope Americano de uma elfieacia extraordinaria, pois ipie soffrendo ha dias o
intensa Wtot, ponto denSo poder dormir a noite a despeito mismo de medicamento!
que tonlava, a elle recorr e na terceira colher fu alliviado, e de todo me adro hoje reo-
tabelecido com o uso somente de qtftsimeio frasco: grato, pote.' esse>-e?ullado mam-
festo a Vv. Ss. meu reconhecimento.De Vv. Ss. amigo, venerador e ol gado.Ma-
noel Antonio Viegas Jnior.
Sua casa 20 de abril de 1868.
Illms. Srs. Bartholomeu A CPenhoradissimo com e favor que me fizenm
de aconselhar o oso do xarope Vegetal Americano, desuacomposicao, quando me acha-
va bastante doente de uma constipaco, queme tornOu cottijitetamente roac tpa
i de cumprir os mcus deveres de cantor i
empreza lyrlca, vou agradecer-lhes met completo restabelccimento, que oblive cora um
s vidro do mesmo xarope, depois de haver recurrido a mufts frtanwtos. Desejam
que outro9 como eu recorram ao seu xarope para se verem allivindos tfe to termo)
incommodo, t3o fatal neste paiz. Com maior consideraco contino a ser de Yv. S*.
attento, venerador e obrigado.Luiz Cremona.
Recife, 25 de setembro de I8G8.
Illms. Srs. Bartholomeu & C.0 xarope Vegetal Americano qno Vv. Ss. tea
exposto venda de toda efhcacia para o curativo d'asthma, conforme nbs< rvei appfi-
cando-o a mea lho Joaquim, menor de quatro anuos; victima d'esse fl gi-Mo, que at
eritSo por espaco excedente a dous anuos bavja resistido a outros xaropes de granda
nomeada. Queiram, pois, Vv. Ss. acceitar a frxpres?ln nltameritP sincera fa we reeo-
nhecimento ao meritorio servico que Ihe prestaran) com o indicado xan pe, acredita-
do-me para sempre de Vv. Ss. triado, atiento e obrigado.Americo Netto tic Aleudonca.
Recife. 2 deoutubro de 18P8.
Si .
DE
' PIO
DK
J. Vil INS
N. 5RA DO IMPER.VDORN. S.
Os pianos dt sta antiga fabrica sao hoje assz conhecidos para seja neressait
insistir sobre sua superioridade, vantagens e garantas que offerecem aos cosipradorea,
qualidades estas incontestaveis. que elles tem definitivamente conquistado seon todo
os que tem apparecido Desta praca; possuindo um teclado emachinismo qae ohidece
i todas as vontades e caprichos das pianistas, sem nunca falhar, por serrm fahricado
de proposito e ter-se feito ltimamente mclliuiamentos importantissimo '.na t clima
deste paiz; quanto s'vozes sao melodiosas e flautadas c por isso muito igradaveis aoa
ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as ncommendas,tantonesta fabrica como nado Sr. Bloa-
del, de Paris, socio correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premia,
dos em todas as exposiefles.
No mesmo estahelecimcnto se achara sempre um explendido e variado sorti-
ment de msicas dos memores autores da Europa, assim cmo harmnicos B piaaoi
harmnicos, serado tudo vendido por precos comminlose razoaveis.
RL!ALARIiAMR0SAl()Io7
Esto acreditado estabelecimento augmenta
de dia em dra quanto possivei para rlle-
gar ao cume do bom \iver.
Alm dos' saborosos munjores confeccio-
nados com o melhor nsseln, tem* bellos apo-
sentos de hospedagm, tatito' para tima s
pessoa, como para numerosa familia.
A agua, indispensavl elemento para a
vida e tiygiene, temo-la sempr-e em abun-
: dancia para facilitar excelentes hanhos.
i CnARI TEWA E PETIT BESTAlIWr
Annexos ao llod Cei.iral. roa estilita de
Rosario n. A, andar terreo.
Para dar a conhecer a vffriedade mfinit*
de charutos de Havana, Babia, lm.etc. qua
exislem neste novo esta] to pres-
cindimos dos aununcios pomposos qae ge-
ralmente se fazem. reduzindo-nns ajienas i
tres letras que sao tres bbb bom, bonito e
barato. A' vista do* genero annunciado po-
de-se julgar de nossa veracidade. Estacas
Ha tambem uma boa biblioteca e pecio- gosa lambem das con.licoes de nm elegante
ditlfe nacionaes e estrangeiros, piano para e pftit rrstattrrwt onde se pode ver a es-
recreio, buhares, etc. etc; pecaiidade dos fiambres e salames de Lioo
Sendo ociosa qualquer recommendacao para lanches e at azer urna boa colacao,
para t3o acreditado estahelceimento, omit- juntamente com os principaes vinhos d
timos ~mais prembulos, fazendo ver por mercado, sobresahindo entre o bom a pura
fimvque o bom servico, ordem e moralida- e fervente champagne, o mui sabOroso Rhe-
de imperam n'esta ca, como observancia no, a primorosa cerveja. o licor i i pintona,
fiel do regulamento que possuc. o quanto pede uma mesa. F.12-SB noof
Comedwias a la ^arle. sorwte e variedade de refresc
FRANCA-BRASIL
?
MR. MRRCIKR, aif.iiate ft-anrea, previne ao respeitavel publico e a sen murironos frnrua-
zesque,tend* transferido sua rMfdtneia |iara a ra dn Trapiche n. 7, priineiro andar. iM rntonlrartm
sempre odas as (ualidaes'de lazemtas para trajos'de homem, e prepara roKtnntea part mamaria d
senhora. Faz tambem obras para militares para criado*, para as quaes tem granito sortiwwrto da
butoes siimdjW, com virola e coroa de conde, baooa B amarellna. Iteeebe por todos os vapore
ultimtts ignrmos para litmiem, senhoras e meninos.
PKBI1DO
Manoel Angosto de eneres Costa, pro- m^.x ao Sr. Manrel da fti r. Per nm, ,
ressor (le musrea, contina a dar fiches de cante da repartieao das otn* putilicis ora em
sua arle, lano vocal como instrumental, laboatao, (pie comparec rnr AugnsKi sobrado
Z^irhrrra,gurT:co,,egio: ^tVstsiiT0 m r
asMm como tem aberto uma aula na caw
le
sua residencia' na ra
-r-r
da Palma n. 53.
^'OCJ
meiHoi
Alugani-fe uas nieia-ajmds ta entrad
|iort6es da trsvesp.i das liarreiras, nob.'iirrodn'
Hdt*ti Para Mainauguape e.~la a carga na r-eadinha
para o pvulo cima a barrae* Ametki ih- Littut,
de. fotrrafiMe; trOOO amibas, a qftil seguir' via-'
?em at^n finida semana; wuliures' carreifa-
di'Ms pndejn-djritrir-se aoTnlWre da-imewna, Glati-
tifr.
RESIDENCIA
O Or. uwiuode J Pwera mudou sua rc:dcii-
.tpara aro4,. impador n. 2i, 1' e 2 auda- "."""I" ,liri!-',r-*c aoTn*re
res. onde contina no exercicio de sua pr lBW>WP*iWOWWrWO#
IWtca, para o fe pode ucr procurado a ipjat-
ipiethora do'flia un da relte, noa casos gokes.
Toda os das da- 6 as !1 bofas da malfnaa, menos
danungos, dar consultas incstiutainenti' a
(piahioer pessoa, sobre qualquer punto d sua pro-
iYsao,ecom especial euidado ibre raoie oliio*. do poito, e dos orearis penit prinartf ;.e
iBdb o caso forciran;iM. prattcal asopera-
que julgar convhk-ntc partiestaWfcci-
l*ara coziaba
Preeisa-so" de uioa scrava que' codime bem
aa na do Crespo n. 23.
Aluga-se um bdm cofjnheiro e copiro
roa do Imperador n. 96,
lii'iue.
"%
omid paa fra
.^rua e-ireita do Rosaiio, sobrado de um an-
dar n. .>, c.muBtta-ae a preptrar almasd e arr-
iar em oma (*a le tawilia; e bandaje "
|tto>coin proiiipiidr) e ai
Na secretaria da santa casi
Ao Becil*? preei.=,a-*r)"rallar ao'
Bofe ynarte.
Aaguini Pereira de Carvalliolendirde se reti-
rarpira Europa deixa como seus bastantes pro-
coradhns, em primerio lugar o Sr. Antonio Mar-
liwtle CarvaJh. Azevedo, e em segundo o Sr An-
- "pfjuadat dos Santos, llecifc, 29 de maro
Vfo degestlvo de
chassaing
COI!
HWSINA E Dl.VSAE3Lrri0 m
RemedWtpbrex(*M(^la4r3ri,\'rh-a cert*
las digest&es dificeis ecompletas, animar
as dores gastralgicas, e reparar as l'orca*
,tiV'r. produzindo uma'assirmilaeo complob dos
ll ilinlntr^; sertflry-maisYmi^i^c^lriW^ico*
le miseripor"""
'lev. de Cala*
PHARUACIA E 1
DI
Bartholomeu A C.
-34RUA URGA DQ ROSARIO-
OnVrecp-s para rtetro um rapti de 18 amo*
om pitica de taberna, d fiador de sua conducta:
tratarna rua da SmaJla VeUian. m.

ANTONIO EPAKBNONDAS DE
MELLO tem o seu' escriptorio de
advogado ma do Qneimado n. 8,
1." andar.
Fundipo da Aurora.
Neste vasto estableeimente sempre se eneonfra
um completo sortiinento de taifas de ferro Batido
e fundido, fabricadas recentemente, e se fabrirah
de qualquer molde a vontade dos compradores; e
reeos razpoaveia; .
Criado.
Precisa-fe de uui criado propiio para a serv,;
do imi silio proxfmo desta cidade : trafa*s na rffii
estreita do Rosario n. 8 at da tardi
Tendo montado uma completa oflkina paiu m in chuto r. ai7\ai;o iir ptA>os o
tendo contratado para o mesmo lim o experimentado enntra-mestre Sr. A. Kastoul
chegado da Europa pelo ultimo paquete,tem a honra-de recomniemlar- este se eslabeie-
cimento s Exmas. familias Pernambucanas, prometiendo promplido c perfei{2o no
trabalho.
Rua Formosa n. 14
DO
p;
alo
Se for boin.
'aiiw-se-ha henrtim moleqi
tr*r : na rua larea '
e ))retm'de
do Rosario n. 'ti. 1 andtr.
MARTIMOS
Alugam-se
Dua casas terreas sitas no Manguinho a fntrfem
lo rio, recommendaveis pela commodidade da
via-fcrW : a tratar na rua *do VigaTio n. 31
* Km casa de THKDOR~CfRlstT-
A^SEN, rua da Cruz n. 18. encontram-se
^e^fvmriefrte todas asijwrlidadestl.i vinoo-
Bordeaux, Rourtrogne e do Rheno.
BRASIL E PORTUGAL
PrerJSa-se de "uma ama forra- ou captiva,
maia niade, que coitnhe bem,wa ca*a*de-pou
fMftn : irata** na faa da *CMeia -A ***
z andar.
AJi------J-L.
ao,
i.

Precisa-se"ara bm pequeo sitio de um iiitor,
preferindo-se Acoriaao : informa-se na rua estrei-
ta do Rosario n. 18.
rOOTRA FCKSO.
A CompaiTIna Nilerbiusadura, estabelocinB'
esta praca. toma seguros martimos sobre
ravios e seus carregamentos e contra fogo
;m edificio, mewarfrfoas e mobilias: aa
ua do Vigario n. i. pavimento terreo.
_t^
Profe&fcor.
' P*t*3rmf*-mkm****u*o ou vinfoWM
fllho, que saiba bem o p irtuguez para ensinar em
um engenlio na Escada : a tratar no larao '
Carmo n. 1.
do
Tllo7
Situadoem'um dos. barrios mais contraes de Paris, sendo* uas Iroiruxliacoes^al
(*ricipae# 4IMWW)** f.rro para todos os pontos da^Europa acubado de ser internamente renovado, ulaH
(Wri poipado o se novoffpri6lrA'des[ieisifli;i seu completo embellesaneolo
4Ceo,* torna-so portan to \ aatajes amen) recommerAMvel a8^eaodre9bn$lieHOM fto>^
ttisjf^*,,Rei1ipro*apiella convivencia desejada em paiz estnfeb,
por ser conetantemente frequenlado por seus oompatriolas. 0 tratameuto >-uperir
todoo elngie.mesa redonda, oti a carta, ou =sevida nos apOientf*K babitacSes cdaivw
nientementc despostas para familias, e analtos para uma s pessoa, o servico isR
com a precisa regularidade: os preca wo)to>asoaveis e ao alcance tambem U'aqiOjMa
pessoas que se queiram limitar.
Gabinete de leitura com os principaes jomaos dos dous paizes, saiab de receptli
AMA
Precisa-se de ama ama para enrinittr para l*f da Ttft So ArartU; nrfere-se fataUla': a
dehwnwBMteiro; naruadoCrwpoaJff. rua da Estancia, casa n. 4.
Norollegio da Conceicao precisa-se de um cria-1 ^ msica, etc. etc. Todas eslas" vantagens podum ser "|-p".-i.i i^.aim^^ n.^ ^'^
quentada.
aumrinMi-ompwrbna. por quom tambera esta casa bstante tn-
'
<
f nafta "i
i-*w**ai-.*agn^9
mmummmmt^^^



I

(
Diario de Peraambuco Quarta feira 31 de Marqo de 1869.
SE5
^A *o }Sai>6'1'
Agu
novo e\pli:ndio sormento
a-florida de Gui3
lain
o cabellos,
Tintura indelevel para lingir
sem manchar a pello.
A beta concu.ttia.la agaa-florida 'le flato-
lain qiw ento era des-onlieciila em Per-
nambnco, j 6 hoje estimada c procurada
por Sea eflicaz resultado, e atada mate se-
r, qundo a noticia de sea bom efleito i a
experiencia i tornar da todo* coutieeida. '
A agaa-florida dp Guislain composta tini-
canfrnla do vegetaes inofensivos, t-m a
proprieila le extraordinaria de dar a cor pri-
mitiva aos cabellos, quando esJuerern bran-
cos, e.Ihes restituir o brillio prdid.i. e as-
sira ceta) ffrBservar Ai eml)ninque.-er, 8W
99? prejudicial de mudo algum
E' p rm necessarM tozer conhecer, qae
o bmii resultado prodiuilo pela aima-lliii-
da, n!to- instantnea, como militas pes-
soas tal vez stipponhr.m, miissim sera pre-
ciso fazer aso drw, trez na qtotro ve/es.
elogo se ob.er.i o lim desoja la? oomo b-m
provam testemttrilios de peSSOa instispei-
tas, e d'entao por (liante, basta iisa-la daas
ve/es por me, contando sempro com <> hn
xito, pudendo a experiencia ser feila em
outra qualijner omisa.
Assim pnisesta airna-llorida wbarte i ven-
da na heincoiili"ciila luja d'Agaia Branca
ra do Qiiimadon. H,
A A;: lia Uraiica, eeotaado com a proteo--
gid do sna boa fre<;ue/.i.i, lambern c.ipriolia
emaiolira desmerecer, pro. airando s. m-
pre corresponder a idea favoravel pon que
i hourain, e em prava ao que Oca dito, di
como exemplo o expendido snrlinieiito
que acaba de receber, anda ntesmo adun-
do-se bellamente provida do que de bou
c nvlhor se pode aaaiar nos gneros que
sao de sita competencia.
Haja vista aos nocessaiios livros de missa
eorarfcp. obras de apurado gostoe perfei-
cta, sendo: enm capas de madreperola e
locantes qaadros em alto relevo.
Ditos com ditas de velludo, outros imi-
tando cbarao maclietaifc).
Ditos com ditas de marroqaim com cruz
e guan i cao. dourada ou-prnteada.
Gordas o tercos de cornalina.
A$sirn como.
Grande e bello sortimento de loques
todos de madreperola, madreperola e seda,
sndalo, sndalo e seda, osso, osso e seda,
e faia etc. etc. tendo nos de sndalo algans
com 4 vistas, eoutros japohewsenfoitados
de flores.
mmmmmmmmmmmmm
u
o
Jos Vital de Negreiros, com toja
. e olbciM de uurive* a ra da Im-
% |ieiad.)P n. oO, vende, troca o con-
sj ceta io&i|uiloaor obrado aueo
a ou prata, por prego amito mais
barato do quoem nutra paite, pa-
i ra o que tein sempre completo
3 sortimento de joias de esmerado
fgnsto e ledos, assim como, tem
bons artistas para desempenliar
todo e qualquer concert ou encom-
S menda, no prazo o menor possivel
e a contento, como do seu cos-
tme, o que ludo faz por precos
muito commodns.
.iiiiwun
Deseja-se fallar com o Sr. Manoel de
Moura Pacheco, a negocio de sen interesse
na na da Gadfia n. SI, loja.______
l'recisa-se de una ama para o servieo de
urai casa de pequea familia i na Soledad?,
de Joao Fernandos Vietra n. 2i.
CASA DA FORTUNA
Aos 4:000$
BiUietes giU'aiidos.
A ra do Crespo n. 3 o casas do coiUmie
iiain-se a venda os /eliats buhte-
los da pane da latera betlieio da igreja
de-Nos.Seiihora dw y-mle de Olinda U' 0). qu<-
se,extralnr sabbado 3 do mes vadoi
Prceos.
Birhete.....IjOOO
Meio.....2000
Quarto.....ijOOO
Em poreaq de lOO para ciiux
Bilhete.....tO
Meio......i7K0.
Quarto..... 75
Manoel Martms Fiuza..
MOFINA
Aluga-seo '*nd*r do sobrado da ruada
Madre de Itooa n. 36, com cxrtlleul.'- cmniodos
para fa nilia e bstanle limpo ; fneo 'l"izer ver
polo pedir a chave na lja do mesm>, (aranzeai
de peero-) e al dir: com jjuemjrata-se._____
Ama
Precia-se do urna ama p.na comprar o eoa-
nbar pava casa de hoiiH'io olteiro : na 111a da
B00US vollas grandes do aljofares.azucs. Cad.-ia do Recife n. a, amw.em de molhad a
Voltea de cnente do borraelia.
Metas de seda para meninas o senbnras.
Ditas de fio de Escocia abertas, tambem
para meninas e senhoras.
Ditas muito tinas d'algodao, atoas, e
croas para meninas e senlioras.
Luvas de fio d'Escocia, toiral, e seda
para meninas e senhoras.
Mflas de 15a para homens, nmlhei-es o
meninos.
Gollinhas o puntos bordados obra de
muito osto.-
Entre-meios finos tapados o transpai-en-
tes com delicados bordados o proprios
para eflar fita.
E OS PR(H)T(;iOS(JS
Aunis e collares Royer para ereaneas.
BoaUoa cahases ou bulsiulias de palioa
e setim para meninas ou senhoras.
Lindas cesahas bordadas a froco, e lisas.
Delicadas caixiuhas devidro enfeitadas
com podras, aljofares, ate.
Ditas de tartaruga para joias.
Bonitos albans com msica.
Pinseis ou buneoas para poz de arroz.
Ni ivos e delicados ramos de llores com
marrafes par enfeitar t-oques.
bello sortimento de trancas de palha.
Fitas largas para cimas.
Ciatos de Blfiterganaom bonitas rama-
Ditos com
bonitos.
dias de marlira iguahnenie
Sr. Antonio Francisco Duarte o WU mano I)r.
Maktmiano Francisco Duarte, venlibm a rita Di-
reita n. 5:1. luja dn Braga & C.
Aluga-se urna esTrava para lbtiii"e"quaii|ii('i-
sc.nico : a tratar na raa do Qunmadd
e quaj
11. I
Precisa-se
Na fabrica de sabfio, no Afutrado, de trabalhado-
res llvrea ou escravoss paga-se bom : a tratar na
mesma ou na roa do Aiuorim 43, armazoru.
Ama
Prccis.t-si' de nina ama \ na na da Cadeia,
loja n. 9.
Ama
Ksi-rava 00 liviv pana comprar e cozialiar : na
ruada Matriz da Boarista n. ".
Attenco.
Na cidade de Santarem, provincia do
Para, deseja-se saber onde resille Francisco
Jos de Almeida, subdito portiiguez, que J
negoeioa por omitas annos na cidade do.
Recife, para negocios do inleresse do mes-
mo annunciado, devendo este ser logo que
este chegue ao seu conheciraento, ou da
pessoa que o representar, estando ausente,
dirigir-se para esta cid.ole a Guilherme An-
loiae Hall e Joi \r\\Attt Goncalves Gampos.
Gidadc de SauUuwi, I" \a marco de
J8W. __
Fiecisa-se. de uin criado para
vico.interno c externo da casa de um lio-
mom-solteirrt:a trartar naw
8i ou to-Cteeiai.-uIi
jm\cio
\ende-! urna e*crava de nuiito boa conduela,
cot'todas as habilidades, pois cozinbu, lava, cn-
goBima, faz labyrinllii), cose, borda, etc., de IS
annos, pouco mais 011 menos, sem vicios netn
acba.|ues do molestia, por l::i(W) ; a tratar em
Sanio Antonio, roa dos Expostoj n 20.
VENDAS.
Tinta
Pilulas assiiearailas de Bristol.
NAO CONTEN NF.M CALOMEbANOS NE.M NKMllM
OLTRO lNHKAL.
A grande necessidade- e falta de um ca-
thartico ou de urna medicina purgativa, lia
muito que tem sido sentida, tanto pelo po-!
vo, como mesma por meio da faculdade'
medica; e por isso, infinito o gosto e
prazer que sentimos, ein pdennos com
toda a coiiiiania e semnidade, recommenda
as pilnhs irritaos tumcmrada* de Bristol. i
como urna excollente medicina purgativa, a
qual encerra em i todas as partes e mais
ingredientes essenciaes, tornando-se em um
perfeito, seguro e agradavel eathartco de
familia. Este remedio nao 6 composb
dossas drogas ordinariamente
rxa de Mon-
teiro.
Vetide-se tinta rxa de Mwfleiro para eterarw
na loja de calcado do obrado amatello darsada
r.ruz o. -Jl
PASf ILHAS ASSlHAIIAS
Do
dit. mti:ns(iN
Me blsmuth c magaexia.
Remedio por excedencia para combater
a magreza, facilitar a digestao, fortilicar
estomago etc.
DEPOSITO ESl'EgiAL.
Pharmacia de Bnrtholomeu A C.
34------Ru larga do lwiwv -.34.
ponta m: i:?ii$ tisM
comi'osto f: i'io-i AHAno
Pelo plittrmacesif Eco
Jos da Cruz Sanios.
Esta planta cujas- virtud^ es
usadas na ''^stiam dosconlieeidas para a maier parte
composicao dossas pululas, que por all se
Miidem, mas sim, sao preparadas com as
mais linas e superiores qnalidados de raizes
medicinaos, hervas e plwifes, depos de se
naver cbimicamente exlrabido c separado,
os principios activos, 011 aquellas partes
que coiiieeni o verdadeiro valor medicinal,
daquellas porces Nitrosas inertes e agos-
tes inteiramente destituidas da menor virtu
de. Entre esses agentes activos ou ingre-
dientes especficos, podemos nomear a po- '} poro ou em cosimento fn i toral.
tfophgtn, a qual segfanda a exi>erieiicia Criaosas, ? colini^ 1
dos DOSSOS facultativos. de\eiulo-se a sna
descoberta ao uso que d el!e > viam os
nossos indgenas qoe.ineiu>sca!iavaiii 111
sna applicaeao d todos os soffrUenteS
[iiilmonares, boje onhecrdn ci mo o me-
dicamento inais ellicaz pata a cura (lo as-
liona, brciicliite, coipniinlio. perieajoufir,
e al a |ility>ica, produziudoum eiuto nri-
I ag oso e prtmipio.
l'ara um adulto :i i colhfres de uiip
l'recisa-se do um feitor para engeuho : na ra
do Imperador a. SO.
i imm m if;:
N.':iRUAimtEn'AN.n 3
As pilulas.o xaropc alcohlico e
o ethereo de clame, conlonnc a
gens
Reinos e afinetes de madreperola.
ra Dirwta-.: i 1 ,'"llli' do flqado pharmjKeuUco Pa-
^, ranlios, assim como a pomada c m-
-F jira as iidiarrics.'nsiplosas.-aclo-
e- v.mik, .*iadiii*ic*4e''lM-iic,is Antonio das Glmcas nw l'ireita n.
j, defronto do arraazom de moiha-
dos dimoiiiado ido blanco. Es- f
tos milinamiiUisto(iii sido e sao !;
"dos mais^fiergieifts agentes auxilia-
dores da naturexa na ilebtllaejw 'ns ,
rdoon^s, servindo ik glande alivio i.
a liuuiunjdaile, solb:oii6ta, priiicijiat- Sj
ipante botica mu
Fugio-do eiiijenho -Acali AiOM, 0111.11 ca:
defimama; de prflprie poiolavanv tfe Mello, no .lia 1 do ror-
rete, o escaavoEelicjcinno,crioulo,estatura
regular, bem feito de corpo, cabellos ca-
rapwaos, olhos esgazeados, rosto redondi,
(pieixu lws pannos ito-4'osto o no ^eseo^o^
pernas tinas; ps eoanH'idoe. Foinvmta>.
n'um oavaliu ruca, p quuutv^om canga^ .^milito lempii pejjmanecerem em ;mi
levando vestido jaquetao. calca paula, ca- S tcatenjeiilo talvez mutil, pela me*
misase aatrt e branca, daas cenXrH?, na! rvMrmecertos remedios, recorrers
* eilos^ a^p irffi*4oassoWrd*om
KimiMidajs setorafift, para^sjipugseas
qTie .s'affR'BQ le I hUlBillisilO, eSTO-
g4r)as, nlioras. mtpl?Teriren-si|iWa,
;oiiBid '1
n.
77 RA IIA 1UPERATKIZ 77
N'estenovo esUbelecime.nto tium completo sortimento demedicamentos, pro-
daCtos chnteos, c drogara, ludo' d primeira qualidade, e se vendem por menos d<
que em outra qualquer parto.
Hft tambem um sortimento de medicamentos hoaiebpathicos, tinturas e globu
losiaertes, par precos oommodos; bem como xaropes de. jrubeba fen-uginoso simples
vinhos de jrubeba siraptes e ferruginoso, e o bem coidioeido xarope de Paracary, es-
pecial d'esta pharmacia. A viam se receitas*a qualquer hora do dia, e noite, com promp-
lidao, cuidado, e pericia ; nao se aegam a qualquer oceurrencia effl casos argentes. 0
"ereflte encarregado do estabelecinienlo mora 1:0 mesmo, para o que cst
Ditos e liitittla-se#ort-e>. ijuem oqi'gar. U vo-o a
______----------------------------------------isea senhoi n-feiltio atigeah, ou ao Sr.
,l,io P.-reira Afiulinlio, ra da Cadl*a
6 que gratificar g.'iiort^swnwite.
;j SMor Hetminie de Alleiqnorqne.-
-^. piofcssor jutilr.i), ilNp'imdo ninda de f-
jjiiMia- horas no dia', pdfle*con'Cgnlrit&'
Miente aeeltai o .'n-ino por niasnfgunuis
casas panicnlares, dp-alumn/w de u.n r js
'vautro si'xo. para Bsthic^ao primafia,
-m >impl'jfuieale |ra o entino da lingua
portuiJiii'/a e iMiilabilidade.
X UAteiw.a puui i \NHAR.
^-teriearriiaAH PiifH>reui5oldtfaiens-
;ii'uora-nittHSlma^ao-dilJieil, sendo
pmm usados conformo a direccao
cs.Tfpla qoe os acompanha.
tem demonstrado, possue um poder ornis
maravilboso possivel sobr as regioes do
/igado, assim como sobre todas as secre-
tbes biliosas. Isto decomliiiiacao como
(optoihIun, e mais .jdgana extractos vege-
taes 0 drogas altamente valiosas, consli-
| luom e formam una pilula purgativa, tor-
nando-se por isso muitssiino superior,
qualquer urna outra medicina da mesma
paturza, que jamis fora apresenlailo ao
publico. As pumas tegetaes assucaradat
le firistol, acliar-se-lio sempre um reme-
dio prompto, seguro e euiineiiteinente effi-
ca/ para a cura de molestias, taes como
ejam as seguintes.
Ilydropesia dosmem-
bros ou do corpo.
AfleccSes do Ggdo.
Ictericia,
llemorrodias,
Man halilo, e irregu-
laridades do sexo
femenino,
Dores de cabera.
Proco 28(100 o frasco.
Pernaniliuc). ra Nova>botica n.?>I,
Ceta de wmte
Vendo-^e na raa da Madre df Dea? a>. 7 e *i,
mais barato do que em outra <|ual<|in r parte.
Scbonete de lcalio.
Antonio Nunos d Castra
ou indi-
Dypepsia,
oe^tO,
Aditringencia, ou..
prisao do venlre
habitual,
.Vzia do estomago e
llatulencia,
Perd do apetite,
Estomago sujo,
Trocam-se
Aluga-se
Prccisa-se alagar um escravo para todo o ser-
\ vico exterior de nina casa de homem nlteiro :.na
' roa da CcPvi do necife n. ?0.
Em todas as molestias que derivam ?
sua orig.eni da ma.-sa do saii^uc: a salsa
parrtlha dp Brutal, esse mellior de todos
os purificadores dev ser lomado conjun
Jmente com as pilulas. pois que estas
uas medicinas, tendo sido e^pressamente
amparadas para obrarem de harmona ama
om a outra. quando fielmente assim so faz.
ao nos resta a menor duvida em di/.or.
tip nomaior numero dos casos, podemos
lliancar nao s um grande alivio, como
arhbem urna cura prompla c radical, isto
st bem visto, quando o doente nao te
ache n'um estado muito alm dos recursos
humanos.______________!_______
Profis-se de nina ama do Inte 1=6111 tilbo :
na ra do Vigario .'i, .1 andar. _____
ni?
Nutres
Este acreditado preparado, que to b*
acc^ita^ao tem merecido n'esla pii.\i,t.,..
muito se recoiniiienda para a cura oerfi
das impigens. sarnas, caspas e toda? ,is
molestias de petle,
Deposito nico,
Pharmacia de bartluiloincu iV C,
:i'ii'u.-i larga do Rosario '..
bormcftlK
meias elasb-
MeifNj ela_4ions de
As melliores e PXCeBenteJ
cas de borracha contra varizes e erj>ipell
Vende-se i;a
Pbarmacia e drogara d!
Itaitliolorueu & 1.'.
34na largado osaiio 31
"wgoii eas de p
o retranca:-, toda* de
Verde Paria, bram 1 de liuc m i
14 e, 8 libra:-, ja pn p
barriS ; no annazi'in de *
Pernambucana, no lar
Cera de cari
Vende-se na ra d
andar.
SOCIO
prompto a abrir a porta a qualquer hora que for preciso.
C. Clao & C.
DOENCAS das GR I ANCAS
XAROPE oe RBANO 10 DADO
mm
Este piticamenio g_a om Pans c nu inundo intein df urna fama justamente merecida, por
achar-* intimamente combinado otile o iodo com surco das plantas airtiscorbiiticas. enja efficacia
[.* beV conhecirta e as quaes j naturalmente i :ifte. o iodo E' com este motivo que elle supprr
.nn'^ntstein o Oleo de ligados dr BCath'o; q effraea i pre.senca do iodo R' preciosa no trawmilid das criai^as para combater o lyitiptiatismo,
^ ohsirui-^oes das glndulas do pesr.ov-o, e as diversas erupodes do rosto, tSo frequentes ns
l^riaiivasde pouca ir'ade. Tnico c deinirativo ao mesmo trmpo, en> excita o appetite, facilita a
fvJigcsiau, resiituc aos teci.los a especialistas para combater as diversas iffrccocs da pelle.
Ile|iasito -'m l'trnamhur.o. em rasa dn ahwn O*.
ts netas do banco do BrasH odas caixas liliaes,
m destonto maito razoavd : ua praca da Inde-
lendencia n. 3.
ilLlllill
Resta venda rtm epcolhidn portimento de ob-
ectos de marcineria, como sejam, mobilias de ja-
arand. mogno eamarello, obra naeiiMial e estran-
eira, de apurado go-to e por preio razoaveis :
^a roa estrella do Rosario n. 'i. Nesta mesma
a~a fazem-se com perfeicao todos os irabalhos de
jalhinba, como sejam, empalhamonlos de lastro^
'wra camas, cadeira* e sophs.
./
VTTENCAO
O abaixo assignjdo previne ao respeltavel pn-
blico que venden a >na eacheira sita na ra de
Apollo n. 3 ao Sr. Antonio Corfeia I'ereira Cardo
so ; por isso convida as pessoas tpi se julgarcni
comdireito a dita estabclecimiato apre?entarm-se
no praso de tre> das, contados do prsenle an-
nunrio, pois que. o Sr. Cardoso compron a men-
cionada eochetra livre e desembarazada. Recite
27 de maii-o de t869.
Antonio Jo=Teixera.
~m
0
DE JOIAS
C/2
L:
^
O^
GOMES DE MATTOS IRMAOS
tendo feito completa mudanza em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com ofimde
dar-lhe maidres proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gusto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da noute na
RA DO CABUGA N. 4
me eneontrkfHO um completo sortimento do qoe ha de mai& elegante,
bello e precioso env brilhantes, eanieraldas, rubina e tudo que em obras
Ae ourof prata *> pktina se pode desojar.
ADEREQOS DE BRtLHflNTES, ESMERALDAS E RBINS
de novos gostos, assim como grande variedade de sah'as e paliteiros de
prata contrastada e de gqsto anda nao visto, e completo sortimenio de
objectos de praU para uso das igrejas,
Compram'e trocara qualquer joiii ou pedra preciosa e garautem
a qualidade dos objecto vendidos.
0 MUSE&
I 11 III
(uilborniino-Celestino do Cirio o li'ioau Igra-
lecein a todo^os seos amigos quw su digna rain
aeoinpanhar at ao cemitwio publico os restos
inortaesde sna itui narinhosa mi I). Warianna
Rufina de Carvallio, liiltcida em 26 do crreme
inez,eroga a tote 08 BMH amigos o olisei|uiu de
assiMir as missas do stimo dia que .de-ver ler
lugar as' ln ras da inanba uo Io de abril na
igreja de Nossa tabora do Livraiucnto, o desde
j se confessam eiernaniente grato.
Vende-se ou aluga-se nina ranfla que enr-
rega 8ua-ifdos : quem a pretendoi' dirija-se as
Cinc Roirfas n. 8S.
Ama
No becco dasBarrmras n. 9. precisa-se de urna
ama capaz para o servico interno e externo de
casa de urna s oew.
h.-sijasi' (aliar ao t. Muihh .,., h ..
lonra Vianiui. por isso n^a-fe-llie o csoecial fa-
vor ilc titear por este jornal a ra e numero da
casa onde mora.
Na casa- n. 4t! a nm da Florentina, receber
dirija-se a tratar e entregar de mautia at as 8
e meia horas, e tarde das 4 horas ein .liante.
Domingos Manoel Ribeiro, l'ortuguez, Mira-
se para Europa.
Manoel Jos do Souza, HgaoVcP cordial-
mente todus as pessas qie se digaaram
acompanhar at a sua ultima morada, oca-
laver de s>-u mu presado irnuio Antonio
Bernardo d-Supza. e rnpa a iodos os seu*
patricios e amigos, o caridoso obsequio de
asststir. m A missa do stimo din. que deve-
r ter lugar as 7 horas da manhaa do di t
.31 do corrente, na matriz da Boa-Vista,
pelo que desde j se confessa eternamente
rato.
Heeifc 7 d^ mnrfn de IRK9.
Ama de leite.
Precisa se de urna ama de leite sem ilho : na
ra da Coneeicao n. t.
Venda-sea armacao o pertences da taberna
da ra Direita ti. oO, propina -para quadpier ne
iioittov assn como taailiem so vende uinadila en
vertniaada,^ enwidrabada, que geacha disarmad
na ae-nw oas* : *ir*U- aa ra da l'enba nu
mero 8.
-T-- Vendese ua'ai inaeao de talrna envnlra*-
caila fe enverni-ada, na ca-a n. 1 da ra do Coto-
Y.llo, e-quinada S. (..nenio, eonipftttKHulendo
se fus dita ar'iiayarC, ca teira, paz o. mais connno-
didades pava om esialu-ieciinento de-ia ord"'m,t/a-
ranltodo-se a rasa em que esl collocada : a tra-
laroiji o sr. TbomM^Franeiwo Salles Kosas en
-eu arnia/ttii.tle io..litados.
(15 p< uns exi n pli ic- i (ji
;es de direitn iij
i a lepi-iacao pa'i, -
lecc
com
concellos Meezi-s do Dfuuim i
postor venda as roas dn luineadtjj' n. 't. Ma
de ewadernacao de Sr. l'aulaiuuicoo, e do -
do n. 9, liviana franceza.
C3.pnAS.
Com muito maior vantagm.
Compra o Coracao de Ouro, n. I), ra do Cabu-.
;i,mi>edas de nur e iirata^e podras prociosas.
Ouru- e pro la
enr moeda e ein obras inntilisadas, compra-se por
bom precn.: na praea da lnde|)eiidoncia n. 4.
Vemie-*} a parte de >uu silm eio lena pro.-
prias no hipar da estrada de Balero, rojos fumiiHi
confinam com o hospital dos Lazjros. tendo un?
poiviio do arVprA filn^iferji, e i aunb
para ter vareas de ten) : nn4m i liitpv
se a ra do Vicrario eseriproio do Sr. laiao d.-
Beinfica que achar COU) qneni tralar.
ImperaU'
Vead-se a.loia 4v'.iiiiinkz.is -la a uin
au-iz u. ol: a ti alar ua Ujesnv.
MAHTEIGA ES
a 1:-uvJ i?. '. i.bni. o qu [11
meJu.i'.
Ra da ImjMratiiy. n. 2
O.JM DEMONIO.
Jllli Ellta
Naraa do Coiiiuiiri esterlinas ouro uafiioaal mais b. i.-.to que ..
pilquer outra parlo ; iainbein coiiipra bui '
prata velha em obra _^________
Precisaf-se de urna anta torra oa pava:
na ra de S. Fraacisco n. 5k
.Na praea da Independencia n. 33, loja deou-
rives, cenipr-seouro, prata, e pedras preciosas, e
tambem se faz qualquer obra de encoinnienda, e
lode e quabpier concert.
0 muzeo do joias
Na ra do Cahup n. V compra-se ouro, prata
e pedra.s preciosas por precos mai vantajosos do
que em outra qualquer parte.
Compr
a-se
boje libras esterlinas, ouro e prata de todas as
nacoes e por mainrjireco do qne em outra parle :
M rus.dn.-Cadeia.de.JierjtV n. 08, loja de azulejo.
EMPRSTimO SQ
m
l 'l
(SEM LIMITK.)
Na Iravossa da ra
das Criizes n, 2, pri-
meiro andar, da-se (|iial-
fuer ianlia rifare uro,
prata e podras propasas.
0 donod88teslabi)lfct'4mi)nto,
comu^tentmeriie autrisado pelo
governa,. esti as condijoefi de ga-
rantir a transaceo que sa'fiaer eiu
ia casa, prowettendo todo a zelo.
fi_considerar5o s pessoas me W'J
digflartra- de tonra-lo era setj ssia^,
balsaianto.
Na mesma casa coraarshse ouro
prata e brilhantes.
Compra-se moedas Be miro e prata e
bem como libras steNmas, na roa do Ca-
bug n. 9, relojqaria.
C1S1HE"
. Compra-se moiilas de ouro e prata, bom
pomo libras sterlinas por maior preco que
bm outra parte,, na,ra do Crespo, n. 1
4, andar.__________
CWnpra-so urna casa terrea ns cidade de
Olinda, que soja pequea e que tenba quintal eoio
raeioiba : a tralar na.ra da Boa Hora, casa tei
^ea contitrua a taberna do Sr. JoytVDomingos
l Compra-se una esc.rava para urna eaconi
Imenda, bonita figura, parda ou preta, que seja de
nuito boa conduca, para gente capaz : no Corre
Mor do Bispo n. 8, a tratar a qualquer hora. Na
(mesma casa vende-e una machina de costura de
patente ingles, nova, por sau dono retirar-se para
(tora.
Comjwa-se
l!m preto cosinheiro de 10 i8 auno
a-nasa -da ra da. Cruz u- Itf, 1' audsr-
a tratar
CASA DE CAMBIO
m
Thcodoo Simn C.
COMPRAM : /w.
Cdulas do governo de I i ^#000, sendo pr-
..... .....- -Lg.fr,r.- t
ir\R Lf uov j
"'rWiiilffiFT:.*1
\oa HE SRiNE, 51,
*>.
iIismI
tio*4 re-
I I
. -y*
'r'rt.luimi'rcveu n .
t.n toa io v. u i :ntH
II Tilisfi.-msiLK Koi i i. o mi noiibr* SIG.N014KT
S L !!<-* MT D(L UBI.
Hl^MlleA a! '-'lu Pi> mi C.j-'t.-ii |
r ac y* peijjJi _
-|mr I tutu'del f
j!lo Jf U botella, /\-y '
.... y. fiomu^to
u9o.
$? 11
IVr U 'o t'.'.vio rt nn 7iloi
II. J... :.incu. ac-iiUbt JO-
pn ^Paris 6 Londres. M haca
ai uayar ilaacMnto potibla.
PWTla, 36*RwaVivienne,
CHABLCMDSCIfi
DAmWIW*ID^iAS,UlSSl.X A -~. >*""
***> UT_.NK.Vs. F. \LTERAC'IKSI"'^AM.U.
"lOiWBcon.-oa-.^ j/M
[rstalas, /ni/i.1, niraial
fue, atfauR <-/' an
___\jiti Virus, r allrrnfatt
do ') 1.1X ai upe vegetal sin merniruii. !->--
rmtl> ..<-- aSAnstaf a. ilMmh
tupiau-se iloua uor setaaaa. segoiunn o in>rianaa
fr .ntirn: em remilga aatrniia. aknlmaMak
Rut Xr.Tr C.iu;>M. l
fun '.IMril.K aaM
UBinedi la m n u- i/u a 'at
minie o/.iuo<))ori brancw ** *Hifr.
Eu iajecco beniga Mpig-M coco o I-ar|M t
Cracto de frrro.
iwam!<, Powmik Q. ear uwa ata,
POMADA ANTIHERPETICA
Contra i aaa afteco** cXno r cam-tum-
PIWULA8 VEGETAES DEPURATIVA*
DFPURATir
da .SAVG
PLUS DE
COPAK'J
1 HHE 1



Ir
i:
6
frario de Pernariibu Quarta feira 31 Je Manjo de 1860.




/

-
I

UBnmtu
Lindo cortes de cassade cor com barra.c cora figulino indicando o molde do vesti-
da pelo baratissimo preco de 3,5500 o corle
Ditos de percalia muito modernos com duas saias a 5,5000 ris
Na loja das Columnas da ra do Crespo n. 13 do Antonio Correa de Vascon-
eolios & C.
PRQO CBRENTE DOS CHAPEOS DE~SOL"~
Da fabrico de
MANOEL & C.
fina Nova n. 23,Ra do Cabug n. 8
Pernambuco
*LkJ^t? deaf da,fran^da, Paragon, de 1G hastes, 28 pollegadas a W \ 26
pollegadas a 154, e \ pollegadas a 140000.
* ,,D,t0,s de f G> do N- Bara> de Wt de 16 hastes, 28 pollegadas a 140;
do 2G pollegadas a 13$ ; e 2 i pollegadas a 124000.
*r n,a Ct0S df,seeda G- de N" lisa' de *** ,,e 1 has,es 28 Porgadas a 12,5 ; de
2G pollegadas a 115 ; c 21 pollegadas a 105000.
a 55500 D't0S ^ a'PaCa' d a5' de '* baSle'S Pagadas a H' e 26 ^llegadas
Por duzia faz-se descont de 15 0[0
Chapos de sol de panno, de balew, d 8 bastes, 24 e 26 pollegadas a 320
i Juza. (Descont de 10 0|0).
Ditos de panno, de junco, 8 hastes, a 18,4000 a doria, liquido.
ALTAS NOVIDADES
LOJA DO PASSO
Ra do Crespo n. 7 A, esquina da do
Imperador.
Gros-de-naples brancos e de cores.
Setim branco macau.
Grande liquidado de miudezas !
Alfonso Moreira Temporal, querendo liquidar as miudezas- existentes *m sua
loja i ra do Queimado n. 55, resolveu armuntiar as mesmas miudesas, para qu! o pu-
blico se certifique do diminuto preco porque as est vendendo, a sabar:
PARA QUARESMA.
Gorgorito preto.
Setim macau.
Sedas lavradas.
Moireanlique preto.
Gros-de-naples
Basquines de gurguro e de gros-de-na-
ples enfeitado com primor.
Corpinhos de gros-dc-naples.
Basquines, capinnas, pelerinas, fichus,
de crochet e de guipur, pretos e brancos.
Mantas pretas de blond.
Riquissimos chales de touquim.
Requissimos chales de gurguro de seda
preta o mellior oeste artigo.
Chales de mirin pretos com requissimos
bordados e franjado de retroz.
Cales de mirin bordados sultane;
ultima moda.
Romeus pretos com lindos bordados.
Leqoes de madreperota, marfim, snda-
lo e osso, e pretos, para senhoras.
Ditos de sndalo para meninas.
Chapelinas pretas.
PARA CASAMENTOS, BAKES, T1IEA-
TROS. etc. etc.
Lindos corles do blond, contendo setim,
mantas e grinalfhts.
Requissimos- cortes de sedas assim como
para covados.
Gurguro branco.
M )i reantique branco azul e verde.
Caixa com agulha franceza a
Caixas com 100 enveloppes a.
Pechas de baados eentre-meios
a 500, 600, 700, 800 e. .
Pecas de lita de coz com 10 va-
ras a ........
Linha de marca, caixa com 16
novellosa......
Coques muito finos com rede, s
a rede val......
Frascos com santos muito finos
a.........
Latas com banha (familia), a
IGOe........
arto cora alfinetes a .
Copo com opiata muito fino a
400 e.......
Cartas francezas a 200 e .
Ditas portuguezas a 120 e .
Caixa de linha do gaz branca 50
novellos a......
Frasco com tinta a 100 e .
Frascos com banha a 320 e. .
Frascos com agua de Colonia
Piver a...... .
Pintes de travessa para cabello
de meninas, s a vista faz
f, a........
La para bordar, libra. .
Novel lo de linha grande com
400 jardas, S a vista faz
f a........
?ares de liga de borracha para
pernas de senhora, muito
boas a .......
Franja branca para toalha vara
a.........
160 Resma de papel almajo, muito'
Setim, branco, a."il, verde, cor de rosa
e amarellos.
Fil de seda, branco e preto.
Cortes de seda com duas saias.
Chales de gurguro de seda de cores.
Camisas bordadas para homens.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas bordadas .
Fronhas de linho bordadas com primor.
Lencos de cambraia de linho bordados.
Riquissimas colchas de damasco de seda,
assim como de seda e algodao.
Ditas de crochet para eama.
Chapeos de seda bordados, para sol,
Poil de chevre de lindas cores.
Alpacas de lindas cores.
Chapelinas de palha da Itafi, assim
oemo de seda.
Enfeites para cabera de senhora.
Esparilhos para senhoras.
Meias de laia para padre.
Ditas de Uta
Ditas de seda fio da Escossa e algodao.
para senhoras e meninas.
Lencos de tobyrintho,
Fronhas de ta)yrjntlio,
Bices, rendas- e grade,
Finrsshnas cambraias dfc cores, percales.
las, e ostros rauilos artigo de gosto e
de alta novidade, isto s
Na loja do Passo ra do Crespo n. 7 A, esquina da do Imperador.
boa fazenda, com 85 cader-
nos a........
Caixa com papel amisade a .
Jogo de vispra a.....
500 Sapatinhos de la para meninos
a.........
Pecas de tranca e caracol a .
jabonetes de todas as qualida-
des a 80, 160 e .
Frascos com oleo babosa a
400 e.......
PBceiS para barba a. .
Gaz a........
Frascos com -agua de Colonia a
320, 400 e......
Pestes com cosas de metal .
Carteira de marroquim a .
500
10000
240
1^500
10200
200
100
500
240
160
utos pretOS para tirar piolhos
Escaras para cabello a 400,
500 e.......
Garrafa com agua divina a. .
Gravatas de seda de cor a .
Ditas prelas a 400 e .
Botoes de louca para camisas, a
Garrafa de tinta roxa a. .
Lencos brancos para mos
a.........
Par de suspensorios para ho-
mens a.......
Espelho do toucador a .
Frasco com cheiro muito fino
a.........
'Bandeja para copos a .
60 .Meias cruas para homens, boa
i fazendaa 30, 30600, 40 c. .
200 Ibotoaduras para rolletes a .
600
160
400
10000
320
60800
60
25800
700
400
320
40
200
600
200
320
500
320
400
200
600
10500
320
500
160
800
240
200
20500
10000
400
40500
320
TASSO muios
Tem para vender em seus anfl#zefls, alta de ou.
tros, os seguales artigos :
Papel para imprimir.
Perlina azul.
Greve paulado o liso.
Yinhos em caixas de doze garrafas
Bourgogne.
Hery.
Madcira.
Hermitage.
Chambas.
Licor de curar o do Hollanda cm caixas de vio
le e quatro botijinhas.
GESSO,
Nosarmazens de Tasso Irmao.

Grades de ferro
Appravtio
la catante
ii medicin
di Ptris.
PlmnuemHeo
laurea it
ia acaiev
i* medicin.
As preparacSes ferruginosas liquidas tem desde muitoi tonos meneado a apprevaeo
especial dos mdicos, porque ellas obrio mais rpido e seguramente do que as pillas, e
sao mais fcilmente tole radas pelos doentes. Os Pos ferro-manganicos petsnem a inappre-
ciavel vantagem de poder offerecer n'nm instante ama agua ferruginosa gazeosa, de gosto
agradavel, mais activa do que as aguas mineraes, e tonteado de mais nm elemento precioso,
o Manganese, que sempre se acha no sangne, jnnetamente coa o ferro. mpregio-se em
todas as molestias que tem por cansa o empobrecimento do sangne, assim como para vigorar
os temperamentos debis e lymphaticos. A Morte, as Perdas brancas, dores "estomago,
a irregularidade a menstruaco e amerwrrka on suppresso do menstruo, eedem rpida-
mente a sen emprego. Devemos mencionar aqni nm faci notavel, isto que os doentes ora-
dos pela agua preparada com estes pos estao muito menos expostes a recadas do que
aqnelles qne foro tratados pelas preparacSes ferruginosas ordinarias.
Deposito em Pernambuco, era casa de ati
o*.
^^^^:^yc^;^^;^4^i^^i^^^S-^f:\
n
VERDADEIRAS
PILULASncBLANCARD
^
COM tODURETO DO FCfMO INALTCRftVCL
APPROVADAS PELA ACADEMIA DE MEDICINA DI PARS ETC.
ftossntado at propriedades do ledo et do forro, convert especialmente aat Airtteois
BCROfulosas, a Tsica no principio, a fraqvetad temperamento t tambe nos casos do
Falta db cor, amcnorrhea, em qne precisa reaair sobre o sawgitb se] para restituir
lhe a sua riqueza abundancia normaes, ou para provocara regular o sen cano peridico.
JV. B. O iodnret da ferro imparo on (iterado nm ndiramenio infiel,
irritante. Como prava de paran de aathencidide dat vmrmrirm* M-
d MlaiBeatraV, dev*-e eiifir nosto aell* *m rata rrtMtn i>
nnsso arma, noi rfprcximida, que m acha na sarta interior de o
voluta TcrriV. Orre-ea deseonBar da* faUiflcaooi.
arhan-ae- aaa lailaa aa aaaiaamlai. ar.*> Onmp*mt%.m, wraai
Irritan
k. ala
Hk nnss
para jardins, porteiras etc.
Nos armazens de Tasao Irmaos
i \ n ti i mos de i i;ano
Para servicos de grandes armazens, para remo-
ver barricas ou caixoes de nm para outro, lado pelo
mdico preoo de 1J000 cada um.
Farinha de trigo de Trieste
Das melhoras marcas Panonia (verdadeira) Fon-
tana e grande sortimentodas memores marcas de
farinhas americanas.
Saceos de ftirinha de trigo do
Chile
Todas novas, ebegadas ltimamente nos arma-
zens de Tasso Irmo.
. Cemento romano
Nosarmazens de Tasso Irmaos.
Cemento hytlrauco 12$
O mellior para tudo que sao obras para agro, co-
mo assentamento de canos de esgota^jlgerozes-, de-
posito, tanques d'agua, etc., etc.: cm porcSes de
cincoenfi) barricas se far rediiccao no areep : nos
armazenade Tasso Irmaos.
Cemento Portland
0 verdadeiro cemento Portland em casa de Tasso
Irmaos.
Grades de. ferro, cercas, por-
teiras, etc., etc.
De differentes quaiidadfes para cercados de ani'
maes, chii|ueirospara gafinhasoujardins: noar-
mazens de Tasso Irmaos.
Barris com bren
Nos armazens de Tasso Irmaos.
I CANOS DE BABEO
Na ra Nova do Santa Rita, na antipifabrica de
sabao, ha para vender por preco o mars mdico
possrrl, canos francezes pEra-ediUcacoes eesgo-
tos de toda a qualidade, superiores a Ux*s os que
aqui tem apparecido pela sua solidez.
PRECOS
1 400 por cano grande de 3- e meia pfitte?adas.
I200 por dito de 2 e tres quartos de dkn>,
lOUO por dito do 2 e um quarto de dita.
500 ris por pistoleta de 2 pollegadas.
Cotoveltos,cunas ccanos de maior grasora, a
vista se far o preco. Compras maiores d 200
tem $ por cento de descont- por prompo paga-
ienlo. Pde-se ver as amoatrad nos asmazens
do Tasso nsitos.
lijlos franeezes
Para ladrtlhar casas terreas coro asseio e ni>eco8
rr.adicos, muito convenientes e propriosparaladri-
Ihos de coginhas em sobrados, pelo scu asseio e
evitar a paasagem de aguas paa o andar inferior
eniesmo operigo de fogo, aos preeos de 304000 a
ifiiOOO o milheiro : na ra No-va de Santa Rita, na
auttga fabra de sabio, e compras maiores do 200
se far o par cento de descont por prompto paga-
miento. Pcidem-se ver as amostras nos armazens
de Tasso Irmaos.
Vela* de esparraacete verdadeiras para lan-
ternas de oarros: noannazem de TRsso Irmaos.
Vinho do Porto fino superior: no armazem
de Tasso Irmaos.
O mellior cognac Gautbier Frercs: na arma-
zem de Tasso Irmaos.
Esteiras da India
Em casa de T^q^a irmc -,-oimIo o eotoiaaa oi
india il diversos padres e larguras, por- preco
commoo.
s\q RffT,TTi'"1ir|C em todas as partes do mando, empregam, com o maior etilo,
(Jo MCilJILUOa o phosphato de ferro soluvel de Leras, para curar a chlorosis
(cores paludas), as dores do estomago, e a exhaustacaO do sangne; com esta preparacao, d3o
ao corpo o vigor, e as carnes, a sua firmeza natural; facilitam o desenvolvimento to labo-
rioso da puberdade. Com effeito, tudo, n'este medicamento, se acha reunido para lhe
assegurar o maior crdito, pois qne entram, na sua composioSo, os elementos dos ossos e
do sangue. 0 sen autor, M. Leras, doutor em sciencias, pharmaceutico, professor de
chymica, inspector da Academia, foi, recentemente, condecorado da ordem da Legiae de
Honra, digna recompensa dos seus importantes trabalhos. _
As-seguintes apreciacoes dos mais celebres mdicos anda vem corroborar e justificar
todos estes ttulos confianca publica : .
Precisa classificar o phosphato de ferro soluvel entre os ferruginosos que melnor
convem aos doentes cojos orgaes digestivos supportam mal as preparaedes de ferro.
SOUBEIRAN, professor na Escola de medicina e de pharmacia.
' 0 phosphato de ferro soluvel em quanto a mim, a melhor das preparacSes fqirnuji-
c nosas, e o seu emprego d os mais promptos e seguros resultados.
ARAN, medico do hospital SainUEugnie.
t A forma liquida do phosphato de ferro soluvel d-lhe urna immensa vantagem sobre
a as pilulas; eu considero este medicamento como mui superior s preparaedes ochadas.
ARNAL, medico de S. t. o Imperador.
Entre todos os ferruginosos, no conhecemos um s que obre to prompta e efficazmente
como o phosphato de ferro soluvel, e isso, sem cansar o estomago.
BELLOC, BAUME, BIGOT, FOLLET e PRVOST, mdicos dos ho.spaot.
Os effeitos da preparacao de phosphato de ferro solnvel me parecem ser mui seguros
e promptos. BEBOUT, redactor em chefe do Bulletin thrapeutiquo.
Entre todas as preparacSes ferruginosas, o phosphato de ferro soluvel foi a que sempre
< me deo os melhores e mais satisfactorios resultados. GL1B0LT, medico, dos hospitaes.
a 0 phosphato de ferro soluvel tem, sobretudo, a vantagem de evitar a conslipacSo e
convtr aos temperamentos delicados. D' FAVROT.
Deposito em Pernambuco, em casa de Maurer e C\
M
OLEO DE HOGG
DD
Figados frescos de bacalho
Para cura certa de phtisiea, afTeecoes cscrofu-
toss, tossechronica, flaqueza dos memros e de-
oilkladi; geral, recommenda-se a excellencia deslc
oleo ainda por ser agradavel no paladar.
VENDE-SE
HA
Fhiifiataeia e drogara
DE
BARTHOLOMEU & C.
34 = Ra larga do Rosario = 34
i
.PSLAS MOLES
DE
ALCATRAQ
Reroottio por excellencia para cura rapi-
iae completa das coqueluches, bronc hites,
atarrhos, tos&es convulsivas, escarros san-
,'uinos, e outras molestias do peito.
TEMDE-SE
PHARMACIA E DROGARA
DE
Barlholomeu & C.
34RA LARGA DO ROSARIO34
IiOJA
DO
Macarthy
J NOVA ESPERANQA
21=Kua do Queimado = 2]
li para presentes
A Nova Esperarla, ra do Queimado
n. 21 tem um variado soriimento de objec-
los de gosto e pliantasia proprios para pre-
sentes, sobresahindo entre elles ricas caixi-
nhas de bano com finas perlumarias, cos-
turemos de chagrn, agulheiros de madre!
perola : assim, pois, quemquizer fazerumi
linda offerta, dirigir-se Nova Esperanza,
ra do Queimado n. 21.
Collares anodinos cllectro-magneU
eos contra as convvtyes das
creaneas.
Nao resta a menor duvida, de que muito
collares se vendem por ahi intitulados o*
verdadeiros de Royer, e eis porqae muitot
pais de familias nao creem (oomprando-os)
no effeito promettido, o que s pdem dar',
os verdadeiros; a Nova Esperanca, porm
que detesta a falsificarlo principalmente no
que respeita ao bem estar da humanidade.
fez urna eneommenda directa destes collares
e garante aos pais de familias, que sao os
verdadeiros de Royer, que a tantas creao-
fas tem saUado do terrivel incommodo (k
convulgSes, ash pois preciso, que ve
nham a Neva speranf a a ra do Queimado
n. 21 compraren salva vida, para seui
iHiinhos, aates que estes 9ejam acommetti-
dos do terrivel mal, quande entSo ser di-
fficH alcancar-se o effeito desejado, erebora
sejam empregados os verdadeiros coHarea
de Royer.
Para extinguir as sardas e
panno
Recebeu a Nsva Esperanca, ra *
Queimado n. 21, leite de rosas, especia*
para cxlwguir sarjas e pannos.
BONEfA DE CERA
A No' a esperanca a ra do Queimado n -
21, ac'* de receber um completo sorti
ment de finas bonets de cera de diver-
sos tamanbos, sendo as maiores do com-
primento d-'um covade ; estas bonetas tra-
zem bonitos coques e botinas, bavendo en-
tre ellas afgomas que- fallam e outras que-
choram de sorte que acilmente podem ser
preparadas, e fazer-se um prestiste d muit*-
aeceitacao.
Finas caisas de tartaruga para rap ven-
diem-se a m do Queranado n. 21 na loja-
ria Nova Esperanza.
Modernos brincos de sndalo, sr se en-
rontraro r- Nova Esperanca a ra do
Queimado n. 21.
MEIAS DE LAA
A Nova E^jerancaa ra do Qreimadon.
21, acaba de receber umwpecial' soriimen-
to d* meias de 15a para hmem e senhora.
CONTRA AS C0NGEST0E3
mal terrivel' a congesto.fulminante.:
de repente leva um indtiido, d'esta para
milbor vida, sem dar-lhe lempo de-receber
conversa medfea; dejando as mais da
vesos mulher e filios no mais amargurado
praoto; a Noto Esperan? que desoja pres-
tar senicos rocorreu a Vojer, o qoal lhe
mandn annei elctricos magnticos, como
o Hnieo preservativo para semelbante mal i
eh\s antes qt se acaben: na Nova Espe-
raaoa-
NAVAMA8
A Nova Esperanca a roa do Queimado
n. 21 recebeu nm soriimento de navalhas,
de quididades, e tamanhos especiaes assin-o
fmnn ^fodriro o mofead ynrn na llWSmaS.
AO BAZAR DA MODA
Ra Nova n. 50, esquina da ra de S. Amaro.
Para senhoras.
COQUES da ultima moda, enfeitados e lisos, gran-
de suriiment.
GHAI'EI.INAS de palha da Italia, guarnecidas com
delieados e elegantes enfeites brancos e de cores
CHAPEUSINHOS e gorras de velludo e de peonas
(alta novidada !) de palha da Italia, a emtiacao,
espeeinl soriimento.
CINTOS de cores e pretos, rico sortimenio ulti-
ma moda.
CAMISAS bordadas por commodos preces.
LENCOS bordados e com letras, novidade neste
genero ,
LEQUES a emitagao de marfim, gosto novo e de
sndalo.
GOLINIIAS e punhos, a emitacao de gutpure.
ENFEITES pretos e de cores para cabeca, lindos
moldes,
GUAKXICAO alta novidade I a Marie Rose, lti-
mamente asada em Pars.
CORPINHOS de guipure brancos e pretos lindos
modelos.
BORNOUS de laa e seda, cores claras, elegante
moda em Paris.
GRIIALDAS ,ie flores finas.
ESPART1I.HOS superiores.
MEIAS supe, inres de fio de Escocia.
LUVAS de pliea chegadas pelo ultimo vapor.
ADERECOS de coral verdadeiro e camafeo, gosto
delicado.
DE PALHA
GUARNICES para vestidos.
TRANCAS para enfeites de coques.
BOTOES lisos e com pingentes para vestidos.
CINTOS alia novidade.
NOVIDADES
FLORES finas, grando sortimento.
GRINALDAS do ditas para coques.
LACOS, fivelas, penachos para enfeites.
Para homens.
CAMISAS com peitos, colarinhos e punhos de li-
nho fino, lisos e bordados, moda,
COLARINHOS do linho e algodao.
PUNHOS de ditos.
GRAVATAS de todas as qualidades.
BOTES para punhos e guarnicoes para coletes.
COR RENTES do plaqu a emitacao do ouro, lin-
do gosto.
CHAPEOS de pello de seda, forma a Rotchil, qua-
lidade superior.
CHAPEOS de seda, para sol.
MEIAS de superior, qualidade.
BENGALINHAS finase chicotes.
LUNETAS aro de aeo e tarturaga.
Para criancas.
VESTUARIOS completos para baptisados.
SAPATINHOS de merino e setim enfeitados.
MEIAS de seda e fio de Escocia.
CHAPEUSINHOS de palha da Italia.
TOUCAS de fil e setim enfeitadas e de chroch.
BUNECAS vestidas, muito bonitas e diversos
brinquedos.
Perfumarlas finas.
AGUA FLORIDA verdadeira de Murray & Lan-
man New-York.
TNICO oriental, verdadeiro.
AGUA DIVINA de E. Coudray e superior agua e
essenria de Colonia.
ESTRATOS e essencias finas e de agradaveis are-
mas para o lenco.
VINAGRES aromtico* para toilet.
POS DE ARROZ para ainaciar a pelle ; em pacr-
tes e ricas caixinhas com arminho.
POS superior para limpar os dentes.
COSMETIQl'ES de fina qualidade.
SABONETES, grande sortimento deste genero e
de superior qualidade.
LEOS de philocome, babosa e antiqnes.
BANHA lina para os cabellos.
AGUA de flores de laranja.
CREME de sabao para barba.
Caixas preparadas com perfumaras fina9.
Miudezas finas.
SUPERIORES fitas de grosdenaples de todas as
cores ejarguras de veludo preto c de cores, e
gurguro para cintos.
BABADINHOS e entremeios bordados.
GUARNICES de seda de cores para enfeites de
vestidos.
TRANCAS pretas com vidrilhose pingntes.
BOTOES de cores, brancos e pretos com vidrilhos
lisos c rom pingntes.
DEDAES de maa. aperla, de marfim, de 050 e
metal.
THESOURAS linas para costura e nnhas.
CAIVETES finos com quatro folhas. E mnitos
outros artigos de miudezas que se torna enfa-
donho mencionados.
Tudo se vende por prepos bastante commodos,
GALLO VIGILANTE
IKua do Crespo n. 3
Os propietarios deste bem conhecido cstabele-
cimento, alni dos muitos objecin que tinliainex
postos a apitciacao do respeitavcl publico, man-
daran?, vir e acaban] de reeeber pelo ultimo vapor
da Europa um completo e variado sortimento de
linas e mui delicadas especialidades, as quaes es-
tao molvidos a vender, como de seu custume,
por preeos muito baratioJios e commodos para to-
dos, com tanto que o Galio....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, braiv
cas e de- mui lindas cores.
Mu boas c bonitas gnlUnlias e puntos para se-
nhora, neste genero o que ha Je mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lidos e riquissimos enfeites. para caberas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cures com vidri-
lhos e sem elles; esta fazenda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores o bonitos loques de maclreperola.
marfim, sndalo e osso, sendo aquellos brancos
com lindos deserhos. e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 363000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20,
alin distas, temos tambem grande sortimento de
mitras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas.
Boas bengalas de superior canna da India e
casti) de marfim com lindas e encantadoras figu-
ras do mosmo, neste genero o que de melhor se
pode desejar ; alm destas4emos tambem grande
ananlidade de outras qualidados, como sejam, raa-
deira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitps c airosos chicofinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas c superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora o para meni
as de 1 a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga para fazer
barba ; sao muito hoas.e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nnssa vez tam-
bem asseguramos sua qualidade e delicadeza.
Lindas c bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox.
Linha muito boa de paso, frotixa, para encher
lalivrintho.
Bons baralhos de cartas para voltarete, assim
como os tontos para o mesmo fim.
Grande e vanado sortimento das melhores per-
fumarias e dos melhores e mais conhocidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magu ticos contra as eonvulsoes, e
facilitam a denticao das innocentes criancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, aim de que nunca faftem no mercado,
como j lem acontecido, assim pois poderlo aquel
les que delta precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontraro destes verda-
deiros collares, e os quaes attendendo-se ao fim
para que sao applicados, se venderao com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos olijectos qne deixamos
declarados, aos nossos freguzes e amigos a virem
comprar por preeos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
Capsulas de Raquim
Os bons effeitos destas capsulas para fazer ces-
sar os gononheas acham-se comprovadas pelas
experiencias de muitos annos.
Os mdicos de todos os paizes as recommendam
pela sua eficacia,
VENDE-SE
NA
Pnarmaeia e drogara
DE
BARTHOLOMEU & C.
Rutta larga do Rosario34
Maehinas de desearocar alsodo.
Hoj que est reconheeido qne as mahiaas de
serroso prejudicam e quebrara a fibra do algodao,
preciso recorrer a machinismo menos spero,
que produzindo o mesmo servico que aquellas, e
facilidade no rrabalho, nao quebrem a fiir da la,
para que essa possa o>ler-no6 mercados europeos,
a diflerenca que ha entre o algodao desMrocado
por aquellas mencionadas machina*, que estao fi-
cando em deuzo, pc!n prejuizo qiie tem. causado,
00 daantifa bolandeira, que nao pule competir
pela moroeidade de seu trabalho. E" assim que-
estas machinas se tornam. as mais proprias para o
nosso algodao, porque ao par da facilidade e
promptidao conserva a fibra da laa, qao limpa por
ella, e quaJificadn na Europa a par usi melhor 1 o-
Iandera, valendo assim entre 10 arrobas 20 0-0
mais do que a laa limpa pela machina de serrote.
Estas machinas nao sao novas, poie que ha imito
estao adoptadas no Egypto, aoii'-Y as de seerotc
foram inteiramente abandonadas, e por isso o algo-
dao daqueUa proredencia, sendo da qualidade do
da nossa provincia, obtem hoje de 10 arrobas 20
0/0 mais do que o nosso : vendem-se a i30000
nos armazens de Tasso Irmaos.
Oleo de amendoas
Em caixas de 8 latas, cada caixa 100 libras:
nos armazens de Tasso Irnu"-.
Charutos da Havana.
Excellentes charutos da Havana e por baratissi-
mo preco : em casa de Tasso Irmaos, ra do
Amorim n. 35. _____________
RIYAL sem segundo
Ra do Queimado n. 49, loja de miudezas de
Jos do Azevedo Maia e Silva, tem para vender os
artigos abaixo declarados, tudo bom c baratissi-
mo, que sao para acabar.
Duzia de sabonetes muito finos a 700 rs.
Pares dcsapatos de tapete para homem a 15280.
Ditos de tranca para creanca a 15.
Tramoia do Porto, bordada", a melhor a 200 rs.
Bita do Porto liza, da melhor qualidade a 100, 120,
160 e 200 rs.
Resma de papel almaco, lizo superior a 3J200.
Dita de papei almaco pautado a 43.
Livro de missoes abreviadas a 2 i.
Cartilhas com toda a doutrina e mui tas resas a
320 rs.
Silabarios portuguezes com estampas a 320 rs.
Baralhos francezes muito finos a 200 e 240 rs.
Sabao inglez superior qualidade a oOO o lo
Gravatas pretas e de cores muito finas a 500 rs.
Duzia de meias para senhora, fazenda fina a 4.
Redes pretas lisas para segurar cabello a 320 rs.
Varas de transa de seda de todas as cores a 600 rs.
Pares de brincos dourados com mozinha e pe-
dras a 320 rs.
Cartoes com corchetes de duas ordens o sio de la-
ti a 20 rs.
Abotuaduras de vidro para colote muito finas a
120, 240 e 400 rs.
Pares de botoes dourados para punhos a 160 rs.
Caixas de pennas de ac muito linas a 240, 320 e
500 rs.
Candes com duzentas jardas de linha do fabri-
cante Alexandre a 100 rs.
Caixas de pennas de ac. a verdadeira penna a
1*206.
Carriteis de linha Alexandre ns. 70,80, 166 at
266 a 166 rs.
Caixas com superiores obreias de massa a 46 rs.
Carriteis com duas oitavas de retroz preto a 560 rs
Duzias de agulhas para machinas a 2-3.
Libras de pregos francezes do todos os tamanhos
a 210 rs,
Livrosescripturados para rol de roupa a 120.rs.
Caixas com papel amisade muito tino a 700 r-.
Caixas com cem envelopes da melhoi qualidade a
660 rs.
Talheres para meninos nraito boa fazenda a
240 rs.
Vendem Augusto F. de Oveira C. ra d*
Ciiamercio, n. 42.
Cemento de Portland.
Vende-se no armazem de Vicente Ferreira
Costa & Filho, na ruada Madre de Dos n. 22,
barris grandes.
Para tamilias
Grande Bazar, na Xora ns. r
9 9.de Casneiro ilanna fc e.
Acaba de chegar a esto ^stabelecimento
grandeporcode machinas pu-a costuras do
autor Wheeier Wilson, appro ma frxposic3o.de Paris, as quae: cozem com
dous pospooios toda a costura, e tem a
vantagem du ser tao suave o ofevimento.
que qualqaer crianca de oito anrns fac'
mente trabalha, e pode, com, este eurete*
nknento, levar vantagem ao servico ijano
de trinta costureiras. A eomprehenso .
simples, pois em um quarto de hora s* ca senhor do movimento da machina, leu
do a mesma a propriedade de fazer as se-
guintes costuras: pospontar, ahainhar.
franzrr. marcar e bordar, como apreseutam
os desenhos que acompanham-nas. Os pro-
pietarios do cstabelecimento se encarre-
gam de mandar ensinar n'esta eidad, e
garantem entregar o impone dispendido ao
comprador, no caso de nao trabalbar cm
perfeifo a machina vendida, nao temo
porm, soffrido ella alguma avaria. Ha tas*
bem no mesmo estabelecimeoto machias
do autor Grower Baker, de trabalho sia
plesmenle m3o, e outras com movimeno
dos ps; e mxime todos os pertences ds
mesmas machinas, par vender avulsa.
Tintura japoneza
Instantnea para tingir os cabellos e
barba, a 1*5000 o frasco.
E' a nica approvada e recommendad;
por ter sido reconbecida superior a todas
as tinturas d'este genero. 1
A venda em casa de Gustavo HerveUa n.
51. ra da Cadeia n. Si.
MZ I.IZ I.IZ
Chepou ao antigo deposito de Henry Forster &
C, ra do Imperador, um carregamento de gaz
de primeira qualidade: o qual so vende em partidas
e a retalho por menos preco do que em outra qual-
quer parte.
FUNDICAO DO BOWMAN
lina do Hriini n. 59.
Machinas de vapor.
Rodas d'agoa.
Moendas de canna.
Taixos de ferr, batidor fundido.
Rodas dentadas, paia oer com agoa.
vapor e animaes.
Alambiques de ferro.
Formas para purgar assucar.
E outros muitos objectos, etc. etc., pro
prios para agricurrora^______________
Vende-se
om cavallo pedrez, muito novo, sem acha-
qups, andador baixo e bonita figura : ni
coxeira da ra da Paz n. 13.
-


JSK

.*

,
Diario de Pernambuco Qnarta era 31 de Marqo de 1869.
GllANDE LIUIDACAO
ADINHEIRONA LOJAEARMAZEM
DO
ateBDfii v& aaeaa^'sriajasi m
DE
Flix Pereira da Silva, successor de Gama
& Suva
O proprietario d'cste estabelecimento convida ao respeitavel publico desta ca-
pital a vir surtir-se no grande estabelecimento quo tera de fazendas, tanto da moda como
de lei, e as pessoas que negociara era pequea escalla, tanto da pra?a come do matto-
flesta casa podero fazer os scus sortimentos em pequeas e grandes porcBes, vencen-
do-se-lhes pelos pregos que se comprara as casas inglezas ; assimeomo as excellentis,
mas familias, podero mandar buscar as amostras de todas as fezendas, ou mandare-
mos levar em suas casas pelos nossos caixeiros, para o que acha*se este estabelecimen-
to aberto constantemente desde s 6 horas da raauhxa s 9 da noute.
O atoalhado do Pavao AS CAMBRAIAS DO PAVO
Vende-se superior atoalhado de algodo Vendena-se tinissimas pegas de cambraias.
cora 8 palmos de largura, adamascado a lizas transparentes tanto inglezas como suis-
i&iGO a vara; dito de linho fazenda muito
superior a 3^200 a vara ; guardanapos de
linho adamascados a 4->500 a duzia o muito
finos a 8000, e utos econmicos a 3J50()
a duzia.
'uste para vestidos braacos
VIO.
Vendem-se es mais modernos fustes bren-
eos flexiveis com paioes de listas e de
aalpicos proprios para vestidos e roupas de
menino a 640 rs. o covado," na loja e arma-
em do Pav3o ra da Imperatrizn. 60, de
Flix Pereira da Silva.
rosdenaples
Ghegoa para a loja do Pavo pelo ultimo
varpor um grande sortimento dos melhores
grosdenaples pretos e de cores, tendo verde
tambera, que se vendem* mais barato que
a* ouira qualquer parte.
BABADINHOS
Vendem-se finissimos babadinhos, tiras
*K>rdedas e ntremelos, mais baratos do que
3m outra qualquer parte, assim cerno espar-
1ilh*s dos mais modernos, no arraazera de
.IFalii Pereira da Silva, ra da Imperatriz
o. 80.
ALTA N0V1DADE
A LOJA DO PAVAO
Gurguro de seda
Chegaram pelo ultimo vapor os mate bo-
' aitos gurgures de seda, proprios para ves-
"tdos, sendo lisos elavradinbs, cora muito
lustro, garantindo-se que a fazenda mais
..onda e de maisphantasia que esteanno tem
ebegado a este mercado, e vende-se por
prego rauito razoavel, na-roa da Imperatriz
a. 60, de Flix Pereira da Silva.
CAMBRAIA BRANCA A 3-5308.
Vende-se pecas de cambraia branca
transparente, com 8 e meia varas pelo ba-
rato prego de 3-5300, ditas muito finas tanto
tapadas cora o transparentes 15500, 5$000.
1500,7/5000 e 8800, assim como organ-
d muito fino tanto lizo, como de listas e
quadros na loja e armazem do Pavo ra
da Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da
Silva.
ALPACAS LAVRADAS PARA LCTO.
Vende-se na toja do Pavo. as mais mo-
dernas alpacas lavradas para I neto, sendo!
muitohirgasepeio barato prego de800rs. o1'
DOvado, s na leja e armazem do Pavo, ra
da Imperatriz n- 00 rio. Flix Pweira da
Silva.
Casnas inglezas a -f.-fO rs o metro
Vende-se urna grande purco de.bonitas
cassas mglezas tanto graudas como miudi-
nhas e de cores fixas pelo barato prego de
40 rs. ometro.garetinlo-se que 7 metros,
do um vestido para qualquer Sra. so na
loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de
Flix Pereira da Silva.
Bareges a 400 rs.
Ka ua loja do Pavo
Se vendem as mais imita* ba reges transparen-
tes, proprias para vestidos com listrinhas a imita-
dlo de listras de seda, e vendem-se pelo barato
prego de um cruzado cada um covado, unieaincn-
e na loja e armazem do Pavao, ra da Impera-
.'riz n. 60. de Flix Pereira da Silva.
COLCHAS PARA CAMA A 5,5000.
Vendem-se colchas de fusto -damasca-
das para cama, pelo barato prego de o#,
.grande pechincha, na loja e armazem do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Suva.
COBERTORES fNGLEZES A 43. 4500 E 35.
Vendem-se os verda'leiros cobertores
ingletes, de pura la, pelo barato prego
de44, 44500 e 5 i, assim como colchas de
iusto de cores, pelo barato prego de 3$. na
Vja e arraazera dn Pavo. ra da Impera-
t, z n. 60. De Flix Pereira da Silva.
i Madapolo enfestado a 8S500
V ende -se superior madapolo enfestado,
sendo muito eneorpado, para carnizas, e
tendo cada pega i jardas, pelo barassi-
rao pre^o4e845(M). na loja e armazem dr
sas tendo mais de vara de largura, pelos
pregos de 50000 at 106000 a pega, assim
como finissimos organdys branco liso que
serve para vestidos de bailes, por ser muito
transparente a 16000, a vara, na leja do
Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Fbx Pe-
reira da Silva.
Alpacas labradas
Chegaram pelo ultimo vapor as mais mo-
dernas alpacas tarradas com as mais lindas
cores, que se vendem a 46000, o covado,
ditas lisas tendo tamben) cor de canna a
800 rs, ditas aescladas muito fr.ias a 1:200,
o covado, e eutras muitas fazendas de gosto
e moda que se vendem mais barato do
que em outra qualquer paite, no armazem
do Pavo, --na da Imperatriz n. 60. de Flix
Pereira da Silva.
Rampas para homen
Vendem-se superiores palitts de panno
sobrecasecos forrados de alpaca e de seda,
camisas inglezas e francezas com os peitos
de esguio, ceroulas francezas de linho e al-
godo, meias cruas inglezas superiores, ca-
misas de flanella e de meia de Ra, assim
como nene estabelecimento existe um grande
sortimento de pannos pretos, e de casemiras
inglezas de cores, e que se manda fazer
qualquer obra a contento dos Srs. fregue-
zes, e promette-se-lhes que serlo servidos
com a maior promptido e muito mais ba-
rato do que em outra qualquer parte
na ra da Imperatriz n. 60,de Flix Perei-
ra da Silva.
Cortinados
Para camas e janellas.
Vende-se um grande sortimento dos me-
lhores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se ven-
dem a 124000 rs. cada par at'256000 rs,
isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
Creone para lenqes 0111 10
palmos de largura a 2$,
Acaba de chegar esta nova o excellente
fnzeada branca propria para lences de um
s panno, garantindo-se que um metro e
urna quarta ou Km metro e meto d um
nco'l de um s panno, assim
come .esta boa fazenda tambem muito
propria para toalhas de meza, rosto etc. e
mU'o mystares e vende-se pelo bavatissi
mo prego de 2$ cada metro.
fiOUPAS FEITAS
Na loja do Leo da porta larga
DE
PAREDES PORTO.
Ra da Imperatriz n. 52, junto aloja de ourives.
N'este estabelecimento se encontrar ra da Imperatriz n. 52, loja do Paredes
sempre um cempleto sortimento de roupas Porto.
feilas de todas as qualidades. Como se- Neste estabelecimento encontrar o respei-
jam: paletots de alpaca, de merino, de tavel publico um completo sortimento de
casemira, bombains de .panno preto, fra- fazendas e roupas que, se vende pelos pre-
ques e sobrecasacos de britis de cores e eos segundes:
pardos. 1 FAKENDAS BRANCAS,
CAMISAS E SIROULAS. Madapolo de versas qualidades e pre-
Encontrar sempre o respeitavcl publico gos commodos, cambraia de 36500 411500
um bonito sortimento de todos os nmeros, e 56, ditas victorias de 56500 a 126, pegas
MEIAS CRUAS. de cassa liza o mais fino que ha no merca-
Sortimento de todas as qualidades, de do a 94, 106, 126. com. 12 varas, e vara
36 a 56. assim como tambem sortime|Jo de largura
de lengos de linho brancos e com barras SEDAS DE LIS TRAS.
de cor, chinezes, bonitas grvalas pretas e Recebeu-se um bonito srwtimento d'esta
de cores. Ra da Imperatriz n. 52, por- fazeuda que'se vende a 26500 o covado.
ta larga. CHITAS.
PARA ACABAR. I Veade-se chitas escuras a 280, 300, e
lina grande porgo de caigas ordinarias 320 rs. o covado.
para trabalho a GiO e 800,rs. cada um par,, GUARDANAPOS
pechincha na loja do Leo junto a toja de' Vende-se esta fazenda de linho, fazenda
riuiMnF PFfni\fH\ ^ a im^e 5,J00 a duzia-
bllAND. U.NLHA, MEl\S PARA IIOMEM
Cassas he cores a 160 rs. o covado, na
160 RES 0 COVADO
Chita preta pelo barato prego de 160 o
covado na ra da Imperatriz n. -32 na loja
que tera ura Leo pintado.
PANNO DE LINHO
Paredes Porto recebeu um sortmento pannos % linho, com 27 varas a pega e
176000 e 186000, na ra da Imperatrizn.
5->,junto a loja de ourives de porta larga.de
Paredes Porto.
LENQOS DE LINHO
Vende-se lencos brancos de linho a 36,
a duzia para aeabar na loja de Paredes Per-
lina da Imperatriz n 32 loja da porta
Sortimento de meias inglezas para ho-
mem a 46800 56800 e 66800 fazenda boa.
THOALHAS
SortiraeRto de toalhas de pelueia a 116
a duzia.
LENCOS BRANCOS a 26200
Para acabar lengos de algodo a 24200
a duzia,
2400
Vara de bramante de linho superior -e
tem 10 palmos de largo.
CALQAS E COLETES.
Tem sempre no mesmo sentido um sor-
to.
larga qae-tem ara Leo pintado, de Paredes timento completo a prego comraodo.
Porto.
No armazem do Leo, ra da Imperatriz n. e 52, junto a loja de ourives.
Pavo, 'ua da Imperatriz n. 60.
Pn.rtira (i'* Silva.
De Flix
Tabellas vermicidas
DE
Antonio Nunes de Castro.
Vermfugo efficaz, e preferivel a todos os
conhecidos, j pela certeza de seu resulta-
do, ej pela fac! applicago as creangas.
qriasi sempre mais atacadas de to terrivel
c muitas vezes fatal soffrimento.
NICO DEPOSITO
NA
Pharmacia drogara.
DE
Barthomeu & C.
34Raa Larga do Rosario94
MOCAMBIQUEPARA VESTIDO A 500 RS.
Chegou para a Joja do Pavo ura elegante
sortimento dos mais bonitos mogambiques
propios para vestidos cora as cores mais
modernas e que se vendem pelo barato
prego -de 500 rs. 0 covado.
ALPACAO DEODAOPARA VE&TIDO A 1 i
Cbegou esta nova fazenda com o nome
de ;vlpaco, sendo de cordo e com mais
largura do que a alpaca, com as mais tolas
cores, como sejam Bismark, lyrio, perolas,
roxo, cor de eauna, magenta etc. e vende-
se pelo baratissimo prego de 16 o covado.
ESGlAO DE LINHO BE 12 JARDAS A 103.
Vende-se pegas de esguio de linho, fa-
zenda superior, com 12 jardas cada pega, a
106000.
ALTA NOVIDADE
A
Loja do Pavao.
GRGURUES PARA VESTIDOS A*1000.
0 COVADO.
Chegaram os ais modernos gurguioes
para vestidos, sendo de todas as cores,como
nejara verde, azul, rosa, bismark, perola.
rxo & & tendo quasi quatro palmos de lar-
gura e vende-se pelo baratissimo prego
de OQO, cada covado nicamente no ar-
mazem de Flix Pereira da Suva, na na da
Imperatriz n. 60.
RETALHOS PARA LUTO NA LOJA DO
PAVO.
Vende-se urna grande quantidade de re-
tamos de chitas e cassas pretas por prego
omito barato, e quanto maior for a porgo
i|ue o fregu comprar, mais barato se Ihe
vender na ruada imperatriz n. 60 de Fe-
i.'X Pereira da. Sil va.
(rosdenaples preto
Vende-se um grande sortimento dos me-
lhores grosdenaples pretos, tanto lar-
gos como estreitos, seado de 26000 rs. o
covado at 460QQ rs. garantindo-se que
n'este genero ninguem tem melhor fazenda e
que se vende mais barato do que em outra
qualquer parte, na ra da Imperatriz n. 60.
de Flix Pereira da Silva.
A 26. OS BALES DO PAVO
Vendem-se snperiores balees america-
nos de trinta a quarenta arcos, tendo as fi-
tas bastante largas, sendo muito fcil trans-
orma-los para outro qualquer novo modelo,
e liquidam-se pelo barato.prego de 26 cada
um, sendo fazenda que sempre se venden
a 76 e 86. isto na loja e armazem do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60. De Feli>
Pereira da Silva.
As 9.000 Taras a 500 rs.
! Vendem-se a* verdadeiras cambraias
francezas, com lindos padrbes e cores fixas.
sendo tapadas e transparentes, pelo barato
p'ego de 500 rs. a vara, ou 300 rs. o co-
vado, sendo fazenda ^oe ningnem vend
por menos de 7 ou 8 tustoes, e liquidam-
se por este barato prego, por se ter feto-
una avultada compra, na loja 0 armazem
ARARA
Lurengo;Pereira Meudes GukBares, piop lelario da loja da Arara, ra da Imperatm
n. 72, declara ao respestavel publico e seus freguezes que acaba de concluir o balauco
de sua leja de fazendas e fazer abatimento as fazendas que julgou necessario para
vender mais barato que em outra qualquer parte, per aso rogaaoiespeitavel publico o
favor de mandar ver a6 amostras das jnesmas para ver como se vende barato.
CHITAS FIUNCEZAS A 280 HS. *
A*endem-se chitas rsncezas a 80, 320 e 30 rs. o covado.
MADAPOLO A 6*600.
Vendem-se pecas GANGA A 320 S.
Vende-se ^anga para caiga e palitts a 320 e 360 rs. o eevado.
CASTORES PARA CALQAS.
Vendem-se castores para caigas a 240 e 280 rs. o covado.
LAZIMAS A 240 Vende-se tazinha a .240,280 e 32 rs. o covaide, e oulras muitas fazendas e roupas
eitas, fazend;is pretas-_pora a ijuaresma, oomo gros-de-naple, casemiras e panos pretos-
de twdas as cualidades, bales do 20 35 arcos a16500 rs., cortes de brim para caiga
de Iwmem aC40 e 800 rs. cada um, por este prego s na loja da Arara ra da Impera-
triz h, 72.
L< nii-Hiu o I'pi ena Bcudes iiiniar*i>; paopiielario da I oa do grande Carihaldi, ru
da Imperatriz o. >6. **
Beclara ao respitavel pnbiico, que recebeu um grande sortimento de fazendas
de tedas as qjwrlidades, tanto paro a praea como para o mato, aos qnaes espera Ihe fa-
<;am a honra de frequeniar o seu estabeleoinienlo que Ihe proraetter vender mais barato
do que em outra qualquer paite.
CORTES DE LA A 2*408 RS.
Voadem-se cortes de la para vestidos a 26400 e 36000
CHITAS FfiANCEZAS LARGAS A 280 RS.
Vendem-se ahitas franeezas a 80. 320., 360 rs. o covado.
LAAZLNHAS A 240 RS.
Vendem-sc Ilazinhas para vestidos a 240, 280 e 320 rs. o covado.
ALGODO A 4*000
Vendem-se pegas de algodo a 46, 56 e 76^00, pegas de madapolo a 66,7$, 86
e 96000.
CORTES DE CASEMmA PRETA A 4*000.
Vendem-se cortee decasemira preta para raiga a 45, 56, 66 e 86000, cortes de
ganga para caiga a 1#280 rs., ditos de brim 860 rs., ditos de castor a 16000.
CHITAS PARA COBERTA A 320 RS,
Vendem-se chitas para cobertas a 320 rs. o covado.
CAvSSAS FRANCEZAS A 320 RS.
Vendem-se cassas francezas para vestidos a 320 e 360 rs. o covado.
\ovmtiis.
Ralftes de 23 a 30 arcos, a 1^500 rs. cada um, s se pode ter balo po.-este pre-
go, eoutras muitas fazendas preLw para a quaresraa, pannos, casemiras e ros-de-na-
ples preto, outras fazendas rauito baratas que se do as amostras. Na ra da Impera-
triz loja do Gaiibaidi n. 56. ___
ATTEN Lourenco Pereira Mendos Guiraares, declara aos seus devedores que entregou ao
sen procurador o Sr. Bernardino deSenna Das as suas contas para elle promover seu
recebimento conforme Ihe convier amigavel ou judicialmente, por isso roga-se a todos
os devedores vir entender-se com elle na ra da Conceigo da Boa-Vista, ou na loja a
ma da Imperatriz n. 56.
PHOSPHATOdeFERRO
[rife LERAS DOUTOB EM SCIENCIAS^
Uehaixo da forma d'um liquido sem sai;r.
anlogo a ima agua mineral, este medica-
nenio rune oa elementos que constiiuem
os ossos e o aangne. o mais racional dos
ferruginosos; por esia razo O adoptro
os mais eminentes mdicos >lo mundo in-
icuo. Contem mu.10 s meninas de temperamento delicado, cajo desenvolvimento uMio,
s seBhoras que paderem d'esus dores "estomago inioferaveia, cansadas pela chlorose,
anemia, menstruacao ou lencorrhfia, s enancas d'iima compleicao pa'lida e delicada e a
todas as pessoas que tem o sangue empobrecido pelas doencas. Efficacia, rapidei d'accio
cura pe.-reita. sem consupaco de ventre nem accio sobre os denles, taes alo as razes aue
mpi-rio para que os senhores mdicos o prescrevo aos sena doenies.
Deposito em Pnrnambuco, em casa de Haurer O.
Ocordeiro previdente
lina de AueiHiao n. 141.
Novo e variado sortimento de perfumaras
Unas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfu-
mara de que efectivamente est provida 1
loja do Cordeiro Providente, ella acaba di1
receber um ouiro sortimento que se torna
notavel pela variedade d objectos, superiori-
dade, qualidades ecomraodidades de pre-
gos; assim, pois, o Cordeiro Providente pede
e espera continuar a merecer aapreOagao
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, nao se atas-
lando elle de sua bem conbecida mansido
e barateza. Em dita loja encontrarao os
api-eciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray A Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
ceza, todas dos memores e mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentrificia.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservago do
asseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
ros agrada veis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente,
eoutras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos e
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do tinoeagradavelcbei-
ro de violeta.
Ootras concentradas e de cneiros igual-
mente linos agradavers.
Oleo phirocome verdadeira.
Extracte d'oleo de superior qualidade.
com escolbidos clieiros, em frascos de dif
ferentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores c menores
para maos.
Ditcs transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos emcaixlnha para barba
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
finetas.
Ditas de madeira mvemisada contendo fi-
nas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes. \
i Ditas de papeloigBalmente bonitas, tam-
bem de perfumaris linas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
e noneca.
Especial pjde arroz sem composico de
heiro, e por isso o mais proprio para ci an-
eas.
Opiata ingleza c franceza para dentes.
Pos de campltora e outras differentes
quaiklades tambem para dente.-.
Tnico oriental de Kemp.
Alada mal coques.
'JJm outro sortimentos de coques de no-
?vos e bonitos moldes com iletsde vidrilhos
e alguus d'elles ornados de flores e fitas.
eso todos expostos apreciago de quem
pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNI10S BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeigao.
Flvellas e Olas para cluos.
Bello e variado sortimento de taes objec-
tos, icando a boa escollia ao gosto do com-
prador.
FLORES FINAS
0 que de melhor se pode encontrarnes Se
genero, sobresaliindo os delicados ramos
Trvalhados para coques,
l'ara viasrm.
Bolsas de tapete c carteiras de eopro, por
pregos commodos.
Chapelinas de pallia da Italia mui bem
enfeitadas, eenfeites de flores obra de bom
gosto. n
E assim muitos outros objectos que se-
ro presentes a quem se dirigir dita lou
do Cordeiro Previdente a ra do Oucimado
n. 16.
ENFEITES DE PALHA PARA VESTIDOS.
CHAPEOS E COQUES.
0 Cordeiro Providente ra do Qfleima-
do n. 46 acaba de receber um bello sorti-
mento de trangas de palha para enfeites de
vestidos, outras para chapeos, coques etc.
tudo isto est sendo vendido com a sua bem
conbecida commodidade de pregos.
ALEM DAOL'ELLES.
Recebeu outros lindos enfeites de seda
para vestidos ; assim como un) variado sor-
timento de gallfies de 15a, babadinhos de
cambraia com bordados de cores, cuja va-
riedade de gostos os tornam recommenda-
dos e apreciados : compareg3o pois os pre-
tendentes que ser3o servidos a contento.
TAO BEM RECEBEU.
Novo provnent de bicos e rendas e
guepure.
LUVAS DE PELLICA.
De todas as cores tanto para homen-
como para senboras. constantemente acham-
se a venda na loja do Cordeiro Previdente :
ma dn Qmimdr n. 16.
-1
miv
ri
Ra do Queimado n, 49 loja de
miudezas' de Jos de Azcvedv
Mam e. Silva contiendo por Jost
Bigodinho.
Est (|tiuiii;ando os objectos abaixo declarao*?
pi'lo diminuto prego, a saber :
Frascosc*tm agua do Colonia veraadeira ala.
Gamfas rom agua Florida verdadeira, que se ga-
rante a 1.4200.
Pintes paia regacar eabellu de meninas a ,uu rs.
Thosouras muito toaa para unlias e cuturas-a
Tintciros chaos c 400 rs.
Va ras de franja tranca de linho para toalhas a
ItiOrs.
Caixas de phosiJioros de segnraiKl a l n
160 rs.
Navallias de cato de marllm c que se garante a
qualidade a _' >.
Libra de lia para, bordar a 7j.
l'tcMs de tita Iiianta elsticanuto superior a 200
e 300 rs.
Novellos delinha tranca com 400 jardas a 60 rs.
tiesnias de ^ipel de peso liso muito fino a 2L'C.
Latas com superior tanha a 200 e 400 rs.
Caixas com seis frascos de cueiro muito fino a
800 rs. wmU
Caixas com doze fiascos, fazenda s boa a 1*500
e .;00.
Fraseos com suprior oleo filocomo a SOO rs.
Calunpas de sabio transparente muito bonito e li-
no a 240 rs. ......*__-.
Duzia de p is de pomada do Reino, da melnor
(|ualidadn a 240 rs.
Peras de tiras bordadas muito unas a 500,600 t
800 rs.
Ditas de babadinhos com dez varas a 000 rs.
Carriteis de liona de todas as cires, para aeabar
a 20 rs. ,
Garrafas com agua divina a 1^500.
Fraseos co'ii superior macag perilla a 320 re.
Caixas de vidro'cnui doze didaes. que s a calis
vale dinhwo a 200 rs.
Ditas de madeira com altinetes, o que ha ue me
Ihor a 320 rs.
Grora* de |M>5ea de ou^a, lisos c bordads a
160 rs.
Caixas redondas para rap cmittar.ilo tartaruga a
1*500.
Pecas de fita para ros da melhor qualidade a
500 rs.
Eaeovas para limpar deutes, fazenda que so a vis-
ta a 240 rs.
Ditus para limpar uuhas de surerior qualidade a
500 rs._____________________________
Vende-se um pequeo terreno 110 hipar ds-
nominado Sicupira Torta, entre a estrada real v
a linha frrea que tem de feenir para Jab ata". Oa
rregnezia dos Afngadb, e muito pruprio para edi-
ficar predios: quem prettnder dnija-se a traves-
ea do Oucimado n. 1. 1N3 mesma casa se piensa
de nina boa ama de loite, e paya-e. bem, agra-
dando. _____
A 500 rs.
faltos para pianiaedes du (lu-- tum p.*.r^
alvoredos, por melado de seu valor, para acabar .
na na da Lapa n. 13,
2^000
Jarras do Ararsty para deus baldes d'ag'a.e
boa resfriadura, pelo baratissima prego e?"Z>
cada una, a ella?, antes que se acabem : na mu
da Lapa n l-'i.
Vendem-se diversos escravos |H'(;as vindos
do Ceat no oluin 1 vapor, proprios para ijual mer
servico de armazem ou enpenho, a-sno Cumo nw
escravo p>ir 1W| com um hrac. > inu'ilisadn, c Y
versas escr^Vis iom habilidade e sem ella : a Ira,
'ar na na da Cruz n. 55, .1 andar.
r
l
Por OOOftAO tuna criouluiha de 9 anuos, de r- I
boa moral e saude : 111 ra da Imperatriz,
n. 38,
CALQADO BARATO
Borzepiiins ii KaoMs para hinnem a P5 n par
roa na da Cadeia 11. l>, esquina da Madre
Dos
ESCRAVOS FSICOl
Fogio no dia 15 da feveieiro de 1869 (b>
engenbo ;nith, pertenepote ao Pr. Heriuino i.au-
reniino de Andrade, im escravo pelo de n*>DW
Pelippe, idade 'i0 anuos, alloe de boa figura, pun-
co-- cabellos na barba, nariz proseo chal, i.lhi
grandes e rerniellms, beicos grossos, ps rr;
e romos : roga-se poncia on a quem dVIlfni-
ver Bimria, se dirija ra Apollo u. 8, orre
sera recompensado.
IIMlS ric graliiraco
Fugio uo dia 11 de Janeiro do crrenle auno
do enyviiho Bataiara, Iregnetia da Escuda, oes-'
rravo preto, erinute, de 24anno> de idade, rit-
mado Marcelino, que foi do Sr. Jnao da t'unha
Pereira, cujo escravo esteve no deposito t
tem ossipnaes ai tes : alio, seceo dn rorpo
rusto muito marcado de bexigas, fal'a de A
na trente, cor preta, rabio de chapeo do chile, nj*
Hetot ecalca de castor, levando imhtahKthY ffe
llaudres com mais r.iupa, e suppoc-e estar ira
freguezia do Cabo : quem o apprefctBfler leve-v
ndito engenho, on ra da Senzala-nov;. n. 38
escriptorio do Sr. Bernardino l'ontual. que reco-
ber a gratilicacao cima.
Pennas de ema.
Vende-se ra do Queimado n 13, primeiro do "av3- na da Imperatriz n. 09, De
anar. \ ; Fcx Pereira da Silva.
CAPSULAS VEGETAES
MATICO
deGRIMAULT E C^ PHARfVlACEUTIcns EM PARS
M.5rn i.E! a\TJpa de K ulen' con,ein ba,M,no de >b'ba assoc.iado i esi
Manco (arvore do Per), e consumera ara remedio infallivel contra a gonorrha Btaaobr
sera cansar o estomago e nio proveci nunca os enjOo e nausea que Eono JcaUto
livoe que ellas s3o superiores s capsulas de copahiba. euheba. etc.
Deposito em Pen.ambuco, em easa de ataar, e*.
ILliiikiJJilSTTiEJ
cGRlMAULTaC'/' w PARS
^Ffiarmaceutrcos de5 A IoPrinci
M>b urna .orma unipida agradaxel, este medica-
menio ranc a qumo. qne o iobco por excelencia,
e o ierro, um dos principaea elementos do sangue. E1
adoptailo pelos mdicos mais distinctos de Paris, para
corar as cores pallidas, deil.iar o desenvolvimento
das meninas restituir ao corpo os seus principios
aherado8 ou perdidos. Faz rpidamente desapparecer
as dores d estomago mtoleraveis suscitadas pela ane-
mia eu pela leucoirha, s quaes as sen horas eslSo
Untns veses saltes, regularisa e faciKua menstruacao,
e recenado cora suocesso s enancas palndas, Ivm-
phatiras ou escrofulosas Bmnm, excita o appetite.
favorece a digesto, e oonvem a todas as pessoas cijo
sangue est enu-obreeido pelo trabalho. pelas moles-
tias, as convalescencas longas 00 diffiees. Os bons
resultados nunca se tuem experar.
Deposito era Pernambuco, em easa de tu 0a.
;, razeuda de gado.
Vendem-se seis fazendas de gado na rineira do
Serid, denominadas Roa-Vista, Pe deSerra. Mu-
lung, Mundo Novo. Inga e Sen-ole, todas milito
boas de criar e de mu ser bem conhecido aquel-
la riheira : os pretendemos podem dirigir-se ni*
do Viga rio n. .H, 1 .indar.
Mailamc Artoitr lem a honra ile parti-
cipar ao respeitavel |>ulilico que recebeu pelo
ultimo vapor fazendas linas de muito gosto
enrao sejam:
Vestidos de gase de chambery
obra rica
Chapeos para sen horas c meni-
nas
Manfilhosdc renda prefa
Casaquino de guepure preto
burnous
Bal oes brancos
Vestuarios de fu si To para ho-
mens
Ra do Imperador 1/ andar 11.
23
Fugio do engeuho Jacobina, comarca do Ca-
bo, ao amanheeer do dia 13 do rorrea* aum
anno, do abaixo assignado, um escrav preodp
non.e Antonio, condecido por Candes, idade de 515
a 30 aun s, pouco mai< ou menos, alio, rV gnli-
sos, tem urna das juntas do nie-mo um p>""J>
grossas, andar banzeiro, levando chaiuVi de f/ltm
j osado, camisa de algodo azul e sen tila de al-
godo ainenrai!". cojo escravo vejo de Huiqne pa-
ra Pao d'Alho.para onde sedescinfia ter seguido:
rogae a quali|oer autoridado policial ou rapitVt
de campo a raptara do dito escravo. levando .10
engenbo cima. 011 a ra d" Caldeireiro n. 42, ,
Sr. Franriscn Quiotioo Rodrigues Esleves, qne
ser geoerosann nt gratificado.
,' _______An'pnio Carneiro |.in p Mel'o.
VINHO DO PORTO
Chegaram rterenles qualidades no dp-
posito de vinhos em rasa de Theod. Chris-
tiansen, ra da Cruz n. 18.
Para encanamento d'agua.
Canos de ferro, ditos estanhados, ditos forrados
le porcelana, todin com as competentes lorneiras.
iirvas etc. : a roa do Queimado n. 3.
CAVAUX).
Vende-se um bom cavallo rom bons andares :
110 principio da estrada de Joo de Barros, sitio
a. h
Fugio de bordo do palhabote u .mal amh-
v, um mulato claro de nnme Justino, estafara ro-
tular, cbelos rarapinnados e mehs ruivi s, fu nc;i
barba, tem una pinta preta no canto do otho direi-
to e um talho as costos ao mesmo lado,; levo
vestido camisa de chita com lisias verdes, e usa
de moa cinta c,.:n borla encarnada para apertat
a< calsas, natural de Santa Auna do Mallo na
provincia do Rio C.rande do Norte, para onde ialvaj
quena ir, tambem muito deSeinhar.icado no fal-
lar. Recommenda-se aos niesires de barrara 1 n
a qualquer pessoa que o agarrar, e levar a" rna
do Trapiche n. 4 ou a bordo do referido navio qne
sera generosamente gratificado.
AVIIIW)
Fugio no da 21 do pie-ente ruez de marco, do
engenho Craempe, freguezia de Agoa Prela. o es-
cravo de nome Joaquim, klade 23 armos. crimilo.
cor prela, estatora regular, test grande, olltos-
alumacados, dentes lii,,ados e tem na dwies pole-
gaes dos ps v?,ltads para fra, sabio ron, Vha-
il"r ih')aJliar.(1" ?"e' ,S,vand0 m" l,;'l' pequeo
de foiha de Flandres. Ha certera de qo o dito
escrav,, seguio para a cidade do RecifU embar-
eando na estacau de Ganeleira en **
*' MWBbo de ferro : qnem o apareamder .inci-
ta leva Jo ao mencionado engenho, a en're-y a
seusenhor o tenenhvcoronel Pedro Ptaarim *
Aihnqnerqoe. ou no Reeife ao Sr. Ahfmio
Leal Res, escriptorio roa da Cadeia n
serag nerosamenle gratificado.
e^r a
m-o oV
o I
rugi nudia 24 do crreme, 1)
trada dos Afllictos n. 17, urna preta crietila .
nome Ignez, de idade 17 nos, alta, bem parec
da levon urna porcao do ronpa e algum dinheinj,
consta que foi seduzida, e o abaixo a -signado pro-
testa contra quem a tiver em seu peder : roga-se
poliria e aos rapita>s de campo a sua apprebea-
sao e levem-na ao mesmo sitio ou ra da Ca-
deia Veiha n. 1, que serlo pagos da (kdo o sen
trabalho.
Josc Goncalvei Torree.

UEGtVH^ 1


r


Jft.
8
Diario de Pernambuco Quarta fcira 31 de Marro de 1869.
H de
IJTTHtATulA.
- ''"' '
AI.1I V Pti V4D.I.
(Lenda popular.)
Dizem, vv, que noutinna
Alera, suspenso bo ar,
\e-ae ura medonho phantasma
fui', faz a gente espantar... ?
K. qiKiii'lo algum viainlante
Peni'uita nes.se caminho,
Elle pode um Padre-Nosso
Ao seu ouvide baixinho.. ?
-Credo era cruz Ave Mara !
Ai! meu Deus, que tentado !
Nao falles, minha netinha,
Nao falles to alto, no.
Aquella gomara terrivel,
Qoe rese, cresee no ar,
E' unu alma penada,
Longe dos cos a vagar.
Nao falles que tenho raedo,
Do que sei, te referir ;
J tenlio passado uoutes
Sera mesmo poder dormir.
Porm, se quer>s que coate
A sua historia, netinha,
Besemos, rezemos ambas
A nossa Salve Rainha!
Ha dez annos que rhorreu.
(Foi o cura quem contou)
ra hornera to renegado,
Que nunca seconfessou.
Era o maldito opulento
To Cheto de presumpcSo,
Que rucusou uns bentinho*
Da Virgem da Conceico.
< So quera nos domingos
Aos cercados conversar,
E quando o cura passava,
Nao ia-'he as mos beijar.
Porra a final morrendo,
Como moi re una preguica,
Nao dexou matro patacas
Para dizer-se urna missa.
Q.naudo aquelle excommungado
A' sepultura ba;xou,
Chovia tanto (pie a chuva
Toda a cidade innundou.
E pareca que odemo
as azas dos furaces
Era qu-rai vibravaos raios,
Quem despeda os troves.
Porm, vv, que fazermos
Para apargar-lhe o delicto ?
a Netinha, quatro rosarios
Rezar depois de um bemdito.
Mas nao s isso ; o bom cura..
Com p a do tal demonio.
Pede esmolas de dez missas
Aos servos de Santo Antonio.
Vov, depois o phantasma
Nao volta perdido, nao ?
Menina o padre me disse
Que pode inda ter perdo. \
Ento vov, meus pombinhos
Eu voa a praca vender,
Vai que os rosarios nao bastara.
P'ra tanto ao co merecer.
Adeus! adeus! va na guarda
Da cruz de osso Senhor,
Que eu vou p'ra meu oratorio
C;:ntar com todo fervor.
Gallo preto, se a capel la
Nao fosse perto d'aqui,
Eu na> deixara que um passo
Se desse agora por ti.
Juro que amanha'a tres missas
Hei de ouvir com devoco
E dar o dinlieru ao cura,
Tudo por tua mtencSo.
.Mas emquanto vai a feira
E volta a minha netinha,
Polo sk'nal... Credo cm cruz,
Bemdicto-----Salve Rainha !
Mello Moraes Fn.no.
Concilio Tfidenlino.
\- hereajas religiosas podera correr mundo spm
rapugna$ao di minha parte; porque me rei'onhe-
q i inconipoteate para apreciar e julgsr. Se o ge-
neral Abroa e Lima era liorege o seliismatifti. le
incorrera em censuras, ou algumas ouiras penas
eclesisticas, decida-o quem tiver para isso autor
ri'lade.
As heresias jurdica-, porm. nao consenlirei
q\e circuleai guroso dev.^r di- as tvitnbater.
No Jorn-il Rrife de hoje, e sob a rubrica de
Concillo Tridntino pretendeu-se inculcar,
?ue das dispusic/in* d'es n acceitas entre nos as da Sess. 21 de refarm.
mtrim. cap. I.,e traoscreveu-se em abono d'essa
errnea dontrina a resoluco da assembla geral,
de 13 de novembro du I8/.
FOLHETIM
OS IMItS DE CAYEW4
POR
Elie Berthet.
N5o foi de cerlo um jurista quom veto impren- cortes de Portugal, que van especificados na ta-
sa aventurar semelbanteforoposieao, que reveb a I bella junta, flcain igualmente valuis, emquanto
malo crassa ignorancia tis principj'.s do direilo, nao forem expr-ssanuMiiu royogados.
relativos aos diflreute effeilos da promulgaban
das' leis, decretos e resoluc3es, e ignorancia tam-
bero do toda a legislacft) que se refere acceita-
cj do Saarado Concilio Tridntino.
Ao encerrar-se, no da de dezembrode 1563,
a ultima sesso do Concilio, dirigiu este a todos
os soberanos eatholiciisa seguate ftdmoesuclo:
Superes! nunr,ul l'riiu-ipes omites, qaod facit,
in Domino moneo!, od opernm situm ita pras'an-
ilum, m quie oh eo itcvtta son!, ob lliereticit de-
pracari, nal riolari non permitan!, sed ab /< &
el Vmnilia* iterle ree^iiootnr. el jUefiter observen-
(Segu a tabella.)
Por esta lei ic'arain, pois, em plago vigor entre
nos todas as lejs J mandaram cumprir e executar os decretos do ati-
grado Concilio Tii (entino.
A resoitu-ao Je 13 .le novembro de 1817, trau*M
cripta no Jornal do Br -ife Ele nioje.nan provao c
irario. Ella diz simplesmente que as disp
lu- nicilio, na ses*io 2i cap. 1 reformo', m Urim.
ele., licam em efectiw obsercaucio em i
lspaioB c fivguezias, do iiapeno, lito nao jupi
j|ern quoas upis di^posi^oes do c 'iicilio nJ
lar (Resta s admoestar (o que faino Seulior) a lo- stiyesseiftooi yigor. To.lis eaavam em vigor ;
dos os principes, a que assislai|i com s- u poder de
modo, que nao perioitjam. que as cousaa decretar
das Mjan depravadas, o violadas pelos lenle-:
mas d'estes e de tedo Pccebidas dovoluneoto 8
observadas flelmente).
Em Portugal e,seus doKvnios foram deile togp
receaos e acceitos todos os decretos di Concilio,
mandados traduzir, e promulgados pelo alvar de
12 de setembro de 156'i.
Como, porm, algumas dasdisposieoesdo Con-
cilio erain ou pareciam inconciliaveis com as gra- l
cas e privilegios concedidos pelos Summos Ponti-
lices aos reis de Portugal, e qoe constituiam o d\-
reito de paftroad real, e no que respoitava a
ajuda de braco secular cncontravam com as di<-
po lit. 4 g 7, promulgar.im-se diversos alvv. e provv.
taes com a prov. de... de novembro de 156i, o
alv. de 25 de julho de 1365, a prov de 2 de marco
de 1568 e a de 19 de marc<> de 1869, restdTCnd i
todas as duvidis. e mandando que se umprissam
os decretos do Concilio. A prov. de 2 de marco
de 1368, que se acha refundida, com toda a oais'
legi>lacao respectiva, na colloceao das eslravagan-
tes de Duarte Nunes de Lea-*, part. 2.* titulo i.' lei
12 (Da ececueoo do Concilio Tridenti.no, e em que
casos se dar'a ojuda de braco secular), diz p se-
guinte :
Seodoel-rei oosso sonhor informado, queen-
tre os prelados de seus regeos, e seus visitadores
e ofHciaes, e os carregidores, juizes, e jusiicas
se movam algumas iividas sobre a execucao de
alguns decretos do Sagrado Concilio Tridntino:
E considerando a ubrigacao,.que todos os reis e
principes christos teein, e a que S. A. parli;ular-
mente, como s^coeasor dos reis d'estes regaos
seus antecessores (enjo exemplo na obediencia da
santa Si'1 apost dica deseja imitar) teem, de emjudo
dor favor e o jml i ao cumpr'mun'o t,i'JMMpto do
poripienao haviam sido revogadas nem alterada1
as Iris que as luandarain execuiar; ajguuias lia-
via eomludo que nao estavam em effeciti
11 h, e foi isto o que deu motivo i a-s iluca i de
13 do novembro de 1827. na qual se nota que na >
lia a clau#ii(a Qpposta a tu leceui uii ejlo nov)./'(' un rehogados os disposi-
edes em contrario, o que bem mostra t)p nao
navia dspo-ieao algiuua em contraro.
A resofaeio de 13 ile novembro diz: Que as
disposii;oiv do Concilio Tridentin.), na sessao i
cap. 1" nformotione milrimonii, e da constitui-
r i do arcebispado da Babia, no liv. 1" til. 68
2l Reara era effecfiva observancia era fado es
pispadas o freguozas do imperio, etc.
Se da dispose^y desta Kolucg mento para susteiUar que o Coneilio Trideotn >
s foi acceito na parte relativa a reforimafao do
matrimonio, conseguinte sustentar eme a eonsta>
tuicao de arcebpade da Baha nao era le nossa
antes dessa resoluco, e que s foi acceila no 5
291, e nos que di mais especiSca a incsin i reso-
luco. Mas. esta cqnsequeiica evidentemente con-
traria a verdadej perq te a constituida i do arce-
bisnado da Babia j era le em todos os blspados
d i imperio, naoao no que dispoe o % 291, mas no
que dispon toda ella. A resoluco, portante, nao
I he veto dar torca de lei, queja tinha ; o que veto
fui suscitara effcttcnbseireancia dos Si1 citados,
que se nao executavain.
Quem passas olhos sobre as r illeccoes de leis
extravagantes, encontra um sefli numero deexem-
plos de leis, decretos, alvars e provisoes pronill-
gados com o nico intuito de suscitara observan-
ca de ouiras luis, decretos calvars promulgados
anteriormente, ea que se nao dava a precisa e lid
execucao. Por exemplo :o alv. de 27 de setem-
bro de 1669 maida observar a mesuia determi-
nado do de 19 de outubro de t6il ;o alv. de
dito Sagrado Concilio: E querendo S. A. prover e O de mlhode 1686 suscita a observancia das b'is
dar ordem como as ditas duvidas cessem de modo
que N'osso Senhor seja servido, e a jurdicao eccle-
sastica seja guardada e favorecida, e a sua con-
servada, mandn vir peante si as ditas duvda<
por algumas pessoas de seu conselho, o letrados
theologos e outros juristas de seu desembargo,
etc.
A prov. de 19 de mareo de 1569 ordena que
todas as justcas dem toda a ajuda, o favor neces-
sarto aoe-prelados o juizes ecclesiasticos, quando
estes quizerem per seus proprios ministros usar
conira leiffost da jurdicao que Ihes daa o Sagrado
Concilio Tridntino. S
A lei de ti de junho de 1571, diz que t em obe-
diencia a execucao dos decretos do Sagrado Con-
cilio Tridntino, ficam prohibidos os lvros de
Luthero, de Zuinglio, de Clvino, Fllippe Melanc-
ten, Ecolampadio. etc.
A le de 26 de junho de 1571 sobre o peccado
da sodoma, e nutra le da mesma data sobre os
livros de hereges c defiBos, foram promulgada*
em cumpri ment, como ellas declaram; das dis-
posices do Sagrado Concilio Tridntino.
Duarte Nones Leao, encarregado pelo alv. de
|4 de fevereiro de 1569 de fazer a corapila^Q de
todas as leis estravagantes, que se haviam promul-
gado depois do cid. Haiiue'lluo, refundiu todas es-
tas leis relativas execucao do Concilio Tridntino
na sua compilacao.
Pouco tempo depois, os redactores das ordd. fi
lippiuas as traslailaram para este cdigo, como o
declara um d'elles, o deembargador Jorge de Ca-
bedode Vascneellos, em diversos lugares de suas
decisoes e do seu tratado do padroado regio.
Todos os escripiores portuguezes dos serillos
17e 18", que trataram de materias jurdicas, al
de 13 de julho de 1678 ede 28 de abril de 1681 ;
oalv.de 9 deigosio de 1686 mandn por pm
observancia a pragmtica de 23 de Janeiro i-
1677 ;o alv. de 2 d (Julho de 1709 suscita a ri-
gorosa observancia da lei de 29 de julho de 1093.
Sao numerossimos estes exeniplos.
A resolueo de 13 de novembro de 1827 lave
idntico fim, suscitando a eectiva observancia de
urna certa disn i.-ica i do Concilio Tridntino, e" de
Certas entras disposicies da cou-tituico do &to-
hispado da Babia, nns e ouiras em pleno vigor,
mas nao executada<.
Cieio,,em vista do que Iba dito, que se nao pre-
tender negar mais a autoridade So Sagrado Con-
cilio Tridntino em um estado, cuja con poltica declara em seu art. 5* que a ivligjo
catholira apostlica romano continuar a ser a
relgi) do imperio, c no qual amia se nao pro-
niiilgou nenhuniacW legislativo que revogassa a
alv. de 12 de setembro de 18fi e toda a legislado
posterior, que acceitou e mtidon por em exeou-
r,i i os decretos do Sagrado Coneilio Tridemno.
Reeifti, 2i de marco de 1869.
Dn. J. Campos da C. dk M. e A.
POUCO DE TUDO.
ROMA.No da 8 de fevereiro ultimo,
os principaes estrangeiros catholicos nessa
poca prsenles na capilal do mundo catho-
lico, apresenlar.ini, cuino se lera foto nos
annos precedentes, tima toe^sdgera ao so-
berano pontfice. Sua sautiilade se nios-
^^L%ri!^^l^^,^r^:!lrou comosempre de urna benevolencia
extrema e antes de dar sua bencao. proa
iiiinciou algumas pal.ivras que for.im esru-
ladas com urna viva emorao. O santo pa-
dre abMK-oou iodos os paizes na pessoa dos
representantes, que se acbavam a seus ps,
c passou em revista a maior parte dos es-
i nlos uns apiis outros, especiaiisatlo os
seus votos para cada um d'elles.
Eisqai a mensagem apresentda ao san-
to padre:
Todos os.auios.emsemelhante niii a.
Roma acolite nos. seus muros hospitaleros
militares de exlrangeiros, c estes estrangei-
ros correm de todas as parles do mundo
nao tmente para admiraros iucomparaveis
monumentos e as maravilhas que as artes
e a sciencia de viole seculos all leen aecu-
mulado, mais ainda, c sobre tudo, para se
fortificar na sua f pela visita dos santua-
rios testemunhos de tantos raarlyrios c de
tantos milagrea da graca divina.
cretos do Sagrado Concilio Tridenino. Citare-
mos, entre outros, AngustinhoBarbosa,Pedro Bar-
bosa, Alvaro Valasco, Gabriel Valasco, Thomaz
Valasco, Goneato Alendes de Vascneellos e Cabe-
do, Jorge de Cabedo e Ya-eoncellos, Gabriel Pe-
reira de Castro, francisco Salgado, Pinheiro, Costa,
Gama, Antonio Gomes, Vangnerve, etc.
Anda em 1794 cscrvia o desenibargador Joan
Pedro Bibeiro, fallando da introduccao do direito
cannico em Portugal, o seguinte :
Nacollece.i mandada ordenar pelo Senhor
D. Sebastio a Duarte Nones Lelo, a iparcce urna
seara mais ampia de decisues derivadas do direito
cannico, ou das decretaes. Nao preciso mais
que ler as leis que o inesnio colligiu nos til. 2' C
i da part. 2J da mesma collecco: a lei Ia lit. i'
da part. "; a lei 12' tt. 30* da part. 6*: a
le 6' in fin. do til. 1" da part. 6>cujas decisoes
passaram para o cod. Filippinono^lugaix^ respec-
livos.'para eoiiliecer quanto n'ellasnlluiram as de-
cisoes das decretaes, os caones do Concilio de
Tiento etc.
Negar, p irtanto. que o sagrado concilio de Tren
to ni tivesse sjd > recebido entre ns mais que
un erro, una heresia jurdica imperdoavel.
Poderia Objectar-se-me que o concilio leria sido
aeceliido em Portugal ; inas que, separada de
Portugal pela independencia, o Brasil o nao rece-
ben e aceitn. Masa respaila esta objecca i
perempl nia Antes da independencia, o Brasil se
regia pelas leis da metropole, que, como ficou pro-
vad i. acceitou e inand >u executar os decretos do
Sagrado Concilio Tridntino. EITectuada a inde-
pendencia, e convocada a assembla cons'tituinte.
esta iii'omulgou a egninte lei de 20 de outubro
do 182;i :
Art. 1. As ordenaeoes, leis, regimentos, alva-
rs, decretos e resolucoes promulgadas pelos reis
de Portugal, e pelas q'ioes o Brasil se gocernaca
at o da 23 de abril de 1821, em que S. M. Fide-
lsima, actual re de Portugal e Algarves, so au-
senlou dc-ta curte ; c todas as que foram promul-
gadas daqnella dala en dian'e pc.io Senhir D. Pe-
dro de Alcntara, como regente d i Brasil em-
quanto reino; e como Imperador constitucional
dalle, desde que se erigi em imperio, ficam em
inieiro vigor na parte, em qu* nao tiverem sido
revogad i$, para por ellas se regitlarem os negocios
do interior diste imperio, emquanto se nao orga-
nisar um novo cdigo, ou nao forem especialmente
(Utei 'idi'ts.
Art. 2. Todos os decretos publicad' pelas
IX
A prioielra eatrevista..
(Conlinuaco don. 70)
Meu pai, proseguio Josephina cm
tm dolorosocomo hci de eu interpretar o
seu silencio ? Oude esto os protestos de
i id cenca que m; fazia n'outro lempo?..
Oh I peco-lhe que m: assevere qoe nunca
as suas mos derramaran) sangue !
' Calas-te com isso ? N5o so falla em
cousas d'essas! Condemnaram-mo ; agora
lio ha recurso I
Nao verdade que foi Rigaut... Ri-
gaut smente, quem...
- Ah sim, queres que eu soffra as
iras de Rigmt, se elle souber que loe im-
puto todas as culpas ? E' verdade que
est longe e que nSo nos encontraremos
cilmente... Pois bem, Rigaut foi o autor
'aquella m ac$io f uu f um imbcil,
que me deixava levar pela beica Tara
tem noute, quando estou s, parece-tne
ver aquelle rosto lvido... Mas, com mil
diabos, j te disse que nao gosto de fallar
x^essas cousas I
Josephina tinha demasiado interesse era
conhecer a verdade para poder deixar de
r inexoravel na investigacao.
Assim, meu pai assistio pelo menos
ao crme que nao pode ou nao quiz evi-
tar...
E que tal a teima da rapariguinlia!
redarguio elle, bateudo com o p no
chaoEsts disposla a atormentir-me mili-
to tempo ? N'esse caso, era melhor-c nao
teres viudo I
Vendo que seriam baldados os seus es-
forcos sobre esle ponto, Josephina passou
a interroga-lo acerca dos papis, que tanto
iuteressavam ao futuro de todos.
Bertomy disse-lhe que Rigaut os mettera
dentro de um frasco de vidro, que enter-
rara junto a urna arvore na estrada de
Bolbec, havendo alli, alm dos papis, urna
quantia de dez mil francos em bdbetes do
Banco, que Rigaut entendeu prudente guar-
dar para as necessidades futuras, e que
por isso elle tinha em tanto apreco este
segredo, de que contava tirar partido um
da que conseguisse evadir-se.
Eutao gao ha dnvida proseguio a
jovenque meu pai teve parle no crme,
como tambera partilhou do producto! Deu$
rnpadeca de si. edenes I... Disse-me.
porem, que a arvore era no caminho de
Bolbec ; agora rogo-lhe que nu diga se
|K)der indicar exactanjenle o Ial.
' Ah 1 j enteudu : tu queres ripeojarafl
mu ilute para casares com algum nosso p i-
iricio ?.. Em summa, lodos poderemoa
licar bjm, porquanto, ao que papece, nem
eu nem Rigaut l poderemos ir tlesenterrar
o frasco, e por isso sers tu quem ultime
esse negocio.
Poiscr queeu,teftua tal idea ?.. O
meu fim er.a restituir esse thesouro a seu
dono.
Isso seria urna boa asneira, porquei
papis c dinheiro perdido nao se thes fco-
Nos temos chegado a nossa vez dos
paiz:s os mlis diversos; pertenceinos a
naeoes mui distnctas entre si pelo idioma,
pelos costumes, pelas ideas, e entretanto
ama vez admitdos navossa presenta, b;a-
tissimo padre, um s pensamento nos ani-
ma, sentimi-nos todos, vossos filhos, lodos
membros da mesma familia, e melnor do
que nune.a nos oomprebendemos o de ver e
a importancia de nao formar seno um re-
batido sob ums pastor.
Para re vi ver. sem duvida, em nos a
conscieucia d"este dever, aprouvo Divina
Providencia deixar-nos atravesar urna po-
ca dedesencadeamentonovo c dendiocontru
aigreja, e contra aquelles que permanecem
fiis aos preceitos de Jjsus Crucificado. Se
no meio d'estas prturbaces, nos gosamos
anda do beneficio de poder visitar em paz
o epuieliro dos apostlos, a vossa san-
nhece o dono. Veremos o queazes. Logo,
porm, que Ih pizotes as raaos, espero
que mandars urai boa parte a" tea pai,
que quasi nunca lera dinheiro para pagar
o seu tabaco c jugar, a sua partida com os
amaradas, e, sobretudo. arraujar as cousas
em termos que Rigaut nao o suspeite, alias
eu que o pago ; Felizmente, elle estar l
para a ilha Real, d'onde nao voltar J'ucil-
meute.
Nao quero illudj-lo, meu pai : esse
li-Muum, que tanto .teme,..acaba de dUegar
comnosco aqu em um navio do Eslado.
Ilein? ue diabo disseste agora ?
interrompeu elle, fazeodo-se pafiido.
Josephina explicou-lbe xesumidamenle
como Rigaut, dojiois da frustrada tentativa
de fuga, era mandado para o Maroni.
,Trazes-me boUas notieias, o9o ha du-
.vida !... Enla > Rigaut est aqu ? Pojs
aeaboiHse a voutade ae rr 1 Euiizmente
uue eu nada disse, pois ha umitas arvores
.na^strada de Rolbec e eu, dou-te licenca
para sjuVtj qa,al a, Jal: nr tanto que
leve o diabo a Rig.iut!
Pois tem Uato a receiar acuelle ho-
mem ? Julguoi que na posico d'elle Ihe
era impossivcl...
tona malhor ar^star com o tre,
j)assar ama, noute sobre escorpios e puxar
pela cauda a urna serpete do que ter a
Rigaut pela proa pQo sei Jlps seus po-
deres, mas catre us temido de lodos, e
eu quero estar bem com elle para nao -ficar
malno negocio.
S Josephina conljgcbu que nao era.capaz
o avanfar as suas pesquizas de.pois.que
ie deu a noticia da ebegada da.Rigaut y
m d'isso, o que ouvira poaexa-a n'uma
tidade a quem devenios esta ventura, vos-
sa firmeza, ao inhabalavel valor com que
defendis o sceptro temporal que Deus vos
tem confiado. Nos dimos granas ao Senhor
de nao Usr permittido- que esta cora vos
fosse arrancada, e imploramos com confian
ce, do ftiUro a proteccSo do c > p ira a so-
berana e para a independencia completa da
sania s.
* Comtudo, nos na i vos somus uoicamen-
ladeyedore do sucegg profundo que rei-
na nestacidade; a vos anda, batissimo
padre, que com vossas mos g.'nerosas.
>u>tL'Jitaes estas Qpluionas soltre as qaaes
repousa o edificio di ordem social entr-e
todos os povos civilisalos, ordem s>cial dj
que um estado, qualquer que tosse a frui i
do seu govrno, nao pode prescindir sem|
ser abalado at pm suas bazos.
Mais combatida esta verdade em nos-
sos das mais o perigo do se afaslar se tor-
na evidente a todos os espiritos serios, e
mais etnlim se co eca a comprehender por
toda a parte a que ponto a atuoridale di
santa s necessara cpnservaro los in-
teressesos mais elevados da humanida.le iu-
teira.
Possa esta convieoo penetrar mais
avante ainda em todas as ntelligencias pelo
effeitosalular do concilio geral que vossa
santidade se dignou convocar para o lira
d'este anno! Possa o concilio, que vera ajun-
tar urna cora nova obra gloriosa do vosso
pontificado para serapre memaravel, abrir
osolhos a todos a]'ie!!es que esta no er-
.'0, proclamando mais solemnemente arala
as verdades que un t njes deixado -do.
lembrar, e conduzir os poros na va dasal-
vac5o, a nica anude lodoso- poblemasdu
nosso lempo acharo urna solueo c infor-
me mesura ao bem estar temporal da so-
ciedade humana!
Cheios.dos s,entmcntos os mais vivos
de venerar) e reconiecjment, nos, vimos
depr aos vossos ps, Ivitissimo pudre, a
homenagem da nossa dedicjbo filial, tanto
em nosso proprio n un'. o orno no nomo d;
nossas familias e d u nossos a.ugos.quo nlo
i tem tido a felicdade de nos acompanhar a
Roma, mas que nos sao unidos pelos laco-*
de f, e pela mesma inviolavfl alteico
augusta pessoa do vigario de Jess Christo.
t E' tanto por ellos como por nos que
supplicamos vossa santidade de dignar-so
accettar esla homenagem, e de nos conce-
der a sua bencHo apostlica.
lis aqu o resumo to exacto quanto
; possivol, das palavras pronunciadas polo
augusto (iio IX:
. Sim. eu vos darei esta boncao do vi-
gario de Jess Christo, mis antes vos direi
algumas palavras, como faco tod is os au-
nes. Eis-nos, pos, cbogados a este ann i
como nos precedenles, recebo as vossas
homenagens, os vossos votos, que sfcw)
echo das buauaagens e dos votos d todos
aquellos que vos representaos, e dos-diver-
sos paizes d'onde vindes.
c Eu vos direi com o apostlo S. Paulo:
Vos sois a miaba cora o a miiiln alegra,
cus enrona mea elg.ittdium mouin \>-
rao rodeaos dos vqssQfi rospoitos, lo vos-
sas preces, dos v iss >s v it is; eeu n) pos-
so mais do que testemunhar-vos a rainha
gratido, e vos digo qie tojos os das rogo
a Deus poraijuelles que rogam por mni, e
rogo a Dous por a'qitelles qae adame
me assstem de todos os modos.
Vos sois de todas as linguas e d; to-
dos os paizes. Aj?ora vos direi que militas
vezes na minha imaginaco eu rodeio o
mundo o sobre tudo sj,-Europa, vi'ato cadi
paize rogo ais.s^us jivarsos pmtctores
i ir esios diversos paizes e por mira.
ComiiCO por Portugal, no meio dos
mires, e rogo a Santa Izabel de Portugil
por e>L' mz o pelo bem d'este povo. Em
Uespanua Santa Tnoreza, S. Francisco Xi-
vior. Santo Ignacio. Em Franca eu rogo a
S. Diaiz, Saita Genoveva, S. Laz, S. F-
lix de Valis, por este paiz da Franca. Atra-
vesso a Bolgca e a II librada, e rogo aos
santos d'es tes dous paizes. D'alli passo
Allomanha. Rogo a Santa Izabol d'Hungra,
Santo Estevo e Ibes rogo pola Allemuilia
nleira, para que seja feliz em paz e que
viva unida na sua f. Na Irlanda, na bi-
glaterra S. Tomaz de Cantorberi, S. Wilfrod.
S.Patricio.- Na Polonia e Russia S. Case*
miro, S. Josaphat. D'alli voltopara o meio
dia. a frica Srato Agosfraho; depois
para o Oriente os Santos Gregorio, S, Joo
Chrysostomo. Passo Am-rici, Santa Ro-
sa de Lima; e eu rogo a lodos estes san-
ios, e Ihes digo que a minha vontade que
lies roguein por todos estes pqv is, que os
affastem dos perigos, e que os guardemna
unidade da f. E depois quando regresso,
eu me porgunto o que tenho visto em to-
dos estes povos.
Eu tenho visto em todo o mundo a
mosma cousa : Conturbatacs sunt gentes,
inclnala suntregna; a agitaco dos povos,
o abaixamento dos reinos. Nao possuo
todas as finuras da ligua frauceza, nao
quereria dizer urna couza raais forte do que
exeitacao violenta, perlurbando-se-lhe as
ideas.
jN'aquelle estado de.ujoditagSo foi nter-
rompida polo rufar de um ta nbor. v Pas-
sada a hora do descanso, os forcados, ao
sign.il dos vigas, ergueram-se ein tumulto
e tomaram os machados para voltar ao
seivvi^o.
Rorlomy levantra-se tambem.
Ora pois ; corneja-o fadario !excla-
mou elleQ le aborrecimento I Tu, po-
.rem, arrancars que nos veamos com fre-
quencia. D'aqui at l nlo me deixars
jwr, ah algum dinheiro ? Bem ves com >
somos tratados e ainda pop cima faltos de
drajieiros I
Josephina. confusa, apressou-se a entre-
gar a sou pai urna bolsinha. HjUtendo todo
0 dinheiro que trazia conjsigo.
N'esse instante appareceu G/andval e o
viga superior.
Berlomy, dtsse esto bem sabe o
regulamento. Eu n3o estou autorisadp a
dispensar do trab.ifio.
Est dito, j 14 voa... Mis, Sr. of-
iicial, quando se tem d'estes filhos, porque
em summa, ebessao mous e legtimos...
O viga olhou para Josephina com ar de
compaixo. Ella disse, indicando G andval:
Um momento mais. Esquecera-me
de Ibe apresontar este maacebo, que nos
temprestado tantos e to grandes sorv gos.
E' o-'.capito Gra id val. Lembra-se do vi-
sinho Jeronymo Grandval, seu pai ?
Ah se lembro Fui amigo intimo
d'elle e vendi-lhe algum gado. Elle foi
mais feliz do que eu !... Entino senhor
capitn do navios ? E' lisongeiro na su a
idade. Agradeco-lhe o que tem feito em
beneficio de meus filhos. Toque i
nao deve ser. Nao posso tradu/.ir moior
a palavra do propheta a agitaco dos povos,
o abaixamyito dus reinos. E porque esta
desorden, ese abiixamento geral ? E'
[ior causa da soberba o do esqueciraento
da autoridade.
Ha por toda a parte orgulho, a sober-
na, a nd.<>endi)riCM.. Tom-se querido
sacudir o jugo da autoridade prmeira, t\\
a aut trida le da igreja ella a base dd
toda a sociedade, mismo humuia* E a
ella, aos seus pastores, que tem sido dito;
Drele o utes genios: i Fra d'es'a
autoridade nao ha seuo liozta; i e per-
lorli u;i), in ert za na d lUtrioa-Santo Ag^#-
linho, esse grande espirito nosestulos
daSaita Rscriptura dizia: As Ecriptu-
ras n o seriam nada para mim, se eu nao
stivesse tocado da autoridade da igreja :
\ ni crederem saeram Scripturam nisi ou-
etoriku Ecclesiae motwet. Esta revolta
contra a autoridade o peccado que foi
commettido no paraizo; era a palavra de
Satanaz na tentacao dos nossos prmeiros
n'<: < Vos seris como os Deuses,
Erilii sicut ilii. E' o mesan demonio do
orgulho e da independencia que peacorre o
mundo e que prega a mesma doutrina, a
revolta contra toda a autoridade. E sem
duvida isto ser assim at ao lim do mundo.
i Pois bem I eis aqu que minha vez,
eu vos faco urna rogativa de vos opprdes
por toda a parte a esla m doutrina do or-
gulho; de permanecer sempre doceis a
esta autoridade da igreja. Permanece!
sempre comigu e minha direita para con-
servar, ensinar, defender esta autoridade
da igreja.
E eu, porque preciso limitar-se e
U)ste assumpto comportara grandes desen-
volvimiiitos, e a mim que mo resta fazor ?
Levantar as minbas raaos para o co e
chamar as suas boncos sobre vos. O'
pusor atenta, non-deseras. Oh I paslor
eterno, Jesoe Christo, verdadeiro e univer-
sal pastor.no abandonis o vosso rebanlii.
Abencoa.e. osles horneas -aqui presentes ;
suas familias, slas patrias. Q\ie esta benro
permaueca sobruvs todos os das da vossa
vida e por toda a eternidade :
Benedictio Dei oumifMcnlis patris etc.
CQMQ SE DESPERTA UMV ROA MAl
(BAiiLAA). Partio-se Dynng, para^uma
ilha mui longiqua, e ahisecasou com una
linda e corada rapariga.
Vi vira osle par sote annos em. boa bar--
monia, e a mulher deu a luz seto filhos.
Ento passou a morte por aquella ilha e
levou a beila mulher de Dyring.
Pouco tempo depois, Dyring foi-sc a nu-
tra ilha longiqua, desposou outra rapari-
g i o trouxe-a para casa. Mas osta rapari-
ga nio era forra osa de corpo nem d'al-
ma.
Quaudo entrou para casa do seu marido.
as sote cnaiiciulias cli iravara : clioiavam e
pareciam estar sobresaltadas.
A uiadrasla rep.;llio-as com o p, nao
Ibes deu crveja ora p i e disse-lbes:
Tei-ao fome e sedo.
Tirou-lhes os coxns azuos e disse-lhes :
DorinirSona pilha nua.
Apagou-lhes as hizes e accrescentou :
illo do vivar na escurido.
As criaucnhas clioraram toda noute; c
-ui inli, ouvn I) as lebaixo da trra onde
jazia, exclaimu consternada:
Pjrque nao poderei ver agora os
mous innocentes lilhos?
Apresentou-se ento perante o Altissimo
o rogou-lhe que adeixasse ver o^lilliinhos.
Suppli(V)ii tinto p. con tana instancias. i|iic
Dous accetltju au seu podido, mas dis> :-
i he :
(Jurado o gallo cantar voltars logo
ao tou jazgo.
A pobr mli ergaou-se, pois. no tmulo
c insegura transpor os umbraes do comi-
terio.
Atravessa a aldea, e os caos uivam por
onde ella passa. ^
Chega a porta de sua antiga casa, e en-
contra ainda levantada a filha mais velha.
Que l'azos, minha Bina? Cora i esto
leus irmos e las irmas?
Sois urna bella senhora, mas nao vos
parecis com a minha querida m"i. Mi-
nha rai tinha as faces alvas e rosadas, e
vos tendesno rosto a pallidez da morte.
E como posso estar alva c rosada,
se ha tanto tempo descanco em um t-
mulo ?
E entrou no quarto do eo8 filliinhos.
Polas laces de lodos coniam amargas la-
grimas.
Tomiu um uboijou-o; tomou ou'ro e
acarciou-o; correu as mos pelos cabellos
do l^rceiro, e nio se esqueceu de afagar o
quarto; e o quinto, o mais novo, toram-o
nos bracos e chgou-o ao seio.
Dopois, chamando sua filha primog-
nita :
Vai dizer a Dyring quo cslou aqui e
desejo fallar-lbe.
E quaudo Dyring assomou a porta do
quarto de seus filhos, a boa mai dirige-s
para elle em tom de severa reprehensa:
' Deixei-te cerveja epio, e meus filhos
tein forae e sede; deixei-te coxns azues,
e mous filhos dormom sobre a pal ha nua;
deixei-te oandelabrus, e meus filhos \ivem
na escurido. Se mister que eu volle
aqar todas as noutes, vira Cdinigo a dosgra-
C.a. Pensa pisto ..Dyring... Cania o gallo
verraelho; diz este sgnal ijuo todos os
mortos devem eutrapna Ierra: cania o gal-
lo negro: 8 porque se abrera as portas do
covanta o gaiio braaco porque me
ayisa de que nao posso estar aqu mais
foui[i i... Pensa n que te disse Dy ng.
Eutao a madrasta que tinha ouvido tudo,
exelamou;
Serei de hoje em diante boa mi para
os leus filhos.
E depois deste dia, quando o marido e a
mulher ouviam os uivos do c3o, davatn de
comer e beber as pobres criancinhas, e
quando o ouviam ladrar refugiavam-se no
interior da casa, com re eio de que a mor-
te Ihes apparecesse e os castigassu.
Eis urna boa lico para as ruins madras-
tas.
FUNERAES DE LAMARTINE.L-se no
Diario dos Debates folha pariziensc, de 4
do marco :
t O comboyo que leva o oorpo do Sr.
Lamartine parti hontem s 3 horas e-cinx>
minutos da estaco de Lio com destino a
M*:on. O atade devu ser depois condaeido
ao palacio de Saint-Point.
O Sr. Gamillo Duucet foi ante-hontem
noute* por orilem do imperador, pedir
familia do dtjfuuto que os funeraes fossem
wl''lirados em Pariz, com toda a sotemni-
dade, casta do thesouro. A familia, con-
l'orraando-se cora a expreesa vontade do Sr.
Lamartine, nao cedeu aerte pedido.
Hontem, as 10 horas da maaha, um
carro luiiidire foi buscar o atade avenida
d'Eilau. O fpdre Jaeintho den a absolv
IcSo e o corpo, collocado no carro fnebre,
; foi conduzido a estacan. Valetrtina^deCas
sat de Lamartine e a condessa Ax dj Pi-
erreclos, sobrinhas de Lamartine, acompa-
nharam o corpa A's 11 horas, a condessa
Pierruclos, Emilio Ollivier, Laprade e Ed-
mundo Texier partiam |)ara Macn, a fim de
I tomar as medidas neceesaras para o en-
!Ierro.
Antes das tres horas, um gpnde nu-
m.-ro de prenles, amigos e admiradores do
Ilustre poeta obliveram licenca de entrar
na estaca, para prestarem urna ultima ho-
menagem aos seus despojos mortaes. O car-
ro fnebre foi collocado n'um wago desco-
berlo. Alguns minutos antes da partida,
Vuguslo Guyard, antigo redactor principal
do Bem Publico, depoz no atade urna cora
de perpetuas. Ao partir o Irem, a multi-
dao descobrio-se e saiulou respeitosamentc
os restos in irtaosde Lamarlino.
O Sr. M inthecpt sobrinho de Lamarti-
ne, o bario do Rontcliand o o Sr. Chambo-
rand, amigos di derunto, lumaram lugar no
trern, que deve ter chegado hoje, s \ horas
e 2 rminutos, a Macn.
Nao haver nenlrama cerimonia na esta-
can. O cortejo deve pr-se a caminho im-
mediatammte ptira .Saint-Poijt, alJtjia situa-
da a 20 kilmetros de Mcon, e onde est
situado o palacio de Lamartine.
A cerimonia religiosa ter lugar na igre-
ja de Saint-Point. O corpo ser m 'ttido no
carneiro de familia onde rep iiisam a mi de
Lamartine, sua mulher e sua filha Julia,
que O poeta teve a dr do perder durante a
sua viagem ao Oriente, em 18!$.
V 7 ou 8 kilmetros do Mcon o corte-
jo deve parar durante alguns minutos dian-
te do palacio de M anceau perlencente a La
mirtino. Esta residencia notavel pelos
numerosos caslanheiros que a esmombram.
V entrada da avenida d'este palacio, La-
martine mandn construir urna fonte, ra mu-
into modesto d'onde desusa continuamen-
te um osinho do agua.
Na base d'esta fonte -s.e o seguale
verso :
A' y>ti sasoif, la aiUte iktut un leme
i Entre as pessoas que quizeram acotn-
panhar o cadver sua ultima morada cita-
remos os dous velos creados de Lamartine,
qu ivreboramo seu ultimo suspiro e que
estavam ao seu servico ha '' annos.
DAD03 ESTATISTICOS-Durante o anno
de 1809. o numero total de viajantes que
circularan! polas vas forreas s Franca ele-
vou-se a 102 mlhoes.
V longitude total das ditas bubas de
16:000 kilmetros.
(i numero das cartas transportadas pelo
corroio no interim- foi de 3(50 mlhoes; o de
jomaos, iinpressos, amostras e papis om-
nierciaos 'Jio milhes.
A longitude da. rede telegraphica abran-
ge :o:1o7 kilmetros, e o total dos despa-
chos em servico interno e internacional foi
de |.02t:0)). O ministerio figura n'este
total por 20:0\) despachos.
E estendea a mo a GrandvaL que Ih'a
apertou, nao sem repugnancia, mas a que
teve de sujeitar-se potos qlhares de Jose-
phina.
Esta, derramando lagrimas, disse ao ca-
pito em voz ha xa :
Obrigada, meu amigo, pelo seu cava-
Iheirismo !
Os vigas impacientavam-se e forcoso era
terminar a entrevista.
Varaos, Sr. Grandval, disse o for-
cadi) com ar de bondadeespero que volte
a ver-me; fallaremos de cousas antigs e
jogaremos urna partida, so lhe aprouver.
Depois de dizer adeus a seus filhos, foi
reunir-se aos outros degredados.
Vamos, vamos I disse precipitada-
mente Josepfcina, tomaodo o brapo do
Graodval.
Tomaram o caminho da cidade. Miguel
ia atroz, voltaudo-se de voz em quando
para ver seu pai no meio d'aquella muiti-
do ; Josophiua descera o veo para occul-
tar a sua comraoco.
Passado algum tempo, Grandval disse-
Ihc :
Parece-me que; Ihe nao agradara raui-
to as consoqneoeias d'esta entrevista com...
seu pai.
Tinha razan, Pedro; elle nao est
cota) eu o ponsava; mis, t.ltn. que Ihe
hei de fazer? Nao me cample partilhar do
seu opprobrio e do seu castigo ?
Oca pois, socegue... Tirronlos seu
pai d'aquella s'itjjifa/; bara sabe cotpo
tenho as cousas, preparadas.
Nao se apresse, Pedro ; eu nao disse
a meu paT cousa alguma sobre o motivo
real da nossa .viqda aqui. Elle parece ujo
lembrar-se d'isso nem dac-lhe cuidado. O
desejo que me exprimir, e cuja realisaco
me prooecupa ha tanto tempo, nao era mais
do que urna va palavra Nao se preci-
pito, pois, porque, sem de novo consultar
a rainha consciencia, nao quero expor a um
perigo existencias to preciosas I
Como assim ? Pois mudou de reso-
luco ?
N5o digo isso.,. Por piedade nao
me interrogue f Nao sei o que farei ou o
qoe peusarei manba... Aquella estrella
que cu antevira, que rae allumiava e gua-
va os passos, acaba de exlnguir-se ou pelo
menos obseureeer-se .' Sinto-me divagar
as trevas ; esperemos que a estrella so
Ilumine c eu turne a seguir o meu cami-
nho!
O resto do tempo passou-se.era sijeocio.
Chegados ao convento, separaram-se.
Grandval e o sunlo-mudo recolheram-se ao
aposeoto que tinliam arraojadoem casa de
um empregado publico ; Josephina, exte-
nuada de fadiga e com o espirito abatido,
refugiou-se na celia.
tarde sror Rosala foi fazer a sua
visita joven hospeda : encoatrou-a deba-
Ihada em lagrimas e proslrada ante urna
iaiagem da Virgem.
A joven, vendo entrar a sua amiga, er-
guou-so e corrou a lancjwe-lbe oos br^os,
exclamando entre soluc
Ah senhora, j que a saa vida e a
de urna santa, que nao passa a s dia
sem merecer a^eus por aigumiT>4a aoc3o,
peca por mim, e rogue-lhe que ma ampare
o guie na minli* peos* peregrinado I
Tir.wbiiii^trTDAsntcrEss.
t

' V

T
-*-
t:


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E68RPAE41_3W0DTU INGEST_TIME 2013-09-13T22:40:21Z PACKAGE AA00011611_11803
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES