Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11777


This item is only available as the following downloads:


Full Text

ANNO XLV. NUMERO 45.
.


>

i
PABA A CAPITAl E LUGABES OKBE NA6 SE PAGA PORTE.
Por tres mezes adiantados. ... unvi
Por seis ditos idem..... i...... .... oouuo
Por um armo idwn.....i............' 2iKo
Ca maero avulso..... \ \ '.'.'.'...'. \ '.'. \ \ 320
SEXTA FEIRA 26 DE FEVEREIRO DE 1869.
\*
PABA DENTBO E FORA DA PBOVIHCIA.
Por tres mezes adietados...........>. .
Por i^rs ditos idem...............
Por nove ditos idem...........,
Pon anno......, .
b\WSO
mm
204280
27,5000
Propriedade de Manoel RgTieira de Faria & Filhos.
......... -------------'---------------------------------------------------------1L------------------------------1-------------- ,.----------------------------------------------------------
SAO AfcE.VTK*:
Os Srs. Gerardo Antonio ANes Filhos, no Para; GoacaJves Pinto, no Maranhao; Joaqun Jos de Oiiveira, no Cear; Antonio de Lmos Braga, noAracaty: J0S0 Mara Julio Chaves ne Ass- Antonio MarmiPs Silva nn 1***. *. w
Cuma** Pancada, em Mamanguape^Antonio Afataddrilw de Lima, na Pranla; Antonio Jos Gomes, na Villa da Pfenha; Carmino dos Santos Buteao, e^ Snto Antao; lS$E drftetajSJ ^"^
AY0S. na Ratita. mIaoA Dilmliin i1..,nl,tn n: J t___w. '
em NSzareth; Francmo Tavares da Csta, em Atogas; Dr. Jos Martins Alves, na Baha; e*Jos Ribeiro Gasparinho, no Rio de Janeiro.
PARTE OFFICIAL
Cioverno da provincia.
EXKMKKTE ASSIGKABO PELO EXM. COOK DE BAE-
,'K.\)Y, PRESIDENTH DA PROVINCIA, KM 18 DK KBYB-1
RMtODK 1869.
2.* secro.
N. **3.Portara ao Dr.'chefe de polieia.De-
. claro ,i V. s. para seu eonheriment, alim de que
o faca-constar a quera competir, que o inspector
da thesouraria provincial participou-me em oflleio
de hontea, aob n. 77, que da quantia de 704 em
qne, segundo a emita que veio annexa ao ofilcio
lesas repartic/ap n. 7,921 de 23 deoulubru do an-
uo prximo passad, importara a despeza felta com
o sustento dos presas pobres da eadeia do termo
de .Nazarc-th durante o mez de selombro do nx>s-
me anuo, mandn papar somonte a de M4, pro-
viudo o.-sa dilfrreuca de se haver dcduzido da im-
portaacia lia mencionada ronto- a somma de t2
correspondente aos presos Manoel de Andrade da-
Silva e Severiano Teixeira de Souza, que lifruram
na retarlo, ministrada |>clo delegado daqnelle
termo.
N. 48VDita ao commandante superior interi-
no do Recife. Maja V. S. de ministrar eom bre-
vidade a informacil exigida por despacho desta
presidencia d" t de Janeiro prximo lido, acer-
ca de laiilo Francisco de Oiiveira. que fui reern-
tado com o nome de Paulino Felippe Nepomu-
ceno
_N. 485.Dita ao juiz municipal de Santo An-
tao.=0 inspector da thesouraria provincial parti-
cipou-mr em ollicio de hontem, haver dado des-
pacho para pagamento da despeza feita com o sus-
tento dos peeu pobres da eadeia desse termo du-
rante os mezes de novembro e dezembro do auno
prximo paseado, oduzindo-se da importaneja da
respectiva conta que veio annexa ao seu ollicio de
18 de Janeiro ultimo, a quantia de 2 correspon-
dente ao preso Manoel Francisco de Mello, que
nao esl eoiuemplado na relacao que enviou o de-
legado competente, eontendo os nomes dos presos
recomido^ a mencionada eadeia no predito mez de
dezembro. O que declaro a Vmc. para seu conhe-
cimento c-afim de que o foca constara quera
competir.
3 seccao.
N. 486.Portara ao inspector da thesouraria
de fazcnda.-^Ent vista do pret junto em dnplicata,
que me remetteu o enramndome superior leste
municipio com officio de 16 do corrente, ?ob n.
18, mande V. S. liquidar e pinar os vencimentos
relativos a primeira quinzena deste mez dos guar-
das nacinnaes do batal.illilo de infanlaria, que
se aeh.vn aqnarleln los ne.la capital 8 dos contin-
gentes a elle addidos.
N. 187.Dita tu iiicihh.Itecmnmendo a V. S.
que em vista .la felfea, cuita e prets juntos em du-
plicata, (fue me remetteu o counnanilante supe-
rior deste municipio com ollicio de lo do corren-
te, sol) n. 19, mande liquidar e pagar os venci-
mentusdo alteres AugestO Pater Cesar, que este-
ve destacado no presidio de Fernando, de oito
guardas nacioaUB que estiveraa em sorvieo na
comarca de (aranhuns e doentes no hospital mi-
litar, hem como a despeza delta com o aluguel de
um envalli' que eandnw) o alteres Joao Paulo de
Carvaio para a villa do Limoeiro. onde romman-
duu o respectivo destacamento, sendo que os ven-
eimentefl do offidal s.lo contados de 1 a 2 de de-
zembro do auno pfOXiflM pas-ado, e os dos guar-
das relalivus a segunda quinzena do citado mez de
dexembro eom oxcspoiii dos do guarda JosLou-
rent;.o de Vasronccllos, qae dizera respeito a todo
o mez de Janeiro ultimo.
N. 488.Dito ao mesrao.Recommendo a V. S.
que em vigiadas duas coalas juntas em duplcala,
que me remetteu o engonheiro cncarregado das
obras militares nesta provincia, eom olllcios de 16
e 17 do corrente, nuade pagas a Luii Goiuaga da
Kocha a quanUa de 109e a Manuel Antonio Tei-
xeira .I 9'W-yiii) a qoe, tem elles direito por
iiaverem. o primeiro consU'uido una cliainin cora
cpula sobre o fogo da ollicina de laloeiro do ar;
seal de guerra e feilo o concert de que precisa-
va o ladrillio da n esma ollicina, c o segundo exe-
cutodo as obras e reparos autorisados pelo aviso
do ministerio da guerra de 16 de outubro do aa*
no pas.-.'ulo. que sf l'iizem necessarios no quartel
dos operarios militaros annexo ao n.-ferido ar-
senal.
N. 489.Dita ao mesmo. -Attendendo as raz("ie9
apresentadas no ivqueiimcnto que incluso devol-
vo, do Dr. I.ourenw Francisco de Almeida Cata-
nlio, juiz de direito da comarca do Brejo da Ma-
dre de Deus, e tendo em vista a sita informacao
prestada a este respeito em ofllcio de 15 do cor-
rente, sob n. 88. recommendo a V. S. que mande
pagar o ordenado do sipplicante a contar de 16
de dezembro do anuo prximo passado a 16 de Ja-
neiro ultimo, tempo em que estova esse magistra-
do no jjozo de liceoca concedida por essa presiden-
cia, nao obstanie teV principiado a fruir ena li-
cenca d mi m zes depeis da data de sua conces-
sao, pota ipie acha-so elle no mesmo caso de que
traa a portara de :0 de abril daqnelle anuo.
J|. 49HDita ao inspector da thesoiiraria pro-
vinci.d.Autoriso V, S. nos termos de sua infor-
macao de hontem, sob n. 79, com referencia a da
contadoria de-sa thesourarla, a mandar pagar a
Bento Joaquim t'.uuies, arrematante da obra dos
reparos da ponte dos Remedios, a segunda presta-
cao do -en e nitrato, na importancia de i:6i170
b mi i Se v do certificado annexo ao requerimen-
to que Incluso devoteo.
N. 491.Dita ao mcmo.Annuindo ao que so-
licitou o tenente-coronel commandante do corpo
praworio de polica era oOicio de 16-do corrale,
sob n. 3i, recommendo a V. S. que em vista da in-
clusa conta, mande pagar a Guimaraes & Oiivei-
ra, a quautia de i0 proveniente de um livro que
forneceram para o registro da correspondencia
daquelle corpo com esta presidencia.
N. 192.Dita ao mesmo.Expeca V. Exc. suas
nrdens, para que em vista da cont o prets juntos
em duplcala, que me reraelteu o commandante
superior da comarca do Cabo com ofilcio do 1* do
corrente, sob n. 869, sejam liquidados e pagos ao
capitSo Antonio Carneiro l.ins e Mello ou a pe-
sa por elle autorsada, os vencimentos, a contar
do Io de dezembro do anno prximo at 13 de Ja-
neiro ultimo, dos guardas nacionaes destacados na
villa do mesmo nome, e bem assim a importancia
da despeza feita duranto o citado mez de dezem-
bro com o fornecimento de luz e agua para o
quartel daqnelle destacamento.
N. 49.1Dita ao mesmo.Com a- rcccpc3o do
seu ofilcio de lionlen," sob n. 78, flqiei inleirado
de haver Y. S. dado despacho para pagamento da
despeza feita, durante os mezes de novembro e de-
zembro do anno prximo passado? com o sustento
dos presos pobres da eadeia da cidade da Victoria,
deduziido-se da importancia, da respectiva conta a
qnantia de 2|00t) correspondente ao preso Manoel
Francisco de Mello, que nao se aclia contemplado
nx reMQQu q toi tieteu t) delegado tf aqneBWW
rao, dos presos recoWdOfl meacicnada eadeia no
predito mez de dezembro.
N. 494.Dita ao mesmo.Pico inteirado peto
seu ollicio de hontem, sob n. 77, de haver V. S.
mandado pagar, a despeza feita con o stetent dos
presos pobrcsKla eadeia de Naaafeth durarte o
B}ei setemhro do ano prximo passado. dedu-
'z,nd2,la'"ll,oranm-da respectiva conta a quantia
de 2M^#MrwpondeMfr ao presos Mano*! de
Andrade da Silva e SeveriM Teixeira de Souz ,
qunao figuran na refaga* trada pelo dete-
gade dltqoeHe temo.'
4.* soccao.
X. 495.Portara ao enganheiro fiscal da estra-
da de ferro.Podo Vine, mandar publicar era al-
gum dos joraaes desta capital, como soliciten em
ollcio de 17 do corrente, o reaiorio das oceurren-
cas havidas e do estado das obras da estrada de
ferro durante o anno passado.
.N. 496.Dito ao superintendente da estrada de
ferro do Recife a S. Francisoo.Ao contador do
correio geral da corte, Joaquim Francisco Lopes
Anjo, que vai inspeccionar alguraas agencias do
interior da provincia, mande o Sr. superintendente
da estrada de ferro do Recife a S, Francisco dar
transporte de ida e volta at Trombetas por conto
do ministerio da agricultura, no da em que se
apresentar com sua bagagem na estacao das Cin-
co-Pontos.
N. 497.Dito ao gerente daceinoanliiaPernam-
bucana.O Sr. gerente da oouipanliia d'ernambu-
cana, mande dar urna passagem de estado a r no
primeiro vapor que segn- para Macero a Jos Cae-
tono Pires da Silva.
EXPEDIENTE ASSI0XAO0 PE1.0 SR. DR. JOAQUIM COBItEA
DE ARAUJO, SECRETARIO DO GOYER.NO, EM 18 DE FE-
VEREIRO DE 1869.
1" seccao.
N. 498.Ofilcio ao brigadeiro Kelly, presidente
ta commfsao de syndicancia do arsenal de guer-
ra.De ordem de S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia, declan a V. Exc. qne segundo participo',!
0 juiz de direito da primeira vara desta cidade fo-
rain expedidas as convenientes ordens ao escrivao
d'aqueJJe juizo para dar as certidoes das pegas que
1 lio forero aponiadas pelo inotnbro dessa cinmis-
sSo bacharel Olympio Marques da Silva, no pro-
cesso de responsabiltdade instaarado contra diver-
sos empregados do arsenal de guerra.
N. 499.Dito ao engenheiro encarregado das
obras militares.0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda declarar a V. S. em respostaaos seus
olllcios de 16 e 17 do corrente, que transmittio a
thesonraria de fazenda para os flns conveniente^
as contas, que em duplcala vieram annexas aos
citados ofllcios.
2" seceso.
N. 500.Oflleio ao conraandante superior do
Cabo.Nesta'dala transmittio-se a thesouraria pro-
vincial, para os flns convenientes a conta e prets,
que'em dupticata vieram annexos ao ofilcio de V.
S. datado do l." do corrente mez, e sob n. 869, o
qual ftca assim respondido, de ordem do Exm. Sr.
presidente da provincia.
N. 501.Dito ao commandante do corpo provi-
sorio de polica.O Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, respondendo o ollicio de V. S. de 16 do cor-
rente, sob n. 32, manda declarar, que a thesoura-
ria provincial tem ordem para pagar a Guimaraes
A Oiiveira, a quantia Je 20^000, constante de seu
citado ofilcio.
3* seccao.
N. 502 Offifio ao inspector da thesouraria de
fazenda.O Exm. Sr. presidente da provincia, man-
da devolver a V. S. convenientemente despachado
o incluso requerimento documentado de Victorino
Dominles Alves Maia, a que se refere a sua in-
formacao de 15 do corrente; sob n. 86.
KXPBDIENTE ASSI.\ADO PELO EXM. SU. CONDE DEJAE-
PENDT, PRESIDENTE DA PROVINCIA, EM 19 DE FEVE-
RF.IRO DE 1869.
1.* seecSo.
N. 503.Portara ao coiamissario vaccinador.
Dirija-se Vmc. a freguezia da Varzea, e examine
o estado das pessoas all afiectadas da varila, vac-
cinando aquellas que anda nao o tiverem sido, e
propondo as medidas que julgar convenientes para
extingir a epedimia.
EXPEDIENTE ASS1UNADO PELO EXM. SR. CONDE DK
BAEPENDY, PRESIDBNTE DA PROVINCIA, EM 20 DE
FEVEREIRO DE 1869.
Ia seccao.
N. 506.Portara ao director do arsenal de guer-
ra. Pelo tenente-coronel commandante do corpo
provisorio de polica serao entregues a esse arsenal
o armamento constante da relacao junta por copia
para ser concertado, e igualmente os objectos de
que trata a outra relacao tambera junta, eque por
inuteis aquelle corpo devem ser ahi recolhidos.
N. 507.Dita ao capitao do porto.Fica anpro-
vada a designacao do imperial marinheiro invalido
Genuino Joao Marques para servir o lugar de guar-
da dessa capitana, como V. S. propoz em seu ofil-
cio de 18 do corrente sob n. 23.
N. 508.Dita ao inspector do arsenal de mari-
nlia.Nos termos de sua informacao de 17 do cor-
rente sob n. 1688 acerca do roqueriinento de Ma-
noel Francisco Leile de Arauju, autoriso V. S. a
mandar desligar da curapauhia de aprendizes nia-
rinheiros desse arsenal o menor fllho do suppli-
cante de nome Manoel Le te de Araujo, visto sof-
frer de asthma, e estar por isso impossibiltado de
nella continuar, inderansando o supplicante pre-
viamente a fazenda das despezas feltas com o refe-
rido menor.
N. 509.Dita ao mesmo.Cumpre que V. S.
mande formular urna rlaco dos raateriaes e ou-
tros objeclos indispensaveis ao servido desso arse-
nal e offleinas, anu de reclamar-s do ministerio
da marraba, onde com mais vantagem para a fa-
zenda publica podem ser comprados esses objeclos.
X. 510Dita ao conselho de compras navaes.
Fica approvada a compra que, a vista das pro-
postas apresentadas constantes do termo annexo
por copia ao seu oficio de 16 do corrente, promo-
veu o conselho de compras navaes de objectos para
provimento do almoxarifado de marrana, 0 que
communco ao mesmo consaio declarando-lhe em
resposta a ultima pergunto o seu litado ollicio,.
que nesta lato mando que o inspector do arnenal
de marinha formule urna relacao dos materiaes e
outros objectos indispensaveis ao servico d'aquelle
estabelechnento e das respectivas offleinas, alim de
reclamar-se ao ministerio da marinha, onde com
mais vantagem da fazenda publica podem ser com-
prados esses objectos.
-""" 2* erco
X. 515.-Portara ao chefe de indicia.Nos ler
raos de seu oficio de 15 do corrente sob n. 82t,
mande V. S. entr^ar Mariano Teixeira de Bar-
ros urna jangada nova ou a su importancia, a
titulo de indemnisacao da de sua propriedade, que
flcou inutilisada com o servico cm que foi empre-
gada no districtoda Capuaga, por occasiao da re-
cente eheia do rio Cambaribe, devendo V. S.
enviar opportunamente a conto do que despender,
alim de ser satisfeita pela thesouraria de fazenda.
X. 51 kDita ao mesmo.Apprevo as inilruc-
coes pocT. S. organizadas para servir de fibrina
aos agentes policiaes encarregados do recrutamen-
to nesta protiacia. de que trato o seu ofilcio de 15
do corrente, recommentlando a V. S. que as fa?a
executar.
N. 515Dita ao juiz de direito da 1' vara desta
cidade.Transraltto a V. S. o officio, junto por co-
pia, do presidente interino do superior tribunal
da relacao, de 16 do corrente, para seu conheci-
msVto e para que seia junto ao processo de res-
ponsabilrdade, mandado instaurar ao secretario
do dito tribunal.
X. 516Dita ao juiz municipal do termo de
Cimbres.Transmiti a Vmc. o officio junto por
copla do presMen^e- interino do tribunal da reta-
gao, em que informa sobre o conflicto de jurisdei-
cao entr esse jnzo e o do Brejo, de que trata o
ofilcio de V. S. de 9 fie deeembro ultimo.
N. 517. Dita ao juiz municipal supplente do
termo fio Rio Formse, Antonio dos Santos Vital.
Transmitto a Vmc. o parecer jnnto por copia,
do fieaembargador da- cro3>soberan3 e fazenda
naei dwida por Vmc. suscitada em seu officio de 43
deste mez, qnanto ao escrivao, que deve tunecionar
na execucao, que aos herdeiros do brigadeiro Gas-
par e Mcnezes Vasconcellos de Drurainond move
a vaD"ao^',Sil 4C Miseriordia desta capital.
N. 518. Dita ao commandante do corpo pro-
visorio de polica. Pode Vmc. alistar no corpo
sob seu commando, e paisano Francisco de Assis
Campos Cordero, de que trata o seu officio n. 34,
de 17 deste uiez, tendo elle a necessaria morali-
dade.
N. 519. Dita ao mesmo. Concedo a Vmc. a
auiorisaeao que pede para desligar. d cor| sob
seu comisando, dando-lhe baix, -pniw Jos
Fernandos de Sales, a que allude o sea oHlcio n.
36, de 17 dete mez.
X. 520. Ditoao mesmo. Mande Vmc. des-
ligar do corpo sob seu commando o soldado Igna-
cio Antonio de Paula Madureira, de que trata o
seu oflleio n. 4t de 18 d?ste raez, visto ler cora-
irfetado-n lempo do seu engajamento.
X. 521Dita ao mesmo.Concedo a autorisae.lo
por Vmc. pedida para seren eliminados do corpo-
sob seu coininando as pracas Jos Benedicto
Borges llamos, Jos Pedro da Silva, Francisco
Damiao de Souza Viegas eleaquim Jos de Santa
Auna, que segundo o seu officio n. 37, de 17 deste
mez, foram julgados incapazes do servico.
N. 522. >* Deliberaco. O presidenta da pro-
vincia attendendo ao qae Ihe requereu o bacharel
Jos Rodrigues do l^sso Juoier, juiz municipal e
de orphaos do termo do Bonito e Interino de direito
da comarca dAnesmo nome, resol ve conceder-lhe
trinta das de licenca, com os respectivos venci-
mentos, na forma da le, p Ha tratar de sua saude
nesta capital.
v -a* 3" sefP"w-
X. o23. Portara ao inspector da thesouraria
de fazenda. Recommenilo a V. S. quedepois de
liquidada, em vista da inclusa conta, a importan-
cia das diarias abonadas pelo capitao Francisco
Borges Leal a dezoito retratas n'ella raencienados,
e que foram remettidos dos termos de Garaiiluis.
Buique e Flores, mande pagar o que justamente
se estiver a dever de laes diarias ao mencionado
capitao, que, para, esse fltn, foi indicado no ollicio
junto por copia-, que me dirigi o chefe do polica
era 18 do curente sob n. 241, do qual consta do
destn que tiverain esses reerntas.
N. 524.Dita ao mesin).Declaro a V. j>., para
seu conhecmento e fins cjnvenientes, que o chefe
da repartcao das obras pubicas participon-meem
officio de 18 do corrente, sob n. 62, haver man-
dado lavrar o termo de reeebimcnto provisorio
das obras do primeiro lanco da estrada de Titflh-
betas a Colonia Militar de Piraenieira*. e passar o
competente certificado ao respectivo arrematante.
bacharel Pedro Alfonso Ferreira.
X. 525. Dita ao mesmo. Aos negociantes
Moma & Braga mande V. S. pagar, depois de li-
quidados, em vista da relacao nominal e pret, jun-
tos em duplcala, que me remetteu o commandan-
te superior interino da comarca do Bonito com of-
licio de # de corrente, os vencment&s corres|)on-
dentes ao mez de outubto do anno prximo |wssa-
do, dos guardas nacionae.-, do batalliao 27 de in-
famara, destacados na villa de S. Bento.
N. 526. Dita ao mesmo. Providencie V. S.
para que, em vista das Maaoel nominaes e pret
juntos era duplcala sejam liquidados e pagos ao
negociante Antonio da Foircea e Silva, conforme
solicitou o commandante superior interino da co-
marca do Bonito, em officio de 5 do corrente, os
vencimentos a contar do 1" de novembro at 19 de
dezembro do anno proxiun passado, dos guardas
nacionaes do batalhaon. 27 de infanlaria destaca-
dos na villa de S. Bento.
N. 527. Dia ao mesmo. Expeca V. S. suas
ordens para que sejam pagos a Antonio Jos Aran-
tes k C. depois de liquidados, em vista das folhas,
relacoes nominaes, e prets, juntos em dnplicata,
que me remetteu o commandante superior da co-
marca do Bonito con, ofilcio de 5 do conente, os
vencimentos do official e pracas do batalhao n. 27
de mfatrttria destacados na'cidade de Cantar,
sendo os do official a contar de 16 de dezembro a
31 de Janeiro ultimo, e os das pracas relativos
aquellas mezes.
X. 528. Ditoao mesmj. Approvandoa com-
pra que segundo o termo e officio juntos por copia
ellectuou o conselho de compras navaes, de varios
objectos para provimento do almoxarifado do ar-
senal de marinha ; assim o communco a V. S.
para seu conhecmento e direrefu.
N. 529. Dita ao mesme. Tenho nesta data
approvado a designaeo do imperial marinlieiro
invalido Gesuino Joao Marines, para servir o la-
gar de guarda da capitana do porto em officio de
18 do corrente ob n. 23, assim o communco a
V. S. para sen conhecmento.
X. 530 Dita ao mesmo. Transmiti a V. S.
a folha e pret nominal, juntos em dnplicata, alim
de que depois de liquidados-os vencimentos rela-
tivos ao mez de Janeiro ultimo do official e pracas
da guarda nacional destacadas na cidade de Goian-
na, mande pagar ao sargento Luiz de Franca dos
Santos Oiiveira a importancia de t.nes vencimen-
tos conforme solicitou o commandante superior
d'aquella comarca em officio de 16 do corrento.
N. 511.Dita ao inspecior da thesouraria pro-
vincial.Depois de liqudala, em vista da inclusa
conta, mande V. S. pagar ao capitSo Antonio Au-
gusto Maciel, conformo solteiton o chefe de polica
em officio de 7 de Janeiro ultimo, sob n. 26, a im-
portancia do aluguel de Ira mezes, vencidos em
31 de dezembro do anno prximo passado, da ca-
sa que serve de eadeia na villa de llarreiros.
N. 532.Dito ao mesmoMando V. S. hq ti.l ir
e pagar ao capitao Francisco Borges Leal, em vis-
ta'da conta junta em dnplicata, que me remetteu
o chefe de polica com officio de 18 do corrente
sob n. 242, o que se e-ver a dever, proveniente
de diarias abonadas a viute e tres criminosos,
constantes da mencionada conta, os quaes vieram
dos termos de Garaahuas, Buiquo e Floros, e
aehaia-se recolhidos a casa de detencao.
X. o33.Dita ao mesmo.Em vista do incluso
recibo que me remetteu o chefe do polica com
officio de 18 do corrento sob n, 243, mande V. S.
IJa?ar j""papitoo Francisco Borges Leal a quantia
de 4 000 por elle despendida, era vi i lude de or-
dem do delegado do tequio de Garanimns, com a
arqmsicao de orto pares iiurcao de presos, que vieram d'aquelle termo, c
acMam-serecolhidos a casa de detencao.
X- o34.--uito ao mesuro. Annuindo ao quo *n>
ucitou o chefe de polica om officio de 18 do cor-
rente sob. n. 244, recammtndo a V. S. que, em
vista da conto junta era duplcate, mande pagar
5L^Mre?K,^ P'es.?erre-* a quantia que ju<-
mente lhe fr dosida,.proveniente de diarias
alionadas a nove criminosos, constantes da men-
cionada conta e que foram por. elle conduzidos
em outubro do anno prximo passado para o ter-
mo do Buique.
X. 535Dito ao mesmo.-Mande V. 8. por era
hasta publica os reparos de que precisa aponte
do Anjo sobre o rio Serinhem, serviudo do base
a essa arrematacao as clausula* e oreainento un-
tos por copia, na importancia do 3:304 OOO o
rae remetteu o chefe da roparticao das obras nu
bhcas com ofilcio do 82 e agosto do anuo oroxi-
ino passado. A J--------~
cas da guarda nacional destacados na cidade da
Victoria, nao obstando a esse pagamento a cir-
cumstancia de virem os recibos ao tuesoureiro da
thesouraria de fazenda, (mis qne essa falta pode
ser sanada passando novos recibos a pessoa in-
cumbida do recebimento de laes vencimentos.
X. 537.Dita a> chefe da repartcao das obras
publicas.Nesta data recommendo ao inspjctor da
ihesouraria provincial que -mande por em hasta
publica es reparos, de que precisa a ponto do
Anjo, sobre o rio Serinhem, servindo d* base a
essa arrematacao a clausulas e orcamonto, que,
na importancia de 3:304000 vieram annexos ao
ollicio dirigido por Vmc. ao meu antecessor <*
22 de agosto do anno prximo passado, o qual fica
assim respondido.
T. 538.Dita ao mesmo.Acenso a reeepcao
do officio de 18 de fevereiro ultimo, sob n. 62, era
que Vmc. paitiripon haver mandado lavrar o ter-
mo de recebimento provisorio das obras do 1 .
lauco da estrada de Trombetas a colonia militar
de Pimenteiras. e passar o competente eertilieado
ao respectivo arremtente, bacharel Pedro Alfonso
Ferreira.Rm resposta ao citado officio tenho a
dizer qne vou dar scieneia disso a thesouraria de
fazenda, para os flns convenientes.
N. 539.Deliberaco.O presidente da provin-
cia tendo em vista o eme requereu Joaquim Anto-
nio Rodrigues, empreiteiro da construccao de urna
barca de virria para o servico da alfadega desta
capital, resolve, de conformidade com a informa-
do, prestada a este respeito polo inspector da
thesouraria d fazenda em officio de 27 de Janeiro
ultimo, sob n. 53, nrorogar mk o lim do o Trente
mez o praeo marcado no contrato do supplicante
para a conclusa e entrega da mencionada barca.
Este ser apresentada as estacos competentes
para ter a devida execucao.
EXPEDIENTK ASSIGKADO PELO SB. DR JOAQUIM COH-
UtlA DE AltAUJO, SKCliKTAltIO DO GOVEnNO, EM 23
DE FKVFHKIUO DE '1869.
2" seccao.
X. Sil.Officio ao Dr. chele de polica.Sua
Ese, o Sr. presidente da provincia, manila declarar
a V. S., em resposta ao seu ollicio de 7 de Janeiro
ultimo, sob n. 26, que nesta data autorisou-se a
thesouraria provincial a pagar ao rpita; Antonio
Augusto Maciel a quantia de 50^000, constante de
seu citado officio.
X. 512.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. presiden-
te da provincia, manda declarar a V. S., queirans-
mitto as tliesourarias geral e provincial, para os
fins indicados em seus afflcioe de 18 do coi rente,
sob ns. 241,242, 244 e 245, as contas c recibo, que
vieram annexos a taes olllcios, os quaes licaui as-
sim respondidos.
X. 543. Dito ao commandante superior de
C'iaima.Ncsta data autorisou-se a thesouraria
de fazenda a pagar ao sargento Ijiz de Franca dos
Santos Oiiveira os vencimentos constantes da folha
e pret, que vieram annexos ao officio t>e V. 8., da-
tado de 15 do eorreute raez, o qual fica asnm res-
pondido de ordem do Cxm. Sr. presidente da pro-
vincia.
N. 544.Ditoao commandante superior de San-
to AntAo.Sni Kxc. o Sr. presidente da provincia.
tendo auloi isado o pagamento a Flix Figueira'*e
Faria, dos vencimentos constantes da folha epret
que vieram annexos ao seu oflleio de 14 do er-
rante; mandrivcommendar a V. S. a expedicao de
suas ordens, para que os recibos dos wnciiientns
do destacamento da cidade da Victoria nao conti-
nen! a ser pataadon ai tliesoureiroda tliesouraria
de fazenda, e sim ai da provincial, por onde cor-
rem taes vencimentos.
X. 545.Dito ao commandante superior do Bo-
nito.Sua Exc. o Sr. presidente da provincia, man-
da declarar a V. S., em respoMi aos seus tres offl-
cins datados de 5 doeorreie mez, que transmittio
a thesouraria de fazenda, para os fins convenientes
as folhas, relacoes nominaes e prets, qne em dupli-
ca'a vieram annexos a taes nflicios.
X. 5it.Ditoao cunmaiidante do corpo provi
sorio ile polica.0 Exm. Sr. presidente da piovin
Mara Isabel daCoaceiciio-rlnforiiie ofr. desem-1 jni, y., i>,v;
bargador provedorda Santo Casa da Misericordia. ArtnteZitt%*L*i
Pedro Cavaleante do Rogo "-------
']a-se ao Sr. inspector da the
intem se expode ordem no senlido que requei.
\irginio Gomes de AndradeOs autos do med-
Cao de Ierras, a que allude, foram reiwsitodospelo
engenheiro Luiz- Jos da Silva. Opportunainente
. e Albiiquerque.Di-1 w Francisco ('ivalran
esouraria provincia, jSSS^&SSSf. \ '. \
Joaquim Alves de Siquera. .
Joao de Si.pieira Barbosa Cavah-anti
sera tomado
supplicante.
Repartido da pollela.
r seccao.Secretaria da polica de Pernambnco
25 de fevereiro de 1869.
X. 285.Illm. e Exm. Sr.Tenho a honra de
levar ao conhecimento de V. Exc. que, segundo
consta das participarnos reeebidas hoje nesta re-
291
284
28*
282
282
2X1
280
27H
Elias l.eite do Oiiveira
ttcenstteraein wM^^^f^^^ ;
Ek'itores para deputaos.
Gustavo Camello de Siqneire .
Joaquim Ignacio de Siipieira .
Luiz de Siquera Barbosa .
Joaquim Alves Brasiliano de Siqueira
Antonio de Siquera Barbosa .
Joaquim Brasiliano do Siqueira Mello .
Joaquim Alves de Siqneir* Barbosa .
partico, foram hontem recolhidos casa de de-
tencao, os seguintes individuos:
A ordem do subdelegado do Recife, Benedicto
e Manoel, escravos, este de Francisco Rezende
Duarte Reg e aquello do Dr. Joao Francisco
Castello Branco, o primeiro a requerimento de Do-
mingos Jos da Silva, e o segundo a requerimento
de seu senhor.
A ordem do do Santo Antonio, Mathias, escravo
de Carvalho & Xogueira, por ser encontrado de-
pois de 9 horas da nonte sem bilhete de sens se-
hores.
ordem do de S. Jos, Antonjp Jos da Costa,
por disturbios.
A ordem do da Boa-Vista, Antonio Jos da Sil-
va, por snspeito de ser escravo ; Marcos e Cosme,
escravos. este de Reg & Irmao e aqnelledo Dr. Jo-
s .Nicolao Riguera Costo, ambos por serem en-
contrados depois de 9 horas da noute sem bilhete
de seus senhores.
ordem d* da Capunga, Pedro, escravo de Oii-
veira Filhos A C, a reqnerimente destes.
ordem do dos Afogados, Pedan, escravo do
Dr. Joaquim Carneiro da Cunlia Miranda, por fe-
rimenteS.
O subdelegado da freguezia de Santo Antonio,
por officio de 19 do corrente, participou-me, que o
prelo de nome Agostnho Manoel do Xascimenfo,
preso era flagrante no da 6 do mez passado, jk-Io
crrae previsto no art. 222 do cdigo criminal,
cunta Antonia l.tiiza do Carmo, foi pronunciado no
dito artigo, sendo sustentada a pronuncia pelo Dr.
juiz municipal da primeira vara.
Particpou o delegado do termo de Xazareth,
em ollicio de 20 deste mez. que o subdelegado do
districto ile Tracunhaein foi recolhido a eadeia da-
quella cidade e posto a sua disposi^ao Ignacio
Marraba dos Santos, conhecido por Belarmno Ma-
ri niii dos Santos, por ter feito parte de um ru-
po que soltou alguns presos da eadeia de Flores,
dando-se nessa occasiao duas mortes.
Por officio de boje, communicou-me o Dr. dele-
gado da capital, que puzera em lberdade a Mi-
guel Sehlcner, que se achava recolhido na casa de
detencao cm conseqoencia de disturbios, por nao
encontrar motivo legal para conserva-lo na prisiio.
Deus guarde a V. Exc.Illm. Exm. Sr. conde
de Baependy, presidente da provincia.O chefe de
polica, Fnmcisco de Faria Lentos.
308
. 308
. .308
. 308
. 30B
. 30K
. :W4
. 301
. 298
. 298
. 2%
. 295
. 295
. 295
. 294
. 292
. 93
. da freguera
de Santo Antonio, foi pronunciado Agostinho Ma-
noel do Rasamente, no art 222 do cdigo crimi
nal : sendo sustentada a pronuncia pelo Dr. juiz
municipal da 1* vara.
PRISAO.Como cmplice em tomada de presos
Jos de Siqueira Barbosa
Joao Alves de Siqueira Barbosa. .
Rayraundo Ferreira Portugal .
Antonio Alexandro de Vasconcellos.
Antonio l.eite de Siqueira .
Manoel Xuncs da Silva ....
Jos Francisco Frazo ....
Agostinho Ferreira de Brto. .
Izidoro Marianno de S .
Antonio de Moura Jnior. .
PROXr.VT.IA-Pelo subdelegado
REVISTA DIARIA.
ACTOS OFFCIAES.Por deliberaco de 22 c
25 do corrente, e sob proposta do Dr. "chefe de po-
lica, lora ni nomeados:
Solero Marques de Araujo Pinheiro, Porfirio da
Silva Tavares Coutinho, Jos Barbosa da Motla Sil-
veira, Antonio Joaquim Camello e Flix Jos de
Oiiveira Mello. 2" a 6" supplentes do subdelegado
do 1" districto de Pao d'Allio.
Jos Francisco de Moiug e Albuquerque, Andr
de Albuquerque Mello, Joafl Francisco de Uollanda
cia, manila declarar a V. S., que nesta date se ex- i Cavaleante, Manoel Francisco de Souza, Francisco
pdi i od, o ao director do arsenal de guerra pa- de Barros Barbosa, 2" a 6 supplentes do subdele-
gado do 2 districto de Pao d'Alho;
guerra pa-
recolher al i
de 17
pe
ra mandar concertar o armamento e
os objectos, a que allude o sen ollicio n. 35,
deste mez.
3' seccao.
X. 5\7.Officio ao inspector da thesouraria de
fazenda.De ordem do Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, communico a V. S. para seu conliecunento
e devidos elTeitus. que foi deferido favoravelmente
o reqnerimente! que se refere a sua informaoao
de 18 d corrente, sob n. 80, dos negociantes desta
praca Keller & C, urna vez que provem o que alle-
gara sobre a restituieao da quantia de 6783916 rs.,
paga de imiiosto de 20 por cont no exercico de
1867 a 1868 pelos rnuuens dos supplicantes sitos
a ra da Cruz ns. 50, 53 e 57, visto nao tere ai el-
les caixeiros estrangeiros.
X. 548.Dtono mesmo.Sua Exc. o Sr. presi-
dente da provincia, tendo pnr offloio de 10 de no-
vembro ultimo, autorizado o director geral da ins-
truccio publica a maular admittimo Gymiasio
Provincial, como alumno interno gratuito o Hlho
menor de Genoveva Marta de Figueiredo de nome
Juan? na v havia de dar pela retirada do
gratuito Joao Feliciano da Malta e Albuquerque,
Antonio Elias do Reg Dantas, subdelegado de
Taquaretinga.
ELEICES.Temos o resultado das seguintes
freguezias :
5 DISTRICTO.
Cimbres. ^
Kl-lores para senador.
!)r Jesuno Claro dos Santos e Silva .
Dr. Francisco Domingues Ribeiro Vianna.
Joaquim Severiano Leile......
Ri njaniin Severiano de Freitas *.
lose da Rocha Albuquerque Mello .
Tliomaz Ferreira de Faria.....
Victorino .Jos do Couto......
Alcibiadcs Augusto dos Santos .
Francisco Luiz Pereira......
Aleixo Damasceno Luz......
Joaquim Manoel de Siquera C. Arco-Verde
Horculano Baptista Viera.....
Joao Alves Letta de Almeida.....
Balbino Bezerra Cavalcanti.....
Pantaieao Pessea de Siqueira Cavaleante .
%aquim Jos da Paixao......
Antonio Fernandes Sampaio Leite .
Theophilo Xepomuceno de Siqueira Mello .
Domingos Severiano da Costa .
bem como por despacho de 23 de outubro do an-
uo passado, o menor Pedro Hygino da Cunha Sou-
to-Maior, lilh> de Josephina Bmivinda da Cunha
Souto-Maior, assiin o man Ja communicar a V. Si4AiitonioCordeiro Reg
WOan Camillo de MeHo Maciel
PedroJ. Rodrigues de Vasconcellos Filho.
DO OI.V 14 DE FKVKI.Rir.O
para seu conhecimento e fins convenientes.
despachos da presidencia
de 1869.
Antonio Augusto da Fonseca.A' vista da infor-
mado nao lera lugar a pretencao do supplicante,
que* dever restituir aos cofres o que demais rece-
beu-, cerno declara o Sr. inspector da thesouraria
provincial, a quem se offlcari para fazer cobrar a
quantia individamente paga.
Antonio Lin> do Oliveina Azevedo. Iuf jrme
o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Auna Mar da CoiiceK;.au.Informe o Sr. inajor
director do arsenal de guerra.
Antonio Luiz de Oiiveira AievedoInforme o
Sr. iuspictor da thesouraria de fazenda.
Bernardno Pinto Colho.Informe o Sr. enge-
nheiro chefo da reparticao das obras publicas.
Dr. Eduardo Augusto Pinte de Oiiveira.Como
requer, pagos os direitos.
Pa vio Ferreira Catao.-Ficam expedidas as ordens
para o suppheante ser despensa*) do pagattien
daimpnMBWtH correspondente aos das, em que
estiver privado da eobranea do pedagio pelas ra-
zos que allega.
Isidoro Marineo Cesar.Lavre-se deliberaco
declarando que a cenva concedida ao supplicante
principiou a correr do da 7 de Janeiro prximo
lindo.
Irmamlade do Senhor Bom Jess dos Alllict is na
igreja de S. Jos de Ribamar.Kxpe?a-se orden
do sentido que requer.
jos- da Fonseca Velloso.Eutregua-se,
passando recebo.
Capitao Joaquim Ignacio Goncalve* da Luz.
Informe o Sr. commandante superior.
Keller & C.Os documentos pedidos servir ni de
fiindaini'nio ao despacho proferido, e por isto nao
ppdcm ser entregues ao supplicante.
.: Xaxier Faustino-Ramoi Jnior.Dirija-se a
despeza eom esses reparos deve
rorrwnelTvertS' do artigt-15 wat m tune
caniento vigenlBj eonftirato'Sndiea-V. S em sua
informacao d48 do orrento-sob n. Al.
X. 53 orden* para qae seiam nacos *'Febx de Figueirca Josq>ha Mara da Conceicao do Ateanto.In-
Pana, depo de liquidados, em vista da folha, e foriut o Sr. desemllargador provedor da i:.auto
pret juntos-em duplcate, que merematteuaeont. Casa-da Miseneordia.
mandante superior da comarca oe Santo Anti* Manoel Pessoa do Siqueira, Campos.Defe-do.
cora OBfcloi do li do corrautoj o* vencimentos >-1 Maoael Marques de Olureir.Informe o Sr. ins-
iativos aoaez > janciw.uJlnodo^)fflca^enBv--Lpectordatliesour^
Luiz Francisco dos Santos
Pedro Nanee de Oiiveira......
Andrelino Jos de Espinla.....
Thomaz Alves de Araujo e Silva .
Joaquim Jos da Silva Lima.....
Francisco Manoel de Ponfos: ....
Eletores para deputados.
Leonardo Bezerra de Siqueira Cavalcanti.
Vigario Domingos L. da Costa Espinosa .
Dr. Joao Viera de Araujo.....
Antonio Francisco de A. Cavalcanti Bud.
SeverianoJlojateiro Leite.....
Candido Jos de Siqueira Filho. .
Candido Jos de Siqueira.....
Satyro Ferreira Leite.....,.
An'i'io Clemennno Leite. .....
Augusto de Albuquerque Cavalcanti .
Jos Cordero Manso.......
Leonardo Bezerra de Siqueira Candeia .
Luir Pereira da Costa......
Amaro Jos de Carvalho......
Joao Leodegario de Parias Barbosa. .
Antonio Celestino da Fonseca ....
Antonio 'Bento Gomes de Almeida .
Joaquim de Almeida Catanho Sobrinho
Andr Bezoira do Reg Barros....
Joaquim de Siqueira Barbosa ....
Belarmno Modteiro Leite.....
Florentino Pereira Barbosa.....
Zeferino Candido Gal ro......
Francisco Leite de Siqueira.....
Daniel Rodrigues Torres.....
Antonio Pessoa de Siqueira Cavalcanti.
Jos Vicente da Silva......
Ansanio da Silva Cavalcanti.
Alnoa'Je Eaixo.
Eleitores para senador.
Jos Alves de Siqueira Barbosa.
Antonio Joaquim dos Santos. .
Jos Francisco da Silva Campos. .
de Mello Caveicaati- ....
Manoel do Nascinwoto de S. Barbosa.
Clemente Jos de Almeida Jnior .
Ckmentino .Uves de Siqueira Cavalcanti
Jflronymo de Carvalha'iima....
936
933
928
927
924
923
922
915
912
908
901
894
892
888
883
881
876
874
873
870
868
867
834
858
849
847
846
536
935
932
931
927
924
923
921
917
915
914
912
896
893
890
887
883
882
881'
879
878
.875
870
869
866
863
861
497
321
317
311
309
:ii)l
296
293
rompii
na comarca de Flores, foi preso pelo subdelegado
de Tracunhaein. Ignacio Marrano dos Santos, eo>-
nhecido por Belarmno Marinlto dos Santos.
IMMl'XDICIA.Inforinam-nos que, travessa
do Patriota, na ra de Mollas, acha-se quasi n-
tnuMltavel pela aggloraeratjao de aguas e lamas.
Chamamos a atlencao do Sr. flseal de Santo Anto-
nio para isso.
VISIXHOS IXCOMMODOS.-Moradores da Solc-
dade se nos queixam de uns visinH que s apre-
ciara a leitura trepados as mangaeiras altas do
seu quintal, donde observara o menor movimento
do interior das casas de fam'ntas. Nao haver
mcio de cohibir semcltiaute abuso? Cromos que
sim; e para isso chamamos a atlencao da autori-
dade competente.
THEATRO.A empreza dramtica do Santa Isa-
bel levou anana, ante-hontem, o drama em cinco
actos de Anice Bougesis Chrixtol o eufuratto
c a comediaDon tambares.
O drama do Sr. Bougesis : de diilk-ii riinodn
mas, de simples e elegante lavor. A' par do minio
da concep^ao est a belleza do dosenvoviiflento da
accao, que se passa no meto de um a sem con-
vergente de aconteeimentos que prendera a atten-
cao at o desenlace.
Ha em todo o drama um fundo notavel ile moral
que encanta. O dramathurgo, quar eondemne e
estigmalise 0 vicio na falsa Diana Mondes a oiu seu
rmo Morotto: quer loare e corda a vtrtnde em
Susana Herner; quer linalinente d a palmada
victoria Gilberto d'Artigues, que se Bacrifieou a
Diana, instigado pela gratidao: mostra-se critico
distincto e escriptor'elegante. Se peccou em algu-
raas phrases ainliiguas que poz na bocea de Cbris-
tul, esse peccado he relevado pelos bellos |n'n-
sainentos, pelas lindas imagens de que se servan
Susana, Gilberto e o Dr. Lairomlilade.
(i drama agradou-nos bastante e aos demais es-
pectadores, queoapplaiiiliramcom fervor
Eslrearam os Srs. Marlinlio e Eduardo.
O Sr. Martinho' artista de iurontestevel mrito.
Ja o conlieciainos. e, pois. nao de hojo a opiniao
que delle temos Foi bastante applaudido, e rae-
receu-o, e merece-o sempre. Elle tem seu favor
um espirito innato de bom gosloque lhe coiwpiistn
sjmpathias. Una phra^e menos espirituosa ao
passar-lhe pelos labios vem impregnada de um
cerlo sabor picante, que lhe vale pelo menos um
sorriso.
Quanto ao Sr. Eduardo aguardaniol-o a'outro pa-
pel para julgal o inelhor; no entonto, fernj con-
fossar, que a sua parte foi sotrrivelmente desempe-
nhada. Teve alguinas seenas rauito felizes, e-pro-
nnnciou alguraas phrases com verdadeira elegan-
cia de gala apaixoiiado. e nutras saturadas da
dor, que dilacera o marido, victima dos impdicos
desvarios da mulher. Parece ser muito soffrive
artista.
O Sr. Primo da Costa nao nos agrada, em defi-
nitiva. J o vimos cm dous papis, c em nenhum
nos satisfez.
Igualmente nao nos qnadram os meneos da Sra.
Apolonia. Esta moca nao artista: comer ape-
nas pisar na scen, e por isso sao-lhe desculpa-
dos cortos viciosinhos que a pratica e o exempto
i rao cjirrigiudo.
Osd'.-s tambores urna comedia de poucoraai-
on menos; tem algum sal
PARAHYBA. Dessa capital escrevem-nos em
21 do corrente.
Desaponlado cora a demora do vapor eosteiro
Ipojuca, nos portos do norte, aproveito este por-
tador particular para dar-llie algumas noticias des-
te lorrao,
As communicacoes etoiloraes, chegadas dos
dilTereutos pontos do sertao, continuara a ser pro
picias ao partido conservador; por toda parte a
victoria das urnas se manifesta era favor desta-
ideas, e do modo mais tranquillo que possrret.
O descalabro da opposio, em vista d'^te re-
sultado, transparece evidentemente da linguageo,
de seu orgao na imprensa, onde a exageracao dos
toctos mais insignificantes corre paremas coma
inverdade e a calunmia.
0 systema, porm. 6 pessimo' e detesiawl.
produzndo resultado dianentralmente opposto, ap
que mira a redaccao, era seu afilado juizo, at
com o ateamente de alguns de seus inais impor-
tantes adeptos, revoltados com tanta iujnstica.
A cmara municipal desta capitel uouioou
tres commissoes, cranosla de gregos e (royanos,
para dirigirn) os festejos que se projeetam pela
conclu*ao da guerra do Paraguay, sendo a 1' paira
o bairro Alto, a 2'para o Varadottro C a 3" para
a l'iejuezia de Santa Rita.
Consta-mo. que os merabros libera.
coramissocs se escusaram ite prestar sen concurso,
apezar de previamente convdanos b que espero
ver para poder aferir seu lao apregoado patrn-
tismo. com a precisa imparciafidade.
Os dignos cea renses I >r. Justa de AcaUlO
Mtndos Pereira, li/i-ram celebrar, no da 9 do !
na igreja matriz desta capital i suas expen-
sas, um memento solemne pelo eterno d.vcansn
daquelles que sucenmbiram nos campos do Pa)
May, emdefeza da honra nacional ultraj.v
0 acto foi executa lo eom toda decencia, enao
teve bastante concurrencia, como era para d
jar, pela pouca publiridade que se lhe de
Entretanto sao aquelles cavalhiros dignos
louvor, por esta prova de sen patriotismo e el
dos sentnnsntos.
Concluo apreH'n'qjle-ejaiido-lheboa saud
omitas prosperidaihJs.
CONVITE. Pedem-nos a seguidle pahhcac
e ordera do Sr. presidente da junta conserva-
dora da freguezia do S. Fr. Pedro Gancalves do Ite-
^|fe,oonvidu aos senh res gerae-
ciaesda nmsraa freguezia para urna rcunlo quo
dveter lujar befo pelas .'i c V} horas da larde.ru*
da Cadeia n. 58, alim de tratar re-
lativo prxima eleicao para sonadores e-fiepute-<
dOS ge
opt d*r
cia ha canes que valora, bem ama publio
*<-


Diario le Pernambuoo Sexta ffeira 26 de fevereiro de 1869.
piando eMes, alm de iatresse real para a scien-
ja, poden* servir animar os timoratos, que
souYeudo molestias que redamen! oiWiprego de
racios energwpg, cotes por modo se neo sujcitam, mentas, dignos de JaKciilarios de opjiosioae des-
ea o faiem taradamente por nao contaren! com a
infabilidade da seronda. Pelo quo aceordamos em
estampar a segrate operario cirurgica :
No dia 12 do corrate, seriain 11 fcoras para_o
meio dia, passou pelagra ve _e dolwrosa oneraeio
i a elephantiasis dos orgos geuitaes (da.eclo-
sobre;- .
inia) e depois de ter sida convenientemente enloro-
fornii.udo, o antigo nef*eiiinte de mamados, o Sr.
Jos lanoel Peroira aendanlia, morador na ra
do Livramento n. 21. 3* andar; ten do sido o opc-
radiir o Sr. Dr. Carolre Francisco de Lima Santos
com assistenca dos Srs. Drs. Cosme de S Pereir;i
Joio Maria Seve.
A degenerescencia dephantina .que-havia moti-
vado a operarn,, r*resentando no paciente a for-
ma de um cole a6s prominente no centro com
espessura seguramente de duas poMegadas e meia
edezesete de circumferencia, era Uguma cousa do
pouco commum, que, interessando largamente os
tecidos do pente ou pubis, e de modo a no meio
ana afanosamente ooeunado coi dtmo.coescs-
^fcst.M- de qae se 'de.lignaria apreuaizes de
drrelta, apascentando. sen despeno e sena resent
grenhada ?
Dirao que o Sr. Zacaras nao eompreUcnde,
quanto conten a si, quanto ha luister o.paiz, o
papel commetlido ao sen dsjcinpenho, quer as
elevadas regjdes do peder, queriu planacommura
a todo os cidadaes ; que na opnosco.an5tra o
que fui no goveri, homem de cajirichos inex-
plicaveis, prcpcettj'.iido de pequeas "vmganras
contra pequeas nlcnsas, codea*) as inspiracoes
jisrrelleCHMS da vaidada, de prcterencia aos alvi-
tres da. BWditoco jmtdente de hornera-eonerimen-
lado.
Quantos servidos nao prestara na imprensa cs-
crptorldopuleiiUi:,-.ntc dotado, se apnKeassc as
sitas eonsBmnudas raeuldad-s em algum dos as-
suiuplas alii offerewdi as pesquisa*, s observa"-
eoes, a discussao, intimamente travados com os
inui- valiosos intereeses do nosso paiz !
Seria, com esseslirilliantes phauaes, o guia pre-
dilecto da opposeo em sna penosa ampanna
delles desaparecer totalmente a parte livre ou pe- Seria talvez til, limito ulil conselheiro, ,e eselare-
._____ *_ -_.4__~ -^ -_._- --~___j., i.,rr^t*n :.,. iiivap a<* ikVAPiia cau\ nprilcr i-v seos toros
niaiina da urethra eom seus annexos, dava lugar a
qae as ourins, em sea cuivo,poreorresseni mais um
novo canal anmalo, escabroso, formado por cu-
mulo do tecidos alterados, duros e entortfludes ;
resultando disto empeeilho bastante a determinar
demora de ourinaiias rugas, cuja alteracao ooca-
sionava reiteradas ervsipelas. E foi o que induzoj
Sr Dr. Carolino, se assislente, em conferencia
eom o mesmo Sr. I)r. S Pereira, a pralicar quanto
antes a referida operarn, prevendo sobro tudo af-
guina retenc/w-de ourinas, e a impossibilidade tai-
vea de, em hora extrema, penetrar-se a nrethi a
quts alm de ja obstruida, perdia-se cm Uo profun-
dos relevos. .
Pelo que. dissecar e extirpar os tea* s dege-
nerados, desembaracar todas as partes essenciaes e
exlernas dos orgos da propagaco, enlao occullos
MUenorme espessnra de tendee duros o rugosos,
uianter intactos os que estavam saos, foi em uo
consisti esse trabalho, que, em abono da verdade,
foi executado com esmero e arte, no correr de um
iiuirto de hora, a contar-se do momento do.pri-
ineiro golpe at a plena separaco do todo alte-
rado.
Assim, gracas a sciencia medica, que nao para
rar das investidas dos eharlataes, o Sr. Menda-
nao obstante sua j aduntada jdade, tendo
pilJMin por crises serias, dessas que sao qnasi in-
herentes as grandes e graves operaQoes, acha-se
I\to de perigo; de maneira que, a nao ser
algum incidente, alias pouco provavel, em breve
contar elle grande victoria, fructo sem duvida de
umitas lucubrantes da parte do operador.
Em todo caso', aqui vein a appello o soguintc
apophthegma do sabio velho de Cos : Ce ti'est
pas assez que te mi-den fasse sou deeoir, il fnul
ii'rf soit seeoml du malade, des assistaus, etdcs
fkoaes externes.
Emllm, s muitas peras palhologicas assaz im-
portantes e curiosas, que em seu consultorio me-
dien conserva o Sr. Dr. Carolino, acaba de addi-
rionarnias una, que realmente nao dcixa deoffe-
er interesse pratico pela forma, sede c espessura
los tecidos mrbidos.
LFJLO.Hojc,. as 10 horas, cffectua o agente
Pinto o de movis, lou^a, vidros e enstacs, no 2
indar do sobrado da praca da Boa-Vista n. 21,
onfornie se acha annunciado.
LOTERA.A que se acha a venda a 9G\ cm
beneficio da reja da BoaViagem, que corre
boje.
PASSAGEIROS. O vapor Curwipe yindo de
Mainanguapc, trouxe a seu bordo os seguintes :
D. Gesuina Geraldina da Silva, D. Anna Joa-
quiua S. da Silva e sua neta, D. Maria Joaquina
.la Silva, Jos Antonio de Faria Jnior, Manoel
Maitins Ferroira Rodrigues, Manoel Joaquim de
Olveira, Pedro Osorio de Siqueira, Antonio F.
Cbatorton, Manoel Peixoto Flores, Ignacio Soriano
P. de Carvalho, Jos Pereira de Castro Pinto e um
miado, Jo* L. Peixoto de Vasconcellos e um
criado, Jos Pedro Baptista Carneiro, Cyro D. Ri-
beiro Pessoa, Jos Coellio Moreira, Manoel Fran-
cisco A. Monte-Negro, Jos G. Campos, Antonio
Serrano G. de Andrade, Jos Justino Pereira de
Almeida, Vicente J. B. de Castro Jnnior, Quintino
Pavao de Vasconcellos, Joao R. Velloso d'Andrade,
Heraclio de Araujo Vellar e um criado, Joaquim
O. da Costa Maia, Jos Ribciro da Foneeca e um
criado.
Segucni para Maeci na barca ingleza Car-
rcifjton, H. I- Pavant c sua senhora, Henry Lindsey.
cido auxiliar do goveruo, sem perder os seus foros
de opposicionista"austero.
Que ccifa abundante e rica I Quantos ttulos ao
louvor publico Quantos graos alcanzados na es-
tima c auiniracao nao s dos amigos ealliados, se-
nao dos proprios adversarios!
o*u Em vl?l disto puaein... osmtigosa,pedido, um
a "os quaes houtem veio a Imuc !
POLTICA interna
Partido conservador.
(A' PEDIDO.)
Srs. redactores.O Diario de quinta-feira 2o do
corrente, publicando um artigo assignado por mim
em resposta ao Liberalenganou-se no final do
artigo, quando escreveu as seguintes palavras:
. Iircfiro ser conservador a ser liberal.
Por amor a coherencia de meus principios em
poltica, entendo dever rectificar esse tpico d'a-
quellc artigo que attribuo ao erro de copia.
Prefiro pertencer a qualquer partid i, que rea-
tise as minhas ideas, a ser liberal eom esses, que
*e dizem liberaes em opposieo, o sao no pdel-
os mais tyrannos oppressores da liberdade.
Recife, 26 de fevereiro de 1869.
Manoel do liego Burros.
VARIEDADES DO SR. ZACARAS
Trini i ias ineditou o ex-presidenle do gabinete
ellos. Trinla das consumi aquello perspicaz ta-
lento na tra?a o execucao de um primor que ac-
cresceutasse o lustre de seu nonie e reduzisse ?o
-.iienco da derrota os seus adversarios confun-
didos.
De 28 de dezembro a 29 de Janeiro, o grande
(larlamentar, assignalado por seus discursos de
tres e quatro horas, o incansavel argumentador,
pristes a. esgrimir com todo e ein todos os debates,
< extremado philologo que, para apurar proprie-
da>1es de um vocabulo, prejudica a solucao de
problemas polticos, o publicista impar, e finan-
ceiro estupendo, o estadista mais sabio, emfim, do
Brasil, segundo o testemunho -autorisado A
leu liz, sobre as columnas do Jornal do Com
mercio, o sen proraettido artigo segundoA al-
/auca do Brasil com o general Flores !
Se pelo di pendi do lempo, se pelo trabalho
erapregado, se pela pericia do operario, se aquila-
tassatn os mritos da fcittira, rebrilhanam all
cora as inestimaveis qualidades do glorioso escrip-
tor, a indi^cripcao do poltico amestrado, a refle-
xao do homem prudente, sisudo, mais preoecupado
dos problemas do futuro que das paixoes do pre-
sente.
Assim esperavam todos desde que o cx-ministro
tevo por acertado recomraendar-sc a lembranca
do publico pelas produccoes ligeiras de tia penna
de diamante. Avista das antecedencias e predica-
mentos do autor, todbs, antes do lr a primeira
das composicoes do exi nio estadista, acreditaran)
que daquella arrore inaravilhosa smente esplen-
didos (roetes poderiam brotar.
Effeito das estrondosas nomeadas Af obras
nao coiTesponderam s promessas. Para artigos
a pedido de ama foltu neutra, era demasiadamente
ende a assgnatura de um_ varad iHusffe. Ao
do do sonoroso prgao nao se propoi'cionou a
importancia dos actos.
Para tao pouco nao valia a pena a homem de
tanta fama, a espirito de tao larga espbera, ras-
car a sna nuvero, descer at o nivel dos simples
mortaes, e encorporar-se multidao das mediocri-
dades grrulas.
Quem leve o poder de crear a liga progressista,
jue.ni foi proclamado proeminente chefe de um
partido novo, quem sopzou na* mos os destinos
de um imperio, nao devia contentar^ com esse
ipourado, esse iniflnrio papel qu* ahi vemos re
presentando no vastssimo theatro da imprensa
jornafistica.
A tribuna universal "ao somenos em confron-
to com as mais elevadas tribuna*, parlamentares.
Fallar d'aili npiniSo de nm paiz, do mundo talvez,
oofcilita como dirigir palavras ao mais conspicuo
auditorio, mas pouco numeroso era recinto limi-
tado.
Gastar, porm, o tempq, esmerar a pericia, apu-
rar o engenbo em laboriosa^ompo^ijao, para ce-
var os appetites da curiosidade com qnestoes se-
cundaria, sem precj ante os magnos problemas
expostos ao estado urgente, em verdade, menos
um
honrado ministro da mannha, de 28 de dezembro
a 29 de Janeiro o Sr. Zacaras planeou, escreveu e* do Estado Oriental, com o general Flores, bellige
Sob a epigraphe .4 allimet do Brasil com o
general Flora, capitulo 2, discrreu o Sr. Zacaras
sobre qnestoes diversa, tao difierentes entro si.
que s a subtilcza de seu alto espirito adiara fa-
cilidade para cnfeixa-las com o mesmo alilho.
Em primeiro lugar porfion em demonstrar lon-
pamemte que aHianca de direito com o general p.
Venancio Flores leve o Brasil smente depois de
foito o convenio do B0 de fevereiro de 1883.
Saltando, com agilidado notavcl, quasi sem
transicao visivel, jKira as ultimas epeiaeocs mili-
tares que immortalisaram o nosso exercilo c o seu
invicto general, arma qaestao setnmda vez com o
Sr, marquez de Cavias |wr ter dito uun a victoria
da allianca ha de ser abenqoada pelos que se inte-
ressam pela regenerarao do Paraguay.
E logo aps, anda'mais ligeiro, envia-se ao Dia-
rio do Rio, por tc-lo i-onvidado- discusso de as-
sumptos serios, em que sobresahiain a luz dos
principios e a ausencia das personalidades.
Passa a dar urna fi'fo de mythologia grega a
proposito do poder moderador, e vouvel qual
pluma al rento, volta ao Sr. marquez de Caxias
para indagar se foram novonta ou se foram mais
os companheiros de Solano Lpez em sua fuga de
Lomba Valentina.
O leitor folga com estas variedades c vanacoes ;
mas se foi proposito do Sr. Zacaras deliciar q es-
pirito do publico, devia, ao menos, mudar o titulo
ao cartaz, isto dar ao continente que explicasse o
m*Uio.
Em ofllcio do inclyto marquez de Caxias ao
ministerio leu o publico o segrate trecho.
Eu nao teria duvida, om qualquer outro paiz
(nao no Paraguay) econdicjuea, de promover, como
auxiliar das armas, urna rearao contra o inimigo
partindo do seu povo.
Tcve para si o Sr. Zacaras que por isso lapsus
jmis gemium, e entendeu que mettia lanca cm
frica mostrando que o guerreiro encanecido nos
(ampos de batalba nao era profundamente versado
na sciencia de Vattel.
Entendeu assim c veio para os a pedido do Jornal
do Cmmerci, armado da frula pedaggica. Foi
capricho. Nao o primeiro que o captiva.
Concedamos que lapsus houvessc. Grande faca-
nha! Notavel rasgo rio sciencia! Como resplan-
deeeu a proficiencia do mestre jubihulo de una
faculdade jurdica dando um pequeo quinao es-
colar em general que escreve ao lampejar da
artilharia, entre os cuidados de urna batalha in-
minente!
Mas no seu quinao o Sr. Zacaras chegou s-
mente ao seguinte resultado, aps disserta^oes
perluxas: que o general estara nos termos do
direito das gentes, nao promovendo urna reacao
daqudla especie, mas auxiliando-a.
Se um sabio de sua laia escrevesse as palavras
aecusadas, ou antes a palacra criminosa, o horri-
vel promover, o que dira de mais o. Ilustrado
cx-presidente do conselho?
Talvez nao censtirasse, parccendo-lhe mais diffl-
cil a victoria. Assim faziam os mestres eonsumma-
dos da dialecta na antiga Grecia: discutiam com
os q_ue nao estavam usados ao manejo de suas
armas subtis.
Nao queremos renovar essa discussao que a
muilos pareceu controversia deJ/ caprina. Dei-
xaremos no repouso das livranas, Vattel, Heffter e
seus graves companheiros do jus gentium, como
diz o Sr. Zacaras. Mas urna vez que tocamos
ueste assumpto, nao ser fra do proposito, trans-
crever alguraas lnhas de um livro estimado.
Lord Stanhope, no seu escripto Pitt e seu tempo,
trasladado em francez pelo Ilustre Guizot, disse a
pag. 3 e 6 do 3 volume:
Pendant l't et l'automnc de 179b' le general
Hnehe ne s'tait pas relaeh un inoment daos ses
elTorts pour prparer ('invasin d'Irland. II ayait
avec lui le colonel Shee el d'autres bons officiers
de l'ancien rgiment irlandais u service de la
Franco....... II y avait aussi Wolte Tone, re-
comment elev aox honnenrs militaires et tout
remp de son ancien ardour centre le gouverne-
ment britannique. II avaaiprepar les addresses
et proclamations pour les paysans irlandais et
parlait avec assurance d'un solevcment populaire
a l'apparition d'un arme 'invasin.
Ces preparatib qui lendaint tous aux horreurs
de h guerre civile et l'effusion du sang, n'acaient
pourtant ren de contrire aux regles et auv usages
de la -querr.
A isto responder o Sr. Zacaras negando a
competencia do lord Stanhope ? Negu at a de
Guizot.
Mencionamos as dissertae5es sapientissimas do
Sr. Zacaras, destinadas a mostrar que o Sr. mar-
quez de Caxias nao tao perito ein direito das
gentes, quanto-esforcado as lides marciaes, para
explicar a or|em da discnsso em que o Ilustra-
do cx-presidente do conselho pretende convencer
de que a allianca do Brasil com Flores datou de
20 de fevereiro do 1863.
Na sua demonstraeao voio baila a unio dos
esforeos do Brasil, para chamar razao o governo
nir os seos as nossos esfirc.t contra o' inimigo
coiniiium.
Qual ser mafs autorisado: o fer. Zacirias em
18f.';, ou* Si', tocaras em 1JI89?
Qupm fcoocjliar ?
(Bo -fka'io d> Rio).
PUBUCACOES A PEDIDO.
.------m----;
ipojMea
de faverdiM de iM9.
Srs. rcdaHtres. -Iendono Diaria de 13 do eor-
renteumaijorroapondcnciaassigiiada por lnaqoiiu
JoadeOliila Tavaros. na qual me atlrava ai maia
formalalluo, gcrviml i-*daiormas ti) (i>'lieadH
aue lieru deSwistram 11114 esi*ierada educacilo de
nbeira, cu everia rspoidpf com as provas qoe
ha do scilct innocente ; mas como para taT ho-
rnera s5 leimo despreso, deixo os habitantes ho-
nestos danta fregnezia o^ppecialmeite os Srs>raa-
jiir Joao &rlos UezerYa CavaJcaoli, Tobjap Jos de
Figueiredo, Francisco Serapiao rereuo a o pro-
prietorio Joo de Souza Leao, rirem-sc do destaca-
monto do Sr. Olind* Cavares. E se estoH, infeic-
raente, nesta fregueza ha seis unos, vindo de
termo de Barreiros, ondeexerci o cacgpdcH-
leetor de rendas jreraes, nao como um forasteiro
em procura de pao; nao como martyr de algutua
poltica; mas' como tabclliao do judicial e notas,
de orphans, eapeHas e residuos, e, s
melhoraram consideravelMenlc o esCvdo geral da
isinlia saude.
Como ellas se ac^am mettidas em vtdrinhos,
dMas conservani-ee iwvariaveis ein todos osidimas.
11 todos os easos pnwenienlcs de i'mpureza do
singue, a salsaparrilha de Brystol, dcveui ser to-
mada conjunctamonte com as plulas.
Acha-se venda as pharmariae de A.
Gaors^J^^Conceico-Bravo C, "M.
A. Maltosa, P. Sraror 4C,e Bartholo-
hiarJ ($<;.' '1

*
C0M6OCI0.
'Bfm
escrivao ae orpnaos, canenas e .
para o Sr. linda fui prevaricador, sera nunca ha-1
ver cora elle trocado urna palavra; nao sei. porm, .,
se o mesmo poderao dizer do Sr. Tarares os se- Cambio sobre Portugal--90 d/v 180 .y de pro
PRACA DO RECIFE 23 DE PEVEHEIRO
DE 1868.
AS 3 A HORAS A TABDB.
Assoear raascavadu purgado13iOO por arroba.
Algodo de Pernambacfl Ia Borte-=-18jHM por ar-
rulla (lioBtera o huje.) nf> t\l'
Alpodao de^Miicei i' sorte = 17SSO0 Ttor1 armhn
posto a bordo, a (rete de 5/8 e 5 0/0 (hontein).
Dito de dita 1* sorte177O0 por arroba posto a
bordo, a frete de i/2 c 3 0/0 (boje).
Algodao da Parahyba 1" sorte 16.S960 por ar-
Fofid pdsto^a bordo, a frete do l/ e 3 0/0
(liontem). .
Cambios sobre Londres 90 d/v IA 3/4 d. por
UOOO (hontem e hoje.)
Camba sobre Pars 90 d/v 309 rs. par franco
(hontem).
nitores que raenrionei. Se escrevo estas linbas,
nao |ra defeuder-me, que nao preciso do fa-
ze-lo ; us tao son ente para scentilicar ao pu-
blico, qual o despr.'so que voto ao signatario da
tal correspondencia, protestando nao mais voltar
ao pro lo.
nlm'io dos SantosPinluiro.
Lj com o nuuor pasmo, na
publicacao pedido, um
rt!iili\__I'i'1 "
rame contra elk
O Sr. Zacaras entende quo essa unio se deve
chamar allianca, e como tal nao poderla principiar
antes de 20 de" fevereiro.
Foi mais um capricho seu. A questao na reali
dade era de palavras, mas anda ah a razo nao
est do lado do Sr. Zacaras.
Conpera rain as forcas brasileiras ora as de Flo-
res desde 20 do outtibro de 1864, data das nota
reversaes, que estabeleccrara um accordo secreto
entre o geueral Flores, sob proposta desle, e o Sr.
Tamandar, entao baro.
De entao em diante houve communidade de
accao entre um e outro, estreitada pelo segundo
assalto e rendicao de rayssand, e pelos laetos
subsequentes.
Regularisou-se a allianca de facto, quando o
Ilustre enviado do governo imperial, o Sr. Pra-
nnos, entendendo-se com aquelle general, com elle
trocou as reversaes de 38 e 31 de Janeiro.
Que Flores foi nosso afilado era virtude da nota
de 28 de Janeiro, isto antes de 20 de fevereiro,
prova autoridade maior de toda a excepeio.
Eis as suas palavras:
Sera duvida, Sr, presidente, o general Flores
hoje nosso em virtude da nota de 28 de Janei-
ro. E' nos allado nofe termos do ultimo periodo
dessa nota assim redigia :
O abaixo assignado assegura por ultimo ao
governo de Sua Magestade o imperador do Brasil
que a Repblica Oriental desde j, e com maior
razao quando for de todo libertada de seus actuaos
oppressores, prestar ao Imperio toda a coopera-
ndo que e.sleja a seu alcance, considerando como
um empenho sagrado a sua allianca com o Brasil
na guerra deslealmente declarada pelo governo
paraguayo, eiiia ingerencia as questies internas
da Repblica Oriental urna preteneao ousada e
injustjflcavl.
Srs. redactores.
parte de seu Diario
estirado pedaco, assignadoVcrdadeiro conserva*
(/o/1atacando a mirilla dignidad'- de autoridade
policial, e eonio quer que j esteja quasi prompta
a nimba defeza de iguaes accusad5es, que me fo-
ram leitas, por artimanhas do rancheiro Frmino
Theotonio, mais conferido por Firraino funileiro
e seu digno comparsa Manoel Leao, tido como tao
misado lodineul, que levara de rojo os proprios
libas de Sodoma c Gomorra : pego ao respeitavel
publico, a08 lllm. e Kxm, Sr. conde de Baependy
e Dr chefe depolicii desta provincia, e muito es-
pecialmente aos meus amigos, i[ue espernm soce-
gados por minha defeza, ( que espero^ em breve
apresenta-la ao publico ) por onde verad que ne-
nmira hornera deve-sc julgar livro do puulial trai-
coeiro do assassino, como e mais anda, de furia
hydrophobica de iniseraveis corrompidos e desmo-
rasados, que a todo transe pretendem emporea-
Ihar os homens de bem na lama ftida dos bal-
dis e lupanares, onde scm passar vida folgada e
milagrosa
Timlw, 23 de fevereiro de 1869.
Francisco Comes Velloso de Albuqucrque Lint.
Tubrculos pulmonares
11
Os priocipaes symplomas da fornvicao lo
Tubrculos nos pulmes, s5o:
Una tosse secca quando se levanta de
manlia; rcspiaoo curta, dificultosa e
tapida quando se faz exenkio.
Pallidez extraorliiiniin, mojleza nos mus-
culos, emagroiimento em todo o corpa,
diflicttldade em fazer esforco, quer physico
quer mental.
Estes symptomas podem continuar por
muito teinpo sen augmentar-se o mal;
porm cedo ou tarde apparecero signaes
do seu progresso: o pulso se tornar mais
rpido, sentir-se-hi fri pelo espinhaco de
manha e de tarde, seguido por febre.
Dahi em diante o doente passa a ntrnte in-
quieto, tosse secca e irritante todas as
vezes que se vira na cama.
Neste primeiro periodo de tsica tuber-
culosa, os pulmes coutm j mais ou me-
nos dos depsitos tuberculosos.
A transicao do primeiro ao segundo pe-
riodo desta molestia em alguna vagarosa
e apenas visivel, cm ontros rpida e evi-
dente. No segundo periodo a tosse aug-
ntcnta-se na frequencia e na violencia, e a
expectoraejo mais abundante e muitas ve-
jes contm pequeras nodoas de sangue. 0
fri, a febre, insorinia, suor de noute, sao
mais notareis, e a febre hectica mostra-se
claramente.
0 semblante 6 paludo de manha, e de
tarde torna-se corado.
O terceiro periodo simplesmente o se-
gundo gradualmente augmentado.
A severidade, a rapidez dos symptomas
c o progresso da molestia differem muito
em dilferentes casos, e depende da consti-
tuicao da pessoa e do clima, tempo, etc.
Em alguns a marcha gradual, sem dr e
com pouca tosse, acompanhado de diarrha,
suor, etc., e o doente ainda nos ltimos
dias mostra-se cheio de coragem e espe-
ranca. Em outros, e pela maior parte, a
marcha desta terrivel molestia rpida e
dolorosa e a hita mortal entre a esperanca
e o desespero mostra a severidade da docn-
ca o o soifrimento do doente.
Em todos os tres periodos, nao conhe-
cemos remedio melhor do que o Peitoral
de cereja do Dr. Ayer, se for tomado a tem-
po, a cura quasi. certa, e mesmo quando
a morte prxima elle mitiga a dr e alli-
via o sofl'nmento do doente.
Lina tosse por mais leve que seja peri-
gosa edeve ser tratada immediatamente
antes que tome as sent sobre os pulmes;
tenha sempre era casa um pouco dete
Peitbral de cereja, e siga as direccoes que
acompanbam cada frasco.
Se a molestia est j muito adiantada
j^cure lomar o Peitoral debaixo da di-
Wcc3o de um medico entendido. Obser-
vando ao mesme tempo toda a cautela pos-
sivel, quanto dif-ta c ao tempo,
Protectora das familias
Em cumplimento do provenido no artigo 29 do
regulamento, se convida a todos os senhores con-
tribuales desta assoc acin, que ainda nao tiverem
apresentado as certid(es de idade dos segurados,
para que facam entrega dellas na ra do Livra-
raento n. 19, and;ir, aflm de ser expedidas o
mais breve jiossivel para a inspectora geral do
Rio de Janeiro. As c;rtid5es devem ser selladas e
reconbecidas par tabolliao. Recife 15 de Janeiro
de 189.O representante,
" N. F. de Vidal.
Euxaqueea, hemlcraala, dre
biliosas e aervosas da eabepa.
Todos estes males provem dos desarranjos do es-
tomago e do Jlgado, e nenhum remedio at hoje
dcscoberto, tao perfeiumente limpa, purifica a or-
ganisa estes orgaos com maior presteza e seguran-
ca, do quo exactamente as plulas assucaradas de
Bryslol.
A autoridade em que fundamos esta ncontesta-
m a allianca de que da nolicia a nota de 18 )2Si C0n5iste *ra,um r3nde m?C<' tes"
mi (hontem).
Cambio sobre Maranhaa15 d/v 1 0/0 de descont.
(hontem.
Descont de letras=7 e 9 0/0 ao anno (hontem).
c hoje.)
F. J. Silvcira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
BANCO W1AU & C.
ICiiu do Trapiche o. 34.
Desconta lettras co umerciaes a tax con-
vencional. Recebe dinheiro, a premio "con-
vencional, por lettras e em conta corrente.
Confere crditos, saca sobre as primeiras
pracas do imperio, Rio da Prata e Euro-
pa, e compra cambiaes sobre as mesmas
pracas. ,
Encarrega-se, por commisso, da com-
pra e venda de fundfs pblicos e aeces de
companhias, da oobranca de lettras e di-
videndos ou de sea pagamento, e de qual
quer outra operaco bancaria.
0 expediente para o publico coraecar
s iO horas da manha, e tera|j.iar s 4
horas da tarde de todos os dias uteis.
ENGLISH BANK
Of Rio de Janeiro Limited
Desconta lettras da praca taxa a con-
vencionar.
Recebe dinheiro em conta cerrente e a
prazo fixo.
Saca vista ou praso sobre as cidades
principaes da Europa, tem agencias na Ba-
ha, Ruenos-Ayres, Montevideo, New-York
e New-Orleans, e imitte cartas de crebito,
para os mesmos lugares.
Largo do Pelourinho n. 7
ALFANDEG.\.
Rendimento do dia 1 a 2i .
dem do dia 2o......
781:777*072
50:o9U7i9
832:368 8.11
MOVIMENTO DA ALFANDEdA.
Volumes entrados cora fazendas
dem idem cora gneros
Volumes sahidos cora fazendas
dem dem com gneros
584
743
-----1327
275- .
392
-----6G7
Descarregam hoje 26 de fevereiro.
Vapor inglezSaladinmercadorias
Patacho inglez=Kie mercadorias.
Barca inglezaCanoca=idem.
Patacho norte-alleraio Venedydem. #
Patacho americano -Mary Ricedem.
Barca inglezaConradfarinha de trigo.
Escuna norte-allemaadeleididem.
RECEEDOBIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 24 io:488S792
Idem do dia 2> ,..... 2:356^930
47:815*722
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 1 a 21
Idem do dia 2 i
111:0993010
5:8oi82
116:953*832
MOVIMENTO DO PORTO.
Sucios saludos no dia 25.
Mamanguape. 17 horas vapor brasileiro Cura-
rife, de 222 toneladas, coinraandanie Joaquim
I.uiz G. Penna, equipagera 13, eui lastro; a
conipanhia Pernambucana.
Alloa. 44 dias, brigue inglez Para, Ce 247 tone-
ladas, capitao Wiliara Hutchison, equipagera 10,
carga carvao; a Eduardo Fenton.
Savios sahidos no mesmo dia.
Babia. Inglez Tigres, capitao Morris, carga parto
da que trouxe de New-York.
Marseille. Escuna ingleza Blank, capitao Su-
tlin, carga assucar.
Maeei. Barca ingleza Carrington, capitao
Strackland, em lastro.
Liperpool. Barca ingleza Shamrock, capitao D.
Junes, carga algodao.
ECITAES.
= 0 inspecur da alfandega fa publico que o
leilao do rap annunciado para hoje e que deixou
de ser elTectuado por falta de licitantes, lira trans-
ferido para sabbado 27 do corrente.
Alfandega de Pernambuco 24 de fevereiro de
1869.=Jos Mauricio Pernandes Pereira de Bar4 J
ros.
de Janeiro, estipulada no seutido de Floaes coraba-
ter comnoeeo contra o Paraguay
Dous nonvenios I&ouve a 20 de fevereiro. Um,
constante dos artigos de reconaliacao e de paz pelo
que toca dessidmeia entre os Orienta.es. O ou-
tro, o resultado das notaR iwgrsaes de 28 e 31
de Janeiro..... J na citada noa de 20 de feve-
do que se dovra esperar de hornera affeto ao exa-1 rero o general Flores tem o cuidado do dizer
me dos negocios pnblieos, iniciado nos arcanos da
sciencia poltica e social, conversado, emflm, com
as aeeesstdade*, cada dia mais imperiosas, deste
paiz.
O que dirao os entendidos ao verem o altivo
ex-presdente do conselho, versado, ha tantos an-
uos, na pratica da administracao e da poltica, as-
sifnaJftdo por tantos fcoe dos ltimos sos anuos,
missao especial que os ifus compronassos se
ochan consignados em sua nota de 28 de Janeiro
ultimo.
Estas palavras sao.....do Sr. Zacaras I
E o Sr. Zacaras disse, com data de 29 do mez
corrente:
Eis (20 de fevereiro) a verdadera dala da
allianca do Brasil eom o genera^ Flores, jfW reu-
lemuohos, os quaes, qualquer um jurista do paiz
pronunciara concludeates ; pm- ejemplo : Edward
Warren, de Brooklyn, escreve o segrate :
a Depois de eu liaver padec lo pelo espaco de
8 annos de nm constante o repetido ataque de en-
xaqueca, dous frasnninhos das plulas de Brystol
me puzeram boni. Isto aconteceu ha cio raezes
esta parte, e desde entao para c nao experimen-
te! nova repetii'o do mal.
A 8ra. Wilso'n, mullier do Sr. Wilson. d-5 Nova-
York diz :
As stias plulas lstituram-me a saude e o
goo da vida Durante mutos annos foi atormen-
tada de constantes doies biliosas da eabeca. Ne-
nhum remedio foi cap de me dar o mennr alli-
vio, at que experimertei 3 as plulas, e las nao
s fizeram desapparectr a ntfIesuR, como tambera
O inspector da alfandega faz piral ico. que
achando-se a3 mercadorias comidas nos volumes
abaixo mencionados no caso de seren arremata-
das para consumo nos termos do cap. 6a, tit. 3.
do regulamento de 19 de setembro le 1860, os
seus donos ou consignatarios deverao despacha!- as
no prazo de 30 das, sob pena de, linde elle serem
vendidas por sua conta, sem que Ihes fique com-
petino allegar contra os effeitos desta venda.
Armazem n. 8.
21 volumes mareas T I ns. 1624 a I643,c 1576
com papel vindos do Havre na barca francesa
Sphere, descarregados para o armazem em 26 e 28
de maio de 1868, consignados a Tasso Irmaos.
1 barril sem numero e sem marca v ndo de Li
verpool no vapor Puntheo descarregado para o
armazem em 26 de junho do dito anno, ignora-sc
o eonteudo e consignacao.
10 caixas de ns. 1615 a 1624, e marcas GAM c
ADMcora vinho, vindas de Londres no lugar 01-
dembnrgense Sagitta, descarregado pai a o arma-
zem em 4 de agosto.
dem ordem.
1 dita n. 1, marca GAM com dito, iilem idem.
74 latas sem nmeros, marca T e A com tintas,
dem idem.
158 ditas sem numero, marca Z P dem dem,
a Rabe Sehmettan A C,
.Alfandega do Pernambuco, 23 de fevereiro da
1869.
Jos Mauricio Fernandes Pereira de Barros.
seus uerderos se por ventura ellos j foreni fal-
lecida, para no prazo de quinze dias que Ibes
Sea atareado acojitac dcsla data, allegaran por
escripto o qu tor a bem de seu direito, produzi-
rem dtwamenlos etc.', sobre a tohiada de suas
contts, sendo a do primeiro relativamente ao pi-
rodo decorrido de 10 de abril de 1862 a-.'H de
janeira de 1883 exercicios de 1861 a 1866, as do
segundo 1 de sui^nbro jlel8^5, a 31 de dezcni^
brnie 1866,Mnpittbciidcdoo exercido il# l)
a I8tti e |);irte do de W6t a 186-'i e as do tari
ao de 17 dojunh'. 1 t de juiho di- 1866 exare
de 1805 a lS66,.ein que icrviodc '-"Hctor iuterii"
d'aqneli.- municipio. Serretaaria da thcsofNria
de t'azeii'la de IVinambuco de fevereiro di-
m
Oofficial miior
________' Manrl Mamle da 8ilrn Costo.
Pela rectiedoiia de rendas internas geraes
se faz publico qu'rc* neste mez e no do fevereiro
prximo futuro, que os contribuimos da taxa dos
escravos dqrjKcrcicio corrente de 1868-69, quer
pidradore nis Ireguczias da cidade, quer as de
lora, l'-'in de paga-la, livre da multa de 6 0A1, e
eom ella de marco em diantc.
Recebedora de Pernambuco 8 de Janeiro de
1869.
O administrador,
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
ARRBMATACAO.
No dia 27 do corrale, depois da audiencia do
Dr. juiz nranieipaJ o>y segunda vara, escrivao
Mott'a, val a praca nm sobrado de um andar sito
a roa das Aguas-Verdes n. 23, com duas salas,
dous quarlos, cosinha fora, quintal murado, ca-
cimba meicira, em chaos proprios, e que ser ar-
rematado sob a base do valor de 8:000*000 ris,
visto ter sido dado para pagamento da qnantia de
3:360*000 ris alm dos juros vencidos da lettra
aeeeita pelo Uado bacharel Francisco de Paula
Cavalcanli de Albuqncrqne, a qual vai a praca
para pagamento de D. Anna Amelia Pina, cono
foi dado no inventario a que se proceden por fal-
lecimento do coronel Lourenco Cavalcanli de Al-
buquerque, visto quo a dita D." Anna nao quer au-
tVrir maior preco por dita casa, e prejudicar assim
os herdeiros do" dito coronel d'aquella que llie
devida,' nem tito pouco ser prejudicado no caso
ora que ella seja 'inferior ao computo da referida
divida, fazendo a erodora entrega de qualquer
excesso que baja, assim como Orar com direito
a liaver dos herder> s qualquer differenea que
por ventura haja para sen integral pagamento.
Recife, 24 de fevereiro de 1869.
O administrador da recebedona de. rendas
internas geraes declara que lendo-se concluido o
laiicameuto do imposto pessoal do exercicio cor-
rente de 1868-69 das freguezias de S. Jos e Boa-
vi-ta, llca marcado o praso deste mez e de marco
futuro em que deve ser pago o referido imposto,
sera multa, das sobreditas freguezias, como deter-
mina a ordem n. 17 do ministerio da fazenda de
30 de Janeiro ultimo. ,
Roeebedoria de Pernambuco 19 de .fevereiro de
1869.
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
Aviso aos navegantes.
Capitana do porto de Pernambuco 17 do Feve-
reiro de 1869.
Em virtude da ordem de S. Exc. o Sr. presiden-
te da provincia, manda o lllm. Sr. capitn de mar
e guerra o capitao do porto, publicar o edital
abaixo transcripto, relativamente a remocao do
pliarol collocado nos baixos de Braganca n'aquella
provincia, conforme solicitou S. Exc. o Sr. couse-
hero presidente da provincia do Para.
EDITAL.
De ordem de S. Exc. o Sr. conselheiro presi-
dente da provincia, faco publico que teodo-so re-
movido a barca pbroJ da posicao anuunciada por
edital desta secretaria de 2 do Janeiro prximo
paseado, acha-so ancorada a mesma barca em
quinze bracas d'agua em fundo d'area fina, o ao
norte do Ctovello do baixo de Braganca na dis-
tancia ultimada de urna e mea militada frald do
dito baixo, dcmorando-llie a punta da illia da Ti-
joca por 13. sueste e a do Curuc por 45. lam-
ben) sueste, e na latt. sul 33' 27" e na long. oesle
do meridiano de Grcw. 47" 40 47".
Os navios procedentes do leste que demandaren)
a barca pliarol, logo que estojara leste oeste
com ella, navegarn ao ruino d'oestc vcrdadeiro,
passando ao norte da dita barca, e logo que a te-
nhain montado navegarn ao sudueste.
Secretaria do governo do Para 8 de fevereiro de
1869. O secretario interino Joo Brigido dos
Santos. Conforme, o oflicial maior Raymundo
Alves da Cunha. Confcrc, Antonio Annes Jaco-
me Pires.Confer, Campos.
O secretario da capitana
Decio dAquiuo Foneeca.
Crrelo geral
Pela administracao 0% correio desta cidade se
faz publico a quem iuteressar possa, que nao se
demorando os vapores da companhia Messageres
Imperiales neste porto em seu regresso do Rio de
Janeiro, o tempo preciso para se fazer a cxpedieo
das malas para Europa, tem resolvido que as
malas se fecbem as 6 horas da tarde do dia ante-
rior ao da chegada dos mesmos vapores.
Correio de Pernambuco 25 de fevereiro de 1869.
O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
THEATRO
DE
S ISABEL.
EKPREZA DRAMTICA
DE
dmw mmM.
Sabbado 27 de fevereiro.
:i recita de assgnatura.
GRANDE NOV1DADE
Espectculo em
9
HARTE
Drama em partes
Finda a representacao do drama o artista Sr.
Martinho cantar pela" primeira vez neste theatro
a muito applaudida
ARLV CMICA
Kel ou o miudinho.
e ultima part^-a comedia em um acto
OM DOUS I VHKOIti:.
N. B. Os Srs. que encommendaram blhetes de
camarotes e cadeiras, podem desde j mandar ao
escriptorio do theatro, aquelles que isso nao tlze-
rem nao ero direito a reclama;oes.
Principiar a 81)oasr.
AVISOS MARTIMOS.
titas Campbell on Dord or on sliore at o.
3 ra do Vigurio.
-- Propostas stuo reabidas at 6 d<
.corrente ao meip dia uo consulatlo britan-
nico d pessoas que queira emn>eitar os
concertos ijtte precisa a barca ingleza Ca-
//oiujirt'st'u^jmgjjte ancorada .u'este porto.
TraRe com3Spit3 borlo da neMjt.ouem trra ra do Y-
gatlie n. '.i.
"7:Ml.VMfc PKHNAMBUGAA
Xavexaco eo.ntelra por vapor-
Parah\lia, Natal, Macan, Mosor, Ara.
i-aty, Cear, Afaiaca^Cranja.
# vapor pojuea, aimmandante
M.-utins, seguir para osportos acma
DO dia 3 de marco p. futuro as 5 Be-
rta da tardo. Recebe car arf o dia i, encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at as
2 horas da tardo do dia da sabida no escriptorio
do Parta do Mallos 11.12.
COMPANHIA PEftNAMBUCANA

.\av*'ia< costeira por vapor.
Porto de Gallinhas, Hio Formoso e
Tamandar.
O vapor Munuingunp,; rom-
mandante Mello, seguir nara os
[Mirtos cima no dia 28 do cor-
rent.; a Bieia toite. "Recabo car-
ga, oiicfra aiendas. passageiros "
dmieird'S ffeTe 110 escriptorio do Forte do Mal-
los n. 12.
Para o Porto
seguir com a maior brevuladc possivel a mui ve-
leira galera portugueza A'oca Fama II, por j ter
a maior parte da carga engajada : para o resto e
passageiros, aos quaes uuereee excelentes com-
inodos: trata-sc com Cunha limaos & C, ma da
Madre de Dos n. 34.
COMPANHIA KRNAMB6GA \
be
Marcgactlo eostclra por vapor.
Hanangupe.
O vapor Coruripe, coinmandante Penna, seguin
para o porto cima 110 dia 27 do corrente as 6
horas da tarde, se ueste mesmo dia chegar da
Europa o vapor inglez quo se acha anirtknciado,
portan no caso contrario saliir.'i no dia 28 as mes-
mas horas, recebendo oargn, encoinniend.is, pas-
sageiros c dinheiro a frete somonte at 3 hora da.
tarde do dia 27 110 escriptorio do Forte do Mal
n. 12.__________
COMPANHIA PERNAMBCVNA
DE
%'avegaeo eosielra por vapor.
Maeei, escalas e Pcncdo.
O vapor Poiengi, oommandante
Pereira, seguir para osportos Mima
no dia 3 de marco as5 horas datar-
de. Recebe carga at o dia 2 as 3 horas da ar-
de, enconiinendas, paSBageins o dinliein afrete at
;is3 horas da tardedodia da sabida aoeacriptorio
do Faite do Mattos n. 12.
COMPANHIA PER \ MBUCANA
DK
.avegaeo costeira por vap (oiatma
o vapor MnMttmgiuifi ram-
mandante Mello, seguir para o*
porto cima no dia 26 do corren-
te as 9 horas da noite. Recebe
carga, encommendas, passagei-
ros e dinheiro a freto no escriptorio do Forte do
Matos n. 12.
2L
Baha
Para a Babia sahe dentro de seis dias a polaca
italiana Sara, quera quizer na mesma aprovaitar
carga Cntcnda-se com o consignatario Joaquim
Jos Gonc,alves Beltro, ra do Trapiche n. 17,
hra Lisboa.
Sigue com muita brevidade a barca portugueza
Gratidao, tem grande parte da sua carga prump-
ta ; para o que anda lhe falta c passageiros, tra-
ta-se com Olveira Filhos 4 C, largo do Lorpo San-
to n. 19, ou com o capitao na praca do commcrcio
wli\ nmm
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte espera 1
at o da 28 do corrento, o va r
Paran, coinmandante o capitn
de fragata Antonio Joaquim do
Santa Barbn, o qual depois ('.3
demora do costme seguir para os do sul.
Desde j recebeni-se passageiros e engaja-so a
carga que o vapor poder eonduzir, a qual devera
ser embarcada no dia de sua chegada. Encommen-
das e dinheiro afret at as duas horas do dia da
sua saluda.
Nao se receben) como encommendas genio ob-
jectos de pequeo valor e que nao excedam a dea
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medieao.
Tudo que passar dcstes limites devora ser embarca-
do como carga
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
gens s se receben) na agencia ra da Cruz n. .ri7,
Io andaar, escriptorio de Antonio Luiz de Olveira
Azevedo & C.
nt
Com muita brevidade segu para o porto indica-
do a barca portugneza Belem, capitao J. J. de Fn
tas, a qual tendo a maior parte do carregamento
prompto, recebe o resto a frete, para o que traa-
se noescriplorio de Amorra Irmaos, ra da Cruz-
numero 3.
Para Lisboa
Vai sabir com muita presteza o brigue porlu-
gnex Constante II por ter grande parte do sea
carregamento prorapto : para o restante o passa-
geiros, trata-se com Olveira, Fillws A C, largo
do Corpo Santo n. 19, ou com o capitao na praca
do enramen*o.
Maranho
Segu com brevidade o palhabote Joven Arlhur ;
para o resto da carga que lhe falta irata-se com es
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo C, ra da Cruz n. 57. ____
Para o Porto
Segu sera demora a barca portugueza fl
Silencio, por ter grande parte da sua carga promp-
ta, para o resto e passageiros aos quaes offt 1
excedentes cwmmodos trata-se com Oliveira PUfa 1
A C, largo do Corpo Santn. 19 ou com o capitao
na praca do comnicrcio.
Para o Porto
Segu com muita brevidade a barca porguez
Harmona, para a carga o passageiros trata-dc
com os consignatarios T. de Aquino Fonseca o
C., roa do Vigario n. 19, 1 andar, ou come o o
pit i na praca.
DECLARACOES.
De ordem do lllm. Sr. inspector da thesou-
raria de fazendad'estaprovincia sao ciados pelo
presente os ex-collectoros do municipio de Igua-
rass. Carie Augusto de Barros Lima, Francisco
das Chagas Cardeiro Campos e Claudint de llne-
les YasconcoU de, Drummond e seus ('adores ou
COflPVHHIA
DAS
Xessageres imperiales.
At o dia 2 de marco espera-so dos portos do
sul o vapor francez Guienne, commandaitte A. de
la Noe, o qual depois da demora do cosluuie se-
guir para Bordees tocando em Dakar (Gore) e
Lisboa.
Avjsa-sc aos Srs. passageiros que por deliberar
cae do conseibo de administracao se achara redu-
cidos do frs. 125 as passagens de segunda clave
Eara Brdeos o Lisboa, assim como so ooncederain
Hieles de ida e volta para os portos do Brasil e
Rio da Prata com 25 7, de abatimento pelo tempo
de sois raezes.
Para condc$oes fretes e passagens trata-se na
agencia ra do Coramercio n. 9.
Para Lisboa
o brigue portuguez Relmpago, segu em pooeo*
dias, tem a carga prompta e para o resto e pas-
sageiros trata-se com os consignatarios T. do*
Aquino Fonseca A C. ou com o capitao na praca.
Para o Porto
seguir dentro em poucos das a barca portng
Amelia, de Ia marcha, por j ter mais de dous
ten*o de sua carga prompta; para o pouco que
lhe falta e passageiros, aos quaes ofTerece cxoelleu-
tes nmmodos, tratase com Baltar, Oliveira & C.,
na ra do Vigario n 10.
ItMS.
lendurs will be received up lo 1 clock
(mcdday) on Friday 26 Instat tbe Brish
Consulate from parties willing lo underla-
ke the repairs required byihe British Bark
Carioca, at present anchoad in this port.
For parficulars appjy to tbe masler Tbo-
LEILAd
De Movis, louea e erpitaee.
Urna mobilia de mngm eom tampos 4c podra
marmore cranosla de I sola, 1 mesa oval, f con-
s?los S cadeiras de bracos e 12 ditas de guarn*
\


1



Diario de Pernambuco SMa feira 2S de Fcverairi de 10*9.

i esnetho oval, \ castlracs rom mangas,
jarros eom llores, ?. \ ,nea L-om
las RavH ., |VIW ,..ull.jl..
rata, 1 raniaj:,
pedral) km i ,n*rq
vatorio, 1 mesa oljsiica. 1 so', 12 i-ad.-iras, di-1
tas de balando, 1 anparador de armario, 1 dito ps
torneado?, 1 aparelho de louca para jantar, 1 dito
para cha, ai r -. clices, compoteiras, i
baneasdejogifl quartnholm, 1 guarda rom id a
Ue rame e outros objecin existentos no 2" an-
dar do sobrado da praca da Boa-vista n. 21.
HOJE
O agente Pinto far leilo por authorisr5o do
Sr. Dr. Jos Mauricio PeniMdes Pereira d Bar-
ro, d-js objectos cima descriptor exlstcuts em
casa, de aa residencia no 2- andar do sobrado
da praca da Boa-vista onde se cffectuar o leilo
as 10 lloras do da cima dito.
J
l>a aini:ii;o" imvertiisada e envidrarada da
luja ti. 9, a rea da imperatrir
O apeale Bernardina Gatearles, a iu.-uid:idn do
nixo municipal da vara, vender essa annacao,
por exceucao de D. Therez tonralvts de Jess
Aaevcdo contra Manoel AI ves Barbosa Sobrinho o
Lourenco Pnggi, socios da firma de Manoel Alves
Barlmsa Sohrinno & ('..
HOJE
Soxta-foira 2fi do crrante as 11 horas, na
mesma loja.
lain
De mu (orno telbeiro, caine*, bal mea com pe-
sos, eyndro, naceira, tendedeira, relogio, JaahSo
de am'arelio, armaco, un cofre do ferro e mais
pertenres da nadara da ra do Sebo n. 83.
HOJl.
0 agente Martins (ara leilo da padaria cima
en un s lote, pois garante-s o arrendamnto
por 4 anuos a i|ueni comprar o estabeleciincnto,
as 11 horas do dia cima.
i
&uB(pie-me responder ao aniuaieio que
n Diario de lioje iHtblkw o Sr. Heaii-
que OJyrapio lavares da Kocha.
Teado fallecido,'m finsdo anno passado,
o meu muto amigo tenente-coronel Jos de
Su STelo Gadelha, de quem era eu corres-
pondente oesta cidade, ate hoje n3o fui pro-
curado pelo Sr. Henrique para apresantar-
Ihe a cotila do debito daquelTe finado, afim
de ser pago.
Nao constestando o Sr. Henrique a exis-
tencia do debito, limitando-se a protestar
pelo nao pagamento dos juros, devo dizer-
Ihe que cstou prompto a recebar o que me
devjdo e com os respectivos juros, que
vencem as letras aceitas por aquelle fi-
nado.
Nao tendo sido procurado, parecc-me que
asininlias retacos com a familia daquelle
finado deviam livrar-mc a u3o exigir logo
.i met pagamento : boje, porm, que o Sr.
Henrique mostrarse cstranho aquella atten-
cao, dir-llie-bei que nesta cidade me encon-
trara semprc prompto paii receber o paga-
mento apresentando a conia e titulo.
Rc-cife, Z'l de fevereiro de 1869.
Jos Mara Fer reir da dinha.
.TRRJMPHO MliDA. DA SCIErVf.l
ir
fll
n
AVISOS DIVERSOS.
le ll-
alli i o-ose
S1LVANI BLl'M E JOSlPH
mann, convidam seus
aos to seu fallecido irmao e pri-
mo Eugenio Blum, assislirem
ao seu funeral que lem de ser fe-
to hoje as 10 horas da manhaa
era a casa da residencia do mes-
mo finado, ra da Aurora n. 30
priuieiro andar, e dahiconduzi-
rem-no ao seu ultimo jazgo.
Desde j agradecem a aquellas
que seprestarem a tao caricio-
so acto. ______^^
gWHIUMllf lili
Ao egregio tribunal da reanlo
De paisagem.por volla de mena afazeres na pro-
vincia do Bio-Grande do Norte, na villa de Goya-
ninha.de onde me diriga para o seio de minha fa-
milia na capital da Parabyba, no dia primeiro de
agosto no lugar denominado Cat duas lesuas
distante da villa, fui sorprendido e atacado junta-
mente cora o eargneiro que meaeorapaahava por
dous malfeitores armados, que denota de una pe-
aaen resistencia fe ataba parte earara sniores
de tudo que trazia-mos, c deixando-me com a ni-
ca roupa do corpo; e isto ao enfurecer de urna
noite de loar e cm una estrada muito frequenta-
da escndalo sem norae!
Qaeixei-me as autoridades do lugar, e das dili-
gencias empregadas verilicou-se serem autores um
escravo do capitao Targino Ernesto Bananeiras e
mu indio de nome Joaquin. attendendo-se as suas
contradieoes e indicios que constituirain pravas.
Fonnou-se o procosso contra os delinquentes, c
aguardava eu o desagravo da justica publica para
reevindicacao de mcu diivit>, ex que consta-me
estar a cousa em appcllariio para a relaco de
Penianibuco.
Apezar da legitima ou nao influencia que se diz
ter o capitao Targino Bananeiras, conliei no Dr.
ehefe de polica do Hi -Grande do Norte, e nao
confieiem vio, porque espero delle a reevindicacao
de meus legitimes direitos.
Ao egregio tribunal da relacao de Pernambuco
depende a causa de tao nefando attentado, e ora
faco um apello aos venerandos magistrados, pedin-
do-lhes a altenco sobre um fac'.o que s se pode
qualificar de brbaro.
O futuro a Deus pertcnce.
Prometto oulro non, a quem me der conta do
roubo, ou parte delle, metade de seu valor e im-
portancia relativamente. Pudendo procurar-nie
para este lim na casa de minha residencia capital
da provincia da Parabvba do Norte.
Rccife, 26 de fevereiro de 186!.
Antonio Rufino de Sonsa.
(IlJiWUl
Ra do Quemado n, 49 loja de
miudezas de Jos de Azevedo
Mata e Silva conhecido por Jos
Bigodinlio.
Est queimando os objectos abaixo declarados
pelo diminuto preco, a saber :
Frascos com anua'de Colonia verdadeira a 1.
Garrafas com agua Florida verdadeira, que se ga-
rante a l*O0.
I'entes para regacar cabello de meninas a 320 rs.
Thesonras muito linas para unlias e costuras a
500 re.
Tinteiros cheios de tinta muito prcta a 80, 100, 160
e 400 rs.
Varas de franja branca de linbo para toalhas a
ICO rs.
C.aixas de pbospboros de segnranca a 20. 40 e
160 rs.
Xavalbas de cabo de marfini e que se garante a
qualidade a 2.
Libra de lia para bordar a 7 5.
Pecas de lila bran a elstica muito superior a 200
JOOrs.
Novellos de buba branca com 400 jardas a 60 rs.
Resmas de papel de pese liso muito lino a 2$o00.
Latas cora superior bauba a 200 e 400 rs.
Caixas com seis [rasos de ebeiro milito fino a
800 rs.
Cataa* coindozc frascos, fazenda s boa a 1-5200
e 24300.
Frascos com superior oleo filoroine a .">00 rs.
Catangas de sabao transparente muito bonito e fi-
no a 240 rs.
Duzia de paos de pomada do Reino, da mclhor
qualidade a 240 rs.
Pecas de tiras bordadas muito finas a 500, 600 e
800 rs.
Ditas de babadinbos com dez varas a 600 rs.
Carriteis de linha de todas as otros, para acabar
a 20rs.
Garrafas com agua divina a 1-ViOO.
Fraseos com superior macaca petla a 320 rs.
Caixas de vidro com doze didaes, que s a carta
vale dinbeiro a 200 rs.
Ditas de madeira com allineies, o que lia de me-
llior a 320 rs.
Grosas de bolees de louca, Jisos e bordados a
160 rs. |
Caixas redondas para rap emulando tartaruga a
15500.
Pecas de fita para cs da melhor qualidade a
500 rs.
Escovas para limpar dentes, fazenda que s a vis-
ta 3,240 rs.
Dtus para limpar unhas de sui>erior qualidade a
500 rs.
Em tempos modernos nenbum descubn-
mento operou maicr reTohifao no modo de
curar anteriormente en voga do que o
PEITOBVL K A^ACAnilTA
TANTO NO TRWAMEOTO DA
TOSSEi GROPO,
ASTIIMA. TI1IS1CA,
ROUQl'lDO, RESFItlAMENTOP.
HnOXeiIKTES,
tossi: CONVULSA,
DOHKS DE >EITO,
EXPtcrniAcAo de sangos.
Como em loda a grande serie de enfermi-
dades da galganta, do peito e dos orgaos
ia hesimuaco, qut> tanto atormentan! e fa-
zem soffrer a liumanidade. A maneira Mi-
tiga de curar consista geralmente na appli-
i miTio de vesicalorws, sangras,sarjar ou ap-
|ilcai'c\teriormente ungentos lortissinios
compostos de suJvitancias vesicantes, alm
de produzir emjwllias; cujos dilerentesmo-
dos de curar, nao faziara seno enl'raque-
cer e diminuir as furcas do pobre doeute,
contribuindo por esta forma d'uma maneira
mas fcil e certa para a enfermdade a des-
truicSo inevitavel de sua victima Quem dif-
ferentc pois o effeito admravl do
PEITORAL DE ANACAHl'ITA l
EM VEZ DE IRRITAR, MORTIFICAR E CALZAR
INAUDITOS SOFFItIMENTOS AO DOENTE,
CALMA, MODIFICA E SUAVIZA ADOR.
ALLIVIA A IURITACO
DESEMVOLV: O ENTENDIMIENTO,
FORTIFICA O CORPO
fc e faz com que o systema
Desaloje d'uma maneira prompta e rpida
at o ultimo vestigio da enfermid.ide. Os
melhores votos em medicirra da Europa (os
Lentes dos Collegios de Medicina de Berlim)
testilicam serem exactas e verdadeiras estas
relaces analgicas, oualm disso^a experi-
encia de milharcs de pessoas da America
Hespanhola, as quaes foram curadas com
este maravilloso remedio, sao mais que
sullicientes para sustentarem a opiniao do
PEITORAL DE ANACAHUITA!
Deve-se notar que este remedio se acha
inteiramente izento de venenos, tanto mine-
raes, como vegetaes, em quanto que porm,
alguns d'estes ltimos, e particularmente
aquelles que sao dados sob a forma de Opio
e Acido Hydrocianico, formam a base da
maior parte dos Xiiropes, com os f quaes $o
fcilmente se engaa a credulidade do pu-
blico. A Composico de Anacahuita Peito-
ral acha-se linda e curiosamente engarrafada
em frascos da medida de cerca de meio
quartilho cada um, c como a dose que se to-
ma s d'uma colher pequea: basta ge-
ralmente a applicac5o*d'um ou dous frascos
para aeffectuaro dequalquercura.
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A. Gaors, J. da C. Bravo & C, P. Maurer
A C, M. A, Barbosa. Bartholoineu & C, e
em todas as principaes boticas e lojas do
dragas- >. ____
AVISO.
Coslanar>-abKoas8gnadb<, genro do
liudo tenente-coitonel Jos de- s Albu-
(|ucrque Mullo Gitdelho, que o Sr. Jos
Mara Ferreva. da Cuiilia, mowtlor na ci-
dade do Becife, se constitue credor do
iflesmo finado, e tontlo o abaixo assgnado
desde o faiiecimeiUo daquelle lenente-coro-
nel se dirigido-ao referido Sr. Ferreira da
Ciinlia, pata apresentar sei& ttulos, e
serem liquidados, e nao o leudo feito al
a presente data, declara de aceordo com
os mais herdteiros que nao se responsa-
bilisa ])or tjunk|aev pi-emio que por ventu-
ra queixa o momo Sr. exigir quando
exista debito legal, pedindo ao mesmo
lempo a ra/3o de tamanha demora. .
Engenho Mugav de cima, 17 de feve-
reiro de 18G$>.
Henrique Oiimpin lavares da Rocha.
Irmandftde efe iV, S. da Ct'mcei'cdo
dos Militares. ,
Nao terolo. eooiparecido quinta-feira ultima nu-
mero sulR-ieme de irmaos para funecionar a mesa
aera!, fo surcado o dia 25 do andante, pelas G
boras da tarde em ponto, jiara lev lugar a referida
reunido.
O fei otario,
Manoel Fonaera do Medairos.
Veudc-se o grande sitio no becco do Espi-
nliciio. .no chegar a estrada dos Alllktos, frente
muradae diversas otiras de pedra e cal por aca-
bar, bous viveiros rom abundante poixe, baixa
para eapira, boas tenas para plantae.k) com ex-
eelleotBS frueleiras ; para examinar a qualquer
liora. e para ajnstar com Inaquim de OlivciraSlcl-
lo, n ron ila Hora junto ao mesroo biseco, ou na
fundieo da Aurora.
AMA
Precisa-se de una ama para comprar e cosinbar,
tiara rapaz soheiro; a ra do Queimado n. 12,
oja.
Fundipao da Aurora.
Nesle vasto estabeleciraente sempre se cncontra
um completo sortimento de taixa* de ferro batido
e fundido, fabricadas rasantemente, e se fabricara
de qualquer molde a vontade dos compradores, e
presos razoaveis __________
Lava-se e cngonima-se roupa por preco
comraodo : na ra da Esperanza n. 05._______
Precisa-se de urna criada de bous costumes
para casa de familia, preferindo-se ecrava, que
oozinbc e engomme erfeilamente : a tnitar na
rua do Imperador n. 65, segundo andar.
THEATRO
O enforcado e os dous tam-
bores.
Foram representados na quarta-feira, o serao a
raanhaa repetidos o drama em 5 actos O enforca-
do, o a. comedia Os dous tambores.
Fallar do effeito que teve a representacao, do
quanto agradoue foi applaudida, tarefa de que
nao me oceupo em vista da grande concurrencia
que entusisticamente a applaudio.
- A muitos annos o nosso tbeatro nao v um dra-
ma que tanto prenda o espectador, e tio bom des-
empenbo teuha como o enforcado.
De feito, desde o primeiro acto at o meio do
quinto liea a platea suspensa dos labios do artista
esperando em cada palavra, em cada pbrasc o des-
enlace de tao emniaranhadas scenas.
O publico que corra todo ao tbeatro e l se cer-
tifique da verdade que dissemos.
Epi cada acto urna circumstancia nova, prende
o espectador, e quando no final se faz a luz, esta
apparece radiante como o sol.
J. Augusto, Martinlio, Julia, Eduardo e Tliomaz
nada deixam a desejar.
A comedia simples c bella fui muito applaudida,
e s-lo-ba sempre.
Ao-theatro, |tois, ao theatro que tao interessante
drama ollerece ao publico.
Ao tbeatro, e mostremos aquelles esforzados ar-
tistas o quanto o publico sabe corear o mrito.,
(piando elle se manifesta tao briihanle.
Ao theatro emquanto se representar o ENFOR-
CADO E OS DOUS TAMBOHKS.
O compadre do ponto.
L'ma pessoa com habiliiacoes se offerece para
encarregar-se de cobrancas, tant nesta cidade,
como fra, dando llanca de sua conducta: quem
se quizer utilisar de seus servieos, dirija-se a loja
de fazendas dos Srs. Andrade & Mello, rua do Cres-
po, que achara com quem tratar.
O inspector da alfandega faz publico que o
leilo dos productos chimicos annunciado para
hoje, c que por falta de licitantes deixou de ser
eTectuado, fica transferido para terca-feira, 2 do
mez prximo vindouro.
Alfandega de Pernambuco 25 de fevereiro de
18C.
Para a qiiaresma
Na rua estreita do Rosario n. 35, sobrade de
um andar, fazem-se flores de todas as qualidades
para ornameuto de reja, aliar, andores e sepul-
chro, inclusive reos, palmas e rosas, e tudo quan-
to for eoncemente aos sacros actos ; assim como
preparam-se para fra com a maior presteza qual-
quer encommenda ueste genero ; cutro sim tam-
ben se fazem flores mimosas propnas para enfei-
tar vestidos, saiotes o capacetes de anjos, c mais
barato que em outra. qualquer parte. N mesma
casa se encontram j preparados e promptos
venda o seguinte : ricos ramos de seda enfeitados
canutilho com flores de cera proprios para do-
mingo de Ramos, vellas enfeitadas ricamente, bor-
dadas a ouro. proprias para baptisados, capellas de
flores para meninas e noivas. Alem disto se en-
cumbera do preparo de bandejas de bolos finos
enfeitadas de conformidade ao fin :\ que se desti-
na, quer seja para calamentos, rque para bailes ;
fazem tambera vestidos para a quaresma ou outre
qualquer que se precisar com a maior promptido
e asseio.
S>
A Perfumara Victoria boje muito procurad
pela flor da aristocracia, e das elegantes, por
cansa da fabricacSo superior dos productos des-
tinados aos nsos do toncador, c entre os quac
ella creen urna especialidade em cada artigo.
Os seus novos perfumes, preparados com i
Estencia de Ylangylang, que ella oblem mesmo
as ilhas Phippinas, pela disiillacao do Uona
oderatissima, nSotememnenliuma conourrencia,
no que diz respeilo fineza c suayidade do cheiro-
pelo que aconsclliiimos ao publico elegante que
peca como perfume para o lenco
0 EXTRACTO DE YLANGYLANG
0 BOUQUET DR MAN1LHA
Alm d'estes dois extraelos excepcionaes, M
So propriedade exclusiva de sua casa, os Snr
Rigaud e O, preparSo igualmente, com particu
lar perfeifSo, todos us extractos adoptados pel
moda, e entre os quaes citaremosjis seguinte* :
Jockey-Club. Violeta. feseda.
Ess. Bouquet. Narechale. Jasnin.
Feno (retco. MousseUne. Magnolia.
Flor dos prados. Rondele'.ia. llosa musgosa.
TOL1ITINA HUtl'D
E' nma Agua admiravcl para o toilette, cons-
ume ella o verdadeiro talismn da belleza, e con-
serva a pcllc fresca, c a tez do rosto branca. E' a
ultima expressao da scicncia. Est por todos
reconbecida a sua iiiconlcsiavtl stiycrie-ridade
sobre as aguas de Colonia, a agua de Florida e o
vinagres aromticos de maior nomeada.
LEO E POMADA HIBAWBA
Exccllcntes preparaccs que se podem chamar
o thesouro do cabello, e que, cranoslas de subs-
tancias tnicas e fortificantes, embcl!cz3o e con-
servSo o cabello, ao mesmo lempo que Ihe com-
municao um ebeiro suavissimo.
."].
,.,(->,
ATTENCAO
O abaixo assgnado, senlior do engenho Ma-
tegrosso da freguezia de Santo Amaro de Jaboa-
to, faz scientc ao respeitavel publico, especial-
mente aos senhores armazenarios de molhados e
carne secca, que nenhum venda fiado ao escravo
Joaquim, cnoulo. cargueiro de vender agurdente
do mesmo engf.nho, visto que o declarante nao se
responsabilisa por divida algma contrahida pelo
dito seu escravo Joaquim. A^sim como de outro
qualquer que queira Iludir com ordens falsas. Re-
rife 25 de fevereiro de 1869.
Jos Joaquim de S Barrete.
Manoel Luiz Vira es manda
celebrar, na capella do cemiterio
publico, urna missa e memento
no dia 27 do corrente pelas oito
horas da manhaa, por alma de
seu prenle e amigo o conselhei-
ro jos lour enc;o pinto, fallecido
-Ia27 de dezembro prximo pas-
sado em Portugal; e convida
SABO MIRANDA
Qnem comparar este sabSo com os que se
vendem por ahi, fcilmente reconhecera supe-
riodade oo nosso. Este torna a cufis muilissimo
macia, faz nma escama abundante que forma um
verdadeiro banho de leite, e nada dei.vi a desejar
como delicadeza de perfume.
IBNTOBINA
PASTA BEWTIFMICIA
A Dentorina nm elixir dentifriciu dos mas
suaves : perfuma e refresca agradavelmcnte a
boca, fortifica as gengivas, e preserva os denles
da carie.
Esu posto dentifricia fez nma verdadeira re-
voluco na Perfnmaria; aeabon para sempre com
os pos e opiatas, que sSo mais en menos cidos
on perigosos. Basta passar nma escova hmida
por cima, para obier nma mucilagera suave a
unctuosa que torna os dentes perieUamenie
brancos. _-
POS ROSADOS
Preservloa pelle do rigor dos ventos e do fri,
commnnicio-lne nma agradavel frescura, e prn-
venem as sardas. Sao superiores aos pos de arres
de amldo. Sen perfume delicioso.
Deposito em Pernambuco, em casa do S"
:$>
seus amigoe que quizercm assis-
tir aquelle acto de tanta carida-
de, pelo que desde j lhe fica
m
mmmmmmmmm mm mn mmmmsstm
SOFFRIMENTOS D'ESTOMAGO. CONSTIPAQAO.-
Cura em poucos das pelo CAKvAo de ielloc em p ou em pastilhas.
T^!
ENXAQUECAS; NEVRALGIAS. &*.s affecfVs o a
slpadas rapidanmnle pelas KHOLAS D'ETHER it I' CLtblll.
ANEMIA, A PALLIDEZ e os aolTrimentos que necesaitaai d
empreo dos fen-nginosos sSo sempre combatido! com o melhor resultad*
pelas Pilulas OE vallet. Cada Pilula tem incravado o norae VALLR.
PO DE ROG. Basta dissolver um frasco d este p era rosto
garrafa d'agua para *e Obtr urna limonada agradavel que purga sem ia-
er clicas.
VINHO DE QUINIUM de Ubarrafiit. Kste vlnho, um dos
poucos cuja composicio garantida constante, i urna das melhores pre-
ixiragfie de quiuint, sem accio notavel sobre oa convalescentet, dando-
Ibes forca e apressando i volta a saude. Cura ai febres anti;as que re-
liatfo ao sulfato de quinino.
MOLESTIAS DA BEXIGA. i maior parte d'eatu moles-
tias, cerno as sciaticas, lombagus, catarros, e todas aa dore* nervosas era
gem Uo curadas pelas PEROLAS OE ESSEHCIA OE THERE8:htina d* -
Dr. Clcrtan. O proCessor Trousseau em seu Tratad i* therapetaiea acn-
letha as para serem tomadas na occaaiio do jantar, na dos* de 4 i 11.
OLEO DE FIGADO DE BACALHAO DE BERTH-
Garantido poro e de prunaU OjtuUdada, am dos paoeo aprnvaHiM pl
Academia de medicina.
AT1S0. Todos esta medicamentos foram aprovudM pela Academia
imperial de medicina de Parit.
DEPOSITO
Km P.rl U rilll, I, r Jao*k
Kh-Janitrt DnroiicHei.Li; Hnaum i Pernambuco. M.bri et O.
Bchia..
Tuaoan.
Utn et C".
Ctara. .
aUnam t O.
EFFICACIA
a
DO
XAROPE DE RBANO TODADO
0 Xarope de Rbano iodado de Crimanlt e C, phannaeentcos de S. A. I. o principe
Napoleo, em Paris, preparado eom o sneco daa plantas anti-escorbuticas cuja efbcaaa
mu i popular.
grato.
ln1if>>
Garlos Augusto Lins de Soma e usa mulher D.
Hermila Augusta Lins de Souza convidam a to-
dos os seus amigos e parentes afim de nwistirem
as missas,que mandam celebrar no dia 6 segun-
d.-i-feira Io de marco as 6 1|2 horas da manhaa,
na igreja matriz da Boa-vista por alma de sua
presada mai e sogra D. Joaquina Lins de Souza
viuva do finado desembargador Jos^ Libanio de
Souza fallecido a 12 do corrente na provincia da
Rabia.
iMMnf odo como combinaclo orgnica, e considerado come o melhor snecedaneo
do oleo de ligado de bacalhio. ... .,.
A rara perfeicSo d'este prodneto anima-nos a dar a conbecer aqu a opiniio de alguna
d'entre os principaes mdicos de Paris, que diariamente o prescrevem.
0 Xarope de Rbano iodado nm medicamento d'nm effeit suavee seguro para a
medicacodos meninos, nio smente snppre o oleo de figado de bacalho, mas anda faa
as suas vezes eom vantagem. i ..,... r n
D'A. CAZENAVE, medico em chefe do hospital SatntrLouit, em Varis.
a 0 Xnrope de Rbano iodado 6 nm medicamento de primeira ordem para o tratamento da
< affeccoeslymphaticas e escrofulosas. Muitas vetes, empregnei-o com feliz xito, em cortos
eaaoTcte tsica ao seu principio, como suceedaneo do oleo de figado de bacalho.
D' Al CHARR1ER, onfyo chafe de clmica da Faculdade de Pam.
0 Xarope de Rbano iodado sempre nos deo excellentes resultados como regenerador
do stagne, e snecedaneo do oleo de figado de bacalho.
- d A. FAVROT, autor do TratU des maladtes des femmes.
a 0 Xarope de Rbano iodado I nm dos mais poderosos modificadores m llatluljln
lymphatcas. Tenho visto ulceras escrofulosas pe nada NaftflMir, M*MM
. Sin accio, com promptido extraordinala. Tambem, pelo sen uso deaepparecem
t a affeccoes tuberculosas des ossos, nos meninos. __,.__Jt p-,
^^ D GlESNARD, ontijo xstim dos hospilaes de Paru.
0 Xarope de Rbano iodado possne todas as wMapMj. *** ** baealblo,
sem teTnenbnm dos inconvenientes qne aprsenla te nltrmo medK^enio.
pr gdiboUT, medico dos hospitaes. Presidente da Sociedade de mediana de Pam.
. Xarope de Rbano iodado de Crimanlt e C encerra IrJ por centc.de iodo, na su
composicio ornnica anloga i que cha no oleo de figado de bacalho.
eomposicao ^mJ^| r2fmor de chymica, louvado dos tnbunate de Vtenna.
Deposito em Pernambuco, em easa de
C\
RITA
|DO
CABUG
esquina
| da rua larga do
Rosario.
JtNNEL
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortimento sem igual,
e vende por pretjos que nenhuma outra casa pode vender.
* vista da qualidade e do pretjo das joias cada um pder-se-ha convencer da verdade.
Garante-se ser tudo de lei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por presos muito ele-
Ivados.
A loja est aborta at s 9 horas da nonte. *
CABUGA
esquina
da rua largado
Rosario.
3


y>t'ip*'
Diario de Pernambuco Sexta eira 26 d eyereiro de 1869.

Rio de Janeiro.
' ., s olas do banco do Brasi', e das eaixas Miaes,
Zefenno dAlmctta Pinto, advogaao no (m descont mut,o razoavel: na praca da hide-
Trocaia-se
Rio de Janeiro e com escriptorio de agen-
da na ra dos Pescadores n. 08, encarre-1
ga-se de todos e quaesquer negocios judi-
ciaes c administrativos, Mediante honora-
rios e commissOes rasnos e moderadas.
As pessas que de seus serviros se qun
drena
mente ou por carta ao escriptorio
a casa de sua residencia, Cllete n. 172,
aconapanhados de todos os document
precisos e com indieaco da pessoa com
quem sepossa tratar.
Para mais Wormacos dirigam-se a bo-
tica da rua larga do Rosario n. 10, nesta
cidade.________
pendencia n. 22.
No sitio n. i da Passagem, vende-se urna
escrava de meia idade.
Escriptorio
Gomes de Mattos Irmaos estao com o seu es-
rriptorio aberto na nu do Vigario n. 26, i- an-
utilisar, podero ingir-st, pLi>ho oh nnr carta ao escriptorio cima oa M cscravos.
Ama
Precisa-se de urna ama :
n. 45.
rSMDO
na na da Conceicao
T
i'
Pede-sc ao Sr. Manoel da Costa P-oreir^, nrali-
eante da rcparlirao das obras pallucas ora cm
laboatao, moconarecaiftta Augus\ otS|do
n. i02,atiuule saldar o aea dobito, ou pagar o
que pedio, c_Ho_coni brevMade._____
"Attenco! attenco!
Guilbfirraino Rodrigues 80 Monte Lima fez sci-
ente aos oBeiaea de todos OS eorpos, une acaba de
leceber uin cemplel > sortimento de espadas, llan-
tas, lalins, talabartes e charlatciras, e n-ais pit-
lencae Assitnaenio reecbfiB tainbem chapeos oleado pan ojiados, do copa alta e baixa, ora
cmlfn de.iaro ou prata, rxende mais barat do
que cm ..aira qualquer parle, na praea da lode-
nendencia n. 17, junto a luja do Si. Arantes.
Precisa-se de um menino que saiba comprare
azor uiaisalgum servico de casa : na ra do Im-
perador n. 73, 2' andar. ^____
lil
}V
BARTHOLOMEU ft C

simples ate o mais sumptooso e -proprio
guamican e Coito de sala?, gabinetes, capell
teroja 8 sanctuarios, pela vartedade e'bellei
pendanc
Precisa-se de uaia ama erava qne saiba.
eotlnhar, engommar e ter compras (paga-i
hc.n) : a tratar n i Corredor do Bisp i n
83.
No annazem de Candido Alberto fiodr da Mot-
ta travessa da Madre de laos n. H, estao paten-
tes inais de dez mil amostras de paffl^o mais lai-
do que se tem visto nesta |rovmcia>38sde o mais
rio para
pellas de
tgraja e sanctuarios, pea varicttaae.e nelleza de
seas desenlias e acbeseos primorosamente deli-
rados. O custu d^sse artefocto o wials razoavel
possivel, poripia apeuasse-augeitai o Sr. preton-
dente a urna djpiinuta eommissao alto do mdico
piwo porque vende o fabricante rmPai'N.
No niesmo armazem de Candida .Alborto ven-
de-se amito eai cunta o seguintc : '
Mmto bom trelo
Por 54 o saeoo de 120 libras. E' muo barato I
ptimo cimento
P ir 10 i a barrica de J2 arrobas. Nao ha que
dizer._______^^^| ^%_____________
Ai-(iii'Q"*tte tafoci'ua
com os seus peilences.'pem- c uiedas etc.. todo
.ni milito bom estado e pifprio para algum prin-
cipiante : venile-se por metade do ?n\ justo vabo
PARA USO INTERNO
PRHPAHADOS SIMPLES
Xarope de jurubeba garrafa. I5000
Vinlio de jurubeba garrafa. t-GOO
1'ilulas de jurubeba vidro. iiWKK)
Tintura do jurubeba vidro. 640
Extracto hydracoolico de jurubeba. 120500
PREPARADOS CO.MPOSTOS.
Vinho de jurubeba ferruginoso garrafa. 2000
Xarope de jurubeba ferruginoso garrafa. 1 .>00
Pilulas de jurubelia ferruginosa vidro. 2000
Oleo de jurubeba vidros. 040
Pomada de jurubeba pote 040j
Emplastro de jurubeba libra. 2^1500
PAR \ USO EXTERNO
A JURUBEBA.
Esla planta boje reconbecida como o mais poderoso tnico, como um excel-
lente desobstruente, e como tal applicada nos engoagitamerrtos do figado e bico. as
hegMtitM propriamente ditas, ouainda complicadas com anazarebas, as inflammaces
subsequentcs as felues intermitentes ou durezas, nos abeessos internos, nos tumores es-
pecialmente do itera e abdomen, nos tumores glandulosos, na anazareba, as bodrope-
m, fiyslpellas ; e associada as preparaces ferruginosas, ainda de grande vantagem
as anemias, chloroses, faltas de menstruacao, leucorrheias, desarranjos atnicos do
estomago, debilidatle orgnica e pobreza de sangue. etc. '
O que dizomos alinnam os mais distinctos mdicos desta cidade, entre os
quaes podemos citar os IHms. Srs. Dr. S|va Ramos, Aquino Fonsecn, Sarniento, Seve,
Pereica do Carmo, l'irmo Xavier, Silva etc. Todos elles reconbecem a excellencia d'este
poderoso medicamento sobre os dentis at hoje conhecidos para todos os casos citados,
tantOjipte todos os lias la/rm (falle applicacao.
ApiesBtando ao,s mdicos e ao publico em gerai diversos preparados da juru-
beba, tivenios por flu gencjalisar inais o uso d'este vegetal, fazendo desapiiarecer a
WlRITIMOS
CONTRA VOttO.
A Coiupanltia ludemtiisadira.i'slaiiel>;cinl
nesta praca, toma seguros martimos snlite
navitos c seus can-egamenlos e contra fogo
em edificios, mercadonas e mobilias: aa
ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.____
-Joscinco bilucioeda lotera 9aicueliciuiU
iKi-e de N. S. da oa-viageai de ns. 2097; i,07.t;
4SaT2(i98 e 39, pertencem nos Sr-. lticardw
WitHjf. Manuel ricans de Freita- e Manoel gsj
Marlins. do Aracaty, e ficam em poder d) abai\n
issignado. .
Francisco M.irtms de Aniortm.
-
I)a-se 1:0004 a premio com b\patieca em
bem de raz de dobradu valor nesta cidade : na
ra Nova, loja le ferragens n. 31.
Innandade doSenhor
Bom Jess dos Passos
na matriz do Corpo
Santo.
Tea lo esta irfnandade de expreai solemne l
isao a inia-'i 1 PaShir'ifo no da 12 "
iz vindoaro, eoi aijtirfla pofltpa (s'briHian-
ipie de co'stum?, tai a mesa re i ai- numoriios Sevots de^'e Senlior. afim
ncom rem eoiii :. .-aa- esuiala.; e nao es-
a par de lodo* elle-, e Mesmo pela- lislan-
. in^-u mi.i^ nior*4.<, a mus rojiHlura llics pedo
Inatqaer >i rnativo com que raeira.....oncor-
i !-. lignar-se-liEo entrega-to ao inicio provedor o
Sr. MaiT'.'li'iia J utj u iqsalvcg de Puntes, ra da
CadBa n. _, ou ao (fies lureiro Bernardo Kerrera
l.ouffeiro a rna da Aniorim n. i. Oatro -ini. nc-
n'iimia pessoa se acba encarregada para tirar es-
molis de capa com salva, como consta.! irni.inda-
ile siapreaait'ira no da ID lo canale wi. /. uai
indMduo assim caraetmisado, pois os nicas en-
carrpjfados ile-sa missao siio os cima mencin
i us que a ellos se juntaran para formar coinj-
inissto. __________,________
Precisa-se te nma ama qne saiba cozinliar.
preferiado-se escrava : a tratar na ra do Hospi-
Joaquim Jos Gon-
palves Beltro
RA DO TRAPICHE N. 17, 1. ANDAR.
Sacca por todos os paquetes st^re o Ban-
;o do Minho, em Braga, e sobre os seguin-
tes logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valonea.
, tiuimaics. ,, p.,,
Coimbra.
(> baves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Caslello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de FamaIic5o.
Lamego.
Lagos.
Civilha.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
It"ja.
Barcellos.
ijiiDiiiiiiii mmm wam
UTIfilWAOE
Aos500 pares de brincos.
Cliegou c vende-se no Coradlo
rouro, ra do Cabug, brincos'de
niaosinhas com uuva franja pendan-
te a um rico desenlio e ouro lei, pelopenmm pre.'o de I ->00t)
cada par. baratsimo.
vHi;:nan''ia que at h ije sentia os doentes de usar dos preparados empricos doliere
nais dat vzes repugnantes a tragar in-se, e que tinltam ainda a desvantagem de nao
ser cjrtculada a dose rnuvcnieuto ar-jqcar-s, o pie torna muitas vezes improficuo um
metcamento, que ooderia produxir- ptimos resultados.
' Osnasssjprqyarados fbratn apresentados (ftpois de tiavermo* conveniente-
meit^ludado a jurubeba. fajeado as experiencias precisas para bem conhecer aspro-
pi'iedades ini'ditantentosus desta plaa em suasraizes, follias, fructas ou bagas, e %
iveniciitP f apphraco, tendo alm d'isto procurado levar os nossos preparados
ao nwior.gro de Derfecfio [aissivel. para o que n3o poupamos esforcos, nao nDSm-
porlattdo o ppuco iucro iuierossJmos tirar.
' j Por tanlo os pie so i%(vem recorrer aos nossos preparados podem te#a
certeza de que lies oflerecem a^armlia, de que se pode encontrar, a prompta e infalli-
vel cura de qualquer dos soininentosjjtie deixamos innumerados, se forem em tompo
appMads, tendo alm 'sso, medico eu doente a vantagem de escollier as n issas va-
riadas preparaces, nqnclla croe meftir lite podeconvir, ja pela fcil applicaco, ejpela
compcaco das molestias, idade, sexo, ou ainda natureza de cada individuo.
As nossas preparacSes fexugjijosas sao feitas de forma que se tornam comple-
tamente soluveis nos su,i,osastricos, porque procuramos oscompostos de f'?rro que
como tacs estao boje iivotibcciiios.
Para aqt elles que mais minuciosamente queirani conhecer as propriedades da
jurubeba, esabereni a appcaiao de nossos preparados, destribuimos gratuitamente
em nosso deposito um foliieto, onde tratamos mais extensamente d'esta planta e
mesmos preparados.
Deposito tieral Rotira e drogara
34Ra larga do Rosario34.
Do xarope Vegetal Americano. e,|ieclalidade de Barhoonieu A C
34RA LARGA DO ROSARIO34
N3o costumanios procurar attestados para acreditar nossos preparados, e dei-
xamos que sua applicacSo e os resultados oldidos pelas pessoas que se dignaran atceita-
los, Ibes deem crdito e.voga; porque sao Bempre os attestados considerados gratuitos,
e delles que langa mao o charlatanismo; mas, nao querendo offender as pessoas que
espontneamente nos offereceram os que abaixo vo transcriptos, os fazemos pHblicar,
manilestando-lhes nossa gratidao pela attenfao, esperando que venbam elles corroborar
o conceito, e accetacao que tem merecido nosso xarope.
Barlholonieu & C.
ATTESTADOS
IHms. Srs. Bartholomeu & C com a mais subida satisficao que decan
ser o xarope Americano de urna eflicacia extraordinaria, pois que soffreud lia das de
intensa tosse, ponto de nao poder dormir a noite a despeito mesmo de-medicamento?
que tomava, a elle recorr e natercera colber fui allhiado, e de todo me ai lio boje res-
tabelecido com o uso somente de quasimeio frasco: grato, pois/ esse resultado mani-
fest a Vv. Ss. meujrecbnhecimcnto.De Vv. Ss. amigo, venerador e obrigado.Ma-
noel Antonio Viegas Jnior.
Sua casa 20 de abril de 1868.
IHms. Srs. Bartholomeu d- C.Penhoradissimo com o favor que me fceram
de aconselhar a uso do xarope Vegetal Americano, de sua composicao. quando me acha-
va bastante doente de urna constiparn, que me tornou compli timiente ronco e que
trouxe urna forte tosse, c me impossibilitou de cumprir os meus deveres de caflor da
empreza lyrica, vou agradecer-Ibes meu completo reslabeltcimento, qu' cbtive cem um
s vidro do mesmo xarope, depois de baver recorrido a miiitostralanienlns. Dcsejarei
que outros como eu recorram ao seu xarope para se verem alliviados de lo tcrrivi I
incomniodo, 15o fatal neste paiz. Com maior consideraco contino a ser de Vv. ?S.
attento, wnerador e obrtgado.Luiz Cremona.
Recile, 3 de setembro de 1868.
IHms. Sis. Bartholomeu A C.O xarope Vegetal Americano que Vv. Ss. teim
exposto venda de toda.'eflicacia para o curativo d'asthma, conforme observei appi-
cando-o a meu ftlho Joaqulln, menor de quatro anuos; victima d'esse flagello, tfm
ento por espago excedente,a dousannos bavia resistido a outros xaropes de gfaBde
nomeada. Queiram, pois, Vv. Ss. acceitar aexjpresso altamente sincera de mea reco-
nhecimento ao meritorio servico- que lhe prestaram rom o indicado xan pO. acreditan-
do-me para sempre de Vv. Ss. criado, atiento e obrigado.Americo Netto de llciidonca.
Recife, 2 de outubro de 18(58.
DE
PIAMOS
DE
J.
Wl
1
N. SfiRA DO IMP:RADOHN. 53.
1
m
ci n. 47.
- ------------HiijeBeneiodaiuatriziiaJalioa^a(9o.*r(>nviUa ures do interior, qu 3 rem hopvar rom
T5^ ^^ T?,^^^ aos possiiulins a vii-oin reoelicr seus respectivos JUa freguezLo, espina icaoilo cm seus pe-lidos a
w'W *# ^r .t'/$W0S ?om os descuntos das Icis nreasada [('ualidade c nuiiici^o,otfti'eJudo-so para
c no Diario de IVrnaiiiuurov il Mi, dt l'artaiia ra de Crespo n. 23. tregar bem acondiwMtaAu em casa de seas cor-
(]4S4DAFOimi4
Aos 4:000$
Bilhotes garantidos.
mm
Os jianosdcsta anliga fabrica s-o hoje assz conhecidos para srja nece:
insistir sobre sua snperioridade, vantagens e garantas ipie olTeiecem aos ootnpradors.
qualidades estas incontcstaves, que elles tem delinitnament conquistado siilie loe. -
os que tem apparecido nesta praga; possuinijo nm teclado e macbinismo quQ pbedefcni
todas as vontades e caprichos das pianistas, sem nunca falhar, por seren fabricadas
de proposito c ter-sc feitoltimamente melhormentos importantissimos pata o din;,
,,,s ilrstf. paiz; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas e por isso muito ayradav.U,, .-
ouvidos dos apreciadores. ,
Fa2em-se conforme as encommi'ndas, tanlo nesta fabrica cono nado Sr.'TO ri-
del, de Pars, socio corn.*spondetite de J. Vignes-, emcuja capital foram sompre pr, d
dos era todas as exposiees.
No mesmo estabclecimento se achara sempre um explendido c \ariado n
nanto de t:ius"cas dos melbon's atilores la Entupa, assim como InmoDeos 6 paiii
ibarmonico;, sendo tudo vendido por procos commodose razoaveis.
XAROPE d'HYPOPHOSPHITO de CAL
A cffictria dV; ta preparado estesubelecida desde 1857, pelos mais celebres mdicos, tesde
cniao muitas imitaedes tem sido fcias, mas nenhuma poude sustentar a comparacao com o
producto apresentado pela nossa caza. Por isso excitamos o publico para que exiga sempre j
este xarope com urna beUa cor de rosa, nunca branca, e com a nosa assignaiura roda da
frasco.
Sob a sua influencia, a tosse acalma-se, ossuorcs nocturnos ccssSo e o doente volve rpida-
mente i sade. 0 seu emprego H lamlicm os mais brilbantcs resultados nos defluxos, citar-
rhos, brandles, irritaces do peiio. etc.
Deposito em l'emambuco, em casa de x > 'W'V
BAKATISSIMO
Calcado nacional, na fabrica de los Vicente |
A ra do Crespo n. 23 e casas do Cttume. Godinho &C, rua lo Jardimn. 49, avis;im aos
O abis assignado ton lo vendido n seus fr>guez.'s desta ropriedo interior.qaecan
'-'es billieles garantidos um nieitf n. ">'''. nnain a liria:al recemas iiMtbo(esiX)iidi$fies>taat0p]praG>) coino
illl [Ualidade. l)s ii.lipieUriS dosV! iiJwleci-
meuto ehamam a dores do interior,ju os |uizerem b miar rom
muito felizes billieles garantidos nm ineio n.
com a sor'e de TOO*, mu meio n. lOtl com a
BOTte d'- 023 e ontras umitas surtes de 400,
10i e ao.-3 da lotera ijue se acalmo de extrahir
cTo la matriz ieJaiioataa {US* Tcaoyida
Leado-se no Diario de l'ernambucov ii. JO
16 do eorwnte, oa editaldojuiKO eapeeial do m
inercia, no qtial se declara i'.ie em virtodl Be
juslii-aci) Lidaaieliiijdniinjn-adores d;L_inasa
tVdida-.Vmoriin Fraglsl, Sa|tu> i
vada a anuencia *? wnriipie -tos da (amlia, 'W
lugar iocerto e nao sabido; pelo presente se faz
publico, oque p ir i nmefwo, o nao igno-
rado polos praprios jiutilieantes, que o dito llea-
ni]iii! Jo- di Cuaba reside na e lade di Porto,
rua de D. Pedro n. V) Sirvam ao menos es-
las Hutas, como protesto, contra essa falsa asser-
ja, tjue se diz justificada.
Sos Quatro Cantos, ruado Cotovellu.laoa-
vista n. 1, prneitp aqdar, lia una escrava para
alupar-se para iodo servico de casa de familia :
na mesilla lia um canieiro manso para menino
nadar com sellan novo', para venaer-'se.
----------:------------------------------:-----------*_
I'recisa-se d:i i|u.iniu de llio- a juius so-
bre bvpotheca de urna parte le um sitio uestes ar-
rabaldes : a petaos |uo quizer fazer este, negocio
aniiuncic por este jornal *
Georges Sezob retirando-se para.uro} le-
ctor.* nada datar nesta praej ; declara latuJieun
nyino Delsue.
MVAI/1SEM SWl'NJW
Rna do Queimado n. 49. loja de niiudezan le I
Jos Ue Azevjdo jHaia a SiUa, teui para \ender os
artigos abaixo declaiados, tudo bom e baratissi-
mo, que sao para acabar.
Oiuia de salnietes muito linos a 700 rs.
Pares desapatos de tapete para lioni'-m a )-580.
Ditos de tram-a para cr anca a l.
Tramla do Porto, bordada", a melhor a 200 ra.
ttita lo Porto liza, da melttorqiuM;ui>t aiOO, JO.
160 e 200 rs.
flcsuia do papd alujado, lizu.sup.riai- a ^200.
lma*o pautado a
Livrode miasei abreviad's a 2-i.
Carulhas "0111 toda a doutrina e auuas resas a
31 rs.
Silabarios portuguezes com estampas a 320 rs.
Wralhos franeexes muito fiaos a 20-) e 210 rs.
Sabto mgiez su|>erior qualidadeaOO c 13. .
Gravatas pretas e de cores maito finas a iO rs.
IKizi.'. de meias npra euliora. fazenda fina a 4 j.
Re les pretas lisajT para sagrar cabello a 320 rs.
Varas de transa de seda fe todas as cores aOO r>
Pares de brincos dourados com mao/.inba o pe-
dr:,a 320 rs.
Ca toes com corchetes de duas ordens e sao de la-
ti a 20 rs.
Abotiaduras oV vi.li'o para xolate muito tn a
120, 240 e 400 rs.
Pares da.botieadoutadoi pa-a pulios a 160 rs.
Caixas de penn dffcio muito laas a 240, 320 e
oOO rs.
CartOcs com duzentas jardas de. linh.i do fabri-
oanteAiexaadjjiu^H..
de paana#'de aro, a venladeira peona t
Viliam-se .1 venda os da 4' parte da lotera a
beneficio da igreja de Nossa Senliirada Hoa-via-
em d Aiyados_)6Laue se euiabir sexta-eira
llla.te. 4OO
Meio.....*iO00
Quarto. ... 1*000
Kin poreao de 100JI para -eima
BBtete.....33S00
Meio......f70
Quarto..... 873
Han,.el Martina Fiuza.
tregar
respondentcsjiosta iiraca.
Cirurgio dentista {tela eMinla
de piiedleiaa
do Kio de lauch-o.
Tema honra depajlicipar ao respeitavel publi-
co dcsta capital esuus suburbios, qufi.teni aberto o
seu gabinete de consulta.- lea arias a
ruaDireila n. 12, primeira indar, onde pide ser
procurado todos os diasdasS liorisda mait'a as
3 da tarde. Elleacha-so competentemente habili-
tado para com perfei^iMvaollocar dente-; afiftciaes
por qnalquer dos systeaia^. e Ljm assim desi'inpe-
nliai*uaiquer ouiro traballio joncerBeulei sua-
proQssio. O niesmo. nrunltecondo que neinsem-
prcp.issivelssenbcras ou criaa?as sahirem a
Prepararse almoco e jaiita'r'em rtnia casa: procr-aro.oemedio. iTorece-se a removir qual-
o nritegi 1 da ( aiceieSo pYeeifi-sc de urna
eiiL'omnmdeh'a jx-iita.
c
'^^^^w^^^yi^i^c^^^^^^^f^^^c4f^\
GRANDE HOTEL
BE ORIENTE.
Inatignrou-se este commodo e elegante
estabclecimento d'onde os seus frequenta-
dores poderao apreciar a especialidade 111
confeceao dos gneros alimenticios.
As bellidas sao as mais primorosas e re-
commendadas.
A decencia bom servico primim n'esta
casa no bello gosto oriental.
Mandam-se domicilio comedorias, tanto
avulso, como por assignatura niensal. Os
precos sao mdicos e conyencionaes.
lia urna e|>acosa e bonita- sala para o
elegante jogo de hurtar.
Ha tambem aposentos commmodos e bem
mobilhado^para iiospedageni.
Rua larga do Rosario
44.
RUA LARCA DO ROSARIO .137
Este acreditado estabelecimento augmenta
de dia em (lia quaulu possivel para clie-
gar ao cuine do bem viver.
Altn (los sabomsos manjares oobCmcO-
nados com o melbor asseio, tem bellos apo-
CHARITERIA E PETIT BS1U1HT
Annexi'.s no Hotel Ci^nlrnl. rna estrdt
Rosario n. i A, andar torreo.
Para dar a conliecer a variedade Milita
le cbarutos de Havana, Babia, llio, etc.
existen oeste novo eslabelecaoento pi #-
Fredarico Maia
jiarttcular de familia, na
rio ii. 35, .-.lit-ado.
rua estreita do
Prccjsa-se alujar um moleque
Calinga n. i!.
lt
lia roa do
AMONIO ,K1'AAUN0NDA I)
MKtdiO tem o seu escriptorio
advogado rua do Queimado n. ^-
4.. ailar.
frecisa-se de um malhue d 12 a 14
pai-a .aeivit^o exlf'tio ; na la.a Direila n. 70, loja.
(Joioida para ftlra
Com todo o asseio e promptido, bem papara-
Ui ca4nbada,,dandti-sluaafina e niaiidanda-se
levar as eMas qiie qnir>rem : na rna estraita do-
ftufea< Carpmteiro Kilho & Sobrinho saeain por to-
dos os paquetea pnra Hespwha qsr o prtos
segointes : ^_^_
lense.
Celanova. im i
Ceniza.
l'uenteareia
Toy.
ite-Vjftdra
lledondela
T&o.
Santiago.
quer.obstculo, declac^daflue ua cidadoftu pres-
tara'a qualqner cliamado s'em qu issinflna cousa
ilSUiHanaconnnodidadedospi seu? traba-
mos, p. qnando para f5ra defla a**n me6m.iser
precedido de um ajuste rasoavel, garantindo elle a
seguranzae porfeijao desens ditos trabalbos. Em
seu gabinete se encontrara constantemente excel-
lenteps dentifricio, elixir e outros medicamen-
tos odontalgia : rua Dircita n. 12, primeiro
indar.
AlugaaJBBf0 andar de um sobrarlo do
Caes do Ramos, Cun 3 da rua da Praia ; a tra-
tarna rua da Iinperatriz n. 03 2 andar.
Precisa-so d'uma eriadTdtFbons costnmes
para casa de familia, que nap esteja acostnmada a
rua, preferindn-.' esaava, ffUO eosiuhe e .ingom-
me con perfeicao, a tratar na loja da rua nova
n. 47.
sentos de bospedagem, tanto ^)ara urna s eludimos dos annuncios pomposos tpi.
pessoa, como i>ara niunerosa familia. ramente se fazem, redu/.iiido-nos apaas i
A agua, mdisjiensavul elemento para a (res letras que s5o tres bbb bom, .
vida e Iiygiene, temo-la-sempre, cm abun- barato. A" vista do genero anunciadi
daneia para facilitar exflontes banbos. de-se julirar de nossa vqracjdado. Eslac.
Ha tambem urna boa bibliotlieca e perio- gosa tambem das coruliroes do un riega::?
idicos nacionaes e eslrangeiros, piano jwra p prtit rrxinnront onde se piule ver a
recreio, buhares, etc. etc. pecialidade dos fiambres e salames ilc I,
Sendo ociosa quaiquer rccommendaco para lanches e at fazer una boa co!aor .
para to acredjado estabelceimeulo, omit- juntamente com os principaes \inbos
limos mais prembulos, fazendo ver por aereado, sobresahindo entre o bom a.pnra
fim, que o bom servico, irdeni e moralida- e fervenle champagne, o mui saboroM 1.
de imperam n'esta casa, como observancia i|>, a primorosa cerveja, o licor espirituos'
fiel do regiriamento que jiossue. o quanto pede urna mesa, ftz-se ne..
Comeilorias a la carte. son*ete evariedade de refrescos.
n.

Prensa-am Je aro caixeire para orna luja ue
lazendas, com praiiea ou sem ella, para ir para
Alaga-nova, que tenha 14 a 16 annos do Hade :
a tratar na rua da Cadeia do Recite n. )3, loj de
Mfredo&c.
: linha Alexandre ns. 70,80, \M at
100.
irri'.ei-
200 a 100 ii.
Caiaixom aaiierures oUeias d^.o** a M m
Carn:eis com duas oitavas de retroz pretoaQOrs
Duzias de agulbas para maeUaaa a 25.
Libras de pry fi de todos os taraaahos
Ijvi iifscriptai'.i ln. para rol de roupa a 120 rs.
Caixas com papel amisade maito fino a 700 rs.
tas com cem envelopes da uilhoi iiialidad- a
600 rs.
ralheivs para meninos muito Ix'ia fazenla a
2irs.
Ifreci8a- easa de homem soltfro : rua do Crespo d. 8, B
toja.
O.Sii Antoo Francisco Done queira appa-
recer na rua Direita n. 58, a negocw de ?eu uile-
resse.
Irmaiidiidf do Bom Fim
Fim J
iwr-H
-porj
A irmandade do Senhor Bom Jess do Bom Fim
da cidade k linda. iiiuixa de aiMtvifti' no oser-
eiWo da via-sacra e nos sewnde* e quafestna ixh
a igreja do mesmo Senhor se acbar interdicta, se-1
gundo fez publicar S. Bxc. Rvma. no dia 21 de
fevereiro do crrente anno quando ella lia pouco
liba_pi:iu'qMadiJ seus mm, iw' vido talla de resiieito ao culto anxoecaaiao da Ikiii-
deirade S. Goflcalo, a qual teve lugar ro dia 28,
de^aneiropixin^ndo, ceja laneir* salik 4a 'P^.^^i!?'
di'a igreja, e com a qa.il a (mandado aida tevi. raiar n_m
lendo apenas lirenca a alguns devotos para
fazerem a festa do dito santo, licenca esta que a
innandade absolutamente nao podia negar.
EHipsia-si dtaheiroi
sobro joias de ovo, pra-
ia. lirilhaufs e yedras
preciosas: aa travesea
das Cruzo* n. %
a esla tpjjnpliia.
andar.
TRILHOS URBANOS
DO
Secife a Apipucos.
Para maior commodidade dos passageim-, o
trem que passava no Monteiro as Jbora e 2 mi-
nutos da naite. pausar as 10 e 3o, era qu- nto
durare aa novenas de Nossa Sentara da 'n-
ceierw que alli se celebra.
Faz- se sci ente a o respeitavel publico liten
mingo i8 do corrente, dia da festa de Ifossa S-
abora.da CouceiQap no Monteiro, os trens
empreza cornioat as 9boraa da marhaa cw-
forme a tabella, e d'ahi por diante de liora
tanto para ida como para a volta.
Os trens de ida que paran) nos pontos interine
(Barios sao os de 1,3, 5, 7 c 9*oras, e d$ volta os
de i, 4, 6, 8 e utymo. cujas locomotiva levarlo
umabandeira nacional para seren conbjeidos.
Os bilbetes de passapem do Recife ao Monteiro
A|-versa sao especiaes e s servir* para esae
dia.
^Beriptorio da companhia 19 de ferereiro de
1869- __
W. RaxvliojOli,
CGereate.
55-RUA DA SMPERATRIZ-55
O proprietario feste importaule estatietoitaentn tem a honra ite pnimsr
ao t?speitavel publico que leudo fegio d'esta praca a pessd que se Jdiva ha sua j
renda, elle contratou para sua casa um perito ollicial que foi por muito lempo o p -
meiro olTicial da importante casa Sulingre lo Kio le Janeiro ; por isso. espera o annu; -
iante que todos fiearo satisfeitus dos seus tialiallios. visto, alm d'isso, possuir no si ti
estabelecimento as machinas mais aperleicoadas para ungir e lustrar de ipte se faz i
na Europa, e achar-se lambem proviilo de grande qtiantidade de drogas escomida .
sempre de primeira qualiilade e forneeidas pelas casas especiaes de Paris.
Tinge-se, lava-se e limpa-se com a maior perfeicao faeudas em peras i
em tbras da q^alt)uer qualdSdo que sejam, taes como l, algo<13o, seda, touquit.
pennas, chapeos de fellro e de Manilha ou palltinha le todas as .oirs. .de. etc., o
tambem tira-so. noitoas litn|)a-#e a secco setn nuMhar os tecidos.
Os senhores negociantes, logistas e part i rulares experimenten! que io-,
acharSo proveito c vantagens.
Tintina prela tercas c sextas-feiras.

MI
uuiac*iaja
niacao para taberna, te n forno para p
CBUIW
Na rua do Imperador n. 78 t> aadar. precisa-ae
de um criado.
M"""1^
I'recisa-se da um rapaz portuguez ou brasi-
leiro que tenha pratica de taberna ou mesmo um
menino com basiantepiatica parai-aiMiro i urna
Klberna; na ru dd IHrsukta n. f) sjii,
precisa.
- Precisa-se de nina criad para M ,**-
;o de urna casa de pauea familia, pre/erhido-se
escrava; a trato: na Capunga, porto LaMiT n.
26, ou no Roeue rua d;,.Cadeia o. 61
Ama de leite.
Aluga-se urna ama de leite eserav;
precisar dinja-se |n>ca da
ntnnero 8.
com tllho
lmtencia
Para zifiha
J!f ecisa-^e da mua puma ijtie cozinlie bom i na
na do Ctb#p* n. 13.
ARH12G1I PERMAlflBreJLMO
86Ba das Cinco Pontea--86
Thomaz Jos deOliveira & C. a\isa aos seus freguezes que foram, tanto deft^pra-
ca como do centro da pr(f5fioia, que rogn-ssiii de sita viagem Europa no fin d*
zemta prximo passade, e 96 acha estabelecido com um armazem bem sortido Jeme: -
earia (vulgo molliados) de bons' gneros, e por precos commodos e garantindo qutda-
de, pez* e medida, nos genux comprados no seu armazem ; portan lo pede e*oga.
que u5o deixem de lhe dar a preferencia.
b MERCIER, alfaiate francez, previne ao respeitavel pfci u* nuirero
MIL MERCIER, alfaiate francez, previne ao respeitavel publicla seo nun-eroenMWw
naque, ti-ad transferido sua residencia para a rua do Traptclie n. 7. priiheir andar, abi enaeitr
uiipie lo4as-a- |ualidades de fazendas para trajo? de homem, rprepara costunics para ni liria c-
senhora. Faz tuibem obras para militares epara criados, para as quaes tem grande sortiuMM* o.
jjboti^eaafeaplaa, *n-\*)ak>e toro* e-ctfBe, brancos e amarcllos. Receba por tod< s os v.-porcs -
ltimos fljierino >ra henwm. sentaras e meninos.
UitTTtTTTtttt'
Frecisa-se de inna mullier capaz pira costu-
ra, passar a ferro alguns objectos e outros servi-
ros iiroprios de sentara : na L'.uraria franceza,
Na rua da Praia, armazem n. 53, jrecisa-se
tiliiflf urna fcscrava moca u aMia.
Aluga-r e un. esrraviaba reeolhida de idade
de It anoee, engomma bem, cozinha, cost, faz ren-
da e Diaboa : na rua do Aragao a. 38,
isTBIl
PPlISSlt
f CICA^ROS ^
D6CArV!\ABIS INDICAlll
SimPABS^1
HlfMifll
HBIDIDl*
Todos os meiiJs at hoje prrconado^ co*ra.*atlim.i nao tea ido mais do qve palH
debaixo de todas as formas, tendo pOf&KfcWMladona. o estramonio oo opio. Rcenles i
riendas feitas em Allemanha, repetidas em Franca na Inglaterra, tem proirado ne i
indio de Bengala possae as mais ootaveis propricdade para combawr esta tenvei affee
assim como a tosse nervosa, a insomnia, a lysita leryngca. a rouqnidio, exlineclo da
e aa nevralgia aciaea. E' poia uuaoa^o da aoiaiaia aui affarnawoa MWai
dos com 0 extracto de cnamo das loaia* qu* tai impertamos de Boa*
iepoai Owawliiw, w oawi la Mimii
i

f




!

jQiario de Peruambuco Sexta feira 26 de Fevereiro de 1869.
TEMPORAL
Gratide liquidadlo de miudezas !
Affonso Moreira Temporal, querendo liquidar as miudezas existentes era sua
toja ra do Queiinado n. 55, resolveu annunciar as mesmas miudezas para que o pu-
blico se certifique do diminuto prego porque as est vendendo, a
26, 1 an-
alagar, que faz todo
lia, Jauto torno
un escratioho de 12
i.il :\z da Boa-vista n.
Massos com grampos a a
Pecas de Jaranea lisa e caracola
Saboietes de todos os precos n
80 100 200 e .....
Abotoaduras para colletes a .
UotSes de ira camisas, a
Garrafas (Tagua Florida (verda-
dera) a.......
Frascos cora agua de Colonia a
WO-e......... .
Garrafa.de tinta Foxa a. .
Caixas cora 100 euveloppes a.
Maulas de soda para hornera a
Fita de sarja para eufeite de
vestidos p ir.....,
Frascos cora oleo para eabello
a 400 o.......
La a pii.i bJrdir, libra. .
Escovas fiaas para chapeo a .
Ditas para cabillo a 320 e. .
Ditas mullo finas para fatos
por prego nunca visto 400
500 8........
Pecas de jabados o cutre meios
a 000 800 e .....
Grvalas de seda de cor a .
Dilas pretas a 400 e .
Bieo e renda das ilhas a lodo
prego. S a vista faz f .
Peca? de lita de coz com 10 va-
ras a
Latas com graxa, duzia a .
Coques muito bons com rede s
a rede val...... 1500
Meias para homens boa fazenda
a 3-5800 e...... 4000
Linha de marca, caixa cora 10
novellos,....'.. 240
Latas com banha (familiia),duzia i&fO
Frascos com banla a 330 400 e 500
400 Botos para punho fazenda boa
a 80 e ...'.., 400
Vote de Aljofre cousa boa a 100
Fitas para debrum de vestido a 300
Caixa eom agulha franceza a HK)
Botoesdcaropara colote dnzia a 120
Cartao com alliuetes a 100
Caixa com perfumaras muito
fina. S a caixa val OSOOO
12>000 134000
Copo com opiata inuito lino a
400 e....... 300
Vicias muito finas para senhora
duzia...... 89080
Cartas francezas a 200 e 240
Dilas portuguezas a 120 e 200
Caixa de linha dogaz branca 50
novellos..../.. 600
Frasco com tinta a 100 e 10G
Franjadela para sapato (peca) 13000
500 Papel de peso muito bom i 9000
20
40
240
320
100
15000
800
500
800
600
000
6S00
320
500
600
1,5000
320
500

Papel de peso muito bom
Sapatos do tranca e outros muitos artigos, que enfadonho seria mencionar.
RA DO QUEIMADO N. 55

Atraz da
dar, ha ama
S'Tvico de urna,
interno, lamb
anuos. "________
Un Jjfclif"
correnlc, fiasi 'i' bic!t
prela. iliiJfclJt lifini ma barriga
e tamhou^pot. nKAlim-l' ais mareas
mais pretifl^* brauco. limito mansa e cnadoira.e
osla mojada de mu mez : apessoa a quem for one-
reeida0areom ippreheuder eqmzer
entrega-la, poJeRnaver a son auno na ra de San-
ia iliereza u. li, que ser pratilleado.
p^hi comprar
Precisa-e de urna ama .
zinhar: na rua 4o Queimado n. 22, loja.
OITerece-se paia caixeiro de cobra mas, st ndu
esta praca, um rapu de dado 19 anuos, o ana
dar pravas de sua conducta : quem pnosa'r di-
rija-se a travesea da Sonzala-vclha n. i, primei-
ro agdar. ____
Escrava

J. Ferretra villela.
Photographo (la casa imperial
premiado ein diversas exposi-
ejfies.
Na sua pliotograpla rua do Cabug n.
18, entrada pelo paleo damatr7 tira retra-
tos por todos os systemas photographicos.
Em porcelana Em vidro
Em talco Em papel
CART ES DE VISITA \U A DUZIA.
Os retratos carte-de-visile sao tallados | '<- commodamente s pode administrar o tra-
flU cartao de luxo bristal ou porcelana, ballw.cui
dourados ou lithographados, quadrilongos
Compra-sc urna burra ( cofre) : na rua do
Crespo n. ll. primeiro andar.
VENDAS.
Vende-sc por preco comraodo um engenbo, si-
liiado na Varzea da l'aralnba do Norte cairos
leguas da capital com partidos para safrejar dous
mil paos de assucar, com moilas mallas de l)a
madeiran, cercado de varzea. luas obras de podra
e cal em ponto grande, como sajara casa do eiwe-
nlio. mocada nova, una excellonte gaitera ihm*-
bradada entre a castado engenbo e cala
Precisa-sealugar nin eseravn das fc horas da
manla as oda tarde : na rua da Cruz n. it, 1
andar.
Ama
Preoisa-se de urna'ama (te mcia Hade |
comprar e cozinlinr para una famili* de pMteas
pessoas : na rua Be
la 3.
Cal brant-a de f agnaribe.
Acaba de abrir-so um deposito do verd
cal de Jaguaribe e de boje em diante quilqu.rou-
Ira que so vender, allegando sor daqueJle, lugar,
falsilicada. & pessoa que dirke oslo esiabelcci-
mento encarrega-se de rarnerer mialqnir p
que se procurar, assiin com da cal prela, madei-
ras, etc., tudo per eommedo preco: os protoaden-
les dirtjam-se a praea da Coacor ha, armazem jun-
to ao deposito do earvao de madeira. ___
AVISO
Avisa-se a -mem fro dono de ">0 caixas eom
ac da marca F 1) & C. de n. i.'i a i'l viadas pida
"-runa din.troarqucz.i Htmto, de rieste embarca-
das pelos Srs. ilorpu,o & Prente tcr.abondatto de
mandar despachar.
0 advgado Dr. Antonio de Vas-
concellos Monezos de Drummond
transferio .o sen escrptorio pa a a
Jinper; flor n. SO.onde pode
urdo todos es las ltete
las ll horas da nianhia'at asida
tarde, para os mi.-l- res do sua pro-
fisso.
C CALLOS.
ou vinhetas para oque existe uina varieda
de de 12 modelos a escolha de ruem se 10-
iratar. Para as outras especies de retratos
temos caixinhas, passe-par-toitty, quadios
i molduras douradas o pretas cazoletas de
ouro e allinetes simples e com pedras pre-
ciosas, havendo nos alnetes una mimusu
variedade de'feitios..
O nosso cstabelecimento phoiograpbico
est sempre em dia com os melhoranientns
eprogressos que na America do Norte, na
Europa ou no Rio de Janeiro s>i conseguc
na arte photographica, e para lcancamos
tal lim nunca poupamos despezar nem sa-
crificios, de surleque os nossos mmierosos
freguezes podem ter a certeza de que sem-
pre encontrarSo cm nosso eslalielecimento
ludo quanto a arte e a moda olereccr de
bom no novo e vellio mundo s amantes
la photographia.
*- Roga-se pessoa que entrgou una caria
na rua dos Pires o. '.Vi viuda da Bahir para ollr.
Luiz Jos Correia de S, o favor
morada para ser procurado.
par
de .ndicar sua
Avisa-se
Ai Si. .Manoel Jos Marques Bacalbjp, do cor-
resgat? a sua carta de lauca,
Prciease alagar1 ttn preto dVboa conducta
para o servico de urna casa de grande familia : a
i liatac uo kiiluadu u. tUiua do Uup^'adui^ju
Irada pela de S. Francisco.
Prorta-- do urna ama de boa m iductaj He
^aibafomprar o. jambar pcrfeitanuyiie : naf'ria
" cm-
ico.ilber as maiore safras, bom deposito de niel,
duas casas do vivenda de podra e cal. forradas e
envidracadas, capella em boai estado, casa para
feitr c armazem de lijlo, casa de facer farinha,
estB>aiia para 6 cavaHos, casa do bagaco e mu
liiuio jaidim junt > a casa do moradia, eom poma-
res l'rncteiras etc. Mais um sitio porto do mesiuu
engenbo com casa de podra e cal, forrada c envi-
drara la: o mais iros, de iguaes proporeoes e Bom-
modos. O dorio destas propriedades vende-as,
penjuita-as por predios nesta capital, a praso com
b'a so!;iiranca, e a dinbeiro, tudo rasoavohuon
te. A' tratar nesta eidade no convento dO:Carino
com o l>r. Jos Jaeintbo de Son/.a. ou nHI'aralijba
eom Antonio Rufino de Sonta.
A FRAGATA
"T
PK1.\
A aguia branca tem-se feito tai oonbecida e
acreditada, nao s pelas n.ivklades, variedades, s.i-
parka-idade o abundancia de sou soriimento, com
pela eQStanto commodidade do scus inooos. e ms-
alo p?lo seu assaz o nanea olvidada agr) e sinee-
ridade.
Rssas verdades ineontostaveis sao sem duvida
apreciadas pelo bollo sexo enj particular, o pelo
ivspoii.ivel publico em eeraL e a tanto lera llegado
que i/passanao omb annexim on pro-
s-erbio. (| vi; um nl'jofto de elegancia.
gosto. BOvJdade, ole. ele. diz-se to09*tiaqu'-llo ob-
WCCp sem d uiila foi cuinjirado na loja d'aguia
branoa.
Quando no tlobj nos bailes, ou no sallo do
Santa Isabel, ama excollentissima se aprsenla
garbosamonto Mrtand, trazendS o modoino cinto
de m:ii tonga lita, lisa, cbamaloiada, 00 eseosseza,
as suas admirad tos aizeni oomsgo aquella lita
foi comprada na luja d'aguia branca.
QuanJi .caira i-xo ll-ntissima, nao menos gar-
oso, m Ira o rigor de w b m goslo na acer'ada
escolha dos enfoilos ile alta novidade que bolla-
mdBte'Oruaui sou vestido, ainda uiesmo as rivaos
de sua viopaUia coiir..s>aiU'jueaquellos enfeitcs
l'urain da loja d'.iguia branca.
Quando u' .ulra exeollntissima, anexar da sin
gelloza de seu radavcl, se vem as bonitas
bivas de pellica a 9u 09 lousam-lhc o gbste e cniVss.mi queaqullas
iuvas forain da loja d'aguia branea.
Quando mesmd dirr.J oxeellentis>imas, antigs
amiga-* de collegio, se encontrara naipielles loga-
ros, dep >is dos euniprimentos de reciproco beijos,
mbias por foroa de sua elevada delicadeza, gabam
nina a ontra os agradavei- eln-iros de que usan,
em seus liaos lencos, e cada urna das paos orgu-
IbosaspeR) elogio do 'acert de sua escolha, B eoiiic'
que querendo jior si mesma justilrear dizein simrd- \
'ane.imente viTilade que este clieiio foi compra- '
do na loja d'aguia brama.
.lida mais.
Quando hontera os pais nlllrctos sontiam o rigor
da denticao de seu cluiro lilbinlio, c boje alegl t
satisfoitos pelo feliz, restabclceiniciito reeoboin a?
visitas dos soiis molbor amigos, dizem aquelles i
estes, foi Deus que me inspiroupara que compras-
se, como couqirei, um desses virtuosos collares
llover, que se veiidem na loja d'aguia branca.
Alero lo rouiio roais seo aluda
taita tlizer.
Quniido em um circulo de cirvunispoetos carac-
teres se discutir v.i acidado do laesdiz* res, appa-
reeer um .miro qoe qoira ainda levemente inter-
romper a disenssao, os primeiifis por momento es-
qiieoerao a circmnspoccao 8 Ibes dardo um gra-
cioso debique dizendo-lbesja sabemos que V.
um daqueiles que inclina o chapeo de solo que
mereca sor designado pela agnia' branca da rua
do Quejaido Sio tantas as cojnsas qtic v.'
uroas escapain as outras.
J ia esqueeendo a aguia branca, mas era lempo
lembrou-se para noticiar, que-*eeebeanina pe-
quea quantioVle de enaitos para coques e gram-
pos.para ditos, tmloioito de molal ooip lindos i
agradaveis o-dor-idos. Obras wia V"'!l primeira vez
apparecidas, o, porUiutointeira novidade.
Tambem obegaiam novamente delicados enfattef
e llores ornadas de. aljofares o vidrilhos, tanto de
pama para cuques como para vestidos, e tud.;
contima a mcTCOC* a anreciacao das excellontissi-
mas conhecedoras do bom.
l'oma(las Ron osito especial
Phanuacia &j B.irtholomeo & C.
34-Rua larga do -Rosara-----i.
Mehodo Castilho.
Amas
Pro,-i-.,- odiduag urna para engomnur
ira phra r 'il [_
Tabellas vermicida-;
DE
i M
Hecebeu um bonito e variado SOrtimento
de fazendas, pretasproprias para aprsente
estacu, como seiaia^
Lindos cortes desetfa prela com listras.
asselinadaa para vertidos de superior qua
lidade, e omel!ior que ueste genero ten
viudo ao mercado
Seda preta semelhanle aos mesmos cor-
les para vender a covados.
Bonitas basquinas pretas de guipyr
muito beta enfeitadas, (oeste gnero taat>
bem te brancas).
(irande sortimento de basquinas de seda
pida enlejiadas com muito gosto, e para
differentes precos.
S'.iiiinenlo de grosdenaples preto para
diversos precoA
Gurguro de seda preta .de superior
qualidade.
.Mantas de blonde de seda preta muito
Boas.
Continua sempre a ter : corles de blonde
liara casamentes; lindos corte de seda de
,10 CAMPOS
28=s=K,ua EM GROSSO E A VAHEJO
Clwrutos de diversa? mi
acreditados fabricantes. Costa Jrmaos c
Manoel da Costa Fenvii.i de (SSo Feliz).
Farinha da trra muito boa, 4$ res a
sacca.
Miraguaia do Rio Grande do Sul, \P.\\<
secco de superior qualidade a 60400 a
roba.
Congro e rimo de Portugal, em barris e
libras.
Caniaroes seceos, do Miranlin. un libi
Latas com peixe em conserva sendo :
Salmom, Lagoatts, Oslras e outras muitas
qualidades, a saber: l'orti^iio/os. Inglczes,
Anioricanos, Hewane, ole. *{>-.
0 Campos ainda urna vez, vem ter a
honra de leinbiar ao respeitavel publiclas
mtiit'i elementes aniardentes de l.ima Pa-
rati, c Tiquirado Maianho, por \ir-lhea
idea que se aproxima o lempo invernoso,
e que muito nescessario se km Iraxero
estomago quente, e como se ada o seu es-
tabelecimento bem prvido dos gweros i
ma ditos, recommendn mu passeio at elle
onde encontrarao os amantes do (ue 6
bom bocado, nm completa sortimento th
-eneros linos, que se loiii;im ivo. nimcnda-
veis para nina mesa mais ou menos
vida.
cores: camisas hancezas e inlezas, com
iilif iityiilfi. rn'Hi yriiiiin -: Lb^
o mrsmn
norar un adiaulanuMito dAmfUaU
flocundiuo Jos de Faria ^inhies, pi
ar de inslruecao elementar polo mstbodo
avisa ao reseii.vilpublico o cun esjieii?ili-
ile familia, que est alerta sua auto
lo-d.....V:\ 7 do Jarif'trn; na rua da PenbS n:*t*t,
^1'iiiiiiM'iii.iiMiil ar,
pneco comitv
llinilu se I .u n niiiuauciini unuacm |
f^^P"i -i "i irealmail|i vfeBdfa Hue!tt<
t PreMsl MbnMeW* h^mt
ft Cota, pintor, natural da eidade do l'orl i. lilbo
Diogo Pinto da O sta e *a1*fl)ef. p
i- com seu idtM, JMuKoini Pinto Ha C'su ebe-
ndojjijje di i; i d .lau.'iro. uo vapor Guar :J
'lan. 2.
^Wiem u,niej- turnar coota de urna fabriea de
elia de rrnuiki.diiiia-s a roa do.Brain n. iOi
io so dja^quem fA*i*a-
iAnlonio \uncs (}<>Castro. ,,.,1,,, e som ^|6i p;-a |10ni,.n,; camisas
Este acreditado preparado, qiiQ ltfoa. iVancezas para menino; bonilas casemiras
aeceitavao 'I** meivcidj n'esla proviAcii: de cor; variado e lindo soriimento de alpa-
muito so nvomriiondn pura a cura certa cas, la e poil do dievre: rhaiwlinas, cha-
das impigei,^, sarnas, caspas ti tndas r.s pus e gorros do plha da Italia e de vetar-
lo; Iuvas de peliftiJouvrn para homens
1 [JAI1, i U0
riiojesti de ptli
'nj-^jeposito imico,
Pnarmaciu de Rarlholomeu
i
Em S.
ebegM
Wi-#..l!
iwnjilu
-~lb.'Sn|a-seA/albir aoSr. JosJaeinilinda Si! a
a n. wfrtrdHSn rnf?resse,nTrua.das Cruzes n,9
seL'iirtdo artdaA'da ifUm1* 0*fAdia.
emua ama para .eilnhw e com-
poiica wnilia : n.i lili da Pe-
nda 27.
......
77 R4A..DA 1MPEIUTR1Z 77
N esl-' uoyo tslibeleoimento ha um completo sortimento de medicamento; pro-
de ^ratiiiwiv
l-'urlaran no da I' do torrate, das 2 niu'a as o
li-iias ila m.inbaa. de nin rancbo de Tvpipi, dous
eavallos de cangalhi, ambos ferrados no quarto
direito, e eoin os sipnaes .seguimos: o \' ruco,
is liiancns, urna I i Ira branca dos bolsos paca
la .barriga, dous cases dos pes mancos, groso,
I ahdadrtr bato, de t.im.inbn regular, cssirido, e
cun nm grao ; o 'rennelbo, urna das okMk
lascadas na |>onla. (usado, e mnbom castrado :
pedo-so a i|ueui li\ec noticia delles, o as auloriila-
des, que os apinvlioiii aui e os maadem levar ao
engenho Ararlba tf batxo, na comarca do Cabo.
ou no Redfe na da Souzala-nova n. 118. onde re-
ducios chiiilcos, e drogara, todo de primeira qualidade, e se vendem por menos do ce,ier5 a gratilicaea> acii
pie em outra qualquer parte. i'-----------------------------
H tambem um sortimeuto de medicamentos homeopalhic3S, tinturas e globu- lftSl
.les iwrte?, por precos commod^s; mem como xaropesde jurubeba ferruginoso simples;' .,.,
vi.ihos dejurubeba sHnpdes eferruginoso, e o bem contieno xarope de Paracary, es- "StepSS'tffl '""'~" ''
pecial d'esla (iharuwom. Aviam-se recc a quabjuer hora do dia, e noile, com promp- ------jpp-----------
ti.l-io. cuidado, e pend; nao so negam a qualquer oceurrencia cm casos urgentes. Oj AIllff8"SG
ocio gerente enKirregado do estalwlecimenlo mora no mesino, para o que esl Q Pohradt> ae UIll am5ar csoo sito
prornploa abrir ;t porta a C. Gato d- C.
de urna
e souio siio a rua de
S. Goncalo n. 27. pintado de novo : a tratar nos
' Quatr-i Cantos rua do'Cotovello, taberna.
Silva t Noves-rogsm a s ipiio de niandarem jw>rarsiias cuniae MJ
crraUe mu, cJiudo ello acro elkis, i-.it
mu tfocuraor para cobra-la;
'iumil
l'recisa-se de urna ama
ZXfBJSS.
e parasenhoras; e militas outras fazendas
de apurados gostos; assim como tambem
vende esleirs para forrar slasele.
Vcade-se encbameis e navetas do louro de
-uperor qualidade o dous bonitos mastros part
bareacu, udo por barato prego : a tratar na tra-
vesea ilo Carioca n. 2, Caos do Ramos
Attenco.
Grande liqukloQ&o.
0 proprietario d'antiga e bem condecida
loja de miudezas denominada tBeija Flor >
a rua do Queimadfi n. 63, cfiereido acabar
con o sorlimuntode miudezas que existe.
I em deliberado" proceder a unta completa li-
quidacao, para o que chama a attoncao de lo-
Os objectos sspro vendidos por nictaded^
si'ii valor, e para que o publico, i ao suppc
nha, que o presenteannniicio una illus
o proprietario da dita Inja offeivce una p:-
quena lista de algumasmmdezes, com os seu?-
diminutos pre um abaixo se ver:
nao apresen'.ando una lista completa det dos os objectusi|uo' eslo exposlos a venda,
pela razao de se tornar um aimuncio muitt
extenso por consequencia de enfadonhalei-
lura, por isso apenas emita-Se i
Caixa de envelopes de cures. 80(1
Ditas de envelopes com tarja.
preta....... 906
Ditas de envelopes bramos gran- "
es......... 70
Ditas de envelopes gfandes e pe-
queos. ..,..'.. 6)"
Libra de la para burilar, surtida 7
Duzia de caitoes de corchete fuan-
cezeifora i\ pares c la cartao
Dita de comeres ile mwl prin-
cipe para sopa....., 'i'S'f
Dila de ditas para cha. ?
^Concha de nidal principe para ti-
rar assucar. ,..... I
BoiaUura para collele, .
Pares de Iuvas d lio da escocia
branca e de cor < para bf mem.
Dita- de ditas para schliora. .
nde-se somonte para esta praea um net-ri- Fita para sinto de senhora. .
Pares de sapatinlios de cj^imia.
V
nlia do I- annos e urna negrinlia do ;> anuos,
tratar rua do Pilar n. 63 primeiro andar.

e liishe do l*nrto
. Vend-so na loja de fereagens de Tbouiaz Fer-
nande da Cunba, na rua da Cadea n. 14, proco
. 11 modo,
__________ .--------- f -^^fcr
Voiido-se nina armaran de taberna no cotte-
dor do liispii, propria para um priuc piante com
as comino lidades precisas que com a vista uiclbor
se explicar: a tratar na rua du Hospicio n. 30.
Vende-se um oscaier em liom estado
e com lodos os seus pertences; os prelen-
dentes procurcm na rua Nova n. 21, casa
de Germano.
Manual para o exame de babiliUieao para ma-
idsterio deinsuceao primaria pelos l)rs. F. de
Castro Freires e J. \\ de Maoedo : na livraria en-
cielopedica de J. B. de Mello, rua da Cruz 11. .'i.
Ao hd<4 Dons Amigos.
Preeisa-s- de um copro para se encarregar ao
mesinoteniodeste'hotel : ama da matriz da
Boa-vista n. 8.
^\XERM%
0 DE JOIAS
GOMES DE MATTOS IRWAOS
tendo feito completa mudanza em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe maiores proporeoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manha s 9 da noute na
RUA DO CABUGA N. 4
endeenoonlraro um completo sortimento do que ha de mais elegante,
holl e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubina e tudo que em obras
de ouro, mata e platina le*pd lesejar.
ADEREQOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUI8INS
de novo* gostos, equedevem cotizar um grande effeito nos trages qUarfes-
maes, assim come grande variedade de salvas e palHciros de prfla con-
trastada e de gosto ainda nao visto.
Compram a trocam qualquer joia ot pedra prCciosi garntem
qualidade dos objectos veudidos.
lii w i i ir i- "-"^^.-r-
0 MUSEO DE JOAS
C^5
0 abaixo a'sr-mado faz scieftti 'ao pu-
blico com especialidade ao corpo lo com-
niercio que tem de se retirar por alguui
tempo para a -provincia do Maranho lm
de tratar de negocios de seu inieresse, e
que (Mxa o seu estabelecimento sob a di-
recco de seu cnxeiro Francisco Vicente
Valin e do Sr. Joo David Baptista, cora os
qtiaes qualquer interessado se poder en-
tender.
Reclfc 2i de fevereiro de 1869.
Jos dos Sanios Vitluz.
bordados.
Pe<;as de cascarrilba de la. .
Esfiova lina para nmpar unhas.
Iiil,:s de ililas.......
I 1'eiiU' preto de barba. .
I Caixa eom apparelho de cbumbfl
a CO. I>O c. .
Boneca de cera a 11000, 1 ->i00f
:\-yH)0. )(XM) e. .' .
Apparelho de porcelana para al-
moco c jantar......
Joro de Yispora......
Caixa com pajiel branco e de co-
res.........
Infladores para vestido. .
Caixa de linha de marca encar-
nada c azul.......
Sapalinhos de la para meninos.
Tocas........ .
1 duzia de linha para faz Ditas de carriteis conT" 100 jardas
brancas e de cores. .
Fila de la para debrum de todas
as cores........
Ditas de ditas, branca. .
Pecas de fita de linho para cs. .
Dita para cs.......
Pentes voltiados para meninas e
senhoras.......
Ditos pretos com chapa, para ali-
zar .'.,......
Ditos brancos.
Aluga-se
urna eoeneira na rua da Palma, tmil em pode
servir para qualquer offleina: quem a pretender
dirija-se a rua da Concordia, sobrado r. 13.
COMPRAS.
Com muito rmior vantagem
Compra o Coraeao de Ouro, n. 2 D, rua do Cabn-
", moedas de ouro e prata e pedras preciosas.
Comprtt-se um molequiuho de i a 5 de idade, que nao tenlia vicios, o que soja sdio.
a pessoa que tiver o qui7.er Vender dirija-se a ea
typographia para tratar.
Comra-se escravos.
Lino de Fari 6t C, na ma do Vigaric n. 2!
criplorio, i" andar, compram escravos de ambos op
sexos, sendo qne, moloques do 14 a 20 annos o bo-
nitas figuras, serio pagos por muito mais dinheiro
do que em outra qualquer parte.
O
Alegrai-vs myopes, e presbjlas, j* po-
dis ver de longe, j podis ver de perto,
nao ha inais vistas curtas, nem caneadas. (-Ditos brancos finos.
F. J. 'Germann acaba de receber pelo ulti-
mo vapor, um rico e variado sortimento de
oculos, limetas, pince-nez, face--main.
lorgnon^ de ouro, prata, trtaro^, marfim,
ac, bufiflo, ncar, unicornio e melchior;
assiin cdttio binculos de urna a tres mu-
dancas para theatro, campo e marinha da
ultima invenejo ; duquesas, vienezas de 6,
8 e lc vldros. tudo dos melbores fabrican-
as da Europa.
O mesmo vapor trou-
xe urna excedentes ma-
china para graduar o
observar o numero os
vidros que se necesital
conforme a vista de
qualquer pessoa.
Tem excedentes ste-
rioscopos, instrumentos de matbematica.
barmetros, vidros de chystal de rocha, e
de cores para resguardar a vista; concerta
todos estes objectos a precos commodos e
com pi omptido; tira o rrilb dos vidros e
encarrega-se de toda a encommenda relativa
a ptica.
Recebeu tambera os exeellentes relogios
do antigo e afamado fabricante Bobert Gerth
& C, os quaes vende precos commodos
garanlindo a sua superior qualidade.
uro e prata
em moeda e em obras inutilisadas. coi pra-se por
bom prfego : na pracff da Independencia n. S2.
Na pra^a da Independencia n. 33, loja deoij-
rives, compra-fteouro, prata, o pedras precio
tambem se faz qualquer obra de encoumenda, c
todo e qualquer concert.
Oompra-se 3 portas com 91|2 palm-is de altura
c com 4 l|2 de largo, mais urna janell.i com 4 iii
de aliara e 3 l|i de latgo, Wdo de atiarello e ja
servido du titras ra n qulier vender eu-
tenda-se na rua da^oledade n. 32, or na rua do
Quelrnado. lija n. I. n artnnncie por e-te jornal

1620
.
teood
m
m
800
m
300
h<
260
90<
seo
400
:>
400
3GO-
900
Escova para dentes a 160 240 e
Dilas para cabellos muito finas. .
Pecas de franja para toallia com
14 varas a peca. 2shW0
Entremeios bordados a peca 500 e 60('
Tinteiros de porcelana i.) 1^500. 2*00(1
Balaios para meninas de esculla
bonito desenlio a 500, iflOOO,
15500 e........000
Fita-de uarja de todas as cores. I100
Qravatas prelas a 400. 606
Capsulas de Baquim
Os Bons enoitos dostas capsulas pan fazer pre-
sar osgonorrheas acham-se comprivadav pela-
experiencias de muitos annos.
Os mdicos de todos os paires as MemaMBftwi
pela sua eficacia.
\TNDE-SE
HA .
Pliarmaela e drogara
BARTHOLOME & C.
34Uua larga do
Rosario34
MILHO A 4;)000
a sacia c de tarello a 4*500 : to armazem da Es-
trella, largo do Paraizo n. 14.
__________
Compra-s
lioje liftr.-is esterlinas, onro o prata le todas as
0 iMeo de joias
Na rua do Caimg n. 4 compra-se ouro, prata
I e pedras preciosas p mai Vntajoso* de
I quo em outra qualquer pahe.
Escmva
Vende-se tima escrava, que lava, cosinha,
compra, e boa quiLandeira, com 30 annos
de idade ; a ver e tratar na rua do Pilar,
em Fr de Portas, n. Laazinhas a 21500 o corte
com 12 enva.lns de ooitltos f_dr09 : no r-zem
t-ella laryo do Parrfzo n. IV___________
Attenco
Ven^o-aflAM^Dl, Bmtas n. 93.
bem acrtmafti w sfnrana, e tem
modos para fomii
Tarello
rao do Paraizo n. 30 continua-st a vender
.ftOOeBOOO.
I'ASILIIAS .4SSIG.4I.UI.4S
_J
DO
DR. PATERSON
De hlsmu(h e magnezia.
Rimedio por excelleocia para combate.*
a magreza, facilitar a digesto, fortifico
estomago etc. .
DEPOSITO ESPECIAL.
Pharmacia de Bartholouieu & C.
34-------Rua larga do Rosario------34.
58 por cento
OuronarUiaal e pmrtnRuer-
Vende-sc na rua da Cruz n. JO.
Farelo.
No largo do Paraiio n. 30 eontimia-sc a w
farelo a 4*300 e SjOOft._______
Tende-se
urna casa terrea na(-ipunga. edificada do i
com iiuinlal murado, leudo ii ps de loraiij."
e mais fraeteiras, na r da Veirtara n.
tratar na rua da lmi>*a*rf- 8i
Em ca
mere o n. 16,
as qualidades de viaho
tRheno.

I
I
ILEBKl_^n


6
Diario tic Pernambuco Sexta 'feira 26 de Fevereiio de 1069.
\
u
MAI

Liados cortes de castado cor com barra,c com figurino indicando o molde do vest-
4) pelo baratissimo preco de 31800 o corto
Hitos de percalia muito modernos com duas sans a :>->000 res
Na laja das Columnas da ra do Crespo, n. 13 de Antonio O
Cellos A-C.
Corr-a de Yascor.-l
PRECO CBRENTE DOS CHAPEOS DE SOL
Da fabrica de
Ra Nova n. 23,=Rua do Cabug n. 8
Pernambuco
ALTAS MMDADES
LOJA DO
Ra do Crespo n. 7 A,
Imperador.
nina da do
PARA. QUARESMA.
Gorgoro preto.
Setini macan.
Sedas lavradas.
Moireantiquc preto.
Gros-de-naples
Basiujines de gurgurau e de gros-de-na-
ples enfeitado com primor.
Corpinhos de gros-de-naples.
Basquines, capinhas. pulerinos, fictas,
Clumto .le soda trancada, Parngon, de 10 tetes, 28 pollejad a 16,? ; 26 d 5f'f Aie,W/retas bra"rs-
^Ktt Wat,...... .-, 2S p,gadaS a ; g ^
fc"'-^atftrSfew 28po=8adas : de fS^S^ST^
i-i pollegadas all; e 24 pollegadas a 100000. ,
Hitos de alpaca, de ac.o, de 12 bastos, 28 pollegadas a G$; e 2G pollegadas
a 5$300.
Por duzia fiz-se descont de 15 0[0
Chapos de sol de panno, de balcia. de 8 bastes, 2 i e 2G pollegadas a 32/5>
a duzia. (Descont de 10 0[0).
Ditos de panno, de junco, 8 hastes, a ISrJiOOO a duzia, liquido.
GRANDE LIOUIDACAO
DE
IliAinuiifj
Para msicas militares.
Completo sortimento
NO
BAZAR DA MODA
RA NOVA N. 50,
Esquina da ra de Santo Amaro
20 .i 30 por cont menos que em outra qualquer parlo vender
JOS DE SOUZA SOARES i' C.
do ma8 acreditado autor Control Aiuea Paris.
RA IOV1 ir. 5
ESQUINA DA RA DE SANTO AMARO^
Ctales de mirino pretos com mjnissimos
bordados e franjado de retroz.
Chales de mirin bordados sultane;
ultima moda.
Romeus pretos com liados bordado.
Leques de madreperoa, martim, slda-
lo e osso, e pretos, para seoboras.
Ditos de sndalo para meninas.
Chapeli>as pretas.
PARA CASAMENTOS, BAILES, TllEA-
TRS, etc. etc.
Lindos cortes do blond, contendo setim,
mantas e grinaltlas.
Requissimos cortes de seda* assim como
para covados.
Gurguro branco.
Gros-de-n...' uMI e de cores.
Setim bramo ii.-,,ii.
Setim, branco, aul, verde, cor de rosa
e amarellos.
Fil de seda, branco e preto.
Cortes de seda com ditas saias.
Chales de gurguro de seda de cf.
Camisas bordadas para homens.
Saias bordadas para senlioras.
Camisas bordadas .
Fronhas de linho bordadas com primor.
Lencos de cambraa de Unta bordados.
Uiquissimas colchas de damasco de seda,
assim como de seda e algodSo.
Ditas de crochet para cama.
Ctapos de seda bordados, parasol,
Poil de cbevre de lindas cores.
Alpacas de lindas cores.
Cbapefcnas de palha ;da Ralla, assim
.ionio *le seda.
Enfeites para cabeca de senkora.
KsparlrhV's para senhoras.
Meias ife feia para padre.
Dilasrfelu
Ditas de seda fio da Escossia r algod;-
para senln>rat*emenes.
Lentos de labyrintta.
Fronhas de lahyritrtta.
Reos, rendas e gaad'es.
Finissimas cambraias de cores, percales.
Las, e utitrosnuiitos artigos de gosto e
de alta novidade; it-to s
Moireantiquc branco azul e verde.
Na loja do Passo ra do Crespo n. 7 A, esquina du do Imperador.
Approtafio
ia acadmii
it wudecint
i* Parit.
Phamaveutict
lauread*
d academia
i* medicina.
TASSO IRMAOS
Tem para vender em seos anuazens, alin de ou-
tros, os seguintes artigos :
Papel para imprimir.
Perlina azul."
Greve pautado e liso.
Vinhos em caixas de doze garrafas
Bourgogne.
Boy.
Madeira.
Honbilage.
Chaniblis.
Licor de euraco de Hollanda em caixas devin-
to e quatro botijinhas.
GESSU,
Nos armazens de Tasso Irmaos.
Grades de ferro
para jardins. pnrteiras ele
Nos armazens de Tagso Irmaos
.11111N!IO* DE F12RKO
Para serviros de grande armazens, para remo-
ver barricas ou caixoes de nm para outro,lado pelo
mdico preco de ISOOO cada um.
Farinlia de trigo de Trieste
Das mclhoras marcas Panoniayerdadeira) Fon-
tana e grande sortimento das memores marcas de
forrabas americanas.
Saceos de farmlia de trigo do
(Me
Todas nova?, chegadas ltimamente nos arma-
zens de Tasso Irmaos.
Cemento romano
Nos armazens de Tasso Irmaos.
Cemento hidrulico '12$
0 metlior para tudo que si obras para agua, co-
mo assentamenlo de canos de ssgoto, algerozes, de-
posito, tanques d'agua, etc., *.: ein porsoes de
cincoentu barricas se far redaecao no preco: nos
armazens de Tao Irmaos.
Cemento Portland
0 verdadeiro cemento PortlaniJcm casa de Tasso
Irmaos.
Griades de ferro, cercas, por-
teiras, ete., etc.
De ditTerentes qualidades para estrados de soi-
maes, chiqueiros para galinhas ou jardins: nos ;;r-
inazei de Tasso Irmaos.
Barris com bren
Nos armazens de Taaeo Irmaos.
CANOS DE BAERO
A NOVA ESPERANZA
21= Ra do Queimado = 2
t para pi^esentes .
A Nova Esperanza, ra do Queimado
n. 21 tem um variado sortimento de objec-
tos de gosto c phantasia proprios para pre-
sentes, sobresahindo entre elles ricas caixi-
ribas de bano com finas perfumaras, cos-
turemos de chagrn, agulheiros de madre
perola : assifti.pois, quemquizer fazerumi
linda olTcrta, dirigir-se Nova Esperance,
ra do Queimado n. 21.
Collares anodinos elledro-magneU
oos contra as convvlcdes das
creancas.
Nao resta a menor duvida, deque muito
collares se vendem por ahi intitulados os
verdadeiros de Royer, e eis porqae muito?
pais de familias nao creem (comprando-os)
noeffeilo promettrdo.o que s pedem dar,
o Terdadeiros ; a Nora Esperanza, porm
que detesta a faisificaco principaimente no
que respeita ao bem estar da bumanidade,
fez mna encommend* directa deste collares
e garante aos pais de familias, que sao o
verdadeiros de Royer, que a tanta crean-
gas tem salvado do ttrrivel incommodo de
convulces, assim p>iB preciso, ge ve-
nham a Nova Esperanza ra do Queimado
n. 21 comprarem o salvavida, para scus
tilhinhos, aates que estes- sejam acommetti-
dos do termel mal, quande entSo ser di*
ffieil alcncese o effeito desejado, emfcora
sejnm empregados os veixladeiros collares-
de Royer.
Para extinguir a sardas e
panno
Recebeu a Rova Espcraof, ra do-
Queimado n. 2?, leite de rosas, especial
para extinguir sardas e pannos.
BONECA DE CEITft
A N^a Esperanza a ra do Queimado n.
21, acaf>a de regebw um codpleto sorti-
mento de finas bonecas de ce** de diver-
sos tamanhos, sendb as maores do com-
priment d'um covalo ; estas onecas tra-
zem bonos coques- e botinas, Wavcndo en-
tre ellas algumas que fallam e entras que
chorain de sorte que torilmente podem ser
Aa preparac8es ferrnginosaa liquidas tem desde
especial do
aniloi annos merecido a approvai)3o
Jos mdicos, porque ellaa obras mais rpido e seguramente do que as ptalas, e
sao mais fcilmente toleradas pelos doenles. Os Pds ferro-manganice poasuem a nappre-
ciavel vanUgem de poder offerecer n'um instante nma agua ferruginosa gateosa, de gosto
agradavet, mais activa do que as aguas mineraes, e contendo de mai um elemento precioso,
o Manganese, que sempre se acha no saogoe, junctamente eom o ferro. BmpregSo-se em
todas as molestias que tem por causa o enapobrecimento do sangue, assim como para vigorar
es temperamentos debis c lymphaticos. k chlorou, as Peraat bramos, dret d'/fna;o,
a irregularidade da menstruae&o e amenorrha ou suppressao do menstruo, cedem rpida-
mente a seu emprego. Devenios mencionar aqui um faeto notavel, isto que es doentes cura-
dos pela agua preparada eera estes pos esto muito menos exposto* a recadas do que
aquelles que foro tratadas petas preparacoea ferruginosas ordinarias.
Deposito ert Pernambuco, em casa de tin O*.
Na ra-Nova de San Hita, na antiz fabrica dr) preparada, e fazer-se um presente de muita
i sabao, ha para vender por proco o otis modicc-lacceitaco-.
poaeivel, canos francezes paT.i .difienroes ecsgo-| pna"s cahas dotartaroga para rap ven-
tos detoiLi a-qua idade, superiores a ledos os que ^ ___ jrt /^_.-,1i M na Iniu
aqu tem appaVeeido plMU solidez. \tm^e V 0Hnado n. Si na loja
phe;os 'da NovaEsperanca.
i5400 porcino grandbde3 e meia pettegadas. Modernas brincos (te sndalo, 3 se en-
Ii200.por dito de 2 e turs quartos de ita.
i OO por dito de 2 e um-quarto de dita.
500 ris por pistoleta de-2 pollegadas.
Cotovelloo, curvas e canos de maior ^rossura.a
'vstase tao preco. Compras maiores-de 200
eontraro na Nova Esperance a ra do
Queimado B; 21.
MEIAS 9E LAA
A Nova Esperanca rrra do Quemado n
r".^.-/-;:-yv.-
Tx
VERDADEIRAS
QUARESMA
QUARESMA
QUARESMA /
FAZEMDAS PRGTAS u
Grande sortimento de gros-dc-naples por prora inteiramente .reduz.dos assim
como basquines de gros-de-naple e gurguro preto, d.tas_ de gu.pure ^nda do t.Ut-
mo gosto e outros muitos objeclos proprios para a estacao, que <*J^"*
20 % do que em outra qualquer parte, ass.m como um completo sortimento de f.cu-,
das deluxo como sejam sedas de cores de lindos padrocs pelo diminuto preco de 2-^000
a -2:>u00 rs. o covado.
Alpacas de lindas cures, lisas e lavradas.
Lazinhas com listras de seda para 1*200 e 1#000 o covado.
Ditas de lindos padrees para 500, 700,800 e 900 rs. o covado.
Cambraias brancas de 4$000 at 8,5000 a peca.
Ditas de cores de lindos padres de 640 e 800 rs. a vara.
Saias de 15a com bonitas barras.
fiales de cores, brancos c de arcos.
Basquinas de gros-de-naple de 22000 a i0;>000.
Gros-de-naples pretos e de cores que se vende por barato preco.
Organdiz branco, brillantinas brancas e de cores.
Espartilhos e entre-meios bordados.
Meias finas para sentara e para homem.
Alm destas fazendas tem um completo sortimento de chitas escuras e clara>, ma-
dapoloes, bramantes, atoalhados de linho e de algodo, e outras miutas fazendas
que se vendem por prora que s a vista o comprador se poder desengaar que s no
Triumpho poder comprar com economa.
1 PARA HOMENS.
Bonito sortimento decasemiras pretas e de cores, brins brancos e de cores, camisas
de linho e algodo, circulas, mantas c grvalas do que ha mais moderno, chapeos de osl
de seda e alpaca, e outras muitas fazendas que s vista podero agradar, c manda-se a-
zer qualquer obra de alfaiate para o que tem um hbil mestre, tudo por preco que so
encontro no Triumpho! ra do Queimado n. 7.
EPIDEMIAS
O LtCOB DE LABARRAOUE um preservativo seguro em tempos de
epidemias : cholera, febre amarella, peste, typlio, etc. Devem evitar-se as fal-
sificacoes as quaes sao a maior parte das veres mal preparadas, sendo por isso
mais nocivas do que uteis. Deposito em Par'u, L. FltEltE, Vi, ru Jacob.
Em BUo-Jaaairo. DuponclieHe; H. Tetdorpf. Km raraambaeo. Maurer.
iH
PILULASdeBLANCARD
COM WDURETO DO FINRO IMALTCRAVEL
' 'AFBROYADAS YElk ACADEMIA DI MEDICINA DI PAR ETE.
' PossniHdo as propriedades do lede el 4o torre, eoavem especialmente as Amceot
asatoroiosAS, a Tsica do prineipio.a frtyp*a d tempewimeno e tambemnoi case Falta db c6r. AMENORRiiEA.em que precisareagir sobre o sangui seja para restituir
lhe a ana riqueza e abundeneia normaes, ou para provocar e regular o-seu curso penodloo.
tem 5 p<*r cento de desaonto por proiapio paga- 'j> acaba & receber wat especialjertimen-
iment. Ptde-se ver as amestras nos armazens' ^ ea9. de |a psra bomem e senhora.
>da Tasso irmaos CCCTTHA AS aONGESTOES
llJOIOS IritlCezeS mal tewh-e a oongesto fulminante:
Para ladrilhar casas terrea* com assei&e precos repente leva um indfvido, d'8Sta para
-. .1 i. < 11 iIa um i',iti *. ki ik iteniiriiu' 'kaki") 1 'i 111*1 __ a 1 11 ^1; -__1_ _. _
medios, nuiito con venientes- o pronriosaaraiadri-
Hios de cosinhas em sobados, pelo sea- asscio e
evitar apassagem de aguas para o anda* infirior
emesmo o perigo de fogo, aos precos de 30000a
rade Santa ha, na pranto ; a Nova Esperanca que deaeja pres-
ntigafHljneadesabo,eTOniprasmaoiesde200jter serv &re^rrfiU a yojer, O qual lhe
tj'000 o milheiro : na ra Novado
miltor vidav sem dar-lfte tempo dts receber
onversa nedica; datando as aais das
veses mulher e filhos n mais amargurado
OLEO DE HOGG
I1D
Figados frescos de bacalho
Para cura certa de phtisiea, affeccoes escrofu-
losas, .tosse chroniea, fraqoeza dos membros e de-
bilidade peral, recommenda-se a excellencia deste
oleo anda por ser agradavel no paladar.
VENDE-SE
XA
Pharmacia e drogara
DE
BARTHOLOMEl! & C.
34 = Hita larga do Rosario = 34
Chegaram as novas sementes de hortalica
de todas as qualidades: na ra da Cadeia do
Reeife n. 50.
Attenco
Na ra de Apollo n. 28, armazem de assucar, ha
para vender algodo da Bahia da acreditada fabri-
ca de Pedroso, dito liso muito boni, dito trancado
da fabrica de Fernandos Vclho,e cal de Lisboa a mais
nova que ha no mercado ; ditos artigos vendem-
se nais barato do quo em outra qualquer parte.
AO BAZAR DA MODA
Eua Nova n. 50, esquina da ra de S. Amaro.
NOVIDADES
' Para scuioras.
COQUES da ultima moda, enfeitados e lisos, gran-
de sortimento.
CHAPELINAS de palha da Italia, guarnecidas com
delicados c elegantes enfeites brancos e de cores
CHAPEUSINHOS e gorras de velludo e de pennas
(alta novidada !) de palha da Itatlu, a emtiacao,
especial sortimento. ...
CINTOS de cores e pretos, rico sortimenio a ulti-
ma moda.
CAMISAS bordadas por commodos precos.
LENCOS bordados e ee letras, novidaae neste
genero .
l.KQCES a emtacio de marfim, gosto novo e de
sndalo.
GOLINHAS e punhos, a emitacao de guipure.
ENFEITES pretos e de cores para cabeca, lindos
moldes.
GUARNICAO alu novidade I a Marie Rose, lti-
mamente usada em Paris.
CORPINHOS de guipure braneos e pretos lindos
modelos.
BORNOUS de laa e seda, cores claras, elegante
moda em Paris.
CRNALO AS de flores finas.
ESPARTILHOS superiores.
MEIAS superiores de fio de Escocia.
LUYAS de pelica chegadas pelo ultimo vapor.
ADERECOS de coral verdadeiro e camafeo, gosto
delicado.
DE PALHA
GARNIf-ES para vestidos.
TRANCAS para enfeites de coques.
BOTES lisos e com pingentes para
UNTOS alta novidade.
FLORES finas, grande sortimento.
GKINALDAS de ditas para coques.
LACOS, fivelas, penachos para enfeites.
Para homens.
de li-
CAMISAS com peitos, colarinhos e punhos
nho lino, lisos e bordados, moda.
COLARINHOS de linho e algodo.
PUNHOS de ditos.
GRAVATAS de todas as qualidades.
BOTOES para punhos e guarnieses para coletes.
COR RENTES de plaqu a cmitaeao do ouro. lin-
do gosto.
CHAPEOS de pello de seda, forma a Rotchil, qua-
lidade superior.
CHAPEOS de seda, para sol.
MEIAS de superior qualdade.
BENGALINHAS finas e chicotes.
LUNETAS aro de ac e tarturaga.
Para crlanoa.
VESTUARIOS completos para baptisados.
SAPATINHOS de merino e setim enfeitados.
MEIAS de seda e fio de Escocia.
CHAPEUSINHOS de palha da Italia.
TOUCAS de fil e setim enfeitada? e de chroche.
BUNECAS vestidas, muito bonitas e diversos
brinquedos.
Perfumarla Hitas.
AGUA FLORIDA verdadeira de Murray & Lan-
man New-York.
TNICO oriental, verdadeiro.
AGUA DIVINA de E.Coudray e superior agua e
rssencia de Colonia.
ESTRATOS c cssencias finas e de agradaveis aro-
mas para o lenco.
VINAGRES aromtico? para toilet.
POS DE ARROZ para amaciar a pelle ; em paco-
tes e ricas caixinhas com arminho.
POS superior para limpar os denles.
COSMETIQUES de fina qualdade.
SABONETES, grande sortimento deste genero e
de superior qualdade.
LEOS de philocome, babosa e antiques.
BANHA fina para os cabellos.
AGUA de llores de laranja.
CREME de sabao para barba.
Caixas preparadas com perfumaras finas.
Hludezas finas.
SUPERIORES fitas de grosdenaples de todas as
cores c larguras de veludo preto e de cores, e
gurguro para cintos.
BABADINHOS e enuemeios bordados.
GUARNICOES de seda de cores para enfeites de
vestidos.
TRANCAS pretas com vidrilhos e pingentes.
BOTES de cores, brancos e pretos com vidrilhos
lisos e com pingentes.
DEDAES de madreperoa, de marfim, de yo e
metal.
THESOURAS finas para costura e unhas.
CAIVETES finos com quatro folhas. E muitos
outros artigos de miudeas que se torna enfa-
donho menciona-los.
LOJA DO GiVLLO WUM
Ba do Crespo n,. 7
Mandou vir de sua conta e acaba de re-
ceber pelo ultimo vapor, completo sormen-
ot de objectos de novidade e phantasia, os
quaes esto resolvios a vender por precos
nimiamente baa-atos, para assim animar aos
concurrentes e ao mesmo tempo dar sabida
ao grande deposito que tem: isto ra do
Crespo n. 7, toja do Gallo Vigilante.
Gollinhas, puntas e camisinbas para se-
nhora, fazendas de gosto e novidade.
Finos vestuarios para baptisados, assmi
como touquinhas, sapatinlios e meiasinhas
para o mesmo fim.
Grande sortimento de bicos e rendas de
croch e de outras muitas qualidades.
Superiores caixas com msicas e seta el-
las, tendo o necessario para costuras, pio-
prias para um delicado mimo.
Finas caixas com tentos o sem elles para
voltarete.
Agulhas para machinas de costuro.
Ditas para croch, sendo de ac, marfim
e outras muitas qualidades, assim como li-
nhas para o mesmo mister.
Finas grinaldas para noivas.
Meias de borracha para quem soffro de
erysipella, assim como meias de laa para
os que soffrem de rheumatismo.
Suspensorios para homem e meninos.
Finos pentes de tartaruga para coques o
de outras muitas qualidades e para outros
misteres.
Dedaes de madreperoa, marfim, osso,
ac, metal, etc., etc.
Superior agua cosmeocome para ungir
cabellos, dando aos mesmos a sua cor pri-
mitiva.
Completo sortimento de finas perfiamarias
dos melhores fabricantes, assim corno mui-
tos outros objectos que c impossivel des-
crever: isto s na ra do Crespo n. 7, loja
do Gallo Vigilante.
Collares Royer elctricos magnticos con-
tra as convulses das criancas e para facili-
tar a dentinco das mesmas, o Gallo Vigi-
lante antigo recebedor d'estes prodigiosos
collares e contina a ter sempre grande de-
posito, ra do Crespo n. 7.
se far-3 por cento de deseonto por prometo paga
F ment. Podem-se ver as amostras nos armazens
de Tasso Irmaos.
Velas de esparmaeet verdadeiras para lan-
ternas do carros: noarmaeem de Tasso rimaos.
Vinho do Porto fino superior: no armazem
e Tas.*) Irmaos.
Omelhor cognac Gauther Freres : no'arma-
ieni de Tasso limaos.
Esteiras da India
Em casa de Tasso Irraaos vende-se esteiras da
fcidia de diversos padrSes e larguras, por piejo
cominodo.
Maeanthy
Machinas de desearoear algodo..
Hoje que est reconheeido que as machinas d
serrote piejudicam e qpebram a fibra do algodo,
e pneeiso recorrer a machinsmo numos spero,
que produzindo o mesmo servco que aquellas, e
faoilidade no trabalho^no quebrem a libro da laa,
pana que essa possa obter-nos mercados europeos,
a-difierenca que ha entre o algodo descarocatio
por aquellas mencionadas machinas,, que esta ti-
cando em deauzo, pelo prejuizo que tem causado,
e o da antiga bolandeira, que nao pode competir
peta morosidade de seu trabalho. E' assim que
estas machinas se ttanam as mais proprias pam o
nosso algodo, porquo ao par da facilidade e
promptidao ronsenwa a fibra da 15a, que limp i por
ella, e qualifieada aa Europa a par damelhor l>-
landera, valendoassim entre W arrobas 20 0/0
mais do que a laa. limpa pela machina de serrote.
Estas machinas So sao novas, pois quo b muito
esto adoptadas no Egypto, attndo as de serrote
foram inteiramflte abandonadas, e por ssao algo-
do daquella par.edencia,' sendo da quafidade do
da nossa proviaea, obtem hoje de 10 atrobas 20
0/0 mais do qao o nosso : vendem-se a 130^000
nos armazens de Tasso Irmaos.
Oleo de antendoas
Em caixas de 8 latas, eada Cate* 100 libras :
nos armazens de TassoJIrmos. _________
mandim anneis elctricos magneti306, como
unko preservativo para semelbaote mal
elles antes que-se acaJei : na Nawa Espe-
nanor
NAVAifllAS
A Nova Esperanca- a ra do Queimadr -
n. 21 recebeu um sortimento de navalhas.
de qualidades, e tamanhos especiees assirm
como afiaderes e maosas para as raesraasv
LINHA PARA -OERGIR MHAS
Esta muito necessaria linha vende-se &
ra do Queimado n. 2t na Nova. Esperanca..
BORDADOR BONITOS, BONS E BARATOS-
EsparliHios s na Nova Esperanca a n
do Queimado n. 21.___________
Yeade-se
ps de laranja cravo, da China, nma da Patria.
fnirta-pao de massa, parreiras de-diversas q^nali
dades : em Parnamtmm, sitio junto ao portaod"
ncanamento d'agoa.. _______
Venem Augusto F. de OliveiYa & G. Sroa A.
Commroio,.n. 42..
Tudo se vende por presos bastante commodos.
Meias elsticas de borracha.
As melhores e excellentes meias elsti-
cas de borracha contra varizes e erysipellas.
Vende-se na
Pharmacia e drogara de
Bartholomeu de C
34ra larga do Rosario34
Manoel Alves Ferreira A C, na ra da
Moeda n. 5, segundo andar tem para vender
superior potassa da Russia em barris e meios
barris e cal de Lisboa da mais nova que ha
no mercada.
Cemento de Portland.
Vende-se no armatem de Vicente FeTeira
Costa 4 Filho, na roa da Madre de Dos i.. M,
barris grandes.
FUNDICAO DOBOYVMAN
lina do Bruna n. &8.
Machinas de vapor.
Rodas d'agoa.
Moendas de canoa.
Taixos de ferro, batidoi fundido.
Rodas dentadas, paia moer com agoa,
vapor e animaes.
Alambiques do ferro.
Formas para purgar assucar.
E outros muitos objectos, etc. etc., pro-
prios pata agricultura.
Tintura japoneza
Instantnea paratingir os cabellos c a
barba, a iKXM) o frasco.
E" a nica approvada e recommondada
por ter sido reconhecida superior a todas
as tinturas d'este genero.
A venda em casa de Gustavo Hervelin .
51. ra da Cadeia n. 51.
m gaz m
Chegou ao antigo deposito de Henry Farster A
C, ra do Imperador, um carregamento de gaz
de primeiraqualidade;oqual se vende em partidas
e a retalho por menos preco do que em outra qual-
quer parte.
Na praca da Boa Vista, sobrado n. 10, ven-
de-se por mdico preco caixas completas com
formas, ferramentas e mais utencilios neoessanos
para a factura de flores de cera.
ACABAM
de chegar os sabonetes de
alcaMo
Para curar as molestias da pelle, taes co-
mo impingens, dartros, sarnas, comichoes
e mais molestias de pelle sem occasionar
accidentes; desfaz as manchas do corpo,
pannos e sardas, restabelece a cor natural
quanto cutis, seca, grossa, amarellenta,
ocasionado por alguma enfermidade, e co-
mo desinfetante e preservativo das molestias
contagiosas.
Deposito, botica do Pinto, junto ao quartel de
polica, n. 10.
Vende-se urna armacao te taberna com al-
guna gneros; a tratar na roa Imperial n. 36.
VIMPE III JtliKIA
PREPARADOS PELO RHARMACWTICO
Jeaquim-de Almeida
Pinte
As preparacoes de Jtnrubeba s3o
taje vantajosameate conhecidas e
preconisadas pelos mais habis m-
dicos, tanto da Europa como do paiz,.
pela sua efficacia nos casos de ane-
mia, chlorose, nydropesia, obstruc--
c3o do abdomeB, e tambem as de
menstniaco dGcil, catharronabe^
xiga, etc.
Vendem-se em porcSo e a reta-
lho, na cidade do Reeife, phannacia
de seu compositor, ra Larga do
Rosario n. 10, junto ao qaartel de
polica.
XAROPE DE FEDEGOSO
E' de urna eflicacia verdadeiramen-
te maravilhosa corno calmante do
systema nenoso e applicado con-
tra a paralisia, asthma, tosse con-
vulsa ou coqueluche, tosses recen-
tes ou antigs, suffocaces, catharros
bronchicos etc. e em geral contra
toilos os soffrimentos das vias res-
piratorias, e na phlysica pulmonar,
suavirtude contra o ttano ou espas-
mos, convulces incontestavel, e
ninguem ha que a desconheca.
XAROPE DE SALSA PARRI-
LHA DO PARA
ou
Depurativo do sangue
Usado as molestias de pelle,
impigens, dores rheumacas, e ul-
ceras venreas.
O nico deposito destes medica-
montos na botica do Pinto, ra do
| Rosario Larga n. 10 junto ao quar-
S tel de polica.
ACABAM
de chegar os sabonetes de alcatrlo, no
deposilo, botica do Pinto, junto ao quarte.
de polica, '


I
GRANDE LIQUIDACAO
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM

DE
Flix Peroira da Silva, successor de Gama
& Silva
O proprictari iTesto estabelecmiento convida ao respeitavel publico desta ca-
piiii vir surtir-se no grande estahelecimento que tcm de fazendas, tanto da moda como
do tea, e as pessons qu negociam em pequea escala, lauto da praga como do raatto-
)ie?*a casa podcro fazer os seus.so'rtimentos em poqacuas e grandes porc5ea, venden*
slose-Ihes petes presos rp*e se compram as casas iaf-tezas ; a$sim como as excellentis,
simas famHias, poderao mandar buscar as amostraste todas as fazendas, ou cuantiare-
mos levar em suas casas pelos nossos'caxeiros, para o que aoha-se -este estabcleciinen*
So aberto constantemente desde s^lioras da manaaa as 0 da oute.
'0 atoalhado flo Pavao.
Vende-se superior atoalhado de algodJo
com 8 palmos de largura, adamascado a
iiJiOO a sui)erior a 3#200 a -vara ; guardanapos de
linho adamascados a 40300 a doaa e muito
finos a -83000, e ditos economices a 3^300
a ozra.
Crocit para adclras na loja da
lavo
Chegaram os mais lindos panos de cro-
ch ou guarda bartras, proprios para ce-
AS CAMBRAIAS $>0 PAVO
Voadem-se fiwssimas pecas de cambraias
lizas transparentes tatito inglezas como stws-
sas tiendo mais le vara de largura, petos
precos de 50 cerno finissimes organdys branco liso que
serve para vestidos de bailes, por sorwuito
transparente a i#000,* vara, na leja do
Pavao rua-da Imperatriz n. 60, de Feix Pe-
reira da Sirva.
Alpacawtavradaw
Chegaram pelo uUsmo vapor as mais mo-
deiras tanto d'ericosto, como de balanco-e dernaa asacas lav^ascom^mws lindas
e guarnico, e outros compridos para so-
f, assim como ditos redondos para meros
redondas, ditos pequeos para almofadas, e
ditos para cobrir presentes.Uendo pequeros
at para cobrir um prato, que se vendem
;por preco mato em conta, na loja e arraa-
zem do Pavo rea da Imperatriz n. Flix Pereira dtrSilva.
toU&es para vestidos ferrosos
a 4*.
'Vendem-se os-mais modernos fustes tran-
cos flexiveis cem padroes de listas e de
salpicos proprios para vellidos e roigas de
menino a 6iO rs. o covado, na loja e arma-
zem do Pavo roa da taperatriza. O, de
'Flix Pereira da Silva.
rosdcoaples
Chegoupsra a loja do Pavo pelo ettimo
varpor um grande sortimento dos melhores
grofidenaples pretos e de .cores, tende verde
tambem, pie se vende mais barato que
em outra quakfoer-parte.
'PfiCHINCHA EM ALGODAOBINHO ti 3^00
A PETA NA LOJA DO PAVAO.
Vende-se soperiores pecas de alge-dosi-
uhocom 20 jardas a B|OO a pecar gran-
le pechincha, ama da imperatriz n. CO
^mnazera de Fefcx Pereira da Sirva.
BABADINHOS
* Vendem-se finissimos babadmhos, tiras
bordadas e ntremelos, mais baratosdo que
>;m outra qualquer parte, assim como -espar-
tamos dos mais odernos, no armazem de
Flix Pereira da-Silva, roa da Imperatriz
?). 60.
ALTA NOVIOADE
A LOJA DO PAVAO
Gurguro de seda
.Chegaram pelo trtimo vapor os mais lio-
aos gurguroes de-seda, praprios para "ves-
tidos, sendo lisos elavradinhos, com muito
lastro, garantindo-se que a fazenda mais
inda e de mais phantasia que este anno tem
legado a este mercado, e vende-se por
preco muito razoavel, na ra da Imperatriz
a. 60, de Flix Pereira da Silva.
GROSDEMAPOLESPRETOA QUATRO
PATACAS SG PAVO.
Vende-se grosdenapeles preto de boa
qualidade pelo barato preco del 5280 o co-
vado, s na loja e armazem do Pavo, na
la Imperatriz n. 60 de feliz Pereira da
Silva.
CAMBRAIA BRANCA A 3!300.
Vende-fie pecas de cambraia branca
transparente, com 8 e meia varas pelo ba-
rato preco do 3oQ0, ditas muto finas tanto
tapadas como transparentes VSoOO, 5)5000,
5300, 7;500Q e 8#00, assim como organ-
fi muito (ino tanto h'zo, como de listas e
qaadros na loja e armazem do Pavo ra
da Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da
Silva.
ALPACAS LAVBADAS 1PARA LUCTO.
Vende-se na loja do Pavo, as mais mo-
dernas alpacas lavrsdas para lucto, sendo
muitolavgasepelo bsrato proco de800rs. o
ovado, s na loja e annazem do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60 de Felk Pereira da
Silva.
AS DEZ MiL VARAS DE CAMBRAIAS FRAN-
CEZASSNA LOJA DO PAVO A 560
RS. 0 MEIRO.
Vende-se fimssiinas cambraias O'ancezas
,'^IB os mais delicados padrn, tanto nii-
'io* como gradofi, e com as cores mais no-
vas que tem viudo no mercado pelo bara-
tissimo preco de560rs. o metro; garantindo
pie 7 metros do ni vestido para qual-
'pir seubora, e que em outra qualquer loja
uo se ^encontrar a mesma fazenda por
igual pi oeo, e sim s na loja e armazem do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60 de Felis
Pereira da Silva.
cassaisglezas a 440 rs o metro
Vende-se urna grande porcao de bonitas
oauas inglezas tanto graudascomo miudi-
tihas ede cores ixaspelo barato preco de
O rs. o metro,garentmdo-9e que 7 metros,
dio um vestido para qualquer Sra. s na
loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de
Flix Pereira da Silva.
Bareges a 400 rs.
So na loja do Pav So
cores, qee se vendem a 1-3000, o covado,
ditas It^as tendo tambem cor 4le canna a
800 rs, ditas mesetadas muito finas a l :200,
o covado, e nutras umitas fazenks de gosto
e moda que se vendem mais barato do
qu em outra quiquer parte, ao annazem
do Pavo, ra daSmperatriz a. -60. de Flix
Pereira da Silva.
Roiipacs para homeiii
Vcdem-se superiores palUts de pattno
sobrecasacosfowados de alpaca e de seda,
camisas inglezas e francezas com os peitos
de eeguiao, ceroulas francews de linho-c al-
godae, metas croas jnglezas superiores, ca-
misas de flanella e de meia de la, assim
como ueste estabeleciraentoexiste um grande
sortimento de pannos pretos, e de casemiras
ingiezas de cies, e quo se manda fazer
quaiquer obra contento des Srs. fregue-
zes, e promette-se-lhes qee sero servidos
com a maioi'ipromptido e muito mais ba-
rato do que em outra qualquer iparte
na ra ila Imperatriz n. 6d,de Flix Perei-
ra orlinndos
fara camas e janellas.
Vende-se um grande sortimento dos me-
llares c maiores cortinados bordados pro-
prios para carnes e para janellas, que se ven-
dem a l>000rs. cada par at 25000 rs,
isti3 na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
Oretone pera lenqoes com 10
palmoe de largura a 2$,
Acaba de chegar esta nova e excellente
fazenda branca ^propria para lences de um
s panno, garantindo-se que um metro e
urna quarta ou um metro e meio d um
exoellente leaQol de um s panno, assim
como esta boa fazenda tambem >muito
propria para-toallias de mesa, rosto etc. e
outros mysteres e vende-se pelo barassi-
moprero de -vcada metro.
MOCAMBIQUE PARA VESTIDO A 500 S.
Ghegou para a deja do Paxlo um elegante
sortimento dos mois bonitos mocambiques
proprios para vestidos com as cores mais
modernas e que se vendem pelo barajo
pre^o de 500 rs. o covado.
ALPAGAO DE CORBOPAUA A"ETID0 A15
Chegau esta nova ?fazenda cem o nome
de alpaco, sendo de -eordo e com mais
largura do que a alpaca, com as mais linias
cores, como sejam Bismark, lyrio, perolas,
toro, cor de canna, magenta etc. c vende-
se pelo baratissimo preco de l o covado.
P.OMEIRAS PARA QAfiESMA A 16|,
Cfasgrain as mais bonitas e modernas
romeras protas de guipare, que se vendem
pelo barassHBO preco de JLG.-jl cada urna.
SOBRECASAGOS PARA A QUABESMA A 18 K
20 3.
Vende-se um grande sortimento de so-
brecasacos e palKots sobrecasacados de fi-
Bissimo panno preto pelo baratissimo prejo
de 18;?, sendo forrados de alpaca, e por
20/j(, todos forrados de seda, grande pe-
chincha, principalmente por estarmos na
quaresma, assim como, tambem se vende
um grande sortimento de caigas e colettes
de casimira preta que se vende muito mais
barato do que em outra q'ialquer parte.
msaia de linho be a iarbas a io.
Vende-se pecas de esguiSo de linho, fa-
zenda superior, com 12 jardas cada peca, a
104(000.
Ioll de chevre a 1000 o covado
Vende-se pojl de Chvi-e muito largo com
as melhorcs e mais modernas cores pelo
barato preco de I-jiOOO o covado. na loja e
armazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60
de Flix Pereira da Silva. %
ALTA NOVIDADE

Loja do Pavao.
VESTIDOS A 1)000,
GURGLROES
PARA
O COVADO.
pro.'o de um crazado cada um covado, nicamen-
te ta loja e armazem do Pavao, ra da Jmpera-
triz a. CO, da Flix Pereira da Silva.
Crosdenaples preto
Vende-se um grande sortimento dos rae-
Ihores grosdenaples pretos, tanto lar-
gos como estreitos, sendo de 23000 rs. o
Chegaram 05 mais mudemos gurgures
estidos, sendo de todas as cores, como
osa, bismark, perola,
quaWo palmos de lar-
) vende-so pelo baratissimo preco
de I #000, cada covado nicamente no ar-
mazem de Flix Pereira da Silva, na ra da
Imperatriz n. 60.
BMNS PARA CALCA NA LOJA DO PAVO.
Vende-se os mais modernos c melhores
covado at 4(jkXK) rs. garantindo-se que brins de linho|de todas as cores, outros com
n'este genero hinguem tem melhor fazenda e listas do lado, garantindo-se seren do linho
que se vende mais barato do que em outra puro e vende-se por preces muito em con-
qualquer parte, na ra da Imperatriz n. 60, ta no annazem de Flix Pereira da Silva,
do Flix Pereira da Silva. na da Imperatriz n. 60.
Chitas | RETALHOS PARA LUTO NA LOJA DO
Vendem-se as melhores chitas escuraspara.' PAVO.
casa sendo de cores ftxas, pelos baratos Vende-se urna grande quantidade de re-
precos d 320 e 360 re. o covado, ditas talhos de chitas e cassas pretas por prego
muito fina francezas sendo claras, compa- muito barato, e quanto maio.p Tor a P^rc3o
droes de cassa a 360 e 400 rs, pechincha, que o fregu comprar, mais rato se lne
na rea da Imperatriz, n. 60, armazem de Fe-, vender na ruada imperatriz n. CO tfe Fe-
ix Pereira da Silva. x Pereira da Silva.
PECHINCHAS
Novamente chegadas ao armazem
BO
BE
PAREDES PORTO.
Tendo-nos chegado ltimamente fazendas inteiramente novas, convida-
mos por este meio ao respeitavel publico a que nos procure comprar fazendas de
bom gosto e por precos que n5o achara cm outra qualquer parte.
Lencos bordados a 64,65300 e- 12B00.
Admirem!
Madapolocs finos a 5^1, 6,, 7,? e 8^ rs.,
s no armazem do Leao.
Chitas escuras de'padroes lindos por pre-
go de 320 e 360 rs. o covado,
Cassas de cores com palminhas e com
listas de diversos padr35es a 240 e 320 rs.
Liazinhas emeentas e cor do booina a
320 o covado.
Chitas claras miudinhas a 320 e 360.
Alpacas pretas e de cores lindas proprias
pw-a vestidos a 680,700 e 800 rs.
Pegas de cambraia transparentes a 4,
Si$ e 65. Por este preco admira a todas I
Cortes decasemirasdequadrinhos elis-
ias a 2-8G0 e 3?.
Corpiolws brancas para senhora a 35 e
35200.
Pechincha!
Cortes de cassieeta de cores para Galeas e
paletotsa 15300.
Cassinetade ceires com um peqseno to-
que de mofo a 400 rs. o ovado.
Espertilhos muito finos a 45660, H e|
35500.
AilmFa!!
OrCT^itas de seda a 360 rs.
Gdnhas bwdadas a-800 n.
L3azMias a 208 rs.'!'!
Laaitias a-260 rs.!!
Lazinhas a 200 rs.!!
Ricos e bem escolhklos gostos de bis-
marks para calcas e paletots a 25300 o
corte.
Tambem tem para acabar pegas de pan-
no de linho, com 27 varas, a 175 185.
Toalhas de linho para rosto a (05 a du-
m.
Aos Srs. armadores de enterras.
Vendem-se pegas de ltoUanda preta com
40 cavados a 3^ : na ra 4a Imperatriz a.
48 e 32, junto a padaa raaceza, loja do
Le5e.
AUengo roupas feitas 1! no arwuem
do 1^5o, ra da Imper-atris ns. 48 e 32.
Assim cono temos um grande, completo
e variado sortimento de roupas reitas: pa-
letots saceos, sobrecasacos, fraques, jaque-
t&es, caigas, colletes, camisas, oeioulas,
diapos etc., tudo por precos que admira!
Tem tambem um sortimento d&' roupas
ordinarias por prego baratissimo.
Acaba 4e chegar tambem uii complet
-sortimento de damascos de cores, sendo
azul, amarello e cor de caf etc.., que se
vende por prego comraodo.
Admira!!
No annazem do'LeSo 1!
No armazem do Leao!!!
No armazem do Leao! 1!
No armazem do Leao 1!
do
No arawzem do Leao, >rua da Imperatriz ns. 48 o 32, junto a loja de onriv|s
e patona 'fraaeeza.
FAZENDAS PRETAS-
PARA A QUABESMA
lISIfl PORTO U.
ta do OiK'iado n. II
Receberam directamente da Europa a mais superiores fazendas pretas e&pe--
caes para a quaresma, es quaes -esto vendendo pelos mais mdicos precos en -vista
da -superior qualidade de ditas fazendas.
JJLTA M^VIDAHK
Rasquiaes pretas de renda, verdadeira novidade, para senhora.
Gorguro pi-eto 4e seda .liso e cora listas assenadas par? vestidos.
Grosdenaples preto largo estreito de diversas qualidades havendo neste ge-
nero o que lia de tnelhor.
Basquinas de croeft pretos, ditos de seda preta com cintos delicadamente en-
tenados, elegante? peplums de seda preta,__ Ikaos pretos de renda, modernas capinhas
pretas de renda e superioras vestidos de gorgaeo preto bordados. -
.loirantique preto e branco, bombasina, superiores princecas preta,';, merinos
de veo e trancalos dos melhores. -
Os mais lindos vestidos de utond com aantas, capella para noivas, ;>aperior.;s
fronhas le cambraia de linho o de esgto bordadas, e lindas colxas de seda e de 15a
para canas.
Sahidaifi 4e baile brancas, azues e or de cinza de gosto especial e ves-
tidos de.cambraia branca ricamente bordados.
JPopellite de seda para vestidos lisos e com listas das mais lirdas ores
e mais beos padroes, grande e variado sortimento de sedas tanto em cortes como
em pega.
C&rtinadoe bordados para camas e janellas, balos parisienses com
molas novo gosto, balOe* reguladores brancos e de er, espartilbos e bellas colxas
de croch.
Carnizas de llnbo laglezas para honiem, chapeos de sol de seda,
grvalas modernas, pannos linos e casimiras de er e pretas, e outras militas fazendas
que vendem por muito commodos precos.
A bija n. 11 da ra do Queimado tem sempre o melhor sortimento de tapetes,
alcatifas e
Esteiras da India para forrar salas.
VALOR THERAPEUTICO
DO
XAROPE DE QUINA FERRUGINOSO
DE GRIMULT E CORP.
1 harraaceatieo* de S. A. I. o principe Hapolefta, em Varia.
A associafao do ferro e da quina resol veo om dos mais importantes problemas da pharmacia,
e faz eom que se congratulan! os mdicos dos relevantes servicos que Ihcs presta esla pre-
para c3o.
Com effeito, ningucm ignora que a quina, em maieira medical, o meihor tnico qne se
possa empregar, sendo, sobretudo, unido ao Phosphato de ferro, a mais estimada das pre-
parares ferruginosas, pois que entram na saa composieo o ferro, elemento do sangue, e o
phosphato, principio dos osso3.
Por isso, julga.-nos que, para os srs mdicos, serie inlercssantes as observacSes feitas )clos
seus collegas, os mais Este Xaropc- prodnz os m.-.is felizes resultados nos casos de dyspepsia, chlorosis,
c amenorrhea, hemorrhagias, leuiwrrheas, febres typboidas, diabi-tcs, e quando precisa
c reslabelecer a torvas dos doentes e restituir ao corpo as forjas alterarlas ou perdMs.
ARNAL, mdico de S. M. o Imperador.
urna das raras combinneos que, ao mesmo tempo, satisfazem o medico e o doentc. Em
f quanto a mim, eu a considero co :;o a mais eicaz proparacio ferruginosa, cujo uso dos
mais "gradaveis para os docntrs..
CAZE.NAVE, medico do hospital Sainl-Louis, em Paris.
Com esta preparafio d*uma f<5i;na agradavel, e fcil de digerir, adrainistra-se aos
doenles dois med camentos importantes.
CHARr.lER, che.fe de clnica da Faculdadc de Parit.
< Eu eraprego com o maior xito o Xnrope de Quina ferruginoso, e o considero como
orna das mais felizes innovaedes, na mateira medical.
CHASSAIGNAC, cirurgido em chefe do hospital Laribsire.
Este medicamento, sempre bem aceito pelos doentes, deo-mc constantemente os mais
< vaniajosos resultados.
HERVEZ DE CIIEGOIN. memltre da Academia de medicina.
A limpidez d'esta preparac3o, o sen gosto agradavcl, sent de qualquer sabor de
ferro, fazem d';lla ora medicamento to eflicaz como agradavel.
MO.NOD, addido Facuidade de medicina.
Deposito em Pernambuco, em casa de
o*
0 cordeiro previdente
Ra do Queimado u. 10.
Novo e variado sortimento de perfumaras
finas, e outros objeetbs.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, de que efectivamente est proVflaa
luja do Cordeiro Previdente, ella acsdW de
rebeber um outro sortimento que se torna
iiotavel pela variedade de objectos, supriori-
|giade, qualidades e commodidades de pre-
ros; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
espera continuar a merecer a aprecfatSo
do respeitavel publico em geral c de sa
boa freguezia em particular, nao se afas-
tando elle de sua bem couheoida mansidaQ
e barateza. Em dita loja cncoutrara os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdad ira de Murray Lamman.
Dita de Cologne ingjeza, ;unericana, fran-
cez, todas dos melhores e mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dcntiica.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, o vilete para toilet.
Elixir odontalgico para ooDservacSo
asseio da bocea*
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada flna para cabello.
Frascos eran dita japoneza, transparente,
e outras quadades.
Finos extractos inglezes, americanos e
francezes em frascos simples eenfeitados.
Esseticia imperial do lino eagradavel chei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
wente uj.s eagra Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
com esoolhidos clieiros, em frascos de dif-
ferentes tamaitos.
Salwnetes em barras, maiores e menores
para -Baos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito linos em caixinba para barba.
Csixinhascom bonitos sabouetes imitando
fnwtas.
Bitas de madeica invernisada con tendo fi-
Bas$erfumarias, amito in-o$rias para pie-
serttes.
'ftitas de papeaiigualmeute bonitas, tam-
bem de perfumaris linas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
oaoWes novos e legante^, com p de arroz
e feoneca.
Especial p de arroz sem coinposicao de
choiro, epor isseomaisproprio parauiun-
cas.
Opiata ingleza rancezapara dentes.
Pos de camphara e outi-as dilferentes
quadades tambe para dentcs.
Tnico oriental de Kenip.
Anda mais eoqncs.
lim outrosoitimentos de coques de no-
vos e bonitos moldes com filetsde vidrilhos
e alguna d'elles ornados de flores e litas,
esto todos expostos apreciugao dequem
os pnetenda comprar.
GOLLINHAS E PNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e pereicSo.
Fvella e Olas para cintos.
Bello e variado* sortimento de taes objec-
tos, ficndo a lioa cscolha ao gosto do com-
prador.
FLORES HITAS
0 que Je melhor se pode encon trames se
genero, sobresabindo os delicados ramos
rvalhadospara coques.
Para vtagem.
Bolsas de Cpete ecarieiras de couro, por
precos oiimmodos.
Cliapelinas de palba da Italia mui bem
enfeitadas, e eneites delloies obra de boin
gosto.
E assim muitos outros objectos que se-
ro presentes a quem se dirigir dita loja
do Cordeiro Previdente a ra do Queimado
n. 16.
ENFEITES DE PALHA PARA VESTIDOS,
CHAPEOS E COQUES.
O Cordeiro Previdente ra do Queima-
do n. 16 acaba de receber um bello sorti-
mento de trancas de palba para enfeiles de
vestidos, outras para chapeos, coques etc.
tudo isto est sendo vendido com a sua bem
conhecida commodidade de precos.
ALEM DAQUELLES.
Recebeu outros lindos enfeites de sada
4>ara vestidos ; assim como um variado
timento de gallos de la, babadmhos de
cambraia com bordados de cores, cuja va-
riedade de gostos os tornam recomnienda-
dos e apreciados; compareco pois os pre-
tendentes quo scrSo servidos a contento.
tAo bem becebeu.
Novo provimento de bicos e rendas de
guepure.
LUVAS DE PELUCA.
De todas as cores tanto para hornen*
como para senhoras, constantemente acham-
se a venda na loja do Cordeiro Previdente :
ra do Queimado n. 16.
Para familias
raudeBazar,ra Xoia ns. C e
Z'i, dcCarnelro Vlanua A (.
Acaba* do cb'egar a este cstallecimema
grandedqrcSode machinas para costuras di*
autor Wheeicr W'ilson, approvadas na ultt-
ma exposiSb ^e Paris, as quaes cozem com
doiis pospoiitos (t! a costura, e tem
vantagem de ser tao uave 0 niovtmenti.,
quaiouer manca le oito anuos lacil-
mcotc Uaballta, c pode, om este entre-
niiiK'iito, Uvar vantagi'm ao seniro 4ano
de trinta costuraras. A compr*>*ao<
simples, p.iis em um uarto de hora se lt-
ca: senhofudo movimento da machina; ten-
do a mesma a proprkdadc de fazer as fe-
giiintes costuras: pospontar, abaiidnir,
'i; u/.if. matear c bordar, como apresentara
ns (lesenhus que arompanhnm-nas. Os pro-
prietarios do estabelecimento se encarw-
gam de mandar ensinar n'esta eidade, e
garantem entregar ojmporte dispendfdo ao
comprador, no caso de nao trabalhat com
perfeicao a machina vendida, nao tendo,
porm, soffrido ella algnma varia. Ha tam-
ben! no mesmo estabelecimento machinas
do autor Grover & Baker, de trabaHio sim-
pteamente mo, e outras com movimento
dos pes; e mxime todos os pertences das
mesmas machinas, para vender avulso.
Barato que admira
Veude-se ^iiperioj-es laazitilias de nJius pelp I)
rato mea de 210 rs. o cova*>, algodao com peque-
o toque de a varia a l|008 rs. a pee j no ca
de Vine e Doas d; Novoinbro n; 6, iwr baixo &>
sobrado nova_____________________________
"^ "Illuminacao.
Rl'ADO CHESPO .N. 16.
Duarto Pereira A C, tendo fceMdo ,
ultimo vapur grande e variado aordmentn
de balos le papel le diversas qualidadeL.
e do mais moderno gosto, proprios para
illuminac tanto da eidade cuno
campo, assim o fazem constar a seus numt-
rozosfreguezes e ao respeitavel publie
alim de (jue com lempo se previnain,
como atiento aos ltimos successosd ga r-
ra se espera a cada momento a fausta no-
ticia de sua coucluso. A iluminanio
balos de papel alim de ser linda m<
dispendiosa possivel, osannunciantes <.--
dem-os por. pjecos mui fDZ'javeis,
"SCRAVOS FGIDOS.
ttnga-se as autoii'li'des polieiae* e wpi
de campo a appcehenf i << escrava Antonio, '"
do, de idade pui) niai ou menos do 19 n
: oi .: barba, e ra i,n regalar, eheo du c
ollios regulares. lesiape4|uei H&jalado, bocr;.
regular. m.V ptis gr.tii,Vs. eOm erespt,
urna elektr lia twt| provjiiier|!e um coli"
muito prosiata e astuto, SMtuma iacnwar-
livre levou vetido vinus-i de aL>0'l"i co, calca preta, ctiaao de bata vclho : qui
raptorar le+e-*a loja-da Bea Pttnaraa;
Queimado n. Xi, que ser recompensado.
O atMDO'aaBigaado raeoraoModa a ~< ii
do sea esccaw de nome Joaqtiim, nralal
do seu sitio do .Motiteiro, comprado ao feus (li-
nos, os Srs. Ji ao Goncavcs da Silva. Vicen'e ..-
vate anude Afl>uqucrqe c Alexandre Coi
Silva, naata eidade, por inlormedio de si
curadores apeaba do Si\ Maoool Franci i'.\
valcan, todos de Pao d'All e mir ntei vi
Sr. Santo? (corrector de escr; .- .cuj i
tambem nafural de R d'Albo* e tem os i
s-eguinN's: idade 3o aunas, secco do corpo
pouco alto, bia-oij..', cabello nni pouco carapinh
o penl.'.'ulo, faltado deiltes, urna inflanimacao -
ruada na junta da mao esquerda, falla a
jo, nmilo deshincada eniausa : levou caiflifat
madapolao e riscado de algodSo, o caifas de b
pardo, o abaixo asngnaae mnito reeommenda i
captura deste sen csc avo todas as atoridadta
e mais pessoas encarregadas da raptara do cscra-
voa, nao spelas diversas cidades, vias e povoa-
dos. como pelo tato, para onde pode ler M( I
proinette bem gratificar, e lamben a qualquei
passoa que d'elle der noticia certa ; a drigirem-
se ao sen es 'riptorio a roa do Crespo n. ib', ou o
seu sitio no Montciro.
Recite, 27 dejanefro deliro.
Antonio Jos Rodriyues de Souza.
100$ (le graiiieafo
Fugo uo da 11 de Janeiro do corrate .
do cngenbo Ilalalnra, regoekia da Escada, o e^
eravopreto, criooio,de 24aoi de idade. cha-
mado Marcelino, que i'oi de Sr. J.i.io da Onrti.i
Pereira, cujo escravo estove no deposito geral, e
tem os signaos renintes : alto, secco do corpo.
rosto muito marcado de bexigas. falla de d.
na frente, eor preta, sabio deohapo do chile
letot c calca de castor, levando un bliuzinho de
(landres com mais ronpa, e 8upp5e-se estar u-.
freguezia do Cabo ; quem o apprebender \e\
ao dito engento, n a ra da Seniala-nova n. 3f*,
escriptorio do Sr. Bernardino r\mtual, qne rerp -
ber a graiillcaeao cima.
foirucedUct
- krnik

acakaia
0 trai&mento dasafleopoeschlorocat, lymphauca ou escropbulosas sempre leniis-
h acaiem
i atetan
htuk
simo, e muas vun mu molestias resisten) a preparacoea ferruginosas ordinarias. As
indagaedes feita peloajaroeMores flanoon di BruteUaa, Gensoul e Petreqoin de Lyali e
Beneliu e Trousaeao deParii. tem prorado que a causa d'essa persistencia era a completa
Acha-se fugida desde CI de outubro do
ultimo a escrava de uonie Custodia, idade de 24 .i
26 anuos, mulata, cabellos carapmhos, detw*
alvos e limados, estatura regular e um tanto che.i
do corpo, natural de Piancozinbo, Astricto de
Baixa-verde, e foi vendida ;i<|ui pelo Sr. Vircii!
Nogaeira deCarvallio : quem a capturar quein
dirgir-se a Albino Jos l-'erreira da Cunlia, nt> lar-
go de S. Ped'.- i. 17, que ser generosamente re-
compensado.
Fugin do engeabo S. Pidro, termo de Bai
reros, no da o' de Janeiro de 8f>!', o escravo
Loiz, crioulo, eor meia rala, com idade de i ai.-
nos, ixm'o mais on menos, com inuita pcnuge
do barha no bigode, e j Dascendo na pona lo
quei.xo, falla meia apre>sida. bracos e peinas uin
habita, capaz de passar por forro, tem apena-.
dus ou tres marcas de chicle, isto niesnio pe-
queas, que se precisa reparar, boa altura, boni-
ta figura,- beicoa meio grossos julga-sc anda.-
Beata pra?a : quem o pegar dirija-se a casa nos
Srs. Manoel Alves Ferreira A C, ma da Moeda n.
5, 2o andar, que ser recompensado com iOaOOO.
Pertence dito eseravo a Cbristovao Bento du Reg
Barreto.
ausencia do Man gnese, elemento que sempre dere-se acbar ao naogue junctamente om
o ferro, latas pllalas sapprem, pois, a tberaprtiea ama falu im|iortante, e por este
motivo ella tem merecido a ag
dada medicas. Deposito ero
motivo ella tem merecido a approvicao da Academia de Medecina e das principies socie-
l t'frntmtruco, em asa de mmtT o*.
.............. ^
NOVIDADE
A loja de Coclho A Qliveira i ra (Jo
Queimado n. 19, recebeu pelo ultimo vapor
um bello sortimento de balos de diversos
systemas, os mais aperfeicoados que teem pouco finos, o branco do ollo anarellaco, tem os
vindo ao mercado, sendo : ledosdos pea encostados ao dedo grande, ornis
BaK5es de guipar com tiras chamados tt&&?SF&&
reguladores, ditos de musselma abertqg por
ambos os lados, de modo quo sendo todos
de um tamanho servem para qualquer se-
nhora, de 13a de cores, com tiras, e as se-
geintes fazendas:
Saias de 12a com bonitas barras.
Chales turcos de seda e la Beatriz de
Tundas.
Fitas de.guipur pretos Rocamboly.
Chapeos de sol para senhora, muito lin-
dos.
aLasiInhas
Sultanes, Poil de Chevre, Tricte, dito de
xadrez e outi'as muitas, entre ellas urna
Especialidade
L5a pura de cores a 360 rs. o covado.
Basquinas a Maria AntorSete.
Cambraias fantazia.
Ditas brancas transparentes e Victorias
Colxas adamascadas.
Cobertas chinezas a 2S00 rs. e outras
muitas fazendas que tornar-se-hia ea&donho
annunciar.
Vende-se
pz do rozeiras e frncteiras de varias qualidades :
no pateo da Santa Cruz n. SO.
Attencito
Vendcm-se raixa, metas e qnartos eom passas.
com pe Madre de Dos a. 18.
Escravo fgido
Fugio em S.'t de Janeiro de 1869 o escrav Ma-
. de meia idade, cor preta, falla fPosw, bexi-
goso, tem pelas costas cicatrizas de bacalhao, leu
una verruga no canto do nariz, os ees fi.-vciw.
corpo regular, tinha sido do Illru. Sr. AgOsti
Leocadio Vieira, em Panellas de Miranda, que h i
poucos mozos de la veio fgido; pede-se as aoio-
ridas e eapitaos decampo de o pegar e trazerew
a sea senhor Jos Carduzo de S. na ra da I
gueta no Hecife n. 8 ; e o mesmo protest fui
qualquer pesa que o tenha acontado, e gratifi-
cara bem a quem o pegar. Consta andar na H
VWt na es'rada dejlo di
de Barros.
No domingo, a tarde, desappareci
a senhor, ra da Aurora n. 72, a esc i
Lucinda, preta cnoul i, idade 30 annos. tcm o
dar um pouco inclinado para diante, bastante e
lauda, com bellido era um dos oJhos
Foi comprada nesta praca ao Sr. Mano-1 A
Ferreira, e natural do serta
probabilidades de estar occul
quo se protesta haver todo o f >*
alem da a '"*
Boga-se, portai. .rjln p
de campo, rimiaaa e
rrava neme na e*s
cima.


Diario de Pemambuco Sexta feira 20 de Feverriro de
UTTERATURA.
Estados-Caldos
A eleicao presidencial
(Cottinuarm.)
III
Esse espectculo assustava c descouten-
uva: os sacrificios im Jostos ao paiz, come-
cava a ser soportados com impaciencia,
sobra tudo nos estados do oeste, regroes
grieolas, pouCO ricas de capitaes, vexadas
pela pauta das alfandegas, e que, nao sen-
do oradores do thesooro. nao tomavam a
ih-o que a divida fosse paga. Em toda a
parte se clamava pela uecessidade de urna
reforma financeira; mas qual seria essa tal
reforma e que remedio se encontrariam
para os embaraces do paiz? A respeito
sso que ninguem estava de accordo.
Uns, osqueceitdo-se dos encarj|&s pblicos,
aconselhavam simplesmentc a re'iluccao dos
mpostos, e outros pretendiam que era ne-
cessario augmental-os ainda raais etoma-
rem-se iludidas severas para impedir as
fraudes.
Uns clamavam contra o cxcessvo do
systema protectora!? e outros, arrestando
contra a evidencia, achavam que os direi-
tos da alfaiidega anda eram insuficientes.
Estes accusavam o rgimen do papel-moeda,
e diziam que era indispensavel resgatar por
moeda o mais cedo possivel esses quartos de
papel scm valor e aqucll'ontros afirma-
.aut que era mister emittir ainda em maior
quantidade : pois que todo o mal provinha
de insullieieiieias de meios do permuta e
troco. No meio deta anarehia de opinioes,
Mr. Mac-Cttlloch, o eminente financeiro, a
que fofa confiada a directo do thesouro,
concebera um plano modesto e avisado,
uj.s pouco adaptado para contentar as exi-
gencias j> para lisongear as pandea das
turbas:
Consista simplesmentc tal projecto em
seWhorar o crdito do estado, e em se
guardar com paciencia pelo porvir que
chegaria. Elle quera em primeiro lugar
armar o orcamento c a cobranca dos
mpostos.-em ordem a que fosse menos gra-
voso sobre o paiz, e flcasse menos costosa
ao estatlo; em seguida pretenda resgatar
t moeda-papel para cedo se restaurar a
me do miro, indispensavel na opinio delle
I seguranca das transacroes, ainda mesmo
que para tal se conseguir se devesse re-
: iver a um emprestimo; o finalmente,
con solidar a divida publica ou espacar-lhe
> prazo. pagando-se os antigos empresti-
mos; para se emittirem outros menos one-
rosos, proporeo que se fosse vencendo
) prazo e que o crdito publico se fosse res-
abiHecendo. Opinaba elle que fosse nc-
issario comecar essa reforma pelo rsga-
te dos emprestimos, que pagavam juros
em inoeda papel depois resgatar omagmo
papel moeda, cuja quantidade circulante
iao exceda de 100 mlhes de dollars; e
>or ftm refundir toda a divida publica n'um
i ide emprestmo, pagavel -em ouro no
/im pelo menos de $5 ou :10 anuos, e ven-
do um juro de 5 ou 6 */ pagaves
tambem em ouro. Taes eram as principaes
condices do projecto, que em Sos do auno
tassado (1867) Mr. MacCoBoek apresen-
toa ao congfesso.
Semclhantes combinarles professionaes
nada correspondiam as paixoes populares,
., mi ji ni o cabimento poderiam ter para
com a plebe. Aquclles que a tudo o mais
s j>referam a redueco dos tributos ge-
i -. nao podiam accommodar-sc fcilmente
om um projecto, que logo princiava com
Loceitar o nellioramento do crdito publico
orno sendoo tnico remedio, que para ser
inseguid exiga a continuar-o de sacri-
iicios. Porm a popolaca gmente se satis-
aria cora um remedio mais radical e menos
ei to, um qualquer meio de aliviar logo os
'o argos naconaes e suprimir urna parte
dos imposto. Ora um tal meio saltava os
olhos de todos. Dem que sua utlidade
parecesse duvdosa. e sobre tudo, que sua
injustica estivefse evidente, comfudo era
concebido com tamanba simplicidade, que
sedaiia os espritus ngelos: em nada
mais ou nada menos consista, seno n'um
repudio da divida publica nacional. No
conceito do vulgo, a divida publica nacio-
nal era o inimigo do pobre; a causa de
todas as miserias, e o maior obstculo
prosperidade do paiz. Logo que ella fosse
siipprimida, todos os imposlos ficariam
abolidos. A divida era o odioso privilegio
l agiotas e capitalistas especuladores,
que esfomeavam o povo, a (im de cobra-
ren! rditos onzenarios, sendo que taes in-
dividuos eram ios nicos sentos de taxa,.
que os simples cidados pagavam. Em
quinto o povo se con lenta va com os tjreen-
backs, ou vales do tbesouro, esses vidos
S queran) o ouro. Aproveitavam-se dos
embaraces das aascas para saquearemo
hesouro publica, e para se engendraran
luctps escandalosos. Em somma, a divida
mi um monopolio tyranico, um tributo
imposto ao povo por urna especie de nova
aristocracia. Fallava-sc ento, como ou-
r'ora se falln acerca do banco dos Esta-
los-Unhlos durante a presidencia do gene-
ral Jackson, c assim mesmo, como outr'ora
acemilera, os palavresaristocracia e mo-
nopolionunca eram pronunciados emvo.
Sem dtivida, taes absurdos tinham con-
tra si as pessoas boneslas e sensatas, que
comprehendiam que a mmunidade de pa-
gar imposto*, de quegosa a divida federal,
nao significava senao urna garanta de leal-
- dade do thesouro para eom os seus pro-
prios eredores ; que o pagamento em ouro
ilos imposlos e a promesas da cobranca em
.uro era o nico meio de inspirar con-
fianca e de manter o crdito do Estado ;
que, alm disso, ambas essas condcoes
entravajn n'um contrato formal, do qual
nao era licito alterara forma. Mas o povo
tinha seus aduladores inleresseiros, que
todos os das I he pregavam no mesmo me-
ma, e que lucravam em assanhar a colera
popular contra a arrogancia dos eredores
do Estado. Os demcratas, enxergando
u'essa agitaran do povo um poderoso ins-
trumento de infltterJtia, era toda a parte
se puzram a testa do movmento. Se
elles nao pedjam urna baucarota pura e
simples, oa* altos brados reclamavam a
reduco da divida _por meio de suas me-
didas mu simples! que poriata termo a
todos os males. A primeira medida con-
sista ejn laucar um tributo sobre os juros
da divida, maneara rommoda de reduzi-Ia,
^'uardando-se sempre a apparencia de boa
f ; e a segunda medida consista em de-
crelar-se que a divida inteira, capital o ju-
ros, fosse de entlo em diante paga em
moeda-papel, anda mesmo que os compro*
raissos do Estado estatuissem que o paga-
monto fosse em ouro. A isso cbamava-sj irangeira : en ti n ;
esganar os oppressores e rebaixa-los ao ni- possivel do resto do i
\el da commum igualdade.
Era Mr. Pendleton, antigo collega do ge-
neral Mac Clelan na malograda candidatura
presidencia, que tomou sob si a direceo
dessa cruzada contra os eredores do lie-
souro e contra o honor das finanras naco-
naes. Como candidato possivel as prxi-
mas eleic5es, elle contava por esse muo
poder levantar urna faeco pudorosa re-
generar as forcas do seo partido. No oew,
onde exerca summa influencia, elle eu/
trou os espiritos ja preparados para Icom-
panha-lo. Aos partidistas da lvre permu-
ta (free trade) sempre numerosos nessa re-
giao elle promettia o rebaixamento dos di-
retos as pautas alfandegaes, e elles acu-
dala em chusma a um tal appello. As
populacoes agrcolas e laboriosas, elle pro-
mettia que a vida animal custaria barato,,'ser cobrados em ouro.
_____ ___-.1______ ______________^. _. .-^^w .-.,. ,-*n II... I. ...r n i\-i i i, .1 n
que os salarios se augmentariam, que se
dimnuiriam os impostos, e que o afn e
mister de trabalbar tambem reviveriam. V.
esse engodo, que 6 sempre infallivel, llie
atrahiain numerosos partidistas. Domis
esses interesses c cobicas enconlravam en-
sejo commum na antiga doutrna dos state
rights (regalas dos Estados), a qual sem-
pre foi hostil a autoridade federal, e.se
oppoz systematicamente a todas as suas
emprezas. A tradieco democrtica era
como um abrigo, em torno do qual deviam
se reunir para chegarem juntos at o poder.
Nem todos os demcratas annunam a en-
trar nessa nova coaliso, pois que elles em
mor parte, ainda hesitavam em tornarem-
se advogados da espoaeSo ; mas deixan-
do-se, mo grado delles, arrastrar pela
corrente das ideas em voga, a resistencia
foi cada da mais affrouxando. e elles j
encaravam sera muito horror para o abys-
mo d'uma banearota.
ma tal conducto era natural da parle
delles, e nao devia espantar a iiinguea. Os
demcratas sempre se tinham mostrado
adversarios decididos da poltica financeira
do congresso, que elles denunciavam como
urna das mais funestas consequencias e
'lar o itwis
Esti 1 is-
Unidos, que se n a h-ius-
tria nacional e se eftn-
moeda legal do paif. Dessa tnaunra a
eltpanslo da moeda-papof trara o m
goroso rgimen protector. (iratHe nomero
de proteccionistas abrapava com ardor un
doutrna que parec i lo ;ns o-
ti'resses delles. .'. [jeiles ransmos que
nao contavam que fosse p issivel mlitar a
concurrencia estrangera e que nao credf-
tavam quoOouro fosse excluido do merca-
do, nem jwH' isso deixavaiu '^le mm pai-ti-
dariiis decididos da expao-ai. O.iauto
ai lis papel houssa no giro da prac, tan-
to mais oreseeria' o valor do ouro, e tanto
mais pesiwtos se toraariam tt diMtos d?
iiuportacao, pagos na alfandaga palas mer-
cadorias estrangeiras : de vendo taes ilireilos
pecante o paiz cem a solemnidade da oc-
casiSo de entao, e sobre a qual o pwo dos
Estados-Unid >s ia ter de' se pronun;ar na
cleico prxima. Apezar dos transtornos
causados pjlii idea de baucarota entr as
populacoe- is estados do oeste e em ge-
kalentro a gente agrcola, a aaco amori-
i tinha muila conscioncia de sua hones-
lid i le e c ntava amitos cidad is interessa-
jno cumprmento fiel dos
souro, para que um bom
Tal era a questao, que se apresentr.ya! tinha concurrentes. Pelo contrario, a vce-
dosjwss-.ulm.into n
emp'iitios ilo tiles
mp
xito dos repWiidores deixasse desers-
riment temiyel. l'osto ipt os don- gran-
des partidas? fu disputaftam a eleicao,
esrtvessem divdiilos pela quesHto li ancei-
rar tmlo fazia pensar que os republicanos
fliartom fi-w 'finm da h*witid4fe publi-
ca, emquanto os djmocratas se dexariam
arrastar pela gente do oeste a l'azec algu-
ma declaraco, que compromeltesse e dam-
nasse a causa delles.
'IV.
ASOdemaio, da em que seespalhava a
noticia do despronimciamento do presidente
Johnson, a gcande convenco dos ntpubli-
caaos se reuni em Chicago. C.onslava de
perto de 700 membros. To.'os os estados
do sul all se lizeram representar, mesmo
aquelles. que, nao estando anda rcr rgan-
sados, nao podiam legalmente tomar parte
na prxima eleico: nao se teve coragem
de obstar a ntrada de seus delegados.
\ >tava-se na muitido um grupo de rostos
escuros, magnilicameiite ajaezados para
esta occasiao solemne e arriados d cabeca
aos ps com elegancia nteiramentc africana:
efam os delegados da (leorgia oda Carolina
Proleco e papel-moeda deVam, pois,
suster-sp mutuamcite: eram contota enti-
dade de um systema bifronte, que peri-
goso por qnalqujr de ambas as suas pha-
ses.
l'oi assim que, em quanto os d^mo -ratas
dos Estados do oeste, apoiando-se no sen*
tmenlo do free trad, incitavam contra a
divdaos vagos resentmentos populares,
nos Estados de leste se formava no pro-
prio gremio do prtalo radical, urna fac-
c3o que se propunha a um intento qaasi
semelhante, mas qu) pelo contrario, se
apoiava sobre os interesses da imlntrii
nacional c sobre o systema protector. A'
essa estranha combi aco de utopias e ce-
bicas vieram juntar-se os Interesses quj de
perto onde longe se ligavam'com a exis-ldo Sul. Era evidente que os radcaes nao
tencia da moeda-papel. Os bancos," pn estavamem maiora, e que os mo exemplo, lucraran) emqoe se nao ell'c-
tuasse redueco na moeda fiduciaria, e em
que, pelo contraro, se Ihe estendesse fiinda
mais a circulsco, porquantn, a restainc i
de pagamento% em ouro nao pvlemt ser
mais onerosa para laes bancos, pois ipie
ella os forcava a pag.- r em metal os bilhetes
ipie elles agora saldivam era papel. Kai
eral, os que tinh un de fazer pagamientos,
ama das mais deploraveis appcaces da apegavam-se a idea le expanso.do papel-
dootrina republicana. Naquella m 'sma oc-
casiao elles, como sempre, associavam em
seus ataques a poltica de reeonstrueco
moeda, e os que tinham de cobra-Ios, eram
a favor da idea da restaurado de paga-
mentos em moeda metallica. Tal era o
dos radcaes e as despezas excesivas, que sentido em geral desse grande alarma pie
ella necessariamente motivara. Como ad- surgi contra as fimneas federaes, ao que
vogados constantes dft economa contra aslbera se poderia chamar com seu verdadei-
prodigalidailes do congresso, elles deve-Tro nome urna liga de devedores contra
ram prevalecer-se anciosamente de todas 'seus eredores.
as armas, quejse Ibes deparassem, aflmdel Depois da abertun do congresso ambos
resistir. O que elles mais detestavam na os partidos se achavam "frente frente um
poltica financeira do congresso, nao era
tanto a despeza em si raesma, como o sys-
tema e o principio. Esse systema. que s
de per si encerrava urna revoltillo toda
inteira, atacava a f democrtica em suas
mais caras tradiccoes e nos seus dogmas
mais respetados. Cumentos da indepen-
dencia dos Estados, e adversan os da cen-
tralisaco, qualquer que fosse a forma sob
a qual ella apparecesse, os demcratas em
qualquer tempo se oppuzerara expansio
da divida federal, como a um dos mais pe-
rigosos instrumentos da tyrannia. Kst
bem lembrada a guerra encarnizada, que
na presidencia de Jackson, elles fizeram
do mitro. A guerra rompeu porocisit
do relatorio e do systema de Mr. Mac-
Culloch. Vn dos maiores emin-estimo3,
contrahidos durante a guerra, o emprest-
mo de 5 O (pagavel entre 3 e 20 anuos)
ia se approxmando ad seu prazo, e era
chegado o momento de prover ao pa-
gamento d"lle. Ora, se os juros desse
emprestmo expres3hramente fossem paga-
veis emouro, ento tinln-sj dado umi sin-
gular ambiguidade ni texto da le quanto
ao pigamento do proprio capital, a rttspei-
to do que nao se tinha estipulado formal-
mente o emprego da moeda sonante. Sem
duvida c>sa irregulardade provinha de que
ao banco dos Estados-Unidos. Nunca le-na poca, em que talemisso foi votada, o
varam a bem a existencia de instiluirfiofi- valer do papel ainda era igual ao do ouro.
nanceira algnma. que pudesse fortalecer a A intenco dos autores da le nao era du-
influencia ou streitar mais a liga do go-
verno federal, e antes teriam preterido, se
vidosa, eipiivalia para com os possuidores
de apolices do emprestimo a urn verdadei-
tal pudesse ser, que nao houvesse inancas ro contrato de boa le. Tambem Mr. Mac-
federaes. Deve-se accroscentar que a di-
vida federal nao tinha sido contratada in-
Collocb aconselhava ao congresso o paga-
mento integral em ouro por meio da nova
corpo rada me nte senao para se combater a emisso de urna divida consolidada, ou d
causa delles. Tudo, pois, concoma para
augmentar a averso que elles professavam
para com o systema financeiro, cuja pedra
fundamental era a tal divida.
O que ha de mais singular que o soc-
corro inopinado, que o partido da banca-
rota parcial e do pagamento da divida em
moeda-papel, encontrava, foi o dos radcaes
mais pronunciados e no meio da propria
opinio publica. Esses nao foram levados
a tomar urna tal medida extrema, nem por
odio ao systema de Mr. Chasse, nem por
um amor exagerado do free trade ; bem
um emprestimo com longo praso.cujas con-
dices fossem mais vantajosos ao thesouro.
Pedra ao mesmo tempo que se Ihe conce-
desse a faculdade de resgatar em maior
quantidade o papel-moeda.
Quanto ao estabelceimento de urna nova
taxa sobre os emprestimos, que se tivesse
de fazer para o futuro, elle com razao ad-
milta que, se a isenco de imposto era le-
gitima e necessaria no que era pertence-
te ao governo federal, ella tornva-se Ilegal,
e contrara ao principio federativo na parte
que draia respeito com os estados privati-
pelo contrario, eram os mais violentos pro- vos, aos quaes nn se poda impugnar o
motores da poltica radical, eos proteccio- direito de laxar todos os valores; eomtu-
do, elle reconhecia ([ue era necessario pro-
teger os possuidores de ttulos contra a
nistas mais obstinados. Tinham cnegado
por vas mu diversas s mesmas conclu-
soes. Eram impellidos smente pela ex- rapacidade, e contra a m vontade dos go-
cessiva admiracao, que elles tinham pelo | vemadores de estados (presidente de pro-
p\)el moeda c pela confianca enthusias | vincia). Elle propunha, pois, substtuirera-1 bem segundo o espirito das les, que a
tica ua superoridade *desse meio de per-
mutaco sobre essa moeda barbara e s-
dica, a qae agora urna poltica retrograda
Ibes aconselhava de voltar.
Talvez nao esteja ainda esquecido que,
durante o ultimo anno da guerra civil, al-
guus financeros excntricos, por exemplo
Mr. Tbadeo Stevcns entre outros mais,
muilas vezes se indgnavam contra as con-
tinuas variacoes do valor da moeda-papd,
e propuzeram ao senado que, aim de se
por termo a essas damnosas fluctuaces, o
decretar-se por urna vez a igualdade do
se as taxas locaes por uraa reserva de um
sexto, que o proprio governo federal co-
brara a lim de ser distribuida entre os es-
tados na proporco da populaco de cada
um. Picando bem entendido que esse
compromisso honesto e avisado nao versa-
ra scnSo a respeito dos emprestimos ul-
teriores ; sendo que a indemnisacSo con-
cedida aos estados custa do thesouro,
nao era de modo algum urna applicaco de
principio do imposta sobre a divida, mas,
pelo contrario, a garanta da mmunidade
necessaria, que se devia dar aos cred
s iiam os ilonos do terreno. Logo ao
principio o general Schtwtz, presidente tom*
porario da c^nveneo, expoz em sou dis-
curso o propramma, que se ia votar, e
resumiu-o bem venturosamente em duas
palawas enrgicas: justica a escravatura
emaneipada.-'C justica aos eredores do es-
tado. Essas palavras foram acorapanha-
das das acclamaces da assembla, desde,
logo se tornou evidente (|ue taes seriara as
duas taboas principaes da plata-forma,
sobre a qual ia ser elevada a pessa do
general wnt.
As resoliicoes, queja estavam de antemo
preparadas, foram votadas em acto con-
tinuo de sesso. Nunca o partide repu-
blicano tinha tido urna linguagem to pru-
dente e tito moderada depois da temporada i violencias daquees e de manter a discipli-
do presdante Lincoln. Salvo alguma pas- na em suas proprias fileiras. Pela escolha
presidencia era disputada por um grande
numero de competidores sisudos. Lntre
estes, que pelo menos se contavam vinte, os
mais notaveis eram" Mr. Colfax, Mr. Fenton.
Mr. Hanlin e Mr. Wade, sendo este.ujtimo
o candidato predilecto dos radicaos. Ao
eomecar-se, pareca que, como em repre-
salia por ter falhadoo caso do impeachutent,
Mr. Wade fosse o cscolbido: em toda a
assembla se gritara Wade-e vinganca*1
Desde o correr do primajro escrutinio as
probabil(hMbs de Mr. Wade foram -dunimi-
ndo, at que do quinto sabio eleto quasi
unnimemente o nome de Mr. Scliuyler
Colfax, que era presidente da cmara dos
deputados ao congresso. Porfiando todos
entao pela honra de proclamar o nome dos
dous'candidatos, Mr. Logan, que er a um
vigoroso orador no senado, foi imcumbdo
dessa tarefa: em nome dos cidadaos, dos
leaes soldados e marirrheiros desta grande
repblica dos Estados-Unidos, disse elle,
em nome da lealdade, da liberdade e da
justica, em nome do partido nacional, unio-
nista, republicano, eu nomeio .para candi-
dato primeira magistratura deste paiz ao
genoral l'lysses Grant. Os 630 "delega-
dos levantaran) e a uraa, prorompendo
n'uma longa acclamaco, a que responde-
rn) os 2,000 espectadores apnhados no
saino. A orchestra tocou urna marcha tri-
umphal. Lcvanton-se a cortina, appareceu
o retrato do grande homem, e um pombo
tinfo com as tres cores da bandeira nacio-
nal, subi de vo, e poz-se adejar em
torno da assembla. Foi isso um desses
apparatos de triumpho, como o charlata-
nismo americano gosta, urna scena theatral,
obligada pelas mancas, de manifestaeodo
jubilo dos partidos.
\n obstante taes frteiras ridiculas, a
convenfSb de Chicago era um grande acon-
tec ment, que veio reatar slidamente a
lacada frouxa desse grande partido repu-
blicano unionista, que as tentativas de di-
visao dos radcaes parecern) por um pou-
co tempo, ter combatido. Provava anda
mais, que o dominio, que desde oito annos
a opinio republicana exercia, nao provi-
nha da influencia passageira da guerra ci-
vil, nem da ephemora allianca com as dou-
trinas;abolicionistas. Demonstrara tambem
que o grande partido republicano nao dei-
xara, como tal se acreditou urna vez, levar
a reboque dos radcaes extremados; mas
sim-que elles seram capazes de refrear as
dividir., por mais undoso que fosse por
obter a presidencia, nao ped achar-se
agora transmudado de um fl| gira outro.
O seu programma de sufragio universal e
amnista universal era ao meaos era da na-
tureta a contentar os bou e verdadeiros
demcratas. Demais.diss, ooao swia bks-
vel fazer com que os agentes do sul ;,cc-i-
tissem cr velho inimigo Ais direitus dos esta-
dos, u que os demcratas nimdiadores
oeste "abrafassem o cre'adoi"
sagem injuriosa contra Mr. Johnson, e sua
politira, todo o manifest esfava red gido
com urna crcumspeciTio e urna reserva, a
que desde muito tempo se nao estava acos-
tumado. Os autores nao se haviam esme-
rado em Jogica rigorosa, c mesmo em mais
de ura ponto tinham merecido a pecha de
inconsequentes e oil'endido sem muito es-
crpulo a doutrna constante do sen par-
tido. Estar claro que ellos" s curaran)
deadocar-apoltica radical, c nao espantar
o sentmento popular com alardear prin-
cipios muito ampios. Cutre outras torda-
va-se notavel a resohicrio, em que eHes
tocavam na (juestao do sufragio da gente
de cor. Em lugar de se pronunciaren) no
sentido das ideas radcaes e de proclamaren)
com alardo a igualdade de direitos entre.
todos os homens, elles aecuradamente dis-
tinguan) entre os estadosv do sul, onde a
igualdade do sufragio era imposta por
todas as consideraras possiveis de segu-
ranca", de agradecimeatoe de eqoidade,
o os estados do norte, ondea questao do
sufragio pertcncia ao proprio povo.
Seguramente essa distineco nao era de
urna justica irreprehensivel, porm ella
estava de accordo com o sentimento do
paiz e com a opinio sincera desse grande
partido republicano moi! rado, que scm o
pensar desde muitos annos acompanhava
os radcaes, e que agora por seu turno
comecava o dominal-os.
O mesmo aconteceu a respeito da questao
linanceira; os partidistas da banca-rota nem
mesmo ousaram levantar a voz. Por c mtra
posco, acolbeu-se com transportes de
alegra a resolucao, que denunciava npial-
quer forma de repudio como um crime de
lesa-nacao e dclarava que a honra
nacional exiga o integral pagamento da
divida publica a todos os eredores do es-
tado, tanto naconaes, como estrangeiras,
nao smente segundo a letra, como tam-
ouro e do papel. Essa invencao simplona do thesouro publico a respeito da f de
que alias o congresso tratou de resto, po-^seus contratos.
dia ent3d*parecer desculpavel, em raziio! Foi ento que appareceu o novo partido
da perturbacSo daquella quadra dilficil c: dos repudiadores, dirigido por seus tres
do exaltamento de um patriotismo fora das!chafes, Mr. Stewens, Mr. liutlcr eMr. Pen-
marcas: porm, urna tal parvoice, em vez;' illeton, que de ordinario nao costumavam
de se desvanecer junto com o perigo, que I andar accordes. Todos elles se pronun-
a tinha originado, ainda perdura em algo- ciaran) cora vehemencia contra a cobranca
mas cabecas, e o agio forcado da moeda-
papel n5o dexou de ter seus partidistas.
Vereditar-se nesses utopistas emperrados,
a incommodidadecambial, que sesete nos
Estados-Unidos, 6 motivada em muito pela
presenca do ouro no mercado. Imaginara
elles que o papel vale pelo menos tanto
quanto o ouro, e que a especulaco to
somente que obsta a que elle corra no tra-
fego com o seu agio natural. Quando a
industria padece e o commercio defina*,
elles attribuem a causa disso ao agio actual
do papel-moeda. Dizem elles que um tal
agio ficticio, e que a concurrencia do
ouro que o deprecia ; tambem dizem que
em vea de Se resgatar o papel-moeda. urge
pelo contrario, emittir quantidade muito
maior e banir do .mercado nacional o ouro
substituindo-o poppapel em todos os pag-
nenlos. Foi dessa maneira que cert is ra-
dcaes extremadosebegarara a recomaen- 'menos, retardar"os trabamos docongres
dar urna medida, a qual, a fallar a ver- s> e transviar a atteneao do povo. Hav
dade, seria urna banearota parcial, e urna
espoliaco aos eredores do Estado.
Por outro lado essa tbeoria se liga*, a a s
interesses do partido proteccionista. Para
ae excluir o ouro do mercado nacional e
fazer que predominaste o papel-moeda.
nao bastara estabelecer que o papei valesse
ouro. Era necessario torwr intil o ouro
e evitar toda a transac^ao (je delle care-
cesse. Era necessario estabelecer direitos
protectores para malar a concurrencia es-
m ouro do emprestimo, cujo prazo esta-
va vencido. Tendo o general Bulle/ pro-
posto cmara o pagamento puro simples-
mente em papel-moeda, a cmara rcpellio
isso com urna verdadeira indignafSo, mas
para depois voltar indirectamente mesraa
causa que se apresentou na forma do um
projecto de conversio forjada sob anteara
de pagamento em moeda legal; isto era,
em novo papel, que o thesouso ficaria au-
torsado a emittir at a concurrencia de
100 milbiits de dollars. Esse projwo se
loqava no senado mui lentamente. No en-
treunto, a cmara dos deputados, obrando
sob a influencia dos repudiadores, negava
ao ministro da fazenda a faculdade de aecc-
lerar a redacrao do papal-moeda; e nMRuo
eassava-lhe o direito de resgatar por mez
quatro milhoes de dollars.
O processa do presidente viera, em tal
Jasr
poTj. Havia
' k mezes que o bil, para o pagamen-
to.dos fj-O e para emisso novo
prestim, destinado a substituir as ;qb-
c % jazia no olvido das commissoes. A
maioria do congresso pareca estar pesqul-
l'Tuma especie de comprtjmlssoClindi-
cante ntre ambas as doutrinas, o qual>
s-3ia que dsse inteiraraente a piiraazin aosj
paludarios da moeda-papel, ao menos'per--
mittisse rebaxar os j tros da divida, en"o
paga-la todo por infero,
tinham fundado. A* esta declaradlo so-
lemne addicionaram-se mais duas outras,
que mlhor a desenvolviam. Urna re-
commendava a prolongacao do- prazo da
divida para um numero maior de amos, a
fim do facilitar o pagamento e a redueco
dos juros por todos os meios honestos;
e a outra estatua que a melhor maneira
de diminuir o onus da dhida era melhorar
se o crdulo, publico, de sorte que os capi-
talistas offerecam seu dnheiroao thesouro
por nm agio menos elevado. A assem-
bla por lim, prenunciou-se pela igual-
dade le redueco das taxas por meio de
urna repartiese mais equitativa, logo que
tal se pudesse dar sem se violaren) os em-
penhos do ffstado. Notou-sc que, por um
requinte de prudencia, as resoluces foram
mudas a respeito do papel moeda, e que a
palavra pagamento em ouro nem urna
s vez foi pronunciada ; mas apezar dessa
omisso voluntaria, o sentido desse mani-
fest estava bastante claro para nao ser
possivel enganar-se com elle. Pagamento
integral da divida, emisso de novts em-
prestimos mais baratos, igualdade de im-
postos sem se tocar nos direitos adqui-
ridos, era todo o systema d Mr. Mac-
Cullock, que, por assim dizer, se a chava" apresentava em torca consideravel e que j
canonisado pela adopeo do partide repu-
blicano.Urna resolucao para se mantereJ
as-recompensas e pensoes conferid is
Sopular do general Grant, e em virtiidp
o programma, que elle manifestou, simul-
tneamente honesto e prudente, a conven-
co lcava segura de ter o apoo de todos
aquelles que sinceramente haviam sustenta-
do a causa da uno. Pela probidade de sua
poltica financeira e pela forra das suas de-
clarares contra o alvitre de baucarota,
elladisputava o sentimento do honor na-
cional, que sempre to efficaz entre os ci-
dadios da grande repblica. E, Quitara
te, pela Gruesa e moderaco de sua lin-
guagem, aquella convenfo arrancava dos
demcratas a melhor porco dos meios de
influencia; de- que elles fruiam, e privava-
os da possibilidado -de" responder-lhe sem
appellarem para as paixoes perigosas e
para doutrinas que aviltassem o espirito
publico.
O partido democrativo se achava com ef-
feito muito embacado. A convenco delle
reunio-se a 7 de julho em Nova York na
grande sala do Tamimn Hall. Ah concor-
reu a gente do sul, pela maior parte eseo-
lliida entre a classe dos antigos rebeldes,
privados de seus direitos eleitoracs pelas
leis da reorganisaco do cxmgresso. Nota-
vam-seenlre esses Mr. Wade Hampton, Mr.
Forrest c varios homens que figuraran)
muito na guerra civil. Nao se via gente de
cw nessa assembla, mas, como em com-
pensaco disso, houve urna deputaco de
mulheres, que veio para reivindicar os di-
reitos do sexo oprimid/).
Mr. Penelleton, que pareca ser o hroe
da reunio.chegou acompanhado por todo o
seu batalhaode homens do oeste,todos"parti-
distas da banca-rota e do pagamento em
papel-moeda, cada um dos quaes trazendo
pregado no peito, como insignia de reco-
nheeenca, um grande pedaco de papel, fin-
gndo um greenbad:, ou vale de cinco
dollars. Urna turba immensa apinhava-se
as tribunas e nas mas vizinbas. Os dele-
gados em numero de G30, todos enfeitados
com fitas de cor, prescncavam era torno
da sala, sentados em grugos ao p He ban-
derolas que indicavam os nomos de seus
respectivo< estados. A julgar-se smente
p 11 apparencia imponente da reunio, dir-
se-hia que a uno, a confianca, a certeza
de um resultado feliz, renavam em todos
os coracoes, e que a convenco de Nova
York ia altivamente mandar seu cartel de
desafio convenco de Chicago. Mas, em
verdade, a differenca era grande. Estava-
se mui longe daquella unanimidade extra-
ordinaria, com que os republicanos acaba-
vara de proclamara candidatura di} general
Grant. O de que precisamente carecio os
demcratas, era urna candidatura sera.
Havia mais de quinze candidatos possiveis;
porm nenhum tinha probabilidade de sa-
bir eleito. Eram esses Mrs. Johnson, Pen-
dleton, Church, Packcr, English, Dooh'tle,
Parcke, Reverdv Jobnson, Hendricks, Sey-
mur, ChassfPos generaos Hahcock, Man
Clelan, e tambem muitos outros, cada um
dos quaes tinha seus partidistas. Todos
obitveram votos no primeiro escrutinio: mas
a quem escolher ness muitido para op-
pl-o a um concorrente tal, como o general
Grant ? Mr. Pendleton era o nico, que se
reuna um grande numero de votos ; mas a
nomear-se o antigo copperheod, o partidis-
aos ta da banca-rota, seria o mesmo que cor-
rer ao encontr de urna derrota certeira, e
alienar de si todo os unionistas, todos os
amigos das boas financas e todos os repu-
blicanos moderados, que desde algum tem-
po estavam chegando-se para os dem-
cratas.
Os homens habis e sisudos da conven-
ci eram de parecer que fosse essolhido
Mr. Chasse, o nico talvez, que se podesse
contrapr a entidade do general Grant e a
ella podesse privar de alguns votos do par-
tidistas republicanos. Mr. Chasse, que era
defensores da patria, assegurava aes re*
publcanos o apoo de todos os rr litares
veteranos; emfim a convenco dclarava
lueera urgente aeorocoar a emigraclo es-
trangera c proclamava a sua sympatlila
para com todos os povos opprimldds," que-
lutassem em prol de seus direitos.: Isso
fi'ttma migalia de lisonja, que nr Ame-
rica os partidos nunca se descuirtm de
olferecer popalaco irlandew.
Tal fot a bandei-ia, que a conven ;o de
Chloago desfralda. Resjava escolher o b'o-
mem depositefio dessa bandeira. ou, segn*1 ambicioso, e que o processo do presidente
do oestylo pomposo e figurado da polgcS Johnson o malquistara com os radiales,
americana, o que devesse ser o-porta-eston- visava sempre a presidencia e lisongeava-
darte do partido. Nisso tambem os radr-- se de vir a obtr essa candidatura t3o dis-
caes passarafn portftn revez to sensiasf^ putada ; mas esse radical, esse rovolucio-
que nel-mesmo. tcotavam disputar a caa: tiario, esse inventor do papel-moeda, esse
itidataraao general Graati Os presidente^ emancipador da escravatura, esse, que ou-
da* delegacees de'cada estado vieratn uns tr'ora franomeadopara o tribunal supremo
aps outros, repetir, entre aplausos da as- allra de all impftr as doutrinas republica-
5nbla, o nome desie candidato, qie aSo
nas do respectivo partido, esse mesmo in-
do
. da centralsa-
Co linancial ? A propria dignklade do par-
tfdoMeftroCTatiraobstava Ihe Tazer semelhan-
te estiba. Acceitap-sc Mr. ha.sse como
candidato, a menos que se Uie nao impo-
zesse urna apostaste, na qual elle nao po-
llera Consentir, seria o mesmo que abjurar
as doutrinas democrticas e matar o partido
para sempre. Apenas havia alguns mezes
que Mr. tihasse era o candidato provavel
(os radicaes extremados, os quaes consi-
deravam-lhe as inflexiveis convkcoes como
sendo azada contra-pos$ao ao moderantis-
mo c hesitaco de Graut. Se naquella occa-
siao Chasse, o radical por excellencia, se
puzesse testa dos demcratas, e Grant, o
moderado, viesse a ser o candidato prova-
vel dos radicaes extremados, ento as elei-
ces nao ficariam sendo seno comedia
phantastca, e nao serviran) para outro fim
mais, que empolgaram-se empregos. Nao
se-poda pois, laucar mo, nem de Mr. Pen-
dleton nem de Mr. Chasse, e, na pcrplexi-
dade de eseolliur-se, urga prevaleccrem-se
de um homem de ordem secundaria na ca-
thegoria notavel da carreira poltica, ecuja
importancia pessoal nao fosse suprema.
Assim fui que por fin a maioria decdio-se
por Mr. Seymour, o antigo governador do
estado de Nova York, quem nem mesmo
nunca tinha solicitado essa bonra.e que fin-
gi por muito tempo descartar-se della. A
esse nome addccionou-se o do general Blair,
antigo amigo do presidente Lincoln, e esse
nome fui alim de se olferecer ao excrcito
um candidato do seu gremio. Mr. Chasse
receben smente agradecmentos por sua
enducta no processo do presidente. Mr.
Pendleton regressou para o oeste con) o seu
batalho escusado, porm, prestes a pres-
tir um ajudatoi io,vigori so cabala eleitoral
a favor de Sezmour e Blair.
Era impossivel fazer-se urna escolha mais
desastrada. O governador Seymonr era
um tctico cheio de experiencia, um ho-
mem politicoencanecido nuexercico das ar-
mas, e ninguem seguramente era capaz de
tirar o partido da situaco arriscada em
OUA os demcratas se achavam empenha-
dos; porm, o nome delle era impopular a
mais nao poder ser. Ainda se recordava o
cariz, quasi faccioso, que elle representava
durante a guerra, poca essa em que s o
perigo da patria devia sobrepujar sobre
todas as outras paixoes. Naquelle tempo
elle tinha sido um dos cheles mais conspi-
cuos desse partido dos cappurheads, ou
demcratas da paz, que tinha deixado nos
coragoes de todos os bous patriotas, bem
amargos resentimenlos. Era 1NIH appare-
cera na convenco democrtica de Chicago
cora o candidato predilecto dos sessionistas.
e por urna concesso feila aos sentimentos
do paiz, que a candidatura delle foi prefe-
rida ao general Mac-Clelan, Devia ter con-
tra si a todos os defensores da causa na-
cional, a todos, em summa, que durante
cinco annos, tinham servido a essa causa
com a palavra, com a bolsa e com o san-
ge. Quanto ao general Blair, a quem ti-
nham escolhido afimde se lisongear oexer-
cto, era um militar de gabinete, mais ousa-
do em intriga do que nos perigos do campo
de guerra, mais acostumado a respirar a
atmosphera da Casa Branca do que a fuma-
ra da plvora. O excrcito mal o conhecia.
e os que melhor o coubeciam, nao se fia-
vam nelle. -A frequente variaco de suas
opinioes polticas, a especie de influencia
queelle tinha exercido successivamente junto
de lodos os presidentes dos Estados-Unidos,
e as intimas relacoes, que elle tinha sabido
conservar com os homens do sul, seando
comtudo a poltica radical ; tudo isso o fa-
zia igualmente suspeito a republicanos e
demcratas. To violento em seus discur-
sos, como inconseipiente em sua conducta,
seu prima ru cuidado, ao acceitar a candi-
datura, foi escrever contra o general Grant
una carta insultante e grossera, na qual o
aecusava de ser um assassno. A carta de
Mr. Seymour foi, ao contrario dessa, pru-
dente, digna e moderada. Ambos alardea-
vara confiaren) muito no resultado da elei-
co prxima; mas as candidaturas desses
eram daquelas que j estavam denunciando
a flaqueza irremcdiavel do partido que o$
patrocinava.
A redaeco do programma nao foi mais
feliz do que a escolha dos candidatos, e
talvez, conven) dize-lo, era muito mais dif-
ficil. Deva-se, ao mesmo tempo satisfa-
zer os demcratas puros, e nSo espntal-
os republicanos moderados, cuja allianca
era, naquella quadra, bem preciosa aos con-
servadores. Era indispensavel contentar
simultneamente. Os capitalistas e a po-
pulara, os repudiadores e os eredores do
estado, os homens do sul c do norte, os
antigos rebelies e os velhos soldados fe-
deraos. Por todos os lados os demcra-
tas estacavam de encontr a factos consum-
mados, que elles nao podiam, nem appro-
var, sob pena de se desdizerem, nem con-
trariar, sob pena de peoderem a maior par-
te de seos novos partidarios. A resigna-
cao devia ser a attilude que elles tomaram
e o protesto o nico deverquecumpririam.
Era mister que suas raeohtcbM fossem re-
digid.as com muila arte, a fim de se acari-
ciaren! s novas opinioes sem se entregar
a ellas de todo, e a fim de .renunciar as
tradicoes sem tambera negal-as internamen-
te : problema,. incommodo esse, quesera
urgente resolver, sob pena de se naoter
mais seno generaos sem exereo, e de
ver esse grande concurso de Nova-York
desvanecer-s sem deixar traeos na opi-
uiao eral do paiz.
A plataforma democrtica, (ou a confron-
tacao publica (Ira. candidatos cora os elei-
tores) encelara-pelo abandono -formal das
questes de sessao ou separar, epor
urna proraessa solemne de nunc procerar
revivel-as. Em retorno pedia a restawa-
i;ao dos dreitoB dos estados e do governo
civil nos paites do sul,- a amnista poltica
universal de todos os que tiwwcaai tomailo
parte narebetiao.- Dectarava-se favorav
ao pagamento da divida e o paral moeda
todas as vezes que nio-estivesse estipu-
lado expresamente que o pagaraoolo se
laiia era ouros, oque importavaa u
repudio itarcial do oauprestiaio dos 5/20.
(Contlnuar-se-ga)
T1T. DO VUIOIU1DA8 CttX&ftTx
A
i

fia

7


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E630QF849_3QXRUY INGEST_TIME 2013-09-14T02:40:18Z PACKAGE AA00011611_11777
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES