Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11797


This item is only available as the following downloads:


Full Text
.

b^^hbh
^l
ANNO XLV. NUMERO 65.
>m
PARA A CAPITAL LUGARES ONDE NAO SE PAGA PORTE.
Por tres mezes aflautados. ................. 61WOO
Por seis ditos dem............. ..... I2000
Por ura anno idem. '................... 24(5000
Cada numero avulso................... 0320
DIARIO DE P
SEGUNDA FEIRJS 22 DE MARCO DE 1869.
PARA DENTRO E JORA DA PROVINCIA.
Por Ires mezes adiantados.................. 67SO
Por seis ditos idem.................... 13A30O
Por nove ditos idem................... 20)5280
Por um anno...................... 27#00O
\AMBUCO.
Propriedade de Manoel Kgueira de Faria & Filhos.


N.IO ARNTE8t



\
Os Sis. Gerardo Antonio Alves A Filhos, no Para; Gon^alves
Guimares Pancada, em Mamanguape
cm
Nata); Antonio Joaquim

7
_PARTE OmCIAL.
Cotciho da prnlacia.
SSACHO DA PRESIDENCIA DO DA l> DE MARCO
DJ 189.
Antonio da Silva Aievcdo.Informe o Sr. gene-
" |pr commandante das anuas.
Betorimiio da Cunta Corte.Reforme o soppli-
rante>-calculo arithrnetco das parrella e Somma
da cantil, a que allude a-contadura da thesoura-
iia de Cazonda, e dcscriiujine quaes os wadieanien-
'os forneeidos a eada um dos lugar es onue furam
distribuidos, declarando o exerricin, a que pcrten-
ee a deopeza.
Taoeute Domingos d Conlia e Silva.Informe
o Sr. inspector da Ihosouiaiia de fazenda.
lrmantlado do SS. Sacramento da freguctia do
fteftrW.Kxpeca-se urdein somente para que urna
guarda da fcmra aeompanhe as procisses.
Joao francisco Paes Barren.Informe o Sr. ins-
pecter da lliesouraria provincial. <,
Jos Cirios dos Santos Ao Sr. general com-
mandante das armas para fazer demorar a partida
do aupplicautb, a quein concedo e prazo, eotfe at a chegada do norte do vapor Tocanlins,
para pro va b a sonrio que livor.
Joi> Feliciano da Motta e Albuquerque.Como
requer.
ktif de Soma Rangel Filho. Expeea-se firdem
para o supplieanta entrar em exereieio, indcnea-
dente de titulo, aj aaresontar no prazo de dous
-metes qne Ilie fica marcado.
Jos da Aununciacio Carvallio.A' vista do ter-
mo de inspi'ceo, seja dispensado do servico do
exerflto o lillo do supplcaute.
Jjo Ferrindes Vanna. luforme o Sr. director
da mstrilceio publica. '
Joaim.i 1'"raneisca de PaulaInforme o Sr. Dr.
chefe de polica.
Jos fjaeanb de Medeiros.A' vista das infop-
raar3c3, como requer.
Joao los Anselmo Tavares.Henietla-se.
eharH Manoel Innoceiicio Peres de Figueiredo
Camargo.Informe o Sr. Dr. juiz de direito da l'
ara.
Tom Arvellos Espinla.TraasuiiH-se.
Rcparti^o da polica.
' seeco Secretaria da polica de Pernamljueo,
20 de mareo de 48C).
N. 414.Hlra.- e Exm Sr.Tenho a honra de
levar ao conhecknento de V. Exc. que, segundo
consta das purliemacoes receidas hoje nesta re-
particao, foram li.intcm recolludos casa de deten-
cao os sfguintcs individuos :
A inhiba ordem Joao Soares Gomes da Silva,
Jos Mirrtms de Sant'Arma, Bellarmino Antonio
dos' Saht*, Caetanu Jos de S.ml'Anna h Joao
ta dos Santos, vindos de Nazarelh, os
quaira primeiros como recrutas. c o ultimo como
eriminoM) no termo de Santo Antao.
A ordem do subdelegado do S. Jos, Manuel, es-
eravo de Libanio Candido Ribeiro, por andar fu-
" Por offftoios do 6 e 7 dc*te mea recellos hojo
partieipuu-me o subdelegad da cidade la Victo-
ria, qae no ds i no lugar denominad.) pampo de
Macacos 'qufle districto, fra assassinado Mar
noel Benedicto, MI tres tiros por Manoel Jos de
Frailas e seus dous filhos'Manoel do tal e Fraiieis-
co di tal, os quaes conseguirn! evadir-se nao
obstante as diligencias empregadas para a sua
captura ; e que-contra os me-nios ia si-r instaura-
do o competente rocesso ; e que, no da .'i captu-
r ira alli.' c Hiera reeolher a respectiva- cadea a
Antonio Ribeiro de Lima, por se achar pronuncia-
do nomo iucurso as penas do art. 20o do cdigo
criminal
Por ofticio datado de hontera annunciou-me o
Dr. jui municipal flo termo do Cabo, que susten-
tara o de-pacho de pronuncia proterido pelo Dr.
delegado do termo contra os indiciados Francisco
Alves de Miranda Varejao o Jos Antonio do Mon
por Jos Menino, o primeiro como
incur.io as penas do art. 192 do cdigo criminal,
e o segundo coow incurso as uiesuias jienas e
mata as dos art. 25", pelo erime de rapto e. lio-
mici lio de Antonia Alvos de Miranda Varejao, do
I Bz men;ao em moha parte diaria sol) u. 1-17
de 8 il i corrento; bem "como (pie sustentara o
despacho de despronum-ia proferido em favor d -
mi- arique Guiliierme Pieh, ka o Bernaa-
jr- Fich e Joaquim l'a-ciioal Corbi, proeessados
pe i inesmo crime ; pelo que, e de conformidad.-
coiu o que solieitou me o referido juiz municipal,
mandei por em liberdado os mencionados Hen-
nuue Fici. Joao Fich e Pacbual t-*rbi.
1) iisguar-le. a V. Exc.-lllm. Ejtra. Sr. eonde
8 Bapendy, presidente da provincia.O chefe de
poileia, Frunciico de Faria Unios.
------
Cliegou a est idade a 19 do crreme, depois
de curta demora em Montevideo* Buenos-Ayres,
o Sr. eonselheiro Jos Mara da Silva Paranhos,
que. segnado consta, j era esperado pelo general
(iwlherme.
Logo que desembarcou, segnio S. Exc. para o
quarte-general, onde tere larga conferencia com o
marecbal, com qnem jantou nesse da.
No seguinte foi o Sr. eonselheiro Paranhos,oom-
primentadb pelos generaos e ofllctaes do exercito,
pronunciando nessa occasian'a'rafchal Guilher-
me ani-discurso, ao qual responden o ministro,
fazende sobresahir qnanto deve o Brasil ad exercito
que tantos louros tein sabido colher, e declarando >Ati)lia4eMattGro-o, coiftmandada pffocapiuio
iue siw gloriosa missao nao est ainda Concluida :
que preciso ou aprisionar ou expellir Lpez do
, Paraguay, sem o que nao ha paz possnel.
As paravras de S. Exc. foram mui bem acolhi-
das por essa offlcialidade, que tan relevantes servi-
dos tem prestado patria, c que, comquanto la-
mente a falta do general pwiuez de Caxias, que
de victoria em victoria os trouxe das margeos do
Paran al Assnmpeao, est prompta a executar
as ordens do chefe qn se acha hoje sua frente.
O general Emilio Mitre foi comprimentar o eon-
selheiro Paranhos, com quem conferenciou por
bastante tempe.
Achava-se temporariamente ausente desta cidade
o general Henrique Castro, alas j hontem foi visto
nesta capital em enmpanhia do nosso ministro.
Ha indicios de me se prepara algnma expedicao
importante, que nao pode ter nutro frm senao ata-
car Lpez as conlilheiras onde se refugiou. Na i
se sabe com certeza, segundo me parece, o lugar
em que elle se acha; mas natural que os gene-
raos aHiados estejam aesse re-peito mais di.mia-
dos do que o vulgo, e que tomem as necesarias
providencias para o boin e prompto xito da expe-
dicao de qucfallei.
Em todo o caso nao creio que Lpez estando,
como est, moral e inaterialniente*vencido, possa
por innilo tempe sustentarse na sitna^ao precaria
cm (pie se aeh, concedendo mesmo que tenha.
como propalam os inimigos da alliamja, 3,000 ho-
inens e 20 canhoes na cordHbcira. De l mesmo
ja tm vindo algu'ns desertores paraguayos, signal
evidente da decadencia do dictador.
No da 20 chegou a este porto o vapor Princesa,
trazendo a sen bordo o chefe de esquadra Elisiario,
que vem eommandar a nossa esquadra em opera-
coe que se aehava interinamente a cargo do ba
rao da Passagem.
O Sr. i lisiarlo tove no mesmo dia em que che
nha, deipiaram os nossos navios o parto de Corum-
ba. com destino capital de Matto-trosso.
No dia seguinte passarwn por Dourados, ponto
ipue foi completamente destruido pelos Paraguayos.
Nesse mesmo da deixou a exitedigao o rk Para-
guay e entrou no S. fcourenco, d'ond? passou no
seguinte para o Cavaba.
Desde que a expedicao aproximourse da capital
de Matto-Grosso, comecon a s%r vietoriada pelos
habitantes das luargens do rio com enthusiasticos
vivas nacao brasfera.
No dia 3 de fere^(k eneontrou a expedicao a
*
tepsi.
No di 26, depois de se baverem prvido de le- Coriuob ten sido ainesma cumiiletamenle destru-1 se em- nm ((uadjro de indescriptiYcl alegra; por
de fragata Sido, qoe, por ordem do presidente da
provincia, que funa d Cormab avisado da apro-
ximneao dos aviaos de guerra, os vi nha receber.
Depois de virpminifc*tar>oes de aleara, seguram
tmlos para a cdadi- de Cavaba, onde dizem que eram aquelq^ ao que respondendo-se sorem bra-
attingio ao cumulo o jnbilo dessa pffpulaeao, sileiros e que traziam a noticia da tennmacao da
encontrada mia canda, que parecia recentenMte
abandona<|aJo avis arem os vapores os qoe nella
vinhain. cojb depois conslou-nos ao chegar em
rnmb.
A's i B8sA4a larde passaram os navios a fz
do Miranda, c as 14 '/2 da noite deram fundo no
port da idade d<^ Corumb.
Ao avistar-se, a cidade parecia igualmf-nte aban-
donada ; ntebstante, para so desvanecer qual-
quer suspeta, os navios ahi se aoresentaram com
seus competentes phares, e um signa i de tig'Hli-
nba foi feito pelo Felippe Camaio,'tpa chegou ao
porto em priinairo lugar.
A este sigqpl ouvio-se perguntar <\m vapores
que tanto tem soffrido durante mals- de quatro.
annos.
A miseria alli grande, e qofsi ncrivel a ca-
re restre.
A nossa expedicSo levon a maior qtiantidadc que
pode de gneros de primeira necessidade, o que
fez baixar os precos, resultado para que tamhem
mnto eonrorretf a certeza de que brevemente o
Cuyahanos serao suppridos pela, va lluvial de tudo
quanto precitarem
Os officiaes dos navios da expedicao foram re-
cebid( no arsenal de marinha pelos Srs. iiresWen-
te da provincia, bispo diocesano, eomiuaudante
das armas e murtas outras pessoas gradas, ah
seguram todos para a igreja de S. Goncalo, onde
teve lugar um Tr-Demn em accao de gracas.
E' de esperar que brevemente se abra a franca
navegaeo dos ros at Cavaba, cuja populacho,
ser ento alli viada dos padeeimentos que a guerra
Me iinpz.
Ai-.iham de ser publicadas as seguiutes ordens
do dia, que abaixo trans revo : ..
Commando em chefe de todas as torcas brnsi-
leiras em operacoescontra o governodo l'araguav.
Quirtel general em Montevideo, 9 de fovereiro
de tmi9.Ordem do da n. 27SAchando-me art-
vcincnte enfermo, e tendo nbtido do governo im-
sit, com o coraeao opprirqido pela di'ir que smto
ao separar-me d exercito a qnem me conne a
honra de eommandar, que me dirijo aos meus ca-
maradas para Ihes dlzer os meus adeuses ; conso-
gou conferencias com o Sr. general Guilherme e j lando-me nicamente a idea de que os entrego aos
com o Sr. con-elheiro Paranhos, a quein no da cuidados do bravo o distineto general Guilherme
perial licenca para tratar de ininha sade no I$ra- niexlmravel.eruetdade do inimigo: aruinaMtol dos
' edificios, as formas incompletas das habitacoes der
molidas, o restos do incendio e o matbi que fea-
EXTERIOR.
asst mi-cao, 27 or rEVEREmo de 186!).
Realize o projecto de que fallei na minha ulti-
ma carta, datada de DuenuS-Ayres, de vir As-
fumpcao para dar noticia do estado das cousas
aqu.
Nesta cidade e seus arredores, at Luque. acha-
sa acampado todo o exureim alliado, que so coio-
poe de M a 27/X Brasileos, 4,000 Argentinos e
dos Orlen!; coiomandados pelo general Henrique
do Castro, asspn.com > da Icgi paraguaya.
As nos-as valehles tropas^ Cpmquanto cansadas
dos trabaltuM de to longa e laboriosa cainpanha,
acliam-sc animadas do patriotismo que ^mpre as.
de?tinguio, e promptas a acompanharem o seu ge-
I em chefasactual, maivchal de campo Guilher-
\ ivior de Souza. em qualquer empreza a que
i cliamad?s.
A. na grande cidade; extraordinario o numero
de negociantes dv. uxlas as nacionalidades .aqu es-
Ubeleeiou, e qoe, ambulantes como sao, querem
r rpida lurtrjaa, vendendo tudo a peso de
ouro. F'alla-se aqu em libra eslerua cotno no
Rio de Janeiro se falla em mil rk
l) porto est coherto de uavios, que arvoram
iflrentes liaadoiras. c o movimento eoramercial
dos ros Paraguay Pwrun extraordinario.
Tudo isto vea era anoio ja opinio que j emit i
de que urgente e indispeusavel a organisaQ) de
um governo civil paraguayo, que assuma a respon-
sabilidade da dirseco da importante populaco
3ne habita urna cidade, que j nao pue ser coiisi-
erada como simples acampamento militar.
Continuara a chegar diverso grupos de familias
Eaf agnayas, que tiu podido escapar sauha de
opez e de-seus-fproeee sequazes. 'lmbcm ha j
aqut um importante numero de hoiaens, alguns
dos quaas t.u toiqadp p.ossj3 de caaaa'que Ihes per-
tenciam, ou_a prenles seus, e que as tm alugado
porpreo fabulosos.
Os tunos do nosso infeliz cnsul gerat Amaro
Jos dos Santos Barbosa, que sao offlekes do nosso
eaajdMo, aphara-se la*8 d* posse da casa de
san finado pai. ....
Do norte, do Paraguay chegaram tres padres,
queioram pedir aos generaes alhados auxilio
para trazerein numerosa* familias dos seus respec-
tivos districtm, que se adhasaForagidas e na maio
miseria.
Os parajiua,vosKcam gera lanha- faad mostram
temer mars t Lopfc, jtorrfue o considerara, ho-
owm perdido, e natural que estas ideas sa vio
pwipagarjdo-
seguinte foi fazer os seus cumprimenlos, acompa-
rhado dos offilacs seus eommandados.(
A 23 desren o Sr. chefe para Humatt, d'onde
brevemente regressar sem duvida.
Nessa outr'ora tao fonnidavel fortaleza, hoje ar-
rasada, demorou-se, segundo me consta, o Sr. eon-
selheiro Paranhos urnas quatro horas, que empre-
gou em pereorrer todos os hospitaes alli existentes,
qe rontm perto de 2,500 doentes e feridos do
nos pri mais que siillil'ieni'pra defender essa posicao,
alem da torca naval pie |he sen-e de ausiliar. Sen
enmmandante o coronel Piquet.
No dia 22 chegaram a es'e porto dous dos na-
vios de guerra une compozeram a expedicao que
daqui parti a l4 do mez passado, ao mando do
e.ipilo de mar e guerra Aurelio Garrindo Fer-
nandos de S. para explorar todo o-rio*Paragua\
at ao Fecho dos Morros e dahi destacar urna di-
visao at Cuyab.
Cpmquanto lutasse om grandes dDntdaaee,
que offerece a navegacao de um ra> com pasaos
ilitllceis c por onde nao navegavam os pratico<
hava o annos, venceu-as *expedic5o com feiici-
dade.
Depois de poucas horas de viagem, appareeea
urna canoa com handeira branca, tripulada por
tres soldados paraguayos, que foram receidos a
bordo do Btnriqa mtrtns, e declarara m que se
achavam na villa Occidental Decapados em pascar
gado e cavalhada para o exercito da repblica,
masque, tendo tidonoticia do aniqnilamento de-te
e da fuga de Lpez, se dirigiam Assumpco, onde
saham estarem os exerrtos amados.
A expedicao verificou estarem abandonados
qnasi todos os postos militares da margens do rio,
e em alguns, poneos, viram pequeos piquetes,
que fugiam apenas avistavam os nossxys navios, fa-
wndoo mesmo os raros habitantes desses lugares,
naturalrnenie com reeeio de. algum acto hostil da
parte dos va tanto, arvoravan handei.a branca.
Um pouco abaixo da villa da Conceico avistou
a ex[>e8lcao nina bandeira parlamentaria, que ace-
a va para os navios. Da canhoneira Hetuiqur Mar-
lina largou nimedatamente um escalcr, que rece-
ben a seu bordo tres individuos, um dos quaes
deelaroii ser o cura da referida villa, e que, tendo
all recebido oito das antes ordem de Lpez para
internar se toda a populacao, fugira para as matas
e depois buscara a margein do Paragoav, esperan-
do poder conseguir passar-se para agum navio
brasileiro cora os seus companheiros.
Esse cura da Conceico e un dos tros sacerdo-
tes a que cima me referi.
Com effeito v0rificoti-e tstar ahanrmada com-
plet-inienle esta villa, apparorendo apena? um in-
dividuo a cavarlo, que afastou-se rapidamonto ao
avistar os nossos navios.
Causou grande transtorno ter batido c do a pi-
que o vapor Jaguarftt, que aeompanhava a floti-
Iha, carregado -do car\-a-t. Deste salvou-so o que
foi possivel, servindo-se os nossos vapores, quando
elle cabou-se, de lenha como combustivol para as
Suas machina?.
No dia 22 chegou a expedicao ao Fecho dos Mor-
ro-, onde den fundo.
Nesse ponto desembarcou, com a tropa que
acompanhou a expedicao, o Sr. major de enge-
nheiros Falco da Frota, que fra incumbido de le-
vantar urna plaa do lugar e de apresentar um
relatorio sobre o mesmo. TJonsta-ine qoe esseen-
genheiro j aqi se acha, tendo dado cumprimoii-
to sua importante commisso.
No dia seguintte 23 rrrartdou o capto de mar e
guerra Aurelio Gatrindo qne siihisserri paraCnra-
ha os avisos Femandet Vieira Felippe Cantaran.
(ibtive algumas informacoes que passo a trans-
mitlir, sobre esta importante parte da expedicao.
No mesmo" da passu ella pelo forte Olyinpo,
que, pela vegetacio que se nota dentro das arrui-
nadas imira Ibas pawrff'de ha rauito abandonado.
No dia 25 pela madragada chegaram os vapores
ao forte de Coimbra. que tambera eslava abando-
nado, mas nao demolido. Toda a artllharia foi le-
vada peto* ParaguayHs.
. Nesse mesmo dia pasou a expedicao or Albu-
queique, onde havia urna guarda brasileira, que,.
ao avistar os nossosi navios, internou-se, snppbndo
serem inimigos, oxpediado e- respeettyo comman-
dant prompto aviso para Corutpb, onde fundea-
ram os nossos vapores nolte.
Esta cidade, qne foi quas? totalmente incendiada
e destnrida poto mimiflO! qan ha temflo* aaWndo-
nou, parecia deserta j, mes, aos signaes- qae njtHram
os nossos navios, apparceu gente qua, com as tri-
polar;6es, trecaram entmrsiastlcos vivas pela noti-
cia p*r estes dadas de achase terminada a
Xavier de Souza. j bem conhecTdo, qoe os saliera
guiar sempre pelo eaminrro da gloria, que- at hoje
teeui trilhado. :
t Se tiver afortuna de me restaherecer, conlem,
meus camnrada--. que voliarei para continuar a aju-
da-los na ardua campanjia cm que estamos etnpe-
nbados.
Espero, e tenho como certo, qne a mesma
da jieio inimigo, e incendiado' o aldeameuto da I toda a parte a mullida- eomiKcta vozeva era es
iiihu Guanas, que ahi existia. I troedosos vivas,emil girndolas reparliama atmus-
AJgomas taguas cima de Albuqoerqne foi aigda f phera vibrante w> echo festivo dos eaahes.
Ao chegar no porto apresentaram-se a burdo di-
versas eoinmisses, e reonindo-se aos da flotillia
os dfflciaes dos avisos, dirigiram-se ao arsenal de
marinba, onde os agnardavaoi os Exras. Srs. pre
sidente da provincia, bispo diocesano, ommanda/i
tedas armas, e mais pessoas gradas da provincia.
De posse o Exia Sr. prosidente dos despachos
officiaes que me liaviara sido confiados, dirigio-s(
couro prestito-para a igreja de S. Goncalo, onde
eslava preparado o Je-Omt era acfaodc grabas.
Tenirinada a ceremonia, lodo o cortejo dirigi-
se ao palacio do governo, onde inteiranda-se de
quanto se continha nos referidos despartios, orde-
nou o Exm. Sr. presidente que aguardasseraos se-
gundas ordens.
Ao divoigarcm-sc as noticias constantes dos l-
timos bolcuns do theatvoda guerra, a cidade pa-
recia communicada por um prazer galvnico; er-
guia-se da quasi miseria que a havia reduzido
as circumstancias da guerra, e anda iinpressiona-
da pelo terrivel flagello da peste que a a-solra,
para sandar a felieidade que restitua a paz.
Vimos para logo baixar de seu< fabulosos pre-
cos alguns dos gneros de primeira necessidade :
gracas aos recursos trazidos ao mercado pelos na-
vios, ou talvez ao a>cendente exercido pelas ulli
mas noticias no animo dos que transigiam coma
carencia publica.
A todos entilo parecia lisongear a idea de v erera
breve a cidade abastecer-se, pelo rio agi.ra livre,
terminando assim o dilllcil trajelo peas vas ter-
reas, cujaimportaco em |>e vam os custosos gneros quasi empresta veis po-
breza.
Nnmeroso concurso de todas as classes visi-
tou alternativamente os navios,; longo seria nar-
rar a serie de demonstracoes em que transpare-
cen o rigosijo publico.
No dia 7, as 2 horas da tarde, receberam os na-
vios a vi-ita do Exm. Sr. presidente da provin-
cia, ao qual, juntamente com os da tlotilha Qzerain
as honras do stylo.
No dia 9, as 10 horas da manhaa, celcbrou-
se najdgreja matriz o sulTragio pelo morios na
eampha.
Nao podendo sabir nesse mesmo dia a lempo
as raehoeiras, deliberuu o Exm. Sr.
guerra, trocararn-s#entliiisiasiicos e refictidos vi
vas entre os navios e a trra.
Dirigimo-iios iiomediataniente pnra ahi, onde
encontramos alguns ofltriaes que vinham compri-
mentar aos de bordo, da parte do commandante
daqnella praca o Sr. teneme-coronel Antonio Ma-
ra Coelho.
Soubemos ento que, ao avistaren! os vapores, a
guarnicao da cidade, composta de 200 homens, ao
mando" do mencionado tenenle-cornnel. se havia
posto em alarma, e estivra prestes rom|cr
fogo sobre elies, quando os sgnaes de bordo fize-
rm crer que eramos nacionaes.
Apresentando-me ao commandante da forca,
enti-egwi-lhe nm bnletimdos ltimos acontaciine.n-
ios do iheatro da guerra e communiquei-lho o fim
daqnella commisso. pedindo honvesse de provi-
denciar sobre o uno nos era necessario ]>ara con-
tinuar no antro dia, visto nao encontrar-se na-
quelle porto vapor algum para Cuyab.
Prout pamente e toma maior solicitude mandn
o Sr. tcaen te-coronel que nessa mesma noite se
preparasse algnma lenha e sendo-lhe mata requi-
silaio um pratioo do rio. ordenoit que dnas das
proras de seu comfbando seguisseni a bordo nessa
quadade.
A cidade. cuja populacao apnnas se compunha
dagnarnicao militar, mostrara por toda a partea
No dia marcado tiveram lugar nesta provincia e
.ia de S. I'. di q do Sul as eleicoes secundarias.
A voUc/o para depuluJos gentes no oouefli da
apital da provincia de S. Pedro, pertonceote ao
1' districto, foi a seguinte:
-teseinbargadnr Joao Evangelista Negreiro
Sayo Lobato.........
)r. Jos Bernardiiio da Cimlia Bittencourt.
Jr. AntouioAlvesGiiraaraesAzanibuja.
Dr. Luz da Silva Flores.....'
76-
76
71
73
*
7
4
4
de trauspr as cachoeiraSj^ deliuerou o Exm.
deixado discricao da natureza formavaai e mair presidej te, que na manhaa seguinte descesse o
esiranho e doloroso contraste.
No intuito de previnir a inquietaeaa. que poda
despertar na capital a approximayo Jos. vapores,
fez o Sr. leneiile-cmonel embarcar um proprio, o
qual, deixado no lugar denominado Cassamze, se-
guisse a toda a pcessa com as coramunieacei d*
sea parla
Janeiro 2fAo romper d'alva os navio6 nmban-
deirarajw uos topes e a U:rra corr spondeudhes ar-
voraudo o pavilho nacional.
As It horas e 30- minutos da manhaa, adiando
estima, con>ideraco e amizade que merec, desde se os niesmos prvidos de frast, tendo embarca i
o general meu inunediato at ao 'ultimo dos seus ,,,,,,.-, orticos e recebido alguma lenha, desalTer j
aviso Fi'lijme Cmn'trilo, com as coinuiunicacoes da
provincia, licando naquellc porto o Feruanaes Vi-
eira. por nao ser possivel aos pontos de lenha, es-
cassos de-sc combustivel, prove' a ambos de una
s vez. Sendo que a -elle devia anda succeder
o vapor Antonio Joao, portador de urna commis-
so representante da provincia para felicitar o
commando em chefe de todas as torcas pelo tri-
iimpho das antas adiadas.
Fevereiro 10.-t:s, 7 horas da manhaa, achando-
se embarcada a correspondencia oflleial, suspen-
Felippe Camardo
Dr. Itaqui r
ilonselheiio Brusqae .
Cufoael Nery. .
Conde de Porto-Alegre.
Este eoUegki compoe-se de87deitores, dos quaes
faltaraiu 3.
No 2 districto era couhecida a votacao doscqUc-
gios do Rio-GrtnuV, Pelotas, Pwatiny e CanflKSii,
i'uja apuraei dava:
Dr. Joao Jacintho de MendonQa.... 109
Desembargado!- Antonio Rodrigues Feraan-
de-i Braga..........iOi
Dr. Pederneiras........71
Bao de Man......... 42
Dr. Gaspar Martins....... 16
Dr. Avila............
Dr. Timotheo......... 9
Para senador obliveram votos nos tres collegios
do Rio-Grande, I' iotas e l'iratiny :
Dr. Joao J. Mondonca.......
Desembargad.ir. J. N. Sayo Lobato. .
Desembargador Manuel Jse de Preitas
Travasso.........
Viscond.-; do Ucrval. ...
Conde de Poffc*Alegre ......
Carao de Mau........ .
Dr. Das de Castro.......
Ceseuihargador Fernandes Braga. ,
Proceda-se tambera deico para deputadds
nova assembla provincial.
No dia 1 reiuiirain-se na cidade do Rio-6rande
os credoies da casa banearia Duarle Souza Kran-
uichfeldt & C, o nomearam para de|K)sitark>s da
uiassa fallida os Srs. coronel Jo> Joaquim Candi-
do de Macdo c Jos l'rancisco de Castro
Tinha fallecido em Santa Victoria o abastad"
fazeudeiro do Estado Oriental, Jo* Correa Mifa-
pallwta.
Em Santa Catharina era conhecida a votacao
dos collegios'da capital, I-agnna, S. Jos e S. Se-
bastio deTijuca, nao tendo concorrido os eleitores
de Ilajahy.
A apuracao dera este rehilado :
Chefe de esquadra Jesuin > Lamego Costa.
Dr. Manoel do Nascmehto da Fonscca
Galvao...........
76
51
49
38
2o

19
2

9
o foram as"niiha'Mrquez a> Catn.s,
Commando em chefe interino do exercito bra-
sileiro em operacoes contra o governo do Para-
guay.Quartel-general em Assumprao, 20 e
vereiro de*18ti!. ordem do dia n. 4.Tendo--e
retirado para o Brasil, airftde tratar de sua sau-
de, o Sr. marqnez de Caxias, marechal e comman-
dante em chefe de todas as forca? bMsileiras em
operacoes contra o governo.do Paraguay, determi-
nou o mesmo Exm. sennor. pela sua ordem do dia
n. 275 de 9 do eorrente, ritie assumlsiB cu o cora-
mando em chefe interino do exercito.
t Fazendo publico ao mesmo exercito esta do-
terminaco de S. Exc. s me resta dizer que, certo
da leal franca coopnico que espero merecer
de todos os meus dignos coinpanhefbs d'armas,
cuja dedicacao e valor inexcedivel teei'.i sido >-;u-
pre rumprovados nos campos de batalla, fcil nos
ser completar o triumpho e esplendor das arma-
do imperio e dos nossos dignos aHiados, .lcanca-
dos sempre sobre o inimigo, cutos restosfiimpre
fazer dosappareeer.Guilherme Xmier de Souza,
marechal de campo.
Acha-se em Assumpco o Sr. senador Snvaira
da Motta, qne em Buenos-Ayres enconfrou-se como
Sr. eonselheiro Paranhos
Folgo de dizer que, apezar de separados por
ideas polticas, teem estes dous distinctos Brasilei-
rosmantdo, no estrangeirn, as mais cortezes re-
laces, tendo para isso dadq os primqujol passos o
Sr. ministro. E* um bom exemplo.
Os officiaes alumnos da escola militar offereee-
rara no dia 24 um lauto janlar ao seu anligo pr-
fessor o Sr. eonselheiro Psraoho-. No decurso
desta brilhante fest, inspirada por tao puros sen-
timentos, fizeram numerosos brindes, pronuncian-
do-sc bellos discursos, enthusiasticamente applau-
didos.
0 Sr. ministro, depois de fallar por duas vezes,
enrerrou^a festa eom um brinde a S. M. o Impe-
rador.
leu o aviso Felippe Camarao c segnio aguas
*U4jdoos praticosc recebido alguma bob^a,desaler 'abaixo.
soldados, ser prodigalsada ao men sendo cumplida- religiosamente su.is ordens como ll0 a0 da^capital dsvaroviiicia. alim de.rceljer lenha; s 2 "A, tend), embarcado
tave>rai:i o reslpdi! dia: e 12 horas da noite t.30) ataV, proeguio, navegando at s 7 horas,
denm fund algnma- cfnra deSicnry. emqne deii fundo rr-ima do Mlgaeo.
Janeiro 27.A<8 horas da manhaa suspende-! Fevereiro II Suspendeu s 5 horas e 30 nii-
ram e proscgurram-bs navio-.
-9hnrase 30 minutos pajarara Doeados,
ponto militar eompletainentc destruido pelo inimi-
go, condesos vestigios restara do incendio por
que, pas-i..'.
A^ H horas e 45 minutos dcixarara os navios o
rio Paraguay e entranim no S Lourenco.
Ah onde a eslreiteza do rio c sinuosidade do ca-
nal reqnereni rftals cuidado da navegara parecen
conveliente navegar somente durante odia, pe
PAnAfiUAV.
Relatorio da expediffio [cita do Fecho ds Monos
Cuyab, pelos vapores Fernandes Vieira e Ft-~\
lippe Camardo.
3uo deram fund s 7 horas, no lugar deaomiua-
o Sara.
Nesse poato. habitado por alguns lavradores, e
onde tivemos ocea-eio y., desembarcar, vimos re-
g'r^s-'ar pouco a poaeo'das na!,!- a< familias, ten-
do sido tranqusadas acerca de nossa presenta
por alguns moradores do mesmo lugar, os quaes
depois de igual reeeio baviam-nos aculhido em ca-
minho.
Janeiro 28.As horas da manhaa continna-
ram os navios.
As 3 horas da tarde aeixaram o S. Louretajo c
nfernaram-se no Cuyab,
Este rifj, cujas volts mui rpida- e successivas
s podero ser fitas sem eslnrvo por navios cur-
tos e de machinas iiidepcndentes tomn frequente-
mente necessario o dar-sc espas e. derribar, algu-
m;is rvores.
As 7 horas fundearam os navios cm urna das
voltas do raesmo passo.
Janeiro 2!).s 5 horas da manhaa, suspende-
rara e transpozeram o Bananal debaxo. de onde
coraeca a ser.orioun pouco mais pratieavel; s
is da noite deram fundo.
Janeiro 30.s 5 horas e 30 minutos da ma-
nhaa, proseguram, c deram fundo as 7 horas da
noite; cima do Cassnge.
Janeiro 31.As 5 horas o 30 minutos da ma-
nhaa suspenderam os navios. Comecava ento a
faltar o combustivol, nao obstante haver-se reco-
Ihido o pouco existente em alguns pontos das mar-
gens, quando chegando s 3 horas da tarde, na
barra do Piram, con-tou-nos ser fcil dahi para
nulos da niauha.
As 7 horas,-passandn no lugar denominado Cho
ra, rontinuou, depois do recelier 2,000 achas de
lenha ^embarrando ain la 1.000 na bocea do Para-
tm, deu fundo s 0 horas e 30 minutos da tarde
no Caranda pequeo, o reproduziram-se- as mes-
illas difllculdades no pas-o do Acorutuha.
Fevereiro 12.Suspendeu as .'i horas e_30 mi-
nutos da manhaa-. navegou sera nterrupco atis
7 horas da unute, b ira omque fleo fundo algumas
S. M. o Imperador, acompanhado de seus sema-
narios, chegou hontem pelas 9 horas da manhaa
ao arsenal de marinha, e, embarcando na galeota
a vapor, visitn o asylo de invlidos na ilha do
Bsa-Jesus e a fortaleza c escola militar da PYaia
VeiMielba.
Nesta escola assistio S. Magesladfl s lines das
aulas preparatorias e s de urna aula de ptwwiras
leira-, estabelecida provisoriarae/tte pelo Sr. gene-
fral 1'oKuoiu |i.ua osl'arac'iia>-bs prisioneiros do
guerra.
Em seguida percofnen todas as "dependencias do
e-tabelecimento, exajninando minuciosamente as
enfermaras, casa dos ranclios, refeitorios e quar-
teis.
Sua Magestade deseinbarcon no arsenal as 3 e
meta horas da larde.
Por portara de 10 do eorrente foi nonieado Ma-
Ilieus Nogueira Brando para o lugar deengenhei-
ro deseeeai e chefe de districto da repartifao
geral dos tetegraphba
Janeiro 23.Em cumprmento ordens de V.-^ma a acqusieao de lenha.
guerra. IK^^.
&>uAe-se aataoqpe-ap avistar oa rapare, a> (afiles, fez ebncentrar-se
guarnicao, corbposta de'200, horneas, ao mando do
tenentceoretl Antonia Mara Cbenilj: se notra
alerta; 4'nVn'iprtl < rotaper top'sSre
cljes, quantta pites ai^iaas recsaheceinM! serem
Masileiroa. .

F.xc, s 11 horas e :(0 minutos da manhaa sus-
pendern] do porto do Fecho dos Morros os aviso
Felippe Camardo e !' -nnndes Vieh .ando
este as agua do primeiro, seguram a commisso
que Ibes c-tava ordenada.
A's 6 boras da tarde chegaram vista defortt
Olympo, por onde passaratu s 6 horas e 30 mi-
nutos.
Essa fortaleza, qne nao se acha em estado de
completa ruina, como consten hv-la deixado o
inimigo, parece, pelu vegetacio' que se pola dentro
de suas muralha, tef sido de ha mbito temnb
abandonada.
A's 7 horas da noite passaram o arroio, preten
dido rio Blanco, e s 8 horas e 30 minutos, sobre-
vnolo algumTchuva e um forte vento de SOp fun
dea rain ao abrigo do mesmo na enseada cima do
riacho Nabelequo. ,
Janeiro 2i.A's iJjoras e 30 mnntos da ntai-
nha suspenderam os navios e proseguram toda
forca de vapor.
Navegaran! todo o dta>' e contmraram durante %.
noite, at que s 2 hmiia e 30 minutos deram fun1
do em frente Coimbra.
Nao ha demolir;.oes na parte dessa fortaleza que
olha para o rio ; sao, porin, ahi bem visivei* as
honrosas cicatriaes que atteslara sua heroica de*
feza.
Toda a artilharia foi levada pelo inimigo e com-
pletamente arrasadas as liuiiasdn retaguarda.
Janeiro 25.A's 5 horas da manhaa suspende*
ram os navios.
A' 1 liora da tarde passaram em frente villa
de Albuquerque.
Em um rancho que alli existe no porto, e un* .
como depois constou-uos,- devtam aehar-se alga -
mas praeas pertenrenes ao destac amento da Cof
rumb, ora urna s |iessoa foi vista.
O inesperado-apparecimenta do vapores, ante
que houvesse lempo para- reconbeoer a baadeir
nacional arvorada no tope granda de acta um
aquella pequew gnw-d
deeujo commaodanie parti imgaedimaieate b
mais rpido aviso puras Coruf ubi, onda
pouco depois de termoe-varioaea',iatap*
Ueechcram cntao alli os navios toda a nue exis-
tia ; e sobrevindo a noite nao foi possirel prose-
guir por estar em pequea distancia dalli o diflled
passy do Acorutuba.
FdVen iro tAi 5 horas c 30 minutos da mi-
nbaa suspenderam qs navios c s lt blfasbaviam,
depois de muitas diflicnldades, transpaslo o passo.
Das niargens ento mafs. habitadas do que at
alli, siirgiram como que en expo -ao de contenta-
mente os fngos de alegra ao'SOtn de entusisticos
vivas naci brasileira.
Por toda.a parte os moradores vinham manifes-
tar se qur emum accasso de jnbilio que a todos
cpinrftnicava a apparicao victoriosa do symbolo
Je sua nacionalidade
As Horas c 30 minutos da tarde fundearam os
navio* cima de Melgaco, onde tratou-so do rece-
ber alguma lenha. .
Fevereiro 2.s 6 horas da manhaa suspende
ram os. navios; e fendo recebido combusiivel em
alguwpontos mais, deram ftmdp s 6 horas da
tarde no lugar denominado Capitao Rodrigo.
FcVegiro 3 a 0.As 6 horas da manhaa suspen-
deram of'navios.
Quatro milhas abaixo da capital foi encontrado
o vapor Jdm% que virrlia por ordem do Exm. Sr.
presidente da provincia communicar que no lugar
nominado Ctaebipo- leriam d aguardar os avisos
.drmtro da flotilha de Matto-Grosso.
As 8 horas, tendo chdgado a esse lugr. fundea-
nni< m nars, e s^ota o Jaur a dar sigaal de
eocootro.
Preparam-se os avisos para a recepeao da noti-
[ba embaddelrad em arco.
i, As born a W.minutos chegou a (qnadnlha
composta dos vapores Amtonio Joto, Jitur, Apa e
CAw**\aomando do respectivo rhefe Sr. ca-
flitao de fragat Aotonio Claudio Sido.
. Aienuzarini*e as davios, trooaram-se ao som
do aimno o*mai*t a ^va do aatylo.. nthusiaa-
tiramenle correspondidos pelas goarnigees e pnr
' riumeao da pessoas embarcadas nos navios
milhas cima do Bananal debaxo.
Fevereiro 13.As ti horas da manlia prose-
bqo. s 7 entrn no passo de onde sabio a- 10
horas e 30 minutos. Den fundos 8 horas e 30
minutos da nonte uo Sari. As aranas i|iie se no-
ta nos navios l'eitjis, apezar do maior cuidado em
sua direceo. provaiu a inconveniencia de seu por-
te para a navegacao do rio Cujrabt
Por esse rio om geral, c principalmente nos dif-
ficcis pasos do BaaaiiaJe.Aci>rutuba,smontepo-
dero transitar sem dilcuMade os navios que
reuuirem as mesmas piuporcesao comprimentoma-
xirao de 60 ps; sendo anda para oreferir-se os
de igual sy-tema de propulsores, porin de ma-
chinas udependentes.
A navegacao, porin, em taes circumstancias
nao dispensa o beneficio do que tanto carece
aqu-lle rio. Consiste elle cm facr dpparerer
o grande numero de arvores qite copara sobre o
leito, o que talvez de altribuir ao pouco transito
por alli durante os ltimos annos.
Fevereiro 14.As. 10 '/i horas da nianhaa sus-
penden depois de haver recebido 4,300 acha- de
lenha. A 1 hora e 45 minutos da tarde passou do
rio S. Lourenco ao Paraguay ; s 7 '/s horas da
noute deu huido no Mangaba.
Fevereiro 13. Suspendeu e proseguio s 6 ho-
ras da manhaa. ^s 3 horas c 20 minutos da lai-
do deu fundo no porto do Corumb, onde tratou-
sc de receber lenlia.
Fevereiro 16.s 7 horas da manhaa, tendo
embarcado 6,000 achas de lenha proseguid.
As 7 da .oute pas-ou era frente a Coimbra, e
as 11 horas deu fundo 14 leguas abaixo da mesma
fortaleza.
. Fevereiro 17.As 5 horas da madrugada sus-
pendeu o navio. I hora e 30 minutos di tarde
passou o forte Ohmpo e s 5 horas da tarde fun-
deou ueste porto.
Participando a V. Exc, como me foi ordenado,
l\i prirterpaes ciremstnias que tiveram lugar na
commisso que se araba, de cumprjr, devo mani-
festar que os Srs. corfima.ndantes dos avisos Fer-
nandes Vieira e Felippe Caiwira, contrbuindo no
mentor accordo para o bom ext > da mesma, fea-
lsaram por todos os tneioa nossfveis a urgencia
presteza recommendadas por V. Exc. Deus guar-
de a V. ExcHipa Exm. Sr. Aurelio Garcindo
Fernandes de S, capito de mar e guerra com-
mandante da i" divisao.
Bordo do aviso Felippe Camarao, no Fecho dos
Morros, 17 de fevereiro do 1869.O 1 lente,
Manoel Jos Alies Barbosa.
___ii-
INTERIOR.
Ri de laaelro
12 m marco w:-1869.
S. M. o Imperador, acompanhado de seus sema-
narios, chegou ao arsenal de marfnha hontem, A->
a luirs da marhaa, eahi visitn as offleinas de ma-
chinas, retiranuo-sc 12 1|2 horas da tarde.
Ispenderam o avtaoae seguram naveganb
da esqbarlrilhn.
*m ramaiMTi tarde satviiva eow
j!^&!C^tass8^;u*i
Entren hontem o transporte Bonifacio, sabido
da AssumpcJo na manhaa' d 28 do passado Con
firma-sma no|ciade so eslar all prenarandn una
expedrm qne* em poneos djs ffevia s'ahir em
perseguicao de. Lpez, cuja parada se tao sabia
airtda bemoad era, c de haver regressado a es-
quadrilha que subir prqyincia d Maftp Grosso.
Mesie transparte vfram os St"s. firie) da Passa-
e, seailarSIhWra da Mou cOrenef I* Ph>-
Gwraaes.
-48-
0 vsp Sam-Crnz, entrae'
do sr, HNMkd d#* m fliW-/|,
ranta f sim cmmvw
Pelo transporte brasileiro Bonifacio, reeebeu
o Sr. minisiro da guerra as seguinles noliea
rJ'Assum'pcao, que alcaneam at 27 de fevereh i
lllli lio.
Do que dizem mnitos prisionekwt algnas passa-
do;. nm brasileiro (Nicolao Tolenllno dos Santos),
que eonseguio evadir-se de l'aragnary e do une
tem descoberto algumas partidas nossas dirigida-;
pul Ixins vaquanos, sabe-so que Lpez, depoi- da
derrota de Lomas Valentinas, esteve em Cerro
Len ; posteriormente, porin, foi para a povoacao
de Pirabehui, onde estabeleceu asede de sen go-
verno, e indubitavel que elle ficava na pequea
coidilheira que corre entre a costa do nOPara-
gnay e Vllla-BJea.
Nessa cordilheira n.-weni os ros Sacado e Man-
duvir e o arroio Pirabehui, que desaguara a
o irte d'Asumpco; na sua halda occidental es-
li as povoacoes de Yapuaran e Paraguary, e entre
ellas o acampamento de ('.erro Len.
Do lado occidental des-a cordilheira Lpez se
est fortificando entre Cerro Len c Paragnary, no
passo chamado Ascurra, cercado de matto e que
forma um desfiladero. C insta que ahi tem ello de
16 a 20 boceas de fogo de pequeos calibres c de
3 a 5.000 homens de infantaria ecavaltoria.
O vice-presidente Snchez est em Pirabebut,
com os mini-tros Falcon e Conzales. A mi de
Lpez acha-se em S. Roque, perto d'aHi, e elle eai
Aburra.
De Limpio, ao norte de \- Alira a Paraguarv a distancia nao excede de lo
leguas. De S. Lourenco, nm pouco ao sul de
As-umpeo, por llagar e It. a Pirabebui, a dis-
tancia pouco ma> ou menos a mesma.
O melhor eaininlio de A-sumpcao para Pirabe-
hui a estrada de ferro : atLiiipte os tnlhos
existem em bom estado, e ha locomotivas e va-
gies. De Luque em diante'fe recompor-se -aes-
trada, as-entundo-se os tnlhos otWe fallas reconstruindo-se dnas pnntes. Per este caminho,
3ue furiiiava una Imha estratgica de Lpez, p-
e-se ir em duas horas da capital Paragpary.
O nosso general em chefe, o Sr. marechal Gui-
lherme Xavier de Sonza, stava organlsaudo das
fortes columnas da- tres armas, commandadas por
nossos mais distinctos officiaes, que em breve se-
guriam contra as posicoes de Lope; urnas desaas
columnas protegera os irabaihos dos reparos da
estrada de ferro, que ficara eonstiluindo mii da3
bases de operacoes.
A' medida que estas tropas urem avancaefo,
rio libertando umitas familias detidas iiaqawfts
Sitragens e temando gado, qdeSpWa-seeueonirai-
o lado de Pirabehui. ,-^j.
Mais de mil praras brasrlens' trabara tidoafta
dos hospitaes e achavam-se reunidas ao nosso
exercito de operacoes l4Mmns .^
Dentro em prtuco. portante, (levemos espetar
noticias de novos fetos de armas, que vcnniui
aogmeapr n gloria ile nossos bravos soldados-.
EtST de volta a expedicao que lora a Matto
firosso: f3ra recebida em Cuyab com o maior
enthusiasmo pela populacao, pre-idente da pro-
vincia, bspo diocesano e autoridades, fpetindVse
as demonstradles do tnais profundo regosijo.
Por todo o" trajecto, tanto na ida como volta,
&hoo de-ertas as raargem do rio,
noland)-se todava, sgnaes evidentes de ter sido
recehte o abandono desses prmt ^
O forte Olvmpo (paraguavo) estava A*
e o de Coimbra em parte destruido. A^P0*"**^
de Amuquerrfiic, Doura I s e 0|^H
completa ruina, tendo os edificio?
e incendiados pelos Paraguayos^
A navegacio eslava fivi
viam cheaado a Matto-Orosso cal
ros abmencos, baixando fogb o
navios ja fta-
degWte-
% Hibfr
l4ntofete!!e*tor
J

nn*


SSl.
Diario de Peniamlwco Seguuda feira 22 de Marqo de 1869.
^

Tres passados paraguayos foram interrogados cm
Assumuca) nos dias 25 o 27 de feverciro.
O priineiro dclles escapou-se do acampamento
de Aseurra, onde Lpez Qcava; declaron ane all
ainda nio haviam fortificarles; que na infamara
achavara-se amitos velhos o meninos; que a cavar
laria estava mal monta h e acampada e*re i ara-
guary e Aseurra; que Logei una l
quenas; qucnfunl
nao ha gente trabalhan
... lia tropa, mas os habitan-
tes nao a abandon-ram me os fondos estiona
povoacao de Gummi*, a duas leguas do acampa-
mento; que nao sabe onde esta o rniDistro ameri-
cano; que Lpez na lern eommumcacfc* con a
Boliv a, c espera a todo o momento ser atacado;
da loco matar a quintos appareeem; que o mesmo
^Jestino liveram qnatro Paraguayos desertores.
que la foram ler.
O segundo declaron que, tendo saludo ao As-
curra com urna fachina encarregada de ir fazer
carvao para a ferrara, aproxeitou a oceasiao em
que o sargento conimandante deitra-se beira do
niatto aflm de descansar, e fugio, levando apenas
uin pouco de carne as-ada, nao convidando mais
uinguem com receio de ser denunciado, e no iim
lo cinco das de viagoin apresentou-se cm Luque
a dous soldados nossos, tendo-se sustentado com
milho e canna doce.
Dedarou mais que Lpez tinha no acampamento
de Aseurra os generaes Hesqmn c Caballero ; que
os depsitos de.vveres e municoes eslao-em cima
das cordilheiras, guardados por um batalhao ; que
a cavallaria de Lpez est mal montada, c a infan-
taria conta muitos vellios e meninos; que nao ha
trincaeiras no acampamento; que a artilharia
toda de pequeo calibre c est postada na estrada
m Aseurra, defronfe da casa de Lpez, em Cerro
Len, na boca da picada que vai*para a cordilhei-
ra, e na chapada desta ; que as familias que satu-
ran da Assuropco c de Luque acham-se nos po-
voados de Caaeup el'irebebui, no acampamento de
Aseurra o as cordilheiras ; que em Cerro Len
e Paranuay, nao ha familias ; que junto do vapor
Puraguarij, meltido a ique no porto de Caragua-
taliydo rio Manduvir t-ncalliou-se urna escuna,
alK Oraram encerrados seis vapores pequeos
*m bom estado, otoados Pirabeb. Anhambubij.
Paran; Salto de Gu maro, I pora e Rio Apa que
duas legua* mais abixo foi lambeni mettido a
pique outre vapor, cujo nomo ignora; que nesses
vapores nao havia artdharia, porque ja tinha
desembarcado em Assuinpcao e seguido pela es-
trada de ferro para Cerro Len ; que ha cerca ib:
^000 feridos em Uatamento as povoacoes de Ca-
Cup, Pirebebui e S. Jos ; que ein Aseurra e na*
vordilheiras nao falta gado, vindo de S. Salvador e
da Conceicao ; que Lpez tem mandado matar
muita gente c Mr muiheres, porlhe constar que
bavmmnjonvLrsaio com soldados brasileiros; que
nWabia do ministro americano ; que Benigno
Lpez e D. ltapltaela Bedoya, irmao e irmaa de
Lpez, estao presos no acampamento de Aseurra :
que ignora o deslino de Venancio Lpez; que
Mine. Linch acha-se no acampamento.
O nltimo dedarou <|ue fugira do acampamento
de Ascnrra, desaemocoado domnitoservico e cas-
tigos que l havia ; que nao convidou mais nin-
guem com medo de ser denunciado, que metteu-se
no matto e-gastn vinro das na-viagem sui-tentan-
do-seein melanciasegoiabas; que no acampa-
mento esta vamos generaes Resquin e Caballero, o
ministro-americano cMme. Linch; que o irmao
de L>pez, Benigno, e sua irma Raphaela, Acavam
jertas, os livros do escriptiiraoa. Ainda nao era nao e essa que om geral erra pelas roa* mas ao
contrario a |UoH:t que, c )rao a presentase auinha
entre algiraias purees ;
Si: redactor ia ReoiMa.Era mane da cari-
dade, este attribdto mais dilecto da divina provi-,
di'iicia, que cm nossos coracoes grva as mais sa-
lutares intpressiies, vos peco a insercao das se-
gulntes linltas : A ra do S. C, >n;:t 1 n. 'i, hairro
da Boa-vista, exise urna honrada c boa familia
branca entregue aos excessos n maior attrlbulv
cao, que no mundo se pode-imaginar, roinnondo-
se essa familia lo niulher o marido, e. varios filhos
pequeos de ambos os sexos. Rs*t>ai de familia
liad airaos, existe ein m hito de continuas dores,
porque aottYc de gravtasinu molestia na espinlia
dorsal; o em tal esUiln de continuos padecimen
"conhecida* causa di incendio. Calculava-se
prejuizo de 40 a SO coritos de reta.
Durante o uiez do fevereiro ultimo transita-
ran) pela estrada de ferro de S. Paulo 4,622 passa-
geiros. Foram transportados no mesmo mez os
i.00') toneladas mtricas do caf, 01 di-
las de algottao, 814 ditas de sal, 90 ditas de assu-
car, 1,460 di'as do gneros diversos. A rtceita
foi de 194:000^000.
J'AlMJi.
Nocollegio do Paranagu, nico conliccido.
foram votados para depilados genes : Brs. Ma-
nuel francisco Carrea eloaquim Das dalloch.
BABIA.
Tendo resultado do examo, que proceden
.irosos em Escurra ; que calcula a torca de Lpez dos tom apparecido quautias, que elles nao po-
cm 6 mil honens,mas a cavallaria nao tem senao am possuir.
naadimnistracao do correio desta provincia, q con-; tos physices, gritamlo uoite e da incessantemeiite.
tador do corteio geral da corte, a veritlracao de
um desfalque do 47:9oO776 rs., foi suspenso e
reeolhido a :prislo"a respectivo administrador e
thesoureiro o Sr. Sfcwoel Antunes Pimentel; sendo
designado para servir interinamente esse cargo n
chefe de seeco da tltesouraria de fazenda Manocl
Pereira de Mosquita, que, dando balauco nes co-
fres, encontrou 1:9756420 em sellos, 3:5606660
em sobre-cartas, e 1:9896780 em dinheiro.
O desfalque provm da conta de sellos 6:7326010
rs., e da de cartas o mais papis de porte...............
41:2I8$766 rs.; achando-se o prestamento de cou-
tas thesouraria de fazenda atrasado desde o exer-
cici" de 186018W.
Corra, ultima hora, ter-se o Sr. Fimeutel sui-
cidado.
Fallecer o escrivo de appellacoes e aggra-
vos, veterano da Independencia, Antonio Jos Car-
neiro.
Xo dia 17, chegra o vap^rde guerra Recife
que ltimamente sabio de nosso porto.
Chcgaram, a bordo da barca ingleza Aunic,
as prncipaes pecas da ponte de S. Fidolis, na es-
trada de ferro do Paraguass.
Era o seguinte o resultado das cleigdes para
deputados geracs :
3. districto.
Resultado dos collegios de Itaparica, Jaguaripe,
Nazaretli, Valonea, Camani, Marah, Ilhetis, Por-
to Seguro, Canuavieiras, Jequir\;, Tapero e Vic-
toria.
Dr. Dionizio Goncalves Martins.
Dr. A. Leal de Mnczcs.....
Conselhciro Taques........
4. districto.
Resultadojlos collegios de Inhambupe, Ala-
goinbas, Tucano, Villa Novada Rainha, Itapicurd,
Pombal c Abbadia :
Dr. Pereira Franco............... 548
Dr. Cicero Dantas................ 548
Dr. Jos (encalves da Silva.......... 547
5." districto.
Resultado dos collegios dos Lcnces, Maracas e
Macahobas :
Dr. J. J. Junqueira............... 154
Desembargado!' Araujo Ges......... 154
Dr. Bonifacio de Abreu............ 135
Lemos no Jornal :
Na noute de 18 de fevereire, na fazenda
Olho d'Aguadivisa dos districtos da Itiba c
Qucimadas, do termo da villa Nova da Rainha, foi
assassinailo com 12 lacadas, e depois mettido den-
tro do tanque da referida fazenda, um infeliz pas-
sageiro, que all pernoitra. O assassinato, se-
gundo todas as appareneias, foi perpetrado como
nefando intento do roubo, que se julga ter sido le-
vado a effeito. porque em poder de certos jndivi-
438
436
431
cavallos magros, e a infamara quasi composta
de velhose menino-: que nao hatrincheiras ncra
no acampamento ; que toda a artilharia de pe-
queo calibro e est espalhada pela estrada e em
differentes pontos ; que na 1 lia familias em Cerro
Lem n;n e n Paragiav, mis esta 1 nispivos de
Caaeup e Pirabebui e as cordilheiras; que
existem cerca de 5,000 feridos em Caaeup, Pira-
bebui e S. Jos ; que ha na* cordilheira?, Piraju e
no acampamento muito gado proveniente das
villas da Conceicao e S. Salvador; que Lpez tem
mandado fuzilar'e degollar os soldados que ftearam
atrz depois dos combates de Lomas Valentinas, e
as muiheres que Ihe constou terem conversado
com Os soldados brasileiros.
14
^Fol concedida a exoneracjto qlic pedi o Dr
Manuel Jos Marinho da Cuiilia, do cargo de pre-
sidente da provincia do Rio-Grande do Norte.
Foi nomeado presidente da mesina provincia, o
Dr. Pedro de Barros Cavalcanti e Albuquerque.
DIARIO DE PERNAWIBCO
REClkt, 22 "'-MARIO DK 186
NOTICIAS 1)3 SL DO IMPERIO.
Recebemos, pelo vapor Cruzeiro do Sul, chegado
honlem, jornaes da corte at 15 e da Babia at 1'.'
do crrente. Sob as rubricas Exterior e interior
vio por extenso as noticias mais importantes;
alera das quaes s encontramos nos jornaes as que
seguern.
RIO 11E IAHHBO.
_A apuraco dos collegios conhecidos, para a
eleicaode senador, faltando apenas o de S. Fidelis,
era:
Cmselhero Sayao Lobato____ 1,523
Con Veador Lima e Silva......... 1,132
Conde de Baependy..... 967
Pelo 2o. districto foram eleitos deputados gc-
raes: Drs. Candido Torres e F. Beluario, e con-
selheiro Almeida Pereira.
Eis a>< noticia^ commerciaes da ultima data :
cambio.Londre*, 18 '/i d. a 90 d/v bancario.
la
18 do %
rrente
hontem; 18 Vi d. a 90 d/v particular, hontem.
APOLiCES.fleraes de 6 ,/> a 80 '/% ; em-
prestimo nacional de 30,000:0006 a 8)3, hontem
mrtaes. Soberanos a 135560 e 133580.
non tem.
AocoES Banco do Brasil a 1753000 por ac<;o
fretes. Havre, 45 frs. e 10 %; Canal, 47/6
e 5 o)"), dito a ordens, 55/ e 5 %, dito dito, 50/ e
5 %., 52/ e 5 %; llamburgo, 42/6 c 5 %; Li-boa
ordens. 55/ e 5 %; New-York, 40/ e 5 %, 42/6 e
5 /o, 45/ e 5 /, 47/6 e 5 %; IJaltm ir, 45/ e 5 0/0;
New-Orleans, 800 e 900 por intero; Gibral-
tar ordens, 50/ e 5 %, 55/ e 5 / ; Canal, va
Santos, 57/ e 5 %i Para o Havre (navio da linha),
SO frs. e 10 %; para Marselha, 50 frs. e 10 %
Sahiram para Peniambuco a 11, o brgue
Trovador; e a 13, o brigue portuguez S. Jos.
MINAS 08RABS.
Acbavam-se eleitos depulados geraes :
Pelo Io. districto.Drs. Benjamn Rodrigues Pe-
reira e Camillo da Cimba Figueiredo, e cou.-e-
iil -im J. An'o Fernaudes de I^io.
Pelo 3.Drs. Jos Calmon N Valle da Gama
e Joajuim Delphino Ribeiro da Lu/, e commenda-
dor Mar.ano P. F. Lage.
Tnham maioria de votos :
No t\ districto, nos collegios de Santa Barbara,
Santa Luzia e Itabira :
Dr. Jlo Pinto Moreira........ 123
Dr. Caedo................. 177
Dr. Perdigan Malheiro......... 87
No 5, nos collegios daCainpanhae Tres Pontas:
Dr. Emristo Veiga........... 76
Dr. Joaquim Delphino....,..... 68
Dr. Cobra Jnior............. 66
O Phirol, do Juzde Fora, noticia o seguinte :
Escrevem-nos do districto do Espirito-Santo,
termo do Mar do Hespanha :
Em principios de fevereiro foi brbaramente
assassin ido, no lugar denominado Pao-Grande,
lacadas e cacetadas, um individuo de nome Ma-
soel, sapa'eiro.
Pelo depoimento de tcstemunhas verineou-se
ser Polycarpo de tal o autor do crime, porra o
snbdeleg: do, julgando-o innocente, mandou sol-
ta-lj.
Polycarpo evadira-se, e pela inquiricao de
novas testemunhas recahem ainda sobre elle
as snspeitas de culpabilidad.'. >
Diz ainda a mesm 1 folha :
Na tarde de 27 do pausado, no lugar denomi-
nado Barroso, municipio de Barbacena. escapen
de suecumbir, victima de sua improvidencia, um
individuo que, preparndose para sabir, collocara
cinu urna pistola carregada.
Com o movimento d.) braco a arma desfechon
a carga queimou-lhe apenas a pelle do ventree
de urna perna.
8. PAIXO.
Foram eleitos deputados geraes :
1.' districto : os Srs. Drs. Duarte de Azevedo.
Barbosa da Cunha e J. Floriano de Go,Joy
a districto : os Srs. Drs. Nebias, Costa Pinto e
Antonio Prado.
Organisara-se a directora da companhia Pau-
Sst da estrada de ferro do Jnndiahv e Campia'
cando composta dos Srs. Drs. Clemente Falca de
Souza, Martin no da Silva Prado, Bernardo A. Ga-
via. Peixoto, Ignacio W. da Gama Cochrante e se-
nador Francisco A. de Souza Queiroz.
Na noite de 6 lo corrente manifestra-=e in-
cendio em nm dos armazens da atacan da estrada
de farro na Luz. O armazem foi completamente
dairuido pilo fago, que queimou, entre oatro ob
Os subdelegados daquelles districtos fileram
recolher a prsao Joao Das de Souza, e Francisco
Pereira Franca, indiciados no criine, e o delegado
vai instaurar-Ibes o competente processo. Asse-
gura-se que ha 011 tros complicados nesse terrivel
acoutccinento.
O cambio regulava sobre Londres 18 '/i d.
|wr 16000.
A alfandega rendeu de
519:4906558 rs.
ALAGOAS
No dia 16 do corrente teve lugar a abci lura
solemne da assembla provincial, tendo o presiden-
te da provincia o relalorio do costume.
A cmara municipal da capital, em sessao
de 15 do corrente, nomeou urna commisso com-
posta dos Srs. senador Antonio Luiz Dantas de
Barro- Leite, Dr. A. J. de Mello Moraes e inajor
Modesto Benjamn Litis Vasconcello^, para felici -
lar S. M. o lu perador o Sr. marquez de Caxas,
lelos grandes feitos do exerct%nos campos do
Paraguay.
Healisou-se, na noute de 14, urna reunan po-
Jitica liberal, no theatro publico, com o fim de pre-
eucherem-se alguinas vagas de membros do con-
seibo dire.rtor, e da commisso de redaccao do jor-
nal Parti/lo Liberal, ficaudo esta composta dos
Srs. Dr. Miguel Felicio, padre Deldro, Dr. Cicero
Anatolio, padre Getulio e Dr. Epiphanio Domingues
Verres da Silva.
PERNAffiBUCO.
REVISTA DIARIA.
ro.-Nodia4do corrente, no^rj y^ foi approvada a ^ ta sess3o antece
Campo dos Macacos, do termo de Santo Antao,
foi assassinado Mannel Benedicto, com 'res tiros,
por Manoel Jos de Freitas e scus dois filhos Ma-
nocl e Francisco, que lograram evadir-se ; ni)
tendo anda podido ser presos, apezar das diligen-
cias da autoridade competente.
CAPTURA.Pela delegado de Santo Antao foi
preso Antonio Ribeiro de Lima, porachar-se pro-
nunciado no art. 20o do cdigo criminal.
SUSTENTACAO DE PRONUNCIA.O Dr. juiz
municipal do Cabo acaba de sustentar a pronuncia
dada pelo delegado dojtermo contra Francisco Al-
ves de Miranda da Varejao e Jos Antonio do Monte
condecido por Jos Menino, a melle como incurso
as penas do art. 192 do cdigo criminal, e este
nessas e mais as do art. 257, pelo criine de rapto
e homicidio de Antonia Al ves de Miranda Vareja >.
DESPRONUNCIA.Pela mesma autoridade foi
tambera sustentado o despacho de pronuncia pro-
ferido elh favor de Henrique Gumarics Ficb.
Joao Fernandes Ficb. e Joaquim Pase boa I Corbi,
indiciados no mesmo crime.
BRAVO MILITAR.-Chegou hontem o Sr. coro-
nel Manoel da Cunha Wmderley Lins, um dos dis-
tinctos e bravos olbciaes do nosso exercito, na ul-
tima guerra contra o Paraguay.
DINHEIRO.O vapor Cru&iro do Sul trouxe as
segrales quantias:
Para Pernambuco. 34:4476794
a Parahyba 2003000
> o Cear 52:9506000
o o Maranho 15:9286520
o o Para 5:4006000
CRUZEIRO DO SUL. Este vapor tira a mala
hoje no correio, para os portos do norte do impe-
rio, as 3 horas da tarde.
OS ESTADOS UNIDOS E O PARAGUAY. Do
Jornul da Bahia transcrevemos o seguinte, que
muito deve lisongear os verdadeiros Brasileiros:
No paquete SoulkAmerica veio o Sr. general
Webb com destino ao Rio da Prata, onde vai re-
presentar o seu paiz.
Por esse motivo espalharam-se boatos des-
agradaveis, dizendo-se entre outras cousas, que
ene vinh* estabelecer conflicto, e que seria acora-
panhado de urna esquadra para impor ao Brasil a
retirada de seu exercito do Paraguay, etc. etc.
Ao saltar era trra o Ilustre general, teve no-
ticia d'esses boatos, e declaron que eram comple-
tamente infundados; qne sua missao era outra e
longe de ser hostil ao Brasil, Ihe era favoravel,
Cds qne_ o brbaro e impoltico procedimento de
opez nao poda merecer apoio de governo algum
raoralisado, tendo o dictador sanguinario conquis-
tado sement direito urna forca.
Que as sympathias dos Estados-Unidos eram
todas pela cansa dos adiados, que as haviam jus-
fificado com o seu procedimento constantemente
pautado pelos sentiraentos de dignidade e de bem
entendida homanidade.
Que o ministro Mac Manon, como seu anteees-
sor Washburn, ia ser desamorado, e igualmente o
almirante Davis, por terem ineorrido no desagrado
do govemo, que nao s reprova altamente a sua
conducta era rclacio a Lpez e aos adiados, raas
tambera recebeu com a maior indi^nacio a baixe-
sa por elles commetlida, aceitando sob priso Bliss
e Masterman, que, ao contrario deveriam ter sido
arrancados do Paraguay viva forca, se necessa-
rio fosse.
Que de vendo o general Grant asslntir a ad-
ministrarao da repblica no dia 4 do corrente, se-
riara esses os snus priraeiros actos, e nao deveriam
passar do dia G.u
S ALMAS GENEROSAS. Fazem-nos a se.
guite comraunicacao, que aqui esta.npam is ni
snas expressdes; as quaes sao as do facto que narram, para poupar-nos mais pa-
lavras era tal sentido, tendo para nos no entretan-
to, qne as almas generosas nao se derorarao em 1
- soecurrer awrdaaeira iwcastdade, queporceriO;
tem gasto ludo quanto possnffl, a |,,m((, j, )ia
poneos das m>rrenlo urna das nfetizes cri:inci-
ubas, Albas de*3 casal, qux^i tica insepulta por
(alta de recursos Resta trra, onde o dinheiro
ludo ; e s por inflnxo da divina gra^a, a infeliz
consorte nao tem perdido a.raza/), cutidgue como
se v -m continuas dores vexacoes !
Pais de fami ia, que corapreljendeis o que e a
cardado christaa, mrmente aquellos a quem
Deus nosso Scnhor tem protegido cora os bens da
fortuna constituindo-os dispenseiros da huraanida-
de alllicta. enxojzai o pranto dessa mii atlribu-
lada 1
Sim, mamlai-lhe nquillo que podis dispensar
do voseo supeifluo, que eus inftillivel em sen* di-
linos decretos, ros recompensara eternamente .'
PROCISSO DOS ENFERMOS.-Sahe amanhaa
nesta freguezia do Santo Antonio era solemne pro-
cissao aos enfermos, o Scnhor sacramentado.
E? NOTAVEL.Uin pbenomeno de nao peque-
a ininortaiicia ua ordem physica acaba de dar-se.
segundo nos communicado. ao sul desta provin-
Lca, margem de rio Pei-sinunga, que divide esta
na provincia de Alagas.
Um c(H|ueiro que naqnclla paragam bavia_dous
mesa tinha sido derribado por forte terapestade,
ergueu-se por si proprio sobre as respectivas rai-
zes, e continua a detar fruetov.Isto tem dado
lugar a que tal sitio seja poeto de continuas visitas
da populadlo circumvisinha, que estBpefacta con-
sidera aquella arvore como objecto de attengao,
avista de nm lacio tao sobrenaturatna ordem phy-
sica, e mesmo miraculuso, segundo se exprime o
nosso informante.
PROTESTOS.O escrivo dos protestos Jos Ma-
riano est de semina, ra de Santo Amaro.
LOTERA. A que se acha yenda a.99a, a
beneficio da igreja de Nossa Senhora da Snledade
desta cidade, que corro no dia 24 do corrente.
PASSAGEIROS.O vapdr Cruzeiro4o Sul, en-
trado dos portos do sul, trouxe os seguntes:
Deodato Luiz Fi ancisco Monteiro, coronel Ma-
noel da Cunha Wanderlcy Lins, alferes Antonio
Maria Pereira do Lago, Joao Christiaoi, Manoel N.
Cesar Burlamaque, Isaac Esnaty, Manoel Amelia-
no da Boa Mortc, Nilo da Silveira llamos, Manoel
Xavier do Albuquerque Maranliao, Pedro Leite
Ribeiro Quintclla, Autonio Fernandes da Silva, An-
tonio Loiligardo de Moura Jnior, Antonio Vieira
de Lima, Jos Beli^ario Pereira, Henrique Bernar
des Nogueira, Manoel Jos Fernandes de Carvalho,
Casemiro Rocha, Paulino Henriques Vieira Filho,
18 invlidos e seis seuleuciados, Domingos da Cos-
ta, M. Block, Hem y Llndsev, W. W. Robilliard,
sua senhora e urna criada, Auna Constancia Mou-
ford, Cassiano de Teve Argolo, o uin escravo de
Antonio Alves de (arvalho Veras.
Seguern para o norte :Pedro do Albuquer-
que Maranhiio, 11111 cadete, o capiao Antonio Pe-
dro B irralbo, 45 invlidos, Jo- Vicente de Alean-
tara Lima, ilenriquo Fernandes Eiras, Paulino
He arique Vieira Fimo e um escravo entregar.
0 vapor Gtwr, eonduzin para o sulnn* se-
guintes passageircis :Manoel Goncalves Cselo e
1 escravo, Francisco Sergio de Mallos e seu cria-
do, Antonio Snare Camponcz, Pedro de Oliveira
Barboza. Joao Corroa, D Jesuino de Souz.i Martins
e I criado. Salustiano Bezerra do Nascimento,
commendador Antonio (Jomes Netto, Francisco I.
Torres, Dr. Manoel Jos Marinho Jnior e criados,
Manoel Goncalves Pereira de S, Dr. Jos Araujo
Rosa) Caslriciano Muniz Carvalho, Armio Martins
Carvalho e escravu, Thereza Alexandrina de An-
drade R-go, Guilherrana Franca de Oliveira, Luiz
Antonio o> Moqnita Falcao e criado, 1 escrava
de Antonio de Souza Rogo, Thomaz Bill, Francisco
da Rocha Freir, Eifrozina da Conceicao Carduzo
e 1 filha menor, 1 escrava de Jos Malheus Fer-
reira, Affonso Luiz Pereira de S e 1 escrava, Jos
Luiz Tavares de S, 1 guarda nacional, 2 reerotas
o 1 desert >r, Alfredo Sim n, M. Correia de Souza.
o preso Francisco Augusto da Silva Fontes e 1
praca de polica, Franco Santiago de Almeida e
Manoel Querna.
nomcaeio do tribunal, o qual em sessao de 6 de
setembro de 1880 fazendo o reginii uto interno para
a |unta dos corretores desta pra^a. estatuio no art.
t* que os corretores reuudos nudialO de novem
A constitucao nao exige auo o bspo instaure
suinniarii), diz que o picucho ara o que este deter-
minar.
O bispo jalga na materia cx-infrmala canscicn-
aro de cada anuo procedessem a deicao deseos tia, sera forma de pp
fnnecionarios, e estando os corretores nesse exer
cicio at hoje, delMierou ouvir a '.ir. desembarga-
dor li-cal reinetlendo-se-lheo mesmo regiment.
Nada mais havendo a tratar-se, o Exm. Sr.
presidente neerroa a sessao s II horas e mcia
do dia.
MARtJO
DK
SESSAO JUDICIAR1A EM 18 Di:
tm.
nsIDU>Ct\ DO KM!, sil. BESEMBAROADOR A. V. PE-
RETTI.
Mecrelar6,rJulio fMmies.
Ao meje dia declarau-se aberta a sessao estan-
do reunidos os Srs. desembargailores Silva Gui-
maraes e Accioli, e os Srs. deputados Rosa, Mi-
randa Leal bario de Cruangy, o deputado sup-
plente S Leitao.
Lida, foi approvada a acta da precedente sos-
sio.
O Sr. desembargador Reis e Silva faltou com
participacao.
jLCAMENTos.
Appellantes appellados los Miria Goncalve*
Pereira outro, appellant appellado Relarmino
Pinto de Araujo : embargantes Manoel Jos Patri-
cio e outros, embargado Manoel Alves Ferreira
adiados na sessao passada, nao foram propostos
por nao estar presente o Sr. desembargador Rcis
e Silva.
PASSAOKM.
Do Sr. desembargador Accioli ao S> desembar-
gador Silva Golmares : appellant Francisco d>
Lago, appellados os administradores da massa fal-
lida de Joaquim "Jos Comes de Socza.
AGGRAVO.
Juizo especial do commercio : jagravante ic.fi
Bezerra de Medeiros, aggravados los Fernandes
Gomes A C: *
O Exra. Sr. presidente negon provimento.
Nada mais knnve, e cncerrou-o a sessao
meia hora da tarde.
FUBLICACOES A PEDIDO.
CHR0MCA JUDiriARFA.
TKIIt!\4L DO oniIBR^IO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 18 DE
MARCO DE 1869.
PRESIDENCIA DO EXM.* SR. DESEMBARGADjR ANSELMO
FRANCISCO PKRKTTL
As 10 horas da manhaa. reunidos os Srs. depu
tados Rosa, Miranda Leal, bario de Cruangy e o
supplente S Leilao, presente o Sr. desem-
bargador fiscal, S. Exe. o Sr. presidente declaran
aberta a sessao.
dente.
EXPEDIENTE :
Oficio do ecretario do tribunal do commercio
da capital do imperio, firmado da.2 do corrente,
incluindo a ivlaco dos commerciantes alii matri-
culados durante o mez de fevereiro ultimo.
Accuse-se.
as inds do Exra. Sr. desembargador Custodio
Manoel da Silva G'.iimaraes, substituto legal do
Cxm. Sr. presidente, prestou juramento de bem
servir o empregado de avaliador conjmercial, para
que fora nomeado, Jos Maria Seve.
Foram assgnados os seguntes offlcios: Pelo
Exm. Sr. presidente o que se dirige a presidencia
informando a jictico de Jos Jacome Tasso.Pef>
Sr. secretario o qie se envia a junta dos correcto-
res no sentido da dehberacio tomada na prxima
passada essio.
Destribumm-se 103 Sr3. depu'ados os livros co-
piador de Miguel Jos Alves.dem de Loyo So-
brinho & CDiario de Theodoro Simn & C.
O livro da correspondencia official foi achado
escripto em ordem at n. 94.
DESPACHOS.
Requei imento de Thomaz de Aqqinq Carvalho
e Antonio Francisco de Carvalho.registro de seu
contrato social.Vista aoSr. desembargador fiscal.
Dito de Joao da Rocha e Silva e Manoel Alves
Lima,registro tambera do seu coatrato social.
Vista ao Sr. desembargador fi-cal.
Dito de Jos Joaquim da Costa Maia Jnior,
certidao de sua nomeacao de caixeiro da casa
commercial de Jos Joaquim da Costa Maia & (1
Como pede.
Dito de Manoel Joaquim Dias,registro da iw-
meacio de seu caixeiro Manoel Jovino de Souza
Rarroso, qne substituio a Manoel Joaquim Morei-
ra, fazendo-se neste sentido a competente averba-
cio.G>mo pede.
Dito de Duarte Antonio de Miranda,no mesmo
sentido do antecedente, tendo sido substituido o
seu ex-caixeiro Laurentino Pereira do Souza por
Joao Noberlo da Fociseca.Como requer.
Dito de Joao da Sirva Santos & C.,registro d
seu distrato social. Vista ao Sr. desembarga-
dor fiscal.
Dito de Joaquim Pereira Arantes e Antonio Fran-
cisco Pereira Lyra,idem tamben de seu distra-
to social.Vista ao Sr. desembargador fiscal.
Dito de Joaquim Alfonso dos Reis,idem da no-
meaci) de seu caixeiro Francisco Affonso do*
Reis Vianna.Registre-se.
Dito de Manoel Luiz Ribeiro e Manoel Ferreira
Colho, ide n de seu contrato de sociedade.
Vista ao Sr. deserabirgador fiscal.
Dito de Antonio Alves da Silva, Joao Correa de
Carvalho e Jos Antonio Franco de Carvalho, re
pilcando do despacho de 8 do corrente, em que se
exigi que o 3o peticionario mostrasiA que se
achava habilitado para commerciar. Seja regis-
trado o contrato com o parecer final a presente
pelieao.
Alada a qnesto de sepultara
ecclesiasttea.
Era 1860, ura discursador do Atheneu Per na m-
bu,:ao, tratando da questao romana, disse : NSo
vedes,xatholicos, que sois victimas ia astucia da
impiedade f Que onde se falla em questao pol-
tica, ha verdaeiramente uma juesto religiosa f
Invertendo o pensamento, pederamos dizer tam-
bem, alerta calholicos, que estaos tendo victima"
da astucia da iinpiedade 1 Que onde se falla em
qites'.ao religiosa, ha verdaderamente uma ques-
tao poltica ?
Pode-lo-liamos, se attendessemos ao modo por
que na imprensa se tem geralmeute encarado a
questao da negflcio da sepultura epi sagrado aos
restos mortaes do general Abreu e Lima.
Pretende-se, todo transo, leva-la para o cam-
po da pofitica, attrbuindo-se inluencia desta
urna decisao dictada lio smeute polos sentiraen-
tos do cumprimeiito de um dever.
Neste terreno nao acompaaremos os lidadores
da imprensa desta capital.
Nao entraremos ti> piuco na discussaoda con
veniencia ou inconveniencia, da utilidade ou inu
tilidado de certos caones, e leis disciplinares da
igreja calholica.
8obre estes assumptos somos apologistas da ple-
na liberdade de conscicncia, da mais perfeita tole-
racnia.
O nosso fim uuico, tomando parto nesta discus-
sao. mantera verdade dw lacios, rom) elles se
derain, e mostrar que se fez justa applieacao das
leis que os regulara.
Se a questao podesse ser tratada d; jure consti-
tuendo, nao duvidariainos acompanharos adversa-
rios era alguns pontos : mas ella s deve ser en-
carada de jure constituto, e sob este ponto pare-
ce-nos que a victoria ser nossa.
A igreja cath ilica urna sociedade constituida,
que nao s tem leis que a dirgem e regulara,
como tambem executores das mesma) leis, que as
applicam aos casos occirrentes : esas leis, como
na sociedade civil, nbrigam os presentes como aos
futuros descendentes dos priraeiros, em quanto nio
forem revogadas.
Jess Curato, querendo a unidade o firmeza de
sua delegou t dos os scus poderos nesta parte
aos seus apostlos : ncumbio-os da pregara e do
en elles at a eonsninuiacat dos seculos; promessa
que esieadeu aos successores dos apostlos, repre-
sentados hoje pelo Summo Pontfice, a corpo epis-
copal. Dah a infalbilidade dos concilios, e do Papa
em materia de disciplina.
Isto posto, vejamos se, com applicai;ao a que-tio
l't.tntit rt tnrtnln SiMhXa n^nn.. _. ^.. .1. ._,
Dito de Manoel Joaquim Dias e Elisbo Joaquim
D as,registro de seu contrato *ocial.Visu ao
Sr. desembargador fiscal.
Dito de Feliciano Jss Gom-s, certidao de ser
ou nao negociante matriculado neste tribunal.
Como requer.
Dito de Joao Jos Lopes Pereira Jnior.regis-
tro do sua nomeacao de caixeiro de Joaquim da
silva Costa.Como rajoar.
Cora informacio di Sr.desembargador fiscal:
Do Jos Fortunato dos Santo Parto rem
do distrato da firma social de Bernardino de Aze-
vedo Pereira Maia, da qual era socio eoramandi-
tano.Registre-se.
De Theodoro Simn & C.eouftato de ncieda
de coraraanditaria.Satisfacnm o pareBer AmL
n DKJaAcX4
O tnbnnal tendo n vista o decreto a. Wi B*
mandou p .r era exeoieio o de n. 806, com al-
alas alteraos, a eto a 4* que a joota a^Tda
vertente, a igreja irape penas aos que nao cura
prcraos seus preceitos.e desobedeqem assuas leis;
e quaes sao estas penas.
Tres sao -as especies de cen>uras do que a igreja
costuma lancar maoexcommunhiususpensao,
e interdicto.
A censura 011 ppna usada para com o general
Abreu e Lima foio interdicto, cujos elfeitos sao a
privacao dos ofticios divinos, de alguns sacramen-
tos, e da sepultura ecclesiastica.
A privacao da sepultura fui a pena fulminada
contra o finado.
Qual a lei da igreja que decreta esta pena, e era
que casos ?
Abrindo a obra de direito ecclesiaMico do rene-
rando bispo, conde de Iraj, volunto 2., paginas
201 1159, lemos :
o Segundoodireito commum.oespecial das const.
do arcebispado, e das prescripeoes do Ritual Ro-
mano, tambera nao tem sepultura em lugar sagra-
do : 11.a Os que manifest mente nao cumpriram
os preceitos annuos da confissao e communliao,
FALLKCERCM sem SIGNAGS DE ARHEPENDIMENTO. 14."
OuWt peccadores minifestos e pubncos, que sem
nenliuma penitencia, e muitas vezes no mesmo pee-
cado, ttorrei'am.
Ja veo leitor, quo para negar-se sepultura em
sagrado nia preciso, que 0 uiorlo tivesse sido
previamente excommungado.
Rasta, que nao se ostrasse arrepetidido de nao
ter cumprido o pracrito da confissao.
E o general, pergantarao, eatava comprohendido
nesta hypothese 1
Infelizmente nao" podemos responder pela nega-
tiva.
Nao s ello combaten a confissao auricular, o
que pelo concilio de Tremo bastante para que
fosse anathematisado, como tambem. cous djas an-
te de seu passamento, ni) quiz acceitar os pater-
naes consellios de seu prelado para ;onfessar-se.
Ainda mais, declarou a S. Exc. que niio acredite va
em alguns pontos dogmticos da religiio christa.
A sua razio, alias tao esclare ida, at quasi os
seus ltimos momentos, nao compreheiidi o g an
djoso mysteriiidaTrinda'tea Immacada Concei-
cao de Maria Santissiraaa coinmunlcacao dos
Santos II
Mostrou-se contumaz no erro, quando ao reti-
rar-se S. Exc. disse que seria intil a visita pro-
mettida por S. Exc, se a sua inteocio era alean-
car delle alguma retratacio.
Agora resta saber a quem eomnetia applicar a
lei ao caso, e qual o processo a seguir-se.
Que competa no caso dado ao E:cm. prelad
diocesano, supporaos queninguein nos contestar.
Quanto a raaneira de julgar e dicidir o caso co-
Staremos a opiniao do Ilustrado e venerando con-
e de Iraj. na sua citada obra vol. 2. pag. 402:
A negacio de sepultura ecclesiastica as-
t snmpto grave, enjo re*peito as (onstituicoo
nao deixarm aos parochos a faculdide livre de
t obrar, ainda nos casos manifestos. Assim ellas
ordenarara o processo mediante o qual se de-
ver conceder ou negar a sepullur 1, o que se
< reduz ao seguinte .
!. O parocho nidf deve negar a sepultura a
f nenhuin morto coinoreoendido nos c.aso< referi-
11 dos nos 1108 e 1159, antes de tnforimr sobre
a a especie occorrente a$ bispo, oh aoi seus oiga-
v ros, ou ao vigaiio di vara conforme o lugar ;
me ENTAO FAR 0 QUE ESTES DBTERMINARRM.
t 2.a Se nio poder recorrer era ao vigario da
vara, era razio da distancia dos Iug.i-es, o naro
cho chamar outro mais visinho, para fazer con
elle um suinmario, que arabos julgmi, dando
ou negando sepultura; o se os dou i parochos
< nao concordarem, depois de escript)s e assig-
nados os seus votos, elles remetterir, o surana-
rio a om terceiroparocho, :ujo voto arredondo a
< qualquer dos dous ser o que prevaleca.
a A." Se os parochos nao podere n rei.nir-se pela
a distancia dos lugares, e urgencia do caso ( por
a que o cadver nao ha de fiear insepulto por mui-
to teinpo) o parocho do defunte fari. o surama
< m c.nn nm sacerdote da freguezia, ou me-mo
clrigo minorista, se o nouver, e ni falta el*
i somante: e juagar, coneedendo ou negando se-
puitura, como e.ttmder em sua orntc enca.
Pelo qijH tica lra>n*cripto se v, que i su nmarin
s exigido qwao\i o parocho nao po-le recorrer
ao bispo, ouaoaseof vigarkM.
Entciido um Ilustrado escriptor, nosso distincto
raesire, ijae e Exm. prelaq\i diocesano deVia ter
ouvido o Cabido acercada questao. -Nao podemos,
como desejavamos, seguir sua opiuiiw: primo,
(KH-que S. E\c. julgou ex-infrmala conscientia;
elle ouvio ao general Abreu e uima sobre pon-
tos de t, e com ello largamente discutio: forinou
por si mesmo juizo seguro da eontumaoa cm que
persista elle ; secundo, poique o cabido so tem
direito de ser ouvido com seu conselho jas dandi
ooniitii, nos seguintes casos: juando se trata de
oraanisar os estatutos da catliadralde declarar
os graos do ordens sacras an nexos aoseaopnica-
tosquando se trata de fundar seminario con-
ornar os clrigos i censuras ou penas mais gra-
ves e extraordinariase quando se trata de por
interdicto as igivjas.
A viste desias regras, n) tinha o Exm. bispo
qucouvir o cabido; e sendo la) claros os Tactos, e
un terminantes as disposices do direito, nada
iiiioodia que S. Exc. rosolvesse a questao, jure
proprio.- *
Ainda o mesmo Ilustrado escriptor pensa que
em caso algum S. Exe. o Sr. bispo, poda fazer
us da conversa que uvera com o tinado; eleva
. seu rigor ^tsuppijr, qne houvera confissao, e
revelacao di sygityp desta!!
Acreditamos que o Ilustrado escriptor nao teve
em vi-la fazer tio grave injuria ao nosso virtuoso
prelado, snppondo-o capaz de um crime.
S. Exc. nio poda prescindir da referencia s
palavras e actos do Ilustre finado, visto como
nellcs funda va a sua decisao.
E para que tornar ura segrodo daquillo que em
vida nunca o fez o finado, que publicamente raani-
feslava as suas deas era materia de religue ?
S. xc. podia ter dispensado na lei quo rege a
questao, diz ainda o nosso douto mostr.
O interdicto, uma vez contrahido, podia ser tira-
do p "la absolvica >, uma verdade; e era o que
po lena fazer- 8. Exc. o Sr. bispo, e nao dispensar
a applieacao da lei aocaso da infraccio: mas para
isto ter lugar era preciso, que o censurado se arre-
pendesse do delicio, como ensiaa o citado conde de
li'.ija coi sua oura tomo 3" pag. 143 1506.
Deu-se esta cireumstaucia? E'oquecumpre
provar.
Alm disto, a dispensa exigida acto, quo pura-
nente dependa di con>ciencia do Exra diocesano,
e para a qual nio conheeemos legras.
S. Exc. o Sr. bispo nao deu, e uera mandou dar
a Extrema Unccao ao general Abreu e Lima,
anda uma das censuras feitas pelo Ilustrado es-
criptor do Jornal do Recife.
Antes de responder a este ponto, llevemos decla-
rar, que quandi) S. Exc. se preparava para ir fazer
nina outra visita ao general, soube por Ihe dizer o
administrador do ce.niterio, que estava elle fora
dos sentidos, e innribundo: jnio era possivel
prestar-lhe soecorro algum espiritual.
Voltando que-tao, perguntiremos, podia S. Exc.
o Sr. bspo, em juizo perfeito, dar a Extrema Unc-
cao ao general Abreu e Lima as circurastancias
espirituaes era que o deixara, quando o visitou?
Soliritou-a o en/eruu.'
E porque se nai reccorreu ento ao parocho da
sua freguezia, para aecudi-io com este Sacra-
mento?
Se verdade, como se diz em ura pe odeo, que
o enfermo perder os sentiilos por ter lirado con-
gosto, comojpHe pedera appb|pr um Sacramen-
lo, para cufo/ccebimeiilo exige a igreja, inlrega
meas, fules ac pia uaiini voluntas?
So o enfermo raostrou visiveis signaos de arre-
peudimento e conb'jc(a), invitando a proleci,'ao de
Jess Cbristo, desojando a Extrema Unccao, e as
preces da igreja, porque as testemunhas destes
factos, uma s, se quer, nao se apresenteu ante o
Exm. bispo a c.;rtfica-los, para obter a revogac,ao
da ordem que privava o finado da sepultura
ecclesiastica 7
Se o Ilustre general deu tantas provas de mor-
rer como bora catlmlico, porque h ije se nao pro-
cura arredar de sobre as suas crazas a censura da
igreja, justificando-se no juizo ecclesiastico tudo
quanto a seu favor se ha dito?
Ni) seria Isto melhor, do q-tc procurar des-
vairar a opiniao publica, attribuiudo-se ao
n eso virtuoso prelado intencSes, que, por corto,
ni) Ihe passarara pela mente?
Para que adullerar-se os factos em materia tio
grave e melindrosa, dizendo-se, v. g., que o abbade
Lamma's, foi sepultad como catholico no eemite-
rio do Pre-Lachuise aperar de excommugado ?
O cemiterio do Pre-Lachaise contera lugares
destinados sepultura dos fillm- de todas as eilas
religiosas. Ali dis Judeos, dos Musulmanes, dos protestantes;
emfim. I lugar de igreja catholica.
Os mesmos factos se notara nos cemiterios do
Rio de laneiro, como determina o decreto n. 796
de 11 de junho de 1831 art. 17.
Infelizmente existe no cera terio desta cidade
falta de lugares destinados aos nao cathnlicos, o
que seria mui fcil de remediar.
Este artigo j vai ura pouco longo: nao fina I i-
sare.nos, pojra. sein dizer, que nao vemos no acto
da negaca > de sepultura ecclesiastica, compres i)
as crenen* religio-as.
A discus-i) que se tem travado sobreest ques-
ti), eollocada no terreno em que se acha, uma
prova plena da tolerancia religiosa que entre nos
reina.
Q-iem d'entre nos j sofireu qualquer constran-
(rimento physico ou moral, por pensar desto ou
daquelle modo em materia de religiao?
Sera porventura corapressio as crencas reli-
giosas negar a igreja catholica suffragios aos que
n i accetara a< suas doutrinas?
Ni) ser ao contrario o protestantismo, e a m-
piedade, que procurara comprimir a crunca calho-
lica ?
Um dia Pedro estavanoleme (disse o discursa-
dor do Alhenni), e o Salvad >r dorma na bar-
ca. Levantou-se furiosa a tempostade, Pedro teve
mdo, c accordou o Mestre. O Mes i re, reproben-
deu-o, e continuou a dormir. E a terapestade
serenou.
E, pois, ninguem se tome de nicdo^ ninguem
transija com a impiedade. A tempestado vira:
mas, o Mestre dorrae na barca, a barca nao ir ao
fundo, j
Recife, 19 de marco de 1869.
W.
ATTENCAO
carta do Sr. Jes Mafia, c manda-la-liei pu-
blicar se por ventura Fr contestado.
Oportador da minha resposta existe, o
cauoeii-oWarcelmoBarboRa, que tambem est
prompto. declarar, sob juramento, .1 face
do Sr. Jo.se Maria, que este scnhor depois
de ter hdo a minha resposta dirigio-se
elle e disse : Nao tenho pressa, o raeu di-
nheiro est seguro, accrescentando, em es-
tro que bem revellaa sua fina educac3o c
elevados senlimentos: Eu costumo en-
gorda los para depois come-los. >
Saiba mais o publico que, nao ficando eu
satisfeito nem tranquillo com aquellas
palavras dirigidas ao c^noeiro Blaroelino,
di-me pressa em pedir ao meu correspon-
dente e amigo o Sr. Joo Pereira Moutinho,
que procurasse entender-se com o Sr. Jos
Alaria cerca desse negocio, e que aque!-
le meu amigo mandou o seu caix-iro tuais
de uma vez casa do Sr. Jos Maria. O
Sr. Joo Pereira Moutinho nao hesitar, cer-
tamente, em attestar publicamente, se fr
necessario, a verdade do que deixo dito. J
se v pois, que se intcncao, segundo pen-
sa o Sr. Jos Maria, demorar a cobranca
da divida de um amigo fallecido para nao
incommodar os seus herdeiros (reservndo-
se, poim,o direito de cobrar depois o prin-
cipal com lodos os respectivos juros), ess't
intencao nao teve o Sr, Jos Maria, e eu
nao posso ser aecusado d8 ingrato ou gros
seiro por t la desconhecido.
E' claro tambem e evidente que se o
mentiroso aquelle que aventura aflrmac/K
contra a verdade de factos reaes e sabius.
loi o Sr. Jos Maria quera menlio e nao ou.
Agora, tinalisando, declaro ao Sr Jos
Marisque, desconkecendo a obrigacSo de
ir sua casa ajus'ar contas e pagar-!he, vis-
to como a regra geral que o pegamento
deve ser feito no domicilio do devedor, es-
tou prompto apigar-lhe logo que sua se-
nhoria, ou alguma outra pessoa convenien-
temente habilitada com os ttulos da divida
e os poderes necessarios, appareca no en-
genho Miga, onde resido, protestando nao
levar em conta os juros resultantes de qual-
quer demora, que sua senhoria der lu-
gar.
Maga i.- de marceo de 1869.
Hmriqie (Hympio Tacares da Richa.
i



->
COMMERCIO.
PIUP-A DO RECIFE 20 DE MARCO
DE 1869.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDE.
Algodao de Pernambuco 1* serte = 13JO0O por
arroba (hoje).
Algodao da Parahyba 1' sorte 16:i00, 2 0/0
lo:t0D por arroba posto bordo a frete de 5,8
d. e 5 0/0 (hontem).
Dito de dita 16S00, 2 0/0 13*500 por arrota
posto a bordo, a frete de ift d. e 5 0/0(hon-
tem). i
Dito de dita16S00, 2 0/0 15."00 por arrol.
posto a burdo, a frete i/i d. e 5 0/0 (hontem).
Dito de dita!6250 por arroba posto a bordo, a
frete de 5/8 e 5 0/0 (hoje).
Cambios sobre Londres90 d/v 19 1/8 c 19 ifl
por lOOO.
F. J. Silveira
Presidente.
Leal Seve
Secretar.
ENGLISH BANK
O Rio de Janeiro Limited
Desconta lettras da praca taxa a coc-
vencionar.
Recebe dinheiro em conta corrente e a
prazo fixo.
Saca vista ou praso sobre as cidades
prncipaes da Europa, tem agencias na Ba
Itia, Buenos-Ayres, Montevideo, New-York
e New-Orleans, e imitte cartas de crebito,
para os mesmos lugares.
Largo do Pelourinho n. 7
BANCO AUA & C.
Una do Trapiche u. 34.
Desconta lettras co imerciaes a taxa ob-
vencional. Recebe dinheiro, a premio con-
vencional, por lettras e em conta corrente.
Confere crditos, saca sobre as primeiras
pracas do imperio, Rio da Prata e Euro-
pa, e compra cambiaes so >ro as mesmas
pragas.
Encarrega-se, por commisa'o, da com-
pra e venda de fundos pblicos e acc5es do
jompanhias, da oobranca de lettras e di-
videndos ou de seu pagamento, e de qual
quer outra operaco bancaria.
O expediente para o publico comecar
s 10 horas da manhaa, exterminar s i
horas da tard de todos os dias uteis.

;|

CASA DE CAMBIO
Teodoro Simn & 0.
Vendem
Ouro nacional 1
k
Em resposta um aviso por mim publi-
cado no Diario de 23 do prximo passado
mez, no qual declarava ao Sr. Jos Maria
Ferreira da Cunha, que se elle continuasse
indifferente aos meus repetidos convites, e
nao se apresentasse logo para recebero
pagamento do que Ihe devesse o casal do
meu tina lo sogro o tenente-coronel Jos
di S Albu(uerqiie Mello Gadelha, exibin-
do para esse fin ttulos convenientemente
legalisados, tanto eu como os outros her-
deiros n3o respondiriamos pelos juros re-
sultantes da sua demora; aquelle senhor.
sahindo era fim do sea silencio, dignou-se
duer era ura aviso publicado no Diario de
do supradito mez o seguinte:
Nao tendo sido procurado parece-m
que as minhas rea bes com a familia
d'quelle finado diviamlivrar-mea noext
gir logo o meu pagamento hje, porra,
queoSr. Hennque mostra-se estranho
aquella attenco, dir-lbe-hei que n'esta
cidade me encontrar sempre prorapto
para receber o pagamento apresentando
< a conta e titulo.
Acceitara qualquer explicaco por mais
banalsque f.isse, raas nao posso consentir
ijue o>gr. Jos M.tria apresente-se com ares
de cavJheiro generoso e delicado, fezendo-
rae passar por grosseiro e mentiroso.
Saiba, pois o publico que o Sr. Jos Ma-
ria Fenwira da Cunha, poneos dias depois
da niorte do meu fallecido sogro. dirigio-me
urna carta exigindo o pagamento do que
Ihe fiara dever dito meu sogro, e que in-
mediatamente IIm respond que apparece^
se, oii uxikiss oeasoa competentemente
autorisaila para receber o pagamento de
sua divida, em vista dos documentos que
apresentasse. Teubo en mea poder essa
@ S60/0 de premio
13>900-
ft io/0 de premio
Largo do Corpo Santo n. 21
porlugez )
Soberanos
Sedulas do governo)

Rendimcnto
dem do dia
ALFANDEGA.
dia 1 a 19 .
69L79U67
48:2004387
739:99f*03i
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
Voluntes entrados rom falcadas 317
dem idem cora gneros 618
Volnmes sabidos com fazendas 316
dem idem com gneros
96o
6U
Desrarregam hoje ti de maree.
Brigue portuguezfinn'iutontierradorias.
Ilarca inglezaFloating Cloud idem.
Escuna norte-allemo La Plata *= farnha de
trigo.
Barca portuguezaSeguranfodiversos generes.
Escuna norte-al|omo Johanna fannha de
trigo.
Brigue inglezSalwajf Queenidem.
K-cuna hollandezaCatharinaassucar.
Barca ingleza Levan!mercadorias.
Lugar inglez Peart -idem.
Escuna dinainarjueza Etiza idem
RECEBEDOIUA DE RUNDAS UITEHlfAS GE-
RAES DE PRKNAMBUGO.
Rendimento do dia 1 a 19 47:607*M9
dem do di 20...... 1:838*015
49:545*144
CONSUUDO PROVINCIAL
Rendimento do dia 1 a 19 MS:8|fM42
IdemdodiaO....... 4:691*875
110:804*517
PR\fld DO RECIFE
BM 20 DK MA5) D? 1869, S 3 HORA DA TARDS.
REVISTA SBMtMAL.
CAUW06.Saccou-se sobre Londres de 18 7/8 a
t9 tf d. por 1*; sendo de 115,000 o valer des
saques efiectuados nesta semana,
i

t
iJ




B4MO Je Peruambuco Segpnxfo eira 22* de Manp tle 1869.
. ..._________ ~ T------ --- ~ ____,_______________________.___________________------- -_____________..
Ai.md.vo. Vendeu-se o de Pcrnaubuco de
14*700 a 1353B0 a ariot.
Assucar.O branc a 5*400 a
arroba, o some 100, o mase;
puntado de :iG00 a : i800 c o bruto de :tJ150 a
3J80Q.
Aouardbnte.Vendeu-se de 92* a 95 a pip i.
&MJR0S.Os seceos e salgados venderam-so de
240 a 850 rs. por libra.
Arroz.O pilado da India vendeu-se a 3200
a arroba.
Azkitk-doce.O de Lisboa obtevo 3M00 por
gaBu.
Bacalho. Em atacado vendeu-se a 215000.
> a rulalho de a 27 S: tirando em deposito
200 barricas.
Battas.Venderam-se de 2800 a 3.JO0O a
arroba.
Boi,ACuiNifAS.dem :i 4 -i. a barriquinha.
Cajk.dem de 5*400 a fia a arroba.
Cha.dem do 25200 a 28U0 a libra.
Carvao M peora.-Venden-so de 141 a ls a
tonelada do ordinario e de 18* a 19 do de
Jardia*.
i'.'-rvfja.A dnzia de garrafas vendeu-se de
IJS00 a 8200.
Faiuxiia m trico.A de Xew-York vendeu-se
de 266 a 27, .1 de Hi.hmond de 28* a 30, a de
Franca a 273- a de Trieste de 50* a 35* por bar-
rica, a do Chile de 10 i a 11 j e a da California de
10* a 11*500 osacco; fieando em ser 5.000
barrica? e 27*100 saceos, u saber: 8,00 da pri-
meva, 600 da segunda. (500 da lerceira, 15*800 da
quarta, 26,600 da quinfa c 500 da sexta.
Louca.A ingleza ordinaria vendeu-se eom 440
porceutode premio sobre a lacinia.
Mantriga Vendeu-se a ingleza de 1* a 15170
e a franceza a 870 rs. a libra.
Massas.dem a 10* a caixa.
Olkoiib hshaca.Mein a 2*100 por galiio.
Pxssas.dem a 6* a caixa.
OueijosOs Damengos veuderam-se a 2*200
cada un.
Sabao.Vendeu-se o inglez a 170 rs. por libra.
TounxHo.dem b de Lisboa a 11* a arroba.
Vinaorr.O de Portugal venderse de 120*
.1135* por pipa.
ViNiios \enderam-e os de Lisboa de 230* a
590*000 a pipa e os de outros pautes de 2OO5OO0
a 208*.
Velas.As de composicao regularain a Oso
rs. o pacote de 6 mis.
Des-.onto.O rebate de letras regulou de 8 a
10 por ceuto ao anuo.
Pni'TRS.Para Liverpool } d. por libra 5 %
aelo algodao em navio de vela, 3,4 em vapor, e 20/
p% peloa-suear; para o Canal 35/5% pelo
5ssnear; earregando em Macei 37/6 5% c paar
os Estados-Unidos 37/fi a 40/
quizerem visitar o Santo Sepulcliro, faze-Jo afc
iiiento eisa hora.
Secretaria da santa casa de Misericordia do Re-
cite 19 de marco de 1869.
O escrivai..
PeJro Rodrtffvcvdc Souza.
Pela mlministraco do correio desta cidade
se faz publico que hoj fechar-se-ho as malas que
o vapor Cruzeiro do Sul tem de conduzir para os
portos do norte Os impressos serao reeebidos
at urna hora da tarde, as cartas registrar at
as duas e as ordinarias at as tres horas e estas
at tres o meia, pagando port duplo.
Correio de Pernambueo, 22 de ina rea de 1809,
O administrador,
Domingos dos Pastos Miranda.
MOVIMENTO DO PGRTO.
Navio entrado no da 21
Portos do sul6 dias, vapor nacional Cruzeiro do
Sut de 1114 toneladas, eoinmandanle Alcofuia-
do, equipagem 65, carga diiTerentes gneros; a
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Navio subido nn ntesmo dki.
arcelona Sumaca bespanhnla Mercedes, capilao
Miguel Zaragoza, carga algodo.
K. B No da 20 Bao lionve entrada nem saluda
ECITAES.
De ordem do Illm. Sr. I)r. procurador fiscal
da f.-i/oiiila provincial, se convida a todos os de-
vedores do imposto creado pela le n. 510 s 13
sobre doaeoes de qualqucr especie, que o nao ti-
vereni pago por occa>iao de lavrareai-se as res-
pectivas escripluras ou de tomarm posse dos
bens doados a virem revalidar os Mas ttulos, pa-
gando o imposto devido nas reparticoe* compe-
tentes, sob pena de, se o nao fizerem, proceder-se
a cobranca do niesmo imposto pelos meios judi-
ciacs.
Secciio do contencioso da thesouraria provin-
cial d PcrnamDUCo 115 de marco de 1869.
O ollicial,
Horacio Walfrido Peregrino da Silva
SANTA CASA DE M1SEHICOKDIA D HECIFE.
A Illina. junta -administrativa da Santa Casa d"
Misericordia do Itecife, tendo de contratar o torne-
eira uto dos gneros abaixo declarados, para os es-
tabelecimeiilos pios a seu cargo, nos niezes de
abril a junho vindourns, recebe propostas na sala
de suas sessoes. pelas 4 horas da tai de do dia 11
do corrente, para contratar eom qiiein se propozer
fazer dito loinecimcnto eom o maior ahalimento,
tomando por i, ise oa presos seguintes. que sao os
do contrato cni vigor no corrente mez :
Manteiga franceza, libra. 15000.
Caf em grao, idom, 200 rs.
Cha verde, idem, 3*000.
Cha preto, dem, I >i00 rs.
Assacar refinado, hlcmj 180 rs.
dem idetn baixo, 1(50 rs.
dem branco em torrao, dem, 140 1 -.
Arroz pilado, idetn, 120 rs.
Toucinho, dem, 500 rs.
Uacalho, dem, 199 rs.
Peixe fresco, idem 460 rs.
Tapioca, idem, 160 rs.
Alel ia. idem, 400 rs.
Sabo, idem, 260 rs.
Fumo do Rio, idem, 320 rs.
Volas de carnauba, dem, 360 rs.
Ditas de espennacete, idem,-700 rs.
Azeite doce, garrafa, 760 rs.
dem de carrapato, idem, 720.
Vinlio tinto, idem, 540 rs.
Idein branco. idem, 560 rs.
Vinagre de Lisboa, idem. 170 rs.
Agurdente, idem, 80 r>.
I'arinha de mandioca, alqueire, 49400 rs.
Keijao mulatinho, idem, 7*400.
Sal, idem, 880 rs.
Ceblas, o cento, 1*400 rs.
Farelo, o saceo, 4 000.
Batata*, arroba, 1*500.
Carne verde, libra.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Rc-
cife, 6 de marco de 1869.
O escrivao,
P.ilro Rndriguesde Souza.
~ COMIOlEML "~
llelacjo das cartas registradas viudas do norte pe
lo wpnr Gudr, existentes na aduiralstracio do
correio desta cidade, para os senhores abaixo
declarados :
Antonio Bernardo Vaz de Camino, Antonio da
Costa O. Main, major Antonio Dornellas Cmara,
Dr. Candido Emygdio Ivreira ljobo, Dr. Candido
Vieira Ciiaves, rimneudador Domingo; Alves M 1-
theus, Dr. Ovidio Clementino de Aguiar, capilao
Fernando Augusto de Mondonga (Garanhunsi, Dr.
Feiippe Nery Collaco (2), desnli irgadur Francis-
im iV.mingues da Silva (2), juiz de direito do l.i-
moeiro, Joaquim Gerardo de Bastos, Joao Jos da
Cunha Iiges, J. O. C. Doyle, Joao Hamos, Dr. Joao
Thom da Silva. Dr. los Ai aujo Roso Danim, Jos
Luiz Gonralves Ferreira & C., Dr. Jos Vicente
Duarte Brandan, Fr. Nicolao do Itomlim. Dr. Silv-
no Cavalcante d'Allmqnenpie. S Leitio & Innao,
SiUio Pelico Pereira Ferraz, T. C. Banks Of Rio de
Janeiro, e Venancio Augusto de Magalhacs Neiva.
mmw mmm
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at o dia 24 do coireite o vapor
eommandaatc J. M-
Ferreira Franco, o oal depois
da dctliora do costume segtlira
para os do sul.
Desde j recebem-se passageiros e en?aja-so a
carga que o vapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no oa de sua chegada. Encnmmen-
das e dinhero a frete at o dia da stia sabida as 2
horas.
Nao se recebem como encompteadas senao ob-
jectos de pequeo valor e que nao egoedam duas-
arrobas do peso ou 8 pa inos cbicos de meatele
Pudo (pie passar destes limites deveri sor embar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
fens s se recebem na agencia ra da Cruz n. <>7,
andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo Se C.
as 10 hor.; i|,ii0 ostalielccimon-
to refurido 8r. IV'irier, ama do Imperador n.
' 9. Aefronic do e.mven.'o de S. Francisco, onde 0-
profe?siona<'s e pretendt'-ites podern tudo exam-
nar^oni anteripacSo. -
COMPANIHA PERNAMBL'CANA
DE
Xavega^o eostelra por vapor
Goianna
O vapor Mamanguape, romnian-
a*i
JEIUJi
IMJ IIIVISI\K.
O agente Martins tar leilao reqner.uiento do
testamenteiro do finado subdito portuguez Anto-
nio F'erreira fimnes c por anthorisacao do Illm.
Sr. Dr. Claudtno de Antojo Guimaras eonsnl de
Portugal, das divinas activas na importancia de
7:156*345, perteneentesao espolio do dito Ferrei-
ra Gomes ,
I10JE
As 11 horas dt. da no armazem da ra do Im-
perador n. 16.
De
LEILAO
porto cima no dia26'do corren
te as 9 horas da noite. Recebe
carga, cneommendas, pas-agei-
ros e dinlieiro a frete no escriptorio do Forte do
Mato" n. 12.
Para o indicado porto pretende sabir em pou-
eos dias a veleira c bein conhecida barca Social'
capilao Rocha, por ter a maior parte do sen car-
regamento pronmto, c para o resto que lhe falta
e passageiros, para os quaes tem bous conimodos,
trata-sc cmn o consignatario Joaqaim Jos Gon-
calves Reltrao, rna do Trapiche n. 17.
livli!;m na linportaacia e
4:C4l>.Si 4 rs.
O agento Martin* far leilao rcqnerimenlA do
Dr. curador geral e por mandado do Illm. Sr.
casal
na im'
portancia de 14:649*114 i>.
BOJE.
No armazem da ra do Imperador n. 16, as II
horas do dia.
air 'ira 0 ',ri"iz, de orphaos, das dividas activas do
-" rtn ionen- *',lnad? ** i^>1'^ da F",ls';ca Jlinior n
LEILAO
COMPANIHA PERNAMBGANA
DE
XiiTCfiacSo costeira por vapor.
Porto de Gallinhns, Rio Formoso o
Tamandar.
O vapor MamangHape, com-
mandante Oliveira, seguir para
os portos cima no dia 80 do cor-
rente a meia note. Recebe car-
ga, cncommenda passageiros e
uo escriptorio do Forte do Mat-
dmheiro a frete
tos n. 12.
COMPANIIIA PERNAMBL'CANA.
l)E
Mavcs;aeo eosteira por vapor.
I'arahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara.
caly, Cear, Mondah,Acarac
e Granja.
O vapor Ipojuca, commandante
Marus, seguir para os portos cima
M^g uo dia ;ti do corrente as 5 horas
da tarde. Recebo carga at o dia 30, encom-
niendas. passageiros c dinhero a frete at as
i horas da tarde do dia da sabida no escriptorio
o 1 Forte do Mallos n. 12.
De urna grande casa de campo no Parnameirim
eom 3 salas, 12 quartos c dispensa, eom grande
sitio murado na frente, cerca do 1,0'iO palmos
de frente e 1700 ..e fundo, eom militas e excel-
entes Iructeias e baixa de capim.
Turca-feira 30 de marco as 11 horas
em ponto.
O agente Pinto competentemente autorisado fa-
r leilao da casa e sitio cima mencionado do fi-
nado Joaqun) Jos do Ainorim (em Sant'Anna)
sendo qnedito sitio toma-so recommendado j
[ela< grandes proporcSes i', accommodae/ies que
offereee e j por ser ib chaos proprios em cuja
frente passa os trilbos urbanos e perto de una das
estacoes.
O leilao ser elfestitarto as 11 horas do dia ci-
ma dito no escriptorio to referido agente ra da
Cruz n. 38.
Os pretendentes polerao desde j exaniinarem
dita casa e -sitio, podendo obtercm do mesar
agente toda e qualqucr infoi-maco a respailo.
LEILAO
DECLARACOES.
IO GERAL
4 ousclho de compras (2o arsenal
de guerra.
O consclho chama a atlejico das pessoas que
quizerem vender os artigos aimunciados felo an-
uncio publicado neste Diario no dia 19 do cr-
rante.
Conselho de compras do arsenal de guerra de
Pernambueo 19 de marco de 1869.
0 secretario vogal,
Jos Baptista de Castro Silva.
Consulado suisso em Pernambueo.
Conformo o Art. 9 da convencao consular, o
sul dessanaco faz publico que fallecen a cida-
>!.ia D. Joaquina Joanna dos Santos Schuler, espo-
... do Sr. Leonhard Schuler d.> Basel.
Peraambu-o 18 de mareo de 1809.
F. LindenCnsul
S 1NTACASADEMISKKICORDIA DO RECIFE
Pela secretaria 'da Sania Casa de Misericordia
do Recite se faz sciente quein convicr, que o so-
brado n. 3 A sito ra Augusta e a casa terrea
11. 39 da ra dos Pescadores, estao sujeitas sc-
guinte disposicao testamentaria, eom que falleceu
D. Ksinonia da Coweieao Souza, muiher do Dr.
Jos Joaquim de Souza :
c Declaro mate Ipie instito por herdeirps de
minha meia aeco ao meu marido o Dr. Jos Joa-
quim de Souza,"eom a obligaran de eom sna mor-
te passar a terca de nieus bans para os meus ir-
maos o padre Jos Leite Pitu Ortigueira e D. Car-
lota Esmenia da Conceico Leite, aos quaes tani-
bein instito por berdeiros da nwsma ter^a na con-
formklade do que tica disposto, c no caso de que
nao sobrevivan! seos raos seu marido, a terca
que ellespcrtencer, vontade sua que passepaa
o hospital de caridade que fica assim instituido.
Secretaria da Santa Casada Misericordia do Re-
cite, 5 de marco de 1869.O escrivao, Pedro Ro-
drigues de Souza.
O administrador da recebedona de rendas
internas geraes declara que tendo-se concluido o
lancamento do imposto pesrte.1 do excrcirio cor-
rente de 1868-69 das fre|uezias de S. Jos e Boa-
vi-ta, fica marcado o praso deste mez e de margo
futuro em que deve ser pago o referido imposto,
sem multa, das sobreditas freguezias, como deter-
mina a ordem n. 17 do ministerio efepzenda de
30 de Janeiro ultimo.
Rocebedoria de Pernambueo 19 de fevereiro de
1869.
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
cANTA CASA DA MISERICORDIA DO
RECIFE.
De ordem da illma. junta adnnistrativa desta
-anta casa se faz publico que a exposicao do SS.
Sacramento que dere ter lugar na greja Je N. S.
do Paraizo no dia 25 do corrente, durar sement
at is 7 horas da noite, podendo as pessoas que
Relaco das cartas registradas existentes na ad-
mibistracao do correio desta cidade para os se-
nhores ana xo declarados :
Dr. Alfredo Teixeira Mondes, Bolefon Ribeiro da
Fonceca, Carlos Jos Augusto d'Olivetra (2), Dr.
Carlos Justiniano Rodrigues. Cosme Jos dos San-
tos Callado, Dr. Francisco Elias llego Dantas, Fran-
cisco Ladro Uonick, Ilorativo J. Cmara, Joaquim
Clementino de Souza Martins, Jos Manoel Picaneo,
Dr. Lourenco S Albuquerquo, Dr. Lourcuqo Tri-
go de Loureiro, Luiz Ilenrique Pereira de Campos,
Petronilla Ignacia Lages, Dr. Tristao de Alencar
Araripe e Vctor Wandorloy._________________
THEATRO
DE
S. ISABEL.
EMPREZA DRAMTICA
COMPANIHA PEKNAMBUCANV
DE
Xavegac.o eosteira por vapor.
Mamanguape.
0 vapor Coruripe, commandante Penna, seguir
para o porto cima no dia 28 do corrente as 6
huras da tarde, recebe carga, encomnienda, pa-
sagens e dinhero a frete al as 4 horas da tarde
do dia 27, no escriptorio do Forte do Malos n. 12.
COMPANIIIA PERNAMBUCANA
.\avcgaeo eosteira por vapor-
Macei em direitura e Penedo.
O vapor Parahyba, commandan-
te Mello, seguir para os portos ci-
ma no dia 22 do corrente as 4 borne
da tarde. Recebe carga at o dia 20, encom-
mendas, passageiros e dinhero a frete at as 2
horas da tarde do dia da sabida uo escriptorio do
Forte do Matlos n. 12.
De SO barrls eom exccllenfe
toucinho de Ulnas de 4 arro-
bas cada hu.
Terca feira 23 do corrente.
O agente Pestaa far leilao por conta e risco
de quem perlencer de 30 barriscom superior tou-
cinho de Minas, o qual ser vendido em uin ou
(ais lotes a vontade : teroa-foira 23 do corrente
pelas H horas da manli no armazem do Sr.
Azevedo no largo da eseadinha da alland ga.
AVISOS DIVERSOS:
I-
mmz mmBeu
ttegunda-feira 90 de mareo.
KSPF.CTACn.O EM GRANDE GALA PAIIA
SOLEMXISAR O ANMVEIIS RIO DA CONSTITUICAO
rOLITICA 1)0 IMPERIO.
Prepara-se para este da eom todo o esmero
novo drama em um-prologo e tres actos, origina
portuguoz do Sr. Crrela de Barros
NOBREZA.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANIIIA PERNAMBUCANA
DE
Xavegaco eosteira por vapor.
"Macei escalas e Penedo.
**!T\ V O vapor Giaui, conunandante Aze-
/fjl vedo, seguir para os pontos cima no
sfin dia 31 do crlente s 5 horas da lu-
de. Recebe carga at o dia 30, cneommendas,
passageiros e dinhero a frete at as 2 horas da
tarde do diada sabida no escriptorio do Forte do
Mattos n. 12.
Rio de Janeiro
Paja o indicado porto segu eom muita brev-
dade o ffeleiro e bem conhecido brlgne Adelaide.
por ter a maior parte do earregamento tratado ; e
para o resto que lhe falta c escra\03 a frete, tra-
ta-se eom o contigua tirio Joaquim Jos Goncalves
Bellrafl, rua do Trapiche n. 17,
Para o Porto
Seguc sem demora a barca portngucza ioto
Silcnrio, por ter grande parte da sua carga promp-
ta, para o resto e passageiros ao.s quaes offereee
excollentos commodos trata-se eom Oliveira Filho?
\- C, largo do Corpo Santo 11. 19 ou eom o capitao
oa 1 iraca do commercio.
Jos Soares de Azevedo, professor de
lingua elitteratura nacional no gymnasie
provincial do Recite, tem aberto em sua
casa, roa Bella n. 37, um
CURSO DEI.INGl'A KRANCI7. \
DF- GBOGRAPH1A E HISTORIA
DEPIIII.OSOPIIIV
DE RHETORCA E POTICA.
Os eatudantes qne prclenderem frequen-
tar qualquer destas discipltuas, podem diri-
(ir-se indicada residencia, de manha at
! as 10 horas, e de tarde a qualquer hora.
Dislincto corpo commercial.
Iloje ha representagao no theatro Gymnasio
Caiii|)estre. Os Ttislas sao dignos de proteccao, o
ilive iii^i'.o beUo. o luar convida e para maior
conim"(lilad l"inos eonduccio gratis, de[>ois dJ
espectculo.
O apreciador.
Para Lisboa
Va i sabir eom muita presteza o brigue portu-
guez Constante II por ter grande paito do seu
earregamento prompto : para o restante o passa-
geiros, trata-se eom Oliveira, Filhos & C, largo
do Corpo Santo n. 19, ou eom o capitao na praea
do commercio.
LEILOES.
Loanda-
0 brigue portuguez Bemrinda, eapitao Silva, a
chegar de bfeboa, saldr para Loanda poucos dias
depois de recolhido a este porto : pode receber
alguma carga, o trata-se eom o seu consignatario
Joaquim Gerardo de Pastos, rna do Vigario n.
16. 1 andar
Macei
O brigne nacional Olinda, seguc viagem ao
porto aeima nestes se'13 dias impreterivclmente re-
cebe carga a frete commodo: a tratar na rna do
Vigario n. 10, escriptorio de Ralthar Oliveira,
&C.
LEILAO
Da fabrica de carros e de mar-
cincria, como da mohilia per-
tenceutes ao Mr. I". Poirier.
O agente Oliveira far.i leilao por ordem deste de
2 calcchos novos e proirptos para forrar,sendo um
(rom vidracas, 2 cabriolets sendo um novoeoutro
usado eom" varaes de todas as quafdades para
cabriolis, ac para molas e parafusos para carro,
urna 9errari movida por manejo eom se9 serras
circulares e mais ferramenta, incluindo machina
para furar ferro e mahira, um torno para madei-
ra e de rosca, tudo completo, satos e bigornas pa-
ra forreiro, folies para forja, martellos, tenazes,
moldes d'a^o, torno de ferro e mais pertenecs
completos para fabrico de carros e aviamentos pa-
ra os mesmos, bancos para marcineiro, ferramen-
tas emais utencilios para esto oflicio, c Qnalmcn-
lo de boa mobilia consistindo em consolos, cadei-
ras, guaida vestidos, sof e marqueza, aparador,
mesa de meio de sala, do jantar e outras, toucador
e carteira. tudo de amarello, camas de vento, bi-
dets, cadeira secreta, Ioucas. armarios pintados
sendo um para guardar arreios de carros e mni-
tos outros artigos anlogos aos misteres indicados.
Esta associaqao caminlia nas vas de prosperidade, nao sem os
entrares inherentes a einprezas grandiosas.
Era 30 de junho de 1868 taha
registrado esta assoc acao.....3936 contratos e subscripto um capital de 5,868:675^970
Durante o semestre de 30 de
junho a 31 de dezembro de 1868 re-
gistron-se mais..........106
31 d.
I-Mado desta, associacao at
dezembro de 1868......
5342
2,173:o293920
8,042:101 890
Agencia de Pernambnco ra do Livramento n. 19.
N. F. de Vidal.
CASA PARA ALIGAR
Aluga-se o 2" andar da casa n. IM da ra Im-
perial, eom bastantes commodos c muito fresco, c
bella vista : a tratar no pateo de S. Pedro n. 1.
Attencao
Manoel Augusto de Menezes Costa, pro-
fessor de msica, contina a dar licites do
sua arte, tanto vocal como instrumental,
em casa particular ou em algum collegio;
assim como tem aberto urna aula na casa
de sua residencia na ra da Palma n. 53.
BOTICA I MU BE MOCAS
77 RA DA IMPERATMZ 77
N'este novo estabelecimento lia um completo sortimento de medicamentos, pro-
ductos chimicos, e drogara, tudo de primeira qualidade, e se vendem por menos do
que em outra qualquer parte.
H tambem um sortimento de medicamentos homeopathicos, tintaras e glbu-
los inertes, por preces commodos; bem como zarapes de jurubeba ferruginoso simples,
vinhos de jurubeba simples e ferruginoso, e o bem conhecido xarope de Paracary, es-
pecial d'esta pharmacia. Aviam-se receitas a qualquer hora do dia, e noite, eom promp-
tidno, cuidado, e pericia ; nao so negam a qualqucr oceurrencia em casos urgentes. O
socio gerente encarregado do estabelecimento mora no mesrao, para o que est
prompto a abrir a porta a qualquer hora que for preciso.
C. Cato & C.
Precisa-se de una ama escrava para cozi:
nbar e fazer compras : a tratar no Corredor d
Hispo n. 23.
v AVISO. ~
Ikveja-se saber se existo nesta provincia, ou
lora della, Francisco Jos de Souza Castro, casado
eom a vuva D. Rernardina de Sena Lima, eom
lilhos : roga-se a quem for sabedor, de se dirigir
ra da Cadcia n. 44.
Para eozinha
Precisa-se de urna escrava que coznhe bem
na ra do Crespo n. 23.________________
0 abaixo assignado faz sciente ao pu-
blico que tem eslabelecido nesta cidade,
urna sociedade bancaria sob a firma social
de
THEODORO SIMN &C,
da qual socio gerente e solidariamente
responsaui.
O lim e objecto da dita sociedade o se-
guate :
Comprar e vender por conta propria
metaes, moedas naconaes o estrangeiras,
letras de cambio, sedulas do governo e do
banco do Brasil.
1
Ti
II
Fugio de 18 para 19 do corrente o molato de
nome Jos, idade do 40 a 50 annos, magro, altura
regular, cabellos quasi corridos, gosta de andar
bem vestido, calcando alpergatas e as vezcz borze-
guins, mulato do serto (Rio do Peixe), costana
andar eom camisa de algodao branco e a>s vezes
eom camisa de madapoln, e tambem asa paletot
de casemira preta, levou mais um surrao de cou-
ro e um bahii de dito, desconfia-se que tenha se-
guido para o Rio do Peixe, pela estrada de Naz-
reth : recoinmenda-se as autoridades e caDitaes
de campo que o appcehendam e o remetlam a sea
CM^MMnrJ nur c/mta alheia das mes- senhor, ra da Praia n. 47, padaria, que sero
Lncarregar-se por coma amea uas mes bem rccompensaduS#
mas transaccoes, da cobranca do letras da ______.______________________________
trra e de outros ttulos comuierciaee. ^^
Receber quaesquer quantias em deposi- 1t^C!L30T! Z
Ao veneravel Corpo
Commercial
Os abaixo assignados compraram a
loja de miudeza a ra do Queimado n. 63,
pertencente Jos Luiz Goncalves Pena
Jnior, livre e desembaragada de onus
algum.
Jos Mara-Ferreira da Cunha.
Affonco Mor eira Temporal
Fugio.no dia 17 do con ente o preto Alexan-
dre, de idade 30 annos, estatura baixa, tem urna
belide em nm olho, e qnando falla mais apressado
gagueja, tem de costume andar pela Gapunga e
immemac/ies da Ponte de Uchoa : quem o pagar
le-ve-o ra de Apollo n. 20, que se recompon
sar.
to, em conta corrente, e por 'lempo deter-
minado.
O escriptorio estar aberto das 9 horas
da manhaa s 4 da tarde, no largo do Cor-
po Santn. 21.
Recife, 40 de marco de 1869.
Theodoro Simn.
Prccisa-sa de um meleque para urna casa es-
trangeira : a tratar na ra do Commercio n. 3,
!' andar.
______________________________________
Casa de coxnmissoes e
consignapoes em
Lisboa.
A casa bancaria de Ruiz Arellano k C, cujo ca-
s, uiivwia ""' pita, der4 200:000, moeda forte; recebe
C, faz SCtete ao respettavel publico qtlt consignar5es je frutos epioduoes do Brasil, so-
nSo se eutende eom elle a fallencia aherla Dre os quaes faz importantes adiantamenios em
de mdicas eondices. Para informacoes, a tratar
> eom Jos Mara Palmeara, no largo do Corpo Santo
que trata o ea.ca. ae i ^- H, lindar, escriptorio.
Recife, 20 de marco de 1869.
Joaquim Jos Ramos
ex-socio da casa dos Srs. Oliveira Filho A
C, faz scieuto ao
n5o se entende eom uo a iano..-
pelo juizo do commercio desta cidade, e de
que trata o edita! de 19 deste mez de marco.
Joaquim Jos Rams.
Julia Kahn
Precisa-se do
que saiba cozinhar :
mero 54.
urna ama escrava ou forra, na ra do Trapiche n. 7, 1
na ra de S. Francisco nu- Sr. Mercier vende-so libras esterina*
cioaal.
andar, em casa do
eouro na-
RIJA
K
CABUGi
esquina
AO ANNEL DE 01R0
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortimento sem igual,
da rna larffa dole ven/ie por P^?08 116 nenhuma outra casa pode vender.
5 A vista da qualidade e do pre Rosario. |6arante-se ser tudo de lei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por presos muito ele-
ados.
A| loja est abera at s 9 horas da noute.
RIJA
cabugS
esquina fx
da ra largado
Rosario.


*<*.
v~
Diario de Penrambuco ^gHiwl Teira 22 de Maroj de 1869.
MARTIMOS
E
COMTRA FOGO.
ACompauhla Isdemuisadora, estabelecmd
oeste praca toma seguros martimos sobre
avos e seus carregamentos e contra fogo
m edificios, mercadorias e mobilias: aa
tria do Vigario n. 4, pavimento terreo. __
Trooim-se
notas do banco do Brasil
descont muito razoavel
ca n. 22.
e das caixas ftliaes,
: na praca da I/ide-
Reota venda um escolhido sortimento do ob
jertas le niareineria, como scjain, mobilias de ja-
caranda, mngnoeamr.rello, obra nacional ccstran-
goira, de apurado goto e por pre;o razoayntt :
na Toa estreita do Rosario n. 32. Nesta Mesraa
casa fazem-se com perfeicao todos os trabalhoJ^ac
palkinha, como sajaui, cmpalhameritos de labros
paraeaim s e sopSs.
S. Ferreira Villcla.
Photographo premiado em diversasexposi-
<^es.
Na sua photographia ; na do Cabuga n.
48, entrada pelo paleo da rttrtriz lira retra-
tos por todos os systemas .phutographicos.
Em porcelana toi vidro
Em talco Em pape 1
CAfiT ES DE VISITA A 9$ A DUZU. f|
Os retratos carte-de-r-iaite sao collados j =
a eartao de luxr> brutal, ou porelawa, i
domados ou htliograplmdos, quadrilongos; [
ou vmhetes para oque -estele urna varieda-' f
Joaquim Jos Gon-
(jalves Beltrao
RA* O TRAPICHE N. 17, i." ANDAR.
Seca por todos os paquetes sobr o Ban-
jo do Minbo, em Braga, e sobre os seguin-
teslogares em Portugal:
Lisboa. g^iiM
Porto.
-Valenca.
Guimaraes.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Viauna do Castro.
Ponte do Lima.
Villa Real. -
Villa-Nova de Famalieo.
Lamego.
Lagos. C
Covilhaa.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Heja.
Barcellos.
mmmm rmmmm m
9 IJTIOWAIME
| Aos 500 pares de brineos. j
;M Cliegou e vende-so no Coraco
I 'Ouro, ra do Cabg> brincos de
maosinhas co urna franja penden-
te a um rico eseitho e oro de
lei. pelo pequeo pre^o de l'i;OOO
cada par. foarattssimo.
BAUTHOLOMEU a* C.
Sa u3L_
0 advogado fT. Antonio de Vas-
coneellos Monczes de Drummond
transferio o seu escriptorio para a
ra do imperador n. 20.onde pode
ser procurado todos os dias uteis
das H horas da manhaa at as i da
de de i2 modelos a ese** dequemse re- <$j tarde, para os mistores de sua pro-
tratar. 'Para as outras especies de retratos
temos caixinhas, passr-par-touts, quadros
e oidoras domadas c prctas cassoltas de
ouroe alfinetes simples ecom pedias pre-
ciosas,, bavendo nos alunles utaa mimosa j
variedade de feitios.
9 nosso estabelecriaeptp pbotographico
est sempre em Ra oom os mulhoramentos
eprogressos que a America do Norte, na
Europa ou no Rio 8e Janeiro seconsegue
na re photograpiica, c para alcncarmos |
tal fim nunca pouptwnos despezas nem a-
criticios, de soriegue os nossos numerosos]
freguezes podem tr a certeza de que sem-
pre
ANTN EPAMINONDAS DI-
MELLO tem o sea escriptorio de
advogado raa do Qoimado n. 8,
l." andar.

de
il VtAi
lolhrto semanal
PttUGRAMMA:
sapmdito fillicto cm l(i inginas
jreSsSo etc., ir., ercupar-se na exclu-
sivamente.....de nulo.
Redaccao :
Capitao SdMrdote.'. (Orillea lit-
teraria esalies.)
Cavalleiro Derrofnndls. fNoficia^
GrcA i
Dtator Fimslo.....(Mocas Mstn.)
Barao de 7Ag-'z*{. .... (Ad libitum.)
Vm-oiiiIi' do 0'......(Thoatro e lypoa
das ras.) -)
l'iocfl im rs. cada numero.
Imprefto-nitida, cousa de ar regalar
o olho. HecoMimiMida-se a leilnra prin-
cipalmente aos myopes. K adeus I
0 priiiH'iro numero andido luz no
sabbado de allelta. Mo dia E adeus !
X' venda onde se annunciar, no dia do
nascimento do Diabo a Cinco.
Bugweanheeidas as Urinas pelo
Uta 4e Sovza.
m i k wk
UM DESC0BR1MENT0 ECANTOSO !
O xarnpe de fedegoso, de Pornambuco.
encontrarao em nosso estabelecimento I preparado pelo plrai inaeeutieo J. de A. I'in-
iudo quanto a art e a moda oTerecer de i to, cura radicalmente a tsica e asthma, e
beui no novo e velho mundo aos amantes todas as molestias dos puUaoes.
dai plH>togranli|a. Podem ver-se os attesladns de "tiras no
lllliii; un'co doste autor, ra do Rosario Laiga n. 10.
junto ao quartel de polica.
lllm. Sr. Joaquim d'Almeida 'uto.
Braga, 2o de Janeiro de 4868.leu am- \
gp, aqui cjiejuei com algumas mellioras:
de|)0is deter lomado tres garrafas d son
p ie para doxqrope 4e fedeaoso: feto
[icio mar, porqne lo?o que ohegaei fn Lis-
boa, principie! com insiis f 'totrfar o dito
xarojje, por conlicer palo majr que elle me
fazia grande beneficio, pois vista do gran-
; de (jnantidade de santue que eu botava pola
boca, vi que mo ia desapai-eoendo com ra-
: pidez, dopois que continuei a tornar o dito
I xaropu, o tao milagroso foi para a minlia
molestia que boje rae acbo de todo resta-
belecido, e ale mesmp. bastante nutrido, e
por isso podo Vm. fazer soiente ao publico
o milagre que o seu preparado hr.ot na
minlia enfermidade. Sem lempo para rnais,
sou de Vmc.:Amigo atiento, venerador e
PARA USO INTERNO
**H R PAR A D 0 S SIMPLES
Xarope de jtirubeba garrafa. l?jE660
Vinho de jurube'ba garrafa. 1^000
Pilulas de jurubeba vidro. If^OO
Tintura de jufabeba vidro. 640
Extracto hjdracoolito de jurubeba. 42f500
PHEPARADOS COMPOSTO.
Vinho de jurubeba ferruginoso garrafa. 2(5000
Xarope de jurubeba ferruginoso garrafa. 1*000
Pimas de jurubeba ferruginosa vidro. 2000
Ola de jurubeba vidros. CiO
Pomada de jurubeba pote 40]
Emplastro de uruheba libra. 20500
PARA USO EXTERNO
- '21"^""T u FA hiirubeba.
E 5^^513 planta e hoje reconhecida como o mais poderoso tnico, como um cxcel-
irfrte desobstraente, e como tal applicada nos engorgitamentos do ligado e baoo, as
bepatftes propriamente ditas, oa anda complicadas com miazarchas, as inflammaces
s4seque)tes as febres intermitentes ou durezas, nos abeessos internos, nos tumores es-
pecialmente do tero e abdomen, nos tumores glandulosos, na anazarcha, as hodrope-
zias,erysipellas ; o associada as pivparacoes ferruginosas, ainda de grande vantagem
as anenulis, cbloiuses, faltas de nienstruaoo, leucorrlieias, djjsananjos atnicos do
estomago, eblidade organiea e-pobreza de sangue, etc.
O que dzemos aflirmam os mais distinctos mdicos df*sta cidac. entre os
quaes podemos citar os libas. Sis. l)r. Silva Ramos, Aquno Fonseca, Sarment, Seve,
| Pcreira do Carmo, Firmo Xavier, Silva etc. Todos elles reconliecem a excellencia d'este
poderoso medicamento sobre os domis at boje condecidos para todos os *sos citados,
Jtanto|qoe todos os dias fnzem d'elle applieago.
Apresentando aos mdicos e ao publico em geral diversos preparados da juru-
beba, tiveraos por lim generalisar mais o uso d'este vegetal, fazendo desapparecer a
| j repugnancia que ale lioje sentiam os doentes de usar dos preparados empricos d'elle, c
?a SSi^fiS:S m;lis das vezcs repugnantes a tragaritn-se, e que .lnliam anda a desvantagem de nao
que
ser calculada a dose conveniente a applicar-se, o que torna muitas vezas improficuo um
medicamento, que poderia produzir Q|itmos resultados.
Os nossos preparados s foram apresentados depois de bavermos conveniente-
mente estudado a jarimebJ, fazendo as experiencias precisas para bem conbecer as pro-
priodades medicamentosas d'esta planta em suas raizes, follias, (hictas ou bagas, e a
dose conveniente a applicaco, tejido alm d'isto procur ido levar os nossos preparados
ao maor grflo de perficSo possivel, para o que nao poupamos esforcos.uao nos im-
portando o pouco lucro que possanios tirar.
Por tanto os que se dignarem recorrer aos nossos preparados podem ter a
certeza de queellesolferorema garanta, deque se pode encontrar, a prompta e infalii-
velcura de qualquer dos solTrinentos.que deixamos inmmieradas, se forem em tempo
applicados, leudo alm d'sso. medico eu doentea vantag>m deescolher as nossas va-
riadas preparacoes, aijuella-que uelbor Ihe, pode convir, j pela fcil applicaco, e j pela
complicaoao il.is molestias, iaa.de, sexo, ou ainda natureza de cada individuo.
Asnossas preparafoes foi ruginosas sao feitas de forma que se. tornan comple-
tamente soluveis nos suecos gstricos, porque procuramos os compostos de ferro que
como taes cstao hoje rcconliecidos.
Para aquellos que mais minuciosamente queiram conhecer as propriedades da
jurubeba, e saberem a applicacSo de nnssos preparados, dostribuimos gratuitamente
em noso deposito um folheto, onde tratamos mais ^extensamente d'esta planta e dos
mesmos preparados.
Deposito ge^ tolla e drogara
34Riia larga do Rosario34.
Wi
Do xarope Vegetal ABierlcaaio. especlalldadcde BariholomeH A O.
31RA LARGA DO ROSARIO34
N2o costumamos procurar altestados para acreditar nossos preparados, e dei-
xamos que sua applieago e os resultados obtidos pelas pessoae que se dignaram acceita>
los, Ibes deem crdito evoga; porque sao sempre os altestados considerados gratuito!,
e deileique langa mo o charlatanismo; mas, uo querendo olender as pessoas qua
espontneamente nos ollereceram os que abaixo vo transcriptos, Os fazemos publicar,
manifestandodhes nossa gratido pela attenco, esperando que venham elles corroborar
o couceito, e acceitaco quo tem merecido nosso xarope.
Bartholomeu di C.
ATTESTADOS
Illins. Srs. Bartholomeu 4 C com a mais subida satisfaco que declare
ser o xarope Americano de uina efficacia extraordinaria, pois que soffrendo ha dias da
intensa tosse, ponto de nao poder dormir a noite a despeito mesmo de medicamento!
que tomava, a elle recorr e naterceira alher fui alliviado, ede todo me acho hoje res-
tablecido com o uso somonte de quas meio frasco: grato, pois,' osse resultado mani-
fest a Vv. Ss. meu reconhecimento.De Vv. Ss. amigo, venerador e ob gado.Ma-
noel Antonio Viegas Jnior.
Sua casa 2 de abril de 1868. -
Illms. Srs. Bailbolomeu & C.Penboradissimo com o favor que me fizersm
de aconselhar o uso do xarope Vegetal Americano, de sua composioo, quando me acha-
va bastante doente de urna constipaco, que me tornot com pie lamen te rouco e qua
trouxe una forte tosse, e me impossbilitou de cumprir os ame devtros de ca torda
empreza lyrica, vou agradeceHhes meu completo estabelecimento, que oblive con na
s vidro do mesmo xarope, depois de haver recorrido a muitos ti filamentos. Desejarei
que outros como eu recorran ao seu xarnpe para se verem alli\iados de lio univel
incommodo, to fatal oeste paiz. Com maior considerayo contino a ser de Vv. Ss.
attento, venerador e obrigado.Luiz Gremona.
Recife, 25 de setanbro de 1808.
Illms. Srs. Bartholomeu & G.0 xarope Vegetal Americano que Vv. Ss. Ice
exposto venda de toda efficacia para o curativo d'astkna. confoime obs.rvoi appb-
eando-o a meu lilho Joaquim, menor de qualro sumos; victima d'esse flagello, que at
ento por espago excdeme a dous annos havia resistido a outros xaropes de granda
nomeada. Queiram, pois, Vv. Ss. arcoitar a exprcsso aldtnente sinc ra de meu reco-
nhecimento ao meritorio servico quelhe prestaram com o indicado xarw>e, aneditan-
'do-me para sempre deVv. Ss. criado,attentoeobligado.Amerco NetMrtle Mendonga.
Recife. 2 deoutubro de I88. ^^___________
DE
PIAMOS
.
DE
\n
ii


: '-. r '& .&?-. : ^ :. DOENCAS DO PEITO
N. 55 RA DO IMPERADORN. 55.
Os panos di sta antiga fabrica sao boje assz rnuhecidns para seja necesah
insistir sobre sua superoridade, vantagens e garantas que offerecom aos comprado/es.,
qualidades estas inoontestaveis, que elles tem definitivamente conquistado sobre tcd
os que tem apparecido nesta prag^; possnindp um teclado e machinismo que obedecen
a todas as ventalles o caprichos das pianistas, sem nunca falbar, jior serem. .abrieatoa
de proposito e tor-se feite ltimamente nielhoramontos import.iitissimos -para o clima
deste paiz; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas e por isso muito agradaveis aoa
ouvidos dos apreciadores.
I'azem-se conforme as oncommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Bloa-
(le, de Pars, socio correspondente de J. Vignes, emcuja capital foram sempre premia-
dos em ledas as exposiees.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um explendido e variado sorti-
monlo de msicas dos memores autores da Europa, assim como harmnicos c pianoi
harmnicos, sendo tudo vendido prpregos comiodose razoaveis.
r r^ -
XAROPE o'HYPOPHOSPHITO
CAL
A efficacia (Testa preparacSo estesiabelecida desde 1857, pelos mais celebresmeicos. Desde
enlo muitas im i tacos tem sido feitas, mas nenhuma poude sustentar a coHiuaraco com o >
prodacto apresentado pela nossa caza. Por isso excitamos o publico para qae exiga sempre
este xarope oom urna beUa cor de rosa, nunca branca, e com a nossa assifaaiura roda do
frasco.
Sob a sua influencia, a loase acalina-se,oasaores nocturnos cessio e o doenlc volve rpida-
mente sade. 0 seu empreo d lainbem os mais brithanles resultados ios defluxos, catar-
rhos, bronchites, irritacoes do p^ito. ele.
Deposito r f ^/>'/#'^'.-V;.'-, :-r\'^. ; r.
.w.
CRUDO
Na ra do Imperador n. 73, 2' andar, procisa-
0 de um criado.
Vinho degestivo de
chassaing
caM
PEPShNA E DIASTAEX.
demedio por excelleneia para cura certa
asdores gastralgcas, ereparar as forra-
produzindo nmaiisshnulacJo completa- dos
aumentos; sendo mais um expeliente tnico.
PHARMACIA E DROGARA
aifrifrlanien i e.
34BA LARGA Dt) ROSARIO~U4
Ama
Rrecisa-se.de urna ama para cozinhar para cas
o-Hoinem solteiro : na ra da Iraperatriz n. 3,
laja t> Bort Past>r.
muito obrigado.Manoel
Pernra.
Jos Gongalves
lllm. 8r. JoaqHim d'Almeida Pinto.
lia muito que ouva proclamar as excel-
entes propriedades (lo xarope d fedegoso
contra a tosse e asthma, e soffrendo eu de>
una tosse pertinaz, e lendo usado de toda
a sorte de medicamentos, vali-me pois do
xarope de fedegoso, e urna garrafa somen-
te foi bastante para reslabelecer-me, e mo
vejo tao robusto como d'antes; suecum-
biria de corlo o n5o ter usado seu brajas
de fedegoso.
A' vista disto nlo tenho exprosses
com que exprima a V. S. a gratido de que
lhe e devedor, o e criado
/jao da Corta Bago.
:u,.ry.-';lr,.-';rs.-^wW''yi;'#.':^<
ARAT18S1M0
Calcado nacional, na fabrica de Joso Vicente
oihiiliu & C, ra do Jardim n. 19, avlsam aos
40U8 freguezesdesta capital e do interior, que con-
linuain a fabricar calcado em alta escala, e offe-
recemas inelhuresciuu\oes,iajiloinpri-co como
2iii quaiidade. l>s pruprietarios deate cstabeleci-
inenio chaiiiain a atlenyaudus senhores conaumi-
Jores do interior, que os quizerem bonrat rom
lualidade c nomeracao, olTereeendo-se para m en-
tregar bem acondicionados em casa de .-cus cor-
respondentes nesta praca. __
ttrtleaad ou iutercsKe.
Precia-.-ede ura honiem preferi/ido-sedemaior
iaade, nufflcientemaDte abiliudo a bem adinins
trar nn es'abelerinientn de seceos e motilados :
trttfa-f>e na ra Noa n. 5;>.
Aliraio DeUa Cavafc-anli tem ese ripio-
rio de avoeaeiit raa la camban do
Canno n. -8. p andar, ande pode sor pro-
curado paraos mistures de sua prossao
Alup-se tima escrava que faz rom perfeiea"
toda O servieo de uaia casa de familia : a Iratai
ar9 lar JWim-.- 8r. Joaquim d'Almeida Pinto.
Tenho a ventura de communcar a'V.S.
que gi-acas ao maravilhoso xandpe de fede-
goso, estou com o meu escravo Jorge com-
pletamente restabelecldo da molestia dos
pulmes, que ha tanto tempo o petseguia.
Aceite V. S. esta mbrtia dealara^an
como prova do meo recormecmerto polo
bem que V. S. acaba de faeor-me, e cuja
recondacao ficar interntwia no coraco do
De V. S.
Attento venerador e criado
liento Joaquim Gotnes.
Frederico Maia
Clrnrgio dentista pela escola
de medicina
do icio de Janeiro.
Tem a honra dtfpartlcipar ao rcspeitavel publi-
co desla capital eaeiM suburbios, que tem abertoo
su gabinete de consultas e operaroes dentarias a
ra Direita n. l, primeiro andrj onde pode ser
procurado todos os dias dasS horas da niar.r. a as
3 datai-de. Elle acha-se competentcmenle habili
tado para com perfei^o collocar denles artiliciacs
por qualquer dos systemas, e bem assim desempe-
nhar qualquer outro trabalho concernenle sua
proflsso. O mesmo, reHihecendo que nem sem-
pre pjssiveJssenhiiras ou enancas sahirem a
prnc,. aro remedio, offerece-se a remover qual-
quer obstculo, declarando i|ue na cidade so -pres-
tar a qualquer chamado sein que issoinlllta eoosa
abruma na coiWnodidHtJe dos preces de si? traba-
Ihos,e quando paja fia della assim piesmo ser
precedido de um ajuste rasoavol, gafcjntfcdo elle a
egurancae perfeicao de.seus ditos trabalhos. Eni
setf gabinete se neontrara constantemente excel-
lenlBus dettfririo, elixir e outros medicamen-
tos odontajgicos : ,rua Direita n. i. primeiro
andar.
GRANDE HOTEL
i ORIENTE.
InaHgurou-se este commodo e elegante
estabelecimenlo donde os seus frequeata-
dores poderao apreciar a especialidade na
confocelo dos gneros alimenticios.
As bebidas sao as mais primorosas o re-
commendadas.
A decencia e bom servico prmam n'esta
casa no bello gosto oriental.
Mandam-se domicilio e avulso, como por assignatura mensa. Os
procos sao mdicos e eomencionaes.
Ha urna espacosa c bonita sala para o
elegante jogo de bilhar.
Ha tambem aposentos commmodos e bem
mobilhadfls para hospedagein.
Ra larga do Rosario
il44.
RA LARGA DO ROSARIO S. 37
Este acreditado estabelecimento augmenta
de da em dia quanto possivel para che-
gar ao curac do bem viver.
Alm dos sabulosos manjares 'onfeccio-
nados com o meflior asscio. tem boUos apo-
sentos de hospedagom, imito para urna s
pessoa, como para numerosa familia.
A agua, ir.dispensavel elemento para a
vida e hjgene, temo-la sempre em abua-
danca para faeilitar exeellentes banhos.
lia tambem-urna boa bfbiiotbdfe e^eri*
dicos naconaes e estrangeiros, piano para
recreio, bilbares, etc. etc.
CHARLTERIA i PETIT RESTAliRAT
Annexos ao lloiel Central, ra eslreka de
Kosario n. 4 A, andar trra. <
Para dar a conbecer a variedade infinita
de charutos de Havana. Baha. Rio, etc. uva
existem neste novo estabelecinienlo pres-
cindimos dos annuncios pomposos que ge-
ralmente se fazem, reduzindo-nos apenas 4
tres letras que sao tres bbb bom, bonito a
barato. A' vista do genero annunciado po
de-se julgar de nossa veracdade. sta casa
gosa tambem das condiroes de um elegante
e petit restauravt onde, se pode ver a es
peciaiidade dos hambres o salames de LiOB
Pia ra Augusta n. i vestem-se anjospara
prociss<5es por commodo preeo, e i ultima moda,
Aluga-se
Asia
JMm. Sr. Joaquim d'Almeida Pinto.
Cumprindo um dever degratido partici-
po a V. S. que, por meio >do seu abencoado
xarope de fedegoso, est perfeitamente ree-
tabeiHcid-a^doa meu escravo,
mo'sabe, ste met escravo tinha
i.hegado ao estado mais tfflictrve=:a moles-
lia de pulinoes; nfio obstante nm naoin-
terrompido uso de remedios, e urna demo-
rada viagoiii ao nosso serto.
P8is berri: a enfermidade, qce se ha-
via tornado rebelde a tolos os etos era-
fiennardo Srhi mu AnjroUca de (kis- progailos para combate-la, codeu. de um;1
troAiuiar Manod MaximiaBo Gue.les Jos Mar-, mantara qua* mlagroa, -a qualro garrafas
'toas un* Sanios Actuar e Aiuia I.uiza fonlual'de ,-- ,in aon bltow
A^iai,;,grad1temafcKlaaspetJssf|iiese(lig- Pe"*,-.,,u lea*** ,
uanm w, mpalihar :w eoiiv-Jo (Mieufos re>- Je' g"a?as a Deus, tenho o meu es-
ua moio [(r..saja e-po?a, filha, jTavo restabelecido ; e nao c fcil mostrar
"a -taii m as m**masaoiWtodo o reconhecimento que sinto pelo bem
d..so obsequio de a~ v_ g> me ba d fazer_ *"
que se han de .. _
. Sou de V. s.
C-iiada agradecida
feravaou livre par fojanrar e cozinhar : na
ruada Matriz da 8oa-v9ta n. 'i.
l'ma preta escrava que esteja
der bolos pelas ras : a tratar
n. 14.
a -osimnada a ven
na roa do Vigario
i>]:iiiiio
i
Virta.
asmissaso stimo dia .
Jjf 8 l**da "?, do dia seciw-l
. doeoritali ij-r-ja rau-iz da Ba-'
au tu uwpuav M jum
lipajou aap |W maatc ou.mmj^ 0
optbM bsoj cjiqj 0| m mo.. 'apcpT :tp rm
-ucwjtrib mi squiieinu c'mn
-tpj ep kBJoq c
: C i.
-se de um : a tratar
ria.
no paleo
Ei|>resl&-se IwlkMro
sefcw jms-k ero, pra-
la, brilhantes e pedns
jiiTijiisas: na Iravcssa
das Crines n. 2, junio
a este Ijpograptia. 1:
Pede-se ao Sr. Manoel da Cosa Pererra, prrti-
canle da reparticio das obras pulilicas ora em
Jaboatao, que compareca ra Augusta sobrado
n. 10, afim Je saldar o en debito ou pagar
que poder o isto com brevidade.
Fundioao da Aurora.
Neste vasto oaiabeleclmeate sempre se encomia
um cnupleto sortiiiieiito de taixas (te ferro batido
e fundido, fabricadas recntenteme, e se fabricam
le qualquer molde a vontade dos compradores, e
reeo- raz|ioaveis
Sendo ociosa qualquer recommendaco para lanches e at fazer una boa cotefSo,
para to acreditado estabelcoimento, omit- juntamente com os principies vinhos de
time* mais prembulos, fazendo nr por mercado, sobresahindo entre'b bom a pura
fim, que o bom servico, orden e moralida- e l'erventc champagne, o mui saboroso Hbe-
de imperam n'esta casa, como observancia no, a primorosa cerveja, o cbr espirituoso,
fiel do regulamento que possue. o quantoipede una mesa. Faz-se i nouta
Comedorias a la carte. sorvete e variedade de refrescos.
FRANCA-BRASIL
MR. MERCTER. al falte francez, pmineao reapfftawl puNco ca seus numerosos frfu-
Z3S que, tendo* transferido sua residencia para.a.ra do Trapiche n. 7, primeiro andar, abi encontrar*
senhora. Faz tambemuferas para militaros e para criados, para as quaes tem grande sortimento da
botoes simples, com vi-ola e cora de conde, braacos e aroarellos. Recibe por todos os vaporas
ltimos li^urinos para liumem, senhoras e meninos.
Tendo montado una completa ofliciria pahi ncIrto e afimapo de piados o
tendo contratado para o mejmo fim o experimentado contra-mestre Sr. A. Hstodt
chegado da.Europa pelo ultimo paquete.teraa honra de,:recommendar este seu estabele-
cimento as Exraas. familias Pernaaibucauas, prometlenflo promptidao e perfekjao u
trabalbo.
Ra Formosa n. 14
i>risa.8e de uina ama que saiba bew coaiiihar
para casa le rapaz solteiro : a tratar na ruada
Cailea do Reeife D. 6, loja de ferraifens.
AMA
Preciaa-se de urna ana para cosinhar e com-
prar para casa de pouea familia : na ra da Pe-
n.H,
Mara Norberta Scheffer.
Continuadamente se nos apresentam no-
vms toftemiinhos da efficacia do fedegoso
de Pernamhiieo I
ans*:n
*4eaux
casa de THEODOIU) CHBISTI-
es de vi
Bourgogae e do Rheno.
Ama
urna ama escrava >u forra,
bons otwtumen, que eozinhe bem : a tralar cm
de azulejo da ra do Sebo n. 38, ou
naro
liara comprar e cosii
taico : na roa da Impcivtriz
CURA DOS CALLO
PELA
Deposito especial
Pharmada de Rajlniloaeo Je C.
34------Rua lar^a do Rosario-------3i.
DO
BRASIL E PORTUGAL
JO-MI
Dinheiro a premio
IVcisa-se Ja qnantia de 5:0UUj obre tyao-
theca em urna casa terrea 'diiMada a mort>ra
pie dao fru-to.s e todo mu
lloa-Visla, e nio nos arrabal

Pelo repouso e erno do almirante brasi-
Mre visconde de Inhauraa manda o inspec
tor do arsenal de marinha celebrar tnissa
a #pt)lla domesino aieenal, stjgimdahfein,
2 do correte mez polas oito horas ; e
-para ovika convida aos -amigas do iilus-
tre finado ; bem como as pessos, que
tpPWP isatstir esae ai-,lo de candado
clinstaa. ^^
^^^^^n^i'^BHaai^BenaBBDMHIB
aeiSBas immedia,'es
i das tflnfdas dos caminhos >
d#s-
> : (iiiein qniaer fazer eme negocio
a das Barreiras b.

pancaaademoew
numero iQ.
AMA
a-ibec
Procka-ae de um edado: ta rp
I ras n, 29, IkXcI ^mmerdid. Hb esquiua, oitao para a igreja.
na i Ud uo ttupai'io Ja !>UiV
Situado em um dos bairros mais extraes de Pars,
prbttipaes tlieairos e Wros muitus .fliverijuientos, e assim ...
r^ro para lodo Europa^ acabado do ser inteiramente renovado, n3o t r
tendo pjniwcloP''seuincRo propHolai'h) a (tenazaspara sou completo i io-e
aceto, terna-sc portan to vantajosnniente recommenda\ enliore bAfeiteiros jaWt-
tugoezes, a onde*iiYritrarao soniprc a^ptella con\veiuia desojada em pa he,
por ser constantementeTrequenlado por seus comaatrioUs. <' t< iperior4*-
todo o elogio, mesa ivdonda, oo a carta, ou servida nos apozn^eaf taWaflSes conve-
nientemente despostas para familias, e quartes para una s pe fei|*
com a precisa regularidade: os procos r^to^&ta/veis eao alcance tambem d"aquell*v
as que se queiram limitar.
de leitu lons paiz
08-
muitoi senbores ta casa bastante
quentada.
1
%.
V



Ik
mtm

#
Diario de Pernambuco Segunda feira 22 de Mar<;o de 186f.
w

lllll Vllil
Grande licpiida^rto de miudezas!
Alfonso Moreira Temporal, querendo liquidar as miudezas existentes em sua
loja rus do Queimado n. oii, resolveu annunciar as mesrans miudezas, para que o pu-
blico se certifique do diminuto preso porque as est venciendo, a saber:
Caixa com agulha franceza a
Caixas com 100 enveloppes a.
Pecas de babados e ontre-meios
a 500, 600, 700, 800 e. .
Pecas de fita de coz com 10 va-
ras a ........
Linha de marca, caixa com 10
novellosa......
Coques muito fios com rede, so
a rede val......
Frascos com santos muito finos
a.........
Latas com banha (familia), a
460 e.........
Cartao com alfmetes a .
Copo com opiata muito fino a
400 e.......
Cartas francezas a 200 e .
Ditas,;, portuguezas a 120 e .
Caixa de linlia do gaz branca 50
nove los a .
Frasco com tinta a 100 e .
Frascos cora banlia a 320 e. .
Frascos cora agua de Colonia
Piv'T a........
Pentes de travcjssa para cabello
do meninas, s a vista faz
f, a........
Laa para bordar, libra. .
Novello de linlia grande con
400 jardas, S a vista faz
fe. a........
Pares de liga de borracha para
pernas de senliora, milito
boas a '. .
Pranja branca para toalli vara
a ........
160 Resma de papel almaco, muito
300 boa fazenda, com 85 cader-
! nos a........
1$00 Caixa com PaPel amisade a .
Jogo de vispra a. .
500 Sapatinbos de laa para meninos
i a.........
249 Pegas de tranca e caracol a .
Jabonetes de todas as qualida-
1,5500 des a 80, 160 e .
I Frascos com oleo babosa a
1*200 400 e .......
Pinceis para barba a. .
200 Caz a....... .
100 Frascos com agua de Colonia a
I 320, WO o......
500 Penles com costas de metal .
iO Carteira de marroquim a .
160 Pcntes pretos para tirar piolhos
j Escoras para cabello a 400,
500 e.....
Garrafa com agua divina a. .
bravatas de seda de cor a. .
Ditas pretas a 400 e .
Rolos de louga para camisas, a
airafa de tinta ro.xa a. .
Lencos brancos para nios
a.........
Par de suspensorios para lio
mens a.......
Ksj) ,llio do apeador a. .
Frasco coiudieiro muito tino
a.........
Bandeja para copos a .
Mojas cruas para homens, boa
fazendaa U, 33600, U e. .
200 vboloaduras paracoJIetcs-.a .
CASA DA
Aos 4:0(10$
Billietes garantidos.
k ra do Crespo n.23 e casas do costme
"aixo asignado temi vendido nos M
Ieli7.es bilheles garanlioi un uieao-
sorte de 4:000*, un inUiiro n. 4475 c
1 -.U\- ..... ..A n l'l'.l i'lllll 3
600
160
OO
l>000
320
6.5SOO
60
60
2^800
700
400
320
40
200
600
200
320
500
320
400
200
600
i50tr
320
500
160
800
240
200
20800
Haas
O abai.xo tasignado tendo vendido nos >
muito fcli7.es billietes jaraniMoi un uieio. ><>8
oin a sorte de 4:000*, nm intuiro n. 4473 com a
sorte de 700$, um quarto n. 1361 com a son
de 20 fc ouiras 'militas sortes le 100, 40.
m da lotera que se neabou do cxtralur em
beneficio da matriz de Nazareth (J8 ), convida-aos
possuidores a virem receber seus respectivo*
premios sem os descoutos das leis na casa da
Fortuna ra do Crespo n. 2.'t.
Acliam-se a venda os da 2" parte da lotera a
beneficio da groja de Nossa Senliora da Soleda-
de (ilit) que se extrahir quarla-feira 24 do cor-
rente mez.
Preces.
Billtete.....45000
Meio.....2*000
EQuarto.....1*000
Bm |Mi-.-a,! de 100 j para cima.
fiBilhete.....3 500
|Meio......1*750
Quarto..... 875
______________Manoel Mariins Ftoa.
Para a quaresma
Na roa estreita do Rosario n. 33, sobrada de I
um andar, fazeni-se llores de todas as qualidade* j
para ornamento do groja, altar, andores e sepul-,
chro, inclusive arcos, pahuas e rosas, e tudo quan-1
lo for concernen te aos sacros actos assim coaw
preparam-so para fra txnn a niuior .presteza qual-,
quer encommenda ne.*j genero ; entro sim tain-1
Mn se latera llores mimosas propnas para cnii-,
lar vestidos, saiotes e capacetes do aojos, o mais.
barato que cm outra qualquer parte. Ijinesuial
casa'se encontrara j preparados e prompjos a|
venda o sogutBte : ricos ramos de seda entestado-1
i omutiliio com dores de cera proprfes para do-
ntiRgo de Ramos, vo!laseni'ii3d*s.icamena, bor-
dlas a OUTO, proprias para banltsados, capailas de
llores para nfcninas e noivas. Alein disto se en-
rumbem do preparo de bandejas de bolos linos
i-nfeitadas do coiifoj-midade ao Din a que se dest-
na, quer soja para ca-ammtos, rque para bailes;
. lana tamlicui veakdo* para a quaresma ou OOWB
KjO i qnalquor iuc se precisar com a maier proiupdao
e asscio.
-WWWJ 1.1,
0J{HUADIHE1TAN.U i
As pilulas, o sirope alcohlico e
o ethereo de veame, contonne a
formula do finado pliarmaceimco Pa-
ranhos, assim como a pomada con-
tiaasinc.|i;^.oeserysi[ilosas, acliao-
se venda, na botica do Francisco
Antonio das Chagas i ra Direita n.
3, defronte do arma/ero de mollia-
dos denominado viado branco. lis-
tos medicamentos leem sido o sao
dos mais enrgicos agentes auxilia-
dores da natureza na debellac5o das
doencas, senindo de grande alivio
a nurnanidade soffredi a, principal-
metilo aquelles, que dispondo de
poneos recursos e n3o pudendo por
muito tempo permanecerem em um
tratamento talvez intil, pela inelfl-
cacia de ccrlos remedios, recorr.'m
eiles; e por islo asss reo o ni-
mondados se torno, para as pessas
H1'1' ''olTrem de rhumalismo, osero-
lulas, ulceras, impigens, erysipla,
tumores nos ossos, tosse, asthma,
amenorrha ou swppressSo de mens-
truo c menstnraco difficil, sendo
pornj usados conforme a direcco
escripia que os acmnpanlia.
Comida para fra
^a ra estreita do Roflirio, lobrado de am an-
dar n. 35, continiia-se a (preparar almnco e {un-
tar em urna casa *le familia, e manda-sc levar.
11'ido com. ptomptidao e asseio.f
j -- -----------... -ii
Convite.
por esta secretaria e em nonie da mesa regedo-
ra sao convidados iodos os Mimbres reverendos
sacerdotes presentes nesta eidade, a aeom,ianli;i-
rem a soleinnissiuia procissao de Triiiinplio que
lia de sabir da groja testa venerav I ordea, sos-
la-lV'iri 19 do Ohrrente, as :i limas da tarde.
O secretario,
Joaquim Xavier Vivir Ligo.
I'reeisa-sc ib- una ama forra o:i i-apiiva pi-
ra comprar, cozinbar e mais sorocos intapnos,
para casa de nina sc'i pesnia : no becco do Lobato
ii. 3.-andar.
Jo Le p ildo Hourgaid, rraado-se para
Kuropajulga nadadever,porcm,qucni tiver conias
com o mesnio pode ir receber no praso de tre
lias roa da Cndeia do Recile n. 13. Itecife, 22
de marco de l*>9,
m
320
A agu branca tera-se feito li ennhecida e
mu editada, nao so pelas no vidades, variedades, su-
tierioridade e abundancia de sen ssrtiinonto, como
Opl*. eoDsUute comiBoifedade dettw vrtqp, emos-
orio pelo eu assaz e^usica olvidado adrado e smce-
ridade.
Essas verdades iitcontestaveis sao sem davida
apreciadlas pelo bello sexo em |iarticul;ir, e pelo
respeavel publico esi geral, e a tanto tem diegado
que ctao quasi passando coma annexini ou pro-
verbio, (liando se v um objeeto de elegancia.
goMo, novidade, etc., etc., diz-e logoaquello ob-
jecto sem d'wida fo comprado na loja d'aguia
DTUM.
Qimndo no club, nos bailes, ou no salo do
Santa Isabel, urna excellentissima se aprsenla
urna a ou na os agradaveis choirtw de. qee csam
em seus luios lencos, e cada urna das i fuaes oryu-
liosas i"io elogio do acert de sua eso Aba, e oomo
que querendo por si utesma justificar iliiew siaiul-
:an xiineiite verdatte que esto do na loja d'aguia branca.
Anda mais.
(inando bontom os pais aillietos sentiam o rigor
da denCM de sen charo lilbinfio, c boje alegres I
satisfeitos pelo feliz restabelecinicnto reeebem a>
visitas dos seus incJhor amigos, dizem ai|udles
Mes, foi Deas que me insoinicpara que cemprcis-
se, como coniproi, um desees virtuosos ctsdarep
Rover, que se vendm na loja d'aguia branca.
Alciii h> iMuito bms que anda
(alta ataer.
Quando em um circulo de circnmspectos carac-
Precisa-so de um Jioniem or. Motora para
ensilar prmeiraa kMra a duas meninas ein um
engcir.o na povoacjw de Abren de Una quera
esuver aLuliuJo jaiM isso, cuusada-^a na ra do
Trapiche n. 'i0. :v aindaf.
ftvck-f-se do 1:6000 a jan), ia:iio-c ga-
rar;tia- de bens li-es e desembaracados : quein
qnner nnnnneie pnra wr prnciiraaV^
l'reoisa-se de ma ama para o servico r^a
fie pouva faniib : na- ra do lories u, Iwoei-
ro andar.____________i_____
_ "roca- e um ..am-lnano con oi:o ,naKon
com tolos os ^reparos de oaro : na ra da < lia
n. 1.2, 2" andar._____________________________
Avis9C*o respeiUvel publico quo Jo-c
Migael do Ajauio Pinu, \i irtu^ucz, aclia-se !iabi-
liadoparaladrillius eo')ias de pedreiro 6 que
far mai- aa couUi possivel : no p;Ueo do Pilar
n. lo.
oot BPflttoa : na
laiiialiaiitp:^ ^ijL^ ii
- Procisa-ss de nina senliora que lenhi habili-
lacoes para ensinar o portuguei e msica em um
engenlm distante desta cid.ule duas legoas : quein
pretender annnncie por este Diario, ou dirija-so a
ra da Concordia n. 37, que achara com quera
tratar.
PRIMEIRO LIVRO
PKI.O
Dr. Abilio C. Bprges.
2a i:nic,v MKi.iioiivii.v y. \l(.mimada
V venda na lirraria Franceza
Esta iibikiha. prin-ira que coma! titulo
aparecen no pniz, composta secundo um
-v.Ueina e;.p'Cial, abreviado, philOsophico e
amc-no,.c muito tUi'crciitc das cartas co-
iilitcidas con) 0 nonie do \ U C.
RecoilWad-a o fado
Uu la para assenlas publicas tte quasi tu-
das as pn'i\-lirias do imperio, sendo por
toda a pai le li\o vaulaisaiuunlo ao.'itJ, que
em ni(-:nos do 18 n*res acliou-se esoUda
a primeara odicao de n mil exemplares.
Precisa-se de um caixeiro
ra do llruai n. 6-i, tadurna.
1
gai-bosaraente trajando, trazendo o moderno cinto; ^^ se discutir a veracidade de taesdizeres, appa-
de nwi larga flta, lisa, cliamelotada, ou cscssea, !c.cer um outru oee queira ainda levemente liter-
as suas ailmiradaras dizem wmsigo aquella nta Ijtwper a discussao, os primeiros por momento es-
tbi comprada na loja d'aguia branca.
Qoando outra excellentissima, nao menos gar-
'jsa, mostra o rigor de sen 6om gosto ne acerlada
scolha dos enfeites de alt novidade ;ue bella-^do Queimado n.'8.
monte ornan sea vestido, ainda mesmo as rivao
de sua svmpathia confessam (aeaquefies enfeites
forana da loja d'-guia branca.
Quando n'ootra excellentissima, auetar da sin-
|-,*M
quecerao a ciFcuHJspeeyio e Ibes darao un gra-
cioso di-bique Jiz.'ado-lbes-j sabemos que- V, -
um daquelles qu.' inclina o eliapo de sol ou que
'ierecia ser designado pela aguia branca da ra
'(iWrerme"Augusto llodrigues Selle, tendo ifp
iviimr-sclciuponti'Miiu.'i^w desta |M'<>mii-.i* pana o
lim c stiil jimxano, jalga ueeossario declapir
derde-^i, que t< in ronstiliiHlo seus erwiu'ador'-s
ba-tairies no ftre'testa.eidadq ees dv igados Dr.
J'>a< Oiiveira Fonseaa-;.e solicitadinx H Thliiro
(imes e Alvaro Ponto Noblato. os tpia's tewii po-
iterappara.represejifir o anaunciane em jnfiSt
dnrante a sua ausencia, e tamfeem para recebe-
rcinqiiaesqaer mtimacoes e eita^oe*.
-S'a-ee a qnsntia de 1:3601 a joro sobre liy
pfrtteca cm casa de dnhrado valm-, ir. re e desem
Protectora (ls amilias
Em cuniprim<>ntii dii fmfronido no aiiign 29do
rcguaiue4i(o, soowuvitbi a todos o> enlres ron-
lI>uii.Uf JcaU MvouMYfjn t|;ic mua nao Uverem
apresentado as certidSes de idade dos salteados,
parii que faram entrega dolas na roa do Livra-
umk a i tU i' midiirraiMM 4m -ser enfadadas <
ui,.r.- l.icve puiii\cl para a in Un--de Janeiro. As eertidoes devein -'i melladas e
U'tonlieeidas uor talielliao.. It.'ciie. lo d Janeiro
de 18o!.-(>4w(AtaJp,.
- K F. daVMal
VTTENCiO
Com mullo maiui- caulaycm
m Compra o Coracao de (Juro, n. 2 I), ra do Cabu-
la, nioidas de miro e prata e pedias preciosas.
Oiro c rata
em moodae em obras inutilisadas, nompra-so por
boin preco": na nraca da Independencia n. 2.
-Na praca da Independencia n. .;,, loja deou-
11^68, compra-s on ro, grata, e podras preciosas, e
tambem se faz qiialquer obra de cncoimuenda, e
todo e qualquer concert.
Compra-se
I in preto eozinheiro de 15 a 18 annns : a tratar
na casa da rna da Cruz n. 19, Io andar.
0 Eieo Xa ra do.Cahug n. i compra-s onro, prata
pedi'as preciosas por preces mais vantajosos do
que em outra qnalquer parte.
Compra-sc
hoje libras esterlina*, miro e prata de todas te
nacoes e \tnr maior proco do que em oulra parle :
n ra da (ndeia do Itecife n. S8. loia de azulejo.
Compra-s
l'm riirneiro manso, babituado a sella : na ruada
Impemtriz n. 8&,

VENDAS.
Vcnde-se
no engenho Dons Bracos de Cima urna moenda em
perfeito estadp, tuda de ferro, tmenla de novo, e
que esta aciialmeiitoein servico: quera a preten-
dei dirija-s*ao dito Mlgnahn onde nao s a oxa
minar, a* i o aobar. com queui Iraur.
1
: 5)a-se 403 de "ratificacao a qucmliv+r adiado
ema pulseira do ouio da largura do doas dedos,
ooteitdo aijta.Has pedias eiic.irn.idas fbro o |S-
JHMlte, obra bein acabada e de gosto. l'enleu-se da
rna di Imperadr at a po.tio do licite.iiode.se
har
f'nov*
k vio va de Jos Luir, de zevflo Maia tendo
4e liquidar a casa^oiMiiiurcial de-sej llccid > nia-
^ido^pode a todo seus evtfdores para virem
satisfazer seus'delitos na piara do Carpo Santo n.
17, 4o andar.
4 por falla ; que.n a admu o qu/Z-r dvsuacar-
il* : qa*m ofctcnder _fhMtem*rnv-*a raaj imtr>rr*^aiMiomaca, teia-** &rm* da.iaiarn-da
Sania Vota n. M. qnedTtinem fl. oa V%ta U ii. ifie alm da j.Taiill-aeSo aeinia
omito se apradc.ivr.
O ali.ii\o a>sigiiau.i tend-i de fazer
uvas foram da loja d'aguia branca.
aembron-sc para noticiar, que recebeu uaiape
leites para coques e gram-
ito de metal com Irados e
nbras estas pela primeira voz
j apparecidas, e port.into inteira novidade.
Tambem rhegaram novamente delicados enfeites
Quaa.lomosmo dnas ijscellentissinifts, antigs | flores ornadas de aljofares e vidrilhos, tasto de
amigas de collegio, se encoetram naqueHes lopa- ; ,alha para coques como para vestidos, eludo
rea, epois dos eiunpnnwtites de recipntfos beijos ronlinrta a mereer a aprecia^ao das exceHoaUssi
3*aa por forc* de sua elevada delicadeza, galiam l.as conhecedora3 do bom. '
rna do Galdere, Francisco, pnio, id ule i:i mi-
nos, elisio do eerpn. rustoecaBecaTrande, nm pe.
..ueiio v.ilho na teia, junto aoeabetln em urna das
..rethas, una peqneua marca-de urna dcntaida, le-
iiii;j*> fK<';i|>aiu as Ollli'ac. i-ven vestido camisa de chita cem calarinho de ata-
ja la esqnecendo a agola branca,mas em tempo ., na frente, calca de brira branen uso j soja
*o tau una via-
gem ai serta i,e faltando-llie teifipi pura pe-soal-
unmte 3e de-lhes desculpa div.ta falta, e roga-lbes queiram
-------------r^~-----------rrr-j------------ evitar um sau-loso aLraco, e dispordoseu dhra-
I .^d.'.af5wh!|r.'..W d_u.ri,.r""'n.I','1 o'i.3 ,,ul" l'i'^'rao paca t. que julgarein coiiveieute.
S. Lourenco if de marco de ISt'J.
,, Dr^7. F. 'ir/ei- Paet fitm>'o.
EPIDEMIAS
O LlCCfl OE LAMRRAQUE um preserva!*:; seguro em lempos de
epidemias : cholera, ebre amarella,, paste, lyplio, etc Uevem evitar-se as lal-
sibcaces ae quaes sao a maior parte das vezes nial preparailas, sendo por isso
ais nocivw o que uleis. Deposito em Parix, L. FRKRE, 19, ru Jacob.
Ba-aio^aieiro. DuftachelU; H. Tejdorpf. G>'tMU.kieo. Maurtr
Upiem o pegar leve-o ra i que era reeornpeRsido. -
(atSMNHMIi
llayo.uiido da Ailva Mana, i). Mamonilla nlfv
rk'a Ui4oa de Guswao, Fernaado Augusto U. de
*M)nn, Francwco Goncalves do Cabo, Amera:
C. Cnmarate e Silva e U. Amaba < Olidolina da
Siva Maia, cordeatiitente aaradwem as pessas
q:e se dignarajii.nuunipaul.*r ;u< comilerio pnbb-
co s restos nwrtaeg de sua mu presada consor-
te e tin Mara Chaofa de fiofiotao' BnOa, no 17 do^flrrente, e p*> prsenle se convidara aos
parales e amigos pitra assatirem a misa do s-
timo -di.:, que por alma da mesma uada, se mao-
da celebrar terca-feira (3) pelas 7 horas da ma-
iihS* na greja da l^onceieao dos Militares, edes-
de j siyiiiicam o sen eterno refnnlieeiiiii-nto.
ima
Na ra Jo Calaboueu n. 9 precisa-so de urna
ana para todo o servico de casa de orna s
pessoa.
C/2
'

COMES DE MAHOS filVUJDS
tendo feito completa mudanza em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe maiores proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecer em pessoalmente
das 6 horas da manha s 9 da noute na
RA DO CABUGA N. 4
onde encontrarlo ura completo sortimento do que ha de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubias e tudo que em obras
de ouro, prata e platina se pode desejar.
ADEREQOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBiltS
de novos goslos, equedevem cauzar um grande efleito nos trages quares-
maes, assim come grande variedade de salvas e paliteiros de prata con-
trastada e de gosto ainda nao visto.
Compran, a trocan qualquer joia ou pedra preciosa e garantem
aquahdade dosobjectos vendidos.
CX2
i
MUSEO D
-Oahaixo ssiyuado Mido >lr. I.izi r nina via-
gem ao certao, avisa a tote as pessoas que tem ou
enverera de tratir *;<-i; elle deixu como seus procuradores nesta ciddde
do Recile, os Srs. Drs. Antonio Joaquim de Mo-
nes e Silva e Manuel lio Xasoiimmto lachado l'or-
tclla, aos qaes se deverau dirigir durante a sua
ausentia. lteoife, W-ie marco de (8fii).
Dr. /. P. Xarlcr Pites Bnrreh.
= abaixo assignado perdeu uuia lelra da
quantia de 132*700, aceita por Jos Pereira da
Funsoca em 16 de noveoibro dti anno passado, e
endossat'a porJui* Feaueiseo Antunes & liimio.
eom o n. 338; declara mais que j recebeu do
nii-ino senhor Aufewes, pur isso tica sem el feito
mi qimleoer tempe que appareea. Bi'xito 8 de
mareo de 1869.
_________________Joao Tiixeira da Rncjia.
a ei.nimbada de 18 do crreme roubarara
no rancho do Sr. SeKa^tJ, na Kstrada Nova, dous
cayallos. sendo um delles cacito, castrado, anda
bem baixo, tem a cabeca um doucq acarneii ada.
" eaada con^trida c dinas ripada?. e aeabou ha
peeeo de igualar : o ontr> uco jiedrez, nteiro,
pef ueno e gcosso, com eliees e cauda i'ouipridas,
bem ardigo e passeiro : quoui o encoiiliar ou d'-r
noticia de seies roohad-ires eom certeza, ser re-
compensado na cocheita da-na da Imperatrlz, do
Sr. Jiiaquim Fernandes Rosas, on no Curato do
Bom iardim feu dono JuiiFerreira Se'ic.
Venerayel ordem ter-
ceira de N. S- do Car-
: i
romo be um
RA DO QITEIMAHO N. 33.
-------
Faiinha de millio.
Vande.-so farinlia de niilbo anuirello muito lina
a 3j-| arroba e 100 rs. a libra : na taberna da
roa larga-do Rosario delVoine da botica do Bar
tliolenieu. e travesa das t;ruzes n. 16, esquina
que tidtaaiMiraiQ qaartel de (Hilicia.
Capsulas de Raquim
Os bons effeitos ("stas capsulas para fazer ces-
sar oi gonorrbeas acham-se comprovadas peas
expe^neias de muitos annos.
Os tseikc.es.dr todos o paizes as recommendam
pelaa cfllcacia.
VENJE-SE
NA
Pli.-trntacia e drogara
DR
BARTIIOLOME de C.
Ru3ia larjw do Rosario34
Pela seoretaria de*ia veneravel ^jrdeiu tercfljra
manda a esa regedera convidar a lodos os es-
tos chai-tabnos Iruiaoi a eompareeercm em nosso
consistorio paramentados com setts b.ibiUis, nos
das 21, 25, W, 27 e 28 do crreme, pira assis-
tirvios aos actos cnmmenoralivos da semana san-
ta, internse estemos, qu se bao d.- celebrar as
botando eostuwe, no convenio de X,jS. do Car-
ino, p n verendo padre provincial do niosmo- convite.
Secretaria 19 de inan;o de 1869.
O secretario,
______ Joaquim Xavi-r Vieira Lieo.
mo do Hecife
Vergouteas de pitillo para maslaros, verj;a-
e retaanfas, todas de .supeiiur ipialidade. Taita.---
Verde Biris, brinco de zinco e preta, em latas di
Ii e SSlibras, j preparadas, oleo de linhaca era
barri*: no armazein de deposito da couipaubia
l'ernamfcucana, no largo da Assembla n. w. .
futa rxa de Mor-
teiro.
Vepe-sc Unta rxa de Monteiro para escrevef:
na loja e calcado do sobrado amarello da riu da
Cruz r. .
ti.ua do Qimmtido n, 49 loja de
miudezas de Jv.a de Azevedo
Mata e Stfva con herido por Jos*
Biyodinho.
Est qneimando os objectea abanto declara pelo diuiiiiuio preco, a saber :
Frascos com ajiua de Culfia vi-rdadeira a 1#
Garrafas eooi agua Florida vei dadeira, que se ga-
rante a l200.
r'ni.-> para regalar cabello de meninas a 3S0 rj.
Tliesoin as muito linas para unbas e costuras a
500 rs.
Tinteiros cheios de tinta muito preta a 80, 100, ICO
e 400 rs.
Vara* de franja branca de linbo para tcalhas a
160 rs.
Caixas de nliosphoros de secnraaca a 20,40 e
160 rs.
Navalbas de cabo de martim c que c garanta a
qiialidadi- a ti.
Libra de la para bordar a 7-
Pecas de lita bran.a elstica muito superior a 200
o 300 rs.
Xovellos ilelinlia branca com 4(0 jardas .iCOb
Reamas de papel de pcs Latas eom superior banha a 20Q e '00 n.
(iiixas com seis frascos de ebeiro muit fino a
800 rs.
Caixa- ruin doze tras s, fazenda B8 boa a 1J20O
e 2*50a
Fraseos eom superior oleo Orneme a ncOrs.
lajunyaa de sabio transparente muito bvintoen-
, no a 2i0 rs.
IHuiaile paos de pomada do Peino, da mclhor
, qnaliilaile a 240 rs.
, Pecas de tiras bordadas muito linas a 508, 600 a
800 rs.
! Hilas de bab.nlinlios coin dez varas a 600 re.
: Ca rilis de linha de toda as i>ius, para acabar
a 20 rs.
Garrafas com agua divina a 1&00.
l-'ra-cos coin superior macaca perilla a 320 r.
Caixas de vitlro emu doe maes, qne s a caixa
valediiiliiiio a 2IKI rs.
Ollas do inadeira cuui alliuotcs, o. que lia de me-
llior a 320 rs.
Grasas de batees' de loara, lisos c bordados a
leo.
Caixas redondas para rap enaltando tartaruga a
i tsm.
' Pecas de fila para nis da nn ior qualidade a
a rs,
Rscovas para linqiar dentes, fazenda que s a 1n<
la a S40 rs.
DUus para limpar indias de superior qualidade a
WO rs. ________________^
Grande liquidac^o.
0 proprietarip d'antiga bi m conacrida
loja (le iiiiti'li.zas ilii.i ijii.;h1;i lk'ija l Ir
ra do Qucinjjide c:t, querendo acabar
Con o soi lilil lio de miudezas que existe.
lea deliberado proceder a tuna completa h-
(|iiidaeriii, para o i|iie chama a altenrao de to-
dos.
Os objectos sprlo vendidos por nieladedp
sen valor, epaia que optililico, nao suppo-
nlia, que o presente aniuincio una illuso,
0 propietario da (lita loja ollerere uma pe-
qaena lista de alfuwanaiadnet; crin os seus
(UMujtos pi'etos como aJjaiso se 'ver:
nki apreseiilando urna lista'conqileta detn-
ilos os obiectosque esto etpostos a venda,
lila raz de se lomar un anniiiicio muib
. xieiiso e por consequenela de enfadonba lei-
litta. [ior isso apenas lemita-se as seguintes:
(ilixa.de ea*v}1ii|ies Ji: cores. OQJ
Ditas 7de "TOVBrope Com rrrja.
pteu........ NA
DiUs do eH'lope> bt a i.ci i t-1 ilu-
des......... TOO
Ditas de envelopcs grande: c fte-
t|iieuos. ....... b>
Lilna.de laa para bordar. siulMia. 7b(K*
Duzia do oiirUws de cuinde ii.ii,-
cezes coin 4 pares cada caito Wf
Dita de collares de ifielal prin-
cipe pnra sopa......
Dita de ditas para ch. .
Conclia de metal priucipq para, ti-
rar assuear. ,.....
Botuadiiia para folete. 2\
Pares de luvas do fio da escoc*
branca e de cores pata liomem. 6(
Ditas do dilas para seitfwra;, Fita para sinlo e ^tiil^ura. $(
Pares de sapatinlios de casim'a,
bordados. ...... l?(
IVcasde eascaniHia de laa. .
Kscova lina para limpar uiilws.
Dilas de ditas.......
1 Pente preto de burbu. .
1 Cajxa c Boneca de cera a I -5000, lOO,
moo, iocoe e.....
Apparelbo de porcelana para al-
moco e jantar......
Jo$o de Vispora......
Caixa com \K)$ol. branco c de co-
res.........
Infladores para vestido. .
Caixa de linha de aarca cucar-
- nada e a/,td.......
Sapatinhos de 13a para bwbhos.
Tocas.........
mi
m
Irmandade das almas
da matriz de Santo
Antonio.
De ordem do irm jioz sao polo pre-
sente convidados todos os irmos'fiesta ir-
mandade. para era corjiocatao acorapanhar-
se a procissao do Senhor aos enfermos, na
terra-feira 3 do crvente ; a qual tem de
saliif da mesma matriz, as 7 lioras da
manlia.
Consistorio da irmandade, 20 de mar-
co de 1860.
0 escrivo
/;. A. do Ror/o CaztoitM.
riwic
\
Jos Enarque Li-d.Oa, morador nos Afozadn.
r. que de segunda,* sexta'-fei-
ra sanli. pesca o*ees viveiros, oijde os seus fre-
s acliaru a venda boas curiinaes, carapebas
e ramorins. ^_____
Rrecisa-se altigar un n;oleque para andar
"rtAu>a tab'il ti nasruas da ciBado; na.loja do
"o de duro a. i. 1>.

VEME-SE
Por 660*000 nina crioobnha de 9 annos, do muito
boa moral e Mude : na ra da Imperatriz, loja
.28^____________________________________
"Ncrava pe(?le 14 aimos
Vende-se uma b mita criolita de 11 annos, eom
principio de liaWidees, p.-r seu enhor rearar-se
paraiirnpa : ruada l-nperatriz, loja n. 28.
Madanw Sdow tem a bonrade 'part-
eipar ao respeitavel publico que recebeu pe lo
ultimo vapor fazenda* finas de muito gosto
como sejam:
Tabellas vermicidas
DE
Aatouio Nunes de. Castro.
Vennifugo eficaz, e prefei ivel a todas ?
condecidos, j pela certeza de-seu resulta-
do, ej pel focil appbcaclo as. creancas.
quasi sempre mais atacadas de to terrWi
o omitas veies fatal soffi imenio.
NICO DEHOSJTO
Pharmacia c drogara.
DB
Bartbomeu AC.
3-1lina Larsa do llosarioS4
Vestidos d gase de chainbeiy
obra rica
Chapeos para sen horas e meni-
nas
Mantilhos de renda preta
Casaquiuo de guepure preto
burnous
Bal oes brancos
Nestuarios de fustao para ho-
mens
Rna do Imperador 1. andarn.
23
Joo da Silva Fana A Irman ennlinuam ter
venda o supe.;; linio. Mol'deaux, de bs.
Sellnam, em caixas de la garrafas: cm soa caa
na.ra jlaf,fw, n.W:
Vende le una casa terrea ni cid:n)e ile (lliu-
da, sita na rna dos Quatro-Cantos qnem quiwr
'lirqa-ic-aiiiesion'fi'a cad.% quo faz csyuiui ucm
o beaco doGariim.
"^CCG
0 nico deposito de hulea da fal.ri'a do Barfea
olio Cabo, sito im paleo di i Tem n. I? drsfc
lllll IH> ^flll'tS -"MU' II- |'1IV.' U" l.l^" > IP.
i-iilade, tem resoMdo fazer yrande .ibatimealv OS
canos que tem recebido, os quaes fleam ved}|*J
pela fegpiBte tabella, a saber :
De I l/ pi-lfcgada cano vidiado por 800 rs.
De-2 ditas dem id.-ni por 1*000. -
De 3 e i ditas idein idem pV*^OO.
be 6 ditas id'-m idem por *;00.
De 8, 9 e 10 ditas idem idem per 4*000.
Que para isso tem nina iaenir-a appnrelhate
para faze-los com perfi-ieao. sendo cada um eo>
tres palmos de compriniento, .a >im rom**
grande sortimento de iouc, tanto' tridradA i
para resfriar 'Sujoa.'
Para encauameato d'agua.
Canos de ferro, ditos estanba* rra^es
"irte.
le porcelana, tod
curvas etc. : a rna do Q
rtf
BOM E BAlATO
Fende-se um excelente piio iisado, dearaaa-
ioL cum tres curdas : a roa d.i u. *
ni
1X
Cera (e
Yeade-je na LUr^ d }*<* ",' "
u outra qualquer j>arte.



6
Diario tic Peratabueo
Segunda
eira 22 Jo Marc ele 1860.
MAIS PEC
Lindos cutes de cassa de- cor com barra,e con figurino indicando o molde do vesti-
do pelo baratissimo preco de 3300 o corte .
Ditos de percafia muto modernos com ditas saiaa a 50000 ris
Na loja das Columnas da ra do Crespo n. 13 de Antonio Correa de Vascon-
celtos 4 C.
PRgcTCORRENTE DOS CHAPEOS DE SOL
Da fabrica de
Eua Nova n. 23,Buia do Cabug n. 8
Pernambuco
Chapeos de seda trancada, Paragon, de 16 testes, 28 pollegadas a 16(5 ; 26
pollegadas a IH, e 21 pollegadas a 14^000.
Ditos de seda G. de N. Bara, de ac, de 16 bastes, 28 pollegadas a 14(5;
de tt poltegadas a 13,? ; c 21 pollegadas a l,-?000.
Ditos de seda G. de N. lisa, de ac, de 12 bastos, 28 pollegadas a 125 J de
26 pollcg.d:is a fl#; e 24 pollegadas a KtfOOO.
Ditos de alpaca, de ac, de 12 Iiastes, 28 pollegadas a 6? : e 26 pollegadas
a 53O.
Por duzia faz-se descont de 15 0x0
Chapeos de sol de panno, de baleia, de 8 bastes, 21 e 26 pollegadas a 32$
a duaia. (Descont de 10 0(9).
Ritos de panno, de junco, 8 bastes, a 18^000 a duzia, liquido.
^3|M
HATOdeFERRO
l, LfeHAS DOUTOR EM SCIENCIAS.
iraii
R DA ACADEMIA DFPRIZEt*i
Dcbaixo da forma d'um liquido sem sal>or.
anlogo a urna agua mineral, esie medica-
mento rune os elementos que eonstituem
os ossos e o sangue. E' o mais racional dos
" murnosos; por esla razio o adoptaro
s mais eminentes mdicos do mundo in-
nro. Conven muito s meninas de lemperamenio delicado, cujo desenvolvmcnto lanlio.
i.- senhoras que padecem d'estas dores d'estomago intoleraveis, causadas pela chlorose,
anemia. menstruacSo eu leucorrhea, s enancas d'uma compleieao plida e delicada, a
tO'las as essoas que lem o sangue empobrecido pelas doencas. Efficacia, rapidez d'accaO,
cura oeueita, sem constipaco de ventre nem accio sobre os denles, taes sao as razoes que
impt-rao para que os senhores mdicos o prescrevo aos seus doentes.
Oepuii.i em Pernambuco, em rasa de Maurer C*.
ALTAS
LOJA DO PASSO
Eua do Crespo n. 7 A, esquina da do
Imperador.
PARA Ql'ARESMA.
Gorgoro preto.
Setim macan.
Sedas (avradas.
Moireantique preto.
Gros-de-naples
Pasquines de gurguro e de gros-de-na-
ples enfeitado conv primor.
Corpinhos de gros-de-naples.
Basquines, capinLas, pelerinas, fichus,
de crochet e de guipur, pretos e brancos.
Mantas pretas de blond.
Riquissimos chales de touqnim.
Requissimos chales de gurguro de seda
preta o mclhor neste artigo.
Chales de mirin pretos com requissimos
bordados e franjado de retroz.
Chales de mirin bordados sultane;
ultima moda.
Romeus pretos com lindos bordados.
Leques de madreperola, marfim, snda-
lo e osso, e pretos, para senhoras.
Ditos de sndalo para meninas.
Chapelinas pretas.
PARA CASAMIENTOS, BAILES. TTfrfA-
TltS. etc. etc.
Lindos cortes do blond. eontendo setim,
mantas e grinaldas.
Requissimos cortes fe'seflif assim como
para covados. *
Gurguro branco.
Gros-de-naples brancos e de cores.
Setim branco macau.
Setim, branco, azul, verde, cor de rosa
e amarellos.
Fil de seda, branco c preto.
Cortes de seda com ,dua3 saias.
Chales de gurguro de seda de cores.
Camisas bordadas para homens.
Saias bordadas para Senhoras.
Camisas bordadas .
Fronhas de linho bordadas com primor.
Lencos de cambra i a de linho bordados.
Riquissimas colchas de damasco de seda,
assim como de seda e algodao
Ditas de crochet para cama.
Chapeos de seda bordados, para sol,
Pqil de chevre de lindas cores. .
Alpacas de lindas cores. ^
Chapelinas do palba da Italia, assim
oemo de seda.
Enfeites para cabeca de aenhora.
Espartilbos para senhoras.
Meias de laia para padre.
Ditas de 15a
Dita* de seda fio da Escossia e algodo.
para senhoras e meninas.
Lencos de labyrmtho.
Fronhas de labyrmtho,
Bfeos, rendas e grades.
Finissimai" catnbraias di
las, e outros muitos artigo
de alia novidade, isto s
cores, percates,
de gO*fo e
Moireantique branco azul e verde.
Na loja do Passo ra do Crespo n. 7 A, esquina da do Imperador.
'&;'^/&^-'&:^*^'&^&-'-"X#''
^mm^^4t^m^^fm
^m.
com MATIC
GRIMAULT e C5 pharmceutidos em PARS
Awnva&o
ia academi*
< vudecint
a* Ptris.
Phcmateuik)
Uwcade
a actdmit
i* nedtcina.
As preparares ferruginosas liquidas tem desde muitos cunos mertwdo a- pprovac8o>
ipecial aos mdicos, por sao mais fcilmente toleradas pelos doentes. Os Pos ferro-maflfaicos possneni a inappre-
Estas capsulas, com capa de gluten, eontcem o balsamo, de copahiba associado i essencia de
Maticn (arvore do Per), e constituem um remedio infallivel contra a gonorrha. Ellas obrie
-m cansar o estomago e nao provocSo nunca os enjos e nanseas que or.casionao as capsulas
ordinarias, tendo a immensa rantagem de nao communicar cheiro s ourinas. E' por estes mo-
ti ros que ellas sao superiores s capsulas de copabiba, cubebas, etc.
Deposito'em Pen.ambuco, em casa de Kanrer >*.
ciavel vantagem de poder offerecer n'um instante ama agua ferruginosa gazeoss. de gosto
agradavel, mais activa do que as aguas mmeraes, e contendo de mais um elemento precioso,
o Manganese, que sempre se acba no sangue, junctamente com o ferro Empreg*o-se em
todas as molestias que tem per cansa o empobrecimeato do sangue, assim come para vigorar
os temperamentos debis e lymphalicos. A ehlorou, as Peraas truncas dlres d'esttmago,
a irregularidade da menstruaco e amenorrha on suppressio do menstruo, eedem rpida-
mente a sen emprego. Devemos mencionar aqu um facto notavel, isto que os doentes aera-
dos pela agua preparada com estes pos esto mnito raenos expostes a recadas do que
aquelles qne forao tratados pelas preparacoes ferruginosas ordinarias.
Deposito em Pernambuco, em easa de Ntmri o*.

EFFICACIA
TASSO IRMAOS
Tem para vender em seus armazn?, alcui de ou-
tros, os seguinles artigos :
Papel para imprimir.
Perlina azul.
Crevc pautado e liso.
Yinhos em canas de doze garrafas
Bourgogne.
Herv.
Maueira.
Hermitage.
'.hamblis'.
Licor de curaru de Hollanda em caias do vin-
te e quatro botijinhas.
. GESSO,
Kosarmazcns de Tassolrmus.
Grades de ferro <
para jardins, porleiras ele.
Nos armazens ce Tasso Ir mitos
C AltlU\IIO DE FERRO
Para serviros de grandes armazens. para remo-
ver barricas bu caixoes de um para oulro, lado pelo
mdico preco de f 2000 cada um. -
Fariiiha de trigo de Trieste
Das melhoras marcas Panonia (verdadeira) Fon-
tana e grande sortimento das melhores marcas de
farinhas americanas. '
Saceos de farinha de trigo do
Chile
Todas novas, cnegadas ltimamente nos arma-
zens de Tasso Irmaos.
Cemento romano
Nos armazens de Tasso Irmaos.
Cemento hidrulico 12$
O melhor para tudo qne sao obras para agua, co-
mo assontaniento de canos de esgoto, algerozes, de-
posito, tanqnes d'agua, efe., etc.: em porejfcs de
cincoento barricas se far reduc^-ao no prero : nos
armazens de Tasso Irmaos.
Cemento Portland
O verdadeiro eemento Portbm em easa de Tassc
Irmaos.
Grades de ferro, cercas, por-
teirs, ete., etc.
De difluentes qualidades para cercado de ani-
rmaes, chirraciros para- galinhas ou jardins: nosar-
mazens de Tasso Irmaee.
Barris com bren
Nos armazens de Tasso- Irmaos.
CANOS DE BABEO
3fa ra Nova di? Santa Rita, na amigar fabrica de
sabo, ha para vender por preco o mais mdico
possivel, canos francezes para edifleac.es e esgo-
tos de toda a qualidade, supci'Kires a todos os qne
aqu tem apparecido pela sua solidez,
i 1'REgOS
1*W0 por cano grande de T-e meia polcadas.
14200 |ior dilo de- 2 e trps quorlps de dila.
15008 \xyr dito do 2e um quarto de dUa.
500 r^is por pistle" de 2 nolfegadas.
Cotovellos, curvas oeanos de maior grossnra. a
vista se far o preco. Compras maiores de 2O0S |
lem o por ceoto de dfescont per prompto pepa-
menlo. Pde-se ver as amostras nos armazens
de Tasso rmaw.
fijlos franceses
21
DO
VERDADEIRAS
XAROPE DE RBANO IODADO
I principe
aoti-escorbnticas coja efficacU
O Xarope de Rbano iodado de Grimanlt e C", pharmacemicos de S. A. I. o
NaieieSo, em Pars, preparado com o sueco das plantas
mni popular.
Encerra o iodo como combinacio orgnica, e considerado como o melhor snecedaneo
do oleo de figado de bacalhao.
A rara perfeicSo d'este prodneto anima-nos a dar a eonheeer aqni a opinio de alguu
d'entre os principies mdicos de Pars, qne diariamente o prescrevem.
O Xarope de Rbano iodado um medicamento d'um effeito suave e seguro pan a
medicacio dos meninos, nao sement suppre o oleo de figado de bacalhao, mas ainda fax
as suas vezes com vantagem.
Dr A. CAZENAVE, medico em cliefe do hospital Saint-Louis, em Pars.
c 0 Xarope de Rbano iodado um medicamento de prmeira ordem para o tratamento das
affeccoeslrmphatieas e escrofulosas. Muitas vezes, empreguei-o com feliz xito, em cortos
t casos de tsica ao seu principio, como succedaneo do oleo de figado de bacalhao.
Dr A. CHARR1GR, artigo chefe de clnica da Faculdade de Pars.
t 0 Xarope de Rbano iodado sempre nos deo excelentes resultados como regenerador
do sangue, e succedaneo do oleo de figade de bacalhao. >
Dr A. FAVROT, autor do Traite des maladies des fcmmes.
0 Xarope de Rbano iodado um dos mais poderosos modificadores das eonstituicoes
lymphaticas. Tenho visto ulceras escrofulosas que cada poda curar, cicatrizarcm-se,
< grabas a tu accSo, com promptidao extrdordiaaria. Tambem, pelo seu uso desapparecem
as alTeccoes tuberculosas dos ossos, nos meninos.
D' GUESNARD, artigo externo ios hospitaes de Pars.
c 0 Xarope de Rbano iodado possue todas as vantagens do oleo de figado de bacalhao,
c tem ter nenhum dos inconvenientes que apresenta este ultimo medicamento.
D' GUIBOUT, medico dos hospitaes. Presidente ia Sociedade de medicina de Pars.
0 Xarope de Rbano iodado de Grmault e C* encerra 1 [2 por cento de iodo, u su
c composicio orgnica anloga i que se acha no oleo de figado de bacalhao. >
D* KLETZINSK, professor de chymica, louvado dos tribunaes de Vienna.
Deposito em Pernambuco, em casa de Maurer O.
PILULAS de BLANCARD
COM tOOUMTO DO FER0 INALTBtAVfL
APPROVADAS PRLA ACADEMIA DE MEDICINA? DE PAR!B 1TC.
Possnindo as propriedades do lo* et do ferros eonvero especialmente as AlKCOf
sTRnriTLosAS, a Tsica no principie,a fraqwta de temperamento e tambem nos enes de
Falta pe cor. amenorrha, em que precisareac-r sobre o sangue teja para restituir
lbe a sua riqueza e abundencla normaes, ou para provocare regalar o tenrto penoeso.
irriuote
. Dcv*-s desconfiar das falsificacos.
Ahm-M em m s*ifi PharmuemttU, raa Bonuptrts *. ^r*i
OLEO DE HOGG
DD
Figados frescos de baeaBt/)
Para cura eerla de phtisica, alieccfles fserofu-
is'is, losse ebrooiea, fraqueza dos niembros e de-
ilidade peral, recommenda-se a excellenciadesle
leo ainda por ser agradavel no paladar.
VENPE-SE
HA
Pharmaeia e drogara
DE
BARTHOLOME & C.
34 = Ra larga do Rosario 3
rga^=ejig^=ns^^igns^^EJis^^EfL^
TCSSES
C1TARRH0S
wsma^&gmgM,
PASTiLHAS PEITORAES
DE sueco DEALFACE^
E LOURO GE REJO
InnlTUCOES
DO PEITO
ra-
E' ".ste o mais novo e delicioso contato ate agora conhecido. Por isto tem adojiindo
pidam.nte a popularidade de que gora. Os mdicos os mais distincios o aconselhao contra
as ieH. defluxos, catarrhos, tosset convulsas, catarrhos epidmicos, imtacOes do ptilo. Com
grande empenho o procario as mies de familia, assim para ellas como para as criancas. pois
pnn.e.ro que ludo inoffensivo. e u suas propriedades adocantes nio deuio nada a desejar
UtlMisito em Pernambuco*em casa de Maurer a o.
CAPSULAS MOLES
DE
ALCATRAO
Remedio por excelleneia para cora rpi-
da e completa das coqu-iluclies, bronchites,
ratarrhos, tosses convulsivas-, escarr&s san-
guinos, eotrtras molestias do peito.
vf\i>si:
NA
PHARMACIA E DROGAJUt\
BE
Bartholomeu A C.
34RA LARGA DO ROvARIft34
Para ladrUhar casas terreas comasseoe presos
mdicos, mtflt^ convenientes e proprios para ladpi-
IhtB de cosinh:* em sobrados, pelo seu asseio e
eviar apassaptsn de aguas para o andar inferior
e riesmo o periwo de fogo, aos precos de 30000'a
'i.'ilOOO o miRK*ro: na ra- Nova de Santa Rita, na
an -s.i fabrica de salan, e compras maiores de 2003
se far 5 por ceulo de descont por prompto paga-
nietito. Podei-e ver as amostras nos armazens
de' Tasso Irmaos.
-j Velas de espannacete verdadeiros para lan-
terr.es de carros: noarmazem de Tase Irmaos.
- Vinho do Porto fino superior: no armazem
de Tasso Irmosi
(3 melhor cognac Gauthier Freres: no arma-
zam de Tasso inaos.
Esteiras da India
Em< casa do Tasso Irmaos vende-se esteiras da
lu dia de diversos- padrfics e largura^ por prero
eo nunodo. <
NOVA ESPERANQA
Ra do Queimatlo = 21
L para presentes
A Nova Esperanza, ra do Queimado
h. 21 tem um variado sortimento de objec-
tos de gosto e phantasia proprios para pr-
sentes, sobresahindo entre elles ricas caixi-
olas de bano com Gnas perfumaras, cos-
turemos de chagrn, agullieiros de niadref
perola : assim, pois, quemquizer fazerum
linda olerta, dirigir-so Nova Esperanza,
ra do Queimado n. 21.
Collares anodinos ellectro-magneit
eos contra as convulces das
. creangas.
Nao resta a menor duvida, de que muito
collares se vender por ah intitulados of
verdadeiros de Rover, e-eis porqae muitoj
pais de familias nao creem (comprando-os)
no efleilo promettido, o que s pdem dar,
os verdadeiros ; a Nova Fsperanca, porm
oue detesta a falsificado principalmente no
que respeta ao bem estar da liumanidade)
fez urna encommenda directa destes collares
e garante aos pais de familias, que sSo os
verdadeiros de Royer, que a tantas crean-
gas tem salvado do terrivel incommodo de
convulces, assim pois preciso, que ve
nham a Nova Esperanza a na do Queimado
n. 21 comprarem o salva vida, para seus
lilliinhos, antes que estes sejam acommetti-
dos do terrivel mal, quartdo entao ser i-
Kcil alcancar-se o effeito desejado. embori
sejam empregados os verdadeiros coHarea
de Royer.
Para extinguir as sardas e
panno
Recebeu a Nova Esperarla, a ra do
Queimado n. 21, Icite de rosa3> especial
para extinguir sardas e pannos.
ROKECA DE CERA
A Nrta v.sperarrca a ra do Quciwado n.
21, ac' de receber um completo sorti-
mento ac finas nonecas de cera de diver-
sos tamaitos, sendo as maiores do eom-
primento d'um covado ; estas bonecas tra-
zem bonitos coque e botinas, havendo en-
tre ellas algumas que fallam c outras que
choram de sorte que facilmente podem ser
preparadas, e fazer-se nm presente de muta
accearo.
Finas caixas de tartaruga para rap ven-
dem-se a ra do Queimado n. 21 na loja
da Nova Esperaaca.
Modernos brincos de sndalo, s se en,-
contraio na Nova Esperanea a ra do
Queimado n. 21-.
MEIAS DE LA1
A Nora Esperanza a roa do Queimado B.
21, acaba de recefter um especial sertimec-
to de meias de laa para homem e senhora.
CONTRA AS CONGESTOES
mal terrivel a congeste fulminanle:
de repente leva uro individo, d'esta para
milhor vida, sem dar-lbe tempo de receber
conversa medica; deixando as mais das
veses mnlher e filhos no mais amargurado
pranto ; a Nova Esperanca qrft deseja pres-
tar servicos recorreu a Vojer, o qual ihe
mandou anneis elctricos magnticos, como
o nico preservativo para sememante mal i
elles antes que se acabem : na Nova Espe-
ranza*
NAVAU1AS
A Nova Esperanza a ra do Queimado
n. 21 recebeu um sortimento de navalhas,
dequalidadfes, e tamaitos especiaes assim
como afiadhres e massas para as mesmas.
LOJA DO GALLO VIGILANTE
Ra do Crespo n. 7
Mandou vir de sua conta e acaba de re-
ceber pelo ultimo vapor, completo s#rtiioen-
ot de objectos de novidade e phan*asia.
Macarthy
i
os
n i.icMnas de desearor^ar algodo
Hoje que est reeonhecido que as machinas de
se: note prejudicam e quebram a Uira do algodao,
| uvi'iso recorrer a machinisn raenos aspemr
qi: e produzindo o mesmo ser vico que aquellas, e
fai Miidade no trabalho, nao quebrem a fibra da laa,.
Vendem Augusto F. de Oliveira A G. rna do-
Commercio, n. 42.
AO BAZAR DA MODA
Eua Nova n. 50, esquina *da ra de S. Amaro.
NOVIDADES
ea udoenidcuzo, pelo prejuizo que tem causado,
e pe la merosidade de seu trabalho. E' assim que
es tas machinas se tornara as mais proprias para o
nc'Sso algodao, porque ao par da facilidade e
pr omptlo conserva a fibra da laa, que limpa
e/o
mais do que a laa limpa pela machina de serrote.
Bstas machinas nao sao novas, pois que lia muito
estao adoptadas no Egypto, aond as d serrote
fqram intoiramesm abandonada., e por isso o algo-
do daqiieka procedencia, sendo da qualidade do
da nossa provincia, oMetn hoje de 10 arrobas 50
0/0 mais do que o nosso : vendem-se a 130000
nos ajinazens de Tasso Irmaos.
tHcfl de ainrmloas
Em caixas db & latas, cada caixa 100 I i ras :
nos anmaaeas d Tasso.Irmos.
Charutos da Havana.
Excellontes charutos dn Haaaa e por baratissi-
mo-preco : em casa de Tasso Innos, ruado
AiHorim n. 35.
Para nenhoras.
COOlHiS da ultima nwda, enfeitados e lisos, gran-
de surti'iieutj. ., -
CBAI'EMNAS de palha da Italia, guarnecidas com
delicados e elegantes enfeites brancos e de cores
CHAPESINH09 e gorras do velludo e de pennas
(alta novidada I) de palha da Italia, a emtiacao,
especial sortimento. ....
CINTOS d3 cores e pretos, rico sortiraeno a ulti-
ma moda.
CAMISAS bordadas por commodos precos.
LE.NQOS bordados e com letras, novidade neste
gosto novo e de
genero
LLQUES a euiitacao de marfim,
sndalo.
S^d'oiSd- e punn08 a emita?o de guipare.
K,.\Feirt.i> pretos o de cores uara cabeca, lindos
molAes,. r
GUARNigAO alta novidade I a Marie Rose, lti-
mamente usada em'Pars
COKPINHOS de guipure brancos e pretos Undos
ujodelos.
JBORNOUS de lia e seda, cores claras, elegante
mi>da em Pars. "^
GRINALDAS de noret finas.
BftAUTIl.HQS superiores.
lllIAS supe, iores de fio de Escocia.
I"V VS de pehea chegadas pelo ultimo vapor.
Ai; ;.'.'",.i).. Jecoral verdadeiro e eantafo, gosto
delicado.
DE PALHA
GUAUNICES para vestido.
TRANCAS para enfeites de coques.
B'rTOS li;os e cora pingentes para vestidos.
CINTOS alta novidade,
FLORES finas, grande sortimento.
GRINALDAS-de ditas para coques.
LAfiOS, livelas, penachos para enfeites.
Para homens.
dol-
CAMISAS com peitos, colarinhos e punhos
nho fino, lisos e bordados, moda,
COLARINHOS de linho o algodao.
PUNHOS de ditos.
GRAVATAS de todas as qualidades.
BOTES para punhos e guarnieres para co
CORRENTES de plaqu a emitaco do ouro,
do gosto.
CHAPEOS de pello do seda, forma a Rotchtl, qua-
lidade superior.
CHAPEOS de seda, para sol.
MEIAS de superior qualidade.
BENGAL1NHAS linas e chicotes.
LUNETAS aro do ae e tarturaga.
Para erlaneas.
VESTUARIOS completos para baptisados.
SAPATINHOS de merino e setim enfeitados.
MEIAS de seda c fio de Escocia.
CHAPEUSINHOS de palha da Italia.
TOUCAS de fil e setim enfeitadas e do enroch.
BCNECAS vestidas, muito bonitas e diversos
brinquedos.
Perfumarlas filias.
de Murray & Lan-
AGA FLORIDA verdadeira
man New-York.
TNICO oriental, verdadeiro.
AGUA DIVINA de E. Coodray e superior agua e
essencia de Colonia.
ESTRATOS c essencias unas c de agradaveis aro-
mas para o lenco.
VINAGRES aromtieo par?, toilet.
POS DE ARROZ para amac'ar a pdle ; cm paeo-
tcs e ricas caixinhas eom arminho.
POS superior para limpar os denle.
COSMETIQUES de una qualidade.
SABONETES, grande sortimento deste genero, c
de superior qualidade.
LEOS de phoRomc, babona o antique*.
BANHA fina para os cabellos.
AGUA dn Untes de laranja.
CREME de sabio para barta. .
Caixas preparadas com peruunanas unas.
Uliudezas finas.
SUPERIORES fitas de grosdenaples de todas as
cores e larguras de velado preto e de cores, c
gnrguro para cintos.
BABADINHOS e cntremeios bordados.
GUARNICOES de seda de cores para enfeites de
vestidos.
TRANCAS pretas com vidrilhos e pingentes.
BOTES de cores, brancos e pretos cora vidrilhos
liso* e. com pingentes.
DEDAES de maa. aperla, de marfim, de co e!
metal.
THESOURAS finas para co>tura e nnhas.
CAIVETES finos com quatro folhas. E muito
oulros artigos de miudeas que se torna enfe-
doobo mencjona-los,
*a Pa ra qne essa posja obter-nos mercados europeos,
rpiaes eslao resoividos a vender per preco a, Merenca quo ha entre o algodo descarocado
nimiamente baratos, par assim animar aos pU r aquellas mencionadas machinas, que csto fl-
concwrentes e aomesme tempo dar. sabida
ao grande deposito que te: isto ruado
Crespo n. 7, loja do GaUo Vigilante.
Goilinhas, punhos e csaaisinhas para se-^
nhora, fazendas de gosto- e novidade.
i?nno v-oetuMan nar hansados, a5Siffl= ella, qualificada na Europa a par da melhor
Fiaos vestuanos para DapH8a ^'"* iadeira, valendo assim entre 16' arrobas 20
como touquinhas, sapanbos e meiasinha*
para o mesmafim.
Grande sortimento de-bicos e rendas da
croch e de outras muitas qualidades.
Superiores caixas coa msicas e sem e^-
las, tndo o necessario- pitra costuras, pra-
prias para um delicado sumo.
Finas caixas com teatos e sem elles para
voitarete.. v
Agulhas para machinas de costura.
Ditas para croch, sendo de ac, marfim
e outras muitas qualidades, assim como- li-
IW6 para o mesmo mister.
Finas grinaldas para noivas.
Meias de borracha para quem, soTr-, de
erysipella, assim como meias de ISa para
os que soffrem de rheumatismo.
Suspensorios para homem e menirH>9.
Finos pentes de tartaruga para coques o
de outras muitas (ualidades e para outros
midieres.
Dedaes de madreperola, marfim, osso,
ac, metal, etc., etc.
Superio* agua cosmeocome para tiagir
cabellos, dando aos mesmos a sua cor prir
mi ti va.
Completo sortimento de finas pej^omarias
dos melhores fabricantes, assim como mui-
tos outros objectos que impossivel des-
crever: isto s na ra do Crespo n. 7, loja
do Gallo Vigilante. *
Collares Royer elctricos magnticos con-
tra as convulsoes das criancas e para facili-
tar a dentinco das mesmas, o Gallo Vigi-
lante antigo recebedpf d'estes prodigiosos
collares e continua a ter sempro granao de-
posito, ra do Crespo n. 7.
Tudo se vende por precos bastante commodos.
Meias elsticas de borracha.
As melhores e cxcellentes meias elsti-
cas de borracha contra varizes e erysipellas.
Vende-se na ~
Pharmacia e drogara de
Bartholomeu & C.
34ra larga do Rosario34
Scbonete de alcatrdo.
DE
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que t3o boa
acceitacao tem merecido n'esta provincia,
muito se reeonmenda para a cura certa
das impigep.s, samas, caspas e todas as
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu C,
34ra larga do Rosario34.
TUVL SEM SEGUNDO
Rna d* Queimado n. '9, loja de mindezas d*
ktf de Azevedo Maia e Silva, tem para vender ts
artigos abaixo declarados, tudo bom e baratissi-
nio. que sao para acabar.
Duzia de sabnetes muito finos a 700 rs.
Panes de sapatos de tapate para hoiaam a 15380.
Uito^de tranca para cranla a IV
Traigo' do Porto, bordada, a mellior a 200 rs.
Bita,dd,Porto liza, daAethor qualidale a 100,120,
tW,e.*)0rs.
Resma de papel alraaco, lto supoiior a tyi&i.
Hila de papel almajo, pautado a V. .
Livro de missoes aareviadas a 33-
Cartilnas com leda a doutrina o mui^resasa
320 rs.
Silabarios portngaezes com estompas a 32d> rs.
Baral.hos francezes muito finos a 200 e 240 rs.
SabSo inglez superior qualidade a M00 c 13.
Gravatas pretas c de caros muito finas, a 500 rs.
Duzia de meias pan seahora, fazenda fina a 45.
Redes pretas lisas para segurar cabello a 320 rs.
Varas de transa de seda do todas as coros a C00 rs.
Pares de brincos donrairos com maozinha e po-
dras a 320 rs.
Cartoes com eorchetes de duas ordens e sao de la-
taaaO.r. '
Abotnaduras de, vidro para coleto muito finas a
120,24O^40irs..
Pares de botoes dourados para pnnhos a lWrs.
Caixas do pennos de ac muito linas a 240, .o e
500 rs. [ .'.- .^V ... .
Candes com duzentas jardas de Imha do fabri-
cante Alexandre a tOO rs.
Caixas de pennas de ac, a Terdadeira ponua a
1X200
CarriteiR de linha Alexandre ns. 70,80, 100 at
200alOft. ,
Caixas com Superiores obreas do massa a 40 rs.
Carriteis com dnas oitavas do retroz preto a 600 rs
Duzias de agulhas para machinas a 25.
Libras de pregos fraucezos de todos os tamanhos
a240rs,
Livrosescripturados para rol de vonpa a 120 rs.
Caixas eom papel amisade muito fino a 700 rs.
Caixas cora cera euvelopos da. melhoi qualidade a
600 rs.
Tameros para meninos muito boa fazenda a
240 rs.
Para familias
Gratula Bazar, ma \ova tn
9, de Carneluo Vlauna r.
Acaba de chegar a este estabelecimento-
grande porco de machinas para eosturas do
autor Wlieeier Wilsan, approvadas na ulti-
ma exposico de Paris, as quaes coaem com
dous pospontos toda a costuia* e tem a
vantagem de ser to suave o ovimento,
que qualquer manca, de oito linos fcil-
mente (rabalha, c pode, com este entrete-
nimecto, levar vantagem ao serwfo diario
de trinta costureira<. A cnrehensao
simples, pois em um quarto deliora se i-
ca senhor do movimento da machina, ten-
do a mesma a propriedade de fazer as se*
guintes costuras.* pospnrtar, abainhar,
Irn/ir. marcar e-bordar, cerno apMsentam
os desenhos que acompauham-nas. Os pro-
prietarios do estabeleckrsanto se encarre-
gam de mandas ensinar n'esta cidade, e
garantem entregar o imponte dispendido ao
comprador, no- caso de nao trabalhar com
perfeiro a machina vendida, nao tendo,
porm, soffi ido ella alguma avaria. Ha tam-
bem no memo estabelecimento machinas
do autor Gower & Baker, de trabalho sim-
plesmente mao, g outras com movimento
dos ps; e mxime todos os pertences da
mesmas machinas, para vender avutso.
::^ntura japoneza
Instaatnea pan tiagir os cabellos, a a
barba, a l^OOOofra?.
E' a nica approvada o recomroendada
por ter sido recoahecida superior a todaa
as tinturas d'esto genero.
venda em casa de Gustavo HorveKu n.
54. ra da Cadeia n. 51. >
GAZ GAZ GAZ
Chegou ao antigo deposito de Henry Porster &
C, rna do Imperador, um carregamento de gaz
de primeira qualidade; o qual so vende em partidas
e a retalho por menos preco do quo em outra qual-
quer parte.
Cemento de Portland.
Vende-se no armazem
Costa & Fiho, na roa da 1
barris grandes.
ite Ferreira
ie Dos n, 22,
FUNDICAO DOBOWMM
lina do Bruna n. &t.
Machinas de vapor.
Rodas d'agoa.
Moendas de canna.
Taixos de ferro, batidoi fundido.
Rodas dentadas, pata moer com agoa,
vapor e animaes.
Alambiques de ferro.
Formas para purgar assucar.
E outros muitos objectos, etc. etc., pro
prios-para agricultura. ________ <
Para semana santa.
Madama Adour, 23 ra do Imperador
acaba de receber mantinhas e mantelets d',
flt preto.
-*-


Diario de Poriiinlmeo Segunda eha 22 de Marqo de 1869.
5


\

I
>
GRANDE LIQUIDACAO
ADIKHEIRONA LOJA E ARMAZEM
1)0
89aoa aa nisaipaiaa'ajso aa
DE '
Flix Pereira da Silva, successor de Gama
& Suya
O proprietario d'esto estabclecmento"eonvta ao rcspeitavel publico desta ca-
pital a vir surtir-se no grande estabelecimento que tem derazendas, tanto da moda como
de tei, e as pessoas que negociara em pequea escalla, tanto da praca como do matto-
aesta casa poderlo fazer os seus sortimentos em peqaenas e grandes porcoes, venden-
d-se-lhes pelos precos que se compram as casas iglezas ; asskncorao as excellentis,
simas familias, podcr5o mandar buscar as amostras de todas as faaendas, ou mandare-
mos levar em suas casas pelos nossos caixeiros, para o que acba-se este estabelecimen-
to aberto constantemente desde as 6 horas a manuSa s 9 da noute.
O atoalbado do Pavao
Yende-se superior atoalbado de algodo
tom 8 palmos de largura, adamascado a
20260 a vara; dito de linho fazenda muito
superior a 3(3300 a vara ; guardauapos de
linho adamascados a 45300 a duzia e mafco
finos a 80000, e ditos econmicos a 30360
adtfia.
FacUcs para vestidos forneos
a4<>.
Yendem-se os mais modernos fustoes"bran-
tosflexiveis com padioesUe listas e de
lpicos proprios para vestidos e roupas de
menino a 640 rs. o covado, na loja e arma-
jem do Pavlo ra da Imperatrizn. 60, de
Yex Pereira da Silva.
lirosdenaplc*
Siegou para a loja do Pavao p8k> ultimo
\arpor om grande sorthnento dos melhores
^-osdenaples pretos e de coras, tendo verde
-taoabem, que se vendem mais barato que
om ocitra wilquer parte.
BABADINHOS
Yendeaa-se finissiraos babadinhos, (iras
bordadas eentremeios, mais baratos do que
em outra qualquer parte, assim como espar-
tilhos do* mais modernos, no armazem'de
Flix Pereira da Silva, ra da Imperatr
O. 60.
ALTA NOVIOADE
A LJA DO PAVAO
Gurguro de soda
Cbegaram perto ultimo vapor os mais Po-
llitos garguroes de seda, proprios para^ves-
?tidOs,' sendo lisos e lavradhihos, com mnito
'nstro, garamfcimio-se que a fazenda mais
I linda e de maisphantasia-qae este anno-tem
Chegado a este mercado,* vende-se por
^preco muito razoavel, na rua da Imperatriz
SO. 60, de Flix Pereira da Silva.
GROSDENAPOLES PRETO A QUATRO
PATACAS S O PAVO.
Vende-se grosdenapoles preto de fcoa
-qualidadepelo barato prejo de I&280 o-co-
"vado, s6 na" loja e armazem do Pavio, ra
4a Imperatriz n. 60 de Feliz Pereira da
Sirva.
CAMBRAA BRANCA A 33500.
Vende-se pecas de cambraia branca
transparente, com 8 o raaa varas pilo ba-
rato preco de 3 lapadas comotransnarerrtes 44500, 5-5000,
60300, 7fJ060 e 8^000, .assim como organ-
d muito fino tanto lizo, nomo de listas e
quadros na loja e armazem do Pa*o ra
da Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da
Silva.
ALPACAS Vender na loja do^Pavo. as mais mo-
demas'alpaGas lavradas para lucio, sendo
muitolargasepelo barato aovado, s na. loja earmazem do Pavio, r*w
da Imperatriz n. 60 de Fes Pereira da
Silva.
Cansan inglezas a 14 rs o mftm
Vende-se tuna grande porcao de bonitas
ossas inglezas tanto graudascomo ratudi-
rohas e de eres fixas pelo barato preco de
440_rs. ometro,garcntindo-sc que 7 melros.
-dao um vestido para qualquer Sra. s na
loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60 de
Flix Pereira da Silva.
Bareges a 400 rs.
Noua loja do Pavo
8e vendem as mais bonitas bareges transparen-
tes, proprias para vestidos com iistrinhas a imita-
de listras de seda, e vendem-se pelo barato
pre^o de um cruzado cada um covado, sniraraen-
^e Ba loja e armazem do Pavao, ra da Impera-
z n. 60, de Flix Pereira da Silva.
Grande peehineha para a
quaresma.
VESTIDOS PRETOS A,45000.
?enie-se superiores cotes de vestidos de
seda preta lavrada, sendo fazenda muito
encorpada e majUv moderna, pelo barato
preco d455,riicamente na loja do Pavo,
ra da InSeratriz n. 60, de Flix Pereira
da,Si'va.
__M,CHA8 PARA CAMA A 30000.
Vendem-se colchas de fustao ; damasca-
das para cama, pelo barato preco de 50,
grande peehineha, na loja o armazem do
Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Feli*
Pereira da Silva. .
COtRTOHES INGLEZK3 A 45. 4^500 E 5>.
Ytuiieui-se os verdadeiros cobertores
ingleses, de para lia, pelp barato prego
de 4, 45S00 e 5#, assim como colchas d**
fustJite cVes, pelo barato preco de 3$. na
oja e armazem do Pavo. ra da Impera-
triz n. 60. De Flix Pereira da Silva.
A U, OS BALKS DO PAVO.
Veodem-se superiores bates america-
nos de trinta a quarenta arcos, tendo as fi-
tas bastante largas, sendo muito fcil trans-
lorma~los para ostro qualquer novo modelo,
e liquidam-se pelo barato preco de i& cada
AS CAMBRAUS DO PAVO
Vendem-se tnissimaspef as de cambraias
Hzas transparentes tanto inglezas comosuis-
sas tendo mais de vara de largura, pelos
precos de 55000 at 10-5000 a peca, assim
como linissimos organdys branco liso que
serve para vestidos de bailes, por ser muito
transparente a 15000, a vara, na loja do
Pavao ruada Imperatrizn. 60, de Flix Pe-
reira da Silva.
AlpacasIavrAas
. Chogaram pelo ultimo vapor as mais mo-
dernas alpacas lavradas cora as mais lindas
cores, que se vendem a 4>5000, o covado,
ditas lisas tendo tambera cor de canna a
800 rs, ditas mescladasrauito finas a 1:208.
o covado, e outras militas fazendas de gosto
e moda que se ,vendem mais barato do
que em octra qualquer parte, no armazem
do Pavio, ra da Imperatriz n. 60. deFelix
freir da Silva.
R o upas para horaeni
Vndem-se superiores palitts de panno
sbrecasacos forrados de alpaca e 3e seda,
camisas inglezas e francezas com es peitos
de esgaio, croutas francezas de linho e al-
godio, meias cruas inglezas superiores, ca-
misas de flanella e -de meia de la, assim
comoaeste estabelecimento existe um grande
sormento de pannos pretos, e de casemiras
inglezas de cores, e que se manda fazer
qualquer obra a contento dos Srs. fregue-
zes, o promette-se-lbes que serio servidos
com maior promptidao e muito mais ba-
rato do que em outra qualquer parte
na riia.da Imperatriz n. 60,de Flix Perei-
ra da Silva.
Cortinados
Para camas ejanellas.
Vende-so um grande sortiraento dos me-
lhores e maiores cortinados bordados pro-
prics para camas e para janelles, que se ven-
dem a 125000 rs. cada par at 255000 rs,
isto na ra da Imperatri n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
FEITAS .
Na loja do Leao da porta larga *
DE
PAREDES PORTO.
Ra da Imperatriz n. 52, junto aloja deourives.
N'estc estabelecimento se encontrar ra da Imperatriz n. 52, loja do Paredes
sempre um cempletjj sortimenlo de roupas Porto.
feitas de todas as qualidades. Como se- Neste estabelecimento encontrar o respei-
jam: paletots de alpaca, de merino, de tavel publico um completo sortiraento de
casemira, bombains de panno preto, fra- fazendas e roupas que. se vende pelos pre-
ques e sbrecasacos de brins de cores c eos seguintes:
pardos. I FAZENDAS PBETAS.
CALCAS E COLETES. Completo sortiraento de fazendas pro-
Tem sempre* no mesmo sentido um sor- prias para a quaresma, como sejam: gros-
tinento completo aqjreco commodo. de-oaples a 25, 25500, 35, 35500 o cova-
CAMISAS E SIROULAS. <*<* moreantique de diversas quali lades
Encontrar sempre o respftavel publico a 25200, 25400 e 25800 rs., sortiraento de
um bonito sortimehto de todos os nmeros, alpacas pretas e de cores de 500 rs. at I5
MEIAS CRUAS. princza, mirw de diversas qualidades.
Sortiraento de todas as qualidades, 4e FAZENDAS BRANCAS,
35 a 55> assim como tambera sormento Madapolao de diversas qualidades e pre-
de lencos de linho brancos e com barras eos commodos, cambraia de 35500 411500
de cor, chimwes, bonitas gravatas pretas o e 55, ditas victorias de 55500 a 125, peras
de cores. Hua da Imperatriz n. 52, por- de cassa liza o mais fino que ha no mcrca-
ta larga. do a 95, 105, <25. com 12 varas, e vara
PARA ACABAR. de largura
Urna grande ponjSo de calcas ordinarias SEDAS DE LISTRAS.
para trabalho a 646 e 800 rs. cada um par, Becebeu-se um bonito sortimento d'esta
peehineha na loja do Leo junto a loja do Tazenda que se vende a 25500 o covado.
ourives, i CHITAS.
GRANfffi PECHINCHA, Vende-se chitas escuras a 280, 300, o
Cassas he cores a 160 rs. o covado, na 33i0 rs. o covado.
160 RES 0 COVADO GUARDAUAPOS
Chita preta Beto barato preco de 160 o Vende-se osta fazenda de linho, fazenda
covado na ra fia Imperatriz n. 52 na loja boa a 45000e 55600 duzia.
que tem um Leao pintado.
PANNO DE LINHO
Paredes Porto recebeu um sortimento da
pannos de linho, com 17 varas a peca e
1SV5000 e 185600, na too da Imperatrizn.
52,junto a teja de ourives de porta iarga,de
Paredes Porto.
:LENC0S DE^LINHO
Vende-sc lencos brancos do linho a 35.
a duzia para acabar na loja de Paredes Por-
to. Ra da Imperatriz n 52 loja da porta
larga que tem um Leao pintado, datfaredes
Porto.
MEIAS PARA HOMEM
Sortimento de meias inglezas para ho-
rnera a 45800 55800 e 6*800 fazenda boa.
THOALHAS
Sortimento de toalhas de peluda a 115
a duzia.
LENCOS BBANGOS a 24200
Para acabar lencos de algodo a 25209
a duzia,
25000
Vara de bramante de linho superior e
tem 10 palmos de largo.
No armazem do Leao, roa da Imperatriz n. e 52, junto a loja de ourives.
Cretone para lenqes com 10
palmos de largura a 2$,
Acaba de ebegar esta nova e excellente
fazenda branca,-propria para lenccs deum
s panno, garanlindo-se que um .metro e
urna quarta ou um metro e meio d uin
excellente lencol de um $4 panno, assim'
como esta boa fazenda tambem muito
propria para tualhas de mexa^ rosto etc. e
outros mysteces e vende-s .pelo baratisSi-
mo preco de 25 cada metro.
MOCAMBIQUE PARA VESTIDO A 500 US.
Chegou para a leja do Pavio um elejfatle
sorttmetrto dos mais bonitos.-mocanibiques
proprios para vestidos cora as cores mais
modernas e que se vendem pelo barato
preco -de 500 rs. e-eovado.
ALPACO DE GOKBOPARA VESTIDO A 1J
Chegou esta nova fazenda com o nonio
de alpaco, sendo de cord5o e com mais
largura do que a alpaca, com as mais Unas
fOres, oomo sejam Bismark, lyrio, perolas.
roxo, cor de canna, magenta etc. e vnde-
se pelo baratissimo preco de 15 o covado.
ItOMEIRAS PARA QUARESMA A 16j,
Chegram as mais bonitas e modernas
romeiras pretas de guipare, que se vendem
pilo baratisskao preco de 165 cada urna.
SBRECASACOS PARA A QUARESMA A J8 E
20J.
Vende-so um grande sortimento de s-
brecasacos e palitts sobrecasacadps de fi-
nissirao panno preto pelo baratissimo preco
de 185. sendo forrados de alpaca, e por
205, todos forrados de seda, grande pe-
chincha, principalmente por esiarmos na
quaresma, assim como,* tambem se vendej
um grande sortimento de calcas e colettes
de casimira preta que se vende muito mais
barato do que em outra qualquer parte.
ESGIO DE UNHO DE 12 JARDAS A 10.
Vende-se pecas de esguiSo de linho, fa-
zenda superior, com 12 jardas cada peca, a
405000.
ALTA NOVIDADE
A
Loja do Pavfto.
GURGURES PARA VESTIDOS A 15000,
O COVADO.
FAZENDAS PRETAS
PARA A QUARESMA
AUTO PORTO & C.
Roa do Quemado n. \\
Chegarara os mais modernos gurgures
para vestidos, sendo de todas as cores, como
sejam verde, azul, rosa, bismark, perola,
roxo tendo quasi quatro palmos de lar-
gura e vende-se pelo baratissimo preco
um sendo fazenda que sempre se vendeu ^ looo> ^da covado nicamente no ar-
a 70 e 85, isto na loja e armazem do Pa- maaMO Aa Vftiir pfr(>rrA da Silva, na na da
vao, ra da Imperatriz n, 60. De Flix
Pereira da Silva,
Madapolao infestado a 8&500
Vende-se superior madapol3oenfestado,
sendo muito eocorpado. para carnizas, e
mazera de Flix Pereira da Silva, na ra da
Irapertriz n. 60.
RETAJI08 PARA LUTO NA LOJA DO
'PAVAO.
Vende-se tOTa grande quantidade de re-
tendo cada peca 24 jardas, pelo baraUssi- lhos de chita* e cassas pretas por preco
wo preco de 85500. na loja e armazem do muit0 barato, e tjpanto maior for a porc5o
PavSo. ra da Imperatrizn. 60. De Flix Pereira da Silva. vender na ruad* imparatru n. 60 de Fe-
' As 1,OQ0 varas a &0 rs. j lw Pereira da Silva. .
Veodem-se a- venia deiras cambraias I
francezas, com lindos padroes e cores xas,' Grosdenap?** preio
sendo tapadas e transparentes, pelo barato Vende-se um grande solvento dos me-
f e$o de 500 rs. a vara, ou 300 rs. o co- mores grosdenaples pretos, tonto lar-
vado, sendo fazenda que nngnera- vende gos como estreitos, sendo de lyCPO rs. o
por menos de 7 ou 8 tusfes, a liquidara- covado at 44000 rs. garantindo-st? ue
se por este barato preco, por se ter feito n'este genero ninguera tea melhor fazen?
uraa avahada compra, ba loja e armazem que se veade mais barato do que em outra
do PavSo, ra da Imperatriz 0. 60. De qualquer parte, aa roa da Imperatriz n 60
feltt Pereira da Silva. de Flix Pereira da Suva.
* Recebe ram directamente da Europa as mais superiores fazendas pretas espe-
ciaes para a quai-esiua^ as auaes esto vendendo pelos mais mdicos precos em vista
da superior qualidade de ditas faxendas.
> iliTA YOVII1AIIE
Basquir.es pretas de renda, verdadeira novidade, para senhora.
' Gorgurilo preto de seda .liso a com listas assetinadas para vestidos.
-Gr-osdeoaales preto Largo estreito.de diversas qualidades -havendo neste ge-
nero* que ha de nselhor. *
;Basquiiies"de cmch prlbs, d1ft5s de'sda preta com cintos delicadamente en-
feitados, elegantes peplraas de seda preta, Sebos pretos de renda, modernas capinhas
pretas deweda 3 swperioras vestidos de gorgurao preto bordados.
A leja n. 11 da ra do Queimado tom sempre o melhor sortimento de tapetes,
alcatifas e
* Justaras da India para forrar salas.
ARARA
Lonrenco Pereira Mendes Guimares, prop ielario da loja da Arara, ra da Imperatriz
o. 72, declara ao respetavel publico e seus freguezes que acaba de concluir a nalanco
desua loja defaandas e fazer abatimento as fazendas que julgnu necessario para
vender mais barato que em outra qualquer parte, porisso rogaaorespei tavel publico
favor de mandar ver as amostras das mesmas para ver como se vende barato.
CHITAS FRANCEZAS A 280 RS.
Vendem-se chitas francezas a 280, 320 e 360 rs. o covado.
MADAPOLAO A 6*000.
Vendem-se pecas .de madapoto fin a 65, 75, 85 e 95000.
GANGA A 330 RS.
Vende-se ganga -para calca e palitts a 320 e 360 rs. o covado.
CASTORES PARA CALCAS.
Vendem-se castores para calcas a 240 e 280 rs. o covado.
LAAZINHA8 A 240 RS.
Vende-se laazinha a 240, 280 e 32 rs. o covado, e outras muitas fazendas e roupas
feitas, fazendas pretas para a quaresma, como gros-de-naple, casemiras e panos pretos
de todas as qualidades, balSes de 20 35 areo a 15500 rs., cortes de brim para calca
de hornera a 640 e 800 rs. cada ura, por este preco s na loja da Arara ra da Impera-
triz n, 72.
Lourenco Pereira Mendes Guimar5es paoprietario da loia do grande Garibaldi, ru
da Imperatriz n. l>6.
Declara ao respitavel publico, que recebeu um grande sortimento de fazendas
de- todas as qualidades, tanto para a praca orno para o mato, aos quaes espera Ihe fa-
tam a honra de frequentar o seu estabelecimento que lhe prometiera vender mais barato
do que em outra qualouer pai te.
CORTES DE LA A 2j*00 RS.
Yendem-se cortes de 15a para vestidos a 25400 e 35000
CHITAS FRANCEZAS LARGAS A 280 RS.
Vendem-se chitas francezas a 280, 320, 360 rs. o covado.
LAAZINHAS A 240 RS.
Vendem-se liiazinhas para vestidos a 240, 280 e 320 rs. o covado.
ALGODO A 4|000
Vendem-se {tecas de algodo a 45, 55 e 75^00, pecas de madapolao a 65, 75, 85
e 95000.
CORTES DE CASEMIRA PRETA A 4*000.
Vendem-se cortes de casemira preta para calca a 45, 55, 65 e 85000, cortes de
ganga para caiga a 15280 rs., ditos de brim 800 rs., ditos de castor a 15000.
. CHITAS PARA COBERTA A 320 RS,
Vendem-se (hitas para cobertas a 320 rs. o covado.
CASSAS FRANCEZAS A 320 RS.
\endem-se cassas francezas para vestidos a 320 e 360 rs. o covado,
^ B MOV DA DES.
s> Baloes de a. 30 arcos, a 15500 re. cada um, s se poda ter bal3ff$oreste pre-
co, e outras muitas fazendas pretas para a quaresma, pannos, asemiras e gros-de-na-
ples preto, outras, fazendas muito baratas que se dio as amostras. Na ra da Impera-
triz loja do Garibaldi n. 56.
ATTENQaO
Lourenco Pereira Mendes Guimares, declara aos seus devedores que eutregou ao
seu procurador o Sr. Rernardino de Senna Das as suas contas para elle promover seu
recebimento conforme lhe convier amigavel ou judicialmente, por isso roga-se a todos
os devedores vir entender-se cora elle na ra da Conceic5oda Roa-Vista, ou na loja a
ra da Imperatriz n. 56.
0 cordeiro providente
Itua do tuelinado u. Id.
Novo e variado sortimento de pwumarias
linas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, de que elfectivaraento est provida a
loja do Cordeiro Providente, ella acaba de
receber um outro sortiraento que se torna
notavel pela variedade de objectos, superiori-
dade, qualidades e coramodidades de pre-
cos; assim, pois, o Cordeiro Inevidente pede
e espera continuar a merecer a apreciagau
do respetavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, nao se abas-
tando ello do sua bem ounhedda mansidfiu
e barateza. Em dita loja encontrarlo os
apreciadores do bum:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira do Murray & Laminan.
Dita de Cologne ingteza, americana, fran-
ceza, todas dos melhores e mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentrificia.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilek
Elixir, odontalgico paja conservado do
asseio da bocea.
Cosmetiques de superior quadade e ebei-
ros agradaveis.
Copos e lalas> maiores e -menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com d'rta japoneia, transparente,
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos e
franceaes^m frascos simples e enfeitados.
Esaenria imperial do Snoeagradavel chei-
ro de violeta.
Oatras concentradas e de cheiros igual-
monte finos e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Ettracto d'oteo de superior qualidade,
rom escoltados cheiras, era frascos de dif-
ferentes tamatthos.
Sabonetes em barras, maiores c menores
para raios.
DiU transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finas em caixinha para barba.
Caixmbas com bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madtra invernisada contendo fi-
nas perrumarias, muito proprias para pre-
sentes, i
Ditas de papelSaignairaente bonitas, tam-
bem do perfumaris linas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldns novos e elegantes, com p de arroz
e boneca.
Especial p de arroz sem composicao de
cheiro, e por isso o mais proprio para crian-
cas.
Oipiatii ingleza e franceza paia dentes.
I*s de camphora c outi'as differentes
quatdades tambera para Jeiit-es.
Txjnico oriental deKemp.
Anda mais cernes.
Um outro soilimentos de coques de no-
vas bonitos moldes com liletsde vidrilhos
-alguns d'elles ornados de flores e litas,
esto todos expostos apreciaco de quera
os pretenda comprar.
GOLLINIIAS E PNHOS RORDADOS.
Obras de muito gosto eperfeico.
Flvells* e fltas para cintos.
Bello e variado sortimento de tae.s objec-
tos, ficahdo a boa escolha ao gosto to com-
prador.
FLORES FUTAS
O que de melhor se pode encontrarnos sf
genero, sobresalanlo os delicados ramos
ervalhados para coques.
Para vlagem.
Bolsas de tapete ecarteiras de couro, por
precos commodos.
Chapelinas de palha da Italia mui bem
enfeitadas, e enfeites de flores obra de bom
gosto.
E assim muitos outros objectos que se-
rlo presentes a-quem se dirigir dita loja
do Cordeiro Previdente a ra do Oueimado
n. 16.
ENFEITES DE PALHA PARA VESTIDOS.
CHAPEOS E COQUES.
O Cordeiro Previdente rilando Queima-
do n. 16 acaba de receber om bello sorti-
mento de trancas de palha para enfeites de
vestidos, outras para chapeos, coques etc.
tudo isto est sendo vendido com a sua bem
eonhecida commodidade de preces".
ALEM DAQUELLES.
, Recebeu Outros lindos enfeites de seda
para vestidos ; assim como um variado sor-
timento de galloes de laa, babadinhos de
cambraia com bordados de cftres. ruja va-
riedade de gnstos os tornam recommenda-
dos e apreciados ; comparecao pois os pre-
teudentes que sero servidos a contento.
TO BEM RECEBEU.
Novo provi ment de bicos e rendas de
guepure.
LUVAS DE PELLICA.
De todas as cores tanto para homen-
como para senhora, constantemente acham-
se a venda na loja do Cordeiro Previdente :
rua dn Qneimadn n. IR.
PASTILHAS ASSltAIIADAS
DO
DR. KATEBSON
De bisuiHth e uiu^nexla.
Remedio por oxcellenci pina ci.mliater
a magreza, facilitar dlgestao, fortificar
estomago etc.
DEPOSITO ESPECIAL.
Pharmacia de Bartholomeu & C.
34------Rua larga do Rosario14.
' Fazenda burato
Chitas linas cores lisas cora pequeo to-
que d'ava a a 200 reis o eovadOt
Ditas largas e linas padrws laroa e es-
euros a i8) reis o covado
Ditas miudinbas padrees novos e da gos-
to a 210 o covado.
Peras de madapoleosboa fazenda a 544CO
Dita de ditos largo 3 SOO. ,
dita de ditos tino a ti-ri 0.
Ditas de cainhiairvktoria lina a 5i?2GO
:-s:;oo e H.
Alpaca de cores e branca para vestid^)
fazenda enrorpada o de gosto com duas
larguras a 800 rs. o covado.
Na rua da Madre e Deus n. 9 loja de
fazenda. *
Vende-se un braQo (ie biJaifa *'_ auinr
Roiuo, coni i>risaferios, ronctias e m?is pr-
lonc'-, qoe Ara p:u a pa-Jaria. icliua;o. O i'*-
lio ipialquer estaJji'lecimonto : no lrupiche
tluerra. no Rooife.
do
WROl'E PEIMAL BRAS1LEIR0
DE
POSTA BKKMBAIIIA-
CJPUTO U I'IIFPARADI)
Pelo tUaruia*tulvo
Jos da Cruz Santos
Esta planta cujas virtudes raedkirtaes
existiam desconliecidas para a maior paito
dos nossos facultativos, devVndo-ae. a stra
descoberta ao uso que d'elle fazymi o
nossos indgenas (jue meuaacabavaqn c fti
a sua applicaco de todos oa soffnmentos
pulmonares, e boje conhecido cimo o me-
dicamento mais eiiicaz para a cura.de as-
tluna, bronchite, ooqucliulie, [tenemonia^
e at a plitysica, proiluziiido um elltitoini-
1 airoso e prorapto.
Para um adulto 3 a 5 colheres de sp
ao da puro ou em colimei^to peitoral.
Cr-iancas. -t i colheres de cii.
Preco AMMKf o Irasco.
Pernamhuro. rua Nova botica n. 6 F,
Escravfl,
Na rua do? Goararapse n. 'JO, em F6r* ar vendesj una cahr-oelia de i:) pan, iv anurji
Je dade, cun algunias habjli'dadei, prupria para
casa de familia.
antita taberna da rua dn Hangel p. 3, benv
e mato; a tratar n>
alreguezada para a t>'rra
llItV-lll.l.
SEDAS PBETP.VA5RA A ui ARESMA~~
A U 0 COVADO.
Vendem-se sedaaa^retas lavradas1, fazo-
da muito superior, que com avanlajjda lar-
pura que tem, 14 ou |rovados dio um
vestido, e sendo fazenda que em nutra
qualquer parle nao se vende por menos do
4;J(K)0, mas por se ter comprado urna
grande porcio vende-se a 3W o ivado
nicamente na toja earmazem do Pava;
rua da Imperatriz n. 60 de Flix Pereira
da Silva.
GOMMA E PE.NWAS RE VHA.
Vende-se na rua do gueiwad n. l.f, sudar
_ESCBAV08 FCiCOS.
100$ de gratificado
Finrin uo dia 11 de Janeiro do eorrente anna
do enirenbo Balaiura, freguezia da Ese.-.da, u e*
de id^de; lla-
mado Marcelino, que fof do Sr. Joan da Cinh
Pereira, rujo e.rravo esteve no dcpi.sh. g, i^i 0
tem os signaes segnintes : alto, wrro do rorro,
rusto milito marrado de bexipas, fali de ail s
na frente, cor preta, sanio derhaptV dn iliil,-, pa-
l.i .' e cal^i de castor, levando um babnzinhu llndres cun mais rotipa, e sdppoe-> esl.ir na
l'ivL'iiezia du Cabo : quem o appreln nder leve-o
ao dito engenhu, on roa da Srozata-nnva n. :ta
escriptorio do Sr. Bernardino Ponlual. que n co-
llera a praiiflcacao cima.
Escrava figida
Desappareceu do poder do ahauo asi>ifna)
sua escrava crioula de nonie Benedicta, dar,.!*
tambem pelo nome deConceirad. estatura refnUT
magra, rosto comprido e oescarnado, falla de den-'
ses na fenle, costmia a embrcapar-?p. levon ves-
tido de chita rlara com unas rodas ftBgiodn fl>m
chales de la de barra j vellm ; ella naiur.4
de Serinhaem, para onde se desconfia ter ella se-
piiido : ropa se as autoridades pnUrtaes e ai s ca-
pitae> de campo a appreln nsao, e leva-la rna
da Imperatriz n. !>i. loja, que se pra'ilii-ar.
Joao PraorW Parede> Pi i?o
NOVIDADE
A loja de Coelbo Oliveira na do
Queimado n. 10, recebeu pelo ultime vapor
um pello sortimento de baloes de diversos
systemas, os mais aperfeivoados que teem
vindo ao mercado, sendo :
Baloes de guipur com tiras chamados
reguladores, ditos de musselina abertos por
ambos os lados, de modo que sendo todos
de ura tamai i lio servem para qualquer se-
nhora, de la de cores, com tiras, e aa se-
geintes fazendas:
Saias de lia com bonitas barras.
Chales turcos de seda e laa Beatriz de
Tundas.
Fitas de guipur pretos Rocamholy.
Chapos de sol para senhora, muito lin-
dos.
Laslnha
Sultanes, Poil delhevre. Tricte, dito de
xadrez e outras militas, nutre ellas urna
Especialidude
LSa pura de cores a 360 rs. o covado.
Basquinas a Mara Antoniete.
Cambraias fanfazia.
Ditas brancas transparentes e Victorias
Colxas adamascadas.
Cobertas chinelas a 2500 rs. e outras
imnitas fazendas que toniar-se-hw enfadonho
annunciar.
INJECTION BROU
tre

nw,mmmm*
mita ^.- cw. m. Mki.k. Moiiiiv. > ., i
O abaixo assipnado recoiomenOa a raptor*
do seu escravo de nome Joaqiiim, uulato. tupido
do seu shio do Monteiro, comprad* aos mus do-
nos os Srs. Joao Goncalves da Silva. Viren e Cn-
valcantide Albuquerqc e Alexandre ffnrda
Silva, nesta cidade, por interu'edin do ?eo> iro
curadores na jiessoa do8r. Mam el Pranri-r Ci
valianti, lodos do Pao d'Alhn e |Kir intei\ei i; I
Sr. Santos (corrector de eseaavos). rujo e>crvo i
tambem natural do Pao d'Albo e em os d,.oiro9
sepuintes: idade 33 anuos, serii> do coipo p nm
pouco alto, bifrodo, cabello um pituco rarapmradt
e perneado, falla de denles, nina nf*amn>ri>< c-
criiada na junta da mao esquerda.-falla a erl:ne
jo, muito descansada e mansa : levou cami>a.- do
madapolao o riscada de alpodao. p ratean de tirin
pardo. O abaixo assipnado mui'n rpeen-penda a
captura deste sen escravo todas as an ndades
e mais pessoas cncarrepadas da ca| Mira de p-cra-
vos, nao s pelas diversas cidades. \il;,s e p ivoa-
dos, como pelo sertao.para ondppide 'ei tuu'dot
promeite bem gratificar, e tanlem a qna que*
pessoa que d'elle der noticia Per a ; a diripirpm-
seao seu escriptorio a rua do Crespo n. 15, ou ;.o
seu sitio no Monteiro.
Recife, 27 de Janeiro d> 18fi9.
Antonio Jos Rodrigvft df Soi/za.
Paseadas de gado.
Vpndpm-se seis fazendas de gado na riheira do
Serid, den .minadas Roa-Vista, Pe duPerra, Mu-
lung, Mundti Novo, (npi e Serrle, toda muito
hots criar o de nm ser bem conhecido naqiH-
la reir* : os pretenden nodem dirjgif.se a ru^
do Vlparnt n. SI. f andar.
Veo lem-se mondas de mm do H francos
00 wcriptorid da rua do Commerci o, 9.
Fupio do enpenho Jacobina, con arca Ca-
bo, ao amanhecer do dia 13 do correritp ou o
anno, do abaixo asipnado, um pserav pnto o*8
nome Anttnio. conhecido por Canda. idadp dp 26
a 30 ann s, pouco mais ou ljenos, alto, pps fp li-
sos tpm urna das juntas do mermo um ponca
prosw, andar banzpi-o, levando chapeo dp febeo
j usado, camisa de alpodao azul p m< ola de ; N
podao americano, cujo escravo v ra Pao d'Alho. para onde se desenlia ter sepin*:
ropaje a ijualquer autnridade policial o capita*
de campo a captura do dito iscr:^o. levando aa
enpenho cima, ou a rua di Caldi reir. n. i >>
Sr. Francisco Qoiutino Rodripue E.-teves. qUO
ser geserosampn'e gratificado.
Antonio Carneiro Lins e Mello.
Fiipi de bordo do palhaNiie na.....al Ama-
ro, um mnlato claro de nome Jiisiqo. pstamra ra-
eular, cbelos carapinhados p mWos ruiv. s. t>n\i'
barba, tem urna pinta preta no cunto do oib<> di i pi-
to p um taino as costas ao mesmo lado ; leven
vestido camisa de chita com Hsias verdes, p nsa
de urna cinta cora borla encarnada para apertar
a* calan, d natural de Santa* Anna do Matln na
nrnvinpia do Rio Orando d "f
queira ir, tambera mu 'w_
lar. BecomiMO s '
do Trafdch 4" '
ser generosamente gratificado.
io qn
iiHHim


8
Diario de PernamBuco Segn la eira 22 do Marco de 1869.
o >
UTTEE&TUBA.
f
POUCODETUDO.
H5MV. Sfgtindo o U90 tradicional, o
Santo Padre o Papa reoebeu em audiencia
particular em l de fevereiro os pregadores
dosignadores para pregar a quaresma as
91 freguezias de Rnmae, antes de llie ter
dado a sua bencjh, loes dirgiu conseltaps
e ammaces O Univers publica este dis-
curso por inteiro que declara ter demon-
sonhor Aniviii (Hroetor doHa Vergine, e que
nmaua quui lade do pregada assistia a
audiencia. E's aqui, pois, os pensamentos
exprimidos pelo Soberano Pontilico:
A misericordia de eus nos conduz
fceje como nos anuos que tem precedido.
a conforlar-vos e abeucoar-vos qara que
.possae.s instruir, edificar o salvar, pela
prcgaeo das verdades 'da f, as almas dos
fiis que vierem ouvir-vos. .
Para este fun nao vos recommendo se-
nlo urna conducti santa.
t E' corto que vivemos ein um tompo
' excepcional. O mundo est submettido a
urna cryse i a agitaco se apodera de todos
os esp-itos, a sociedade inteira corre para
a sua ruina e aquelles que na sociedade tri-
umpham, sao elles meamos presa do des-
cwntentamento. Reina urna perlubaco ex-
extranha no mundo moral, e talvez tam-
il em no mundo physico.
o Se o demonio fosse a esta hora inter-
rogado, como o lemos. no livro de Job
Unde vens :'r-etie deveria responder a Deus
como noutro lempo :Circuid trra el
perambulavit eam.
No meio desta grande desordena um
partido permanece Arme, e acontece como
no seio de/Kabecca: dois pocos alli estavam
, contidos nos Jora i raos que deviam cpm-
bater-se cruelmente.
E em taes encontros qual o nosso
dever Sempre o mesmo bom exem-
plo. Se o demonio impelle os seus para
0 mal, obedecamns ao anjo do Senhor que
nos mostra as boas obras.
demonio espalha as intelligencias o
espirito do orgnlho, ponto que Deus pode
repetir oque, disse, da torre de Sennar
Descendamos Confundamos nguas eorum!
A este espirito opponhamos a nssa hu-
mildade, nao a humildade tmida e inerte,
mas a humildade generosa e activa.
O demonio espalha tambe* o espirito
da veluptuosidade, opponhamos-lhe a morti-
fir.acjto. Que ao nosso aspecto a calumnia
se cale.
Eu tfos- recommwdo pois as boas
obras.
Os discpulos de S. Joo commovidos
pela reputarao de Jess Christo. Ihe enva
ram urna deputaco. urna mensagom (se
liria assiin boje), e a deputaco Ihe per-
guntou se elle era o Messias, ou se elles de-
viaai -esp;rar u n outro. Jess Gnrsto nao
rospondeu: Sim eu son o Messias, mas
simplosmmte: Cpcividcnt. Claudi am'm-
lant, morli.it resnrgunt. Imitemos o Divi-
co Mestre. Aqueles que perguntam oque
nos representamos em tim, respondamos
como Christo. Nos cumprimos o nosso mi-
lasterio, nos nao estamos aqui para outra
Oousa: esclarecer oscegos, ouvir os coxos,
esusitar os morios. Sim esclarecer os ce-
. os cegos cojtsolhos csto fechados as
1 es da fe, csteiiderHhe urna mao amiga e
il-os para o camin da verdad*. Endi-
rehar os c xos, os claudicantes in duas par-
tos de hoje os quaus em u.n espirito de
.falsa consi leraijaoy'ae a oramodariam com
o mal. como tal bymem, em um pai/. da
Europa, que sacrificara a devocao da Vir-
il para convertir os protestantes. Resu-
sitar erii.n os mortos, dando aquellos que
esli mortos pelo peccado a vida da graca
i- da caridde.
Mas pois que todas estas cousas nao
veemde nos, mas, de Jess Christo,* de
quem somos ministro, fallemos militas vc-
-es das su as divinas grandezas. Vos sabis
bem que blaspheraias se espalhem a esta
hora contra a sua divindade. Ha homens
que vio dizendo ainda;Non hic cst Filias
ffibri?Respon lamosdhe:Elle O Elle
t-o lilho desse carpiuteiro que tem creado
O i o c a trra. E' elle, na sua hum mi-
dade mesmo. esse lilho de que falla ooffi-
cio da Epiphaaia, que todo ainda crianca de
peito, fez tremer a 11 rudes, e h >i
tado direita de seu Pai Eterno, deve mili-
to mas fazer tremer. Pie temeant reqes
( vos reconheceis Santo Agostinkif) ad Pa-
tris dextram jam sedenrem, quem1 rex im-
pas tmait adfmc matris ubera lambtn-
ajaf.
Depois de ter fallado das grandezas da
sua justica. fallemos das grandezas da sua
misericordia, Oexemplo das suas obras
nos bastara, nvde-o no deserto: Mis*
reor supra turbam=Ecce jam triduo su*-
tinent m?De hnge reneritrit. Elle tem
si'mpre os bracos abertos para acolher to-
das as miserias.... A constancia na oracjio
e humildade asseguraram aos peeeadores o
perdio.... no ha distancia insuperavelen-
tre elles e o sen divino cera?8o !
Applquemos: tambem esta misericor-
dia a nos m srnos.
rimentailo em si ?
McphtstopMfrs, recebera mandado de d's-
pejoeque, por'isso, uao obstante ignorar
por onde viera o injiepaiav#l amigo de Faus*
to, n'aque la (lata, pasjava-l'n i o exercic'm
do honroso cargo de fr>lhttoi**a %u (seja


na depis de desatado o no goriiio que tan-
to me li/.era suar, levantei-me para sabir;
mas o Palha. segurano-me no braco (es-
ordo o direito ?), Icmbrou-rae que ainda
rto tinha pago o unidlo sorvete. Deixan-
pela fecunda iagin:e>) do nidiados. aoa-
thej ^y A
Griizej os tyacos f esperei q i a minba
propr CQBiciencia ms respoijlesse; m.\<
a'ingrata (ahila nao vi coisw feminina qu
nao adoi'ass'c a ngrado: |)r.igal) con-
servou-se muda, silenciosa como alousa de
t um scpulchro (A comparaco k mais fun !-
Quem a nao tem expe-lbredo que o proprio de profanis dam'i-
Approximemo-nos pois | vil, etc.)
delle, porqua elle tem dito. Ego sum va.
veritas el vita. Elle a via, segaimoi-a !
Elle a verdade, preguemoi-a Elle a
vida, vivamos para elle e merecamos viyer
eternamente da sna vida !
t Recebei por isso agora sua divina
bencao. Ella vos confortar no vosso mi-
nisterio, ella purificar vossos labios como
o carvSo acceso; ella animar a vossa alma
c vos far colher bon> fructos, a peniten-
cia e a paz Benecdictio Dei etc.
A AVE-REI.Os irlandezes sao mimigos
declarados destas lindas avesinlias, e no
Eslava ancioso, faltava-me o ar, senta
um calor diablico e tinha a fronte banha-
dade suor: fazia-se indispensavel que eu
sahisse do engenhoso Ubyrmtho, despeda-
zando o manto di duvda que mo vndava
osolhos! .(Manto da duvida?! Passe de
largo!)
Era lusco e fusco... JnOe-mo n*um par
de batas e... sah com 'destino ao refugio
dos peeeadores, 10 caf da Imperatriz, te-
vandi) uma cara (Va em meu soccorro."
generoso D. Jos d'Escobar!) uma cara pa-
tibular.
Apenas transpuz os Itumbraes do afama-
dia do Santo Estevo fazem-lbes grande ,i0 templo da pandega, o general Fritas,
guerra, destruindo todas as que podem. pensando que eu ia trocar os Utus cartoes
A expiicaco deste odio dado uelo cor- 1)e|os meus cobr(,S) ,ieu um pi respndeme inglez daAgencia Bnllier: guarda e preparau-se para..* correr!
Na vespera da batalha da Boyne, um Assente-me uma das mezas, bradando:
corpo de exercito realista do re Di>g|_Gerveja, .cognac;'caf depois sorvete I
quix sorprender o campo do principe j sj perceb uue,Unlia feito um peBrlo s-
dOrange, cujas tropas, caneadas pelo ca- natico quandodiversos olhares se fixaram
lor, iormiam profundamente. (>s iran- lia rainn;l catholi.ja pessoa.
dezescatholicos caminhavam silenciosamen-, Sorvete depois de caf?! Nao quero
que esie homem (empinei com o
te favorecidos pela escurido da.noie e
iam sorprender os protestantes, se aio'fus-
se uma circumstancia ainda meaos insigni-
ficante do que o grito dos gansos que avisa-
vam os romanos da chegada dos Galios.
Um corneteiro ceira em cima de scu
tambor sobre a pelledo qual ticaram algu-
mas migalhas de pao adormecer logo de-
pois ;tnna ave-rei. que cerlaraente1 l^nha
ceiado menos do que o pequeo corneteiro,
voou quelle logar e comecou a espicacar
as migalhas que eslavara sobre o tambor.
O barulho que fazia o passaro na pelle
do tambor, accordou. o rapaz, que oavindo
os passos dos soldados mimigos, lancou
mao das vaquetas c accordou os protestan-
tes, que fonnaudo-se em fileras repolliram ,N-ton(i0 oreado despeza! em irez mil
os catholicos, que foram totalmente derro-
tados no seguinte da.
A historia do passarinho passou logo
de bocea em bocea em ambos os fxercitos,
e nunca os irlandezes poderam perdoar
ave-rei o haver salvado seus inimigos e, da-
do o sceplro da Gr-Bretanha a raihaJM
na, que consolidou a supremaca* da ^re-
ja reformada nos Tres-Reinos.
VARIEOADE
I
FOLHETIHI
OS DS.il.iS DE C1YEXU
roa
lie Berthet.

VI
O Itongon.
Xontjnuacao don. Gi)
Era noiitinha. Cessara de cahir uma
d'essas chinas torrenciaes, fijequentissimas
em Cayenna, e emquanto o interior das
casas conservavam um calor sulfocante, l
fira reina*) a mais agradavel frescura.
Miguel, depois de ter dado coraeco ao ar-
rnjo das malas para a viagem prxima,
fra recostar-se sobre um divn, e a Sra.
l.illois ilonnilava no seo baloico de rde.
Cesar e Zenobia estavam no seu quarto,
n'um aii^iilo'do pateo, dormindo natural-
ment! tambera.
Josephina descera ao jardim, o absenta-
da n'um banco, junto a um enorme limoei-
ro, aspirava deliciosamente aquelle ar im-
pregnado de aromas. Posto que s, nao
iuljava ter eousa algiima a recetar alli. A
porta da casa eslava cuidadosamente fecha-v
(la : o jardim. como dissemos, era cercado
i de-altas e solidas pallissadas, reforjadas
por arbustos espinhosos, que pareciam im-
penetraveis. Abandonra-se, pois, a jo-
ven descuidosamenle s. suas menlilagos.
, O co eslava alfgueado, ainda quegros-
( sas nuvens psssavam de vez em quando no
i zenith : o crescente lunar, d semb iracaji-
' do-se por m >m ratos da sombra que ellas
Iliefaziam, pr-ijectava urna inadiaco sobre
os campos e fazia perder o arilno aos in-
sectos luzentes. Ao longo ouvia-se o vo-
t zear dos m icacoi e tambora o barrar do
sapo, oceulto em, aigooi dos muitos sitios
i paludosos.
Nada de prembulos!
Detesto os programmas e aborrego as
[irolissoesde f.
Boa as minhas sabbatinas direi o que me
dictar o coraeo, o que ine a conselhar a
consciencia.
L vaiubra'.
O redactor do Correiu Pernambucano,
no da 8 do convide isegimda-fera), com o
sorriso nos labios e a alegra no corago, < qualqucr.
se dignou de dar-nos a seguinte noticia:
Chegoii o Sr. Ur. Gumaraes Jnior, flis-
tiiicto titterato, que, em suhstituicao So
nosso amigo Dr. Araripe Jnior, novamen-
te se encarregar da parte Iliteraria des-
te jornal.
Mais tarifc (quarta-fera, por que no da
anterior, para mira, que sou um memora-
vel olbcial d;... vadio, houve sueto) o Sr.
Osear Jagoanharo (Que suor friot), com
cara de choro (coitado!), teve a sublime
franqueza de participar ao respeitavel pu-
blico que, em virlude da chegada de um tal
me concedido usar do termo technigo) as- i o-lhe cah' as mos mais um ;arta, es
saWWhe a vara uV envolta com usa abra- capli-rae pela piimeira serseuti i do bote-
ro ttl/arifB. piuii. que se me apresentou diante as
Quem cUegaria?^ pergunlei a pura venias. Voltei para casa mais a)eiv. mais
mesmo. Seria o Sii-Guiioarles Jnior ou prazenteiro, mais jovial do que um estu-
a reatdatV djBse typfl excepaloaal creado! dante em dia de mezada. Gtegaido casa;
,1'vorei... aJgunrs papuas de i i iranio de
Hiatos, trez ditas de Almeida Gunlia, urna
idam de FrankliuT^vori equitra palavras
Je... (O autor era anonymo). I) 'pois desta
variada eiia, diitinn: e, Io.jge dj s;r Vic-
tima de ama forawfevel in digest o, Uve so-
nbos mdgnfiatelUe deliciosos. Soubeicom
oMirtinho, ar.nido ih.ni cair.ni seringa
a espichar pilhirias as respei.aveis v.;n
tas do resp:'tabjlissni i publico; sonhei
com o Joaquira Augusto, Gyim&ra, Primo
da Gasta, Cunha e Jojana Castiga a brinca-
re m o lempo serl soniiei com o alguien
monstruoso do rara coraprade N d^n>e^_
lialar profundas harmonas bulls ; sodhei
com o meu amigo Grato Rocha, voltaado
de Nazaretb, carregado de dinheiro; so-
he, finalmente, cora o Sr. Mephisto-
pheles ou.... (Gomo se chama agora?) a es-
perar-m"! ra de S. Francisco (sem ser o
de Paula)-para dar-me uma birrada de m
tre.
Em sonho mesmo. palavra urai, quebrei
o corpo e... ealiei pelo beceo frbflteir di-
ta ra con a ligeiiv.i de un dtfedpr fu-
gnd)< i.n,> :i-ti;i it-.i;s desea credor.
Nos das segrales (quinta e sexl-feira)-
nada occorreu que seja 'di^u i e mencSo.
Sabhado ( tarde; fui inv\ de S. Fran-
cisco e, de))raand-Bio certajaueHa, pw-
tthteif-Quando sahir.i o menino?Que
menino? iteirogiui-me um sujeito.O
am ivel, o syrapalliico, o dolcisSimo Correio
Pei'ambuCahp.
Menino nao, veja como falla, bradou
0 cuja, assumindo a brabante posigao de
um jogadorde pao; se o snior Ihe ohi-
mi menino poc ipie uo tem barbas, sai-
<( ba que elle nao faz caso de cabellos, des-
sesdistinclivos de tucinho ordinario...
Nao, ao isso; chamei-Ilic menino
por ser pequeo.
Por ser pequeo ?! Pequeos sao to-
dos os homens, todos os moraos: s Deus
...
mo ouvi o fim da consideraco philoso-
phca : tinha encontrado occasifo para dar
de gambas c j ia longe; mas ceio que o
novo Sneca l na sua lingfiagem quzera d-
jer que sDeus grando (Apoi(lo; muito
hem: o orador devera ter sido comprimen-
tado pelos seus collegas).
Fort ia i-im estirada s9bntlica do fre-
n:>4ieo apologit*de Guttemburg, para ma-
tar o lempo, dirgi-ni' ao Gtibimte Porta-
g*m de jyitara. Assentando-me misa
que serva de acnnpam lo aos jornaes,
laucei os olhos sobre o Rrz Tizona. Ain-
idan3(>tiu|a lido quatt -lanhas quando fui
bruscamente interromp dogor un girga-
Ihd.'" O niiTvdao que me fieava apposto.
1 indo as paos o Diario de Permmbaco,
lia desesperadamente.
Porq"u| te rs tanto ? perguntram.
Ah, ah. ah!* \\.\ poueoa-dfcis. Fulano
disse-mequofsperava^ Europa ura car-
regaai-into de vinhos..3[m carrea imeo!
Ah, ah ah I Vejo aqu, no /> ii&):
Trezharris (quij^E a#ul;-.<. Trez
quintos nfnso noi^Hk pa>i i no-
vidade!) q.iaflto mikmm carro^feiento!
Ah, ah, ah, ah! (Se dfai Sr. Fulau i sou-
besse que o seu i:arregiMfc_ *de vinhos-l-
nlia dado motivo a rhdcim^"e{mi que ara
d'asno nao (Icaria!) O carne steca Cpare-
ceu-iue um digno Qlho de S. Thh^o de G un-
poslellu.i coiitinuou a rir e ea^aborrecido,
Iratei de pr-mc ao fresco
ratamen-
te) morra estoporado, disse o Fneitas (ge-
neral) ao Palha (seu cabo de ordeus); sir-
va-o prmeiramente de sorvete.
Nao tenha medo, meu caro, respond
com a gravidade de um jesuta; o seu caf
mais fri do que o sen sorvete.
O meu supra mencionado dar lejou-me
um olhar significativo, tao significativo, que
me pareceu masnico. Quera, sem duvida.
fazer-me cmplice das suas falcatruas; mas
eu, homem probo e honrado, rotorqui-lhe
com ura gesto de soberano desprezo, que
furia inveja ao proprio Joo Catano (se ain-
da existisse, j se sabe).
Servi-mc de tu lo que me ajresentaram
quindenios res, iz o paginento era car-
toes...' O frenas (general, sem|ire gene-
neral) teve a bond-ide suorcma d) recbe-
los, dando um longo e profundo suspiro,
que s eu ouvi e que,.rwr itlu,. nao coi>k
seno ao respeitavel piiblico, pediudo se-,
" grado.
Um acadoBico. do .'i.0'afino, viudo S.
Paulo, apertaudo-me a mo, perguntoii-me:
Sabes (pifm f*trt na^fferra-, cwsr?-:(rM
rae cbamou homem e o oWro coib: verda-
dera baixa de cambio).Sab i-lo-bel agora.
se mo disseres.respondi.O Vctor.M'aril-
lo*, o Florentino, o Luciano ji Alhayd?, o
........
Sorvete, sorvete* tragaii sonete!
* bradei, com todas as funjas dos meus pul-
mes, senlfhdo angmenlar-se-mo o calore
desconfiando que devera estar rom o rosto
mais escarate'do que o focintro de um in-
gle/, bebado (Deixen: passar este pleonasmo
que viaja sem passaporte por serconhe-
cido de todo o orbe).
Jephistopheles tem escriplo" sob di-
verso 'pseudonymos, disse um quid .un
E' verdade, resmungou um tereeiro
personagem que era, sem tirar nem por, a
cara escarrada de um meirnho muito meu
conhecido; em S. I'aul^ rsoreve.u sob os
pseudonymos de Vctor Miifilh-\ Florenti-
no; aqui. ob o de Luciano de Attayde e
aq-ora, como* ba [xraco tompo, assigua-se
Mephistopheles.
Talvez Josephib'a estivesse pensando as
; suas desgranas passadas e as que o fmu.
. ro Ihe reaemva ; Uvea mism estivosso fcmdo
orando ao contemplar to nngestnsa qua- movime
dro, aaando da-repaote una som exquisito, andar
titas forte, e paeihante ao de urna, trora-
beta, se fezouvr alli prximo. Assuslada.
preparava-se para fugir, quando de repen-
te se lerabrou de que aquolle grito parti-
cular era o do agarai, quando v em pe-
rigo as aves condadas sua guarda. De
fado era o agarai da casa Gal lois, que.
pousado n'uma arvore ao alcance da ca-
poeira, acabava de fazer soar a sua trom-
betada. mais estrepitosa agora em razio do
soceffu da noule.
mda assiin, Josephina .nao deixou de
percorrer com os glhos altntaraente ludo
era volta de si. Notava-se cerla oscillaco
as plantas cultivadas, e corao n'aquelli'
Jttomenlo a la se mastrasse brlhantc, pJe
ver de.repente uma figura Repugnante.
que a passos furtivos atravessou o jardim.
Se nao soubesse que os macacos da rafa
grande, taes como s orang-outangos ou
chimparnzs, nao habitavam aquella parte
da America, julgaria ver alli um d'esses
anraaes perigosos. O individuo mencio-
nado era preto. As pernas maito curtas
e os bracos desmesuradamente compridos
indicavam que possuia urna forea e agi-
dade exlraordinarias. Todo o falo oois-
tia em uma especie de calcao curto j tinha
o* ps descaloos e na mos um sabr tosco,
q! reluzia a qualquer movimento.
Nao havia que duvida? : era o terrivel
rvGhimbo, o Rongou.
O que, porm, Josephina nao poda eom-
prabonder era a maneira por que ella a|i
se introduzira.
Ao reeooheeer o monstro, a cujo respej-
to ouvira fazer tao horriteis descripges;.
sentio ella urna ancied ide mortal e um tnj-
mor nervoso se Ihe apoderou do corpo.
A sua pritneira idea foi fugir, mas alera
de nao se sentir com forcas para dar, dra
passo, reeonheceu que, achando-se. o RonI
gou entre ella e aporta da casa, Iheerji
impraticavel a fuga.
Felizmente, o malvado, nao suspeitando
a existencia d,e jppssoa alguraa all, nao s
apercebera da {tresenfa da joven. Toda a
sua atienc3d eslava concentrada no edi
parecendo inquietar-se por ver brilhar urna
luz n'u na das jaaellas do primeiro andar
Josephiaa conservou-se, pois, iafemovel
protegida pela sombra do limoeiro, q, jffA
de anciedade, obs,'arya?a t(t(|is os
Ah! respire:; um espertalho que,
paratio ser descoberto, quolidianamente
muda de nome, pessei.
Sentindo-me mais leve do que uma prm-
tngir nem
presa adormecida, quando o gami fez ou-
vir o stra canto de trorabeta mais forte e
prolongado do que o primeiro. O preto
parou, ameacando com o sabr a ave, que
se espanejou no poleiro. Ainda assiin.
nao se atreveu a avancar, e, agachando-se,
poz-se escuta de um leve ruido que se
fez na casa.
A pobre rapariga, apesar-da sua angus-
tia, dizia comsigo que o seu dever era dar
um signa I do alarme, mas ao mesmo lempo
considerava qne ao primeiro grito que
dsse o Rongnu a vera, e s' a idea de se
achar um instante merc de tal monstro
a fazia estremecer. Alera d'isso, lembrou-
se do que talvez elle alli viesse s cora o
fira.de commetter ura simples furto, e que
depois de se apropriar de uma ou duas
aves das que o agarai guardava lo vigilan-
lemenle, fugiria. Nao tardn, porm, em
reconhecer o seu equivoco, porquauto os
projectos do Rorigou erara muito mais si-
nstros e terriveis.
Com effeito, depois.de fazer varias1 para-
gens, mirando o escutando, atravessou o
pateo e approximou-sc de uma especie de
alpeodre coberto de follias de palmeira, o
qual se achava eoirtlg'o casa; onda es-
tiva madeira miada destinada ao, uso da
cosinha. Poz-se de ccoras e de repente
vio-se brilbar entre aa-;suas mos uma luz
azulada.
Selvagem como era, conhacia o uso to
til como perigoso das mechas pkospho^
ricas. AqiMUauque accendou lancoora nos
ramos sectfos, que logo se.iacebdii-aui,
Katn affadlan-se, e da. sab**. em punho foi
cdlofiar-s atraz daanaa mandioqueirn,
proraplo a descarre^m^olpa sobre a pri
melra ptissoa que tentasse fugir ao incen-
dio da casa.
Josephina ao principio nao percebera a^s
intencoes do: negro, mas quando vio s
chammas a desenvolverem-se rpidamente,
eotao aquele estado de paralysac$o enique
se conservara log* cesson e, esquetendiro
pengo pessoal para s se lembrar do risco
que corran) as pessoas da casa, especial-
mente seu iroaaV). de manem.ni
ergueMe iaatiacliraaiait* ooai tada. a
violencia dos p^mjjes poz-se a srtv :
.Jdera o
mugir. ,
Ao sabir do Gabinete depari cora o
Goimbra... Era todo jovnlidade, lodo face-
ca, todo graca.Unjo ha grande endiente
no Santa Isabel, disse de mira para mim,
cpra desejos de indagar o motivo que obri-
ou a cbamar-se Santa Isabel a ura masco-
lino tao profano, llavera billietis ? per-
guntei.De quarlaordem- e varandas, res-
pondeu-rao, peneirando nos b-cos um
sorriso encantador. Compamentos d'qu
despedidas d*acol, separamo-nos: eu se-
gu para o thcatro e elle foi ver se tinha
cartas-no correio (no obstante aerem 1 ho-
ras da noule).
Quando a torre de MalaRoff annuncim
as 8 horas j este sea crfado occopava nm
lugar mas elevado dd que o do Exm. Sr.
Presidente di provincia (S. Exc. eslava na
2.a ordem e eu na galli.... as varandas).
Reprcseutou-seo drama histrico de gran-
de e pomposo es^eetaculoOirittora C-
lombo.QH o descob'rimeqta da America.
Poupa-me o traballio de iiaiTa* o enredo
dessa importanlissima prodcelo litterara...!
Se o Ti/, -se comraetteria qm plagiario e pra-|
(caria ura *Stellionato fsf gener'is):
! para
|U3 ihe
fioecarfa
wcaaait., e ,
terminar a ultima palavra, j se Ihe appro-
xMpra um vulto, e em seguid i orna pe-
sada mao que Ihe cabio em cima fe-la cahir
por trra, e ao mesmo tempo o Rragou
em voz baixa e no seu dialecto crioulo di-
zia-lhe :
Eu matar a t, si tu ainda gritas 1
E o malvado araeacava com a poota da
espada a dbil joven arquejante a seus ps.
Entretanto, propongo que a luz das
labaredas Ihe ia deixando ver o rosto d'elia
as sua>das pareciam ir-sc moderando,
porque nm hediondo sorriso deixava ver
acuelles denles brancos e pontegidos, e
ao mesmo tempo dizia ao seu dialecto :
A branca ser mais bonita do que a
mulata... tu ser mulher do capito que fe-
rio a mim... tu vires para a mifiha cabana
e seres a mulher de D'Chrabo f
Ao mesmo te#po cingk> em seus longos
bracos Josephina, que debalde esbracejava,
e levou-a para a outra extreraidade do jar-
dim com a mesuia facilidade com que o
gato pega no rato ou o tigre na gazella,
A desgranada, com os .spnti los meio
perdidos, pode ainda n'um supremo esfon-
co gritar :
Soccorro E' o Rongou que-voHou!
Miguel era a nico alli que ppderia lutar
co o> Rongou, mas sso nao ouvira consa
algum i, porm a Srai Gallols, que andava
pre cavida, sabio de casa meio vertida, com
a espingarda na mo e dando grnos, aos
quae's acudiram CesaiVe Zenobia,
A Rongou n3o Me impresso alguma a
sp-ilaai e contnuava levando ptlojardmi
aira a sua-presa, quando de repente aervio
um tiro junio de si. Ter-lhe-bia acertado?
Nao se pede saber, porquauto elle pareca
invulneravel. Vottoii-se para traz, e am
uuanjo com um braco ustinha Josephina
desraaiada, com o outro braodia ot sabr,
rangendo os deates, furioso.
A mulata^njo; bslaute a sua'inrepidaz,
parou e faza;indicio de querer descarre^
gar-lhe segundo tiro, mas rftepiuva ferir
Josephina e ficar desarmada. Cratentou-
se, p as, era cuaswva*' no astado de vaaMteae, dta^fdo-Mic umi
serio de iwur*.
atetlaado hosMaca eai que elle
giario, porque trasladara para aqui as pas-
sagensdo drama: eestellionato,porque, sa-
bido o enredo, u'mguem ira admlrel-o no
(beatro. Assim, i>ois, limilar-me-hei a analy-
sar o trabalho dos artislas.
Antecipadamente peco lieenca ao faca-
nhuilo Sr. O (retirarei a expresso faca-
nhuo, se 8. S. empinar eom ella) para emit-
tir francamente a minha opinlo, para ma-
nifestar com lealdadc a meu juizo (Gonc-
didO).
A Sra. D. Mara Velluti (Isabel, a ca-
tMica) esteve insigne; trabalhou muito bem.
Era a ultima srena do 5," acto manifestou
plenamente o desgosloque se bavia apode-
nido do seu corac3o ao saber da injusta e
iniqua priso de um dos seus melhores ser-
vidores, como 0tld mesma chama a Colom-
bo. A sua voz, os seus gestoSt o sen vis-
tuario, tudo symbolizava a grandeza e a ma-
gestada da gloriosa habeliaeaiholica. A do-
;ilidade com que fallava a victima (Ctlombn)
e a severidade com que se diriga ao lgoz
Dnqne da Fomeca), actuando imperiosa-
ni -ate sobre o meu espirito, me lizeram
crer que contomi>lava essa rainha que' m -
recera o mais pomposo elogio da historia
da sna patria. Do intimo d alma felicito
Sra. 1). Mara Velluti pelo excellente desem-
penho do papel que Ihe fdi confiado.
A Sr. ,D. Gleba (Ona), ricamente vesti-
da, prendeoa miuha atteiicao... Em verda-
de, estava admiravelraentc melaraorphosea-
da. A Sra. D. Glelia, artista intelligente,
capricha sempre no cumprimeulo dos seus
deveres.
A Sra^D. Julia (D. Alaria de Gusmao).
segundo^dlzem'e cu creio, uma artista
de grande mrito, uma artista sublime,
quasTdivina. Em a scena 7,* do 2.* acto.
a Sra. D. Julia expressou muito bem os
sarcasmos e ironas dirigidos ao Duque da
Fornica. Proaunciou bellamente "a seguin-
te obrase :A pobreza de sentintentos ele-
vados sempre escropulosa e, honrada O
autor esqueceu-se de dar importancia par-
te de Maria: mas <1 Sra. D. Julia, de-
Ipmpenhandp-a, lembrou-se de engranda*
cel-a.
A Sra. D. Apolonia (Peregrino) satisfez a
minha especlativa. A gentileza e vvacdade
que dispensouao mim aso typo, que repre-
sen lava, plantaram em meu espirito a firme
convieco de que brevemente occup.ar um
lugar muilo de-^iuijlo nas tradiccoes glorio-
sa* da arte dramtica. Era o acto do
drama a Sra. D. Apolonia m istrou que nas-
ce,it fadt para'seruma gfinde.vrtista.Em
os i.1, .'!. e 4.- actos, em'todas as suas sce-
na<, nada deko a desojar. Cnmpre no-
tar, poram, que o pap-l de ppvrgrino, nao
obstante tea sillo perleramente interpreta
do, h;irmdnisn-se pouco como carcter c
'-vniodr Sra. D. Apolonia. Artista novel.
verdade ; ma, disnondn do nwiita vqai*io,
pnssuindo bastante intelligencia. devera fles-
empenhar papis qaeexgissem mais es-
forz artstico,
*
ra arlsla, par nnis desejps qe nutra,
jamis podep desenvolyer-se n um palco
sem uma boa escola, sera as lices de um
excellente mestre. tozera que a Sra. D.
Apofona seencarrescf1e representar s-
mente typos da fisco realista; que ao me-
nos, nao estivess'e cdcada das ncessantes
declamacoes desdes dramas da escola ideal
que fatgam e dilacerara os espritus, que
estragam e mortificam as intelligencias!
A Sr. D. Apolonia, nao ba duvida, tem
um bom mestre; mas esse mestre ve-s
obrgado a salisfazer os desejos da platea,
mimoseando-a com esses dramas da escola
reparar os prejuizos e pedas
qua ihe fazem soffror as rtpresentacoes
de dramas da ecola anoderna. Isto
nma verdade dolTrosa* mal sempro ama
verdade.
Entretanto, forcoso Uabalhar para que
a arte nao seja veJipandiado-oescanajcida!
A Sra. D. Apolonia continu a estudar, em-
pregando todos os seusesfonos para en-
grandacer-se.
Quando os artistas s5o applaudidos,'"
nao so elles que se ensoberbecen), nao ;
iaairletpni.se gloria, que "Se immortalizal
p Sr. Joaquim Augusto (C/irisktB <'"-
a"|/ojii"<) Gomo anaiysir o trabaHio do
Sr. Joaquim Augusto, desse artista-rei
machado o esta de um1 espeto d assar
carne, deixando em seguida ver-se janella-
o que maior impresso
advinhou o
Elle QQUaiflQji aj Rongou !
vagarosa e sanratoirameiila^ *m\\ Nao 4eve tempo de se certificar de sarei
i- neira do tofcego-vampioe que eaptetearou n5o Oavidosos seus gritos, porq^dtoTw
Miguel Bertoray,
causou ao negro.
Como foi que o surdo-mndo
periga que corra sua rma f Porque
miraculosa felrcidade acordou elle do seu
pesado somno n'aquella conjectura ?
Fosse qmil fosse a razo, bastou-lho um
lance de olhos* ao claro do incendio para
reconhecer o que se passava no janlim.
Sem calcular o perigo, saltn da janella
abaixo, tendo a felicidade de cahir sobre
urna grande espessnra db plantas, e, pmdi-
se momentneamente de p, largou a cor-
rer, dando os gritos, inarticulados com que
cdstumuva indicar as commoeoes violentas.
Ests vozes extraordinarias o inslitas,
comDletamenle fra do natural, parecern
proiiuzr sobre o Rongou maior itppressio
do que o machado de Cesar,' o espeto de
Zenobia c alea elplrigarda da Sra liillois.
Poz-se com ar de espanto c receio a exa-
minar o aovo aggressor,, e^ supersticioso
como todos os negros, considerou-o sem
duvida um d'esses ospirkos mgicos de
ijuom ouvira contar prodigios, e assiin
deixou cahir a sua carga e tratou de por-
soa camiaho.
Miguel atirou-sa a eHe, redobrando sem-
pre os furiosos umos, .e, so o ftenoou ti-
vesse a deliberatao de Ihe a presentar a
poota do sabre^e certo o fogoso mancebo
no sea nmito seria varado por elle. O
embala frates dous robustos corpos um
contra o outro produzio ura violento abalo
en) Miguel, porm o negro, que ao princi-
pio Acara firme como ura rochado, foi-sa
abajxando no meio dos arbusfos, acopando
por desapparecer, como se a Ierra o tives-
se engulid.
Tddps fiparam espantados de tao sbita
desapparc3o, n3o s_^8ndo mesmo o que
dveriam acreditar a tal respeito, quando
de repente a mulata, apuntando para uma
cousa que 6e mova a distancia por entre
as sebea, exeUiaou ; ,a
Olbeaa, omem.J> L vai. ella a fugir!
Empando a espingarda cari, atirou
noro tr.nadjrajicaa indicada.
Miguel Cflrreu ao ponto, onde vira bulir
doe genio, desse moderno Taima, desse.
rjval de Frederic Lemaitre ^ O critico,
mparcial e judicioso, estou a'rto, nSopo*
dar encontrar no trabalho do Sr. Joaquim
Augusto, uma s falta, um q ico deleito,
um descuido, se quer. Em toda as
suas scenas trabalhou com perfciao, cora
primor.
As scenas 5a, e 14*. do Io. acto, 8f. e
i:j?. do 4*. acto, e 5. do C". acto oram
divinamente desempenhadas.
Est fra de diivda. o Sr. Joaquim Au-
gusto o pr meiro artista brazileiro.
O Sr. Thomaz {Roldan) susteatou re-
putacao artstica que, por meio do seu
talento c estudo, tem sabido conquistar.
O Sr. Jos Victorino, (Duque ia; Fon-
seca) onlimuu o juizo que se fazia^ do
seu mrito artstico. Sustntu sempre o
carcter repugnante do duque da F>mseca,
tornando bem salientes os seus nslinctos
ferozes, manifestando claramente a malva-
dez do seu corago, a perversdado fle sua
alma.
O Sr. Eduardo da Suva (Barthobmeu
Colombo), eomprehendend o carcter* do
i typo exepecional que representava, para
raiiu, crcou o seu papel.
OSr. Lesaa (Padre Marchan).-,. Meu
Deus qut. barbas !
O Sr. Brochado [Tubaro).cr 9 que
quer que'diga do sea trabalho', Sr. "Bro-
1 la
diado? -j
O Sr. Couto Rocha no papel de Antonio
foi muito bem.
. O Sr. Curaares (D. Pedro de h (moa)
um bonito rapaz.
O Sr. Jordaui (I). Felippe da %}fiouve-
se perleilamente. S se dignou de appa-
recer no .*>". acto; mas, cora o seu lindo
bigode grisalho, cora o sou papel bem es-
tudado, brlbou.
O Sr. Florindo jficaide-mr) ntia ...
O que era aquillo que tinha, moco ?
O Sr. Primo da Costa (Ditjo Ctkmbo)
trabalhou bem 3 notei-lle sraante najwena
1*. do'i' acto alguna descuido em sustentar
o calor e a vehemencia da sua. allereacao
com o dic/ae da^Onseca.
O Sr. SantaKosa (lis homemdo pow)...
Muito bem I
O scenario do quarto acto, representando
uma floresta na ilba do Hay ti, estava magni-
fico e de ama naturalidade admiravel.
Ao levantar-se o panno para se repre-
sentar, o 3* actOi l, das minhas alturas,
ouvi uma voz de tenor; e no acto seguinte,
se nao foi una llnsao,'"houve gorgeio de
passaros.
Tanto o tenor como os passaros agrada-
ram-me.
Esteve tudo uito agradavel, muilo de-
licioso... (Omeu dinheiro, por, icou
no cubculo do biliietciro: foi s o que nao
pnestou).
Depois do cspeclaculo, regressaado para
casa, saboriei uma fatia de pao do loth e
beb alguns goles d'agua fresca, segando o
systheraa adj[tiilo,pelo Joaquim, Augusto
em dia de espectculo.
Adormec fatiz e, no da seguinte, acordei
zangado porque'nao sonhei corao ea com
i a mesma cois, t* ou tomo perfbita-
mente idlntco) o anglico Peregrino.
Passei o dia de domingo... Lejana
data da presente sabbatina.. > J leram?
\dvinhem agora o ipie liz durante todo o
dia de domingo.
Fins coronal opus.

li de mano.
Joca.
JiSajoabo oVell
ca por se defender e fugia como uma co-
lira de entre as mos do seu, adversario.
Havia alli prximo urabraco formido
pela torrente das aguas da Ihuva; foi por
n7lr dim e eVy tambera por l que ogerava a
retirada, esjogo que se apanhou *>lado de
l'i'ira desappafe^com uma elocidadf pro-
digiosa. ^>^ '
Kito Miguel abaTv?pnou aidaf-de o
perseguir, pois tiiilw>quo>^cu^br'aSW> li-
na .1, junto da qual so achavaft.Jjl a ^ra-
Gallois e a preta Zenobia. Joseplt"" -M3r
bava de recobrar es sentidos }).
Miguel, como se elle a pttdessc* ewi
W brigada, meu irrnSo Tu e"dsta
corajosa Sra. Gallois ainda chogaram a
tempo. Sem este auxilie eslava perdida,
-r- Sem duvida, menina redH^oid a
mulata toda vaIosa O Rongou pMa ver
ijuo eu o nao temia, e se ello orisrVaqui
v ir outra vez... A I as brancas da ijuno-
pa nao seriam capazes de fazer eorna ^ds
as brancas das cobniias !
Miguel, com a jactancia' propria ki iqm-
cidade, exprima por signaos qu era capaz
de matar o Roni*(>u aoprmeir. qocontro.
Pedo a Deu* qu elle nao no* appa-
reca mais, meu irtaao k-- cajj>argujo Joe-
pliina, sentido o corpo em Qalafros.
J outao era urgente ata|l|r o icendie,
que ameacava coinmunieamse asa,
' Cesar coiihu ao alueudre et;vdmp(ta4u
tadoi a machado.. Re|iamen|p, a) tfteva,
que 43ahia cepipsamenku linha penetrado
no tecto, que era defolna,^ ue .pajjeu'as,
aa quaes, adjppdp-se wuitp) repassadpa, de
agua, abafavam o incendio, cahuadq/em
DUIXQ.
Alguns baldes de agua fornecdos pjHl
yisinbos, ,-ttraliidos cmq as deboacods- T
tiros, pozerara termo ao incendio, coio P
feito selimtnu a umansignifleapte, prej
Na manha do dia segufat junA-ds
agwflfc^lFpoHcia MbApAm af^uaa
iuuteis pesquizas as ccumvisinhan^a| dfl
Gayenna, obliverana' a cerexa. de, que o
Rongoo, corao era decostume apoz um
crime estrepitoso, se' ?ffasira das iwpii.
midades df.eijfede. B* reye, portte, 5
e^trarem*
\




r>
-:
kta\
o,te.w volunte tos arbustos. Bnconlrqu, com effeito, o
seseatirar PW^caflijpaan^. M no, e poz-se
' 61S<;fPPare- i^-leiSM|Bto*ilB.cora.uma furia _._________., ;___'_______
cem Cesar e-ftaeWa, aquefle armac.O de ura, indescriptivel. O aegrfcno, fazia diligen-' TU, W PIAWaWr#8 MHR^V
Mfe


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E4MKWJKF9_QKFWL3 INGEST_TIME 2013-09-14T01:20:51Z PACKAGE AA00011611_11797
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES