<%BANNER%>

Diario de Pernambuco ( Monday, March 29, 1869 )

Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/11801

Material Information

Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Monday, March 29, 1869

Subjects

Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:11801

Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/11801

Material Information

Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Monday, March 29, 1869

Subjects

Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:11801

Full Text


*
!'.
ANNO XLV. NUMERO 69.
PARA A CAPITAL E LUGARES OHDE HA6 SE PAGA PORTE.
Por tres mezes adiantados.................. 6(JOo
Por seis ditos dem......\............. 120000
Por um anuo idem...........'......... 240000
Cada numero avulso................... 0320

SEGUNDA FEIRA 29 DE MARQO DE 1869.
PARA DENTRO E FORA DA PROVINCIA.
Por tres mezes#diantados
Por s>3s ditos idem. ,
Por nove ditos idera ,
Por um anno. .
DIARIO DE PEMA
C07O
430800
200250
270000
Propriedade de Bfanoel Rgueira de Faria & Filhos.
A
SAO .;k.itk*:
&
>
Os Srs. Gerardo Antonio Alves Filhos, no Para; Goncalves Pinto, no Maranhao; Joaquim Jos de Oliveira, no Cear; Antonio do Lemos Braga, no Aracaty; Joao Maria Julio Chaves, no Ass; Antonio Marques da Silva, no N
Guimares Pancada, em Mamanguape; Antonio Aiexandrino de Lima, na Parahyba; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha; Hclarmino dos Santos Boleto, em Santo Anto; Domingos Jos da Costa Braga,
em Nazaretb; Francino Tavares da Cesta, em Alagas; Dr. Jos Afartins Alves^na Babia; e Jos Bibeiro Gasparinho, no Bio de Janeiro.
Natal; Antonio Joaquim
I j
i /
1 *
I i

i
i
PARTE QUICIAL
Governo da provincia.
WP*(OS HA PHKSIDENOTA DO DA 24 DE MARgO
DK 18C9.
Vtgnrio Antonio Freir de Carvalho.Informe
o Sr. inspector da thesouraria provincial.
Abaixo assignados berdeiroi do fallecido barao
de Beberibe.Informe o Sr. iuspector da thcsou-
Ma de fazenda.
Alexandre Iianeze de Souza -Transmitta-se.
Candido Emygdio Pereira LoboEnlregue-se,
pausando recibo.
Claudina Maria da Reg. -Junte a supplicante
eextidao de Jado.
Waaaitn de Oliveira MpIIo e Silva.Transmit-
ta-se.com a informaco em original.
Joanua Francisca de Paula.Avist das infor-
injfoesn i tem lugar o que requer.
J ao Lu/. Cavan-ante de Albuiiuerque.Infor-
me o Sr. inspectora thesouraria provincial.
Dr. Joan Ferreira da Silva. Encaminlio-se.
Joao Cesar Cavaicante de Albuquerqiie Infer-
ir '. o Sr. inspector da nesonraria provincial.
Joao l.'-ito Bodnvalle.Informe o Sr. desombar-
gador provean* da Santa Casa de Misericordia.
Joo C mcilves de Souza.Informe o Sr. capi-
llo do porto,
Manoel ("acalcante Ribeiro.Informe o Sr. ins-
pector ta tliosouraria de fazenda.
Manoel Becerra dos Santos Jnior.Informe o
Sr. engenbeiro chefe da repartico das obras pu-
blica?.
Man.ifl Martina Pire*.Dirija-pe ao Sr. desem-
barga .l..ir provedor da Santa Casa de Misericordia
em rassa i ta junta.
Cayttao M.noel di Naseimento Cesar Burlama-
que.Informe o Sr. commandante superior inte-
. rio.
Pedro Ferreira do Sanios.Avista das infor-
maco.* nao tem lugar o que requer o suppli-
caii'te.
Vicente Rodrigues.CouceJa o praso de quinze
d-A
0
01AHIO DEf ERNAIKIBUCO
RECIFE, 29 !>t MABfO DE 1869.
NOTICIAS DO NOBTIC DO IMPERIO.
. O vapor Tocantint cbegado quiula-foira ultima,
la portador de jornaes do Amazonas at 10, do Para
at 17, do Marauho al 19. do Cear at 21, do
Rio Gran le at 2i e da Parahyba at 2o do cor-
reate. Eis o que delles cnlhemos.
AMAZONAS.
Era conlmido o resultado doc collegios da
ca .. ai, i'iii'iins e Telf. para deparados asnera
bla geral, sen 11 ne ratea is Sr'. : Yisrondo de
Inhau na o Angelo Tii irnaz do Amara!. Paitara o
remll .11 i! i c dlegiode Barcellos, que j nao po-
da influir o) total.
Aehava-se na capital o Sr. Dr. Joao Cap--
trano l'.an leira de Mello Filho, lente da faculdade
Weito d) Recife, em visita a provincia.
PARA.
A Braca do commereio promova nina subs-
rrip. aD em iavor da familia do general Hilario Ma-
ximian i Anlunes Curjo, natural da provincia fal-
i Humavt.
A aKaadan ronden, de 1 a 10 do correle
182:840*7*1 i
0 camino regulava : sobre Londres 19 fl|i a
{:< l|tl.. sobre Paria UM Pas, na Hamburgo
960 r.-is esobra Portugal 183 a IDO por cento.
[foseo correspondente diz-nos o segrate!
Tem-so aqu discutido largamente urna ques-
taode ii.....da (atea, ara que estao envolvidos indi-
vidnisde mais ou menos importancia desta praca.
Ifao Bflcesaarin declinar os n imes; mas a ques I
la), que foi ei-eali p.'l i Liberal, tem assomido
; proporcdes, querem referencia as antorda-
les qoe i il'i\aran de g.ivernar a provincia e as
-i'i aetualmaate eom iste negocio entre-
s, i| ier em relaoao todos os complicados no
i laie, i idocrirae.
< As elecoes esta i terminadas, com intciro ga-
nno para a partido conservad ir,
a Os c msarvadores q.i foram unnimes, quan-
lo as pr i n'oas. o Dr. Joaquim Pedro Correa, de
Freitas, na.) lirei que guerreou a candiilaiura do
Dr. Pinlieiro, apasenla.Li ufinil pelo grein'o con-
servador ; mas traballum tanto quanto pode, nos
lugares, onde tinlia mais influencia, para ver se
conseftoia l'a/.er-se eleger deput.ido.
Em alguna nnntosda provincia, de ccrlo. este
candidato leve grande mai >ri;i de votos, especial-
mente en Ca neU, o Dr. Pinheiro foi completa-
monte d irrotado.
Aimli as -im o Dr. P.nhciri) foi eleito por gran-
de ni liori i. a para prova de quanto levo dito
a n. resumo a votaco de todos os collegios desta
provincia, segando a publicacao do orgio ofTi-ial,
0 Join il i! Pura.
C neg Ha i el J M de Si |iieiri Mendes. 497
Conselheia Fausto Ang isto de Aguiar . 490
a ir. Antonio Francisco Pinheiro. _. . . 340
f Continua o afn da administrara > no inicia-
neatode abras publicas.
As pr 1,11-ias para a eanalisaaio da agua po-
I j. foram apreseutadas. Diz-sequeS. Exc
nf i ti iari irivlaeia, semqie tenha dado co-
rnaca a este importante melhorauento, tao recla-
e-sidades publicas,
i O flora neicio vai caminhando prospero ; e
teta I,-ai natural, por nao paiz est interna-
a0 o tal felicidatle que as pre-en-
1 ,|e -,e; nenhun abalo produjo nos anim >s,
i -1.-- h.i e.n ontraa aecaaiflea, c por estas
l'rti- e Amazonas.
venalo qie a ii 1 ile destos povos, paci-
ficae ai 11 ida. a ojeando os pie governan, alin
da illu-iiti -"i i. le o ii n 'eessari > tino e moderara >,
til i podara conseguir com mais ou menos suavi-
dade.
0 porto Boa repleto de navios cstrangeiros, e
la urna da i ajoadraa ana qaa mais a ello tem
atfloi.li : vista disto as remlas publicas, tanto
pot i.npniacao como por exportco, vo subindo
d.; valore-; pas gjn Je anuo a auno a pr.ivincia
faz nmaofient i emroadiaanto sempre sensive |
(( Ni i sej niaiso que Ihe diga por este paquete:
alguma ou nutra anujeaflia provincial; isto cousa
que para essa pouco interessa, por conseguinte
aqui coiicluo.
WARAMIAO.
Palo resultad ida votacio conheclda da maior
parte dos collegios tanto do primoirn eomo do se-
gundo districlo, p putad h assembli geial : os Srs. Drs. Luiz An-
tonio, Jos Jausen e Castro, pelo primevo ; Drs.
Candido Mendes. Heraclito Graca e Barao de Ana-
iatuba, pelo segundo.
Fallecer o guarda livros do Raneo do Mara-
nhao, Jo.s Caetano de Souza Nogueira.
Durante, a met de evereiro foram sepult-
dos nos cemilerio-i da capital, 93 pessoas, 8 menos
do que no roez de jaoniro.
0 dividemlado Banco do Maranhao, no se-
raastre.ultimo, de 7000 por aegio.
A allan.lega rendeu de 1 a 20 do crrante
!I9:0001S1 res.
Leaaa ao Publicador Mnrmhtnte :
Suicdou-se hontem (18), tomando arsnico, o
Sr. Carlos Unnrique da Roclia, negociante desta
pra<;a, niemhro de unu iraportnte familia da pro-
vincia, e vice-consul da repblica do Uruguay.
.189
389
3871
388
39B
342
Causn na cidade grande sensacSo este triste
acontecimiento, que a uns encbcu de dr e a oulros
de sorpreza.
D-se como explicacao do facto, que o infeliz
e probo negoennte, conhecendo ser mo o estado
de sua ca-a, nao teve coragem para ver sua fa
milia, a quem idolatrava, laucada de repente da
abastanca na pobreza.
Consta-nos mesmo que isto fra por elle de-
clarado em carta escripia sua familia.
Afllrma-se-nos entretanto que su activo com
certeza corresponde, senao alguma cousa supe
rior, ao sen pas-ivo.
Como quer que seja a sua razao fraquejou
ante o infortunio, faltou-lhe animo para encara-lo,
resignacao para soffre-lo ; e no estado de pertur-
baeao em que sempre se dio. tais factos, na- re-
flectio que sua morte aggravaria a sorte de sua
familia.
o Estando j envenenado, foi que reconheceu o
erro em que cabira. Tarde porm. Os recursos
da medicina empregados com o maior desvelo e
com o mais vivo desejo de salva-lo eram j impo-
tentes.
PIAIIIV.
^- Nos collegios da Parnahyba e Therezina ob-
tiveram votos para deputdos assembla geral
os Srs.:
Dr. Aureliano Ferreira de Carvalho...... 101
Dr. Antonio Coelho Rodrigues.......... 101
Dr. Autoniu Francisco de Salles......... 97
CEAR.
Haviam na capital as seguintes noticias elei-
toraes :
Io districto.
Nos collegios da capital, Mamanguape, Aquiraz,
Cascara!, Aracaty, Qnixcramobim, S. Bernardo,
Jaguaribe-merim, Tanha e Maria Pereira obtiveram
votos :
Dr. Manoel Fernandos Vieira...........
esembargador Jaguaribe..............
Conselbeiro Jos de Alencar............
2 districto.
Todos os collegios :
Desembargado!- Figueira de Mello.......
Coronel Braga Jnior...................
Dr. Justino*Domingues.................
3" districto.
Nos collesrins do lc, Lavras, Pereiro, Jardim,
Milagros c.Barbalha obtiveram votos :
l)r. Tristao de Alencar Araripe.......... 228
l)r. Francisco de Aranjo Lima........... 220
A alfandega rendeu de 1 a 20 do correte
87:iii956i6.
Falleceram : no dia S. na fi egnezia da Var-
zea Alegre, o advngado Luiz Pedro Bezerra, de
urna bmnchites; e a 16 do paJsado, no Ico, vic-
ina de nina hypetrop'iia. o Sr. Jos Pedro Ale-
xaiitlrino.membro dafamila Teixeiraxom 76annos
de idade.
Lemos no Cenrense :
Por indicaea do sen arrhitecta, o Sr. Adol-
phoHerbster, eemsessio de 19 do corren te, a
cmara municipal desta capital tomou a delibera*-
ca de mandar vir da Europa alguns pocos tubu-
lares, sendo um delles destinado a ser enllocado
r.a rida povoacao de Soure.
A cmara lambeta mandar vir um batedor
para a collocacan dos'pocos, o qnal ceder por
emprestimo ou mediante um mdico preco, a quem
se quizer delle utilisar.
RIO GRANDE.
Nada occorreu digno de mencSo.
PARAIIVUA.
Nosso zeloso correspondente escreve-nos o
seguinte :
Continuo a dar-lhe infonnacoes fidedignas do
pleito eleitoral desa provincia.
t O resultado de todos os collegios do 2* distric-
eojiara deputados, excepcao?de Pombal com 23
tintures o seguinte :
i Conselheiro A. J. Henriqties.......... 196
De embargad ir Assis Rocha.......... 149
n Dr. Braz Florentino.................. 123
i A eleica especial de todos os collegios para a
lista triplico de senador, excepeao de Cabacei-
raj c Pombal com 53 eleitores, aprsenla o seguin-
te resultad :
t Conselheiro A. J. Henriques.......... 658
i>'-embargad ir Assis Rocha.......... 6i4
BrS'i de Mamanguape............... ?>98
Foi mlfi bem aceit nesta capital, a nomeaca i
une fez o nosso bispo diocesano, do Rvd. bacharel
Patricio Manoel de Souza, para o cargo de arri-
preste da provincia.
t O nomeado digno, por sen saber c virtudes,
da distinecao que acaba de receber do escrupuloso
prela lo.
No vapor Guar seguio para essa provincia a
Exma. familia d i Sr. Dr. Theodoro Machado, em
companhia do ajudante de ordens do governo o
tenente Oliveira, que, no mesmo vapor, se trans-
portou a corte, sendo aeompanhadaat o embarque
de militas senhoras das mais distinctas desta ca-
pital, e de grande numero de carajheiros, amigos
do benemrito administrador da provincia.
A Exma. Sra. D. Amelia, deixa no melhor
circulo da nossa sociedade as mais sinceras re-
cordaces e saudades, por suas inminentes virtu-
des e.qnalidades.distinctas e pelo trato ameno que
sabia dispen-ar a todos que tiveram a honra de
ser-lbe apresentados.
S. Exc. ambicionando passar mais alguns dias
en're seus illustres parantes dessa capital, priva-
se deassistir s ovacoes que aqui so preparara
para offertar ao seu digno consorte; em honra ao
tino e llustraca eom que elle soubo administrar
esta provincia na diflicil quadra que atravessamos
I r.ando-a nesse curto espaco de tempo dos tne-
Ihorame dos inateriaes e moraes, mais importan-
tes, que at h je ella tem pnssuido.
E urna homenagem justa, que um povo agra-
decido rende entusiasmado ao administrador
que mais tem feito pelo seu bem estar e prosperi-
tlade.
i D"i-se um facto lamenlavel na ladeira da bic-
ca do Tambi.
i Evadiram-s^loii presos de juslica que fa-
ziam o sajrvjeo da conducr i d'agua para o quar-
tel. ferindo mor talmente m dos soldados da es-
colta.
c A repartico da polica den todas as providen-
cias possiveis para a captura dos evadidos, fazen-
II reofher ao hospital a praca ferida, que julga-
se, nao poder escapar.
t A nossa salubridade contina melhorada, pro-
seguindo inalleravel a traujuillidade publica.
Nada mais por hoje.
NOTICIAS DA EUROPA.
Chegaram os vapores inglezes Sapphira e La
Plata, trazendo dalas de Hamburgo al 5, de Paris
al 7, de Londres at 8 e de Lisboa at 13 do
corren te.
iiksi'a.niia. fono ministerio presidido pelo gene-
ral Serrano, presidente do poder execulivo. No-
meaeo de urna commsso de 15 membros, pre-
sidida por Otozaga, para formular o projecto
de constituica. Projecto* de lei: abolicao de
pena de morte ;liberdade do taboca e do sal
liberdade de cultos etc. Expeiicao para Cuba.
Interpellafao sobre o duque de Montpens.er. Ser-
rano desvia a discHssio de candidatura. nnis-
tia para os dbitos de emprenta. Medidas pre-
paratorias f*ra o desestancado sal. Projeto de
emprestimo de 260 nilhues. Noticia mais fa-
vor ave is da ilh i de Cuba.
FaAKCA. Marte de Lamartine e de Troplong :
Sttimenlos bellicoso; augmento no orcomento
de guerra. Arabou n dissitrreiro em Argel. Fu
approvado o projecto de lei sobreamunicipalidii-
de de Part tendo o governo retirado o artigo 3a.
VWl entrar em rfiitrtftBflft no senado. O Sr. Un-
vienne que era presidente do tribunal de cassa-
cao foi nomeado presidente do senado.
ueluica. (j^pinyg. fruncez insta pela uppro-
acao do emirato entre a euupanhia de .iixem-
burgo e a compruihia de Este. O ornwunto da
justiia ir ocamente ao senado, esperase que
este reconsidere na sua volaran. Anda no foi
resolvido orollado franco-bejaa. Contina a
disrussao pela imprensa.
socialistas cuino a que acaba de falhar em Barcel-
lona.
Na AuJaluzia continan! com grande aciividade
os trabalbos dos clubs; e correraui boalosdc pr-
ximo disturbios em ulgumas importantes povoa-
cies andaluzas.
Foi apresentado s cmaras um projecto de lei,
propondo a abolicao da pena de morte. Como
indos os argumentos a favor da abolicao da pena
tle morte so devino generalisar at que se consiga
tal abolir,! em todos os paites cultos, aprasaa*
iiin-iios em publicar o rotatorio que precede o
projecto de lei, apresentado na assembla es-
ixglaterba. Piimeira leilura do bil para a%gianhola :
abolicao da igreja ofjkial em Irlanda. Uoenra
grave do principe Leopoldo. Contina a agita-
cao religiosa. As tropas inglezas na India fo-
ram sorpreilidas pelos indgenas perdendo 300
Iwuwns.
ALI.KMANHA.Discurso do re GuJIlterme na aber-
tura do reichslag da Allemanlta do Norte. Con-
ferencia do re em Woliinski camaiciro de S.
Sautidade. Preparativos bellicos. O imperador
d'Austria visita os vortos militares do imperio,
e projecta fortificaroes. Lucia eleitoral acrrima
na Hungra entre o partido duallista (de Deak)
e o automista (de Kossuth I.
italia k soma.Doenca dolSummo Pontfice. Ele-
vacoes ao card-nalhto que se esperum no prxi-
mo consistorio. Intcrnipru das negociacoes com
a Russiq. Augmento do exe cito na Italia e
preparativos bellicos. Intimas rclaresda Austria
e Italia. Parecen rolas as rclaeoes com a Prus-
sia. O ministro italiano em Bcrlim recebe, nmi
Ikenca do seu governo. Desmentc-se a noticia
do addiamento doconcilio. Negnciaroes coma
Austria por intermedio de Mensdoiff. Toman
bastante insistencia as noticias de urna prxi-
ma entrevista entre o imperador d'Austria e o
re da Italia. DeHarona e Mensdorff encarreija-
dos pelos seus respectivos soberanos de preparar
junto do outro a projectado. entrevista. 0 go-
verno tai apresentar urna proposta de completa
descentra!isartio poltica e econmica motivado
pelo descontentamente governo central. Eit contratada a negociaran
sobre os bens do clero, com a casa Bouchjld
de Paris e unirs.
orhntb.TrabaUos de orgauim%aa militare ti-
vil do novo gabinete licllcnico. llestabelecimen'o
das negociaroes rom a Turqua. Anitaco na Ho-1 facfo a lera abolido, nao a tend i applicado desde o
mana, Montenegro e Servia Planos da Prustia e meuioravcl da 29 do setembro, data da imnnvula-
(considerando quii a gloriosa revoluijao de se-
teiubrocuns.igrou todos osdireilos individuaes.que
por serem naturaes c altrenles condico huma-
na sao anterioras e superiores conslituicao o
ludo o poder constituido;
Considerando que. segundo a lei natural, o
hornera nao piule reupucr o que lite nao perten-
ce, nein abracar po||int'"liretosque se traduzem
ara seu go-m, e exercicio p^r deveres moraes;
Considerando que um desses preciosos direi-
tos, iiialieiiaveis, imprescriftiveis, sagrado, oda
vida, dimito natural ao mesmo lempo qoe dever
moral e religioso:
t Considerando que a pena capital por conse-
quencia contraria iiatitroza, c pelo carcter de
que se reveste de vinganca publica e oflicial, op
posta moral, como foi cndeanada tambera pelo
Evaii;_'elliii :
Considerando que appcllar para a morte como
castigo, e como pena, significa impotencia social
respeito da correc^o, da emenda, e do arrependi-
ment, resultados que devara projioz-se a toda a
pena para ser moral, eficaz, e equitativa;
Considerando que morte por morte era rea-
lidade a aajservacao daboirivel e irania le de
Tallio;
Considerando que um dos mais importantes
resoltados da unraortal revoluco liespanhela, que
vi-io reatabelarr o direito ora toda a sua integri-
dude, deve sa/.a reforma <> systema pemil cui
correccional e penitenciario;
Caji>derando que para eterna honra do gran-
de partido liberal he.-panlioj. a maior parle das
untas revolucianarias |n-oclamarara a abol cao da
pena tle morte;
(^./iii-ideraiido que o governo provisorio de
da Russia. sncegadn Crea foi Hi recbalo o
novo governador. Levantado o bloqueio. Snp-
primidas todas as med'das adoptados peln Tur-
qua contra os subditos gregos. Depois 4a "'"'.
tara dt cmaras gregas, tenrioni o re Jorge
fazer pela Europa, a que seda granee importan-
cia polilica. Na Strtia contii.'i a larta eleitoral
entre o partido de acato presidido por Uraliano
e o governo.
estados unidos.Toma posse da presidencia o ge-
neral Cu ant. Praclamacao. Nom-aciio do novo
patinete. E a/mrovaonen senado. b'U sane-
donando o dir to de sufragio a todos os en i
daos americanos sem d:sti cea iterar e. de rucas.
Apreciacao do discurso do presidente pela im
Hriin-ic francesa sobre o carcter din membros do
* noro gatmete norte americano.
Portugal.Decretos do governo. Varias noticias.
da gloria, prkneiro dia da regeneraco Militica
dota nobiv e generosa naca i hespaaliola ;
Considerando que a raaneira mais d.gna e
honrosa dajgsoicnmi-ar e perp cluar na memoria
to povo o fanto acontec ment da conslituicao das
cortes conslituiutes. seria consagrar o mais apre-
ciado direito do hornera, glorificando e exaltando
assira amagestade dajustica nacional;
t Temos a te nra de propr s cmaras consti-
tuintes o segtinle projecto de lei:
Artigo utico. Fica abolida a pena de morte.
c Franeisfo /aricr. Morales Daz, Vakra. Abas-
cal, odnuft de'Paz. CntUs M. da Torre, 'cenle
Romero, Girn.
(i bispo ta alcese deAlieante dirigi urna coiii-
municajgo ao governo da pioriaea, ilaijdo-lhe
ctnhPcTmento que varias municipalidades da mes-
ina esialieli'ceram o casamento civil, e impetrando
-na auloridade tiara ilne obste a Batas roulu
para que obste a estas resoluces
n.sPANHA. i ,|Ul! no c.m|.ej[0 jj pndado sao estranhas s altri-
Aeha-se constitndo o governo em Hespanna.! buiedes das municipalidades. p,.r deferencia ao
O general Serrano chefe do novo governo tomou o
nonie de presidente do poder executivo; nomeou
o novo gabinete que licou, sendo rer.mduzidos to-
dos os membros di governo provisorio.
0 ministerio composto dos segn*n*es membros:
Ministro de i-stado D. Juan Alvarez de Lore:-
7,aua; ministro da graca e dajustica o denotado
D. Antonio Romero Ortiz; ministro da guerra I).
Juan Prim ministro da marraba D. Juan Bautis-
ta Topete ; ministro da fazenda . Laureano Fi-
guerola; ministro da governaco 1). Praxedjp
Mako Sagasta ;do fomento II Manoel Rniz Zor-
rilla ;e do ultramar D. Adelardo Lope/. Agala.
O governo executivo e as cortes estao de accordo
sobre a necessidade de discutir a conslituicao antes
de se resolver a questao de candidaturas ao throno
hespanhol.
A cmara no dia 2 de marco nomeou urna
commisaae de quinze membros, "encatTegada de
retligir um projecto de crnstituic para o povo
licspanhnl. Foi nomeado presidente da commissao
o depolado D. Salustiano Oloxaga,
A din nisso aindb nao apresentou a cmara a
quesi i previa da forma de governo, mas parece
que sendo a maioria da commissa^ nomeada. par
tillara do systema monarchico representativo, e
sendo esses os senlimentos polticos da maioria dos
membros das cortes constituimos, nao appresen'a
a uienor duvida que a forma de governo escolbida
ser essa.
_ Escrevcra de Madrid que na nova constitui-
r i hespanhola se introduzir urna novidade;
consiste no direito que tero todos os hespVih.ies
de concorrer perante a commissa i permanente das
cortes, quando Ihe seja menoscabado algum, ou
alguns dos direitos individq es, ten to a ilita junta
a faculda le de suspender todas as autoridades, cojo
iocedimento fr attentatorio dos citados direitos.
DIzem ta nbem que no proecto de. constituica
-era exarado o principio da liberdade de cultos.
No dia 3 houve era Madrid urna intcrpellacn
a respeito dos acontecimenlos da BareeUona. O
deputado Serra Clara disse que partido republi-
cano quera ordera, liberdade, egualdade e Justina,
e que nao era responsavel pelos tramas urdidos
era seu nenie.
Sagasta disse que todas as desordens e todos os
crimes haviam sido feitos sombra da bandeira
republicana, e aconselnon a este partido que so
purilique. Pierrad disse que o nico perturbador
da rdem era o governo.
O ministro da fazenda o Sr. Figuerola, sendo in-
terrogado as cortes pelo motivo porque noapre-
sentava immediatraente o orcatnento, declarou
que Ihe era necessaro e-tiular, a-sim como os
seus collegas, os meios deintrodizir nelle grandes
economias; que o governo eslava disposto a suppr-
inir o ministerio do ultramar, e que a cmara cha-
mada a pronunriar-se sobre a liberdade de cultos
e sobre aseparacao da igreja do estado, se se pro-
nunciasse por essa separacao, supprirairia ipso
facto o ornamento dos cultos; que alm disso se
haviam descoberto innmeros abusos na percep-
^o das contrbuijoes, por isso que mais de quin-
lientas mil casas nao pagara cousa alguma, sem
que haja motivo qne as isente do imposto.
O deputado o Sr. Orense pedio a suppresso da
regie do tabaco e sal. O ministro da fazenda ap
provou a proposta, com a condico de que deveria
ir coramissao do orcamento; a cmara assira o
votou.
Propz tambem o Sr. Orense a abolicao dos
quintos. 0 ministro da guerra general Pri disse
que tambera desejava essa abbelo, mas que na
aclualidade era necessaro o exerciiu para Cuba. A
cmara tomou esta proposta em conideracao.
O Sr. Emilio Castelar pidio una amnista para
todos os delictos polticos commeltidos desda 30
de setembro at II de fevereiro, e assegurou que
o partido republicano estavano lado da ordem.
A cmara e o governo rageitaram a propnta;
os absolutistas voterara com os republicanos; a
proposta foi regeitada por 133 voto contra 94. O
resultado desta votaco produzio inuito mo affeito
entre o* liberae* de. todas as cores; receia-o vas
neste acto que se quer caiinbar para a reac-
Entretanto ha bastante inquietQo em Ma-
rid, e receia-so urna iusurreico eom tandraoiaa
bispo, diz-se, qoe a a:itui.la lu da provincia tran
minio aquella ce.niiiuticaro ao governo. e este
manfestou que as municipalidades podera faz- r
sobre esle assumpto o que qu zerem, al que as
cortes deeidam, no uso da sua soberana, auno se
tluvero regular a; rclaeoes entre a igreja c o
estad i.
Diz o Imp'irci'tl qu . Isabel de Boorboo eaejre-
veu nina carta ao general Espartero, era que rae
diz que a ampare o Ihe proteja os direitos eos
dos seos l.'Hi; iiiiips : e o din o fizar, ella
nao ter ineonveaiente era ir para s. 8ebaatiao
esperar o voto do paiz.
Accraseenta o /'," uxM estar, enro que o du-
qO| di Victoria, nao den motivo ou prutevo tcito
ou expresso para qoe I). Isabel poasa iraaajgar que
elle querer amparar una causa condeiiinada pe
la voiitade nacional e pelo sen'.imento unani ue do
paiz.
A Reforma de Madrid assegura que o candida-
to ao Himno de Hespanna, que o Sr. Olozsa ha
de sustentar c km a sua palavra e com a sua in-
fluencia, o Sr D. Fernando de Portugal.
Diz a Francc que a candidatura do di tipie de
Moutpcnsier e-t na ordem do dia, e chegou-se a
acreditar que. nimia das sos-oes do congiessoo
deputado rigueras iadi-cuti-la. Declarando o ge-
neral Prim na cmara que nao queria Bourbons,
odeputad-i Figueras perguntouhe se naoconsi-
derava Bourbons os descendentes 'do irin i de
Luiz XIV. Prim nao responden, prudentemente,
porque urna s palavra poda imprimir a discos*
> i urna direrca> que nao est as intcncoes d.i
governo nein das cmaras encelar agora.
O consellio de ministros de Besnanba resolveu
entregar a D. Isabel as suas roupas, por assira o
baver pedido repetidas ve7.es.
Ja e>t completamente organisado o bata-
llio de voluntarios da Catalunha, couiposto de rail
pracas, que deve sabir brevemente para a illia de
Cuba. Muitos mancebos correm a alistar-se em
differentes pontos de Hespanna para esta aspe*
dico.
No parlamento hespanhol tornoi-se milito nota-
vel a discussao da iuierpellac i do deputado Caro
sobre a posro militare veucimenos do ruque
de Montpenser. Este deputado disse que o Cuque
de Montpensier eslava mais no caso de ser capi-
to general doT|uc rei de Hespanna, pois que a
revoluco tuina sido frita ao grito deabaixo os
lioarbons O general Prim disse que o duque de
Montpensier nao recebia subsidio algum cono in-
fante, nor*issb que haviam sido risoados toe .os os
subsidios aos membros da dynastia cabida, mas
que conservara o seu posto de capilao gene -al ; e
disse mais que nao sendo o duque de Montpen-
sier herdeiro da cora, nao podia ser feridr pelo
anathema laneado pela revoluco contra a f milia
reinante. Topete declarou que antes queria -er no
throno de Hespanhaao duque de Montpensier, do
iprie o eslalielecimenlo da repblica Esta decs racao
produzio grande agitco. Figueras e Caslella fal-
larara no sentido republicano ; Prim e Topete res-
pondera in.
0 presidente do poder executivo, o general Ser-
rano raostrou a conveniencia de addiar a questao
da forma do governo para o momento da discus-
sao, ede respoitr todas as opinioes.
Na sessao de 12 um deputado republicano per-
guntou se o governo nao receia o levantmer to de
Andaluzia cora o flin de proclamar rei a Montpen-
sier.
Sagasta respondan que se os republicanos se
conservaran tranquillos, os partidarios de Mont-
pensier nao perturbarn a ordera.
Diz a correspondencia que as ultimas noticias
que ha de planos car I ists, do a entender que D.
Carlos de Bourbon dra ordem aos seus eriissa-
rios para entraren) em Hcspania, afim de explo-
rarem a opin. i publica ; (pie alguns delles ja atra-
vessaram a fronieira, tendo muiros ficado em
Bavonna.
O emprestimo de quatro aulboes de francos, que
se (bssa tinhacoatrahido D. Carlos em Viouna.pare-
ee que licou em projecto attandanda aacea de
reclusos dos emissarios a aMemo porque estes
teem pedido diobeiro aos seas amigos polticos
tirlo d<> emprestimo.
Em Biarritz foram internados pelas autoridades
todos os carlists que all estav un, incluindo o Sr.
Lirio, quatro jesutas evinte conegos.
Contina a imprensa hcspanuola e franceza a
oceupar-se do desejo de grande numero de est-
distis hespanbies de que aceito o throno de Hes-
panna el-rei D. Fernando de Portugal; comba-
ten.lo mis e defendendo ofcoutros ele projecto de
candidatura. Apparecen em Madrid em todas as
vidracas de pholographos, retratos de el-rei D.
Fernando era todas as dmensoes.
Os jornacs ofliciosos do governo continuara a
eonsidera-lo como o seu candidato, apezar da re-
cusa quasi oflicial deste soberano. Julgou alguem
que nesta teima poder liavcr um maneio, pois
quehaem Hespanna muito mais republicanos do
que feralmente se julga. Seo sceptro nao piule
pertencer a todos os generaos, nao existe 0 niesino
inconveniente para a dignidade de presidente da
repblica ; esta cabe bem a todos os generaes e
anda melhor quelles que ja estao no poder.
Ainda nenhum dos deputados ousou apresentar
a proposta de exilar legaluiente a rainha e seus
lillios.
Chegou a Madrid no dia H o Sr. Olozaga, pre-
sidente da commisso encarregada de formular o
projecto de constituicao do povo hespanbol.
Os republican moslram-se poun salisfeitos
Htrque a commisso constitucional aprsenla a
questao de forma do governo e de direitos indivi-
iluaes," |ior meio de urna proposta preliminar, se-
jiarada da totlidade das bases constitucionaes.
Parece que a commisso organisar um projecto
de constituicao redigido de tal modo, que se possa
adaptar frraa republicana e a forma monarrhi-
co-representativa.
A discussao dos direitos iudividuaes vai ja mili-
to adiantada, estando ja concluida a discussao das
liberdades iudividuaes e a da imprensa, estando
anda na tela a da liberdade de associaeo e a
questao religiosa.
Os membros da commisso resolveram guardar
toda a reserva" possivcl acerca das su;is delibera-
qS s at terininar os seus trabalbos, que se espera
p iderein ser apresentados ao parlamento antes da
pasclioa.
No dia 7 de marco foi apresentado s cortes um
projecto de lei, esnibejecendo que lodos os decre-
tos que o governo provisorio publicou, desde a
sua inauguraco at a das cortes constituirues, se-
ro tidos e obedecidos como leis, em quanto as
cortes nao resolvam contrario, reformando-osou
derogando-os.
A Gazeta e Madrid j publicou o decreto, redu-
ziudo os procos do sal para as grandes industrias^
comi medida transitoria para a liberdade do coni-
mercio daquelle genero de piimeira necessi-
dade.
A amnista para os delictos da imprensa foi vo-
tada sera diseuso na sessao do da 10.
O governo, attendendo m iinpresso que cau-
sou a sua opposicao ao projecto de amnista aor
crimes 'polticos, annunciou |ielo seu orgo oftV
euwo, A Oorrespondencia, de qoe a amnista ser
prova.almajite paMcada no dia 19 de marco an-
iversario da abertura das corles de Cadix em
1812. Os jornaes da o|iposieo atacara vilenla-
mente o ministro do reino, quedeu por esta occa-
sio rana prova de grande falta de telo pol-
tico.
Preparase em Madrid urna manifeslacao favo-
ravel ao governo, para o da em que este auroran-
te o projecto de le de amnislia geral por delictos
poii'icos.
Depois de urna discussao tumultuosa, foi regei-
tada por grande maioria a proposta para se sus-
penderein as operacoe- do re.-rulamento.
O ministro da fazenda o Sr. Figueirola apresen-
Ion tira pedido de einpre~tiino de 230 inilhoc.-.
O secretario leu na sessao de 12 una emposta
para se formaren quatro commissors, sendo urna
de. ordem publica. Os rapobnnas coinbaiem a
proposta.
A Gazeta publica urna circular de Sagasla re-
lativa s medidas proprias para combaler o typlio
que grassa era Burgos, Saiagoca, Madrid, Valen-
cia, Zamora e Salamanca.
O almirante Mendes Nunez foi nomeado vice-
presidente do almirantado.
O deputado Florencio de Gaviria dirigi s
cortes una petico para se oceuparem cora ur-
gencia dos negocios de Cuba, de um projecto de
emprestimo para as despezas da guerra, c da re-
raessa imniediata de quarenta mil homens s or-
dens do general Prim.
Tem-se fallado no projecto de nomcar o general
Prim vice-rci da ilha de Cuba. 0 general Prim
declarou na cmara que eslava disposto a partir
para Cuba, se (base preciso, para se enllocar
trente das tropas e dos voluntarios, c concluir de
una" vez cora a revoluco promovida naquclla
ilha.
As noticias reeebidas da Havana sao contradic-
torias. Diz-se por um lado que a insurreico se
propaga, apoiada em Mementos externos; diz--e
por outro que os insurgentes foram balidos em
Villa-Clara e outros pontos, e que a tranquillidade
quasi geral em toda a Iba.
Era Madrid receberam-se telegrammas dando
noticia de esta rom pacificados os districtos de Cr-
denas e de Colon, e manifestando a esperanca de
que dentro em pouco estriain pacificados os de
Cienfuegos e Villa-Clara. Entretanto o capitao-
geaeral apezar dos principios proclamados pela re-
voluco hespatihola, julgou dever mandar fuzilar
alguns cabecilhas que tinlia aprisionado
O Imparcial de 9 de marco annuncia que o go-
verno telegraphou ao general Dulce, mandndo-
me suspender a execucao da pena de morte a que
foram condemnados varios insurgentes.
O general Dulce expedio urna proclamaco aos
Cubanos. Diz que, tendo-se negado at agora os
insurreccionados a acceitar a amnista concedida
a todos elles. e que outros estando a lomar parte
na in-urreico, licava revogada a primitiva pro-
clamaco. Ficava suspensa do mesmo modo a li-
berdade de imprensa, e se restbelecia a censura
previa. Era prohibida a impresso e destribui-
co de peridicos sem peruiisso das autoridades,
e que d'ora avante seriam julgados pelos ronselhos
de guerra todos os que infringissem as leis relati-
vas imprensa e a presos por causas polticas.
Const que o congresso dos Estados-Unidos an-
torisra o presidente da repblica a reconhecer a
ilha do Cuba como estado independente, no caso
da revoluco chegar a esse ponto, e no emtanto a
considerar desde j como belligerantes os (mila-
nos revoltados. Esta noticia suramamente grave
para a Hespanha, porque importa nm grande au-
xilio, posto que indirecto, dado a colonia hespa-
tihola, para se emancipar da mi patria.
A ilha de Cuba dava liquido ao thesouro hespa-
nhol urna soinma superior a dez mil contos de
ris de nossa moeda. A perda da ilha 'le Cuba
nroduziria era Hespanha um grande desequilibrio
flnanceiro.
lbzein de Londres que urna das maiores proba-
bilidades de triunipho, com que contavain os Cuja-
nos, era de que a situaco da pennsula nao per-
uiiitiria ao governo mandar reforcos de tropas
suficientes para dominar a sublevacan ; que o des-
alent que se apoderou dos insurgentes se deve
attribuir em grande parte mfluHKa moral que
produzio a chvgada Cuba, sem interrnpeao, dos
corpos de exercito que formara j parte daquella
branacia.
Em Santiago de Cuba tem augmentado de
inlensidade o cholera.
O jornal francez o Public diz que a volta a
Par do 8r. Mereier significa o desejo do governo
francez Qcar eatraabjg completamente aos successos
que se vao verificar em Hespanha. e mostrar pubf-
eamente nina absoluta neutraliilade. Assegura- e
alera disso <|ue a Inglaterra, a Franca e a Prussia
estao de accordo para nao porem obstacul
eleico do soberano hespanhol, seja elle quem
fr.
FRANCA.
Fallcccu o glande poeta Lamartine, c o presi-
dente do senara) francez o Sr. Troplong. O corpa
legislativo manfestou o seu pezar lavrando na acta
votos de sentiinento pela morte de Lamartine e
Troplong.
0 governo publicou um decreto ordeuando que
os fuueraes de Lamartine e Troplong fossem feitos
cost do estado.
Os parlamentos europeus teem todos- consignado
votos de sentiinento pelo falleciinento do Ilustre
poet.
Os jornaes La Libeil, Francc, c outros, abri-
rara urna subscripcao nacional para se erigir um
monumento ao mavioso poeta.
Tanto em Paris, como, era Bcrlim, se raani-
festaro sentimentos betHcosos. Os jomaos rainis-
tenaes francezes dcsincnleni apre.s-adamente o
boato de haver redueco no exercito, e no Jnjet
/ri(/ apparecen promoco considerave de offlciaes,
contando se entre os promovidos quatro generaes
de diviso e nove de brigada. 0 Monitor do
Exercito, folha in.-prada pelo governo. combate o
desarinaiiiento. A Fiama, diz elle, nao tem miras
ambiciosas, nein quer perturbar a Europa ; mas
nao deve desarmar.
O orcamento do ministerio da guerra francez
ser mais elevado que o do auno passado. O go-
verno procura dissimularesle excedente cobrindo-
o com um augmento de sold de tres francos por
mez concedido a todos os olliciaes. Porm a cau-
sa real de tal augmento deve-se attribuir antes
orgaaisaco da guarda nacional movel, que custt
mais caro do que sevsuppunha.
Tem continuado no corpo legislativo a dis-
cussao sobre oemprestiuio entre a inunicipalidade
e o Credit Fondee.
O Sr. Damiral, relator, apraaenton o parecer,
appiovando o einpiestimo tle, iCJ nlliocs de fran-
cos em obrigacoes amurtisaveis era quatro annos.
0 prefeito do Senna, o Sr. Haasscmau, e o director
do CredU Fondee, o Sr. Freniv, cui eonsequencia
da ipie-tao suscitada entro a municipabdade c a
djta sociedade apresentaram a deraissao dos seus
re-pectivos cargos; diz-se que o imperador nao
acceilou estas dennwoes.
No corpo legislativo o Sr. Fremv decBTOO que
se o contrato entre aquello estabVlecimento e a
municipalidad!' de Par-,na o fosse ratificad", a so-
ciedade do Credit-Foticier nao sentira sso muito;
e ai'crescentou, pelo que respaila as Cuimnisoes il-
legacs que elle tinlia percbido, que se ha de
apresentar a.-senibla geral dos a coni-ts urna
peticao para que se autorise a sua restituio.
Na diseusso da nio.ldii-aco prometa pelo Sr.
Peyrouse, podindo que a niuuicipalidaJe fa^a um
enipresttrau directo, p Sr. Roober allou contra,
aconselliando um emprestimo immediato de 200
inilbes, devendo a segunda emissao de 265 mi-
Ihocs ter logar depois* *
A nioditicacao do Sr. Peyrouse foi regeitada por
27 votos contra 37.
A revolia dos nmades de Lilala.om Argel est
acabada. Sliniaii-Ben-Cadilour, chefe dos Onled-
Sidi-Cneik, que penaaneeerara liis, fezjoncoao
eom as (breas do mneral Pichot.
O tenente coronel de Sonis entran a 13 do cr-
reme em Laghont. As tribus dissidentes atra-
raasaram a fronteira nuirroquina e se refugiaram
no Sahara.
Tem continuado no parlamento francez a dis-
cussao do projecio de lei relativo ao contrato da
ciliado de i'aiis
'Foram regatadas as emendas propostaa ptloSr.
Hicard, e pelo tercero partido.
0 Sr. Julio Favre prononcton em discurso um
apoio das emendas apresentadas em eonsequencia
da lei de emprestimo da niunicipalidade. Aquelle
deputado aecusou o 8r. Ronhr, de se ter queri-
do livrar da responsabilidad" que Ihe incumba,
turando que para conservar a paso, tlnba ido a
punto dedeixar a descoberto pessoa do impera-
dor. A emenda sustentada p tada por 122 votos.
A le foi approvada por 192 ratos :ontra 41
sendo retirado pelo governo o art. 3."
Vai anpareeer um projecto de lei para a sup-
pressao da autorisaco precisa do estado para a
negoeiacao dos emprestnos estrangeiros.
O projecto de le telatvo ao emprestimo de Pa-
ris, approvado pela cmara,foi enviado ao senado.
Assegurava-se em Paris, que seria suportan-
do o logar de governador do crdito liyptitli<;cario,
que, era deramneuh do pelo Sr. Fremy, que havia
pedido a sua deinisso.
Parece que o governo offereceu aos Srs. Drouyn
do Lhouys e ao Sr. Barocho a presidencia do se-
nado, vaga pelo falleciinento do Sr. Troplong, e
que. ambos recusaran! o cargo.
Foi, porm, nomeado o Sr. Davieune, que era
primeiro presidente de cassacao.
O erobaixador de Portugal em Paris seria rc-
cebido em audiencia solemne pelo imperador no-
da 14 de marco.
Dizcm alguns jornacs que o imperador Na-
poleo tenciona duigir-se (iorsega no mez de
agosto prximo, com toda a f unilia imperial, para
dar maior soiemnidade ao centenario de Napoleo
1 q io nasceu, como se sabe, no dia 17 de agosta
de 18(59.
Fallece em Paris o Sr. Berilos, compositor
de msica muito apreciado. As lettras e artes.
esio de luto.
belica
0 governo belga reVpondeu nota do governo
fr neet, e remetleii ao ministro da Blgica em Pa-
ris urna not em que so repetem as declaracoes
que Frre Orban fez no senado no dia da discusa
ilo projecto de lei sobre os caminhos de ferro do
Luxem burgo.
O Moniteur affjrma que o governo francez insis-
te em Bruxellas para a appro*aco do convenio
dos caminhos de ferro do Luxemburgo com a
companhia franceza de Este.
. A Fe une afirma saber que. segundo todas
as apparencias, o orcamento dajustica, que foi re-
geitado pelo senado belga, e aceito pela cantara
dos representantes, ir nnvamente ao senado.
O ministerio Frre Orban espera que o senado
reconsiderando, votar a urgencia do orcamento,
e cont nest segunda pro va cora maioria ainda
que provavelmente muito pequea.
Continua a disc isso sobre a questao franco-
belga.
Alguns jornaes francezes ameacam a Blgica
com a colera di Franca no easo da continuaca
de resistencia d'aquella potencia; fallando-se at
era represalias aduayeiras.
O Memacionm' cita, a orna como epigraphe do
-eu principal artipo,odito do conde de Bfamark aa
dois annos, dingiiido-se Franca:
Toma* a Blgica, que um nmho 4e demcratas.
Piola a generosidade da Franca em nao aprovei-
tar o conselho do conde de Bismark e proenra
demonstrar como a Franca nao deixon de apenar
cada vez mais os lacos de fraternidade com a Bl-
gica. O proprio projecto do caminho de ferrai
seria mais um lac entre os dois paires.
A esph-ra poltica preoecupa-se seriamente
desta queslao, taoto mais quanto o |oran belja
se mo-tra rtrme na sua resolucao.
O Sr. dn la Gueronnire, embaixador dMTO-
Iherias jmito ao gabinete deBrnxeWaSjM
governo francez as mais terminantes ornas para,




Diario -j
exgir com energa urna satisfaro dada pela go-
verno belga Parece corto que a nao ser (Una
tal satisface, as relacoes diplomticas entro os
doi9 paizes serio interrumpidas.
O Sr. de la Gueronire foi a Pars para confe-
renciar com o gorerno franeex acerca desteto-
ajdeute, e devia entregar ao ministro dos ndguci
estrangetros, una unta relativa s cemmuntei
eitas at agora verbalmeutov o determinando quaes
os pontos sobre que o goseruo francez desoja uaia
rcsposta do governo belga.
A Prussia, pelo que m dix.estnesta qunstao ao
lad) da Blgica, e parece que o gallineto Fiyre-
Orbau conla eom o aitoio dec-ivn da Prussia, e
por isso nusira t >grande energa.
Assevera-se (iie o marques de La-\ abete rece-
bera despachos de Berln de tal importancia, que
foi logo apresenta-los ao imperador. O publico
faz coinmentanos de carcter bellicoso, e receta
ver BOrgir seria e graves comple.icoes. e me
esta queslao seja o pretexto ha tanto lempo pro-
curado pela Franca e Prussia para travareui a lu-
ta de rivalidades, que lia tanto lempo se pre-
para. ....
O jornal Estandart desmonte a noticia de ter o
Sr.de La-Valide rocebido despachos de Bunio
ein sentido bellico, que podan fazer tener MH-
plicaces. , -
O Monitor diz que o incidente belga aluda nao
est terminado; diz .que o goVorno francez insiste
para que a ce-so dos ea ninlios de ferro projoe-
ta mara-limito secomo sabiJo,a submetter a tamn
dus caininhosde Ierro una autoiisacaopieviadj
governo.
A fffmvelle-Presse-Lihie affirma que se va en-
celar Begnciacoes entre a Franca e a Belgica.para
a uniao poltica e commcrcial dos d ms paizes.
O Diaria dos Debates diz que nao ha razao para
o governo francez su preoecupar com e-ta quesla >
qifhnai pode de mido algum amcacir a paz do
mundo ; que s Blgica pertenco julgar acerca
ios seus inieresses economlos, e quo so ella os
er, com razao ou sem ella, comprometlid >s pelo
tratado, tem direito de recusar-se a conclu-.
A Patrie responde que a paz na > esta amcaeada
por esto incidente, mas como a questio vai ferir
muito seriamente os inieresses francezes, o gover-
no imperial tem direito e dever de a examinar
por todos os lados, o procurar urna subirn capaz
de os satisfacer ; que nesta que-tiio ni > se trata
' sde intereises belgas, mas que lia nteresses ron-
uuns aos dous paizes e que a Franca tem o direi-
to de procurar entender-se com a Blgica para
conseguir unta solucao justa liara ambas as po-
tencian
HiQUKTEMU.
No da 2 do mire leve lugar aprimeira leitura
do 6<7/ para a abolirio da igreja ofilcial na Ir-
landa.
A segunda Ici'.ura devia ser no da lo.
Gladstone, quandoapresenl >n obill, disse que a
queslao j eslava virtalmente resol-, ida pelas Di-
urnas elevos e peta dembsio do anterior gabi-
nete. ,.
Disrael vituperou a poltica do governo c disse
que a abolicao da groja offlclal na Irlanda equivale
n unta eonfiscacio.
O orcamentu do exercito, apresentado pelo go-
verno ingle?, ao parlamento patntela una redac-
cao de 1,089 mil t.
Diz-se que a Irlanda est em bastante agitaran;
parece que a agilac provew, da difflculdade de
reIa;o-s entre os proprotarios e rendeiros. A
[alta de dmheiro uina das prinripaes causas das
desorden*. .
A ratona na > pode receber em Buckingnam
as cmaras, que Ihe iam apresentar as respostas
ao discurso da cora, por causa de una seria m-
disposica do prncipe Leopoldo, que inpedio a
rainha de sabir do Osborn.
O principe Leopoldo lllioda rainha,foi atacado
de u na hemorbagia interior, que de oulras reze
ja tem causado be.n vivos desgostns. -Acha-sc, po-
rtal, nwlbor. O atara-j foi menos intenso que os
anteriores,ina< durou porto de 4 das.
A ramha Victoria receben parliripacao de tero
prneeziT'hrstiana do Schleswg H.dstcm dalo a
luz u;ii principe, com toda a felicidade.
Beina grande agitaeo em Inglaterra por
motivo da queslao religiosa. A cmara baixa do
eoucilio ecclesiaslico anglicano esUredigmdo una
exp is^a i rainha com o lioi de impedir a reforma
da igreja da Irlanda.
Mr. I.owe disse na cmara dos ommtius
que a despetis coaia expedeao da Abyssiii so-
bem a 8,7(53 mil .
O tributo addccional deiimpenny sobre a ren-
da s pro ludo cinco inundes, p lo que o governo
pedio nm crdito de tres miUiocs e seiseentas mil
libros.
Va cmara dos communs Sr. Otway, res-
pmdc.ido a Bentrwck disse que so lnba ap .el-
la lo da deeisio do tnbunol de Cadix n > ne-
gocio = Tomado = nas que em consecuencia
do estado actual da Hespanha, a apnpKacao nao
teudo sid i ad.nittida, o ministro ingle/, recebera
instrnecoes para que esto assumplo fosse submet-
lido a un tribunal arbitral.
O Sr. Otway derhruu tamben que a esquadra
das indias oecdentaes tinha recebido orden para
pr teger os nglezes e ose-irangeiros no Haily.
Di/cm da India que as tropas ingieras fo
rara sorprendida* pelos indgenas prximo de
Kobut, teudo perdido trcscntos homens no com-
bate.
O effeclivo di nartoha mercante a vapor d
Inglaterra actualmente de 2.308 navios de rodas
e a hlice comportando 1,3110 mil tunelladas.
Apresentou-se a Mr. Briglit una depu'acao
das juntas d i coinmercio dos p utos do Inglaterra
pe-ludo que o g iverno promova a negociacto de
tratado-i decomuieieio com a Hespanha e Portu-
gal afin de que baixein nsdiretos sbreos vinlios
da pennsula, ao mesmo tempo que naquelles dou-
reinos -c fac te a entrada de producl >s inglezes.
Os peticionarios eonsideram oppurtuno o momento
pira conseguirem o que propoem. e para e apoi.uu se na memoria presentada ltimamente
a parlamento sobre a situaca econmica de
He^paniia, memoria de que autor o ecretanu,
da imibaixada de Inglaterra em Madrid o Sr.
Lylton.
AI.LEM.VNHA.
No cncerramento di parlanento prusianon
di-curso real foi tod i sobre p ililica interna, e nao
teve tolere se gcral. O discurra, p.irm, i re da
Prussia na abertura do Beichstag da Allcmanha do
norte bastante importante e como bl nao devo-
ra >s deixar de o apresentar aos nossos leito-
res:
Distnctos senhores do Reichstag da Allemanha
do Norte.
Q.iando pela ultima voz vos reun, en tomo a
iiiim, expri.ni a esperanca de ver amadurecerera
os fructos d is vo-S"S tfahalhos na vossa patria,
sob a benfica influencia da paz. Com satisfaea i
veritico que ininlias e.-perancas naoforan Iludidas
e siudando-vos hoje en noine d governos con-
federados, ollio com piazer para o periodo que
flnlou, e durante o qnal se f.rtiRearam e consoli-
darain ein pacilleo desenvolvimeiito as nslilucoes
da confederaco.
Ni interior desta, a liberdade e estabeleci-
raento, a dos ca-aoientos c da industria, flzer.uii
entrar na vida inli.na do povo a idea nacional, q e
b se da eonfederac.io. Um regula nenio sobre
est.i industria que vos vai ser apre le sobre as cas:is de soceorro* que lleve ser sub-
sub iietti la s dehlieracoes do consolho fe ler.il
diro a esta i lea fuu lamenlal mais largo desen-
volv nento.
E' c.hh o mesmi intuito que ser soeiladi a
to sa co >|ie.riev> para o estabeleemento de ingii
tii;"is url.cascMiuiuK
' V.ii servs apre-enti lis dous projectos de
le, conforme os vos-os .lesejos; um, rea vo -
sentHiigas q.ie obrigam o ii lividuo e-n seu BoTp4
e ouiro que diz respoit i introduccao de cdigos
cominerciaes. e de inri regula nento sobre as lettra
do cambio. A este ultimo pr ojelo de le ser an
nexa I > miro, aprese ita 11 ao eonselno federal pelo
g iverno 4XOBfo, con o fim de se crear um -upre
m> tribunal de justica para as questes comiuer-
ciaes.
Para cumorr un promessaescripia na cons-
titnica f dral, ser vos-In apresentado um pro-
je*l < d( I :i reU'ivi assisteacia julieiaria reci
>ca, pelo menos tanto qianto r po svel, ni
la de nra codig co.nmum de processos civis e
criuiinae-i.
Urna le eleitoral paca as elecoes do Rechs-
U: iii cinfclenca, d mrto, deve, conforme u
art. 20. da MMtituici. federal, sustituir p .r mni
Iwcom iinin as leis eleit iraes particulares de ea la
paz, e ; ssegnrar em todo 0 terntori. d i eonfede-
racao a uniforoiidaJe coinpleu em materia de pro-
cessos eleitoraes.
O* relatnos jurdicos dos funecionarios d.
confederar i, dos qua.w se devia tratar em vossa
ulti.n i se-sao, dari origem aun projecio de lei.
A necessi lado do assegarar a execucao ta-
lis votad i las dorante a ultimi ses a >, be c. n ,
oatras neeessilades que se llwram sen'ir desde a
Sxaci i d i orea nento da c infe leraca i para 1889,
ne-%ssiUr.i'n un urca n mt > sin dementar, que
jar subineiti'Jo vossa approvacio.
P remenlo da confedoraco para 1870, que
deve ser m do3 prmcipaee assumptos de i
delberacoes, indica anecessidadu de augmenta
renda*particulares da uiesma confe
As facilidades que para as transaecoes resul-
taran da suppresso e da di.iiinui;o das tarifas
ilas alfandegas, li in c uno da redurco do porte
das cartas, tiveram como cuBeqttencia ama dimi-
nuicao do receila, a qual preciso acudir uuando
tivermos trinmpnade das diiliculdailes creadas i
orcamentos dos estados particulares da eoofedora-
cao pela desigualdade na quota parte proporcio-
nal das coiitribueoes particulares.
Espero o vosso auxilio relativamente aos pro-
jectos que vos vio ser apresentados, aflmdo evitar
0 perigo do dficit.
O regulamcnto das relacoes postaos ntontt-
cionaesda confederacao do norte fot maiorespro-
gresSQt, Deveni ser-VOS apresenlados o* tratados
postaos com os Paizes Baixos, Italia e Principados
Danubiano unidos.
A organsacao dos consulados federaos sobre
a base da le federal, votada na vossa priuieirascs-
sao, est quasi concluida.
Una convenci consular com a Italia annexa
esta le, deve lixar as allribuicoes recprocas dos
consulados dos daos palies.
Afim de conserval- admnistracao consular da
confederacao o laca pratico que a liga direc5.11
dos negocios estrohgeiros.e para dar a unidade po-
ltica da Allemanha do Norte, sob o ponto de Vista
dasua constituiejo e do sea alcance internacional
urna forma externa conveniente, as despezas que
necosska a direccio da poltica cstrangeira da
eonfederai-o, e a apresunlai;o no estrangeiro, fo-
ratn conforme o VOSSO vol inscriptas no ornamen-
to do 1870.
O priinero dever desta representacao con
sisiu para o futuro na conservaeao da paz com
todos os povos, que, como nos, sabem apreciar 0-
destinos da paz.
O eumprimento desle dever ser facilitado
pelas amigaveis relacoes que existen entre a con-
federacao da Allemankado Norte, o todas as po-
tencias ostr.ingeiras, relacoes que ha poueo se
consoldaram de novo pela solucao pacfica da cia-
se que aineaeava o repouso do oriente.
As delberacoes o o suecesso da conferencia
de Paris mostraran o sincero desejo das poten-
cias europeas, de protegerem em commum, como
um precioso liem, igualmente couiuium, as heneaos
da paz.
Em presenca desta situacao, qualquor poten-
cia podo julgar-se autorisada' para confiar plena-
mente na uraco da paz, que os governo* cstran-
geiros nao int'entam pertnrliar, o que arrasta
com os esforcos impotentes dos inimigos da or-
dem.
Animados de-ta eonlianca, distinctos senho-
res dignai-vos trabalbar con o sentiinento que
guou at hijo vossas delberacoes, e com a con
Sfwocia da grande misso nacional da confedera-
cao, bem coaio com a conviecao de que os gover-
nos confed irados cooperara com alegra no eum-
primento desta inissao.
O conde de Bismark teve urna recahida na
doenca chronica que padece, o que o ohrigou a
cstar'decama por algum lempo. Os mdicos acon-
selliam-no a affastar-se da, actvidade dos negocios.
O re da Prosita teve urna entrevista com o
Sr. Wttiowski, caraareiro do suinino pontfice. Li-
ga-se esta entrevista una certa importancia po-
ltica, acreddando--o que tem relacAo com o dese-
jo manife-tado pelo governo prussiano de que se
estabeleea urna nunc .tura apostlica em Berln.
Parece que a causa da retirada de Florencia do
ministro prussiano o Sr. Usedon. so deve attribor
10 barulho que fez no anuo passado a publicaeao
de urna nota entregue por este diplmala apgeo -
ral La Mariniira,nas vesperas dacarapanha de 1866.
e na qual estova tracado o plano de urna guerra
de m ule contra a Austria. Esta revelarlo e as
acres diseussoes quo se seguirara desagradaram
muito ao governo prussiano.
O Nacional de Franca publico um telegram-
made Kiel, onde se alliruia que o governo prus-
-iano pedio ao Schleswig-H dslen o fofiieeimento
de tres rail carros disponveis era cas de guerra
para o nossocorpo do exercito. fleaudo a raza de
1 "2 francos por carro diariamente. Parece, pir n,
3uo esta medida nao implica de modo algum ideas
c deinonstraeoes hellicosas, ina* que destinada
a organisar na provincia conquistada do Schleswg
em servico de transportes militares, anlogo ao
das oatras provincias prusianas.
A bita entre Kossutb e seus partidarios e
o partido de Deak toma cada vez maiores pnpor-
i;oes medida que se approxmam as elauds na
Hungra ; o partido Kossiith espalha comprofu- >
prorlamacOes hostis ao dualismo inaugurado pelo
conde de Beost O ponido Deak rombal energici-
mente_ai|ielles manejos c proclama a sua sincera
adhe-ao ao imperador Francisco Jos.
O imperador d'Austria devia sabir de Pesth no
lia 8 para visitar Trieste, e outros pontos do im-
perio.
Dizein do Vienna que assim que os recursos II-
nanceiros o perniittirein, se emorehenderao al-
guoias obras de Ibrtilcaco naquella cidade.
O conde de Beust e o ministril da guerra acom-
panharao o imperador naquella viagem que se
di certa inpurtancia poltira.
O imperad ir Francisco Jos, depois de se demo-
rar alguns das em Trieste, visitar Fiume o Pula,
por isso que desoja inspeccionar o estado das for-
tiflcacSes najuelles jiontos.
ITALIA E ROMA.
Fallava se muito na doenca lo santo pont-
fice.
O papa deve celebrar prximamente 0 consis-
torio da quaresma. Parece que preencoer algu
mas drts vacaturas que a ni ote tem deixado un
sacro-c llegio; afiirina-se que sera elevados ao
eardinalato dous francezes. Ha actualmente iflie
oarretes dispiHiives. Desde que o sanio padre
-uni ao p.unificad leni fallecido 80 romanos
eminentes.
O Jurn-U de Pozen publica minuciosas nfqrma-
coes sobre o res litad > das neg iciacoes entre o o-
verno pontificio e 0 gabinete de S. Petersburgo.
i'.ontnua a residir era Ruma o Sr. Val raielf, anli-
0 ministro do interior, o encarregado da< nego-
ciacoes, que linham da lo c 11 resultad msg i.it
ucc>rdo entro este diplmala e o cardeai auIo-
nelli :
1. Concessoes igreja cathoHca por parte da
Uussia.
2." Estahelecim rato de una nunciatura apos-
tlica en S. Petersburgo. A santa s aprsenla
como condcao que o nuncio ter em Petis
burgo a me.-uia posicao que nos paizes c th lie s.
e que ha de coinuimuear bvre e directaineule com
Los bsp >s e cora o clero de nomeacao da santa s.
:i. O restabelecimento da emuaixada russa
era Boma.
4." Um acto oflflcial da santa s, censurando a
attitudc tooiada pelo clero polaco nos ltimos
aeonteciinentis, seria pu lcado e acomp.nih.id 1
do 11 a in.-irui-i,-. 1, dirigida aos b;-pos e padres
polac H sujeit >s ao governo russo, leinorando-liies
a obediencia devida ao bnperadiT, e reeoramen-
d.uido-llies que se abslenbam de qualquer act..
p ditiro.
As negociacoes linham quasi chegado ao seu
ierra 1, e u cardeai Aut nelli j dseutia a redaecj'io
la adverte ocia que se devia di.gir ao cierj po-
I ico quand.i o santo padre receben novas iufor-
inico.),-i da Polmia, s.ibre a oppressa da igreja
cat olica e as violencias das autoridades mosco-
vitas. Estes documentos, auoiadi por provas ir-
recu aveis, d nn iiwtravam claramente que o pro-
c >di.nenio do gov roo russo eslava ein opposicao
flagrante com a linguag.-in do seu enviado, e q e
iiavja grande distancia entre as proue sa lid ide. l)i/.-se que depois desle faeto o p ratice
se tornou de-conliado, e que 11 cardeai Auto lell.
reoeu vi-r totalmente inillogradas a^ iiegociace .
Dz-se que na Italia ser este anuo augmon
lado o orcamonto da guerra, nao s para elevar
os sidos dos oll-iaes, como para mellionr e am-
pliar o material de guerra. A Italia restabeleceu
os grandes commandos, ha lempos extiucos por
ec momia.
O mini-tro da Prussia em Florenca o cmde
U/edm foi doimltido, epassado disp.nibhidad,-
por seu pedid >.
Dos iie.itc-se o boato de urna entrevst > entre o
imperador da Austria e o re Vctor Em nan-iel, mi>
contiuua-se a in-i-tir ein que no caso de rebent..r
a guerra, a Italia e a Austria se aliiaro cora a
Franga. Entretanto as relacoes da Italia o Aus
ira sao cada vez mais intimas.
Os g ivern-ts d. Au-tria e da Italia chegaram a
ii'%acco d 1 para autor sar reciprocamente que
a< c iinoanhias por acedes le Italia e dos pauvs
representados no Beich suas operaed. s no> dous territorios. .
U n telegnmma publica I|Kir urna folhi fran-
ceza aunu'icia fne a Austria est resolvida a en-
trenar ao gjverno Lilia no certos objectos d'arte,
jue e-*le ha muito reclamava.
F illa>e ein que no gabinete italiano haver
nnlanea, especialmente as pastas da guerra e da
marinh.
O governo pr vegue com actvidade na* abras
lo porto de Briudi-i, e intenta convertel-o n'uui
dos priuwiros portos do Mediterrneo.
Anotar a im quebrad as n
boladas e mi as casas estraageiras, acerca do
re os ii .! ittc a; o gover-
no n. 1 renunci'iu a ar o curso 01
quo espera acabar por outros meio.-.
O parecer da cpmnis&ia acerca do curso for-
cada das notos, convida o governo a apresentar
ma le estabelecendo a liberdade d>s bancos, e a
supprimir o curso fincado
Diz-so que o cavallieiro Xgra foi nomeali mi-
nistro da Italia em Londre
Diz a Gr.da d 1 .Vtcminlft do Norte que o re-
presentante da llalla em Berln recebeu d 1
governo aulorisacao para regressar Florenca.
Julga se que era presenca das dlllcufdados
que acharam o bisi is da Italia, da Austria e da
Hespanha, para a--i 11 santo padre est resolvida a addiar esta grande
rcuniode hisps c.illiolieos.
Noticias de Roma desraentem o boato do adda-
inenlo, e alr.na 11 que se celebrar o concilio
ajeumonico na poca marrada.
E' esperady em Roni o Sr. Ilensdnrfl eom urna
inissao do imperador da Au-tria, relativa s dilfi-
culdades entre a Austria o Boma pelas leis da
eoneordata.
Os jornaes da Nomandia dao noticia i da
grande compra de cavallos ijue so e t) fazen I >
naquella provincia para a anilharid dp exercito
potificio.
Continua a l'allar-se muito n'uma alUanga
entro a Austria o a Italia. Oajudante de campo
d'el-re Vctor Emmanoel o general Dellarocca.foia
Vienna encarregado de eumpriraentar o imperador
da Austria, e de preparar uina entrevista entre os
dous soberanos. O Sr. de Mensdorff esperado
em Florenca para lira idetico.
Afflrma-se que o parlamento italiano vai diera
tir dentro era poueo ura projecto de lei em alto
grao desceutr.ilsador. tanto na ordora econmica
como na ordein p diuca. Parece que a origem
deste projecto. a attilude coda vez 111 ii> li i-dil de
algumas provincia-i, espe.-ialuieuto das mcrdio-
n ios oontra o governo central.
Ein porto Mauricio lia grande agitaran em con-
sequencia da reparlicao do imposte sobre a riqueza
inohiharia. Em Pana anda nao est reslabele-
cida a orden, alterada em cossequencia da appli-
eacioda le sobre a moagem; coutinua all o des-
annamento da guarda nacional.
A knportaqte 11 gueiadio projectada pelo miras-
tro da fizenda sobre os neos do clero, torna a en
trar na orden do dia. Assegura-so que j est
completamente contratada com a casa Uolhschild.
de Londres. ;\ caixa de dflsconto de Paris o nutras
sociedades de crdito.
Ch -gou a Genova no dto7 de marco ojiin
cipe Ama leu. izia so que OTlm daquela digres-
-i era visitar pane di^jsquadra couracada, <|ue
se acha ftiudeada n q'uelia Pabia.
Corra all o boato esquadra recebido orden* pirase fazerao mar na
direceo do Adriaticd, mas parece nao ter 'unda-
nientu tal noticia.
ORIENTE.
Cada un dos governos. representados na confe-
rencia de Paris, vai enviar aos seus agentes diplo-
mticos nma circular acerca do resultado desta
reunan. E-lepasso idntico parece ter por fim
dar urna ba*e pratica idea de aulainar difficul
dades internaeii/iiaes, daqui em alante, por meio
de deliberacoe-s c-unmuns.
A Imprenta Je Vienna analvsa umi nota do go-
verno grego, dirigida a> seu emjiaixador Hanga e,
conlenilo a adheso declaraban dadanif uenca.
Esia nota critica o procelmenlo da confluencia
acerba da queslao em leigio; lastima quoacon-
ferunria Ignoraste c impletaente a questn can
dieta, e que as potencias, usurpaud > o dire 1 a
Grecia, toiuasscm a peito os inieresses da popula
c christia da ilna d- Canda.
Dzeui de Alhenas qnc o ministerio Zais ost
preparando, para ser apresen! do is novas cama-
ras, ura projecto de reorganisae.'io do exercito hel-
lenico. Esle trabalho, que ter pir objecto prin-
cipal crear una reserva formada sobre o mearan
plano da guarda nacional franceza, permiltira re-
duzir afuiva elle-iiva do exercito permanente, e
realisar por esta forma nma ccooecaie inmor ante.
Oracas a este systema, oexercilo poderi ser
reduzulo de 8 a 5 mil homens, e, ein caso de guer-
ra, sera p is-vel reunir em raenosMe dez das,
una forra effeciva de mais de V> mil nomens cha-
mand i-se a reserva.
O novo gabinete prenceupa-se exclusivamente
cora a quest 1 financeira c faz todas as diligencias
para diminuirs Sospesas.
Qaatinna a promover anbacripejoca patriticas, c
j reuni avultadas quantias, coin que teiviona pa-
gar as dividas contrahidas, pelo ministerio transar-
lo. Beina na Grecia a mais profunda irn juilli-
dade.
Progridem satisfactoriamente as disposcoes para
o restaMwiinentn das relacoes diploiuattts entre
a Grecia ea Turq na.
A Sublimo Porta ja nomeou o diplomata quo a
deve representar era Alhenas ; Monif-Effendi,
queja foi interprete do Divn, e boje subsecre-
tario de estado na repartirn da pol.cia. l)iz-s
porm que o re Jorge manifestara o de ejo de qoe
oantigo ministro da Turqua Thotale bey seja 110-
vainente acreditad nesta corte, e paree* que tal
einpenbo ser do agrado do governo tOM.
Eonlirma-se o acabainento da iusurreicao em
tola;, iha de Creta. Os dous chefes. que resta-
vara nos dstrictos orientaos Koraka e Sphabanaki
submeiterani-se. Avalia-seem trrata rail os emi-
grados cretenses que anda esLio fora do paz.
Continua a agitacio na Boumaraa. Bratiano
multiplicaos seus esfocts para retnniar o poder.
Os seus partidarios poem tildo em aera para al
ennear a victoria. Bratiano apoia-se uo partid 1
democrtico. Por nutro lado o gov.-rno arreila o
d'salio e laura a luva deraitlindo os prefeitos no-
ineados-por ITratiano.
Diz-e i|iie o principe Cirios est profundamen-
te desanimad >. Circulara b >atos de abdir, cao. ()<
fautores destas novas, sem duvdas exagerados,
falian de dou< partidos imporlan'es formados na
Moldavia, a favor do principe Gregorio Stourdza c
do prncipe Stirbey na Valaehia.
A P-ria delinele o- I natos de alidcaqo, di-
zendo que assim iiieronstem aosparentes do prin
ripe Carlos a sua profunda de aramaeao e a in-
tenco de abdicar, estes tra'ai o de a eomuater, e
que os lacios que posteriormente tiveram iugar
coiie.oreii para desviar o principe Carlos de tal
proposito.
O coronel prussiano Kenk enviado pelo Sr. de
Bismark saino don principados era consequencia
das iiiiinifesiaeoes bostisda populaeo.
As cmaras foran dissolvidas e os negocios da
Grecia mu laram completamente de aspecto, o ues
te momento, gracas energa do actual gabinete,
as prximas elecoes parecen dever ser favoravei
ao partido moderailo.
Appareee em alguns jornaes a noticia deque
o conde de Bismark combinara em Berlira cora 11
principe do Montenegro, pea qual a Prdssa se
ibrigava a fornecer-llip durante o mez de marr >
le? mil espingardas de ca regar pela culatra, e
doze pecas raiadas. Seriara enviados ottcies prns-
siados a Celtiene para reorganisar o exercito raon-
lenegrno. O prncipe do M rntenegro nbrigiva-se
a fazer e n casi de nec. s Ihas contra a Turqua e a Austria. So fos-ein fe-
tlze-i no plano, o principado receberia o posto de
eattaro cora o seu dstrieto, e a provincia de Scu-
iaro.
Diz-se tambera que a Bussia descontente com a
regencia da Servia, e o seu governo. que desejam
subtrahir tulella moscovita o seu paiz,d osslivos
do sul, e cedendo aos r,"n-elhos de Bismark ron-
rlnio com o principe de Montenegro urna conven-
ci secreta aaraulindo a este principe era certas
eventualidades o throno da Servia.
O g iverno otloraano araba de annnnriar em
todos os jorna'S quo tend sido acceta pela Grecia
a declararlo da conferencia, e .devendo-se resta
belecer as relacoes diplomticas e rninmerciae^, o
sultao acaba de ordenar a anoullacan d todas as
medidas adoptadas contra os suhdito-i bellicos.
Dizera de Constantin >pla que chegou a Can-
lia o novo governad >r nomeado pelo governo ge-
ral d'aquella ilha, Sad 011er Fovry, lendo sido re-
ce! do con tinlas as honra* da suacathegoria.
O governo ottomano levantou o blocpieo de
Canda.
Em quanto o governo ottomano prestava to-
la a sua attenrlo ao ronflrto com a Greria as au-
toridades russsas estabelereram em Kutais (na
provincia do Cauca-so, limitrophe roma Tnnpiia
asitica ) urna aneneia encarn-gada de entregar
passaportes russns a todos os subditos turcos que
all se apresenta-sem ; attrahidos pelas vantagen-
que na Turqua des,
uviis de vinte mil pessoas da provincia da Anati-
lii se aproveitaram as f.i"ilida >ffererdas para se natnrasamn, e ser n pir es-
a forma semp'as do todas as mntrihuirdes ; esta
-'ente vai formar nina base solida para a influen-
cia da Bussia naquella provincia.
Fallava-se de desordens era l'irnowo o na Bnl-
L'ar 1. m is o resirttido do conflo-to com a Grecia
o a subraissao de Creta lera feito affrouxar muito
o effeito da propaganda levidurionaria.
Dizera de Constaatraopla que o Shab da PeVsia
vi/ir urna nota ameacadora para
ser coininonicada Sublime l'-et|-
.\< noticias de Alhenas dizein que depois da
abertura das cmaras helnias. o re (ara uina I in-
ga viagem pela Europa visitando as priucipaes ca-
Diz-se que esla viagem na apparencia de re-
ereio ter um (ira de grande transcendencia pol-
tica. "
Em Alhenas acredilava-se que o Sr. Manrocor-
dato, pe feito de Corf, seria nomeado ministro da
gracia em Constantinopla.
Os peridicos gregos nedem cora instancia ao go-
verno helleniuo que proceda a preparativos mili-
tares.
Em Bucharest o partido de accao snbscre-
ven com qoareota mi! francos para iolluir a favor
ilos m'u- canddalos. Bratiano identilicon-se com-
pintamente com aqnellc partido, e no seu discurso
eleitoral declarou que a Bnumania se deve enllo-
car frente de tolas as nacionalidades chrislacs
da Turqua.
Os partidarios de Bratianopercorrem as cidades
oramisando reunies publicas, e acensando ogo-
1 c o principe de tiahiivni a nspiracocs na-
cionaes. _0 governo porm espera que estes ma-
nejos serao imitis, e que obter maoria na nova
cmara. Julgi-Ce que se acontecer o contrario o
principe recorrer a nova dissnlueo.
Os trabalhos de camnhos de ferro progridem
com milita actvidade. O ministro das obras pO-
hlicas da Serva faz todos os aalbroM para dar
crculaco era maio muitas seccoes da vas fr-
reas.
= Em virtu le da anraystia geral proclamada
0 Estados-Unidos pelo presidente Johnson o res-
pectivo tribunal de Bjehnoad suspenden todo o
procedjnento contra Jelferson Davs, que se tena
lvre de toda e qualquer persegucao. ,
O general Grant toniou posseda cadeiraprc-
sidenrial no dia do crrente, e pronunciou om
grande discurso referind'i-so a quasi toda poltica
interna : protcsLi cumprir todas as leis, racreeam
ou nao a sua approvaco, promette terminaute-
mente que toda a divida dos Estad s-Unidos ser
paga as especies em que fn ajustado o pagamen-
to, e quanto as relaee- externas diz que pelo que
respeila s outras nacoes obras como a lei pede
que os individuos obrera uns para com os outros ;
?pie en lo la a parte onde fluctu a bandeara ame-
ricana proteger os cidadaos quo respeitarem a
le qu r sejam americanos, quer estrangeiroequtn-
d. os seus direitos sejam ameecados. Bespeilar
os direitos de iodos os paizes. o pedir que os di-
reitos americanos sejam tambera re-peitados; que
se alguns paizes esqoecessem por acaso os -cus
deveres as snas relacoes rom a uniao americana'
esta -aber nbriga-los a que os respeitcm.
Dizein de Washington que o ministro da
fazenda o Sr. Seward pedir a sua demissao.
O congre-so, depois de sanecionar o bil que
concede o direito de sulfragio a todos os cidadaos
seo. di lincean de cor, exprdio esta lei s difieren-
tes legislaturas dos estados, aliin de obter a sua
ratificac.io. Os es'ados sndistas nirt deixarao de
fazer urna npposirao violenta, mas a federaclo ds-
poc de mei s coercitivos indirectos, os quaes auxi-
liados pela correte das ideas de igoaldade de que
hoje retal nos Estados-Unidos. na> podero deixar
de fazer prevalecer os verdadeiros principios.
Na sessa de ."1, o seado recusnu por 26 votos
contra 22 adherir emenda do bil finanreiro de
Schinelk que prohiiie o reembolso dos ttulos de
divida antes do praso do vencimento.
0 presidente publicou a segunle proclama-
ra 1:
Cidadaos, os vosos suffragios elevaram-me a
caleira presidenrial.
t Prestei o juramento presrripto pela constitu-
cao sem pensamento reservado c com o proposito
de cumprir com o nieu dever do mcllior modo que
rae fr possivcl.
Conipruliendo a respqasahidade da mnha
uiis-ao, porm ajejto-a senrreceio. O alio cargo
para que me elejreram. na 1 fui en que o sdicitei.
t Quan lo rae parecer chegado o momento op-
portuuo, cx|iorei ao congresso a iniiha opniao
acerca das questes mais importantes.
Opporei o men"v?/o para rejeitar as medidas
que eu nao approvar. Porm todas as leis sera 1
fielmente ejecutada*, quer ellas tenhain ou nao a
rainha ap rovar 1. Terei de indicar e acon-elhar
nma poltica, mas nenhuma hci de inpr vonta-
de do paiz.
As leis devem dominar tanto os que as appro-
vam como aquelles que Ibes nao sao contrarios.
Nao confiero meio algum mais enVaz para
revogar una lei nocir do que a sua rigorosa ap-
plcaco.
a Durante os prximos quatro annos hao de
entrar na tela da discussao muitas questes im-
portantes.
E* de esperar que ellas sejam apreciadas des-
apaxonada nenie o sem preconreitns, ^avend seg
o nosso alvo o bcra estar do inaior imnieio dos
nossos cidadaos.
Este alvo, vera a ser a seguranca para os
individuos, para os bens e (tara asopinioes polti-
cas c religio as cm todo o paiz.
Para se conseguir e-Dj resultado, ser senipre
objecto dos nossos constantes esforcos a execucao
das leis medentes consolidarlo da unan.
Contrahio-s nina grande divida. Devcnio*
tratar de extngui-la e de reslabelecer o pagamen-
to em especie logo qu poder.nes, ten lo en vista
nao prepidirarmos os direitos dosecdores ncm o
interetse geral do paiz.
Para salvag lardar a honra nacional, cada
doJIar da divida do governo deve ser reembolsado
em niro, a na 1 ser quo se teimU estipulado o con-
trario quando se fez o contrata,
Somos do parecer que nao se deve repudiar
um real soquer di debito publico. Este principio
urna vez admittdo ha de conlribur efflrazniente
para augmentar o nosso crdito, que deve oceupar
o primeiro lugar n> mundo, e que nos ha de habi-
litar a converter a n issa d.vida era bilhetes, pagan
do assim juros menos elevados do que os que hoje
estamos pagando.
A isto devem accrescer a arranca fiel dos
remullientes do estado, a rigorosa cnnlabilidade do
thesouro p.ir toda a quanta recebida e a maior
eeonoinia possivel. Na enlra em duvda o paga-
ment integral la divida, e este encargo ser ni-
os oneroso do que a despeza quj actualmente
fazemos p n- um luxo intil.
Cuinprc animar e proteger o commnrcio-o a
ndiislria qnces'a depercrendo. Agente inora
leste paz lera um uieresse particular cm susten-
tar a honra nacional.
lT4i momento de redexao sobro a nossa futura
jnfluencia preponderante entre as nacoes deve
inspirar ao nrgulho nacional os mrios de pagar a
divida pubiiea. Os rrs'.ab le'imeut'is dos paga-
mentos em especie menos importante do que a
adopcii 1 destas medidas.
P>r eraqnanto nacarecemos a este respcUo
de di-ip.isicoes legislativas. Ni c agora orea-iao
propna para acun-elha-las, mas isso ha de ter
lugar quando a lei civil se arhar re-Uibelecida em
todo o paiz, o o conimercio houver readquiridu a
sua habitual actvidade.
t Farei toda a diligencia para que domine a
meJhor f^ja f na execuclo das leis, afim deassi-
grar a cobranca e a reparticao exacta dos im-
P 'St )S.
Farei to lo o possivel para nonear homens
convencidos desLo idea.
Pelo que diz respi'ito p ditica estr: ngera,
hei de proceder em relaclo s nardes na coirfcr-
midade do que a lei manda que os particulares
proceda n dus para cora outros.
Em toda a parto onde tremulor a bandeira
americana, hei de proteger os cidadaos que respei-
tam as leis, quer sej un americanos ou estranget-
ros, todas as vetes que os seus direitos forera
amea_'ados. Hei do respeitar os direitos de toiio>
is pazes, e pedirei que os nossos sejam respeta-
dos. Se alguns paizes se esquecessera dos seus de-
veres as suas ralaces coranosco, piderianios
obriga-los a respeit .'-los.
A poltica que rouvm seguir a respeilo dos
indianos deve -er objecto de um maduro exa ne.
Hei de ser favoravei a toda a medida tendn a
cvil-a-los, a coiiv rte los ao christanisnio, a na-
tiiralisa-l is subditos americanos.
E-pero ede-ej 1 a adnpco da emenda cons-
tituirlo que diz respeilo ao suffragio.
Peco que baja oeego. indulgencia e pacien-
cia reciprnras era todo o paiz.
Pe;. 1 tambera que os cidadas facara eneri/i-
cos esfon;os para cimentaren! a nossa feliz uniai,
e dirijo prece-a Todo Poderoso para que neste
ca itinho nos Ilumine e auxilie.
O presidente Grant nomem, ministro dos ne-
gocios estrangeiros a Washb irn ; ministro da
guerra Shelleld, ministro da f.zenda Stward; mi-
os'ro do interior Cox ; da marinha Bom ; das
p istas Creswi-ll o dajnstra o juiz Haarc.
Onnad 1 approvou Vtisnomea^Ses,
Foi muito ben acolhido pida impren=a fnn-
een a nomeac do novo gabinete do< Estad is-
Unidos, (|un segundo aTlr natn, romo ^to na sua
m tioria de h imeiis moderados. Mr. Warhburne.
serretario de estallo e Mr. Haare, procurad ir geral
sa os uniros que pelos seus precedentes se po-
dej considerar como pertenecntes a fraccao in-
follronte dos republicanos avaneadoe. O general
Shoefleid, secretario da guerra deu provas de
espirito conciliador e de Ikiui administrador pos
diversos oonmapdos queexereeu uo aul. Mr. fox.
anda que de opinioes muito decididas ; sempre
mo-tron firmea sem palxio. Tal a oplniioda
imprensa rrtnreca.
iN'uraiantar dado pelo embaixadnjj ameri-
cano em Berln uz o conde de Bismack una gan-
de an general Gant O embaxador Bancroft res-
ponden por ura brinde Prussia e a confedera-
co do Norte da Allemanha, alliaiicandn-lhes a
constante anisado da America.
I'OHTUCAL.
O goveroo publicou qdpguinte decreto sobro
o camuliode Ierro do sufl^T
Ait. 1." () governo tomar imraediatamente
posse do camnli 1 de ferro do sul e sueste, com o
seu material Axu e circulante, aceessorins e de-
pendencias ; o ilas obras e trabalhos execula I >s
nos prolongainentos de Evora 110 Crato.e de Beja
ao Gaudana ea Faro, e dos niatcriacs exjstente-
com destino a e-tas obras e trabalhos.
Art. 2." O governo providenciar para que n
explorarlo do eaminho de ferro do sni e sueste
nao saja interromplda.
Art. jr* O governo apresenlar s cortes, oa
prxima sesso legislativa, uina proposta de le
para ser paga companhia. ou a quera de direito
tur, a quantia de 2,:i76;6:l7ol, era que o valor
da I' as linlias, obras e matenacs, excede as sub-
venedei pagas pelo estado.
Hei.Mrquez de S da Bandeira. Bispo de
Vizeu.Antonio Poquito Seixas do Andrade,Con-
de de Sa.oodae^.Jos Mara Latino Cocido.Se-
bastin Lopes deCalbeiros e Menezes.
Na teudo havido previo accordo eom a compa-
nhia, protcstou esta pelos meios seu alcance, or-
denando aos seus einpregados que esistissem ao
acto de posse ; sto, porm, se nao realson, limi-
tando-so companhia a arvorar a bandeira ingle-
za cm Vendas Novas, e ofiereeer all o tal pro
testo.
Terminara no dia 13 a revisao da reforma
leitoral, no conseibo de ministros. Anda se igno-
raba em que con istia ella.
Ja se aehava pronipto o baialho expedicio-
nario daZarabzia, e ia partir para Venda-No
va*, afim de exorritar-se no manejo. Aoflicialida-
de do corpo iaolferecer nina peraia de ouro com
um brlliante no ministro da marinha, eom a ded
caloraA' Latiw Coetho, ministro reformador.
A bandeira, oTTerecida pelas Sras. duqueza de
Palmella, inarqueza de Lavrado, marqueza de F-
calho, eondeasa de Penamacur, inarqueza de Poni-
lial, coiidessa da Torre, viscoudessa daAseeca, a-
damas da Sra, infanta D. Isabel Mara, eondeasa
de Lumiares, inarqueza de S. l'aio, condessa do
Lavrado, D. .Mara llosa de Mello Castro de Meu-
donca, D. Chrstina Carolina da Veiga Cabral e
Gonvt, i). Auna Carolina da Veiga Cabral e Gou-
vda, l>. atarla Jos da Silva Bebello,D. Maria da
Cnnceicio da Silva Barahona e Costa, D. Hara
Amalia' Vaz Moiiieiro, ao batalbo tem as armas
em matiz, e em ouro os casteflos, as quinas, a co-
rda e os dpticosSequi-me I Von guiar-tos vic-
toriaPela f, pela patria, pela gloria !
Corra que crvela Hauk se dara o nome
de /). letifique.
l'allecerain : o conselbero Jos Silvestre de
Andrade, ollicial-maior da secretaria da guerra,
coin 72 annos ; o bastado captali-la, de Lisbi a,
Bodrigo Jo- de Abren, director da companhia do
gaz ; o rico proprietario, do Porto, Baltbaiar Jos
Martina, director do Banco Cnuimereal; obariu
do Seixo, direclur da companhia dos vinhos.
Foram agraciados : ein os ttulos de conde
d\ Estrella e do conde de S. Maniede, os vizcondes
desses ttulo?, residentes no Bio de Janeiro 1.....1
os ttulos de viscondes, os Srs. Manuel Ottolni e
May Figuera ; c cora o de bario das Larangei-
ras, o Sr. Duarlo de afedeFOS e Albuqucrquc, li
liio d visconde do niesnio titulo.
Fieavain a expirar os Srs. generacs conde de
Cabral e Magalhea.
O governo, segundo se di/.ia, tinlm quasi que
realisado um emprestimo na praca de Londres. -
No Porto pivteudain festejar, aconclusaoda
guerra do Paraguay, com msica durante tres
nuiles, fgos de artificio, c espectculo gratis no
theatro de S. Jan.
O Banco Mercantil Portuense elegeu fu no-
va directora, que se compoe dos Srs.: conde de
Samadlas, presidente; Manuel Maria da C-ta
Leite, vice-dito ; Domingos da Cosa Correa e Do-
mingos Candido de Ahinida, secretarios.
Foi julgado no tribunal da relaclo de Lisboa
o celebre unweeso das notas falsas do Banco de
Hartugal, sobre appeilacio do ministerio publico,
e dos reos Joa piiiu Goulart da Slveira e Jos No-
nes da Slveira. A dscussao publica durou at
as lre< horas da larde, retirando-se a essa hora o
tribunal para a sola das conferencias, d'onde sabio
s 6 da tarde. A relaco ewifiinou a sentence da
1* Inaltnrj 1 contra Jos Nunes da Slveira. que
viera conderanado era trabalhos pblicos pe petos
no ultramar: e revoguu a que conderanava o reo
Joaqun da Slveira cm 15 airaos de trabalhos pu
blicos no ultramar, condemnando-o como o pri-
inero era toda a vida.
Do Aleuitejo chegaram Lisboa, com destino
ao Brasil, algumas dezenas de emigrados,"avultan-
do no numero d'elles inulheres o raparigas.
0 Djense d a noticia de ter sido descoberto
ura filan do f.iro magntico a dous metros c uni
abaixo do solo, nnm arinazeni do Sr. Snuza Porto.
Os jornaes das provincias reprodiizein todo-i
a noticia de um attentado revoltante commeltido
no dia 28 de fevereiro na fregueaa de Bequio,
conselhode Villa. Nova de Foiiialiel.
Um homem mudo, que por es-e faci nao ti-
nha ao seu dispor o recurso da voz para pedir
soccor, quando se liase perseguido 011 atacado,
l'i barbara e alevosamente esnaneado por iras
individuos quo o deixaram quasi inorto. Com 1,
porm, ao darem couieco sua nefanda obra,.sen-
tissim passos de gente que se appiiixiatava, fugi-
ram. O desgracado aproveitou a occasao era que
os seus verdugos se haviam al'asiado para se es-
capar, arrastando-se como p lo at sua rasa, que
era prxima ; mas os malvados que haviam jura-
do a inorte do pobre mu lo, vuturam para con-
summar o negro attentado. Atirarara-sc de novo,
piaes fers sdenlas, s >bre o dcsgrac.ado e s pau-
ladas Ine tirar un a vida, fugindo depois deixando
o cadiver estendido no meio da estrada, meio en-
volvido era lama e sangue. que Ihe coiria a bor-
hotoes de multas frulas que tinha as cosas,
peito, bracos e na cabeca, que eslava toda partida,
tendo-lho a' sahdo os milos. Sao acensados de
perpetradores desteernie horrivel tres individuos,
sendo dous criados de ura Brasleiro que s 1 diz
fra o mandante, porque desconfi iva. que o mudo
lirava de sua quinta paos para vender. As autori-
dades Hieran auto de corpo de delicio e espera-so
que dentro eih breve estejara os criminosos entre-
gues an rigor das leis. Este facto causou grande
"onsternacao naquella locahdade. Parece que um
dos assassinos ja se acha pronunciado ha terapos
por ou'ros dimes.
No Viriato do Vizeu de 9, tratando-se da
descoberta da fabrica de moeda alsa de Abrave-
zes, diz-se que, segundo as revelacoes fetas, o
pioprio denunciante que foi o au nr do crirae
elle o dono do Patent. E' elle que o tinha tido
lia raezes n'uma quinta que habitara, e ale j ti-
nha trabalhado cora elle, e vendo que nao undia
tirar partido desta industria, por nao poder fabri-
car moeda, resolveu servirse d'ella romo instru-
mento de perda aleivosia para concorrer polica
algum duhoiroe alcancar um emprego. Valba a
vrrdade. Os iribunaes deseuibrulharrio esta
meada. -
O ultimo numero do jornal de Paris. La
Franre, foi ha inspirada pelo imperador Sapotean,
di/.-nos nosso correspondente de Lisboa, l-se o se-
gninte: '
A questa i das candidaturas cm Hespanha sera
adiada, o que as combinaedes a que se pareen
ter renunciad o, serio continuadas as regios ar 1
vas da poltica. Os partidarios da una ibrica,
aerresrenta a redarcao da France, read rainraui
esperanras, e nao sendo para ellos a ec ha de .
Fernando senao ura meio de rhegar tarde ou ce
do ao 11 que se propem, pensara cm pr.M-lamar,
loco aue a obra constitucional esteja arabada=o
oWno roante- de Portugtl D. La, re de
Hespanha. Parere que um partido activo e labo-
rioso mantm este pensamento e procura prepa-
rar-lhe o resultado.
": 8104000
2:716*170
2:116^000
2:I8G*/iI0
l:00:iC10
870*000
752#7fi0
:!60iOOO
2004000
300
300
2.000
2,000
1:150 .
no 000 ouro.
1504000
vido hlice, de 06 tonelada-, o qual se destina
reo .ipies no Bio da Prata.
IPOJCA.Este vapor da companhia Pernam
taraha sahio, do Cear para o Aearacd, no dia 2C
do corrate.
DIMI'.IHO, -O vapor Tnrantitn trouxeCOOOOO
para o Sr. Joaqnim Pinto Lapa.
Cura as quantias recebidas em nosso doo le-
VOD elle ; ^^ *^
Para Maceio..................... O.OOO4OOO
a Babia.................... 7274000
o Bio de Janeiro............ 0.2184OOO
_ Os vapores Polmgi e Jaguaribe, Iruuxeram
as segrales quantias para os Srs :
Francisco '1 iiigalvcs Torres.........
Fernandos ,\ Irraan................
Joaquim Jo- Gonealvee Beitrio.....
Caixa Filial.......................
Tasso & Irniio....................
Goncalves, Para & C...............
Andrade & llego..................
Can: \ro ViannaA C...............
Juan da Silva Faria & Irmio........
Gongalo Vioira de Mello............ 100/000
O vapor inglez 1a Plata trouxe as segnintes
quantias para os Sis :
Otto Bohrca....................
A. V. da Silva Barroca..........
Bank of Bio de Janeiro.........
Augusto F. de Olivcira & C......
Ordein........................
Joo do liego Lima.............
John Beid....................
ESTBELLA CADENTE.Vimos na quinla-fcira
ultima, por volta de U horas e'/i da noite. un
desses phenomenos celestes de adouravel belleza.
Manifestoa-se elle do lado do nascente, a urna al-
tura de 60 graos, prximamente, cima do non-
sonte. seguindo o metilo a direccio de mole
ni. Durou cerca de 2 .'I segundos; tinha o bri-
Iho de Sirios, una luz clarssnia. e representara
una estrella de primeira grandeza. E' o mais
bello phenomeno dessa natureza que temos
lista
CONSTITUICAO POLTICA.Hoje celcbr.i-fc o
anu versa rio do juramento a nossa consiiluicao po-
ltica. Ha cortejo em palacio as 6 horas ta
tarde.
CASAMENTO.No Correi dos Estadus-Vmdos,
de I! de Janeiro ultimo publicado era New-York,
l-sc o segninle :
Ojiarla feira 21 de dezerahro foi pelo Bvd. G.
II. Poel relebrado o rasaraento de C. E. Tyran-
Bozede Montralm rom a senhort L. I. Kroliiiuus-
k;i, na residencia desta.
Pedc-se aos jornaes iraneejes, canadienses e
bia-ileiros que reproduzam esdf noticia. -
Cora a presente tran-cripeo e.-tio satisfeitos os
desejes do collega sera atiiirmos cora o interesae
della.
NAFBAGIO.No dia 18 do corrente foi pi-
que, na lat. N. 2o 21' e long. 0. de Green, 2/, a
barca ngleza Lord Palmerston, coiiiinandante Ed-
win Balsn, que ia de Liverpool para Calcul, rom
um carregawento de sal. A Uiimlacao, composta
de 21 pessoas, tendo-se salvado em tres botes do
navio, foi recolhida puncas horas depois do f\
tro pela barca jngle Amelia foss,<\ae ia de Lon-
dres para Calho, c qde honlein veio dcp-les no
nosso porto.
NAVIO ENCONTBADO. O vapor inglez a
Plata encontrn o vapor francez Guiante, ein-via-
gem do Biasil para a Kuropa.
SAPPIIYIlIv =Estc vapor, da linha de Lverpol,
trouxe de Lisboa para o nosso porto : 31 pipas e.
83 barris com viulio, 08 raixas conservas, 2-'0 di-
tas rebolas, 20 ditas figos, 1 dita retro/.. 8 ditas 1a-
p, 11 ditas e 3 fardos o l barriras cera em vi-Lis
e em grumo, 180 ditas f.arinha de higo, 80 barra
tournho, 2o ditas huguicJis, UO di,as chourieas,
130 caixas passas.
LA PLATA. Este vapor trouxe os segrales
volnines com queijos : 8 a'Joaqium Gerardo de
lla>tos, 15 a Paln Nash & C, II a Jos Ferreira
da Costa, 10 a Monteiro A Irmo, J 1 Carvalho
Zenha & C, lo a J. J. GnnQalves Boltr, 7 a J. I.
da Cosa, 22 a Corga iimiut, 1 a J. M. Palmeira, e
21 a Tasso Irmaos.
AUGCSTIXE.Este vapor da linha de Liverpool
devia sahir de Lisboa de 2! a 22 do crrente, pa-
ra o Para, Haranhio e Oar.
NOTICIAS COMMEBCIAES.Becebemos as se-
grales, das priucipaes piaras dajiuropa :
Miidres, 12 de marco.
O algodao leve urna alca de I18, licamlo : de II
5|8 a 11 I|8 o de Pernambuco, de II 3|8 a 12 o da
Parahyba, de II l|2 .1 12 I|2o de Mareio, de il
3|1 a 11 l|8 o do Maranbao, c a 12 1|1 o do-
Cea ra.
O assucar baixmi 6 pensys, fu-ando de 26 a 28 o
bramo de Pernambuco, c de 211 a 25( o masca-
vado.
HaciT, 12 de marro.
O algodao boto ordinario de Pernambuco vndan-
se a fr~. 116.
O cacao do Para dem a frs. 70.
A borracha do Para fina dem de frs. 6 a frs.
ti|50, a uieia lina de frs. 5|50 a fr-. opio.
EM THANSIT. O vapor inglez ta Pmfa
trouxe da Europa 158 piussageiros, em trausito-
para o sul.
COMPANHIA PEBNAMBUCANA. -Os vapores
(pojucae Jequi anda hoje receben carga, upiel-
le para os partos d 1 norte, c este para os do sul.
1 NAVIOS A' CABGA. = Fcavam : no Porto
lYiumpko para Pernambuco, Jowpltina para Ma-
ranbao ; em Lisboa Julio o Flor inda para Per-
iiainbiiro, Bom Suecesso c Anglica para o liara-
nho, c Ligelra para o Para.
NAVIOS (SEGADOS. A' Lisboa Soberano,
de Pernambuco, a .27 ; ao Porto Maria Curo-
lina, do Maranbao a 28.
NAVIOS SABIDOS PABA PEBNAMBCO.
De Li-boaPcrcira Borges a 6 ; do Porlo A'ora
SgmfalhM, a 5.
PONDOS BBASILEIBOS. Erara assim cota-
dos na prara de Londres .
1859 ,'i /........ 85 a 90 %
1865 %........ 80 a 80 '/* %
1852 58 60 4 '/ % 71 a 75 %
1861 4 '/| /o ...'. 71 a 73 %
PERNAMBUCO.
BLTI3TA DIARIA.
APRAQO DE VOTOS.A ramara municipal
lo Beiife procede, no da 2 de abril, a apurara"
dos votos para deputados assembla geral, pelo
Io disiriru.
HUNDAHU'.Chegou hontem de Bri qiieno vapor, com esse nome, para a companhia
Pernamhurana.
SARMIENTO.=Com este nome tocn quinta feira
era nosso porto, um pequeo vapor, de ferro, mo-
PARAHYBA. Bscrevem-nos da capital em 2
do corrente:
t Rertifiro as linhas que Ihe escrrvi pelo pa-
quete brasleiro, o aproveito o vapor Jaguar lie,
que se arha no porto, para transiiiiitir-lhe o resul-
tado final das elecoes desta pr.vinria, tanto do
depulados pelo 2. dislrirto, romo da esperial para
senador, O qual araba de chegar por ura expres-
80 do dto sertao, a un amigo que nfucunfiou.
Foram, porUinto, eleilos deputados assem-
bla gail pelo referido districlo.
c Conselheiro A. J. He riques. 217 votos
esembargador Assis Bocha. 170
Conipoeiu a lista trplice, que lera de apresen
lar-se ao |wder moderador, para escolha do um
senador por esta provincia :
Conselheiro A. J. Hcnriques. 708 votos
Desembargado!- Asss Bocha 677
Baio de Mamanguape .... 650
Sem tempo para mais. termino a presente dc-
sejando-lhc vigorosa saude e muitas prosperida-
des.
LOTERA.A que se acha venda 6 a lote-
lia n. 100, a beneficio da igreja de Nossa Senhora
do Monte de Olinda.que correr no dia 3.
PASSAGEIROS Vindos hontem da Europa no
vapor inflcz La Plata .
Clirystovo Siar, Clemente Corfield, George Gre-
en, Henry Yates, L. Muller, Arthur T. Chillenford.
Joaquim Jos da Costa Pinlieiro e sua familia, Leo-
cadia Maria do Carme. Julio Bnurgard, Antonio
Hodrigue lia mal li". Jos Maria Pedroso de Lima,
Bazilio Romualdo G"ncalves Gincalez, Antonio
Gonralves Loureneo, Manoel G. Porto e Francisco
Cordeiro AI ves.
Sabidos para os portos do sul no vapor La
Plata : '
Osear Colleau, Domenica Jliveflo, e Luiz Bey-
mutz.
Vindos no vapor Jaguar befa Granja e por-
tos intermedios, no da 25 :
J vinano Fernandes da S. Manta, S. Furiat, Ri-
cardo P. de Sant'Anna, Dr Joo de H. Cimba, sua
senhora, e 2 lilhos, Agostinho R. da Bocha, Brago
relo. J'-ao R. Torres, Julio C. Barrrto, ua senho-
ra, 2 criados e 4 escravns, Ah\nso R. de Albu-
querque, Mam el Francisco do S"lo, I lllho
e 1 escravo. Eloyd O. de -Snuza, Manoel Fer-
reira da Costa, Sel asliin de P. 1 jvalrant, Goncaf-
lo Delphino de Paiva Cavalrmiti, Manuel t, Vaz da
Silva, Francisco Xavier de Menezes, Pedro J. Gon-
calves da Silva. Francisco R. MonViro, Canuto S.
ile Souza.tenente-c.ronel Gudherne P. de Aieve-
do, t filho, 1 criado, e lescravos, Porapilio Alves
Fernandes.
V mos de Lisboa,no patacho portuguea afana
da Gloria :
Dusrte D. Homem, JosA Ignacio de Medeims,
Vindos no vajwr Toatntins, dos portos do
norte, no dia 25 :
t
?
"T
*
I
t
.^V


Diario de Pernambuco Segunda feira 29 de Marco de 1869.
(toque) Jalicn. Man >H ('.. Tavares, los l. da
Magiw o I esc Cavaleanti,
Antonio ('. :i-\. J a
Antonio M. da Silva, l.m/
mu L. da Silva, Es| ta.|uio"'ulary, Fi an-
risco J. da Silva, Antonio Luege, Aron Cano, Be-
rund Suel, Joaquim V. Pereira, Sebastiao A. de
Meh> Reg, i pravas de polica
Gom destino ao sul \ici\un n'eto vapor: D.'
Abbalc de S. Beato. Jos Leocadio Ferreira S la-
res, Manoel C. F.-rnancle-i Vieira, Joo Jos de
Freitas Guimaraes, Eduin Millboum, 2 aprendices
mariuheu*09 Miguel Joauaim Souza Vasconcellos,
los Mondes de Freitas Manoel Castaotaelro, 2 re-
crutas, 1 escmoa a estregar.
Vindos no vapor Parahyba, do Kem-do ej^Ia-
ce.i, no da 26 ;
Tiieodoro da S. Jatany, Pedro Jorge ta Silva
Ramos Jnior.
Viudo* no vapor Polengi. de Aracaj e Ma-
cei DO dia J6:
Dr. Amerieo Militan de F. Ouiiares, sua s.-
ahora, 2 lillios, '.i esclavos o 2 menores,, Mala-
Stias do Lago Guimaraes, Antonio Pedro da Silva
arpas e 1 ercravo, Jos Joai|uim de Olivira.
Antonio Vctor da Oneet\ii, Cesar Angosto
Zanotti, Bernardo Antouio de Uadeoca CasteHo-
Branco, :i pracas.
CEVHTRUIO'PUBLICO.Obiluariollodia 22 do
correte:
Luiz Franco da Silva. I Vruambuco, 33 anuos,
rasado Boa Vista ; herysifWa.
Joanna Pernanraco, 0 mezes, S. Antonio den-
ticao.
-23-
Ullysses Pernambuco, 8 horas, s. Antonio; con-
gestu cerebral.
Gertrudes, Pernambaeo, 2' anuo-. RecMb; tta-
no tr.nininlico.
Rita, frica. H anuos. solti-ira. S. Antonio ; con-
gesto cerebral.
2i
lasa, frica, ."I anus, csalo, S. Jos ; phtjr-
sica pulmonar.
Mainel Vieira Lopes, Pernambaeo. 23 anuos,
solteiro. I! a-vista ; anemia.
Igni.-io, Porna nbuo >, 22 anuos, R cife ; queda.
Luiz Jos Teixoira, Peniambae), 32 anuos, sol-
leir i, Butilo ; luportropliia do corara i.
Dr. Jos dos 'Sanios Nuiles de Oliveira, casado,
Boa-vista : disocio,
Jesuiuo, Pernambuco. 8 mezes. Santo Antonio ;
dentico.
Harta das Dores L. de Azeved >. Pernambu-
co, Cauda, S. Jos ; tubrculos pulmonares.
Laura, Pernambaeo, 9 metes, Boa-vista ; deu-
cSo.
25
Rosalina. IVrnambaco, Santo Antonio; espas-
mo.
Enii"lin la. Pernambuco, 4 dias, Boa-vista ; in-
tenta.
Hara, frica. 56 anuos. Boa-vista : hepatito.
BJeardina, Pernambaeo, 10 anuos, Boa-vista ;
tosse convulsa.
appellad s 1>. Kinna Francisca da Oiceioai
Marta e outrosAppellantes os administrad
11 mana tillda de Bernardo Jos Pereira da n-
d-ido do l> Grande da Sul, app marte
lia |,s a ped lodos >rs. Epatados.

O Sr. desembargador Silva Guimariea iurou
susueicao e passou ao Sr. desembargador l
Silva :*appellanie Francisco d i Lago, appellados
os administradores da massa fallida do Joaquim
(tomes de Souza.Appellante Jos Rodrigues
do Araiiio Porto, appellados Izidoro Bastos & G.
Do Sr. desembargador Silva Guimaraes ao Sr.
nbargalor Reis e Silva : appellante Joao
Pinto de liemos Junidr, appellado Mariano Xavier
ariviro da Gunli
Do Sr. de-embargador Accioli ao Sr. desembar-
gador Souza Lea >: embargantes a viuva e her-
leiros de Jos lligino de Miranda, embargado Joao
Bus: on.
IH8TRDUOOK8.
Ao S*. desembargad >r Silva Guimar"s: ap-
pellante Joa i Pureira dM Santos, appellado Jos
vivir de Gos: appellante Joaiuiui Francisco
Ribeiro, a ip '' 11 > Osear Bo*tibcaux.
Ao S idor Reis e Silva : appellante
Antou'j) Jitaqnlih Salgado, appellad Ao! mi Gon-
calvel Ferreira.
Nada ninis hura, e encerru-se a sessao a
ini'ia hoja dentc que estn da las as lorias.
;0 DE Md.
.PRBSIDK.XCU DI i:X\l. Sn.DKSEMOVH
Voltimes sabidos rom fazendas
Ideui dem CO gen
183
431
til 7
de
tffregam bofe 50 de ni:
i ugleza- "1 irias.
Barca ingieza Floiting Clouddem.
Barca purtuguezaSeyuranravinhos.
Lugar inglezPe.wl earvao.
Escuna norte-allemao L-i Plata tanniia
trigo.
Ivcuna hollandezaCathnrinaassucar.
Barca ngleza=lHo/(?/ii? mercaderas.
Patacho inglez Portiaidein.
Brigue portuguezBenvhuio lagedo.
Patacho qonuguez Morid da Gloria = uiuisu*
gneros.
Vapor inglez Sahiremoreadoras.
Barca portuguezaSaphire ideni.
KEGEUEDDUIA DE KBNDA8 INTERNAS GE
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 21. o8:80J'ii2
dem do dia 27...... l:800)00
60:00G112
FUBLIGAGGES A m
Offl ABVOGADO,
Deua
Da qtieai onvio dizT, de que
mandou a Jacob offr.reccr Isaac em kolo-
ca n*to f
Isaac foi nffercciilo sacrificio por Abr i
SM proprio pai, (Gcaesis Cap. 2), e nao
por Jacob.
Qiiawlo Isaac foi levarlo ao sacrilicio na
tona da visao, era menino, (citado Cap. V.
11), milito (lepis, na idada ele 10 anuos,
casou com Hebecca, de quem teve Jacob
contando j uns GO annos, (Gnesis Cap.
26. Vv. !20 e 20), como pois podia Ja-
cob antes de nascer sacrilicar Isaac scu
pai ?
Historia sagrada cousa mnito fina, nao
negocio de trovar, onde todos mctlein
o seu bedellio...
O meliior de ludo isto que se invenlott
este pedaco de historia em utna minuta de
aggravo, fallando pessoas egregias !
Socul.
limentn ii i
Idein do dia 27
CONSULADO PROV1XGIAL.
Jia I a ti
I30:95S503
4:0il3I3
(IROMIA JUDICIARM.
TRIRI.\AL IlO C'OSSISJIU'I
ACTA DA 3ESSAO ADMINISTRATIVA Di-: -22 DE
MARCO .
uic.vDcm aitssLMo
FRANCISCO PGHBTTI.
As I!) lioras da manla, reunidos os Srs. dopn-
lados Rosa, bario de Craaogv c supptente S toi-
to, faliaih por incommMiado o Sr. depotado
Miran la Leal. S. E\c o Sr. presidente declarou
aberta a sessao.
Lida, foi approvada a acta da sessao antece-
dente.
EXPF.OlKN'Tr.
Aos Srs. deputados foraui distribuidos os vros
oopiadorea (3) perteneentes a Tiieodoro Simn &
C, II. Oettll & C e Rabe Sclimettan c ('..
O Sr. secretario expedio un officio do secreta-
rio do tribunal do commercio da capital do impe-
rio c.n resposta ao qne receben com data de 2
do eorrente.
PESPACUOS.
Reqaerimeolo do Lnii Antonio Seqneira, com-
merc.ia ite matriculad >, oforeeeudo reg-tro urna
prosaraci bastante qne Ibera escrewr c fura
par ello assignadi, rou-tilnindo seas procurado-
res em t. lugar a Francisco Vieira Perdigao, em
2.- a Luiz de Moraes Gomes Ferreira e em 3. a
Francisco Joao de Ranos. RegHtre-se.
Dito de Francisco Leitao de Carvalho, Portu-
guez do 30 anuos de dado, e-iabelecido na cida-
de do Poned i provincia das Alagoas, onde mo-
rador,'com armazn) do mdhados agrossoea
retalho, pedindo Ber adatando matricula. (At-
testam em abono do peticionario nao s os com-
mereianies J >- Mana Goncalves Pareira, Luiz
Gamp is. Man tel Theotonio da Silva mas tambem
o Dr. juJ momcipal e do rommereio da dita cida-
de.)Vista ao Sr. desembargador fiscal.
Dito de Amaral, Moreira & C, para se llies
certificar se existe registrada algiima escriptura
antenupcial feila por Jos Francisco de Oliveira
Pelisco.Como requerem.
Dito de Jos Victorino de Rezende & C, pedin-
do que se lo is registre as nomeaedes de seos cai-
ceiros Alfredo Goncalves Peroira Lima c Jos
Francisco da Costa.G un requerem.
Dito de Aramio Fernandos Alvos Lima, re-
gistro de seu contrato social.Vista ao Sr. desem-
bargador fiscal.
Nada mais havendo a tratar-se foi encerrada a
tale, sen lo que apesar de ter ehegado depois
da encerrada a sessi i o oili rio da junta dos cor-
retores acompanhado do boletim commercial da
semana prxima passada, deliberou o tribunal
quo loase incluido na arta da presente sessao,
scientificando-se a dita junta de quo as cotacoes
deven ser apresentadas s 10 horas da manla
como j em mitra oieasiao se lhe fez ver.
SESSAO JUDICIARIA EM DE MARCO DE
1869.
PRESIDENCIA DO EMX. SR. DBSEMBAnGADOB A. F. PE-
RETTI.
Secretario, Julio fuinariies.
Ao meio dia declarou-se aberta a sessao estan-
do reunidos os Srs. deseatbargadores Silva Gui-
maraes, Reis o Silva. Accioli e Souza Lean, e os
Srs. deputados Rosa, harn de Cruaugy c depota-
do supplente S Leitao, faltando coiu participacao
o Sr. Miranda Leal.
Lida, foi approvada a acta da precedente ses-
sao.
O ewivao Albnquerquc registrou o ultimo pro-
tejo de letra a 16 do correle mez sub o n. 1731;
c o escrivao Alvos de Brito a 17 do inosmo mez sob
o n. 1663.
JU.OAME.VrOS.
Jnizo especial do commercio : embargantes ap-
pellantes embargantes 3 * Manoel Jos Patricio o
outros, embargado appellado oxeiiucnte Manoel
Alyes Ferreira, executado Joao Deodato Bowman ;
juizes os Srs. Reis e. Silva, Accioli, Rosa c baro
de Cruangydespresados os embargos.
Appellante appellados Jos Mara Goncalves
Pereira, appellante appellado Bclarmino Pinto de
Araujo.Nao fb prbposto por nao estar presente
o Sr. Miranda Leal.
Appellante Arminio Pessoa de Albuquerquc, ap-
pellados David William Bowman c outros.Ap-
pellantes Antonio Correa de Vasconcellos & C,
PRAGA DO RECIPE 27 DE MARGO
DE 1869.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDE.
Algodaoda Parahyba i* sortc 16*600 por ar-
roba posto bordo a frete de 1/2 d. e o 0/0
digo lio da Parahyba 2a sorte155 >i>.) por arroba
posto a bordo a frote de 1/2 d. e 5 0/0
Dito de dita 1* sorte-i 61350 por arroba posto a
bordo, a frote de 5/8 d. e 5 0/0
Cambios sobre Londres 90 d/v 18 7,* d. e l%d.
por U000.
Cambio sobre Paris90 d/v 510 rs. por franco.
Descont de lelras=80,'0 ao anuo.
F. J. Silveira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
BANCO MUA & C.
Una do Trapiche n. 34.
Desconta lettras co umerciaesa taxa con-
vencional. Recebe dinheiro, a premio con-
vencional, por lettras e em conta eorrente.
Conferc crditos, saca sobre as primeiras
pracas do imperio, Rio da Prata e Euro-
pa, o compra cambiaes solire as mesmas
pravas.
Encarrega-se, por commisso, da com-
pra e venda de fundos pblicos e aeces de
oompanliias, da oobranca de lettras e di-
videndos ou de seu pagamento, e de qual
ijuer outra operado bancada.
O expediente para o publico comecar
s 10 horas da manba, e terminar s 4
lioras da tarde de todos os dias uteis.
ENGLISH BANK. .
Of Rio de Janeiro Limited
Desconta lettras da praga taxa a con-
vencionar.
Recebe dinheiro em conta eorrente e a
prazo fixo.
Saca vista ou praso sobre as cidades
principaes da Europa, tem agencias na Ba-
ha, Buenos-Ayrcs, Montevideo, New-York
e New-Orleans, e imitte cartas de crebito,
para os mesmos lugares.
Largo do Pclourinho n. 7
CASA DE CUIDO
Tiieodoro Simn & C.
Vendem
Soberanos 13*700
Ouro nacional ) 54 1/2 o/0 de pre-
13i:999-5838
PIUCA DI) REQFE
EM 27 DE MARCO OR 1869, H :! HORAS DATARDI.
Se5']V3>*TA 2J.MA\.n..
Cambios.Saccna-se sobre Londres de 18 7/8 a
W d. por l; aobre Paris de 500 a SIO reis por
Ir.; subindo a 130.000 ossaqoa effectuados
nesta semana.
ALOOD.VO. Vendeu-se o de Pernambuco do
Mi a t "-SO a arroba; o de Bateiposto a b.irJo,
a lii -i' 10 i o da Parahyba, tambem posto a bord t,
de I6JW30 a I ti,i500.
Assucar.Vendeu-se' o ndascavado pareado de
3J300 a 3,5900 a arroba, e o bruto de 3,5130'a
;; 1500.
AsoARonm,Teodeo-so de 925 a 955 a pip l
('.irnos.Os soceosesalgados vaadenun-se de
250 a-gfirs. por libra.
Arroz.Opilado da India vendeu-se a 3200
a arroba.
Azeite-doce.O de Lisboa obtevo 3^100 pjr
galn.
Batatas.Vonderam-se a 3X500 a arroba.
BoLACHiRHAS.dem a i-5 a barriquinba do 22
libras.
Caf.dem de 3100 a 6| a arroba.
Cha.dem des2200 a 25780 a libra.
Cervkja.A dalia de garrafas vendeu so a
11500, 35200 e 8200.
Farinha or trigo.Venden-sc a retalho de 10 I
275 por barrica da de New-York, de I8# a 30 >
da de Hielimond, a 27 a franceza, de 304 a 31 >
da de Trieste, de 105 a 111 o sacco com 100 libra-
da do Cbile, o a H230 a da California; flcaiid-.
em deposito 7.800 barricas da primeira, 600 da
segunda, 400 da tern-ira. 15.600 da quarla, 2i,000
saceos da quinta e 500 da Dirima.
Louqa A ingieza ordinaria ronden-se com 440
poreentode premio sobre a factura.
Mvvram.Vandeu-se a ingieza de 15170 a
15200 o a franceza do 880 a 880 rs. a libra.
Hassas.dem a 105 a caixa.
Ole db lcthaoa.dem a 25400 por galo.
Passas.dem a G5 a eaixa.
PitEsr.NTos.dem a 20 5 a arroba.
Qeijos.Os BameagOB venderam^e a 25200
cada un.
Sarao.Vendeu-se o ingloz a 170 rs. por libra.
Touci.niio.dem o de Lisboa a 115 a arroba.
Vinagre.O de Portogai vendeu-se de 1205
a 138-5 por pipa.
Viniios.Venderam-se os de Lisboa de 2303 a
3005000 a pipa o os de outros paites a 2083-
Velas.As de composigao regularam a 680
rs. o pacote de 6 velas.
Descont.O rebate de letras regulou do 8 a
10 por cento ao anuo.
Fretes.I'elo hlgodSo, carregando em nosso
porto, para Liverpool ,'; d. 5/8 por libra 5 % I
pelo assucar para o Canal 33/ a 3 %
; io mirado na d'n 9$
Pene i i it;i<, \ Pn-
''''"' unante Ul
lanhia Pornani-
l.,\iT|ioil por Lis 22 olas sendo do ultimo 16,
vapor inglez Sapkife, de \i\ toneladas, com
mandante F. William, et|uipagem 2V. carza fa-
Z'Mnlas o outros gneros ; a Saunders [(roten)
A C.
Uha do Meio17 dias. blrea ingieza To,m, de
298 toneladas, capitao Befcar, cquipagem II, em
Jostro; itnlem.
Aracatv e poriua intermediosd (lias, vapor bra-
sileo Poengi, do i'M toneladas, commandante
l'i'H'ira, equijiagem 30, em astro; -ompa-
nbia Pernamnucana.
Navio snliiili) no wtesnto dio.
Poitos do SulVapor brasileiro Tcruntiii-, com-
mandante Jos M. 1-. Franrp, carga dilk-renles
gneros.
JVirit/iK entraiot no dt 27.
Sonthampton e portea intemwdi s 17 das, vanor
ingles l. daatoA. 11 ole. oquipagom 130, carga varios g-
neros ; a Adaui milm ieeAC
Rnncorn57dias. pitacli i inglez Conrtde,io 211
toneladas, eapitau Alexandre Scott, eqnipagera
8, carga carvo ; aTa miaz Jefleries & C
Liverpool36 dias, brigue inglez Sigan*, de 222
toneladas, capital H. SchraJer, equipagem 13,
carija vario- e i UUI9 (a'iain & ('..
Liverpool15 dias, brigue inglez Uoomer, de 187
toneladas, capitao R. Chadooek, etraipaaem 10,
raiga varios gneros; a Saunders B.-otliers
'.laII dias. barra pnrtngueza Araso, de 309
toaMadas, capitn Rofino dos Santos Valcute,
equipagoui i->, carga eharalos, cal o lastro ; a
oraam.
Ass-=--l2dias. biatc brasileiro Sobrrlcnse. de- OT
toneladas, olpUao Antonio ti. Pareira, equip-
is o 8, carga sal; a S Leitio lrmo.
New-rleans60 dias, barca liespanlmla Comeen-
don, capitao Francisco Pape-, equipagim 14,
earga li.'io barricas com farinha de trigo; a
Pereira Larnciro & ('..
Nw-Castlo por lleil3i dias do ultimo porta, bar-
ca ingieza Owuri. da 363 toneladas, capitao I!.
Patn,equipagem 14,carga earvao; ordem.
Seguio |iara o Csbo'da Ba Esperanc.
Brskl23 diai, capor brasileiro JtoMow, do 107
toneladas, capital s. Rock, eonipagem 15, em
lastro : a conipanliia Pernambucana.
Nava* tamd'U no mamo Ha.
Hio de Janeiro e Balda -Vapor inglez La Piala,
commandante Hote.
LisboaBrigue pirtugucz Constante l, capi'ao
Antonio I'in. carga assucar.
LisboaBrigue portugnoz Bella Figucirense, r-
pita i Jos C de Carvallo Sobrinbo, carga assu-
car e ontroe gneros.
Rio da PrataBarca portugueza Novo Elisio, ca-
pitao Luiz Francisco da Cuaba, carga assucar*
e aguardante.
MaceloBarca ingieza Zcnnm, capitao J. Brown,
eln lastro.
mulalinho.
eiga fraile
Pao de \ e 3 cucas.
Tonciiibo.
Vinagro.
As pessoas que quizerem ?c propor devein apro-
sentar suas propostas em oartas fecliadas acom-
panbadaa das amostras, na sala da directora no
dia 30 do crreme, as 11 lioras-da manota.
Directora do arsenal de guerra de Pernambuco
23 do marco-de 1869.
Orseirplurario,
Jos Alfredo de Carvalho.
THEATftO
DE
N
EMPIEZA DRAMTICA
DE
Domingo 28 de marro ele 186),
Definitivamente ultima represenUeSo do mag-
nifico o apparatoso drama histrico de grande
especiaculo
ou
A descoberhi da America.
Dar lim ao espectculo a gi-aciosa comedia
O reerutamento na roca.
Coniccar as 8 horas.
iioii:.
Segunda-felr:i 99 de mareo.
0." RECITA DE ASIGNATURA.
ESPECTCULO EM GRANDE GALA PARA
SOLE.MMSAIt 0 ANMVEItS 10 DA COXSTli'UlCO
POLTICA DO IMPERIO.
A chegada de S. Bxe. o Sr. presidente da pro-
vincia cautar-se-ba perante as ofllgies de SS.
IL II.
0 HYMXO \\riO\AL
Segu a primeira representacao do drama em
1 prologo o 3 actos, original portuguez do Sr.
Corroa de Barros
COJPAMA BBASILEIRA
na
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte o esperado
al o dia 8 de abril p. f. o vapor
Cruzeiro do Sul, cuuiinandante
Alcoforado, o qual depois da de-
mora do costume seguir para os

Desde j reeebem-se passageros e engaja-se a.
carga que o vapor poder eonduzir, a qual deveri
ser embarcada no dia dosuachegada. Encommen-
das c dinheiro a frete at as duas horas do dia da
sua sabida. .
Nao se rerchom como cncommendas senaoob-
jectos de pequeo valor c que nao excedam a_ 2
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos do medican.
Tudo que passardestes limites devora ser embar-
cado cuino carga.
Previne-so aos Srs. passagoiros quo suas passa-
fens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57.
andar, eseriptork) de .Wtonio Luiz de Oliveira
AtBVOiO A: C.
Nawios- entrados no dia 2o
Para c portos intermedios 9 das, vapor
brasileiro Tocantins, de 750 louelladas, | soberanos
DECLARACOES.
CASA DE
ieodoro Simn & C.
Compran) c vendem por conta propria
metaes, moedas oaeionaes e estrangeiras,
letras de cambio, sedlas do governo c do
banco do Brasil.
[toscoiitam letras da trra c outros titti-
losloinmerciaes.
Encarregam-se por conta alheia das mes-
mas transaceoes, da eobranca de letras da
ierra e do outros ttulos commerciaes.
Recebem quaesquor quantias em deposi-
to, em conta eorrente, e a prazo fixo.
Largo do Corpo Santo n. 21.
THEODQROTlMON & C.
Vendem
a 13*700
portugez
Sedulas do governo
mo
11/2 o/0 de pre-
mio
de 1 a 3000 )
Largo do Corpo Santo n. 21
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 1 a 21 .
dem do dia 27 .
864:887*C3i
25:3464843
800:23i<'i97
MOVIMENTO DA ALF.VNDEGA
Volumes entrados com fazendas 312
dem idem com gneros
-----529
commandante Jos Mara Ferreira Franco,
equipagem 52, carga dilTercntes gneros,
a Antonio Luiz de . Azevedo & C.
Granja e porros intermedios 9 dias. Vapor
brazileiro Jaguaribc, de 459 tonelladas,
commandante Manoel R. dos Santos
Moura, equipagem 30, carga differeutes
gneros a companhia Pernambucana.
Glasgow por Lisboa e S. Vicente35 dias,
do 1. porto sendo do ultimo 13, vapor
inglez Sarment, de 56 tonelladas, ca-
pitao A. Deusar, equipagem 14, em lastro,
a Adamson Howire A- C.
Rio de Janeiro18 dias, barca portugueza
Sapkira, de 43 tonelladas, capitao Jos
Francisco da Gunba, equipagem II. carga
300 saceos com farinha de mandioca e
outros gneros, a Thomaz de A. Fon-
seca & C.
liba do Sal23 dias, escuna Ingieza Caro-
Une Gcedyear, de 147 tonelladas capitao
Wlilian, equipagem 7, carga sal, a Ordem.
Lisboa23 dias, patacho portuguez Marta
da Gloria, de 184 tonelladas, capitao An-
tonio de Barros Valente, equipagem 10,
carga vinho e outros gneros, a Eusebio
Raphael Rabello.
Navios saludos no mesmodia.
Rio Grande do SulPatacho brasileiro El-
vira, capitao Joao Ignacio de Mello Jnior,
carga assucar.
CanalBrigue inglez Taid Rabani, capitao
Crosby, carga assucar.
Macei Barca ingieza Olinda, capitao
Prowse, em lastro.
Valparaso Barca ingieza Gonrad, capitao
W. M. Alexandre, em lastro.
BostonPatacho norte-alem5o Nicolau, ca-
pitao Nibbe, carga assucar.
(hiladelphiaPatacho norte-alemo Venedey
capitao F. Muller, carga assucar.
PortoBarca portugueza Flor de S. Simao,
capit3o Antonio de Salles e Silva, carga
assucar.
HavreBarca franceza Coliga, capitao Ni-
colaus, oarga couros e outros jjfenerds.
ParahibaVapor ingiez Chrysolite, com-
inandante W. J. Gell, em lastro.
Duro nacional )
) a 54 1/2 [0 de premio.
p irtugnez )
Sedulas do governo) 1 1/2 % de pre-
de I a 5M>iiO )- mi.
I/irgo do Corpo Santo n. 21
^\J^^Jl
Personagons do prologo.
Manoel de Castro......Sr. J. Angosto,
Antonio de Freitas. ...... C. ocha.
Augusta de Castro......Sr.' D. Juba.
Margarida, criada...... D. Francisca
1", 2" o 3" actos.
(Jmdoodo.......Sr. J. Angosto.
0 bario do Paralita. ... Thomaz.
Macelo, advocado..... Eduardo.
0 conde de Soutello. ... C. Bocha.
Dr. hiendes....... P. Costa.
Andr, criado...... Martinho.
O administrador do bairro. Geovani.
I'oi .nado....... Florindo.
Mara........Sr." D. Julia.
A baroneza de Paralita. Clelia.
Eugenia........ Carolina
Gerirudcs, criada. _. Apolonia
Dennminarao dos actos.
PrologoDeshonra e loucura.
1. acto | Um grande da torra c um eleito do
co !
2. actoO algoz o victima.
3." actoXobreza.
A aecao passa-se : no prologo ,-m 1847 em urna
pequea aldea do Traz os Montes o nos Io, 2" e 3o
na actualid.-.do em Lisboa.
Os bilhetes estao desde j a venda no theatro.
Quarta-feira 31 de margo.
BENEFICIO DE J. AUGUSTO.
Sobe a scena o acreditado drama em 5 actos,
ornado de msica
sasi_
americana e brasile-
ra de paquetes a vapor.
At o dia Io de abril esperado dos portos do
sul o vapor americano South America, o qual de-
pois da demora do costume seguir para New-
York tocando no Para e S. Thomaz, para fretes e
passagen* trata-M com os agentes Henry Forster
& C, rua do Trapicho n. 8.____________________
COMPANHIA PEHNAMBICA.NA
DE
Xavegafo cosfeira por vapor
Porto de Gallinhas, Bib Formoso e
Tatnandar.
O vapor Mamanguape, com-
mandante Oliveira. seguir para
os portos cima no dia 31 do eor-
rente a rucia ooite. Ilecebe car-
ga, enconimenda. passageiros e
dinheiro a frote no escriptorio do Forte do Mal-
los n. l.____________
lio de Janeiro
Segu com multa brevidade para o porto cima
a escuna diiianiarqueza lite, tem a maior parte
do sen carregamen o engajado : para o resto que
lhe talla tiala-so com Amonio Luiz de Oliveira
Azevedo A C. rua da Cruz n. 57, Io andar. ____
Para o indicado porto pretende sabir em pon-
eos dias a vek-ira o bem conbecida barca Social'
capitao Bocha, por ter a maior pane do seu car-
regamento prompto, o para o resto que lhe falta
e passageiros. para os quaes lem bous comniodos
trata-se com o consignatorio Joaquim Jos Gon-
calves Beltrio, rua do Trapiche n. 17.
S 1NTA CASA DE MISEHICORDIA DO BECIFE
Pela secretaria da Santa Casa de Misericordia
do Becife se faz sciente quem convicr, (|ue o so-
brado n. 3 A sito rua Augusta Ti a casa terrea
n. 39 da rua dos Pescadores, osto sujeitas se-
guinte disposcao testamentaria, com que faeecu
. Esmenia da Conceicao Souza, m-iher do Dr.
Jos Joaquim de Souza :
t Declaro mais que instilo por herdeiros de
ininlia nieia ac^-a) ao mcu marido o Dr. Jos Joa-
quim de Souza,"com a obrigacao do com sua mor-
te passar a terca de ineus bens para os meusir-
mos o padre Jos Leite Pitia Ortigucira e D. Car-
ila Esmenia da Conceicao Leito, aos quaes tam-
bem instituo por hordeiros damesma terca na con-
lormidade do que fica disposto, e no casi de que
nao sobrevivam seus irmaos seu maride, a terca
que ellos pertencer, vontade sua que passep:ua
o hospital de caridade quo fica assim instituido."
Secretarla da Santa Casa da Misericordia do Be-
cife, 5 de marco de 1869.O escrivao, Pedro Ro-
drigues de Souza.
Personagons. Os senhores
D. Cesar de Basan.....J. Augusto.
D. Garlos II do Hespanlia. C. Bocha.
D. Jos de Santarem Io ministro Jos Victorino.
O marquez ,do Montefivro, go-
vernador dos passarinhos. Martinho.
Porcz........Lessa.
0 barqueiro......Santa Bosa.
Soldado........Guimaraes.
1 fidalgo.......Jordani.
2 dito........Florindo.
Un alcaide.......Brochado.
Lazaiilho, armeiro.....Carolina.
Maritana, cantera das ras. Julia.
A marqueza do Montefivro. Francisca.
Povo, fidalgos, arcabuzeiros etc., etc.
Segu pelo Sr. Martinho. a linda cansoncta
O DJH'DIXIIO.
D fin ao espectculo a primeira representacao
da comedia em l acto ornada de msica
Izidoro o vaqueiro.
Izidoro........Brochado.
Luiza........A|wlonia.
Magdalena.......Carolina.
Vismbos etc., etc.
J. Augusto tudo espera do Ilustrado publico.
. Os bilhetes acham-sc no theatro do terea-feira
de tarde em diante. ______
COMPANHIA PEKNAMBUCANA.
HaTega^o cosclra por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Wossor, Ara.
caty, Cear, Mondah,Acarac
e Granja.
O vapor Ipojuca, commandante
Martins, seguir para os portos cima
no dia 31 do eorrente as 5 horas
la tarde. Recebe carga at o dia 30, encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at as
i horas da tarde do dia da sabida no escriptorio
od Forte do Mattosn. l__________________
Rio de Janeiro
Para o indicado porto segu com milita brevi-
dade o veleiro e bein conhecido brigue Adelaide.
por ter a maior parte do carregamento tratado ; e
para o resto que lhe falta e escravos a frete, tra-
ta-se com o consigna! irio Joaquim Jos Goncalves
Beltrao, rua do Trapiche n. 17,______________
COMPANHIA PEILNAMBUCANA
DE
.\avcga?o coslera por Tapor.
Macei escalas e Penedo.
#^?\y O vapor Giijui, commandante Aze-
xT|t vedo, seguir paraos portos cima no
de. Recebe carga al o dia 30, encommendas,
passageiros c dinheiro a frete at as 2 horas da
tarda do diada sabida no escriptorio do Forte do
Mattos n. 12.
O administrador da recebeona de rendas
internas geracs declara que tendo-sc concluido o
lancamento do imposto pessoal do excrcicio cor-
rente de 1868-69 das freguezias de S. Jos e Boa-
vi-ta, fica marcado o praso desto mez e de marc.o
futuro em que deve ser pago o referido imposto,
sem multa, das sobreditas Begonias, como deter-
mina a ordem n. 17 do ministerio efepzenda de
30 de Janeiro ultimo.
Rocebedoria de Pernambuco 19 de fevereiro de
1869.
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
AVISOS MARTIMOS.

Loanda
O brigue portuguez Bemrinda, capitao Silva, a
ebegar de Lisboa, saldr para Loanda poneos dias
depois de recolhido a este porto : pode receber
alguma carga, o trata-se com o seu consignatario
Joaquim Gerardo de Bastos, rna do Vigario n
16, 1 andar
Para o Porto
Segu sem demora a barca portugueza Aoro
Silencio, por ter grande parte da sua carga promp-
ta, para o rosto o passageiros aos quaes offerece
excellentes commodos trata-se com Oliveira Filhos
4 C, largo do Corpo Santo n. 19 ou com o capilar
na praga do commercio.
LEILOES.
Arsenal de guerra.
De ordem do Illm. Sr. director faz-so publico
que o arsenal de guerra tem de contratar para o
rancho dos aprendizes menores do mesm arsenal,
pelo tempo de tres mezes, a contar do Io de abril
prximo a 30 de junho, os gneros abaixo decla-
rados ;
Assucar refinado de 1* e 2* qualidade.
Arroz pilado.
Azeite doce.
Bacalho.
Cha da Iedia.
Caf em raroco.
Carne verde.
Carne secca.
Farinha de mandioca.
COMPAIHIA
DAS
Messageries imperiales.
At o dia 30 do eorrente mez espera-se dos
portos do sul o vapor francez Extramadure, com-
mandante H, de Somer, o qual depois da demora
do costume seguir para Bordos tocando em
Dakar (Gore) e Lisboa.
Avisa-se aos Srs. passageiros que por dehbera-
oao do conselho do administracao se acbam redu-
idos de frs. 123 as passagens de segunda classo
para Bordese Lisboa,assim como se concederam
bilhetes de ida1 e volia para os portos do Brasil e
Bio da Prata com 2o % de ahatimonlo pelo lempo
do seis mezes.
Para condicoes, fretes c passageus trata-se na
agencia rua ao Commercio n. 9.
De 60 saceos com cevada do Rio
Grande.
HOJE
O agente Pestaa far leilao por conta e risco
de quem pertencer de 60 saceos com cevada di
Bio Grande em um ou mais lotes, as 11 horas da
manba no largo da escadinha da alfandega arma-
zem do Sr. Azevedo._________________________
LEILAO
de importantes joias de bri-
Ihantes, dous escravos e mo-
vis.
A SABER:
Um rico broxe moderno de brilhanles, 2 pul-
seiras tambem modernas de brilhantes, 2 alfinetes
de brilhantes, 1 par de rosetas de dito?, 1 di d.
RUA
IDO
CiVBUG
esquina
ANNEL DE OURO
III A
EO
DE w^_-_
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortimento sem igual*
\a n lar* a e vende por prepos que nenhuma outra casa pode vender.
da rua larga ao vigta ^ qualidade e do preQ0 das joias cada um pder-se-ha convencer daverdade.
Rosario. Garante-se ser tudo de lei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por prepos muito ele-
vados. P
- A1 loja est aberta at s 9 horas da noute.
CABG j,
esquina p*
da rua larga do III
Rosario. ry



Diario de Penianibuco - Segunda feira 29 de Marqo de 1869.

lo com brilhantes e pedras verdes, 1 pulseira coni
um rubini e 4 perolas, 1 rico colar de tilagrana.
4 importante pulseira de coral cousa muito rara,
1 allinete c rosetas de ramaptteu ricamente eneas-
toado, 2 re gios de algi ira ingltszcs, colheres
de prata para sopa e rh, Uvas e palileiro, i es-
erava de 18 annos com habilidades, 1 escravo de
S6 annos, eupeiro pintor c ca niceiro, 1 oxeel-
lente piano moderno com pouco u-o, 1 mobilia de
Jacaranda com l cadeiras de guarnicSo, 2 de
bracos, 2 tan de bataneo, 1 so o 2 bancas en-
talhadas, 1 sof e 11 cadeiras de Jacaranda, 2 ri-
cas bancas de (toarlo, 2 guarda vestidos de ama-
relio, I guarda mupa, 1 cama de Jacaranda, 1 toa-
ltaete, 1 lavatorio de raogno, 1 cama para menino.
1 carrinho do 4 rodas tamben para menino, 1
guarda louea. > tnmtm, 1 wpam donrado, 1
mesa ela-tica, bereo, quartinheira, 1 retrete de
Jacaranda e 1 carroca para conduir fariuba de
trigo.
Terca feira 30 do corrente.
O agente Martina far leilao competentemente
autorizado das joia*, estraves o movis no sobra-
do da ra do Padre Floriano n. 7, as 10 horas da
manhaa.
I]
Da
UUIUE
taberna sita uo paleo lo
Tcreo u. 68.
Teira-fira :i() do corrente.
O agento Pestaa legahnente autorizada far
leilao por conta e risco de naeni pertencer dos
gneros, aiina.;ao e na's titencilios existentes na
tatema aeima dita, ente estabelecimenlo est bein
collocado para 'Liberna a jvtdlio, teto os genero
novos e poneos fondos para dormida, n p >r is-
se torna rerommendavel para principiante e faz-^c
qualquer negocio mesmo com praio garantido, na
da terea-ft'ira 30 do crrente ao meiu dia nomes-
uio estabelecimento.
Joaquim Jos Gon-
palves Beltro
aUA DO THAP1CI1E N. 17, l. ANDAR.
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
al do Minho, era Braga, e sobre os seguin-
tes logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valeria.
Guimaraes.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Njva de Famalico.
Lamego.
Lagos.
Covilha.
Vassal (Valpassos).
Mirandeila.
Beja.
BarceHos.
BARTllOLOMEU a 0.
LEfLAO
l)e urna grande casa do unu > no Parnameirim
rom 3 salas, 12 quartos c dispon-a, con grandr
sitio murado na fenle, crea d- 1,080 palmos
de frente e 1700 ue Cundo, con umitas e ezeel-
lenies rrurtetns e baixa de caphn.
Turca-1'cna 30 de mareo as I1 horas
em ponto.
O agente Pinto conipeUniemenle au'orisado fa-
r lenao da casa e sitio cima mencionado do fl-
nado Ji.at|uin Jos de Au.orim (em SanfAntia)
sendo que dito sitio torua-se recommendado ja
pela- grandes prepi refios e aeeo:ninodaeoes que
ollerece e j por ser em chaos propros em cuja
fJTlXIDADE
Aos500 pares de brincos.
Chegou e vende-se no Corac3o
d'Ouro, ra do Cabng, brincos de
maosinhas com urna franja penden-
te a um rico desenho e ouro do
lei
cae
jiniim
PARA USO INTERNO
PREPABArfOS SIMPLES
Xarope de jurubeba garrafa. 44000
Vinho de jurubeba garrafa. WOO
IMulas de jurubeba vidro. I^BOO
Tmtura.de jurubeba vidro. 640
Extracto hydracoolico de jurubeba. I2500
PREPARADOS C6MPOST0S.
Vinho de jurubeba ferruginoso garrafa. 2000
Xarope de jurubeba ferruginoso garrafa. 1*000
Pilulas de jurubeba ferruginosa vidro. 2,5000
Oleo de jurubeba vidros. 640
Pomada de jurubeba pote !HQ|
Emplastro de jurubeba libra. 25500
PARA USO EXTERNO
, .. PA JMUKKSM.
f "la e h0Jc feconhecida como o mais poderoso tonteo, como um excel-
lenle desobstruentc, c como tal applicada nos engorgitamenfos do ligado o baco, as
hepatitis propriamente ditas, ou anda complicadas com anazarchas, as inflammacoes
(sequentestas febres intermitentes ou durezas, nos abeessos internos, nos tumores es-
pecialmente do ulero e abdomen, nos tumores glandulosos, na anazarcha, as hodrope-
zias, erysipellas ; e associada as preparaees ferruginosas, ajada de grande vantagem
as anemias, chloroses, faltas do menstruaco, leuconheias, desarranjos atnicos do
estomago, debutante orgnica e pobreza de sangue-, etc.
O (pie dizemos aiTirmam os mais distinctos mdicos desta cidade, entre os
quaes podemos citar os Illms. Srs. Dr. Silva Ramos, Aquino Fonseca, Sarmer to, Se*e,
Pereira do Carmo, Finito Xavier, Silva etc. Todos elles reconheccm a excellencia d'este
poderoso medicamento sobre os dentis at boje conhecidos para todos os casos citados,
i, pelo pequeo preco de IS^OOO ^i tantojque todos os diasfazcm d'elle applicaran.
ida par. baratissimo. Aptcsentando aos mdicos e ao publico em geral div
.r^twcttt^ixitmriH^ts^rJk 1>eba' tivemos P01' im generalisar mais o uso (Peste vegetal,
Preeisa-se de um menino para caixeiro de
una taberna, prefere-se um menino porluguo?
ebegado lia penco : a tratar na ra do Cabng n.
1 A.
Precisa-so de una criada para comprar o
eozinbar para urna so pesste, paga-se bem : na
ra de II irlas n. Gfi.
ersos preparados da*juru-
fazendo desapparecer a
KBj repugnancia que at boje sentiam os dnentes de usar dos"preparados empirieo? d'elle, e
A ps-
eos e molh
frente passa os trillios urbanos eperto de urna das !asn,'iaefs F1> ""t"-aJ<>'|ums as ptssdas qno
estacoes P "'l'"1 '"' "'lli;ir a s,;u respeito.
O Jeilao serA efleetnado as 11 horas do dia ae-!
ma dito no cscriptoriodo referido agente ra
Cruz n. 38.
Os pretendentes poderlo de'de j examinarem j Cadcia n. al.
dita casa e sitio, podeudo iiblerein do mesmo
agenle toda e qualqucr informacio a respeito.
mais das vezes repugnantes a tragarcm-sc, e que tinliam a'inda a desvantagem de nao
ser calculada a dose conveniente a appUcar-ie, o que torna muitas vezes improficuo um
medicamento, que poderia produzir ptimos resultados.
Os qqsso preparados so foram a presentados depois de havermos conveniente-
mente estudado a jurubeba, fazendo as experiencias precisas para bem conheccr aspro-
ptedades medicamentosas desta planta em suasraizes, folbas, fructas ou bagas, e a
issa que annuncioiT ter praica .i,--- llose conveniente a applicaciBi lendo alm d'isto procurado levar osnossos preparados
ia lo- deiso carta Dosla typegraphia com i" maior grao de petfeico possivel, para o que nao pout
poupatnos esforcos, nao nos im-
para o que
portando o pouco lucro que possamos tirar.
Por tanto os que se dignaran recorrer aos nossos preparados podem ter a
A\^v!3&^S?!ilSS^!i SS^f^r;!' Sa,;a"lia' dff se P^e encontrar, a prompta e infal.i-
I iraiar noeseriptorio de Leal & Irmao, ra da vel cura -le qnalquei dos &oiTrimcntos,qne dentamos inniiinerados, se forero em tempo
appltcados, tendo alm d'&so, medico cu doente a vantagem deescolber :ias ni ssas va-
riadas preparacoca, aquella que melhor Uie pode couvir. j pela fcil applicaco, e j pela
Precisa-se de qnalra ou seis escravo? bous
0 agente Ponina! vender co Icilao por auto
ri.-aeao de diversos, os pndios seguintes :
1 sobrado de U andares, soio pr-iprio, iHo ar
l)ecrii do Abren n. 0.
Mctade do sobrado de 2 andares site a ra da
Croa n. go.
1 parte do sobrado de .'1 ailares sito a ra da
Seala Velha n. 70.
ASIUHA E TSICA
UM DESCOB1UMENTO ESPANTOSO I
O xarope de fedegoso, de Pernambuco,
preparado pelo pbarmaceutico J. de A. Pin-
to, cura radicalmente a tsica e astbma, e
todas as molestias dos pulmes.
Podem ver-so os altestados de curas no
i casas terreas em okj forctro, sitas a travess.-. I tnico deposito das preparacoes de fedegos
Do xarope Vegelal Americano, espeelaiidade de Bartholomen JL O
34RA LARGA 00 ROSARIO34
No costumamos procurar altestados para acreditar nossos preparados, e d-
xamos que sua applicaco e os resultados obtidos. pelas pessoas que se dignaram acceita*
los, Ibes deem crdito e voga; porque s3o sempre os attestados considerados gratuito,
e delles que lancamSo o charlatanismo; mas, n3o querendo offender as pessoas qua
espontneamente nos olferyeram os que abaixo vio transcriptos, os fazemos publicar,
manifestando-lhes nossa gratidSo pela attenfao, aperando que venham elles corroboraj
o concedo, e acceitaco que tem merecido nosso xarope.
Barlholomeu & C.
ATTESTADOS
Illms. Srs. Bartholomeu dV-C com a mais subida satisface que declaro
ser o xarope Americano de urna eflicacia extraordinaria, pois que soffrendo ha das de
intensa tosse, ponto de nao poder dormir a noite a despeito mesmo de medicimentoi
que tomava, a elle recorr e na terceira colher fui alliviado, e de todo me acho boje res
tabelecido com o uso somente de quaaiineio frasco: grato, pois,' esse resultado mani-
fest a Vv. Ss. meu reconhecimento.De Vv. Ss. amigo, venerador e obligado.Ma-
noel Antonio Viegas Jnior.
Sua casa 20 de abril d 1868.
Illms. Srs. Bartholomeu & C.Penhoradissimo enm o favor que me fizerans
de aconselhar o uso do xarope Vegetal Americano, de sua composfrao, quando me acha-
va bastante doente de urna constiparlo, que me tornou complelamente rouio e ijue
trouxe urna forte tosse, e me impossibilitou de cumplir os meus deveres de cantor da
empieza lyrica, vou agradecer-lhes meu completo restabelecimenlo, que obtive com um
s vidro do mesmo xarope, depois de haver recorrido a muilos tratamentos. Desejarei
que outros como eu recorram ao seu xarope para se vercm alliviados de lo lerrivei
mcommodo, t3o fatal neste paiz. Com maior consideradlo contino a ser de- Vv. Ss.
atiento, venerador e obrigado.Luiz Cremona.
Recife,25 de setembro de 1868.
Illms. Srs. Bartholomeu & C0 xarope Vegetal Americano qno Vv. Ss. teem
exposto venda de toda eficacia para o curativo d'aslbma, confu me obstrvei appli-
cando-o a meu filho Joaquim, menor de qualro anuos; victima d'csse (lallo. que ;,te
entao por espaco excedente a dous annos havia resistido a outros xaropes do branda
nomeada. Queiram, pois, Vv. Ss. acceitar a expresso altamente siupTa de nitu reco-
nhecimento ao meritorio servico quelbe prostaram com o indicado *in pe. acreditan-
do-me para sempre deVv. Ss. criado, ltenlo e obrigado.Americo Netto ue Mendooea.
Becife, 2 deoutttbro de 18(18.
DE
Para aquellas que mais minuciosamente queiram conhecer as propriedades da
jurubeba, e sabciem a applicai;ao de nossos preparados, destribuimos gratuitamente
em nosso deposito um foicto, onde tratamos iiiais extensamcule d'esta planta e dos
mesmos preparados.
Deposito geral de todos os preparados
Roica e drogaria
34Rualarra do Rosario34.
Jas liarreiasns. J6 e 18.
Quarla-I'.ira ;n do corrente.
Ao /" andar do sobrado n. 1:2, ra bu Cruz, tu
it Juina.
Os Srs. proXydonn s p derio examinar os pre
lies cima, e dirigirem-^e a> agenta no caso di
precisan n^ AVISOS DIVERSOS.
Jos Soares doAzevedo, professorde
lingua e litterattua nacional no gymnasin
provincial do Becife. tem aborto em sua
casa, ra Bella n. 37, um
Cl'BSO DEi i\i;i v 1 uanceza
DE (i:o..llAI'lli.\ i: IIISTOIIIA
DE 'HII.OSOI'lliA
DE RIIETORICA E POTICA.
Os estudantes qno pretenderem frequen-
tar qualijiui destas disciphuas, podem (fin-
gir-se indicada residencia, de manliaa at
as IQ notas, e de tarde a qualquer hora.
Aluga-se un bom cozinth iro e copicoTna
ra do Imperador 11. I0, .'i0 andar.
Joaquim Jos amos
ex-socto da casa dos Srs. Oliveira Filho di
C, faz scientc ao respeitavel publico que
nao se entende com elle a fallencia abena
deste autor, ra do Rosario Larga n. 10.
junto ao quartel de polica. J
film. Sr. Joaquim d'Almeia Pinto. \
Braga, -25 de Janeiro de 1808.-- Meu ami-l
go, aqtti ebeguei com algumas melhoras; '
depois de ter tomado tres garrafas do seu
preparadoxarope 4 feder/oso; Esto
pelo mar, porque logo que ebeguei em I.is-
boa, principie'! com mais i a tomar o tita
xarope, por conhecer pelo mar que elle me
fazia grande beneficio, pois i vista da gran-
d" quantidade de sangue que eu bota va pea
boca, vi que me ia desaparecendo com ra-
pidez, depois que continuei a tomar o dito
xarope, e tiio milagroso foi para a mfnlia
molestia que boje me acho de todo resta-
blecido, e at mesmo bastante nutrido, o
por issopode Vm. I'azcr scientc ao publico
o milagro que o sen preparado obrou na
miaba enfermidade. Sem'lempo para mais,
sou de VmcAmigo atiento, venerador e
muito obrigado.Manoel Jos Goncalrcs
Pereira.
DOENCAS DO PEITO
XAROPE D'HYPOPHOSPHITO de CAL
A efflcaeia d'esta preparacao est estabelecida desde 857, pelos jnais celebres medico*. Desde
entio muitas hnitacoes tem sido feitas, mas nenhema poude sustentar a comparacao com o
producto apreseniado pela nossa caa. Por isso excitamos o publico para que exiga senore
esie xarope com nina bella cor de rosa, nunca branca, e com a nossa assignatura i roda do
frasco. .
Sob a sua influencia, a tosse acafma-se. os soores nocturnos cessio e o doente volve rpida-
mente sade. 0 seu empreo di umbem os mais brilhanies resultados nos defluxos, catar-
rhos, brouchites, irritacos do peito etc.
Deposito em Pernambuco, en casa deMu*r' O*.
Frederico Maia
Illm. Sr. Joaquim d'Mmeida Pinto.
Ha muito que ouvia proclamar as exce-
lentes propriedades do xarope de fedegoso
contra a tosse e asthma, e soffrendo eu de
oorquai.iuerdos sysleims, e bem assim desempe-
nhar jnaltpucr entro trabalbo concernente sua
peto juizo do commerrio desta cidade e de ,iraa tosse Pertinaz, e tendo usado de toda proissao. O mesmo, reeonoecodo que nemsem
destemezdemarco. a sor,e do medicamentos, va4he'pos do ^^^m
xarope de fedegoso, e urna garrafa somen-
te foi bastante para restabelecer-me, e roe
vejo t;i robusto como d'cntes; suecum-
l'irurgio IcitisJa pela escol
de merficiua
de Kfo de Jaiieiio.
Tern a honra de participar ao rcspeitavel publi-
co desta capital eseus suliurbios, quetein abertoo
seu gabinete de consultas o operacoes dentarias a Inaugurou-se este commodo e elegante
S^t^JS^fSSX estabelecimento H'onde os seus frequ'enta-
3 da tarde. Elle acha-se competentemente habrti- lores poderao apreciar a especialidade na
lado para com perfeicao collocar denles artificiaos confeceo dos gneros alimenticios.
As bdbidas sao as mais primorosas e re-
coromendadas.
GRANDE HOTEL
PL1MOS
DE
J.VIGNES
N. 65BA DO IMPERADORN. K.
Os pianos dista antiga fabrica sao boje assz conhecidos para seja necessaria
insistir sobre sua stiperioridade, vantagens e garantas que offerecem aos romp adores,
qnalidades estas ncontestaveis. que elles tem definitivamente conquistado sobre todoi
os que tem apparecido nesta praca: possuindo um teclado elhaciifhismo que obedece
;i todas as vontades e caprichos das pianistas, sem nunca falhar, por seren fabricadoa
de proposito e ter-se feito ltimamente melboramentos importanlissimos para o clima
deste paiz; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas e por isso muito agradaveis ao
ouvidos dos apreciadores.
fFazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blon-
do Paria, socio correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premia-
dos em todas as exposices.
No mesmo estahelecimento se achara* sempre um explendido c variado sorti-
mento de msicas dos melbores autores da Europa, assim como harmnicos c pianoi
harmnicos, sendo tudo vendido por precos commodos e razoaveis.
Rl A LARA DO ROSARIO N. 37
Este acreditado estabelecimento augmenta
de dia em dia quanto possivel para che-
gar ao cume do bem viver.
Alm dos saborosos manjares :onfeccio-
nados com o melhor asseio, tem bellos apo-
sentos de hospedagem, tanto para urna s
pessoa, como para numerosa familia.
A agua, indispensavcl elemento para a
CI1ARL TERIA E PETIT RESWL1AST
Annexos ao Hotel Central, ni.i estreita do
Rosario n. i A, andar tarreo.
Para dar a conhecer a vau'edade infinita
de charutos de llavana. Babia, Rio, etc. que
existem neste novo eatabelecimento pres-
cindimos dos alunados pomposos que'ge-
ralmente se fazem, reduzindo-nos apenas i
tres letras que sao tres bbb bom, bonito a
que trata o edital de
Bacila, 20 demarco de 1809.
Joaquim Josi- liaui 8.
Ba-sea qaantia de 1:3003 a juro sobre hv-
potheca em casa de dobrado valor, livre e deseni-
baracada : qiicm pretender pide diripir-^e a roa
nova de Santa Rita n. h. fadif uneni da.
Deseja-so lidiar ao Sr. Ifai.....| da Silva Men-
donra Vianna. |ior isso ropa^e-me o especial fa-
vor de dizer por este jornal a ra o numero da
casa onde mora.
Para Main-inguape est a carga na escadinba
jiara o porto cima a barcaea Anglica de Urna,
de Intaeau de 4:000 arrobas, a qual seguir via-
gem at o fin da semana; os senhores carre dures podem dtrigir-se ao mcslrc da mesma, Clau-
dino l.uiz dos Paanoa, no mesmo luiar.
Para cozfuha
Precisase de urna esertva que enzinho bem ;
na na do Crespo n. 23.
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama de leite, gratifi-
ca-se a quem levar, na ra do Impera-
dor n. 83,3 andar, e tambom do urna para
cosinhar.
Alug-am-se
Duas casas lerreu sitas no Manguinho a i
lo rio, leeommendaveis pela eommodidade da
va-terrea : a tratar na ma do Vigario n. 31.
Em casa de THEOOORO CHRIST
ANSEN, ra da Cruz n. 18, encontram-se
efieetivamente todas as qualidade* de vinho
Bnrdeaux. Bourgogne e do Rtieno.
ou enancas sabirem a
procar o remedio, olTerece-se a remover qual-
quer obstculo, declarando que- na cidade se pres-
tar a qualquer chamado sem que issoinflua cousa
lignina na eommodidade dos precos de sens traba-
bina dece'rto a nao ter usado su a-aroflelh"s'fi,fluand Para fra della assim mesmo ser
d frdeanin precedido de um ajuste rasoavel, garantindo ello a
' t,J ., ,. hegurancae perfeicao de seus ditos trabalhos. En
A vista (listo nao tenho expressucs seu gabinete se encontrar constantemente cxcel-
com que exprima a V. S. a gratido de que! lente pos dentiiricio, elixir c outros medicamen-
Ihedevedor, o de V. S. atiento venerador i tosJodonlal6COS: raa Dircita D- li- vr'unmo
e criado ^______________________
Joaoja Cosa Reg. CURA DOS CALLOS.
Illm. Sr. Joaquim d'Mmeida Pinto.
Tenho a ventura de communicar a V. S.
que gracas aotnaravilboso xarope de fede-
goso, estou com o meu escravo Jorge com-
pletamente restabelecido da molestia dos
pulmes, que lia tanto tempo o persegua.
Aceite V. S. "esta minha decJaracao
como prova do meu reconhecimento pelo
bem que V. S. acaba de fazer-me, e cuja
recordaco ficar internada no corac3o do
be V. S.
Atiento venerador e criado
Bento Joaquim Gomes.
PF.LA
Pomada galoupean.
Deposito especial
Pharmacia 34------Ra larga dn Rosario^-----34.
Precifa-se do nma ama para engommar e eoii-
nhar ; na ra do Rosario da Boa-vista, taberna
da esquina, oitao para a if reja.
DESAPPARECEU
Tendo- e manda/lo da roa estreita do Rosario
para o lugar Peres da fregusiia de Afogados. no
tu de tevereiro do corrente auno, algumas pecas
le mobilia, e juntamente alguns jornaes e lirr,
por nma carroca que eonduz assucar dos enge-
noos, acontare que desappareceu ou roubaram da
""earrow, nina eolleceao do af)iario de Per-
nambuco.e do Jornal d'/Recfe, completa, do
amo de 188, ediversas codee<-oes dos niesmos
i;^??!8 na cumPltas do anno de 1866 e 67 ; ae-
?2iw?nV-i1V?n,.,e P01^ dJrnal 'Oria*.
ilSZTn ,delM?efi i n-pa-se o favor,
Lf^il pru"' Prefiniente para embrulno,
que se digne entregar na ra de Santa Thereza n.
dJ,i22^nUJ'0,af ,HJ.r * Jrnal' Pis ! a|e"'
S,r-2^n,ui0'st! P^ tdas i despe-
t?5i?lmJ!?!!La^ai!i^no^,ia a jal respeito.
Ha casa n. 28 ra da Florentina.
-e roupa para lavar e engommar : quem SSL
Jmm horas, e a tardo das 4 horas em diante.
Preeisa-se de urna ama secca nara m"j
a6,onapracadocliafariz do Ilrum n. 18.
Mudaupa
gi^o Torres n., i-aadir, para a roa da
Illm. Sr. Joaquim d'Almeida Pinto.
CHtnprindo om dever de gratido partici-
po a V. S. que, por meio do seu abencoado
xarope de fedegoso, est perfei lamente res-
tabelecido dos seus longos soffrimentos o
meu escravo,
Como sabe, este meu escravo tinha
chegado ao estado mais alllictivo da moles-
tia de pulmes; n5o obstante um noin-
ferrompido uso de remedios, e urna demo-
rada viagem ao nosso sertao.
Pois bem : a enfennidade, que se ha-
via tornado rebelde a todos os meios em-
pregados para combate-la, cedeu, de urna
raaneira quasi milagrosa, a quatro garrafas
apenas, do seu fedegoso
i Hoje, gracas a'Deus, tenho o meu es-
cravo restabelecido; e nao fcil mostrar
todo o reconltecimento que sinto pelo bem
que V. S. me acaba de fazer.
Sou de V. 5.
Gaiada ajaraierida
Maria Norherla Sclieffer.
Continuadamente se nos apresentam no-
vos testemunhos da eflicacia do fedegoso
de Pernambuco f
Attenco
A*tlecencia e bom servido primam n'esta
casa no bello gosto oriental.
Mandam-ae domicilio comedoria?, tanto
avulso, como por assignatura mensal. Os
precos sao mdicos e convencionaes.
Ha urna esparosa e bonita sala para o
elegante jogo de bilhar.
Ha tambem aposentos commmodos e bem
mobilhados para hospedagem.
Ra larga do Rosario
n. 44.
vida e bygiene, temo-la sempre em aban-[barato. A' vista do genero annunciado po-
daucia para facilitar excellentes banhos. jde-se julgar de nossa veracidade. Esta casa
Ha tambem unta boa bibliotheca e perio-'gosa tambem das condices de um elegante
dicos nacionaes c estrangeiros, piano para,c pdit restaurant onde se (Mide ver a es-
recreio, buhares, etc. etc. I peciaiidade dos fiambres e salames de Lion
Sendo ociosa qualquer recommendaco para lanches e at fazer urna boa colaco,
para Rto acreditado estabeleeimento, omit- juntamente com os principes vinhos do
timos mais prembulos, fazendo ver por mercado, sobresabido entre o l>em a pura
fim, que o bom servico, ordem e moralida- e fervente champagne, o mui saboroso Rbe-
de imperam n'esta casa, como observancia no, a primorosa ceneja, o licor espirituoso,
fiel do regulamento que possue. o quanlo.pede urna mesa. Faz-so uoua
Comedorias a la carte. srvete e variedade de refrescos.
Aluga-se
Urna preta escrava que esteja acostumada a ven-
der bolos pelas mas : a tratar na ma do Vigario
Manoel Augusto de Menezes Costa, pro-
fessor de msica, contina a dar licSes de
sua arte, tanto vocal como instrumental,
em casa particular ou em algum collegio;
*assim como tem aberto urna aula na casa
de sua residencia na ra da Palma n. 53.
Alugam-se urnas meia-aguas na entrada dos
portos da Uavessa das Barreiras, no bairro da
Boa-vista : a tratar na ra do Cotovello n. 2o.
Jto da Rucha e Silva, negociante estab^le-
cjdo nesta cidado, rettra-se para Eotom, fieando
enearregadodos seos npgocios rom rclacao aloja
de miudezas da ma do Queimado n. 35 "A. o seu
socio Manoel Aires Lessa e a seu amigo Manoel
Joaquim Ribeiro : nos negocios do armezem de
miudezas da ra da Cadcia n. 38 ; aos Srs. Jos
Mathens Ferreira, Lonren?o Alves Salaiar Jnior
e Alfredo Jos Antunes Goimarcs para responder
a responsabilidade doarmazem de recolher baca-
fho, no caes da alfandega, ao Sr. Antonio Jos
llantas.
FRANCA-BRASIL
MR. MERfJER, alfaiate francez, previne ao rcspeitavel publico c a sens numerosos fregne-
zes que, tends transferido sua residencia para a ma do Trapiche n. 7, pi imeiro andar, ah encontrar
sempre todas as qnalidades de fazendas para trajes de bemem, o preacn costumes para montara m
senhora. Faz tambem obras para militares e para criados, para as quaes tem grande sortimento da
botfles simples, com virola e coria de conde, brancos c amarcllos. Kccebe por todos os vapores
ltimos figurtnos para hnmcm, senhoras e meninos.
PBB1I90
Pede-se ao Sr. Manoel da Costa Pereira, prati-
cante da repartieao das ebras publicas ora em
Jaboatao que coinp.ireea ama Augusta sobrado tr-haho
n. 102, afim de saldar o seu debito ou pagar 0)tiraDalDO-
que poder e isto com brevidade.
Pundipo^da Aurora.
Neste vasto estabeleeimentc sempre se encentra
um completo soalniento de taixas de ferr batido
e fundido, fa/irieadas reeentemente, e se fabrican
fie qoalquer molde a vontade dos compradores e
recos razpoavels.
Criado!
Preeisa-se de un eriado proprio para o servio
denm sitio prximo desta cidade : irata-se na nia
estreita dojbwario n. 28 at as ;| horas d:i tarde.
Tendo montado urna completa oflicina par* concert e afinaco hf. pianos e
tendo contratado para o mesmo fim o experimentado contra-mestre Sr. A. Rastor
chegado da Eoropa peto ultimo paquete.tem a honra de recommendar este seu estabele-
cimento s Exmas. familias Pernambucanas, prometiendo promptidao e perfeicao no
Eua Forniosa n. 14
Preeisa-se de urna mnlher de meia idade e
de tioos costumes para eozinhar e bxer enropa-
nhia a urna senhora : a tratar na raa da Viraeao
n. 39. ^^
Pulseira
Perdou-se na cexta-feira dos Pasaos urna
medalha de ouro de flnagran, que cahio do ade-i
re^o de m anjo que acomt>anhou a procisaao :
pede se a quem achou que venha entregar na ma
da Lingueta, ca taberna n. 4, que ser recom-
pensado.
Roga-se ao 8r. Joao Pae- Brrelo, proprie-
.tario_dd engenho Prado, citieira ter a bondade de
oirgir-se ma Aogmu n. 63, a negocio muito
ao seu uiterease, caso venha a esta cidade at o
oa o de abril.
Perdeu-se nma pulseiraie cornelina eneastnada
em ouro, desde a ra Direita ao theatro de Sania
Isatal: quem -adiar, querendo entregar aera
bem gratificado, for ser da estima J rara d
Independencia n. 12.
Precisa-se de urna ama para comprar o eo-
zinhar : na ma da Praia ns. l.'i e 15, armazem.
Irmandade da almas na ma-
triz do Oorpo Santo.
De orOem da mesa regedora siio convidados to-
dos os irmaos desta irmandade. pata assistirem aos
actos da semana santa qne tem de celebrar-se na
matriz do Corpo Santo no dia 26 do presente as
6 horas da tarde, o dia 28, as 6 horas da manhaa
e no da h de abril (domingo) as 6 da manhaa para
acompanhar o Santissimo Viatico aos enfermos E'
para desta forma rorrespondermos ao convite fei-
to pela irmandade do Santissimo Sacrameito da
mesma malri/.
O eserivao,
______________ 1 I. Lima BairSo.
DO
BRASIL E PORTUGAL
Se for bom.'
Pagar-se-ha bem um moleque que se pretende
alugar : na ra larga do. Rosario a. 4i, Io indar.
O abaixo assignado avisa ao corpo do'com-
mereio e a quem interessar posa, que desde o dia
9 do corrente me* dea foeicdadem sua casa de
negocio a Matine! Joaqnlm dos Santos Oliveira
cuja firma for d'ora era diante Coelo & Oli-
veira.
Mataangoapc, V de ciarjo de 1869.
Jfruwo dos Santos Cotilo,
Situado em um dos bairros mais centraos de Pars, sendo as immediaces }w
principaes Wieatros o outros iudos diverlimentos, e assim das estafSesdos caminhosdw
f.rro para todos os pontos da Europa, acabado de ser inteiramente renovado, n3o m
teadofoupadoo eu novo propiietno a despenas para seu completo embellesamenlo
aceio, torna-se poTtanto vantajosamente recofnmendavel aos senheres bfaairo*epiT-
Uifiiezes, a onde encontrarSo aeanpre aquella convivencia desejada em paiz estranho,
Pnrtaramdo srtio Jacar em Aga-fila, ao
iiJSSi -*-<**ar querendo entregar, era anunbecer dodia 10 do crreme, um avallo ruco
Tff^^laRiretto^enlf?^ O Trtamnto superior
prado_em 1Gdo fevereiro prximofindo a Joao dos lodo elogio, mesa fodenda. ou a carta, ou servida nos apozantes; habicoes wnw-
nientementc despostas'para familias, e quartos para urna 6 pwaoa, o-aarvico e I
cora a precisa regularidade: os precos amito rawaveis e ao alcance tambem d'aquealaa
pessoas que se queiram limitar.
Gabinete de leitura cora os principaes jornaes dos dous paizes, s ilao de recepcfce
de msica, etc. etc. Todas estas vantagens podem ser applicada! i aos senho-
res ftflMgree das ripaibiinaa Fnt*,-p!f* in-da thaiKa da l*gna, airan-
contraro muHos enhores bespaimoes, -por .4^" ttnbm esta casa e bastante to-
|HHk.
Heis Gomes : rinem do mesmo dr noticia e o ap-
prehender sera bem recompensado, dirigindo-seao
mesmo sitio ou a ra do Imperador n. 77, 3o
andar.
Caixeiro
Prceisa-sc do nm caiseiro capaz de torau- d
prostar contas de una taberna por balan): W
ra ao Rsogel.a. I se informa
i
\


Diario de Pernambuco Segunda feira 29 de Mar

Grande liquidado de miudezas !
Alfonso Moreira Temporal, quornndo liquidar as miudezas existentes em sua
oja roa do Queimado n. 55, r&olveu annunciar as mesmas miudezas, para que o pu-
blico se certifique do diminuto preco porque as est vendendo, a saber:
-aixa com agulha francesa- a
Caoas com 100 enveloppos a.
i'egas de babados e entre-meios
a 500, 600, 700, 800 e. .
Pocas de fita de coz com 10 va-
ras a ........
Linha de marca, caixa com l
novellosa......
Coques muito finos com rede, so
a red val......
Frascos com santos muito finos
a.........
Latas com banlia (familia), a
4>0 e........
Carlo com alfinetes a .
Copo com opiata muito fino a
Cartas francezas a 200 e .
Ditas portuguezas a lO o .
Caixa de liaba do gaz branca 50
novellos a......
Frasco com tinta a 100 e .
Frascos com banhaa -120 o. .
Frascos cun agua de Colonia
Piver a........
Pentes do travessa para cabello
de meninas, su a vista faz
f, a........
Laa para bordar, libra. .
Novel lo de liaba grande com
400 jardas, Su a vista faz
f a........
Pares de liga de borradla para
pernas de scnhora, muito
boas a .......
Franja branca para tonlha vara
a.........
100
500
i 000
500
210
[800
l->200
no
Resma de papel almaco, muito
boa fazenda, com 85 cader-
nos a........
Caixa com papel amisade a .
Jogo de vispra a.
Sapatinbos de la para meninos
Pecas de tranca o caracol a .
Jabonetes de todas as qualida-
des a 80, 100 o .
Frascos com oleo babosa a
400 e.......
Pinceis para barba a. .
Caz a........
100 Frascos com agua de Colonia a
320, 400 e. .. .
jjOO Pentes com costas de metal .
240 Carteira de marroquim a '. .
100 Peales pretos para tirar piolhos
I Escoras para cabello a 400,
GOO 300 e .......
IGO Garrafa com agua divina a. .
400 bravatas de seda do cor a .
! Ditas pretas a 400 e .
I $000 Botos de louca para camisas, a
garrafa de tinta roxa a. .
Lencos brancos para mos
390 a.........
i$809 P* de suspensorios para ho-
mens a.......
Espolho de toucador a .
GO Frasco com ebeiro muito fino
la........
Bandeja para copos a .
00 Meias croas para homens, toa
fazendaa 3#, 35000, U e. .
200 Abotoaduras paracolletcs a .
2800
700
400
320
40
m
600
200
320
MO
320
400
260
GOO
1*300
320
500
160
800
210
200
20500
1*5000
400
4*800
320
Attenco.
Na cidade de Sanlarem, provincia do
Para, desejaese saber onde reside Yanciscf)
Jos de Almeida, subdito portuguez, que
negociou por inuitos anuos na cidade. d?
Reuife, para negocios de inleresse do mear
mo annunciado, devendo este ser lugo q*
este cliegue ao seu cuoheeimento, ou da
pessoa que o reprsenla*, oslando ausente.
dirigir-se para esta cidade a Guilherme An-
tonio Hall e Joao Vctor Goncalves Campos.
Ciliado de Santarem, Io de marco de
1809.______________________________
Precisa-se de um criado para o ser-
vico interno e externo da casa de um ho-
mem solteiro : a tractar na raa Direita n.
84 ou do Queimado n. II.
x^>
O Dr. Caetano Xavier Pereira de lcito c
sua mulber D. Anna Luiza Xavier de Brito,
agradecem a todas as pessoas que se dig-
naram acompanhar ao cetnitTu publico os
restos moraos d: seu inuil > presad) lilho
Caetano Xavier Pereira da lirito no dia 2't,
de novo convidam ans mesmos senliures e
a todos os s.'iis amigos para assisliivm ao
memento e missa que se Mo de retar por
sua alma no dia 30 do corrente na matriz
da Boa-Vista, pelas 7 horas da manha.
CASA DA FORTUNA
Aos 4:000S
Bilhetes garantidos.
A ra do Crespa n. 23 e casas do costume
Acham-se a venda os Wiws bllh itcs garanti-
dos da 2 parto da lotera a beneficio da igreja
de Nossa Senhorado Monte de Onda (100) que
se extrahir sabbado 3 do mez vtodaoro.
Procos.
Bilhete.....i 3000
Meio.....25000
Quarto.....1 000
Eni purcaa de 100 para cima.
nilhete.....3 500
Meio......4 750
Quarto..... 875
_______ Manoel Martina rima. ^
Precisa-se de um caeta) eoui pratica : na
rua do lirum n. fi.", taberna.
MOFINA
- Si'. Antonio Francisco Duarle o MU mano Dr.
Maximiaiw Francisco i marte, verihain a rua Di-
reita n. 51. luja do Braga & C. _________
Os abaixo assignad os, Miembros da oiiuiiis-
sao nonnada pe) Dr. juiz de capellas, para admi-
nistrar e verificar todo os negocios relativos
irmandade di; X. S. da Soleda-te, fazem constar
pelo presento que a mesma eommissao fui empos-
sada liontem, e por isso daquella data ern diante
todos os negocios Rearan exclusivamente cargo
della, sondo incumbida dos mistere-; de ItMMQrei
ro o tereeiro dos abaixo asignados, o do de se-
cretario o segando. Recito di de marco de I8W.
r. Joao Jos,'' l'inlo Jnior.
los anorto Beawrra de Menezes.
_________ Bernardo da Cnnha Tcixeira._______
Aluga-se ama osera* para bi t - aa1i|uer
servico : a tratar na ro io Qi'nad > n.
too Q
mv
Ditos com ditas de velludo, outros imi-
tando cliarao macbetado.
Ditos com ditas de mai roquiit com cruz
e guarnico, dourada ou plateada.
Coreas e tercos de cornalina.
Ann como.
Grifado e bello sortimento de- leques
todos de inadrvperola, madreperola e seda,
iiii amm
Fugiu do engt-nliu Acah .\oco, comarca
de Goyanni, de propriedade do mejor Sim-
plicio Tavares de Mello, no dia 22 do cor-
rente, o OM'iavo.Fcliciciano,crioulo,estatura
regular, bem feito de corpo, cabellos ca-
rapinbos, albos esgazcados, rosto redondo,
queixo lino, pannos nu rosto c no pescoco,
pernas Unas, ps cumplidos. Fui montado;
ti um cavallo ruco, p.'queno, com eangalha,;
levando vestido jaquelao, calca parda, ca- i
misas azul e branca, duas ceroulas, na
cabega um chapeo de palba de abas largas.
Intimla-se forro. Quem o peinar, leve-o
siiu tenhor no referido engenho, en ao Ir.
Joao P'tvira iMoutinbo, rua da Cadi'a n.
26, oda gratificara generosamente.
Qaeui perden na igreja de s. rVanrhcu um
legue, prociirc-ii do vicario ile Santo Antonio.
ail'recis.i-se de una ama perita coxinheira para
casa de liomem solteiro : na raa do Uvratnento
n. C.
Ama
Precisa-se de urna ana para eomprar e cozi-
nhar para tres pessoas : na ioja da rua da Cadeia
n. 0.
PRIMEIRO LIYRO
^\pt*i'4encia
A 8gHa-tlori cametite de vegetaes inocnsivos, tera a
[iropriedade e\iraordinaa de dar a cor pri-
mitiva aos cabellos, quando estiverem brotr
cos, e Ibes restituir o brilho perdido, e re-
sina como preservar de emblanquecer, sen
ser prejudicial de nioibt algom
E' porcia neoessario (aaer conbecer, que
obom resultado prodanide pela agua-llori-
da, nao instantneo, como muitas pes-
soas tal vez supponbam, mus sim ser pre-
ciso lazer uso della, trez ou quatro vezes,
e logo se obter o lim desejado, como I; m
provam testemunbos de pessoas insuspei-
tas, e d'ento por diante, basta usa-la duas
vezes-por mez, contando einpro com o bem
xito, podendo a experiencia ser feita em
ontra ualquer oousa.
Assim poisesta igua-lerida acba-sc \m-
da na bem coobeeida Ioja d'Aguia Branca
rua do Queimado n. 8,
A Aguia Branca, contando com a proteo
Agua-florida de Guis-
lain
Tintura indelevel para lingir os cabellos,
sen mancbar a pe le.
A bem conceituada agua-florida de Guis-
lain que enlftu era desjenbedd em Per-
nambuco, j hoje estimada e procarada
por seu ancaa reultadi*, e anda mais se-
r, osando a noticia de mx bom elfeito e a sndalo, sndalo c seda, osso, osso e seda,
expanenoia lomar de todos coubecida. I e faia etc. etc. tendo nos de sndalo alguns
com 4 vistas, e ostros japonezes enfeitados
de flores.
Bonitas voltas grandes de aljofares azues.
Voltas de crrente de borracha.
Meias de seda para meninas e seuboras.
Ditas de lio de "Escocia abertas, tambera
para meninas e senboras.
Ditas muito linas d'algodao, alvas, e
croas parameninas e senhoras.
Linas de lio d'Escocia, torcal, e seda
para meninas e cultoras.
Meias de 13a para homens, mulheres e
meninos.
Gollinhas e psnhos bordados obra de
muito goslo.
Futre-meios tinos tapados e transparen-
tes com delicados bordados e proprios
para enliar fita.
ii OS PRODIGIOSOS
Anenis e collares ftoyer para creancas.
Bonitos callases ou bolsinhas de pelica
cao de"aia boa fre^eiia, tambem capricUa e setiin para meninas ou senhoras.
em nao Ih'a desmerecer, (procurando sem-1 Liadas cestinhas bordadas a l'roco, 6 lisas,
pre corresponder a hla ftivoravel com qse; Delicadas caixinhas de vidro enfeitadas
abonratn, e em prova ao^ue tea dto, bijcom pedras, aljofares, etc.
Salvador Henrinue de Alba |U'*rqu
profcs-or jubilado, dispondn ain la de al- g
guias horas no dia. p le con egninlc-
ment trellar o ewino por maisa>gumas S^
casas particulares, de wwnno de a n e .^
outro sexo, para a inslrnccao primaria, W
ou -iiuplesinenlo para o ensino la lingua ^
portuguezae conlabilidade.
A' ItUA DAS CRZES N..), 2 ANDAR, m
mmmmmm mmmmmMm
Trocam-se
is notas do banco do Brasil o das rafeas filiaos,
;ooadesconU) muito razoavel : na iraca.da lode-
icndencia n. 22.
PELO
"Dr. Abilio C. Horcos.
2* IcniCO MEUfORABA E AIT.MKNTADA
.&' veu<5a ua Uvraria Frauccxa
Esia obiiiiha, pMBoirtqee cornial titule
aparecen no paiz, conquista secriiiido um
systema especial, abreviado, philosopliicu e
ameno, e milito dtJFerente das cartas '00-
nhecidas com o nome de A B Vj.
K'.voinenda-a o fado de liaver sido adop-
tada para as escolas publicas de quasi to-
das as provincias do imperio, sendo por
toda a parte to ventajosamente aceita, que
,-em menos de 18 mezes achou-se esgotada
a primeira edicao de dez mil expropiares.
EMPRESTIMO SOBRE
P
(SEM LIMITE.)
\a Iravcssa da na
das Cnizes n. 2, pri-
meiro anda!', da-so qnal-
quer quanlia sobre ouro,
prala c pedras preciosas.
O dono deste cslaludecimento,
^ competentemente autorisado pdu ^
governo, esta nos comlicoes de ga- fe
I rantir a transaeco que se (izer em |Si
li&t sua casa, prometiendo todo e zelo W
e consideracfio As pessoas que se jj
^ dignarcm de honra-lo em seu esta- ffi
M beleiiniento. H
Na mesma casa compra-se miro, W
M P'';|,i| o briloantes. H
B... t.:; CRUDO
Precisa se de um criado, preferindo se porta-
guez informa-si- na rua estreita do Rosario nu-
mero 2.
PASTIUUS ASSICUIADAS
DO
DB. PATEBSON
De blsmnth c uiaguezla. *
Remedio por eseelleneia para' cotnbater
a magreza, facilitar a digestSo, fortiiiear
eslomagoetc.
DEPOSITO ESeECIAl..
Pharmacia de Bartbolomeu & G.
34------lina larga do Rosario------34.
X AltOPE PBMM Ht.1tlIW
POMTA UKEitlBAlBA
OOMMMO F. I'IIU'M'.ADO
Pelo pharmaeeiEt'feo
Jos da Cruz Santos.
Esta planta cujas \ rindes medicina
existiam desconhecidas para a niaior part1.
dos nossos facultativos, de\ei>do-se a sea
descoberta ao uso que d'elle laziara os
nossos indgenas que meiioscabavam g.ih
a sua applicacSo de todos os soll'i uni-ntos
.pulmonares, lioje cotilu-ci-lo como o me-
dicamento mais efficaz para a cura de as-
inina, bi'oncliite, coquiltulie, peiietnonia,
e al a phtvsica. prodozindo um elTtito mi-
lagroso e prompto.
Para um adulto 3 4 colheres de sope
ao da puro ou em cosimentu fu toral.
Crianzas, 3 i colberea de ebo.
Preco 25000 o frasco.
Peroandmco, rua Nova botica n.BI.
Xa rua do Padre Floiiano n. :4 precisa-se de
urna ama pira lod i f* evico de casa. ____
' Precisa-se de una ama pata cozuihar : a
tratar na rua dos Pire- n. 2'i.
Fetor.
Precisa-se para um pe.jueno sitio de um feilor.
preferindo s(- Aenriano : informa-se na rua eslrei-
a do Rosario n. IB.
Jlti
Fugio no dia 21 do pro-ente niez demarco, do
engonlio Cracnipe, fregneaia de Agua Preta. o os-
era ve de nenie Joaquim, klade 25 auno?, crioulo,
cor prcta. estatura regular, lesta grande, oibos
afomarados, dents limado-, i; icn os dedos pule-
gaes dos. ps vultados para fra, sabio ruin cha-
HWlllli
Resta venda um escolhe sortimento de ob-
ectos de marcineria, como sejaui, inoiiiliasde ja-
arand. mogno cama relio, obra nacional eestran-
teira, de apurado g4o e por preco razoaveis:
a rua eslreiu do Kosaro n. :2. Nesta mesma
a-a fazem-se com perfeieo todos os trabalhos -de
alhinha, como *ejam. empatliamentos de lastros
tan camas, ondriras e siplis.
O advocado Dr. Antonio de Vos-
concellos Menezes de Drummond
traiisferio o sea escriplorio para a
roa o Imperador n. zO.onde pode
ser proeiir;ido todos os (lias otis
das 11 horas da manha at as 4 da
tarde, para os misteres de sua pro-
fissao.
peo de palba do Chile, levando um balui pei|ueii(
de folha de FlauA'es. Ha Mima da que o di!<
i'scrav.j seguio ra a cidade do lleciie. emba-
cando na esljeao de Gan eleira en um dos hvus
do caminbo de ferro : ipieni 0 apprehender quei-
ra leva-lo ao meiicioiKiJ engeaho, a entregar a
seusenbor o teii' ule- coronel Pedro Francisco d-
Albuquerqne, ou no lleeife ao Sr. Antonio Jo-
l.eal Reis. esoripturin -rua da Cadeia n. 49, que
>erg nerosaniente gratificado.
O nico deposito de Ion, a da fabrica do B^rba
Ibo do Cabo, sito no pateo do Terco i. 2 desta
cidade, tem rcolvido fazer grande abaBTTCBtO BW
i'anos que tem recehido. o- iniaes licam vcidifM
pela seguinte tabella, a saber :
De i I/- poliegada cano viradn por 800 n.
De dita* dem idem pi.r t(H!0:
De ." e l ditas idem idem por I 200.
De (i ditas idem idem por 2->" o.
De 8, 9 e 10 ddas idem idem por i0TK).
Que para isso tem una machina apparetaia
para faze-los rom perfeicao. sendo rada um rem
lie- palmos de comprimento, i sim romo teni
pmMM soriimente de iouca. tanto vidrada tonH>
para resfriar agoa.
Para cncanamouto (iugua
Canos de ferro. dilM eatanbadoa, lito* fi rrido?
de porcelana, todos com a* eompefPBtM b>rneiraa,
curvas etc. : a rua do Qiiein do n. :!..
Fugio nu dia 2i do crreme, do sitio da ee-
trada dos Aflictos n. i7, una prrla crioula de
nome Ignez, de idade I" mnos, alta, bem pareci-
da, levou urna porrfui de roupa e algum dinlu-iro,
eomta que foi seduzida, e o abaiso asignado pro-
testa contra quem a tiver em seu poder : roga-se
polica e ais capites decampo a sua approheu-
-ao e levcin-na ao iiiesino sitio ".U rua da Ca-
deia Velha n. 1, que serio pagos de todo o seu
trabalho. -
Jos r,one ilves Torras.
Domingos j,i; da Silva retira se para Por-
tugal a tratar de sua samlc, e deixa como imi-
procu adore-, eoi mimeiro lugar o Sr. Joaquim
Antonio da Silv i. e ni seguudo o Sr. Antonio l-'er-
reira Alves.
D. Maria Isabel Nanos de Oveira agradece cor-
dialmente a Indos os amigo 'le seu liiiadi) marido
o luchare! Jos dos Santos utes de Oliveira, o
raridoso e nltimo obsequio que se oignaram pres-
tar assi-tindo as exequias feitas ao cadver do
mesmo finado no dia do seu paasaateato, e eonvi-
da-os a ouvirem a missa do stimo dia que ser
resada as 7 horas da manha do dia aO do cor-
rente na igreja matriz do Santissiino Sacramento
da freguozin da Roa-Vista.
Alii.
Precisa-sede nina ama para cozinbar em ca-a
de houiem solteiro que tem pouca familia : na
rua do Crespo n. 12.
COMPRAS.
- (l abaixo assignado profes.-ocjuLiladr da ca-
deira de geograplua e historia di ex-lyceu desta
cidade, autorisado pela directora geni da iiistruc-
cao publica, coulina a ensinar priiui-iras l--ttras.
latiui, francez, rhetorica e geograplua. Recebe
alumnos internos, externos e meio-pen-ionistas,
para o que tem as aecomniodacoe< precisas os tres
andares do predio n. 23 silo rua Nova, para
onde se mudou.
Affonso JtM le Olktira.
como exemplo o explendido sortimento
que acaba de receber, a inda mesmo acban-
do-se beHameute prvido do que de bom
e melbor se pude desejar nos gneros que
sao de sua competencia.
Haja vista aos necessario* livros de. missa
e oraoo, obras de apurado gosto e perfei-
$e, sendo: com capas de madreperola e
toeaotes qnadt-os em alto relevo.
Ditos com (ditas de marital igualmente
bonitos.
Ditas de tartaruga para jotas.
Bonitos albuns com msica.
Piaseis ou batatas para poz de arroz.
Novos e delicados ramos de flores com
marral'es para enfeitar coques.
bello sortimento de trancas de palba.
Fitas largas para cintos.
Cintos de fitas largas com bonitas raoia-
gens.
Brincos e allinetes de madrepc-rola.
Ditos esmaltados, obras novas e -bonitas.
GOMPMIA PERMBUCM
('OI'SGLIIO E DIREC^IO
Os Senhores.---Saunders Brothers & C, Tasso
Irmaos, Luiz Antonio de Siqueira.
HMnn
0 SR. F. F. BOBGFB
Reatando ainda orntir algumas accoes d'esta companliia, da pianua ^'^J1 de
20WOO cada urna, das quaes s se aceitam em virtude dalei, 20/0, ou *OflKK) poi
cada acc5o; eonvida-se pelo prewnte ao publico cm geral o especiatmerrte aos brs.
capitalistas e inleressados no commercio. que queiram dar emprego seguro aos seus
capitaes, disponiveis, a subscrever o numero de accoes que lhes approuver.
Algunas destas accoes j tem sido tomadas por pessoas que conbecem a "varrtagem,
de na presente occasrl (eonliecidamente a memor), emprogarem o dmtciro "de qoe
poderem dispr m objectos de valor real, como vapores, predios etc., qoe Ibes garan-
tam seos capitaes. ,,.___.,
A corapanhia possoe boje to vapores. C mteiramente novos, e destes o ultimo esto
a chegar de Inglaterra, onde foi construido expressamente para ella.
Alm disso e edificando vastos armazens, no terreno que possue no largo d'As-
Saiis dividendos tem s'ulo de 10 / ao nno, nos ltimos 4 annos.
A utfrM que se emtttirem gozam dos mesmos direitos, e percebero 0 baaoflcio
dos rmwrrj dividendos uoe os antigos em pi oporfSo da entrada.
RecebatMeisstaMturas noescriptork) da companbia no seo edificio ao eaesda
Assembla n. !2
Mauoel Jos de Souza agraoece eordialuiente a
todas as pessoas que se dignaraiu acotiipanhar at
a sua ultima morada o cadver de seu mui pre-
sado nido Antonio Bernardo de Bou, e roga a
todos os seus patricios e amigos o cartese obse-
quio de asaistirem a missa do stimo dia que de-
ver ter lugar as 7 horas da manha do dia 31
do corrente, na matriz da B ia-Vista, pelo que
desde j se copfessa eternamente grato.
ATTENCO
i
O abaixo assignado previne ao respeitavel pu-
blico que venden a sua eocheira sita na rua de
Apollo n. 3 ao Sr. Antonio Corroa Pereira Cardo
so ; por isso convida as pessoas que se julgarem
com dheito a dita estabeleeimento apresemarem-se
no praeo de tres dias, contados do presente an-
nuncio, pois quo o Sr. Caldoso coinprou a men-
cionada eocheira lvre e desembarazada. Bccife
27 de marco de 1869.
Antonio Jos Teixeira.
Est justa para comprar a casa terrea n. 56.
na rua do Quiabo, nos Afogados, pertencente a
Bra. D. Luzia dos Santos Ferraira Lagos ; quem
se julgar com direito a mesma. declare por este
jornal no praso de tres dias. ^_^_____
Domingos Manoel Bibeiro, Portuguez, retira-
se para Europa._____________________________
IkJMLA
Precisa-so de una ama para coziniur para casa
de homein i^tteiro : na rua do Bresn Vinho degestivo de
chassaing
COM
PEPSINA E DIASTAEX.
Remedio por excellencia para cura certs
das digestes dilTtceis ecompletas, acalmar
as dores gastralgicas, e reparar as forcas
produzindo urna assimulacao completa dos
alimentos; sendo mais um excellente tnico.
Vl_Xl>SE
ttA
PHARMACIA E DROGARA
DE
Uartholouaeu 34RUA LARGA DO ROSARIO34
SEGUROS
Precisa-se alagar um inoleque-nara andar
com urna taboleta as roas da cidado ; na Ioja da
Coraco de Ouro n. . I).
Com muito mnior vantngem
Compra o Curasao de Ouro, n. 2 I), rua do Cabu-
', nioedas de ouro e prata e podras preciosas.
(Jui-o c prata
em moeda em obras inutilisadas, compra-se por
bom preco : na praca da Independencia n. ii.
a praca da Independencia n. 3.t, Ioja de ou-
rives, compr-se ouro. prata, e pedras preciosas,e
tambem se faz qualquer obra de cncommenda, e
todo e qualquer concert. _______
Ora k earnM
Vende--e na rua da Nadre de Dew n. 7 11,
mais barato do que em ontra qnalqner parle.
Cbegaram !!!
A Ioja de Colbo mado n. f.', as mais lindas e mais moder-
nas basquinas de gorguto. |irn.orosamen-
le enfeitadas a selim. Sao o n ai> ini Ol-
anle qoeb-m vindu ao mercado desta o-
dade em tazenda (leste genrm
O mi'lhor!!
Gorgario preto para vestidos doubleB,
l'azein I si[ieiior.
Orando sortimento dreami as franw^tl
e ingle/.as por menos _0 por eeato d seo
valor
Roupa leifa de bulas as quididades e pftr
medida. Chitas, lus eatbrals l.ianeas
e de cores, tudo de omito gosto c por
procos limito commodos.___________
Srhonctr re atrardo.
DB
Antonio Nunes doCastr.
Este acreditado preparado, que tao boa
acceiUico tem merecido n'esta provincia,
muito se recommenda para a cuia certa
das impigens, sarnas, caspas e todas as
molestias de pelle.
l-tpcwito nico,
Pharmacia de Bartbolomeu A C,
:tina lartja do Rosario 31.
TJI III 1IMK' UU 1JU11
M 3 RUA DIREITA N. 3
As pilulas, o xaropc alcohlico e
o ethereo de veame, conforme a
formula do finado pharma.^uuco Pa-
ranhos, assira como a pomada con-
tra as indiac/ts erysipelosas, acli3o-
se venda, na botica de Francisco
Antonio das Chagas rua Direita n.
3, defronte do armazem de molda-
dos denominado viado branco. Es-
tes medicamentos teern sido e sao
dos mais enrgicos agentes auxilia-
dores da natorezana debellacao das-
doencas, servindo de grande alivio
a luimanidade solfredora. princij!-
mente aquelles, que dispondo de
poucos recursos e nao podendo por
muito tempo permanecerem em ora
tratamento talvez intil, pela inefB-
cacia de certos remedios, reeorrero.
elles ; c por- isto asss recom
mendados se torno, para as pessoas
que soffrem de Reumatismo, escr-
fulas, ulceras, impigens, erysipla,
tumores nos ossos, tosse, astiima,
amenorrha ou suppressao tle mens-
truo e menstru:ic3o dlifieil, sendo
porm usados conforme a direccao
escripia que os acompanha.
0 nrazeo de joias
Na rua do Calmtr n. 4 compra-se ouro, prata
e pedras preciosas por procos mais vantajosos do
que em outra qualquer liarte.
Compra-se
boje libras e=terlinas, ouro o prata de todas as
naces epor maiur preco do que em ontra nato :
n rna da Radflli do Hecifo n. S8, Ioja de azulejo.
BARATO
01 lili E PRATA
Compra-se moedas de ouro c prata e
bem como libras slerlinas, na rua do Ca-
bug n. ft. relojoaria.
Compra-se moedas de ouro e prata, bem
como'libras sterlinas por maior preco que
em outra parte, na rua do Crespo n. 16
t, andar.
Precisa-se de urna ama forra ou cscrava para
cozinbar em casa do familia : na traversa da rua
do Queimado n. 18.
-r- Precisa-se de urna ama para casa de ponra
familia, para comprar e cozinbar: na rua da Cruz
n. t>.
Compra-se una casa' terrea na cidade de
Olinda, que eja pequea e que tenha quintal com
cacimba : a tratar na rua da Boa llora, casa ter
rea contigua a taberna do Sr. Jos Domingos
Compra-se iiihh escrava para urna encom
menda,'bonita ligura, pardi m preta, que seja de
muito boa conducta, para gente capaz : no Corre-
dor do Rispo n. 56, a tratar a qualquer hora. Na
mesma easa**nde-?e una machina de costurado
patente ingle, nota, por seu dono retirar-se part
fra.
VENDAS.
Banejrains <\T Sanies para hmmm a!& o rar
rua na da Cadeia n. \'>, esquina da Madre m
Dos___________________________
Meias elsticas de borracflk.
As melhores e excedentes meias elafi-
cas do borracha conUa varizes e erysipeltoe-
Vende-se na
Pharmacia e. drogara de
Dartboloineu A C.
31na larga do [{osario34
mu
O Cysne rua da Imperalriz n. 6V. acaba d*
receber pelo ultimo-vapor nova remessa d'-s rires
e lindos cortes de tailalana, domados e'pratotlos,
de padrees inteiramenle modernos.
"1
Vergonleas de- pinho para nmstaroa, verga*
e retrancas, todas de superior qualidade. Tintas--
Verde Paris, branco de tinco e preta. em laa* do
ti e 28 libras, j preparaflUs, oleo de linbaca e*
barris : no armazem de deposito da eoiopanlfc
Pernamtnirana. nqlaTgo da Assendda n. <0.
VENDE-SE
Por 6003009 wa crioubuha de 0 anuos, de mmly
boa moral e nido : ia rua da Imperatriz, tola
n.28.______________________________________
Vende-se a annacao e pertenees da taberna
da rua Direita n. SO, propria para qualqner ne-
gocie, assiin como tambem se vende una dita en-
vernisadi e envidracarb, que seacha desarmada
na mesma casa : a tratar na rua da Penha nu-
mero 8.
Comida para fra
Na na estreita do Rosario, sobrado de um an-
dar n. 35, continua-se a preparar ahnoeo o jan-
lar cm urna casa to familia, e manda-se levar,
tudo com promptidao e asseio. ____
MARTIMOS
(CONTRA FO&O.
A Companhia Ivdemnisadora.eslabelecind
esta pracs. toma seguros maritimos sobre
wvios e seus carrafanmlm e contra fogo
sm edificios, mercadorias e mobilias: aa
na do Vicario . 4, i^vinMnto terreo.
Da-so sociedale a urna pesjoa capaz, entran-
do eoni 300., para um bom negoeio : quem qu-
zer annuaeie.
Precioa-se de um feilor para engenno : un rna
do Imperador n. 50.
Offeroce-se para alguma arrumcelo para o
mato um caixeiro com pratica de fazenda? c min-
deaas : quem pretender dirija-se pracn da In-
dependencia ns. ti e 25, ou Santo Amaro ama do
Lima n. 8.
Ottereee-sc urna ama portugueza para casa
|-de familia, para engomuiar, oa para casa de ho-
mem sobi'iro para o servioo interno de rasa .
quem precisar dirija-se a rua do Imperador a. M,
3o andar.
Tinta rxa de Mon-
teiro.
Vende-se tinta roXa de Monteiro para escrever:
na Ioja de calcado de sobrado amarello da rua da
Cruz n. 21.____________________________
Vendase um pequeo terreno no lugar de-
nominado Sicupira Torta, entre a estrada real e
a linha frrea que tem de segoirparaJaboatao, na
freguezia dos Afogados, e muito proprio para edi-
ficar predios: quem prett uder dirija-se a traves-
a do Queimado n. 1. Nainesnia casa se precisa
de una boa ama de leite, e paga-se bem, agra-
dando.
A 500 rs.
Jarros para .plantacoes de flores e caeuspara
ah-oredos, por me;ade de seu v;ilor, para acabar :
na rua da Lapa n. 15. ^___.
A2,!O0O
Jarras do Aracatv |.ara dous baldes d ija.c
Jbna resfriadeira, pelo baratsimo preco t**
cada urna, a ellas, antes que se acabem : na
da Lapa n. 15. ______
Vcnde-se-um piano do mesa, proprio para
aprendor-se : quem pretender dirija-Ib travossa
de S Jos n. ti.______
Vende-se urna armaciio de talierna envidra-
cada e cnvernlsada, na casa n. l^da rna do Coto-
vello, esquina da de S.'Goncalo, comprehendfndo-
se em dita araiayao, carteira, gaz e ntai< rninmo-
didades liara um estabeleeimento de-ia rdem, ga-
rantindo-se a casa em que est ollncada : a tra-
tar coro o Sr.Thomaz Francisco Salles Rosas
seu armazem de mothados.
ATTENCO
Vcndem-se cortes de Ras que servem tanW
ara seiijjor* como fiara crianca^, pelo barato
preco de IffP : ra fat do Qu imado n. W.
Cera de carnauba
13, prilMtfo
precio tico: ife
Vende-se n rttl db'Jneimado n
andar. n
prelb por
ruii
Alng^a-se
Precisa se alugar m e ira iodo o cr-
vi^o exterior de urna casa de hornera tinta): a
raa da Cadoia do Recife n.: 90.
Vendem-se diversos escravos pecas vmdus
do Oar no ultimo vapor, pnmrios para qualquer
servieo de armazem ou engenho, asatm como hit
escravo por 150 com*m hrac irmtilisado, e dj-
verse errraj com^lwA|dBdw e sem etix : a tra-
t.tr rm nm 9 Croz fc. tft, 3 atraar.
Vende-se um
, rna do Pilar n. U8.
Os poneos esuflipiarra qw i^nin e^V
leecoes de di mo invrnacii nal, e de di| l< nitilfc
i-om a legisla^ao {.a'ria. pelo Dr. Antonio de **
concellos Menezes de;9rnuHui'nil. chi m-sc ex-
IKtstos venda as ras11 toperb-r o J%^f
de cncadernacao daSr. Paula Monteiro, e * B-
00 n. 9, livraria francesa. _________
Vende-se um bom andarn
noprtodifo rr
joie de Barruf, O*


6
Diario de Pernambuco Segunda feira 29 Je Marro de 1869.
Lindos cortes de cass de cor eom barra,c com flgurino indicando o molde d vesti-
do pelo baratissimo piv
Ditos de percalia muito modarnos com duas saias a."..5.000 ris
Na loja das Columnas da ra do Crespo f!. 1.3 de Antonio Correa de Vascon-
celos C.
PREQO CBRENTE DOS CHAPEOS DE SOL
Da fabrica dc
8
Ra Nova n. 23,Una do Cabug n.
Pernambuco
de 16 hastes, 28 pollegadas a iU ; 26
a m-,
Chapeos de seda trancada, Paragon,
pollegadas a 133, e i pollera las a IV>000.
Ditos de seda G. de N. Ra, de aro. de 10 bastes, 28 pollegadas
de 26 polleras a 134 ; e 2i pollegadas a 120000.
Ditos de seda G. de N. lisa, de ac, de 12 bastes, 28 pollegadas a 12$ : de
26 pollegadas a ll.-S; c 24 pollegadas a 105000.
Ditos de alpaca, de ac, de 12 bastes, 28 pollegadas a 65; c 26 pollegadas
a 5/5300.
Por duza fhz-se descont de 15 0[0
bastes, 21 e 26 pollegadas a 32$
ALTAS NOVffiADES
LOJA DO
Ra do Crespo n. 7 A, esquina da do
de
a duzia.
Chapeos de sol de panno, de baleia,
(Descont de 10 OjO).
Ditos de panno, de junco, 8 bastes, a I8;?000 a duzia, liquido.
^HOSBHATOdeFERRQ
rife LERAS DOUTOT EM SCIENCIAS.j
^| >NSl>CtOfrA^CADEMAOEfARlZ Etc.
<^^^mm?mm$m%?&<
w>
Dclmixo da forma d'um liquido sem sahor.
anlogo a urna agua mineral, esie medica-
mento rune os elementos que constiiuem
os e-ios e o sanguc. E' o mata raeional dos
ferruginosos; por esta razao o adoptrao
os mnis eminentes mdicos do mundo in-
teiro. Comem imito s meninas de temperamento delicado, cujo desenvolvimento tardo,
s senhoras que padecem d'estas dores d'estomago intolcraveis, causadas pela cblorose,
anemia, menstruacao ou leucorrhea, s enancas d'uma compleico pada e delicada, e a
todas as nessoas que tem o sangue empobrecido pelas doencas. Eflicacia, rapidez d'accao,
cura peneiia. sem consiipaco de ventre nem acao sobre os denles, taca sao as razScs que
imperao para que os senhores mdicos o prescrevo aos seus doentes.
Deposito em Pernambuco, em casa de Maurer e C.
PARA QUAHES.AU.
"Gorgorito prc-to.
Setint macan.
Sedas lavradas.
Moireanlique preto.
Gros-dc-naples
Basquines de gurguro c de gros-de-na-
ples enfeitado com primor.
Corpinhos de grs-de-naptes.
Basquines, capinbas, pelerinas, fiebus,
de crochet c de guipur, pretos e brancos.
Mantas pretas de blond.
Riqusimos chales de toiiquini. ,
Requissimos chales de gurguro de seda
preta o mclbor neste artigo.
Chales de mirin pretos com requissimos
bordados e franjado de retroz.
Chales de mirin bordados sullane;
ultima moda.
Romeus pretos com lindos bordados.
Leques de madrepcrola, marim, snda-
lo e osso, e pretos, para senhoras.
Ditos desndalo para meninas.
Chapelinas pretas.
VARA. CASAMENTOS, BAILES, TttEA-
TliOS, etc. etc.
Lindos corles do blond, conlendo setitit,
mantas c grinaldas.
Requissimos cortes de sedas assim como
[para covados.
Gurguro branco.
Moireanlique branco azul e verde.
Imperador.
Gros-de-naplcs brancos c do cores.
Setim branco macau.
Setim, branco, azul, verde, cor de rosa
c amarellos.
Fil de seda, branco e preto.
Cortes de seda com duas saias.
Ctales de gurguro de seda de cores.
Camisas bordadas para homens.
Saias bordadas para sonboras.
Camisas bordadas .
Fronhas de lindo bordadas com primor.
Lencos de cambraia de linho bordados.
Riquissimas colchas de damasco de seda,
assim como de seda e algodo.
Ditas de crochet para cama.
Chapos de seda bordados, para sol,
Poil de chevre de lindas cores.
Alpacas de lindas cores.
Chapelinas de palha da Italia, assim
oemo de seda.
Enlejes para-cabeca de senbora.
Espartilbos para senhoras.
Meias de laia para padre.
Ditas dela
Ditas de seda lio da Escossia e algodo.
para senhoras e meninas.
Lencos de labyriatho.
Fronhas de labyrintbo.
Bicos, rendas e grades.
Finissimas cambraias de cores, percales,
las, e Otilias mohos artigos de oslo c
. de alia novidade, isto s
Na loja do Passo ra do Crespo o. 7 A. esquina da do Imperador.
$&&&&m&&4@&i
m&
CAPSULAS VE0
1H4T1CO
eGRIMAULTe C.a pharmAgeuticos em PARS
Estas capsulas, com capa de gluten, conieem o balsamo de copahiba associado essenci de
Matico (arvore do Per;, e constiiuem um remedio infallivel contra a gonorrha. Ellas obrio
sem cansar o estomago e nao provoeo nunca os enjos nauseas que occasiono as capsulas
ordinarias, lendo a immensa vantagem de nao communicar cheiro s ourinas. E' por estes mo-
tivos que ellas sao superiores s capsulas de copabiba, cubebas, etc.
Deposito em Pen.ambuco, em casa de Maurer O".
Approttf&o
da tcadmit
ii tncdcct nt
di Parii.
'U
Pharmaccutko
lauread
ia acadtrxit
i* tudecina.
ETFfl^iiWW IH l'UIKgS
EFFICACIA
As preparacOes ferruginosas liquidas tcm desde muito tonos merecido a approvaclo
especial dos mdicos, porque ellas obro mata rpido e seguramente do que as pilulas e
sao mais fcilmente toleradas pelos doentes. Os Pos ferro-manganicos possuem a inappre-
ciavel vantagem de poder offerecer n'um instante, urna agua ferruginosa gazeosa, de costo
agradavel, mais activa do que as aguas mineraes, e contendo d mata um elemento precioso
o Manganese, que sempre te acha so sangue, junctamente com o ferro Emprego-se em
todas as molestias que lem por causa o empobrecimento do sangue, assim como para vigorar
os temperamentos debis e lymphaticos. A chlorose, as Perlas brancas dores d'estomaqo
a trregulandade da menstruacio e amenorrha ou suppresso do menstruo, cedem rpida-
mente a sen emprego. Devemos mencionar aqui um faci notavel, talo que os doentes cura-
dos pela agua preparada com estes pos esto muito menos ex pos tos a recadas do que
aquelles que foro tratados pelas preparares ferruginosas ordinarias.
Deposito em Pernambuco, em casa de Maurer 0a.
TASSOIRMOS
Tem para vender em seus armazeus, lni do ou-
tros, os seguales artigos :
Papel para imprimir.
Perlina ral.
Greve paulado c liso.
Yinlios em caixas do dozc garrafas
Bourgogne.
Hery.
Madeira'.
Hcrmilage.
Cbamblts.
Licor de curaco do Hollana om caixas dc vin-
lo e quattu bolijinhas.
GESSO,
Nos armazens de Tasso Irmaos.
Grades de ferro
para jardn?, porlcras etc.
Nos armazens de Tasso Irmaos
< A 1.I.I.M.OM DE tltSHO
Para serviros de grandes armazens. para remo-
ver barricas ou caixes de um para outto, lado pelo
mdico proco de 12000 cada um.
Fariiilia de trfeo de Trieste
Das melhoras marcas Panona (verdadeira) Fon-
lana e grande sortiiuento das melbores mareas de
familias americanas.
Saceos de farinha de trigo do
Chile
Todas novas, chegadas ltimamente nos arma-
zens de Tasso Irmaos.
Cemento romano
Nos armazens de Tasso Irmaos.
Cemento hydraulico 12$
O melhor para ludo qne sao obras para agua, co-
mo assoniamcnto de canos de esgoto, algerozes, de-
posito, tanques d'agua, etc., ote.: em porces de
cineoenlo barricas se far reduccao no preco: nos
armazens de Tasso Irmaos.
Cemento Poriland
0 verdadeiro cemento Poriland em casa do Tasso
Irmaes.
Grades de ferro, cercas, por-
teiras, etc., etc.
De dilTerenlcs qualidades para cercados de ani-
I maes, eliiqueiros [inra galnbas ou jardins: nos ar-
mazens de Tasso Irmaos.
Barris com breu
Xos armazens de Tasso Irmaos.
CANOS DE BARRO
Na ra Nova de Santa Rita, na antiga fabrica de
sabao, ha para vender por preco o mais mdico
possivel, canos francezes para dificacoes eesgo-
tos de toda a qualidadc, superiores a todos os que
aqui tem apparecido pela sua solidez.
'HEgos
1 OO por cano grande de .'5 e rucia pollegadas.
13200 por dilo de 2 o tres quarlos de dita.
t 000 por dito de 2.0 um quarto de dita.
5W ris por pistoleta de 2 pollegadas.
DO
XAROPE DE RBANO IODADO
e C*, pharmaceuticos de S. A. I. o
Tincipe
cacia
N.J,ny d% Rabaxno odadJ dc GrimaBt "
mu populad PP* " das plantas anti-escorbucas cuja eflicacia
do'oleTdl ijtiSSg^*9 ranCa' 6 COn8derad ~' melhor raccedan-
A rara perfeico d'este producto anima-nos a dar a conhecer aqui a opinilo de aleas
d entre os pnncipaes mdicos de Parta, que diariamente o prescrevem. P ^M
. LSTS de Rabano iodado nm medicamento d'nm effeito suave e seguro para i
' r8t^0c.mevnn^ema0.8,5menlC """ lede fiad0 d ^^ = ^ *
Dr A. CAZENAVE, medico em cheje do hospital Saint-Louis, em Paris.
tratamento daa
em cerloj
VERDADEIRAS
PILULAS DE BLANCARD
CON IOOURETO 00 FERRO INAITEIUVEL
APPROVADAS PEU ACADEMIA DE MEDICINA DE PARS, ETt
Possnlndo as propriedades do lodo et do ferro, convem especialmente na* AmccolS
BCBoruLOSAS, a Tsica no principio,a fragwtadi temperamento t tambero nos casos de
Falta de cor, amknorrhea, em que precisa rf.agir sobre o sangue seja para restituir
lhe a sita riqueza e abundencia normaes, ou para provocar e regular o seu curso peridico
y. B. O iodurato de ferro impnro oo alterado e om medicamento infiel,
Irritante. Como prora de pureza a de anthencidade da* verdsdriraa r-
lulaa de nianeard, dere-se exigir nosso !' prala rranlra e
no;so Arma, a iai reprodozida, rae w acha na parta interior de om
rotula ifriio, Deve-ae desconfiar dai fahificacoei.
. Arham- em iniliru phajai laa. Phamaceutic; ra Benaarte, 40, Partt
f 0 Xarope de Rbano iodado sempre nos dco excellentes resultados como regenerador
j do sangue, e snecedaneo do oleo de figad de bacalho. >
b \y A. FAVROT, autor do Tratt des maladies des femmet.
* 0 Xarope de Rbano iodado um dos mais poderosos modiBcadores das constituic5e
lymp&aiicas. Tenho visto ulceras escrofulosas oue cada noda curar. riMirhaiWaT
gracas a
as
qiie cada poda curar, cicatrizarem-se,
seas a sua accao, com uromptdSo extraordinaria. Tambem, pelo sen uso desapparecem
affeccoes tuberculosas dos ossos, nos meninos. ',
D' GESNARb, amigo extern ios hospitaes de Paris.
0 Xarope de Rbano iodado posa todas as vantagens do oleo de figado de bacalho,
sem ter nenhnm dos inconvenientes que aprsente este ultimo medicamento.
Dr GrjlBOUT, medico dos hospitaes. Presidente da Sociedad de medicina de Pars.
e 0 Xarope de Rbano iodado de Grimault e C encerra 1i2 porcento de iodo, na tu
composicao orgnica anloga que se acha no oleo de figado de bacalho.
Dr KLETZINSKI, professor de chymica, lomado dos tribunaa de Vienna.
Deposito em Pernambuco, em casa de Maurer o*.
JIS=
OLEO DE HOGG
DO
Figados frescos de bacalho
Para cura certa de plttisica, affeccoes escrofu-
losas, tosse chronica, fraqueza dos nembros e dc-
ulidade eral, recominenda-sc a excelencia (leste
leo ti inda por ser agradavel no paladar.
YENDE-SE
KA
Pliar ni ai-a e drogara
DE
DAHTHOLOME& C.
34 = Ra larga do Rosario = 34
-4mEfEnas
wcm^&r^-^^Si
PASTILHAS PEITORAES
de sueco deALFAGE
CATARRHOS
E LOURO GEREJO
jis=ins=s
IRlt*g OES
DO PEITO
E este o mais novo e delicioso coufeuo ate agora conhecido. Por isto tem adquirido r-
pidamente a populandade de que goza. Os mdicos os mais dislinctos o aconselho contra
as tosses. defluxos. caiarrhos, tosses convulsas, catarrhos epidmicos, irritacSes do peito. Com
grande empenho o procurSo as mes de familia, assim para ellas como para as criancas, pois
pnmeiro que tudo tnoffensivo. e as suas propriedades adocantes nao deixlo nada a desejar.
Deposito em Pmofn6uco,*em casa de Maurer e O*.
CAPSULAS MOLES
DE
ALCATRAD
Remedio por excellcncia para cura rpi-
da e completa das coqueluches, bronebites,
catarrhos, tosses convulsivas, escarros san-
guinos, e outras molestias do pelto.
TEUDE-SE
PHARMACIA E DROGARA
DI
x Bartholomen C.
34RA LARGA DO ROSARIO34
AO BAZAR DA MODA
Ra Nova n. 50, esquina da ra de S. Amaro.
NOVIDADES
Para senhoras.
FLORES linas, grande sortimento.
GRINALDAS de ditas para coques.
LACOS, fivelas, penachos para enfeites.
Para homens.
-
COQUES da uliima moda, enfeitados e lisos, gran-
de sortrnento.
CHAPELINAS de palha da Italia, guarnecidas com
delicados e elegantes enfeites brancos e de cores
CHAPESINIIOS e gorras de velludo e de pennas CAMISAS com peitos co|arinhos e pUnhos
(alta nov.dad.1 I) do palha da Italia, a emtiacao, n|w Mo ,ig09 e borda(h)S) mod^
especi.-.! sormnento. ___ COLARINHOS de linho e algodo.
CLNTOS de cores e pretos, rico sortimenio a ulti-
ma moda.
CAMISAS bordadas por commodos precos.
LENCOS bordados e cora letras, novidade neste
del-
J enero .
QUES a emitaco de marflm, gosto novo e de
sndalo.
GOLINIIAS e punhos, a emitaco de guipare.
PUNHOS de ditos.
GRAVATAS dc todas as qualidades.
BOTES para punhos e guarnicoes para coletes.
CORRENTES de plaqu a emitaco do ouro, lin-
do gosto.
CHAPEOS de pello de seda, forma a Rotchil, qua-
lidade superior.
CHAPEOS de seda, para sol.
Marie Rose, ulti-
lindos
e seda, cores claras, elegante
ENFEITES pretos e de ores para cabeca, lindos MiAS ,je superior qualidadc.
moldes,
GUARNIQAO alta novidade I a
mmente usada em Paris.
CORPINHOS d.. guipure brancos e pretos
modelos.
BORNOUS de laa
moda em Pars.
GRINALDAS de flores finas
ESPARTILHOS superiores. '
MEIAS superiores de fio de Escocia
LUVAS de pelica ehegadas pelo ulmo vanor
deSo." ^ Cral Verda^r ^r'gosto
DE PALHA
OUARNICOES para vestidos.
TRANCAS para enfeites de coques.
BOTOES lisos e com pingentes para vestidos
CINTOS alta novidade.
BENGALINHAS finase chicotes.
LUNETAS aro de ac. e tarturaga.
Para criancas.
VESTUARIOS completos para haptisados.
SAPATNHOS de merino e setim enfeitados.
MEIAS de seda e fio de Escocia.
CHAPEUSINHOS de palha da Italia.
TOUCAS de fil e setim enfeitadas e de chroch.
BUNECAS vestidas, muito bonitas e diversos
brinquedos.
Perfumarlas finas.
AGUA FLORIDA verdadeira de Morray & Lan-
man New-York.
TNICO oriental, verdadeiro.
AGUA DIVINA de E. Coudray e superior agua o
essencia de Colonia.
ESTRATOS c esseucias finas e de- agradaveis aro-
mas para o lenco.
VINAGRES aromticos para toilet.
POS DE ARROZ para amaciar a pelle ; em paco-
tos e ricas caixinhas com arminho.
POS superior para limpar os dentes.
COSMETIQUES de fina qualidade.
SABONETES, grande sortimento desto genero e
de superior qualidade.
LEOS de philocome. babosa e antiques.
BANHA fina para os cabellos.
AGUA de flores de laranja.
CREME de sabao para barba.
Caixas preparadas cora perfumaras finas.
Hiudczas finas.
SUPERIORES fita de grosdenaples de todas as
cores e larguras de veludo preto e de cures, e
gurguro para cintos.
BABADINHOS e entremoos bordados.
GUARNICOES de seda do cores para enfeites de
vestidos.
TRANCAS pretas com vidrlhos e pingentes.
BOTOES de cores, brancos c pretos com vidrilhos
lisos e com pingantes.
DEDAES de mau. aperla, de marOm, de 650 e
metal.
THESOURAS finas para costura e unhas.
CAIVETES finos com qttatro folhas. E muitos
outros artigos de miudetas que se torna enfa-
donbo menciona-los.
do se vende por presos bastante commodos.
DO
GALLO VIGILANTE
lea do Crespo n. 9
Os propietarios deste bem conhecido cslabele-
cmento, alm dos muitos objectos que tnham ex-
posto? a apreciacao do Fespeitavel publico, man-
daram vir c acabam de receber pelo ultimo vapor
da Europa um completo c variado sortimento de
Anas e mu delicadas especialidades, as quaes es-
lio lesolvidos a vender, como 6 de seu costume,
11 ir prcens muito baratiulios e commodos para to-
dos, com tanto que o Gallo....
Muito superiores I uvas dc pellica, pretas, bran-
cas e de mtii lindas cores.
Mui boas e bonitas gollinhas e punhos para se-
nbora, neste genero o que ha de mais moderno.
Sup 'riors pentes de tartaruga para eoques.
Lindos e rquissimos enfeites para cabeeas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas c de cores com vidri-
nos e sem elles; esta fazenda o que pode haver
de inelhor e mais Iwnto
Supriores e bonitos leques de madrepcrola,
marfhn, sndalo o osso, sendo aquelles brancos
cun lindos deserihos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 3U000
a duza, entretanto que nos a? vendemos por 205,
alm destas temos tambem grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
linas.
Boas bengalas de superior canna da India e
castao de martim com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero c o que de melhor se
pode desejar ; alm deslas temos tambera grande
quanlidade de outras qualidades, como sejatn, ma-
deira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc. v
Finos, bonitos e airosos chicotinlios de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meta
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 annos de jdade.
'Navaihas cabo de marflm e. tartaruga para fazer
barba ; sao muito boas, e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bera asseguraraos sua qualidade- e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina o para crox.
Linha multo boa de peso, frouxa, para encher
labyrntho.
Bons baralhos de cartas para voltarete, assim
como os tentos para o mesmo fim.
Grande e variado sortimento das melhores per-
fumarias c dos melhores e mais conheciios per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magmlieos contra as convulses, e
facltam a denteao das innocentes criancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigioses
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
como j tem acontecido, assim pos poderao aquel
les que delles precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontrarao destes verda-
deros collares, e os quaes attendendo-se ao flm
para que sao applicados, se venderao com um mui
diminuto Incro.
Rogamos, pois, avista dos objectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes c amigos a virem
comprar por precos muito razoa veis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7. *
Cotovcllos, curvas c canos dc maior grossura.a
vstase far o preco. Compras maiores dc 2G0.S
tem 5 por cento 00 descont por prorapto paga-
mento. Pde-se ver as amostras nos armazens
de Tasso Irmaos.
lijlos francezes
Para ladrilhar casas terreas comasseioc precos
mdicos, muito convenientes e propros para lad'ri-
Ihos de cosinhas era sobrados, pelo seu asscio e
evitar a passagem de aguas para o andar inferior
e mesmo o perigo de fugo, aos precos de 305000 a
'i.'iOOO o niillieiro : nft ra Novado Santa Rita,na
aliga fabrica de sabao, e compras maiores de 200
se far o por cento de deseonto por prompto paga-
mento. Podem-sc ver as amostras nos armazens
de Tasso Irmaos.
Velas de esparmacete verdaderas para lan-
ternas de carros: noarraazem de Tasso Irmaos.
Vnho do Porto fino superior: no armazem
dc Tasso Irmaos.
O melhor cognac Gaulhier Frercs : no arma-
zem de Tasso Irmaos.
Esteiras da India
Em casado Tasso Irmaos vende-se esteiras da
India de diversos padroes e larguras, por preco
commodo.
Macarthy
Capsulas de Eaquim
Os bons effeitos destas capsulas para fazer ces-
sar os gonorrheas acham-se comprovadas pelas
experiencias de muitos annos.
Os mdicos de todos os paizes as recommendam
pela sua cfllcaeia,
VENDE-SE
NA
Pharmacia e drogara
DE
- feARTHOLOMEU & c.
Ru34a larga do Rosario34
Machinas dc desearocar algodo.
Hoje que est reconhecido que as.machinas do
sele prejudicam e quebrara a fibra do algodo,
preciso recorrer a machinisrao menos spero,
que produzindo o mesmo servico que aquellas, e
facilidade no trabalho, nao quebrem a fibra da lia,
para que essa possa obter-nos mercados europeos,
a differenca que ha entre o algodo descarocado
por aquellas mencionadas machinas, quo estafo fi-
cando em deuzo, pelo prejuzo que tem cansado,
e o da antiga bolandera, que nao pode competir
pela morosidade de seu trabalho. E' assim que
estas machinas se tornara as mais propras para o
nosso algodo, porque ao par da facilidade e
promptidao conserva a fibra da laa, que limpa por
ella, e quallicada na Europa a par da melhor bo-
landera, valendo assim entre 10 arrobas 29 0/0
mais do que a laa liiripa pela machina de serrote.
Estas machinas nao sao novas, pois que ha muito
cstao adoptadas no Egypto, aonde as de serrote
foram inteiramente abandonadas, e por isso o algo-
do daquella procedencia, sendo da qualidade do
da nossa provincia, obtem hoje de 10 arrobas 20
0/0 mais do que o nosso : vendcin-se a SO000
nos armazens de Tasso Irmaos.
Oleo de aincndoas
Em caixas de 8 latas, cada caixa 10 libras:
nos armazens de Tasso^Irmaos.
Charutos da Havana.
Excellentes charutos da Havana e por baratissi-
mo proco : em casa dc Tasso Irmaos, ra do
Amorim n. 3o.
lIVAL sem segundo"
Ra do Queimado n. 49, loja dc miudezas dfe
Jos de Azevedo Maia e Silva, tem para vender oi
artigos abaixo declarados, tudo bom e baratissi^
mo, que sao para acabar.
Duzia do sbemelos muito finos a 780 rs.
Pares dc-sapatos de tapete para Uomem a 15280.
Ditos de tranca para creanca a 13.
Tramoia do Porto, bordada', a metlior a 200 rs.
Dita do Porto liza, da melhor quaMdade a 10d, 120,
160e200rs.
Resma de papel almaco, lizo superior a 35200.
Dita de papel almaco pautado a t.
Livro de missoes abreviadas a 2a.
Cartilhas com toda a doutrioa e muitas resas a
320 rs.
Silabarios portuguezes com estampas a 3S9- rs.
Baralhos francezes mnto Irnos a 200 e 2V) rs.
Sabao inglez superior qualidadc a 500 e 15.
Grayatas pretas c de cores muito linas a 500 rs.
Duza do meias para senhora, fazenda fina a 45.
Redes pretas lisas para segurar cabello a 320 rs.
Varas de transa de seda de todas as coros a 600 rs.
Pares de brincos dourados com maozinha e pc-
dras a 320 rs.
Cartees com coroneles de duas ordens e sao de la-
tao a 20 rs.
Abotuaduras de vidro para coleto muito finas a
120, 240 e 400 rs.
Pares de botes dourados para punhos a 160 rs.
Caixas de pennas do ac muito finas a 240, 340 e
500 rs.
Candes com duzentas jardas de linha do fabri-
cante Alexandro a 100 rs.
Caixas de pennas de ac, a verdadolra penna a
I52OO.
Carrtteis de linha Alexandre ns. 70,80, 100 at
200 a 100 rs.
Caixas com superiores obreias de massa a 40 rs.
Carrtes com duas oitavas de retroz preto a 500 rs
Duzias de agulhas para machinas a 25.
Libras de pregos rrancezes de todos os tamanhos
a 240 rs,
Livrosescripturados para rol de ronpa a 120 rs.
Caixas com papel amisade muito fino a 700 rs.
Caixas com cem envelopes da melhot qualidade a
600 rs. H
Talheres para meninos muito boa fazenda a
240 rs.
A NOVA ESPERABA
21= Ra do Queimado = 21
E para presentes
A Nova Esperarla, ra do Queimado
n. 21 tem um variado sortimento de obieo
fle gosto e phantasia proprioa para pro
es, sobresaliindo entre elles ricas caiii-
nlias dc eliano com finas perfumaras, cos-
luniros tic chagrn, agullieiros de madre!
perola : assim, pois, quemquizer fazer umi
linda offerta, dirigir-se Nova Esperanza
ra do Queimado n. 21.
Collares anodinos ellectro-magnett
eos contra as convulces das
ere ancas.
Nao resta a menor duvida, de que muito
collares se vendem por alii intitulados o
verdadeiros de, Roycr, e eis porqae muitos
pais de familias nao creem (comprando-os)
no effeito promeltido, o que s pdem dar.
os verdadeiros; a Nova Esperanga, porm
que detesta a falsificarao principalmente, do
(jue respeila ao bem estar da humanidad*.,
fez urna encommenda directa destes collares
e garante aos pais de famifias. que s5o o
verdadeiros de Rover, que a tantas crean-
Cas tem salvado do terrivel incemmodo de
convulges, assim pois preciso, que ve-
nham a Nova Esperanca a ra do Queimado
n. 21 comprarem o salva vida, para seus
lilhinhos, antes que estes sejam acommetti-
dos do terrivel mal, quando ento ser di-
flicil alcancar-se o effeito desejado, embora
sejam empregados os verdadeiros coliare*
dc Roycr.
Para extinguir as sardas e
panno
Recel'cu a Nova Esperanca, roa do
Queimado n. 21, leile de rosas, especia)
para extinguir sardas e pannos.
BONECA DE CERA
A Nf a esperanca a ra do Queimado n.
21, K9l' de receber. um completo sorti-
mento ae finas bonecas de cera de diver-
sos tamanhos, sendo as maiores do com-
piimenlo d'um covado ; estas bonecas tra-
zem bonitos coques e botinas, havendo en-
tre ellas algumas qne fallam e outras qce
clioram de sorte que farilmente podem ser
preparadas, e fazer-se um presente de muito
acccitaCito.
Finas caixas de tartaruga para rap ven-
dem-se a ra do Queimado n. 21 na loja
da Nova Esperanca.
Modernos brincos de sndalo, s se en-
contrarlo na Nova Esperanca a roa do
Queimado n. 21.
MEIAS DE LA
A Nova Esperanca a ra do Qoeimadon.
21, acaba dc receber um especial sortimen-
to de meias de la para homem e senhora.
CONTRA AS C0N6ESTES
mal terrivel a congesto fulminante:
de repente leva um individe, d'esta para
milhor vida, sem dar-lhe tempo de receber
conversa medica ; deixando as mais das
veses mulher e filhos no mais amargurado
pranto ; a Nova Esperanca quedeseja pres-
tar servicos recorren a Vojer, o qual lhe
mandou anneis elctricos magnticos, como
o nico preservativo para semelhante mal i
elles antes que se acaben!: na Nova Espe-
ranca-
NAVALHAS
A Nova Esperanca a ra do Queimado
n. 21 reeebeu um sortimento de navaihas..
de qualidades, e tamanhos especiaes assim
como afiadores e massas para as mesmas.
Vendcm Augusto F. dc Oliveira & C. ra Commcrcio, n. 42.
Cemento de Portland.
Vende-se no armazem de Vicente Perreira
Costa A Flho, na ra da Madre de Dos n, 22.
barris grandes.
Para familias
Grande Bazar, rna \ov:i ns. 941
8, deCarneirnVlannaA C
Acaba de chegar a este estabelecimento
grande porco de machinas para costuras do
autor Wheeier Wilson, approvadas na ulti-
ma exposico de Paris, as quaes cozem com
dous pospontos toda a costura, e tem a
vantagem dc ser tao suave o movimento,
que qpalquer enanca de oito annos fcil-
mente trahalha, e pode, com este entrete-
nimento, levar vantogem ao servico diario
de teinta costureiras. A comprehens3o
simples,- pois em um quarto de hora se fi-
ca senhor do movimento da machina, ten-
do a mesma a propriedade de fazer as se-
guintes costuras: pospoutar, abainhar,
franzir. marcar e bordar, como apresentam
o& desenhos que acompanbam-nas. Os pro-
prietarios do Gstabelecimento se encarre-
gam de manda* ensinar n'csta cidade, e
garantein entregar o imperte expendido ao
comprador, no caso de r3o trabalhar com
perfeico a machina vendida, nSO tefdo,
porm, soUrido ella algvma avaria. Ha tam-
bem no mesmo estabelecimento machinas
do autor Grower 4 Raker, de trabalho sim-
plesmente mo, e outras com movimento
dos ps; e mxime lodos o& pertences da
mesmas machinas, para vender avulso.
Tintura j apon eza
Instantnea para tingir os cabellos, e a
barba, a 1)5000 o frasco.
E' a nica approvada e recommendada
por ter sido reconhecida superior a todas
as tinturas d'este genero.
A venda em casa de Gustavo Horvelin n.
51. roa da Cadeia n. 51.
fiAZlAUA
Chegou aoantigo deposito dc Henry Eorster &
C, ra do Imnerad.ir, um carreganiento de gai
de primeira qualidade; o qual se vendo em partida.'
o a retalho por menos preco do que om outra qual-
quer parte.
FUNDICAO DOBOWMAN
Ra do Bruu a. A9.
Machinas de vapor.
Rodas d'agoa.
Moendas de canna.
Taixos de ferro, batida fundido.
Rodas dentadas, pata moer com agoa.
vapor e animaes.
Alambiques de ferro.
Formas para purgar assucar.
E outros muitos objectos, etc. etc., pro
prios para agricultura._____________
Para semana santa
Madama Adour, 23 roa do Imperador
icalta de receber mantitibas e manteleta d',
fil preto.
S


Diario de Pernambuco
Segn la
fera 29 de Mrc,o de 1869.
h

i


GHANDE LIQUIDAGAO
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DE
Flix Pereira da Silva, successor de Gama
& Silva
O proprietario d'estc cstabelecimento convida ao rcspeitavel publico desta ca-
Sital a \r surtir-se no grande estabelecimento que tera de fazendas, tanto da moda como
e lei, e as pessoas que negociam em pequea cscalla, tanto da praca como do matto-
nesta casa poderao fazer os seus sortimentos em pequeas o grandes porcoes, venoen-
do-se-lhes pelos preces que se compram as casas iuglezas ; assimeomo as excellentis,
simas familias, poderao mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou mandare-
mos levar em suas casas pelos no'ssos caixeiros, para o que acha-se este estabelecimen-
to aberto constantemente desde s 6 horas a manha s 9 d noute.
O atoalliado do Pavita
Vende-se superior atoalbado de algodo
com 8 palmos de largura, adamascado a
25200 a vara; dito de linho fazenda muito
superior a 33200 a vara ; guardanapos de
linho adamascados a 4-5500 a duzia e muito
unos a 8-5000, e ditos econmicos a 35300
a duzia.
Fustes para vestidos forneos
nIO.
Vendem-se os mais modernos fustes bran-
cos flexiveis com padrees de listas e de
Balpicos proprios para vestidos e roupas de
menino a 640 rs. o eovado, na loja e arma-
tem d/> Pavo ra da Imperatrizn. 60, de
Flix Poreira da Silva.
Grosdenaples
Chegou para a loja do Pavo pelo ultimo
varpor um grande sortimento dos melhores
grosdenaples pretos e de cores, tendo verde
tambem, que se vendem mais barato que
6m outra qualquer parte.
BABADINHOS
Vendem-se (inissimos babadinhos, tiras
bordadas e entremeios, mais baratos do que
em outra qualquer parte, assim como spar-
tilhos dos mais modernos, no armazem de
Flix Pereira da Silva, na da Imperatriz
n. 60.
ALTA NOVIDADE
A LOJA DO PAVO
Gurgurao de seda
Chcgaram pelo ultimo vapor os mais bo-
nitos gurgures de seda, proprios para ves-
tidos, sendo lisos elavradinhos, com muito
lustro, garantindo-se que a fazenda mais
linda e de mais phantasia que este auno tem
chegado a este mercado, e vende-se por
preco muito razoavel, na ra da Imperatriz
a. 60, de Flix Pereira da Silva.
GROSDENAPOLES PRETO A QUATRO
PATACAS S O PAVO.
Vende-se grosdenapoles preto de boa
qualidade pelo barato preco de II280 oco-
vado, s na loja e armazem do Pavo, na
da Imperatriz n. 60 de Feliz Pereira da
Silva.
CAMBRAIA BRANCA A 3(5500.
Vende-se pecas de cambraia branca
transparente, com 8 e meia varas pelo ba-
rato pFecode 33500, ditas mudo finas tanto
tapadas como transparentes 4300, 3#000.
65500, 7-5000 e 8-5000, assim como organ-
d muito lino tanto lizo, como de listas e
quadros na loja e armazem do Pavo ra
da Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da
Silva!
ALPACAS LAVRADAS PARA LUCTO.
Vende-se na loja do Pavo. as mais mo-
dernas alpacas lavradas para lucto, sendo
muilnlargasepelo barato preco de800rs. o
eovado, s na loja e armazem do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60 do Flix Pereira da
Silva.
Cassas Iuglezas a 4-ftO rs o metro
Vende-se urna grande porco de bonitas
cassas inglezas tanto graudascomo miudi-
ahas e de cores lixas pelo barato preco de
t/0 rs. ometro.garcntindo-se que 7 metros,
do um vestido para qualquer Sra. s na
loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de
$elix Pereira da Silva.
Bareges a 400 rs.
*o na loja lo Pavo
Se vendem as mais bonita* liantes transparen
tes, propinas para vestidos rama listrinhas a imita-
can de listras de seda, o vendem-se pelo barato
preco de um cruzado rada Din eovado, nicamen-
te na loja e armazem do Pavo, ra da Impera-
triz n. 60, de Flix Pereira da Silva.
Grande pechincha para a
quaresma.
VESTIDOS PRETOS A 45000.
Vende-se superiores cortes de vestidos de
seda preta lavrada, sendo fazenda muito
encorpada e muito moderna, pelo barato
preco de 155, tnicamente na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60, do Flix Pereira
da Silva.
QPLCIIAS PARA CAMA A 5#0OO.
Vendem-se colchas de fuslao kdanasca-
das para cama, pelo barato preco de 5$,
grande pechincha, na loja e annazem do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
COBERTOHES INCUBES A 45. 45500 E 55.
Vendem-se os verdadeiros cobertores
inglezes, de pura la, pelo barato preco
de 45, 45500 e 55. assim como colchas de
fustao de cores, pelo barato pre^'o de 35- na
loja e armazem do Pavo. ra da Impera-
triz n. 60. De Flix Pereira da Silva.
A 25, OS BALKS DO PAVO.
Vende,m-se superiores balos america-
ROUPAS FEITAS
Na loja do Lsao da porta larga
AS CAMBRAIAS DO PAVO
Vendem-se finissimas pecas de cambraias
lizas transparentes tanto inglezas como suis-
sas tendo mais do vara de largura, pelos
pregos de 55000 at 105000 a pega, assim
como finissimos organdys branco liso que
serve para vestidos de bailes,, por ser muito
transparente a 15000, a vara, na loja do
Pavo ra da Imperatrizn. 60, de Flix Pe-
reira da Silva.
Alpacaslavradas
Chegaram pelo ultimo vapor as mais mo-
dernas alpacas lavradas com as mais lindas
cores, que se vendem a 15000, o eovado,
ditas lisas tendo tambem cor de canna a
800 rs, ditas mescladas muito finas a 1:200,
o eovado, e outras muitas fazendas de gosto
e moda que se vendem mais barato do
que em outra qualquer parte, no armazem
do Pavo, ra da Imperatriz n. 60. de Flix
Pereira da Silva.
lloupas para homcm
Vendem-se superiores palitts de panno
sobrecasacos forrados de alpaca e de seda,
camisas inglezas e francezas com s peitos
de esguio, ceroulas francezas de linho e al-
godo, meias cruas inglezas superiores, ca-
misas de flanella e de meia de la, assim
como neste estabelecimento existe um grande
sortimento de pannos pretos, e de casemiras
inglezas de cores, e que se manda fazer
qualquer obra a contento dos Si-s. fregue-
zes, e promette-se-lbes que sero servidos
com a maior promptido e muito mais ba-
rato do que en outra qualquer partP
na ra ta Imperatriz n. 60,de Flix Perei-
ra da Silva.
Cortinados
Para camas e janellas.
Vende-se um grande sortimento dos me-
lhores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se ven-
dem a 125000 rs. cada par at 255000 rs,
isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
Cretone para lenqes cora 10
palmos de largura a 2$,
Acaba de chegar esta nova e excellente
fazenda branca propria para lences de um
s panno, garantindo-se que um metro e
urna quarta ou um metro e meio d um
excellente leneol de um s panno, assioi
como esta boa fazenda tambem muito
propria para toalhas de meza, rosto etc. e
outros mysleres e vende-se pelo baratissi-
mo preco de 25 cada metro.
MOZAMBIQUE PARA VESTIDO A 500 RS.
Chegou para a loja do Pavo um elegante
sortimento dos mais bonitos mocambiques
proprios para vestidos com as cores mais
modernas e que se vendem pelo barato
preco de 500 rs. o eovado.
ALPACAO DE CORDO PARA VESTIDO A I:
Chegou esta nova fazenda com o nome
de alpaco, sendo de cordo e com mais
largura do que a alpaca, cora as mais lin las
cores, como sejam Rismark, lyrio, perolas.
roxo, cor de eanna, magenta etc. e vende-.
se pelo baratissimo prego de 15 o eovado.
ROMEIRAS PARA QUARESJIA A 161,
Chegaram as mais bonitas e modernas
romeiras pretas de guipure, que se vendem
pelo baratissimo prego de 16 cada urna.
SOBRECASACOS PARA A QUAJtESMA A 183 E
20*.
Vende-se um grande sortimento de so-
brecasacos e palitts sobrecasacados de fi-
nsimo panno preto pelo baratissimo prego
de 185, sendo forrados de alpaca, e por
205, todos forrados de seda, grande pe-
illiticha, principalmente por esiarmos na
quaresma, assim como, tambem se vende
um grande sortimento de caigas e colettes
de casimira preta que se vende muito mais
barato do que em outra qualquer parte.
ESGUIO DE I3.NH0 DE 12 JARDAS A 10$.
Vende-se pegas de esguio de linho, fa-
zenda superior, com 12 jardas cada pega, a
105000.
ALTA NOVIDADE

Loja do Pavlo.
GURGURES PARA VESTIDOS A i 000.
O COVADO.
Chegaram os mais modernos gurgures
um
Ra da Imperatriz n. 5*2. i loja de ourives.
N'este cstabelecimento so encontrar .iperatriz n. 52, loja do Paredes
sempre um cempleto sortimento de roupas
relias de todas as qualidades. Como se- esle estabelecimento encontrar o respei-
jam: paletots de alpaca, de merino, de lave! publico um completo sortimento de
casemira, bombains de panno preto, fia- fazyndas e roupas que. se vende pelos pre-
ques c sobrecasacos de brins de coros c gos seguintes:
pardos. FAZENDAS PRETAS.
CALCAS E COLETES. Completo sortimento de fazendas pro-
Tem sempre'no mesmo sentido um sor- prias para a quaresma, como sejam: gros-
timento completo a prego commodo. de-naples a 25, 25500, 35, 35500 o cova-
CAMISAS E SIROULAS. do, moreantique de diversas quali lades
Encontrar sempre o respeitavel publico a 25200, 25400 c 25800 rs., sortimento de
i bonito sortimento de todos os nmeros, alpacas pretas e de cores de 500 rs. at 15,
MEIAS CRUAS. p1 incza, mirin do diversas qualidades,.
Sortimento de todas as qualidades, de | FAZENDAS RRANCAS,
35 a 55, assim como tambem sortimento Madapolo de diversas qualidades e pre-
de lengos de linho brancos o com barras gos commodos, cambraia de 35500 411500
de cor, ehinezes, bonitas gravatas pretas e fi 55, ditas victorias de 55500 a 125, pegas
de cores. Ra da Imperatriz n. 52, por- de cassa liza o mais fino que ha no mrca-
la larga. do a 95, 105, 125- com 12 varas, c vara
PARA ACARAR. de largura
Urna grande porgo decalcas ordinarias SEDAS DE LISTRAS.
para trabalho a GO e 800 rs. cada nrapar, Recebeu-se um bonito sortimento d'esta
6 pechincha na loja do Leo junto a loja de fazenda que se vende a 25500 o eovado.
ourives. CHITAS.
GRANDE PECHINCHA, Vende-se chitas escuras a 280, 300, c
Cassas he cores a 160 rs. o eovado, na 320 rs. o eovado.
160 RES O COVADO GUARDANAPOS
Chita preta pelo barato prego de 160 o Vende-se esta fazenda de linho, fazonda
eovado na roa da Imperatriz n. 52 na loja boa a 45000e 55000 a duzia.
que tem um Leo pintado. MEIAS PARA HOMEM
r. j PANNO DE LINHO Sortimento de meias inglezas para ho-
Paredes Porto receben um sortimento da mem a moQ g800 e63800 fazenda boa.
pannos de linho, com 27 varas a peca
175000 e 185000, na ra da Imperan* n.
5,junto a loja de ourives de porta larga.de
Paredes Porto.
LENCOS DE LINHO
Vende-se lencos brancos de linho a 35.
a duzia para acabar na loja de Paredes Por-
to. Ra da Imperatriz n 52 loja di porta
larga que tem um Leo pintado, de Paredes
Porto.
THOALHAS
Sortimento d toalhas de peluda a 115
a duzia.
LENCOS RRANCOS a 25200
Para acabar lengos de algodo a 25200
a duzia,
25000
Vara de bramante de linho superior e
tem 10 palmos de largo.
No armazem do Leo, ra da Imperatriz n. e 52, junto a loja de ourives.
FAZENDAS PRETAS
PARA AQUARESMA
c.
Ra do Qucimadu n.l
Receberam directamente da Europa as mais superiores fazendas pretas espe-
ciaes para a quaresma, as quaes esto vendendo pelos mais mdicos pregos em vista
da superior qualidade de ditas fazendas.
AliTA JOVIDAE
Pasquines pretas de renda, verdadeira, novidade, para senhora.
Gorguro preto de'seda liso e com listas assetmadas par vestidos.
Grosdenaples preto largo estreito de diversas qualidades bavendo neste gerlgener, sobresahiiido os delicados ramos
ero oque ha de melhor. *
Basquiues de croch prelos, ditos de seda preta com cintos delicadamente en-
feitados, elegantes peplums de seda preta, fichos pretos de renda, modernas capinhas
pretas de renda e superioras vestidos de gorguro preto bordados.
A loja n. H da ra do Queimado tem sempre o melhor sortimento de tapetes,
alcatifas e
Esleirs da India para forrar salas.
0 cordeiro previdente
Hua do laciniado o. f.
Novo e variado sortimento de perfuma
linas, e outros objeclos.
Alm do. completo sortimento de perfu-
maras, de que elleeuvameute est provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se turna
notavel pela variedade de oljjeetus, supen
dade, qualidades e commodidades de [rt-
eos; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
e espera continuar a merecer a apreciacio
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, nao se alas-
lando elle de sua bem eonhcdda mansido
e barateza. Em dita luja enconlraro os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray & Laminan.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
ceza, todas dos melhores e mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentrificia.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para cons:rvago do
asseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
ros agradaseis.
Copos e latas, maiores e menores, eom
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente,
eoutras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos c
francezes em irascos simples e en re lados.
Essencia imperial do lino e agradavel ehei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de eheiros igual-
mente linos e agradaveis.
Oleo philocome va/dadeiro.
Extracto d*oleo de superior quajidade,
com escolhidos ebeiros, em frascos de dif
ferentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menores
para mos.
Ditos transparentes, redondos eem figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
nas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaris linas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
e boneca.
Especial p de arroz sem composicode
cheiro, e por isso o mais propino para crian-
gas
Opiata#igleza e franceza para (lentes.
Pos de campliora e outras derentes
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
A arda mais coques.
Um outro sortimentos de coques de no-
vos e bonitos moldes com filis de vidrilhos
e alguns d'elles ornados le flores e fitas,
esto todos expostos apreciago dequem
os pretenda comprar.
GOLLIXHAS E PUN1I0S BORDADOS.
Obras de muito gosto e perl'eigo.
Fivellas e Otas para ciatos.
Bello e variado sortimento de tacs objec-
tos, ficando a boa escolha ao gosto do com-
prador.
FLORES FINAS
O que de melhor se pode encontrames sp
Ra do Qeimdch n, 49 loja te.
mitidezus de Jase de jzevedo
Mam e Silva con herido por Jos
B/f/od/nho.
EftS queiotando os oUj< xo declara**
pt'lo tlii.imuio prego, a saber '.
na'dc Colonia verdadeira a ifi.
Garrafas com agnk Florida verdadeira, que se ga-
raotoa 15200. .
Penloi para regacr cabello de menina? a 320 rs.
Tbesonras mono uas para uohas e costuras a
800 -rs.
Ttateirofl cln-i d.' tinla limito preta a80, 100, 160
e 400 rs.
Varas de irania Lrauca de linho para toalhas a
(00 r*.
Habrs de phosnlioros dcsefnranca a 20, 40 e
|M rs.
Navatfeu de cabo de narfim o que se garante a
qualidade a l
Libra de 13a para bordar a 73.
Peca' de tila branca elstica muito superior a CO
e :W0 rs.
Novillos delinlia branca rom iOO jardas a COrs.
Resmas de paiiel de peso liso uiuilo lino a 250.
Latas com superior banlia a 200 e 400 rs.
Caixaa eum seis fraseos de cheiro muito fino a
800 rs.
Caisas eom dozo trascos, fazenda s boa a 1*00
e :! i-'UO.
Fraseos eom superior oleo Boeomo a 800rs.
Calnnpas (!' sabSo transparente muito bonito e fi-
no a 240 rs.
Duzia de paos de pomada do Beino. da melhor
qualidade a -W rs.
I'ci: a de tiras bordadas muito finas a 800,600 e
800 rs.
bitas ilc babadinhos com dez varas a COO rs.
Carriteis de linha de tudas as res, para acabar
a 20 rs.
Garrafa^ com agua divina a jjsOO.
Kra-ros com suorior hk"!',.!.-,i perula a 320 rs.
- de cidro com doze didaes, que ,; a eaix
v;ile dinheiro a 200 rs.
Ditas de madeira com alunles, o que ha de me-
lhor aMO n.
Grosas de botoi 9 do louja, lisos o bordades a
iOO rs.
Caixas redondas pora rap oiniuando tartaruga a
Pecas de fita ] da melhor qualidade a
500 rs.
Estovas para limpar denles, teettda que s a Te-
la a 240 rs.
DUu< para limpar nnhas de sirperior qualidad*.
nos de triuta a quarenta amw. tendo as h- a vestidoS) sendo det0(ias as cftres.como
tis bastante largas, sendo milito faCil trans- -am verde> MU,f rosa> b3mark> pero|a
forma- os para outro qualquer novo modelo, rxn & & ten(lo quasi qualro pa,mos de |ar.
e bqu.dam-se pelo barato prego de 2hada e venfie.se pe|0 baratissimo prego
u.n. sendo fazenda que sempre se vendeu J l&(m cada covado nicamente no ar-
a U e W. mu na loja e armazem do Pa- A F , p era da s|va narua da
i^JmSr**n- *' De Fe in,perairiz n-6o-
Mmlapolao enfeslatlo a 8S500 RETALHOS PARA LUTO NA LOJA DO
Vendase superior madapoloenrestado, ,. PAVAO.
sendo muito encorpado. para carnizas, e t ^e.orna grandequantidade^de re-
Lio cada pega it jardas,^pelo baratissi- talhos de chitas e cassas pretas por prego
mo prego imi na loja e armazem do muito barato, e quanto ma.or for a porgai.
Pavo. ra da Imperatrizn. 60. De Flix vender na ra da imperatriz n. 60 de F-
lix Pereira da Silva.
Grosdenaples preto
Vende-se um grande sortimento dos me-
lhores grosdenaples pretos, tanto lar-
vado, sendo fazenda que ni ignem vende gos como estreitos, sendo de 2|M)0 rs. o
por menos de 7 ou 8 tastes, e liqnidam- eovado at 45000 rs. garantindo-se atu-
se por este barato prego, |>or se ter feito n'este genero ninguem tem melhor fazenda e
urna avultada compra, na <>ja e armazem que se vende mais barato do que em outra
do Pavjo. ra da Imperatriz n. 60. De qualquer parte.na ra da imperatrizn. 60,
Flix Pereira da Silva. de Flix Pereira da Silva.
Pereira da Silva
.%.<* I,< varas a 500 rs.
Vendem-se a- verdaderas cambraias
francezas, com lindos padres e cores lixas,
sendo tapadas e transparentes, pelo barato
p eco de JOO rs. a vara, ou .'KK) rs. o co-
Lourcngo Pereira Mendes (juimares, proprietario da luja da Arara, ra da Imperatriz
n. 7a, declara ao respeitavel publico e seus freguezes que acaba de concluir o Dalango
de sua loja de fazendas e fazer abatimeuto as fazendas que julgou necessario para
vender mais barato que em outra qualquer parte, por isso roga ao respeitavel publico o
favor de mandar ver as amostras das mesmas para ver como se vende barato.
CHITAS FRANCEZAS A 280 HS.
Vendem-se chitas francezas a 80. 320 e UO rs. o eovado.
MADAPOLO A 6^000.
Vendem-se pegas de madapoto fino a 6 GANGA 1 320 RS.
Vende-se ganga para caiga e palitts a 320 e 3(50 rs. o eovado.
CASTOR PARA CALCAS.
Vendem-se castores para caigas a 240 e 280'rs. n eovado.
LAZ1NHAS A 240 RS.
Vende-se lazinha a 240,280 e 32 rs. o eovado, eoutras muitas fazendas e roupas
feilas, fazendas pretas para a quaresma, como gros-de-naple, casemiras e panos pretos
de todas as qualidades, balos de 20 35 arcos a 10500 rs., cortes de brim para caiga
de homcm aO e 800 rs. cada um, por este prego s na loja da Arara ra da Impera-
triz n, 72. ^^^^ _____
C**^WH/*V^al
Lourenco Pereira Mendes Guimaraes paoprtetario da lua do grande tanbaldi, ru
da Imperatriz n. i<6.
Declara ao respeitavel publico," que recebeu um grande sortimento de fazendas
de todas as qualidades, tanto para a praga como para o mato, aos quaes espera Ihe fa-
gam a honra de frequentar o seu cstabelecimento que Ihe prometiera vender mais barato
do que em outra qualquer paite.
CORTES DE LAA A 21400 RS. '
Vendem-se cortes de la para vestidos a 20400 e 3(5000
CHITAS FRANCEZAS LARGAS A 280 RS.
Vendem-se chitas francezas a 280. 320, 360 rs. o eovado.
LAAZINHAS A 240 RS.
Vendem-se lSazinhas para vestidos a 240, 280 e 320 rs. o eovado.
ALGODO A 4*000
Vendem-se pegas de algodo a 40, 50 e 70.00, pegas de madapolo a 6;?, 70, 80
e 90000.
CORTES DE CASEMTRA PRETA A 4*000.
Vendem-se cortes de casemira prel para raiga a 40, 50, 6? e 8^000, cortes de
ganga para caiga a 10280 rs., ditos de brim 800 rs., ditos de castor a 10000.
CHITAS PARA CORERTA A 320 RS,
Vendem-se chitas para cobprtas a 30 rs. o eovado.
CASSAS FRANCEZAS A 320 RS.
Vendem-se cassas francezas para vestidos a 320 e 360 rs. o eovado.
NOV1DADES.
Bales de 25 30 arcos, a !05OOrs. cada um, s se pode ter balo por este pre-
go, e outras militas fazendas pretas para a quaresma, pannos, casemiras e gros-de-na-
ples preto. outras fazendas muito baratas que se dao as amostras. Na ra da impera-
triz loja do Garibaldi n. 56.
ATTENQaO
Lourengo Pereira Mendes Guimaraes, dolara aos seus devedores que entivgou ao
sen procurador o Sr. Bernardino'deSenna Das as suas contas para elle promover seu
recebimento conforme Ihe ennvier amigavel ou judicialmente, por isso roga-se a todos
os devedores vir entender-se com elle na ra da Conceigo da Boa-Vista, ou na loja a
ra da Imperatriz n. 56.
orvalhados para coques.
Para viagrm.
Bolsas de tapete e carteiras de couro, por
pregos commodos.
Chapelinas de palha da Italia mui bem
enfeitadas, cenfeites de flores obra de bom
gosto.
E assim muitos outros objectos que se-
ro presentes a quem se dirigir dita loj;.
do Cordeiro Providente a ra do Queimado
n. 16.
ENFEITES DE PALHA PABA VESTIDOS.
CHAPEOS E COQUES.
0 Cordeiro Previdente .1 ra do Queima-
do n. 16 acaba de receber um bello sorti-
mento de trangas de palha para enfeites V
vestidos, outras para chapeos, coques ele.
tudo isto est sendo vendido com a sua bem
conhecida commodidade de pregos.
ALEM D'AQUELLES.
Becebeu outros lindos enfeites de seda
para vestidos ; assim como um variado sor-
timento de gal loes de la, babadinhos de
cambraia com bordados de cores, cuja va-
riedade de gestos os tomam recommenda-
dos e apreciados ; compareco pois os pro-
tendentes que sero seividos a contento.
TO BEM BECEBEU.
Novo provimento de bicos e rendas e
gnepure.
LUVAS DE PELLICA.
De todas as cores tanto para homen-
como para senhoras. constantemente acham-
se a venda na loja do Cordeiro Previdente :
roa do Queimado n. 16.
Fazendas de gado.
Vendem-se seis fazendas de gado na rlhelra do
Serid, denominada Roa-Vista, P de Perra. Mn-
lungu, Mundo Novo, Inp e Serrle, todas mnilo
hoas de orlar e de ui|i ser bem eonheeido naquel-
la ribeira : os prelendenles podem dirigir-se ru
do Vipario n. M, Io ailar.
Tabellas vermicidas
DE
Antonio Nunes le Castro.
VermfugoeJOcaz, e picfeiivtl a todos os
conhecidos, j pela certeza de seu resulta-
do, ej pela fcil applicaco as cicangas.
quasi sempre mais atacadas de to terrivel
e muitas vezes fatal snffrimerito.
NICO DEPOSITO
KA
Puarniaeia e drogara.
DE
Priihonieu A C.
34-alna larga do Rosario34
PEIXE ECOTOMICO"
PARVHOJK F. AMANHAA.
0 Campos da ra do Imperador n. 28
Vende :
Latas eofh salmn (grandes) a
Ditas com dito (pequeas) a
Ditas com iagosta (grande.-) a
I) i:is cora dita (iieqoenaf) i
Ditas eom pcixe porluguez de diversas qua-
lidades a 1*2:4)
O CAMPOS
Convida aos neos Irepi es e ao publico em geral,
a virem no seu estabeleeimento ra do Impera-
dor n. 28, prover-re de iguanas linas com que
ii.i-iiii rechear suas mesa' ao
_____ DOMINGO DE PASCHOA._________
Pennas de ema,
Vende-se ra do Queimado n. 13, prim
andar.
ESCRAVQS FCSLOS.
INJECTION BRO
Hyttrutr iumIihh ..~rr7iiir^^iZiiiii in - >. t..i
m mmm ev. itmmt Sum, n.
Madame Adour tem a honra de parti-
cipar ao respi'ilavol publico que recebeu pelo
oltimo vapor fazendas finas de muito gosto
como sejam:
Vestidos de gase de chambery
obra rica
Chapeos para senhoras e meni-
nas
Mantilhosde renda preta
Casaquino de guepure preto
burnous
Baloes brancos
Vestuarios de fusto para ho-
mens
Ra do Imperador 1.'andarn.
23
Fugio no dia lo d-; fevenin de 1869, do
engenho Caith, pcrteneeiile ao Sr. Ilermino Lao-
rentino de Andrade, um eamvo preta de norae
Kelippe, idade 40 annos, altn o d.' tata Bgura, pou-
eos cbollns na barba, nariz pros-o e ciato, o-Rios
grandes e vennelhos, beicos gro-sos, pes grandes
e grossos : roga-se api.lela ua a quem delle ti-
ver no iei.i, se dirija ra de Apollo n. 8, qac
ser n n mpen^ado.
liltS de gniilr&ilir
Fugio no dia 11 de Janeiro do frrente anna,
do engenbo Bataiura, fregueria da Escaria, o es-
eravo preto, crioulo, de 2i auno- de idade, cha-
mado Marcelino, que foi do Sr. Jnin da Cunha
l'ereira, cujo cscravo estove no deposito peral, e
tem os signaos seguimos : alio, teres do corpa,
n>sto muito marcado de bexigas, fal'a de dentes
na fivnte, cor preta, sabio de chapeo do ehile,
h-tot e caica de castor, levando un I ahuznho
(landres cm mais roupa, c soppfte-e estar
freguezia do Cabo : quem o appnhendvr leve-e
ao dito engenho, nu ra da Senzala-nova n. 38,
i'scriptorio do Sr. Bcrnardino Pontual. que rece-
ber a gratificaran cima.
Fugio do engenho Jacobina, nnnarre do Ca-
bo, ao amanhecer do dia n do rorrente mrx e
anno, do abaixo a^signado, nm escrav preto dp
nome Antonio, eonheeido por Caml.i. idade de 28
a 30 aun s, poueo mais ou menos, alU), ps gros-
sos, tem una das juntas do neMito um pouco
grossas andar banzeiro, levando chapeo de felfro
:i osado, camisa de algodo azul e sen ola de al-
godo americano, cujo escr.iv,> veio de Rolqiw
ra Pao d'Alho. para onde se desenlia ler seguido:
roga-e a qualquer autoridade policial ou capiiao
de rampn a caprura do dito cscravo. levando afc
engenho cima, ou a ra * Caldeirein n. 41 ao
Sr rrancisco Quintino Rodrigues hsleves, que
ser euerosamen'e gratificado.
Antonio Caineirn lina o Mello.
VINHO DO PORTO
Chegaram differentes qualidades no de-
posito de vinhos em casa de Tbeod. Chns-
tiansen, ra da Cilil B. 18.________
Libras esterlinas.
Vende- qne em mi'ra parte, qnurt" n. 17.____________
"E-uravi pe(?n de 14 anuos
Vende- urna b mita crioula de IV annn, rom
prinripbidc habilidades, p r -en senhor retirar-se
para Europa : ra da Imperatriz, loja n. 48.
Fugio de bordo do pedanme him hmimI Ama-
ra, um mulato claro de nome Jnsno estatura re-
cular, cbelos carapinhados e meios ruivi s, pnuca
barba, tem una pinta preta no canto do olho direir
lo e um talfio as costas ao loesmo lado.; levo
vestido i-ainisa de chita com lisias verdes, e usa
de nina cinta com borla encamada para a|iertar
as ralsa*. <* natural de Santa Ama do Mattn na
provincia do Rio (rande do Norte, para onde talvo
qneira ir, tambem muito desembaracado no fal-
lar. Recammenda-se aos mes'rcs de barraca n
a nnalmier pessoa que o agarrar e levar a ra
do Trapiche n. 4 nu a bordo do referido navio que
ser generosamente gratificado.
Fugio no da 17 do
ilre, de idade TO annos,
helle em um ollm.e
gagiieja, tem de co-ti
immediaoes do Pona
le vo-o ra de Apollo
nte o pre
^lar
reooeapensara.
y
BJBBJBJ


8
Diario de Peninmbuco Segunda feira 29 de Marc,o de 1869.




IITTERATBRA.
Amor materno.
Vox mulita est in Roma...
Rachel plurans filios sitos...
Et noluit consolar i quiaiam nonsunt...
(Concias*)).
E poz-se a escrcvcr, convulsa, palavras
' Hcgiveis, que riscava c i|uc emendava. Sua
aan csquoida. applicada ao cowpto, W
xxa cooter-lhe os impelas.
_ e* aqui, disse olla, o que amanhaa
se ha de ler cu todos os cautos de Londres,
daqui a tres dias em toda a Inglaterra, e
m urna semana ein toda a Europa. Ah I
doutor, Deus vos inspiroo um pensamento.
Toma Sarali, vai a qualquer typograpliia e
manda que se tire uin milhao de exempla-
iies deste annuncio. E leu o que se segu.
Urna mina de carvo que rende por
uno 50 mil guineos, mais duzentas mil li-
bras esterlinas da aeces da companhia da
India, a quom restituir a urna mi afflicta
urna menina de quatro annos, chamada
h\Kj, em Euston-Square, freguezia de S.
liancracio. Para seguranea desla recompen-
sa depositam-se os litlos das propriedades
em casa do tabellioBurns.
Esta imprevista esperanza fel-a suecum-
bir, e deixou-se cahir sobre urna cadeira.
E urna circunstancia inesperada vcio por
fim a seu abatnente
Dous individuos entraram; um venda
roopas feitas. Rog bavia dilacerado um
por um todos os vestidos de enanca, que
estavam expostos venda. Mistriss Philipps
pagou-lhe o damno.
A outra era urna modista, que reclamaya
o valor de um chapee de menina, que o cao
unha estragado. Mistriss Philipps pagou
tambem o prejuizo, e depois passuu a inao
pela cabeca de Rog, dizendo Tu tambem,
meu Rog, procuraste Lucy e nao a adiaste.
Ao nome de Lucy, Rog soltou um gem
do, e faiscas elctricas sahirain-lhe dos olhos.
Por sua causa foste espancado.
Rog gemeu: a dor tem urna lingugemge-
rai intelligivel para todos aquelles que pa-
decem.
Tres annos se passaram.
O vento e a chova linliam rasgado osan-
nuncios.
Lucy, que teria ento 7 anuos, nao ap-
pa recia.
Mistriss Philipps j se nao ergua da ca-
ma. A sen lado las cadeiras esto sem-
pre occupa>las, urna por Sarah e o outra
pelo Dr. Yong, que victima tambem do tem-
poe dos pesares, e quasi cgo passa seus
dias eabt-ceira de sua amiga.
Dr.; disse um dia a infeliz mi a seu
fiel companheiro, tcnlio de pedir-vos um
favor.
Que favor, minha senhora ?
Deslava conversar com um sacerdote.
Nao ralhes contigo.
E' multo tarde, disse o doutor de si
para si.
Doutor, eo sei que nao estou em ris-
co de vida, mas desojo enlreter-me com o
nosso exeell nte pastor, Mr. Burney.
Sim, siin, eu vou chamal-o.
Ah } como a Ilud,disse o doutor, en-
erando no seu camnho. Daqui a duas ho-
. as ella tora cessido de padecer.
Sarah Sarah abre dopressa esse ar-
mario, e d me um baliusinlio de cedro que
melle est.
Sarah obedecen, e Mistriss Philipps abrio-o
E com a venerarn devota de quom pega
em reliquias santas, com a avidez ingenua
da noiva que contempla seus atavos, ella
contenplou eenaoval de sua filha que co-
brio de beijns. E foi na contemplaco
deseas reliquias, (pie lecheo os olhos, para
nunca mais os abrir.
Sarah fech ,u os cortinados, accendeu
urna lampada e orou.
No dia inmediato toda a idalguia ingleza
proceda o fretro do Mistriss Philipps.
Atraz dos grandes, dos nobres, dos ri-
cos, e dos pobres que choravam, ia um
cao ceg.
Entre os papis de Mistriss Philipps
achoo-se esto testamento.
Todos os meas bens, excepto a casa
em que moro, quefica pertcncendo a Sarah.
serlo para aquelle que adiar a minha Lucy.
E nunca mais se achou Lucy.
O pontfice rom iii e o scisma
lo Oriente
A' resposta do patriarcha scisiratico de
Gonstantinopla ao convite de sua santidade
0 papa pi IX, notavel por mais de um
titulo.
Ja examinamos o valor da prctenco do
patriarcha, em rednzir o pipa a exercer
uncanunte urna simples primazia, primas
FOLHETIM
OS D3AHS E wm
POR
lie Berthet.
(Continuaco do n. 68)
' IX
A primeira entrevista..
A colonia de S. Lourenco de Maroni,
que com a sua annexa de S. Luiz parece
destinada a sor a capital do degredo na
Guianna frauceza, aprsenla um aspecto
attractivo.
Na poca em que se passavam os suc-
cessos d'esta historia, esta'va ainda aquella
colonia em comeen, tendo os seus estabe-
lecimentos o carcter de provisorios. Pos-
to que apresentasse a apparencia de urna
cdade Bascante, na > havia all ainda cons-
trueco alguma importante pela sua gran-
deza. As habitaste eram pequeas, bai-
las e cobertas na maior parte de folhas de
palmeiras. As copas do arvoredo, occul-
tando-as em parte, fatiam que parecessem
em menor numero do que realmente eram.
Entretanto um bello campinario, cornado
por umi cruz surgindo d'eutre o arvoredo,
fazia lembrar a Josephina as igrejas do seu
pitloresco paiz.
No porto notava-se certa actividade.
Muitos navios e numerosos barcos estavam
fondeados ou amarrados praia, sobre a
qual se viim minies de preciosas madei-
ras para m ireeneria. constrncefl ;s e tintu-
reria, principal produeco da Guianna.
N'aquelic momento pareca que toda a
C mvm agora destruir urna
assergo que tenue a tornar a igreja roma-
na responsjvel palo scisma. em eoasequeu-
lo cortil dureza de expressoes contra
os Orientaos.
Depois de dizer que nao podia annuir a
um convite que, na sua opiniio, aecusava
o pipa de principios contrarios ao evange-
lio) e smtrimsos concilios uuioersaese
dos santos padres, o patriarcha aeere-cenlou:
S homens ignorantes deseonhecon o
que se disse e escreveu contra o concille
de Florenca......
Com eloito, apenas encerrou-se aul
lima sessao d'esto concilio, essa uni i
forjadaevaporou-se. E alin-d'isso, uuii
assembla convocada por motivos pohti-
eos, razoes d'interesse puramente ter-
restre, e cujas deliberacdes findaram
n'uma conduso imposta por certa tem-
, po algum dos nossos pelo papa, qn
ento governam, por meio da fome e de
t violencias de todo o genero, nao mere-
cem o santo nome de Synodo
Permitanle o patriarcha que Ihe observe
com tuda a bumildade que elle foi nduzi-
do ao erro pelos novus historiadores do
scisma. Para quem estudou bons prin-
cipios, ao contrario muito certo que, nem
no concilio de Florenca, nen em algum i
outra parte, a igreja romana mostrou-se
severa para seus lilhos desviados do cim-
nho da salvaco. Ella pode dar o testimu-
nho de n5o ter poupado nada para condu-
zi-losao seu seio maternal.
I
Miguel Crularo levantara o estandarte
da rvoluc3o: Apenas subi ao throno
patriarcal de Gons'antinopla. riScou dos
sagradas diplycos o nome do papa roma-
no, sob pretexto que elle consagravacom
pao azymo, e que elle accrescentara ao
Synbolo o filioque. Ainda mais, preten-
deu subtrahir si e seus successores
jurisdieco do pontilice romano, ao
mesmotempoque prohibi toda a appella-
cao as apostlica. Pensavaalm d'ssoem
estender sua autoridade sobre os ontros
patriarchas, e em revindicar para o pa-
triarcha de Gonstantinopla a primazia do
jurisdiccao que o papa praticara no Ori:
ente.
A tentativa de Crulario foi infructfera.
verdade, confessaoa inesmo por Theo-
doro Balsamon, e os Gregos ficaram anda
algum tempo unidos igreja romana. Com
tudo, os espiritos exasperavam-se pou a
pouco c o mo germen augmentava; a con-
summacao do schisma era imminente. Foi
entao que os pontfices romanos comeca-
rain urna serie de passos preventivos, at
hoje, destacadamente infructferos.
Em 1074, S. Gregorio VII interesstm o
imperador Henrique c outros solteranos na
causa dos Gregos.
'Em 1091, Urbano II enviou soccorros ao
imperador Alexandre Gomming entao em
guerra com os Patunacios. O papa entre-
tinha com este principe urna corresponden-
cia que dava esperanzas d'uma perfoita re-
conciliacao. Alexis rogara ao papa que
viesse a (onstantinopla presidir um concilio
que teria terminado todas as controversias.
Por desgrana, o scisma do anti-papa Gui-
bert veio desararanjar este plano depacifica-
tao.
Pascoal VI (1100-11 i 1) mandou tambem
um delegado a Constantinopta, para escla-
recer os sophistas da corte,'que tornavam-
se cada vez mais poderosos.
Foi no puntilleado de Eugenio III (1134-
1143)que leve Jugara famosa conferencia
entre o delegado do papa, Anselmo d'H i-
velberg, e Nchites, arceuispo de Nicome-
dia.
Adriano IV (1159) escreveu Basilio, ar-
cebispo da Thessalonia exhortando-o reo-
niao, e Basilio responde rogando ao papi
que levantases todos os obstculos quj se
oppuuham isso..
Ao mesmo tempo, Alexandre III. que suc-
cedeu a Adriano IV, encetou negociace
com o imperador Manuel. Este enva Ne-
clarico ao terceiro concilio de Latro, que
Alexandre acabava de reunir.
Mas como concluir urna paz seria com
um principe, que quera absolutamente que
o papa Ihe desse o impeli do Occidente ?
Alexandre responden com firmeza, que
os interesses teraporaos naose.deviam mis-
turar cornos interesses espritu es (1158)
Apezar d'isso, urna reconciliacH) podera
ler sido operada, sem a deploravel inter-
venco do patriarcha de Gonstantinopla,
Miguel Anchialir.
Este fogoso inimigo dos Latinos prega va
publicamente, na igreja de Santa-Sophia
que um Grego que mitasse cem cslrangeiros
abierta de eus o penlao do assassinato de
dez gregos. Finalmente, o odio aos Lati-
nos augmentara tod >s os das,- e os Gregos
cada vez teimavam mais em nao estimar se-
nao a tradicao de avas igrejas. Este des-
preso percebe-se na celebre conferencia lio, se elles o desejassem, e conceder
Anselmo d'Havelberg. pie fosse possivel. O que nao po-
Como Nchites nao pode negar qi onceder, nao devia recusar: e de-
ente tivesse sido um foco d
se d'isso dizcivlo, que estas htrenias savamseus aiilomi de ardor do estado e
netraeo de espirito. Km Roma nSo teem
nem urna nem outra cousi, inesmo para
fazer hermas.
Eis-nos no (pinto concilio de Latrao
(ll3). O papa Inuocencio III convidara
os patriarchas do Oriente. Elles, com of-
feto, acceitaiain o convite. 0 concilio moa-
[ron a maior condescendencia para com os
Gregos.- Chegou a dar ao patriarcha de
Gonstantinopla a segunda classe depois do
hispo do Roma. Gonlirniou logo todos os
ilireitos dos outros patriarchas. De seu
lado estes recontieceram o direito d'appel-
laco Santa-S, e empenharam-se a fece-
ber o Pallium das mos do papa, aqnem
elles deviam prestar juramento de fulelda-
de. Elles poderiam perianto dar o Pa//iw>
aos bispos, seus suffraganeos, depois de ter
exigido d'ollos o mesmo juramento de fido-
liilade ao pontfice romano.
A paz nao durou muto. Em 1232, o
papa Gregorio IX soffreu as insolencias de
Germano, patriarcha de Gonstantinopla, o
jual ousava quexar-se da ti/rannia da igre-
ja latina. O pontilice contentou-s^ com
responder-lhe brandamente para estable-
cer a primazia da igreja romana, e fazar
constar que a rebelho dos Orientaos data-
va de pouco. Elle acrescentou estas pala-
vras nota veis: Cam enim (racirmn
Ecclesia a Romano sedis imtale recessit.
< ttathn privilegio caruit (eclesistica; lber-
tatis; et quee faerat libera, faca estseex-
laris potestalis ancilla, ut, justo Di'iju-
i nao, '/'/T noin' divinum fecognoscere
Petro primatum, toleret invil secula-
re dominitm.*
Palavras terriveis, quo ao mesmo tempo
certlicavam as desgranas do passado, o
prophetisavam as do futuro! Formidavel
exemplo para as igrejas particulares, as
quaes o demonio do orgulho poderia anda
soprar a tentacjto do relachar os lacos que
as unem igreja mai e senhora!
Mas o papa nojicou n'isso. No anno
seguinle, (1233), elle mandou a Nica dois
dominicanos e dous franciscanos com ple-
nos poderes fim de effectuar urna couci-
liaclio. Os Gregos ainda fizeram mallograr
esta boa vonlade.
Ainda nao chegamos ao fim.
II
Em 1245, o papa Innocencio IV convo-
co u o primeiro concilio de Liao; e os pa-
triarchas do Oriente, o imperador de Gons-
tantinopla, assistiram a este concilio. Para
remediar mais effica miente o desgasto que
olios liuham do scisma. os padres decreta-
ran! soccorros a favor do imperio de Gons-
tantinopla. Era, dziam elles, una manei-
a de provar que a igreja, a mi commum.
sabe consolar seus lilhos afilelos. ... Ut
Imperium ipsum de adrcrsariornin domi-
niseruicaleat etre'litci.aurlorc Domine, ad
ejttsdm corporis unilalem, sentiutqiie pos!
I eonterentem maHeum inimicorum denteram
matris Ecdesia coiisolanicm. el post naasri
i lionis crronete nvcilalrm. cionn, ratliolica
idei professione, resuniat.
Desgranados Orientaos! Em todas as
pocas de sua historia, elles linham expe-
rimentado sensivelm-nte que sue prospe-
ridade temporal dependa em grande parte
de su i lidi'lidado igreja romana. *Foi um
dos motivos quo Pedro da d'Antiochia alle-
gou a Alifiiel Crulario, p^ra desvia-lo do
sua criminosa empreza. Supplico-vos.
i Ihe dizia elle, que consideris quo d'esta
longa diviso entre vossa igreja e esta
grande s apostlica, vieram toda sorte
de desgranas : os reinos em revoluees;
as cidades e provincias arrabiadas, nossos
exercitos nao prosporam em parle nenhii-
ma. Desde ento a mo do Sonhor
anniquilou-os d'uma maneira ainda mais
torrivel. E mesmo assim elles nao foram
mais sensiveis voz da desgraca, que a da
gratido!
Quatro annos depois do concilio de Lyo,
em 1249, o papa Innocencio IV obliga-
do a enviar franciscanos Constantinopla
para conciliar os Gregos. Os deputados
foram bem recebidos; mas suas missoes
ficaram sem resultado satisftorio.
Em 1881, outro deputado do papa, o
francisca no Joo de Parma, oceupa-se em for-
mar urna recon ilia ;o mas estas negociacoes
foram baldadas, porque o papa s consen-
tio secundar os interesses temporaes do
populado de S. lourengo andava pela mar-
gem do rio.
O Galgo, como j dssemos, era um
iFesses transportes do Estado que em dias
8xos fazem as viagens entre os diversos
estabelecimentos penitenciarios da Guianna.
O tiro de peca aiinuueiando a sua chegada
resora alegremente a todos os ouvidos.
lam receber-se noticias da Franca, cartas,
joman* finalmente objectos impaciente-
mente esperados ; iam ver-se parentes e
pesetas queridas. Eis a razSo porque ec
clesiasticos, militares, empregados civis e
os degredados se dirigiam todos com alian
para urna plataforma de madeira, que ser-
via de desembarcadouro, satidando ao mes-
mo tempo os recem-chegados com ale-
gres acclamacoes.
No meio d'esta agitaco, Josephioa s
tinha um pensamento, que era o de se as-
segurar se seu pai Tiria all entre os mui-
tos homens de chapeo de pillia e tamaneos
que corram ao longo do caes.
Em quauto Miguel e o capito Grandval
se oocupavam com as bagagens, ella exa-
minava atravez do seu veo tOilos aquelles
rostos lvidos, lguns idiotizados e outros
patibulares. De repente ouvio urna voz
terna dizerIhe ao ouvido :
Sei o que procuras, minha filha; mas.
segundo o que me disse. elle nio deve
all estar : a esta hora andar talvez as
rocas.
Quem assim Ihe fallava era sror Rosa-
la, a superiora da Ordena de S. Joseph,
que, acompauh ida de outras religiosas, se
preparava para o desembarque.
E itao prosegaio ellaj sabe onde
se ba de alojar ? Aqu nao ha hospeda-
ras como as cidades da Europa e crea
que podeachar-se n'uma situafo difficil
u'esta trra de degredo.
Josephina, fazeiido-se corada, coofeasou
va incitar os Gregos a dirgirem-so pes-
soalmente ao papa. Desgracadamente quan-
do o enviado chegou Bre, ;ihi encon-
trou Jorge Acropolto, que Lascars encar-
regara de desped-lo.
Gomludo o odio dos Gregos contra os
Latinos augnviitava todos os dias. Ger-
mano, patriarcha de Constantinopla foi de-
testado feralmente, porque elle inclinava-
so para a unio. Gomo pode Miguel Pa-
lelogo pensar en formar urna reconcilia
rao ? E' sobre islo que os historiadores
nSo concordam. Uns qaerem quo o impe-
rador tenha procedido com toda sincerida-
de as suas negocacoes com o papa; ou-
tros, ao contrario, anusam-no d'ter sido
guiado pelo interesse. Elle presenciaba,
com effeito, os esfreos da Europa dirigi-
dos para o restabelecimento do imperio lati-
no de Constantinopla: nao seria bom ter um
prolector cerlo no pontfice romano? O
historiador Pachymre disse d'e;te princi-
pe, que tudo o que elle fazia relativamen-
te unio era s dissimulaco, t'isfarcc e
falsa demonstraco.
Apezar d'isso aos esfarcos combinados
de Miguel Palelogo e do papa Gregorio X
que se deve a celehraco do segundo con-
cilio de Lyo (1274). N'elle foi solemne-
mente reconhecida pelos Gregos aprimaaja
e infailibilidade da igreja romana.
Tambem a paz pareca ser eterna ; so-
bretudo depois da conversao do patriarcha
de Constantinopla, Juo Vcccus. Este suc-
odon, verdade, ao patriarcha .los, que
nao quizera sujeitar-se aos actos do conci-
lio de Lyo; mas convertido elle proprio
pela relexo e pelo estudo, seu tostemu-
nho devia parecer importante aos olhos da
mulliran No synodo convocado por elle,
Veccus amaldicoou, os que nao reconheas-
sem que a igreja romana era a mi e a pri-
maz de todas as igrejas, va iwslra que en-
sina a f orthdoxa; que sen soberano
pontfice c o primeiro, e o postor de todos
os christos, de qualquer classe qa elles se-
jam, bispos, padres ou diconos.
Observamos como se engaan os Gre-
ges quando nao reconhecera outros conci-
lios ecumnicos sepia os oito primevos.
Que fazem elles pois do quarto de Latro
e dos dous concilios de"Lyo, aos quaes
elles quizeram assistir? Alm d'isso por
que recusou o actual patriarcha de Cons-
tantinopla acceitar o oitavo concilio de 860?
Elle foi portanto reconhecido por ecumni-
co pelos Gregos do socalo 14.
O conciliahulo, reunido em 1341 em
Constantinopla contra o monge Gregorio
Paternas, intiiula-se com effeito nono con-
cilio ecumnico. Continuemos.
I D 'Sgracadaineutc Miguel Palelogo nao
fieou firme na sua crenc ; e mesmo sus-
tentando Veccus, elle deixava o scisma per-
l!trar-se.' Quando em 1278, o papa Nico-
lao IV Ihe enviou onihaixndores para son-
da lo sobre a questo d'um cardeal-legado
que devia resiilir em Constantinopla, Mi-
guel nao envergonhou-se do confessar ao
clero da cidatle imperial, que somente a
poltica obra va neste negocio, einponhan-
do-o, portanto a recebar bem os nuncios
do papa. ... Sabis accrescenlou elle,
que para fazer boa cacada, nao pre-.
ciso alfngentar as fras----- Eu Ibes di-
rei boas palavras; mas, repi'o-v. s, nao
estou decidido a fazer mudancas na anti-
ga crenca.
Por oCcasilo da mortede Miguel Palelo-
go houve irompimento. Andronico, seu i-
Iho, declara-se scismalico e faz de por Vec-
cus.
Novos esforcos da parte do papa, e Ni-
colao IV experimentou em 1288 reconci-
liar os Gregos; mas perdeu complctamen-
je as esperancas.
Em 1331, o papa Joo XXj enva dous
nuncios a Constantinopla. Urna conferen-
cia teria tido logar, e talvez prospera, se
Xicphoro Gcjgoras, encarregado de sus-
tentar a disculsao, nao decidisse o patriar-
cha a recusar o pedido dos enviados do
papa.
Oito annos depois, em 1339, o impera-
dor Andronico III enva por sua vez urna
emhaixala ao papa Benedicto XII. Mas
estabelece condices volta dos Gregos.
Exige que o papa convoque uin concilio
geral, e que antes de tudo, elle procure
elicazmente a liberdade dos Gregos, que
gemem debaixo da oppresso dos Turcos.
oraes do I O papa responde com firmeza, que os Qre-
grego Vatase (Joo Ducas) por urna simples' gos devem antes de tudo professar a f,
intercesso: Vatase exiga que o papa
usasse da plenude do poder apostlico em
seu favor.
Em 1258, Alexandre IV enva ao impe-
rador Joo Lesearla o bispo d'Orvito, p ir-
tader de IftetraceOes espeeiaes a respoito
da unio. O delegado devia reunir um
nao ter ainda pensado n'isso, mas que seu
iruio e o capillo G-andval teriam ao seu
cuidado esso n gocio.
Esses senhores ser-lhes-ha fcil por
corto acommodareni-se, porm sao de ou-
ira ordem as exigencias de urna habitacao
para umi menina. Vai achar-se no cen-
tro de urna popalacSo que diversifica muit >
da de qualquer outra trra, o seria para
I intentar que urna menina to piedosa e
honesta... Ora pois: porque motivo nao
ha de vir comnosco para o convenio ? Me
Ihe agradar rnuito, porque nos vivemos
sobriamente, mas acho que ser aquelle o
asylo quo mais Ihe conven); depois, com o
seu vestido e veo pretos, passar fcilmente
por nossa novica.
Esse offerecimento, alias agradavel para
Josephina, nao se atreveu ella a accelar
sem ouvir seu irmo e o capile Grandval
Este podio-lhe encarecidamente que o ac-
coitasse, e Miguel, dep >is de assegurar-se
do que poderia fallar-lhe all sempre que
quizesse, concordou de boa vonlade.
Combinou-se, portante, que Josephina
fosse logo com as religiosas, onviando-se-
Ihe para o convente por um mariuheiro as
suas bagagens. Quinto a Miguel e Grand-
vd, tanto queestivessem installados em
ierra, iriam ter com Josephina para todos
oomecarem em procura de Berteray.
Separaram-se, pois, e as senhoras des-
embarcaran! n'uma lancha, que logo as poz
em trra.
Para chegarem ao convento tinham de
atravessar urna parte da povoaejio. As
mas eram largas, parallelas e aMuhadas ;
aps casas pequeas e baixas, com j dssemos.
mas uniformes, bem tratadas e de um-aeek)
escrupuloso. as divisoes do r* do chao,
destinadas a estabel&iinantos flfhris ou
apaas, ouviam-se cantares alegres ; r#-
soavam os martetlos sobre as bgornas,
como foi regulado no segundo concilio de
Lyo* para depois d'isso ento poderem
esperar da santa-s toda a sorte de gracas.
Em 1347, ICmtaciizeno alhrma ao papa
Clemente VI, que elle est disposte a fazer
cair o muro que separa as duas igrejas.
Mas nao se v resultado certo.
Comludo. em 1309, ,a reconciliac*) ap-
pareceu um momento. Joo Palelogo,
vindo jRoma para reclamar os soccorros
dos Latinos contra os Turcos, confessou
pubpmentc, em presenca de quatro car-
deaes; a f da igreja romana.
N'um esc-ripto dado em forma de bulla,
assignon com sua propria mo em verme-
Iho e sellado em "tiro, elle recunheceu:
que o Espirito Santo procede do Vai e do
Ftllio, que a igreja romana tem a primazia
sobre toda a igreja calliolica, que Ihe per-
tence decidir a* questdes de fe, e que todo
o fiel pode licremente appellar para seu tri-
bunal. Por um outro cscripto, perfeita-
mente" semelhante, o imperador reconhecen
por igreja romana aquella onde habitara
actualmente o papa Urbano V. Palelogo
confirmou a sinceridade de sua declaraco
por um juramento solemne ; emfim humi-
Ihou-se (liante do papa bijando-lhe os-ps.
Eis-nos no concilio de Florenca. E'
tempo de descancarmos um pouco de
nossa carreira entre as inconstancias e as
revuitas do Oriente. Da parte dos Gregos
alguns passos foram dirigidos para Roma;
mas seriam elles inspirados polo sincero
amor da paz ? Nao seriam elles ao con-
trario dirigidos pelo nico interesse tem-
poral ? Roma tambem multiplicuu suas
propostas de unio com os Gregos: seriam
ellas sinceras ?
0 leitor julgar se o amor as diclava, e
se a falta de successo pode com razo ser
imputada ao pontfice romano.
O historiador Chalcondyle foi justo para
a igreja latina, e seu pontfice, quando es-
creveu a respeito do concilio de Florenca:
Romani el eorum Pontilix maximus,
a nnllam prorsus occasionem omitientes,
legatos miserunt, etc. . Sim aigr.ja
i romana approveitou tedas as occasoes do
ligar c sarar as feridas da filha doente.
Quid filtra debui facer?
III.
Seria empenhar-me n'uma longa tarefa,
emprohender, mesmo resumidamente, a
historia do concilio de Florenca. Fare
observar nicamente a immensa alegra
com que foi recebida entre os Latinos a
proposta d'um novo concilio ecumnico, ao
qual os Gregos promettiam assistir e obe-
decer. O papa Eugenio IV deixou-lhes a
esculla do lugar da reunio, no Oriente
ou no Occidente. Elle offereceu-se para
fazer as despezas que elles julgassem pro-
prias. Ao mesmo tempo o thesouro das
indulgencias foi aberto em favor de quem
quizesse contribuir com as despezas immen-
sas que devia occasionar a chegada dos
Gregos ao concilio. Eslava pois declarado
que a igreja romana dilatava seu coracSo
esperanca que ella tinha de appertar
seus lilhos cni seus bracos maternos.
O concilio abria-se pois sob os mais fa-
voraveis auspicios. Os Gregos linham ido
com a molhor vonlade ; os Latinos os reco-
boran como irmaos. Que podiam pois
desojar ainda Esqueceudo seus proprios
interesses, para pensarse na felicidadedos
outros, o papa Eugenio IV pedio empresta-
do aos Florentinos quarenta mil escudos
de ouro, para poder continuar o concilio :
e sua propria mitra foi o penhor do cm-
preslimo. Que desinteresse mais nbre !
Eulim, onde houve mais liberdade, as
deliberacoes, do que n'esta feliz assembla"?
O imperador Joo Palelogo poude mostrar
muito voutade sua habilidade theologica,
e Mares d'Ephos nunca conseguio impa-
cientar seu auditorio, apezar de sua per-
sistencia em repetir declamarles, em que
j se tinha mostrado mais de cem veces
a ignorancia e m f. Para que o concilio
produzisse tracto, seria conveniente que os
Gregos continuassem no sen sincero desojo
de se reunir aos Latinos. A historia do
co cilio prova-o com evidencia.
Testimunhas estes Ilustres Gregos, Bes-
sariao, o cardial Isidoro, o patriarcha Jos,
o tantos outros que, simples proposta do
dogma calholieo, sentan) por assim dizer,
como escamas que cahiam de seus olhos, e
entregavam-se com lelicidado verdade
qm digiiava-se fallar-lhes. Bessario.
fallarei s d'ellc, porque sua historia a
dos outros ; Bessario entreva no concilio
com a convieco de que, Io, o scisma
indigno dos adoradores d'um Deus em
quem a Trindade das pessoas subsisto
n'uma perfeila unidade d'essencia; 2J, o
scisma iudigno de Jesus-Christo, que
derramon todo seu sangue para reunir os
adoradores do verdadeiro Deus no mesmo
gremio, o do Espirito-Santo que o mo-
tivo da discordia ; 3', que nao lia iieuliuma
vergonbj^m volver communho dos La
tinos, se elles podem dar razo de sua fe.
ique conhecer-se vencido vencer.
Marco d'Epheso, ao contrario, entena no
concilio cheio d'orgulho e de odio contra
os Latinos. Elle recorda contra a igreja
latina a autiga accusaejio de lijranitia; elle
Ihe altribue a responsabilidade do scisma
que separa o Oriente do Occidente ; enfim
declara positivamente que nunca consentira
em autorisar una abdicao (o fdioqut)
que, anda que indeffereute, nao foi usada
pelos padres orientaes.
Desgracadamente as intrigas de Marco
d'Epheso e d'alguns sediciosos como ello,
conseguiram fazer mallograr mais tarde as
esperancas que se tinha concebido de to
magnficos principios.
Nao obstante porem os decretos de Flo-
renca foram assignados pelos Gregos,
leudo o imperador Joo Palelogo sua
frente. O patriarcha Jos rectificou as de-
cises do concilio n'um cscripto que o leitor
lera sem duvida com interesse. Foi no
momento de apparecer dianto do juii su-
premo, e poucos instantes antes de sua
morte, que com sua propria mo escreveu
a seguinte pross) de f, dirigida ao im-
perador.
f Jos, pela misericordia divina, arce-
o bispo de Constantinopla, nova Roma, c
< patriarcha ecumnico.
Chegando o termo de minha vida, e
presentindominha morte, inspirado pela
graca de Deus, escrevo o assigoo por
minhas proprias mos minha Crenca, c
faco-vos conhecer, meu lilho, Jesus-
Christo. Pens e dogmatiso tudo o que
pens e dogmatiso a Igreja apostlica
de Nosso Senhor Jesus-Chrbto. a an-
tiga Romana, e obedeco a tudo isso por
convieco. Confesso para sciencia de
todos, que sua santidade, o papa de
Roma, pai dos pas, bispo supremo
t e vigario de Nosso Senhor Jesus-Christo.
Da mesma maneira conheco o purgato-
rio das almas.Na f do que eu escrevi e
assigne a presente.9 de junho da 1439,
o segundo da indieco.
Merece crdito aquello que morrendo
atiesta seus sentimentos ou suas conviceoes,
Ainda que Marco d'Epheso pode'sse ter
dito alguma cou'sa mais tarde, em contrario
corto pelos actos do concilio, que a maior
parte dos Gregos pr- zentes em Florenca
annuiram livremen'e c de coraco ao edito
d'unio. Metrophano, soccessor de Jos
no throno patriarchal de Constantinopla,
forneceu-nos urna prova brilhante na de-
claraco que elle diripio ao novo, relativa-
mente sua elevaco ao patriarchado.
i Sabei, dizia elle, que pela graca de
Deus, a unio dos christos j est feita,
e entre nos e os Latinos nao ficou ne-
nhum escndalo; mas nos somos agora
reciprocamente amigos e irmaos.
Pois que depois de muitos exames e
* dscussoes que tiveram lugar no santo
concilio de Florenca, a respeito das du-
i vidas que baviam enlre nos, resullou is-
so..... E' por este motivo que nos nos
unimos, e j somos pela graca de Deus,
um s rebanhogovernado por um s Pas-
tor, Nosso Salvador Jess Christo.....
Por conseqnencia, vos lodos deveis abra-
car esta santa unio.....e obedecer
i todas as prescripefiea santamente feitas e
determinadas no acto definitivos
(Contiuar-se-ha)
i
rangiam as serras e batiam os teares ; ho-
mens e mu'heres trabalhavam con afea.
em quauto que as ereancas, na sua turbu-
lencia, iam brincando s portas.
Os degredados no Maroni esto d vididos
em classes : primeira a dos destinados aos
irabalhos pblicos, que se compe princi-
palmente dos indisciplinados, desertores e
incorrigiveis, ou mesmo dos condemnados
mais modernos ; uepjis a dos concessona-
rios, que, em attenco ao seu bom proce
der, se tornain dignos de aitenuaco de
pena e que rhegam a obler licnca para
casareni. Estes mesinos anda se subdi-
viilem em duas ordens : a dos concessio-
narios suburbanos, que constituem a po-
pulacao dos arrebaldes, oceupandu-se as
rocas e cultura do slo, e a dos conces-
sionarios urbanos gente pela miior parte
com olcios e que constituem a populaco
da cidade propriamente dita. Exercem as
profissoes de serralheiros, carpinteiros.
alfaiates, etc. como n'outra qualquer cda-
de, incumbindo administraco publica nao
Ibes faltar nunca com trabadlo.
Era, pas, a esta classe de gente regene-
rada pelo trabalho que pertenciam os ha-
bitantes de S. Loureoco. Josephina, a
quem a freir ia dando pelo caminho estas
explicaces, lastimava que aquellos opera-
rios e suas familias, cujos cnticos denota-
vam tanta alegra, nao podessem ollnr sem
pejo para o seu passado e sem inquielac i
para o futuro.
Depressa chegaram ao convento. Era
elle situado entrada de urna vasta cerca
quecoestituia a penitenciaria das mulliares,
;.'im> vigilancia eslava condada s irmiias de
9. Joseph. UTesu cerca oevia muiuis edi
-ftcacoes pequeas, construidas symutrica-
putue seb o mesmo plano, e as qaaes
servim de residencia ou. de casas db tra-
balbo das degradadas. Os aposentos das
religiosas pouco tinham tambem de sump-
tuosos. Viam-se algumas mulhores asseu-
tadas em bancos sombra do arvoredo a
trabalharem em obras de costura ; outras.
com ps e sachos na mo, expurgavam o
pateo das hervas nocivas. Vestiain todas
uniformemente um falo de tecido ordinario,
tendo ao peseoco um lenco que, encrasan-
do sobre o peilo, ia atar atraz as costas.
Na cabeca Iraziam chapeo de palba de lar-
gas abas e nos ps tamaneos. A'quolla
hora a maior parle d'eliai estavam em ser-
vico no campo.
Sror Rosala, sua chegada ao conven-
to, foi cumprimentada alegremente por
todas as religiosas, que a estimavam e
respeitavam como a urna mi. No meio,
porm, d'estas demonstracoes nao se os-
queceu a superiora da sua nova a;iii,ra
Tendo dito ajgumas palavras a umi aas
religiosas encarregada de certas funcee
uo interior do convento, foi logo depoi>
Josephiua cunduzida a um quarto, que
devia ser a sua residencia. Era urna celia
como a das religiosas : teito modesto, mo-
vis simples, genuflexorio, crucixo, na la
delleria do que se ducoiilra nos conventos
em Franca. Deve, pois, ajuzar-e quo
satisfeita se julgaria Josephina de se ver
assim installada n'uma possesso de de-
gredados.
Momentos depois. chegaram as malas e
ella pode dispor de um instante para se
vestir mais convenientemente, nao tar-
dando que sror Rosala Ihe fosse dizer que
Miguel e Grandval a esperavam na grade.
Estou proinpta disse Josephina.
Vou, pois, ver meu pai !
Talvez fosse molhor esperar que elle
voltasse do trabalho. Daqui ao pouto
onde deve andar a trabalhar nao menos
um quarto de legua e isso seria demasiado
andar para quem nao- robusta.
POUCO DE TUDO.
E" do Sr. J. Borges Carnciro, esta
poesia:
A .
Quizera proclamar ten doce nomo;
Qui/.ora declarar ao universo,
E que o podesse escrpto em letras d'oiro,
Que t s n'osie mundo o meu encanto;
Que por ti sinlo n'alma o fogo ardente
Que as ei'lranlias me queima sem ser visto.
Quizera junto a ti, o peito brinde,
O vulco demonstrando que me extingue
Que lesses entre as lavas bem gravado
Teu nome no meu.samtueconfundido !
Quizera ser feliz por ten respeito,
E que o fosses tambem mira ligada;
E (lo amor que da vida me desterra
Posses t a senhora soberana !
fas nem se qoer ti dize-lo eu posso:
Tanlo em amor a minha desventura!
A outro que talvez o nao mereca,
Que por ti sinta o amor volear dos homens,
Caiba a alta ventura de agradar-te,
De possuir-te emfim: Eu rondemnado
Serei av-io sem poder queixar-ino.
Sem que tecompadocis um momento
Do ni irtvrio cruel e insuportavel
De que, sem o saber, sers l causa!
E, como Josephina dsse indicios de nao
poder conter a sua impaciencia, sror Ro-
.-alia proseguio :
Vamos, vamos; eu nao desejo con-
trariada ; todava forcoso subordinar-so s
regias hygieiiicas neste paiz, se nao quizer
adoecer. Ora, pois, visto que se decide a
partir, sempre Ihe quero dizer que acabo
de tirar informaces acerca de seu pai, as
quaes sao satisfactorias. O degredado
Bertomy ha poucos dias que se acha em
S. Lourenco e dizem-me que nao revela
grande energa, bem como que nao have-
na nota m a seu respeito, se nao fosse
dado ao vicio do jugo. Actualmente anda
nos trabalhos pblicos ; se, porm, por
sua intervengo so obtiver que elle rogula-
rise o seu procedimento, fcil conseguir
so-lhe attenuacio de pena.
Ouvindo estes lisongeiros offerecmentos,
Josephina nao pode contar as lagrimas, di-
zendo :
Se soubesse, senhora, a satisfacSo
que rae causa fallando-ine assim de meu
pait
Oxal ')ue eu podesse dar-lhe ainda
melhores noticias ; mas, emfim, por agora
o que devo dizer-lhe que nao convemre-
tirar-se sem lomar algum alimente.
A joven, agradecendo, desculpou-so.por
nao acceitar, e pegando no guarda-sol c
enuando no braco um cestinho conteudo al-
gumas provisoes, dirigio-se ao locutorio,
n lo a esperavam seu irmo e Grandval.
Sror Rosala deu-Ihe um bilheto para o
hofe dos vigas, e, depois de Ihe fornecer
alguns esclarecmentos relativamente ao lu-
gar onde doveriain encontrar Bertoiny, dei-
xou-os partir.
1onti**arseJa),
-j

*
I
I
TIP. W IHARIO BIA ftSiSSItilir 4