Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11784


This item is only available as the following downloads:


Full Text
i
%
i
I
Y
y
ANNO XLV. NUMERO 52.

PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE NAO %l PAGA PORTE.
Por tres mzes atontados............*.......6)5000
Por seis dito? fon................... 12S000
................. 24(5000
................ ,5320
Por um anno idem.
Oda numero avulso
r-j
SABBADO 6 DE MARQO DE 1869.
PARA DENTRO E FORA DA PROVINCIA.
Tur tres mczes adiantados.......'...... 6A730
Por seis ditos idem.........'.'.'.'..'.'.'.'.'.'.'. 435500
Por nove ditos dem........."......... 20/1250
Por um anno......................
DIARIO DE

Propriedade de Manoel Figueira de Faria & Filhos.
SAO AOflNTES:
Os Sis. Gerardo Antonio Alves Filhos, no Para j^Gonfrilves & Pinto, no Maranhao; Joaquim Jos de Oliveira, no Cear;
Guimares Pancada, em Mamanguape; Antonio Alejandrino de Liria. naParaiiyba; Antonio Jos Gom
em Nazareth; Francino lavares da Cesta, em AtogOas; Dr. Jos Ma
' --^ft---------------------------------------------------------------^------Z------,---------------,------------------------

5 viuTp^'u0, Ar3Ca,>' J f'n C,,ava' n Ass; Antonio **W#i Silva, no Natal; Antonio Joaouim
a.IL ,a n?.',a; Be,armmo dm Sanlos Bu,c3o> em S"10 AntSo; Domingos *s da Costa Braa ^
Alves, na Baha; o Jos Hibeiro Gasparinho, no Rio de Janeiro. '
PARTE OFFICIAL.
overo* da provincia.
LIPIDENTE VSSIe;XAD0 PELO K\M. SU. CONDE DE BAE-
rilNDY, rRK-oDFNTK DA IMIOVI.Nf IA. KM 23 DE IKVK-
ni:mo de 1869.
I.* seceao.
N. 681.Portara ao chefe de divisan Ein so-
luc.o ao offleio de V. Exc. de bontem datada te-
nlio a dizer qne os objectos neeHarios nrwn^i
do arsenal de maiiuha, de que drle niinei ao res-
l'itivo inspector fortnuiasse orna ivlace, afim de
rei-lamar-i>e do ministerio da mniinha. onde pos-am
eUes ser comprados coita mais vantjgem para a
foronda, sao os da que trata r ultima parte do offl-
cio tfcssc ronseltio de 16 deste mez, nao devendo,
antes de vir o primeiro fnrni-riim-iilo, deix.lr de
e pruver o ai-nial do que tur ndispensavel para
H andamento dos irabalhos.
N. 682 Dita ao eapifaO do porto.Conviml,
em cumplimento de ordena imperiaes, designar um
outro lu^ar. que nao a Corea dos Passarihos. on-
de possam enealliar e ser dcsmanrha velhos. informe Vine, qual o local para.isso mais
conuenieMe, indicando o pravo razoavel dentro do
qual levain ser removidos da referida Corda dos
Passirinhns os seis rseos que nella se chain em
detrimento do mellioramento do porto.
Ni 68H Dita ao inspector do arsenal de niari-
nha.Mande V. S. enllocar no edilicio da capitana
do porto desta cjdade, tres (echaduras em igual
numero de portas do mesmo edificio, como solie-i-
tou me o respectivo capito do porto em offleio de
2i do correnle, sol) n. 25. .
N. 684.Hita ao mesme.Declaro a V. S. para
seu conheoimeiitii. que os objectos nceessarios ao i
servieo desse arsenal, de que por portara de 20 do
conente, mandei tormnlar una relacao alim de
reclamar--r rio ministerio da maiinlia, onde pos-
sam ser elles comprados eom mais vanlagfm para
a fazenda, sao I ma e cab > de linho, de que trata a
ultima parle da oliieo lo conselho de compras na-
vaes de lii deslemez, (icando V. S. na inlelligoneu
qu nao ?.
de novembit) daqueUe anno na importancia do
ineneionaddpret ou a que Mr liquidada.
N. 6!)!.Dita ao inspector da thesouraria pro-
vincial.Declaro a V. S. para seu conhecimento e
devdos elTeiios, que nesta data approvei a delibc-
raro ipie tomou o cliefe da reparticao das obras
publicas, segundo conta de offleio do hontem, sob
n. 63, de aulorisar o engenheiro do quarto dstrir-
to a mandar executar o calcamento das duas en-
tradas da ponte sobre o rio Traeunhaein. que est
prestes a concluir-se, dispendendo-se com esse tra-
balho ate" a quantla de 1905080 em que foi ava-
liado.
N. 70O.=Dita ao mesmo.Para poder resolver
sobre a abertura de crditos que V. S. pede em
cu olicio de H do crreme, sob n. 68, para des-
peras com expediente e asseto dessa thesouraria,
das directoras de inslruccan e escola normal, do
Evmnaslo e do consulado provincial, rumpre que
\. S. me informe com brevdade pon[iie motivo
foram, antes de lindar o primeiro se nestre do ac-
tual exercicio, excedidas as quotas votadas na
re pee ti va le do orcaniento para lodo o exercicio,
reineiteiido-me urna demonstrarlo dos pagamentos
elTeetuados por cada urna das' verbas relativas a
taes despezas.
N. 701.Dita ao chele da reparti das obras
publicas.Inteirado do conferido do offleio que
Vine, me dirigi hontem, sob n. 63, tenho a dizer
em resposla, que approvo a deliberacao que to
mou, de autorisar o engenheiro do 4" districto, *
mandar fazer o calcamento das duas entradas da
ponte sobre o rio Tracimhaem, que se acha pres-
tes a coneluir-se, dispendendo-se com esse tralrn-
lho al a quanla de 190080 em que fo avaha-
do, segundo consta do citado offleio.
! seceo.
K 702. Portara ao director geral da inslruc-
eao publicaEm vista de sna informaciio de 18
do correnle sob n. 37, autoriso a Vmc. abraar
as fallas que por' causa de molestia den no m /.
dejini'irj ultimo o profesor publico da cadeira
da livguezia da Luz Inio Jos Ribeiro de Moraes
N. 701.Dita ao Inspector da saue publica.
Envi Vine, a esta presidencia, cromo de vera tcl-o
feito, una relacao d is medicamentos enviados na
gando previamente o aluguel ao administrador do
Ihealro, nos tormos el i portara desta presitreneb
de 2 de Janeiro do crreme anno.
Manoel Antoojp Asixira.Ao Sr. inspector da (
thesouraria de facencla para informar, em vista do f
que expende o engenheiro das obras niilitaivs.
Manoel Pcreira da Silva.Justifique as fallas
que den.
Octavio Alfonso de Mello. Informe o Sr. enge-
nheiro chefe da repar:icao das obras publicas.
Kepartifo da pollela.
2' seceao.Secretaria da polica de Pernambueo,
3 marero de 1869.
N. 317.Illm. e Exm Sr.Tenho a honra de
levar ao conhecimento de V. Exc. que, segundo i
ate as majs Ilustradas e inilependentes. .Esse
do em qoe se eneonin nos nimos de iodos
ais lvoiavel a qualquer idea que tenha por
alterar ama siluacan que se declara senao
sperada absolutaineutt'. om todo o craso insus-
tontavel e desconsuladora.
, desses elementos todos que os nossos amigos
el Alem-Guadiana se aproveiiam: governo pessi-
tas e patriotas, ludo Ibes servo; n'uns porcpie
(noeraiii a le nos recursos da verdadeira riqueza
(JoiiaI; n'outros (corcpio o* abandonon a espe-
i raneva di- goveinarom segundo as normas leeacs;
| nos outros, finalmente?, porque as chammas do
amor da patria lees esquentam os cerebros e pro-
curam salva-la no lumullo, na desordem e na
anarchin.
Ha jiiirili um faci que naV) deve passar desa-
sfSS^tecS5|
i.an. os seguintes individnos :
A miaba ordem, liento, escravo do nr.
I06 I 1 ri9V^ren(to >W0 (,e' Vizeu. i
Fe.rreira,por inlrac-ciks de posturas ni inieipaes.' JaSSJSjSJ
i''"' xou os patriota- em pal, e nao Ibes mandn trau
car a porta. esU
A ordem do subdelegado do Recite, Jo-
cisco Ramos, indiciado em orine de furto.
A ordem do de S. Jos, Jos, escravo de mu tal
Souza, por andar fgido.
Por ollieio de 28 de fevereiro ultimo, commniii-
cou-meo subdelegado do districto de Gainelleira
do termo de Serinhaom, que prendeu alli a Joa-
q '
por
de resistencia, (jucas i elendas pristes
toadas em llagrante, e uue remelteu os delin
queotes ao respectivo delegado, alttn de aerein
proi-essados.
Deus guarde a V. Exclllm. Exm. Sr. onde
de Haependy, presidqnte da provincia.O chefe de
polica, Francisco de Faria Iemos.
para Ihe dejgfecharem discursos
a aulordade administrativa dei-
10 lenno ue serinnan'.n, que premleu ain a joa- f
|uim Ceraldoe Lourcnco,Gmemelos Santos, este al J'u! ",,,-
rorcriuie de ferimentosleves, e aquelle |>or criini' '.,.^,1', ^r 0>'
leMesistencia.quoiiiefndaspriseefora.oelTcc- *>^'^-o> a irfl
Outro decreto da mesma data, tamben; dict.it>-
que os sobrdaos patriotas nal suspende a concessao de augmentes ele venc
mseiirsarain sobre o modo de mam test ar-se por memo aos runecionarios do estado, com fundamen-
urnas coiistituime e-felo armam.-nlo do povo, a to na disfonnidade de servieo, qnae-quer qne so-
autoredade manelfii-llies fechar o anu> palacete jam as disposicoes que det'erminein os mesmos
relippa de \1h1ena; cocmi foss"em ct'alli para
o govonm no relatorio dessa memoravel expoliacio,
que os vencmeutn rm (eral conveniencias do servir f Nao coruessa o gover-
no no referido prembulo que bofe o prern das
snhsislencias mais devado f Nao esavani ja lao
diminutos os honorarios pblicos porefleitodessa
caresta, nao s las subsistencias, mas das rondas
de casas e objectos de vestuario, por isso mesmo
que o reiklimento d'elles fixo, e nao pode, come)
os salarios dasoulras clases, acompanhar as oscil-
lacoes lo mercado, e procurar ertiivel das subsis-
tencias.
Pota nieus amgeis; fot urna rasia !
Nos vencimentos que excederem a 6003000 r*.
ileituz-se 15 por cento.
NoL'Fe ex"erem a 4a05000 rs. atcV perfaze-
rem 600000 rs. 10 por cento.
.iSLS?6 w*** 200560 rs. at rx-rfazerem
iihv.chh) rs. 3 por cento.
Nos pie excederem a 200-OOO rs./, por cento.
As gratilieacoes c-ontm-se para o ceunmito da
deduccao!
'auos deliberar sobre o caso.
EXTERIOR.
de que naei se rieve, ante< ele vero primeiro fornc-
ciinento, dexar de se prever esse estabelecimento. ambulancia de que trata o seu odicio d 23 teste
do qne fer mdispeiisavel para o andamento dos
.ilialho-'.
N. 685.Dita ao commandanle do presidio de
Fernando.- -Sendo pratica, segtmdb informa o ge-
nerf.1 commandanle das armas, em offleio de24
Jo conente. sib n. III. concederse passagen- por
i-eiiia do estallo as fnmilias do coioinandante o otTi-
eries militares, e bem assim as dos empregaelos
' i vi-, que Mein seguido para esse presidio o delle
regressado nada dispondo a respeito o regula-
mento de H de fevereiro de 181.3. nao eleve o
transporte para esta capital de I), rasiliana Lins
de Albuquerque, que h5o volta mais para ahi, ser
pa^Mi casia di) seu marido Jos Antonio le Mo-
raes, epie contina nesse presidio no exercicio de
seu em prego de c-scrivo 71o respectivo alnuxari-
fido. (I epie eselaro a V. S., em re-posta ao'seu
olll'.'io de 16 do correnle, sob n. 194.
erao.
N. 686.Porlariaan Dr ."chefe ele polica.Avis-
ta elas mfoim&cSe- do delegado do termo de Bui-
|tie. a que se relere o offleio de V. S. de 23 do cor-
rente, sob n. 277. resolv nao conceder ao cidadao
Antonio Heniee. (^ivalcanti le Albuquerque a exo
neracao por eW pedn do cargo ae Subdelegado
do distrtetoda Podra daquellc termo
N. 687.Dita ao inc:snm.V.O'M a infbrmacao
junta por copla do inspector da thesouraria pro-
vincial, de 2tjclo correante, respondo ao offleio de
"M de dezeinbro ultimo, sob n. 10,209, do delegado
encarregado do expediente dessa reparticao, em
ausencia deV. S., relativamiMite ao proprio nncio-
nal existente junto ponte do Caxanga, e que ser-
via de ale'jmenlo ao'guarda da barrera naquella
localidade.
N. 68S.Dita ao commamlante do corpo provi-
sorio de polica.Annuindo ao cpie soliciten o
befe da rf pirlic/t 1 das obras publica? em olicio
ele bontem, sob n. 66, recommendo a Vine, que
mande 1 Mr ni ponte dos Afogados um soldado
do corpo sob seu eommando, afim de auxiliar o
n N. 689Dita ao me-ino.Pedo Vmc. mandar
alistar do corno aofa seu eommando Pjrescano
da l'oii-M' 1 Campos, a que alinde o seu offleio 11.
;-2 de 24 deste niez. leudo elle a precisa mura-
li lade.
N. 690.Dita ao delegado de polica de Seri-
nhaem.Refnetto a Vmc. una ambulancia de re-
medios apropriados ao tralamento la varila, con-
forme Vmc pe-dio em sen offleio de 17 do corrate,
e Ihe declaro que licain approvadaa as provideuoias
que tomou, de que trata o seu dito officio. qpn-
vindo que informe qual a gratificaeao que lbe pa-
recer razoavel arbitrar-se pessoa ncarregada do
tratamento dos pobres que forem affeclados da-
piell 1 enlermrdfide, e cpie envi una relacao no-
minal d-ssas pessoas. mencionando o resanado do
tratamento empregado e peridicamente quanto
occorper a sememaote respeite.
N. Wl.Deliberacao.0 presidente da provin-
eia, conforoiao lo-se com a proposta do chefe de
polieia, n. 3'e. bis, ele 19 do corrento, resol ve no-
iiirarnara o. lugares de I a 6" supplentes do
subdelegado da freguezia de S. I.onrenco da Malta
l'l 1 w se.'uiutes, na ordem em que vao de-
signaibis : l-Manoel Joaquim Mauricio Wander-
ley. 2o Manoel Correa de Araujo, 3 Jos Forra'.
lialtro, 4' Jos Antonio de Oliveira. S Felinto do
Reg Barros, 6* Francisco Jacintho Ferreira.
N. 692.- -Dita.O presidente da provincia, con-
formando-se com a pmposta do chefe de polica,
em oliieo n. 234 de 19 do correnle, resnlve r
conveniencia'do serrico, exlingur o districto de
subdelep-ae'ia do Pitanga, 2 da freguozia de S.L011-
renco da Matta. (icando o seu territorio reunido
ao do 1 districto da mesma freguezia.
V 693.Dita.O presidente.da piovincin. con-
!oimando-se com a proposta'do chefe de polica
m otBcrio n. 234 de 19 do correle, resolve de-
mittir por conveniencia do servieo Jos Duartc
de Albnquerqoe Maranhao, Miguel Joaqnlm do
Reg Barros, Francolino Francisco Paes Barrete,
Antonio de Barros Wandrlcy, e por estar mudad"*^V'
la freguezia Antonio Candido de Oliveira. dos
cargos de 2* a 6" supplertfrs do subIMcgadef do 1"
districto da froguezia de S. Lourene;o da Matta.
N. 694.Dita.O presidente da provincia, con-
oi-mando-se com a proposta do ebefe de polica em
Mcig.n. 273 de 23 do corrente mez, nomeia. Anto-
nio Elias do Kego Dantas, para o lugar vago de
subdelegado'da freguezia de Sanio Amaro de Ta-
luaritinga do municipio do Limoeiro.
N 693Dita.0 presidente da provincia, con-
formndose com a proposta do chefe de polica
-m offleio n,lM4 de 19 do corrente, resolve no-
mear o bacharel Jos Francisco de Paula Correa
de Araujo, para o lagar gundo supplente do subdelegado do terceiro dis-
tricto do municipio desta capital.
3 ec.
N. 698.Portara- ao 'iMpector da thesouraria
le fazenda.DeVtUvoi a T. S. o pret e relacao
nominal, que om dnplieattXferam annexot ao sen
fltoB. 966de dentetIlMU ultimo e*Wlalivos
ao veneiaaenws a coMar a flKfcr' sMMbiVj
I, aano prximo ^awad, de cincoww praecw do
4('?,"1!n- **'*' b* nal do municipio'}
Uir^an^ destacadas na villa de-fe. BetW.'te-
Timra^attermrHMaitaiaa^aaJMoffleio, que des-'
tarando essa fcrfi%aV efftftOTaresr^TpalaiWino, con se ordenoa om W
mez.
N. 704.Ditaao gerente daompinhia Pernam-
bucana. Mande por a disposicao de Adolaiie Leo-
poldina Carneiro Chaves, at Aracaty duis p 1--
Bagens de estado a r e urna a proa do vap u- fpo-
jiicn, cpie tem de seguir para ali a 3 de man-1
vindoiiro.
BXtanitoiTi AS8MMM pe.o su. na. joaquim omvxv
de mmoio, saerAiuo do s >vehno, no da 23 de
FBVESK1B0 DE 1869.
{' seco.
N. 70o,-Ofl*cio a I). Joaquina Maria da Concei-
cco.Sendo declarad 1 em aviso expeJido pela re-
particao da gnerra em i 1 do corrate, que o go-
verno imperial nada tem a resolver a cerca da re-
claoMeBa feita por V. S. sobre o d iminio d 1 escra-
vo Jos, alforriado por Jos Lopes M echado, para
o servicio da armada, jabead 1 entretanto a V. S.
e upregar os ineios legae^ pira valer seas dreitos
e ohter a indemnisaeao devida de quem competir;
assim Ih'o 00111 afiteo para seu conheiriin-nto de
ordem di Exm. Sr. presidente da provincia.
N. 706.Dito ao capitai d > p irlo.!)e ord ;m
UeS. Exc. o Sr. presid mte da provincia drclaro a
V. S. em respost at seu offleio de 2 do crreme
sob n. 23, que nesta data se expeli ordem ao ins-
pector do arsenal d; marinha pira miniar olio-
car tres fecha taras em tgaal nun i'ii ele p irlas d 1
edilicio dessa capitana, om) V. S. solictou em
seu citado offleio.
N. 707.Dito ao commamlante do presidi de
Noronha0 Exm. Sr. presidente da provincia
manda transmiti- a V. S. para sen conhecimento,
o offleio junto por copia do general commandanle
le-a> mis, relativo a varios sentenciados militares,
que consta estarcm sem guias ness 1 presidio.
2'seceao.
N. 708Offleio ao Dr. chefede polica.De or-
ilem do Exm. Sr. presidente da provincia transmit-
i a V. S o titulo de nomeacao de Antonio Elias
do liego Damas, para o lugar de subdelegado da
liei'iiezia de Santo Amaro de Taquaratinga, do
municipio de Limoeiro, de conformidade com a
aeroposta de V. S. em offleio n. 275 de 23 do cor-
rente.
N. 709 Dito ao mesmo.De ordem do Exm.
Sr. presidente da provincia transmuto a V. S. 0-
tiliifiis juntos de nomeacao dos 2o a 6" supplentes
dos subdelegados do I e 2o districtos da freguezia
do Espirito-Santo do municipio de Pao d'Alho, de
conformidade com a proposta de V. S. em olicio
ir HM de 19 do corrente.
N. 710.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. presiden-
te da provincia manda declarar a V. S. que, por
deliberacao desta data, foram exorreraelos deis car-
gos de 4o, 3 e 6 supplentes do delegado do 3" dis-
tricto desta capital a Joao Dnarte de Albuquerque
Maranhao, Francolino Franeis'-o Paes Barrete e
Francisco Joaqiiim da Mocha Patoso, de conformi-
dade eom a proposta de V. S. em offleio n. 23i de
19 il > corrente.
X. 711.Ditos aos lenles coronis Decio de
Aquinn Fon Joaquim Jos da Silveira.De ordem do Exm. Sr.
presidente da provincia communico a V. S. que
lica transferida para anianbaa 26 as mesmas horas
a reuniao da junta ru em ultima instancia tem de
jubrar ao alferes do corpo de polica Miguel Joa-
|oicn do Reg Barros.
3.* seceao.
. N 712.Offleio ao inspector da thesouraria pro-
vincial.S. Exc. o Sr. presidente da provincia man-
da deejarar a V. S. para os lins eonyenien'es, que
no requer mente > da professora da cadeira do Ro-
sarinho, Fn.ncelina Maurina da Silva e Albuquer-
que, a que se refere a sua informcao de 28 de Ja-
neiro ultimo sob n. 42, lanron o seg'uinte despacho:
Atienden lo as circumstnelas em que se acha a
supphcantej e ao que informa a thesouraria, pa-
gufcse-lheos.seus vencimentos sob llanca idnea,
at quo a assembla provincial attenda no orca-
meoto a esta despeza.-Palacio do governo de Per-
nambueo, 23 de fevereiro de 1869 Conde de Bae-
Correipomlriicla lo Diario de
Pcraanihuco.
LISBOA, 13 DE FKVKCILinO'bE 1869.
Tornou de novo o iberismo para a tolla la dis-
cusso. l'ina folba de Madrid, a CMretpoHimeia,
di/.ia ante-hontem (eom toda a reserva! que se
preparava em Lisboa nina manif-stacao militar a
favor da uiiiao-iberica. Esta n ilieia fui telegra-
pliicamenteannuuciada jiarai'-lacapital |'la agi'ii-
cia Havas.
A imprensa de todas as c/ire; e matizas hofiticos
protestou contra a calumnia.. Entretanto Mcres-
cein os boatos de novas e mais audazes tentativas
da sonhada uniao.
Em Hespanha, na^ regies omeacs, trata-se
muto deste assqmpto, c parece tafflbcm qti em
Portugal.
Produzio nao poura rienaacli em Lisboa um
decreto, {mblicado pela Gaceta de Madrid. O rete-
torio ou prirambulo do decreto parece um.i proel i-
macio ibrica. (Vidc o Diatro de seguifd.i-feira
Io do correte).
Accrescenta-se que o governo hesipanhol decre-
tara taaibem que gozeiu os direitja hesjeanhes
lodos os Portuguezes que passera a residir ao son
territorio.
angmenlos.
Por conseguinte o professor que jubilado,
poda
para as publicacoes do-a-tos olliciaes. Como as pois, em vez de um ordenado e um terco que sc-
manilesiae-oes sao favorav.is ao gabinete, publi- gnndo a legislacao anterior, custaria a regencia da
cou-se, einbora os principios sustentados em mu- tal cadeira. Eis a economa !
tas dellas sejam altamente ineptos c absurdos; Quanto s dcdticciies, indignaram nao s os in-
embora entre os signatarios baja miulos ames \ teressados, o que nao admirava, mas a quas toda
digente epie nao vota, juc nao paga dcima^ ou a gente. Como medida poltica, fbi deploravcd pelo
qiie devendo paga-la nao a tem pago, neni paga-1 elTeito retroaclivo da le, o que caso novo; pela
Alluvioes de mues dos quaes, urna boa parte i circumstancia de ser urna medida tributaria dicta-
Mgnifica, pas a representacrco dopaiz nao torial, qoaudo dentro em pouco se reuniriam as
r. All
,.norma
estar as
cousa tumultuara e anarcliiea, nao una
ao feita por a Igiwui .; ie precise ou deseje
as tiraras dos ministros c que*se la' a
mpanhar pelos comparsas do campanario, parte
gada de todas as romanas em quo nao ha es-
pecie algumi de rcspansabilidade. Adi:inle.
Passou-se o carnaval sem befktda (revolta),
apegar de innmeros boatos, de que o povo ten-
tara n'iiin golpe do ma > tirar do arsenal do ejer-
cito as armas que la eslo para se armar una
guarda nacional improvisada.
No entretanto nao faltaiam prevemjes, a tropa
nos qartji pdcia espirita, etc.
l.i-lioa Mlgoii as pracas, na ra, nos Iheatros,
hiaVendo Leu numero do mascaras mais ou menos
-en-ali.ironas, e disso nio passou, uotamlo-se ra-
rissimas pelo bom gosto e riqueza dos costumes, e
apenas a eavalgada djs artistas do circo Prce a
sin-enata dos coristas do tbeatro lyripo, represen-
tando cstudantes de Salamanca.
o Porto feram mais vistosas as cavalgadas:
pouco ou nada de clnsioso, do allusivoede
lirttaoristico.
Sai S. Pedro do Sul, districto de Visen, que
amase-arada fbi um pouco mais significativa. Oi
AoAiluneuijk Madrid tom-bando ultmiauwnte *>(-r;t fn il se y hIiwBjl jlIL. general ou
N. 713. -)Jo ao-ohofe da repartiVao das obras
publicas.4) Exm. Sr. prfeidenw da'provinca to
manilo em consideracao o que V. S. expoz em seu
ofllcio de hontem sob n. 6, expedio as convenien-
tes ordens para que urnapiaca do corpo provisorio
de polieia seja postada na ponte dos Afogados para
o fim indicado no citado offleio, o qual lica assim
respondido.
D8 HABCO
DESt-ACHOS DA PRESIDENCIA DO DA 4
DE 1869.
Engenheiro Arifortio Vicente de-Naseimonlo Fe-
tosa.A thesouraria de fazenda.
Cardoz & Innao.Nao pode ter lugar o que re-
queran a vista da infonnaeja*-
Francisco Ferreira Borges.Ao Sr. inspector'
da thesouraria de fazenda para informar.
O me< ria provincial:
FieWen BrolheTS-.-Ao Sr. inkfpettor da thesoura-
ria |rMtoWnmitofflda1< e fnfo'rrar.
IrntoTfrle o Sr.geSfraKl
Bach
aj-Pisse-se portaria,
*i|tolmtl ; Albtiquerquo.
requer, WWoosamhcitHt* qffe TpcDd^com.-
petente vote* relpocyilw crdito, nara o aue nro-
videMMl-Miiesla/data; H p
Jorge Victor Fetreifailopc;CoWo rOquer, pav-
dlUl
laaps ili-cciss(>es aeadei ere a projectada
unRo dos dons jiovor* da'Penineula. A ypnooWde
Madrid;, dizque se prepara n en Portugal aconte-
cimentos que "hao di modificar a existencia da
Pennsula. Outro boato que brevemente se de-
cretar em Despatilla que serio 'garantidas as
patentes aosoffietaes militares porMjgoansl
l'in dos mais populares peridicos ele Lisboa,
dando hontem a noticia accreseenta ;
Outia lei declarara citladS i b spanhes
Iodos os habilanies da PenhisUl i' Disto uunca'se
fez, iiem crivel que se faca. N) lia legislado-
res, por mais audaces e poderosos, que muera e
possain decretar a snbmssao da voatade de todb da
um povo aos seus caprichos e ambiedes. Nao o
conseguiram ein I ortugal, em 60annos ele oppres-
sao, os tres despotas que herdaram o omnipoten-
te imperio de Carlos V; nao o realison a temerosa
espada do conqtiislador da Enrdp em 18U7 a
1810; nao o conseguir nunca ningucm, se o povo
nao dormir, quando os que o sem dirigir olharom
com culposa differenca para as el ira- combina
dos que pietendem acabar com a nossa naewria-
dade.
, A assoeiae-o patritica paiSmino de iiezembico,
reuni sabbado (hoje noute) para tratar de as-
sumptos importantes, alm da approvaco dos seus
estatuios. Parece-nos que esta assocftco tem
altos deveres a cumprir na presente conjunc-
tura.
Que far o governo portuguoz vista daquelle
amavel decrelo em que se equparam os titulos
scientilcos, ltterarios e profissiouaes portngiieze-
aos hespanhes? Decretar urna correspondente
amabilidade? E que perigo haver iissot Entre-
tanto oJunaos tiat mam donan ferenttt -
repetido por quas teos os Porluguezes que tei-
niaio em dizer que ide Hespanha ne:n lum venui.
nem bom casamento.. Vislvelniente o prembulo
do decreto do Sr. Zarrilla, capcioso e faz seis-
mar seriamente no pensamento reservado que o
insprou.
Reconhece a Hespanha que pela violencia nao
pode alcanear a suspirada missaoj'varportanto
appellando para os meios suaves afim de ver se
nos captiva com esses astuciosos aflugos.
O qub realmente impoltico, por parte do go-
verno de Portugal, sobre estar em dictadura,
cohibir o dreito de reuniao, como acaba de fazer
com a Assmaco Progresista, sto porque nlla se,
tratara de promover um mrttinfj que fl!B pedir
ao chefe do estado a convocado de urnas cortes
constituimos, eo armamento do povo, pela creagao
da reserva, ou-gurela nacional. Qnnnto mais re-
pressvo fr o systema, e quanto mais ampio fr
o exercicio das libordades publicas no paiz vizi-
nho, tanto mais fcil ten aos propagandas ibri-
cos o convencerem-nos de que a ua)cu federa-
cao planeada em Hespanha nao tan absurda cou-
sa, como seafflgura. Els ah, est, dizem os adver-
sarios do ministerio, como o proprio governo,
indirecta mas elllcazir:ente pode ibtruaro paiz. E'
cerceando urna por urna as liberdade* que o
iosso cdigo fundamenial garante. E' perseguin-
do hoje a imprensa, a inauhaa os cidadaos cine se
reunem as claras para discutir negocios pblicos,'
hincando imposto soire os fuiccionarlos semau-
aiencia das cortes-, legislando com foroa telroacti-
va-om opposiijao formal carta, etc. etc. etc.Se
aquifizermos aescurido e lei le raiar a luz que
offusdue eattfala osflestrentafc o que ser de
nos?dizia ha poneos das o proBrfc Jornal dn
Lmmeacio ao governo, cujos actos tem defendido
com tanta insistencia. Mas nao so governo
que indirectamente pode aplanar o camnho d.)s
propagandistas da uniao ibrica; sao latbem os
cejrtes chana opportunidade de Ihes propor nao
so estas, mas anda niais-largas dedoxedes ; deplo-
ra vel tambeni. por (ue devendo as cortes reunir-
se em inaio. ou abril se certo o que dzem agora I
os ntimos dos ministros, por qne foram decretar ,,
as dedureoes para bulo o anuo civil do 1869, quan-1 ?"* u ; MW"" 22? ''. xU,''mr"; N-ad ,
do seria apenasexpli-avel que o flzcssem nica- i:';^'^,,l':ll!,l"v:"MVl* 'l'nJo a- prOtencObS
mente ein relacao aos mczes que preceden! a aber
qoe te decrotou para substituir o conselbo geral
deimMjocc^o puWica, quando f-eto fr extincto.
i.ompe-se; de nm lente eleito por taita faculdade
da uaiversidaoV, de um professor de cada escola
superior, de um de cada lyceude uin-de cada semi-
uaro, ede tres ihi tpialro nomeados pelo governo
para represcntaiviu a iisfruccao primaria. De tai
beterogeiKros e;l'mentos que acord poder sabir
Entretanto veremos. Ha rertos priucipios tao fe
rozes na lei de 31 de dezembro. como o da prohib
e.ao do ensino particular aos profesaore as horas
vagas, sob jmna de perili metilo do lugas, que ne-
cesariamente cbn-era) ser alterados". E6 o estado
da questao, pie a cousa mais confusa t enftni-
lliaria tfiie s*v tem visto.
Anda nao parti para a Zambezia % expedi-
gao. O novo governadoi geral de Mocambiquo i
sabio de Lislxia. Diz-se; cjue leva aul'risacao do
governo |>ara saccar al duzentus cantos de ris
para as despezas da guerra.
Deram-i' antes de bontem a sepultura no
cemiterio dos prazer..; os restos morlaas;de> Sr
Joao Ferreira de unpos, marechal de campo re-
formado e lente jubilado da escola polvlehnira
Fez as lionras fnebres um esquadrao de lance-i-
ros e una brigada rwnposta de cacadores 2, inl'au
terna 7 e nina batera de artilbaria, que tleraui a-
salvas do estylo.
s borlas do eaixSo pegaram os Srs. Fenupe
as. Francisco Hbrts
avalhelros. Muilos
e de seu gen-
Mximo de OIK
'tro do iflus-
, ndios ele ma
ItivinaYa do Sr. Campos, que sao eslimados por
sua clareza. Era o Sr. Campos digno de muila.-
sympalhias. Fui vogal do conselho geral de ins-
true'co publica, e servio em diversas comiuissoe.-
sceiitlicas de grande importancia.
Osumni) pontince eoftrodea o grande cordao
da ordem de Po IX ao marechal Saldanba.
Por este paquete, o Oneida, parte: para o Rio
de Janeiro o Sr. Fausto Gucdes, qne ral na qua-
lidade de encarregado de negocio-, tomar conta da
legarn poriugiieza naqueHa corte.
No da II houve conselho de ministros para
se tratar da nltimaco do grande enipresUrno pa-
ra a cousolidaco da divida lluciuante e satis!ai; i
dos mais urgentes encargos do thesouro. Nada se
! i p >r un- poneos de ligurocs,
=-is. salvo i dentro dnm canil, lam ea-
rele; i-ados de ministros d' estado. Realisad ) o
encontr deram entrado, na vina. O squito com-
piiuba-se de batodom, correiw, ajudantei d'or-
aens do mareclial, oflicaes do ejercito, tudo em
caricatura, fecnando o cortejo um esquadra i de
cacadores a cavallo coma suachanmga, capellao,
cirurgSo, ferradures eambulaneta.
A p ei;e de S. Pedro reunio-se o ministerio em
conselbo. Acabado Bata, destaearafi dilferentes
correios a granel gal p a levar ollicius. o o maro-
cha] com o sen seguito tomou em directa > praca
Alli houve cnlo urna falla di marechal
ao gi rento, om que Ihe disse que se hoaravarcom vateii i .'
a consideracao que Ihe davam, mas que quera di- '
nbeiro, porejue precisa va de dinheiro.
Tofcwu a pabtvra o figurado mimslro da fazen-
da. e 'respoiideu-llie que nao era boa ocerasi i
para isso, porque o t;e-nH estava a paz de pi-
rlo, e qde se tralava defaicr economi is; que se
contentasse com o que j Jbe tinba muto favor lbo faria se se fosse einbora.
O povo apoioii. a tropacapplaudio, e o fingido
marechal desatou-se ento n'uina lamura de cor-
tar as pedras e foi-se retirando a unparos olhos
que era nie-m i una dor d'alma.
O correspondente eje S. Pedro do sul nao faz
couimentarios a noticia, nem eu to DOttOO preciso
fa/.el-os.
Dizia-lhes que na capital nao tiuha barato far-
eadfi allusiva; engauei-me; MjMkphilarmonica da
Alfama, una d'essas patriticas philarmonicas, a
que a carta de Lisboa i! i utresponinicia de Por-
tnj ii se referid cora tanto chiste no seu ultimo
o, percorreua cidade, ind. todos os msicos
i!" cipote e lenco, como as mulberes do povo an-
elain em Lisboa.
varias figuras mui grotescas acompanhavam a
banda, que estruga tudo com o bem conhecdo
hymno patritico, que todo o rapazio assoVta com
insoliio furor, desde aquelle eiitavario d'archotada
e hymno, com que fez resusctar o ministerio,
depois de qiuze ou vnte di.s de incubaban.
Para completar a encamisada de S. Pedro do Sul,
s4 faltava o epilogo burlesco da Alfama. A histo-
ria poltica desle primeros quarenta dias de 1869,
fui caricaturada com a maior verosimilhanca n'cs-
sas duas fareradas, que as inos de OITcnback fa-
riaui a fortuna de urna, empreza, nao digo bem,
de limitas emprezas tbealraes.
Deixemos o entrudo, que morren a rir,e pas-
semos de novo s cousas serias, e que apesar de o
-erem, dariam muita vontade de rir a quem po
d> sse vel-as de palanque sem Ihe soffror asconse-
quencias.
Contiauam activamente ostrahalhi das com-
missoes euearrega las pelo governo, da reformacao
da lei eleitoral. Pare>re que o numero dos depu
lados do continonte ser de 117 nicamente, e que
a -eleicao por circuios de nm s deputado tem
pouceis defensores as commissdos.
O certo que o systema dos pequenos circuios
e de um s deputado, fo experimentado com mo
xito.
Ailirma-se que o governo pretende antecipardp
um mez o prazo que lora ixado para a convocaco
do parlamento. tA principal necessidade que forcea
o governo a accelerar a reoniio dti cmara,
aecudir < diflicuKlades da teenda, diz urna
folba ministerial, que nao podemser soividas
sem o augmento de tributos que tem de ser vo-
tado. >
That is theqvettion I Os / os 5, os W, os 1,'i
por cento nos ordonados e gratilicaccies dos empre-
ados pblicos, dos pensionistas, dos oiUciaes do
tura do parlamento
Deplorr.vel nao menos por que leodo o rei do
clarado e|ue por si, pela rainha o por seus filhos
ceda 10 por cento da sua dotacao, vio os ministros
sobrerarregar os pobres funecionarios de 600*000
para cima ( 610000 por exemplo ) com l'i por
cento do deduccao !!
Deploravel, deplorabilissimo, como medida pol-
tica, por qne devendo os minislros cercar o rei de
sympathias, parece coiicorrerem para Ibas aliena-
rem, pelo confronte) de urna deduccao de lo por
cento em vencimentos que exedaii a 600000.
i|uando o rei deduz s iO por cento de 36Q contos
de res annuaes !l!
Que resultou ? lina folba. cuja linguagem e longe de Bpplaodir, o Diario Portugus, commea-
tou il'liin dos seus mmelos ila semana pas
este escndalo- pis eui relevo a inttpittamienal-'
dade d'aqmdla carta lo re ao pret con-
de um -momento para o otrt se >de converter
em anarchia.
Outro elemento ierico Sao os pessiinlsMs da
imprertSa, que confuVidem a penuria do tbesuro e
o defle'it do ortatncrfo com a penarla do pite, H'JM HUUieiM lllIU,^
qual effectivamente nlo etisle, pfrque dma erise
mwtettna, HmdflsiquililJrio, as linaneaspHhMflaB,
poflem ser o resutalo de md-causas, mi
saUir pobreza do piz e da faha de
ciolia*. Desta eonUisS;- rWrh serriftw
on nina da tevfcuida le ou simrileza, hWtM
umismo c^hromoe, tm mo-hujio# mimtOWOU
>*& em:todas as eiasues soeiaes,. iQ^to por
proprws fWtrldts* com- o Bxcc?85n do Srtn zelo qileJ wtercito e da armada, dos mpregadM de estbe-
lecimentos pos, me-mu os nao sdbsidiados pelo
tbesuro-, tudo Isso pdudb fazer-Se sem o parla-
mento, com cffeito 'retrouctivo pois comprthen-
de os vencimentos de Janeiro, senel^o decreto de
ri8 JMritFWW!
Decretar i)fMa o^SMMs>Mditadnra... ahi
que dcsfatlweaMi orftftfn 4ftg ministros, as
vesperas das uM^tes, ponfue e thocI*} qne opovo
vote yvoie de ara aMm^nnt-ilepois pagar, en>
bora Ihd passe a alegra quando for depennado.
Pois se contraria nos bous principios tributa-
rem (tiotadura^para que foram tributados, os. ser-
vidores db esudo- em dicUdura ? Njo cwaeo)
seibo, em que lbo parlicipava epie ia tratar das li-
nancras do paiz, e que ediOO por cento dh na
dotacao e de seus filhos. rasgou o veo da irrespon-
sabilidad!' em que o poder moderador se envolve
no rgimen monarchieo repre-entativo. disculio
nao j o rei, mas com o rei, e t.d escndalo prumo-
vcu quo dua"Sad lie-oes suceressivas se consumfram
em -2i horas, a ponto de que se quera dar doze
vintens por um numero do jornal, epie costa 10 rs,
e nao se tncontrava.
Aqui tem a mspiraeae poltica que presidio a ce-
lebraa medida das dedueces nos empregados. E
nareere-lhes que ser menos deploravel como sal
QtttM.....reto esta s;ibI-esalta(l:).s..bre-L-,fur,'lV'v";l 8- Jf"*".
lud o ,1a capital onde o numero dos empregados'*><-''l,ivr-. *,'!l'""-' '''
maior.
Em parte nao mo que os logistas sinton j o
bello resultado do ludo que deilaram pelo minis-
terio quando ein principios de jnn-iro os ministros
lizeram o Basca de se demittir, em quanto ao ma-
reclial Saldanba se encommendava a negaca de
nao passar de Marselha.
Os logi-ias fecliarain, como Ihe disse, u nv>ias-
portas, em quanto outros andaram atrz do eyrio,
da Dtnxa para o pago de Belm, a fazer DMrifesta-
coes ; pois algunsem lugar da niea porta j esfio
para lechar a porta intera ; a erise d ein resul-
tado cada um abster-se de objectos de nece^sidade
mais dispensavel, at que lema de entrar (o que
j suecede aos cheles de grande familia) pelas coli-
sas mais necesarias.
Est calcula lo que a falta ele recolta das contr-
buicoes indirectas, ha de orear pela importancia
las deduce-oes. Estas andarn por uns 300 a 400
companhias dos camhihos de Ierro.
Ha das os man "'" de IVnael deram uu
baile esplendido a que assi duzentbs convidados.
Osiornaes vem ebeios de discripcoes da testa,
do brilbanlismo elos toilettes, da alfabildade dos
donos da casa, c de militas consiclei ardes econmi-
cas sobre o movimento que para "a industtte e
commercio resulla de-ias funcccVs principaes. F0
me record se Ibes tinba dito ipie o Sr conde (Sor-
ra Gomes) fra agraciado ltimamente com o'litu-
lo de ni o i, 1-7
Disseram lambeni algurts peridicos de Lisboa
que S. Exc. se natural.sara agora uidadae portu-
guez. Parece ponan que nisto h; equivoco, pois
me asseveram que por aeva-uo do seu enl tea com
afinado Sr. conde de Penafld (fohS cna-
turalisra, deixaudo ento de ser subdito brasi-
leiro.
Foi dito pff.muto- membros do corpo diploma
I ie assistir.iin ao baile dos mare|uczes del'e-
uuii: l que ei nenbiioi.i r ,hcr da Europa
-e encontrarla mais oppulencia eiboin go-to. na*
alteza o Sr. intente D. Augusto estera no baile
Era espirada lambem sua magestade a rainha,
mas nao foi.
Fin dos baile-, kmbe m mai- celebrados em Lis-
boa, nos ltimos epiin/.e 'lias, leii o do marqn.'Z ele
Moulbolou ministro de Franca.
O ronde d'Alte, n isso iiiinistro em Madrid
deu no da 2 deste mez um jantar dtplomalco, d.
cuja magnificencia fallara com louvor as folba? da
cpicllacapi'il.
" TfViim, d
contos. Aquella chegar ao mesmo, porque onde
nao ha... nao se compra, ou se se compra Bca-se
devendo, o que ainda peior do que nao se com-
prar I
Quanto equidade da medida, Santo Deus I nao
fallemos nisso. Pois as deduces conieean nos
ordenados do um triste servente ou enfermoiro
dos bospiuies. nimia pobre soldada de una criada
d un asylo de infancia, e para a progres*o nos
tiJttOOO. Eos ordonados de t:O0O, de t:600j,
de (Xm, de 3.m, de 4:008, do 360:0001 ?
Nesta prudente paragem da progressao salva-
ram-sc as prebendas grojas deis runecionarios
mais grados, em dlanto um pobre professor pri-
mario qu-< tinha 90* annuaes, paga i '/ '/>, que
Ihe entram pelo pao eto cada dia 11 t
Isto que lnes digo apenas nina fraccao mnima
do inuito que se tem fallado e escripto a proposito
daquella mdinmental inepcia, que nem salva as
financjas, nem ab ,na o criterio dos financeiros que
a refcrendaiam.
Diante de um dficit do 6,000:0005 annuaes que
sao 400:000 que o estado torra n*um anno cos-
ta da misoria dos funecionarios
Mas se os forrasse era um pucaro d'agna nn
mar; mas sempre representava essa violencia al-
gum beneficio. Mas quo nao forra; porque a
receta das alfandegas, c as outras estacos, por
onde ao fisco va i ter as contribuicejes indirectas,
bao de inevtavelmente acensar o abalo que setne*-
Ihanle desfalque veio fazer ao commercio.
Anda nao ce ara m de diaer os jornaes qne
ha desintelligencias no seio do gabinete. Parece,
porm, aectarar-se o motivo dellas. Alguna dos
ministros inoluiodo o da fazenda, diz-se. qneriarfi
que se decretassem mesmo em dictadura os novos
impostos. O ministro, do reino nao dessa opi-
niau, porqho nd quer perder as eletebe. &**
a xplicacao que doa esses dosacoordos, qde tem
chegado a ponto de se annunciar por vezes a -s
hida-do conde de Satmodaes da pasta d9 (rntrnca,
c da s indigitarem algumas versifes de recoihpo-
sicSo ministerial, qne ofteenvameme tem ficado em
boatos por emquanto
Espalhou-se, e pareco mesmo qne se chegon
a lavraro decreto nomeamlo-nma commissao para
propor urna reforma da imwca-) publica, visto
que a uWma,a de 31 de dexembro do 1868, sabio
tao eirader de disparates e contradiceges qod
pjast inexeqnivet.
A nMmr ndr* mudoo-so porm de parecer. J
aquella commio nir Horneada. O govers ex-
pedlorH-or^*l^s, proNsas"' para se reunir extraor-
diuariomente a cMfertitln seolm: A ceinlironoia
escolar, como em tempo 1 lies'disse, a teHladfc
lom dtMsmpenhe da partitura lem pro-
duzido pin i netcocj a|tplausos e endientes' reaes.
Disputam-se os camarotes, at os menos coimno-
dos. com bastantes dias de |ntecedeucia.
Foi confuida ;u->mmend;i dardemdoS.
Thago ao marquez de Souza Holstein, cuja exone-
rar mi do cargo do vire inspector da academia das
bellas-arleis nao foi aceita.
N'uma portara d > goverrfo^hc foi piomettidn
que na mais pivxiuia ore isiao importuna se trata-
ra definitivamente da organtsa* '-i|' da-
bellas-artes n paiz, conforme o pAjertO que '
mesmo vice-inspector apre-entra.
Cliegou a Lisboa o vscontfB Se 8c el mi-
nistro portugiez em BruxelW.
No dia 11 foi assiguado o decreto da nomca
cao do Sr. Caelano Alexudre d'Almeda c Albu-
querque, capilo lente coniraandante da corveta
buque rf' Terceira, para governador geral da pro-
vincia de Cabo-Verde. A corveta Bvqve a'Trr-
ceira, acha-se ainda as aguas do Rio de Ja-
neiro.
Fo publicada a carta de confli tac-
tificaco do convenio entre i g iverno portuguoz e-
hespaihol |iara aextradicao dos criminosos c mal
feilorc.-.
Vai sernomeado governador (.'eral de Ango-
la oSr. Jos Rodrigues Coelho d'Amaral.
Corre que o governo iuglez o francez n rotes-
taram contra o do-vio, ou diversa applicaeao das
consigna?e:s votadas junta do crdito P'mlico.
para pagar o jure da divida externa. A folba Ofli-
cial anda nao esclarecen o caso. Jomaos affec
t is ao gaMnete instaiii poiexplicacjSes.
0 Sr. Joao Gualberttrle Barros e Cttnlia. meu
antigo colleaa na redarcan de um jornal poltico
em 1860, vlipoblica1 um livro iutitnlado Historia
lo ii/stema rtprentlim em Portugal. Ha ponen
lempo remetb-lhes dous notaveis pampbtctos deste
escriplor contra as pretences dos propagandistas
ibricos.
/..
DIARIO DE PERMMBUCO
nKCITB, 6 DB MABi0 DE 1869.
NOTICIAS HA El HOPA
Cliegou bontem du Liverpuol u Lisboa, o vajj,))-
inglez ChrusolUe, trazeiido-uos o Jornal do Com-
mercio de 16 d) pa-sado, um din aiais do que o
vapor iuglez Omda, que ha poneos das toeou
em nosso porto.
Delle erxirartami* o ejue segu:
i,) i.i-l toda a ihipi-ensa mritfesta esnerancas
de ver regular safisfa.'ioriamente o conrlioto gre
go-turco No entretanto,'o ItHircKf confirma;,
nomeaco do ministerio Zaimis, e a adhesao po'
parte da Grecia dcvlaraed da eonferene
Segundo a Frunce, possivel que Mr? Wa
leswki nao rhegne'de Alhena* to prwnptaiiient'
como de prilftli*) se jul|8vn. Entende'aquela
folba que, quando mesmdo' biveh conde embar-
casse n'algum navio dos'lloyds austracos imo o
condiulsse Trieste, nlo poderla tomar senao n
da 10, no Pirro da Messagerias-impe-
jtaes pie raz o servieo entre ConStantiitopta
Harselha, com escjlte pcfti GretM.1.
Em todo o craW/ei-ptaliVier que fosse o mo-
do de viagem,n CWffl nSV) itocra flehar-soeni
Pars, segundo a maneira porefne a FrmetMfj-
"creve as cousa*, sonlo t>' prxima qtwrte eu
quinta-fera.




i
lorio de Peiiiainbu
esta a noticia que ; nu* impor-
tante, por se tratar da respwu positiva tre dado o governo bell>
Tudo mais sobn sompto, que o o de
maior gra\ io conunen
Jolga a Frailee provavel que as rebfSes di-
plomtica -Mitre a Grecia.* a Turquia se rrstobe-
rie seto facto nico da a.vtarao das dedera-
Wfcs a conferencia pelo governo nellenft, fem
ecessidade dequalquer outra lormahdade diplo-
iuhIcs *
Com refareHCia a cari de Mimas de datas
muito rcenles, consta irauquilidade. A .
Sendo exaela a noticia de haver termnalo a
cjiae ministerial na (recia, sao elTactivameiite
mais tranquibiadnras as noticias daquelle pajf,
nao s no que respoila s intonrocs do governo
bclleno, mas no que toca at ti tilde da porea<*o
grega.
No entretanto, algtlbs -correspondonto de
Athenasfallam de partidas aricadas de grogos, om
numero de lo0, ou de. 200 linmens no Epiro e na
Tnessalia, de agilaeo no Montenegro e de iim
ar igo de na jornal de Belgrado om que se diz,
.-illudindo-se aos estados vassauos da Turquia, ue
povos que se sentem maduros e bastantes fortes
( para conquistar a sua independencia, nao pode-
<-riam adia-Ia indefinidamente, sein faltar STB
i missao, e ao mais santo dos seus deveres.
t Estas antearas conservam, de certo, una s-
tuacao anormal, mantendo a independencia enUv
as diversas raeas que povoam as regoes do
Oriente.
Pela sua parto, a Porta ottomana parece es-
tar prevenida, se porventura rebentar algum con-
flicto na sua fronteira.
O guverno ottomatio estabeleoeu na fortaleza
.lo Niktza una forte guarnirn, para que aquella
posicao firasse coberta contra q.talquer golpe de
inao da parte do montenegrinos, e aquella praca
vai ser ligada a Saraiev.i, que residencia do go
no da provincia de Bosnia, por meio de flos te-
legraphicos.
O vice-re do Egvpto multiplica osseus prepa-
rativos militares; faz armamentos eonsideraveis ;
accumula mantimentos, e prepara-se para tirar
em situacao de poder prestar ao sultn um apoio
serio e eficaz. .
V-se, porm. contra a afflrmativa da maioria
-la imprensa parisiense, que previo um desenlace
pacifico na questo turco-grega, annunciar um
correspondente que .) Gnulois tem no Oriento
novas medidac e disposicoes bellicas.
Aquelle jornal, ivfenndo-se a um telegramma
de Consta ntiuopla, do dia 10, diz o segninte :
A Grecia nega-se a responder. O ministerio
varilla. Bnlgaiis c omnipotente. 0 jornal La Tur-
puaconselha a guerra A cxploso 6 certa.
Qual ser a verdade no meio do tanta confuso
Je noticias ?
Em Paris houve uliinianiente um grande tu-
multo, que todava nao teve, ao que parece, carc-
ter poltico.
Um grupo de cento e cincuenta rapazes, de
12 a lo annos, que vinha do lado da ra da Bre-
tanlia, drgo-sc a grande corrida paTa os bollc-
vards, pela ra de Santong, atrepellando todas as
pessoas que encontr va na sua passagem.
Este rapasio fui disperso pela polica na piara
de Chateau d'Eau, aonde o tumulto tomou maio-
res proporees. Mas a rapaziada foi formar como
tivjpa em frente do caf parisiense.
Foi all dispersa pela segunda vez. Urna par-
te dirigio-se depois para o bollevard de Magenta e
ra de Bondy. Xaquellc ponto foram presos dona
dos raais agitadores, sendo conduzido ao cstabele-
cimento das artas e offlcios.
Este facto que produzio nos primeiro3 mo-
mentos urna certa commncao na cidade, teve depois
i sua explicaran, que effectivaniente tranquillisou
06 nimos. Dos transentes qucxou-sc um que
Ih faltava o relogio, c outro a cadea, arrancados
io que parece no bolevard do Templo, por um dos
do grupo.
Fallam os jomaos franeezes de urna grande
reunio publica que devia ter lugar no palacio do
principe imperial, sendo presidente Mr. Saiul-
Marc-Cerardin, e orador Mr. Jules Simn.
Os organisadores desta seasao, cutos resultados
revortiriam em favor da associacao philotechnca,
Inha tenca) de a annunciar ao publico por meio
le cartazos e prospectos em que se indicasse o
asmalo.
.Mas para a destribuco dos prospectos e
para a bacn dos eartazes tornava-se necessario
autoi isacaodo prefeito de polica. Este recusou
aos autores da reuniao, licenra para annunciarem
por aquelle meio.
Sendo, porm, perguntado sobre as causas
ana davam lugar a esta saa resoluro, o prefeilo
respondeu: que no quera muita gente unta !
Foi, pois, para obstar a atllucneia do povo,
qna o prefeito de polica prohibi o* meios de pu-
iilioidade que dependiam da sua jurisdieco.
>' Cumpre-nos observar que Mr. Julos Simn
kn-ia, na sua quaitae do orador, Tallar dos neve-
ra do homem. J se v que o prefeito de polica
ontendeu que poderia resultar projuizo-publico, se
se reunisse muita gente para ouvir tratar deste
issumptol E' assim que eniF/anea se comprelien-
dc o direito de reuniao I
o Pretenden! os autores de algunas carta?
CoH gio do RiinFumioso.
D:'sea^^^H' Alvaro...................
mba c Figueiredo.-..........S 2
Dr. Joaquim Porte!la...................... fiS
Roduim do; eollegi i doCaKi, Santo AntSq, Es-
cada. Barrefros c Rio-Foriuoso : .
Desembargador Alvaro...................
Dr. Joaquim Portella......................
Conselheiro C'inlia e Fgueiredo........
4" d siriele.
(2ollegio do Bonito.
Dr. Augusto-de Oliveira...................
LLiphael de Mello Reg......................
SENADORES. Temos o resultado dos cole-
gios do Keeife, Olinda, Pao d'.Mho, Cabo e Es-
cada :
Viscomle do Camaragibe.................. IW
Dr. Ignacio Joaquim di." Souza Leio----...... I
Desembargadar Alvaro B. UchaCavalcante.. 470
Conselheiro Jos Beato da C. e Figueireuo... ^
Conego Joaquim Pinto de Campos...........4
319
312
29
8;i
Dr. Joao Jo Ferreiradc Aguiar........... 2i seu distrato social. Vista ao Sr. desembargador
Desembargador Anselmo Francisco Peretti... w '
tas particulares que a attitude da Franca pelo que
respeita a He~-panha seja mais hostil do que ben-
vola, apre entando como prova o fac o relativo ao
omprestimo da inunicipalidade de Madrid.
O Constitutionel p5e em duvida estes boatos,
embrando que o imperador Nanpleao tem mos-
trado por todos os meios a sua sfmpatliia a Hl-
panha.
Tratando das candi datura! que sedebatem na
imprensa hespanbola, as qnaes so inrlue a do du-
que de Montpensior, ociarao Constitutionnel, que
o icopei'ador e a Franca se nao querem envolver
nos assumptos de Hespanha, e que nao patroci-
nando nenhum dos candidatos, est resolvido a re-
conbecer o que a Hespanha cscolher para soberano,
ainda njesmo o dique de Montpensier, quando este
osse elevado pela eleicao popular.
Um telegramma de Constantinopla deixa ver,
que naquelle paiz os peridicos manifostam um
grande sentiment > de receio pelos preparativos de
guerra que o governo russo est fazendo as pro-
vincias do meio dia do imperior.
Em Nicolaeff, o noutros pontos, j estilo re-
unida < nrovi^oes e mantimentos para um exercito
Je 200:000 homens.
Diz-se que o caminho de forro de Odessa, re-
centemente concluido, serve nicamente para tran-
sporte de tropas.
Porviadeliiverpool.iufirmam de Nova-York,
que logo que o general Grant tomar posse da pre-
sidencia, annular o convenio concluido entre o
ministro dos Estados-Unidos em Londres, c o go-
verno inglez para regular o negocio relativo ao
Alaterna.
Em Li-boa foram recebidos, ultima data,
Paris, 13.Mr. de Brenl, cnsul francez em
Lisboa, foi nomeado cnsul em S. Francisco,e sub-
stituido por Mr. Grando, cnsul *o Porto.
Plorencaj li.Sao desmentidos os boatos de
modificago ministeriai
Vienna, l\ Arejrura-se que a Rossiaea
Prnssia prnjectam pedir Turqu* ccsso do
porto de Spitz para o Montenegro. *'
Washington, li.O presidente acceitou a po
sicao de arbitro no de arcordo de Inglaterra e de
Prtoral relativamente s frontoiras da frica.
Madrid, 15.O gener il Dulce restabeleceu a
cenrara da imprensa em Cuba, c ordenou que os
rtriineiros fossem julgados por conselhos de
guerra.
Madrid, 15 s 4 horas e 35 minutos da tarde.
^=0 Imparci al diz, que hontem tiveram lugardnas
mani festaroos: ama na capital para a abolicao da
Toosrripeao, o ontra em Malaga a f; v r da liborda-
Je dos cultos e para a abolicao da pena de mortc.
_PEBMAMBCO.
REVISTA DIARIA.
DIIUTADOS A ASSEMBLEA GERAL. Te-
uos o resultado os fegniates collegios:
2 astricto.
Collegio de Goianna.
Onliveram voto:
Dr. J. Juvenrio Ferreira de Aguiar___ 131
Dr. Theodoro M. Freir Pereirada Silva!... 131
Dr. Joo Alfredo Correia de Oljveira___.... i30
Dr. Uenrique Pereira de Lucelia........... ^
Ret'omo dos collegios de Olinda e Goyanna:
Dr. Theodoro M. Freir Pereira da Silva____ 186
Dr. Joo Alfredo Correia de Oiivetra........ jg
Dr. J. Juvenci Ferreira de Aguiar......... 185
3* disricto
Collegio da Escada.
Desembargador Alvaro.................... 42
CoDselbeiru Cunha e Fguoiredo............ 42
9r. Joaquim Portella...................... i
Dr. Urbano Sabino Pessa de McHo.....----- 21
Bario de Munbeca...................... 12
Barao de Utinga.......................... ^0
Bispo diocesano.......................... 1
FESTA DO SANTO CHRISTO. Domingo (1
do crrente) ter lugar, na'igreja do Espirito Santo,
a festa do Santo Cliristo, sendo precedida de ves-
poras solemnes.
A's4 e4/i horas damalrugada do domingo la-
ver urna mista, em intencao de todos os devotos
que concorrem para a sustentarao desta devorao.
A festa eomecar s 11 horas'da manilla, exe-
cutando a orchestra, regida pelo maestro Calas Q-
Iho, a grande nussa Santo Christo, c sendo os solos
do Gloria cantados pelos melhores artistas desta
eidade.
Oraro ao Evangelho o Rev Augusto Mara Fer-
reira Botelho. e ao Te-Deum o Rvm. Leonardo Joo
Grego.
BOA VIAGEM. Tem lugar amanluia a festivi-
dade religiosada Senhora d'essa invocacao d'aquel-
le arrabalde. A estrada de ferro do Recfe a S.
Francisco poe lguns trens extraordinarios dis-
posicao do publico, como se v do respectivo an-
nuncio n'outro lugar publicado.
CAPTURA. Pelo subdelegado do districto de
Gamelleira, foram presos Joaquim Geraldo por
criine de resistencia, e Leurenco Gomes dos San-
tos por crime de foi ment leves.
SORTE GRANDE. Devendo liojc correr urna
parle da lotera em beneficio das obras da groja
do Guadalupe, em Olinda, pedem-nos que rocer-
remos pessoa que obtiver o maior premio, que
muito precisa aquella groja de um auxilio para o
adiantamento de suas obras, que pouco avaneam.
apezar da boa vontade das mesas regedoras, pelos
mnguados recursos de que dspoe, e pelo tempo
que decorre entre a extraccao das partes de suas
loteras.
IMMORALIDADE.-Moradores da ra Velha se
nos qucixam de cerios mocos, ahi residentes, que
nenhum attonco tem s familias, e que praticam
actos immoraes. Chamamos para semelhante pro-
cedimento a attenc.Vi da autoridade.
PARA O PARA.Sabio do Lisboa, a 14 do pas-
pado, o brigue brasileiro Mrquez de Santa Cruz.
JURY.Deixou hontem de funccionar, por falla
de numero legal de juizesde facto.
VAPOR DE GUERRAVoltou hontem de cru-
zar, o vapor brasileiro Recije.
LE1TCRA PARA MENINOS. Sob esse modes-
to nomc acaba o Sr. Antonio liego de publicar, na
capital do Maranliao, um livio de 400 paginas,
contando varedade de con tos moraes, alguns dos
quaes bebidos na historia sagrada, pruprios para
desenvolver a inteUigencia das criancas, c robus-
teccr-lhes no coraco os sentimentos de Dcus e do
prximo, o resucito pt'los paes e superiores, c os
modos convenientes de viver na sociedade. som
ser pesado alguem.
E um bello trabalho, que deve ser aproveitado
pelos Srs. professores, que quierein obter bons
fructos de seu acurado trabalho.
Acha-se venda na livraria franceza ra do
Crespo n. 9, a 1^000 rs. o oxemplar.
MERCADO PUBLICO. Innmeras queixas te-
mos recebido cerca do modo porque corre no mer-
cado de S. Jos a venda a retalho de alguns gneros,
sobre tudo da farinha. o* atravessadores tem all
app.irccido ltimamente e nogoclam sem rebnco;
e, nao contentes rom fazorcm subir os procos das
mereadorias, anda falsifieam as medidas da fari-
nha, pondo-lhes fundos posticos, c at subsliluem-
n'as por medidas nao ancridas. E a tudo isso
o Sr. fiscal assi-teimpassivel!
Reclamamos a attencao dalllma. cmara muni-
cipal para csses abusos; c igualmente solicitamos
de S. Exc. o Sr. presidente da provincia alguma
providencia em prol dos pobres qiio tazem profis-
sao u'aquelle mercado.
ACCIDENTE. Hontem, por volta das horas
da tarde, um boleeiro, que condnzia o carro n. 23
da numera^o publica, ao dar a volta no largo do
Terco para entrar na ra das Aguas Vurdes, cabio
da almofada com tal infelieidade que passou-lhe
sobre os peitos urna das rodas, maltratando-o bas-
tante. Condiuiram-n'o botica do Sr Ignacio
Pessoa Estoves da Silva, onde elle recebeu o pri-
meiro curativo.
LOTERA.A que se acha a venda a 97* a
beneficio da groja de Nossa Senhora do Guadalu-
pe de Olinda, que se extrahir hoje.
PASSAGEIROS.Sahi ios para os portos d 1 snl,
no vapor brasileiro Potengi:
Manuel Rosaloso Castello Brando eseu escravo,
A. I. de Mafa, Braz do Andr, Nicolao Morona, A.
T. Chalterton, Thomaz Jos Gusmao e Lira, Teren-
cio Peres Galvao, capito Jos Maria de Azevedo
Jnior, Jos Fernandes Magalhes, Gamillo Correia
Manta, Arlhur Sellarte, Siman Ursulo, Thomaz
Beebby e nm esrravo do Dr. Delfino.
. Saludos para os portos do norte no vapor
brasileiro Jaguaribe:
D. Adelaida Leopoldina Carneiro Chaves, seu ir-
mo e um primo, Jovinano Fernandes da Silva
Manta, Jos Querino de Araujo, F. de Assis Perei-
ra Rocha, Sabino Jonato, J. F. de Sallles, Beroncio
Pereira da Silva, Jos Domingos Correio, D. Deo-
cleeiana de Albuqoerque e sua criada, S. Catn,
Umbelino Antouio da Costa Leilao, Jos Augusto
de Freilas, Antonio Alexandrino de Lima, Jos Av-
res Vieira de Souza, Joo Pinto R. de Paiva, Jos
Trralo de S Cavalcante.
CEMITERIO PUBLICO-Obituario do dia 3 do
corren le :
Barlholomeu Rodrigues Claves, Pernambuco, 70
annos, viuvo, Recite ; hypeirophia no coraro.
Blpidio, Pernambuco, lo mezes, dyarrhca.
Maria, Pernambuco, 12 mezes, S.Jos ; anazarca.
Joo, Pernambuco, o mezes, Recife ; iconvulsoes.
Thomaz, Pernambuco, 12 mezes, Recife; in-
fla mnacao no ligado.
Candida Rosa de Lima Albuquerquc Martins Pe-
reira, Pernambuco, 68 annos, casada, Boa-
Vista ; rlieumatismo,
Bernardina Colho Barbosa. Pemanibuco, 36 annos
rabada, Santo Antonio ; f b e p rii.c o a
Um exposlo eujo nome ignora-se ; Sann Antonia
Genoveva, Pernambuco, 36 annos, solteira, Santo
Antonio ; congesto rerektal.
Hito de Joaquim Affons d is l'.cis, Porta^H
flo C6 anuos de. dado, residente e ostaioli
ra da Cruz n. 36 com casa de At
do matricula, e apresentando um atteslaoo firma-
do por Joaquim Monleiro da Crin. Jos Ali^H
Silva Guimares i Antonio Lopes Perei
em que prova o crdito do que goza.Vista ao
Sr. desembargad! r fiscal.
Dito de Jos Pires de Carvalho, pcilindo qu se
llie iranslira o Dinio que baria si' -ru-
bricado para a firma de Carvalho i Raldanha, de
que fazia parle ello supiilicante, viflo nao Ar
eiTcctuado ossa soced,.de.Como reauer
Dito de Joaquim Pereira de Garramo b Joj,
Correa dos SanWs, registro de*eu contra
cial.Vista ao Sr. deaemliargador final.
Dilo de Gregorio Jos Garca e Antnj,
Rodrigo, regjura tunbeiii de en coii'j-ato^!
cial.Vista ao Sr. desembargador fiscal.
Dito de Joaqiium Fernandes dos Satas a
irmo Antonio Fernandes dos Santo, idein de
tiseal.
Dito de Joaoilim da-Silva Costa, Portugus, do
33 annos de dado, morador ne*ta eidade e-tab*-
lculo com armazem de mhados e escriptorio de
consignaroos a ra das Crazes n. 42, pedindo ser
admittido matrcula. (Attestam em seu abono
Antonio Ignacio Jo Reg Medeiras,.Amorim fc--
maos e E. A. Burle & C.)Vista ao Sr. do
bargador fiscal.
Dito de Felippa da Silva Porto, cdaio bri-
lero natural d-> Cear, com 50 annos do dado,
morador na eidade do Periedo, provincia das Ala-
gas, negociante ele fazendas grosso e retallui.
pedindo ser tambem admettido matricula.(Em
ahpno do peticionario attestam os eommereiantes
Jos Antonio de Araujo, Jos Maria dmcalves
Pereira d'aquella provincia, Corbopiano de Aqui-
no Fonsoca c Francisco Ignacio Tinoco do Sonta,
desta eidade).Vista ao Sr. desembargador fiscal.
Dito de Bartbolimeu Lourcnco, em que peden
registra de sua barraca que vai ser armada om
hiate com a denominaco deDeus te Guarde
Vi-ita ao Sr. desembargador fiscal.
Dito de Jos Fraicisco de Athavde Mello, da ci
dade da Parahyba do Norte, pedindo sor nomewlo
agente de leilo de dita eidade.Vista ao Sr. de-
sembargador fiscal.
Replica de Antonio Jos Pereira, dizendo ser
elle o utico hordeiro de seu finado IrraSo e asso-
ciado Jos Antonio Pereira que fallectTa abintos
lado e se sujeitava a pre-tar flanea polo registro
do seu distrato social afim de garantir-se (ual-
quer rerlamacp ad futaram.Informe a secreta-
ria declarando quanlo o capital do socio falle-
cido.
Beqnerimenlos aliados^ /
De Alvaro Paulo NoblaW
De Jos Maria Seve.
De Jos Antonio Gomes Jnior.Coutinuam
adiados. *
Requorimcnlos '.indis informados polo Sr. de-
sembargador fiscal
Do Jos Pires de Carvalho-e Manoel Francisco
de Souza, contrato de sortedade.Registre-se.
. De Antonio Lopes Braga,' Franrisro Jos Gomes
e Joao Baptista Gomos,i#em.Registre-se.
De Bailar, Oliveira & C.,contrato de socieda-
de. -Registre-se.
Nada mais havendo a tratar-se, o Exm. Sr.
presidente eneerrou a sessao s 11 horas o meia
do dia
Algod > de Pernambuco 1" sorte1C200 e som
-pec;o ICOOO por arroba.
F. J. Silveia
Presidente.
Leal Se^'e
Secrotano.
SESSAO JUDICIARJA EM i DE >L\RCO DE
1869.
SIDK.>.;iA DO EST. SR. DKSEMBARGADOR A. F. PE-
UBTTI.
Secretar io, JnUa Guimares.
Ao meio dia decJaron-se aberta a sessao estn
do reunidos os Sis*, desembargadores Silva Gui-
niaraes, Res o Silva e ArcioB, e os Sis. dopnta-
dos Rosa, Miranda Leal o bafjodo Cruangy, e os
Srs. denulados supplentos S Leilo e bario de
Nazarcth. f
Lida, foi approvada a acta da precedente ses-
sao.
l;r.onDAO assignado.
Appellante Adriano Xavier Pereira de Brito, ap-
pellados os administradores da niassa fallida de
Amorim, Frag-)so, Santos & C.
JL'LOAMRNTOS.
Juizo especial do cnmmercio.Embargante au-
tor appellado o tutor dos orphos filhos de Anto-
nio Joaquim Goncnlves Guimares, embargado reo
appellante o lutor dos orphos filhos de Herrulano
Doodato dos Santos : juizes os Srs. Silva Guima-
res, Reis e Silva, Rosa c Miranda Lealrec-'bc-
ram-se os embargos com o voto do Exm. Sr. pre-
sidente, sendo votos vencidos os Srs. desembarga-
dores Guimares o ReiscSiivi.
Appeilantes Guimares Oliveira, appellada a
directora da raixa filial do banro do Brasil ocsUi
eidade.Euibarganlo Alexandre Francisco di? Ma-
cedo, embargados Jos Joaquim de Castro Moura
e outro.Appellante Theodoro Christianseii, ap-
pellado Francisco Antonio de Albuquerqae aoTIo
Adiados pedido dos Srs.deputaaos/
PASSAOKM.'
Do Sr. desembargador Reis 0 Silva ao Sr. de-
sembargador Acciol : appellantos os administra-
dores da massa fallida de Antonio -los de Figuei-
redo, appellado Eugenio Moreira da Silva.
AGGnAVOS.
Juizo especial do commerrio : aggravante John
Gregory, aggravado David William Bowman.
O Exm. Sr. presidente nao tomou conhecimento.
Juizo especial do commerco : aggravante Joa-
quim Jos Gonralves Beltro, aggravado o geren-
te da companhia vigilante.
O Exm. Sr. presidente negou provmento.
Nada mais houve, e encerrou-se a sessao a una
hora da tarde.
BANCO MAUA & C.
Hua lo Trapiche u. 34.
Descosta leltras co umerciacs a taxa con-
venc onai. Recebe dinheiro, a premio con-
vencional, p ir lettras e em conta crrante.
Conferecrditos,.saca sobre asprimeiras
pracas do, impeli. Rio da Prata e Euro-
pa, o compra cambiaes sobro as hiesmas
pracas..
Encarrega-se, por commisso, da com-
pra venda de fundos pblicos e acc5cs de
oofpanbias, da ooliranca do lettras o di-
videndos ou de Seu pagamento, e de qual
queroutra operaco bancaria.
O expediente para o publico comecar
s 10 bojas da manlia* c terminar s 4
floras" da tarde de todos os dias uteis.
ENGLISH BANK
O Rio de Janeiro Limited
Dcsconta lettras da praca taxa a con-
vencional
Recebe dinbeiro emxoata corrente e a
prazo fixo.
Saca vista ou praso ubre as cidades
principaes da Europa, tem agencias na Ra-
bia, Ruenos-Ayres, Montevideo, New-York
e New-Orleans, e iraitte cartas de crebilo,
para os mesmos lugares.
Largo do Pelourinho u. 7
ALFANDEGA.
Rcndimenlo do da 1 a 4 .
dem do dia 3......
16'i:CS7 o8:7179'J2
*3:0o898
jpMOVIMEXTO DA ALFAJDEGA.
Volums entrados rom fazendaj
dem idem com gneros
Voiumes sabidos rom fazendas
dem idem com gneros
61
68
270
262
:m
PUBLICAGOES A PEDIDO.
Ao respeita vel publico
Aos infames escriptores de JaboaLao que fcinto
comigo se bao oceupado por intermedio do im-
mundo pasqum denominado Liberal, nao devo
responder, a menos que nao diga, que muito me
honro do ser vilipendiado por tao vis ca albas,
mrmentotondo aqneles orgieiros por chofe o co-
barde Ratao do Manasss 1 o qual por muito que
tem 8arripia das tclhas e pintas alheias, pelas inmoralidades
praticadas mesmo datro da igreja matriz. Portan-
to a urna bizerra com lela da vaca c a um melado
com mel, nao so da resposta.
Em quanto aos dous guardas nacionaes que al-
ludo o pasquim de 24 do pretrito (se nao meen-
gano), entenda-se com o tcnente-coronel actual
connnandante do oitavo, e este com os seus pre-
dilectos subordinados, que Mies respondam !!! Vil
canalha, assigne o que escreve.
Engenho Velho, 1 de marco de 1869.
Jos francisco Pereira da 8lva.
N. B. A falta da mamata dos milagrosos prets
causou o mal hydrophobico do Batao do Manass
o por isto elle e sua sucia tanto bao chiado... que
pechincha I
--------
Srs. redactores.Fiquei pasmo lendo
CHRONICA JUDWMRM.
TRIBUNAL DO COMHERCIO
ACTA DA SESSO ADMINISTRATIVA DE 1 DE
MARCO DE 1869.
PRESIDENCIA DO BXM. SR. DESEMBARGADOR ANSELMO
FRANCISCO PERBTTI.
As 10 horas da manhaa, reunidos os Srs. deou-
tados Rosa, Miranda Leal, barao de Cruangv e o
supplento Sa Leitao, o Exm. Sr. presidente d'ecla-
rou aberta a seasao.
Lida, foi approvada a acta da sessao antece-
dente.
EXPEDIENTE
Offleio do secretario do nibunal do commerrio
do Marantao de 12 do prximo findo, arcusando
o recebimenlo do officio de J de Janeiro ultimo.
lo te irado.
O Exm. Sr. presidente assignon 2 offlcios para
serem enviados 1 ao Exm. Sr. presidente da po
vincia, informando a prelencao da sociedade Unan
bendceme niaritima, e outro ao Exm presidente
da Parahyba relativamente ao facto da nomeacao
de Felippe Estrella para agente de leilo da res-
pectiva praca.
Aos Srs. deputados os livros que se segnem :
Copiador de Gregorio Pires do Amaral & C
dem de Gomes de Mattos Irinos.Diario de Ama-
ral, Moreira & Cdem de Lopes & Paiva.
DESPACHOS.
Requeriiuento de Agosiinho Ferreira da Silva
Leal A C, successores da firma Joaquim Moreira
da Silva A C, para que se Mies transfira o livro
Diario que pertencea a dita firma, visto deile cons-
tar o activo e passivo que passou a pertencer-lhes
e se adiar pouco escripturado.Como requerem.
Dito de Antonio Alves da Silva, Joao Correa de
Carvalho e Joto Antonio Franco de Carvalho,
registro de seu contrato tocia!.Vista ao Sr. de-
sembargado! fiscal.
_ no seu
Diario de 26 ao passado um artigo de Antonio do*
Santos Pmheiro, tabellio de notas de Ipojuca (por
falta de homens) em virtude do que em rninha de-
feza, tinhaeu dito anteriormente.
O cynismo com que esse tartufo se apresenta
perante o publico, excita o riso dos Ipojucanos.
Um homem que ainda ha pouco foi severamente
reprehendido pelo respectivo juk municipal, para
quem est inteiramente desconceituado, e que
sendo educado a jogar o peao e a castanha mus
ras de Barreiros, e nao tendo a fortuna do Aer
de quem herdra seu nome, tem o arrojo e auda-
cia de dizerhaver eu recebido urna esmerada edu-
cara de ribeira. Felizmente todos me conhecem
e sabem qual a educaeao quo me deram meus
pas.
So ha qualquer documento que prove algom eri-
mecommettidopor mim no exercicio das rninha-
funecoes, publio.ue-o, para que o publico teaha
u elle conhecimento.
Nao mo oceuparei mais com esse canalka, an-
gir-me-het<|Benas, eu> occasio opportnna, a pu-
Wiear um Valioso docomento que moslra dara-
mente as innocencias desse refim do patoteiro. -
Lnanie-mepoisarespoosabilidadc, que piante
.tnbunaes de Ipojuca eu hei de mostrar ;s ver-
dades destas hnhas.
Queiram^Srs. redactores, dar-lhes publi^da*.
mes agradecer
Descarregam hoje 6 de* marco
Barca inglezaCarioca=mercadorias.
Barca inglezaZH*ncarvao.
Vapor inglezCnrysolite fazendas.
Barca portuguezaCo/radiversos gneros. *
Iraportacao.
Vjlor inglez Chrysolitc, viudo de
Lisboa, consignado a Thomaz Jeffns, ma-
nifestou:
61 ancoretas azeitonas, 3 ditas massa de
lmales, l barris vinho; a Carpinleiro So-
brinho d- C.
40 caixas conservas; a Marques, Rar-
ros & C.
150 (Utas ceblas, 20 ditas figos, 100
barris toucinho, 20 ditos e 16 pipas vinho;
a J. J. Goncalves Beltro.
1 caixa drogas ; a Barlholomeu & C.
2 ditas ditas ; a Prente Vianna & C.
3 ditas chinellas; a Arantes & Lyra.
1 dita ditas; a Jos Francisco dos Santos
Porto.
4 ditas vinho; ao Dr. Cardoso.
1 dita livros ; a Lailhacar A C.
100 barris toucinho; a Joo do Reg
Lima.
80 ditos dito, 100 ditos chouricas ; a J.
M. Rosa d- Filho.
2o ditos azeite doce ; a Mendes & Coelho.
25 ditos cal; a J. da Silva Loyo & C.
20 ditos toucinho, 170 ditos e 46 pipas
vinho, 9 barricas o 40 caixas cera em
grumo e velas, 8 ditas rap, 2 ditas drogas'.
a Thomaz de Aquino Fonceca d C.
4 ditas (nietas, 24 ditas conservas, 45
ditas e 3 fardos cera em grumo e velas, 100
barris toucinho; a Oliveira filhos d C.
85 ditos e 33 pipas vinho, 8 barricas e
20 caixas cera em grumo c velas, 54 ditas
ceblas, 6 ditas conservas, 217 ditas fruc-
tas seccas, 4 ditas marmelada, 120 ancore-
tas azeitonas, 25 barris toucinho, 40 ditos
chouricas, 20 ditos presuntos; a E. R. Ra-
bello. m
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 4 14:93o29
dem do dia a..... 3:3al321
18:28G.".">0
mesilla sociedade, como Socio' coramand/'-
tario, o que hi tempo opportuno melhor
lllegaro: K como j supplrcado se acha
ruuontc cm lugar incerto os siipplicantes
requerem a V. S. que os admita a justi-
ficar dita ausencia eqne depois de jnlgada
mande passar editaes, afim de ser o sup-
plicado citado por oilitos'com o praso de
trinta dias, para todos os termos at deci-
so inal.=P.:de V. S. delerimetito pena
de reveliaF. R. M.Augnsto Vai.
K nesta petate dei o destacho segnin-
te Cite-se, justificando no dia 24 do cur-
ente raez s onze horas da manhaa Re-
cife 22 de fevereiro de 186f. Alencar Ara-
.ripe.
Em cumplimento d'esto meu despacho
foi feila-a distribuco ao escrivo d'esle
juizi) .Manoel de Carvaiho Paes deAndrade.
"Depois do que tendo os supplicantes
produzido suas teslemunhas no dia desig-
nado que sob juramento aos Santos Evan-
gelios que Iho foi deferido, deposeram con-
venientemente acerca da ausencia do sup-
plicado, o respectivo escrivo interino fa-
zendo autoar, sellar e preparar os autos,
me os fez conclusos e nos quaes dei e pro-
fer a sentenca do theor seguinte Hei por
justificada a ausencia e mando que o sup-
plicado ausente seja citado por editos de
trinta dias na forma requerida. Recife 27,
de fevereiro de 1860 Tristo de Alenccr
Araripc.
Em virtude desta rninha sentenca o res-
pectivo escrivo interino fez passar o pre-
sente edital, pelo theor do qual chamo,
cito e hei por citado ao referido supplica-
do Joaquim da Silva Castro para no termo
de trinta dias comparecer n'este juizo, por
si ou por seu procurador afim de res-
ponder aos termos de urna aeco ordinaria
que Ihe propoem os supplicantes, confor-
me declara a petico aqtii transcripta sob
pena de se proceder a sua revelia.
E para que o snpplicado nao fique in-
defeso toda e qualqncr pessoa, prente,
amigo, deseonheddo, pnder-lhe-ha fazer
Bciente de todo o expendido.
R para que.chgue ao conhecimento de
todos nianilei fazer o presente edital, que
ser allixado nos lugares do costume e pu-
blicado pela imprensa.
' Dado e passado n'esta eidade do Recife
de Pernambuco, aos 2 de marco de 1869.
Eu Manoel Silvino do Barros Falco. escri-
vo interino a sobscrevi.
_________Tristo de Alencar Araripe.
depois da audiencia, a parte da rasa terrea sita
ra Velbo n, -I, fcegmsia da Boa-vial, com dua*
salas, .ms quarft*. eviuha fura e cacimba ineei-
ra, avallada ida da por L2003. pofexeeucao de
/."i" i.oiMpho Velloso dMJMdo, conlr I
Lvaii}!cii>ia lidio e sua mulhcr. como inventaran-
fe do hilado J0S0 Neponiuceno Velloso de Azeve-
do. escrivo San
SW1A TASA DE MlSIRCrjRDlADoTCll
Pela secretaria da Santa Casa de Misericordia
do Recife =e faz sciente ipiem convier, ijuc o <
brado 11. 'I A sito ra Augusta c a casa terrea-
n. 39 da na dos Peseadoi 1 sujeifas se-
guinte ihsposicao testamenlara, rom que fall
I). Esmeiiia da Com-eirao Souza, nuilber do Dr.
Jos Joaquim de Suma :
Declaro mais que institdo por herdciros de
rninha ineia aeco ao meu marido o Dr. Jos Joa-
quim deSou, com a obrga^m de com sua mor-
tc passar a ierra de meus hens para os meus ir-
niaos o padre Jos Leite Pilla Orligueira e D. Car-
lota Eamenia da Omceicao Leite, aos quaes tam-
bem inslito por herdeiros da mesiia terca na -
rormidade do que Mea disposto, e no caso d-
nao sobrevivam seus i maos seu marido, a terca
me clles perlenrer, vontade Ma que passepara
o hospital de caridade quo llca assim instituido.'
Secretaria da Santa Casa da Mise icordia d -
cife, 5 de marco de 1809.--O escrivo, Pedro Ro-
drigues de Satizt:.
SANfA~GASA Di MISEHIcdHlA DO KECFE
Pe:a secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Itecife se faz publico quem convier, que a lllma.
junt administrativa nao podendo por s mandar
reedihcar o prwlio 11. 33 da ra Direita perten-
cente ao patrimonio dos estabelecimentirs ri.> cari-
dado, conlralara rom quem maion-s ra 11 tacens
olTerecer, a edillcacao alli de um predio terreo
sua cusa, medame o arrendanienio por um eertu
numero de annos, e outras condi
Os prelendentes deverio apresenlar suas pro-
postas em carias fechadas nesta erretara at o
da 11 do corrente, onde se darao todos os esclare-
cimeutos precisos.
SerreUara da Santa Ca a da Misericordia d 1
Recife, 5 de marco de 1809.O escrivo, Pedio
Rodrigues de Souza.
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 1 a 4
dem do dia 5
a0:808SiG0
9:161238
39-.969S698
MOVIMENTO DO PORTO.
que muito
Ipojuca,
Joaquim Jos di Olinda Tavarus.
de marco de 1869.
COMMERCO.
PKACA DO REClFli 8 DEMtRCO
DB 1869. w
a 3 1/SnmuB da tarde.
Assucar bruto americano 3#330 por irroba
(nontem/.
Navios entrados no da 5.
Da commisso -^Vapor nacional de guerra Recife,
commandante capito tenente.
Rio-Grande do Sul40 dias, patacho norte allemao
Afana, de 92 toneladas, capito H. Mever, eqni-
pagem 6, carga 7,000 arrobas de carne : a Ol
veira Filho & C.
Para 4i dias, barca franceza Comfe Roger, de
:J70 toneladas, capito C Fay,equipagem 12, em
lastro; a Keller A C.
Liverpool por Lisboa2.. dias do primeiro porto e
16 do segundo, vapor inglez Chrysolite, de 477
toneladas, commandante \V. J. Gil, equipagem
2o, carga differentes gneros ; a Thomaz JcITe-
' rees & C.
Navios sabidos w mesmo dia.
Aracaty Hiate brasileiro Graciosa, capito Joa-
quim Antonio de Figueiredo, carga differentes
gneros.
Liverpool-Brigue inglez Grecian, capito Jarves,
carga assucar.
Rio de JaneiroEscuna norte allema Thetis, ca-
pito J. Oihens, carga varios gneros.
ECITAES.
O inspector interino da alfandega faz publi-
co, que no dia 6 do corrente, depois do me>o dia,
esr levado em hasta publica livre de direitos ao
arrematante, um voiume da marca A F O conten-
do um oleado para forrar sala, medindo 18 varas
quadradi, avahado em SU, o qual foi abandona-
do aos direitos por Augusto Frederico de Oliveira.
Alfandega de Pernambuco, 4 de marco de 1869.
O inspector interino, Luiz de Carvalho Paes de An-
drade.
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, oflicial
da imperial ordem da Rosa, juiz de di-
reito especial do commercio, nesta eidade
do Recife de Pernambuco, seu termo,
por Sua Magestade Imperial e Consti-
tucional o Sr. D. Pedro II a quem Deus
guarde etc.
Faco saber pelo presento que os admi-
nistradores d* massa fallida da Amorim.
Fragoso, Santos A C. por sen advogado,
me zeram a petico seguinte:
ITlm. Sr. Dr. juiz especial do commer-
cioDizem os administradores da massa
fallida de Amorim, Fragoso, Santos & G.
que querem fazer citar a Joaquim da Silva
Castro, para fallar aos termos de umaac-
co ordinaria, em que tem de pedir o pa-
gamento da quantia de um contos o qui-
nientos mi) ris, para completar o capital
pelo qtnl se responsabisou para con a
COMLH DE CUMAS MIES
0 conselho contrata no dia 8 do corrente mez.
sob as condicoos do estylo, e vista do propost.is
entregues ate as 11 horas da manhaa, o forneci-
mento no trimestre prximo vindouro de abril a
juuho dos obiectos de fardaineuto seguinte* :
Para aprendizes arlfices.
Bonels de uniforme, bonets do servico, Mbaas
de brim braneo, blo>as de algodao azul," cairas A-
brm braneo, calcas de algodao azul, etnins i
algcidaozmho, cobertores de laa, cobertores de a
godao, calcas de panno azul, colchoes de lia r 1
cheios de palha, fronhas de algodaozinho, kaeos
de seda prela para grvalas, lencoes de algo.'
zinlio, sapatiies, saceos de guardar ronpa, e tra-
vesseiros de buho eheios de palha,
Para mperiacs marinbeiros e aprendizes
ditos.
Bonets de panno azul, camisas de brim braneo,
calcas de algodao azul, camisas de algodao aiul.
cairas de (laiino azul, calcas de brim braneo, ca-
misas de baeta azul, tendo o corno 3 palmos d;
romprimento c as mangas 2, inclusivo os pannos,
lrdelas de panno azul, lencos de seda prela par*
grvalas, sapates e saceo's de lona para mari-
nbagem.
Para fuzdciros navaes.
Bonets de panno azul, camisas de brim braneo,
calcas de algodao azul, camisas de algodao azul!
cateas de panuo azul, fardetas de brim brano
grvalas de couro de lustre, polainas de pann-
preto, sapates e sobrecasacos de panno azul
Para artfices avulsos.
Blusas de panno azul e calcas de dito.
Tambem o conselho contraa no mencionado dia
por igual forma o forneciinenlo de assucar braneo
relinado. assucar braneo gn.sso, bacalho, bola-
chinha americana, caf em grao, caf moido, le-
nha em achas, rangira 011 milho pilado, e detijol-i
de alvenaria grossa para completo do de vveres,
dielas e outros objecios de consumo aos navios da
armada e eslabelecimentos de marinan no ciudo-
trimeslre de abril a junlio.
Sala das soasos do conselho de compras navaes
5 de maio de 18(t.
O seci-etario
Alexandre Rodrigues dos Am*>.
THIATRO
DE
S. ISABEL.
EMPREZA DRAMTICA
m < i v 1 \ iit\oiti\tif^\
Sabbado 6 de marqo.
Grande es|ieciaculo cm 8 parles
PIIUIKIRA PARTE.
Pela ultima vez o drama em o actos
O inspector merino da alfandega faz publico,
que no dia 6 do corrente mea, dc|wis do meio dia
a port desta alfandega serio levadas a hasta pu-
blica livro de direitos, as mereadorias abaixo de-
claradas, eiinpreiiendidas as disposicoes (locapi-
tulo til. 3o do regulamento de 19 de selembro
de 1860.
Armazem n. 9.
Marca I A S n. .'2.Urna barrica vinda de Li-Lgravatas de couro de lustre,
verpool na escuna irtuleza Zouave, entrada em 10
de abril de 18oV>, ignora-se a consignacao ; cou-
lendo 12 potes de barro vidrado, sendo '8 em pa-
gamentos e sem valor e i interos, pesando liqui-
do 18 libras, valor da libra a 200 rs. 3600.
dem Lucio MarquesUm caixote, vindo de Lis-
boa no brjgue portugnez Relia Finueirense, entra-
do em 8 de junho de 1WJ6, idem, vasio e sem
valor.
dem A J S P Um dito, vindo da II ha de S.
Miguel no patacho portuguez Erna, entrado cm 29
de novembro de 1866, id-m, idem.
dem L n.:!l'ni dilo, vindo do Porto na barca
portugueza Segu-anea, entrada em 16 de dezem-
bro de 1867, dem. dem.
dem diamante G ns. 1 a 3636 barricas viudas
de Londres no brigue sueco Victoria, entrado em
18 de fevereiro de 1868, consignadas a Rabe Sch-
tuettan & C, contando gesso em pedra, pesando
bruto .'i22 arrobas e liquido nao verificado 470 ar-
robas a i i V70.3.
dem P. CUrna caixa, vinda de Lisboa no bri-
Sue portuguez Soberano, entrado cm 15 do niaio
e 1868 ; a Antonio da Costa Figueiredo, contendo
obras mpressas brochadas, pesando liquido 328
libras a is 328000.
Armazem n. 6.
Marca L A O u. 602Una caixa, vinda do Ha-
vre na barca franceza Fgaro, entrada em 9 de
maio de 1867, contendo 29 garrafas com agua mi-
neral gazoza, pesando em ditas 76 libras a 300 rs
23, e 8 garrafas de vidro ordinario vasias, pe-
sando 8 libras a 66 rs. 28ts.
dem I P A G1,249 caixas, vindas de Liver-
pool na barca ingleza Serafina, entrada em 8 de
junho do 1868 ; a Johnston Pater & C, com sabao
ordinario, pesando bruto 27,977 libras, e liquido
25,180libras a 100 rs. 2:5183.
dem J P S A C -400 ditas dem, idem, idem,
pesando bruto 11,480 libras e liquido 10,332 libra.-
a 100 rs. 1:033 flOO.
dem N FUrna caixa vinda do Ro de Janeiro
no vapor francez Extremadme, entrado em 29 do
dita mez, a Nova frres, contendo 46 grvalas de
seda, pesando liquido urna libra, no valor de 203.
Tres camisas linas de algodao para houicni a
I 1333 cada urna, 3J999.
Treze libras de cachimbo de gesso ordinario a
200 rs. jtiOO.
Um par de botinas de couro para homem no va-
lor de y.
Armazem n. 5.
Marca Augusto V., n. 656Um embrulho viudo
do sul, no vapor nacional Tocuntins, entrado em
22 de julho de 1868, com um par de botiuas de
couro velho. no valor de 500 rs.
dem A A X & MUrna caixa vinda de Sou-
thampton, no vapor inglez Oneida, entrado em 27
de dezembro de 867, contendo uiassas alimenti-
cias arruinadas, sem valor.
dem R C, n. 241 Um embrulho vindo de Mar-
seille, no vapor francez Picardie, entrado em 6 de
fevereiro, idem, contendo amostras de chita, sem
valor.
Idom P. C. da Fon seca & InnaosUna caixa
vinda do sul, no vapor nacional Guare, entrado
em 29 de abril, idem, contendo urna garrafa de
vinagre, no valor de 100 rs.
dem Theod FrereUm embrulho vindo de Sou-
tliampton, no vapor inglez Oneida, entrado em 27
de maio de 1868, a J. Lej Freres, contendo duas
obras impressas brochadas, pesando urna libra, no
valor de 1.
dem Antonio Souza LeioUrna caixa vinda do
sul, no vapor nacional Cruzeiro do Sul, entrado
em 27 de julho idem, contendo dous fraseos com
doce em calda, pesando 18 libras, a 400 rs.,
7200.
dem Barao do GratoUm sacco vindo do sul,
no vapor nacional Paran, entrado em 8 de agoste
idem, contendo cucos podres, sem valor.
4* seccao da alfandega de Pocnambuco.4 de
aren do IRfiO
SKXTA PARTE.
O Sr. Mariinho cantar pela primeira vez alin-
da aria cmica
0 MSCATE ITALIANO
omedia em um
0 hoineiii
STIMA PARTE.
Comedia em um acto

OTTATA E I'I.TIMV PARTE.
0.
O Sr. Martinho apedido de muitas pessoas
la ultima vez cantar a muito applaudida ari.v
burlesea
Eel ou o miudinho.
Principiar as 8
horas.
AVISOS MARTIMOS.
marco de 1869.
O inspector interino,
Luiz de Carvalho Paes de Andrade.
DECLARACOES.
O administrador da recebedona de rendas
internas geraes declara que tendo-se concluido o
lancamento do imposto pessoal do exercicio cor-
rente de 1868-69 das freguezias de S. Jos e Boa-
vi-ta, flea marcado o praso deste mez e de marco
futuro em que deve ser pago o referido imposto,
sem mult, das sobreditas freguezias, como deter-
mina a ordem n. 17 do ministerio da fazenda de
30 de Janeiro ultimo.
Rocebedoria de Pernambuco 19 de fevereiro de
I8b9.
___________Manoel Carneiro de Souza Larerda.
Consulado provincial
Pela mesa do consulado provincial se fez publi-
co que os trinta dias uteis marcados para a co-
?S2?a ,d^rapo8tos Peftncenles ao exercicio de
1868 a 1869, annunciados por edital de 28 de ja-
ne. prximo passado, ndam-sa no da 8 do
crreme, cando snjeitos alta te ft4>A)os que
forem pagos depois daquelle^H
1 do marco de 1869.
O adminiatrador
Antonio Carneiro Machad Rio.
Pelo juizo municipal da 1* vara, se ka de
arrematar ero tmu publica, no dia 9 do corrate,
COMPANHIA PF.RNAMBLCANA
DE
.Vm-.'U'iio eosteira por vapor.
Mamanguape.
O vapor Coruripe, commandante Penna, fcgoir
para o porto cima no dia 13 do corrente as 6
eras da tarde, recebo carga at ao meio dia, en-
coinmeiidas, na;sagens e dinheio a'frele at ae 3
horas da tarde do da da sabida no escriptorio do
Forte do Matos n. 12.___________
COMPHlA PERNAMBUCA.NA
DE
.Vavegacio costeira por vapor.
Macei, escalas Penedo e Aracaj.
O vapor Potengi, commandante
Pereira, seguir para os portos arima
_ no da 15 de marco as 5 horas da tar-
de. Recebe carga at o dia 13 as 3 horas da tar-
de, encommendas, passageros e dinheiro a frete at
as 3 lloras da tarde do dia da sabida no escriptorio
do F.-rte do Mattos n. 12.
&
COMPANHIA PEHNAMBUCANA
DB
Mavcga?ao coatelra por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara.
caty, Cear, Mondah.Acarac
' e Granja.
"^tV vaPr Ipojuca, conuaandanta
^ 14 Marta, seguir para os portos cima
no dia 1.1 do corrente as 5 hsras
da trde. Recebe carga, at o dia 13, encom-
mendas, passageros e dinheiro a frete at as
2 horas da tarde do dia da sabida no escriptorio
do Forto do Mattos n. 12.
~!Tl^HT~PERNAMBtJ.lNA
Navegado cotefra por vapor.
Guiatuia
O vapor Mamanguape, com-
maadimte Mello, seguir para o
porto iiesna no dia 6 hora da noite. Recelo
carra, encommendas, passagei-
freto no escriptorio do Forte do
l^k
m'iVw
Maman
Porto
Vai sabir com muita brevidade a veleira barca
f7or de 8. Simio visto ter parte da carga enm-
jada, para o resto e pissagens trata-se com oj
c.**igMtarios Csrvalbo & Noguelrana ra 4)
ApolJon. JO.
s
wmm
ow


$


..
Diario de Pemambueo SabLadfo- 6 do Marco de 18691
_____
Rio de Janeii
das a es-
i ilinainarqucza \ijijcu por le p:
vavrcj i-ii.-.'-iail-.i: paran v.i.. i|iio me
falta oui Antonio Luil de Olivcini Aevc-
do A C, na da Crut n. 57.
COMA BRASILEIR.V
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do sol esperado
at o da 8 do (Mrente o vapor
Tbcantins, conmiandanto J. M.
Perrcira Franco, o nual depois
ila demora do eostunw seguir
para os do norte.
Di'sdej rocebera-se passaf ciros o cngaja-se a
i qoe o vapor poder conduzir, a anal dejar
erembarcada no dia desuacucgada. Encommcn-
das e dmhoiro a fretc at as duas horas do dia da
su sabida.
Ni. '' roeeflhn como encommemtos seiiaonh-
!< |ii.-ut valnr e que nao excedan) a
o ou 8 palmos cubico* ele uici
Tdu q : passar testes limites dever ser embar-
rado como ru
Previne-seos Sr?. passa^reivos tpiesuas passa-
'iii na apencia ra da Crm n. 57,
i' an.Lr. (S''rfpjoru dr Antonio Lui'. de (lliveira
Azevedo & C.
GWWI\ IIRASILEIRA
DE
uetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at odia IV do corrente o vapor
Gwiit'i. commandante o primeiro
tenenie P. II. Dnarte, o qual de-
pois ila demora do costnme se-
gira para os portos do sol,
Desdi' j.i rce"jein-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder canuuzh*, a- qual dever
s -r e'iik.reaila nn dia de sur. chufeada. Kiieommen-
.las e dmhoiro a Brete al o dia da siia sabida as i
horas.
Koserecebemcomo eneouimondas senao ob-
de pequeo valor eqncnaooxcedam a duas
arrobas de peso oa 8 palmos cbicos de inclicao.
que passar destes limites devera ser embar-
cado eetao suya
Previ ne-se aos Srs, passageiros ijnc snas passa*
i recebetn na agencia ra da Untl n. .'7,
i" andar, eseriploiio de Antonio Lui'. de Uliveira
\7i\edo&C. ______
C<).MI\\NIIlTPEUNAMBCANA
!>;:
Xavcgaro costeara por vapor.
Fernando.
***"?{/ Ovaporftou/d, commandanle Azc-
Vedo, seguir para o porto arana 06
dia 10 do corrente ao meio dia. l'.e-
cebe carga ate as 3 horas da tarde do dia '.'. en-
conunendas, passageiros edinkeiro a fretc at-as
ti) lioras do dia da sabida no escriptorio do Forte
de Mallos n. i.
llio de Janeiro
Para o indicado porto segu com muita tuevi-
liado o veleiio e lien conhoridn brigue Adetaie.
porlcr a maior paite do rarregamnio tratado ; e
para o resto que Iho falta e escravos a Arete, tra-
ta-" com o consigna".trio Joaquim Jos Goncalves
Beltri, ama do Trapichen. <7,_____________
GOMPANHIA l'i;i.NA\HU(;\NA
11F.
Jlavesa^ao costeira por vapor.
Porto de Galuchas, Rio Formoso e
Tamadar.
O vapor M'iHiaii/ii'rpc, 00-
mandante Mello, seguir para os
portos cima no dia 10 do cor-
reate a meia noitc. Recebe car-
m, ga, eiiconiinendas. passageiros e
dinheim a fretc no escriptorio do Forte do Mat-
!>. n. II
COMPANHJA PERNAMBUCANA
PE
.\:ivea>o cosieira por vapor-
Maeei em direitura e Penedo.
* AM te Mello, seguir para os portos aci-
'_5_____ ma iii> dia 8 do corrente as 5 horas
da tarde. Hoeebe carga at o dia 6. cncom-
meada*,passageiros ediaheiro afrete at as 3
hora da tarde do dia da sabida no escriptorio do
t-'orto do Mattos n. 12.___________________
Para o Porto
Segu seni demora a barca portugueza Noto
Silencio, por ter grande parte da sua carga promp-
ta, para o resto c pasagairos aos quaes offaraee
excellentes connividos trata-se com OlivoiraFilbos
& C., largo do Corpo Santn. 19 ou com o capillo
na piara do conuncrcio.
o lTna'i'Hi

no dia cima dito nolfiavu dos mc>nnw senho-
1 ua da S iJt _____
f.
De 300 caixas com charutos la-
vana de diversas mareas, 2 89
latas com maaitelga hambur-
gueza de 1 libra cada lata,
181 latas com dita de 9 libras
Segunda-feira 8 do crrenle.
O agente Pestaa far leilao por conta e risco
de quera pertenece de itoo eahtos com exeeHentes
charutos mareas asman acreditadas e 'i70 latas
com manteiga hamburguesa muito propna para
casas particulares, oserao vendidos estes gneros
pelo maior prceo para liquidar em um mi mais
kuw no dia cima as 10 horas da maabJa noar-
mazeni do Annm deti onle da alfandega.
LflUI
De um Torno de pudaria. nm telh'irp, caiNoi's.
balanza com [msos, um cylidco, maceira, ten
deiteira. un relgio, balean de ainareo, arma-
cao, mu cofre de ferro e un- pertenees da pa-
dana da ra do Sebo n. -'i.
s...'uiul.i-t'1-ir.i 8 do corrente.
O agen!,- Martilla far leilao da padaria cima
em mu s lote e nienio pof 1 anuos.
A* 11 boras do dia.
lando, procura
rioesgotand
LEILAO
lie 98 caixas cosa caximbos de
louca.
Segund.i-feira 8 do corren!r.
O agente Pe-tana far leilao por conta e risco
de q ni mu pertenec" de 28 caixas com Caximbos
de louca. com variado sorliinenlo. os qnaes serio
vendidos para Teebaiaeoto de conta no dia cima
as II l| boras da manbaa no arina/.em do An-
aes delimite da alfaudega.
3
Jos Soaies de Azevedo, professorde
lingua e litleratuia nacional no gyaina^B
provincial do Hecil'e, lom abetlu ein* sua
casa, rita Helia n. 37, um
CURSO DE--LINGUA NtANCEZA
DE GEOGRAPIIIA E IllSTUiUA
DE PiHLOSOPHIA
.DE BBETOMCA E POTICA.
Os esnlantes (.tic preletuleicm frequen-
lar quulijuei' destas discipltuas, poden) "liii-
gir-se indicada residencia, de manliaa al
as 10horas,e de lardo a (jualquer luna.
0 diabo cOelio.
IVusa iiieato metaphysleos.
A advjc.icia v amis buHa, a umis pura, a
mais sublime de todis as protlsses. Dcits
descer sobre o altar da justica o Divino
rito Santo, para illuniinar o sacerdote d*
com seus raios sagrados inspirar-lhe a gi^anaei.
n'alraa, o a purexa de suas altril l):ira
proteger o fracocontra o forte, vclar.sohw o inno-
cente, admoestar o culpado, aconselbar a? partes
antes de entrar no labyrintho na sala-dosp
perdidos : a toga que ringe orgulbosaiuente. a tren-
te do advogadq, nanea ieve ser mauclu la pea
,-/," mn aba i o brilh > da discussao,
infada a jusiiea,eonduz ,os litigantesvence I ir e
vencido aoabysmoda dissolucao, i miseria, mor-
te moral !
Oadvogado ckkanista una vasillia'Jcf-^-j
nao pile-se tirar aririba de um saceo _du carvao.
O ckieanitta nao tein ci nsciencia de si, aSWisCU,
briga, insulta as partes ; as suas tpMSSes sao
improprias, baixas, degradantes ; sua lgica e mais
propria de um meii mbo ; quauto niais sejJSioTja
para se elevar altura da nobrecorporaeaaa que
pertenee, tanto mais seavilta rdmando cintra a
;nai, nunca vence a questaipelalojgie; protw-
-pelas desvoscancar o adver-a-
os meios da parte par* forca-la a
desistir da questo, que tanto o atrapalha I Kin-
lim, a naturezaJpgindii de llie prodigalisar o logo
simado da scilKia>lbe tein dado com demasiada
abaslancaiSorca muscular, p"opria decarpm-
teiros !.... As almas baixas se unen) com as almas
r.'.esqninhns ; os seus constitumos sao mais dig;
nos de perteneer compauliia do tir>. d i ttttfl a
boa sociedade.
lim bouradu juagbtrado disse que eu era mais
proprio paia estre*i' doque para ser negocian-
te... agradc^peordial nenie este elogio, que estou
longo de merecer: o fui esta seg n .miente a pn-
meira vez que me fez justica.i; para 861 nego-
ciante- preciso negar o dinbeiro que se tent re-
ceido, sem dar o competente recibo : p.iia isto
nao sirvo Se para ser negociante preciso ftl-
siflear lirnia, nao sirvo Se para ser negoc ante e
preciso escrevercnlrelinbaseniuma conta com re-
cibo j passado, nao sino I S: preciso .querer a
todo o transotazercffeciivaiunasociedadequenun-
ca existi, sm rnte para sithtrahir o capital de um
moco (roe tanto trabalbra para o adquirir,nao
sirvo! Se preciso re pierer l'allencia de una
easa de comronrcio que nada deve. para illicita-
men.'e tirar o pao tres innocentes enancas, nao
sirvo para negociante! Se para ser ni "antev
preciso desgraear viuvas e orpaos. nao sirvo I Se
para ser negociante, preciso proies-ar o princi-
pio:que mais vale serladrio quetlo, nao sir-
vo Se para ser negocianteJM preciso escondersoD
o manto da santidade a hypBC/isia. e para mclhor
engaar os seus uonstiuintes, nao sirvo Se para
ser negociante preciso sei usurario e desgra-
nar seja queiu fr para em-iquecer, nao sirvo .
Se preciso de mn zeiM Taffir iM nove para alterar
o Mgarlsmo de una conta, nao sirvo !
g Continuaremos.
i;.!-ife, o de marco da 18011. _
Os bUbetes da lotera, garantidos, da leja da ra
da Oadeia n. 9; ponto muito commodo paraos
moradores do Hecifo ___________________
OJieia Verinelha.
Est vendosle peridico na livraiia popu
lar da ra do Imperador n. 07, e quarta-feira
saldr o n. 2, avulsoHO rs. Assignagse na mes-
ma livTaria e na ra do Torrea n. 10 a 2 por tres
metes.
Programma da festa
Cosi.sas que ca:isatu ataques
ervos.
0 Govoia da wixnmboiH'm recbendo bilhetes
'no dia de sua boda. O mesnio bomeui. se (pie
o andando pelaa vendas e armazens desta cida-
de -, endo se os bilhetes eslao emendados.
PARA A-UOA CONSERVACO
de
OSSO CABELLO
usa! do
Antonio Joaqun) Fernandos declara a quera
interessar possa, que compren nesta data ao Sr.
Antonio rodrigues de \inerim Jnior, o estabele-
cimento de molbados sito ra das Cinco-Pontas
n. 68, livre c desembarazado de qualquer debito,
(pie iM.rvcntura possa apparecer; e se alguem se
jnlgar eredor aprsente suas con'as no prazo de
tres dia<. lindos os qnaes lera inteiro vigor a con-
dico cima.
Recifc, o de marco de 1809.
Antonio Joaquhn Feruawlts.
Pn-cisa-se de um cai\eiro
que teiiba jiratica de taberna
niz n. 7.
de li a 15 annns,
mi ruado Gordo-
Precisa-se alugaruui preto que seja boin co-
zinliiiro : a tratar na praca do Corpo-Santon. i9,
P andar.
Festa do Seiihor Santo
Ghristo.
x CRIADO
.\a ra !# Commercio n. o, precisa-!
Din enado.
% ouera*ci ordem tereelra de 8.
Francisco do Recife.
A mesa regadora convida a lodos os raaos
terrenos a eomparecereni p>lamentados com seus
babito pelas 2 Iji bor.is da tarde do da 12 do
crtente na nos-a- igreja, a(lm de encorporados
aconipaiibarmos a procissao do Sonhor Bom Je-
ss dos Pasaos.
Secretaria 8 de marco de 1809.
i> searotark),
Joai da Cunha Soares Gnimaraes
Taberna
Nao tendo todos os ered oes do Uado Antonio
Ferreira Gomes, dono da taberna sita a ra Nova
n '!. cnegado a uauaccordo para a liquidaeo
de seus crditos, o abato assignado testamentei-
ro do dito finado pe convida a quem
comprar qnelra a dita taberna, a entenderle com
o mesmo abaixo asalgnado a praca da Indepen-
dencia ns. 4 e 0. afinvde que oricntandos os pre-
tcndenles do activo e gassivo da inesma taberna,
ver quem maiores vanagons offerece para ser le-
vado ao conhecimento d is ere I >res e com o ' seatimenlo delles e antorisacao do Sr. cnsul de
Portugal ser vendida a mesraa taberna.
Recife S de marco de IStl.
Man el Fi'ireira Pinto.
de
Para Lisboa.
Segu com muita brovidadi a barca portugueza
Orndrio, tem grande parte da sua carga promp-
ta ; para o que anda llie falta e passageiros. tra-
ta-se com Ollveira Pilhoa & C, largo do Corpo San-
to n. ID. ou com o eapitio na praca do commercio
Luanda
Obligue portiigiiez Btnwittda, rapHao Silva, a
ir de l.i-l' ia. saldr para l.oanda poucos (lias
depois de recollndo a este porto : pode receber
alguma carga, e trata--ecom o sen consignatario
.loaquin Gerardo de Pastos, rna do Vigario u.
16, !' andar
Para Lisboa
Vai sabir com muita presteza o brigue nortu-
ConsUmle II per ter grande parte do seu
> arreganento prempto : para o restante c passa-
Ss, trata-e com Olveira, Filbos & C, largo
o Corpo Santo n. 19, ou com o capito na praca
do commercio.
Ba-Viagem.
No sabbado G do corrente linalisain-se as
novenas acomnanhadas cora toda orcliestra
dirigida pelo Sr. Rodolpho Mamede il"Al-
tneiila, e locar a nmsica do 1. balalhSo
sob a direccao do Sr. Tlieotonio 1. de
Sotiza, nesta occasio subirao algttns baloes.
No domingo 7 ter lugar a i'esla da ex-
selsa Senhora com toda a pompa o biilhan-'j
tismo. As i 1 horas calcar a fesla, ser
levada a intitulada uiissa da Foraiiga, bem
conliecida aonde se pode apprecial-a, o
eosignfi cantor o Sr. Jos Coelho Batiioza
e ootros muitos cantores. Pregar no
evangellio o deslindo pregador da capella
imperial" Frei Joa([uim do Espitilo-Santo.
epois da festa sollar-se-ha um lindo balo.
e a tarde a mesma msica marcial estar
colocada no adro da igreja aonde sepoder
ouvir lindas pecas, e subirao alguus bales.
A noito liavet ladainlia, orando n'esla oc-
casio o padre mestre Antonio-de Mello
Arbuqtierrjue, e dar lim a feslividlde com
um lindo l'ogo artifleni.
Pede-so nos moradores do mesmo po-
voado illttminarem astreios de suas casas
para maior brilhantismo.
H Mudanza
{0 J. A. Moreira Das transferio seu esta- Xi
Sg bcleciinento de ferragens ra da Cruz
fjs} n. SO para a mesma
^5& K
Lile uta preventito -ico c certo coulra
a cal vico.
Elle d e restaura totea e sanidade a pelle
da cabera, <
Elle de promptB fazcesaraqoeda prema-
tura dos cabell)
Ellt^ d orando rrtpte/a yio lustro aos ca-
belles,
Ello doma c faz preservar os calieos em
qualquer forma e posico que se deseje
n'um estado fermoso, liso e macio,
Ello faz crescer os ^cabellos bastos c com-
pridos, ..r,_
Elle conserva a pplle e o casco da cabera
limpo e lirrc de toda a especie do caspa,
Elle previne os cabellos do se I ornar em
beticos,
Elle conservaba caliera n'um estado de fres-
cura refrigerante e agradavel,
Elle nao abamiadamente oleoso, gordu-
rento ou pegadico,
KHe tino deixa o menor cheiro
da ve!, V _
Elle, me.llioi'e o mais aprasirel artigo
para a boa coaservaco e arranjo do ca-
bellos das senlioras,
Elle o nico artigo proprio para o pen-
teado dos cabellos e barbas dos senlio-
de sagra-
Domingo 7 (lo corrente ter lugar a f-sta do
mT f* % i Senhor Santo Cbristo dos Milagros, na igreja do
QG JS b611il0ra Ca \l)ivino Esp' Santo, sendo precedida de vospe-
: ras solemnes. As 4 1/2 lioras da madrugada do
domingo baver una missa re ada, applic ida por
ntcnfo de todos os devotos que concorrerea) para1
susfeutar-se esta dovocao. As 11 horas entrara a
l' -la. seudo a msica regida pelo maestro Collas,
tilbn, e a mis-a intitulada Santo Chrsto, os ao?
do gloria serao esecui Uus petos mais Mbtn ean-
I. sia cidade ; lindo o Evaugelho, e termi-
naila a execuco d urna bella sympbcuia ^bira a | ^.:!ia-S0 a venda nos estabelenmontus do
tribuna sagrada o eloquente pregador pad v Au- \. Caoi'S, I. da C. Bravo Ov C. P. Mal!
gusto Mara Ferreira Uotelho, que desenvolver o
ros.
Nonlium toucador de senhora se pode con-
siderar como completo sem o
Tnico Oriental
P>> (pial presenil, limpa.ocliliea e aformosea
(1 ( M'.l.t.H.
LEILOES.
LEILAO
lie 3 caixa com sellas luglezes
com avarla ragua salgada.
iioji:
Sabbado G de marco as 11 horas em
ponto.
Samuel P. Jolinston & C. tarao Icilio por conta
e risco de quem pertenec" e por intervenco do
Ite Pinto, de 3 caixas marca (380) J. P. ns. 28,
ira .'ISselins avariados e vindos de Liverpool
no navi i hjgiec Sapplio, o leilao sera effectuado
ii,JUZ\i
ra if. 16.
Ama
Ka ra eslreita do Rosario n. 27, 1" andar, pre-
cisa-se de tima ana que lave-, cozinbe e ciigominc,
para urna s pessoa.
seu discurso eom a mpestria .que Uio rjconheci-
da. As 7 boras da. noite, depois que o insume
ora lorsagijado padre Leonardo Juao ( concluido seu eloquertc discurso, ter- lugar o
Te-Deum-Laudamus, terrainaidou acto.com a la-
dainba propria do Senhor,c abeoeaio do SS. Sa-
cramento. O provedor perjieme e adimustrador
do aliar do Senhor Santo Cbristo nao Iba te .do
sido possivel recorrer a todos os devotos para o
auxiliarcnif'.com suas esmolas afim de fazer a lesta
como nos annos anteriores, precedida de novenas,
lin itou-se Bornate a mandar fazer vesper i. festa
e Te-Deum, para o (pie ainda nao obteve a qaan-
tia necessaria, e por isso roga a todos os devotos
que costnmam o quizerem concofrf com seas
ipiantitativos: a renuttereiii-lhes no dia da festa
na referida igreja, ou para maior commodidade
Kidora eatrags-laa em casa de sua re.-idencia, na
ireita n 4 : ra Nova n. 3, casa do Sr. Jos
remandes Lima ; praca da Independencia ns. r7
e 39, loja dos Srs. Porto & Bastos.
dk C. M. Barbosa, I5aiioloniou A C, e em
todas as principal s lujas de peefumarias
o Indicas.
Methodo Castilho.
Secundino Jos deFaria Siinoes, professor par-
ticular de instruceao elementar pelo methodo Cas-
tilho. avisa ao respeitavel publico e com especiali-
dad.'aos pais de familia, que est aberta sua aula
desde o dia 7 de Janeiro, na ra da Penba n. 25,
primemo andar, aoade recabe pensionistas por
preco commodo : o ni smo professor promette
muito se esuierai" ao adiantamentode seus alum-
nos. Acha-se alwrjo dde "o me.-m.) dia um cur-
so de primeirsletraswnoute" para aquellas pes-
sas qaenao puderein R-ipientar durante o da
Escrava fgida
Desappareceu do poder do abaixo assignado a
sua escrava crioula de noine Benedicta, dando
taubem polo nomc de Conceicao,-estator;, regular,
magra, rosto comprido e descarnado, falt i de den-
ses na frente, costuma a embreagar-se, levou ves-
tido de chita clara com unas rodas fmgindo llores,
i-bales de laa de barra ja velho ; ella ( natural
de Serinhaem, para onde se desconfa ti r ella se-
guido : roga-se as autoridades policiaes e aos ca-
pitaes de campo a apprehenso, e leva-la ra
ila Imperatriz n. 52. loja, que se gratificara.
Joao Francisco Paredes Porto.
VERDADERO LE ROY
Mtor$l&N3BET,ak8kew,
D". SE1NR.
IlUE
Attenco
AVISO.
Una familia ingl.-za que se relira para Carona
no vapor de 13 de abril prximo, offerece passa-
gem gratis a urna senhora acostumada a viajar,
para tomar conta de tres meninos durante a via-
gem ; com quanto se prefira quem cntenda o in-
glez. em ultimo caso se aceitara at Lisboa : a
fallar no armasen da roa do Trapiche n. 40.
No pateo do Carino n. 1, aluga-sc um escra-
vo para todo servico.
rrk:62
en P.IBIM,
I

Joio Pcreira Pedrero de Lima coppi ou a ta-
berna do Sr. Antonio Fernandos-de l'igueiredo
Paiva, sita ra de Santa Thcreza n. 60, livre e
desembaracada de qualquer debito ou onns :
quem se jlgar com aireito qualquer debito an-
nnncic ou comparee: a mesma no pazo de 3
dias a contar desta data. Kccife 4 de marc;o de
1869._____________________________^__
Urna senhora qne tiver as habiliiacJies para
ensillar o portuguez, francez e inir-ica, >m um en-
genlio distante da estacan de Olinda dua/ legoas,
annuncie por este Diario, ou dirija-se i ra do
Caldeireiro n. 42, que achara com quem tratar.
:wa!i esio*
rraciotat re-
ti i "2 >^poiu.'.o 1 codici
ti |J5S /*,' -: s
Br b I e.iK-.IcU. ciigir-e kl
w ^J I J/tiuumiic La RT, cuyo
Si S I rt li,;.' i' mwbte
m g J (o boda ntMdq Js amarillo
N o 9f lUnlutituiUldl i uau,
& "^ <* ,: fci noaibreSlCKOHtT
K J^" M nsm rST "" "'
/A'. U. -Sot-rt 1 corcho. dei*jo ikl pipel
iy v\ fN Una 1 lio Phcii Coirm
.4 cuello
ltito
el sillo ul tcaisaso
ntAiieto.
ror lu Jo enri de o* valor
i bc-.'i francos aceptable ao-
e Paris LouJret, sa taca
mayor ilacualo pcuibia.
a re pega-lo m
el inves del f
> amarillo >on J PESTEADOS PAKA SESHOBAS
SALN DE COIFFURE
s
^
DE
-
s
-
ANDRE DELSUC
Ra do Crespo n. 7 primeiro andar
Anuie Delsuc, cabellereiro do Paris, emprearlo de Mme.
v'utva Lecuute, tota a honra de participar ao respeitavel publico
que coutractou com Mr. Georges, que se retira d'esla provincia,
Miar conta do seu salo de coilTure da ra do Crespo n. 7.
Nutre a esperanca que seus amigos, conhecidos e os fre-
guezes a quem servia cmquanto foi oflicial de Mme. viuva Leconte o
avorecero, acompanhando-o no sen novo cstabelecimento, e tam-
bem que a bella freguezia de Mr. Gerges continuar a frequentar
o seu salo, ceitos de que envidar todos os seus esfMrfos para
merecer a sua confianga.
Achar-se-lia sempre no seu estabelecimenlo um grande
sortiinenl'i di; cabellos de todos os tamaitos para coques, seja
qUal 101' U tVIllir, einm tudo que diz respeito ;'. sua arle.
Continuar a praticar no seu salo o mesmo que praticava
Mr. Georges : fazer a barba, cortar as cabellos, frisar e friccionar
com toda a promptido, asseio e delicadeza.
Aviso s senhoras
Tem a honra de participar s senhoras que o quizeivni
honrar com suas fregnezias, que podero manda-lo chamar, certas
de que sero sempre ponteadas com gosto e ultima moda.

O
z
l^-_
I
s
o
Vi

a
H
I*
P
e

TRABALHOS EM CABELLOS
77 RA DA IMPERATRIZ 77
N'oste novo cstabelecimento h um completo sortimento de medicamentos, pro-
ductos ciiimicos, c drogara, tudo de primeira qualidade, e se venden, por menos d--
que em outra qualquer parle.
Htambem um sortimento de medicamentos homeopatlitcos, tintnras e glolm
los inertes, por precos commodos; bem como xaropesde jurubeba ferruginoso simples,
vinhos de jurubeba simples e ferruginoso, c o bem condecido xarope de Paracary, es-
occial d'esla pharmacia. Aviam-se receitas a qualquer hora do da, e noite, com promp-
tido, cuidado, e pericia ; nao se negam a qualquer occurrenc.a em casos urgentes
socio gerente encarregado do cstabelecimento mora no mesmo, para o que esta
promptoa abrir a porta a qualquer hora que for preciso.
INJECCAO VEGETAL
MATICO
D GRIMAULT e C* pha: aceuticos em
0 suecesso d'eiia inieceo, preparada eom as fofcl do Mallco do l'er. foi to rapid, qne
1U "S?mrnad.%Pnlat em'.odo, os paizes do *. par a enr.^d. gonorrhj, e das Purg-
?6es de toda a nalureza. E* o nico producto oeste fttiero enja entrada na Rusaia tenha sido
authorixada pelo conselho medico de Sao Petcrsburgo.
Deposito em Pwnambuco, em casa deManmair.
RA
CABUG
AO
esquina
da ra larga do
Rosario.
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortimento sem igual, esquina
e vente por presos que nenhuma outra casa pode vender. da ra largado!
A vista da qualidade e do pre Garante.se ser tudo de leL Compra-se ouro, prata e pedras finas por presos muito ele- Rosario,
vados. wk
A loja est abcu^a at s 9 lioras da noute.



Diario Rio de Janeiro.
Zeferino d Ahneita Pinto, advogado no
Rio do Janeiro e com csniptorio do agen-
cia na na d dores n. 68, Qncarre-
ga-se de todos o quaesquer negocios judi
ciaes e administrativos, mediante honora-
rios e commisses rasoaveis moderadas.
As pessas que de sews serviros se qui-
terem utilisar, podero dirigir-se pessoal-
mente ou por carta ao escriptorio cima_ou
acasadesua residencia, Callte n. 172,
acompanliados de todos os documentos^
precisos e com indre-arao da pessoa com
quem se possa tratar.
Para mais iirformacos dirigam-se a bo-
tica da ra larga do Rosario n. 10, nesta
cidade.
Attenco! attenco!
Guilherniino Rodrigues do Monte Lima faz sei-
ente aos olieiaos de todos os porpos, que acaba do
receber um cumple!" sorlimento do espadas, ban-
das, tahns, talabartes e eharlateiras, e o ais per-
tcnces. Assim como receben tambem chapeos le
oleado para criadas, do cipa alia c baixa, com
eordaode osro onprala, e vende mais barato'lo
que ein oulia mialc|uer parle, na placa da liule-
pend.'iina n. 17. mit.i :\ luja do $r. Arantes.
MARTIMOS
CONTRA FO.O
A Oompanhia Indemnisadora, estabeleeiud
oesta praca, toma seguros martimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
cmedificios, mcrcadorias o mobiuas: aa
ra do Vigario n. 4, pavimento terreo. __
Trocam-se
es olas do banco do Brasil
com dosi'oiito mnito ftznavel
pendencia n. 22.
c lias caixas lUiaos,
; na praca da Inde-
Escriptorio
Gomes de Mattos taaos eslao com o seu es-
criptorio aborto a rna do Vigwio n. 26, 1" an-
dar : propoc-se a qualquer censignacao, menos
de escravos._____________ ______"__
Joaquim Jos Gon-
calves Beltro
RA DO TRAPICHE N. 17, i. ANDAR.
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
jo do Minho, em Braga, e sobre os seguin-
tes logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valonea. gttU
Guimaraes.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos do Val de Vez.
Vianna do Castalio.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova Je Famalico.
Laruego.
Lagos.
Covilha.
Vassal (Valpassos).
Mrandolla.
Boja.
jfarcellos.
iiii&i SliifSliMtl
ITILiniDK
I Aos 509 pares de brincos.
Ehegou e vene-se no Coraco
l d'Ouro, ra do Cabug, brincos de
1 moswhas com ma franja penden-
| te a om rico desenlio o ouro de
a lei, pelo pequeo proco de 13,->0B6
cada par. heratissimo.
BRTHOLOMEU 8: C.
f. Ferreira Vllcla.
Photograpbo da casa imperial j
premiado em diversas exposi-
Na sua plwtegraphia ra do Cabag n.
18, entrada pelo pateo da matriz tira retr- t
tos por todos os systemas photograpbices. !|
Em porcelana Em vidro
Em lateo Era pai*el
CART ES )E VISITA A 9| A UtZIA.
Os retratos carte-de-ciste sio coaflos
eu carian de luxo bristai ou porcelana.,.
dourados ou lithographadoa, quadriloii:;is
eu Tfinhetas para o quo existe urna varieda-
de de 12 mflelos a escolta de quera se pe-
tratar. Para as outras especies de retratas
temos caixintaas, passe-par-touts, quadros
e molduras douradas epiolas cassoltas de
ouroe alfiretes simples eeog podras pre-
iosas, havendo nos alfiletes unta mimosa
v.n iodado de feitios.
O nosso estabelecimento yfantupphififi
att sempre om dia com os uelliorameiilos
e progresis quo, na America do Norte, na
Europa ou ai Hio do Janeiro se eonsegue
aa arto photographica, e para alcancannos
tal fim iiudoi poupamos despezas nem sa-
u litios, de ti To .po os nossos numerosos
fi'oguezes {)odem ter a certeza de que Sem-
pre eiieOntrl'n Pm flO--iO nt:ihf>lA"'-<*\
todo quanto a arte e a moda offereccr do
bom no novo e vellio mundo aos amantes
da iiutographia.
O advogado Dr. Antonio de Vas-
concellos Henezcs de Drumir.ond
transferio o seu escriptorio para a
ra do Imperador n. 0.onde pode
ser procurado todos os das uteis
das 11 horas da manhaa at as 4 da
tarde,>para os misteres do sua pro- M
lissao.
i rz?i r^\ r?% r
\\TO.\TO EPAM1N0NDAS DE
5IELL<) tom o sou escriptorio de
advogado ra do Queiinado n. 8,
1. andar.
PAHA USO INTERNO
PBEPAHADOS SIMPLES
Xarope de juruboba garrafa. ItJOOO
Violto de juruheba garrafa. 1^600.
Pillas de jiirubeba vidro. 150O0
Tintura de jurubeba vidro. 640
Extracto hydracoolico de jurubeba. 12^300
PREPARADOS C0MP0ST0S.
Viuho de jurubeba ferruginoso girrafa. 20OO
Xarope de jurubeba ferruginoso garrafa, i600
Pilulas de jurubeba ferruginosa vidro. 2 Oleo de jurubeba vidros. 640
Pomada de jurubeba pote 640j
Emplastro de jurubeba libra. Z&'OQ
PARA USO EXTERNO
A JURUBEBA*
Tsla planta o boje recouhecida como o mais poderoso tnico, como um excel-
leate-deobstruente; e como tal applicada nos engorgitametitos do ligado.* bago, as
hematites propriamente ditas, ouainda complicadas com anazarchas, as mflammacoes
S8bse pecialmente do tero e abdomen, nos tumores glandulosos, na anazarcha, as hodrope-
zias^rysipellas; eassoriada as preparacoes ferruginosas, anda de grande vantagem
as anemias, cblorosos, faltas de menstrtiacio, leucorrheias, desatTanjos atnicos do
estomago, debilidad? orgnica o pobreza de sangue, etc.
O que dice-mes alrmam os mais distinctos mdicos desta cidade, entre os
quaes podemos citar os Hlms. Srs. Dr. Silva Ramos, Aquino Fonseca, Sarment, Seve,
: Pereira do Carmo, Finno Xavier, Silva etc. Todos elles reconhecem a excedencia d'esto
poderoso medicamento sobre osdem;;is at boje conhecidos para todos os casos citados,
Ufljtofque todos os Jias fazom d'olle applkac3o.
Apresentando aos mdicos e ao publico em gerai diversos preparados da juru-
beba, tivemos por lim generalisar mais o uso d'este vegetal, fazendo desapparecer a
repugnancia que ate boje sentan os doentes de usar dos preparados empricos d'elle, e
mais das vesos repugnantes a iragarein-se, e que tinbam anda a desvantagem de nao
ser calculada a doso conveniente a applicar-se, o que torna muitas vezes intprolicuo um
medicamento, que poderia producir ptimos resultados.
Os nossos preparados s foram a presentados depois de bavermos conveniente;
mente estudado a jurubeba,-fazendo as experiencias precisas para bemeonheeer aspro-
priedades mo.lie unentosas d'esta planta om suasraizes, folbas, fmetas ou bagas, e a
dose conveniente a ajjptioaijao, tendo alm disto procurado levar os nossos preparados
ao niaior grao de perfeico possivol, para o que nao poupamos esforcos, nlo nos im-
portando o pouco lucrauae possamos tirar.
Por tanto as quo se dignarem recorrer aos nossos proparados podem ter a
certeza do que elles o/fereeem a garanta, de que se pode encontrar, a prompta e infalli-
vel cura de qualquer dos soffi montos, que dexamos innumeraaos, se forem cm tempo
applicados, tondo aTm dsso, medico eu deente a vantagem de escolher as nossas va-
riadas preparacoes, aquella que melhor lite podo convir, ja pola fcil applicago, jpela
complicaro das molestias, idade, sexo, ou anda natureza de cada individuo.
t As nossas preparacoes ferruginosas sao feitas de forma que se tornam comple-
1 lamente soluveis nos suecos gstricos, porque procuramos oscompostos de ferro que
[como tees estao boje recoiAeeidoB.
Para aquel les (jue mais minuciosamente rpiciram conheoer as propriedades da
o xarope Vegetal Americano, espeelalidadede IKarhoIomeu A C.
34RA LARGADO ROSARIO34
.Nao costumamos procurar attestados para acreditar nossos preparados, e xamos que sua applicaco e os resultados oblidos pelas possoas que se dignaram acceita-
los, Ibes deem crdito evoga; porque sao sompre os attestados considerados gratuitos.
o ilclles que lancam5o o charlatanismo; mas, Dio quereodo offender as pessoas que
espontneamente nos oereceram os que abaxo vo transcriptos, os fazemos publicar,
manifestando-lhesnossa gratidopela attenco, esperando que venham ellos coiroborai
o conceito, e acceitago que tom merecido nosso xarope.
Bartholomeu & C.
ATTESTADOS
Illms. Srs. Rartholomeu A C. com a mais subida satisfago que declare
ser o xarope Americano de urna eficacia extraordinaria, pois que soflrendo ha dias de
intensa tosse, ponto de n3o poder dormir a noite a despeito mesmo de mediivimentos
que tomava, a elle recorr c na terecira colher fui alviado, e de todo me acho boje res-
tabelecido com o uso somonte de quasimeio frasco: grato, pois,' esse resultado mani-
fest a Vv. Ss. meu roconhecimento.De Vv. Ss. amigo, venerador e obrigado.Ma-
noel Antonio Viegas Jnior.
Sua casa 20 de abril de 1868.
Illms. Srs. Rartholomeu & C.Penhoradissimo com o favor que me fizeraui
de aconselhar o uso do xarope Vegetal Americano, de sua composico, quando me acha-
ra bastante doente de urna constpalo, que me tornou atmple'tamente roaco e que
trouxe tuna forte tosse, e me impossibilitou de cumprir os mous deveres de cantor da
empreza lyrica, vou agradecer-lhes meu completo restaboleciinento, que ohtive com vw
s vidro do mesmo xarope, depois de haver recorrido a muitos tratamentos. Desejwei
que outros como eu recorram ao seu xarope para se verem alliviados de to terrhel
incommodo, to fatal noste paiz. Com maior consideraco contino a ser de Vv. g,
atiento, venerador e obligado.Luiz Cremona.
Rccife, 23 de setembro de I8G8.
Illms. Srs. Rartholomeu A C0 xarope Vegetal Americano que Vv. Ss. tetn.
oxposto venda de toda efficacia para o curativo d'aslhnia, conforme obsi rvoi apph-
cando-o a meu fillio Joaquim, menor de quatro anuos; victima d*csse flagello, que al
ento por esparo excedente a dous annos havia resistido a outros xaropes de grai.i e
Romeada. Queiram,' pois, Vv. Ss. acceitar-a expresso altamente sincera de meu rec-
nhecimento ao meritorio servico que Ihe prestaram com o indicado xarope, acreditas-
do-me para sempre de Vv. Ss. criado, attento e obligado.Americo Netto de Mendonca.
Recife, 2 de outubro de IS(!8.
DE
PUMOfil
DE
J.
$
N. 58RA DO IMPERADORN. 55.
Os pianos dcsta amiga fabrica sao boje assz conhecidos para seja neceatarifl
insistir sobre sua superioridade, vantagens e garantas que offerecom aos compradorch.
qaatidades estas iacootestaveis, que ellos tem definitivamente conquistado sobre todos
os que tem apparecido tiesta praca; possuindo um tecladoemachinismo que obedectj
todas as vontados e apiiiliosda^ pianistas, sem nunca falhar, por 6erem fabriodc
jurubeba, o saberem a applicac5o de nossos preparados, estribuimos gratuitamenteMe proposito e terse feftltimamente melhoramentos importantissimos para o clin..-
jom nosso deposito um fometeyeade tratamos mais extensamente d'esta planta e dos
mesmos preparados.
Deposito p^erol de todos os preparados
Bol lea e drogara
34Ra larga do Rosario34.
(MBAFOKTl
Aos 4:000^
Bilhetes garantidos.
A ra do Crespo n.23 e casas do costume.
O abaixo assignado tonda vendido aos sens
muito felizes bWfeetcrgarantidns um meio n. 2953
cora a soile de 4:000 3, i qiwrtos n. 100 com a
sorte de 700*, 3 quartos n. itlli eom a aorte de
102 e outras muitas sortes de 1004, 40-S c
0{ da lotera jue sw acabon de extrahir em
beneflcio da igraja de Nossa Senhora da Boa-via-
gem dos Afogados (96) .convida aos peseuidores a
viren receber (Mis nwpaetivos premios sep os
docontos das leis na ca.-a da Fortuna ra di
Crespo n. 2^.
Achau-sc a venda os da 4" parte da 6a e Ia
da 7* lotera a beneficio da igreja de 5osi Se-
nhora do f.iiadelupe da Cidade de Olind (97.')
Precos.
Bilhete.....4*000
Meio.....2*000
Quarto.....1*000
Em porreta de tOO para cima.
Bilhete.....3*500
Meio......i*750
Quarto..... 873
Manoel Martins Fiuza.
]Rvui
Pelo presente scientifica-se a quem in-
tereeaav possa, que na villa de Flores, pro-
vincia de Pernambuco, fallecer em dias do
mez de Janeiro do corrento anuo o Pprtu-
gez .luaipiim Soncalves Meiroles, capitao
das antipas melicias, all morador ha 2(i an-
uos, cuide passou segundas nupcias: C
como o fallecido dec-lavasse no sou tes-
tamento, que ilo seu primeiro consorcio,
celebrado na provincia da'Rabia, no termo
i!o Santarom, comarca de lapero com I).
Oiiitoria Mara do Csjiirito Santo, ttvera una
fillio de nomo Joaquina d; lispirito Santo
vv.;,-.i. ., i|uo casou-se com Felippe de-tal
no mesmo lugar Santarom. avisa a supra-
dita'D. Joaquina ou s"eus descendentes,
do fallecimento do referido capitao Meireles,
alim de que, por si, ou por procurador,
competentemente habilitado possa adquirir
a heranca que lhes pertencer. Quem se jul-
gar interessado poder-se-ha dirigir por iu-
termedio do Sr. ilanocl RiUeiro de Carva-
Iho, negociante estabolecido na cidade do
Recife ra do Queimadon. 18, ouao Rvmd,
padre Podro Manotl da "Silva Rurgos, viga-
rio coNado da freguezia de Paja de Flores,
como primeiro testamenteiro instituido pelo
teMador.
DOENCAS DO PEITO
XAROPE D'HYPOPHOSPHITO OE CAL
MM5
A efficacia d'esta preparacio est estabelecida desde 4 857, pelos mais celebres medico*. Desde
entSo muitas mitades tem sido feitas, mas nenhuma (joude sustentar a comparacao com o
producto aprsenla lo pela nossa caza. Por isso excitamos o publico para que exiga sempre
este xarope com urna beUa cor de rosa, nunca branca, e eom i nossa assignatura roda do
frasco.
Sob a sua influencia, a tosse acalma-te, os snores nocturnos cessSo e o doente volve rpida
mente i sade. O sau emprexo d taiiib<:n) os mais brilhantes resoltados nos defluxos, eabir-
rlios, bronckites, irrla^oes de peito. etc. *
Dopaoiio cm Pa .mmDiuv, cui casa Alberto.
por
2;>000
CraoMo^e d una ama
Aurora u.'O.
de leite : na
J
roa da
K.
I'i...-is;t-se k tima *ma para casa de puuea fa-
ilia : a te-atar aa ra da3'alma n. 45.
Heeuasdc mm romance
Joo Candido.
Um volume em 8-, raneez____
Do atetillo anlor
1MA RCCMAO NA PRACA PUBLICA
SCENA DRAMMATICA,
Um volume em 8-, francez... 300 rs
Assignam-se na livrara franceza ru
do Crespo o na encardenacao P arisiens
ra do Imperador.
Prensare de um fntor para o sitio da S-
pncaia r-m Beberibe, a tratar ali ou na alandega
om o Sr. Caldas Brrelo. ____
Ao publica
\ innandade doSr. gom Je/.us das Dores
ja igreja de H. oiicalo, no bairro da RAa-
'Vista, vem pelo presente convidar todos
os devotos, a assistir a bencao sdemno
da milagrosa wagem do Sr. Rom Jczus
dos Pobres Affiictos que se tere de celpbrar,
no domingo 7 do corrente pelss 8 horas da
inannaa, e pararse se torne mais brilhanle
este a<;to, espera a mesma innandade a
protecr.o dos devatos.
Consistorio da irmaadade em 5 .de marco
le 1>9.
0 escivao
Raphael Antonio da Roza Lima.
Pede-so ao Sr. teuente-coi onol Luiz
Francisco do Barros Reg, que d solucao
ao negocio quo tem com o abaixo assigqado,
relativo a sua letra e bypoiheca que se
acha vencida,^ visto que nao tem-se dignado
responder as ca* tas quo Ihe tem sido difi-
^das, pedindo-lhe o cotmviuento do seu
dover.
iRecie 3 de marco de>4869.
Sr. Joo FwucitcoXaviei-,feos Jlaneto.
# curador Jisca! da i'awicia de Joo
Fetme% Salgado Cuiruaraos roga a todas
asflestsoas quo sejulgaremci-edoras, de Ihe
apreseatarem seus ttulos no praso de 8
das, afim de poder tratar ua classicaco
dos crditos na forma da lei; devendo a
apreserjwco ter kigar a seu procurador
Joaqtiim do Albuquerquo e Mello, ra do
imperador n. 42 primeiro andar.
BARATSIMO
Bateado nacional, na fabrica de Jos Yieeate
(odinio A: C, ra do (ardim n. 19, avisaia aos
cu3 frognfezadesta capital n do interior, tuecon-
tinuam a rubricar cateado en alta ewala, o.fft;-
recemas molliores condii^es, tanto empreo como
em qualidado. Os proprietarios dcste ostabeteci-
inentf. ehamam a attencuodos senliores consumi-
dores do interior, quo os quizerom honrar com
-na freguezia, especiflenndo em seus pedidos a
rualidade e numeracao,offeroceodo-se.|)ara os en-
tregar bem acondicionados em casa do son* cor-
respondentes nesta praca
Frederieo Maia
C'irurglo dentista pela estola
de me Jieina
do Rio de Janeiro.
Tema honra*de pa/tidpar ao respeitavel publi-
co desta capital eseus suburbios, que tem aborto o
seu gabinete de consultas e operacoes dentarias a
ra Direita n. tf, primeiro andar, onde podo ser
procurado todos os dias das 8 horas da mact'.a as
i da (arde. Elle acha-se competentemente habili-
tado para com perfeicao collorar dentes artit'iciaes
por qualquer dos systemai, e bem asslm desempe-
nhar qualquer nutro trabalho concernente sua
profissao. O mesmo, recDnheeendo que nem sem-
pre p^ssivelassenhoras ou criancas sahirem a
procL.ji- o remedio, offeiece-se a remover qual-
cpier obstculo, declarandi que na cidade se pres-
tar a qualquer chamado alguma na commodidade tos preces do- seus traba-
Ihos, e quando para fra della assim mesmo ser
precedido de um ajuste rasoavel. garantindo elle a
*eguranca e perfeicao de seus ditos trabalhos. Km
*eu gabinete se encontrar constantemente excel-
Icnteps dentifricio, elixir e outros medicamen-
tos odontalgicos : ra Direita n. 12, primeiro
andar.
topnia hwiiiljm'iii
Paga-se do dia 9 uo eorrentem djaete, no es-
/aptoiio da companhia, o 4o dividendo na razio
le JO por cento. j
Anu
ftWsa-se de uina ama para casa de umapes-
-ja: ama da Senzala-vefha n. 128, 2 andar.
-------------------- -
le w caixeiro de 14 a 16 annos, que tenha pra-
uca do negoeio : napateo duQiNRio n. 1, onde *s
lira quera precisa.
a quamua
Na ra ostreit do Rosario n, 3R,.-sobrade de
um andar, fatem-se flores de todas. ae qualidades
para ornanleuio de igreja, altar, anfeMs ; opul-
chro, inclusivo arcos, palmas e rosas, tudo quan-
to loroaceinentc aos sacros actos i^assim como
preparam-se para fra com a maior presteza qual-
quer encoinoMBda oeste genero ; entro sim uni-
bem se fazem flores mimosa proprias para enfei-
tar vestidos, aaiotes e capacetes de aojes, o. mais
barato que ea <*utra, casa 3e eocontran j preparados e promptos
yenda o seguate : ricos ramos de seda eateitados
caoutilho com flores de cera proprios..ju:* do-
mingo de Ramos, vellas enlejiadas ricamo&tt!. bor-
dadas a ouro, proprias para baptisados, eaptias de
llores para meninas e noiyas. Alem, djsto se en-
'uanfaem do preparo te bandejas de boloi uno
enfeitadas de conformidade ao tlrn a que se desti-
na, quer sej3 para casamentos, rque para bailes ;
fazem tambem vestidos para a quaresma ou outro
qualfuer que se precisar com a maior promptido
o aaseio.
de
Prerisa-se d'uma criada de bons costumes
para casa de familia, que nao esteja aeostumada a
na, preferindo-se escrava, quo cosinhe e engora-
nte com perfeicao, a tratar na loja da ra nova
n. 47.
! GRANDE HOTEL
OE ORIENTE.
Inaugurou-se este commodo e elegante
estabelecimento d'onde os seus frequeuta-
dores podet o api'eciar a espeoialidade na
cunfeccao dos gneros alimenticios.
As bebidas s3o as mais primorosas c re-
eommcndadas.
A decencia e bom ervco ptimam n'esta
casa no bello gosto oriental.
Mandam-se domicilio comedorias, lauto
avulso, como por assignatura mensal. Os
precos sao mdicos e convencionaes.
Ha urna espacosa e bonita sala para o
elegante jogo -de buhar.
- Ha tambemaposentos comnunodos e bem
mohilhados para hospedagem.
Ra larga do Rosario
n. 44.
deste paiz; quanto as voces ^3o melodiosas e flautadas e por isso muito ayiadavcis ao
om idos dos apreciadores.
Fazera-se coafonne-as enconunendas, tanto nesta fabrica como nado Sr. Bl< -
del, de Paris, socio correspondente de J. Vignes, emcuja capital foram sempre prenu-
dos em todas as exposicoes.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um explendido e variado sori-
mento de msicas dos mdltores autores da Europa, assim como harmnicos e piano
harmnicos, sendo tudo vendido por precos commodos e razoaveis.
RA LARliA 00 ROSARIO 137
Este acreditado estalMdecimeoto augmenta
de dia em dia quanto possivel para che-
gar ao cumedo bem viver.
Alm dos saborosos manjares confeccio-
nados com o melhor aaseio, tem bellos apo-
sentos de hospedagem, tanto para urna s
pessoa, corno para numerosa familia.
A agua, inuispensavel elemento para a
vida e hygiene, temo-la sempre em abun-
dancia para facilitar excelentes banhos.
CIIARITEnlA E PETT RKTALRA.M
Annexos no Hotel Central, ra estreita
Rosario n. 4 A, andar terreo.
Para dar a conhecer a variedade &finn
de charutos de Havana, Baha, Hio, etc. ane
existem neste novo estabelecimento j. -
cmdtmos dos annuncios pomposos que
ramente se fazem, reduzudo-nos apenas a
tres letras que sao tres bbb bom, boni
barato. A' vista do geaero anuunciado po-
de-se julgar de nossa veracidade. Esta i
Ha tambem urna boa bidiotlteca e perio- gosa tambem das c^ndic.oes de um elegante
dieos naeonaes e estrangeiros, piano para e prtit reskmratU onde se pode ver a *.-
recreio, bilhares, etc. etc. pecialidade dos fiambres e salames de Lio i
Sendo ociosa qualquer recommendaco para lanches e at fazer urna boa ealatfo,
para tiJo acreditado estabeleimento, omit- juntamente aim os principas* vinhos (k
timos mais prembulos, fazendo ver por mercado, sobresahiudo entre o bom a pui>
fim, que o bom servico, ordem e moralida- e fervente champagne, o mui saboroso Rt< -
de imperam n'esta casa, como oteervancia no, a primorosa cerveja, o Ikor espirituo.-..
fiel do regulamento que pos&ue.
Comedorias a la caite.
o quanto pede urna mesa. Faz-se Moni?
sorvete e variedade de refrescos.
-r Na ra Augusta n. ft vestem-se aojos para
procissoes por commodo preco,e ultima moda.
IA
Osabaixo assignados declarara ao respeita-
v publico e ao corpo do commcrc%que desta da-
ta en diante deixou de ser seu eaixeiro Horacio
\Bfcmio Mangabeira. Hecife 4 de marco de 869
_____________Jos de Som Soares A C.
Emposta-!^ dinheiro
sobre joias de ouro, pra-
(a, Imtalos e podras
preeksas: na (rvessa
das Crazes 11. 2, jmrto
a sla tv|ogpaphia. (.-
andar.
CURA DOS
Veiieravcl ordena tereeira
H Framtisem t* llerlfe.
Tendo fallecido o nosso charissimo irmao que
oceupaya o lugar desacristao desta vener-vel or-
dem, sao por tanto con viciados todos aquellos de
nossos charissimos irmaos, no caso de bem des-
empenharem o sobredito logar, dirigirem suas
esajncsaxejedorade ,ntoru)Waae ^0" o
PELA
PffMJUlagaionpeaii.
Dejjosrto es oecial
34------Ra larga ^o Rosar!
ESTRADA DE FERRO
DO
Recife ao S. Francisco.
Fcla da Boa-Via geni.
Doraingo'7 do orrente alm dos trens ordina-
rios avor ni ncginlon espeeiaes :
IBA. MA.NtlA.
II. M. ti. M.
(MMftikmtasipaciida 0 10..:jo
togados 9.. 8 (0..:j
" "-rm-'"niJ"i .i m>..m
VOLTT NOITE.
H. M. H. y.
Roa- wagem ^partida) 9 11
Afogados 9..14 H..14
CincowRwtas (ebega^a) .9..20 U..S0
Vesper* da festa.
Sabb*do noite bayer um .trem especial flue
partir .in Boa-Viag- as Mlboras-para Gnco
Pontas.
Villa o Cabo, 3 u marcee 1869.
G. O. Mano,
Superintendente.
Txm
JllItiilfalUlrtaff, fallecidanmllio jle'mpt. re
za-se no da 6 do corrente urna missa no conven-
II. M.
ts
ii.. 8
12..12
H. M.
1
1. .14
1.20
55--RUA DA IMPERATRIZ--55
O proprietaro d'este importante estabelecimento tem a honra duparti.
ao respeitavel publicj que tendo fgido d'esta praca a pessoa que se achava na sua g--
i entia, elle contratou para sua casa um perito ofiieial que foi por muito tempo o pr-
rueiio official da importante casa Sulingre do Rio de Janeiro ; por isso espera o annu.-
ciante que todos Gcar3o satisfeitos dos seus rabalhos, visto, alm d'isso, possuir no u .
estabelecimento as machinas mais aperfecoadas para tingr e lustrar de que se fa tiv.
na Europa, c achar-se tambem prvido de grande qantidade de drogas esculliid*. .
sempre de primeira qoalidade e fornecidas pelas casas especules de Pars.
Tinge-se, lava-se e limpa-se com a maior perfeicao faaeudas em pecas o^j
em obras de qualquer qualidade que sejam, taes como 13, algodao seda, touquit
pennas, chapeos de fellro e de Manilha ou palhinha de todas as cores, etc. etc.,
tambem tira-se todoas o limpa-se a secco sem molhar os teedos.
Os enhores negociantes, logistas e -particulares experimenten! que todos
acharao proveiio e vantagens.
Tintura preta tercas c sextas-fciras.
n

AO
1IOI l*i;7 PCJRJlAIfllilCAJVO
86Btia das Ginco Pontas86
Thomaz Jos deOltvefra & C. avisa aos seus freguezes que foram, tanto desta pr-
ca como-do centro da provincia, ,que regresanu de sua viagem Europa no fim d^jdp-
zembro.-froximo passado, ese agfra estabeJecido com umarmazembemsortido demei-
oearia ^ijjgo molhados) de bons .^eneros, a por precos commodos e garantindo qualids-
de, pesa a medida, nos geros .pniprados no seu armazem ; portaalo peda e i
que nio.deixem de Ihe dar a preferencia.
FRAMlA-BRASir~
ze.sjue,
S'iiiuro
senhora.
MR.JHEPC1ER, alfaiate francez, previne ao respeitavel publico e a *---------fran-
tende .wtwferido sna residencia para a ra do Trapichen. 7, primeiro andar, aba eicooUW
S3 Mplidades de fazendas paratrajosde hornera, e prepara costumesDara montamX
mbem obras para militares e para criados, para as maes tera grande tfrtiraenljjr
mmsm
id:*o.Bio jde latKiro,
.uite urna missa no conveu-
tad&S..Fopelaa l-b^aa^iathaa,* para- S8 piraJ*te?> wnnyt-pla e cor de coBd,%r#rancos e amarellos. Recejio por Jadi4 o vapor >
H a*m>osjgwaoa,tara-hawa., snh..rw *flinos. ^^w 4m* ^q
cao wmeqMa aos paM*tes a. jm amigos da
nttecida. Kecjfe, 4 de marco de 1869.

k$.
O abaixo assignado declara pe ~o~p7o7u7-
dor nesu cidado do padre ioo Cyrilo de. Luna,
'So entro dr Mundo- Megaate a roa Nova n.
Ufi^tMl-a-sude nmfiia/n.iHllfrff,'" """ quaes>(^
qualquet parte.
Aiuga-se ^uma ama de leitejescrava : c|iiem
isar dirija-sis Cinco Pontas n. 82, qoe~ M Ihe
-Preeisa-ae de orna pessoa que wztolle Bem : ha
raa do Cresjpe a. 83.
*wwarta % d mrp da Wi.
OsecTBaTio,
Joao da Cuaba tures Guimaraes.
JJU2lfO.
marco
ho oo; largo do ar
uriana a. 8".
llflll
irriNiIi
[f LI..A? OS INDIANOS
poCANIMABIS IrVDICAl
PARS
knkrsa itmtttmi$ m 3*rtju-s 4e
n escravocooo ve. aweiro de 14 a U aonoa, mjb pranca de

aeroa.
uHmW
iiiieiBl
Todos os meios aU hoje preconisada. 0WHr.iwUont.niow i sido mal do palliatrfos
debaixo de todu as formas, tendo por base tolMaoa, o estramoBio oa opio. Reeoates axpe-
nencias feitas cm Allemanba, re^aarfPrai>5ei toekterra, tea protado ow aluno
ado de Bengala potase aa maia aotaveis proprwdadet para eonMter em toaurol affeetio,
assim como a tese nervosa, a insomaia. a taska lamif, a rtmfiMlir. f^nirat da roa.
e as aevralgiM faciaes. E' poia eoa o ipoio aci*-
T-A
?UUUIU44I wae
v..

*


Diario de Pernanibueo Sabbado 6 de Margo de 1869.
3i
/
Grande liquidaco de miudezas!
AITouso Moreira Temporal, qnerendo liquidar as miudezas existentes em sna
loja ra do Quemado n. 55, resolveu aununciar as mcsmas miudezas para que o pu-
Fundipao da Aurora.
Ncstc Vasto cgtalielcctoftnto scmpre se cneonira
' um completo sortirrcnto do taixas de fci n> batido
e fundido, lubricadas recenten len te, e se fabrican)
I de qualquer molde a vonlade dos eonipradiH**, a
reeos razpoaveis.
I $000
400
800
."iOO
800
000
000
G800
320
000
I 000
320
oo
Mico se cortilique do diminuto preco poFque as est vendendo, a saber:
Massos cmi pimpos 25 a .
l'ecasde trauma lisa e caracola
Saboaeteg de todos os precos a
80 10!) IDO e.....
ibotoaduras para colletcs a .
Bufos de lou.;a para camisas, a
Garrafas (Tagua Florida (verda-
deira) a.......
Frascos com agua de Colonia a
390 e........
'"arrala de tinta roxa a. .
Caixas com 100 enveloppes a.
Mantas de seda para hornero a
Fila de sarja para enfeite de
vestidos par......
Frascos coa oleo para cabello
a 400 e.......
'.a para bordar, libra. .
Bscovas linas para chapeo a .
Ditas para cabello a 320 c .
Ditas inuilo linas para falos
por prego nunca visto 400
SOO e........
! Veas de babadose entre matos
a 600 803 e .....
bravatas de seda de cor a .
Ditas pretas a 400 e .
ftico o renda das ilhas a todo
proco. 'Si') a vista faz fe .
"'ecas de fita de coz com 10 va-
ras a ........
20 Latas com graxa, duzia a 480
40 Coques muito bons com rede s
a rede val...... I 0800
240 Meias para homens boa fazenda
320' a 35800 6...... 4*000
IGO Linha de marca,caixa cora 10
novellos....... 240
Latas com banha (familiia), duzia 24200
Fiascos com banha a 320400e 300
Botes para punho fazenda boa
a 80 e ....., 100
Volta de Aljofre cousa boa a 100
Fitas para debrnm de vestido a SO
Caixa com agulha franceza a 100
Botes do ac para colote dnzia a 120
Carlo cora alfineles a 100
Caixa com perfumaras muito
fina. S a caixa val OJOOO
I2>000 ....... laOOO
Copo com opiata muito fino a
400 e.......
Meias muito finas para senhora
duzia.
Cartas francezas a 200 e
Ditas portuguezas a 120 i
Caixa de
novellos
Frasco com tinta a 100 e
Franja de laa para sapato (peca)
:>oo
ilLllllililllllil
Resta venda un escolWdo soitrnento. deob-,
jectos de inaicineria, como gejam, mobiliag de ja-
nrand. mognoeamarello, obra nacional castran-
geira, de aparado gto e pocpreeni razoavejs:
ua na estrena do Rosario n. te' Nesta mesma
usa (aiom-se com perietoa todos us trabarnos de
lialliinlia, como sejan, eiiipalhaiueulus de lastros
para cania?. cideiras,'e suplas._______________
Lava-se e epgnmma-se com asseio o
promptidQo, mandando-se buscar e levara
roupa por um portador fiel casa dos pro-
tendentes: tratar na ra Augusta n. 114.
AMA .,
Precisa-se do unja ama que d boas niforma-
cuesa resucito da sna promdado, para tenircon-
la da casa de um estraupiro sulteiro i|iiemora|
n'uin sio. tazoiulo lodo o servieo da casa : trata-
se na na Xva n. i'.), Io andar.____________
Precisa-so do urna nulhcr de dado para fa-
aer eompanhia umn senhora : ii tratar na ra
da Palma n. I.
inha do gaz branca 30
Papel de peso muito bom
Sapatos de tranca e outros mudos artijros, que onfadonho seria mencionar.
BA DO QUEIMADO N. 35
3>000
l'iO
200
000
I0G
I >000
i*O00
A actual me.-;, da irmandade d
nliora do Terco desta cidnde, apreciando os rel
vantes w rvicos de son Qnado irmao ex-juiz Do-
mingos RibeTro da Cunha Oliveira, prestados
mesma irmandade ; assim rumo a esmol que a
familia do mesmo Hilado fez, lera resolvido man-
dar fazer api memento solemne e mis-as pela al-
: na do dito tinado no da 9 do crrenle n ei as (
horas da manhaa, por ser o da aiiaiveisarie do
i bito do dito tinado ; e para o que envida a
! Illma. familia e amigos do mesmo finado a honra-
I rem dito acto.
IM DRSCOBRI.MBNTO E8RAHT0S0!
8 jarope de fedegoso, de P*rnarnbuco,
pispando pelo pfiarmaceutico J de A. Piu-
lo, cura radicalmente a tsica e islhina, e
todas as molestias dos pulmDes.
Podom ver-se os altestados de caras no
nico deposito das preparares ce fedogoso
deste autor, ra do Rosario Larga n. 10.
junto ao quartel de polica.
Illm. Sr. Joaquim d'Almeidi Pinto.
Braga, 23 de Janeiro de 1808..Meu ami-
go, aqui ehegei com algumas mellioras;
depois de ler lomado tres garrafas do sen
reparadoxarope de fedeyoao; isto
pelo mar, porque logo que cheguei em Lis-
boa, principiei com mais fe a tomar o dito
xarope, por conhecer pelo mar que elle me
razia grande beneficio, pois vista da gran-
de quantidade de saogoe que cu botjva pela
boca, vi que me ia desaparecend) com ra-
prrjez, depois que continuei a tomar o dito
jarope, e tao milagroso foi para a minlia
molestia que boje me ado detodo resta-
blecido, e at mesmo bastan!; nutrido, e
por isso pode Vm. fazer sciente ao publico
o milagro que o seu preparado obrou na
minha enfermidade. Sera lempo para mais,
\ i i Se- 800 de Vmc.Aini^o altento, venerador o
muito obrigado.Maitoel Jos Gonfakes
Peretra,
Premio raocle da lotera.
O encarregado das ohns da igreja dot
Guadalupe cm Olinda, pede pessoa que
ti\er a leli "iilide de tirar o premio' maior
da lotera, qde se deve extrabir boje em be-
oeficio das mesmas obras, se lembre de
tambera coadjovar com seu obulo para um
Hu tao [m : Meando corto de que a MSi
Santissima o continuar dar oceasiau de
pizer iguaes donativos.
a 7-x-----------------------r-.---------------------
Lm poucos das.
Saliir'para o Porto a galera pnrtugucz: .Vonfl
r por ja tor a carga toda contratada, re-
oebe passageiros, para os qaaes tem commodos
superiores a qnalqaer outro navio, pois o seu lim
principal trazor passagairos do Porto para o
Iti i de Janeiro e viee-versa : ti ata-so rom Cunha
Irmao & C, ra da Madre de Dos n. 34 ou
com o canitao a bordo.
{
V
l'l
Precisa-se de u ua ama pura engommar : na
ra de Hurtas n. 70.
tfiS*
De o ilriu da n e-a regedora da eoii'raria do
Senhor Bom Jesns da Via-Saera, i!a igreja da San-
ta Cruz, onvido aos innaos da mesma contraria .i
comparecer.'in em nossa groja no domingo 7 do
ronente, pelas .') limas da tarde, afim de In-
corporados ;i'-iiii|iaiil!iivni a procissao doSenl) ir
Bom Jess dos Pobres Afflirtos da igreja de S.
alo ; rugando ao mesniu lempo aos q le nos-
suirm capas snas, se apresenttfnr munido? I'elts.
- i) escrivao. ThaPloro Jo'r Tarares.
do sol i .
a rtrat.ir ua lop do
andar
Alnga-se o priraeiro
ra da Scnzaia Vema n. SO
.....BJTtP
Ama
Precisa-se.de u/na .una pa/a iodo o sgrv.tfi4 dj
unjaeasa depota funilia : na ra de Ib ra n.
I Vi. ;uid;ir. ____
A
icredttada,
teriorid I
ia cunslauti. .
no p do seu i--iz c nunca olvidado agrado t
ktaoe.
Pedido
A pessoa pateo do Livramento um lenco de cand>raia
since-
. satisl'oitos pelo feliz restabelecinicnto recbenlas sexto" anijjjtersario de sua in.slalaruj poj-
quasi pfuqdo como aimexim ou pro- [ visitas dos seus melbur aniigus, dizem aqnclles a v, .fo,. 0 SfH.s afjm ,l, t-0mpare-
oando se ve ha oljecto .le degaada, este,rolDeusqaeme Inspiroupara que compras- v ifivinVAiA se, como compre!, umdesses virtuosos collares ''r,m nJ 'c'^' uy umao fc.SpJUlo Ninfas
lioyer, que e vdurm na leja d'aguia branca. 0 fcpras da ift.'tuj|n dp da i do ceirojte.,
Basas verdades incoestoveis sao =em ''unida
(H'oeiadas pelo bello sexo em padicoJar, e pelo
-peitavol pubii.o em peral, e a tanto 'em cliegadi
ue esto
ibi), qu
gOSto, novidade, etc., etc., diz-se logoaquello ub-
eoto s.ein d'ivida foi couiprado ua loja d'agtI
branca.
Qnaadfe no club, nos bailes, ou no salao do
Santa Isabel, urna excellejitissima so aprsenla
garbosamente trajano, trayendo o moderno cinto
le mui larga Ota, lisa, ehamalouda, ou nwteftgpra,
i3 suas admiradoras ilizem eomsigo aquella tila
oi comprada na lojad'aguia branca.
Quaudo outra e.v:ellets.*iii.:i, no nviios gar-
a, uiostra o r|p>r de seu bmn gosto na acertada
-sculba dos entortes de ilta novidade que liella-
nente ornam s ie sua sympatliia eonfessamqueaqueties enleitcs
oram da loja d'aguia branca.
Qnando n'ontra excellemissinia, apezar da sin-
;eile2a de sen porte agnuiarml. se vm u bonitas
uvas de wllica dnqueza as suas bellas ami-
kmvam-lhfl o gost
uvas foram
t.-uieaiiieiitee vrdade que ust cheiro foi compra
do ua loja d'aguia branca.
Afuda mais.
Qnando hootem os pais aMictos -entiam o rigor
queg;ndo-oenvgar leve ra doLivimeji-
lo na loja de cera, qje gera "j>ijilic;gjo.
Illm. Sr. Jopquim d'Almeido l'inio.
lia muito (pie ouvia proclamar as excel-
lentes propriedades do xarope d- fkdegoso
contra a tosse o astlima, c soffrerdo eu de
urna losse pertinaf, o leudo usado de toda
a sorte de modkameotos, vali-mo pois do
Xfsrope de fedi'goso, c urna garrafa somon-
te foi bastante para restabelecer-me, e me
vejo tiu robusto como dtiles ; suecum-
biria de corto a nao ler usado se i .rnr,f
de fedegosq, .
A' vista disto nao tenhp expressdes
com que expiima a V. S. agratidao de que
Ibe e devedor, o de V. S. alenlo venerador
o criado
Jinin da Corta Bego.
Alaiac.
Uua do Quemado n, 49 loja de
miudezas de Jone de hcvtt'
Mata e Sdva vonhu-ido^or JoU
Rigodmlw.
Est queimando os objeetM abaixo dMluadMS
pelo diminuto preco, a aber :
rrascos^puiagua'de Col. ma u.'iii,.il....aa l.
fas ci.in agua Florida veislajoira. que se ga-
rante a USO.
i'.n i para rega.earcabello da meninas a 'O re.
rbesouras muito finas para unlias e costurai .
B00 is.
Tinli iras elieios de U*ta uiuito Brota a SO. 100, K!)
e ',00 PS.
Varos,|,- franja br.oi.M de liulio pan loaM
DiO tv.
Caixas de
\m i s.
phosphoros de segnrjiea a 0, 40 e
n. 4fi, loja.
COMPS.
Com muito maior vantagem
O
uro e
prata
film. Sr. Jociijitiiit d Aliitiiila Pinto.
Tonlio a yeptura de coinmuiii. a' a V. S.
$me gracas ao maravilho-> "" f< di ,
r/o.fo. estou com 6 meu cscravo Jorge com-
pleiameiii; resijliDloeido da molesta dos
nulm.Vs, que ha lano lempo o | ersi'guia.
v- l' \". S. esta min.lia qcc1afac|o
i .j\a do meu reconheciineiilu pejo
bem que V. S. acaba de J'azer-iue. e rm
recordaiKo Ocat Otrnada no coiacio do
# De V. S
WkuUj vejievajlor o crjydo
Bata Jm((-uih Gomes.
' film. Sr. Jouqulm IMith'ida Rusto.
Tendo a direr.torta d.i Soi
WHWW- Cuinprindp um de^r de grlido pajptici-
iFdmlr lk- poaT:rS. que. por tifio t\n l'i.'cisa-se de alfaiates para ralea, assim como N'avalhas df cabo de niaifin e que e garanta a
un mesini que corte bem : na ra do Qucimado qualidade a i.
Librado l.ia p:ua bordar a 73.
de lila braie a clstica muito superior a 200
e ;oo rs.
Nom los ijejinba branca com ui j.udas aUt.rs.
Itesmas de papel .le pe- Ii-o i ;i 2,M.l!.
Calas com superior banlia a 0 e 40o is.
Caixas com sois frascos de cheiro nmilo fino a
Ciorira o Coraeao de Onro, n. 2 D,ra do Cabu-' (;uXi< Biimow Irascos, fuenda su bj a M-.'<0
_a, oocilas de ouro e prata e peoras preciosas. e -^;j(X).
Frascos com superior oleo Slocomc a RdOra,
Ullungas d" saliao liaie-pai, nte nonio DOnttB'l
no a i'if rs.
Dnzia de paos de pomada do Reino, da mem i
qualidade a ,0 is.
Peas de tiras bordada; muito Boas a 600, 860 e
800 rs.
Ditas de habadiabos com fu varas a iHKi rs.
Carriteis de linlia de todas as cres, para
a m re.
lianaa- com agua divina a I&'UO.
b'ra-cos com superli r niacac/i pcrtija a .'0 rs.
Caixas de vkko cao doze duiaes, que s .. caixa
vale tlinheiro a O re.
Ditas de madeira can lUki tes, o que ha d
Ihor a 320 re.
Gtosm de botes de lonca, lisos ,- boHadN a
I o rs.
Caixas redondas para rap emulando tartaruga a
JUMO.
Pecas de lita para eos da melhor qualidade a
000 rs.
Escoras para impar denles, fazenda |ue i a vis-
ta a MU rs.
Dilus para liuipar millas do superior qualidad' i
-o) r-\
em moeda e em obras inuiiiisadas, compra-se por
bom [ireco : na praca da Independencia n. i.
_ fa praca da Independencia n. 33, loja de OU-
rlves, coinpra-seonro. prata, e podras preciosas,e
tambem so faz qualquer obra de encommenda, e
todo C qualquer cmerlo.
Comi>ra-se
hqjo libras esterlinas. UTO e prata de todas as
nacoes e por maior preco ,lo que em outra parte :
na ra da Cadeiado liecifen. 58, loja .le azulejo.
0 muzeo do joias
.Va ra doCabaga n. compKt-se ouro. prata
e podras preciosas por procos mais rantajosos do
que em outra qualquer na'rle.
~ COMPM-SE
una escrava que cozmhe e enonnune rom pextei-
eao : na ra nova de Sania Itua n. lio.
- Campra-se ama erammatica de l'urcrain, 4.
edicao : na praca da Independencia ns. ;l~ e -i9-
Compra-se nina casa, ou da-se a juros a
qnan'.ia de 2::KHi,000 ris sob hipotheca de um
h.ni de rail de nobrado valer, airija-se a ra
nova de S. Rila n. .*>t.
Compra-se um curtido de abelhas urue,
que possa-se logoe\'raliir aleiun mol, a-"sim como
pes de tiananeiras cntituladas de S. Hum ou
caixo de enlzado : na ra dos Pr'azeres n. .10.
Compra-se no pretn Sadin e de boa con-
ilueta para swvco de nina casa de familia, as-
simcinn itaastiegrinRas "ou mu'atinhas de 12 a
i'i anuos : iti fas dj Pilar n. 120, 2' andar.
- -

VCNDAS.
1 /niyivw Jt.
da denlicao de seu charo flJhfuhu, e hoje alegres t ; nefcepfe dptarti$tat fifnitt$ tl* um o :ivrii>- d fcjtgotpj est pweil UBCfjtj} res-
Alcm do mallo mais que aluda
falla dizer.
Qnando em um crculo de circumspectos carac-
teres se discutir veracidade de taesdizeres, appa-
recermu uulro qjie queira ainda levemente inter-
romuer a Uiscussao, os priiueii;os por mouiento cs-
quecerao a crcumsneccao e Ibes dario um gra-
cioso debique dize.ndo-lliej sabeuius que V. c
um daqunfles que inclina o chapeo de al ou que
mereca ser de*'r'nado pela aguia branca da ra
do Queimado u. i.
Sao Caulas as censas que por
urnas escapam as outras.
Ja a esquecendo a aguia branca.juas em tempo
lembrou-se para nuticiai-, que lecaieu una pe-
quena quantidade de enfeites para coques e sram-
pos para ditos, tiido'feilu de metal umn lindse
t||gcjjlo fus seus lonuos soH'riiuentos o
meu escravo,
.< Coiu.i "|alje,
heoeViZ eone-n ue-mV.|ii Papara dit^, tudu'Uto de metal uom lindse
a Ion ,^. nuca! q^ai<''ldav!'i *ri*' ^ *" M* Pmaeiravez
oa poja a agua wanca. apparecidas, e poitutointeia.novida.le.
Qnando manas duas excellentissimas, Mitigas
mugas de collegio, se enooiUram naqu'dles loga-
rea, depois .los cuiupiiinentos de recprocos beijos
nbaas por tor.va de sna elevada delicadeza, gabare mas couhecedoras do bom.
Tambem ebegaram novamente delicados enfeits
e flores ornadas de aljofares e vidrhos, Unt de
palha para ciques como para vestidos, e tudo
coUina a merec.'r a apreeiacao das execlleulissi-
Ama
Preeaa-se do urna ama idosa para e,*,niiai
.uraca.-.i de bmbmi selteiro, pnjWindo-se c-r-ra-
a : na ra Nova n. 14, loja.
jmmde hite
Precisa-se de nina ama de leile :
eila do Kosario n. 43 2- andar.
- Noescriptorio de la-
illl
0 mais pertences para forro de um bom enarr.
Veneravcl ordem (ercefra de T%\
%. do armo do Recife
Manoel Cocino Gnimaraes, actual mostr de no-
viTOs da mesma veneravcl ordem, pelo presente
conviva a seas innaos novicos a mandarera fazer
Jn \a< u'esciivo inh\a
i hcj.-y^p i.na assiMiii-iq jjioa nitfa no a|tat''stnUlP um jiao in-
Si'iihor Sanio Christo dos JJJa^ft^ tyk]n;ei- U'i n'li4fiHW ^ ty^iedios, 0 lima demo-
ro da mesma suc^dade, e iU;pj)is djrjwifim-. pd,a NiJgom^q po^so ^ijio.
se .a sala das noss.is sessges i ra Novan. t Pois bem: a enfermidade, que se ha-
19 !" andar, pira ;ts.si na ; asiiu wuw ser franca a niraila.auyragadQS pjrii' cubale:la. ceden, de orna
luanona .pnisi Kttagrusa, a qua'c garrafa?
apenas, do eu /-/
i Jloje, ra?Js a Ot-ns, icrdio o rpeu es-
travo restaluiku-ido; c nao fcil mostrar
todo o reconhecimento que sinto pelo bem
que V. S. me araba de fazer.
Sou de V. S.
Caiada, agradecida
Marta Noi-berta Sckeffer.
Continuadamente se nos apresentam no-
ves teslmunhos da eficacia do fedegoso
de Prnambuco I
todas as (M'ssoai qie uos quizere n honrar
copj a sua presenca.
Rfxile : de mar(;o do J09.
til8 soor4ario,
Jos do espirito Santo e Silva.
Irmandade do Divino
. Espirito Santo.
De ordem da meza regedora convido aos
irmaos da mesma irmandade, para assistt-
rem a (esta do Senhor Santo Christo dos
Milagros, a qual ter lugar no dia 7 do
eorrenle me, sendo precedida de vesperas
e T-Dctim pola forma'seguinte : s 7 horas
da Qoutedo dia 7entrar as vesperas; s
10 horas do dia 7 entrar a festa, sendo a
msica do eusjgni; professor Collas Ftfho;
ora no envangelho o Rvm. padre mestre
Augusto ; seguindo-se uonte o Ti'-Deum,
seus hbitos aOm de podere.m comparecer para-
. ,,,n B [T,!^0\ ',ala a?Pi*reni a P'wi-io de tri- noual ora o Rvm. padre mestre fcvgo.
ii. rus es- nmpho, quena presente quaro,in:i salina danos- ,'..., .. |s,,.(l
___ sa veneravel ordem.
S'o escriptorio de Tasso Innaos, roa do Amo- Manoel Coelho Guimarao:
im ii. 37, ha para vender jorgurao de seda^zu .______ Mestre dos novicos.
uo no .a do correato auno du engenta
Conceicao, freguezia de Ipojuca, o cabra [lidio,
le 10 annos punco mais ou menos, baixo, grosso,
i.'in nina cicatniz no rosto : quem o apprehen-
ler, pode leva-lo ao dito
Torre n. 18,
Na ra
anas para engoramar e counhar.
Aluga-se a metade lanosa n. 38, na ra das
Crases : a tratar na mesma.
M. G. Agr.
Escrivo interino.
do s^ftmh^^ d;r;,-d
_------------_ Precisa-se de urna ama para comprar, cozi- estabeleeimont, aprseme suas cenias uo pra
JLff63 "''', P1'''^1-^ duas nhar eengematar, prefere-se escrava : a (patar de tres dias aflu at erem pagos. Recife i
na ra das Trinchciras n. II, loja de sirgueiro. marco de 1869.
Antonio Rodrigues de Amurim Jnior,par-
ticipa ao mspeitavl corpo do cwnmercio, que
nesta data vendeu ao Sr. Antonio joaquim Fer-
nandes, seu estahelecimento de molliados sit i
ra das Cinco Puntas n. 68, livre e desembaracado
dito
praso
de
0 MUSEO DE JOIAS
z/z
i
GOMES DE MATTOS IRMAOS
tendo feito completa mudanca em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe maiores proporeoes e elegancia, couvidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da noute na
RA DO CABUGA N. 4
onde encontrar ao jum completo sortimento do que ha de mais elegante*'
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubias e tdo que em obras
de ouro, prata e platina se pode desejar.
ADEREMOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUEIINS
de .aovas .gostos, equedevem cauzar um grande fteito nos t^ages quares4
maes, assim come grande v-aiiedadc . trastada e de gosto, ainda n3o visto.
Compram a trocara qualquer joia ou petka preciosa e garantera
a qualidade dos objeefas veuUhJqs.

-.. *"..
DE JOIAS
wsm
PElIfUO
Pede' ao Sr. Manoel da Costa Pereira, prati-
.cante da reparticao das obras publicas ora em
Jaboatao, que coiiiparea roa Augusta sobrado
n. 102, afim de saldar o" seu debito ou pagar o
que poder o isto cora brevidade.
Ama de leite.
Precisa-se de una ama de leit, sadia e sein li-
Iho: na ra do Queimadn n. 6.1 andar.________
i^sabelecimeiilo fnebre'no paleo
do. Para izo.
Agr, achando-sc a tnsta doste esUibeleciment,
onde o publico a os.seus amigos o acharan sem-
pre prompt para satisfazer suas obrigiicfles, visto
como o Sr. Jos Pinto de Magalhes vendeu o dito
estabe!'cimento livre e lesuinbaracado de "qual-
quer'mus. Jbein oonhooidn e lend* gozado a
cooperacao, vem ainda por esta vez pedir que o
nao-abandonen!; podimilu sur procurado a qual-
quer hora do dia oo mesmo osubeleciuicnto c a
noiteem sua casa na ua da* Flores n. 19.
Attenco
Hotel
lame.
na lioa-viagom, a autiga Tniviala Vo-
ui^semido
E" hoje o trigsimo dia do sentido passamento
da Exm.* Sr.* D. Lucrecia Augusta da lyjrra Gon-
calves, muito digna esposa do Exin. Sr. senador
Antonio Marcelino Nunes Goncalves.
Dotada de um bollo espirit -opmorado por
nina educacao esmerada, de maneiras graves o
obsequiosas, esposa exemplar, ui extremosa,
amiga dedicada, coracao caridoso, e aqulla
virtuosa senhora respeitada e amada por todos
quantos tinhim a honra de apreciar de perto
suas excedentes qualidades.
Por sua alma celebra-se hoje no convento do
Carmo as 8 horas da manhaa urna missa para
qual sao pelo presente convidados todos os ami-
go daqiello Cxiu. sanador.
Alguiis amigos do finado Manuel hidoro de
Oliveira Lobo, fallecido em Lisboa, mandam ce-
lebrar algumas missas pelo repouso eterno de
sua alma no dia 8 do correuto pelas 6 l\i horas
da manhaa no con vento de S. Franoisio, e cou-
vidam aos amigos e prenles, do finado para que.
se di^nem comaarecer a aquello acto lie piedade
e amizade para com aquello amigo.
SJ&
Anna Maria da Cunha Oliveira e seus filhos ro-
gam as^qssoas de sua amizade e as de seu ua-
do esposo e'ai Domingos Ribciro da Cunha Oli-
veira o carioso obsequio de assistire i a urna
jiissa e memento pelo anuivcrsa'r de seu ljaJIe-
.einveiyo.ju.igceia matriz de S. Jos, as li horas da
fljatjha do da ) do cofrente, do que' r'lesde ja se
confessaia .eternamente.jffutos.
K** doeiwmtoWMbiwmdMt<-Mo xtrrUtm 4Meonde) 4naM*tatatbde-M rmore. que
representara duas personagens, a qsat s tem por
ubleoia urna despedida : roga-se a lessoa que
ir noticia na ra do Coup> i.. A,->
anuuociado, era gewflBHBHMiHeado.
Veiuli-sc una b ia escrava com Idade de 22
annos, a qual coze, eozinlia engomma, lava, e
lampeni boa vemledeira; omovo de fterestq
escrava vendida, ella propria assim ojuerer:
quem precisar, dirija se Santo Amaro, ao so-

deis ver de longe, j poois ver de perto,
nan bu litis vistas curias, ncm Anead
I'. .1. C.ermnn acaba de rx diber pelo u!t'-
no vapor um rico e variado sortimento rte
jcuIqs, lmela?, BJPSfi^te^ fcic^-^njaiu.
; r iu junto do cemiteriii
- \ mi le -Ti. a i.liir. na ra de portas n. S, Icygniuis, t]j> piyo, nrjl.i. jta^ipi)
b. n aii"lti: ht terta propTta barqaT- \no, [utfTo, narar. unicornio e mefcfiior;
quer um principiante, o motivo do pnqo otario em ; aogim
distazer-se di dUa i n virtude de retni-se para '
upa.
iN4\'08 ohapeos pretos pai'a
hoiiifm,
"endo recobid.i u.i n^yo siiniucntg de el^jicps
tpsdepeTIa para uomem e de elegante forma.
de, 10 cada uiu-
1
preto-s
vende-os pelo diminuto preco
mejeadona que crh nutra qualquer Darte iiaoeoin-
pranopor menos de lis ; a cries, antes que sa
acaben), na bom vmheeida loja da Lealdade, ra
da taperatriz t. 7(1.
1

Veiide--e am iurnita burra de carro, a qna
como Iiiucujs de urna a ira iti*-
mras para tlieatr.o. campo e marin> da
ultima imeiH'o; iluiinesas, \i-tie/as 'le t.
8e l' 'vifros', tmlo dos mduvu'- ,r,^w.n-
tesila.Kuio|ta.
0 mesmo vapor Iroc^-
xe urna eicetitiUes ma-r
china p.ua praduaV e
i li.M.'ivav b ntnefb'o
vi uros que su iu.-cessita
cuiifoimo a \isl di
quaiqier pessoa.
Teyi i'xcelleji^s ste-
i io*:op,s, JTjIlTPiflttifll 3e UUlM'UUifo,
liatomeWus, vidras de chystaJ le rocha, e
ile coces paraiesgua^ar a visia ; duacertt
ledos e*ie objectos a oreos commodefs e

'*/*
ivii -=ive tambem para carea, e, prlhi)tidao ; "lira o rulo os vidrs e
iiodfli-a servir para carroca; tambem vende-se *n,u" > ll .
Iirai orea (cavallo de Munos>A.\^s) i&Mmo de i WWtyfflskM l"lla a encommenda relativa
na
cairo, e p^de servir para carioca, esv esta car- a ptica
nudo : quem pretender di,ija-.s,e a ra da Impera
triza. 36, loja de fazjjndas, que dir-se-ha po^ni
i iu. t.uii ile contratar. _______
A cas; terrea, sita ra do Aragao u. 18, reedifi-
cada c.pintada dri uovo, prumpla para pniler m >rar
qualquer famili i, tem sabida para a ra do Tam-
bi e tem bous commodos : a tratar na ra da
Cadeia doHecif" por cima do annazem dos Sis.
l'errcira A Matbeus do lado do raes de Apollo.
Vende-se urna escrava pre|a de meia ilide.
que cozinha e lava, pcrfeilameule, boa quitan-
deira. e u.nrant-'-e'nao tep vicios nemaehaflues.
mm
Vepde-80 urna excelleute escrava crioula de
idad 24 aunos, bonita figura, a qual cosinlia, en-
gonuna e lava, boa vendedeira, o motivo da ven-
da se ,dir ao couiMpdo' : a tratar na ra do
Queimado u. 63.
CAPSULAS MOLES
Dli
ALCATRAO
Remedio por ex^ellencia para cura rpi-
da e completa das coquoluclies, bronchites,
catarrhos, t^sseft oo^islvai, e*ajros san-
guinos, e oulras m/HYflias do peito.
NA
PHARMA.CIA E DROGAIjdA
os
Bartholomeu G.
34RA LAfttiA W IWriMtfO3i
DP.
inonlo "lleves de Clastro.
Vermfugo elcaz, e prefecivel a todos os
eonhecidos, j pela certeza de seu resulla-
do, ej pela fcil applicacSo as creanens,
quasi sempre mat- atacadas de t3o,,terriyel
e muitas vezes fatal soffnmento.
NICO DEPOSITO
5A
Pharmacia e drogara.
DE
34
Hartbo meu A U.
Ra Largado Horario
34
' VenSe^se urna uce|lnte ,t*nva, criouia
idade f.\ amaos, insigne cngoinuiadira q uuHbr
cosinheira, tem um>iiio. WlnaUo que .admira a
sua formosura, iwitHmWn&m- '"'ni.-.
mara, o ptima tnuaUttu-a, Juas ditos para todo
'servico, m*soravi.metfe.paliro um dito bom
cosinheiro e copro, nm dito para o jervico de
campo. Na trawasa do Carmo n. 1_______'
Muito em conta
, areiW a,4**0 aero e inilho a 400 rs., vinho
a 400 r.*. a garrafa e caada a 2*800,. gaz a 440,
sabao a 220, azeite de earrapato a 400. caf em
ftijcebjeiA tembem os e.3.ceUwt.e> v<*k)fios
do atUigo e abtm;uio fabricante fnbert Gertfi
f C, os qua;s venda piv^js coiamodos
"aiMutmd a sua superior'onalidade.
Sxib^nclc de tlcairdo.
na
Antonio Nunes d Castro.
Este acreditado preparado, que tao boa
acceitatp tem njerecido n'esla provincia,
muito se recoBiiutjiida para a cura certa
das impigetis, saigas, caspas e todas as
molestias de "pella. '
Deposito it.ii.--i.
l'lvmmicia de Bartliolomeu & C,
_____34rq luiya do Kostiyift34.
Na praca da Bua-rist, sobrado n 10, ven-
dem-se por mdico preco caixas Completas oui
fornui=. ferramenta e mais nleneilirs necessaflo
para a factun de llores de cera. '
-^4fcilhprcs si oa"
Vende-e ujuiu,prupno para cigarro, em retese
a retamo, sto muito em conta por ter grande po
cfio : na ra do Vi.
Paria, 36,Ra Vivienne, Lr
CHABLE MEDECIN
ASBNTUOili'AOA.-, utUiAi.s, AS APTRO
IP.s rUTfn^,^ ALTERARES DOSANOlHt
l'nno0cunilasin(0'iyiu
iuIii'iu. /icr/.c.s, sarnm
r omixot. acrimonia,e al.
-rcot*, ocomm do ai-
l>i virus, e alteraeom
du inj t iXuropo ejelal 8m mer.-nnie HriMt-
rli>. >i>(i'l*r> BtWOa tlivililli
lumao-se .lou por semau. *|inito o irw-.umeaH
ff- >i.-fifiiv>.- t em rr(!i"lo o. mesmas moleiliu.
Esta Xarui C.uraclu t
terr de i'.HAHI.K. car
immediaiaaiftDiequalqiMr
purtiaCOO, re'aj-mjao,
l detnlidaile. ifati-
DEPURATIF
da SANG
PLUS DE
COPAHU
oenip os Wii.ru e /Ore* tirantas t* murher
Kan injccau benigna *m|>rg-* coa o Xara t
Citracln MM*rr*M. Pomada qae as cura em traa dita.
POMADA ANTIHEUPEfiCA
Coaira: aa> afftccoss cutneas comigtm.
PILULAS VEGETAES DEPURATIVA*
4o sV CkuaMe, cada frateo M acoa^ikad* 4f
aaa faJha.
PAS11L1I4S ASSIIA.UIU6
fiR. PATERSON
De bUniiith e ikiaguc/U.
Remedi por cxcellencia para rofnhatcf
amjjgr|ga, kilitar a dijesto, fortiftjap
estomago etc.
deposito especial.
Phannacia dajtoriolonuu& C
Venderse a taberna n. i da roa ir. SaA
Rita com frente para a ribeira : a tratar Ba(*fiia
tan CordoniT n. < Loja A venda.
Venderse urna luja do miudezas, na na no quei-
mado, bem afregnetada tanto para o mato come
araU3pa,nr!ria.|Blraalgum principiante por
1er pMir funui'': a tratar na mesma ra n. 63,
i


o
Diario ile IVruanibuoo Sabbatlo 6 le>Marqo % 1869.

Lindos cortes de eassa do cor com barra.e rot fignrtoo indicando o molde do vesti-
do pelo baralissimo praco de 3$50 o corte
Ditos de percalia muito jnoderm com flpas saias a SjJOOO r6is
Na toja das Columnas da ra do Crespo n. ,13 de Antonio Correa de Vascon-
celos & C. V
----------- -
PREGO CBRENTE DOS CHAPEOS DE SOL
Da fabrica de
Kua
ALTAS
Ra do Crespo n. 7 A,,esquina da
Imperador.
23,Ba
Pernambuco
te 10 "bastes, 28 pollcgadas
: n. 8
a Ifi-5; 26
i
de
Chapos de seda trancada, Paragon,
pollcgadas a 153, e 2't pollegadas a 14*000.
Ditos de seda G. de N. Bara, de aro, de i hasles, 28 pollegadas
de 26 pollcgadas > 135 ; c 2i pollegadas a 125000.
Ditos de seda G. de N. lisa, de ac. de 12 hastes, 28 pollegadas a 12$
26 pollegadas a 115 : o 21 pollegadas a 10)5000.
Ditos de alpaca, de ato, de 12 liaste-. 28 pollegadas aC?; e 26 pollegadas
a ;;>;oo.
Por duzia iz-se descanto de 15 0[0
Chapeos de sol de panno, de balota, de 8 bastes, 2i e 26 pollegadas a
(Descont de 10 0|0).
Ditos de panno, de junco, 8 hastes, a 18#000 a duzia, liquido.
a duzia.
32^
BsasggsaKSsafe^ggagse
HOSPHATOi&FERR
[rife LERAS DOUTOR EM SCIENCIAS.,
INSPECTOR DAACADEMIA DE PARIZ LtcJ
Dehaixo da forma d'um liquido sem sabor,
anlogo a urna agua mineral, esie medica-
menio runc os elementos que constituem
o?- ossos e o sangue. E' o mais racional dos
erruginosos; por esta razo o adopta rao
Ds mais eminentes mdicos do mundo in-
teiro. Convcm muilo rts meninas de temperamemo delicado, cujo descnvolvimcnio tardo,
s senhoras que padecem d'cstas dores d'estomago intoleraveis, causadas pela clilorose,
anemia, mensiruaco on leucorrhea, s criancas d'tima complcico paida e delicada, c a
todas as pessoas que tem o sangue empobrecido pelas doencas. Efficacia, rapidez d'accao,
cura perfeita. sem constipaco de ventre nem accSo sobre os denles, taes sito as ra2~
imperio para que os senhores mdicos o prescrevao aos seus docnlcs.
Deposito rm Pernambuco, em casa de ntaurer e Ck.
razoes que
PABA QUABESMA.
GorgorSo preto.
Setiin macan.
Sedas lavradas.
Moireanliipie prelo.
Gros-de-naples
Basquines de gnrgnrao e de gros-dc-na-
p'cs enfeitado cotn primor.
Corpinhos de gros-de-naples.
i<(juines, capinhas, pelerinas, fulius,
de crochet e de guipur, prelos e brancos.
IfaDtas pretas de blond.
Riquissimos chales doiouquim.
Requissims chales de gurguro de seda
preja o melhor ncsle artigo.
Ctales de mirin pretos com requissims
bordados e franjado de retrae.
Chales do mirin bordados sultane;
ultima moda.
Romeis pretos cpm lindos bordados.
Leques de madreperola, inarim, snda-
lo e osso, o prelos, para senhoras.
Ditos de sndalo para meninas.
Cliapelinas pelas.
PARA CASAMIENTOS, BAILES, TIIKA-
TROS, etc. etc.
Lindos corles do blond, contendo selin>,
maiiias e grinaldas.
Requissims corles de seda.- assim pomo
para covados.
Gingiiiao branco.
MoiroantiqwAraaco azul c vfrde.
Naloja do Passo ra do Crespo n.
rosa
Gros-de-naples brancos e de cores.
Setim branco mean.
, Setim, branco, azul, verde, cor de
e amareilos.
Fil de seda, branco o preto.
Cortes de seda com ditas saias.
Cnales de gurgario de seda de ores.
Camisas bordadas para homens.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas bordadas .
Fronhas de linho bordadas com primor.
Lencos de cambraiau de linho bordados.
Riquissimas colchas ae damasco de seda,
assim como d seda e algodo.
Ditas de crochet para cama.
Chapeos de seda bordados, para sol,
Poil de chevre de lindas cores.
Alpacas de lindas cores.
Chapelinas de palha da Italia, assim
oemo de soda.
Enfeites para cabeca de senhora.
Espartilhos para senhoras.
Meias de lata para padre.
Ditas de lia
Dilas (I seda fio da Escossia e algodo.
para senhoras e meninas.
Lencos de labynntho.
Fronhas de labynntho.
.Ricos, rendas c.grades.
Finissimas cambraias di
las, e outros muitos
de alta novidade, isto s
21
artigos
cores, percales.
de
gosto e
7 A, esquina da do Imperador.
'-'*^^^H8S^
CAPSULAS
com M4TICO
deGRIMAULTeC^BHAr^tTICOSM PARS
Estas capsulas, com capa de gluten, contem o balsamo, de copahiba associado i essencia de
Matir.o (arvore do Pero], e constituem um remedio infallivel contra a gonorrliea. Ellas obrSo
sem cansar o estomago e no provocao nunca os enjoos e nauseas que occasionao as capsulas
ordinarias, tendo a inmensa vantagem de nao communicar cheiro s ourinas. E' por estes mo-
tivo. que ellas sao superiores s capsulas de eopahiha, cn'liebas, etc.
Deposito em Perr.ambuco, em cas *de Manrer e O*.
ry.MP'.......jaij ii .i 'iimim**zimm*iWtW*<^t^~:T3immkWmmtmkm^ak^k^k^k^k^mm
Approvacao
ia academia
ie medicina
de Parit.
Pharmaceuco
laureada
de academia
ie medicina.
**m&
EFFICACIA
DO
XAROPE DE RBANO IODADO
0 Xarope de Rbano odado de Grimanlt e C, pharmaceoticos de S. A. I. o principe
napeleSo, em Paris, preparado eom o sueco das plantas anti-escorbuticas cuja eficacia
mu popular. -
Encerra o iodo como combinaco orgnica, e considerado como o melhor snecedaneo
do oleo de ligado de bacalho.
A rara perfeicSo d'este producto anima-nos a dar a conhecer aqui a opiniio de alguns
d entre os principaes mdicos de Paris, que diariamente o prescrevem.
O Xarope de Rbano iodado um medicamento d'um effeito suave e seguro para a
medicacao dos meninos, nao smente suppre o oleo de figado de bacalho, mas ainda faz
as suas vezes com vantagem.
Dr A. CAZENAVE, medico em chefe do hospital Saint~Louis, em Paris.
0 Xarope de Rbano odado um medicamento de primeira ordem para o tratamenlo das
t affeecdea lymphalieas e escrofulosas. Mu i tas vezes, empreguei-o com feliz xito, em cerios
t casos de lisica ao seu principio, como snecedaneo do oleo de figado de bacalho.
Dr A. CHARRIER, anlige chefe de clnica da t'aculdade de Paris.
0 Xarope de Rbano iodado sempre nos deo encllenles resultados como regenerador
do sangue, e succedaneo do oleo de figad de bacalho.
Dr A. FAVROT, autor do TraM des maladies des femmes.
0 Xarope de Rbano iodado um dos mais poderosos modificadores das constituicSes
lymphaticas. Tenho visto ulceras escrofulosas que nada podia curar, cicatrizarem-se,
c gracas a sua accSo, com uromptidSo extraordinaria. Tambem, pelo seu uso desepparecem
< as afeccocs tuberculosas dos ossos, nos meninos. >
D' GUESNAR, antigo externo dos hospilaes de Parit.
* 0 Xarope de Rbano iodado possue todas as vantagens do oleo de figado de bacalho,
t sem ter nenhum dos inconvenientes que aprsenla este ultimo medicamento.
Dr GU1B0UT, medico dos hospilaes. Presidente da Sociedade de medicina de Paris.
0 Xarope de Rbano iodado de Grimault e O encerra 4t2 por cento de iodo, na sua
composico orgnica anloga que se acha no oleo de figado de bacalho.
Dr KLETZINSKl, professor de chymica, louvado dos tribunaes de Vienn*.
Deposito em Pernambuco, em casa de Kaurer c.
As preparares ferruginosas liquidas tem desde muitos annos merecido a approvacSo
especial dos mdicos, porque ellas obrSo mais rpido e seguramente do que as pillas, e
sSo mais fcilmente toleradas pelos doentes. Os Pos ferro-manganicos possuem a inappre-
ciavcl vantagem de poder offerecer n'um instante urna agua ferruginosa gazeosa, de gosto
agradavel, mais activa do que as aguas mineraes, e contendo de mais um elemento precio? o,
o Manganese, que sempre se acha no sangue, junctamente com o ferro. Emprego-se em
todas as molestias que tem por causa o empobrecimento do sangue, assim como para vigorar
os temperamentos debis o lympbaticos. A ehlorose, as Peraas brancas dores d'estomagt\
a irregularidade da menstmacao e amenorrha ou suppressae do menstruo, eedem rpida-
mente a seu emprego. Devemos mencionar aqui um faci notavel, isto que os doentes cura-
dos pela agua preparada com estes pos estao imito menos expostos a recadas do que
aquelles que foro tratados pelas preparacoes ferruginosas ordinarias.
Deposito em Pernambuco, em casa de lam 0a.
Tem para vender em seus arntazcus, al'.
trus.os seguales aili;
Papel para imprimir.
Perlina azul.
Greve paulado e liso.
Yiiihos em caixas de doze garrafas
Buurgogne.
Herj
Madeira.
Hennitage.
Cliamblis.
Licor de curaeio de Ilollamla em caixas de vfa-
tcequatt'u butijihas. -
GESSO,
Kosarinazens de asso Innfu.s.
Grades de ferro
para jardn?, porteiras ele.
Nos armazens de Tas'so Innaos
c %i3ii.mion iu i i:icito
Para servims de grandes annazens. para rcao-
vet' barricas ou caxoes de um para outro, lado i>cIo
mdico prero de 125000 rada nm.
Earinha de trigo de Trieste
Das mellioras marcas Panonia fverdadeira) Pon-
tanae grande sortiinento das atemores mareas de
fariniias americanas.
Saceos de fariia de trigo do
Chile
Tudas novas, cltegadas ltimamente nos arm.i-
zens de Tasso Irinaos.
Cemento romano
Kosarmazens do Tasso Irmos.
Cemento hidrulico 12S
O melhor para tudo que sao obras para aetia, CO"
mo assciitamento decanosdeesirotii, algerozes,de-
posito, tanques d'agua. ele, etc.: em pbrcdes de
cincoento b.irre%| se far redaccaonoprei;o : nos
armazetis do Tasso Irmos.
Cemento Portland
0 verdadeiro cemento Portland em casa de Tasso
Irmos. ,
Grades de ferro, cercas, por-
teiras, etc., etc.
De differentes qnalidades para cercad* de arri-
, tnaes, ehiqneirosjMi galinras ou jardins: nosar-
i mazeos de Tasso (rmaos.
Barris com Lreu
>ios armazens de Tasso Irmos.
CANOS DE BABEO
Na ra NoVa de Santa Rita, na antga fabrica de
sabao, lia para vender por prero o mais mdico
possivel, canos francezes para dlicaees cesgo-
tos de toda a inialidadc, superiores a fedos os que
aqai tm aiiparecido pela san solidez.
PRECUS
1MO0 por cano grande'de a e meia pollegadas.
1 i~i0 por dito-de 2 e tres qtiartos de ofi.
1 O por dito de 2 e um qnarto de dita
BOQris por pistoleta de 2 poeeadas.
(oUwellos, curvas e canos de niaior grwsm*a,a
avistase far o preeo. Compras maiores fi 200-5'
tem 5 por rento (fe descont por prompt paga-1 o | "araba (feVcrcbcr turt cspcdal sortimen-
mento. Pode-se ver as amostras nos armazens i
de Tasso Irmos.
A NOVA ESPERAKQA
Ra do QueimadO==21
E para presentes
A Nova Espmnea, ra do Queimado
n. 21 tem ttm variado sortimento de objec-
los de gpeto c pbaotasia proprios para pr-
senles, sobresaliindo entre ello i ricas caixi-
phas de bano com finas perfumarlas, eos-
itiioiios de chagrn, agullieiros de madre
nerola : assim, pois, quemquizer fazerum
linda oflerta, dirigir-se Nova Esperaufa
ra do Queimado n. 21.
Collares anodinos clleclro-magncU
eos cor-ira as convulces das
crcanras.
o
Nao resla a menor duvida, de qoe milito
collares se vendern por ahi intitulados Os
verdadeiros de Rover, e eis porqae muito*
pais de familias nao creem (comprando-os)
no effeito prometlido, o que s pdem dar.
os verdadeiros j a Nova Ksperanca, porm
que detesta a falsificarlo principalmente no
que respeila ao lieh-estar da humanidade,
fez unja'*r,'Ciflnn'nd;i directa destes collare?
o garante aos pais de familias, que sao os
verdadeiros de llover, que a tantas crean-
cas tem salvado do terrivel incommodo de
convnlcoes, assim pois preciso, que ve-
nham a Nova Esperanca a ra do Queimado
n. 21 comprarem o salva vida, para sem
lilliinhos, antes que estes sejam acommetti-
dos do terrivel mal, quando ento ser di-
lliiil al'anrar-se o effeito desejado, embora
sejam embregados os verdadeiros collares
de Rover.
Para extinguir as sardas e
pnimo
Receben a Nova Esperanza,
Queimado n. 21, leile de rosas,
joara exfiicuir sardas e pannos.
' BONEtlA DE CERA
A No* a Esperanca a ra do Qtwknado n.
2!, aca'tx de receber um compiti sorti-
mento ce finas bonecas de cera dr. diver-
sos tamaitos, sendo as maiores do com-
primen' o d'um covado ; estas bonecas tra-
zem bonitos coques e ftetma,-havendo en-
tre ellas algumas que falam e onlras qup
chora de sorte que fcilmente podero ser
preparadas, c fazer-se um presente de meH
acceitafSo.
Fina^ caixas de tartaruga1 para rap vea-
i!ein-se a ma do f}uemao> n. 21 na lojw
da NovaSsperanca.
Moderr.os brincos de sndalo, so se en-
sontrai o na Nova Esperanza a ma d.
Queimado n. 21.
MEIAS DE LA*
A Nova Esperanca a ma do Qupiwado n
ma O
especia?
VERDADEIRAS
PILULASdeBLANCARD
D^
COM IODURCTO DO FEMRO INALTtMVEL
APPROVADAS PELA ACADEfflA DK MEDICWA DE PARS, ITC.
' Possuindo as propriedades do loda et do farro, eonvem speclalmente nag JIBWBJg
Kscbotolosas, a TistcA no principio, a fraquexa de temperemento e tamtiemnos casos m
Falta dk cor, Air.r?OBRnEA,em qne precisartaoir sobre o sawgue seja para resmuir
Ihe a sna riqueza e ahundencis normaes, ou para provocar e regular o geu-curso peridico.
N. B. O iorinreto d ferro impuro on Iterado um medicamento infiel,
Irritanle. COBH
de Ra
nosso Or
rota'* verde. Dere-se desconfiar das falsincacoa.
L*f harnee e yUmrrmrMmm. Phmrmaamtleo, Btnapmrty 40, ParU t
idio prova de puirza e de anlhencidade das erda>deir Pi-
Knrard, dere-sa exigir nosso a*lf m, aqui reprodnrida, roa se cha na parta inferior i*
OLEO DE BOGG
DD
Fijados frescos de baoaJMo
Para cura rrria do phrisica, affiscejies escrofu-
losas, to?=e dironica, fnupicza do^ membros e d-'-
jilidadc cera!, ivo>nmirnda-se a a\rellenfia losto
oleo anda por ser asradavel no paladar.
VI'NDE-SET
Pharmacia e drogara
DE
i:\RTHOLOMElTA C.
34 = Ra larga do Rosario 04
lijlos francezes
Para ladrilhar casa? terreas coia asseio e prrros
mdicos, rauito conveaientes o proprios para adri-
Ihos de cosinhas era sobrados, peio seu asseio e
evitar apassapem do aguas para o-andar inferior
cinismo operigodo fogo, aos prona ^e 30#tMI0a
S9OOO o niilheiro : na na Nova de Sania Hila; na
antiga fabrica de sabo, e compras moiores de 20)5
se far 5 por cento de descont por prompto paga-
mento. Pndfcm-se ver as amostras no.s armaions
de Tasso Irmos.
Velas de esparmarste verdadeiras para an-
ternas de carros: noarmazem de Tasro Irmos.
Vinho do Porto fino superior: no armazem
1 de Tasso Irmos.
O melbor cognac Gaathier Frerss : no arrav
zem de Tasso Irmos.
Esteiras da India
Um casa de Tasso Irmos vende-se esteiras da
India de iliver^is padroe e larguras,.por pr*M
commodo.
3lr
wm:&-:$&&k
PASTILHAS PEITORAES
de sueco deALFACE
CATARRHOS
E LOURO GEREJO
IRR1TACES
DO PEITO
E' este o mais novo e delicioso confeiio ate agora coniiccido. Por isto tem adquirido r-
pidamente a popularidade de que goza. Os mdicos os mais distincios o aconselhao contra
as tosses, defluxos, catarrhos, losses convulsas, catarrhos epidmicos, irritacSes do peilo. Com
grande empenho o procurSo asmes de familia, assim para fellas como para as criancas, pois
primeiro que tudo iooffensivo, e as suas propriedades adocanies n5o deixao nada a desejar.
Cliegaram as novas seraeotes le hortalica
de lorias as quaHdades: na ma da^Cadeia do
Recite n. 50.
Deposito em Pernambuco, em casa de
c*.
Attenpao
Xa na do Apollo n. 28. armazem de assnear, ha
para vender algodo da Uahia da atredada fabri-
ca de Pcdroso. dito liso mnito bom, dito, trancado
ila fabrica, de FernaudesV'lho.e cal de Lisboa ;v mars
nova qne ha no mercado ; ditos artigo veudom-
se nats barato do que em outra quaUjner parte.
91
AO BAZAR DA MODA
Ra Nova u. 50, esquina da ra de S. Amaro.
NOVIDADES
Para senhoras.
FLORES (Inas, grande sorliinento.
GRINALDASde dlpara coque*
LAQQS, ttvelas, penacoos para enfeites.
Para homens.
ROQUES da ultima moda, enfeitados c lisos, graa-
Brlimcnto. ., .,_
CHAPELLNAS de palha da Italia, guarnecidas com
delicados e elegantes enferte* brancos e de cores
(IIVPEUSINHOS e gorras de velludo e de pennas C4_yisxs com plltos, colannlios e punltos de li
euitiacao,
rico sortimenio nlli-
3 precos.
novidade nesle
de
(alta nofidada f) le palha da Italia, a
ial sorliinento.
CINTOS decores e pretos,
CAMDmS bordadas porcommodos presos.
LKNi xlofl c cOi letras,
aero
LEQUES a emitacao de marfim, gosto novo e
sndalo,
ROLINHA8 e punhos.a emitacao de gnipnre.
ENFEITES pretos e de etts para cabera, lindos
moldes,
GUAKNTCAO alta novidade t a Marie Rose, ult-
mente usada em l'ari-.
CORPINHOS de guipare brancos e pretos lindos
BORNOUS de la e seda, cores claras, elegante
n Paris.
ORINALDASde flores finas,
\UTlI,HOS superion
ME1 i.ires do fio 0Escocia.
\S de pelica chegadas pelo ultimo vapor.
jhrko l verdadeiro e camafeo, gosto
DE PALHA
i.l'AnMCESpara ve.-n
para enfeites de coques.
BOTOI5S lisos e com pingentes para vestidos.
CINTDS alta novidade.
nho fino, lisos e hrflados, moda,
COLARINHQSdeJinh* e algodaq,
l'l -iiiS de dito<:
OAVATAS de todas as quahdades.
JiOTOKS para poattps e iiuaimcoes para colotes.
GOBriENTfiS de plaque a emitacao do ouro, lio-
CHiOTWr*) pello de sed*, forma a RotehB, qua-
luladi' superior.
CHAPEOS seda, parasol.
MEIAS de superior qualidadc
RENC.Al.INllAS linas educles. ,,
.LUNETAS aro dea^o e tarturaga.
para crianzas. ^ t
VI'STIUniOS completos para baptisados.
SAPATINHOS de merino n setim etlfertados.
MEIAS de seda e liodeKseur
CilAPITSINHOS de palhOda llaha.
TOUCVS de lil e setim enfettadas e de caroche.
Ii|-\ das, muito bonitas e diversos
luiuquedos.
Perfumarlas fluas.
ACUA FLORIDA verdarl Murray Lan-
man New-York.
TNICO oriental, verdadeiro
Ai'.l'\DIVIXAde. E. Coudray o superiort^|gua e
ajipncia de Colunia.
EStRATiis e essencias fliws e de sgradaveis aro-
mas para o lenco.
VINAGRES aromticos pura toilet.
POS DE ARROZ para anudar a palle ; em paco-
tes e ricas caixinhas com arminho.
POS superior para impar os denles.
C08METIQE8 de lina qualidade.
SABONETAS, grande sortimento doste gesoro e
de superior qualidade.
OLSBS de philocoino, babosa e antiques.
IIAXHA fina para os cabellos. '
AGUA do llores de lanmjav
(REME de sabo para barba.
Caixas preparadas com perfumaras finas.
Miudczas flnns.
SUPERIORES filas de grosdenaples de todas as
cores c larguras de vetado preto e de cores, o
gurguro para cintos.
\1HNII0S e ntremelos bordados.
fJDARNICOfiS de seda de cores para enfeites de
vestidos.
TRANCAS pretas com vidrflos e piugentes.
UOTOES de cores, brancos e pretos com vidiilhos
lisos e com pingentes.
DEDAES de madrepewla, de marflm, de i'ico e
metal.
TI IESOURAS finas para costura e unhasv
CAIVETES finos com quatro follias. E muitos
outros artigns de miudeas que se torna
donuo menciona-los.
LOJA DO GALLO VIGILWTE
Ra do Crespo n 7
Mandn vir de sua corita e acaba de re-
ceber pelo ultimo vapor, completo sortimen-
ot de objectos de novidade e phantasia, os
quaes estao resolvidos a vender por precos
nimiamente baratos, para assim aninur aos
concurrentes e ao mesmo tempo dar sabida
ao grande deposito que tem: isto ra do
Crespo n. 7, lojja do Gallo Vigilante.
Gollinhas, punbos e camisinlias para se-
nhora, fazendas db gosto e novidade.
Finos vestuarios para baptisados, assim
[como touquinbas, sapatinhos e meiasinhas
para o mesmo im.
Grande sorlimento de bicos e rendas de
eroeh c de outras muitas qualiJaiies.
Superiores caixas com msicas c sem el-
las, tendo o necessario para costuras, pro-
pinas para ura delicado mimo. ,
Finas caixas com tentos c sem elles para
vsHarete.
Agulhas para machinas de costura.
Ditas para croch, sendo de ac, marfiu
e outras muitas qualidades, assim como \>
nhas para o-mesmo mister.
Finas grmaldas para n*vas.
Meias de borracha part qtiem soffre do
i'nsipella, assim como raeias de laa para
os que solrem de rheumatismo.
Suspensorios para homem e meninas.
Finos pentes de tartaruga para coques o
de outras muitas qualidades e para outros
mbteres.
Dedaes de madreperola, marflm, osso*
ac, metal, etc., etc.
Superior agua cosmeocome para Ungir
cabelros, dando aos mesmos a sua cor pri-
mitiva.
Completo sortimento do finas perfunarias
dos melhores fabricantes, assim com.i. mui-
tos outros objectos que impossivel des-
crever: isto so na ra do Crespo n."', loja
do Gallo Vigilante.
Collares Rover elctricos magntico con-
tra ajiconvulsocs das criancas e para facili-
tar a rtentinftao das mesmas, o Galle Vigi-
lante antigo recebedor d'estes prodigiosos
collares c contina a ter sempre grande ,-
psito,, ra do Crespo n. 7.___________
Macarthy
Machinas de descaroca* algod.
Hoje que est reconherHo que as machinas de
serrote prejudieam e quebrara a libra do algodo,
preciso recorrer a maclrinismo menos spero,
que produzind o mesmo servido qua aquellas, e
facilidade no tmhalho, nao quebrem a fibra da Sa,
para que essa possa obter-nos mercadas europeos.
a dilTerenca quo ha entre 'o algodo descarncado
por aquellas mencionadas machinas, que estao fi-
c todo einde-nzo, pelo pivjuizu que tem causafcj.
eo da antiga bolandeira, que nao pode competir
pela morosldadc de seu trabalho. E" assim que
estas machina* se tornara as mais proprias para o
nosso algodao, porque ao par ira facilidade e
promptidao eserva a fibra da laa, que limpa por
ella, qualifieada na Europa a par da melhor bo-
hmdeira, valendo assim entre 10 arrota* 2d 0/0
mais do quo a la limprspela inacl.ina de serrote.
Estas machinas nao sao novas, pois que ha muito
estao adoptadas no Egrpto, aonde as de serrote
foram inleiramente abandonadas, a por sso o algo-
do daquella pro^edenm, sendo da qualidade do
da nossa provincia, obtem hoje de 10 arrobas 20
0/0 mais do que o nosso : vendem-sc a ISOfiOOO
nos armaz&ns de Taso Irmos.
Oleo de amendoas
Em caixas de 8 latas, cada caixa 10d libras :
nos armazens de Tasso_Irmos.
Tudo se vende por presos bastante commodoa,
Meias elsticas de borracha.
As melhores o excellentes meias elsti-
ca? de borracha contra varizes o crysipellas.
Vende-se na
Pharmacia e drogara de -t *m
Bartholomeu C. Cm
34na larga do Rosario34____
Manoel Alves Ferreira & C, na ruada
Moeda n. 5, segundo andar tem para vender
superip>pptassa da Russia em barris e meios
bris e carde Lisboa da mais novacue ha
no mercad.
Oocheira
Vende-so urna cocheira com 2 carros, 12 caval*
os o seus pertences, tudo era bom estado : na ra
rtoSl o n. 3S, a tratar na mestna._________.
para
scrava
dito i no kufo do Utrmo a
vender A
Tt 50 mo-
ndar.
lo de meias de la p.ira homem e sehora.
CONTRA AS f^GESTES
mal terrivel a eangesto fulminante:
de repente. leva un hdivirlo, d'esta para
millior vida, sem dar-lite tempe de reesber
conversa medica ; deis ando as mais da?
veses mulher e filhos no- mais aBjargurado
prardo ; a Nova Esperanga que deseja pris-
iar pem'cos recorreu a Vojer, o qual lh>
mandn anneb elctrico magneti?os, comv
o unico preservativo pava semelhante mal .<
riles antes que se acabea : na Now Espe-
ranca-
NAVALBttS
A i?ova Esfranca^a ra do Qwimadi-
n. 21 recebeu ;im sortimento de navalhas
ile qualidades, e tamaitos especiaes assin
como afiadores e massas para as mesmas
1
Vcndem Augusto F. de OHveira & C. ra d
Commercio. n. 42.
BIVAL sem .segundo
Para wiulias
Crande Bazar, ra.Nova u *. O e
'42. dcCarnciroTianna A. 0.
Acaba de chegar a este estabelecimentf
graMejwrcSo de machinas para costuras de
autor Wheeie W'ilson, approvad.rs na ulti-
ma exposiiTio de Pars, as quaes cozem con
dotis pospontos toda a costura, e tem :i
vantagem de ser tao suave o novimentd.
que qtialque? crianca de oito airaos facil-
tnonte trabalha, c pMe, com esta entrete-
nimento, levar vantagem ao servido diario
do trinta eostureiras. A comprehenslfti
simples, pois em mu-quarto 1!.' bora sa fi-
n senhor do mo\iiuito da nurtiina, ten-
do a iii's: 1:1 a propredade de mzer as se-
gtiintes costuras: posponais abaiohar.
lian/ir, n:aicar e fardar,ccUrapresentam
os desenhos que afrtmparmmmas. Os pro-
prietaric do estabelecimento se etjcarre-
gam d' mandar ensinar n'osta cidade, o
aranteai entregar o Imperto dispendido ac
comprador, no ras.i de nao trabalhar co\
perfeico a machina vendida, na tejido,
porm, solrido ella algtima avaria. IJabm-
bem no mesmo estabelecimento machinas
do autor Grower & Baker.de trabalbo sim-
plcsmente n;ao, e outras com movimenh'
dos ps; e masimo todas .os pertences-das '
mesmas marhinas. para vender avulso.
Tintura japoneza
06 cabellos e a
Ra do Queimado n. 49, loja de nfoetae ile
Jos de Azevedo Maia e Silva, tem para vender os
artigos abaixo declarados, tudo bom e uara'sst-
mo,"(|(ie sao para acabar.
Duzia de sabonles rauito tinos a 700> rs.
Pares desapatos de tapete para lioaiem a I'528.
Hilos de tranca para creaba a 1-5.
Tramoia do Porto, bordada, a melhor a 200 rs
Dita do Porto liza, da indhor qualidade a 100.- riO,
160 c 200 rs.
Resma de paoel almacov lizo superior a 32Q9i
Dita de papal almaco pautado a '1 ,
Livro de raissoc abreviadas a 2S.
Caiiillias com toda a doutrina e muitas lesas a
330 rs. k
Silabarios portuguezes com estampas a 320 rs.
liaraihos francezes 111111*0 fK>s a iOO e iW rs. ,
Sabo inglez superior cruafidade a 300't&. .
bravatas pretas e de cores mnito finas a 500 rs. Instantnea para hngir
Duzia de meias para seohora. fazeada fina a 45. barba, a 1K>00 O fi"aSCO. |
Redes pretas lisas para segurar cabello a 32 rs. p- a unjc3 approvada e
Varas de Iransa de seda de todas js 1 rs. 1 r(,.-nnlieci,l'i
Pares de brincos dourados com maotohae pe-; P\ swo nxonneciua
dras a 320 rs. as tinturas d este- genero.
Cartees com corchetes de duas. ordens e sao de la-
tao a 20 rs.
Ahumadura de tidro para oolole muilo linas a
120, 240 e 400 rs.
Pares de holoes dourados para punbos a 160 rs.
Caixas de pennag de aoo muito linas a 210, 320 e
TiOOrs,
Carnes com duzentas jardas de
canto Alexandrc a 100 rs.
Caixas de pennas de ac, a verdadeira penna a
15200.
Carrileis de lmlia Alexandre ns. 70,80, 100 at
200 a 100 rs.
Caixas com superiores obroias de massa a 40 rs.
Carritefe com duas oilavas do retroz preto a 600 rs
Duzias de agulhas para machinas a 25
Libras de pregos francezes de todos os tamaitos
a240rs,
LivrosescripturadufeMra rol de roupa a 120 rs.
Caixas com papel alteado muito lino a"700 rs.
Caixas com cera ftivempcs ^ mclhoi qualidade a
600 rs.
Tallieres para meninos muito boa Mfenda a
240 rs.
superior a todas

venda em casa de Gustavo Hervelin, n.
51. ra da Cadeia a. 51.
Chegou ao antigo deposito de Henry Forstor &
linln do fahri- r'- rua (' Imperador, um carregameate de gaz
de primeira qualidade; o qual s vende em partida
e a retalho por menos precro do que em ouU'a qual-
qnT parle.
Cemento de Portland.
Vende-se no armaieai. de Vicente Ferreira
Costa & Filho, na ruada ladre de Dos n. 22,
hanfe ralea. ^*.
do rom
Enf casa de TheodJ
meo n. H, en
as qualidade
Raeno.
;hTtianien, rua
-ae efTertivameBte todas
Na rua da Cadeia do Recife n. 53, loja de
chapeos, ha para vender-so tros porgas comple-
tas do pedra do Lisboa.
FNDOO
DO BOWMAN
Rua do Rriim n. S*
Machinas de vapor.
Rodas d'agoa.
Moendas de carna.
. Taixos de Ierro, batido* fundido.
Rodas dentadas, pata moer com Sgoa.
vapor e aniraaes.
Alambiques de ferro.
Formas patpurgar assucar.
E, outro monos objectos, etc. etc., pro-
prios para agricultura.
__v
hada e a .ira piulada, por cuuimodo
WiTMnHd.Penljan. .
nver-
--
'


II




"
mm
- i,
- -*r
>
'I
*
f\

I
*
I
Diario (fe Pernambueo Sabbado 6 de Marqo de
GRANDE LKIUIDACO
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DO
8pa a& waa\^2 ==gl so
Flix Per eir da Silva, successor de Gama
& Silva
O proprietario d'esto cstabelecmcnto convida ao respeitavel publico desta ca-
pital a vir surtir-se no grande cstabclccimento que tem de fazendas, tapto da mqda como
de tei, e as pcssoas que negociam em pequea escalla, tanto da praca como do mat'to-
nesla casa .podero fazcr 8s sutortimentos em pequeas o grandes porces, venden-
do-se-lhes pelos precos que so jjbmpram as casas iuglezas ; assim como as excellentis,
>imas familias, poderao mandar buscar as amostras do todas as fazendas, ou mandare-
mos levar em suas casas pelos nossos caixeiros, para o que acha-se este estabelecimen-
o aberto constantemente desde s G horas da manhSa as 0 da noute.
O atoalliado do Pava AS CAMTJRAIAS DO PAVO
Vende-se superior atoalhado d algodau
oom 8 palmos de largura, adamascado a
0200 a vara; dito de linbo fazenda muito
superior a 3>OO a vara ; guardanapos de
Veadem-so nissimas pegas de cambraas
lizas transparentes tanto iuglezas como suis-
sas tendo mais de vara de largura, pelos
precos de 5000 at 10#000 a peca, assim
PECHINCHAS
Novameute chegadas ao armazem
DO ^
PAREDES PORTO.
O cordeiro previdente
Una do <|i;eniat<> u. I.
Novo o variado sortimento de peraRirK^
linas, c outros objeo*
Alm do completo sortimento de*pt niarias, de que ellectivanioiite est provida a
loja do Cordeiro PrcvMeHte, ella acaba de
receber um outro sortimento que getjprna
. inlio adamascados a i #500 a iluzia o niuito como fnissimos organdys branco liso que
tinos a 8#000, e ditos wnomieos a 3i}oO | serve para vestidos de bailes, por ser muito
aduzia. transparente a I ?5000, a vara, na loja do
Crochs para cadclras na lojatlo Pavo ra da Imperaizn. 60, de Flix Pe-
Pavao
Chegarara os mais lindos panos de cro-
ch ou guarda bantras, proprios para ca-
deiras tanto d'encosto, como de balanco e
de garnic2o, e outros compridos para so-
f, assim como ditos redondos para mezas
redondas, ditos pequeos para almofadas, e
ditos para cobrir presentes, tendo pequeos
rt para cobrir um prato, que se vended)
por preco muito em conta, na loja e arma-
zem do Pavo ra da Imperatriz n. GO, de
Flix Pereira da Silva.
Vustes para ves* ido* forneos
a40.
Vendem-sc os mais modernos fustoes bron-
cos flexiveis com padroes de listas e de
salpicos proprios para vestidos e roupas de
menino a 640 rs. o covado, na loja e arma-
:em do Pavo ra da Imperatrizn. 60, de
Flix Pereira da Silva.
Grosdenaples
Chegou para a loja do Pavo pelo ultimo
-arpor um grande sortimento dos melhores
grosdenaplcs prctos e de cores, tendo verde
^mbem, que se vendem mais barato que
na outra qualquer parte.
Peohncha EM A1.G0D0SINHQ \ O:>500
A PECA NA LOJ.V U0 PAVO.
Vende-se superior, s peras de algodosi-
obo cem 20 jardas a oOO a peca, gran-
ie pechincha, na ra da imperatriz n. 60
srmazem de Flix Pereira da Silva.
BABADINHOS
Vendeni-se fnissimos babadinhos, liras
bordadas e ntremelos, mais baratos do que
im outra qualquer parte, assim como espar-
Jltios dos mais modernos, na armazem de
Flix Pereira da Silva, ra da Imperatriz
O. 60.
ALTA lQVIDAQE
A LOJA DO PAVAO
Gurgurao de seda
Chegaram pelo ultimo vapor os mais bo-
litas gurguroes de seda, proprios para ves-
ides, sendo lisos elavradinhos, cem muito
ustro, garantindo-sc que a fazenda mais
inda e de mais phantasia que este auno tem
togado a este mercado, e vende-se por MOCAMBfQUE PARA VESTIDO A OO US.
reir da Silva.
AlpacaslaTradas
Chegaram pelo ultimo vapor as mais mo-
dernas alpacas lavradas com as mais lindas
cores, que se vendem a 13000, o covado,
ditas lisas tendo tambem cor de canna a
800 rs, ditas mescladas muito finas a 1:200,
o covado, c outras muitas fazendas de gosto
e moda que se vendem mais barato do
que em outra qualquer parte, no armazem
do Pavo, ra da Imperatriz n. GO. defelix
Pereira da Silva.
Ronpas para hoinem
Vendem-se superiores palitts de panno
sobrecasacos forrados de alpaca e de seda,
camisas inglezas e francezas com os peitos
de esguio, ceroulas francezas de linho e al-
godo, meias cimas inglezas superiores, ca-
misas de ti.molla e de meia de la, assim
como neste estabeleciinento existe um grande
sortimento de pannos pretos, e de casemiras
inglezas de cores, e que se manda fazei
qualquer obra < a contento dos Srs. fregue-
zes, e promette-se-lhes que sero servidos
com a maior promptido e muito mais ba-
rato do que em outra qualquer parte
na ra da Imperatriz n. 69,de Flix Perei-
ra da Silva.
Cortinados
Para camas e janellas.
Vende-se um grande sortimento dos me-
lhores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se ven-
dem a 1#000 rs. cada par at 25-iOOQ re,
isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
Cretone para Ien<;es com 10
palmos de largura a 2$,
Acalca de chegar esta nova e exeeHente
fazenda branca propria para lences de um
so panno, garantindo-se que um metro e
urna quarta ou um metro e meio d um
excellento lenco! de um s panno, -assim
como esta boa fazenda tambem muito
propria para toalhas de meza, rosto etc. e
outros mysteres e vende-se pelo fearatissi-
mo pre<;o de 2$ cada metro.
Admirem!
Madapoles finos a 5>, U, 75 c 8j rs.,
s no armazem do Leo.
Chitas escuras de padroes lindos por pre-
co de 320 e 360 rs. o covado.
Cassas de cores com palmiuhas c com
listas de diversos padree* a 240 e 320 rs.
Lazinhas cinzentas o cor de bonina a
320 o covado.
Chitas claras miudinhas a 320 e 360.
Alpacas prctas e de cores lindas proprias
para vestidos a'680, 700 e 800 rs.
Pecas de cambraia transparentes a 40,
5fJ e 6$. Por esto preco admira a todos
Lencos bordados a 60, 60500 3 120500.1
Ricos e bem escollados gosto s de bis- j
marks para caifas e paletots a 2500 o
oorte.
Tambem tem para acabar pee s de pan-
no de linho, com 27 varas, a 170 e 180.
Toalhas de linho para rosto a 100 a du-
zS.
Aos Srs. armadores de e titerros.
Vendem-se pecas de hollanda preta com
40 covados a 50 : na ra da Imperatriz n.
48 e 52, junto a padaria franceza, loja do
Leo. '
Attenco roupas feitas 11 no armazem
Cortes de casemiras de quadrinhos e lis-' do Leo, ra da Imperatriz ns. 48 o 52.
tas a 20800 c U.
Corpinhos brancos para senhora a 30 e
30200.
Pechincha!
Cortes de cassineta de cores para calcas e
paletots a 10500.
Cassineta de cores com um pequeo to-
que de mofo a 400 rs. o covado.
Espartilhos muito finos a 40500, 50 e
50500.
precio muito razoavel, na ra da Imperatriz
a. 60, de Flix Pereira da Silva.
GftOSDENAPOLES PRETO A Ql'ATRO
PATACAS S O PAVO.
Vende-se grosdenap&les preto de boa
pialidade pelo barato preco de 10280 oco-
.ado, s na leja e armazem do Pavo, ra
la Ireperatriz n. 60 de Feliz Pereira da
Silva.
CAMBRAIA BRANCA A 30500.
Vende-se pecas de cambraia branca
ransparente, com 8 e meia varas pelo ba-
rato preco de 30500, ditas mano finas tanto
tapadas cuno transparentes 40500, 50000,
'J500, 7^000 e 80000, assim como organ-
li muito fino tanto fizo, como de listas e
uadros na loja e armazem do Pavo ra
la Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da
Silva.
ALPACAS LAVRADAS TPARA LUCTO.
Vende-se na loja do Pavo, as mais mo-
lernas alpacas lavTadas para lucio, sendo
jiuitoiargasepelo barato preco de800rs. o
ovado, s na loja e armazem do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da
Silva.
AS DEZ MIL VARAS DE CAMBRUAS FRAN-
CEZAS S NA LOJA DO PAVO A 560
RS. O METRO.
Veude-se finissimas cambraas francezas
iom os mais delicados padroes, tanto mui-
dos como- grados, e com as cores mais no-
vas que tem vindo no mercado polo bara-
tsimo preco de SeOis. o metro; garantindo
quo 7 metros do um vestido para qual-
quer senhora, e que em outra qualquer loja
nao se encontrar a mesma fazenda por
gua) preco, e sim s na loja e armazem de
Pavo, ra da Imperatriz n. 60 de Flix
Pereira da Silva.
cassasinglezas a t JO rso netro
Vende-se urna grande porco de bonitas
ttaesas inglezas tanto graudascomo miudi-
nhas e de cores fixas pelo barato preco de'
440 rs. ometro,garaitindo-se que 7 metros,
do um vestido para qualquer Sra. s na
toja do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de
Ftlix Pereira da Silva.
Bareges a 400 rs,
o aa loja do Pavo
Se vendem as maift bonitas bareges transparen-
tes, praprias para vestidos com li&rinhas a imita-
5o de tras de seda, e vendem-se pelo barato rxo de & tendo quasi quatro palmos de lar-
pn^*- cruzado cada um_ covado, unicamen- gUra e vende-se pelo baratissimo preco
tf&^pJ^Z^ *'"*' de 1,1000. cada covado nicamente mlv
Grosdenaples preto mazem de Feiix Pereira da Silva, na ra da
Veade-se am grande sortimento dos me- ImPeralriz n- 60-
lhom grosdenaplcs pretos, tanto lar- Rrins para calqa na loja do pavAo.
go eomo estreitos, sendo de 2O00 rs. o Vende-se os mais modernos e nielhores
covado at 4000 tt. garantindo-se que brins de linho|de todas as cores, outros com
n'estegenVo ninguem tem melhor faenda e listas do lado, garantindo-se serem de linh.
que & vende mais barato do^ue em outra puro e vende-se por precos muito em con-
qualqaer parte, na ra da mparatrizn. 60. ta no armazem de Flix Pereira da Silva, a
de Fex Pereira da Silva.
Ckls
Vendem-se as roelbores chitas scuraspara
casa sendo de cores fixas, jjtbs baratos
precos d 320 e 360 rs. o covado, ditas
muito finas francezas sendo claras, com pa-
droes de cassa a 360 e 400 rs, pechincha,
na rM da Imperatriz n, 60. armazem d Fe-
ih Pereira da Silva. hx Pereira da Silva. (
Chegou para a loja do Pavo um elegante
sortimento dos mais bonitos ocambiques
proprios para vestidos com as cores mais
modernas e que se vendem pelo barato
preco de 500 rs. o covado.
ALPACAO DE CORDOPARA VESTIDO A i 5
Chegou esta nova fazenda com o nome
de alpaco, sendo de cordo e com mais
largura do que a alpaca, com as mais finias
cores, como sejam Bsmark, lyrio, pcrolas.
roxo, cor de canna, magenta etc. e vende-
se pelo baratissimo preco de 1$ o covado.
ROMEIRAS PARA QUARESMA A 1G,
Chegaram as mais bonitas e modernas
romeiras w'etas de guipure, que se vendem,
pelo baratissimo pre<;o de J0,-j cada urna.
SOBRECASACOS PARA A QUARESMA A IS| E
20.
Vende-se um grande sortimento de so-
brecasacos e palitts sobrecasacados de i-
nissimo panno preto pelo baratissimo preci
de 18/?, sendo forrados de alpaca, e poi
20$, todos forrados de seda, grande pe
chincha, principalmente por estarmos n
quaresma, assim como, tambera se vend
um grande sortimento de caifas e colette;-
de casimira preta que se vende muito rna.^
barato do que em outra qualquer parte.
ESGUIO DE LINHO DE 12 JARDAS A 105.
Vende-se pecas de esguio de linho, fa-
zenda superior, com 12 jardas cada peca, a
100000.
Poli de ehvre a lOOOo -ovario
Vende-se poil de Chvre muito largo com
as melhores e mais modernas cores pelo
barato preco de 1<>000 o covado, na loja e
armazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60
de Flix Pereira da Silva.
Assim como temos um grande, completo
e variado sortimento de roujfts feitas: pa-
letots saceos, sobrecasacos, fraques, jaque-
toes, calcas, colletes, camisas, ceroulas,
chapeos etc., tudo por precos que admira!
Tem tambem um sortimento le roupas
ordinarias por preco baratissimo.
Acaba de chegar tambem um completo
sortimento de damascos de cores, sendo
azul, amarello e c,or de caf etc., que se
vende por preco commodo.
No armazem do Leo, ra da Imperaiz ns. 48 e 52, junto a loja de ourives
e padaria franceza.
FAZENDAS PRETAT
PARA A QUARESMA
AUGUSTO PORTO 11
Roa do Oueimado n. II
Recebram directamente da Europa as mais superiores fazendas preUs espe-
ciaes nara a quaresma, as quaes esto vendendo pelos mais mdicos precos em vista
,ja superior qualidade de ditas fazendas.
ALTA YOVIIIIH:
Basquines pretas de- renda, verdadeira novidade, para senhora.
Gorguro preto de seda liso e com listas assetinadas para vestidos.
Grosdenaplcs preto largo estreito de diversas qualidades havendo ueste ge-
nero o que ha de melhor.
Basquines de croch pretos, ditos de seda preta com cintos delicadamente en-
feitados, elegantes peplums de seda preta, fichos pretos de renda, modernas capinhas
pretas de renda e superioras vestidos de gorguro preto bordados.
A loja n. I i da ra do Queimado tem sempre o melhor sortimento d3 tapetes,
alcatifas c
Esteiras da India para forrar salas.
do respeitavel publico em geral e de Boa
boa fregueza em particular, nao se alis-
tando elle de sua bem conhecida mansido
e b'arateza. Em dita loja eneontraro os
apreciadores do bom
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
ceza, todas dos melhores c mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica Aentrifleia.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toflef.
Elixir odontalgico para conservaran do
asseio da bocea.
Cosmctiques de superior qualidade e clici-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japdncza, transparthte,
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino c agradavel chei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de chairas igual-
mente finos e agradaveis.
Oleo philocome verdadeira.
Extracto d'oleo do superior qualidade,
com escolhidos cheiros, em frascos de dif-
ferentes tamanhos.
Sabonetes m barras, maiores c menores
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisnda contendo fi-
nas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bera de perfumaris finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
e boneca.
Especial p de arroz sem composcode
Chairo, c por isso o mais proprio para crian-
cas.
Opiata ingleza e franceza para (lentes.
Pos de camphora c outras differentes
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental deKcmp.
.linda mais coques.
Grande liaoitlaq&o.
0 proprietario d'aYitiga e bem conhecida
loja de iiimu1l7.;s denominada Beija Flor
ra do Ouciinado n. Ca, quefendo acabar
com o sortimento de miudezas que aliste,
tem deliberado proceden nimia compjet
quidaco, pura o que chamaa attenco de to-
dos.
()> objectos sero vendidos por metad
VALOR THERAPEUTICO
M
XAROPE DE QUINA FERRUGINOSO
DE fiRIMIULT E COMP.
Vbarmsaeatieo* da S. A. I. o yioeipe Vapoleko, em Varia.
A associafS* do ferr e da quina reolveo am dos mais importantes problemas da pbarmacia,
e taz eom que se congratulan! os mdicos dos relevantes servicos que Ihes presta esta pre-
parado.
Com effeito, singiiem ignora que a quina, em mateira medical, o melhor tnico qce se
possa empregar. sendo, soferetudo, uaido ao Phospbato de ferro, a mais eslimada das pre-
parares ferruginosas, pois que enlram na sua composicio o ferro, elemento do sangue, e o
phospbato, principio dos ossos.
Por isso, julgwos qne, para os srs mdicos, serio ateressantes es observaces feitas pelos
seos collegas, os mais distincMs de Pars:
c Este Xarope produz os mais lelkes resultados nos casos de dyspepsia, chlorosis,
amenorrhea, hcmorrhigias, leacorrbeaS, febres typhoidas, diabetes, quando precisa
restabelecer as torcas dos doentes e restituir ao co'rpo as torvas alteradas ou perdidas. >
ARN AL, medico de S. 31. o Imperador.
urna das ra-as combinacocs que, ao mesmo tempo, satisfazem o medico e o doente. Em
quanto a mim, eu a considero como a mais effcaz preparacio ferruginosa, cujo uso dos
c oais agradaveis paraos doen i es.
CAZENAVE, medico do hospital SainlrLouis, em Parit.
c Com esta preparacio d'uma V.nr.a agradavel, e fcil de digerir, administra-se aos
doentes doit medicamemos imuorianies. *
111ARE1ER, chefe de ctinica. da Faculdadc de Para.
Eu emprego com o maior xito o Xarope de Quina ferrugraoso, e o considero como
c ama das mais lelizes innovaedes, ni mateira medical. *
CHASSAIGNAC, cirurqiio em chefe do hospital Lariboisre.
t Este n&dicamento, sempre bem aceito pelos doentes, dco-me constantemente os mis
vantajosos resultados. *
HERVEZ DE CHEG01N, membro da Academia de medicina.
f A limpidez d'esia preparacSo, o seu gosto agradavel. Ucnto de qualquer Sabor de
Ierro, fazem d'ella am medicamento to efficaz como agradavel.
MONOD, addido a Faculdade de medicina.
diminutos precoscomo abarco se ver;
nao apresentando nina lista completa de to-
dos os t^ectosque estao expostos a venda.
pela rasao de se tornar Wn annuncio muito
eitcnso c por (ons< ijuencia de enfadonlia lei-
ttira, por isso pcuas !cmita-sc as seguintes:
Caixd de enveiopes de corea. .
Ditas de enveiopes com tarja.
preta........ 900
Ditas de eme!ps brancos gran-
des......... 700
pitis de enveiopes grandes epi-
quenos.
Libia de la uar bordar, snHida 7;%00
Duzia de carmes de corchete fran-
cezes com 2 i pares cada nrtn jtfo
Dita de colheres de metal prin-
cipe para sopa. .' "4580O
Dita de ditas para cha. 2^100
Cojcha de metal principe para ti-
rar assucar. ,.....
Botuaduia para cedite. 3(J0
Pares de I uvas de fio da escocia
bianca e de cores para homem.
Ditas de ditas para senhora. .
Fita para sinto de senhora. 800
Pares de sapalinhoa de casimira,
bordados. .* f&OO
Peeasde cascarrilha de a. 5(K
Escova fina para limpar unhas. ^O'
Ditas de ditas....... 00
I Ponte pjgto de barba. 300
l Caixa codppparellio de clniKbo
a 640, lyfSOO e.....t800
Boneca de cera a I -5*00,1 ;>I00,
33200, ifJOOO e.....3J00
Apparelho de porcelana para al-
moco e jantar......2$000
Jogo de Vispora...... 900
Caixa com papel branco e de co-
ros......... TOO
Infladores para vestido: ... 80
Caixa de linha de marca cucar-
nada e azul....... 280
Sapatinhos de ia para meninos. 400
Tocas......... W>
28
ao ums
'2H
Deposito em Pernambuco, em casa de
eO*.
Roa rio Imperador
EM GROSSO E A VAREJO
Charutos de diversas marcas dos bem
acreditados fabricantes, Costa Jimios e
M nioel da Costa Ferreira de (Sao Tetri).
Farinha da trra muito boa, 4;J res a
Apcca.
Miraguaia do Rio Grande do Sul, peixe
seccodc superior qualidade a G,H0O a ar-
roba.
Congro e ruivo de Portugal, em bar i- e
libras.
Camares seceos, do Maranliao, em libra-:.
Latas com pcixe em conserva sendo :
Salmom, Lagostas, Ostras e outras muitas
LfitJ iliiAa. !qualidades, a saber: Portugueses, IH&leacs,
0 que de melhor se pode encontrarnos so Americanos, lies])anhoes, etc., etc.
genero, sobresahindo os delicados ramos 0 Campos anda urna vez, v tei a
orvalhados para coques. honia de lembrar ao respeitavel publico, as
Para viaseni. : muito excellentes agoardentes de Lima I'.-
Bolsas de tapete ecarteiras de couro, por rali, e Tiquirado Maranho, por vii-lu-, .
precos commodos. dea que se aproxima o tempo invernoso,
Cbapelinas de palba da Italia mui bem e que muilonescessaiio se -'torna trazero
enfeitadas, e enfeites de flores obra de bom estomago qoente, c como se ada o seu es-
soiio. tabelecmeito bem prvido dos gneros ci-
ma ditos, reconuikiida uin passeio al elle,
onde encontrarlo os amantes do que o
Um outro sortimeutos de coques de no-
vos e bonitos moldes cem iiletsde vdrmos
e alguns d'elles ornados de flores e fitas,
esto todos expostos apreciaco de quem
os pretenda comprar.
GOLLI.NHAS E PUXHOS BORDAnOS.
Obras de muito gosto e perfeicao.
Fvcllaa\ e Otas para finios.
Bello e variado sortimento de taes objec-
tos, fleando a boa escoma ao gosto do com-
prador.
E assinypuilos outros objectos que se-
ro prestttes a quem se dirigir dita loja
i do Cordeiro Previdente a ra do Queimado I bom bocado, um completo sortimento de
n. 16.
ENFEITES DE PALIIA PARA VESTIDOS,
i
iLTA novidade
A
Loja do Pavao.
GURGUROES PARA VESTIDOS A 1000.
0 COVADO.
Chegaram os mais modernos gargurfei-
para vestidos, sendo de todas as cores, como
sejam verde, azul, rosa, bsmark, perola.
jiiiiiiiMii:
kffmip
da aeadewa
d* aedecioa
i* Pars
PILULAS
L,IOMETo.zmno.flANGANF1SF
diBUKINduBISSOn
Pbir tucen tic
laureado
di
academia
0 tratamento dis affeci;oeschloroiica, lympbaticas ou escrophulosas 6 sempre lentis^
simo, e muitas vses cssas molestias resistem s prepara^oes ferruginosas ordinarias. l&
mrtagacoes feitas celos professores Han do n de truxeUa, Gensoul e Petreqoin de LySo e
Beraelius e Trouss^an de Pars, tem provado qne a causa d'essa persistencia era a comple a
ausencia do Manganeso, elemento que sempre deve-se achar ao xangue junciamente con
o ferro. Estas pilulas supprem, pois, na iherapruiica urna falta ini|riante, e por esie
motivo ellas tem inereciao a approvacao da Academia de Medecina e das prncipaes socie-
dades medicas. Deposito em PernatMwco, em casa de Maurer O*.
IIIIIITTTTTIJIIIIIIII
ra da Imperatrizn. 60.
RETALHOS PARA LUTO NA LOJA DO
Vende-se urna S ^Hidade de re-
talhos^e chitas e cmFnm,$ por pra-.
muito Darato, e qoanto maior for a porc>
que o fregu comprar, mais barato se II e
vender na ruada imperatriz n, 60 de Fe-
fo Pereira da Silva.
B AQ l\fI7nirTW em todas u Panel Jo mnndi empregam, com o maior xito,
vf O 1T1 rjUll^v/Oa o pbosphato de ferro soluve) de Liras, para corar a chlorosis
2* (cores paludas), as dores do estomago, e aexbaustaco do sangue; com esta preparaco, ilao
ao corpo o vigor, o s carnes, a sua firmeza natural; facilitan) o desenvolvimento to la Do-
noso da poberdade. Com effeito, indo, n'esie medicamento, se aena reunido para Ibe
assegnrar o maior crdito, sois qne rntram, na sua romposico, os elementos dos ossos e
do sangue. 0 sen autor, M. Lbras, doutor em amencias, pharmaceutico. professor do
chymia, inspector da Academia, foi, recentemente, condecorado da ordem aa Legiao do
Honra, digna recompensa dos seus importantes trabalhos.
Aa seguintes apreciacoes dos mais celebres mdicos anda vem corroborar e justificar
lodos estes titulo i contianca publica :
Precisa classicar o phospbato de rro soluvel entre os ferruginosos que mcl'ior
convem aos doentes cujos orcJos digestivos snpportam mal as preparaedes de ierro, a
SOI BE IRN professor na Escola de medicina e de pharmacia.
CHAPEOS E COQUES.
0 Cordeiro Previdente ra do Queima-
do n. 40 acaba de receber um bello soiti-
mento de trancas de palba para enfeites de
vestidos, outras para chapeos, coques etc.
tudo islo est sendo vendido com a sua bm
conhecida commodidade de precos.
ALEM D'AQUELLES.
Recebeu outros lindos enfeites de seda
para vestidos ; assim como um variado sor-
timentode galloes do la, babadinhos de
i-ambraia com bordados de cores, cuja va-
riedade de gostos os tornam recommenda-
dos e apreciados; compareci pois os pre-
tendentes que serao servidos a contento.
# TO BEM RECEBEU.
Novo provimento de bcos e rendas de
luepure.
LUYAS DE PELLICA.
De todas as cores tanto para bomefr
como para senhoras, constantemente achara-
se a venda na loja do Cordeiro Previdente :
i ra do Queimado" n. 16.
gneros finos, que se
\eis para una mesa
vida. .
tornam recommenda-
mais ou meaos j
pharmacia.
a melhor das preparaoes ferrngi-
0 phospbato de ferro oluvel 6, em quanto a mim,
a nosas, e o sen emprego d os mais promptos e seguros resoltados.
ARAN, medico do hospital Sainte Eugnie.
t A forma liquida do phospbato de ferro soluvel d-ltio urna immeaaa vantagem sojre
aa pillas; eu considero este medicamento como mui suiteror s preparaedes iodadas. 11
AK.NAL, medico de S. M. o Imperador.
Entre todos os ferruginosos, nSo conbecemos am so qoe obre lio prompla e efficazmeiita
a como o pbospbato de ferro soluvel, e isso, sem cansar o estomago.
BELLOC, BAUME, BIGOT. FOLLET $ PRVOST, mdicos dos hospitacs.
Os effeito* da preparaco de phjxphaio de ferro soluvel me parecen ser mui segn'oa
promptos. BB0UT, redactor em chefe do Bulletin Utfrapeutifte.
Entre todas as preparacoes ferruginosas, o phospbato de ferro soluvel foi a que sem pro
me oo os melhores e nuis satisfaetorios resultados. '' GIIIBOUT, medico dos kotpiuu.
s 0 phospbato de farro solnvel tem, aobretudo, a vanugen de evitar a. Qjtaatipacfc'
eonvu- aos tempiraasentos deKesdoa. D' EAVROT.
Deposito em Ptnambuco, em can d asini 9*.
NOVIDADE
A loja de Coelho & Oliveira ra c|o
Queimado n. 19, recelum pelo ultimo vapor
im bello sortimento de balocs de diversos
vindo ao mercado, sendo :
Baloes de guipur com tiras chamad js
reguladores, ditos de muselina aberlos por
imbos os lados, de modo que sendo tod^s
le um tamanho servem para qualquer se-
ihora, de la de cores, com tiras, e se-
geintes fazendas:
Saias de 13a com bonitas barras.
Chales tocos do seda e la Beatriz de
Tundas.
Fitas de guipur pretos Rocamboly.
Chapeos de sol para senhora, muito in-
dos.
LSaslafcas
Sultanes, Poil deChevre, Tricte, dito de
xadrez e outras muitas, entre ellas urna
peciidade
La pura de cores a 360 rs. o covado.
Basquinas a Mara Antoniete.
Cambraas fantazia.
Ditas brancas transparentes e Victorias
Colxas adamascadas.
Cobertas chinezas a 23500 rs. o outras
muitas fazendas que tornar-se-hia enfadonho
annunciar.
Aos senhores lojistas:
Para a quaresma
-miras pretos Uns : na ra da Cad
Rei'ife. armazotn n. oO.
Vinho degestivo de
chassaing
eme
PEPSINA E DIASTAEX.
Remedio por excelieocia para cura c
das digestoes difficeis e completas acaima-
as dores gastralgiras, e reparar as fe
produziudo urna assimulagao completa dos
alimento-; sendo mais um pxcellentc I
P1IA11MAC1A i: DROGARA
DE
arlholomcH tic C.
34RA LABftA DO ROSARIO34
Vcnde-sc nm %iado miiitu mao e nova : a
tintor na> Cinco Pontos n. 81, taberna.
ESCRAVOS FEiCOS.
Tinta raza de Hon-
teiro.
Veodc^n Onta r<> H Montarn para t.-orever
lo da ra 0 abaixo assignado recoavoenda a captara
do seu eseravo de nome Joaqoim, mualo, fgida
do seu sitio do Monieiro, comprado aos seus do-
nos os Srs. Joao Goncalvesda Silva. Vrenle Ca-
valcanli de Albuiiuerqe o Alejandre Gomes da
Silva, meta cidade, por intermedio de seus pro
curadores napessoa do Sr. MaBoel Franri-coli
vaJcanti, todos de Pao d'AIho e por iiiiirvcnjai d
Sr. Santos (corrector de escravos). cujo escravo
tanihrm natural de Pao d'Albo e lem os dsticos
seguimos: Made ii anuos, secco do corpa e um
poucoallo, liifrode, eabello uro ponoo rarapinliadc
o penleado, tolla de dentesjma nn.iniinacao er-
cruada na jimia da mao sAb. falto a sertonc
jo, muitodtscancadaeinaiB^ levmi camisas d
madaoolaV) o riscado de alaodo, c calcas de krim
pardo. O alaixo ass(inado muito rwommtDoa a
aplura deste seu escravo todas as auloridadcs
e mais pessoas encarregadas da captura de Tra-
vos, nao s pelas diversas ridades. \illas e povoa-
dos, como pelo seriao. para onde pxte ler odo;
prometi btm gratificare tamlnin a qualquei
pessoa que d'elle der noticia cena ; a dii iiiirfre-
se ao seu est ripiorio a ra do Crespo n. 15, ou ao
seu sitio no Mon'eiro.
Recife, 27 de Janeiro de 1869.
Antonio Jos Rodrigues dt Souza.
.00$
alificafo
Fugio uo dia I i dad iiro* do corn-ute anno,
do engenbo Bulalura, ( ^Btia da
cravo preto, crioulo, de H anuos de idM cha-
mado Marcelino, qne foi do Sr. Joo da Cnona
Pereira, cuja escravo estove no deposito geral;
tem os signaes sejiain^s : alto, seeeo d< carpo,
rosto muito marcado de bexipa- :*<9
na frente, cor preta, santo derh
letot e calca de castor, levando um habannlUr-M
flsulree coni mais roopa, sapniV- "r na
bvwiaezia do Gabo : quem o apprebender me-o
ao dito enaunhn. ou ra da S^nzala-nova n. 38,
Pontual. que ^co-
ima.


8
Diario de Pcrafliiibtioo Sabbado 6 de Marro ele 1860.
LITTERATRA.
enearregou-so
Chroaiea theatral
II
(Continua rao.)
Sra. I>. Mara Vellot coube i partele
Casilda, onde, mais una voz, provou que
mo brilha de luz emprestada nem d
dores ficticios, finteado sobresahir
sea mrito artstico.
A Sra. Julia A/.evedo
('id papel de Suzanna Herner. Em todas
as suas scenas, a Sra. D. Julia trabalhou
niuitobem, exprimndo pori'citaitente todos
os seiitimentos de Suzanna.
Eina scena 1.a do 3.- acto, admrei uiui-
tLssimo a naturalidade coiu que procurou
cumbater os escrpulos de seu tio, o Dr.
Latremblade, empreando lodos os seus
esfbrcos para eonvence-lo deque, entredous
esposos que se eslimam, nio devem existir
segredos e que, portante, poda abrir a
carta que era dirigida a seu marido sem
abusar da'Sua conanca. Mostra, com tu-
do, que o incentivo do seu arto a mortiica-
va, a encliia de dr o de angustias.
Em a scena 14.", fallando Casilda, as-
sume a posicao da mulher bonesta*que nio
costuma descer at liombrear-se com as
Iwrragans das ras.
Tendo na sua presenta a mulher, rujo
nome ouvira a seu marido, Suzanan, re
presentada pela Sra. D.Julia, domina a sai
colera para apparecer mais brilhante a sua
dignidade. Verdadoira artista, a Sra. D.
Julia encontrn muita facilidadeom expres-
ar simultaneainenle todas as lentas agonas
do corago de Suzanna. quando, na scena
IB', sabe que seu marido, antes de rece-
be-la por esposa, ja era casado:Ah diz
ella, o senkor muito criminoso! Anda no
5." acto scena ultima, j Sra. D.'Julia ar-
rancou merecidos applosos. Casilda, para
vingar-se, de Gilberto, d -nutria o seu cr-
correu muilo bem. No
tinho.....
Martinho?
imitando o
vi c venc
Qoer saber de urna cousa, Sr.
Pode dizer orguHiosamente,
vencedor das -Gallias: Vim.
Ten
rminando, para completar a miuba
cauda, pumpre-me retribuir saodaco do
Sr. Osear Jagoaharo, esse novo paladino
que disputa a lodos os boticarios a gloria
todo o|#i utilissima iuvenco dos stringatoros.
Conlieci o Sr. scar n'oiiiros lempos
mais felizes, na epoclia da sua infancia lt-
leraria, mamando na tela do Sr. Jos ie
Alencar, para mais tarde, vomitar os seos
conlos brasileiros, verdadeiro monstro bo-
Yaciano, que s mereceu un esearro dn
padre Candian. Agora, habita o rodap
do Correio Per nu mime ano, onde costnma
armazenar os seus folhetins guichotcscos
(adjectivo oscariano). ^
O romancista, por urna dessas nefastas
e precarias alternativas humanas, sujeilan-
do-se proverbial aridez da sua imagina-
cao, condemnou-se a vegetar no limitado
espaco do umjornal microscpico. Ambos'
(jornal e romaqcista). outr'ora, gigantes,
boje, s5o pigmeus Que importa, porm.
o regresso material, se um, servindo-se da
seringa do Sr. Martinho Vasquos, faz rir a
meio mundo com as suas posices grutes-
cas e o outro, embora nunca iie digne de
passear ao por do sol (hora fresca !), como
sempre promette, presta relevantissimos-
servidos humanidade?! Ambos, aparte
a nullidade phisica, nioralineute fallando,
sao inmensos como.... No espago infinito
nao ha ser algum que se preste compara-
cao.... (E'pena!) Ouizera que os ineus
leitores dimirssem a grandeza moral des-
ses dous... non plus ultras; mas, se, pelos
enormes dedos, se do a conhecer os gigan-
tes, fcil ser aos meus leitores, entre mil
AWe, o Sr. Mar-, aulo espiril >.... $uem Ihe no lera impe-
dir que mude o genero de s,nnga! S'">
o Sr. Martinho com.... Nh tenha d...
Fogo nelle o homem tem urna natureza
diablica... Seringa nelle. Sr. Martitihu ;
arrmele constantemente attlIe'eofflWwr
ipie nao sabe onde tem as ventas!
Era todo o papel do Ctirisiot, o la! m
s gostou do derret ment milifah pelas
saiuse do rasgm no assv E'inmo-
ral o gusto! Es! estragado o |Mnl ir por
effeitosdos sncci'Ssrv.is *eriiqnfrJbs ib Sr;
Martinho.
AWf Ou o mii&rtho enttrneteu, e SfJ
ra*oW'Wgrin1frV.'> EhfSo. s-. Mrtinhrt
vnpi'^ii.t.' o dHalbfb'? ftntemo&to e ar-
rancar lacrimas, rcprwntndd o camara-
dinha h'Hf Patifaria!
o sen caso, Dio aturava, nao; pormi-
nha cunta e risco, mais uitf'esgoiclio com a
seringa. -
O hornera desoja ver o Si-: Eduardo Ira-
balliar em um drama da escola realiHa...
Isto qoer dizer qne o Sr. Eduardo, no .*>.
acto do C'iristol. ^mbriilhailo na c;fpa', pare-
eeu-lhe um I), Joan' di M.Uafta-!
Esse Sr. Osear tem cousas dr fazer rir
at aos c4tttf*res dos tatarttwis do diabo
imei,
mo, oceusndo-o de bigamo.il Suzanna, para
provar a sua innocencia, impellida pela
grandeza do seu amor, brada:Digo bem
alto que Gilberto mo criminoso, que s
:/iwi de nos di'ie conservar o seu nome...
que urna de ns a infame eaoutra a vic-
tima. Digo queess infume soueu ea vic-
tima a senhora, porgue asenhora Csua li-
'/itima mulher ecu... sua amante! Com
que esforco sublime nao forana pronuncia-
das estas palavras!
Os espectadores applaudram Sra. D.
Julia, licando o seu nome gravado as pa-
ginas gloriosa* do livro que conten os no-
tanto, ao trabalho insano de descreve-los,
limtando-me a responder s factti e ga-
lantes phrases do Sr. Osear.
O Sr. Osear nao conhece Bap>n, Mon-
taigne, Carlos Magno, Verdura, Goussid (que
engulio sem engasgar-se), Prondiiom.
Danton, Marat e fobespierre: em com-
pensacao, porm, amigo intimo de JWes
Main, Yoltaire c Mery, mostrando-se ad-
mirador insaciaVel da seringa diiSr. Mi-
tinho Vasques. Quer vender as suas am-
zades, ficand (tenha paciencia) com a se-
ringa? Agarrou-se a Voltairc, a /. Janin
c a Mery smente para extranhar a in-
fluencia que os vultos (sem seren tenebro-
sos), citados por mim, exerceram sobre o
que, o carregoe.
Sans fst(om.
i de marro.
n.
ItOl !!** 1151 F
eu o ba'r James de Itotschilil.
Om dos Hombros da1 pmtarchia isriK'lila,
que durante imritus annos' den les s
bilsas e s pravas de commerein da Eu-'
ropa.
era todos os nossfl8ileitei*e8 sabeiW a
storia da familia !i .t!.-ehiM. Para estes
a vamos rontav. Ah vei*i todos que at)
entidades, dstiugui-los. Poupo-me, por- grandes riquezas provm de origens .Il-
citas e qu a proldade tambem s vez*>s
alcanca'iinW; liWndo a recuWpini que Ib*
davala. Me}* IW*i*tid era um jiafcqi
de Francfort, curioso d medalias e moe-
das antigs, e senhur dwHuaapetfrteua tas*0 doxou.|icrdeir<
gvvsso de Vienna den aos filhos do velho
banqueiro por cliente todos es- governos
da santa-allianca.
Mr. Rothschild morfru em 1812 deixan-
do tnico filhos. Anselmo, que ficou senhor
da <$s& de Francfort, e -veio a morrer em
I85 ; Saloma i, que se estabeleceu em
Vienna d'Austrra e falleceu era 1855 ; Na
mafl que prirteipiou a negocia em Manches-
ter e fundn a casa desondres onde mor-
rea eia 18:ib' ; Carlos, que ibi banqueiro
em aples e succunibio em 4855 ; e Ja-
mes, que veio a ser o faoso banqueiro
dn nn Lallitto eifl Pars. Estes cinco bo-
m"pfls fbrm#rtTn a fWWrrlWa jlMumiaria, a
que ninguem pode reflWh
James de Rothschild, baro austriaco,
gran-cruz da legf't lie Honra, c condeco-
rado por todos O soberanos da Europa,
tinha nascido em Francfort a t5 de maio
de 1702. Tinha agora 7fi arihos.
Kslilieleceu-se em Pars etn 1812 : foi
banqueiio favorito da restaurado, qual
empreston o dinheiro para a indemnisac3o
dos emigrados. Divorciou-se depus coni
a corte de'Carlos X, e presto grandes
servicus pecuniarios ao governo de julho,
recebendiionto da familia deOrleans as
eleyadas distiuceoes que Ihe negara sempre
o governo anterior. Ganliou mtli grande^
sommas as emprezas nascente- fflS c\u\\-
nhos de ferro de Saint Gernwm e do
Norte.
Em 1847, por occasio da escassez de
subsistencias, foi \iolontmnente acensado"
de monopolista* e a revoiocio d- fevereifo
de 48t8 principiarrKM'llie qehwar algu-
nas propriedades. Protegetw, porm,
Caussiilrrc. entSo preMtfr de polica, e
Hiitbschild d1i 50 mil francos para as vic-
limas da rc'volurn.
Kesgatada d'esle modo a sua mpopulari-
idade momentnea. IUitbschild pornKnec i sai Pars a dirigir a sua c isa. e oWeve de-
pois todas as provas de consideraco da
ivarte do'J.uizN'apoK-no, como presidente e
oino imperador.
Casu edm a fm de seu irmao Salotno
Sr. barao sempre ojnesmopreco. Estas
fructas sao s para millionarios. ?
Rothscfcild entendeu a liccSo e comprou
os dous pecegos.
O celebre banqueiro quiz em 4.8*3 que
Horacio Vernete Ihe lizesse o retrato. Foi
procura-lo, e perguntou-lhe por que preco
o faria.
Para o Sr. baro o preco 6 de i mil
francos.
Com a breca. Por tres ou qualro
pinceladas parece-me caro.
Oh! o Sr. baro regatea com os ar-
tistas -.' Muito bem. Pagar 5 mil francos.
Peor est essa !
E nao diga mais palavra, senJo tri-
plico a somma.
O baro sahio pela porta fra desorienta-
do, e Horacio Vernet gritoo-lhe do alio da
escada :
Espera, espera. Eu hei de te fazer
de graca o leu retrato.
A promessa foi cumprida.
Annos depois no quadro da Smala, por
Horacio Vernet vi-se um judeu fugindo
cora urna caix d ouro e de pedraria. A
cara do judeu na qnal se manifestayam o
medo e a vareza srdida, era o vivo retra-
to do baro James de Rothschild.
Eu. senhor, respond u um d'elle>.
a fui seu criado de cavalhaiifa.
Pois entao s aqui meu fiador por
40 francos, e leva-me l a sa este prato.
O' santinha, disse o moro de fretes
para a velha, d o prato a este cavalheiro.
Olhe que o homem mais rico de Franca.
Djxe-o ser, replicn a velha. Queni
me responde pelo prato voc que eu
conlieci. A r'espeito de banies temos con-
idff.
N'essa occasiSo estava o prato em casa
Hfe Rothschild, e o portador recebia 500
bancos por ter litio a hon ra de ser liadoc
de um milbonarioj.
todo o 5. | theatro, imprestando-me intenQoes que nun-
raiserias
mes dos y candes artistas! Em
acto a Sra. D. Julia, commoveu lodos os ca uve, prodigahzando-me as s
coracoes, impressionou todas os espiritos.
Neste acto o trabalho da Sra. 1). Julia foi
lo perl'eito que eu nao posso especialisar
litterarias. Fallando da imprensa, iriostrei
que alguus desses horneas procurar.m ele-
va-la ao apogeo da gloria e que os outros,
a scena em que se tornou mais notavel o cujos exemplos segu o Sr. Osear, a cobri-
seu talento, mais saliente a sua vasta inteli-
gencia. A cada palavra, que pronunciava,
a cada gesto, que fazia, a Sra. D. Julia ele-
va-se ao aprogo da gloria, conservando
sempre puras as suas tradiccoes artsticas!
.
Fndou o espectculo com a interessante
comedia:O.v dotifi tambores.
Comedia simples e espirituosa que, por
muilo bem representada, agradou e foi ap-
plaudida, sendo os actores chamados
scena para repetirem o couplet final.
0. Sr. Martinho (Bacquet)... Anda o Mar-
tinho, o damnado do Martinho!
Imagine o letor o que nao fez esse en-
tliabrado... Todos iram dessperadamen-
e, menos eu que paipai pelo dssabor de
o dar urna rizada, que principiou ao le-
vantar se o panno e terminou no areial do
Hospicio.
O Sr. Thomaz (Pamela brilbou, fez-me
chorar de tanto rir.
A Sr. I>. Apolonia (Brgida'... Meu
Deus, quealdeanzinbafeiticeiral Como ella
trazia os dous tambores presos s suas
grapas! Como ella, com os seus ornares,
subjugava os dous pretendentes t No de-
sempenho do seu papel, a Sra. D. Apolo-
nia deseuvolveu multa aclividade, muita
garridice, como so fra a propria Brgida.
OSr. Guimares 'cai.rriro)... Trinta sol-
dm\ Quem ptyO, tam'ior-mor? Estou es-
perando Kt coetera e el ca-lera t Eis tudo
quanto disse o Sr. Cuimares. Quera, me-
Ihor do que elle, pronunriaria essas pala-
vras? Xinguem!
Este ninguem o Sr. Guimares, procuran-
do, encontrar no final do 4. acto de Fr.
mz de Sonza, drama de Garrett.
Em a noite de 27, alm'do Christola de
comedia Os dous tambores, representou-
se: Kl ou o miudinho. O espectculo
FOLHETIM
OS DliUS DE CAYEWA
tor
lie Berthet.
ram de lama, de ptrido lodo. Onde est,
pois, a diversdade do assumpto de que fal-
la o folhetinista basbaque?
Seringa nelle, Sr. Martinho!
Como triste, na verdade (diz o tal
bicho, que s tem um dedo de testa) nao
poder todo o mundo (phisico ou moral ?)
arrogarse presumpco*am'itti' as maioies
virtudes christans... Arromr-se presnm>-
costiniettle?!
Vade retro! Aproveite, Sr. Martinho:
seringa nelle! Oh, noneper mojtsi ur, ser
triste nao poder lodo o mundo arrogar-se
as maiores virtudes christans.'! ou, antes,
nada ha mais alegre (termo opposto tris-
te) do que todo o mundo apoderarle do-
que nao Ihe perteoce, heiin ? Polica, Ba-
gle elle: mouro na costa e ladrSo porta!
Aperteos calcoes, Sr. Osear, porque o Sr.
Maitinbo, armado de seringa, pretende dar-
lhe caca.
Depois dos supapos que dispensou mi-
nha pobre chronica, resolve-s a tasquinhar
no drama. Censura Aniceto Jtourgois por
nao ter completado dous typoW um Trun-
coso...
Fazendo de Gilberto um conde, chama-
Ihe espectro impalpar el... Impalpavel ?.'
Devera cncommodar bastante a tal cous
impalpavel! Oh incomparaveis effeitos da
seringa, como provocas o olphato*.
Transformando o presbyteri de Callar
em convento de frades, nega a santidade de
D. Ahbade por ter urna serva! Convento
de frades?! Mulher em claustro^! Sanio
Deus, o homem nao sabe o que diz, est
fora de si, pcrdeif a razUo! Diga-m1 nina
cousa, Sr. Osear, os nossos vigarios pode-
ro ter criadas ? Sim? Est bom : pensei
que nao.
Diz que o papel de Christol, as mos
do Sr. Martinho, UM seringa... Um se-
ringa?! Ah, ah, ah, ah! OSr. Osear tem
naneara, cujo edilWo aindfl hoje'fovela'-os
parcos haveres que disirifetaY* o'setti'tco; ^' gande ftinra,
proprielario: O landgrave de HesseCassel versado- agradan
tinha lido negocios com i!e, e eduflav:! na
sua honradez. PoT Isso etn stteinfcrb de-
1703 vendo-se obrigado fugir dwexer-
citos francezes foi Francfort, e el i
Rothschild os diamantes .e dinheiro que
possuia.
- Mas, senhor, di/.ia o velho, vem abi
*, vem ;
o sabe,
os Francezes, vossa alteza bem
roubam tudo.
Pois o que Deus quizar, re^cijj o
principe ; eu nao te peco recibd.
Effectivaraente os Francezes vieram e
rouliai-aiu quanto havia na casa ifeTM'yer
Rothschild.
Em 1802 o landrave voltou aos seus
Estados, e passand i em Francfort foi visi-
tar o seu amigo judeu.
Aqu me tens restituido ao nieupaiz,
mas pobre como Job. Sei que tens negofiado
e que ests rico. Veuho pedir-ie 'pie cm-
prestes-me algum drillro qu' te fjagrei
brevemente. Temos j)az. veala le, mas
custa-nos bem'chsra.
Ento vossa alteza assim se
pobre, respondeu o velho.
jslga
O baro* James de Rothschild era dolado
di tracto amavel, de con-
ngi'adavel e s vezes chistoe.
Sabia ser generoso as occasioes proprias,
se-barn. que--o taxaram'de raiseravel e ava-
ro qoantos recorriam ao seu dinheiro sea
tiiofr) stflicinte para o obter; Sua mulher
era una das senhoras mais estimaveis de
Par
das.
Das moita? anedoctas a respeito do baro
raais curiosas.
Estas anedoctas
phos do celebre
potro benvolo,
deiras.
Anda contaremos outras.
sao de um dos bio^ra-
barao, mas biograpbo
Deus sabe se so verda-
Mais algumas historias do baro James
de Rothschild.
Diziam urna vez dinte de urna fidalga
franceza, que o baro de Rolbschild tinha
comprado por Gi libras de esterlinas no
espolio de Monville a espada com que I|en-
i-ipie IV de Franca batalhara em Arques e
em, Ivrv.
Pofcro espada! exciamou a fidalga.
E' a terceira vez uuc muda de religio.
AI ludia a ter sitio Henrique IV primera-
mente protestante e depois catholiro.
O baro de Ri tlscbild emprestaba fcil-
mente C mil francos a pessoas de certa ca-
thegorla. Depois- nao Ihes emprestava mais.
Um dia encontrando em certo baile um
moco diplmala, queixon-se-lhe este com
bastante azedume de ter recebido um earta
a pedr-lhe os 6 mil francos que devia ao
e sera duvida das mais respeita-' celebre banqneiro.
Nao se zangue, respondeu RothseMd
Uom brandura, Foi tollce do mtn gtBfda
livros. Ms eu prometto-lhe que nolh'os
pedir mais. A*ora espero que este ajuste
ser reciproco.
E voltou-lhe as costas.
James daremos algumas
Vadlos cumprir a promessa a respeito
da vida anVdoctica do baro James de
RbthschiM: *
Em urna sala da Chaips1 'Antin, pe-
diam varias senhoras esm^las para os po-
bres. O bortJ den a sua offffenda pri-
molra que se dirigi a elle. Vieram depois
ilnas oii'cas. n n i en I 's-a e unn prin-
ce/a. mas Rothschild disse-lhes que j tinha
dado.
Peco perdo, senhor bario. Acredi-
to, mas nao tinha visto.
-Poten, interromppn a princeza, vi.
mas ainda me costa a crer.
(Continuaco do n. 51
I
A encostada %'lrgem.
Sobre as elevadas penedias que domii
Uta a entrada do porto de Fcamp existe
nina capella consagrada ao culto da Virgem
protectora dos marinheiros, que se distin-
gue ainda do alto mar.
Esta capella^de, construeco antiga, de
certo fez parte aa
fortaleza que coroava a
montanha "no tempo de Henrique IV, o a
qual 131 arrojadamente foi tomada pelo sec-
tario da Liga Bois-R is. Da poderosa for-
taleza da dude media apenas restara um
pequeo baluarte, que parece ter servido
de posto de observaco, e alguns pnmos
de muros solados e vestigios de fossOs
cobertos de hervas. Existe alli um pharol,
que noute projecta sobre a Mancha o
seu grande rato de fogo. So a capella,
antiga dependencia d'aqnelle monumento
feudal, Ihe s'il)revive, co"ni asstt paredes
"denegridas e esburOtdas, como a eviden-
ciar que no meio ft tamas institoltjes-au-'
. Ugas, derribadas pelo Sopro da cWflsacS
modema, a idea religiosa se conserva ioi-
mutavel e solida, prestes a arrostar cora
no vos ataques, novas tempestades.
Esta ermida um lu^ar de peregrino-
gein venerado pjlus- maritimos e suas fami-
lias. Por vezes, quando ufla navio deepes-
ca volta das arriscadas pangeos da Terra
Nova ou dos mares do norte, sempre pe-
sempre aberta e patente, aflm de que
cada (pial possa a toda a hora fazer alli as
suas oraces. Ardem cirios sem cessar,
offerecidos on por viajantes que regressa>-f
rara para junto das suas familias, oupor
qualquer mi ou irma que em sua cons-
ternado est esperando por alguem que
nunca voltar.
O rugido das ondas, que vem quebrar*-
rigosos l se veera tripolaces inteiras,
com o capito frente, subindo processi >-
nalmente de ps descalcos e cabeca dse >-
berta a escarpada vereda que vai ter ao
velho templo, e s depois de feit i a orarf o
santa padroeira sob a invocar i d Es-
trella dos Mares e de cumprido o voto
offerecido no momento do porigo que os
romeiros se atrevem a abracar os seus
prente e amigos que os aconipanharam
alli.
O fervor com que venerada a Santa
attestam-no a innumeravel quantidade
modelos de navios, de quadrus pintad os
com mais ou menos perfeico e de instru-
mentos de nutica, de quo a capella est
cheia.
- Pois entao .' O que levoi comigo,
gastei-o ; o que te dejzei, roubram-iio
os Francezes. Que mm pobTb loe que-1
res .'
Os Francezes roubaram o (pie era"
raeu, e nao o duposito ma vossar alteza me
conliou. Esse es-, alli.
Alli?
Sim, meu senhor. Elles \ieram e
lirram-me tudo. !No resist. Content-
ram-se com o que havia c nao desceram s
lojas onde eslava escondido o thesouro de
vossa alteza. Depois como fiquei som nada
tomei a liberdade de me servir d*esse di-
nheiro. Fui flfce posso boje ofeiecer ao
meu bom princip? todas as sommtis que
'me ehfregon e o juros desde I7W a 5
por cento.
Islo maraviUioso, exolamou o prin-
cipe commovidissimo e abracando o velho
israelita. Cuarda esse dinheiro; ftftn? d'elle
o que quizeres, perdo-o co'a breca. Para
mun ficas sendo o hornera mais honrado
deste mundo.
Ms eu hei de restituir o capital c os
juros.
Pois sim. O capital iraqu a O
annos e os juros a 2 por cento. Mando
eu-----
Rast, senhor.
D'ahi proveio a grande fortuna ta familia
Rothschild. Este caso' narrado no con-
Contavara um dia dianie de Scribe, qne o
tinrftfTde nottifchid^pprdwr na vesper* ao
"jogo dez fibras sem dar nma1 palavra.
Nfio me espanta, respondeu Scribe.
As grandes dores sao sempre silenciosas.
Meissonier, celebre pintor Irancez, tSf
eonhecia Rftthschild. Prccisou de dinhei-
ro, o foi procurar o bero. Disse-lho quem
era e aeerescentou:
Venlio pedir-lhe 25 mil frau^os para
llie pagar quando me for possivel.
Com mnito gostov mas o pagamento
hade ser feito em quadros seus, Estou
envergonbado de'"tep t&i |xucos.
Pois seja em quadros.
No dia seguinte o pintor foi ao escriplo-
rio da ra Laflitte, e perguntou se o baro
tinha dado alguma ordem a seu respeito.
Deu, sim senlwir, respondeu o guar-
da l'vros.- Tenho ordem para Ihe dar o
que me pedir at 100 mil francos.
N'est mntenlo um homem couvenien
lemente trajado. de rosto francoc inteti"
gente, despontou no caiflinho que serpeo-
teava pela encosta di montanhi. PtKW
ter visite e cinco ou vi uto c se annos :
lesto e desembarazado, sbia'siJndifflpui-
dade a ingreme ladeira, accelenwd cada
vez mais o passo, corniqusra tinha pressa
defoegar. Em [iresenga d'aquolle rosto
tostado pela intemperie das estaees e da>
virl agilidade dos seus movimento-. lacil
era julga-lo marifime ; o traje?, porm,
qu*5 elegante e ao mesmo tempo simples,
e urna certa distineco no seu-todoi rev*
lavara n'elle muito mais dr> que um'simples
manijo.
Tambera de dia como de noule se achattosidad?? do ctmlnho mm seW'do, ia-'
Mando por atamos apenas trhdbs so-
bre a relva, palos- quae* encrtate a -dit*
fenrtr. fye^iif rrft:do em bfex^1 st^aetmn
protmo do cume, d'oada dd1nava o porto
e a ckhdo, que n'esse nvinwtilo i-*wdca-
fVra a occaltar-se n* cerra?fj e no fu no
mito actwa vfea das velhw pereces da
6fmu1, termo do sen destino, quando se
apix'vnnou do oulru viwidaiiie, q'J* segua-)
i encontr 'falda de penhascon'uma f mesmo caminho. postoque com muito
imthnsa prdfundidade, e o sossurro do tfenus ffe!icid;irit, porquamo adbm-a &f
vento em voRa do pharol, fazem lembrar pzer p*ragem para tomar foliigfl, como
constantemetite a especie doiperigos, conrBtoemse seatia extenuado de fadiga. Co-
traosquaes sd invoca a Virgem de Fl-Mo o^ovn m'rilibo-fosse paweaa(li>'adiaa-
ca'mp. m sem fazer o$m d'elle, o outre vitmdante
E'n'esta capella que embrev- en.oiv sse-fie cota ddiiariaaft um poue ww-ij
traremos alguns dos personagens da^noss lea :
historia, quatro annos, como sti^ervs, del- *- Roas tarder, capUlo"Grande. fl\ltrt?J
09S da coudem.nato de Reitomy e^do se^ %)uspeil-t)em Mide a sua roroata1-* eJ
cmplice. i #Ha a Virgem l
Estara-s no fifrt' de ontomno. O sol liera o titulo de capjtao parou
acabava de mergnlhar-se no horisonte d( ^fixQugitentameni o sea mpcirtOr. umolhar de descoh'flanc;j^ ;|Wrett, faz
navens, qne formavam como ama inontauh Eia este um gordo cidado dds seus etn- um esforco sobre si, disse-lhe:., ,
POr-^bTe a MAncha. Anda nao era bem weoManoos, do pernas curtas, roo re- Sondo como d, desajawa qoe^e e*>
TOMe? mas-tml cfBpttseuto conmtrfff en jbndo e veraaolbo, <4harde boaB> astuto, alicasao.
volver lgubreijMioVgfto, o mar e oj|frajavaum.pite^|farto e comprido, e na ^- NtaUyaao- aiitniaa : o3etfradol
campos. Um msm forte agita va as vagasj JMbeca chapeo de abas. urQra\ jpt. per ynm Bertomy **> me pertencem.
que iam estalar wntra a rbena com uiq'NMio de urna co.nprida lita de sida, se eu tenha recebido liaamsum
som rouco e montono. HfHimi ubna\ijfl>t do w^n ai- (m titedeyo
O celebre jardineiro Paquete tinha as
suas estufa* tres pecegos magnficos no
mez de Janeiro. Foi meio Poris v-las
e Rothstcliild tambera.
Admiraves, disse o banqueiro a-vr
os iiecegos. Reclnenle admiraves. Quan-
to quer pelos tres p tcegos ?
Mil e qjuiihentos francos (00 libras.)
Ora essa!
E' o preco. Nao abaixo um cntimo.
Tres pecegos por sessenta libras!
Senhor Deus misericordia. E quem sabe
se nao sao nons ?
E' que nos vamos ver, disse o jardi-
neiro; e coihendo um dos pecegos, lirou-
Ihe a casca, e eortndo-o ao meio deatne-
tade a Rothschild e comeu a outra metade. child.
Muito bom! Delicioso, evlaniot o
baro lambendo os beiCOJJ
O Sr. baro enteniedor. I! :nrvc
que o nao enganava.
Mas, emlim, o ultimo preco ? ..-
J disse. Sao sessenta libras.
O' homm. Nao ve que j falta om?
Rera vejo, mas o mesmo. Pira o
O baro de Rothschild foi ao Luxeinbur-
go visitar o general de Ilautpoul, e a flida
ni3ndou carruagem que o esperasso, e
foi dar um passeio a p. Em urna ra
prxima vito urna pobre loja de cacos e
fe i ros veraos. Parou porta e descobrio
um prato de grande preco entre muita
louca velha e sem valor.
Quanto custa o prato ?
Dez francos.
O baro metteu as maos nos bolsos e
vio que Ihe tinha esquecido de trazer
dinheiro.
Nao trago dinheiro, disse o baro
sorrindo, porm^manha mande receber
os 10 francos ra l.aliile a casa do Ro-
thschild.
- Qual Rothschild nem meio Roths-
Nunca ouvi fallar de tal nome. Se
Cakula-se em Franca que o baro James
de Rothschild tinha de renda um franco c
cincoenta e oito centesimos por segundo.
Suppondo que esta somma corresponde
com pequea djflereoca a 285 reis, teremos
que ao raillionario francez cabia de renda
por minuto I7<$i00 res; por hora 4.0.6>
por da 2i.60i.000 reis ; e por anno de
365 das 8.980. i60,?000rs.
Perto de nove mil contos! J 6 bonito
rendiraenlo!
Das fovidades.
POUCO DE TUDO.
POESA.Afljae em seguida transcrevv-
mos da distncta poetiza lirasileiraaExma.
9ra. 1>. Anua Barbara de Lossio Seibliti/
HSPKITO E C.LORt\.
Meu Deus, pois inda n5o basta ?!
Mt bastam tantas victorias ?!
Nao basta tanto herosmo ? I
N3o bastam tamanhas glorias ?!
Nao basta ser mais qne homem.
A quasi um Deus se igualar.
Como o esplendor de seu genio
Fazendo o mundo pasmar ??
N3o basta, meu Deas '1 pois Mda
Estes filhos da heresia
Trucidara. ne^rejam quisdi'
. Com iid'ernal aleivosa .'!
Mas nao ; estorcani-se embora.
as convulsoes do duspeilo,
Os filhos abastardados
Do paiz de Deus eleito :
Que as plantas de seu cavallo
Esses srlvos de serpentes *
Nem mesmo de leve tocam:
Rugindo vo impotentes......
sim resistir s travessora* do- voaUJ).
Apoiava-se a Onsu bengall de cann d>in-
dia com castSo do oiu, ifu- doeOrtoHie
preata bom auxilio ni dillicultosa subia.
Qjke encffntr'ij parecen pouco agrada*.-I
as maiitiino, qu depois de balbuciafam
eompriiaeto, proseguio seccamene:
Anda astim, Sr. WtpT, pareaMtne
mais singular a rouiaria de um arAafkir
do que a de um mirinlwiiv como eii.
O Sr. Dupr, que assim se- chan*! o
indn'lin, s irrio-se ma'fikisamentc.
Ora pois proseguio elle, -r- fi^e
que a Virgem faz milagros : se ella fitease
volt-ar o m"n revKi Jaren Ametict; slttido
tw^ws-arawa-para aT^rrr ^or%- e de qne
Em vez de subir com |iinen^St nf^- f&* Wwfrj noflfif, dar^fie-bt ermm mais
va+isos do que um ckir... Msw. cufiui
disse elle em tom differento vistH|ue
se dirige capella, faf amos oompanbia um
ao- outro.
Crandval ficou atrapalhado.
Paco desculpa,- ioterromp3a esfc*-
m ten*iO'niotff03 para ir s ao man aos-
tlBM. Prmta^nw, pois,1 que-o deke.
O armador redarguio com ar motojadi:
Ah I sim i Julga quo ea igaoro ooal
jMia a Virgem pro-espera-encontrar lcora
Wm ? S3 quer'tpte \ha diga, varaos re'r
raesmaSantal
N3o seiquaes sejam as-suas inMt-
(6os, seohbr ; ba,. porm, assumptoy a
raipeito dos quaes nao tolero gracejo^
Nao graoejo. Ev vitlBajuo prefijo
paras pontos sobtvosw saiban.tie airtts
ftds vimos aqui procurar a mesma pfc-
Mf
O capitt Grandval sentio-se vibl
mente contrariadij e lan^ou sobre D
'0
quer o prato, dinheiro na palma da mo.
qui nao se vende fiado.
Ficou attonito o bainnieiro por nao ter
ehegado ali noticia do seu nome, e avis-
tando diversos homens de fretes esquina
da ra, acenou-lhes. Vieram todos.
Qual de voces conhece o baro de
Rothschild ?
expressa, tanto mais que ignoro qnal seja
a resoluco definitiva. Emlim, nao tar-
dar a deciso das nossas dovidas.
Os dous viandantes pozerara-se a cami-
nho a par um do outro. Crandval pare-
ca muito confuso, divisando-se-lhe no ros-
to a luta de impressoes diversas. Depois-
de um momento do silencio, proseguio :
Com que entao o senhor sabe...
Sei que a menina Rortomy Ihe escre-
veu, pedmdo-lhe para que hoje ao anou-
tecer se achasse na^aapella. Eu recebi
igual convite, e, como v, apressenne ein
c.iegar l
E' para estranhar que Josepbina...
isto a menina Bertomy, faca seleceo
lo singular dos seus confideotes Ser
verdadoijue senhor se jacta de terpre-
tencSes a sua m3o ?
E porque nao ? E' verdade que o
senhor tem.sobre mim vi tantagera da mo-
cidade, posto que ha quem diga que linda
nao estou muito averiado ; mas o senhot
capito de navios de longo curso, tfem fei-
to mudas viagens loagruquas, e ha de con-
tinuara andar embarcado por largo tempo
antes de possuir tanto dinheiro, tantos t-
tulos de propriedades- e rendimentos como
eu la tenho em baixo na minha linda oasa
ooporto... E olhe que as mollreres, na
actualidade, apreciam muito estes nereei-
meatos.
Crandval olhou para elle com ar irri-
tado.
Ouca-me, Sr. Dupr, e fixe bem as
minhas palavrasdisse este era tom firme.
Ignoro com que fim Josepbina nos quiz
reunir esta noute ia-capella ; mas, se as
cousas n3o correrera como.eu daejo fique
na certeza de que. tomawi de certo- algum
expediente menoa: agrada ve!. Amo Jose-
phma BertoiJIjjMJIea infancia. Meu pai
era rendeiro dToma herdade visinlia da que
ella babitava. Sempre sentimos
outro viva affelcis e a nddoa que raa
a honra de sea pai era nada
tneus sentimentos E tu, gentil Guanabara,
Ve6te as esplendidas galas
De leus montes, de teus ecos:
Orna de flores de louros
Os auri-verdes trophos,
Que elle, o lilho das glorias,
0 bere de rail victorias. ,
J pisa o solo da pabia.
Que elle lo alto elevou !
Que ao mundo nteirg pa.^mou!
Oh! salve, Iros vezes salve"!
Brasileiro Scipio
Vem descancar das fa ligas!
Nesta orgulhosa nac3o!
Orgulhosa de teus feitos,
De teus louros de victoria
Or Do here de tanta gloria I
Cadas! nome de amor
Para o coraco brasileiro,
V como enthusiasirtado
Estremece um povo inteiro!
Estremece jubiloso
Por ter-te por companheiro.
Por te dever suas glorias
General nobre guerreiro !
V, cada olhare-teumhymno.
Um poema agradecido !
Cada palavra proclama
Teu valor nunca vencido!
Lllrapassastes os limites
Por Deus marcados aos moraos
Os teus feitos gloriosos
No mundo nao Iam iguaes!
Oh savie, Ires vezes salve /
Brasileiro Scipio!
Vem descanear das-fadigas
Nesta orgulhosa nacao.
E nos bracos saudossissimos
Da virtuosa consorte,
Esquece em paz gloriso
As lides do Deus Mavorte.
Mas se a patria inda tima vez
De teu braco precisar,
Ah! nao trepides, guerreiro.
Vai outra vez nos salvar.
do ltimamente llie ped a sua mo, rcou-
sotr-m'a sob pretexto de nao me querer
fazer partilhar da deshonra da sua familia,
declarando-rae formalmente que nao casa-
ra. Tomei isto como urna delicadeza
levada raaior exaggeracjfeH ma6 nem as
minhas instancias, nem as minhas promes-
sas poderam tiiiiii|>bar da sua obstinacau.
Entretanto, se Josepbina Bertomy me en-
ganou, se as razos qoe me apresentou nao
forara mais do que um pretexto para me
retirar do terreno e conceder a outro o que
a mim recusa. repito-UM que me nao c
formareiacilmente, e se ao Si". Dupr liou-
ver de caber a preferencia sobre mim.
tenha a certeza desdo j do que ajustare-
mos- contas, embora eu v jiarar ao n-
fenio !
E, seni mais nada dizer. transpon, a
passo accelerado o espaco que ainda me-
deava para chegar ao alto da montanha. O
gordo armador perder o aspecto risonho.
porque se orteeeira das uiaeacas do ca-
pito' Grandval. Comludo fbi tratando de
dar o maior movmentD possivel s >uas
curta |ierna com o fim de o acompanhar
com voz erquejante exclamava ;
'Capito Grandval, ou;a uma-|>ak'.
Devenios explicar-nos. Mis searowitii
Bertorayaattiajri- resolvila ?
0 capilao, porm, j o nao ootti
esse tempo achava-se n'uma espa
adro cercado de paredes._
preceda a capella
paco rapidamento, f
diligencava ?ttmpra
garam amffts- porta
se Grandval affastado d
te, entraram amB
este es-
Duniv
Ci-
. teTKfn-
arrebatadamti-
velho e lgubre
edificio, pato, imponente aspecto nio podqi
detarde d# novo curso s'stus' leTOifiv.
(flmishtmm mea)'



i
l
* -


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EG6L4Z51W_TKG70M INGEST_TIME 2013-09-14T00:39:06Z PACKAGE AA00011611_11784
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES