Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11800


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANND XLV. NUMERO 68.
PARA A CAPITAL LUGARES ONDE N0 SE PAGA PORTE.
Por tres mezes adiantados................... ftWOO
Por seis ditos idem.................... 12,5000
Por um anno idem.................... 24^000
Oda numero avulso ................ $320
QUINTA FEiRfl 25 DE MARCO DE 1869.
PARA BEITRO E FORA DA PROVINCIA.
Por tres mezes adimado.................. 60750
Por seis ditos idem..................... 434500
Por nove ditos idem................. 20^280
Por um anno...................... 27(SO0O
DIARIO DE PEMAMBUCO.
Propriedade de Manoel Figuert de Faria & Filhos.
SAO AEMTjE*:
Os Srs. Gerardo Antonio Alves & Filhos, no Para; Goncalvesd Pinto, no Maranhao; Joaquirn Jos de OJive/ra, no Cear; Antonio de Lemos Braga, no Aracaty; Joao Mana Jobo Chaves, no Ass; Anlosio Marques da Sita, no Natal; Antonio JoaqoiiB
Guimares Pancada, em Mamanguape; Antonio Alexandrino de Lima, na Parahyba; Antonio Jos Gomes, na Vi/la da Penha; Belarmino do* Sanios Bulco, em Santo Antao; Domngos Jos da Cesta Braga,
em Nazareth; Francino Tarares da Cssta, em Alagoas; Dr. Jos Mailins Alves, na Baha; e Jos Ribeiro Gasparinno, no Rio de Janeiro.





PARTE OPnOlAL.
CioTerno da provincia.
EXPEDIENTE ASSIfiNVDO PELO EXM. SR. CONDE DE BAE-
PENDY, PRESIDENTE DA PROVINCIA, EM 15 DE MARCO
DE 1869.
1* seccao.
N. 537. Portara ao xm. Sr. general com-
mandante das armas.Mande Y. Exe. por em li-
berdade o rccruta Cosme Jos Ferreira, visto ter
sido julgad > incapaz do servido do exercito como
consta do termo de inspeccao que veio annexo ao
seu offleio de 13 do corrente, sob n. 142.
N. 538.Dita ao mesmoAcabo de autorisar o
engenhciro das obras militares a mandar efectuar
os reparos do que precisa o quarto contiguo a ca-
peUa da Fortaleza doDrum, cque V. Exe. solicitad
en oJIieio n. .15 de 20 de Janeiro do corrente
anno.
N. S;i9. -Dita o chofe da divisao naval.Res-
; 'ypndo o ollicio que V. Exc. me dirigi em 13 do
* i-JwJrronte, sol b. ti2, dizendo-lhe quo Mea approvado
o contrato Cuito com o cirurgio Joaquim Jos Al-
ves de Alliuquerque, para servir no brigue barca
Itamurun, einquanto este navio pertenec- a divi-
sas uaval deste districlo, percebendo as vantagens
de segundo rirurgiao do corpa de sadc da ar-
mada.
N. 640.Dita ao director do arsenal de guerra.
Mande Y. S. Cornecer por esse arsenal os ob-
jeetos eonstantes da relacao junta por copia, assig-
nada pelo primeiro tenente Clnysolito cerrara de
Castro Chaves, e que sao necessarios as diversas
casas de guardas desta eidade, como requisita o
coniinandante superior da guarda nacional (leste
municipio em ofllcio u. 9 de 22 de Janeiro prxi-
mo Bou).
N. 511.Dita ao mesmo.Mande V. S. fornecer
ao cliefe de polica para ser remettido ao delega-
do do termo do Brejo, vinte armas com o corres-
poqdente corrame emuuicao por elle requerida
em offleio n. 3Gde u de Janeiro ultimo.
N. 542. -Dita ao engenheiro militar. -Autoriso

Vote, a mandar efectuar com as formalidades le
gaos os reparos reqojsitados pelo g eral commao- conforme soiicitou o diere de
dan-e das armas B de que precisa o quarto con- | 12 do coirenlo, sob n. 3b0
a mandar efectuar pela quantia oreada de 1333320
os reparos de que precia o quarto contiguo ea-
pella da fortaleza- do Brum, sobre que versa a sua
informacao n. 64 do Io. de fevereiro prximo
findo.
N. 558.Dita ao mesmo.Transmuto a V. S.
para os lins convenientes a inclusas contas docu-
mentadas da receita e despezada enfermara mili-
tar do presidio de Fernando, relativo ao mea de Ja-
neiro ultimo, com o parecer da junta de sadc
que a examinou.
N. 559.Dita ao inspector da thesouraria pro-
vincial.Haja V. S. de remetter-me com brerda-
de urna relacao dos seguflflos e tercehos escritu-
rarios da thesouraria a seu cargo, declarando a
antiguidade que cada um desses empregados con-
ta tanto no sondeo publico, descontadas as faltas
(pie nao sao abonadas para aposentadora, como
nos lugares que exercem ; c informando sobre o
seu merecimento, aptido profissioual o assidui-
dade.
N. 560Dita ao mesmo.Devolvendo o reque-
riment do bacharel Olympio Marques da Silva, a
que se refere a sua informacao de 12 do corrente,
sob n. 135, tenho a dizer que nao a presidencia
a quem incumbe fazer com que q peticionario
exhiba a certido constante da citada informacao,
a qual j apresentou a essa thesouraria, e foi por
ella devolvida, mas sim a V. S., sendo alm disso
o supplicante empregado do sua repartieao.
N. 561.Dita ao mesmo.Depois de liquidadas
as despezas feitas com o sustento dos presos po-
bres di cadea da villa de Cimbres, durante os
mezes de Janeiro a junho e de outubro a dezembro
do anno prximo paseado, como se v das tres in-
clusas contas, mande V. S. pagar o que justamen-
te se estiver a dever de taes despezas a Adriano
Xavier Pereira de Brito, para esse im indicado
em ofllcio do ebefe de polica datado de 13 do cr-
lente, sob n. 371. *
N. -562.Dita ao mesmo.Mande V. S. liquidar
em vista das inclusas contas documentadas, a des-
peza feita durante o mez de fevereiro u'timo, com
o sustento e dietas fornecidas aos presos pobres da
casa de detencao, c pagar o que justamente se de-
ver a Joaquim Jos Ferreira da Rocha Jnior,
le polica em ofllcio de
constante do citado
N 563.Dita ao chele da repartieao das obras
publicas.Providencie Vine, no sentido de ser sa-
usfeita a requisicao do chefe de polica em offleio
n. 355 de 11 do corrente, relativamente as alge-
mas e fogao que pede o administrador da casa de
detcnca i.
4* seccao.
Ji. 566.Portara ao Esm. Sr. hispo diocesano.
Acenso recebido o ofllcio de V. Exc. de 13 do
corrente, e em resposta tenho a dizer que foram
expedidas a< convenientes ordens relativas no-
meacao do Rvd. padre Clemente De Negri, para
servir de 1" capello do presidio de Fernando, e
que tico iiiteirado do mais que V. Exc. Rvma. se
servio communicar-me no citado offleio.
N. 567.Dita ao-director da Faculdado de D-
reito do Recife.Recebi com offleio de V. Exc. de
13 do corrente a tabella de destribuicao das horas
das aula; dessa Faeuldade, com a deelaraeao dos
lentes designados para rege-las.
X. 568.Dita ao desembargador provedor da
Santa Casa de Misericordia.hm vista de sua in-
formacao de 12 do corrente, sob n. 1.800, mande
V. Exe. admittir no collegio das orphas a menor
Paulina, (Iba do 1 cadete sargento do 2" Batalhao
de infatuara, que marchou para a guerra, e de
Lberalina de Franca do Naseimento, j fallecida,
de quetratam as certides juntas!
N. 569.Dita cmara municipal do Bom-
Conselbo.N&O tendo as mesas dos collegios clei-
toraes da villa do Rom-Conselho para as eleicoes
de deputados assemhla geral legislativa pelo V'
distncto, e de dous senadores por esta provincia,
enviado copias atithenticas das actas da organisa-
cao das mesmas mesas nos das 2 e 4 do corrente,
limitando-se a mandar as das actas do rerebi-
mento das cdulas e apuraeao dos voto;, enmpre
que a cmara municipal da'dila villa do Bom-Con-
selho com toda a urgencia faca extrabr e remelta
a esta presidencia quanto antes as referidas co-
pias das actas da organsaeao das mesas, vindo
em diiplicata, subscriptas pelo secretario da c-
mara e concertadas por tab lliao do lugar, c cm
falta deste por csc ivao de paz, afini de seren tran*-
mttidas ambas ao ministerio do imperio, sendo
nina para o senado c outra para a cmara dos de-
potaoos.
N. 570.Dita a cmara municipal da villa do
Granito.Pelo ollicio que me dirigi a cmara
municipal da villa do Granito em 22 de fevereiro
prximo findo, flquei inteirado d;is motivos, pelos
quaes anda nao pode essa cmara prestar as in-
lormacdes exigidas em circular dcsta presidencia
de 11 de Janeiro ultimo, c recommcndo-lhc que
remetta-me com a possivel brevidade taes infor-
maedes.
y. 571.Dita o cmara municipal da villa de
Cimbres.Nao tendo as mezas parochiaes da villa
de Cimbres para as eleieoes de deputados assem-
bla geral legislativa e de dous senadores por esta
provincia, enviado as copias das actas da forma-
cao das ditas mezas nos dias 2 e 4 do corrente,
limitando a mandar lao smente as copias da<
actas da apuraca dos votos das mesmas eleices;
cuinpre que a cmara municipal da sobredita villa
com urgencia remeta as mesmas copias a esta
presidencia, as quaes devem vir em dnplicatas
tiradas on subscriptas, pelo secretario da cmara e
concertadas por tabellio do lugar e em sua falta
por escrivao de paz, atim de serem transmitidas
urna ao ministerio du imperio e outra ao seaado.
N. 572. Dita ao gorente da companhia Pernam-
bucana.O Sr. gerente da companhia Pernambu-
cana mande dar transporte at o Ccar em lugar
de r destinado a passageiro de estado a JorgeVictor
Ferreira Lopes Jnior, empregado da thesouraria
de rendas dajuella provincia.
EXPEDIENTE ASSIGNADO PELO SR. DR JOAQUIM COB-
111 I \ DE ARAUJO, SECRETABIO DO GOVEBNO, EM 15
DE MARQO DE 1869.
2." seccao.
N. 573.Offleio ao Exm. Sr. presidente da rela-
efn. O Exm. Sr. presidente da provincia manda
aecusar o recebimento do offleio de V. S. de 9 do
corrente, que participa ter concedido o bacbarel
Luiz de Albuquerque Martins Pereira juiz de direi-
to da comarca da Boa-Vista, 30 dias de licenca
com rencimentos, para tratar de sua saJe, fra
da respectiva comarca.
N. 574.Dito ao Dr. chefe de polica.Nesta
data transmittio-se a thesouraria provincial, para
o ftm indicado no offleio de V. S. datado de 13 do
corrente e sob n. 371, as contas que vieram anne-
xas ao citado offleio, o qual flea assim respondido
de ordem do Exm. Sr. presfflente da provincia.
N. 575.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. presiden-
te da provincia manda declarar a V. S.. que nesla
data se expedo ordem ao director do irsenal de
guerra para lhe serem entregues as 20 arma-,
com o corrame e municJo correspondente, de
que trata o seu offleio n. 36 de 11 de jmeiro ulti-
mo, devjndo ser recolhido ao dito arsenal o que
se acha arruinado.
N. 476.Dito ao mesmo.O ExceHentissimo Sr,
presidente da provincia manda dfdarar a V. S..
que nesta data se expedio ordem ao engonheiro
chefe da reuartigao das obras publicas, para provi-
denciar no sentido do pedido do administrador da
casa de dteneao, de que trata o offleio de V. S. de
11 do corrente sai) n. 355.
N. 577.Dito ao mna. 'tLExc. o Sr.presir
d*Me da provincia, meada declarar a V S. em
tiguo a cajiella da fnitaleza do Brum, oreadns se-
^nnde o sou ofllcio de 25 de Janeiro do corrente
auno na quautia de 13352l).
2" seccao.
X. .'i*j. Portara ao Dr."chefe de polica.As-
enso o recebimeuto do ollicio Je Y. S. de 13 do
cnenle, sob n. 372, e em resposta tenho a decla-
rar-lhe que esta presidencia louva o proccHimcnto
ilo subdelegado da (regueoa do Pojo da Pauella, e
das pessas que eoBcorreram com os seos dona-
i'\- B para aHIUlffU das pessas pobres, que em
dita fregnesia sonreren com a eheia do Capibari-
be, e r,"',nn:nendo a V. S. que laca entregar a
(jiuntia recomida ao the-oureiro da cmmiss i ul-
Umamente nomeada, para ser djetribuida pelas fa-
milia- pobres da lecaMade, <|ue flearam sem abri-
i ca isa da mnundaejo.
N. 546. l>itn ao coinnandante superior interi-
no ta guarda nacional deste municipio. Expeca
Y. S. snas orden*, para qne una nanla de honra
de um dos corpos da guarda nacional sob seu
((miniando superior acompanlic a procissao do Se-
nhor Rom lesos dos Paseos, que no dia 18 do
corrente pelas 3 horas da tarde, lein de sabir da
igreja da Santa Cruz na freguesa da Roa-Yisla.
N. '','',;. lita a-i coniiii'i'alantesuperior da guar-
da nacional de (Hinda.Expela V.S. soas ordens.
aliin de que una guarda de honra do batalhao 9"
de intratara da guarda nacional sobseumiman-
do superior, acompanhe a procissao do Senhor
I! un Jess dos Mariyiios. qsie tom de sabir da
igreja de S. JoSodessa cdade no da 21 do cor-
lo as Sjkoras da tarde,
N. 548. Dita ao mesmo. Expeca V. S. suas
ordens, am de que nina guarda de honra do ba-
talha i 9 d infantaria da guarda nacional sob seu
com aando superior, acompanhe as procissoes que
a irm ladade de Senbor R im Jess dos Paseos des-
sa eidade, lem de fazer nos dias 18 e 19 do cor-
rente.
N. 849.- -Deliberacao.0 presidente jla provin-
cia; aUendendo ao que requeren o bario de Cam-
po Alegre, major cnininaiidante da seccao de re-
serva n. 10 da gualda nacional dos municipios do
Cabo o lp ijuca, reselve conceder-Iue um anuo de
licenca para ir a Europa tratar de suasafide.
i' seccao.
X. 552.Portara o inspector da thesouraria
provincial.Communico a V. S. para seu ce nhe-
oimento, que nesta dala approvei oeootrato teto
ciiin o cirurgio Joaquim Jos Alves de Albuquer-
que, para servir no brigue barca INimama, em-
quanto este navio parteoeer a divisao naval deste
districlo, pereebendo a- vantagens de segundo ei-
rurgiio do carpo de sadc da armada.
.Y 553.D'ta ao mesmo. Recommendo a V.
S (pie por conta do crdito concedido pelo aviso
do ministerio de 16 de novembro do anno proxi-
jim pas.' a lo e ordem do thesouro nacional n. 211
de 20 do citado mez de novembro, mande pagar
em vista da folha junta em duplcala que me re-
metten o chote da rop.utico das obras publicas
e :n offleio de 13 do corrale, sob n. 102, a quan-
tia de 105OO, ou o que justamente se dever,
proveniente dos operarios que durante a semana
tte > 13 deste mez. esuveram empregados nos
reparos do palacio da presidencia.
X. 504. -Dita ao mesmoEm vista das folbas,
relapoes nominaes e prets juntis cm duplicata,
mande V. S. liquidar os vencimentos do alteres
Malhias Cesario Pereira de Majlos e de sete prares
qae vieram em diligencia a esta capital, e pagar o
que justamente se dever de taes vencimenlo- a
Jos Mara Ferreira da Cimba, rotiforme soleitou
o commandante interino do batalhao n. 32 de in-
fant ira em offleio do 1" de fevereiro ultimo, sendo
ns do mencionado alteres contar do Io de agosto
at 17 de dezernbro do anno prximo passado, o
das pregas desde 6 de setembro ao mencionado-
dia 17."
N. 555.Dita ao mesmo.Annuindo ao quo so-
leitou o tenenle-coroncl reformado do exercito,
Seba&lBo Antonio do Reg Barros, em offleio sem
data, recommendo a V. S. a expedicao de snas or-
deo?, para que ae-seofflcial seja levado era conta,
dando-se-llie a necessaria quitacu, a quantia de
303730, que na qualidade de director da colonia
militar le Pmcnleiras, segundo consta do recibo
annoxo suas contas, entregou para as respecti-
vas despezas, por ter de seguir em commissao para
o presidio de Fernando, ao capello da mesma co-
lonia, que o eslava substiluindo, por nao haver
ajudante, fazendo-se carga da sopradita quantia
ao mencionado capelln.
N. 556.Ditaao.mesmo.Pode V. S., conforme
ndica em sua informacao de !2 do corrente, sob
n. 143, mandar pagar por conta do crdito de___
5:00O aberto pela portara desta presWencia de
94 de fevereiro ultimo a verbaDespezas eren-
tuaes do ministerio da guerra no actual exerrieio,
a quantia de 147 #330, que segundo o parecer da
contadora dessa thesouraria acerca do requeri-
miento documentado, que incluso devolvo, se est
a dever a companhia Pernambucana, proveniente
de comedorias fornecidas a bordo dos vapores da-
quella companhia recrutas, desertores, designa;
dos e praoas da guarda nacional com destino
diferentes portos da provincia dorante o semes-
tre de jaleo dezembro d anno prximo pau-
sado.
N. 557.Dita ao mesmo.Communico a V. S.
para soa intelllgeocia e fins convenientes que au-
(oriaei nesta data o engeaheiro das obras militares resposta aoseu offleio. de t$ do correte sob
n. 360, que a thesouraria provincial tem ordem
liara pagar a Joaquim Jos Ferreira da Rocha J-
nior a quantia de 2:377'i70,
o-licio.
N. 578.Dito ao commandante superior interino
da guarda nacioual deste municipio.De ordem de
S. Exc. o Sr. presidente da provincia, declaro a V.
S. em resposta aoseu offleio de 22 de Janeiro ulti-
mo sob n. 9, que nesta data se mandou substituir
por outros os movis inuti usados das casas d'
guardas da thesouraria, da alandega, da casa d
detencao e do arsenal de guerra, como V. S. sol-
eitou em seu citado offleio.
N. 79.Dito ao commandante interino do bata-
lhao n. 32 de infantaria de Villa-Bella.S. Exc. o
Sr. presidente da provincia, manda declarar aV. S.
em resposta ao seu offleio do Io de fevereiro ulti-
mo, que se expedio ordem a thesouraria de fazen-
da para pagar a Je s Mara Ferreira da Cunha os
vencimentos do offlcial e praca<, constantes das
folhas e pros, quo em duplicata vieram annexos
ao citado ollicio.
N. 580.Dito ao juiz municipal de Cimbres.O
Exm. Sr. presidente da provincia manda aecusar o
recebimento do ofllcio de Y. S. da I" do corrente,
em que communica ter nessa data reassumido o
exercicio dos cargos de juiz municipal e delegado
do termo de Cimbres.
3.' seccao.
N. 581.Ofllcio ao inspector da thesouraria de
fazenda.Communico a V. S. de ordem de S. Exc.
o Sr. presidente da provincia, qae segundo con-la
de ofllcio do Exm. e Rvm. prelado diocesano do II
do corrente' sob n. 69, foram concedidos nessa
data ao Rvd. vigario da freguezia de Nazareth,
Jeronymo Jos Pacheco de Albuquerque Maranhao,
tres liiezes de licenca com o vencimento da respec-
tiva congrua para tratar de suasade.
N. 582.Dito ao mesmo.O Exm.Sr. presiden-
te da provincia manda declarar a V. S., que, se-
gundo participou o desembargador presidente
interino do tribunal da relacao em ofllcio de 9 do
corrente mez. nessa data conceden 1 mez de licen-
ca com vencimento ao juiz de direito da comarca
de Roa-Vista, bacharel I.uiz de Albuquerque Mar-
tins Pereira para tratar de sua samle.
N. 583.Dito ao mesmo. -O Exm. Sr. presiden-
te da provincia manda declarar a V. S. para seu
conheciinento e lins convenientes, que, segundo
ofllcio do juiz municipal de Cimbres do 1 do cor-
rente, nessa data reassumio elle o exercicio do seu
cargo.
N. 584.Dito ao mesmo.Do ordem de S. Exc.
o Sr, presidente da provincia, communico a V. S.,
4
fizera recolher o cadver j igreja da Madre de
Deus, onde boje pela nianha proceder a compe-
tente vistoriaj ei vista da qual declaran* os fa-
cultativos qne wniorte lora o resultado da queda.
Deus guarde a Y. ExcIllm. Exm. Sr. eonde
de Bacpendy, presidente da provincia.O cfcefe de
poilcia, Francisco de Faria temos.
?PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
ACTOS OFFICIAES.Por deliberacao de 23 do
Berrete fui demittido o tenente do eurpo proviso-
rio de polica Francisto Xavier Rodrigues do Mi-
randa, por tor extraviado a quantia de'l:M7iW!l\
que recebeu da thesouraria provincial, para eon-
dusir at a vilbw de Floresta, alim de pagas os
vencimentos das (Iracas ali destacadas.
Por deliberacao du mesma data foram no-
da de ferro, qne estar integramente fechada
circulaco.
Lt?TE.ttI.V- A que se acha venda, a lote-
ra m4ei>, a beneficio da igreja de .Viesa Senhora
do Monte de 01inda,que correr no dia 3.
B1LHETES OFFERECIDOS.Numeracao dos bi-
I heles da lotera 99a offerecidos pelo thesooreire
das loteras pora auxilio das despezas da guerra :
Bilhetes ns. 2219 a 2228.
Producto dbs bilhetes eflerecidos at boje......
7:562*200.
PASS^iEHtns- 1 hi vapor nacional (iiifmii,
vindo de Feraando de .Voronha :
Coronel Fpancisccr Joaqnm Pereira Lobo, sua
senhora, 1 filba mafir e .1 criadas, capito Anto-
nio Gracindo deGusmao Lobo, tenente Justino Mi-
guel da Costa, Jeaquim Pinto d'Almeida Junior,
Joo Lws Cakkts, Joaquim Rodrigues d'9iiveira
Maio, Josepha Maa do Espirito Santo, Angela Ma-
ra de Mello, Damiana Mara da Luz, I* praeas de
fuileiros navaes, 11 imperiaes maiiniieiros, 47
Para
Domingos Aires, Joaquim Lopes Gaivo, e Joa-
quim Martins Guerra.
Do vapor nacional Coruripe, vindo de Ma-
manguape :
D. Rosa je Castro Faria, Jos Boa Raafft de
Oliveira e 1 escravo, Pedro Ozsrio dfe Siqneira,
Jos Alves Ferreira da Cunha, Manoel Joaquim
dos Santos Oliveira, Irencu de Araujo Bezerra, sua
senhora e urna prima, Joo Augusto da Silva,
Mntonio Jos Pereira do Lago e 2 filhos, Jos Pe-
dro Baptista Caroeiro, Antonio Targino dos Santos,
Podro Gongalves da Cunna, Pompilw Carneiro
MonUnro, Raymundo Neurten, 1 escravo a entre-
gar a Manoel da Silva M. Yianna.
i|ue,"*segnndo consta de oflicio do Exm. e_Rvm.
prelado diocesano de 12 deste mez sol) n. 70, foi
concedido em data de 11 do corrente, 1 \xj& de
licenca com o vencimento da respectiva cAgru.i
ao vigario collado da freguezia de Ta piarilinga,
Tito de Barros Correa para tratar de sua sad.
N. 585.Dito ao inspector da thesouraria pro-
vncial.^-De ordem de S. Exc. o Sr. presidente da
[uovinria. communico a V. S., que, segund i cons-
ta de offleio do director geral da instrueco publi-
ca de 12 d>i corrente sob n. 63, acha-se o profes-
sor da cadera de N'ossa Senhora do O' de Otada,
di
Ciqiitao da 3." companhii, o capitao da goarda
nacional Joao Anastacio. ciniellu Pessoa..
Tenente, da mesma companbja, o ex-teneule do
corpo Joaquim da,Mytla c.Silva.
Alfcres da 5." companhia, o ex-alfees do eorpo
Sebastian Antonio.do. Rpgo. .
Por deliberacao ge fe. do corrente foi creada
urna collecloria na villa da Encada, para a qual
foinomeado collector Jos Fjorentino da Foaseca
Leao, c escrivao, Bellarmino GoOM de Oliveira.
Na mesma data foram nomeados delegados
luteranos de Gaiiielleira, o baclurel Pedro Gau-
diano Rattis e Silva ; de Serinhlem, Manoel de
Mesqnitt Ranos Wanderley ; de Tracunhem, o
bacharel Loorenco Rezerra Carneiro da Cimba.
DIARIO DE PEUXAMBimAehando-se fecha-
das nossas offleinas boje, e ainaniia, em conse-
fMDCia da solemnidade eomiiRuioralIva dapaixao
o morte de Nosso Senhor Jess .Chrislo, deixamos
de publicar Diario iu> sabbado 27 do rorreule.
PRONUNCIA Pele suWel^gado da villa de
Plores foi pronunciado no art. 193 do cdigo cri-
minai, exandrede Sijueira .Brasleiro.
MO'.'.l'lv- Na noufe do ter^a-feira, estando o
prcto Ignacio tomando fresco n janella do quarto
andar do sobrado n. 53 da "ra da Cruz, do bairro
do Ricife, onde mora o' Sr. Gustavo Naziazeno
Furia lo de Hendimcfl, Calilo no hielo da ra," mor-
rendo instantneamente.' O (iretn achaca-?e nessa
casa para ser vendido, e'perteheia ajim senhor de
nbo. "
SEPTJ .CUHllS.-^-Ilje. baver expsito do Sa-
craineiito as igreas seguiptes .
fitim do l'i'fe. -Corp Santo.
Bairro tk Santo Antonio.Pariz, conventos
de Santo Antonio e do Ca'ino, ordem terceira do
Carn.o.
tiaina dt,S. lose.---ijalriz, Santa Rila o 8. ioe
de Riba-Mar.
Bairro da B&r-Visfa.Matriz e Santa Cruz.
ANMVKItSAIllfl DOJIRAMENTO DA CONS-
AO.Devendo
me dos meus inimigos. Fa^am outro tanto. Occo-
pem-se-de mini.
So, Srs. redactoresDe TV. SS. etc.,
Frat>ttm>Alexandre Lhttra.
Manoel Candido Pereira de I^tt, no exercicio Mas functoes desde odia 1" de fevereiro prximo ] #|cmljsaj0 vidamente o glorioso aniversario
un-..^ ^. a .-- i (lo no-Mi pacto fundamental, reolveu o Exm. Sr.
N.M6.-Ditoao chefe da repartieao das obras lllVM,|,llk,, (,ue --,qiiello dia se encerrassem as
publica^-p Exm. Sr. p.esuleule da |irov,,,c.a ar|(.(-,es uu,,,as. .
manda declarar a \. b. em resposta ao seu ollicio i '..,;... .,,, .......n^,-,, r,______. n .-.
de 13 do corrente sob n. 102, que a thesouraria de POjS 10 DE EMUARQbE.-O armazen., o. 9a
fazenda tem ordem para pagar a quantia de *LSE^*SE e preprietarlo .oSr..major
loOiO, constante do citado ofllcio.
4.a seccao.
N. 587.Offleio a Luiz de Franca Bala provedor
da irmandade do Senhor Rom Jess dos Martyrios
da eidade de Olinda.S. Exc. o Sr. presidente da
provincia, manda cominunicar a V. S. em resposti
ao seu oflicio de boje, que nesta data expedio as
convenientes ordens, alim de que urna guarda de
honre do baialh) n. 9 de infartara dessa kde,
acompanhe a procissao di Senhor Bom Jesfs dos
Martyrios, que tem de sabir da igreja de S. Joo no
dia 21 do corrento, as 3 horas da tarde.
em
ins
DESPACHO DA PRESIDENCIA DO DIA 23 DE MARQO
DE 1869.
Antonio da Silva Azovedo J foi posto
liberdade o recrula de que so trata.
Antonio Augusto Maciel. Informe o Sr.
pector da thesouraria provincial.
Dario Ribeiro daBoa-Morte. = Prove que anda
milita em seu favor a isenco pela qual foi dis-
pensado em 28 de outubro de 1867.
Fortunata Candida Coelho da Silva. Informe
o Sr. director da instruecao publica, ouvindo o rc-
gedor do gymnaso.
Alferes Hermino Bezerra Cabral. Selle os do-
cumentos.
Herdeiros de Francisco Jos da Costa Campello.
Sim, pagos os direitos devidos.
Irmandade do Santissimo Sacramento da fre-
guezia do Recife. Expee.a-se ordem.
Tenente Jos Joaquim Lopes de Almeida. Ao
Sr. commandante superior para mandar informar
sobre estes papis o commandante efleitivo do
batalhao, embora exerca elle actualmente o lugar
de chefe do estado maW. ^
Joaquim Marcolino da Silva. J foi prvido o
lugar que requer.
Jos Thomaz dos Santo?. Informe o Sr. ins-
pector do arsenal de mariuha.
Miguel da Purificacao Gomes. Informe o Sr.
inspector da thesouraria provincial.
Mara Adelaide de Rarros e Silva. Drja-so
ao Sr. Inspector da thesouraria provincial.
Senhorinha Solera de Albuquerque Campello.
Sian, pagos os direitos devidos.
Repartido da polleia.
2a seccao.Secretaria da polica de Pernambuco,
2ide mar?o de 1869.
N. 428.Illm. e Exm. SrTenho a honra de
levar ao conhecmento de V. Exc. que, segundo
consta das participacoes recebidas boje nesta re-
partieao, foram hontem recolhidos casa de deten-
cao os seguintes individuos:
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, An
tonio, escravo de D. Francisca Joaqnina da Con-
ceicao, a requerimento desta, e Antonia Mara
Umbelina da Conceieo, por ospancamento.
A' ordem do de S. Jos, ninha disposico,
Francisco Xavier do Carmo, como pronunciado
as penas do artigo 201 do coigo criminal.
A ordem do da Boa-Vista, Tbeodoro, escravo
de Antonio Antunes Lobo, a requerimento deste.
A' ordem do da Magdalena, disposico do Dr.
delegado da capital, Agoslinho Baptista'da Silva,
como recruta.
Por offleio de 11 do corrente, eommuntcou-rae o
subdetegado da villa de Flores, que no dia 8 fra
ali pronunciado como incurso as penas do arti-
go 193 do cdigo criminal o indiciado Alexande
de Siqoeira Brasleiro, de quem tratei em meu
ofllcio sob n. 368 de 16 deste mez.
Por ofllcio desta data parlicipa-me o Dr. cU le-
gado da capital, que pelo Dr. subdelegado do Re-
cife, lhe foi eommunleado, qne hontem pelas 11
horas da noite, um escravo de nome Ignacio (de
propriedade de um senhor de engenho) quo para
ser vendido se achava em poder de Gustiwo fla-
zeno Furtado de Meodonca, morador no quarto
andar de um obredo- sito a rmda Cruz daquella
fresueila, ertaado a tomar fresco ero-urna d ja-
aellas da mesmo sobrado, d'eila se-precipitara, ca-
sualmente ao meio da ra, de qae rsaltea falle-
cer inmediatamente; o que, tendo ooticia de se-
Joa Caetan i de Medeires, foi autorisado pela pre-
sidencia a inspeccionar e embarcar tambora algo-
do de produeco de nutres provincias.
CHRISTOVp COI.OMRO.-No sabbado conti-
nua a repetico no Sania La'vl desee grande e
apparatoso drama, cujas bellezas tem merecido a
constante approvac3o do nosso publico com in-
tera juslica a concepeti do autor e ao trabalho
primoroso dos actores.
DIVIDENDO.Na segunda feira prxima prin-
cipia o pagamento do dividendo ltimamente au-
torisado pela Com|ian!iia iVrnambucana.
TRII.HOS CUBANOS DE APIPUCOS.-No obs-
tante nao andarcm carros boje tarde e amanha,
funecionaro varios trens dessa empreza, dando
lugar s familias dos arrabaldes, que quizerein
ver os actos da semana santa nesses das, virem
ao Recife. N'outro lugar deste Diario vai o an-
nuncio da respectiva empreza, marcando as horas
das partidas.
PASSAMENTODeu hontem alma ao Creador
o Sr. Dr. Jas dos Santos Nunes de Oliveira, pro-
prietanojastado e homem de qualidades distinc-
tas. soaExma. familia damos nossos sinceros
psames.
DINHEIRO.O vapor Giqui tmuxc hontem de
Fernando as seguintes quautias, para os Srs, :
Joao Francisco de Souza............ 1:2933000
Padre Vicente Mazzi................ l:>00(MK)
Rernardino da Costa Campos........ 1:000-5000
A. A. de Carvalho Veras........... 8005000
Francisco Pereira da Silva.......... 4005000
Fernandos c Irmao................ 3005000
A. Lins dos Santos Gouvea.......... 200500o
Antonio#F. de Medciros............ 1005000
FERNANDO DE NORONHA. Escrevem-nos
desse presidio, em 21 do corrente :
Aqu chegou, e tomou posse do commando do
presidio, o digno Sr. tnente-coionel Sebasto An-
tonio do Reg Rarros, olficial veterano e eoahece-
dor das neeessidadea desta praca. Sua chegada
causou geral regosijo, porque tibios se recordam
agrada velmente das maneias I lianas e cavalhei-
rosas com que sempre procedeu as suas ante-
riores commissoes.
No da 8 do corrente pelas 7 horas da ma-
nha, estando o sentenciado Ludano Correa dos
Santos dando .urnas relhadas no menor Joao Soa>
res da Silva Junior, filho de outro sentencia lo.
n'uma das ras deste povoado,t;iassa?sinado pelo
dito menor com urna punbalada, sendo preso cm
flagrante o assassino, que segu no Giqui.
Aqni tica funcionando a commissao nomea-
da pela presidencia da provincia, para syudicar
dos fae.tos aqu ltimamente occorridos.
O invern, que j nos hara visitado, como
Ibas disso om mnba ultima caria, apresentcn-se a
19 (dia de S. Jos) com todo o seu cortejo de tro-
voes, relmpagos e chuva, e tem. continuado, com
eral sasfaeao da populacaj.
Segu para ah, a bordo do Giquia, o ex-com-
mandante do presidio, coronel da guarda nacional,
F. J. Pereira Lobo.
NAVIOS ENfX)NTRADOS. A barca inglesa
/wofffwc, chegada hontem de Liverpool, ralln com
os seguintes navios : a 22 de fevereiro, na laU N.
47* 46' e long. O. 8 37', com unabarca mgleza
indo prra Liverpool, col nome nao pote enten-
der ; a 23, na lat. N. 44- 50' e long. O. 13 13,
cora o origoe inglez Cigana, de Liverpool para
Pernambuco, com 5 dias de viagem ; a 24, na
lat. N. 43- 34' e long. 0,* 30" com os bromes
inglez India e noroegueuse H. Wergttand^qeWe
indo de Snrayqa para Porstmonth, com
PUBLICACOES A PEDIDO.
,---------m-------------------
Srs. redactores.t casualmente o Uberal do
10 do correte o deparei com um coiiimunicado
sob a epigrapbePublcacoes a pedido, em que
o seu autor oceultando o nome e procurando ferr-
me maneira de tigres que de emboscada e peram
a presa, tfalou de calumniar-me e insultar a meu
genro, servindo-se de epithetos injurisos.
Cumple, puis, quo de face erguida, diga algumas
palavras sobre o assumpto.
Havendo sido meu. genro espancado em trras
do engenho Pracinh, "e tendo eu disso noticia,
mandei-o comluzir para sua casa. *
A autoiiiL-.de do lugaro subdelegado do ter-
cero dstrictoproceden a auto de corpo de de-
licio, e ordenon ao delegado de polica a inslanra-
ejo do processo.
Fui eu a victima, sendo tambem acousado por
isso um escrovo uieiidenome Francisco, que foi
preso e posto depois em libjrdaJe.
Acontecen que instaurando o delegado o pro-
eesso, ah se ia estabelecendo uhi conflicto de ju-
rsdicciio sobre a competencia de foro entre essa
autoridade e o jniz municipal primeiro supiilente
em exercicio, de que resul'.ou ser esta autoridade
arredada, em vrtude da legislarlo em vigor.
Os meus inimigos, porm, que alias abundam,
porque entendem alguns homens que a odosida.de
commoda, c nada mais fcil (pie viver costa
albeia, alguns inimigos, repito, que entendem de-
ver aproveitar-se de sua- po-icocs, para, servia^
do-sc do prestan) dos cargos que oceupam, ex-
liaiirirein-me as a(|uciras, pedindo-me quautias a
titulo de eniprcst'uno, declarando-se depois mei -
inimigos rancorosos por nao serem servidosa lem-
po e a hora, julgaiam que nenhuma oecasao mais
appropriada encontrariam para se vmgarem que a
presente : e, pois, servindo-se de lodo- os meios de
qae dispocm, inclusivo das columnas do Lilwr al,
trataran de perseguir-me ; ao passo que nao pou-
param-se de olTender ao Exm. Sr. Dr. Jacinlho de
Mendnnca e aquellas autoridades, com cujo carc-
ter jamis se podero nivellar.
Enganaram-so, porm, porque o publico teve
occasio de lr o Diario de Pernambuco de 13 do
corrente, cm que o meu detractor firou pulverisa-
do, e sinto que esse miscravel detractor, alias tao
conhecido neste termo desde longas datas, se nao
dispozesse a assignar o nome, aurando apenas as
pedradas maneira dos traidores.
Se o proprio autor do conimuuicado recoohoea
que os ferimentos foram considerados leves, tem
melhanle
aoJonr
: do sinistro e
94 dias;
a 26, na lat. N." 38' 32' e long. O. 17 36, com a
galera freneesa PHnpolis, do Havre para o Rio
de Janeiro, com 8 das de viagem ;iw a,J;
Vt e long. O. 10', com o brigue ingle Ha-
iah, d Uverpoal pare Calcoaa, eom 10*dias: a 22
demarco, na lat N. 7*20ve.loo. O. 31 4- emn
a b.rreingtesa Anw, no romodonot. Todo la
bem bordo desee navio*. ___
ESTRADA DE FEO OB. FRANCISCO-
Amanhaa nao Ha movbaenlo de treos nessa estra-
ipso fado reconhecido que para isso procedeu al-
gum acto em vrtude do qual a autoridade assim
procedeu. Come, pois, aecusar as autoridades ?
preciso sor-se muto nescio I
O prqcesso instaurado cahio. Foi julgada pe-
rempta a accfio, e portanto reconhecido nao caber
o procedimeto offlcial. Cabio, como necessaria-
mente teria de cahir todo o edificio bascado em
pedias falsas, nao obstante estar presente ao cor-
po de delicio o Asmodeu de nova especie.
Entretanto, a despeito de todas as con^ideracoes
de competencia reeonhecida e de materia julgada,
son novamente proc^ssado.
Se estou sendo victima al osle ponto, se respon-
do e responderei por faltas alheias pelo numero de
vezes que aprouver ao juiz municipal do termo e
seu primeiro supplente, de que se queixa o autor
do communicado ?
Nao v o autor do communicado, que nao obs-
tante ser eleilor, foi expedida portara pelo juizo
municipal, ordenando contra mim um processo,
nao podendo aproveitar-me sequer do indulto que
concede a le de 19 de agosto ?
Nao v que gemo sb o peso de tantas injust-
eas, e que contra mim, segundo me afflrmam, se
move um processo sem haver sido intimado o Dr.
promotor publico da comarca, e sem ser eu notifi-
cado, como ordena a le ; e que nesla data, segun-
do me informara, foram inqucrldas testemunhas de
modo a nao poder eu contesta-las nem usar dos
meus direitos, achafldo-me alias dentro do termo,
onde resido e moro, onde posso bens, e onde
exerco o cargo de vereador ?
Nao contente com ludo isto o meu detractor
lancou-se sobre meu genro, mimoseando-o com
epithetos de idiota, etc.
A_alle o direito de tomar-lhes as contas em oe-
casao opporiuna.
O Exm. Sr. Dr. Jacintho fi obsequiado por sua
vez pelo miseravel autor desse communicado. Es-
se cavalheiro acha-sc tao dignamente collocado,
que s pode considerar as injurias pedradas de
eriancas.
O digno delegado deste termo, Instaurador do
processo, est'acima de todas as invectivas : e p-
de-se com certeza afflrmarqne perante a delega-
da de polica deste termo se encontra a fnica
fonte pura onde vao encontrar iusticaaquelles qae
d'eila tem tanta sede neste infeliz termo.
Com assistenca do Dr. promotor publico da co-
marca respondeu o offendido a um auto de per-
guntas.
Sendo interrogado minuciosamente, e ate com
escrpulo e lelo, -respondeu -que de modo algum
pedia attribnir a mim o-que sonrere.
Cmo afflrma o- autor do communicado que meu
genro est aleijade e -completamente idiota ?
S a facilidadede poder eserever para o publico
sem assignar o nome, autoriearia a liberdade de
mentir tao ridiculamente.
"Moho wBpohcdo......
Aguardo ooeasio- mais opportuna para palpi-
tear tudo quanto o puMieo ignora liABVMuiente
estafermo. ...
Sanei eu quem rompa o -silencio. .Veo oceupar--
A <|iics(o- Ibrtu c im; -por
UUI OrBO(l4S4>.
sempre cooi muita reserva e demasiado es-
crpulo- ipie entramos en> quostoes que entendem
com os negocios da igreja.
Todos sabero do vivo intwosse e grande alvoro-
co coi que o espirito publico costuraa receba
questoes dcsta ordem.
A reiigio, coaio acaba.de diaer o i Ilustrado Sr.
Dr. Vilella em seu artigo sobre=S#iii//uraeefe-
./Ji//c--tein saos fanticos o seus libertinos.
justamente desles que ne nes arripiamos de
modo.
Uusos fanticossao capazes do-dar passapor-
te ipialipier individuo desta para melhor vida
por ann da reiigio e da do Cbri t>. e julgam
ler resalvado assim a sua c-onscieneia timorata ;
outrosos libertinossanto Deus sao peiores do
que os gafanhotes do Egipto.
O qae uns laaem por caridade, os outros fazem
por phihtnn-opia.
Nao portante, com essa* gente qae nos quere-
Inios entender.
Longo os fanticos!
Longo os libertinos !
Nao sabemos porque (Unz por uiero luxo de
follar e questionar) tem-sc pretendido dar ques-
to da sepultura do Sr. general Abren e Lima o
carartei de una qnestao de luna c.frina. Tem-
se leito barulbo, tam-se gritado.
O Sr. bispo est em palacio e ainda nao deu,
que nos conste, moja palavra sobre a quesfio;
mas estamos convencido de que S. Exc. nao se fa-
ra esperar.
Anda bem, que o publico est ancioso por ou-
vi-hx
O Sjr. Dr. Jeronymo Vilella, digno lente de di-
reito eci-le-iastco da faeuldade, apresentou-se na
lien, como sempre, quando se suscita pela impren-
sa algtima joesto ecflesiastica; mas, desculpe-
nos S. S., no nosso fraeu entender, deslocou com-
liletainente a questo.
Rrngoq pelos principios da jurisprudencia ec-
etesmetrNQ citou o santo padre Benedicto 14, Wat-
ter, Monte, etc. etc.
Sempre o estro cla.ssico e juvenalcio, e reve-
lando o desejo de acertar as ipiestoes, S. S. nao
gosta de aventurar propo-ieoes smo ; mas, an-
da urna vez, perde-nos o Ilustre lente de direito
ecrlesiastico : aue veio all a Extrema Unnto P
que neeessdad(*TOvia de chamar pelo esta ques-
to ?
Al aqu ninguem anda hara se lembrado de
tal.
Emfun, va mais esta pedrinha para o sapalo di
senhor bispo. S. Exc. que responda ao Sr. Dr.
Vilella. *
Entretanto, nao nos parece que o Ilustrado len-
te da facoldndc tenha com isto m-ttiJ i nina laea
em frica, como vulgarmente se diz.
TihIos sabem que esses benellcios que a igreja
catholiea romana co-tnma dispensar sao para quem
quernr-'/o non tlatnr benefician!.
proposito : o Sr. Dr. Vilella sabe nos dizer _sc
o general Abreu e Lima quera a extrema uncao,
(piando havia regeitado a confisco auricular, e os
sal litares conselhos do senhor hispo ?
.Nao entcmla, porm, o Sr. Dr. Vilella quetc-
nhamos para nos que a coofissad seja condic3a
sine qnn non ad salulem.
As nicas palavras do propheta re: peccaci et
malina coram fecie a supptica de Dunas
que merecen a resposta do Fimo do Homem : ho-
dic mhum cris in faradiirfi*&o de um effeito so-
brenatural que excede todas qoantas conrL de beatas que por ah andam, que se teem aa(-
triefao, mui raras vetes, ou qusi nunca, tecnt a
contriccao.
A colis-n auricular necexsitatc prcecepii e
nao necvssitate medii ail salulem.
Deus quer sobretodo o coracao, e elle o disse
nestas eloquentes palavrasfi'li, prebe mihi cor
tuurn.
Parece-nos j estar ouvindo mil imprecacoes^e
esconjuros qne eahem sobre a nosca cabeca. Nao
ha razo. Nao somos avessds confissj auricu-
lar.
Dcrenderao-la, ao contrario.
A conlisso um tribunal salutar que se funda
as palavras do I! imcm Deus = qu parala remittuntnr eis, el qua reiinitrritis, reten-
la *iin!.- ; mas nao podemos admittir que serf-
ga, cm the-e, que aquello (pie nao compre o pre-
ceito da conli-so val, ipso fado, para gehena e
o fugo inextinguivcl de que nos Talla o Evangefflo.
Alguem |M)de ter deixado de se conre>sardo e en-
tretanto ir direito para o co. = De intimis sotu*
Deus.
O mesmo, porm, nio soccede respeito donap-
lismo, quo os theologos considerara como um sa-
cramento e.r necestate tnedii ad saluten.
Mas a questo nao esta.
A questo se o Sr. general Abreu e L.ma ro-
en.- n ou nao ostensivamente a contissao qu lhe
foi proporcionada p'lo-cnlior bi-po.
Que a recusou dizem todos; que nao quiz abju-
rar as suas dootrinas algumas das quaes enten-
diam com malcras de fe, tambera ninguem con-
Ora, ne-tas condici como era possivel urna
reeoneiliacao humanamente fallando ?
Ah s um desses rasgos que a providencia Tara
vez uianiesta, e a que nao obrigada.
Todos os homens baptisados teem a graca sufi-
ciente, mas a graca effleientc e a graca santifican-
te, s podem tcr aquclles que por seus actos a
tem merecido.
Demais : a extrema uncao sendo um sacramen-
to djs vivos nao se costuma dar seno quelles qfte
se tem preparado pela confissao.
esta a opino de um estimavel theologo, e
por isso que os santos padres e os concilios a -
noininavain=o complemento, a perfeicao e a coH-
svmmnro da penitencia ;=porque a extrema 00-
co nao foi instituida para apagar os peccados
moitaes, mas sim para prodnzir per se o augnBi-
so da graca, fnja e o allivfo, confianca f
resignacao.
Ora, se o general n5o se quiz confrssar, coO^
poderia feceber a extrema-unco? (1) Entretanto,
se o enfermo d'-ixasse- de eonfessar-se por cin^ams-
tancias independentes de sua vontade podia ser
administrado esse sacramento, visto como, segan-
do dizem os theologo. os sacramentos existen
por causa dos homens, e nao os homens por
causa "dos sacramentla sacramenta prepfA-
homines, non nomines prfyter sacramenta. Tendb
porm o senhor general regeitado a confissao, co-
mo que o Sr. Dr. Vilella nos vem dizer que^o
senhor hispo devia ter dado a extrema-nncSot
Deseonhecemos nesta parte o Ilustrado lente D. Eeelesiastlco.
Aquellas palavras de Saolo no caminho de I
mascodomine, quid vis irte facere=toi um mili
gre estupendo, que Deus nem sempre ortica.
tamos convencido de que, se o general qujsess
confissSo e os outros sacramentos, nada the r
() Sacramenta viverum aliqaando priman
liam conferre possanl, selUcefeom i
no ess in statu peatl nwrtsHs, vel
se contrlctum, occl#< e** ttUtiHone
mentom. (S Liguori, hyfrj n. 60
O Sacramemo da ^IWntt-uB^eae,
MeWO-dos vivds, aeha-s*e*e-ca*>-
-
0.0M.
comoSaoA-

"*T"


Dwarie tle Fernambueo Quinta feira 25 de Marqo de 1369.
negado. Tamben), se o general morresse, como
de facto morreu, sem*receber nenhum dos sacra-
mentos, fra o baptismo, isto so nao seria razio
para ser elle enterrado fra do sagrado, una fU
que sen favor houvesse a presumpeo -de que
juereria aceitar taes bouejicius; mas. se eBe fez
urna repulsa_formal? se insisti em suas doutri-
nas no momento supremo em que era Interrogado
por um dos primeiros pastores datare}*, oque
competa ao senhor bispo, sono sugeitar-se le-
tra dos caones ?
O Sr. Dr. Vilella poe um dlemma que de modo
algum pode ser aceito. Diz o Ilustre doutor que
se o general se nao confessou e apenas eonver-
sou com o senhor bispo, ex pondo o seu mizo so-
bre pontos religiosos, o seuhor bi *po nao podia
afllrma-lo como fez. o Perdoe-nos o Sr. Dr. Vilel-
la. A expresso conversar, neste caso mal ca-
bida.
Urna cousa conversar, ou manifestar as suas
ideas em conferencia c inmidade de amigos ou
de outras pessoas, e outra cousa responder n-
terpellacao que Ihe dirige um alto funecionario da
igreja em nome de um principio de alto interesse
religioso.
No i." caso, boas ou ms, errneas ou impia
pouco hr porta quem uve combater ou nao es-
sas doutrmas, menos que o silencio nesta hypo-
ttaese nao fosse condemnavel por parte de alguem,
mas nao passava disto ; no Io caso, porm, o ne-
gocio mais serio : quer se saber se o indivi-
duo quer ou nao abjurar seus erros, para gozar
dos beneficios que a groja concede.
Nesta segunda hypotliese eslava o moribundo.
A segunda propo-ico do dilemma apresontado
pelo Sr. Dr. Vilella nao tem lugar, porque, se nao
houve confls'o, nao uavia sigillo, e conseguinte-
mente o Sr. bispo podia fazer as revelacoes que
julgo??o eonvonionto*.
O Sr. Dr. Vilella disse que sao smente priva-
dos de sepultura ecclesiastiraos inflis, os herc-
ges, os scbisinaticos, os interdictos e os excom-
"mungados, e accrescentou que o general neni era
interdicto, nem excommungado, e portanto, segun-
do o Direito Novo, o general nao podia ser exclui-
do do sagrado ; mas qual a razo por que S. S.
fallando da excommunbao e interdiccao com refe-
rencia ao general, nao tratou tambem da heresial
S. S. parece que quiz escapar-se insensivelmente
por entre essas cousas Dezejariamos que o Ilus-
trado lente nos dflssc a rano dessa omisso.
Tambem nao adiamos muito fundamento no ex-
pediente, apresentado pelo digno doutor, do re-
curso ao cabido.
O jas dadi consilium, e ojus exquisiti conten-
sus do que fallam os canonistas, e que Berardo
jalga obrigatorio com referencia ao voto do cabi-
do, nao tem applicaca ao caso vertente, e sim
aos casos em qne isto absolutamente indispensa-
vel; mas ainda assim, o bispo era livre em se-
guir ou nao o parecer do cabido, como bem opi-
na o douto Henrion.
J'tre proprio, o bispo podia deliberar indepen-
dentcmente de conselho ou consenso. S. S. pro-
fessional na materia. Dezejamos ouvi-lo em faca-
das terminantes, disposicoes dos caones .i sent
I han te respeito.
Recire, 20 do morco de 1869.
Protectora das familias
Em cumprimento do prevenido no artigo 2SW
regulamento, se convida a todos os senhores con-
tribuimos desta assoeiacio, qne ainda nao tiverem
apresentado as certidoes de idade dos segurados,
para que facam entrega deltas na ra do Livra-
mento n. 19, Io andar, allm de ser expedidas
mais breve possivcl para a inspectora geral do
Rio de Janeiro. As certfdoes devem ser senadas c
reconhecidas por tabellio. Recife lo de Janeiro
de 1869.O representante,
N.F. de Vidal.
Protectora das fami-
lias.
Esta vsociacao caminha as vas de prosperi-
dade, nao sernos entra ves inherentes emprezas
grandiosas.
Contratos Capital
Em 30 de junho de)
1868 tinha regs-} 3936-----0,868:6755970
trado.............)
Durante o semestre de i
30 de junho a 31 de } 1406-----2,173:425*9
dezembro de 1868.. J
Estado dessa as^oeia-)
ca em 31 de dezem-} 5312-----8,012:1013890
brodcl868........j
Para ci.ns"gur com toda seeuranea o maior c
ni.lis instante desidertum da vida do liomein, que
crear para o futuro um capital ceno e una ren-
da nfallivel, para si, sens filhos e familias, bastar
fazer um calculo (cada qual conforme seus pro-
prLis haveres) de que pode dispr durante o pe-
riodo de cinco annos ; signalada que seja a quan-
tia ara chamado contrato de capital e outro de renda
Estes d ms seguros deverao satisfazer-se em cinco
aanuidades consecutivas, e depois de passados os
cinco annos o coutribuinte ficar livre doonusdos
pagamentos das annuidades snbsequentes.
Estas duas classes combinadas produzera resul-
tados maravtlhosos para o futuro.
Por exemplo, nm pai que quizer formar para o
futuro um capital e urna renda vitalicia para cada
om de seus filhos, conseguir este importante lim
despendendo para cada um delles a quantia de
1:155^, que se pagam da seguinte forma :
Direitos de entrada.. 1553
No primeiro anno 200
segundo 200
> terceiro 200
quarlo 200.4
j quinto .... 200a
Ter despendido no lim de cinco
annos a quantia de........... 1:155,1
teodo creado para cada filho um capital para o fu-
taro, que confirme a idade dos segurados ser de
33:0003 a 47:000,5 e urna renda vitalicia de 1003
annnae*.
Admittem-se contratos de maiores e menores
annuidades, sendo os lucros sempre proporcionan*
ao producto dos seguintes factores : valor da
eontribuiejio, o risco de morte do segurado
e a duracao do contrato (art. 28 do regulamento).
Agencia de Pernambuco, ra do Livramento
n.19.
.V. F. de Vidal.
Trilhos Urbanos para
Jaboato.
Un: dos subscriptores
des para a formaco
eoiupanhla.
acedes
.Joao da Cunha Wanderley----- 100
Vicente de P. Olveira V. Boas 50
Perroira & Matbeus.......... 50
Thomaz de Aquino Fonceca e
Filhos....................
bao Fernandes Lpez........
Henrique Gibson.............
Bento Magallies.............
Demetrio Acacio de Araujo B.
Americo Nunes Correia...... 15
Dr Claudino de A. Guimares. 5*
Francisco Goncalves Netto.... 10
J. P. S. Porto................
Angosto Frederico dosS. Porto
Juse Alexandre Bbeiro.......
Dr. Es te vio Cavalcanti de A..
Antonio Jos da Costa e Silva..
Luk Jos da Costa e Silva....
Jos Alves da Silva Guitnares
los Joaquim Lima Bairo
Joaquim Jos da Costa e Silva.
Antonio Cesario Moreira Das..
Jos Antonio Moreira Das.....
Jos Antonio da Silva Jonior..
Antonio Baptisia Nogneira....
lalo dos Santos Ramos......
Antonio Augusto dos S. Porto..
Jos Fernandes Lima......... 10
Prancsco Fernandes Dnarte... 8
Antonio Jos C. Guimares....
Joio Evangelisu de Sa.......
Antonio Moreira de Mendonca.
Jos da Costa Bispo..........
Paulo Jos Gomes...........
Dr. Svmpbronio Cesar Continho
Domingos Teixeira Bastos.
Jos Antonio de S Leitao....
Bemardino Correia de R. Reg
Manoel de Abren Maced..... 5
Manoel Joaquim Baptisla...... 80
Tlbarcio Valeriano Baptiste... 50
Vtodesto do Reg Bautista..... 10
Justino J. de Sonta Campos... 10
50
20
10
10
10
5
8
I
10
5
8
10
8
5
10
10
10
8
10
8
8
10
8
8
8
38
8
8
B
de ae-
de uaia
20:0003000
10:003*000
10:0003000
10:0003000
4:0003000
2:0003000
2:0003000
2:0003000
3:000*000
1:0003000
2:0003000
1:0004000
1:0003000
1:0003000
2:0004000
1:0004000
1:0003000
2:0004000
1:0004000
1:0004000
2:0004000
2:0004000
2:0004000
1:0004000
2:0004000
1:0004000
2:0004000
1.0004000
1:0004000
2:0003000
1.0004000
1:0003000
1:0003000
8:0004000
1:0004000
1:000300.
1:0003000
1:0004000
10:0004000
10:0004000
2:0001000
2:Ov,O4O0O
Jos Moreira Lopes.......... 20 4
Antonio I P. do CarvalUo..... 5 4
Dr. Francisco do R.B. Barrete. 50
Bario da Soledade........... 50
Francisco -Ferrara Borgos___ 50
Consellietou Jos liento da Cu-
nha.Figueiredo............ 10 2:0003000
Dr. Jos Bento da Cunha Fi-
guciredo Jnior........... h
Antonio Pinto de Barros...... 5
1:0003000
4;000000
10:0003000
10:000^000^
10:0004000
Manoel de Soma Tavares..... 10
l'arisio Belarmno de Moraes P. 5
Te nente-coronel Francisco C.
M. Ros Jnior............ 5
Manoel de Souza Leo........ 5
Jernimo de Souza Leo...... 5
Jovino Coelho da Silva....... 25
Joan da Cunha Soares G...... o
Joio Joaquim da C. Leite..... 10
Dr. Ignacio J. de Souza Lelo..
Alfr' lo Jos A. Guimares___
Manoel de Mesquita Barros W.
Thomaz Lins de Barros W...
Dr. Gaspar Cavalcanti de Al-
buquerque cha.........
Joao F. Cavalcante de Albu-
querque..................
Commendador Antonio de Sou-
za Leao..................
Joao Manoel de Mesquita Bar-
ros Wanderley............
AdoJpuo Wanderley Lins.....
Vicente Mendes Wanderley...*
Coronel AStonio G. Leal.....
Francisco Manoel de Souza o
Olveira..................
Dr. Francisco E. do R. Dantas
Dr. Jos Honorio Bezerra de
Menezos..................
Laurentno J. de Miranda.___
Dr. Manoel do Nascimento Ma-
chado Portella.............
Joaquim Salvador Pcssoa de Si-
quera Cavalcanti..........
Dr. Joao J. Pinto Jnior.......
Jos Francisco P. S. Jnior...
Dr. Luiz Salazar Moscoso da
Veiga Pessoa..............
Jos Cesario de Mello........
Dr. Antonio Joaquim Buarque
Nazareth..."..........
D. Mara Amelia de Gusmao
Lira a..................
25
25
30
25
2
1:000 $000
1:0003000
2:0003000
1:000*000
1:0003000
' 1:0003000
1:0003000
5:0003000
1:0004000
2:0003000
5:0003000
5:0003000
10:0003000
0:0003000
1:0003000
4005000
250 50:0004000
10
5

o
15
25
5
20
25
B
5
2:000,5000
1:0005000
1:0003000
1:0003000
3:0003000
5:0003000
1:0003000
4:0003000
1:0003000
5:0003000
1:0003()00
1:0004000
navio........
dem de carnauba ....
Estopa nacional.....
Farinha de mandioca .
dem i araruta.....
FeijSo de qualquer qualidade
o 1:0003000
1:000^000
o 1:0004000
10 2:0003000
COMMERCIO.
PRACA DO RECIFE 2i DE MARCO
DE 1869.
AS 3 1/2 HORAS 0A TARDE.
Assucar da Parahyba- 33450 por arroba posto a
bordo.
Algoaao de Penedo 1* sorte 153400 por arroba.
Cambios sobre Londres 90 d/v 19 d. por 130UO
(lontem).
F. J. Slvera
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
CASA DE CAMBIO
O abaixo assignado faz sciente ao pu-
blico que tem estabelecido nesta cidade,
urna sociedade bancada sob a lirma social
de
THE0D0R0 SIMN C,
da qual socio gerenta e solidariamente
responsavel.
O fim e objecto da dita sociedade o se-
guinte :
Comprar e vender por conta propria
metaes, moedas nacionaes e estrangeiras,
letras de cambio, sedulas do governo e do
banco do Brasil.
Encarregar-se por conta albeia das mes-
mas transares, da cobranza de letras da
trra e de outros ttulos cornmerciaes.
Receber quaesquer quantias em deposi-
to, em conta crtente, e por tempo deter-
minado.
O escriptorio estar aberto 9as 9 horas
da manliaa s 4 dllarde, no largo do Cor-
po Santo n. 21.
Teodoro Simn & 0.
Vendem
Ouro nacional )
porlugez. )
Soberanos
Sedulas do governo)
56o/o de premio
13^900
^% de
premio
de 1 e 5:5000 j
Largo do Corpo Santo n. 21
BANCO AUA i C.
Una do Trapiche u. 34.
Descorita lettras co umerciaesa taxa con-
vencional. Recebe dinheiro, a premio con-
vencional, por lettras e em conta crreme.
Gonfere crditos, saca sobre as primeiras
pracas do imperio,. Rio da Prata e Euro-
pa, e compra cambiaes solire as mesmas
pravas.
Encarrega-se, por commisso, da com-
pra e venda de fundos pblicos e accSes de
Dompanhias, da oobranca de lettras e di-
videndos ou de seu pagamento, e de qual
quer outra operago bancaria.
O expediente para o publico comee ara
s 10 horas da manha, e terminar s i
horas da tarde de todos os dias uteis.
ENGLISH BANK .
Of Rio de Janeiro Limited
Dcsconta lettras da praca taxa a con-
vencin ar.
Recebe dinheiro em conta correte e a
prazo Gxo.
Saca vista ou praso sobre as ehdes
prncipaes da Europa, tem agencias na Ba-
ha, Buenos-Ayres, Montevideo, New-York
e New-Orleans, e imitte cartas de crebito,
para os mesmos lugares.
Largo do Pelourinho n. 7
ALFANDEGA.
Rendimento do da 1 a 23 816:306*527
IdemdodiaSi.....W:381il27
8fti:887i6-5i
MOVIMENTO DA ALFANDEGa
Volumes sabidos com fazendas Slij
dem idem com gneros 576
Descarregam hoje 27 de marco.
Barca inglezaLeoantmercadorias.
Barca inglezaFoating Clouddem.
Lugar inglezPearl -mereadorias.
Barca portuguezaSegurancaidem.
Escuna norte-allemao La Plata = fannha
trigo.
Brigue inglezSalway Queenidem.
791
de
Afile t amendoini ou ainen-
dobini......... caada
Meca df. cuco....... ,
Weni ili maunma.......
Batatas alimenticias..... arroba
taunfha....... libra
Bulacha ordinaria, propria para
embarque........ arroba
*dem fina.........
Caf bom........
dem escolla ou reslolho ...
dem torrado....... libra
Caluros nm
Cal preta........ arroba
Cal branca........
Carne secca ( xarque ).
Carueros........ un
Carvao vegetal....... arroba
Cavernas de sieupira .... una
Cora amarella........ arrolla
dem de carnauba em bruto. libra .
dem idem em vellas .... >
Cevado ( porco )...... um
Cha.......... libra
Charutos........ eento
Cocos seceos.......
Coila.......... libra
Couros de boi, salgados ... >
dem dem seceos espichados.
dem idem verdes.....
dem de cabras cortidos um
dem de onca.......
Doces seceos ,....... libra
dem em gela ou massa.
dem em calda...... >
Enxams....... um
Espanadores grades. ....
dem pequeos ......
Esteiras para forro, ou estiva de
25300
BM0
nm
l.W
580
3^000
ti:m
3150
loe
980
31800
4 000
1 i6(K)
'500
6|860
230
500
2GJOO0
ijOOo
:t000
43000
660
230
290
170
380
10,1000
1000
360
520
(ISA DE CAMBIO
Theodoro Simn & 0.
Vendem
Ouro nacional )
. portugnez
Soberanos
)
a 56"|0 de premio.
Sedulas do governo)
13,-51000
urna
ja
) Tj, do premio,
de l a 5,5000 )
Largo do Corpo Santo n. 21.
santa casa de misekicohoia do kecife
Pela secretaria da Santa Casa de Misericordia
do Kecife se faz sciente quem convier, que o so-
brado n. 3 A sito ra Augusta e a casa terrea
n. 39 da ra dos Pescadores, estao snjeitas se-
guinte dspo>icao testamentaria, com que fallocou
D. Esmeuia d Conceico Souza, inuiher do Dr.
Jos Joaquim de Souza :
Declaro mais que insto por herdeiros de
nimba meia acoao ao meu marido o Dr. Jos Joa-
quim de Souza, com a obrigacao de com sua mor-
te passar a terca de meus bens para os meus ir-
maos o padre Jos Leilo Pilla Ortigueira e D. Car-
lota Esmenia da Conceico Leite, aos quaes tam-
bem instito por herdeirtis damesma terca na con-
formidade do que flca disposto, e no caso de que
l3004nao sobrevivam seus irraaos eu marido, a terca
48000 que elles pertencer, vontadesuaque passepara
23000 o hospital de caridade que flca assim instituido.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, 5 de marco de 1869.O escrivao, Pedro Ro-
drigues de Souza.
12J000
160
2-5000
TABELLA dos prkcos dos gneros sujritos a di-
reito DB EXPORTACAO.SEMANA DE 22 DE MARCO
A 27 DO MKSMO MEZ DE 1869.
Mercadorias: Unidades. Valores.
Abanos......... cento 2500
Alcool ou espirito de agurden-
te .......... caada 900
Agurdente cachaca. ..... 440
dem de canna...... > 1JO00
dem genebra....... *
dem restilada ou do reino > 800
Algodao em caroco..... arroba 3*730
dem em rama ou em la. > 15*000
Angico (toros )...... duzia 6OJ0O0
Arroz com canea...... arroba 1*000
dem deseaseado oa pilado 2*60
Assucar braoco...... i 4*700
dem maxcavado...... 3*400
dem refinado....... 6*400
Frechaes........um
Fumo em folha bom.....
dem em folha, ordinario ou res-
Molho ,........
dem em rolo, bom.
Fumo em rolo, ordinario ou res-
tolho. ...;... .
Gal inlias........
Gimiuia de mandioca. ....
Ipecacuanha ( raiz ).....
Jacaranda ( coucoeiras) %
Lenhacm achas......
dem de mangue cni toros. .
Linhas e esteios......
Mel ou melaco......
Milhd....... t .
Ossos....., .
Palba de carnauba.....
Papagaios.......
Pao Brasil^. .
dem de jsfflfada.
alqueiro 23500
arroba 10*000
4.8000
5.8000
arroba 154000
88000
105000
urna
arroba

duzia
cento
nm
caada
arroba
>
molho
um
quintal
um
88000
13000
33200
233000
953000
33000
123000
68000
200
13000
240
13000
58006
63000
5.8000
123000
900
800
13000
2 000
160
Pechury......... arroba
Pedras de amolar. urna
dem de filtrar.......
dem de rebollo.-.;..
Pennas de ema ...*.. libra
passava......... molho
Ponas ou chifres de vaeeas e
novilhos........ eento
Pranchocs de amarello de dous
costados..... um
dem de louro. ...
Rap ...*.... libra
Sabo.......... 1
Sal. ...,....,. alqcuire
Salsaparrilha. arroba
Sapatos de couro branco ... par
Sebo em rama...... arroba .
dem cm vellas. ."....
Sola cm vaqueta..... um
Taboas de amarello .... duzia
dem diversos.......
Tapiocas......... arroba
Tatajuba........ quintal
Travs......... urna
Unhasdc bote...... cento
Vassouras de passava....
dem de timbo......
dem de carnauba.....
Vinagre......... caada
ADITAMENTO.
Cigarros.........cento.
Costadinho de vinhatico de mais *
de urna pollegada.....um
Dito de outra qualquer madpira
de urna pollegada. m
Cerveja em botija ou garrafa .
Mel de abelhas......
Taboas de vinhatico at urna
pollegada........
Dito de outra qualquer madeira
at urna pollegada.....
Era ud supra.
Alfandega de Pernambuco 20 de marco de 1869.
O 1." conferente, ManoelCaU is Barrete.
O 2." conferente, Joaq 'im da Co Approvo. Alfandega de Pernambuco 20 de
marco de 1869.Paes de Andrade
Conforme.Joaauim Tertuliano de Medeiros.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento de dia 1 a 23. 37:0208239
dem do dia 24...... 1:785173
caada
urna
23800
20*000
lO.iOOO
13000
160
400
303000
800
53000
7*000
44500
1403000
87*000
35000
23000
63000
380
103000
83000
63400
800
320
165000
123000
UGOO
13280t
123000
85000
58:8053412
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 1 a 23
dem do dia 24 .
126:4751579
4:4828914
130:958*495
MOVIMENTO DO PORTO.
"1*0
ante J
Navios entrados no da %
Mamanguapc15 horas, vapor brasiM^o Coruri-
pe, de 222 toneladas, commandanre Joaquim
Luiz G. Penna, equipagem 13, em lastro; com
panliia Pernambucana.
liba de Fernando de Noronha48 horas, vapor
nacional Giqui, de 223 toneladas, commandan-
te Joaquim Custodio Duarto de Azevedo, equipa-
gem 23, em lastro ; companhia Pernambu-
cana.
Para43 dias, patacho brasileiro Protector, de 243
toneladas, capito Joaquim da Silva Pereira,
equipagem 13, em lastro ; a Joaquim Jos G.
Beltrao.
Liverpool30 dia?, barca ingleza Imogem, de 311
toneladas, capiao Daniel C. Down, equipagem
13, carga differentes gneros ; a D. C. & C. C.
Simpson & C.
Navios sahidos no mesmo dia.
Rio-Grande do SulPatacho brasileiro Salcipue-
des, capito Caldas, carga assucar.
PortoBarca portugueza Amelia, capito Jos Joa-
quim Basilio, carga assucar, farinha de mandio-
ca e outros gneros.
PortoBarca portugueza Harmona, capito An-
tonio Jos da Cruz, carga assucar e outros g-
neros.
ECITAES.
iulzo
de
dos feltos da fazeuda
Pernambuco.
Faz-se publico a quem convier e interessar pos-
sa, i pie Ando o praso de tres mezes a contar de 24
de dezembro nltimo, se ho de vender em hasta
publica, celebrada na cidade de Goyanna e na villa
de I tamb, perante o sobredito juizo, as trras per
tencentes ao extincto encapellado de Itamb, cons
(antes do edital de praca, publicado no Diario de
Pernambuco do citado dia. Os que pretenderem
lancar a praso, conforme o art. 4" da lei de 6 de
setembro de 1850, deverao apresentar-re com seus
dadores habilitados, sendo as flaneas prestadas ad-
ministrativamente e com todas as formalidades
das flaneas flseaes nos termos das instruccoes de
30 de dezembro de 1865.
O escrivio,
Luiz Francisco B. dt Almeida.
DECLARACOES.
rouimaado das armas.
Fax-se saber a Sra. D. Mara Amelia km Santos
Amaral, que no quartel general existe para Ibe
ser entregue, conforme requeren, a certidao de
bito de sen marido o .'ir. 1* tenente do 4* batalbo
de artilharia a p Feliipe Marques dos Santos.
Secretaria de comnundo das armas de Pernam-
buco 23 de marco de 1869.
Francisco Cara iro Pessoa de Laeerda
TeBente-corenel, secretario
O administrador da recebedoria- de rendas
internas geraes declara que tendo-se concluido o
lancamento do imposto pessoal do exercicio cor-
rente de 1868-69 das freguezias de S. Jos e Boa-
vi-ta, flca marcado o praso deste mez e de marco
futuro em que deve ser pago o referido imposto,
sem multa, das sobreditas freguezias, como deter-
mina a ordem n. 17 do ministerio efupzenda de
30 de Janeiro ultimo.
Rocebedoria de Pernambuco 19 de fevereiro de
1869.
Manoel Carnelro de Souza Laeerda.
Arsenal de guerra.
De ordem do Illm. Sr. director faz-se publico
que o arsenal de guerra tem de contratar para o
rancho dos aprendizes menores do mesm arsenal,
pelo tempo de tres mezes, acontar do 1 de abril
prximo a 30 de junho, os gneros abaixo decla-
rados
1* e 2* qualidade.
Assucar refinado de
Arroz pilado.
Azeite doce.
Bacalho.
Cha da India.
Caf em caroco.
Carne verde.
Carne *ecca.
Farinha de mandioca.
Feijo mulatinho.
Manteiga franceza.
Pao de 4 e 3 oncas. .
Toucinho.
Vinagre.
As pessoas que quizerem se propor devein apre-
sentar suas propustas em cartas fechadas acom-
panbadas das amostras, na sala da directora no
dia 30 do correte, as 11 horas da manha.
Directora do arsenal de guerra de Pernambuco
23 de marco de 1869.
O cscripturaro,
Jos Alfredo de Camino.
ANTA CASA DA MISERICORDIA DO
RECIFE.
De ordem da illm i. junta administrativa desta
santa casa se faz publico que a exposico do SS.
Sacramento que deve ter lugar na igreja Je N. S.
do Paraizo no da 25 do corrento, durar smente
at is 7 horas danoite, podendo as pessoas que
mbzerem visitar o Santo Sepulchro, fazc-lo so-
inente at essa hora.
SeCTetaria da santa casa de Misericordia do Re-
cife 19 de marco de 1869.
O escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
Santa Casa da Misericordia do
' Recife
Devendo ter lugar na igreja de N. S. do Paraizo
no dia 23 do corrente, pelas 10 horas da manha,
a missa solemne que ha de preceder a expo-ic_o
do SS. Sacramento, convido a todos es irmaos
para c.omparecerem no dia e hor cima indica-
dos, alim de assistirem a esse acto.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife, 19 de marco de 1869.
O escrivao,
_______________Pedio Rodrigues de Souza
*auta Casa da Misericordia do
Recife.
A Illma. junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife manda fazer publico que na
sala di suas sessoes, no dia 1 de al r 1, pelas
quatro horas da tarde, tem de ser arrematadas
queta mais vantagens offerecer, pelo tempo de um
tres annos, as rendas dos predios em seguida de-
clarados :
ESTABELECIMENTOS DE CARIDADE.
Ra da Imperatriz.
Casa terrea n. 68 por anno............3205000
Ra de Hortas.
Loja do sobrado n. 41, por anno........ 1205000
Ra da Moeda.
Primeiro andar do sobrado n. 37, por anno 765000
Segundo andar, idem.................. 965000
Areal do Forte.
Casa terrea n. 1, por anno..............100*000
Ra do Padre Floriano.
Casa terrea n. 43, por anno............^70*000
Ra da Conceico.
Casa terrea n. 5, por anno............. .. 2493000
PATRIMONIO DOS ORPUAOS.
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 100, por anno........2013000
dem n. 102, idem....................2013000
Sitio n. 5 do Forno da Cal, idem ........ 1503000
Sitio do Rosarinho n. 3................3253000
Os p re tendentes deverao a presentar no acto da
arremataco as suas flaneas, ou comparecercm
acompanhados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cifc,18 de marco de 1869. O escrivao.
Pedro Rodrigues de Souza,
THEATKO
DE ^^
S. ISABEL.
EMPREZA DRAMTICA
DB
SABBIDO DE ALLELIA.
Sabbado 29.de margo de 1869.
A empreza desejando satisfazer os numerosos
pedidos de camarotes faz subir a scena ainda o
soberbo drama histrico de grande espectculo
IISW.10 (Mil)
oo
A descoberta da America.
D Om ao espectculo a cansoneta do Sr. Mar-
toho
O NIIDIMIO.
A empreza raga as pessoas que encommenda-
ram bilhetes queiram manda-Ios buscar at
quarta-feira 24 do corrente por todo o dia.
6. RECITA DE ASSIGNATURA.
Segunda-feira 98 de Marco.
ESPECTCULO EM GRANDE GALA PARA
SOLEMNISARO ANNIVERS RIO DA CONSTITUICAO
POLTICA DO IMPERIO.
A chegada de S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia cantar-se-ba oerante as elflgies de SS.
MM. II.
0 HUNO NACIONAL
Segu a primara representacao do drama em
1 prologo e 3 actos, original portugnez do Sr.
Correia de Barros
NOBREZA.
I'eraonagens do prologo.
Manoel de Castro......Sr. J. Augus
Antonio de Freilas..... C. Rocha.
Augusta de Cisii). ..... Sr. D. Julia.
to
I). Francisca
Sr. J. Augusto.
Thomaz.
> Eduardo.
C. Rocha.
P. Costa.
Martinho.
Geovani.
Flurindo.
D. Julia.
. Clelia.
i Carolina
d Apolonia

Margarida, criada.
1, 2 c3 actos.
Um deudo. .-.-..
O baro de Paradla. .
Sacedo, advogado.....
conde do Soutello.
Dr. Mendes.......
Andr, criado. .....
O administrador do bairro. .
Um criado.......
Mara......
A baroneza de Parafita.
Eugenia........
terlrudcs, criada.....
Dcnorainaco dos actos.
PrologoDeshonra e loucura.
1. acto j Um grande da trra c um eleto do
co I
2.* acloO algoz o victima.
3." actoNobrcza.
A aeco passa-se : no prologo m 1847 em urna
pequea aldea de Traz os Monte-, e nos 1, i e 3
na actualid.'.de em Lisboa.
Os bilhetes eslo desde j a venda no theatro.
THEATEO
Gymnasio campestre
ASSOCIACO ARTSTICA.
as noites a[e 27 e 28 do corrente
ESPLENDIDOS
Bailes niascarados
com o valioso concurso de duas
_ SOCIED.DJiS CARNAVALESCAS
organisadas expressanaite por
DISTIXCTOB CAVALHEIROS
que se dignam honrar os mencionados bailes, no
intuito de auxiliarem a associacao deste theatro.
Os bilhetes acham-se desde ja no theatro e por
obsequio em casa do Sr. Godofredo, cabelleireiro,
a ra do Crespo.
N. B. As pessoas que morareni no Recife e cm
toda a linha frrea at Apipucos, 10 caso de que-
rerem assistir a este bello divertimento, tero de-
pois do mesmo passagem gratis em
TI1EM ESPECIAL.*
O baile principiar as 9 horas e terminar as 2
da madrugada.
A orchestra ser regida pelo artista
rolas lilho.
Em lugar competente achar-se-ho diversos
vestuarios de phantasia para alugar-se.
Gymnasio Campestre.
Neste theatro aeba-se pessoa habilitada para
alugar vestuarios de phantasia^ior piceos mdicos
ha vendo para isso lugar reservado.
BAILES
com mascaras e sem ellas.
RA NOV* DE SANTA RITA N. i.
Alcafar dansanle.
Este novo estabelecimento, proprio para estes
divertimentos pblicos, estar aberto sabbado e
domingo 27 e 28 do corrente, fazendo sua estra
no primeiro desses dias.
Os seus saloes, ricamente ornamentados, offere-
cem, par do confortavel, a elegancia e o luxo
oriental, adequados s regioes da America do
ral
Nao sendo s destinado a esse fin, mas sendo
um delles dar bailes pblicos, o ALCACAR DAN-
SANTE prximamente publicar o programma
geral de seus divertimentos ; no entanto.seu pro-
prietario, descansando na benevolencia e bom pos-
to do publico da Veneza Anericana, convida
honra-lo, indo esses primeiros bailes, certo de
quesera recebido como vrdadero amante do
bello e agradavel.
Serio guardadas as desposicies reglamentares
da polica.
Os cavalleiros pagaro 23 de entrada.
As damas franqueado o ingresso pelos seus
lindos nlhos.
RA NOVA DE SANTA RITA N. 1. -
AVISOS MARTIMOS.
Da taberna sita no pateo do
Terco n. *.
Terca-fcira 30 do corrente.
O agente Pestaa legalmente autorisado far
leilo por conta e risco de quem pertencer dos
gneros, armaco e mais utenclos existentes na
taberna cima dita, este estabelecimento est bem
col locado para taberna a retalho, tem os gneros
novos e poneos fundos para dormida, e por isso
se torna recommendavel para principiante e faz-se
qaalqoer negocio mesmo com prazo garantido, no
dia terca-feira 30 do corrente ao meio dia no mes-
mo estabelecimento.
COJIPA31II*
DAS
Messagerles imperiales.
Ate o dia 30 do corrente mez espera-se dos
portos do sul o vapor francez Extramadure, com-
inandante H, de Somer, o qual depois da demora
docostume seguir para Brdeos tocando em
Dakar (Gorej e Lisboa.
_Avisa-se aos Srs. pass-igeiros que por delibera-
cao do conselho de administrarlo se acham redu-
zidos de frs. 125 as passagens 'do segunda classe
para Bordese Lisboa,assim como so concederam
bilhetes de ida e volia para os portos do Brasil e
Rio da Prata com 25 % de ahatimento pelo tempo
de seis mezes.
Para condicoes, fretes e passagens trata-se na
agencia ra do Commercio n. 9.
lMNiUA BRASIIr
M
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at o da 8 de abril p. f. o vapor
Cruzeiro do Sul, commandante
Alcoforado, o qual depois da de-
mora do costume seguir para os
dosul .
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at as duas horas do dia da
sua sahida.
Nao se recebem como encommendas seno ob-
jectos de pequeo valor e que nao excedam a 2
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medico.
Tudo que passardestes limites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
rs so se recebem na agencia ra da Cruz n. 57,
indar, escriptorio de Antonio Luiz de Olveira
Azevedo & C.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
\avcg:ic.o
por vapor.
DE
costelra
Goianna
O vapor Mamanguape, comman-
dante Olveira, seguir para o
porto acuna no da 26 do corren-
te as 9 horas da noite. Recebe
,, carga, encommendas, passagei-
ros c dinheiro a freto no escriptorio do Forte do
Matos n. 12.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Xavegacio eosleira por vapor.
Porto do Gallinhas, Rio Formoso e
Tamandar.
O vapor Mamanguape, com-
mandante Olveira, seguir para
os portos cima no dia 31 do cor-
rente a meia noite. Recebe car-
ga, encommendas. passageiros e
dinheiro a frete no escriptorio do Porte do Mat-
tos n. 12.
Rio de Janeiro
Segu com mnita brevidade para o porto atina
a escuna dinamarqnea Klite, tem a maior parte
do sen carregamen o engajado: para o resto que
lhe (alta trata-se com Antonio Lua de OliveVa
Azevedo & C, roa da Cruz o. 57,1* andar.
PORTO
Para o indicado porto pretende sahr em pou-
eos dias a veleira o bem conhecida barca Social'
capito Rocha, por ter a maior parte do seu car-
regamento prompto, o para o resto que lhe falta
e passageiros, para os quaes tem bons commodo*,
trata-se com o consignatario Joaquim Jos Gon-
calves Beltrao, ra do Trapiche n. 1?.
COMPANHIA PERNAMBUCANA*.
DE
Mavegaco costelra por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara.
caty, Cear, Mondah,Acarac
e Granja.
m^ffty O vapor Ipojuca, commandante
JtXk Martns, seguir para os portos cima
XSMBB? '>o dia 31 do correnle as .'i horas
da" tarde. Recebe carga at o dia 30, encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at as
i horas da tarde do da da sahida no escriptorio
od Forte do Mattosn. 12.____________________
Macei
O brigue nacional 01 inda, segu viagem ao
porto cima ueste* seis das impretervelmente re-
cebe carga a frete commodo: a tratar na ra do
Vigario n. 10, escriptorio de Balthar Olveira,
4 C. s
COMPANHIA PERNAMBUCAxNA
DE
IVavegaco costelra por vapor.
Mamanguape.
O vapor Coruripe, commandante Penna, seguir
para e porto cima no dia 28 do corrente as 6
hars da tarde, recebe carga, encommendas, pa-
sagens c dinheiro a frete at as 4 horas da tarde
do dia 27, no escriptorio do Forte do Matos n. 12.
Eio de Janeiro
Para o indicado porto segu com muita brevi-
dade o velero e bem conhecido brigue Adelaide.
por ter a maior parte do carregamento tratado ; e
para o resto que lhe falta e escravos a frete, tra-
ta-se com o consignatario Joaquim Jos Goncalves
Beltrao, rua do Trapiche n. 17,
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
rvavegaco costelra por vapor.
Macei escalas e Penedo.
O vapor Giqui, commandante Aze-
vedo, seguir para os portos cima no
da 31 do corrente s 5 horas da tar-
de. Recebe carga at o dia 30, encommendas,
passageiros e dinheiro a frete at as 2 horas da
tarde do diada sahida no escriptorio do Forte do
Mattos n. 12.
Loaiida
O brigue portuguez Bemvinda, capita Silva, a
chegar de Lisboa, sahir para Loanda pouros dias
depois 8e rccolhido a este porto : pode receber
alguma carga, o trata-se com o seu consignatario
Joaquim Gerardo de Bastos, rna do Vigario n.
16, Io andar
Para o Porto
Segu sem demora a barca portugueza Novo
Silencio, por ter grande parte da sua carga promp-
ta, para o resto e passageiros aos quaes offerece
exeellentes commodos trata-se com Olveira Filhos
4 C., largo do Corpo Santo n. 19 ou com o capito
na praca do commercio.
LEILOES.
LEILAO
De OO saceos com cevada do Rio
Grande.
Segonda-feira 29 do corrente.
O agente Pestaa far leilo por conta e risco
de quem pertencer de 60 saceos com cevada do
Rio Grande em um ou mais lotes, as 11 horas da
manha no largo da escadinha da alfandega arma-
zem do Sr. Azevedo. ____________
LEILAO
de importantes joias de bri-
Ihantes, tlous escravos e mo-
vis.
A SABER:
Uui rico broxe moderno de brilhantes, 2 pni-
seras tambem modernas de brilhantes, 2 alfinetes
de brilhantes, 1 par de rosetas de ditos, 1 dito di-
to com brilhantes e pedras verdes, I pnlseira com
um rubim e 4 pcrolas, 1 rico colar de tilagrana,
1 importante pulseirade coral cousa muito rara,
1 allinete e rosetas de cainapheu ricamente eneas
toado, 2 rek gios de algioeira inglezes, colheres
de prata para sopa e cha, salvas e paliteiro, 1 es-
crava de 18 annos com habilidades, 1 escravo de
26 annos, copciro, pintor e carniceiro, 1 cxcel-
lente piano moderno com pouco uso, 1 mobilia de
tacarand com 12 cadeiras de guamiro, 2 de
iracos, 2 ditas de balance, 1 sof c 2 bancas en-
talhadas, 1 sof e 11 cadeiras de Jacaranda, 2 ri-
cas bancas de charo, 2 guarda vestidos de ama-
rello, 1 guarda roupa, 1 cama de Jacaranda, 1 toa-
Ibete, 1 lavatorio de mogno, 1 cama para menino,
1 carrinlio de 4 rodas tambem para menino, 1
guarda louca, 2 consolos, 1 espelho douradn, 1
mesa elstica, berco, quartinheira, 1 retrete de
Jacaranda e 1 carroca para conduzir farinha de
trigo.
Terca-feira 30 do corrente.
O agente Martins far leilo competentemente
autorisado das joias escravos e movis no sobra-
do da ra do Padre Floriano n. 7, as 10 horas da
manha.
LEILAO
De urna grande casa de campo no Parnameirim
com 3 salas, 12 quartos e dispensa, com grande
sitio murado na frente, cerca de 1,050 palmos
do frente e 1700 e fundo, com umitas e exeel-
lentes fructeiras e baixa de capim.
Turca-feira 30 de marco as 11 horas
em ponto.
O agente Pinto competentemente autorisado fa-
r leilo da casa e sitio cima mencionado do fi-
nado Joaquim Jos de Amorim (em Sant'Anna)
sendo que dito sitio torna-se recommendado ja
pelas grandes proporcoes e accommodacoes que
offerece e j por ser em chaos proprios em cuja
frente passa os trilhos urbanos e perto de urna das
estacoes.
O leilo ser effectuado as i 1 horas do dia ci-
ma dito no escriptorio do referido agente ra da
Cruz n. 38.
Os pretendentes podero desde j examinaren!
dita casa e sitio, podendo obterem do mesmo
agente toda e qualquer informacao a respeito.
LEILAO
SE PREDIOS.
0 agente Pontual vender em leilo por auto-
risacao de diversos, os predios segoinles :
1 sobrado de 3 andares, soio propno, sito ao
beceo do Abreu n. 6. ,
Metade do sobrado de 1 andares lo a ra da
1 parte do sobrado de 3 andares sito 4 ra da
Seniala Velha n. 70. .
2 casas terreas em solo foreiro, sitas a travena
das Barreirasns. 16 e 18. ______
Quaru-f-'ira 31 uo corrente.
No P andar a sobrada n.6i, ruaba Cruz, s
// hars.
Os Srs, pretndeme* pederao examinar os pre-
dios aeima, e dirigirera-* a* agente no caso de
precisarem de algum esclarecitnento a respeito.

i
\

v-
4


Diario de Pernambuco Qutula ieira 25 tle. ltlarco ae 100.

AVISOS DIVERSOS.
Jos Soarcs de Azevedo, professorde
liagua e lilteratura nacional no gymnasie
provincial do Recife, tem aberto em sua
casa, ra Bella n. 37, um
CURSO DEI.INGl'A FRANCEZA
DE GEOGRAPHIA E HISTORIA
DE PIIILOSOPIHA
DE RIIETOIUCA E POTICA.
Os estudantes qne pretenderem frequen-
tar qualquer tiestas diacipltoas, podemdiri-
gir-se indicada residencia, de manhaa at
as 10 liotas, e de tarde a qualquer hora.
Irmaudade do Espirito Santo
Autnrisadi pela mesa regedora, c por convite
especial do provincial do convento O Carme, con-
vido aos irmos para qne no da M, pelas 4 lura
da larde, 86 rcunirom no consistorio, aflu de en-
corporados, irmos aooipanhar a procjjpio de eu-
lerro, KSkn como no da 28, pelas 6 horas da na-
iiliib, aconipanhar a procissao da resstureteao.
M. G. Agr,
Eicrivlo interino._______
IVeciia-se de una ama seeca para casa de
pouca familia : a tratar na rea da Sensala-nova n.
26, ou praca do chafariz do llrnm n. 18.______

Mudanca
IIHA GRANDE DESCOBERTA
Da roa do Torres n. 20,1 andar, para a na da
f.adeia n t._____________________________
Da-se socieJa te"a ama pessoa capaz, entran-
do co:\i NBA para ura hoiii negocio : quem qui-
zer annuncie.
TRILHOS URBANOS
DO
Recife a Apipueos.
A companhia faz publico. que havero
trons boje c amanha, para as pessoas que
quizerem vir assistir aos actos da semana
santa, cujas horas de partida se acliam abai-
xo marcadas:
QUINTA-FEIRA A TARDE
Ida do Recife.1, .1, 5. 7 e 11 c meta.
VOLTA DE-APIPUCOS
% i, G e 8.
SEXTA-FEIRA
Ida.7 c 9 da nianha; 3, 5, 8 c 10
tarde. __ .
YoijJp-8 e 10 da manhlia; 4, G eHl.
tarde. -,__
Ol-EO
deFIGADQoeBAGALHAU
DESINFECTADO
UfOAlHA
DE
HONRA
DE BACALHAU
DESINfCTAD FERRUGINEO
Ai propiedades medcaos do oleo de figado de bacalao (orlo unanima-
mente recouhecidas. Mu seo cheiro e seo sabor to desagradaveis toroao o
uso d'olle muiUs vezes impessivel, mesmo aos estomago* os mais robustos
e aos mais condescentes. *.-'.*.....
Por isso a descoberta do Snr. Chetoieb que lhe permeto de desinfectar
inteiramente o oleo de figado de bacalhao sem alUrar suas propriedades Um
sido um dos mais febles problemas resolvidos pejj therapeutica moderna..
O oteo de figado da bacalhao desafectado de Chevrler, com um
cheiro agradavel e um sabor asiucarado, i o nico que nao tem nem gosto
nem cheiro de peixe. 'i~ -
Objccto de numerlos relatnos acientificos elle gora em Franca de tana
fama bem merecida, e .recetado por todos os mdicos em lugar do oleo de
6-ado de bacalhao ordinario. Tendo as mesmas propriedades do oleo de
fiado de bacalhau ordinario, usa se d'eUe nos mesmos casos isto as: ;"
_ -.___________ ..^. .
*fIratlas eaerafulaaaa.
naeaitlmo,
Oka race** aaa (laadea.
laica aulaionnr, .. -
MaleaMaa da pene + -. |
t'oaatltaleaa lympaatlea,
taemla, aeMUaaae, fraqoe^a
Magreas,
Puhro/a da nanea?, **V t
Balairament* par rxre*m a
IrabalUa oa de araaerea, ',**
leatlaa dos bronc tilo recen-
tra a caranleaa, *
Tanaca aertlaaaea,
aatrltaa, gastralgias,
Darea de raluniaaju.
Elle convem a todas as oampleicoes e a todas as idades, e tomad fecfl-
mente pelas pessoas as mais delicadas. Elle um poderoso socorro para a
alimentac&o das enancas fracas e doentes.
Um folleto acoompanha cada vlilro
Deposito em Parit, na pharmacia de Chevrier, e em
0 oleo de figado de baca.hav desinfectado ferruginoso de
Chevrier cofistitue o melbor meio de administrar o ferro. O
ioduro de ferro reunido com o oleo de figado de bacalhau, aug-
menta a aeco to efficaz d'este ultimo, se dissolve mais fac 1-
mente nos lquidos das vias digestiyas, se assimila muito mais
bem do que quando lomado sob a forma de pilulas, xr>-
pes, etc., enfim perde suas propriedades irritantes e nao pro-
voca a constipaco.
As pessoas as mais delicadas que nao podem supportar as
preparacoes ferruginosas ordinarias, as quaes, principalmente
nospaizesquentes, tem murtas vezes grandes iuconvenienles,
podero com a nova descoberta do Snr. Chevrier, usar do feno,
um^dos mais poderosos agentes therapeuticos, tomand-o
unido ao oleo de figado de bacalhau.
O oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chevrier, se emprega em todos os casos que o ferro acon-
selhado; julgamos intil de os enumerar.
e conten as obwrvardcw mrrilrnes.
todaa as boa pharmacias de Franca e do estrangeiro.
COMPAMA PERMKBUCAM
II I Vil II]
corfSELiio di: iiirec < lo
Os Senhores.Saunders Brothers & C, Tasso
Irmos. Luiz Antonio de Siqueira.
0 SE. F. F. BORGFS
Restando ainda emittir lgumas accSes d'esta companhia, da quantia nominal de
00000 cada urna, das quaes s se acciUm em virtude da le, 0",', ou 40M)0 por
i-ada aeco; convida-se pelo presente ao publico em geral e especialmente aos Srs.
capitalistas e interessados no commercio. que queiram dar emprego seguro aos seos
capitaes, disponiveis, a subscrever o numero de acc5es que lhes approuver.
Algumas dcstas accoes j tem sido tomadas por pessoas que conhecem a vantagem,
de na presente occasiao (conltecidamente a melbor), empregarem o dmbeiro de que
poderem dispr em objectos de valor real, como vapores, predios etc., que Ibes garau-
tam seus capitaes..
A companhia possue hoje 10 vapores, G inteiramente novos, e destes o ultimo esta
a chegar de Inglaterra, onde foi construido expressamente para ella.
Alm disso est edificando vastos armazens, no terreno que possue no largo d'As-
sembla.
Seus dividendos tem sido de 10 c/o a anno, nos ltimos 4 annos.
As accSes que se emittirem gozam dos mesmos direitos, e percebero o beneficio
dos mesmos dividendos que os antigos em proporcao da entrada.
Recebem-se asignaturas no escriptorio da companhia no seu edificio ao caes da
Assembla o. 12
Pnlseira
Perdea-se urna palscirade eornelina cncastoada
em ouro, de^de a ra Dircita ao thcalro de Santa
Isliel : (|ueui a achar, uitcrcndo entregar, ser
bem gratificado, por ser do estima : na praca da
1 nde|lendencia n. 12._________________
l'erdeu-se na sexta-feira dos l'assus urna
medalha de oonj de flnagran, pie cabio doade-
reco de um anj que acompanliou a procissio :
pedese aqnein achou qn-- wnln .Mitr.^ar ni ra
da Linguetn, na taberna n. 4, que sera rceOnTl
pensado.
CASA DA FORTUNA
Aos 4:000$
Biliietes garantidos.
A ra do Crespo n.23 e casas do costume.
Acham-se a venda os felizes bilhetes garanti-
dos da 2' parte da lotera a beneficio da igreja
deNossa Senliora do Monte de Olinda (100) que
se extraliiiH'i sabbado :i do mei vindouro.
Pro^s. "i
Billiete.....43000
Meio.....25000
Quarto.....lOOO
Em porcao de 100.5 para eima.
' Bilhete.....35500
Meio......1*730
Quarto..... 875
Manoei Martins Fiuza.____
ralTRO
Pcde-se ao Sr. Coimbra emprezano que tenha
a bondado de levar a scenaO recruUmento na
roc;asabbado de alleluia.
OpiniSo publica.______
UfENCAO
PRIMEIRO LIVR0
DE
Prccisa-se de urna ama para comprar e co-
zinhar : na na da Praia ns. 13 e l'i, armazem.
O abaixo assignado avisa ao corpo do com-
mercio c a quem interessar posea, que desde o dia
9 do correntc mez deu sociedade em sua casa de
negocio a Manoei Joaquim dos Santos Oliveira,
cuja firma ser dora em diante Coelho &Oli-
veira.
Mamangitape, 22 ele mareo de 1869.
Iijnacio Furtaram d6 sitio Jacar em Agua-t'rta, ao
amanheccr do dia 10 do correntc, um cavallo ruco
pelrez, grande, castrado, tendo os ferros seguin-
tcs : no lado direito R e nusqucrdo B, foi_com-
prado em 16 de fevereiro prximo findo a Joao dos
Reis Gomes : quem do mesmo dr noticia e o ap-
prchender ser bem recompensado, diiigindo-se ao
mesmo sitio ou ra do Imperador- n. 77, 3o
andar._________________________________,
DESAPPARECEU
Tendo-se mandado da ra estreita do Rosario
para o lugar Peres da freguszia de Afogados, no
Um de tevereiro do corrente anno, algumas pecas
de mobilia, e juntamente alguns jornaes e livros,
por urna carrosa que conduz assucar dos enge-
nhos, acontece que desappareceu ou roubaram da
inesma canora, una colieccao do Diario de Per-
nambuco e do Jornal do Recife, completa, do
anno de 1808, e diversas colleccocs dos mesmos
jornaes nao completas de anno de 18G6 e 6" ; as-
im como una grande porcao do jornal furiente
ctoMercantil.de 1866, 67 c 68 : roga-se o favor,
a'quein comprou, provavclmente para embnilho,
que se digne entregar na ra de Santa Thereza n.
44, ouannunciar por est.' jornal, pois que alem
de ficar-se agradecido, se pagar todas as despe-
zas, ou mesmo alguma noticia a tal respeito.
V. O. terceira de S.
Francisco da cidade
do Recife.
f Em nome da actual aeogregacao, convido a to-
dos os nosos charissimos irmos, para que para-
mentados com seas hbitos, comparecam era nos-
sa igreja no dia 21 do corrente as 7 horas da
tarde, para o acto penitencial, de que trata a nossa
santa regra, e nos seguintes 2o, 26, 27 e 28t para
assistirmos aos actos sacrosantos da Paixao do
Senhor, na igreja do convento, c juntamente
acompanharmos as procissoes d'enterro e resur-
reico, devendo a primeira sahir as .^horas da
tarde, e a segunda as 5 horas da manha, de seas
respectivos dias por convite especial, do nosso
muito Rev. padre guardio do convento do Santo
Antonio. Secretaria 22 de Marco de 1869.
Joao da C. S. &umaraes
' Na casa n. 28 ra da Florentina, recbe-
se roupa para lavar e engommar : quera precisar
dirija-se a tratar c entregar de manhaa at as 8
e meia horas, e tarde das 4 horas em diante.
O abaixo assignado declara que nada deve nesta
praca nem i'ma-della por titulo algiun ; no entre
tanto 90 al-uciii se julgar seu cnnlor, queira de-
elara-lo para ser paj-i iin- miineiite.
Recife 1!) de marco de 1809. '
Agostinho Ferreira Jnior.
Precisa-se de um caixeiro
ra do Brura n. 65, taberna.
com pralica : na
MOFINA
Sr. Antonio Francisco Duarte e seu mano Dr.
Maximiano Francisco Duarte, venham ra Di-
reita n. S3, loja do Braga & C._______________
Os abaixo assignados, membros da commis-
so nomcada pelo Dr. juiz de capellas, para admi-
nistrar c verificar todos os negocios relativos
irmandade de N. S. da Soledade, fazern constar
pelo presente que a inesma commissao foi empos-
sada nontem, e por isso daquella data em diante
todos os negocios icare-exclusivamente cargo
della, sendo incumbido dos misteres de thesourei-
ro o terceiro dos abaixo assignados, e do de se-
cretario o segundo. Recife 2i de marco de 1869.
Dr. Joao Jos Pinto Jnior.
Jos Honorio Bezerra de Menezes.
Bernardo da Cunha Teixeira.
IjEITCRA
PELO
Dr. Abilio C. Borges.
2* ED1CO MTXH0IUPA E AUGMENTADA
A' vena na Horaria Francc/a
Esta obrinba, primeira que com tal titulo
apareceu no paiz, composta segundo um
systema .especial, abreviado, philosophico e
ameno, e muito dilferente das cartas co-
nhecidns com o nome de A R C.
Recomenda-a o fado de liaver sido adop-
tada para as escolas publicas de quasi to-
das as provincias do imperio, sendo por
toda a parte to vaiitajosamente aceita, que
em menos de 18 mezes acbou-se esgotada
a primeira edico de dez mil exemplares.
mmmmmmmmmmmmmm
0 advogado Dr. Antonio de Vas-
concellos Menezes de Drummond
transferio o seu escriptorio para a
ra do Imperador n. 20,onde pode
ser procurado todos os dias uteis
das 11 boras da manba at as 4 da
tarde, para os nistcres de sua pro- H
fisso.
mmmmm n @^^uisp
ANTONIO EPAM1N0NDAS DE j
| MELLO tem o seu escriptorio do m
I advogado ra do Queimado n. 8, ||j
al.0 andar.
AVISO
Guilhermc Augusto Rodrigues Selle, tendo *
retirar-se temporariainento desla provincia p;>ra
firn de abril prximo, iulga necessano declar
desde j, que tem constiluido, seus procuradores
bastantes no foro desta cidado aos advogados Dr.
Joaquim Jos da Fuuseca c Dr. Jos Joaquim de
Oliveira Fonseca ; c soli.-Madoivs Jos Theodoro
Gomes e Alvaro Paulo Noblato, osTpiaes teem po-
deres para representar o annunciante em juizo
durante a sua ausencia, e tambero para recebe-
rrm quaesquer intii)ac,oes c citacSes.*_______
Ka padaria franceza da Fia \ Imperatriz,
precisa-se alugar um preto- para entregar pao e
mais servico de casa.
- Precisa-se de una ama forra ou escrava para
cozinhar em casa de familia : na travessa da ra
do Queimado n. 18.___________________
Precisa-se de una ama para casa de pouca
familia, para comprar e cozinhar: na ra da Cruz
n. 15.________
BOTICA E CASA BE DROGAS
77 RA DA IMPERATRIZ 77
N'este novo estabelecimento h um completo sortimento de medicamentos, pro-
ductos chimicos, c drogara, tudo de primeira qualidade, e se vendem por menos do
que em oulra qualquer parte.
H tambem um sortimento de medicamentos bomeopatbicos, tinturas e globu
los inertes, por procos commodos; bem como xaropesde jurubeba ferruginoso simples,
vinhos de jurubeba simples c ferruginoso, o bem conhecido xarope de Paracary, es-
pecial d'esta pbarmacia. Aviam-se receitas a qualquer hora do dia, e noite, com promp-
tido, cuidado, e pericia ; nao se negam a qualquer oceurrencia em casos urgentes. O
socio gerente encarregado do estabelecimento mora no mesmo, para o que esta
prompto a abrir a porta a qualquer hora que for preciso.
r C. Catao & C.
Comida para tora
Na roa estreita de Rosario, sobrado de um an-
dar n. 3o, continua-se a preparar almoco e jan-
jar em urna casa 1e familia, e manda-se levar,
jado com proraptido e asseio.
Precisase de orn feilor para engenho
do Imperador n. 50. ___________
na ra
Aluga-*se urna escrava para todo e qualquer
servido : a tratar na ra do Queimado n. 1.
Quem perdeti na igreja de S. Francisco um
leque, procure-o do vigario de Santo Antonio.
Fugio no dia 17 do corrente o preto Alexan-
dre, do ilade 30 annos, estatura baixa, tem urna
belide em um olho.e quando falla mais apressado
gagueja, tem de costume andar pela Capunga e
immeiliaeoes do Ponte de Uchoa : qum o pegar
lero-o ra de Apollo n. 29, que so recompensara.
Mat.
I'ara a quaresiua
Na ra estreita do Rosario n. 35, sobrado de
um andar, fazem-se flores de todas as qualidades
para ornameuto de igreja, altar, andores e sepul-
chro, inclusive arcos, palmas e rosas, c tudo quan-
to for concernente aos sacros actos ; assim como
preparam-se para fra com a maior presteza qual-
quer cncommenda nesle genero ; cutro sim tam-
bem se fazern flores mimosas propinas para emei-
tar vestidos, saiotes e capacetes de anjos, e mais
barato que em outra qualquer parte. N mesma
casa se encontram j preparados e promptos a
venda o seguinte : ricos ramos de seda enfeitados
canutilho com flores de cera proprios para do-
mingo de Ramos, vellas enfeitadas ricamente, bor-
dadas a ouro, proprias para baptisados, capellas de
flores para meninas e noivas. Alem disto se cn-
cumbem do preparo de bandejas de bolos finos
enfeitadas de conformidade ao flm a que se desu-
na, quer soja para casamcnlos, rque para bailes;
fazern tambem vestidos para a quaresma ou outro
qualquer que se precisar com a maior promptidao
e asseio.
iferece-se para alguma arrumacao para o
mato um caixeiro com pratica de fazendas e miu-
dezas : quem pretender dirija-se praca da In-
dependencia ns. 23 e 2o, ou Santo Amaro a ra do
Lima n. 8._______________________________
Offerecc-se una ama portugueza para casa
de familia, para engommar, ou para casa de ho-
rnera solteiro para o servico interno de casa :
niicra precisar dirija-se a ra do Imperador n. 52,
3 andar._______________________________.
Precisa-se de um mestre de ma-seira para
padaria : na ra Imperial n. 136._____________
Koga-se ao Sr. Joao Pae Barreto, nroprie-
tario do engenho Prado, queira ter a bondade de
dirigir-pe ra "Aususta n. 63, a negocio muito
do seu iuteresse, casovenha a esta eiiade ateo
dia 5 de abril
f Precisa-se de urna ama perita cozinheira para
casa de hornera solteiro : na ra do Livramento
n. 6.
Ama
Ao publico
Anna Mara da Conceicao tendo justo c contra-
tado a armaco da taberna, sita na roa das Cinco
Ponas n. 93* livre e desembaracada : quem se
julgar com direito a ella, aprsentele no praso de
tres dias. Recife 23 de marco de 186P.
Prccisa-se de urna ama para comprar o cozi-
nhar para tres pessoas : na loja da ra da Cadeia
n. 9.
ESTRADA DE FERRO
DO
Caixeiro
Prccisa-se de um caixeiro capaz de tomar e
prestar cuntas de urna taberna por balanco : na
ra do:Rangel n. 1 se informa. ________
Quem annunciott dar sociedade pessoa
capaz que ent c com 300 para bom negocio, di-
rija-se ra da Cruz n. 18, 3 andar._________
Atteii($o
Um moco com bastante pratica de seceos e mo-
Ihados, com soffrivel talho de letra c apto a tomar
ronta de qualquer estabelecimento deste genero,
o(Terece-sc para caixeiro nesta praca ou era outra
qualquer, dando fiadores de sua conducta : quem
precisar annuncie por este Diario.____________
Precisa-se alugar um moleque para andar
com urna taboleta as ras da cidade: na loja da
Corado de Ouro n. 2. D.
Recife ao S. Francisco.
__^Q>
Na sexta-feira Santa, _6 do corrento, nao
haver trens.
Villa do Cabo, 23 de margo de 18G9.
G. O M r,i,i. superintenden'c.
O .abaixo assignado professor jubilado da ca-
deira de geographia e historia do ex-lyceu desla
cidade, autorisado pela directora geral da instruc-
cao publica, continua a cnsinar prmeiras lettras,
atim, fraHcez, rhetorica e geographia. Recebe
alumnos internos, externos e meio-pensionistas,
para o que tem as accommoda^oes precisas os tres
andares do predio n. 23 sito ra Nova, para
onde se raudou.
Affoiuo Jos de Oliveiro-.
Quera precisar de um sacerdote para tele-
brar a missa de Paschoa, dirja-se ra Direta n.
43, 2o andar.
N. 3 RA DIREITA N. 3
As pilulas, o xarope alcohlico e
o ethereo de veame, conforme a
formula do finado pharmaceutico Pa-
ranhos, assim como a pomada con-
tra as inchacfies crysiplosas, acho-
se venda, na botica de Francisco
Antonio das Chagasrua Diieilan.
3, defronte do armazem de molha-
dos denominado viado branco. Es-
tes medicamentos teem sido e sao
dos mais enrgicos agentes auxilia-
dores da natureza na debellaco das
doengas, servado de grande alivio
a humanidade soffredra, principal-
mente aquelles, que dispondo de
poucos recursos e nao podndo por
; muito tempo permanecerem cm um
tratamento talvez intil, pela inef-
cacia de certos remedios, recorrem
elles ; e por isto asss -ecom
mendados se,torno, para as pessoas
que soffrem de i humatismo, escr-
fulas, ulceras,'impigens, erjsipla,
tumores nos ossos, tosse, asthma,
amenorrha ou suppressao de mens-
truo e menstruac5o difficil, sendo
porm usados conforme a dreceo
escripta que os acompanha.
.: } \ :'-:;-T ; i i
DOENCAS das CRI ANCAS
XAROPR de RBANO 10DADO
DE GRIMAULT E C^ PHARMACEUTICOS EM PARS
Este medicamento goza em Pars e no mundo inteiro de nma lama justamente merecida, per
tchar-se intimamente combinado nelleoiodo com o sueco da plantas antiscorbutrcas. cuja efflcaaa
bem conhecida c as qnaes ja naturalmente existe o iodo. E com este movo que elle suppre
eom vantagem o Oleo de figados de Bacalhao," que deve, aerando ot homens scientificos, a sua
efficacia presenca do iodo. E' preciosa no traumento das tancas para combater o lymphatismo,
asobstruecesdas glndulas do pescoco, e as diversas erupede do rosto, to frequentes naa
enancas de pouca idade. Tnico e depurativo ao mesmo tempo, elle excita o appetite, facilita a
digesto, t restitue aos tecidos a sua firmeza e vigor naturaes. E cada dia receittdo pelos medieo
especialistas para combater as diversas affecc5es da pelle.
Deposito em Pernambuco, em casa de M-w *.
esquina
da ra larga do
Rosario.
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortimento sem igual, esquina
e vede porprepos que nenhuma outra casa pode vender. a rua largado
vista da qualidade e do pre Garantt-se ser tudo de lei. Compra-se ouro, prata e pedras*finas' por presos muito ele- r Rosario,
vados. v
A] foja est aberta at s 9 horas da noute.
MUTILADO \


I
Diario de Pnu&buco Quinta feira 25 de Marcjo de 1869.
I
MROS
MARTIMOS
rCOVTK FOGO.
A Corapauhia I.-demnsadora. estabelecind
esta praca. toma seguros martimos sobre
navios e seus carregamenius e contra fogo
m edificios, mercaduras e mobilias: aa
roa do Vigario n. i, pavimento terreo.
Trocam-se
as notas do banco do Brasil
eom descont rauito razoavel :
pendencia n. 22.
c das eaixas flliaes,
na prac da Iade-
Resta veuda uin escoihido sorBmento do ob-
jectos do uiarci noria, como scjaui, mobilias de ja-
rarcind, mogno eamarello, obra nacional o estran-
gofra, de apurado go-to e parpre^o- razoaveis :
oa ra estroita do Rosario n. 32. Nesta mesma
casa fazcm-sc eom perfeicao todos os trabalhos de
palhinna, como srjam, empalhaincntos de lastros
para camas, cadeiras e supla;.
Jcaquim Jos Oon-
palves Beltro
RA DO TRAPICHE N. 17, l." ANDAR.
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban- f
co do Minho, em Braga, e sobre os seguin-
tes logares em Portugal:
Lisboa.
Portu.
Valonea.
Guimaraes.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Cande..
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famalicao.
Lame o.
Lagos.
Covilhaa.
Vassal (Valpaasos).
Mirandella.
Beja.
Barcetios.
3E
BARTHOLOMEU ft C.
PARA USO INTERNO
P1\E I'ABA DOS SIMPLES
'Xarope de jurubeba garrafa. 1(5000
Vinlio de jurubeba garrafa. i,-5600
Pilulas de jurubeba vidro. 4 600
Tintura de jurubeba vidro. 010
Extracto liydracoolico de jurubeba. 42300
PIIEPARADOS C0MP0ST0S.
Vtho de jurubeba ferruginoso garrafa. 25000
Xarope de jurubeba ferruginoso garrafa. 1*600
Pilulas de jurubeba ferruginosa vidro. 2#000
Oleo de jurubeba vidros. 640
Pomada de jurubeba pote 64|
Emplastro de jurubeba libra. 2$o00
I'ARA LSOuEXTERNO
J. Ferrcira Villcla.
Photographo da casa imperial
premiado em diversas cxposi-
qoes
Na sua photographia ra do Cabala n.
f 8, entrada pelo pateo da matriz tira retra-
tos por todos os systemas plwtographiooa.
Em porcelana Em vidro
Em talco Em papel
CART ES BE VISTA A 9$ AMJZl.Y.
Os retratos mrte-de-visite sao collados
u cartSo de texo brislal ou porcelana,
adorados ou Irthograpbados, -quadrilongos
a vinlietas para o que existe urna varieda-
de de 42 modelos a esculla de quem se re-
tratar. Para as outras especies de retratos
temos caixinbss, passe-pai^tauis, quadros
9 molduras rlouradas e pretos cassolotas de
ouro e alfmetes simples eclhh pedias pre-
ciosas, havondo nos aifkeies urna mimosa
variedade de feitios.
O nosso cstahetecknono phntographico
est sempre em dia eom os inelhorameatos
9 progresos (jue ta America do Norte, na
Snropa eu no Rio de Janeiro se consegre
aa arte photographica, e paraalcancarmos
tal fim nanea poapames despezas ncm sa-
crificios, de sortei|ue es nossos numerosos
reguezes podem ter a certeza de que sem-
pre encontraro em oosso estabelecimento
ludo quanto a arte e a moda offerecer de
bom no novo e vellie mimdo aos am;tes
3a photographia.
lIVUilBADlE
Aos 500 pares de brincos.
Chegou e venderse no Coracao
d'Ouro, ra do Cabug, briDcos de
mosinhas coto urna franja penden-
te a uta rico desenlio o otiro de
lei, petofjcqueno prego de t'5>000
cada par. baratissimo.
A JUMTBEBA.
asta planta poje Kcouhecida como o mais poderoso touico, como um excel-
ttte desobstruente, e como tal applicada nos engorgilamentos do ligado e baco, as
licuantes prupriameate ditas, ou anda complicadas eom anazarebas, nas inlammayoes
subsecuentes as febres intermitentes ou durezas, no abeessos internos, nos tumores es-
pecialmente do utero o abdomen, nos tumores glandulosos, na anazflrcha, nas hodrope-
zias,trys!pell:is; e associada as preparaeoes ferruginosas, anda d"raMe vantagem
nas aneaias, cliloroses, faltas de menstruaro, leacorrheias dosarranjos almeos do
estomago,-debilidade orgnica e pobreza de sangue, etc.
O que dizemos alfinnam os mais distinctos mdicos desta cidafle, entre os
atraes podemos citar os Ulnas. Srs. Dr. Silva Ramos, Aquiip Fonseca, Sarment, Seve,
Penara do Carao, Firmo Xavier, Silva etc. Todos elles reeorriiecema excedencia d'este
poderoso mediamente sobre os tenais at hoje conhecidos para todos'os casos citados,
tantojque todos-s dias fszem d'clle applicai.ao.
I Apresentando aos mdicos e ao publico em geral diversos preparados da juru-
beba, tivoiaos por fim generalisar mais o uso d'este vegetal, fazendo desapparecer a
.Jl^WBBHKw'SlireP88nancia que at hoje sentiam os dontes de usar dos preparados empricos d'elle, e
de mi menino fiara caixeiro de nwi das vezes repugantes a tragarem-se, c que tinliam anda a desvantagem de nao
ser calculada a dose conveniente a applicar-se, o que torna umitas vezes mproflcuo um
medicamento, que poderia produzir ptimos resultados.
Os nossos preparados s foram apresentadosdepois de havermos conveniente-
mente cstuilado ajmubeba, fazendo as experiencias precisas para bem conbecer as pro-
piedades medicimentosas desta planta em suasrazcs, folhas, fmetas ou bagas, e
a appijcaco, lonJo alcni d'isto procurado levar os nossos preparados
poupamos esforcos, nao nos im-
Sresa-#e
una labowa, pn;feo-se um menino purtugucz
dictado ha pouco : a tratar na Tua da Cabug n.
Precisase te tuna criada para comprar
fwzinbar para uuaa s panda, paga-so bem : na
rea de titilas n. 6(5.
A pessa auo aunuiKNM teppRtiia desee-
a iralar no ese
Caileia n. .
Vinho dagestivo de
ehsssaing
ion i tsica
IM DESC0BB1MENT0 ESPANTOSO!
O xarope de fedegoso, de Pernaubuco,
preparado pelo pliaimaceutico J. de A. Pin-
to, cura radicalmente a tsica e astlima, e
todas as molestias dos pulmes.
Podem ver-sc os alteslados de curas no
iinico deposito das preparacoes de fedegoso
dcsl: autor, na do Rosario Larga n. 10..
junto ao quartel de polica.
Illm. Sr. .ioaquim d'Almcida Pido.
Braga, 2S de Janeiro de *88..Mea ami-;
PEPSINA E DI.VSTAEX. jgo, aqui clieguei eom algunas mellioras;!
Remedio por e*cellenca para cura certa Idepos de ter tomado tres garrafas do scu
das dgestoes A'Sceis ecompletas, acalmar [preparadoxafMw as dores gastralgi;as, e reparar as forras l''!j l,li<.1' porque logo que clieguei em Lis-
produzndo urna asimtilacao completa dos i l)oa> p-incipiei rom mais f a turnar o dito
alimentos; sendo ais uro exrollente tnico, j xarope, Pi' conbecer pelo mar que elle me
I fazia grande beneficio, pois vista da gran-
de quantidade de sangue sfae eu botava pela
boca, vi qm me ia desaparecendo eom ra-
pidez, depois que continu i a inm.-w o dito
xarope, e lo milagroso foi para a mnlia
molestia que boje me acho de todo resta-
blecido, e al mesmo bastante mili ido, e
poi- issopode Vm. fazerscieute ao publico
p milagre que o seu preparado oferou na
mnba enfermidade. Sem lempo para mais.
sou de VineAmigo attento, venerador e
multo obrgado.Manoel Jos Gmcdkm
Pereira.
sos preparados podem ter a
.. encontrar, a prompta e infalli-
ptorio de LeaJ & lrino, ra da velc.u|a de qualquer dos soffrimentos,que deixamos innumerados. se forem em tempo
![!lia.!)S,in-0 alm d..sso' met,'PO eu doente a vantagem de escolber nas nossas va-
j pela
omple-
--o que
como taes estao beje recoubecidos.
Para aquelles que mais minuciosamente queiram conbecer a^ propriedades da
jurubena, e saberem a applcacao de nossos preparados, destribumos gratuitamente
em nosso deposito um foilieto, onde tratamos mais extensamente d'esta planta e dos
mesmos preparados.
Do xarope Vegetal %im-r< auo. espeelalidadede ISartkolomen 1 C
34RLA LARGA DO ROSARIOU
N3o costumamos procurar attestados para acreditar nossos preparados, e dei-
xamos que sua applcacao e os resultados obtidos pelas pessoas qu se dignaram acceita-
los, Ibes deem crdito evoga; porque sao sempre os attestados considerados gratuitos,
e delles que lancamo o charlatanismo; mas, nao querendo olender as pessoas qua
espontneamente nos otfereceram os que abaixo v5o tnntciipto> os finamos publicar,
manifestando-lhes nossa gratidSo pela attencSo, esperando que venbam elles corrobora
o conceito, e acceitaco que tem merecido nosso xarope.
Barlholomeu <& C.
ATTESTADOS
Illms. Srs. Bartholomeu & G. eom a mais subida satisfaco que declaro
ser o xarope Americano de urna eflicacia extraordinaria, pois que sorendo ha dias de
intensa tosse, ponto de nao poder dorm' a noitc a despeto mesmo de medicamento
que tomava, a elle recorr e na terceira colber fui alliviado, e de todo me acbo boje res-
tabelecido eom o uso sement de quasimeio frasco: grato, pois.' esse resultado mani-
fest a Vv. Ss. raeu reconbecimento.De Vv.-Ss. amigo, venerador e obligado.Ma-
noel Antonio Viegas Jnior.
Sua casa O de abril de 4868.
Illms. Srs. Bartholomeu & CPenboradissimo eom o favor que me fizeram
de aconselhar o uso do xarope Vegeto! Americano, de sua composicao, quam'o me acha-
va bastante doente de urna constiparlo, que me tornou completamente rouco e qu*
trouxe urna forte tosse, e me impossibilitou de cumprir os mcus deveres de eanterda
empreza lyrica, vou agradetvr-iiies met completo restabelecimentb, que oblive eom um
so vidro do mesmo xarope. depois de baver recorrido a muitos tratamentos. Desejarei
que oiilros como eu recorram ao seu xarope para se verem alliviados de lo t-r.hci
ncommi:, to fatal neste paiz. Com maior considerado contino a ser de Vv. Ss.
attento.-^fenerador e obligado.Luiz Cremona.
Recfe, 2a de setembro de 18(58.
Illms. Srs. Dartbolomeu & CO xarope Vegetal Americano que Vv. Ss. tecm
exposto venda de toda eficacia para o curativo d'astbma, confoime obserfei appii-
cando-o a meu tilho Joaquim, menor de quatro annos; victima d'esse flagrllo, qu>- at
entao por espaco excedente a dous annos havia resistido a outros xaropes de gianda
nomeada. Queiram. pois, Vv. Ss. aeceitar a express altamente sincera de meu reco-
nbecimento ao meritorio servico que Ihe prestaram com o indicado xarope. acreditin-
do-me para sempre de Vv. Ss. criado, attento e obligado.Americo Netto de Mtndonca.
Recfe, 2 deoutnbro de 18C8.
DE
DE
.1. YIGNES
Deposito geral de todos os preparados
.Rolea e drogara
3iRa larga do Rosario34.
DO PEITO
VEIVBK-SE.
PHARMACLV DROGARA
DI
Bat'tltelomcti & .
34RLA LARGA DO ROSARIO*
Alvaro tiehV* CavaliHB tem escript-
rio de.advooaeia ra da camboa do
CaruiOTi. 8. i- andar, onde pode ser pro-
curado pura es inisteres de sua profissao
m
Prei-isa-se de um caixeiro
do Terco n. 03, paitan ;i.
Giixeiro.
a tratar no pateo
Criado.
Prccisa-.sc de um criado : na ra das I.arangei-
ras n. 29. hotel coiumereial. .
tu
XAROPE d'HYPQPHOSPHITO de CAL
A efflcacia d'eiita preparaco est estebelecida desde 4 857, pelos mais celebres mdicos. Desde
eniSo muitas mitacdes tem sido feitas, mas nenhumapoude susteular a comuaraco com o
producto apresentado pela nossa caza. Por isso eacitamos o pubUco para trae exiea semnre
fratcoar0Pe Cm "ma trde n58a' DUDCa bnUM5a' C COm D0Ssa assin*lura roda do
Sob a sua influencia, a tosse acalma-se, os saeres nocturnos cessio e o doente volve rpida-
mente A saude. 0 seu empreeo d lambem os mais brilhantcs resultados nn H.n>,TA L<*r.
'"los, broncniles, irritaces de peito. etc.
-Deposito em Pernambuco, em casa de
nos defluxos, catar-
N. 53RA DO IMPERADORN. fe.
Os pianos desta antiga fabrica sao boje assz conbecidos* para soja recessario
insistir sobre sua superioridade, vanlagens e garantas que offerecem aos compradores,
qualidadcs estas incontestaveis, que elles tem delinitivamente conquistado sobre todo*
os que tem apparecido nesta praga; possuindo um teclado e macbinsmo que obodocem
todas as volitados c caprichos das pianistas, sera nunca falhar, por serem fabricados
de proposito e ter-se feito ltimamente melboramenlos importantissimos pata i clima
deste paiz; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas e por isso inulto agradavek aoi
ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como nado Sr. Blon-
del, de Pars, socio correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premia-
dos em todas as exposicoes.
No mesmo estabelecimento se adiar sempre um esplendido c variado sorli-
mento de msicas dos mclbnras autores da Europa, assm como harmnicos e pianoi
harmnicos, sendo tudo vendido por presos toamiodose razoaveis.
Joaquim Jos Ramos
ex-soco da casa dos Srs. Oliveira Fimo A
C, faz sciente ao respetavel publico que
nao se entende com elle a fallenca aberla
pelo juzo do coiittiiercio dista cidade, e de
que trata o edital de 19 deste mez de marco.
Recfe, 20 demarco de 1860.
___________ Joar/nim Jos Ham s.
Da-be a juantia de l:300< a juro brcliv"-
poieca em casa do doblado valor, livra e de*em-
baracada : quem pretender pt'ide dirigiro a ra
aova de Santa Rila u. 34, que dir queni da.
Des.!ja-so fallar ao Sr. Manoel da Sika le
doea Vianna, por issn roa->e-lbe o especial a-
var de dizer por este jemal a ra e numero da
casa ond- mora.
Ama
Prccis;i-.se de urna ama de
Senzala Veiha n. lia, 1 andar.
leite
i ma da
Attenoao.
Joaquim de Sonza Silva Cunta, administrador
da massa fallida de Silveslfo Pereira da Ganda,
fazciente a todos os.credores da dita masoa que
noppazo de 8 dias, devino apreseniar seus titnlo?
afiat de ser eumprido o qae dispa o art. 899 do
3*so commer-eial, o isio na rua nova de Santa
Rttajn^Jj?. sobrado de I andar.
Para Mamanguape est -carga na cscadiTii
*ara o porto cima a barraca Aiujeltea de Lima,
o lotago de 4:0# arrobas, a qtial seguir via-
om ate i) liai da remana; os seoborea carri>4ui-
4eres podem dirigir-se ao mostr da mesma, Clau-
dinoJLuiz dos Pas^i, no mesmo lugar.
Illm. Sr. Joaquim d'Almeii Pinto.
Ha muto que ouvia proclamar as exc*l-
lentes propriedades do jarope de fedegoso
contra a tosse e asthma, e soffrendo eu de
urna-tosse pertinaz, e tendo usado do toda
a sorte de medicamentos, val-me pois do
xarope de fedegoso, o urna garrafa somen-
to foi bastante para restabeleeer-me, c me
vejo to robusto como d'antes; suecum-
biria de corto a nao ter usado seu xarope
de fedegoso.
A' vista disto nSo lenbo expressoes
com que exprima a V. S. a gratido de que
Ihe e devedor, o de V. S. attento venerador
e criado
Joo da Costa Reg.
'i Illm. Sr. Joaquim d'lmeida Pinto.
Tenbo a ventura de communicar a V. S.
que gracas ao maravlhoso xarope de fede-
goso, eston com o meu cscravo Jorge com-
pletamente restabelecido da molestia dos
puimoes, que ha tanto lempo o persegua.
< Aceite V. S. esta mnba declaracao
como prova do meu reconbecimento pelo
bem que V. S. acaba de fazer-me, e cuja
recordado .ficar internada no coraco do
De V. S.
Aliento venerador e criado
liento Joaquim Gomes.
BARATSIMO
Calcado nacional, na fabrica de Jos Vicente
Uodinio &('., rua doJardim u. 19, avisaoi aos
seus reguezes desta capital c do interior, quecon-
liuuaui a l-ibricar calcado em alta osala, e ulle-
recona as melhores condicoes, tanto em proco cuino
-ni i|ialidade. Os propietarios deste estabelooi-
ineiito cbanam a aUeneao dos souhores consumi-
dores do interior, que os quizerom honrar com
sua freguezia, especilicando em seus pedidas a
(uaiidade e aamera^ao.oTereceodo-se para os en-
tregar bem acondicionados em casa le seus cor-
respondentes nesta praea.
Frederico Baia
Cirurgio dentista pela escola
de niediciua
do Rio de laueiro.
Tem a honra de participar ao respetavel publi-
co desta capital e seus suburbios, que tem aborto o
seu gabinete de consultas e operacoes dentarias a
rua Direita n. 12, primeiro andar, onde pode ser
procurado todos os dias das 8 horas da mant'.a as
3 da tarde. El!e acha-se competentemente habili-
tado para com perfeicao colloear denles artiQciaes
por quaiquerdos syslemas, e bem assim desempe-
rnar qualquer outro trabalho concernente sua
profisso. O mesmo, reconhecendo que nem sem-
pre pjssivel s senhoras ou enancas saliirem a
proct;ji-o remedio, offerece-se a remover qual-
quer obstculo, declarando que na cidade se pres-
tara a qualquer chamado sem que issoinflua eotua
alguma na commodidade dos procos de seus traba-
mos, equaudo para fra della assim mesmo ser
precedido de um ajuste rasoavel, garantindo elle a
seguranza e perfeicao de seus ditos trabalhos. Em
seo gabinete se encontrar constantemente excel-
lentepos dentifricin, elixir e outros medicamen-
tos odontalgicos : rua DireiU n. l, primeiro
andar.
GRANDE HOTEL
Inaugurou-se este commodo e elegante
estabelecimento donde os seus frequenta-
dores podero apreciar a especialidade na
confeccao dos gneros alimenlicios.
As bebidas sao as mais primorosas re-
commendadas.
A decencia e bom servico prmam n'esta
casa no bello gosto oriental.
Mandam-se domicilio comedorias, tanto
a\-ulso, como por assignatura mensal. Os
precos sao mdicos e convencionaes.
Ha urna espacosa e bonita sala para o
elegante jogo de bilhar.
Ha tambem aposentos commmodos e bem
mobilhados para hospedagem.
Rua larga do Rosario
n. 44.
RLA LARGA BO ROSARIO .137
Este acreditarlo estabelecimento augmenta
de dia em dia quanto possivel para che-
gar ao cume do bem viver.
Al.'in ilus saborojjs manjares jonieccio-
nados com o mellior asseio, tem bellos apo-
sentos de hospedagem, tanto para urna s
pessoa, como para numerosa familia.
A agua, indispensavel elemento para a
GIIARLTERIA E PETIT RESTALRANT
Aunexos ao Hotel Central, rua estivita do
Rosario n. 4 A, andar terreo.
Para dar a coidiecer a variedade infinita
de-charutos de llavana, Babia, lo, etc. que
existen neste novo estabelecimento pres-
cindimos dos annuncios pomposos que ge-
ralmente se fazem, redutindo-ims apenas i
tres letras que s5o tres bbb Lo'in, bonito e
vida e bygiene, temo-la.sempre em abun- [ barato. A' vista do genero annunciado po-
daucia para facilitar excedentes bauhos. de-se julgar de nossa veracdade. Kstaeasa
Ha tambem urna boa bibliotheca e perio- gosa tambem das condicoes de um elegante
dicos nacionaes e estrangeiros, piano para e petit restaurmU onde se pode ver a es-
recreio, buhares, etc. etc. pecialidade dos fiambres e salames de Lioa
Sendo ociosa qualquer recommendacao para lanches e at fazer urna boa colaclo,
para to acreditado cstabelcomento, omit- juntamente com os principaes vinhos do
timos mais prembulos, fazendo ver por mercado, sobresabido entre o bom a pura
fim,_jue o bom servico, ordena e moral da- e fervente champagne, o mu saboroso Rhe-
de imperam n'esta casa, como observancia uo, a primorosa cerveja, o licor espirituoso,
liel do regulamento que pOMM.
Comedorias a la carte.
o quanto pede urna mesa. Faz-so nouta
soneto e variedade de refrescos.
FRANCA-BRASIL
O
MR. MERCIER, alfaiate francez, previne ao respetare! publico e a seus numerosos freene-
zes .rae, tenda transferido sua residencia para a rua do Trapiehe n. 7, primeiro andar, ahi encontraro
sempre todas as qualj'dades de fazendas para trajos de homem, e prepara costumes para montara da
senhoraji|Faz tambem obras para militares epan criados, para as quaes tem gramle sorlimento da
ootoes simples, com v-ola o cora de conde, brancos o amarellos. Recebe por todos os vapores
ltimos hgurinos para homem, senhoras c meninos.
Aluga-se
L'ma preta escrava qne esteja aeostumada a ven-
der bolos pelas nas : a tratar na rua do Vigario
o. l'i.
PKIHEiO
Na rua da Coiieeicao n, O precisa-sc-de ama
5>ara .vn'iijo interno.
Para eoziuha
Precisase de urna escrava que cozinhe ben>
a rua do Crespo p. i.
Preeisa-se de um moleqwo para urna ca-
iangeira : a tratar na rua do Commercio u. 3,
CURA DOS CALLOS.
PELA
Pomada galoupeau.
Deposito especial
Pharmacia de Bajtholomeo & C.
34-----Rua larga do Rosario-----34.
Illm, Sr. Joaquim d'lmeida Pinto.
Cumprindo um dever de gratido partici-
po a V. S..que, por meio do seu abencoado
xarope de fedeytso, est perfei lamente res-
tabelecido dos seus longos sofJVimentos o
meu eseravo,
Como sabe, este meu escravo tinhal 1>recisa's ^um ^a para enpommar e cozi-
cltegado ao estado mais .afflictivo da moles- da'- d- Boa"' 3la' tabentt
MA
Pede-se ao Sr.*Manoel da Costa Pereira, prati-
caute da repartio das obras publicas ora em
Jaboatao, que comparoca rua Augusta sobrado
n. 102, am de saldar o seu debito ou pagar o
que poder c isto com brevidade.
Fundico da Aurora.
Neste vasto estabelecimento sempre se encentra
um completo sorlimento de tahas de. ferro batido
e fundido, fabricadas recent emente, e se fabrican)
de qualquer molde a vontade dos compradores, e
roaos rnzpoaveis
Tendo montado urna completa oflicina i-aiu mncrmo e afinacAo dk pi\nos
tendo contratado para o mesmo fim o experimentado contra-mestre Sr. A. RastouB
chegado da Europa pelo ultimo paquete,tem a honra de recommendar este seu estabele-
cimento s Exmas. familias Pernainbucanas, promellendo promptido e perfeko no
ti anallio.
Rua Formosa i. 14
-f andar.
MATRIZ I Lit
Na qumta-feira santa, haver pelas 10
horas da manlia, missa cuitada para a
exposico do Santis simo Sacramento, o qua I
licai solemnemente exposto adoraco
dos liis.
Ama de leite.
Preeisa-se rta urna ama de leite, Rralili-
ia-e a quem leva na rua do tapera-
de o. 83, 3 andar, e tambem de urna para
cosinbar.
ta de pulmoes; nao obstante um n
terrorapido uso de remedios, e urna demo-
rada viagom ao nosso serto.
Pois bem: a enfermidade, que se ha-
va tornado rebelde a todos os meios em-
pregados para combate-la, cedeu, de urna
manera quasi milagrosa, a quatro garrafas
apenas, do seu fedegoso
Hoje, gracas a Deiis, tenho o meu es-
cravo restabelecido; e nao fcil mostrar
todo o reconliecknento que sinlo pelo bem
que V. S. me acaba de fnzer.
Sou de V. S.
Caada agradecida
liara Norberia clw/fer.
Continuadamente se nos apresentam no-
vo* testemunhos. da eflicacia do fedegoso
de Pernambuco I
esquina, oitao para a igreja.
Attenpo
Manoel Augusto de Menezes Costa, pro-
fessor de msica, contina a dar licoes de
sua arte, tanto vocal como instrumental.
em casa particular ou em algum collegio;
assim como tem aborto urna aula na casa'
de sua residencia na rua da Palma n. 53
Aiugam-se
l*uas canas terreas sitas no Mauguinho a margen)
do rio, rccouunendaveis pela commodidade da
via-ferrea ; a tratar na rua do Vigario n. 31.
Preeisa-se de urna ama escrava ou torra, de
bonscostones, que eomihe bem-: a tratar em
urna das casa* de azulejo da rua do Sebo n. 38, ou
na rua Nova, loja n. 47.
Precisa se de urna ama eaerava para con
nlw e lazer conjpras : a tratar no Corredor do
Hispo n. 23.
Alugain-se
portees da trav
Boa-vista : a tra!
s meia-nguas na entrada des
Barreiras, no bairro da
roa do Cotovello n. 23.
Joo da RocnFeSilva, ae^wiante estbale-
cido nesta cMada, reKr-se para Europa, ficando
Casa de commissoes e
cpnsignapoes em
Lisboa.
A casa bancaria de Ruiz Arellano A C, enjo ca-
pital daris 200:000*, noeda forte; recebe
consfBaCoe's de frutos e producoes do Brasil, so-
bre os quaes faz importantes adiantamenins em
mdicas condicoes. Para inforinacoes, a tratar
com Jos Mana Palmeira, no largo do Corpo Santo
n. 4, I andar, escriptorio.
DO
Em casa de THEODOR CHRIST-
ANSEN, rua da Cruz n. 18, encontram-se
effectvamente todas aa qualidades de vinho
Bordeaux, Bourgogne e do Rheno.
enearfteidp do* seus upgocios com relacao a lina'
de miudezas 4a rua do Queimado n. 3l A, c seu
soco M; Alvea.Le.sa e a seu aIMgo Manoel
ioaquim fflfcoim: nm negocias d# armezem de
miudezas da roa da Cadeia n. 38 : aos Srs
Matheiis Fe reir, Lourenco Alves Saladar Junior
e Alfredo Jos Antunes Guimaraes para responder
a responsabilidade do armazeio de reeolher baca-
ni'l'L1'0 ** da alf% ao Sr. Mtonjo Jos
Dantas.
Iruiandale dasahnas na ma-
triz do Corpo Santo.
De ordem da mesa regedora sao convidado to-
dos os irn-aos desta rrmapdade paraassisiiicni aos
actos da semana santa qne tem de eeiebrar-so na
matriE do Corpo 8.into no dia 2 do presente, a^
G horas da tarde, no dia 28, as 6 horas damanhaa.
e no dia 4 de abril (domingo) as 6" da inanhla para
aconipanhar o Santissimo Viatico aos enfermo*. E'
para desta forma correspondennos ao convite Coi-
to pela irmandade do Santissimo Sacramento da
mesma matriz.
O escrivilo.
I I. Lima Bairao.
BRASIL E PORTUGAL
Se for bom.
Pagar-: ,nj moltjqne ijne so'pretende
alagar : na m t, 4 andar.
~ ''"""-se do uuianwll^.leiiiaia'idartee i ud. ~
SilT SP"a .*?"** fa!?r :.""pa- A*-8* J'; ""' "ado proprio para o servico
bu a urna senhora ; a tratar na rua da Viraeio de um aitio prximo desta cidade: trata-se na roa
n' ^ I estreita do Rosario n. 28 at as 3 horas da tarde.
Situado em um dos bajeros mais x#ntraes de Paris, sendo nas Immediacoes do*
principaes theatros o outros muitos divartimentos, e assim das eslacoes dos caminbos de
f.rro para lodos os pontos da Europa, acabado de ser inteiramente renovado, nao aa
tendo rjuupadoo seu novo proprietaiio a despezas para seu completo embellesamentea
aceio, torna-se portante vantajosamente recommendavel aos senbores brasileiros e por-
tuguezes, a onda encontraro sempre aquella convivencia desejada em paiz estranho,
por ser constantemente frequentado por seus compatriotas. O tratamento superior
todo o elogio, mesa redonda, ou a prta, ou servida nos aposentos; habitaces conve-
nientemente despostas para familias, e quartos para urna s pessoa, o servico feito
com a precisa regulndole : os precos muito rasaveis eao alcance tambem d'aqueiai
pessoas que se queiram limitar.
Gabinete de leitura com os principaes joraaesdos dous pai2es, salao de recepclee
de msica, etc. etc. T is vantagens podem ser applicadas igualmente aos senbo-
res ptwsageiros das repblicas do Prata, poi inda scmelhanca da lingua, aii es-
contraro muitos senbores bespanhoes, por quem tambem esta casa bastante fre-
quentada.





Diario de Pernambuco Quinta feira 25 de Marco de 1869.

lEMPRESTIMO SOBREN
(SEM LIMITE.)
Na travcssa da na
das Cmzes n, 2, pri- i
inciro andar, da-se qual- 5
qiier qiianliii sobre ouro.
prata c podras preciosas. 8
O dono deste estabelecimento, jg
competentemente autorisado pelo
governo, est as condiges de ga-
rantir a transacfSo que se fizer em
sua casa, prometiendo todo e zelo
e considerarn as pessoas que se
dignaren* de honra-lo cm seu esta- 2
beleci ment. B
Na mosma casa comprtf-se ouro, m
B prata e brilhantes. H
wii-sras mmm mwmm
Veneravel ordem ter-
ceira de N. S. do Car-
ino do Recife
Convite.
Pela secretaria desta veaeravel ordeto sao con-
vidados todos as n sos cbarissiutos rmSos h as
-isiir.-i liujo as 11 horas da nmtkSa, paramenta-
dos com seus hbitos, araissa da expo9i?3o 3o
SS. Sacramenta na groja lo nos venme/
ordem.
o secretario,
Joaqoiui Xavier Vieira Ligo.
PEAS.
Com muilo nuiior vantagem
Compra o Carasio de Ouro, n. 2 I), ra do Cani-
ja, moedas de ouro e prala B pedias preciosas.
Ouro e, prata
em moeda e em obras euitilisadas, compra-se por
Som preeo : na praca da Independencia n. 22.
.Na ornea dahidopendmcia a. 33, lojadeou-
rives, compra-so or.ro, prata, o podras preciosas,o
ataban so Caz lualqiior obra do oueoiRiiiCEJa, c
todoe ojaatqner csflcerto.
Comp]
jra-se
I'ih preto ooziabeira do 13 a 18 anuos : a iralai
na casa da na da Cruz n. 19, I" an I t
O muzeo de joias
Na roa do Calinga 4 eompra-se ouro, prata
i pedras preciosas por pneos mais ventajosos do
^iae em outra pialipier parlo.
Compra-se
hoje libras esterlinas, ouro o prata de todas as
uaces epor maior proco do que era entra parte :
ni roa da Cadoiado Recife n. 88, lujado azulejo.
OlO RM
Compra-se moedas de ouro c prata e
bem como libres sterlinas, na ra do Ca-
bug n. 0. reluje-aria.
Compra-se moedas de ouro c prata, beta
>'i.mo libras -sterlinas por mator prego que
em owtra parte, na ra'do Crespo -n. 10
Io, andar.
C.imi|MM-s.' ama casa terrea na cidado de
Olinda. \ to soja pe piona e i|iie hr.lia quintal < a
carimba : a tratar na ra da Boa llora, casa ter-
rea contigua a taberna do Sr. Jos Domingos
VENDAS,
Os poneos-ejemplares que nestam das pro
lecijo&.! de direito interna ional, e do diplomacia
com-a legislacaowiria. pelo l)r. Antonio de Vas-
ooBCetlos Mbaezcs do brummoud, acham-se ex-
postos venda s ritas do Imperador n. 71, loia
de eocadernacio do Sr. Paula Montiro, e do Cres-
pa n. 9, livraria francozn.
Vendem-se 2 lioas esciavas insignes engoo-
madeiras o cr.zinheiras, 2 h mitas muinbaiidas de
idade 46 a 18 ames, eom boas habilidades, 1 ex-
folente cozinheiro o copciro, deidad'.' 22 annos,
1 esrrava propria para engenlio e boa lavadeira,
l mulera di-idade.-t'J ar.tui eorflffj: na tra-
vessa do Carmo n. i.
Tinta rxa de Mon-
tiro.
Vendse tinfa rosa de Montiro para eserever:
na loja de calcado do sobrado amareiio da ra da
Cruz n. 21.
T
tVJJJ
Por 6Ot>Oo0 urna cri'Miiinha de 9 annos, do muito
boa moral e saudc : na roa da mpe airiz. loja
n. 28.
Vende-se a armaclo o pertenees da tan inta
da ra l>ireia n. ,'iO, propria para faatyner ne-
gocio, a.viiui ".oo tatnbeui se vende tima (tita en-
vern na mesma casa: a tratar na ra da Peoha nu-
mero 8.
Vende-se um piano de mesa, propria para
aprenderse : mwm pretender dirija-se a trav.vsa
de S. Jos o. ti.
Vende-se urna armacao de taberna onvidra-
cad* e envenii<:i vello, esquina da de S. Omcala, comprehendendo-
se era dita arsnaco, -earteira. faz e mais commo-
didadon para Mi iililWInriinriti de-la ordem, ga-
ranlindu-se a caa em que est jolloeada : a tra-
tar com o Sr. Thaoai Francisco Salles lionas em
sea armxzem de molhados.__________________
Vendem-se cortes de laas que aerpeni tanto
para senhaca cumo para eriancas, polo barato
prego de 2 a : aa rua io (ju* i otada n. 29.
Penuas de em.i.
Vende-se rua do Qiieiroadi n. 13, orimeiro
miar.
Cera de carnauba
Vende-se na rua do Quciinado n. 13. primeiro
andar._____________^^
Vende-se um preto por preQu modko: aa
rua do Pilar n. 118.
PEIXE ECONMICO
PAI1.M10JE E AMANH.U.
O Campos da roa do Imperador n. 23
Vendo :
Latas com salmn (grandes) a 1*600
Ditas com dito (]et|ueiia.s) a 4*000
Ditas com lagos (arando-) a i
D tas som dita (pe pionas) a 800
Hitas eom peixe portuguei de ilive:
lldales a 120|H
!> i:
Convida a ao publico om goraj,
a vtrem noaon eststMtW. toa do fin
dor n. 38, mvrr^e de iguarias linas cora que
possam recl
DOMINGO DE PASC1I0A.
GRANDE LIQUIDACAO
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DO
DE
Flix Pereira da Silva, successor de Gama
& Silva
0 proprietario d'este estabelecimento convida ao respeitavel publico desta ca-
jital a vir surtir-se no grande estabelecimento que tem de fazendas, tanto da moda como
le lei, e as pessoas que negociara em pequea escalla, tanto da praca como do matto-
esta casa podero fazer os seus sortimentos era pequeas e grandes porcSes, venoen-
to-se-lhes pelos precos que se compram as casas inglesas ; assiracomo as excellentis,
iimas familias, poderao mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou mandare-
nos levar era suas casas pelos nossos catxeiros, para o que acha-se este estabelecimen-
to aberto constantemente desde s 6 boras a manhaa As 9 da noute.
0 atoalhado do Pavo
Yendc-se superior atoalhado de algodao
ou 8 palmos de largura, adamascado a
1-5200 a vara; dito de linlio faeenda muito
superior a 35200 a vara ; guardanapos de
inho adamaseados a 45300 duzia e muito
inos a 8^000, e ditos econmicos a 35500
t duzia.
Fnstes para vestidos
MHML
Vendem-se os mais modernos fustoes hran-
;os flexivflis com pedios de listas e de
lpicos proprios para vestidos e roupas de
:nenino a G40rs. o covado, na loja e arma-
sen) do Pavao rua da Iiiiperatrizn. 60, de
Flix Pereira da Silva.
Grosdeaapies
Chegou para a loja do Pavo pelo ultimo
varpor um grande sortimento dos melhores
ijrosdenaples presos e de cores, tendo verde
tambera, que se vendem mais barato que
im outra pialquer parte.
BABADINHOS
Vendem-se finissimos babadinhos, tiras
bordadas c entremeios, mais baratos do que
ra outr* tpialquer parte, assim como espar-
ilhos dos mais modernos, no armazem de
Flix Pereira da Silva, rua da Imperalriz
i. 60.
ALTA NOVIDADE
A LOJA DO PAVAO
Gurguro de seda
Cbegaram pelo ultimo vapor os mais bo-
AS CAMBBAIAS DO PAVAO
Ve;tdem-se liuissiraas pegas de cambraias
lizas transparentes tanto inglezas como suis-
sas tendo mais de vara de largura, petos
procos de y,-)000 at 105000 a pega, assim
como finissimos organdys branco liso que
serve para vestidos de bailes, por ser muito
transparente a 15000, a vara, na loja do
brancas! Pavo rua da Impcratriz n. GO, de Fciix Pe-
reira da Silva.
Alpacas tarradas
Chegaram pelo ultimo vapor as mais mo-
dernas alpacas lavradas com as mais lindas
cores, que se vendem a 15000, o covado,
ditas lisas tendo tambera cor de canna a
800 rs, ditas raescladas muito finas a 1:200,
o covado, e outras muitas fazendas de gosto
e moda que se vendem mais barato do
que cm outra qualquer parte, no armazem
do Pavao, rua da Imperalriz n. 60. de Flix
Pereira da Silva.
Eloupas para honieni
Vendem-se superiores palitts de panno
subrecasacos forrados de alpaca e de seda,
camisas inglezas e francezas com os petes
de esguio, ceroulas francezas -de linlioe al-
godao, metas croas inglezas superiores, ca-
misas de llanella e de meia de I3a, assim
como neste estabelecimento existe um grande
sortimento de pannos pretos, e de casimiras
inglezas de cores, e que se manda fazer
qualquer obra a contento dos Srs. fregae-
zes, e romctte-se-lhes que serao servidos
cora a maior promptido e muito mais ba-
jitas gurgures de seda, proprios para ves- rate ,j0 qUe" em" outra tpmhptr parte
dos, sendo lisos olawadinhos, com muito na n,a da Imperatriz n. 60,de Flix Perei-
ustro, garantHdo-se que a fazenda mais
inda e de mais phantasia que este anno tem
raegado a esto mercado, e vende-se por
preco muito razoavel, na rua da Impcratriz
a. 60, de Flix Pereira da Silva.
GROSDKNAPOLES PRETO A QUATRO
PATACAS S O PAVAO.
Vende-se grosdenapoles preto de
jnalidadc pelo barato prego de 15280 o co-
vado, so na loja e armazem do Pavo, rua
la Impcratriz n. 60 de Feliz Pereira da
Silva.
CAMMtAIA BRANCA A 3500.
Vende-se- pegas de cambraia branca
transparente, com 8 e meia varas pelo ba-
rato prego-do 35300, ditas muito finas tanto
tapadas como transparentes 4500, 55000,
55300, 75800 e 85000, assim como organ-
li muito lino tanto lizo, como de listas e
piadros na toja e armazem do Pavo rua
la Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da
Silva.
ALPACAS LAVRADAS PARA LUCTO.
Vende-se na loja do Pavo, as maismo-
lernas alpacas iavradas para lucto, sendo
muitolargflsepelo barato prego de800rs. o
aovado, s na loja e armazem do Pavo, rua
la Imperalriz n. 60 de Flix fereira da
Silva.
Cassastuglezas a -1 -IO rso nac*ro
Vende-so urna grande porgo de bonitas
;assas inglezas tanto graudas costo miudi-
ra da Silva.
Cortinados
Para camas c janellas.
Vende-se um grande sortimento dos me-
mores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas para janellas, que se ven-
dem a 125000 rs. cada par at 230000 rs,
1 isto na rateada hnperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
Cretonc para lenices com 10
palmos de largura a 2$,
Acaba de cliegar esta nova e excellente
fazenda branca propria para lences de um
s panno, garantindo-se que um metro e
urna quarta ou um metro e meio d um
excellente lencol de um s jianno, assim
como esta boa fazenda tambera muile
propria para tonlrras de meza, rosloefc. e
outros mystercs e vende-se pelo baratissi-
mo prego de 24 cada metro.
MOCAMBIQUE PARA VESTIDO A 300 RS.
Chegou para a loja do Pavo um elegante
sortimento dos mais bonitos mogambiques
proprios para vestidos com as cores mais
modernas e que se vendem pelo barato
prego de 300 rs. o covado.
ALPACODE CORDAOPARA VESTIDO A U
ROUPAS FEITAS
Na loja do Leo da porta larga
PAREDES PORTO.
Rua ta Imperalriz n. 52, junto aloja deourives.
N'este estabelecimento se < neontrar rua da Imperatriz n. 32, loja do Paredes
sempre um completo soitimnilo de roffpas Porto.
feilas de todas as quididades. Como se- Neste estabelecimento encontrar o respei-
jain: paletots de alpaca, de merino, de lavel publico um completo sortimento de
caseraira, bombains de panno preto, fra- fazendas e roupas que. se vende pelos pre-
ques c sobrecasacos de brins de cores e eos seguintes :
pardos. FAZENDAS PRETAS.
CALCAS E COLETES. Completo sortimento de fazendas pro-
Tem sempre no mesmo sentido um sor- prias para a quai esma, como sejam: gros-
tmento completo a preeo commodo. de-naples a 25, 25300, 35, 35300 o cova-
CAMISAS E SIROULAS. do, moreantique de diversas quali lades
Encontrar sempre o respeitavel publico a 24200, 25 0() e 25800 rs., sortimento de
um bonito sortimento de todos os nmeros, alpacas pretas o de cores de 300 rs. at 1 MEIAS CRIAS. p'incza, mirin de diversas [utilidades.
Sortimento de todas as qualidades, de I FAZENDAS BRANCAS,
35 a 55. assim como tambera sortimento Madapolo de diversas qualidades e prc-
de lengos de linho brancos e com barras eos commodos, cambraia de 8*9800 10500
do cor, chinezes, bonitas grvalas pelas e e 55, ditas victorias de i-.'iH0a 125, pegas
de cores. Rua da Imperatriz n. 32, [mi-
ta larga.
PARA ACABAR.
Urna grande porco decaigas ordinarias
para trabalho a 640 e 800 rs. cada um par,
pechincha na loja do Leo junto a loja de
ourives.
GRANDE PECHINCHA,
Cassas lie aires a 160 rs. o covado, na
160 RES O COVADO
Chita preta pelo barato prego de 160 o
de eassa liza o mais lino que ha no merca-
do a 95, 105, 125. com 12 varas, e vara
de largura
SEDAS DE LIS TRAS.
Recebeu-se um bonito sortimento d'estal
fazenda que se vende a 25300 o covado.
CHITAS.
Vende-se chitas escuras a 280, 300, e
j-20 rs. o covado.
(ilARDANAPOS
Vende-se esta foi da de linho, fazenda
covado na rua da Imperatriz n. JB2 na loja boa a 45000e 54000 a duzia.
que tem um Leo pintado.
PANNO DE LINHO
Paredes Porto receben um sortimento da
pannos de linho, com 27 varas a peca e
175000 e 185000, na rua da Imperatrian.
32,junto a loja de ourives dj porta larga.de
Paredes Porto.
LENCOS DE LINHO
Vende-se lengos brancos de linho a 35,
a duzia para acabar na loja de Paredes Por-
to. Rua da Imperatriz n 32 loja da porta
larga que tem um LcJo pintado, do Paredes
forte.
HEIAS PARA nOMEM
Sortimento de meias inglezas para ho-
rnera a M800 ii)S!H (-(issoo fazenda boa.
THOALHAS
Sortimento de toalhas de pelucia a 11 5
a duzia.
LENCOS BRANCOS a 25200
Para acabar lencos de algodo a 2200
a duzia,
25000
Vara de bramante de linho superior e
tem 10 palmos de largo.
No armazem do Le3o, rua da 'Imperatriz n. e 32, junto a loja de ourives.
FAZENDAS PRETAS
PARA A QUARESMA
>T0 & G.
lina do Qucimatlo n. 11
Receberam directamente da Europa as mais superiores fazendas pretas espe-
rtes para a qaaresma, as quaes esto vendendo pelos mais mdicos pregos em vista
a superior qualidade de ditas farendas.
AliTA XOTIDADE
Basquincs pretas de renda, verdadeira novidade, para senhora.
Gorguro preto de seda liso e cora listas assetinadas para vestidos.
Gcosdenaples preto largo estreito de diversas qualidades havendo neste ge-
nero o que ha de melhor.
Basqaines de croch pretos, ditos de seda preta com cintos delicadamente en-
feitados, elegantes peplums de seda preta, fichos pretos de renda, modernas capinhas
pretas de renda e superioras vestidos de gorguro preto bordados.
A loja b. U da rua do Queimado k-m sempre o melhor sortimento de tapetes,
alcatifas e
Esleirs da India para forrar salas.
Chegou esta nova fazenda com o nome
nhas ede aires fixaspelo barato prego de Ue a|paco, sendo de cordo e com mais
UO rs. ometro.garendo-se que 7 metros, j |argura 0 que a aipaca! com M ffias |n-jas
lo um vestido para qualquer Sra. s na C6res, como sejam Bismark, lyiio, perolas,
loja do Pavjo rua da -Imperatriz n. 60 de
Flix Pereira da Silva.
Bareges a 400 rs.
H* na loja 4o Pavo
Se vendem as mais Itonites barones transparen-
ies, proprias para vestidos eom listrinhas a mita-
;ao de listras de seda, e vendem-se pelo barato
proco'fle tm ertuadocada um covado, oaicamen-
to na loja o armazem do Pavao, rua da Impera-
triz n. 60, de Flix Pereira da Silva.
Grande pechtucfia para
<} ti a rea nta.
a
VESTIDAS PRETOS A 435000.
Vende-se superiores cortee de vestidos de
ida preta lavrada, sendo fazenda tauito
eao)rpada o muito moderna, pelo barato
proco do 455, nicamente na loja do Pavo,
rua da Imperatriz n. 60, de Flix Pereira
da Silva.
COLCHAS PARA CAMA A 55000.
Vendem-se colchas de fusto adamasca-
das para cama, polo barato prego de 5,5,
grande pechincha, na loja e annazem do
Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
COMaTOBES ingleze a 45, 45300 E 5,5.
Vendem-se os verdadeiros cobertores
inglezes, de pura 18a, pelo barato proco
de M, 4!500. e 35, assiin como colchas de
fusto de cores, pelo barato preco de 35- na
loja e armazem do Pavo. rua da Impera-
triz n. 60. De Flix Pereira da Silva.
25, OS BALDES DO PAVAO.
Vendem-se superiores bales america-
nos de trinta a quarenta arcos, tendo as fi-
tas bastante largas, sendo muito fcil trans-
forma-los para eutro qualquer novo modelo,
e liquidam-se pelo barato prego de 2$ cada
um, sendo fazenda que sempre se vendeu
a 75 e 85, isto na loja e armazem do Pa-
vao, rua da Imperatriz a. 60. De Flix
Pereira da Silva.
Madapolo enfestado a 8 $500
Vende-se saperior madapolo enfestado,
>endo milito encorpado, para carnizas, e
roxo, cor de canna, magenta etc. e vnde-
se pelo baratissimo prego de 15 o covado.
ROMEIRAS PARA QUARESMA A 16J,
Chegaram as mais benitas e modernas
romeiras pretas de guipare, que se vendem
pelo baratissimo prego de 165 cada urna.
9BRECASAG6S PARA A QTAP.ESMA A 18/ E
20.
Vende-se um grande sortimento -de so-
brecasacos e palilots sobrecasacados de fi-
nitsimo panno preto pelo baratissimo prego
de 185, sendo forrados de alpaca, e por
20|, todos forrados de seda, grande pe-
chincha, principalmente por esiarmos na
quaresma, assim como, tambera se vende
um grande sortimento de calcas e colettes
de casimira preta que se vende muito mais
barato do que cm outra qualquer parte.
ESGCIAO DE LINHO DE 12 JARDAS A 105.
Vende-se pegas de esguio de linho, fa-
zenda ssperior, com 12 jardas cada Dega, a
105000.
ALTA NOVIDADE
A
Loja do Pavao.
GURGCROES PARA VESTffiOS A
O COVADO.
i,5000,
Chegaram os mais modernos gurgures
para vestidos, sendo de todas as cores, como
sejara verde, azul, rosa, bismark, perola,
rxo A & tendo quasi quatro palmos de lar-
gura o vende-se pelo baratissimo prego
de 1)5000, cada covado nicamente no ar-
mazem de Flix Pereira da Silva, na rua da
Imperatriz n. 60.
RETALHOS PARA LUTO NA LOJA DO
PAVO.
Vende-se urna grande quantidade de re-
T "TS'^ntoi; talhos de chitas e cassas pretas por prego
T^l^^tm^i^a^i mito barato, equanto raior fofa porgo
vender na ruada imperatriz n. 60 de F-
lix Pereira da Silva.
Imperatri
Pereira da Silva.
%s 9.004> raras a 504) rs.
Vendem-se as verdadeiras cambraias
francezas, com lindos padres e cores fixas, Crosdenaples preto
sondo tapadas e transparentes, pelo barato Vende-se um grande sortimento dos mc-
p eco de 500 rs. a vara, ou 300 rs. o co- Iborfs grosdenaples pretos, tanto lar-
vado, sendo fazenda que ningnem vende gos cot^o estreitos, sendo de 2tJ0GO rs. o
por menos de 7 ou 8 tustoes, e liquidam- covado atb 4i5O0O rs. garantindo-se que
se por estebarato prego, por 33 ter feito n'este gonero .ifogaem tem melhor fazemJ e
urna avultada compra, na loja o armazem que se vende mail'1 barato do que em outra
do Pavo, rua da Imperatriz n, 60. De qualquer parte.na r^ da Imperatrian. 60.
Flix Pereira da Silva. de Flix Pereira da Silva;
ARARA
Lourenco Pereira Mendes Cuimares, proprietario da toja da Arara, rua da Imperatriz
n. 72, declara ao respeitavel publico c seus ffeguezes que acaba de eoncluir o bataneo
de sua loja de fazendas e fazer abatimento as fazendas que julgou necessario para
vender mais barato que em outra qualquer parte, por isso roga ao respeitavel publiclo
favor de mandar ver as amostras das mesmas para ver como se vende barato.
CUITAS HiANCEZAS A 280 RS.
Vendem-se chas francezas a 280, 320 e 360 rs. o covado.
MADAPOLO A 64000.
Vendem-se pecas de madapoln fino a 6t5, 75, 85 e 95000.
GANGA A 320 RS.
Veude-se ganga para caiga e palitts a 320 e 360 rs. o covado.
CASTORES PARA CALCAS.
Vendem-se castOFes para caigas a 240 e 280 rs. o covado.
I.AAZIMIAS A 2'i0 RS.
Vende-se lazinha a 240,280 e 32 rs. o covado, e outras muitas fazendas e roupas
feitas, fijzendas pretas para a quaresma, como gros-de-naple, casemiras e panos pretos
de todas as qualidades, bales de 20 a 35 arcos a I$500 rs., cortes de brim para caiga
de homem a 6 40 e 800 rs. cada om, por este prego s na loja da Arara rua da Impera-
triz n, 72.
Al
Aleudes Guimares paoprietario daloia do grande caribaldi, ru
O cordeiro providente
Kua do UucSaaado u. le.
Novo e variado sortimento de pe fumarias
finas, e outros objecl
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, deque eiTectivamente est prvida a
loja do Cordeiro Previdnitc, ella acaba de
receber um outro sortimento que se torna
notavel pela variedade deobjectos, supertori-
dade, qualidades ecommodidades de pre-
ces; assim, pois, o Cordeiro Pt evidente pede
e espera continuar a merece* a apreciago
do respeitavel publico em gcral e de sua
boa freguezia em particular, nao se abas-
tando elle de sua bem conhecida mansido
e baraleza. Em dita loja enconlraro os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray A Lamnian.
Dita de Cologne ingle/a. americana, fran-
ceza, todas dos melhores e mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dcntiii ia.
Dita de flor de larangciran.
Dita dos Alpes, e \iolete para toilet.
Elixir odontalgico para conservago do
asseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e d
ros agrada veis.
Copos e latas, maiores e menores, cora
pomada fina para (tabello.
Frascos com dita japoneza, transparente,
contras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos e
francezes em Irascos simples eefeitados.
Essencia imperial do iinoeagradavelchei-
ro de violeta.
Outras concentradas c de chebos igual-
mente finos e agradareis.
Oleo philocomc verdadeiro.
Extracto d'^leo de superior qualidade,
cora escomidos chebos, cm frascos de dii-
ferenles tamanlios.
Sabonetes em barras, maiores e menores
para ms.
Ditos transparentes, redondos e cm figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
fnietas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
nas per fumarias, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaris linas.
Bonitos vasos de metal coloridos, c de
moldes novos. e elegantes, com p de arroz
e boneca.
Especial p de arroz sem composigode
cheiro c por isso o mais proprio para crian-
gas.
Opiata ingleza e francezapara (lentes.
Pos de camphora e outras differente;
qualidailes lambem para denles.
Tnico oriental de Kemp.
Alinda mais coqtics.
Um nutro sortimentos de roques le ne-
vos e bonitos moldes com letsdo \idrilhofi.
e alguns d'elles eroados do-flores eQMl,
esto todos exjtostos apr lequem
os pretenda comprar.
noi.l.lMl.vs'i; 1'IMldS BORDADOS
Obras de muito gosto e p
l<"iTellas c Utas para cintos.
Bello e variado sortimento do taes objec-
tos, Picando a boa eseolha aocroso do ."orc-
prador.
FLORES FINAS
0 que de melhor sep& encontrantes**
genero, sobresahindo os delicados ramos
orvalhados para coques.
Para viagein.
Bolsas d tapete e rarteiras de couro, pot
precos commodos.
Chapelinas de palha da Italia mui bem
enfeitadas, e enfeites de flores obra de bom
gosto.
E assim muitos outros objectos que $e-
ro presentes a quem se dirigir dita loja
do Cordeiro Providente a rua do Queimaoo
n. 16.
ENFEITES DE PALHA PARA VESTIDOS.
CHAPEOS E COOUES.
0 Cordeiro Previdente i rua do Oueims-
do n. 16 acaba de receber nm bello sorti-
mento de tiangas de palha para enfeites de
vestidos, outras para chapeos, coques eta.
tudo isto est sendo vendido com a sua bem
conhecida commodidade de precos.
ALEM DAOIEILES.
Receben outros lindos enfeites de seda
para vestidos ; assim como um variado sor-
timento de gallos de la, bahodinhos de
rambraia com bordados de cores, cuja fa-
riedade degostos os tomam reeommenda-
dos c apreciados ; comparego pois os pre-
tendentesque sero stividos a contento.
TO BEM BECEBEU.
Novo provimento de bicos e rendas d.
guepure.
LUVAS DE PELLICA.
De todas as cores tanto para homefP
como para senhoras. constantemente arham-
se a venda na loja 'do Cordeiro Previdente :
rua do Oueimadn n. f6.
Lourenco Pereira
da Imperatriz n. i>6.
Declara ao respeitavel publico, que rcebeu um grande sortimento de fazendas
de todas as qualidades, tanto para a pnva como para o mato, aos quaes espera Ihe fa-
cam a honra de frapieatar o seu estabelecimento que lhe prometiera vender mais barato
do que em outra qualquer paite.
CORTES DE LA A 2 5 500 RS.
Vendem-se cortes de la para vestidos a 240O o 35000
CHITAS FRANCEZAS LARGAS A 280 RS.
Vendem-se chitas francezas a 280, 320, 360 rs. o covado.
LAAZWHAS A 240 RS.
Veodera-se lazitihas para vestidos a 210, 280 e 320 rs. o covado.
ALGODO A 44000
Vendem-se pegas de algodo a 45, 35 a 7*5-00, pegas de madapolo a 65, 75, 85
e 95000.
CORTES DE CASEMIRA PRETA A 4000.
Vendem-se cortes de casemira preta para caiga a 45, 5$, 6$ e 8(5000, cortes de
ganga para caiga a 1(5280 rs., ditos de brim 800 rs., ditos de castor a 1*5000.
CHITAS PARA COBERTA A 320 RS,
Vendem-se chitas para cobertas a 320 rs. o covado.
CASSAS FRANCEZAS A 320 R Vendem-se cassas francezas para vestidos a 320 e 360 rs. o'covado.
\ovmtii;s.
Bales de 25 30 arcos, a 1*5500 rs. cada um, s se pode ter balo por este pre-
go, e outras muitas fazendas pretas para a quaresma, pannos, casemiras e gros-de-na-
ples preto, outras fazendas muito baratas que se do as amostras. Na rua da Impera-
triz loja do Garibaldi n. 56.
ATTENQaO
Lourengo Pereira Mendes Guimares, declara aos seus deyedores que entregpu ao
seu procurador o Sr. Bernardino deSenna Dias as suas contas para elle promover seu
recebimento conforme lhe convier amigavel ou judicialmente, por isso roga-se a todos
os devedores vir entender-se com ello na roa- da Conceigo da Boa-Vista, ou na loja a
rua da Imperatriz n. 56.

ION BRQ
I
..llu.lnu. V ui 4
4t ltWr aat V, *** **. a.
Ujclenlea luuillvci e ymer\40*m, Mbut\u\*iuruiu i ui.ici_n..ean<
M principan betieu mumo. ( Bk6|[ir j
Fazendas de gado.
Vendem-se seis fazendas de gado na ribeira do
Serid, denominadas Boa-Vala, IV lo Sorra. Mn-
lunpi, Mundo Novo, Inga e Serrote, todas mnilo
boas de criar e de um wr bem conhecidu n.iqnel-
la ribeira : os pretendentes podem dirigir-sai roa
do Vigario n. 31, Io andar.
Vendeni-se moedas de onro de francos :
no escritorio da roa da Commercio n. 9.
Madame Adour tem a honra de part-,
cipar ao respeHarel publico que recebeupelo
ultimo vapor fazendas finas de muito gosto
como sejam:
Vestidos de gase de chambery
obra rica
Chapeos para senhoras e meni-
nas
Mantilhosde renda preta
Casaquino de guepure preto
hurnous
Baldes blancos
Vestuarios de fusto para hu-
men s
Rua do Imperador l.andaTD
23
VINHO DO PORTX
Chegaram differentes quaftdades no de-
posito de vinhos. emeasa de Theed. Cliris-
liansen, rua da Cruz n. 18.
Vendi'-se urna mulata com babilidadcs : -
tratar rua do Hospicio n. 47
------------------------_-----------------------------------------------------^_--------------------^.------1-------------------1--------------------------- I n .
Vende-so o dominio diroi a/o-
ramentos dos engenlins Pi cria-
do-se os acluai fororfas, a ere a*-
noel Joqolm do Reg Albuquerquo no ecgenliv
Peres.


6
Diario de Pernambuco Quinta feira 25 Je Mur<;o de 1869.
Lindos cortes de cassade cor cora barra,e com figurino indicando o molde do vesti-
do polo baratissimo prego de 3500 o corte
Ditos de percalia rauito modernos com ditas saias a ff$000 ruis
a loja das Columnas da ra do Crespo n. 13 de Antonio Correa de Vascon-
ccUos d C.
PRCO CBRENTE DOS CHAPEOS DE SOL
Da fabrica-de
\
Ra Nova n. 23,Ra do Cabug n. 8
Pernambuco
Chapeos de seda trancada, Paragon, de 16 hastes, 28 pollcgadas a 160 ; 26
pollegadas a lo?, e 21 pollcgadas a li:M>00.
Ditos de seda G. de N. Bara, de aro, de 16 hastes, 28 pollegadas a 14(5;
de 26 pollegadas a 135 ; e 2 i pollegadas a 12000.
Ditos de seda G. de N. lisa, de ac, de 12 hastes, 28 pollegadas a 12$ ; de
26 pollcgadas a 113 ; c 21 pollegadas a 10,5000.
Ditos de alpaca, de ago, de 12 hastes, 28 pollegadas a 65 ; e 26 pollegadas
a 'i viOO.
Por duzia fciz-se descont de 15 0[0
Chapos de sol de panno, de baleia, de 8 hastes, 24 e 26 pollegadas a 325
a duzia. (Descont de 10 0[0).
Ditos de panno, de junco, 8 hastes, a 185000 a duzia, liquido.
ALTAS NOVIDADES
LOJA DO PASSO
Ra do Crespo n. 7 A, esquina da do
%$m
%IPHOSPHATOdeFERRO
lJfeLERlS DOCTOR EM SCIENCIASj
INSPECTOR n ACADEMIA O PARIZ Etc |
Debaixo da forma d'um liquido sem sahr.
anlogo a urna agua mineral, esie medica-
monto rune os elementos que constiluem
os ossos c o sanguc. E' o mais racional dos
ferruginosos; por esta razio o adoptaro
os mais eminentes mdicos do mundo in-
tciro. Comem muito s meninas de temperamento delicado, cujo desenvolvimento tardo,
s senhoras que padecem (Testas dores d'estomago intoleraveis, causadas pela chlor06e,
anemia, mensiruacio eu leucorrhfia, s criancas u'uma compleicso paluda e delicada, e a
todas as pessoas que tem o sanguc empobrecido pelas doencas. Effcacia, rapidez d'accSo,
cura pei'feita, sem consiipnco de ventre nem ac.so sobre os dentes, taes sao as razdes que
imperio para que os senhores mdicos o prescrevo aos seus docntes.
Deposito em Pernambuco, em casa de Maurer e Cv.
PARA CUARESMA.
Gorgoreo preto.
Setim macau.
Sedas lanadas.
Moireantique preto.
Gros-dc-naples -t
Basquincs do gurguro c de gros-de-na-
ples enfeitado com primor.
Corpinhos degros-de-naples.
Basquines, capinhas, pelerinas, fichus,
de crochet e de guipur, pretos o brancos.
Mantas prelas de blond.
Ricjuissimos chales de touquim.
Requissimos chales de gurguro de seda
preta o melhor neste artigo.
Chales de mirin pretos com requissimos
bordados e franjado de rctroz.
Chales de mirin bordados sultane;
ultima moda.
Romeus pretos com lindos bordados.
Leques de madreperola, marfim, snda-
lo e osso, e pretos, para senhoras.
Ditos de sndalo para meninas.
Chapelinas prctas.
PARA CASA MEMOS, BAILKS,TIIEA-
IROS, etc. etc.
Lindos cortes do blond, contendo setim,
mantas o grinaldas.
Requissimos cortes de sedas assim como
paracovados.
Gurgurlo branco.
Moireantique branco azul c verde.
Imperador.
Gros-dc-naples brancos c de coros.
Setim branco macau.
Setim, branco, azul, verde, cor de rosa
e amarellos.
Fil de seda, branco e preto.
Cortes de seda ora duas saias.
Cuales de gurguro de seda de cores.
Camisas bordadas para homens.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas bordadas .
Fronhas de linho bordadas com primor.
Lencos de cambraia de linho bordados.
Riqusimas colchas de damasco de seda,
assim como do seda e algodao.
Ditas de crochet para cama.
Chapeos de seda bordados, para sol,
Poil de chevre de lindas cores.
Alpacas de lindas cores.
Chapelinas de palha da Italia, assim
oemo do seda.
Enfeites para cabera de senhora.
Espa tubos para senhoras.
Meias ile laia para padre.
Ditas dr 12a
Ditas de seda fio da Escossia e algodao.
para senhoras o meninas.
Lencos ilo labyrintho.
Fronhas de labyrinMio.
Bicos, rendas c grades.
Finjssimas cambraias de ci'es. percales,
las, e outros muitos artlgos do gosto e
de alta novidade, islo s
Na loja do Passo ra do Crespo n. 7 A, esquina da do Imperador.
CAPSULAS VEOETE S
com MATICO
deGRIMAULT eC.a PHARMACEUTicqs em PARS
Estas capsulas, com capa de gluten, coniem o balsamo de cooahiba associado essencii de
Matico (arvore do Per), e censtituem um remedio infallivel contra a gonorrha. Ellas obrlo
sem cansar o estomago e nao provocSo nunca os enjos e nauseas queoccasionao as capsulas
ordinarias, tendo a immensa vautagem de nSo commuiiicar oheiro s ourinas. E' por estes mo-
tivos que ellas sao superiores s capsulas de copahiba, cubebas, etc.
Deposito'cm Pen.ambuco, em casa de Sfanrer e- O*.
wi i|ii.mimIRSWI.JWi !
Approtatio
ia acadeai
it tudecin
di Ptrit.
PhamactuHco
laureada
i* academia
it mtdccint.
As preparacSes ferruginosas liquidas tem desde muitos annos merecido a approvacSo
especial dos mdicos, poraue ellas obrio mais rpido e seguramente do que as pilulas, e
sao mais fcilmente toleradas pelos doentes. Os Pos ferro-manganicos possuem a inappre-
ciavel vantagem de poder offerecer n'um instante urna agua ferruginosa gazeosa, de gesto
agradavel, mais activa do que as aguas mineraes, e contendo de mais um elemento precie so,
o Manganese, que sempre se acha no sangue, junctamente com o ferro. Empregio-se em
todas as molestias que tem por causa o empobrecimento do sangue, assim como para vigerar
os temperamentos debis e lympbalicos. A cldorose, as Peraas brancas, dores d'estomago,
a irregularidaee da menstruacao e amenorrhia ou snppressio do menstruo, cedem rpida-
mente a seu emprego. Devenios mencionar aqu um facto aotavel, isto que os doentes cura-
dos pela agua preparada com estes pos esto mnito menos espostes a recadas do que
aquelles que forao tratados pelas preparacoes ferruginosas ordinarias.
Deposito em Pernambuco, m casa de Miom o1.
EFFCACIA
DO
XAROPE DE RBANO IODADO | V Dll MI AC RLANCRG
0 Xarope de Rbano iodado de Grimanlt e C*. Dharmacenlicos de S. A. I. o nrinrina I n ^** U ^ "^
O Xarope de Rbano iodado de Grimatt e C, pharmaceuticos de S. A. I. o princin
Napeleo, em Pars, preparado com o sueco das plantas anti-escorbuticas cuja eficacia
mui popular.
Encerra o iodo como combinacio orgnica, e considerado como o melhor succedaneo
do oleo de figado de bacalho.
A rara perfeiclo d'este producto anima-nos a dar a conhecer aqoi a opinilo de alguns
d entre os principaes mdicos de Pars, que diariamente o prescrevem.
0 Xarope de Rbano iodado um medicamento d'um effeito suave e seguro para a
medicaco dos meninos, nao smente suppre o oleo de figado de bacalho, mas ainda fu
c as suas vezes com vantagem.
Dr A. CAZENAVE, medico em chefe do hospital Saint-Louis, em Pars.
0 Xarope de Rbano iodado um medicamento de primera ordem para o tratamento das
a affecedes lyniphaticas e escrofulosas, iluitas vezes, empregue-o com feliz xito, em certos
c casos de tsica ao seu principio, como .'.uccedaneo do oleo de figado de bacalho.
Dr A. CHARRIER, antigo che fe de clnica da I'aculdade de Pars.
0 Xarope de Rbano iodado sempre nos deo excellentes resultados como regenerador
do sangue, e succedaneo do oleo de figad de bacalho. >
Dr A. FAVROT, autor do Traite des maladies des femmes.
0 Xarope de Rbano iodado 6 um dos mais poderosos modificadores das constituicSe
lymphaticas. Tenho visto ulceras escrofulosas que cada podia curar, cicatrizarem-se,
gracas a sua accao, com promplid&o extraordinaria. Tambem, pelo seu uso desepparecem
< as affeccOes tuberculosas dos ossos, nos meninos.
D' GUESNARD, antigo externo dos hospitaes de Pars.
0 Xarope de Rbano iodado possue todas as vantagens do oleo de figado de bacalho,
t sem ter nenhum dos inconvenientes que apresenta este ultimo medicamento. >
Dr GU1B0UT, medico dos hospitaes. Presidente da Sociedade de medicina de Pars.
0 Xarope de Rbano iodado de Grimault e C* encerra c composiclo orgnica anloga que se acha no oleo de figado de bacalho.
Dr KLETZINSK1, professor de chymica, louvado dos trbunaes de Vienna
Deposito em Pernambuco, em casa de Maurer o*.
VERDADEIRAS
CON IOOURETO DO FERRO INALTCrUVEL
APPROVADAS PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARS, ETC.
' Possnlndo as propiedades do lodo et do ferro, con vem especialmente as ArRCCOfts
escrofulosas, a Tsica no principio, a (raqueta de temperamento e tambem nos casos de
Falta de cor, amf.norrhf.a, em que precisareagir sobre o sangue seja para restituir
lhe a sua riqueza e abundancia normaes, ou para provocar e regular o seu curso peridico.
N. B. O iodnreto de ferro impuro oo alterado on> medicamento infiel,
Irritante. Como prora de pureza e de anthencidade das verdarfoiraa Pi-
de manean!, dere-S* exifir nosso aell* ato rala rrarlira t
aqni reproduxida, qne s_ aeha na parta inferior da o
es.
W lula.
^^ no
feaC
nosso flrma, aqai reproduzida, qne M aclia na
roala verde. Dere-se desconfiar dai fal$ificco*
Apliam-ae ean todaa aa aharnrelaa. FharmueeuHce, rw BontparH, 40, Par
OLEO DE HOGG
DD
Figados fi'escos de bacaio
Para cura certa de phtisica, affeccoes escrofu-
losas, losse chronica, fraqueza dos membros e de-
bilidade geral, recommenda-se a excellencia deste
oleo anda por ser agradavel no paladar.
VENDE-SE
HA
Pharuiacia c drogara
DE
BARTHOLOMEU & C.
34 = Rita larga do Rosario = 34
=tfls=tni
TCSSES
CATIRRHOS
wzw^flmL
PASTILHAS PEITORS
E LOURO GEREJa
IRRITACOES
DO PEITO
_ E* este o mais novo e delicioso confeuu ate agora connecido. Por isto tem adquirido r-
pidamente a popularidade de que goza. Os medicos^os mais dislinctos o aconselhSo contra
as tosses, defluxos, catarrhos, tosses convulsas, catarrhos epidmicos, irrlacies do peito. Com
grande empenho o procuro as mes de familia, assim para ellas como para as criancas, pois
primeiro que tudo inoffensivo, e as suas propriedades adocantes nao deixo nada a desejar.
Deposito em Pernambuco, em casa de I
O.
CAPSULAS MOLES
DE .
ALCATRA
Remedio por excellencia para cura rpi-
da e completa das coqueluches, bronchites,
catarrhos, tosses convuislvas, esearros san-
guinos, e outras molestias do peito.
VEW1ME-SE
NA
PHARMACIA E DROGARA
LOJA
DE
Bartholomeu C.
34RA LARGA DO ROSARIO34
AO BAZAR DA MODA
Sua Nova n. 50, esquina da ra de S. Amaro.
NOVIDADES
Para senhoras.
COQUES da ultima moda, enfeitados e lisos, gran-
de sorthieiito.
CHAPELINAS de palha da Italia, guarnecidas com
delicados e elegantes enfeites brancos e de cores
CHAPEUSINHOS e gorras de velludo e de pennas
(alta novidadd !) de palha da Italia, a cmtiacao,
especial tortmento.
CLNTOS de cores e pretos, rico sortimenio ulti
ma moda.
CAMISAS bordadas por commodos precos.
LENCOS bordados e com letras, novidade nes
genero
LEQUES a emitacao de marfim, gosto novo e t
sndalo.
(ttLlNHAS e punhos, a emitcao de guipare.
BifFEITES pretos e de cores para cabeca, lindos
moldes,
GUARNiCAO alta novidade I a Marie Rose, ult-
mameme usada em Pars.
CORPINHOS de guipure brancos e pretos lindos
modelos.
BORNOUS de lia e seda, cores claras, elegante
moda em Pars.
GRINALDAS de flores finas.
ESPARTILHOS superiores.
MEIAS supe, iores de fio de Escocia.
LUVAS de pelica-chegadas pelo ultimo vapor.
ADERECOS de coral verdadeiro e camafeo, gosto
delicado.
DE PALHA
GUARNICES para vestidos.
TRANCAS para enfeites de coques.
BOTES lisos e com pingentes para vestidos.
CINTOS alta novidade
FLORES finas, grande sortimento.
GRINALDAS de ditas para coques.
LAGOS, fivelas, penachos para enfeites.
Para horneis.
de li-
CAMISAS com peitos, eolarinhos c punhos
nho fino, lisos e bordados, moda,
COLARLNHOSde linho e algodao.
PUNHOS de ditos.
GRAVATAS de todas as qualidades.
BOTOES para punhos e guarnicoes para coletes.
COR RENTES de plaqu a emitacao do ouro, lin-
do gosto.
CHAPEOS de pello de seda, forma a Rotchil, qua-
lidade superior.
CHAPEOS de seda, para sol.
MF.IAS.de superior qualidade.
BENGALINHAS finase chicotes.
LUNETAS aro de ace e tarturaga.
Para criancas.
VESTUARIOS completos para baptsados.
SAPATINHOS de merino e setim enfeitados.
MEIAS de seda e fio de Escocia.
CHAPEUSINHOS de palha da Italia.
TOUCAS de fil e setim enfeitadas e de ebroch.
BUNECAS vestidas, muito bonitas e diversos
brinquedos.
Perfumarlas finas.
de Murray & Lan-
AGUA FLORIDA verdadeira
man New-York.
TNICO oriental, verdadeiro.
AGUA DIVINA de E. Coudray e superior agua e
essencia de Colonia.
ESTRATOS e essencias finas e de agradaveis are-
mas para o lenco.
VINAGRES aromticos para toilet.
POS DE ARROZ para anudar a pelle ; em pacc-
tes e ricas caixinhas com arminho.
POS superior para limpar os denles.
COSMETIQUES do fina qualidade.
SABONETES, grande sortimento dcste genero e
de superior qualidade.
LEOS de philocomo, babosa e antiques.
BANHA fina para os cabellos.
AGUA de flores de laranja.
CREME de sabao para barba.
Caixas preparadas com perfumaras finas.
Miudczas finas.
SUPERIORES fitas de grosdenaples de todas as
cores e larguras do veludo preto e de cores, e
gurguro para cintos.
BABADINHOS e entremeios bordados.
GUARNICES de seda de odres para enfeites de
vestidos.
TRANCAS pretas com vidrilhos e pingentes.
BOTOES de cores, brancos e pretos com vidrilhos
lisos o com pingentes.
DEDAES de madi aperla, de marfim, de oco e
metal.
THESOURAS finas para costura e unhas.
CAIVETES finos com quatro folhas. *E muitos
outros artigo de miudezas que se torna enfa-
donho menciona-los.
Tudo se vende por presos bastante commodos.
DO
GALLO VIGILANTE
Kua do Crespo n. 3
Os proprietarios deste bem conhecido estabele-
cimento, alm dos muitos objectos que tinbam cx-
postos a apreeiacao do respeitavcl publico, man-
daram vir e acabam de receber pelo uINmo vapor
da Europa um completo e variado sortimento de
linas e mui delicadas especialidades, as quaes es-
tao resolvidos a vender, como de seu costume,
por precos muito baratinhos e commodos para to-
dos, com tanto que o Gallo....
Mnito superiores I uvas de pellica, pretas, bran-
cas e de mu> lindas cores.
Mui boas c bonitas gollinhas e punhos para se-
nhora, neste generp o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfeites para caberas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas c de cores com vidri-
lhos e sem elles; esta fazenda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores c bonitos leques de madreperola,
marfim, sndalo c osso, sendo aquelles brancos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 30400
a duzia, entretanto quo nos as vendemos por 20,
alm destas, temos tambem grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas.
Boas bengalas de superior canna da India e
eastao de marlim com lindas e encantador is figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
3uarriidado de outras qualidades, como sejam, ma-
eira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chieotinhos de cadeta e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora c para meni-
nas de i a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga para fazer
barba; sao muito boas,e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nnssa vn tam-
bem asseguramos sua qualidade e delicade/x
Lindas e bellas capillas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox.
Linlia muito boa de peso, frouxa, para cncher
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para voltarete, assim
como os tentos para o mesmo fim.
Grande e variado sortimento das raelhorjs per-
fumaras e dos mclhores c mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convuloes, e
facilitam a denticao das innocentes enanca!. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-Ios por toaos os
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
como j;i tem acontecido, assim pois poderao aquel-
les que delles precisarcm, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontiaio destes verda-
deros collares, o os quaes attendendo-se ao fim
Sara que sao apphcados, se venderao com um mui
minuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos objectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por presos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
TASSOIRMOS
Tem para vender em seus armazens, alm de ou-
tros, os seguintes artigos :
Papel para imprimir.
Perlina azul.
Greve pautado o liso.
Yiiilios coi caixas de doze garrafas
Bourgogno.
Hery.
Maieira.
Hcrmitage.
Chamblis.
Licor do curaco de Hollanda em caixas de vin-
te e quatro botijinhas
GESSO,
Nosarmazcns de Tassolrmaos.
Grades de ferro
para jardins, porteiras etc.
Nos armazens de Tasso Irmaos
4 i li 113 MOS DE FERRO
Para servicos de grandes armazens, pan remo-
ver barricas ou caixoes de um para outro, lado pelo
mdico preco de 12*000 cada um.
Farinha de trigo de Trieste
Das melhoras marcas Panonia (verdadeira) Fon-
tana e grande sortimento das memores marcas de
farinhas americanas.
Saceos de farinha de trigo do
Chile
Todas novas, chegadas ltimamente nos arma-
zens de Tasso Irmaos.
Cemento romano
Nosarmazcns de Tasso Irmaos.
Cemento hydraulico 12$
0 melhor para tudo que sao obras para agua, co-
mo assentamento de canos de esgoto, algerozes, de-
posito, tanques d'agua, etc., etc.: em porcoes de
ciiieoento barricas se far;i reduccao. no preco : nos
armazens de Tasso Irmats.
Cemento Portland
0 vordadeiro cemento Portland em casa de Tasso
Irmaos.
Grades de ferro, cercas, por-
teiras, etc., etc.
De differentes qualidades para cercados de ani-
macs, chiqneirospara galinhasoujardins : nosar-
mazcns de Tasso Irmaos.
Barris com breu
Nos armazens de Tasso Irmaos.
canos de barro
Na ra Nova de Santa Riia, na antiga fabrica de
salmo, ha para vender por preco o mais mdico
possivel, canos francezes para edificacoes e esgo-
tos de toda a qualidade, superiores a todos os que
aqui tem apparecido pela sua solidez.
PRECOS
1 J'tOO por cano grande"de 3 e meia pollegadas.
1 200 por dito de 2 e tres quartos do dita.
1*000 por dito de 2 e nm quarlo de dita.
500 ris por pistoleta de 2 pollegadas.
Cotovcllos, curvas e canos de maior grossura,a
vstase faro preco. Compras maiores de 200*
tem S por cento ao descont por prompto paga-
mento. Pde-se ver as amostras nos armazens
de Tasso Irmaos.
Tijolos francezes
Para ladrilhar caas terreas com asseio e precos
mdicos, muito convenientes e proprios para ladri-
lhos de cosinhas em sobrados, pelo seu asseio c
evitar a passagem de aguas para o andar inferior
e mesmo o perigo de fogo, aos precos de 30*000 a
'tj*000 o milheiro : na ra Nova de Sania Rita, na
antiga fabrica de sabao, c compras maiores de 200*
se far o por cento de descont por prompto paga-
mento. Podem-se ver as amostras nos armazens
de Tasso Irmaos.
Velas de esparmacete verdadeiras para lan-
ternas de carros: noarmazem de Tasso Irmaos.
Vinho do Porto fino superior: no armazcm
de Tassolrmaos.
O melhor cognac Gauthier Freres : no arma-
zem de Tasso Irmaos.
Esteiras da India
Em casa de Tasso Irmaos vende-so esteiras da
India de diversos padroes e larguras, por preco
commodo.
Macarthy
lf achinas de descaroear algodo.
Hoje que est reconhecido que as machinas de
serrote prejudicam e quebram a fibra do algodao,
preciso recorrer a machinismo menos spero,
que produzindo o mesmo servico que aquellas, e
faclidade no trabalho, nao quebrem a fibra da laa,
para que essa possa obter-uos mercados europeos,
a dilferenea que ha entre o algodao descarriado
por aquellas mencionadas machinas, que estao fi-
cando em de=uzo, pelo prejuizo que tem causado,
e o da antiga bolandeira, que nao pode competir
pela morosidade de seu trabalho. E' assim que
estas machinas se tornam as mais proprias para o
nosso algodao, porque ao par da faclidade e
promptidao conserva a fibra da laa, que limpa por
ella, qualificada na Europa a par da melhor bo-
landeira, valendo assim entre 10 arrobas 20 0/0
mais do que a laa limpa pela machina de serrote.
Estas machinas nao sao novas, pois que ha muito
estao adoptadas no Egypto, aonde as de serrote
foram inteiramente abandonadas, e por isso o algo-
dao daquella procedencia, sendo da qualidade do
da nossa provincia, obtem hoje de 10 arrobas 20
0/0 mais do que o nosso : vendem-se a 150*000
nos armazens de Tasso Irmaos.
Oleo de amendoas
Em caixas de 8 latas, cada caxa 100 libras:
nos armazens de Tassolrmaos.
Charutos da Havana.
Exeellentes charutos da Havana c por baratissi-
mo prego : em casa de Tasso Irmaos, ra do
Amorim n. 3o.
Capsulas de Raquim
Os bons effeitos destas capsulas para fazer ces-
sar os gonorrheas acham-se comprovadas pelas
experiencias de muitos annos.
Os mdicos de todos os paizes as recommondam
pela sua effcacia.
VENDE-SE
NA
Pharmacia e drogara
DI
BARTHOLOMEU & C.
Ru34a larga do Rosario34
RIVAL SEM SEGUNDO
Ra do Queimado n. 49, loja de miudezas de
Jos de Azevedo Maia e Silva, tem para vender os
artigos abaixo declarados, tudo bom e baratissi-
mo, que sao para acabar.
Duzia de sabonetes muito finos a 700 rs.
Pares de sapatos de tapete para homcm a 13280.
Ditos de tranca para crean ca al*.
Tramoia do Porto, bordada, a melhor a 200 rs.
Dita do Porto liza, da melhor qualidade a 100, 120,
160 c 200 rs.
Resma de papel almaco, lizo superior a 35200.
Dita de papel almaco pautado ai*.
Livro de missoes abreviadas a 2*. .
Cartilbas com toda a doutrina e mu i tas rosas a
320 rs.
Silabarios portuguezes com estampas a 320 rs.
Baralhos francezes.muito finos a 200 e 210 rs.
Sabao inglez superior qualidade a 500 e 1.
Grvalas pretas e de cares muito finas a 500 rs.
Duzia de meias para senhora, fazenda fina a 4.
Redes pretas lisas para segurar cabello a 320 rs.
Varas de transa de seda de todas as odres a 600 rs.
Pares de brincos dourados com maozinha e po-
dras a 320 rs.
Cartoes com corchetes de duas ordens e sao de la-
tao a 20 rs.
Abotuaduras de vidro para colete muito finas a
120, 240 e 400 rs.
Pares de botSes dourados para punhos a '"y,/8'
Caixas de pennas do ac muito tinas a 240, 320 e
500 V ., K
Cartoes com duzentas jardas de hnha do mon-
eante Alexandre a 100 rs.
Caixas de pennas de ac, a verdadeira penna a
14200.
Carriteis'de lnha Alexandre ns. 70,80, 100 at
200 a 100 rs.
Caixas com superiores obreas de massa a 40 rs.
Carriteis com duas oitavas de retroz preto a 500 rs
Duzias de agulhas para machinas a 2.
Libras de pregos francezes de todos os tamaitos
a2i0rs,
Livrosescripturados para rol de ronpa a 120 rs.
Caixas com papel amisade muito fino a 700 rs.
Caixas com cem envelopes da melhoi qualidade a
600 rs.
Talheres para meninos muito boa fazenda a
240 rs.
A NOVA ESPERANQA
21== Ra do Queimado = 21
E para presentes
A Nova Esperarla, ra do Queimado
n. 21 tem um variado sortimento de objec-
tos do gosto e phantasia proprios para pre-
sentes, sobresahindo entre elles ricas caixi-
nhas de bano com finas perfumaras, eos
tureiros de chagrn, agulheiros de madre!
perola : assim, pois, quemquizer fazer um
nda offerta, dirigir-se Nova Esperanca,
ra do Queimado n. 2i.
Collares anodinos ellectro-magnett
eos contra as convulces das
m
creancas.
Nao resta a menor duvida, de que muito
collares se vendem por ahi intitulados o
verdadeiros de Roycr, e eis porqae muito
pais de familias nao creem (romprando-os)
no efeito promettido, o que s pdem dar,
os verdadeiros; a Nova Esperanga, porm
que detesta a falsificac3o principalmente no
que respeita ao bem estar da humanidade,
fez urna encommenda directa destes collares
e garante aos pais de familias, que sao ot
verdadeiros de Royer, que a tantas crean-
cs tem salvado do trrivel incommodo de
convulces, assim pois preciso, que ve-
nham a Nova Esperanga a ra do Queimado
n. 21 comprarcm o salva vida, para seu
filhinhos, antes que estes sejam acommetti-
dos do trrivel mal, quando ento ser di-
iDcil alcangar-se o effeito desejado, embora
sejam empregados os verdadeiros coUare
de Royer.
Para extinguir as sardas e
panno
Receben a Nova Esperanga, ra do
Queimado n. 21, leite de rosas, especial
para extinguir sardas e pannos.
RONECA DE CERA
A No* a Esperanga a ra do Queimado n.
21, ac' de receber um completo sorti-
mento de finas bonecas de cera de diver-
sos tamanhos, sendo as maiores do com-
primento d'um covado ; estas bonecas tra-
zem bonitos coques e botinas, havendo en-
tre ellas algumas que fallam e outras que
choram de sorte que fcilmente podem ser
preparadas, e fazer-se um presente de muita
acceitaco.
Finas caixas de tartaruga para rap ven-
dem-se a ra do Queimado n. 21 na loja
da Nova Esperanga.
Modernos brincos de sndalo, s se en-
contrar5o na Nova Esperanga a ra do
Queimado n. 21.
MEIAS DE LAA
A Nova Esperanga a ra do Queimado n.
21, acaba de receber um especial sortimen-
to de meias de la para homem e senhora.
CONTRA AS CONGESTOES
mal trrivel a congeslo fulminante:
de repente leva um individo, d'esta para
milhor vida, sem dar-lhe tempo de receber
conversa medica; deixando as mais das
veses mulher e filhos no mais amargurado
pranto ; a Nova Esperanga que deseja pres-
tar servigos recorreu a Vojer, o qual lhe
mandou anneis elctricos magnticos, como
o nico preservativo para semelhante mal i
elles antes que se acabem : na Nova Espe-
ranga*
NAVALHAS
A Nova Esperanga a ra do Queimado
n. 21 recebeu um sortimento de navalhas,
de qualidades, e tamanhos especiaes assim
como afiadores e massas para as mesmas.
i;
Vendem Augusto F. de Oliveira 4 C. ra de
Commercio, n. 42.
Cemento de Portland.
Vende-se no armaiera de Vicente Ferrara
Costa & Filho, na ra da Madre de Dos n. 22,
barris grandes.
FUNDICAO DOBOWMAN
Ra do Bru n. 5t.
Machinas de vapor.
Rodas d'agoa.
Moendas de canna.
Taixos de ferro, batido fundido.
Rodas dentadas, paia moer com agoa.
vapor e animaes.
Alambiques de ferro.
Formas para purgar assucar.
E outros muitos objectos, etc. etc., pro
prios para agricultura._____________^
Para semana santa
Madama Adour, 23 ra do Imperador
acaba de receber mantinhas e rcantelets d<
fil preto.

i
i
' f
Para imilias
Grande Bazar, ra \ova ns. SO c
99. de Carnelro v fu ma A C.
Acaba de chegar a este estabelecimento
giandeporgaode machinas para costuras do
autor Wheeier Wilson, approvadas na ulti-
ma exposigo de Paris, as quaes cozem com
dous pospontos toda a costura, e tem a
vantagem de ser to suave o movimento,
que qualquer crianca de oito annos fcil-
mente trabalha, e pode, com este entrete-
nimento, levar vantagem ao servigo diario
de trinta costureiras. A cofliprehenso
simples, pois em um quarto de hora se ri-
ca senhor do movimento da machina, ten-
do a nicsma a propriedade de fazer as se-
guintes costuras: pospontar, abainhar.
franzir, marcar e bordar, como apresentam
os desenhos que acompanham-nas. Os pro-
prietarios do estabelecimento se encarre-
gam de mandar ensinar n'esta cidade, e>
garantem entregar o importe dispendido ao
comprador, no caso de nao trabalhar com
perfeigo a machina vendida, nao tendo.
porm, soffrido ella alguma avaria. Ha tam-
bem no mesmo estabelecimento machinas,
do autor Grower A Raker, de trabalho. sim-
plesmente mo, e outras com movimentfi
dos ps; e mxime todos os pertences da*
mesmas machinas, para vender avulso.
"Tintura japonesa
Instantnea para tingir os cabellos e
barba, a 1 5000 o frasco.
E' a nica approvada e recommendada
por ter sido reconhecida superior a todas-
as tinturas d'este genero.
A venda em casa de Gustavo Hervelin n.
51. ra da Cadeian. 51.
OAZ GAZ GAZ
Chegou ao antigo deposito de Henry Forster &
C, ra do Imperador, um carregamento a*e 7
de primeira qualidade; o qual se vende em partida
e a retalho por menos prec/j do quo em outra qual-
quer parte.


Diario de Pernambuco Quinta feha 25 de Marqo de 1869.
V
1*
* >
Grande qui Affonso Moreira Temporal, qucrendo liquidar as miudezas existentes em sua
ioja ra do Queimado n. 55, resolveu annunciar as mesmas miudezas, para que o pu-
blico se certifique do diminuto prego porque as est vendendo, a saber:
Caixa com agulha franceza a
Caixas com 100 enveloppes a.
Pecas de babados e entre-meios
a 500, 600, 700, 800 e. .
Pecas de fita de coz com 10 va-
ras a ........
Linha de marca, caixa com 16
novellosa......
Coques muito finos com rede, s
a rede val......
Frascos com santos muito finos
a.........
Latas com banba (familia), a
160 e. ......
CartSo com alfinetes a .
Copo com opiata muito fino a
400 e.......
Cartas franceza s a 200 e .
Ditas portuguezas a 120 e .
Caixa de linha do gaz branca 50
novellos a......
Frasco com tinta a 100 e .
Frascos com banha a 320 e. .
Frascos com agua de Colonia
Piver a. ...... .
Pentes de travessa para cabello
de meninas, s a vista faz
f, a........
La para bordar, libra. .
Novello de linha grande com
400 jardas, S a vista faz
f a....... .
Pares de liga de borracha para
pernas de senhora, muito
boas a .......
Franja branca para toalha vara
160 Resma de papel almajo, muito
5001 boa fazcnda, com 85 cader-
nos a........
J.JOOO Caixa com papel amisade a .
Uogo de vispra a.....
500 Sapatinhos de la para meninos
a
210 Pecas de tranca e caracol a .
Sabonetcs de todas as qualida-
1^500 des a 80, 160 e .
Frascos com oleo babosa a
1#200 400 e.......
Pinceis para barba a. .
200 Gaz a........
100 Frascos com agua de Colonia a
320, 400 e......
500 Pentes com costas de metal .
240 Caiteira de marroquim a .
100 Pentes pretos para tirar piolhos
Escovas para cabello a 400,
500 e ......
Garrafa com agua divina a. .
tfravatas de seda de cor a .
Ditas pretas a 400 e .
Botes de louca para camisas, a
Garrafa de tinta roxa a. .
Lencos brancos para mos
a.........
Par de suspensorios para ho-
mens a.......
Espelho de toucador a .
Frasco com cheiro muito fino
a.........
Bandeja para copos a .
Meias cruas para homens, boa
fazendaa 3$, 3S600, 4# e. .
Abotoaduras paracolletes a .
600
160
100
LJOOO
320
6800
60
60
200
25800
700
400
320
40
200
600
200
320
300
320
400
200
600
15500
320
500
160
800
240
200
20500
1000
400
4^500
320
ai
Ra do Queimado n, 49 loja de
miudezas de Jos de Azevedo
Mata e Silva conhecido por Jos
Bigodinho-,
Est queimando os enjertos abaixo declarados
pelo diminuto prego, a saber :
Frascos com agua d Colonia vcFdadeii a a 1.
'Garrafas com agua Florida vordadeira, que se ga-
rante a 15200.
Pentes para regacar cabello de meninas a 320 rs.
Tbesouras muito" finas para unlias e costuras*
590 rs.
Tinteiros eheios de tinta muito preta a 80, 100, 160
e 400 rs.
Varas de franja branca de linho para toallias a
160 rs.
Caixa* de phosphoros de segnranca a 20, 40 e
160 rs.
Na vainas de cabo de marm c que se garante-a
qualidade a 2t.
Libra de la para bordar a 73.
Pecas de fita branca elstica muito superior a 300
e 300 rs.
Novellss de linha branca com 400 jardas a 60 rs.
Besmas de papel de peso liso muito tino a 21500.
Latas com superior banha a 200 e 400 rs.
Caixas com seis frascos de cheiro muite fino a
800 rs.
Caixas com doze frascos, fazenda so boa a I 5200
c 25500.
Faseos com superior oleo filocons a 500 rs.
Caluagas de sabao transparente inuito bonito c li-
no a 240 r>.
Duzia de paos de pomada do Reino, da mclhor
qiralidade a 240 rs.
Pecas de tiras bordadas muito finas a 500,600 e
800 rs.
Ditas de? babadinhos com dez varas a 600 rs.
Carriteis de linha de todas as cres, para acabar
a20rs.
Garrafas com agua divina a 15500.
Francos cor* superior macaca perula a 320 rs.
Caixas de vi.dro com doze didaes, que s a caixa
valednheiroa208rs.
Ditas de made.'ra com alfinetes, o que lia de me-
Ihor a 320 rs. f
Grosas de botoes de louca, lisos o bordados
160 rs.
Caixas redondas para rap emittando tartaruga a
1*800.
Pegas de fita para eos da melbor qualidade a
500 rs.
Escovas para lirnpar dentcs, fazenda que so a vis-
ta a 240 rs.
Ditus para lirnpar uimas de superior qualidade a
500 rs.
Tabellas vermicidas
DE
Antonio Nunes d Castro.
Vermfugo efficaz, e preferivel a todos os
conhecidos, j pela certeza de seu resulta-
do, ej pela fcil applicaco as cranlas,
qaasi sempre mais atacadas de 13o terrivel
e umitas vezes fatal soffrimento.
NICO DEPOSITO
NA
Pharmacia e drogara.
DE
Barlhomeu & C.
34Ra Larga do limarlo34
.'"'JjSu**?^
Ht.

A 66 $U
NOY ESPLENDIDO SORTIMENTO
A Aguia Branca, contando com a protec-
Cao de sua boa freguezia, tambero, capricha
em n3o Ih'a desmerecer, procurando sera-
pre corresponder a idea favoravel com q'ie
a honram, e em prova ao que ica dito, d
como exemplo o explendido sortimento
que acaba de receber, ainda mesmo achan-
do-se bellamente prvido do que de bom
e melhor se pode desejar nos gneros que
s5o de sua competencia.
Haja vista aos necessarios livros de raissa
e oracao, obras de apurado gosto e perfei-
Co, sendo: com capas de madreperola e
toantes quadros enalto relevo.
Ditos com {ditas de mari igualmente
bonitos.
Ditos com ditas de velludo, outros imi-
tando charo machetado.
Ditos com ditas de marroquim com cruz
e guarnico, douradl ou prateada.
Coras e tercos de cornalina.
Assirn como.
Grande e bello sortimento de leques
todos de madreperola, madreperola e seda,
sndalo, sndalo c seda, osso, osso e seda,
e faia etc, etc. tendo nos de sndalo alguns
com 4 vistas, e outros japonezes enfeitados
de llores.
Bonfcs voltas grandes de aljofares azues.
Voltas de cerrente de borracha.
Mias de seda para meninas e senhoras.
Ditas de fio de Escocia abertas, tambera
para meninas e senhoras.
Ditas muito finas d'algodo, alvas,
cruas para meninas e senhoras.
Luvas de fio d'Escocia, torga!, e seda
para meninas e senhoras.
Meias de la para homens, mulheres e
meninos.
Gollinhas e punhos bordados obra de
muito gosto.
Entre-meios finos tapados e transparen-
tes com delicados bordados e proprios
para enfiar fita.
E OS PRODIGIOSOS
Anenis e collares Boyer para creancas.
Bonitos cabases ou bolsinhas de pelica
e setim para meninas ou senhoras.
Lindas cestinhs bordadas a froco, e lisas.
Delicadas caixinhas devidro enfeitadas
com pedras, aljofares, etc.
Ditas de tartaruga para joias.
Bonitos albuns com msica.
Pinseis ou bunecas para poz de arroz.
Novos e delicados ramos de flores com
marrafes para enfeitar coques.
Bello sortimento de trancas de palha.
Fitas largas para cintos.
Cintos de fitas largas com bonitas rama-
gen s
Brincos e alfinetes de madreperola.
Ditos esmaltados, obras novas e bonitas.
VALOR THERAPEUTICO
DO
XAROPE DE QUINA FERRUGINOSO
DE GRIMAULT E COMP.
Vharmaaeuticoi da 8. A. I. o principe Kapoleao. em Paria.
A associac&e do ferro e da quina resolvee nm dos mais importantes problemas da pharmacia,
e faz em que se congratulam os mdicos dos relevantes servicos que lhes presta esta pre-
paracao.
Com effeito, ninguem ignora que a quina, em maleira medical, o melhor tnico que se
possa empregar, sendo, sobretudo, unido ao Phosphato de ferro, a mais estimada das pre-
paragdes ferruginosas, pois que entram na sua composicio o ferro, elemento do sangue, e o
phosphato, principio dos ossos.
Por isso, julgmos que, para os srs mdicos, ser Jo inleressantes as observaedes feitas pelos
seus collegas, os mais disiinclos de Pare :
Este. Xarope produz os mais felizes resultados nos casos de dyspepsia, chlorosis,
t amenorrhea, hemorrhagias, leucorrheas, fcbrestyphoidas, diabetes, e quando precisa
resubclecer as loicas dos doentes e restituir ao corpo as forjas alteradas on perdidas. >
ARNAL, medico de S. M. o Imperador.
urna das raras combinacoes que, ao mesmo tempo, satisfazem o medico e o doente. Em
quanto a mim, eu a considero como a mais efficaz preparacao ferruginosa, cojo uso dos
c mak agradaveis para os doentes.
CAZENAVE, medico do hospital Sainl-Louis, em Paro.
Com esta preparado d'uma 'rma agradavel, e fcil de digerir, administra-se aos
doentes doi medicamentos importantes.
CHARRIER, cheft de clnica da Facilidad* de Part.
En emprego com o maior xito o Xarope de Quina ferruginoso, o o considero como
a urna das mais felizes innova?Ses, na maleira medical.
CHASSAIGNAC, cirurgiaoem chefedo hospital Lariboisiire.
c Este medicamento, sempre bem aceito pelos doentes, deo-me constantemente os maif
a vantajosos resultados. ....
HERVEZ DE CHEGOIN. membro da Academia de medicina.
A limpidez d'esia preparacao, o seu gosto agradavel, isento de qualquer sabor de
ferro, fazem d'ella em medicamento to efficaz como agradavel.
MONOD. addido Faculdade de medicina.
Deposito em Pernambuco, em casa de
PASTILHAS ASSIIC4RADAS
DO
DB. PATERSON
De blsmnth e itagnezla.
Remedio por exeellonna para combater
a magreza, facilitar a digesto, fortificar
estomago etc.
DF.POSITO F.SI'F.CIAL.
Pharmacia de Bartliolomeu & C.
34------Ra larga ti.) Rosario------34.
CALCADO BARATO
Borzcguii:- d. Nantcs para hon m
un na da Caeeia n. 48, esquina da M;
de
XAROPE PEITORAL BHAsILEHlO
DB
POMTA lIlMLtBBAIB i
COMPOSTO E PnEr-ARADO
Pelo pliarmaccutieo
Jos da Cruz Santos.
Esta planta cujas virtudes medicinaes
existiam desconhecidas para a maior parje
dos nossos facultativos, devendo-sc a sua
descoherta ao uso que d'elle faziam os
nossos indgenas que menoscabavam com
a sua applicac3o de todos os sollVimentos
pulmonares, hoje conhecido como o me-
dicamento mais efficaz para a cura de as-
thma, bronchite, coqueluche, penemonia,
e at a plitysica, produzindo ura elleito mi-
lagroso e prompto.
Para um adulto 3 i colheres de spc
ao dia puro ou em cosimento peitoral.
Criaucas, 3 4 colheres dg cha.
Prego 25000 o frasco.
Pernambuco, ra Nova botica n. 51,
PRE?CS
0 nico deposito de louija da fabrica do Barba
Iho do Cabo, sito no pateo do Terco n. 12 desta
cidade, tem resolvido fazer grande abatimenlo no*
canos que tcm recebido, os quaes fican vendidos
pe seguinte tabella, a saber :
Do i 1/2 pol legada cano vidrado por 800 t.
De 2 ditas idem dem por 13000.
De 3 e 4 ditas idem idem por 15200.
De 6 ditas idem idem por 2300.
De 8, 9 e 10 ditas id.'in idem por i.000.
Que para isso tem una machina apparelhada
para fazc-los com perfeicao, sendo cada um eotn
tres palmos de compririiento, a sim como lem
grande sortimento de ouca, tanto vidrada orno
para resfriar agoa.
SEDAS PRETPAASHA A (JSrESMA
A :t.-5 O COVADG.
\iMidcm-se sodas pivlas Ir.vradas, fazen-
da muito superior, que com avanlajada lat-
inirjque tem, 14 ou W<3ok d3o um
vestido, e sendo fazenda (po em outra
qualquer parte nao se vende por menos #*
\ SOOO, mas por se ter comprado urna
grande porcSo \ende-se a 3r5<00 o co\ado
nicamente na loja e armazem do Pav.;
ra da Impeiutriz n. 60 de Flix Perelfe
da Silva.__________'. :i________
Meias elsticas de "borraeft.
As mclhores c exccllentes meias elsti-
cas de borracha contra varizes o erysipell".
Vonde-se na
Pharmacia e drogara de
Barlholomeu < C.
34ra larga do Rosario34
H
V
O Cysne rtta da Iinperalriz n. 64, acaba de
receber pelo ultimo vapor nova runww dos ricos
e lindos corles de tarlatana. dourados e prate
de pididea iiiti'inuneov modernos.
Vergonteas de pinho para mastaros, verga*
o retrancas, toda* de npener qualidade. Tintas-
Verde Paris_, branco du lineo e prela, em laias de
11 i; 8 libras, j preparadas, oleo de linliara cni
barris : no anuazem de deposito da compnm!
Pernanibucana, no largo da Assetnhla n. 10.
Libras esterlinas.
Vende-se no hotel do Univem>,] mais barato 'io
que em mitra parte, quarto n. 17.____________
Escrava peca de 14 annos
Vende-se urna bonita crioula de I i annos. i
principio de habilidades, per en senbor retirar-se
pata Europa : ra da Imperatriz, loja n. 28.
SCRAVOS FGDOS.
o*.
Para encanamento d'agua,
Canos de ferro, ditos estanhados, ditos forrado?
de porcelana, todos com as competentes torneiras,
curvas etc. : a ra do Queimado n. 32.
Cera de carnauba
Vende--c na ra da Madre de Dos ns. 7 e 11,
mais barato do que em ontra qualquer parle.
Chegaram !!
loja de Coelho & piivcira ra do Quei-
mado n. 19, as mais lindas e mais moder-
nas basquinas de gorguro, primorosamen-
te enfeitadas a setim. Sao o mais impor-
tante que tem vindo ao mercado desta ci-
dade em fazenda deste-genero
O melhor!!
Gorgur3o preto para vestidos double fil,
fazenda superior.
Grande sortimento de camisas francezas
e inglezas por menos 20 por cento de seu
valor
Roupa feita de todas as qualidades e por
medida. Chitas, lias, cambraias brancas
e de cores, tudo de muito gosto e por
presos muito commodos.__________^^
Scboncte de alcatro.
DB
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que to boa
acceitaco tem merecido n'esta provincia,
muito se recommenda para a cura certa
das impigens, sarnas, caspas e todas as
molestias de pello.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartbolomeu A C,
34ra larga do Rosario34.
Fugio no dia lo de feverciro de 186'.
engento Caitii, pertenecnuj ao Sr. Hermiao I
rentino de Andradc, um escrayoprtb de nomu
rdippe, idade 40 annos, alto e dr boa figura, pon-
eos cabellos na barba, nariz groase e casto, olnos
grandes e rennelbea. beicos grossos, pea sraades
e grossos : roga-sc polica ou a qucn delle ti-
ver noiicia, se dirija ra do .\pollo n. 8, \ s>
jera reeompensado.
100$ Fugio uo dia 11 de Janeiro do corrente auno,
do engenbo Balalura, freguezia da Ksrada, oes-
cravo preto, ciiuulo, de nannos de idade, cha-
mado Marcelino, que fui do Sr. Joao da Cunha
Perejra, cujo oseravo c;teve no deposito geral, e
tem os signaos eguintes : alto, secco do eorpo,
rosto muito marcado de bexigas, falta de deiUf?
na frenft, cor preta, sabio de chapeo do chile, na-
letot e calca de castor, levando um bahozinbo *
(landres com mais roupa, e suppde-se estar na
freguezia do Cabo : quem o apprehender lere-e
ao dito engenbo, ou ra da Senzala-nova n. S ,
eseriptorio do Sr. BeraaaJfaM) Pontual, que rect-
ln'i.i a gratificacan cima._____
Fugio do engenho Jacobina, comarca do Ca-
bo, ao anianherer do dia 13 do corrente n.
anno, do abaixo assignado, um escrav preto de
nome Antonio, conhecido por Canda. idade de 26"
a 30 ann s, pouco mais on menos, alto, pea gros-
sos, tem una das juntas do mesmo um pooco
groesas, andar banzeiro, levando chapeo de feltro
j osado, camisa de algndao azul e scroula de )-
godao americano, rojo eseravo veio de Buique pa-
ra Pao d'Alho. para onde se desconfia ter seguido:
roga-se a qualquer autoridade policial ou capitiA
de campo a captura do dito eseravo. levando ao
engenho cima, ou a ra do Caldeirciro n. U,
Sr. Francisco Qtiintino Rodrigues Estoves, que
ser generosamen'e gratificado.
Antonio Carneiro Lins e Mello.
Fugio de bordo do palliabole nacional Ama-
ro, um mualo claro de nome Justino, estatri
guiar, cbelos car.ipinhados e nieios ruivos, pon. i
barba, tem tuna pinta prela no canlo do offio dir--
to c um tamo as costas ao mesmo lado,; levou
vestido camisa de chita eom listas verdes, c usa
de nina cinta com borla encamada para apenar
as cabs, natural de Santa Amia do Matto na
provincia do Rio Grande do Norte, para onde talvn-;
queira ir, tambem muito desembnrajado no fal-
lar. Recomnienda-se aos niesires de barcaca r,o
a qualquer |iessoa que o agarrar, e levar a roa
do Trapiche n. 4 ou a bordo do referido navio que
ser generosamente gratificado.
2.
LISTA GERAL
9
DOS PREMIOS DA Z. PARTE DA LOTERA CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 745, A BENEFICIO DA IGREJA DE NOSSA SENHORA DA SOLEDADE DO RECIPE, EXTRAHIDA EM 24 DE MARCO DE 18G9.

I
.NS. PREMS. SS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS..NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. Nf. PREMS. NS. PREMS. iNS. PREMS. NS. PREMS. kS- PREMS. i NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS-
1 8 168 4 359 41 680 41 906 41 1183 4* 403 41 1651 41 1892 y 2123 41 2357 44 2608 44 2855 44 3064 41 3305 41 3507 44 3747 4* 3953 41 4206 44 1468 Si
- 3 44 72 64 84 12 85 5 57 95 25 70 14 _ 60 68 a> 7 8 62 59 12 75
4 80 67 _ 90 __ 16 91 23 58 99 28 75 16 mm. 64 72 18 10 68 62 15 92 1CC1
5 _ 82 78 _ 93 19 95 29 59 1906 31 78 29 ajBM 73 76 19 16 69 68 25 96 44
7 _ 83 79 i . 96 25 98 34 64 10 32 81 84 32 __ 75 86 22 23 71 79 29 1506
_ 87 8* 81 mmm 701 29 1200 39 65 14 36 ,44 99 45 M 76 92 31 26 88 4:0004 90 38 7
16 % 4* 86 _ 7 31 5 Si 40 77 18 37 2401 47 _ 78 95 32 30 92 41 93 45 18
24 97 88 mmm 14 42 7 4| 42 78 21 39 3 49 .... 82 97 38 30 96 94 56 22
25 99 . 92 _. 15 43 9 43 79 22 46 __ 4 57 aaj 84 98 41 37 98 4005 60 30
30 _ 212 ___ 97 16 48 13 45 80 85 25 81 49 M 66 jBj 87 3107 42 42 99 6 65 33 ...
33 _ 18 402 _ 17 53 15 47 81 11 30 41 53 12 78 mm 88 19 45 84 46 3803 16 72 42
34 20 --- 7 84 29 60 27 49 84 34 60 25 80 mm. 90 21 57 41 62 7 Mt 17 74 43
H i 22 . 21 41 30 62 _ 35 58 _ 86 _ 43 62 _ 28 81 mW 93 25 58 67 84 8 27 81 45
38 -_ 35 26 33 81 72 t 36 60 __ 92 201 51 i _ 31 86 ^ 94 30 60 81 82 41 44 ^ 28 84 48 40
39 mm 41 __ 32 __ 37 41 74 __ 37 64 95 41 53 65 90 mm- 98 32 l 41 83 22 ^_ 34 97 * 52 V
43 mm 50 _ 45 __ 39 87 38 65 97 69 73 68 99 mm 2109 35 65 85 23 _ 38 4306 53 -,.
44 __ 52 ,. 49 _ 47 89 __ 40 85 1705 ,.. 78 76 74 - 2701 ^aj. 14 42 66 90 27 39 9 _ 50 _.
45 /53 _ 56 50 . 98 41 88 8 ^^ 85 2208 76 7 ?0 18 43 70 98 28 40 13 61
49 _ f 57 201 64 _ 55 _ 1006 42 91 19 mmm 88 9 _. 79 12 81 V 49 83 3601 30 43 17 79
SO -/ ;,9 41 71 aja, 56 mm 8 46 1503 21 mmm. 93 17 87 16 44 33 53 85 6 32 47 ^ 18 80
51 M 70 75 __ 62 mmm. 11 H 47 6 22 1 94 _ 22 _ 89 m^- 17 36 58 86 81 15 ** 37 52 401 30 84
53 h 78 81 78 __ 65 __ 14 4/ 51 34 25 aaaji 97 __ 32 91 ~~ 18 t. 43 60 6 41 16 -~ 41 55 41 32 85
54 79 u 90 67 26 54 44 34 _ 99 __ 35 _ 92 "~~ 21 51 93 97 81 17 45 65 33 92
k 56 \ ~" 80 94 , 71 _ 29 67 48 40 ... 2003 ^_ 37 93 26 m 65 3204 3402 44 18 47 70 37 404 97
1^ 60 84 i 512 _ 76 _ 45 _ 75 49 81 M _ 5 ^_ 40 2502 29 m 69 7 13 1 32 52 79 41 41 99
64 mm 86 ,,, 28 mm 78 mmm 52 81 81 57 41 60 __ 10 84 43 4 30 m. 72 -~ 11 16 36 mm 54 83 46 4602
70 _m_ 88 w 33 81 _ 60 41 84 59 63 mmm 20 44 49 8 36 m. 75 12 81 20 42 56 --- 91 49 3 .
73 aa 93 . 37 mm 82 --- 63 93 60 64 28 51 9 38 m 76 17 41 22 44 62 97 66 5
84 _ 94 ,1 45 __ 85 i , 65 aa** 95 61 65 32 53 12 81 49 m. 77 19 25 46 66 4100 73 15
86 mM 95 aaSM 66 - 95 i , 81 mmt 97 - 68 66 1. 33 _ 54 20 41 51 m 80 21 30 84 48 78 4 204 78 20
88 98 ... 72 - 99 i 87 mM 1303 69 67 1 34 _ 58 23 52 85 26 32 84 54 87 --- 7 41 81 24
95 mm 99 ... 75 _ 800 4 90 mm* 4 71 77 _ 36 , 62 27 58 m. 86 31 34 44 M> 0 12 86 2b
104 301 4 7 12 13 31 79 91 mmm. 7 77 79 _ 41 , 67 89 33 69 0 81 37 35 68 92 17 87 28 m
14 19 81 13 96 mmm 10 80 88 44 _ 35 71 96 44 38 44 73 ~ 96 24 0 32
87 14 1110 81 18 82 96 46 91 36 72 97 39 49 79 68 26 94 33
20 93 _ 23 .11 41 20 84 81 1810 58 94 39 91 m 99 47 i 56 *- 88 3901 --- 30 4404 34
21 94 __ 29 23 21 86 4 12 --- 66 _ 99 51 9 3002 61 62 92 7004 4 --- 59 6 i/a
V 22 __ 603 w 32 _ 26 23 92 19 67 _ 2301 mm 53 2801 mm 4 52 64 94 44 13 61 9 82
24 32 , 27 38 _ 30 25 201 1606 22 --- 78 mm 4 67 6 mm 16 55 73 95 17 62 13 8
34 35 32 39 38 26 27 41 8 25 8 81 mmm 8 m. 69 7 m. 19 68 76 3701 18 67 aaj 18 II
37 _ 38 41 49 51 9 40 4* 86 mmm 13 70 8 204 21 61 78 14 21 69 ~- 24 m MBj
43 42 42 50 _ 54 34 16 42 90 _ 15 _ 72 14 44 31 63 79 17 23 71 25 m mm
44 44 84 52 . 57 69 51 23 44 95 M 24 pp* 74 22 33 65 84 18 29 74 26 204 63
84 48 41 53 68 70 64 - 25 45 69 _ 35 mm 82 25 . 41 73 94 23 30 84 78 40 44 69 aa
56 -.4 54 56 73 73 76 28 57 _ 2107 , 44 pp 85 28 m 42 78 3102 33 31 41 83 53 71 84
* 1 _ 55 67 78 75 79 401 33 61 8 mm 46 wm 8'/ 30 mm 51 2024 83. 3 3b 34 60 57 72 44
62 56 88 76 83 41 34 69 _ 10 i 50 M 93 34 68 14 94 4 39 43 91 58 mm 80
' 63 57 ~ 73 99 77 96 38 mm 72 mm 11 , 52 -2600 45 m. 59 97 5 84 42 48 6 59 92 *
65 58 *" 1 79 905 80 1401 81 48 73 13 54 1 3 48 - 63 - 3302 44 45 62 , 4104 60 97


8
Diario de Pernambuco Quinta feira 25 de Marv;o de 1869.
LETTEBATRA.
Ao marechal Caxias
Tajabem sou filho desla Patria augusta
Que as sciencias... no valor se arrima ;
Pelo que devo, com razo bem justa,
Saudar o bravo que na historia prima,
i! to sublime de uin gnerreiro altivo
Que dq trepida no jogar da bala;
Antes se porta, c'um denodo vivo
Quando aproxma-se ao trovo que estala.
Gigante nobre que o perigo affronta
(Jo' a mo na espada relusente e fina;
)f! um lado*a outro no corcel que monta
Grita s pbalanges, a mauobra ensina.
A este mesmo cavalleiro antigo
Sando agora comrespeito santo!
Tambem das aras du meu peito amigo
Desprendo o voto que eu assim descanto:
Senhor f mais vida, redobrados das.
Junto consorte que vos ama, adora...
Fasei que goso o Marechal Caxias
Que da campauha regressara agora 1
Lembrai-vos deste que qualquer recrula
Converleem hbil... no momento serio;
Dai-lhe a sade que perdeu na luta
Da santa causado brasileo imperio!
fructo dos bens que lhe dava, ot que por
sua niorte herdasse. Prudente foi a esti-
pulado porque o lord em um debochado
e perdulario, que dava muito m vida
sua mulher. Elle havia sido desterrado d*.vai salvar um velho! Sua existencia um
Quo assim da magoa o venenoso espinho
Vira deixa-lo socegar da lida...
E ter sombra do seu patrio ninho
Doces venturas ao murchar da vida.
Enthusiasmo! brasileiro povo!
A Deus um voto pela Patria amada;
Tambem um outro ao Veriato novoj
Que sabe deslromanear a espada!
E traz agora do porvir a esp'ranca
as louras palmas no pendo da gloria:
Forma de tudo que na guerra alcanca
Um ramalhete que sorri:Victoria!!!
1869.
Just' Francisco de Mendonra.
Amor materno.
Yox auita est iii Ifoma...
Racialplorans lilios saos...
El noluil consolari qniajam nonsunt...
Cada vez que lemos estas palavras da santa
escriplura, estas palavras que em sua sin-
geleza revelam os mais recnditos arcanos
do coraro materno, os mais pungentes se-
gredos da dr, cae-nos o livro das mos,
e absortos parece-nos ter ante os olhos
essa mo sublime, que nao quiz ser con-
solada, porque elles, seus illios, j nao
existiam !
Livro sagrado, quando para provar-nos
(jue nao s obra de homens, que s filho
da inspirago, faltassem argumentos, bas-
tar leu estylo para convencer os mais
incrdulos, bastara tua poesa a tua clo-
quencia !
Mas onde nos leva a penna ? Nao o
elogio da Biblia, nao sao bellas p'urases
sobre o amor materno que intentamos es-
orever; queremos, sim, leitor benvolo,
contar-vos una historia.... E a historia
de Roff, a historia do um cao. Ouvi-nos :
Na cdadi- de Londres, em urna casa
de Euston Square morava urna familia
abastada : tudo do seu interior annunciva
a independencia de fortuna, filhada liber-
dade e do cominercio ; nada faltava, nada
avia de intil, verdadeiro justomeio entre
o fausto da nobreza e a miseria do povo.
Virtude do protestantismo, o aceio reinava
em toda a parte; s 9 horas todas as
camas estavam Gaitas, toda a casa varrida c
lmpa, .todos os movis sacudidos: era o
silencio de um templo methodista e o aceio
de um cscriptorio liollandez.
Era a morada de mistriss Philipps, filha de
um opulento mercador de ferragens, que,
tendo em seu negocio agenciado grande
fortuna, ai bou que devia com ella dourar
o brasio de um nobre faminto, dando-lbe
a mo de sin filha; mas o mercador nao
foi to nesco que nao sou'oessc ass>'gurar
o futuro da filha, pelo que no contrato de
casamento estipulan (pie ella conservara
intera a pmpriedade, administraco e uso-
FOLHETIM
OS DRAMAS DE CAYENNA
pon
lie Berthet.
VII
A vlagcm
(Continuaco do n. 67)
Eolio passou a informar-se com Jose-
phina acerca da sua vida e meios de sub-
sistencia*, ao que ella satisfaz, expondo-lbe
as princpaes circunstancias que lhe dizam
respeito. Apresentou-lhe seu irmo de-
signou-lhe receiosa o capito Grandval, de
quem fallou como de um antigo amigo da
sua familia.
Sror Rosala pareceu ficar satsfeita
com estas explcacoes e disse-lhe :
Reconheco que urna rapariga cora-
josa e resoluta, possuida da f ardente
com que se triumpha de todos os obstcu-
los... Porm diga-me : nb conhece nin-
guem em S. Lourenco "?
Josephina ia a responder, quando casual-
mente olhou para o lado, e vio all muito
prximo Rigaut, cuja presenta lhe causou
tal impresso, que lhe embargou a voz.
A freir notou isso e encarou com Ri-
gaul, que recebeu o seu olhar com des-
dem.
Conhece aquelle forcado ? pergun-
tou ella a Josephina. r
Se conheco Foi elle a causa da
perdicao de meu pa e contina a ser a
de todos os nossos males t
Pois eu veje-o agora pela primeira
vez, mas sempre bom ensinar-the cor-
tezia !
Ao mesmo tempo esta mulher, que at
all se mostrara to benvola e humilde, er^
gueu-se apressada, e, encamiobando-se
resoluta para o Toreado, disse-lhe altiva-
mente :
Que quer aqui ? Para que veio a
Londres, e do seu desterro so se lmbrava
de escrever-lhe para lhe pedir dnhero.
para araeaca-la e para descjar-lhe a morte,
alim de poder, como tutor de sua lillia,
entrar na administraco e goso de sua for-
tuna, e esbanja-la.
Mislriss Philipps tinha urna filha, a pe-
quena Lucy, menina encantadora, como
sao todas as meninas em Inglaterra.
Na poca em que vos apresentamos essa
familia, Lucy tinha quatro anuos, e nada
havia mais lindo, mais engracado do que a
pequea Lucy, que era o objecto nico dos
pensamentos e dos desvelos de sua me e
de Sarah, criada da casa que lhe servir de
ama. Mil vezes ambas se encontravam
aka noute ao p do berco de Lucy; vinham
ver se ella dorma socegada e se a luz da
lampada n5o lhe dava nos olhos; mas tudo
isso eram pretextos; o que as levava all
era o desejo de respirar o hlito de Lucy,
de bejar-lhe a anglica bocea, e de con-
templar absortas asgracas de sua filha.
Mas o medico havia prohibido a ambas
essas imprudencias, porque ambas eram
doentas, e podiam assim comprometter sua
saude: um rheilmalismo agudo alRigia Sa-
rah, e mistrss Philipps depois do seu par-
que porta espera-o urna carruagem que o A menina rio-se. Sim, porque me ti-
deve conduzir presenta de u:n velho, que I nham ensinado a dizer que me chamava
tora accommettido de urna apopJexia fulmi-lSophia Vernon, e que morava ra Keppel
nante. Acaba de dar vida a um infante e
to enlanguecia diariamente.
as duas mis,
Quando se encontraran)
Sarah dizia:
Que vindes fazer aqui ? E vosso rheu-
matismo?
Eu ouvi a menina chorar, responda
mistrss Philipps.
E' falso, responda Sarah; ha mais
de duas horas que estou acordada.
Ah! senbora, tanto tempo acordada,
e o medico, e vossa sade?
Olha, Sarah, olha para Lucy, v como
dorme! Como est sorrindo!
E ambas emmudecam contemplando e
adorando Lucy. Sim, que as meninas quan-
do dormem sao anjos, soben) ao co, e se
nao nos dizem o que l veem porque se
esquecem.
Mas, quem era esse medico, cujo nome
Sarah invocara? Consulta o leitor que com
elle gastemos algumas palavras.
Chamavam-o o Dr. Yorg; havia sido o
medico da mi de Mistrss Philipps, e por
isso exercia a autordade de av6 sobre toda
aquella familia; confidente das enfermidades
do corpo, tinha alcanzado seinindiscripcao,
pelo ascendente nico de sua positjo, a
confidencia das enfermidades da alma. Ami-
go da mi de Mistrss Philipps tinha aeon-
selhado seu casamento e o bom emprego
de sua fortuna.
.Mas, como a m conducta e o abandono
de seu marido a faziam desgranada, con-
ilemnava-se com a devoco de un bom pai.
a reparar o erro de que fra causa involun-
taria.
E quando as forcas de sua protegida ce-
dan) ao peso dos desgostos ; quando a ir-
ritaco moral, nlluindo no sangue, se trans-
formavaem languidez febril, depois de ter
combatido a tristeza com palavras consola-
doras, combata a enfermidade com as ar-
mas da sciencia.
Apontando-lhe Lucy, to fecunda em gra-
bas e belleza, obtinha que um sorriso de
esperanza animasse as macilentas faces e
os labios descarnados de Mistrss Philipps,
e assim, por meio da mi, salvava a mu-
lher, como s vezes se cura um membro
doente, tratando de outro membro.
Por inconcebivel faculdade de sua nobre
profisso, o Dr. Yong exercia em vinte fa-
milias diversas essa doce fraternidade da
sciencia, sem nunca se esgotarein seus re-
cursos de afeico e bondade.
Avaliaes bem o sacrificio deste homem
que, emquanto pensaes em vossas rique-
zas, em vossos prazeres, ponsa em vossa
vida, que gastaes na luta aspaixbes? Para
vos a alegra, para elleun operaco do-
lorosa precodeu seujantar, outra o espera
do seu despertar, e sua mo nao* deve tre-
mer.
Emquanto rides, elle pensa; emquanto
ilansaes ao som de mil instrumentos, ao
ciarlo de mil bugias, elle recebe em seus
bracos a joven esposa, na hora dolorosa do
parto; passa a noile em p junto della, ani-
mando-a com a idea da mal sroidade. Ei-la
mi; retira-se, nao para ir deseancar, por-
este lado do convez reservado para as se-
nhoras e passageiros livres ?
Rigaut responden o quer que fosse des-
agradavelmente, porquanto a religiosa pro-
seguio:
Ah elle isso ? Chamen) o com-
mandante da forca e ponham este homem
a ferros at chegada de S.-Lourenco I
A superiora da Ordem de S. Joseph ti-
nha poder-para infligir tal correccSo, e j
um marinheiro se dispunha a dar comeco
de execucio s suas ordens, quando Jose-
phina implorou perdo para-elle.
Se assim o quer, seja, minha filha,
anda que eu devera talvez...
E, dirigndo-se ao forcado, continuou :
Agradeca a esta senhora, que nter-
cedeu por si, porm nao torne a appare-
cer minha vista !
Rigaut comprehendeu que a cousa pode-
ra eomplcar-se desagradavelmente para
elle, e por isso tratou de se retirar, nao,
todava, sern fazer urna careta ridicula, que
sror Rosala nao vio ou fez por nao ver.
Ellas retomaran) o seu lugar n'um ban-
co. Este incidente, era que a religiosa se
manifestara sob um aspecto to diverso,
intimidara um pouco Josephina,-* qnal se
nao animava a fallar, porm sror Rosala,
mostrava ter-se esquecido do que se pas-
sra : reassumira a sua benvola placidez,
e mostrava jovialmente a Josephina s pa-
sagens que se^ reproduziam de um e outro
lado do rio.
Tinha-se chegado s alturas do Maroni,
onde a mar pouco se fazia' sentir, e, por-
tanto, os arvoredos, que at all formavam
urna especie de muros de verdura, come-
cavam agora a ostentar um aspecto mais
variado e grandioso. Era urna verdadeira
floresta virgem que se estndia no hori-
sorrte, com sias cpulas gigantescas, um
espesso labyriritho de cannas da In Ira, pal-
meiras e outras arvores colossaes, com seus
interminaveis [cipos, urnas em si masmo
floridas, outrafe carregadas de parsitas a
formarem maavilhosas grioatdas de flores.
Ai disformes javes aquaticas succediam-se
agora outras fprnmissimas, taes como os
pombos de cojo"dourado, ou tcanos no-
taveis pelo hiiW7 sem fallar na numerosa
familia dos pbgaios.
Como o -navlcrse approximava m algtms
combate continuo, o espectculo da hu-
manidade empergo e agonizante.
E depois que o menino nasce; depois
que o velho voltou existencia, do altjuns
vntens a esse anjo da ressurreia i o diz im:
paguei-lhe o seu trabalbo! E o medico re-
cebs esses vntens, e nio tem o direito de
queixar-sedaingratido dos homens!
Descrevemas todos o personagens do
drama... mas falla-nos.fallar do principal,
de Rog.
Rog era um cao da mais fea rara; seu
pello era de urna Cor escura; suas orclhas
disformes, e quando urna se levantava. a
outra se abaixava, signal phrenologco dos
caes ladroei.
Apezar, porm, da sua fealdade, apezar
de tudo, Rog era engracado, porque Rog era
novo, e tudo que novo agrada: ftog era
o companheiro inscparavcl da pequea Lu-
cy ; ambos brncavam juntos, junto rolavam
pelo chao, e juntos dormiam abracados. O
nico enfeite do cao era urna colleira de latao
com este letreiro:Rog pertence a pequea
condessa Lucy.
t'm dia... Mistrss Philipps, que se sen-
ta ir desfallecendo, providenciara, com o
seu amigo o doutor, para que a fortuna que
tinha de pertencer a Lucy, fosse posta a
bom recato, escipando assim da admnis-
traco de seu marido, tutor natural dame-
nina.
Um da... as portas da casa de Euston
Square estavam eseancaradas, cousa sem
exemplo nessa morada da* ordem edoso-
cego.
Mistris Philipps interrogava Sarah com
gestos e com palavras,
Examinastes tudo, Sarah ?
Examinei tudo, minha senhora, ludo.
Ojardm, tambem?
O jardim, o piteo, os-armarios... fi-
nalmente, tudo.
Nao vos lembrastes que ella costuma-
va brincar debaxo da cama ?
Tambem procurei-a all.
E as aguias faltadas?
A menina nisica foi a esse- lugar.
Mas Sarah subi s aguas furtadas, e de
l gritava:
Nao est c, ainha senhorai
A ra eslava em alvoroco, as janellas
abertas, e Mistrss Philipps e Saraha todos
pergimtavam se tinbam visto Lucy.
Nao, era a respota de todos, resposta
que esmagava como urna massa de ferro o
coraoo da infeliz mi! Certeza horriwl!
Ninguem n'aquelle quarteiro sabia da me-
niiw, nnguem pota dar inlbrmaeoes- della.
Miis, Sarah, dai rae um conselho: di-
zci o que devo (azar!
E Sarah, petrificada, nao poda fallar,
atque Mistriss Philippslembrou-se do Dr.
Yong, e foi ter com elle..
Sarah, nao vos retiris daqoL. Sim,
fica para recebe-la q.imdo a trouxerem.
Aqui tendes a chave da minha secretaria,
o dai dez mit guineos a quem a trouier, e
mais anda, se mais vos pwdirem.
E ei-la, a pobre api, correndo pesruas
de Lo.ulres procura dililha e da casa do
medico;
Chega-se a todos os grupos de meninas,
que encontra, olha para ellas, e as amaldi-
Ca porque nf-o ve a sua. Lucy!
"Exhausta de forcas, j Bao pode correr,
e prostrada, semi-morta, acha-se, sem sa-
ber como, ptM-lo diiuin cemiterio: meninas
vestidas debranco estaram. juntas e nao
brncavam. Um pensamnto serio as preoc-
cnpava.
Sois vos, senbora, disse urna detlas,
a mai da menina alo i d i. cujo crpeespe-
ramospara acompanha-lo sepultura?
Mistriss Philipps tremeu, e como voz ater-
radora exclamou: Afogada! D sde qtiando?
Desde hontem, deveis sabe-lo> por-
que sois sua mi.
Minha filha ainda esta minhila eslava
viva f
E como nos disseram que- morreu
hontem?'
Minha filha nao morreu, no.pordeu-
se,e eu^i estou procurando.
Nao vos lastimois, minha senhora,
porque eu tambem perdi-me quando tinha
i anuos, e levaram-me para casa.
Levaram-te para casa, viva?
n. 20. Mas, minha Lucy nao sabe onde
mora.
A desesperaco tem gradacoes e nao
mata de urna vez. Ella varia de forca,
zomba denos e mente!
A crise das lagrimas chegou, cmim, pa-
ra Mistriss Philipps.
At agora, disse, ten o procurado
minha filha, mas ainda nao pergnntei a
nnguem por ella.
E, chegando-se a um liemem que ia pas-
sando. perguntou-lhe :
Vistes, por acaso, urna menina de
quatio annos, muito linda, vestida de blan-
co, com um avental verde e um chapeo
cor de rosa? Senhor, eu sou sua mi,
iL'spondei-me pelo amor de Deus.
Senhora, respondeu-me o transente,
achastes por ventura tres mil guineos, ainda
novos, que eu perd no jogo? respondei-me
pelo amor de Deus.
A infeliz.- mai julgava fallar com um ho-
mem, e faltava com um jogador
Finalmente, ella aehou-se em um caes,
onde muita gente cercava um homem, que
la um prego, confundjo-se com a mol-
tidio, e t)uvio-se attentamente o homem
dizer:
a Perdeu-se boje s quatro horas da
tarde unw menina de quatro annos. que
morava em Euston-Siptarc. Essa menina
trajava vestido branco cont-nm- avental
verde.
Engan#-vos. senhor. grita a infeliz
me, essa menina trajava vestido branco
com um avental verde, e um chapeo cor
de rosa.
Olhem a ladra, eritaram mil votes-.
D-nos conta da menhm
. Nio fui e quem a furtoo----- E&
sou sua mi, e procuro minlia filha-----
T, tua mi, t, miseravol?
Serei o que' quizerdes, mas sou sus
mi.
Se s sua mu, toma, aqui est tua
fdha, dtese urna mulher, trazendo- nos bra-
cos uma.crianca.
Mistriss Philipps precipitoose obre a
crionca e depois d'me:
Nao, estawnenina nao b a> minha fi-
lha.
E as mais que se acbavam presentes,
consternadas, abracaran) suas filhas.
Eram duas horas da madrugada ; ha-
viam dez horas que Slstrss Philipps tinha
saludo; e dez horas tambem que Sarah a
espera va.
As daas mulheres encararan)-^'-" sem se
fallarem^at que a consternada mii, rom-
pendo o silencio, disse:
Sarah! Lucy iijantou. iucy tem
fro, Lucy qu:r dormir.
E depois dirgio-se para a cama da filha.
POUCO DE TTTDO.
SOFFRIMENTO.E' do Sr. Amaro de
Souza P. Pessa, a seguinte poesa, sobre
o titulo maigera :
1
Meu Deus bem sabis que sou bem moco
E que no coracio. calar naoposso,
To ingente dr!
Meu paludo semblante macilento
Rem mostra que nao goso um so momento
Carinhos e amor!
A morte! a morte 9empre me viga
Negro fadario o constanto guia,
De meu lbrego ser:
J ouco murmurar em surda voz
Crianca softrers lormemto atroz,
Carpindo has de morrer;
[pepela de amargura bebo a taca,
E cinta que me cinge da desgraca,
rija fttraco...
Um ttrico punhal sinto bem forte ;
Pouco a powco cravar-me a dura morte,
No dbil coraco!...
Que me importa, meu Deus t deixar o mundo,
Que p'ra mim sempre foi muito fecundo,
De rigores cruis... t
Que sempre ao extermimo me arrojaba
E jamis em momento se, me dava;
De horas de mis.
Nunca deixes o teu enthusiasmo.-
Folga e sorr!'
Porm eu nada nada replicaba;
Desta sortc comigo s fallava:
Deixa-me... euida em ti
O meu canto um fnebre suspiro
Que caza-se ao gemido do vampiro,
Solitario a errar l
Adequado- ao piar do mochoao longo
Ao ambiguo soluco, sim! do mong*
Naelaueura a orar!...
Sou um pobre mancebo que divago
Neste orbe engaoso...e sempre trapo>
De dores- um punhal!
E punhal que meu peto dilacera.
O que jamis entao soffrer quizera
Mas soffro! fatal!
Nunca tive umac'roa bem onada
Nem urna muito-pobre; preparada,
De singellas fbres;
Nunca tive oa frente om lampadario,
Nem-mesmo semi-acceso... nian-fadarib*
S ter rigores f
II
Bentrm'tBeebo cafe j estafado
No marco da estradamagoado
Quasi sem vida!
Viandante nenlium dizer ouv
cujo tsavessoiro cobrio de beijos; o-voltan-
do-se du com Sarah, em cujo bracos-i 9ie'^n,fs enanca? pbrenesiv
^.lun utii^nHn E dor crescida ?
cahio sotucando.
Dous gritos se ouviram ao mesmo- tem-
po : *
as oovis ? E' ett<*. elle. Sim,
Rog que est ladrando: E' Rog que traz
a menina;
E ambas de-sceram para ">brr a porta a
Rog, que, enlameado, trazia na boa un)
Ot&SQ!
No dia seguinte, o Dr. Yong consokiva as
duas mulheres, e dzia-lhes:Nao vos dei-
xeis abater: esperai ainda.
E vos tendes alguma espera-pea ?
Sim* espero, porque confio na efi-
cacia de multas meios de que vos i.ao lem-
brashs.
Um signal oegativo e um leve movimento
de cabeca foram a nica, resposta .'aquella
mi inennsotare!.
Sim, continuou o doutor, eu espe-
ro.. ? porque nnguem; rouba urna crianca
para mata-la ou para vende-la. Deve-se
ter em-. vista af*um inieresse-----c talvez
que offerecendo dinheiro, vossa liba vos
soja restituida.
Mistris Philipps sabia ento do torpor
em que estava, e olhou para o doutor, que
proseguio:E como sao sempre pobres os
que roubam enancas, olereceno dnhe-
ro...
1 Sim, doutor, exclaman a mai, offe-
recendo dinheiro, muito dnhero, a nossa
filha nos ser restaida. Sarali, dai-me
papel e urna peqna.
(Conlinu.r-si'-ltaj.
Immove!, mudo por espaco longo,
Mefcjpeito- esfro, minha vista allongo,--
Mh* nao vejo nnguem !
N'ccossitada far-me-hei pasante
Erome... marcho sem> mentor avante
A cnsto voaim!...
Se acho eusto um >iajor, se aco.
Me curvo. e Ihanolhe pergunto baixo z.
Se me pode guiar.
No1 nae responde o viandante tri ste,
Pois-ceg tambem -ou~. enaexiste ..
deseje me enviar I
pontos muito da trra, poda lancar-se um
olhar rpido sobfe as clareiras formadas
na orla da floresta, ou em razo de qual-
quer arvore derribada ou por outra qual-
quer circumstancia. Isso ento era des-
lumbrante. Por entre aquellos reductos de
folhagem, dourados pelas irradiacoes do
sol, viam^se mil seres maravilhosos de
formas e cores admiraveis. Micacos gran-
des c pequeos balougando-se e fazendo
as suas incriveis momices sobre os entre-
lacados cipos ; a indesoriptivel variedad
dos papa-moscas, pica-flores, assticareiros,
descrevendo em seu esvoaoar em torno
das flores cintas de azul purpura e esme-
ralda, rivalisando em presteza, formosura
e brillio com as borboletas de dimensoes
desconheddas nos nossos climas, -quelhes
disputavam aquellas odorferas corollas.
Bn alguns pontos, mas esses raros, a
orla do arvoredo interrompia-se para dei-
xar ver urna rea de terreno roteado, rela-
tivamente pequeo, que fra como que
conquistado ao dominio da floresta, e onde
se achava urna solitaria habitaco, alguma
choca de negros ou um engenho de assu-
car. Em roda estendia-se urna plantado
de bananairas, cacauzeiras e cafezeiros, ou
ento campos de canna doce, de uruc, de
algodoeiros e raandioqueiras. Mas, pro-
longando o olhar, l se va a natureza a
reassumir os seus dreitos, a floresta a
apagar com a sua desptica vegetaco todo
o vestigio do trabalho do homem.
Sror Rosala, cora a maior condescen-
dencia, ia explicando a Josephina varas
cousas das que a miravilhavam. Disse-lhe
a razo porque o rio Maroni estaheleca os
limites entre a Guanna franceza e a Guiaa-
na hollandeza, de forma que urna das mr-
gens era territorio da Hollana e a outra
da Franca. Esta circumstancia causou
particular interesse a Josephina.
Ento, minha irma,disse esta coa
vivacidideos degradados devem evadir-se
com facildade, visto que, para se acharen
em paiz estrangeiro, s Ibes basta atra-
vessar o rio.
A religiosa sorrio-se.
ET justamente o meio mate jwrigoso
de evasao esse que Ibe parece olmais fcil.
A Ilollanda tem fefto com a Franca um
tratado de extradicelo, em virtue'do qual
logo que um forcado apanhado em
territorio estranhos devolvemrno sua res-
pectiva procedencia. Na Guanna ingleza,
posto que mu distante, que os (breados
franeezes poderiam adiar refugio, por
quinto a Inglaterra s admiti a extradic-
Co em casos especaes, porm entre a co-
lonia inglesa e a nossa medeam desertos
intransitaveis. sendo certo, que sopor mar
alguns (breados teem obtido transportar-se
para all.
N'esse caso,redarguio Josephina, a
qual, como se pode ajuizar, tomavs grande
interesse na conversa-^a fuga pelo interior
do paiz nao me parece offerecer dilficul-
dades invenciveis. Estas vastas florestas
devem ofrecer seguro asylo, podendo ah
viver-sejcilmente om razo da glande
abundancia de caca o fructos.
o ouvir isto, a freir nao pfida repri-
mir um signal de compaixo e ao mesmo
tempo de irona, proseguindo :
Ah minha querida, bem se v que
falla sobre assumpto que desconhece. Em
primeiro lugar, devo saber quo no alto
Maroni, para alm das penitenciarias onde
no dirigimos, existem bordas de negros
selyagens, chamados Bosn, os quaes, at-
trahidos pelo premio que o governo con-
cede a quem aprisiona, um forcado evadido,
perseguem qualquer fugi^yo, segundo-lhe
a pista de tal forma, que raro dexarem
de o trazar vivo ou m irlo. Em quanto
estas florestas, to bellas na apparoncia,
nj faz idea do que ellas encerram de hor-
rivd e perigoso.
Enllo iniciou-a nos mysterios d'aquelle
extraordinario paiz, de que Josephina s
vira, por assim dizer, as formosas aves e
lindas fbres. Fallou-lhe d'essas breabas
impenetraveis, onde o proprio sabr ira
potente para abrir caminho, e onda se pode
andar perdido muitos mezes n'um circulo
vicioso, sem se chegar mesmo a sahir
d'elle, e onde o jaguar, a serpete de ca-
bello, a do coral e o cascavel ameacam o
komem com a mais horrorosa morte. Des-
croveu-lhe as ribeiras e lagas. onde
pullulam os jacars, e as quaes difcilmen-
te se podem travessar a vau ou nado
sera se ser devorado : esses bosques palu-
dosos onde, se se escapa de ficar sepul- i
fado nos profundos abysmos do Iodo, -se|
Phaiitasma.horrivel so approxima mim,
Detm-me o passo...muiU) titano- assim
Saihudo me diz:
8ota! kia croa o martyro,
Has-de sempre vi veres em delirio
E sers infeliz!
Minha fronte gelada. mu palpita,.
Mu me abraso em febril... minha dita
ASvSim viver!...
Jamis tie pequea.um^meigaice,
Nemum riso, um affago, urna lac-.-.
Vivo a padecer!
Meu Deus desprezar eu quero o manco
Porque almjo consumir, do fundo,
Be meu peto o rigor!
Pos quero no sepulcho descancar
Meu corpo... e que minh'alma v
Aos ps do Redemptor! folgar..
111
Ah! foste sim perjura virgem
De meu padecimento a grande origem
Tambera de meu rael!
Foste quem me fizeste prantear,
Quem fizeste no peito cu collocar,
Um acerbo punhal! .
Nao! nao venhas mulher m.iis tos Mena Iirac
Pois nao quero te ver... volve leus paseo**
Sem algum rcceiof
Vaisolucando triste emagoad*
Reclina tua fronte rgellada
No palpitante seio!
Deixa-me mundo descancar um pouco
Nesta viagem que me torna louca.
Mas sem estar!
Quero pois me olvidar dos meus tormentos.
Nao quero mais soltar tantos lamentos,
E tambem pranteas-!
Quero escutar o canto da gaivota
Solitaria a vagar na praia ignota
Do verde pal...
Entre as uzes luzir os pyrilampos,
Quero ver... e var mochos nos campos,
E passaros no azul!
Quero ver jassear ebrnea a la
Sob agrande campia linda, c nua
De estrellas bordada /
Tambem quero que a briza da esperanca
Venha banhar a fronte da crianca,
Que tem vida maguada!
Nao quero mais vver triste e severo
Assim como viveu o baldo Asdvero
O anathema a ouvir
Meus olhos quero ter filos aos ceus.
No meu longo caminho, invoco a Deus
Para me dirigir'.
Ah! falsa mulher! vai bem ligeira
Junto a urna bem lnguida palmeira,
Dorida te curvar. .
Nao trepides se ouvires serodio
O estertor do vento muito fri
Pelo co a vagar!
Nao, nao temas se vires mu distante
Um erguido cruzeiro... e a cada instaste
0 co faiscar
Por mim pecas a Deus ? pois mui preciso
Que minh'alma v rindo ao paraizo
5 Quando triste finar!
IV
Meu Deus! mas nao quero neste exilio
Me acabar... quero ter um d micilio
E menos soffrer!
Quero menos pesada, e rija Cruz
PYa meu caminho setal accesa luz
Pois almjo fazer!...
Milito anhelo que n'um algur funreo
Preparado seja ento meu cemiterio ;
Quando finar.
Lugar que bem penetre a doce la,
E que se desemrole a vaga nua
Arrojada do amor...
N'um singlo localde mui arvres,
Esmaltado de mu sigalas flores.
Lindas, c perfumantes;
Lugar que bem penetre assiduamentc
Do astro do sol d'ouro reluzente
Os raios brillantes
Ah! nao me importa disprezar o mundo
Porque anhelo consumir do fundo
Doaeu peito o rigor!
Pos quero que minh'alma pura, e crente
V n'um \6u chegar assaz contente:
Aos ps do Creador!...
CATASTRIMIE TERRIVEL. Acontecen
na Blgica una terrivel desgraca, cmpara-
vel com a calastrophe succedida no ultime
vero a um carregamento completo de ni-
troglycerina. DeetafvBZ foi una caldeira
da mina de Rawenarstllanaul) que reben-
tou com estrondo espantoso, destrunda
s edcios, e mandando a ruina para todos
s lados.
A explosao, como a do Quesnast^ foi
ouvida na distancia de muitas millias.
Mas as consequencias sao terrives. Na
occaso do desastre, de :ifiO mineiros ha-
viam descdo mina Lo2. As ruinas, e a
trra bocada pela machina, taparan) a
abertura do poco, e os 25i infelizes na
hora em que mandaram a noticia, estavam
anda sepultados vivos.
forcosamento fulminado pola electricidade
que laucara os girauotos, ou comprimido
as roseas das giboias, que teem trinta a
quarenta ps de comprimento. Fez-lhe
comprehender comon'uma fliresla virgem
um homem que nao seja indgena morro
necessariaraente lome. Contou-lhe fi-
ualmente como alguns infelizes degrada-
dos, tendo-se evadido das penitenciarias e
depois de se haverem embrenltado as
florestas, haviam voltado espontneamente
desfigurados, extenuados de fadigas, co-
bertos de chagas e preferindo soffrer Jodas
as aggravaces da pena em que incorrem
os. desertores a viver um s dia inais
aquella horrivel vida dos bosques.
Josephina ouva estes promenores com
verdadeira afflcco, e, como se conservasse
silenciosa e consternada, sror Rosaba tirou
de urna circunstancia que acabava de dar-
so um novo argumento para comprovar os
horrores d'aqudile clima.
Ouea minha filhaproseguio ella.
Quando em Franca li a Biblia no ponto em
que so descreve o castigo que Dos impo-
sra raaldade de Phara, eujdanrlo os
mosquitos aos perseguidores dos llebreus,
nao fazia idea do que podia ser aquella
praga do Egypto ; aqui comprehende-se
hem qumto ella seria horrivel. Dos fla-
gellas d'este paiz, o dos mosquitos talvez
o mais fhsupportavel, e o suppjicio que
estes monstros alados fazera soffrer noute
e dia a urna creatura nos bosques excede
toda a expectativa. E' objecto para matar,
mas quando nao seja, causa soffrimentos
que tiram toda a farca e energa : agora
masmm se nos eflorece urna amostra do
que foi essa tercera praga do Egypto.
Era o caso que o navio passava s vezes
to pertu de trra, que o massame rocava
pelas arvores, e qqe militares de mosqui-
tos, mosquins e outros vampiros, tomando
esse emb.ite^or insulto, voando em nu-
vens vnham, zumbindo, pairar por sobre
o convez do navio. Estes malditos insec-
tos, dos quaes alguns eram de proporcjles
capazeaflBe fazer espinar o sangue pr-
m:ira ferretoada, atiravam-se aos passagei-
ros, crivando-os dei picadas venenosas. J
muitas pessoas tlahbm a cara avermelhada
e indiada, o os oUJo3rodeados d um cir-
culo ensanguentado: b pobre Miguel esbra-
cejava como um possesso para escapar
quelle enxaiae feroz, o quo o envolva,
obrigando-o a fechar os olhos e como que
ameacando-o. de o devorar.
Josephina e a freir tinham-se precavido
o melhor possivel contra to inaupporta-
veLs visitas. Cilcaratt as luvas e cubrirn)
o rosto com os veus. Aioda assim, os taes
demonios haviara-se introduzdo por entre
as dobras e o rosto das- pobres creaturas,
apresentava tambem ja' [trovas da insuffi-
iiiencia das precaucoes. Ento sror Rosa-
lia disse rindo-se;
Eu nao teimo ; retiro em presenca do
iiiini-go e vou ver se no camarote estarei
mais ao abrigo dos seus ataques...Nao se
resolve a acompanbar-me ?
Has Josephina senta-se afllicta, e com o
Coracio demasiadamente comprimido pan
que podesse adiar lenitivo encerrada n'um
recinto com pouco ar e escassa luz: pre-
fera, pois, ficar no convez, nao obstante a
perseguicao dos mosquitos, agradecendo
muito todas as altencQes da freir, a qual
se retirou,
O capitao Grandval veM logo todo'alegre
para junto do Josephina, raostrandor-ihe urna
papelada que trazia na mo dizendo-ihe em
voz ba.'xa:
Agora estou habilitada para guiar o
meu navio sobre as costas d'este paiz pela
noute mais escura e debaixo do peior tem-
po. Tenho aqui um roteiro completo e
minucioso fornecido por aquelle babil pilo-
to. Conceb tambem um bello plano de
evaso, de .que mais tarde lhe-dar as
e*plicac5es. Cont que chegaremos ao
mais feliz resultado I
Tem boas esperanras, meu amigo ?
replicn Josephna, suspirando Deus o
ouca Quanto a mim, devo declarar-lhe
que as nao lenju) !
Grandval ja perguntar-.he a ciusa de to
sbita dasanjinaco, quando foi aterrom-
pdo por um tiro de pee* dado a bordo da
embarcaejio. Jim seguida o Galgp cessoa
devog.-ir, largando ferro : tinham chegado
a S. Lourenco de Maroi
(CkmHnuar-60-ha).
TYP. 0 ItiVh-tm *ftS tEXES R.

1
t
-
I



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E1S0HY0WD_E9UXLT INGEST_TIME 2013-09-14T04:01:23Z PACKAGE AA00011611_11800
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES