Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11788


This item is only available as the following downloads:


Full Text
_ _a

-.
.
ANNO XLV. NUMERO 56.
PARA A CAPITAL LEGASES OMDE IA6 SE PAGA PORTI.
Por tres mezes adiantados............. MOOO
Por seis ditos dem...................' iSm
Por ura anno dem.......,........... 244O0O
Xiida numero avuiso........ ..........31 4320
QUINTA FEfftA II DE MARCO DE 1869.
PARA DENTRO E FORA DA PROVINCIA.
Por lie mezes adiantados.................. W730
Por seis ditos idem. ...........'...... 13)5800
Por aove ditos idem................... 20/5250
Por n anno....................... 27)5000
RMBUCO.

Propriedade de Manoel Figueira de Faria & Filhos.
MO agkvjtje*
(k Srs. Gerardo Antonio Alves
\

"
1
Filhos, no Para; oncalves Pinto, no Maranhao; Joaquim Jos de Otreira, no Cear; Antonio de Lemos Brag.i. no Aracaly; Joo Mara Julio Chaves, no Ass; Antonio Marques da Sirva, no Natal; Antonio Joaqmm
Gutmares Pancada, em Mamanguape; Antonio Alejandrino de Lima, na Parahyba; Antonio Jos Gomes, na Vm tk\ Penha: Belarmii dos Santos BnJcao, em Santo Anto; Domingos Jos da Costa Braga,
em Nazareth; Franciao Tavares da Csta, em Alagoas; Dr. Jos Martms Alyes, na Unhia; ?; Jos Ilibciro Gasparinbo, no Bio de Janeiro.
PARTE OITICIAL
Covernt da provincia.
Mmntcrr. asskxado telo exm. sn. conde i>b\ae-
MHOT, PBKlBENTE DV PltOVIVOl.V, NO DA 3 DE
UBfO OE HMW.
8" seceso.
K. 106 Portara ao nspoi-lor da thesouraria
de hienda.--Dcvolvt-ndo a V. S.,o incluso reque-
-riraento documentado, em une o gerunie da roin-
lnhia Pernambucana ilcita o pagamento da
qu&nua de 1:1011153, provenieutede fieles e pas-
<3gens.4a>Jt6 )>or i-olfci do governo desla capital
para o preidio ilo remando e viee-veroa a bordo
do vapor G'/h. tenlio a dizer, que de conform-
iade com a Ma intorniaco do 1" do corrente. sob
n 114. com referencia a da contadura dessa the-
souraria. mande pagar daquella quantia Matale
o reliante, alim de reelainaj -se do ministerio
da guerra, atitorisaeao para a necessaria indent-
ntsaoao, vis-to aehar-so extineti a verbaDespe-
as WWwna re esta lesnasa.
N. 107. -Dita ao mesmn.Por aviso de 18 do
oiez prximo lindo, ordenou-me o Sr. ministro do
imperio, que li/esse constar a Y. S.. ein soluc i ;n
tfticic n .i" de 23 de noveinbro do anno passado,
que por aviso de 10 do dito mez, ja se conceden
rdito na i m para cobrr a despeza. de que essa
repartieSc CO deu cenia, nomo para occorror s
que se ten de fazer, em todo o exerrier de 1868
a 1869 com a conservaco do lazareto da illia do
Pina, que ca era concedido para augmento du
que se dtatribuio para despezas das verbasPis-
pado e. rektri metropolitana-*do dito exrrreicio, o
de 14 c 1983l. que se requisitou rom applica-
cao ao pagamento de congruas aos parochos, o
op, pe!'.: que se refere ao augmento de l:2S5j993
aoUibdo i ara despezas da verbaPresidenciasde
provincias do referido exercieio. dessa soflama
- se OMsid rava justificada a d- 117#, que Bc-
va autor isada. sendo I '> p ira satisfacer a despe- !de espado
>.\ do separo da mobilia do palacio e WM para Joaquim Rernardes d Motta.
preflflKr a romn necessaria ao pagamento d>
nico a Vmc. para seu conhecimento, declaro ao
mesmo tempo, que empregue toda a diligencia,
afim de que se contrate ama casa em que possa
funecionar aquella escola, dando-me parte do que
oeeorrer a este respoito.
?i. 122.Dita a cmara municipal da eidade da
Victoria.-Remetto a cmara municipal da cidado
da Victoria, 6 pares de laminas e 4 tubos capillares
cuna puz vaccinieo, para ser ani convenientemente
applicado, llcando assim satisfeia a sua requisi^ao
cuntida em ofllcio de 17 de fevereiro prximo
findo
N. 123.Dita a cmara municipal da villa da
Escada.-^ReBpondendo ao offickt de 14 de Janeiro
ultimo, em que a cmara municipal da villa da Es-
cada, me communica o estado de ruma em que s aclia a ponte edilicada no rio Ipojuca, tenl a di-
zer-lhc que segundo me declarou o chefe da repar-
tieao das obras publicas em ofQcio de 27 de fcve-
roiro prximo lindo, j ex|>edio as convenientes
ordens ao conductor daquelle districto, para inti-
mar ao respectivo arrematante a execucio dos
reparos precisos, visto ser elle o responsavel pela
sua cnnscrvaeao durante um anno.
N. 124.Dita a directora do tlieatro de Santa
Isabel.Tenho nesta data permittido que o benefi-
cio olorecido pelo empresario do Iheatro de Santa
Isabel, Jos Duarlc Coimbra em favor das viuvas
c orphaos dos voluntarios da patria Pernambura-
nos, moitos na campanha contra o governo do Pa-
raguay, tenht lugar no dia9 do corrente; assim
o communico a dirertoria do mesmo tlieatro para
seu conhecimento e fins convenientes.
N. 125.Dita ao gerente da rompanliia Pemam-
Imeana. Sr. gerente da eompanhia Pernambu-
cana mande dar tuna passagem de estado a proa
at a Grania. no vapor que ten depara all seguir
no dia lo do corrente, a Manoel Luiz da Frota.
?). 126.Dita ao mesmo.O Sr. gerente da eom-
panhia Pernambucana mande dar urna passagem
de estado a r at o Cear. a Jos Gurgel do Asia-
ral Valente, addido a primeira cla>?e a legaciio do
Brasil na Bolivia.
N. 127.Dita ao mesmo.-^-O Sr. gerenle da eom-
panhia Pernambucana mande dar una passagem
at Pencdo, no vapor Polengy a Paulo
ment que Vmc. aprssentou-me com o setmljico
de 24 de fevereiro ni! imo.
2 seccao.
N. 145.Portara aa Dr. chefe de polici.i.Ten-
do expedido ordem thesouraria provincial para,
por intermedio do Dr. Joaquim Goncalvus Lima,
entregar, por adiautiuiento a cada "TJfltifr'L"f*~
dos de polica das villas de Flores e Vill-B'la a
quantia de 300^000, alini de ser applicada ai pa-
gamento das despezas com o sustento dos presos
pobres das respectivas cadeias, que esto jcy^ i..UuWi>
meios de subsistencia, segundo se me represtutou, | Cruz, para recruta.
coiyaejas participadles rocelridas licj'ae^u re-
(rtioaB/foraiu lionleui recolliidos casa dedelen-
cao, OBfegiiintes individuos :
A mikia ordem Justiniano Jos Francisco e
Jao ^turnio do Naaeimento ou Joar Lopes da
Silva, vfciiliis de Govanita, como senten'iados.
A v#Amh do juUwitegniJ de Santo A.ultnm, Jo
su da Costa Aran jo. or inultos.
ABOido de S. Jos, Isabel Mara Francisca-e
Juafluijt, .arricano livie, |K>r disturbios.
A artlem do da Boa-Vista, Manoel Ve
oancio da
neeissana
-.'ratificar,?: a> guarda nutbilia. visto que a doapc
zade luzi> e illiimiiia'ja) do mesmo palacio, que
se oakuJfl ekvar-soiia deotoaatFaoao que aruinpa-
nlu o citado ollicio a l:ftMi. nev ni-cessaiia-
mente resiringir-se as cou9gaacdes distriluiidas
na imporUi'icut de l>(>05. Dando a v.s. eoabeci-
nto di coateddo do mesmo aviso, para que o
bea execular, rocomuiendo-llie que me enve
com bravjdadfl unta dwnonstratSo idas despoaas
que ajj tOffll at agwa elTeeluado com luzes a illu-
minaci: du palacio.
. l. -Hila ao mesmo. Transmuto a V. S.
liir, de ttr.'ii o conveniente deutjno,a8 c atas o-
euBMBtadas da roeeita d drntftjn da eiif"iinaria
iiiilai sol alioM-iraeao do cmisellio econmico
lepositi dcrerrulas, relaliva ao mas de Janei-
ro do corrente anuo, bem eouid o parecer da jou-
I que as examioou.
IS. 109. Dita ao mesmo.Constando de avise)
da n da gi erra de 15 de fevereiro ultimo.
ter sitio ii..iiiiitiv;ni,'!i|e apprwado o valor de 4'il
r.< iHari'js pira ,i elspe e fardainenojiue tem de
aer abonaM ae Diein.'res d.*ars<>na! de guerra
durante o corrente semestre ; assim o declaro a
\. S pai I e eoiilieeimenlo edevillOS OffoitOS.
.V lio. lilla a i mesuio.Pode V. S. eulbrme
iuJic;; em mi elei.i de hooleiii. sob n. iU, ie-
radti loxarifodo presidio de Fernando de
?ioratl i inl'-rmedio do ci'inmaiidaiile do-va
per iia ttompaubia Pernambucano, que para all
gnir no dia l do eorrente, a quantu de
16:lld, q:i. se la/, preciso para a coiitiiiuacao
las despe/1- a cargo daquelle almoxarfado, ae-
jmiii du citado ollicio que tica assim res-
li
>. iil.--Uita ao mesmo. Em vala da emita
unta em duplcala, que me remetteu o chefe. da
obra: publicas com ollicio de hon-
t-iii, s<:i. o. 81 luande V. 8. pagar a quantia de
eniente de servieos feilos para a illumi-
i) palacio da presidencia, como se v da
la conta.
-f. 111.Dita n i mesmo. Communico a V. S.
eouheeknento e devidos e/Jeitos, que se-
gundo consta de aviso do ministeTlo da guerra de
i: de fevereiro nitano, fei approvada adelibera-
r.,.. q;e c.-la presidencia lomea de mandar elec-
dia: | ira i oo por emproitades at a
taMade 241*568, em que (erara oreados es
eoni erl de que necessita o paiol de pofvoca da
i irtateu do Brum.
N. 143.Dita ;n iuspeetor da ihesouraria pro-
vincial. Aiitori.-o \'. S. aos termos de sua inior-
uucod i'do corrente, sobn. 117. acerca do
r'-i-ciiiiiriito qnc incluso devolvo, a mandar pa-
gar ao professor da povoacio deNosaa Senhorado
O" deObnda, Manoel Cndalo Pereiradeber, so-
lo rorrospendem ai......i de
Janeiro ulliino, em que na i exoroeu o seu magis-
terio por na > h^vrr encontrado para alugar urna
casa,onde f inccioue a na aula.
> III Miia ao mesmo. Hecoiuinendo a V.
S. qie :|i rsla do recibo junto em duplicla,
iii- i metteu o cnefe de poJicia ''^n ollicio de
7 de Janeiro ultimo, sob n.16, mande liquidare
pagar a Luiz Perera de Mello, a quantia que jus-
tamenti se estver aower, proveniente do alugucl
iH'.-iiede jullio a di'zeinbro do amio
lo, ao deatai amento iIm districto do laboao.
H. 115.Dita ao mesmo.Transmiti aV. S.
para seu eoonecimento e devidos effeitos, a inclusa
rae! > dest data, pela qual resolv
adir ticoulau-celbralo por Francisco de
j'i,!i>' Rurges. pas a exeeucao dos reparos da
d jili oitao.Igual ao chefe da repartirn
- hlll''.-as
.V lili. Dita i i mesBia-Intckado de quanlo
V.S.expa em sen offleo dehontem sobn.85,
dizei em resajoita que se entender que o
itame da obra do acune da villa deBczerrol,
M wocl Bnzerra dos Saiituf, tem direito aorecebi-
lo da importancia dTprimcira presiacao do
ontrato, muule passarrlbn o competente cer-
do que na thesouraria provincial,
i pfleeraaf-se o respectivo pagamento.
N. 118.Deliberacio.O proidente da provin-
cia, tendo em vista o que requercu o arrematante
-aponte de Jalioatio. Francisco de
l'inlio BorfDB, < bem assim o que a este respoito
informaram o ebefe da repartirlo das obras pn-
: liras em officos de 3 de janeiVo c 26 de feverei-
ro oeste anno, sob ns.43 e 73. e o inspector da
ihesooraiiapiv.viiici.il em 19 do citad., moz de fe-
vereiro n. 8JL rt solve raseendir o contrato celbra-
lo pelo Siippcaute, e ordena, que nos termos do
7ff do reculamente de31dejulho de 1860.
un taes reparos executados por-administraejio
eonforui indica o mencionado chele no ultimo dos
- precitados, oflleios, sendo o arrematante bjs
onsavol pelo excjssi de despeza se houver c
- absistindo a mulla que llie foi imposta por deli-
Ijeracao de 9 de dezembro do anno'ppoximo passa-
do.Reste sentido serao expedidas as necessarias
i -lices competentes.
4"soeco.
; 121Portara ao director geral da mstruccln
publicaNos termos de sua jnfornwQaode6de feve-
i. 25. acabo de autorsar a tliesou-
i r ao professor de Nosaa
1 il" Olinda, Manoel Candido Pereira
nado smente, correspondente
!>roxiiuo^ndo O que eommu-
l'l!. JOVOUIM CORRKA
G0VE1LNO, F.M 3 DE
EXPEDIENTE ASSIGNADO PELO SR.
DE ARAUJO, SECRETARIO DO
MARCO DE 1869.
2* seccSo.
N. 128.Ofllcio ao r. chefe de polica.0 Exm.
Sr. presidente da provincia manda declarar a V.
S.j em resposta ao seu ofllcio de 7 de Janeiro ul-
timo, sob n. 16, que a thesouraria provincial tem
ordem para pagar a Luiz Pereira de Mello, o alu-
gucl da casa, de que trata o seu citado oflleio.
V. 129Dito ao jui de direito de Palmares.
0 Kxm. Sr. presidente da provincia manda acen-
sar o recebimento do ofllcio de V. S. de 15 do mez
liido, cm que communica 1er nessa dala reasu-
mido as fuuccoes do seu cargo.
N. 130.Dito ao juiz municipal do Brejo.De
ordem do Expi. Sr. presidente da provincia devolvo
a V. S. o smnmario crime instaurado ex-officio
contra Joao Antonio Mascarcnhas e outros por to-
madas de remitas da escolla que os conduzia, no
lugar Patos do termo do Umoetro, para que Chande
extiahir copias das pecas principis qo mesmo
summario, c as enve ao mesmo Exm. S\-. para de-
liberar sobre rsse assumpto.
3 seccao.
>". 131.Ofllcio ao inspector da thesouraria de
fazomla.Levo ao mmheriiimnlo de V. S. para os
lins convenientes e do ordeui do lixin. Sr. presi-
dente da provincia, que a 15 do mez lindo, reassu-
no as fulleco.s do respectivo eacgO 0 juiz de di-
reito da comarca de Palmares bacbarel Joao Fran-
cisco da Silva Draga.
N. 132.Dito ao chefe da renarliclp das obras
publicas.S. Exc. o Sr. presidente da provincia,
manda declarara V. S. em resposla ao seu ollicio
de hontem, sob n. 82, que transmitir a thesoura-
ria de fazenda para os fins convenientes a conta
em duplcala que ver annexa ao citado ofllcio.
N. 133.Dito ao mesmo.Certo de quanlo V. S.
expoz em sua infonnacao de 27 de fevereiro ulti-
mo, n. 70, com referencia ao estado da ruina da
ponte edificada sobre o rio Ipojuca, tenho a dizer-
Ihe que faca com que o conductor daquelle dis-
tricto examine minuciosamente os reparos que o
arrematante lizer. afim de que possa iicar garan-
tida a seguranea da referida |ionte.
N. 134.Dilii ao Sr. Dr. Luiz de Caivalho l'a.s
de Andrade.S. Exc o Sr. presidente da provin-
cia, manda declarar cm reaposta ao seu ofllcio do
I" do corrale, sob n. .147, que (icou inleirado de
haver V. S. naquella dala entrado no exercieio in-
terino de inspector da alfandega desta capital nos
termos do 1. do artigo 88 do'regulamento de l'J
de setembro de 1860.
4a seccao.
135.Oflicio ao empresario do tbeatro de Sania
Isabel. Jos uarte Coimbra.O Exm. Sr. presi-
dente da provincia aiinuio a que o beneficio por V.
S. oTerecido em favor das viuvas orjihaos dos vo-
luntarios da palria pern.imbucanos, morios na
campanha contra o governo do Paraguay, tcnlia
bagar no dia 9 do corrente : o que Ib o communico
de ordem do mesmo Exm. Sr.. e em resposta ao
ofllcio em que V. S. assim solicilou.
I-XI'EDIENTEASSICXADO PELO IAM. Mi. GOJJDS HE B\E-
l'EMlV, PRESIDENTE DA PUOVIMaA. Eli 4 DG MARCO
DE 1869.
1." sereno.
N. 137.Portara aoExm. Sr. general comman-
danle das armas Transmuto a V. Exc. a inclusa
rolacao nominal, que foi-me semettida pelo direc-
tor to arsenal de guerra dos menores que se acham
no caso de passarem como addidos para a compa-
nbia de opeiarios, a forma do. n^ulamenlo de 3
de Janeiro de 1842. afim deque V. Exc. se sirva
de manda-losinspeecioiiar e providenciar a res-
lieito d'elh's o que for conveniente.
Itelaeo a que 3e refere a iiortaria supra.
Joao Gomes de Mello, Gaudencio Pereira da Sil-
va. l*edro Hennno Jos Rezorra. Prxedes Augus-
to de Aranjo Silva. Francisco dos Santos Lima.
Joan Antonio Pedro de Lima. Francisco de Paula
Nove.
N. 138Dita ao mesmo.Pode V. Exc, como
propde cm seu oIBcio de-bontem datado, sob n.
124, nomear o caphao do batalhao H de infamara
do exercito Manoel Joaquim Relio, para servir in-
terinamente o lugar de ajudante da fortaleza do
Brum, durante o impedimento por molestia do te-
nente reformado Joao de Sgueira Campcllo.
N 139.Dita ao director do arsenal de guerra.
Pdc V. S. a vista do que pondera em seu ofllcio
de 3 do corrente, sob n. 49, mandar alistar na eom-
panhia do menores desse arsenal o de nomo Anto-
nio Jos do Espirito Santo, a que alinde o seu ci-
tado ollicio,
N. 140.Dita ao engenheiro eucarregado das
obras militares.Approvando a deliberncao que
segundo me participa en seu ofllcio do 2? de fe
vereiro ultimo, tomou Vmc de aceitar por. ser a
mais vaiiuijo.-.i a fazenda, a proposta apresentada
por Thomaz de Carvalho Soarcs Brandan, para en-
cai regar-seda exeeucao dos concertos precisos no
quartel do deposito especial do inatrucoao, median
te a quantia de 900000, recommendo-IUe que in
time ao arrematante, alim de asignar o rosjK'ctvo
termo de contrato, em que dec o fiador lamliem
assignar, remettendo-se urna copia a esta presi-
dencia e nutra a thesouraria de fazenda.
N 14i.Dila ao mesmoMando Vmc a^roco-
der ao reteluameuto do edificio da enfennaraja-
litar dhiaidpndo com esse servico a quantia de
t por nao haver quem queira fornecel-os sem ^rom-
pto embolso; assin o communico a V. S. pan ^ne
o faca constar aquellas autoridades, preveuibo-as
de que devem prestar contas a dita thesouraria,
viudo ellas authenticailas com o visto do promotor
publico e do juiz de direito ou municipal, e acoin-
panhadas do retacees dos presos que forem ali-
mentados.
N. 146.Dita ao iiiesino.Intciradn de quanlo
V. S. me participa acurra da fuga do criminoso
Manoel Hilario da Silva, declaro-lbc que reitero
nesta data terminante;! ordens ao commaiidanie
superior de Cabrob, para que quanlo ante faca
deslaear naquclle municipio as oraras da guarda
nacional designadas i a tabella de 5'de novembro
ulliino, responsabilisaii'lo os olllciaes que tivercm
dado causa a demora do dito destacamento.
_ N. 147.Dita ao mesmo.Inleirado de quanto
V. S. me participa em ofhcio de 20 de Janeiro ulti-
mo, sob n. 105 e do que referem os documentos
amiexos a dito ofllcio, recommendo-lhe que ordene
ao delegado de Serinticm a rontinuacao de ave-
riguafdes para descubrir-se o autor dos ferimentos
feitos no 1 districto de Gamelleira, em Trajano
AgMnho de Rarros.
N. 148.Dita ao mesmo.Declaro a V. S. para
seu conhecimento e alim de que o faca enastar a
quem competir, que o inspector da thesouraria
provincial participon-me em ollicio de 2 do cor-
rente, sob n. 118, haver dado despacho para paga-
mento da despeza feita no mez de Janeiro ultimo,
com o sustento dos presos pobres da cadeia do ter-
mo do Brejo, abalendo-se da respectiva importan-
cia mil ris. correspondente ao preso Pedro Feli-
ciano, que, sendo escravo, devia ter sido alimen-
tado por sen similor.
N. 149.Dita ao mo-mo.Autorise V. S. ao de-
legado do termo do Brejo a diapender com os re-
paros da cadeia ilaquelle municipio, at a quantia
de 400AU, llcando assim respondidos os seus of-
licios dte 12 de fevereiro ulliino. sob ns. 177 e
210.
N. ISO.Dila ao mesmo D V. S. sciencia ao
iielegado do 2 distrelo dcstftermo, do que infor-
main o rommanilanlesuperior e o do 8- balalhio
da guarda nacional desle municipio sobre a reprc-
sentacao por elle feita relativamente aos abusos c
En| data de 2 de fevereiro ultimo, jominun-
cou-me-o subdelegado do districto de Aguas Bel-
las, que no da 8 de dezembro do aun i prximo
passado, loi all preso e recolhdo prisao respec-
tiva um weravo de nonie Francisco, indieiado em
crinpjjdemorie. o qual sendo despronuuciado foi
p"to enTUberilide no dia 2." do referido mez de
loVeivirJ.
Por oflMo de 19 de Janeiro deste anno, reeebi-
do hojel pariicipoii-nie o subdelegado Io supplcnte
em cxercicjo.no districto de Itapissunia, que no dia
8 de noveaabro do anno prximo lindo, Scbastio
Monleire Ramos, assassinou a Cypriano Jos da
Cruz, conseguindo evadir-sc nao obstante as dift-
genetas empirgadas para a sua captura ; e que
lendo insiaurado o competente processo no dia 3
do dito mez de Janeiro, pronunriou ao delinquen-
te como incurso as penas do art. 193 do cdigo
criminal,
Em oficio de 4 do corrente me, comaiunicou-
me o delegado do Bonito, que-no dia 2'" do mez
passado, dirigado-se o subdelegado de districto
do Verde daquelle termo, acompanliado de urna
torca da guarda nacional o algumas jirafas do
corjipo de pojiria, s maltas do lugar (empapo
daquelle districto, afim de capturara Domingos
Jos, um dos autores do Cacto criminoso all pra-
licado ein 27 de Janeiro d > corrente anno, do qual
liz ni. nco na osaba par.; diaria, sob ik 170. de
3 de fevereiro ultimo, ao chegar a torca ao lugar
em que se acnava homisiado o mesmo Domingos
Jos, desfechou este um tiro que Mzmer le a nm-
guem elfendeu, caliindo por lint \Vtima du outro
tiro oue Ihe deu a loica por continuar ellooppor
grande resslencia a ordem de prisa > que rece-
ben.
Dens guarde a V. ExcIlhn. Exm. Sr. conde
de Baependv, presidente da provincia.C chefe de
polcia, Francisco de Finia. L'inos.
nipiijfo, no dia 27 de fevereiro, este resisti dando
um tiro que felizmente nao offendeu forra, oulro
tanto nao acontecendo com um tiiv {aparado por
esto, o qual matou aquello criminoso.
RA DA CONCORDIA.Exstcm nesta ra di-
versos terrenos sem seren edificados on ao menos
minados, como delerminam as postoras de 28de
marco de 1855 e 2 de mar de 1890; e, como
acontece, estejam fazendo dleposito-de lixo e outras
materias ua parte que da frente para a ra do
Alecrim, e exstimfo nesse lugar grande norrio
d'agua esiagnada dentro de ons alieerces ha lem-
pos principiados, uecessario se torna que a Illma.
cmara nraucpyietermiue aos proprietaries da-
quelles teirenos-egnipram o disposto as posturas
cima indieadas, afim de quo nao sejam incommo-
dados os moradores daquelle lugar.
ESTRADA DE FERRO. A va frrea do Recito
ao S. Francisco, no mez (Indo:
Rendeu........ 65:56413001
Dcspendeu....... 31:fi80a8<15
Saldo
3:1:883*435
A despeza foi de 51,37
wansitaram na linha
da receita.
2' se-cao. -Secretaria da polica do Pernambu-
co, 10 demarco de ld.
N. 35.'. -llliii. e Kxm. Sr.- Km addii miento
iniulia paile diaria de boje, sob n. 331, cumnre-
me dizer V. Exc. (\w o criminoso SebastlSo Mon-
lero Ramos, de quem trata a mesma parte,foi
capturado no districto de S Lorenco_da Malta,
PassHgeifos 17:74 '/j
iagagens 2:870 volumes com 559:855 kilo-
grammas.
Mercaduras SAJO toneladas c 7:165 kito-
grammas.
AHimties 421.
as mercaderas estao comprebendidas :
Sacras de ahjodtio 2:800, com 210:489 kilo-
gramutas.
Saceos de assucar 43:908, com 3:39 tonela-
das e 8:235 kilograinmas.
PRONUNCIA.Pelo subdelegado de Itapssunia
foi pronunciado no art. 193 do cdigo criminal,
em 3 d Janeiro ultimo, Sebastiao Hontelro Ramos,
por haver assa-sinado a 8 de outubro do anuo
passado Cypriano Jos da Cruz.
PASSAMF.NTO. Deu alma ao creador, no da
8 do corrente, na eidade de Nazarclh, victima de
longos padecimentos, o Sr. major Jo- Ignacio Pe-
reira Torres, proprietario e agricultor abastado.
Bta homcm estimado por suas qualidades, e sobre
tudo por seu caracier probo e honrado.
LEILO. Hoje as 11 horas, eflecluao agente
Piulo, no armazem do Sr. Aunes, em frente a al-
fandega, o leilao do 100 saceos com aroHo ava-
ra los, se-undo o sen mnuncio inslido no lugar i
competente.'
PROTESTOS DE LETTRAS.. O escrivao dos
protestos Jos Mariano de Alhuquerquc est de
semana a ra de S. Amaro n. 20.
COLLEG10 DAS ARTES Lista dos esludantes
irregularidades, que so tem* dado no servico do cm o dia 1 do corrento, peto respectivo"delegado! chamados oxame de geographia no dia 5 do cor
destacamento daquella localidadc, cuviaiido-flie os
oflicios junto- por copia.
N. 151.Dilaao mesmo.Respondendo ao ofllcio
d Y. S. de 19 de fevereiro nltimo.sob n. 257, tenho
a declarar-lhe que havendo nojnunicpio do Rio
Formoso um esqaadrao de cavallai a. cujas pra-
vas devem ter o faldamento, cquipaniento, arnia-
nento o cavafgadura exigidas na le, nao ppd sei
altendida a requisicao q ic fez o delegado da.Juelle
termo, dos objectos de que trata o seu dito ofllcio.
a ciista.ios cofres publi-os, rnmprinrio quo requi-
sito para o servico de que esta incumbido, as pfa-
eas que precisar do r< ferido esquadro.
N. 152.Dita ao com mandante superior interi-
no da guarda nacional deste municipio.Tendo
deixado de funecionar hoje o tribunal do jury, por
nao ter, como o declara o respectivo presidente,
apparecido a torca que em portara de 1 do cor-
rente deienninei a V. S. fizesse apresentar ao juiz
de direito, em quanto duraste a sessao do jury.
que est Irahalbando. e nao podendo o corpo pro-
visorio de polica preslaJ-a, recommend i a T. B. a
expedcao de suas onluus, para que de quftiquer
dos coquis da guarda nacional sob seu ci.mmando
seja iruprotorivelmenlo apresentada aquella torca.
N, 153. Dita ao c imniandante superior lia
guarda nacional de Olinda.Kxpeca Y. S. suas or-
dens para que seja substituido no destacamento do
presidie de Fernando o soldado do 9" batallio de
infamara da guarda na .mal sob sen couun.m.lo
Sltpcfior Constantino de Souza Barros, que a!li se
acha desde 8 de apata de 1865.
N. 154.Dila aocommaiidanle superior da guar-
da nacional de Cabrob.Reitero a Y. S. a ordem
de mandar quanlo toles destacar na villa de Ca-
brob o oflicial subalterno, o inferior e a- vinie
praeas que a 5 de Doveinbro ultimo, Ihe foi oi.l,:-
nado fizesse alli poetar, responsabilisaudo os otli-
ciaes que tivercm dado causa a falta do cunvpri-
inenio dessa ordem, advertiaVo de que |>or falta
desse destacamento deu-se a fuga do crimino-o
Manoel j Hilario da Silva, que daquella villa era
i......luzido para a eidade de Ourrnry.
N. 155.Dita ao delegado de polica de S. Rento.
Com a iiiformacao junta por copia do conin.an-
dante do corpo provisorio de perneta de M de fe-
vereiro lindo, respondo ao de V. S. do Io do dito
mez, quanlo a piuca da pielle corno Joo Luiz d *
Santos, que se acha doeole nesse lermo.
H. 186.Deliberaeo.O presidente da provin-
cia, de conformidad.: cun a propona dd Dr. ende
de polica, em ollicio n. 105 de i de Janeiro ultimo,
i. solve conceder a Jos Gorgonio Paes Batroto, a
exoneraco por elle pedida d i cargo de 1" supplen-
te do subdelegado do 1'districto de Gamelleira,
do termo de Serinhaem.
acha-sereeolliido casa de duicnjaj|.
Deus guarde a Y. KxcIllm. cWIrSr. conde
de Baependv, presidente d.i provincia.O chefe de
polica, Pamteuco ' "REVISTA DIARIA.
ACTOS OFFICIAK*.-Por deliberaeo de 8 do:
crrente, e sob proposta do respectivo enmmandali-
te, forain uomcdoi paia a I' coinpanliia do 51
batalbau de inlantaria da frogueiia da Luz : c:i|.i-
to Jos.'' Geminano de Aranjo Pinheiro, lenle
Joaquim de Aranjo l'mli.'iro. e altores Jos Manuel
Corren de Ranos.
O nynie do Sr. alleicj norla-cstaiularlc do
batalhao n. 53 de yantarla da guarda nacional. 6
Jos' Soar de Albu |tiei \\h', e nao /e-jo Soarcs de
Albiiq.i 'qu'. Ciifti.i se I*' na noL.-a licesta de
ant-bontm.
SKNADORKS. Hontem s chegou o rcsuitailo
du oajlegio do Sermheni, que reunido aos dos do
Recite, Pao d'Alho, Olinda, (guarapad, Goyaiina,
Nazareth, LiiBOeii'O, Cano, Escada, Raruiros, Rio
Formoso e Hondo, forma as-m a lista sxtupla.
Viscoiide de Camaragibe................ 1.101
Consclbeiro los Rento da '.. e Figuered 1 0S3
Desenibargador Alvaro R.rchiaCavalcau! [,051
Dr. Ignacio Joaquim de Souza Lelo.......
Conego Joaquim Pinto do Camp is.........
Dr. Joo Joto Fe reir de Agotar.........
ACDAt'.IA E BOBO.S igunda-feira a- 8 horas
dt Doute, qnando o Sr. Manuel David de Mello vol-
tava do R.cil'e para a sua casa, ra do Lima em
Santo Amaro, trazendo na mai mu sacc > devia-
gem com roupa e algum dinheiro, M assnlltdo na
ponte de madeira de S. Francisco por tres indivi-
duos, que na i pode conheccr, os quaes, tenSo-o
esbordoado, tomaram-llie n saccoe iioseraiu-e em
fuga para o balrm do Bccife. 0 Sr. Mello ij homein
rente :
Simplesmenle 2
"Replovados. 10
12
Lista -dos estudantes chamados a exame de
rhetorica no dia 6 :
Pfcuauente... 8
Stmple&monte. 3
Repiovnlo ... i
12
Lisia d"S esludantes chamados a exame de
geometra no da 8 :
Plenamente... ;
Simplesmenle J
.12
Lista dos e.-tudautes chamados exame de
riii'loi'ica no dia 8 :
Plenamente... 2
Siniplesmente 4
Reprovadee... (i
12
portoa
968
952
DK8PACH0S DA PRUSIDE.r.lA DJ DU 9 DU MKTS.d
de 1869.
Hajor Antonio Feitusa de.Mello. Informe0 Sr.
inspector da thesouraria da fazenda.
Anua Joaquina das Noves. Informe o Sr. com-
mandante superior interino.
Amaral & Flho. Erileiidam-seosupplicante
com o conselho de compras do arsenal de guerra.
Romvinda Rosa Jorge de Azevedo. Informe o
Sr. director da instrucii publica, ouvindo o re-
gcdor do gymnasio.
I'i.incisco do Reg Mello Brrelo. = D-se-lhe
Flavio Ferreira Catio, Ao Sr. inspector da
thesouraria provincial para informar, ouvindo o
Dr. procurador (is-,,1.
Irmandade do Sr. Rom Jess dos Pas?j* da ma-
triz do Corpo Santo. =- .xpeeam as ordens na for-
ma do costumo.
Jacintha Mara de Jess. Informe le novo o
Sr. general commandante das armas
Joo de Soma llangel Filho. Informe o Sr. di-
rector do arsenal de giurra.
Miguel Fellippe de Souza Leao. A' thesoura-
ria provincial.
Manoel Thomaz de Alliuqnerque Maranhao.
Informe o Sr. inspector da thesouraria provincial.
Manoel de Carvalho Paes de Andrade. Prove
a sua enfermidade.
Manoel de Souza Ferraz. A vista da informa-
cao, como requer.
" Pedro Ferreira dos Santos. Vlsla ao Sr. ma-
tar director actual do arsenal de guorra paradizor
sobre as informacoes.
Bacbarel Buliao Coelhoda Silva. Infirme o
Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Rosa Amelia da Silva. Informe o Sr.'desem-
bargador provedor da Santa casa do Misericordia.
lepar U<* o 4*||ri*.
* seccao.Secretari.daDolicia de Pernaojiuco,
Wdoraaro. doi8G9.
N. 310. Illm. c .Ron,.S.Tenho a.honra de
Levar ao conheeimejkto de Y. Esc. mo,
vellio e dispie de poucas loicas, por isso deixou
de perseguir 03. la.lrOes, seguindo para sua casa.
donde c>tava ausente, bviam mnitos4ia.S por ter
andado no brigue-barca de guerra liamarac',
como pratico da cosa. Chamamos a alinelo do
Sr, Dr. clieto de polica para senielliante Curto.
DEPITADOS A" ASSEMRLEA G8RAL.- Che-
m hontem sfiaal o resultado do eoUegie. de Se-
rinhaem, ultimo do :' disiriel... no qual olitiverain
votos :
Desembargador .Alvaro................... 34
Dr. Joaquim Portella...................... 34 ;
Couselheiro Cuaba e Figueiredo............ 3i
Kara i d Aracigi........................ 9 j
Dr. Druinmoiid........................... 9 :
Sao. portaolo, epatadospor es Srs. :
Desembargador Alvaro Rarbalho l'choa Ca-
valcauli............................... 349
Dr. Joaqnim Pires Machado Portella......... 346
Contelhefro Jos Rento da Cunlia e Figueiredo 320
CW.MC DE HARILITACAO.Acha-se designa-
do o dia do crente para esse neto, r :n rela-
c;l i ao magisterio primario do sexo feminmo.
CORUCSl'ONflFXf.lA' P*.A VIA FEHREA.
A administran do correio tomou, a providencia
de ter o respectivo enjaieiro embarcado nos wagns
daquella eompanhia, estamplhas para vender em
todas asesuieoes, sendi vedado ao mesmn carteiro
cqnduzir caria algunia sem a apposicao das mes-
mas cstampjlhas ou sellos, c pagando c duplo do
competente porte a que for encontrada n; s eaixas
das estac/ies sem essa formaliJadc legal. .
Jl'IYY. -Foram hontem submeltiJo- julgamcnto
nesse tribunal Joaquim Quintilio Rodrigues de Mo-
SiWeslee Nonuaandod'OiiYeira Antunes, Aris-
lides Mjnoel d'Oliveira Amuiies e Joo Po->id.tiiio
dOlivefra Antunes, prenunciados no nri. 2l'7 di
cdigo criminal, por ameacis follas a Ma.toel Joa-
jm do- l',i-
'oi encarregado da respectiva defeza i Sr. Dr.
nio Justino de Souza : e em vista das respos-
do conselim do sonteona, foram absolvaos os
i lo-se-lhes alvari le soltura.
BIFlCACAOi- (i reo Antcio Luiz i e Franca
julg.v (U; pelo juryvfifcvia eidade, era ac-
ensado como incurso no ai t.
idifco
d
PASSAGEIROS. Entrados dol'enedo e
interincdiosjio vapor l'ulrnyi.
Desembargador Bernardo H. da Costa Doria e 11
i 049 escravo, Dr. Civsses S. d'Araujo, Antonio de A. II.
- Cavalcanti, Prank Sdslrem, Antonio M. de Souza.
Jos M. Garca; Manoel R. R. de Menezes. Pedro
A. dos Santos, Rallona M. da Conceeao. Lucia M.
d<,~ Prazeres, Manoel T. Ramos, Joaqnim J. de o.
Barros, Thomaz lleibby.
Entrados da llha de S. Miguel nohiate Sonto
Alate.
Jos do Amaral, Marsal Jorge, Joo de S Mello,
Antonia Isaoel Soares, Manoel Luiz, Francisco da
Cosa Va reda, Jos de Souza Reg. Manoel Borges
Jmi ir. Francisco Jos do Amaral, Joo Soares da
Molla, e Manoel Soares da Molta.
CEMITERIO PUBLICO. Obituario do dia 8 do
crtente:
Eljsia. Pernambuco. 7 nnv s, S. los ; convnl-
efle*
Anua, l'ernanilmco. 3 mezes S.Jos bepatile.
Droetoveu, Pernamliuco. I anno, S. Jos; coque-
luche.
Romana, Pernambuco, .'18 annos, S.Jos; espas-
mo.
llerculana, Pernamlmeo, 15 mezoS, Roa Vista ;
dentici.
Joanna, Pernambuco, 3 mezes Recito; desin-
tera.
Marta, Pernambuco, 8 litas, Recite ; coiivulco s.
Dionisio, Pernambuco, 4 mezes Santo Antonio:
convulcoes.
Jos; Joaquim Eduardo Gomes, Pernambuco, 16
annos, solteiro, Recito ; felur.
9
Xalal Estevo Mnenle, Franca. 67 annos, vuvo.
S. Antonio: hyperirophia.
Manoel, Alrca, 70 anuos, Roa Vista ; tsica pul-
monar.
Manoel bufa da Silva l.iiureiro. Pernambuco, 33
annos, casado, S. Jos; angina lossal.
J isepli.i. frica. 61) annos, Recife ; mal entrur.
Serafina Basa dos Santos, Pernambuco, 22 an-
uos, solteira, Boa Vista meningite.
J io, Pernambuco.. 15 mezes, Boa Vista ; con-
vulcoes.
Miguel, Pernainliuco, 1 aun", S. Antonio Abccsso.
Ernesio, Pernambuco, 4 mezes, S. Antonio ; diar-
rha.
ns
'" j '
rOLITIOA INTERNA
IMtltlo conservador.
A PHOnsso liK Pi DK IM I.IHKUAI..
0 gabinete de 10 de agosto, presidido pelo Sr.
Silva Ferraz. succedeu ao ministerio, que em
.I.-jiio o adiamento de urna cmara, onde na i
ausiliava-o maimia stotcienie.
A podra de toque dessa marria tora a rotorina
naneara proposta indo ministro .la fazenda. No
os a que-to econmica assiunio a
, m,na pronf
^mblnabcmnp f0g0uB.Jebat
i penal, e nao no ait. 2do, como |fe^c5o ,, a i,,toiiH>ranca das quesees polticas, mais
isscnesuJkrji/.i. loi bubw- ^ndoscentosAapaUonadas
mo Paulin H \lbu- 0 U10uva da "lirada do 12 de dezembro, a m-
... r^ J., 1A il.i aniHln nifliirrim o
por cagano se
o Dr. Antonio
i doto da oomposicao do 10 de agosto, mduzam a
RKS1STEVCIA E MORTE. -Indo o s^delraado! crcr que este ultimo, interprete UM do nensamento
dodsnietn do Verde, datormo. duBMUjti com di desmareada oppofijao da cmara dos depula-
^^orra captarar o eriminoso Dok ile^jHjroentaea por
segundo lmii^afl.av%oiisi(ji as mailae,|vtgai *P
tres
, seria o propheta militanlc de
ampia lilierdade do crdito e da enwsiio, o o da-
leador enrgico de quanlas renstriccees porventu-
ra, anda remotamente, a liimtasscm.'
Ma>, rom espanto de iins e bilardade de outros,
vio-se o 10 de agosto arvorado em paiadn das
restriccoes,restricrs nioilo mais estrellas e nu-
merojas que as do projeeto, que tantas ras accen-
dra na cmara1 dos dewitados que tao esbrcada-
mnle lira profligado pelo ministro da justica, Sr
Paranagu, e pelo mini-tro da marinha, Sr. raes
Brrelo.
E essa* restriccoes, encarnadas na le de 1860,
depois de discutidas ao senado, foram adoptadas
por inmensa maioria na mitra casa do parlamen-
to 1 Epemnto mtoivet dar imlaliilidodii fren eon-
viceoH nos meamos homeas de iuu aano para o
oulro !
Aps essa lacnilia, o *0 de ap.-io fez a eleico
geral, c logo apos( prouiulamenfe desunido, reco-
nbeceu-*e inhabibtdo para continuar a dirigir os
negocios pblicos.
Era impossivel, absolutamente impossivel, a
conlinuaco do minisfrui ja maneo, do qnal se re-
t ravam quatro membros simultanea ou successi-
vamenle.
Esse estado de dis*oliint? espontanea, de deser-
eo geral, de completa dnhondarta. se manifesta
pelas palavras do Sr. Silva Penvz, melhr que
pelas Matas.
A 8 de maio de 1861, dtata a<|iielle senador na
cmara a que pertcncia :
> Depois dos movimeiitos e agilaco que se de-
ram durante o periodo eloiloral, alguns de nieu>
collegas enlenderam que nao |ioderiamos seguir a
polilica que linhamos tmtttmt e que at enlo
havianios elmenie manlidir: que era preciso va-
riar de polilica, principalmente a vista da situaoao
que se apreseutava, a sen ver, de nm modo um
potan inelindroso.
A apreciaco da siluacai> Matea termos nao
foi seguida por lodos os membros do gabinete ;
houve por coiiMgiiinlo driergeacia, e havendo di-
vergencia j se v que aquellos que queriam esa
mudaaca nao podiam continuar no ministerio.
i Nao obstante istn. procuramos ver se noderia-
mos continuar al a aben ora das cmaras ; mas
um dos nossos eojlejras Insisti na sna retirada,
outro por docnte'nan |wdia \m- mnita torneo con-
tinuar i servir, e era ammpanhado no desejo de
retirr-se por um lercoiro; havia alm disto ne-
eessidade de proePobjvo lugar do novo ministerio.
Estas razos obrigaraui o ministerio a pe.lii sua
exoneraco.
A 23 do mesmo mez o Si. Silv F-i raz. coiii-
pletoii esta e\plicac;io com as segiunles pala
vras :
O meu cullega que entenda que devia-se va-
riar de poltica, atienta a situaco. tanibeni enton-
deu dever insistir no seu pedido de dcmssa i t\
meu collega que diriga os negocios da guerra se
achata dnale a anclaron nao patlv continuar por
milito lempo ; outroroni|..in!i.aro ihsse claiaoi. n!e
qne o soguera ; um quario, que por obsequio '
mim e principalmente par causa da rituaeSo |mli-
lica, tinha adiad" o seu pedido de demissa pode
ria continuar lalvez. se nao se dsse essa emer-
gencia, mas julguu lambem dever declarar que t n
qualquer modaneaejio, que se daae no mtowleai'i
acompanbara os que saajssem. Tiphaiu >s um lu-
gar a preencher. era preciso procurar novos com-
panheiros, e V. Exc. sabe quanto < difli.il a um
ministerio que tem vivido por esporo de p.) mese,
reunir em sua reirgaiiisaio paBons d. ton
nensamento.
Em circunstancias taes, a um ministerio que
pedia deinissao, poderla o Imperador ndeferh*,
parque nao inlervinha com a sua presenc, e rom
seus votos acamara temporaria, que. roctolemen-
te'eleila. ia encelar os traliallios de nova legi>latu-
ra .' Convii ia aguardar a >ua reuni.i
Nao era, pelo contrario, a exoneraco o provi-
mento de necessidade Imperiosa, sem alternativa *
K. concodendo-a, houve occasiao para o ncarcicki
do lii-n-infie. na accepeo que o liberali-nio Ihe
attiiliue?
Tendo assim passado o 10 dfl agosto, subi o
ministerio orgamsadn pe i Sr. marquez de Caitas
a i de marco de 1861.
Eram tao moderada.- as tendencias desse gabi-
nete, dem-mslraram-a- inalicainenie os seus actos
em modo tal. que em inllio. quatro mezes deiioisdc
sua ascenoj, o Sr. Villcla Tavares, liberal iusus-
peito, di/.ia na cmara dos deputados :
Se .levo e-tiidar 0 governo por seus aclos ^
P n' suas palavras, lambem nao vejo motivo para
collocar-iue em oMOMQft ; nao li.i actos que m.
le. i ii para esse lado, naodesouhjro m gabmato
tendencias para a i^ntrasacao, para a destruicao
das liiienl nieve iranqnezas provuKaes como aqu
se disse.
t E onde se mostrara estas tendenciasJ Na no-
meacjr dos presidentes e nos poneos a.-ios que tem
praUcad i com rebeao cmara e ao senado, an
deparo cousa alguma que Ihe inoroca c isuca. Ao
contrar > vejo muita c ludescendencia, umita nw
deracao.
Suba lano de p nto esta moderaeao em pala-
vras e obras, que o Sr. Saraiva, membro do g.-
binete equilibrista de \ do maio, emnregado de
confianca e depois antagonista do 12 de dezcmbns
assentio de bom grado ao convite do presidente do
eonseiho e ver da Halda as^imir a pasta do im-
perio, para elle guan,i la ab milio.
Essa moderacao conthiaon, maeileotande-se'eni
a nomeaok de pVcoiienies, ahamente signiflcairn
em poltica. Destina va para a liaina homeiUjiU
estofa do Sr. Zacarias'de Ce, qne ja pnr mais de
um modo donunciarii certas velleinades priqrias
do censor tmii que do aHIadn benvolo. Mand,;-
ra para Piauhy e Pac M iMM >to patente, como
eram os Srs. Jos Pernandes Moreira e liaucisco
Cario; de Aranjo llrii-que.
E nao varen nesse espirito de tolerancia dema-
siada, ao parecer de muitos. IBa deveram assbn
qualilica-la os liberaes, em cuja vantagem era e--
pccielnieute ejercitada.
. Tanto nao variou, que a 27 dejunhode 1M9,
guando j dominav o minisierio das aamiat. o de
30 le maio, mu dos niiis esahados eoryphrus dn
liberalismo, o Sr. Marimba Campos, n-nsurava
acerbamenle o ex-mmstm da justica e o ex-mi
nlstro do imperio de 2 de mareo, este por nomear
2." vice-piesiiloiile de Mina? um liberal das quali-
dades do Sr.-bario do Prados, e aquejle. por te,
eommolUdO poslos da guarda nacional da mesin.'
provincia a humen- de igual arenca polilica.
Kxclaniava, com sobeja razo :
f rslo > al urna immor.didade ; pnrqiie o go-
verno que procede assim niostra falta de coas-,
ciencia pohftca, d'smorali.-a o seu pai'lido, enfla-
quec se a si.
Lcvavam os ministros d'aqu lie gabinelo a tfui
alto ponto a sua coniplacenci.'i, ajiuravam tanto
a benevolencia para com os ilieraes. que algun
alliado,-, conservadores, ento ajcunhados pueUu-
nos, alcaucavain bom xito a prelensoes suu-
repellida-. 'apadrinliando se com a recommonda-
cao de liberis, que na tribuna e na imprensa
diaria aggrcdiam o vitaperavam o gabinete...
loi. pols, cojura e?se luioisterio qipj levaaton-
bC n liga prigressiMu,
Tina occasio opporlunaiii"i,:.'. aproveitada, um
descuido exi-essivo. nina cnilianca demasiada o
irretleclida. una veithdeim sorpreza, com todai
as eircuiibslancas ajjgiavantes, derart aro, eui 21
de maio, a urna volayito adversa ao 2 de ui.
que alguns minlos antes flrniava-so era maioria
conhecida, suppp-to pouco numerosa.
Ecorreu, apoz a Iogra(io de ''..
victii seguud > a narraejr
ii q> ui.uo pelo honrado Sr. Parntiosh .



i
->
i
.e-. .. ^BM


I
diario 4e PonKambuoe Quinta feira 11 e Marqo de 1869.



No mesmo da em que essc faeto tero lugar
dirigiino-nuB ao paco de S. ChrNtoflo; e depois
ila termos -a honra* de -por a Sua Majiestade o
Imperador,* nosso modo de ver a siiuaeo pohti -
ca lo paic, cumprimos o dever de propor-lne.
francamente a medida que julgavamus convenien-
te. Essa mejilla era un appcllo para o,paiz real.
SuaMagestadc liouve por bem nao adoptar al
medida que propinemos, gainete, sendo chamado para orgamsar a nova
adninistraeaa o Sr. depilado Zacaras Ce Goes e
Vascoaeellos. i __ ___
Parece que na exonerariio do J de mareo apoz
urna votatao em assumpto grave, romo voto de
graraa, o liberalismo n. qucreraver t capri-
cho da eora, o -.imple* desejo de levantar Uve-
mente urna ttuavao para ibater outra.
Parece que o liberalismo achara parlamentar a
queda do 2 de marco, e a -srganisacao dn sea suc-
cessor sob a presidencia da autor da emenda, que
occasionou a erise.
O novo gabinete viveu tnes das. A 2 de maio
urna votacao de requerimento de adiamento, for-
mulado em termos de censura e desconf anca,
manifestou qne na cmara dos deputados navia
A9 votos contra o ministerio 43 a favor.
O presidente do eonselhe o 2i de mao, derro-
tado no mesmo campo de nataiha, e pelos mes-
mos combatentes, que sustentavam o 2 de mareo,
aconselhou a dissolucad da cmara.
O augusto eleitor dos ministros preferio eom-
metter a direeco dos negocios pblicos a outro
ministerio, que, por sua eamposioao, offerecesse
condicoes de neulrahdade aos dous lados da c-
mara,' quasi equilibrados era numero.
Seria ou nao parlamentar a queda do 24 de
maio? Satisfez por ventura ao liberalismo a solu-
Tanto satisfez. que ura dos vultos proeminentes
da liga, o Sr. Saraiva, applaudindo quanto occor-
rera, exclamava exultando e tripudiando, entre
apoiados : ...
Nos temos fe cm vos I Nos depositamos con-
anea em vossa sabedoria, em vossa consummada
prudencia I Nos vos agradecemos em nomc do
paiz que temos a fortuna de representar, o acto
de assignalado patriotismo de que destes prova
aceitando o poder cm circumstaiicias tao melin-
drosas 1 _, _. ,
(Diario do Rio.)
s dose 5o s pude remover a causa, como ta-
fcem as consequencias
Dores de cabera enronien* de umearae-
ter o mais obstinado, invariaveHnente oedesn
eslo remedio de todos, o ais brande e
% mais efficaz de quautos catharticos e au-
tibilosas medicinas existeas quaes ne-
uliuma enfarmidade procedente de un es-
tomago doean-aiijado, um eetado morboso
do figado, drrcgularidade ou prisSo do ven-
tre ou as (fliculdades inherentes ao beHo
sexo,podan resistir por murta tempo. '
Em todos os casos era que o figado se
ad_i seriamente alectado, a asi|paEPiHia
de Bristol, .0 puTtlicador o mais pfltotte
dbt fluidos aaimaes que o mundo jaman -co
nlteceu graiemente facilitar a cura.
As pilulas acham-se mettidas .Aeirtro de
frasijuinhos var-se-hao perfeitas em todos os clima*.
Aoha-se venda as pbarraacias de A.
Caors, J. da Conceifo Bravo & <_, M.
A. Barbosa, P. Maurer A C, e Bartkelo-
meu de C.
Protectora das finiilias
Em cumprimemo do prevenido no artigo 39do
regulamento, se convida a todos os senhores con-
tribuintes desta associacSo, que ainda nao tiverem
apresentado ascertidoes de idade dos segurados,
para que faeam entrega dellas na ra do Livra-
mento n. 19," 1 andar, aflm de ser expedidas o
mais breve possivel para a inspectora geral do
Rio de Janeiro. As eertidoes devem ser selladas e
reconhecidas |mw tabelliao. Recife 15 de Janeiro
de 1869.O representante,
N. F. de Vidal.

PUBL1CAC0ES A PEDIDO-
Agradecimento.
Antonio Jos Duarle Coimbra, empresario da
companhia dramtica do theatro de S. Isabel, ha-
vendo offerecido urna representacao no mesmo
theatro ao Exm. Sr. presidente da provincia em
beneficio das familias desvallidas dos voluntarios
da patria, e dignaudo-se o mesmo Exm. Sr. aceei-
car, convidando a associacao commercial para
ajudar o abaixo assignado a passar os billietes do
qeueflcio, vem agradecer ao Exm. Sr. conde o ter
acceitado o mesmo beneficio e a associacao, com
especialidade aos Exins. Srs., bario da Soledade.
capitao Daniel, Cesar Ramos, e commendador Jos
Jacome Tasso haverem tanto o ajudado dignndo-
se passar a mor parte dos bilhetes; bem como ao
Sr. Dr. Rufino Augusto de Almeida, que se encar-
regou de passar alguns bilhetes.
Acto de cavalheirismo o amor ao prximo como
os praticados por taes sechores, merecem o reco-
nheeiinento do publico.
Assim mauiestando o raen agradecimento, satis-
fago o preccito dar a cada um o que seu.
.-Ihmn'o Jos Diuu'te Coimbra.
mobre o tmulo de D. Candida
llosa Lima de Albuquerque
Martina.
(A SI'A familia)
Chora-se a morte, porque a morte SMUpre
Cerrado manto sobre um eco que explende !
Palavra immensa, que a razo explica,
Mas que nem mesmo a propria luzintendel
Abre-se a campa, a bumanidadeoh! campa!
Diz-lhedesci-eve o que o final transporte!
A campa falla, e a bumanidade triste
Volta sem nunca compr'cnder a morte!
Por isso um pranto te aljofrou a fronte,
Por isso as magoas se arraigram tanto,
E recebeste sobre bencos puras,
Prantodos teus, e dos alheiospranto!
Mas t somente merecas vozes,
Oh! bella estatua do marlyrio insano!
Porque t tinhas l no imo d'alma, ,
Mais de divino que de ser humano I
O sol do da em que baixaste ao tmulo,
Foi a tu'alma no horisonte presa !
Descendo aos vermes, te elevaste aos aojos,
(tilica chamraa c na tetra accsa !
As auras puras, que a cantar se ouviam,
Foram teus ais nos teus fataes arrancos!
Foi o orvalho d'essa aurora explendida,
A tua c'ra de cabellos brancos!
Foste urna una de carmneos lyrios.
Qun a natureza circundou de olores!
Abriste o seio, desprendeste as ptalas,
E o mundo todo se cobrio de flores.
N5o se devia lamentar a hora
Em que teu ser se transvasou no espado!
Eras um cofre de cerleas perolas,
Que Deus quiz ter no eterna! regace!
Porm, que sina solucram lucidos,
E inda pranteam-te a fatal ausencia;
Porque se vtram que eras luz, achram,
Ai, que da trova dundiste a essencia!-----
Mas t smente merecas vozes,
Oh! bella estatua do marlyrio insano t
Porque t tinhas l no imo d'alma,
Mais de dicim que de m humano!
5 de marco de 1869.
Jiho Candido.
Estatistica curiosa.
Quem sonharia da importancia de urna
empreza estabelecida com o fim nico de
fabricar um purgante para o uso geral do
povo, e com que voz de magoa fallam os se-
guintes algarismos do soffrimento e da dr
que combatida diariamente por urna edusa
t5o insignificante como seja urna pilula ?!
O Dr. Ayer, de Lowell, nos Estados-
Unidos, fabrica no seu laboratorio oitenta
grosas por dia das suas pilulas catharti-
cas durante todo o a ino, isto dezaseis
vidrinhos por minuto, ou duas dses por
segundo; portanto, mais de 86,000 pessoas
tomam estas pilulas todos os dias, ou....
12,580,000 por mez. Fado este que faz
admirar86,000 doentes que buscam alli-
vio todos os dias na pericia medica de um
Jiomeml I
Um homem em cujos hombros pesa urna
responsabilidade, tal deve sersempre, como
ueste caso de urna intelligencia da pri-
meira ordem e de um carcter elevadis-
aimo.
godao, intas, cha{>es, ronna,Tysiaes,fbrelatia,
movis, wanoquiis, calcado, fumo, modas e iniu-
dezas, T barris e 73 meios martHsa, 3<0 gigos
re-veja, W di tus- bat tas ; a E. A. Burle. 6
i barris tinto:; a Joo da Sdva Farra c Irma.
8H5-mi3osmanleiga, 8W)gigos batatas,
33 eau etidos 4e linho e de algouae ; a Kcller
&C.
11 *4as ruclaso legumcs seceos.; a Leideu.
1 ditpaj)l;,R 1 dater.idos e a godio ; a Crauer, Frsy & C
6 ilrUf dusd%litii, de la e culjlarfe.; a Mello
I4bnfc.
14 ditas dianeos, ditos de sol, rmine, fltis e te-
eidos dealfodao-; a Silva A Cantoso.
8 (BU* ditos debito o de la; a t.Wicn "Wcyd-
mann & C 4 dius 4itts de lialio c de algodao,.e1upeos de
sol; a I. flarnandes Lopes.
13 dita* marroquiBS, tecidos de liabJe 4c algo-
dio ; a D. I. Wild.
10 dita6 ditos de dito, de seda e de lia, marro-
quins e calcado ; a BfLcger."
19 ditas o 3 fardf*papol, pentd, macraquins,
perfumaras, tecidos de lia e de algodae ; a Hen-
1 ique & Azevedo.
90 barris e 113 meios manteiga, 50 gigns eer-
veja, 11 eaixas arnios, calcado, roupa e teeidos
de linho e de algodSo; a ordem.
Escuna austrtea capbicio, viuda de Trieste,
manifestou : ,
2,600 barricas fariaoa de tngo ; a Jobnsiou Pa-
ter & C.
Sumaca hespathola pbompta, r celona, manifestou :
30o pipas e 335 barris v'mho, 195 saceos amen-
doa-yom csea ; a i?. A. Burle & C
Brigue inglez kabella, rindo de Smansea
manifestou :
2G2 toneladas rarvlo; a W'ilson & Hett.
HECEBEDORIA DE HEXDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBCO.
Vendimento de dia 1 a 9 3W374884
dem do dia 10...... 1:613*852
COMMERCIO.
PRAGA DO RECIFE 10&E MARCO
DE 1869.
AS 6 1,1 HORAS BA TABDF.
Algodao de Pernambuco l* sorte = 1C*000 poi
arroba.
Cambios sobre Londres 90 d/v 18 3/i d., dos
bancos.
Cambio sobre Pars 90 d/v 505 rs. por franco
Descont de letras=80/0 ao auno.
F. J. Silveira
Presidente.
Leal Se-,*
Secretario.
BANCO MAUA & C.
itua do Trapiche n. 34.
Desconta lettras coaimerciaesa taxa con-
vencional. Recebe dinheiro, a premio con-
vencional, por lettras e em conta con-ente.
Confere crditos, saca sobre as primeiras
pravas do imperio, Rio da Prata e Euro-
pa, e compra cambiaes sobro as mesmas
pravas.
Encarrega-se, por commisso, da com-
pra e venda de fundos pblicos e aeces de
aompanhias, da oobranca de lettras e di-
videndos ou de seu pagamento, 0 de qual
quer outra operagao bancaria.
O expediente para o publico comecar
s 10 horas da manha, e terminar s 4
horas da tarde de todos os dias uteis.
ENGLISH BANK
O Rio de Janeiro Limited
Desconta lettras da praca taxa a con-
vencional
Recebe dinheiro cm conta con-ente c a
prazo lixo.
Saca vista ou praso sobre as cidades
principaes da Europa, tem agenGias na Ba-
ha, Buenos-Ayres, Montevideo, New-York
e New-Orleans, e imitte cartas d.e crebito,
para os mesmos lugares.
Largo do Pelourinho n. 7
ALFAXDEGA.
Bendimento do dia 1 a 9 .
dem do dia 10 ..... .
313:428484!
16:899*388
389:025 930
Tormentos da cabepa.
Urna imperfeita digestao, seguida de toda
a sua invariavel comitiva, um disturbio
sympaphetico do figado e dos intestinos,
a causa excitante das dore? de cabeca ner-
vosas.
Porque rasao, pois, sonres a sua ator-
mentadora agona e desatinadas dores,
qaaodo um curso, e em alguns casos, urna
MOVIMENTO DA ALFANDEGA.
Voluntes entrados com fazendas 378
dem idem com gneros 265
Volumes sahidos com fazendas 2 i!
dem idm com gneros 1511
di3
1752
Descarregam hoje 11 de marco
Vapor inglez Chit/solitemercaduras.
Escuna inglezaPerseverantebacalho.
Brigue inglezPro/Artmercadorias.
Barga inglezaFloating Cloudmercadorias.
Patacho norte-allemoAnuaidem.
Galera francezaAdeleidem.
Brigue escuna austraco Capricio farinha de
trigo.
Brigue portuguezBenvindomercadorias.
Barca francezaFgarodem.
Sumaca hespanholaPrompt.vinhof.
I m por l;ic fio.
Conlinuacao do manifest da barca franceza
Fgaro, rinda do Havre :
25 barris e 23 meios manteiga; a Thomaz de
Aquino F. & C.
40 ditos e 40 barris dita ; a J. M. di Bosa &
Filho.
40 ditos c 69 meios dita ; a Luiz Jos da Costa
Amorim & C.
20 ditos e 20 barris dita ; a J. M. Palmeira.
1 caixa tecidos de la ; a A. Cesar de Abreu.
4 ditas modas ; madama Adour.
3 ditas papel c drogas ; a Bartholomcu & C.
2 ditas ditas ; a Manoel Alves Barbosa.
4 ditas camisas, seroulas, gravatas e tecidos de
la ; aL. A. Siqueira.
7 ditas ditos dj alg.idlo, miudezas, perfumaras,
dedaes; Eduardo do Moraes & C.
7 ditas tecidos de algodao ; a Rabe Schmincttau
& C.
14 ditas joias falsas, miudeza?, marro fumarias, espelhos, -papel ; a Vianna A Guimaies.
4 ditas couro de lustre e sedas ; a D. A Ma-
theus.
5 ditas esporas, vidros, calcado, miudezas e fa-
cas ; a Joao da Rocha e Silva.
1 dita tecidos de algodao ; a H. Wilmer.
4 ditas meia e perfumarias ; a Prente Vianna
4C.
20 ditas lecidos de linho e de la, chapeos, pa-
pel, perfumaras o calcados a Monleiro & Irmao.
19 ditas papel, botos, cutilaria, espoletas, cor-
das para violao, tecidos .de algodao e de linho ; a
Lopes & Oliveira.
b ditas alfinetes, papel, marroquius e gravatas ;
a Domingos T. Bastos.
3 ditas chapeos ; a ChrMiani Irmao.
10 ditas modas, tecidos de linho o eaixas va-
stas ; a Ferreira & Matheus.
li ditas cutilaria, calcado, espelhos, vidros e
espoletas ; a Jos Luiz Goncalves Ferreira & C.
2 ditas papel, luvas e calcado ; a A. Roberto &
Filhos.
5 ditas tecidos de linho e de algodao; a F.
Sowage.
8 ditas ditos de la, marroquius, perfumarias,
chapeos e flores ; a Alves & C
4 ditas movis : a A. V. da Silva Barroca.
8 ditas chapeos; a Manoel Moreira de Souza.
i dita arces ; a Domingos Jos Ferreira.
30 barris e 60 meios manteiga ; a Vicente Fer-
reira da Costa & Filhos.
2 barris vinho ; a F. Bentlemmuller.
7 ditos e 4 eaixas drogas e tintas ; a A. Caors
10 ditas e 1 barrica vidros, papel, esc vas, es-
pelhos, pentes, calcado, marroquins, tecidos de
nbo e de algodao ; a Adriano, Castro & C.
1 fardo e i eaixas ditos de dito; a Carneiro &
Nogueira. A
3 dita ditos de dito ; a Magalnaes A Irmao.
6 ditas ditos de dito e de laa, calcado ; a Mo-
nhard, Mettler & C.
1 dita miudezao ; a Bourgard & Faria.
3 ditas ferragens ; a Len Desfrer.
3 ditas Meannas, 140 dius queijos, 57 ditas, 8'
bamca 01 fardo tecidos de lioho, de laa e de aJ-
M
r13j736
CONSLXAIX PROVINCIAL.
Bendimento do dia 1 a 9
dem do dia 10 .
62:138I2:O
4:3704961
66:5391111
MOVIMENTO DO PORTO.
. *
Satios entrados no dia JO.
Rio-Grande do Sul37 dias, hiato portugicz Eu-
rico, de 103 toneladas, capitao Jos Fernandes
* Alves, equipagem 8, carga 6,133 arrobas de car-
ne ; a Antonio L. de 0. Azevedo & C.
Bio-Grande do Sul37 dias, brigue portuguez
Adelino, de 245 toneladas, capitao Manoel Joa-
quim da Silva, equipagem 10, carga 11,810 arro-
bas de carne ; a David Ferreira Baltar,
Rio de Janeiro13 dias, barca portuguez! Claudi-
na, de 391 toneladas, capitao Jos de Souza Ar-
nellas, equipagem 16, em lastro ; a Cunha Ir-
mao & C.
Hha de S. Miguel3'5 lias, hiate_ portuguoz Santo
Christo, de 44 toneladas, capitao Victorino Jos
Narcizo, equipagem 7, carga algumas encom-
mendas e lastro ; a Joo do Reg Lima.
Penedo e nortos intermedios2 '/i dias. vapor
brasileiro Poteugi, de 218 toneladas, comman-
dante Pereira, equipagem 30, em lastro ; com-
panhia Pernambucana.
Napias sahidos no mesmo dia.
Rio-Grande do JalBrigue brasileiro Tigre, capi-
tao Francisco Dias da Costa, carga a^sucar e
agurdente, c urna escrava entregar.
CanalBarca ingleza Stella, capitao Trrame, car-
ga assucar.
Rio da PrataSumaca hespanhola Carinhosa, ca-
pitao Izidro Izcrn, carga assucar.
Obsercacio.
Fundearam no lamaro um lugar ingle?, um
brigue francez. e um dito norte allcmo, mas nao
tiveraip communica^o com a trra.
ECITAES.
Jui/o dos fcitos da fazenda de
Pernambuco.
Faz-se publico a quem convier e interessar pos-
sa, que lindo^praso de tres-mezes a contar de 2i
de dezembro nltimo, se ho de vender mi hasta
publica, cejebrada na cidade deGoyannana villa
de Itamb, peranle o sobredito juizo, as trras per-
tencent;s ao extincto encapeilado de ItanU, cons-
tantes do edita! ^epra^a, publicado aa Diario d
Pernambuco do citado dia. Os que pfetendeivm
tancar a praso, conforme o art. 4o dalt i de 6 de
setembro de 1830, devero aiirescntar-re com seus
fiadores habilitados, sendo as flaneas prestadas ad-
ministrativamente e com todas as formalidades
das flaneas fiscaes nos termos das inslruceoes de
30 de dezembro de 1865.
O esorivao,
Luiz Francisco B. de Almeida.
DECLARACOES.
SANTA CASA DE MISERICOBDIA DO RECIFE
Pela secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife se faz publico quem convier, que a Ulina
junta administrativa nao podendo por si mandar
reedificar o predio n. 33 da ra Direita perten-
cente ao patrimonio dos estabelecimentos de cari-
dade, contratar com quem maiores vantagen-
offerecer, a edificacio alli de um predio terreo
sua custa, mediante o arrendamento por um certo
numero de aunos, e outras condicoes.
Os pretendentes devero apresentar suas pro-
postas cm cartas fechadas nesta secretaria at o
dia 11 do corrente, onde se da rao todos es esdare-
cimentos preciso*.
Secretaria da Santa Ca a da Misericordia do
Recife, 5 de marco de 1869.9 cscrivo, Pedio
Rodrigues de Sauza*.
SANTA CASA DE MISERICORDIA DO ECIFE
Pela secretaria da Santa Casa de Misericordia
do Rccifj so faz sciente quem convier, que o so-
brado n. 3 A sito ra Augusta e a casa terrea
n. 39 da ra dos Pescadores, esta sujeitas se-
guinte disposicao testamentaria, com que falleced
l). Esmcnia da Conee^io Souza, mulher do Dr.
Jos Joaquim de Souza :
a Declaro mais que instittio por herdeiros de
minha mela aeco ao nieu marido o Dr. Jos Joa-
quim de Souza,"com a obrigaco de com sua mor-
te passar a terca de meus bes para os meus ir-
mos o padre Jos I.cite Pitia Ortigueira e D. Car-
lota Esmcnia da Conceicao Leite, aos quaes tam-
bem instito por berdeiros da mesma terca na con-
formidade do que tica djsposto, e no easo de que
nao sobrevivam seus irmos seu marido, a terca
que elles pertencer, vontade sua que passe para
o hospital de caridade que Dea assim instituido.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, 3 de marco de 1869.O escrivo, Pedro Ro-
drigues de Souza.__________________
laspec^o do arseaal de
marluha.
De ordem do Illm. Sr. inspector faco publico que
acba-se marcado o praso de sessenta dias, a contar
da data do presente, para o concurso a que se vai
proceder nesta inspeecio, -tanto para proVimento
dos lugares de escrivo do almoxarifado e seu
ajudaute, como de dous amanuenses da secretaria.
Os pretendentes devero inscrover->e no men-
cionado praso, e exige-se-lhes que tenham boa
letra, bom comportamento, e a idade de lannos
completos, assim como saberem grammatica da
lingoa nacional, principio de escnpturaco por
partidas dobradas, arythmetica e suas applicaces.
Inspeccao do arsenal de marinha de Pernambu-
co 2 de manjo de 1869.
0 secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
que houverem de consumir os eslajelecimentos
8ios a seu cargo, tanto -desta cidade Jomo da de
linda, nos mozos de abril a junho v.adouros.
Secretaria da santa casa do miseriordia do Re-
cife 6 de marco de 469.
0 escrivio,
:Pedro Rodrigues de Souza.
COMPANIIIA PERN.V.MBUC\NA.
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
A iUn*trissima juina administrativa da Santa
Cata de Misericordia do Recife' na sala de sessoes
lelas 4 horas a tarde do dia II do cjrrente, re-
ceto propostas para fornecimento dos medicamen-
tos i|ue houvcrerH de consumir a botiea do hos-
pital Pedro H, nos uezes de abril a junho pr-
ximos.
Alecrim, libra.
Acido actico puro, idem.
Agoa de colonia da trra, duzia de vidros.
Alcool 36 graos, c a nadan.
Agoa-raz, libra.
Agoa ingleza de Lisboa, garrafa.
Assucar candi, libra.
Agallas inglezas, duzia.
Ameixas, libra.
Acido ctrico, idem.
Acido sulfnrico, idem,
Amoniaco liquido, idem.
Arsnico branco era p, idem.
Acido marinho, idem.
Alvaiade de chumbo, idem.
Banha de porco dem.
Barbante para embrulho, idem.
Bucanina, onca.
Cera tranca em grumes, libra
Cevadinha, idem.
Carbonato de soda, idem.
llevada, idem.
Capsulas de cupaliiba, caixa.
Colla de Qandres, libra.
Cnloropbormio francez, idem.
Camphora, idem.
Calomelanos vapor, idem.
Cantharidas em. po, idem.
Centaurea menor, idem.
Carbonato de magnesia, idem.
Dulcamara, idem.
Essencia de flores de larangeiras, onca.
Esponjas finas, libra.
Extracto de nogueiras, onca.
Extracto de genciana, libra.
Emplastro couiuium, idem.
Flor de sabugo, idem.
Figado de enxofre, idem.
Flor de borragens, idem.
Flores de rosas, idem.
Flor de tilia, dem.
Fundas, duzia.
Gomma arbica inteira primeira sorte, libra.
Gomma arab'ca em p, idem.
Gramraa, idem.
Guaiaco razurado, idem.
Gomma de batata, idem.
Indoreto de potasseum, idem
ludo ruto de chumbo, idem.
I.i 1 iliaca em p, idem.
Licor de (abarraque francez, garrafa.
Mercurio doce, libra.
Mostarda, idem.
Mol de abelhas, garrafa.
Musgo islndico, libra.
Mann em lagrimas, idem.
Massa caustica, idem.
Macclla, idem.
Oleo de amendoa ingleza, libra.
Oleo de linhaca, idem.
Oleo vermfugo americano, frasco.
Oleo de ricino, garrafa.
Oleo de baliput, libra.
Oleo de perico, libra.
Oleo de cupahiba, idem.
Opio, idem.
Oleo de ligado de bacalho, yidro de 8 por cento.
Ponas de viado calcinadas, idem.
Purgantes de le roy francez, garrafa.
Pao de rogg, vidro.
Papel asul pare embrulho, resma.
Dito branco, idem.
Pilulas de Blancard, caixa de 60 pilula?.
Parietaria, libra.
Pilleis linos de cabellos, duna.
Precipitado rubro, libra.
Quina em casca, idem.
Quina em p, idem.
Baiz de altea,4dem.
Baiz da China, idem.
Raz de espargo, idem.
Salsa parrilha, idem.
Serpentaria, idoirir
Sassafraz, dem.
Scnne, libra.
Sueco de grosellas, garrafas.
Suspensorios para escrotos, duzia.
Solucao de permaganato de potassa, vidro de 12
pnr cento.
Sacido amydalina, libra.
Trocado, idem.
Tu ilago, idem.
Vinho de corvisat, garrafa.
Xarope de espargo, dem.
As propostas devero ser cm cartas fecha-
das, observando-se o methodo udicade no presea-
te annuncio.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife, 6 de marco de 1869.
O escrivo,
Pedro Rodrigues de Souza.
Sitio n. S do Porno da Cal, idem ........ 1303090,
Os pretendentes devoroo apresentar no acto da >
arremataco a* suas flaneas, ou compareccrcm! nve-acs0 stelra 1
acompanhados dos respectivos fiadores. *
Secretaria da Santa (lasa da Misericordia do Re-
cife, ) de marco de 1869. Oescrlvao.
Pedro Rodrigues de Souza,
THEATRO
DE
S. ISABEL.
EMPREZA DRAMTICA
DB
4a RECITA DE ISSII.MII llt
Sabbado 13 de marco.
Primeira representaco do magnifico o appara-
toso drama histrico de grande espectculo, em 6
actos, ornado de msica
O administrador da recebedona deprendas
internas geraes declara que tendo-se concluido o
lancamento do imposto pessoal do exercick) cor-
rente de 1868-69 das froguezias de S. Jos e Bo-
vi-ta, fica marcado o praso deste mez e de marco
futuro em que deve ser pago o referido imposto.
sem multa, das sobreditas freguezias, como deter-
mina a ordem n. 17 do ministerio efepzenda de
30 de Janeiro ultimo.
Roeebedoria de Pernambuco 19 de fevereiro de
1869. *
________Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
Santa casa da misericordia do
Recife
A -toa. junta administrativa da santa casa de
misericrdia do Rerife, na sala de uas sosse.-.
pelas 4 horas da Urde do dia 11 do corrente, re-
cete prcfoms para ornemeoto 4e j>ao e Iwfac
SANTA CASA DE MlSEHlCOrtlA DO RECIFE.
A lllma. junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife, tendo de contratar o forne-
cinii nto dos gneros abaixo declarados, para os es-
tabelecimentos pios a seu cargo, nos mezes de
abril a junho vindouros, recebe proposias na sala
de suas sessoes, pelas 4 horas da tarde do da 11
do corrente, para contratar com quem se propozer
fazer dito fornecimento com o maior abatimento,
tomando por base os precos seguintes, que sao os
do contrato cm vigor no "corrente mez :
Manteiga franceza, libra, i 4000.
Caf em grao, idem, 200 rs.
Cha verde, idem, 3.4000.
Ch-preto, idem, 14400 rs.
Assucar refinado, idem, 180 rs.
dem idem baixo, 160 rs.
dem branco em turnio, idem, 140 rs.
Arroz pilado, idem, 120 rs.
Toucinho, idem, 500 rs.
Bacalho, idem, 130 rs.
Peixe fresco, idem 460 rs.
Tapioca, idem, 160 rs.
Aletria, idem, 400 rs.
Sabo, idem, 260 rs.
Fumo do llio, idom, .'0 rs.
Velas de carnauba, idem, 360 rs.
Ditas de espermacete, idem, 760 r?.
Azeile doce, garrafa, 760 rs.
dem de carrapato, idem, 720.
Vinho tinto, idem, 540 rs.
dem branco, idem, 560 rs.
Vinagre de Lisboa, idem, 170 rs.
Agurdente, idem, 80 rs.
Farinha de mandioca, alqueire, 44400 rs.
Feijo mulatinho, idem, 74400.
Sal, idem, 880 rs.
Ceblas, o cento, 14400 rs.
Farclo.osacco, 4*000.
Batatas, arroba, 1*300.
Carne verde, libra.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife, 6 de marco de 1869.
O escrivo,
Pedro Rodrigues de .iouza.
Saata Casa da Misericordia do
lleeife.
A lllma. junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife manda fazer publico que na
sala de suas sessoes, no dia 11 do corrente, pelas
quatro horas da tarde, tem do ser arrematadas
quem mais vantagens offerecer, pelo tempo de um
a tres annos, as rendas dos predios em seguida de
clarados :
ESTABELECIMENTOS DE CARIDADE.
Ra de Hortas.
Loja do sobrado n. 41, por anno........ 120*000
Ra da Moeda.
Primeiro andar do sobrado n. 37, por anno 76*000
Segundo andar, idem.................. 96*000
Areal do Forte.
Casa terrea n. 1, por anno.......... 100*000
Ra do Padre Floriano.
Casa terrea n. 43. por anno............170*000
Ra da Conceicao.
Casa terrea n. 5, por anno..............249*000
Becco das Carvalhas.
Casa terrea n. 5..................... 152*000
Ra da Viraco. .0,__m
Casa terrea n. 7.............-........ *51*9!?2
dem idem o. 19.................. 193000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Ra do Pilar.
Casa forrea n. J00, por anno........SfJSS
dem n. 102, ideo .. ................*0
Ra do CordMb. .intM
Casa terrea a. i, idem................4*W0
, ou
A descoberta da America,
Personagens. Actores.
Isabel, a catholica, rainha de
Castella e Leo. D. Mara Vclluti.
D. Maria de Gusmo, dama
de honor......D. Julia Azevedo.
Ona, rainha de Haity. D. Clelia.
Christovo Colombo. Joaquim Augusto.
Diogo. ....... Primo da Costa.
Percgriuo (irino de Colombo) D. Apolonia.
Bartholomcu......Eduardo.
D. uuiz, duque de Fonseca. Jos Victorino.
Frei Pauto Marcueua, coufes-
sor da rainha.....Lessa.
Bodo, aventureiro. Thomaz.
D. Jos de Escobar, fatbellio
regio. ". ... -. Martinho.
Tubaro, marinheiro. Brochado.
Antonio, idem.....Couto Rocha.
D. Pedro de la Cueva, cama-
rista. ......
D. Filippe de Vega, capitao.
Um alcaide-mr.....
Ura pagem......
Olema, indgena.....
Marinhciros, soldados, frades,
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara.
caty, Geari, Mondah.Acarac
e Granja.
**T\W 0 vapor Pirupama, cominandant
A |4 Torres, seguir para os portos acim^
'____. no dia 15 do corrente as 5 horas
ila tarde. Recebe carga s o dia 13, encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frote at as-
2 horas da tarde do dia da sahida no eseriptori"
do Forte do Matlos o. 12.__________________
COMPAltlIA PERNAMBUCANA
DE
Mavegaeio eosteira por vapor.
Mamanguape.
O vapor Coruripe, commandante Peona, seguir
Kara o porto cima no dia 12 do corrente as ti
aras da tarde, recebe carga at ao meio dia, en-
rommendas, pa'sagens c dinheiro a fretc at as .1
horas da tarde ao dia da saluda no( escriptorio do
Forte do Matos n. 12.
Bio de Janeiro
Para o indicado porto segu com muita brevi-
dade o veleiro e bem conhecido brigue Adelaidr.
por ter a maior parte do carregamento tratado ;
para o resto que Ihe falta e escravos a frete, tra-
ta-se com o consigna! ro Joaquim Jos Goncalves
Boltrao, ra do Trapiche n. 17, '
Vaveja^S*
Jos Guimarcs.
Jordani.
Florindo.
1). Francisca.
D. Carolina.
lidalgos, mendi-
gos, povo genovez, easlellianos, indgenas do Haity
de ambos os sexos.
DE.N0MI.NACA0 E POCAS DOS ACTOS.
IoO incendio e a fugaGenova1489.
2oIsabel a catholicaCastella1492.
3"A revolta a bordoNo Ocano1492.
Justica c injustigaHaity1496.
5"A recompensa tard aSevilha1503.
t'O martyrio do genioValhadold1506.
A AflOJMO DO DR.VMA I'ASSA-SE
Io acto cm Genova casa de Christovo Colombo
' dito em Castella, convenio de Arrabida.
3' dito no mar, bordo do navio almirante
4 dito na ilha do Haitv, poeeesa&a da rainha -"Meao C.
Ona.
3o dito cm Sevilha, palacio de Isabel a catholica.
6 dito cm Valhadold, unta estalagom.
Todo o vestuario novo e da poca.
Todos os accessorios sao ricos e o scenario a
capricho.
O 3o e 4o actos o inteiramente novtfs e do h-
bil pincel do Sr. Chapelain.
Nao se pouparo esforcos nem dospezas, alias
avahadas para fazer subir secna este drama
com todo o apparato e riqueza que requer.
O scenario do 2o auto que figura o navio de
Colombo, com todos os seus accessorios, magni-
ficencia e movimento nutico, de um snberbo e
sorprendente cffeito, afora as belhssimas scenas
dramticas que adornam este acto. A contesta-
ra histrica do drama, c os lances patheticos que
elle conten, sao de um alcance eminentemente
moral, magestoso e verdadeiro Encontra-se
nelle com profuso e verdade, as scenas singelas,
COMPANIIIA PERNAilBUCANA
DB -
eosteira por vapor,
Goiauna
O vapor Mamanguape, coni-
mandante Mello, seguir para o
porto cima no dia 16 do corren-
te as 9 horas da noite. Receba
caiga, encommendas, passagei-
ros e dinheiro a frete no cscriptorio do Forte d>
Matos n. 12.__________________________
COHPAXHliV BRASILEIRA
DE
Paquetes a vapor.
___LkKa\ ;,|(''
Dos portos do sul esperado
' o dia 21 do corrente o vapor
iizeho do Sul, commandantH
Aleo orado, o jual depois da de-
mora do costume seguir para os
do norte.
JDtsdej reeebem-se passageiros e engaja-se a
cm-ga que o va(K>r p<>der conduzir, a qual devora
ser embarrada no dia desuachegada. Encommen-
das c dinheiro a frete at as duas horas do dia da
sua sahida.
Nao se recebem como encommendas seno ob-
jectos de pequeo valor e que nao excedam a 2
arrobas de |so ou8 palmos cbicos de medieo
ITudo que passar dusteslimites dever ser emba-
cado como caiga.
Previne-si! aos Srs. passageiros que suas passa-
gens sse recebem na agencia ra da Cruz n. 57.
! Io amla%escriptorio de Antonio Luiz do Oliveira
Companliia americana e lirasilei-
AVISOS MARTIMOS.
coupaivuia
DAS
J_cssagcr.es imperiales.
At o dia 16 do corrente mez espera-se da Eu-
ropa o vapor francez Eslremudure, o qual depois
da demora do costume seguir para Bahia c Rio
de Janeiro.
Avisa-se aos Srs. passageiros que por delibera-
cao do con-clho de administradlo se acham re-
ausidosde s. 123 as passagens de segunda clas-
se para Brdeos e Li dern! bilhetes de ida e volta para os portos do
Brasil e Rio da Prata com 23 V<> de abatimento
pelo tempo do seis mezes.
Para eondicoes, frelcs e passagens trata-se na
agencia ra do Commercio n. 9.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Xavegaeo costeira por vapor.
Macei, escalas Penedo e Aracaj.
fl^mw O vapor Potengi, commandante
JXL Fereira, seguir para os portos cima
_____ no dia 13 de marco as 5 horas da tar-
da Recebe carga at o dia 13 as 3 horas da tar-
de, encommendas, passageiros e dinheiro a frete at
as 3 horas da tarde do dia da sahida no escriptorio
doFartedoMattosn. 12.
os quaes tem
ra de paquetes a vapor.
At o da 16 do corrente esperado de Nev
York por S. Thomaz e Para o vapor americano
South America, o qual depois" da demora do Mta-
me seguir para os portos do sul : para frutes
passageiros trata-se com os agentes Kenry Forstei
& C, ra do Trapicho n. 8._________________
Em poucos dias.
Sahir para o Porto a galera portuguez JVovv
mas religiosas da familia ; a pugna heroica do ta- Fama> II, por j ter a carga toda contratada, re-
lento contra superslifo, o erro e a inveja pala- i cebe passageiros, para
ciana ; a luta dos elementos, a intriga dos ulicos,
a descrenca dos nimos ignorantes e a forca po-
derosa do genio protegido pelos ralos luminosos
da providencia. E' urna conce|Mjo real, que hon-
ra o seu autor, e que deve ser vista e apreciada.
'em toda a sua plenitade, por um publico Ilus-
trado.
Comecar as 8 horas.
Os bilhetes acham-se j a venda no cscriptorio
do theatro.
O emprezario aprovela a occasio para agra-
decer ao Si*tincto scenngrapho o Sr. Chapelaim, a
offerta que lhes fez do soberbo panno do 2o acto,
representando urna floresta do Haity.
commodos
fim
superiores a qualquer outro navio, poiio seu
principal trazer passageiros do Porto para <
Bio de Janeiro e vice-versa : trata-se com Cunha
Irmao 4 C, ra da Madre de Doos n. 3'r o
com o capi'.Vabordo.
IMPAMHa BRASILtlRA
DE
Paquetes a vapor.
4)os portos do norte esperad'1
at o dia 14 do corrente o vapor
Guar, commandante o primen1"
tenenle P. H. Duarto, o qual de-
pois da demora do '.ostumo se-
guir para os portos do sul.
Desde j reeebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual deven
ser embarcada no dia de suachegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sua sahida as 2
horas.
Nao se recebem como cncommond3 senao oh-
jectos de pequeo valor e que nao excedam a dua-
arrobasde peso on 8 palmos cbicos de medica-
Tudo que passar destes limites dovela Mff embar-
cado como carga.
Prevme-seaos Srs. passageiros qna suas passa-
gens so se recebem na agencia ra da Cruz n. 37.
Io andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliver*
Azevedo A C._______________________
Para o l?orto
Segu sem demora a barca portugueza Hoto
Silencio, por ter grande parle da sua carga promp-
ta, para o resto e passageiros aos quaes oflereco
excellentes commodos trata-se com Oliveira Filhos
4 C., largo do Corpo Santn. 19 ou com o capita-
na praga do commercio.
Para Lisboa
Vai sahir com muita presteza o brigue porlu -
guez Constante II por ter grande parte do sen
carregamento prompto : para o restante e passa-
geiros, trata-so com Oliveira, Filhos 4 C, largo
do Corpo Santo n. 19, ou com o capitas na praca
do commercio._________________________
Rio de Janeiro
Para o porto cima segu cm poucos dias a es-
cuna dinamarqueza Hygea por W pari do seu
rarrcgamsnto engajado: para o resto que lhe
falla trata-se com Antonio Lu de Oviri Azeve-
do 4 C., ra da Cruz n. 57.
GOHPAUB-A PERRAMBCAHA
CO.if SEIiHO DE #!RFC \\0
Os Senhores.Saunders Brothers & C., Tasso
Irmos. Luiz Antonio de Siqueira.
RENTE
. 0 SE. F. F. BORGFS
Restando anda emittir algumas ac?5es d'esta companhia, da quantia nominal d<-
2003000 cada utna, das quaes s se aceitam em vtrtude da le, 20 / ou .40*000 poi
cadaaccao- convda-se pelo presente ao publico em geral e especialmente aos&rs.
caDitalistas 'e interessados no commercio. que queiram dar emprego seguro aos seus
canitaes disDoniveis, a subscrever o numero de accoes que lhes approuver.
AUrumas destas accoes j tem sido tomadas por pessoas que conhecemi a vanUgem,
de na presante occasiJo (conhecidamente a melhor), empregarem o dinheiro de qu
poderem dispr era objectos de valor real, como vapores, predios etc., que Ibes garan-
Um A oSSfia possue hoje 10 vapores, 6 inteiramente novos, e destes o ultimo est
a chegar de Inglaterra, onde foi construido expressamente para ella.
Alm disso est edificando vastos armazens, no terreno que possue no largo d As-
Seos dividendos tem sido de 10 '.ao anno, nos ltimos 4 annos. ...
As aeyues que se emittirem gozam dos mesmos direitos, e perceberao o beaeficio
dos mesaos dividendos |uee tgos em propon.ao da entrada.
Rccebem-se assignaturw giariptorio da companhia no seu edificio ao caes da
Assembla o. 12

J
>

HH


Diario de Pernambiico Quintil feira VI de Mauro de 1869
s


COMPANHI.V PEHNAMBICANA
i>r.
Xavesa^o cosleira por va|r.
Fepnand .
0 vapor Gi vedo, seguir par o porto cima no
mm d x do corrcnte as 4 horas da tar-
de. Recebe carga cnrommendas, passageiros e di
nheiro a freto atoas tO horas do dia la(sabbado
no escriptorio do Forte do Mattos n. 1.
professionaes e pretendentos iwdem ludo exami-
nar coni antecipa
Para Lisboa.
Segu com umita Lrevidadi a barea portugueza
Gratiduo,-it>m grande parte da sua carga promp-
ta ; para o queainda Ihe falta e passageiros, ira-
ta-se com Ollveira Filhos & ('.., largo do Corpo San-
to n. 19,nn com o cnpitao na praea do commercio-
Loanda
O briguo portoguez Bemrintlg, eapitao Silva, a
chegar de Lisboa, sabir para Loan.la poucos das
depr-is do recoltuao a este porto : pdc receber
alcnma carga, e trata -se com o seo consignatario
Joaqun; Gerardo de Bastos, roa do Vi gario n.
4 t, i' andar ____________________
Para o Porto
Val sa'.iir rom milita bpevidMR a vcleira barca
flor de 8. Stmm visto ter parte da carga enga-
i, para o resto e passagena trata-so com os
consignatarios Camino & Nogueira na na do
Apollo ti. 20.
LEILOES.
LEILlO
mlii-
e fazendas avarlada*
dezas.
A 11 do corrate.
O agente Olivein' far leilao por oaota e risco
de quem Mrtencer de dos fardos de estopa larga
propri* para enfardar algodao c forrar salas por
baixo decsteiras ou tapetes e de porcaode chitas,
lozinhos o nutras lamidas avinadas, cassmi
mais tan Iknitacao de preeos c parajiquidacao de
conta, casticaes o palmalonas de latao, malas de
viagem para montara, eharuteiras linas de conro,
mantas paraselim, puntes de alglbera, eseovas
para unta*, tesonras, esporas, bengalas de varias
cualidades, cintos modernos c urna canta de bo-
lees para vestuarios.
IIOJE. *
ns 11 horas da manhaa cm ponto, no sen esoBIO-
rio iii.i daCadeia n. 4. I-andar.
LHLW
de
De eseraro e de mu cofre.
Sendo urna escrava preta de nome Miquilina de
47 annos de idade, um escravo pardo de nome
Salvador de 42 annos de idade, um diio preto de
nome Paulo com 23 annos, outro tambem preto
de nome Lindolpho e de idade 16 a nnos, outro
preto de nome Quirino com 17anno e finalmente
um preto de nome Dionisio do 18 annos, Mais
um cofre de ferro para dinheiro.
Quarta-feira do corrcnte.
O agente Marlins com autorisaeao do Illm. Sr.
vice-consnl de Ilespanha 'nesta provincia e em
preseiiea domesmo far leilao dos esclavos e do
cofre cima pertencentcs ao espolio do subdito
hespanhol Jos Filippe Martnez, as 11 horas do
dia mencionado c na port da casa n. 5 da ra
da Cruz.
AVISOS DIVERSOS.
DO
BRASIL E PORTUGAL
mmmmmmmmmsm
No dkt 4 de marco corrcnte desappareeeu
um mulatinho de nome Castor, de idade 14 anuos,
penco mais ou menos, con os signacs segtiinles ;
resto redondo, olhos prctos e grandes, sobnince-
Ihas pretas, bocea pequea, brices grossos e nariz
chato : roga-se a quem o encontrar, leva-lo a ra
la Treinpe, sobrado de um andar a. 7, que sera
gratilicado.
Jos Soares de Azevedo, professorde
lingtia e lilteratura nadpnal no gymnasie
provincial do Recife, tem aberto em sua
casa, ra Bella n. 37, um
CUftSODEunca UtANCEZA
DE GEOUkUPHIA E HISTOKIA
DE PIIILOSOPHIA
DE 1UIKTOIUCA R POTICA.
Os estudantes qne pretenderen! frequen-
lar qualquer destas discipliuas, podem diri-
gir-so indicada residencia, de manhaa at
as 10 lioias, e de tarde a qualquer-hora.
' Precisa-so de una ama de leile : na ra dos
Assogninhos n. 4. ____________
De 9H caixas com caximbos
loiica.
no**:
O agento Pestaa far leilao de "2* e.uxas enm
<-aximbo de louca de diversos tamanSps e eitios
a cima as II horas da nianlm no armazn i
doSr. Azevcdo.dfronteda escadinhS da
.! a.
Precisa-se alugar una escrava que sejaper-
feita Cosihlieira c engommadeia : no largo do
Pilarj^JO. "____________________
Irmandade das Almas na matriz
do Coro Manto.
Tendo a mesa regedora deliberado acompanhar
a procissao do Senhor Bom Jess dos Pasaos, no
dia 12 do corrento as .'I horas da larde, sao para
esse tim convidados todos os irmos para compa-
recer no consistorio da mesma irmandade a hora
indicada.
Consistorio 9 de marco de 18(50.
O escrivao,
J. J. I.una laiao.
avaria.
Hoje II do correnle, s II horas, ni armasen
do Annes.
O agente Piulo, far leilao por coala o risco de
quem pertenec-, de 100 saceos com trelo, marca
A. W. B. lis. 101 a 2tf ava idos, bordo do navio
i irto-allemao Cantarna, na ana ultima viagem de
tiamburgo este porto : o leilao ser effectuado
s 11 horas do dia cima dito, no ann /.em do Sr.
Annes, em frente da alfandoga.
file
LEILAO
fazendas arariadas.
Stxta-feira 2 ie murro.
Izidoro Bastos 4 C. faro leilao por intervemai
do aliente Pinto c por conla e risco da quem per-
tencer do '.i'\ pecas de estopa ava riada a bordo do
vapor isgtez Alhumhra. na sua ultima viagem de
Uverpo esie porta na mesma oecasSo*expora
venda potras fazendas ingle/as. as qoaes serao
vendidas parausar cunta.- : >< leilo piiucipiaro
a- !0 horas do (lia cima dilo em sea armazem e
ra da Cruz n. 2.
Situado em um dos barros mais contraes de Pars, sendo as Hmn*5aues dos
principaes theatros e outros muitos divertimentos, e assun das estacoes dos eammhos de
feno para todos os ponto da Europa, acabado de ser inteiraraente renova*>, nao se
tendo puupadoo sen novo pitmrietario a despezaspara seu complet embeiesmento o.
aceio, torna-se portanto vantajosamente recommendavel aos senburas brastlenos e por-
tuguezes, a onde encontratrao semprc aquella convivencia desejala em pan estranho,
por ser constantemente frecuentado por seus compatriotas. O tratamtsnk e superior a
todo o elogio, mesa redonrfa, ou a carta, ou servida nos apozentos; habtt^oes conve-
nientemente despostas para familias, e qnarlos para urna s pessoa, o servico e feto
com a precisa regularidarie: os prcos muito rasoaveis eao ateanee tambe* d aquellas
pessoas que se queiram limitar.
Gabinete de leitura com os principaes jorrmes dns de msica, etc. etc. Todas estas vantagens podem ser ap|)ircm igualmente aos senbo-
res passageiros das repblicas do Prata, porque alm da semefeanra da Kngna, ali en-
contrar3o muitos senhores hespanboes, por qem tambem esta casa bastante fre-
quentada. -____________________________
Ahuja-st
um grande telbeire que serve de armazem para
urna grande cocheira ou oflicna do quawnor
arte, na ra de Apollo n. 53: a tratar n; relina-
cao da ra da Senzala-nnva n. 4.
Precisa-se de una ama para como ar ( co-
znhar, e mais so-rviens Internos do casi de urna
so pessoa : a traar no bec.-o do Lobato n. 3, so-
brado de um andar.
Ra do Rosario n. 79,
sobrado
Agencia de negocios da corle pa-
ra as provincias c deslas para
a corle
BranSo'cE etbcunaSl K ^*^/S3ttWm publico em geral,
h!tt*SEfo:Tn, obrado, urna agen- que no dia 1 do correte dissolvc. -am amtgavel-
cia de negocios da corte para' as provincias, e oes- "nt a socedade qne untara na toja de calca-
tas liara a corle a anal, pelo pessoal habilitado, c dos a praca da Independencia n. 11 a 15. pie
icio- de ou ^d M,0e eneanvua-se de todos c quaes-, gyiava sob a firma do Arantes & l.yra, licaudo a
pu'rnego^ o diciae" cm P c 2- instancia, como cargo do socio oaquim Perefl Aramos o acjvo
acc^s civeis, rimes e commcrciaes, recursos, ap- e pass.voda extmrta firma.
Predisa-se arrendar um engenho pie seja
perto de embaiipie por agoa ou por trra : a tra-
tar na ra dos Prazeres n. 1C, das 4 as 6 horas
da tarde.____________________________
Aluga-se urna peipiena casa na travesea de
S. Joao n. 38, porlao encarnado, preco de 85 |>r
mez : a tratar no sobrado Junto a fabrica do gaz.
~s abaixo assignados parlicipam ao rcs|tei-
Os bilhetes da lotera, garantidos, da loja da na
da Cadeia n. 9 ; ponto muito commodo para os
moradores do Rccife
Francisco de Figneira Faria, leudo de mandar
celebrar sabbado 13 do corrcnte, stimo dia, algu-
mas missas no convento de S. Francisco das 5 as
6 horas da manliaa, por alma de seu presado pa-
drnho e amigo Jos Ignacio Pereira Torres, falle-
cido no dia 8 do correnle mez, no engenho Pedro-
gulho em Nazareth, convida pelo presente a todos
o seus prenles e amigos, assiin como aos do
mesmo fallecido, para assislirem a esse acto de
religAo e caridade, pelo que desde j se confessa
eleruaiiieiiti- jraln.
-- Tendo a sociedade Liberal l Bo Bonelicente
de mandar dizer urna missa no dia 15 do corren-
te, como manda o art. 5o" da leidesta mesma
sociedade, convida a todos os socPs a compare-
ccrem as 7 horas do dia mencionado, na igreja da
Madre dcDeus, afim de abrilbantarom este acto.
Recife, 9 de raarfo de 1869.
Anlonio Manoel do Nuscimoo,
1 secretario.
De 72quintaes de pao Brasil.
11 ditos de tataiuba.
116 aiTobas de ferros velaos.
:8 ditas em 2 bombas.
ilj& libras de metal.
i bot, espas, etc.
Sexia-feira II do correnle.
0 agente Postana far leilao por conta o. risco
de qnem pertoneer, dos objeetos cima, coi lotes,
nesta-feira 12 do corente, > 11 horas da manhaa
por detraz do trapiche do Visconde de Snassuna,
a burdo de una barraca, que ir botar os objeetos
- arrematantes._________________
LEILAO '
J>,i fabrica le carros c de mar-
cinerla. como da niobla per-
tenecntes ao %r. F. Poirier.
O agente Oli-eira far leilao por ordem deste de
2 -aleches novsepromptos para foTTar,sesdo um
vi Iracas, i cabriolcl- 90100 um novo eoutro
usado com' varaos de todas as qualidades para
cabriolis ac para molas e parafusos ara carro,
nma serrara novida por manejo com seis sorras
circulares e mais ferramenia, Inelaindo ma 'hia
para fttrar ferro e madeira, um torno para madei-
ra c de rosca, tudo completo, satos e bigornas pa-
ra ferreiro, folies para forja, rnartellos, tenazes,
moldes d'acc torno de ferro, c mais pertenee*
lelos para fabrico de carros o aviametos pa-
ra os meamos, bancos |iara mareiiieiro, ferramen-
iS- cmais utencilos para este offlcio, e finalmcn-
i '1.- boa mobilia consistindo em consoli -. e idei-
ras, guarda vestidos, sof o niarqueza, aparador,
mesa de meto de sala, de janlar c outras, toucador
e carteira, tudo de amarello, camas, de vento, bi-
dets, cadeira secreta, loucas, armarios piulados
sendo um para guardar arreios de carros e mui-
l"3 outros artigos anlogos aos nsieres indicados.
Segunda-feira 22 do crrante.
... 10 horas da manliaa no proprio estahetecimen-
lo do referido Sr. Poirier, rua do Imperador u.
.i. defronte do convenio de S. Kranci-ej, onde os
pelacoes, aggiavos, revistas, defezas poranle o
jury.'reclamncoes de antiguidades de magistra-
dos, etc., ele.
Incumbe-se outro sim de liquidacoes commer-
ciars. de verificacoes. e ajustes de contas, de co-
hrancas de dividas, de arrecadacoes de herancas,
de matricula de juizes, e commerciantes, e em ge-
ral de todo c qualquer trabalho forense, ou qiic te-
lilla de ser feito peante as repartrccs administra-
tivas da corte.
Mediante as condicoese garantas que com as par-
tes estipular, adianta dnheiros sobre as arrecada-
coes c direilos que Ihe parecerem seguros, e li-
qnidos,
Presta-se a fornecer aos seus conimiltentes a-
informacoes que exigireni, e que puder obter, so-
bre assumptos e interesses que Ibes digam ress
peito.
Seus honorarios e commissoes serio raz.aeemd
moderados, regulando-se pela importancia e fl-\ i
euldades que offerecerem os negocios comet-s
tidos.
As pessoas que dos seus serviros se qnizerem
ulilisar, podero dirigir-se pcssoalmentc, ou poi-
cara ao escriptorio cima indicado, deveudo na
segunda hvpothese remetter os documentos que
tiverem ou "copia fiel delles, e una informa^ao cir-
cumstanciada, escrpta, c assigjiada sobre o nego-
cio ou negocios que tiverem de ser tratados. Alem
desla remessa os senhores qne morarcm tora do
municipio neutro, e em qualquer das provincias
deverao competeniemente autorisar pessoa id-
nea, residente na corte, com quem a agencia possa
entender-se e validamente contratar.
O fiel desempenho dos seus deveres para com
todos, e especialmente para com aquellos, que nel-
la conflarcm, conslilue o fundo capital, cora que
a agencia principalmente conta, e por isso tem o
mais vivo interesse em mante-lo, e ha de zela-lo
com a mais vigilante solirilude.
de 1869.
Joaqnim Pereira Arantes.
Antonio Francisco Pereira I.vra.
VERO\)ERO LE HOY
dol Doctor SI GNO RET, aico Sawsor.
RUB DE SEINE, 51
*M
PAR.
ESTRADA DE FERRO
DO
Recife ao S. Francisco.
Li
'go:a: eiios
rif.i.lu .!cs-
pe.-la.lo \ tfiA cil
-.- ,. tw
bl^trad ;-.; |ni
I.'!jv.i*. .iMuA L I V.CHJ
i.'.i'lio n",:r.-".-: negro solire
b Tflwln '! wmartttt
Han Us no u- uo-sbre S.'C.NOHtT
, (x i. u usa cu rifit.
A'. B.Sotn 1 eerdio, dfbjo d*l pipil
:"\ qua liara rallo r.nmu Co.Tin
va pano
|M al tuvas i.l f
ello da U hataja, /\*y '
rtr'.o morillo son -(^V op/
cl'ItLO DIL 00II1IK9
r! fvr IdJo emio de un ?a!or
de 500 ItaacM icaptaH o-
bre Piris I.oidras. se hac
el mayor de&cuanto posible.
^2^
Pelo presente se faz publico que em razan da
insuficiencia do irem rodante do dia Ifi do cor-
rente em dimito, liao de se transportar mais sal ou
cal agrancl. Escriptorio da superintendencia, villa
do Cabo, 10 de marco de i8.
' G. 0. ihinn, superintendente.
Herculaua Duartc de Miranda Henriques, Rento
Joaquim de Miranda Hemiquos, Henrique de Mi-
randa Henriques. Augusto Carlos de Miranda Hen-
riques, Jovino de Miranda Henriques, Genuino
Augusto Peixoto o Jos Fenvira Lopes llois. Iio.s-
passados de pungente dr pelo passamento de seu
prezado fillio, irmo e cunliado, convidara aos pa-
i entes e amigos para assistencia dos oficios da
igreja e acompanliamento de seu cadver, da ma-
triz do Poco para o cemilerio publico, boje, 11 de
marco, peas horas da manlia, obsequio que
agradecern (".ornamente._________
AMA
do nma ama: na ra da Matriz da
oito n. 12. ____________________
" Offerece-se una ama para casa de familia,
paraeugommar : quem quizer dirija-so a ra de
S. Rom Jesns das Crioulas n. 30.
Precia-sa (
Roa-vi!a, oR?
mm de m,. ,
N. 3 UUA D1REITA N. 3
As pillas, o xarope alcohlico c ]
o ethereo de veame, conforme a ]
formula do finado pliarmaceutico Pa- j
ranhos, assim como a pomada con- i
tra as inchaces erysiplosas, aclio- |
se venda, na botica de Francisco
Antonio das Cliagasrua Direilan.
3, defronte do armazem de molha-
dos denominado viado branco. Es-
tes medicamentos teera sido e silo
dos mais enrgicos agentes auxilia-
dores da nalureza na debellaco das
doencas, servindo de grande alivio
a humanidade sofl'redra, principal-
mente aquellos, que dispondo de
poucos recursos e n5o podendo por
i muito tempo permanecerem em um
tratamento talvez intil, pela inelli-
cacia de certos remedios, recorrem
clles ; e por isto asss recorn-
mendados se torno, para as pessoas
que soffrem de rhumatismo, escr-
fulas, ulceras, impigeris, erysipla,
tumores nos ossos, Iossp, asthma,
amcnorrha ou suppresso de mens-
truo e menstruaco difcil, sendo
porm usados conforme a directo
escripia que os acompanha.
Capsulas de Raquim
Os bous efleitos deslas capsulas para l'azcr ces-
sar os gonorrheas acbam-se comprovadas pelas
experiencias de muitos annos.
Os mdicos de todos os paizes as recominendam
pela sua eflicacia.
VENDE-SE
KA
Pkariuacia c dVogaiia
ni
BARTHOLOHED & <'..
Ru34a larga do Rosario--3i
SEDAS PRETPAASRA A QARESMA
A3#0 COVADO.
Vendem-se sedas pretas lavradas, fttzen-
da muito superior, que com avantajada lar-
gura que tem, 14 ou licovados do um
vestido, c sendo fa/.enda que 3m outra
qualquer parte nao se vende por menos de
4-$000, mas por se ter comprado urna
grande porco vende-se a 3#000 o covado
nicamente na loja c armazem do Pavao ;
ra da Imperatriz n. 60 de Flix Pereira
da Silva.
Tabellas vermicidas
DE
ntonio Nunes de Castro.
Vermfugo efTicaz e prcferivcl todos os
conhecidos j pola certeza de seu resultado,
c j pela fcil applicacao s crianzas, quasi
sempre mais atacadas de to terrivcl e
muitas vezes fatal soffrimcnio.
nico deposito,
Phnflcia de Bartholomeo i .
Hra larga do Rosario34
PENTEADOS PABA 8ENH0RAS
SALN DE COIFFURE
DE
ANDRE DELSUC
MIBII !OII, lil'.llliWA
Ra do Crespo n. 7 primeiro andar
Andre Delsuc, cabellereiro de Paris, empregado de Mine,
vittva Leconte, tem a honra de participar ao respeitavel publico
que contractou com Mr. Georges, que se retira d'esta provincia,
tomar conta do seu salo de coifl'ure da ra do Crespo n. 7.
Nutre a esperanra que seus amigos, conhecidos e os fre-
gttezes a quem servia emquanto foi official de Mme. viuva Leconte o
l'avorecerao, acompanhando-o no seu novo estabelecimento, e tam-
bem que a bella freguezia de Mr. Gerges continuar a frequentar
o seu salo, certos de que envidar todos os seus esforcos para
merecer a sua conlianca.
Achar-se-ha sempre no seu estabelecimento um grande
sortimento de cabellos do todos os lmannos para coques, seja
qtial for o feitio, de trancas, repentiz, frisos, bandos, etc. etc. etc.
enilim tudo que diz respeito sua arte.
Continuar a praticar no seu salo o mesmo que praticava
Mr. Georges : fazer a barba, cortar os cabellos, frisar e friccionar
cora toda a prompttdao, asseio e delicadeza.
Aviso s senhoras
Tem a honra de participar s senhoras que o quizerem
honrar com suas freguezias, que podero manda-lo chamar, certas
de que sero sempre ponteadas com gosto e ultima moda.


TRABALHOS EM CABELLOS

BOTICA E CASA OE DROGAS

77
RA DA IMPERATRIZ 77
preste novo estabelecimento h um completo sortimento de medicamentos, pro-
ductos chimbos, e drogara, tudo de primeira qualidade, e se vendem por menos do
que em outra qualquer parte.
H tambem um sortimento de medicamentos homeopalhicos, tinturas e globu
los inertes,por preeos commodos; bem como xaropesde jurubeba ferruginoso simples,
vinhos de jurubeba simples e ferruginoso, e o bem conhecido xarope de Paracary, es-
pecial d'esta pharmacia. Aviam-se receitas a qualquer hora do da, e noitc, com promp-
tido, cuidado, e pericia ; nao se negam a qualquer occurrencia em casos urgentes.- O
socio gerente encarregado do estabelecimento mora no mesmo, para o que esta
promplo a abrir a porta a qualquer hora que for preciso. _^ ^ ^
INJEGGAO VEGETAL
MATICO
deGRIMAULT e C* pharmaceuticos em PARS
anihoriada pelo conselho medico de Sao Peterebnrgo.
Deposito em Pernwmbuco, em casa de atoara O*.
CABUGA
esquina
lllda ra larga do
[n Sosario.
i
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempire um sortimento sem igual,
e vende por prepos que nenhuma outra casa pode vender.
vista da qualidade e do prepo das joias cada um pder-se-ha convencer da veroaae.
Garante-se ser tudo detlei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por presos iuito ele-
vados.
A1 loja esta aberta at s 9 horas da noute. JB^
CABUGA
esquina
da ra larga do!
Rosario.
E5SSH5H5S5ESS5E5H555H5 "BSBS
Wb+w


Diario de Pnmjnbuco Quinta feira 11 <1 Mrqo Je 1869.
Attenpo! attenco!
Gnilhermino Rodrigues do Mente Lima faz sci-
ente aos olTleiacs de lodos os carpos, quo ai-aba de
reeeber uui completo sortimento do espadas, ban-
das, talins, talabartes e charlatciras, e ">ais per-
tenccs. Assim como receben tainlieni chapeos de
oleado para criados, do copa alta e baixa, com
eordaa de ouro ou prata, e vende niais barato do
quo em outra qualquer parle, na praca da Inde-
iwndencia n. 17. junto a loja do Sr. Arantes._____
SEGUROS
MARTIMOS
(VIRA FOGO.
A Companhia Indemnisadora, estabelecind
nesta praca, toma seguros martimos sobre
asnos e seus carregamentos e contra fogo
em'edificios, mcrcadorias e mobilias: aa
ra do Vigario n. ', pavimento terreo.
Joaquim JosGon-
tjalves Beltro
BARTBOLOMEU 8: C.
Trocam-se

as notas do banco do ISrasil cuas caix.vsfliia.is,
;om descont i imito razoavel : na praca da. Inde-
pendencia n. '22. ^______
RA DO TRAPICHE N. 17, 1. ANDAR.
' Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
jo do Minho, em Braga, sobre os seguin-
tei logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Guimaraes.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova do FamalicSo.
Lamego.
Lagos.
Covilha.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Boja.
BaneUos.
m
m
Precisa-^ de um ftor para Halar V mu sitio
piefere-ce coa familia a tratar na escadinba da
Alfcndega n. 3._________________________
~"leruuta-se ao Dr. Joaquim Poeonio de -
gneiredo, residente nu <->'ni>-, se como testamenta
ro fi inveutariante dos bens que ficaram pelo fal-
lecimentn de IV Baria Josepha e Figaeiredo Sal-
dado, pode aiirovcitar-se da distancia em qne se
i.-lia ora IVniwnbuco nina Iierdeira instituida em
testamento d'a.inella fallecida, para reter om >t o
dkmeirdejuias legados esta berdeira : frustran-
do todas as leUgeaias. que at boje se tein feito
para reeeber este legado. A batt-rvoneSodo lm.
Sr. Dr. jan de i-apellas da corte': a ultima eoaza
que resta, e :iqni se invoca para chamar a coalas
o testamenteiro remisso, e obrigal-o, sob as penas
dalei, rmnprir as ultimas disposicoes do testa-
mento. Recito. 4 de marco de. ItWJ.
TaiDADE
Aos 500 pares de brincos.
Cliogou e vende-se no Coraco
d'Ouro, ra do Cabug, brincos de
mosinias con urna franja penden-
te a um rico desenho o ouro de
le, pelo pibero preco de 43/5000
cada par. bat-atissimo.
Para cozinha
Precisa-se de una pessoa que cozinhe bem : na
ra do Crespo n. 23. _____
Neescriptorio de Tasso limaos, ra do Ano-
rte u. 37. ha para vender gargarita de seda ^zu
mais pertences para forro de nni bom ocarr.
jtaj-ijiaj^gt
O advogado Dr. Antonio de Vas-
concellos Menezes de Drummond
transferio o seu escriptorio para a
na do Imperador n. O.ondc potle
ser procurado todos os das atis
das 11 horas da nubla al as 4 da
tarde, para os misteres de sua pro-
fisso.
- Na -ra do Pires n. 4*, jprwisa-se de duat
aokns para engommar e eozinnar.
ilillUilxlllilllill
Resta venda nm escomido sortimento de ub-
celos de marcineria, como sejam, inoWlias .!' ja-
caranda, magnooaiuaivilo, obra nacional eesiran-
geira, de apurado gtrto eporprero- raznaveis:
na ra estreita do (osario n. Nesta niesma
eaa fazein-sc com perfeieXo todos os trabamos de
palhialia, como sejam, einpalhainento* de lastros
pan canias, cadeiras'c suplas.
PEiSO
l'edes,- ao Sr. Ifanod da Costa Perora, plati-
cante da repartir') das obras publicas ova em
ii.Vi, qne eompareea ra Augusta sobrado
u. 102, .ilini de saldar o seu debito ou pagar o
I i p ider e istn com brevidada.
Methodo Castilho.
ecnndmo Jos de Paiia simoes, prefljssor par-
'ilar de irt-iruecio elementar pelo inethfld tis-
liiho, avisa r.o respeitavel publico a cora espeeiali-
dtdeaos pais de familia, que est aborta sua aula
d'sde o dia 7 de Janeiro, na ra da Penba n. 2',
primeira andar, aoiide recebe pensionistas por
preco eommaia o moran proiesaor prometi
i esmerar no adantamento de seos alunv
Aeha-se aberto desde omesmo dia um cur-
so -I.I.* qiirn.) piiili.'ivni freqoeomi' ddnoti oda.
Loja venda.
Ycnde-se una lojademindezas, na rua .lo Quei*
inado, bem afregueiada tanto para o mato como
para a praca, propria para algum principiauta per
ANTONIO EPAMINONDAS DE
-MELLO tem o seu escriptorio de
advogado i ua do Quuimado n. 8,
l. andar.
Alberto.
por
>000
MrensiAde um romance
*o Candido.
Um vokniie em 8-, francez-----
Do iiicMin autor
IMA REUNIQ NA PRACA PUBLICV
SCENA DRAMMATICA,
Um volume em S\ franciz... 3tX) n
As-ignam-se-ia livraria franceza ru
do Urospo e na encanlenaQao Parisions
na do Imperador.
< Pede-se ao Sr. teauilo^coronel Luiz
Kiancisco ile Barros Reg, que d solucao
ao negocio i pie tem como abaiso assignad*
relativo a sua letra e liypollicca que se
acha vencida, visto que nao tem-se dignado I
responder as cartas que Ihe tem sido diri-
gidas, pediudo-lhe o compiimento de seu
<\<:\cr.
Recife 3 du niarco do 18!).
/)/. Joao Fmncixco Xavier Pues liarnio.
PARA USO INTERNO
N i: PAR A POS SIMPLES
Xaropc de jurheba garrafa. liWKK)
Vinlio de jurulwba garra/a. I/JOOO
Pilulas dejnrulieba vidro. I?)600
Tintura de jiyubeba vidro. 6i0
Extracte liydraL'oollto de jurobeba. 1265O0
PREPARADOS COPOSTOS.
Vinho de jurubeba ferruginoso garrafa. 2^000
Xarope de jurubeba ferruginoso garrafa. I *000
Pilulas de jurubeba ferruginosa vidro. 20000
Oleo de jurubeba vidro*. 040
Pomada-de jurubeba pote GiO]
Emplastro de jurubeba libra. 2#500
PARA USO EXTERNO
A JURUBEBA.
Esta planta e boje reconbecida como o mais poderoso touico, como um excel-
IcnteiSesobstruente, ocomotal applicada nos engorgitamentos* do ligado e baco, as
hepatHfts propriameute ditas, ou anda complicadas com anazarchas, as inflammacocs
subsoquentos as febres intermitentes ou durezas, nos al>cessos internos, nos tumores es-
pecialmente do tero e abdomen, nos tumores glandulosos, ua anazareba, as hodrope-
zis, crys'pcllas ; e associada as preparaces ferruginosas, ainda de grande vantagem
as anemias, chloroses, faltas de meiistruacfio, leucorrbeias, desarranjos atnicos do
estomago, debilidado orgauica e pobreza de sangue, etc.
O que dizemos affirmam os mais distinctos mdicos dcsta cidade, entre os
qtiaes podemos citar os Ulnis. Sis. Dr. Silva Ramos, Aquino Fouseca, Sarment, Seve,
Bereira o Caimo, Firmo Xavier, Silva tp. Todos elles reconhecem a excedencia .d'este
poderoso medicamento obre os demais at hoje conhecidos para todosjos casos citados,
tanto que iodos os (lias fazem d'elle apjdicat:3o.
A presentando aos mdicos e ao publico em gerai diversos preparados da juru-
beba, tivemos por fim generalisar mais o uso d'este vegetal, fazendo desapparecer a
x repugnancia que at boje sentiam os doentes de usar dos preparados empricos delle, e
i mais das vezes repugnantes a tragarem-se, e que tinliam aind a desvantagem ie nao
ser calculada a dose conveniente a applicar-se, o que torna muitas vezes improiiuo um
medicamento, que poderla produzir ptimos resultados.
Os nossos preparados s foram apresentados depois de haverraos conveniente-
mente estudado a jurubeba, fazendo as experiencias precisas para bem conbecer as pro-
piedades medicamentosas il'csta planta ei suas raizes, folhas, fnictas ou bagas, e a
dose conveniente a applicacao, tendo alm d'isto procurado levar os nossos preparados
ao maior grao de pereico possivel, paia o que nao poupamos esforcos, nao nos im-
portando o penco lucro que possamos tirar.
Por tanto os que se dignarem recorrer aos no?sos preparados podem ter a
OSrtftza de que clles olferecem a garanta, de que se pode encontrar, a prompta e infalli-
vel cura de qualquer dos soffriraentos, que deixamos innumerados, se forem em tempo
| applicados, tendo alm d'sso, medico eu doente a vantagem de escolher as nossas va-
riadas preparaces, aquella que melbor Ihe pode convr, j pela fcil applicacao, c ja pela
complicaco das molestias, idade, sexo, ou anda natureza de cada individuo.
As nossas preparaces ferruginosas sao l'eitas deforma que se tornara comple-
tamente soluveisjios suecos gstricos, porque procuramos oscompostos de ferro que
como taes esto noje recoohecidos.
Para aquellos que mais minuciosamente queiram conbecer as propredades da
jurubeba, e saberem a applicacao de nossos preparados, destribuimos gratuitamente
em nosso deposito um l'olheto, onde tratamos mais extensamente d'esia planta e dos
nwjuiiusfprepui ades.
Doposilo gefal dt; tolos os preparador
Rotlca e drogara
34Rualaci/a do Rosario34,
Para
'&X<-&> ^&:/^&:^&;{&:P. '&&:&&-
DOENGAS DO PEITO
XAROPE d'HYPOPHOSPHITO OE CAL
'tisiMimi
A elcacia d'esta preparado est cstabeledda desde 4 857, pelos mais celebres mdicos. Desde
enLao muitas imita5es tem sido feilas, mas nenhuma poude sustentar a comparaco com o
producto aprcseiuado pela nossa caza. Por isso excitamos o publico para que exiga sempre
este xarope com urna bella cor de rosa, nortea branca, e com a nossa assignatura roda do
frasco.
Sob a sua influencia, a tosse acalma-se.osnores nocturnos cessSo c o doente volve rpida-
mente i sade. 0 seu empreco d tambem os mais brilhantes resultados nos defluxos, catar-
rbos, bronchites, irritacesdo peito. etc.
Deposito cm Pernambuco. em casa de Maorer e O*.
a ijiian'siiia
Na rua estilita la Itosario n. -'lo, sobrad-i de
um andar, fazein-so. flores de todas as qoaUdadapi
ter pone > fondo : a tratar un in.sm.i rua n. 6%. lra ornamento de groja, aliar, andores o sepnfc
I ebro, inclusive arcos, palmas e rosas, e ludo quan-
; to fot poiieernenle aos eros actos ; ussim cuino
; pjeparam-3o para (ora rom a maior presteza ijuaf
'|ucr onconmienda nesta genero ; cutio sini tain-
hcn se fazem llores mimosas proprias para onfei-
tar vestidos, saiotes c capacetes de aojos, e mais
barato que cm outra qualqner parte. N ni suia
*. Ferrclra Vlllela.
Photosrrapho da casa iin|>erialic:ls;,.s,:eiK" o. I i venda o seguinto : ricos ramos de seda enfeitados
prtMinatfo em diversas exposi-, ^ ,,;,niitiino L''n ",,r" de cera proprios pando
_Jl__ mingo de Ramos, vellas enfeiladas ricamente, bor-
dadas a uuro, prop ias para ba|itisados, capellas de
time.- para meninasu ueivaa. Aleiu disto so en-
i-iiiiibcm do preparo de bandejas de bolos finos
enfeitadis de eonformidade ao fim a que se desti-
na, quer seja para easamenios, rque para bailes;
fazem tambem vestidos para a quaresma ou ontro
mahraer que se precisar com a maior prompfidao
Iftl
Na sua photograpbia i rua do Cabug n.
18, entrada pelo pateo da matriz tira re ti a-
tospor todos os systmas pliotograpliicos.
Em porcelana Em vidro
Em talco Em papel
C\RT ES DE VISITA \'3(i A DUZIA.
Os retratos cartc-de-site sio exiliados
u carlis de luxo bristal ou |wrcelana,
Jourados ou lithograpbados, quadriloncos
ou vinlietas para oque existe urna varieda-
de de ii modelos a escolha de queni se re-
catar. Para as outras especies de retratos
temos caixiiilias, passe-pa-tuitti, quadn.s
e molduras douradas e pretas cassoltas de
ouro e alfinetes simples e com pedras pre-
osas, haveudo nos alnetes urna mimosa
\ariedade de feilios. *
O nosso estabelecnento pl>otograpbico
est sempre em dia com os melhoramentos
eprogressos que na America do Norte, na
Europa ou no Rio de Janeiro secongegue
na arte photographica, e para alcancarmos
tal fim nunca poupamos despezas neo sa-
j iicios, de sor te que os nossos numerosos
freguezes podem ter a certeza de que sem-
pr-d eMootrartg en nosso estabelecimenw
Uido quanto a arte e a moda ollerecer de
bom no novo e velho mundo aos amantes
la photographia.
e asseio.
A.ju^'u c -avi| 40A3O4u*uao ptslu aiu-
cuel de urna e-erava de boa conducta, para en-
Kommad" e algom ensaajaad), p/Mle dlrlfitr-se ein
'aila a e-la typographia con o sobscripto para
A. F. M.
PJRIMEIRO LTVRO
DK
u:ihri
PIXO
dr. Abilio C. Bornes^
>a
2* EDCULO VI.UIOHADA i: AUGMENTADA
* veatla ualftraria Fraaceza
Esta olirinha, primeira .pie com tal Litlo
apareen m i.ii/., conioosti segundo um
syslema especial, abreviado, philosopbi.:) e
ameno, e muitq dilferente das cartas :>-
nhecldas com o nomo de A B C.
Recomenda-a o facto de haver sido adop-
tada para as escolas publicas Je quasi to-
das as provincias do imperio, sendo, porj
toda a parte tao ventajosamente aceita,
camenos de 18 mezes achou-se escotada
a primeira edicq" tte dez mil exemplare^.
i : de urna ama para codnhar em
casa de h Iteiro: na rua dc'Queimado d
.i. Inja.
Fundipo da Aurora.
Seaia vaste cstablccnejlte .-empro se eucontra
um completo soriimento de taixas de ferro batido
e fundido, fabricadas reeentemente, e se faluieain
de qualquer molde a vontatie dos compradores, e
rosos razpoaveis
lrmadade do Kenhor Bom Je-
hus das Portas, na igreja da
Hadre de Ueos.
Petu pfoseoie oowmio a nossos charos irmiios
i para coiiiparecerem na igreja da Madre de Dos
| sexta-foira 12 docorrente, as 2 1/2 horas da tar-
de, afim de encorporados, irmos acompanliar a
procissio do Senlior Ilum Josus dos Passos, que
tem de sabir do convento de N. S. do Carmo para
o Corpo Santo, para oque ionios convidados.
O escrivo,
\lauool Moi eir Campos.
Mk
Precisa-se de urna ama para o servico de casa
do pouea familia : aa rua do Torres n. 14, tei-cci-
ro andar.
-maiidade do mnoEsp-
rito Santo.
Por orden do irmn juiz da niesma irmandade
roga-se a todos os iraaios para eomparecerem no
4ia sexU-Mra U do correnit, polas 3 horas da
tarde, em a nos panbarmos a procissao do'Senhor dos Pasaos a
convite da respectiva irmandade.
Manuel Uiiz d* Veiga,
Secretario interino.
13ARATI88IMO
Calcado nacional; na fabrica de lose Vicente
Godmio 5t.C, ra do Jardim n. I>, avisam ios
tinan! a fabricar calcadoem alta escala, c offe-
reeemas melbon-scondisoes, tanto empreco como
mi quuli.iade. Os pruprietarios deste OBlabeleci-
ment chamam a altencaodos senlwres consoaii-
lores do interior, que os quizerem honrar cora
pulidadc e nuincraeao,olTerecendo-se para os en-
tregar bem acondicionados em casa de seus cor-
respondentes nesta praca.___________
Frederico Maia
Cirnrgio dentista pela escola
de medicina
do Itio de Janeiro. *
Tem a honra de participar ao respeitavel publi-
co desta capital e seus suburbio?, que tem aberto o
sen gabinete de consultas e operaces dentariis a
rua Bireita n. 12, primeiro andar, onde pode ser
proscradotodos os dias das 8 horas da mar.L'a as
1 da tarde. Elle acha-sc compeb^ntemente habili-
tado para cr porqual(|uerdo3.systemas, e bem assim esampe*
nhar qualquer outro trabalho eoneernente sua
I -i i i.o. O mesrno, reconhecendo que nem >cm-
pre i!-\issivel s senlioras ou enancas sabin-m a
proc..;/ o remedio, Tercee-su a remover qnal-
juer obstculo, declarando que na cidade se pres-
tar a qualquer chamado em que issoinflua musa
ilguma na commodidade dos pregos de seus traba-
lhos,e mando para lora delta assim mesmo ser
procedido de um ajuste rasoavel, rarantindo elle a
egoranei e perfeicao de seus ditos trabadlos. Em
lenteps dentiricio, elixir o outros medicamen-
u>5 ooontalgicos : a na Direita n. 12, primeiro
indar.
GRANDE HOTEL
DE ORIENTE.
Inangurou-se este commodo e elegante
estabelecimento d'onde os seus frequenta-
dores poder3o apreciar a especialidade na
confeccao dos ? .eros alimenticios.
As bebidas sao as mais.primorosas c rc-
commendadas.
A decencia e bom servico primara n'esta
casa no bello gosto oriental.
Mandam-se domicilio comodonas, tanto
avulso, como por assignatura mensal. Os
precos sao mdicos e convencionaes.
Ha urna espacosa e bonita sala para o
elegante jogo de bilbar.
Ha tambem aposentos commmodos e bem
mobilbados para hospetlagem.
Ba larga do Rosario
n.44.
-aropc Vegetal Americano, especialidade de llarthoCM nc
34RUA LARGADO ROSARIO34
No costumamos procurar attestados para acreditar nossos preparados, de
xatuos que sua applicacao e os resultados obtidos pelas pessoas que se dignara aeceita-
l08,lbesdeem crdito evoga; porque sao sempre os alteados considerados graiuito,
e delles que lancamao ochariatanismo; mas, nao querendo offader as pessoas q
espontneamente nos offereceram os que abaixo \o transcriptos, os faztir.os publicw,
manifestando-lhes nossa gratidopela attenco, esperando que venham elles corrobora
o conceito, e acceitacao que tem merecido aesso- xarope.
Barthohuieu & .
ATTESTAUOS
Illms. Srs. Bartholomcu 4 C com a mais subida satisfacao que dcdtr*
ser o xarope Americano de urna efficacia extraordinaria, pois que soffrende lia dias d*
intensa tosse, pontb de nao poder dormir a noite a despeito mesmo de medicamento
que tomava, a ellerecorri e naterceira colher fui alliviado, c de todo me ade hoje rea-
tabelecido com o uso spmente de quasimeio frasco: grato, pois/ csse resultado mani-
fest a Vv. Ss. meu reconliecimento.De Vv. Ss. amigo, venerador c nbi igatlo.M>
noel .\ntonio Viegas Jnior.
Sua casa 20 de abril de i868.
Illms.*Srs. Bartliolomeu & CPcnboradissimo com o favor que me fizera
de aeonselbar o uso do xarope Vegetal Americano, de sua composiro, piaiulo me acba-
va bastante doente de urna constipacao, queme toriiou completanienle n;iuuef
trouxe urna forte tosse, e me impossbiltou tle cumprir os meus deven s de cantor da
empreza lyriea, vou agradecer-Ibes meu completo restabelecimerrto, que oblive ceat usa
s vidro do mesmo xaropc, depois de baver recorrido a mutos.tratamtilos. Dcseiart!
que outros como
ea recorram ao seu xarope
incommodo, to fatal neste paiz. Com maior
para se verem allviados de lo lermeJ
considei ac5o contino a ser de Yv. S*.
attento, venerador e obrigado.Luiz Cremona.
Recife, 23 de setembro de 1808.
Illms. Srs. Rartholomeu & C.O xarope Vegetal Americano que Vv. S3. tem
exposto venda de toda eflreaca para o curativo d'astbma, conforme observei atpli-
cando-o a meu filho Joaquim, menor de quatro annos; victima d!esse lagello, que at
ento por espaco excedente a dous annos liavia resistido a outros xaropes de gramit
nomeada. Queiram, pois, Vv. Ss. acceitar a expressao altamente sincera de meu reei<-
nhecimento tao meritorio servico que Ihe prestaram com o indicado xarope. MMriMa-
do-me para sempre de Vv. Ss. criado, attento e obrigado.Americo ISelto de Mendonca.
Recife, 2 deoutubro de 18(18. '
DE
rM*j_LAnBSI
DE
J. VlliNES
N. 35RUA DO IMPERADORN. 33.
Os pianos dcsta artiga fabrica sao hoje assz conhecidos para soja necessah
insistir sobre sua superiondade, vantagens e garantas que offerecem aos compradores
qualulades astas inconteslaveis, que elles tem definitivamente conquistado sobre tede
os que tem apparecido nesta praca; possuindo um tecladoemaciunismo que idxdece
;i lodas as volitados e capriclios das pianistas, sem nunca falhar, por scrcm fabricado
de proposito o ter-se feito ltimamente melhoramentos importantissimos para o cbaia-
deste paiz; quanto s vozes sao melodiosas c flautadas e por isso mudo agradaveis ao
ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como nado Sr. Bk-
del, de Pars, socio correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premia-
dos em todas as exposicoes. x
No mesmo estabelecimento se achara sempre um explendido e variado soiti-
mento de msicas dos melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pian
harmnicos, sendo tudo vendido por precos commodos e i azoaves.
m LARGA DO ROSARIO l 37
Este acreditado estabelecimento augmenta
de dia era dia quanto possivel para clie-
gar ao cunie do bem viver.
Alm dos saborosos manjares confeccio-
nados com o melbor asseio, tem bellos*apo-
sentos de hospedagem, tanto para urna s
pessoa,*cofia> para numerosa familia.
A agua, indispensavel demento para a
vida e hygiene, temo-la sempre em abun-
dancia para, facilitar excedentes banbos.
CIIARITERIA E PETIT RESTA! HATT
Annexos ao Hotel Central, rua estreita t>
Rosario n. 4 A, andar terreo.
Para dar a conbecer a variedade mfi&i;-
dc charutos de Ilavana, Rabia, Rio, etc. qt
existem neste novo estabelecimento prr-
cindimos dos annuncios pomposos ajos
ramente se fazem, reduzindo-nos apena? >
tres letras que sao tres bbb bom, bonito
barato. A' vista do genero annuiiciado j>-
de-se julgar de nossa veracidade. Estaec-
Na rua Augusta n. 9i \f procissoes por commodo preco, e ultima moda.
CASA
Di
- Precisa-so de um criado : na rua do Quei"
madon. H, l'amlar.
Qaein precisar de nina ama para ca.
homMl solleiro para conntBr e engomi.iar bem,
dirija-se a travesea da rua do Queimado n. .'i.
Precisa-se
Prata n. 14.
de urna ama
na rua da
Pr/cisa-se le ombomem. que saina
eserew para dis'r buidor teste Diario, prefere-se
pessoa que ja fovse praca Jo exercito : a tratar na
typogiapnia.
Ama
Precisa-se de urna a*na para casa de pouea fa-
milia : no pateo do Terco n. Ai, I andar.
. fiecisa-su de moa eosinhein; na rija do
-!cjon. 17.
Precisa-se de urna ama que saiba bem eosinbar
para casa de rapa/, solteiro : a tratar na roa da
Qdei.i do Recife n. >6, loja de ferraiens.
' Tllbelc inteiro da lotera pie se acha.
a venda a beneficio da matriz de N'azareth de-n.
iOi, prevlue-a ao Sr. toeaoui'eu'n me se poj
i sabir premiado, nao pagar vino a sen le*
gitimo dono abaixo assignado morador rua Im-
perial.
Recife, 9 de marco de 1869.
Bernardo Jos Ribeii o.
Emprestare dinheiro
sobre joias de onro, pra-
ta, brilhantes e pedras
preciosas: na iravessa
das Ouzes n. 2, junto
a esta t}po^pbia. 1/
andar.
a_BaaiffiaaB
DOS CALL
PKl_\
PaaxtMla galaoneai^u
Deposito t*pecUT
Pharmacia da fiartliotomee A^C.
34------Rua larga do Rosaric
Attenc&o
Da-sc dinheiro a juros eui pequeas quantias
obnenhores : nesta typographia se dir qnem d.
Urna senhora que tiver as babilitagoes para
ensinar o portuguez, francez e msica, em mu en-
genlio distante da estacao de 01 inda duas leguas,
annuncic por esto Diario, ou dirija-so a rua do
Galdeireiro n. 42, pie achara com juem tratar.
Ha tambem rana boa bibliotheca e perio-jgosa tambem das condicDes de um deca u
dicos nacionaes e cstrangeiros, piano paraje prtit resttutramt onde se pode ver a < --
recreio, Mulares, etc. etc. j pecialidade dos fiambres e salames de Lm
Sendo ociosa qualquer recommendaco para lanches e at fazer urna boa colao>
para tao acreditado estabelceimento, omt- juntamente com os principaes viulies de
timos mais prembulos, fazendo ver por mercado, sobresahindo entre o bom a pu?
fim, que o bom servico, ordem e noralida- e fervente champagne, o mu saboroso Se-
de imperara n'esta casa, como observancia no, a primorosa ceneja, o licor espirituesc-.
liel do regulamento que possuc. o quanto pede urna mesa. Faz-sc non**
Comedoras a la carie. sorvete ti variedade de refrescos.
CASA DA FOHTOA
Aos 4:000$;
Bilhetes garantidos.
A rua do Crespo n. 23 e casas do costume
Acliaui-se a venda os fWizes bilhetes garanli-
tios da 4* parte das loteras a beneficio da ma-
triz de Nazareth (98.*) que se extrahir segunda-
feira 15 do corrcnle mea.
Precos.
Bilhete. iOOO
Meio.....24000
Qnarto..... U000
Em porca de 100 para cima.
Rilheto. .... 3JS00
Meio......1*730
Qnarto..... 87S
Manoel Martms Finza.
- Aluga-se urna sala e dous anartos em urna
das melhores ras da freguezia da Boa-vista : a
tratar na rua da Imperatrz n. 63, 1 andar.
55-RUA DA IIYIPERATRIZ--55
O proprietaro d'este importante estabelecimento tem a honra de participa'
ao respeitavel publico que tendo fgido d'esta praca a pessoa que se ucIiuau na soa^r-
rencia, elle contratou para sua casa um perito olicial que foi por muito tempo o pr.
meiro official da importante casa Sulingre do Rio de Janeiro j por isso espera o annm---
ciante que todos iicaro satisfeitos estabelecimento as machinas mais aperfeicoadas para Ungir e lustrar do que se faz wr>
na Europa, e achar-se tambem prvido de grande quantidade de drogas escolhiAn-.
sempre de primeira qualidade e fornecidas pelas casas especiaes de Pars.
Tinge-se, lava-se e limpa-se cora a maior perfeic5o fazeudas em peea9-oo
em obras de qualquer qualidade que sejam, taes como 13, algodo, seda, touquia,
pennas, chapeos de feltro e de Manilha ou palbinha de todas as cores, etc. etcl, e
tambem tira-se nodoas e limpa-se a secco sem niolhar os tecidos.
Os senhores negociantes, logistas e particulares experimentem que todij
acharkj proveito e vantagens.
Tintura preta tercas e sextas-feiras.
Precisa-se de urna ama de leite
do da rua da- Imperairiz n. 6-3.
no sobra
Caixeiro
Precisa-se de um menino que tenha pratica de
taberna e de conhecimento de sua conduca : na
rua de S. Miguel nos Afogados a 34, taberna.
Utancja
J. A. Morelra Dias transferio sea eta-
bele.iimento 4c ferragens raa da Cruz
n. SO para a mesmn raa n. 26.
= Precisare por alugnel de um molemie^S
reeados, da Wa ll*aao : na. fu DireiUn. 79.
2* andar.___________
Preasa-se alagar uia escravomoeoon ve-
nbo ao; largo do arsenal Veiioe-se, ou permuta-se por pre-
dios nesta cidade. por apolices do gover-
no. ou de companbias, ou raesrap* por le-
tras garantidas, o engenho Goiabeira junto
a Santo Amaro de Jaboat3o, 3 legoas
d'esta cidade, de moer com agoa, sofrivel
casa de rawada., levada de pedra e cal,
iHias obras, todas de lijlo e pedra, 3
grandes cercados cora yargons e trras .suf-
ficientes de pruiluccao regular com estra-
da para carro at a porta, e para onde se-
gu a nova estrada \n ferro. A fallar na
rua da Imperatrjz n. 2$, 2* andar.-
IRHIZIIH PKKVIHWllllO
86-Rua das Cinco Pontas86
gtThom82 Jos deOHveira & C. avisa aos seus fregueaes que fnram, tanto desta pra-
ca cornado ntro da provincia, que regresa u de sua viagem Europa no fim b-
zemhrarprraimo passado, ese acha e.4abelecido com um armazembem sortido deawr-
cearia (yalgo molhados) de bons gneros, e por precos rommodos^c gartmtindo quaJida-
de, pea e meilida, nos gneros comprados no seu 3imazem ; iportanto pede e rega
que nao deixem de Ihe dar a preferencia.
~ FRANCA-BRASIL
>1R. MKROEB, alfaiate francez, previne ao respeitavel pnUioo e a seus nnmcrosw fraga
botos simpfs. rom v&-nla e corte de cn^6ranco3 e ainarelos. Itecebe por tod< g <^' vapeag
nltmos fifur not p a I env-m, senheras e meninos.
VrTTTTTltTtl
Aluga-se
Urna tirela escrava que esteja aeostumada a ven
der bo.9 pelas mas : a tratar na raa do Vigario
lo. 14.
1ITII1
rr CIGARKOS INDIANOS
DOGANIVAB1S INDICA
".i. PARS
IIBtUlllt
Todo* os meins at hoje preconizados conira a astlima nao tem sido mais do qne palhatmM
debaixo de todas as formas, tendo por base a belladona, o estramonio ou opio. Rceme es#-
riencias faitaaem Allemanha, repedas em Franca e na Inglaterra, wm proado qne o canaa .
indio de Bengala aossne as mais nouveis fropriedadespara combaier essa leraivel afteccio,.
a&in como a tosse .nervosa, a insomaia, a tysica laryagea. a roaqaidae, anecto da oa, |
as newalgias faciaes. E* pois com o apoto a ciencia que offere** estecigarro, prepara-
decoa aaawsf de- enaaao dea IndMv ftt.aAaiprtan>o de Bbaim.
< Denaaite em Ptrnarntuc+.m cana.de atMuw 0*.
^U4JU.JUmi MIUIIU
\

-
i
**!


'
Ni

**
*#
Diario de Femambueo -r Quinta fera 11 de
Mar<;o
de 1869.

Grande li^uidaoTio de miudezas !
miso Moreira Temporal, querondo lkpiidar as miudezas existentes cm sua
toja roa .do Queinlldo n. '.i, resolvea annunciar as mesmas miudezas, para que o pu-
blico se certifique do diminuto preco porque as est vendendo, a saber:
Caixa com agulha franrejp. a 100
Caixas com 100 onveloppes a. 500
Pecas de tobados o ontre-meios
a 500, 600, 70), 800 e. l.-jOOO
Pecas de fita de coz com 10 va-
ras a........ 500
Linha d marca,caixa com I(J
novollosa...... 2iO
Coques muito finos com rede, s ~ '
a rede val.....' 1)500
Frascos-com santos multo finos
a.......... Iji-JOO
Latas com banha (familia), a
K>0-e. ....... 00
Cartao oom atSnetes a 100
Copo com opiata muito fino a
400 o .,...... 500
Cartas francezas a 200 e 2O
Hitas portuguezas a 120 e loo
Gaixa de linda do gaz branca 50
novellos a...... 600
Frasco com tinta a 100 c 160
Frascos com banha a 320 e. iOO
frascos cora agua de Colonia
Hwi........' I.-5EO0O
Peotea de travessa para cabello
de meninas, s a-vista faz
fe, a........ 320
'.ra para bordar, libra. 0*800
Vovello de linha grande cora
OO jardas, S a \isla faz
le a........ 60
Pares de liga de borracha para
pautas ile senhora, muito
boas a....... 60
Franja branca para toalha vara
......... 200
Resma de papel almaco, muito
boa fazenda, com 85 eader-
nos a........
Caixa com. papel amisade a .
Jogo de'vispra a.....
Sapalinhos de la para meninos
a.........
Pecas de tranca e caracol a .
Sabonetes de todas as qualida-
des a 80, 100 e ... .
Frascos com oleo babosa a
190 e.......
Pinceis para wrba a. .
(az a........
Frascos com agua de Colonia a
320, iOO e. .
Pentes com costas de metal .
Caiteira de marroquim a .
Pentes pastos pan tirar piolhos
Escovas para cabello a iOO,
500 o.......
Garrafa com agua divina a. .
ravatas de seda de cor a .
Ditas pretas a iOO o .
Bolties de louca para camisas, a
'Jrrala de tinta roxa a. .
Lencos braneos pan nios
a........
Par de suspensorios para bo-
nicos a......'.
Espelho de toucador a ; .
Frasco com cl.ieiro muito fino
a.........
Bandeja para copos a .
Aeias croas para homens, boa
fazendaa 3-5I500, i e. .
Abotoaduras para colletes a .
1 i 1IC l
l.U 1)KS< OIUUMENTO ESPANTOSO!
O xarope de ffedegoso, de Pernambuco,
preparado pelo pharmaceutico J.'de A. Pin-
to, cura rad a tsica e asthma, I
tudas as niolesll 'ios pulmn-.
PodeniAer-sj os alicatadas de curas no
nico deposito das prepafaeoes deTedegoso
(leste autor, ra do Rosario Largan. 10,
junio ao quartel de polica.
Illm. Sr. Joaquim i'Almeida Pinto.
Braga, 23 de Janeiro de 1868.Meo ami-
go, aqui cheguei com algumas melhoras;
depois de ler tomado tres garrafas do seu
preparado.rar^pe de fedegoso; isto c
pelo mar, porque logo que cheguei em Lis-
boa, principiei commais f a lomar o dito
xarope, por conhecer pelo mar que elle me
fazia grande beneficio, pois a vista da gran-
600 ('c Qoanlidade du sanue que eu botava pela
00boca, vi que me (a desaparecendo com ra-
3201 l'idcz, depois que continuei a tomar o dito
xarope, o tao milagroso foi para a minha
molestia que boje me acho de todo resja-
bclecido, e al nesmo bastante nutrido, e
por isso podo Vm. fazer seiente ao publico
o milagre que o seu preparado obrou na
minha enfermidd. Sem tempo para mais.
sou de Vihc.Artigo atiento, venerador e
muito obligado.Manorl Jos Gonealves
l'mira.
280U
700
'.00
320
O
200
Veneravel ordem ter-
ceira de N. & do Car-
ino do Recife
Pi'la secretaria desta venemvel ordem manda
* "tfi1 Bl'8ei'ura convidar a todos os chaiis-imos
imiaos a comparecereni em nosso consistorio pa-
nmentados eom seus hbitos, sexta-feira li <1"
frrente, as 3 horas da tnle, pura enrormrados.
aconi|.aiili.iniis a procssao do Senbor liom Jess
dos Passos, que ha de sabir do convenio do ('.ar-
ma para a matriz de S. Fr. Pedro Goncalves do
Iteinre ; correspendendo assim ao convite ijijc nos
ro dirigido pela respeitawl irmandade d merino
Sacro-Santo Senhor.
Secretaria 9 de marco de 1869.
O secretario,
_______ Joaipiim Xavier Vieira Ligo.
In,mndadedeN. S. M~dt~dos lio
Attenpo
M'i' to de Meiiczes Costa, pro-
fessor de m i roa, conlinna a dar Rroes de
sua o vocal como instrumenta!.
em oad .-.ilicular ou em algum collegio;
assim como tem atera urna aula na casa
de sua residencia na ra da Palma n. 83.
Ama
Y; raa d CodondtB.8 precisa-sc de una ama
para nomcm solteiy.
Oafeeiro.
Precisa ~e ile un eaixeiro : na ra da Cadeia
;>\.i n. ".. Liberna.
SEI1M
300
320
100
200
600
I jtOO
320
500
160
soo
lllm. Sr. Joaquim tfAlmeta Pintor
lia muito que ouvia proclamar as excel-
lentes propriedades do xarope du fedegoso
contra a tosse o asthma, e soffrendo eu de
nina toase pertinaz, e tendo usado de toda
>00 a S0l*tc *8 medicamentos, vali-me pois do
ahjoo\xar0f de fedegoso, e urna garrafa somen-
' te fui bastante para restabelecer-me, e me
vejo Um robusto como dantes; suecum-
; biria de corto a nao ter usado seu .mrope
Y vista di-io nao tenbo expros&es
'.'""! com que exprima a \. S. agiatidao deque
Ihe devodor, o de V. S. atiento venerador
criado '
Jo) da Coso ll'go.
*0
1-MHX)
i-UO
'e>500
&* IMA
t Illm. Stk Jmu'ii'/ii! d'.ttmida Pinto.
Tenlio a ventura de commimicar a V. S.
que gracas aoinaravilhoso jarope de fede-
goso, estoit com o rtifeu escravo Jorge com-
idetainenle reflalxslecido da molestia dos
pulmoes. que h. tanto lempo o persegua.
t Aceite V. s csa minha declara<;3o
como prova do mea reconheciinento pelo
bern que \. s. ataba de fazer-me, e cuja
iecoidaca.i lic.ii nterjiada no coraco do
De V. S.
ltente venerador e criado
lienta Joaquim Gomes*
mens erecta na greja da Madre
de Dos
A mesa regedon manda convidar a UldoKM
irmaos a roraparecerem em nosso consistorio sex-
U-refra, 12 do (Mrenle, as :t horas da larde, alim
';' oncorporadus, aoompanharmoa a procissao do
Senhor dos Passos, para o ijue fomos cwwidaos
pea respectiva niiandade.
Consistorio 9 de marco do 1869.
O escrivao,
____ T J. X. Vieira Ligo.
rinautiade do Weuhor dos Pan-
os na matriz do Corpo Santo.
I'jndo a irniandafle de cx|xir cm solemne pro-
icissao o sen padroeiro no da M do convine com
a pompa o magnificencia devida a lio Excelso Se-
nhur, sahindo ella da greja do convento do Carino
a reeother-se nesta malviz, sao convidados todos
os innios desla irmandade a compareccreni na-
queHa .moja as 3 horas da taide ; rngando-se a
todo- aquelles que tenbam capas ora seu poder, e
que por qualqoer motivo debceu de comparecer,
manda-las entregar ao irmao thesoareiro, pois cuic
''' < aeto (pie ellas se Wrnmn mais precisas.
CousJslorio 9 de mareo de 1809.
O escrivao,
I. I. Lima itairo.
Ii'inaudadc do Kcnhoi* dos la.-
*os na malHz do Corpo Santo.
' onvjda-se a lodos os reverendos senhores sa-
cerdotes para aeoinpanliarcm a procissao do Se-
nhor dos Passos. (pie tem de sabir da greja do
convento do Carm uo dia l do curren te, as i
lloras dai.uile.
''"historio 9 de marco de 18G9.
O escrivao,
I. 1. Lima llairao.
11
o
No.dia i i]c leverciro prximo pastado desap-
I' .le.rn 1, escravo crioulode uoine Salvador, m
idade <)anii).s, poA mais ou meicts, cem os
atenta sajnaMa: rosto ovado, oiiios pwiuenos,
sobraneolhas pretaa, bocea regular, beicos ditos.
lem toM 98 denles na frente, nariz chato, liana
serrada por balso do qneixo, balzo, corpo rega-
lar, ralla de vagar, nao se altera na tallas, quer
BonvtmeBr a qualquer peasoa por mns blandos,
usa andar com um balaio no braco e mMeape-
cie ile japona alrawssadi no hombro, calca de
azulan on estopa, camisa de algodao de listras por
baixo de nma de estopa, aberta na frente, com
boleos, lem sido visto na roa da Guia, no Recifr,
na Passagem da Magdalena adante do sobrado
grande, em um mucambod' palba de urna inulliei
livi" p ir nomo Maricas, lavadeira ; asini laoibem
foi encontrado na ponte de (Jehoa, em eompaabia
da misma mullier, com una irouxa de roiqia, i
d sappor que mude de lugar : roga-SC a quero
o 1 neontrar lova-lo ama de Agoas-verdes n. so,
ou ao sitio da estrada? de loao de Barros defrontc
ila. Cscala n. 28.
O Sr. Vicente Kerreira l#al queira vir a esta
typographia que se Ihe de<.-ja fallar.
- Precisa-se da nma ama de bous costumes
que:aiba bem engommar ecozinhar : a tratar na
roa do Imperador n. or, '.Y andar.
Alerta!!!
1CL2C;J2
l)p larca do Ru&ariti n. 41.
boill inoleqm
na ra
\ guia branca tem-se Mo lao oaabeejda c
oruditada, ao s pelas novidades, variedades, su-
1; i lad e ahannaatia da sen sortimanio, come
pela coasuate commodidade deseus procos, o mes-
n lo : (i assaa nunca olvidado agrado e since-
fidade.
Es#as aaiades inionloanoii sao sem davala
'lo bello sexo em particular, e pelo
r sp< naval puMieo em geral,-e a tanto tem chegada
'. eslo tpiasi passano orno annexim ou pro-
rarMo, (piando se, vo um objeeto do elegancia,
1, novMade, etc., etc., d-se logaquelle ob-
aeta sem divida l'oi comprado na loja daguia
I :a.
litando :i > club, nos bailes, ou no alao do
Sinta Isabel, urna exrellcntissima se. aprsenla
"nt trujando, trazendo o moderno cinto
de miu larga lita, lisa, chamlotada, ou scosseza,
.s ajamiradaras dizem camaigo agella fita
f'-i caraprada na kija d'aguiaibranca.
Qmiwlii outm aacoUentiasama, nao monos gaV-
. mwtra o rigor de sea bom gasto na accrmda
Iba dos enfeites de alia v. ividade QJB6 bolla-
mcfite ornam 5i vcsiido, aiada mosmo asrivae
de sua sympathia conressamifuoaquelles enfeites
.1 i~i lojA d'aguia branca.
tando amara excellentissima, apezar da sin-
la de j-iu porte agradavel, se vt*m as bonitas
lavas de p-llira duqueza as suas bellas rni-
cas toavamdke o gosto o enafessam queapiellas
bram a loja d'aguia l'2nea.
QajaadsjQanma dnaa excellentissimas, antigs
!dg:^ de .ottegio,.se eucontram naiiueltos loga-
ten, deppb itos camprimentos de recprocos teijos,
baal por hrfl* de sua elevada delicadeza, g^bam
Pergnnta-se aos gerentes da soeidadeluques
Trafiles, Pandtlha, Camaleao, Larapio, Ladran &
C, o que fizeram de cenlo e tantos mil res que
eXtorqniram mais dos incautos socios comroandi-
larios, a titulo de ser para cerveja para quem
freqnentasse a sociedade no carnaval; pois nem
ceneja em dinheiro mais se vio ; ou esse di-
nheiro s-ria para pagar serviros aos seus assala-
l'iad quii llio se, v.'in de inslnioeiito. vi.-io a sua
nigiv covardia e estupidez assim oex.gir.
O logrado.
Uva do Queimado n. 4(J luja A
miudezas de Jos de sizcvuk
Mata c Sdvn con/trcidoporJutf,
Bigodinho.
Est que mando os ibjeclos abaixo dorUn*.-
|ielo dimimilo preco, a saber :
frascos com aga de Culwiia \> 1 .k la?
Garrafa* rom a^na Florida vcrdadciia,ijuc fe ff-
ranle a I i?00.
Pantos para regaar cabello de iienii)asa320is.
Tbesotaras muito linas para nabas c "<*tntasa
500 M.
! Tintciiiis chelos de tinta muito preja a 80, MO, MB
c40.s.
Vara*de franja branca de Bnho naca 'oslan*
ieo is.
Cabras de phosphoros d. pegnrauca a 0,40 #
160 rs. ^
K.ivallias de cabo- de loarllm e une -? *annaaea
qnalidada a .}.
Libra de la a para bordar a ".
Pecas de lila lun a elstica muito sUperiaV <'
e300rs.
-NHvi'llos de linha branca rom ICO jardas atfaa.
Resmas de papd de pesa liso omito tinoaSjo.
Latas com rapnior banba a 00 e tOi
Caixas con seis fraseos de ebetra moni fine a
SOO is.
Gaixas cumdaM frascos, fluaada w Mi a IJaW
_ e 2130a
Frascos com superior oleo SkHionM a 560fa,
Calungas desabaotransparente muito xnitoct-
110 a 3O rs.
Duzia de paos de pomada do Reino, da etcW*-
qnaUdade a O rs.
Pecas de liras bordadas muito linas a rCC.G80
tiOrs.
Hilas de baliadii.hos com dez vaias a 100
Caniteis de linha de oda.- as edres, para -ralwr
aOrs.
Garrafas com agua divina a 1^00.
Fia-eos com SBprrior macaca leru'a a 'ISO rs.
Caixaa-de vidro com iloze didaes. que a caisa
vale dinheiro a 20O re.
ba ile
le rdadn a
...: taruga a
Jllin. Sr. JoOtjuim d'Almdda Pinto.
Cumprindo am d( ver de gratido partici-
po a V. S. que, por meio do setl abencoado
umaaoutra os agradave dieiros de un iisan 'TT^- (""tl'^W^^ pcrieiiameirte rea>|
em seos Iba lencos-, e cada, urna das aaesorgu- taBwecie dos w imgos soffrmwntos o
luosaspelo elogio do-aeorto de sua escdba, e coniu meu eaeravo,
que quej-endo por si mesma justiticar diaam simal- Coma sai*, ,jte twt tBSc*a\-.) Uoha
^^^^^"o"^^^0^^^ '^"loao estado mais alictivo da moles-
.linda mais. l!* (lc' P"*5*;. ^ atalta un uou-
Quaudo houtem os pais alictos" sentiam o rigor ^rompido u?o de remedir, o nina denw-
; rada viagem ao-^osso secto.
Pois Lew : a oiifermjdadi'!, que se ba-
Aluga-se
Kn roa da Cadeia do Recito' 11. 20, prcc.a-se
ampo1 mu escrnvo para o servico interno c. exter-
na de nina casa de honicm soltein.
Precisa-se-d 1 urna ama para o servico inter-
no e externo para casa de pouc familia : na ra
velba de Sania Rila n. 2o, 2 andar.
COMPRAS.
Pil!.[a$ assnnmilas de Hrslol.
*
VO .0\TFU NQI C.VLOJItL.VNOS .NKM NENHCTI
OtTHO MINtllVL.
A i-i .iin!" hecesstdade e falta de um ca-
liiardo ou da urna medicina purgativa, lia
moito que let sido sentida, tanto (Kilo po-
vo, i'mio mesiuo por neio da l'aculdade
medica; ( por isso, infinito o gosto e
uazer que sentimos, em.podfimos-coitt
toda a lonliaufaesegundado,recomntendar
da dentieao do sen ebaro lilhinho, e hoje alegres ?
satisfeivis |ielo feliz restabeleeimeiito receben) ai
^S^^Z^S^^'S^i ^ l'Td0 rcMde a "to 5 ,ne,os *
se, eomo eomprei, umdesses virtuosos collar- pregadus para c ;;ubate-la, eedeu, de Bina
Itoycr, que se vendem na loja d'agaia btanea. raaneira quasi milagrosa, a qualro garrafas '{s lidas reqrtaes ambaradas de Bristol;
Aleata falta dizer. lloje. gra?as i Deus, teulio o.ntco.es-,
QuaiKlo em um circulo de circumspecto; carac-1 .M'avo i-CSUiljde.-ido : e ttio A fanl nios teres se discutir a veracidad.; de taesWw, appa-! tmi0 0 nvonlwvimenfo aaf sinfo rielo hem '
recer um outro que queira anda levemente inter- M-toniv.. umnio (mp simo puo ncm | pcrfeito, seguro e agradavel
romper a discus*ao, os primeiros por momento es-11*0 V" md acalja Je 'azcr- ?
qaaeso a circurospeerao e Ihcsdaraa um gra- nOU de V. .
Cafada agradecida
Hara Xirberta Scheff'r.
<;ontiyuad;tf;iento se iv>s apreseittaai no-
vos testemimho? I i eliieacia d-i feclegoso
de Pernambuco!
j sabemos que V.
deso ouqne
pela agma branca da rna
Krigenho.
cos dabique dizendo-lhe
uoPiafloelles que inclina o chapeo
marela ser designado
do Qaeimndo n. 8.
*o antas as ousas que por
tunas eseapaan as ontras.
J ia eeqaeceado a a guia branca, mas em tempo
lembroa-se para noticiar, que .re^ebeu urna pe-
quea quantidade de enfeilM para coquee* rara- *"?**" e"Sf.nln> Otmaact*, R*J na regne-
pos para ditos, tudo feito de metal rom lindos c zia d? ,Kua"* distante desia nma H leguas.
agradareis coloridos, obras estas pela nrimeira vez I mu lm' ''1ll"l!,,')- e**J? para Livradores, excellen-
apparecidas. o ivirtanto inteira novidade ites terr;,s, (,. phnUv-,s, pirto de embarque na
Tambeai ebegaram novamento delicados afeites ffi l,t",1;:ll:is :> J quemar cal : pre-
e flores ornadas de :iljofarw e wdrilhos, tatito de :S !!S| ,nirU'C' "''!''"'P^aUi/. n. 8. pn-
palba para coqoes como para vestidos, o. lude
contina a merecer 1 apreciacao das exce!nlssj. 1
mas conhocedoraa do bom.
i
meiro andar.
EPIDEMIAS
O LICOR OE t.AARRAOUE na preservativo sega em lempos de
emdamias chLra, Un amaralta, peste, typbo. eta Dewm evitar-se as tal-
i.lirarfies as qnae to a maior parte das nica mal pceparada, sendo por isso
"" aoarM d0 a"* uleis. DemiU cm Pan*. I.. FIHilE, t), ru laroh
Km mU taatfri. DupouclieUe; H. Tadcrpr. Em rtrnialnot. Mjufr
Gremio Kecr^tivo
A ilireccao desta sociedatle convida a todi os
I socios para urna sesaio f:;:raordiuaria, domingo
; 14 do eorreute, as 10 horas do dia, para tratar-se
i de negocios do grande Importancia. Assim como
I tamben previne aos so-ios atrasados que venliam
j pagar suas mer.salidades.
0 1' secretario.
Manuel i'ilisto de Snuz.i.
Pre(5isa-se
Di um maniao Portag k oh Rrasiloiro que sama
ler, as an.oazcm de motilados n, 81.
0 MUSEO DE MAS

CBMES DE MftTTOS IRIHOS
tendo feito completa mndanpa em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joia, com o fttn de
dar-lhe maiores proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da noute na
RA DO CABUGA N. 4
rule oiKontrarao un completo sortimento do que ha de mais elegantes
bello e precioso era brilhantes, esmeraldas, rubins e tudo que era obras
de ouro, prata c platina se pode desejar.
ADEREQOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBINS
de novos gostos, equedevem cauzar um grande eflito nos trages qnares-
maes, assim come grande variedade de salvas e paliteiros de prata con-
trastada e de gosto anda nao visto.
Compram a trocara qnalqner joia ou pedra preciosa e garantem
a quaiidade dos objoctos vendidos.
0 MUSEO DE MAS
cruiio urna i'XMlleute medicina purgativa, a
qaal oncerra eiu si todas as parles e mais
^redientes essenciaes, lernandd-se em um
catliartico de
faulia. Etc remedio nao eomposto
deesas drogas ordinariamente usadas na
NMmoBetlrj dossas pillulas, que por ah ?e
vendem, mas siin, sao preparad; com as
mais linas e superiores qualidades de raizes
medicinaos, lionas o plantas, depois de se
liaver chimicamenle extrabJdo e separado,
os principios activos, ou aquellas partes
que rontem o verdadeiro valor medicinal,
daqnellas poirSes fibrosas inertes e agres-
tes inteiramente destituidas da menor virlu
de. Entre csses agentes activos oujngre-
dientes especficos, podemos nomear a jm-
dnyligin, a qual segundo a experiencia
lem demonstrado, possue um poder o mais
maravboso possivcl sobre as regies do
ligado, assiin como sobre todas as secre-
ces biliosas. Isto do combinarlo com o
leptavdrin, e mais alguns extractos vege-
taes e drogas altamente valiosas, consti-
tuem e formam urna pilula purgativa, tor-
nando-se por isso muitissimo superior, ;i
qualquer urna outra medicina da mesmn
nalureza, que jtriais lora apresentad ao
publico. As plalas vegetaes assncaradas
de Bristol, acliar-se-bo s.empre um reme-
dio prompto, seguro e eminentemente efii-
caz, para a cora de molestias, taes como
sejam as soguintes.
Com muito maior vantayem
. n. 2 D, na do (
ata c pedras preciosas.
Hitas de madeira com alUnetos. u que
Ihor a ;20 re.
Grosas de botos de Ibtica. Usos e
100 rs.
Caixas redondas para rano emttiando
11800.
Pecas de lita para eos da ni; ilior oundali a
SOOrs.
Esrovas para limpar dantas, fazenda que 4its
ta a 240 rs.
Uitus liara limpar unlias de superior a ialida*e
BJN rs.
TAHaLSllS
OE
luanlo Heren de Casi re.
\ .'til n.) cflicjiz, c ptefcriveJ a!'!doa
conheciilos, j pela certeu de sen resolta
do, oj pala fcil appbcacfm as cp.anlr
quasi sempre mais atacada; de o '.crrivl
e militas viv.es fatal soTi :in. ido.
l.MCO BEPOSTO
.NA
liiurmncf:t e llorarla.
llartliinnu A V..
34 lisia l.ai'ja (,'unpra o Cora^ao de Onro. n. 2 D, ra do Cabu-
3, moedas de ouro o pra
Ouro e prata
i'nv nioeda c em obras inntilisadas, compra-ae por
bom preco : na nraca da Independencia n. .
Xa praea da rndependeacia n. 33, foja de mi-,! Jkna Cfin|imi; V. f^ej
nves, compra-seonro, grata, e pedras preciosas,e | **v nwmvi v,i3 .AJjls>o
tanbem se faz qalqaer obra de oncommenda,
todo e qualquer concert.
MICO DE JAISE'
Rui (H) fREHlM N. .:>
Compra-se
Hydropesia dos mem-
bros ou do corpo.
Affecces do figado.
Ictericia,
Hemorrodias.
Mau balito, e irregu-
laridades do seio
femenino,
Dores de cabeca.
Oyspepsia, ou indi-
"gosto,
Adstringencia, ou..
priso do entre
habitual,
Azia do estomago e
fiatulencia,
Perda do apetite,
Estomago sujo,
Em todas as molestias que derivam ?
sua ongem da massa do sangue: a salsa
parritha de Bristol esse meSior de tod
os porificadores deve ser tomada conjun
lamente com as pilulas, pois que estas
loas medicinas, tendo sido expressamente
preparadas para obrarem de harmona urna
com a outra, quando fielmente assim se faz.
a3o>nos resta a menor dtivida em diaer.
que no maior numero dos casos, podemos
flanear n5o s um grande alivio, como
tambem urna cura prompta e.radical, isto
st bom visto, quando o ddente no-s*1
aohe n'Um estado muito alm dos recursos
humanos.
boje libras esterlinas, ouro e prata de luda- as
naces o por maior preeo do que em outra part' :
llama da Cadeia do Rocife n. ."8, loja de azulejo.
0 muzeo de joias
Ni ra do Gabug n. i compra-se ouro, prata
o pedras preciosas por precos mais vantajosos do
que em outra qualquer parte.
Compra-sc urna casa, ou da-se a juros a
quantia de 2:300d000 ria sob bipotlieca de um
bem de raiz de dobrado valor, dirija-se a ra
nova de S. Ri'a n. "A.
Compra-se um citico de ibelhas umed.
quepossa-se loantiMrahir alpum mol, aesim coma
|i>* de bananeiras enttnladas de S. Tbom ou
caizm de cruzad : na ra dos Praserea n. ."O.
Compram-so diarios vclhos para embrulhn
na rna Nova n. 5.
Pai nquitres!;!;!
Casenuras pretas finas
Recife. armazem n. to.
ia ib da Cadflaa :
VENDAS.
Scbimei de ntculro
m
Antonio Nunes do O.st:o
Este acreditada preparado, que lao t
tem raartTido a'esla proviac^,
recomraenda para a uva
acceitai;ao
muito se
das inipigons, sarnas, caspas a lo
molestias do pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Hartliotnrrim
cute
das a
>',_____r
A, |(,.
4C,
Vcnde-se um cabriole! coberto, de quatro ro
das, multo-fOrts* maneiro, de volta inteira, com
cavallo on sem elle, e os competentes arelos, tu-
do em inuito bom estado e por prego eomnwdo:
na roa de Santo Amaro, coeheira do Sr. Thomaz
Lina Caldas confronte a estacan n. I.
Una loja de funileiro
Vndese urna luja de funileiro com um sorti-
m-'nto completo tanto de obras como de ferramen-
tas : a tratar na ra larga do Rosario n. Vi, loja
do Sr. Vianna.
10 CAMPOS
28=
8
Na ra do Imperador n. 73, t andar, p e -isa-
e de um criad.
Desappareeen do sitio do abaixo assignado
dm passaro de frica muito exquisito, do corpo
da urna pequen cmaypaa muito eieaante, preto
c, ni asas esverdaaUPwrnas pramles, pescoco
omprido, cal* ca com nina pupa como de Telina
reto, quando canta parece tocar corneta : quam
o pepar queira levado no sitio do abaixo aasp-
iadoque ratificar com generosidade.; assm
(jomo protesta peucedar contra quem o tiver ejvwi-
(jidj pois que pelos hbitos do referido passmm
de dormir sempre em lugar corto e ni dando
grande veos, tazerer quealum amigo doalheio
i tem apresionado ; igualmente ficar mutaaTa-
decido e inesmi gcatilicar cora generoeididea
auem Ibe-possadar qualizuer informaeaa-eeHa a
respelto.
Jo" Jacome Tasso.
Alugam-se as casas n. 193 da ra Impe-
rial en 52 da rna da Aurora 9 a tratar na -ra
[da Aurora n. 38.
Ra do Imperador
EM GROSSO E A VAREJO
Charutos de diversas marcas dos bem
acreditados fabricantes, Costa Jrmos e
Manoel da Costa Ferreira de (S3o Feliz).
Farinha da torra muito boa, i# reis a
sacca.
Miraguaia do Rio Grande do Sul,peixe
secco de superior qualidade a 6&4UO a ar-
roba.
Congro e ruivo de Portugal, em barra <
libras.
Caantes seceos, do Maranho, em libras.
Latas com perae em conserva sendo:
Salmom, Lagostas, Ostras e outras umitas
(ruafi(fadt"\, a saber: I^rtnguezes, fnglezes.
Americanos, {espantabas, etc., etc.
O Campos anda urna vez, vem ter a
honra de lembrar ao respeitavel publico, as
muito exceUentes aguardentes de Lima Pa-
rati, e Tiquira do Maranho, por vir-lhe a
da que se aproxima o-tempo invernoso.
k que muito nescessario se torna trazen
estomago quente, e coma se acba o seu es-
tabelecimento bem prvido dos gneros aci-
dia ditos, recomraenda um passeio at elle,
ande encontrarSo os amantes do que
$ bocadi, um completo sortimento d-
^eneros finos, que se tornam recommenda
veis para urna mesa mais ou menos pro
vida-.___________________
' Na rna do CotoveJto n. I, f andar (bairm
fia Boa-vista) ha nm piano de mogno de mesa em
bom uso para vpnder-se por preco commedo.
Pars, 36, RaaTknne, IT
CHABLCMDECIN
A8EVTI RMIii.% HAS DtSSKJ i *!>. AS AI
Cor" 'irrANK^.F. ALTKKACQKSOOaai
I m IK)0CDf>0jHH.l/.|l ftmf
'UKlullU. I..T//M, MM
eontxori. acrimonU^mi
| '/-{UM, memai <*
lj vina. i
do iy e iXurvpv vegetil sea mercurio).
rllr*i-lr IIATHOM lltM
toBio-ne tous por semni. -eguimio o traeui
th- ilt'r ; t em regado na" mesmas mo\tsmm-
Esta Xarope C.ilraeu t
ferro fie l'.HAHLR. mm\
immediaiaiunieqaalfMT
uurgaeao. rtlmxmym,
t drhilinHe. e igM*-
>ule oi> fluxo* i- fin:i brancas 'la- muHurm. '
Eaia injeccao benigaa eniprega-w com o Vtnpt
Citracto i P*rro.
ronrr>!**. Pomada que as cara en ires ata.
POMADA ANTIHERPETICA
Coawa: oas *ftefoe* euta*aa comtaaaav
PILULAS VEGETAES DEPURATIVAS
*o w CkavMe. eaa frase val seaiphsa *
folkeo.
OEPURATIF
dn SA1\G
PLUS DE
COPAHU
; Vndese a taberna dama de S. Ji>s n. 1;
na menina precisa-se de um eaixeiro que d conhe
cimento de sua conducta.
Vende-se
urna rira machina completa "para costara, nova,
fcw n)3'erial para mala de seis me?es ; na na da
AsMimpeaop. 3fl._________^________
O Baliza no Livramento vende farek) de
Lisboa, saceos grande.* a 4i300. _________
PIANO
Vende-se um bom piano de armario de
jres cordas: na roa da Imperatriz n. 47
Vinho oegestivo de
chassaiIlg,
OOM
PEPSINA B DIASTAEX.
Remedio por excellencia pata cura ccnLi
das digestees ditteis ecompletas, acalme*
as dores gastralgifas, e reparar as farfsr.
produzindo urna sunuitacSo niui|;lcta *-
alimentos; .sendo mais um PseeHote toBiae
PHARMACIA E DROGARA
BE
--RA LARGA DO ROSARIO \
Novos chapeos pretos pora
lioraem,
1 lcal(l,i.f
Tendo recibido u.n novo sortiinenM de. .-tipvip
prrtos de pello para bomem e d<* clisante Kmu.
vende-A* p-lo diminuta preco de H>/ caifa aii
mercadnria que em nutra qnalqii. rpnrte v.nrirr-
prarao por menos dd 144 ; a elles, antes ina-u
aeabem, na l'm ronhecida loja dn Lcaldade,' ni
da /inperatrb n. 70. _________
Muito em contri
Farefto a 4J500 o sacco e.milho a 400 rs., vn*U-
a 400 r<. a garrafa e caada a 2*800. ca a 44*
sabio'a *i0. axeite de carrapato a 40i>. ra6 w
raroco a 220 a libra, bto no largo do l'araiaa .*
:t0.eriiitn da na da Hoda.
Vonde-se
Vale a pena possuir nma eserai-a rwtbiVte
Mn le K annos, de urna conductr, irrepi-rt'nbfwi
insigne enpommadeira, ptima ntrinmr
reir c lavadXra, tres ditas para indo o s
nma dita bna entrommadelra e <, jinhclra d*'i
tinln, lem un filbnbo, um escravo brnn (VrimWmV
e copeflro na travesa do Canno n. I.
Vi>r/(intta8 d" pinho para ."g"
e retrancas! tintes de superior qualidade: Tinta
Verde Parte braneo delinco e prc'a. em lata .
ii e 28 libras, J preparadas, oleo de Knhsca ea
barr-; no armaxem de la c^imwfcw'
Pernamhneana. no tonm ***'
da A"
Vfnde-s nm preto de *
de 20 anaos, rObu.'tffl' e nroprios para
qualquer servifo: na" roa do Fogo n. 9.
todc
( mulla





Di
ario
lie Pernambuco Quinta feira 11 Je Mareo de 1869.
ascon-
Lindos cortes de cafada cor com barra.e com Bgurino indicando o molde do vest
do i>el baratissimo preco de 3<>O o corto -
)tos de percalia muito modernos com duas sai a- > >000 ret
Na toja das Columnas da ra do Crespo n. 13 de Antonio^Correa de V
ItfedVC. __ ___
"PREQCORRENTE DOS CHAPEOS DE SOL
Da fabrica de
P
Ra Nova n. 23,Ra do Cabug n. 8
Pernambuco
Chapos de seda trancada. Paragon, de 16 baste?, 28 pollegadas a 16$
llegadas a I8& e i pollegadas a 1-flOOO.
Ditos de seda 0. de N. liara, de ac. de 16 Itastes, 28 pollegadas
,l 26 pollegadas a 135 : e 21 pollegadas a 12;M)00.
Ditos de seda G. de N. lisa, de ac, de 12 lias!
26 pollegadas a 115 ; e 2i pollegadas a 400(X).
Dtos de alpaca; de aro, de 12 bastes, 28 poftegadas a GS ; e 26 pollegadas
i 5*300,
Por duzia faz-sc descont de 15 0^0
Chapos de sol de panno, debaleia, de 8 bastes, -2' e 26 pollegadas a 32
(Descont de 10 0|0>.
Ditos de panno, de junco, 8 bastes, a 18^000 a duzia, liquido.
; 26
a 14,5;
28 pollegadas a 120 ; de
a duzia.
P
BHOSPHATOdeFERRO
[DE LERAS DOtJTOR EM SCIENCIAS.j
INSPECTOR DA ACADEMIA DE PARIZ Efe
Dcbaixo da forma d'um liquido sem sabor,
anlogo a urna agua minera!, este medica-
mento rone os elementos que constituem
os os30s e o sangue. E' o mais racional dos
ferruginosos: por esta razo o adoptro
os mais emitientes mdicos do mundo in-
teiro. Convem muao s meninas de tcmperamcnio delirado, cujo desenvotvimcnw tardo,
s senhoras que padecem d'eslas dures d'eslomago ntoleraveis. causada pela chlorose,
anemia, menstruacSo eu leucorihcu, s criancas d'uma COOiplciflo paluda c delicada, e a
todas as pumoii que tem o sangue empobrecido pelas doencas. Effcacia, rapidez d'accSo,
enra pe feha. sem conslipacSo de ventre nem accSo sobre os denles, laes s8o as razOcs que
imperito para que os senhores mdicos o prescrevao aos seus doentes.
Drposilo fin Pernambuco, em casa de Maurer e Ck.
CAPSULAS VE^ETAES
com IWATICO
o GRIMAULT e C* pharmaCeuticos em PARS
EStas capsulas, com capa de gluten, contem o balsamo de copahiba associado esseocia
Matico (arvore do Per), e constitucm um remedio infallivel contra a gonorrha. Ellas obrSo
s<*m cansar o estomago e no provocJo nunca os enjos e nauseas que occasionao as capsulas
ordinarias, tendo a immensa vantagem de no communicar clieiro s ouriuas. E' por este mo-
tivos que ellas sao superiores s capsulas de copahiba, cnhebas, etc.
s Deposito em Pernambuco, em casa de Maurer e C.
XAROPE DE RBANO IODADO
0 Xarope "de Rbano iodado de Grimault e C', pharmaeeuticos de S. A. I. o principe
Napeleio, em Pars, preparado com o sueco das plantas anti-escorbutcas cuja efhcacia
mu popular.
Encerra o iodo cerno combinacio orgnica, e considerado como o melhor succedaneo
do oleo de ligado de bacallio.
A rara perfeicSo d'estc producto anima-nos a dar a eonliccer aqui a opiniio de algnns
d'entre os principaes mdicos de Pars, qne diariamente o prescrevem.
0 Xarope de Rbano iodado nm medicamento d'um effeito suave e seguro para a
< medical o dos meninos, nao smentc suppre o oleo de ligado de bacalho, mas ainda faz
as suas vezes eom vantagem.
Dr A. CAZENAVE, medico em chefe do hospital Saint-Louis, em Paris.
c 0 Xarope de Rbano iodado um medicamento de primeira ordem para o tralamento das
affeccoes lymphaticas e escrofulosas. Muitas vezes, empreguei-o com feliz xito, em certos
a casos de tsica ao sen principio, como succedaneo do oleo de ligado de bacallio. >
Or A. C11ARR1ER, antigo chefe de clnica da Faculdade de Paris.
f 0 Xarope de Rbano iodado sempre nos deo excellentes resultados como regenerador
t do sangue, e succedaneo do oleo de figad de bacalho.
Dr A. FAVROT, autor do Traite des maladies des femmes.
' c O Xarope de Rbano iodado nm dos mais poderosos modificadores das constituicoes
( lymphaticas. Tenho visto ulceras escrofulosas que nada podia curar, cieatrzarera-se,
i grecas a sna accao, com uromptido extraordinaria. Tambem, pelo sen uso desapparecem
as affeccoes tuberculosas dos ossos, nos meninos.
D' GUESNAR0, antigo externo dos Iu>spitaes de Paris.
0 Xarope de Rbano iodado possue todas as vantagens do oleo de figado de bacalho,
c sem ter nenhum dos inconvenientes qne aprsenla este ultimo medicamento. >
Dr GIBOT, medico dos hospitaes. Presdeme da Socicdade de medicina ie Paris.
i % Xarope de Rbano iodado de Grimault e C* encerra 12 porcento de iodo, na sua
< composicSo orgnica anloga qne se acha no oleo de figado de bacalho. >

KLETZiNStl, prfessor de chymica, louvado dos tribunaes de Yienna.
Deposito em Pernambuco, em casa de Maurer o*.
^=in===tn

CaTaRRHOS
PASTILHAS PEITOffAES
de SUCCO deALFACE,
E LOURO GEEEJO
IRRITAQOES
E' este o mais novo e delicioso confeiio ate agora coniiecido. Por isto tem adquirido r-
pidamente a popularidade de que goza. Os mdicos os mais distmetos o aconselno mira
as tosses, defluxos. catarrhos, tosses convulsas, catarrhos epidmicos, irriiacoes ao peno, wmi
grande empenhoo procurao as maes de familia, assim para ellas como para as enancas, MU
primeiro que ludo inoffensivo, e as suas propriedadesadocaatesnSo Deposito em Pernambuco, em casa de Maurer e O*.
ALTAS NOVIDADES
LOJA DO PASSO
Eua do Crespo n. 7 A, esquina da do
Imperador
PARA Ql'ARESMA.
Gorgoro preto.
Setim macan.
Sedas lavradas.
Moireantiqtie preto
Gros-de-naples
liasquines de gurguro c de gros-de-na-
ples enfeitado com primor.
Gorpinbos de gros-de-naples.
Basquines, capinlns. pelerinas, fichas,
de crochet e de guipur, pretos e braucos.
Mantas pretas de lilond.
Riquissimos chales de tonquim.
llequsimos chales de gurguro de seda
prela o melhor neste artigo.
Chales de mirin pretos com requisamos
bordados e franjado de refroz.
Chales de mirin bordados apiane;
ultima moda. -*
Romeus pretos com lindos bordada.
Loques de madreperola, marfim, snda-
lo e osso, e pretos, para senhoras.
Ditos desndalo pira meninas.
Cliapelinas pretas.
PARA CASAMENTOS, MWIES, THEA-
TROS, etc. etc.
Lindo? corles do Moml, corriendo setim,
mantos c grinaldas.
Reqaiwimos ortes de sedas assim como
para covadbs.
(iurgurw> braneo.
Mob-eantique braneo azul e vertle.
rosa
Gros-de-naplts braneos e de an-s.
Setim braneo macau.
Setim, braneo, azul, verde, cor de
e amarcllos.
Fil de seda, braneo. e preto.
Cortes de seda com duas sai as.
Ctales de gurguro de seda de ircs.
Caiisas bordadas para homens.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas bordadas .
Fronhas de liuhu bordadas cun | rimer.
Lencos de cainbraia de linbo bordados.
Riqissimas colchas de damasco de seda,
assim amo de seda e algodao.
Ditas de crochet para cama.
Chapeos de seda bordados, para so!,
Poil de chevre de lindas cores.
Alpacas de lindas cores.
Cliapelinas de palha da Italia, assim
oemo do soda.
Enfeites para cabeca de senhora.
Espartilhos para senhoras.
Jleias de laia para padre.
Ditas de lia
Dlas de seda lio da Ecossia e aigodo.
para seultoras e menina:*.
Leaeo de.lahyrinlho.
Fronhas d lab) rintl.o.
Bicos, rendas e grades.
FJn&iraH faml-raias de *.i es. peresffes,
las, c outro rnujlos artigc de gosl e
de alta nevidaie, nto s
TASSOIRMAOS
Tem para vender em seus arrimen?, alm de on-
tros, us seguimos artigos :
Papel para imprimir.
Perlina azul.
Greve pautado c liso.
Vinlios em caixas de doze garrafas
Bourgogne.
Hcry.
Madeira.
Hermitagc.
CliamLIis. .
Licor de eur-ac/io de Hollanda em caixas de vm-
te e quatro botijinlia*. '
GESSO,
Nosarniazcns do Tassolnnaos.
Grades de ferro
pan jardins, poriciras ele.
Nos urmazens ce Tusso lrmfios
( VHItlMIO^. I>l IMtllO
A NOVA ESPERABA
21= Ra do Queimado=21
li para presentes
A'Nomi Esperanca, ra do (Jueimado
D. 21 tem um variado sortimento de objeo
tos do gosto e phantasia proprios para pre-
sentes, sohresaliindo entre elles ricas caixi-
nhas de bano com finas perfumaras, eos-
Unciros de chagrn, agulheiros de madref
pcrola : assim, pois, quemquizer fazerumi
linda offerta, dirigir-se Nova Espcranga,
ra do Queimado n. 21.
Collares anodinos ellectro-magnett
eos contra as convulces das
enancas.
Nao resta a menor duvida, de que multo
collares se vendem por ah intitulados o
verdadeiros de Royer, e eis porqae muitos
pas de familias nao creem (comprando-os)
Naioja do Passo ra do Crespo n. 7 A, esquina Para serviros de grandes armrizens, para remo- i i.r.mpttifln n nne s ndem dar
ver barricas on caixSes de um pala outro, lado pelo no effeito p. 0tirtO,o q M so p "^ "ar
modieo preeodet2ooocadaun,. os verdadeiros; a No\a Espeania, porem
VarnKa dp trio-n lp Tl'PSt> Das meihoras marcas Panon.a (verdadtira) Fon- lim3Vncommenda directa destes collares
tana e grande sortimento das meliiores marcas de tez urna encommeiitd '*"
farinhas americanas. e garante aos pis de familias, (me sao (
Saceos de farinlia de trigo do
Ohe
verdadeiros de Royer, que a tantas crean-
ras tem salvado do terrive ncommodo de
comulgos, asiro pois pretjso, que t-
Toas nova?. ehegads ltimamente nos arma- obam a Nova Esperanca a ra do Queimado
n. 2i comprarem o salva vida, para seus
(Himnos, antes que estes sojam aeommelfi-
dos dotcrrivcl mal, qttendo ento ser a^
fficil alcancar-se o effeito desojado, embora
sejam ompregados os verdadeiros collare
zens de lateo Iranos.
Cemento romano
Nos armazena de Ta?so Irmlos.
Cemento hytlraolico 12$
O melhor para ttido qofl so okrts para agua, co-
Approvefio
ia vademi*
ti rr.eiccint
di Part.
PAomacufej
lauriad
a aetdnrt*
* medicina.
ino assentameno de canos de esgoto, algeroze?, de- de Royer.
ixisito, lanqnes (Tagna, etc, etc. ^ em porrea de | p p-Tfino-lllP fl .Sai'U&S ^
cincoonto lian-icas pt fac reduceaono prep: IK' Lili ti eAUIi^Uil ti Otliuoo v
armazensde TaMOIrmSoe. rtaimn
Cemento Portland J^t!!,. -i
ii0^rdad,rocen.n,P,t,ndemc,adeT^:^^^
Grades de ierro, cercas, |e^Hi,,llTtR
teraSr etC etC. A Np a spmnca a ra do Qcwmado l
De differentes qualades para coreados ani- 21, acat'
mncin. elipeirosara g-alinliaswijarius : nssar-
is de Tasso IniKio..
ra Ao
esper!
ffiazens
As preparacoes ferruginosas liquidas tem esde muito annoc merwid a approvacSO
especial dos medicas, porque eRas obrSo mais rapto e seguramerte deque as pilotas, e
sao mais fcilmente toleradas peros doentes. Os Pos ferro-manganicos possuem a inai>pre-
ciavel vantagem de poder offerecer n'um instante orna agua ferruginosa gaieosa, de gosra
agradavel, mais activa do que as aguas mineraes, e con tendo de mais um elemento precioso,
o Manganeso, que sempre se acha ao sangue, jsnetamente com o ferro. Eoipregio-se c
todas as molestias que tem por causa o empobrecimenlo do sangue, aesim como para vigorar
os temperamentos debis o lymphaticos. A chlorose, as Perdas brancas doras d estomago,
a irregularidade a\\ menstruacSo e omenorrhia ou suppressSo do menstruo, eedem rpida-
mente a seo emprego. Devemos mencionar aqui um facto sotavel, iste que os doentes cura-
dos pela agua preparada com estes pos esto irraito menos expostw a recadas do que
aquelles que forao Batatal pelas preparacoes ferrugoosas ordinarias.
Deposito em Pernambuco, em casa de Mara* C^.
de receber um complete sortr-
meto ae finas feoneca* de cera da diver-
sos tamaitos, sendo as maiores d com-
BUTS COm brCU p-msnodumcowd; eata boneeas tra-
^ aim-ia de Tasso tana. tem N<>Fiitos coque.? e bofenas, bavend en-
f* P ATAC J\Xf "D R T> T? A lre c,,ae a'Pnas 9,e ,aMani e wll?s que
i/AllUO IJpJjjCUtXlv/ choram de sorte qae-facihaente podem aw
Nsvoa Nova dfc Santa Riu. na anftfa fabrica dri preparabas, e fazer-se um presente de-mura
sabio, ha para vender por preco o mais modi/| acccitarS.
possivel, canos francezes par-a edlllrarwfs eesgo- pinas eVixas de taiteruga jara rap ven-
tos de t*Mla aiiiK'tirt&tlc, superiores a torosos que1 nil,:m.i-: ui n,;a
:mju tenapparocMfe pa sua miidez. 'em-se ra do Queimado n. 121 na toja
PTtEfJS ^a Nova Eaperanca.
i iOO oor cano grande de 'i e meia petlegadas.
13200 "por dito dr 2 e tres quaitos de t8to.
VERDADEIRAS
PILULASdeBLANC&RD
coa lotoRCTo oo- rtnno tmeiCrUVEt.
APPROTADAS PELA ACADEMIA DE MEDRINA DE PAR, ETC. ^
rossuindo as ppjpriodades do todft et do nm, ~'n^,"l^***B^^2,S
sruonrtosAS, a Tsica no principio.a frac^tads temperamento*XimTL^i
Falta dk cor. iEWORRHeArem qn* prech*RiAGiR soime o sangub VP*n>222?
lhe ni riqueza e abundencia normaes, oo para provocar regular o seorarso r
TV. B. O iodurel da ferro impora oo alterado o mediramen
irritante. Como prora de pnrexa de aatheneidaa* dai r*r*m*r*rt^
4 Rlaaear.1, dere-sa e%ipr no aeM araraia .ii.iui
noso Orina, aqm reprodarida, qo m actia aa parta inlenor
raini* enie,Deve- descoBar das falsificacet.
cas toOan a ylaataanlaa P%mrmaeemltt^ftim_B*nMPrt*iJ^t_
flum- <
> poetaunent nas arrmaxm
ramentn e tamben nos cseo do
tE o 8ahgub soja para reatitoir
'oregular o seo a n'W. yTf /-fck J
^rmm Bonapmr-*. *, Parl> Jgj
OLEO M HOGG
Figados frescos de bacalho
Para cura certa de i^Jwica, affeccees esci-ofu-
)?s. losse ebronica, fmpxta dos memoios ^ di-
uilidade geni, m-ominente-s a cxeeltene le^te
leo ainda pw ser agiaciavel no paladar.
VEI*WB-SE
XA
Phasniacta:- e droa*>a
M
RARTIHH.MEIT & C
34 = Roa larga (lo Ilusa,"o 84
l OOt) |*r dito du ?e um qnarto d ditat
300 ris por pistolea de 2 polloTadas..
Cotovcllis. curras e canos de nwior fcfewnra. a
vstase faro preco. Compras nwiores dte 200
tem ."i por cento de dtaeonto por protup paga-
mento. I'iHio-se ver aa
ce Tasso Irn)?.
]5plos taicezes
Para lad>fHtreosos teiMH comaweioc pilcos
nodicos, iiiui.t convenientes c proprios para4o*!ri-
:b>*> de cosinte em sobrados pelo sea assv> c
ovitar apassa^em de agaapara o aaoai" iirf<"-ir
unesmo o perico de fogo, aos precos d 3OOOa
'16&OOO o mill.Mro: na ruaRova de iwta Ritas M
nga fabrica sabao, c ccoapras maion dc^ 2W>5
M far 5 por cent de descanto por prampto pdfia-
cicoto. Poderrse ver as OaMMraa nes-rmaseos
i! Tasso Inn: '*.
Velas de espormacete wrdadeira^para Sao-
tornas decarrts: noarmazer de Tasso irniaes.
Vinho do Porto fino saperior: noapmiw-'iwj
d Tasso Irmaos:
O melho cognac Gautltier Freres: ne :\pik-1
7. "-,i de Tasso Ir ni.mis.
Esteiras da Inda
Bm casa Twso Irmaos wode-se estoine da
1 ln pww
i conraodo.
Macar&y
Xaekina>>da$iescavtrar algpdo
oje que esi. reeonhecido (|mb as mai'Irms de
soROOB prejudlean* e quebram-a fibra de aJgodfo,
jpwefcio reeewe* a machinwow menos- as|*ito:
Mdnwa brincos sndalo, s se en-
cwitrarao na Nova Esperan?a a ra dfr
Oaeimado 3. 21.
MEIAS DE IlM
A Nova Ejperancaa ra do fw-imadon-
21, acaba d? receber um espeeii sortimer.-
amostrar,- nos artoazens lo ^ ^.^ ^ |5j| .., |liwieni_. e senhora
CO?fl,\ASC.GESTKS
ma terriTe! a conijeso fulminante:
de repente lava ron in milh.v \ida, sem dar-llic teinpo e recebe/
convjrea medie- dexaik> as mais das
veses rmnlier o fithos no mais aarargurade
pranto; a Noa-feperanga qae deseja pres-
tar sertifos reoorreu a Yojer, o qnal lhe
mandjBannew-eteftricos aisipietiess, como
o uniao presevnivo para sewelhsnte mal
elles airtes que-3e acabem : no-Nova Espe-
ranca-
RAVALHA
A nova Esperanca a ra- do eeimado
n. 21 recebeu in sortimento-do navalbas.
de qurWades, tamaitos especiaes assim
como afiadores e massas para as mesmas.
Wll DO GALLO VIGILANTE
Ra do Crespo n. 7
Mandou m de sua centa c acaba de re- .
ober nelo ultimo vapor,.completo sortimen- que produzixia o mwnno ser*? (|ue Wf*-
75 'i -lw u r.(lvi.l-.U> >> nlianlsia OSHaaWbde no rabaliao, nao qaakvHii a librada taa:
di de objectos de no\ia*e t pnauuisia.. os Xla ueess;i |)0 tjuaes estao resolvidos a vender por pi-e<.os1'iiiifc ,l(}Vtft nentr,. aXpAw dhe4otaio
uimiameilte baratos, para assim animar aos ,* aquellas mencionadas maohi..s, que-ost*> -
nutsad,
Vemiem Augnrfo- F. de Oliveiro & C ra (U-
Conunerrio, n. 42. ____
CAPSULAS MOLES
DE
ALCATRAD
Remedio por excellency para cura rpi-
da c completa Ais coqueluches, bronchites,
catarrhos, tosses convulsivas, escarros san-
guinos, e outras molestias.do peito.
PHAKMACIA E DROGARA
DE
Rarlholoraeu A- G.
34RA LAHCV DO ROSARIOU
wra faasndas de iosto c novidacte. promptidao conserva afibraa.laa, qu lamn m
ruiora, iaa,iia^uu b"> e)la qin|ficada na Europa a par da molhor bo-
Ftnos >estuaij|pS l)Mai.^PUsa^.,e^^i bndeiri, valer.deassim enlao 10 arrotas 20 00
mais do me a laa iinna pela, machina de serrote.
Estas nijctiinasoaoso novas, pois qm ha muito
estao aceptadas no Epypto, aonde as de serrla
AO
Ra Nova n.
ZAR DA MODA
, esquina da ra de S. Amaro.
NOVIDADES
Para senhoras.
COQUES da ultima moda, enteitados e Uros, gran-
CUAPELISAS de palha da Italia, guarnecidas com ]
' jije .,!,-; e elegantes enfeites braucos c de eores
FLORES finas. fraodB sorliinento.
GhINALDASdo UiUispara coques.
LAf.OS, ftvelas, penachos para eafeitos.
Para homens.
niAl'I-'.l SIMIOS c gorras de velludo e de peonas
;, novidada I) h palha da Italia, a emfiaejfo,
especial sortimento.
f;i.NTOS de cures apret;
CAMISAS bordadas porcommodos precos.
usiionl.ulosecom letras, uovidad
ero
I BOUES a emitaco de marfim, gosto
dalo.
COI INDAS e punhos, a emita^a.) de guipure.
do l-
rico sortinienio ulti-
Ictras, novidade neste
novo e de
CAMISAS cora paitos, colarinmjs e punhos
nho too, lisos e bordados, moda,
COLABINHOSde linlw e aigodo.
PUXIIOS de ditos.
GRAVATAS de todas as qnalidades.
HOToES para punhos e guarniooes para colctes.
ConRENTE?deplaqua.cinit?o do ouro, lin-
do gosto.
CHAPEOS de pello de seda, forma a Rotchil, qua-
lidade sonejiej.
CHAPEOS de ndfe, para sol.
KNFE1TES pretos e de cores para cabeca, lindos ME|A e 8nporior qualidade.
a Mario Roae, ulti-
uold
G'JARNICAO alu novidade I
-mmenle usada cm Paii>.
CORPISHOS de guipure braneo e pretos lindos
modelos.
BHNOS deia e seda, cores claras, elegaule
moilH em ParisN
GRiNALDAS de llores finas.
ESPARTILHOS superiores.
MEIAS supe, ores de fio du Escocia.
IAJVAS de paliea chegadas pelo ultimo vapor.
ADEREr.OS de coral verdadeiro o*tamafo, gosto
delirado.
DE PALHA
GUARMCES para vestidos.
TRANCAS para enfeites de coques.
HOTOBS lisos e oom pingentes para vesdos.
lfiTOS alu aarnade.
BENGALINHAS finase chicotes.
LUNETAS avr> de aeo,c tarluraga.
Para erianeas.
VESTUARIOS completos para baptisados.
S VPATIN'HOS do inclin e setim enfcitados.
MEIAS de seda c fio de Escocia.
CHAPEUSINHOS de palha da Italia.
TOUC.AS de filo e setim enfeitadas e de chroche.
BUNECAR vcsiidas, muito bonitas e diversos
brioqued
Perfamarias finas.
AGUA FLORIDA verdadeira de Murray k Lan-
man New-York.
Ti i.XUX) oriental, verdadeiro.
acia DIVLVAdo E. Cuudray e superior agpa c
:n'ia do Colonia
ESTRATOS o essencias finas e de agradaveis aro-
mas para o lenco.
VIX AG R ES a romatcos para toilet ,
POS DE ARROZ para i.maciar a pelle ; em raco-
tes e ricas caixinhas eom arminho.
POS superior para limpar os dentes.
COSMETJftUES de fina qualidade.
SABONETES, grande sortiinenio desle genero e
de superior qualidade.
LEOS de philocome, babosa e antiques.
BANIIA fina para os cabellos.
AGUA de flores de lar.inja.
CREME de sabap pata barba. .
Caixas preparadas com perftimarias finas.
M lude/as Onas.
como touquinhas, sayatinhos e Hteiasinlias
para o mesmo tn.
Grande sortimento. de bicos e rendas de
croch e de outras muitas qualidades.
Supesiores caixas cora msicas e sen\ 1-
las, tendo o necessario para costuras, gro-
prias para um delicado mimo.
Finas caixas cus* tentos e sem elles. para
volt arete.
Agulhas para machinas de eostura.
Dilas para croch, sendo de ac, saarfim
e outras muitas quahdades, assim como li-
nhas para o mesmo mister.
Finas grinakkts para noivas.
Meias de borracha para quem soffre de
erysipella, assim como meias de 13a para
os que soffrea de rheumatismo.
Suspensorios para hornera e meninos.
Finos peales de tartaruga para coques o
de outras muitas qualidades o para oulcos
misteres.
Dedaes de madreperola, marfim, osso,
ac, metal, etc., etc.
Superior agua cosmeocome
cabellos, dando aos niesmos n sua cor pri-
mitiva.
Completo sortimento de finas perfumaras
dos melhores fabricantes, assim como mui-
tos ouiros objectos que iiopossivel des-
Citever: isto s na ra do Crespo n. 7, loja
do Gallo Vigilante.
Collares Royer elctricos magnticos con-
tra as eonvulsbes das criancas e para facili-
tar a dailnc30 das mesmas, o Gallo Vigi-
lante antigo recebedor d'estes prodigiosos
collares c contina a ter sempre grande de-
posito, ra do Crespo n. 7.
(orara integramente bandoadas, o por ic-o ak-o-
dan daiiuella procedencia, aado da qualidade do M ,lu'l,,"1''
da nossa provincia, obtem lioje de Ht armtias 201 mente tradama,
0/0 mais do qne o nosso : yendem-so a 1300
nos animen, de Tasso Irmaos.
(Meo de ame nd as
Em caixas de 8 latas, cada catoa. iOO libras :
nos armazene de Tasso^Iamaos
inapjps de tod ts as
preto e de cores, e
SUPERIORES fitas de
eOres ejarguras de vi
gnrpurao para cintos.
RARADNHOS e entretneios bordados.
(il'ARNICOES de seda de cores para eneiMs de
vestidos.
TRANCAS pretas com vidrillios 6 pingentes.
OTS de ctps, braneos e pretcTcom vidrllbos
ico e
isos e com pin(r DEDAES de mau. perola, de marfim, de
metal.
THESOURAS finas para costura e nnhas.
CAIVETES finos com quatro folhas. E muitos
ouiros artigos de miudeas qne se torna jnfa-
donho menciona-los.
Meias elsticas de borracha.
As memores e excellentes meias clsti-
cas de borracha contra varizes e erysipellas.
Vende-sc na
Pharmacia e drogaria'do'
Barlliolomeu & C.
84-r-ru larga do Rosario34
Maooel Al ves"Ferrara A C, na ruada
Moed o. 5, segundo andar tem para vender
superior potassa da Russiaembarris e meios
barris e cal do Lisboa da mais nova que ha
no mercada. ,
RIVAL SEI SKUNB
Rua do Queimado a. 49. loja de miudeas de-
jse de Azevedo Maia e Silva. Um paca vender o.*
artigos weaixo declarados, tuJo buiu e baralisst-
mo, qu sao para acaban
Duzia de sabonetes muito finos a 700 rs.
Paroadesapatos do tapete para houioni a 152S0i
Hitos de tranca paa cr^anca a 13.
Traraoia do Porto, bordada, a molnor a 200 rs.
Dita do Porto liza, da melhor qualidade a 100\ UO,
60e200rs.
Resma de papel almajo, fizo superior a ..o2Mi.
Dilade papel AnaQo p:ttado :\ I ..
LLvro de missScs abreviadas a 2-b.
.Cartillias cow toda a doulrma e umitas, ecsas a
para fingir 320 rs.
1 Silabarios portugueses com estampas a .lft rs.
Raralhos francezes mailo linos a 200 e 2flA> rs.
Sabio inglez sujierior qualidade a 500 e-13.
Grvalas pretas o de cores muito finas a 808 is
Duzia de meias para senhora, fazenda lma a 4.
Redes pretas lisas para segurar cabello a 320 rs.
Varas de transa de seda de todas as cores a 600 rs.
Pares do brincos dourados com maozintia e po-
dras a 320 rs.
Cartoes eom coielietes de duas ordens c sao de la-
ti a 80 rs.
Miotuaduras de vidro para eolete muilo finas a
120, 240 e 400 rs.
Paros de botoes dourados para punhos a Iwr*
Caixas de pennas de ac muito linas a 240, 320 c
ROO rs. "" .
Cartoes com duzentas jardas de huta do fabri-
cante Alexandre a 100 rs.
Caixas de pennas de ac, a verdadera penna a
i ItCMUh
Carriteis'do linha Alexandre ns.'70,80, 100 alt-
200 a 100 rs. ... lAtu.
Caixas com superiores obreas de massa a 40 rs.
Carriteis com dnas oitavas de retroz preto a oOO rs
Duzias do agulhas para machinas a 2fl.
Libras de pregos francezes de todos os tamanhos
a 240 rs
Livrosescripturados para rol de roupa a 120 rs.
Caixas com papel amisade muito fino a 700 rs.
Caixas com cem envelopes da melhoi qualidade a
600 rs.
Talhercs para meninos muito boa fazenda a
240 rs.
Tudo se vende por presos bastante commodos.
Vende-se urna boa escrava com idadc de 8*
annos, a-qual coze, cozinha, engomnia, lava, c
tambem boa vendedeira; o motivo de ser esta
escrava vendida, ella propria assim o querer:
quem precisar, dirija so a Santo Amaio, ao *o-
brado jpnto do cemiterio lnglez. ^______
= Ha para vendcr->e un carrinho de quatro
rodas, novo o bem construido para bqi : a_ ver c
tratar na rua do Jasmim n, 7.
Para familias
GraMde Basar, na Mora *s. Oe
-. de Carueiro vianua k C.
Acaba de chegar a esto estabslecimento
grande porcia de machinas-para costuras do
autor Whceier Wilson, approvajas na ulti-
ma exposica* de l'aris, afr quaes eozem com
doas pospontos toda a costino, c tem a
vantagem de ser lao suave o-movimento,
que qualquer crianca de oito annos facil-
e podas com este ntrete--
nanento, levar vantagim ao serviro diario
de trinta eostureiras. A coaBjirehenso e
simples, pois em um,(mario de hora se fi-
aa senher do movim3nto da. machina, ten-
do a mssma a propnedade de fazer as se-
guintes costuras: pospeilar, abainhar,
tranzir. marcar e bordar, orno apresentam.
os desenhos que acompanham-nas. Os pro-
priet^ios do cslabe!ecento s encarre-
gam de mandar ensinat n'esta cidade,
garaatem entregar o importe dispendido ao
comprador, no easo de nao trabaluar con
perfeico a machina vendida, nao tendo,
porm, soflrido ella aguma ava ia. Ha tam-
bem no mesmo esUibelecimento machinas
do autor Grovfer A- BaJcer, de trabalho sim-
plcsmentc mo, e outras com movimento
dos ps; o mximo todos os pertenecs das
mesmas machinas, para vender avulso.
Tintura japoneza
Instantnea para lingir t6 cabellos e a
barba, a 1,5000 o frasco.
E' a nica approvada e recommendada
por ter sido reconliecida superior a todas
as tinturas d'este genero.
venda em casa de Gustavo Hervelin n,
51. roa da Cadeian. 51.
Cemento de Portlaud.
Vende-se no armazem de Vicente Ferreira
Costa & Filho, na rua da Madre de Dos n. 22,
barris grandes.
Em casa de Theod. Christiansen, rua do Cora^
merrio n. 16, encontrm-so efTectivamemli i
as qualidades de vinqo Bordeaux DottrW*t#j it0 rua a Cadeia u, 51
Superior rap princeza d Lisboa S^OOa
ia e meio gro
no antigo de-

'
GAZ GAZ GAZ
Cliegon ao antigo deposito do. Henry Forster &
C, rua do Imperador, um eaireganents. de gaz
de primeira qualidade; o qual se vende en partidas
c a ret.ilho por menos preeo do que em ou ira qual-
quer parte.
FuTiDlCinrewMA
Una do IIruin u. 3.
Machinas de vapor.
Rodas d'agoa.
Moendas de canna.
Taixos de ferro, batida fundido.
Rodas dentadas, pata moer com agoa,
vapor e animaes.
Alambiques de ierro.
Formas para purgar assucar.
E outros muitos objectos, etc. etc., pro-
prios para i agricultura.
Rap Lisboa a3#000.
ikWkr
^J>'*v*/I*
- '



.
I '
I

im

Diario de Prnanibuco Quinta feira 11 Ue Marqo de
^
1869-
GRANDE LIQUIDADO
k DIHHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DO
DE
Flix Pereira da Silva, successor de Gama
& Silva
O proprietario J'estc estabelecimento convida ao r&speitavel publico tiesta ca-
pital a vir surtir-se no grande estabelecimento que tcm deazeudas, tanto da moda como
do lei, e as pessoas que negociam em pequea escalla, tanto da praca como do matto-
nesta casa poderlo fazer os seus sortimentos em pequeas o grandes porcoes, venden-
do-se-lhes pelos preces que se comprara as casas inglezas ; assimeomo as cxcellentis,
simas familias, poderlo mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou mandare-
mos levar etn suas casas pelos nossos caixeiros, para o que acha-se este estabelecimen-
to aberto constantemente desde s 6 horas a manilla As 0 da noute.
ROUPAS FE1TAS
Na laja do Leo da porta larga
DE
PAREDES PORTO
Ra da Imperatriz n. 52, junto aloja deounves.
estabelecimento se encontrar ra da Imperatriz n. 52, loja do
O atoalhado do Pava
Vende-se superior atoalhado de alodio
Com 8 palmos d largura, adamascado a
26209 a vara; dito de linho fazenda muito
superior a 3*400 a vara ; guardanapos de
buho adamascados a 4^300 a duzta e muito
fiaos a 80000, e ditos econoaioos a 3#500
aduzia.
Graehs ara eadeiras na loja do
Chegaram os mais lindos panos de cro-
ch ou guarda bantras, proprios para ca-
deiras tanto d'encosto, como de balando e
de gaarniclo, e outros oompridos para so-
f, assim como ditos redondos para mezas
redosdas, ditos pequeos para almofadas, e
ditos para cobrir presentes, tendo pequeos
t para cobrir um prato, que se vendem
por proco muito em conta, na loja e aima-
zem do Pavlo ra da Imperatriz n. '60, de
.Flix Pereira da Suva.
Pustes para vestidos Itraaeos
a40.
Vendem-se os mais modernos fustes bran-
des flexiveis em padrees de listas e
lpicos proprios para vestidos e roupas de
aienino a 6W)rs. o covado, na loja e arma-
zem do Pavae roa da Imperatrkn. CO, de
Flix Pereira da Silva.
Cirosdenaples
Chegou para a loja do Pavlo pelo ultimo
varpor om grande sortimento dos melhores
^rosdenapes pretos e de cores, tendo verde
%unbem, qae se vendem mais barato que
em outra qualquer parte.
BABAD1NH0S
Vendem-se finissimos babadmhos, tiras
bordadas eentremeios, mais baratos do que
em outra qualquer parte, assim como espar-
tiihos dos mais modernos, no armazem de
Flix Pereira da Silva, ra da Imperatriz
n. 60.
ALTA N0V1DIDE
A LOJA DO PAVAO
Gurgurlo de seda
Chegaram pelo ultimo vapor os mais bo-
nitos gargures de seda, propatos para ves-
tidos, sendo lisos e lavradinhos, com muito
lustro, garantindo-se que a fazenda mais
linda e de mais phantasia que este anno teni
hegado a este mercado, e vende-se por
preco muito razoavel, na ra da Imperatriz
a. 80, de Flix Pereira da Silva.
GROSDENAPOLESPRETOA QUATRO
PATACAS S O PAVAO.
Vende-se grosdenapoles preto de boa
quaiidade pelo barato preco de 1 $280 o eo-
vado, so na loja e armazem do Pavlo, ra
da Imperatriz n. 60 de Feliz Pereira da
^ilva-
CA.MKUIA BRANCA A 3*J00.
Vende-se pecas de cambraia branca
transparente, com 8 e meia varas pelo ba-
rato precede 8$500, ditas muito finas tanto;1
AS CALBRALAS DO PAVAO
Vendem-se finissimas pecas de cambraias
lizas transparentes tanto inglezas como suis-
sas tendo mais de vara de largura, pelos
procos de 5000 at 10,5000 a peca, assim
como finissimos organdys branco liso que
serve para vestidos de bailes, por ser muito
transparente a lfOOO, a vara, na loja do
Pavlo ra da Imperatriz n. 60, de Flix Pe-
reira da Silva.
Alpacas tarradas
Chegaram pelo ultimo vapor as mais mo-
dernas alpacas lavradas com as mais lindas
cores, que se vendem a 1$000, o covado,
ditas lisas tendo tambem cor de canna a
800 rs, ditas mescladas muito finas a 1:200,
o covado, e outras muitas fazendas de gosto
e moda que se vendem mais barato do
que em outr qualquer parte, no armazem
do Pavlo, ra da Imperatriz n. 60. de Flix
Pereira 4a Silva.
Roupas para komeni
Vendcm-se superiores palitts de panno
sobrecasacos forrados de alpaca e de seda,
de camisas inglezas e francesas com os peitos
1 de esguio, ceroulas francezas de linho e al-
godlo, mcias cruas inglezas superiores, ca-
misas de flanella e de meia de lia, assim
como neste estabelecimento existe um grande
sortimento de pannos pretos, e de casemiras
inglezas de cores, e que se manda fazer
qoalquer obra a contento dos Srs. fregue-
zes, e promette-se-lues que serlo servidos
om a maior promptida e muito ais ba-
rato do que em outra qualquer parte
na ra da Imperatriz n. 60,de Flix Perei-
ra da Silva.
Cortinados
Para camas e janellas.
Vende-se u grande sortimento dos me-
lhores e maiores cortinados bordados pro-
I prios para camas e-para janellas, que se ven-
dem a 12;K)O0-s. cada par at 2000 rs,
isto na ra da Imperatriz n. 60, do Flix
Pereira da Silva.
Cretotie para Jeiw^es ewn 10
palmos de largura a 2$,
Acaba de cliogar esta nova e excellente
fazenda branca propria para lenees de um
s panno, garantindo-sc, que um metro e
urna qnarta on um metro e meio d um
excellente lenco! de um s panno, assim
como esta boa fazenda tambem. muito
propra para toalhas de meza, rosto le. e
outros mysteros e vende-se pelo baratissi-
mo preco do 2;> cada metro.
MOZAMBIQUE PASA VESTIDO A 500 RS.
Chegou para a loja do Pavo um elegante
sortimento dos mais bonitos mocambiques
proprios para vestidos com as cores mais
modernas o que se vendem pelo barato
Neste estabelecimento se encontrara w
sempre um cempleto sortimento de roupas Porto
(bitas de todas as qualidades. Como se- Neste estabelecimento encontrar o respe.-
jam: paletots de alpaca, de merino, de tavel publico um completo sortimento de
caseinira, bombains de panno preto, fra- fazendas e roupas que. se vende pelos pre-
ques e sobrecasacos de brins de crese eosseguintes; jL-.a
' ,.do FAZENDAS PRETAS.
CALCAS E COLETES. Completo sortimento de fazendas pro-
Tem sempre'no mesmo sentido um sor- prias para a quaresma, como sejam: gros-
timento completo a preco commodo. de-naples a 25, 20500, 30, 30500 o cova-
CVMISAS E SIROULAS. do> moreantique de diversas qualiiaaes
Encontrar! sempre o respeitavet publico a 20200, 20400 e 20800 rs., sortimento de
um bonito sortimento de todos os nmeros.
MEIAS CRUAS.
Sortimento de todas asqualidades.de
30 a 50, assim como tambem sortimento
alpacas pretas e de cores de 500 rs. at 10,
princza, miriu de diversas qualidades.
FAZENDAS BRANCAS,
Madapolao de diversas qualidades e pre-
de lencos de linho brancos c com barras eos commodos, cambraia de 35500 4floOO
de cor, chinezes, bonitas grvalas pretas e e 50, ditas victorias de 50500 a 124, pecas
de cores. Ra da Imperatriz n. 52, por- de cassa liza o mais fino que ha no merca-
do a 95, 100, 120. com 12 varas, e vara
de-largura
SEDAS DE LISTRAS.
Recebeu-se um bonito sortimento
d*esta
ta larga.
PARA ACABAR.
Urna grande porclo de calcas ordinarias
para trabamo a 640 e 800 rs. cada um par,
pechincha na loja do Lelo junto a loja de fazenda que se vende a 20500 o covado.
ourives. CHITAS.
GR\NDE PECHINCHA, I Vende-se chitas escuras a 280, 300, e
GasSM he cores a 640 rs. o covado, na 320 rs. o covado.
No aimazem do Lelo, ra da Imperatriz ns. 48 e 52, junto a loja de ourives
e padaria franceza.
FAZENDAS PRETAS
PARA A QUARESMA
AIHSTI PORTO & C.
Kwa do Ouoimado h.i! "
Receberam directamente da Europa as mais superiores fazendas pretas 'spe-
ciaes para a quaresma, as quaes esto vendendo pelos mais mdicos procos era vista
da superior quaiidade de ditas fazendas.
ITiT A A"VIH % IIE
Basquines pretas de renda, verdadeira novidade, para senbora.
Gorguro preto de-seda liso e cam listas assetinadas para vestidos.
Grosdenaples preto largo estreito de diversas qualidades havendo neste ge-
nero o que lia de melhor.
' Basquines de croch pretos, ditos de seda preta com cintos delicadamente en-
ditados, elegantes peplums de seda preta, fichos pretos de renda, modernas capinhas
pretas do renda e superioras vestidos de gorgurSo preto bordados.
A leja n. 11 da ra do Queimade tem sempre o melhor sortimento de tapetes,
alcatifas e
Esttras da India para ferrar salas.
Chegou esta nova fazenda com- o nomc
65500, 70080 e 85000, assim como organ-
muito fino tanto liza, como de lisias e
di
pudras na loja e armaz-in do Pavao ra de alpaco, sendo de cordao e com mais
la Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da largura d^iue ajilpae^'comasmaisjmlas
Silva.
ALPACAS LAVRADAS ]PARA LLCTO.
Vende-se na loja do Pavao, as mais mo-
dernas alpacas lavradas para lucto, sendo
muitolargasepelo barato preco de800rs. o
ovado, s na loja e aimazem do Pavao, ra
da Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da
Silva.
AS DEZ MIL VARAS DE CAMBRAIAS FRAN-
CEZAS S NA LOJA DO PAVO A 560
RS. O METRO.
Vende-se finissimas cambraias francezas
vora os mais delicados padres, tanto mia-
dos como grados, e com as cores mais no-
vas que tem vmdo no mercado pelo bara-
tissimo preco de 560rs. o metro; garantindo
que 7 metros d5o um vestido para qual-
q-4lr senhora, e que em outra qualquer loja
nao se encontrar a mesma fazenda por
igual preco, c sim s na loja c rmazem de
Pavao, ra da Imperatriz n. 60 de Flix
Pereira da Silva.
Cas&ss inglezas a 4-i O rs o metro
Vende-se urna grande porco de bonitas
cassas inglezas tanto graudascomo miudi-
nhas e de cores fixas pelo barato preco de
440 rs. ometro.garentindo-se que 7 metros,
dan um vestido para qualquer Bra. s na
loja do PavSo ra da Imperatriz n. 60 de
Flix Pereira da Silva.
Bareges a 400 rs.
5, como sejam Bismark, lyrio, perolas,
roso, cor de canna, magenta etc. e vende-
se pelo baratiseimo preco de 1$ o covado.
ROMEIRAS PARA QUARESMA A 164,
Chegaram as mais bonitas o modernas
romekas pretas de guipure, que se vendem
pelo baratissini preco de 165 cada urna.
SORRECASAGOS PARA A QUARESMA A 18 E
0.
Vende-se um grande sortimento de so-
brecasacos e palitts sobrecasaca'dos de fi-
nissimo panno preto pelo baratissimo preco
de 18i?, sendo forrados de alpaca, e por
205, todos forrados de seda, grande pe-
chincha, principalmente por estarmos na
quaresma, assim como, tambem se vende
um grande sortimento de caigas e colettes
de casimira preta que se vende muito mais
barato do que era outra qualquer parte.
ESGUIO DE LINHO DE 12 JARDAS A 105-
Vende-se pecas de esguio de linho, fa-
zenda superior," cora 12 jardas cada pega, a
10,-JOOO.
ALTA NOVIDADE
A
Loja do Pavio.
GURGROES PARA VESTIDOS A 1GOO,
O COVADO.
ARARA
Lourenco Eeioira Mcndes Guimaraes, proprietario da loja da Arara, ra da imperaniz
u. 72, declara ao respeitavel .pi&lico c seas freguezes que acaba de concluir o iwlanco
desua loja de fazendas e fazer abatimeirto as tasendas que julgou necessano para
vender mais barato que tm outra qualquer parte, por isso roga ao espeitavel publico o
favor d>3 mandar ve as amostras das mesnias pra ver tomo se vende barato.
CHITAS FRA-XOEZAS A 280 RS.
Vendem-se chitas franceas a 280, 320 e 3i0 rs. o covado.
MADAPOLAO A 65000.
Vfidcm-se pocas de madapotao fino a 60, 75, 85 e -iJOOO.
GANGA A 320 RS.
V CABffORES PAUA CALCAS.
Vendem-se castores para cakas a 210 e 280 rs. o covado.
LAAZLNHAS A 240 RS.
\ BBVse lazinha a 40, 280 e 32 rs. o covado, e outras muitas fazendas o roupas
feitas, fazendas pretas para a quaresma, como gros-de-naple, casemiras e pauos pretos
de todas as qualidades, balos de 20 i 35 arcos a lr)500 rs., cortes de brim para calca
de hornera aCiO e 800 rs. cada um, por este preco s na loja iaj.\rara ra da Impera-
triz n, 72.
da lua do, grande Garibaldi, ru
h na loja do PavSo
Se vendem as mai* bonita bareges transparen-
te*, proprias para vestidos com listrinhas a imita-
Co de fiaras de seda, o vendem-se pelo barato vestidos, sendo de todas as cores, como
t,re Chegaram os mais modernos gurgures
Loureii.;o Pereira Mendes Guimaraes paoprietario
da Imperatriz n. y6.
Declara ao respeitavel publico, que receben um grande sortimento de fazendas
de todas as qualidades, tanto para a praca como para o mato, aos quaes espera Ihe fa-
cam a honra de frequentar o se.u estabelecimento que lhe prometiera vender mais barato
to que em outra qualquer paite.
CORTES DE LA A 25100 RS.
Vendem-se cortes de la para vestidos a 2#i00 e 3O00
CHITAS FRANCEZAS LARGAS A 280 RS.
Vendem-se chitas francezas a 280. 320,360 rs. o covado.
LAAZINHAS A 240 RS.
Vendem-se laazinhas para vestidos a 240, ^80 e 320 rs. o covado.
ALGODAO A 4*000 --.-
Vendem-se pecas de algodo a 4#, 5 e 7# 00, pecas de madapolao a 6, 7#, 8.*
e 9.*000.
CORTES DE CASESORA PRETA A 4*000.
Vendem-se cortes de casemira preta para calca a 4J, oft, 6^ e 8i000, cortes de
ganga para calca a I 280 rs., ditos de brim 800 rs., ditos de castor a 1?^000.
CHITAS PARA CORERTA A 320 RS,
Vcndem-se chitas para cobertas a 320 rs. o covado.
CASSAS FRANCEZAS A 320 RS.
Vendem-se cassas francezas para vestidos a 320 e 360 rs. o covado.
\OYIIMIIFS.
lalo:s da 25 30 arcos, a l#500rs. cada um, s se pode terbalSo por este pre-
go, e outras muitas fazendas pretas para a quaresma, pannos, casemiras e gros-de-na-
ples preto, outras fazendas muito baratas que se d5o as amostras. Na ra da Impera-
triz loja do Garibaldi n. 56.
ATTENCaO
Lourenco Pereira Mendes Guimaraes, declara aos seus devedores que entregou ao
seu procurador o Sr. Beniardino deSenna Dias as suas cotilas para elle promover seu
recebimento conforme lhe convier amigavel ou judicialmente, por isso roga-se a todos
os devedores vir entender-se com elle na ra da Conceicjio da Boa-Vista, ou na loja a
ra da Imperatriz n. 56.
0 cordeiro previdente
lina do Hiceimado b. i
Novo e variado sortimento ae iR-rfumarias
linas, c utros objetos,.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, de que ellectivamcdc ct provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se torna
notavel pela variedade deobj'wtos, superiori-
dade, qualidades e -oininodidades de pro-
cos; assim, pois, o Coi-deiro Previdente pede
e espera continuar a merecer a api eciaco
do respeitavel publico em goral e de sua
boa freguezia em particular, nao se afas-
tando elle de sua hein condecida inansido
e barateza. Em dita loja encontrarao os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Alurray d- Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
ceza, todas dos melhores e raois acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentrillcia.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita Aos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservacab do
asseio da bocea.
Cosmetiques de superior quaiidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japonesa, transparente,
eoutras qualidades.
Finos extractos ioglezes, americanos c
franceses em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do lino -3 agradavcl chei-
ro de violeta.
Outras concentradas e do cutiros igual-
mente tinos e agradaveis.
Oteo philocome vmlaJeiro.
Extracto d'olco de superior quaiidade,
com escolhidos ebeiros, em frascos de dif-
Ferentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menores
para mos.
Ditos transparentes, redondos c em figu-
ras de meninos.
Ditos m1o finos em caixiaha para barba.
Calxinlascom bonitos safe-r-.-itcs imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
nas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelSo igualmente bonitas, tam-
bem de periumaris tinas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
e boaeca.
Especial p de arroz sem composico de
dieiro, e per isso o mais proprio para crian-
ras.
Opiata ingleza e franceza para denUjs.
Pos de camphora e outras differentes
qoalidades tambem para dente?.
Tnico oriental de Kemp.
Anda mais coqnes.
Um outro sortimentos do coques de no-
vos e -bonitos moldes com filets de vidrlhos.
e alguns d'elles ornados de flores e fitas,
esto todos expostos apre.-iacao dequem
os pretenda comprar. %
OfflJilNHASE P05H0S ROIDADOS.
Obras de muito gosto e pcrfeiclto.
rHIIa e Mas para elntos.
Bello e variado sortimento de taes objec-
tos, ficjanlo a boa escoma aogosto' do com-
pradoi'.
FL0RES riHAS
O que de melhor se pode uiicontrarnes s^
genero, sobresaliindo os delicados ramos
orvalhados para coques.
Para viageim.
Bolsas de tapete c cartoiras Je couro, por
procos commodos.
Chapetinas de patLa da Italia mui bem
enfeitada6, eenfeites de flores obra de boin
gosto.
E assim muitos outros objectos que se-
rao presetites a quem se dii rgir dita loja
do Cordeiro Previdente a ra do Qucimado
n. 16.
ENFEITES DE PALIIA PARA VESTIDOS,
CHAPEOS E COQUES.
0 Cordeiro Previdente ra do Qucima-
do n. 16 acaba de receber um bello sorti-
mento de trancas de palha para enfeites de
vestidos, outras para chapos, coques etc.
tudo isto est sendo vendido com a sua bem
conhecida commodidade de precos.
ALEM D'AQUELLES.
Becebeu outros lindos enfeites de seda
para vestidos ; assim como um variado sor-
timento de galloes de 12a, babadinhos de
kCranile liqui(ta<;;o.
O proprietario d'antiga e !>m conheciA
loja dt] niiudi'z ifcncnii.tta lleija Fir
i ra do Qwfl'mado n. 03,- com o sortimento de uiudezas que existe,
tem deliberado proceder a urna completa &
ipiidaco, para o que cliamaa aUen(o de to-
dos.
Os oi>< los serio vendidos por metadeue
sen valor, o para que o publico, nao suppu-
nha, que o presente annuncioi una illu
o proprietario da'dita loja oflerectj urna po-
quem lista de algumaMiiiudezes, com os seu
(liininulos pircoscomo abaixo se ver;
uaoapresentando urna lista completa de to-
dos os objectosque esto expostos a venda,
pela razo de se torear um annuneio muito
extenso e por consequencia de enfadonha le-
tara, por isso apenas lemita-se as seguintes^
Caixa de envelopes de cores. .
Ditas de envelopes com tarja.
prela........
Ditas de envelopes brancos gran-
des.........
Ditas de enudopes grandes e pe-
queos.......
Libra de la para bordar, surtida
Duzia de cartees de corchete fran-
ct7.i's com 2 i pares cada CSrUo
Dita de colheres de metal prin-
cipe para sopa.....,
Dita de ditas para cha. .
Concha de metal principe para ti-
rar assucar. ,.....
Botuadura para collele.
Pares de luvas de fio da escocia
branca c de cores para homem.
Ditas de ditas para senhora. .
Fita para sinto de senhora. .
Pares de sapatinhos de cas-iuiira,
bordados.......
Pecas de cascarrilha de la. .
Escova fina para limpar pblS.
Ditas de ditas.......
I Pente preto de barba. .
1 Caixa com apparelho de chumbo
a 610, 1A200 e.....
Buneca de cera a 1)000, I-20U,
3-J200, :>000 e.....
Apparelho te porcelana para ab
moco e jantar......
Jogo to Vispora. .."...
Caixa com papel branco c de co-
res.........
Infladores para \esSido. .
Caixa de linha de Rwrca encar-
nada o azul.......
Sapatinhos de laa para meninos.
Tcas. ........
6(10
900
7C!)
6(K)
7&0O
W'O
|60
26i0> .
36)
W)
6C >
800
IMQO
5CO
0
m
ico
l^SDO
Mo
2.COJ
9C0
n
360
WO
PASTILHAS ASSICARADAS
DO
DR. PATERSON
De MmiciIi e inasuezla.
Remedio por excellencia para combater
a magreza, facilitar a digestao, forti
estomago etc.
nr.PSITO ESPECIAL.
Pharmacia de Barlliolomeu A- C.
34Ra toga de Rosario------34.
Vcndc-sc nina armario do taberna : iral i
na ra Imperial u. 30.
ESCRAVOS FUGiCOe
Escrava fugid

C.i
Dcs.'i|'ii:iriccii ti" poder do at>aixo asig tad *
>ua ewrava erfoula d> mmm Benedicta, i
tanibem pelo nomc deConmifo,catatara repafti,
mapra. rosto compridn e deseanado, faftti de inr
ses na fenle, coitoma a embreapai'-e, li i n vus-
lido di- cliia dar rom ninas rodas ntirl'' BoretL
rhafes do laa d barra ja velbo ; ella Batir J
de SerinhSent. paraondo e desconfia, ter ellase-
guido : ni?a-eaa auimidades polieiaes e ana ja-
pitaes de eanipo a appreb oslo, e leva-la rea
la Imperatriz -:>. loja, ijue se gratificar.
% Join Pranciwo Paredes Porto.
O abaixo assign&do recommenda a captom
do gen eseravo do nomo Josejofan, mulato, fucid:.
do seu sitio dollwteiro, compi::(!o aos s?h d.'-
DOfl os Srs. Joio Goncaivos da Silv.-\, Vi.-.n'c ('.
vajeantido Albamienfue e Alcxamlre ('mes >
Silva, ncsia cidaao, por iatennedm de fiij pri
raradoros na pessoa do Sr. Mannel PrancKfoi
vaicanti, todos de Pao d'Alho e por nterverci d>
Sr. Santos (corroclor de ntnm). cuj. eM>ravo a
iamhcm natural de Pao d'Allio e tcm o* disiii
segumtes: dado 35 anno?, seoco do cor-po e i->
poucoalto, bifcodt, cabello um pouro carapisbadi
e pcn'eado, l'alia de destes, orna hrilamfliscao rr,
i'iuada na junta da nao o-querda. falla a Feriare
jo. uiuito deseaneada e mansa : levou camisa-s d*-
mada|)olao e riseado de algodao, e calcas de br."
pardo. O abaixo a.v-k'nado muito recommenda i
captura deste s-'u es.'ravo tudas as autoridad'1*
'gada< da captura de
e mais pessoas encarregadas oa captura iie erra
vos, nio s pelas diversas cidades, villas e povi.a
cambraia com bordados de cores, cuja va-1do?. w Pcln *& P-ir-101'de $*,cT 'pfio!
ZZOaI ,one ppmoa que delle der noticia certa : a d;ngirenv-
?e ao seu eseriptorio a ra do Crespo n. 15, on io
sejam verde, azul, rosa, bismark, perola,
rxo & & tendo quasi quatro palmos de lar-
gura e vende-se pelo baratissimo preco
de 1(9000, cada covado nicamente no ar-
mazem do Flix Pereira da Silva, na ra da
Imperatriz n. 60.
RETALHOS PARA LUTO NA LOJA DO
(PAVO.
Vende-se urna grande quantidade de re-
*
it iva lea o armazem do Pavao, ra da Iropera-
tfiz n. 80, do Flix Pereira da Silva.
Grande pechincha para a
quaresma.
VESTIDOS PRETOS A 48000.
Vende-se superiores cortes de vestidos de
seda preta lavrada, sendo fazenda muito
encorpada e muito moderna, pelo barato
preco de 455, nicamente na loja do Pavo, tainos de chitas e cassas pretas por preco
ra da Imperatriz n. 60, de Flix Pereira muito barato, e quanto maior for a porco
da Silva. que o fregu comprar, mais barato se lhe
COLCHAS PARA CAMA A 5,8000. i vender na ra da imperatriz n. 60 de Fe-
Vendem-se colchas de fusto adamasca- "x Pereira da Silva,
das para cama, pelo barato prec-i de 55, i
grande pechincha, na loja e armazem do I Croadeuaples preto
Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Flix' Vende-se um grande sortimento dos me-
Pdreira da Silva. lbores grosdenaples pretos, tanto lar-
Pollde ckvre a f 0OOO*covado gos como estreitos, sendo de 24000 rs.' o
Vende-se poil de Chvre muito largo com covado at 45000 rs. garantindo-se que
as melhores e mais modernas cores pelo n'este genero ninguem tem melhor faienda e
barato preco de ItOOO o covado, na loja e que se vende mais barato do que em outra
arm.zem do Pavao, roa da Imperatriz n. 60' qualquer parte, na roa da Imperatriz n. 60,
de Flix Pereira da Silva. I & Felix Pereira da SUva.
Sub ama lraM 'impida e agradavcl, e.-te medica-
mento rene a quina, qne o tnico por eiceliencia,
e o Ierro,jam dos principaes elementos do anpie. E*
adoptado pelos mdicos mais distinetos de Paris. para
curar as cores paludas, facilitar o desenvolvimento
das meninas e resumir ao corpo os seus principias
alterados ou perdidos. Faz rpidamente desapparecer
as dores d'estonugo intoleraveis suscitadas pela ane-
mia ou pela leurorrhca, s quaes as senheras estSo
tantas veces sujetas, rcgularisa e faeilitaa menstruaco,
e receitado com successo as enancas paludas, lym-
phalicas ou escrofulosas Emtim, excita o appetitc,
favorece a digesio, convem a todas as pessoas cajo
sangue est emeobreeido pelo trabalho, pelas moles-
tias, as convalescencaa'loiigas ou difficeis. Oa bona
resuludos nunca softaem esperar.
Deposito em Pemambitco, em casa de
riedade de gnstos os tomam recommenda-
dos e apreciados ; compareci pois os pre-
tendentes que serSo servidos a contento.
TAO bem. recebeu.
Novo provimento do bico3 e rendas de
guepure.
LUVAS DE PELLICA.
De todas as cores tanto para bomen
como para senhoras, constantemente acham-
sc a venda na loja do Cordeiro Providente :
ra do Queimado n. 16.
INJECTION BROU
jgwn ,|mm>fi t tmrr\mu\m, um*..i>'i>. .. iw. .i. a., i
STEK >*!*** < Btl* iMVsett t es*). (K Nm te cUsUmm.) rsto, en es
NOVIDADE
A loja de Coelho A Oliveira ra do
Queimado n. 19, recebeu pelo ultimo vapor
um bello sortimento de balocs de diversos
systemas, os mais aperfeicoados que teem
viudo ao mercado, sendo :
Baloes do guipur com tiras chamados
reguladores, ditos de musselina abertos por
ambos os lados, de modo que sendo todos
de um tamanho servem para qualquer se-
nhora, de la de cores, com tiras, e as se-
geintes fazendas:
Saias de 15a com bonitas barras.
Chales turcos de seda e la Beatriz de
Tundas.
Fitas de guipur pretos Rocamboly.
Chapeos de sol para senhora, muito lin-
dos.
UaatnhM
Sultanos.Poil deChevre, Tricte, dito de
xadrez e outras muitas, entre ellas urna
Especialidade
La pura de cores a 360 rs. o covado.
Basquinas a Maria Antoniete.
Cambraias fantazia. '
Ditas brancas transparentes o Victorias
Colxas adamascadas.
Cobertas chinezas a 2*500 rs. e outras
muitas fazendas que tornar-sa-nia enfadonho
a anunciar.
Tinta rxa de Mon-
teiro.
Vende-so tinta roxa do Jfcateiro para escrever:
na loja de calcado do sobrado arnarelio da ra da
Cruz n. Si.
seu sitio no Mnntoiro.
Becife, 27 de Janeiro de 1869.
Antonio Jo.< fodriijurs dt Souza.
lOOS de ralilicaflo
Fnpin uo da ff de Janeiro do corrente an:u,
do enpenbn Balainra, frejnjezia da Evada, o c--'-
cravo pretn, crioulo, de i annos de idade, cha
mado llarceHno, qne foi do Sr. JaSo da Con? i
Pereira, eujo eseravo estove do drfmailn feral, b
tem os signaeti seauinle : alto, aareo do corpa,
rosto muito mareado de bexiflM, falta de dent^^
na frente, cor preta, sahht de chapeo do ehi'e. p-,-
letot e ralp de castor, levando tim balni7; bo do
tlndres c mais roupa, e suppo.'-e e tar ra
frejruezia do Cabo : quem o appreh ndei toie-i
ao dito enponho, ou a roa da Sensato-nova n. 38,
escripterio do Sr. Bernardino Pontual, quo rece-
ber a {rratiflcaao cima.
Fujfio no dia I* de mai-co, doenge--
nho S. Pedro da freguezia de Ipojura, o es-
eravo nardo de nome Francisco, de idad^
30 a 35 annos, oficial de sapaleiro, ctr
csrura, alto e seco do corpo, poffredehet-
me tem um dos tornozellos mais ?rnsso,
bastante calvo, tem nm taino no qniio,
gosta de embriagar-se, levou vestido calc^
e jaqueta de brim pardo e chapeo de ftt-
tro usado, cor parda, o dito pardo Francis:
co tem urna rma no Recife e tem irm3os
e tios na villa da Escada, em Freixeiras,
Aripih, por isso roga-se as atitrindades
policiacs c apites de campo a proSn do
mesmo, e quem o pepar e o levar ao dito
enpenho a entregar a Antonio Emilm A Ir-
raao, ser generosamente recompensado.
Da-se 200J000 rs. de (rratillcacao a quera pe-
gar dois pretos que se ausentaran) desde o i.
26 de dezembro do anno de 1868 do enpenbn Pon>-
hal, termo deSerinhaem, ou quem deltas d-r no--
ticia certa; um delles por nome Joan M"nteiro, te-
man refrular, representa ter de idade 30 a 3%
annos, cor fula, e tem em urna das far^s nm ta-
ino, bem fallante o sabe ler, nios aboticadns,
este preto foi comprado na cadeia dO Becife, quo
j do ttono tinha fgido ha 4 annos e foi capitnra-
do no Mon'eiro. por isso chama-se Jfl Munfeiro ;
o outro por nome Jernimo ,que foi comprado c*>
Sr. Gustavo bem conheeido nesta pra?a : aKura
regular, secco do corpo, e est bcn>-* m",e>
divertido, rendido do ambas as *on.has, te-
marcas de chicote as costas : q-em os aprehen-
der, pode derigir-seao mesmo eagemV) Pomitai i
seusenhor,ou nesta pra?a na casa dos> ewi
nhore Manuel Alves Ferrer C ra da ootaa
) o. 5 segando andar.
fl




8:
Diario de Pernam

LITTERATRA.
possivei obter dos cammhes de ferro con-
dicScs muitissimo favoraveis.
Citemos, por exemplo, os inarmores, que
Qu^* feira 11 de Maivo de 1869.
de escala n'uma capital faustosa, como a ci-
dade de Paris, eni que ha o gosto das cons-
trueces monumentaes, e onde parece que
essa bella materia devera oceuparo mesmo
lugar que tinta na Roma dos Cesares. No
eintanto, o marmorc era Pars s excopcio-
nalmente empregado as construeces par-
ticulares, anda asmis esmeradas. Reser-
va-se para destinos especaes, como lareiras
e cousolos. Fra disso, emprega-se o oslu-
que. As casas que tm sido erigidas em
Pars era tamanta quantidade ha l'i anuos.
apresentam muita vez paredes de oseadas de
estuque, e com estuque se reverten fre-
quenteraente as salas de jantar. O estuque
nao deixa de ser brilliante; podem-su Ihe
dar os mais ricos matizes. Quando novo
e bem tratado de grande effeito; mas
tem o grave inconveniente de ser perecivel,
Nos monumentos pblicos era que se
qoiz dar cunho de grande magnificencias
como a igreja de Magdalena, pareee que mal
se lembraram do raarraore. Fizeram-se
aqu e alli, no interior desse templo gran-
dioso, pequeas placas, urnas redondas, ou-
tras quadradas, que fazem triste figura. Em
vez das soberbas columnas de marmore e
porpliyro que aforraoseam as grojas de Ro-
ma, vem-se columnas de pedra commum.
No arco do triumpbo da Estrella o marino-
re est completamente 'ausente. As esculp-
turas multiplicadas desta imponente cons-
trueco s3o todas de pedra.
Seria difficil citar edificios recenlomen-
te erigidos em Pars, com pretencoes ao
DE FERRO EM PARS.
I.
0 CONTIMA DA MKCHANH A NA IN-
111 STHIA
(Concl/iso)
Caminhos de ferro.
IV.
O caminho de ferro un apparellio es-
senrialmente meehanico; jsclbeconsagrou
u Europa una somma de cerca de 28 mi-
M:5es; urna razio para que se trate de
Srar delle os maiores effeitos, aperfoi-
goando-o.
Alera dos trabalhos de aterro, cortes pro-
fundos, que Ihe s3o communs com os ca-
eaes e as estradas, pode se distinguir no ca-
minho de ferro dous elementos que Ihe sao
proprios; a via propriamente dita e o ma-
terial, enja principal peca a locomotiva.
Compoe-se a estrada de duas partes, os
trtlhus e os traversoes, sera contar o ballast,
de que rao ha muito que dizer. Quanto
w trilho, a idea nova. taje bem assentada,
fazel-o de aro Besseinor, em vez de ferro.
Nao rollaremos a este assumpto.
Os traversoes, at agora, erara s de raa-
ifcwra. Procura-sc agora substituil-o pelo
ferro, que mais duradera: o, anda mais que
v> aclmrea essencias, que vem de ultra
mar, c espera se fazer uraa notavel econo-
ma. Ver-se-ha no relarorio dos Srs. Fla-
chat e de Goldsmilh cm que estado se acha
* queslao.
como Pars. Ao principio, assustadas com caroco: na primavera duas cerejas pegadas1
as despezas, relegamos as estaofles para a I como sorriso ei bocea de creanca: no vero
'trados. Acn- lillas espigas na mesma rnacaroca : no ou-
tomno dous cachos brancos soldados por
sete oras pretas, era mais nem menos*.
A locomotiva objecto de muitos esfor-
$os, cuja exposico lucida se achara no re-
latorio do Sr. Couche. Urna das mais uteis
dessas novidades consjste no eraprego pro-
longado do contra-vapor. Por este pro-
eesso, (piando um trem lancado com
grande rapidex, e mais particularmente
guando desee um declive rpido, o vapor,
em vez de emparrar a machina e o trem
tiara a frente, empregado em retl-os.
Desse modo evita-se um pergo serio, que
apresentam os caminhos de ierro, quando
os trena muito cjaregados tem de descer
rpidos declive*.
Por economa, introduziram-se declives
' 20, 85, ;i), millimetros por metro o mais
nos Mises de montanhas, em vez dos 5 e
nc dos 3 millimetros que ao principio se
considerava come o mximo mais racional.
Essas descidas rpidas apresentavam um
perigo (pie era importante conjurar, O pro-
blema est rosolvido pelo contra-vapor. Mas
nao 6 todo. Para construir com economa
fonos de ferr > em sitios accidentados,
ira preciso ir a'm das nelinacoes que ci-
tamos. Para isto. o Sr. baro Segtter in-
ventou um modo de traeca o por locomoti-
va, eme, em v;z de seu nomo, que devera
conservar, tem taje o do Sr. Fell; foi este
o constructor que pos a ultima de mo
aas locomotivas apropriadas a esse uso.
Aabft-se de fazer a applicaco dellas no
proprio Monte Genis, justamente cima do
subterrneo. Esta passagem olerecer
r-ssim a comparaoode dous systemasdiffe-
rentes que estavam em concurrencia.
Esto j ha muito cm uso, os apparelhos
fumvoros que evitara ao viajante oencom-
modo do fumo, e uestes ltimos annos fo-
rm objecto de alguns melhoramentos.
. Ha pouco que dizer dos carros e dos wa-
gus. A totaldade dos caminhos de ferro
distribuidos pela face do globo, forma um
numero que causa espanto. Calcula-se que
.:.!;> anda em menos de um milho. Em
mes o.valor do material rodante, locomo-
, carros, wagons, boje de 800 mi-
IMs* de francos.
-As companhias de caminhos de ferretera
'cande nteresse em que um material to
ensid ravel seja eslatalecido e mantidu de
uaiaeira a ter grande duraco. Nao ha no
SntHntO neiiluima innovaro notavel que
apostar na constrilccSo dos carros e dos
wagons. Para o gervico dos passageiros
especialmente, cada naco conserva certas
irmas quejolga mais eommodas.
Com as viagens de longo curso, os car-
u com cama devera multiplicar-se c aper-
lr-se. IVecisai ser bem dispostos na
linha de 5.100 kilomelios, entre New York
r S. Francisco, onde a viagem se far, na
or parto dos casos, sera foterrupcSo.
Os americanos j fizeram ensaos que fazein
Mgarar.bom sxfto.
A respeitodas mrreadorias que, por sua
natureza, podem ser transportadas a desco-
in;i;to, e que se aprasentam em grande quan-
tidade, os caminlios de ferro olerecem ao
commercio eondicoes oxceptionalmente favo-
r-aveis : transportara eStSopela sexta, dfta
at decima parte do preco.
Por toda a mercadoria <|ue pos3a apre-
ar-seem grande quandade.e que, "por
Sua. atoroza, 6 completamente ou quasi
la de pi'ibabilidade de alteracao, seria
FOLHETIM
os iMflts de tkwm
ro;
explendor, onde o estuque oecupa o lugar
do marmore, at na parte externa.
O marmore, comtudo, seria inliuitaraen-
te preferivel pedra todas as tetes que se
tratasse de decorar quer no exterior, quur
no interior, os edificios pblicos que s3o
monumentos, e at as casas faustosas que
os particulares opulentos mandara construir.
No interior pde-se considerar como per.
manente e indestructivel, e no exterior,
debaixo do nosso co hmido, ainda mu
duradouro. O nosso clima, muito menos
conservador, entretanto que o da Italia e
principalmente que o do Egypto, poupa o
marmore de boa qualidade. Tem-se pro va
disto nos jardfos de Versailles. onde os
raarmores postos no tempo de Luiz XIV
ainda esto em bora estado, o as bellas
columnas do arco do triumpho do Carrous-
sel, que no tem soffrido ha 60 anuos desde
que alli foram expostas i todas as intempe-
ries, c que antes passaram pela mesma
prova, durante um seculo, no castillo de
Marly.
A Franca apresenta nmeros^ psdteiras
de marmore em differentes parles do seu
territorio, principalmente marmore de or-
namento, e podem citar-se podreiras de
marmore estatuario. Mas este nao falta nos
pai/.es estrangeiros, d'onde com urna boa
organisaejao, poda virsemescessva despe-
za. Os Pyreneos, raais talvez que nenhu-
ma>outra cada de montanhas no mundo
intero, esto cuetos de marmore. Acham-se
de todas as variedades e cores. E' veros-
mil que as facilidades de transporte que j
os caminhos de ferro fornecem at serio
ponto, e que devero, em seu proprio ale-
resse, fornecer mais completamente, deter-
mmaio em Paris, d'aqui a um prximo
futuro, a volts do marmore architectura.
d'onde foi tao despropositadamente banido.
Se tivessemos de construir o arco de tri-
umpho da Estrella, provavel que os qa-
tro grupos de figuras collossaes, collocados
dous a dous sobre os ps direitos, ao longo
das duas grandes aberturas, fossera de mar-
more estatuario, e bem assim os baixo-re-
levos das quatro faces, as eseulpturas da
frisa e as figuras da fama collocadas por
lima de cada urna das portas.
O eraprego da pedra em vez do marmore,
para as grandes figuras, tira-lhes todo o
aspecto monumental, e as transforma de
modo que ferem a vista. E' irapossivel a
um honiem de gosto tomar por mooom al-
tos e considerar como aformoseamentos de
Paris objectos taes como a grande ponte
da praca de S. Sulpicio, os quatro grupos
collocados na ponte de Yena, c muitos ou-
tros do mesmo genero, em que d.-sgracn-
damente a podra substituio o marmore.
O transporte dos marmoresdos Pyreneos
a Paris podia fazer-se a 8 cntimos'por to-
nellada e por kilmetro, ainda suppondo
nnrmores polidos. O metro quadrado de
placas de dous centmetros do espesura,
inclusive o polido, podia ser dado por 10
franco*. O preco do metro quadrado e en-
tregue em Pars podia ser 11 fr. e "o c,
Ora, o-estuque casta 12 a 14 Ir. por me-
tro.
Urna dasquestoes mais interessanics em
assumpto de caminho de ferro, a sua u-
trodueco no interior das grandes cidades
e principalmente das populosas capti -
oii
tece o mesmo em Londres Grandes in-
tervallos se deixaram assim ai. urros e
pees para chegar sos caminhos de ferro.
Desde ento, as duas poderosas metropo-
les, Paris e Londres, dotada* da no forte
vitalidade, estendoram-se al mor parte
das cstaetf e al as envolvern. Mas,
paraoss%osbairros, u 0> majs
populares e atarefaltns, jiubsht.' n fnc :i\.*-
niente p vimitivo. Km Umflres,
capilaes abundara mais e onde o espirito
de crapreza mais audaz, lutoti-se heroi-
camento contra o obstculo. Adiaiitaram-
se os caminhos de ferro pela cidade den-
tro, suspendendo-se por cima das casas,
transformadas para este effeito em solidos
viaductos. Fizerara-se assim estacos no
coracao da cidade. A de Ciiaring-Cross,
cora as magnificas pontes de ferro que a
acompanhara, o mais bello exemplo. Com
os accessoros, custou cera milhes de fran-
cos companhia (pie a oa^belecou. Mas
nao era bastante para faasr penetrar as
grandes iinhas at o coraco de Londres:
para o bora servico dessa grande metro
pole, foi preciso ter caminhos de ferro es-
peciaos. Assim que se csvtram subter-
rneos para atravessar de lado a lado essa
imraensa capital. Por algn sidos e n'um
Grande raridade ; mns tamlwm seguran-
ca perfeita. Com as espigas, comasamen-
dsas, o mesmo comas cerejas pdese ver
mal ou mesmo nao ver coiiss alguma : mas
eisn as vis tudo vjsivoL ludo corto, tu-
do palpaveL Chegadla li'w. feHa a con-.
iirflrS'i, pnrec qu? inri hirmonM celeste
onde osid'sco do co : dopoh urna Olivera de per-
fume, donde nao tarda a sabir o h mu amado.
Cm bem amado, que an la, me falla, emlira
ronipleto. .
Ouuma bem amada. |xii(ju; tanto acon-
tec' cora os rapaz as como son as rapa-
rigas.
Quanto ao modo de O chamar veremos de-
pos como fez A vela. Vamos ao appareci-
mehtO.
O phamtasma ou a sombra, o sozia va- o demo.
Melteram todos esses bilhetes verdes no
chapeo do vinhateiro dep is de contados e
recontados. Eram desoito.
Depois um menino com os olhos tapados
metteuam3ono chapeo.
Aqni est o brillieto que gania.
Venta B.
Lde depressa.
Escuta.
Silencio.
Nao me emporris.
Eutito ?
Vamos: depressa.
Lde.
Avala. O que ? foi engao. Esse nao vale:
venda outro.
-- Avel5.
E o terceiro -Avel, e oquarto.eo quin-
to e todos AveJ5, sempre Avel.
Que espanto I quedespeito! que furor!
Isto feiticeria: Avel tem pacto com
poroso do seu nome e resideoeia. se n5o j
do lugar. Se do lu.ir nao careee dizer j
miis. Se de f/a o rapa/. |i--se logo a
caminho, e algumas vezesanioca, o que os'
faz encontrar mais depressa.
QuanU) ao casamento faz-se'sernpre, ape-
zar das preveiicoes de nasAuento e fortuna.
Quem se atrevera a desunir corards uni-
dos pelo co ?
felices. A
ferro metropolitanos dessa capital sao re- as raparigas
numerados para os accionistas. Ha nsso'zes, todos se
um emprego dos dinheiros parisienses mu- Avet,
E' feiticeira: levemo-ta ao bispo.
Ponhamo-la daqui para fra.
Queimerao-la.
Mais primeiro tire-se-lhe o cacho.
E' verdade.
Para raimpara mimpara mim.
E dezesete mos furibundas se agitavam
no ar em roda da pobre moca espantada.
De repente ouve-se uraa banda de trom-
betas. E ouvindo-as cahiram todos de face
no chao.
E' porque estavam no anno mil, e os
astrnomos tinham predito que naquelle
anuo acabaa o mundo. Quando se ouvia
urna trombeta, j se cuidava que era a do
juizo final.
E por esta razio alguns minutos se pas-
saram, sem queninguem se atrevesse a le-
vantar o nariz ou abrir os olhos.
Jillgue-se agora qual n5o foi o ruedo,
quando todos os rapazes sentiram as cos-
tas como cocegas p,uco graciosas de um
cabo de partasana.
Era mesmo de morrer.
Felizmente urna voz entao gritn:
Levantai-vos, patetas.
Si' fossem anjos. mesmo exterminadores,
fallariam com mais cortesa. Os nossos
poltres abriram um olho, e reconhoceram
com certo prazer que tinham de tratar com
trombetas, chamados por outro nome
arautos.
Onde a aldea de Baddschlagh ? per-
i puit4dus. todas as raparigas furiosas : aquel-! guntou o que pareca chefe.
le-'porque Avel era a mais pobre'do lo-] Somos nos, disseram as raparigas
das: estas pi;rque era a mais bonita. com urna bonita mesura.
Que pena! miiimiuava um rico vnha-i Somos nos, disseram os rapazes com
leiro. O talismn pie serve para eseolhcr sorrisos raais ou menos aparvalhados.
marido, foi cahir na- m.s de quem nin- A' retaguanla os machos: s temos
guana a quer para multar. negocios com beldades: retorquio oofficial.
-- E' urna indifiiidade. enotnmingava a. Os rapazes sejafastaram embainhandoos
Bita de um burgo-mestre. Aquillo nem | sorrisos em feias caretas, e a urna ordera
moca. Para ter direilo de conservar o ca- cespitosamente phi-aseada as vindimadoras
dio dos amores, preciso estar.mposicao se linharam como regiment em parada,
de ser amada. o retrato : disse o chefe dos trom-
E os rapazes, excUanVas raparigas, e betas.
zeram todos os m lis. de chapeo na mo,
e esperaram ^ < !,;ns de AvelS.
Palpitante, indecisa, crenVi sonliar, a
OTpha, fascinada, olhava alternadamente
para os tres balis sem dizer palavra.
Nfio aconftcia o mesmo nem aos vmdi-
madores, nem s vindimadoras, pois esses
cantaram:
Cklr i
O destino favores ffie cede.
Honra o gloria feliz A velan I
Da vindima esse corito de cultores,
Dos esposos -fiel talisin
Ella o tem;.... Ali! por elle, ta de em breve
Ter um noivo a formosa alde3!
. Ilonra e gloria a quem a sorte protege!
Viva! viva a ditosa Avel3!
Giro dos vindimadores
quatro de hora vai-se do estar de Pad- Estes casamenlos sao sempre
diugton, situada a oeste, da po*e. de razo muito simples.
Londres, no centro da cidade. Em Paris. Ameudoas, cerejas, espigas ou sao
hu taram-se ao cinto do caminho de taro, preciosamente conservadas em musgo verde:
quo.jwa longe dos tainos povoadu*. equ.lessas prociosos reliquia^, esses talismaus de
e principalmente ivservado s mercaderas;; amor, testo a virtude de exorcismar de re-
excepto eutr.; a estaco de S. Lzaro e An- pente todas as nufSSs nsffSSS ou pardas,
teuil, Pans esta totalmente privado detsami- que pass;iiu e wpnssan c^inrtaatemeote pelo
nhos" de Ierro inleriores. oo fa casamenio.
No meio de trabalhos gigantescos que Julgai, pois, se nao dev, liear cou-
fieram de Pars a mus tata adide do terne quem acta as amendoas do invern,
mundo, ha urna tocona lamentavel. V ce- as cerejas da primavera, 'as espigas do \e-
leridade urna das primeiras necessidadj* rao, ou as uvas do outouio ..
dos homensde tajo, eo caminho de t.rro. Foi justamente oque a bou Vvol.
unvinsiramon. cuja ausencia asp^piHa-j A'-idiinadm-. s u wn lai id e-as todos cor-
possivel estabele- rerain. Duvidavam : i|ueriam ver : exami
navam o talismn c Mctarilgum def-'it,,.
Porm nao: nada Uie faltava : era alvura
duufada docaciio amadurecido pelo sol: era
a sudadora vegetal dos seto anneis pretos:
jera o cajchodM amores cejestiaes.
E por isso todos os rapazes estavam des-
ce-lo. E' indispeusnvel em Paris umu
redo de caminhos Esta grande capital poder ser beHa, nws
ser assz inoommoda, emqoanto nao ver
os seus caminhos de. ferro internos. Paris
devia ter tudo o que Londifes possue oeste
genero. O caminhos de ferro sao es.im-
cos meios de appro'ximar as extrenilade-
demasiado separadas do centro.
Iloje os caminhos de ferro metropolita-
nos de Paris deveriam ser estabelecidos
subterrneamente como os de Londres.
Nao podem ser por oulro modo. As gran-
des renda-; da cidade de-.frus llie Sll'nre*
ceriam meios paraexecutar essa obra, de-
pois de determinadas forma por um eatu-
do aprol'undado. E' verosmil que com urna
subvenco que nao seria excessiva, se en-
contraria una companhia disposta a cons-
truct;o. Em Londres todo se faz sem sub-
venco, e affirma-se que os camiiibos de i
Aproximou-se um joven pfaro com urna
(o mais util que qnalquer outro destino.
Miguel Chcvalii r.
xaliiido as cairel- dos rapa-'
reunram a alguns pasaos de riq,ujssma carteira, aqual cbntnha
licioso retrato de moca algum
A raiuha a Tkidiasa
De repente a loma vindimadora den um
grito de alegra triumphante.
Toda* as cepas parecern! responder em
coro :^0 fpie < ? E em cima de cada cepa
brilhavam dous olhos voltados para o lado
de AvJi. iiiesouros. queso Deus tem direito
Avela a linda rapariga que a-.'aba de palhar, porque s ivir elle pod
gritar. dados.
Mas porque razo tinta sua Irada buqui-: Mas que differenea quanto s vantagens
nha soltado essas notas alegres, essa roda terrestres. par morada um casetaearnjina-
A orph nao di/.ia cousa alguma, olhava
para o seu cacho e chorava : talvez Hk> vies-
sem roubar o sen nico bem, o St-u tlie-
touro.
Peco perdo: cngaiio-m \ Tinha uns
Shoa azues, que valiam as mais preciosas
terquezas, tezdeopala. labios de. coral, so-
hrancelhas && -bano, cabellos de (Miro, e
nesse momento tinha togrimas que Ihe ca-
hiam sobre ospesinhos, como foptesde din
mants; tinha emlim urna multido dessos
de
vea
es-
ser
de logo, essa chuva de alegra partida do
coraco ?
E' preciso explicar isto primeiro : e para
o fazer seguiremos por um atalho, que nos
far chegar depressa estrada di nosso-
conto.
as margens do Danubio ( l qu
sotamos) florecen]
Entre outras esta :
Acredita-so que
nos
mil tradiCoes nraciosss.
Deus
lie Berthet
''. ntimiaco do n. '
1H
No nui'.
' Dius m /: s dep iis do acoiitecimentos
qtie acabamos de relalai-, um elegante e li-
tro navio vogava a passos largos sobre o
nte agitado, em quinto que um
pspl adido, cora os-seusraos verticacs,
fizia prcseTlrr ;i Bfldrexrmacio'do'EqnS-
dor. Pos'o que desde milito tempo se nao
i o agua, determinados inJ
lirios annuneiavam as proximidades de
trra. 0 mar perda, em certos pontos, o
seomagolaco azulado, que era substituido
por manchas pardacentas, manifestndoos
5 superlW i largas cnrrcnteS de ages.
da trpolai;rio tinha por
''i eTToili .qi produzera ordina-
riammite, ainda meemo grandes distan-
< a< da caudalosos os do con-
o! americano ao m no Atln-
tico, o por issd todo os olhos se volviarn
frequentemoiitc para o mesmo ponto do
hom>bte. m marojo da atalaya no cesto
da gavea nao perda o momento'de gritar:
-Teiia tetra pb'rase to agradavcl
lepois de urna longa viagem..
Na popa d'este navio e sobre o torabadi-
hV defendida 'd6s ratos do sol por um
toldo, eslava assentada urai rapariga de
faces pallidas e toda vestida da preto. Ti-
nha sobre os joelhos um volumoso Irabalho
de costura, mas havia alguns listantes que
a sua agullia deixra de traballiar, c, en-
costada ao empavesaraento. contemplava
com ar pensativo o ponto do horisonte para
onde se diriga o navio.
Um marujo ainda joven, sffffado, com
as pernas dependuradas sobre tuna verga
e abrigado por urna vela enfunada polo
viito,. dirigiarlhe de vez em quan lo ceos
mysterioso.
Sobre o convez, os homens de quarlo.
extenuados pelo calor, conversavam ou fu-
mavam, sempre vespera que qualqner ma-
nobra reclaraasse os seus sorvicos, em
quanto que o capito, encostado ao cabres-
tante, pareca 1er alteutamenle em um li-
vro que tinha na mo.
O navio, como deve ter-se ajuncado, era
o brigue Prospeiidade, a joven pensativa
Josephina Berlbniy o marujo assontodo na
verga Miguel, o surdo-raudo, o finalmente
o capitn Pedro Grandval.
O navio, atrasado pelas tempestades e
calinarias, andava iro mar j^ ln q|renta
(lias, e, nao obstante todo este tempo. nao
tinha tido Josephina motivo de qui\.,ir-se
tima onica vez da menor fllta (! ltenlo
da parte de qualquef pssos liitrip-ila-
8o!
Com effeitd, flrandva! tivera o cuidado
de escoltar para esta viagem marmhei
lieni comportados e comedidos, c que ti-
lia murte-conlieciam Josopina. Eil; o/cu
pava o camarote da fpa,- habitoalmente
reservado para o^mmarldante do navio,
mas que o capito flie ceder, n5o obstante
ter de ficar pouco mai bem acortmiodado
do que os seas nwrajos,
almas, que quando caliem do co,srp:iram-si
para smente l se tornarm a "reunir: mas
algumas juntam-se mesmo na trra. Em
qualquer dos casos a ventura, o co. o lia-
ra izo.
Entende-se que nestas duas almas sia-
mesas ha empre um rapaz o urna rapa-
riga.
Mas como so recouhecero, como se
uniro, como se casaro ? Muitas vesss cn-
ganam-se, e o que faz os mos casaes.
Mas as margens do Danubio nunca se
enganam. Sabe-se a arte de cada m ch i-
mar a sua metade, conhecer a sua ahna'ge-
mea : aprender com a sombra o amor da
verdade'.
No invern duas amendoas no mesmo
do, por vestido alguns trapos, por familia
nem moa cabra e nem ao menos um. nome:
porque fora em ra/r,:. ddapanhar seus ali-
mentos pelos campos que tta ehanvwam
AVT3la.
Adeus, meu bello cacho, nitirmnrou
ella com voz to meiga como canto de ave.
Oxal que des ventura a alguma que seja
menos abandonada que eo.
cria seinpre duasLcho, adeus.
tanto suave e
vaporosa, como sonho daguerrotipado, raais
que multar: fada, houri ou anjo.
O oflicial passou em revista as dezesete
mocas, parando diante de cada una para a
comparar com o/etrato.
Diaute das bonila.s dava un suspiro, que
parncia dizer: que pena.
Oante das feias passava depressa fazen-
do urna Careta
Viagem intil, disse quando chegou
ao fim da linha.
Perdoai-me. disse o pequeo pfaro:
ainda alli est ama rapariga', que certamen-
te he liaddschlagueza.
Chega-te c, pobresa, gritn o moto
de um modo que nao era dos mais arnaveis.
Mas apenas Avel virou sua linda Cabcca,
oxelamou elle espontneamente :E' ella.
E confuso, vermelhoe preoecupado ajoe-
Ihou-so respeitosamente diante della.
E'ella, responden toda a tropa ajpe-
Ihando-se do mesmo modo.
O destino favores Ihe cede.
Honra e gloria feliz Avellf
Da vindima esse cacho de amores.
Dos espososfiel talismn,
Ella o tem!... Ah! por elle, quizera
Ser o noivo da rica aldea!
Honra e gloria a quem a sorte protege!
Viva viva a dilosa Avel !
A pobre menina, para quera tudo se mu-
dara em to pouco tempo, quiz experimen-
tar se estas methamorphoses nao eram
loucas illusoes, se com effeito eslava acor-
dada, c se todas as raparigas da aldea se
nao tinham unido para Ihe pregar ura logro.
Pegn em dous puntados de joias para
distribuir por suas companheiras : uiof nem
a impedio.
Depois encheio o avental de escud que
pedio ao burgo mostr dividiste entre os
pobres do lugar. Tambera ninguem a
impedio.
Por lira lirou do terceiro bali o mais
bello dos vestidos, todo de setira e prata
e pedio ao cura, que a viesse vestir na
imagein de Nossa Senhora da freguezia.
Deixaram-lhe fazer tudo, e ainda mais,
o cura disse:
Deus te abencoe em toa nova fortuna
minha frita, pois que to digna te raostras
dolale o bora Deus saber conservarla
se continuares a fazer uso igual.
Avel inclinou sua loura caneca para
recetar a benco do velho, que se retirou
cora o burgo-mestre, como ambos tinham
viudo.
J tranquilla endireitou-se nobremeote e
ordenou aos estrangeiros qwr levassera os
tres bahs jiara o seu seore, declarando
ipie os ia acorapauhar.
De mos postas, bocea maliciosa e oitas
namorados, todos os rapazes da aldea se
apressafam a aconipanlial-a.
Mas ella os conteve cora um gesto cheio
de dignidade o gentileza; e, litando seas
olhos azues no cacho dos amores, disse :
S ser meu marido quera me for
indicado pelo talisma.
A estas palavras o brilhante corojo es-
palhou-se pela vinlia.
(Continuar se-tu)
POUCO DE TUDO.
CHARADAS
Sempre na msica estou,
Na msica meu lugar,i
Posto que boa nao soui
Posso onde estou evitar
Que o p ln v penetrar
fcCom elleto tinta tomado
offlva, Cliegaram-.' todos para ella, ero- outro.
dearam-a: e o vinhateiro, que j tinta fal-
lado, disse:
Avel: acabamos de resolver
Peiisera l no espanto das vindimadoras,
Meu "bello ca-liioaparvalhamento dos vindiniadores, e so-
! brotado na sorprezi- de Avel.
Na cidade da Victoria
Acharis minha primeira,I
E co'a primeira, le
Minha segunda e tercena.- 2
Son nome que para gloria
Possue o Brasil na historia.
resolofo defi-; Alguns segundos depois j o caso era
Josephina apparecia poucas vezes, sobre
teu adiado foi ossaesse. Per eonsequen-
ca o cacho vai ser tSftetdd mitre todas as
mo^as da aldea: aquella a qnemcontar, te
dar um pipo de vinlio.
Bravo! exclamaran todos os vindi-
madores.
O oue vem do amor d-se, o nao se
vende, responden Avel : andai depressa
e darei de graea o meu talismn.
Apressaram-se a escrever em follns de
parreira o nomo de todas as mocas do lu-
gar, bem entendido, mesmo o de Avela.
Os soldados estrangeiros abriram tres
bahs: o primeiro cheio de ouro, o segon;
q i o do de joias, e o terceiro de vestidos dignos
auxilio ao seu alcance. A um que se ferio
todo nos primsiros dias,-em que a pobre gravemente em manobras trateo delle na
rapariga soffrera horrivelmenH do enjo I oceasio, pensando-o com a maiorprofi-
porm, suba ao tora- ciencia e iednacio. Tambara aquella boa
geate olio hesitara em arriscar a vida por
de una iraperalriz: o apresentaram ludo a
Avel.
Para mira! ballmriava a pobre peque-
a para mim todas estas riquezas como ?
isto-.* .
Amanhae o sahereis. senhora, disse
o chele dos arautos, por me s amaohSa
qnc chega aquello que qniz reservar para
si o prazer de dizer-vos tudo. Daqui at
l o nosso dever limiti-se a oflerecer-vos
estes presente*, e vigiar sobre vos.
Dizendo isto leva;Hou-se, e o mesmo fi-
de mar ; quando, porm, subia ao tom-
badilho para aspirar um pouco de ar mais
puro, nao havia manijo que se na.) ate-
tivesse de alguma praga mais spera ou de
una cantiga menos decente, com receto de
oifender aquellos castos ouvidos: nem an-
da urna s pessoa da tripolaco nassara
junto d'ella sem levar a mo ao barrete o
Ihe fazer a sua saudaco no accento -de voz
mais alTavel, com que podia exprimirse.
Tambom o capito era o primeiro a dar
o exemplo de respeito e atteneoes para
com ella. Levara emi capricho nao entrar
nunca no camarote e nem mesmo fallar
Tamb
em arriscar
Josephina. Goasideravanwa como orna
Santa ejulgavim ([u; ella sxereja uraa in-
floencia celeste sobre o navi i. Tornavam
at extensivas ao rm > a-deferencia b sym-
pilliia (jiie nutriam pela irma. Ao piiti-
'ipio o surdo-modo, com o seu corpo
athletico, os seus gritos desconchavndos e
os gestos para ellos incompreher.siveis,
lora alvo de alguns gracejos, mas depois
modaram as cousas, log que tiveram oc-
easio de presenciar a -forca de que elle
era dotado, bem como a sua finura c doci-
com Josephina senn em presenca d Mi-1 hdade de carcter. Admiravam-Ihe a de-
ruol ou do alguem da trpola{jo. Em dicaco por Josephina e ainda mais a sa-
compensaco, toda ,i gente sabia
lando ella eslava fiobre o tomuNmo,
randval nao eslava longe d'fttti. Elle
roveitava todas essas occasioes, ora para
zcr as suas observacoes nuticas, ora
para mandar fazer urna manobra, e algumas
vjfzes, como, por exemplo, no din em
'pie fallamos, tomava um livro e assentava-
'C a um canto, d'onde podia ver todos os
viinentos da sua fonuosa passageira.
Vio arada o raais obtoss f cetaria que
so oceupava miis (ferlWr'qae da lei-
gacidade cora que pareca adevinhar certas
cousas, que elle nao po lia coinpreiendor
-como qualqner ontra pessoa.
Van oceasio, nao estando Grandval
presente, um marinheiro, conhecido por
valento, atrovsu-se a balee em Miguel,
porm este, deitando-lhc asmaos, alirou
cora elle sobro o convez com tal violencia,
que Ihe tirou o animo de repetir a a?gi s-
sao.
Este- rasgo de atrevimento obteva-lhe,
como proprio entre marintairos, crand
ovacc-. o assim como J
nvet
'phina passava \} pspte, Josephina mmtftosti- mfftr^v
e alleieoadi para com todo os irior espade taimaua. tauUmi a ir<1
.pie Ihe failavam. A^ia exaltacan f.rit|id>*rigue ^>riMMstPPCiierava a
de oraros tesaos ^penss se manifestavalasuiderarjjkllb] o'daguar-
.. uioou outro fisgiw scntHterlos te,U^^Tim Ml^liar-asiias \on-
grandes oluos. I gu^^i^n
se apvei e- qcasi *\ conssrvava intonacoes tristermie seo.jHlUjw-em que .'tomamf o fioMa'nessa histo-
isavam. Prestava aos martimos qualcuer I ra.
Quando Josephina se aehava assim sobre
o tombadilho. costuraava algumas vezes
chamar para junto de si o capito para
eonversarem sobro os seus projectos, mas
ueste dia Grandval aprouvera-Ihe eollo-
car-sc n'aquella posico, sera que, todavia,
a sua presenra alli parecesse tey sido no-
cida por ella.
Encostada borda do navio, ora olhava
para o soleo espumoso que a quilha ia
abrndo sobre as vagas, ora contemplava
o effeito do vento sobro as velas, mas defi-
nitivamente o seu pensamento divagava por
muito longo da magostosa scena que se
Ihe offerecia aos olhos.
Por fim, como quem despertava de um
sonho, Jevantou-se e pereorreu com os olhos
todo o convez. O capital espiava de ha
muito os seus m vimentos e leve a recom-
pensa da sua constancia, por quanto Jose-
phina, sorrindo-se, Ihe dirigi o signa! de
se approximar, por elle lao impaciente-
monte esperado. Fechou o livro rpida-
mente, e, atrepellando tudo o q:io encon-
trava, subi apressado a oseada do tom-
badilho.
Chegado ao castello da popa, lirou o cha-
peo e corapriinentou respeitosamente Jose-
phina, que estendendo-lhe a mo, Ihe
disso :
-Creioque nao ha duvida, Sr. Pedro,
(pie nos afttfOAWMMlos do termo ta nossa
viagem 6 que dentro em pouco...
Efectivamente, senhora, tenho todos
os-iadicios-ds approxiraaco da Ierra.
E a,primeira que encontraremos ser
o continente americano, ser Gavenna, nao
verdade .'
Anda Dio,, mas sim as iihas deSal-
\acao, situadas a dez leguas do contioeatej
Sempre na msica estou,I
Ah sempre me acharo,1
Sempre na msica estou,- 1
No latim sou conjuneco. 1
O prime nao c mu grande.
Por boje est pardeado.
Mas nao caa agora n'outra,
Tomc-me muito cuidado
LOGROGRYPHO.
Minha primeira e segunda-
Nada vos pode dizer.
Emqoanto minha terceira
Ninguem, por certo, a quer ter. -
Mas, se, junta co'a primeira,
Apparece por acaso
Tendes ento um bom vaso
Se vos sois vindimadeira
Gonceito agora nanacho,
Se o queris de busca-lo
No mar, laga ou riacho.
Recifc, i de Marco de 18G!>.
i
Jos Julio iki Sika liamos.
--------------------------------------i_________________
Nao cont surgir defrontc de Careuna se-
no amaiibaa ao subir da maro.
Amaidia, pois,redurguio ella, er-
guendo es olhos para o copoderoi abra-
car meu pa!
Uraa Duvem de tristeza passou sobre o
rosto-franco e singlo "do martimo,
Oxaldisso elle embaracadoque
nao v encontrar o Sr. Berlomy bem difle-
rentc do que Ih'o representam as suas car-
tas e a sua ternura, liikil I
Nosei porque diz isso,redarguo
Josephina com vehemenciatanto mais que
o nao conhece bem. O senhor era muito
novo quando deixou a nossa trra para r
seguir os seus estudos e a vida do mar-.
Anirmo-lhe que raen pa bom; apesai-
dos seus erros para com a famila, no rj
xou de nos manifestar viva alTeico. O
que o pe alen foi o v jego. .. fu_
nesta paixao, irresistivul, qne parece cegar
e tornar loucos os que se deixam assenho-
rear d ella! E" jogador, & 6 essa. a ori-
gem dos seus oraos, de lodas as suas des-
gracas-, e, para ma'mr l'atalidade, deparou
com aquello malvado Ri^aut,' que tem so-
bre elle urna funesta influencia !
Ento est convencida de que seupai
foi coiideuinado injustamente ?
'Eo senhor insisto em duvid ir da sua
innocencia? Pois eo repito que etiov
tima de um fatal engao: nio se atreva,
nao podia, nem quera fazer aquillo que
Ihe imputa A sua colpa, foi apenas con-
sentir que sefizesse... D.i
Mitra cousa, capitio Grandval^ SOsflder-
rao, despedacar-me o coraeRo!
r

i

-^

*

I
.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EXT5Z0RJ2_JZHIK7 INGEST_TIME 2013-09-13T22:51:08Z PACKAGE AA00011611_11788
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES