Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11793


This item is only available as the following downloads:


Full Text

ANNO XLV. NUMERO 61.

'PARA A CAMTAL E LUGARES ONDE RAO SE PAGA. PORTE.
Por tres mejesadiantados. ............. 6,0000
Por seis, ditos idem.................... 12,5000
Por um auno idem......;...........'. 24.5000
Cada auraero avulso..............; 4320
DIARIO DE
QUARTA FEIRA 17 Di MARCO DE 1869.

PARA DENTRO E FORA DA PROYOCIA.
Por tres mezes adiantados.
Por seis ditos idem. .
Por nove ditos idem .
Porumanno.....
t .

a a
6*780
tafMO
20*900
270000
Propriedade de Manoel Figneira de Faria & Filhos.

AO AGKNTES:
Os Srs. Gerardo Antonio Alves 4 Filhos, no Para; Gon?aIves Pinto, nr? Maranhao; Joaquim Jos de Oliveira, no Cear; Antonio de fcemos Braga, no Aracaty; Joao Maria Jnlio Chaves, no Ass; Antonio Maraes da Silva no Natal Antonio Jn,
Guimar2es Pancada, em Mamanguape; Antonio Alexandrino de Lima, na Parahyba; Antonio Jos Gomes, na Vito da Penha; Belarmino dos Santos Bu!c5o, em Santo AntSo- Domingos Jos da Cosa Braia ^^^
em Nazareth; Francino Tavares da Cssta, em Alagas; Dr. Jos Martins Alves, na Balda; e Jos Bibeiro Gasparinho, no Bio de Janeiro. '
PARTE OFITCIAL.
Clrenlo da provnola.
BXPKDIENTE ASSIGNADO PFI.0 KXM. SR. CUSPE DE BAE-
PU4DY, MiesIDENTE DA PROVINCIA, 1TO DA 8 DE
HIRCO DR 1869.
1.a seceo.
t. 269.Portara ao Exm. general coiuman-
daato das arma*.Com ofllcio de V. Exc. n. 92 de
12 de feverciro prximo findo, recebi a copia do
relatorio sobre qnarteis, forlllracoes e mais esta-
Iwwdwionloo militares, assim como os mappas
nelle mencionados.
N. 270.Dita ao mesmo. Coni este oflicki ser
^presentado a V. Exc. o guarda nacional do 9* ba-
talhao Jos Carlos dos Santos, que pelo respectivo
commandante superior do municipio de Olinda me
fui reuicttido com destino ao exercito.
N. 271Dita ao director do arsenal de guerra.
So esliver as precisas condieocs mande V. S.
a dimitir na companhia de aprendizes desse arsenal
:ifl-orphn Jeronymo, em vista de requisioo du
respectivo juiz, ehi ofllcio de 5 do crrente.
N. 272.Dita ao mesmo.Auloriso a V. S. a
mandar adniillir na companliia de aprendizes desse
arsenal, o menw orpho de uome Manoel Lucas da
Silva, a que se refere a sua informaco de 5 do
crreme, sol n. 51, depois de preenchidas as con-
die/>es du art. 4U do regulamento n. 113 de 3 de
Janeiro de 1812.
N. 27.'*.Dita ao capitao do porto.Commun-
riitiln mn o cnsul da Blgica, Luiz Antonio de S-
cueira. Iiaver reassuimdo em 3 do corrente o exer-
cicio das respectivas funecoes, que deixra por ter
seguido para a Europa,donde regressou; assim o
den aro a V. S. para seu conhecimento.
N. 174. Dita ao commandante do presidio de
Fernando.Faca V. S. vir esta cidade, na pri-
meira occasio opportuna, c com a precisa segu-
ranza, o sentenciado Jos Francisco de Paiva, que
o requeren) a bem de seu direito.
N. (75.Dila ao mesmo.Seguem para esse
presidio no vapor Giqui, da companhia Pernam-
l>ucana, seis sentenciados militares viudo da corte
con tal destino, de nomos Antonio Francisco R-
lero, Ascondino Francisco dos Santos, Belisario
Antonio Montciro, Joaquim Augusto Lopes e Joa-
quim Augusto de Souza.
N. 27ti.Dita ao cnsul da Blgica.Pelo oflicio
que em 3 do corrente me dirigi o Sr. Luiz Anto-
nio de Squoira, cnsul da Blgica, fiquei inteirado
de Iiaver regressado de sua viagem a Europa, o-i| r'|n2a>i-
ieasstimido naquella data o exercicio das funecoes
consulares. Aproveito a occasio para reiterar ao
Sr. cnsul da Blgica os nicus protestos de estima
0 considerar.
N. 277.Dita ao Dr. Aloxandre de Souza Pc-
n ira do Carino.Tendo, em cumprimenlo do avi-
so do ministerio da guerra de 13 de fevereiro pr .-
ximo limli>. designado a V. S. e aos Drs. JooFer-
i'ira da Silva e Joo Baptista Casa-nova, para iog-
peceonarom de saiide o almoxarife do arsenal de
,iiena. Joaquim Jos de Parias Noves Jnior, que
requereu aposentadoria; assim Ih'o communico,
r.liui de que se preste com o zelo que eosluma, e
me remeta o resultado da inspeeoao.
N. 278.Ditas iguaes aos Drs. Joao Baplista
Casa-nova c Joao Ferreira da Silva, omittindo as
palavras e me remetta o resultado da inspee-
oao. >
2.a seceo.
N. 280.Portara ao Dr. chefe de polica.D
v. s. as providencias precisas para que toaban)
andamento os processos de appellacoes dos reos
lanos da relaeo junta por copia, remottida
pelo juiz de direito" de Nazareth, e que consta esta-
ris parados nesse tribunal.
. 281.Dita ao mesmo.Tendo-me represen-
tado o coronel Francisco de Barros do Nascimento
que as prximas passadas eleicocs de eleitores
geraes e opeeiaes que se fizeram na freguezia da
Fazenda-Grande do municipio de Floresta, o res-
pectivo delegado de polica proceder irregular-
menle. animando as violencias e outros actos con-
trarios lei, que diz liavcrem sido pratieados pelo
juiz do paz que presidia a mesa parochial, e por
aigtUM individuos <|ue o acompanliavam, e deixan-
do de tomar providencias para garantir o socego e
a scgiiranea individual; cumpre que V. S. exija
daquella autoridadeque com toda a brevidade res-
ponda a taes arguiees, informando a esta presi-
dencia de ludo quato tiver occorrido asemelhan-
te reepoito.
N. 281Dita ao mesmo.Em vista do que me
communicou V. S. em oflicios de 27 de tevervlro
prximo lindo e 1" do corrente. relativamente ao
desenvolvimento da varila na freguezia da Var-
zea. remeti urna carteira conteni remedios ho-
mo ipaticos em tintura para serem all applicados
as possoas accomineltidas daquella enfermidade,
como indicou o commissario vaccinador, convindo
que V. S. informe se exi>te alguma casa em dis-
tancia de am quarto de legna do povoado daquelle
Dome, appropriada ao eslabelecimento de um laza-
reto, o qual o seu aluguel.
N. 283.Dita ao mesmo.Communicando-mc o
cnsul d.i Be.gica, Luiz Amonio de Siqucira. que,
do volta da sua viagem Europa, reassumira a 3
do corrente, o exercicio das funcees consulares ;
assim o declaro a V. S. para seu conhecimento.
N. 281.Dita ao commandante su crior interi-
no da guarda nacional deste municipio.Tendo
transferido para o dia 11 do corrente a sahida do
vapor Gi'/n"' para o presidio de Fernando, recom-
mendo a V. S. que baja de providenciar, para que
nellfl sigam infallivelmente, nao s os guardas na-
eiooaes que teem de substituir os que alli se aeham
de.-ta'-ados, como lambem o capitao que deve subs-
tituir ao capitao de voluntarios Antonio Grarindo
de Gusmiio Lobo, conorme delerminei por porta-
ras de 27 de fevereiro o Io do corrente, convindo
que, para os fins convenientes, me communque
qual o capitao que designar.
N. 285.Dita ao mesmo.Expeea V. S. suas
ordens aflm de qae urna guarda de honra de um
dos corpos da guarda nacional sob sen cominando
superior, acompanhe as procissoes de Enterro e da
i'"'-lurreieao, que tem de sabir da igreja do con-
\'f\to do Carmo desta cidade, nos lias 26 e 28 do
corrente.
N. 286.Dila ao commandante superior da
guarda nacional do Limoeiro.Em resposta ao
offlcio de V. S., datado de 21 do jullio do anno pas-
sado, sob n. 22, remetto-lhe para sua inteigen-
cia as inclusas copias das deliberacoes desta data,
pelas quaes nomeei os offlciaes do 53 batalhao de
iafanuna da guarda nacional do servico activo do
commando superior creado na Ireguezia de Taqua-
ritinga pelo decreto n. 3863 de 11 de maio de
1867, e designe m lugares das paradas do mesmo
batalhao e das respectivas companhias. V. S. publi-
car essas deliberacdes em ordem do dia, e mar-
car aos Horneados o pr*zo do tres mezes, conta-
dos da intimacao que ibes fr feita, para que soli-
citen!, na secretara desia presidencia, as suas pa-
tentes, daado-me scieacu da dala, em que come-
car a correr o dito prazo.
N. 887.Dita ao juiz de orpbaos desta capital.
Tendo nesta data auiorisado o major director do
arsenal de guerra a mandar admittir na compa-
ahia tie aprdizes daquelle arsenal o menor or-
phio de norae Manoel Lacas da Silva, a que se re-
fere o sen offlcio de 24 de fevereiro ultimo, urna
vez que sejam preenchidas as endicoes do art. 4o
do regulamento n. 113 de3 de Janeiro de Wtt as-
sim communico Vaac. para seu coobeWBGAto
N. 188.Deliberado.O presidenle da provin-
cia, attendendo ao disposto no art. 71 da le a. 602
de 19 de setembro de 1850, e no aviso do ministe-
rio da justica n. 81, de 15 de fevereiro de 1860,
nomeia para o 53 batalhao de infamara da guar-
da nacional do servico activo da freguezia do Ta-
quaritinga d municipio do Limoeiro, creado por
decreto n. 3863 de 11 de maio de i867, os seguin-
tes ofDciaes :
Estado-maior.Tenente quartel-mestre Antonio
Carlos de Jess ;
Alferes secretario Joao Alves Bezerra Cvala
cante ;
Alferes porla-bandcira Jos Soares de Albu-
querque ;
1' companhia (povoacao de Taquaritinga.)Ca-
liitao Antonio Elias do llego Dantas ;
Tenente Izidoro Jacob de Pontos ;
Alferes Joao Leodegario da Silva Barros e Joao
Bezerra da Cuulia ;
_ 2* companhia (povoacao de Vertentcs,) Capi-
tao Alexandre Manoel Bezerra ;
Tenente Manoel Tavares de Oliveira Barros ;
Alferes Domingos Barbosa da Cunha Moreira o
Joaquim Alves Correa de Albuquerque.
3a companhia (povoacao de Grvala).Capitao
Manoel Martins do Bego Faria;
Tenente Luiz Manoel de Franca Pontes ;
Alferes Francisco Ferreira Gocalves Carneiro e
Manoel Correa da Silva.
4a companhia (povoacao de Topada).Capitao
Domingos Percira da Costa ;
Tenente Luiz do Reg e Silva.
Alferes Joao Carlos de Mello e Joaquim Teixei-
ra da Silva.
5* companhia (povoacao do Olho d'Agua da On-
ca.Capitn Luiz Jos de Mello Teixeira ;
Tenente Joao Sacerdote de Moura ;
Alferes Joao Correa de Queiroz e Antonio Jos
do Reg Jnior.
6a companhia (povoacao de Santa Mara.)Ca-
pitao Joao Cancio do llego Farias ;
. Tenente Jos Claudino Cordeiro da Fonseca;
Alferes Pi Jos Guimaraes e Dionizio Jos do
Bomfim.
N. 289.Dita.O presidenle da provincia, tendo
em vista o disposto no art. 25 da lei n. 602 de 19
de setembro de 1850, delibera que o 53 batalhao
de infamara do servico activo da guarda nacional
creado na freguezia de Taquaritinga do municipio
do Limoeiro, pelo decreto n. 3863 de 11 de naio
de 1867, tonha a sua parada geral na povoacao da
Matriz da dita freguezia ; e as parciaes nos se-
guintes lujares :
Da primeira companhia na povoacao de Taqua-
Da 2a na de Vertente.
Da $ na de Grvala.
Da 4a na de Topada.
Da a' na do Olho d'Agua da Onca.
Da 6a na du Santa Maria.
N. 290. =Dita.O presidente da provincia, atten-
dendo ao que Ihe requereu Eduard Antunes de
Albuquorque Mello, labolliao de notas c escrivao
do cfiu e cvel do termo d Cimbres, resol ve con-
ceder-lhe mais dous mezes de licenca para tratar
de sua saiide nesta capital.
3* seecao.
N. 291.Portara ao inspector da thesourara
de fazenda.Communicando-me o cnsul da Blgi-
ca, Luiz Antonio de Siqueira, que de volla da sua
viagem Europa, reassumira a 3 do corrente o
exercicio das funecoes consulares, assim o declaro
V. S. para seu conhecimento, e alim de o fazer
constar ao inspector da alfandega.
N. 292.Dita ao mesmo.Constando de aviso
da repartcao da marinha de 22 de fevereiro ulti-
mo, ter-se concedido ao capitao de mar c guerra
Mamede Simos da Silva, ipiatro mezes de licenca
com os vencmentos que lhe competem na forma
da segunda hypothese do aviso de 31 de outubro
de 1867, para tratar de sua saiide nesta provincia,
assim o communico V. S. para seu conhecimento,
prevenindo-o de que esle offlcial deve ser mensal-
mente pago por essa thesourara.
N. 293.Dita ao- mesmo.Annuindo ao que so-
licitou o engenheiro encarregado das obras mili-
tares em olicio de 6 do corrente, recommendo
V. S. que em vista da conta junta em duplicata.
mande pagar Manoel Antonio Teixeira a quan-
tia do 440, que se lhe est a .dever por haver
concluido, de conformidade com o respectivo orna-
mento, a desobstruccao e concertos do cano geral
de esgoto do arsenal de guerra.
N. 294.Dita ao mesmo.Em vista da inclusa
conta em duplicata, que me remetteu Jos Alves
Tenorio, gerente da pharmacia homeopathiea do
Dr. Sabino Olegario Ludgcro Pinho, com offlcio de
6 do corrente i'uez, mand V S. pagar-lhe a quan-
tia de 26, proveniente de urna pequea botica
homeopathiea. que forneceu para o tratamento das
pessoas desvalidas atacadas da varila na fregue-
zia da Varzea.
N. 595.Dita ao mesmo.Inteirado de quanto
V. S. expoz em sua informaran de 6 do corrente,
sob n. 130, com referencia a da contadoria dessa
lliesouraria, tenlm a dizer que pelo crdito de
5:000 aberto pela portara desta presidencia de
2i de fevereiro ultimo verbadespezas even-
'tuacs do ministerio da guerra no corrente exerci-
cio para pagamento dos prisioneiros de guerra pa-
raguayos, mande V. S. lambem pagar as diarias
dos seis sentenciados militares, que ltimamente
vierain da corte com deslino ao presidio de Fer-
nando, e dos calcetas que se acham recolhidos
fortaleza do Brum.
N. 2!H>.Dita ao mesmo.Por conta do crdito
concedido pelo aviso do ministerio do imperio de
16 de novembro do anno prximo passado, e ordem
do iliosouro nacional n. 211 de 20 do citado mez
de novembro, mande V. S. pagar, em vista da folba
junta em duplicata, quo me remetteu o chefe da
repartcao das obras publicas com offlcio de 6 do
corrente sob n. 90. a quantia de 904880 rs., ou a
que justamente se dovor, proveniente da feria dos
operarios, que estiveram empregados durante a
semana de 1 a 6 deste pjez nos reparos do palacio
da presidencia.
N. 297.Dita ao chefe da reparticao das obras
publicasDeclaro a Vmc. para seu conhecimento
e direceo, que o inspector da thesourara de fa-
zenda participou-mc em offlcio de 5 do corrente
sob n. 129, que do crdito de 2:0004000, volado
para os reparos do palacio da presidencia, resta
apenas o saldo de 6085747#para a cnntinuacSo de
taes reparos. Z
N. 298.Delibefaoo.O presidente da provin-*
cia attendendo ao que requereu o eartorario da
thesourara de fazenda desta provincia, Antero
Augusto Peixoto de Alencar, resolve conceder-lhe
um mez de licenca com ordenado smente para
tratar de sua sade.
4* seecao.
N. 300Portara ao desembargador provedor
da Santa Casa de Mizerleordia.Em vista do suas
informacSes de 8 do corrente sob nmeros 1787
e 1788, &atorlo V. Exc. a mandar entregar a Jo-
sepha Maria da Gonceico de Alcntara* a Ro-
mana Rita de Sampayo.a primeira o seu filho Joao
Pereira de Alcntara educando do collegio dos
c rphos e a segunda suas duas flinas Anna e Ru-
fina ambas tambem educandas do coHegio das or-
ptaas. t
N. .301.Dita a cmara municipal do Rio For-
mozo.Pelo offlcio que no 1. do corrente me di-
rigi a earaara municipal da cidade do Rio For-
mozo, fleo inteirado da deKberacio qae tomou a
mesata cmara de por a cargo do seu procurador
a rreeadpcae das suas rendas, visto que-tendo
Aldo ellas postas em praea nao appareceu licitan-
te algum a sua arreraalacao.
H, 302.Di ao juiz d> paz mais votado da
freguezia da Faaeuda Grande, do municipio de
Floresta.Recebi o offlcio que Vmc. dirigio-me
em 6 do mez prximo Ando declarando que em
25 de Janeiro trouxeA ao conhecimento desta pre-
sidencia o resultado da nova eleie de vereado-
res e juizes de paz, a que se proceder em 17 do
mesmo mez de Janeiro, e exposera a duvida em
3uc laborava de ser milla a dita eleicau por falta
e rogulandade na revisao do ali-tamento dos vo-
lantes, visto que deixaram de reunir-se coucecu-
vamenle juntas de ipialiticacao e conseiho de re-
curso ; e pedir que eu houvesse de esclarecel-o
sedevia requNtarda oamara municipal de Taca-
ralii copia da acta do ultimo conseiho de recurso
mterposto por essa freguezia, ou se por esta presi-
dencia seriam dadas as providencias para esse lim,
conclue Vmc. por dizer que, nao tendo reeebido
resposta ao sobredito oflicio at o dia 31, tomara
a resolucao de dexar de presidir a mesa paro-
chial da eleico de eleitores, at mesmo por que
receiava ser victima de assassinos capitaneados
pelo delegado de polica, a quera Vmc. aecusa de
violencias e outros factos. Em resposta, declaro-
Ihe que nao me havendo sido presente o offlcio
de 25 de Janeiro, a que Vmc. refere-se, n era
possivel dar suluco a consulta que ignorava, mas
que tendo recibido com offieie da cunara munici-
pal dessa villa as copias das actas da eleicao para
vereadores c juizes de paz, n'ellas nao encontran-
do irregularidades, ordene! que se fizesse a apura-
cao geral dos votos para vereadores, embora seja
una so a parochia de que se compe o municipio,
e sa*xpedisse diplomas aos 7 cidadios mais vota-
dos, bem como aos juizes de paz dos dislrictos d
mesma parochia, convidando-os a prestar jura-
mento para enlrarem em exercicio. Isto, porm,
nao obsta a que a presidencia, se lhe forem apre-
sentadas reefamacons dovidamente provadas con-
tra a validado, da dita eleicao, tome a tal res-
peito as providencias que forem conveniente
quanto as aecusacoes que Vine, faz ao dele-
gado de polica peo modo, porque diz haver-se
portado na eleicao de eleitores, nesta data mando-o
ouvir, para que p.tssam ser levados ao consnheci-
mento do poder competente com as respectivas
actas, as oceurronrias que se tivercm dado, aflm
de resolver o que parecer ju-to.
N. 303. Dita ao gerente da companhia Per-
naiulmcana.0 Sr. gerente da companhia Pernam-
Imcana mande dar transporte para o presidio de
Fernando por conta de ministerio da guerra no
vapor Giqui aos seis sentenciados militares, vin-
dos da corte, de nomes Antonio Francisco Bibeiro,
Ascendino Francisco dos Santos. Apoliuario Lo-
pes, Belisario Antonio Montetrn, Joaquim augusto
Lupes e Joaquim Angosto de Souza.
N. 304.Dita ao mesmo.Por conveniencia do
servico publico baja Vine, de transferir para o dia
li do corren'e, a tarde a sahida para illia do Fer-
nanJo de Noronha do vapor Giqui, annunciada
para o dia 10, f.izendo n'esse sentido s noce -sa-
lios avisos pola emprensa.
N. 303.Dila ao gerente da empreza dos trilhos
urbanos do Beeife a Api|iuc"S.-^-Remetto a Vnv\
urna prora iinpri'ssa do regiilamoiuo que esta pre-
sidencia pretende promulgar para regulardade
dos transportes ros passig'iros e cargas noslnaa
dessa em]treza, aflu de que Vmc. exaininamlo as
disposi;oes do mesmo regulamento, a que estao
annexas tabellas das tarifas das passagons e dos
fretes, haja de fazer com brevidade as reclama-
coes que julgar convenientes no- intorosse da dita
empresa, para que esta presidencia possa tomar
em consideracao o que parecer justo o razoavel,
segundo as estiplateos do respectivo contrato.
N. 306.Dita aos agentes da companhia brasi-
lea de paquete a vapor. Podem Vmcs. fazer
seguir para osportos do norte o vapor Teetmtku,
boje a hora indicada em seu offlcio de 7 do cor-
rente.
EXPEDIINTI. ASSIfiXADO PELO SR. D. JOAyinM COR-
REA DE ARAJO, SECRETARIO DO GOVKll.No. EM 8
DE MARQO DE 18C9.
1.a seecao.
K. 307.Oflicio ao Exm. Sr. general cooimau-
danto das armas.O Exm. Sr presidente da pro-
vincia manda declarar a V. Exc. em resposta ao
seu offlcio de 3 do corrente, sob n. 123 que a the-
sourara de fazenda tem ordem para pagar os vea-
cimentos dos sentenciados militares, e calcetas
constantes do citado oflicio.
N. 308. Dito ao mesmo. De ordem do Exm.
Sr. presidente da provincia communico a V. Exc.
para os flus convenientes, que loi transferida para
o da 14 do corrente a sabida do vapor Giqu
liara o presidio do Fernando.
N. 309.DitaIgual ao director do arsenal do
guerra com tratamento de Sonhoria.
N. 310.Dito ao engenheiro militar.O Exm.
Sr. presidente da provincia manda declarar a V.
S. em resposta ao seu otlicio de 6 do corrente, que
a thesourara de fazenda tem ordem para pagar a
Manoel Antonio Toixoira a quantia de 4iOlKX)
constante do seu citado offlcio.
2a seecao.
N. 311.Oflicio io Dr. chefe de polica.De or-
dem do Exm. Sr. presidente da provincia commu-
nico a V. S. para os flus convenientes, que foi
transferida para o dia 14 do corrente a sabida do
vapor f/7/if/ para o presidio de Fernando.
N. 312. Dito ao commandante superior de
Olinda.O Exm. Sr. presidente da provincia man-
da acensar o recobiinonto do offlcio de V. S. de
boje datado, e dcclarar-lhe que o guarda do 9' ba-
talhao a que elle alinde, foi mandado aprsenla!* ao
Seneral commandante das armas para o servico
o exerrito.
N. 313.Dito ao commandante superior >le Ga-
ranhuns. O Exm. Sr. presidente da provincia
manda declarar a V. S. -pie tica inteirado de quan-
to lhe communica em oflicio n. 11 de 6 do mez
findo.
N. 314.Dito ao juiz municipal da primeira va-
ra desta cidade.De ordem do Exm. Sr. presiden-
te da provincia, transmiti a V. S. a guia junta do
sentenciado Felippe Nery Agostinho, que por V.
S. foi requistada em offlcio- de 17 de fevereiro ul-
timo, e que acaba de ser enviada ao mesmo Exm.
Sr. pelo juiz municipal de Ipojuca.
N. 315.Dito ao mesmo. De ordem do Exm.
Sr. presidente da provincia, communico a V. 8.
para os fins convenientes, que foi transferida para
o dia 14 do corrente a sahida do vapor Giqui,
para o presidio de Fernando.
N. 316.Dito ao Juiz do orpbaos do Recite.O
Exm. Sr. presidente da provincia manda declarar
a V. S. que nesta data se expedio ordem ao direc-
tor do arsenal de guerra para mandar admilt* na
companhia de menores daquelle arsenal, estando
em condii-oes disto, ao orphao Jeronvmo, o da que
trata o seu ofllcio da 5 do correte.
3* seecao.
N. 317.Offlcio ao inspector da thesouraita de
fazenda.De ordem de S. Exc. o Sr. presidente da
provincia, communico a V. S. para os lins cenve-
nieules, que foi transferida para o dia U do cor-
renWa sahida do vapor G*ut para o Residi de
Fernando.
N. 318.Dito ao mesmoDe ordem de S,Exc.
o Sr. presidente da provincia, communico a V. 8.
Jue, segundo consta de.offlcio do Exm. pnelado
iocesapo de 5 do corrente, sob n. 67, foi concedi-
do nessa data prorogacao de Ucenca por mais tres
mojes ao Rvd. vigario da freguezia de Una, Candi-
do Jos Alves da Silva, para tratar de sua saude.
N. 319 Dito ao chele da repartigio das piras
publicas.S. Exc o Sr. presidente da provincia
manda declarar a V. S. que a thesourara de Jatea-
da tem ordew para fagar a quantia de $j880,
.constante de sau offlcn) de 6 do corrente m*t. soi
n. 90, o qual fica asan respondido.
-------------:----------------------------------------
4a secco.
>. 320,.--^)fflcio a Jos Alvos Thenorio.S. Exc.
o Sr. presidente da provincia, manda declarar a V.
S. em resposta ao seu otlicio de 6 do crvente, que
a thesourara de fazenda tem ordem para pagar-lhe
a quantia de 2t. constante du citado offlcio.
KXPKDI8NTB ASSI03AD0 PELO EXM. SR. CONDE DE
BAKI'ENDY, PRESIDENTE DA PROVINCIA, NO WA 9
DB MAftOODK 1809-
N. 3S2.=Portaria ao Exm. general commandan-
te das arnis.=E.n resposta ao offlcio de V. Exc.
de 8 do corrente, sob n. 133, tenho a declarar-lhe
que o guarda do Datalho Jos Carlos dos San-
tos, que jhu foi taontem remcttido para o servico
do exercito. deve ser considerado como designado
daquelle batalhao.
-V 323.=Dta ao mesmo.=Accuso reeebido o
offlcio que V. Exc. me dirigi em 8 do corrente,
sub n. 132, e em resposta tenho a dizer-lhc que
approvo a medida nello proposta de di-mensar do
emprego da ajndanto do forte do Buraco, o 2 l-
ente reformad.) do exercito Joaquim Francisco
de Sonza Navarro, em vis a de seu estado de sau-
dc e idade avaiicada. con|iauando no exercicio da-
quelle cargo o alteres honorario do exercito Ma-
riano d.is Reis Espindola, que j o serve interina-
mente.
N. 32i.=Dita ao director do arsenal de guerra.
=A vista do que informou V. S. em offlcio n. 44
de 26 de fevereiro prximo lindo, autoriso o con-
seiho de compras dosso arsenal a acceitar o livro-
mestro lornecido por Amaral A Filhos para a cava-
Ihada do deposito especial do instrueeao, urna vez
que os fornecedores os roluzam as devidas pro-
porcoes, acerescentem as folhas que lhe faltam, e
o vendam por proco razoavel.
N. 32I=Dita ao mesmo.Communico a V. S.
para seu conhecimento que segundo constado offl-
cio do brigadeiro commandante das armas de 8 do
corrente, sob n 132, foram julgados aptos pela
junta de saude, para o servico do exercito os me-
nores da companhia do aprendizes desse arsenal
Francisco de Paula Neves, Joao Gomes de Mello,
Joao Antonio Pedro de Lima, Pedro Hermino Jos
Baen, e Prxedes Augusto de Araujo e Silva, os
quaes foram incluidos como addidos a companhia
de operarios, deixando de ser contemplados na
mesma companhia os de nune Gaudeneio Pereira
da Silva e Francisco dos Santos Lins, por ser a
nio-ma junta de parecer que so depois de curados
das molestias que estao soffren lo. podero se-lo;
p lo que cumpre que sejam recolhidos a respecti-
va enfermara.
N. 326Dila ao mesmo.Mande V. S. preparar
nesse arsenal para serem opportunamente remet-
tidos provincia da Paralaba, como foi determi-
nado em aviso d > ministerio da guerra de 25 de
fevereiro ultimo, urna correia de peito, tres pon-
toiras de bainlia do bayonnelas, e urna chapa de
oiiiiurao. alim de supprir as faltas encontradas no
aguamento e corrame ltimamente enviado da
corte cun desuno aquella provincia.
2.a seceo.
X. 328.-Portara ao Dr. chefe de polica.In-
teirado de quanto V. S. expoe era seu offlcio n.
33 de 6 do eorrente, declaro-lhe que aguardo o
resultado do nrocesso mandado instaurar contra o
subdelegado do prmeiro districto da cidade da
Victoria, Paulino Teixeira de Carvalho, para tomar
deliberaco conveniente.
N. 329. Dita ao coinmaudanle superior interi-
no da guarda nacional deste municipio. Expeca
V. S. suas ordens, aflu de que a forra da guarda
nacional, que de estylo, acompanhe a imagem do
Senhor Bom Jess dos Passos da igreja matriz da
freguezia de S. fre Podro Gocalves, para a do
convento do Carmo, p Mas 6 horas da tarde do dia
11 do corrente, e na tarde do dia subsequente pe-
las 4 horas acompanhe desta para aquella igreja
a procissao do mesmo Senhor.
X. 330.Dita ao mesmo. Expeea V. S. suas
ordens, aflm de que urna guarda de honra de um
dos corpos da guarda nacional sob son commando
superior acompanhe as. procssoes de enterro e da
ressnrreicjto, que tem do sabir da igreja do con-
vento de Santo Antonio desta cidade nos dias 26 e
28 do corrente, a 1" as 5 horas da tarde e a 2a os
5 d'amanha.
N. 331. Dita ao commandante superior da
guarda nacional de Pao d'Alho.Transmiti a V.
S. para seu conhecimento a deliberaco dosta da-
ta, junta por copia, momeando de conformidade
com a proppsta do commandante do batalhao n.
51 de infamara do servico activo da guarda nacio-
nal desse municipio, c informaco de V. S. datada
de do con ente, diversos offleiaes para a primeira
companhia do referido batalhao, cumprindo que
V. S. mande intima-Ios, para que no prazo de tro-
mezes hajam de solicitar as respectivas patentes
na secretaria deste governo.
N. 332.Circular aos juizes de direito. Re-
commendo a V. S. o cumplimento do disposto no
decreto n. 834 de 2 de outubro de 1831, que deu
regulamento para as corrcicocs, informando V. S*
desde quaado nao se observa este preceito nessa
comarca. ^
N. 333.Deliberaco.O presidente da provin-
cia de conformidade com o proposta do comman-
dante do batalhao n. 51 de infantera do servico
activo da guarda nacional no municipio de Pao
d'Alho, e informaco do respectivo commandante
superior datado de 4 do corrento, resolve nomcar
os offlciaes seguintes, para a primeira companhia,
capitao o tenente Jos Geminiano d"Araujo Pinhci-
ro, tenente o alferes Joaquim d'Araujo Pnhciro e
alferes o guarda Jos Manoel Correa do Barros.
N. 334.Dita.O presidente da provincia, at-
tendendo ao que lhe requereu o hachare! Bento
dos Santos Ramos, juiz municipal e de orphos do
termo de Flores, resolve conceder-lhe um mez de
licenga, com vencimentos para tratar de sna
sade.
3a seecao.
N. 335.Portara ao inspector da thesourara
de fazenda.Inteirado de quanto V. S. expoz em
seu offlcio de 6 do corrente, sob n. 131, com re-
ferencia ao parecer da contadoria dessa thesoura-
ra, tenho a dizer em resposta, que nos termos do
citado offlcio, pode mandar pagar por conta do
crdito de 5:000*, aberto por portara de 24 de
fevereiro ultimo, para a verbadespezas even-
tuaes do ministerio da guerraa quantia de.....
507*360, que falte para completar a de 1:101^152
proveniente de passagens e carga conduzida a bor-
do do vapor Giqui, pertencenle a companhia
Pernambucana, em viagem de ida e volta a ilha
de Fernando, comante aul com este ''pagamento
nao seja excedido o crdito de 5:000 cima indi-
cado.
N. 336.Dita ao mesmo. Constando de aviso
do ministerio da guerra de 24 de fevereiro ultimo,
ter sido approvaua a deliberaco que esta presi-
dencia tomou, de mandar sob sua responsabifldade
a pagar ao ex-tenente do corpo provisorio de poli-
ca Francisco Jos do Sacramento c Silva, a im-
portancia da gralificacao que venceu como re-
crutador do termo de Caruar do 1 a 24 de abril
do auno passado. e bem assim a forragem relativa
ao lempo decorndo de 22 de dezembro de 1867 a
24 do citado mez de abril; assim o communico a
V. S.para sen conhecimenfo.
N. 37.Dita ao mesmo.Tendo nesta data ap-
provado a medida proposta pelo brigadeiro com-
mandante das armas em offlcio de 8 do corrente,
sob n- 132, de dispensar dy emprego de ajudante
do Forte do Buraco o 2" tenente reformado do
exercito loaquim Francisco de Souza Navarro, em
vista de sau estado de saiide o idade avaucada,
continuando no exercicio daquelle cargo o alferes
honorario do exercito Mariano dos Reis Espindo-
la, que ja o serve interinamente ; assim ocommu-
nieo a V. S. para seu conhecimento.
N. 338.Dila ao mesmo. vista do que infor-
mou o major director do arsenal de guerra em of-
flcio n. 44 de 26 de fevereir ultimo, autorisei o
conseiho de compras do mesmo arsenal a acceitar
o livru mestre forneeido por Amaral & Filhos pa-
ra a cavalhada do deposito especial de instrueeao,
urna vez que os fornecedores o reduzam as divi-
das proporefles, acerescentem as folhas que lhe
faltan e o vendam .por proco rasoavel.
N. 339.Dita ao inspector da thesourara pro-
vincial.Mande V. S. adiantar ao thesoureiro da
reparticao das obras publicas mais 2:000*000
para continuaco das despezas com os reparos
das pontes e estradas arromada-' pela ultima cheia
do no Capibariho, visto aear-se engolada a qtian-1
tia de 5:0005000, que para o mesmo lim j foi en-
tregua ao mencionado thesoureiro, segundo consta i
de offlcio do supradito chefe, datado do hontem e
sob n. 96.
X. 340.Dita ao mesmo.Em vista das duas
inclusas conta-*, que me remetteu o commandante
do corpo -Hovisorio de polica com offlcio de 5 do j
corrente sob n. 65, mande V. S. pagar a Quinteiros '
4 Agr a quantia de 60000 proveniente dos en-
terres, de que foram encarregados das pracas
d'aquelle corpo, Tiburtino Ferreira das Neves e
Joao Vicente Evangelista, como se v das menoio-
nadas rontas.
N. 341.Dita ao chefe da reparticao das obras
publicas.Em vista de sua inf rmacao de 26 de fe-
vereiro prximo lindo sob n. 71, cumpre, que Vmc.
faca examinar pelo engenheiro respectivo a matriz
da villa do Buique, e informo qual o estado em que
ella se acha, e em quante importam as obras ue-
cessarias para sua conclusao.
X. 342.Dita ao mesmo.Xesta data expeoo or-
dem a thesourara provincial para adiantar a the-
soureiro dessa reparticao mais 2:0005000 para o
lim indicado no seu otHcio de hontem sob n. %, o
qual -fica assim respondido.
Convm, pois que Vmc. me remetta um orca-
mento aproximado das despezas, que se tero de
fazer com os reparos das pontes e estradas, que
se refere o j citado offlcio.
4n seceo.
X. 343Pertaria ao Rvm. D. Abbade do mos-
teiro de S. Bento de Olinda.Communico a vosee
paternidade Rvm. para* seu conhecimento, que se-
gundo consta do aviso do ministerio do Imperio
de 26 de fevereiro prximo lindo, nullo o con-
tracto de arrematarn, cuja approvaco foi solici-
tada, da casa n. 3 sita a ra do Livrinento desta
cidade, celebrado entre vossa paternidade Rvm e
Manoel Jos Moreira, por nao ter precedido ao mes-
mo contracto tironea do governo, como determina
a le de 9 do dezembro de 1830, a qual refero-se
o art. Io do decreto n. 655 de 28 de novembro de
1849.
N. 344.Dila ao vigario da freguezia do Limoei-
ro.Com a copia da ordem expodida pelo inspec-
tor da thesourara de fazenda ao coleetor desse
municipio em 5 do corrente, dou soluco ao offl-
cio de V. Rvm. de 25 de Janeiro deste anno, sobre
o sello a qutfesto sujeitos as brencas para admi-
nistrar!) de'bptismo e casamento."
N. 3*45.Dita ao presidenta da cmara munici
pal da villa do Limoeiro. Nao tendo as mesas dos
collegios eleitoraes dessa villa para as eleicoes de
deputados assenibla geral legislativa, "pelo 2
districto, e dous senadores por esta provincia, en-
viado copias authenticas das acias da organisacao
das mesmas mezas nos dias 2 e 4 do corrente, li-
niitando-se a remelter as das actas do recebinien-
to das cdulas e apuracao dos votos : cumpre que
Vmc. com toda a urgencia faca oxtrabir, o enve
a esta presidencia quanto antes, as sobreditas co-
pias das actas da organisacao das referidas mezas.
viudo conferidas pelo secretario dessa cmara mu-
nicipal e concertadas por tabollio do lugar, e na
sua falta por esrrivao de paz, na forma recom-
mendada na portara de 8 do mez passado. Idn-
ticas ao presidente da cmara mun.cipal da cida-
de de Olinda, e da villa do Cabo.
X. 346.Dita ao comuiaiitlante do presidio de
Femando.Transmiti a V. S. as guias dos sen-
tenciados constantes da relaco junta por copia
sob n. 1, que tem de seguir para esse presidio, e
bem assim as dos que trata a de n. 2, que j ahi se
acham.
X. 347.=Dita ao director geral da nstruccao
piil)lca.=Sentlo procedentes e judiciosas as obscr-
vacoes que fez o regedor do gymnasio provincial
em* ofllcio de 4 de fevereiro prximo findo sob n,
17, e que aeompanhou o do Vmc. do 22 sob n. 45.
acerca da pretenco de Thereza Alexandrina de
Barros Mello, cumpre que. para esta presidencia
poder tomar una deliberadlo a semelhanle respei-
to, o mesmo regedor informe qual o comporta-
incnto e grao de adiantamento que teem os alum-
nos filhos do tinado bacharel Ivo Miquclino de
Souto-Maior, bem como os demais pensionistas
gratuitos mencionados no seu offlcio n. 29, a V. S.
dirigido em 18 daquollo mez de fevereiro, decla-
rando desde quando esto elles como taes no refe-
rido gymnasio.
N. 348.Dita ao gerente da companhia Pernam-
bucana.O Sr. gerente da companhia Pernambu-
cana mande dar transporte at o presidio de Fer-
nando no primeiro vapor que seguir para alli. em
lugar de proa destinado a passageiro de estado, a
Antonia Robera da Piedado, mulher do sentencia-
do Manoel de Souza Ferraz e a quatro filhos me-
nores de nomes Joo, Maria, Antonio e Thereza.
KXPKD1J"TE ASSICNADO PELO SR. DR. JOAQUIM CORREA
DE ARAUJO, SECRETARIO DO GOVERND, EM 9 DE
MARCO DE 1869.
2." seecao.
N. 349.Ofllcio ao commandante do corpo pro-
visorio de polica.O Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda aecusar o recebimento do mappa de
armamento, equipamento e munico do corpo sob
seu commando, de que trata o seu offlcio n. 67 de
8 do corrente.
N. 350.Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. presi-
dente da provincia manda declarar a V. S. em res-
posta ao seu offlcio de 5 do corrente sob n. 65, que
a thesourara provincial lem ordem para pagar a
Quinteiros & Agr a quantia de 60^000, constante
do citado offlcio.
3a seceo.
N. 351.Offlcio ao inspector da thesourara de
fazenda.S. Exc. o Sr. presidente da provincia
manda transmittir V. S. as duas inclusas ordens
em duplicata sob ns. 662 e 663, expedidas pela re-
partcao do ajudante general do exercito.
4"seceo.
X. 352.Offlcio Fr. Ludgcro do Santisslmo
Xoine de Maria, guardin do convento de Santo
Antonio do Recife.S. Exc. o Sr. presidente da
provincia manda communicar V. Rvma., em res-
posta ao seu offlcio de 3 do corrente, que nesta
dala expedio as convenientes ordens, aflm de que
Urna guarda de honra de um dos corpos da guar-
da nacional ueste municipio acompanhe as pro-
cssoes de enterro e da reasurreit), de que trate o
seu citado offlcio.
despacios da plesidbncia do bu 15 dk kabc0
de 1869.
Abalxoassignadosproprieiarios e moradores em
Agua-Fria.=nforme o Sr. engenheiro chefe da
reparticao das obras publicas.
Francisca de Paula Figuelredo.=DirrJa-so ao
Sr. desembargador provedor da Santa Casa de Mi-
sericordia em sessao da junta.
Francisco de Pinho Borgas.=iAo Sr. engenheiro
chefe da repartido m obras publicas para in-
formar.
f i-mandado do Senltor Bom Jess dos Tsejoo d
cidad-i de Oiida. =lxpeca-s ordem pan neta
guarda do houra acompanhar m proci>aoie.
Irmandado do SeulMir Boiu Jess da Via-Sarm
da igreja da S nta Cruz. -Expera-se ordem para
una guarda de Imnra acompanhar a procissao.
Joao de Souza Rangel Fillio. -- Informe o Sr. m-
per.tor da tliesourari de fuzeuda.
Capitn Joaquim Cordeiro Bibeiro Campos.De-
pois quo houver apresentado ao chete da guarda-
nacional do municipio, onde actualmente reside,a
sua patente egiiia de que Hala o art. U do decre-
to n. 1130 de 12 de marco de 1853 e houver V
corrido o praso marcado no mesmo artigo, ser
lomado em consideracao o seu requeriinento.
Joaquim Antonio Rodrigues Dias. Iafbrme
Sr. coinmaiidanti. superior interino.
Jos Miguel dos Sanios, -^--informe o Sr. inspector
da thesouraria, provincia!.
Joo Paulino Marques. .. Encaminhe-se.
Joaquim Theodoro de Vascoucellos Arago. =A
Sr. director geral da natraeeie publica para in-
formar.
Jotquim Joc: Bello. Informo a cmara maniri-
pal da cidade do Recito.
Luiz Freir de Andrade.Informe o Sr. inspec-
tor da thesouraria provincial.
Tenente-coronel Manoel Antonio dos Passos u
Silva=Informe o Sr. inspector da thesouraria de
fazenda.
Maria Isabel di Conceico,A vi'-ta dainlbnna-
cao da junta da Santa Casa, nao pode ser allendida
a supplieante.
Manoel Fernandos da Costa.Informe o Sr. ins-
pector da thesourara provincial.
Senhorinha .Mara do Valle.-=Inforiae o Sr.
desembargado!*, da Santa Casa de Misericordia.
Thoru ArveHos Espinla, -luforme o Sr. ins-
pector da Ihesouraria de fazenda.
Reparticao d pollela.
2" seceo.Secretaria da polica do Pernambuco
16 de marco de 1869.
X. 393.Illm. e Exm. Sr.Tenho a honra de.
levar ao conhecimento de V. Exc. que, segundo
consta das participacoes receirlas boje nesta re-
particao, foram. hontem recomidos casa d-; de-
ten cao os seguintes ndiviihms:
i ordem do subdelegado do Reeifts. Antonio Au-
gusto da Costa Guimares, por ofwsoa moral
publica ; Jos Francisco Gomes de Castro, por
dcsordeni ; e Grig Becho, para ser conservado em
custodia.
Em offlcio de 23 de fevereiro prximo findo.
communcoii-me o delegado do tormo do Bio For-
moso, que o subdelegado primeiro supplenle em
exercicio naquella cidade lhe parieJpoo* que no
dia 17 do mesmo mez, em trras do engenbo Gur-
ja daquelle termo, margom do rio Seriuhem,
foi encontrado o cadver de um individuo em com-
pleto estado de pulrefacro e, em parte dilacerado
polos peixos e urubs, pelo que, nao pudendo ser
conduzido para sor inhumado conveni.lilemente,
foi sepultado junto a margeiu do rio que nao
obstante o e-tado oni rpie se aohava o cadver, to-
dava vi-rilicoiiso ser elle de um individuo de cor,
por ter os cabellos carapinlms. Iiem como que a
norte Era o resultarlo de um crime por lerem si-
do encontrados n'elle vestigios de .cinco facadas,
sendo tuna destas no bao ventre.
Que em vista da participaco de semelhanle fac-
to, elle delegado, depois de proceder s mais rigo-
rosas deligenoas respeito, verifieou ser o cad-
ver de um eseravo do Dr. Gervasio Gocalves da
Silva, proprietario do engolillo Cucad do termo de
Serinhaem, e que fora alli r-eaaeeiaado aquello es-
oi a-o por mn prcto liberto, morador em trras do
mesmo engento.
Realmente que, segando lhe consta, as autori-
dades daquelle municipio prosegaem na formada
lei contra o delnqueme e que este j se acha
preso.
Deus guarde a V. ExcIllm. Exm. Sr. conde
de Baependy, presidente da provincia.O chefe de
poilcia, Francisco ile Furia Lemos.
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA. ____
ACTOS OFFICIAESPor del i hora crios de 13 do
corrente, e proprio pedirlo, foram aposentados :
O primeiro oscrptiirario da thesouraria provin-
cial, Alexandre Am rico de Caldas Brandao ;
O collector das rendas provineiaes, no municipio
de Pao d'Alho. Alexandre Mara Barbosa da Silva.
Foi nomeado o capitao reformado do exerri-
to Manoel Alexandrino de Albuquerque Pitia, para
auxiliar o ajudante do director do arsenal de guer-
ra, nos Irabalhos dolialanco geral que se proce-
de nos armazens do almoxariudo, re piisico da
commisso de s\ ndcanca.
SENADORESAt hontem noite conhecia-se
o resultado da voiac o dos collegios do Beeife, Pao
d'Alho, Olinda, lgurassii. (uvaima. Nazareth, Li-
moeiro, Cabo, Eseada, Santo Anto, Serinhein,
Bio Formse, Barroiros. Bonito. Garanhuns, S.
Bento, Caruar, Buique, Cimbres, Bom Conseiho,
Flores, Brejo e Villa Bella, aos quaes concorreram
1,619 eleitores:
Vi Conselheiro Jos Bento da C. o Figuoiredo. 1,3.19
Desembargador Alvaro B. l'elia Cavalcante 1,53(1
Dr. Ignacio Joaquim de Souza Lco....... 1,528
Dr. Joo o> Ferreira de Aguiar......... 1,393
Conego Joaqnim Pinto de Campos......... 1,33*
Faltam os collegios de lugazeira, TacarUi, Ca-
brob, Ouricury, Granito e Boa-vista, com 220
eleitores.
DEPUTADOS ASSEMBLA GERALO re-
sultado d votarn dos collegios de Cimbres, Brejo,
Flores e Villa-Bella, que fazem parte do 5o distric-
to eleitoral da provincia, o seguintes:
Dr. Manoel Clementino Carneiro da Cunha 160
Conego Joaquim Pinto de Campos....... Mi
Faltam os collegios de Ingazeira, Tacaratd, Ca-
brob. Ouricury, Granito e Boa-Vista, com 220
eleitores.
CHRISMAS. Exc. Rvma. o Sr. bispo diocesano*
chrismou hontem pola manha, na igreja do Ra-
raizo, crescido numero de meninas da casa dos
expostos.
CAMABA MUNICIPALEm sessao de ante-hon-
lom esta corporaco dominio ao fiscal da freguczLi
de S. JosC, e nomeon para esse cargo ao Sr Joo
Xavier da Fonceca Capibaribe.
PLVORA NA FORTALEZA DO BURACO.-In-
formam-uos que exiit neste deposito cerca de
12,000 barris desse genero, c que nao ha ah, d;i
parte dos respectivos guardas, todo o zelo e cui-
dado que indispensavel na proximidade de tal
combustivel; pois, cpurcsinUam, fumam c conser-
vam Iii7.es multo prximo, sem o emprego das ne-
cessarias prevencoes.
suas Excs. os Srs. prosideulo da provincia e
commandante das armas, pedem-uos, que reeom-
mendemos providencias no sentido de cessaren
esses abusos, que podem ser tao damnosos cida-
de do Recife.
PROCBSO.AmanhSa, a confraria do Senhor
Bom Jess da Via-Sacra, da igreja da Santa Cruz,
expoe vista dos fleis, em solemne proci sao, as
imagens do Senbor Bom Jess dos Passos e do Nos-
sa Senhora da Soledade, a qual percorrer as ras
do Sebo, CotoveJk), Santo Cruz, Mangueira, Gloria,
Matriz, Hospicio, Formosa, Aurora, mircTaru,
Praca, Conceico, Rosario, Arago, Veras e v^*.
mm


Diario de Pernambuco Qnarta feira 17 de Mar^o de 1869.
i'
i
11
a recolher-se. A confraria peile e desoja que os
moradores respectivos facam limpar conveniente-
mente essas ras.
BENQAO DE IMAGE.NS.-rDomingo Ibram ben-
zidas as imagens do Senhor dos Passos e da Se-
nhora da Soledade, na igreja da Santa Cruz, com
toda a pompa e brilhantismo, servindo de tcstemu-
nhas do acto os Srs. Raroes de Cruangy, da Solc-
dade, de Bemflca e do Campo Vento. Offlcioo
Rvm. vigario da freguezia.
CADVER .ENCONTRADO.Em trras do en-
genho Gurja, do termo do Rio Formoso, a mar-
gem do rio Serinhaem, aehou-se o cadver de um
individuo, en completo estado-do putrefaccao. e
em parte dilacerado pelos peixes e urubs, polo
Sue, nao podendo ser conduzdo para ser inhnma-
o convenientemente, fot sepultado junto mar-
gem do rio. Do exame de sanidade a que se pro-
cedeu, verificou-se ser o cadver de pesara de cor
e que a morle fra resultado de um crime, por te-
rem sido encontrados vestigios do cinco Tacadas,
urna das quaes no baixo ventre.
Das pesquisas i que procedeu o delegado do Rio
Formoso, verificou-se ser o cadver de um cscra-
vo do Dr. Gervasio Goncalves da Silva, proprieta-
rio do engenho Cucad, o qual foi assassinado por
um preto liberto morador em trras desse enge-
nbo, que j tinha sido capturado.
GARRS PARA JABOATO.Sob a rubricaA
pedidodamos boje a rclacao dos subscriptores de
aecSes d'essa euipreza, que hontem demos aqui,
augmentada com mais alguns nomes, representan-
do 515 accoes ou 103:0003000 ; as quaes unidas
soutras importara em 1,447 accoes ou 289:400$.
PROTECTORA DAS FAMILIAS.A agencia des-
ta associacao brasileira, nesta provincia, tinha ob
tido de subscriptores at o fim de novembro prximo
passado rs. 530:210/000 ; essa quantia elevou-se
durante o ultimo trimestre com os seguintes senho-
fes :
Gommendador Joio Carlos do Men-
donca Vasconcellos.......15:0005000
Capitio Francisco da Rocha Hullanda
Cavalcanti.........6:000^000
Thomaz Lins de Barros Wanderley. 6:030/000
Jos Felippe Santiago Ramos. 6:0003000
Artonio Santiago Pacs de Mello. 6:000/000
Sebastiio Autonio Accioly Lins Wan-
derlev...........6:0003000
correlores, Amado de hoje, presentando o bule-
tim commercial da semana prxima linda.Ao
archivo. ,
Ao Sr. depulado Miranda Leal foi distribuido o
livro copiador (por machina) de Agostinho Ferrei-
ra da Silva Leal & C.
IIKSPAC.IIOS.
Requerimento de Francisco Goncalves Teres
offereeendo registro a noraeacio de seu caixeira
Manoel los da Silva.Registre-se.
Dito de Jos Fortunato dos Santos Porto, pira
so Ihe registrar o scu distrato social com Bernaf-
dino de Azevdo Pereira Maia.Vista ao Sr. de-
sembargador fiscal.
Dito do corretor Henrique Guilhernie Slepple,
apresentando, para ser archivado, o termo da no-
va flanea que prestad para continuar no exercicio
de seu oflicio. J foi deferido.
Dito de 1). Emilia Von Sohster e Geraldo Abri
Rrender a Brandis socios da firma Von Sohster A
C, registro do urna procuracao bastanteRe -
gistre-se.
Com informacao do Sr. desembargador fiscal :
De Manoel Marques de Amorim, Jos Joao de
Amorim Jnior e Manoel Jos do Amorim Sobri
nho, contrato social commanditario. Regis-
tre-se.
De Manoel Fomandes da Costa 6l C. contrato
social.Registre-se.
Replica de Antonio Jos Pereira, sobre o regis-
tro do distrato social da lirmaPereira, Irraio A:
CRegistre-se.
RESOLUCAO.
O tribunal resolv,eu que a secretaria remettesse
a junta dos corretores una rclacao dos fiadores,
e abonadores dos mesmos corretores, reeommen-
dando que ass-im que se d qualquer das hypothe-
ses do artigo 44 do cdigo commercial scienti fique
inmediatamente ao tribunal para providenciar a
respoito.
Nada mais havendo a tratar-se, o Exm. Sr.
presidente cncerrou a sessio sil horas e meia
do da.
Laurentino de Rarros Lins .... 6:0005000
Pedro Cavalcanti de Albuquerqua
Uchoa........... 6:0005000
Capitao Manoel Honorato de Rarros 4:5005000
D'. Anua Mara da Fonceca Lpez. 3:0005000
D. Maria Lins Accioly das Noves. 3:0003000
Bario de Una......... 3:0003000
Coronel Thomaz Alvos Maciel. 3:0003000
Dr. Pedro Gaudino de Ralis e Silva ^
Jnior........... 3:0005000
Leandro Cavalcanti da Silva Guima-
raes............ 3:000300:1
Christovaode llollanda Cavalcanti. 3:0005000
Adalberto de llollanda Cavalcanti. 3:0001000
Joao Paes de Almeida Lins Jnior. 3:0003000
Jos da Silva Lins Freixa..... 3:0005000
Jos Antonio Alves Maciel..... 3:000 30 K)
Joao Paes de Santiag. Mello. 3:0005000
Manoel Francisco Ferrio de Albu-
querque.......... 3:0003000
Esteva.) Luiz Wanderlev. .... 3:0004000
Lucio Xavier Mendos.'..... 3:000300')
Joio Francisco Lins Callassa. 3:0003000
Antonio Claudino de Almeida. 3:0005000
D. Francisca de Barros Vieira Caval-
canti........... 1.5005000
D. Felicia Carolina de Souza Botelho 1:5001000
Manoel Bernardino Vieira Cavalcanti 1:500*000
Joio Carlos da Silva Guimaries. I:r00/00
Manoel Antonio Cavalcanti. 1:5003000
Joo Baptista Accioly Santiago. 1:5005000
Jos de Barros Santiago Ramos. 1:5003000
Pedro de Rarros Wanderley. 1:5003000
Antonio Jos Gomes....... 7503000
665:5005000
PROCLAMAS.Foram lidos na matriz da fregu-
zia de Santo Antonio no dia 14 do corrente inez os
seguintes proclamas :
i. denunciaco.
Antonio Luiz de Deus, cora Maria Joaquina da
Conceicao.
Manoel Jos Soares Guimaries, com Joamia Car-
lota Celestina da Silva
Francisco dos Santos Moreira, com Olivia Maria
do Espirito-Santo Pereira Lago.
Antonio Peregrino dcFaria, com Columba Maria
do Reg.
Bernardino de Azevedo Pereira Maia, com Clau-
dina Francolina de Duela.
ftoberto Henriques da Costa, com Joanna Maria
de Jess.
O bacharol Laurino de Moraes Pinheiro.coraAnna
Cornelia de Moraes Guerra.
Mr'"1 Martina da Paixao, com Francisca Mar-
Colina da Silva.
2.a denunciaco.
Anaclcto Pereira Magalhaes, com Ciernen ti na
Amelia de Mcneiros. .
Jos Zachanas Dias, com Mana Joaquina de
Paula. __ ,
Mamjel Luiz Carlos Tavares, com Mana Thcodo-
ra de Lima Barros.
Ji.5j Francisco Ribeiro da Silva, com Candida
de Souza Guimaraes.
Jos Luiz, com Florencia Maria da Lonceicao.
Aquilino da Costa Arruda e Mello, com Franco-
lina Hollandina da Silva.
Belmiro Gimes de Oliveira, com Dorothea Xa-
vier de Macdo.
O bacharel Francisco Tcixeira de Sa, com r ir-
mina Niomisia Wanderley Cavalcante.
Claudino Antonio Vieira da Cunta, com DelOna
Adelaide Rodrigues da Silva.
oao Ramos, cim Elvira Anncs de Suuza.
Alfixandre Tiburcio, com Damiana Maria do
Espirito-Santo.
3.' denunciaco.
Cantillo Pereira Mondes, com Adelaide Thereza
Bittencourt.
Antonio Jos Cordeiro Simoes, viuvo de Amelia
da Silva Campos Simoes, com Senhorinha da Silva
Campos.
Speridio Sloccovich, com Helena Francelma
de Mello Branger.
Manoel Jos de Oliveira, com Mana Francisca
de lesus.
LOTERA.A que se acha venda a 99' a be-
neficio da igreja de Nossa Senhora da Soledade
desta cidade, que corre no dia 24 do corrente.
PASSAGEIROSDohiate nacional Novo Inven-
civel, entrado do Aracaly :
Trajano Esteviio da Providencia, I escravo e 1
criado, Manoel do Nascimento, Manoel Luiz Agodi-
nho e Joao Manoel da Piirifieacio.
CEMITEHIO PUBLICOObituario do dia il do
corrente :
Tertuliano da Costa, frica, 50 annos, solteiro,
Boa-Vista; anemia.
Herculano Dutra de Miranda Henriqnes, Pernam-
buco, 37 anuos, solteiro, Poco ; pneumona
Jos Francisco Ribeiro, Portugal, 68 annos, soltei-
ro, Recite: eongestao celebral.
12
Antonio, Pernambuco, 8 mezes, Roa-Vista; hepa-
tite.
Mana, Pernambuco, 3 annos, Boa-Vista, pneumo-
na chr nica.
Bento, Pernambuco, 22 annos, Bo?-Vista; cirro no
8 gado.
Becem-nascido, Manoel, Pernambuco, Recite; con-
vulsdes.
Ismael Jos da Costa, Maranhao, 38 annos, soltei-
ro, Recife; hypertrophia.
15
Joaquim Jacintho, Portugal, 47 annos, casado, San-
to Antonio; tubrculos pulmonares
Antonio, Pernambuco, 4 mezes, S. Jos ; diarrhea
aguda.
Reeem-nascido, Pernambuco, Recite.
Joaquim, Pernambuco, 4 dias, Boa-Vista; convul-
Jos Rodrigues da Silva, Parahyba, 70 annos
rheumatismo.
Maria, Pernambuco, 32 anuos, Boa-Vista; febre
perniciosa.
Elvira, Pernambuco, 20 annos, Santo Antonio
tosse convulsa.
CIRONIC.I JUDKIIARIA.
TRini WI- DO CO.HHBRCIO.
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 15 DE
MARCO DE 1869.
MUMIDENCIA DO EXM. SR. DBSBMBARCASOR ANSILIK.
PRANCISCO PERKTTI.
As 10 horas da manha, reunidos os Srs. depu-
tado Rosa, Miranda Leal, bario de Cruangy e o
sappientfl Si Leitio, presente o Sr. desein-
nargador fiscal, 3. Exc. o Sr. presidente declaron
abena a sessao.
Lida, foi approvada a acta da sessao antece-
dente.
EXPEMEimt:
Offlcic do presidente e secretario da junta dos
SESSAO JUDICIARIA EM 15 DE MARgO DE
1869. .
PRESIDENCIA DO EMX. SR. DKSEMDARGADOR A. T. PE-
RKTTI.
Secretario, Julio Guimaraes. .
Ao meio dia declarou-se aberta a sessao estan-
do reunidos os Srs. desembargadores Silva Gui-
maries, Reis e Silva e.Acciol, e os Srs. deputa-
dos Rosa, Miranda Leal e bario de Cruangy, o o
deputado supplcntes S Leitio.
Lida, foi approvada a acta da precedente ses-
sio.
O escrivao Albnqnerque registrou o ultimo pro-
testo de letra a 12 do corrente mez sob o n. 1730;
eo escrivao Alves de Brito a 8 do mesmo mez sob
o n. 1662.
A peticio de Guimaries & Oliveira solicitando
para que se faca dcscr ao respectivo cartorio o
feilo em que os supplicantes sao autores e r a di-
rectora da caixa filial do banco do Brasil nesta
cidade, aflm de jimtaremse-lhe'os artigos de ma-
njelo contra o Sr. bario de Nazarelh, despachou
o Sr. relatorcomo requerem.
ACCORDAOS ASSINADOS.
Embargante o tutor da orphia filha de Manoel
de Gouvu Souza, embargado Joaquim de S Ca-
valcante de Albaquerque ; embargantes os admi-
nistradores da ma Figueirdo, embargado Eugenio Moreira da Silva;
embargante Alexandre Francisco do Macedo, em-
bargados Jos Joaquim de Castro Moura e outro ;
embargante Theodoro Chrstiansen, embargado
Francisco Antonio de Albuquerque Mello ; em-
bargante Manoel Xavier Caracho de Albuquer-
que, embargado Henry Gibson.
JUI.OAMENTOS.
Appellantcs appcllados Jos Maria Goncalves
Pereira o outro, appellante appellado Belarmino
Pinto de Araujo.Embargantes Manoel Jos Pa-
tricio e ontros, embargado Manoel Alves Ferreira.
Adiados a pedido dos Srs. deputados.
PASSACBNS.
Do Sr. desembargador Silva Guimaries ao Sr.
desembargador Reis e Silva : appellantcs Baltar A
Oliveira, administradores da massa fallida de Ber-
nardo Jos Pereira, appcllados Duarte Pinto & C.
Appellantes Antonio Correa de Vasconcellos A
C, appellados D. Joanna Francisca da Concedi
Murta e oulros.
O Sr. desembargador Reis e Silva jurou suspei-
Cao e passou ao Sr. desembargador Accioli : ap-
pellante D. Juan de Anglada Hijo, appellados Ara-
naga Hijo A C.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
gador Silva Guimaries : appellante Jos Rodri-
gues de Araujo Porto, appellados Izidoro Bastos
& C.
AGGRAVO VINDO DE ItlTARASSlj".
Aggravante D. Maria da Neves Carneiro da Cu-
nta, aggravados Manoel Ignacio de Oliveira &
Piraos.
O Exm. Sr. presidente deu provimento.
Nada mais houve, e encerrou-se a sessao
meia hora da tarde.
riianwL i \ iii;i-a<,\\o.
SESSAO DE 13 DE MARCO DE 1869.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR SANTIAGO.
As 10 horas da tninhaa, presentes os Srs. desem-
bargadores Gitirana, Guerra pnicurador da cora,
Lourenco Santiago, Almeida Albuquerque, Motta,
Domingues c Silva, Souza Leao, Uchoa Cavalcante
e Frcit is Henriques, abrio-se a sessao.
Passados os l'eitos deram-se os seguintes julga-
raentos:
Appellaqoes civeis.Appellante, D. Cesara
Candida Nobre de Gusmio; appellado, o maj.-r
Antonio da Silva Gusmio.Confirmada a senten-
ca. Appellante, Jos Pedro Velloso da Silva; ap
pellada a fazenda.Reformada a sentenca. Ap-
pellante, Estevii de Albuquerque Mello Montene-
gro ; appellado, Jeronymo Jos Barbosa.Recebe-
ramos embargos. Appellante, Jos Samico; ap
pellado, Pedro da Costa e Silva.Reformada a
sen tenca.
Appeixaqoes crimes.Appellante, Jos Gomes
das Neves; appellado, pur Jos Paulino Pinto
Aguiar.Improcedente. Appellante, o promotor;
appellado, francisco Luiz Vasconcellos.A' novo
jury. Appellante, bacharel Francisco Barbosa
Cordeiro; appellada, a justica.Reformada a sen-
tenga, para o grao mnimo do art. 154.
Assignou-se dia para julgamento dos seguintes
feitos:
Appellacoes crimes.appellante, ojuizo; appel-
lado, Autonio branles Ferreira. Appellante, o
juizo; appellado, Manoel Pereira dos Santos.
Appkllacao ivel.Appellante, Joaquim (Jon-
calves Ferreira; appellado, Manoel Joaquim Bap-
tista.
Dsligencia crie.Ao Sr. desembargador pro-
motor da justica: appellante, o juizo; appellada,
Rosa Mua do Espirito-Santo. Appellante, Anto-
nio Jos Barbosa; appellada, a justica.
passagens.
Do Sr. desembargador Gitirana ao Sr. desembar-
gador Guerra. Appellacoes civeis: appellante,
Victoriano Jos de Mello; appellado, Feliciano Ca-
valcante da Cunha Reg. Appellante, Jos Anto-
nio Alves; appellado, Joio Manuel Peres.
Ao Sr. desembargador Lourenco Santiago.Ap-
pellacio crime: appellante, Francisco Lopes de
Mendonca; appellada, a justica.
Do Sr. desembargador Guerra ao Sr. desembar-
gador Lourene.)Santiago.Appellacoes civeis: ap-
pellante, Dr. Jeronymo Salgado de Castro Accioli ;
appellado, Joio da Costa Ribeiro de Souza. Appel-
lante, Nicolu Florentino de Albuquerque Mara-
nhao; appellados, os herdeiros de D. Maria dos
Santos Tnenorio.
Do Sr. desembargador Lourenco Santiago ao Srl
desembargador Almeida Albuquerque.Appella-
cio crime: appellante, o juizo; appellado, Manoe.
Antonio Pereira.
Ao Sr. desembargador Motta.Appellacio ci-
vel : appellante. o visconde de Suassuna; appella-
do. Joaquim Rodrigues Duarte.
Do Sr. desembargador Almeida Albuqucrqus ao
Sr. desembargador Motta.Appellacio crime: ap-
pellante, Joio Tavares do Espirito-Santo; appella-
da, a justica.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembarga-
dor Domingues c Silva.Appellacoes civeis: ap-
pellantes, o juizo e JoaoFloriano da Silva; appella-
dos, o juizo e Antonio Marinheiro e ontros. Ap-
pdlaedes civeis: appellante, Dr. Francisco Luiz
Caldas; appellado, Joaquim Jos de Abreu. Ap-
pellante, Manoel do Nascimanto Costa Monteiro;
appellados, o bario de Cruangy e ouir.s.
Do Sr. desembargador Domingues e Silva ao Sr.
desembargador Souza Leio.Appellacoes civeis:
appellante, Joio Maria Botelho Neves; appellado,
Joaquim Soares Raposo da Cmara Appellante,
Vasco Marrano da Gama Mello; appellado, padre
Jos Gojnes dos Reis Lima. Appellante, Simio
Barbosa Cordeiro; appellada, D. Joaquina Maria
Taborda. AppeHades crimes: appellante, Manoel
Goncalves da Costa Lima; appellada, a justica. Ap-
pellante, Flix de Souza Lima; appellada. a
justica.
Do Sr. desembargador Souza Leao ao Sr. desem-
bargador Ucbca Cavalcante.Appellacio crime:
do, Hermenegildo E. Reg Monteiro.
Do Sr desembargador Uchoa Cavalcante ao Sr.
desembargador Frcitas Henriques. -Aflieliacao
civel: appellante, tenentc-coronel Luiz e Albu-
querque Maranhao; appellada, D. Maria Rita de
Mello.
Do Sr. desembargador Fre tas HenriqDes ao Sr.
desembargador Gitirana.Appellacio ei>el: ap-
Eallante, Jos" Camello do Reg Barros; apellado,
r. Francisco Joao Carneiro da Cuaba.
A' 1 hora encerrou-se asessSo.
Partido conservador.
A PROFISSAO DE TE DF. 1 M MBBRAC
Herdeiro de 12 de niaio. o ministerio do 3 de
agosto foi dos llhos da liga o que viveu mais Ion-
ga vida.
Quasi indifferente a todos os mais, o liberalismo
apura, depois do seu passauento, os extremos do
sen zelo com o ultimo genito do proaivm
E no enllanto emquanto durou o seu mando c
dominio, os que alardeavam de verdadoine a ni-
cos liberaes, os liberaes histricos levantavam to-
dos os dias brados de horror e vinganca contra
esse implacavel immigo seu.
Mal fondo em todas ascontendascleitor-.es, hos-
tilisado em todas as suas aspiraeoes polticas, nao
imaginou maior llagello que aquelle ministerio,
nascido'em ma hora, segundo dizia, para, dar ca-
bo do liberalismo.
Para hostilisa-lo todas as condices Ihe pareciam
accoinraodadas. Paraabate-lo julgava excellentes
quautos meios suggerisse a tctica das o|>posicoes
systematicas. E anda cora pengo do paiz, sein Ihe
fazcrciu abalo as circunstancias extraordinarias
de urna guerra de honra, mostrava-se firmemente
disposto a negar-Ihe pa.i e agua, ar c luz.
Est viva a letubranca das objurgatoi as, que
todos os dias atroavam a tribuna da cmara do-
deputados. Respira va nessas explosoes ile entra-
uliavel resentiraento o odio, que captivava os ni-
mos do liberalismo contra o 3 de agosto.
E como o viam empenhado na lerminacio da
guerra, como julgavam ser este o cuidado era
que mais se desvelava, os principaes oradores da
opposicao toiiiaram as opiaces da campanha
como argumento para mais snsivehnentc aggre-
di-lo. _
Entio vio o publico indignado a voz de brasilei-
ros tecer elogios ao nosso prfido inimigo.ao cruel
dictador do Paraguay, exatar-lbe os talentos, de-
cantar-lhe as virtudes, aq passo que desairava o
nosso exereito e espargia o escarneo sobre o paiz,
ceiiurapondo o seu governo ao de Lpez.
Foi esse ura dos in.iis torpes escndalos de que
dssein f os ecos da cmara dos deputa los. Ao
liberalismo toca o remorso de haver trahulo o seu
dever nessas odiosas invectivas, nio contra o mi-
nisterio, mas contra a propria patria.
Ao passo que os liberaes offeredam aquelle tris-
te espectculo na cmara temporaria, os seus
amigos na outra cmara extreinavara se por ou-
tra inaneir.
Quando a maioria do senado, composta de con-
servadores, inabalavel e,n sua opposicao ao 3 de
agostu, mas ni > sacrificando a patria ao parido,
nao hesitava em prestar Ihe os meios indispensa-
veis ao proseguimento e conclusa.) da guerra, o
liberaes do senado cerravam ouvidos a todas as
considerares .po actuavam no entendimento da-
quelles humens polticos. E obstinadamente arri-
mados sua opinialica aversao, estovara dispuetos
a avantajare.n se de todas as occasies para pro-
moverem a queda do iniraigo, anda que da sua
estrategia resullasseni males insanaveis i naci.
Foram clles os mais ferventes defensores da
opiniaoque o senado faz polticanao no sentido
do preceito constitucional, que em assumplo desta
natureza fez iguaes as duas cmaras, mas era to-
da a latitude da idea, perteneendo-he, |iortanto,
aleada parallela da cmara dos deputados cora
i elacao aos ministerios c podendo, portanio, susci-
tar questoes de confianza o gabinete c derriba-lo
em um fechar de olhos.
E, pois, o liberalismo que assim manil'estava o
seu peusaniento na cmara dos deputados e no se-
nado pelos seus orgaos legaes, e na imprensa,
transpuuha desassombrado todos os limites, para
satisfazer e executar seu plano de guerra contra
3 de agosto ; que pela palavra escripia ou rtico?
lada invocava, como remedio as calamidades- pu-
plicas, como seguro meio de salvacij, a ascen-io
do partido conservador ao poder, o liberalismo,
confraternisando de repente com o progressimo e
fundmdo-se com elle, aaialdieoa, voz cm grita, a
exoueracio do 3 de agosto.
Fundirara-se os iuimigos encarnicados da ves
pera I
At 11 de julho, quem quizesse symbolisar dous
antagonistas incapazes de corapaixio um para com
o outro timase ao natural um histrico e um pro-
gressista. Duas fras no circo, em acto de se Ira-
varera de unhas e deutes, nao encareceriam mais
formidaveis esgares..
Daquella data em vante ameigaram os semblan-
tes, corapuzeram os meneios, recolheram as garras
com que se atassalhavam. Abraearam-se cm es-
treito amplexo, e, concertado o convenio da aliian-
ea, fizerara-sc prestes a pelejar contra aquelles
que figuraram iuimigos communs.
Con tituem, pois, o partido liberalos progres-
sistas tantas vezes amaldicdados pelo liboralismo,
e os histricos, appollidados desertores ou dssi
denles.
E na sua nnio cordial (?) clamam quo houve
puro arbitrio na oxoneraca de 3 de agosto, sim-
ples desejo de levantar e abater situacoes-, capri-
chosa applicagio de urna das atlribuicoes conferi-
das pela consiiliiicao no art. 101.
Teera acaso alicerce estas increpacoes formula-
das e repetidas em um milhi > de variantes, cm
que o erro do pensamento porfa com a descommu-
nal acrimonia da Iraguagem 1
Os factos que occorreram deraonstram que da
parte da cora foram empregados quantos raeius
cabiain na po negocios pblicos estivesse como at cutio em raaos
do 3 de agosto.
Os mesmos factos demoustram, igualmente a to-
das as luzes, que somonte da vontade do Sr. Zaca-
Sias depeudeu a continua^ao da juelle ministerio e
permanencia da situaeao progressista.
Como lodos sabera, o motivo da crise foi a esa
Iba do senador pela provincia do Rio-Grande d
Norte, a qual poderia ser adiada para depois dt
encerrada a assembla geral, se o desejasse o pre-
sidente do conselho.
Nao Ihe agradou o escolhido; mas" todos os fac-
tos at entio condecidos denunciavam predileccio
do ministerio e em especial do Sr. Zacaras para
com o Sr. Salles Torres Homem.
Noinera-o, como o mais digno, para a presi-
dencia do Banco do Brasil, da qual desairosamen-
te despedir o venerando Sr. visconde de Jequiti-
nhonha.
Nomera-o conselheiro de estado extraordina-
rio, e cominettra-lhe depois as funcedes de ordi-
nario.
E Ihe prodigalisra, era summa, numerosas moa-
tras de alto apreep, inclusive recommendaces a
prol de sua candidatura, escripias do pun de
um ministro, sem duvida com o assenso dos seus
collegas.
Mas como nio agrac.ou a escolha ao Sr. Zaca
ras, nao quiz tomar a responsabilidad^ do acto
enana lo da exclusiva aitnbuicio do poder mode-
rador e pedio demissao.
Em que se fundava o Sr. Zacaras para consi-
derar-se responsavel pelos actos do poder modera-
dor e autorisalo a sosiiender os seus effelos pela
denegacao da referend i f
Em opinio, em >in.plcs these acadmica, dieu
tida mais ou menos em diversas pocas, esquecida
e resucitada ao sabor dos caprichos da occasiau-
para satisfazer calculoi polticos, ou dar cevo ao
gosto de subiilezas dialcticas.
A constituco claramente a repella pela intuiti-
va comprehensio de suas palavras. Em todo o
caso, se problema havia, se duvidas pairavam so-
bre a int lligenca, nenhuma solucao fra dada a
favor da opniio defendida pelo Sr. Zac.rias nfl
tnbuna e na imprensa.
Emquanto, pois, a opiniao ficava nos termos da
ideologa, prevaleca e deva prevalecer a pratica
sempre seguida e respailada.
Alludindo a essa pratica, dizia em 841 na c-
mara dos deputad, ma contrariedade de seus
adversarios, um dos homens mais versados em ne-
gocios pblicos, o Sr. Jos demente Pereira :
Todos os inini torios reconhecerara qu3 os ac-
tos do poder moderador nio precisam de referen
da, o que obvio por que, se o imperador exe-
cutaesse poder so por si, evidente que nio pre-
cisam os actos do poder moderador para s vali-
dad*, da referen ia dos ministros ; unen dizer
lecreto falso, por ser possivel a imiticio de una
firma... Todos os autegrapbos das anecoes di-
leis nao sao referendados pelos ministres : mas por
que o nao sao ? Por que estando assignad is pelos
presidente e secretarios das cmaras reconheceu-
se que a respeito lestes actos nio so podia dar o
pengo da falsificado, o ,
Mis ao Sr. Zacaras approuve de rjpente subs-
tituir a doutrina invaraver desdo quo temos coas
liliricjio pela saa vontade- c converter em depen-
dencia do poder exeeutivo attribuicde* que nunca
foram neia podein ser sugeitas a deiberacao,
apreciicao ejnlgamento de 'ministros, nio s no
Brasil, onde rogemos artigos98 a 10!. da Ici fun
danie.ital, se na i nos paizes onde explcitamente
nio est consagrado o poder real ou moderador.
Quem sitscitou, por tanlo, a crise 1 Rasoavel-
mente, nos termos da justica, poder-;e-ha lanca-
l,i conta do imperador ?
A coroa tinha feito meramente o que esta va na
esphera do seu direito constitucional. O scu acto
nao feria o dreito de que:n quer que fasse, nio
transpuuha limtesele alheia competencia. Nunca
ministroalgnm se ingerir, nem manifestara o in-
tento de ingerir-se na escolha de senadores. Nun-
ca por mios estranhas fra tocado o deposito sa-
grado do poder moderador.
Como supporia, daquella vez nica, que o exer-
cicio de sua a'lribuieio de cscolher seadores em
lisia trplice Ihe fosse disputado por un ministro,
e dalii surgisseuma mudanza de gabinete r
E anda mais, quando o escplhid hava resabido
estrondosas mostras de especial cstimaeao do mi-
nisterio ?
E feila e declarada a escolha, consummado o ac-
to do poder moderador, seria j possi" .1 revoga-
lof Suppo-lo seria grave injuria a um direito
supremo e escandaloso assarfo ao bom senso.
Nao concorreu, pois, a coroa para a resolucio
tomada pelo Sr. Zacaras c seus collegas em a noi-
tede 11 de julho.
Conhecida que foi no dia seguintc, o imperador
oppoz mil objeccoes exoneracio. E reiterou-as
muitas vezes em successivas conferencias que te-
ve com o ministerio conectivamente, com 'os mi-
nistros individualmente.
O Sr. Zacaras quedou-se inabalavel. E a de-
missio foi finalmente concedida no dia 14.
O Sr. Zacaras, que mostrara j que de seu que-
rer dependa a vida de um ministerio, assentou
provar de outrojjmodo decisivo a sua pujanca.
Quiz convencer de que, nai da sittiaeio progres-
sista, podia, novo Saturno,'malar e devorar a sua
progenio. Como Luiz XIV dizendo :Eu sou o
estado Ielle quiz tambem exclamar :Eu sou o
partido progressista I
Dellc dependen continuar o progressimo a go-
vernar com differente pessoal. Recusando o en-
cargo de indicar coroa o organisadoi do novo
gabinete, declarou terminantemente iju. todo o mi-
nisterio sabido do seu partido suspirara idntica
duvida, e por tanto dara azo a nava crise pelo
raesmo motivo.
O liberalismo tcm razio para acerbas e incon-
solavcis quexas ; mas o seu alvo deve ser o Sr.
Zacaras, o Sr. Zacaras nicamente, que, para ce-
var um feminil capricho, sacrficou o partido pro-
gressista, e com o cutello ainda ensanguentado ca-
vou-llia ao cadver ingloria sepultura.
(Diario do Rio).
riadas formas de se mostrar ao publico, como
pessoa que dispoe de muitos. recursos, provam
precisamente o contrario, e apenas denuncian!
muit fanfarronada ridicula. Meu charo, nem tudo
o que luz ouio. Qaer saber de que recursos
dispoe o tal Joao F. 1 Lea a copia de um docu-
mento que eu aqu tnho e que me foi dada confi-
dencialmente, a por alii far o seu juizo. Ella
aqui: t Fica depositada em meu poder a quantia
de dez costos na ris, pertencente ao Sr. Joo
Evangelista de S, quantia esta quo vista deste
Ihe entregarei. Recife, 4 de Janeiro de 1869.
Joio F. Lopes. E saiba mais que este documen-
to j reforma do outro passado um anno antes,
e saiba que esse primeiro foi dado ao Sr. S em
pagamento de letras vencidas Ora, um alto ne-
gociante que assigna documentos desles para pa-
gamento de tetras vencidas, e que toma dinbeiro a
posto a bordo, a frote de 1/2 d. e 5 0/O fhon
tcm).
P. J. Silveira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
ENGLISH BANK
O Rio de Janeiro Limited
Descorita lettras da pra$a taxa a con-
vencional-.
Recebe diuheiro em conta corrente e a
prazo flxo.
Saca vista ou praso solye as cidades
Joros, nao est no caso de se andar metiendo em principaes da Europa, tem agencias na Ba-
ramisas de onze varas, o nem de maltratar a pes- |,a. nftnn.Avrns. MiintaviHn Kow.VnrL-
eixo viver em
io teem essas farfas, porque
.iiie pudem ser execuiados, sem essa""rdbrenda.
liilgan-ae, porm neassario, ou ao menos conve-
mente, qua tivessera a, referenda dos mm-aros.
como meio de evitar que se apreseatasse algnm
PUBLICACBES A PEDIDO.
Trilhos Urbanos para
Jaboatao.
Lista dos subscriptores de ac-
edes para a foroiaco de una
cojnpaahla.
accoes
Joio da Cunha Wanderley.... 100 5:3:0035000
Vicente de P. Oliveira V. Roas 50 I0:003000
Ferreira & Matheus.......... 30 10:0004000
Thoaiaz de Aquino Fonceca o
Filhos.....'..............
Joao Fernandes Lpez........
Henrique Gibson.............
Rento Magalhaes.............
Demetrio Acacio de Araujo R.
Ainerico Nunes Correa......
Dr. Claudino de A. Guimaries.
Francisco Goncalves Netto___
J. F. S. Porto..'..............
Augusto Frederico dosS. Porto
Jos Alexandre Ribe.ro.......
Dr. Esto vio Cavalcanti de A..
Antonio Jos da Costa e Silva..
Luiz Jos da Costa e Silva....
Jos Alves da Silva Guimaries
Jos Joaquim Lima Bairio....
Joaquim Jos da Costa e Silva.
Autonio Cesario Moreira Dias..
Jos Antonio Moreira Dias.....
Jos .Iniouio da Silva Jnior..
Antonio Baptista Nogueira....
Bento dos Santos Ramos......
Autonio Augusto dos S. Porto..
Jos Fernandes Lima.........
Francisco Fernandes Duarte...
Antonio Jos C. Guimaries
Joio Evangelista do S.......
Antonio Moreira de Mendonca.
J .s da Costa Bispo..........
Paulo Jos Gomes...........
Dr. Syraphronio Cesar Coulinho
Domingos Teixeira Bastos.....
Jos Antonio de S Leitio
Bernardino Correia de R. Reg
Manoel de Abreu Macedi.....
Manoel Joaquim Baptista.....
Tiburcio Valeriano Baptista...
Modesto do Reg Baptista.....
Justino J. de Souza Campos...
soas de hom, quo nao se lembram delle seno
quando elle as procura para Ihes pedir algum fa-
vor. Qne viva o Sr. Joio F., c ostente por fra
lavas oaaloes, tendo por dentro pao bolorenlo, na
phrase do Gregorio de Mattos, isso pouco impor-
tar aos oujps; mas eonvom que d
paz os outroT, que nao teem essas fa..
o resultado ver os podres na ra.
Fiquoanasmo com esta informacao, e faco votos
para que o meu amigo Joao F. se desembarece dos
seus fieos.
O amigo da Baixa-Verde na Boa-Vtagem.
Srs. Redactores.Estmio hontem 15 do
corrente, conversando com o vigario de S.
Jos, soube por este, que o consulado me
tinha cullectado como tnculcador de cscra-
vos, exclamei dizendo, isto nao passou
se nao de algum correligionario traidor,
que tem procurado azer-me todo o mal
que possivel, nao sabendo este malvado,
que s faz mal aos meus filhos c minha
familia ; se fosse algum jogador, se fosse
desses que nao podendo sustentar nem a
familia, tem duas casas, como fazcm muitos
que ahi andam chorando miseria, j os con-
servadores meus correligionarios me tinham
empregado. Todos sabem que j ha muilo
vivo de cobrar contas, como sejam da casa
do bar5o do Livramento, e da botica do Ig-
nacio, do pateo do Terco, como provarei
em juizo competente. Este meu persegui-
dor poltico que me dcixe viver. Duus lite re-
compensar todos esses beneficios.
Reeife 16 de marco de 18159.
Sou Srs. Redactores
Maximino da Silva Gusmo.
la, Buenos-Ayres, Montevideo, New-York
e New-Orleans, e imitte cartas de crebito,
para os mesmos lugares
Largo do Pelourinho n. 7
BANCO AUA & C.
Ra do Trapiche u. 34.
Desconta lettras co iimerciaesa taxa con-
vencional. Recebe dinheiro, a premio con-
vencional, por lettras e em conta corrente.
Confere crditos, saca sobre as primeiras
pragas do imperio, Rio da Prata e Euro-
pa, e compra cambiaes sobre as mesmas
pracas.
Encarrega-sc, por commisso, da com-
pra e venda de fundos pblicos e acc5es de
oompanhias, da oobranca de lettras e di-
videndos ou de seu pagamento, e de qual
quer outra operacSo bancaria.
O expediente para o publico comecar
s 10 horas da manha, e terminar s 1
horas da tarde de todos os dias uteis.
ALFAXDEGA.
Rcndimento do dia 1 a 15 .
dem .lo da ir.
512:512144,1
39:908*000
532:120/143
COMMERCIO.
Antonio J. P. da Carvalho.....
Dr. Francisco do H.B.Barrete.
Bario da Soledade...........
Fraucisco Ferreira Borges___
Con-elheiro Jos Bento da Cu-
nha Figueirdo............
Dr. Jos Bento da Cunha Fi-
gueiredo Jnior...........
Antonio Pinto de Barros......
Manoel de Souza Tavares.....
Pariste Bjlar.mno de M iraes P.
Tenente-coronel Francisco C.
M. Ros Jnior............
Manoel de Souza Leao........
Jernimo de Souza Leio......
Jovino Coelho da Silva.......
Joo da Cunha Soares G......
.'i
50
50
50
10:0005000
4:0003000
2:000*000
2:000000
2:000000
3:000*000
1:000*000
2:0003000
1:000/000
1:000/000
1:000*000
2:0003000
1:000/000
1:0003000
2:0003000
1:0003000
1:0003000
2:000.3000
2:0005000
2:0005000
1:0005000
2:0003000
1:000/000
2:0003000
1:000/000
1:0003000
2.0003000
1:0005000
1:000/000
1.0003000
5:0003000
1:0005000
1:000/00.
1:0003000
1:0003000
10:000/000
10:000/000
2:0005000
2:0 03000
4:0003000
4:000*000
10:0005000
10:000/000
U:000/00d
PRAGA DO RECIFE 16 DE MARCO
DE 1869.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDE.
Assucar mascavado purgado 3 600 e 33650
por arroba (hontem).
Assucar americano purgado=3/5O0 por arroba
(hontem).
Assucar bruto americano 3/330 e 3/400 por
arroba (hontem).
Assucar bruto Canal3/150 por arroba (hontem).
Algodo de Macei 1" sorte = 11/000 por arroba
MOVIMENTO DA ALFANDEA.
Volumes entrados
dem idem
com fazendas
cora gneros
Volumes sahidos cora fazendas
Idera idera cora gneros
563
m
------ 1201
111
383-
------ 496
Doscarregam hojo 17 do marco
Vapor inglez Chrysolitemercadorias.
Barca inglezaFloating Cloudmercadorias.
Rrigue i>ortuguezBenvindomercaduras.
Patacho norte-allemito.Innaidem.
Galera francezaAdeleidem.
Rarca francezaFgarodem.
Sumaca hespanholaPrompt vinhos.
Rrigue norte-allemioFried farnha de trigo.
Rrigue portuguez Bella Figneirense mercadu-
ras.
Escuna dinamarqueza Elizaidera.
Lugar inglez Pearl -idem.
Rarca portuguezaSegura n nimercaduras.
Rarca inglezaLevantidein.
Rarca dinamarquezaGromnid idem.
Rrigue escuna austraco Capricio farinha de
trigo.
TABELLA DO REND1MEXTO DA ALFANDEGA DE PERNAMBUCO DO MEZ DE FEVEKEIRO DO
CORRENTE ANNO FINANCE1RO, COMPARADO COM O DE IGUAES MEZES DOS DOUS
ANNOS LTIMOS.
Importaran
Direitos de consumo......................
Ditos addicionaes de 5 %.................
Ditos addconaesde 2 %................
Ditos de baldeacio e reexportacio.........
Ditos de ditos de reexportacio para a Costa
d'Africa..............................
Expediente dos gneros cstrangeiros navega-
dos por cabotagem.....................
Ditos de '/ % dos gneros do paiz.........
Ditos de '/2% dos gneros livres(3%noscx-
ercic.os de 18671869)................
Armazenagem...........................
Premios dos assignados...................
Despacho martimo
Ancoragcm.............................
Exportarao
Direitos de 15 V0 do pao brasil.............
Ditos de 9 % ue exportaco (7 /o no exerci-
cio de 18661867)....................
Ditos de 2 % idem.......................
Ditos de 1 % o ouro cm barra...........
Ditos de Vz /0 dos diamantes..............
Expediente das capatazias................
Interior
Sello do papel flxo.......................
Dito do papel proporcional................
Emolumentos...........................
Imposto dos despachantes.................
Dito de 5 c 15 % de transmissio de proprie-
dade.................................
Extraordinaria
Reccta eventual e multas.................
10 2:000000
&
5
10
0
5
5
25
5
Joio Joaquim da C. Leite..... 10
Dr. Ignacio J. de Souza Leio.
Alfre lo Jos A. Guimaries___
Manoel de Mesquita Rarros W.
Thomaz Lins de Barros W...
Dr. Gaspar Cavalcanti de Al-
buquerque Uchoa.........
Joio F. Cavalcante de Albu-
querque..................
Comraendador Antonio de Sou-
za Leao..................
Joio Manoel de Mesquita Bar-
ros Wanderley............
Adolpho Wanderley Lins.....
Vicente Mendes Wanderley...
Coronel Antonio G. Leal.....
Francisco Manoel de Souza e
Oliveira..................
Dr. Francisco E. do R. Dantas
Dr- Jos Honorio Bezerra de
Menezes..................
Laurentino J. de Miranda.....
Dr. Manoel do Nasciinento Ma-
chado Portella.............
Joaquim Salvador Pessoa de Si-
queira Cavalcanti.......... 25
23
n
50
U
250
10
5
5
5
15
25
5
20
Dr. Joo J. Pinto Jnior.
Jos Francisco P. S. Jnior...
Dr. Luiz Salazar Hoscoso da
Veiga Pessoa..............
Jos Cesario de Mello........
Dr. Antonio Joaquim Buarquo
Nazareth.................
D. Mana Amelia de Gusmio
Lira..j.................
a
5
5
5
1:0003000
1:0003000
2:0003000
1:000/000
1:0003000
1JW03000
1:0003000
5:0003000
1:0005000
2:000/000
5:0005000
5:0005000
10:0005000
5:000/000
1:000/000
400/000
50:000/003
feMOilOO
1:000400(1
1:000/000
1:000/000
.1:000/000
5:000/000
1:000/000
'r:000/000
d:00O/000
5:000/000
.:000/o00
'.:OO0/00
1:000/000
i :000/000
Dizimos da provincia das Alagas..........
Ditos da provincia da Parahyba............
Ditos da provincia do Rio Grande do Norte.
Contribuicao de caridade..................
1868 1869
1861 a 1868
l
1866 1867
584:255/860
78:1013193
207/251
7983261
379/082
3:072/515
1:854/481
7235220
3:0003510
221:276*862
969/320
719/700
230/090
285200
134/250
1:006/922
896:7573720
11:798*637
6:959*303
18:757/940
8423773
935:116/375
209:381 /308
27:720/549
212/844
9533431
3.309*332
4295825
585/090
i:1223240
229:921*418
1:047/950
628/840
3433048
523400
100/000
437/797
480:4135041
10:901 /551
5:350*776
31*387
314/380
497:011/135
550:961/803
69:768/549
130/974
358/783
341/754
4:255/921
833/090
1:773/791
3:167/400
243:891/382
1:043/400
585/400
308/280
60/600
754/500
1:010/924
879:280/025
8:684*217
9:195/145
874/977
841/264
898:875/628
Alfandega de Pernambuco, 15 de marco de 1869.
Servindo de chefe da 2* seccio,
Anselmo Jos Pinto de Soza,
UECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 15
Idera do dia 16 .
42:2723131
019/444
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 1 a 15
Idem do dia 16 .
MOVIMENTO DO PORTO.
5 1:000/000
10
:O0j|jQjX
para que tantas fanfarroa adas f
Ad Mirado de ver um senhor que se clama Joao
F. Lopes envolvido em tio altas e variadas nego-
ciaces, quando me constava que ainda 'lio ha
muito tempo andava na dependura, piveu re infor-
mar-rae desta especie de milagro, e soube de pes-
soa muito competente quenem tudo jue luz
ouro, dilado muito antigo e que se real isa a
peito daquelle senhor do mod > mais sig lifteativo.1
Nao rae explicar V. (perguntei *u a e sa
pessoa) romo que o raeu amigo Joio Fernandes,
e-tando ainda ha pouco sem cousa alguna, adia-
se boje mettido em tantas e tio alta* nej ociadas f
Sao couas deste mundo. Para quem co-
unece o mecbanismo do nosso negocio, essas va-
Navio entrado no da 16
Swansea por Falmouth109 dias do primeiro por-
to e 52 do segundo, patacho inglez Laura, de
185 toneladas, capitio Iones, eqiipagem 8, car-
ga carvio ; WNon 4 Helt.
Navios sahidos no mesmo dia.
Rio Grande do Norte Hiate nacional JVotia Espe-
ranza, capitio Manoel Fernandes Salles, carga
farinha de mandioca e ontros gneros.
AracatyHiate nacional Nitvo nvencive', capitio
Trajano Theodomiro de Moura, carga differentes
gneros.
de Vs. e 60 grasas de torcidas para o pha-
rol.
Tambem o conselho no mencionado dia
20 do corrente mez. contrata por iguai for-
44.291/575. ma 0 fornecimento de bacalho, bolachinha
americana, caf em gr5o, e cangica ou mi-
llio pilado, para completo do de vveres,
dietas, e oulros objectos de consumo aos
navios da armada e os estabelecimentos de
raarinha no trimestre de abril junho do
corrente anno.
Sala das sesscs do conselho de compras
navaes, 15 de margo de 1869.
O secretario
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
85:2013183
3:382*016
88:583*699
DECLARACOES.
Conselhos de compras
navaes.
0 conselho promove no dia 20 do corren-
te mez. avista de propostas receidas a(
as i 1 horas da manha e sob as condices
ajo estylo, a compra dos seguintes objec-
tos do* material da armada:
1 ancora de 6 quintaes, 6 pecas de arre-
bem, 2 bule de krro estanhado, 5 duzias
de chicaras e pires de ferro estanhado,
5,000 topares, 5 arrobas de fio de vela,
4 dusias de grasas de- ferro sortido, 20
de
Tribunal do commercio.
A secretaria do tribunal do commerrio de Per-
nambuco faz publico que ne criptos no competente livro como commerciantes
matriculados os Srs. Joaquim Affonso dos Reis,
cidadao portuguez, de 66 annos de idade, estabe-
lecido nesta cidade com casa de comim-rcio de
desceios, e Joaquim da Silva Costa tambem por-
tugus de 33 annos de idade, estahelecido nesta
praca com casa de commerrio de gneros de esti-
va em grosso e a retalbo, e consignaedes.
Secretaria, 11 de marco de 1869.
O oflicial-maior,
Julio Guimaraes.
SANTA CASA DK MISERICORDIA DO REC1FH
Pela secretaria da Santo Casa de Misericordia do
Recife se faz publico quem eonvier. que a lllma
junta administrativa nao podendo por si mandar
reedificar o predio n. 33 da ra Direito perten-
cente ao patrimonio dos estabelecimentos de cari-
dade. contratar com quem autores vantogens
offerecer, a edificacio alli da predio terreo
sua custa, mediante o arrendaroento por um certo
nmero de annos, e outra condiees.
Os pretendentes deverao apreseotar soas pro-
postas em cartas fechadas nesta secretaria ato o
dia 11 do corrento, onde aa dao todos os esclare-
cimentos precisos.
Secretaria da Santo Ca a da Misericordia do
Recife, 5 de marco de 18fi9.-0 escrivao, Pedro
Rodrigues de Souza. ____________________
resmas de lia de esmeril em panno, 6 s-------n. J7^mnra* ,|rt arenal
arrobas de mialhar, 46 libras de obreias Conselho de compras do arsenal
franceza*, 5 dusias de pralos de ferro esta- de guerra.
Aliado, iOO pratos travesos de folha, 400 O eonselho de compras do arsenal de guerra
pilcaros grandes de folha, 3 terrinas de fer- precia eomprar o seaumte:
m txitanhMiln I firin iHnlAa A* f ntu\ i bandeira imperial de fuelle com neis paanoe.
ro feuoltto, 1,000 lijlos de fogo, ,000 ZSntm bandeira com 80 patawsde
libras de Unta branca de zinco, 200 lijlos comprLnwito
ingleses, 20 Ura-linhas, 40 trados de ferro As psssoas que qaizeretn vender ditos artigos,

:
>
ti
i

y-
--..

*


Diario de Pernambuco Quarla feira 17 de Marco de 1069.
aprescntcm suris propostas em caria fechada na
sala do'conselho, as 11 horas do dia 17 do cr-
reme.
Conselho de compras do arsenal de guerra de
rVrnambucn 11 de marra do 1800.
P. Raphacl de Mello Reg,
Presidente.
Jos Baptista de Castro Silva,
Serreta rio.
Pela secretaria e polica se faz publico,
para que ninguem depois allegue ignoran-
cia, o que dispoe os arts. Io, 17 e 18, do
decreto n. 2G92 de li de novembre de
1860, que regula o estabelecimento do es-
critorios ou casas de emprestimos sobre
penhores.
Art. 1 Ncnbuma pessoa de qualquer
condieco que seja, ou sociedade de qual-
quer qualidade e denominado, poder es-
tabelecer, ou conservar casas ou escripto-
rios em (po liabitualmcnte se facam em-
prestimos sobre penhores sem autorisaro
legal, sob pena de 2 G mezes de priso
simples, multa dc1:0tUa 5:0003, c de
ser cassada a autorisacao se a sociedade
fr anonvma (art. 2o 23 da lei 1083 de
22 de agosto de 1800.)
Art. 17. As desposicSes do presente de-
creto e sua saneco penal sao applicaveis:
Io, aos que liabilualmentc fizerem em-
prestimo sobre penhores, sem autorisacao
legal, anda quando nao se tenlia cseaplo-
rio ou outra casa aberta ao publico, ou
anda que as casas nao sejam denominadas
taes por annuncios ou outras indicaces
publicas; 2o aos que habitualmente lizerem
os emprestimos sobre penhores por con-
vences simuladas, especialmente com a
clausula retro.
Art. 18. As penas a que se refere o
presente decreto, sero impostas pela sim-
ples omisso da condicao ou da formalida-
de exigida para o exercico da prolisso,
sem attencao a boa f, do infractor que to-
dava se considerar circunstancia attenuan-
te para os effeitos legaes.
Em vista do que se acha establecido no
art. 22, urna parte do projecto das multas
de que trata o citado decreto, pertencer s
pessoas que derem noticia de sua infracc3o.
Secretara de polica de Pernambuco 16
de marco de 18G9.
O secretario,
Eduardo de Barros F. de Lcenla.
""Foresta se faz publico que, nos termos
do art. 8' do decrecto n. 20!2 de 14 de
novemhro de 18(50, devendo sor examina-
dos pelo lllm. Sr. Dr. chefe de polica, em
pocas determinada, os lvros e documen-
tos da casa de emprestimos sobre penhores,
pertencente a Nalhan Danhaiser, c sita
ra das Cruzes, sobrado n. 2, Io andar,
tem o mesmo Sr. Dr. chefe de polica lixa-
do os dias 10 de Janeiro e de julho deste
anno e dos que se Ihe seguirem para nelles
terem lugar taes exames.
Secretaria da polica de Pernambuco 16
de marco de 1869.
O secretario,
Eduardo de Barros F de Lacerda.
COMI'ANIIIA PERNAMHCANA
I)K
Savegaco costeira por vapor
Porto de Gallinhas, Rio Formoso e
Tamandar.
O vapor Mamangnape, com-
mandante Oliveira, seguir para
os portes cima no dia 20 do cor-
rente meia noite. Recebe car-
ga, encommendas. passageiros e
no escriptorio do Forte do Mat-
tos n.
Rio de Janeiro
Para o indicado porto segu com muita brevi-
dade o veleiro e bein conhecido brigue Adelaide.
por ter a maior parte do carregamonto tratado ; e
para o resto que lhe falta e escravos a frete, tra-
ta-se com o consignat irio Joaquim Jos Goncalves
Beltrao, rua do Trapiche n. 17,
COMPANHIA PERNAMBUCANA.
DE
Havcgacao costeira por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara.
caty, Cear, Mondah,Acai'ac
e Granja.
O vapor Ipojiu-a, cominandante
Martins, seguir para os portos cima
no dia 31 do corrente as 5 horas
da tarde. Recebe carga al o dia :t(), encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at as
2 horas da tarde do dia da sahida no escriptorio
do Forte do Mattos n. 12.
C0MPANIIIA PERNAMBUCANA
DE
Xavegaco costeira por. vapor.
Mamanguape.
O vapor Cnruripe, coiumandante Penna, seguir
para porto cima no dia 28 do corrente as 6
hras da tarde, recebe carga, encommendas, pa<-
sagens e dinheiro a frete at as 4 horas da tarde
do dia 27, no escriptorio do Forte do Matos n. 12.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Xavega^o costeira por vapor.
Macei escalas e Penedo.
**^?l y O vapor Giqni, coiumandante Aze-
Xa vedo, seguir para os portos cima no
iiiftatf dia :il do corrente s ."i horas da lar-
de. Recebe carga at o dia III), encommendas,
passageiros e dinheiro a frete at as 2 horas da
tarde do dia da sahida no escriptorio do Forte do
Mattos n. 12.
10 hoins do
n. 45, onde se elfectuar o leil H
dia quina-feira 18 do corrente.
Principiar as 10 horas.__________________
Da loja de fiinllciro sita na ra-
vessa da ra das Cruzes nu-
mero 1*
O agente Martins fara leilao da referida loja
constante de obras, ferramentas c armaco.
Quinta-feira 18 do crrente
as 11 horas do dia na mesma loja._____
LHLl
De O barricas coin cerveja
em garrafas c nielas garrafas.
brauea e preta da marca as-
plnal.
Sexta-feira 19 de marco as 11 horas
em ponto.
O agente Pinto far letlo por cnta e ri co .
quem pertencer de 200 barricas com serveja
branca e preta-em garrafas e meias da marca as-
pioal sendo cem barricas da marca A triangulo e
outras com M L com triangulo c A dentro ; o
leilao ser effectuado as 11 horas do da cima
dito no armazem do Sr. Antonio da Silva Azevc-
do no caes da scadinha n. 5.
S \NTA CASA DE MISERICORDIA DO REC1FE
Pela secretaria da Santa Casa de Misericordia
do Recife se faz sciente quem convier, que o so-
brado n. 3 A sito ra Augusta e a casa terrea
n. 39 da ra dos Pescadores, estao sujeitas se-
guinte disposicao testamentaria, com que falleceu
D. Esmenia d' Conccie/io Sauza, muher do Dr.
Jos Joaquim de Souza :
c Declaro mais que institdo por herdeiros de
minha meia accao ao meu marido o Dr. Jos Joa-
quim de Souza, com a obrigacao de com sua mor-
te passar a terca de meus bens para os meus ir-
mos o padre Jos Leite Pitta Ortigueira e D. Car-
lota Esmenia da Co#ceieao Leite, aos qnaes tam-
bem instito por herdeiros da mesma terca na con-
ormidade do que fica disposto, c no caso de que
nao sobrevivan! seus irmos seu mando, a terca
que elles pertencer, vontade sua que passepara
0 hospital de caridade que Rea assun ustituido..
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, 5 de marco de 1869.O escrivr.o, Pedro Ro-
drigues de Souza._________________________.
O administrador da recebedona de rendas
internas geraes declara que tendo-se concluido o
1 mcamento do imposto pessoal do exercico cr-
rante de 1868-69 das freguezias de S. Jos e Boa-
vi-ta fica marcado o praso deste mez e de marco
futuro em que deve ser pago o referido imposto,
sem multa, das sobreditas freguezias, como deter-
mina a ordem n. 17 do ministerio cfcpzenda de
30 de Janeiro ultimo.
Rocebedoria de Pernambuco 19 de fevereiro de
4869
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
Correio geral.
Relacao das cartas registradas vindas da Europa
e das existentes na administrado do correio desta
cidade para os senhores abaixo declarados :
Felomeno de Simone, Francisco Antonio Ote-
ro Francisco de Simone, Francisco Pengitore,
tiiseppe, Guiseppe Butafereca, Gnivani Lacrozza
Hermione, Jos Butafuoc, Maciel Nicola Lalaghc,
Phipps I. Onduz, Pasquale Lugliel (2).
lOMPWHIA BRASILEIR\
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do sul esperado
at odia 21 do corrente o vapor
Onatro do Sul, coiumandante
Alcofurado, o qual depois da de-
mora do costume seguir para os
do norte.
Desde j rae ebem-se passageiros e engaja-sc a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia desuachegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at as duas horas do dia da
sua sahida.
Nao se recebem como encommendas senao ob-
jectos de pequeo valor e que nao excedam a 2
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medievo.
Todo que passar destes limites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-seaos Srs. passageiros que suas passa-
gens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57,
1 andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.___________________________
Para o Porto
Seguc sem demora a barca portugueza Novo
Silencio, por ter grande parte da sua carga promp-
ta, para o resto e passageiros aos quaes offerece
excellentes commodos trata-sc cm Oliveira Filhos
4 C, largo do Corpo Sanio n. 19 ou com o capito
na praca do commercio._____________
Para Lisboa
Vai sahir com muita presteza o brigue portu-
guez Constante 11 por ter grande parte do seu
carregamento prompto : para o restante e passa-
geiros, trata-se com Oliveira, Filhos & C, largo
do Corpo Santo n. 19, ou com o capito na praca
do commercio.
I
do hotel brasileiro
Sito ama dasLarangeiras n. 14, Io andar.
O agente Pontual vender em leilao por auto-
risaej da proprietaria do mesmo -hotel, que tem
de relirar-se para o centro da provincia : I es-
crava preta, idade 24 anuos, 'ptima rosinheira e
engommadeira. 1 mesa para juntar, 6 cadeiras de
guarnicao, 1 sof, 2 cadeiras de bracos, com con-
solos com marmore, 1 aparador, 1 estante, 2 ca-
bidos, 3 quadros com a vista de Pernambuw, 2
conunodas de amarello, 3 mesas do louro para
cosinha, 1 mesa redonda, 1 marqueza, 3 vene-
zianas. esleirs para forrar sala. 2 bancos, t bar-
ril de Ir com vinho Figucira, dito do Porto en-
garrafado, 1/2 barril com toncinho de Lisboa, 1/2
dito com manteiga ingleza, 1/2 sacco com arroz
pilado, 1 canastra com alto, 1 bacia grande pa-
ra banho, 1 silba a vapor para lavar louca, 4 cai-
xas de folha para conduzir comida, 1/2 apparelho
de porcelana para cha, 1/2 dito para jamar, pra-
tos, chicaras e pires avulsos, louca de cosioha, 1
grande forno c fugo de ferro o muitos outros
ohjectos liudos.
Na mesma oeeasSo vender-se-ha una preta
ptima cosinheira e engommadeira pertencente a
outra pessoa.
Sexta-feira 19 do corrente.
No Io andar do mesmo predio as 10 horas.
Ama
Precisase le una orna e?mva ou forra, de
Bostumes, que coinhe bem : a tratar em
una das casas de azulejo (!
na ra Nova, loja n. 47.
da ra do Sebo n. 38, ou
Alnga-so urna ama de leite, escrava c
llio na ruadas Cruzes n. 7.
sein li-
KBOIffiSD
boifl moleque
Desojase alagar nm
largado Rosario n 'i'i.
na ra
Precisa-sede 1:000-S sob hvpoCheca em urna
casa terrea e una escrava : a tratar na botica do
pateo du Terco n. !35com Maximino Gusmo.
Veneravel ordem lerceira doS.
Francisco do Recife
A convite da veneravel ordem lerceira do Car-
ino, e por deliberaco da me-a regedora desta ve-
neravel ordem, convido a todos os nossos charis-
siinos irmos a comparecerem na igreja de nossa
ordem paramentados com seus hbitos, no dia 19
d 'Corrente, pelas 2 1/2 horas da tarde, para en-
corporados, aconipanharmos a procisso de Tri-
umpho.
O secretario,
Joo da Cunl.aS>ares Guimares
Caixeiro
Precisa-sc de um caixeiro de 14 a 16 anuos ae
idade, com bastante nratica de taberna : a tratar
na ra Imperial n. 47.
LEILAO
Da fabrica de carros e de mar-
clnerla. como da mobllla per-
tenecnies ao Hv. F. Polrler.
O agente Oliveira far leilao por ordem deste de
2 caleches nbvos e promptos para forrar,sendo um
com vidracas, 2 cabriolis sendo um novo c outro
usado com' varaes de todas as quadades para
eabriolets, ac para molas c parahsos para carro,
urna senaria novida por manejo com seis serras
circulares e mais ferramenta, incluindo machina
para furar ferro e maleira, um torno para madei-
ra e de rosca, ludo completo, safos e bigornas pa-
ra ferreiro, folies para forja, martellos, tenazes,
moldes d'aco, torno de ferro c mais pertenecs
completos para fabrico de carros e aviamentos pa-
ra os mesmos, bancos para marcineiro, feTamcu-
tas e mais utencilios para este ofllcio, e finalmen-
te de boa mobilia consistindo em consolos, cadei-
ras, guarda vestidos, sof e marqueza, aparador,
mesado meo do sala, de jantar e outras, toueador
e carteira, tudo de amarello, camas di! vento, bi-
dets, cadeira secreta, lou<;as, armarios pintados
sendo um para guardar arreios de carros e mui-
tos outros artigos anlogos aos misteres indicados.
Segunda-feira 22 do corrente.
as 10 horas da manhaa no proprio estabelecimen-
to do referido Sr. Poirier, a ra do Imperador n.
Fugio do engenho Jaftihiua, comarca do Ca-
bo, ao ainanhecer do dia 13 do corrente mez c
anno, do abaixo assignado, um escrav preto de
nomo Antonio, conhecido por Canda, idade de 26
a 3i aun s, pouco mais u menos, alto, ps gros-
sos, tem nina das juntas do mesmo urn pouco
grossas, andar banzeiro, levando chapeo de l'eltro
ja usado, camisa de algodo azul e seroula de al-
godo americano, cujo escravo veio de Ruique pa-
ra Pao d*Alho,para onde se descorilia ter seguid,):
roga-se a quaquer autoridade jiolicial ou capito
de campo a captura da dito escravo, levando ao
engenho cima, ou a ra do Caldeireiro n. 42, ao
S". Francisco Quinthn Rodrigues Esteves, que
ser generosamente gratilleado.
Antonio Carneiro Lins e Mello^__
Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica
de taberna e d fiador a sua cunduca : em Api-
pucos, taberna do Machado._________________
Confraria do Senhor Bom Jezm
das Portas na igreja da Madre
de Dos.
Sao pelo presente convidados os nossos charos
irmos a comparecerem na igreja da Madre de
Dos, scxt.vfeira, 19 do correte, as 3 1/2 horas
da tarde, alim de encorporados, acompanharmos a
prucissao de Trumpho que tem de sahir da or-
dem terceira da veneravel Sfnhora do Carmo, em
satisfago ao convite que nos fez aquella respeita-
vcl confraria. Recife 17 de marco de 1869.
O escrivo,
Manoel Moreira Campos.
lrmandade do Senhor dos Pas-
sos na matriz do Corpo Santo
De ordem da mesa regedora sao convidados to-
dos os irmos desta irmandade a comparecerem
em nossb consistorio no dia 19 do presente, as 2
1/2 horas da tarde, afim de que encorporados,
acompanhemos a procisso de Triumpho que ha
de saliir da veneravel ordem terceira de N. S. do
Carmo. E para desta forma correspondemos ao
convite que dignou-se fazer a supradita ordem.
Consistorio 16 de marco de 1869.
0 escrivaol
1. I. Lima liair >.
Para Lisboa.
Segu com muita brevidadt a barca portugueza
Gratidao, tem grande parte da s\ia carga promp-
ta ; para o que ainda lhe falta e passageiros, tra-
ta-se com Oliveira Filhos & C, largo do Corpo San-
to n. 19, ou com o capito na praca do commercio
THIATRO
DE
S. ISABEL.
EMPIEZA DRAMTICA
Loanda
O brigue portuguez Bemrinda, capito SUva, a
chegar de Lisboa, sahir para Loanda poucos dias
depois de rccolhido a este porto : pode receber
alguma carga, e trata-se com o seu consignatario
Joaquim Gerardo de Bastos, na do Vigano n.
16, 1 andar_____________________________
Para o Porto
Vai sabir com muita brevidade a veleira barca.
Flor de S. Simao visto ter parte da carga enga-
jada, para o resto e passagens trata-se com os
consignatarios Camino & Nogueira na na do
Apollo n. 10._________________
COMPANIHA PERNAMBUCANA
DE
Vivesaco costeira por vapor-
Macei em direitura e Penedo.
O vapor Parahyba, commandan-
tc Mello, seguir para os portos ci-
ma no dia 22 do corrente as 4 horas
da tarde. Recebe carga at o dia 20, encom-
mendas. passageiros e dinheiro a frete at as 2
horas da tarde do dia da saluda no escriptorio do
Forte do Mattos n. 12.
9, defruntc do convento de S. Francisco, onde os
professionaes e pretendentes podem tudo exami-
nar com antecipacao.________________
LEILAO
DE
Quinta-feira 16 de margo.
Quarta representaco do magnifico e appara-
toso drama histrico de glande espectculo, em 6
actos, ornado de msica
De urna grande casa de campo no Parn meirini
com 3 salas, 12 quartos e dispensa, com grande
sitio murado na frente, cerca do 1,050 palmos
de frente, e 1700 ue fundo, com umitas e excel-
lentes fructeiras e baixa de capim.
Turga-feira 30 de maio as II horas
em ponto.
O agente Pinto competentemente autorisado fa-
r leilao da casa e sitio cima mencionado (do fi-
nado Joaquim Jos de Amorim (em Sant'Anna)
sendo que dito sitio torua-se recommendado j
pelas grandes"proporeoes o accomiiiodae/>cs que
offerece c j por ser "em chaos proprios cm cuja
frente passa os trilhos urbanos e porto de ama das
estacos.
O leilao ser efectuado as 11 horas do da ci-
ma dito no escriptorio do referido agente ra da
Cruz n. 38.
Os pretendentes po'Jerao desde j cxaaiinarcm
dita casa e sitio, podendo obterem do mesmo
agente toda e qualquer informaco a respeito.
Precisa-se alugar dons escravos para servico
de refiuacao : na ra de Hurtas n. 7,_______
Precisa-se de um menino para ciseiro, dos
ltimos chegados : na ra da Concordia n. 152.
Gratifica-se
a quem tiver comprado urna cadeira ie pao d'oleo
a Luiz XY.ej coraalgum OSO, restituindo a mes-
ma c descobrindo o vendedor : na ra Jos Pires
n. 35._______________________________"
j4ma
Precisa-se de urna ama para comprar e cozinhr
para casa de moro solteiro : na ra da Imperatnz
numero 26.____________________________
Aluga-se urna escrava que compre e cozinhe,
com condicao de vir dormir em casa : quem pre-
cisar dirija-se em Santo Amaro, sobrado junto ao
cemiterio inglez._______
LEILOES.
I.EIIA0
Precisa-se de una senhoraque tenha habili-
taeoes para ensinar o portuguez e msica cm um
engenho distante desta cidade duas legois : quem
pretender annuncie por este Diario, ou dirija-se a
ra da Concordia n. 37, que achara com quem
tratar.
Caixeiro.
Precisa-se de um caixeiro
do Terco n. 63. padaria.
a tratar no pateo
I'recisa-sc de urna ama
n. 22,2 andar.________
no caes do Ramos
AVISOS DIVERSOS.
ou
A descoberta da America.
Personagens. Actores.
Isabel, a catholica, rainha de
Castella c Leio. D. Mara \elluti.
D. Maria de Gusmo, dama
de honor...... D. Juba Azevedo.
Ona, rainha de Haity. p. Clelia.
Christovo Colombo. Joaquim Augusto.
j)0go....... Primo da Costa.
Peregrino (irmao de Colombo) D. Apolonia.
Rartholomeu...... K""30-
D. Luiz, duque de Fonseca. Jos Victorino.
Fre Pauto Marchena, confes-
sor da rainha..... Lessa.
Rodo, aventureiro. Thoniaz.
D. Jos de Escobar, tabellio
regio...... Martinho.
Tubaro, marinheiro. Brochado.
Antonio, idem. .... Couto Rocha.
D. Pedro de la Cueva, cama-
rista....... Jos Guimares.
D. Filippe de Vega, capito. Jordani.
l"m aleaide-mr. .... Florindo.
Um pagem...... D. Francisca.
Olema, indgena..... D. Carolina.
Comecar as 8 horas.
De escravos e de nm cofre.
Sendo una escrava preta de nomc Miquilina de
47 annos de idade, um escravo pardo de nome
Salvador de 42 annos de idade, um diio preto de
nome Paulo com 23 annos, outro tambem preto
de nome Lindolpho e de idade 16 a nnos, outro
preto de nome Quirino com 17 anno e finalmente
um preto de nome Dionisio de 18 annos, Mais
um cofre de ferro para dinheiro.
noai:
O agente Martins com autorisacao do lllm. Sr.
vice-consul de Iespanha nesta provincia e em
presenca do mesmo far leilao dos escravos e do
cofre cima pertencentes ao espolio do subdito
hespanhol Jos Filippe Martnez, as 11 horas do
dia mencionado e na por da casa n. 5 da ra
da Cruz.
Jos Soares de Azevedo, professor de
lingua e litteratura nacional no gymnasie
provincial do Recife, tem aberto em sua
casa, ra Bella n. 37, um .
CURSO DELINGUA FHANCEZA.
DE GEOGRAPHIA E HISTORIA
DE PHILOSOPH1A
1)E RHETORICA E POTICA.
Os estudantes qne pretenderen! frequen-
tar qualquer destas discipliuas, podem diri-
gir-se indicada residencia, do manha at
as 10 horas, e de tarde a qualquer hora.
__Precisa-se de um criado, prefere-se escravo:
na ra do Queimado n. 12, 1" andar.__________
Precisa-se de um caixeiro, preferindo-se um
homem de idade, que saiba 1er e escrever : -no pa
too do Terco n. 12.
Precisa-sc de urna ama para todo o servco
de urna casa de duas pessoas : no pateo do Terco
n. 32,1 andar.________. _________
Precisa-se de um caixeiro com pratica : na
ra do Rrum n. 63, taberna.
O Sr. bacharel Manoel Jos Fcreir.i de Mefio
queira declarar por este Diario se Smc. ou nao
advogado de Jos Rodrigues do Passo._________
LEUAO
ATTENCAO
o
Quinteiro & Agr rogam a todas as pessoas que
sao devedoras ao estabelecimento fnebre da ra
Nova n. 63, que venham quanto antes saldarcm
seus dbitos, ao contrario sero entregues ao pro-
curador da casa, afim de os cobrar aniigavel ou
judicialmente, se at o fim do corrente mez nao os
saldaran, visto que ezto em liquidaco c dese-
jam tambem saldar o que devem.____________
Precisa se de una ama para casa de pouca
familia : ra larga do Rosario n. 21._________
Precisa-se alugar urna escrava para servico
de casa de pouca
rion. 21.
familia : ra larga do Rosa-
__Desappareceu do pasto na ilha do Padre um
boi de carraca, com os signaes seguintes : cor al-
vacenla, urna estrella branca na testa, um S mar-
ca de ferro naboehecha, a mesma marca no vasio:
quem delle soober e dr noticia, dirija-se ra do
Apollo, tenda de tanociro de Jaco, que sera re-
compensado.
__No sitio n. 29 da estrada de Joo de Rarros
appareceu um cavallo : a quem pertencer sera en-
tregue, dando os signaes e pagando a despeza do
sustento.
PENTEADOS PAM SENHORAS
s
SALN DE COIFFURE
DE
ANDRE DELSUC
SUEM DE 1. (MUS
Ra do Crespo n. 7 primeiro andar
Andre Delsuc, cabellereiro de Pars, empregado de Mmc.
vuva Leconte, tem a honra de participar ao respeitavel publico
que contractou com Mr. Georges, que se retira d'esta provincia,
tomar conta do seu salo de cabellero da ra do Crespo n. 7.
Nutre a esperanca que seus amigos, conhecidos e os fre-
guezes a quem servia emquanto foi offieial de Mine, vuva Leconte o
favorecerao, acompanhando-o no seu novo estabelecimento, e tam-
bem que a bella fregueza de Mr. Georges continuar a frequentar
o seu salo, certa de que envidar todos os seus esforcos para
merecer a sua confianca.
Achar-se-ha sempre no seu estabelecimento um grande
sortimento de cabellos de todos os taannos para coques, seja
qual for o feito, de trancas, repentiz, frisos, bandos, etc. etc. etc.
emQm tudo que diz respeito sua arte.
Continuar a praticar no seu salao o mesmo que pralicava
Mr. Georges: fazer a barba, cortar os cabellos, frisar e friccionar
com toda a promptido, asseio e delicadeza.
Aviso as senhoras
Tem a honra de participar s senhoras que o quizerem
honrar com suas freguezias, que podero manda-lo chamar, certas
de que serao sempre penteadas com gosto e ultima moda.
e

H
f
C

TRABAMOS EM CABELLOS
BOTICA EGASA
77 JIUA DA IMPERATRIZ 77
N'este novTjestabelecimento h um completo sortimento de medicamentos, pro-
ductos chimicos, e drogara, tudo de prmeira qualidade, e se vendem por menos do
que em outra qualquer parte.
H tambem um sortimento de medicamentos homeopathicos, tinturas e globu
los inertes, por precos commodos; bem como xaropesde jurubeba ferruginoso simples,
vinhos de jurubeba simples e ferruginoso, e o bem conhecido xarope de Paracary, es-
pecial d'esta pharmacia. Aviam-se receitas a qualquer hora do da, e noite, com promp-
tido, cuidado, e pericia ; nao se negam a qualquer occurrencia em casos urgentes,
socio gerente encarregado do estabelecimento. mora no
prompto a abrir a porta a qualquer hora que for preciso.

O
mesmo, para o que est
C. Clao & C.
Alberto.
por
2,>000
r
AVISOS MARTIMOS.
MTO
Para o indicado porto pretende sabir em pon-
nos dias veleira e tiem contienda barca Social,
capito Roeha, por ter a maior parte do seu car-
regamento prompto, e para o reto que me tana
e passageiros, para os quaes tem bons commodos,
trata-so com o consignatorio Joaquim Jos Gon-
;alves Beltrao, rnado Trapiche n. 17.
Be niovei, louea, ci-ystaes
e escravos.
A SABER :
Um piano forte, urna boa mobilia de Jacaranda,
2 grandes espelhoscom molduras douradas, 1 en-
cllente secretara de Jacaranda, diversos lvros,
papel para forros de salas, dito para flores, qua-
dros, 1 lbum para retratos, candieiros, relogios
de parede, dito de algbeira, msicas, 1 flauta de
bano, 1 mesa elstica, louca e vidros, marquezaa.
mesas, cadeiras, 1 toueador de Jacaranda, 10*-
china de copiar carta, venezianas, 1 machina de
costura, 2 guarda vestidos, 2 attagens, i lote trem
de cosinha e muitos outros objectos.
Duas grandes portas de amarello c urna varan-
da de ferro.
Um escravo crioulo de 22 unnos que cosinha e
trabalha do pedreiro.
Urna escrava crioula de 35 annos, que cosinha
bem, faz doces, massas, assim como engomma e
lava.
Qnlata-feira 18 de mareo
No sobrado da ra da Itnperatris n. 45, 2 i 3*
andares.
O agente Pinto autorisado por orna familia que
retira-se para Eusopa, far leilao dos moveii e
maisobjectoS cima mencionados, existentes no
^2" c 3 andares do sobrado da ra da Imperatriz
AMA
Precisa-se de urna ama para engommar c cozi-
nhr ; na ra do Rosario da Boa-vista, taberna
da esquina, oito para a igreja._______
Irmandade do Divino Espirito
Nanto, erecta no convento de
S. Francisco. ^
Por ordem da mesa regedora convido a iodos os
nossos charissimos irmos, na sexta-feira, 19 do
frrente, pelas 3 horas da tarde, pomparecerem
em nosso consistorio, para, encorporados, acom-
panharmos a procisso de Triumpho. ^_^__
ttenco
Manoel Augusto de Menezes Costa, pro-
fessor de msica, contina a dar lic5es de
sua arte, tanto vocal como instrumental,
em casa particular ou em algum collegio;
assim como tem aberto urna aula ua casa
de sua residenca na ra da Pala n. 5.3.
Fornece-se comida com asseio e promptido
em casa de urna familia : na ra do Padre Flo-
riauo n. 71, Io andar.
Scenasde um romance
?loo Candido.
Um volume em 8-, francez
Do mesmo autor
UMA REUNIO NA PRACA PUBLICA
SCENA DRAMMATICA,
Um volume em 8-, francez... 500 rs
Assignam-se na livraria franceza ru
do Crespo e na encardenaco Pars iens
ra do Imperador.___________________
Precsa-se de urna familia capaz, que se en-1
car regu de mandar lavar e engommar com toda
a perfeic^o roupa de homem. A quem convier esta
fregueza, pode dirigir-se ao sobrado da ra Relia
n. 37, de manha at s 8 horas, e de tarde a
qualquer hora._____________________
Erasmo Jos de Mello pretende ir ao Rio de
raneiro. ,___________________
Vinho degestivo de
chassaing
COM
PEPSINA E DIASTAEX.
Remedio por excedencia para cura certa
das digestbes dfficeis e completas, acalmai
as dores gastralgicas, e reparar as forcas
produzindo urna assimulac5o completa dos
alimentos; sendo mais nm excellente tonieo.
TE\_E-SK
NA
PHARMACIA E DROGARA
trrttt*
1ITII1
priisslt
inmcicli
IdDQDIlll
? Teos os meio at hoje preconisados contra a astima nSo tem sido mais do qne P"'tiwe
? H#_Sm 5 lodia aitonnaa, tendo por base a belladona, o estramonio on opio. Rcenles ex pe-
? rito"Z?,rePehnem Franca na: InJ.tem.,wteni pro^oj^O-
I
Deposito em Pernambuco, em casa de O*.
! XXX1XXX4-XXXXXXXXXXXAXXJ i 1J..U.J.XJ.11AX
indio de Bengala posstie as mais notareis propiedades para combater essa ^^' necclo,
wsim como tossV nervosa, a insomnia, a tysiea laryngea, a roaquido, welo dtm,
e as nevralgias faciaes. E' pois com o apoio da sciencia que offerecemos estes cigarros, prepara-
dos com o extracto de cnamo das Indias, qne nos importamos de Bombaim.
INJECCAO VEGETAL
MATICO
0 -ccesso d'estainjecco, preparada com ^^j^J^^S^.l^
ella ae tem tornada popular em lodosos paues do "M*BnTlm tia alSo
C5es de toda a naturezi. E' o nico producto neste genero cuja eniraoa o.
authorixada pelo conselho medico de Sao Petereburgo.
Deposito em Ptmmbuco, em cau de H--r_ T.
5f
laBrmtM
ti tetimt
U mekau
e Paria
PILUIiAS
bUKINduBUISSon
NF^n
Fhanueculies
laueaM
i
takwk
0 tratamento dasaffeccSeschloroucas, lympbatlcas ou escrophulosas sempre lenus-
MfraUBWiei ***** molestias resistero s preparacoes ferruginosas ordinarias. As
Ladaa-eta*SS* professores Hannon do BnneUas, tensoul e Petreqmn de Lyloe
rullinse Troasseatf de Paris, tem provado qne a cansa d'essa persistencia era a completa
ausencia do Manganeso, elemento qne sempre deve-se achar no sangne jnnciamente coi
ferro. Estas pilulas snnprem, pois, na therapcca urna falta importante, e
motivo ellas tem merecido a api
dadea medica. Deposito em I
rovaco da Academia de Medecina e dai principaes sooe-
ernnmftuco, era oaaa de lture O*. __
n
aULL
T

PHIBI
-......


Diario de Parnambut Quarla feira 17 de Marjo de 1869.
i.

t&
Attenco! attenqo!
Gtlhcrmino Rodrigues do Monte Lima faa sci-
ate aos oQiokies de todos os eorpos, que acaba do
TCceber um completo sortimento de espadas, ban-
is, talns, talabartes e charlateiras, e n.ais per-
asasos. Assinv como reccbeu tambera chapeos de
oleado para criados, do copa alta e baixa, com
eerdao de ouro ou prata, e vende mais barato do
*3t> era outra qualquer parle, na praca da. Inde-
pendencia n. 17, junto a loja do Sr. Aranles.
SEGUROS
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A Companliia Indemnisadora, estabelecind
aesla praca. toma seguros martimos sobre
navios c seus carregamentos" e contra fogo
em edificios, mercadorias e mobilias: aa
roa do Vigario n. i, pavimento terreo.
Trocam-se
U notas do banco do Brasil c das eaixas Aliaos,
nem descont muito razoavel : na praca da Inde-
pendencia n. 22. ___________
- Para coziiiha-
Precisa-se de urna pessoa que eoziuhe bem
ra do Crespo*. 23.
na
Resta venda, um oscolbjo sortimento de ob-
jectosde inarcineria, como sejatn, mobiliaa de ja-
caranda, mogno eamarello, obra nacional e estran-
geira, di; aparado goto c por precp< razoaveis :
tu ra eslreita do Rosario h. 32. Nesta mesma
casa azem-se com perfeicao todos os trabalhos de
palhintia, como sejam, empalkamcutos de lastros
para camas, cadeiras e sopn*.________________
Aluga-se
Narrada Cadeia do Recite n. 20, prensa-s
lugar um escravo para o MBco interno c-exter-
no de urna casa de homem aatteiro.____________
"tBtibio'do Gastilho.
Secundino Jos de Paria (Andes, professor par-
licular de instrurean dementar pelo methodo Cas-
tilho, avisa ao respnitavcl pufcliro e com especiali-
dade aos pais d desde o dia 7 de Janeiro, na ra da IVhIui ii. -''.
primeiro andar, aonde pecebe pensionistas por
proco commodo : o mejmo professor piometle
muito se esmerar no adinntamento de seus. alum-
nos. Aclu-se alerto desee o inesmo dia um cur-
so de prinieirasletras a noute para aquellas pes-
soas quenao puderem'(reqoentar durante oda,
Joaquixn Jos Gron-
palves Beltro
RA DO TRAPICHE N. 17, 1." ANDAR.
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
co do Aliho, em Braga, o sobre os seguin-
tes logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Guimares.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famalicao.
Lamego.
Lagos.
Covilha.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Urja.
Barcellos.
Aos 500 pares de brincos.
Cliegou e vende-se no Comrao
"Ouro, ra do Cabala, brincos de
mosmhas com urna franja penden-
te a um rico desete e ouro de
tei, pelo pequeo preco de 15066
cada par. baratissimo.
BARTHOLOMEU & C.
0 advogado Dr. Antonio de Vas-
concolls Menezcs de Drummond
transferio o seu cscriptorio para a
ra do Imperador n. 20,onde pode
ser procurado todos os (lias oteil
das 11 horas da manha at as 4 da
tarde, para os misteres do sua pro-
fisso.
ANTONIO EPAMINONDAS DE
.MELLO tem o seu escripterio de
advogado ra do Queimado n. 8,
1." andar.
I. Ferrelra villela.
Pkotographo (la casa imperial
premiado eib diversasexposi-
c,oes.
Ka sua photographia ra do Gabug n.
18, entrada pelo pateo da matriz tira reira-
lo* por todos os sygtemas pliotographicos.
Em porcelana Em vidro
Em laico Em papel
CART ES DE VISITA A 90 A DZIA.
Os retratos carte-de-risite sao collados
eia cartao de luso bristal ou porcelana,
dourados ou lithographados, quadiilongos
ou vinlietas para o que existe urna varieda-
de de 12 modelos a escolha de quem se re-
tratar. Para as outras especies de re tatos
temos caixinhas, ptwe-par-touts, qoadros
e molduras domadas epretas cassokitas de
ouroe alfinetos simples ecom podras pre-
cioses, ha vendo nos alinetes urna mimosa
variedade de feitios.
O nosso estabelecimento pholograpbtco
esti sempre em dia cm os melhoramentos
e progresos que na imerica do Norte, na
.Europa ou no Rio de -Janeiro se consegue
na arte pbotograpltiea, e para alcancarmos
tal fir. nunca poupatuos despezas nem ss-
crificioG, de sorte que os nossos numerosos
fregoezes podem ter a certeza de que sem-
pre encontrarlo em nosso estabelecimento
4udo quanto a arte e a moda offerecer de
bom no novo e voH mundo aos amantes
da photcgraphia.


VM DESC0I5RIMENT0 ESPANTOSO !
O xarope de fedegoso, de Pernambuco,
preparado pel pliarmaceulico J. de A. Pin-
to, cura radicalmente a tsica e asthma, c
todas as molestias dos pulmes.
Podem ver-se os attestados de curas no
nico deposito das preparacoes de fedegoso I
deste autor, ra do Rosario Larga n. 10,,
junto ao quarlel de polica.
Um. Sr. Joaqiitm d'Almeida Pinto.
Biaga, -l de Janeiro de -1808.Meu ami-
go, aqu clieguei com algumas melhoras:'
depois de ter lomado tres garrafas do seu
preparadojarope de fedegoso; isto
pe i mar, porque logo que clieguei ein Lis-
boa, principiei com mais fe a lomar o dito
xarope, por conhecer pelo taar que elle me
fazia grande beneficio, pois vista da gran-
de quajitidadc de sangue que en botava pata I
boca, vi que me ia desaparecendo rom ra- [
pidez, depois que continuei a tomar o dito |
xarope, e to milagroso foi para a miulia
molestia que boje me acho de todo resta-
blecido, e at mesmo bastante nutiido, p
por ssopode Vm. fazerscieue ao publico
o milagro que o seu preparado obrou. na
mnha enfermidade. Sem tempo para mais,
sou de VmcAmigo atiento, venerador c
muito oljrigado.Manad Jos Gonealves
Pe reir.
PARA USO INTERNO
P E PAHA D09 SIMPLES
Xarope de jurubeba garrafa. 1^000
Vinho de jurubeba garrafa. 4(5600
Ptalas de jurubeba vidro. 4W500
Tintura de jurubeba vidro. 640
Extracto hydracoolico de jurubeba. 120500
PEPARADOS COMPOSTOS.
Vinho de jurubeba ferruginoso garrafa. 20000
Xarope de jurubeba ferruginoso garrafa. I #600
Pilulas de jurubeba ferruginosa vidro. 2*000
Oleo de jurubeba vidros. 640
Pomada de jurubeba pote 640j
Emplastro de jurubeba libra. 2#>O0
PARA USO EXTERNO
rA JITRITBEBA*
Ksta planta hoje reconhecida como o mais poderoso inico, como um excel-
by?A(i desobstruente, e como tal applicada nos engorgitamentos do figado e bato, as
hematites propriamente ditas, ou ainda complicadas com anazarclias, as inflammacoes
i subsequentes as L'bres intermitentes ou durezas, nos abeessos internos, nos tumores es-
j pecialmente do ulero e abdomen, nos tumores glandulosos, na auazarcha, as hodrope-
lias, erysipellas ; e associada as preparases ferruginosas, ainda de grande vantagem
as anemias, chloroses, faltas de meastrtucao, leucorrheias, desarranjos atnicos do
j estomago, debilidade orgnica e pobreca de sangue, etc.
O que dizemos altirmara os mais distinctos mdicos desta cidade, entre os
quaes podemos citar os fllms. Srs. Dr. Silva Ramos, Aquino Fonseca, Sarment, Seve,
Pcreira do Carao, Firmo Xavier, Sirva etc. Todos elles reconhecem a excedencia deste
poderoso medicamento sobre os domis at hoje conhecidos para todos;os casos citados,
tanto|que todos os dias fazem d'elfc applicaro.
Apresentando aos mdicos c ao publico emgeral diversos-preparados da juru-
beba, tivemos por im goneraltsar mais o uso d'estc vegetal, fazendo desapparecer a
repugnancia que at hoje sentiam os doentes de usar dos preparados empricos d'clle, e
mais das vezes repugnantes a tragarem-se, e que tinham aiuda a desvantagem de nao
ser calculada a dose conveniente a applicar-se, o que torna muitas vezes improcuo um
medicamento, que podoria produzir ptimos resultados.
Os BOS80S preparadoss foiam apresentadosdepois dehavermos coaveniente-
mente estudalo a jurubeba, fazendo as experiencias precisas para bem conhecer aspro-
priedades medicamentosas d'esta planta cm suas raizes, folhas, fructas ou bagas, e a
(lose conveniente a apniicago, tendo alm d'isto procurado levar os nossos preparados
ao maior grao de perfoico possivel, para o que nao poupamos esforfos, nao nos im-
portando o pouco iucro que possamos tirar.
Por tanto os que se dignarem recorrer aos nossos preparados podem ter a
certeza de que elles offerecem a garanti, de que se pode encontrar, a prompta e infalli-
velcura de qualquer dos soffrimentos, que deixamos innumerados, se forem cm tempo
applicados, tendo alm d'sso, medico eu doente a vantagem deescollier nasnossas va-
riadas preparafcs. aquella que melhor Ihe pode convir, ja pela fcil applieacao, ejpcla
complicaco das molestias, idade, sexo, ou ainda natureza de cada individuo.
As nossas preparacoes ferruginosas sao feitas de forma que se tornam comple-
tamente soluveis nos suecos gstricos, porque procuramos os compostos do ferro que
como taes estSo hoje reconhecidos.
Para aquellos que mais minuciosamente queiram conhecer as propriedades da
jurubeba, e sabersm a applieacao de nossos preparados, destribuimos gratuitamente
em nosso deposito um folheto, onde tratamos mais extensamente d"esta planta e dos
mesmos preparados.
Deposito geral de todos os preparados
Botica c drogara
34Rna larga do Rosario34.
Do xarope Vegetal Americano, especialtdadede Bartholemea A C.
34RA LARGADO ROSARIO34
N5o costumamos procurar attestados para acreditar nossos preparados, e dei-
xamos que sua applieacao e os resultados obtidos pelas pessoas que se dignaram acocta-
los, Ihesdeem crdito evoga; porque s3o sempre os attestados considerados gratuitos,
e delles que lancam3o o charlatanismo; mas, nao querendo offender as pessoas que
espontneamente nos offereceram os que abaixo vio transcriptos, os fazemos publicar,
manifestando-Ibes nossa gratido pela attenco, esperando que venliam elles corroborar
o conceito, e acccitacao que tem merecido nosso xarope.
Bartholonm & C.
ATTESTADOS
Ulms. Srs. Bartholomeu d C. com a mais subida satisfac3o que declaro
ser o xarope Americano de urna efcacia extraordinaria, pois que soffrendo ha dias de
intensa tosse, ponto de nao poder dormir a noite a despejto mesmo de medicamentoi
que tomava, a elle recorr e na terceira colher fui alliviado, e de todo me acho hoje res-
tablecido cora o uso somente de quasimeio frasco: grato, pois.' esse resollado mani-
fest a Vv. Ss. meu reconhecimento.De Vv. Ss. amigo, venerador e obligado.Ma-
noel Antonio Viegas Jnior.
Sua casa 20 de abril de 1868.
Illms. Srs. Bartholomeu & CPenhoradissimo com o favor que me fizeram
de aconselhar o uso do xarope Vegetal Americano, de sua composicSo, quando me acba-
va bastante doente de urna constiparlo, que me tornou completamente rouco e que
trouxe una forte tosse, c me impossibilitou de cumprir os meus deveres de cantor da
empreza lyrica, vou agradecer-Hies meu completo restabelecimento, que obtive com um
s vidro do mesmo xarope, depois de haver recorrido a muitos tratamontos. Deejarei
que outros como eu recorran) ao seu xarope para se vercm allviados de tao terrivel
incommodo, tao fatal neste paiz. Com maior considera(;ao contino a ser de Vv. Ss.
attento, venerador e obrigado.Luiz Crcmona.
Recife, 25 de setembro de 1868.
Illms. Srs. Bartholomeu & C0 xarope Vegetal Americano que Vv. Ss. teem
exposto venda de toda efcacia para o curativo d'asthma, conformo observei appli-
cando-o a meu filho Joaqnim, menor de quatro annos; victima d'essc flagello, que at
ento por espaco excedente a dous annos havia resistido a outros xaropes de grande
nomeada. Queiram, pois, Vv. Ss. acceitar a exprsalo altamente sincera de meu reco-
nhecimento ao meritorio servico que Ihe prestaram com o indicado xarope, aemlitan-
do-me para sempre de Vv. Ss. criado, attento e obrigado.Amerito Netto de Mendonca.
Recife, 2 de outubro de 186.
DE
DE
J. VJGNES
DOENCAS DO PEITO
XAROPE d'HYPOPHOSPHITO OE CAL
GRIMLT L C.A PHARMACEUTICOS EM PARS II'
A cfficacia d'esta prepara?3o est a tabelecida desde 4 857, pelos mais celebres medico. Desde
ento muitas iniit.icoes tem sido l'eias, mas nenhuma poude sustentar a comuaracao com o
producto apreseniado pela nossa caza. Por isso excitamos o publico para que exiga sempre
este xarope com urna beUa cor de r.a, nunca branca, e com a nossa assignaiura roda do
frasco.
Sub a sua influencia, a tosse acalir.a-se, os sueres nocturnos cessao e o doente volve rpida-
mente sade. O seu empreco di lambcm os mais brilbanies resultados nos defluxos, catar-
rhos, bronchilef, irrilac&es do pcito. ele.
Deposito em Pernambuco, em casa de ataorer C\
N. 05RA DO IMPERADORN. 55.
Os pianos dista antiga fabrica sao hoje assz Gonhecidos para soja ijecessarm
insistir sobre sua superioridade, vantagens e garantas que olferecem aos compradores,
qualidades estas incontestaveis, que elles tem definitivamente conquistado sobre todo*
os que tem apparecido nesta praca; possindo um teclado e machinismo que obedeeexn
todas as vontades c caprichos das pianistas, sem nunca falhar, por serem fabricado
de proposito e ter-se feito ltimamente melhoramentos importantissimos para o clima
desta paiz; quanto. as vozes sao melodiosas e flautadas e por isso muito agradaveis aoi
ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como nado Sr. Blon-
del, de Paris, socio correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premia-
dos em todas as exposices.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um esplendido e variado sorti-
mento de msicas dos melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianoi
hai monicos, sendo tudo vendido por precos commodos e rasaseis.
BARATISSIMO
Calcado nacional, na fabrica de Jos Vicente
tiodiutU) &('.., ra do Jardimn. 19, avisam aos
iras (regoeuadesta capital do interior,quecon-
tinuain a fabricar cilcadoem alta escala, e offe-
recemas fflellioresoondi<:os,tantooin proco como
m> qualidado. Os iropfietarios (leste estabeleci-
mento chamam a atien^o dos senhres consumi-
dores do int>Mior, que os quizerem honrar com
ua froguezia, especificando em seus pedidos a
qualidade e numeraelo, olTerecendo-se para os cn-
as excel i tregar bem acondicionados cm casa de seus cor-
lllm. Sr. Joaqnim d'-Almmda Pinto.
Ha muito que ouvia proclamar
lentes propriedades do xarope de fedegoso | respondentes nesta piaga.
contra a tosse e asthma, e solfrendo eu del 17VoHpvf>n TVTlrl
urna tosse pertinaz, e tendo usado de toda x x "UOI AJ ilLCUOr
a sorte de medicamentos, vali-me pois do Clrnrglo dc;i(Isla pela escola
GRANDE HOTEL
!S|hj-
Fol lelo seuianal
PKOGKAMJIA:
O supradilo fnlhoto em 16 nabinas de
inipressao etc., etc., e^cNpar-se liaexclu-
fjrameute.....de tudo.
Redaeeo :
Capillo Salabardote.....(Critica lit-
terari& e saines.}
Cavalleiio De Profvudis.....(Noticias
freseas.)
Detrr Fatuto.....(llofits idem i
Baro de ig-zag.....(Ad lifcitum.)
Viscoade do O'......<1 heati< <
das ras.) ()
Preco 200 rs. cada narnefo.
Impressao itida, eousa de aiivpalar jS
o orno. Rero'mmcnda-se a leitura prin-
cipalmente aos rayones. E adeus !
tirtmeiro tmmero ser 4tdo faz no ig
sabbado de allehtia. Mao dia t Edeus t 1
A' venda onde se animneiar, no dia do K
nascimeata do Biabo a Orneo. ^
{') Estao r-jeoBlseeidas as firmas pek ^
tabellio Palta oV Zonza.
mmm mm mmmmm
O abaixo asignado tendo de senair at o dia
15 para Europa, nao xh\ Mido uVsiedii-se pes-
soafmento de todos seu {jarete* e amigos, que o
honram dua suas aaiis acea o fas peb presen te,
olWecendo-llics seu jiowxj presumo em aqueles
paires. Recife 12 de mmr^ de I8 Bario do Caotfto Alegre
tnrope de fedegoso, e urna garrafa somen-
te foi bastante para restabelecer-me, e me
vejo tai > robusto como d'antes; succom-l
a nao ter usado seu xarope
de inealieiua
do Rio de laneiro.
Tem a honra de participar ao rcspeitavel publi-
co desta capital eseus suburbios, que tem abertoo
seu gabinete de const ltas e operaefies dentarlas a
btria de certo
de fedegoso.
V vista disto nao tenbo eepressoes,
coai que exprima a V. S. a gratido de que j & Ihe devedor, o de V. S. attento venerador tadoPar1;i com1 perfcifocoUocar denles aitih
, t. a*,! .umauui (xir qualouerdos sysh'.mas, e bem assim dse.
ra bireita n. l, primeiro andar, onde pode ser
ssoes. procurado todos os diisdas8 horas da mar.t.a as
e criado
Joo da Costa liego.
Hm. Sr. Joaquim d'Almeida Pinto.
Tenho a ventura de communicar a V. S.
que grecas ao maravilhoso xarope de fede-
goso, eatou com o meu escravo Jorge com-
pletamente restabelecido da molestia dos
pulmes, que ha tanto tempo o persegua.
-< Aceite V. S. esta rainha doelaracao
como prova do meu reconhecimento pelo
bem que V. S. acaba de fazeiMnc, e ouja
recordaca* .8er internada no corac3o do
De V. S.
Attento venerador e criado
Bento Joaquim Gomes. *
'/>.
CARTEIRA PERDIDA
Na seguna-feira H do correte, entre
as 8 e 7 horas da tarde n'um pa^seio pela
estrada de Joao de Barros ncrulha-la de
Belem, Campo Grande-, Olbo do Boi, para a
na de Jo3o Femandes Vieira na Soledade.
perdeu-se ama earteira coaleodo algum
dinheiro e varios papis sera valor seno
ao dono. Quem a ahar ter* sondade de
trazel-a para o Bngrtsfr Bank ot Bio de Ja-
neiro Limited, n. 7, Ijrgo do Petourinlio,
qae ser generosamente gratificado.
Engnho.
. Rendase o engeno Conpa^a, sito na freauc-
"** Ignara*, distante desta praca 8 lafraw,
w Bom sobrado, ca*as para labradores, exeellen-
^s trras de plantaoes, porto de embawue na
PWta^edreiras efornos le qneimar cal : os pre-
J^ttea,r'ja-w na da Imprntrz n. 8, pri-
^
Precisa-se
deuma ama para oainhar e comprar nara
^ca n> ponM fetmjiJJiaj^gJj/g,r^rg Hraa
--Acha-se jnsta e contrarada a omom dTu-
berr?.tarua dos Copiares ft. ||: mati se"
wlfar cn'dor da mc-sma, qflelin apnsentar as
- Hiai eontas na ra do Mogneira n. 29. to dentro
"^o praso de tres dias, flnrlos os quaes nao so at-
ieau*.1"* "Mi* reclamarao alguma. Recife 13 de
arco de l^'%
i Jllm. Sr, Joaquim d'Almeida Pinto.
Comprimi um dewr de gratido partici-
po a V. S. qtie, por meio do sea abenceado
xarope de fedegoso, est perfeitamente res-
tabelecido dos seas longos soffrimentos o
meu escravo,
Como sabe, cate meu escravo tinba
< begado ao estado mais aflictivo da moles-
tia de paluies ; nao obstante um nao in-
terrorapido uso de remedios, e urna demo-
rada viagem ao nosso sertao.
b Pois bem : a enfermidade, que se ba-
ria tomado rebelde a todos os meios ere-
pregados para combate-la, edeu, de urna
maneira quasi milagrosa, a quatro garrafas
apenas, do sen fedegoso
Hoje, grafas a Deus, tenho o meu es-
cravo restaMecido; e nao (aeil mostrar
lodo o reconiccimeoto que sinto pelo bem
que V. S. me acaba de fazer.
Sou de V. S.
Caiada agradecida
Mara topdm* gcheffer.
Continuadamente se nos apresentam no-
vo* testemunhos da eicatift do fedefeso
de Pernambuco f
aitiliciaes
esempe-
nliar'qualquer outro trabalho concernente sua
proflssao. "O mesmo, reconbecendo que nem sem-
pre pjssivel s senhoras ou criancas sahirem a
procu; ir o remedio, offerece-se a removtT qual-
quer obstculo, declarando que na cidade se pres-
tar a qualquer chamado sem que issoinflua cousa
alguma na commodidade dos presos de seus traba-
lhos, e quando para fera della assim mesmo ser
precedido de um ajusto rasoavel, garantindo elle a
iegurancae perfeiejio de seus ditos trabalhos. Em
seu gabinete se encontrar constantemente excel-
lente pos dentifricio, elixir e outros medicamen-
tos odontalgieos : ra Direita n. 12. primeiro
andar
Inaugurou-se este commodo e elegante
estabelecimento d'onde os seus frequenla-
dorrs poderlo apreciar a especialidade na
confeegao dos gneros alimenticios.
As bebidas sao as mais primorosas c re-
commendadas.
A decencia e bom servico primam n'esta
casa no bello gosto oriental.
Mandam-se domicilio comedorias, tanto
avulso, como por assignaiura mensal. Os
presos sao mdicos e convencionaes.
Ha urna espagosa c bonita sala para o
elegante jogo de buhar.
Ha tambem aposentos commmodos e bem
mobilhados para hospedagem.
Ra larga do Rosario
n. 44.
BA LARCA D'ROSARIO N. 37
Este acreditado estabelecimento augmenta
de dia em dia quanto possivel para che-
gar ao oume do bem vivar.
Alm dos saborosos manjares confeccio-
nados com o melhor asseio, tem bellos apo-
sentos de hospedagem, tanto para urna s
pessoa, como para numerosa familia.
A agua.-iaLspensavel elemento par a
vida e hygiene, temo-la sempre cm abun-
dancia para facilitar excellentes banhos.
Ha tambem urna boa bibliotheca e peri-
dicos nacionaes e estrangeiros, piano para
recreio, buhares, etc. etc.
Sendo ociosa qualquer recomraendaeo
para tao acreditado ostahelceimonto, omit-
timos mais prembulos, fazendo ver por
fim, que o bom servico, ordem e nwalida-
de imperam n'esta casa, como observancia
fiel do regulamento que possue.
Comedorias a la carte.
CIARLTERIA E PETIT BESTALHHT
Annexos ao Hotel Central, na estrefta do
Rosario n. 4 A, andar terreo.
Para dar a conhecer a variedade infinita
de charutos de Havana,Jahia, Bio, etc. que
existem neste novo estabelecimento pres-
cindimos dos annuncios pomposos que ge-
ralmente se fazem, reduzindo-nos apenas
tres letras que sao tres bbb bom, bonito e
barato. A' vista do genero annunciad po-
I de-se julgar de nossa veracidade. Esta casa
gosa tambem das condices de um elegante
e petit restaurant onde se pede ver a es-
pecialidade dos fiambres c salames de Lion
para lanches e at fazer urna boa colac5o,
juntamente com os principaes vinhos do
mercado, sobresahindo entre o bom a pura
c fervenle champagne, o mui saboroso Bue-
no, a primorosa cerveja, o licor espirituoso,
o quanto pede urna mesa. Faz-se noute
.sorvete e variedade de refrescos.
Na ra Augusta n. ili mten-tt aojos mn
procissoes por commodo preco, e ultima moda.
Vende-se, ou permuta-se por pre-
dios nesta cidade, por apoliecs do gover-
no, ou de companhias, ou mesmo por le-
tras garantidas, o engenbo (oiabeira junto
a Santo Amaro de Jaboato, 3- legons
d'esta cidade, de moer com agoa, soffrivel
casa de morada, levada de pedra e cal.
boas obras, todas do lijlo e podra, '
grandes cercados com vargens e trras suf-
ficientes de produeco regular com estra-
da para carro at a porta, e para onde se-
gu a nova estrada lo ferro. A fallar na
ra da Imperatriz n. 22. 2' andar.
Emprcsa-sc dinheiro
sobre joias de ouro, jira-
(a, brilhaiiies e piedras
preciosas: na Iravessa
das Crozes n. I junto
a esta lyirograpta. f
Aluga-se
ARIVIAKJ&II pERMAMBIJCA^O
86Ra das Cinco Pontas86
Thomaz Jos de Olivcira i C. avisa aos seus freguezes que foram, tanto desta^r?.-
ra como do centre da provincia, que regress(>u de sua viagem Europa no fim de de.-
zemhro prximo passado, esc aeha estabelecido com umarmazem bemsoido demer-
cearia (vulgo molhados) de bons gneros, c por precos commodos e garantindo qualida-
de, pezo e medida, nos gneros comprados no sen armaaem ; portante pede e rog
que nao deixem de Ihe dar a preferencia.
CURA DOS C
thixero.
Precisa-so de mn otxoiro fue tontut pi-atica :
no hotel LisitOMtMe, raa-esrei do Koaano nn>
meri 11.
PBLA
Ponsadai;al*npeaii.
Bepieit ospecial
Pharmacia d Bartholomeo & C.
34-----Ra larga do Boftario------34.
Na ausencia do abaijo assifoado -foi entre-
gue no sabtMdo do eorrento em mu estwle-
nmjeot a ra awga do Rosario, urna
Na ra do Imperador n. 73, > andar,; precsa-
se de um criador
vinho daPeam>tarea A^\atmlfMate''^
engao do carrqceiro que a cond'uio a D.soa
pow a Mera eHa perten(, naja no a landarim-
ear qne IkvMih ootreffjo, |MaMk> rospeeiiro
frete a annuneo. '
_____^aftii* Altw Lebro.
Urna preta escrava que esteja aeostumada a von
der bolos pelas ras : a tratar na ra do Vigario
n. U._________^ ___
PDIDO
Pede-so ao Sr. Manos! da Costa Pereh-a, prati-
cante da reparticao das obras publicas ora em
Jaboato, que compareca ra Augusta sobrado
o. 102, alim de saldar o seu debito ou pagar -o
qne poder e isto com brevidade.
Precisa-se de urna ama de bons costumes
quesaiba bem engnmmar e enzinhar : a tratar na
rna do Imperador n. 6S. nndar.
Fundir daTAurora.
Keste vasto estabelocimente sempre se enconira
um completo sortimento de taixas de ferro batido
e fundid/), fabricadas rocentemente, e se fabrican'
do qualquer molde a voatade dos compradores, e
reos raznoavpis
Quem precisar de urna ama para^asaU1
homem sorteiro para cozinhar e engommar bem,
dirija-se a travessa da ra do Queimado n. 5.
Precisa-se de urna ama que salta bem cosinbar
para casa de rapaz solteim : a tratar na ra da
Cadeia 4o Recife n. 56. toja da fowai/ens. _____
ML
Precisase de urna ataa : ja ra do Cresoo n.
18, andar.
AMA
Precisa-se de urna ama para cosmhar e com-
prar para casa te pouea ramflia : na ruada Pe-
nhan.37._______________________________
Ama
Precisa-se fe ama ama para todo o servico e
urna casa de pouca familia : na ra da PnJia n.
t*,* andar.
FRANCA-BRASIL
flR. MERClErt, anaiato i.mcez, -pravindao respetare! publico c a seus numerosos fregue-
zes que, tendo transferido sua residencia para ra do Trapicho n. 7, primeiro andar, ah encontraran
sempre todas a< qualidades de fazendas para trajos de homem, e prepara costumes para montana
MOhon. Faz tambem obras para militares epata criados, para as quaes tem grande sortimento do
botoes simples, com vJrula c cora de conde, branros e amarellos. Recebe por todos os vapores
ilItitniK ti|/"r c nnm li.mnni <(>nh'>ra< nwnii os.
VALOR THERAPF.UTICO
DO
XAROPE DE QUINA FERRUGINOSO
OE GnlMIULT E COMP.
VharnMMntico* da A. I. o prinaipe Vapohiao. aaa Paria.
A associacie do ferro e da quina resolveo oa dos mais importantes problfnns da pharmacia,
e faz eom que se congratulan) os mdicos dos relevantes servicos qne Ihes presta esta pre-
paraco.
Com effeito, ningnem ignora qne a quina, em mateira medical, 6 o melhor tnico qne se
possa empregar, sendo, sobretudo, nmdo ao Phosphato de ferro, a mais eslimada das pre-
puracde* ferruginosas, pois qne entram na sou composico o ferro, elemento do sangue, e o
phesphaio, ptiacipio dos osaos.
Por isso. julgttmos que, para os srs mdicos, sero nircssantes as obserracdea feitas petos
saos ooilegas,6 mais chsiinctos de Pars:
Este Xarope produz os mais felizes resultados nos casos de dyspepsia, chiorosis
t amenovrhea, hemoirhagias, leucorrheas, febrcsiyphoidas, diabetes, e wtmda presua
resubelecer as bt$s dos doentes e restituir ao coriio as forvas alteradas on perdida, i
ARNAL. medico deS.M.o Imperador.
urna das raras combinafSes que, ao mesmo lempo, satisftuem o medico t o tiente Em
i quanto a mlm, eu a cooKlcro como a mais cfficaz |roparacao ferrumnosa. ote um i atea
t mais agradareis para os doenics. ^ ^^
CAZENAVE. medico do hospital SaitU-Loxi*, em Paris.
c Com esta preparacio dama trma agraihwel, e fcil de dkenr iilnlstisii m aso
loeates do asadscameaios iaaportantes. ^*^ *
CHARWER, cktfe de clismn iaPacuHaiods Pan*,
a Bs emprego com o maior exilo o Xarope de Quina ferruginoso, e o asidero como
ama das mais felizes imioracoes, na mateira medical. *
0BA.89A1GNAC, arorotoem chefe do hospitalLaimtkMm
a Este medicamento, sempre bem aceito pelos doentes, deo-tae intaiiliiiawils ea mais
a ramaiosos resallados. ^^
HERVEZ DE CflEGOIN. memore da Acaemua 4e mmVetmn
a A limpidez d'esta preparacSo, o seu gasto tgrailavel. iastHo de |ulauair sabor 4
larro, tazcm d alia naa madietmaia to eflkata coaao upmmmi.
MOrlOD. wikt fmmdmi $ mUtim.
Btpoeito em Pernambuco. en casa de




Diario de Pernambuco Quarta feira 17 de Marqo de 1869.
THNUL
Grande liquidado de miudezas!
Affonso Moreira Temporal, querendo liquidar as miudezas existentes em sua
loja i ra do Queimado n. 55, resol vea annunciar as mesmas miudezas, para que o pu-
blico se certifique do diminuto precio porque as est vendendo, a saber:
Caixa com agulha .franceza a
Caixas com 100 enveloppes a.
Pecas de babados e entre-meios
a 500, 600, 700, 800 e. .
Pecas de fita de coz com 10 va-
ras a ........
Linha de marca, caixa com 16
novedosa ..... .
Coques muito finos com rede, s
a rede val......
Frascos com santos muito finos
a.........
Latas com banba (familia), a
160 e........
Cartao cora alfinetes a .
Copo com opiata muito fino, a
400 e...... .
Cartas francezas a 200 e .
Ditas portuguezas a 120 e .
Caixa de linha do gaz branca 50
novellos a......
Frasco com tinta a 100 o .
Frascos com banha a 320 e. .
Frascos com agua de Colonia
Piver a........
Pentes de travessa para cabello
de meninas, s a vista faz
f, a........
L3a para bordar, libra. .
fio vello de linha grande com
400 jardas, S a vista faz
f a........
Pares de liga de borracha para
pernas de senbora, muito
boas a .......
Franja branca para toalha vara
160 Resma do papel almaco, muito
500 boa fazenda, com 85 cader-
nos a........
1S000 ^aixa com PaPel *raSa(ie a
Jogo de vispra a.....
500 Sapatinhos de lia para meninos
a.........
240 Pegas de tranga e caracol a .
Sabonetes de todas as qualida-
l500 des a 80, 160 e .
Frascos cora oleo babosa a
I #200 400 o.......
Pinceis para barba a. .
00 Gaz a.......>
100 Frascos com agua de Colonia a
320, 400 e......
500 rentes* com costas de metal .
40 Cartcira de marroqu a .
160 Pentes pretos para tirar piolhos
Escovas para cabello a 400,
GOO 500 e .......
160 Garrafa coin agua divina a. .
400 bravatas de seda de cor a .
Ditas pretas a 400 e .
1.5000 Botes de louca para camisas, a
i Garrafa de tinta roxa a. .
Lencos brancos para mos
320 a .........
65800 Par de suspensorios para ho-
| mens a .......
Espelho de toucador a .
60 Frasco com cheiro muito fino
j ........
Bandeja para copos a .
60 Meias cruas para homens, boa
fazendaa 3,5, 35600, 45 e. .
00 Abotoaduras paracollctes a .
25800
700
500
320
40
200
600
200
320
500
320
400
200
600
15500
320
500
160
800
240
200
30RM
I 0809
400
45500
320
CASA DA FORTUNA
Aos 4:000$
Bilhetes garantidos.
A ra do Crespo n.23 e casas do costume
O abaiso assignado tendo vendido nos sern
muilo felices bilheles garantidos un me;on. J140
ora a surte de 4:000*. un inleiro n. 44.75 com a
sorte do 700i, un quarto n. 1361 com a son
de 202* e outras umitas sortea de iO#, _w# 1
)t da lotera qae se acabou de extrahir em
beneficio da matriz de Xazareth (98 ), convida aos
possuidores a viran receber seus respectivos
premios sem os descontos das leis na casa aa
Fortuna ra do Crespo n. 23........ _
Acham-se a venda os da 8* parte da lotera a
beneficio da igreja de Nossa Senliora da Solca-
de (99) que se extrahir quarta-feira 21 do cor-
rente niez.
Precos.
Bilhete.....4*000
Meio.....2*000
^Quarto.....1*000
Eiii porcae de 100* para cima.
Bilhete.....3*500
Quarto..... 87o
Manuel Martms Fg^__.
Attentfto
O bacharel Olynnio Marques da Silva pede aos
seus constituimos (,uc, durante a curta ausencia
que vai fazer desta capital, se eiendam com m
Dn. Manoel do Nascimento M. Portella c Joao pos
Pinto Jnior.____
Veneravel ordem ter-
ceira de N. S. do Car-
ino do Recife
ftASm&
Para a quaresm
Na ra eseita do Rosario n. 33, sobrada de
um andar, fazem-se, flores de todas as q ualidades
para ornameuto de igreja, altar, andares e sepul-
rhro, inclusive arcos, palmas e rosas, e tudo quan-
to for concernente aos sacros actos; assim como
prepaiam-se para fra com a maior presteza qual-
quer encommenda neste genero ; futro sim tam-
bem se fazem flores mimosas propnas para cnfei-
tar vestidos, saiotes e capacetes de anjos, e mais
barato que em outra qualquer parte. Da mesma
casa se encontram j preparados o proniptos a
venda o seguinte : ricos ramos de seda enfeitados
canutilho com flores de cera proprios para do-
mingo de Ramos, vellas enfeitadas ricamente, bor-
dadas a ouro, proprias para baptisados, capellas de
flores para meninas e noivas. Alem disto se en-
cumbem do preparo de bandejas de bolos linos
enfeitadas de conformidade ao l'nn a que se desu-
na, quer soja para casamentas, rque para bailes ;
fazem tambern vest los para a quaresm ou outro
qualquer que se precisar com a maior prunptidao
e afiseio. _____________________
Aluga-se una casa e sitio na roa das
Pernambucanas, porto do Jacobina (Capun-
ga) o. 48, cora acommodacao para grande
familia, bastante fresca, e cujas Chaves paro
ser vista acha-se na casa junto n. Sol :
tratar na ra do Pilar, sobrado junto ao
arsenal do mariuha, 9-. andar.
A aguia branca tem-so feito to conhecida e
acreditada, nao s pelas nuvidades, variedades, su.-
perioridade e abundancia de seu sortimento, coiiH'
pela constante eomniiKlidade de seus preQM, e mes-
mo pelo scu assaz e nunca olvidado agrado e since-
ridade.
Essas verdades incontestaveis sao sem duvida
apreciadas pelo bello sexo em particular, e pet
respekavel |)iiblico em gcral, e a tanto tem ebegado
que estao quasi passando como annexiin ou pro-
verbio, quando se v um objecto de elegancia.
gosto, novidade, etc., etc., diz-se logoaqueile ob-
jecto sem divida foi cimprado na loja d'aguia
branca.
Quando no club, nos bailes, ou no saljio do
Santa Isabel, urna excellentissima se aprsenla
garbosamente trajando, trazendo o moderno cinto
3e mui larga fiU, lisa, cliaraalotada, ou escosseza,
as suas admiradoras dizem comsigo aquella fita
Ibi comprada na loja d'aguia branca.
Qnando outra excellentissima, nao menos gar-
osa, musir o rigor de son bom gosto na acertada
escollia dos eufeites de aita novidade que bella-
mente oruam seu vestido, aiuda incspjo as rivaes
de sua sympathia confessam queaquetles enlates
toram da loja d'aguia branca.
Quando n'outra oxceljenlissima. apezar da sin-
gelleza de seu porte agradare!, se vm as bonitas
(uvas de pellica duqueza as suas bellas ami-
gas louvam-llie o gosto o confessam queaquella?
avas foram da loja d'aguia branca.
Qnando mesmo duas excellentissimas, antigs
amigas de cotlegio, se encontram naqueUes loga-
res, depois dos cumprimentos de recprocos beijns.
dbaas por forca de sua elevada delicadeza, gabam
urna a outra os agradaveis cheiros de que usam
em seus finos lencos, e cada urna das quaes orgu-
Ihusas.pek elogio "do acert de sua esculla, e como
que querendo por si mesma justificar dizem simul-
tneamente verdade que este cheiro foi compra-
do na loja d'aguia branca.
A inda niais.
Quando hontem os pais afllictos sentiam o rigor
da denticao de seu charo lflliinho, e hoje alegres e
satisfeitos peto feliz restabelecinicnto recebem as
visitas dos seus ineior amigos, dizem aquellos
estes, foi Deus que me inapiroupara que compras-
se, como comprei, umdesses virtuosos collares
Royer, que se vendem na loja d'aguia branca.
Al do multo na i que anda
falta Uzer.
Quinto em un circulo de circunspectos carac-
teres se discutir a veracdade de laesdizeres, appa-
recer um outr que queira anda levemente inter-
romper a discussao, os primeiros poTnomento es-
quecerao a crcuraspec^ao c thes daro um gra-
cioso debique diieiido-llies-j sabemos que V.
um daqueJles que inclina o chapeo de sol ou que
mereca ser designado pela aguia branca da ra
do Queimado 11. 8.
Sao lautas as cousas que por
urnas escapara as outras.
J ia esqu.vendo a aguia branca, mas em tempo
lembrou-se para noticiar, que recebeu urna pe-
quea quantidade de enfeites para coques e gratn-
pos para ditos, tudo feito de meta! com lindos e
agradaveis coloridos, obras estas pela primeira vez
appareeidas, e portanto inteira novidade.
Tambem chegaram novamente delicados enfeites
e (loros ornadas de aljofares e vidriHios, tanto de
palha para coques como para vestidos, e rudo
contina a merecer a apreciaeSo das cxcellentissi-
mas conbecedoras do bom.
Proclsso de Triuuipho.
Tendo a veneravel ordem terceira de Nossa Se-
nhora do Carnio desta cidade de apresenfai a vis-
la dos fiis a solemnissinia proeissao do Triumplio
dos Passos do Senhor no da 19 do correte mez
as 3 horas da tarde, e desojando a mesa regedora
que este acto seja revestido de toda a pompa e
magnificencia, manda convidar a loj OS eliaris-
shnoa irmos, para que paramentad >s com seus
hbitos coniparecara na igreja de Bi ordom no
referido dia e hora indicadas, ani de que acoin-
panhando a mencionada proeissao, cooperen por
esta forma para o seu maior cxplendor c brilhan-
tismo.
Secretaria 13 de marco de 1869.
*0 secretar,
Joaquim Xavier Vleira Ligo.
Precisa-se alugar um molei|ue ou mesiuo
um preto de maior idade : quem tivr pode vir
tratar no paleo do Terco n. 63.
DESAPPARECE
Tendo-se mandado da ra estreifa do Rosario
para o lugar Peres da freguezia dos Afogados, no
li.n de fevereiro do corrente anno, algumas pecas
demobilia, e juntamente alguus joroaes e livros
por urna carioca destas que conduzem assiiear dw
engenhos, acontece que desappareeeu ou rouba-
ram da mesma earroea una coilemid do Diario
de Pernautuco e do jomtal di) Bea'e, completa,
do anno de I8G8, e diversas collecoo;s dos mes-
nios jornaes, nao completas, do anno le 186G c de
18ti7, assim como urna grande poreo dos jornaes
Oriente e Mercantil de 1866, 67 e 08 : roga-se o
favor a quera comprou, provavclmei 10 paraem-
orulho, que se digne entregar na ra Ce Santa The-
reza n. li, ou annunciar por este-jornal, pote que
alcni de ficarse agradecido, se pagar todas as
despena, ou mesmo alguma noticia ;. tal respeito
Perdeo-sena sexta-feita de Paesoe urna nie-
dalha de ouro de finagriia que cabio c'o adereco de
um anjo que acompanhou a dita proeissao.: pe-
de-se a qnem achou, que venha entregar na ra
da Lingoeta, taberna 11. 'i, que ser recompensado.
= Precisa-se de uina ama escrava ou forra que
saiba eozmhar : na rnj de S. Francisco n. 5i.
Ama
Antonio de Souza Reg cordealinente agradece
a todas aspessoas que awimpanharam ao eearite-
rio publico os restos niortees .1" M8 prezado ami-
go e prente Jos Franeseo Riboiro, e pode ao
mesmo tempo deseulpa da falta de convite quel-
les amigos do finado que nao fram convidados,
por ignorar o aununciante quem ees si jam. O
anmmci;iuie nao nido prescindir de mencionar om
louvoronoine rio Sr. HarceHm Jos lioncalvesda
Fon te, pelo seu valioso oncuiso eui |immoveros
aprestos pan o enterro do finado, pelo que se con-
fessa eteniameute pi ato.
Precisa-se na ra da Gadeia >\o Recife lo'ia nu-
mero 9.______________________
Precisa-se de um menino de 9 a 10 anuos
para criado de un pessoa. nao se importa que
seja escravo ou livre, e dando fiador a sni con-
duela ; quem o tive dirija-se a ra do Aleori
n.63.__________________________________
Alugam-se as easas n. t9 da ra Impe-
rial e n. 52 da ra da Aurora : a tratar 11a ra
da Aurora n. 38.___________________^_____
Ejstaram do sitio Jacar, ni Agoa Fria, ao
amanbecer do dia 10 do crrente, um cavallo raeo
liedrez. grande, casirado, tno os Nrros segvn-
tw : 110 lado direito R e no esquei do J) ; foi com-
SradoeiBi de ferereio moxiniefindr a Joo
os liis *wies : quem do mesmo dw **ich ou
apprehender, ser liem recompensado, diiigindo-
se ao mesmo sitio, ou a rna do Imperador n. 77,
terceiro andar. _____ '______________
Aluga-se urna pequea age, na travoro de
S. Joton 36, portac enramado, preeo de 8i por
"z: a tratar w soprado tanto a abriea do ga.
Irmandade das almas
na matriz do 88. ISacra-
uento-da Boa-Vista
Por ordem da mesa renedora convido a todos os
nossos irmos afim de comparecerem em nossa
igreja quinla-feira 18 do corrente, pelas 2 1/2 ho-
ras, afim de eneorporado?, acompanharmos a pro-
ciss3o do Senhor dts Passos, que dave sahir da
igrria da Saina Cruz, para a qual tivemoa a hon-
ra de ser convldadjs pela confraria do Senhor
Bom Jess da Via-f acra da mesma igreja.
Consistorio da irmandade das almas na matriz
do SS. Sacramento da Boa-Vista ii de awco de
1869. O escrivio,
Antonio Fernandes dos Santos.
Antonio de Souza Reg convida'aos seus amigos
e do finado Jos Francisco Retro pa-a assisiirem
a mi-sa do srtimo dia, que por mi do mesmo
finado lera lugar na igreja matriz do Corpo Santo,
pelas 7 horas da manha do dia 47 do corrate."
Tabellas vermicidas
ntonio Nunes de Castro.
Vermfugo ellicaz e preferivel todos os
conhecidosj pela certeza de seu resultado,
c j pela fcil applicacao s criancas, quasi
sempre mais atacadas de 13o terrivel e
uiuilas rases fatal soffrimerito.
nico deposito,
Pharmacia de Bartliolomeo & C.
:ira larga do Rosario34
Vende-se
a armacao e pertoneu da taberna da ra Direita
n. 50, propria para qualquer negocio ; assim co-
mo tambera se vende urna dita envernisada e en-
vidracada,que se acha desamada na mesma ra-
sa : a tratar na ra da l'cnha n. 8.
Vende-se um burro pequeno, rneo, com an-
dares. pio;irio para viagem : para ver e tratar na
cocheira di Sr. Remjamin. jnnto a cstagao dos tri-
filos urhanos.
Vend --^e a loja de miudezas n. oi sita ra
da Imperalriz : a iratar na mesma.
Vende-se
no engenho Dous Rraeos de Cima urna inoenda em
pe Yeito estado, toda d'e ferro, tornearla de novo, e
3uc est actualmeuto em servico : rpiem a preton-
er dirija-se ao dito engenbo, onde nao s a oxa
minar, co-no achara com qnem tratar.
Vende-se, e i o a po idioji > de ser para den:ro
desta cidade, um bonito ca-al de eseravoa (marido
e inulher). vin.los de fora da provincia, anilios
mocos, robustos e sem vicios : asshn como um
momquinho de 7 anuos e ara cabra de 20 : a ira- |
tar nos Coelhos, ra d,is Prazeres n. ii, das fias
tf horas da maiilia.i.
TOXICO DE JAYME
ltl'A 1)0 QFIMADO N. 55.
Ordenado ou interese.
trecisa-ae de om liomem preferindo-se de maior
idade, sulneienteuienle habilitarlo a liem adminis-
uar um estahelecimento de secco e inolliados :
trata se na ra Nova n. .'>S.
N^>
O commondad.ir Joao Pinto de Lemos, Antoino
lo/' l.eal Reis. Gregorio Paes do Amaral e Joao
.la.Silva^ioosGuimaras, sngro, teslam.'iileiro,
sudo eJilbo -de Guilhenne da Silva Quimarges,
fallecido em Lisboa no dia 16 do mez prximo
ftas-ado. convidam pelo prsenle aos prenles c
amigos do finado para assUirem a missa que .por
alma do mesmo mandni celebrar i a igreja do
Diviao Espirito Sanio, sabbado 20 do corrento as
8 horas da itiauhaa, pelo que dosde j t se con(es-
saunjiiminaiii- nU' gratos.
Carteira perdida
Tendo sido restituida a carteira que se perdeu,
porn sera o dinheiro queconlinhae o drmo ten-
do informacoes de rpiem aroubou, acoiiselha e que deixe o dinheiro no mesmo lugar onde dei-
xou a carteira (menos 20H para si) para assim evi-
tar consequencias desa gravis. _________
EPIDEMIAS
O LICOR DE LABARRAO.UE um preservativo seguro em tempoe de
epidemias: cholera, febre amarclLi, peste, lypho, etc Devem etitar-se as fal-
sificacdes as quaes sao a maior parle das vezes mal preparadas, sendo por isso
mais nocirs do que uteis. Deposito em Pariz, L. FKLRE, 19, ru Jacob
to-Jriro. Duponchelle; U. Tetdorpf. Em Perm.mb.co Maurer
Alugam-te dous nwlequt de 8 a 12 aunos
de idade, e bem assim urna prcta com una fllha
de 7 para 8 annos, por commodos preeos, jaran-
tindo-se bom trataiiento: a tratar na ra do
Queiinado n. 43, 1 andar. ____________
Da-se 3:000* a juros em bens de raz MM
e desembaracados : a tratar na ra do Imperador
com o tabelliao Almeida, que dir quem os il.__
Oliveii-a & Maia fazem publico para sriencia
do respeitavel corpe do commercio, c do quem
imiis interessar, quo na presente data vemleram
ao Sr. Rumio Jos d< Silva Marques a taberna que
Eossuiam na ra do Rangel n. 67, hvre e desem-
aracada de dbitos e de qualquer onus, nao ten-
do o comprador responsahilidade alguma pelas
transactes tendentes firma social dos aanun-
eiantes.
Precisa se de urna ama para 'odo > servico
de casa de urna so pessoa : a tratar na ra da
Senzala-velha n. 132, 2o audar.
0 MUSEO DE JOIAS
GOMES DE MATTOS IRMOS
tendo feito completa mudanza em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe maiores proporcoes e elegancia, con^dam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manha s 9 da noute na
RA DO CABUG& N. 4
onde encontrarao um completo sortimento do que ha de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubias e tudo que em obras
de ouro,. prata e platina se pode desejar.
ADEREQOS OE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBINS
de novos gostos, e que devem cauzar um grande etTeito nos trages quares-
maes, assim come grande variedade de salvas e paliteiros de prata con-
trastada e de goste anda -nao visto.
Compram a trocam qualquer joia ou piedra preciosa e garantan
aquaftdade dosobjectos vendido.
C/2
Carros funebres no pa-
teo do Paraizo ns.
10 e 12.
M. G. Agr est a testa desde estabelecimento,
no qual j tem feito muitos melhaiainciitos para
bem salisfazer suas obrigacoes nao poupando
i'xforcis para por dito estabelecimento no p que
desoja O annunciante grato s provas de con-
fianca e consideracao que todos os seus amigos e
o publico Ibe lem dispensado, nao iwde deixar de
tributir o reeonhecimento, pelo que e eterna-
mente grato.
Aos senhores lojistas
Para a quaresm
Casemiras pretas finas : na ra da Cadeia dn
Recife. armazem n. 6.
Farinha de milho.
Vende-se brinha de milho amarello muito fina
a 3j a arroba c 100 rs. a libra : na taberna da
ra larga do Rosario defrunte da botica do Rar-
thoIoiuuDre tr.vwsa das Cruzes n. 1(5, esquina
que-vojia para o qiartej de pdjioia. ^^^_^__
Capsulas de Kaquim
Os bons effritos destas capsulas para fazer ces-
ar os gonorrheas achain-se comprovadas pelas
experiencias de muilos annos.
Os mdicos de todos os patees as recommendam
pela sua efBcacia.
VENRE-SE
NA
Pfiarmaci e drogara
H
RARTItOf.OMEr & .C.
fl3ia larpa rio Rosario34
COMPRAS.
Com muito maior vantagem
Compra o Goracao de Ouro, n. i D, ra do Cabu-
la, moedas de ouro e prata e pedras preciosas.
Ouro e prata
em nioeda e em obras inutilisadas, compra-se por
bom preeo : na praea da Independencia n. 22.
SEDAS PttETPAASHA A (JLAKESAIA
A li O COVADO.
V da muito superior, que com aventajada lar-
gura que tem, 14 ou IScovatlos do um
vestido, e sondo fazenda que em outra
qualquer parte nao se vende por menos de
4>0U0, mas por se 1er comprado urna
grande porcao vende-se a 3UOU o covado
Hmicameiite ni loja e armazeii do Pavao :
ra da liiqieratriz n. 60 de Flix Pereira
da Silva.
Na praea da Independencia n. :U, loja de ou-
rives, compra-se ouro, prata, e pedras preciosas, e
tambera se faz qualquer obra de encommenda, e
todo e qualquer concert. ^^____________.
Compra-se
Fazcmlas de gado.
Vendem-so eis lu/,endas de garlo na ribeira rlu
Serid, den mimadas Boa-Vista, l' de Serra, Mu-
lung, Mundo Novo, Inga c Serrote, todas muilo
boas de criar c de um ser bem condecido naquel-
la ribeira : os pretndanles prwlem dirigir-se rna
dw^tfdrii n. 31. i" anrlar.
Vr.ndem-se ciuco esccavus, sendo dua- es-
cravas. um escravo, c dous pequeos : quem 0
pretender dirija-se a ra da |losario da Boa-Visia
n. 6, que achara com rpn-m tratar.
Vergonteas de njnho para mastaros, verga.-
e retrancas, tedas de enpenor qnalidade. Tintas
Verde Paris, branco de zinco e preta, em laias de
14 e 28 libras, j preparadas, oleo de linhaea em
barris : no armazem de dr;posito da companhia
Pernammjcana, no largr) da Assemblr'a n. 10.
Manoel AI ves Fe rreira iV ('.., na ruada
Moeda o. 5, segundo andar tem para vender
superior potassa da Russia em barris e meios
barris e cal de Lisboa da mais nova que ha
no mercada.
Ra do Queimado n, q\t lojt
miudezas de Jos de Azexedo
Mata e Silva conliccidoporJoml
Bigodinho.
Est queimando os objectos abaixo declarados
pelo diminuto preeo, a saber :
Fiados cun agua de Colonia verd.ideia a 1#.
Garrafas com agua Florida veidadeira, que ?e ga-
rante a la200.
Pentet para regalar cabello de meninas a 32# rs.
Thospure muito finas paia unhas c costuras a
500 rs.
Tinteiros cheios de? tinta muito preta a 80, 18, 160
e 400 rs.
Varas de franja branca de linho para toalha* a
160 rs.
Oaixas de phosphoros de negnranca a 20,40 e
100 rs.
Navalhas de cabe de niarfnn e que se gnate a
qnalidade a i i.
Libra de la para bordar a 7.
Pecas de fila bran a elstica muito superior a 206
e :K) rs.
Novellos de linha branca com ICO jardas afi rs.
Resmas de papel de peso liso muito fino a 2/o0O.
I. iias com superior banha a 200 e 400 rs.
Caixas COffl seis fraseos de cheiro iiuiiU ine a
800 rs.
Caixas cen doze (rseos, fazenda s InJa a 1J08O
e SjifOO.
Faseos coin superior oleo filoeome a U) rs.
Calongas de sapio transparente multo bonito e fi-
no a i rs.
Duzia de paos de pomada f' I'eiuo, da mehV-r
qnalidade a 240 11.
Pecas de tiras bordadas muito finas-a 600,660 e
800 rs.
Ditas da babadintaos com dea varas a fiOO rs.
Carriteis de linha de todas as eres, para acabar
a20rs.
Garrafas com agua divina a l-VOO.
Pri eos com superior macaca perula a 32019.
Caixas de vidro i'jiiii doze dirhes. rpn- s a eaixa
vale dinheiro a 2">0 rs.
Ditas de madeira com alfinetes. o que ha de mc-
Ihor a 320 rs.
finen* de botes de Innrg, |?os e bordados a
160 rs.
Cabs redondas para rap emulando trtaro a
f869.
Per-as de fita para eos da melhor qualidade a
500 rs.
Escoras para Rapar denles, fazenda que s a r-
ta a MO rs.
Ditu- para limpar unhas de superior qualidade a
500 rs._____________________________
Grande liquidacao.
0 proprielario danli loja de miudezas denominada Beija Flor
ra do Qaeimado n. G3, querendo acabar
com o sortimento de miudezas que existe,
lem deliberado proceder a urna completa li-
quidado, para o que chama a attonro de lo-
dos.
Os objectos serio vendidos por metadede
seu valor, e para que o publico, nao suppo
nlia, que o prsenle annuncio urna ilnislo,
0 proprietario da dita loja offerece urna pe-
quena lista de algumasmiudezes, com os seus
diminutos preniscumo abaixo se era;
nao apresentando urna lista completa de lo-
dos os objectos que esto expostos a wwfa.
pela razao de se tornar um annuncio muito
extenso epor consequencia de enfadonliale-
tura, por isso apenas letuit;i-sc as seguintes:
Caixa de envelnpes de .'ores. t>
Ditas de enveles ctmx tnrja.
preta ........ 900
Dilas de envelopes bran-'os gi lin-
des......... PB8
Ditas de onvelopes grandes e i -
quenos........ 600
Libra de la pata bordar, surtida 7|t*0
Duzia de cartes de core lete uai*r
cezes com i pares cada caria Oti
Dita de c o Hieres de metal ppiat-
eipepara sopa.....,
Wta de ditas para di. 24i%
Concha de metal principe para ti-
rar assucar, ,..... 600
Botuadura para collete. 360
Pares de luvas de fio da escocia
branca c de ores para liomem. 600
Ditas ile ditas para saibor. 660
Fita para snito de senbora. 804)
Pares de sapatinhos de casimira,
bordados.......1SS0
Pecas de cascarrilha de la, 500
Fscova fina para limpar unhas. 6*36
1 tilas de ditas....... 39
I Perito preto de bafea, 9p>
1 Ca i xa comppai vlln i de clrambo
a 40, lJiOO e.....10386
Bornea de cera a l->00O, 1.A200,
3^200, iOOO e.....50080
Apparelbo de poirelana para al-
tJHNje e jan tai-......20080
Jogo de Vispora...... 906
Caixa com papel bramo e de co-
res......... 760
Infladores para vestido. ... 88
Caixa de lina de marca encar-
nada e azul....... 288
Sapatinhos de las para meninos. 468
Tocas.......... 888
Um preto cozinheiro de 15 a 18 annos : a iratar
na casa da rna da Cruz n. 19, I' andar.


0 MUSEO DE JOIAS
yftWTp--
'MlJLU, .L.i

0 muzeo de joks .
Na rna do Cabug n. 4 compra-se ouro, prata
e pedras preciosas por precos mais ventajosos do
que em outra qualquer parte.
Compra-se urna escrava nova, sadia c sem
vicios; porm quer-se que esteja creando, e que
teidia om leite, c que seja earinhosa para ama-
mentar urna crianca: a tratar na ra do Queimado
n. 17.
Comp
ra-se
hoje libras esterlinas, ouro o prata de todas as
nacSes epor maior preeo do que em mitra parte :
n ra da Cadeia do Recife n. 58, loja de azulejo.
Compra-se urna eseravinha de 3 a o annos
de idade, que seja sadia : no largo do Corpo-San-
lo n. 19.
VENDAS.
Vende-se na rna da Imperalriz n. 14, Io an-
dar, una eseravinha de 9 a 10 annos
Charutos da Havana.
Btcellentes charutos da Havana e por baratissi-
mo preeo : em casa de Tas80..Jrmao, ruado
A ni wi ni n. 36.
Para encaiiaiento (Tagua.
Canos de ferro, ditos estanhados, dilos forrados
de porcelana, ds cara as competentes torneiras,
curvas etc. : a ra (Jo Queimato n. Si.
r- '" '' .....--------~.. i .
a- amiga taberna da ra do Rangel n. 3, bem
|OMpitiiida para a trra- e malo ; s tratar na
mesma.
Vende-se um eabnulel coberto, de quatro ro
das, muito torteo uianeiro, de volla iuleira. com
cavallo ou sem ello, e os competentes aneios. tu-
do em muito bom estado e por preeo commodo :
na ra deSaato Amaro, e*cMrwdo Sr. Thomaz
Lins Caldas confronte a estacao n. 1.
A dinheiro ou a prazo
Vende-se um sitio menos de ineia legua distan-
te desta capital com casa de pedra e cal, bem e
senietricaatenlc plantado, com diversas arvores.
fructferas, como larangeiras, limeiras, sapotisei-
ros, pinheira, nnneras, goiabeiras, litruciras, ara-
gaseiros, cafczeiros, frurta.pao, liuies doces, co-
queiros, bananeiras e ouiras. baixa para capim,
pasto pasa vaccas, trra para ro<;a, com viveims
e duas cacimbas de boa agua na ra de S. Gon-
zalo n. 20.
mm PEITOBAL BRASILE1R0
DE
POMTA IIKK V1B tlBi
C0W08T0 F. PR-PABAOO
Ja ra Direita n. 88, casa que foi do falle-
cido Paranhos, continua-se a veaiwr u vecdadeiFo
vdame e drogas por procos eommeduf.
Pelo pharmaceutlco
Jos da Cruz Santos.
Esta planta cujas virtudes medicinaos
existiam desconbecidas para a maior parte
dos nossos facultativos, dewndo-se a sua
descoberta ao so que d'elle faziam ua
nossos indgenas que raenoscabavam c- m
a sua applicacao de todos os soffrimentos
pulmouaras^ hoje cuahecido como o me-
dicamento mais fficaz .para acuca de as-
thma, bronchito, oo4ilelie. penemonia.
e at a phtysiea, prodimindown efleito mi-
lagroso e prompto.
Fara um adulto 3 4 colheres de sope
ao dia pujo-aon-poMnaut pioral.
Criancas, 3.1 Colheres de cha.
-Pn^ty 8W0(fo irast.
Pernambuco, ra Nova botica n.'5l,
^Vettdeui-M me de ouro de i fcancos :
uo eaerJatertoda -ra du Couuueiciu n. 9.
Aulouio .\evc e C astre.
Vennifago efficaz, e preferivel a todos s
conhecidos, j pela certeza de seu resulta-
do, ej pela fcil applicacao as creancas.
quasi sempre mais atacadas de to terrtTel
e muilas vezes falal snlTrimento.
NICO DEPOSITO
M
Phamaola e drogara.
Ut
Barthomeu & C.
34- Una Larga do Rosarlo94
DE
PsftECCS
0 nico deposito de louea da fabrica do Barba-
Iho do Cabo, wto no pateo dn TVrco n. 12 *
cidade, tem resolvido fazer grande abatiniealo nos
anos que Ira* recebWo, os quaes tteam venesHea)
pela seguinte tabella, a fier. ,_,.
De 1 1/2 pullcgada cao vhi ado por 800 rs.
lie 2 ditas dem irltm por U-^
De 3 e i ditas dem irlem por l*zuu.
IV (i djta.jdii jdeiit p.r Z^iOQ.
Du 9 e 10 ditas dem dem por 4000.
Que psra isso tem urna machina apparelhad*
para faze-los com pereit*"- sond cad> um cut
Ires pilmos de comprimento, a sim cruno ten
grande sortiinwito Je ioufi, Unto vdrada cuiiMt
para resfriar agoa.
Cal branca de Jaguaribe a
l500o alqueire.
Acaba-se de abrir um deposito oarpraw
da Concordia, junto ao armazem de ca-vajo
de madeira, da verdadeira cal branca da
Jagwtribe. premeda na **postfSo, e quaK-
quer oulra que apparecer venda com esse
titulo lalsiticada. Taudium \ l4
cal virgem em banis. mui protiRrada pan
engenbo, por ser igual a de Lisboa.
Na na deUnrtas n. tem para vender f3-
io.niulaunlw"muilo novo o melhor que pode
naei.ajUe gonero, tuna cuia 900 rs.
^
4
^.., :>-* .a


G
Diario de Pernambuco Quarta feira 17 Je Marqo de 1869.




Lindos cortos de cassade cor com barra,e eom figurino- indicando o molde do vesti-
do pelo baratissimo preco de 3^500 o corte .
Ditos de percalia milito modernos com duas saias a.-S000rs
Na toja das Columnas da ra do Crespo n. 13 de Antonio Correa de Vascon-
celos A C. ___
PREQO CORRENTE DOS CHAPEOS DE SOL
Da fabrica de
Ra Nova n. 23,Ra do Cabug n. 8
Pernambuco
Chapeos de seda trancada, Paragon, do IG bastes, 28 pollegadas a 16/5; 26
pollegadasa 135, e 21 po!legadas a MMXX).
Ditos de seda G. de N. Bara, de aro, de 16 hastes, 28 pollegadas a 14(5;
de 26 pollegadas a 13-5; e 24 pollegadas a 12??000.
. Ditos de seda G. de N. lisa, de ac, de 12 hastes, 28 pollegadas a 120 ; de
26 pollegadas a 11 5; e 24 pollegadas a 10000.
Ditos de alpaca, de ac, de 12 hastes, 28 pollegadas a 0>; e 26 pollegadas
a 3S300.
Por duzia fiz-se descont de 15 OiJ)
Chapeos de sol de panno, de baleia, de 8 hastes, 2i e 26 pollegadas a 320
a duzia. (Descont de 10 00). .
Ditos de panno, de junco, 8 hastes, a 18000 a duzia, liquido.

ALTAS NOVIDADES
PASSO
&, esquina da do
LOJA
Debaixo da forma d'um liquido'scn sabor,
anlogo a una agua mineral, esie medica-
mento rune os elementos que constituem
os ossos c o sanguc. E' o mais racional dos
ferruginosos; por esta razao o adoptrao
os milis eminentes mdicos do mundo in-
teiro. Con\em mu.to as meninas de temperamento delicado, cujo desenvolvimenlo tardo,
s senhoras que padocera d'esias dores d'eslomago intoleraveis, causadas pela chlorose,
anemia, menslruacao ou leucorrha, s criaucas d'ttma compleicao pallida e delicada, e a
todas as pessoas que tpm o sangue empobrecido pelas docncas. Efficacia, rapidez d'acco,
cura perieita. sem constipacao de ventre nem aeco sobre os denles, taes sao as razOes que
imperta para que os senhores mdicos o prescrevo aos seus doentes.
Deposito cm Pernambuco, em casa de Maurer e C.
Ra do Crespo n. i
Impr
PARA QUARESMA.
Gorgoro preto.
Setim -macau. ^
Sedas lavradas.
Moireantiquo preto.
Gros-de-naples
Basquines do gurgurao e de gros-de-na-
ples enfeitado com primor.
Corpinhos de gros-dc-naples.
Basquines,. capinhas, pelerinas, fiohus,
de crochet etle guipur, pretos e brancos.
Mantas pretas de blond.
Riquissimos chales de touquim.
Requissimos chales de gurgurao de seda
preta o melhor neste artigo.
Chales de mirin pretos com requissimos
bordados e franjado de retroz.
Chales de mirin bordados sultane;
ultima moda.
Romeus pretos com lindos bordados.
Loques de madreperola, marflm, snda-
lo e osso, c pretos, para senhoras.
Ditos desndalo para meninas.
Chapelinas pretas.
PARA CASAMENTO, BAILES, THEA-
THOS, etc. etc.
Lindos cortes do blond, contundo seliin,
mantas e grinaldas.
Requissimos cortes d sedas assimeomo
para covados.
Gurgurao branco.
" e verde.
i .
r.
lo-naples brancos c de cores
i branco macau.
S. i*, branco, azul, verde, cor de rosa
e am uvos.
Fil de seda, branco e preto.
Cortes de seda com duas saias.
Cnales de gurgurao de seda de cores.
Camisas bordadas para homens.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas bordadas .
Fronhas de linho bordadas coni primor.
Lencos de cambraia de linho bordados.
Riquissimas colchas de damasco de seda,
assim como de seda e algodo.
Ditas de crochet para cama.
Chapeos de seda bordados, para sol,
Poil de chevre de lindas cores.
Alpacas de lindas cores.
Chapelinas de palha da Italia, assim
oemo de seda.
Enfeites para cabeca de senhora.
Espartilhos para senhoras.
Muas de laia para padre.
Ditas de lia
Ditas de seda To da Escossia c. algodo.
para senhoras e meninas.
Lencos de labyrinlho.
Fronhas de labyrinlho.
RicoS, rendas C grades.
Finissims cambiaias do cores, percales.
ISas, c outros nonios arligos de gosto e
de alia novidade, isto s
Moireantique branco azu
Na loja do Passo ra do Crespo n. 7 A, esquina da do Imperador.
CAPSULAS VEGETAES
com M4TICO
deGRIMALT e G* pharmaceuticos em PARS
Estas capsulas, com capa de gluten, conteem o balsamo de copahiba associado esseneia de
Matico (arvore do Per), e constituem nm remedio infallivcl contra a gonorrha. Ellas obrito
sem cansar o estomago e no provocta nunca os enjos e nauseas que occasiono as capsulas
ordinarias, tendo a immensa vantagem de nSo commtinicar cheiro s ourinas. E' por estes mo-
tives qne ellas sao superiores s capsulas de copahiba, cu bebas, etc.
Deposito'em Pert.ambuco, em casa de Maurer 6'.
Approcafdo
ia itiudrcina
i Parts.
PharmactuHco
lauread
ia acadmia
i wudecina.
mi&
As preparacoes ferruginosas liquidas, tem desde muitos innos merecido a approvacta
especial dos mdicos, porque ellas obrlo mais rpido e seguramente do que as plalas, e
sSo mais fcilmente toleradas pelos doentes. Os Pds ferro-manganicos possnem a inappre-
ciavel vantogem de poder offerecer n'um instante nm agua ferruginosa gazeosa, de gosto
agradavel, mais activa do que as aguas mineraes, e contendo de mais um elemento precioso,
o Manganese, que sempre se acha no sangue, jnnetomente com o ferio. Empregio-se em
todas as molestias que lem por causa o empobrecimeato do sangue, assim como para vigorar
os temperamentos debis e lymphaticos, A chlorose, as Peraat brancas. dores i'estomago.,
a irregularidade da menslruacao e amenorrhia on suppresso do menstruo, cedem rpida-
mente a sen emprego. Devemos mencionar aqu ara facto notavel, isto qne os doentes cara-
dos pela agua preparada com estes pos esto muito menos expostos a recadas do que
aqnelles que foro tratados pelas preparacoes ferruginosas ordinarias.
Deposito em Pernambuco, a casa de Mama C*.
.,
EFFICACIA

DO
VERDADEIRAS
XAROPE DE RBANO IODADO f F PIIULAS DE BLANCARD
0 Xarone de Rbano iodado de Grimanlt e fl*. nharmapniienu Ha S k t a nrmm,,. DI ^^ t
0 Xarope de Rbano iodado de Grimanlt e C*, pharmaceuticos de S. A. I. o principe
Napoleta, em Pars, preparado com o sacco das plantos ant-escorbuticas cuja eficacia
mui popular.
Encerra o iodo como combinacta orgnica, e considerado como o melhor succedaneo
do oleo de figado de bacalho.
^ A rara perfeicSo d'este producto anima-nos a dar a conhecer aqni a opinilo de alguns
d'entre os prncipaes mdicos de Pars, que diariamente o prescrevem.
0 Xarope de Rbano iodado nm medicamento d'um effeito suave e seguro para a
i medicacta dos meninos, nta smente suppre e oleo de figado de bacalho, mas ainda faz
as suas vezes com vantagem. >
D' A. CAZEKAVE, medico em che fe do hospital Sainl-Louis, em Pars.
c 0 Xarope de Rbano iodado um medicamento de prmeira ordem para o tratamento das
f affeccoes lymphatieas e escrofulosas. Muitos vezes, empreguei-o com feliz xito, em certos
c casos de tsica ao sea principio, como succedaneo do oleo de figado de bacalho.
Dr A. CHARR1ER, antigo chefe de clnica da Facldade de Paris.
0 Xarope de Rbano iodado sempre nos deo excellentes resultados como regenerador
do sangue, e succedaneo do oleo de figad* de bacalho. >
Dr A. FAVROT, autor do Traite des maladies des femmes.
< 0 Xarope de Rbano iodado am dos mais poderosos modificadores das constituidos
lymphatieas. Tenho visto ulceras escrofulosas que nada podia curar, cicatrizaren!-se,
grecas a sua aceta, eom promplidta extraordinaria. Tambem, pelo sea aso desepparecem
< as affeccoes tuberculosas dos ossos, nos meninos.
D' GUESNARD, antigo externo dos hospitaes de Paris.
0 Xarope de Rbano iodado possue todas as vantagens do oleo de figado de bacalho,
* sem ter nenhum dos inconvenientes que aprsenla este ultimo medicamento.
Dr GUIBOUT, medico dos hospitaes. Presidente da Sociedade de medicina de Paris.
t 0 Xarope de Rbano iodado de Grimanlt e C* encerra 4i2 por cento de iodo, na su
composicta orgnica anloga que se acha no oleo de figado de bacalho.
Dr KLETZINSK, professor de chymica, louvado dos tribunaes de Vienna.
Deposito em Pernambuco, em casa de Maurer o*.
COM lOOUftETO 00 ttftftO INALTMVEL
APPROVADAS PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARS, ETC.
Possuindo as propriedades do ledo ** do ferro, eonvem especialmente as kmccois
bSCROFuxosas, a Tsica do principio,! fraowiad temperamento e tambem nos casos de
Falta de cok, AMF.NORRHEA.em que preeisa reagir sobre o samgue seja para restituir
lhe a sua riqueza e ahundencia normaes, ou para provocar e regular o seu curso peridico.
N. B. O iodureto d ferro impuro en alterado am medicamento infiel
Irritante. Como prova de pureza e de aulbencidsde das verdadelraa W
f nianrard, dere-se exigir noSO aella 4a prata rraiia
nosso nrma, qni reprodnrida, qno se acha aparla inferior da ai
rotla verde, fe ve-te desconfiar das falsineacos.
Acham-e eaa oda aa haraaretaa. AamaegsWeo,jmaJto**f*^*> K.HHa
irritan
k Uila.
^^ no- -.
TASSOIRMAOS
Tcm para vender em seus ariuazens, aleni de ou-
tros, os seguales arligos :
Papel para imprimir.
Perlina azul.
Greve pautado e liso.
Vinhos em caixas de doze garrafas
Bourgogne.
Hery.
Madeira.
Hermitogc.
Cliamblis.
Licor de curaco de Hollanda era caixas de vin-
ic e quatro botijinhas.
GESSO,
Nos armazens de Tasso Irmaos.
Grades de ferro
para jardins, porteiras ele.
Nos armazens de Tasso Irmaos
CAHRIXIIOtt DE FERRO
Para servicos de grandes armazens, para remo-
ver barricas ou caixoef de nm para outro, lado pelo
mdico preco de 12*000 cada um.
Fariuha de trigo de Trieste
Das melhoras marcas Panonia (verdadeira) Fon-
tana e grande sortiracnto das melhores marcas de
farinhas americanas.
Saceos de fariiilia de trigo do
Cliile
Todas novas, chegadas ltimamente nos arma-
zeas de Tasso Irmaos.
Cemento romano ,
' Nos armazens de Tasso Irmaos.
Cemento hyclraulico 12$
O melhor para tudo que sao obras para agua, co-
mo assen tan lento de canos de esgoto, algerozes, de-
posito, tanques d'agua, etc., etc.: em porcocs de
eineoento barricas se far.i reduegao no preco : nos
armazens de Tasso Irmaos.
Cemento Portland
0 verdadero cemento Portland cm casa de Tasso
Irmaos.
Grades de ferro, cercas, por-
teiras, etc., etc.
De differentes qualidades para cercados de an-
maos, ehiquerospara paliaras ou jardins : uosar-
1 mazeus de Tasso Irmaos.
Barris com breu
Nos armazens de Tasso Irmaus.
: CANOS DE BARRO
Na ra Nova de Santa Rita, na antiga fabrica de
sabao, ha para vender por preco o mais mdico
possivel, canos francezes para edificacSes e esgo-
loe de toda a qualidade, superiores a todos os que
aqui tem apparecido pela sua solidez.
PREGOS,
1 JiOO por cano grande de 3 e mea pollegadas.
15200 por dito de 2 e tres quarlos de dita.
I OOO por dito do 2 e nm quarto de dita.
500 ris por pistoleta de 2 pollegadas.
Cotovellos, curvase canos de tnaior grossura.a
vstase faro preco. Compras maiores de 200
tem 5 por cento do descont por prompto paga-
mento. Pode-so ver as amostras nos armazens
de Tasso Irmaos.
Tijolos francezes
Para ladrilhar casas terreas comasseioe presos
mdicos, muito convenientes e proprios para ladri-
Ihos de cosinhas em sobrados, pelo scu asseio e
evitar a passagera de aguas para o andar inferior
c mesmo o perigo de fogo, aos precos de 30000 a
455000 o milheiro : na ra Nova de Santa Rita, na
antiga fabrica de sabao, e compras maiores de 2004
sefar5 por cento de descont por prompto paga-
mento. Podem-se ver as amostras nos armazens
de Tasso Irmaos.
Velas de esparmacetc verdadeiras para lan-
ternas de carros: noarmazem de Tasso Irmaos.
Vinho do Porto fino superior: no armazem
de Tasso Irmaos.
O melhor cognac Gauthier Freres : no arma-
zem de Tasso Irmaos.
Esleirs da India
OLEO DE HOGG
DD
Figados frescos de bacalho
Para cura certa de phtisica, affeccoes escrofu-
losas, tosse chronica, fraqueza dos membros (i de-
ulidade geral, recommenda-se a excellencia dste
leo ainda por ser agradavel to paladar.
VENDE-SE
NA
Pharmacia e drogara
DE
BARTHOLOMEU & C.
34 = Ra larga do Rosario = 34
gftisimi] iwEi\B^m3=&m=z=zm\ni
TCSSES
CmRRHOS
zzmzm
PASTILHAS PEITORAES
de sueco deALFACE
E LOURO GEREJO
IRR1TAC0ES
DO PEITO
_ E' este o mais novo e delicioso confeito ate agora conhecido. Por isto tem adquirido r-
pidamente a popular id ade de que goza. Os mdicos os mais dislinctos o aconselhlo contra
as tosset, defluxos, caiarrhos, tosses convulsas, catarrhos epidmicos, irritacSes do peito. Com
grande empenbo 0 procurio as mes de familia, assim para ellas como para as enancas, pois
pnmeiro qne todo inoffensivo, e aa suas propriedades adocantes nao deixo nada a desejar.
Deposito em Pernambuco*em casa de Maurer a O*.
CAPSULAS MOLES
DE
ALCATRA
Remedio por cxeellencia para cura rpi-
da e completa das coqueluches, bronchiles,
catarrhos, tosses convulsivas, esearros san-
guinos, e outras molestias do peito.
NA
PHARMACIA E DROGARA
DE
Bartholomert & C.
34RA LARGA DO ROSARIO31
AO BAZAR DA MODA
Ra Nova n. 50, esquina da ra de S. Amaro.
NOVIDADES
Para senhoras.
COQUES da ultima moda, enfeitados e lisos, gran-
de sortimento.
CHAPELINAS de palha da Italia, guarnecidas com
delicados p elegantes enfeites brancos e de cores
CHAPEUSI.MIOS e gorras de velludo e de pennas
(alta novidada t) de palha da Italia, a emtiacao.
especial sortimento. .
CINTOS de cores e pretos, rico sortimenio a ulti-
ma moda.
CAMISAS bordadas porcommodos precos.
letras, novidade neste
FLORES finas, grande sortimento.
CHIN ALDAS de ditas para coques.
LALOS, fivelas,.penachos para enfeites.
Para homens.
deli-
CAMISAS com peitos, colarinhos e punhos
nho fino, lisos o bordados, moda,
COLARINHOS de linho e algodo.
PUNHOS de ditos.
GRAVATAS de todas as qualidades.
BOTES para punhos e guarnieres para colotes.
LENCOS bordados e com letras, novidaae neste mu RENTES de.plaqu a emitacao do ouro, hn-
jeero do gosto.
LEQl'ES a emitacao de marflm, gosto novo e de capeos de pello de seda, forma a Rotchil, qua-
sandalo. lidade superior.
GOLINHAS e punhos, a emitacao de guipare. i CHAPEOS de seda, para sol.
ENFEITES pretos e de cores para cabeca, lindos jjeias de superior qualidade.
molde?,. BENGALINHAS finase chicotes.
GUARNigAO alta novidade I a Marie Rose, ulti- hj^eTAS aro de at c tarturaga.
mmenle usada em Paris.
CORPINHOS de guipure brancos e pretos lindos Para crlaneas.
modelos. Y
^moTeVpari, "^ ^ ClaraS' ^^ VESTUARIOS completos para baptisados.
GRINALDAS de flores finas. SAPATINHOS de merino e: setim enfeitados.
FSPART1LH0S suDeriores MEIAS de seda e lio de Escocia.
SIl?S sup" ioresPde flo de Escocia. I CHAPESINHOS de palha da Italia
LUVAS de pelica chegadas pelo ultimo vapor. TOUGAS de filo e setim enfeitada^ e
ADERECOS de coral verdadeiro e camafeo, gosto BUXECaS vestidas, muito
delicado. brinquedos.
de chroch.
bonitas e diversos
DE PALHA
GUARNICES para vestidos.
TRANCAS para enfeites de coques.
BOTOES lisos e com pingentes para vestidos.
CINTOS alta novidade.
Perfumarlas anas.
de Murray & Lan-
AGUA FLORIDA verdadeira
man New-York.
TNICO oriental, verdadeiro.
AGUA DIVINA de E. Coudray e superior agua e
essencia de Colonia.
ESTRATOS c essencias finas e de agradaveis aro-
mas para o lenco.
VINAGRES aromticos para toilet.
POS DE ARROZ para amaciar a pelle ; em paco-
,tes e ricas caixinhas com arminho.
POS superior para lirapar os dentes.
OOSMETIQUES de fina qualidade.
SABONETES, grande sortimento deste genero e
de superior qualidade.
LEOS de philocome, babosa e antiqnes.
BAMIA fina para os cabellos.
AGUA de flores de laranja.
CREME de sabao para barba.
Caixas preparadas com perfumaras finas.
llludczas finas.
SUPERIORES fitas de grosdenaples de todas as
cores e larguras de veludo preto e de cores, c
gurgurao para cintos.
BABADINHOS e entremeios bordados.
GUARNICES de seda de cores para enfeites de
vestidos.
TRANCAS pretas com vidrilhos o pingentes.
BOTOES de cores, brancos e pretos com vidrlioe
lisos e com pingantes.
DEDAES de madi aperla, de marflm, de eo e
metal.
THESOURAS finas para costura e unhas.
CAIVETES finos com quatro folhas. Ematos
outros artigos de miudezas que se torna
donho menciona-los.
Tudo se vende por presos bastante commodos,
LOJA DO GALLO VIGILANTE
Ra do Crespo n. 7
Mandou vir de sua conta e acaba de re-
ceber pelo ultimo vapor, completo sortimen-
ot de objectos de novidade e phantasia, os
quaes esto resolvidos a vender por precos
nimiamente baratos, para assim animar aos
concurrentes e ao mesmo tempo dar sahida
ao grande deposito que tem: isto ra do
Crespo n. 7, loja do Gallo Vigilante.
Gollinhas, p*unhos e camisinhas para se-
nhora, fazendas de gosto e novidade.
Finos vestuarios para baptisados, assim
como touquinhas, sapatinhos e meiasinhas
para o mesmo m.
Grande sortimento de bicos e rendas de
croch e de outras maitas qualidades.
Superiores caixas com msicas e se el-
las, tendo o necessario para costuras, pro-
prias para um delicado mimo.
Finas caixas com teios e sem elles para
vol trete.
Agulhas para machinas de costura.
Ditas para croch, sendo de ac, marflm
e outras muas qualidades, assim como li-
abas para o mesmo mister.
Finas grinaldas para neivas.
Meias de borracha para quem soffre de
rysipella, assim como meias de la para
os que soffrem de rheumatismo.
Suspensorios para homem e meninos.
Finos pentes de tartaruga para coques o
de outras muitas qualidades e para outros
steres.
Dedaes de madreperola, marfim, osso,
fo, metal, etc., etc.
Superior agua cosmeocome para tmgir
cabellos, dando aos mesmos a sua cor pri-
mitiva.
Completo sortimento de finas perfu aaarias
dos melhores fabricantes, assim com-) mui-
tos outros objectos que impossivel des-
crever: isto s na ra do Crespo n."', loja
do Gallo Vigilante.
Collares Royer elctricos magnticos con-
tra as convulses das crianzas e para facili-
tar a dennc3o das mesmas, o Gallo Vigi-
lante antigo recel)edor d'estes prodigiosos
collares e contina a ter sempre grande de-
posito, ra do Crespo n. 7.
Meias elsticas de borracha.
As melhores e excellentes meias clsti-
cas de borracha contra varizes e erysipellas.
Vende-se na
Pharmacia e drogara de
Hartholomeu 4 C.
34ra larga do Rosario34
Scbonete de alcatrdo.
DE
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que tao boa
aeceitaco tem merecido n'esta provincia,
muito se recommenda para a cura certa
as impigens, sarnas, caspas e todas as
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Rartholomeu A C,
34roa larga do Rosario34.
Em casa de Tasso Irmaos vende-se esteiras da
India de diversos padroes e larguras, por preco
coramodo.
A NOVA ESPERANQA
21= Ra do Queimado = 21
li para presentes
A Nova Esperanza, ra do Queimado
n. 21 tem um variado sortimento de objec-
tos de gosto e phantasia proprios para pre-
sentes, sobresahindo entre elles ricas caixi-
nhas c bano com finas perfumaras, cos-
tureiros de chagrn, agulheiros de madre!
perola : assim, pois, quemquizer fazerum
linda offerta, dirigir-sc Nova Esperan?*,
ra do Queimado n. 2i.
Collares anodinos ellectro-magnett
eos contra as convvlges das
crcancas.
Nao resta a menor duvida, de que muito
collares se vendem por alii intitulados o
verdadeiros de Royer, e eis porqae muitos
pas de familias nao crecm (comprando-os)
no effeito promettido, o que s pdem dar,
os verdadeiros; a Nova Esperanca, porm
que detesta a falsificaco principalmente no
que respeita ao bem estar da humanidade,
fez urna encommenda directa destes collares
e garante aos pais de familias, que s5o os
verdadeiros de Royer, que a tantas crean-
gas tem salvado do terrivel incommodo de
convulces, assim pois preciso, que ve-
nham a Nova Esperanza a ra do Queimado
n. 21 comprarem o salva vida, para seus
filhinhos, antes que estes sejam acommetti-
dos do terrivel mal, quando ento ser di-
flicil alcancar-se o effeito desejado, embora
sejam empregados os verdadeiros collares
de Royer.
Para extinguir as sardas e
panno
Recebcu a Nova Esperanca, rea do
Queimado n. 21, leite de rosas, especia*
para extinguir sardas e pannos.
RONECA DE CERA
A Nova Esperanca a ra do Queimado n.
2i, acali de receber um completo sorti-
mento de finas boneca de cera de diver-
sos tamaitos, sendo as maiores do com-
primentn d'um covado ; estas bonecas tra-
zem bonitos coques e botinas, havendo en-
tre ellas algumas que fallam e outras que
choram de sorte que fcilmente podem ser
preparadas, e fazer-sc um presente de muita
aeceitaco.
Finas caixas de tartaruga para rap ven-
dem-se a ra do Queimado n. 21 na loja
da Nova Esperanca.
Modernos brincos de sndalo, s se en-
contrado na Nova Esperanca a ra do
Queimado n. 21.
MEIAS DE LA
A Nova Esperanca a ra do Queimado n.
21, acaba de receber um especial sortimen-
to de meias de la para homem e senhora.
CONTRA AS CONGESTOES
mal'terrivel a congesto fulminante:
de repente leva um individo, d'esta para
milhor vida, sem dar-lhe tempo de receber
conversa medica; deixando as mais das
veses mulher e filhos no mais amargurado
pranto; a Nova Esperanca que deseja pres-
tar servicos recorreu a Vojer, o qual lhe
mandou anneis elctricos magnticos, como
o nico preservativo para semelhante mal i
elles antes que se acabem : na Nova Espe-
ranca-
NAVALHAS
A Nova Esperanca a ra do Queimado
n. 21 recebeu um sortimento de navalhas,
de qualidades, e tamanhos especiaes assim
como afiadorese massas para as mesmas.
Macarthy
Hachlnas de descarocar algodao.
Hoje que est reconhecido que as machinas de
serrote prejudicam c quebram a fibra do algodo,
preciso recorrer a machinismo menos spero,
que produzindo o mesmo servico que aquellas, e
faelidade no trabalho, nao quebrem a fibra da laa,
para que essa possa obter-nos mercados europeos,
a dilferenca quo ha entre o algodao descarocado
por aquellas mencionadas machinas, que esto fi-
cando em deuzo, pelo prejuizo que tem causado,
e o da antiga bolandeira, que nao pode competir
pela morosidade de seu trabalho. E' assim que
estas machinas se tomara as mais proprias para o
nosso algodo, porque ao par da facilidade e
promptidao conserva a fibra da laa, que limpa por
ella, qualificada na Europa a par da melhor bo-
landeira, valendo assim entre 10 arrobas 20 0/0
mais do que a laa limpa pela machina de serrote.
Estas machinas nao sao novas, pois que ha muito
estao adoptadas no Egypto, aonde as d serrote
foram inteiramente abandonadas, e ponisso o algo-
do daquella procedencia, sendo da qaalidade do
da nossa provincia, obten hoje de 10 arrobas 20
0/0 mais do que o nosso : vendem-se a i30$000
nos armazens de Tasso Irmao?.
Oleo de amendoas
Em'caixas de 8 latas, cada caixa 100 libras :
nos armazens de Tassollrmaos.
RIVAL SEM SEGUNDO
Ra do Queimado n. 49, loja de miudezas de
Jos de Aaevedo Maia e Silva, tem para vender os
artigos abaixo declarados, tudo bom e- baratissi-
mo, que sao para acabar.
Duzia de sabonetes muito finos a 700 rs.
Pares de sapatos de tapete para homem a 14280.
Ditos de tranca para cranla a 1$.
Tramoia do Porto, bordada, a melhor a 200 t*
Dita do Porto liza, da raemor qualidade a 100,120,
160 c 200 rs.
Resma de papel almaco, hzo superior a 35200.
Dita de papel almaco pautado a \ i.
Livro de missdes abreviadas a 23.
Cartilhas cora toda a doutrina e umitas resas a
320 rs.
Silabarios poi tuguezes com estampas a 320 rs.
Baralhos francezes muito finos a 209 e 140 rs.
Sabao inglcz superior qualidade a 5W e 15.
Gravatas pretas e do cres muito lina.- a 500 rs.
Duzia do meias para senhora, hienda fina a 4&
Redes pretas lisas pata segurar cabello a 320 rs.
Varas de transa de seda de todas as cores a 600 rs.
Pares de brincos doarados com maozinha o pe-
dras a 320 rs.
Cartoe6,com crcheles de duas rdens e sao de- la-
ti a 20 rs.
Abotuaduras de vdTo para cofcte muito (toas a
120, 240 e 400 rs.
Pares de botoes dourados para punhos a 16Q rs.
Caixas de pennas de ac muito finas a 240 320 e
500 rs.
Cartdes com duzentas jardas de linha do fabri-
cante Alexandre a 100 rs.
Caixa* de pennas de aeo, a verdadeira penna a
1*200.
Carriteis de linha Alexandre ns. 70, 80, 100 at
200 a 100 rs.
Caixas com superiores obreias do massa a 40 rs.
Carriteis com duas oitavas de retroz preto a 500 rs
Duzias de agulhas para machinas a 24.
Libras de pregos francezes de todos os tamanhos
a240rs,
Livrosescripturados para rol de roupa a 120 rs.
Caixas com papel amisade muito fino a 700 rs.
Caixas com cem envelopes da meihoi qualidade a
600rs.
Talheres para meninos muito boa fazenda a
240 rs. '
Vendem Augusto
Commercio, n. 42.
F. de Oliveira & C ra d.
Cemento de Portland.
Vende-se no armazem do Vicente Ferreira
Costa & Filho, na ra da Madre de Dos a. 2,
barris grandes.
Em casa de Theod. ChratuNMto, ra do Com-
mercio n. 16, encontram-jse efectivamente todas
as qualidades de violto Bordeaux Bourgogne e do
Rueo.
Para familias
Grande Dazar, na Xova ns. e
45S, de Carneiro i'lanna 1 C
Acaba de chegar a este estabelecimento
grande porejto de machinas para costuras do
autor Wheeier Wilson,- approvadas na ulti-
ma exposico de Paris, as quaes cezem com
dous pospontos toda a costura, e tem a
vantagem de ser t5o suave o mevimento,
que qualquer manca de oito annos fcil-
mente trabalha, e pode, com este entrete-
nhnento, levar vantagem ao servico diario
de trinta costureiras. A comprehens3o
simples, pois em um quarto de hora se fi-
ca senhor do movimento da machina, ten-
do a mesma a propriedade de faaer as se-
gantes costuras: pospontar, abainhar,
franzir, marcar e bordar, como apresentam
os desenhos que acompanham-nas. Os pro-
prietarios do estabeleeimento se encarre-
gam de mandar ensinar n'esta cidade, e
garantem entregar o importe dispendido ao
comprador, no caso de nao trabalhar com
perfeiclo a machina vendida, nao tendo,
porm, sofirido ella alguma avaria. Ha tam-
bem no mesmo estabelecimento machinas
de autor Grower 4 Raker, de trabalho sua-
plesmente mo, e outras com movimeato
dos pes; e mxime todos os pertences das
mesmas machinas, para vender avulso.
~Etura japoneza
Instantnea para tingir os cabellos e a
barba, a 1)5000 o frasco.
E' a nica approvada e recommendada
por ter sido reconhecida superior a todas
as tinturas d'este genero.
venda em casa de Gustavo Hervehn n.
5i. ra da Cadeian. 5i.
GAZ AZ GAZ
Chegou ao antigo deposito de Henry Forster &
C, ra do Imperador, um carregamento de gaz
de primeira qualidade; o qual se vende em partidas
e a retamo por menos prec do que em outra qual-
quer parte.
FUNDICAO DOBOWIYIAN
lina do Bruna n. ftt.
Machinas de vapor.
Rodas d'agoa.
Moendas de canna.
Taixos de ferro, batida fundido.
Rodas dentadas, pata moer com agoa,
vapor e animaes.
Alambiques de ferro.
Formas para purgar assuear.
E outros muitos objectos, etc. etc., pro
prios para agricultura.______________
Para semana santa
Madama Adour, 23 ra do Imperador,
acaba de receber mantinhas e mantelets de
fil preto.


.
*?


Diario de Pernainbuco Qiiarla feira 17 de Marqo de 1869.
f



I
i
i
|ft
1)
GRANDE LIQUIDACO
A DiNHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DO
8 DE
Flix Pereira da Silva, successor de Gama
& Suva
O proprietario d'cste eslabelecimento comida ao respeitavel publico desta ca-
pital a vir surtir-se no grande estabelecimento que tera defazendas, tanto da moda como
de tei, e as pessoas que negociam em pequera escatta, tanto da praca como do matto-
nesta casa podero fazer os seus sortimentos eX pequeas e grandes porcoes, venden-
de-se-lhes pelos precos que se comprara as casaVjnglczas ; assimcomo as excellentis,
simas familias, poderao mandar buscar as amostras H todas as fazendas, ou mandare-
mos levar em suas casas pelos nossos caixeiros; para o q*$ acha-se*ste estabelecimen-
to abeo consume.a desde 0 horas da manto ^^ ^
Vendera-se finissima,pecas de cambraias
lizas transparentes tanto* mglezas como suis-
sastendomais de vara ^.'Jargura, pelos
pre?os de 5)5000 at 10000o-a ,peca, assim
como finissimos organdys branc liso que
serve para vestidos de bailes, por ser muito
transparente a 10000, a vara, na loLdo
Pavao ra da Imperatriz n. 60, de FelixTe-
reira da Silva.
Alpacaslavrada
Chegaram pelo ultimo vapor as mais mo-
dernas alpacas lacadas com as mais lindas
cores, que se vendem a liSOOO, o covado,
ditas lisas tendo tambem cor de canna a
800 rs, ditas mescladas muito finas a 1:200,
o covado, e outras muitas fazendas de gosto
e moda que se vendem mais barato do
que em outra qualquer parte, no armazem
do Pavao, ra da Imperatriz n. 60. de Flix
Pereira da Silva.
Roupas para hoineni
Vendem-se superiores palitts de panno
sobrecasacos forrados de alpaca e de seda,
camisas inglezas e francezas com os peitos
de esguio, ceroulas francezas de linho e al-
godao, meias cruas inglezas superiores, ca-
misas de flanella e de meia d 13a, assim
como neste estabelecimento existe um grande
sortimento de pannos pretos, e de casemiras
inglezas de cores, e que se manda fazer
qualquer obra a contento dos Srs. fregue-
zes, e promctte-se-lhes que sero servidos
com a maior promptidao e muito mais ba-
rato do que em outra qualquer parte
na ra da Imperatriz n. 60.de Flix Perei-
ra da Silva.
Cortinados
Para camas e janellas.
Vende-se um grande sortimento dos me-
Ihores e maiores cortinados bordados pro-
prios para amas e para janellas, que se ven-
dem a 12^000 rs. cada par at 250000 rs,
isto na na da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
O atoalliado do Pavao.
Vende-se superior atoalbado de algodao
com 8 palmos de largura, adamascado a
20200 a vara; dito de linbo fazenda muito
superior a 30200 a vara ; guardanapos de
linho adamascados a 40500 a duzia e muito
finos a 80000, e ditos econmicos a 30500
a duzia.
Fostoes para vestidos brancos
aOtO.
Vendem-se os mais modernos fustes bran-
cos flexiveis com padrees de listas e de
salpicos proprios para vestidos e roupas de
menino a 640 rs. o covado, na loja e arma-
sem do Pavao ra da Imperatrizn. 60, de
Flix Pereira da Silva.
Grosdenaples
Chegou para a loja do Pavao pelo ultimo
varper um grande sortimento dos melhores
grosdenaples pretos e de cores, tendo verde
tambem, que se vendem mais barato que
em outra qualquer parte.
BABADINHOS
Vendem-se finissintos babadinhos, tiras
bordadas e entremeios, mais baratos do que
em outra qualquer parte, assim como espar-
nlhos dos mais modernos, ne armazem de
Flix Pereira da Silva, ra da Imperatriz
n. 60.
ALTA NOVIDADE
A LOJA DO PAVAO
Gurguro de seda
Chegaram pelo ultimo vapor os mais bo-
nitos gurguroes de seda, proprios para ves-
tidos, sendo lisos e lavradinhos, com muito
lustro, garantindo-se que a fazenda mais
linda e de majs phantasia que este anno tem
cbegado a este mercado, e vende-se por
preco muito razoavel, na ra da Imperatriz
n. 60, de Flix Pereira da Silva.
GROSDENAPOLES PRETO A QUATRO
'PATACAS S O PAVAO.
Vende-se grosdenapoles preto de boa
qualidade pelo barato preco de 10280 o co-
vado, s na loja e armazem do Pav5o, ra
da Imperatriz n. 60 de Feliz Pereira da
Silva.
CAMBRAIA BRANCA A 30500.
Vende-se pecas de cambraia branca
transparente, com 8 e meia varas pelo ba-
rato preco de 30500, ditas muto finas tanto
tapadas como transparentes 40500, 50000,
60500, 70000 o 80000, assim eomo organ-
d muito fino tanto lizo, como de listas e
quadros na loja e armazem do Pavo ra
da Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da
Silva.
ALPACAS LAVRADAS TABA LUCTO.
Vende-se na loja do Pav3o, as mais mo-
dernas alpacas lavradas para lucto, sendo
muitolargasepelo barato preco de800rs. o
covado, s na loja e armazem do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da
Silva.
Cassas inglezas a 44 rs o metro
Vende-se urna grande porco de bonita?
cassas inglezas tanto graudascomo miudi-
nhas e de cores fixas pelo barato preco de
440 rs. ometro.garcntindo-se que 7 metros.
d3o um vestido para qualquer Sra. s na
loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de
Flix Pereira da Silva.
Bareg-es a 400 rs.
S na loja do Pavo
Se vendem as mais bonitas bareges transparen-
tes, propinas para vestidos com listrinhas a imita-
dlo de listras de seda, e vendem-se pelo barato
preep de um cruzado cada um_covado, nicamen-
te aa loja e armazem do Pavao, ra da Impera-
triz n. 60, de Flix Pereira da Silva.
Grande pechiucha para a
quaresma.
VESTIDOS PRETOS A 450000.
Vende-se superiores cortes de vestidos de
seda preta lavrada, sendo fazenda muito
encorpada e muito moderna, pelo barato
preco de 450, nicamente na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60, de Flix Pereira
da Silva.
COLCHAS PARA CAMA A 50000.
Vendem-se colchas de fusto .damasca-
das para cama, pelo barato preco de 50,
grande pechincha, na loja e armazem do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60, do Flix
Pereira da Silva.
COBERTORES INGLEZES A 40, 40500 E 50.
Vendem-se os verdadeiros cobertores
inglezes, de pura la, pelo barato preco
de 40, 40500 e 50, assim como colchas de
ROUPAS FEITAS
Na loia do Leo da porta larga
J DE
PAREDES PORTO.
Ra dalmpreratriz n. 52, junto aloja deounves.
N'este estabelecimento se encontrara ra da Imperatriz n. 52, loja do Paredes
sempre um cempleto sortimento de roupas rt-
feitas de todas as qualidades. Como se- Neste estabelecimento encontrara o respei-
iam: paletots de alpaca, de merino, de tavel publico um completo sortimento de
casemira, bombains de panno preto, fra- fazendas e roupas que. se vende pelos pre-
ques e sobrecasacos de brins de cores e C<>s segu.ntes:
pardos i FAZENDAS PRETAS.
CALCAS E COLETES. Completo sortimento de fazentas pro-
Tem sempre'no mesmo sentido um sor- prias para a quaresma, como sejam: gros-
timento completo a preco commodo. de-naples a 20, 20500, 30, 30500 o cova-
CAMIS\S E SIROULAS. do, moreantique de diversas quali lades
Encontrar sempre o respeitavel publico a 20200, 20400 e 20800 rs., sortimento de
um bonito sortimento de todos os nmeros, alpacas pretas e de cores de 500 rs. at 10,
MEIAS CRUAS. princza, mirin de diversas qualidades.
Sortimento de todas asqualidadcs.de FAZENDAS BRANCAS,
30 a 50, assim como tambem sortimento' Madapolao de diversas qualidades e pre-
de lencos de linho brancos e com barras eos commodos, cambraia de 305CO ifloOO
de cor, chinezes, bonitas grvalas pretas e e 50, ditas victorias de 50500 a 420, pecas
de cores. Ra da Imperatriz n. 52, por- de cassa liza o mais fino que ha no mrca-
la larga. do a 9> *O0, 120. com 12 varas, e vara
PARA ACABAR. i de largura
Urna grande porco de calcas ordinarias SEDAS DE LISTRAS.
jara trabalho a 640 e 800 rs. cada um par, Recebeu-se um bonito sortimento d'esta
pechincha na loja co Leo junto a loja de fazenda que se vende a 20500 o covado.
ourives. CHITAS.
GRANDE PECHINCHA, Vende-se chitas escuras a 280, 300, e
Cassas he cores a 160 rs. o covado, na 320 rs. o covado.
160 RES O COVADO GUARDANAPOS
Chita preta pelo barato preco de 160 o Vende-se esta fazenda de linho, fazenda
covado na ra da Imperatriz n. 52 na loja boa a 40000 e 50000 a duzia.
que tem um Leo pintado. MEIAS PARA HOMEM
PANNO-DE LINHO Sortimento de meias inglezas para ho-
Paredes Porto recebeu um sortimento da mem a 4fj800 s^goo e 60800 fazeida boa.
pannos de linho, com 27 varas a peca e
170000 e 180000, na ra da Imperatrizn.
52,junto a loja de ourives de porta larga.de
Paredes Porto.
LENCOS DE LINHO
Vendc-se lencos brancos de linho a 30,
a duzia para acabar na loja de Paredes Por-
to. Ra da Imperatriz n 52 loja da porta
larga que tem um LeSo pintado, de Paredes
Porto.
THOALHAS
Sortimento de toalhas de pelucia a 110
a duzia.
LENCOS BRANCOS a 2020)
Para acabar lencos de algodao a 20200
a duzia,
20000
Vara de bramante de linho superior e
tem 10 palmos de largo.
No armazem do Leo, ra da Imperatriz n. e 52, junto a loja de ourives.
Cretone para lenqes com 10
palmos de largura a 2$,
Acaba de chegar esta nova e excellente
fazenda branca propria para lences de um
s panno, garantindo-se que um metro e
urna quarta ou um metro e meio d um
excellente lencol de um s panno, assim
como esta boa fazenda tambem muito
propria para toalhas de meza, rosto etc. e
outros mysteres e vende-se pelo baratsi-
mo preco de 20 cada metro.
MOCAMBIQUE PARA VESTIDO A 500 RS.
Chegou para a loja do Pavo um elegante
sortimento dos mais bonitos mocambiques
proprios para vestidos cora as cores mais
modernas e que se vendem pelo barato
preco de 500 rs. o covado.
ALPACAO DE CORDOPARA VESTIDO A 1
Chegou esta nova fazenda com o nome
de alpaco, sendo de cordo e com mais
largura do que a alpaca, com as mais unas
cores, como sejam Bismark, lyrio, perolas,
rexo, cor de canna, magenta etc. e vende-
se pelo baratissimo preco de 10 o covado.
ROMEIRAS PARA QUARESMA A 16*,
Chegaram as mais bonitas e modernas
romeiras pretas de guipur, que se vendem
pelo baratissimo preco de 160 cada urna.
SOBRECASACOS PARA A QUARESMA A 18J E
205.
Vende-se um grande sortimento de so-
brecasacos e palitts sobrecasacados de Q-
nissimo panno preto pelo baratissimo preco
de 180, sendo forrados de alpaca, e por
200, todos forrados de seda, grande pe-
chincha, principalmente por estarmos na
quaresma, assim como, tambem se vende
um grande sortimento de calcas e colettes
de casimira preta que se vende muito mais
barato do que em outra qualquer parte.
ESGUIO DE LINHO DE 12 JARDAS A 10*.
Vende-se pecas de e6guSe de linho, fa-
zenda superior, com 12 jardas cada peca, a
100000.
ALTA NOVIDADE
A
Loja do Pavo.
FAZENDAS PRETAS
PARA A QUARESMA
AUGUSTO PORTO & C.
Ra do Queimado n. II
Receberam directamente da Europa as mais superiores fazendas pretas espe-
ciaes para a quaresma, as quaes esto vendendo pelos mais mdicos precos em vista
da superior qualidade de ditas fazendas.
ALTA IOVIDADE
Basquines pretas de renda, verdadeira novidade, para senhora.
Gorguro preto do seda liso e com listas Tissetinadas para vestidos.
Grosdenaples preto largo estreito de diversas qualidades havendo neste ge-
nero o que ha de meHior. .
Basquines de croch pretos, ditos de seda preta com cintos delicadamente en-
feitados, elegantes peplums de seda preta, fichos pretos de renda, modernas capmhas
pretas de renda e superioras vestidos de gorgur5o preto bordados. .
A loja n. H da ra doQueimad tem sempre o melhor sortimento de tapetes,
alcatifas e
Esleirs da India para fotrar salas.
ARARA
Lourenco Pereira Mendes Guimaraes, proprietario da loja da Arara, ra da Inperatnz
n. 72, declara ao respeitavel publico e seus freguezes que acaba de concluir d balanco
de sua loja de fazendas e fazer abatimento as fazendas que julgou necessano para
vender mais barato que em outra qualquer parte, por isso roga ao respeitavel publico o
favor de mandar ver as amostras das mesmas para ver como se vende barato.
CHITAS FRANCEZAS A 280 RS.
Vendem-se chitas francezas a 280, 320 e 3H0 rs. o covado.
MADAPOLAO A 6*000.
Vendem-se pecas de madapoto lino a 60, 70, 80 e 90000.
GANGA A 320 RS.
Vende-se ganga para calca e palitts a 320 e 360 rs. o covado.
CASTORES PARA CALCAS.
Vendem-se castores para calcas a 240 e 280 rs. o covado.
LAAZINHAS A 240 RS.
Vende-se 13azinha a 240,280 e 32 rs. o covado, e outras muitas fazendas e roupas
feitas, fazendas pretas para a quaresma, como gros-de-naple, casemiras e panos pretos
de todas as qualidades, bales de 20 35 arcos a 10500 rs., cortes de bnm para calca
de homem a 610 e 800 rs. eada um, por este preco s na loja da Arara ra da Impera-
triz n, 72.
|Ocordeiro previdente
Ra do Qczeimatlo n. 1.
Novo e variado sortimento de perfumarias
tinas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfu-
marias, de que eifectivamente est prvida a
loja do Cordeiro Providente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se torna
notavel pela variedade de objectos, superiori-
dade, qualidades e commodidades de pre-
cos; assim, pois, o Cordeiro Providente pede
e espera continuar a merecer a apreciaoao
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, n3o se abas-
tando elle de sua bem conhecida mansido
e barateza. Em dita loja encontrarao os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray & Lamman.
Dita de Cologne ingloza, americana, fran-
ceza, todas dos melhores ciis acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentrificia.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservaco do
asseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente,
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos
francezes em frascos simples c enfeilados.
Essencia imperial do lino e agradavcl chei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finos e agradaveis.
Oleo philoeomc verdadeiro.
Extracto d'ojeo de superior qualidade,
com escolhidos cheiros, em frascos de dif- [
ferentes tamanhos.
Saboneles em barras, maiores e menores
para mSos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
nas perfumarias, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaris finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
e boneca.
Especial p de arroz sem composicode
ebeiro, e por isso o mais prprio para crian-
Cas.
Opiata ingleza e francezapara dentes.
Pos de camphora e outras differentcs
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental deKemp.
Aluda mais coques.
Um outro sortimentos de coques de no-
vos e bonitos moldes com filis de vidrilhos
e alguns d'elles ornados de flores e fitas,
esto todos expostos apreciaco de quem
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS RORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeico.
Fivellas e Qtas para cintos.
Bello e variado sortimento do taes objec-
tos, Picando a boa escolha ao gosto do com-
prador.
FLORES FINAS
O que de melhor se pode encontrarnos s*
genero, sobresahindo os delicados ramos
orvalhados para coques.
Para viageni.
Bolsas de tapete ecarte iras de couro, por
precos commodos.
Chapelinas de palha da Italia mui bem
enfeitadas, e enfeites de flores obra de bom
gosto.
E assim muitos outros objectos que se-
rlo presentes a quem se dirigir dita loja
do Cordeiro Previdente a ra do Queimado
n. 16.
ENFEITES DE PALHA PARA VESTIDOS,
CHAPEOS E COQUES.
O Cordeiro Previdente ra do Queima-
do n. 16 acaba de receber um bello sorti-
mento de trancas de palha para enfeites de
vestidos, outras para chapeos, coques etc.
tudo isto est sendo vendido com a sua bem
conhecida commodidade de precos.
ALEM D'AQUELLES.
Recebeu outros lindos enfeites de seda
para vestidos ; assim como um variado sor-
timento de galles de la, babadinhos de
cambraia com bordados de cores, cuja va-
riedade de gostos os tornam recommenda-
dos e apreciados; compareci pois os pre-
tendentes que sero servidos a contento.
TO BEM RECEBEU.
Novo provimento de bicos e rendas de
guepure.
LUVAS DE PELLICA.
De todas as cores tanto para hornen-
como para senhoras, constantemente acham-
Muito em corita
Parello a 4*800 osaceoe rallbo a 'ido r?., vittho
i r a garrafa e canria a 2 i*!Xi. gaz a 4*6,
i a 220, nzcitc dn carrapalo a 400, caf em
a 2 a libra, i*lo n largo du Panizo u.
quina da ra da I!na.
PASTURAS ASSICAUDAS
DO
DR. PATERSON
De bisHiuth e magnezla.
Remedio por oxeelleneia para combater
a magreza, facilitar a digestao, fortificar
estomago etc.
DKPOSITO ESPECIAL.
Pliarmacia deBartholomeu C.
31Ra larga do Rosario------34.
lll-SE
Na ra Larga do Rosario n. 26, primeiio
andar, urna escrava moca, (pie sabe cos-
nliar c engommar, e propria pela sua ro-
bustez para todo o serviro de urna casa.
que tem vindo ao mer-
cado
Barricas de 14 arrobas por
10$0O,
FARELLO DE LISBOA
rliegado ltimamente
SACCUS GRANDES A 5000.
ARMAQnO DE TABERNA
com todos os pertences por
150*000,
Tndo no .irmazem de Candido Alberto Sodr da
Molla, lraves?a da Madre de Dens n. ti.
k
Vender a taberna da na das Cinco Ponas ji.
08 : a tratar na tnesma. mi na ra Dir ha n. 44.
Vende-se un carro de earn gar gneros di
alfandega : no Forle do Maltas 9.
ESCRAVOS FUSICOS.
100$ de gratificado
Pasto un lia H de Janeiro do rorrente amo,
do engenbo Dalatura, liepuezia da Cscada, o &-
.ia\ii pelo, mutilo, de 2iannos de idade, cha-
mado Marcelino, que foi do Sr. Joao da, Cunba
Pereira, cujo escravo estove no deposito geral, e
tem os signaes seguintes : alto, MMo do enrpe,
rosto muito marcado de bexgas, falla d^ lleves
na frente, cor preta, sabio dechado do cbile, pa-
letot e calca de castor, levando un babuziabo di
flndres com mais roopa, e suppoe-se estar na
fregiii'/.ia do Cabo : quem o appreliender leve-"
ao dito cngenbo, ou ra da Stnzala-nova n. 38,
eseriplorio do Sr. Bernardiuo Pontual, que rece-
ber a gratificaran cima.
GURGURES PARA VESTIDOS A 1000,
O COVADO.
Chegaram os mais modernos gurgures
ut5o de cores, pelo barato pre?o de 30. na
loja e armazem do Pavo. ra da Impera-
lriz n. 60. De Flix Pereira da Silva.
U, OS BALDES DO PAVO.
Vendem-se superiores baloes america-
nos de trinta a quarenta arcos, tendo as fi- vestidos, sendo de todas as cores, como
tas bastante largas, sendo muito fcil trans- -m verd(5) azul> rosa> bi8mark> perola,
forma-Ios para outro qualquer novo modelo, px0 & tendo ^ ^^ pa|mos de lar.
e liquidam-se pelo barato preco de 25 cada e vende-se pelo baratissimo preco
nm, sendo fazenda que sempre se vendeu ^ J|5000> ^ ^^^ unicamente <, ar.
a 70 e 80, isto na loja e armazem do Pa- raazem de Fe|jx Perera da Silva) na raa da
v5o, ra da Imperatriz n. 60. De Flix ,^^5,^ n. 6o.
Pereira da Silva.
Madapolao enfestado a 8S500
Vende-se superior madapolao enfestado,
sendo muito encorpado, para carnizas, e
RETALHOS PARA LUTO NA LOJA DO
PAVO.
Vende-se urna grande quantidade de re-
iardas nelo baratissi- ulho* de chitas e CM9M ^6138 P01" prec
tendiS2S ^ ja Trma^mdo muito barato, e quanto naior for ,, porejo
_!__:_ J an r..i:_ mi o frftmifi oobuh. mais barato se Ibe
mo
60.
De Flix A06 free comprar, mais
vender na ruada imperatriz n.
, lix Pereira da Silva.
60deFe-
PavJo, ra da Imperatriz n
Pereira da Silva.
A 1,0 vara a &OO rs
Vendem-se a* verdadeiras cambraias
francezas, com lindos padroese cores fixas, Grosdenaples preto
sendo tapadas e transparentes, pelo barato Vende-se um grande sortimento dos me-
tp eco de 500 rs. vara, ou 300 rs. o en- Ibores grosdenaples pretos, tanto lar-
vado sendo fazenda que niugnem vende gos como estreitos, sendo de 20000 rs. o
por 'menos de 7 on 8 tustoes, e liqnidam- covado at 40000 rs. garantindo-se qui-
se por este barato preco, 'por se ter feito n'este genero ningaem tem melhor fazenda e
nma avultada compra, na loja e armazem qne se vende mais barato do que em outra
do Pavao. ra da Imperatriz n. 60. De qualquer parte,na roa da Imperatrizn. 60.
Flix Pereira da Silva, W Fex Pereira da Silva.
Lourenco Pereira Mendes Guimaraes paoprietario da loia do grande oaribaldi, ru
da Imperatriz n. >6.
Declara ao respeitavel publico, que recebeu um grande sortimento de fazendas
de todas as qualidades, tanto para a praca como para o mato, aos quaes espera Ihe fa-
cam a honra de frequentar o seu estabelecimento que Ihe prometiera vender mlis barato
do que em outra qualquer paite.
CORTES DE LA A 2*400 RS.
Vendem-se cortes de 15a para vestidos a 2^400 e 30000
CHITAS FRANCEZAS LARGAS A 280 RS.
Vendem-se chitas francezas a 280, 320, 360 rs. o covado.
LAAZINHAS A 240 RS.
Vendem-se ISazinbas para vestidos a 240, 280 e 320 rs. o covado.
ALGODAO A 44000
Vendem-se pecas de algodao a 40, 50 e 70.00, pecas de madapolao a 6., 70, 80
e 90000.
CORTES DE CASEMIRA PRETA A 4*000
Vendem-se cortes de casemira preta para calca a 40, 50, 60 e 80000, cortes de
ganga para calca a 10280 rs., ditos de brim 800 rs., ditos de castor a 10000.
8 S V CHITAS PARA COBERTA A 320 RS,
Vendem-se chitas para cobertas a 320 rs. o covado.
CASSAS FRANCEZAS A 320 RS.
Vendem-so cassas francezas para vestidos a 320 e 360 rs. o covado.
'OVIDADES.
Bales de 25 30 arcos, a 105OOrs. cada um, s se pode ter balao por este pre-
co, e outras muitas fazendas pretas para a quaresma, pannos, casemiras e gros-de-na-
ples preto, outras fazendas muito baratas que se dao as amostras. Na ra da Impera-
triz loja do Garibaldi n. 56.
ATTENQaO
Lourenco Pereira Mendes Guimaraes. declara aos seus devedores que entregou ao
serf procurador o Sr. Bernardino doSenna Das as suas contas para elle promover seu
recebimento conforme Ihe convbr amigavel ou judicialmente, por isso roga-S3 a todos
os desdores vir entender-se cora elle na ra da Conceifao da Boa-Vista, ou na loja a
ra da Imperatriz n. 56.
Escrava fgida
Desappareceu do poder do aliaixo as?ignado a
sua escrava crioula de nome Benedicta, dam! 1
tambem pelo nome de. l loneeicao, estatura reputar,
magra, rosto cuinprido c descarnado, falta de KD-
srs na frente, costana a embreapar-se, lema vos-
tido de chita clara com urnas rodas lingiiulo Bnm,
chales de laa de barra j velho ; ella natnr,!
de Serinhacm, para onde se desconfa ter ella te-
guillo : ropa-se as autoridades policiaes e ais ea-
pitaes de campo a appreh nso, e leva-la ru:i
da Imperatriz n. bt. loja, que se gratificar.
Joao Francisco Paredes Porto
O abaixo assignado recommenda a raptar*
do seu escravo de nonio Joaquini, mulato, fugid
do seu sitio do Monteiro, comprado aos seus .do-
nos os Srs. Joao Gonealves da Silva, Vicente (a-
valcanti de Alhuqueruuc c Alexandrc Gonei da
Silva, nesta cidade, por intermedio de seus pro
curadores na pessoa do Sr. Mannel Francicoli
valcanti, todos de Pao d'Alho e por nterventi d
Sr. Santos (corrector de escravos). cujo escravo
tambem natural de Pao d'Alho e lem os dislicr.
seguintes: idade 3o annos, secco do corpo e un
pouco alto, bigode, cabello um pouco carapirhade
e penlcado, falta de dentes, una inflammaean en-
cruada na junta da rno esquerda. falla a sertaac
jo, muito descancada e mansa : levou camisas de
madapolao e riscado de algodao, c calcas de brim
pardo. O abaixo assignado biuito recommenda a
captura deste seu escravo todas as autoridades
e mais pessoas encarregadas da captura de escra-
vos, nao s pelas diversas cidades, villas e povoa-
dos, como pelo ser'ao. para onde pode ter seguido;
promelte bem gratificar, c tambem a qnalquei
pessoa que d'elle der noticia cena ; a dii igirem-
scao seu eseriplorio a ra do Crespo n. 15, ou ao
seu sitio no Monteiro.
Recife, 27 de Janeiro de I8C9.
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Tujio no dia Io de marco, do enge-
nbo S. Pedro da freguezia de Ipojuca. o es-
cravo pardo de nome Francisco, de idade
30 a 3o annos, official de sapateiro, cor
escura, alto e seco do corpo, soffre de her-
me tem um dos tornozellos mais grosse,
bastante calvo, tem um lalho no q'ieixo,
gosta de embriagar-se, Ifvou vestido calca
chapeo de fel
Mrvernlaa''ojalo"cord"eiro Previdente : i^Ai de brim pard" e
ra do Queimado n. 16.
INJECTION BROU

NOVIDADE
A loja de Coelho d Oliveira ra do
Queimado n. 19, recebeu pelo ultime vapor
um bello sortimento de balites de diversos
systemas, os mais aperfeicoados que teem
vindo ao mercado, sendo :
Bales de guipur com tiras chamados
reguladores^ditos de musselina abertos por
ambos os lados, de modo que sendo todos
de um tamanbo servem para qualquer se-
nhora, de lia de cores, com tiras, e as se-
geintes fazendas:
Saias de 12a com bonitas barras.
-Chales turcos de seda e 12a Beatriz de
Tundas.
Fitas de guipur pretos Bocamboly.
Chapeos de sol .para senhora, muito lin-
dos.
LiMiakas
Sultanes,Poli deChevre. Tricte, dito de
xadrez e outras muitas, entre ellas urna
Especialidade
L3a pura de corea a 360 rs. o covado.
Basquinas a Mara Antoniete.
Cambraias fantazia. ,
Ditas brancas transparentes e Victoria.'
Colxas adamascadas.
Goberta cbinezas a 2(J500 rs. e outras
umitas fazendas que tornar-se-hia enfadonho
annunciar.
Tinta rxa de Mon-
teiro.
Vede-se ttot to *> *> P? <*wm:
na loja de c*#?*e wferado mrello da roa a
Croin. M.
tro usado, cor parda, o dito pardo Francis-
co tem urna innaa no Recife e tem irm5os
e tios na villa da Escada, em Freixeiras,
Aripib, por isso roga-se as autoridades
policiaes e capit3es de campo a pris3o do
mesmo, e quem o pegar e o levar ao dito
engenlio a entregar a Antonio Emilio dlr-
mio. sen generosamente recompensado.
I)a-se 2OO4OOO rs. de grafilieacao a quem pe-
gar dois pretos qne se ausenlaram de-de o dia
26 de dezembro do anno de 1868 do engenho Pona-
bal, termo deSerinhaem, ou quem dilles der no-
ticia certa; um delles por nome Joao Monteiro, es-
tatura regular, representa ter de idade 30 a 34
annos, cor fula, e tem em urna das face um ta-
ino, bem fallante e sabe ler, olha abutirados;
este preto foi comprado na cadeia dO Recife, qno
j do dono tinha fgido lia 4 anuos, e foi captura-
do 110 Monteiro. por isso chama-se Joao Munteiro ,
o outro por nome Jernimo ,qne foi comprado a
Sr. Gustavo bem eonhecido nesta pra?a ; altura
regular, secco do corpo, e -est bucando. e mnito
divertido, c rendido de ambas as verilhas, tem
marcas de chicle as costas : quem os apprehen-
der, pode derigir-se ao mesmo engenho Pnmhal a
seu senhor, ou nesta praca'na casa dos seos se-
nbores ManoeJ Alves Ferreira 4 C. ra da Moeda
n. S segundo andar._____________________
__Fugio de burdo do palhabote naiionai Yta-
ro, um mulato claro de nome Justino, estatura re-
cular, cbelos carapinhados e meios ruivi s, pouca
barba, tem urna pinta preta no canto do olho direi-
to e um taino as costas ao mesmo lado,; levou
vestido camisa de chita com listas verdes, e usa
de una cinta com borla encarnada para apenar
as calsas natural de Santa Anna do Matto na
provincia do Rio Grande do Norte, para onde talvez
qneira ir, tambem muito desembarazado no fal-
lar. Recommeuda-se aos mesires de barcaca u
a qualquer pessoa que o agarrar, e levar a ra
do Trapiche n. 4 on a bordo do referido navio qoe
ser generosamente gratificado. ^^____
Tendo fgido no dia 2 do pesentr mea. do
poder de seu senhor, o mrjor Francisco (ordeiro
Dias dos Santos morador no lugar Tabocas, co-
marca do Rrejo da Madre de Oros. 1 ''*.
crioulo, com 1 anuos de idade e bem parecido
avisa-se a toda e qnalquer pessoa qie delh'
ber de o apprehender e lva-lo ao Urgq
MoMa n. 9, que er recompeoia*).
da As-
U


-
8
I
11
LITTERATUM.
POUCO DE TTJDO.
TREMORES DETERRV. No dia 7 de
fevereito sentiram-se em Florenca tres aba-
Ios de Ierra, com alguns minutos de nter-
vallo. Nao liouve ruinas de edificios nem
desgragas a lamentar. Sentiram-se tambem
abalos de tona em Lcorno o no vallo do
Amo.
Estes movimeatos do slo sao rarissimos
u'essa parle da Italia, muito mais do que
as provincias napolitanas e na Sicilia, cujo
terreno em pude parte vulcanico; bas-
ta para explica-los o Vesuvio e o Etna.
Porm, Florenca nao tem vulces na sua
visinhanca, e so os Apenninos esto prxi-
mos, por ora ainda nao deram indicio de
encerrarem lava ardente as suas entranbas.
Na noite de 30 para 31 de Janeiro os
habitantes de Temesvar, na Hungra, foram
despertados.por um tremor de trra.
Os abalos suejederam-se por tres vezes
com um estrondo semelhante ao rodar das
carretas de artilheria. As oscillaces du-
raram pertode doze segundos.
Segundo urna correspondencia dirigi-
da ao Times nao ha memoria ha muitos
annos de se ter sentido um tremor de trra
to violento como o qu i liouve na India ori
ental pelas 4 horas da tard do dia 10 de
Janeiro.
O slo soffreu urna trplice endulaco de
noroeste ao sudeste. A agua dos reserva-
torios eslava agitada como o mar, e os in-
dgenas assuslados comecaram a fazer o
horrivel charivari qae usam quando ha um
eclipseisto tiraram das suas conchas
marinhas e dos seus tambores sons cupazes
de ensurdecero ouvdo mais forte.
Os abalos foram to violentos em Silchar,
capital do districto de Cachar, que nao -
cou urna habitaeo de p.
Parece que a linha de direcco da acc3o
valcanica estende-se desde os Himalayas
orentaes, ao longo da costa oriental da ba-
ha de Bengala, onde esto muitos vulces
extractos, at aos vulces em erupco do
archipela^o oriental.
EXECUCO.N'uma povoaco dos Es-
tados-Unidos teve lugar urna execuco sem
precedentes. A's 8 horas da manha foi
conduzido forca Wllam Carswell. con-
demnado morte por ter assassinado no
verio ultimo urna mulher, chamada Abby
Elisabeths Sanders.
Chegado plata-frma o carrasco pas-
sou-lhe volta dopescoco o laco de corda,
e em seguida applicou-lhe ao nariz urna es-
ponja embebida em clilorofonnio, Depois
do condemnado tomar algumas aspiraces,
os seus olhos c:itrefecharam-se c a cabeca
foi cahindo sobre o pelo. Ento foi lau-
cado ao espaco e dentro de alguns minutos
era cadver. Ouviram-se sabir da sua gar-
ganta sons cavernosos, retorceu convulsiva-
mente as mos que successivamente se tor-
naram rxas e zoes, e ao cabo de doze mi-
nutos deixou de bater o pulso.
Quem sabe se esta extra-legal interven-
cao do chloroformiodiminuo ou augmentou
as dores d'esta agona ?
EXPOSICAO DE ARMASE ARMADURAS.
Em Arasterdam abrir-se-lia em flns de mar-
ro urna exposico de armas e armaduras,
por iniciativa da sociedade Artiet Amiciticc
e sob proteccao do rei dos Pai es Baxos.
Sero admiltdos na exposico os seguintes
objectos, comanlo que sejam posteriores
ao secuto XHI: armas e machinas de guer-
ra e de caca; armaduras e vestidos de
guerra, de ferro, cobre e tela; bandeiras
e instrumentos de musica guerreira; or-
dens e insignias militares, medalhas com-
memorativas de acces de guerra, retratos
e objectos historeos de propriedade de
guerreiros celebres; modelos e livros cu-
riosos relativos guerra.
OS ESTADOS-UNIDOS NO ANNO DE
1868.Escrevem de Washington ao Jour-
nal officiel de Paris.
A pnbcacaodos relatnos que os che-
fes das diferentes ad.niiistraces publicas
acabam de dirigir ao presidente da Uno
americana, permtte-nos dar um resumo dos
principaes resultados econmicos e flnan-
ceiros do anuo de 1883 nos Estados-Unidos.
O commissario das rendas pe em evi-
dencia os esforcos do governo para dimi-
nuir, depois da paciQcacao geral, as despe-
zas que tinham augmentado muto de 1834
FOLHETIM
; Di.ui.is de mimk
POR
lie Berthet.
IV
A baha le Cayeuua.
(Continuacao don. 60)
Entretanto o brigue approximra-se de
Ierra e ia lancar ferro na enseada. Os
ofciaes de marinba, depois de haverem
trocado algumas palavras com o capitao
acerca das formalidades que Ihe competa
observar, dispunham-sc a retrar-se com o
preso, quando Josephina. approximando-se
do commssarif, lhe perguntou submissa-
mente :
O senhor tem a bondade de me dizer
se o degredado Bertomy aiuda se acha em
Cayenoa ?
Berlomy ? repetio o commissirio,
virando-se para o outro oficial, que de
certo eslava mais ao fado dos pormenores
do servico Que interesse lhe poder me-
recer esse degredado ?
O de ser meu pai.
O commissario Ocou exttico na presenca
d'esta formosa joven, cuja physionomia
denunciava a mais ingenua pureza, e fez
um gesto que pareca querer dizer :
Que pena !
Bertomy ?iiUerrompeu o oficial de
infantera, como quem recorra sua re-
miniscenciaDeve ser o n. 62, um ju-
gador eterno, que preciso vigiar incesan-
temente, por quanto capaz at de jogar
o chap j e os tamancos, se lhe derem oc-
casio. Fra d'isso, nao ha ninguem mais
obediente. Effectivamente ha uns dez dias
que parti em urna leva de forjados para
a penitenciaria da S. Loureoco, as mar-
geos do rio Maroai.
a 1863. O lcciiceainenlo do exercito fede-
ral, a rpida recepfo da divida, a rodue-
ces dos servico* pblicos perattram ao
congresso diminuir os impos^os. A aovas
redueces dictadas pelo congresso, para o
correte exercico, faro descer a 145 m-
Ihes de dollars o rendmento do estado.
As despezas de cobranca, que eram
de mais de 7 milhes de dollars em 1806,
elevaram-se durante o ultimo periodo a 9
mullos e300 mil dollars. Este augmento
procede da creacao nos estados do sul de
hoyos lugares de recebedores e do aug-
mento de ordenado a grande numero de
empregados subalternos.
No seu relatorio o commissario das
alfandegas declara .que depois da redcelo
do direito sobre o whisky dirainuio muto
o contrabando d'este,artigo; mas reconhe-
cc que os objectos que fazem pouco vol-
me, taes como as sedas, as rendas, as lu-
vas. as joias, sao fraudulentamente introdu-
zcas na America. O commissario accres-
centa que os empregados das alfandeps
sao escassamente retribuidos para que pos-
sam resistir corrupto.
O mesino documento assignala final-
mente a decadencia da marinha mercante
dos Estados-Unidos e pede um imquerito
para descubrir as verdadeiras causas d'ella;
Attribue-se ella geralmente caresta da
mi de obra, que forca os armadores ame-
ricanos a elevarem os fretes a tal ponto,
que a importarlo e a exportacao sao effec-
luadas em navios estrangeiros.
Urna das paginas mais importantes do
relatorio do secretario do interior relati-
va s grandes lianas de caminhos de ferro
actualmente em construeco, e principal-
mente do Pacfico. Esta va frrea que
ja tem construidas 820 milhas enrdireccao
ao estado de Nebaska, far. juneco com a
linha do Sacramento (estado de California)
perto aa parte norte do grande- lago Sal-
gado, depois depercorrer 1:110 milhas. A
despeza com este caminho clevar-se-ha a
perto de 39 milhes de dollars; a subven-
Co que o governo d companhia cons-
tructora de 29 milhes.
O estado contribue igualmente para a
construeco da linha californana, que j
est em explorago n'um comprimento de
390 milhas. Espera-se que no prximo
mez de julho estarlo ligadas as duas vias,
de modo que a viagein de Nova-York a S.
Francisco, atraves do continente americano,
poder elTectuar-se em sete dias.
O relatorio do director geral dos cor-
reios calcula a receita d'este servico em
1867-1868 em pouco mais de 21 milhes,
e a despeza em 22 milhes. Este dficit
pro va os sacrificios que faz o governo ame-
ricano para desenvolver as communicaces
postaes. As cartas expedidas para as na-
Ces estrangeiras foram 11.129:532, d.is
quaes 10.068:659 para a Europa.
Terminando esta rpida analysc dos
documentos olliciaes, axrescentarei que o
relatorio do director geral da casa da moe-
da faz algumas observares relativas traillo
monetaria entre a Franca, a Italia, a Suis-
sa e a Blgica. O Sr. Inderman julga que
quando os Estados-Utiidos quizercm adop-
tar o systema decimal, ser preferivel nao
reduzir de 900 milsimos, fraccao simples
e fcil de reter de memoria, a 8:15 milsi-
mos, fraeco muito mais complicada, o pa-
dro da moeda de Iroco. Ao mesmo tem-
po acooselha a adupcio de urna moeda de
25fis. ou meia-aguia, ou libra sterlina, pe-
sando 81 decgrammas. Esta moeda olfe-
receria a vanlagem de ser igual a 125 graos
e evitara urna rel'u idico geral em razo da
pouca diferenca que faria do nosso padrao
monetario.
Diario de Pernambuco Qnarta feira 17 de Marqo de
O FEITICO VOLTANDO CONTRA O FEI-
TICEIRO.A seguinte anedocta, referida
por um diario francez, dever servir de li-
Co aos que costumam divertir-se custa
da simplicidade aldea.
Ha tempos um camponez, aproveitando
a sua ida a Evreux, entrou na loja de um
barbeiro e pedio que o escanhoassem. O
mestre, procedendo operario notou que
o crneo do seu freguez era calvo como o
de Julio Cesar, um verdadeiro joelho.
Querendo divertir-se custa do aldeo,
por causa d'esta falta, perguntou-lhe se
tambem se queria frisar.
Esta indiscreta pe gunta tocou na ferida
sensivel do camponez, que respondeu em
tom agastado:
Em vez de me cacoar pela falta de
cabello, melhor faria se me dsse alguma
receita para o fazer nascer.
Sedou! Nao fallam pommadas com
cssa vrtude.
Quaes sao ellas? Veja se tem algu-
ma, que eu compro-lh'a. Dize-me- que
ha una que n5o s faz nascer o cabello,
mas at lhe d a eor natural.
(i Fgaro, cada vez mais desejoso de se
divertir custa do camponez, diz-lhe des-
embararadamente:
Bem sei; meupni fazii uso dvllae
deixou-mc a receita; mais tica muito cara
e nao tedho raSo oque necessario pira
a compor.
Ento que preciso? vamos, a ver...
E' preciso o oleo de dujs duzlas
de ratazanas dos campos. Se m'as anan-
ja, ou encarrqgo-ma de lhe preparar urna
pomada, cujos effeitosme dir depois. Bas-
ta untar com ella a cabera ao detar da ca-
ma, e ver como apparece com urna cabel-
lera que nem a de um eoraeta.
O camponez conhece que querem casoar
com elle, mas faz que nao percebe e des-
pede-se dizendo:
ptimo! euma encarrogo dos ani-
malejos; o/Dero ento que me faca a poma-
da e o que for, eu pagarei.
Com effeto, passado alguns dias chega
o camponez com um saoco na mo a casa
do barbeiro, que se preparava para esca-
nlioar um freguez, em quanto muitos outros
esperavam ver.
Ora salve-oDcus! Aqu'i esto os ani-
malejos.
Que animalejos, homem?
Essa boa I os animalejos para o un-
gento que me prometteu para fazer cres-
ccr o cabello.
Bem animalejo me parece vocl Sabe
que mais ? volte pelo caminho por onde
veio.
Ora essa! Isso mesmo .era o que eu
desconfiava, mas sempre quiz ver. E' o
mesmo, nada de arrenegar. Mas as rata-
zanas j agora aqu lhe ficam e n3o tom se-
nao desculpar, que as nao pude encontrar
mais pequeas. Mais oleo do assini. Pas-
se muito bem e mais a companhia.
E o aldeo esvasia o sacco e pe-sc a an-
dar fechando a porta. Do sacco stbem vinte
quatro ndias ratazanas que se espalham
rpidamente por todos os recantos da loja.
A mulher do barbeiro* desmaa, os freguc-
zes saltara cima das cadeiras, das mesas,
os ratos cruza m de um lado para o outro
da casa e o barbeiro corre, seguindo-os, de
navalha em punho, a ver se os trac-a, e os
viandantes param porta attrahidos pelo
rumor que vai dentro.
A cacada durou todo o dia. A' noute a
loja do barbeiro semelhava um matadouro
e faltavam ainda chamada quatro dos au-
tores da revolu;5o. A mulher do Iwrbei-
ro nao prega olbo e de noute levanta-se a
revistar os cantos da casa.
Quanto ao barbeiro jura aos seus deuses
nao tornar a metter-se a carear aldeos.
NAUFRVGIO.O Gulf-City, magnifico
vapor que fazia vagem de Nova-York para
Galveston (Texas), naufragou na noui de
11 de Janeiro no cabo Look. O vapor ti-
nha sido salteado por urna mdonha tem-
pestado, c dos pobres tripolantes, que eram
em grande numero, s escaparais morte
oito.
Os infelizes tripulantes do Galf-Cily pa-
rece que tiveram um triste presentimento
d'esta desgraca, pos diz urna follia estran-
geira que foi com grande custo'que consen-
tiram em empreheuder aquella vagem, por
ella princ piar urna sexta-feira.
A administrarlo do liureau Vertas,
de Paris, acaba de publicar urna estatistca
dos sinstros martimos que liouve durante
o anuo de 1868.
Segundo os dados collados por aquella
administraco, os navios de velu perdidos
totalmente em 186* elevaram-se a 2:080 e
o dos-navios de vapor a 101; total 2:184.
O numero de vasos de vela que se sup-
pe perdidos por d'elles nao haver noticia,
eleva-sc a 181; o dos vasos de vapor a 6,
ao todo 187 ; o que eleva a cifra das per-
das totaes durante o anno de 1868 a 2:371
navios.
NAUFRAGIO.Em seguida publicamos
os promenores que se cncontram no Mensa-
(jeiro do Meio-dia, sobre o naufragio de
que tem fallado os jornaes:
Toln, 17 de fevereiro.Urna terrivel
catastrophe succedeu a note passada no
nosso litoral.
O aviso a vapor Latouche-Treville, com-
mandante Bassct, sahio hontem s nove ho-
ras da notc para ir receber o corpo de
Fuad-l'ach, a Niza; tinha atravesado as
ilhas Hyeres, dobrado o cabo Camarat, e
acha va-so atravesando o golfo Jouan, quan-
do urna hora da mantilla o aviso de guer-
ra abalroou pelo flanco com um barco de
vapor, que raetteu a pique em monos de
cinco minutos.
Era o Principe Pedro, da coiopuiliia Va-
len, que vinha de Basta, com o correio
de Caaega.
.JHpomenlo da abordagem os dous
riavoSTOiam dez nos; d'este modo o cho-
que foi terrivel, e o desastre completo.
t O Latouche-Treville, slidamente cons
truido, resisti, e apenas perdeu o pau da
giba; mas o Principe Pedro, navio de fer-
ro, soffreu de tal maneira, que nao pode
ser salvo.
A gente da equipagem e os onze pas-
sageiros desappareceram; o Latouche-Tre-
ville conservou-se al ao romper do da no
lugar do sinistro para prestar soccorro aos
nufragos, e recolheu uns Irinta homens,
que conduzio a Toln.
Attribue-se aquelle desastre a urna
d'essas fatalidades que resultam de um ex-
cesso de prevengo; os dous navios tinham-
se avistado; os fogos de posco estavam
como deviam estar, mas a noite era muto
escura; querendo mutuamente evtar-se.os
dousmavios foram ao mesmo tempo para es-
tbordo, e encontraram-se a todo o vapor.
Hnuve n'csto terrivel sinistro scenas
lamentaveis ; em juanto os hom ;ns :1o Prin-
cipe Pedro, saltavam para o Latouche-Tre-
ville, proporco que o navio fallava. de-
baixo de seus ps, ouviam-se os gruw de
desesperaco dos passageiros, que se deba-
liam nos seus camaris, invadidos pelo mar;
a sua agona foi de curta duraco, por isso
que tudo desappareceu no moio das ondas,
e n'este momento seria mesmo di ificil en-
contrar o sitio exacto em que o navio se
submergio.
INNUNDACOES.A Independen??. Mg>
jrecebeu, do seu correspondente de Berna, os
seguintes pormenores, relativamente aos
desastres occasionados na Suissa pelas ul-
timas innundaces, e extrados da estatisti-
ca federal:
Foram 50 os morios, sendo 41 do
canlo do Tessino, e 9 do canto de Saint-
Gal!. A maior parte delles foram mortos.
querendo salvar o seu semelhante. Um
grande numero d'elles dexaram as familias
na miseria.
A totalidadedosprejuzoscalcula-seem
14 milhes 21:873 francos, sendo 1 milho
46:399 fr. por parte do estado, 4 milhes
609:186 Ir. pelas municipalidades e corpo-
rales, e8millies 287:612 fr. pelos par-
ticulares.
i Os particulares prejudicados classifi-
cam-se, segundo a sua fortuna, em 9:831
pobres, que perderam 2 milhes 939:576
frs; 3:772 indigentes que perderam m-
Hies 798:823 fr:; 2:560 remediados, que
perderam 2 milhes 519:213 fr.
ci Segundo os objectos, os prejuzos d-
viilem-se da maneira seguale: Puntes e
calcadas, diques etc. 3 milhes 538:765
fr.; campos e calcadas 7 milhes 649:151
fr.; edificios 1 milho 58:239 fr.
As perdas de 1868, comparadas com
as que se soffreram em 1834, em conse-
quencia de innundaces anlogas, mostrara
um augmento notavel em canles, que teem
hoje to desguarnecidas as suas florestas.
D'este modo, no Tessino e no Valais, de I
milho 3i5:9i'> fr. e 1 milho 395:555 fr.
de estragos supportados em 1834, regeiiarn-
se na actualidade 6 milhes 541:486 fr.
no primeiro d'aquelles canles, e 1 milho
692:542 fr. para o segundo.
Em contrario d'isto, Ur, em vez de
910:091 fr. no anno de 1831, figura em
1868 no quadro dos prejuzos apenas por
513:937 fr.
Se a estas duas calamidades accrescen-
tarmos a de 1839, menos terrivel nos seus
eleitos, comquanto o Tessino tenha ainda
perdido 2 milhes 12:000 fr., isto qua-
tro vezes mais do que o que soffreram os
demais cantes n"aquella poca, mostra-se
que custaram a Suissa um total de 24 mi-
lhes, sendo 10 milhes para o Tessino, 6
milhes para os Grisons, 3 milhes 8:000 fr.
para Valais, e o resto para Zurich e Saint
Gatl.
Os 24 milhes, divididos por 1834,
1839 e 1868, do no primeiro anno 6 mi-
lhes 730:000 fr., e o segundo 3 milhes,
164:546 fr. de prejuizo. N'estas tres po-
Parti ? exclamou Josephina cons-
ternada.
Mas nao se afflija, minha senhora
redarguo o commissario benvolamente.
Dentro de oito dias parte para all um bar-
co a vapor, era que poder tomar passa-
gem. No palacio do goveroador poder
solicitar a precisa autorisaciio. No tm de
tudo, a demora apenas de urna se-
mana.
Em quanto os dous funccionarios falla-
vam particularmente entro si, a jovem ap- ^^T".
proximuu-so de Rgaut o deixou-lhe escor-"
regar furtivamente entro as mos a sua
parca bolsa !
Tenho coraprehendido, minha bolla!
disse o forcado, fazendp ao mesmo tem-
po desapparecer a bolsa com a maior des-
treza Quer fazer-me a bocea doce, mas
preciso que eu entre no fio, do negocio
para me deixar escorregar. Quanto a este
Judas do capitao, ou me" bei de vingar ou
o iuerno me ha de tragar I
Grandval encolheu os hombros com des-
preso.
Sr. Rgaut,proseguio Josephioa-
dou-lhe a minha palavra que elle nao teve
a menor culpa... Alm de que, estou cer-
ta de que noho de deixar de ter em coo-
sidera;o os crueis sffriraentos porque
pa.-so i n'estes ltimos dias para o fim de'
lhe rainorarem a pena em que incorrea.
O castigo est marcado na le e esta
inexoravel acudi secamente o com-
missario.
O que me hSo de fazer ?redarguio
Rgaut com o seu rude cypsmo Condem-
nado, como estou, a trabalhos forjados por
toda a vida, creio bem que nao me pode-
ro aggravar a pena. PoderSo recorrer ao
calabouco e aos cincoenta acootes applica-
veis aos desertores, porm a esse respelto
veremos ainda como isso ser !
i Pois sim, veremos como isso ba de
ser, mas por agora diseajos--nos de mais
fanfarronadasinterrorapea o offieial.
O degredado, dirigiado>se a Josephina,
disse-lhe :
me cuidadosamente para me tirar do bucho
alguma cousa a respeito dos taes papis,
mas nada couseguio. Conta talvez com a
intervenco da mosca atordoada de seu
pai para esse fim ; coitad d'elle, porm,
se ousar revelar um segredo que me per-
teucc !
E elle sabe alguma cousa ? per-
guntou a joven, sem poder dissimulai' a
sua alegra.
Rgaut, mordendo os beicos de raiva,
Talvez, mas eu prohibo-lhe, endende?
Prohbo-lhe de confiar esse segredo a quem
quer queseja !... Urna palavra qualquer
que elle pronuncie a esse respeito sabe-la-
hei logo o ento que se livre de mim !
Mesmo na presenca dos gendarmes roaU-
lo-hei, d por onde der! Sim, mata-lo-
hei to certo como ha de existir o dia 'Je
amanha Saiba que en nunca faltei
minha palavra... Agora adeos ; nao fs-
queca o que lhe digo.
Levaram-no, e, como para o corrigirem,
iam-lhe jogando chufas e dand* murros ;
elle, porm, conservava os seus modos al-
taneiros. Ao retirar-se, voltou-se ainda
para Josephina, repetindo-lhe:
Hei de mata-lo !
A pobre rapariga, em resultado d'esJe
scena, ficra como anniquillada.
Pedro, Pedro dreia ella, arapa*-
rada por Grandval e por sea irmo Miguel
que a conduziara ao camaroteReceio bem
que este homem nos seja fatal! Coow
hei de agora atrever-me a solicitar de rara
par a revelacao do segredo ?... Oh I Sati-
ta Virgom, vinde em mw auxio I
O alicatado.
Smeate oa maoha do dia posterior
chegada do brigue Proswia que Josephioa te achou em staAfl
ir para trra com aeu. ifm3o e 6ratd*II-
nitenciaria de S. Lourenco, as margens
do Maroni, e, como nao houvessc estradas
no interior do paiz, forcoso era esperar a
partida do transporte a vapor, que d'alli
deva sahir passados oito dias, como nico
meio de chegar quelle destino. Alm d'isso
Josephina solfrera bastante durante aquella
longa viagem, e por isso era aecessario
que se aclimasse aro pouco e tomasse al-
gum repojaso antes de se expor a novas fa-
digas.
Concordou-se, pois, em que se alojara
com seu irrao em Cayenna durante aquel-
les oito das de espera.
A joven Bertomy nao tinha demasiados
recursos, como j sabemos ; alm de que,
queria reservar para seu pai o dinheiro que
possuia, e por isso informra-se da exis-
tencia de urna casa socegada, onde podesse
estar econmicamente com Miguel, sendo-
Ihe iodicada a residencia de urna mulata
viuva de um sargento do corpo de mari-
nha e que recebia hospedes a presos rasoa-
fc.
A fallar verdade, a casa eaa fra da ci-
dade e a'um ponto bastante solado, o que
pouco influia para Josephioa, que tinha
em vista sobretudo o socego e solidi. Foi,
pois, para se entender cora a proprietaria,
a viuva Gallois, que ella acabava de desem-
batcar, e juntamente Miguel e Grandval.
NSo fcil atravessar urna cidade eomo
Gayeoaa sem se Ihe-prestar alguma atten-
co. Para os jovens Berlomy tudo era
novidadepessoas e cousas ; por isso era
natural a estupefacto cota que elles con-
templavam o pitloresco quadro que, me-
dida que iam andando, se Ibes desearo-
lava aos olhos.
Cayenna, como j dlssemos, est como
qae etmoldurada a'ura vegetacao luxu-
riante quo se esteode a perder de vista e
a que um escriptor contemporaueo chamou
uta mar do verdura. Esta robusta e vivaz
vegetacao invade mesmo a cidade. Urna
grande parte de habitaces pouco elevadas
ccuKam-se sob frondosas larangeirB, ba-
cas, to crueis efectivamente, a carda.lc
recolheu respectivamente 509:000'fr......
343:800 fr., e 3 milhes 853:440 fr. au
7 0/0 e 21 0 0 dos prejuizos sofridos.
Estes ltimos algarismos indicam um nobre
progresso no sentimento de solidariedade
da humanidade.
EMBRULIIADA. Diz espirituosamente
El Universal, peridico liberal de Madrid,
refere a RevoliicSo:
La Esperanza nega que D. Carlos VII
tenha aceitado a regencia durante a mioori-
dade de D. Alfonso XII, pois que para que
D. Affonso XII, filho de 1). babel II, uve*
se como regente D. Carlos VH, era preciso
que Carlos VII abdicasse em D. Affonso
XII sob a condico de ser regente D. Car-
los VII, cousa que ira muito bem a D. Af-
fonso XII, mas nao agradara a D. Izabei
II nem a D. Carlos II. Como a cora d'Isa-
bel II pertencia de direito a D. Carlos VII
e oo a D. Isabel II aera a D. Affonao XII,
claro est que D. Carlos VII oo deve ce-
dc-li aD. Isabel II nem a D. Affonso XII
a jnenos que D. Carlos VII nao vlsse que
1). Affonso XII, filho de D. Isabel II, poda
fazer a felicidade deste paiz que to mal
governou D. Isabel'II contra o direo de
D. Carlos VII. s
INGLATERRA.Bastantes membros do
clero protestante tem feito a sua abjura-
co mez passado, convertendo-se ao-Ca-
th^iicismo. Mas um accontecimento, cujos
resultados podem ser aioda mais importan-
tes, o processo intentado em nome do
hispo angheano de Londres contra Mr.
Beunet, de From, cuja culpa ter onsna-
do a presenca real na iEucharstia. Se o
dogma declarado herezia pelas autorida-
des anglicanas, os pusestas e ritualistas
que o sustentara com firmeza, nao tero re-
medio seno deixar a igreja estabelecida,
onde, apesar de toda a sua vontade, nao
podero d'ora em diante reconhecer a ver-
dadera igreja de Jesus Christo. Pecamos
a Deus para que se Ihes abram de todo os
olhos, e para que os lacos que os retm
captivos, sejam completamente quebrados.
FICOU DESAPONTADO.A sceoa teve
lugar a'um vapor do carreira de Douvres a
Calais. Um inglez fuma sobre a coberta
com toda fleugma o seu charuto. Ao er-
guer os olhos, v prximo de si um fraocez
estremamente amavel, que j conheera em
Trouville. Ao r conhecerem-se approxi-
maram-se, e depois do recprocoquanto
estimo ver-vosdiz o inglez a seu elegan-
te companheiro:
Eu dirijo-mc para Brgton.
E eu para Londres, dsse o francez.
Pensis permanecer all durante toda
a estaco ?
L veremos; bem sabis que os ne-.
gocios....
Nao viaiaes por gosto ?
Nao. Conduzo urna joven ingleza a
sua familia.
Seris talvez seu perceptor.
Nao, senhor.
E onde est vossa compahheira de
vagem ?
Est l em baixo.
Coovdae-a para comer.
Impossivel: est mora.
Mora!
Em um athaude de chumbo. Minha
profisso consiste em conduzir cadveres
das pessoas notaveis que roorrem em Fran-
ca e entrega-Ios as suas familias. E' urna
boa industria! Se algum dia precisardes
dos meus servicos...
O inglez fugio para o seu camarote, sem
lhe responder palavra, e nao tornou a appa-
reeer mais na coberta seno em Douvres.
OS INTERRUPTORES.Um jornal fran-
cez faz assim a descripeo das differentes
especies de interruptores:
D... interrompe para dizer o que dizem
aquelles que esto fallando, mas dil-o
peor.
A... interrompe por malicia e para trans-
tornar o fio das ideias. Os interruptores
desta especie sao o flagello dos narrado-
res
C... interrompe por distraeco o por-
que a sua comprehenso demorada. Se-
gu as primeiras palavras que ouve, de
transco em transirn, at s ultimas con-
sequencias. Este interruptor o que per-
guuta quanto valia o z romano, porque
ha meia hora que se estava fallando do
preco pago a Judas pela sua traico.
Bertomy, conforme o disaera on naneiras e ontras atWes," a qne"flcfnn in-
do porto, fra enviado, depois ita.pMtttes os magestoaos coqueiros t pal-
Agora comeco a comprenender o fim
aua viuda aqai. Ainda egort palpoa- Luitima carta dirigida a sua filha, para a pH metras.
O que tambem d s casas um aspado
particular sao os tectos rasos, as varandas
guarnecidas de llores e plaas pirasitas, e
as jauellas, que, em vez de vidracas, teem
esteras diaphanas, que, dando entrada ao
ar e claridade, defendem o ingresso dos
numerosos insectos.
Os recem-chegados tinham occasio de
.'er alguns edificios importantes, seno pelo
seu mrito architeclonico, ao menos pela
solidez, como designadaraente o pafteio do
governador com os seus soberbos jardins,
a igreja com a sua bella torre e os vastos
quarteis militares ao longo da praia, de-
fendidos como que por um lequo de pal-
meiras.
As roas espacosas estavam aceadas, gra-
tas aos bandos de aves que se encarregam
de fazer desapparecer as immundicies.
Tambem, se nao fosse ama poeira avorme-
Ihada e ferruginosa que se levantava sob
ps dos transentes, e o estado de arden-
cia insupportavel quo adqairia o pizo das
ras com o rellexo do sol, poder-se- ia
julgar urna cidade europea.
O que tambem desilludia o observador
era a presenca da populaco, que se agi-
ta va n'aquellas ras afogueadas pelo sor e
sob aquelle magestoso arvoredo. Notava-
se primeiro a raca negra ; os protos, uns
cobertos de andrajos e descalcos sob o spJo
esbrazeado, outros vestidos exoticamenie,
alguns com grvalas ncriveis e os chapeos
collocadas exlravagantemente; cada qual,
emfiro, segundo a3 suas posses: as pretas
tendo por nico faWas suas carnizas, e
sustend* em equilibrio n'uma m8o ou
cabeca um ro qualqaer e com a outra
guiando s vezes grande collecco de
creancas, de cores dive*M entre si.
Depois d'esta rafa va-se a intermedia,
de cor mano* amigada, con (arma a maior
ou menor quantidade de sangue de branco
que lhe gira as veasbella raca emque
se oomprebendiata a formosas mulatas,
notaveis por sua elegascia, como aa .aiguo-
ras do Sene gal. para ver como ellas
passara aprestadas per defrouto das janel-
las, agitando gractoamenie os guarda-ses
e laocando ora para um* ora para oatro
F... interrompe porque acha que urna
vergonha guardar silaackt, e porque quer
representar um papel a todo o custo. Pro-
cura rasrauar-se, mas fal-o to desastra-
damente que corla a coaversaco fra de
tempo, attrahe a alinelo dos circumstan-
tes, assusta-se com o silencio, perturba-
se e balbuca. Entra m casa descontente
de si raesmo, pragueja contra si e decla-
ra que nao nasceu para estar com gente.
A mulher e os filhos inquetam-se. Que
lhe aconteceu ? De que soffre elle ? De
urna picada de alfinete no sen amor pro-
prio.
G... Diz sempreEmendo entendo, e
nao tem entendido nada.
Z... tem urna historia a contar desde
pela raanha, c ioterrompe a todos para
acbar meio de encaixar. N5o o consegue
nunca.
P... interrompe para pedir qualqaer
esclarecimento e mostrar a sua sufficieu-
cia. Da-se-lhe o esclarecimenlo pedido,
e elle responde gravemente : E' o que eu
dizia... E' o que me pareca.
V... interrompe por impaciencia, por-
que nao pode soffrer que qualquer outro
que nao seja elle, tenha por muito tempo a
palavra. Imagina que todos olham para
elle quando tem a bocea fechada e que o
setr silencio o faz passar por nescio. E'
necessario que falle, ainda que seja com o
risco de repetir o que tem dito milhares de
vezes.
Quantas oulras vari lades de interrupto-
res Quando estivesse esgotada a lista de
todas ellas, haveria ainda X... interruptor
benvolo, que procura tirar de difficulda-
des as pessoas que se acham embaraza-
das eoi alguma narraco desastrada; etc.,
etc.
THEATRO QUEIMADO.Annunciam de
Colonia que o theatro dessa cidade foi
destruido -na manha de 16 de fevereiro
por um incendio.
O fogo manifestou-se entre as quatro e
cinco horas da manha no giiarda-roupa do
primeiro andar, e communicou-se rpida-
mente a todo o edificio.
Accudio logo ao lugar do sinistro urna
multido, e bombeiros, soldados e habitan-
tes trabalhram com energa para salvar o
theatro.
Infelizmente as chammas eram to inten-
sas que nao havia salvaco possivel.
Ouvio-se sahirem gritos afflictivos de
urna jaoella.
Era o blhetero e a sua familia, que,
sorprendidos pelo incendio, pediam soc-
corro.
Fizerarn-se esforcos inauditos para os
arrancar urna morte imminente, mas
reconheceu-se qu era impossivel.
O fumo impeda que se prestasse auxilio
aos desgranados, que morreram todos oas
chararaas.
Nao a uoica desgrasa? que ha a lamen-
tar.
Cita-se um operario que fieou litferal-
mente esmagado por effeito da queda de
urna parede; muitos individuos ficram
mais ou menos gravenientes feridos.
As nove horas e meia da manha o
theatro estava inteiramente destruido e as
paredes dcsabavam com medooho es-
troodo.
O theatro de Colonia era novo.
0 precedente tinha ardido em 1859.
No espaco de dez annos, pois, dous thea-
tros foram leduzidos cinzas.
A sala do recem-queimado era muito
hclla c vasta.
ERRATA
Xo poema,aiehonlem publicado, deram-
sc alguns erros,dos quaes os principaes sao
os seguintes : na 1.a parte, 1.a estrophe.
lia um verso trocado, na 3.a parte, 5.* es-
trophe, om vez de sr John Falstoff, lea-
se sil' John Falslaff, c na 8.a estro-
phe em vez de ban-vvant lcia-se bon-
vivant, na 4.a parte, 4.* estrophe em
vez de bardo Ossam, leia-se bardo Ossian,
em vez dedas ilhas macerada, leia-se dos
olhos macerados"; em vez deseu cantar
era termo e vaporoso, leia-se seu cantar
ora terno e vaporoso, em vez de M.
George Sana, lea-se M. George Sand, na
5.a parte I.* estrophe em vez de pondo-lhe
ao lado, lea-se pendc-lhe ao lado, etc,
E mais outros erros de que fcilmente o lei-
tor far a correceo.
lado os seus olbares matadores. Trzem
o pescocoe os bracos carregadosde colla-
res e purseiras, na cabeca lencos de seda
indiana de vivissimas cores, cuja disposico
tanto significa para os entendedores. Com
a sua saia curta e sem feitios, de tecidos de
ramagera, tambem usada pelas crioulas
em servico domestico, offerecera m as-
pecto de' travessura que sorprende pela
singularidade.
Finalmente apparecia a raca branca, cuja
aristocracia a menos contestavel na Ame-
rica. No meio d'esta multido de varias
cores, o branco, por humilde que seja a
sua posico social, reconhece em si certa
superioridade, e recebe como- homerragem
devida" o respeito dos pretos e mulatos.
Os grandes e pequeos funecionarios,
magistrados, ecclesiasticos, oflicies e sol-
da ios que se viam as ras, eram quasi
todos da raca aristocrtica.
L se va tambem, mas raramente, urna
elegante vestida europea, de criooliae e
chapeo de Paris, passeaodo lnguidamente,
de sombrnha na mo e seguida da serva
preta. Era alguma senhora criouta ou a
mulher de algum funecionario publico, que
arrestando com aquella anniquilladora tem-
peratura, se diriga s suas compras ou a
algum passatempo.
No moio da gente martima, des gen-
darmes e soldados de varios uniformes que
cobriam os caes e as pracas, naVoeaiarra
Josephina de examinar com interesse tu-
morosos magotes de homens de jaquetas-e
calcas pardacentas, chapeos de palha e
tauMueos, que lhe haviam ski indicados
como desterrarlos. Uns carregavam e des-
carregavara barcos no porto, outros anda-
vam na calceta e alguns roaMwam eat bar-
cos. Tambem os havia empregados a bar-
rer as ras, onde as ave de rapia tinham
deixado que lmpar. Todos, excepciodo
pelolo das incorrigiveis, aadavam livres
e sem grilhela, e, se eram vigiados kom
do descanso, essa vigilancia exercia-sede
longo e sem carcter de oppressao.
(Continuttr-te-ha).



TI P. DO DIARIO KlA DAS CROUSII.


wfnnM i
1....... i I '


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGACTHRRH_RTWZM5 INGEST_TIME 2013-09-14T00:42:48Z PACKAGE AA00011611_11793
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES