Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11790


This item is only available as the following downloads:


Full Text
BBJB1
l
ANNO XLV. NUMERO 58.
I

i-

L
PARA A CAPITAL E LUGARES OHDE NAO SE PAGA PORTE.
Por tres raezes adiantados.................. 6f5K)00
Por seis ditos idem.................... 12;5OO0
Por um auno idem.....> ............ .24^000
<]ada numero avulso................... #320
SABBADO 13 DE IWARC'O DE 1869.
PARA DETRO E ORA DA PROVINCIA:
Por tresmeze adiantados................... 06750
Por ^is ditos idem..................<. I3J500
Por nove ditos idem................... 2052t0
Por um anno...................... 27(JOOO
Propriedade de Manoel Figueira de Faria & Filhos.
NAO ACJKXTliN:
Os Sis. Gerardo Antonio Airas & Filhos, no Para; Goncalves d Pinto, no Marauhao; 'Joaqtiim Jos de OJiveira, no Ceari; Antonio de .emos Braga, no Aracaty; Joo Mara Julio Chaves, no Ass; Antonio Marques da Silva, no Natal; Antonio Joaqun
Guimares Pancada, em Mamanguape; Antonio Alejandrino de Lima, na Parahyba; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha; Belarmino dos Santos Bulcao, em Santo Antao; Domingos Jos da Costa Braga,
em Nazareth; Francino Tavares da Cista, em Alagas; Dr. Jos Martins Alves, na Baliia; e Jos Ribeiro Gasparmho, no Rio de Janeiro.
PARTE OFFICIAL.
tovcino da pronJnHa.
xmmentf: assionado velo ex en. conde pe
BXVKMtV. PRESIDENTK DA PROVINCIA. NO DA 5
K MARC.0 DE 1869.
3." seccao.
N\ 202. -Portara no inspector da thesouraria
<4e fazenda.Reeommendo a V. S., que, em vista
cate, quo me remetteu o rommanJante superior
la comarca de Olinda rom oflicio de hontem,
usando liquidar e pagar os vencimentos dos ofll-
<*aes e pracas da guarda nacional destacadas as
fortalezas du Ilrum e Buraco, sendo os dos offi-
ciaes relativos ao mez de forereiro ulliuio e os das
praeas a 2.' quinzena do mesmo mez.
S. 20-t. Dita ao imb IHI V. S. snas ordens
para que da quautia depositada n.issa tli-^ourai ia
pelo commandante interino da coinpanhia de
aprendizes artfices do arsenal de mariha, capi-
llo de fragata Francisco Jos de Oliveira, seja en-
tregue a este a de 18'l0:l que forma o peculio
pertancente ao anreadiz artfice Feliciano Fran-
cisco Xavier de Holanda Chacn Jnior, que por
isvope fra desligado da referida coinpanhia.
N. SOi.Dita ao mesmo.Transmiti a V. S.
para sua intelligeiiria e execncao o aviso junto
por copia do ministerio da Justina de 23 de feve-
reiro ultimo rclaticmenle aos vencimentos a que
tera direitu os juizi's municipaes, quando exorcem
:i vara de direito no impediinento legal dos effec-
fivos serventuaros. '
Avilo ii^iip se refere a portara supra.
V.* seccao.N. 2338 Ministerio dos negocios
la iuslca.Rio de Janeiro, 23 de fevereiro de
1869.Illm. e Exin. Sr.Em resposta ao oflicio
n. WM) de 21 de dezembro ultimo, que acomp.i-
nbou o requerimento do basharel Jes do Pa'.roci-
oio Pereira c Silva, pe lindo pagamento dos venc-
meatos do lagar de juiz de drcilo que interina-
mente ecereera na comarca da Boa-Vista ; decla-
ro a V. K\c. que tendo o referido bacliarel subs-
tituido 'aquella comarca dous magistrados le-
galmente impedidos, e ambos no oso do respec-
tivo ordenado, em face das disposieoes do artigo !
28 do decreto n. 687 d" 20 de julho de 1850, e
dos avisos de te ministerio de 4 de julli > de 1861!
:tl de niaio de I8l5i, so tein elle juz pHiflu
gen dn oxercicio dos juizes substituidos, venc -
meatos e.+cs que liie foi abonado j cuino cuisia
lo seu di!i> requerimento, sendo inadniissivel
qaalqucr oulra intetMgnneia dada aos referidos
avisos.Deas guarde a V. Etc.Jota Martiniano
e Atontar.%c. presidente da provincia de Per-
aaitbucu.Ciimpra-e. o commnnique-se.Pala-
cio do govemo de IVrnanibueo, 2 de margo de
1869. Conde de lUependij.
R. 20o.Dita ao inspector da thesouraria pi#
vieta).A Antonio Do:niiigiies de Almeid.i Pocas
mande V. S. pagar, em vista dos inclusos atista-
los, que mo remetteu o delegad i do termo de
Agua-Preta c.mi oflicio do 18 de fevereiro ultimo
-walupucl. vencido no semestre de j:ilho a dezem-
re do anno prximo pasado das casas que sr-
vela ilc cadeia e quartel do destacamento n'aquel-
ie termo.
M. 2 il':i i ao mesmo.-Expeca V. S. suas
ordens. para que em vista das OBStols, folha, re-
!ac to Hominal e pret, jamos e:n duplcala, que me
renfetteo. o c iramandante superior da comarca de
OHada com otll'iii de Imiten, aojara liquidados c
pagos os vencimentos d i o'ii.-ial e pracaa da guar-
da nacional destacadas n'aquella cidade, sendo os
do afflcial correspondentes ao mez de fevereiro
ultim:. e os das pnces a 2.; quinzena do mesmo
mez, bem como a despeza feita dorante os mezes
Je novembro do anno prximo passado a feverei-
ro j citad.i can o fornecimento de luz e agua pa-
ta o quartel da pielle destacamento.
N. 207.Deliberacao.O presidente da provin-
iendo em vista o que n"]iieiv,i o arrematante
das obras do ponlelhao dos RenieJm$ Bcnto Joa-
quina Gomes, resnlve de conformidade com a in-
rormaeio do efaefe da reparH'eao das obras publi-
cas datada de 2 de fevereiro ultimo e sol n. 63.
oneoder-lltc mais trala das de prorogaeio para
nclnsa I daqueflas obras, a contar da data em
liuil iu-c a que ltimamente obteve para esse
' D,
E-^ta ser apresentada as esto oes competentes
para ter a devida execncao.
4.' seo lo.
X. 208.Portara ao presidente da cmara rau-
uieiBal do Recite.Havendo S. M. o Imperador,
.i t affeMes de sua bandado, mandad ontregar a
esta presidencia pela mordomia da casa imperial,
a qnantia de 6:UOt)QO0 para ser desiribuida pelas
familias, que licaram sem Bbrjoo e em miseria,
n consequencia da nnunJneao do rio Gapibaribe,
que lanos estragos cansn esa provincia, resol-
vi, para que se faca com juslica e a devida pro-
poreao aquella distribuico, crear nesta capital
urna commisso composta de V. S. e dos Drs. che-
le de polica c Ignacio Imqafm de Souza Leao, a
qual Sea incumbida :
l* de fazer a distnbaicSo pelas familias que
'iverem naquellas condicoes, residcnles no mu-
nicipio da capilal o eneai regar dessa incumbencia
a .outias. que (ieam igualmente creadas'nos niti-
uicipios de Pao d"Allio, Limoeiro e outros, que,
paunados pelo Capibaribe, haiam solrdo cun a
. aa inundado, aUendendo para o estado de cada
ma dessas familias c numero de possoas que ti-
verem.
2." D;' enearrogar da destrbuigao dessas es-
molas nos municipios de fra da capital outras
eooroisades, eompostas dos respectivos delegados
de polieia e presidentes das cmaras municipaes,
e de mais un cidadao designado pela commisso
da capital, que prestarao a este as convenientes
mformicles para poder regular a somma que lhe
lew ser enviada.
rara receber o donativo feto por S. M. o Impe-
rador, e constante de urna letra passada pelo tlie-
soureiro geral do thesouro nacional sob o tlieson-
reiro da fazenda da thesonraria desla provincia,
reir Lopes Jnior permissao para dar boje un
beneficio no theatro de Santa Isabel, pagando pre-
viamente ao adininistrador o respectivo aluguel,
nos termos da portara desta presidencia de 2 de
Janeiro do crrente anno; assim o eommunico a di-
rectoria do mesmo theatro para seu conhocimento
e lns convenientes.
N. 211. Dita ao gerente da eompanhia Pemam-
bucana.Pode Vine, fazer seguir para os portos
do norte e sul os vapores Ipojuca e Poteugi, no
da e hora indicados em seu ellicio de 4 do cr-
tente.
EXPEDIENTE ASSIGNADO PKLO SR. DR JOAQUN COR-
REIA DE ARAUJO, SECRETARIO DO GOVERXO, EM 5
DE MARCO DE 1869.
1.* seccao.
N. 212.Oflicio ao inspect.ir do arsenal de ma-
rrana.S. Exc. o Sr. presidente da provincia dan-
do as convenientes ordens para ser entregue ao
commandante interino da eompanhia de aprendizes
artiflees, a quantia de 1831203 do peculio perten-
cente ao aprendiz Feliciano Francisco Xavier de
Hollanda Chacn Jnior, assim o manda commu-
nicar a V. S. em resposta ao seu oflicio de 4 do
crreme sob n. 1697.
2." seccao.
N: 213.Oflicio ao commandante superior da
guarda nacional de Olinda.S. Exc. o Sr. presi .
dente da provincia manda declaiar a V. S. em res-
posta ao seu oflicio de hontem, que transinitto-se
as thesourarias geral e provincial, para os llns con-
venientes, as cuntas, folhas, relacoes nomnaos e
pret<, que em duplicata vieram aaiexos ao seu ci-
tado oflicio.
N. 214.Dito ao juiz de orphaos desta capital
O Exm. Sr. presidente da provincia manda de-
clarar a V*. S. que n -sta data se expedio ordem ao
director do arsenal de guerra para admittir all,
como aprendiz, o menor Jos Luiz Moreira, de que
trata o seu oflicio de 4 do corrente.
N. 215'.Dito ao delegado de polica do termo
de Agua Preta.^-Nesta data autonsou-se a the-
souraria provincial a pagar a Antonio Domingues
de Ahneida Pocas a importancia dos nlugueis con-
stantes do oflicio de V. S. datado de 18 de feverei-
ro ultimo, o qual iiea assim respondido de ordem
do Exm. Sr. presidente da provincia.
3. secca .
N. 216.Oflicio ao inspector Aa thesouraria de
fazenda.De ordem de S. Exc. o Sr. presidente da
provincia, transmuto a V. S. a inclusa ordem do
ministerio da guerra datado de 22 de fevereiro ul-
timo.
N. 217.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. presiden-
te da provincia manda declarara V. S. para os luis
convenientes, que nesta data appriivou a delibera-
Co tomada pelo delegado do termo da Boa-Vista,
de alagar pir aOOO mais urna ca>a para quartel
do destacamento all existente.
N. 218.Dito ao inspector da thesouraria pro-
vincialO Exm. Sr. pre-idente da provincia aca-
ba de conceder a Jorge Vctor Ferreira Lopes Ja-
nor permissao para dar hoje um beneficio no
theatro de Santa Isabel, nos termos da iMirt.iria de
2 de Janeiro do corrente anno: o que a V. S. eom-
munico de ordem do mesmo Exm. Sr.
i. seccao.
N. 219.Oflicio ao administrador do theatro de
Santa Isabel.Concodendo nesta data a Jorge Vc-
tor Ferreira Lopes Jnior permissao par dar
boje um beneficio no theatro de Santa Isabel, de-
pois de haver pago a Vine a importancia do res-
peevo aluguel nos termos da portara des'.a presi-
dencia de 2 de Janeiro do corrente anno : arsim
lli'o eommunico para seu conhocimento e lins con-
venientes.
EXPEDlKNTi: ASSII.NADO l'KI.O EXM. SR. CONDE DE BAB-
l'E.NOY. I'KKSIUENTK DA PROVINCIA. EM 6 DE 1HRCO
DE 1869.
1.a scelo.
N. 221Portara ao Exm. general commandan-
te das armas.Inteirado de quanto V. Exc. expede
em seus ofllcos de 2 e o do corrente, sob ns. 121
e 128 tenho a dizer em resposta.^ que nesta data
recomnieiido ao inspector da thesoumia de fazen-
da.;que mande pagar os venementus relativos a 2
quinze na do inez de fevereiro ultimo, dos prisio-
neros de guerra paraguayos, e das pravas empre-
gadas no deposito de recrutas, devendo entretanto
continuar a ptica estabelecida de sercm as folhas,
prets de taes vencimentos remettidos a inesma the-
souraria por intermedio desta presidencia.
N. 222.Dita ao capito do Porto.Tendo lau-
cado o cumpra-se no exequtur imperial confir-
mando a nomearao do Sr. F. A. Wigelin papa
cnsul do Reino'da Dinamarca nesta provincia ;
assim o eommunico a V. S. para seu conheW-
menlo.
N. 223.Dita ao inspector do arsenal de mar-
nha. Faco com este apresentar a V. S.. afltn de
ser alistado na eompanhia de aprendizes mari-
nheiros se fr julgado apto, o menor Jos Joaquim
dos Sanlos.
N. 224.Dita ao cnsul da Dinamarca.Re-
mello ao Sr. F. A. Wigelin. debidamente registra-
do e com o competente cumpru-se no exequtur
imperial, confirmando a sua nomearao para cn-
sul do Reino de Dinamarca nesta provincia, e a
que llude o oflicio que me dirigi o mesmo Sr.
cnsul em 4 do corrente, certo de que nesta data
iei seieneia de sua nomeacao as diversas antor-
dades. Aprovelo a occasio para apresentar ao
Sr. F. A. Wigelin a seguranca de mnha perfeita
estima e distincta eonsideracao.
24 seccao.
N. 22o.Portara ao Dr. chefe de polica. De-
volvendo a V. S. como pedio em oflicio n. 233 de
16 de fevereiro prximo lindo, os ofllcos dos sub-
delegados da Cauunga. Recite, Varzca e do fiscal
da Boa-Vista, relativamente aos soccorros levados,
aos lugares innundados pela cheiadorio Capibaribe
reeomiuendo-lhe que me envi una relacao cir-
camstanciada dos individuos que se distinguiram
nos servicos prestados para salvacao das victimas
da innundacao, afim de poder satisfazer o aviso
do ministerio do imjieriode 22 de feveiro prximo
lindo.
K. 226.Dita ao mesnia Tendo laucado o
cumpra-se no exequtur imperial, confirmando a
hppe de Paulo, por uso de armas defesas, e Jos,
africano, por crime de ferimentos.
A ordem do de S. Antonio, Manoel das Nevos Bar-
bosa, por desordem.
A' ordem do da Magdalena. Joaqun Antonio
da Silveira, por crime de furto de cavaltos. -
Por Bjcio de 10 deste mez communic ui-nie t)
Dr i^fuado de*ta capital pie- mandou p'n--eH-Ji-
berdane a Dellno Rodrigues de Andrade, de
quem tratei em minha parte diaria sob n. 251 do
19 de levereiro ultimo, visto coir i tendo c.i passa-
do o mencionado Dellino sua d.s|K)sicao. allin de
proceder centra elle na forma da lei.do resultado
de suas diljrencias nenhunia prova poude ohter,
que auetorisasse o procedimento otcial, alm de
que contra o individuo nenhuma queixa lhe foi
apresentada.
Deas guardo a V. ExcIllm. Exm. Sr. conde
de Baependy, presidente da provincia.O chefe de
i poilcia, Francisco de Faria Lemos.
Britto, Pedro Affbnso de Albuquerque Marimba o,
Candido Pereira do Espirito Santo e Manoel fiba-
lo do Nnseimento, oque alinde o seu oflicio n. 61,
de 4 deste mez, una vez que tenliam moralidade.
N. 231Dita ao mesmo. Mande Vine, desli-
gar do corpo sob seu cmninande ao soMari Luiz
Francisco do Espirito Santo, de que trata 0 seu
oflicio do 4 do corrate, sob n 60.
N. 232.Dita ao mesmo. -FacS "tme? WpSfc
clonar ao soldado Laurentino Correa de Barros
do corpo sob seu commando, que assim o regie-
ren na peticao junta.
N. -133.DeliberacaoO presidente da provin-
cia, attendendo ao que requereu Antonio da Silva
Ferreira Jnior, capitao da guarda nacional do
servio da reserva, ajfgregado ao respectivo 3
batalhao deste municipio e a informacao de 27 de
fevereiro ultimo, do commandante superior interi-
no, resolv* conceder-lhe um anno de licenca para
ir a Europa.
3' seccao,
N. 235'.Portara ao inspector da thesouraria
de fazendj.Inteirailo de qu nto V. S. expoz em
sua informacao de 3 do corrente, sob n. 123, te-
nho a dizcr-lhe que se exisiiiem nessa thesoura-
ria os prets, tirando vencimentos relativos a se-
gunda quinzena do mez de fevereiro ultimo para
os prisionciros de"guerra paraguayose macas em-
pregadas no deposito de recrutas.' mande liquidar
o que justamente se dever de taes vencimentos.
N. 236.Dita ao mesmo.- Tendo laucado o cum-
pra-se no exequtur imperial, confirmando a no-
meacao do Sr. F. A. Wigelin, para eOttsnl do Rei-
no da Dinamarca nesta provincia ; asshn o eom-
munico a V. S. para seu conhecimento e lins con-
venientes.
N. 237.Dita ao inspector da thesouraria pro-
vincial. Ao sargento Deomedes Francisco das
Chagas mande V. S. pagar, dejiois de liquidados
em vista do pret nominal junto em duplcala, que
me remetteu o commandante superior da comarca ,
de Santo Antao com oflicio do 1 do corrente, os |d" mrenle. e sob proposta do commandante do 3
vencimentos relativos ao mez de fevereiro ultimo i batalhao de inhniana do municipio do Recite, io-
dos guardas nacionaes destacados na villa da Es- nn Borneados :
m^u VnciUe-qu.o riel-mes! re o alteres secretario Jo-
N. 238 Dita ao mesmo.De conformidade com s da Silva Loyo Jnior.^
sua informacao de 4 do corrente. sob n. 121. man- l.'.couipanhia.-Capitao o lenle AnK mo Jos
de V. S. adintar ao thesotireiro da repartido das 5
PERMMBUCO.
REVISTA DIARIA.
ACTO OFFICIALPor portara da presidencia,
datada de 12 do corrente, foi nomeada urna com-
misso, coiuposta dos Sis. Dr. Olynipio Marques da
Silva, ajudante do procurador liscal da t'iesoura-
ria provincial, capitao reformado Jos Ignacio de
Medeiros Reg Monteiro, e Joaquim Pereira Bas-
tos, prmeiro escripturnro da thesouraria de fa-
zenda, para syudicar de fados occorridos no pre-
sidio de Fernando de Noronha, e informar do es-
lado do mesmo'presidio, para que o governo possa
providenciar oque forconveniente acerca dosmes-
mos facios e da adounistracao dessa illia.
GCAliliA NACIONAL.-Por deliberacao' de 10
obras publicas a quantia de 11:250|. constante do
incluso pedido, a qual faz-se neee-sari.i para as
despezas rom as obras por adininislraca'i no cor-
rente mez, segundo declarov-me o chfe daqnefla
repartirn em oflicio do Io do mesmo mez,Jk
n. 79.-'
N. 239.Dita ao mesmoHosta dato, ivcoin-
mendo ao chefe das obras publieas que mande
aterrar um pequeo alagado que existe no terreno
em frente do sitio do cirurgiao Teixeira. e onde
se,,conservou estagnada< as aguaspliivims bou de-
trimento da sade publica, segundo consta de
oflicio da cmara municipal desla capilal datado
de 11 de fevereiro ultimo, sob n. 6. O que de-
claro a V. S. para seu conheciiuonto e Hns con-
venientes.
N. 240.Dita ao mesmo.Declaro a V. S. para
seu conhecimento e lins convenientes, que o chefe
3." dta.--Tenentc o alteres Jos Lopes de Oli-
veira.
4." dita. -Teneiite o aderes Manoel Gomes de
Figueiredo Castre, alteres Antonio Jos Alves de
Carvalho n Manoel Odilon de Lima Viraes.
7." dita.Capitao o tewnte Manoel Marques de
Abren Porto, alteres Francolino Deodato Rodrigues
Ferreira.
SENADORES Eis o res litado da votacao dos
collegins do Recite. Pao d'Alho, Olinda. Igarassii,
fiarawia. Nnzareth. Lmoeini, Cabo, Escada, Santo
Antao, Serinhaem. Rio Formo, Barreiros, Bonito,
Garanhnns, S. Rento c Caruaru :
Visconde de Camaragibe................ 1 334
Conselheiru Jos Bento da C. e Figueiredo 1,278
Dr. Ignacio Joaqnia de Souza Leao....... 1,275
DesembaMador Alvaro I!. I'chaCavalcanle 1,271
Dr. Joiio io(' Ferreira de Asmiar......... 1,144
da repartcao das oblas publicas parlivpou-nie em Conego Joaqujni I'inlo de Campos......... 1,123
oflicio e hiHitem sob n. 89, que, ach.uido-s,; con- UKP1 T4DOS A ASSKMBI.A GERAL.Aebam-
cluido o passadeo da I'a>sage:u da Magdaleaa, foi \ se emas os ftgBioh
restabelleeido o transmrpara pessoa a pe, carros ] y.. 4^,ioto
( cavallos com excepeao d" cirros de engenhos Viscoii"] de Camaragibe.....>..........
Ilr. Joaquim de Souza liis...
Dr. Francisco do Rogo Barros Brrelo.......
2" dislriclo.
Dr. Jo;i Alfredo Corees da Oliveira.........
Dr. Tlieodoro Machado Freir Pereira da
Silva..
com grande carregamento, e autorisado o respec-
tivo arrematante a continuar na arrecalacao do
pedagio que se cobra va na barreira alli estabele-
cida.
N. 241.Dita ao mesmo.Temi V. & eoi ofli-
cios de#21 de dezembro do anno lindo o 28 d Ja-
neiro do corrente, pedido a abertura de crditos rr. j.Juveueio Ferreira d Aguiar.
supplementares ao S 2" do.art. 6 da le do orc-j ; agrieto.
ment vigente para ot correr ao pagamento dos s.v rj^cBabargador Alvaro Barballio 1 clia is-
larios dos serven'es (i;i escola normal, e nao ha- ; valcantc...............................
vendo a mesma lei arbitrado se nao quantia para |)r 'j,,a(|uni Pires Hacha lo Portella.........
um d'esses empregados, na razo de 1 280 diarios. Co^Jheiro Jos.' Bento d CnUha e Figue-
cumpre para poder-se resolver sobre aqnellr pe
dido que V. S. inform pansjne motivo nao se man-
dou salisfazer essa diaria na proporelo de l60i).
como abonou-a igualmente a oulro servente, cre-
ado pelo rgulamer.to de 21 de julho do anno pas-
sado, que est dependente de approvaeao da assem-
bla provincial, achandoso este para o abono dos
vencimentos no mesmo caso dos professofes no-
meados emvirtude d'esse regulamento, os qnaes si
puderao recebl-os, prestando Sanea idnea ; de-
clarando outrosm se aquella diaria paga s ni>s
das uleis ou tambeni nos feriados.
337
324
308
441
434
430
349
340
320
tente, para tras jovens, habitadores de um sobra-
do na_rua da Concordia, que nenhum respeilo e
attencao tem as familias ali moradoras, e que pra-
ticam e d.zem quanta obscenidade Ihes vm ca-
beca. Sendo isso rerdade, i: rasoavel que se at-
tenda pedido to justo.
LOTERA.A que se acha a venda,", a 98. a
beneficio da matriz de -Nazareth, que corre segun-
da-feira lo do corrente.
JURY. Nao fiinccionou hontem nem ante-iion-
tera esse tribunal falla de numero suflleente de
juizes de facto.
PASSAGEIROS. Da barca portugueza Seguran-
ca, entrada do Porto :
Jos da Silva Pesqneira, Manoel Francisco Fer-
reira, Jos Gomes Ferreira, Manoel Domingues, An-
tonio de Oliveira, D. Justina Guedes de Jesns, D.
Rosa, D Julia, D. Olinda, Antonio Goncalves Vian-
na, Antonio Ferreira, Joan Jos de Andrade, Jos
Ferreira Lino, Manoel Goncalves Pereira da Silva,
Manoel Lourenco dos Santos Coelho, Joao Machado
da Rocha
ra Joaqui
Joo Expos
Pinto
Guimares, ....
Lopes, Antonio Marques rerreira Antonio Manoel Jail0 ^mhi ao.COnm,el.(.io embargante a-
Vaz da Molla, Luiz Qneiroz, Antonio Mana Dar- trir appollante Theodoro Cbristiaiisen. embargado
bosa, Augusto Pinto de Souza, Dmiz Dia^ Pereira,
Jos Jorge, Mara do
Annnda, Jos Pereira
or, Antonio Jos Lag
Ihos.
JLLAME.NTOS.
Juizo municipal e do cominercio do Olinda :
embargante appeRado autor o tutor da orphaa ti-
Iba de Manoel de Gouvi'a Souza. embargado ap-
pellante reo Joaquim de S Cavalcante de Albu-
querque ; juizes os Srs. Silva Guimares, Accioli,
Miranda Leal e barao de Ciuangy. -Receberam-
se os embargos, sendo voto vencido o Sr. desem-
hargador Silva Guimares.
Juizo municipal e do cemmercio do Pilar, pro-
vincia das Alagas : embargantes appellantes reos
os administradores da massa fallida de Antonio Jo-
s de Figueiredo, embargado appellado autor Eu-
genio Moreira da Silva ; juizes* os Sr<. Res c Sil-
va, Accioli, Miranda Leal e Rosa. -Despre-ados
os embargos com o vol do Exm. Sr. presidente,
sendo votos vencidos os Srs. Rosa e desembarga-
dor Accioli.
Juizo municipal e do commercio de Campia
Grande, provincia da Parahvba : embargante, reo
appellante Alejandre Francisco de MaCedo, em-
e s-ouza, iJ.niz u.a Fere.ra, n,n appellado Framisco Antonio de Albuquerque
J L?.rmo ^arr0f 'i?; E,,n,,,a Mell uizes os Srs. Reis e Silva, Accioli, Rosa e
, D. Mana Jos da Silva Leo- harao de Cru.iDgv.--Desprezados os embargos-.
I). Antonia Mara c 4 (i-
t IIHONK \ .11 lurnRn.
N. 242. Dita ao chefe da repartcao das obras
publicas. Pelo oflicio que Vine, me dirigi
hontem, sob n. 89 c a que respondo, fiquei intei-
rado de achar-c concluido o ptiseadmo da Passa-
geni da Magdalema, e restabelleeido alli o transito
publico para pessdas a pe, carros e cavallos com
excepcao de carros de engenhos coai grandes car-
regamentos.
H. 243.Dita ao mesmo.Pode Vine, conforme
indica em sua informacao de 2 do corrente sob n.
83, mandar aterrar o pequeo alagado que existe
no terreno era frente do sitio do fallecido cirurgiao viagem.
Teixeira, e onde se conservam estagnndas as aguas
ptuviaes com detrimento da sadde publica, segun-
do consta de oflicio da cmara municipal desla
capital datado de 11 de fevereiro ultimo sob n. 6.
redo...............................
' 4' dutrid.
O resulta io dos colkgios deste districto, com
e\cepcaodos de Bom-Cdnsellio e Buque. abrau-
gendo 103 eleiteres, que j nao podem influir no
total, o segrale :
Dr. Atoslo l'rcli i ico de Oliveira.......... 243
Francisco Raphael de Mello Reg........... 243
CMARA MINICIPAl-.-Cni seseio di hontem
(Orara exonerados o procurador e o fiscal da fre-
L'iie/.ia da Varzea, sendo nomeados :
Procurador, o Sr. Jos Simplicio de Sa Estoves.
Fiscal da Varzea, o Sr. Roque Antonio Correa.
NAVIOS ENCONTRADOS.No dia 5 de corren-
te. na lat. S. I" ?0' e long. O.KP o, o br gne hol-
landez Juntas fallou cooi a escuna norte-alleuiaa
Joltannrs. em viagem de Haraburgo para Montevi-
deo, com 75 dias de viagem.
No da 22 do passado, na lat. N. 1" 2" e luiig.
O. 26 5', o hrigae francez Saint Lovis fallou com
abarca da mesma nacao Le Su/frin, em viagem
de S. Sebastiao para Bayonna, com 35 dias de
por-
gue me foi remeltda pelo couselheiro mordomo da 'lonaJ> **L 225ipa" ?nSU' d" R'!n
n.nr;,i a.,,, i nn^0e.,ro aninpi.rn.3n nn da Dinamarca ne>ta provincia ; assim
asa imperial, dou a neeessaria autorisaeo ao
Dr. Ignacio Joaquim de Souza Le'io, cnviado-lhe
para aquello lim a mencionada letra, cuja impor-
ia Beara a disposicioda commisso da capital.
Regatados esees 6:0005000 a commisso apresen-
tara a esta presidencia para ser levada ao alto co-
nhecimenlo de S. M. o Imperador, uina relacao no-
minal das familias soccorridas, com Weclaraco do
numero de pessoas de cada urna o dos lugares de
uas residencias.
Espero que V. S. desempenlie esta incumbencia
rom o seu reconheeido zelo, correspondendo as-
sim s vistas paternaes de S. M. o Imperador-
Idntica ao Dr. Ignacio Joaquim do Souza Leao.
N. 209.Dita a cmara municipal da cidade da
Victoria.Dando solucao ao oflicio de 18 de feve-
reiro prximo findo da cmara municipal da cida-
de da Victoria no presente quatriennio, tenho a
dizer-lhe que nao podia a cmara transacta appli-
ar a flm diverso o 1:003J003 doado por S. M. o
Imperador, para construeco de um cemiterio nes-
a cidade, mas tendo-o feilo em provelto das obras
do aeougue, cumpre que da renda municipal do
exercieio corrente se destine quantia equivalente
para pagamento desse deposito, que se conservar
intacto at ter a devda appeaeao, devendo a ca-,
mar procurar reallsar com brevidade a construc-
eS do dito cemiterio, para o que reclamar deste
joverno as providencias que forera necessarias.
N. 2*0.Dui a directora do theatro de Santa
Isabel.Oinecdendo nesta data a Jorge Vctor Fer-
o eommu-
nico a V. S. para sen conhecimento.
N. 227.Dita ao mesmo.Responden do ao ofli-
cio de V. S. de 3 do corrente, sob n. 312, tenho a
declarar-lhe, que em data de 4, ja providenciou
esta presidencia a respeito do que trata o dito of-
licio, mandando entregar, como foi participado a
V! S., ao delegado de Flores e ao de Villa Bella, a
quantia de 3001000 para as despezas com alimen-
tac;ao dos presos das respectivas cadeias, sendo a
remessa dessas qnantas feitas por intermedio do
Dr. Joaquim Goncalves Lima.
N. 228.Dita ao commandante superior da guar-
da nacional de Garanhuns.Em resposta ao oftT-
co que V. S. me dirigi em 23 de fevereiro ulti-
mo, sob n. 14L tenho a dizer que em virtude
de sua requisico de 24 de Janeiro prximo findo
n. 5, expedio-se ordem a thesonraria de fazenda
para pagar a Francisco Pereira de Mendoza &
C, os vencimentos relativos aos raezes de outuhro
a dezembro do aano prximo passado, dos guar-
das nacionaes destacados na povoaeao de Aguas
Bellas, e por isso nada mais ha a providenciar- a este respeito.
N. 229.Dita ao juiz municipal do ExIn-
forme Vmc. em que estado se acha o processo
instaurado aos autores do arrombamento da cadeia
dessa villa 15 de novembro do anno lindo.
N. 230Dita ao commandante do coqio provi
serio de polieia.Pode Vmc. alistar no eorpo sob
seu commando aos paisanos Joaqun} Antonio de
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 11 DE BUBQO
DE 1869.
Barao de Campo Alegre.Passe portara.
Francisco de Miranda Leal Seve.Passe
taria.
Francisco Sergio de MattosInforme o Sr. ins-
pector da thesouraria de fa/.enda.
Josu de Jess Jardim Pmentel.Informe o Sr.
inspector da thesonraria de fazenda.
Jos Alexandre BibeiroDirija-sc ao provedor
da Santa Casa da Misericordia d'esta cidade, a quem
nesta data se expedem as ordens convenientes
acerca do que pede o supplieante.
Joao Paulino Marques.Informe o Sr. inspector
da thesouraria de fazenda, ouvindo o da alfan-
dega.
Justino Manoel Ramos.Provideneiou-e para
que o inspector do arsenal de marinha proceda nos
termos do parecer da contadoria di thesouraria de
fazenda.
Mesa regedora da ordem tercera do Carnio.
Expeca-se ordem para que um dos batalhoe* da
guarda nacional acompanhe a procisso, indo a
eompanhia de menores do arsenal de marmita e
guerra a forca que for necessaria para fazer a
guarda dos andores.
Mirandolina Nuncs Pinto.Como requer.
Manoel de Barros Barrete.Informe o 8r. enge-
nheiro chefe da repartcao das obras publicas.
Miguel Laurentino de Siqueira Varejao.Infor-
me o Sr. engenueiro chefe da repartcao dasiibras
publicas.
Manoel Martins Pires.Ao Sr. desembargador
provedor da Santa Casa de Misericordia.
Itcpnrtlvio da polica.
2" seccao.Secretaria da polieia de Pernambuco,
12 de marco de 1869.
N. 367.Illm. c Exm. Sr.Tenho a honra de
levar ao conhecimento de V. Exc. que, segundo
consta das participacoes recebidas hpje nesta re-
partcao, foram hontem recolhidos casa de deten-
cSo, os seguintes individuos:
sernos hontem o resultado do collegio de S. Bento,
4 districto:
A ordem do Dr. delegado desta capital Jos
Joaquim de Aguiar, por crime de estellionatn.
A ordem do subdelegado do ftecife, ManoerFe-
CALCAMENTO.O da ra do Queimado^entre
a estwna do Rosario e o bceo da CoBgrBgac5o.de-
manda reliaros. Aeha-se abatido em mu1 tos pon-
to? e difllciilta o transito de vehculos.
PROCISSO.Sahio hontem tarde, do Carino,
em direccao do Corpo-Sanlo, em procissao, a iina-
gem do Senhor Bom Jess dos Passos.
Fornnram acorapanhamento todas as irmanda-
des, confraras e ordens religiosas da cidade, o fe-
chou o prestito, numeroso c escolhido, urna briga-
da de guardas nacinos.
Ss. Esos, o presidente da provincia, o Lspo dio-
cesano e o commandante dus armas; o cabide e
grande numero de unceionarios publiocs, igual-
mente a acompanharam.
A procissao esteve explendida, e maiir brilho
lhe dava o immenso concurso depovo que a acora
panhava e e-perava-a pelas ras de ten tran-
sito.
Al'LA PUBLICA.A professora publicx Joanna
Justina de Siqueira Varejao, se acha em xerccio
de sua cadera desde o dia lOdo corrente.
ELEICO DE ELEITORES Chcgou hontem o
resultado desla eleico, no collegio do Salgeiro,
m rtencente ao 5. districto, salando eleitos :
Eleiteres para senador.
los Rufino de Araujo.................. 632
Romo Pereira Filgueiras Sampao....... 615
Domingos GoiicalveSv Martins Prente..... 611
Antonio Rufino de Araujo.............. bib
Manoel do Nascimento Sampaio.......... 594
Manoel Angelo de Araujo............... 590
Antonio Sampaio Filgneiras............. 383
M-moel dos Santos Silva................ 580
Joaquim Manoel Sampaio............... 578
Manoel Ramos do Reg Mello............ 573
Ignacio Rodrigues Maia................. 570
Joaquim Correa de Mello............... 561
Eleiteres para deputados.
rRomao Pereira Filgueiras Sampaio.......
Jos Rufino de Araujo..................
Antonio Sampaio Filgueiras.............
Timan Ferreira Machado...............
daldino Alvesde Araujo................
Manoel dos Santos Silva..............-...
Antonio Manuel do Lavor........w......
ntiici wi do coniijicio
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 11 DE
MARCO DE 1869.
PRESIDENCIA DO EXM.'sR. DESEMBAJUJAD01I ANSELMO
FRANCISCO PERF.T \^
As 10 horas da manhaa. re' ^.. ^| Srs. depu-
lados Rosa, Miranda Leal. bai. jPruangv e o
supplente S Leito, presente Sr. desem-
bargador fiscal, S. Exc. o Sr. presidate declaren
aberla a sessao.
Lida, foi approvada a acta da sessao antece-
dente.
EXPKDIKNTE
Assignaram-se as cartas de matrculas expedi-
das aos commerciantes Joaquim Alfonso dos Reis
e Jwquim da Silva Costa.
Aos Srs. deputados foram distribuidos os se-
guintes livros : Copiador de los Victorino de R-
zende & Caldero, de Oliveira, Filhos & C=ddem
de J. O. C. Dayle.Diario de Amorim Irnins.
Fui visto o lvro da correspondencia oflicial que
se encontrn regularmente escripto at n. 90.
DESPACHOS.
Requerimento de Jo' Joaquim da Costa Maia
Jnior, para se lhe registrar a sua nomeacao de
caixeiro de Jos Joaquim da Costa Maia & C=
Registre-se.
Dte de Manoel Fernandos da Costa & C, para
registrar-, e o seu contrato social.=Visla ao Sr.
desembargador fiscal.
Dito de Joaquim da Costa Campos A Capara
" dar-se-lhes eeridSo do registro da nomeacao de
seu caixeiro Manoel Moreira da Silva Santos.
Como reqiiereiii.
Dito de Ignacio Pessoa da Silva para se annotar
no competente registro nao ser mai seu caixeiro,
por llavero despedido, Jos Narciso Pires As-
sninpco, o registrar-se a noineaco do que subs-
tituira-o Maximino da Silva Gusmao. -Como re-
quer.
Dito de .Manoel Marques de Anionm. Jos;'' Joao
de Amorim Jnior e Manoel Joao de Amorim 8o-
brinho- registro de sen ntrate social coinman-
ditario sob a firma de Amorim Irmos & C.= Vis-
ta ao Sr. desembargador fiscal.
C.oiii informacao do Sr. desembargador fiscal :
De Jo- Japome Tasso. mandado pelo E\ui. Sr.
presidente da provincia informar, e tendo o Sr.
desembargado!- liscal dado favoravel iiareccr, 0
tribunal adopten o mesmo parecer, e resolvsu
que se devolvessem os papis a S. Exc. declaran-
do ochar attendivel a pretencao do mesmo, por
ser conveniente aos interesses da provincia.
De Felippc da Silva Porto, pedindo carta do ma-
tricula. Como requor.
Do barao da Soledades, carta de registro para
o seu britnie Sanio atoro.-rSatiafaca o parecer
fiscal.
De Antonio Jos dos Reis. Adolpbo Marques
dos Sanios e Antonio Machado dos Santos=, con-
trato de sociedade.=Regstre-sc.
De Jos Leopoldo Rourgard e Antonio da Silva
Faria- idem.^Registre-se.
De Jos1 Fortunato dos Santos Porto- contrato
de socedade em commandita.Regstrese.
A's 11 horas e um quarto, debutado a cadeira
da presidencia o Exm. Sr. desembargador Perctti,
passou a ser oceupada pelo Exm. Sr. desembarga-
dor Silva Guimares, a quem o secretario apre-
Cruangy.- -Desprezados os embargo
Juizo municipal e do commercio de S. Miguel,
provincia das Ahgtas: appellantes appeHadcs
Jos Maria Goncalves Pereira e outro, aipellante
appellado Belarmino Pinto de Araujo.^-Adiou-se
a |>edido de um dos Srs. deputailo-
Juizo muiripal e do comniercio do Passo de
Camaragibe, provincia das Aiagoas: embargante
appellado reo Manoid Xavier Carneiro de Albu-
querque, embargado appellante autor Henrv Gb-
soq ; juizes os Sis. Silva Guimares, Accioli, Mi-
randa Leal c barao de Cruangy. Desprezados os
embargos.
PASSAOF.NS.
Do Sr. desembargador Silva Cumiarles ao Sr.
desembargador Reis e Silva : appellante D. Juan
do Anglada Mijo, appellados Aranaga Hijo & C.;
apitonante Arminio Pessoa de Albuquerque, ap-
pellado David WiMiain Bowinan.
Do Sr. desembargador Reis e Silva ao Sr. de-
sembargador Accioli : appellantes Manoel Jos
Patricio c outros, appellado Manoel AlvoJ Fer-
reira.
MMIUBIIC.AO.
Ao Sr. desembargad >r Silva Guimares :
AOlillAVo.
Juizo especial do commercio : aggravr.nte loto
Busson, aggravado Manoel Pereira Magalhaes.
O Exm. Sr. presidente negou proviment<).
Nada mais oOOVB, e encerrou-se a sessao s i
horas menos um quarto.
sentpu os seguintes requerimenlos adiados: de
Alvaro Paulo Noblato, Jos Maria Seve e Jos An-
tonio Gomes Jnior, pedindo sercm nomeados
avaluadores commerciaes para o jaizo especial
desta cidade.Feita a leilura ^los documentos,
gue ajuntaram, opinando a commisso por mais
um avaliador. o que posto em discussao foi ap-
provado com o que se conformou tambem o Exm.
Sr. presidente, votando porin o Sr. deputido
supplente S Leilao para se nomear tres.
Procedendo-se a votacao, recahio a nomeacao
em Jos Maria Seve. volando tambem no mesmo
o Exm. Sr. presidente, deixando de votar o Sr.
deputado Miranda Leal pelas razos que apresen-
tou o que fora ai tendido pelo mesmo Exm. Sr.
presidente, sendo Seve deferido favoravclmcntc e
os outros indeferidos.
Nada mais havendo a tratar-se, o Exm. Sr.
presidente encerrou a sessao s 11 horas e meia
do dia.
Manoel Angelo de Araujo...............
DodA................
Severiano da-Silva
Antonio Leandro da Cunha..............
ABtoaio Rufino de Araujo..............
Joaquim Manoel Sampaio...............
MORADORES INCONVENIF.NTE.Pedom-ncs
que chamemos a attencao da autoridad couipe-
622
603
601
590
584
381
580
577
5T2
570
36 i
553
SESSAO JUDICIARIA EM 11 DE MARCO DE
1869.
PRESIDENCIA DO EMX. SR. DESEMBARGADOR A. F. PE-
RETTI.
Sei-rctario, Julio Guimares.
Ao meto dia declarou-se aberta a sessao oslan-
do reunidos os Srs. desembargadores Silva Gui-
mares, Reis e Silva e Accioli, e os Srs. deputa-
dos Rosa, Miranda Leal o barao de Cruangy, e o
deputado supplentes S Leitao.
Lida, foi approvada a acta da procedente ses-
sao.
Foi I ido o officio do 9 do presente mez do Exm.
Sr. desembargador presidente da relacao commu-
nicando haver designado o Sr. desembargador Jo-
licndc de embargos infrngenles, entre partes,
embargantes a viuva e herdeiros de Jos Higino
de Miranda, embargado Joao Busson.
Sendo sabmettida apreciario do Exm. Sr.
presidente a peticao de Guimares A Oliveira em
que pedem que tertdo legtimos motivos de siispoi-
cao contra o Sr. bario de Nazareth, para que elB
nao offlcie como juiz na cansa que pende Je ae-
ciso deste tribunal, na qual os irapDlicaotes *4o
autores e r a directora da caixa libal do> banco
do Brasil nesta cidade, querem ser admitimos a
provar o allegado, allm peicao, visto haver o dito Sr. barao declarado em
ama peticao que lhe Mliritmlauno;nao era le-
gal o motivo apresentado petos suppheantes.=0
C0MMUNI8AG0S.
Os meas adversarios nao me perdem de viste.
F.sproitani-nie como o tigre espreila a viclioia, (pie.
anecia impolgor luvertendo o grande Densamen-
te do imperador Tito, os meas adversarios joJgam
perdido o dia em que me nao levantara alg una
alleivosia Parece que antes de dorrairera e n.rate,
conliinam-se no omBUSte que ho de propacar Bu
dia seguinte Alenibro a lucia da espuma com
o (M'ceano Quando menos pens, sahenpae com
repentes o novidades a meo respeito, que real-
mente me fazem rir Ao mesmo lempo, porra,
ine faz pena ver que son a causa iiivolunlaria du
termento moral desla frace do meo prximo.
Se Bserevo c a minha circulanmha em tora
de quem conversa em IHierdade com os eMtorea
do seu partido, aln se levantan asvspasde isoe-
-/. e com a BjaUgnidade de insectos damninhos
procurara lodos os meios de envenenar e desvii -
luar ludo qnanio escrevi, a ver s- por case modo
indispunhaui oomigo o eorpo eMloral, une aBs,
era sua inalciria grave, e superior a suggetdes ie
quem quer que seja, me fez a devida jnatjca, k
rando-ne com seus snlliagios e-;ionlaneos, cuii<-
cienciosos, e nao impotto, para senador, e creio
une o mesmo snecoder pata deputado. Nisto,
sini, coiisisle a iniulia gloria polilica. desde que
me apresentei na arena, e meto eonsialmn os lira-
sons de lealdade dos meas verdadelroi auai
aos qnaesdevo o meo soracio.
Se fallece o general \breii o Lima, o lhe ma-
sada a sepultura ecclesiaetics pela auioriilarie
competente, e seo que eu dis>o iive cia, que a dos jornaes do dia segninte, abi surgam
de novo espseos encames das vspas do Liberal
a ferrotearera-me. pretexto de ter sido eu o
inspirador, oulembrador d"aquel|e acto, que, como
j disse. soinente eu soube pitos jornaes !
Que osses raalfasejos me oflendam, nao para
que se eslranhe, visto como odio velho nao canea.
i nelles isso ja una es|iece de lef; mas que
no seu espumar hvdmpttotMco vi i abi oifcnder a
respeitavel aulordade de unen enianou aquello
deliberacao, figurando-a tostrumento de amelas
insiniiacoe-. o supra-siimninm da inalevoleneia I
Pela minha parle declaro, que 0 acto nico que
uraliquei com relacao ao general Abren Lea,
foi, oito dias antes (fe sua morte. celebrar p >r elle
ama missa (ajudada pelo digno Sr. consellieiro
Autram), na qual pedi ao divino Pae los miseri-
cordias, que lhe allumiasse o ntendimento, e lhe
locas-e o coracao. em bem da salvacSo do sua
alma I
E' assim que en, sera o querer, cosliimo res-
ponder a na fe. e confundir a nequicia dos HMDS
adversarios, aos qnaes sobro em generosidaile, e
cavaleirisino, cavalleirismo, e generosidade, que
elles nao conheceni, por que sao odenlos, e por
conseguinte incapazes de relleciii com teda a Ma-
drela. Quando o odio chega a dominar os ni-
mos, j nao obra livre o juizo.
E pelo que respeita a essa repetico sed ira de
pTOBBBB s, a que os nie-quinltos ama vez BOU ou-
tra alludeai. tao niseravel e tresoinada,-que so
merece o mesmo dosprezo, qtJB lhe deu o Sr.
eonselheiro Saraiva, quando presidenle de Per-
nambuco, e para cuja imparcalidade, e juizo
appello.
E se nao, facam os red;ictores do Liberal una
nova experiencia : tragara luz da dUcnsso e
nipiitam,
caa de detenefto I Ourdea, que so fercm deem-
Doscada ao adversario, qu.' sempre os redarguio a
peito deeceierto. porque outras armas ignora, que
ni i as da franqueza !
Apparecam, se sao bomens. Recife, 12 de mai--
"co de 1869.
Pinto de Campos.
POLTICA INTERNA
Partido couserTador.
( A PEDIDO.)
0 Sr. Francisco Atexindre Dnlra no Liberal
69 de quarta-feira to do corrente.
Nao smeme ne>ta cidade, em qnalquor parte
da provincia a calumnia e a alen rs. li-
beraes fazem escavacoes no eonceite o boa reputa-
xinUSr,p'residen'ie profefio" o segmte despacho' Cao de seus adversarios, emboca sacrifiqueranessas
Proeeda-se na formada lei, | sua* eseavaedes o pudor das. lamillas honestas.
ILEGlVEL


Diario de Pemanibyco Sabbado 13 de Marq de 1869.

Ura prente ilo Sr. Alejandre Dutra. proprieta-
rio do engeuho Pracinha, rceobeu leves oflunsas
physicas, n6d<; 'ver e saber quem Ih'as fez ; mas
como o offendido estava prestes a casar-se om
urna filha do Sr. Dutra, a qual para esse fnn rap-
lira, liberaes d*alh ineulraram lo^o como autor
daquellas offensas aodilo Sr. Dutra, que alias nao
besitou prestar sen con cnso ao casamento do p-
rente com una raa filha.
O offendido nao se quoixou de Dutra, nem de
ve o acensa de ter eortcorrido para esse (acto
que sabe dmul proveio ; vive alias na tois per-
eita harmona cun san sopu
Entretanto o autor da publicaran do Liberal que
se assigna------, al increpa o Sr. coinmcnuador
Jacintho de Mendonea de ter tomado sobre si a sal-
vaco do criminoso, sem alias declarar os laet ti
que possam provar essa intervencao do commen-
dador, contentando-so apenas de averba-lo de llgu-
ro, e de chefe do partido conservador das Ala-
fli Sr. commeiidador Jacintho de Mendonea
conbecido pelo scu carcter sizudo e pela geral es-
tima e respeito que gosa entre todos que aprecian)
suas excellentes qualidades, que merecidamente o
toin elevado pasico do chefe do partido con-
servador em sua provincia, e eouseguinlemente nao
carecer de defender-se dessa injusta uerepacao
.4 si uila do pravas.
Estamos persuadidos de que o autor do>se cs-
cripto andou mal avisado, nao leve mesmo infor
maraes exactas des-e acontecimeitto, e s voltaria-
uiosquesto se quizesse elle publicar as pravas
que tinlia para ajuizar assim das pessoas quem
aecusa ; emquanto se oceupar somento com re-
criniinaces, nucidas de espirito de partido, o silen-
cio ser a nossa resposta ; porque s temos em
vistas dar o seu a seu dono, un:cuique snum.
O Borrcirensr.
A MOKISsAO DE F DE UM LIBERAL.
De 29 de agosto de I86i a 12 de mato de 1865
gastou-se a existencia de uui ministerio, surgiudo
sobre o seu cadver outro gabinete, o terceiro lilho
te "?a- .,
Como correrain os diasa essa entidade singular,
a quem nao permiltiram os confrades e consocios
o simples direito de defensa? Que culpas commet-
len para marrar sbitamente cundemnado e ejecu-
tado por mos que deveram ser com ello compas-
sivas e piedosas ?
O ministerio de 31 de agosto nasceu sob tristis-
simos auspicios. Mal se haviam os seus olhos
aiwrto luz do dia. desfechou sobre o imperio
urna das mais tremendas tormentas MCeiras, de
que baja memoria em noaras tempes.
Sobre os alicorees do crdito baviam-se levanta*
do oberlws edificios. Alli tinham-se aeolhido ri-
cos e pobres, arrestados pela cegneira da confina-
ra, possuidos de Ilimitada seguridade. Cuda-
vain pie os seus haveres alli depositados csta-
riam a nielliur recudo que nos cofres mais inacces-
sivei;.
Soprou de repente o vendaval e os farinosos pa-
ces, une parecan) desafiar os contrastes do tempo
e da fortuna, desmorona rain-se com assombroso
estrepito. Suas [inmensas ruinas esniagaram tos
milbares as victimas innocentes e incautas que
nao tinliam visto em volla de si neni lymptuma-
nem prenuncios.
Ao brado daquella espantosa ealamidade, vatici-
nada por algims esplritos presagos, volveram-se.
como costume em nosso paiz, todos os olhos pan
o governo, implorando e esperando providencii
Nao honve exactamente accoro. Como haveria
em gabinete, ondo as conferencias quasi sentpre
rematavaui pe scenas que poderiam ser vantajo-
samente appcusas a algn, dos melhores cantos do
llyssoppe ou do Imtrim f
A discordia soprava as suas mais activas flam-
mas entre os ministros do 12 de mato. E o incen-
dio esbravejava com tanta intensidade, que o pu-
blico va, ca de lora, o fumo espesso e as lavaredas
impetuosas.
Temos tido numerosos ministerios. Em muitos
a solidaredade rompen-se desde os primeiros dias
u a dissensao fet-se estado permanente das confe-
inicias ministoiiaes. De nenhum, porm. se rcla-
lain as cou-as espantosas que se passarain entre os
memb ros do 12 de n)aio.
Foram laes, que mais de un, nos derradeiros
mezes de sua existencia, foi notado de ausente cm
todas as conferencias.
Conservavam, no entanto, maioi ia na cmara.
Os commettimentos da npposic.au histrica se ha-
viam mallogrado ante a resistencia dos contenta
dores moderado/ unidos com liberaes, em quo lau-
ta fiane fuera o honrado Sr. Zacaras.
Mas o rompimento dos ministros, uns contra os
outros, tinha-se eslrondosaniente effectuado. Era
impossivel reeoneilia-los entro si, absolutamente
mpossivel.
Caminhava rpidamente o drama para o desen-
lace, quando intorveio a ultima secna entre o Sr.
Carral), ministro da fazenda, e o Sr. l'aula Souza
ministro da agricultura.
Foi inevitavel a exonoraco do gabinete. Incvila-
vel, apesar dos esforeos empenliados pela cora
para poupar ao paiz os inconvenientes de sua mu-
danza no pessoal da alta admiuistraco, apezar das
instancias encarecidas c reiteradas'do venerando
presidente do conselho, o Sr. marque/, de Olinda,
que at resignaea-se a una reorganisaco do ga-
binete, seinpre sob a sua presidencia.
O liberalismo notou de irregular a dcmisso do
12 de mal. A seu parecer, devra proceder de
una volaran da cmara. Emquanto o apoiasse
urna matoria, o governo ihe pnesela de direito.
Mas como haviam de ser obrigados a governar
homens, que, arrimados a scu inabalavel projio-
sito, diziam e repetan) cem vrzesquo Ihes era im-
possivel permanecer um momento naquella iusof-
frvel siluaio ?
Demit-los, como instavain, era dever do poder
moderador. Era determinaco a que ibrcavem o
bem publico, a salvaco do estado, e essa inces-
sante vigilancia, que'eni termos absolutos lhe re-
commendou a constituirn.
Nao liavia escolha de alvitre.s. As cireumstancias,
to estreitas, nem davam azo appheacao do lien-
mente do arl. 101.
(Diario do Rio).
PUBLICAGOES A PEDIDO.
0 abaixo assignado agradece ao cor-
pa eleitoral do primeiro districto, a signi-
licativa prova de confianca qqe lhe deu na
eleicSo para deputados geraes.
Os votos <|ue tevo naquella conjunctura
foram assigoaiadas demoiistraeoes de am-
sade o de confianza poltica, que estava
louge de pensar, obteria com tanta dedi-
cacao, perseveranca e lealdade, grangean-
cios effeciivos, o^ie regu-
la ter a sociedade ; em 12
sobos sao !320,a2ifJOO
rs. cada um por anno
11:680*000
:t,280000"
Betpesa da sociedade
Alnguel de casa em 12
anuos a 5O0A000 rs. 6:0005000
Mudncade casa i rn-
cenos e |HHturacoiisad3
pelos socios) 200Vmi
1 msico para osensaios,
calciiladopelomximo ID
ensaios por anuo om 12
annos sa;> 1500 ensaios, a
2000 rs. l:2O0.5OiKi
4 msicos para a noite
da forma dita, sao 600
noites, caa msico 2 4 rs. 4:800 000
llluntinac em 12 an-
nos ou 144 mezes, por
mez 24000 ts. 2805000
Agua 1 caneco por do-
mingo de 4vertiinento,eiu ^
12 annos sao 600 canecos
aSOrs. 48SO0O0
Varrer a casa um vez
por mez, em 12 anuos sao
144 vezes 3 240 rs.
5 ditos, 8 pipas e i raeia dita vinho ;
a J. M. Palmeira.
2 saccadas de pedras; a J. A. Moreira
Dias.
CONSITLADO PROVINCl'AL.
Rendimcnto do dia 1 a 11
' dem do da 12 .
73:9963191
l:5878V.*i
73:584*036
MOVIMENTO DO PORTO.
capital de 1:880SOOO nos fundo* do estal)eleci-
i.ien'o social.
O contrato de Gregorio Jos Garca, Antonio Jo-
s Rodrigues, esiabelecidos ne-Ui cidado com ta-
berna, sob a firma de Gregorio Jos Garca 4 Ro-
drigues, e com o capital de 2:017000 em dinhei-
ro e fundos do estabetcioientb da sociedade.
5oA recompensa tard aSevilha1505.
6"O marlyrio do genioVaIh.idolid1506.
i \0 DO DRAMA PASS.V-SE \
Io acto cm Genova casa de Christovo Colombo
2o dito em Castella, convento de Arrabida.
3" dilo no mar, bunio do navio almirante
4o dito na una do llaity, p da rainha
uta
31*360 12:562a60
Quero que Joiio Congo
tem tirado da sociedade
S. E. e O. 22:7175440
Eis o modo do seu apego e grande amor so-
ciedade, e porque nunca podo emergar qualquer
socio que prcleodesso sal>er do destino do rendi-
mento ta sociedade, porque pelo verbo surripiar
so vai arrojando: pois a caixa da sociedade est
tistes.
O Sayredo.
COMMERCIO.
que salvasscm os miseros victimados jtela sua boa do-lhe por isso eterna gratido.
f, ou ao. menos ..tl.Miuassem os Ifeites do mal d
dia em dia aggravados.
O que podia o governo fazer, no eirofcio legal
de suas allriluiicii:-, mormcnie quando a assein-
Ua eral estava abena e somonte de en poder
iependiam quaesqner orden* para se modificaren!,
na appcacao. as disposeSes das leis vigentes t
Rpconheclda a sua incapacidade no assuinptn,
naturalmente devra o ministerio, at por conve-
niencia propria. provocar a deliberac,o da cmara
Era o alvino que a olhos vistos mais condicoes de
aceito offeroca.
O 31 de agosto nao entendeu assim. Quando
ledos esperavam um decreto de nrorogacSo, foi a
ssramblea geral encerrada a 12 de setembro I
Se nottve cireumstancias em (|iie necessaria se
fizesse una eonvocacSo extraordkuria do parla-
mento, foram aquellas. O 31 de agosto anressu^
roa-s em fechar-lhe as portas, virtnalmente j
cerradas desde S >ie ? itembro!
A conraauencla daqnelle inexp'icavel erro i'oi a
unesiissinia dictadura une assumio, decretando ,ir-
nitradamente essas famosas ordmanras de setem-
bro que, padrees de singular renone, perpetua-
ram a raa memoria.
Um dos parlamentares mais Jistincios do paiz, o
Sr. Sacarlas, depoisde analysar extendidamenteas
proezas do 31 de aposte naquella occasiao, re-
m "i i em aleumas palavras o seu autorisado
Jnizo:
O resultado das providencias da dictadura,
.ae elle, foi qual nurra se vio em parte alguma
O abaixo assignado escolhe de preferen-
cia a iiiiprupea, como meio mais publico o
solemiie^jAu'ieslar seu reconhecimento,
sem todfij*wimir-se do dever de ir pes-
soalmente apresentar a seus amigos os vo-
tos de sua estima e subida coasiderarjo, e
olerecer-llies sjju mu limitado prestimo.
Kecife 8 de marco de I8G9.
O/priauo t meln G. Aleo forado.
ELEClO
das pe.ssoas que ho de festejar
o glorioso Wanto Amaro nesta
matriz, no anuo de 1K90.
Jttiz por e'cicio.
O Ilhn. Sr. major Manuel de Souza I.eao.
Jti'za pjr eteigo.
A Exina. Si a. D. Piruuna CavaJeante Paes de Mello
Barrate.
Juiz por devociio.
O IHtn. Sr. Joaquin Miguel Poreira Freir.
Zuiza por deeogiio.
A Exma. Sra. D. Lilia de Souza Lelo.
Juiz protector.
O llni. Sr. Dr. Manocl Joaqiim da Silveira.
Juizn protectora.
A Exma. Sra. D. Varia Hoeha Bastos. .
Etcnvao por eleieo.
BANCO IYIAUA & C.
lina de Trapiche n. 34.
Desconta lettras co nmerciaesa taxa con-
vencional. Recebe dinheiio, a premio con-
vencional, por lettras e em conta corrente.
Confere rditos, saca sobre as priineiras
pracas do imperio, Rio da Prata e Euro-
pa, e compra cambiaes sobre as mesmas
pragas.
Encarrega-se, por commisso, da com-
pra e venda de fundos pblicos e accoes de
oompanbin*, da oobrauea de lettras e di-
videndos ou de seu pagamento, e de qual
quer outra operagao bancaria.
O expediente para o publico comecar
s 10 horas da manlia, e terminar s 4
horas da tarde do todos os dias utei>.
Sacias entrados no dia 12.
Porto-28 dias, barca portuguoza Seguranza, de
178 toneladas, espita Lourenco Fernandes do
Carino, cquipagom 1G, carga diflercntes gene-
ros; a Cunha Irmo & C.
Rio de Janeiro13 dias, brigue be::panlinl Mara
Hoza, de 178 toneladas, capilar C. Bertren.
equipagem 13, em lastro; aMaury Roniagueira
Hijo 4 C.
Rio-Grande do Sul20 dias, sumajajiespanhola
Masnou, de 143 toneladas, capillo Francisco
Casis, o-Tiiipagem 9, earga 0,006 arrobas de
carne; aRaltar & Oliveira.
Ro-Crando do Sul20 das, snma;a hespanhola
Santa Mariana, de 132 toneladas capitn I. P.
Estape, cquipagem 11, carga 10,800 arrobas de
carne; a Amorim Irmaa.
Rio de Janeiro15 dias, patacho hespanhol Juani-
ta, de 193 tonelada?, eapitio M. P. y Casis,
equipagem II, em lastro; a Maurv Roragucira
Hijo 4 C.
Trieste90 dias, patacho norte-allemao Jolionna,
de 187 toneladas, eapiiao H. Rottgers, equipa-
gen) 9. carga 2,7i0 barricas com farinha de
trigo; a Johnsten Patcr k C.
Montevideo27 dias. barca ingleza Glenpuin, de
472 toneladas, capitao R. Fenlay, equipagem 13,
em lastro: a Eduardo Fonten.
Navios sonidos no mesmo dia.
MaceiPatacho ingloz Vine, capiliio C. Dnate!,
em lastro.
New-YorkBarca ingleza Maranhn, capitao T.
Powell, carga assucar.
DECLARACOE.
do mundo civisado ; fui ver-se rasa bancaria,' o Illm. Sr. [rindo Colho da Silva.
quo fechara as poras sem ter solfrido corrida, al-
canzar concrdala, obrigando-se a pagar cinco por
ecnto I
E se o governo entendeu que os credores das
casas bam arias haviam mister tutor, nomoando
para presdirem as liqnidacocs agentes de sua ciin-
fianea, nao claro que o resultado final da liqui-
daran, sondo, como foi, deploravel, comprometi o
nonie do proprio governo 7
accrescentou a proposito do parce teputlis:
s O ministro que errou, que delinqui, pode o
deve ser censura lo at alm do tmulo, persegui-
do mesmo em sua memoria. E' essa urna con-
dico essencial dos governos livres, sem a qual
nao haveria freio suficiente para os desmandos do
poder.
E foi em honra a csse mesqjiinho gabinete, as-
sim condeninado perseguido alm do tmulo,
em sua memoria, que se formn o partido d.-.s li-
beraes histricos. Foi 31 de agosto a dala da kjfi-
na dos fanatices e di-sidentes, como os acoimsva o
Sr. Zacar as.
Em ailu o 30 novo partido, disse entao o hon-
rado sonador estas notavefa pajavras, que importan)
formal desafio e ameaca :
Se ha liberal que, preso s reminiscencias
histricas, repugna adherir sinceramt nle nova
orden de cousas, achx inconveniente a fusao, 'e-
clare-o com franqueza e proceda de accordo com a
sua declaracao ; e acredite que com isso far um
importante servieo ; porque, se todos os liberaes o
acompanharem, licarao os conservadores modera-
dos sabendo o que lhes cumpre fazer ; o se poueos
daquella ,rci.ilidade se apartaren), os que perma
necerem firmes e teaes ao iccoido, achara nos
conservado/es (?) apoto to dedicado como oque
prestaran, constituindo uns e outros um partido
respetave. (Senado, 10 de junh.o de 1863).
Quando assim s e\primia o honoio Sr. Zaca-
ras, o 31 de agoste ha va fallecido.
Urna simples votacJio para presidente da cmara
dos deputados determinara a sua mortal ja decre-
tada nos conselhos da liga, progressistno, ou como
melbor nomo baja.
Dtvia marrar para salvar se o partido, segundo
asseverou o honrado Sr. Saraiva, o qual tambem
entenda que concorra para esse grande tim
ajudnndo-o a viver mediante a sua cdula em
branco.
Repellido a-sim pola cmara electiva, era dado
ao31 de agosto continuar na governanqa ? Devc-
ria a cora negar-lhe a demissao sem dissolver, cm
acto continuo, aquella casa do parlamento f
Por milito que o drsejem, nao poderao og tibe-
raes qualiflcar de irregular n exonoraca. Seqnei-
xas toeni de articular, por se nao haver alargado n
teia da existencia ao3t de agosto, endorecetnasao
Sr. Saraiva e aos seus amigos, aos soldados de que
fui abo naquella ompreza.
A organisa^a.) d succesor daqnelle gabinete
foi urna das mais fecundas em incidentes nao vul-
g.ur?. Qtiatro est*listas snecessivamente foram
chamados para a f>rmacan do ministerio : quatro
estodistas reciiaram espavoridos ante a tremenda
tarefa. Afmal.um los medrosos esforc.ii-se. de-
assombrado, ecmasheu e deu luz o 12 de mato, em
que o acompanharam doas daquellas cavalheiras
animados pelo exempl >.
Coran realiscn-se a inesperada mudanca ? Co-
mo aquelle?, que nao tiiiham a<"eitado a commissan
jio carcter de primeiros, resig/iaram-se subor-
dinacao do seu Densamente ao entender de ou-
tro?
O 12 de mato nao viera para fazer poiitica.
Viera somonte para debt'lar a guerra.
O* seus mernbros nao tinhain, pois, de occopar-
se na discussiide principios, narealisa^ao de pra-
grammas novos, no empenbo de corrigir, emendar
e rafermar.
Permansceria no siatu quo da pottica at ser
debellada a guerra. No fimda guerra, alcancadaa
viteria, ajustaramos as contas.
Aquelles ministn.s aceitaram as pastas, no dizer
emphatieo de cm ds mais distincto, como aceita-
riam espingardas para a peteja.
Mas nao pennaneceram no sen proposito.
Anda nao estava debellada a guerra, pnis ape-?
na* se bavia restaurado Urnguayana, aecordou o
aiaileno apre?B(ar uci programma poltico.
Escrivao por devoco.
O Illm. Sr. capitao Manon! Mai inho do Xa-.-imento
Valois.
Escriviia per eleicao.
A Exma. Sra. D. Josephuia Helena Gomes Torres.
Escrivaa par devocao.
A Exma. Sra. D. Francisca Eulalia da Silveira.
Tnesc ureiro.
O Illm. Sr. tenente Manuel Ferreira dos Santos.
Procuradores.
Os Illms. Srs.:
Francisco Martina Ferreira dos Santos.
Jeranymo Rodrigues de Lima.
Domingos Soriauo de Oliveira e Souza.
Virissimo Pa?s Rarbosa.
Capitao Francisco Monteiro de Souza Leo.
Procurador geral.
0 Illm. Sr. Augusto Cesar da Cunha.
Mordomns e mordamos.
Tedas as pesen) dosta freguezia c assistentos na
occasiao da festa.
0 vigario, Mancsl Espiridiao Mhmz-
.\'oue!ro.
1." nouta.
Os Ilims. Sra.:
Lula de Franca Jorge.
Severino Paes Cabral.
Antonio Jos da Rocha.
Luiz de Franca Pinheuu
2.' noute.
Os Illms. Srs.:
Tenente Jos da Costa Santos.
Manocl Cavaleantc de Ara ijo.
Fianrisco de Araujo Cavn'.cante.
Ignacio CavaJeante de Araujo.
3.* noute.
Os Illms. Srs.:
Alfares Tiieotonio Joao da Cunha.
Rufino Thomaz de Aquino.
Tertuliano Pereira Salles.
4.* noute.
Os lir.s. Srs.:
Manoel Gomes Faria dos Santos,
Manuel Pedro da Silva.
Juvenal Gorgonia Paes Barrete.
3.a noute.
Os Illms. Srs.:
Ernesto Jos de Faria.
Manuel h> i de Oliveira Pina.
Francisco Alvos de Pina.
Jos Alcxaudre Alvci Pereira.
Canuto Surgi de Farias.
6.a noute.
Os Ufa. Srs.:
Amara Re nardino de Senna Portelh.
Jos Muniz Apohnario.
Amaro Francisco do Espirito-Santo.
7.* noate.
Os Illms. Srs.:
Tt-.nente Jos Fernandes da Silveira Daro.
Manoel Malaquias Franco.
Joaquim Svino Brandao.
8.* noute.
Os Illm?. Srs :
Antonio Machado Borba.
Manoel Jaouano Cava loante.
Caetano Lourenco de Barro?.
Joaquim Cbavier das Chagas Portulla.
9.a ntiute.
Sao todos os solteiros e ?olteira'!.
O vigario, Manoel Espiridiao Muniz.
E'ee, alerta!!!
A sociedade Raques, Truques, Pandilha, Camalen,
Lafapio, Ladrai 4 C em 9 corrate com Joo
Congo o Lapos que prfida c tratooeiramente se
apossou della, a saber:
eceita da sociedade
Joia de 60 socios qua
ontram para a si ciodade
por anno, em substituicao
dosquesahein, em 12 an-
no, que ao tempo que
della so apossou sao 720,
cada ura a 5*000 rs. sao
Mensalidade de 110 so-
ENGLISH BANK
Of Rio de Janeiro Limited
Descorita lettras da praca taxa a con-
vencionar.
Recebe dinhelro era corita emente e a
presa fnn.
Seca vista ou praso sobre as cidades
priQcrpees da Europa, tem agencias na Ba-
ha, Buenos-Ayres, Montevideo, New-York
e New-Orleans, e mitte cartas de erebito,
para os mesmos lugares.
SANTA CASA DE MISERICORDIA DO REC1FE
Pela secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Rccife se faz publico quem convier, que a lll.ua
junta administrativa nao podendo por si mandar
reedificar o predio n. 33 da ra Dreita pertea-
cente ao patrimonio dos cstabelecimcntos de cari-
dade. coulratar com quem maior:s vantagons
offerecer, a edificacao alli de um p-edio terreo
sua casta, mediante o arrendamento por um eerto
numero de annos, c oulras condicoes.
Os pretendentes deverao apresentar suas pro-
postas em cartas fechadas nesta sor retara at o
dia II do crtente, onde se danto, todos os esclara-
cimentes precisos.
Secretaria da Santa Ca a da Misericordia do
Recife, o de marco de 1869.O escrivao, Pedio
Rodrigues de Souza. _______
Largo do Pelourinlio n. 7
ALFAHDB6A.
Rcndimento do dia 1 a 11 .
dem do dia 12 ... .
t V.\ 30 308
!):2836i8
MOVIMENTO DA ALFANDEGfl.
IToInmos entrados
dem idem
com fazendas
cora gneros
Volumos salo los coin fazendas
dem idem con gneros
no
ao
------230
169
M
------628
3:t!0*0
Desearregam hoje 13 de marc/)
Vapor mglQZChrysoliie -mercadorias.
Rarca ingle/a--Flo-iting Clonniercadori*.
Patacho norte-allemiioAtinaidem.
Galera francezaAdele ideiri.
Brigue escuna austriaco Capricio laaba de
trigo.
Brigue portuguezQohuiiu/omercadorias.
Barca francezaFinarodem.
Sumaca hespan'iolaPrompt vinhis.
Brigue norte-alloma i Fried, farinha de trigo.
Brigue portuguez Bella Fijucirense mercade-
ras.
I'scuna dinamarqus Elizaidem.
Lugar ingloz Pearl plvora.
ImporiM'io.
Palhabote portuguez santo christo
d.v esperanca, iiiido da i Uta de S. Miguel,
consignado a Joo do Reg Litin, inani-
festou:
Carne de porco2 voluntes a M.inoel
Jos Moreira, I a Manoel Muniz Tavares
3a Jos Ceres da Cru<, 3 a Antonio Jis
de Oliveira, 2 a Joo Traveseos dt Oliveira.
I a Jos Soares do Amaral, i a Antonio do
Souza Rogo, I a Joo Francisco de Souza.
i a M.uwel Francisca Carneiro, 2 a rsula
deAlmeida, 1 a orden. 5e Tesso rmeos,
a Manoel los de Oliveira, 1 a Francisco
de Arroda, 1 a Joao Mattos, 1 a Francis-
co Caetano de lledeiras.
1 volunta livros; a Francisco Caetauo de
Medeiros.
1 dito lloros; a J. M. Cordeiro Lima.
1 dito ditas, I barril poixe; a Manuel
Jos M ireJre.
Palhalote portuguez tnico, viudo do
Rio Grande do Sul, nianifestou :
6OO arrobas de carpe, tt>G ditas graixa
em bexigas, 34 ditas sebo era paes; a A.
L. de Oliveira Azevedo & C.
Brigue portugwz adkmno viudo do
Rio Grande do Sul, raanifestou:
SOO arrobas ue carne, 25 barris sar-
dinhas, Baltar,
Brigue portuguez bella rti.t:kirknsk.
vlndo de Usba, consignado, a E. Raphael
Rabello, raanifestou:
13 caixas vinlio; a Henriqueta Azevedo.
2 ditas bal ancas ; a ordena.
3 ditas e 10 pesos soltos; a Ferreira
Guimares A C.
1 caixa sapatos; a Antonio Rodrigues
Pinto.
1 dita ditos; a Satyro Seraphim da Silva.
35 ditas velas de cera, 10 pipas vina
gre, 12 ditas c 15 barr vinho ; a Thomaz
de Aquino Fonseca & C.
40 ditos* 0 raeias e 24 pipas dito; a'
Mende-3 A Coelho.
44 ditas e 46 barris vinho, 50 ditos
azeite doce, 120 ditos t njcinho, 200 saceos
farello, 14 ditos alfazema, 732 pdras la-
gedo, 20 caixas massa de tomates; ao con-
signatario.
2 ditas ruotas, 2 ditas chocolate, 3 ditas
massa de tomates, 4 ditas marmelada, 13
ditas esnservas, 400 saceos fareiio, 30 bar-
ricas carvjo aninal, 149 barris e 93 pipas
vinho; a J. Jos Goncalves Bdtrao.
27 ditas e 5 barris dit); a Tasso Irraos.
2 ditos dito; a Minoel T-ixera Bastos
6 ditos dito; a Jo5o C. Bastos de Oli-
veira.
4 ditos dito; a Jos Guilherrae Gui-
mares.
15 ditos azeto doce; a Manoel Pereira
4C.
SANTA CASA DE MISEIUOOKUIA 1)0 HECIFE
Pela secretaria da Santa Gasa de Misericordia
do P.ecife se faz sciente quem convier, que o so-
i brado n. 3 A site ra Augusta e .1 casa terrea
n. 39 da ra dos Pescadores, esli ;njetas se-
uinte disposieao testamentaria, com que fallecen
I). Esmenia di Conceicao Souza, muher do Dr.
Jos Joaquim de Souza :
1 Declaro mais eme instito por herdeiros de
ininlia meia acr) ao meu marido o Dr. Jos Joa-
quim de Souza,"com a olirigacao de c un sua mor-
te passar a terca de meus bos para os meus ir-
maos o padre Jos Leite Pitia Ortigue ira e D- Car-
lota Esmenia da C'nceieao Leite, ao quaes tam-
bem instito por herdeiros damesina erganacon-
formidade do que tica disposte, e no caso de que
nao sobrevivan) seus i raaos seu marido, a terca
que ellespertencer, volitado sua qie passepara
o hospital de caridade que lica assim instituido. -
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, 5 de mareo de 1869.0 escrivao, Pedro Ro-
drigues de Souza. __________
O administrador da recebedona de rendas
internas geraes declara que tendo-;>e concluido o
lancamento do imposto pessoal do exereieio cor-
rente de 1868-69 das fregue/.ias de S. Jos e Boa-
vi-ta, fiea marcado o praso deste mez e de marro
futuro cm que deve ser pairo o referido imposto,
sem multa, das sobreditas freguezias, como deter-
mina a ordem n. 17 do ministerio efcpzenda de
:M) de Janeiro ultimo.
Roeebedoria de Pernanibuco 19 do fevereiro di;
1869.
Manoel Carneiro de Sou;a Lacinia.
Conselho de compras do arsenal
de guerra.
0 conselho de compras do arsenal do guerra
precisa comprar o seguinte:
1 bandeii imperial de fuelle com s is pannos
1 mastro para bandeira com 3C palmos de
cumprimente.
As pessoas que quizerem vender ditos artigo,
apresentein suas propostas em carta fechada na
sala do conselho, as 11 horas do dii 17 do cor-
rente.
Conselho de compras do arsenal de guerra de
Pernambuco 11 de margo do 1869.
F. Raphael de Mello Reg,
Presiden'c.
Jos Baptista de Castro Silva,
Secretario.
< o -ii-li: de enjarras aavaes
O consflho contrata no dia lo do cjrrente mez.
vista de proposta* recebidas at as 11 horas da
manhaa, e sol) as condicoes do estylo, o forneci-
mento no trimestre de "abril a junho do corrente
anno, dos olijectos abaixo declarados:
Para complete do fornecimento de vveres, oiota
e outr.is objertos de consumo aos navios da
armada e estabeleeimentos de marmita.
Assucar branco retinado, bacalho bolachiiiha
I americana, caf em grao, enha em asnas e tijolo
de armaria groasa.
Para completo do brnecimento de Tardamente.
Para aprendizes artilices.
Gobertares de na, eobertorea de lgo-lao, col-
choes de linhi, ehetoa de algudo ou de la, e lencos
de oda preta [ira grvalas.
Para imperiaes uurioboiros e aprendizes ditos.
Camisas de bata azul, ti mo o corpo 3 palmos
de eoiiip:mente e 2 as mangas inclusiveis os pu-
nhos, e lencos de soda prata para grvalas.
Para fuzileims navaes.
Grvalas de cuuro de lustre.
Para artilices avnlsos.
Calcas de brim branco, calcas de algodao azul e
camisas de aigodaoziuho.
Inspeccao do arsenal de marinha de Pernambu-
co, 11 de marco de 1869.
O secretario,
Alejandre Rortriemw d-> Ao'^.
Tribunal docominercio
Por esta secretaria se faz publico qje ileam re-
gistradas :
O contrate de sociedade de Francisco Teixeira
Barbosa e Cu-tedio de Pmlio Porto estabelecido-
nesta cidade com officina de funilaria, sob a firma
de Fi a icisco Teixeira Barbosa & C, e o capital de
13:59St70.
0 distrate da sociedade de Raphael Suarez e
Juan llaotista Guelfe de Lailhacar, quo girou nes
la praca sob a firma de Lailhacar & C, cujo ac-
tivo e passivo ieam a cargo do ex-so:io Lailtaa-
ar.
O distrete da sociedade de Emilic> Pereira de
Abren e Jos Domingues Sampayo, que girou sob
* firma de Sampayo & Abreu, do cujo activo e
passivo fiea de poss e responsavel o ex-sock>
Abreu.
O rantrato de Manoel Rbeiro de Carvalho e
Joao Baptista do Guimares Pcixote elubelecidos
nestx cidade com casa do commercio do fazendas,
sob a firma de Carvalho & 'eixote, e > capital de
^>O:000O00, no3 fundos do estabelecimento so-
cial.
O contrate de Antonio Lopes Brasa, Francisco
Jos Gomes o Joao Baptista Gomes, estabelecidos
nesta cidade com armazem de moldad s, sob a fir-
ma de Braga. Gomes 4 C., e o capital de 80:000.4
nos fundo* do eslabelerimenro social
O contrato de Francisco Ferreira Ballliar, Hcn-
riijue BernarVa de Oliveira, Francisio Ferreira
Ballhar Jnior e Jos Ferreira Ilalihar. estabeleci-
dos nesta cidade com casa de commercio de gros
ko trate de cunta propria o eommissSeg, fob a fir-
ma de Balthar, Oliver A C, e o capiul de.....
5ti:00000 em dinheiro, navios e esc aros tripo-
lan'es dos navios.
O contrato de Jos Pires Chaves e Mi-noel Fran
risco de Souza Lima, estabelecidos. msta cidade
com casa de commercio de merradoria1 nacionae.-
e Mtrangeiras, 10b a firma de Charos i Lima, e oj
O contrate do Joaquim Pereira de Carvalho e fjna.
Joaquim Correia dos Santos estabelecidos nesta ; 3* jto ,., gevilha. palacio de Isabel a catbolira.
cidade com uberna, sob a firma de Joaquim Pe- fi dito em Valhadolid, urna cstalagem.
reir de Carvalho A C, e o capital de i:087l | p.^o 0 vestuario novo oda poca,
rs .nos fondos do estal..-leciineutn social. Todos os accessorios sao ricos e o scenarto a.
dos Santos e Antonio Fernandes dos Santos, quo i o :i e 4 actos -ao inteiramente novos o do ha-
girou sob a firma de Joaquim Fernandes dos San- |,| pMe) j0 sr Chapelain
los A Irmo, ficamlo a cargo do ex-socio Antonio
Feraandea, a liquidarlo do activo e passivo.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco, 11 de marco de 1869.
O ofScal-maior,
Julio Guimares.
_ Pela inesnia secretaria so faz igualmente pu-
blico que em data de 9 do corrente, foi inscripta
no livro competente a caria de registro do hate
Deas te guarde, de 96 toneladas, propriedade de
Bartholomeu Lourenco.
Secretaria, 11 de marco do 1869.
0 ofllcial-maf.
Julio Guimares.
Por esta sulMlelegacia se faz publico, que se
acha recolhido a casa de Deteneao, o preto de
nome Joo, escravo de Francisco Pedro do Alcn-
tara, por su -peto do andar fgido : que se julgar
com direito ao mesmo comparec^quem provando
lhe ser entregu. Subdelegada do districto do
Peres, 12 de marco de 1869. O subdelegado, 2 sup-
lente cni exercici.
Joaqinm Thomaz de Barros Compeli.
A* i'i'i'Ili ti i ns^l'iiif-iiM.
Espectculo em grande gala para festejar o ani-
versario natalicio de S. M. a Imperatriz.
Domingo 14 de marco
A chegada de S. Exc. o Sr. conde de Baependy
presidente da provincia cantar-se-ha
0 UTO WJOWL
peante as augustaselllgies de SS. MM. II.
Segu a segrutda represen tcito do grande e
apparateso drama em 6 actos
OHRBTOVlO COLOMBO
Flscalisa^o da freguczla da Boa
Vista 19 de Marco e 1 SU.
Por esta Qscalisacjto se faz publico a quem intc-
ressar, que ^se ach depositado duas vaeras,
doas garrotes e um cavallo castando magro, apre-
dendidos em um sitio na Ponte de Uchoa; quem
se julgar com direito aos mencionados animacs
compareca nesta tiscalsacao, que sasfazendo o
disposto no artigo 16 do titulo 11 das posturas de
30 de junho de 18i9, lhe sero entregues.
0 fiscal.
_____________ Jernimo Jos Ferreira.
(MRMO GERAL
Rclacao dss cartas registradas existentes na ad-
ministracao do orreio desta cidade para os se-
nhores aba xo declarados :
Dr. drelo Teixeira Mondes, Adriano Xavier
P reir de Brito, Adrio tozando de Souza Tiago,
Bolefon Rbeiro da Fonceca, Dr. C irlos Justiniano
Rodrigues, Carlos Jos Augusta de Oliveira, Cos
me Jos dos Santos Callado, Dr. Francisco Domin-
gues da Silva, Dr. F. Elias do R. Dantas, Francisco
Lame Homek, Julio Cesar de Ailemao Cisneiro,
Joaquim Ctomcntino de Souza Muniz, Joo Antonio
de Mello. Dr. Jos Bernardo Galvao Alcofomdo,
Dr. Jos Felipne de Souza Leo, Dr. Jos Vicente ferecido a banda de mus ca d < crp pnvisoro
Duarte Brandao. Dr. Lourenco Trigo -de Loureiro, de que .ign 1 co n nan lante. para tocar nos -
alferes Mai colino Heurique de Figuercdo, Narciso tervallos do p.'daciilo do dii 11 do c;rrente,
Francisco Vidal (>, Dr. Victoriano de S Albu- annversario de S. M. Imperatriz d) Brasil,
querqm, e Zeferino d'Almeida Pinto (i). m^^^^mm^m^^m^^^mmm^.
Pela administracao do eorreto desta cidade,
se faz publico, oae <<. rirtnde da c iivencao*pos-
tal celebrada pelo governo brasileiro o francez,
sero expedidas malas para Europa no dia lo do
corrente pelo vap-ar ioglez (meida.
As caitas sero recebidas at horas antes da
que fr marcada para a sabida do vapor, o os jor-
nses at 3 horas antes.
O administrador.
Domingos das Pnsso* Miannda.
Nao se >o upa rao Mlbrcui nem despezas, alias
avultadas para fazer subir scena este drama
com todo o apparato c riqueza que requr.
O scenario do aeto quo figura -o navio de
Colombo, com todos os seus accessorios, magni-
ficencia e movimento nutico, de um soberbo e
surprendente effeilo, afora as bellissimas seenas
dramticas que adornam este acto. A contestu-
1 a histrica do drama, c os lances patheticos qne
elle contm, sSp de "um alcance eminentemente
moral, magesloso e verdadeiro Encon'na- c
nelle com profuso e verdade, as scenas singelas,
mas religiosas da familia ; a pugna heroica do ta-
lento contra superstieo, o erro c a oveja pala-
ciana ; a luta dos elementos, a intriga dos ulicos,
a descrenca dos nimos ignorantes e a torca po-
derosa do genio protegido [lelos ratos luminosos
da providencia. E' urna concepcao real, que hon-
ra o seu anter. e que deve ser vista e apreciada
em toda a sua plenitude, por um publico Ilus-
trado.
Comecar as 8 horas.
Os bUhetes aeham-se j a venda no cscriptorio
do theatro.
O emprezar aproveita a occasiao para agra-
decer ao distincto srenographo o Sr. Chapelain), a
olerta que Ibes fez do soberbo panno do acto,
representando urna floresta do Haitv.
ou
A des Os bilhetes 0*4*0 a venda no
theatro. As enaommendas s se,
hoje ao meio dia.
A empresa des le j 'acra lece ao Illra. Sr. lo-
nente-coronel Carneiro Machad) Rios por ter of-
eseripterio d-i
guardam a.
])eelaru(?flo.
Pela secretaria da cmara municipal desta cida-
do se faz publico, que a mesma cmara principia
a sua primeira sesso ordinaria do corrente anno
em o dia 11 do corrente.
Secretaria da cmara municipal do Reeife, 6 de
mareo de W*0.
0 secretario,
Francisco Canuto da Doaviagenu
AVISOS MAFITIMOS.
C6MPAXI1IA PF.RNAMBUCANA
DE
Xavega^o lostcira por vapor.
Mumogoipe.
O vapor Cnruripe, cominandaite Penna, seguir
para o (turto cima no dia 12 do corrente as 6
h.ras da tarde, recebo carga at ao meio da, en-
commendas, pa'sageus e dinheiro a frete at as 3
horas da tarde do dia da sabida no cscriptorio dj
Forte do Matos n. 12.
THEATRO
DE
S. ISABEL.
EMPREZA DRAMTICA
DE
4a lii'ti r % m. tsoi.wniii
Sabbado 13 de margo.
Piimeira rcprcsenta^o do magnifico e appara-
teso drama histrico de grande espectculo, em 6
actos, ornado de msica
Eio de Janeiro
Para o indicado porto segu com muita brevi-
dade o veleiro e bem contiendo briguo Adelaidr.
por ter a maior parte d* carregamento tratado ; e
para o resto que lhe falta e esrravos a frete, tra-
j ta-se com o consigna!-rio Joaquim Jos Goncalves
Reltrao, a ra do Trapiche n. 17,
A descobera da America.
Actores.
Personagem.
Lsahe!, a catholica, rainha de
Castilla e Lelo. __ .
D. Marta de Gusroao, dann
de honor......
Ona, rainha do Haity. .
Christovio Colombo. .
Diogo........
Peregrino (irmo de Colombo)
Barthoiomen......
D. luiz, duque do Fonseea.
Froi Pauto Marchen*, confes-
of da rainba.....
Rodo, aventurero. .
D. Jos de B&obar, tabeOfito
regio. Z.....
T!:baro, ntarirmeira .
Antonio, idem.....Couto Rocha.
D. Pedro de la Cueva, cama-
rista, ......Jos Guimares.
D. Filippe de Vega, capitn. Jordani.
Um alcaide-mr. .... Klorindo.
Un pagem......I). Francisca.
Olema, indgena. D. Carolina.
Marip.heiros, soldados, frades, lidalgos, mendi-
gos, poro genov^z.asteldanos, indgenas do Haity
de arabos os .-^-.is.
osmom;nac40 b pocas dos actos.
1O incendio o \ fugaGenova1189.
2'Isabel a c.itholica Castella1492.
3"A revolta a bordoNo Ocano1492.
* *Justina o injn4icaHaity>6.
D. Marta Vcuti.
D. Julia Azevedo.
D. Clelia.
Joaquim Augusto.
Primo da Costa.
D. Apofona.
Eduardo.
Jos Yickrino.
Lessa.
Thomaz.
Ifartnbo.
Brochado.
()mm\ BRASILEIRl
IJE
Paquetes a vapor.
Dos portes do norte esperado
at odia 14 do corrente o vaper
Gturd, coinmandr.nte o primeiro
lente P. H. Duaite, o qual de-
pois da demora d-.: COBttne se-
guir para os portes do sul.
Desde j recebem-se passaceiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual de^'er
ser embarcada no dia de sua chegada. Encmnmen-
das e dinheiro a frete al o dia da sua sabida as t
horas.
Nao se receben como eneonunendas sono ob-
jectos de pequeo valor e que nao excedan) a duas
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medcau.
Tudo que passar dc^tes limites devora ser embar-
cado como carga.
Prevne-se aos Srs. passageiros que suas pas=a-
gens s scTecebem na agencia ra da Cruz n. 57,
Io andar, cscriptorio de Antonio I.uiz de Oliveira
Azevedo & C.
lompaiiliia americana c brasilei-
ra de paquetes a vapor.
At o dia 16 do corrente esperado de New-
York por S. Thomaz e Para o vapor americano
South America, o qual depois da demora Jj costu-
me seguir para os portes do sul : para fretes e
pa & C, ra do Trapiche n. 8______
OMPAMIIA PERPTbiTiNA
DE
\atega<,'o costelra por vapor.
Goianna
O vapor MamanfuGpe, com-
nandaii'.' Mello, emir para o
porto cima no dia 16 do corren-
te as 9 horas da nofte. Recela
carga, encommendas, passagei-
ros e diuheiro a frete no escriptoi;j do Forte 00
Mates n. II
COMPAKHIA PERKAMBUCANA
DE
Os Senhores.Saunders Brothers & C. Tasso
Irmos, Luiz Antonio de Siqueira.
CBENTE
0 SU. F. F. BORGFS
Restando ainda einitr algumas ac^Ses d'esta companhia, da quantia nomina) do
200-5000 cada utna, das quaes s so acdtam em virtude da lei, 20 "/, ou 40<9uOO por
cada ac(!lo; convida-se pelo presento ao publico era geral e especialmente aos Srs.
capitalistas e interessados no commercio. que queiram dar emprego segara aos seus
capitaes, disponiveis, a subscrever o numero de accoes que lhes approuver.
Algumas destas accoes j.i tera sido tomadas por pessoas que conhec^m a vantagem,
de na presente occasiao (coithecitlamente a melhor), empregarera o diuheiro de quo
poderem dispr em objectos de valor real, como vapores, predios etc., que lhes garan-
tara seus capitaes.
A companhia possue hoje 10 vapores, 6 inteiramente novos, e deste? o ultimo esta
a chegar de Inglaterra, onde foi construido expressamentc para ella.
Alm disso est edificando vastos armazens, no terreno que possue no largo d'As-
sembla.
Seus dividendos tem sido de 10 'nao anno, nos ltimos 4 annos.
As accoes qtic se emittirem gozam dos mesmos direitos, e percobet5oo beneficio
dos mesmos dividendos |ue os antigos era proporcJo da entrada.
Ri'cebem-se assignaturas no esoriptorio da companhia no seu edificio ao caes da
Asscmbita n. ii
1
. \
/
\
I


1


/



f\
-
COMPANHIA PEBNAMBUCANA.
DE
navegaba r*steira por vapor.
Parahyba. Natal* Ifacao, los>or. Ara.
caty, Cear, lIondalui,Aca-ac
e Granja.
O vapor Pirapama, commandante
Turres, seguir para os'portos cima
_ no dia 15 do correte as 5 hora?
da larde. Recebe carga at o dia 13, encom-
mondas, passageiros e dinheiro a frete at as
2 horas di Urde do din da sahida no escriptorio
dj Forte do Mallos n. 12.
COMPATIIA
DAS
e c.irtoiri, .'mo de amarcHo. c.-.inas de vento. Iri-
deis, cadeira soweia. loue-v, armarios piulidos
sondo uin para |OiarU.irrr<'los ik carros e mui-
: o,leus artigo patojo* nos mi ti.'- n lie;
lo erren!.-.
18 II) horas ila maliaa no |iroprk) erfabeteeinieU"
lo do referido Sr. Poh-ier, a ra do Imperador n.
9, defronte do convento de S. Francisco, onde os
nrofessionaes e pretendemos podem tudo exami-
par com antecipagao.______ ________
"LEILAO
gnz. geaeros
taberna n.
e per-
53 la
essatgeries imperiales.
Alt o dia 16 do-corente me/, ospera-se da Ko-
rqino vapor franeez Bttnmadnn, o (pial depois
e dem ira do costme seguir para Hahia e llio
de Janeiro.
Avisa-se aos Srs pangaros rrac por tkaibera-
cao do eon-ellm de administra; se aeliain re-
(lusidc.-defrs. t as passagons do segunda ras-
se para Brdeos e l.i-l> ;', a-snn cuino te. ennre-
drtm bahetes de da e volta para os porto* to
Brasil e Itio da Brata com ;i <' alwtimenta
pelo lempo do seis mezes.
Para condic.*, frete e passagens Irala-se, na
agencia roa do Omn myi i n. 9. ___
' GOpPANIilA PKNASUCANA
DE
NaTegaeo costcira por vapor.
Macelo, escalas Penedo e Ai acaj.
O vapor pp'riigi. eommandanle
Pereira, seguir para osnortos cima i
no dia 15de mareo as "i Imrasda l;ir-;
de. Recette carga at o dia i:Jas : Imras da lar
fle, eaeonunendas.iiassageirosedmhcir arele ate
as 3 horas da tarde do da da saluda im escriptorio
do F.'-rte do Mallos n.ll
l>a armacao
tences da
ra Xova.
O agente Marlins far- l.'ilao & reqnerimentO do
ti'-lanienli-if.' ilo lina lo Subdito portUgQOZ Anio-
iiin Perreira Gomes, < por despacho do Ilion. Sr.
Dr. Cludino de Araujo fiuimaries cnsul de
Portugal da taberna cima.
Seiiuida-I'eira 15 do corrente.
Ae II horas do din na inesma taberna.
LtlLlll
2L
De predios e osera*.
ASABER:
lina casa nova edificada eai chaos proprios
roa da Ventura n. 10 (Capunpa), com sitio mora-
Jo c plantado, 80 palmo* de frente para ra da
Ventura o 350 patato! de fundo para o porto do
Jai-.'bina ( com oacimba.
Urna casa terrea n. ') da travessa da ra Impe-
rial ou do Raposo, em chaos proprios.
Urna casa lema ti. W da ra do Amparo colin-
da), edificada em chaos proprioa com grande
gmntal-
Duas escravas quitnmleiiiN sendo quo una 0
boa lavadeira.
Scgunda-feira 15 do marco as II horas era
potito.
0agOttle Pinto legalnienic autoris.tdo far loils I
ns predios e osera vos achn niencionados iS 10
C!IIP.\\,BI.\ BISILEliU
n;:
Paquetes
a vapor.
esperado
Dos portos do sul
al odia l do con ente o vapor
c.'itziho do Sm, eommandanle1
Alcoforade, o qual dermis da de-
morado costme seguir para os
do nerte.
Desde j;'i recebem-se passageirus e engaja-?e a
carga qoeo vapor poder eondozir, a qual deven
s-m- embarcada no dia desuachegada. Encommoii-
das e dinheiro a frete at as duas horas do dia da
- ahi i..
lima- do dia cima dito
da Crax n. 38.
em s.
Nao te rece
lie eseravos e de iim cofre.
Sendo nina oserava pretade nome M'upiilina de
i7 annos de idade, un eseravo pardo de nomo
Salvador de 'ti aunos deidade, mu diio preto de
nonie Paulo eoni 2: anuos, entro lambem pulo
de nome Liudolpho o de idade l a irnos, outio
jirel,) de DomeQiiirino com 17 auno e Analmente
un preto de nome Dionisio de 18 annos, Mais
um cofre de ferro para dinheiro.
Quartt-feira 17 do corrente.
O agente Marlins eom autorisacao do lllin. Sr.
' vice-cm-ul de llespanha nesta provincia c em
I pre-enea domesmo fara leilao dos esclavos e do
esci'iplorio
'i como
i.
oncommendos senao ol-^cofre aeiina pertencentes ao espolio do subdito
iodos de pequeo valor e que nao cxcotiniii a -'
arrohas de pt ou 8 palmos cnicos de niedicSo.
quepassard'stcslimitesdeveri si embar-
; como carga.
Previne-seaos Sis. passageinvsqnesuas passa-
. bsc roeebeni na agencia na da Crui n. 57,
{' andar,escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Awvedo & C.__________________________
Para o Porto
Segu sem de.....ra a barca portagneza Hoto
Silencio, porter grande parta da sua carga promp-
ta< para o resto e passageiros aos qtiacs oflereee
oxeellentes eommod w trat -se e.....(Mivcfra nthof
& C, largo dn CorpSantn, l) ou eom o eapitao
na praea do couimereio. _____
Para Lisboa
Vai sabir com muita presteza o brigue porto-
guez Constante II por le: grande parto do sen
carregainento prompto : para o restante e passa-
gflima, trata-se com Oliveira, Pulios A C, largo
do Corpo Santo ii. 10, ou eom o eamtio na praea
do c.ommcrcio. _____________
00MPANU1A PERNAMBCANA 9
PE
Savegaco eosleira por vapor.
Femando.
0 ?apar Giwi, commandante Aze-
Vedo. srtruir para o porto cima no
dia 11 do corrente s i lunas da la/-
i! \ Preebe carga encommcndat, passageros o di
nheiro a frote airas li) horas do d'a i: (sabbado
no escriptorio do Forte do Mallos n. 1.
.ie;pan!iol Jiis Filippo-Martnez, as 11 horas
,ia mencionado c na porto da casa n. 3 da
(1a Cruz.
AVISOS DiVESOS.
..
Stlaadoenum dos trnrn mais Cenlraesie Pam, sendo as immeduH-wes dos
prmeipaes Uieatros e outros muilos divertimentos, c assrai das starea dos cawnbos de
lorm para todos os pontos da Europa, acabado de ser inteirameDte miovailo, nao se
teiulo poupadoo son novo proprietario a dcs^rcas para sen completo nbenesamento a
aceto, torna-se portaiito enojosamente momni^ndavel aos sentares bnastfoirosepor-
togoews, a onde eneontrario sempre aquella convivencia desejada em paiz estranbo,
per ser constantemente IreqoenteM por seus connatriotas. o tratament stapenor a
todo o elogio, mesa redonda, ou a carta, ou servid nos aposentos; kabttaeOets mre-
rentemente despostas para familias, e qnartes para urna so pessoa, o scmico 6 fcjto
coa a precisa regqlaridade: os precos muito rasoav.-is cao alcance tambera da-pieHas
pessoas qoe se quetram limitar.
Gabinete o> leitura com os principaes'jpraaefdos dous paites, uno de recepcaoe
de msica, etc. etc. Todas estas vantagens poduin serappncadas iguaiinente aos senho-
reS passageros das repblicas do Piala, perqufl--'lt'in da semellianca da ImM, ah en-
eonlrarao muites senhores hespaohoes, poV qem tamben esta casa bastante fre-
(ptentada.__________________
Agarrem-n'o.
A luya-se .
un grande toliieiro ipie servo de atBMieni para
O bem conhecido eseravo da nadara da ra una grande cocheara ou ollieina de qnaloer
do Lima -ni Sanio Amar, o nual costumava ven- arb\ Ka ra de Apollo n. 69 : a trata na relina-
ler as tardes pa do kile. liste negro maneta rao da ra da Seala-no va n. 4._____________
do braco esqnerdo e costuma tir a *recisa-se de orna ama para eomprareeo-
'zinhar, e maisservieo, internos do ca-a de omi
s pessoa: a tratar no beeso do Lobatun.3, so
lirado de um andar.
foi visto a
polica ou as
bordo de una bareaea. Pedo-se a
pessoas qoe o conbecein a priso do inestno
IN". b. Este negro quando toma cachaca, tor-
na-te muito tallador. Gratilica-se a quem o levar
a easa cima.
Precisa-se de tima ama capaz para lodo o ser-
vico de casa do um estn.ugeiro solleiro : na ra
Nova n. I'.'. 1" andar.
Par Lisboa.
Jos Soares de. Azevedo, professorde
lingua e litteratara nacional no gymnasie
provincial do Hecife, tem aborto em sna
casa, roa Bella n. .17, um
CURSO DELBWA 1RANCI /A
Di: aSOORAPHIA E HISTORIA
DE PIIII.OSOI'IIIA
DE RtlptolCA E POTICA.
Os estudantes que prctenderem frequen-
lar qualqucr destas dtscipliuas, podem diri-
gir-se indicada residencia, de manhaa al
as lOlioias, e de larde a qualquei hora.
ii i iwnmaii ni iniraMtai
- Fogio de bordo do palhabote nacional Aio"-
ro, um mulato claro de nome Justino, estatura re-
gular, cbelos earapinhados c meios ri'.ivos, pouca
barba, tem nina pinta pela 00 canto do olho dlrei-
1 na lo e un taino as rosta- ao mesmo lado,; l.evou
vestido ramisa de Chita com lisias verdes, e usa
de una cinta eom borla*encarnada para aportar
as calvas, natural de Santa Auna do Matlo na
provincia do Rio Grande do Norte, para onde talvci
qneira ir. tambem muito deaembaracade no bil-
lar. Rocommenda-sc aos mostrea de barcaca i.n
a qoalqoer pessoa que o agarrar, e levar a ra
do Trapiche n. i ou a bordo do referido navio que
ser generosamente gratificado.
i
Segu com umita brevidad a barca porluguc/n
Cratido, tem grande parte da sua carga prome-
ta; para o que anda loe falta e passageros, tra-
ta-te com Oliveira Filhos & C, largo do Corpo San-
11 n. 1, ou eom o capito na praea do commercin
Loanda
0 brigue portagOfll Beawindn, capitn Silva, a
ehegar de Li-boa. sabir para Luanda paocos ibas
depois de recolhrao a esto porto : pode receber
alguma carga, e trata se cmn o sen consignatario
Joaquim Gerardo de Bastos, na do Yigario n.
16, V andar____________ __________
Para o Porto
Vai sahir com milita brevidade a v. ira barca
Flor de $. Siinio visto ter parle da ca ga enga-
tada, para o resto e passagons trala-se eom os
r signatarios Camino & Ifbgnelra na ra do
Apolo n. 20.
Francisco de Figueiroa Karia, leudo de mandar
celebrar fabbado ia do corrente, stimo dia, abru-
mas missas no convento de S. Francisco das fi as
6 horas da manhaa, por alma de sen prosado pa-
drinho e amigo Jos Ignacio Pereira Torres, falle-
cido no dia 8 do corrente mes, no engenho Podre-
gulh em Nasareth, convida pelo presente a todos
06 seas prenles o amigos, assini como aos do
mesmo fallecido, para assislircui a esse aclo de \
religiio e caridade, pelo que desde j se confessa
eternamente grata ___
Tendo a sociedade Libi
de maudar dizer urna missa
LEILOES.
LEILAI)
Ha fabriea de earros e de inar-
clneria. cono da moMlia per-
ieacenies ao Hr. F. Polrler.
O agente Oliveira far leilao por ordeno (testa de
i ealeebes uovos eproirlptos para orrar-seiido um
osado com varaos de todas as qiuidades para
cihriolets, ac para molas e para lusos para rano.
urna serrara llovida por manejo rom seis sena-
circulares e mais ferranicnla, majoindo machina
para furar ferro e maleira, um l o no para madei-
ra c de rosca, tudo completo, satos e bigornias pa-
ra ferreiro, folies para forja, martellos, leases,
moldes d'aeo, torno de ferro e mai pertences
completos para fabrico de carros c aviamenlos pa-
ra os mesmos, bancos para marcineiro, fciTamen-
tas emais utencilios para este oficio, e finalmen-
te de boa mobilia consistindo em consolos, cadei-
ras, guarda vestidos, sof e nianpi/za. aparador.
r)e.sa de mcio de sala, de jantar, e oulras, toucador
,:l 1'nio llcnelicenle
no dia I "i do corren-
te, como manda o arl. fio" da le dista inesma
sociedade, convida a lodos os socios a coinpare-
cerem as 7 horas do dia menciofiado, na groja da
Madre doDens, alim de abrilbaiilarein este acto.
Recite, 9 de mareo de 1809.
Antonio Munoel do Nuscimnfo,
l. secretario.
Aluga-se una ama de leile.
llio na ra das '.rii7.es n. 7.
Precisa-se de i:00) a premio sob hypothe-
ca em morada do casa odiQeada de novo : a Ira-
lar no boceo das Parral ras n. 17.
Forucce-se comida roai asscio e promptido
em casa de una familia : na ra do Padre Flo-
riano n. 71, lu andar.
Os abaixo assignados fa/eui .-cente ao res-
licilavel corpo do commercio, que deixou de ser
seu eaixeiro o Sr. Francisco Eugenio Nogaeira,
desdo o dia 11 do corrente. Recite. 12 de mareo
de 1869.
8>MBM <0 Diicellar.
Os bilheles da lotera, garantidos, da luja da ra
da Cadeia n. 9 ; ponto milito conitnodo paraos
moradores do Itecife
mnibus de Olinda
Do dia 15 em diante flea suprimida a viagem
Jas 7 horas de Olinda para o Itecife e das da
tarde do Uccife para Olinda havendo soinenle das
7 da manhaa para Olinda e i da tarde, p de Oliu-
da para o Itecife 8 1|2 da manhaa e o 1(2 da tarde.
Folheto semanal
PROGRAMMA:
O supradito folheto em 10 paginas de
impresso etc.. etc.. eMiipaMC ha exclu-
sivamente.....de tudo.
Redacco :
Capital Salabartole. (Critica lit-
teraria e sames.)
Cavalleiro De Pw/midis.....i Noticias
fresca-, i
Dontor Fausto.....(Mocas idem.)
Bario de Xig-zag.....(Ad lihitiim.)
Visconde do 0'......(Tbeatro e Ivp a
das roas.i [)
Pi'iTo 200 r* cada numero.
Impresso ntida, eousa de anegalar
o olho. Reeommenda-se a leBora prin-
cipalmente aos mvopes. E itdetis !
o piimeiro numero ser dado tu: nn
sabbado de allcluia. Mo dia E atiu '
A" venda onde se annnneiar, no dia do
naseimenlo do Uiubo a Cinco.
() Esto roconhecidas as firmas peto
labellio Pulka de Souzn.
Gremio Recreativo.
A direecao desta sociedade convida a
todos os socios para urna sesso extra"-
dinaria, domingo li do corrente, as 10 I.
ras do dia, para lratar-se de negocios de
grande importancia. Assim como tambem
previne aos socios atrasados que venliam
pagar stias mensalidades.
O Io secretario,
Manotl Culi-i" ie Souza.
Pre;isa-sc arrendar mu engenho que seja
perto de embarque poragoa oupor jerra : a tra-
tar na ra dos Prazeres i. 10,
da tarde.________
Aloga-se urna pequea easa na travessa de
S. Joao n 38, povt0 encarnado, pieco deK i por
roe/. : a tratar in sobrad > unto a fabiiea do ira/..
Os abaixo assignados participain ao respei-
tavol corpo do commerrio e ao publico em geral,
que no (lia I" do eorrenle dissolveraiu ainigavel-
mente sociedade que tinliam na kija d calca-
dos |iraca da Independencia n. 11 a 15. que
gyrava sol a firma- ao-Aranles k Lyra, licandn a
col i vio roclo Joaquim l'eroira Arantes o activo
e passivi) da extincta firma. Itecife IU de mareo
de 1869.
Joaquim Pereira Araoli s.
Antonio Francisco Pere ra Lyra
No dia q-iartateira lo do corrente, fugio da
ra do Caldeireiro, o eseravo Francisco, pardo,
idade 13 anuos, ebeio do corpo, rosto e cabeca
grapde, um pequeuo talhn na testa junio ao ca-
li ello, em huma das orelhas una pequea marea
de una dentada. Icvou vestido camisa de chita
com colleirinbo de atacar na ponta, calca de brim
braneo liso, su ja: quemo pegar leve na roa do
do Caldeireiro n. B3, que sera recompensado.
PENTEADOS PABA SEI^OBAS
lina petsoa com pratiea de negocio de inui-
tos auno-, recebe por babtnc.tq'ialnjHcr esta'teleci-
nimio seja de qu" genero for lies' a -praea ou foca ;
delb: quem precisar .liinuiieie i procurado.
O abaixo assignado toado de segnir at u dia
IS para Kuropa. e nao p viendo fcspedir-se pea- \
soalinenle de tolos sea- plenles e amigos, qafl 0
hairaiu coni anas uiisades o fu pelo presente. \
on'erecendo-lbes seu ponco presumo em aquellos
paiie*. Recite 12 do mar&i de 1369.
Bara i de Campo Verde.
Preciaa-se de urna ama part ejpgomuiar: na
ra das Aguas Verdes n. 22 prmeiro andar.____
Precisa-se le um eitor do boa conducta : a
r ni i na da praia ti. 13 o 13, armarcm.
Precisare alngar urna escrava para ser viro de
urna casa de pouca familia : na ra larga do Ro-
sario n. 21.
4
Precisa-sede nina ama para easa de pouca
familia: na iTia larga do Rosario n. 21.
Offerece-se um coainhoirn para hotel ou casa
particular: a tratar na ra de 8. Canalo n. .
STrT
Capsulas de Raquim
Os bous effeitos deslas capsulas para fazer ces-
sar os gonorriieas acham-se roioprovatlas pelas
experiencias de muilos anuos.
Os mdicos de todos os paitos as reeomnM ndana
pela sua efllracirt.
VENDE-SK
NA
Pliarmaela e dro^nrin
DK
BARTHOLOMEl" & C.
litio ia larga do Rosario--34
S
SALN DE COIFFURE
DK
ANDRE DELSUC
SI'tfiBII 11. n
Ra do Crespo n. 7 primeiro andar
Anille Delsuc, cabellereiro de Paris, empreado de Mmfe
\iuva Leconte, lem a honra de participar ao respeilavel publico
que contractou com Mr. Georges, que se retira d'esla provincia,
l Miiai cuita do seu salo de coill'ine da ra do Crespo n. 7.
Nutre a esperance que seus amigos, conheeidos e os fre-
goezes a quem servia emquanlo foi ollicial de Mine, viuva Leconte o
Favorecerlo, acompanbando-o no seu novo estabelecimonto, e tam-
I) .'ni que a bella IregueEa de Mr. Gerges continuar a frequentar
o seu salo, cellos de que envidar todos os seus esforcos para
merecer a sua conanea.
Acliar-se-lia sempre no seu eslabelecimenlo um grande
sortimento de cabellos de todos os tamaitos para coques, seja
qual for o-feitio, de trancas, ivpentiz. frisos, bandos, etc. eJC. ele.
emfim tudo que diz respeito sua arle..
Conliiiiiar.i a pralicar no sen salo o mesmo que pralicava
Mr. Georges: fazer a barba, corlar os cabellos, frisar e friccionar
com toda a promptdSo, asseio c delicadeza.
Aviso s senhoras
Tem a honra de participar s senhoraa que o quizeiem
honrar com suas fregoezias, qoe podero mauda-lo chamar, certas
de que sero sempre penteadas coai goslo e ultima moda.
V
TMBAIHOS EM CABELLOS
1). Joai|uina Eulia da Suva N iliaca, I). M
Gonealves da Silva Pereira, Dr. J is Gonealvea da
Silva, Dr. Sebastiao Gonealves da Siha. Dr.
Ludgero Gonealves da Silva, Hermenegildo
SEDAS PRETPAASRA A QUARESMA
A :i> O (OVADO.
Vendem-se sedas pretas lavradas, fazen-'
Concalves da Silva, Domingos Antuiies Villaca, m[ 8upcror a con, avantajada lar-
Luiz Antonio Pereira. irmaoi e eunliadis do fal- u ..,' i -ftuadw iSa nm
leci.lo Antonio Gonealves da Silva, pedom a to- gura que tem, I ion lSflOVatlOS u.i um
dos os parentes e amigos do fallecido o caridoso vestido, 0 sendo iazenda que (
obsequio de assislireui a missa do 7'
falleeimento. que os iricsmos sirmSos
mandaui celebrar pela alma do seu
mo segunda- feira lo de marco as 7 horas da
manhaa em as grojas do Espirito Santo, Xossa
Seniora do (Jarmo c di Soledade
dia do seu
e eunhados
presido ir-
GARTEIRA PERDIDA
Na segtinda-fein II do corrente, entre
as 0 c 7 horas da tarde nutu passeio pela
estrada de Joio de Barros encruzilhada de ,
Relem, Gampo Grande, Olho do Boi, para a
ra de Joao Fernandos Vieira na Soledade,
perdeu-se urna carteira contendo algum
dinheiro c varios papis sem valor senao
ao dono. Quem a achar ter a bondade de
ti azel-a para o English Bank of Rio de Ja-
neiro Limited, n. 7, largo do Pelourinho,
que ser generosamente gratificado. '
qualquer parte na; se vende por menos de
4A000, mas por se ter comprado urna
grande porco vende-se a 31000 o covado
nicamente na loja e armasem do I'avo
ra da Imperatriz n. 60 de Flix Pereira
da Silva.
77 RA DA EMPERATRIZ 77
Ifeste novo estabelecimento lia om completo sortimento de medicamenlos, priv
lucios ciimico?, e drogara, tudo de primeira qualidade, e se vendem por menos *
iiiteem oulra qualquer parle. ..... ,,
Il lambem mu sortimento de medicamentos homeopalhieos. induras e globu
(osinertes,por precoscommodos; bem como xaropesde jurubeba femwinoso simples,
vinbos de jurubeba simples c ferruginoso, e o bem conhecido xarope de Paracary, es-
pecial d'esta pharmacia. Aviam-se receitas a qualquer hora do da, e noite. eom promp-
lido, cuidado, c pericia ; nao se negam a qualquer occurrencia em casos urgentes. O
socio gerente eucarregado do eslabelecimenlo mora no mesmo, para o que e?t
prompto a abrir a porta t qualquer hora que for preciso. ^
Tabellas vermicidas
DE
ntonio Nunes de Castro.
Vermfugo efficaz e preferivel a todos os
condecidos j pela certeza de seu resultado,
e j pela fcil applicco s enancas, quasi
sempre mais atacadas de tao terrivel c
muitas vezes fatal soffriment.
nico deposito,
Pharmacia de Bartholomeo & C.
3ira larga do Bosario35
INJECCAO VEGETAL
MATICO
de GRIMAULT e C* rharmaceuticos em PARS
0 successo d'esu inieccio, preparada com as folhas do Marico do Per, fin ao rpida, que
ellt m wm mrnad. PniV m iodo, os paire, do mundo, para a cura da gonorrhe. a da. ptm-
^. L toda a B.U.r'Sa B o nico pJucio oeste genero cuja U*ia na Rossia tenb. do
authorizada pelo conselho medico de Sao Peteraburgo.
Deposito em Pernambuco. em casa deaUagetaC.
CABUGA
esquina
da ra larga do
Bosario.
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortimento sem igual,
e vende por precos que nenhuma outra casa pode vender.
vista da qualidade e do prepo das joias cada um pder-se-ha convencer da verdae
Garante-se ser tudo de lei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por presos muito ele
vados.
A] loja est aberta at s 9 horas da noute.
**




Diario d I'ernanibuco Sabbado 13 de Marqo de 1869.
Attenpo! attenco!
Guilhermino Rodrigues do Monte Lima faz sc-
eate aes ofciaes de w ios os corpos, quo acaba de
reccber um completo sortimento de espadas, ban-
das, lalins, talabartes o charlateiras, o mata per-
toaces. Assiinr-umo reeebeu tambn chapeos de
oleado para crkid'is, do copa alta e haixa, com
corda de ouro ou prala, c vende niais barato do
que ein outra qualquer parle, na praca da Inde-
pendencia n. 11, junto a luja do Sr. Arantes.
SEGUROS
MARTIMOS
tCONTK A. FOtO.
A Compauliia lndeniiiisadora, cstabclecind
nesta praga. toma seguros martimos sobre
oavios e seus carregamentos e contra fogo
em edificios, mcrcadorias e mobilias: aa
roa do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Trocam-se
as notas do banco do Brasil e das caixaiflBaes,
cora desenla nuilo raioavel : na praca da Inde-
pendencia n. 2. _______
Para coziuha
ftocta oe de nma pessoa que eozinhe bem : na
ra do Crespo n. 2.1.___________
Neeseripi rio de Tasso Irmans, ra do Amo-
rim u. 37, ha para vender gorgurao de seda ^zu
i mais pertencos para forro de un bom ocarr.
Na rna da Pires n. 41, preisa-se de duas
amas para engonunar e cozinhar.
lili lilil :ll]J 11 lili .
Resta venda un cseolhido sortiniento de ob-
{datos de maraara, como sejam, mobilias de ja-
caranda, magnoeamarello, obra nacional e estran-
geira. de apurado go-to e por preQO< raaoaveis :
na ra estreila do Rosario n. M. Nesta mesma
asa bnuhseoom perfeico todos os trabadlos de
palhinha, como sejam, einpalbainentos de lastros
para camas, cadeirase sopu.
Joaquim Jos Gon-
palves Beltro
R DO TRAPICHE N. 17, 1. ANDAR.
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
jo do Minho, em Braga, e sobre os seguin-
tes logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Guimares.
Coimbra.
Cbaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val- de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova da Famalicao.
Linego.
Lagos.
Covillia.
Vassal (Valpassos).
Mirandella. .
i'ja.
fiareellos.
BARTHQLOMEU ft C.
* PARA USO INTERNO
p n i: parados simples
Xarope de jurubeba garrafa. 1)5000
Vinho dejurubiiba garrafa. 1*000
Pilulas de j.irulieba vidro. IfJOOO
Tintara le jurubeba vidro. 640
Extracto hydraooolico de jurubeba. 124500
PIIEPAIADOS COMPOSTOS.
Vinho de jurubeba ferruginoso garrafa. 2:>000
Xarope de jurubel ferruginoso garrafa. 1 #300
Pilulas de jurubeba ferruginosa vidro. 2#000
Oleo de jurubeba vdros. RiO
Pomada de jurubeba pote 640|
Emplastro de jurubeba libra. 2^500
PARA USO EXTERNO
A JURUBEBA.
Esta planta, e boje reconliecida como o mais poderoso inico, como um exce-
lente desobstruente, e como tal applicada nos engorgi lamentos do ligado e baco, as
hepatitis propiciamente ditas, ou anda complicadas com anazarchas, as inflammaces
subsequentes as f ibres intermitentes ou durezas, nos abeessos internos, nos tumores es-
pecialmente ilo ulero e abdomen, nos tumores glandulsos, na anazareba, as hodrope-
zias, erysipellas ; 3 associada as preparacoes ferruginosas, ainda de grande vantagem
as anemias, colorases, faltas de menstruaco, leucorrbeias, desarranjos atnicos do
estomago, debilidide orgnica e pobreza de sangue, etc.
O que dizemos aUirmam os inais distinetos mdicos desta cidade, entro os
quaes podemos citar os lllms. Srs. Dr. Silva Ramos, Aquino Fonseca, Sarment, Seve,
lVreira do Carao, Firmo Xavier, Silva etc.. Todos elles reconbecema excellencia d'este
poderoso medicamento sobre os domis at boje conhecidos para todos os casos citados,
tanto que todos o:; dias fazem d'elle appliearo.
Apresenumdo aos mdicos e ao publico em gcral diversos preparados da juru-
Aluga-se
Na ra da Cadeia do Kecife n. 20, precisa-se
alugar un estrave para o servido interno e exter-
no de una casa de bomem soHeiro._________
Methodo Castiio.
Socundino Jos de Paria Smiles, professor par-
ticular de insiruccao elementar pelo methodo Gas-
timo, avisa ao respeitavel publico e oom especiali-
dadeaos pais dcJainilia, qiieesi aberla sua aula
dede o dia 7 d Janeiro, na ra da IVnlia n. 25,
rimeiro andar, aonde recebe pensionistas por
preco commodo : o mesmo professor prometi
multo se esmerar no adianlamento de seus alum-
nos. Aeha-se aJberte desde o inesnio dia ani enr-
o de priuiciras le!ras a noule para aquellas pes-
soa* quenao |i!idcitin frequeniar duranto oda,
J. IVri't is-a Villola.
Photographo da casa imperial
premiado em diversas exposi-
qoes.
Na sua ph.itographa ra do Gabog n.
18, entrada pelo pateo da matriz tira retra-
tos por todos os systemas photographicos.
Em porcelana Em vidro
Em talco Em papel
HART ES DE VISITA A 9 A DLZIA.
Os retratos carle-de-cistte sao collados
ert caitio de luxo bristal ou porcelana,
dourados ou thographados, qiiadrilongos
ou hhetas para o que existe urna varieda-
de de 12 modelos a escolha
tratar. Para as outra
tomos Gaixinias, passe-par-touts, quadros
e molduras douradasepretas cassoltas de
ouro e alAnetes simples e com pedras pre-
ciosas, bavendo nos almeles urna mimosa
variedade de feilios.
O nosso eslabelecimenlo pbetograpbioo
est sempre em dia com os melboramentos
e progressos que na America do Norte, na
Europa ou no Rio de Janeiro se consegne
na arte photograpbica, e para alcancemos,
lal fin nunca poupamos despezas nem sa-
crificios, de sorte que os nossos numerosos
freguezes peden ter a certeza de que sem-
pre encontraro em nosso estabelecimento
ludo quanto a arte e a moda offerecer de
bom no novo o ^elho mundo aos amantes
da photographia.
PRiMEROllVO
DR
LEITITRA
PELO
Dr. Abilio 0. Borges.
2* F.DI00 MEUIOft'ADA E AUGMENTADA
A' venda ua livraria Franeeza
Esta obrinha, pt imeira que com tal titulo
apareceu no pai/., composta segundo umi
.systema especial, abreviado, philosnpbiro e
ameno, e muito dilerente das cartas co-
nhecidas com o noine ile ABC.
Recomenda-a o tacto de haver sido adop-
tada para as escolas publicas de quasi to-
das as provincias do imperio, sendo por
toda a parte to ventajosamente aceita, que
em menos de r8 mezes achou-se esgoWa
a primeira edico de dez mil exemplares.
UTIIIBADE
Aos500 par*es de brincos.
Cliegou e vende-se no Corapo
d'Ourq, ra do Gabug, brincos de
mosinhas com urna franja penden-
te a um rico desenho e ouro de
iei, pelo pequeo precede 15A0OO &
cada par. 6 baratissimo. fes ,
JB beba, memos por tim generabsar mais o uso deste vegetal, fazendo desapparecer a
j | repugnancia que ale boje sentiam os doenlcs de usar dos preparados empricos d'elle, e1
' mais das veres repugnantes a iragarem-se, e que timban ainda a de.svant.agem de nao
ser calculada a dose com emente a app|car-se, o que torna umitas vezes improlicuo um
medicamento, que poderla prodozir ptimos resultados.
Os nossos preparados s foram apresentadosdopois de havermos conveniente-
mente estudado a jurubeba, fazendo as experiencias precisas para bem conbecer as pro-
piedades medicainentosas d'esta planta em suas raizes, folbas, fructas, ou bagas, e a
klose (Oiiveniente a applicacSo, temi :Lm d'isto procurado levar os nossos preparados
ao maior grao de perfeico possivcl, jiara o que nao poupamos esforcos, nao nos im-
portando o pouco lucro (pie possamos tirar.
Por tanto os que se dignaren) recorrer aos nossos preparados podem ter a
certeza de que elles orTerecem a garanta, de que se pode encontrar, a prompta e infalli-
wl cura de qualquer dos solfrmentos.que deixamos innumerados. so forem em tempo
applicados, tendo alen d'sso. medico ou doente. a vantagem de escomer as nossas va-
riadas preparacoes, aquella que melbor llie podconvir, j pela fcil applicacao, c j pela
complicaraoibis molestias, idade, sexo, ou ainda natureza de cada individuo.
As nossas preparacoes ferruginosas sofeitas deforma que se tornam comple-
tamente sol ovis nos siteos gstricos, poique procuramos oscompostos do ferro que
como tacs eso boje reconbecidos.
Para aqnelles que mais minuciosamente queiram conhecer as propriedades da
jurubeba, e sabeivm a applicaTio do nossos preparados, destribuimos gratuitamente
.em nosso deposito um folbeto, onde dtanos mais extensamente d'esta planta e dos
i mcsmosfprejiarados.
Deposito gpfd de todos os preparados
Botica e drogara
URa larga do Rosai io.'{'i.
O advogado Dr. Antonio de Vas-
^ concellos Menezes de Drummond
transferio o seu escriptorio para a
nrua do Imperador n. Conde pode
k ser procurado todos os dias atis
's'l das I \ horas da manhaa ate as 1 da
^ tarde, para os misteres de sua pro- |
i^| fisso. W
mmmm m mmmi
ANTONIO EPAM1N0NDAS DE |
la MELLO tem o seu escriptorio de 1
@ advogado ra do Queimado n. 8, ^
[^ 1." andar. lai
mi
i lli^^lp'
Alberto.
por
2,JO00
Sccna.sde un romanee
#5oo a;ii!i(lo.
Um volme em 8-, francez___
Do mesuio autor
U.MA REUNIAO NA PRACA PUBLICA
SCENA DRAMMATICA,
Un volue em 8-, francez... 500 rs
Assignam-se na livraria franeeza ru
do Civsp':) e n i encardenagao Parisieus
ra do Imperador.
Para a quarfina
Na rna estreila do Hosario n. 38, sobrada de
um andar, fazem-se lloros do todas as qualidade>
para ornamento de groja, altar, andores o sepul-
rhro, inclusive arcos, palmas e rosas, e todo quan-
to for coneernente aos sacros actos ; assiin como
preparam-se para fon com a maiar presteza '|ual-
qner encommenda nesie genero ; entro sin lam-
ban gefazom Doras mimosas propnas paraenfei-
tar vestidos, saiotos e eaparetes de arijos, c mais
scolba de quem se re- f)ar;iI() a aaoeciea d colratns oneontram ja preparados e pmtnMm
s optoie at, reiraios yenda o seguinto : neos ramos de seda enfeitdoi
canutilho com flores de ceja proprios para do-
mingo de Ramos, vellas eul'eiladas ricami-nie, bor-
dadas a ouro. prpras para baptindos, capellas do
flores para meninas e noivas. Alem disto se en-
cambem do preparo de bandejas de bolos finos
enfeitadas de conformidade ao lim a que se desti-
na, quer Jeja para calamentos, rque para bailes;
(ata tambem vestidos para a qnimrm ou oatre
qualquer que se precisar com a maior promptidao
e asseio.
:^:{^^^^:^:^:{^^:^^^^^'^:^^;^^{<;^ f&H
DOENCAS DO PEITO
XAROPE d'HYPOPHOSPHITO
A efBcacia d'es.a preparado egie^tabe ecida desde I 57. pelos mais celebres medico*. Desde
enlio muitas imita^des tem sido feilas, ma> nenhuma poude sosieuiar a aravo com o
produelo apresen lado pela nossa eaza. Por isso excitamos o publico para que exiga sempre
esie xarope com ama beIJa cor de rosa, nunca branca, e com a nossa assignaiura i roda do
frasco.
Sob a sua ".fluencia, a losse acalma-te.ossuores nocturnos cessSo c doente volve rpida-
mente ,1 sade. 0 seu empresod tambemos mais brilhanics resultados nos definios, catar-
rbos, bronchiies. irrisiones do peilo etc.
Deposito rm fernamhuco. em casa de IJfaavar C.
Fudipo da Aurora.
Neste vasto estabeleeimente sempre se encontra
um completo sorlimento de taixas de ferro batido
c fundido, fabricadas reccnteinente, c se fabricam
de qualquer molde a volitado dos compradores, e
recos rayaris
K Quem precisar do urna ama para casa de
homem sulteiro para cozinhar c engommar bom,
dirlja-se a travessa da rna do Queimado n. 5.
l'recisa-se de uma ama que saiba beiiTcosinhar
para casa de rapaz solteiro : a tratar na ruada
Cadeia do Recifc n. 56, loja de ferraaetM.
BARATISSIMO
Calcado nacional, na fabrica de Jos V:ente
liodmiio &i C, ra no Jarduu n. i, avsam aos
seus freguezes desta capital i* do uterior.quecou-
tinuam o fabricar cabido em alta escala, o offe-
recem as uiellmres cmidicoes, tanto em preco con
m uualidade. Os proprietarios desle estabolefi-
iento cliamam a atteacodos senhores cumomi-
dores do interior, que os quizerem honrar eom
ua froguezia, especilicando em seus pedidos a
qualidade o numeFacan,offereeeiido-s para os en-
tregar bem acondicionados cm casa de seus cor-
respondentes nesta pra(;a.
ESTRADA DE FERRO
DO
Recife ao S. Francisco.
Pelo presente se faz publico que em raza da
usufttcienria do trcrii rodanio do dia {'> do cor-
rete em diaiite, nao se transportar mais sal ou
cal agranel. Escriptorio da superintendencia, villa
do Cabo, 10 de mareo de' I86ft.
G. O Mhun, superintendente.
Frederico Maia
Clriirgio dentista pela escola
de medicina
do Rio de Janeiro.
Tema honra deparlicipara'o rospeitwl publi-
co desta capital escus suburbios, que tem aborto o
ra Direita n. 12, primeiro andar, onde p<>Je ser
procurado todos os das das 8 horas da mar, i.. a as
3 da tarde. Elle acha-se competentemente" habili-
tado para com perfeico enllocar denles artiliciae
por qualquer dos systemas, e bem assim desempe-
nhar i|ualquer outro trabalho concernente sua
proflssao. O mesmo, reconbecendo que nem sem-
pre 6 pwalvel s senhors ou enancas sahirem a
procu^ai" o remedio, offerece-se a remover qual-
quer obstculo, declarando que na cidade se pres-
tar a qualquer chamado sem que issoinflua eousa
alguma na cmiimodidaile dos precos de seus traba-
llios, e (piando para fra della assim mesmo ser
precedido de um ajuste rasoavel, garanlindo elle a
seguranca e perfeico d e seus ditos trabadlos. Em
seu gabinete se encontrar constantemente exce-
lente nos dentifricio, elixir e nutres medicamen-
tos odontalgicos : a ra Direita n. 12, prime re
andar.
GRANDE HOTEL
BE ORIENTE.
Inatigurou-sc este commodo e elegante
estabelecimento d'ondo os seus f-equenta-
dores podero apreciar a es|>ecialdadc na
confecgo dos generus alimenticios.
As bebidas sao as mais primorosas e re-
commentladas.
A decencia e bom servieo primam n'esta
casa no"1)ello gosto oriental.
Mandam-se domicilio comedorias, tanto
avulso, como por assignaiura mensal. Os
presos sao mdicos e convencionaes.
Ha uma espa^osa e bonita sala para o
elegante jogo de billiar.
, Ha tambem aposentos commmodos e bem
inobilbados para hospedagem.
Ra larga do Rosario
n. 44.
Do miiojic Vegetal Americano,es|icclaltda URA LARGADO ltOSAUI3i
N5o costuraamos procurar attestados para acreditar nossos preparadas, e dei-
xamos que sua applicacao eos resultados obtidos jielas pessott quesedigi.aiam aceeit
los, Ihesdeem crdito evoga; porque s5o sempre os attestados considerados gratuito,
e delles que lancamao o charlatanismo; mas, r.o querendo offender as pessoas qu
espontneamente nos olfereceram os quo abaixo vao transcriptos, os fazenios publicar,
manifestando-lliesnossa grathlaopida attenco, esperando que venlian elbs corrobora
o conceito, e acceitaco que tem merecido nosso xarope.
Bartholovieii C.
ATTESTADOS
lllms. Sis. Bartholomeu & C com a mais subida satisfago que dcclar
ser o xarope Americano de uma elficacia extraordinaria, pois que solreiulo lia dias da
intensa tosse, ponto de nao poder dormir a noitc a despeilo mesmo de medicamento
que tomava, a elle recorr e na terceira collicr fui alliviado, e de todo me aclio hoje res-
tabelecido com o uso smente de quasi meio frasco: grato, pois, esse resollado mani-
fest a Vv. Ss. meu reconecimcnto.De Vv. Ss. amigo, venerador e obrigado.Ma-
noel Antonio Viegas Jnior.
Sua casa 20 de abril de 1868.
lllms. Srs. liarlholoineu C.Penhoradissimo com o favor que me fizeran
de aconselliaro uso do xarope Vegetal Americano, de sua composico, quando me acha-
va bastante doente de uma constipaco, que me tornou conipletanunte rouco e que
trouxe uma forte tosse, e me impossibilitou de cumplir os meus devms de canter di
empreza lyrica, vou agradecer-llies meu completo restabelecimeoto, que olilive cem mm
s vidro do mesmo xarope, depois de haver recorrido a muitos tratamtntos. Descjarei
que outros como eu recorran) ao seu xarope para se veren allviados de !";o lcnivel
incommodo, lao fatal neste paiz. Com maior consderacao contino a ser de Yv. Ss.
ltenlo, venerador e obrigado.Lniz Gremona.
Recife, 2o de setembro de 1808.
lllms. Srs. Baith.iinmcu C.O xarope Vegetal Americano que Vv. S* teeB
exposto a" venda 6 de toda eficacia para o curativo d astlmia, confoiine observei appli-
cando-o a meu lilho Joaquim, menor de quatio ai nos; vctima d'essc figello, que at
ento por espaco excedente a dous anuos havia resistido a Outros xaropes de granda
nomeada. Queiram, pois, Vv. Ss. acceitar a expresso altamente sinara de meu rsco-
nhecimento [ao meritoria servieo que Hie prestaran) com o indicado xarope, acred^an-
do-me para sempre de Vv. Ss. criado, atiento e obrigado. Americo Netto de Mendonca.
Recife, 2 deoutuhro de IS(8.
DE
PIAMOS
DE
J.
N. 55RA DO IAIPEKADORN. 55. .
Os pianos desta aniiga fabrica sao hoje assz conhecidos para seja necessarift
insistir sobre sua superioridade, v.uitagens e arantiasque oll'erecem aos compradores,
qualidades estas incontestavcis, que elles tem definitivamente conquistado sdre todoa-
os que tem apparecido nesta prap; possuindo um tecladoemachinismo que obedece
todas as vonlades e caprichos das pianistas, sem nunca falhar, por serem fabricado*
de proposito c ter-se feita ltimamente melboramentos importantissimos para o clima-
deste paiz; quanto ;is vezes sao melodiosas e Balitadas e por isso mudo agradaveis ao-
ouvidos dos aprcciadHres.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como nado Sr. Bkm-
del, de Pars, socio correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premia-
dos em todas as exposices.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um explendido o variado sorti-
ment de msicas dos melhores autores da Europa, assim como harmnicos e piano
harmnicos, sendo ludo vendido por piceos romm .dos c ra/onveis.
W\ LARGA D ROSARIO \T. 37
Este acreditado estabelecimento augmenta
de dia em dia quanto 6 possivcl para che-
Bar ao cume do bem viver.
Alm dos saborosos manjares 'onn-'
nados com o melbor asseio, tem bellos apo-
sentos de hospedagem, lauto para urna s
pessoa, como para numerosa familia.
A agua, indispensavel elemento paro a
vida e hygiene, temo-la sempre em abun-
dancia para facilitar excelienles banhos.
lia tambem uma boa bibliolheca e peri-
dicos nacionacs e estrangeiros, piano para
recreio, buhares, etc. etc.
CIIARITERIA E PETIT BESTAIHAST
Annexos ao Hotel Central, ra estreifa d*
Rosario n. 4 A, andar terreo.
Para dar a conhecer a variedade infiaiti
de charutos de Havuna, Babia, Rio, etc. q^-"
existan) neste novo estabelecimento pres-
cindimos dos annuncios pomposos que gfc
ramenle se fazem, reduzindo-nos apias a
tres letras que sao lies bbb bom, bonito *
barato. A' vista do genero annunciado po-
de-se jttlgar de nossa veracidade. Esta casi
gosa tambem das condices de um elegante
e pelit restauran! onde se pode ver a es-
pecialidade dos fiambres c salames de Lron
Sendo oeiosa qualquer recommendac5o para lanches c at fazer uma boa colaco.
para to acreditado estabelecimento, omit- juntamente com os principaes vinhos do
timos mais prembulos, fazendo ver por mercado, sobresahindo enlre o bom a puro
fim, que o bom servieo, ordem e moralida- e fenenle champagne, o mui saboroso Rbe-
de imperam n'esta casa, como observancia no, a primorosa cerveja, o licor espirituoso,
iel do regulamento que possue. o quanto pede uma mesa. Faz-se nout*
Comedorias a la carie. sorvete p variedade de refrescos.
.\a ra Augusta n. 94 vestem-sc ,- njos para
procissoe> |Kir rmnmodn preco, e ultima moda.
No dia 4 de fevorciro preximo pn??.-irIo'dc?.np-
pareecu o oscra%ucrioulo de nome Salvador, de
idade Warmos, porteo mais ou menos, rem os
Xies settuintra : rosto ovado, olhos peqneno
ancellias preias, bocea regular, beir-os ditoa
tem todos os den es na frente, nariz cinto, baror
serrada por baixo do Tieixo, baixo, corpo regu-
lar, falla de vagar, rio se altera as fallas, quer
convencer a qualquer pessoa por meios brandos.
usa andar com um balaio no braco e uma espe-
cie de japona atravessadi no hombro, calca de
azulao ou estopa, camifa de algodao de listras por
baixo do urna do estopa, aberta na frente, com
boleo, tem sido vISlo na ra da Guia, no Recife,
na I'assagem da Magdalena adiante do sobrado
fi'ande, em um mucambodi) pallia de urna mnlher
vre por nomo .Maricas, lavadeira ; a^sim tambem
foi encontrad > na ponte de Uclion, em cumpanhia
la misma mulber, com una irouxa de ronpa, (S
de snopor que mude de lugar : r iga-se a ipiem
o encontrar lova-to a ra de Agoas-vcrdcs n. 80,
on ao sitio da estrada de Juao do Barros defronlu
da Rasc.-iti n. 2.
Andr Xavier VTamia, Innocenfio Xatrer Vian-
na, Innocenc.io Xavier Vianna Sobrinbo, Tbomaz
de Aquino tiodioso Vianna, tendo de mandar se-
gunda-feira 43 do crrante, cHebrar alguinas inis-
MB por alma de seu presado lilho, irmao e sebri-
nho-o cani'a Andr Xivter Vianna Jnior, falle-
cido no dia 21 de dezembro prximo passadtt no
ataqne de Lunba Valentina, no territori Fara-
guayo, cunviilain pelo presente a todos os paren-
es e amigos do mosmo para as^istirem a este acto
de caridade, que ter Ingar na matriz do Corp
Santo as 6 horas da manhaa do referido dia.
Gabinete Portuguez de Leitura
EM
A AMA
fttxm* se e irtia ama : na ra da Matriz da
lon-vi5ta, oitaon. 12.
A sociedade Beneeente
*w rtit'M affalatr; por ordem da directora
convida a todos seus socios para se reunirem em
asaembla geral, no domingo 14 do enrrente, as 9
hora da manhaa, para eleger a nova directora
como mandam os estatutos
Recife, 10 de marco de 1869.
Jotto Espirito-Santo Silva,
i.* secretario.
Qu.-:ii precisar de nina ama para casa de
bomem solteiro,para cosinhar e, que engomma bem,
dirija-se a travwsa da ra do Queimado n. 5.
Consclho deliberativo
Pelo presente convido todos os Srs. membms do
ronfeino deliberativo, reunir-se em sesso ex-
traordinaria no dia 15 do crreme s 1/2 horas
da tarde, na sala das sessdes, afim de se tratar de
negocio* transcendentes, por convocacao da direc-
Uiria, de conformidade com o l do art. 68 dos
estatuto-*.
Secretaria do conselho deliberativo, 11 de mareo
de 1869.
V. Ffireira Chaves Jnior,.
Bos aprehendidos
Foram aprehendidos dous bois de carrosa, que
sop| oe-se serem furtados; quem frseu dono, di-
rija-se ao caes do Ramos n. 10, que dando os
-iignaes e pagando as de pezas, Ibe serao entre-
gues.
Uma senhora que livor as habilitacoes para
ensinar o portuenez, francez e msica, ciu um eli-
gen Ito distante da estaco deOlinda duas legoas,
annnncie por este Diario, ou dirija-se a ra do
Caldeireiro n. 42, que achara con quem tratar.
Aluga-sc a casa terrean. 114 na ra Direita
com uma meia agua no fundo, que dei'a para a
ra das Agua* Verdes : na ra nova de Santa Ri-
ta sobrado a 55.
Eflipresta-se dinheiro
sobre joias de ouro, pra-
la, brilhantes e pedras
preeiosas: na travessa
das Crines n. 2, junto
a esla typographia. 1/
andar.
CURA DofcISos;
PEBA
Pomada g alonpean.
Deposito especial
Pharmacia de Bartholemeo C.
34-------Rna larga do Rosario-------34.
CASA A FOttTI'.Y.
Aos 4:000$
Bilhetes garantidos.
A ra do Crespo n. 23 e casas do costme.
Acham-se a venda os Nm bilhetes garanti-
dos da 4" parte das loteras a beneficio da ma-
triz de Nazarcth (98.*) que se extrahira segunda-
feira 15 do eorrente mez.
Precos.
Bilhete.....4*000
Meio.....24000
Quarto. .... 1QOO
Km porce de 100 para cima.
Bilhete.....3*500
Meto. ... 1*750
Quarto. \ 875
Manoel Martin? Pinza.
vndense, ou permuta-se p)r pre-
dio nesta cidade. por apolkes do gover-
no,. ou- de companhias, oo mesmo por le-
tra* garantidas, o cnusnho Goiabeira junto
;i Santo Amaro de J;iboat3o, 3 lgoas
d'esta cidade, de mner com agoa, sofifrivel
casa de morada, levada de pedra e cal,
boa obras, todas de tijolo e perlra, 3
grandes cercados com vargens o trras sof-
flcientes de producto regular rom estra-
da para carro at aporta, e para oide-se-
gue a* nova na da Imperatri? n. 22. 2* andar.
55-RUA DA VSPERATRSZ-55
0 proprietario d'este importante estabelecimento tem a honra de participar
ao respeitavel publico que tendo fgido d'esta praca a pessoa que se achara na sua ge-
rencia, elle coulratou para sua eosa um perito official que foi por muito lempo o pri-
meiro official da importante casa Sulingre do Rio de Janeiro ; por isso espera o annun-
ciante que todos flearo satisfeitos dos seus trabalhos, visto, alm d'isso, possuir r.o seo
estabelecimento as machinas mais aperfeicoadas para tingir e lustrar de que se faz uso
na Europa, e achar-se tambem prvido de grande quantidade de drogas escolhidas,
sempre de primeira qualidade o fornecidas pelas (asas especiaos de Paris.
Tinge-se, lava-se e limpa-se cun a maior perfeico fazeudas em pecas oo
em obras de qualquer qualidade que sejam, taes como l, algodo, seda, touquim.
pennas, chapeos de feltro o de Manilha ou palhinha de todas as cores, etc. etc.,
tambem tira-se nodoas e Nmpa-se a secco sem molhar os tecidos.
Os senhores negociantes, Iogistas e particulares experimenten! que. todo*
achar3o proveito c vanlagens.
Tintura preta tergas e sextas-feiras.
ATTENCO
iVlurianqa
0j| J. A. Moreira Das transferio sen en- SfiB
JS belecimento de ferragen mi da Cruz -,'
^ n. O para a mesma rna n. W.
mmmmmmmmmumm
AMA
Precisa-se de nma am. par eosmhar o ee-
prar para casa de pouca familia : na ra da P(;-
nban.27.
luga-se
fjma preta eserava que esteja acostnmarrs a ven
der bolos pelas mas : a tratar na rna do Vicario
Q. I*;
Pode-se ao Sr. Manoel da Costa Peroira, prati-
rante da rmart(fio d obras panucas ora em
laboatio, que coinnareca ra Augusta Honrado
a. iOi, afim de saldar o sea debito ou p gar o
que" poder e istoenra brevidade.
Prerisa-w de uuva ama de boas costmwe
que saiba bem engommar e o.'inhar: a tratar na
ra do Imperador a 65, 3 andar.
AO '
AR9IAKEM -PEKV-i.HBKM.IO
86Ra das Cinco Pontas86
Thomaz Jos deOliveira & C. avisa aos seus freguezes que foram, tanto desta pra-
carcomo do centro da provincia, que regresam de sua viagem Europa no fim de de-
zembro prximo passado, ese acha estabelecido com um armazim bem sortido de Ber-
reara (>ailgo moldados) de bnns gneros, e por precos commodos e earantindo qutMs-
de, pezo e medida, nos genero* comprados no seu armazem ; portant) jede e-raga
que nao deixem de Ihe dar a preferencia.
"TlACA-BMSIL
9
MR. MERCIER, alfaiate franci-z, previne ao respeitavel publico c a sens numranos ftafee-
zes que, ten* 'ransferido sua residencia para a ra do Trapiche n. 7, primeira andar, aej nncontrri
sempre ti d; a qualidades de fazendas para trajns de honier, e prepara costumes prra muDtamd
senhora. I azt mbemi'bras para militares e para criados, parabas quaes tem grandi- sor imeal *
bttties simp ee,.-um virola- e cora de conde, brancos e amarellos. Reeebe pr todos o vi
nlrimos flf r ne nara i emiin, senhores e meninos.
**
TTtttttttl
IIMI1
rrutili
f CIGARROS INDIANOS ^
DOCANNABIS INDICA
*CR!' -.-ns^PARIS--'.
HIllllll
Todos os meins at hoje preeonisados cesta a abUun nrto tem sido mais de ave ptlliatvee I
debaixo de todas as formas, tendo por bese a belladona, o estramonio oo opio. Reeenie rape- f
riendas feitai em Alintanos, repetidas em Franca e na Inglaterra, iei provade que cioame
indio de Bengala possue se mais ootavets propriedades par combater ess lemivel aflecvo,
assim como tosse nervosa, a inaomoia. a mica laryngea. a royqnidle, estinecee da vas,
e ea eevfetgias tsetses. E' psia asese peto de aeieoeieaaseffaiSMueisi selta aigBfrtaversaa.
deseSBorairaclodecteaaM^lsdias,qeiieaimpwiH>sd> Bomeetae.
Deposito es Pm-nmmlme. em as o> af *.
TTTTTT*T*TT**!
f

'
' I
rYWTTTWr


Diario de Femambuco Sabbado 13 de Mai\;o de 1869.

W
Grande liquidaoiio de miudezas !
AiTonso Moreira Temporal, querendo liquidar as miudczas existentes em sua
toja ra do (Jueimado n. 55, resolveu annunciar as mermas miudezas, para que o pu-
blico se certifique do diminuto preco porque as est vendendo, a saber:
Oaixa coin agullia franceza a
Caixas com 100 enveloppes a.
Pecas de babados e entre-meios
a 500, 600, 700, 800 e. .
Pecas de /ita de c9z com 10 va-
ras a .>.....
Linha de marca, caixa com l
novellosa......
Coques muito finos com rcde,s
a rede -val......
Frascos com santos muito tinos
a.........
Latas com banha (familia), a
lOc......
Carlo com allinctes a .' .* .
Copo com opiata muito fino a
iOO o.......
Cartas francesas a 200 e .
Ditas portuguezas a lQ e .
Gaa de linha do gaz branca 50
novellos a......
Frasco com lala a 100 e .
Frascos com banha a :120 e. .
Francos com agua do Colonia
Pver a. ....... .
Pentcs de travessa para cabello
de meninas, SO a vista Cu
le, a....... .
Lia para bordar, libra. .
Noveno de linba grande com
'(00 jardas, So a vista faz
le a........
Pares de lisa pernas de senhora, muito
boas a .......
Franja branca para toalha vara
a.........
100
500
10000
500
240
m
.10500
Ir>00
200
100
Resma do papel al maco, muito
boa fazenda, com 85 cader-
nos a. .......
Caixa com papel amisade a .
Jogo de vispra a.....
Sapatinhos de la para meninos
a.........
Pegas do tranca e caracol a .
Sabonetcs de todas as qualida-
des a 80, ICO e .
Fiascos cora oleo babosa a
400 e ...... .
Pinccis para barba a. \ .
Caz a........
Frascos com agua de Colonia a
:i->0, lO e......
500 Paites com cosas de metal .
240. Carteira de marroquim a .
160 Penles pretos para tirar piolbos
Escoras para cabello a 400,
600! 500 c .....
ICO Carrafa com agua divina a. .
400 bravatas de seda de cor a .
Ditas pretas a 400 e .
Botbes de louca para camisas, a
arrafa de tinta roxa a. .
[.neos brancos para mos
a.........
Par de suspensorios para fio-
mens a..... .
Espolio de toucador a .
Frasco com ebeiro muito lino
a.........
Bandeja para copos a .
Mcias ci'uas para bomens. boa
fazendaa 3& 30(500, i } e. .
Abotoaduras para colleles a .
I?000
320
G#W)0
60
I O
2->800
700
108
320
40
200
000
200
320
500
320
400
200
600
I l$SO0
320
500
160
800
i TSICA
L.M DESCOMUMENTO ESPANTOSO !
O xarope de fedegoso, de Pernainbuco,
preparado "pelo pharmaceutico J. de k. Pin-
to, cura radicalmente a tsica e astluna, e
todas as molestias dos puhnCes.
Podem ver-se os atteslads de curas no
nico deposito dis preparacrs de fedegoso
deste autor, ra do Itosario Larga n. 10.
junto ao quartel de polica.
Illm. Sr. Jawjuim d'Mmehla Pinto.
Braga, 25 de Janeiro de 1868.Meu ami-
go, aqui chegaei com algumas melhoi as:
depois de ler toniado tres garrafas do seu
preparadojarope te fedegoso; isto
pelo mar, porque logo que ebeguei em Lis-
boa, principiei com mais f6 a tomar o dito
xarope, por conbecet pelo mar que elle me
fazia grande beneficio, pois vista da gran-
de quanlidnde de sangue que cu botava pela
boca, vi que me>a desapatecendo com ra-
pidez, depois q\ie continuei a tomar o dito
xarope, e lo Milagroso foi para a miidia
molestia que boj3 me aclio de todo resla-
belecido, c al mesmo bastante nutrido, e
por isso pode Vn fazer scicnte ao publico
o milagre que o seu preparad) obrou na
minha fcnfenidade. Scm tempo para mais,
sou de Vine.Anigo ltenlo," Venerador *
muito obrigado.Manuel Jos GortfOrea
Perora.
nwlccjuc
|a-se altear mn
rga do llosarion. 44.
lioiu
na ra
200
Illm. Sr. J'Ki.(Hm d'.Mire-ida Pinto.
13a muito que ouvia proclamar as excel-
entes propriedades do xarope de fedegoso
contra a tosse e astluna, e soffrendo cu de
urna tosse pertinaz, e teno usado de toda
, a sorte de medicamentos, vali-me pois do
de fetgmo, c urna garrafa somen-
para restabelecer-mo, e me
jiiinn vt'J t3' robusto como d"antes; suecum-
w_ i'Wria decerto a nao ler usado svn xarope
' de fedegoso.
A' vista disto nao tenbo expressoes
com que exprima a V. agraidao de jue
Ihe df.edor, o de V. S. atteeto venerador
e criado
Joo da _M_ llego.
na
4tf) I
2*'00 te Ib. bastante
40500
320
,A ^^tlMLD
< Rbn. Sr. ihaquim d'Afrmeida Pifo.
Tciii'.d a ventura de eommmicar a V. S.
que grecas aoi_aravilhosd xarope de fede-
i (jo*-), estou com o meu escravo Jorge com-
pintamente restafeefeckto da uMtetftia dos
i polmoes, que ba tanto tempo o ntoseguia.
Aceite -V. S. osla minba declararn
como prava de meu recoiilieciineiito pelo
bem me A', s.acaba -fie lazer-mc, e cuja
:reeorilir<3oPicar internada no coracao do
De V. S.
Vtente veneradfir e criado
Sent Joaqiiim 'Coin*.
A ftgei-. branca tetarse feito to coiteeida e
credtt.Kta,afui s pelas navidades, variedades,su-
ptrtorMia e abundancia de seu sortimcoio, ee_
pela cjcstaate coimnosliddede seus preoMffl mes-
> peij i---;-a d-MXL e nunca ulWiiailij agrado e since-
ridad*.
Essas verdades iMatteBfeweb sao preojad pela b<-Ho sexo em particular, e peh<
rospeitavel publico e:n geral.e a tanto tem-chegade
puertsoqoasi passaaoo amo annexim ou pro-
verbia, quando se ve un ubjecto de olegancia.
gasta, Bvidade, etc_ etc., Ht-se logo^aquelle ob-
ttct< sera divida fui comprado na loja d'aguia
tirasen.
QiiRC.do no club, ros bailes, ou no salao do
Santa Isabel, urna excetlontissima se aprsenla
ffuliAa&uwnte trajaadu, tnzeodo o moderno cinto
o raui fuga Hti lisa, tamatoUda, ou cscusseza,
as suas admiradoras di2em nomsigo aqatlla fita
jet aiRTj'-rada na loga d'aguia branca.
Qaacdo outra excll ntisshna, nao mios ?nr-
ta, ostra o rigor *le seu kom gesto na acertada
coILi dos enfeites de .tita novidade que bella-
mente ornam seu vestido, tkula uiesmo as rivae>
de sua >> inpathi:. CMfu&Maifueaqoejks (mlcites
frau: da loja d'agttia brinca. *
Quar.do n'outra exoJiiniissiina, apesar da sin-
gellez?. de sea port agvaib.vcl, se vm as bonitas
(uvas de pellica iduqueu as suas bellas ami-
gas louvam-lhe o grto n oanflrnaaii queaquellas
uvas foram da loja d'aguia branca.
(Joando mesmo deas exeeSentissimas, autigx'-
amigas ie cillegio, se encontram naquelles toga-
res, depois dos cuuipriinentos de recprocos beijos,
hiam^er torea de sua elevada delicadeza, gabam
m.um os agrada veis choiros de que san
em seus linos lencos, c cada urna das qi'ies orgu-
Ihosas^elo i'logio do acollo de siw escoll|a, emtk
.|iie.(uerendo por siniesiiia justBcar di-ft;ni sirn;!-
ItnuaiMtto verdade que este clieiro duicompra-
do na loja d'aguia branca.
Aluda mais.
Quando honUmi os iais aiilieivs -en'am o ricoi
da dcticao de seu etiaro lilhiiiho, e hoje alegres e
satisfuitos pelo feliz TcstabeleriBiciito reeebum m
visitas dos seus inWlmr amigos, dizom aquelles
estes, foi Deus que me ius|>iiYiupara que compras-
se, oomo comprei, um desses virtuonos ollero
llover, que se vendem na loja d'aguia branca.
Xlttsi do multo niate que aliada
fa&a dizer.
Qu?.ndo em ura circulo de eircumspectos carac-
2T^rri!ff^^e'^it^dil,^^,ya' todo o reconheciroento que-simo pelo bem
rocer um outro i ecisa-se de una fauitm capa.:, que se en-
catregne de mandar lav minar com leda
a perfeico roupa de hoinem. A queni eonver esta
fre^tiezii, pode duigir-se ao sobrado da rua Bella
ii- - aualquer hora.
I'AHA A BOA CONSEBV'ACO
de
OSSO CABELLO
neal do
0 muzeo de joias
Na roa doCabug n. i compra-sc oure, prala
as [i i- prefas inais vantajosos do
iue em nutra qiial |iier parto^_________________|
liarlos ranos para embrullio f
na rua Nova n. ,. '
r.un iia-sc nina e-crava nova, sadia e sem
ririos; porn quer-se que estoja eieando, eque
ienlia h un !eii.', e que seja cariiiln sa para ama-
mentar nina crianca: a tratar na rua doQucimado
u. 17.
Oompra-se
"lerlinas, ouro n prala
liojc libras
e pi
na na da adeiado Recito
e por malor preco ' "i n. 58, loj
de todas as
uira paite
:oja de azul.'jo.
Lile um preventivo segur. e W rto contra
a calvice,
Elle d e restaura forra c sanidade a pelle
da cabera,
Elle de prompto fazcessara que la.prema-
tura des cabelles.
EHe d grande riqueza de lustro aos ca-
li-dios,
Elle doma e faz preservar os cabellos em
fMlqner forma e posffto que se deseje
iruin estado forinoso. liso e macio,
Elle fazerescer os cabellos bastos e corn-
^ pt idos,
Elle conserva i pelle e o casco da cabera
limpo e livre de toda a especie de caspa,
Elle previne os cabellos de se tornaran
brancos,
Elle conserva a cabeca n'um estado de fs.i.i-
cura refrigerante c agradare!,
Elle nao dema/.iadaniend;'
rento ou pegadico,
Elle d3q d dare!,
Vcndc-sc ora eabrtoiel eoberto, dequatro ro
das, muito foi lee inaueiro, dewlta inleira, com
eavailo ou sem elle, e WCompetentes aneos, lu-
do "in iiinUo boni estado e por pteeu eoinniedo:
na rua de Sanio Amaro, coelieira do Sr. Tlimnaz
Lins Caldas confronte a estacan n. 1.
AO CAMPOS
8 Ruado Imperador =-28
EM GROSS E A VAREJO
Charutos de diversas marcas dos liem
arredilados Fabricantes, Costa Junaos >
llanoel da Costa Ferreira de (Sao Feliz).
l'arinba da ierra muito Ijoa, 4-J reisa
sacca.
Miraguata do Ro Grande do Sul, peixe
secco de superior qualidade a iC'U a ar-
roba.
Congro c ruivo do Portugal, em barris e
libras.
Carnerees seceos, do llaraahao, em libras.
Lulas com peixe em conserva sendo :
Salmoui, L.igostas, Ostras o outras muitas
qualidades, a saber: Portugueze, Inglezes.
ideoso, gordtt- Anierieanus, HespaDhes, etc., etc.
O Campos anda urna vez. veni ler a
honra de lembrar ao respeitavel publico, os
muito excellentes aguldenles de Lima l'.i-
, que -B ga-
Elie iio leelbor fi o mais iiprasivel artigo rali, c Tquirado Maranho, por vir-lhe a
para a Wa consenacao e arrai.jo dos ca-j idea que se aproxima o tempo invernoso.
ludoslas seboras, e que muitonescessario se toma trasero
Elle 6 o nnieo artigo propiiu pa a o pen-j estomago quente, e como seacha o seu es-
teado dos cabellos < barbas dos sonho- tabelecimento bem'pntvido dos gneros aci-
res, ata Nenbimrtoiieador *le -elioia :-.' ':de con-|"onde cnciintrarao os amantes do que
dorar cena eoeRpteto sem o fcwn bocado, um completo sortimento de
Tuf m mw
Rua do Queimado n. 49 loja
miudezas de Jos de Aztmd*
Mam e Suva con/uadoporJost
Bigodinlio.
iv-i.-i qii.'imaii'!'! o Bbjwloj abtixa AecIaradM
pelo dimiiiiile preco. a saber :
i C( ni agua Garrafas rom agua Florida vrrdadet, q
raniea UOO.
\\ lites par. .-abello de meiiraas a 320 fj.
Tlie! mas muito llnai para aabaj c rostaras
SU is.
Tinkiros ehcb s de tima muito prela a 80, tOO, *
e 400 rs.
Varas de franja brai bbo para toaih* a
160 rs.
is de pliosuliwos di a a .
160 r*.
Navalhas de cali le iiKiilim e que te garhe
qualidade a i i.
I.ihraile l.ia para bordar a 7J.
Pena de lita bran a elstica muito superior a fOt*'
e -loo rs.
ffovrflos (li'liiil l ranea rom 100 Jardas a 60 r?
i de papel e peso liso moilo lluu a tjl
Latas com mporior banha a MO e M
r.aixas con seis, frascos de^batro maito int;-
800 rs.
r.aixa- o in dore f iscos, fazeada s ba a J^ISCO
e 2*800.
Praaraa tom gnnorior oleo Bloenn e a 860 r?.
('.almejas de sabio transparente muito Iniito i
no 210 rs.
liuzia fie pi< i pomada do Rano, da as
qualidade a MO i .
de tiras bordulas muito linas a 560, r-00 *
Ditas di' babadinho? rom raras a Cdo rs.
Carriii-i.- de liiili.i do ludas as cires, para acal -
I SO rs.
n.-iirilas com agua dl*i ia '
! i i1' i Bom I n|-ei ior marac ; ola a 320 rs.
Carias de ridro e> n toza (lid s, que m a ca*
v;,le ilinlieirn a i(l rs.
luas ii- madVira eom aliles, o llior a .'O rs.
Cresas de botos do looea, Ibos o bordada* a
160 rs.
Caixa* redondas para rap ominando tartreas
1*300.
Pecas de lila paca eos da mrlhor qualidade
. I 0 rs.
Escoras para liuapar leu: a que s a fa-
la a tO rs.
Diius paralimpar plias de nnerii r nnalidadf i
500 rs._______ ________
.T___\_! U'
o qnalprcsen'a.lrrina, fbttiflca
0 CABELLO.
Acia-se a venda nos eet_e(ecHnentee4 e
A.o.ors. i. da T:. Bravo & <;. I. MaeWer
_ C, Barbosa, Barthotomen v^ <:., e em
bnUs as pi_tBaes lujas de perfuniflrfas
e Ivdieas,
Confiara do Sen/uj
.ionio Icves te r.isro.
Vemiifugo eflleaz, e p'ffetivel a todos es
gneros linos, afbrmosfa veis para urna mesa mais bu menos pro
vida.
Vende-se
das Dores em
"5e ordem da mesa repedra
Um. Sr. Joaqttkn d'Almela Pialo.
Cumpriiio um dever de gratidSo partici-
po a V."S. que, pormeo do seu abencoado
tarop de federj*, est perfeitamerite res-
tabeleado dos seus longos ?f llrimentos o
meu escravo,
Como sabe, este meu escravo linha
(.hogado ao estado tais _1itiivo da otes- _"'1 f m viiodaeoi;ntfia
ta de pnimites; Ao obstante era aaon- J'
terronipido uso de irnunlios, e tuna demo-
rada viagem ao negso s^rto.
Pois bem : a enfennidade, que s3 ha-
via Urniado rebelde a todos os meios ent-
Ipregados para c.jibate-la,.cedeu, mandra quasi milagrosa, aejuatro garrafas
Ijpenas, do sen feti?yoso
- Hoje, -rai-as a eu, leulio o mea es-
cravo restabelecido ; enlo' fcil mostrar
Bom. Jezus
S. Gonzalo
romper a discusso, os, primearos por mooiento es-
quecerio a circuoajpeecao e Ibes daro um gra-
cioso debique dizeudo-ttiesj sabemos que V.
um aquelles que inclina o efcapo de sol ou que
mereeia ser designado pela atjuia branca da rua
do Quotmado n. 8.
Ko dautas ac oitsas fue erar
irmas .escapara bh outras.
J ia esquecendo a aguia branca, mas em tempe
lembru'i-se para nooiar, que receben unia.pe-
quena juantidade de enfeites para coijues c gra'ni-
pos para ditos, nido feito de -metal com lindo.; e
agrada veis coloridos, obras estas pela primeira *et
apparecidas, o pcatantoinieira novidade.
Tambem eliegaram navamente delicadon enfeit
e flores ornadas de aijaares e vidrilhos, tanto d*
pallia aara coques como para vestidos, e nato
contimia a merecer a aareciacao das excellentissi-
mas conecedoras do bom.
que Y. S. me acaba de fazer.
Sou de V. S.
Caiada aofaooda
ima Norbevta Schefj'er.
Coftlinuadamente se bos tpresentara no-
vos tfsLemunbos da efficiieia do fedegoso
de I'ernambuco!
Eugenlio.
EPIDEMIAS
O LICOR M i.ABARRAQUE um preservativo seguro em tempo1* de
epidemias : cholera, febre amareiia, peste, typlw. etc. levem evar-se as faU
sificaoaes as quaes sao a maio parte das vezes mei preparadas, sendo por isso
mais nocivas do q*o uteis. Deposito em l'arii. L. KIIKKE, .11). r_s iucoh.
Tm Kio-j.ro Duponchelle; f. Tctiorpf. t_ hr__w). M/mrer
Arrenfia-se o engenfco Gonga^a, sito na frepie-
zia de Iwiarassu, distante desta pi ae.i a leguas,
OoBl noiu sobrado, casas para lavradores, excellen-
tes trras de plantaco s, porto de embarque na
IHirta, pefirciras e fuios de qtjciinar cal : os pre-
tendentes dirijam-se rua da*_nperatriz n. 8, pri-
meiro a_ar.
dPsla confraria
eaivillo Uidos es Kossos-iruiios a couiparocerem
na nnssa igreja -i t/S hura; da larde dodia 18
do comte. alini de encorporados, aroni|iaRear-
ntojsa procissao do Senhor Bom J.-^iis dos Pasaos
ibi reja 'la Hhuta "_;iz, pai-,i a qti.-J r*.vbcmoR a
do Si'idior Hoiii
que liverem ca-
tas em s*n pintor, sao r*p,ids i comparecer eoin
ella, itocife t de marco O eserivao,
Rauhel arctianjo Rosa Lima.
IkTavo 'ufiido.
l'ugio nodia 6 do comiite, do engenho Moie
ros, d.T-r< guezia de Sanio Amaro de .lalwalo, o
aM'rava Liiiwenco, preto, eiiouio, do O a 2 an-
i*k, soKeiro, sem offlco, natural desta provincia.
c com os signaes segu utos altura regatan ca-
Mlos cara|Miilios. pfe eoinpridos e falla descanca-
tia; este escravo foi comprado a D. Maria dos
Atijos deS Baneto pelo rommendidT Antonio
desonza _e8o;p de-se a todas as autoridad.s
iwliciaes e eapilaes de campo a captura do dito
escravo, e leva-lo ao referido engeulio, ou a rua
io Imiierador n. 77. 1 andar, que sera generosa-
mente graiiHcaOo:
Preeisa-se
De um menino Portuguez ou Brasitoiro qm B_bl
ler, escrvar e contar : r.a rua das Cinco i'ontas.
aniazem de molliados n, 8fi.
Atteneo
Manoei Augusto de Menezes Costa, prb-
fessor de msica, conlma a-dar li;es de
sua arte, tanto vocal como instrumental,
em casa particular ou <_ algum collego:
assim como tem aberto urna aula na casa
de sua residencia na rua da Palma n. 53.
0 MUSEO DE JOIAS
C/2
tendo feito
C/2
GOMES DE HATTOS IBM&OS -
completa mudanza em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe maiores proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exins.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da noute na
RUA DO CABUGA N. 4
rule encontrar, um completo sortimento do que ha de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubins e tudo que em obras
de ouro, prata e platina se pode desejar.
ADERECOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBINS
de novos gostos, e que devem cauzar um grande effeito nos trage* quares-
maes, assim come grande variedade de salvas e paliteiros de prata con-
trastada e degosto anda nao visto.
Corapram a trocam qualquer joia ou pedra preciosa e garantem
a qualidade dosobjectos veudidos.

_3
02
Antonio de Souza llego eordealomnte agVMlece
a todas as pessoas que aeompanliaram ao eemito-
rio.publico os restos morlaes lo seu prezatlo ami-
go e prente Jos Fiamisco Kibeiro, e [itde ao
ineamo l'-uipo desiulpa da falta de convite -piel-
les amigos do tinado que nao foram convidados,
por ignorar o annunriante qucn ellas sejam. O
annoneiaote n;w pode prescindir de menctonar c >m
louvoro nome do Sr. Marcelino [Jos Goncalv.-- da
Fonte, peto seu valioso concurso em promover i s
aprestos para o enterro do finado, pelo que se con-
fessa eternamente prato. ._______
orna rica machina completa "para costura, nova,
rom material pata mais de seismezes ; ua rua da
Assumpcan n 30.
lili
Veiide-sc um b< m piano de armario de
tres cordas: na rua da Imperalriz n. 47
loja.
Pam oncmuimcnto d'iigtia.
GaMB de ferro, dftos esRmhatos, ditos torrados
de porcelana, todos eom as competentes t'irneiras.
ina etc. : a roa da Qm-imado n. '&.
do, ej pela fcil applicac3o as cieanca^
quasi sempre mais atacadas de lio lerrfel
tiiiit:is vezes fatal mffrim n'oi
IMCO lKPO^ 10*
P_a_::<,!a c drogara.
Bartlu iiicti ('..
3 1-Ktia larca do f'osai't'o
hi\ni un
que tem vindo ao mer-
cado
'Barricas de 11 arrobas por
10,5000,
FARELLO DE LISBOA
chegado ullimamenle
SACHOS GRANO S A o 5000.
ARMAQO DE TABERNA
com todos os" pertences por
tsoiooo,
Tudo no ariuazcm de C m lido Alberto Sodr di
Molla, travessa da Madre de Deus n. II.
3t
_ _5i_*K_' _'_ *
TOXICO DE J.WI.E
ROA IK) Ol KIXA'H) N. oo.
os senhor i fl^tetas
Para i t(iu resina
QUMBKi pretas finas : a rua Cldeto m
Reeile. arnia/ein n. 61).
Srljondr dt (ilcdnh).
DE
C*isll'o.
Antonio Nuiles (!<
Esle aircditado preparado, que t
acceitavao tem mereemo n'esia jnwii
muito se recOtanDebda
das mpifrens, sarnas,
molest as (le pe' e,
D psito nico,
Pharmacia de Bartholimn o
i para a tura certa
caspas e lodas a4
d- C,
Antonio de Souza Itepo convida aos seus amipos
e do finado Jop Francisco Ribeiro para assisiirem
a nasa do stimo dia, que por alma do mesmo
tinado ter lugar na L-reja matriz doCorpo Sauto,
pelas 7 horas da manhaa do di.t 17 do corrente.
0 MUSEO DE JOIAS
nu _l
O' Sr. das jacas da rua las prisoVs, eu nao pen-
sei que o grudt*.4he desse tanto que fazer, assim
como as nimbas espras, que tanto Ihe cortou o
vasio... tenlia paciencia, >gora o que cu nao ad-
miti Vine, tancar toda a sua ira sobre o Man
Vi Iho; coitado. olhe, eu sou outro, se quizer me
eonhecer proetme-me em casa, e creia que o tal
moco nao de grabas, pro seuBenzido.
Caixeiro.
Preeisa-se de nm caixeiro que tenha pratiea :
no hotej Lisbonense, rua cstreita do Roe ario nu-
mero II.
Precisa-so de um cosinticiro no uotd central
paga-se bem agradando, rua larga do Rosario
n. 37.
CRIADO
i
urna parelha de cavallos red dosj bons de carro e
sella, juntos nu separados, na corheira do Ignacio
(_hral, caes Vinle nf)nh te \nv.nhr .
Na rua do Imperador n. 73, 2 andar, precisa-
so de um criado.
Desapuareeeu do silio do abaixo assiguado
um passaro de frica muito exquisito, do eorp
de urna pequea ema, mas mailn elegante, preto
e m asas esverdeadas, Dems grandes, pescoeo
romprido, cabeca com una popa como do velludo
preto, quando canta parece tocar corneta : quem
o pegar queira leva-lo no silio do abaixo assig-
nado que gratificar com generosidade; assim
como molesta proceder contra quem o tiver escon-
dido, pors que pelos hbitos do referido passaro
de dormir sempre em lugar certo e niio dando
grandes voos, taz crer que algum amigo lo alheio
o tem apresionado ; igualmente ficar muito agra-
decido e mesmo gratificla com generosidade a
quem Ihe possa dar qualquer infonnacao certa a
respeito.
Jos Jacome Tasso.
Alugain-se a* casas n.
rial e n. 52 da rua da Aurora
da Aurora n. .18.
193 da na linpe-
: a tratar na rua
COMPRAS.
Com muito nuiior vnntagem
Compra o CoraeJM de Ouro, n. i D, rna da Cabn^
^. moedas de imii-o e nrata e pwlras preci> sas.
Ouro e prata
em moedteem ohms.irnitilnadns, eompra-se por
bomprecn : m pr.-u^ da Indppondencia n ii.
Na praca da Independencia n. 33, loja deou-
rives, compra-seouro, prata! o p'drfts pncosas,e
tambem se faz qualquer obra de encorn.enda, e
lodo e qualquer coacertoi
Na rua damperatriz
n. 28
Vende-se urna encllente loja de fazendas
bem al'regtiesada, una boa machina de
costura quasi nova e sem defeilo, duas
eseravas rrioulas. urna de :IK anuos, dola-
da de habilidades, e outra de 11 annos,
com principios, propria para ensinar-se ;
por seu dono retirar-se para a Europa.
Cal branca de Jaguaribe a
l$500o alqueire.
Acaba-se de abrir um deposito na praca
da Contxirda, junto ao armazem de carvSo
de madeira, da verdadeira cal branca de
Jaguarbe, premeada na xposifo, e qual-
quer outra que apparecer venda com esse
titulo 6 falsificada. Tambem ahi se vende
cal virgem em barris, mui procurada para
mgenho, por ser igual a de Lisboa.
DEPURATIF
.i.. SANG
Pars, 36,Rua Vivienne, D"
CHABLC MDECIN
ASENFi KMIHAiiA> UKSSbXi Ai s. an Al
COFO 'tTANF^-.F \1.TEHA;mksi>iiSANOU_,
jinauOr.ur_ ''"Ulula*. hrri,m, MfaS
r 1 fi-foeA, r\cinsiix do $nm
tjue; nt. e alttrnfom
u ny .Xrupr vegetal seu) Dierriiriui pa-
r-tita. ..-ic.-tar H%\ll<) H>lli
tomao-se lous por semana, tenuimlnn irii-ianiaiiH>
Itr .f-niiio, f em rwgado na ini-ma- mnlnxiat.
Este Xaruvti Curact p
ferr .i- lUHI k nn
iTnme>liaiaiiiPhiri|ual|MP
juruafau, rtlaxu<;a9t
i Jehihdnrit. igati
rule vs ilua-iui fin* r* hrnnrai 'la- n.yMi*r..
Esta injeceao benigna emprega-r >-o_ o lantp* la
Sttrnclo de Frrro
Hrotarraiilaa. Pomada que as cara .- mi aiaav
POMAOA ANTIHE-PeTICA
GaatrkT tu ngccot ent'ina> com>_
LULAS VEGETAES DEPURATIVA
do Chabie. eada frasco vw matapabata 4
a_ folhew.
PLUS oe
COPAHU
Para semana santa.
Madama Adour, 23 na do Imperador,
acaba de receber mantinhas. e mantelets de
il prHo.
Na rua de Hurtas n. 1, tem para vender fei-
iao mulatinho muito novo o melhor que pode
naver neste genero, urna ettia 800 rs. _______
Farinha de milho.
Vende-se farinba de milhe, amarello muito fina
a 3i a arroba e 100 rs. a libra : na taberna da
rna larga do Rosario defron'e ila Iwtiea do Bar-
tholomeu e travessa das Cnizes n. 16, es|uina
que volta fiara o quartel de |mlicia.
Vinho degesfcivo de
eliassing
COM
PEPSINA E DIASTAFX.
Remedio por excellencia para ura c fia
das digestes dilliceis e completas, a cal nar
as dores gastralgicas, enparar as fi cas
produzndo tima assimulaco romp'eta dos
alimentos; sendo mais ura excellente touirn.
vi:\ni:-^ii:
PHARMACIA E ltOC.ARIA
DR
Uarlholomeci '.
gRUA LARGA DO RtKAWttS*
. PR3?OS
O nico deposito de louca da fabrica do Bnrba-
Iho do Cabo, sito no paleo do Trro n. 13 d sti
cidade, tem resolvido fazer grande abatimento no-
ranos que tem reeehido, os qnacs ficam vendidos
pela sef umte tabella, a saber :
De t l/ pollCgada cano vidiadn por 800.rs.
De ditas dern idem por i 000.
De 1 o 4 ditas Mein idem per 11200.
De 6 ditas idem idem por 2SO0.
De 8, 9 e 10 ditas Mein idem por 4 3000.
Qua-para isso'em nina machina apparelhada
para faze-los com perfeiean. semto cada um com
tres palmos do comprimen! i, a sim como. tem
igrande sortimento do iouea, tanto vidrada como
para resfriar agoa.
Novos chapeos prctos para
liomem,
A l.ea! Tendo recebido u.n novo si rtiinei,;" de rhapeo*
tems de pello para homem e de lepante Rrmt
vende-os pelo diminuto proco de I0J rada nm,
mereadoria <|ae em entra qualquer parte nirHD-v
praropor __M de lia ; a ellci. antes qu !*
aeabem, na hem eonheeida loja da l.eridade, n
da /mneratriz n. 70.___________________^__
3uito em conta
Farelio a 4S.W0 o sarco e milho a 'i()0 rs., vinlu
a 400 r a garrafa e ranada n 2*800. pa7. 3 44
sala a tii), azelte de carrapato a 400, caf
cartujo a 2?0 a libra, isto no largo do l'araiz.) rt
.'lfl.eq'iin.i 'Ifl roa ila Reda.
Vergonteas de p,nho para mastiros. vpfgaf
e retraneas, tinlas de superior qualidade. TinlaiH
Verde Pars, branco de zinco e pre'a. en> lata* d
14 e 28 libias j prep'tafias, el,... ,',. linha em
barns : no armazem de Tlep silti A:i r -piHh
Pernambiieana. no largo da Assemllri n 10.
A dinheiro ou
a piiizo
Vendee nm silio monos de n eia Wf a d'slan
te deta capital com casa de p< da ral, bi
semelricamento plantado, eom livi r as arvi'Fe
friiciieras. como larang-, usei
ros, pinbeiras, moieir'-, p iaix ara
ros, eafezeres, Friieta
queiros, bananeiras e mn
|iasto para vareas, Ierra para n ea. (<*>
e duas carimbas de boa agua : na rua, de 3. _-
ralo n. iO.






6
Diario de lVmambuc6 Sabbaclo 13 Je Marro de 1869.

Liados coito de cassade cor rom barraje com Dgurino indicando o molde do vesti-
do geto baraiissimo precn de 3SOO o corlo
Ditos de pon-alia milito modernos com dina
Na k)]a das Columnas da ra do Crespo a.
dios & <;.
saias a 5AOO0r'is
13 de Antonio Correa
de Vascon-
rv
CORRENTE DOS CHAPEOS DE SOL
Da fabrica de
LOJA DO PASSO
Ra do Crespo n. 7 A, esquina da do
Imperador.
Ra Jova n. 23,Ra do Cabug n. 8
Pernainbuco
Chap is di soda trancada, Paragon, do IG bastes, 8 pollegadas a 165; 26
gadaa a 155, e2' pollegadas a I4*0. ....
Ditos de seda G. de N. Kara, de ac, de HS hasles, 18 pdBegadas- a llj;
te 26 pollegadas a 13$; c poUegadas a ISfOOO. f .
D.l is de se la G. de X. lisa, do ac. de 12 bastes, 28 pofiegadas a 126 ; de
as'poHegadas a (lf; c 21 poHegadw a HMKKiQ.
Ditos de alpaca, de ac, do, 12 baste*, 28 puUegwias a w e- 2 pollegadas
Por duzia faz-se descont de 15 OjO
Chapeos de sol de panno, debaloia. do 8 bastos) 2i e 20 pollegadas a 32<5
(Descont de tO OJO).
Ditos de panno, d* junco, 8 bastes, a 18,-iOOO a duzia, liquido.
a duzia.
izm^imE^^
PHdSPHATODEFERRO
jERASdoiitor
INSPECTOR 9A ACADEMIA DE PARIZ Etc.i
Dchuixo da forma d'um liquido sem sabor,
anlogo a una agua mineral, esie medica-
mento runc os elementos que eonstilueni
os osQ5 e o sanguc. E' o mais raciona! dos
>rruginT>sos; por esta razo o adoptro
os mais eminentes mdicos do mundo O-
tciro- Conxem mu lo rts meninas de temperamemo delicado, cujo desenvolvimcnio tardo,
as senlioras que padecem (testas dores d'esloiiaj;o itoeraveis, causadas pela chlorose,
anemia, menstriiacao oa leucorrhea, s enancas d'uma compleivio paluda e delicada, c a
todas as pessoas que tem o sangue empobrecido pelas ducr.cas. Eficacia, rapidez d'accaO,
cura pcrfcia. sem consiipacSo de ventre nem arrio sobre os denles, laes sao as razSes que
impcra'o para que os senhores mdicos o prescrevo aos seus doentes.
eposiio ora Pcrnambuco, rm casa de Maurer e c*.
PARA QUARESXA.
Gorgoro preto.
Setim macan.
Sedas l.ivrad.is.
MoireantiqDe preto.
Gros-de-naples
Basquines de gurgarao c de gres-de-na-
pies enfoitado com primor.
Corpinhos de gros-dc-naples.
Basquines. capinhas, pelerinas, fiebus,
do crochet e de guipur, pelos e blancos.
Mantas piolas de Morid.
Riquissinios chales detouquim.
Uequissimos chales de gurguru de seda
[ii ota o melbor oeste artigo.
Chales de mirin prelos com requissimos
bordados e franjado do retrox?
Chales do mirin bordados sultano:
ultima moda.
Romeos pelos com lindos bordados.
Loques de madreperola, ni.irliiii. snda-
lo c osso, e preto, para senlioras.
Ditos de sndalo para meninas.
Chapelinas piolas.
PARA CASAMIENTOS. RAILES, TIIEA-
TKOs. ele. etc.
I,indos cortes do blond, coutendo setim;
mantas e grinakias.
Reqnissimos cotes de sedas asini como
paracovad is.
Gjarguro branao.
Moireaiitique brauco azul e verde.
Gros-de-naples blancos e de core-.
Setim branco macan.
Setim, braaco, azul, verde, cor le rosa
e amarellos.
Fil de seda, brauco e preto.
Corles de seda com duas saias.
Cuales degurguro de seda de oires.
Camisas bordadas para homens.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas bordadas ."
Fronhas de lindo bordadas com rimor.
Lencos decambraia de linho bordados.
Riquissimas michas de damasco de soda.
assim como de seda e algodo.
Ditas de crochet para cama.
Chapeos de seda bordados, para s )l
Poil de chevre de lindas cores.
Alpacas de lindas cores.
Chapelinas de palha da Italia, assim
ormo de soda.
r.nfcitcs para eabeca de senhora.
Espartilltos para senhoras.
Meias de laia para padre.
Ditas de 13a
Ditas da seda lio da Escossia e algodo.
para senhoras e meninas.
Lencos do latyrmtho.
Fronhas de labyrintbo.
lucos, rondas e grades.
Finissiinas camb'raias decores, percales,
I5as, o oulros muitos arligos gosto e
de alta nvidade, isto s
TASSOIRMOS
Teni para vender ein seus armazens, alm de ou-
tros, os segrales arligos :
Papel para imprimir.
Perlina azul.
Greve pautado e liso.
Vinlios eni caixas de doze garrafas
Bourgogne.
Hery.
Metra.
Ifermifage.
Chambui.
Licor de curarn de Hollanda eucaixas de vra-
le e quatro botijinhas.
GESSO,
Nos rameos de Timo Indos.
Grades de ferro
para jardn?, portWras etc.
Nos armazens de Tasso Irmos
A 31III MO* DE FKIfRO
Para servidos do grandes armazens, para remo-
ver Iiarrieas on caixoes de um para outro, lado pelo
mdico proco de 12000cada um.
A NOVA ESPERABA
21= Ra do Queimado = 21
L para presentes
A Nova Esperanca, ra do Queimado
n. 21 tem um variado sortimento de objec-
tos de gosto e phantasia proprios para pre-
sentes, sobresahindo entre ellos ricas caixi-
nhas de bano com linas perfumaras, cos-
turemos de chagrn, agullieiros de madre*
perola : assim, pois, quemqizcr fazerum>
linda offerta, dirigir-se Nova Esperanza
ra do Queimado n. 21 i
Collares- anodinos ellcclro-magneti
eos contra as convulces das
creangas.
Nao resta a menor duvida, de que muite
collares se vendem por abi intitulados o*
vi idadeiros de Royer, e eis porqae muHo>
pas de familias n3o creem (comprando-os)
noeffcitopromettido.o que s podem dar.
os verdadeirs i a Nova Esperanca, porm
Na toja do Passo ra do Crespo n. 7 A, esquina da'do Imperador.
'tiGRSMULT e:C phabmaceuticoS' em PARS
Estas capsulas, com capa de <=!eicn, conicm o balsamo de copahiba associado i essenci de
Malico (arvore do Per;, e constiiuem um remedio infalvel contra a gonorrha. Ellas obr3o
sem usar o estomago c nio provoco nunca os ornos c nauseas que occasionio as capsulas
ordinarias, tendo a ioimcnsa vaniagein de rao communicir cliciro s ourinas. E' por estes mo-
tivos que ellas sao superiores s capsulas de copaliiba, culfebas, etc.
t, Deposiio'em Pen.ambuco, em casa de Hanrer e O'.
"^tMMHHBBMBmBMBBSMaBMBMMn
Apr9f4o
ia academia
iwuieeina
d ParU.
SfiS-MANgi
\i\
Phamactvtko
Ituriai
la acadmia
i* wudecina.
As preparacoes ferruginosa liquidas tem desde muitos snnos merecido a approvacio
especial dos mdicos, poraue ellas obrio mais rajiido e seguramente do qne as plalas, e
sao mais fcilmente toleradas pelos doentes. Os Pos ferro-manganicos possuem a inapprc-
ciavel vantagem de poder offerecer n'um instante urna agua ferruginosa gazeosa, de gosto
agradavel, mais activa do que as aguas mineraes, e eontendo de mais um elemento precioso,
o Manganese, que sempre se acha ho sangue, junctamente com o ferro Impregio-se em
todas as molestias que fcm por causa o empobrecimento do sangue, assim romo para vigorar
os temperamentos debis e lymphalicos. A chlorose, as Perdat brancas dores estomago,
a irregularidade da menstruacao e amenorrha ou suppresso do menstruo, cedem rap da-
mente a sea emprego. Devemos mencionar aqu um facto notavel, isto que os doentes cara-
dos pela agua preparada com estes pos esli muito menos expostes a recadas do que
aquelles que forao ^udos pelas preparacoes ferruginosas ordinarias.
Deposito em Peroarofeuco, em casa de Mam C*.
ff.-rytWfs^d'Jt
grande
farinhas americanas. .
Saceos de farinlia de trigo do
OMe
Todas novas, eliegadas ukimamente uos arma-
zens de Tasso innaos.
Cemento romano
Nos armazens de Tasso Innaos.
Cemento hydraulico 12>
O melhor para tudo que sao obran para agua, ce-
qio assenlaniento de canos do esgoto, algerozes, de-
posito, tanques d'agua, etc., ete.: em portos de
cincoento barricas se far reduecaonoprero : nos
armazens de Tasso Irmos.
. Cemento Portland
O verdadeiro demento Portland em casa de Tasso
Innaos.
Grades de ferro, cercas, por-
teiras, etc., ete.
De diffcrenles qttalidades para eeresjoe de ani-
maes, cbiqneiros para galinhasonjardins: nos ar-
mazens do Tasso Innaos.
Barr com bren
Nos armazens de Tasso Innaos.
CATOS DE BARRO
Na nu Nova de Santa Rita, naanligafabiir.i de _
sabio, ha para vender |>or preco o m;iis mdico. aocoitaro.
possivel, canos IVancezes para cdilieam-s e esgo- j ir^ raxa? ,](. tartaruga para rap ven-
Ltf^iia^^ d0Qhdi n. 21 ua loja
nlECOS ; da Nova Esperanca.
UtOO por -ano grande de U e ineia poHegadas.
[ lOO por ditoie e tresquartos le *!?*;<
e garante aos pais de familias, que s5o m
verdadeirs de Royer, que a tantas creaD-
eas tem salvado d terrivel incommodo ete
convulces, assim pois preciso, qwe ve-
nham a Nova Esperau?a a na do Queimado
n. 21 comprarem o salva vida, para seus
lilhinhos, antes que estes sejam acommetti-
dos do terrivel mal, qnando ento ser di-
(Dcil alcancar-se o efTeito desojado, embora
sejam empreados os verdadeirs colfere
de Royer.
Para extinguir as sardas e
panno
Receben a Nova EsptTanca, ra dc>
Queimado n. 21, Icite de rosas, especia.'
para extinguir sardas e pannos.
BONECA DE CERA
A No- a esperanca a ra do Queimado h>.
21, acal* de receber um completo sorti-
mento de finas bonecas de cera de diver-
sos taannos, sendo as maiores do com-
primetito d'um eovado ; estas bonecas tra-
zem binilos coques e botinas, bavendo en-
tre ellas algunas qne fallam e outras qut
choram de sorte que fcilmente podem sor
preparadas, e fazer-se um [>resentc de niuita
EFFICACIA
VERDADEIRAS
XAROPE DE RBANO IODADO f f DII III AJ nr BLANCARD
0 Xarope de Rbano iodado de Grimanlt e C, pharmaeeuticos de S. A. I. o prncipe
Napoleo, em Pars, preparado com o sueco das plantas an-escorbuticas caja euicacia
mu popular.
Encerra o 'iodo como eombinacio orgnica, e considerado como o melhor succedaneo
do oleo de ligado de bacalho.
A rara perfeicSo d'este producto anima-nos a dar a conhecer aqu a opiniio de alguns
d'entre os principaes mdicos de Paris, qne diariamente o prescrevem.
0 Xarope de Rbano iodado um medicamento d'um effeito suave e seguro para a
medicacSo dos meninos, nSo smente snppre o oleo de ligado de bacalho, mas ainda faz
as suas vezes com vantagem. >
Dr A. CAZENAVE, medico em chefe do hospital Saint-Louis, em Paris.
0 Xarope de Rbano iodado 6 um medicamento de primeira ordem para o tratamento das
affecedes lymphalieas e escrofulosas. Muitas vezes, empreguei-o com feliz xito, em cortos
t casos de tsica ao sen principio, como succedaneo do oleo de figado de bacalho.
Dr A. CUAKR1ER, antigo cliefe de clmica da t'aculdade de Paris. 9
t 0 Xarope de Rbano iodado sempre nos deo exccllcntes resultados como regenerador
do sangue, e succedaneo do oleo de ligad* de bacalho. >
C A. FAVROT, autor do Troi des maladies des femmes.
' 0 Xarope de Rbano iodado nm dos mais poderosos modificadores das constituicoes
lvmphaticas. Tenho visto ulceras escrofulosas que cada podia curar, cicatrizarem-se,
gracas a sua accio, com uromplidao extraordinana. Tmbem, pelo seu uso dcsapparecem
c as affecedes tuberculosas*dos ossos, nos meninos.
D' GUESNAR, antigo externo dos hosjiitaes de Paris.
0 Xarope de Rbano iodado possue todas as vantagens do oleo de ligado de bacalho,
sem ter nenhum dos inconvenientes que aprsenla este ultimo medicamento.
D' GUIBOI'T, medico dos hospitaes. Presidente da Sociedade de medicina ie Paris.
6 Xarope de Rbano iodado de Grimanlt e C* encerra 4i2 por cerno de iodo, na sua
composicao orgnica anloga que se acha no oleo de fgado de bacalho. >
Dr KLEiZINSK, professor de chymica, louvado dos tribunaes de Vienna.
Deposito em Pernatnbuco, em casa de Maura 9
COM tOOURETO DO FERRO IR*LTtR*VEL
APPROVADAS PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARS, ETC.
Possnlndo as propriedades do lodo et do torro, eonvem spoeialmente as Amccois
Kcnnnn-osAS, Tsica no principio, a fraquexai* temperamento tambera nos caso
Falta ni con, AKtEHORnHEA.em que precisa reaoir sonni o saugue se)a par retniuir
lhe a sua riqueza e ahundeneia normaos, ou para provocar regular o sen curso penootco.
JV. B. 0 iodnreto de ferro imporo on tJtraioi om inedirameim tnfW,
Irritinte. Corno prora de pnrexa e de antheoridede du wHMrtrM M.
lulaa do mtrnmtmrl. dere-se exigir nosso n ft rri *
iosta 'n-i, aoi reprodoiida, que m Mba na pan* inlenor de i
rotula verde, rve-sa dosconfiar dai (aliificacoi.
Khan-Mi .-.. a. .nr.rei.a.____PharmaeeuHco, fu Sonayarfe, HjJ^+J
irritan!
W lula.
E^k DOW
ak
100U por dito de 2 e um quarto de dila.
50") ris por pistoleta de 2 poflegadM.
CotovelloH, curvase canos de maior grossnra,a
vstase faru preeo. Compras maiores de 2s
tem 5 por corito de descont por prompto paga-
pwnto. Ptle-se ver as amnsiras nos armaznis
de Tasso Irmioa.
lijlos francozes
Para hulrillmr casas terreas comasseioe prea
nodieos, moitoconvenientes e proprios para ladri-
llios de eusinhas em sobrados, pelo sru asseio c
evitar ajiassarem do aguas para o andar inferior
emesnw onerigodefogo, nos presos de :t0(XK)a! veses mulhei
Santa I'.i' a, na
Modernos brincos de sndalo, s se en-
eofitrarfo na Nova Esperanca a ra de
Queimado n. 81.
MEIAS Dli LAA
A Nova Es^ontica a rtiti do Queimado n
21, acaba de receber um especial sortimen-
to de meias de laa para liomem e senhora.
CONTRA AS CONGESTOES
. mal terrivel a oongeslo falminante:
de repente leva um individo, d'esta para
milhor vida, sem dar-lhe tempe de receber
conversa medica; deixando as mais da?
e filios no mais amargurado
ttsooo o niiiheiro: na ma Nova de s.mta iia na Dranlo a pjova Esperanca que (feseja pres-
intiga: fal.ricadesab3o,ecompras mamivs de 200-3 : .. scni(.0^ recor|.cu a Vojer, O qual lhe
se lara por cento de descont por prompto .paga, ^i sen if o. i uon : ^>, H
ment. Podem-se ver as amostras nos armazens
de Tasso afinaos.
Velas de espannaeete verdadeiru para Lin-
ternas de carros: nearmazem de Tasso Innaos.
Vinho do Porto lino superior : no annazem
de Tasso lruiiios.
O melhor cognac Gauthier Freres: no aroia-
zem de Tasso binaos.
Esteiras da India
Eni casa de Tasso Innaos vende-se esteiraa da
India de diversos padrocs e larguras, por pro
comtnodo.
lhe
mandou anneis elctricos magnticos, como
o nico preservativo para semelhantemala-
el les antes que se acabem : na Nova Espe-
ranca-
NAVALHAS
A Nova Esperanca a ra do Queimado
D. 21 recebeu um sortimento de navalbas.
de qualidades, e tamanhos especiaes assim
como afiadores e massas para as mesmas
OLEO I)E HOGd
DD
Figados frescos de bacahito
Paraeora certa de pliiKica, tfi'.-n-r- i-scrofu-
loaAs, tiiss'* (-irnica, Iraquoza dos membros e |e-
ulidade eral, reoomineida-se a exeoHenda deste
leo ainda por seragradavel no paladar.
VNDESE
VA
Vbarm.ifia e drogara
di:
I'.AIITHOI.OMEU & C.
34 = Una larga do Horario = '
g^^fiju^^^ens^^ri*

T3SSES
CtTilRHOS
PASTILLAS PEITORES
de sueco deALFACE
E LOURO GEREJO
IRRITACOES
DO PEITO
E' este o mais novo e delicioso coufeiio ate agora contiecido. Por isto tem adqui
pidamente a popularidade de que goza. Os mdicos os mais disnclos o aconselhSo contra
as iones, defluxos. caiarrhos, tosses conouioj, catarrhos epidmicos, irritares do peno. Com
grande empenho o prorurao as mies de familia, assim para ellas como para as enancas, pois
primeiro que tudo Inoffensivo. e as suas propriedades adocantes nio deoao nada a desejar
Deposito em Pernambuco*em casa de ataorer e O*.
CAPSULAS MOLES
DE
ALCATRAO
Remedio por excellencia pata cura rpi-
da e completa das coqueluches, bronchites,
catarrhos, tosses convulsivas, escarros san-
guinos, e outras molestias do peito.
VEXDE-SE
PHARMACIA E DROGARA
DE .
Bailliolouieti & C.
aiRA LARGA DO ROSARIO--3, .
LOJA DO GALLO Vl'ILWTE
Ra do Crespo n. 7
Mandou vir de sua conta c acaba de re-
ceber pelo ultimo vapor, completo sortimen-
ot de objectos de nvidade e phantasia, os
Macarthy
lucilinas de tlesc:iro?ar algodo.
Hoje .lite est reeonhecido que as machina- de
serrote prejndkan c quebram a libra do fllgmirm,!
6 preciso recorrer a aaeUojsmo menos asnero,:
qiie produzindo o mesmo seivico que aquellas, c
facilidade no trabalho, n;io quebrem a libra da laa, i
para que essa possa obter-nos mercados europeos
quaes esto resolvios a venaer por pitaos ;i jj.]-,.^.,^., (]UC h.i entre o al^odao deseaioeado
nimiamente baratos, para assim animar aos j 1)0,- aquellas mencionadas machinas, qne estilo fi-1
caiulo em de'uzo, pelo prejuizo que tem causado, I
Vendem Augusto F. d
Comiiici ci, n. 42.
Oliveira & C. ra i!
AO BAZAR DA MODA
Ra Nova n. 50, esquina da ra de S. Amaro.
NOVIDADES
Para seuhoras.
(j iQIJES da ultima moda, afehadoe e lisos, gran-
de sorti'iienlo.
CH \PELINAS de palha da Italia, guarnecidas com
delicados e elegantos enfeites brancos e de cores
FliOHES Ras, grande sortimento.
GRINALDAS m 'litas para coques.
LAQOS, vtl:.>. penacuos para enfeites.
Para horneas.
CHAPEUSINHS e gorras de velludo e de pennas QajuqAj c01_,
(;ilua novidad.i !) de palha da Italia, a emtiacao,, f,^'|iaL, yi;o.. c |jLl
de li-
colarinlios e punhos
. bordado?, ;i moda,
especial soriimento. .... COI.AHIXI!)^nc linho e algodo.
CINTOS de cures e pntos, rico soriimenio a nlti- pu.SHOS de ditos.
ma moda. G HAY ATAS de todas as qualidades.
CAMISAS bordadas portommodos precos. BOTOES para pfibos e euarnic&M para clete?.
!.'-:m;os bordados e cora l-Mras, nvidade neste rjoRRENTBSdeplaipia emitacSo do ouro, li-
pen-'ro do gosl..
LEQES a emitacao de marttiUj gosto novo e de CHApE0-; c pello de seda: forma a Rotchil, qn>
lato. I |dade superior.
GXII.INHAS e punhos a emitacao de guipure. CHVl'EdS de soda, para sol.
ENFEITES prclo9 e de cures para cabeca, lindos ME)As ,]e superior qualidade,
moldes,. BE.NGALINHfaflnasocbjeots.
GI'AIIN1(;aO aha nvidade a Mane Rose, nl- LLETAS ai
mmente usada em Paris. i
COitl'INHOS de guipur brincos c pretos lindos.
modelos.
BORNOUR delaa e seda: cre< claras, elegante Vi.-STlA,; (,,- .f.mplotns para hapti*ailos.
fituS aj nv'Tdo'flores Anas I SAPATflHlOS il I.lerinA e getini enfeil.idos.
de coral verdadeiro c camafeo, gosto BUN8CAS vestida, mudo bonitas e dive
delicado.
de ar'o o tarluraga.
Para erlaneas.
DE PALHA
Gt'ARNICOES para vestidos.
's'GAS para enfeites de coques.
BOTOES lisos e com pingentes para vestidos.
CINTOS alta nvidade.
briaqoedos
Perfumarlas fluas.
: A iCA FLORIDA verdadeira ds Murray & Lan-
man New-York.
TOMGO oriental, verdadeiro.'
AGUA DIVINA de E.&mdray e superior agua e
essoncia de Colonia.
ESTRATOS e essencias finas c de agradareis aro-
mas para o lenco.
VINAGRES aroma'ticof para toilet.
POS DE ARROZ para amaciar a pe le ; em paco-
tes e ricas caixinhas com anninho.
ros Miperior para limpar os dentcs.
COSMETIQFES de fina qualidade.
SABONETES, grande sortimento deste genero c
de superior qualidade.
LEOS de philocome, babosa e antique-
BANHA lina para os cabellos.
AGUA de Borcs de laranja.
CREME de sabio para barba.
Carxas preparadas com perl'umarias tinas.
nludczas fluas.
Sl'PERiORES fitas de grosdenaples de todas as
coi es e larguras de veludo preto edecnn's, e
gurguiao para dulas.
BABADINHOS e ntremelos bordados.
(HAIINICOES db soda do cores para enfeites de
vestlos. ,
TIIANT.AS pretas com vidrilhos e pingentes
OTOES de coi es. t.iaueos e pretos com vidrilhos
lisos e com pironlos.
DEDAES de mau. aperla, de marfim, de '6co e
metal.
THESOURAS finas para costura e unlias.
CAIVETES finos com quatro folhas. E muitos
outros artigos de miudezas que se torna enfa-
donho menciona-los.
concurrentes e ao mesmo tempo dar sabida
ao grande depositp que tem: isto ra do
Crespo n. 7, luja do Gallo Vigilante.
Gollmhas, ponls e camisinhas para se-
nhora, fazendas de gosto c nvidade.
Finos vestuarios para baptisados, assim
como touquinhas, sapatinlios c nieiasinhas
para o mesmo in.
Grande sortimento de bicos e rendas de
croch e de outras muitas qualidades.
Superiores caixas com msicas c sem el-
las, tendo o necessario para costuras, pro-
prias para um delicado mimo.
Finas caixas coin tentos c sem elles para
voltarete.
Agulhas para machinas de costura.
DiLas para croch, sendo de afo, marfim
e outras rauilas qualidades, assim como li-
nbas para o mesmo nster.
Finas grinaldas para noivas.
Meias de borracha para quem soffre de
erysipella, assim como meias de la para
os que soffrera de rheumatismo.
Suspensorios para liomem e meninos
Finos pentes de tartaruga para coques o
de outras muitas qualidades e pata outros
misteres.
Dedaes de madreperola, marfin, osso,
ac, metal, etc., etc.
Superior agua cosmeocomc para tingir
cabellos, dando aos mesraos a sua cor pri-
mitiva.
Completo sortimento de finas perfumaras
dos melhores fabricantes, assim como mui-
tos outros objectos que c iinpossivel dcs-
crever: isto s na ra do Crespo n. 7, loja
do Gallo Vigilante.
Collares Royer elctricos magnticos con-
tra as convalsoes das enancas e para facili-
tar a dentinco das mesmas, o G3I0 Vigi-
lante antigo recebedor d"estcs prodigiosos
collares e contina a ter sempre grinde de-
posito, ra do Crespo n. 7. ____
e o da antiga boladeira, qne nao pi>de compotir
pela morosidade de sen trabalho. E' assim que
eslas machinas se lornam as mais proprias para o:
nosso algodo, porque ao par da faeilidade e
promptidao conseiva a fibra da la, que lioipa por
Se&vSSin^Xate'lO fe 5
mais do que a laa limpa pela machina do serrote.
Estas machinas nao sao novas, ptffg que namnito
estio ado|ilailas no Egvptn, aonde as de serrote
t.iram inteir.mente abandonadas, e por isso o algo-
Para familias
Grande llazar, ra Xova ds. 9
''i. deCarneiroVlanaa& t.
Acaba de chegar a esle estabelecimento
,'randi' porco de machinas para costuras do
0/0 mais do que o nosso : vendem-se a UKaJMO
nos armazens de Tasso Irmos.
Oleo le ameniloas
Em carcas de 8 latas, cada caixa 100 libras :
nos armazens de Tasso.Irmos.
Tudo se vende por presos bastante commodos.
Meias elsticas ile borracha.
As melhores c excedentes mias clsti-
cas de borracha contra varizes e erysipellas.
Vcnde-se na
Pharmacia e drogara de
Bartholomeu A C
34ra larga do Rosario34
Manoel Alves Ferreira C, na ra da
Moeda n. 5, segundo andar tem part vender
superior potassa da Russia em barris e meios
barris e cal de Lisboa da mais nova que ha
do mercado.
IYAL em segundo
Ra do Queimado 11. 49, loja de miudezas de
Jos- de Azevedo Maia e Silva, tem para vender os
arligos abaixo declarados, tudo botn e baratissi-
mo, que rn> para acabar.
Duzia de sabonetes muito linos a 700 rs.
Pares desapatos de tapete para hotiiem a llt.
Ditos de tranca para enanca a i $.
Tramoia do Porto, bordada, a melhor a 2(X) rs.
Dita do Porlo liza, da melhor qualidade a 100, 150,
160 e 200 rs.
Resma de papel almaco, lizo supi or a 31800,
Dita de papel almaco pautado a 4.
Livro de missoes abreviadas a 2.
Cartilhas cora toda a doutrina e multas cesas a
320 rs.
Silabarios portugnezes com estampas a :ii0 rs. .
Raralhos Irancezes muito finos a 200 o 2i0 rs.
Sabao inglez superior qualidade a 800 e 1-5.
Grvalas pretas e de cores muito finas a >K) rs.
Duzia de meias para senhora, fazenda filia a 'i }
Redes preas lisas para segurar ca*ello a 3 rs.
Varas de transa de seda de toda- as ci ti es a 000 rs.
Pares de brincos dnurados com moziuha e pe-
dias a 320 rg.
Cartoes com corchetes de duas ordens e sao de la-
to a 20 re.
Ahntuadnras de vidro i>ara colete muito linas a
120, 240 e 400 rs.
Pares de botoes domados para punhos a ICO rs.
Caixas de pennas de ac milito linas a 210, 320 e
ROOrs.
Cartoes com duzenms jardas de linha do fabr-
came Alexandre .1 100 rs.
Caixas de pennas de ac, a verdadeira penna a
13200.
Carriteis de linha Alexandre n. 70, 80, 100 ate
200 a 100 rs."
Caixas com superiores obreias. de massa a 40 re.
Carriteis com duas oitavas de rctroz preto a 500 rs
Duzias de agulhas para machinas a 25.
Libras de pregos francezes do todos os tamanhos
a240rs,
Livrosescripturados para rol de roupa a 120 rs.
Caixas com papel amisade milita Uno a 700 rs.
Caixas com cem en velones da melhoi qualidade a
600 r
Talheres para meninos muito boa fazenda 1
240 rs.
Vende-so urna boa escrava com dide de 22
annos, a qual coze, cozinha engomnia, lava, e
tambem 6 boa vendedeira; o motivo d? ser esta
escrava vendida, ella propria assim c querer:
quem precisar, dirjase Santo Amare, ao so-
brado junto do cemiterio Inglez.
0 Raliza no Livramento vende, farelo de
Lisboa, 9accos grandes a 4*800.
ma exposico le Paris, as quaes cozem com
dous pospontos toda a costura, c tem a
vantagem de ser to suave o movmento.
que qualquer crianca de oito annos facil-
dao daquelLi procedencia, sendo da qualidade do mu i k-.. -. ____, .
da nossa provincia, obtem hoje de, 10 arrobas 20'mente trabalr.a, e pode,com este entrete-
1 nimento, levar vantagem ao servieo diario
de frinta coslureiras. A comprehenso
simples, j^ois em um quarto de hora se fi-
ca senbor do movmento da machina, ten-
do a mesma a propriedade de azer as se-
guintes costuras: pqspontar, abainhar,
lianzir. marcar e bordar,como apresentaa
os deseiibos que acompanhara-nas. Os pro-
prielarios do estalielecimento se encarre-
gam de mandar enonat n'esta cidade, e
garantan entregar o imperte dispendido ao
comprador, no caso de nao trabalbar com
perfeicSo a machina vendida, nSo tendo.
porm, soffridoella algumaavaria.- lia tam-
bem no mesmo eslabelecimento machinas
do autor Growcr Baker, de trabalho sim-
plesmente mo, e outras com movmento
dos ps; e mxime todos os pertcnces da?
mesmas machinas, para vender avulso.
Tintura japoneza
Instantnea para tingir os cabellos e a
barba, a lOOOo frasco,
E" a tnica approvada e recommendada
por ter sido reconliectda superior a todas
as tinturas d'este genero.
venda em casa de Gustavo Hervelin n.
51. ra da Cadeian. 51.
Cemento de Portland.
Vende-so no armazem de Vicente Ferreira
Costa & Filho. na ra da Madre de Dos n. 22,
barris grande-.
Em casa de Theod. Christiansen, ra do Com-
mercio n. 16, cneontram-so offectivamente todas
as qualidades de viaho Bordeaux Bourgogne e do
Rheno.
GAZ GAZ HAZ
Chegou ao antigo deposito de Henry Forster A
C, ra do Imperador, um ca regamento de gaz
de primeira qualidade; o qual so vende em partidas
e a retalho por mcuos preco do que cm outra qual-
quer parte.
FNDiCftO DO BOWMAN
fina do Bi um a. 51.
Machinas de vapor.
Rodas d'agoa..
Moendas de canna.
Taixos de ferro, batidu fundido.
Rodas dentadas, paia moor com agoa,
vapor e animaes.
Alambiques de ferro.
Formas para purgar assucar.
E outros muitos objectos, etc. etc., pro-
prios para agricultura. ________
"""Rap Lisboa a3#000.
Superior rap princeza d Lisboa 3^"00 a
libra e meio grosso al posito ra da Cadeia n. 54.
*
/


Diario Je Pemambuco Sabbatlo 13 de Mateo de 1869.
GUINDE LIQUIDACO
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DO -^.
DE
Flix Pereira da Silva, successor de Gama
& Silva
O propietario d'e&ttj estabelecimento convida ao respeitavel publico Jesta ca-
pital a wjr surtir-se oo grande estabclecimento que tem defaztsadas, Unto da moda como
de lei, e as pessoas que negociam cm pequea escalla, tanto da praca como -do matto-
aesta casa poderlo fazer os seus sortimentos em pequeas e. grande porc5es, venden-
Jo-se-lhes pelos precos qae se cempram as casas inglesas ; asan como as excellentis,
simas familias, podero mandar buscar as amostras de, todas as fazendas, wa mandare-
mos levar em suas casas pelos nessos caixeiros, para o que acha-se este est*elecimen-
( aberto constantemente desde s t horas ja manaa s 9 da imite.
O atoalliada do Pava
Vende-se superior atoalhado de algodo
'om 8 palm'S de largura, adamascado a
25200 a vara; dito de linho fazenda muito
superior a 3>00 a vara ; guardanapos de
nho adamascados a 4$500 a duzia e muito
'anos a 8>O00, e ditos economices a 3.3300
a duaia.
para paaild rasco*
Vendem-se os m9nodernosfuioes bran-
os flexrveis com padrees de Iwtas e de
lpicos proprios para vestidos e roupas de
menino a 6i0 rs. o covado, na loja e arma-
em do Pavao ra da knperati isa. 60, de
Flix Pereira da Srlva.
c;ro4eiiaplc
CbegoB para a leja do Pavao pelo ultimo
,arpor am grande sortimento dos melhores
grosdenaples pretos-e de cores, tendo verde
tambera, que se vendem mais barato que
em outra qualquer parte.
BABADINHOS
Vendem-se Qnissimos babadiiios, tiras
bordadas e ntremelos, mais baratos do que
em outraqualquer parte, assim como espar-
ulhos dos mais modernos, no armazem de
Flix Pereira da Suva, na da fniperatriz
o. 60.
SITA KOVIG&QC
A LOJA 00 PAVAO
Curguro de seda
Chegaram pelo ultimo vapor os mais bo-
nitos gurgeres de seda, proprios,para ves-
doSj seato lisos e lavradinhos, com muito
lustro, garantindo-se que a fazenda mais
linda e de mais phantasia que estcanno tem
chegado a este mercado, e vende-se por
proco muHo razoavel, na ra da mperatriz
a. 60, de Flix Pereira ta Silva.
GROSDENAPOLES PRETO A QATRO
PATACAS > O PAVO.
Vende-se grosdenapoles preto de boa
vualidade pelo barato preco de 15280 o co-
lado, s na loja e armazem do Pavao, roa
da mperatriz n. 60 de Feliz Pereira da
Silva.
CMBRAIA BRANCA A 3ooOO.
Vende-se pecas de eambraia branca
transparente, com 8 e meia varas pelo ba- ,
rato preco de 33O0, ditas muito finas tanto i f;,.zc"da rauca P!Wm Para len^cs de um
tapadas comotransparenles 4W00, 3-S000, | so panno, ganotuda-M que um metro e
tj&OQ, 7000 o 8,3000, assim como organ-
AS CAMBRAIAS DO PAVAO
Vendem-se finissimas pecas de cambraias
lizas transparentes tanto inglezas como suis-
sastendo mais de vara de largura, pelas
precos de SdflOO at 10*060 a fieca, assim
como Qnissimos wgandys bramo liso qae
serve para vestidos de-bailes, per ser muid)
transparente a 44000, a vara, na loja do
Pavao ra da mperatriz n. 88, de Flix fle-
roira da Silva.
Almaraa lavradkM
Chegaram pele ultimo vapor as mais mo-
dernas alpacas taradas com as mais lindas
cres, que se vendem a 13000, o covado,
ditas lisas tendo tambem er de canna a
8#0 rs, ditas mescladas muito finas a 1:200,
o ovado, e nutras muitas facendas de gosto
e moda que se vendem mais barato do
que em outra qualquer parte, no armazem
de Pavo, ra da mperatriz n. 0. de Flix
Pereira da Silva.
iloapae para honem
Vendem-se superiores palitts de panno
srecasacos forrados de alpaca e de seda,
camisas inglezas e francezas com os peitos
de esguio, ceroulas francezas de linho e al-
goc'ao, meias cruas inglezas superiores, ca-
minas de llanella e de meia de lia, assim
cerno neste estabeiecimento existe um grande
sortimento de pannos pretos, e de casemiras
inglezas de cores, e que se manda fazer
qualquer obra a contento dos Srs. fregue-
zes, e promette-se-tties que sero servidos
com a maior promptidao e muito mais ba-
rato do que em outra quakjoer parte
na ra da mperatriz n. 60,de Flix Perei-
ra da tijfiva.
Cortlaadtoa
Para camas e janellas.
Vende-se um grande sortimento dos me-
lhores a matares cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se ven-
dem a J^OOOrs. cada par at 25/iOOO rs,
isto na ra da mperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Sika.
Cretone para lenqes com 10
palmos de largura a 2>.
Acaba de chegar esta nova e excellente
ROUPAS FEITAS
Na loja do Leao da
PAREDES PORTO.
Ra da mperatriz u. 52, junto aloja deourives.
N'este estabelecimento e encontrara, ra da mperatriz n. .'i2, loja do Paredes
sempre um completo sortimento de roupas Porto.
feitas de todas as qualidades. Como se-1 Neste estabelecimento encontrara o respei-
jam: paletots de alpaca, de merino, de tavel publico um completo sortimento de
casimira, bombains de panno preto, fra- fazendas e roupas que. se vende pelos pre-
qnes e sobrecasacos de brins de odres e eos seguintes:
pardos. I F.VZENDAS PRTAS.
CALCAS COLETES. I Completo sortimento de fazendas pro-
Tem sempre no mesmo sentido nm sor- prias para a quaresma, como sejam: gi-os-
timento completo a preco enmmodo. de-naples a Vi, 2;J300, 35, 3^5o0 o cova,-
CAIUSAS E SIROULAS. do, moreanttque de diversas <|ualiiades
Encontrat sempre o respettavet j-ublico a ->200, 2^400 e2A800rs., sortimento de
alpacas pretas e de cores de oOO rs. at 15,
princza, mrin de diversas qualidades.
FAZENDAS BRANCAS,
MadapoHSode diversas qualidads e pre-
cos commodos, cambraia de W30 llloOO
um bonito sortimento, de todos o$ nmeros.
MEIAS JRUAS.
Sortimento; de .todas as qualidades, de
3i a ">>, assim como tambem sortimento
de lencos de linho araos e oom barras
de cor, cbinezes, bonitas grvalas pretas e e ">'\ ditas victorias de 5#300a {>,^t pecas
de ores. Ra da mperatriz 52, por- de cassa liza o mais fino que ha no merca-
do a 95, 105, 125- com 12 varas, e vara
ta larga.
PARA ACABAR. de largura
Lina grande porco de calcas ordinarias SEDAS DE LISHLVS.
para trabatho a t W o 800 rs. cada um par, Recebeu-se um bonito sortimento d'esta
pechincha na loja do Le3o junto a loja de fazenda que se vende a 25500 o covado.
ourives. CHITAS.
GRANDE PECHINCHA, Vende-se chiUs escuras a 80, 300, e
Cassas he xores a 640 /s. o ovado, na 320 rs. o covado.
No armazem do Lelo, ra da mperatriz ns. 48 o 52, junto a loja de ourives
e padaria franceza.
di uiuK'j lino tanto izo, como de listas e
quadros na loja e armazem do Pavao ra
Ja Imparatriz n. 00 de Flix Pereira da
Sih.
ALPACAS LAVRADAS 'PARA LUCTO.
Vende-se na loja do Pavo. as maismo-
ieroaa alpacas lavradas para lucto, sentlo
iuitolargast pelo barato preco de 800 rs. o
ovado, s na loja e armazem do Pavao, na
da mperatriz 60 -de Flix Pereira da
Silva.
Cassas Imgleztfg a 440 rs o metro! preco de 500 rs. o ovado.
urna quarta ou um metro c meio d um
BxeeeDte Ien*;-l de um s panno, assim
como esta boa (aseada tambem muito
propria para toaibas de meza, rosto ote. e
oifcos mysteres e vende-se pelo baratsi-
mo preco de 25 cada metro.
MOCAMBIQLEPARA VESTIDO A 300 RS.
Chegou para a loja do Pav3o um legante
sortimento dos mais bonitos mocambiques
proprios para vestidos com as ores mais
'modernas e que se vendem pelo barato
FAZENDAS PRETAS
PARA A QUARESMA
&c.
Una do Queimado n. U
fiecebram tlinsctamente da Europa as mais superiores fazendas pretas espe-
ciaes para a quaresma, as quaes estn vendendo pelos mais mdicos precos em vista
da superior qualidade de ditas fazendas.
1LTA VO% III % IIK
Basquines pretas de renda, verdadeira novidade, para senbora.
Gorguro preto de seda liso e com listas assetinadas para vestidos.
Grosdenaples preto largo estreito de diversas qualidades havendo neste ge-
nero o que lia de melhor.
Basquines de croch pretos, ditos de seda preta om cintos delicadamente en-
feitados, .elegantes peplums de seda preta, fichoi pretos de renda, modernas capinlias
pretas de renda e superioras vestidos de gorgurt) preto bordados.
A loja n. 11 da ra do Queimado tem stmpre o melhor sortimento do tapetes,
alcatifas e
Esteiras da India par forrar salas.
:___-_j_____
os;'assim,pois,'oCor i espera continuar a merecer a^kso H^^T *Ui*- -6"1*"
to Vespeitavel publi. m geral e de u;, Ej^t^ir*?^^
,oa freSiezia L pa.ticu.ar, nao se afa*- S*lE2t2X!SL
Vende-se urna grande pon.o de bonitas
cassas inglezas tanto graudasomo miudi-
nhas e de cores fixas pelo barato preco de
140 rs. ottietro.garentindo-sc que 7 metros,
do um vestido para qualquer Sra. s na
toja do Pavo ra da mperatriz n. 00 de
Felii Pereira da Silva.
Bareges a 400 rs.
Nona loja do Pavo
Se vendem aa na\* moHas btngn transprir1!!-
l''s,proprias par. vestilo> nm listinlia^ a imita-
i d". Ustras de serta, e VMdMfM pelo barato
pre^ode am (Tuzado cada um ovado, unicamen-
kj na loja e armazem do Pavo, ra da mpera-
triz n. 60, de Fex P-.-reir da Silva.
Grande pechnclia para a
quaresma.
VESTIDOS PRETOS A 41*5000.
Vende-se superiores ortes de vestidos de
seda preta lavrad, sendo fazenda muito
encorpada e muito moderna, pelo barato
preco de 45-3, nicamente na loja do Pavo,
ra da mperatriz n. 60, de Flix Pereira
da Silva.
COLCHAS PARA CAMA A tfOO.
Vendem-se colchas de fusto dMnsca-
das para cama, pelo barato preo de S-?,
grande peebmcba, na loja e annazem do
Pavo, roa da Idieratri? n. 60, de Flix
Pereira la Silva.
COBERTORESINGLEZEd A 'lf>. 'thliOO Eot).
Vend inlezes, de pura la, pelo barato proco
de Mi WBWtt e 3:>, assim orno colchas de
fusta i dt! cores, pelo barato preo de 35. na
loja e armazem do Pavo. ra da mpera-
triz n. 60. De Flix Pereira da Silva.
U, OS BALES DO PAVO.
Vendem-se superiores baloes america-
ALPACO DE COHDOPARA VESTID) A I, .
Chegou esta nova fazenda com o nomo
de alpacao, sendo de cordo e om mais
largura do que a alpaca, com as mais unas
cores, como sejam Bismark, lyrio, perolas.
roso, or tle canna, magenta etc. e vende-
se pelo baratissimo preco de 4<$ o covado.
ROMEIRAS PARA QARKSMA A 163,
Chegaram as mais bonitas c modernas
romeiras pretas de guipure, que se vendem
pelo baratissimo preco de 164 cada tima.
SOBRECASACOS PARA A QUARESMA A i8 E
20 i.
Vende-se um grande sortimento de so-
brecasacos e palitts sobrecasacados de fi-
nissimo panno preto pelo baratissimo preo
de 18$. sendo forrados de alpaca, e por
20^. todos forrados de seda, grande pe-
chincha, principalmente por estarmos na
quaresma. assim como, tambem se vende
um grande sortimento de calcas e olettes
de casimira preta que se vende muito mais
barato do que em outra qualquer parte.
/ESGUI0 DE LRS'HO DE 12 JARDAS A 105.
Vende-so pecas de esguio de linho, fa-
ARARA
Loureno Pereira Alendes Guimares, proprietario da loja da Arara, ra da mperatriz
n. 72, declara ao respeitavel publico e seus frepweees que acaba de concluir o ualanco
de sua loja d* fazendas e fazer abatimento as fazendas que julgnu necessario para
vender mais barato que om outra qualquer parte, por isso roga ao respeitavel publico o
favor de mandar ver as amostras das mesmas para ver orno se vendo barato.-
CHITAS FRANCEXiS A i30 RS.
Vendem-se chitas francezas a 280, 320 e 3 MADAPOLO A 6*000.
Vendem-se pecas de madapoto lino a 65, 73. 8^ e 90000.
GANGA A 320 RS.
Vende-se gan?a para cal-a o patots a 3) e 360 rs. o covado.
CASTORES PARA CALCAS.
Vendem-se castores para calcas a 240 e 280 rs. o covado.
LAZLNHAS A 240 RS.
Vnde-se lazinba a 240, 280 e 32 rs. o {ovado, e outras muitas fazemlas e roupas
feitas, fazendas preas para a quaresma, como gros-rle-naple, casemiras e panos pretos
de todas as qualidades, balos do 20 3o arcos a I500' rs., cortes tle brim para calca
de homem a 650 e 800 rs. cada um, por este preco s na loja da Arara ra da Impera-do n. 10 acaba de receber um belfo sorli-
0 cordeiro previdente
Itua do luciiiiiido n. IU.
Novo e variado soifimento de perfumaras
linas, e outros objeclfis.
Alm do cumplto sortimento de perfu-
maras, deque elleclivamenU' esta provida a
loja do Cordeiro Pxevident, fila acaba de
receber um antro sortimento que se toma
iiotavel pelavriedade deafcjectos, supenon-
dade, qualidades e wininudidadi,s de pre-
cus; assim, pois,. Cordeiro Providente pe
ee
do
boa
tando elle de sua bem ooaneridnmansidii
e barateza. Em dita loja encontrarao o-
apreciadores do Iv.w:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira do Mmray d:Lammim.
Dita de Cologte ingleza, amerirana, fran-
ceza, todas dos memores e mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentrilicia.
Dita de flor delaranpeiraa.
Dita dos Aljies, e vilete para totfet.
Elixir donlalgko para ctmstjrvacao do
asseio da bocea.
Cosmetiqij(!s de saperia* qualidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada una para cabello.
Frascos ctun dita japoneza, transparente,
eoutras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos e
francezes em fraseos simples cenfeitados.
Essencia imperial do linooagradavflcbei-
ro de vilela.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente linos e agradaveis.
Oleo philotome verdadeiro.
Extracto d'oleo d>i superior qualidade,
com escolhidos clieos, em frascos de dif-
ferentes tamanhos.
Saboneles em barras, maiores o menore>
para mos.
Ditos transpar;mes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito fins em caixinha para bai b;>
Caixinhas com bonitos saboneles imitando
I'iuctas.
Ditas de m.ideii i nvernisatla contendo fi-
nas perfumari;^, muito propria* para pre-
sentes.
Ditas de papelo igu lmente benitas, tam-
bem de perfumaris Unas.
Bonims vasos de metal olorklos, o de
moldes novos e elegdatesveem pt dt arroz
e boneca.
Es|>ecial p da arroz sem omposic5ode
cheiro, e por isso ) mais proprio para crian-
cas.
Opiata ingleza a franceza para denles.
Pos de camphora e outras tliberontes
qualidades tambem para denles.
Tnico oriental de Kemp.
Anda mate coqnec.
Uin outro sortimentos de coques de no-
vos e bonitos moldes com liletsde vidrilbos.
e alguns d'elles ornados de lloros e lilas,
estio todos expostos aprei-iacao de quern
os pretenda domprar.
GOLLI.MtAS E PH.NHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto c perfeit ao.
Flvellas c Otas para cintos.
Bello e variado sortimento de mes objee>
tos, Icanda a boa MOm ao gosto do com-
prador.
FLORES FINAS
0 qu.j de, melhor sepodeenontrarncss
genero, sobresabindo os delicados ramos
orvalhados pan coques.
Para \ lageni.
Bolsas de ia)cte o carteiras de ouro. por
precos commodo;.
Chapenas de pama da Italia mui bem
enfeitadas, e onffeites de flores obra de boa
gosto.
E assim moitos outros objectos que se-
o presentes a quem se dirigir dita loja
do Cordeiro Prcvidfinte a ra do Quoimado
n. 16.
ENFEITES DE PALHA PARA VESTIDOS,
CHAPEOS E COQUES.
0 Cordeiro Providente ra do Queima-
Graiifle liquidado.
0 proprietario d'mtiga ebein conheda
loja de niindens.:tl''Otinafla -Beija FlOr
ra do Oiieimado n. 63, ipierendo acaba
om o stirlinieiU't de mmdezus que existe.
tem deliberado pnweder a urna oom' y
iniitla* Til, para o qbe dama a a' ?<** n-
oq ..*fnrau de to
Osobjeetof -" ...
ggy V.,|M1. ,d j,i'.. ., para que o publico, nao Bvppo-
que o present', aniiuiii'io urna illust,
urna pe-
om os seus
se ver
nao api-escotando una lista onipleta de to-
dos os objerlusqaK ejtau exposlns a venda.
pela razo i' se tornar ubi annuiiciu ninito
(AteiLio e por ct n.-.-.|uenci de eafJstilM le.
tura, por pseapenas temita^e as seguintes:
CaNa de eayi'lopes de co*es. OOfi
Ditas de env'iopes Com tarja.
pj'e'a ..... SOu
Ditas de eiiwlupe.s biaii'us gran-
des. ........ 700
Ditas de envelopes grandes e pe-
queos. ....... ijOO
I.ibra de laa para bordar, surtida 7H>00
Duzia de cartoes de corchete fian-
V7.es rom 25 pares cada carto 90..
Dita de folheivs de metal prin-
cipe para sopa....., 4f*80i
Dila de ditas para >ii. i&kOj
Concha de metal principe para ti-
rar assurar.....\ ., M^i
Botuadura para cokte. 3W
! Pares de luvas de lio da esoicia
branca e de coros paja homem. tiOi1
Ditas de d.-is para seuaora. tKH1
Fita para sinto de scnbura. 800
l'aies de sapatinhus de casiaiii.-,
bordlos....... i rifo)
Pecas de cascanilha tle lia. o/T'
Esov| fina para limpar Batas. 6i
Hilas de lilas....... 3Q0
1 Ponte preto de, l>aiba. Utt
I Caixa com .pparelho de chumbo
a aio, ijoo e.....jbgo
Bonep de cera a I KrtJO. )vii:i>,
a^itH), i-.oo.) o. 5oo/>
Apparelho de poicelana para al-
indo o iaiitar......dOOi
Jogode Visp.ii'i...... 90
Caixa com papel brauo e de co-
res.........
Infladores sata vtStidp .
Caixa^ liidia de ntnca encar-
nada e azul.......m
Sapalinlios de 13a para meamos.
Tucas.........
MSfLIIAS Assi(;AiitnA>r
DR. PAEBSON.
De Mm9ic((Ii e niasuexia.
Remedio por e\<;ellencia para conde -
a magreza, (acuitar a digestao, orcar
i si mago etc.
DEPOSITO ESPECIAL.
Pharmacia de Bartliolomeu ci <:.
'3i Itua larga do Bosario :(.
V.-ndo-s.! unn arjnacj J. taberna : ; ir. i
na ru.i imperji n. 3S.
?0{)
80
ESCRAVOS FUG1C0S.

Escrava fgida
Dt vi|i|K.ifoeii do podn do thaen wignadt t
-ua osi-r:tv3 eriuola deon6 Hnitilina.
aiulM'iii i-'l.i mnii? deCoaceicao, taiain rcratol,
mo-zra, n sin comprido o wcarwuj*, bita d les
ses na fenle, iM.-iiiina a eDibirapar-so, lortm
litio de etiiu clara rrm ninas rodas iin^indo Bure .
cuales i? ISa de ijnrr.t j vclln>; oda v natur '
do Serinheni, paraoaao >~c scamfla ter ellas
niido : njn as autnridades pulfriaes > a.s ea-
|Ht3e> de fampn a apj>rellPn da laaperalrui n. ."> nja, ibn itrafieariL
Jo.'ut Ki;iiiri-cti Paredes l'niio.
tris n, 72.
zonda superior,
10*000.
oom 12 jardas cada peca, a
ALTA NOVIDADE
A
Loja do Pavo.
GURGUROES PARA VESTUJOS A i.)000,
0 COVADO.
Chegaram os mais modernos gurgnroes
nos de trinta a uarenta arcos, tendo as li-
tas bastante largas, sendo muito fcil trans- ^vestidos, sendo de todas as cores como
forma-Ios nara outro qualquer novo modelo, J1* *?H fuK 5?', b,sm,ark' P.e ? '
e litjuitlam-se pelo brato? preco de 2,? cada r0Xrt t*Tdo ^ua? ^J"> palmos de lar-
um. sendo fazemla que seVnpre se wmdeu *Pra. ^n<1e*fe *** bara,,S;imo Pre
a U e U. isto na loja e armazem do Pa- de S000. cada covado nicamente no ar-
v5o, ra da mperatriz n. 00. De Pelix mazem d? Febx Pereira da Silva, na na da
Pereira da Silva. mperatriz n. 60.
Madapolo enfesttulo a 8S500 i RETALHOS PARA LUTO NA LOJA DO
Vende se superior madapnlaocnfestado, PAVAO.
sendo muito encornado, pira carnizas, e vende-se urna grande quantidade de re-
tendo cada peca 2i jardas, pelo bar.tissi- ^^^ de CD,tas e sa* Prta Pr prec
mo preco de 80500. na loja e armazem do mm0 harat0 l0010 ma,or for a Prca
Pavao. ra da mperatriz n. 60. De Flix m, fl'Sue ^mprar, mais barato se Ihe
vender* na ruada mperatriz n. 60 de F-
lix Pereira da Silva.
I
Louronco Pereira .Mendcs Gmmaries paopiietario da lora do grande Garibaldi, ru
da mperatriz n. ;;6.
Declara ao respeitavel publico, que receben um grande sortimento de fazendas
de todas as qualidades, tanto para a praga como para o mato, aos quaes espera Ihe fa-
cam a honra de frequentar o sea estabelecimento que Ihe prometiera vender mais barato
do que em outra qualquer paite.
CORTES DE LA \ 24400 RS.
Vendem-se cortos de laa para vestidos a 2<1400 e 3(j000
CHITAS FRANCEZAS LARGAS A J80 RS.
Vendem-se chitas francezas a 280. .120, 3tt) rs. o covado.
LAAZ1NHAS A 240 RS.
Vendem-se laazinhas para vestidos a 240, 80 e 320 rs. o covado.
AI.OODAO A 4?000
Vendem-se pecas de algodo a l&, Sl e 75 00, pecas de madapolo a 6,, 7ji, 85
e 95000.
CORTES DE CASEMIRA META A 4*000.
Vendem-se corte3 de casemira preta para calca a 45, 55, 65 e 85000, cortes de
ganga para fca a 15280 rs., ditos de brim 800 rs., ditos de castor a 15000.
CHITAS PARA COBERTA A 3*0 R,
Vendem-se cliitas para cobprtas a 320 rs. o covado.
CASSAS FRANCEZAS K 320 RS.
Vendem-se cassas francezas para vestidos a 320 e 360 rs. o covado.
\011DADKS.
Ralbes de 25 30 arcos, a 1530* rs. cada um, so se pode ter baloporesio pre-
co, e outras muitas fazendas pelas para a quaresma, pannos, casemiras e gros-de-na-
ples preto, outras fazendas muito baratas que se d5o as amostras. Na ra da mpera-
triz loja do Garibaldi n. 56.
ATTENCaO
louronco Peroira Mendos GuimarSes, declara aos seus devedoros que eotregoa ao
sen procurador o Sr. Bernardino deSenna Diasas suas contas para elle promover seu
recebimento conforme Ihe convier nmigavel ou judicialmente, por isso roga-se a todos
os dewdores vir entender-se com elle na ra da Conceico da Roa-Vista, ou na loja a
ra da mperatriz n. 36.
Pereira da Silva
Aa ?. aras a r.
Vendem-se a- verdadeiras cambraias
francezas, com lidos padroes e cores Hxas,
sendo tapadas e transparentes, pelo barato
proco de 500 rs. a vara, ou 300 rs. o eo-
Cirosdeaaples preto
Vende-se om grande sortimento dos me-
lhores grosdenaples pretos, tanto lar-
vado, sendo fazenda que ni ignem vende gos como estrertos, sendo de 25000 rs. o
por menos de 7 ou 8 tustoes, e liquidam- covado at 45000 rs. garantndo-"6 qui-
se por este barato preco, por se ter feito n'este genero ninguem tero melhor fazenda e
ama avultada compra, na loja e armazem qae se vende mais barato do que em outra
do PavSo, na da mperatriz n. M. De qualquer parte, na roa da Imperati :z n. 60.
Fex Pereira da Si'va. *? F>H* Ferlr? da Ka.
So* onu lonna impida e agradare!, otp medtea-
ment rune a quina, qwe o inico por exceilencia.
e o ierro, am dos principaes elemenits do sangue. B'
adoptlo \r.\ot- meilicos mais Hisnc.lo d> Pana, pan
curar as cores paludas, facil.tar o dftseoolvimk)
daa menina e restituir ao coruo os aras principias
alterado* ou perdidos. Fax rpidamente desapparecer
as do^es 'estomago intoleraveis suscitadas pela ane-
mia eu p*la leiii-ot rha, as quaes as seiNieras estio
tantxs vezesMgeithA. regularisae facilita a menstrua^io,
e receitade com snoeesso s enancas patudas, lym-
pbatiras oo escrofulosas Emnm, exeila o appeiite,
favorece a digestao, e convem a todas as pessoas cajo
sangue est nni>ebrecido pelo trabalho. pelas moles-
das, a eonvalesnenca longas oo difficeis. Os tns
resultados nanea se fazrm esperar.
Deposito em Pernatntmco, em casado Miaun c.
vestidos, outras pan chapeos, coques etc.
ludo isto est sendo vndalo com a sua bem
conhecida commodiMade de precos.
ALEM D'AQUELLES.
Receben outros lindos enfeites di
para vestidos : assim como um variado sor-
timento de galoes de ISa, babadmhos de
cambraia com bordados de cores, cuja va-
riedade de gostos os tornam recommenda-
dos e apreciados; comparecao pois os pre-
teudentcs que sero servidos a contento.
tAo bem recebeu.
Novo pro\ intento de bicos c rendas de
guepurc.
T.LVA-5 DE PELLICA.
De todas as coros tanto para hornen1
como para senhoras, constantemenlc acham-
se a venda na loja do Cordeiro Prevddnte :
ra do Queimailo n. 16.
- o ilnixo irtn.tdo reimiiiicDda ;. raptor:
to sen -:vntv.i -le nomo Joaqnmi, mtalo, uridv
ilo .-ou ilio 'lo V. nf.'ir >, "i-iiiiUi r.'i.- reos dn
iks m Sr* Jia li.incalv.;> m Suva, Vkrale i.'.-
valcanride ABrairaor.nic a Atexandre 6omt
Sirva, nesia enhile, i ir iinereiedin de reos pr
ruiadores na pcs.-aa o Sr. Mantel Kianci-coli
vak-.-niii. tuda* J P.'.n d'Albfl e por inici renci
Sr. San!'.- nMiTtvi.ir Je ascravos). ruj i.uiihcm natnrai de KioS'Alho otein o- di?lko
ment de trancas de palhapara enfeites de[feSrain,M: i>!"'-;!;i in,,0:J. **** do rorP UP
pooo alto, Lipnd'. rnbi II.> um poner mrapinliadt
e pen'oado, i'.tlia I den'e?. Mra Inflamwc5 a
cruada uajnota da mi anenla, Calla a Fertanj
jo. nibilndseantada onian.-'a : Iotoh ramiaf dt-
mathpolao .? rlvdn ,|p sbodSo. e ralea? de lirii
pardo. O aliaixn uriDMo pinito reroBtmmda a
raptara j$ sea oeerawq a ladae a.- snioridades
pinais i. as enrarrearada.*da >{irorio> ewr
vos. naos pela? drVerna? i'fdades, villas e Dvoa
dof, como pfii sean, pan onde pode ler weiiido;
promeltp. uitm praiiflrar, e tamhem a qoalqa< i
Itessoa mu dVlle der noticia cria : a oiiffirenv
seao *;i .tsviiptoiio a ra io ns. > n, 13, ou jo
seu silio nn Mnn'^'n.
Rocif", i" de jan^tro d>i866.
.Im/omio Jn.ii) Hodri.jii.i ib Ift
INJECTION BRO
*iEm?;&?ammt%tt
i, H.I.H1.. ... nmiHitS, iwatiaH..'-
NOVIDADE
A loja de Coeliio d; Olivena a ra rio
Queimado n. 19, rocrfbou pelu ultimo"vapor
um bello sortimento de baloes de diversos
systemas, os mais aperfeicoados que teem
viudo ao mercado, sendo :
Baldes de guipar com tiras chamados
reguladora, ditos le musselina abortos p ambos os latios,' de mtxlo que seiulo todos
de um tamaito senem para qualquer se-
nbora, *ie laa de cores, com tiras, e as se-
geintes fazendas:
Saias de |3a '.ora bonitas barras.
Chales torcos de seda c laa BoaLriz de
Tundas.
Fitas de guipare pretos Rocamhory.
Chapot da sol para se.-iiwra, muito li-
dos.
Liasinhaa
Sultanes, Poil de Chevre. Tricota, dito uV
xadrez e outras muitas, entro tallas uma
Espeoialidade
L3a pura de cores a 3fi0 rs. o covado.
Basquinas a Maria Antoniete.
Cambraias fantazia.
Ditas brancas transparentes e Victorias
Colxas adamast'adas.
Oibertas chinezas a SdiOO rs. c outras
muitas fazendas que toroar-se-hia onfedonho
annunriar.
Tinta rxa de Mon-
teiro.
ita roxa de Moateiro para en vpr:
nrK/j'dp '. obrado amar*tk> da rntros
Cru a. 31.
100$ de graliGfafo
Fu&in no dia 11 de Janeiro do con inte anno,
do oqgemVi Hji.i-ara, i/i'pitvia da 'scada, o er-
cfav.i pr.'io, ,'.i inulo, de ij-inos do id:-dp, eha-
fn.uto.Jlt vii.-, ?jiie f"i do Sr. J*o da Cimna
I' re!\->, .-njo s.TSvn esteve DO deposito geral,';
fttm os r)m$ ro.-to limito marrajo de ociga. Ate tk1 etn
na lYi'iite, cor preta, sahio de chapeo do eliilf, p.-.-
Iel,i e cala .o pastar, levando mu I ..ui/.:;i\> flandres oom roai| rnnpa, e puppp-^e estar aa
hvrue:i.i do Taha : .uein o a^rebemler levo->
so dito onjeiitio. oo i mi i S'firarit-n.'.va n. 3k.
rs.'ripiorio do 8r Rernaniino Pootual, que re??-
ber a (rratinVacao cima.
Fujjio no dia 1* de mareo, do enge-
Idio S. Pedro da IregaaaM de pojara, oes-
rravo nardo de neme Francisco, de idade
:>0 a '.Y.i annos, oflicial de sapateiro, cor
escura, alto e seco :1o corno, foffredebei-
rae tem um dos tornozellos mais prosso,
Instante calvo, tem *n, talho no qneixo,
posta de embriapar-sc, lvou vestido cal?
t, jaqueta le brim pardo e chapen de fel-
tfo usado, cor parda, o diio pardo Francis-
co tem urna irmaa no Recife e ttin innaos
e tios na villa da Escuda, em FrriM'irae,
Aripibii, por isso rnga-se as autoridades
prindaes e capites de campo a pra-in do
mesmo. e quem o rtefrar e o levar ao dito
cnaenlio a entrepar a Antonio Emiti dlr-
mao, ser generor-amenle recompensado.
__Dh-sc itAOOO rs. de fralilleacao i Mem p
par dois pretos que se aovenlaram de-
6 dedeMtabra do anno de 1868 do enpnln> P
hal, termo deSorinMem, oa qu-in d.lies der no-
ticia rerta; um delles por nomo Joo Mnl
taiura regular, representa lerdo id '3*.
anuos, .-or fula, a tem cm tima das faces um U
Ino, tem fallante c sabe ler. oJhw al
me preto fo eomnrado na radeia JO I'
ja do dona tiuha fuaido ba 4 anno-, e fei ea; tira
do no MoiHeira por isso chama->c Jo Munt in>,
o outro i'."!' iKime Jeronuno ,i\uc foi eomprxl ao
Sr. u i '.. vo boin o ufiecido msta
, regular, seco do coriio, o c?r hut
liiki. rendido de amiV
iiiatras ue cliieote as natas
der, pode ilorir-cao.-:giin ,af
sen senhor, ou nosbt praea pa
amores Mano?! Airea r'erretra & C ra li **
LJW3
-------- 4--------,_-----.


r*
Diario de lVfTmmbuco SuMwulo 13 de Miuvo de 1669.
i
T TmRliTD ATTH A Q e4uttfws simples entre os diversos va-
lli i 1 JUli i U fi. *. monetarios. (Jua^bo dnimalilafo
A questo numeraria.
(Qmtitwaf
Lm muta cu. sos. as remsasele moeda
sonante poderiam substituir a compra de
tjtras d cambio : assim so pbupariam os
premios de corretagemr* sempre Valeria
mais pd.T-sc mandar moeda corrente, do
/jae barras de btm, que o entrara em
rana de corita, SenSo depois de tere* sido
vertidas em moeda ctinliada, do que
sempre resultam Cortos gastos. Nao entra
om duvkta que, se nos tratados de cm-
(nercio, pactnados entre a Inglaterra e a
branca, sn tiv'esse esrfflKficado a uniflcaco
das moedas entre as duas naces, es.-cs controu quatorze defensoro
ft jda libra, que se pretendFser imposSivetios
depoentes julgam que esse desidertum
se pode reafisar, e qu as novas "subdivisbcs
do soberano offereceriam grandes vanfci-
sobrt as antigs, ainda mesmo qte
essas projectadas sabdhiscs nao sfnm
compara veis no ponto de simplicidad^ rom
as snbdivises da moeda proyectada de 10
francos.
E' de cre que. no caso futuro de nina
allianca monetaria anglo-frauceza, a opiuiii
favoravel adopeo da libra esterlina sem
a redueco do 20 cntimos, como unidade
monetaria prevalesceria nos eonsellios do
goverao bwtaunico, como asjim aeonteceu
no ctirso do inquerito, ondt tai medida en-
cotsaVa tres ad-
cionados pelos votos
nacional de 187
conferencia nter-
ir
Que mecaliir na esparrella.
3i i' Amerar
ce i hfifdjda moda
Alfa afcor uaaViva roda
Por causa de linh aanella.
Tem havidd bailles, dansas,
donde/as,
t i ili'i I ^li, |
convenios bilatcraes teriam produzido os
mamres effeitos. Esses tratados de com-
ercio, cuja redar-cao foi diflicil em razo
da diferenea de pesos, medidas e moedas,
0 soberano como valendo 25 francos so-
mente servera de corolario nccessario para
1 uniiicacao monetaria. Esse mesmo so-
-twrano jd se acha laxado em 25 francos
nos serviros.dos caminlios de ferro e dos
paquetes a vapor entre a Inglaterra c a
Franca. Pois cent Bise mesmo valor j
fio foi elle estimado nos ajustes, que, du-
dante a exposico de 1807, fizeram ambos
os governos para se regularem os paga-
mentos de ordons monetarias sobre Londres
. ou sobre Paris ? Sao perd&s excusadas
para a Inglaterra, que, se oersistir em
persistir
manter intacto o valor da libra esterlina,
cali vez mas sorett d; sen isolamento,
oos que a Unio de 1865 ir reerutando
ovos adherente?.
Taessao as razes priucipaes, as quaes
parecem muito fortes, que apresentam
em apoio de sua opino os dezesete par-
tidarios da allianca monetaria com a Franca.
Foraiu unnimes a tal respeito, e as suis
assercoes parecem merecer muita conside-
raoo, pois que entre elles se achavam eco-
nomistas de nomeada, como Mrs. Jevons,
Le nc Levi e lien Iricl 8. e tambem grandes
mauul'aeturer os, tendo experiencia prat ca
dos inconvenientes da diversidade de aloe-
das, como sao Mr, Behrens, em Bradford e
Manchester; Mr. Musprat em Liverpool;
Mr. Fieldem Birmingham: Mr, Wngley,
em Hudderfield, etc. Alguns desses u!-
iimos nao fallavam em nome deHes somonte
mas sim tambem," o que tem muita impor-
tancia, ^m nome das juntas de commercio
das suas cidades.
Se os depoentes favoraveis moeda in-
ternacional foram unnimes a respeito das
/ajitagens da reforma, eHcs diverg rain
quanto aos meios, que se deveriam ein-
pregar para se conseguir esse desidertum,
los, que eram o? mais numerosos, opina-
vam simpsmente por urna redueco de 20
cntimos no valor do soberano, aim de
azel-o coincidir exactamente com a moeda
de 23 francos, imaginada pela conferencia
internacional Os outros, tres smente,
dos ques um era Mr. Leonc Levi. a quera
i>or um extranho equivoco Mr. Chevalier,
ios seus arligos do Jornal dos Debats, con-
aideroa como adversario das bases monc-
tarias, adoptadas em 18G7, preferiam um
systema mais radical, o da moeda de 10
raucos, tomada comounidade de novo sys-
sema, quesera adoptado pela Inglaterra,
e por CQUseqnencia destinado a substituir
iwa esterliiia. L isso, como j atrs ficon
mencionado, emseus relatorios propuzeram
Mr. (iraliam e Mr. Wilson.
Os partidarios da moeda de 10 francos
,er adoptada com.' miidade, com a deno
uioaco de Victoria, duoido, ou outra
qualquer, insistem, como apoio da opiniao
lelles, em que a proposta redueco dos
soberaos a i'-i (raecod nio traria a com-
i denudada dos syslcmas nouetarius,
o que s poderia ser electuado pela inteu-
iada unidade de 10 francos. Accrescenta-
,;'i nueatio DO ponto de vista da decimalisa-
eo* de qnf- se traluii na Inglaterra desde
o cemeeodo presente:ecuto, seria muito
prefei iv.l conservado da libra esterlina.
Com ffeito, a libra esterlina, emsua mille-
;m.i parte, offierece um valor de 10
i C0S 025, divisao incommoda, que foi
eondemnada pelo inquerito de Lord Overs-
; ; o inultsimo da moeda de 10 francos,
un cntimo, o representa muito melhora
ultima serie na escala das moedas. A
moeda de 10 francos, vindo a ser a uni-
dade monetaria da luglaterra, resolvera,
pois, nao smenle a questSo de unificacSo
peta identidade das moedas, como tambem
o problema, que ate' hoje tem estado in-
dieoluvel, da decimalisac5o do systema
monetario britannico.
Os partidarios da moeda, de 25 francos
objecto que nada seria to impopular na
Inglaterra, como o abandono da libra es-
ma, e oploaim que o mais importante e
Bspensavel a obter-sc seria, nao tanto
nina identidade completa, lalvez mpossivel
ni razan dnainurde cada povo pela sua
epectivj unidade ; mas simse formula-
FOLHETIM
os DMJUS DE aWU
pon
lie Berthet.
versarlos. .
Se esse voto da maiora or realisado, e
so por consegrante a libra esterlina for re-
baixada do valor de 25 (raucos e 20 cnti-
mos, que ora gosa, para o racionavel valor
de 25 francos justamente, suscitar-*e-lia
logo urna queatio importante :Dever-se-lia
elfecUiar essa tal redueco sem compunsa-
cao para os possuidores de moedas e sem
convei'so das anttigas dividas em novas ?
Ou, pelo contrario, se dever adoptar urna
taxarevisora de dous penique por libra
esterlina, e rever todas as contas passadas
em antigs libras.esterlinas na raso d'essa
tarifa ?
Ambos estes systemas tiveram seus de-
fensores mesmo no seio do inquerito. Al-
guns dos depoentes, Mr. Smith e Mr. Hen-
dricks, propuzeram que, para se evitarem
os inconvenientes da tara, se estabelecesse
na Inglatorra um direito do braceagem de
1 0|0 sobre cada soberano, novamente cti-
nhado no casa da moeda em Londres. Di-
zia;n elles que esse direito, no pas o que
reduzia de vinte cntimos o valor intrnseco
do soberano, nao diminuira o seu valor
cambavel na Inglaterra, mas o-abaixaria no
estrangeiro, onde elle nao circula seno as
mesillas condicoes de barras de ouro.
'essa maneira, nao seria nccessario reftm-
dir-s a massa total dos sol ranos em cr
culaco, e de combinar o importe das ion-
tas antigs com o dos contractos existentes.
Demajs, o estabelecimento do direito de
baaceagem impedira, em caso de unio
com a Franra, que a gasa da moeda de
Londres, cunhasse era prejuizo d'aquelle
paiz. Em Franca cobra-se um direito de
braceagem, pago pelo dono do ouro em
barra; e por isso nao se de ve duvidar de
que no dia, em que as moedas anglo-fran-
cezas liverem recipitwamente curso legal em
ambos estes paizes, o ouro em borra fran-
cez se encaminhe todo para a casa da moe-
da de Londres, onde se nao cobra direito
algum de braceagem.
E' o que os partidarios da iiistiluicao de
urna tarifa de converso nao contestara;
mas elles nao julgam que esse direito de
braceagem, alias til de se estabelecer at
certo ponto, afim de prevenir-se o abuso,
tenha efcaca de impedir de todo qualquer
azo de tara. Tambem objectam cora dizer
que o soberano for reduzido do 1 0|0 me-
nos, uunca se poder dizar ipie o seu valor
ficaria sendo o mosrao:E que se nSSo po-
deria usar de um tal meio para se satisfaze-
rem obrgaees existentes, que foram con-
tractadas na boa f em moedas de certo
peso e certo toque e que por consquertcia
exigem pagamento integral da ipiantdade
de ouro estipulada, o que viria a tornar in-
dispensavel urna escala legal de converso.
Isso mesmo tambem urna opinio errnea
como disse Mr. Jevons, de que nao existe
na. Inglaterra nenhum direito de bracea-
gem ; pois que a taxa de 10 1|2 peniques,
que o banco cobra no acto de trocar as
barras de ouro, que recebe, por soberanos
cunhados, com que as paga, vem ellectiva-
mente a importa? n'um direito de bracea-
gem de 1|0 por 1.000 por inferior somonte
I10.000 de 2 por 1.000 ao que recebe a
casa de moeda frauceza.
Tai a questo entre os dous systemas-
Qualquer que seja a qlucao que a Ingla-
terra der a tal respeito, quer ella ella esta-
beleca urna tara provisoria, como a Flama
praticou por occasio de se substituir o
franco ibra, e a Grecia ao acceder coo-
veuco de 185: ou ento quer ella, ao
contraro de tudo isso, prefira impr ao
soberano um direito de-braceagem, desti-
nado a supprir qualquer medida de tara,
ou mesmo que sem cstabelecer esse direito,
ella se contente de reduzir o soberano sem
compensaeao, como em diversas pocas,
julgram poder faze-lo, a respeito de seus
typos particulares, a Hollanda. Prussia e
Hespanba, isso, em substancia, nao ser se-
no urna questo de metbodo para se fazer
o soberano equiparar-se a um valor exacto
de 25 francos, questo essa que aos Ingle-
zes compete resolver segundo seus hbitos
e costumes, e pue para os palies da un'Jo
monetaria de 1865 nao apresenta o mis-
ino interesse, como a discusso dos princi-
pios, propostos na convenci e depois sanc-
i; hndiliicil.m^Sb
, Andar gente sera pe na-,
l'erdi toda a consistencia
'. .1 ilas na areia
epois que a tejniveJ clieia
Esbandalliou-me as caverna.
Sim,. Ai'Uiui'* pa*3 lorineiilos
X'estajteri*i das palmeras
V ouvir tau;as asnearas
Que por este mundo vo,
Bem sei que nao sou CtnsM,
Ntn tt'olw4aes pretencoe.s;
Mus, amigo, as aniicces
Me correin dep p'ramao.
Quando fallo em p\ nao crejas
Que gracejo, nao senlkor:
Tenlio o bom senso da flor
fi sidrea biz no pelto.
Se me falta a pera iuleira
Ficoa-me o pe ue memoria.
E, por tal p, nossa bistont
Errar se andar direito.
Hei de ceulaMe taes cnisi-
. E tantas cousitas mais,
Jue tu has de dar. bous ais
Em signal de dor e m^do.
Mas n i te ifliija's, por hora,
Por causa da mocidade ;
Tem-se aqui tal bowfado
Que j parece brin piedo!
al 1
cm pepa-
izar
Qu* preciso muito ver
Para t'i ntuiuae ajoiltar,
'A atii, meo bom (olphinjic,
E' que torce a porctr orraDf
tazenjfc de
Como m eu H

f i i tmir m .
^0Ma aqal muito n
\ .A li seiufre-va ih
Jar. a
Oa|f cliapitm-o aloutoi
Nas asiiciras amestrado.
O fidalgo haroncte'
Vive sempre em solido ;
Se por gosto ou por'b'ado
NS serei en quem n diga.
Mas o que cvrto e Seguro
E que ja deupela cousa.
Pois se faz Wanoel de Souza
td passando drf Lombriga.
IWminjje, na xtdtttto
Turne lugar de-frktoira,
E, cdm'tot nalrazeira,
Fui ter B6a-Vingem.
Qee feslanca, mee Arthur!
Oue de lindas mefonast
Quantas cabecas ratonas
Estudei n'essa romagem!
Quando entrei no povoado
FuidtVelo i igreginha.
E l vi prima Lraonha
Piacandav o olbo ianjao.
D.ni-iii'' vontade de rir.
E riria, n o ptta,
Se nlo;f*9se a atroz earetta
Que rae fez um rapifSA.
E" bem grande MNftf i
Andar a gente de bem
Exposta assim ao chencliem
Vai o cnio dito cima
matrii eucasneado.
, cltegano ao deputado.1
)k-tie oom |raca infantil i
v Conquistou o meu votinlio
"'lio de -
i||U
i Ten!
iS.V/*.aA
E o po
Como
Recebe logo um
(Vqa. Ilio al o can
Ollia pa chapa sorrmdo
Vota, e est lindo o vmi^pfljgi
E' assim que a consciencia
ii nao fruta da trra :
Qwa mais berrou, quera mais berra
E' justamente qumjnga.
N'essa partida de empenho
S ba um qne sempre ra?io.
Todos os mais servs sao,
Todos deesmvos (em toga.


Que arrota muito dmliciro
Com. sedfblaiite .-pmzenteiro
Festeja seus dA
1 VI
Ha de haver moscas por cordas
moeaflttTjfcjfara 111.
a de ftiver inulto qn
Contra vontadi'S araras.
se Ijm^bailailMs.
i) ImwkHa^He profuso,
at no 8ft abuso ^
Do barato fin as tos.
Confesso qije estouftizendQ
F rnillpV'e 11111






te s
Sihirei accompanha
pela Musa.

\o iuar.
(Continuaco don. 57)
O tronco ao qiial o naufrago se achava
agarrado era urna d'essas enormes arvores
que os rios di America airastam frequen-
teniente na sua corrento. O corno do bo-
mem pareca estar descansando sobre os
seus grossos bracos:, ao de cima da agua
nao se va mais do que urna mo contrahida
! um rosto lvido com oihar extincto, onde
nao se divisavam j indicios de vida.
Coragem, camarade 1 Aqa estamos!
gritn Grandval.
O naufrago, porm, pareceu nio ouvir
estas animadoras palabras, por quanto se
conservou imrnovel e sem responder.
Nao tardou quo.seappraimaiaiuu.d'elle.
Ento as aves aquaticas desapparecram,
dando gritos desesperados, mas os toba-
8, cuja presenca se notara, n> renun-
iaram com a mesaaa faciidada aquella
presa, que de certo oonsideravam segura.
Continnavam saltando em volta do desgra-
ado, espionando cqma saa disfargad sa-
gacidade o eflscjo de Iho arrebatar um
membro, e s se decidirara a fu;,rr a forca
dos marnheiros baterem com os remos
estrepitosamente na agua.
Afnal Miguel, esforcando-se mais do que
todos n'esta empreza de salvaco, agar-
rou o naufrago pelos bracos, diligenciando
raette-lo dentro do barco, porm nao llie
foi possivel desagarrar a mo do naufrago
do ramo a que eslava abracado com a an-
ca de afogado. Foi preciso quebrar o
ramo, e, em quanto a arvore se afTastava,
arrastada pela corrente, o infeliz foi trazido
para o barco todo escorrendo agua.
: Ento poderam ve-lo bem. Era um ho-
rnera que devia ter mais de cincoenta annos
parecendo ainda vigoroso. De caballo
cortado escovinha ; traba o rosto lvido e
trmulo, e os labios, j azulados, conser-
van orna expressSo feroz, que nao exci-
tava sympathia. Vesta camisa d panno
grosso e calcaav tambera de tecido ordina-
rio. A cabeca e ps estavam mis, e no
peito e bracos viam-se exquisitas pinturas
fetas a bico de alfinete, como frequente
na gente do mar.
Eslava sem movmento e tinlia o corpo
gelado. Conheciam-Stt-lhe ainda as pulsa-
C&es do coraclo ; se, porm, o soccorro se
bouvesse demorado um pouco mais swia
intil, e as aves do mar e os tubroes te-
riam partHhado a presa, com que j co-
mucjyam' a regijajar-se..
Ao mesmo tem'po que os marujos come-
cavam a remar em direccio ao navio, ia o
capito prestando os soccorros ao naufra-
go, que afinal recobrou o calor por ra&io
J ^UentVW ts"
E taianhas convul
Que aposfo cinco t
Em como nao chogo.au meio.
Ora, l vai: foi uradia.....
Qual da! qual carapuca !
Meu engenlio no^se a N'esse reboll(i4wlo;T 11
Tenho vontade de rir
E sinto sangrar-me o peito...
Desta vez sim, vou direito
Eao.fim hei de ebegar;
K. p'ra quL prego Dio d,
Von fallar-te do passado,
D'esse risonbo Eldorado
De quem ama e ha de amar":
Tenho vertido bem prantos.
Tenho chorado de veras,
Ao !embrar-me d'essas eras
Em que viv juuto ti.
Ai! saudades dos bftus tempo.
ltisimhos tempes de outr'lwfai
Quem limito ri omito chara
E' vellio axioma aqui.
Tu tambem has de lembrar-Le
Do nosso \elho occeano,
Onde lauta vez no anuo |
Passeimos de espaftilho.
Que linda e bella pujanca
N'esse tempo lindas l!
Eras visconde do It
Por de tal pai seres filho.
Ai de nos! hoje que somos
N > meio da humana gente.
Mordidos pela serpente
Que se chama corrupeo,
NetB se quer j nos podemos
Avistar uV quando em vez.
E l vai p'ra mais d'um rhez
Que perdi teu corarao.
Bem seiflu.' tu tambem softV>
Dos mesmjs males queeo.
Mas, inda assim, sjudeu
Por me nao teres escripto;
E ac.no de mira p'ra raim %
Que,* n'esse lugar que habitas.
Deste de ollio s raorenitas
Que te fieiam conscrito.
Nao quero, porm, que digas
Que sou prza do ciime :
Se no peito tenho lme
Tenho a razo fra e calma
E por mais que mira par
Ser amor fc.mt de caco,
Nao desejo dar cavaco
Nem bollos dar a palma.
Por isso, virando a folha
Que trata d esse mo vicio,
Fallare! de algum derricio
Finiflie grande e bello
b^aMJn de pagede;
SA nos lia'
Paraliaver maiIf(l|.
Mi.'smo assim, n'ragaeai dormio
** #>bWarwlu do serraao,
m sIj-tui-jfcO ob &* *iilm mais de ,,m tos';5"
m nuda Y A' Vlcul

de algumas gotas e rhum introduzii
w
i' valeute mordomia.
De'dlafesta na igreja.
A' noite Testa na ra.
le., se houvera bella la,
Bedobrnriao folguedo.
Embora o cacho, houve fogo.
Houve Te-frnm ebandeira,
Houve muita salcicheira,
Houve at multo bom hred
Depois da funci,'ao da ra
Houve um grande I duplo baile,
Indo um mocas de- challo,
N'outro velhas de timo.
Felizmente houve um terceiro
Onde esleve o lal fidalgo:
Este sim, de um pulo o galgo.
Foi baile d.' tu-baro.
Dansei muito, e, muito atenta.
Muito segredo bispei;
Entre outros apanliei
I m namoro de engenheiro.
Era moco, alto, moreno,
De bigodinho enroscado.
Cabello negro, cachado,
Bocea breve, olharbregei.it.
Vi muita cousinha boa
N'esse sarao de patente,
Vi muita gente decente-
E vi muito fogueteiro.
Vi dar-se apertos de mo
E bracos por gracejo,
E at vi dar-se um baijo
Por detraz de um reposteir >.
Quando a dansa terminou
lJassava muit do um'hora,
O que p'ra quem longe mora
Nao faz muito bom cabello.
-Voltei higu,p ra o ttecii
Na viarfeirea-V'acdo.
Qii!', t*rnfes30 com bem mudo.
Nao me cheirou muito zello.
Bem vejo que'j vai longa
Esta primeara inissiva ;
Mas nao quero ser esquiva,
Vou fallar-te de fleicoee-
Houve aqu grande tutu
No da dous do corrente,
Dia em ijue perdi um dente
Por fallar com dnus I mi oes.
Felizmente, em honra nossa,'
Devo dizer bem baixinho
Que sempre taire bixrho
Que joifou por fora a mo.
E fez bem, nao que eu cultive
As florinbas do protesto,
Mas eu sempre desembesto
Quando rejo compresslo.
Finalmente fi bandalheira
Deu era pouco mais de nada,
Houve gente enforqulhada
E houve anguilillas serias
A" um certo Z babo,
A' quem vi dar-se um fio,
Ou vi eu gritar ; seu Job


-r-r-
Ai de mim, meu bom Golpliinlm.
Que grande cousa a cuja.
Essa senhora to suja
Que se chama votafo.
Que lberdade de voto !
Que votos de consciencia !
E que grande intelligetcia,
A do eleitorcdado !
cei
o pe
respiraco regular, hranem'
bocea e pelo effeito do sol, que darlefiat
sobre o corpo meio n. Tendo feto alghns
movimentos, abri por fim os olhos.
Ola, amigo, dsse-lhe o capito af-
favelmentecomo se chama ? A que na-
C-8o pertence ?... Achava-se n'este oslado
em consequencia de algum naufragio
O desconhecido pronum;iou algumas pa-
lavr.is iniilelligiveis, mas logo cabio na sua
prostraco.
Miguel, porm, pareca impressionado'
por certos indicios que descobria n'aquelie
homem^Inijlinaya-!
otjjtiiaotmjclJlJj^aiv1
ali nadamente a aUiniracao, a incerloza e
o ceio.
Rmdval, sera r otar a preoecupaelo do
su lo-mado, dlibirou-se, com o tim de,
ac tar de reanimar o.pobre diabo, a des-
pe, r-lhe na bocea 3 frasco de rhum. I)e5-
ta )% o naufrago beben com sensivel av-
de fazendo-se logo sentir o effeito da sa-
lq "bebida- Real ro os olhos, sorrio>
cq J*r idiota, e Jitinal, depois de alguns
b jos convulsos, sahio na anteriof 1m-
rni ifidade.
ata situaco, porm, jipo .jsjjrava i'1-
pouoarTavacom mSirespiwao^uTar "h
disse um velho m.
brigad
Cues
se p
cujo
era. O camarade dorme tranquillo e deforras'ca
dar to cedo. Devj acredi-
te bastante tempo na sua arvore
e o sornno urna neVessdade mais forte
do que a fome c sed1. Ora, nlm d'isso,
o capftSo.dekou-llie no bico um gofo de
rhum fque ebegava para' tres marujos, e,
comoi djevido respeito, emborrachou-o de-
veras Assevero-lbe que nao acorda to
cedo... Lembra-me que urna vez, no mar
Paclko, andava eu ento na Qkopatra,
acharaos assim dous uaufragos, que havia
urna semana navegavatn escarranchados
n'um boceado de maslro. Pois bem \ Dor-
Gosto poajeo de pilherias.
EU porque meu caro amigo
Eu desejo em conclusSo
D outra forma e nootrogeii".
Quero que sejam reaes
Deputdos da naco
Hbmerr de tino e de aerjao
Que tragam o povo no peito.
Ainda duas tiradas
E darei por concluida
Esta serpente eomprid
Queja tem bem duas varas.
Na sexta-feira passada
Houve aqui grande funcc2o.
Acompanhou a procissab
Gente que tem muitas caras.
Os povos da Boa-Vista
Essa folia tiveram,
E agua pura beberam
Na fonte dos anfares. .
Na frente da guarda d'honra
la o grande Ferra-Braz,
E um pouco mais alraz
Os tres res e alguns trabes.
Ao todo cinco pessas
Da mais nobre jerarchia
lain servindo de espa
De reboque ao batalho.
Houve grande galhofada,
Muita pilhera sem sal,
De meus peccados por mal
Houve at amollado.
Depois do velho Gamboa
.Nao ha cousa para rir
Como seja a gente ir
Do theatro feijoada.
Ha rffsquinhas do baro.
Ha biscoutosda rainha,
Ha peixc frito e tumba,
Ha beij e ha marraelada.
Joaquim Augusto no serio.
O Martnho no jogoso,
Apolonia no mimoso
E Vetul em tudo e nada;
S3o couzinhas to gostosas.
Sao quitiites to da moda.
Que diflicil dar na coda
H essa gente endiablada.
Oulro dia n'um flauteio
O Martnho fez as todas,
Foi sem lavas p'ra urnas bodas
E ac bou com muito sol.
Depois veo para scena
Empunhando urna ceringa,
E dando provar da pi^a
Embriagou o Sr. Christol.
Sao couzas do arco da velha
Que te cont muito medo,
. Pois um certo D sem dedo
Tem-me gana, e vaienta^o.
Outro dia por inn nada
Aprou n'um folhetini,
E fez 15o grande niotm
Que perdeu metro e coinpi fo,
J recebi dois convites
Para um baile de primor.
Trato de um lord e senhor
De dominios e castellos.
ra figura) de patente
beber...
~ Ah to G ron din, Mb
grumete de cara avelhacaa es: vfiia,
que m convinha a^rmir
at nao mais S para
naufra,
Havm'nae palavras d
o quer^iuo fosse que nio sra bem aos
ouvidos supersticiosos dos marojos. O po- grar de qu0 ellt' rigo a ^ 0Dvil;:
bre gr|mete ia i aJwud ; pin' ?> WBpu*
oa 0e^
consol
repgato o oanito gritn :
n fliillimill) IJate^MML
njo est em estado de nos dizer
EITectivamente e co, to lmpido desde
pela manha, comecava a carregar-se de
nuveqs, e bem $abiaui elles a rapidez com
que se foria^lim fciiestad| nfequfelfes
parageis';t)Ot*bso fenfaram confrorc e
dentro em pouco eslaVam a bordo do na-
vio.
Acaba vara de collocar o naufrago sobre
o convez espera que se lbe preparasse
urna cama, quando' losephina Bertomy se
approviraou, olereceiido o seu auxilio. Foi
encontrar o irmo ajoeltaado junto do des-
conhecido eaolbar para elle com inyslerioso
inUresse. O surdo-raudo, cuaraanuo a
atteng de Josepliina para aquelle sem-
blante desgurado, dirigio-lhu alguns acio-
nados, e, como ella pareoesse nao o enten-
der, tireu da algibeira o livro de lembran-
pis e escreveu all um nome, que mos.lrou
irmSa. Josephina stfemeceu, e, collo-
cando-se tambem prxima ao rosto do nau-
frago, attentou n'elle fixamente. Aflnal er-
gueu-se e disse para o mudo", sem se lem-
o nao
rao os
remos
u res-
iada I
ruma
Ests a sonbar, meu bom. irmio; nao
m parecencas algumas. E' vardade que
muito tempo que nao vemos esse ho-
em a que teJ^ere^aj.jufta^p.aviraos,
foi alravez de lagrimas; mas, arada assim
digo-te que ests engaado. Este hornera
um marinheiro que a Santa Virgemsal-
vpu de um naufragio c nada mais.
Josephina tradujo
De brilbantes e esmeraldas*
Tudo isso ba de lustrar-me
Sobre o corpo de alabastro
De tal modo que Joao Castre
Ha-de fazeMne charadas.
Hei de dar panras no badr,
Quer tu qunirs, quer nao qaaeiras.
J comprei ahias pulMh-as
Lindas, lindas de matar.
Hoi de acbar dee namorados,
Hei de aeradar quantos vir,
Mas, j sabes que p'ra rir.
Que tanto atilbo hei de atar.
. (*fc
Em bailes de tanta monta,
Onde vai gente to boa,
Bem sabes que sempre enlatan .
I* .mi. rjinaimi iwmpena. falaaMttawatvj
Por isseMaBdei pedir
A' mee amigo Jacintlio
lira lenca b labyrintho
De bom i'ralio de Brabante.
O gordo dono da casa
Ha de dar figas ao demo
' Quando ouUei que sao temo
De sau ouro o grao poder.
Hei de mesmo abarn>ta-lo
De clkufas taes e dicterios
Qu'em miasmas delterios
Hei de faze-lo se arder.
Contara ja que na festanca
Os picamos dansaro,
E que tudo amolarao
Desde as velhas t mim.
Mas nao creio qu'esses mocos
Bravos filhos de Mavorte,
Quttjrain,usaj-de braca forte
Em pinglMlatde narfin.
Dizem que sao destimidos.
Careteiros. namorados,
Esses gatos esfollados
Da panel la do fe i l ice.
Tomara j ver-me as voltas
Com os taes amoladores .
P'ra dzer-lhes: meus senhores
Onde estamos ? o que isso?
Ningnora er, parece incrivel
Que da brasdea naco
Marnheiros de galo
Tenham tal proced ment,
Mas sem por nem tirar,
Esta a lama que os bafeja :
Se sao hroes na pelleja
Nos sales tem ardimato.



Saiba querido Golphinho
Que j tenho inglez na pista
Vio-meo tal na Ba-Vista
E jurou saber quem sou.
Mas o Quineas, que bom moro.
Encontrando esse marreco,
F-lo logo quebrar becco
E zas, traz, foi-se, e eu me vou.
O padre Ticko-frah
J ebegou pela cdade.
Vi ra vendendo mocidade
A' quem qoizer e mais der.
Di/.eni ipie. o yoid Alfredo
J fez sua proviso,
E que Xico do Baro
Vai comprar p'ra sua estha.
Hoje fazem cinco dias
Que mor u um general.
Que ficou sendo nniuorUil
as doutrinas de Confecio.
Por causa, dq enterramento
Houve aqu grande alarido.
Pelo cujo nao ter sido
Feito por A'ee Mngttcio.

Alio l, faco aqui ponto,
Tenho medo de morrer,
E nao quero vir ler
Por jazida trra ingleza.
Respeito muito quem pode
Armar baraco-ecutello,
Tenho muito amor ao pello
E mais inda nalureza.
Afleas, pois. meu bom Golphinho.
Meu querido e dore amante.
Se fui tolla c fui pedante
Perda tua Sereia,
Masi escreve, escreve sempre.
Que me das muito prazer ;
E adeus at mais ver,
Vou dormir em cama alheia.
12 demarco de 1869.
_____
estas palavras na
pantomima dos mudos. ao provincia.
Miguel, affeito a submetter-se s opi- fCotitmiar+e-ha)
njbes saperiores de sua irma, pareceu TIP. W WA1I0Rl-lMItRfZKSH.
nao insistir na sua c curvou a cabeca hu-
mildemente.
O desconhecido foi transportado ao in-
terior do navio, e Josephina e Miguel eu-
rarregaram-se de velar por elle. Grandval
e a tripolaco oceuparam-so era seguida da
manobra preventiva contra a tempestade que
se annunciava.
Com effeito, nao tardou muito que nao
rebentasse a borrasca, qne se prolongou
por parte da noute. Durante esse tempo.
nem o capito irem os marnheiros se lem-
braram do naufrago ; J isephina mesmo
nao pbde prodigalisar-lhe cuidados com a
assiduidade cora que o fara n'outra qual-
quer ocCasiSo, porque ao desordenadas os-
cillacbes do briguo causaram-lhe to gran-
de enjo, que tevo de recolher-se ao seu
camarote, acommettida de horriveis an-
clas.
Miguel Bertomy ticou s eocarregado de
velar pelo enfermo, misso esta que Iba foi
fcil, porque este, depois de ter dormido
algumas horas, acordou finalmente para
dar a entender ao seu guarda que careca
de comer. Miguel deu-se presea em Un
servir a|g^liraeatos, que logo foram
devorados, recahno em seguida o naufra-
go n'aquelie somno profundo e lethargicu
a que se nao pode resistir.
Decorreiiia noute e parte da manha do
dia seguiqte, e o hornera nao cessava de
dormir, continuando a ignorar-se quera
elle era, uue idioma fallava e de que na-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9J8IG3T0_2A4E0K INGEST_TIME 2013-09-14T02:28:36Z PACKAGE AA00011611_11790
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES