Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11796


This item is only available as the following downloads:


Full Text

h

ANNO XLV. NUMERO 64.
PAEA A CAPITAL E LUGARES ONDE HAO SE PAGA PORTE.
Por tres meses adiantados.................... 60000
Por seis ditos idea..................... ISdOOO
Por sin nno dem.................... 244000
Ca mmwro avuiso ................... #320
SABBADO 20 DE MARCO DE 1869.

PARA DENTRO E PORA DA PROVINCIA.
Por tres mezes adiantados..............
Por se ditos idem................
Por nove ditos idem...............
Poruraanno.................
134500
20^250
27*000
*
Propriedade de Manoel Figueirte de Fari & Filhos.

*
NAO ACJEMTESi
. .
Os Srs. Gerardo Antonio Alves- Filhos, no Para; Connives Pinto, no Maraniao; Joaguim Jos de Oliveira, no Ceac; Antonio de Lemos Braga, no Aracaty; Joao Mara Julio Chaves, no Ass; Antonio Marques da Silva, no Natal; Antonio Joaqun
Guimaracs Pancada, em Mamangutpe; Antonio Alejandrino de Lima, na Paralaba; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha; Belarmino dos Santos Bulcao, em Santo Antao; Domingos Jos da Gosta Braga,
em Nazareth; Francino Tarares da Cssta, em Alagas; Dr. Jos Martins Alves, na Bahia; e Jos Ribeiro Gasparinho, no Rio de Janeiro.

>
PARTE OFFICIAL.
Ministerio da fazenda.
AVISO!1.
Rio xte Janeiro, a de fevereiro de 1869. Em
respota consulta oita pelo ad ninistrador da
nasa-de rendas goraes de Itaguahy, em oflicio n.
li da o de setemhro nltinw, relativamente a urna
apelice di divid provincial d> valor de 3O)|'M)0
ali recolhida pslo Ihdir de um reo aliancadi,
aiiin do livrar-se sollo, sirva-se V. S. declarar ao
niasni ad ninfstrador que, ran so v do artigo
Hi das iuuruccoe* do II di Janeiro de tBM, o
producto do quebraineiito dis IkrMjas prestad is
em fivof de reo* para se limaran sollos pulen-
ii em geral c sem designara.) de ftin especial -
cmaras municipaes.
Esse quebrntenlo, que se converte em multa,
segunda o disponte nos artigan 41 e li da lei de
3 de de'.embro de 18il, e ruj producto nao tem
appntao especial o determinada, est koje com-
pretendido no disposto no artigo 27 da lei n.
1,91)7 Be K de sote nbro de 1867 e sendo a apo-
lice di que Irata aquelle a Iministr.idor urna can-
il > pagamento do |-.iebrv nout di flanea ou
da multa que elle lira sujoit.'. est o seu depo-
sita incluid i no .V d > artigo 5. dp decreto n.
i, 181 de 0 de maio de 4815*, e deve ser futo na
mftMU mesa de rendan, f ir*ecendn esta para se-
mentante oseripturaci o competente livro.
D.vjs guarde a V. S Viscowh dt Itaboran}/.
Sr. conselheiro director geral interino das rendas
publicas.
Rio de Janeiro, l{ de fovereim da 18(59.0
viseonda do ftaborahy presidente do tribunal do
thesouro nacional, sendo informado por aviso do
ministerio das negocios estrangeims de 10 do" Ja-
neiro lindo, ao qual acompanhon por copia o olll-
cia di vice-consu] do llra-il na Illia de Santa He-
lena, de I<> do mesmo mct. de quealguns dos na-
\ .s precedentes d'aquWla ilba ni i trazem os ma-
nifest is e papen devidamente authentieadns pelo
dito funeeionario e eom as mais formalidades exi-
gida* peto rcgalamento das alfinJegas, por nega-
rau-sc os seus capit- s a comparecer para esse
Hm na viee-consnlad i; o que anda ba pono suv-
ceden ernn o da navio Xintlppe que d'all sahiu
com destino provincia da Babia em 30 de de-
zembro ultim: assim o eom mullica aos Sis. ins-
pectora das thesourarias de rateada para que io-
mem r. tal respeito a* providencia- necesarias,
r. caminen lando aos das respectivas alfandegas
toda; a ft^eallsacao nos manifest* das eraharea-
coto riadas de Santa Helena, a cujas cumuian-
d tales mi cap tato, na caso do hTeyularld ntedos
lena manifestM e ontros daeomeMos, cumpre que
t impostas as pe tas c tmminadas no regula-
monto citado. Visconie de Itnboruhy.
lm d- l-neii-o, l" iti ii'iri (t> 830.O vis-
r-nii de lii'nr.iliy, prndente di tribunal da
tr > u"-i mil. t imiada caqiiecimento d.i ma-
teria do oiii-io n. 78 da thiwii-ana de f.ucnda
Vlau'ia* de 19 de novembro do anna pastado,
ni quid participa ter maniata su-pender o paga-
mento, que se estava hzenlo ao procurador da
i." amala vl'ornala PeUtsnM Antonio Dias.
qaa se acln e in I man i-11 pe tnimn il do ury a
li anuas ile prisa i pela eiime de |i i nicidci. em
Tilla d repNMenjtafao que Iho dirigir a thesov'
raria de faz -ida.
C ii- I irn lo qus semelliante decisao, que jul-
gon o dito sargento, privad do seis dreHs eivig
p 'la fa :lo di b:iver sil can 11 na 1 >, co n ha ni-
ei la a 14 amos de prisii, di atan do que o li-
reito estabeleee, por quinto nao existe dispasica i
algum i lefislativa oja ima m'i a h estad nwta I w
a- p mas criminaes a de privacao de seus direitos
civis ;
Gonsideranlo que as condemnaeoos penaos nao
poden prod tr outros effeilos seiiaa aqnelles qie
a ha taxativamente declara ; e a de qae se trata
11 nissivel, iiorqu i ni) proceda de lei, mas da
interpret i"ia que se Ihe di;
Q > isideando, lia ilmerjte, qne os inlivi las as
i nal ricias iu lic.ili p idala exercer certos
actos di vida civil, com, por exemplo, adquirir
por qual |uer dos nodos adaiittidos em direito,
dove-se l>'.'almante presonir captios d exercer
t d ts, por quanto a capncilale oe direito sem-
proa iit- di e nica, e dos le que concelili
para certas actos, nao na razio para que o nao
seja pan M los:
Dad ira i Sr. inspector da referida thesauraria
era n i le o procura 1 ir Constituido pelo sargento
Peli&iKto Anionio Das recoaer os sidos a este
devili-. (canto refirmada a decisao em con'rario
nr ii.Tida pir ossa tlicsouraria.Visconde de tu-
fforaky.
da a conta, que veio annexa ao ofllcio dessa repar-
ti'.-i1 280 de 2't de fevereiro ultimo, irapoftou a
despaza taita, durante o mez de outubro do anm
prximo pwado, com o sustento dos presos pobres
da cadeia To termo do Bonito, mandou levar em
conta ao delegado daqaetle termo, a de 375G00,
provenHiiie du sold, que exista em seu poder,
dos OO, que'-recebeu para taes despezas, e pagar
o restante a Francisco Pereira Camello, nos termos
do segundo dos citados oficios.
N 419.Dita ao commandante superior interi-
no da guarda nacional deste municipio.Trans-
miti a V. S. para seu conhecimento e execucao a
deliberaran junta por copia, pela qual nomeei va-
rios officiaes della constantes, para o 3 batalho de
infantaria d i guarda nacional do servido activo
deste municipio.
P.-440.Bita ao mesmo.Expeca V. S. MUS
orden para que um dos batalboes da guarda na-
cional sob seu com mando superior, acompanhe a
proeissao de trinmpbo dos l'assos do Senhor, que
tem de sahir na tarde do dia 19 do corrente, da
ign>ja da ordem terceira de.Nossa Senhora do Car-
ino dosta cidade.
N. 42!.Dita o juiz de direito da 1* vara dosta
cidade.Remello a V. S o processo instaurado
contra o alferes de polica Miguel Joaquim do Re-
g Barros, que em ultima instancia tem de ser
julgado pela junta, de que faz V. S. parte, no dia
13 do corrente, ao meio-dia neste palacio.
N. 421Dita ao juiz de direito da comarca de
Oarnaru Inteiml > de quanto V. S. participa em
seu offleio de t do corrente mez, relativamente ao*
litros e a chivo da cmara de S. Rento, recom-
niendo-llie. que at'iivc o processo mandado instau-
rad oajontra os vereadores suspensos, dando conta
aesla presidencia de seu resultado.
N. 423.Dita ao commandante do corno provi-
sorio de polica.Em respo>ta ao offleio que Vmc.
me dirigi em 10 do correnle, tenho a dizer-lhe
que naquella data exped onlem a thesauraria pro-
vincial, para abonar ao capitao Canillo Aagoal'
Ferreira da Silva, a quantia de 30i, como ajudn
d ojate de ida e volta para o municipio de Nara-
ri'lli, 3e accordo com o que Vmc. eqnisilou, ver-
bj|ente.
N. i.Bita-aomesmn.Pode Vmc. alistar no
corpo sob seu eominando o paisano Francisco Mar-
tins do Xasci ment, de que trata o seu offleio
n. 71 de 10 do corrente. ca^o tenha elle a necessa-
ria iiiuralidade.
N. 42a. Dita aos teneiitos-enroivis. Decio de
Aiiuino Fonseca, Francisco de Miranda Leal S \v
e Jiiai|iiim Jos da SilveiraConmiunico a Vmc
que de^ignei odia 13 do corrente mez ao meio-dia,
para remiir-Ne noste palacio a junta, que em ulti-
ma instancia tem de julgar o alferes Miguel Joa-
quim do Kego Barros, da qual faz Vmc. parle.
rem feitas com a possivel brevidade as obras de
que precisa a sala do musen- desse estaoeleci-
mento.
.\. 441.Dita aos agentes da companliia Brasi-
lera de paquetes a vapor. Os Sis. agentes da
companhia Brasilcir.i do paquetes a vapor.txp'cain
as suas ordens, afim de que sejaiii recebida-sa bur-
do du vapor" Guan que" se espera do norte, e
transportadas para "a corte por conta do ministerio
da niarinhi. seis mil balas que o arsenal de niari-
nha tem de remetle para all em cuuiprimento de
ordens imperiaos.
N. 442.Dita ao gerente da companhia Pernam-
bucana,O Sr. gerente da companhia Pernainbu-
cana mande dar urna passagem de e>tado a r no
priineiro vapor que seguir paia o presidio de Fer-
nando do Noronha, a Merandolino Nomos J'inl.i.
EXPKDIRNTE ASSIGNACO PECO OH. JOAQVIM CORREA DK
ARAIIJO, SEORETAKIO DO COVKllN.l. EM H DEMARCO
DE 1869.
1" secivio.
N. 4i3.Oflicio ao inspector do arsenal de afta-
riiilia.De ordem do S. Exc. o Sr. presidente da
provincia, declaro a V. S. em resposla ao seu offl-
eio do 9 do corrente, sob n. 1698 que fioam expe-
didas as couvenioutes ordens aos agentes da com- ou nao ao fim que se tem em vista no degredo em
N. 4KL Duliborac/io.O presidente da provm-
. nai
da

OoTcrno da provincia.
expedikxte assigsado i'i lo e\m. sr. conde de bae-
pesdy, pkkside.ntk da provincia, em h demarco
dk 1869.
1.* scelo.
N. i 10.Portara aoExm. Sr. general eonaman-
J.ur.e dis armas.Expela suas ordens, aliin de
qu na larde di da 19 do coi reate, se aprese ite
na groja da ordeai terceira de Nossa Senhora do
Car,na desta cidade, a foiva da companhia du de-
posito especial de instrunu i, pata fazor a guarda
d rs imdores da procissio de triumpho, que tem de
sabir daquella igreja.
.T 411.Bita ao conselheiro Jos Joaquim Ro-
*-%us Lopes secretaria do conselno supremo
militar. -Transmuta a V. S. a fe de offleio d > l-
ente II mieterio Jos Velloso da Silveira, reforma-
do par decreto de 25 de setembro de 1852, solici-
tada par V. S. em ufQcio de 14 da Janeiro do cor
rente anuo, por cumprimenlo de aviso da secreta-
t ra de estado das negocios da guerra, de 29 de
duottbi* do anno paseado.
N. MIDita a director da arsenal de guer-
raMande V. S. apresen!:.r na tarde do dia 10 d i
corrente, na igreja da ordem terceira do Nossa
S ol >ra d i Ganfl i desta cidade, a forca da com-
panhia de menores desse arsenal, que fr necessa-
ria para fazer a guarda dos andaros da proeissao
de triumpho, que tem de sahir iLujueila igreja.
N. 413. Bita aokisp'Ctor dd arsenal de mar-
uink.Mande V. S. apresontar na tanle do da 19
do ciwreiiU!, na igreja da ordem lercerra de Nossa
Sentara do Carino dcsia cidade, a toreada com-
panhia do menores desse arsenal, que fornecer
para Roe* a guarda do indures da proeissao de
triumpho, que tem da sahir daquolla jgraja.
N. 4-14.iWa au mesmo Jalgo^Honveniente
declarar a ?. 8. mea -
effeitos, qfte, em 7 de'janeiro ultimo, autorisej o
inspector da. thesoararia de raaeMa, a praeeder
de conformrdae eom- o parecer da rcspwjra con
ladni'ia. junio por co na, acerca do rgnerimento
de Justino linoet Ramus, a qne m refere a sua
infornaoi-de'W-dB novasobro de anno prximo
passado sob n. 1,636.
1" Mcco.
X. 417.rVtaria tu chufe dojolkia.Declaro
a V S. para se i conhecimento fuis conymenes,i
que aem data autoriso o ehef* da repart^io das
eraeu*iieas, o-naeitor faeer por ad'frinWlracao,
ea paros indispensa^ls de- qne careee a cadeia
4a illa do Limoeiro, as importancia de 9H0J.
N- i 18 Dita aoesiaOiDbolaro a T! S. para
seu conhecimento e atlm de que o faca constar a
qttem competir, que o inspector da thesourana,
provincial particiant4eM)fflcio de hontem sob;
a. 1% que da quantia 4r5Q80Qy ?* >fn-'
cia atlendendn ao que Ihe requereu Belarmino dos
Santos Bulcao, tabiliao e escrivao do civel do ter-
mo de Santo Antao, resol ve conceder-lho 30 dias
de licenca para tratar de sua saiide.
^^ 3." se*?fc.
N.W.Portara ao inspector da thesouraria
de Calenda.Nesla dala appmvei ocontiaeto feto
pelu delegado do termo do Bo ato, do aluguul de
un i casa do padre Manuel Francisco Pereira |>or
lo -i inensaes para quariel do destacamento que
se acha naquella villa; o que Ihe communicopara
-en conhecimento e lins convenientes.
N. 42 J.Dda ao mesmo. Em vista da conta
Junta em duplcala, que me reroetten o superin-
tendente da estro larga ferro da Revtfe a S. Fran-
cisco com oflicio de hontem, mande V. S. liquidar
e pagar o qne justamente se dever, proveniente de
transportes dados, no mez de fevereiro ultimo, por
conta do ministerio da marinha.
N. 430. -Portara ao inspector da thesonraria
provincial.Tendo nita data attorisajd > o ch fe
da repartida i das obras publicas a mandar fazer
|ior administraea i os poparos iudispensaveis de que
carece a cadeia da villa da Limieiro, dNpenden-
,1 i-s" con elles at a quantia de 8:250 ; asara o
declaro a V. S. para seu conhecimento e devidos
e!l'ei!os.
N. 431.Dita ao mesmo.Becommendo a V. S.
que, em vista das duas inclusas conta* que me re-
mellen o superintendente da estrada de ferro do
Hecite a S. Francisco com oilieio de hontem, man-
de liquidar e pagar o que se esliver a dever, pro-
veniente de transportes, elT.vtuados nos trens da-
quella estrada por conta da provincia durante o
mez de. fevereiro ultimo.
N. 432.Dita ao mesmo.Declaro a V. S. em
adJilamento a minha portara de hontem, que a
ajuda de custo que deve ser abonada ao capitao
do corpo provisorio de polica, Camilla Augus'o
Ferreira da Silva, me vai em diligencia a cidade
de Nazarelli, na razao de 154 e nao nade30j co-
rno se inencionou na referida portara.
N 139.Dita a i mesmo.Tendo em vista o que
expoz o regedor do gymnasio provincial em ofSeiu
de 26 de agosto do anno passado, e o que V. S. in-
formou em 27 de fevereiro ultimo, sob n 109,
autorisei pesta data o chefe da reparticao das
obras publicas a dar as necessarias providencias,
alim de que sejam feitas com a possivel brevida-
de, visto serem urgentes as obras de que precisa
a sala do musen daquelle estabelecimento ; o que
coiiiiiiunico a V. S. pura seu coiihecimonto.
N. 43i. Dita ao inspector da alfandega. Pelo
offioil que Vine, me dirigi hontem, sob n. 170,
lique inteirado de haverein sido arrematados por
2o, que ja furatn recolhidos a thesouraria de ia-
/.end, os medicamentos que se acham deposiia-
dos uossa alfandega desde o anno de 1856.
N. 43 >.Dila ao cliefo da reparticao das obra*
publicas.Autoriso Vmc. en vista de sua infor-
inaean de *l de outubro ulliine, eob n. 371, a
mandar fazer por adiuiuUiraca > os reparos indis-
pen-aveis de que careee a caleia da villa do Li-
moeiro, dispendendo-se com elles at a quantia
de 8:230, constante do onjameato que veio aiir
nexo ao oficio dessa reparticao n. 183 de 18 df
junho do ;nmo prximo passado.
N. 436.I)da ao uiesiuo. lulerado do que Vmc.
informa em seu offleio de 6 do corrente, sob n.
98, com referencia as obras de que precisa a sala
domuseu do gyirt asi provincial, segundo o ofli-
cio do respectivo regedor do 26 de aguato do anno
passado, sub n. 19, tenho a diaer que visto seren
urgentes as referidas obras, d Vine, as peoensa-
rias providencias, afim do seren ellas taitas com
a possivel brevidade.
4* seccao,
N. 43f Portara ao. dostmbargador prnvdor
da Santa Casa de Misericordia. Em vista de sna
;:il' uaiiaca i de o de l'everoiro prximo lindo n.
1748, d.da au roquernnentfl era que Jos aicxan-
dre Hiboiro, uiquilew cki casa n. 4S, da ra d <
Queimado, pertencenta ao patrimonio da Santa
Casa de Misericordia, pal uovo arrendiuiion'o por
iuais>Mis adnoi, pod serrino issoi'racendo so
elle obrigar-w a faaer o* ertioertos de qne preci-
sa o predio pela forma descripta no parecer do
respectivo murdomu, que por epia anompanhttu n
offleio de V. Exc e sob a inspecco da juatades-
sa Santo Qaaa..
N 43*.^D1ta a cmara municipal do Ijinuoiro.
Declaro acamara nronieipa* d Limaeln para
seu conhecimento que nesta data autoris> o chc-
fo da ratnrtlca das feras ptnNcas a mandarfa-
zer por aiuumi.os ropurtw indis^nsaTeis de
panliia Brasileira de paquetes para fazerem recebor
e traiisport:u-em para a corte no vapor Guar que
se espera do norte as seis mil batas que esse
arsenal tem de remeter para all, em comprimen-
to de ordens imperiaes.
4" seccao.
N. 444.Oflicio ac superintendente da estrada
de ferro do Becii'c a S. Francisco.Pela secreta-
ria do governo se declara ao film. Sr. superinten-
dente da estrada de Trro do Recife a S. Francisco
em resposta ao seu oflicio de hontem que Irans-
niittio-se as thesourarias geral e provincial para
os lns convenientes as contas, que vibrara annexas
ao citado offleio.
ICXI'KOIKNTK A96ISAB0 PKtQ EWI. C.OSDE W. BAK-
l'ENDY, PRr.SIOENTE DA TROVI-NtlA, EM 12 DK MARCO
DE 1869.
1" seccae.
N. 446.Portara ao Kxm. general commandan-
te das armas.Tendo resolvido em virtude de or-
dens, que recebi do ministro da guerra, mandar
urna ceminissai au | residi de Fernando, compos-
ta do barharel Olympio Marques da Silva, capital
reformado do excreto Jos Ignacio de Medeiros
liego Monleiro e do eseripturario da IhesMiraria
de fazenda Joaquim Pereira Bastos, alim de iuspeo-.
cioiu' aquelle presidio, a-apiesentar-mo mu relato-
rio nrriimstaneiado aet^t-a do estado do mesmo.
e das oceurrenoias que millo se tiverem dado i 'da-
tivamente a sua adniiiiistraca e aos preses aeih
deudos, regulando-st nes-a incumbeiicia por ias-
trueces que dosta data dei paraesso fiui; as-in o
communico a V. Exc. para sua inielligeucia. e
lins convenientes.
N. 447.Dita'ao mesmo.A visla da con'radic-
oao, que se da eutri; a ropresentac. que vem
junta ao ofejo do V. Exc. n. 97 de l'i de feverei-
ro pniximolindo,di i-Jironel coinmurlaiile da for-
taleza do Brum contra o alferes cmmnandantc do
daatacainenlo da mema tortatew, eeattenurtn
que posteiiorinente (leu aquelle oorBol a esle al-
feres, conforme se v das copias junlas. nada lia
que providenciar a (enalbante respeito.
N. 448.Dita ao Exm. Sr. brigadeiro K-Ih
Tendo ojjaeliaiel O ympio Marques da Silva eo
esi-rip'.urario da wesoararia de faaeada Joaquim
Pereira Bastos, de partir no dia l do correnta
mez para o presidio de Fernando de Xoronlia, afim
de procederem a cxaine nesse estabelecimento,
deixam por isso de funeconar na commis-aa d
syndTcancia deabusis que se dorara no arsenal de
g rra, daqnal V. E. prasidal, em quanto
;illi se acharen, o que nao ser omito demorada
C immunicando-o a V. Exc, declaro-lhe que nao
sub-tituo por ou'i'os aquellos Miembros da_com-
missao nao s pela puna demora que tora i no
dito estabelecimento. como porque e-lando-.-e a
dar'
cooseo,
p idera elle cenclur-se em lempo talvez menor de
dous mezes. segundo inl'ormou-iiio o respectivo di-
rector.
N. 449.Dita ao director do arsenal do guerra.
Mande V. S. fornecer ao commandante do cor-
po provisorio de polica os ubjectos constantes da
dicar quaes as coneequencias que dolas provm
em jinjuizo do servico publico, tendo ora visla a
Sublicaeao.constante do incluso Jurnul doBecife,
o 30 de Janeiro .ultimo.
2." Indagar do prooediiiionto de todos os env
pregados do presidio que no carcter,de particu-
lares quer We ftinccioaarios pblicos, assim en-
tre si, como entro os seus subordinados, mediatos
ou immediatos, leudo em vista as obrigacoes de
cada um, para quu se conheca como sao ellas
cumpridas, examinando a esc ipturar>io, e ouvindo
a quem ibepai'eccr con veniente.
^ 3. Examinar os edificios e esiabelecimentos
ou officims, declarando qual o estado e utilidade
que prestara, afim de prover-se mellir as suas
nccessidadtrs.
4." Conhecer que vautagem o estado all co-
in do emprego dos sentenciados, habilitando-so a
prppor as medulas que foi em conveiii.'ntes a ob-
tel-as tan maior escala, a vista dos recursos pro-
prios da trra, de sua capacidade epresiimo.
S 5." Indagar como sao tratados os sentenciados,
em que servicos sai ouipregados,, ou que destiiio
se Ihea d: se em proveito proprio, do estado ou
de particulares; e se esses scavicos corresponden!
que se acham, qual o de regeneral-o. pela sua
sgregacao da sociedade, trabalho til e applica-
cao instructiva dos preceitos religiosos. ___
i 6. Saber so todos os degredados so senten-
ciados; se estes leeiu a competente ^ruia em for-
ma ; se as multas a nao estivereni sujeitos ostao
liijiudadas; quaes dos sentenciados lenbam j
cumplido a pena que Ihe foi imposta, e que tem|Ki
falta a outros para esse cumprimento, afim de
proniover-se ludo quanto for necessario para que
nenhiim contiuue a soffrer constrangiraento em sua
liberdade, desde que os eflbitos da sentenca nao
devam mais pozar sobro elles
7." Indagar quaes as pessoas, que alera dos
empregados e sentenciados, rosidein na ilha; em
que qualidade e com que aulorisacao; qual o em-
prego iwe exerconi, que aocao s> bre ellas teera o
roiumnndantc do presidio c de mais empregados.
Meto (lestes quesitos, a commissaa coHiglr tudo
quanto Ihe parecer convenientetrazer ao conheci-
mento des presidencia; pudendo requisitar do
coiiiuiandanle do presidid, a quem se expedem as
iiece-sjirkw ordens e de quaesipier outros empre-
gados, a que>for preciso para o bom dessempenho
desta incumbencia, que confio ao zelo, intelligen-
cia e tino da cada uiu dos uieiubiMs da dita com-
inissju, a qual a ,-ua volta para isla capital, apro-
sentara pm Hlalorifl minucioso de ludo o que co-
Iher de mas invesligacoes,
N. 454.Portara a capitao Jos .Ignacio de Me-
deiros liego MontciiuTendo resolvido, em virtu-
de de ordens que recebi dd Baut ministro da guer-
ra, nomear ama caaimissao conijiosta de Vmc, do
bacharel Oympo Marques da Silva e do Io eserip-
turario da "thesouraria de Cateada Joaquim Pereira
Bastos, alim de se dirigir a ilha do Fernando de
Noronha, e oii inspeeeiuiiar o respectivo presidio,
regulando- aessa incumb ocia pelas in*truccoes
quu nesta Alta remello ao hachare! Olympio Mar-
quus da Silva : assim o/ommunico a Vmc. para
son intelligenca, e para que siga a seu destino no
vapor '.'.yc da companhia Pernambucana, que
parte a li do corrente. ao meio dia.. Espero que
Vmc se haver no desempeaho desta incumbencia
com o sou reconheeido zelo, apresontando-me a
mtotoVsao a sua volta, um Malario clreomstan*
ciado aeerca lo estado do mesmo estabeleeimento
8 das oceurrencias, que nello so tiverem dado,
tanto relativamente a sua adminislraco como a i-
proeto all rcolhidas Igual ao Io eseripturario
dathes.nuni'ia de lazenda JaBjaud Penia Bastes,
Matate m'ttandi.i. ...
N. 458.Dita ao capitn d> porte.Aohandtose t
j tapado, como injormou.tf enpenheiro cliefedi
roparacao das obras pnbucaSrO arroinbaniento do
isthmo de Olinda, de que traiou o anteteaso* de
V. S. en offleio de. 18 de agosto do anno passado.
balance geral no alnaxan fado do ai-senal, em nada baque providenciara semelliaite repeito.
sequencia do pedido da misma commissai, na> Couvvm. polen, que toja eoHocada sejan).tiver
sido, no lugar competente a bola que por occasun
do oxamc feito nu referido arroinliameiito fiii en-
contrada sobre a.prata e a pouca distancia do
mesmo,a qual pareceu ser a que estava no hamo
dos Ilinlc/.'S.
que carece cadeia de**a villa, na Importancia de
8'.Zu0af.
N. 440ii~.ita ao regedor do lynmasio provin-
cial Doetoau a Vmc. em resposta ae bou offlciu
da.We niesto do naato data i^orameeio janeto^ da repartici > das
obra paWioaasaooossjrta*iprea^ote,r>ara se-
relacao junta por copia, necessario; aquello corpo.
N. 450.Dita ao mesmo.Faca V. S. recolher
a esse arsenal o an.iamcnto o inonica constantes
da relaca i juut i por copia, que da parte di com-
uianilante do corpo provisorio de polica sera i ah
recolhidos.
N. 451.Dita ao commandante de Fernando.
Tendo resolvido em virtude de ordem que recebi
do ministerio da guerra, mandar ahi umacoinmis-
sao, composta do bacharel Olympio Marques da
Silva, capiia i reformado do exercito Jos Ignacio
de Medeiros Bogo Monleiro e do Io eseripturario da
thesouraria de fazenda Joaquim Pereira Bastos,
afim de inspe cionar esse presidio, e .presentar-
me um relatorio cireumstaneiado acerca do estado
do mesmo c das oceurrencias, que nelle se tive-
rem dado relativamente a sua ad ninistraco e aos
presos rielle deudos, rcgnlando-se nossa incumben-
cia [idas nstroctOes une nesta dala remetteu a
niesina coinmi-sao, asslni communico a V. S. para
sua inteiligeiicia e almi de que preste todo auxilio
necessario ao bom de-enipeuho de sua missao.
N. 452Dita ao mesmo.Communico a V. S.
que segu neta oeeasiao para assninir o eom-
mando do destacamento desse presidio o eapilio do
2o batalho de infanUii ia da gearda naeioiial deste
municipio, Ignacio Tinto dos Sanios SaUes.
N. 453Dita ao bacharel (Hympio Marques da
Silva.Tendo resolvido, em viiiude de ordens que
recebi do ministerio da guerra, noni ar una com-
imssao composta de Vmc, do capitao reformad)
do exercito Jos Igracio de Medeiros Heti Aten-
tero, e do Io escrip'urario da thesouraria de fa-
zenda Joaquim Pero ra Bastos aSm de se dirigir a
ilha de Fernando de Noronha e alu esporoioiiar o
respectivo presidio, regulndole nessa incumben-
cia pelas instruceoe-- junuis; assim communico a
Vino, para sua intel igencia, e para que siga a seu
destino no vapor G*fit/ da companhia Peraambo-
cana, quo parte a li do crrente ao meio dia Es-
pero q :e Vmc se hpver no desempenho desta in-
cumbencia com o seu reconboeido ulo, apresen-
tando-me a comassae a sua volta um relatorio
cireumstaneiado acerca de estado do inesmo esta-
betecimente e das UKUaTOOBiaa qae nelle se tive-
rem dado, tanto relativamente a sua admiislracao,
como aos presas all reoolhidos.
Instrucrm de que trola o oficio supr. <
Convindo proceder nina escrupulosa gyadican-
cia a respeito da admiaistranio do presidio militar
de Kernmillo lt Noronha, recursos date e meio
de pTuver as suas iiecessdades; be coniu sobr
o e>tado dos sentenciados, sua applieacao ou des-
tino, tendo attencao as qneixas c represeatacoet.
qne chegaram ao anbocimente desta pre-ddenci
relativmento ao commandante c fiscal do mesmo
presidio roronel Francisco Joaquim Pereira Lobo 9
capitao Tibnrcio Hilario da Silva Tavares, que re^
eiprorament seaecusam de matversa^s; resol*
vi nomear urna conimissao couipusta do ajudanto
iUt pruwiradur ttocal dalbaseufajnaptoKiNrial, ba
charel Olympio Marques da Silva, do capitao dd
exercito Jos Ignacio de Mudeiros liego-MwAteiTO o
do f eseripturario da thosouraria do fznda Joa-
quim Pereira Bastos, a qual so desamaenhodoasa
incumbencia se' regular pelas seguimos in*tw'
ces
f' : Investigar u causa da. d^a^raoniaejtiaton-,
te entre q comnwnilante. e ,o fiscal do pr-Tdlo, col-j
ligir os dados necBJsarios para oomproval-a, e in-j
despachos da presidencia do da 18 de marco
de 1869.
Antonio Lniz de Olivaba Azevedo.Informe o
Sr. director do arsenal de guerra.
Anna Peres Campillo Jacomeda Gama.Dirja-
se a thesouraria de fazenda.
Anna Joaquina do Espirito Santo.A coinmis-
so nomeada para a distribuicao alim de tomar
em consideradlo o que allega a supplicante, se ve-
rificar qne esta ella as condicoes do receber al-
guinaesinola das que Sua Mageslade o Imperador
mandou dar.
Francisco Sergio de Malte.Sim, pagos os direi-
tos devidos.
Henrique Antonio Francisco Dorhellas.Ao Sr.
Dr. director geral da instrueco publica para at-
tender ao supplicante nos termos de sua informa-
cao n. 69 de 16 do corrente.
MiU- rvino do Sonza Lefio. Certifique.
O mesmo.Certifique.
Maria Clara da Assumpcao.Provem os supli-
cantes quo sfio legtimos herdeiros do Tinado An-
tonio Joaquim Ferreira de Sampaio, que era quem
tinba o dominio til do terreno, ao que esta an-
uexo o pretndeme pelos mosme* snpplicanies.
Bacharel llufinoColho da Silva.Satisfaca a
exigencia da contadoria da thesouraria de fa-
i&aaa.
Rctoartif da polica,
2" seceo.Secretaria da polica de Pernambuco,
19 de marco1 de 1869.
N. 408.llm. e Exm. Sv.^-Tenho a honra de
levar ao coubecimonto de V. Exc que, segundo
cuneta das participacues receriidas hoje nesta re-
irartrffc, forain honiem recolhidos casa de deten-
cao, a minha ordem' Francisco Augusto d Silva
Fontes, a reqni-ia do cliefe de polica da corte,
como indi.iad-> em o.rime de delapidacao de di-
nheiros pblicos ; & Rufino, escravo de Jnaqnun
SaWador Pesloa de Siqueira Cajralcanti, por des-
urdein.
Deus guante a V. ExcWm. Exm. Sr. conde
de ftftpendy, presidente da provincia.O chefe de
p iflcia. Frattr.isrn de Furia Lrtnns.
DIARIO DE PERNAMBUCO
RECIFE, 90 DK MASCO J)K 1*69.
IfOTIClAS DO NORTE DO IMPERIO.-
Chcguu uuutcui o vavuijj'iM/ii, trazenda datas
dn Para at 8, do Maxa^h at I i, do Cear at
16, do Kio-Graade ate I? e da Para^yba at 18 do
corrente. Ht que rrilhfmTiS:'*
AMAOAS.
3taplliMO aabafaney) dado nos cofres provin-
ciaes, a 13 de fevereW, Mvia nelles 53:6388911.
A recaMr aaoaineral no mez de Janeiro ele-
vou-se a 1*444 JMDv
Leraa a Athatow:
1 As datas do Ibrte de 8. Joaquim alcancam
31 de Janeiro prximo passado
Hirrikin qasi oessaov as febres qa# -aecom-
inetteram a ptomicaodaquelle forte, cujo com-
mandante .jwaeaava reetabelocido.
t O Sr. Dr: tifluttotii fra encontrado cima da
cachoeiranajaa dias de viagem baixo o>
forte.
la doente de urna mao, que ferira em oeeasiao
de sabir urna arvore para observar.
O Sr. Dr. Lisboa estava dous dias do forte.
O rio consorvava-se inuito baixo, e sem agua
para navegar barcos.
Das fronteiras inglezas nada de uottvel.
_ JNo Essequibo est-se levantundo moa povoa-
cao, segundo informa mu cacique do Repunuui,
na qualtrabalha muita gente, inclusive desertores
brasileiros.
Neesa nova povoacao britannica baviam che-
gado alguns viajantes, que suppoe-se ser os Sis.
Nicholson e Des Veaux.
PARA.
i O resultado dos eoMcgios da capital, Viga,
Caehoea e Hreves, para deputados geraes, era o
seguinlc :
Conego Siqueira lleudes... 208
Conselheiro Fausto........ 201
Dr. Pinheiro............. 158
A presidencia da provincia promova o con-
trate da cana|isaeo d'agua potavel para abasteci-
mente da capital.
Em Braganca no dia Io do corrente no rio
Quatipur, Joaquim Jacob, em nina montana en-
controu se aira Luiz Manoel, Euzebio da Cruz c
oulios, e travando-se de razes o primeiro com
Luiz Manuel, resultou espancamento de um delles
e alagamento do ambas as montaras e o desappa-
reciinenlo de Euzebio da Cruz, enjo corpo foi en-
contrado dias depois.
No dia 30 de Janeiro ultimo, no termo de
Gurupa, no rio Jary, foi Angela Francisca ass;- nada eom um tiro que Ihe aesfechou Antonio'Ro-
mualdo. O criminoso foi inmediatamente preso e
processado, e j se acha recolhido eada da ca-
pital por falta de seguranca da de Gurupa, at que
seja aborto o jury.
Foi dispensado de servir como medico da
guarnilo o Dr. Marceno Lobato de Castro, por ter
sido nomeado para reger urna cadeira no eollegio
paraenso.
Foi exonerado a seu pedido do cargo de pro-
motor publico da comarca de Breves, o bacharel
Jos Climaco do Espirito-Santo.
M.VBA-VHO.
Fra nomeado delegado de polica da capital
o Dr. Francisco Antonio Rrandao.
Prestara juramento o Io vice-presidente da
provincia, ltimamente nomeado, Dr. Jos da Silva
Maia*.
Era conhecido o seguiote resultado elcitoral :
Io distrielo.
Apuracao dos cllegios da capital, Alcntara, S.
liento, Rosario, S. Vicente Ferrer e Guimaracs:
Dr. Veira da Silva........ 277
Dr. Gomes de Castro...... 277
Dr. Jaiisou do Paco....... 273
2" distrirto.
Apuracao dos cllegios do Itapocur-mirm, Mca-
riin, Vargem-Grando, Goroal e Caxias :
Dr. Candido Mendos....... 188
Dr. Heracliio Graca....... 188
liaro de Anajatiiba.......487
Falleceram : o Dr. Antonio Carneiro ITomcm
de Souto-Maior, o Rvm. vigario da Barra do Corda
Fr. Antonio do Corac.ao de Jess e Souza, e o ein-
pregado do tbesouro provincial Francisco Xavier
Ileckmann.
Achando-se preso para responder conselho
de guerra por indi-ciplna contra o presidente da
provincia, fui demitldo do commandante do corpo
de polica o najar Henrique Jos de Carvalho, son-
do nomeado para o substituir o maior Jos Thiago
da Silva.
A nova directora do Gabinete Portuguez de
Leitura ramnoo-se dos Srs.: Dr Jos Correa Lou-
reiro, presidene; Antonio Pereira Molla, vice-dio;
Manoel Correa Lima o Manoel de Mag.dhes Macha-
do Jnior, secretarios; Jos Pereira dos Santos.
Ihesoureiro.
A companhia de navegacao costeira vapor
elegou sua nova directora, que leon assim com-
posta : Dr. Pedro Miguel Lamagure Vianna, pre-
sidente; Custodio Gonealves Belchior e Joaquim
Jos Douiiiigues Lima, secretarios ; Carlos de arito
Rayina, Francisco Jos Ribeiro, Joo Rento de Bar-
ros, Candido Cesar da Silva llosa e Manoel Goneal-
ves Ferreira Nina, directores.
Eis as noticias commcrciaes da ultima
data :
Cambios.Foram regulares as transacee3.
Sobro Londres 19 '/, e 19 V. Portugal 180.
Algodo.O preco consol vou-se do 14500 a
155000 fazeudo-se avultadas vendas, tendo subido
hontem para 153500.
. Assucar.Cotacocs firmes. Entraram de Per-
nambuco por Guara e Rosa 1,005 barriquinhas.
O vapor nglez Jerome, conduzio para Liver-
pool, a 26 do passado : 2,156 sacras com algodao,
1,359 saceos com assucar, 800 ditos com n.iliio, 120
ditos com sementes de algodo, e 351 milheirus de
cocos seceos.
De 1 a 10 do corrente vioram ao mercado :
3,639 saccas cora algodo, 56 pipas com aguarden-
te, 1,658 alqueires de arroz com casca, 1.350 sac-
eos com assucar, 961 couros soceos, o 2,612 alquei-
res de fariuha de mandioca.
Ficavam carga os navios : Medoru, argen-
tina, Sarpedon e .1/inu para Liverpool;_ PalcMro
para o ILavre ; c Maria Luiza para Lisboa.
PIAUHY.
No eollegio da Paroahyba foram votados para
deputados asseinbla geral os Srs. :
Dr. Antonio Francisco do Salles............ 63
Dr. Aureliano Ferreira do Carvalho......... t>:|
Dr. Antonio Coellio Rodrigues.............. 63
CEAR.
Sabia-se O resultad* dos seguinles coitegios :
t districto.
Na capital, Maiuanguape, Aquiraj, Cascavel,
Aracaty, Quixcramobiiu, S. Bernardo e Jaguaribc-
niiiiiil,'ebtiveraii) votos
Di. Mainel F.'rnaii'les Veira............. 340
Desembargado!' Domingos Jaguaribe....... 340
Conselheiro Jos de Alencar.............. 338
2 dstricte.
Em Baturt, Cannd, Imperatriz, S. Francisco
e Sobral obiiveram votos :.
Desembargador fc'igueipasde Mello......... 223
Braga Jun.or......,.-M..-.............. 193
Dr. Justino Doiuiogues............... 192
3> dk-tricto.
efo coflegio do Ice obtiveram votos ".
Dr. Trst-tde Alencar Ararlpe............ 42
Dr. Raymondo de Araajo Lima........... 40
A alfiidega rendu no mes de fevereiro.......
7*60*710 rs.
FalleCrn, na povoacao de Tueanduba, Sr.
Pedro Tnago-drt Mello.
De 1 a 15 do correpte rendeu a.alfandoga
CF:M0Pf!
Lomes no Ceetrrnte : '
Reallsou-se, no salo da Associacao Commor-
eial, a reuniSo annunciada para o flm de en-
corporar-se Urna companhia. 'que faca a navef i-
oo osteira a vapor no hlorW deta tovtiwia,
desde Mossor at a Amarracao. .'
Nomeou-se urna comm*sao Mm^5J21f ?"
wuvwol'Jbaqnim da Runlia Freir, -triK "ShS.fl
Cunha, Ricardo Hughes. Drs. TheopWleWMtro e
Goncalofiastos, para apresenlarem o plano para a
encoi poracao da conpnlii- i ..i.jh,^
< Vai tratarse de oblar a.ceasao doyiyilegioi
que temfieWlBTg"n*n*na pira fazer a|
navegando/racatyeMossor.
uocHucmm.
O E*n*uSr. Di\ Murinaflida Cuaba paasnu,as.ve-
aaaadministraco da pcovin(^ae4 vice
stdtote o Sr. !**o d^AUvintara Pinheiro, .por es-
ra aubotttas os aattaanates..
A apuracao da volaco dos cllegios da ca-
pitel, Exire.iioz. S. Jos, Papan, Canguareiaraa.
Nova Cruz, Ass, Sant'Anna, Maltes. Macee, Prin-
cipe, Acary, Pao dos Ferros e Apody falUnao s-
in nte o da lin[)cratriz com 40 eleitores, era o se-
guinte : ^j
Di. Francisco Gomes da Silva Jnior...... 395
Dr. Octavian Cabra I Raposo da Cmara___ 37*
Ktanu.
(fono zeloso correspondente cscreve era 18 do
corrente :
conhecido o resultado geral do Io distrcto,
para depuladosacamara temporaria:
Foram eleilos por este dstricte :
< Dr. Diogo Vtlho Caval.anti de Albuquer-
que.................................. 46
Dr. Anizio Salatlnel C. da Cunha.......... 453
Barii de Mainanguape................... 414
A apuracao dos cllegios conhecdos do 2"
damete d o seguipte re-uitado :
- Conselheiro A. J. Henriques............. 14
DesembaEgadbr Francisco do Assis Pereira
Rocha............................... H7
A eleicao senatorial aprsenla al hoje a vo-
laco nfra :
Conselheiro A. J. Henriques............ 491
Desembargador Ass Rocha............ 467
Baro de ILimanguapc................. 442
Acaba de dar-se um faci lamentavel no Ca-
tle do Rocha.
0 alferes Pernambuco, commandante do des-
tacamento de polica que all se achava, levou um
tiro de bacamai le, do que talvez nao escape. Man-
dou o dar Antonio Rodrigues dos Santos, cuja as-
signatura foi encontrada as huchas do baca-
marte.
0 Exm. presidente da provincia, assim que
leve soleara deste aventado, Boraeou o activo c
prudente Dr. Antonio da Cunha Xavier de Andra-
de. delegado do termo, e ordenou-lhequeseguisse
Al conliiienli ao lugar do dolido, para processar
os autores do a-sassinato.
Seguio tambera para commandar o destaca-
mento que aili se achava, o capitao Joo Alves Pe-
reira lama.
Nao havia o menor motivo para a pcrpelraco
d seiiiulhante crme, excepcio do de-peto da
opposieao pela perda das cleieoes.
Ellectnou-se p contrato de illiiniinacao a gaz
o abaslecimento d'agua da capital com o'distinclo
engenheiro Dr. Antonio Gonealves da Justa Arau-
jo, cuja proposta foi preferida por ser a mais la-
voravel aos iniercsses da provincia.
Igualmente ser contratada com o mesmo en-
genheiro a seec i da estrada de rodagem da Cruz
do Espirit Sali>at o Pilar por ser tambem a sua
propo>ta a mais barata dentro as que se apreson-
laram presidencia.
< Por pedido de exoneracao do promotor do Ma-
manguape, fui nomeado em seu lugar o Dr. Au-
gusto Carlos Vaz de Oliveira.
De-paeliarani-se para Liverpool os navios Si.
fekat consignada aos nogociaoies Augusto Go-
mes i C., com 1,336 sacras de algodo, e a barca
ingleza Jeuie, idem Clemente Lima com 2,136
saccas de dito.
c Algodi no mercado a If4200 por arroba;
assucar bruto 2600 por arroba.
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
IMPOSTO SOBRE QL'AESQUER DOACES.
Sao convidados os devedores deste imposto, consa-
grado na lei n. 510 5 13, que o an tiverem satis-
leiio por oeeasiao de lavrareuvse as respectivas
esi-ripluras, ou de entraren em pea*) dos bens
doados, a fazerem effeetiva a revalidaca dos seus
ttulos por meio do pagamento do mesuio imposto,
alim de evitaren assim a re-perlivacobranca por
va judicial, que ser promovida peloSr. Dr. pee-
curador fiscal da thesouraria provincial.
IMPOSTO PESSOAL. Com o presente mez An-
da-so o praao para pagamento sem multa desse
imposto, nertencentc as freguezias de S. Jos e
Boa Vista, relativa ao anno finauceiro corrente
de 1868 a 69.
PROCISSAO DO Sfil'DOS PASSOS NA BOA
VISTA. Anle-hontem a confraria do Sr. Bom
Jess da Via-Sacra. da igreja da Santa Cruz,
expz un solemne precsalo a imageiii daquelle
Senhor e a de sua Sautissima Mae a SenJiora da
cercando o acto toda a decencia e todoobrilho
proprio do culto externo.
Jl'RY Ante hontem nao funecionou esse tri-
bunal falta de numero legal de juizes de facto.
llontein, porm, funecionando ontrn em julga-
mentn o reo Joo do Deus Gonealves Vieira, pro-
nunciado no artigo 257 do cdigo criminal, por
haver snbtrahido dilTeren'es ohjeclos da taberna
de Antonio da Silva Campos ra da Cadeia.
A dofesa, de que se incumbi o Sr. Dr. Migiu-l
dos Anjos Barros, prnpoz antes de ludo a excep-
eo peremptoria da ausencia da flagrancia na pri-
s'ao do reo ; e sondo a materia -ubmettida ao con-
selho, por ser do facto. foi pelo mesmo conselho
decidida em sentido 4a nao existencia da flagran-
cia ; e pnr tanto jnlgnii o Sr. Dr. jniz de direito
presidente perempto a aceusaci por nao caber na
especie justica publica.
Em seguida foi encerrada a 1" seccao judiclaria
do corrente anno, visto ter-so completado a qui-
zona legal.
EXAME DE HABILITADO. Tem hoje lugar
es"e acto com relaca > Ao magisterio primario do
sexo feminino.
PROMOTORLV. = Foi nomeado o Sr. Dr. Au-
gusto Ca los Vaz de Oliveira, promotor publico da
comarca de Mamangiiape na provincia da Para-
hiba, por portara da presidencia de 10 do cor-
rente.
MISSA FUNRRRE.-Depois d'amanhaa, as 8
horas da nianha, o Sr. capitao de mar e guerra
Hermenegildo Antonio Barbosa de AI incida, digno
inspector de aisend de marinha, manda celebrar
lima missa pe" repouso otemo do Eam. Sr. almi-
rante visconde de Inhadma. O acl ter lagar na
capella do arsenal.
ESCRAVOS.O Guar tron'xe dos portos do
nart, crtm destino corte, 70 eseravos.
ANNIVERSAR 10.Compleou honiem tresao-
n<.s de idade S. A. o Sr. D. Pedro Aons, prino-
genito de ss. a A. os Srs. duques de Saxe.
r JAGUARIBE.Este vapor da eoiapaahia Per-
nambucana devia sahir do Cear para o nosso
porto, no dia 16 do corente.
PRESIDENTE DO RIO-GRANDE DO NORTE.
p.i-joui hornera, bordo-do Giir,para a corteo
Exm. Sr. Dr. Manoel Jos Mar mito da Cunha, do
VjuHa da cominsso qne Ihe foi confiada polo |0-
verno imperial de administrar a provinoia do Rio-
Grande, commisso que cumpno liei o Illertrada-
mente, com nteira salisfacao dos. homens amies-
tes e iusticeiros da provincia.
t'akaitoodii'O, desejamo*-ltie pri)Bt1aBB,
que jara seus servicos apreciado* daridanante
pel't fovarno iinperiul.
GOWPANHIA P8RNAB4JCAI.-0 *&*"
n*ma desta eompaohia, e que segu*midirelwre
para Macoi e Pewdo no diaW*^W"?^*
hota 4a'tr*. atad* -baje M**#J?^P!"l!
-raturntofurto; 'ibfOMne' o anwatoor t netaam
companhia. ^_.
<*>6teG AS ArrTEft^Usta ntndant*

:J


-*
2'
Diario de Pernambaco Sabbado 20 de. Marco de 1869.

chamados exame de philosophia no dia 12 de
Marco de 1869.
Plenamente..... 2
Simplesmente... 2
Reprovados..... *
12
Lista dos cstudantas chamados a exame de
geometra o dia 13:
Plenamente.
Simplesmente.
Kepro vados...
3
:i
8
11
Lista dos estudantes chamados exame de
philosophia no niesino dia:
Simplesmente 3
Reprovados.. 7
10
Lista dos estudantes chamado* a exame de
goographiae historia no dia 15:
Plenamente... 3
Simplesmente. 1
Reprovados... 6
Levantou-sc... 2
12
Lista dos exudantes chamados a exame de
rhetoriea no mesmo dia :
Plenamente........ 1
Simplesmente...... 6
Reprovados........5
Somma. 12
Lista dos estudantes chamados exame de
geographia no
dia 16:
Plenamente...
Simplesmente.
Reprovados...
Levantou-so..
Somma. 12
Lista dos estudantes chamados ;t exame de
rhetoriea no mesmo dia 16 :
Plenamente... 2
Simplesmente. 4
Reprovados... f
Somma. 12
MISS10NARIO CAPUCiHNHO.Acerca do Rvm.
frei Serafim de Calania escrevem do Quixera-
niubim ao Cearense :
Fazendo urna penossima viagem de 300 le-
gua? desde Penedo, aqu chegou o veneravel frei
Serafim, superior dos capuchinhos da Penha de
Pernambuco.
Tein aberlo as santas missScs coro algum pro-
veito espiritual. Actualmente acha-se empenha-
do em urna grande obra, que como por um prodi-
gio e sua palavra efficaz: tem constantemente na obra
mais de duzentos trabalhadores da mclhor gente
da freguezia, todos trabando cal, carregando ty-
jollo, areia, pedra, cal etc.
Um dia destes precisando de cal na obra, man-
dn as mulhere. carregarem-na da caeira e foi
um numero tao grande que em um s caminho
bolaram 43 alqueires da nossa medida, e note que
cada urna carregava urna pequea quantidade e
assiin mesmo Ocou urna poreo dellas sem cal
para carregar.
Ha dms da mandou pircao de povo para a
serra cortar a madeira precia para a obra e hoje
faz seguir muito mais gente para trazr a madeira
s costas. A obra da capella do cemiterio g-
S;antesca e bella ; c feita, diz o frade, seme-
hanca de urna columna d > Pantbeon de Roma ;
em forma de circulo com um dimetro de mais
de 40 palmos, toda circulada de portas altas c de
oilo palmos de largura, fazendo nove claros entre
as portas e em cada urna dess urna arcada e
urna columna : em cima lechada por urna cu-
pula, que elle desejara fos-e coberta de zinco, mas
nao podendo ser vai ser feita de madeira, tena e
estuque.
E' pena que urna obra tao boa a primeira
talvez deste genero no Brasil, seja na aldeia do
Quixeramobim I
Frei Serafim inquestionavelmenlc um gran-
de misionario : explica magistralmente o cathe-
cismo; tem feito alguns sermocs de doutrina mui-
to bons ; 6 muito religioso, mas sem fanatismo e
tem pregado muito contra os abusos e snpersti-
oes que ainda existem entre nos; tem pregado
tambem contra o fanatismo religioso e poltico.
A< chiivas por aqui tem cessado, mas nao
que tenham feito ainda falta.
DINHEIRO.O vapor Guar trouxe as seguin-
tes qnanlias para os Srs. :
Fraga & Rocha.................. 2:1373-100
A. L. de Oliveira Azevedo & C..... 1:6803MK)
Domingos Ferreira Maia.......... 1:6003000
Jos Rodrigues de Souza.......... 1:500000
J. O. CDoyle.................. 3443288
Com as quantias rerebidas em nossa praca,
levou esse vapor para o sul:
Para Macei......... 70:7003000
a Babia........ 4:2203000
o Rio de Janeiro. 97:2203034
Desta ultima parcella sao 76:1583054 rs. para
o thesouro nacional.
PROCISSO DE TRIUMPHO. Percorreu hon
tem tarde varias ras da cidade a tradiccional
procisso de triumpho, sendo postos exposicao
lo- liis com toda a pompa as imagens que re-
presentan! os passos do Senhor.
CAURIS DE FERRO PARA JABOATO Acha-
se a berta a ra Nova n 2 urna lista de insrripco
para acedes dessa nova e promeliedora empieza
Os interessados podein all se dirigir ou entender-
se com o Sr. corrector geral Goncalo Jos Af-
fonso.
LEILAO.Hoje 20 do crreme s 10 horas, ef-
feciua o agente Pinto o leilo de movis e mais ob-
jectos em continuac i ao do dia 18, no segundo
andar do sobrado da ra da Iu^ieratriz n. 45.
LOTERA.A que se acha venda a 99* a be-
neficio da igreja de Nossa Senlmra da Soledade
desta cidade, que corre no dia 24 do correte.
PASSAGEIROS. Eutrados dos porlos do nor-
te no vapor Guar.
Messaoiid Drai e sua senhora, Julins Olsen, Hans
Roth, Gregorio Pinto Antonio Luiz Cordeiro, Arthur
Adalio Paraense, Albino G. Estrella, Alfredo Tei-
xeira Mendos, Boaveutura J Castro, Francisco A.
Rodrigues, Manuel M. Barros Lima, Joo Rodri-
gues Vianna Bayina, Leopoldo Cesar de Barredo e
um criado, Thomaz Vitan, Henrique Bees, Val-
friilo Cesar Padilha, Francisco Fernandes Vieira.
Francisco Coelho da Fonceca, Francisco Primeiro
de A. Cit, Joaquim Moreira de Barros Oliveira
Lima, Alvaro Moreira de Oliveira Lima, Francisco
Antonio de Oliveira Sobrinho, Francisco Marcal da
Silveira Gareia,Jo. do Valle Pedrosa e Souza, Vi-
cente Ernesto Feitosa Vallo, Daniel Alves de Quei
roz Lima, Antonio Pereira da Silveira Ca-lello-
Branro, Ricardo Wittig, LuizRayroux, Siem Calim,
Jos Bonifacio Cabral de Moura, Francisco de Pau-
lo R drigues, Joo Luiz Valle de Mello, Dr. Ma-
nuel Jos Marinhu da Cunha e dous criados, Adol-
pho Beranger, Joo Raposo de Souza, Dr. Jos Ni-
colao Totentino de Carvalho, F. G. Vou Schsten,
Dr. Joao Rodrigue Chavs e um criado, D. Ame-
lia Pereira da Silva, urna criada e um eseravo,
Jos Caetano Fiu a Lima Jnior, /.ferino Jos
de Barms Moreira, Jos Augusto de Freita,
Antonio M nserrate, D. Mara Dionisia, D. Mara
da Soledade e tres escravos, Manoel Augusto Fer-
reira Lima, Joaquim Antonio Pereira Vinagre, Jos
Antonio d'Araujo, Bernardo Norat, Miguel Rubaeh,
Jovino Ferreira Borges, Augusto Gomes da Silva,
Dr. Manoel de Barros Brrelo.
Seguem para o sul no mesmo vapor.
D. Rosa S. Vianna Furtado, D. Anua de Car-
val lio Reis, Alferes Francisco Antonio de Olivei-
ra e sua familia, Ia tenente Miguel Joaquim
Peden ie;ra, 2** ditos Rodrigo Jos da Rocha e
Francisco Jos de Abreu, Alfonso H. Nio, Jo-
seph Alcaim, 60 escravos a entregar e 8 pracas.
CEMITERIO PUBLICO.Obituario do dia 16 do
corrente:
Servula, Pernambuco, 20 annos, S. Jos; bron-
chte.
Joaquina Viceucia da GOreico, Pernambuco, 68
annos, viuva, Boa-Vista; tvnpanice.
-Martimanii, Pernambuco, 8 annos, Boa-Vista; fe-
bre typhoide.
Manoel, Pernambuco, mezes, S. Jos : convul-
soes.
17
Maria Theophila de Gusmo Maia, Pernambnco
65 annos, casada. Boa-Vista ; hepatite.
Joanna Mara do* Prazeres, Pernambuco, SO an-
n h, viuva, Santo Antonio; febre perniciosa.
Francisco Ribeiro Munz, Pernambuco, 75 annos
solteiro, Boa-Vista ; gastro interite.
Julio, frica, 48 annos, eongestoes pulmonares.
Maria, Pernambuco, 21 das, Santo Antonio; es-
pasmo.
ot, Pernambuco, 2 anuos, Recie; conruJa&es,
18-
Anionio Francisco do Carvalho, Portugal, 76 an-
nos, casado, Boa-Vista; amolecimenlo cerebral.
Miguel, Pernambuco, 4 mezes, Santo Antonio; be-
xigas.
Jacob Caetano, frica, 46 annos, Boa-Vista; he-
patite chronico.
Francisca Isabel de Azevedo, Pernambuco, 60 an
nos, viuva, Boa-Vista ; interite chronico.
Anglica Maria da Conceicao, Pernambuco, 40
annos, casada, Boa-Vista; hypertrophia.
Benedicto, Pernambuco, 36 annos, Boa-Vista;
diarrhea.
Tiburcio,'Pernambuco, 11 mezes, Santo Antonio;
bexiga*.
Cosma Maria de Jesns Gonijalves, Pernambuco, 87
annos, solleira, Recife ; velhicc.
PMBUCACOES A PEDIDO.
Aos honrados collegas da im-
prensa livre e aos asignantes
da Liberdade.
Em dezembro do anno passado, tendo
de juterromper a publicarlo da Liberdade,
eu declarei: que o estado de niinha saude
me inhiba de continuar o meu trabalho, o
qual recomecaria de Janeiro por diante.
Nao me tem sido possivel realisar esse
intuito, por nao me achar ainda restable-
cido : e receio interromper de novo a pu-
blicaco.
Nao devo entretanto, por ma'h tempo
guardar silencio sem dar urna satisfago do
meu procedimenlo, e assegurar todos,
que 6 proposito meu voltar a mprensa,
apenas me si-jVpossivel, afim de auxiliar
esses generosos propugnadores da liberda-
de do nosso paiz, promuvendo as refor-
mas, cuja realisacao se torna, cada dia mais
urgente. --
Compenetrado dos males pblicos, que
afligem profundamente o nossoestado social
poltico, espero e confio que nao pore ja-
mis a minha palavra e a minha penna se-
nao ao servico las ideas democrticas, que
por toda parte se propagam com ferror in-
crivel e se infiltram as almas patriticas.
Confiera os meus honrados companheiros
da imprensa livre que eu espero auxilia-los
na heroica e santa cruzada, que encetaram.
A Liberdade nao se acha em debito para
com um s dos scus assignantes, tendo
sido publicado o n. 23.
Rogo aos meus colleg-s da imprensa, que
se dignem de trancrever a declararlo cima.
Recife, 19 demarco de 1869.
Dr. Francisco Pimo Pessa.
de frascos gran-
e
sao apregoadas ora a titulo
les, ora pela virtudo da aiitigudade, c ora
por serem novas, mis apresentanios ao pu-
blico um remedio em frascos de tamanho
regular, que tem setj favor somonte a
virtude de curar toda a qualidade de mo-
lestias que vjM da impureza do sangue.
E este remoli chama-se s\i.s\i>.vhhii.ua
QE ATER.
Protectora das fami-
lias.
Esta assoeaeao caminba ms fias de prnueri-
dade, nao sem os entraves iahereutes emprezas
grandiosas.
Contratos Capital
junho de |
de .
tialia
regs-} ,393C------S,868:07o4970
1406------2,173:4236920
S342------8,042:1015890
Um qui-pro-qu
O que tem o Sr. Joao Fernandes Lopes com o
que cu disse do Sr. Joo F. Lopes ? Eu, ou nao sa
noria, ou nao teria querido, se de feito sabia, fallar
de lca.t de S. S., que sei nao achar-se em tao aper-
ladas circumstancias como esteve, ha pouco tempo,
aquelie Sr. Joao F. Lopes, de quem fallei, de quem
sou muito amigo, e cujas melhoras de fortuna II-
mejo ardentemente. Como, porm, ha muitas Ma-
nas na trra, e succeda por acaso qu o Sr. Fer-
nandes Lopes tambem tivesse o seu ficazinho, to-
mn o peao unha, e veio imprensa divulgar uina
cousa que poderia ler licado em segredo, isto .
que, alm do seu homongmo, tambem S. S. havia
passado um fica semclhante. Para ver que o nego-
cio ia bater a outro ponto, bastava que S. S. tivesse
notado que o Lopes, de quem eu fallei, tinha pas-
sado o fica para rereber um grande favor, eem um
caso extremo de necessidade confessado -uor es-
cripto, e o fica que S. S. passou, foi por fazer favor
a quem Ihe emprestou o dinheiro, o que muda com
pletamente a face dos negocios. E' verdade que
parece inverosmil que um commerciante, que re-
cebe dinheiros de outros para guardar, se sujeite a
passar um fica, que documento que leva com fa-
cilidade o signatario cada ; mas S. S. que nao
-abe fazer favores por inetade, fez um favor com-
pleto, recebendo o dinheiro e assignando o fica.
como se deprehende de sua correspondencia.
Nao se desgoste pois S. S. que eu insista em fazer
ardentes votos pela prosperidade daquelle meu ami-
go Lopes, de quem fallei na passada corre>pon-
dencia.
Qnanto ao que o Sr. Fernandes Lopes diz a res-
peito da Boa-viagem, cousa alias muilissima alheia
ao que cima se disse, permita S. S. que eu presu-
ma que Ihe falleea o amor aquello principio, que
tanto celebrisou a um certa Epammondas.
As cousas se passaram assim. A pessoa, de
quem S. S falla, foi apresentada na Boa-viagem por
um cavalheiro das mais illu-tres familias de Per-
nambuco, e foi all recebido em casa de outro ca-
valheiro Ilustre e restieitavel, que o recebeu com
toda a cortezia c urbanidade, e ahi foi convidado
para contribuir e tomar parte na reunao que se
projectava.
Como, porm, em toda a parte ha homens mise-
raveis, intrigantes e perversos, e ahi se achava um,
ou talvez mais de um d'esses miseraveii, a quem
cssa pessoa fizera muitas favores, mas que n urna
certa ennjunctura exigir, para sua garanta, a as-
signatura de um documenta, que nao abona o ere-
dito de um commerciante, esse miseravel, usando
do prestigio que tem sobrealguem; entendeu vin-
gar-se de quem Ihe fizera tantos favores, e entao
poz-se em pratica a mais abominavel infamia, a
lini de empedir que tamasse parte no divertmen-
ta a pessoa a quem o Sr. Lopes se refere. Co he-
rida a tempo a miseravel intriga, foi essa pessoa
instada para ficar, e tomar parte na reunio; mas
ella muito reflectda e e>pontaneamente pedio des-
culpa, e retirou-sc.
Ainda bem que o Sr. Fernandes Lopes declina
de si, e com umita razio, a respon-abilidde de
la i vergonhoso procedimento, indigno de um ho-
uieiii que presa o seu nome e dignidade.
O Sr. Lopes sabe muito bem que ninguem est
livre de Soffrer um inculto, ou de ser victima de
urna miseravel intriga do primeiro villao ruim que
se encontra por ahi, e de certa que nao qsercria
nunca associar o seu nome a factos desta ordem.
Em quanto pois bou ver homens miseraveis, in-
trigantes, e perversos, nao poder haver reputa-
cao que se considere completamente n vulnerawl;
mas quando um homein que procura viver honra-
damente na sociedade, e que nao tem em toda a
sua vida um s acta que o deslustre, victima de
urna intriga ou de urna calumnia, a verdade appa-
rece, e as infamias e o opprobrio recahein com
todo o seu peso jsobre o vil detractor da reputacao
alheia.
Mas preciso nao confundir essa detraccao mi-
seravel e vergonhosa. cuja re-ponsabilidade o Sr.
Lopes com toda a rasao declina de si, com o le-
gitimo desforco que o homem de honra tama de
seus calumniadores, publicando pela imprensa
factos verdicos, e lao verdicos que nao podem
ser o nao sao contestados. E fiquemos, aqui, por
ora.
O amigo da Baixa Verde, que j deixou a Boa-
Viagem.
Em 30
1868 .
trado.............)
Durante o semestre de
30 de junho a 31 de
dezembro de 1868..
Estado dessa associa-
Eao em 3ldedezem-
rode 1868.........
Para conseguir com toda setruranca o maior e
mais instante desidertum da vida do homem, que
6 crear para o futuro um capital certo e urna ren-
da infallvel, para si, seus filhos e familias, bastar
fazer um calculo (cada qual conforme seus pro-
prios haveres) de que pode dspor durante o pe-
riodo de cinco annos ; signalada que seja a quan-
tia -era esta dividida em duas classes de contratos,
um chamado contrato de capital o outro de renda
Estes dous seguros devero satisfazer-se em cinco
annuidades consecutivas, e depois de passados os
cinco'annos o contribunte ficar livre doonusdos
pagamentos das annuidades subsecuentes.
ratas duas classes combinadas produzem resul-
tados maravilhosos para o futuro.
Por exemplo, um pai que futuro um capital e urna renda vitalicia para cada
um de seus tilhos, conseguir este importante flin
despendendo para cada um delles a quantia de
l:l5o3, que se pagam da seguinte forma
Direitas de entrada.. IJB
No primeiro anno 200
segundo 2005
terceiro > 200
i quarto 2003
quinto > 200
Ter despendido no (im de cinco
annos a quantia de........... l:loo"
tendo creado para cadafilho um capital para o fu-
turo, que conforme a idade dos segurados ser de
33:0003 a 47:000$ e urna renda vitalicia de 100..$
annnaes.
Admittem-se contratos de matares c menores
annuidades, sendo os lucros sempre proporcionaes
ao producto dos seguintes factores : < valor da
contrbuico, o risco de morte do segurado
e a duracao do contrata (art. 28 do regulamento).
Agencia de Pernambuco, ra do Livramento
n. 19.
y. F. de Vidal.
Trilhos Urbanos para
Jaboato.
Lista dos subscriptores de ac-
edes para a forniaco de urna
compaahla.
, accoes
Joo da Cunha Wanderley.... 100 20:000000
Vicente de P. Oliveira V. Boas 50 10:0003000
Ferreira Matheus.......... 50 10:0003000
Thomaz de Aquino Fonceca o
Filhos....................
Joao Fernandes Lpez........
Henrique Gibson.............
Bento Magalhes.............
Demetrio Acacio de Araujo B.
Americo Ntines Correia......
Dr. Claudino de A. Guimares.
Francisco Goncalves Netto....
J. F. S. Porto................
Augusto Frederico dosS. Porto
Jos Alexandre RibetTO.......
Dr. Estevo Cavalcanti de A..
Antonio Jos da Cosa e Silva..
Luiz Jos da Costa e Silva....
Jos Alves da Silva Guimares
Jos Joaquim Lima I la irn-----
Joaquim Jos da Costa e Silva.
Antonio I'.osario Moreira Das..
Jos Antonio Moreira Dias.....
Jos Antonio da Silva Jnior..
Antonio Bapiis!a Nogueira....
Bento dos Santos Bamos...... 10
Antonio Augusta dos S. Porto.. 5
Jos Fernandes Lima......... 10
Francisco Fernandes Duarte... 5
Antonio Jos C. Guimares___ 5
Joo Evangelista xle S....... 10
50
50
50
20
10
10
10
15
5
10
5
5
5
10
i
l>
$
i
10
10
10
5
5
5
5
25
5
5
5
5
50
50
10
10
AoExm. Sr, Dr. director geral
da imstrucedo publica
Bem sabemos quanto o Illm. e Exm. Sr. Dr. di-
rector geral da in^trneco publica tem sido excru-
puloso na exigencia da* pro vas de moral idade das
candidaias do professorata publico primario, com
ludo permitta-nos V. Exc. que copiemos aqui o
art. 17 do cap. Io da lei reguamentar da instruc-
cio publica de 14 de maio de 1855, que diz as-
sim :
Art. 17. As pesadas do sexo reminino que se pro-
pozerem ao professorata, devero exhibir de mais,
se forera casadas, a cerlidao do seu casamento; se
viuvas o de bitos de seus mandos e se viverem
separadas destes, cerlidao do theor da sentenca,
que julgou a separacao, para se avaliar o motivo
que a originou.
A vista da expressao de-te artigo esperamos na
honra do mesmo Exm. Sr. director o sea dever de
cumprimento.
Antonio Moreira de Mendonca.
Jos da Costa Bispo..........
Paulo Jos Gomes...........
Dr. S^mphronio Cesar Coutiuho
Domingos Teixeira Bastos.....
Jos Antonio de S Leito....
Bernardino Correia de H. Bego
Manoel de Abroa Macedo.....
Manoel Joaquim Baptista......
Tiburcio Valeriano Baptista...
Modesto do Bego Baptista.....
Justino J. de Souza Campos...
Jos Moreira Lopes.......... 20
Antonio J. P. de Carvalho..... 5
Dr. francisco do H. B. Barreta. 50
Barita da Soledade........... 50
Francisco Ferreira Borges.... 50
Conselheiro Jos Bento da Cu-
nha Figueiredo............
Dr. Jos Bento da Cunha Fi-
gueiredo Jnior...........
Antonio Pinto de Barros.....
Manoel de Souza Tavares.....
Parisio Belarmino de Moraes P.
Tenente-coronel, Francisco C.
M. Bios Jnior............
Manoel de Souza Lco........
Jernimo de Souza Leo......
Joyino Coelho da Silva.......
Joo da Cunha Soares G......
J.io Joaquini da C. Leite.....
Dr. Ignacio J. de Souza Leo..
Alfre lo Jos A. Guimares....
Manoel de Mosquita Barros W.
Thomaz Lins de Barros W...
Dr. Gaspar Cavalcanti de Al-
buquerque Ucha.........
Joo F. Cavalcanto de Albu-
querque..................
Comineudador Antonio de Sou-
za Leo..................
Joo Manoel de Mosquita Bar-
ros Wanderley............
Adolpho Wanderley Lins.....
Vicente Mendes Wanderley...
Coronel Antonio G. Leal.....
Francisco Manoel de Souza e
Oliveira..................
8r. Francisco E. do B. Dantas
r. Jos Honorio Bezerra de
Menezes..................
Laurenlino J. de Miranda.....
Dr. Manoel do Nasciineuto Ma-
chado Portella.............
Joaquim Salvaddt Pessoa de Si-
queira Cavalcanti..........
Dr. Joo J. Pinto Jnior.......
Jos Francisco P. S. Jnior...
Dr. Luiz Salazar Moscoso da
Veiga Pessoa.............. g
Jos Cesario de Mello..,..... 5
Dr. Antonio Jsaquim Buarque
Nazareth................. 5
D. Mana Amelia de Gusmo
Lira.................... 10
10:0003000
4:0003000
2:0003000
2:0003000
2:0003000
3:0003000
1:00031100
2:0003000
1:0003000
1:0003000
IOOO3OOO
2:0003000
1:000 300U
1:0003000
2:0003000
1:000(KHI
1:0003000
2:0003000
2:0003000
2:0003000
1:0003000
2:0003000
1:0003000
2:0003000
1.0003000
1:0003000
2:0003000
1:0003000
1:0003000
1.0003000
5:0003000
1:0003 1:000300.
1:0003000
1:0003000
10:0003000
10:0003000
2:0003000
2:0 03000
4:0003000
4:0003000
10:0003000
10:0003000
10:0003000
10 2:0003000
ENGLISH BANK
Of Rio de Janeiro Limited
Desconta lettras da praca laxa a con-
vencionar.
Recebe dinheiro em conta corrente a
prazo fu 0.
Saca vista ou praso sobre as cidades
principaes da Europa, tem agencias na Ba-
ha, Buenos-Ayrcs, Montevideo, New-York
e New-Orleans, e mitte cartas de crebito,
para os mesmos lugares.
Largo do Pelourinho n. 7
BANCO AUA & C.
Hita do Trapiche 11. 84.
Desconta lettras co nmerciaesa taxa con-
vencional. Recebe dinheiro, a premio con-
vencional, por lettras e em conta corrente.
Confere crditos, saca sobre as primeiras
pracas do imperio. Rio da Prata e Euro-
pa, e compra canroiaes sobre as mesmas
pracas.
Encarrega-se, por commiss5o, da com-
pra e venda de fut'dos pblicos e accScs de
Dompanhias, da oobranca de lettras e di-
videndos ou de seu pagamento, e de qual
ijuer outra operacao bancaria.
0 expediente para o publico comecar
s 10 horas da inanlia, e terminar s 4
horas da tarde de todos os dias uteis.
ALFANDEGA.
Hendimento do dia 1 a 18 .
dem do dia 19 .
638:4973257
:i3:27330O
691:79i3647
MOVIMEXTO DA ALFANDEGA
Volumes entrados
dem idem
com fazendas
com gneros
Volumes sahidos com fazendas
dem idem com gneros
200 -
300
------500
205
415
620
Descarregam hoje 20 de marco.
Barca ingleza/>ean Lugar inglez Pearl idem.
Escuna dinamarqueza Eliza idem.
Escuna norte-allemo Joltanna farinha de
trigo.
Bngue nglezSalvare Linxdem.
Importaco.
Fapor brasileiro guar, vindo dos porlos do nor-
te do imperio, manifest :
2 caixes fumo; a Joaquim Jorge da Fonceca
Bastos.
Encommendas.7 volumes a Joo Pedro Correa
de Miranda, 1 a Nogueira & Medeiros, 1 a Joo*|
Itamot, 1 ao Dr. Joo -Baymundo Pereira da Silva,
1 a J. F. da Silva Novaes, 1 a J. Gerardo de Bas-
tos. 1 a Lailhacar & C, 1 a Francisco Vieira Per-
dgo.
UECEBEDORIA DE BENDAS INTERNAS GE-
BAES DE PEILNAMBUCO.
Rcndimento do dia 1 a 18 46:.*)28379
Idem do dia 19...... 1:0783650
47:6073229
CONSULADO
Rendmenta do dia 1 a
Idem do dia 19 .
PROVINCIAL
18
101:6663812
4:1133830
103:8123612
MOVIMIENTO DO PORTO.
Nados entrados no da 19
Para e porlos intermedios 12 dias e 12 horas e
do ultimo porta 12 horas, vapor nacional Gua-
r, de 999 toneladas, cenunandanle primeiro
tenente P. H. Duarte, equipagem 50, carga dif-
erentes gneros ; a Antonio L. de O. Azevedo
&C.
Buenos Ayres29 dias, patacho inglez Little An-
nie, de 227 toneladas, capitn F. X. Haffman,
equipagem 9, em lastro ; a ordem.
Navios sahidos no mesmo dia.
Rio de Janeiro e portos intermediasVapor Gua-
r, commaiidante primeiro tenente P. 11. Duarte,
carga differentes gneros.
Liverpool Lu^ar inglez Navigator, capito L
Feure, carga assucar e algodo.
Ro de Janeiro Patacho dinamarqus Hygeaa'
capito Bystrup, carga differentes gneros.
ECITAES.
&
8
10
5
5
5
5
25
5
10
25
25
50
25
6
250
10
5
5
8
15
25
5
20
1:0003000
1:0003000
2:0003000
1:0003000
1:0003000
1:0003000
1:0003000
5:0003000
1:00030011
2:0003000
5:0003000
5:0003000
10:0003000
5:0003000
1:0003000
4003000
50:0003000
2:0003000
1:0004000
l:00>3000
1:0003000
3:0003000
5:0003000
1:0003000
4:0003000
fnizo dos feitos da fazeada de
Pernambuco.
Faz-se publico a quem conver e interessarpos-
sa, que lindo o praso de tres mezes a contar de 21
de dezembro ultimo, se nao de vender em hasta
publica, celebrada na cidade de Goyanna e na villa
de (tamb, perante o sobredito juizo, as trras per-
teneenles ao extincto encapellado de llamb, cons-
tantes do edital de praca. publicado no Diario de
Pernambuco do citado dia. Os que pretenderen!
lancar a praso, conforme o art. 4 da lei de 6 de
setembro de 1850, devero apresentar-re com seus
dadores habilitados, sendo as fianzas prestadas ad-
ministrativamente e com todas as formalidades
das flaneas fiseaes nos termos das instruccoes de
10 de dezembro de 1865.
O escrivo,
Luiz Francisco B. de Almeida.
De ordem do Illm. Sr. Dr. procurador liscat
da fazenda provincial, se convida a todos o< de-
vedores do imposto creado pela lei n. 510 13
obre oacoes de qualquer especie, que o nao ti-
verem pago por ocra>io de lavrarem-se as res-
pectivas escripturas ou de tomarem posse d(s
bens doados a virem revalidar os seus ttulos, pa-
gando o imposo devido as repartigoes comi-
tentes, sob pena de, se o nao fizerem, proce.ler-se
a cobranca do mesmo imposto pelos un-ios judi-
cacs.
Seegao do contencioso da thesouraria provin-
cial de PernamDuco 16 de marco de 186*.
O offlcial,
Horacio WalfriloPeregrino da Silva.
Consulado suisso em Pernambuco.
Conformo o Art. 9 da eonvencao consular, o
cnsul dessa n'aeo faz publico que falleceu a cida-
da Joaquina Joanna dos Santos Schuler, espo-
sa do Sr. Leonhard Schuler de Basel.
Pernambuco. 18.de marco de 1869. .
__________________F. LindenCnsul________
~ ?io,c''a ** do corrate, depois da audiencia
uo Illm. Sr. Dr. juiz municipal da segunda vara,
tem de serem vendidos em praca pubiiea, perante
o mesmo jote, alguns movis, e bem assim um te-
meiro com 150 tuinas, todo avallado em 1173300,
penhorado a Jovencio de Almeida Lima, por exe
cucao de Jos.: Antonio da Bocha, como tutor da
menor Feliciana.
Conselho de compras do arsena'
de guerra.
0 concilio de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o segante :
40 arrobas de plvora fina.
25 quintaes de ferro inglez em barra de 1 1/2
polegada de largura e 3/8 de grosera.
1 folha de dito em chapa de 23 libras.
1 dita de dito dito de 50 ditas
10 toneladas de earvo de pedra para ferreiro.
20 resmas de papel almaco pautado liume
50 macos de obreias em paes.
40 garrafas de tinta para escrever.
500 caadas de azeite do carrapato.
400 camisas de meia.
400 lencos.
800 pares de meias.
200 susoensorios.
2,232 varas de brim escuro.
As pessoas que quizerem vender ditos artigos,
apresenlem suas propostas em carta fechada,
acompannadas das respectivas amostras, na sala
do conselho, as 11 horas do dia 24 do corrente.
Conselho de compras do arsenal de guerra de
Pernambuco 18 de marco de 1869.
F. Baphael de Mello Bego,
Presidente.
Jos Baptista de Castro Silva,
Secretario.
S X.M'A CASA DE MISERICORDIA DO RECIFE
Pela secretaria da Santa Casa de Misericordia
do Recife se faz sciente quem convier, que o so-
brado n. 3 A sito ra Augusta e a casa terrea
n. 39 da ra dos Pescadores, esto sujeilas se-
guinte disposico testamentaria, com que fallero
I). Esmenia da Conceicao Souza, mulher do Dr.
Jos Joaquim de Souza :
Declaro mais que instito por herdeiros de
minha meia aeco ao meu marido o Dr. Jos Joa-
quim de Souza,'com a obrigaco de com sua mor-
te passar a terca de meus bens para os meus ir-
mos o padre Jos Leite Pilla Ortigueira e D. Car-
lota Esmenia da Conceicao Leite, aos quaes tam-
bem instito por herdeiros damesma terca na con-
formidade do que fica disposta, e no caso de que
nao sobrevivan! seus innos -eu marido, a terca
que elles pertencer, vontade sua que passepara
o hospital de caridade que tica assiin instituido.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, 5 de marco de 1869.O escrivo, Pedro Bo-
drigues de Souza,_____________________^__
O administrador da recebedona de rendas
internas geraes declara que tendo-se concluido o
lancamento do imposta pissoal do exemeio cor-
rente de 1868-69 das freguezias de S. Jos e Boa-
vi-ta, fica marcado o praso deste mez e de marco
futuro em que deve ser pago o referido imposto,
sem multa, das sobreditas freguezias, como deter-
mina a ordem n. 17 do ministerio cfepzenda de
30 de Janeiro ultimo.
Rocebedoria de Pernambuco 19 de fevereiro de
1869.
__________Manoel Carneiro de Souza Lacerta.
Precisa-se contratar a factura de frdelas
brancas, e gravatas de sola de lustre : recebem
seas proposias no quartel do Hospicio at o dia
20 do corrente.
SANTA CASA DA MISERICORDIA DO
RECIFE.
De ordem da illma. junta administrativa desta
santa casa se faz publico que a exposicao do SS.
Sacramento que deve ter lugar na igreja Je N. S.
do Paraizo no dia 23 do corrente, durar somente
at is 7 horas da noite, podendo as pessoas que
quizerem visitar o Santo Sepulchro, faze-lo so-
mente at essa hora.
Secretaria da santa ca-a de Misericordia do Re-
cife 19 de marco de 1869.
O escrivo,
Pedro Rodriinies de Souza.
Pela directora geral da instrueco publica
se faz constar a quem interessar que o exame de
hahiltaco para o concurso s cadeiras vagas de
instrueco primaria do sexo feminino, ter lugar
amanha, 20 do corrente; em um dos saldes do
Gymnasio.
TUETRO
DE
S. ISABEL.
EMPREZA DRAMTICA
DE
ooaafa aaisaaaa.
ii 111 i 1 vnuo;ii>i\\ici\
Sabbado 20 de margo
Quima e ultima representaco do ra;ignfico e
apparataso drama historien de grande espectculo,
em 6 actos, ornado de msica
BECLARACOES.
1:0003000
25
5
5
5:0004000
1:0003000
1:0003000
1:0004000
1:0004000
1:0004000
2:0003000
Senso commiim.
Emquanto o mercado est innundado de
preparacoes chamadassalsaparrilha,
Que, nSo tendo em si as qualidades^gue
devem sempre recommendar um remSlic,
COMMERCIO.
PRACA DO BECIFE 19 DE MARCO
DB 1860. ^
Assucar broto Canal=33150 por arroba
Couros seceos salgados241 rs. por libra.
Cainb^re Londres-90 d^r 19 m d p^
Dito sobre dito-90 d/ 191/4 d. por 13 (hoje).
F. J. Silveira
Presidente.
Leal Ser
Secretario.
No dia 20 do corrente, depois da audiencia
do Sr. Dr. juiz municipal da 2" vara, as 11 e 1/2
lloras do da, se ho de arrematar por venda, na
sala das audiencias, as bemfeitorias segointes :
orna casa terrea na estrada de Giqoi, com 29
palmos de vo na largura, 63 ditos de fundo, tres
portas de frente, 2 salas, 2 quartos. solo dentro,
rom urna janella em cada oito, tendo ao lado um
telheiro grande em que esto collocadas estribaji
e cuzinha, 2 cacimbas com tanques, 2 castalias de
taipa em estad de ruina, arvoredos, que constam,
Je coqueiros, larangeiras, mangueiras, li oeiras e
outras pepoenas arvores, sendo estas bemfeitorias
sentadas em terreno rendeiro, pertencenta pro-
priedadePaco do Giquide cujo dominio til
l'oraiu impossados os exeipientes, avahadas por nm
conta e quinhentas mil reis. Tres pequea) casas
de taipa na mesma propriedade, em ierreno ren-
deiro, como cima, avahadas em 503 cada orna ;
conforme o esrripta em mo do parteiro dos au-
ditorios ; por execocv do Manoel Joaquim Baptis
ta e ui mulher, contra o curador da beranca do
finado Antonio Joaquim de Mello e o Dr. procura-
dor fiscal da fazenda nacional. Recife 16 de
marco de 1869.
_______________Manoel Joaquim Baptista.
Sabbado 21 do corrente mez, deoois
00
A descoberta da America.
D fim ao espectculo a moito chistosa comedia
do repertorio do Sr. Martinho, na qual elle faz o
sargento Ferrabraz, intitulada
O recrutamento na roqa.
Na comedia o Sr. Martinho e as Sras. D. Caro-
lina e Apolonia dancaro o engracado
LUMDU DR Hl\ RO.
Comecar as 8 horas.
THEATJiO
Gymnasio campestre
ASSOCIACAO ARTSTICA.
nico espectculo no eorrente mez
Sabbado O do eorrente.
Primeira representaco da espirituosa comedia
ein actas ornada do msica coinposta pelo Sr.
Colas Filhn, intitulada
TREM ESPECIA!,
A sociedade Gymnasio Campestre, espera mere-
cer do Ilustrado publico pernambucano a neces-
sana coadjuva^ao.
0espectculo comecar as 8 borato um qoarta.
VISOS MARTIMOS.
COIPAMA BBASILEIRA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
al o dia 24 do corrente o vapor
Tocantins, commandantc J. M.
Ferreira Franco, o qual depois
da demora do costume seguir
para os 1'
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga qoc o vapor poder condozir, a qual dever
ser embarcada no dia de soachegada. Encommen-
das c dinheiro a fele at o dia da sua sahida as 2
horas.
.Nao se recebem como encommendas seno ob-
jectos de pequeo valor e qoe nao excedam a duas
arrobas de peso oo 8 palmos cbicos de medicad.
Tudo qoe paasar destes limites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros qoe soas passa-
gens s se recebem na agencia roa da Cruz n. 57,
Io andar, escriptorio de Antonio Loiz de Oliveira
Azevedo & C.
~ C0MPANU1A PERNAMBL'CANA
DB
Xavegaco costelra por vapor.
(loianna
O vapor Mamanguape, comman-
danie Oliveira, seguir para o
porto cima no dia 26 do corren
te as 9 horas da noile. Recebe
carga, encommendas, passagei-
ros e dinheiro a frete no escriptorio do Forte do
Matos n. 12.
Desapparcceo hontem pelas 5 horas da tarde
orna mulatinha de nome Teudula. com qnatro an-
nos de idade, com um timo de chita roxa usado
e o cabello acanhado : quem della dr noticia
muito se agradecer na ra da Palma n*53.
Para o indicado porto pretende sabir em pou
eos dias a veleira e bem contienda barca Social.
capito Rocha, por ter a maior parte do seu car-
regamento prompto, e para o resto que Ihe falla
e passageiros, para os quaes tem bons commodos
trata-sc com o consignatario Joaquim Jos Gon-
calves Beltro. ra do Trapiche n. 17.
Para o Porto
Vai sahir no dia 21 do corrente a barca Flor di
S. Simao, com a carga que tiver : para o resta e
passageiros, traia-se com os consignatarios Car-
valho & Nogueira, ra de Apollo u. 20.
COMPANH1A PERNAMBCANA
DE
\ave2;ifo costeira por vapor.
Porto de Gallinhas, Rio Formoso e
Tamandar.
0 vapor Mamanguape, com-
mandante Oliveira, seguir para
os portos cima no dia 20 do cor-
rente a meia noite. Recelie car-
ga, encommendas. passageiro< .
dinheiro a frete no escriptorio do Forte do Mal-
tos n. 12.
Macei
O brigue nacional Olinda, segu viagem ao
porto cima nestes seis dias impreterivelmeiite, re-
cebe carga a frete rommodo: a tralar na ra do
Vigario o. 10, escriptorio de Balthar Oliveira
&C.
GUMP.WIUA BRASILEA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do sol esperadu
at o dia 21 do corrente o vapoi
Cruzeiro do Sul, commandantc
Alcoforado, o qual depois da de
mora do costume seguir para os
do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder condozir, a qoa devera
ser embarcada no dia de soachegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at as duas horas do dia da
soa sahida.
Nao se recebem como encommendas seno ob-
lectos de pequeo valor e que nao excedam a 2
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medicao.
Tudo que passar destes limites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
gens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57,
Io andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oiveir.
Azevedo & C.
CO.MPANIIIA PGKNAMUUGANA.
ni
Havegaco eosteira por vapor.
Paraliyba, Natal, Maco, Mosscr, Ara.
caty, Cear, Mondah.Acarac
e Granja.
O vapor Ipojuca, com mandante
Martins, seguir para os portos cima
_ no dia 31 do eorrente as 5 horas
da tarde. Recebe carga at o dia 30, encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at as
i horas da tarde do dia da sahida no escriptorio
o Forte do Ma'tasn. 12.
2L
os
PZSCS
DE
j, ADAO E EVA.
Actores.
Sr. Silva.
P. Montani.
P. Angosta.
De-Giovani.
Emiliano.
Sertaa.
Braga.
diencia do Illm. Sr. Dr. juiz municipal da gunda
vara civel. tem de ir a pra.^a por venda, os bens
seguintes : um sonb. um mesa redondn, dous
consollos, d ize cadeiras de guarnico, una com-
moda, urna meia dita, todo de madeira de amarel-
lo, araliad >s por 923000, por exerucao qos move
J # Ignacio A rila contra Elias Pereira Gomes da
Cuaba.
Conselho de cenpras do arsenal
de guerra.
O conselho chama a attenco das pessoiis que
quizerem vender os artigos annuneiados pelo an-
lumeio pobyeado oeste Diario no dia 19 lo cor-
rente.
Conselho de compras do arsenal de guerra de
Pernambaco 19 de marco de 1869.
O secretario vogal,
Jos Baptista de Castro Silva.
I'er Mrquez de la Roche Noire.
Conde de Stainvillc.....
Fanfan.orphoeafilbado domar-
qoez........
Jhalomeaa, corranda e vesgo.
Cuilherme, rendeiro ...
Gao.........o
Um camponez.......
Maneta........D. Je>u'ina.
Coros de fidalgos e camponezes.
' O acto passa-se em ama aldea em Toolon, o
2 em urna das ilhas Hveres.
Vestuario a Loiz XV completamente novo.
Segoe-se o disparale cmico ornado de msica
original do artista De-Giovani e por elle proprio
executado, o qual se intitula
0 APRECIADOR DA ROA PI\liA.
Terminara o espectculo a pedido geral, com a
rhistoM e enthosiasticamente applaodida extrava-
gancia-burlesca, ornada de msica e dansa deno-
minada
Urna noite de carnaval.
Exhibida pela Sra. D. Jesoioa e o Sr. De-Gio-
vani.
Os bilhetes arharo-se desde j no theatro e por
obsequio emeasa doSr. Godofredo, cabelleireiro,
roa do Crespo, pelos precos segointes :
Camarote 6 entradas 123000
Cadejr jooo
Geral 1|000
As pessoas qn# mofaren no Recife e em toda a
bnha frrea at Apipucos, caao de quererem
as.s,rt.r a este especuralo, ferio passagem gratis,
CMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
tfavegaeo eosteira por vapor.
Mamanguape.
O vapor Coruripe, coimnandante Penna, seguir
para o porta cima no dia 28 do corrente as 6
h.ras da tarde, recebe carga, encommendas, pas-
sagens e dinheiro a frete at as 4 horas da tarda-
do dia 27, no escrintorio do Forte do Matos n. 12.
COMPANHIA PEICNAMBICANA
DE
\avegaeo eosteira por vapor.
Macei escalas e Penedo.
OvaporG vedo, seguir para os portos cima no
dia 3l do corrente s 5 horas da tar-
de. Recebe carga al o dia 30, encommendas,
passageiros e dinheiro a frete at as 2 horas da
larde do dia da sahida no escriptorio do Forte do
Mattos n. 11
&
2ir.
COMPANHIA PERNAJUBUCANA
DR
.t'avegafo eosteira por vapor-
Macei em direitura e Penedo.
O vapor Parakyba, commandan-
ta Mello, seguir para os portos ci-
ma no dia 2 do corrente as 4 horas
da tarde. Recebe carga at o dia 20, encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at as 2
horas da tarde do dia da sahida no escriptorio do
Forte do Mattos n. 12.
Kio de Janeiro
Para o indicado porto segu com muita breri-
dade o veleiro e bem conherido brigue Aelaidt
por ter a maior parte do carregamento tratado ; e
para o resto que Ihe falta e escravos a frete tra-
tt-se rom o consignatirio Joaquim Jos Goncalves
Beltrao, a roa do Trapiche n. 17,
Para o Porto
Segu sem demora a barca portugoeta Novo
silencio^por ter grande parte da sua carga pmmp-
ia, para o resto e pa-sageiros aos quaes olferece
xcellentes commodos trata-se com Oliveira Filhos
C., largo do Corpo Santo n. 19 ou com o rpido
na praca do commeirio.
Para Lisboa
Vai sahir com muita presteza o brigue porto
guei Constante II por ter grande parte do sen
arregamenlo prompto : para o reatante e passa-
L'eiros, trata-se com Oliveira, Filhos & C, largo
lo Corpo Santo a 19, ou com o capito na praca
1I0 cominercio.
Loanda
O brigne portogooz Bmvina, capito Sirva, a
ebef ar de Lisboa, sahir para Loanda poocos as
\

. r
*
i
i
%



m

Diario de Permwnbuco Sabbado 20" de Mareo de 1869.
3

depois de recolhido a cite porto : pdc'recchpr
atguma carga, e trtta-seeom o seu consignatario
Joaquim Gerardo de Hastos, rna do Vigario n.
16, i" andar
LEILOES.
LEILAO
US KCV3I5.
(Em continuaQSo.)
Um piano, 1 espelho oval, i attagers, 2 appa-
radores de canto, i relogio de cima de mesa, 1 ca-
bido para chapos. 1 excellente cama franceza, 1
rico toilet ru e-p -Mo, 1 relogio de algibeira, i
marquezio, 1 cabide, i quartinheira, 1 guarda-
louca, 1 guarda vestido e 12 cadeiras.
Diversos livroS, tapetes, guarnicoes para qua-
dros, saceos de viagem, 1 lote de msicas, 2 map-
nas, 1 varanda, 2 pulas gandes o oxeellente ca-
ma de forro para 2 pessoas e i lavatorio e outros
objectos.
iioji:
No 2" andar do sobrado da na da Wmpe-
ratriz n. 45.
agent- Pinto nio tend > pulido etpflr em le-
lo do din 18, os objetos cima indicados conti-
nuara o leila > anunh i i > do corrente as 10 ho-
ras do dia no niesm i sobrado da ra da lni;>ora-
triz n. 15._____________
MILU)
Da fabrica de earros e de mar-
eiueria. como da mobilia per-
tcnceates ao Mr. r. Poirier.
O agente Oliveira far leilao por ordem deste de
2 caleches novos e proinptos para forrar.sendo um
cora vidracas. 2 cabriolis sendo um novo e outro
usado coiu vanea de todas as qualidades para
cabriolis, aro para molas e parafusos para carro,
una serrara novida por manejo com seis serras
circulares e mais ferramenta, indotado machina
para turar ferro e maleira, um torno para madei-
ra e de rosca, tudo completo, safo e bigornas pa-
ra ferreiro, folies para forja, niartellos, tenazes,
moldes d'aco, torno de ferio o mais pertences
completos para fabrico de carros eaviamentos pa-
ra os mesmos, bancos para mareineiro, ferramen-
tas emais ulencilios para estp offlcio, e finalmen-
te de boa mobilia consistindo em consolos, cadei-
ras, guarda vestidos, sof e marqueza, aparador,
mesa de meio de sala, de jantar e outras, toueador
e carleira, tudo de amarello, camas de vento, bi-
dets, cadeira secreta, loucas, armarios pintados
sendo um para guardar arreios de carros e mui-
tos oulros artigos anlogos aos misteres indicados.
Segunda-feira 2_ do correte.
as 10 horas i!;i tnanliaa no proprio estahelecimen-
to do referido Sr. Poirier, a ra do Imperador n.
9, defronte do convento de S. Francisco, onde os
p'ofessionac-s e pretndante! podem tudo exami-
nar com anteriparao.
IIHA GRANDE DESCOBERTA
OliEo
deFIGADOdeBACALHAU
desinfectado
MEDALHA
DE
HONRA
Ai propiedades medicas* do oleo de figado de bacalao forSo unnime-
mente reconhecidas. Mas seo cheiro e seo sabor tSo desagradaveis torno o
uso d'elle muilas vozes impsssivel, mesmo tos estmagos os mais robustos
e tos mais condescentes.
Por isso descoberU do Snr. Chbvbikr que Ihe pennettio de desinfectar
inteiramente o olea de ligado de bacalhao sem alterar suas propriedades lem
sido um dos mais felixes problemas resolvidos pela therapeutica moderna.
O oleo de ligado de bacalhao desinfectado de Ohevrlrr, com um
cheiro agradavel e um labor assucarado, i o nico que nSo tem nem goslo
nem cheiro de peixe.
Objecto de numerlos relatnos acientificos elle goxa em Franca de urna
fama bem merecida, e i receitado por todos os mdicos em lugar do oleo de
ligado de bacalbao ordinario. Tendo as mesmas propriedades do oleo de
figado de bacalbau ordinario, usa se d'elle nos meemos casos isto as:
Pokr'ii da asacar,
fnlfament* por rirriM d
Male atlas rserafulaaaa
arta llama,
asta moran daa alaadca
latea pulraaaar,
Malea* laa da selle
roaatltaleaW lymphallra.
tarmU, dekllldade, fraaueaa,
Irakalka en c arairrc,
eleatlaa dea roaehiae reeea
ti-a eu rhroalcaa,
Toases aerllaaaes,
Saatrltes, ajaatralglaa,
Darea de ratanias;.

Elle convern a todas as cemplei;oes e a todas as idades, e tomada fcil-
mente pelas pessoas as mais delicadas. Elle um poderoso socorro para a
alimentac&o das enancas tracas e doentes.
Um folleto accompanha cada vMro
O oleo de figado de bacaihau desinfectado ferruginoso de
Chevrier constitue o melhor meio de administrar o ferro. 0
ioduio de ferro reunido com o oleo de figado de bacaihau, aug-
menta a accAo to efficaz d'este ultimo, se dissolve mais fcil-
mente nos lquidos das vias digestivas, se assimila muito mais
bem do que quando tomado sob a forma de pilulas, jaro-
pes, etc., enfim perde suas propriedades irritantes e nao pro-
voca a conttipaco.
As pessoas as mais delicadas que nao podem supportar as
preparaces ferruginosas ordinarias, as quaes, principalmente
nospaizesquentes, tem muitas vezes grandes inconvenientes,
podero com a nova descoberta do Snr. Chevrier, usar do ferro,
um dos mais poderosos agentes therapeuticos, tomando-o
unido ao oleo de figado de bacaihau.
O oleo de figado de bacaihau desinfectado ferruginoso de
Chevrier, se emprega em todos os casos que o ferro acon-
selhado; julgamos intil de os enumerar.
e conten aa o-oervacoeaj medlcae.
Deposito em Paris, na pharmacia de Cherrier, e em todas as boas pharmacias de Franca e do estrangoiro.
Attenpao
Manoel Augusto de Menezes Cosa, pro-
fessor de msica, contina a dar licoes de
sua arte, tanto vocal como instrumental,
em casa particular ou em algum collegio;
assim como tem aberto urna aula na casa
de sua residencia na roa da Palma n. 53.
Precisase de una ama escrava para cozi
nhar e fazer compras : a tralar no Corredor d
Rispo n. 23. _________ ___________
I
DE IIIYIILVIN.
O agente Martins far leilao a requerimento do
lestanaenteiro do (loado subdito portuguez Anto-
nio Ferreira domes e por anthorisarao do Illm.
Sr. Dr. Ciaudino de Araujo Guimaraes cnsul de
Portugal, das divida* activas na importancia de
7:156*3*6, pertencentes ao espolio do dito Ferrei-
ra Gomes
Segunda-feira 22 do corrente.
As 11 horas do dia no armazem da ra do Im-
perador n. 16._____________________
LEILAO
De
dividas na Importancia de
64:8494914 ...
O agente Martins far leilao requerimento do
Dr. curador geral e por mandado do Illm. Sr.
Dr. juix de orphaos, das dividas activas do casal
do fuado Jos Baplista da Fonseca Juaior na im-
portancia de 61:6i92H rs.
Segunda-feira 22 do corrente.
No armazem da ra do Imperador n. 16, as 11
horas do dia.
LEILAO
Attenco.
Urna pessoa que ssbc Icr, escrever c contar, se
offerece para caixeiro de escriptorio on mesmo de
ra : os pretendemos dijam-se a ma da Inipe-
ratriz n. 16, Io andar. _______^^
AVISO.
PARA A BOA CONSERVACAO
de
OSSO CABELLO
usal do
Convite.
Por esta secretaria o em noinc da mesa regedo-
ra sao convidados todos os senhores reverendos
sacerdotes prsenles nesta ridade, a acompanba-
rem a solemnissima procissao de Triumpho que
ha de sabir da igreja desta veneravel ordem, sex-
ta-feira 19 do corrente, as 3 horas da tarde.
O secretario,
Joaquim Xavier Vicira Ligo.
Julia folln
na ra do Trapiche n. 7, t andar, em casa do
Sr. Mercier vende-se libras esterlinas eouro na-
cional.
Precisa-se de urna ama forra ou captiva pa-
ra comprar, cozinhar e mais servicos internos,
para casa de urna s pessoa : no becco do Lobato
n. 3, andar. _______
\
Deseia-se saber se existe nesla provincia, ou
lora della, Francisco Jos de Souza Castro, casado ^.We d grande
com a viuva D. Bernardina de Sena Lima, com
lilhos : roga-se a quem for sabedor, de se dirigir
ra da Cadeia n. \\.
Elle um preventivo seguro e corto contra
Elle d e restaura forca e sanidade a pec
da cabeca, j0. Buarque Lisboa, morador nos Afogados,
Elle de prompto faz cessar a queda prema- avi;:a a quem convier, que de segunda a sexta-fei-
tura dos cabellos. i sanu, pesca os sena viveiros, onde os seus fre-
riaueza de lustro aos ca- guezes arharao a venda boas curimes, carapebas
1 e camorins.
Para cozinha
Precisa-se de urna escrava que cozinhe bem
na ra do Crespo n. 23. _____________
Precisa-se de um caixeiro
do Terc_o n. 63, padaria.
Caixeiro.
a tratar no pateo
de lustro a
bellos",
Elle doma e faz preservar os cabellos em
qualquer forma e posic3o que se deseje
n'um estado formoso, liso e macio,
Elle faz crescer os cabellos bastos c com-
pridos,
Ama
Na ra do Calabougo n. 9 precisa-se de urna
ama para todo o servico de casa de urna s
pessoa._______^____^____________________
= O abaixo assignado perdeu urna letra da
E.le'=em a peHe e o casada cabera ^de^mW'^pj *
uiuiu uu anno passado, e
limpo e hvre de toda a especie de caspa, endossada ^ Jo Frandeo Antunes & irmao,
Elle previne OS cabellos de se tornarem com 0 n. 338; declara mais que j recebeu do
Em casa de THEODORO CHR1STI- brailCOS, mesmo senhor Autunes, por isso fica sem elTeito
ANSEN, ra da Cruz n. 18, encontram-se Elle conserva a cabeca n'um estado de fsaa- em qualquer tempo que appareca
effectivamente todas as qualidades de vinho cura refrigerante e agradavel,
De urna grande casa de campo no Parnameirim
com 3 salas, 12 quartos e dispensa, rom grande
sitio murado na fenle, cerca de 1,030 palmos
de frente e 1700 oc fundo, com muitas c excel-
lenles fructeiras e baixa de capim.
Turca-feira 30 de maio as 11 horas
em ponto.
O agente Pinto competentemente autorisado fa-
r leilao da casa e sitio cima mencionado do fi-
nado Joaquim Jos de Amorim (em Sant'Anna)
sendo que dito silio torua<-se recommendado ja
pelas grandes proporcoes e accommodac_6es que
offerece e j por ser em chaos proprios em cuja
frente passa os Ulhos urbanos e perto de urna das
estaedes.
O leilao ser effectuado as 11 horas do dia ci-
ma dito no escriptorio do referido agente ru da
Cruz n. 38.
Os pretendentes podero desde ja examinarem
dita casa e sitio, podendo ohterem do mesmo
agente toda e qualquer informaco a respeito.
Bordeaux, Bourgogue e do Rlieno.
Leonardo Schules, Marcelina Anglica de Cas-
tro Aguiar, Manoel Maximiano Guedes, Jos- Mar-
ques dos Santos Aguiar e Auna Luiza Puntual de
Aguiar, agradecem a todas as pessois que se dig-
naran! acompanhar ao cemiterio publico os res-
tos mortaes de sua muito presada esposa, lha,
inteada, irmaa c cunhada, rogam as mesmas aos
seus parentes e amigos o piedoso obsequio de as-
si>tirem as missas do stimo dia que so ho de
resar das 7 as 8 horas da manhaa, do dia segun-
da-feira 22 do corrente na igreja matriz da Boa-
Vista. _________
Recife 18 de
Joo Teixeira da Rocha.
Elle nao demaziadamente oleoso," gordu- N| mad|.ugada do 18 do corrente roubaram
rento OU pegadico, no rancho do Sr. Sebastio, na Estrada Nova, dous
Elle nao deixa o menor cheiro desagra- cavallos. sendo um delles caxito, castrado, amia
fiavoi oni baixo, lem a cabec um pouco acarneirada.
Elle o' melhor e o mais aprasivel artigo ^^V^tSro ^'^Zti
para a boa conservaco e arranjo dos ca- peyue^ e grosso, com dinas e cauda compndas,
bellos das senhoras, bem ardigo e passeiro : quem o encontrar ou d'-r
Elle o nico artigo proprio para o pen- noticia deseus roobojdorescom c
teado dos cabellos e
res,
sera re-
hrh-i dns" ^Pnhn- compensado na coebeira da ra da Imperatrlz, do
barbas dos sentio gr ^uhn Fernandes HosaS; ou no Clirat0 do
Bom Jardim seu dono Joo Ferreira Selle.
Gymnasio campestre.
Hoje haver um lindo espectculo. Quem
ara de aprecia-lo ?
Vinte que nao faltam.
dei-
LEILAO
Illustrados acadmicos.
Alerta!
Temos hoje a noite de carnaval Ao Gymna-
sio I Ao Gymnasio Campestre !
A opinio publica.
Viva o carnaval.
A associaco do Gymnasio Campestre offerece
Veneravel ordem ter-
ceira de N. S. do Car-
ino do Recife
ic.a<
hoje ao publico um lindo c variado
dando alm disso, passagem gratis,
pectaculo em trem especial.
Viva o carnaval '
divertiniento,
depojs do es-
De SO barra com excellente
touelnho de ninas de 1 arro-
bas cada um.
Terca feira 23 do corrente.
O agente Pestaa far leilao por conta e risco
de quem perlencer de 30 barris com superior tou-
cinho de Minas, o qual ser vendido em um ou
mais lotes a vontade : terca-feira 23 do corrente
pelas 11 horas da manhaa no armazem do Sr.
Azevedo no largo da cscadinha da alfand ga.
AVISOS DIVERSOS.
Distiucto corpo commercial.
' Hoje ha representacao no theatro Gymnasio
Campestre. Os >i lisias sao dignos de proteccao, o
divertimento bello, o luar convida e para maior
commodidade temos conduccao gratis, depois do
espectculo.
O apreciador.
CASA PARA ALUGAR
Aluga-se o 2" andar da cai n. 144 da ra Im-
perial, com baslantes commodos e muito fresco, e
hella vista : a tralar no paleo de S. Pedro n. 1.
O entbusiasta.
Jos Soares de Azevedo, professor de
lingua e litteratura nacional no gymnasie
provincial do Becife, tem aberto em sua
casa, ra Bella n. 37, um
CUBSO DE LI.NGCA FRANCEZA
DE GEOGRAPHIA E HISTORIA
DE P1I1LOSOPHIA
DE RHETORICA E POTICA.
tar
gir
as 10 lioias, e de tarde a qualquer liora.
Nenhum toueador de senhora se pode con-
siderar como completo sem o
Tnico Oriental
o qual preserva, limpa, fortifica e aformosea
0 CABELLO.
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A. Caors, I. da C. Bravo C. P. Maurer pe)a secretaria desta veneravel ordem terceira
& C, M. Barbosa, Bartbolomeu & C, e em manda a mesa regedora convidar a lodos os nos-
todas as nrincioaes loias de perfumaras sos charissimos irmaos a comparecerem em nosso
n K ',... l r consistorio paramentados eom seus hbitos, nos
a* _____________________,___--------- das 21, 23, 26, 27e28 der corrente, para assis-
tirmos aos actos conmemorativos^ da semana san-
ta, internos e externos, qu se nao de celebrar as
horas do costume, no convento de N. S. do Car-
ino, por convite especial que recebemos do muito
reverendo padre provincial do mesmo convite.
Secretaria 19 de marco de 1869.
O secretario,
Joaquim Xavier Vieira Ligo.
Rayuudo da Silva Maa, U. Mcioiulla Flo-
rida Uchoa de Gusmo, Fernando Augusto U. de
Gusmo, Francisco Goncalves do Cabo, Antonio
C. Guinares e Silva c U. Amalia Olidolina da
Silva Maia, cordeahnentc agradecem as pessoas
que se dignaram acompanhar ao cemiterio publi-
co os reslos mortaes de sua mui presada consor-
te e lia D. Maria Cheofa de Gusmo Ucha, no da
17 do corrente, e pelo presente se convidam aos
parentes e amigos para assistirem a missa do s-
timo dia, que por alma da mesma finada, se man-
'- ma-
des-
Ao veneravel Corpo
Commercial
Os abaixo assignados compraram a
loja de miudeza a ra do Queimado n. 63,
pertencente Jos Luiz Goncalves Pena
Jnior, vre e desembaracada de onus
algum.
Jos Maria Ferreira da Cunha.
Affonco Moreira Temporal.
Associacao beneficente dos ar-
tistas alfaiates em Pernam-
buco.
Nao tendo comparecido domingo 14 do corren-
AMA
Precisa-se de urna ama para engoinmar e cozi-
nhar ; na ra do Rosario da Boa-vista, taberna
da esquina, oitao para a igreja:____________^^
Ama
Escrava ou Hvre para comprar e cozinhar : jia
ra da Matriz da Boa-vista n. 5.
para proceder-se a cleico da nova administra^o
de conformidade com o estatuto da mesma so-
ciedade.
Recife 19 e marco de 1869.
Jcs do Espirito Santo e Silva,
! secretario.
PENTEADOS PARA SENHORAS
4
a
s
s
-
SALN DE COIFFURE
DE
ANDRE DELSUC
. R DE MR. IWES
Ra do Crespo n. 7 primeiro andar
Andre Delsuc, cabellereiro de Paris, empregado de Mme.
viuva Leconte, tem a honra de participar ao respeitavel publico
que contractou com Mr. Georges, que se retira d'esta provincia,
tomar conta do seu salo de cabelleiro da ra do Crespo n. 7.
Nutre a esperanca que seus amigos, conhecidos e os fre-
guezes a quem servia emquanto foi official de Mme. viuva Leconte o
favorecerlo, acompanhando-o no seu novo estabelecimento, e tam-
bem que a bella freguezia de Mr. Georges continuar a frequentar
o seu salo, certa de que envidar todos os seus esforcos para
merecer a sua confianca.
Achar-se-ba. sempre no seu estabelecimento um'grande
sortimento de cabellos de todos os tamannos para coques, seja
qual for o feitio, de trancas, repentiz, frisos, bandos, etc. etc. etc.
emfim tudo que diz respeito sua arte.
Continuar a praticar no seu salo o mesmo que praticava
Mr. Georges : fazer a barba, cortar os cabellos, frisar e friccionar
cora toda a promptido, asseio e delicadeza.
Aviso s senhoras
Tm a honra de participar s senhoras que o quizerem
honrar com suas freguezias, que podero manda-lo chamar, certas
de que sero sempre ponteadas com gosto e ultima moda.
TRABAMOS EM CABELLOS
PROCTETORA
DAS
Esta associaqao caminha as vias de prosperidade, nao sem os
entraves inherentes a emprezas grandiosas.
Em 30 de junho do 1868 tinha ... ,,, noAatuxia-jn
registrado esta assoc acao.....3936 contratos e subscripto um capital de 5,868.675*970
Durante o semestre de jW de
junho a 31 de dezembro de 1868 re-
f
gistrou-se mais.
Estado desta associacao
31 de dezembro de 1868. .
at
liCMi
53W
2,173.529*9*)
8,Oi2:101*890
Atteiick)
O abaixo assignado declara que nada deve nes-
la praca nem fra della por titulo algum, no en-
tretanto se alguem se julgar seu credor, queira
deelara-lo para ser pago incontinente.
Recife 19 de marco de 1869.
Agostinho Ferreira Jnior.
No dia quarta-feira 10 do corrente, fugio da
ra do Caldereiro, Francisco, pardo, idade 13 an-
nos, eheio ("o corpo, rosto e cabeca grande, um pe-
queo taltio na testa, junio ao cabello em urna das
orelhas, una pequea marca de urna dentada, le-
vou vestido camisa de chita com colarino de ata-
car na frente, calca de briin braaco liso j suja :
quem o pegar leve-o a ra do Caldere ro n. 62,
que ser recompensado._______________________
Precisa-se de .urna ama para todo o servico
de urna casa de duas pessoas : no pateo d) Ter^o
n. 32, Io andar.
Agencia de Pernambuco ra do Livramento n. 19.
N. F. de Vidal.
INJECCAO VEGETAL
MATICO
deGRIMAULT e C* pharmaceuticos em PARS
. folhas do Maco do Per, foi to rapid, qoe
izes do anndo, para a cura da fonorrha e daa pnrn-
Cde. de toda a oawm.. V o nico producto nesie genero ja entrada na Rus, lenh. do
aulhorizada pelo eoaaelho medico de Sio Pelersburgo.
Deposito en rema/mbueo, em casa de "
0 snecesso d'esu injecco, preparada eom as
ella se tem tornada popular em todos os ps
- produc
JkNNEL DE OURO
RIJA
EO
esquina
ME .IUIAS CABGA
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortimento sem igual,
e vende por prepos que nenhuma outra casa pode vender. |da ra largado
vista da qualidade e do prepo das joias cada um pder-se-ha convencer daverdade.1
Garante-se ser tudo de lei. Compra-se ouro, prata e podras finas por presos muito ele- Rosario,
vados.
A] loja est aberta at s 9 horas da noute. -


Diario de Pernambuco Sab'aad 2 de Marco de 1869.
SEGUROS
MARTIMOS
COMTRA FOCO
A Companhia l.sdemnisadora, estabelectnd
nesta prac.a. tema seguros martimos sobre
navios e seus carregamentos e contra logo
em edificios, mercadorias e mobilias: aa
raa'do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Trocam-se
as Botas do banco do-Brasil c das caixas filiaes,
com descont multo razoavel : na praca da Inde-
pendewia n. ii.
Resta venda un escolhido sortimonto de ob-
jectos de inarcineria, como sojain, mobilias de ja-
caranda, niogno e amarello, obra nacional e estran-
geira, de apurado goto e por precu razoaveis:
ua ra cstreita do Rosario n. 32. Nesta msma
casa fazem-secorn perfeieao todos os trabamos de
palhinha, como sejam, emplhamentos do lastro*
para camas, caderas e suplas. _______
l. Ferrelra Vflleta.
Photographo da casa imperial
premiado em diversas exposi-
jdes.
fa sua photographia roa do Cabug n.
18, entrada plopato damairiz tira retra-
tos por todos os systemas photographicos.
Em porcelana Em vidro
Em talco Em papel
CART ES DE VISITA A 90 A DZU.
Os retratos earte-de-visite sao collados
era carillo de luxo bristal ou porcelana,
dourados ou litbographados, quadrilongos
ou vinhetas para oque existe nina varieda-
de de l modelos a escoma, de quem se re-
tratar. Para as ontras especies de retratos
temos caixinhas, passe-par-tottts, quadros
e molduras domadas e pretas cassoltas de
Ouro e allineles simples ecorn podras pre-
ciosas, havendo nos adeles tima mimosa
?ariedade de feitios.
O nosso estabelecimenta pliotograpbco
est sempre em dia com os melhoramentos
iprogressos que na Amencia do Norte, na
turopa ou no Rio de Janeiro se consegu*
na arte photogranhiea, e para alrancarmos
tal fin minea popamos despenas nem sa-
crificios, de surte que os nossos numerosos
freguezes podem ter a certeza de que sem-
re encontrarlo em nosso estabeJecimento
tudo quanto a arte e a moda offerecer de
bom no novo e velho mundo aos amantes
da photographia.
Joaquim Jos Gon-
calves Beltro
RUA DO TRAPICHE N. 17, l. ANDAR.
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
jo do Minho, em Braga, e sobre os seguin-
tes logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Guimares.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famalic5o.
Lamego.
Lagos.
Covilliaa.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Beja.
Rarcellos.
9U| M?
UTiXIOASlE
Aos500 pares de brincos.
Cliegou e vende-se no Corado
d'Ouro, ra do Cabug, brincos de
mfiosinlias com urna franja penden-
te a um rico desenho e ouro de
lei, pelo pequeo preco.de Ioi000
cada par. baratsimo.
BARTHQL8MEU ft C.

PARA USO INTERNO
PREPARADOS SIMPLES
Xarope de jurubeba garrafa.- 4i5000
Vinho de jurubeba garrafa. I0OO
Pilulas de jurubeba vidro. ifO0
Tintura de jurubeba vidro. 640
Extracto hydracoolico de jurubeba. i2500
PREPARADOS COMPOSTOS.
Vinho de jurubeba ferruginoso garrafa. 26000
Xarope de jurubeba ferruginoso garrafa. i^ttOO
Pilulas de jurubeba ferruginosa Vidro. 2fMKK)
Oleo de Jttrobeba vidros. 640
Pomada de jurubeba pote 640j
Emplastro Je jurubeba libra. 25O0
. PARA USO EXTERNO
_ ~ ..JA JURUBEBA.
^ hsta planta e boje reeonfiecida como o mais poderoso torneo, como un excel-
lente desobstruente, e como tal applicada nos engorgilamentos do ligado e baco, as
hepatitis propriamente ditas, ou anda complicada com anazarchas, as inflarnnacoes
subseqoeatos as felices intermitentes ou durezas, nos abeessos internos, nos tumores es-
pecialmente do tero e abdomen, nos tumores glandulosos, na anazarcha. as hodrope-
zias.en-S'pellas; e asscada as preparaces ferruginosas, anda de grande vantagem
iias anemias, chlorosos, fallas de menstruaca'o, leucorrfieias, desarranjos atnicos do
estomago, debldade orgnica e pobreza de SSngf, etc.
O quedizemos aflirmamos mais distinrtns mdicos dsta cidade, entre as
quaes podemos citar os Illms. Srs. Itr. Silva Ramos. Aquino Fonseca, Satnenlo, Seve,
Perora do Canato, Fhwfcrtir, Siv;1 fjfc. Todos cites reroiiheccm a excedencia d'sfc
poderoso medreamento sobre os demais al boje conhecidos para todos os casos citados.
tanto|que todos os das fazem d'elle jiopli-a-ao.
Apresentando aos mdicos e ao publico em geral diversos preparados da juru-
I eba, favonios por lim generalisar mais o uso d'este wgetal, faiteado desapparecer a
repugnancia que al boje sentfem os doentes de usar dos preparados empricos d'elle. e
'',ilRsSfflKH^^iraBttKlma,sdia Vtzes reP?nantes ;1 tragarem-se. e que tinham anda a desvantagem de nao
^ii^Baw^^fc=t_^j ser calculada a dose conveniente a appcar-se, o que toma muitas vezes improCcuo um
8 medicamento, que pod.ria produzr ptimos resultados.
Os nossos preparados s foram aprsentelos depois de havermos conveniente-
mente pstudado a junibeba, fazendo as experiencias precisas para bem conhecer aspro-
pnedades medicamentosas d'sj planta em suasraizes, folbas, fructas ou bagas, e a
dose conveniente a appiicacao, tendo alera d'isto procurado levar ds nossos preparados
ao maior grao de perfeieao possivel. para o que n5o popamos esforcos, nao nosm-
: portando o ponco iucro que possamos tirar.
Por tanto os que se dignarem recorrer aos nossos preparados podem ter a
certeza de que rdhs olforerem a garanta, de que se pode encontrar, a prompta o infall-
velcura de qualquer dos soiTrimehtos.que deixamos innumerades. se forem em tempo
applcados, tendo alm d'sso, medico en doente a vantagem deescoll.er nasnssas va-
riadas preparacSes, aquella que ruellior Ihc pode convir/j pela fcil applhacao, >3 j pela
complicacao d.rs molestias, idade. sexo, ou anda natitreza de cada individuo.
Asnossis (iivpar;co>s femisinosas sao feias de forma que se tornam comple-
tamente soluve/s nos suecos gstricos, pVque procuramos oscompostos de ferro que
coraotaes estro hoje recotilcidos.
Para aipidles que mais minuciosamente queiram conhecer as propriedades da
junibela, e's'abcroiTi a nppliivi.o de nossos preparados, destribuimos gratuitamente
em nosso deposito um folhcto, onde tratamos mais extensamente d'esta planta e dos
mesmos preparados.
Depsito gem de todos os preparados
ftoftea e drojrnrFa
i concellos Menezes de Drummond
igj transferio o sen escriptorio para a
^ ra do Imperador n. 20.onde pode
S ser procurado todos os dias uteis
j das 11 horas da manlia at as 4 da
tarde, para os msteres de sua pro-
fisso.
ANTONIO EPAM1NONDAS DE
MELLO tem o seu esi'iiptoro de
advocado ;i rna do Ou-imado n. 8,
l.anr.
Ni
I'olhe scuiual
l'llOr.llAMM \ :
O suprsditn fulbt i-m IG pr^ina^ tln
sivaiinMilc.....i!e tuilu.
I'.eilaceao :
QapilSo Salihardnir.....(Critica lit-
eraria e nal5es.)
Eavalleiro De Profundis.....(Noticias
fresca-i
.....filICa^ mriil.i
Ibriode ZJg-sag.....A'i liliitmn.)
. (Theatro o (ypos
wseondn do 0\
das na- i
Proco 00 rs. enda numero.
iy Impressao nilida, i-ousa de ai regalar g
% olho. Recoininenda-se a leituia priii- o
cipalmentc aos rayones. E adeus !
O prmeiro namero wrkao luz un
sahbad'i de alteloia. Mo dia E adeus I a
A' venda onile se anniiiiciar, no dia do S
nasrimento do Dinbo g Cinco.
() E tablliao Pu'ha d-- Sousa*.
m m.
'finmi m
\M DESGOBHOieN'TO ESPANTOSO!
O xarope de fedegoso, de Pernambuco,
preparado pelo phaimaceulico J. do A. Pin-
to, cura tadi-alinejito a tsica e asthma, e
todas as molestias dos pulmoes.
Podem ver-se os alleslados de rn.ras'no
nnico di'posio das prep'aracfies dedegos$
dcste antor, ra do Rosario Larga n. 10)
junto ao qinrfel de polica.
Ilm. Sr. Jon/uim ti'\mohn Pinto.--
Braga, 23'de Janeiro de 1868.Meu ami-
go, aqu dieguei ruin algumas nielboi
tlepois de tbr tomado tres garrafas do
preparado'Tarop -le fftegoso; isto
! pelo mar, porrpte logo pie cliegm i tu Lis-
1 boa, principiei com mais f a tomar o dito
xarope, por Conliecer [>elo mar (pie elTeme"
l'azia gratidebnelico, pois vista da sufi
lo |onr>tj/f^.lo boca, vi qde me ,i desaparecendo
pldfe, depois que cnlinuei a tomar o dita
xarope, e 13o milagroso loi para a m'inlia
molestia'que boje toe cho de todo resta-
blecido, ejat mesmo bstante nutrido, i
por ssopdde Vm. fazer scientb ao publicfl
o milagre que osen preparado obrou na
miriha enfermidade. Sem tempo para mais,
sou de VmcAmi^Hfttento. venerador
miiilo obligado.Manoel Jos Gnralres
Peretr.
Do xarope Vegetal Americano, espccialiade de Itaiiholomcu A- o
UL A LARGA 1)0 ROSARIO34 m
N5o costuraamos procurar attestados para acreditar nossos preparados, e dei-
xamos que sua applicacao e os resultados obtidospelas_pcssoas que se diguaram ar.ceita-
los, Ihesdeem crdito e voga; porque s3o sempre os attestados considerados gratuitos,
e delles que lancamSo o charlatanismo; mas, nSo querendo offender as pessoas qn
espontneamente nos offereceram os que abaixo v5o transcriptos, os fazemos publicar,
manifestando-Ibes nossa gratido pela attencao, esperando que venham elles corrobor
o cnceto, e accetac8o que tem merecido nosso xarope.
Bartkolomeu & C.
ATTESTADOS
DIms. Srs. Bartholomeu & C com a mais subida satisfacao que declaro
ser o xarope Americano de urna efficacia extraordinaria, pois que soflrendo ha dias de
intensa tosse, ponto de bao poder dormir a noite a despeito mesmo de medicamento*
que toma va, a elle recorr e na tercera colher fui alliviado, e de todo me ado boje res-
tabelecido com o uso somente de quasi meio frasco; grato, pois,' csse resultado mani-
fest a Vv. Ss. meu reconhecimento.De Vv. Ss. amigo, venerador e obrigado.Ma-
noel Antonio Viegas Jnior.
Sua casa 20 de abril de 1868.
Illms. Srs. Bartholomeu & CPenhoradissimo com o favor que ir.e fizeram
de aconselhar o uso do xarope Vegetal Americano, de sita composico, quando me acha*
va bastante doente de urna consiipnrio, que me tornen completamente rouco e qu
trouxe urna forte tosse, e me inipossibilto.u de cumprir os mei.s deveres de cai.toi da
empreza lyrica, #u agradecer-Ibes meu completo restalielccimento. (]in Ctotrte ti.m um
s \ idro do mesmo xarope. depois de haver recorrido a mohos tralanu ntds. Desejarei
(|ue otitros como cu recorram ao seu xarope para se vetrm allivi;idos de tio ttrnvel
ncomsnodo, lao fatal neste paiz. Com maior considerado coiilino a ser de Vv. S.
aliento, venerador e obrigado.Luiz (.'remona.
Recife, 2o de setembro de 48(58.
Illms. Srs. H;irtliolomeo & CO xarope Vegetal Americano que Vv. Ss.-tee
exposto venda de toda efficacia para o curativo d'asthma, conforme observei appli-
cando-o a meu lilho Joaquim, menor de quatro annos; victima d'esse flagello, que at
entao por es"paco excedente a dous annos havia resistido a outros lampes de gi-ande
nomeada. Queiram, pots, Vv. Ss. acceitar a expresso altamente sincera de meu reco-
nlieiimento ao meritorio servico que Ihe prestaram com o indicado tan pe. acreditan-
do-me para sempre de Vv. Ss. criado, attento e obligado.Amcrico Netto de Mendonca.
Iteeife. de outiibro de I8C8.
DE
DE
J. VIliNES
31Ra larffa do Rosario3t,
DOENCASDOPEITO
XAROPE d'HYPOPHOSPHITO de CA
A efficacia d'et prpparacSo est eswbetecid desde < R57, pelos mais celebres mdicos. Det de
enlio miiius imiucdos tem ido feitas, mas nenhum ponde sustentar a coiimaracio com o
producto apretinado peta nossa caza. Por isso excitamos o publico para que exiga sempre
este xarope com um beUa cor de rosa, nunca'branca, e eom a nossa assignaiura roda do
frasco.
Sob a sna influenciad a toase acalma-se. os snores nocthrnos cessSo e o doente voWe rpida-
mente i sande. 0 seo empreort tambemos nnis brithantes resultndos nos defluxos, catar-
rlios, bronchites, irriuedes do ueito ou.
Deposito em Ptmnmhuco. em casa 'de Maavar C.
hadsang
con
PEPSINA L DIASTALX.
Remedio por excejlencia para cura certii
das digestes tlfTi <-ts e cumplidas, acalthar
as dores gastralgicas, e reparar as forcas
produzindo urna assmulacSo completa do*
alimentos; sendo mais um excedente tnico
vi:\iih>sK
PHARMACIA E DROGARA
DE
Bartholoiuen & fj.
:URA LARGA DO ROSARIO34
Htm. Sr. Joaquim d'AlineuTa Piulo.
lia multo que otivia proclamar as excel-
entes propriedades do xarope de fecgoso
Na na do Imperador n. 73, 2o andar, precisa- contftfa tflSScH asthma, e"Snffrendo eil de
se de um criado.__________j _j,ima tosse pertinaz, e tendo usado de toda
Vinlli HpcriOefTrn He -i '?orte*'"*3' rtedramentos, val-me pois do
* luau ucg o3l/l VU U.Wtkarope de fedegoso, e urna garrafa somen-
te foi bastante para restabelecer-me, e me
vejo ta robusto como d'antes; soecum-
biria de crto a nao *tr usado seu xarope
de fedegoso,
A' vista disto nao tenho ex'pressoes
com que exprima a V. S. a gratido de que
Ihe devedor, o de'V. S. atiento venerador
criado
Joo da Costa liego.
*~ -
Illm. Sr. Joaquim d'Almeida Pinto.
Tenho a verdura de communicar a V. S.
que grabas aomaravilhoso xarope de feda-
goso, estou com o meu escravo Jorge com-
pletamente restablecido da molestia dos
pulmoes que ha tanto lempo o persegua.
Vc'eite V. S. esta rninha HedaracSo
cbinb-'uroVa lo meu recdiihecimento pflo;
' que VVS>acaba fe'fazer-me. e cuja:
HAKATI88IM0
Asna
Preei dehiMiinsolunro : na ra da Inippratriz n..') r.ntn
toja d. f O abaixo a -sisaidn fa>. si-Fi-nte ao .,
que tem estanelecid) nesia cidado una icfedade
baocaria sub a (ra fOCl de
titodoro swq.\ & c.,
daq-al so-i. ^rente e iariirliento resjion-
savel.
O fim o objeeto da dita sociedad.' o seguinfe :'
i Comprar e vender po> eami jimpria H&mn,
moetfa nanonaes e t$tmmt*>. tetras de cambio,
sodiilas do goviMii i j i tras !
Eorarrei!;ir-se i Jas me
,rau' tras da t.-rra c d*e
uniros tilulos commerciat's.
Recel r ipiaesquer qnantias em deposito, cm
'onta eorrente, e por lempo determinado.
O escripuirio estar aberto das 9 horas Ha mi-
ohla at as 4 da tarde, no largo do Corno Santo
n. 21. Recife 19 de marco de 1869.
lYii'odoro Simn.
_ Calcado naciuiml, na latinea de -' Vfei ftl
iiodniliu & O., ra do Jardun n. |9, avjsain aos
ii- lr*iioiesdrj.la capital e do hitcrr>r,ipWfjF
tiiiuain*a l'atn-icar calcado em :ika T* -
rerem as mcllioresconditioes, Laittocni proco como
o qlidase. ds nroprHtarMs i<-A entllele :j.
Ment, chainam a atr^>nc9odos senhores e, i.- uni-
dores do interior,luo os qni?'tciii honcar oom
~ua freguezia, iSperifleimVi em son- pulidos a
lualidado e numeracao,iill'<-recend()-. e para os en-
tretrar bem acondii-ionailos em casa de seus cor-
respondentes nesta prai;a. .. .
Frederico Mala
Cirurgio dentista pela escola
de medicina
do lllo de Janeiro.
Tem a honra de participar au r-speitavol publi-
co desta capital eseus suburbios, jtifi "i alicrtoo
*eu gabinete'de cununltas e operaees dentarias a
ra Direila n. 12, nrimeiro andar! ende pode sei
procurado todos 03 dias das S horas da, na-1 a a-
i da tarde. EHe aelia-se comjieteatemenle tiabjli
tado fiara com perfeieao enllocar denles artitieiae?
poripiaiouerdos systemas, e bem assii deseni|>e-
nhar qualipier nutro trabalho concernente sua
nmrissao. O mesmo, reconhecend" que nem sem-
pre nsivelsseiihoras no enancas satu'rem a
procu. .ico remedio, o(Terecc-se a remover (jual-
pierobstando,declarndole na riddose pres-
tar a tpiatqiterchamado semipi issiiinflua cousa
ilgnma nacommodidadpdospreeos de seus tntha-
lln>s,e quando para fofa della assim mesnioer
precedido de um aju.-te ra-oa\vl. gnrahrmdb efle a
eguraneae perfeieao des seu gabinete ?e encontrar constantemente excel-
lente pos-detirricio, elixir e nutro? mettfcnmen-
tos odonUgicos : ra Direita n. 12. primeiro
indar.
GRANDE HOTEL
N. Nk-RUA DO IMPKRADORN. M
Os pianos dista antiga fabrica sao boje assz conliecidos para seja necessario
insistir sobre sua superioridad, vantagens e garantas que offerecem aos compradores,
qualidades sstas incontestrr\'eis. que elles tem definitivamente conquistado so!, te todoi
os que tem apparecido nesta praca: possuindo um tecladoemaclunismo que obedeetti
todas as vontades e caprichos das pianistas, sem nunca falhar. por serem fabricados
de proposito e ter-se ft'ito uitimamenle melhoramojpJos mportantissimos para o eiima
desle paiz; quanto s vozes sao melodiosas e llaiJtadas e por rsso mudo a;,:adavt-ie aoi
ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blon-
del. de Pars, socio correspondente de J. Vgnes, em cuja capital foram sempre premia-
dos em todas as exposicoes.
No mesmo estahelecmento se achara sempre um explendido c a.triado sorti-
mento de musirs dos -mlhnrffc autores da Europa, assim romo harmnicos e pianos
harmnicos, sendo tudo vendido por precos commodos e rar.onveis.
BCA LARGA" DO' ROSARIO X. 37
EMe acreditado estahelecmento augmenta
de dia cm da quanto possivel para che-
gar ao cume do bem vver.
Alm dos sahoiosos manjares XHifeccir*
nados com o melbor asseio. tem bellos npo
CH.ifi TElilA E PETT RESTALEAW
Annexos ao Ikhel Central, rna estrena de
Rosario n. i A, andar terreo.
Para dar a 'conlwcer a vai de charutos de Havana, Babia, Rio, etc. qne
existem oeste nou> estalndeeimento pres-
l- -'. Uir.i ni. mivniii, -J5- re'cordafao farTtcrnqda no;eorac3o oc
De V. S.
Afterifb venerador e criauo
'Btto Kajidto GWs.
rdeiado o iateresse.
Precia-so de um liomoni preteriiido-sedeinsuor
idade. siiincientemente habilitado a bem adminis
trar um es:abelecimeiito de seceos e inulhados
trata-se na cua Nova n
.JH
Alvaro lehi'ia C,iv:Ucanti tem escripto- SS
no de advocaeia ra da camboa do S
Larmo n. 8 { andar, onde pode ser pro- f^
||Curado para os imsteres de Ma profissak f{
Aluga-se urna escrava qe fa7. com perfeieao
lodo o socvico de urna easa de familia i batir
narartrgaaonosariou. 3V,Sa ^
lrmnaade do Seiihor Brn
JesilS l;l8 %as
De ordem da'mea i envido a todos
snos-os charissimos irmos para romparcep.
reo no dia 21 do crreme (domingo de Ramos)
pelas 2 horas da tarde, para encorporadoi acom-
panbaiem a proeisslo do nosso ntdroeire, une
pereorrer diversas rna< das fregaezias de S.
ConsBtoTio da frwnml. aiar^i^e"Wr39.
O escrivao,
Joo Polycarpo Soare* Rosas.
< !l*. Sr. Joagmm d'Almeida Pinto,
Cumpriiplo um deyer de gratdao pa
po a V. S. que, por meio do *>u abengollo
pe (frfede tilnleedo dits'-seus longos sofTrimentos 6
meu escravo,
Como sabe, este ineq escravo tinha
hbado ao estado mais alllietvo da raoles-
lia de pulmoes; nao obstante um rffio in-
terrbmpido uso de re-dios, e mnaf'demo-
rada viajetn ao n'OSSo erto.
bem : a ehfemiidade, que se ha-
tornado rebelde a ledos os fneios em-
[irgados para cmbafe-la. ce una
man.1!!,] quasi milagrosa, a qutrO garrafas
apenas, do seu fedegoso
Hoje, grabas a Deus, tenho o meu es-
cravo restablecido; e nao fcil mostr
todo o reconhecimento que sitito p
que V. S. me acaba de fazer.
Son de V. S.
Caiada agradecida
Mara Norberta Scheffer.
Continuadamente se nos apresentam no-
lestcmnnlwfe da-efllcacta "do-ttjfegoso*
de Pe rt i a ni b rico I
Inaugurou-se esteWimmodo e elegante
e.Mabelectmento d'onde BBMse frepicnta-
dotcs podeiTro aureciar a1 espedalidade n
cnnleceiio dos getieroSliHmflnticios.
\s bebidas s9o aS'mais'primorosas e re-
commendadas.
A decencia e bom seryieo priman, n'esta
casa'no bello gosto oSenial.
Mandante domicilio comedorias, tanto
avulso, como por nsslgnatura mi'iisal. Os
preeos sio mdicos e convencionaes.
II i urna espacosa e bonita sala para o
elegante jogo de buhar.
lia tambem aposentos commmodos e bem
mobilhados para hospedagem.
Ra larga do Rosario
n. 44.
a WAo%a rt.'W^fem-seria^i'para
procissoe> porcummodo preco, e iilliina noda.
Aluga-se
sentos de hospedagem, tanto para urna s cndimos dos auntineos pomposos que ge-
pessoa, como para numerosa familia. ramente se fazem. redu/.iiulo-nos apenas 4
A agua, indispensavel elemento para a tres letras que sito tres libb le ni. bonito e
vida e hVgwne, fnno-la sempre em abun- barato. A' vrAta do genero annimciado po-
dncia-para facilitar e^cettentes bandos. ide-s'e jnlgar de nossa retacidade. Esta casa
Ha tambem urna boa hibliotheca e per i o gosa tambem das condicoes de um elegante
dicos nacionaes e estrangeiros, piano para e peiit restaurant onde se pode ver a es-
recreio, buhares, etc. etc. peciaiidade doa fiambres e salames de-Lion
Sendo ociosa qualquer recommendaco para lanches e at farer unta boa coiac3o,
para tao acreditado estabelceimento, omit- juntamente com os prinerpaes -vinhos do
timos mais prembulos, fe&endo vur por mercado, sobrCsahindo entre o hm a pura
fim, que o bom servico, ordem e moralda- e fervenle champagne, o mu sahoroso Kh>
de imperam n'esta casa, como observancia no, a primorosa cerveja. o licor espirituoso,
fiel do regulamento que po'ssue. o quanto pede urna mesa. Faz-se noots
Comedorias a la carte. sonte c varedade de refrescos.
FRANCA-BRASIL
MR. MERC1ER, alfaiate franec. pn-\1neao respeilavcl pubKco e a setis nunnrosos fregue-
zes que, tend trtjfferido sua residencia para a ra do Trapiche n. 7, prmeiro andar, ahi encontraro
sempre todas as qualidades Je f.ueuas paratrajosde Imtnein, e-preiara etWiimes para montara di
senhora. Fai tambem obras' pan militares eparafriados, pa*a as quaes tem grande sorliuienu> d
hotes simtiles. c^fii virola e ennm de roride. brancus e arnarellos. IfrreBe pr'todos s vapore?
nlthnos figurnos ara linmm, senhoras e meninos.
Urna preta escrava que esteja aoostumda a ven
der bolos pelas ras : a tratar na rna do Vigario
n. IV.
Empresla-se dinliHro
sobre joias k onro, pra-
(a, brilbaiitcs o f^dras
preciosas: na timssa
das Cruzes n. 2, pilo
a esla typographia. I:
andar.
B'l IEC O
Pede-se ao Sr, Manoel da f.'osf Pereira. prti-
cante da repartifao das' *rTi-S( "publicas ira em
Jaboato, que Vorilpareca rna Augusta 'obrado
n. 102, afim de saldar o seu debito ou pagar o
que poder e isto com brevidade.
Fundico da Aurora.
Ncste vasto estaheleelmerite sempre se oncontra
urn completo sortiuiento de taixas de fern batido
e fundido, fabricadas rrVentempnte, e se fabricam
\ reco- nzpo.
Wecisa-se d urna ana qne~satba r para casa de rapaz solteiro : a tratar na ra da
i'.artera dn ecifen. 86, loa de ferraifens.
Tendo montado urna completa officini p\n. concert e aki,\aco ije pianos e
tendo contrafado para o mesmo fim o pxpta-imentado rontra-mesu-e" Sr. A. Rastou
chegado da"Krrrnpa pelo ultimo paquete,tem a honra de rerommeiidar este seu estahele-
cmento s Exmas. familias Fernambucanas, prometiendo promptido e perfeieao M
trabalho.
Rua Formosa n. 14
Precisa-se de tuna ama para "eosinhar i com-
prar para casa de potc familia.: na rua da fe-
nha n. 4.
DOS CAXLOS.

Precisa se de dma a
bous i'osiunies, que C
una das casas de atl
'jaruaNova, loja n.4
rava ou forra, de
in : a trataren
rua do S'bo n. 3&, ou
JHHflMt*11"1 P^ cornprar e codnhr
numer M m0?,J so,teiro : a rua da ,mPfatrIz
PELA
Pomada galfttipean.
Beptisjty especial
Pharmacia drRrtlit)lomeo A G.
------Hua larga do Rosario------34.
- Ape-sa qut'hrtntem pi* engao le^tm da
.1 tira i do sello um vale da quantia de 300.
rtencente a Francisco Antonio d'Albuqiterque
ello, queira ter a bondade de o entregar ao mes-
mo senhor ao caes d'Apollo ps. 73 P 75.
VM
Dinheko a premio
Prefisa-sft 4 w-nrtl d.i 4-nn'* ,... 1
Situadlo umdos-hm'ros-iliiMSTentraes de1 Paris, smV as (mmedacoesMM
prirtcipacs flWftros e mrtros*murtos diu-rtimentos, e assim das estaees dos camnliul *
itos da Kurp,- abado de ser inteiramente renovado, nftfta
Pelo renoaso e-erno d ilmirante brai- m? T""^" ,v0 T>Wp'-'rio Vdespefcis pi,. seu completo emlwlleiameaUaa
tordo arsenal de marinlra celebrar misTa. 1??^^!^S*!5t?f!!^ desejada1 era pa.z eslrajto.
missa
'Preeisa-s&da'qttmrtla de 4^00j ^,.e
Hiera em urna casa terrea edificada a moderna
com Din pequeo sitio tod plantado de arrore
que dao frutos e todo murad o : na fjeruezia da
Boa-Vista e bao hos aVrabaldes da m^ma no
centro : uhe-n l 'izer ra^iTeWlJlffeio din
a 1 becco das Barreiras n. 17.
"fiilo.
J0.
1 i-fera '"'! Ser f0"*1,1"1^"0"1 frequeniado por seus cBmpatriolas. e tratamoRto superior a
' % Twv^aTTt^i^aaVT; lod" ^^ mlOnda,orj a^rta, nu servida nos apenlo*-,-babitafoes coWa-
nan^iTconvta^aSs do ilius- nienteraente. ^P08,^ Para familias, e- ** com a precisa regularidade : os preco^nWtfc.aveis e ao alcance tambem d'aquN
lie finado : bem como as pessoas, que
m& seaclode car idade {
christaa.
PlWsa-sfTR 1
um sitio perlo
precisa- ras n. bocel conwnerel. B mero 40.
Gabinete de leitura com os principaes jornaes dos dous paizes, sallo de recef
de msica, ei ; las estas vw.toffoiij pwbwn jui uppiiuwwiJ'ia^ntoMiillJ Wl'g _
itassageiros das repblicas doblar poiqir nllamca da Ifagua, *H m
contrarSo muitos senfiots "ttesphoes, por qui m esla casa bastante fre-
quentada.
h
'

N



Diario de Pernambuco Sabbado 20 de Marqo de 1869.
Grande liqida^ao de miudezas !
Affonso Morcira Temporal, qtterendo liquidar as miudezas existentes em sua
loja rea do Queimado n. 53, reeah'eu annuneiar as mesmas miudezas, para que o pu-
blico se certifique do diminuto preco porque as est vendendo, a saber:
Caixa com agulha francez a
Caixas com 100 enveloppes a.
Pecas de babados e entre-meios
a :i, 600, 700, 800 e. .
Pecas de lita de coz com 10 va-
ras a ........
Linha de marca, caixa com 16
novellosa......
Goques muito finos comrede,s
a rede val......
Frascos com santos muito finos
a.........
Latas com banha (familia), a
IGOe........
Carto com alfinetes a .
Copo com opiata muito fino a
400 e.......
Cartas francezas a 200 e .
Ditas portuguezas a 120 e .
Caixa do linha do gaz branca 50
novellos a......
Frasco com tinta a 100 e .
Frascos cora banha a 320 e. .
Frascos com agua de Colonia
I'ivcr a........
Pentes de travessa para cabello
Y da menuas, s a vista faz
^ fe, a........
Uapara bordar, libra. .
Novello de linha grande com
400 jardas. So a vista faz
fe a........
Pares de liga de borracha para
- peinas de senbora, muito
boas a .......
Frauja branca para toalha vara
a
160 Resma de .papel almaco, muito
500 boa fazenda, com 85 cader-
i nos a........
4 000 Caixa com PaPe' amisade a .,
Jogo de vispra a.....
500 Sapatinhos de la para meninos
1 a.........
240 Pecas de trauca e caracol a .
Sabonetes de tortas as qualida-
U'500 des a 80, ICO e .
Frascos com oleo babosa a
I 9200 400 e.......
Pinceis para barba a. .
200 Gaz a...... .
100 Frascos com agua detlonia a
1 .'20, 400 e......
500 Pontos cnm costas de metal .
iHO Carteira de marroquim a .
100 Pentes pretos para tirar piolhos
j Escovas para cabello a 400,
GOO 300 o.......
100 Carrafa com agua divina a. .
io) Jravatas de seda decora .
I Ditas pretas a 400 o .
lr?000 Botes de louca para camisas, a
Garrafa de tinta rasa a. .
Lencos brancos para maos
3i0 a.........
0-5800 Pai" de suspensorios para lio
mens a.......
Esp.dbo de toncador a .
00 Frasco com cheiro muito tino
a.........
Bandeja para copos a .
00 Metas croas para homens, boa
fazendaa :!>, UffiOO, ifl e. .
200 Vbotoaduras para colletes a .
2,5800
700
400
320
40
200
000
200
320
00
320
400
200
000
i#5O0
320
300
100
240
200
2;5300
CASA DA IOttTt\A
Aoa 4:0OO#
Billietes garantidos.
A ra do Crespo n.23 e risas dooestume
O abaixo e#*ijj*; leudo vendido nos seiif
muitu feliies' fciltietes garantid uro meto n. .HJ8
uom a sime de & pite de 700, un quarto n. 1361 com a surte
de 205 e-outras-muitas fcortes de 4UUJ, 40* e
O da lotera que se aealiou de exiraliir em
beneficio da matriz de Nazareth (!l8 ), convida as
possuidores a viran recebar seus respectivo
premios sen os desconlos das leis na casa da
Fortuna ra de Crespo n. 83.
Acham-se a venda os da parte da lotera a
benelicio da igreja de Nossa Seiihora da Soleda-
de (99) que se extrahir quarla-feira 84 do cor-
rento mez.
Procos.
Bilhete.....4*000
Meio.....8*000
EQuarto.....1*800
EiHnni'ca de 100* para cima.
pBilhete. .... 3*500
gMein......i*7;0
Quarto..... 878
__ ____ ManofllMarnns Fiuza.
Para a quaresma
Na ra estreita do Rosario i. 33, sobrad*
de
un andar, tazei-se llores de todas as qualil&de-
para ornanieuto de i|;reja, altar, -.indures e epul-
chro, inclusive arcos, iKilinase rosas, e tudo quan-
to for cuncernente ate gracM artos ; assim como
preparain-se pan fra coja a maior nwstGU qual-
j quer eneommenaa ueste peero ; cutro ni tam-
ben se fazeui duros mimosas propinas pitra enlej-
iar vestidos, salmea t capacetes de anj-t-. e inais
ito que em nutra qtmlquer parto. Na niosina
gflQ. asa se eneontran j preparados c promptos
venda o seguirte : rices ramos deseda enfeilados
' caniitiltio com lores de cera proprios para do-
mingo de amos, veliasenlriada- ricMticn'e. \m-
dadas a ouro. pmprii.s para baptsados, capellas de
dores para meninas e noivas. Alein disto se rn-
(timnein do preparo ile bandejas de bolos Unos
nfciladas de confer lidade ao lim a que se Aer-
na, quor.seja para ra-amentos, rt]M para bailes :
Catea tambero vestidos para a quaresma on oulro
OeommtBdador Jlo Pinto de Lanos, Ajitoiiii
J"^' Leal Res, Gregorio Paw do Amiual e Ja p
da Silva Limos Giinarai iuiet''r<>.
JocloefllM de Guilherme da Sirca Cumiar.-.
lallorido em Lisboa no dia i do mez prximo
passadn. eouvidan pelo presonie-aos prente* e
amigos do liudo para assi-tirem a inissa que por
iboa do iikjMiio niandim celebrar na igreja do
Invino Espirito Santo, saliliado 80 do Crrente as
8 horas da tnaiiiiia, pelo qtw desde ja se confes-
sjmi_siimni:iiii- ute gratos,
M0F1NA
Sr. Antonio Franci-eo Uuarle o s-u mano I>r.
Maximiano Francisro Dimite venhaui iti Dir i-
83, loja do Btaga-4, C.__________________
Sendj en de lia muito condecido, (coinmtr-
eiUmeate), cum o none de Ignacio Pcssoa da Sil-
va, e rnente em mea batalnao, se rae conltece
eoni o meo anttgo neme. Ignacio IVsea fotevoB
da Silva : derl;roque, dora avante a-signar-nie-
uei, quer couimereial, quer pattieutarinent.
Hecife, 16 de mam) de 18o!".
Comida para fora
Xa ra estreita do Rosario, sobrado de um a-
ilar n. 35, continuase a preparar almojo o jun-
tar em urna casa le lamilia, e manda-so levar,
lude com promptidiio e asseio.?1-
Iijiincio Pfssfa da Mica
_Prdase fle um rriado : a tratar na ra
i la_do Ro-ario n. 28
. Prwsa-se alugar nra escrava para todo sor-
v'C<) de unta ca=a : quem tiv,-r, dirija-se ra do
A,:|-!" n- '18.asa iveddicarta d.- novo.
Com muito maior vantagem
m Compra o Corceo de Ouro, n. i U, ra du Cabu-
^, moedas de ouro e prata e pedras preciosas.
Ouro t vrata
em moeda e em obras nutilisadas, compra-se por
bom prego : na praca da Independencia n. 21
i\a praga da Independencia il33, luja deou-
rives, compra-se ouro, prata, e pedras preciosas, p
tambera se faz qualqner obra de encoininenda, e
todo e qualquer concert.
Compra-se
Um preto cozinliero de 13 a 18 annos : a tratar
na casa da rna'da Cruz n. 1!), 1" andar.
utm
400
*.,>IJO0
320
h
* tJtlElMABI3

lii.ilqiier que se precisar com a maior proiuptidac
e asseto.
Aluga-se una casa c. sitio na roa das
Pemambucairas, porto do BaeoWna (C piin-
v'a) n. 48, com acomniiida^o gara glande
TatiHia, liastnnti; lreca,-e ujs cliavos.iwra
sor vista aclia-.M; ia oase junto n. So :
lrt*ar na na do Pilar, sobrado junio au
arsenal de marinha. 9-. andan
do Rosario n. 79,
sobrado
Agenda de negocios da edite pa-
ra as provincias c desas para
a corle.
iJ"1'' a Jir*,\'*u do advojrad) Fram-rsco Carlos
Wanda o, achaco stabetppiffcr-nn cidad?-dfrflin-te
l.iit',ro, n va de *-:;-;rto> <",a curte para asprwviueias, e de,
* paraacmiv quai, polo pc-soal habilitado^
meios deqneii^iVi^oiicariija^e-oXcdus equaes-
l.'ter iift-oe.is.jiHli.-es em i' < 2" instancia, con^
0 mnzeo de joias
Na ra do Cabng n. compra-se ouro, prata
e pedras preciosa-or pceos nias vantajosos do
que em outra qnalqner parte.
Compra-se
hoje libras esl>rlinas ouro e prata de todas as
nacoes e por mafnr preco do que em outra parte :-
nrua da f'.ideiado l'e-cifo n. ;H, loja de azulejo.
Liua do Quemado u, 49 loja de,
mudezus de Jos de Azevcdo
Mata e Silva con/iccidopor Jos
Bigodinlio.
Esta queimando os objertos abaixo declarados
pelo diminuto preco, lMber :
- cum agua de Colonia verdadeia a 1.
Calalas rom agua Florida ve.'dad.ia, que se ga-
rante a 14-.CO.
- para regacar cabello do meninas a 320 rs-
Tliesouras muito/ linas para tubas e costuras a
oOO rs.
TiiiK'iros cIhos de tinta muito prela a 80, 100, 160
.3 4(Hi rs.
Varas du franja branca de linbo para toalhas a
1G0 rs.
Caixas de
loOrs.
Mtaalbis de cabo de niarlim e que
qoalidade a ii.
Libra de laa para bordar a 7.
Pecas ile fita brau a elstica muito superior a 2I0
e WH) rs.
phosiihoros de segnranca a 0, 40 e
se garante a
Xovelkis i!e linha branca rom lf.0 jardas a 6#
Itaunas de papel de peso Im> muito lino a
Latas com superior banha a WQ 100 rs.
VENDAS.
Vende-se na r.ua da Iinperatriz n. I't, 1* an-
dar, nina escravinba de fl a 10 aiuii.s
Vender
no engenho Dmis Bracos de Cima urna moenda em
perfeito espado, toda de ferio, torneada de novo, e
i ue esta actualmenlocm servico : quem a preUn-
der dirjase ao dito engenho. oside nao s a oxa
minara, como achara com quem tratar.
Si.
frascos de cheiro muit fino a
fazenda s ba a 1&ZQ0

p {=)
O?
O
9
Itensae de um hmiem ou senlura para
enstaar prneiras ilras duas menina*ni u'ii
engenho na povoaca de A6reu de Fnii quem !"T",,M^'t. crrmp o comiHerciaes. recnr-os, p-
fsver it.i<;di!:ido p.ira isto, entenda-fe w roa d->? F^co^s ijfgTan.s,. revotas, defezas Trapiclie n. 40. aw\*rr. N^ft r'<,w;u;iies do auli($UMades, de magieira-
1 dosJ ele, <.
lii'V.-Mibi>-se
*w-
es
Precisase d l:0Qj a juro, lanao-se ga-
ranta di beiis lifnes.fi desembarazadas ; 'q,uei
quizer annuiicie pata sqr [yocarado.
Prefii-se de tinwnua para oerviiio de etta
de-fanea famrtit, t-ni-rua -do Torresn.i**,4ri-<
ro iKlar.
Troca- e u u ja.letuario eo oito imapeiW
com ledos os prepares de ouro : ua ra da ttoia-
n. W^a> andar.
A-agnia branca tem-so feito lao ouhecida e ura aoutra os agrada veis ctoetrei ile< que sto
-acreditada, nao spelas avidades, variedades, su- em seos linos h?!icis, o cada urna das qnaes cnspu-
poriridade e abundancia de sea -orthnentu, eoino lliosas'pok) tafc doarerto desoa wevdtia, e c n
pelaeonstanteooninwdjddedesi'nspn-ifls, o ms-
alo-peto seiuassaz o uu.ica olvidailo aaiado e sinee-
ridade.
Essas verdades incntestaveis >so sem duvida
apreciadas pelo bello sexo em particular, e p!
respeitawl publico em.^n*al, e a tanto \ >m chegado
que estao quasi passando como aunexim ou pro-
verbio, iptando se vd m objecto de elegancia,
gosto, novidade, etc., etc., dz-se ofeaquello ob-
jecto sem d'tvida fui comiirado na laja d'afuia
branca.
Quand-i ro club, nos bailes, ou no sali do
Santa Isabnl, ama oxcellentissima so 'aprsenla
Srbrtsainentf- trajando, trayendo o moderno cink>
rmii larga tita, (isa, cnaialotada, o e' as soa admiradoras itizetn Consigo quolla-fita
foi comprada ua loja d'agola branca.
I ipferndipor siinesov justilieardieuisiiBi*
uuieameiite-; vi-rdade que estoclwiroibicotopra-
do na kpja d'asruia branca.
Alada atuin.
Qnando hottem tis pas aflhetos sentiam o rigor
da deuticau de seu charo lilhinho, e boje alegres t
saisfeilos pelo feliz restabeleciniento reeebem a^
visitas dos sens melhor amigos, dizem aquelles
estes, foi Detis que me ireminuipara que comiiras-
i-e, como coijiri'i, mndesses virtuosos collares
lViyer, qae se venden) na loja d'aguia branca.
Aleui do -omito maie que tiudn
falla dizer.
Quando em un circulo de circnmspectos carac-
teres se discijiirn veracidade de taesdzcres, appa-
rrecer mn'outroqne qneira anda levemente inter-
romper a discussao, os primeiros por momento es-
quecerao a cirmSjjeccui c-lbes darao um gra-
cioso debique dz?ndo-Hies-j abemos que V.
ii:a daqiieilefp indina o chapeo de ssl-oque
merecia ser designado pela aguia brancada roa
do Queimado n. 8.
Avisa-se ao rtspeitaVel pnhlim qin> Jos
Mguol de.Arauia Pmi^piugaez, achare habi-
li'aiio-nupaladrriho-- c -+ra- :fr- n- f.iri*em'c.)ia pos>v>-l : ;:i pate ,'rt- Har
nJ!L_ __________ __
-*l,reeisas*dfc in aiUAthr* > pMic i : u?
ruaflol'riiin il utro sm ^3'lquidacoe* comxner-. l
> de YormcarOes, e ji^nos d rconw,. de cw-
branca* drt ral ttui) i; nwJuiT-*ia*!ilimistt.. uu-que (e-
idranleuw feito penmte as mpaNtcous htoWnistra-
ttvas dsfPv'it*.
i b^liaWeaswiiitcwwojiaTaintiasqnepom aspar-
te 3%i|arj adiuatondimwiro sohr i-anmcad-
i; c direilos queiiie parecerem eguros, e li-
jwdus, vi
*m*-se a faroenor s-aen cramuMentes a-
iBformreoes que extgirem, e tpie pdei' obter, so-
hrc tiri 11 mitos f'i'"f)-siin ^iii' "f.if ^nj"|ff .
aaiiiooaiwkis e corrnmsses seras raz^aeeInd
audoradna, rjnilaj>do-ae pela importara e flVtf
?oldiidis q*4tofr idos. t
Aa**s
^.->as ntfidos aeue ervafnti' *>e guizerem
O abaiAtr-a*sili;nli" mAiiit aitulf>Mpl^miili*V po#-a> tlp#-'s*^iaitwmv-aJron poi'
icio aca negocio com o vraiuv WHUbo, |*<, *r*.a n>*Mptr*i cima indicado, (levendo na
i!e ao e polw^i \ai BaiweJ C<*me Bez.-r- seguirla hvp"tbes' nM-i-ter ps docomentos que
:ra.frigiescravo tAr*HiM.eBnrt|Aitiniani>nti-feodeii(e4o-julifMn:wciad^ < a. 4oiLVriiMaK>irm-'UJu acca de iet'4BUtoW-,rto uegncM* fia-tivei^mde ser traadlos. Aeui
L"'S,li'''fl"'j7' a |deta-#emossa-i>sseidiorea ^ue towwem lora do
it.-cij, l7deaar^fde Amwo Jasem Prn; <-oiii(4miinene .aiUotwar fwsoa ido-
?qum* "Bel o\*pwt.> ios soiis drwre. para mn
Quando outra eXceHMisSmia, nao meno3 par-
osa, Bostra o rigor de sen bom gosto-aa acertada
escolha d>^ eneites de alta novidade que bella-
mente ornam ea vestite, anda mesnr.o K rivaes | _
de sua s\ mp.niiia conf.samquoquelies cn'eites *ao-tanta as COS8ga que por
limas -esapam a outras.
/ ia es forara da toja d'aguia branca.
Quando n.iuira exceldm'issima, atezar da sin
gelleza de su porto nrada?. el.'si vt'mi a* bonitas
tovas de pellica duqueza as suas--bellas ami-
gas louvam-lbe o gesto e onfessam queaquellas
uvas foram da loja d'aguia branca.
GuailA tbAmo duas escellentissimas, antigs
antigs de enUegio, se encontram -nnifuelfos loga
ea, depoisdnscamprimentos de recprocos boijos
-aDbaa per ferea de sua elevada delieadosa, gabam
leatbiaQ-se para noticiar, que receben uaia pe
quena quantidade de enteites para coques e gram-
Iios fiara ditos, tudo feto de metal oom lindes e
agrada veis coloridos, obras estas-pela primeira vez
apparceidas, e portante inteiranovidade.
'fambem rtwgaram iovamente.fWicado enfeites
e flores ornadas de aljofares evidrilhos, tanto de
palha para eAtpi: -como .para vestidos, endo
continta a merecer a apreeiacao das exeeeatissi
mae conhecedorce do bom.
'revavfonpie e***ia rrtm r& tvmum m*^ideMi- "'^iaIL '
vir ; **hn para o pi.ld-.-o. que > :.vio despeitado Lnl <**"**** '\ ?* **>* r^-r,-.,,^ ce
diMKiae o Ilim. S,. enae-or.wJ Ueeiu nao "^.e PprKI,mt'' P^corn nqi.Hlf-,, > o
o
i
Caixas com seis
HOOrs.
Caixas com doze fia
i ,;oo.
Frascos com superior oleo Dloeome a ,'i:0 rs.
Chungas de sai ao ifanspanate muito bonito e fi-
no a t'i r-.
Duza de paos de pomada do Reino, da meihur
qualiilade a iO rs.
Pe as de tiras bordadas majto linas a oOO, GOO
800 rs.
Dita* de babadinhos rom dez viras a GOO r?.
Cari iluij do linha de tudas as caras, imin acabar
a 30 rs.
Garrafas com agua divina a ttttO.
I1"; a Don ruin superior macaca |ieiula a 320 rs.
Caixas de lidao com doze d'daes. que s a eaiia
vale dinheiro a 00 rs.
Dias Je ni,id. ira oiu ajfiict, o uuo La do me-
lhor a 380 rs.
Cresas de betoes de louca, Hsos e bnrdaies a
H> rs.
Caixas redondas para rap enihtmdo' tartaruga a
14300.
Pec.is de lita para eos da melhor qualidade a*
Kscovas para li;npar dentes, fazenda que a vis-
la a 840 rs.
Ditu- para limpar unhas de supeiior qualidade a
:wo rs.
TOflCO DE tm
RA 1KJ QUEIMAiiO N. 55.
Jbaiinha de milho.
Vende-se fafinlia de milho au.arello muito fina
tt 3j a armba e Wtt rs. i liiira : na laberua da
Tua'larga*br4*srio defimne'da Nttira fle Rar-
itliolonieu e travessa das C.ru/.os n. 10, esipiin.i
Itpit'Yolta ponvooqnartel fo pudieia.
eaMVl
tom-frra mais a um balalhao que anda BMrsa dedisciiili-
na? Kessa nm, em q&e o reg tunda tonhe-
reu a felta>dAfemiiiioral.rt lonel'ttteo e a aecetarA ibscipliio no balalhao
de artia*ia, estivo endasiaeado-v pur mndalo d <
governo sob o eoutfnandc oeste tenente-coroiiel;
, contando j alguns anuos de sers-iflo na gnarda
nacional, o ronoder nm dos'*r.nnow!ndanles mais
aptos, o iscipJinaduits tp-.'i leui a guarda nacio-
ual destemunicipio : e apreciad ir de. seu mrito,
sen chamado pida raiiihai-onscieneia tas somenl>-
para dar este1 tertemanho de verdade au tribuna
do rp.itavHl publico, oittV maledisceaoia sein-
pre faaertio.
Recife, 17 do mar?n.
jfiwor' Gw*x de St,
CaptSo do fH'slhao de gnarda nacional.
la ewnttarem. affria^mwqialiiinMu -nmta. e^orisso-tem o
mais vivo interesa em mante-lo, e hade zela-Io
com a nms"valamesnieinid*
jjGapsulas de Raquim
Os bons effeitos desias capsulas para fazer ees-
psa s pinonrlieas wliain-se coiriprivadas pela>
experiencias de muitos annos.
s modiews du-todos ospaizius m reronimeuilaiii
pola sua .elfieacia.
VENDE-SE
; ha '
Pharnra^ia c drogara
M
B.\RrIHOLt)ME & C.
Ru^ia la i-fia di Rosario34
EPIDEMIAS
O LICOa DE LABAARAOUE cm preservativo araro em temos de
2S52T *1 d mMr pa,'te "as vezes "wl Paradas, sendo por S
ms nocina > que ote. Qe^Uo cm Parn. L. FRI-RE. w, w J
Rio-J-^elro. Dupontxne.H. Trsdorpf. a. t>n..feM. Manrer
r**MBBBI
Guilherme Augusto Rodrigues Serte, tendo de
retirar-se-temporariamente AvAa provhK'ia para
(Im de abril prximo julga aoi-^sano deckrnr
de>de j, aoo.wtn coni4ttiiido seus |irocuradore,s
bastaines no furo desta cidade os adv/igados )r.
Joaquim J.^ da Fonseca e Dr. ios Joaqolm de
Oliveira Fonseca ; o solicitadores ios Tbeodoro
Gomes e Alvaro Paulo Noblato.os quacs team po-
deres para represeutar o annuiiciaiite m\ -juizo
idnrante a sua .ajenen, c tantueui paia rceebe-
'rein quaesquer intiinaeocs e citaces.
C/O


GOMES DE MAHOS IBIfliOS
tendo feito completa mudanza em seu antigo e
acreditado ;estabelecimento de joias, com ofimde
dar-lhe maiores proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especiadade as Exms.
Sras, e bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da noute na
RUfl DO CflBUGA N. j
onde enoontraro um completo sortimejito do que lia de mais eleganie.
bello e precioso em.bnlhairtes, esmeraldas, rubina e Urdo.que em obras
'wo,i*aU.,pbina se ptkle desejar.
WflEQOS DE BnilrlANTES, ESMERALDAS E JUBINS
de novos gostos, equedevem cauzar um graade effeilo nos trages uuares-'
maea, assim come grande vartedade desakas e rpalitekos de prata cou-
[-.toastada e de gosto i ainda nao -visto.
- J.yJWjy *rocMn qaJquer joia ou pedra precio* ^ tarwtem
aquahdadedosobyectos vendidos.
zn
%mm\m n mmu
N.*3WJAWRKJTAN.o
Ib As ptluJa. o nmpo alcoiolico e
| etikOMh e velaos1., coiifonne a g
n fermula do finado plirm;iceutico Pa- s
jae ranlios, as*m como a pomada con-
J tra as inehaQfos cryslplosasi a-i-Wo- g
g se venda, na-JwtiCi du rranrisKO 1
[ AiiUmin las iCliaj^as jua Pineita,!.
H 3, defronle do aiinaacm de molda- g
fias denominlo viado braneo. Es- |
a te>s medieameutos leRi sido e ^io&
i'fl* mnis enerpicos apetites ausilia-1
* ritres da natunexa na-debellacao das <
i doanras, son-indo de-finindti alivio'|
a iHiinanidadi' BtilTredoi.i, principal-M
g mate agruetl^s. que tttsptjndo de S
I poneos recursos e nao podendo por
5 muitotempo permanererem emum a
tratanento tmtft intil, {ida infli- 8
8 eacia de cortos remedios. recorTenv'l!
elies; e por-de sst; .re com-^
^ mondados se toeno, |iaj-a a-s pess,as s
m quej.uffremderliuinatismo, osero- S
8* fulas, Jeeras,, iinptgoiis, otysipla, 2
tumies nos ossos, tosse, asthma, I
ffl.amenorjlaoujiunprss5o de mens- f
| truo e menstruacao dillicjl, sendo j|
porm usa/los conforaae a direccao fia
escripia gue os acompanlia.
SEDA PltlfiTl'AASHA A OuARBSMA
A 34 O WVAD0.
*endem-?e sedas pretas lavradas, fazen-
da annito sttperiir, que com avanlajada lar-
velido, e sendo fazenda que em otra
qva#quer parte-nao Mveitde por menos de
4r5tOO, ma* por soler roiii|Mado urna
rafcxks paico vendo-se a lijfiUO o covndo
uiOBeiite na loja e armazem do Pavita .
ruar da impiraUiz n. tiO de Flix Pereira
da ,R>lva.
t Verponteas de |imlm pega Mitarosi^ verja;
e atfcaBcas, todas de superior qualidade. Tintas
Verde Pars, ranai de zmcu e preta. em latas de
14 e 8 Jidras, j preparadas, oleo de Knhnca en-
barris : m uui.izem de aVpeoito da couipanliia
l'ernambaeana. no iaiyo. daAssemhl^a n. 10.
Mauoe! Alves Kerreira^ C, na ra.la..caxa con papel rauco e'de'co-
Moedl n. 3-, segundo andar Um para vender
superior potassa da Russia em barris e muios
barris e cal deLrsbAa da mais nova que h
no mercada.
(jrantle liqui(iu(t'o.
0 propietario danli^a ebun cttnhecida
loja le miud.'za denominada I'cija flr
ruado Queimadou.CJi, (|tiereiido acabar
com o .swlimcnto de miudezas (ue existe,
Um di'lilK-i ado proceder a urna completa [i-
quidaco. [iafa &<\m chama a a4teiu.aode to-
dos.
s Os olijecios serio vendidos por meiadede
seu valor, e fiara que o publico, nao suppo-
nlia. quiiopivsi'iitnaiiiiuiicioe una jllu^o,
o|Hopriet;inoda dita loja offerece urna pc-
qiieua lista de aljmiiiaMiiiutli /.< s. c.iu oseus
diinitiulos pregoscojjio abaixo se ver,
au presentando urna lista complita-de to-
dos os objecios que estao eipostos a venda,
pela rj&iiv de se tornar um annuncio milito
extenso e por consequencia de enfadoi.lia lei-
tuia. por isso apenas leniita-sc a segmates
faiija-ii. c:i\rlo-i'S du, ci'ifs. .(506
4)tns de eimJopee
l'i'!a........ 800
Ditas..d Cvclopcs !-;:
des........ 709
MbW>3 etftulo|ies.^i andes e Di>
quetios. ....... '600
Libia de laa pnra bordar, -iw.'ia 1M00
Du/.h de cailiVsdt! cohm Ir [r; i-
iMUAiOm X |aii:c id c.uir.u .900
Dita de colkeres tki.rfuelal.itiiii-
cipepBf a-sopa....., 8fl
Hita de ditas para eli. tillr
Concha de metal principe para ti-
rar... acucar. ,....'. CO
Botuailuia pata collde. 3w
tusos de luvas de lio da..escocia
branca e decores para h< 11.1111. G0U
Dita* de:ditas para swil|(ta. 60
Kapara-Kinli) desenlila. -$
Pares de sapatinhos do casimira,
novado.-. ,.....
Ki^sdr ca ii: illia de, la. .
lscova lina para ln Dilas do dilas.......
iuPtmte i preto dg OarJ^a. .
l> te'ftii com apparelloide ultautho
a 640, JAi'OO e.....i%(j
Bonoe de cera a 4^000, 1(5200,
-&W00, ,0U0 e.....S^JOO
Apparelho do porcelana pata al-
mm.'o e jan tur.
Ji.ipo de .Vi.-qiyia.
Tinta rxa de Mon-
teiro.
Vcnjdo-se tinta rxa de Monteiro para eseiewer:
na luja (Je- cafapdo do uteado- amurello da i na da
f.rnz n. 24.
Em casa de Tbeod. Qiristiaiiseu, ra doOnu-
nwreio n. 16, ewsMHraiii-s etloeiivaiuente *>das
as qualidades de viuo lnril.Mus BourituRnee d<<
Rhenn
mmmsam
Pret-isa-se de ama seniora- 1 4a euycnlio distante dosia eidade dua* lopoas : quem
,'irt^teiid.T anniinrie por este Diario, ou dirija-se a
ruada Concordia n. 37, que achara com ipiem
tratar.
FateHo muHo' fino
no largo do Pa-
saecos grandes a 4j560 o sacro
iraiton-ao.
""" tAmua a sioooT
Vende-se na ra da Lapa n. 15.
---------------
PfilMEIRO HTfiO
s
DE
IEITUIIJl
Dr.
Rezina de angieo:
loja de fazendas.
PELO
AUlio C. Borges.
2a EDICO ME1.HORADA F: AUGMENTADA
A' venda na livraria I'rautcza
| Esta nhmtha, -primeiwi.que cornial ulo
tpareceu no paiz, -enmposta secundo um
sysiema especial, abrevado, pllosophiw e
ameno, ejiun'to- diHaii-nte das cartas co-
nh.'cidas com o nome de A II C.
Recomenda-aAftf lo.dfi..avar,#ido adop-
tada para as escolas publicas de quasi to-
das as provincias do imperio, sendo por
tuda a parte t3o vanUijosamente aceita, que
tn menos de 18 nvzes a.aurse- esgotad*
U nprimeira edifio de des mil exemplafe*.
Tonde-^e
na ra do Queimado n. 34,
GOMMA E PE.N.VAS BE^EMA.
Vende-s.' na ra du Queimado n. 13, 1"
andar.
"**"
WC
l9
nuuftitu le luir
or SI3aBET, wieoSacesar,
ran
BUB PE SEtS.E,
51
Brtruinjiriuiento do prewnido nniartit/o -Wd^
regulaiuenU), se convida a todw o^aenhori eiuir
ribuMdesdesta.ai^^,Qffiai(iuo terantu
^presentado as certliVs de idade dos segurado.
para queJ**m>i*intsitoli**>p* ru*dyyn-
imeuto,, 19, f nir;,a#mide aieXfinNdM [4
^^^tfmm-cl^in^tit^^'t^t^ml do
'Mi i de Janeiro. As eertidfies d)tiik reconheeidas pur tabelliSo. Recife t3 dt Janeiro
de 1869.O representante,
.mAAWtaL
res........
fcilwdores 4>araTveftdo. .
*iiixa de hnha demarca -Mar-
inada cazi.......
Sapatinhos de la para moinos.
Tocas.........
-TuJwlhis venuieitlas
DE
-Antnto Nuiles de Castro.
Vrrmifugo pfficaz, eprefeiivel a todos s
conhecidos, j pela certeza de seu resulla-
do.ej. pela fcil appliear>> as creancas.
quasi simjire mais atacadas de to terriTs)
t tauitas tezes .^tal soTrimcnto.
l'f DEPOSITO
EU
Pharmacia e lrogaria.
I)K
Barlliomeu A C.
34-nna I.arsa dht glosario 34
Oinnire.doposit'i itefctrada lt.riea-deJtMt*
II m do l.abo. sito norteo do Terco n. ti anta
eiilade. iciii resolvido faier grande .iliitnirntMf
eanoe que ti-m roeebidii, os aiuaen Ikaa* teaiM
pela -('(jiiinte tabella, a saber:
De 1 l/ pulli'gada eaa> lidwda hut 800 r.
De i ditas iil;n dem-por i lien.
De .'I h 4 ditas ideni idem nw 14300.
1)0 illWs*delll iiclii p-.w u."' o
De B, i e to ditas ideni ideui pn>' 4^000.
Que leui ailua in;i par.azi!-l(*cuiu pwfeieao. sviiiio cada inveaj).
tre- paliims de coniprimento, a -im c, Uio NO
rande .st>rU(iienlu< (k iimca, Unto. vutindaivON*
para resfriar agoa.
Para, encanara,eiito \Kwm>
Canos de ferro, ditos estantiad .s, (iit,.; f< rriea
l4e porcelana, todos com as i-oiiuiotcutes'toraviM.
j tnrvas etc. ; a ra d
' W1M I-. 1AHAT, i
\ ende se u.'ii exqel.eme |,uiio u.*il.s de*aa-
no. opi intKOai-da* : na ra da iuq ei a ro n. 47
Cera i
Vende
mais barato do qu .i
Na ra Direita u

:<>l (!>i i;iNB-
\raMN
eominodos.
V


*mJ& J
6
Diario de Pernambuco Sabbado 20 Je Marc,o, d 1869.
Lindos cortes de cassa de cor rom barra.e cora flgurino indicando o molde do vest-
do pelo baratissimo prego de 3)5300 o corte
Ditos de percalia muito modernos rom dnas salas a fJr>000 ruis
Na loja das Columnas da ra do Crespo ri. 13 de Antonio Correa de Vascon-
C5*l0S i C.
~ PREQO CORRATE DOS CHAPEOS DESO.
Da fabrica de
MANOEL & C.
Ra Nova n. 23,Rna do Cabug. n. 8
Pernambuco
Chapeos de soda trancada, Paragon. de 10 hastes,
pollegadas a 13?. e 2 pollegadas' a IWOOO.
Ditos de seda G. de N. Bara, de aro, de IG hastes, 28 pollegadas
de 26 pollegadas a 135 : o 2i pollegadas a 120000.
Ditos de seda G. de N. lisa, do ac, de 12 hastes, 28 pollegadas a *2(J;
26 pollegadas a II; c 24 pollegadas a lO^OOit.
Ditos de alpaca, de ac, de 12 liaste?, 28 pollegadas a 6$ ; e 20 poMegadas
a '300. .
Por diizia fiz-se descont de 15 0x0
Chapeos de sol de panno, de baleia, de 8 hastes, 24 e 26 pollegadas a 320
a duzia. (Descont de 10 0j9).
Ditos de panno, de junco, 8 hastes, a 18000 a duzia, liquido.
ALTAS
LOJA DO
-/
28 pollegadas a 160; 26 j
a 144;
de
^
a> phosphatodeFerro
fufe LERAS DOUTOR EM SCIENCIAS.]
INSPECTOR OA ACADEMIA DE PARIZ Etc. 1
Debaixo da forma d'um liquido sein sabor,
anlogo a urna agua mineral, esie medica-
mento rune os elementos que constituem
os ossos e o sangue. E' o mais racional dos
"erruginosos; por esta razio o adoptaro
os mais eminentes mdicos do mundo in-
teiro. Conem muito s meninas de temperamento delicado, cujo desenvolvimemo tardo,
s senhoros que padecem d'estas dores d'eslomago intoleraveis, causadas pela ehlorosc,
anemia, menstruacio eu leucorrha, s criancas d'uma compleicio pailida e delicada, e a
todas as pessoas que tem o sangue empobrecido pelas doencas. Effieacia, rapidez d a?o,
cura perfeua. sem constipacao de ventre nem aeco sobre os denles, taes so a3 razes
impero para que os senhores mdicos o prescrevo aos seus doentes.
Deposito em Pernambuco, em casa de Maurer e C.
Ra do Crespo n.
Impe
PARA QIARESMV.
Gorgoro preto.
Setim macau.
Sedas lavradas.
Moircantiqne preto.
Gros-de-naples
Basquines de gurguro e de gros-de-na-
ples enfeitado cora primor.
Corpinhos de gros-de-napfes.
Basquines, captabas, pelerinas, Sebos,
de crochet e de guipare", pretos e brancos.
Mantas pretas de Wond.
Riquissimos chales de touquir.
Requissimos chales d gurgurSo de seda
preta o mdhor neste artigo.
Chales de mirin pretos mi requissimos
bordados e franjado de retro/.
Chales de mirin bordados saltane;
ultima moda.
Romeus preas com lindos bordados.
Leques de madreperola, nrim, slda-
lo e osso, e prefcs, para seoberas.
Ditos de sandal9 para menta*;
Chapelinas preas.
PARA CASAMErWOS. BAILE* THEA-
TROS-. etc. etc.
Lindo* cortes do Nonti, conleado setiwv
nwntas e grinaldas.
Requissimos cortes- de sedas assim como
PASSO
esquina da do
razoea que
para covados.
Gurguro branco.
Moireantique branco azul e verde.
Na loja do Passo ra do Crespo r>. 7 A, esquina da d;imperador.
A,
.1 M
\
'p-naptes brancos e de cores.
;i tranco macau.
v, ,, branco, azul, verde, cor de rosa
amaren 38.
Fil de seda., branco c preto.
Cortes de seda com duas saias. v
Ctales de gurguro de seda de cores.
Camisas bordadas para homens.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas bordadas *.
TASSO IRMAOS J
Tem para vender em seus armazens, alm de ou-
tros, os seguintes artigos :
Papel para imprimir.
Perlina azul.
Greve pautado e liso.
Yinhos piii caixas de doze garrafas
Bourgogne.
Hcry.
Madeira.
Hermilage.
Chamblis.
Licor de curaco de Hullanda em caixas de Tin-
te e quatro botijiuhas.
GESSO,
Nos armazens de Tasso Irmaos.
Grades de ferro
para jardins, porteiras etc.
Nos armazens de Tasso Irmaos
< All III MOS DE FERRO
Para serviros da grandes armazens, para remo-
21
Fronhas de linho bordadas comprimor, j^^rf^^^.^i^vto
Lencos de cambraia de ludio bordados. -
Riquissimas colchas de damasco de seda,
assim como de seda e algodao.
Ditas de crochet para cama.
Chapeos de sedbordados, parasol,
Poil de chevre de lindas cores.
Alpacas de lindas cores.
Chapelinas de paiha da Rafia, assii
ocnr de sed.
Enfeites para cabe? de senhora.
E?f artillios pora senhoras.
Me'as de laia para padre.
Dito* d 13a
Dita do seda lio da-Eaeossia e algodao.
para senhoras e Marinas.
Lencos de laby/hulio.
Fronhae de lbjntho.
Bicos, rendas o grades.
Finissiffis cambrsias uV r*ces. percates,
15as. e outros mutt artigos de gosto e
de alta novidade, isto s
mm
i
CAPSULAS VECETAES.
com MATICO
oeGRIMAULT eC* pharmaceutcos em PARS
Estas capsulas, com capa de gluten, conteem o balsamo de copahiba associado esseoti d
Malico (arvore do Per), e constiiuem um remedio infallivel contra a gonorrha. Ellas obrioB
sem cansar o estomago e nao provoco nunca os enjos e nauseas que occasionao as capsulas
ordinarias, tendo a immensa vantagem de nao commnnicar oheiro s ourinas. E' por estes mo-
tivos que ellas sao superiores s capsulas de copahiba, cubebas, etc.
. Deposito'cm Pen.ambuco, em casa*de Maarer O".
i......n'' \mmvuBmwmmrmmmmMmmmmWmWmmWbmWkVmmWmmmi
Apprntcio
iatcaimi*
itvudecm*
i* Perl*.
II]
^S-maNG/
lTuuB-JlS
- '.."/'."..V'^v'/V'
Phamaceutke
lauread*
ia aceden'*
* Martas.
As preparacSes fermgirosas liquidas tem desde muitos asaos mereeMo a apprevacio
especial dos mdicos, po-que ellas ebrio mais rpido e seguramente o que as pillas, e
sao mais fcilmente toleradas pelos doentes. Os> ros ferro-nvuifanicos possiem a inappre-
iavel vantagem de podsr offerecer n'om instante orna agua ferruginosa gaieosa, de gosto
grada vel, mais activa do que as aguas mineraes, e con tendo de mais um elemento precioso,
o Manganese, que senpre se atina no sangue. janetamente com o ferro- Bnpregio-se em
todas as molestias qetemporcausaoempobrechneiiodosaBeue,assim orno para vigorar
os temperamentos debis e lymphatisos. A eklro$e, as Perdas brancas, dores d'eiloiMge,
a irregularidade d* menstruaco e am*norrha ou suppressa. do menstruo, eedem rpida-
mente a sen emprego. Devemos mencionar aqnl um faci BOtavel, isto que os doentes cora-
dos pela agua preparada com estes pos esli muito menos expostos.a recadas do que
aquelles que foro tratados pelas preparacSes fermgiaosas ordiaarias.
Deposito em Pernambueo, ana casa de c*.
'{4^&'34^4fi&iH&&l\
'- .. ,.
EFFICACIA
DO
r
VERDADEIRAS
XAROPE DE RBANO IODADO f W 011111 K% nr BLANCARD
0 Jarope de Rbano iodado de Grimanlt e C*, pharmaceutcos de S. A. I. o principe B ** ^
Naoaleao. em Pars, oreparado com o sueco das plantas an-escorbuticas cuja effieacia H COal IODUHSTO DO rl**0 HMLWIAVeI.
0 Xarope de Rbano iodado de Grimanlt e O, pharmaceutcos de S. A. I. o
Napeleao, em Paris, preparado com o sueco das plantas ant-escorbutcas cuja e
mui popular.
F.ncerra o iodo como combinaclo orgnica, e considerado como o melnor snecedaneo
do oleo de figado de bacalhio. ...
A rara perfeicao d'este producto anima-nos a dar a conhecer aqu a opimlo de alguna
d'entre os principaes mdicos de Paris, que diariamente o prescrevem.
c 0 Xarope de Rbano iodado 6 um medicamento d'um effeilo suave e seguro para a
medieacSo dos meninos, nao smente suppre O oleo de figado de bacalho, mas anda las
c as suas vezes com vantagem. a
Dr A. CAZENAVE, medico em che fe do hospital SainUouis, em Parts.
f 0 Xarope de Rbano iodado um medicamento de primeira ordem para o tratamento das
t affeccoes lymphatieas e escrofulosas. Muitas vezes, empreguei-o com feliz xito, em certos
casos de tsica ao seu principio, como succedaneo do oleo de figado de bacalho.
Dr A. CHARR1ER, antigo ckefe de clinica da Paculdade de Pars.
t 0 Xarope de Rbano iodado sempre nos deo excellentes resultados como regenerador
a do sangue, e succedaneo do oleo de figado de bacalho.
D> A. FAVR0T, autor do Troit des maladies des femtnes.
' 0 Xarope de Rbano iodado um dos mais poderosos modificadores das consttuicoea
t lymphatieas. Tenho visto ulceras escrofulosas que nada podia curar, cicalnzarem-se,
c gracas a sua accio, com promptidio extraordinaria. Tambem, pelo seu uso desapparecem
t as affeccoes tuberculosas dos ossos, nos meninos. ... .
V GESNARD, antigo externo ios hospitaes de Parts.
c 0 Xarope de Rbano iodado possue todas as vantagens do oleo de figado de baaalbio,
sem ter nenhum dos inconvenientes que apresenta este ultimo medicamento.
D' GU1B0UT, medico dos hospitaes. Presidente da Sociedade de medicina de Paru.
a 0 Xarope de Rbano iodado de Grimanlt e C* encerra 4i por cento de iodo, na su
composicio orgnica anloga que se acua no oleo de figado de bacalho.
D'KLETZ1NSK1, professor de chymica, lomado dos trbunaes de Ywma.
Deposito em Pernambuco, em casa de Kmmt O.
CO IODUKBTO DO FC*0 IHLTB*VEL
APPROVADAS PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARS, ETC.
Possnindo as pn.prieades do loe? et do U*r* eonvem specialmone las Ameeois
9CROWIOSAS, a Tsica no principio, a fraques* ds temperamento e-tambesn nos ca m
Falta wt cor, amenobuhea, em que precis*r.AGiR sobb* o siman seja para ff^
lbe a-suarimieza e abundencia nermaes, o* para provoca** regular o sea curso perioaeo.
N. B. O iodnrrto d* (erro imparo on alterad* i- MdicanieWa infiel
IrriUnt*. Como provde paren do uthenridad* dy iwUlthwW
de Blanearri, dey-s tipT domo *.* re_lil"K
neo rlnn, a^ni roprodniida, qne m aena. na parle inhmr de ai
me verde. Deve-M desconfiar das faliifieacaet.
eiaav PhmrmaetvMi, ra gayerli, 40, "Wat
irrita ni
|. Wav
Arham-ee um tedaa M Bi
Fariha de trigo de Trieste
Das melhoras mareas Panotiia (yerdaeira) Fon-
tana e grande sortimento das melnores mareas de
fiirinhas americanas.
Saceos de farinha de trigo do
Chile
Todas aovas, chegadas ltimamente nos
zens de Tasso Irmaos.
Cembnto romano ,
Nos armazens de Tasso Irmaos.
Cemento hidrulico 12$
Omelhorparatudo que sao obras para agua, co-
mo assentamento de canos de-es goto; agerozes, de-
liosito, tanques d'apia, etc., etc.: en* porches de
eincoento barricas.se far reducoao no preco: nos
armaeensde Tasso Irmaos.
Cemento Portland
0 verdadeiro cemento Portlanilem casa de Tasso
Irma**
Grades de ferro, cercas, por-
teirasr etc., etc;
De dierentes qualidades para rer<^dosoV ani-
nians, chiqueiros para, galinhas ou jardins: nos ar-
mazens de Tasso Irmaos.
Barris eom bren
Nos annazens de Taseo Irmaos.
CANOS DE BABEO
Na ra Nova de Santa Rita, na antiga fabrica de
s-abo, apara vender p ptjssivcl. ranos l'rancezos para edifieaeoes eesgo-
tos de toda a^jualidade, soneriores a todos os que
atiui tem apparecido pelssaa solidez.
PRECOS
I$400po?eano granded3 c meia pollegadas.
1 .i-.'i Ki por dito de 2 e tres quartos de dita.
1 000 por dito de 2 e um quarto de dita.
500 ris por pistoleta de 2 pollegadas.
Cotovellos, curvas e canos de maior grossura, a
vstase far o preco. Cosnpras maiores de 2CO
Mm 8 por cento de descosto por prompto paga-
mento. Pde-se ver as amostras nos armazens
de Tasso Irma>s.
Tijplos francezes
Para ladrilhar casas terreas comasseioe preros
mdicos, muito convenientes c propries para ladri-
llos de cosinhas em sobradosj pelo seu asseic. e
evitar a passagem de aguas para o andar inferior
e mesmo o perigo de fogo, aos precos de 3000d a
'i3000 o millieiro: na ra Nova de Santa Rita, na
antiga fabrica de sabao, e eompras maiores de 200*
se far 5 por cento do deseonto por promp'o paga-
mento. Podem-se ver as amostras nos armazens
de Tasso Irinles.
Velas de esparmacete verdadeiras para lan-
lijrnas de carras: no armazem de Tasso Irmaos.
* Vinho do Porto fino superior: no armazem
de Tasso Irmaos.
O melhor cognac Gauthicr Freres : no arr.ta-
z.vn de Tasso Irmaos.
Esteiras da India
OLEO DE HOGG
i
ligados frescos de bacalho
Para cura certa de pfitisica, affeeeoes escrofu-
>ss, tosse chronica, faaqueza dos membros e do-
ilidade geral, recomraenda-se a cxcellencia deste
leo ainda por ser agraciavel no paladar.
VENDE-SE
HA
Pharmacia e drogara
DE
BARTHOLOMEU & C.
34 == Ra larga do Rosario = 34
TQSSES
CITIRRHOS
PASTILHAS PEITORAES
de sueco deALFACE^
E LOURO GEREJO
IRRITAQOES
DO PEITO
E' este ornis novo e dei.coso coufeito at agora condecido. .Por isto ***J*"***
pidaraente popularidade de que goza. Os mediccs os mais disunotos o aconselho contra
as tmm, deflixos. caiarrhos, tossl convulsas, catarrhos epidmico,, tmtacSe* do pe*>. Com
grande empenho o procurio as mies d familia, assim para ellas ^JS"2"J*
pnmeiro que ludo inoffensivo. e as suas propnedades adocantes nao deixio nada a tosejar.
Deposito em Pernambuco, em casa de BCaurer O.
CAPSULAS MOLES
DI
ALCATRAQ
LOJA D GALLO VIGILANTE
Ra do Crespo n. 7
Mandou vir de sua conta e acaba de ufe
ceber pelo ultimo vapor, completo sortiflien-
ot de objectos de novidade e phantasia, os
quaes esto resohidos a vender por precos
nimiamente baratos, para assim animar aos
concurrentes e ao* mesmo tempo dar saluda
ao grande deposito que tem: isto .rua do
Crespo n. 7, loja do Gallo Vigilante.
Gdllinhas, punbos e camisinhas para, se-
nhora, fazendas de gosto e novidade.
Finos vestuarios para baptisados, assim
como touquin!s, sapanhos e meiasinhas
para o mcsmoi Gm.
Grande sortimento de bicos e rendas de
croch e de outras muitas quadades.
Superiores caixas com msicas e sem el-
las, tendo o necessario para costuras, pro-
Em casa de Tasso Irmaos vende-se esteiras da
India de diversos pat&oes e larguras, por preco
c ominodo.
NOVA ESPERANQA
Run do Queimado = 21
E para presentes
A Nova Esperanza, ra do Queimado
n. 21 tem um variado sortimento de objec-
tos de gosto e pliantasia proprios para pre-
sentes, sobresahindo entre elles ricas caixi-
uhas de bano com finas perfumaras, cos-
tureiros de chagrn, agullieiros de madref
perola : assim, pois, quemqurzer fazerum>
linda oflerta, dirigir-se Nova Esperanza,
ra do Queimado n. 21.
Collares anodinos ellectro-magnett
co$ contra as convulces das
crcancas.
Niio rosta a menor duvida, de que mttto'
collares se vendem por ahi intitulados o
verdadeiros de Royer, e eis porqae muito
pais <\e familias nao crem (eomprando-os)
no effeilo promettido, (jue s pdem dar,
o verdadeiros; a Nova Esperanca, pora
que detesta a falsificac3o principalmente no
que pespeita ao bem estar da humanidader
fez Ba encommeiida directa desteS collares
e garante aos pais de familias, que s5o o
verdadeiros de Rover, que a tantas crean-
cas tem salvado do terrivel incommodo de
convulces, assim pais preciso, qne ve-
nham a Nova Esperanra a ra do Queimado
n. 21 compraren) o salva vida, para seui
filliinlios, antes que estes sejam acommetti-
dos do terrivel mal, quando ent5o ser di-
fficil alcangar-se o effeto desejado, embora
sejam empregados os verdadeiros collafw
de Royer.
Para extinguir as sardas &
panno
Recebeu a Nova Esperanca,
Qaeimado n. 21, leite de rosa,
para extinguir sardas e pannos.
BONECA DE CERA
A'Nca esperanca a ra do Queimado n.
21, acal' de receber um completo sorti-
men ae finas bonecas de cera de diver-
sos tamaitos, sendo as maiores d com-
prmanlo d'um covado ; estas bonecas tra-
zem bonitos coques e botinas, bavendo en-
tre elfcts algumas que fallam e outras que
choram de sorte que fcilmente podem ser
preparadas, e fazer-se um presente demuiti
acceitaco.
Finas-caixas de tartaruga para rap ven-
dem-se a ra do Qoeimado n. 21 na- loja
da Nov Esperanza.
Mod&rnos brincos de sndalo, s se> en-
contrar na Nova Esperarla a roa do
Queimado n. 21.
MEIA9-DE LAA
A Nora Esperanza a ra do Queimado n.
21, acaba de recebar um espeeial sortimen-
to de moias de 15a para homem e senhora.
CONTRA AS CONGESTES
mal terrivel a congestao fulminante:
de repente leva ura individo, d'esta para
milhor vida, sem dar-lhe tempo de receber
conversal medica; deixando -as mais dai
veses molher e filhos no mais amargurado
pranto ; a Nova Esperanca que deseja pres-
tar serviros recorreu a Vojer, ,o qual me
mandou anneis elctricos magnticos, como
o nico preservativo para seaelhante mal i
elles antes que se aeabem; na Nova Espe-
ranca-
NAVALHAS
A Nava Esperaba a ra do Queimado
n. 21 recebeu um sortimento de navalhas,
de quafidades, e tamanhos especiaes a9sim
como afiadores e massas para as mesmas.
roa de
especial
Macarthy
? 4f?*B*WWrf>
Remedio por excellencia para cura rapi- pras para um dejado mimo,
dae completa das coqueluches, bronchites,
catarrhos, tosse? convulsivas, escarros saar
guinos, e outras molestias do peito.
NA
PHARMACIA E DROGARLV
DE
Bartholomeu & C.
34RA LARGA DO ROSARIO3i
AO BAZAR DA MODA
Ra Nova n. 50, esquina da ra de S. -Amaro.
NOVIDADES
Para seulioi-as.
COQUES da ultima moda, enfeitados c lisos, gran-
de sortimento.
CHAPELINAS de palha da Italia, guarnecidas com
delicados c elegantes enfeites brancos e de corea
CHAPESINHS e gorras de velludo c de pennas
(alta novidad.i I) de palha da Italia, a emtiacao,
especial sortimento.
CINTOS de cores e pretos, rico sortimemo a ulti-
ma moda.
CAMISAS bordadas poi*comniodos precos.
LENCOS bordados e com letras, novidade neste
genero
LEQUES a emitacao de marm, gosto novo e de
sndalo.
GOLINHAS e punbos, a emitacao de guipure.
ENFEITES pretos e de cores para cabeca, lindos
moldes,.
GUARNIQAO alta novidade a Marie Rose, lti-
mamente usada em Paris.
CORPINHOS de guipure brancos e pretos lindo3
modelos.
BORNOOS de laa e seda, cores claras, elegante
moda em Paris.
GRINALDAS de flores finas.
ESPART1LHOS superiores.
MEIAS supe iores de fio de Escocia.
LUVAS de pelica chegadas pelo ultimo vapor.
AdERECOS de coral verdadeiro e camao, gosto
delicado. _
DE PALHA
GUARN1O0ES paja vestidos.
TRANCAS para fliifeites de coques.
BOTES lisos e ctm pingentes para vesdos.
CLNTOS aJU noviclade.
FLORES finas, grande sortimento.
GRINALDAS de ditas para coques.
LACOS, flvelas, penachos para enfeites.
Para homens.
CAMISAS com peitos, colarinhos e punhos de li-
nho fino, lisos e bordados, moda,
COLARINHOS de linho e algodao.
PUNHOS de ditos.
GRAVATAS de todas as qualidades.
BOTES para punhos e guarnicoes para coletos.
COHRENTES de plaqu a etnitacao do ouro, lin-
do gosto.
CHAPEOS de pello do seda, forma a Rotchil, qua-
lida'de superior.
CHAPEOS de seda, para sol.
MEIAS de superior qualidade.
BENGALINHAS finase chicotes.
LUNETAS aro de at e tarturaga.
Para crianca.
VESTUARIOS completos para baptisados.
SAPATINHOS de merino e setim enfeitados.
MEIAS de seda e fio de Escocia.
CHAPEUSLNHOS de palha da Italia.
TOUCAS de fil e setim enfeitadas e de chroch.
BUNECAS vestidas, muito bonitas e diverso?
brnquedos.
Perfumarlas finas.
AGUA FLORIDA verdadeira de Murray & Lan-
man New-York.
TNICO oriental, verdadeiro.
AGUA DIVINA de E. Gradray e superior agua e
essencia de Colonia.
ESTRATOS e essencias finas e de agradaveis aro-
mas para o lenco.
VINAGRES aromticos para toilet.
POS DE ARROZ para tmaciar a pclle ; em paco-
tes e ricas caixinhas com arminho.
POS superior para limpiar os denles.
COSMETIQUES de fina qualidade.
SABONETES, grande sortimento deste gentro e
de superior qualidade.
LEOS de philoconie, babosa e antiques.
BANHA fina para os cabellos.
AGUA de flores do laranja.
CREME de sabao para barba.
Caixas preparadas com perfumaras finas.
Hludezas finas.
SUPERIORES fitas de grosdenaples de todas as
cores e larguras de veludo preto e de cores,
gurguro para cintos.
BABADINHOS e entremeios bordados.
GUARNICOES de seda de cores para enfeites de
vestidos.
TRANCAS pretas com vidrilhos e pingentes.
BOTES de cores, brancos e pretos com vidrilhos
lisos e com pingentes.
DEDAES de ntau. aperla, de marfim, de co e
metal.
THESOURAS finas para costura e unhas.
CAIVETES finos com quatro folhas. E muitos
outros artigos de miudeas que se torna enfa-
donho menciona-los
Tudo se vende por presos bastante commodos.
Finas caixas com tentos e sem ees para
voltarete.
Agulhas, para machinas de costura.
Ditas para croch, sendo de ac, marfim
e outras muitas qualidades, assim como -
nhas para o mesmo mister.
Finas grioaldas para noivas.
Meias de borracha para quem soffre de
erysipella, assim como meias de laa para
os que soffrem de rheumatismo.
Suspensorios para homem e meninos.
Finos pentes de tartaruga para coques o
de outras muitas qualidades e para outros
mistf*r(is
Dedaes de madreperola, marfim, osso,
ac, metal, etc., etc.
Superior agua cosmeocome para fingir,
cabellos, dando aos mesmos a sua cor pri-
mitiva.
Completo sortimento de finas perfumaras
dos melhores fabricantes, assim como mui-
tos outros objectos que impossivel des-
crever: isto s na ra do Crespo n. 7, laja
dp Gallo Vigilante.
Collares Royer elctricos magnticos con-
tra as convulsesdas criancas e para facili-
tar a dentinco das mesmas, o Gallo Vigi-
lante antigo recebedor d'estes prodigiosos
collares e contina a ter sempre grande de-
posito, ra do Crespo n. 7.
Machinas de desearoear algodft.
Hoje que est recoahecido que as machina de
serrote prejudicam o quebram a fibra do algodao,
preciso cecorrer a machi nismo menos spero,
![ue produzmdo o mesmo servico que aquellas^ e
acihdade no trabatlio, niio quebrem a fibra d laa,
para que essa possa ober-nos mercados europeos,
a differenoa que ha entre o algodao descapotado
por aqueias meneionadas machimas, que cstao fi-
cando onVdecuzo, pelo prejuizo qne tem caasado,
e o da aatiga bolandeira, que nao pode competir
pela morosidade de sed trabalho. E' assim que
estas machinas se tornam as mais propria para o
nosso algodao, porjue ao par da faeilkade e
prompUdao conserva a fibra da laa, que tmpa por
ella, e qualificada na Europa, a par da meWior bo-
landeira, valend assim enh 10 arrobas 20 0/0
mais do que a laa limpa pe! machina de serrote.
Estas machinas nao sao novas, pois qua ha muito
esto adoptadas no Egyptov aonde as de serrote
foram inteiFamente abandonadas, e por isso o algo-
dao daquetta procedencia, sendo da qaalidade do
da nossa provincia, obtem. hoje de tO arrobas 20
0/0 mais do que o nosso. : vendem-se a 150^009
nos armaaens de Tasso Irmaos.
Oleo de amendoas
Em caixas de 8 latas, cada caixa 100 libras :
nos armazens do Tassoilrmaos.
Charutos da Havana.
Exeellentes charutos da Havaaa e_por baratissi-
mo pre^o : em casa de Tasso Irmaos, L ra do
Amorim n. 35.
Meias elsticas de borracha.
As melhores e excellentes meias elsti-
cas de borracha contra varizese erysipellas.
Vende-se na
Pharmacia e drogara de
Bartholomeu & C.
34ra larga do Rosario34
Scbonete de alcatrdo.
DE
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que t5o boa
acceitacSo tem merecido n'esta provincia,
mufto se recommenda para a cura certa
das .impigens, sarnas, caspas e todas as
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu & C,
34ra larga do Rosario-34.
RIVAL SEM SEGUNDO
Ra do Queimado n. 4S, loja de mkidezas de
Jos de Azevodo Maia e Silva, tem para vender os
artigos abaixo declarados, tudo bom baratissi-
mo, que sao para acabar.
Duzia de sabonetes muilo finos a 700 rs.
Pares de sapatos de tapete para homem a 4280.
Ditos'de tranca para eieanca a 15.
Tramoia do Porto, bordada, a melhor a 200 rs.
Bita do Porto liza, da melhor quakdade a WO,* 120,
160 e 200 rs.
Resma de papel alaiaco, lizo superior a S#200.
Dita de papel almajo pautado a 4j.
Livro de missdes abreviadas a 2 J.
Cartilhas com toda a doutrina e muitas resas a
320 rs.
Silabario? portuguezes coro eslampas a 320 rs.
Baralhos- francezes muito finos a 200 e 240 rs.
Sabia inglez superior qualidade a 500 e113.
Gravatas pretas e de cores muito finas a 500 rs.
Duzia de meias para senhora, fazenda tina a 45.
Redes pretas lisas para segurar cabello a 320 rs.
Varas de transa de seda de todas as cores a 600 rs.
Pares de brincos dourados com maozinha e pe-
drasa320rs, _.
Cartes com corchetes de duas ordens e sao de la-
ti a 80 rs. ,- ,, ,
Abotuadnras de vidro para coleto muito unas a
120,240 e 400 rs. ro
Pares de botdes dourados para punhos al wjr*.
Caixas de pennas de ac muito finas a o, jzu e
Cartes^'com duzentas jardas de linha do fabri-
cante Alexandre a 100 rs.
Caixas de pennas do ac, a verdadeira penna a
CaS'de linha Alexandre ns. 70,80, 100 at
200 a 100 rs. .
Caixas com superiores obreas de massa a 40 rs.
Carriteis com duas oitavas de retroz Dreto a 500 rs
Duzias de agulhas para machinas a i&.
Labras de pregos francezes de todos os tamanhos
Livrosescripturados para rol de ronpa a 120 rs.
Caixas com papel amisade muito fino a 700 rs.
Caixas com cen envelopes da melhoi qualidade a
600 rs.
Talheres para meninos muito boa azenda a
240 rs._____
Vendem Augusto F. de Oliveira & C ra di
Comniercio, n. 42.
Cemento de Portland.
Vende-so no armazem de Vicente Ferreira
Costa & Filho, na roa da Madre de Dos ij. 22,
barris grandes.
Para familias
Grande Bazar, rna ZVova as. tO e
f. de Carnelra Vlanaa t C.
Acaba de chegar a este estabetecimento-
grande porcio de machinas para costuras do
autor Wheeier Wilsoa, approvadas na ulti-
ma exposieo de Paris, as quaes cozem coai
dous posjpontos toda a costura, e tem a
vantagem de ser to suave o movimento,.
que qualquer crianca de oito annos fcil-
mente traballia, e pode, com este ntrete-
nimento, levar vantagem, ao servico diario
de trinla costureiras. A comprehensSo
sim[iles, pois em um quarto de hora se fi-
ca seahor do movimento da machina, ten-
do a mesma a propriedade de fazer as se-
guintes costaras: pespontar, abadiar,
franzir. marcar e bordar, como apcesentam
os desenhos que acompanham-nas. Os pro-
prietarios do estabelecimento se encarre-
gam de mandar ensinar n'esta cidade, e
garantem entregar o importe dispendido ao
comprador, no caso de n3o trabalhar com
perfeicSo a machina vendida, nao tendo,
porcm, soffridoella alguma avaria. Hatam-
bem no mesmo estabelecimento machinas
do autor Grower & Raker, de trabalho sim-
plesmente mo, c outras com moviroeuto
dos ps; e mxime todos os pertences das
mesmas machinas, para vender avulso.
Tintura japonesa
Instantnea para tingir os cabellos e a
barba, a 10000 o frasco.
E' a nica approvada e recommendada
por ter sido reconhecida superior a todas
as tinturas d'este genero.
venda em casa de Gustavo Hervelin, n.
51. ra da Gadeian. 51.
GAZ GAZ GAZ
Chegoa ao antigo deposito de Henry Forster &
C, ra do Imperador, um carregamento de caz
de primeira qualidade; o qual se vende em partidas
e a retalho por menos prego do que em outra qual-
quer parto.
FUNDICJVO DOBOWMAN
Ra do llrum n. &t.
Machinas de vapor.
Rodas d'agoa.
Moendas de canna.
Taixos de ferro, batido fundido.
Rodas dentadas, pata moer com agoa,
vapor e animaes.
Alambiques de ferro.
Formas para purgar assucar.
E outros muitos objectos, etc. etc., pro'
prios para agricultura.
Para semana santa;
Madama Adour, 23 roa do Imperador
acaba de receber mantinhas e mantelets de
fil preto.
,*i
*
f
4>
s^v I


I.
I
f>
i
['
Diario tle Pernambuco Sabbado 20 de Mar<;o de 1869.
GRANDE LIQUIDACiO
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DO
8Qmm ds\ aMii>aas\ra2===GL 3
DE
Flix Fereira da Silva, successor de Gama
& Silva
O proprietario d'este estabelecimento convida ao respeitavel publico desta ca-
pital a vir surlir-se no grande estabelecimento que tera de fazendas, tantg da moda como
de lei, e as pessoas que ncgociam em pequea escalla, taoto da praca como do matto-
nesta casa poderlo fazer os seas sortimentos em pequeuas e grandes porches, venden-
do-se-lhes pelos precos que se compram as casas inglezas ; assimcomo as cxcellentis,
mas familias, podero mandar buscar as amostras de todas as fafendas, ou mandare-
mos levar em suas casas pelos nossos caixeiros, para o que acha-se este estabelecimen-
to aberto constantemente desde s 6 horas a manhaa s O da noute.
O aloalhado do Pavao
Yende-se superior atoalliado do algodao
com 8 palmos de largura, adamascado a
20200 a vara; dito de linho fazenda muito
Buperior a 30200 a vara ; guardanapos de
linho adamascados a 4#300 a duzia e muito
finos a 8&000, e ditos econmicos a 30500
a diiaia.
Fus loes para vestidos brancos
a40.
r Vendem-se os mais modernos fustes bran-
cos flexiveis com padioesde listas e de
lpicos proprios para vestidos e roupas de
menino a 640 rs. o covado, na loja e arma-
lem do Pavao ra da Imperatriza. 60, de
Flix Pereira da Silva,
Grosdenaples
Ghegou para a loja do PavSo pelo ultimo
varpor um grande sortimento dos melhores
igrosdenaples pretos e de cores, tendo verde
"tambera, que se vendem mais barato cpse
em outra qualquer parte.
BABADINHOS
Vendem-se inissimos babadinhos, tiras
bordadas e entremeios, mais baratos do ^ue
em outra qualquer parte, assim como espar-
tilhos dos mais modernos, no armazera de
Fehx Pereira da Silva, ra da Imperatriz
n. 60.
ALTA NOVIDADE
A LQ3A DO PAVAO
Gurguro de seda
Chegarara pelo ultimo vapor os mais bo-
nitos gurgures de seda, proprios para ves-
tidos, sendo lisos e lavradirhos, com muito
lustro, garantindo-se que a fazenda mais
linda e de mais phantasia que este anno tem
cbegado a este mercado, e vende-se por
preco muito razoavel, na ra da Imperatriz
n. 60, de Flix Pereira da Silva.
GROSDENAPOLES PRETO A QUATRO
PATACAS S O PAVAO.
Vende-se grosdenapoles preto de boa
-qualidade pelo barato prero de 10280 o co-
vado, s na loja e armazem do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60 de Feliz Pereira da
oilva.
CAMBRAIA BRANCA A 35500.
Vende-se pecas de cambraia branca
transparente, com 8 e meia varas pelo ba-
rato preco de 3S500, ditas milito finas tanto
tapadas comotransparentes 40500, 50000,
45500, 70000 e 8-5000, assimcomo organ-
d muito lino tanto lizo, como de listas e
da Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da
Silva.
ALPACAS LAVRADAS PARA LUCTO.
Vende-se na loja do Pavo. as mais mo-
dernas alpacas lavradas para lucio, sendo
muitolargasepelo barato preco de800rs. o
covado, so na loja e armazem do Pavao, ra
da Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da
Sirva.
Cassas iaglezas a 440 rs o metro
Vende-se urna grande porcBo de bonitas
cassas inglezas tanto graudascomo miudi-
nhas o de cores fixas pelo barato preco de
410 rs. ometro.garentindo-se que 7 metros,
dao um vestido para qualquer Sra. s na
loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60 de
Fetx Pereira da Silva.
AS CAMBRALVS DO PAVO
Vendem-se finissrmas pecas de cambraias
lizas transparentes tanto inglezas como suis-
sas tendo mais de vara de largura, pelos
precos de 50000 at 100000 a peca, assim
como finissimos organdys branco liso que
serve para vestidos de bailes, por ser muito
transparente a 1)5000, a vara, na loja do
Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Flix Pe-
reira da Silva.
Alpacaslavradas
Chegaram pelo ultimo vapor as mais mo-
dernas alpacas lavradas com as mais lindas
cores, que se vendem a i#000, o covado,
ditas lisas tendo tambera cor de can na a
800 rs, ditas mescladas maito finas a i :200,
o covado, e outrasmuitasfazendasdegosto
e moda que se vendem mais barato do
que em outra qualquer parte, no armazem
do Pavo, ra da Imperatriz n. 60. de Flix
Pereira da Silva.
Roupas para hornean
Vndem-se superiores palitts de panne
sobrecasacos forrados de alpaca e de seda,
camisas inglesas e francezas com os peitos
de esguio, ceroulas frascezas de linho e al-
godao, meias cruas inglezas superiores, ca-
misas de flanella e de meia de ta, assim
como nesteestabelecimento existe um grande
sortimento de pannos pretos, e de casemiras
inglezas de odres, e que se manda fazer
qualquer obra a contento dos Srs. fregue-
zes, e promette-se-lhes que serlo servidos
com a maior promptidao e muito mais ba-
rato do que em outra qualquer parte
na ra da Imperatriz n. 60,de Flix Perei-
ra da Silva.
Cortinados
Para camas e janellas.
Vende-se um grande sortimento dos me-
lhores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se ven-
dem a 12)5000 rs. cada par at 25(5000 rs,
isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
ROUPAS FEITAS
Na loja do Leo da porta larga
DE
PAREDES PORTO.
Ra ta Imperatriz n. 52, junto aloja deourives.
N'este estabelecimento se encontrar, ra da Imperatriz n. 52, loja do Paredes
sempre um completo sortimento de roupas Porto.
feitas de todas as qualidades. Como se-i Neste estabelecimento encontrar o respei-
jam: paletots de alpaca, de merino, de tavel publico um completo sortimento de
casemira, bombains de panno preto, fra*- fazendas e roupas que. se vende pelos pre-
ques e sobrecasacos de brins de cores e eos seguintes:
pardos. I FAZENDAS PRETAS.
CALCAS E COLETES. Completo sortimento de fazendas pro-
Tem sempre no, mesmo sentido um sor- prias para a quaresma, como sejam: gros-
timento completo a preco commodo. de-naples a 20, 25500, 30, 35500 o cova-
CAMISAS E SIROULAS. do, moreantique de diversas quali lades
Encontrar sempre o respeitavel publico a 25200, 25400 e 25800 rs., sortimento de
um bonito sortimento de todos os nmeros.; alpacas pretas e de cores de 500 rs. at 15,
MEIAS CRUAS. princza, mirin de diversas qualidades.
Sortimento de todas as qualidades, de FAZENDAS BRANCAS,
35 a 55 assim como lambem sortimento Madapolao de diversas qualidades e pre-
de lencos de linho brartcos e com barras eos commodos, cambraia de 35500 411500
de cor, chinezes, bonitas grvalas pretas e e 55, ditas victorias de 55500 a 125, pecas
de cores. Ra da Imperatriz n. 52, por- de cassa liza o mais fino que ha no mrca-
la larga. do a 95, 105, 125- com 12 varas, e vara
PARA ACABAR. de largura
Urna grande porcao de calcas ordinarias; SEDAS DE LIS TRAS.
para trabalho a 640 800 rs. cada um par, Recebeu-se um bonito sortimento d'esla
pechincha na loja do Lelo junto a loja de fazenda que se vende a 25500 o covado.
ourives. I CHITAS.
GRANDE PECHINCHA, Vende-se 'chitas escuras a 280, 300, e
Cassas he cores a 160 rs. o covado, na 320 rs. o covado.
0 cordeiro previdente
160 RES O COVADO
Chita preta pelo barato preco de 160 o
covado lia ra da Imperatriz n. 52 na loja
que tem um Leo pintaHo.
PANKO DE LIMIO
Paredes Porto recebeu um sortimento da
pannos de linho, cora 27 varas a peca e
17-jOOO e 185080, na ra da Imperatriz n.
52,junto a loja de ourives de porta larg3,de
Paredes Porto.
LENCOS DE LINHO
Vende-se lencos brancos de linho a 35.
a duzia para acabar na loja de Paredes Por-
to. Ra da Imperatriz n. 52 loja da porta
larga que tem um Leo pintado, de Paredes
Porto.
GUARDANAPOS
Vende-se esta fazenda de linho, fazenda
boa a 45000e 55000 a duzia.
MGIAS PARA HOMEM
Sortimento de meias inglezas para ho-
mem a 45800 55800 e 65800 fazenda boa.
THOALHAS
Sortimento de toalhas de pelucia a 115
a duzia. '
LENCOS BRANCOS a 25200
Para acabar lencos de algodao a 25200
a duzia,
25000
Vara de bramante de linho
tem 10 palmos de largo.
superior e
No armazem do Leo, roa da Imperatriz n. e 52^ junto a loja de ourives.
Cretone para lenepes eom 10
palmos de larguraa 2$,
. Acaba de chegar esta nova e excellente
fazenda branca propria para lences de um
s panno, garantindo-se que um metro e
urna quarta ou um metro e meio d um
excellente lenco! de um s panno, assim
como esta boa fazenda tambem muito
propria para toalhas de meza, rosto etc. e
outros mysteres e vende-se pelo baratissi-
mo preco de 25 cada metro.
Bareg-es a 400 rs.
No aa loja do Pavo
Se vendem as mais bonita bareges transparen-
te*, propinas para rostida* com listrinhas a imita-
{3o de listras de seda, e vendem-se pelo barato
pre$o de um cruzado cada am covado, nicamen-
te na loja e armazem do Pavo, ra da Impera-
triz a 60, de Flix Pereira da Silva.
Grande pechiucha para a
quaresma.
VESTIDOS PRETOS A 455000.
Veide-se superiores cortes de vestidos de
seda preta lavrada, sendo fazenda muito
encorpada e muito moderna, pelo barato
preco de 455, nicamente na loja do Pavao,
ra da Imperatriz n. 60, de Flix Pereira
da Silva.
COLCHAS PARA CAMA A 55000.
Vendem-se colchas de fustao -damasca-
das para cama, pelo barato precu de 55,
grande pechincha, na loja e armazem do
Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
COBERTOKES INGLEZES A 45. 45500 E 55.
Vendem-se os verdadeiros cobertores
inglezes. de pura 13a, pelo barato preco
de 45, 45500 e 55, assim como colchas de
fustao de cores, pelo barato preco de 35. na
loja e armazem do Pavo. ra da Impera-
triz n. 60. De Flix Pereira da Silva.
A 25, OS BALDES DO PAVAO.
Vendem-se superiores baloes america-
nos de trinta a quarenta arcos, tendo as fi-
tas bastante largas, sendo muito fcil trans-
MOfjAMBIQUE PARA VESTIDO A 500 RS.
Chegou para a loja do Pavo um elegante
sortimento dos mais bonitos mocambiques
proprios. para vestidos cora as cores mais
modernas e que se vendem pelo barato
preco de 500 rs. o covado.
ALPACAO DE CORDO PARA VESTIDO A 13
Chegou esta nova fazenda com o nome
de alpaco, sendo de cordo e com mais
largura do que a alpaca, com as mais linlas
cores, como sejam Bismark, lyrio, perolas,
roxo, cor de canna, magenta etc. e vende-
se pelo baratissimo preco de 15 o covado.
FAZENDAS PRETAS
PARA A QUARESMA
AUGUSTO FOSTO & G.
Roa do Qoeiado n.ll
Receberam directamente da Europa as mais superiores fazendas pretas espe-
ciaes para a quaresma, as quaes esto vendendo pelos mais mdicos precos em vista
da superior qualidade de ditas fazendas.
AliTA IOVIDADE
Basqumes pretas de renda, verdadeira novidade para senhora.
Gorguiao preto de seda liso rtom listas assetinadas para vestidos.
Grosdenaples preto largo estreito de diversas qualidades havendo neste ge-
nero o que ha de meHior.
Basquines de croch pretos, ditos de seda preta com cintos delicadamente en-
flatados, elegantes peplums de seda preta, 6chos pretos de renda, modernas capinhas
pretas de renda e superioras vestidos de gorguro preto bordados.
A loja n. H da ra do Queimado tem sempre o melhor sortimento de tapetes,
alcatifas e
Esleirs da India para forrar salas.
ROMERAS PARA QUARESMA A 1C,
Chegaram as mais bonitas e modernas
romeiras pretas de guipure, que se vendem
pelo baratissimo preco de 165 cada urna.
SOBRECASACOS PARA A QUARESMA A 18/ E
20J.
Vende-se um grande sortimento de so-
brecasacos e palitts sobrecasacados de fi-
nissimo panno preto pelo baratissimo preco
de 185, sendo forrados de alpaca, e por
205, todos forrados
chincha, principalment
ARARA
Lourenco Pereira Mendes Guimares, proprietario da loja da Arara, ra da Imperatriz
n. 72, declara ao respeitavel publico e seus freguezes que acaba de concluir o balanco
de sua loja de fazendas e fazer abatimento as fazendas que julgou necessario para
vender mais barato que em outra qualquer parte, por isso roga.ao respeitavel publico o
favor de mandar ver as amostras das mesmas para ver como se vende barato.
CHITAS FRANCEZAS A 280 RS.
Vendem-se chitas francezas a 80, 30 e 30 rs. o covado.
, MADAPOLO A 6*000.
Vendem-se pecas de madapoto flno a 65, 75. 85 e 95000.
GANGA A 3S0 RS.
Vende-se ganga para calca e palitts a 320 e 360 rs. o covado.
CASTORES PARA CALCAS.
vendem-se castores para calcas a 24 e 280 rs. o covado.
_ LAAZINHAS A 240 RS.
Vende-se lazinha a 240,280 e 32 rs. o covado, e outras muitas fazendas e roupas
de seda, grande pe- 7ltas' fazemias Pretas P^a a quaresma, como gros-de-naple, casemiras e panos pretos
rite por estarmos na ,le tdas as qualidades, baloes de 20 35 arcos a 15500 rs.,
por
quaresma, assim como, tambem se vende
um grande sortimento de calcas e colettes
de casimira preta que se vende muito mais
barato do que em outra qualquer parte.
ESGUIO DE LINHO DE 12 JARDAS A 10&
Vende-se pecas de esguio de linho, fa-
zenda superior, com 12 jardas cada peca, a
105000.
ALTA
GURGVROES
NOVIDADE
A
Loja do Pav&o.
15000.
PARA VESTIDOS A
O COVADO.
Chegaram os mais modernos gurgures
para vestidos, sendo de todas as cores, como
sejam verde, azul, rosa, bismark, perola.
forma-Ios para outro qualquer novo modelo, .JJ*T, An ,
e hqui.lara^e p* ta'rjp^o de cada ^ ?eS* ^7CS oro
Pereira da Silva. Imperatriz n. 60.
Madapolo entestado a 8&500
Vende-se superior madapolo enfestado,
sendo muito encorpado, para carnizas, e
RETALHOS PARA LUTO NA LOJA DO
(PAVO.
Vende-se urna grande quantidade de re-
tando cada peca 24 jardas,' pelo baratissi-'talhos de cnita8 e &*&& pretas por preco
mu preco de 85500, na loja e armazem do muit0 barato, e quanto maior for a porco
Iavao. na da Imperatriz n. 60. De Flix fl06 fregu comprar, mais barato se Ihe
Pereira da Silva. vender na ruada imperatriz n. 60 de Fe-
Al J.Me Taras a SO ra. Ux Pereira da Silva.
Vendem-se a- verdadeiras cambraias
francezas, com lindos padroese cores Qxas, Ciroadeaaples preto
sendo tapadas e transparentes, pelo barato Vende-se um grande sortimento dos me-
p eco de 800 rs. a vara, ou3O0 rs. o co- Ihores grosdenaples pretos, tanto lar-
vado, sendo fazenda que ningnem vende gos como estreitos, sendo de' 200 rs. o
por meaos de 7 ou 8 tustSes, e liquidara; covado at 44000 rs. garantindo-se qui-
se por este barato preco, por se ter feito n'este genero ninguem tem melhor fazenda e
orna avultada compra, na loja e armazem que se vende mais barato do que em outra
^.P3^0' .rua wperaU n. 60. De quakraer parte, na roa da Imperatrixn. 60.
Felh Pereira da Silva. de Flix Pereira da Silva. ^
de homem a 640
triz n, 7?.
. cortes de brim para calca
e 800 rs. cada um, por este preco s na loja da Arara rua da Impera-
Lourenco Pereira Mendes Guimares paoprietario daloia do grande uaribaldi, ru
da Imperatriz n. 6.
Declara ao respeitavel publico, que receben um grande sortimento de fazendas
de todas as qualidades, tanto para a praca como para o mato, aos quaes espera Ihe fa-
gam a honra de frequentar o seu estabelecimento que Ibe prometiera vender mais barato
do que em outra qualquer pai te.
CORTES DE LA A 2*400 RS.
Vendem-se cortes de la para vestidos a 25400 e 35000 *
. CHITAS FRANCEZAS LARGAS A 280 RS.
Vendem-se chitas francezas a 280, 320, 360 rs. o covado.
LAAZINHAS A 240 RS.
Vendem-se lazinhas para vestidos a 240, 2 e 320 rs. o covado.
ALGODAO A 4*000
Vendem-se pecas de algodao a 45, 55 e 75^00, pecas de madapolo a 65, 75, 85
e 95000.
CORTES DE CASEMIRA PRETA A 4*000.
Vendem-se cortes de casemira preta para calca a U, 55, 65 e 85000, cortes de
ganga para calca a 15280 rs., ditos de brim 800 rs., ditos de castor a 15000.
CHITAS PARA COBERTA A 320 RS,
Vendem-se chitas para cobei tas a 320 rs. o covado.
CASSAS FRANCEZAS A 320 RS.
Vendem-se cassas francezas para vestidos a 320 e 360 rs. o covado.
*f> VI HADES.
Baloes de 25 30 arcos, a 1550rs. cada um, s se pode ter balo por este pre-
C0, e outras muitas fazendas pretas para a quaresma, pannos, casemiras e gros-de-na-
ples preto, outras fazendas muito baratas que se dao as amo'stras. Na rua da Impera-
triz loja do Garibaldi n. 56. ^^
ATTENCaO
Lourenco Pereira Mendes Guimares, declara aos seos devedores que entregou ao
sen procurador o Sr. Bernardino deSenna Das as suas contas para elle promover seu
recebimento conforme Ihe convier amigavel ou judicialmente, por isso roga- a todos
os devedores vir entender-se com elle na rua da Conceico da Boa-Vista, ou na loja a
rua da Imperatriz n. 56.
Rua do tizelmado a. 1
Novo e variado sortimento de perfumaras
linas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, de que efectivamente est provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se torna
notavel pela variedade de objectos, superiori-
dade, qualidades ecommodidades de pic-
eos; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
e espera continuar a merecer a aprbciafao
do respeitavel publico em geral c de sua
boa freguezia era particular, nao se afas-
tando elle de sua bem conhecida mar.sido
e barateza. Em dita loja encontrarlo ot
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray 4 Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana "(ran_
ceza, todas dos melhores e ma's0'meditados
fabricantes.
Dita balsmica dentri^!,;,
Dita de flor de la-jangeiraa.
5ita dos lp'is, e vilete para toilet.
Elixir od'juilgico para conservaco do
asseio da ,d0cca.
Cosnketiques de superior qualidade e chei-
ros igradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente,
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos e
francezes em Irascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do tino e agradavel chei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finos e agradaveis.
Oleo pliilocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
com escolhidos cheiros, em frascos de dif-
ferentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menores
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Caixinhascom bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada cntendo fi-
nas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaris finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
e boneca.
Especial p de arroz sem composi'code
cheiro, e por isso o mais proprio para enan-
cas.
Opiata ingleza e francezapara dentes.
Pos de camphora e outras differentes
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Aluda mais coques.
Um outro sortimentos de coques de no-
vos e bonitos moldes com filete de vidrilhos
e alguns d'elles ornados de flores e litas,
esto todos expostos apreciaco dequem
os pretenda comprar.
GOLLLVHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeico.
Fvellas e Otas para ciatos.
Bello e variado sortimento tle taes objec-
tos, ficando a boa escolha ao gosto do com-
prador.
FLORES FINAS
O que de melhor se pode encon trames so
genero, sobresahindo os delicados ramos
orvalhados para coques.
Para viagem.
Bolsas de tapete e carteiras de couro, por
precos commodos.
Chapelinas de palha da Italia mui bem
enfeitadas, e enfeites de flores obra de bom
gosto.
E assim muitos outros objectos que se-
ro presentes a quem se dirigir dita lnji
do Cordeiro Previdente a rua do Queimado
n. 16.
ENFEITES DE PALHA PARA VESTIDOS.
CHAPEOS E COQUES.
O Cordeiro Previdente rua do Queima-
do n. 16 acaba de receber um bello sorti-
mento de trancas de palha para enfeites de
vestidos, outras para etiapos, coques etc.
tudo isto est sendo vendido com a sua bem
conhecida commodidade de precos.
ALEM D'AQUELLES.
Recebeu putros lindos enfeites de sed
para vestidos ; assim como um variado sor-
timento de galles de la, babadinhos de
cambraia com bordados de cores, ruja va-
riedade degostos os tornam recommenda-
dos e apreciados ; rompareco pois os pre-
tendentes que sero servidos a contento.
TO BEM RECEBEU.
Novo provimento de bicos e rendas de
guepure.
LUVAS DE PELLICA.
De todas as cores tanto para homen*
como para senhoras. constantemente arham-
se a venda na loja do Cordeiro Previdente :
rua dn Qupimadn n. 16.
PASTURAS ASSICASADAS
DO
DR. PATEUSON
De bMHiK(h e uiagnezla.
Remedio por excellenci para cou)aier
a magreza, facilitar a Jgfestao, fortiticat
estomago etc.
DEPOSITO KSPF.CIAI.
Pharmacia de Bartbolomeu C
34------Rua larga do Rosario-
I
----W.
rata
aias com pequeo Jo-
reis o covado.
Fazenda b
Chitas linas cores f
que d'avaiia a jKX1
Ditas larga0
euros a^' >e ',rias psdrOes claros e m-
Dl:> jO rcis o covado.
t0 ..s miudinhas adr5es novos e de gos-
a 210 o covado.
Pecas de madapoleo boa fnzenda a jAOO
Dita de ditos largo a JJAfiOl.
dila do d'rtos fino a65(0.
Ditas de cambraia victoria fina a 80200
...';00e0#.
Alpaca de cores e branca para vpstjA.
fazenda encorpada e de gosto com dmi?
larguras a 800 rs. o covado.
Na rua da Madre oe Deus n. 9 loja de
fazenda.
Vende-se a taberna da rw luiujorial n. ^
com poneos fundos a tratar na mema.
Vende-se um hraoo de balanca du anfor
Roinao, rom p^sos aferidos, ronrh.is e nlai* pc^r-
|.>i!c.v-, que ierv para padaria, n-linarao. mi ot|-
ti'n qualquer e>Uibolecimento : no trapiche Ji
Guerra, no Knrifc.
XABOPE PEIMAt BRASIUSIBO
n
PO!TA K i:lili 1 IBA
i.uMi''ro f. Fini'AnADO |
Pelo pharnafeulico
Jos da Cruz Santos.
Esta planta cujas virtudes mt-dieinaes
existiam desconliecidas jiara a maior parlb
dos nossos facultativos, devendo-se a stra
descoberta ao uso que d'elle faziam os
nossos indgenas que nieuoscabavam en
a sua appli.-ai;o de todos os sofinnwntos
pulmonares, boje conliocido como on-
dicamento mais elicaz para a cura de as-
ihma, bronchite, eoqneTorhe, iienemnnia,
e at a phtvsica, produzindoum effeitomi-
lagroso e prompto.
Para um adulto :J i ', eolheres de sope
ao dia puro ou em cosimento peitoral.
Criancas. 3 i 5 eolheres de cha.
Proco OOO o frasco.
Pcrnamhiico. rua Nova boira n. 51,
ChapeUerie des Sames
RUA DO CABOGA' N. 12 1.a ANDAR
Neste novo estabelecimento ha um lin:o
sortimento de (Capellinas de palha d'Italia,
o que ha de melhor n'este genero, ass^
como chapeo para senhora c menina.
Na mesma casa se apronta qualquer en- ,
commenda de chapeos ou chapelfinas: as-
sim como se concerta chapeo de palha. fi
cando intc-iramente novos, [tara o que ha bo-
nita foima e um grande sortimento de en-
feites. tudo de muito goslo.
Escrava
Na roa dos Gonranpn d. 90, n Fra de Pr^-
tas, vende-se ma rabrcha de i:i pan 14 aanon
i<> idade, eom alimona habilidades, propria pz-u
casa de familia.
a autiga taberna da rua d. Ranjel n. :{, kmi
afregnenda i>ara a trra e mato; a tratar na
mesma.
ESCRAVOS FUC.CGS.
I00S de gralilrafo
Fugio uo dia 41 do Janeiro do roirrnte aunt^
do engenbo Balaluro, freguezia da Fscada, o i-
INJECtiO BROU

NOVIDADE
A loja de Coelho A Oliveira rua do
Queimado n. 10, recebeu pelo ultime vapr
um bello sortimento de balites de diversos
systemas, os mais aperfeicoados que teem
vindo ao mercdo. sendo :
Baloes de guipur com tiras chamados
reguladores, ditos de musselina abertos p ambos os lados, de modo que sendo todos
de um tamanho servem para qualquer se-
nhora, de 13a de cores, com tiras, e as se-
geintes fazendas:
Saias de 12a com bonitas barras.
Chales turcos de seda e 13a Beatria df
Tundas.
Fitas de guipur pretos Rocamholj.
Chapeos de sol para senhora, muito lin-
dos.
l-aftlahaa
Sultanes, Poil deCJievre. Tricte, dito de
xadrez o outras muitas. entre .ellas urna
Especialidade
L3a mira de cores a 3fi0 rs. o covado.
Basquinas a Mara Antoniete.
Cambraias fantazia.
Ditas brancas transparentes e Victorias
Colxas adamascadas.
Cobertas ;hinyjas a 200 ra. e f"*ras
muitas fazendas que tornar-se-hia enfadonhn
annunciar.
cavo preto, crii.ulo, de 24 anno* de idade, rba-
mado Marcelino, que foi do Sr. Joao da ^uD^a
Pereira, cojo esclavo e-teve no deposito geral, c
tem os signaes seguintes : alto, mutuo do cornil
rosto muito marcado de bexigas, falta de dentes
na frente, cor preta, sanio de chapen do chile,
letol e calca de castor, levando um liahuzn
(landres com mais roupa, e suppoe-e estar
l'ivnuezia do Cabo : quem o appn-ln nder leve-p
ao dito engenho, ou rua da Smzah.-nova n. 38
escriptorio do Sr. Bernardino Ponlual, que rev
ber a graiilicacao cima.
lile, pa-
(aun m
?star ra
Escrava fgida
Desappareeeu do poder do abae asignado a
sua escrava crioula de nome IWdicia. daiTin
ijinlem pelo nome de Conceico, e>latura regular,
magra, rosto comprido e desea ruado, falta de den-'
ses na fenle, rosturua a embn apar-w. levou ves-
tido de chita clara rom unas rudas fingindo florea,
chales de 15a de barra j velho ; ella natural
de Seriithaem, para onde se desconfa ter ella se-
guido : ruga se as autoridades p< liriaes e ais ra-
pitacs decampo.a apprclu nsao, e leva-la rtn
da Imperatriz n. 52. loja, que se gratificar.
Joan Franri-co l'aiede- l'i rto
O ahaixo assignado lecommenda a captura
do seu escravo de nome Joaqnim, mualo, rugid!
do seu sitio do Monteiro, comprado aos seus do-
nos os Srs. Joao Goncalve. da Silva. Vicen c fa-
valcanlide Albuquerqne e Alexandre Ginesda
Silva, nesta cidade, por intermedio de seus pr)
curadores na \ttmo do Sr. Mam el Ftancici l\
valcanti. todos de Pao d'Alho e por innuet ca> d
Sr. Santos (corrector de escravos). rijo escravo A
lamheni natural de Pao d'Alho e tem os dsticos
seguintes: idade 3f annos, secco do ror|Mi e um
pituco alto, bigodc, cabello um pouro > ,; i.jiirhaiit
e pen'eado. falta de dentes. nina inftnn .icio ei^
eruada na junta da man esquerda. Ma a sertanp
jo, muito descancada e mansa : levou camisas dV
madapoln e riscado de alendan, e calcas de brim
Dardo. O ahaixo assignado muito reci m enda a
captura deste seu escravo todas as autoridades
6 maisjtessnas cncarregada? da captura de escra-
vos, nao s pelas diversas cidades. villas e pnvoj-
dos, como pelo srr*3o, para onde pode ter segoida
promette bem gra'ificar, e tantlem a qua'qnei
pessoa que d'elle der noticia cer'a ; a dirigirem-
se ao seu escriptorio a rua do Crespo n. 13, ou ao
"eu sitio no Mon'eim.
Recife, 27 de Janeiro de 869.
Anltmif Jn. Fazendas de fado.
Vondenve *eis faiendas de gado na nheira do
den .minadas Boa-Vista. P de Serra. Mn-
Mundo Novo, Inga Serrote, toda* mmtn
_j criar e de nm ser bem eonheeido naqnel-
la ribeira : o pretendenles podem dirigir-ae 4 ro;
do Vlgario n. 31. andar.______________
Ven ! uo escriptorio da rua do CouinwrcJo a 9.
Vendf
Fugio do engenbo Jacobina, comarca dn Ca-
bo, ao amanhecer do dia 13 do onrente wr e
anno, do abaixn acsignado, um escrav i-nto dp
nome Antonio, mohecido por Canda, idade de Jo
a 30 aun s, pnoco mai^ ou menos, alto. |is f roa-
sos, tem urna das juntas do mwtm um ponan
grossa, andar banzeiro, levandn rhaiio de feltro
j nsadn, camina de algodao aKal e seroola de al-
gndo americano, cu jo escravo veio ile Ituique pa-
ra Pan d'AHw. para onde se descnnMa ter scgnidn;
loga-e a qualquer autnridade policial ou capital
de campo a rap'ura do dito i-scravo. levandn a
engenho cima, ou a rua do CaUWreiro n. 41 a
Sr. Francisco Quintino Rodrigues Esleves. qo
ser generosamente gratificado.
____Antonio Carneirn |,ins e M.-llo.
Fngio df bnrdti do palhabote na. ooal Ama-
ro, um mulato daro de nomo Justino estatura re-
eular, cabet.-s carapinhadns e meins ruiv> s. penca
barba, tem urna pinta preta no cauto do olbo diret-
to p um taino as rostas ao mesmo lado.; levra
vestido camisa de chita com listas verdes, e nsa
de urna cinta com borla encarnada para aiierur
a^ calsas e natural de Sama Anna do Mallo na
provincia do Rio Grande do Norte, para onde Ulv.*
qneira ir, e tambem muito dwmberacado no fa>-
lar. Pcommeoda-se aos mes'res de harcara
a nnalqner pessoa que o agarrar e levar a ro
dn Trapiche 4 ou a bordo do refera avio qw
era generosamente- gratificada
i"


8
"-"''''M/' >V' ^^BJBi^MMBB^BS^
% %
, Diario de Pernambuco Sabbado 20 de Maivo de 1860.
*
IMRATURA.
POUCO DE TUDO.
O ARCHEIRO.E' do espirituoso folhe-
tmista p'in >ii,>7, o Sr. Manoel Roussado, o
jrate sobre essa classe de empregados
do paco eal:
Os que nao se defflcam plustolcgia
dos typos nauioaes: os (pie pascara pelas
ssdas ou cousas sem obrigaelo de as ob-
servar oserupuisaai ;nte para as reprodu-
cir na tela do folh etiftl: os dttosos que vem
c nao a:i;ilys ni. qu i admirara e tito cntan*
que censurara nao ^screwm, acreditan
que uQ arclieiro mithematiramente igual
a outro archeiro, e que todos elles sairam
de um molde nico e iuvaravel.
a Quera os v de longo, al libados as
escariaras da S. ou no vestbulo do pala-
''cio das cortes, api'iliados nos mnibus, que
os traosportam a Belem, ou desfilando de-
sengracadameiite atraz do pallio na procis-
!sao do Corpo de Deus,- confunde-os a to-
dos, como se fosse um s roproduzdo em
mil espelbos difierentes, e illudindo-nos a
vista pelos phenomenos maravilhosos da
ptica.
Nao podia deixar de ser assim, porque
os archeiros sao os confelos com que o
povo costuma polvilhar as galas esplendidas
da realeza. A .guarda dos alabardeiros alas-
tra-so serena, bi libante, uniforme por so-
bre as alcatifas dos edificios e a areia en-
carnada das ras cono a grangea sobre a
travessa apparatosado arroz doce.
O archeiro cousiderando-se urna das
molculas dosystem monarchico, nao ab-
dica os seus amigos privilegios. Vio la
'dzer-lhe que sia officalmnte de casa,
liem escanhoado de cara e b m vermelh o
de oneadernaeao, para adornar com sua
presenca os cortejos de gala, se o timb ir
e o pifano da guarda nao andaram na ves-
pera ah pelos armamentos da baixa a to-
car a marcba da extincta brigad i, que Ibe
sa aos ouvidos com > ordem directamente
emanada do poder real!
B' que p ira o archeiro nao tem valor
oflicial o Diario rio novrrno. Crotora sin-
gularissimai meio militar c meio paisana,
meio constitucional e meio absolutista, pode
defenders regalas do povo e enthusias-
inar-se comas conquistas da liberdade, em-
quanto a fivela do calrao encarnado nao
llie tufa a barriga da perna: mis apenas
SUppOVta no hombro o pozo feiticeiro da
alabarda, e na gambia alvissima sent os
beijos sabtia com que as brisas o advertem
de que vai em servico d'ei-rei, o espirito
va-lhe dcsassomli! ido aos (legraos di tliro-
noc o corarlo l"sp<'-sc-llic de amor da li-
Jierdad", em q unto llie nao regrossa ao
corpo o collele de aleoxoadnho e o casaclo
de todos os lias.
i n archeiro republicano depois de'
paramentado em dias de gala seria la) ex-
traordinario como este verso de Bocage:
* Escaldar urna peraa em agua fria.
A vestimenta nao pode deixar de in-
fluir na ordem das nossas ideas e no alvo
das nossas aqiiraces. De casaquinho de
velado, rhapo Bi^mark e '^//('.flexivcl,
quem 6 m se sent inclinado s medit-
is profundas e aos a :tos de bravura ? O
bomem assim vestido aclia-se mais propen-
so aogalanteio do que a severidade. Vis-
iim-i' um casado longo e felpudo, mel-
tam-hc na niSo um chapeo de chuva. cal-
ii-llu! ii.is botiiis construidos as oficinas
inglezas, enrojein-llie um cachnez no pes-
coco, tr-lo-ho preparado para entrar as
discussoes mais substanciosas a que o or-
namento nos pode levar.
Um jornalista da minha intimidade.
julgando-se afrontado n'uma questao d'im-
prensa, nao guiz mandar os seus padrinhos
ao adversario sem ouvir primeiro o cinse-
ho d'um amigo particular. Procurou-o,
< xpoz-lhe a resoluto em ipie se achava e
pedio o seu parecer. Era de manilla; o
amigo que ia a sair para o campo, de jaleco
de pelles e chapeo hespanhola responden:
*Di-me um abraco, meu amigo ; a tua
resoluelo a de um homem de bem. Vai,
ipie o ten anim i na > vacille, que a tua mo
nao trema. Para que serve esta bagatella
da vida seno para a gente a arriscar na
bocea d'uraa pistola, ou naponta d'um flo-
rete?
FOLHETIM
os mus de wsm
C imbin ram-se as twndicos do du ti-
to, e na vespera do dia ajustado para se
lavar a alfronta na brrela de duas espadas,
o jornalista entrou em casa do seu amigo
e disse:
Venho dar-te um abraco.
Na ra fazja um fri de gelar a pona
do nariz; o amigo, de robe de chambre,
enterrando una cadera de molas, ao calor
benfico do foglo, perguntou admirado:
tEntiio parles? Para onde?
*E' amanilla o duello.
Ento isso nao se pode arranjar d'um i
manera mais suave e minos doent'ta?
J te nao lembras do que me disses-
te ha dous dias ?
=Eu sei l o que te dise. Sabes o qu i
te digo agora? E' que o verdadero duelrt
cada um no cantinho da sua casa, em
companhia de sua mu her e de seus filhos
< Aqui est como o robe de chambre
voio abrandar as deas qde o jaleco de pel-
les exaltara. O que admira pois que o ar-
cheiro se despegue das onviceSed demo-
crticas no momento em que dispa a quin-
zena para envergar a farda de grande es-
pectculo?
t Ha o archeiro-marca, oarchelro-3isud0.
e o archeiro-lir.
archeiro-marca o que est sempre
de guarda ao paco, substituido os ewnpi1-
nbeiros d'armas, a quem por escalla lto
competindo aquello servico. Accumula o
luego da substituido com as comedorlas
que recebe da casa real, e vive de ser ar-
clieiro. Mavel de uso ordinario, tao visto-
so como os respost-iros, e tao commodo
auno as cadeiras de espaldar, vai enve-
Ihocendo no servico constante, sem um dia
dd folga, sempre encarnado, avivado soin-
pre de amarello.
O arch iro-marca conheco, miudamen-
te a historia poltica do seu paiz, desde a
partida de el-re D. Joao VI para o Brasil.
p irque as pocas anteriores j se perdam
para elle na n&ita dos tempos, escapamlo-
Ihe ao espirito essencialmento curioso e in-
vestigador. Sabe a clironica de tonos os
homensquetem figu ado na s ena poltica
durante os ltimos sessenta annos: conser-
va de memoria os ditos mais graciosos dos
principes quando principiaram a fallar; nao
esquece as coincidencias notaveis que se
tem dado entre os phenomenos celestes e os
phenomenos polticos, prensando o dia c
a hora em que os cometas annuuciaram os
lutos e as tristezas nacionaes.
Ordinariamente o archeiro-marca nlo tem
outro f.ito em casa. Assim vestido que
ellu mudas vezes abana o lume para o ahnu-
co, rega as floriiihas no quintal, e vem com-
prar o leile porta da oseada. Um d'e-
ses j cu vi no caminho das Nccessdades,
montado n*um burro que se pegava; o ar-
cheiro fazia croque de alabarda, e com ella
obrigava o animal a mover-se, fin ando-a as
podras da calcada, ora para a direita, ora
para a esquerda, exactamente como os bar-
queaos quando os botes do em secco.
O archeiro-sisiido o que serve por
obrigago, sem enthusiasmo pelas armas:
conscio porm de cumprir um dever sagra-
do, por haver dbanla em sua familia desde
tempos immemoriaes. E' ordinariamente
magro e comprido, de perna esguia e sem-
blante carregado. Vai no mnibus ou no
vapor para Belem, d'onde segu a p p ira
a Ajuda. Quem Ibe observar de perlo a
physionomia melancolice, mesmo nos dias
de maior regosijo, pode crer que algum
acontecimento funesto o encaminba para a
inorada dos nossos res. Se chovisca n i
ser raro encontra-lo de chapeo de chuvn ;
se as ras esto moladas ve-lo-ho de ga-
lochas de borracha.
O archeiro-lir esse c a nata da guar-
da real. Ndio, aprumado, rsonho, o or-
gullio dos pas, a glora da esposa, e o en-
levo da namorada. Espera-o porta urna
aimagera da companhia emdias de gala, t
para sair d* escada espera elle a hora do
meio dia. para que as salvas do castellu de
S. Jorge e dos navios de guerra surtos no
Tejo, atroem os ares no momento em que
poli'a o p no estribo, saudaodo gravemen-
te os logisUs uias prximos, e dignando-se
de levantar os olhos para a dama que o
admira da janella, cheia de amor e de ju-
bilo.
as alas ve-1 > mais firme do que os
outros, e olhando para a mullidlo com
Bm faz sentir ser aquello o
ltrs pessoas mais. graduadas!
altivez de quem se considera actor e na >
comparsa na Pista, pavoneando-se sobre a
alcatifa, com
lugar aesnadtras p
da repblica.
t 0 archeiro assim como gqE r. privile-
gio de ser dispensado de f4^Kl oBcil,
soffre o preCalco de nlo poder^ar bgode.
bigwle que bastava d'-antes para
desacreditar o paisano que tive*e a inipru-
deiici*'de dfeixar rascer: que pnnha um
sobreSt^os (rtis bos^rosde ha quaren-
ti atnas,l|u;mdo Sa oslrntava iiapn liro
das galorfas da Exposicao, perto da'ca-
pella.
E' provave! que tenha cessado o mo
lempo, porque o barmetro, que hontem
s f horas da mnnha indicava. 0.757,;
e s i lioras da tarde descera a 0,730, su-
bio esta manida a 0,7'Jt. O vento que
saltou do noroesfe pira o nordeste dflve
le' uecessariamente produzdo ama calma
uriit i necesaria para os teifenos visnhos
da vii-i-Pin, wijos destroc*. Wviamesta
inanlia dispersos as praias dr mar, que
visitar os bastee? do lado oeste.
nt.chegm a visitar os bastioes da-lau.)
cara do fillio oudogenro; que era um- Hontem. de tarde cahiram militas cha-
principio de, desgraras inralHlaves qiwrfdb
ntrava sorrdtei'o em casa de urna fa mili i
soregada, foi-se emancipan lo poufo a pou-
0, conqustou oldiio dos juizes o dos me-
dciwj pedotroo no conseio de saiide
publii^. e nds tribnaeS do segflhda instan-
cia; dentro em pouco temo-lo no supremo
tribunal de jusiira, na relaclo ecclesiastica
talvez, no archeiro isso nunca!
. Os extremos tocam-sc; no ser, pois,
dttuVil encontrar pontos de contarlo entre
o archeiro e o gato pingado; porque estas
duas entidades marcara os limites oppos-
tos (Tama longa escala. Aqueflc alegre e
garrido, ipparecequasi sempre ao estalar
das girndolas e ao som dos'hyranos festi-
vaes; este surge ao dobre dos sinos, e aos
roucos lamentos do suboem'te. Ambos tra-
zem casaca direita c chapeo armado, e a ne-
ulium d'ellfts licito o uso de bigorte.
Se o gato pingado parece ter nascido
em dia de finados, poder dizer-se que o
archeiro veio ao mundo em manlia de do-
mingo gordo.
NJose pense todava qne eu desojo
igualar a importancia desses dous persona-
gniis; digo soque a idea de tim anda asso-
ciada idea do outro: o qu me pareee,
conveniente reduzir seguintc proporcS i
para flear mais profundamente gravado na
memoria de todos:
O archeiro est par* o gato pingado,
romo Cesar est paraJiao Fernn 1-s."
mies sobre as ras c pravas publicas. As
cinco lloras cahiram as paredes do 31 an-
dar de urna casa em coastruccao na ra da
Imperatriz, os operarios tiuliam abandona-
do a obra pouco antes.
A' mesraa hora cabio urna cbamin so-
bre urna casa visnha do caes de Nossa Se-
nhora, e arrombou-lhe o telbado no espafo
de um metro.
c Muitos accidentes d'esta natureza ha
vera que registrar; mas felizmente nao ha
nenliuraa desgraca pessual a Lamentar.
pon
8 Berthet.
VI
O llongou.
(Contrauagao do n. 03)
Porm accrescentou elle possi-
vel que o mdfetir nao tenha tido lempo
de consummar o roubo, porque aos meus
gritos logo responderam vozes de muitos
pontos, que-o devem ter posto em fuga.
E' possvel, mas tambem pode ser
que o roubo uo fosse o principal motor...
1redarguio o magistrado Diga-me, ca-
pitao Grandval, n> ter por acaso, desde
que chegou a Cayenna, excitado alguma
Hmisade ?
Ento este contou como por causa da
prisao. de um (breado feita a bordo do seu
navio, j na vespera fra objecto de certas
demonstrarles hostis.
Poisoquelhe posso dizerproseguio
o magistrado que nlo podemos culpar
d'esta rila la nenhum dos toreados, p jr
quauto hora em que se commetteu o cri-
me achavam-se elles todos a bordo dos
pontees surtos nabahia,e sei mais que nem
un s faltou ao toque do recolber esta
noule.
Com o devido respako,disse reipei-
tosamente ooiiieini de policapeco licenra
ao Sr. jniz para ihe observar que aquella
^eute nao obstante a nossa vigilan-
cia, tom intimas retacos com-nialfeitores
c por fra, a qu^ rpidamente transinit-
tem suas uistruccoes.
Nao duvi.|,_ proseguio o juiz-.n-
rem agora o q;ie cojivai miA Ski -
conven qu g dia,
aoitao, e se pode ver bun o criminoso e
oerttbcar-se da sua physionomia a ponto
oos dar os seus slgftgj,
Perfeitainente, Sr. \i\z, v^q perfita-
lUente em razio da clarilado da noute
^lnt de que, o seu tolo n5o fcil d
Oonfuodlr-s.e: era un njgro.
U:n negro Irepetiram todos os cir-
comstaujies admirados.
Pareceu-me ser dotado de urna forca
herclea. Tem um aspecto feroz e os
(lentes ponteagudos; o corpo. coberto ape
as por um i tanga, todo cheio de figo-
rus grotescas pintadas a bico de alunete.;
A arma que trazia na mao, e com,qua.rae
!>rio, urna folha do sabr encabada em
madeira, de urnas que servera usualmmte
para abrir passagein as florestas e chama-
das sabres de fachina. Notei tambera que
aquelle mseravel, quando andava em roda
de mira cercando-me, exhalava um fartom
insupportavel como os anraaes ferzes.
Esta desrriprao produzio grande irapres-
so nos assistantes, que olhavam com an-
cedade uns para os outros.
Eulao o prelo Cesar, cuja pallidez pro-
unda sobresahia apesar da sua carrgada
cor, exclamou :
.Meu sior juiz, mi apostar ser esse o
llongou I
E' verdade, o R'ongou IRepeli a
Sra. (iallois liorrorisadaConfirma-o a des-
rripco que acabo de ouvir d'ajuella figura
selvagem, dsutes ponteagudos, sabr de
facliina e ainda o fartum que exhalava
de si 1
Nao ha duvida, o Rongou Irepeti-
ram militas vozes ao mesmo tempo.
E era tal o horror inspirado por este
nome, que todos os circomstantes estreme-
cetam, e ao-proprio juiz e o oflicial de
polica se arrepiaram os cabellos.
Para explicarmos a causa de semelhante
mrfresslo, compre-nos dar algnns prme-
nors f.en-a do individuo tojemido, cha-
mado Rongou.
Rm um preto de Gamhom. porHoeoftte
tribu d >s R ingous, e cujo' verdadeiro no-
me era D'Chimbo.
De'pois da abolifo da escravatura, em
1818, apparecera em Gayenna como tra-
bMkidor forro, obtndo trabaflio na expio-
rHOio-aurifera das margeos do rio Appro-
nague.
diversos aptps coposos, que. all prat-
cau^ qps quaes se revolaram os suudififtais
cr*ps istiuctos, fiz9ram.e0m quae4ie"
conderaiiado a prisao, d'onde, todava^
ndeiq
TEMPESTADE O Diario do Uavrt de
13 de fijvereiro, diz o seguintc acerca .de
urna tempestado que se desencadeiou. so-
bre a cidade frantieaa de Rulo :
A tempestade que reiitou hontem era
Rulo e n'uma extensa zona urna das
mais desastrosas di> anno; o vento nao
cessoude soprar do oeste noroeste com e
cessiva violencia. De espaco a espaco casa
v.i-sc com os rugidos do vento o ribombo
io Irovao.
A' cada passo se enrontravam nas ras
e nas pracas da cidade destrozos de toda a
espacie cthdos do alto das casas. Militas
pessoas foram arremessadas ao chao, em
diversos Sitios da cidad*, pela riolenci-a do
vento.
As seis horas da larde foi precisoaju-
dar a levantar um velho que eslava t-sien-
dido defronte da igreja de SyaUQu^n, sem
poder erguer-se. Na nesma oixasiio um
individuo quoatravessava a na doff ispitnl,
cscapou por wn triz de ser atropellado
pelos cavlos de um omnihus. Vmm an-
tes um negociante que mora na ra das -gai;ao do acu
Geiras, foi ferido na cabeca por urna ta-
boa levla [lelo vento.
j Ao fondo da roa di Ponte Grande fe-
liaram-se todas as lojas por medida de
precauco, e ficaram qacl)ids lodas as
vidracas da loja de tabaCs, esquina da
praca das Artes.
A tempestade manifestava-se com me-
nos violencia no Sena, que, diz o Jornal ir
Rudo, eslava to agitado como o mar. As
aguas saltavam aos caes e formvam ver-
daderas ondas, que fizeram correr perigo
todos os barcos.
A t:'iip.'-stidc occasionon nlm d'isso
um accidente que felizmente, nao te ve as
consequencias que erara de reoftar. Um
tripulante de urna fala cabio ao Sena im-
pellido pelo vento. Un das seus compa-
nheiros lancou-llie um cabo, ao qual o nau-
frago se agarrou al que mais gente o soc-
correu.
MANIFEST.Os jornaes de Madrid pu-
blicara o segninte, da ranha Isabel
Urnas cortes illegalmente convocadas,
e em grande parte cleitas por meios cul-
posos e violentos, vo reunir-se ao chama-
mento de quatro ambiciosos, que, sedu-
zindo uns forras militares, e oulros, acau-
dilhando criminosos, conseguirnm substi-
tuir, por meio do terror, a sua lorpe e fu-
nesta tyrannia constituicao do estado que
quasi todos elles tinham jurado, e ret-
gtlo, s leis e aos usos e costumes da pa-
tria, que transtornaram e esto destruindo.
Chegou o momento de vos dirigir a
minha voz, sehhores senadores e deputa**
dos das cortes legitimas do reino: ea lo la
a nacSo, testemunhas impassiveis pela sor-
presa de tao "gr.-v-ide escndalo, que nao lia
de contemplar, sem protesto ao menos, a
herdeira de Peagio e de S. Fernando. Sabei.
pois, todos, que cu fago esse protesto aqui
solemne e terminante, e declaro nullo e de
nenhum effeito tudo quanto se tem execu-
tad, c se prepara para ser executado ; e
que quero guardar inclumes os meus d-
retos, que nao tem podido aniquilar esses
que se suppem revestidos de poderes que
nlo sao dados aninguem, a nao ser o es-
pirito dastrevas que dirige os seus actos.
A manera porque tem arrastado a in-
feliz Hespanlu at dolorosa situarlo pre-
sente, nao se oceulta hoje a ninguem. Fa-
vorecidos com o tumultuario g ito de urna
vontade gniversaie soberana substituirn
supremo poder do fei can as cortes, an-
tiquissima- e legitima represeniaclo do di-
feito poltico hespanho!, por urna imprat-
cavel theoria e engaosa apparencia.
t Quatro mezes a|>enas tem decorrido, e
vedes esses tres ban los, que se dizara
soberana' nari>nal, que -entre si se nao en-
i 'iidem seriBo para destruir; emquanto
ipie a minhi .uiiordade legitima e consti-
tucional, que berdei de clm res, com o
consentimento ile cem geAl?Bes, tem obri-
r, no que esliver ao seu al-
cance, [ara conter o curso de tao grandes
calamidades, que ameacam a mina comple-
ta da religiao. da monarchia, c at a unida-
de do solo em que nascemns.
Eu acudira com a minha propria pes-
lantas vezes,-e de que boje necessito como
alivio do meu pezar, mais do que como re-
pararn do meu aggravO, o se despertar,
como nlo duvido por uto instante, o amor
do meu nome para inspirar o geral respeito,
a cuja sombra s podem crescer. em tao an-
liga e catholica monarchia. os fi uctos precio-
sos (la paz do bom governo, e da assisada ad-
ministrarlo, fundamento da ventura publica:
entao, hespanhes, no meio do voz. nlo turei
memoria seno para a reeerdaco da feiici-
dade e dos servidos.
No entretanto di rijo-rae' vossa -leal-
dade, senhores senadores e deputados das
coi tes legitimas do reino, e a vos horoens
honrados de todos* os partidos, alim de qu
recebaes e facaes conhecer e generalisar
este meu protesto, para que, em todos os
tempos, eu possa estar aliviada da grave res-
ponsabildade que sobre mira pesa; pro-
testo, que, sem ambicio alguma de poder
e s movida pelo sentimento de amor a
patria, e a minha dynasta, faco perapte vos
e perante Deus, testemunho ndeclinavel
da -miccridade dos sentimentos humanos.
Eile v os meus, e sabe que se o bem
publico, e a seguranca do principe das
Asturias e outras altas considerares, nao o
impediram na minha consciencia, nico juiz
n'esle grave assumpto, eu saberia collorar
na sua front a cora, por isso que sua
eterna sabedoria nao se occulla, que s
espinhos tem encontrado n'ella a minha ca-
bera, e que se algum louro a cobre, e seus
ramos podem produzir fructo, quero tudo
para meu filho, e para melhor dizer para
meus filhos, porqnanto Affonso n5o mais
do que o primeiro d'elles, hespanhes
todos, a quem amei sempre com entranhas
de me.
Concorramos, pois, todos juntos para
remediar o transtorno, c no circulo em que
cada um puder, ajudemos, por Deus, a
impedir que as leis sejam calcadas aos pes,
que so alimente o foragido, que se annulle
todo o legitimo direilo. que se derriben!
todos os templos de Christo, e finalmente que
se diga de nos, que a religiao santa que re-
cebemos pura de nossos paes, a nao soube-
mos deixar a nossos netos, seno envelecida
o profanada.
l'nris, em H de fevereii-o de 1860.
Isabel.
soa. se me fosse dado nos momentos actuaes
de njustica, de sem-razlo e de violencia.
quando impera a calumnia em vez da ver-
dade ; quando os beneficio* se esqueeem
e o remorso se afoga com medo da trair >
edas desgracas com que a Providencia cas-
tiga algumas vezes os pbvos; e quando
dos oitos com que se acensara os que tem
sido ministros, se forma um tecido s de
aceusaclo artificiosa contra o imnarcha,
nico no reino, a quera as leis constituem
sagrado e inviolavel.
Mas se Deus encurta os dias do casti-
go, e se dissipam as nuvens que forraou o
engao e a calumnia tornou mais espesas,
e e-m chammas, como espero, eat mesmo
smenlo, porque nao linha officio nem meios
para suslenla-la.
Entrn na casa ondo ella vivia e ferio-a
com nm punhal.
Quando aos gritos da iufelu aecudiram
os yumbos j era tarde, pois eslava pros-
no chao cora sete golpes, e ji sem
Irada
vida.
O moco, a vista do seu delirio, abracava
cadver e chorava o seu crime, pedindo que
o matassem.
Sem violencia alguma foi levado ao car-
tere.
E QUE MOSCA -o MdniteW rocebeu a
descripcao de urna mosca que appareceu
nos costas do mediterrneo, prximo de
Gibraltar.
Nenhum naturalista na Andalueia pode
classilica-ta.
Tem a grossura de nm ovo de-galli-
nha.
Tem enormes chavelhos.
O corpo vermelho: olhos redondos,
como inchados de azul escuro.
A cabeca, estomago, coxas e* patas dian-
teiras sao amarello claras.
O ventre e palas trazeiras sao vermelho
escuras.
Possue abaixo do amis urna be*iga, ro-
mo urna bila de yv%r.
E' um reservatoro, que o msefllo enche
de ar, quando quer, e o faz estallar qaan-
do algum insecto se ,ippro>ima.
E' a sua arma defensiva, a sua artilha-
ria.
Nj m^smo dia tambem a tempestado aquelles que por erro me despediram, sem
se fez sentir com bastaute'vioencia n > Ha- *a!>er o que urna filba do reis comer estt
vre, como s^ pode ver ainda das seguintes fn amargurado da emigracao, e subir a
linhas que transcrevemos do citado Diario efecafta de uma casa estranha.suffocando as
do Haixe: lagrimas e os solucos; se a verdade, certa
ainda que tarda, acefender o fogo do en-
tims'asmo com que o meu povo me saudiu
A borrasca de hontem de lardo derri-
bou tudo o quo ainda restava dos muros
cortada de ribeiras chamada ilha de Cay-
enna.
Occultando-sc nas maltas inaccessiveis
prximas cidade, cada dia se toroava cul-
pado de um novo crime. Devastaroes,
roubos, assassmatos de mulheres o crean-
Cas, alrocidailes as mais revoltanlea, reves-
tidas de circumstancias odiosas, parante)
eousa alguma recuiva este moustro.
Jplgou-se que era aulropophago. e.havia
qumdissesst aliraenlar-se elle quottdiani-
mente de carne hu nana.
Toruou-se, pois, o-ebjecto Jo miior sus-|
to, nao se falla.id i sonao d'elle e estreme-
cendo-se ao' ouvir-ihe o nome.
Em vio se fizeram os miiores esforcos
para ser agirrado. To vigoroso ora
matreiro, coiiliecedor de todas as acucias
do gentio, illudia as pesquizas con umi
hablidade incmprehensivel. Dizia-se qu
elle tin a nos basques, ao alcance das pu-
voaces^ou dos cain.ihos, certos pontos de
a"
brigo.'Wle apenas se demora va o U>mp.i
preciso para dar asassalta*s, emque rou-
bava e assassinava. Meio n e armad i d i
sabr, apparecia de repente quando mano*
o esperavam. Procurado elle, era rapos
sivul oncontrar-se. Nao s aforca de poli-
ca, como a da guaruico de Cayenna., esta-
vam fatigadas de llie fazerera raimaras :
havia muitos mezes que elle illu li i tolas
as pesquizas e eVitava todas as, emboscada*
com a mais incrivel fortuna.
Algumas vezes, depois da coiiu ivnafi8o'J
de um crime mais atroz do que outros at-
terores, tinha elle a prudencia J$. dusafi
^ousas seguras, dava slgnalda Sua presen-
ta por algum outro attentadi mai^hop^
roso ainda. vjh'fYl
Est eticado agora opauiceqi moa
vaua ea* Gallois.. A> idea de, -<|! o* -1
gou su approxinira d'atpwlla habit&caxe
mallo. Se o Rongou nao est m irlo, pdo
menos a fcrida deve ter-lhe feto perder
parte da sua energa, e, portanto, creio
[) i dennos d'esta vez ter algu.na esperanza
de o cacar.
Ali! Sr. juiz, exclamou a mulata
nao creia que elle estoja morlo ou ferido!
Aifirraa.se que a ponta dos ferros so em-
bta n'aqualla pello e que nem as bahso
XX)ddtn atravessar Qiantas vezes se Ibe
teein disp irado tiros, snppra lo-se le-lo
i no rio ? Pois no dia imraediato" ei-lo que
apparece mais audaeiuso e crul do que
niinca l
Isso ser verdade dissi o gro
GesarElle tera um talismn que mpede
a elle de ser fe.rido!
Ser lasado pela serpete acudi a
prela Zenobia e nao poder morrer com
o veneno das flechas.
. O juiz ene illuu os hombros, mas n) so
duu ao trabUho da co;nbit;r estis creabas
upiu'sliciosas relativos ao Rmgoii.credas
pariilbaJis pir outras pess )is me ios g i >-
rautes do que Cesar e Zenobia. Levanta-
do, pois, o competente auto de noticia dos
ac iteciraentos, regressou cidade. com
fes* seus o.fi:iies. O crargilo retirou-se
iguil n mte, declarando que, a msnoVqua
n i silirc'viessemw.nplicaroes inprevistas,
o f'Tido brevera:nte s; restabeleeera.
Assim snecedeu. O capillo Grandval,
gracas ao vigor da staa. compUiga e aos
,ui lados quo Iba forara p-oligalisidos,
iigo se ailuu livra de perigo e tres dias
dpjfoj.di) acontecimento entrava em plena
^cnfa, cuino ,.0 fa.u'titiyo pcevira.
trelanto a justca ni) se poupava a
pafa c apoderar d,* U wigMq. 4
SuoTci com que fra orara^llo osle se-
Wa^csira; levara ao miior auge o tsrror
a iignago. Aforca armada, guiada
ipjfilndio, -cuja pcofisso seguir pistas,
i i bateado sem descanso as IIorestasde dit-
Ilitil euesso, as margeos dasgranW* lagis
LIBERDADE BEM COARTADA.Um via-
jante hespanhol, diz um jornal da visnha
naci, referem os jornaes de Lisboa, saia
de um theatro de Nova-York s 11 horas
da noite o seguia caminho da hospedara,
cantando um trecho da msica que acabava
de ouvir.
Acerca-se d'elle um polica c disse:
Cavalheiro, peco-lhq o obsequio de
callar-se.
O Hespanhol licou espantado ao ouvir
esto e replicn:
Lu favor! Nao este o paiz da li-
berdade ?
Pois nao, mra seshorl contestou o
polica.
E, por isso mesmo que o em pleno
uso d'essa liberdade esto a esta hora dor-
mindo os moradores d'esta ra. uma inlini-
dade de operarioSiadvocados, fmcrionarios.
sacerdotes, artistas, etc., os quaes esll i
candados do trabalho e restaurara as for-
;as para as fadgas de ainanlila, o nlo
justo que a libenlode de tantos homens
uteis prejudique a liberdade do senhnr.
O viajante hespanhol, se espantado fiera
iiitimaco do polica, agora, que assim
ouvia explicar o que a liberdade, esfre-
gava os olhos como para certilienr-se, se
nlo era aquillo um sonho.
Passando ao seu pa e levando uma ve-
lhice enferma e aburrida, costumava dizer.
qonndo a deshoras o molestavam os gritos
e ruidos da ra:
Ai, Kstarlts-Unidos, Estados-Unidos de
minh'alma!
d!h
Chega a fazer o som de uma espingar
de sala.
Um marinheiro apoderou-fle d'esta mosca,
que ficou com o nome de mosca %ombar-
deira.
ConstruioMhe uma gaiola de rame.
Toma cuidado d'eHa e susteole-a corn
vermes, moscas grandes, e teite aewca-
rado.
Chegou a tal ponto a rnrosidafle'poWica.
que um rico Peruviano preste '* fertir
para o Pacifico, pretende levar a mosca
bombardi'ira, e jim!a-la a uma oecco
de animaes notaveis que possue "no seu
paiz.
Espora-se que se tire uma photograpbia
d'csle animal para serem enviados retratos
s corporacoes sabias de Londres, Par e
Herm.
O QUE CAUSA O A IOR.Um borrivel
assassinato perpetrado na noite do dia 7 de
fevereiro na villa deOnnate (llespanha) tem
consternado aquella pacifica e morigerada
povoafo.
Um joven de bons costumes assassinou
uma joven cora quem tinha relares amo-
rosas durante dous annos, em eosequ inci i
dos pais d'olla lira torera negado para ca-
de evadir-se.
leentlo D'Chimbo ou o Rongou tocfjbor f Jguasm^iW. ^_
nara-se o flagello d'aqulla parte, do, pailpz ter reoouuedo vestigios tlmiftgWfl
iie,iwe poderia acuar-se a distancia db tac ier.s. bcenhas de arburstos os[jwiv.os^iie
confieciuiento do que all se eslava passan
do alemorisava anda os mais corajosos. E.
toda\ lesiavaduvid* de que,
elle o a^tor d i crind, por qjia
ios de^obra NBft.rfO diss
uizqnn llit- paref.eu
existiara nas visinhadfai-idetUyefln. cBstaw:
buscas, porm, nao deram melhor resultado
~ uni
sus-
Rra-
taes
Ss^ws, ^:.a^o^1tl5npw [ Seja- asnr, i
maravilhosos blsamos ; por n, era vista
da activdade infitigival quj elle desenvol-
va era escapar-se persegua, pi lia bera
conjecturar-se que, se d; fa-.t) houvera
ferimento, fra leve. Esta m)sni facili-
dade era evadir-se fazia presu.niF que elle
recebia avisos preventivos da cidade. Com
ludo nao se descobrirara vestigios de rela-
i;oes. Todos os forcailos, intorrogados a
esle respeito, ramifestaram pelo Itcigiu o
aiesrao horror que o resto da p ipulaco
guianeza. Ficou-se, pois, na idea de que
fra o acaso que o coudnza habitarlo de
Gallois, por oceaso do buscar nas proxi-
midades ila cidade uma de suas presas or-
dinarias.
Na manha do quarto dia, entrando
Jisephina no aposento de Grandval, achou-o
de p, anda que bastante fraco e de cabc;|
atada. Perguntando-lhe o que tenco iava
fajar, respondii-lho que estaya na idea de
ir n'esse mismo dia pira bordo do navio.
Pois cogita n'isso ?exclamou ella
As suas feridas achana-se ainda rail fecha-
das, e de4certon5o tomforcas para chegar
at ao porto.
Por isso esparo agir quatro dos
raeus marinheiroi oom nm palanquim.
Viera deque, devp sahir d'apii, pois j sao
de mais as vigilias efadigis que Ihe tenho
.uisado.
$] continan lo ella a fazer-lhe observa-
Qes, elle accrescentou :
'Dte lemhrar-se de que tem 13 de
partir brevemente pira s penit-mriarias d 1
Mironi, e que urgente que eu trate dos
neios de transportes, alim d 'nao sbVe-
raajlemorfs na nnisuflwpfixa. Estando
a bordo, poderei all /.pber os correcto-
rds, c^^^,^^!^^ Sitoro a.com-
pra de lUiJeiras e attanasmo coulr*taj'
co,,6Estado o carregasa^o. Alera d'isso,
uo dev^araos es^iect' m convaoieucias
iOJiaasaom rla$> ..ao.sss .posico mi*
proca. Acho-me mulo. miHhor ep^r-
se-hia interpretar mal a proloagigo da m-
TESTAMENTO EXQlTSITO.Um octo-
genario hngaro. Estanislau Poltzmary, ins-
titio como seu legatario universal um ta*
beililo, seu compatriota, da maneira se-
guinte :
Toda a minha fortuna pertencer ao ta-
bellilo X. naaunhia do diaseguinte aquel-
la em que tiver cantado no theatro de S.
Garios de aples ou na Scala de Millo, a
parte de tenor do Othrlo oh Sonmbula.
Nao por capricho que eu ponho esta con*
digiero tabellilo X. cantn um da na mi-
nha presenta em Vienna a cabatioa do
Othello e a aria da Sonmbula, com uma
voz to bella e methodo to perfeito, que eu
estou convenrid que um artista de primei-
ra rdein se oceulta sob a capa do funciona-
rio. Anda assim, no caso de me ter enga-
ado, se elle for apupado (siffl) pela pu-
blico, pode facilmeule consoJar-se do che-
que de virtuoso com os Irez milhes que
Ihe deua.i
Mr. Rola, director da Scala, espera o
artista niillionaiio; liaver certamenlc en-
diente na noule d'cste debute.
PUBLICACES NOVAS.Mr.de PeHetan
vai dar luz uma nova edico das suas
Heitres d tracail, sendo seguida d'unscu-
ris estodos litieraros e polticos, sh o
tituloUns e outros.
Mr. Guirot vai tambem publicar a con-
tinuacao das Melanjes politiques et litte-
raires.
O rei Jolo 1." de Saxe acaba do pu-
blicar, era edico popular, a sua truduefo
do Dante, em verso,
A rainha de Inglaterra acaba de pu-
blicar urna nova edicao das suas Memorias.
Esta ediclo de luxo ornada de numero-
sas gravuraseliromo-lythogra, bicas execi:*
ta las vista dos deseubos (eitos pela pro-
pria mo da rainha Victoria.
aillo que nao basta responder s perante
1) mis |ielas ininli.is acodes, Rea a seu cargo
o responder perante o mundo.
A Sra. Gallois entrou n'esse momento,
anniinciando a chega la dos mariuheiros e
exclamando ao raesro tempo :
Justo cj Que farcinos agura, Sr.
Grandval ? Cora a ua. ausencia varaos
aqu serroubadas e assasinadas I O Ron-
gou, sabenda que estamos sos, porque,
n.im, elle sabe tudo, vira por alii uma
e
bella noule...
sua
s p-msam
teera a (Vi.r^m por tcsterounh 1 I
Iraporta-me por 'sqa cuisa. Todos
os marinheiros da Prosperididn slo de F-
lajo carpp, e eu n!d quero iju8 miis tarde, re-
das. M$tii so paiz>iji goa fallar...
oigo, E,
Nada tem a receiar, senhora ; a
casa s*>gui'a e bM fechada.
O Rongou feiticeiro, entra porqual-
quer parte...
Equo posso cu contra um feiticeiro"?
Mera deque, ah lira Miguel, cuja coragem
e robustos pulsos si > c ipar.es de cscanga-
lliar bastantes sortilegios.
Sira, mas d nis homans nao seriara
de mais para o elfeito. Eiraira, proso-
gqio ella cora resolufiJo nao ha remedio
senao tomir um expediente, e anda qae
nos outras as br.uris nai somas geral-
men'te intrpidas, trataremos de nos ajudar
uma 5 ontra... Meu marido deixourme
ah nrai espingarda cacadera de dous
ranos; vou dizer a Cesar que a carregno
de bala e a leve para o meu quarto.
Bravo, senhora I--- repqcnn Grandval,
rindo-seI Hi-lhe a minha palavra qaw
todas a< brancas da Europa aiknrariui tai
deliberaflo I. Assim posso ir tranquillo- a
o Rongou que se acautele V
Contra os recejos da mulata nada hoove
dosagradavel dorante os tres riias-'quo se
s.'guiram. l-ise^ihina achsiva-se perfeita-
1 nente no seusocegadot retiro, descansando
ilas fadgas itera j se queixa.ru das suas feridas tondo
recobrado a bordo toda a 8iia< aiilWade.
Chegari-aipisv anierveapa^A^da
I arud* para agora, neobum aeonteci monto daag>a4yl
viria transtornan o, pw^otos ducWldes,
qoaodo db> sbito estas 'speraneas se awba-
ram.' desmentidas.





v I

(&t*nuar*$*ha).
iffTM
Wi
'
-r-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EKLNI7346_8KYAFB INGEST_TIME 2013-09-13T23:27:59Z PACKAGE AA00011611_11796
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES