Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11774


This item is only available as the following downloads:


Full Text
__
*
ANNO XLV. NUMERO 42.
PARA A CAPITAL E LUGABES ONDE NAO SE PAGA PORTE.
Por tres mezes adiantados.................. 6,0000
Por seis ditos dem.................... 125000
Por um anno idem.................... 240000
ada numero avulso.................... 320
TERCA FEIRA 23 DE FEVEREIRO DE 1869.
*tt
PARA DENTRO E FORA DA PROVINCIA.
Por tres mezes adiantados...............
Por seis ditos idem............... .
Por nove ditos idem................
Por um anno........
64760
13*800
20250
27*000
DIARIO DE PEMAMBUCO.
Propriedade de Manoel Figueira de Faria & Filhos.
SAO AGENTES:
Os Srs. Gerardo Antonio Alves & Filhos, no Para; Goncalves A Pinto, no Maranhao; Joaqun Jos de Oliveira, rio Cear; Antonio de Leraos Braga, no Aracaty; Jo5o Marra Julio Chaves, no Assfr; Antonio Marques da Silva, no Natal; Antonio Joaquim
Guimares Pancada, em Mamanguape; Antonio AJexandrino de Lima, na Parahyha; Antonio Jos Gomes, na Villa da Perda; Belarmino dos Santos Bolcao, em Santo AntSo; Domingos Jos da Costa Braga,
era Nazareth; Francino Tavares da Cssta, em Alagas; Dr. Jos Martirrs Alves, na Baha; e Jos Ribeiro Gasparinho, no Rio de Janeiro.
I



1
I
parte ornciAL
tovrrn* da |ro* lucia.
XPEDIENTE ASSIONADO PKLO EXM. Sil. CONDE DI BAE-
PKNDY.PIIESIDIHTEDAI'HOVINUA, EM 15 DE KKVE-
RK1HO DE 1869.
I." seccio.
N. 387. Portara ao Emx. commandante da di-
visao-nsval. Tcndo nesta data concedido a res-
cisao que pedio o Dr. Gabriel Alrides Raposo da
Cmara, do contrato qne havia celebrado como
medico do brigue barca Itamarac, assim o com-
munico a V. Exc. para seu eonheciroento c fins
convenientes.
N. 388. Dita ao Exm brigadeiro Lelly presi-
dente da commissao de syndieaiicia do arsenal de
guerra. Envi por copia a V. Exc. como soli-
citciu em offlcio de 12 deste mer., a relaeao dos
otoiBftto rerebidos pelo alferes Jos Flix da Silva
Lobato, e mandados recollier ao arsenal de guerra
no 1." de maio de 1866, por ordem da presiden-
cia.
N. 38. Dita ao director do arsenal de guer-
ra. Antoriso V. 8. a mandar concertaros rolo-
gios dessa directora e o da rompanhia de apren-
sase menores, conforme V. S. pedio em seu oflicio
de 1.1 do Brrente sob n. 3i.
N. 390. Delberacao. O presidente da pro-
vincia attendend i ao que Tequereu Antonio Vale-
rio dos Santos Nevos, resolve ronejaiei--lhe licomja
para regressar ao presidio de Fernando no pri-
meiro navio que para all seguir.
2" seccao.
N. 391. Portara ao Dr. chelo de polica.
Pode V. S. illandar fazer o livro para a escriptura-
cao das saludas e entradas de presos da casa de
detencao, di- que trata o seu offlcio n. 203, de 11
do eorrente, pela quanlia de duzentos e quarenta
nil ris. procurando entretanto vor se consegu-
alguma reduecao desse prego.
N. 392. Dita ao ninsmo. Par os fins con-
venientes envi a V. S. copia da Usa dos traba-
jadores empreados na ronservacao da estrada
de ferro do Hecifo a S. Francisco, os quaes na
forma dos contractos entre o governoe a respec-
tiva companhia sao cenlos do recrutamento e do
servico activo daguai-da nacional.
N. "393. Dita ao coronel Epamnnndas Vieira
da Cunha. C.oinmunico a V. S. para seu eonhe-
Gimento e direeeao, que segundo o Diario Oficia!
n. 31, de 2 do corrate, por decreto de 21 de
Janeiro ultimo, licouV. S. aggregado ao caponan-
do superior da guarda nacional do municipio de
linda e I.iiara-sii, sendo reintegrado em dito
Joaquini Cavalcanti de Al-
commando o coronel
buquerque.
X. 99*. Dita ao coronel Joaquim Cavalcanti
de Albuquerque. = Constando no Diario Oficial
n. 31 de 2 Oeste mez, ter sido V. S., por decreto1
de 21 do mez Hada, reintegrado no enramando su-
perior dagaarda nacional dos municipios de Olin-
da e Iguarass, ticando sem effeito o de 19 de
.luuhn nel assim o coojnnnicoqaara seu conhecimento, e
para que entre em exorcicio quanto antes, lieando
aggregado a dito coininando superior o coronel
Eparamondas Yieira da Cunha.
X. :t'Ji 1)11**11 coronel coriimandanto
r'mr da guanta nacional de Oaranhuris. TeTT
sido por decreto d 4doniez'proximofindo,publra-
dono Diario Oficialn. 31 de 2 do corrente,nomea-
dosocapitSo Amln-Cavalcanti de Albuquerque
Arco-Verde e Sevoriano Camello Pessa Caval-
canti, o primeiro lente coronel commandante do
batalhao n.31, e o segundo majorcommandante do
esquadrao de cavallaria da gualta nacional do
municipio deBuique; a>im o communico a V. S.
para que o publique-em ordem do dia, e faga cons-
tar aos nomeados qne devom solicitar as respecti-
vas patentes dentro do prazo mareado no art. 77
das instrucroes n. 722 de 2a de outubro de 1850.
e apreseutai-a- ao cumpra-se deata presidencia,
alim de prestaren! depois juramento, e entrarem
no exercicio dos referidos pastos.
seccao.
N. 390. tottmt ao inspector da thesouraria
de fazenda. Tendo nesta dacta concedido a res-
cisad que pedio o Dr. Gabriel Aleides Rapse da
Cmara do conirato-flue havia-felearadu para ser-
vir como medico do brigue Jiarea fto/wraw, assim
0 communico a V. S. para sen couheeimento.
N. .197. Dita ao mesino. Remello a V. S.
a inclusa nlha. em dnplicata qne veio aiinexa ao
olflcio do ehofe da reparlicao das obras publicas
de 13 do correte sol. n. :'.i, relativa ao.s detri-
mentos dos trtbalfiador s empregados nos concer-
tos do palacio desta presidencia, na semana de 8
a 13doste ni, z. alim de que mande pagar, na fon
ma do costme a quantia de ceato c dez mil tre-
zento e seasenta rs., em qae importa* mencionada
folha ou a qae se liquidar pelo crdito de da^s
eontos de reis concedido pelo aviso do ministerio
do imperio de 16de lovaaibro do anno prximo
1 iass ;ulo e ordem do (esonro nacional n. 211 de
20 do citado mez de novembro..
N. 31W. Dita ao mesmo.. Tomando em con-
>i leracao o que expoz o director do arsenal de
guerra no antojo junto por copia, datado de 13 do
i;oi-rente e sol n, 36, recommendo a V. S. que
mando adiantar ao guarda d'aqnelle arsenal, Je-
rnimo Oilotii Ferreira Cabral, aquantia de cont
eincoenta mil reja para Jcvar a effeito a compra
do que foi incumbido,, em virtude de autorisacao
desta presidencia dosjobjectos constantes da rela-
cao tamben junta por copia; devendo o mencio-
nado guarda prest? r contas opportnnameute dessa
quantia.
N. 399.Dita, o .mesmq.Tendo nesta data au-
torisado o director do arsenal de Guerra a man-
dar concertar os relogios d'aquella directora e o
da companhia de aprendizes menores ; asaim o
commuiiieoa V. S. paraseu conheeimonti).
X. 400Dita ao inspector daIhesouiara pm-
viucialTemi nesta data approvadoadeliberaeao,
que, secundo consta do olflcio de 12 do cerrente
-11 n. -'ti, tomn o cliue da reparticiu das obras
publicas, de autorizara substituieao denmo. Knha
quatro tabaa,qae se acbavam arruinadas na
ponte de ma leira entre a estaijao e a igreja dos Pra-
zo.es, desuendendo-secara ejsetm al a qaantia
de llOjOOt); assim o declaro a V. S. para en co-
uhecimento e devidos^lTeita.
N. 4DI.Dita ao chefe da reparti^ao das obras
publicas.eelaro a Vwc. paraaeu-'w*ecimento
e luis convenientes, que, nos termos d sua infor-
macao de 13 do correntc, sob u. 58, concedo* per-
missao que solicitou Fructuoso Martins Games
para construir um canho de esgto, que d sabi-
da parao canao,geral as aguas pluvias*servidas
de urna sua casa n. 49, sita arawalha, nibairro
da Boa-vista, urna vez que arWW%e1te por um
termo as condicoes que Ihe forem empostas por
X. 401-dAila ao masaH ~ 'Vplteo receido o
olflcio de t d .jfrealef n.lti. em que Vmc.
pai'tieipou baver atHersado a substttoicae de nraa
liuhae quatro-taba**,.4tit^eMlWfminrfwnadas
na ponte de madeira enteca esta;o e a igYeja dos
PrMeres^esi^dendo-Bpia^se lmi*w)Har
ti.i de iftrjtOttK loirada nicado offlfio; em res-'
pc^atenhoadlMi'qHe'apprevoeea sna 'delibe-
racao.
X. 4Qi.-p4rt**a1*aswbr*4or pwedor
da Santa-Catada Hi*aticor**^-a visto de sua
orphiio Joao enteado de llennina Januaria Theno-
rio Colho, de que tratam as certidaos iaclusas.
N. 403.Dita ao bispo diocesano.Devendo re-
unir-se na igreja do convento do Carino desta fre-
guezia nos das 2 e 4 de marco vindouro o coHe-
gi9 eleitoral desta cidade para proceder as eleicdes
de deputados e senadores; assim o participo a V.
Exc. Hevm*. alim de que se digne de providenciar
no sentido de celebrar-se nos uias 3 e 5 d'aqnelle
mez a missa solemne de que tratam os arls. 72 e
SI da lei de 19 de agosto de 181ti.
N. 406.Dita a cmara mumripai do Recife.
Devendo reunir-se na igreja do convento do Car-
mo desta freguezia nos dias 2 e 4 de mari-o vindou-
ro o collogio eleitoral desta cidade. para proceder-
% as eleioes de deputados e senadores; assim o
communico a cmara municipal do Recife para
sta conheciment > o expedicao das convenientes
orden.
N. 407.Dita a Francisco Xavier Carneiro da
Cunha Campello, secretario da cmara municipal
da villa da Escada.Remello os inclusos exeinpla-
res das instrueces de 30 de setembro e 31 de de-
zembro do ann prximo passado, que V. S. solici-
tou em seu olflcio de 12 do correte.
Quando as colleccoes de leis geraes dos annos
de 1866, 1867 c 1868, onde vem a lei do 1. de ou-
tubro sobre as cmaras municipaes, nao havendo
disponiveis nesta reparticao convm que a cmara
dessa villa em seu orcamento a asscmbla legisla-
tiva provincial solicit os fundos necessarios para
compra-las.
N. 408.Dita ao gerente da companhia Pernam-
bucana.Em vista das pondoraedes feitas em seu
ofcio de hoje concordo em que as viagens que
tem de dar no lim do corrente mez os vapores dessa
companhia para os partos do sul e norte, sejam
effectuades do dia 3 de marco vindouro sem pre-
juizo das duas viagens, que elles tem de fazer nos
dias 15 e 30 do referido mez de marco.
S. 409.Dita ao mesmo.O Sr. gerente da com-
panhia Pernambucaiia mande dar transporte at
Macei no vapor que segu hoje para o sul em lu-
gares de r destinado a passageiro d'estado, ao ca-
pito reformado do exereito Rosendo Monleiro de
Lima, a sua inulher c a um filho menor.
EXPEDIENTE ASSIfiNADO PELO SR. DR. JOAQUIM COR-
REA DE ARAIJO, SECRETARIO DO OOVEINO EM 15
DE FEVEREUtO DE 1869.
1." seccao.
li. 410.OtTlcio ao Extn*. Sr. general comman-
dante das armas. De ordom de S. Exc. o Sr.
imwidente da provincia declaro a V. Exc. para
seu conhecimento, que nesta data vai ser snbmct-
tido a deci ao do governo imperial o requerimen-
to do alferes do batalhao n. 11 de infanlaria do ej-
ercito Manoel Jos (da Silva Leite, que veio annexo
ao seu olflcio de 13 do corrente sob n. 96.
N. 441.Dito ao director do arsenal de guerra
S. Exc. o Sr. presidente da provincia, tomando em
i^nsidoracao o que V. S. expoz em o seu olflcio
de 13 do corrente sob n. 36, acaba de autorisar o
inspector da thesouraria de fazenda a mandar
adiantar ao guarda desse arsenal Jerouymo Odom
Ferreira Caliral, a quantia de 150^000 constante
do citado offlcio, que lica assim respondido.
3." seccio.
N. 412. Offlcio ao in-pctor da thesouraria de
fazenda. De ordem do Exm. Sr. presidente da
provincia, communioo a V. O. |**o mjkt auto c^>
orisou o (befe de polica a eonlmttr por 2ido>i
setao poder conseguir por menos, a factura de
um livro para a escripturacao de entradas e sabi-
das de presos da casa de detenijao.
N. 413.Dito ao chefe da reparticao das obras
publicas.S. Exc. o Sr. presidente da provincia,
manda declarar a V. S. em resposta a seu olflcio
de 13 do corrente sob n. 59, que transmittio a the-
souraria de fazenda para os fins convenientes a fo-
lha que em duplicata veio annexa ao seu citado
oflicio.
4." seccao.
N. 414.Offlcio ao Dr. Jao Ferreira da Silva.
Pela secretaria do governo se communiea ao Htm.
Sr. Dr. Joao Ferreira da Silva, que segundo cons-
ta de participac/io da secretaria de estado dos ne-
gocios do imperio de 5 do corrente, o requerimen-
pouco mais de duz -utas pracas- qe-elo insuffl-
Cientes para o mc-.ii o servigo, causando isso m-
commodo as ditas |iracas, fo!g_a de meio dia ; recommendo a Y. S. a expe-
dicao de terminantes ordens aos commandantcs do
4, 5, 6o, 7 e H" batallnws de infantaria do seu
commando superior interino, para que jireencliam
eoui a maior urgencia o nUraero de praeas que Ihe
foi exigido para aqcelle servieo,tornn,lo-os V.
S. responsaveis pela? faltas que* se deremedecla,-
rando-me quaes os que dellas forem culpni*,
alim de que esta presidencia tome a tal i espeito as
providencias convenientes.
N. 428.Dita ao mesmo.Expela V. S. as ne-
cessarias ordens para que no dia Io dp marco pr-
ximo, sejam rendidas por otitras as pracas qaoes-
tao destacadas para j servico da guarnifio dta
capital, devendeommandar o novo destacamento
o tenente-coronel do 1" batalhao de artilharia Be-
ci de Aquino Fonse:a.
N. 429.Dita ao mesmoDeclarando o general
commandante das armas ter mandado recolher ao
Io batallio de infantaria o guarda na'-iaoal Joao
Fernandas da Cruz, por estar impossibiltado do
servicode destacamento em que se achava po pre-
sidio de Fernando, e dordevlio para deixir como
tostemunha em tira processo criminal, recommen-
do a V. S. que o faga substituir por nutro. v
X. X. 430.Dita ao commandante superior do
municipio de Nazareth.Nao tendo o capitn da
Ia companhia do batalhao n. 12 de infantaria da
guarda nacional Don-lingos Jos da Costa Braga,
aceitado a nomeagao de seerelario geral desse
commando superior, jielo que foi declarada sem
eHeito a dita nomeaciio por portara do ministerio
da justiea de 30 de dembro do ann> passadp, co-
mo se ne communicira em aviso de 12 de Janeiro
ultimo, fique V. S. na inteHigenria de qne o sobre-
dito capitao deve continuar no exercicio do posto
que tinha naquelle batalhao, ficando assim deferi-
do o requerimento qne a tal respeito me dirigi o
mesmo ofcial.
N. 431.Dita ao juizdo diretoda primeira va-
ra desta cidade. Providencie V. S. para que o es-
crivao que serve perante e-se juizo.u ao membro
da commissao de syndieancia do arsenal de guer-
ra, bacharel Olympio Marques da Silva, eertidao
das pegas que Ihe forem apontadas .nos piapessos
de responsabilidade instaurados a iliversos apre-
sados do mesmo ars mal do anno de 1863 cm
diante.
N. 432.Deliberaci'io.=0 presidente da provin-
cia, atlondendoaoqj Ihe requeren o cajtiti) da
2'companhia do batilliao n. 42 de infantaria Ua
guarda nacional do municipio de Scrinliai'in D i-
mingos Theodoro Rigueira Pinto de Souzi, resolv'
conceder-me seis mezes de liconna par* tratar de
sua saude.
i
lo em que S. S. pedia que seu filho Manoel Fer-
reira da Silva fosse admittido como ouvintc na
fa.-uldade de medicina da Baha, tere o seguinte
de pacho: Nao precisando o filho do supplicante-
de lieenca para esse lim, nao ha qne deflrir.
EXPEDIENTE ASSICNADO PELO EX*. SR. CONDE DE BAE-
l'ENDY, PRESIDFINTi: DA PROVINCIA, EM 16 DE FEVE-
REIRO DE 1869.
1." seccao.
X. 416Portara ao director do arsenal de
guerra.Avista do que expendeu V. S. em offlcio
ti. 38 de 13 do corrento, proceda a compra da ma-
elna de destrocar algodo pelo systema de na-
valhas, requsitada pel commandante do presidio
de Fernando, e cuja compra se acha autorisada
por esta presidencia desde 30 de novembro do anno
passado, e remeta a eonta da respectiva impor-
tancia para sersatisfeita.
M. M 7.'Dita ao inspector do arsenal de mari-
nha.Para poder dar cumprimento ao aviso exce-
dido pelo ministerio da marrana em 29 de Janeiro
prximo lindo, relativamente ao provimento do lu-
gar de eserivao do almoxarifado desse arsenal,
laz-se necessario que V. S. ministre a informagao
de que trata o mesmo aviso junto por copia.
N. 418 Dita ao mesmo.Doconformidadecom
o que solicitou o presidente da provincia do Para,
em olflcio de 8 do corrente, mande V. S. dar a ne-
cessaria publicifladeao edita! junio por copia, rela-
tivamente a remocao do pharol collocado nos bai-
xos de Braganea naqnella provhickt.
N. 419.Dita igual ao capitao do porto.
N. 420.Dita ao commandante do presidio de
Fernando.-Nesta data reitero as ordens expedidas
de3de 30 de novembro do anno de 1867, para com-
pra da machina do doscarocar algodo pelo syste-
ma de navalhas, requisitad'a por este commando
em okios de 30 de outubro daquelle anuo, e 7 de
novembro do anuo passado.
N. 421Dita ao consol de Portugal.Inteirado
do contedo do offlcio que em 13 do corrente iliri-
gio-rae o Sr. cnsul de Portugal nesta provincia,
teuho a dizer em resposUque oportunamente Ihe
farei constar a solucao que o governo imperial dr
acerca do grumete da curveta a vapor Recife, ora
reclamado como desertor da canhoneira de gerra
portugueza Zeareo, e entao terei tambem em vista
o mais que reijuisita o Sr. cnsul no seu mencio-
nado offlcio. Renov ao mesmo Sr^nosul os pro-
testos de minha estima e consideracao.
" seccao.
Ni 424Portara ao presidente do tribunal da
relacao.Remeti a V. S. e inclaso offlcio do 3o
supplente do julz municipal do Rio-Forowso, para
recer.
N. 425,Dita ao Dr. ehefe de polica.Declaro
a Y. S. para seu conhecimento, alim de que o fa-
ca constar a quem competir, que o inspector da
thesouraria provincial participou em offlcio de* 13
do cerrente, sob n. 71, haver dado despacho para
pagamento da despeza que, sognndoa contaan-
nexa ao olflcio dessa reparticao a 145 da 27 de
Janeiro ultimo, foi feitacom o sustenta dos presos
pobres da cadeia do termo do Brejo, dorante o
;iaez de dezeajbro da amw prximo pnasado, aba-
itendo-se na importancia da mencionada eonta a
iquaa^adeUiOO, .wrraspondenta aoreso escra-
vo, reflra Fuciano, por tteVer essa quantia correr
por code meneionad escravo.
* Wr~Dita ao comsaaodMte anterior intari-
no 4*e municipio,Cnos^do, eala presidencia
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 20 DE FEVEREIRO
1JF. 1869.
Caldoso & Irmao. Informe o Sr. inspector do
arsenal de niarinha.
Jos Euzebio Alves da Silva.Estando a planta
de aecordo com o que exige a thesouraria, conce-
do a lieenca pedida, pagos os direiios.
Jos Cor'reia de S.Inform o Sr. inspector da
thesouraria de fazenda.
Joao Hypolito de Muir Lima.Eatregue-ae pas-
-.iii': ii-Ciiu. ...""
Manoel Francisco [.ette 3e Artmjc.-Kxpei.a--i'
ordem no sentido que requer o supplicante, satis-
fazendo este previamonle as despezaafeiias com o
menor seu filho.
Manoel de Carvalho I'aes de Andi'a le.--Informe
o Sr. Dr. jniz de direito especial do com nercio.
Manoel Valentim tos Santos.morme o Sr. di-
rector geral interino do3 indios.
Keller & CSim, provaudo o que allegam.
Repartido la polica.
2" seccao.Secretaria da polica de Pernambuco
22 de fevereiro de 1869.
N. 26-j.Illm. e Exm. Sr.Tenho a honra de
levar ao conhecimento de V. Exc. que. segundo
consta das partcipacoel receidas nje nesta re-
partirn, foi reeolhulo casa de ueBhcao, no dia
20 do" corrente.
ordem do subdelegado da freguezia de Mur-
beca, Jos Jeronvmo da Cruz, por insultos-: sendo
que no dia 21 nao houve prsao alguma.
Por offlcio de 18 do correntc commumcou-me o
delegado do termo de Itainb, que pelo subdelega-
do do distrelo de S. Vicente, Ihe forain reraettidos
presos acompanhados do Nspectivo auto do corpo
de delcto os criminosos Manoel Jos de Rrito e
Jos de Andrade, que no da 16 (dous dias antes)
tinha assassinado o infeliz Joaquim Marques. Os
mesmos criminosos ficavam recollmlos a prsao e
contra elles ia o delegado instaurar o competente
processo.
Deus guarde a V. ExcIllm. Exm. Sr. conde
de Raependy, presidente da provincia.O chefe de
polica, Francisco de Faria Lemos.
Porfirio Tavares dadiva Coullnho. .
Jotaum Damasceno Marinho. .
Lucjndo de Barros Barbosa.....
Eleitorps para deputados.
IUB de Alliuquef^ue Maranhao. .
no Jos de Mello......
i Antonio de Souza Cabral. .
Mara dos Santos Cavalcante. .
Candido Carneiro da Cunha.
Ajiastucio Camello Pessoa. .
Silverio .UarquesBacaflio. .
irgeotino Sarava de AranjoG. .
DrdBinstovao dos Santos Cavalcante.
Sebastian Antonio do Reg Cavalcan'e.
Jeronyniu ^latalcante de Albuquorque
Mello...........
Antonio Francisco de Abren. ... .
Jesuino Domingues Carneiro. .
Joao Paulo Nunes de'Mello.....
Lcopoldino AurelianoM. Bacalho.
Franco Vieira de Mello......
Joao Franciseodto Hollanda Cavalcante.
Urbano Carvalho dos Santos. .
Jos Barbosa da Motta Silveira .
Solero M. de Araujo Pinheiro. .
Jos Ferreira deOliveira.....
losi' Joaquim de Oliveira.....
Manoel Francisco de Souza. *. .
Ponciano Pereira Leite......
Jos Joaquim Quines do Egypto .
Josi Zeferino do Espirito-Santo. .
Francisco.de Barros Barbosa. .
liento Jos Nunes do Valle.....
Andr Manoel Jos de Sant Anua Reis ..
Olegario Jos Peixoto......
Porlirio Tarafes da Silva Coutnho.:
DiogoSoaresCarnerodeA. ^i
Jo' Hraxodes dos Santos Cavalcante. .
Joaquim Damasonio Marinho. .
Luiz Braz Bezerra Campello. .
Jos Francisco de Maura e Albuqticrqu'.
Theotonio Feliciano de AssisP. .
Manoel PranCisco Carneiro da Silva. .
Maii.wl Ribeiro daSilva......
Jos Francisco de Mondonga ....
Francisco A. de.\ra\rao Ka'bello .
Luciano Carneiro ILLinn.....
Jos Francisco de Amida. f. .
Gloria do Goil.
Eletores para senador.
Antonio de liaros Correa.....
Antonio Firniino Pereira da Cnnhh .
Manoel Antonio de Souza Costa.
Joao de Souza Osta.......
Manoel Jote dadista .N .
Antonio'Joaquim Pessoa.....
Lourenco Vieira de Barros.....
Paulino Bezerra de Andrade Lima .
Folippe Pereira Viauna.....'.'
Paulino dos Iteis Oliv.ira.....
Ignacio Gonca I ves Linia.......
Joao Jos de Arroda......
Aloxandre Jos do Farias.....
Francisco G. Yieira de Mello. .
leu Alexaudre de Freitas.....
Snbaatiao Jos de Arruda,.....
Jos Colho de Mello......
Manoel do Xaseimenl> Tavares .
<./.V. dr, -3.1 ^ .-.h....,------,.....
KrMKteco N*vjer eiie. ,^
1827
i 827
1827
1702
138
1378
l.'i72
1572
1572
1572
1372
1572
1372
1572
1572
1572
1572
1372
1472
li7
1472
1472
1472
1472
1209
1209
1209
1209
1207
1203
1203
1203
1203
1205
1203
1203
1205
1203
1203
1204
1051
1205
1205
1203
1203
1205
478
1081
1078
1078
1078
1073
1073
1051
1048
1033
1030
1023
1017
1014
10)2
997
990
981
976
n
-U,
PERNAMBUCO.
REVI8TA DIARIA.
ELE1CES.Temos o resultado da seguntes
freguezias :
1" WSTRCTO.
Pao Alho.
Eloitoros para sonador.
Luiz de Albuquerquf Maranhao .
Urbano Jos de Mello......
Jo Antonio da Silva Cabral. .
Vigario Antonio Domingues de Vascon-
cellos Aragao........
Mara dos Santos Cavalcanti *
Lufz Candido Carneiro da Cunha. fe
Br. Joao Silverio Mai-ques Baralhio ^
JoSo Anastacio Camello Persea. .
Dr. Christovo dos Santos Cavalcanti. .
Dr. Pergentino Saraiva de Araujo Galvao
Sebastian Antonio do Bogo Cavalcanti. .
Antonio Francisco de Abreu ....
Jeronvmo Cavalcarti de .Albuquerque
Mello..........
Jesuino Domingues Carneiro ....
Leopofdino Aureliano M. Bacalho .
Joo Francisco de Hollanda Cavalcanti
Joao Paulo Nunes de Mello ....
In'liaiw (Carvalho dos-cantos ....
Sotro Marques de Araujo Pinheiro .
Francisco Vieira de Meno.....
Jos Ferreira de Oiveira. ....
Manoel Francisco de 8ouza [
Policiano Pereira Ltlte.....
Jos Joaquim de Oliveira .
Diogo Soares Camello de Albuaueraue
Ina p'-
do, nfim de en admiiudo ao reepe-svo cttltef io o
Y. Rw- a mandar r*ve< no 04ttpetento< f|n-t ique a for-ca da guarda nacional aquartelada para
ioserviep da gHarnicjvo desta capital excede de
Jos Prxedes dos Santos
Bento Jos Nunes do Valle.....
Frauciso de Barros *roosa .
Jos Zeferino do Esjiirto Saaio .
'Manoel Jos dp Sfuta Ansa Reis. .
Olegario Jos Peixjlo.....
Francisco Xavier de Souu Ramos. .
Andr de Albuqucro.uc Mello. .
Francisco Antonio Brayner de SomaRan-
gel.........p
Augusto Correa de Figueirdo. .
;J. F. de Moura e Albuquerque. .
Oerv3iio Antonio 'Jorrta.....
No Florencio Benic io de Mello. .
FWX JosdeffliveitaMeBo.....
|3*anoel Henriques f larbosa.....
JoBo fhomaz Pereira.
18A8
1813
lHt
1827
1827
1827
1827
1827
1827
1827
1827
1827
1837
1827
187
1827
1827
27
1827
1827
1827
18*7
1827
1827
1827
1827
S*I
lBfi
1827
1827
UH7
1827'
1827
Manoel Cavalcante da Rocha Wanderley. 951
Jos de Almeida Souza Costa. 9^1
Joo Marcello Canejo......
Manoel de Hollanda Cavalcante ... 909
Anloiiio Luiz de Souza...... 887
Antonio Carneiro da Barros Monte. 887
Antonio da Costa Barbosa..... 784
F.leores para depulado.
Antonio de Barros Correa. 1070
Maiioi-I Antonio de Son/.a Costa 10..8
Antonio Firmino Pe eir d Cunha 1065
Joa i de Suiza Costa....... 1061
Manoel Jos da Costa...... 1054
Joaqun) de Souza Costa..... 1051
Miguel Joaquim Pereira de licito 1051
Joao Jos de Arruda....... 1047
Alexaudre Jos de Farias..... 1031
I aulmo Bezerra de Andrade Lima 1030
Francisco G Vieira de Mello. 1026
Jos Alexaudre de Freitas..... 1018
Sebastio Jos de Arruda..... 1009
Jos.' Colho de Mello...... 1000
Manoel do Nascimento Taveira ... 990
Jos de S Albuquerque..... 987
l-'iancsco Xavier Leite...... 984
Antonio Joaquim l'essoa..... 979
Manoel Caajcante da Rocha W. 971
Jos de Algaida Souza Costa. ... 971
Antonio prneiro de 1!. Monte-Rosa. 956
Manuel Clemenliiio l'essoa..... 943
Francisco Antonio de Faria..... 927
Antonio da Cosa Borba...... 905
Ignacio Goncalves Lima..... 886
Joo los de" Souza Canario .... H85
Antonio Joaquim de Mcndonca 881
4o DISTRICTO.
Nosta Senhora do Eletores para senador.
Antonio Goncalves de Souza..... 1280
Jos Francisco de Azevedo..... 1280
Francisco de Azevedo e Silva .... 1280
Riilino Jos Canloso....... 1280
Joao Marcelino- da Assumpco .... 1280
Francisco Jos de Souza...... 1280
Felippe de Maraes Bezerra de Audrada. 1280
Joao Pedro Celestino....... 1280
Miguel Joaquim de Audrada Igima 1280
Kimono Francisco de Almeida .... 1280
Dionisio Bodrigues Jacobiu..... 1280
Jos Paulino Alves do Couto..... 1280
Jos! Rodrigues Jacobina...... 12*)
Francisco Alves do Couto Zubcni 1280
Joao Alves da Co.-U....... 1280
Manuel Satvro de Barros. ... 1280
Mauoel Thoui Alves do Couto. 1280
Kranrisco Florenliuo Alves da Costa 1280
Severino Gomes da Silva...... 1280
Francisco Stares Quintao..... 1230
Eletores para deputados.
Antonio Goncalves de Souia..... 950
Antonio Bezerra de Andrade .... 950
Alvaro de Luna Freir...... 95o
Antonio JaciuUw de Mello..... 950
Dionisio Rodrigues Jacobina .... 980
Estevo Ferreira Cal lado...... 950
Kitinino Francisco de Almeida 950
Feuciauo Manobre de Torres..... 93V
i'aulfno Alves do Cont..... 930
Jos Faustino Torres Galliudo .... 930
Joao Bento Ferreira da Costa ....
Jos Rodrigues Jacobina...... 91
Joao Alves da osta....... 950
loai Jaiiuaiio Correa o S..... 930
Jos Francisco da Rocha...... 930
Luiz Miguel Gomes dos Santos .... 930
Manoel Thom Alves do Couto .... 960
Manoel Francisco Ppro...... 930
Manoel Thoinaz do wtevedo..... 950
Saverino Gomes da Silva...... 930
JlTTRANSiTO.-A' bordo do vapor jglez Ty-
iftwl, que tocou sabbado em nos?o porto em
Miafenltaraiijfrerpaol, pawon o general Tompson,
commandante da fortaleza paraguaya do Angostu-
ra, na occasitto- de sua rendi^ao.
ASiA.SSLXAIO.-No dia 10 do corrate Manoel
jos Ue Brito e Jos de Andrade assassiuarain
Joaquim 1#i>qu, no distrteto de S. Vicente, da
emana- d Itenreih. Os assassinos foram presos
le estao seiido processades,
IMMI'NDIFJA.Moradores da ra da Paz se nee
queixam de q ie, no canto dessa para a ra da
Concordia ha um grande monluro, que diariamen-
te augmenta com o lixo que alli deitam. Nao sei-a
THE.ATRO DE SANTA ISAJEL.-Sbeaiiianhaa,
annuncia a empreza dramtica, o drama em 3
actosO enforcodo, para estra dos artistas Mart-
nho Correa Vasques, o primeiro caricato do impe-
rio, e Eduardo Alvares da Silva, galaa.
A' PROPOSITO DE INXIXDACES.A aWflM
cheia do Capibarbe niiojjoupou os lugares Jotor,
Agua-Fra e Bdm, que flcaui na baca do Hique-
no riacho Agua-Fra.
Assoberbando suas inargeas, o rio Capibarbe
dospejou grande voluine de ijguas no Amia-Fra ;
este riacho desagua nos pantanos de (Minda pelo
Peixinho, e seu Jeito parcq, sendo igualmente
muto estrala a sua pas^agem all.
Nao dando prompta sabida s aguas com que
foi augmentado, o riacho Agua-Fra soffreu una
forte represa, daqual resullou um transbordamen-
to c a innundacao dos lugares cima, bem como o
arrombamento da estrada nova de lieberibe e o es-
trago da respectiva pontezinha.
Como meio de evitar-se futuras nnundaijoes na-
Suelles lugares apuntamos o alargamento do leito
o riacho no Peixinho de forma a dar mais fcil e
volumoso cscoamenlo s aguas que lite fome.ee o
Capibarbe.
Bascamos esta noticia em ioformam's de pessoa
queconhece bem aquellas paragens ; im- nao as
conhecemos senao perfunctoriamente ; mas, mere-
cendo-nos concedo o informante, nao trepidamos
em recomnyjndar presidencia essa medida, cuja
conveniencia fcilmente pode ser verificada pola
obras publicas.
GAMELLE1RA.Dal qujnxa-se-nos um assg-
naiile do fiscal da respectiva cmara municipal,
por abrir as ras do povoado vallados que preju-
dicaiii ao transito publico. Quotn o incumbira de
tal missao t ser ella expontanea ? ter um lim
mil?
E duvidoso; o por isso convm que o Sr. Bacal.
ou quem competente fr, faca suspender essa rede
de fazer cahir.
COLLEGIO DAS ARTES.Lista dos estudantes
chamados a exame de latiin no da 4 de fevereiro
de 1869 :
Plenamente.... 2
Siinplesmente ... i
Beprovados. ... 5
Levantaran-se. 2
sSomma. 11
Listados estudantes chamados aexame de frncez
no da 5:
Plenamente.... 5
Siinplesmente ... 3
Reprovades. ... 4
Somma. 12
Lista dos estudantes chamados aexame de francez
no dia 6:
Plenamente. ... 7
Simplesmente ... 3
Reprovados. ... 2
Somma. 12
LkUilusjiiudaiites chamados aexamcdeinglez
Plenamente. ... 9
Simnlesmerd! ... l
Hcprovaao .
. i -
Daiuiana, Pernambue, 8 dias, Boa-vista ; es-
pasmo.
Florejto Vctor da Silva, Pernambuco. 53 an-
nos, Boa-vista ; be-si^as.
Manoel, Pernambuco, 33 anos, solteiro, Boa-
vista ; cougesto cerebral.
Felicia, frica, 80' anuos, solteira, Boa-rsla :
crvsipela.
20
. Joao, Pernaubaeo, 7 annos, Itecife: tuberealss
pulmonares.
Somma. .
Lista dos estudantes chamados
losophia no da 12:
Plenamente. .
Simplesmente .
Reprovados. .
11
a exame de phi-
2
1
6
Somma. *
Lista dos estudantes chamados
frnncez no dia 13:
Plenamente....
Simplesmente .
Reprovados. .
9
exame
8
1
3
12
de
Somma. .
Lista dos estudantes chamados aexame de latn)
no da 13:
Plenamente.... 4
Simplesmente ... 2
Reprovados. ... 2
Somma. 8
Lisia dos estudantes chamados a exame de geo-
metra no da 16:
Plenamente. ... 5
Siinplesmente ... 6
Roprovados. ... 2
Somma. 12
Lista dos estudantes chamados a exame de geo-
metra no dia 17:
Plenamente. ... 5
Simplesmente ... 3
Reprovados. ... 3
Somma.
11
PROCLAMAS.Foram lidos na matriz ilanyue-
u de Santo Antonio ne dia 21 do corrente mi* os
seguintes proclamas :
1." demutciaciio.
Francisco Joao de Barros Jnior, com Isabel
('Jara Bodrigues Ferreira.
Victorino Manosl de Campos, com Joanna Mara
da Crin.
Jos Pedro de Alcntara, cjn Umbelina da Silva
Smocs.
Antonio de Jess Alves, com Concordia Francis-
ca Lopes.
Jos Hermino de S e Souza, com Amelia Rosa
de Freitas.
Tliomaz de Aquino Pereira da Silva, ooni Alexan-
drina Francisca Gomes.
3.a denunciago. ^^
Mauoel Pereira da Silva, com IgneCordetro..
LOTERA.A que se acba a venda a 96\ ora
beneficio da igreja da Boa Viagem, que corre no
dia 26.
CEMITERIO PUBLICO.Obtuario do da 18 do
corrente :
Cordulina Baptista dos Santos, Pernambuco. 32
anuos, casada, Santo Antonio ; tubrculos pulmo-
nares.
Joanna Picoch, Franca, 30 annos, viuva, Boa-
vista ; fehre typhoide.
Joaquina, Pernambuco, 50 annos, Boa-vista; fe-
bre maligna.
Manoel, Pernambueo, 7 das, Boa-vista : es-
pasmo
- 19-
Jesuina, Pernambuco, 8annos, S. Jos ; tubrcu-
los pulmonares.
Jacob, frica, 65 annos, Boa-vista; hyper-
trophia.
habat, Peraambuco, 8 mezes, Santo Antonio ;
Uletttic^o.
Joao, frica, 30 annos, Santo Antonio ; afti-
gado.
Firmino Alves de Lima, Pernambuco, 22 annos,
solteiro, Recife ; typho.
Jos Estevao dos Anjos, S. Paulo, 36 annos, sol-
teiro, Boa-vista; febre typhoide.
Joanna Joaquina Git, Pernambnco, 45 anuos,
oliaira, Boa-vista ; hydrotorax.
Mara do atnOjtl>M*nanueo, 65 annos, viuva,
Boa-vista ; inlerito ctobIco, .
CMMMUtA Jl Din.lfli.
Ticiiii \ iH. n.t m:i. %<, lo.
SE8S0 DE20>Di FEVEREUtO DE 1869.
FBESIDKNCIA DO BU* SR. DESRMBARifcMXlH SANThMU.
As 10 horas da muiiltaa, presentes os Srs. desem-
bargadores Gilana, Guerra, Lourenco Santiago.
Almeida AlbuqUTi|ii<', Molla, A-sis, Domingues
Silva, Souza Lean, Ucha (iivalcanle e Freit.1*
Henrques, abrio-se a sesso.
Passados os ieitos ileram-se w seguintes jutga-
inenlos :
ItKia usos cumf.s.Reccoriecte, ojuizo; oecor-
rido, Manoel Castos de Gastes.Relator o-Sr. des-
enihargador Gitraua, sorteados os Srs. desemba
gadores Lourenwi Santiago. Almeida Albuquerque
e Souza Lean.imprucedenli-. Reccorreute, Fran-
cisco Marta Baudeira de Mi-do; reccorrdo, ojui-
zo.Retitor o Sr. desembargado!- Domingues e
Silva, sorteados os Srs. deeejnjbargadores Assis,
Almeida Alliuquenpie e Smua Leu. Deram pro-
vimeuto. Reccorrenle, o juizo: retcofrido, Canos
Jos! de Deus.Relator o Sr. desoj|hMXador Frei-
tas Henrques, sorteailos os Sis. desombargadores
Multa, l.ouivni'o Santiago e AhuciiLi Albuquer-
que. Improcedente.
Reclusocommkiicial.Receorrenle, ojuizo; rec-
corrdo, Tliomaz de Figueirdo.Relator o Sr. dcs-
inuargadpr Freitas llenriques, sorteados os Srs
desembargadores Motta, Assis e Gitirana.Impro-
eedenje.
Aor.riAvo dk pf.tic.ao.Aggravante. Jos Mu/
da Cruz; aggravado, o ji^zo, Relator o Br. des-
enibargftdol- Motta. sorteatlos os Srs. desombarga-
dores Gitrana i! Freitas Henrques.Nao tomaran
conhecimento.
Appellacoes civkis.Appellante. Arcllno Cario-
de Mello; ahuilado, Antonio Ignacio da Sil-
va. Nuilo o processo. A|ipcllanle, P.dcarpo Jos'-
Laio; appellado, Theodoro ir-ti.iii.-eii.Confir-
mada a sentunea. A|ipellante. D. Emilia Bautista
da Rocha Prannos; appellado. Francisco Jos Jos
l'assos Gninares.Confiniiatla a -enteiiea. Ap-
pellante, Dr. Gaspar de Meantes Vasconcello Se
Drummonu; apellados, ogberdeiros de Joao llon-
ri(|ues da Silva.Receberam os embargos. Apjiel-
lantes. ns h^ideiros to coiuinendadi i Manoel Fi-
gueira de Faria; appellada, a fazenda.Ao si.
desi'uibargador procurador da corea.
Da di upaucib.Appeliada, D. Virginia Ze-
nandesFerreira; appellanU', apardaAngela.Man-
dou-se expedir a appi-llaeao.
Ai'1'ki.!.a:oks chimes.ppellanto. Jos Ferreira
da Silva; appellada, a justiea.Improcedente. Ap-
pellante. ojuizo; appellado. Antonio lose dos San-
tos.Iiiquoi-edenle.
PASSAC.F.NS. '
Do Sr. desembargador Guerra ao Sr. desemba -
gador Lourenco Santiago.Appella:o civel: ap-
liellaiile. Jos Sainico; ap|ellado, Pedro da Costa '
Do Sr. dsemargadoTlfolta ao Sr. desembarga-
dor Assis.AppellcVs ciimes: appellante. o pro-
motor; appellado, Jos- Loureiro do Lima. Appel-
lanU', *> jui; appellado. Alexaudre Nunes da
Silva.
Do Sr. desembargador As-is ao Sr. desembarga-
dor Domingues c SilvaAppellaeo crine: ap-
liellanlc. o juizo: appellado, Antonio Bezerra do>
Santos Granjuro.
Do Sr: desembargador Domingaes e Silva ao Sr.
desembargador Souza Leo.Appellaeo crme:
appellante, Francisco Luiz Paz de Alenla: appel-
lada, a justiea.
Do Sr. desembargador Souza Leo ao Si !
bartrador UeluYa Cavalcante.- -Appellacoes aimes:
nppeflante, o juizo; appellado, rfranelaee las nc
Sant'Anna. Appellante, o promotor; appenado,
Francisco Luiz de Vasconcellos. Appellaeo -
veis: appellanle. Manoel Joaquim da Silva Lefio:
appellado, Francisco Ferreira Basli.s Anuoiiii. ,'>|i-
pellaa, Antonio Pedro do Rosario; app'oNaw,
Joaquiu Beato de Mello.
Di:ur,E\c.iA chime.Ai Sr. desembargador pro-
motor da justiea: appellante, o jitizo; appellado.
Jos Mana Ferreira Lobo. Appftlaiite, o juizo
appellado. Manoel Jos doNaseimnto. AppeHanto,
Gemido Correa Lima; appellados,Francisco Gome-
Ferreira c nutro. Appellante. Repnnldo Jos de
Souza; appellada, a justiea. Appellanle, JofioBap-
tisia Evangelista; appellada, a justifa. AppeNant
Joao Antonio das Cnagas Graelr; appellada, a
justiea. Appellanle. o juizo; ar^Klados.Manoel Fe-
lippe" de Araujo e antros:
Assignou-se dia para julgamento dos seguintes
feitos :
Appeli.ac&es civkis.AppelMte, Dr. Gaspar de
Menezes Vasconcellos de Drtflmnml: apellados,
os herdeirosde Jos.' llenriques da Silva. Appel-
lanle, Victorino Lopes da Costa; appellado, Domin-
gos Marlins de Barros MoDteiro. Appellaute, Ib-lio
loro Acacio Rangel; ap|iellado, Joao Fernando da
Cruz. Appellante,BstevI i de Albuquerque Mari
nho Montenegro; apTtellado. Jeroiiymo Jos Bar-
bosa.
Appellacoes chimes appellante, o juizo; appel
lado, Antonio Jos dos Santos. Appellante, larli
niano Barbosa do Carmo; appellada, ajiise-i. Ap
pellante, ojuizo; appellado, Thenioteu Joo daCes-
ta. Appellanle, ojuizo; appellado, Yicehte Roflri-
gues Pereira, Anpellante,ojuizo; appellado, Ja-
nuario da Cosa Jalis.
A' urna hora e nieia da tarde cneerrou-se a
sesso.
CMARA MUNICIPAL.
SESSO EXTRAORDINARIA EM 14DEJANEUU.
DE 1869.
phesidencia do kxm. sr. bara de Minmwr*.
Presentes os Sis. Dr. Souza yio, Dr. Seve, Di
Apiino, Dr. Costa Jnior, r. LiMio Hoscoso, Regi>
e Albuquerque e Gameiro, abrio-se de
hberando-se que as actas depois de assignadas tos
sem copiadas no respectivo livro pelo secretario,
ndependente de novas assignaturas.
Antes de principiar a leitura do expediente,
achando-se presente o Sr. Dr. Jos Bernardo Gal-
vao Alcoforado, advogado da municipalidade, o Sr.
Dr. Aquino pede a palavra e dirigindo-se ao mes-
mo Sr. Dr. Alcoforado, procura saber o estado je
nina questSo que tem a cmara, segundo Ihe c
lava, com os henloiros de Francisco Joaquim Pfe-
reira de Crtamo, relativamente ao debilo de An-
tonio Joaquim de Mello Pacheco, procurador que
foi da mesma ramara.
Em seguida o referido adVogado expoz o occor-
rido, e a cmara licou inteirada.
Leu-se o seguinte
EXPEDlEyTE.
Um olflcio do Exm. presidente da provincia, de -
clarando que pamgnmprir o aviso expedido pelo
TnjnTtprio da agricBltnra, de 30 de novembro do
anno prximo passado, inform ci-
dade, at o dia 1,'i de fevereiro vipdooro, impretc-
rivelmepte. qual o e lavoura c da
industria de criafao nesti o, troal apro-
dneijSto de gneros denomado colonines e |ene-


Diario de Peniii&iftbuco Tetrqn feira 23 de Fevereiro de 1869.

tos de coasumo, sea valor es mercados 46** pro-
vincia, que numero de bracos livres ~*s -'M
enipregados na-iaosnia lavoura, quaes as causas de
sua decadencia, e medidas a aaoptar para o seu
desenvolwraeBt, quaes os ramos de cultura que
couvm ntroduzir, e as providencias a tomar para
essa inlre Outro do mesmo, do 13 do correnle, respondendo
ao offlcio da cmara de 2*de noveaibre ultuno^ob
n. 75, declara que approva o oivauwnlo ua impor-
tancia de 8:1405000. jwra-a onslraecao da nova
ponte sobre a estrada do cemiterio publico.lu-
teirada. .
Outro do engenheiro fiscal da estrada de ierro,
declarando ao Exm. presdante da provincia, que a
cmara mandn embargar a obra do Tevantanien-
to do muro que se far no recinto da estacao das
Ciuco-Pontas, mauduu continuar na obra por nao
ter a cmara poderes para -inlervir as obras da
estrada de ferro, e S. Exc. -mandou informar.A*
commissao de edifieac-Ges.
Una peticao de Liuanio Candido Ribeiro & C,
eoni despacho da presidencia, mandando informar,
na qual peticao os supplcantes, como arrematantes
dos lallios ns. 14, 17, 18,19, 20 c 21 do acougue
da ftvguezia da Boa-vista, pedian a S. Exc. que se
dignasse permitlir-lhes a arremalacao por tres an-
nos, como fra feita, visto conslar-lbes ter sido
approvado o seu contrato somente por um auno.
X eomuiissao de edilicaqoes.
Outra peticao de Candido de Souza Miranda
Couto, eom despacho da presidencia, mandando in-
formar uovamente, na (pial juntou elle os docu-
mentos exigidos por S. Exc. relativamente ao seu
estado de molestia, idade, e ao tempo de servico.
A' mesnia commissao.
Um offlcio do maior Francisco Raphael de Mello
Reg, comuuiiicauo haver assumido o exercicio
de director do arsenal de guerra dcsta^idade.
Inteirada.
Outro do Dr. Joao Francisco Xavier Paes Bar-
reto, juiz de paz primeiro votado da freguezia de
S. Lourenco. propondo para escrivao de seu mizo
ao cidadao JosLuiz Gomes de Hollanda, c pedindo
a exoneraco do que actualmente exerce o dito lu-
gar por faltar-lhe a indispensavel aplidao.
Adiado.
Outro do engenheiro cordeador, informando so-
bre o que pede MaooeJ Fernandos Masrarenlias,
diz que a casa n 80 da ra da Assumpcao, de pro-
priedade do suppHcante, tem 15 palmos de altura,
e parece-lhc nao haver inconveniente em eonce-
der-se o que pretende o supplicante.A' commis-
sao de edilicacoi's.
Outro do nesnio, informando sobre o que pede
Manoel da Silva Lopes, proprictario de un terreno
le 45 palmos sito travessa do Apollo, pedindo
para edificar um anuazem no mesmo; declara
que o lugar do terreno, segundo a planta da ci-
dade, est destinado para urna travessaA' mcs-
ma commissao. .
Outro do mesmo, informando o requerfmemode
Pinto & Barros, inquiliuo das casas ns. 32 3( da
naca da Independencia ; diz que nada tem a op-
por as obras que pretenden! fazer.Concedeu-se.
Outro do tiscal da freguezia da Boa-vista, eom-
municando haver multado a Lniz Jos da Costa
.Vmorim, por ter na eonstruccao das obras que
est fazendo na casa n. 68 da ra da Soledade, ex-
cedido da liceuca que obtivera.A' incsiua com-
missao.
Levantou-se a sessao.
Eu Francisco Canuto da Boa-viage h, secretario
a subscrevi.Barao de Muribcca, presidente
Souza Leao.Dr. Seve.l)r. Lobo Moscos.Ma-
mo tambo urgeni mitras comas, uendouadas
lido -honrado pernanibnrano.
.Se o 8r, libano, Ua 27 annos, de 48:19 a 1868
leui presenciado todos esses horrores, reproduzi-
dos sol) tantas formas na sua carta.; se dsse lar-
go' periodo, nao menos de treze anuos passou no
recinto legislativo commissao e nttrilniiroes de le-
gislador, porque moa deu copia de sua conviccao
emalguin projecto de lei, em alguuj trabalhu m
que visse o paiz, ao menos que o sen represen-
iMHe aspirava de verascorrlgir*; remover os nia-
les que claramente viiW
Aflirnia elle que romo uptito provocar a adop-
efio 4e medidas e reformas, qne restabelecetsem a
verdade do tpsema representativo e restituissem a
eleiede uo poro.
(5oHO e qnando provocon ? Quaes toraui as
medidas e reformas, anda em papel smente,
oi'iiMtas de sua iniciativa, ou coadluvadas com a
sua cooperacao activa e directa f Profrib algum
discurso, em que, sahintlo de generalidades tri-
viaes, dttxasso ver o reformista convicto, o spos
tolo sincero e firme da regeneraco poltica deste
paiz que;i marcha a passos largos para a bar-
baria segundo a sua phrasc ?
Feztudo isto em... desejo, ja nunca por elle
encarnado em formas visivas.
Na primeira legislatura da situacao nascente,
quando governaram os quatro lilhos legtimos (?)
da liga de 15 de Janeiro, primognito, ao 3 de
agosto cassula, o Sr. Urbano, trovejando das altu-
ras da opposicao, mil opportunidades leve paia
dar testenmnho dessa ammegio immensa.
Armado de sua ijrumle experiencia, robusteci-
da pelos feitos elcitoraes de 1863 quorum pars
imujna fuilenmpriria dever de consciencia, como
homem, como cidadao brasileiro, como poltico li-
beral, em|>enhand-se com todo o esloreo em pro-
pagar, desde a tribuna, as suas ideas de reforma
e regeneraco.
Por ventura a obrigaco do homem poltico em
opposicao lica satsfeita, guando em objurgatorias
aggride o ministerio que desama ou fustiga delei-
to e abusos t
.Nao enmpriria a sua missao. Em qualquer si-
tuacao dever c tambem direito do homem pol-
tico, sustentar a verdade como a comprehende,
propaga-la com a f do evangelisador. O mallo-
gro de suas fadigas em vez de desacorbcoa-lo, es-
timulo deve ser, ao revez, para retemperar-lhe as
forcas e apparelhsrto a novas lutas, a provaeoes
mais difflces.
Mas- o Sr. Urbano ncm s nao propoz reforma
no systema das fleicoes, seno tambem nao aiten-
deu a qualquer outra das militas necessidades a
que allude em sua carta, excepcao de urna s.
E foi a nhoUrao o castigo da chibata no e.verci-
i*o, qnando se'discutio em 1863 a proposta para
tixaco das forcas de trra.
Mas oinguem querer fazer meredmento ao Sr
Urbano por offerecer ainda uina vez a discusso
essa reforim sedica de que a opposicao costuma
fazer cavallo de batalha contra o ministerio para
no anno seguinte, se converter-se cm maiora, re-
ncga-Ia com soberbo desdem.
Ha quem se lembre dos discursos famosos de
um, tambem grande, liberal, o Sr. Martinho Cam-
pos, contra a chibata antes de 1864, e das suas
fallas, nao menos celebres, c dos seus votos a li-
vor da chibata, que perpetuaran) o eu nome, en-
ftre oi dos ardentes defensores do bacalluio.
N'aquella occasio o Sr. Urbano deseiou somon-
te suscitar um obstculo ao ministerio, a quem
alias prometiera apoar em tudo quanlo tendesse
debellar a euerra. Nunca fra, como
cifitis. Come na accoitar e seguir o censlho
o Mestre Divio.?
Ea pois, senbres eleitores, aqui us teades a
iwdir com lfo respeilo os vossos suffnigios para
senador, e para deputado! Bem sei que pedir
multo : mas tambem sei que o pedir poBCO revela
em quem o az certa especie de egosmo, e de or-
gulho : de egosmo itorque eomeca a restringir do
, a debellar a guerra. Nunca fra, como entao,
noel Joaium do Neg eAlbuquerque.Jos Mana meiins opportuna semelhante abolicao, quando no
Freir Gameiro.Bento Jos da Costa Jnior. enere i to havia misler estreitar mis as regras da
Conforme.O secretario, francisco Canute da disciplina.
Boa-viagem.
POLTICA interna
Partido conservador.
A PROFISSAO DE FE DE UM LIBERAL.
A carta aonwus comprarincianos urna deseas
i'omposiijoes Iliterarias, que o humorstico Mon-
taigne classiticou no genero das tempestades po-
ticas.
Para urna tempestade potica, assim como para
outra qualquer das feituras, denominadas lugares
tommnns, est conbecida a receta.
O co tenebroso, os ventos amotinados, as ondas
quebrando cm flor, raios a cruzarem-se, velas ru-
tas, mastros abatidos, marcantes desesperados ;
s ahi os elementos para um dos mais lindos Bter-
eicios de rhetorica.
I'ata mn quadro da eleico o Brasil, no Sr. Ur-
bano, dextro como no uiauejD dos pinceis. tinha
promptas e abundantes, as tintas ja em sua opu-
lenta palheta, ja na de qualquer dos pintores A?.
inesma especie, que no Brasil eu em outros luga-
res, felizmente regidos ao modo representativo,
tem descripto* taes seenas, multas vezes berol-co-
iiiicns, quasi Helare melodromaticas.
Quem leu as paginas joco-serias do Jornal de
. "" bao, recordagoes que denunciam no Ilustre per-
nanibncaiM, assidoa leitura daquelle escriptor sa-
tyrco.
Nao dizemos assim, que o nabalUvel defensor
ila eleicdo sergipense em 1864 copiasse este ou
aquello trecho do Timn, como ftzeram os cabos
le guerra do liberalismo na sua proclainacao de 8
de setembro de 1868. Imitou, nao plagiou.
Que nao copiou, que nao plagiou faz-se eviden-
te pelo estjlo da carta, disalinliado e qV;seiirado,
i-oino sao as vezes as escripturas de cortos esta-
distas, mais cuidosos da valenta do jiensainento,
que da correecao da forma e do repeno gram-
inaiica.
Se pelo estvlo nao ha coinparaeao entre a carta
o Jornal lunda se nustra quando atienta o leitor na eonl'u-
>*o e desordeiu das ideas e eoncoilos, inseridos na
couiposi<;o do honrado Sr. Urbano.
Dessa desorden!, que denuncia no escriptor per-
pleiidafle 6 enleio de espirito, resulta que^a cal-
lao mesmo pensamento se reproduz, urna, uas
: mais vezes.
Se o Sr. IrJiano, como o diligente agricultor,
bouvesse mandado da sua sera aquellas heryas
parasyias, a carta oecuparia as paginas da im-
prcma liberal, um terco, quando muito, do espa-
do por ella invadido.
licao aos que se apressam d>'iuais em Irans-
niuros typos. os improvisos de sua peima em
assumptos de certa gravidale.
Exemplifiquemos.
Esta ideao governo tudo em eleicoesfoi
apresentada em repeticoes successivas.
Diz o Sr. l'rbano :
Cora a experiencia fui aprendendo que o go-
verno e fado e i| nu ha opposicao que com elle
possalntar.
Algumas lindas adiaute repele, coin pouca mu-
danza :
Desde entao firmoil-se em meo espirito a mais
plena conviccao de que intil todo o esforco
da opposicrw, qualquer que seja a sua forra, con-
tra as designantes do governo. *
Sem longo iiitervallo toma a dizer :|
Com a organsacao actual do paiz absolu-
tamente impossivel a luta da opposicao com o go-
verno.
Com relacao cora contina a predominar a
desorden! notada.
Dejiendondo todo este movimento de urna s
voutade, ilc um s ditoseja presidente de conse-
ibo de ministros um conservador, um liberal, um
progessista.
Logo aps :
o a coiiia quem noma e demilte os ministros
e sao os ministros que fazem sua feicao a ca-
ma temporaria c a renovam como e* quando
ibes paiece.
Segue-se a segunda repeticao :
A cora e somente a cora pode crear e der-
ribar as ?ituacoes.
Repete ainda :
da cora e somente da cora que dependem
Bastava ja. Mas o Sr. Urbano, anda nao sa-
iido de repeticoes, acej-escenta :
Faculdade de precipitar no nada um par-
tido que se coma poderoso, e fazer surgir das ur-
uas urna cmara unnime que venba condem-*
uara pobtica decahida e adorar a nova situa-
eao. b
Urna duzia de especimens do mesmo costo litle-
r.ino,da mesma clareza de ideas, revelados na car-
ia aos meas comprovincianos, urna duzia litteral-
uiente, sobresanen no escripto do honrado Sr
Uto mesmo o Sr. Urbano roconbeceu. Depois
j de eloquentes manifestacoes contra o mais que
i brbaro castigo, declarou, como se quizesse pro-
v.ir que o seu zelo era somente para lngtez ver
que a abolicao seria para quando conviesse.
Eis as suas palavras, que desmancharam toda
a figura do sea liberalismo :
Nao insisto que seja j nesta lei; apresentei
a idea para o nobre ministro toma-la cm conside-
raco, porque a jilgo de grande alcanca
N'aquella occasio aiuda o Sr. Urbano se nao
tinha declarado o immigo, que foi, implacavel do
gabinete de 12 de niaio. Anda nao Iranspozera
os lmites da opposicao, embora, al certo ponto
systematica, que jurara ao progressismo.
Poucos dias antes, a 26 de maio, ohrigando-se,
por amor da patria, a nina transacciio disse :
Entretanto ajiezr disto, o ministerio ter o
nieu apoio o mais decidido ; porque, declaro com
toda a franqueza, 'as mlinarosas circamstaBOias
em que se acha o paiz, eu prestarla o mais (ran-
eo apoio ao menos no que tortorante guerra, a
qualquer ministerio, aida radicalmente conser-
vador.
Aeerescentoa a estes palavras tssas caracters-
ticas o ])anegyrieo do Sr. marquez de Olnda.
Quem ouvio entao o Sr. Urbano e o ouvio depulu
referindu..> > oseo x-on*rnndo an*aaT >M.uUku.
se do absoluto contraste.
Como exomplo das variaces na opnio dos nos-
4fli_jiiiiia.--., oi4.K.'^mTTr7 nns -tenores esse
dho, porque affecta precisar pouco que se llie d,
quando l por deotn llie roe a cubicad; receber
multo Deas me guarde de alardear ama e outra
eousa perantc o eorpo eletoral I
Como deputado, nula mais prometto, do que o
proposito firme de continuar a comportar-me na
presente legislatura, como naquellas em que ti ve
assento na cmara, de cujo largo tirocinio nio
conserva remorsos dt haver faltado aos nieus de-
veres. Nette ponto ;im, fallo com algumorgulho.
Como senador, porem, (si me fossefdaja a honra
da escolha) o compromisso mais serio em que des-
de loge me adiara esm os ineus comprovmcianos
era o de nao faltar a urna s sessao do senado, e
si nos intervallos o bem da minlia provincia exi-
gisse que l'osse a eflrtti representar qualquer neces-
sidade ao throno e ao governo, l voaria com a ra-
pidez do raio ; entao havia cu de descobrir o sc-
gredo do moto-continuo l
Quanto refoima* nada prometto, porque fu-
jam de candidato, que eomeca por prometter re-
formar niuita cousa, sem prometter rcformar-se a
si prlmeiro; pois a mxima parte dos males pbli-
cos nao provm tanto di les defeituosas, como dos
que as executam I
Entretanto, asseguro que toda a idea boa, til,
e reclamada pelas necessidafles do paiz, ser seni-
probemvinda paramim, clhe prestarei todo o mcu
apoio. Es o meu pmgramma.
Recife, 19 de feverciro de 1869.
Joaquim Pitto de Campos.
0 conselkeiro Jos Bonto da Cunha e
Figueirdo, abaixo assignado, espera que
todos os seus amigos particulares e polticos
do circulo do Cabo llie facSo ainda a dis-
tincta honra de elogel-o deputado asitnv
bla geral ; e rog a todos os seus amigos
polticos e particulares de toda a provincia
se dgnem fazcr-lhe a distincta hoiira de in-
cluir o seu nojne na lista sxtupla para se-
nadores.
Longe do theatro da eleic3o, o conselhei-
ro Jos Bento nao duvda de que os seus
amigos, cuja generosidade^invoca nesla
occasio, suppnro a falta de sua presenca
com doblada deligjncia. Elle assim o sup-
plica com todo o fervor de quem saber
agradecer tamanha honra e fineza. Cidade
de Belem do Grao Para i. de fevereiro
de 186.
Jos Dent da Cunha e Figueiilo.
Os gaardas nacionaes do 1.' bataliio de Cambios sobre Londres90 d v 18 7 8 d. |<) d
arlilhaiia que se acham deslacaduptao pre-
sidio nao sao agarrados as v&sporas, c
neto para l forana des far dados.
Se o noticiador quzer verificar, B8o tem
mais do que pedir certid5o se os referidos
anto-iuao o mitivoo) reconliecuieuto; o de orgu- guardas nacjQnaes es,tao qyaltQcados ; quan-
sos ln'aud^
panegrico ao lado d um dos trechos mais sua-
ves da palinodia que Ihe suecedeu.
O Sr. Uiiba.no, a 26 | O Sn. Urb.vxo, a 30
de maio : I de maio :
Senhorcs, eu venero
e respeito a todos os ca-
vallieiros que fazem par-
te do ministerio actual
(12 de maio) ; tenho o
mais profundo 'acata-
ment, devo confessa-lo
francamente, ao Sr.
marquez, presidente do
conselho, porque, Per-
nambucano Ilustre e
dstmeto como alm
de sua illusira^ao e ser-
vicos, tem mostrado aos
ni I ios do paiz,"o mundo
inUtiro, qualidades nun-
ca assas apreciadas,
honra e probidade m-
maculadas.
Senbores, a reserva
do nobre presidente do
conselho para mi ni
um systema de agouro,
um systema pavoroso.
Estudando os preceden-
tes da vida publica do
nobre 'marquez, atten-
dendo bem ao papel que
elle tem representado
em diversas jiocas e
orises, cu tenho feito a
triste experiencia de
qae as reticencias e os
mysterios do nobre
marquez sao sempre si-
nistros, sao sempre an-
nuneios de grandes ca-
laclysmas, seguidos de
vastas e estrondosas
consecfuencias.
E' esto trecho da palinodia, litteraimente o mais
suave. Huiros ha to acres que nos repugna
transcrever as paginas o fiai i,desabafo de-
masiado-dos reaenuMBtes que captivarain o co-
racao do Sr. Urbano, j excitado, desde o da em
que o venerando marquez o chamara corounda..
E' claro, pois, que o Sr. Urbano desejeu de ve-
ras reformas, que reslabelecesse a verdade do sys-
tema representatko e restituissem a eleicao ao
puro. .
Contentou-se porm, cem o desejo.
Com razan diz a sabedoria popular:
De boata leneOes est calcado o inferno.
(Do Diario do Rio.)
Illm. Sr. Declarindo o gremio do parti-
do conservador desta provincia, em sessao
de 2o de Janeiro do corrente anno que a
indicagafeita do?, candidatos* deputados.
geraes n^ excluindo a lberdade de esco-
Iha por parte dos eleitores.e nem revelando
a intenco de Ibes por embaraco, s tinha
a autoridade de um conselho, motivado pela
necessidade de attonder s circumstancias
do partido e j)ela apreciaco dos serviros
prestados causa de suas ideas; reconhe-
cendo, alias fra do circulo dos candidatos
propostos, muitos outros. nomes dignos de
serem oerecios ao suffragio eletoral;
tendo eu tido j a honra de representar es-
te districto em duas legislaturas da assem-
bla provinejd, em nome das ideas do
partido que hoje d rige os destinos do paiz,
ouso ainda apresentnr-me candidato a de-
putado geral por este districto, aspirando
a honra de'represental-o na prxima legis-
latura,
A dedicaco e iimesa de principios, de
que tenho dado provas em toda mtnha vida
poltica; os servicos, que, por ventura, te-
nho prestado causa das deas do partido,
soffrendo, por isso, demisso do cargo pu-
blico, que exercia, ha 17 annos, sem haver
jamis desmerecido do conceito em que fui
sempre tido pelos tueus amigos, sao outros
i , estreitamente ligado por aquelles servicos
(^Irrelaces polticas para merecer-lhe o suf-
fragio que ora solicito.
Se V. S. pois, .tomando em considerado
2 doliberaco do gremio que, na ausencia
da opposicao, bem apreciou a liberdade e
criterio, com que Y. S. e os nossos ami-
gos deveram escolher os candidatos as
circumstancias adunes do partido, como
de sua ndole e principios, quzer tambem
considerar o que ddxo exposto, por modo
que, com semroto e o do nossos amigos,
venho eu a ser eleito; serei Rcansavel na
defesa de nossas ideas polticas, pugnando
pela felicdade e prosperdade da naejo, eg
especialmente pelo bem moral e material
desta provincia e districto, assim me escu-
dem a Providencia Divina e os voto.s de
meus concidados, que invocarei saberei,
de preferencia consultar para bem cumprir
o-honroso mandato, de que fr ejicarre-
gado.
to ao mais asseguro que d'aqui seguiram
devidamente fardad^, e se l chegaram
alguns de outro modo, porque estraviaram
os faldamentos.
Seja o Sr. noticiador mais dilicado, nao
quera offoder a guarda nacional que Uo
bons srivicostem prestado ao paiz, eo que
ihe aconsejarnos, einbora nao nos tema
incommodado.
Becife, 2 de fevereiro. de 1809.
Dmd i'quino Fonceca.
Theatro de anta Isabel
Para hoje quarta-feira 24 de fevereiro
annuncia o Santa Isabel o drama em*5 actos
O eriforcadona qual fazem suas estreas
o celebre primeiro artista comqp o Sr. Mar-
tinho Correa Vasques, e o dstncto artista
galaao Sr. Eduardo Alvares da Silva.
O Sr. Martinho um artista de justa no-
meada, qudfc digam Rio de Janeiro, Ro
Grande dofiul, e Baha. Hojeo recommen-
damos ao publico, nos que muitas vezes o
temos apreciado, (nao porque o Ilustre ar-
tista precise deste auxilio) para que o pu-
blico pernambucano, apreciando-o, admire
o artista que faz produzir a maior hilari-
dade sem a menor exagerarlo. Sao poucos,
mesmo raros, os artistas como o Sr. Mar-
tinho.
A companhia1 do Santa Isabel hoje sem
contestacao a mais completa em numero de
artistas de i. ordem. Conta em seu seio
Joaquim Augusto, Julio Azevedo, Martinho,
VeMuti, Thomaz, etc.
Mil parabens ao Sr. Coimbra.
Pernambucano.
por IjOOO.
F. J. Silveira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
BANCO IMU & C.
lisia do Trapiche u. 34.
Desconta lettras co nmerciaes a taxa con-
vencional. Recebe dinheiro, apremio con-
vencional, por lettras e em conta corrente.
Confere crditos, saca sobre as primeiras
pracas do imperio, Rio da Prata e Euro-
pa, e compra cambiaes solire as mesillas
pracas. | J
Encarrega-se, por commissao, da com-
pra e vwda de fundos pblicos e aeces de
companhJas, da oobran^a de lettras e di-
videndos ou de seu pagamento, e de qual
quer outra operado bancaria.
O expediente para o publico comecar
*s 10 horas da manhSa, e terminar s 4
horas da tarde de todos os das utes.
ENGLISH BANK
O Rio de Janeiro Limited
Desconta lettras da praca taxa a con-
vencionar.
Recebe dinheiro em conta corrente e a
prazo fixo.
Saca vista ou praso sobre as cidades
principaes da Europa, tem agencias na Ba-
la, Buenos-Ayres, Montevideo, New-York
e New-Orleans, e imitte cartas de crebito,
para os mesinos lugares.
Largo do'Pelourinho n. 7
lados desde a exlim, ao do cholera-morbus
em 1850 ; avallados em oO-JOOO, por esta-
rem deterioraaa, sendo a arrematac3o li-
vre de direitos ao arrematante.
Alfandega de Pernambuco 20 de feve-
reiro de 18G9.
Jm Maurtm Fefnmt Pereira de-
Barros.
= Pela recebedoria de rendas internas geraes
se faz publico que neste mez c no de fevereiro
prximo futuro, que os contnbntotes da taxa dos
escravos do exercicio corrente de 1863-69, quer
moradores as freguezias da cidade, quer as de
fra, teem de paga-la, livre da multa de 6 0/0, e
com ella de marco em diante.
Recebedoria de Pernambuco 8 de Janeiro de
1869.
0 administrador,
Manoel CarneiTO de Souza Lcenla.
E, sendo V. S. p.jssoa de legitima
Senhores Redactores.Permittam-me que
eu venha pela segunda vez oceupar al-
gumas columnas do seu Diario para fazer
patente quanto digno de louvor e de ser
imitado o Illm. Sr. capito Umbelino de
Paula Souza Le5o, senhor do engenho
Matas, na comarca do Cabo 1
Sei que vou offender a modestia do mes-
mo senhor que a possue em supremo grao,
publicando estas verdades ;.mas levado de
enthusiasmo pelas suas bellas accoes, e
ainda mais pelas virtudes excellentes de
que $ dotado, nao possfrdeixar de panten-
tea-las urna vez que estou persuadido que
com a publicco das boas accoes appare-
ce muitas vezes o incentivo e o estimulo
para imitar-se o homem probo, o cava-
Iheiro perfeito, o amigo leal e dedicado
que, ainda oceupando urna posico elevada
na sociedade, c incapaz de abusar della
para fazer mal a seu adversario publico :
nestas condieces pois considero o Ilustre
cidadao, a quem me redro, o qual oceupan-
do hoje o lugar de presidente da enmara da
villa do Cabo, emprego que exerce com
muita distincco, o faz todava sem outro
interesse mais do que prestar seus bons
servicos a sua comarca, da qual elle
mu digno ilho.
Como homem parlicular sobe de ponto
o seu modo de proceder I pois nao consta
que tenha, j nao digo, um inimigc pessoal,
mas sim um desaffeicoado qualquer, tal
o interesse que toma em prestar-se quer
ao grande quer ao pequeo, toda a vez
que se Ihe oceupa, no que tem ello sempn
muita satisfaco : eis pois o nobre carcter
do eximio cavalheiro, digno certa nente de
ser sempre amado e respeitado. Hic diq-
us esi quem omhes aaicjhnt.
Contine pois, Sr. capito Umbelino a
trilhar sempre esta mesma vereda, talvez
espinhosa para muitos, mas muito suave
para S. S. que ser apontado com admira-
i;ao como um cavalheiro modello: e vi-
vendo assim annos infinitos, seja por todos
applaudido como sempre tem sido para
muita satisfaco de um seu admirador e
apreciador.
Villa do Cali 20 de fevereiro de 1869.
Um comarco.
ALFANDEGA.
Rendmento do dia 1 a 20 .
(dem do dia 22......
30:02?i 5041
59:38838
89:4ljJ/779
MOVIMENTO DA ALFANDEGA.
DECLARACOES.
Volumes entrados
dem idem
com fazendas
com gneros
Volumes sabidos com fazendas
dem dem com gneros
671
3i
127
234
------361
90.'
Descarregam hoje 23 de fevereiro.
Vapor inglezSaladinmercadoriaa
Barca franceza Co/<'gnj/=idem.
Barca inglezaCai7'oc(i=idero.
Patacho norte-allemaoVenedyidem.
Polaca italiana Saraidem.
Escuna dinamarquezaHigard farinha de trigo.
Barca inglezaContadfarinha do trigo.
Patacho nglez= Vinemercadorias.
Brigue inglezEivrbacalho.
ItECEEDOKIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia I a 20 32:7964980
dem do dia 22...... 5:ffMM
3H:3.)9J987
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendmento do dia 1 a 02 85:71$!tM
dem do dia 22....... 9:2115931
94:9285471
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios sahidos no dia 32.
A' crusar. Brigue barca Itamarac, com man-
dante capito tenente Ignacio A. de Vasconcel-
os.
Maci* Barca ingleza Rotvena, capito Aarms-
ten, carga lastro ^
Lisboa. Brigue portuguez Laia I, eapit o A. F.
Viera, carga assucar.
Observacao.
Nao honve entrada.
EOITAES.
[faculdade de Direito
De ordem do Exm. Sr. director fco publico que,
desta data em diante, poderao os alumnos desta
Faculdade pagar na estacao competente a taxa
relativa a matrcula da abertura do corrente anno
lectivo.
Secretaria da Faculdade de direito do Recife, 20
de fevereiro de 1869.
O secretarlo,
Jos Honorio B. de Menezes.
Agua de florida de Murray e
l.aninan.
Est com urna rapidez espantoza transmetlindo
e entregando ao negro esqueciment urna chusma
de essencias e aguas cheirosas para o toucador,
as quaes bem que se diga, teem servico de urna
miseravel deshonra ao gabinete de toilet e de um
desprezivel desgosto todas as pessoas de refina-
do gosto. Alm de ser menos expendiosa do que
os extractos e essencras europeas, ella, a mais
pura e delieada essencia floral existente, e til j
como um excedente raeio hygienico possuindo su-
infl l)er'ores qualidades cosmticas ; e finalmente j eo-
1II1IU- ini ; ino delicado e aprazivel adorno odorfero e delicio-
encia neste districto, venho matar seu I so. E' um mimoso e delicado composto de tudo
valioso apoio, bem como o de seus numero- ouanto. til, -ao que ha de mais agradtvel. Pa-
sobresahem
f'rbano.
Fazendo estas observa'^oes, apressamo-nos a di-
zer com o mestreJV paucis offendar maculis
E passamos adianto.
Da carta do Sr. Urbano se mMfesta a convic-
cao, a profunda, a invencvel, a*dolorosa convic-
cao, dominante em todas as potencias de sua al-
na ; a conviccao ardente, nascida e revigorada no
orrer de longos deconnios, a conviccao que ur^e
transformar de todo o ponto a legislaeao eletoral,
limde ser neroita expressao do voto, assim co-
PUBLICACOES A PEDIDO.
lo Musir eorpo eletoral da
provincia de Pernambueo.
Nao estranha novidade o apresentar-mc can-
didato senatoria, porque muita gente tao des(iro-
vida de requesilos como eu o tem feito; novidade,
porem, e novidade grande, declarar que tenho
cincoenta annos: qoem tal dira I Sim, tenho cin-
coenta annos; 6 verdade que incompletos, mas
anda assim me peza mais fazer esta confissao, do
que pedir votos aos meus comprovincianos! Nao
e por ue me desdoure de pedir, nem porque me
envergonhe de ser velho, pois seria isso negar os
beneficios da Providencia; mas porque,me in-
tristeijo de* nao ver n'uma vida de meio seculo
um so servico relevante que me reeommende pe-
rante Deus, de cuja misericordia alias nao deses-
pero !
Outro tanto nao posso dizer a respeito da mae
patria, da qual segroda-me a consciencia que nao
tenlio sido mn filho intil. Menos queixa de mim
pode ter o meu partido, porque l tem nos seus
archivos a minha f de oillcio, e por ella pode ver
que nao coinmetli nunca desercao, nem simples,
nem aggravada. Desde que assentei praca regular
em suas lileiras, o tenho sempre acompanhado na'
boa e na m fortuna. Nao gemeu nunca, que eu
Ihe nao gemesse ao lado, attrabindo com a minha
broa do meu nome; mas entrei a fluctuar fia cer-
teza, si o expediente seria* bom. Urna vez por nu-
tra, fazia-me a mim mesmo este dilema: Si nao
peco, dirao ostes: quem nao pede porque nao
precisa, o Si poco, dirao aquelles: por pedir,
perdeu. Como sabir da difficuldade ? Abr o
Evangelho, que 6 o livro das minhas consolaedes,
o onde encontr sempre a resolucao de todos os
problemas, e l encontrei este onselho de Christo
bennor Nbsso; Ped, e receberei?. Petite, et ac-
sos amigos minha pretencao, tomando
desde j, a ser elei ;o pelo voto de couflan-
ca e de conformidade de ideas, o compro-
misso de desempenhar, quanto em mim
couber, to elevado encargo.
Agraoecendo, de ante mao, sua valiosa
eoadjuvaco, continua a ser, com a maior
estima e considerafao.
De V. S. amigo, patricio e sincero corre-
ligionario. Qjpriano Fenelou G. Alcofo-
rado.
Recife, 9 de fevereiro de 1869.
Ao digno eorpo eletoral da pro-
vincia.
A apresentacao de meu nome pelo conselho di-
rector do gremio da unio conservadora para um
lugar na lista dos depuUdos, e outro na dos sena-
dores, a cuja eleitjao se vai proceder, por mais va-
liosa que seja, nao me oxime do dever de dirigir-
me particularmente a cada um dos senhores elei-
tores, pednoo-lhes o seu voto; impede-me, porm,
de fazel-o a estreiteza de tempo, e a carencia de
eonhecimento dos nomes de urna grande parte del
les, porque ainda nao foram publicados.
Sirvo-me, -portanto, di ste meio para dirigir-me
a todos em geral, Ha esperanca de que ter des-
eulpaaminha falta, nao servrado ella de motivo
para ser menos bem acolhda a minha pretencao.
esperanca tanto mais bem fundada quanto nao a
primeira vez que os meus comprovincianos me hon-
ram com a sua eonianca, qual tenho proenrado-
corresponder, dando provas do meu amar a liber-
dade e a jusiiea pelos servicos prestados em dilfe-
rentes legislaturas, c em \inte e oito annos de ma-
gistratura.
Se ainda desta vez me bonrare com a inesrna
conflanca penhoiarao a minha grafidao c me ani-
marao a proseguir oa senda poltica que me tenflo
ra os senhores que soffrem de rrtecao e arden-
ca da pede causada pela manipulacao da nava-
Iba de barba, usando desle balsmico e refrige-
rante perfume, diluido em agua, encontrarn iwl-
le a virtudo modificante, o antidoto necessario,
serviido ao mesmo tempo, debaixo desta mesma
forma, como um meio excedente de ilissipar o
gosto e cheiro que fica na bocea depois de se ha-
ver fumado.
A administrarn do correio dosta cidade faz
publico que desta data em diante recebe assigna-
turas a 205 por anuo pagas adiantadas, e no cor-
reio, eque os senhores assignantes recebero suas
correspondencias e jomaos somente no correio, ua
conformidade dos avisos.
Correio de Pernambuco 18 de feveoero de 1869.
Oadmintstiador,
Domingos dos Passos Miranda.
De ordem do Illm. Sr. inspector da tliesou-
raria de fazendad'esta provincia sao citados pelo
presente os e'x-collectores do municipio de Igua-
rass. Carlos Augusto de Barros Lima, Francisco
das Chagas Cordeiro Campos e Ciaudinode Mene-
zes Vasconcellos de Druminond e cus dadores o.i
seus hordeiros se |ior ventura elles j forem fal-
lecidos, para no prazo de quinze das que Ihes
lica marcado a contar desta data, allegaren! por
escripto o que fr a bem de seu direito, produzi-
rcm documentos etc., sobre a tomada de suas
contas, sendo a do primeiro relativamente ao pe-
riodo decorrido de 10 de abril de 18(32 a 31 de
Janeiro de 186o exercicios de I8C1 a 1866, as do
segundo Io de setembro de 1863, a 31 de dezein-
bro de 1866, comprehendendo o exercicio de 1865
a 1866 e parte do de 1864 a 186o e as do (ereeiro
ao de 17 dcjunho a 12 de judio de 1866 exercicio
de 186o a 1866, em que servio de collector interino
d'aquello municipio. Secretaaria da thesouraria
de fazenda de Pernambuco 22 de fevereiro de
1869.
O oflicial maior
Manoel Mumeile da Silva Costa.
O administrador da reesbakru de rendas
internas geraes declara que tendo-se concluido o
lancamento do imposto pessoal do exercicio cor-
rente de 1868-69 das freguezias de S. Jos e Boa-
vi-ta, fica marcado o praso desle mez e de marco
futuro em que deve ser pago o referido imposta i,
sem multa, das sobreditis fn-cuezas, como deter-
mina a ordem n. 17 ilo ni i u isleo da fazenda de
30 do Janeiro ullimo.
Rocebedora de Pernambuco 19 de fevereiro dr
1869.
Manoel Carueiro de Souza Lcenla.
Faco constar a quem convier, que o Illm. Sr.
Dr. director geral da instrueco publica tem dosis-
nado o dia 20 de marco prximo viudouro pelas 10
horas da manliaa, para ter lugar nesta secretaria
o exaine de liabilitaco para o magisterio primario \
do sexo feminino.
As senlioras que quizerem fazer dito exame
devoran iuscrover-se na forma das instrueeoes >l"
11 de junhodo 1859, at o dia 19 do mesmo'.
Secretara da isiruecao publica de Penianjuco
19 de fevereiro do 1869.
.0 secretario, L
.__________Aurelino A. P. de Carvaino.
CORREIO GERAL
Relacao das cartas registradas vndas da Europa
existentes na adminlslracao do correio desta ci-
dade para os senhores abaixo declarados :
I'eloineno de Simone, Francisco Antonio Ote-
ro, Francisco de Simone, Francisco de Paes Bar-
reno, Francisco Pungitore, Guiseppe Butaferocr,.
Gioram Lacorozza, mela I.aoibaglia, Phpps 1.
Endcrs, Pasquih Lughlinino (2).
Aviso aos navegantes.
Capitana do porto de Pernambuco 17 de Feve-
reiro de 1869.
Em virtudo da ordem de S. Exc. o Sr. presiden-
te da provincia, manda o Ilbn. Sr. capito de mar
c guerra c capito do popto, publicar o edial
abaixo transcripto, relativamente a remocao do
pharol enllocado nos baixos de Braganca n'aquella
irovincia, conforme solicitou S. Exc. Sr. conso-
lido presidente da provincia do Para.
EDITAL.
m De ordem de S. Exc. o Sr. consclhciro prn-
dente da provincia, faco publico que tendo-se re-
movido a barca pharol da nosie/uf annunciada por
cdital desta secretara de 2 de Janeiro prximo
passado, acha-se ancorada a mejnia barca cm
quinze bracas d'agua em fundo JTareia fina, o ao
norte do Cotovello do batxo de Braganca na dis-
tancia ultimada de nina e me'a milha da frald
dito baixo, demorando-lbe a punta da ilha da Ti-
ioca por 13." sueste e a do Curuc por4o. lam-
bem suc.mc, u na luii. oul 'i'V Ht" t na teng. oeste
do meridiano de Grew. 47" 40* 47''.
Os navios procedentes do leste que demandarcm
a barca pharol, logo que estejam leste i
com ella, navegaro ao rumo d"oeste verdadeiro,
passando ao norte da dita barca, e logo que a te-
nham montado navegaro ao sudueste.
Secretara do governo do Para 8 de fevereiro de
1869. O snretarid interino Joo Brigido dos
Santos. Conforme, o nfftcial maior Raymundo
Alves da Cunha. Confere, Antonio Aunes .'
me Pires.Confer, Campos.
O secretorio da capitana
Deew d'Aquiuo Fimreea.
. THEATRO
DE
S. ISABEL.
0 sangue.
teuacidade o furor dos adversarios, e provando ao
mesmo tempo que possivel ainda vver no ostra-
cismo sem despir a constancia, e a independen-
cia.
Tinha resolvido nao fazer circular, e descancar
somente no favor collectivo do partido, que se len- O teueute eOi'ODiel Deelo d'Aan
tracado, julgando assim promover a felicdade e
engrandecimento do nosso paiz.
Recife 20 de fevereiro de 1869.
.t/tviroBarbalht I'ch^'-Covalcante.
Todos saliera que urna das necesidades
mais imperiosas da vida" e conservar o san-
gue lirapo e puro.
E' tambem geralmente admitdo que
grande somma dos males que atacara o
homem provem do estado doentio do san-
gue ; este grande pbulo da vida huma-
na est^raco e recusa preencher as suas
funeces naturaes, ou est cheio de corraf?
cao e sobrecarregado de humores e vicios,
que por vezes rebentam na pelle em forma
de dartros, empigens, borbulhas, nascidas;
n3o obstante todos reconhecerem esles fac-
tos, poucos ha que sabem com que facili-
dade se pode conservar o sangue empre
puro e limpo.
E' facilimo e est ao alcance de todos.
E' simple6raente precis tomar o extracto
composto de salsaparrilha do Dr. Ajer.
Este grande' remedio americano, com-
posto pelo primeiro chimico do seculo
um tnico incomparavel, fortalecendo todos
os orgos e expulsando do systeina
qualquer corrupeo.
Iiiizo dos feitos da fazenda de
Peruambuco.
Faz-se publico a quem convier e interessar pos-
sa, que fmdo o praso de tres mezes a contar de 24
de dezembro nltimo, se ho de vender em hasta
publica, celebrada na cidade de Goyanna e na .villa
de Itamb, perante o sobredito juizo, as trras per-
tencentes ao extincto encapellado de Itamb, cms-
tantes do edital de praca, publicado no Diario de
Pernambuco do citado dia. Os que pretenderen!
lancar a praso^ conforme o art. 4 da lei de 6 de
setembro de 1830, devero apreseular-re com seus
iia*)res habilitados, sendo as flaneas prestadas ad-
ministrativamente c com todas as formalidades
das flaneas fiscaes nos termos das instrucedes de
30 de dezembro de 1865.
0 escrivao,
Luiz Francisco B. de Almeida.
EMPREZA DRAMTICA
9a reelta de assignatura.
Quarta-feira 24 de fevereiro
EsTREA DOS AUTISTAS
Srs. Martinho Correa Vasques e Ednardo
Alves da Silva.
Primeira representaco do drama 5 actos de
Mr. Anice'Bougesis,
IMOL 0
COMMERCIO.
no Fonceea e o noticiador de
Fernando para o Jornal do
Recife.
Protesto a respeito do que se v escripto
no Jornal d? Recife com referencia a
guarda nacional destacada no presidio do
Fernando ao menos ao que respeita ai
batalhao do meu commando.
PRACA DO RECIFE 22 DE FEVEREmO
DE 1869.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDE.
Algodao de Pernambuco 1 aorte 1570O )>or ar-
roba, (sabbado.)
Algodao do Macelo 1* sorle = 17JI500 por arroba
posto a bordo, a frete de 1/2 e 5 0$
Algodao de Macelo i" sorte17300 por arroba
posto a bordo, a frete d S/8 e 5 0/o-
Algodao da Parahyba 1* sorte 16800 por ar-
roba posto a bordo, a frete de 5/8 e 5 5/0.
O inspector da alfandega faz publico
que no dia 4 do corrente depois de meio
dia, sero levadas a hasta publica livre de
direitos, as mercadorias abaixo declaradas
comprehendidas as disposices do cap, 6
tit. 3o do regulamento de 49 de setembro
de 1800.
Armazem n. 1
Marca SBUrna caixa n. 3 com cha vin-
da de Liverpool, no vapor inglez Saladin,
entrado em 30 denovembro de 1864, con-
signada a ordem, contendo 24 libras, valor
da libra 1^0034<$000.
Marca R P- Um embrulho sem numero
com amostra de breu, vindo de New-Yorch
no mate americano S. C. Evans, entrado em
21 de Janeiro de 1868 a H. Foster c C. sem
valor.
Marca HuWgos10 caixas n. 147 a 156
com rap, vindas de Liverpool no vapor
Saladin, entrado em 6 de marco do dito
anno de 1868, T. de Aquino Fonceea, con-
tendo 620 libras, valor das libras 25000
1:2400000.
Quairo caixas n. 163 166 com dito,
vindo de Liverpool no vapor inglez Gladia-
tor; entrado em 31 do-dito mez e anno, ao
mesmo Fonceea, contendo 248 libras a
2 Alfandega de Pernambuco 20 de feve-
reiro de 1869.
Jos Mauricio Fernandes Pereira de
arros.
0 inspector da alfandega faz publico,
que em virtude da autorisaco do Exm. Sr.
I-residente da provincia, em officio de 16
deste mez, serao levadas em hasta publica
I porta da alfandega, no dia 25 a 1 hora da
Urde, os productos chmeos nella doposi-1
Senhores.
D. Julia.
M.Velluti.
Apolouia.
Celia.
J. Augmto.
Martinho.
Eduardo.
Primo.
Peminagens.
Suzana Herner. ....
Diana Mondes.....
I.ucilia.......
A descoflhecida. .
Dr. Lab amblarte (medico). .
Chrislol (criado do doutor).
Gilberto D'Artigues. .
Honorato de Cegorac. .
Matnurino.......Jordani.
Moretto........Thomaz.
Roberto. ....... Santa Rosa.
O presidente Montbrson. Jos Victorino.
Sr. Duvemais......Ghimaraes.
Um criado.......Flaviano.
Camponezes, mocos, meirinhos etc.
Km Bordeaux 1822.
DBNMWACO DOS ACTOS
1.* acto.Um homicidio frustrado.Sala em casa
de Gilberto.
2. acto.Que encontr A estalagem de Roben >.
. acto.Duas mulheresJardim de Suzana em
dia de festa.
4. acto.Christol, serva de D. Abbade.Sala do
presbiterio,
5. acto.O enforcado,So hospicio de S. Julio
dos Bois.
D fim ao espectculo a nova comedia em
acto
OOU TAMBORES
n p^rsonagen9- Senhores.
Fomele, tambor mor. Thomaz
Bacquet, tambor.....Martinho.
Bnpda........Apolonia.
Im caix.iro. Guiniaraes.
Em Argel 1860.
Principiar as 8 horas.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DB
nravegaeio cosfelra por vaor-
Parahyba, Natal, Macao, Mossor, Anu
caty, Cear, Acarae e Granja.
O vapor Inojuca, commandante
Martius, segnira para os portes achila
no dia 3 de marco p. futuro as 3 ho-
ras da tafile. Recebe carga al o dia 2, encom-
mondas, passageiret e dinheiro a frete at as
i lioras da urde do dia da sabida no escriptorio
do Forte do Mattos a. It.

(
<


Diaria ce Ptrnambuco Tenga ffra 23 de Feveri?iro Je
'


4

-.
Para o Porto
seauir rom a maijr rcvidatto petslvol a mu ve-
galera p!>riafU(Ma .Yoro
a inaior parte da^rarga onuajada : para o i
passageiros, aus quaai ofirneoe xrajleues
modos : trata-se com Cunha Irmios de C, raa da
Madre de Dos n. 3.
C0MPA9KUIA BRASILEIRA
DE
Paquetes a vapor.
Dos ortos do sul esperado
al o da ;i do eorrente o vapor
Guar, commandante o primeiro
tenente P. H. Duarte, o qual de-
pois da demora do costume se-
guir para os portas do norte.
i < de j reeebem-se passageiro8 e engaja-sc a
carga que o vapor poder roniluzir, a qoal deyer
ser embarrada no da de sua chegnda. Lncommen-
das e dinheiro a frete al o dia da sua sahida as 2
hora-.
Nao se recebem como eneommendas senao *>h-
|ectos de pequeo valor eque nao oxcodam a aas
arr ibas So peso or H palmos cutticos de medieo.
Tudo qnepassar destes limiles dever ser cinbar-
cado como carga.
CO.MPANHIA PEANAMBCANA
DE"
Mavegaro costelra por vapor.
.Mamanguape.
O vapor Comrrpe, ciuiiinaiidantc Peona, seguir
para o porto cima no dia 27 do corrente as G
horas da tarde, se ne~to mesmo dia rhepar da
Europa o vapor inglez que se acha annuneiado,
poremnn caso contrario saliir no dia 28 as mes-
mas-tetras, recebando carga, eaeommenda*, pas-
sagoiroj edinheiro a frete somonte al 3 horas da
tarde do dia 27 uo cscriutorio do Forte do Matos
ji. 42.
Para o Porto
i a barca portugue Aoro
'< P r lti gran parte da son carga promp-
ta, pa iws fcos qnaea offerece
cales munodos lrata-se com Oliveira Ribos
& C, largo do Corpo Sanio n. 19 ou com o capilo
na praca do commercio.
Para o Porto
Segu com muita brevidade a barca porguezs
Harmona, para a carga e passageirns trata-A
com os consignatarios T. do Aqnino Fonseea e
C, ra do Vigario n. 19, Io andar, ou com-e o e
pitao na praca.
LEILAO
Para l,is>oa
o brigue portoguez Hrlaiupwjo, segu em poucos
dias, tem a carga prnmpta e para o resto e pas-
sageiros trata-se com os consignatarios T. do
Aqnino Fonseea A C. ou com o capitao na piara.
Tara o Porto
seguir dentro em poucos dias a barca portugneza
Amelia, do 1* marcha, por j ler niais de dous
tercos de sua carga prompta ; para o pouco que
Ihe'falta e passageiros, aos quaes offerece exeellen-
les commodos, tratase com Habar. Oliveira A C,
na ra do Vigario n 10.____________
PAR
COMPAIHIA
DAS
Messageries imperiales.
Ateo dia 2 de marco espera-sc dos portos do
Mil > vapor francez uienne, commandante A. de
la Nbe, o qual depois da demora do costume se-
guir para Bordos tocando em Dakar (Gore) e
Lisboa.
Avi.-a-se aos Sis. passageiros (pie por delibera-
cae do eonselbo de administraran se acham redn-
zidos de lis. 125 as |iassagcns de segunda classe
para Brdeos e Lisboa,assim como se poneederam
bilbetea de ida e volla para os portos do Brasil e
Rio da l'rata eom 2j "/ de abatiniento pelo lempo
de seis metes.
Rara eondicedes Croles e passagens irata-se na
ida roa do Commercio n. >.
COMRVNI1IA PEKNAMHICAA-
DK
XavcgaeSo costefra por vapor.
Macei, escalas c lVncdo.
O vapor Polengi, commandante
l'ereira. seguir para os portos cima
no dia .1 di- marco as S horas datar-
de. Hecebe carga at o dia 2 as 3 horas da lar-
de, eneommendas, passageiros e dinheiro afrete at
as! horas da larde do dia da sabida no cscriptorio
do Fartc do Mallos n. 12.
COMl'A.NHIA PERNAMBCANA
DE
IVaregaeo costeira por vapor.
Goianna
O vapor Mamanguape, com-
mandante Mello, seguir para
l)orlo cima no dia 20 do rorren-
te as 9 horas da imite. Recebe
. carga, eneommendas, pasairei-
ros e dinheiii) a frete no cscriptorio do Forte do
Mata n. 12.
Baha
Para a Babia sahe dentro de seis dias a polaca
italiana Sara, quem quizer na mesma auroveitar
carca euteiiifcre com o consignatario Joaquim
J"s Goncalves Beltrao, ra do Trapiche n. 17,
A BRASILES
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at o dia 28 do corrente, o vapor
Paran, commandante o capitc
de fragata Antonio Joaquim de
Santa Barbora, o qual depois da
demora do costume seguir para os do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se-a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia desuaehegada. Eneommen-
das e dinheiro a frete at as duas horas do dia da
sua sabida.
Noserecebem como eneommendas senao ob-
llos de pequeo valor e que nao excedam a duas
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medicao.
Tudo que passar destes limites dever ser embarca-
do como carga.
Previne-ge aos Srs. passageiros que suas passa-
gens s se recebem na agencia ruada Cruz n. 57,
i- aodaar, cscriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
redo A C.
Com muita brevidade segu para o porto indica-
do a barca portogneza Belem, capitao J. J. deFrei-
las, a qual tendo a niaior parte do carrogamento
promplo, recebe o resto a frete, jara o que trata-
se noescriptorio de Amorim Irmaos, ra da Cruz
numero 3.
l>e um carro la alfaudega e iim
lioi manco.
Junrta-feira 24 do corrente.
No caes d alfaadega as 41 her pe'" a^n,n
Pontual.
LEILAO
Cavallo furtaco.
De 200 caixas eom superiores
passas.
Quarta-feira 24 do corrente.
O agente Pestaa far leilo por conta e risco
de quem pertencer de 200 caixas coiu superiores
passaraesembarcadas a semana passada, e scrao
vendidas em um ou nrais lotes a vonade no dia
cima as 11 1|2 horas da manha no Ann^s largo
da alfandega.
LEILOES.
De 9-i saceos com fejao.
ikmi:
O agente Pestaa far leilo de 74 saceos com
leijao em um ou mais lotes no trapiche do barao
do Livramento no dia acuna as li horas da ma-
l hiia.
IiKIIAO
DE
Um carro americano de 4 rodas, coberto, com
hincas < ai icios para un e dous cavallos.
lm cavallo proprio para carro.
Um burro gordo, manso e proprio para sela c
carro.
Fin cahriolct (dog-cart) de duas rodas com ar-
reis para um cavallo.
Quarta-feirt 24 do corrente a i hora da
tarde.
Por intervenfo do agente Pinto. Na ra do
Mondego \v. sa de residencia do Sr. Thomaz Adamson Jnior.
e
fl
movis, lonca e crystacs.
A SABER :
Um piano de armario, urna mobilia de Jacaran-
da com lampos de pedra marmorc, 2 grandes
espelhos, quadros com linas gravaras, candieiros
a gaz, 12 cadeiras italianas, 1 tapete grande (for-
ro de sala), 1 relogio, 1 guarda roupa, 1 guarda
vestidos. commoiLis, espelhos, lavatorios, camas
com colxo, i cadeira privada, 1 jogo de bagatel-
la, 1 mesa elstica, 1 guarda louca,2 aparadores,
1 quartiiibeina, 12 cadeiras, 1 sof de amareilo,
louca para cha e jaular, garrafas, copos, garfos,
facas ecomeres, 1 urna de electro pate, 1 galhei-
teiro, 1 sal-ira, 1 exccllcnte fogo americano, 1
lote trem de cosioha, (landres, 1 machina de lavar
roupa. filelas em conservas. 2 caixas de vinbo
museatel e muits outros objectos.
Quarta-felra -tile fevereiro
Na ra do Cotovello (Boa-Vista) casa nn-
mero 1 A.
O agente Pinto autorisado pelo Sr. Thomaz
Adamson Jnior cnsul dos Estados-Unidos, far
leilnds movis e mais objectos acuna desenp-
tos existentes em casa de sua residencia ra do
Cotovello n. 1 A, (Mondego) casa pertencente ao
Sr. l>r. Jacobina.
As 10 1/2 horas da manha partir da praca do
commercio um mnibus (gratis) para transporte
dos concurrentes ao leilo, o qual principiar as
10 3|'i horas em ponto. .
De 50 saceos com Jarro a da lu-
dia c "iO ditos com plmeiita
dito.
Quarta-feira 24 do corrente.
O agente Pestaa far leilo por conta o risco
de quem pertencer de ">() saceos marca T 1 com
arroz da India n. 1 a 50 e 20 saceos com a mes-
ma marca n. 2 a 20 com pimenta vindos de Li-
verpool no navio ingles Sn/iplio, capitao C. frso-
ner, entrado ueste |x>rto em lflide Janeiro passa-
do e ambos estes gneros avariados de agua sal-
gada a l)ui do do mesma navio e serao > elididos
em leilo nodia (|uula-feira 24 do corrente pelas
H horas no largo da alfandega.
pe das ebnas do lado direito, te falta de cabello
por causa decorar erogase as autoridades com-
potenlF.s apprehensio donn-snin on i ntra qualquer
nessua, pouetjtlo lova-lo a villa da Cabo a casa do.
Sr. vigwrsjptjyrjiem recoiii|KMisada. ^____
- Prehsa-se de um caixeiro para taberna que
sama dfeseinuenhar o teu lugar : s ra do Ran-
gcl n. R7:
i ;*]
- "t c -
c P
LEILAO
De um piano forte de Vigne^ cadeira e raftsicas,
1 guarda vestido de amareilo, 1 rica secretaria,
2 cadeiras de braco de Jacaranda, 1 cama fian-
ceza de amareilo, 1 par de serpentinas. 1 par
de jarros, 1 tpele grande, 1 commoda de jaca
randa, 1 mesa elstica de 6 taimas, i flauta de
bano.
Cordeiro Smiles
far leilo dos movis cima c existentes no 2" an-
dar do sobrado da ra do Cabug n. 9 A, aonde
se effeituar o leilo, feto
Quinta-feira 2o do corrente
as 11 horas em ponto.
AVISOS DIVERSOS.
Para o Maranhao
A barca portugneza Despique II, de primaba
classe, Torrada de cobre, sahe com a carga que
bouver nestes 8 dias : a tratar na travessa da
Madre de Dos n. 10.
Para Lisboa.
Segu com muita brevidad. a barca portugueza
Graliddo, tem grande parte da sua carga promp-
ta ;, para o que ainda Ibe falta e passageiros, tra-
ta-se com Oliveira Filhos & C, largo do Corpo San-
to n. 19,oii com o capitao na praca do commercio.
Para Lisboa
V i sabir com muita presteza o brigue portu-
guez Cuneante II por ter grande parte do seu
carrogamento prompto : para o restante e passa-
geiros, trata-se com Oliveira, Filhos & C, largo
du Corpo Santo n. 19, ou eom o capitn na pfraca
do commercio.
Maranhao
Segu com brevidade o palhabote Joven Arlhnr ;
para o resto da carga (pie Ihe falla trata-se com os
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo &
C, ra du Cruz n. 57.
LEILAO
De um relogio de ouro patente, 2 cadeias de ou-
ro, 1 medalhao de ouro, um caixao de felha para
roupa, diversas pecas de roupa usadas, um re-
wolver de 6 tiros, 5 mesas. 6 bancas, 2 consolos,
20 cadeiras com assento de palha, una dita de
balanco, 2 relogios de parede, 1 marqueza, 1 mar-
quezo, 14 moxos, bancoj. quadiiis, colhercs, co-
pos, garrafas, pratos. mchica de fazer calV-. ban-
deijas, garrafas de vinbo di Porto, vinagre em
barril e muilos outros artigos proprios de hotel.
Quarta-feira 24 do corrate.
O agente Martins far leilo |ior aatorisacao do
lllm. Sr. vice-consul de Hespanha, dos movis c
roupa cima *pertencentes ao espolio do subdito
hespanhol Jos Filippe Martins, na ra estreita do
Rosario n. 3, as 11 huras do dia cima. ,
0 MAM COCHO
Pensamentos methaphisicos
O genio do mal e a inveja juntaram-se
para promover em ambos por meios illici-
tos o triumpho da ingratidao; porm o
bom Deus em suu santa misericordia fulmi-
uou do alto de sua divina justiga^ a liydra
de varias cabecas que tem devorado o- bem
demuitas familias. Agradeco ao Altissimo
de me ter dado a forra para esmngar o
modernoAtilaque s tem de humano
o emvolope do bomem, enrequecido a cus-
ta das lagrimas das viuvas e dos innocentes
orpbao?, oceultando sobre o manto, (la san-
tidaile as garras envenenadas, para melhor
estrangular suas victimas, e comer o resul-
tado do trahalho e sugar o suor de muitos
anuos de economas licitas. Nao ilorine
de noite, de dia r.ao come, o lempo pou-
co para pensar de accordo com os eiticei-
ros africanos, por que modo pode fcilmen-
te Iludir a justica dos homens....todos os
meios sao bous; para elle vale mais ser la-
droque tlo '. Yerdadeiro cancro que
devora a liiimaiilibubi, e accordo com a
rima da esperanca, que com as vestes en-
lameadas, alfronta a opinio, a cabeca co-
beila com o capacite da jiuominia. arras-
ta no lamacal da perdiew as mulhcres de
petisainento fi-aco; os seus precedentes sao
mais embncadosque as negras nuvens
impellidas pela tempestadesobre a super-
ficie da torra; o contacto de semelbante
meteoro mais perigoso que o veneno da
cascavl inoculado pela sua terrivel den-
tada Deusmelivre do contacto de se-
mentante fera l
Recite, 19 de fevereiro de 1869.
L. Pugi.
V.-ii praca lerca-feira na audiencia do juiz
de paz de Santo" Antonio, amafio e .ilguus objec-
tos dh fonileiro, wr execuco contra Marcos Go-
mes da Silva, sendo a loja na ra estreita do Ro-
sario n. 17.
Atteii^ao
Urna pessa que sabe ler, escrever e con-
tar, se offerece para caixeiro de esetiptorio
ou mesmo de ra. Os pretentlentes diii-
jam-se a ra da Imperatri/, n. 1G, Io andar.
Precisa-se de um preto estrave para todo o
servico : na ra da Cruz n. 1. primeiro andar.
MUITA
ATTENCAO
o
Tendo-se recebido novos vestuarios bor-
dados para anjos de procissao continuam a
ser vestidos com elegancia : no Recife ra
da Cruz n. 48, segundo andar, e na Boa-
ista ra da Conceico n. 17.
Para cozinha
Precisa-se de una pessoa que cozinhe bem : na
ra do Crespo n. 2.'t.
= Aluga-se um sobrado de um andar na ra
dos Copiares ou Lobato n. 3, tendo 2 sala?, 3
qnartos, cozinha fra, terraeo c bom quintal, ca-
cimba mecha : a fallar na ra do Imperador, so-
brado n. 2, entrada pela de S. Fraricisro.
LEILAO
de fazendas deterioradas a
94 do eorrente.
O agente Oliveira far leilo, por conta Arisco
de quem pertencer, de algumas caixas de chitas
de coberta cin mo estado por deterioramento pro-
prio, alguns fardos de estopa e ontris fazendas
avariadas viudas recentementc de Liverpool no
vapor La Piala.
QUARTA-FEIRA, 2i DO CORRENTE
s 11 horas da inanha em ponto, em sen cscripto-
rio a rea da cadeia n. '. 1 andar, por cima do ar-
nazeiii de fazendas do Sr. Barroca.
LEILAO
IIK ESCI&AVOS.
0_ agente Pontual vender em leilo por autori-
sacaudo diversos os escravos seguintes: 1 escra-
vo cusinbeiro e sapateiro, idade 23 annos, um mo-
leque idkde |0 annos, 4 escravas engommadeiras
e aosinlieirs de 18 a 26 annos de idade.
Quinta-feira 23 do corrente.
No Io andar do sobrado n. 62, a ra da Cruz,
as 11 horas.
rmandade doSantissimo Sa-
cramento da freguezia da
Boa-Vista,
Nao se tendo reunido numero legal de irmos
para que podesse fur.ccionar a mesa geral, con-
vocada para o dia 21 do corrente, de ordem do
nosso irmao ju'z, coi vido de novo aos nossos ir-
maos para comparecerem quinta-feira 2*> do cor-
rente pelas 6 horas da tarde em nosso consistorio,
alim de em mesa geral se tratar de negocios ur-
gentes tendentes a interesse da mesma iruiandade.
Consistorio da rmandade do Santissimo Sacra-
mento da matriz da Boa-Vista, 22 de fevereiro de
1869.
O cscrivo interino
Marcolino Jos Pupe..
Escravo fgido
Fngio em 23 de Janeiro de 1869 o escravo Ma-
theos, de meia idade, cor preta, falla grossa, bexi-
goso, tem pelas costas cicatrizos de bacalho, tem
una verruga no canto do nariz, os ps foveiros,
corpo regular, tinha sido do lllm. Sr. Agostinho
Leocadio Vieira, em Panellas de Miranda, que ha
poneos mezes de l veio fgido; pede-se as auto-
ridase capitaes decampo de o pegar e traxerem
a seu senhof Jos Ca dozo de S, na ra da Lin-
gueta no llccifo h. 3 ; e mesnio protesta contra
qualquer pess.-i que a teidia acoutadoj a ji'atiti-
car bem a quem o pegar. Consta an^ar na Boa-
Vista na estrad*-->Ji);i-to Barros.
Copeiro.
Precisa-se de um copeiro no hotel Cenital, que
seja deligente e de bom comportamento, paga-se
bem agradando : rda'larga Jo Rosario n. 37.
Aluga-se urna escrava de 13 annos para o
BervHje hNerno ile casa de familia : na ra do
Imperador n. 50, 3" aodar.__________
ATBLCO"
O abaixo assignado, liquidatario d,i extincta fir-
ma de Ribeiro & Irmo, julga-se qi tes para com
os credores a referida lirtHa ; porm se algiiem
se julgar credor aprsente sua conta no praso de
oito diasy a contar desta data, alim Je ser confe-
rida e |iaga. o mesmo abaixo assignado roga aos
seus devedores, tanto da extincta firma de Ribeiro
A Irmao, como seus especiaes, que venham saldar
os seus dbitos no praso de 30 dias, tendo de ser
ajuizado todo aquello que o iletx.-u- de fazer no
praso improrogavei aqui marcado. Recife 22 de
revoreiro de 1869.
Francisco Jos Luiz Ribeiro.
LUIVIILIUI
Empresta-se dinheiro sobre joias de
ouro, prata, brilhantes e pedras preciosas:
na ra das Cruzes n. 2, entrada na tra-
vessa das Cruzes no 1-, andar.
AVISO.
Constando ao abaixo assignado, genro do
finado tenente-coronel Jos de S Alba
querque Mello Gadelho, que o Sr. Jos
Maria Ferreira da Cunha, morador na ci-
dade do Recife, se constitue credor do
mesmo finado, e tendo o abaixo assignado
desde o fallecimcnto daquellc tenene-coro-
nel se dirigido ao referido Sr. Ferreira da
Cunha, para apresentar seus ttulos, e
serem liquidados, e nao o tendo feito at
a presente data, declara de accordo com
OS 01913 IlL'ldeiius que i)3o oo roopono
bilisa.por qualquer premio que por ventu-
ra queixa o mesmo Sr. exigir quando
exisla debito legal, pedindo ao mesmo
lempo a razao de tamanha demora.
Engenho Mugav de cima, 17 de feve-
reiro de 1869.
Henrique Olimpio Tavares da Rocha.
Manoel Luiz Pacheco, faz publico para scicn-
cia do resoeitavol corpo do commercio que. nesta
data licou na posse exclusiva do estabelecimento
de taberna sito no largo de S. Pedro n. 1., para o
3ual tinha admittido como socio o Sr. Joo Macha-
o Evangelho, e cuja sociedade tem girado at hoje
sob a firma de Manoel Luiz Pacheco & C, aqual
lica dissolvida, retirando-se o socio Machado peo
e salisl'eito do seu capital e lucros, e obligado o
anuuncianle liquidae > do activo e passivo.
Na ra da Sanzalla Velha n. 22 (casa terrea I,
precisa-se alugar pretas ou moleques quitandeiras,
pagar bem semanalmente.
Precisa-se d'uiiia criada de b.m- cujame<
para casa de familia, que nao esteja aco-tumada a
ra, prefcrindo-sc escrava, quo cosinhe e engom-
mc comjwrfeicvi, a tratar na luja da ra nova
n. 47.
Aiigeliuo Pacheco da Costa faz publica, que
vendeu o seu estabelecimento sito a ra do Impe-
rador n. 13,aos Sis. Joaquim Jos dos Santos J-
nior e Jos Pinto Tavares Jnior, a cujos Srs. o
mesmo far entrega no dia 1." de margo prximo
vindouro.
Francisca Morena liis Lobo, Manoel Ignacio de
Oliveira Lobo e Antonio Moreira Reis, esposa, pai
e sogro de Manoel Izidoro de Oliveira Lobo, fal-
lecido em Lisboa a 26 de Janeiro fiado, pungidos
pela mais acerba dor, convidam a todos os paren-
tes e amigos seus e do fallecida o caricioso ubse-
auio de assistirem a missa de Rquiem, que por
seu descanco eterno mindam celebrar no dia 2o
do corrente, trigsimo diado seu passamento, na
igreja do Nossa Senhora d Carino, as 6 1|2 ho-
ras damauba, pelo que llie licaro eternamente
gratos pela assistoueia aos ltimos sulTragios por
sua alma.
Ama
Procisa-se denma ama : sario n. 41, loja.
ML

i Q ^
2'^ o^ a
.2 o
.2
11 --S
e-i
"u c X
O re P J
S '3
- re
* Si 5?
, O
s
r,-es
llSreO
vi G i
"1 1* O)
2-; ce -a
.V c en
P js g
P
i k f?
O re O O
tre c~Oi a g
.2.b reg
Ift- Ji
o p s -a
5= c v
2S^2
v 2 S .
SSlgg
M s
sis
"c 2 -7. f
loSS
11
re ,r.
~ a
re B
Lindos cortes de cassade cor com barra.e com figurino indicando o molde do vesti-
do pelo baratissimo preco de 34500 o corte
Ditos de percalia muito modernos com duas saias a 5#000 ris
Na loja das Columnas da ra do Crespo n. 13 de atonio Correa de Vascor.-
cellos & C.
BAifi HOTEL
DO
BRASIL E PORTUGAL
Situado em um dos bairros mais cenlraes de Pars, sendo as immediacoes do-*
principaes titateos e otros muitos divertimentos, e assim das estac.oes dos caminhos df
ferro para todos os pontos da Europa, acabado de ser inteiramente renovado, nao si*
tendo poupado o seu novo proprietario a despezas para seu completo embellesamento o
aceio, torna-se portanto vantajosamente rccommendavel aos senhores brasileiros e por-
tuguezes, a onde encontrado sempre aquella convivencia desejada em paiz estranho.
por ser constantemente frequentado por seus compatriotas. 0 tratamento superior ;t
todo o elogio, mesa redonda, ou a carta, ou servida nos apozentos; habitacoes conve-
nientemente despostas para familias, e quartos para urna s pessoa, o servico feito
com a precisa regularidade : os presos muito rasoaveis c ao alcance tambem d'aquellas
pessoas que se queiram limitar.
Gabinete de Ieitura com os principaes jornaesdos dous paizes, salo de recepcSoe
de msica, etc. etc. Todas estas vantagens podem ser applicadas igualmente aos senho-
res passageiros das repblicas do Prata, porque alm da semelhanca da lingua, ali en-
contrar5o muitos senhores hespanboes, por quem tambem esta casa bastante fre-
quentada.
i PHOSPHATOdeFERRO
Precisa-se na loja da ra da Cadeia n- )
Dcbaixo da forma d'um liquido sem sabor,
anlogo a urna agua mineral, este medica-
mento rune os elementos que constiiucm
os ossos e o sanguc. E' o mais racional dos
ferruginosos; por esta razo o adontarSo
os mais eminentes mdicos do mundo iu-
teiro. Convem muito s meninas de temperamento delicado, cujo desenvolvimento tardo,
s senhoras que padecem d'estas dores d'estomago intoleraveis, causadas pela cblorose,
anemia, menstruao ou leucorrbca, s crianpas d'uma compleicao paluda e delicada, e a
todas as pessoas que tem o sanguc empobrecido pelas doencas. Efficacia, rapidez d'acco,
cura Yterteita, sem constipafao de ventre nem aejao sobre os denles, laca alo as raides que
imperio para que os senhores mdicos o prescrevo aos seus doentes.
Deposito em Pernambuco, em casa de afamar a 0a.

CAPSULAS VEGETAES
V Estas capsulas, com capa de tfiuen, cor.tcra o balsamo de copabib assoclado esseooa de
Malico (arvore do Per), e constuem um remedio infallivel contra a gonorrhCa. Ellas obrio
sem cansar o estomago e nio provocio nunca os enjoos c nauseas que oecasionio as capsulas
ordinarias, tendo a immensa vantagem de nio communicar cheiro s ourinas. E por estes mo-
tivos que ellas sJo superiores s capsulas de copahiba, cubebas, ele.
a Deposilo'em Pernambuco, em casa de BCanrer a O*.
. I
RIJA
:do
CABUG
esquina
da ra lj
Ros;
AMELD
-------_._ MU MM^-_
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortimento sem igual,
, e vende por presos que nenhuma outra casa pode vender.
viga d qualdade e do prepo das joias cada um pdder-se-ha convencer daverdade.
I Garante-se ser tudo de lei. Compra-se ouro, pyata e pedras finas por prepos muito ele-
vados* ^
Ifj A loja est aberta at s 9 horas da rioute.
CABliAg
esquina fj
da ra larga dofll
Rosario.
aiirmitiwpw a**i**
7\rt


*..

Diario ac
=

ut do Torres fl: 16,2 indar, precisa-se de
rana ama que eugomniee Stohe para urna pes-
soa.
Casino de arlthmetlca, algebra e
geometra.
O baeharel em direito Cascmtrn Borges Gudinho
de Assis, cusina estas materias no pnmeiro andar
da rasa n. 17, sita na ra Nova, das 7 1/2 as 8/2
horas da manhaa aos senhores estudaMes que de-
~_ o Sr AhIoiio francisco Duarte quoira appa- seiam fazer exame no collegio das artes, o das 7
reeer na ra Direita n. 58, a negocio de seu inte- i/a as 9 da aoite aos seohorcs empreados no com-
resse. i mercio.____________________________________
XoiSrteS. Francisco Xavier Trocarse
Estabelecdo na grande e bem .rejada ca| t^S^^^J^ ^^JSSl
BARTHOLOMEU ft C.
onde estove o Gymnasio, na rua do HosJ pendencia r
picio n. 32, dirigido pelos padres da*-
cooipanhia de Jess.
O reverendo padre director daste collegio swen-
wfic;i aos pais de seus alumiws e dos denwis que
quiten* conliar-lhc a educacao de seus filhos,
que ne dia 3 de fevereiro cwacearo a fuceionar
todas as aulas, adiando-se abenas ja as matri-
cnlas. Recebwn-se meninos de 6 a 12 annos
para seren instruidos as materias preparatorias
dasaculdades do imperio, 3 saber, primeiras le-
tras e lingoa nacional, ge o^rraplvia c historia, an-
ihmeticae geomria, ingle, franmz, (da-sewfe-
rior e superior), tatim. da-se nfima, media su-
prema, isso a pirtica da prosa e da poe*a), e
Analmente humanidades ou a intcoduC$ao a rlioto-
rica, que comprchende os tratados do est\*o e da
locucaoquer-em prosa quer em poesiaNgastfOM
lingou latina a nacional. A msica para canto-
na e |>ara todos os iiisiriuuentos de sopeo e cor-
das, assim como a? lingoas anemia, italiano, gre-
ga, ebraica sera ensinadas i iedido dosseubores
pais
No sitio n. 1 a*nagem, vende-se urna
esrrava de nieia idade. ._
Escfiptorio
Gomes de MaRos Indos esto com o seu es-
critorio aberto na rea do Vigario n. 26, an-
dar : propoe-se a qoalquer consignado, menos
de escravos.__________________
JCEHXNQ
Precisa-se de um menino que safo comprare
toe mais algn servieo de casa : na ra do Im-
perador n. 73, 2" andar.
Rio de Janeiro.
Zeferiuo ^Umeita Pinto, advogado no
Rio de Janeiro com eseriptorfo de agen*
a na na dos Pescadores n. G8, encarre-
a-se de todos o quaesquer negocios judt-
ciaes e administrativos, mediante
Iionora-
^romirecc-se urna pessoa para tratar de um
sitio gratuitamente, porm com as condiroes que
pretendentes ferao: a tratar na ra da Con-
cordia, taberna n. 11____________________
U<
r
No armazem de Candi*) Alberto Sodre da Mot-
ta iravessa da Madre de Dos n. 14, csfcio paten-
tes mais d<- dez mil amostras de papel o mais lin-
do que se lem Visto nesta provincia, desde o mais
simles'at o mais sumptuoso e proi.no para
eua'rniru e forro de salas, gabinetes, tapa de
"reja sancluarios. lela nriedade e belleza de
seus desechos e arabescos primorosamente dou-
rados O custo d-sse artefacto o mais razoavel
rios e commissoes rasoaveis e moderadas,, j,'^ p(rqupnas se angeitar o Sr. preten-
As pescas que de seus serviros se qui-
zercm utilisar, poderao rigtr-6e pessoala
mente oupor carta ao flScriptono acuna ou
a casa de sua residencia, Calate n. I7,
acompanhados de totkis os documentos
precisos e com indica?*) da pessoa com
quera sepossa tratar/
Para mais informaces dirigam-se a bo-
tica da roa larga do Rosario n. tO, tiesta
idade. ^_________________
Ama
Precisa-se de una ama : na ra da Coneeieio
o 4;>- ^^___
Precisa-se de una ama para cozinliar e en-
tornillar em casa de um hoinem solteiro : na ra
la Concordia n, 125. ____
Pede-se ao Sr. Manuel da Costa Pereira, prali-
, inte da reparti0Q das obras publicas, ora em
lilwatiio, quecoinpareca m Augusta, sobrado
a. 02,a'flmde saldar o sW debito, ou pagar o
que pedio, e isto com brevidade. ____________
Attecao! attenco!
Guilhermino Rodrigos do Monte Lima faz sci-
.'iite aos ofeiaes de todos os corpos, que acaba de
receber um completo sortimento le espadas, i.an-
Jas, talins, talabartes e charlateiras. e mais per-
tenes Assimeomo receben tambem chancos de
oleado para criados, do epa alta e baisa, com
eordao de ouro ou prata, e vende mais barato lo
.me em outr.i qualquer parle, na praca da Inde-
pendencia n. 17, jumo a loja do-Sr. Afames.
Precisas-e,c'wa ama e crava fie saiba,
ozinliar, engooimar e laa-r compras .paj-'n-s.-
lieni) : a tratar na rua da Cadeia do RecifC n. 1,
armazem._______________________
Preuia-se de una engommadeira ; na rua
do Queiiuado n. ti. primeiro andar.
isau-i ib*
tmmm be ttJffl
N. ) RUA DIRKITA N. 3
As pilulas, o xarope alcohlico e
o etliereo de veame, eonfoitne a
formula do linado pharmaceulico Pa-
ranhos, assim como a pomada con-
tra as inclcacoes erysiplosas, achao-
se venda, na botica de Francisco
Antonio las Cliagas rua Oiieilan.
3, defronte do armazem de molha-
dos denominado viado luanco. Es-
tes medicamentos teem sido e sao
dos mais enrgicos agentes auxilia-
dores da natureza na debellacao das
doencas, servitido de grande alivio
a luimsntdade solredca, principal-
mente aquelifs, que dispondo de
poucos recursos e nao podendo p*
muitolempo peimanecerem em um
tialaniento talvez intil, pela inefi-
cacia de cortos remedios, recorr aa
eiles; e por isto asss recimi-
mendados se tornao, para as negadas
que sofD-em de reumatismo, escr-
fulas, ulceras, impigens, ensipla,
tumores nos ossos, tosse, asllima,
amenorrba ou stwpresso de mens-
truo e menstruaco difiicil, sendo
porm usados conforme a direecO'
escripia que os acompanlia.
dente a urna diminuta rommisso alm do mdico
preco porque vende o fabricante em Pars.
No inesino armaaemde Candido Alberto ven-
de-se muito em conta o seguinte :
Muito bom farelo
Por 5J o sacro de 120 libras. E' muito barato !
ptimo cimento
Por 105 a barrica de 12 arrobas. Nao ha que
dizer. ^_^_^
.^'iiiav>'u> de taberna
com ns Besa partenees, pesos e med das etc., ludo
em muito bom estado e proprio para Iguin prin-
cipiante : vende-se por metade do seu justo val

Joaquim Jos Gon-
calves Beltro
RUA DO TRAPICHE N. 17, 1. ANDAR.
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
co do Minho, em Braga, e sobre os segra-
les logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
ValenQa.
Guiraaraes.
Coimbra.
Chaves. +i.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de FamalieSo.
Lamego.
Lagos.
Covillia.
Vassal (Vnlpassos).
Mirandella.
Barcellos.
UTIIiIDAE
\os 500 paros de brincos.
Chegou e vende-se no Coracao
d'uro, rua do Cabug, brincos de
mosinhas com urna franja penden-
te a um rico desenlio c ouro de
| lei, pelo pequeo pre?ode 15#000
* cada par. baratissimo.
PARA USO INTERNO
P n EPAR A DOS SIMPLES
Xarope de jurubeba garrafa. IvlOOO
Vinlio de jurubelw garrafa. liJBQO
Pilulas de jurubeba vidro. I()l600
Tintura de jurubeba vidro. 8*0
Extracto hydracoolico de jurubeba. 12^800
PREPAHADOS COArPOSTOS.
Vinho de jurubeba ferruginoso garrafa. 2#00G
Xarope de jurubeba fen-uginoso garrafa. 1^600
Pilulas de jurubeba ferruginosa vidro. 2t000
Oleo de jurubeba vidros. 6*0
Pomada de jurubeba pote 840
Emplastro de jurubeba libra. 2plOO
PARA USO EXTERNO
fA JURUBEBA.
Esta planta 6 hoje reconhecida como mais poderoso torneo, como um excel-
lente deiobstruente.e como tal applicada nos engorgitamentos do ligado e baco, as
hepales propriam rile, ditas, ou ainda complicadas com anazarchas, as inflammac?^es
subsequentes as febres intermitentes ou durezas, nos abeessos iaternos, nos tumores es-
pecialmente do tero e abdomen, nos tumores glandulosoa, na anazarcha, as Iiodrope-
zias, eirslpellas ; e associada as prepararles ferruginosas, ainda de grande vantagem
as anemias, chloroses, faltas de menstruaejo, leucorrlteias, desarranjos atnicos do
estomago, debilidade orgnica e pobreza de sangue, etc.
O que dizemos affirmam os mais distinctos mdicos desta cidade, entre os
quaes podemos citar os Ulnas. Srs. Dr. Silva Ramos, Aqumo Fonseca, Sarment, Seve,
Pereira do Carmo, Firmo Xavier, Silva etc. Todos elles reconheceraa excellencia d'este
poderoso medicamento sobre osdemaisat hoje&nhecidos para todos os casos citados,
tanto que todos os dias fazcm d'elle applicacao.
. Apresentando aos mdicos e ao publico cm geral diversos preparados da juru-
beba, tiremos por im generalisar mais o uso d'este vegetal, fazerido desapparecer a
repugnancia que at hoje sentiam os doentes de usar dos preparados empricos d'elle,_e
mais das vezes repugnantes a iragarem-se, e que tinliam ainda a desvantagem de nao
ser calculada a dose conveniente a applicar-se, o que torna muilas vezes improicuo um
medicamento, que poderia produzir ptimos resultados.
Os nossos preparados s foram apresentados depois de havermos conveniente-
mente estudado a jurubeba, fazendo as experiencias precisas para bem conhecer as pro-
priedades medicamentosas d'esta planta em suas raizes, follias, fntetas ou bagas, e a
dose conveniente a applieaco, tendo alm disto procurado levar os nossos preparados
ao maior grao de perfeico possivel, para o que n3o ponpamos esforcos, nao nos im-
portando o pouco iucro que possamos tttar.
Por tanlo os que se dignaran recorrer aos nossos preparados-ydem ter a
certeza de que elles offerecem a garanta, de"que sa.pode encontrar, a.prompta e mfalli-
velcura de qoalquer dos sofl'iimentos,que deixamos innumerados, se forem era tempo
applicados, tendo alera dsso, medicoeu doente a vantagem deescolher nasnossas va-
riadas preparaces, aquella que mcihor lhe pode convir, j pela fcil applieaco, e j pela
complicaco das molestias, idade, sexo, ou ainda natureza de cada individuo.
Asnossaspreparac3cs ferruginosas sao feilas deforma que se tornara comple-
tamente soluveis nos suecos gstricos, nprque procuramos oscompostos de forro que
como taes esto hoje reconhecidos.
Para aquellos que mais minuciosamente qHeiram conhecer as propnedades da
jurubeba, e saberem a applieaco de nossos preparados, destribuimos gratuitamente
em nosso deposito um folheto, onde tratamos mais extensamente d'esta planta e dos
mesmos preparados.
Deposito geral de todos os preparados
Boiiea e drogara
34Rua larga do Rosario-1^*.
Do xarope Vegetal Americano. espeeialWadede ISarthoIomeu AC
^^ 34RUA LARGA DO ROSARIO 34
Nao costumamos procurar attestados para acreditar nossos preparados, e dei-
xamos que sua applieaco e os resultados obdos,peiai pessoas que se dignaram acee.ta-
losjhesdeem crdito e voga; porque sao sempre os atlestados considerados gratados,
e delles que lauca mo o charlatanismo; mas, nao querendo offender as pessoas que
espontneamente nos offereceram os que abanto vSo transcriptos, os azmos pubhcar,
manifestando-lhesnossa gratidopela attenco, esperando que venham eUes corroborar
o conceito, e acceitaco que tem merecido nosso xarope. '_.. .
ATTESTADOS
Illms. Srs. Bartholomeu A C.- Com a mais subida satisfaco que declars
ser o xarope Americano de urna eflicacia extraordinaria, pois que soffrendo lia das Oe
intensa tosse, ponto de nao poder dormir a noite a despeito mesmo de medicamentos
que tomava, a elle recorr e naterceira colheiafui alliviado, e de todo me ado hoje res-
tablecido com o uso somente de quasimeio frasco: grato, pois,ra esseresultado man^
festo a Vv. Ss. meu reconhecimento.De Vv. Ss. amigo, venerador e obligado.Ma-
noel Antonio Viegas Jnior.
Sua casa 20 de abril de 1868.
Illms. Srs. Bartholomeu & CPenhoradissimo com o favor que me tizerrm
de aconselhar o uso do xarope Vegetal Americano, de sua eomposico, quando me acha-
va bastante doente de urna constipaco, que me tomou completamente i ouro e que
trouxe urna forte tosse, e me impossibilitou de cumprir os meus deveres de cantor da
empreza lyrica,'vou agradecer-Ihes meu completo restabelecimento, que obtive com um
s vidro do mesmo xarope, depois de haver recorrido a muitostratamentos. Desejarei
que outros como eu recorran ao seu xarope para se verem alliviados de to teltwel
incommodo, to fatal neste paiz. Com maior considerarlo contino a ser de Vv. Ss.
attento, venerador e obligado.Luiz Cremona.
Recife, 25 de setembro de 4808.
Illms. Srs. Bartholomeu & CO xarope Vegetal Americano que Vv. Ss. te( m
exposto venda de toda cfGcacia para o curativo d'asthma, conforme observei afpn-
cando-o a meu lilho Joaquim, menor de qualro annos; victima d'esse lagello, que al
entao por espaco excedente a dous annos havia resistido a outros xaropes de grai.ue
nomeada. Queiram, pois, Vv. Ss. acceitar a expresso altamerde sincera de meu reco-
nhecimento ao meritorio servico que lhe prestaran) com o indicado xarope, acrcditen-
do-me para sempre de Vv. Ss. criado, attento e obrigado.Americo Netlo ae Mcndonga.
Recife, 2 deoutubro de 1868. ____
DOENCAS DO PEITO
XAROPE D'HYPQPHOSPHiTO PE CAL
MIGRIWAULTe C'-a pharmaceuticos em PAR
A efficacia d'esta preparacao estiestbelecida desde 1867, pelo mais celebres medicot. Isde
ento muitas imitaedes tem sido fcitas, mayienhuma poude austeatar a comparacao com o
producto apresenudo pela nossa caza. Por isso excitamos o publico para que exiga sempre
esie xarope com urna bella cor de raa, nunca branca, e com a nossa assignalura roda do
Soba sna influencia, atftsse ar*i-rt." "w nnetnroos cessao e 6 doente voiTTa]*da-
mente sade. 0 seu empreo d lambem os mais branles resuludos nos defluxos, rhos, bronchites, irritacoesdo peito.esc.
Deposito em Pernambuco, em casa de Murer O*.
1
DE
DE
J. V1GNES
N. 55RUA DO IMPERADORN. 55.
Os pianos dcsta antiga fabrica sao hoje assz conhecidos para seja necesseri
insistir sobre sua superioridade, vantagens e garantas que offerecem aos compradores,
qualidades estas intxmtestaveis, que elles tem definitivamente conquistado sobre todos
os que tem apparecido nosta praca; possuindo um teclado e maehinismo que obedec m
todas as vontades e caprichos das pianistas, sem nunca falhar, por serem fabricados
de proposito e ter-se feito ltimamente mellioramentos importantissimos para o clima
deste paiz; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas e por isso muito agradareis aos
ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendns, tantonesta fabrica como nado Sr. Blon-
dcl, de Pars, socio correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premia-
dos em todas as exposices.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um explendido e variado sorti-
mento de msicas dos memores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos
harmnicos, sendo tudo vendido por preros commodos e razoaveis.
aoiiiitrs)i

SEGUROS
MARTIMOS
COVritA FOC.O
A Companhia ImleiBtsadora.estalielecind
k ~ta pra?a, toma seguros maritimos sobre
avios e seus carregamentos e contra logo
r>.m edificios, mercadorias e raabilias: aa
rua do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Os eiact btlbetus dn lotera lJ a bi;iietu-io da
igrt de N. S. la oa-viagem de ii. 2C97. 2,07:1,
i, 4698 e 3149, perteneem aos Srs. Ricardo
Wittij. Manuel ftin>'> ik Preitas p Manol los
Martins, do Aracaty, e fifam em poder de abaix
assignado.
Francisco Martins de Aniorim.
l'iisa-Mide um molequed. a 14 .irnws
ra serrico iwrao : na rua Drcit* "'.*, loja.
Comida,para fara
Coa tede o sacio e pronjptMao. bem prepara-
da e aduliada. dando-se kwca fina c maftdanda-se
levar as casas que quizerem : 4ia rua estreita do
Rosario n. 19, 1" aadar. ...... .
Da-se 1:0005 a premio com hypotheea em
te de rail do dolirado valor nesta cidade : na
ma Nova, loja ifc fcfragpfts a. 31.
Irmandade doSetihor
Bom Jess dos Fassos
ua matriz do Corpo
Santo.
Tendo esa irmawM* de exporeai toi lsao ahnagem de sen Paroeiro no di U
lo niez viadouro, tom aquella pompa e brillian-
fisnhj que de costume, tem a mesa regedora re-
Ajrfto a le rnneorrartm Com as suas esmoh: e d fle-
tando a par de todos elles, e mesmo pelai dtM-
.ias de suas moradas, a mesa regorai Ihes pede
)uc oualqur ^tf*> erque queiram eMar-
rer, difiiar*8-lt3o tffltega'frr ao irmo irovedor o
Marreliuo Jo< Gonealves de Pontos, rua da
Cadeia u. t, ou ao thesoureiro Bernardo Ferreira
joureiro rua do Arnoi ini n. i4. utiV) sim, ne-
nhuma pessoa se acha encanegada para tirar es-
molas de capa com salva, como consta irmanda-
-te se xprmommn m da r8 i\o torrme ion um Vncim*v+mmmi*r+*-ws, amia
td*ridiio asshn aetefisdo> pois os unios en-
*negad8 dessa teissao sin os Mima meiwe*a-
-iose os que a elles ae juntaren) para formar conv
HS&ik)
as da mnw
Aos 4:000
Bilhetes garantidos.
A rua do Crespo n. 3 e casas do costurae.
O abaixo asignado tendo vendido nos seus
AKAIJJSS1MU
Calcado nacional, na fabrica de Jos Vicente
Godinie & C, rua do Jardim n. 19, avisam aos
seus fivguiizos desta capital e do interior, que con-
' tinuam a fabricar calcado em alta escala, e ofife-
recemas inelhores condales, tanto empreeo como
em qualidade. Os proprielarios deste estabeleci-
mento chamam a attenco dos senhores consumi-
dores do interior, que os quizorem honrar com
sua fregnezia, especificando em sene pedidos a
qualidade c numeracao, offerecendo-se para os en-
tregar bem acondicionados cm casa de seus cor-
respondentes nesta praca
ESCRITORIO DE ADVOCACIA I
26Rua larga do Rosario26 i
U abaixo assifinado roga a> autoridades pe-
liciaes ou a qualquer outra pessoa que apprehien-
dam a ecrava com os signaes abaixo declarados o
se dignem manda-la entregar rua da Roda 2"
andar da casa n. 17 ou rua do Imperador n.
l em seu cartorio, Raymunda, cabra, de 23 an-
uos pouco mais ou menos, estatura ordinaria,
bastante robusta, cabello carapinho, denles daros
Le perfeitos, ps regalares eperfeitosc com amao
esquerda a le ijada em 3 dedos. Fugio vestlndo
urna saia de chita escura, corpinlio braneo e cha-
les cor de bonina ja um pouco desbotado, consta
que vaga em companhia de um soldado pela rua
Imperial. Cabanga e outros lugares cirouoiTisi-
nhos.
Joaquim da Silva Reg.
muito felizes bilhetes garantidos um meio n.
com a sorte de 700J, um meio n. 1062 com a
sorte de 202 e outras muitas sortes de 1005,
404 e 20 da lotera que se acabou de extrahir
em beneliciii da matriz de Jaloato (%.) convida
aos possuidores a virem reeejer seus respectivos
premios sem os descont* das leis na casa da
Purfnna nra de Cresf n. 28.
Acham-se a venda os da 4 parte da lotera a
beneficio da igreja de N<**a Senhora da Boa-via-
gem dos AfogSdos {Wf^oa se extrahir sext-feira
26 do eorrenie mez.
Preeo8.
Rirhete.....4f
Meio.....2*000
yuimo.....*#aoo
B*nm-le de IftOS ira cima
Bilhete.....3|00
Meie......1*730
Quafto..... 875
Maftoel Martins Fiuza.
No eoHegio da Coneeie?* prcisa-se de urna
engommadeira perita.
COMMEDORAS^
Prepara-se altnoco e jantar em-uma casa
particular defaman, na roa cstreit do
Rosario n. 35, sobrado.
Preeisa-se atagar um moleque ; na ma do
Cjfcogan. tB.
Wc3ot3HWit^B ...
ANfOMO EPAM1NONDAS D
I MELLO tem o seu escriptorio de
adwfado rua do Qoeimado n. 8,
1. andar.
Carpinteiro Fiiho & Sobrfciw sajeni iWf to-
llo- is paquetes para Hespanha e qara es porms
seguales :
Orense.
Celanova.
Ceniza.
Puenteareia
Ty-
Pente-Ve*B.
itmdela.
y**-
Santiago.
0 advogado baeharel Ayres de
Albuquerque Gama tornou a abrir
o seesciiptorio na na larga do
Rosario n. 26: onde pode ser pro-
curado, qualquer hora, para to-
dos os misteres da ana profisso.
Frederico Maia
RUA LARCA DO ROSARIO N. 37
Este acreditado estabelecimento augmenta
de dia em dia quanto possivel para che-
dar ao cume do bem viver.
Alm dos saborosos manjares confeccio-
CBARITERIA E PETIT RESTAIRANT
Annexos ao Hotel Central, rua estrella do
Rosario n. 4 A, andar terreo.
Pora dar a ennhecer a variedadu infinita
de charutos de Havana, Rabia, Rio. etc. que
nados com o melhor asseio,tem bellosapo-1existem neste novo estabelecimento pns-
sentos de hospedagem, tanto para urna s dndimos dos annuncios pomposos que (
pessoa, como para numerosa familia. ramente se fazem, reduzindo-nos apenas a
Cirurgfio dentista pela estola
le medicina
do Rio de Janeiro.
Tem a honra de participa* ao respetavcl publi-
co desta capilal cscus suburbios, que-tem abertoo
seu gabinete de consultas e eperares dentarias a
rua Direita n. 12, primeiro andar, onde pode ser
procurado todos os dia*das 8 horas da manra as
3 da tarde. Elle adiase competentemente habili-
tado para com perfeicao eoltoear deWes artificiaes
porqnalqnerdossystmas,'cbem assim desempe-
uhar qualquer outro trabalho concernente sua
profissio. O mesmo, reoonbeeedo que Bemsem-
pre possivel ssont/>ras ou crianzas sahirem a
procc; it o remedio, fferece-se a remover qual-
quer obstculo, deqjarando que na cidadese presH
tara a .qualquer chamado sem que issoinihi cousa
algum'a na eemmodidAde dos prados de en* traba-
mos, e quando para tfa della assim mesmo sera
precedido de um ajusie rasaavel, garantindo elle a
segurancan perfeicar de seus ditos trabalheB. Em
seu gabinete se encontrar constantemente excel-
ente pos deiUifricio, elixir e dutros medicamen-
tos odontalgicos : rua Direita n. 12, primeiro
andar.
Alupi.se um 2" andar de nm sobrado do
Caes do Ramos, e p 3 da rua da Praia; a tra-
tar na ma da fmparatfiz n. (13 2 andar.
Ina.
Precisa-se de urna muliier ]>ara enearregar-
se de andar com una enanca de poucos mezes de
naseida, e assim de tOMWpa a tratar aa rua
da Cadeia do Recife n. 8jj|oja-
se prttercia portagaez, para eateeaw de una
tafcwna, qoe d eoobecimente de ^adueta, ao
qual na*i se duvida dar iateresse caso en* com
algum capital: na rua Direita u. 99.
Precisa-se de ama ama da meia idade para
comprar e cozinliar para urna familia de poucas
pessoas : na raa Bell aa. 3. ^_______^_^
Aluga-se o arinazeni &kWftaz Cri*n> n.
36, proprio para qualquer esmaelecimento : a
tratar com Jos Henriques da Silva. As chaves se
acham na loja demawiMj defronte *fBnoxi
para-quem o qulrver. ^*
Iustrucco primaria
Aar^fl*^;ula^^u>nt^|i^hjttMiti'
recebe arua do Aragao n. o, meninan para ca-
sino de priiiieira-let:N**dae*.iiii** : aasefurart
melbor traUuaMo, **cS e MWwr Mr
alumnas. Racebe. tambem pensianistas e mall*-
pensioBi**f,iat|> da-fMMe comadtretterlor.
_______ fogafav Augusta d" Castro Tonseca.
Som negocio
GRANDE HOTEL
DE ORIENTE.
Inaugurou-se este commodo t elegante
estabelecimento d'onde os seus frequenta-
dores poderao apreciar a especialidade na
confecc3o dos gneros alimenticios.
As bebidas sao as mais primorosas c re-
eommendadas.
A decencia e bom servico primara nesta
casa no betlo gosto oriental.
Mandam-se domicilio comedorias, tanto
avulso, como por assignatura nunsal. Os
preeos sao mdicos e convencionaea.
Ha urna espacosa e bonita sala para o
elegante jogo de bilhar.
Ha tambem aposentos commmolos e bem
mobilhados para hospedagem.
Rua larga do Rosario
n.44.
_ par..
Ha tambem urna boa bibliotheca e perio- gosa tambem das condices de um elegante
dicos nacionaes e estrangeiros, piano para e petit restaurant onde se pode ver a es-
recreio, buhares, etc. etc. pecialidade dos fiambres e salames de fcion
Sendo ociosa qualquer recommendaco para lanches e at fazer urna boa colaran,
para to acreditado estabelceimento, omit-juntamente com os principaes vinhos do
timos mais prembulos, fazendo ver por mercado, sobresahindo entre o bom a pura
fim, que o bom servico, ordem c moralhla- e fervenle champagne, o mui saboroso Rbc-
de imperam n'esta casa, como observancia no, a primorosa cerveja, o licor espirituoso,
fiel do regulamento que possue.
Comedorias a la carte.
o quanto pede urna mesa. Faz-se i nouta
sorvete e variedade de refrescos.
Precisa-ee-de-un caixeiro nara urna loja de
fazendas, eom pnulca ou"sem ella, para ir para
AlagAa-nOva, qoe tenha 14 a 1 ti aanoii de idade :
a tratar n* rua da.Cadeia do Recife n. 35, leja de
Alfredo rC.
O seMeitadoi Ignacio Ramso- d* Metta, nm-
doa sua nesiaicia^iaRi a rua do Ca baribe, asa terrea nova com portao lado.
Ensillo de philosophia
labias Brrale de Mneees ensina poosopliia,
bTua Ditttita n. h, 1' andar ; jwleudo para
i ser proeurado das 9 toras at meio dia.
TRDJl6BnjRBAN0S
DO
Recife a Apipucos.
Par a mar oamioddada dos pa-sageiros o
tratn que^aMw* ne Moeoiwas Shaias e 5 ai-
.nutoe da noite, passar as 10 e 35, em qtrnto.
duMMftVfts MaaV4 Nos Senhna 4 ^oa-
eicao de al te 'eelwto. .
jscwptori^da oeMjayht* 19 de fivtej de
W69.
para ajiwan qiilzer ganhar dl-
nheiro en ter trabalho.
Adm*e*st quena tnure-eom USOtf par* Mo
em urna oxeira que se acha bem mentada nxi s
da tonfr aawwa da ^.uma^omt.4 eai'atloa t U>-
Uos iis aaeasaario* ; qnwa este nrawta" atibar
tasar dirija-se a rus. larga da ftssarJTav t laja
do Sr. Vitaua que indicar com queni se tleve
tratar.
W. Rawlinson,
Gerente.
km de leile.
Aluga-se urna ama de Ieite escrava com Who :
quem preofaw dirija** aprt^a da in-lepeBdssela
aunaros.
~~^ AindXsV'Vehae a taberna dara dos Co
Bares u. e mem a 4a rua do Fort) l> X
55--RUA DA IMPERATR1Z--55
O proprietario d'este importante estabelecimento tem a honra de participa i
ao respitavel publico que tendo fgido d'esta praca a pessoa que se achava na sua ge-
rencia, elle contratou para sua casa um perito oficial que foi por muito tempo o pn-
meiro oBcial da importante casa Sulingre do Rio de Janeiro ; por isso espera o annun-
ciaiite que todos ficaro satisfeitos dos seus trabalhos, visto, alm d'isso, possuir no seu
estabelecimento as machinas mais aperfeicoada* para ungir e lustrar de que se faz
na Europa, e achar-se tambem prvido de grande quantidade de drogas escolmdas.
sempre de primeira qualidade e fornecidas pelas casas especiaos de Pars.
ftage.se, lava-se e limpa-se com a maior perfeicao fazeudas em pecas i i
em obras de qualquer qualidade que sejam, taes como l, algouao, seda, touquii:;.
pennas, chapos de feltro e de Manilba ou palhioba de todas as cores, etc. etc., e
tambem tira-se nodoas c limpa-se a secco sem mol ha r os tecidos.
Os senhores negociantes, logistas e particulares experimntela que todos
acliaro proveito e vantagens.
Tintura preta teten* e sextas-feu-as.__________i
.AKBM PER1IMBUCAIO
86Rua das Cinco Pontas86
Ihomaz Jos de Olivara & C. avisa aos seus freguezes que foram, tanto iaw4%pra-
ca como do centro da provincia, *ie rapvssoo ^ s,ia viagm Europa no im de d
zembro prximo passado, ew-acha estabelecido com um armazem bem sortido deer-
ceatia (vulgo molhados) de boba geaerea, e por preeos commodos e garantindo qoalidf-
de, peto e medida, nos gneros comprados no seu armazem ; portante pede efoga
que ii5< deixem de lhe dar a preferencia.
FRANCA-RRASIL

JTJt. MERGIER, alfaiate francez, previne ao respeitavl puMicoe t sene aumerosqi lr*gu;<-
aque, leada transferido sua residencia para a rua do Trapiche h. 7, primeiro andar, ahi eneonataro
leflaym leda as qualidades de fazendas para trajos de homem, e prepara costumes para nMnaMisde
senhora. Faz.tambem obras para miliUrcs e para criados, para as quaes tem grande sortaWS* d>
botaae(raptes, c/m vaTila e corta d conde, brancos e amarellos. Reoeiie par lodos os vapa*as u*
ltimos flgorlftos para htmwm, senhoras, e meninos.
11TII1
irriuili
t CIGARROS INDIA'
doCANNABIS INDICA!

iimniili

t
Todos os meios at hoje preconisados conira a asthma nlo tem sido mais do que pallia*m
debaixo de todas as formas, tendo par tose a belladona, o estramonio oa opio. Recente* expe-
riencias fcitas em AHemanha, repelidas em Franca-e na Inglaterra, tem prorado qoe o enana
j:. j. n____i________.. -r ...___._____UJ.JHI ora cnmhaW>r esaa lemiVfl affMftlAi
*
I
^m
*


"r-t"'*:
^H
PPBMHHiM
Mi
*
Diario de Pernambuco Terqa feira 23 de Fevereiro de 1869.
Grande Utydac&o de miudezas I
Affonso Moreira Temporal, querendo liquidar as miudezas existentes em sua
loja ra do Qaeiuiado n. 55, resol vea annunciar as mesraas miudeza- para que o pu-
blico se certifique do diminuto preco porque as est vendendo, a saber:
Massos eom grampos 25 a 20
Pecas de tranca lisa e caracol a 40
Sab mi'li's de todos os precos a
80 100 200 e..... 2i0
Abotoadttras para cdllctes a 320
liJt5ts de louca para camisas, a 160
Garrafas d'agua Florida (verda-
-deira) a....... i #000
Frascos com agua de Colonia a
320 e........ 400
Garrafa de tinta roxa a. 800
Caixas com 100 enveloppes a. 500
Maulas de seda para homcm a 80
Fita de sarja para enfeite de
vestidos por...... 600
Frascos com oleo para cabello
a 400 e....... 600
Laa para bordar, libra. 61800
Esoivas finas para cbapo a 320
Ditas para cabello a 320 e 500
Ditas muito finas para fatos
por preco nunca visto 400
500 e........ 600
Pecas de bahadose entre meios
a 600 800 e..... 1*5000
Gravatas de seda de cor a 320
Ditas protas a 400 e ; 500
Bico e renda das ilbas a todo
preco. So a vista faz f .
Pecas de fita de coz com 10 va-
ras a ........ 500
Latas com graxa, duzia a 480
Coques muito bons com rede s
a rede val...... IttOO
Meias para homens boa fazenda.
a 3*000 e...... 40000
Linha de marca,caixa com 16
novellos ,...... 240
Latas com banha (familiia), duzia 2#200
Frascos com banba a 320 400 e 500
Botes para punho fazenda boa
a 80 e....... 400
Volta de Aljofre cousa boa a 160
Fitas para debrum de vestido a 500
Caixa com agulba franceEa a *60
Botes de ac para colete dnzia a i 20
Cartao com alfinetes-a 100
Caixa com perfumaras muito
fina. S a caixa val 10.$000
12,0000....... 43^000
Copo cora opiata muito fino a
400 e.......' 500
Meias muito finas para senliora
.duzia........ 50000
Cartas francezas a 200 e 240
Ditas portuguezas a 120 e 200
Caixa de linha do gaz branca 50
novellos....... 600
Frasco com tinta a 100 e 106
Franja de laa para-sapato (peca) 1*000
4r>000
Papel de peso muito bom
Sapatos de tranca e outros muitos artigo?, que enfadonho seria mencionar.
RA DO QUEIMADO N. M
$mmm ii
%
* $UtAB
A agnia branca tem-se fefco tao conheoida e
enditada, na s pelas novidades, variedades, su-
iwrioridadr e ahwilinfia de *;u sortiinenlo, como
pela constante cotwnodidade-de seus precos,--c raes-
iuo pelo sea assaz e tiuuca olvidado agrado cucc-
r idade.
Essas verdades ineontesteveis sao sem -da vida
apreciadas pelo bello sexo en particular, e pelo
respeitavol pubkco em feral, e a tanto tem r llegado
que esto quasi pascando es-mo aunexim ou pro-
verbio, quando se v um objeeto de elegancia,
gosto, novidade, etc., ote, fliz-se logoaquolle ob-
jeeto scni divida foi comprado na fc*ja d'aguia
branca.
Q aando no club, nos bailes, ou no-saiao do
Sania batel, urna exceFientissima se aprsenla
garbosamente irajando, trezendo o nwderna cinto
de nuii larga Cta, lisa, ehamalotada, ou escosseza,
as suas admiradoras diien; comsigo queda lita
foi comprada aa lojadagcia branca.
Q jando outra exeeOeotissiina, ni* mtnps par-
osa, mtrHrr o rpnr Jo ti bom ku0N na .loriana
nscollia dos nfeites de tita novidade que bella-
mente ornan"! seu vestido, anda meso ae rivaes
!e sua sympaiia rmnlnamanjwiaqaoUes-'wifeitos
toraiu da loja d'aguia branca.
Quando n'oulra exceatissiraa, apozar4a sin-
geuoza de bu porte a#r*davel, se vm asJionitas
taras de pellica duqtraa as suasbelif s ami- \
tas louvam-ll'.e 4 gosto onfessam (jue-^tKjnellas
a\w foram -da toja dagwia branca.
Quando masno duas cxcellentissnias, antigs
unigas d" eoflegio, se esGontram naqueltes loga-
res, depois dos cumplimento* de rerijwoces tieijos,
mbiaspor forra de sua elevada delicadeza, abam
nina a ou Ira os agradareis chciros-Sh qwt usam
em seus Unos lencos, e cada urna das quae*j orgu-
ibuKis.pclo elogio do acorto de feria escotlia,e como
que ijaorendo por simesma justificar dizem simal-
lanamente verdade -que esto clMrji lorcompra-
do na toja d'aguia branca.
Ainda ui&Js.
Quattdo hontem os pas altlictos soniiiwi o rigor
da deiHicao de seu cuara lilhiubo, e boje alegres c
salisfoitws pelo feliz re^ttalieleciuicfllo iTcebem as
vistas los seus miIIum* amigos, dktwn a|uees
setos, (di Oeds que tiitiiispruuuara qu couipias-
se, como couprei, UHidsses virtuosos collares
Koyer, que se v.*Klein .ia loja d'aguia branca.
Alui do BtuitU mais ttue ainda
falta dlzer.
Quando em un oinnlo de ctrcurasnoctos carac-
teres ;>:' discutirveracidade de taesdizeres, appa-
racer um outn quequeira aiada levemente iuter-
nfltip'a- a discassao, os primeir<-is por momento es-
quecario a renmejeccao e Ibes Jarao um gra-
cioso debique diendo-lliesja sabemos que V. ,
um daquiiles jne cJina o ehatio de sol ou que
mereuta ser ileslpnwlo pela aguia Granea da ra*
do Queimado h. 8.
. y/1 i.
Pillas assnearadas de
NAO CONTEM NEM CALOMELANOS NEM NENHUM
Ol'THO MINERAL.
A gwmde uecessidade e falta de um ca-
tliartico ou de rana medicina 'purgativa, lia
muito que tem sido sentida, tanto pelo po-
vo, como mestno por meio da fainldade
medica; e par isso, infinito o gosio e
prazer que sentimos,, tm pdennos com
toda a confiancaeseguridadB,irecoiiiinendai
as puias vegetaes anacaradas de ristol,
como urna excellen;e medicina purgativa, a
qual encerra em si todas as partes e mais
ingredientes esseoi*es, tornandu-se em um
perfeito, seguro e a; familia. Este remedio nao composto
dessas drogas ordinariamonte usadas na
coraposteio dessas pululas, que por lii se
vendern, mas sim, sao preparadas com as
mais finas csuperiores qualidades de r-aizes
medicinaes, herma a plaas, depais de se
baver limicamentc extrabido e separado,
os principios activus, ou aquellas partes
que contem o verdadeiro valor medicinal,
daqaelas porcoes fibrosas inertes o agics-
tes inlciramcnte ilcslitnidas 4a menor virtu-
de. Entre esses ajantes aclivos ou isgre-
diettes especficos, podemos nomcar a fio-
dophgtiin, a qual segunlo a experiencia
tom demonstrado, possae un poder o mais
maravilhoso pessivel sobre as regioes do
fajado, assim como sobre todas as secre-
roes biliosas. Isto de combinacSo com o
leptandrin, e mais ateuns extractos \ege-
taes e drogas altamente valiosas, cons-
- Perdeu-se do pateo do Collegio pela ra do
Queimado, ra u Cabug at a ra *ova, ujn
estojo com du*s navalhas as quaa tem np cabo
as letras iiiiriaos H. A. B, de Almeida, roga-sc 3
pessoa que is achoa tova-las ao arsenal Se ma-
riuia .ni c.i-ia d) apont:dor ilo iiiesino que soja
beni graflci
Eahero a preiuo
Na ra das frincuelrai u. 48, andar, so dir
qncm tem para dar.
I. Fcrrclra Vlllcla.
PhotograplK da casa imperial
premiado em diversas exposi-
<$es.
Na sua photograpliia ra do Cabula u.
1-8, entrada pelo pateo da matriz Ira retra-
tas, por todos os systemas pbotograpbicos.
Em porcelana Em vidro \ O abaixo assignado, proprietario do enmuha
Em talco Em pe pe ; Bdla-visla, no termo de Barreiros, roga a tudas as
CART us ni" viciTt 4 OA t l'ii;7l t autoridades policiaes c capilaes de campo a ap-
no JL h ^ 1 i ITchcnso dos enera* sego.ntes: Lu.z cabra.
Us retratos carle-de-tsite sao collados: aito, seceo, sen dertes na fi'enie, os sesos no ros-,
em cartao de luxo bristal ou porcelana, to bem salientes, ps bem feitos, fallando as unbas
domados ou litbographados, quajrilongos lll,s ou vinhetas para oque existe urna ^^SSiffSff. t!ttVSK 9U
de de 12 modelos a escolha lu quemse re- lui,,,, ,, sui^sa c'f;ilta a Ullha
AVISO.
28
II) CUPOS
28 = Ra do Imperador=
KM GROSSO E A VABEJO
Charutos de diversas marcas dos bera
acreditados labrlclntes, d)sla Junios o
Manoel da Costa ftrrira de $io Felt.
Farinba da trra mudo ba, apresa
sacca.
Miraguaia do Rio Grande do Sm\ peixo
eccq de superior qualidade a t4(J0 a ar-
roba.
Congro e ruivo de Portugal, em Larris c
libras.
Camares seceos, do Maranbo, em libras.
Latas com peixe em conserva sendo:
Salmom, l.agostas, Ostras ,e oulras muilas
a saber: Purtuguca's, Inglezes,
tratar. Para as outras especies de retratos i do \< direite. com todos os denles e com mareas
temos caixinhas, passe-tw-toats, quadros v,'lll"-; d.t. chicote, de :) a 3S amws, o segando*
5 juradasepretas cassole.as de J g^65SSLP^TSK5
roe alinetes simples ecom pedras pre-j,,romeitc-se a qantia de :los por cada um, a
o'dedl.'^rande mericatlOS, llcspaiilirs. .-te, etc.
losas, bavendo nos alfinetes ums mimosa
variedade de feitios.
0 nosso estabetecimento photcgrapbico
est sempre em da com os mclbo "amentos
e progressos opte na America do Norte, na
Europa ou no Rio de Janeiro se consegu:
na arte pbotographica, e para alttincarmos
tal im nunca poupamos despezas nem sa-
crificios, de sorte que os nossos numerosos
freguezes podem ter a certeza de me sem-
pre encontraro cm nosso eslabeecimento
ludo q^Rnto a arte e a moda offerecer de
quem os levar ao lugar cima mencionado, ou em
AI'oi;ados, pateo da matriz, ein casa do Sr. Jos
Lacio i.ins, ou no lierife ao Dr. delegado, ou seu
Irmo Jos Cavaleanu.
loto Cav.ilcanti de Albuquerque Mello
bom no novo e velbo
da photographia.
mundo aos amantes
= Na ra po ngel n. 41, 2" andar, precisa-
se de una ama Interno de urna rasa de poaca familia.
Aluga-sc urna escrava reeolhida .para casa
de familia, a qual sabe eRgommar, lavar, vozinliav
e cose : quom a pretender dirija-se a ra Au-
gusta n. i.
Silva & N'ovaes rogain a seus ievedores o obse-
quio de nandarem pagar suas contas at o lim de
I torrente jaez, e lindo elle Serio ellas entregues a
mu procurador para cobra-las judicialmente.
ra da
O Campos anda una vez, vem ter a
honra .le lembrar ao ii-^ih-.-imI publico, as
milito exceuenifis aguardntes de Lima Pa-
rati, e ii.jiiirado Maianliau, por vir-lhea
idea que se aproxima o lempo imernoso,
e que muitonescessaii.) se loma liazero
estinnago (pente, e cuino se aiba o seu es-
iabi.'lecimeuto bem prvido dos gneros ci-
ma ditos, recuminenda um pass.io al elle,
onde encontraro os amantes do que e
bom lineado, um completo suiL'uiienio de
gneros Irnos, que se tornan rucoinmenda-
\cis para nina mesa mais ou menos pr-
vida.
IX.
A
Preeisa-se de urna ama
Aavora n. 20.
LITEMOS
Manual para o exame de habilitaeao para ma-
HermenegildoScverianoGon^lves.teL'-gisleiio de mstrueyao priniaria pelos Drs. F. de
do-se soiarado de sua legitima vllier For-; Ctro Frelres e J. F. de Hacedo na livrar.a en-
tnate l>redovkida da Conceieao em virtpde | ^M^dej^de Mello, ra da ..ruzn. .,i_
do sea proceder deslioueste, previne a to-
an os Rvms. S's. parochos de i odas as
freguoaias, qiM-soteve daroferida sua u-
Ama
tuem e fermam ama plala purgativa, *or-
nando-se .per isso muitissme superior, Hw^s^im^ teve da*rida suaW-l Km S\ Jos do Sfenguinho, casa n. i antes de
qualqnn ima ouira medicina da wwlIHSKvSlluSii^ ottSo chegai! ,,vJi,-Ia,da*,r7',sa al,,i:;,r duas Z
L,..,,, 7,,.,, i4mi. ,-.._ fl,V(lS(,Htfidi ao b ,tt0S l(-llimos onra,ll1c w"ll,ft que eircndan de engommado e cosluia, paga-se
natui-eza, que jmaib lora pre^wttJ uo^aetoma mmia conviven: pclr que, se bomatnguel agradan*!.
publicH. AftorffW amarradas lpor VM||W(| a ?0[ri|wra aprese IVecisa-se de a* menino para axtfro
de lineal, acliar-a:-bao sea iu-1 lvtrf% \^*m BO
dio prompto, seguro e eminenteraenee. effi-
caz, pera a cura de moleuas, taes oomo
sejam as seguiies.
Uyspcpsia, ou md-
gato,
Ad^ingencia. ou..
pristo do 'eiitr.'.
habitual,
te i
'fiutulencia,
Peda do apetite,
Estomago-si^o,
do estomago e
pav*
d-or ser til como ntaral. undi falsa
qnilquer altegni.-ao, vrrtr aquella hora
wuj vver californio preseitua a lea civil e
fiiosa.
Recife, l de f.iverero de Mfcfe
una carta
Ropa-se a pessoa ^ue eutregou
aa ra dos Pires u. fi, viada da Bahia para o Dr. '
.umJqsComa de Sa, o favor de i&dicar sua
iqrada p.m. ser jirucurauo.
Avisa-se
Hjilitwesia des mem-
bros ou do cojijo,
AHec^ws do ligado,
'-Ictericia,
HoaoiTodiaf.
>mu balito, *e irregu-
laridades do sexo
lenMia*
* inti Utd*> as m>Ji-*iU) que cL'j ivmn ? ,
sua erigwti da massaGo sangue; a fl/sa Precisa-e aT-j-ar um pret.. de-bcacoiidm-wi
..-..i* u,.:.mi -si ,.M-mm- jUu i.IIa- lf*** O sotmco de uto.i ..isa de CTanoe'(anuda t
parn,^ lintol e**e inellW *WnHar n7solra.lo n. 2 da ra do hap.ra8er, w.
as fiiriftns <8s. sat^oiplo cupiyn- ,,., ^ ^^ f#i*#..
tanieute B*at.pilis, p^f que !>.-. STifi.TirfJi"aa'a3iii:ri"l.a uluea. ep..
duas iaeJieifias. leno iinO eafi'eam^t.^Mibaeousirar e cer.rar iirMtan;rile : na ra
preparadas p;iia obrar^m de baiflioflia umai1'>W'san
Aluga-se un escravo para servico de arina-
zew de Macar ou para Barrito de ak&raaja por
bom canoeiro, na ra da Cadeia n. 25, armazein.
Deseja-se fallar ao Sr. Jos lacintho da Silva
a negocio de seu interessc,na ra das Cruzes n. !'
segando andar, das 9 horas ao meio dia.
Aa Si.-Manoel Jos Marques Bacallao, de cor-
Ireio g.-ral, que rcsgati a sua carta de llanca,
com a o* Ira, quatnlo ?MmeTrteBSiil se fez.
nao nos resta a mmr fn^ida ent AtitovS
que noniaior numtipo 8 casos, podetiws
.iHiancar nt5o si'iuw grande *&o, extm
taiiilMi tona cura pranpta e radical, isto
c.'-t hmsl viwU), (fuumU o *jui:uU' nao se
acbe n?Wn estado inatito aleo s tararees
bnmaiMs. ______
E CASA BE
T RIA M IMPEHATBE 77
tantas a cous&s -que pr
wiuas CMcapaiu as iitras.
J ia esqueoendo a aguia branca.-mas em lempoJ,
teanbru-se para noticiar, qoe reebeu umape-
.(eiia quantidade de enfeites (tara oooues e gram-
peapara ditos, tudo feito de metal-com lindos-e
a ajmaiwidas, e p.rtM>.tio inteira novidade.
'aojem chegaram Hovanicnte delgados enfeitw
i flores ornadas de aljofares e vidrcUws, tanto de
|llia para co^oes como para vestidos, c-tade^a lUMleawa .lugar iioa> toda a p>mp c ^turnada
Mrtiaaa a mereoer a asrociaeio dasfxccllentissi- levaBlaut-aito da femdeira da atenida Senfcora
mas 'Couhecedoras do bom. I' nia das 'uiorcs nssioas tocata einaeompaulia-
l-----------------------------------------.,'ment, snhw ne We linike baldefl,e aodia-*;-
piiiutepriimipiaratat novenas, caaladas pordis-
tinctas senberas. O progruna da (beta ser eiu
tempo annunciado.
,,Mil.fuaova u. i.
Prensa-e de imta ?oiiieira weatinlieiiv pre-
ferindiHso escravos.
Baudeira de A'ossa fitom
da Boa^Fiagieffl,
Quistt-teia prosHia'io do coireaie as 9 huaii
Presa-se3I dm meniio de I a l'i aw.">
p*ra*riroteiiad*ria : paleo di Terc**u-
jucroJ. .
KllillJilII
Methodo CastilliG.
Secuadino Jos de Fai'ia. Simes, MKessor par-
ticular de fislrueeo.dementar pelometliodn Gas-
tilho, avisa ao respeifcNci pahlico e ooo especiaE-
N^eate novo estafeelecimento lia um couiplet; soitimento de medicamentos, pro- ,,auV ""^ f" '''' '*. qest aberir sua aula
ductos cnicos,e drogara, tudo de p^meira qssaii.de, e .endem por nos *^&tS?g; ZSSStoSl
queemouUa qual<|iier parte. j,reco c-tmoiedo : o nwJTprofessor promette
Hatambem um st-rtimento de medicameitos bomeopatlikos, tinturas -e globu-'-muito se esmerar no adiatameniodeueu6 alum-
os inertes, por precos com-.nodos; bem eomo xaropes pedal d iidiio. cuidad,, e pericia ; 3o se nega* a qualquel ocurrencia em ,casos urgenL. O lrKl^oS"53e &Sna*
socio gerente encarregado do estal>elecmiento mora no mesmo, j>ara o que ,est aa'roadosPeseadeMsn. 43.
promptoa abrir a pirti a qtalquer bora.que for prteisQ,
C. Cataa & C.
Na ra da Coueeicao n. 26 precisa-s.,-
ama para ser vico, interno.
urna

0 MUSEO DE JOIAS
GOMES DE MOTOS IRMiOS
tenclo feito completa mudanca em sea antigo e
acreditado estabelecimento de joias. com o flm de
dar-lhe maiores proporcoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente J j^Cj
Rna do Eosari n. 79,
sobrado
AgciKii de uxorios to corle f a-
Ta js provincias t Js(.asjtara
a frt Sobx4iseccao 4m divagado.Francisco Carlos
Brandao, aaha-se steiisiecida b& eidatle do tita de tvpogr^hia para tratar.
Janeiro, raado ftosaiae a. S9, sobrado, urna agen-
cia de negows daib. ipra asprwincias, e des-
las paraactie. a qoal, pelo pCMoai luthililado, e
inejos de qoe-dispoe, Auearre^a-seidetalos e qt-ar --
quer negocias pidicia. em i* e 2':iManca, orno
fOCoes civeis, riiiH's e coinmerciaes, ri'cursos, ap-
iwUaeoes, aggravos, res islas, dekas parante o
jpjrj'/reclautacoes de antiguidad^s 4t magistra-
dos, ele, etc.
.tcumbe-se ouho sim de liqaiiba. ^ommer-
ciaes, de verifieaeoes. e ajustes de cintas, doce
brancas de dividas, de aiuecadaoSes ce beraneis,
de iinicula deuizes, e eommerciant' s,e em -ge-
ral lie todo e qutdquer irahalho forense, ou que te-
aba de ser feite iterante a>eparticOes adraiuietia-
tivas da Irte.
Hoiianteas coawijiese ja^tntias que eom as par-
te* estipular, adtacla dinBewos sobre asarreeadi-
coe e direitos que Ihe itareeerem legara*, e l-
quidos.
PresJa-se a fsrneoer aos eeus con nintentes ;.-
mfonaacoes que exigirem, e que pudi-r obter, so-
Com muito maior vantagem
Compra ooraeao de Ouro, n. 2 D, ra do Cabu
"a, moedas de ouro e prata e pedras preciosas.
Oompra-se escravos.
Lino deFaiia cri.lorio, I" andar, empram escravos de ambos os
sexos, sene que, moloques de 14 a 0 anuos bo-
nilas a% T'.s. sene pagos fot multo mais dhiheiio
do qu'' era or.lra qualquer parte.
Ouro c prata
em n*Kntaeem obras inutilisadas, e(Jinpra-se por
bom preco : a praca da Indepwiileneia n. 2.
Na praca da Independencia a. Si, loja de ou-
rhee, coaipra-seouro,prata, e pedras preciosas,.'
lamben se faz qualqeer obra de encommeuda, o
todo e qnalquer eoncerto.
Compj'a-se
lii^-' labras esterlinas, ouro o prata de todas as
nares e por maior preco do que em nutra parte :
na ra a, ("adela do H-.-i'-ife n. 58, loja de azulejo.
Gompra-se nina burra ( cofre) : na ra do
Crespo i>. 10, primeiro andar.
0 muzeo de joias
> i aa do Cabug n. 4 compra-se ouro, prala
e pedras preciosas |tor precos mais vantajosos do
que em oulra qualquer parte.
- Compra-seum molequinbo dciaoannos
de idade, que nolenha vicios, e que seja sadio:
a pessoa que tiver o quizer vender dirija-sc a esla
VENDAS.
Augusto Porto c C. receberam pelo vapor
Guietme, superiores lavas de pellica pretas e fl Dita para COS.
cores para senhoras e bomens, lindos pcplwns Pentes voltiados
de renda e guipure prelos para senhoras o que
D. 1
Glande liquidado.
0 proprietario d'anUga 8 bem c/mliccida
loja de miudezas denoniiiuda Beija Flor
ruado Qnelmado n. 08, |uerendo acabar
com o sortimento de miiKl.'zas que existe,
tem deliberado pruced'r a urna completa li-
qoidaco, para o que cliamaa attencao de to-
dos.
Os objectos sero vendidos por metadede
sen valor, epara que o publico, nao suppo-
nlia, que o presenil' aniiuncio una illus5o.
o proprietario da dita loja olerece nina pe-
qjuenjj lista .le algumasininl.'zes, coin i is seus
tliininutos precoscuno abaixo se ver;
nao presentando urna lista completa deto-
dos os objciiiisque estn expostos a venda,
pela catibo de se tornar un annanck) muito
extenso e por consequencia tle i nfadonbalei-
tura, por isso apenas lemila-se as seguintes:
Caixa (b! envelopes de cores. 6K)
Ditas de envelopes rom tarja.
preta........ 900
Ditas de envelopes brancos gran-
des.........
Ditas d envelopes grandes e pe-
queos. ..,..
Libra de la pam bordar, surtida
Dnzia de cartVs de crchele fran-
cezescom i\ pacs cada cartSo
Dita de comeres de metal prin-
cipe para sopa......
Dita de ditas para cha. .
Concha de metal principe para ti-
rar BBscar. ,.....
Botuadura para collele. .
Pares de luvas do lio da escocia
branca e de cores para lii mem
Dilas de ditas paVl senhora. .
Fita para stoto de senhora. .
Pares de sapatinbos de casimira.
bordados.......
Pecas de cascarrilha de la.
Kscova lina para limpar unhas.
ilutas de ditas.......
1 Ponte preto de barba. .
1 tUiixa com apparelbo de chumbo
. a .GiO, <:>-20 e.....
Boneca de cera a t ,)000, i -5200,
3(5200, 1(5000 e.....
Apparelho de porcelana para ai-
meco e jantar......
Jogo ce VispQra......
Caixa com papel branco c de co-
res.........
Infladores para vestido. .
Caixa de linha de marca encar-
nada e azul.......
Sapalinhos de la para meninos.
Tocas.........
i duzia deluda para fazer croch.
Ditas de carrKois com 100 jardas
brancas e de cores; -. .
Fila d la para debrum de- todas
as cores........
Ditas.de ditas, branca. ,
lYeas de lita de linho para cs. .
700
600
7 W!
900
44800
I I
:;,;
fin
6H
m
<
:u
I ww
mm
2^000
?!(
70f
80
28(1
400
8f
!Gfi
M
iif
200
000
5m
lia de mais moderno ; rua do (Jucimado n. II.
das 6 horas da manhaa s 9 da noute na
RA DO CABUGA N. k
Siid4iiconirarao um completo sorlimeeio to que ba de mai elegante,
bello e precioso em briluautes, esmeraldaii, rubina e tudo que era obra*}
de ouro^ prata e platina se pode desejar.
ADERECOS DE BRILHAKTES, ESMERALDAS E RUBINS
de novo's gostos, equedevem cauzar um grande effeito nos trages quares-
iiiaes, astim cora? grande variedade de edvas e paliteiros de prata con
trastada e degoufco anda nao visto.
Compran a trocara qualquer joia oh pdra preciosa e g&rantem,
a qualidade dos objectos veudi 0 MUSEO DE JOIAS
tarj
0il
bre a*sumptos e inler-sscs que mes digaiu i. -s
peito.
Seu honorarios e cftiunuMi* >ara>a'azuiv'.i> e
nrlifados. guiando-* pela ih-kiiI; ncia e difii-
ouldades iho olTer-ecerem os nojgoch commet-
tidos.
As pessoas pe dos seos servic; >e quizrrem
tittfkar, poiorio dirigir-ae pessoaknente, ou por
carta ao eaer.iptorio cima indicado, devendo na
segunda iiypotnee rcmetter os documentos que
tiverem ou copia fel delles, e una narmacao cir-
cuiEstanciada, serbia, e assi^nada soltre o neap-
cW mi nogocioe que tiveremde ser tr.it.idos. AJm
desla.remessa osaeAores que moraiem forado
mtmtafio neutro, e ai malquer da; provincias
dew*S MkpttitMHMMe ^autorisar iiesaoa id. >-
.oca. roadOBte na irte, euiii,quem a agencia posi-a
enteodeE'ae e validanleafc' contratar.
Q lie! deinpen1io dos seus devere? para com
todos, e especialmente para com aquellf s, que mel-
la confiaren, constilue o fundo capiKi, eom que
a agencia priaeipalmenle eonta, e imi iseo teta o
oais viv intresse a mant-lo, e ni de zela-lo
eom a mais vigilante solicitiide.
OLEO M HOGG
DD
Figados ft*escos de bacalkto
Para cura certa de phtisica, aiTec(oes escrofu-
losa';, tossebromea, flaqueza dos membros e de-
bilidad.! geral, recommenda-sc a excellencia de;to
oleo ainda por ser agradavel no paladar.
VKNBE-SE
NA
Pharmacia e drogara
DE
BAUTHOLOMEU & C.
34 = m ktrg do ((osario 34
Amas
Precisa-sede 4uas urna para eogonmar e ou-
tra phra eoinhar : na ra dos Pires n. 42.
Pergunta qne nao offeade.
Pergusta-se ao obre (avaibeiro) o Sr. Manoel
Miuiiz laxaras Cardoso se lhe c descf nheeido os
prenles 3o Tallecido Freiluiz' mano do film. Sr.
Marcellino de Soaza PereSra de*rito (sm Lisboa)
"Uf-da-se sua resp8te para o mais._________
- Preeia-s)pe una aa para coriprar e co-
siobar para tuna -pessoa aa ra estrila do ro-
sario n. i secundo andar.
Praei&ate de um una : aa roa estrata d,
Rosario n. J4.
TaBeflas vermicidaf-
DE
Antonio Nune*. de Castro.
Este acreditado preparado, que to boa
acceitaSo ten merecido n'esta provincia,
muitp_ se recommenda para a cura cerlji
das impigens, samas, caspas n todas
moleatias de pellc.
Deposito uneOj
jHlrtMM de BMholomwt ,
' Wm lar^a do Wario-l.
iiojis escravas.
luas eseraras recolhidas perfeitas engonima-
deH'^8, bonitas figuras, idade 20 a 22 anuos, 6
ditas para todo servico, 'dita para easa e ni, de
meia idade, por 4S0, 1 iiig|cq,uo peca-de idade jB
aiuios. 1 mulato bm copeiro c cozinlieiro : jua
travessa do Carmo n. I.
Vende-se enenameis navetas de Ifu'iro de
superior qualidade e dous bonitos mastros para
barrara, tudo por barato prero : a tratar na tra-
vessa do Carioca n. 2, Caes do Ramos
Vende-se
A casa terrea da ra do Aragao n. 18 reedifi-
cada e pintada de novo para poder morar qual-
quer familia : a tratar na ra da Cadeia do Rum-
ie por cima do arnwem dos Srs. Ferreira & Ma-
theu?, do lado do caes do Ajwllo.
{Rogaran as novas sementes de hortaliza
do todas as qualidades: na ra da Cadeia do
HeciCenugO.
Vende-se azeite de peixe ea garrafa ajMO^
ris, m casada a 5*.f era barH a 3S0W r
vellasparacaoroa4#Wr*isatftrs,r nrt!**
S. Fraasiseo n 1%.
- -
Atten nba 4e pianos e u_
traur !f'4.ilo'rSfar' D. UJ I
----' .-.-rrr
".asf,
andar.
9ta nraQa'itodda VisKfc arado u.M), m-,
to**te *mmo> pwp sasicoBajiiBUs ki
.fcraias. tawmaitas n aionojlws oeeasaanat
ytliiiasitMsraiaailirss^oera.
= VmM&~mmt d* finperatrir prtdwTj
andar urna escraviiiha rom idade de 94 V?
ro
annos.
para meninas e
senhoras....... i0
Ditos pretos com chapa, para ali-
r ,...... 4oo
Bitosbrwcos....... 320
Ditos braceos finos..... iOO
JEscova para dentes a 160. 2'W e 360
Ditas para cabellos nruitofinas. 9(M)
Pegas de franja para toalha eom
14 varas a .pe?a. ,?60C
ntremelos bordados a peca 500 e 60
Tinteiros de porcelana 1?> 1^500. 2^000
Baiaios para meninas de escolla
bonito desenlio a 506, \MM),
1>500 e........ 20u
Fila de sarja de todas as cores. 1^400
Grvalas pretas a 400, 600
Vende-se o grande1 sitie ao becco do 56p;
nliiio, ao oJiegar a estrada dos Aflliotus, frente
murada e djvefXas obras de pejra e ca por aca-
bar, -bons viveiros com abundante peixe, baia
pata eauin, boas trras -para plantado com ex
cejlomes frttoUant ; pwa examinar a -qualquer
aora,* para ajusta com Juaquim de Ojiveira Mel-
lo, na ra da Hora junto ao mesmo tecco, ou na
fundirn da" ncora.
Vende-se duas escrava? mocas, cfbulas, sen-
do-tima pret rom habilidades, e'outra' mulata,
ambas pora-fra da provincia para o mato : na
ra da Praia o. 24.
Capsulas de Raquim
Os bons effeitos deltas capsulas para fazer ces-
sar os gonorrheas acnaia-se conqH-jvada- ptlas
experiencias de mudos asnos.
Os aiedicos de todos os pazes as reconimeaaam
4el* una efflcacla.
YENDE-SE
Pharntacla e dtrafarfa
MRTlIOLOiBU k C.
H~%V larga do Rosario34
FASTtUAS ASSDCJU4S
BB. PinSQN
Hcmwa mr teel/kom para combata
aaiSrSi. di^est3o fortificar
JJKJrsJTO ESMOUL.
Pbannacia de Barthotometi dV G.
84-ftpa \m4& ftosapip------3.
Attenr^o
Vende-se a liberna d Qw Natts -oa m
eos firados e cenwwdoc para aerada a praso tm
earautia segura.


J0
Diario de Pernambuco Ter(;a feira 23 de Tevei'eiro de 1860.
AO
------
DE,
JOS DE SOUZA SOARES ft C.
Ra Nova n. 50, esquina da ra de S. Amaro.
PARA O ffOVO.AWffO HE 1869.
Novo sortimento de rticos de moda olmo, rocebidos polo ultimo vapor vindo da Europa.
Especial sortimento deobjectos para mimos.
Perfumaras linas dos piiiicipacsaiiiiins.
uvas do pellica frescas, brancas o do cores para homens e cultoras
Chapcozinnos de pallia de Italia cofeitadws, para enuorae.
Ricas chapelas para senhoras, gwro de polka do Dalia para acotarase meninas.
Especial oriiiiii'ulo do sintns para senhoras.
Enfeites dego6to para senlioras.
Fitas de grosdcnanle superior do todas as cores o larguras.
Franjas com vidrilhos, branca*, do cores e pretas.
Guarniooes do todas _s qunlidades para vestidos.
Vestuarios completos para baptisadoe.
oliulias e paohas enfoitados para senhoras.
Goiincs moderaos, lisos e enfoitados.
Born:)us de laa e seda, cines claras, moda elegante para senhoras de bom gosto.
i'.ui'pkthos do cambraia enfoitados para senhoras.
uache-nez de la.
Chapos de sol para homens c senhoras.
Flores linas, sorliinento especial.
Pininas elegantes do qualidade superior.
Cintos ricos depalha, alta novidade.
. Griualdas de llores linas.
Camisas superiores para homens.
-, Colarinlios e punhos.
"Cravatas e mantas modernas.
llengalas de diversas qualiitades. ^
Caixas grandes com quatro pecas de msica.
Flores de palha para iniarniooes de vestidos, botoes, fivelas,laeos para enfeites.
Chapeos de pello do seda pretos, forma a Itutsehilil. fazenda superior para bomeus.
Correles de plaqu lino, gostos bonitos para relogios.
Cacoictas de bom posto para as mesmas.
Correnies pretas de borracha diversos modelos para voltas.
Objectos para lulo.
K muitos outros artigos de novidade que so vista podem ser apreciados.
Existecoatinaamoate un completo sortimento de miudezas, vende-sopor grosso e'a retalho
A COMMOIIOS PISEMOS
BAZAR DA MODA.
PRECO CORRENTE DOS CHFEOS DE SOL
Da fabrica de
Ra Nova
Cabug n. 8
Pernambuco
Chapos de seda trancada, Paragon, de 16 bastes, 28 pollegadas a 16$
pollegadas a 181, e 21 pollegadas a 140000.
ALTAS NOVIDAES
OJA DO PASSO
Ra do Crespo n. 7 A, esquina da do
Imperador.
I
Jj
PARA OJARESIU.
Gorgorad preto.
Setim macan.
Sedas lavradas.
Moireantique preto.
Gros-le-naples
Basquines de gurguro e de gros-de-na-
ples enfeitad com primor.
Corpmlios de gros-de-naples.
Basquines, capinhas, pelerinas, liehus.
de crochet e de guipur, pretos e brancos.
Mantas pretas de blond.
Riquissimos diales detouquim.
Bequissimos diales de gurguro de seda
pela o mcllior neste artigo.
Chales de mirin pretos com requissimos
bordados e franjado de retroz.
Chales de mirin bordados sultane:
ultima moda.
Bomeus pretos com lindos bordados.
Leques de madreperola, maifim, snda-
lo e osso, e pretos, para senhoras.
Ditos de sndalo para meninas.
Chapelinas pretas.
PARA CASAMENTOS, BAILES, THEA-
TKS, etc. etc.
Lindos cortes do blond, contendu siatim,
mantas e griualdas
Hequissiinos cortes de sedas- assim carao
para covados.
Gorgorito braneo.
Moireantique braneo azul e verde.
Gros-de-naples brancos e de cores.
Setim braneo macau.
Setim, braneo, azul, verde, flor de rosa
e amarellos.
Fil de seda, braneo e preto.
Cortes de seda com duas saias.
Chales de gurguro de seda de cores.
Camisas bordadas para bomeus.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas bordadas .
Fronhas de lindo bordadas com primor.
Lencos de cambraia de linho bordados.
Riipiissimas colchas de damasco de seda,
assim como de seda e algodo.
Ditas de crochet para cama.
Chapeos de seda bordados, para so*,
Poil de chevre de lindas cores.
Alpacas de lindas cores.
Ctopelinas de pauta \6a Italia, assim
oemo.'-; seda.
Enfei_s para cabeca de senhora.
Espar'.rftos para senhoras.
Meias (o* 'aia para padre.
Ditas- de SEa
Pitas de sita lio da E*cossia c algodao.
para senhorHW-, meninas.
Lentos de Mjvriiitho.
Fronhas de latjyrinllio.
Bitas, rendas e grades.
Firaesimas eaiwftraias de afros, percales,
lilas, c outros mistos artigo de
de alta novidade, kHo s
gosto (!
Naloja do Passo ra do Crespo- ji. 7 A, esquina da efe Imperador.
Afprottti
da icadenii
Mctecim
it Part.
Pkarmaceutm*
lauread
da academia
it medicina.
20
a 1W;
de
Ditos de sedaG. de N. Bara, de aro, de 10 bastes, 28 pollegadas
de 20 pollegadas a 130 ; c 2i pollegadas a 120000.
Ditos de seda G. de N. lisa, de ac, de 12 hastes, 28 pollegadas a m
20 pollegadas a Hfl; e 24 pollegadas a 10*000.
Ditos de alpaca, de ac, de 12 hastes, 28 pollegadas a 0* ; e 26 pollegadas
Por diizia faz-se descont de 15 0n9
Chapeos de sol de panno, debalcia, de 8 bastes, 2 i e 20 pollegadas a 32*
a duzia. (Descont de 10 0|0). ,.,..,
Ditos de panno, de junco, 8 hastes, a 18->000 a duzia, liquido.
GRANDE
Para msicas militares.
Completo sortimento
NO
BAZAR DA MODA
BA NOVAN. 50,
Esquina da ra de Sanio Amaro
O a 30 por cont menos que em outra qualquer parte vendem_____
JOS DE SOUZA SOARES ft C.
do mois acreditado autor Goutrot Ainea Pars.
RIJA MOVA tf 5
ESQUINA DA RA DISANTO AMARO.
As preparaos ferruginosas liquidas tem desde muitoa annos mereoMo a apprSTacSo
especial dos me Jicos, porque ellas obro mais ntido e seguramente do que as plalas, e
sao mais fcilmente toleradas pelos doentes. Os Pos ferre-manganicos possuem a ina apre-
cia vel vantagem de peder offerecer n'um instante orna agua ferruginosa-gazeosa, de oslo
agradavel, mais activa do que as aguas mineraes, e centeno de mais unelemento preuoso,
o Manganese, que sempre se acha no sangoe, jarciamente com o ferro-. Bmpregio- en
todas as molestias que tem por causa o empobreoimento do saague, assim como para vigorar
os temperamentos debis e lympnatieos. A chlorou, as Penas brancas, tUret d'estottago,
a irregularidade da mensruacio e amenorrha ou suppressSo do menstruo, cedem rajada-
mente a sen em prego. Devemos mencionar aqnt um facto notavel, islo que os doentes cara-
dos pela agua preparada com estes pos esto ranito menos expostos recadas dt que
aquel les que lorio tratados pelas preparacoes ferruginosas ordinarias.
Deposito em Pernambuco, em easa de Mansar* O*-.
VERDADEIRAS
PILULASdeBLANCARD
n
COa lODUHITO 00 RIMO INA__IUVEL
'APPROVADAS PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PA1BS, ETC.
' Fossuindo as propriedades do lodo et do ferro, eonvem especialmente as Krrm.cot
KC.Ronn.osAS, a Tsica no principio,a fraqvexad temptramento e tambero, nos casos m
Falta rE cor, AMENORRHEA.em que precisareagir sobre o sangui seja para restituir
lhe a sua riqueza e ahundencla normaes, ou para provocar e regular o^seu curso peNtxco
N. B. O iodaile de ferro iropnro pu altor^^BmjBe*^^ **. Tf'~ OF
itive. %&/CG0tGt&&J
de um
lrrilanle. Como ttot de pureza de ambencidade das er**rir. TV-
de Bleneerd, deve-s ezijir nos elle e prei
nosso Bnna, miui reproduzida, que se acha na parle inferior
retal* Ten) e. Deve-ie desconfiar das [alsificacol.
krhmm-mm t*m,mmj^MmrM^,__ PharmMico, ntm Boneyrte, O. ^ei
k lulas i
f^k noisi
fe.
A
TASSOIRMAQS
Tem para vender ca seus armazeiis, aUm de ou-
tros, os segurles artigus : .
Papel para imprimir.
Perlina azul.
Oran pautado e liso.
Vinhos em eaixas de doze garrafas
Bporgogao.
Ilery.
Madeira.
Hernitage.
Cliamblis.
Licor de curadlo de Hollanda cm caixas de virt-
i e quatro botljillas.
GESSO,
>'os ariaazcns de Tasoferilos.
Grades de ferro
l>ara jardin?, porteiras etc.
Nos armazeiis de Tasso Irmaos
CARHiMnoM ii; 11; t no
Para serviros de grandes arniazens, para remo-
ver barricas ou caixoes de um para outro, lado pelo
mdico preco de 2000 cada mn.
FarinJia de trigo de Trieste
Das melhoras inarsas Panonia (Tei-daleira) Fon-
lana e grande sortimeRfo das mclhores marras de
farinbas americanas. .
Saceos de arinlia de trigo do
Chito
Todas nova:', cliegadas ltimamente ns anaa-
zens de Tasso Irmaos.
Cemeoto romano
los armazes de Tasso Irma.
Cemento hyelraufico 12^
0 nielhor para tndo que sao obras para agua, ro-
nwassentamento de canos de esgott/, algerozes, do-
posito; lanqoes d'ag&a, etc., ele.: em poreocs W
cimoento barricas.se far reduccacTio preco : nos
armazeusde Tasso Iinnos.
Cemento Portlaatl
0 rerdadeiro cemento Portland em ci de Tasso
Irmao*.
Grades de firro. cerc^, por-
telrasr etc., etc.
De diferentes quaJidades para cercad! de ani-
maos, chiqueiros para galfnhasou jardine-rnos ar-
. mazeos de Irsso Irniins:
Barris @ohi breu
Xos annazens do Taew Irisaos.
CASTOS DE BARBO
Na ra Nova de Santa nita, na antiga fa'irira de
I sabao, ha para Tnder per preto o mais mdico
Lpossivel, cano^ franeeaes-pnra dificacoesesgo-
' tus (le toda aqualiiladr, superiores a todos- que
)ui tem appireeido peh sua solidez.
pbei;o
13100 porrano grande d* 3 tr niela pol>*3adas.
1 200 por dno de 2 e tves-quartos de dita.
lOOO por di.' de 2 e URhquart de dita.
500 ris por pistoleta de ipollefadas.
Cotovellos.ttRiTraseeaBr. de naior grossra, a
vfetase far o-preco. Compras-maiores de 200:5
[ t-ttrt 3 por cesto de desramo pr prompto- poga-
im-nto. Pide-se ver as amostras nos araazens
II ..o Tasso Irmaos.
Tijols fraacezes
Para ladrilft;r rasas ternw* comasseioe precos
i modieos, niuit convenientes-e proprios para~la*hi-
! Ifios de cosiithas em sobnukts, ])Ho scu as*ei e
' t-riuir a passajeni de aguuipar o andar inferior
i e-mesmo o pesigo de fogo, aes- precos de 309000 a
US$000 o milneiro : na rua-Nvaife Sania P.ito, na
' antiga fabrica.de-sabio, e compras maiores de> 200
sama ."i por (rato de descorito por prompto paga-
i monto. Podem-se ver as amostras nos ar3iens
de Tasso IriRaos.
Velas dt>osparmacete-vcirdadeiras pablan-
tenias de carras: noarmazsm de Tasso Irmaos.
Vinho do Porto tino superior: no anaazem
de Tasso Irmaos.
0 mcllior cognac Caulbier Freres : soanna-
C .-..'ni do T.i9>u Ii uios.
Esteiras da India
Em casa- de Tasso Irmaos vende-sc cstjiras da
> India de diversos padrees e larguras, pji- prec< i
comniodo.
fi NOVA ESPERANQA
21= Ra do Queimatlo='2I
L para presentes
A Nova Espcranga, ra do Queimado
n. 21 tem um variado sortimento de objec-
tos de gosto e phantasia proprios j)ara pre-
sentes, sobresahindo entre elles ricas caixi-
nlias de bano com linas perfumaras, cos-
lureiros de chagrn, guila-iros de madref
perola : assim, pois, quem quizer fazer umi
linda ollera, 6 dirigir-se i Nova E*peranca,
ra do Queimado n. 21.
Collares anodinos cllcctro-magneU
eos conira as convvledes das
creancas.
Nao resta a menor dmiib, do que multo
collares se vendem por alii intitulados os
yerdadeiros de Boycr, e eis porqae nuilos
pas de familias nao creem (comprando-os)
no effeito prometlido, o que s podem dar,
os verdadeiios; a Nova Esperanca, porm
que delesla a falsilk*a?ao principalnente nf>
que respeila ao bem estar da liumanklade,
fez urna encommenda dVecta destes corlares
e garante aos pais de familias, que slo o
verdadeiro de Royer, qr a tantas crwn-
cas tem saldado convulgoes, assim pois preciso, que vff-
nliam a Nova Esperanca a ra' do Queimado
n. 21 comprarem o salva vida> para seus
lilhinhos, antes que estes sejam aeommetti-.
do? do tenivel mal, croando entao ser di-
ficf alcancar-se o eTeito desejadd, embora
sejam empregadoi os rerdadeiro coflares
de Rojer.
Para extinffmr as sarfew e
^\.GERM}lAty
/MiU.VW/c7US SC. ^----^
DI)
TRIUM
QARESMA
QUARESMV
QUAHESM.v
Grndfi sortimento de ?ros-de-naples por presos inteiraniento, reduzdos, assim
m&SeKS e gurguro preto, ditas de grfrtarfe lazenda do ulU-
nT^T^i2ajtoS^WtW proprios para a estuco, que se vende por menos
"o / do *SS!&*b* pat-te, assim1 como m completo sormento de lanu-
das de luxo como sejam Sedas de cores de lindos padrees pelo d.mmuto pre*) de^OOO
a 2^500 rs. o covado.
Alpacas de lindas cores, lisas e lavradas.
Laazinhas com listras de seda para 1*200 c l.>000 o covado.
Ditas de lindos padres para 500, 700,800 e 900 rs. o covado.
Cambraias brancas de 4*000 at 8f>000 a peca.
Ditas de cores de lindos padres de 040 e 800 rs. a vara.
Saias de 13a com bonitas barras.
ltoles de cores, brancos e de arcos.
Basquinas de gros-de-naple de 22*000 a 40*000.
(iros-de-naplcs pretos e de cores que se vende por barato uec.o.
Organdiz braneo, brilliantinas brancas e de cores.
Espartilhos e entre-meios bordados.
Meias Anas para senhra e para homem.
V,n cestas fazendas tem um completo sortimento de cintas ^ZJt^&JS.
riinoes bramantes, atoalhados de linho e de algodo, e outras mu.tas fazendas
qTsc^i.dmTrp^08q^ a vista o comprador se podera desengaar queso no
Triumpho poder comprar comeconotma. myf^&
Alegrai-vos myopes, e presbytas, ja po-
dis ver de longe, j podis ver de perto,
nao lia mais vistas curtas, nem caneadas.
F. J. Germann acaba de receber pelo ulti-
mo vapor um rico c variado sortimenio de
oculos, lunetas, pince-nez, face--main,
lorgnons, de ouro, prata, tartaruga, marfim,
ac, bfalo, ncar, unicornio e melchior;
assim como binculos de urna a tres mn-
dancas P-ira theatro, campo e marinla da
ultima invenco ; duquesas, vienezas de 6,
8 e 12 vidros, tudo dos melhores fabrican-
. .
tes da Europa.
0 mesmo vapor trou-.
xe urna excellentes ma-
china para graduar e
observar o numero dos
videos que se necessita
conforme a vista de
qualquer pessoa.
Tem excellentes ste-
rioscopos, instrumentos de mathematin,
barmetros, vidras de chystal de rocha, e
de cores para retardar a vista; concerta
todos estes objectDs a precos commodos e
com promptido ; tira cunfo dos videos e
encarrega-se de toda a encommenda relativa
a ptica.
Becebeu tambem os excellentes relogtos
do antigo e afamado fabricante Roben Oorih
& C, os quaes vende precos commodos
garantindo a sua superior qualidade.
de seda e alpaca, e outras muitas l~.
zer qualquer obra de alfaiatojwra o que tem um hab.l mestre, tudo por pieco que
encontro no triumpho I na no Queimado n. /
DNCAS das CRIANZAS
XAROPE de RABANOJODAD
so
Tiedicamenio goza etn Palls e no mundo inteiro de nma fama|nstaniente merecida, por
acbar-se intimamente combinado nelle o iodo com o sueco das plantas antlscorbuticas, cuja eincacia
bom conhecida e as quaes j naturalmente existe o iodo. E' com este motivo que elle roppre
cora vanlagem o 01eo.de figaiios de Bacalho, que deve, secundo os homens scientificos, a sua
eficacia presene do iodo. E' preciosa no tratamento das crtancalpara combater o lympnaUHno,
as (ilisirucooea da adulas do pescoco, e u diversas erupcoes do rosto, Uo freqnentes na
elle exciu o appetite, faculta a
reetiudo pelos medios
especialistas para
criiincas de pouca iOtde. Tnico e depurativo ao mesmo tempe, elle exci
dkes&O r+itu o teeidos a sua firmeza e vigor naturaes. E' cada da
uibater as diversas affeccoos da palle.
Deposito cm Pernambuco, cm car-a de Honre* e O*.
J
Illuininacao.
RA DO CRESrO 16.
Duarte lereira C, tendo recebido pelo
ultimo vapor grande e variado sortimento
de balesde papel de diversas qualidades,
e do mais moderno gosto, proprios par
illuminaco tanto da cidade comi do
campo, assim o tyeem cooptar a seus inio-
rozos froguezes e ao respeitavel publico
aim de que com tempo se previnam, visto
como atiento aos ltimos successos da tier-
ra se espera a caja momento a fausta no-
ticia de sua conclasao. A illurmnacSo ert
bales de papel alri de ser linda men
I. os annunciantcs vi
r^S'trui rsrzoaveis,
~ Willi!-sc, por b;Vato, o sobrado n. 17 toj
na dar. ________^_______________
Escrava
Vende-se urna escrava, que lava,' cosinba,
compra, e e boa piHandeira, com-30 a
de idade; a ver e tratar na na do Filal,
em Fra de Portas, n. 02.
LOJV DO GALLO VIGILANTE
Eua do Crespo n. 7
Mandou vir de sua conta e acaba de re-
ceber pelo ultimo vapor, completo sortimen-
ot de objectos de novidade c phantasia, os
quaes estao resolvidos a vender por precos
nimiamente baratos, para assim animar aos
concurrentes e ao mesmo tempo ciar saluda
ao grande deposito que tem: iste ra do
Crespo n. 7, toja do Galk) Vigilarte..
Gollinhas, punhos e camisinhas para se-
nhra, fazendas de gosto e novidade.
Finos vestuarios para baplisadixs, assim
como touquinhas, sapatinhos e ineiasinhas
para o mesmo im.
Grande sortinrtfcto de bicos c rendas de
croch e de outras muitas qualidades.
Superiores caixas com msicas e sem el-
las, tndo o necessario para costuras, pro-
prias para um delicado mimo.
Finas caixas com tentos e sem elles para
voltarete.
Agulbas para machinas de costara.
Ditas para croch, sendo de ac, marfim
e outras muitas qualidades, assim como li-
nhas para o mesmo mister.
Finas grinaldas para nuivas.
Meias de borracha para quem soffre de
erysipella, assim como meias de la para
os que soffrem de rhoumatismo.
Suspensorios para homem e meninos.
Finos pentes de tartaruga para coques o
de outras muitas qualidades e pira outros
mistaras.
Dedaes de madreperola, marfim, osso,
ac, metal, etc., etc. ,
Superior agua cosmeocome para tingir
cabellos, dando aos mesmos a sua cor pri-
mitiva.
Completo sortimento de finas p 'ifumarias
dos melhores fabricantes, assim como mili-
to outros objectos que inipossivel des-
crever: isto s na ra do Crespo n. 7,- toja
do Gallo Vigilante.
Collares Rover elctricos magnticos con-
tra as cpnvulses das enancas e para facili-
tar a dentincao das mesmas, o Jallo Vigi-
lante antigo recebedor d'estes prodigiosos
collares e contina a ter sempre grande de-
poslto, ra do Crespo n. 7.________,_
Me'm elsticas de borracha.
As ifelbres e excellentes meias elsti-
cas de borracha contra varizese erysipellas.
Vende-se na
m' Pharmacia c drogara d:
Bartholmen t C.
34ra larga do Rosario34 .
-*44anoel Alves FerreinTC., na ruada
Moeda n. 5, segundo andar tem para vender
superior potassa da Russia em barris e meios
barris e cal de Lisboa da mais naya que ha
no mercado.
Macarthy
Nachlaas de desearocar alg-do.
Hoja que est reconlrelo que as ma.__ias de
serrote psejad___ e qaekran a fibra da alpodao,
preciso recorrer a
niachiiiisino nious spero
que Maullas, ,
que in-oduzindo o mosnio servieo
faciiidaUc no traballio, nao quebrei aKtr.i da lan,
para que essa possa oiter-nos mercad >s europeos,
a diffefMiea ipie BA_ePe o algodao descarocado; SO-
po# aquellas neiicionailus machinas, ^ue estao fl-
candoenidcuzo,peloprejuizo que tcni causado,
e o da antiga bolanBira, que nao pde competir
peta nmrosidade da-sen trabalho. H' assim qr.e
listas iiiiu-liiiias se tonam as mais pvprias para, o
iwsso alfrodao, porque ao' par da facilidadc e
promptido conserva a fibra da laa, qne limpa nr
elte, qualificada n Europa a par da melbor do-
landeira, valendo assim entre 10 arrobas 20 0/0
mais do que a 13a limpa pela machina de senrote.
!;. uis machinas nao no npvas, pois que ba mullo
estao adoptadas no Egypto, aon_e as de sarrole
furam inteiramene abandonadas, e por isso o algo-
dao daquella procedencia, sendo da qualidade do
da nossa p-rovineia, obtem hoje de 10 ariobas 20
0/0 mais do qu o nosso : vefldeni-se a li>0O0G
nos armazeiis de Tasso IrmSae.
paiiio
RecerVn a Nova Hsperanca, raa1 do
Queimud'jn. 2i, leit de rosas, especfel
para extinguir sardae pannos.
BONKCA DE CERA
A'No*a4Esperanca arwa do Queimada-n.
2V, xYa de receber um' nnpleto sorti-
mento de inas bonecas da en de diver-
sos- trr.anbos, sendo as- maiones do com-
priflienlo (Vam covado ; estas- bonecas tra-
zera bonitos- eoques e batnas, Havendo en-
tre ellas alg-rmas que faifam e outras que
chorom de sorte que faeilment* podem ser
preparadas, 9fazer-se uai prstate demuil*
acceitacao.
Finascaisss-fletartar_sa:par fap ven-
dem-se a roJ'doQacirrrado n. 21 na loja-
da ffo\a EsperaK"-"-
Modernos briiH-os de 9.indator w se en-
contjrarao na. Nova Esperanca 3 ra do
Queinado n. -i.
__n_s de da
A nova Esyeranca a nw do (Jutimado D.
21, aaba de neceber uro especi.il1 settimen-
lo de- meias fe laa para Si>mem e senhora.
CONTSA-AS C0N6ESTO25
ial terriret a conesto folnwnante:
de rpente lew um indSvido, d'osta para
milhrnr vida, sen* dar-lhe tempo db recebet
conversa, meds; deixaodo as mais das
vese& mulher 3 fil-os no mais amatgurad'-
pran> { a No* Esperanca que d*sja pres-
tar snicos re_rreu a "Vojer, o qoal lhe
man_au anne-lectricos ntagnelioos, come-
o unko preservativo para.semee-antemala
elles antes qi-se acabe : na Now Espe-
ran c*
NAVALIS\S
A Nova Esperanca a ra de (jhaeimado
u. icocbou.tHH sortimento i59- valhas.
de qnalidades> c tamanhos-especiues- assim
corso afiadorose massas- para as- raesmas.
LINDA PAIU CL.BGIft MEIAS
Bta muito necessari linha verjde-se a.
ru> do Quciaatto n. 21 na Nova Esperanca.
BORDADOS B0N1T05, BONS E BARATOS-
Esparlilhas s na Nova Esperaafa a ru;<
do Queimado n. 21._______
Seuientes.
Chegarara as novas semenles de hortallca-d>-
todas as qualidades ra ika. Cadeia do Ref>
LIRAS
Veoflm AngusH F. deWveira
Comniarcio.ii. M.
FUNDICAO DOBOWMMi
ltna do iSt utu i. 5 '.
Machinas de vapor.
Rodas d'agoa.
Moendas.de canoa.
Taixos de ferro, bal di. fundido.
Rodas dentadas, paia moor com agoa,
vapor e animaos.
Alambiques de ferro.
Formas para porgar assucar.
E outros muitos objectos, etc. etc., pro-
prios para a agricultura.
Tintura japoneza
Instantnea para Ungir os cabellos e a
barba, a l-000o frasco.
E' a nica approvada e recommendada
por ter sido reconhecida superior a todas
as tinturas d'este genero.
A venda em casa de Gustavo Ilervelin n.
51. ra da Cadera n. .*>!.
Em casa de Theod. Chrr-tiansen, ra doCom-
rnercio n. 16, encontr_m-Se eTTectivamlite todas
as qualidades do vinho liordeaux Bourgognee do
Rheno. V
m m m
Chegou ao antigo deposito de Henry Forstcr A
C, ra de primeira qualidade; o qual se vende*em partidas
e a retalho por menos prego do que em outra qual-
quer parte.
Cemento de Portland.
Vcnde-se no armaxem de Vicante Fenwa
Costa & Filho, na ra da Madre de De .
barris grandes.________________
Farello
Muito fino saceos grandes a 4o00 em cutas a
160 ; no largo doParauo n. 30.
;
ACABAM
de cliegar os sabonetes de
alcatrao
Para curar as molestias da pello, taes co-
mo impingeos, dartros, samas, coniiilies
e mais molestias de pello sem occasionar
accidentes; desfaz as manchas do co'rprj,
pannos e sardas, restabelece a cor natural
uanto cutis, seca, grossa, amarelle:
onado por afcuma erjf_rmidad_, |^
isinfetahfe e preserJiro
rtgosas_- MI
jiosito, botica do Pinto, junio ao quarte
poHcifl;n. 10. '
finm YHHO
i XAROPE DE Jlll'KU i
PREPARADOS PELO PHAR>tVCF5.Tli:0.
loaqHni de Al nacida
Pinto
As prejvuacoes de irubebas3o
boje vaotajosninente conhecidas e
preconisadas pelos n_tis habis m-
dicos, tanto daEui opa como dopaiz,
pela sua eficacia nos casos de ane-
mia, hlorose, lijdropesia.obstruc-
(11 do abdomen, e tamben as de
menstruarao dthicil, cal barro na bc-
Itgl, etc.
Vendem-se em porcao e a reta-
lho, ua cidade do Recife, pharmacia
de seu compositor, ra Larga do \
Rosario u. 10, junto ao quartel de i
polica.
XAROPE DE FEDEGOSO
'
E' de urna efficacia verdadeiramen-
te maravilhosa como calmante doJ
svsteina nervoso e. applieado con- jj
Ira a paralisia, astluna, tosse con- |;
vulsa ou roquelucbo, tosses recen-j
tesouaBtigas.sulfocaces, cathapros |
bronebicos etc. o em ge ral contra
todos 06 soffrimenlus das vfas res- |
piratorias. e na phlysca pulmonar, |
suavirtude contra o ttano ou espas-1
mos, convuk'oes e inconleslavel. e |
ninguem ha que a desconbfijj.
XAROrE DE SALSA PARUI-
LHA DO PARA
ou
DepuratlTo do sangiie
I -ado as molestias de pollo,
mipigens dores rheumatwas, e ul-
ceras venreas.
0 nico deposito des
mentos na botica do Pinto rus d
Rosaiio Larga n. 10 junto^uar-J
tel de polica.
de rogar os de alcal
botica do Pinto, junto ao qu
i [Ca,
^

[\



%
m
Diario de Pernambuco Terca feira 23 de Feverciro de 1869.
i
~ GRANDE flQUIDACAO
DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DO
DE
Flix Fereira da Silva, successor de Gama
& Silva
O proprietario d'este estabelecimento convida ao respeitavcl publico desla ca-
pital a vir surtir-se no grande ostabelecimento que tem de fazendas, tanto da moda-como
de lei, nesia casa poderao fazer os seus sortimentos ca pequeas e grandes porches, venden-
'J^-s'lhes pelos precos que se compram as casas ingtezas ; assimeorao as excellentis,
simas familias, podero mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou mandare-
mos levar em snas casas pelos nossos caixeiros, para o que acfca-se este estabelecimen-
to aberlo constantemente desde s 6 horas da manilla as 9 da.noute.
O atoalhado do Pavo. AS CAMflfcAIAS DO PAVO
Vende-se -superior atoalhado de algodio | Ven4em-se finissimas pocas de cambraias
lizas transparentes tanto inglezas como suis-
sas tendo mais de vara de largura, pelos
precos de 5.J600 at 101000 a paja, assim
con finissimos organdys branoo liso que
serve para vestidos de Iwiles, por ser muito
transparente a I#000, a. wa, na loja do
Pavao ra da Imperatr n. oO, <3e Flix >Pe-
tv.'va da Siha.
Alpacas Jarradas
Chegram pelo ultimo vapor as mais 10-
iernas alpacas lavraflas com as mais lindas
cores, que se vendem a 1(51000, o covado,
fitas lisas tendo tambem cr de carina a
800 rs, ditas mescladas muit* finas a 1300,
o covado, e outras mitas fazendas de gosto
o moda que se vendem mais barate do
fue em outra qualquer parte, no armazem
4o Pava, ra daliaperatrizn. 60. de Flix
rereirada Silva.
Roupaspara hmem
Vendem-se superiores palitts de ;panno
sobrecasacos forrados de alpaca e de seda,
camisas inglezas e francezas com os peitos
de esguio, ceroulas francezas de linho e al-
godo, 'meias cruas inglezas superiores, ca-
misas de flanella e de meia de 15a, assim
como neste estabelecimento existe ura grande
cortimento de pannos pretos, c de casemiras
inglezas de cores, e que se manda fazer
qualquer obra a contento dos Srs. fregue-
zes, e promette-se-lhes que serlo servidos
cun a maior promptido e muito mai6 ba-
rato do que em oulra qualquer parte
na ra da imperatriz n. 60,de Flix Perei-
ra da Silva.
Cortinados
Para camas c janellas.
Vende-se um grande sordimento dos rae-
lliores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janeHas, que se ven-
dem a 1$$000 rs. cada par at VSOOO rs,
sto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Fereira da Silva.
Cretone para leiwjes com 10
paitos de largura a 2$,
Acaba do chegar esta nova e excellente
fazenda branca propria para lences de um
s panno, garantndo-se que um metro e
urna quarta ou um metro e meio d um
expeliente lenco! de um s panno, assim
como esta boa fazenda tambem muito
propria para toalhas-de meza, roste etc. e
outros mysteres e vende-se pelo baratsi-
mo pre?o de 2$ cada metro.
com 8 palmos "de largara, adamascado a
#200 a vara; dito de tinho fazenda muito
superior a 3^200 a vara ; guardanapes de
linho adamascados a 4f00 a duzia e muito
finos a 8##R), e ditos econmicos a -3$S00
a duiia.
Crochs para cadelras aa l*ja do
Pavo
Chegram os mais irados panos fie cro-
cli oo guarda bantras, proprios .para ca-
denas tanto d'encosto, como de bianco e
de goarnicao, c outros compridos -para so-
f, assim como ditos redondos para mezas
redondas, ditos pequeos para ahnofadas, e
ditos para cobrir presentes, tendopequenos
at para cobrir um prato, que se vendem
por preco muito em conta, na foja e arma-
zem doPavao ra & Imperatriz ti. 60, de
Flix Pereira da Silva.
Fiistes para vestidos tarancos
Vendem-se os mais modernos fasfecs bran-
cos flexiveis com padies de listas e de
salpicas proprios para vestidos e reupas de
menino aOiO rs. o covado, na loja e arma-
zem do Pavao ra fia Imperatrizu. 60, de
Flix Pereira da Silva.
PECHINCHAS
Novamente chegadas ao armazem
DO
/
m^eao
DE
PAREDES PORTO.
Tendo-noj chegado ultimamtjite fazendas inteiramente novas, convida-
mos por este meio ao respeitavel publico a que nos procure comprar fazendas de
bom gosto e por precos que nao achara cm outra qualquer parte.
O cordeiro previdente
Rua do Queimado a. i .
Novo variado soilimento d pe|fumarias
finas, c outros objrct
Alm do completo sortimento de perfn-
marias, de que efectivamente est prvida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro soilimento que se torna*|
notavcl pela varedade de objectoa, snpetfori-
Para familias
Grande Bazar, rua Xoia ns. 29 e
**. de Carnelro Viauna *: C.
Acaba de chegar a este sta en lo
dado, qualidades e commodidades de pre-lgrandjporsSodemacliina estars rio
Cirosdbenaples
Chegou para a loja do Pavo pele ultimo
vaipor um grande sorlimento dos melhores
grosdenaples pretos e de cores, tendo verde
tambem, que se vendem mais barato que
em outra qualquer parte.
PeCMNCHA EM ALGOSAOSINIIO A 5*500
A PECA NA LOfA DO PAVO.
Vende-se superiores pecas Je algodJosi-
nho com 20 jardas a $500 a peca, gran-
de pechincha, na rua da Imperatriz n. 00
armazepi de Flix Pereira da Silva.
8ABADINH0S
Vendem-se-finissimos ^abadinhos, tiras
bordadas e entreraeios, mais baratos do qw?'
*m outra qualqaer parte, assim como espar-
tilbos dos mais ^modernos, no armazem de
Flix Pereira da Silva, rua da Imperatriz
fl. 60.
ALTA NOVIDAOE
A LOJA DO PAVO
Gurgur5o de seda
Chegaram pelo ultimo vapor, os mais bo-
nitos gorgoritas de seda, proprios para ves-
tidos, sendo lisos elavradnhos, com muito
lastro, garantindo-se que a fazenda mais
linda e de mais pbantsia que este anno tem
negado a este mercado, e vende-se por
preco muito razoavel, na rua da Imperariz
n. 60, de Flix Pereira (Ja Silva.
GROSDENAPOLESPRETOA QUATRO
PATACAS S O PAVO.
Vende-se grosdenapoles preto de boa
jualidade pelo barato preco de 15280 o co-
vado, s na loja e armazem do Pavo, rua
da Imperatriz n. 00 de Feliz Pereira da
Silva.
GAMBRAIA BRANCA A 3g00.
Vende-se pecas de cambraia branca
Admirem!
Madapoloes finos a 8&, 65, 75 85 rs.,
s no armazem do I/elo.
Chitas escuras de padrees lindos por pre-
co de 320 e 360 rs. o covado.
Cassas de cores m palminhas e com
listas de diversos psidres a 240 e 320 rs.
L3azinhas cinzentas e cor de bonina a
320 o covado.
Chitas clarasmiuriinhas a 320 e 360.
Alpacas pretas e de cores lindas proprias
para vestidos a 480, 700 e 800 rs.
Pecas de cambraia transparentes a .4i>,
35 e 65. Por este prego admira a todos!
Gortes de casemiras de quadrinhos e lis-
tas a 25800 e 35.
Gorpinhos forneos para senhora a 35 e
3f^a0.
Pechincha!
Gortes de cassineta de cores para caifas e
paletots a 15500. '
Cassineta da cores com wn pequeo to-
que de mofo a 400 rs. o covado.
Espartillios muito finos a 15500, 5^ e
55900.
Admira 1 i!
Gravatas de seda a 500 rs.
Golinhas bordadas a 500 rs.-
Lazinhas a 200 rs. 1 !
LaaziBhs a 200 rs.! 1
Lazhfrhas a 200 rs.! 1
Lencos bordados a 65, 65500 e 125500.
Ricos e bem escolbidos gostos de bis-
marks pdra caifas e paletots a 25500 o
corte.
Tambem tem para acabar pef as de pan-
no de linho, com 27 varas, a 175 o 185.
Toalhas de linho para rosto a 105 a du-
zia.
Aos Srs. armadores de enterros.
Vendem-se pegas de hollanda pieta com
40 covados a 55 : na rua da Imperatriz n.
48 e 52, junto a padaria franceza, loja do
Leo.
Attenco roupas feitas! 1 no armazem
do Leo, rua da Imperatriz ns. 48 e 52.
Assim como temos um grande, completo
e variado sortimento de roupas feitas: pa-1**
letots saceos, sobrecasacos, fraques, jaque-
toes, caifas, cohetes, camisas, ceroulas,
chapeos etc., tudo por precos que admira I
Tem tambem um sortimento de roupas
ordinarias por pref o barjtssimo.
Acaba de chegar tambem um completo
sortimento de damascos de cores, sendo
azul, amarello e cor de caf etc., que se
vende por pref o commodo.
Admira!!
No armazem do Leo 11 f
No armazem do Leo 111
fos; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
e espera continuar a merecer a apreciaban
do respeitavel publico em geral o de sua
boa freguezia enj particular, nao,se afas-
tando elle de sua bem conhecidamansidao
e barateza. Em dita loja encontraro os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray. *
Dita verdadeira de Murray & Lamman.
Dita de Cologne ingleza, ameiicana, fran-
ceza, todas dos melhores c mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentrifcia.
Dita de flor de larangeiraa.
Di'ta dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para eonservafo do
asseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada lina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente,
eoutras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos e
fraeezes em frascos simples eenfeitados.
EsseniM^nperial do lino e agradavel chei-
ro de violeta.
autor Wheeir Wilson, approvadas na -
ma exposifo de Pars, as quaes eoeem com
dona pospontos inda a costura, e tem a
vantagera de ser lo suav o movimenti.
que qualqter crianra de oilo annos l
mente trabalha, e pode, com este entreti -
nimento, levar vtntagein ao servico diario
de trinta costuieias. A conipreliei"-.
simples, pois em um quarto de hora se ti-
ca senlior do movmenio da machina. t> -
u>) a mesma a pi-opriedade de fazer as se-
guintes costuras: posponbr, abainhar,
franzir, marcar e boida, ruino apresentam
os desenhosque ao uqianhani-as. Os pro-
prietarios do estabelecimento se encarre-
gam de mandar ensinur n'esta eidade, e
garantem entregar o importe dispendido ao
comprador, no caso do nao trabalhar cem
perfeifo a machina vendida, nao tero .
porfera, soffridoella alpuma avafia. Ha tam-
bem no mesmo estabelecimento machinas
do autor Grovver d- Daker, de lraballio sim-
plesmente mo, e outras com movimento
dos'ps; e mxime todos os perlences das
mesillas machinas, para vender avuls-i.
\rend(i-se
No armazem do Leo 111
No armazem do Leo 11
No armazem do Lefio, rua da Imperatriz ns. 48 e 52, junto a loja de ourives
e padaria franoeza.
F^EDAS PRETAS"
PARA A QUARESMA
AUTO PORTO & C.
^Outras concentradas e decheiros igual- franja cravo, ,la China, Jima da P.
mente finos e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
coin escolbidos cheiros, em frascos de dif-
ferentes tamanhos.
Sabonetes em barras, ma
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em figu- "^ completo .rtmeDi
laiores c menores
ras de meninos
Ditos muito finos em caixmha para barba.: pi*co* raroavel?.
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando i
fruclas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
nas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaris linas.
Ronitos vasos de metal coloridos, e de
moldes-ttovos e elegantes, com p de arroz
e boneca.
Especial p de arroz sera. composicSo de
cheiro, e por isso o mais proprio para crian-
fas.
Opiata ingleza e franceza para dentes.
Pos de camphora c outras diffe'renlp
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental deKemp.
Anda mais coques.
Um outro sortimentos de coques de*o-
paodmassa, parreiras de diversas uuiI'-
dades : piii P;n nanicirini, itio junto ao pona
Miranamenln d'ajroa.
Vende-e um armacao ie taberna com al-
gn poneros: a Halar na rua Imperial n. '.ti.
Fundico da Aurora.
Reste vaslo eelabeleelmcnte s-empre se ene
ten -6!
o fundido, rubricadas receutemente, e tr > '
d qualquer molde a vonlade db fir Waican
jipradir.
ESCRAVOS~r
A
Fupio a 1S do p
eOWVO (!' nonie Feli
dade, um pouco
i tabtV
za duro ij rt
eauslieo do
l
tmu-, mez de jaiR-m n
(fe, reabra com 23 anos i >
ii.ftifcrBaceHias pretas c -
,i:h-ib'y\i\vIJ<. qe.ando anda] -
irin uina mai
MOCAMBIQUEPARA VESTIDO A 500 RS.
Chegou para a loja do Pavo um elegante
sortimento dos mais bonitos mocambiques
proprios para vestidos comas^res mais
modernas e que se vendem pelo barato
preco de 300 rs. o covado.
AIPACO DE CORD.VOPAKA VESTIDO A I i
Chegou esta nova fazenda com o nomo
de alpaco, sendo de eordo e com mais
largura do que a alpaca, eoni as mais nias
cores, como sejam Bismark, lyrio, perolas,
transparente, 7om 8 rnela'varas p<7ba" '^x<>. f de caima, magenta etc. e vende-
rato preco d* 35300, ditas muito finas tanto sa pelo baratissimo preco de 1>> o covado.
tapadas como transparentes a 1-5300, 3i>000,
60500, 7:000 e 8.-S000, assim como organ-
d muito fino tanto lizo, como de listas e
quadros ua loja e armazem do Pavo rua
da Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da
silva.
ALPACAS LAVBADAS ^PARA LCTO.
Vende-se na loja do Pavo, as mais mo-
dernas alpacas lavradas para lueto, sendo
muitolargasepelo barato preco de800rs. o
ojvado, s na loja e armazem do Pavo, rua
da Imperatriz n. 60 de Flix ^Pereira da
Silva.
AS DEZ MIL VARAS DE CAMBRA!AS FRAN-
CEZAS S NA LOJA DO PAVO A 560
RS. O METBO.
Vende-se finissimas cambraias francezas
om os mais delicados padrees, tanto mui-
dos como grados, e com as cores mais no-
vas que tem vindo no mercado pelo bara-
tissimo preco de 560rs. o metro; garantindo
que 7 metros do um vestido para qual-
quer senhora, e que em oulra qualquer loja
nao se "encontrar a mesma fazenda por
igual preco, e sim s na loja e armazem de
Pavo, rua da Imperatriz n. 60 de Flix
Pereira da Silva.
Cassas Inglezas a 44 rs o metro
Vende-se urna grande porco de bonitas
assas inglezas tanto graudascomo miudi-
nhas e de cores fixas pelo barato preco de
VIO rs. ornetro,gan?ntindo-3e que 7 metros,
do um vestido para qualquer Sra. s na
loja do Pavo rua da Imperatriz n. 60 de
Flix Pereira da Silva.
Bareges a 400 rs. j
S na loja do Pavo
Se vendem as mais bonitas bareges transparen-
te;-, proprias para vestidos com listrinhas a imita-
ROHEIRAS PARA QUARESMA A 16,
Chegram as mais bonitas e modernas
romeiras pretas lid guipure, que se vendem
pelo baratissimo preco de 16$ cada urna.
SOBRECASACOS PARA A QUARESMA A 18* E
20i.
Vende-se ura grande sortimenlo de so-
brecasacos e palitts sobrecasacados de fi-
nissimo panno preto pelo baratissimo preco
de 18/5, sendo forrados de alpaca,' e por
20$, todos forrados de seda, grande pe-
chincha, principalmente por cstarmos na
qnaresma, assim como, tambem se vende
um grande sortimento de calcas e colettes
de casimira preta que se vende muito mais
barato do que em outra qualquer parte.
ESGUIO DE LINHO DE 12 JARDAS A 105.
Vende-se pecas de esguio de linho, fa-
zenda superior, com 12 jardas cada peca, a
10^000.
Poli de ehvrc a lOOOo covado
Vende-se poil de Chvre muito largo com
as melhores o jnais modernas cores polo
barato preco de I -5000 o covado, na loja e
armazem do Pavo, rua da Imperatriz n. 60
de Flix Pereira d* Silva.
ALTA NOYIDADE
A
Loja do PavSo.
GRGL'ROES PARA VESTIDOS A 1^000,
O COVADO.
Chegram os mais modernos gurgures
para vestidos, sendo de todas as cores, como
sejam verde, azul, rosa, bismark, perola,
Rut) do Queimado n. II
Receberam directamente da Europa as mais snperiores fazendas pretas espe- esto" todos expostos apreciaco de quera
caes para a quaresma, as quaes esto vendendo pelos mais mdicos precos eru vista
ja superior qualidade de ditas fazendas.
A 1/r A IOTIDADE
Basquines pretas de renda, verdadeira novidade, para senhora.
Gorguro preto de seda liso e om listas assetinadas para vestidos.
Grosdeuapios preto largo estreito d diversas qualidades havendo ueste ge-
nero o que ha de meliior.
asquines di croch pretos, ditos de seda preta com cintos delicadamente en~
feitados, elegantes peplums de seda preta, fichos pretos de renda, modernas cipinlias
pretas de renda e superioras vestidos de gorgnrao preto bordados.
iloirantique preto e branco, bombasina, superiores prmcezas pretas, merinos
de vero e trancados dos memores. .
Os mais lindos vestidos de blond com mantas, eapella para noivas, superiores
fronhas de cambraia dalinho e de esguio bordadas, e lindas cokas de seda e de laa
para camas.
Manidas de baile brancasf azues e cor de cinza de gosto especial e ves-
tidos de cambraia branca ricamente bordados.
Popelines de seda para vestidos lisos e com listas das mais lindas cures
e mais bellos padrees, e grande e variado sortimento de sedas tanto em cortes como j do toa^iro Previdaoi rna do' Q^emiado
em pe^a. U jo,
C oinados bordados para camas e janellas, bales parisienses comENFETES BE P1LHV P\R\ VESTOWlfi
molas novo gosto, bales reguladores brancos e de er, espartilhos e bellas eolxas CHAPEOS E CL'ES r^*
de orociic.
C'ainlzas de Hubo inglezas para hornera, chapeos de sol de seda,
gravatas modernas, pannos fiuos e casimiras de cor e pretas, e outra.$ multas faz-andas
que vendem por muito commodos precos.
A loja n. 11 da rua do Queimado tem sempre o melhor sortimenlo de tapetes.
a oV liri'- Atndinsiii. sobre o I gado, levou r
apollo *fettaanttBosprcto, camisa <.' nie-
vo en *nu(iophoeua redondo, este :.-
roP . ,i /rtonina vuiuIp,.la rua Dimita pai-a i el
/*5'Cw.-o eotta, oaiural do lugac Caiiho
rflacoinin'a de Bontu desta prqaria. e ki
eonprado no Sr. J. Aires de leo, llorador no
! mesma lujar,.| t8oa>-ae que- o manto es
leonUmu ^.^aufa.-u- nu rua. munido de -um i
ralso pmfloiando,3auhbr; pederM aos Srs. ea]
raes de ampo e umi autoridades policiaes .i c...-.
una do dUoteBei-avo e Icva-lo ao fu M.'il,.,r J.....
Basada C arfi:. morador em
obrado grande do Sr.-Mano.' j
vose bonitos moldes com filets de vidrZt -Tquet^ff^otrJfaSe^ m
I e alguns d'ellcs ornados de flores e litas
os pretenda comprar.
GOLLIXHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito rosto e perfeico.
Fivef las e Otas para eintos.
Bello e variado sortimento de
tos, ficando a boa escolha aogo
piador.
flOBES FINAS
0 que demellior sejiOdceDcod-aniess
genero, sobresahindo os delicados ramos
orvalhados para coques.
Para vlag;eni.
Bolsas de tapete e ca ieiras de couro, por
preeos commodos.
Chapelinas de palha da Italia mui b...
enfeitadas, e enfeites deflores obra de bom;
gosto.
E assim muios outros objectos que se-
rao presentes a quera se dirigir dita loja
,tn~JL;iU;l!X" ."fonado recommend
ao seWscravo de nonie Juaauim. nml
a cawui"!
nos os Sw. Joao Soa^alteeda Silva \.-, ,,.,:
vah-i.nnde.\i,|ll|uerque e Atead S2
s Iva nesu ndade, por inemedio de ', J
eqradores namMui Ons* m-.....n-... '!'

0, 27 (le Janeiro do 1869.
_______ .I/.'";;n? Jote Briput,! Sousa.
I00 de graiEifao
Ftigio no dia II de Janeiro do roneate
0 Cordeiro Previdente ua" do Queima-! ?^^ SS^fe,**1
do n. 16 acaba de receber um bello sort-imado m.m--lino, ,,u foi doSr
'5o de listris de seda, e veadem-se pelo barato rxo & & tendo quasi quatro palmos de lar*
*^!!?!0.!^.!^!!?^^^ Pe' baratissimo preco
_Pr
m dr
Wm na
te na loja e armazem do Pavlo, rua da Impera-
triz n. 60, de Flix Pereira da Silva.
Grosdenaples preto
Vende-Si3 um grande sortimento dos me-
lhores grosdenaples pretos, tanto lar-
gos como estreitos, sendo de 25000 rs. o
covado at 4i000 rs. garantindo-se que
n'este genero ninguera tem melhor fazenda e
que se ven le mais barato do que em outra
ijualquer parte, na rua da Imperatriz n. 60,
de Flix Pereira da Silva.
Chitas
Vendem-se as melhores chitas escuras para
casa sendo de cores fixas, pelos baratos
precos de 320 e 360-rs. o covado, ditas
mito finasi francezas sendo claras, com pa-
droes de cassa a 360 e 400 rs, pechincha,
na rua da Imperatriz n. 60, armazem de F-
lix Pereira da Silva.
de 1#000, cada covado nicamente no ar-
mazem de Flix Pereira da Silva, na rua da
Imperatriz n. 60.
BiUNS PARA CAL?A NA LOJA DO PAVO.
Vende-se os mais modernos e melhores
brins de linho|de todas as cores, outros com
listas do lado, garantindo-se serem de linho
puro e yeoe-^0 por precos muito em con-
ta ao arroazetfl de Flix Pereira da Silva,
rua da Imperatriz n. 60.
RF-TALHOS PARA LUTO NA LOJA DO
PAVO.
Vende-se urna grande quantidade de re-
tainos de chitas e cassas pretas por preco
muito barato, e quago maior for a poroso
que o fregu comjRr, mais barato se he
vender na ruada imperatriz n. 60 de F-
lix Pereira da Silva.
alcatifas e
-, t|ue foi do Sr. Joao da Can
ment de trancas de palha para enfeites de (',V|,;,; cojo eterayo estove no deposito gara]
vestidos, outras para chapeos, coques ate ISS!(^5?^.??S?Bie5,: *!te' **< ')" ;"!
tudo isto est sendo vendido coin a sua bem
Esleirs da India para forrar salas.
isa
VAL/m therIpeutico
DO
XAROPE DE QUINA FERRUGINOSO
DE 6RIMAULT E COMP.
rhrmoutcoi de I. A. I. prncipe Wapoleka, em Var.
A associace do feria e da quina resolveo nm dos mais importantes problemas da pbarmacia,
e faz eom que se congratulam os mdicos dos relevantes servicos que lhes presU esta Dre-
paracao. ir v
Com effeito, ningutm ignora qoc a quina, om maleira medical, o melhor tnico que se
possa empregar, sendo, sobretudo, unido ao Phosphaio de ferro, a mais eslimada das pre-
parares ferruginosas, pois que eniram na sua composicSo o ferro- element do sangue, e o
phosphato, principio dos ossos.
Por isso, julgamos que, para os srs mdicos, serio inleressantes as observacSes feitas pelos
seos collegas, os mais disnctos de Paris :
Este. Xarope produz os mais felizes resultados nos casos de dyspepsia, chlorosis,
amenoiahea, hemoThsgias, leuoorrheas, febres typboidas, diabetes, e quando precisa
reslabwecer as torcas dos docntes e restituir ao corpo as forcas alteradas ou perdidas.
AK.NAL, medico de S. M. o Imperador.
urna das raras combinaedes que, ao mermo tempo, salisfazem o medico e o doente. Em
quamo a mim, eu a considero como a mais eflicaz prepajaco ferruginosa, cujo uso dos
mais agradaveis pan os doentes.
CAZENAVE, medico do hospital Saint-Louis, em Parit.
c Com esta preparscSo d'uma fdrma agradavel, e fcil de digerir, admmistra-se aos
doentes dois medicamentos importantes.
CHARR1ER, chefe de clnica da Facilidad de Parit.
Eu emprego com o maior xito o Xarope de Quina ferruginoso, e o considero como
t urna das mais felizes innovacoes, na mateira medical-
CliASSAIGNAC, cirurgiio em chefe do hospital Lariboisire.
Este medicamento, sempre bem aceito pelos doentes, deo-me constantemente os mais
< vantajosos resultados.
HERVEZ DE CHEG01K, membro da Academia de medicina.
t A limpidez d'esta preparacio, o seu gosto. agradavel, sent de qualquer sabor e
ferro, fazem d'ella um medicamento to eficaz como agradavel.
MONOD, addido i FaoUdade de medicina.
Depasito em Pernambuco., em easa de Knm o*.
conhecida commodidade de precos.
ALEM D'AQUELLES.
Reccbeu outros lindos enfeites de seda
para vestidos ; assim como um variado sor-
timento de galloes de la, babadinhos de
cambraia com bordados de cores, cuja va-
redade de gostos os tornam recommenda-
dos e apreciados; compareco pois os pre-
tendentes que sero servidos a contento.
TO BEM RECEBE.
Novo provimentd de bicos e rendas de
guepure.
LUVAS DE PELLICA.
De todas as cores tanto para homen-
como para senhoras, constantemente aeham-
se a venda na loja do Cordeiro Previdente :
rua do Queimado n. 16.
rosto mano marcado de beriga'g, fairn de .)
pa frente, edr preta, KUaodoenapodocbiie,
lotoietaJsa de castor, IomukIo um Labuziiili
nandreg cora mais roopa, e suppoe-fe estar Da
rreguewa do Cabo : quii o appreheader teve-o
ao dito engoDho, ou roa da Senzala-nova n. M
esenptorio do Sr. Beroardino Pontual, qae r
bera a gralilicaya cima.
IptroTafla
it utimt
k utitcm
htm
deas,
ffiJdE^SJ^^ mleM1 >* preparacoesYerruginosu ordinarias. As
bSffaT^,^fc^0re ""oada BraW Gensonl eVeqmn de Lylo e
agenda do vSSJrS"** Fvad* uw d,em #* era completa
oT^I^ri^S?1*'!!? ^F deve-se.cbvnos.nguo jm.cutmoot'com
l^t!Sn^ ^'r^^mSrS., por este

NOVIDADE
A loja de Coelho & Oliv<;ira rua do
Queimado n. 19, reccbeu pelo ultimo vapor
um bello sortimento de bales de diversos
systcmas, os mais aperfeicoados Lque teem
viudo ao mercado, sendo :
BalSes de guipur com tiras chamados
reguladores, ditos de musselina abertos por
ambos os lados, de modo que sendo todos
de um tamanho servem para quahpier se-
nhora, de la de cores, com tiras, e as se-
geintes fazendas:
Saias de la com bonitas barras.
Chales turcos de seda e la Beatriz de
Tundas.
Fitas de guipur pretos Rocamboly.
Chapeos de. sol para senhora, muito Ira-
dos.
lasinhas
Sultanes, Poil deChevre, Tricte, dito de
xadrez e outras muitas, entre ellas urna
Especialidade
L5a pura de cores a 360 rs. o covado.
Basquinas a Mara Antoniete.
Cambraias fantazia.
Ditas brancas transparentes e Victorias
Colxas adamascadas.
Cobertas chinezas a 2#500 rs. e outras
muitas fazendas que tornar-se-hia enfadonho
annunciar.
Vende-se
pez de rozairas e fructeiras de varias^alidades
no pateo da Santa Cruz u. SO.
Atten$?to
Vendem-se caixas, meias e quartos eom
rom pequeo toqne a4 a caixa : na trar.
Madre de Dos n. 18.
AeNa-M ftigida desde 1:1 de oululiro do auno
ultimo a esrvn de nomo Custodia, dado do i:..
26 annos, mulata, cabellos- caramullos, don!,
alvos e limados, estatura regular e um tanto cheia
do eorpo, Datura! de Piancozinlm. distrieto de
Bana:verde, o fui vealda aqu pelo Sr. Vi.
NogaeM de Carvalho : quetn a raptnrar queir
dirgirT8e a Albiao hei Fetnqejr da Cunha, ac
go de S, Pftlix n. 17, que ser gcncrosani'iit i-
compensado!
Fugfci do enaenho S. Ptdro, termo de H.-.: -
rciros, no dia (i de Janeiro de 1869, o es>.
Luiz, erioulo, cor meia fula, eom idade de K Mi-
nos, pouco mais ou menos, cun milita pon
de barna no bigode, e j na-cendo na ponta di.
quaix, falla meia apressada, bracos e pernas um
i finos, o branco do ollio amarellaco, le
dedos di> |'s t'iirustados ao dodo grande, crois
compridos un poooo (|uc o grande, miio i
tido, nao deixadc oslar em funecio no logar ond-
liabita, rapaz de pasar por fijro, tem ap
linas ou tres marras de cbicote, sto n>
quenas, que se precisa reparar, boa altura, bou -
ta litnira, beicos meio grossos ; julga-se a
nesta pnca : quem o pegar dirija-sc a easa di
Srs. Manoel Alvcs Ferreira & C, rua da Moed
5, i" andar, que ser recompensado eom MOJOO*-.
Pertenoe dito iscravo a Chrislovu Denlo do li
Brrelo.
de gratificaeo.
Fuilruam no dia 13 do corrente, das a para as 5
horas da manhaa, de nm rancho de Tygipio, dous
cavallos de cangalba, ambos ferrados no quartu
direito, e com os signaos seguintes: o 1" rucc,
liranco.--, urna listra branca dos bolsos para
a barriga, dous cascos dos ps brancos, pro
andador bai.\o, de tamanho regular, rastrad
com nm grao ; o 2 vermelho, urna das ore
lascadas na [tonta, pesado, c tambem castr,
pede-se a quem tiver noticia riolles, e s autoi
des, que os apprebendam e os mandem levar ao
engenho Arariba de bateo, na enmaren do (
ou no Recife rua da Senzala-nova n. 38, onde re-
caberuo a gratilioarao acna.
Fugio no dia 14 do crreme a preta Domu
gas, eserava que foi do finado Firmiuo J
d*Rom, coa os signaos seguintes: 93aniM
idade pouco mais ou menos, estura regular, s
rio corpo,. un tanto magra, olhos esbugalh.
nao muito; nariz,uin tanto grosso, toma muito ta-
baco, pelo que tem a voz um pouco fanli
cosgi ,,io o inferior alguma 'do.
ps apaihetados com os dedos *
immeiliatus aos mil
graml
verde com listas bran
rom barra la i
1 Je fevoreiri
r


.....

Diario de Peruamblico Tenja feira 23 de fe veratro de 186$.

LTTERATRA.
Descrenca e norte.
I
Soflrer sem pro soffrer t e a face altiva
Ter descoberta aos vendnves da sorte I
Oae-me no peito a fronte pensativa,
Mas, en, de p, sorrmdo espero a mortc !
A mo de ferro de um fatal deslino.
Me ofTerta a tara, onda a destronca bebo
Viajante domando e peregrino
Cai na estrada... morrerei maticebo.
Que me importa morrer ? E' cedo ainda,
Me diz no sonho o^anjo da esperanza,
Ascnlto o seio na agona infinda,
Nao acho um echo... morrerei creanea t
E, quando de meus olbos empanados
A luz da yida trmula fugir...
Da fnebre ampolheta, que se esca,
Quando o ultimo alomo eair...
Um vnUo,.um so de fronte j pendida
Que a mSo do lempo encaneceu as lutas,
No silencio dador, nnute eterna
Yira cerrlV-mo as pahpebras enxulas !
Oh amo os louros, o esplendor divino,
Cafa ancia fatal Mea sur devora !
Mas, se na lida prostra-me o destino.
Que me importa morrer, se a morte gloria!
Cale em minh'ahna o lonco enthusiasmo
Que o genio fronte de poeta estampa !
Mata-me a idea o lnguido marasmo,
Liaris de gloria so terei na campa !
Que m; importa morrer 1 Nesta romagem
Bem mogo ainda ajoelhei cansado-
Voz invisivel grita-me : coragem I
E volvo os ollios... o sepulchro ao lado !
Acaso, volta a vida as arterias,
N'um beijo de mulber renasce a creca...
E va un liymno de meus labios frios
Na crise do'prazer... fogea doenca.
E" tanif. aosom de um canto na minh'alma
Aos poucos morro em sceptico scismar,
Como Alcyon que descanta amorte
Pelas vagas quebradas do alto mar!
Como o cedro, que o raio despedaca,
Na Ierra cairei sem um gemido !
Olhe em silencio o viajor que passa,
Cubra a morlallia do cantor o olvido !
Que me importa morrer? Doixara o mundo,
Como o cysne que foge tempestade !
Do banquete da vida ao extremo brinde
Eu quebr a taca... e parto sem saudade !
E tu, virgem de amor, branca madona
Que oo meu peito a citbara quebraste,
Solta os cabellos s nocturnas brisas
Chora o poeta que te amou... queaamaste !
Ajoelha em silencio ao cemiterio,
Nao fojas, se escutares um suspiro !
Nao te assuste do mocho o canto areo,
Nao tremas aos gemidos do vampiro!
Vagara, noute, em torno dos cyprestes
Braceos phantasmas, ttricos lmures;
Ouvc-sealm soturnas gargalhadas
E os assohios do coveiro, algures.
Por alta noate, as lagrimas da lua_
la aves negras vSo beber no chao !
E o corvo errante, de plumagem preta,
Vem pousar sobre as ramas do chorno !
Nao lemas que Satn no eterno giro
Percorre acreacjto no somno fundo,
Virgeni. nao temas namanso dos morios
Vela um anjo de Deus paz do mundo !
Talvez, vj junio ti de roupas negras
Sentar-se campa um vulto solitario
E minha irma...o anjo da saudade,
Cojo pranto humedece meu sudario !
Cas* tua oraco precc d'ella
Sobre a tapida fra do moirnento
De flores rosas seja urna capaila
Minha c'ra de gloria... e o esquecimento !
II
Negra phaleoa me osvoaca aos sonaos,
Sinto 00 crneo a lampada apagada !
A's tongas uoutes de vigilia escuto
Do phautasm a da moi te atroz risada !
Pesadelo fatal me gela o sangue,
\i de uiim Sobre a fronte desvairada
Kasga-me o peito o riso do sarcasmo,
Como a lamina fra de urna espada !
Porveniura eu amara a vida ainda,
Se nao osse utopia o anhelo vo !
Mas pende a fronte lvida no leito,
E meus labios murmuramrnaldicao !
Ol! sou to moco I Nos saraos do mundo
Segue-me errante o aspeolro da tristeza.
Vnlto os olhos vida... tudo flores
Ki tambera de irona a natureza !
Oue me importa morrer ?Fugiraao mundo
Como o nauta ao buleo da tempestade I
Ella tria, talve/., louca e sombra
Oesfolliar sobre a campa una saudade !
Recifefevereiro de 1860.
J. da Sil vi Reg Jnior.
l*r\ttS-l!*lD.
A deiaio presidencial.
II
Cmitinuoaf.
A questo do impeachment ainda esta
outra vez pareca ter ficado prejudicada,
quando da Casa Branca, que assim se de-
nomina a mansito oflicial do presidente,
Jhe occorreu um novo auxilio que por pou-
co nao a fez resurgir de novo. O nevoei-
ro, que desde algum tempo antes, dalli
eslava surdindu, veto, como urna borrasca
a estalar sobre o capitolio, que a mansao
do congresso. Em urna pateara, Mr! John-
son tinha mandado sua mensagera ao con-
gresso, e em vez de se limitar n'uraa re-
serva prudente, que as cirenmstncias pa-
reciam aconselhar, elle, pelo contrario, bao
qoiz enxergar naquelle acto seoao ama no-
va oppHi-tunidadt de insultar seus adver-
sarios. Por aquello documento simi-offl-
c*al. que ra redigido com O costumado
desregrameuto elle cxplieitameiilu aiaeafava
recorrer ao emprego da torca arpiada
contra seus adversarios, se esses tentassem
depo-lo : N'esse caso, dizia a raa/isagem.
o presidente devena assumr a alta raspn*
sabilklade do seu cargo, e a todo o custo
salvara nacao. Pareca que umi tal lin-
guagem chegava inuito a propisito paw
autorisar a medida, que a camirt hesitava
em tomar. Poderia dizer-se que' Mr.
Johnson receiava-se da ciernen ia do$ ra-
dicaes, e que se regozijava com o pansa*
ment d suscitar de novo a guerra civil.
Essa ridicula bravata esteve quasi a mu-
dar as boas ilisposicoes^ em que a cmara i
estava* pois que essa esteve algumas horas
indecisa se deveria, ou no proceder ci:n
rigor. A ordem do dia proposta por Mr.
Wlson. ia a ser procrastinada por umi
serie de emeudas dilatorias, quando por lim
a cmara tomou o partido miis avisado
de zumbar do presidente e de suas jac-
tanciosas ameacas. Um deputado propoz
jocosamente quo para se evitarem as infaus-
tas emergencias, quo o presidente pareca
prever, fosse logo e logo dissolvidoo cor-
po de pagens. que formava a nica forca
armada do congresso. Depois das escara-
mucas oratorias, a renuncia de se acensar
formalmente o presidente passou por IIS
votos favoraveis.
Notou-se que os representantes,dos Es-,
Unios de Este, que at ento era to par-
tidarios das medidas violentas, votaran)
quasi todos contra a aecusacao, e que de
10 que pertenciam representago do Es-
tado de Massachussets, sm^fe dous vo-
taram a favor d'ella : foram aiTrnassas dos
Estados do Oeste, que at o lim persistiera
nesse intil intento de represalias. Isso
era um indicio certo da influencia, quo est
exereondo na opinio publica, e que cada
vez mais a ia arredando da poltica arro-
jada dos radicaos.
Depois desse pnmeiro alarma, tudo se tor-
nou quedo. O presidente, vanglorioso pela
attitude que Uvera tomado, mas hiirnilhado
secretamente pelo desdem com que fra
tratado pela cmara, tinha deixado que o
senado pacificamente reintegrasse na pasta
da guerra o ministro Stanton. O general
Grant, sempre solicito enf observar rigoro-
samente a letra da lei, tinha examinado
acuradamente o conteudo do leare of
ollice bil, ou regulamento para se conser-
var as ranecoes do cargo, e ficra con-
vencido da validade dos direitos do con-
gresso. Elle havia, em despeito das anteas
formaes do presidente, cedido p lugar ao
seu competidor, e por essa occas > eslava
trocando coifl Mr. Johnson urna serie de
cartas agro-doces, pelo que muito se ale-
graran! os radicaos. Estes por outro lado
se iam preinunindo contra a prxima bor-
rasca : o novo bil de reconstruir fio, pro-
posto por Mr. Bingham, acabava de nuJliti-
car a autoridade do presidente, com con-
fiar todos os poderes militares gestan do
hlente-general. O congresso, para pajra-
lysar o tribunal supremo, que elle com
alguma razao considerava como immigo,
tinha decretado, sem se importar muito
com a legalidade do acto, que dalli por
diante, para se aulhenticar a vaidade de
umadecisao legislativa, bastara se dar no
tribunal supremo urna maioria de dmis
tercos smente.
Insistindo na mencionada medida, mas
s com o lito de aggrava-la mais, d cwi-
gresso tencionava tirar ao tribunal supremo
a facultlde de cortar pelas questoes de
drreito, e o senado fazia passar, em des-
peito do veto do presidente, urna Ici, que.
assimilando o tribunal supremo aos teiba*
naes ordinarios, limitava-llie a jurisdieco
aos casos, particulares que lhe fossem sub-
mettidos.' Esta especie de usurparte-
autoridade judiciaria inquietara os conser-
vadores, aos radicaos privara da beoftto*
lepcia do juiz supremo, Dr. Chassc : mas
ella deixaria o presidente desarmado e teria
cora que a disposicodelle se tornasse em
cousa inutilissima. Se na commissSo- in-
quiridora do impeachment, "Dr. Thadeo
Stevens e outros fanticos ainda se esme-
ravam por descobrir novos motivos i ac
cusaco, eslava claro que a moderaran do
congresso reprimira isto, e que nfi> com-
meltera o desaso de bater n'um amigo
prostrado.
Esse processo de inipeachment, que mili-
tas vezes fra abandonado e outras tantas
revivido, acabou por perder visos de cousa
seria. Havia muta gente quo nao quena
ver nisso outra cousa mais do que um
espantalho para assustar o mquihno da
Casa Branca e para conte-lo no circulo de
seus deveres. Todava no era inteira-
mente verdade que tal projecto nao i'osse
mais do que urna amcaca v : eri urna h-
bil intriga, por cujo meo os radicaos es-
peravam chegar ;i presidencia e obstar
eleicao do general Graot. Se ellos nao
tivessem concebido outra cousa senio a
prompta reorganisacao dos Estados do Sul.
e a execuco das lois do congresso, que
era bem facjl, teriam percebido quo j era
muito tarde,"qu; seria um rigor Sdrperfluo.
que elles nao te^wm nocessidade de re-
correr dahi em liante a um meto violento,
pois que, viudo elles a se tornarem donos
da situac5o em toda a parte, nao haveria
mais nada a faz t.
Mas se, pelo contrario, tivessem lido
somente ancia de se vngarem do um ini-
migo flgadal e de imprimir-lhc um estigma
ndelevel, elles poderiam dizer twnsigo
que o desdem o humilhra muito miis. i
que nada ganhariam com torna-lo urna
victima interessante, que passara pelas
honras do martyrio. Em qualqucr dos
casos, aoja condemnaco, que fosse lavra-
da no ultimo anuo de sua governanfta, c
poucos mezes antes das eleicoes, que lhe
apontariam um successor, pareca eleito
de colera insana. Que am veterano na
estrategia poltica, como Mr. Thadeu Ste-
vens, estadistas consummados, como Mr.
Summer e Mr. Wade, e habis cabalistas,
como os chefes radicaes do senado o da
cmara, apresentassem um tal enearnica-
mento, que na verdade pareca muito sin-
gular, era porque a intentada deposito
do presidente se concatenava com algum
algum grande projecto relativo aproxima
eleico e candidatura do general Grant.
Ninguem ignorava com quanta magoa
os adversarios viam tal candidatura se ir
firmando no espirito do povo, e ir-sc, rmu
grado delles, tornando-se imponente a vp-
taco dos partidos. Toda a gente percebia
a inquietaco, com quo elles tanto testemu-
nhavam o constante progresso das opinies
conservadoras, e aguardavam pela poca
fatal, em que elles teriam, ou de renunciar
suas pretences ao poder, ou delles pro-
prios servirem, em cathegoria secundaria
sob as ordeus dos moderados. Desde ai-
itr.p !j rr,o
gumte.np), elles u> tiiman
ment seno o de esnaagarno arfcfio i
douro o moderantissimo, oa lyetise so
de ser effectuado por uig lance es'ondoso,
que acabasse com todaTcontemplaco.ou
por uma sorpre^, que alirasseoo;n pre-
tensos collegas [uri as filenas Je seus
inimigos. Di/.iam que, se elles empolgas-
semo supremo podero, os mo leradoS ac-
cudiriain a entregir-lhes a di
partido:|ue pira con>r'va-lo* c
bastada coagi-los algum pouco
nea, iQiy
que
uniros rai.is -i sol alu:niara;n a Mr. San-
Wni firme no ministerio e rodoado*de seus
deis deansores.
la ia degenerando em farca. To-
do ojeroismo de Mr. Stanton careca se
ter erapregfdo de balde. O prudente, so-
cegarlo e zonibefclro, tvera grande sarao
na Casa-Branca c gaseara muta jovial!*-
dade,_- \
(i genenl Thdmas, (|V d) tarde sabia
Itttobtelianca, aproveil m-se di soltura
para levar sui fllhaa um baile mascarada.
linalmjnle para elles era chegado o mo- Einquanto os radicaes, armados at os den-
iiento. on de abalar a opihilo piiBRca por tes, morrtavam gaar.ti o* ministerio da
trueiTa, o inimigo se diverta em ver dan-
sar ijuiilrilhis. Itemais, elle nlfo mostrava
er nenlnima rntenclo hostil, e com o maior
pmte atfro'TrtaS'a o crlme d; tracio de
que eslava acoimado.
No dia soguinte voltou ao ministerio,
com toda a afabilidade conversou pouco
tempo cora Mr. Stanton, e de novo inti-
mou-lhe que lhe' cedeSse o cargo. Stanton
renovou a sua recusa, e ordenou-lhe que
regressasse para a sua repartico, de que
elle nao fez caso; depois do que ambos
eontmaram a conversar corno dous velhos
camaradas e bons amigos. O propro ge-
neral Tilomas conto esta scena curiosa
no interrogatorio, pelo qual o congress
dias depois fel-o passar.
t Mr, Stanton. disse elle, voltou-se para
mira e com farailiardade poz-se a falar-me
o mais amigavelmeote possivel. Eu lhe
Etjsse ; aprimeira veas que maiulnd's
preader-m?, deixai-nie ao menos o temp"
de comer unp bocado lJtf. E accrescentei
que naquelleeSa ainda n -;comidonem bebido
coosa alguma. El'e. pa*^>iHhHne o braco
em torno do peacoco, como ora de costme
e f;miliaridade, alisou-ine enifli os dedos O
cabetto, e vinfhdfit para o genaral Schri-
ver, ulsse ; Schriver, se.iamjes nma gar-
rafa. Ir.vei-nfa. j^hriver Hbrlo- a sua es-
crevanna e tirou a chave do arntario, on-
de esta-va-ni os copis. Entrando-ento um
enjpregadb com aw garrafa duna-, a de-
siri-oNiams, e cw de Mr. Stanton,
bebemos juntos alguns golas do vriskey.
Assim foi pie se passou a entrevista
(Testes don encfl'rnicantT competidores.
No* dia seguinte o genera* Thomas voltou a
dar aos empregados do-ministerio ordem
de nao obedecerem seno- a elle s, e' pela
ultima vez ihtii>tar o seu rival ai resoiue5ea
meio de n:n aMo arrojado, i/u de $0110 a
pouco s sepuhjii'em no i-ih'i'ito 'ol-
vido. Ora na la disso
o presidente ser deposfo. S; ct.lseguis-
sem que a deposiro presidencial prevale-1,
cesse, seria um delles, o presidente- do
senado, Mr. Wade, emquem legahnente
recahiria a successo chetia do poder
executivo. Desde aqulla occasii em dian-
te todos as cousas mudariam ; Mr. Wade
iicaria candidato dos republicanos na pr-
xima" eleiclo, apjtrociuaria os radica 53,
empregaria -suas creaturas nos cargos ad-
ipmistrativos, srdiiria eleito presi lente do
Esfdbs-liniaos', eos ra'dicaes qiatro annos
usufruiriam do poder, ao passo que o tf-
neral Grant inesrpiinliameme se refugiaria
no gremio dos moderados descontentes.
Tal era a intriga t 'merri que 05 leaders
011 cheles di opa isicl 1, 110 c mgresso con-
cebeTam, que j era designada > 1 > 1
grande conspiraco radical, tramada no ca-
pitolio s portas escanciadas, e c!>];rs- pro-
motores iieni apenas se occutavam. Mi
eratanto o congresso nao da va ouvidos-.a
nenhuma prOposta bePicsa. e de Inld)
Mr. Stevens com seus requisitorios etKHa
as pastas da poimnissSb de imp:achm
porm os radic;M.4 prepararm suas arrna's
espera do in>;heiito de acc i. Assint
foi'que o sen a.l if El.miads, pieveml 1 que
o negocio poderia se pnosixilinar muito,
propoz que o presi'iieiite fosse piovisoii-
mente suspenso em qiianto dwasse o pro-
cesso; isso foi com o lioi de s*!^ apropria-
rem dos despeos delle, e'dc se installar na
Casa Branca a Mr. Wade. O tribunal su-
premo, essa rigorosa salva-guardh d1 le-
galidade, j de antem havia sido desarma-
do [Hilas duas leis, de que ha pouco se
acabou de tratar mais atrs. Emflt, todas
as bateras j estavam assestads, e so- do presidente, fue tambera'dessa vez nao
por todos 03 pontos da aecusaco. J n3*jt
se tratava mais de fazer por meio de sor-
presa a aecusaco passar; mas sim era
necessario conquistal-a lentamente, peca
por peca, intrigar e ameacar continuamente,
sitiar os duvidosos, intimidar os tibios e
pouco firmes, e at corromper, em caso de
necessidade, os traidores: sobretudo era
indispensavel adiar o julgamento at .haver
maioria segura. (
Durante dous mezes iriterosr.ps radicaes
e os demcratas didavara cora ancia desa-
brida por obter-qttatro ou*cinco \otos du-
vidosos, de que dependera a sorte do jul-
gl", que se lhe oppunha.
mmciando as grandes esperaneas, que Mes
gamento. Tambera, durante esses dou, ,,.iviam ^.^^ m ||onifjn| ao merm g^.
mezes, esses homens, quatro ou cinco, rb(,ram bmm. a sua derrta ,0 exemp|0i
0 miuiagns ou^ro&otoret, desesperada-
namte puzeram-se a revolver tudo a fim de
descohrirem provas de corrupcao contra os
que elles apefidavam traidores^
Feram passar por um interrogatorio ao
senador Stenderson, que debalde proteitou
contra*- essa violencias Mr. linter c Mr.
Stevens puzeram-se a fazer pressa nevos
artigos de aecnsacao, que nao foram mais
felizes, que os piimeiros. Nada foi capaz
de abalar a minora victoriosa, e a maioria
sentio-se imputte diante A^obstculo le-
radicaes re-
i
mente fallava uma fa fogo. .ts pescas prinfentes esperavam
que o presidente, dtjjhtft ei dtante, se
manifestasse na defensiva, e que Obrigasse
seus advrsanos a respeitar una tregua
apparente, que o protegofia- wntra os as-
saltos de seus antagonistas. Os radijaes,
que melhor o conheciam. nao eperav^m
nada de somoihante, mas sim elle mismo- teria o citdado d forrfecer-l!ies
nova materia para aecusaco. Cimeft'il'
foi o mesmo Mr. J ilinsoo, '.me, com acos-
lumada iiwiptido, deu-lhes o sabo'roso-en-
sejo, que espreitavam ha taato.tempo. para
foram melhor acolhidas. Entretanto os
jomaos radicaes relalavann de um nwdb
dramtico, os tramas do t\ranno Johnsenie
aemorezs bnUaesdo selvagem execntor
dos seus caprichos : nm jormi burlesco che-
gou at a publicar nma estampa, represen*-
tando a Mr. Stanton. sentado-era seiigatii-
nete, na imite rifilarma, cora-nma pistola'
en piaiho, e reclvido a vender caro saa'l
lida.
Estaruim mhd.rdts os designios- do presi
ente ? Teria elle em principio imaginaio
poder f;>nlmente apossar-se li secretaria
ta guerra, e recuaoia agora era frente da>
o acabruuliarem. O ministro Stanton, j vigorosa resistencia-do ministro-? Isso nao
servio esta vez, chio da primira, depre- era verosmil, pors-que elle agora persista Era tempo* d
texto para se rompfcm as bosliTidadts. mais do que nunca>na- pretenc\i nao ser! processo do pre
O presidente va com rancor que se arro- isso inauferivel. NSu teria querido, como a convenco re
presid.-nte va com rancor que
jassem a aprontar sua autoridade, mesm
at no seu gabinete ministeriai, e que lhe
quizessem irapor um ministw que nao era
nada do agrado delle. Em 2 de feverihu
Mr. Stanton estva na repartirn de seu
cargo, quando chaga all o ajudante-general
Lourenco Thomas, e lhe aprsenla uma or-
dem escripia do presidente, que vinha a
ser a demisso de Mr..Slanton, c a noraea-
co do propro general Thi-mas como mi-
nistro da guerra interino. Mr. Stanton
recusa obedecer a
inferior para* a obe
elle meamoaffirmava, sabmetier a julgamen-
to jndickwio a questau do tennre office bil,
e obter uma decs) do tribunal supremo ?
Mas ssoaaV> parece- presu mivel, pois que
passaram pela mais severa provanca de
suas virtudes. Denunciados nos jornaes
ftadicaes como traidores, ameacados pelos
seu? leitores, maltratados no congresso
mesmo pelos mais insolTridos de seus
collegas, elles nao tinham o que oppor
a essas grosseiras calumnias, senao o sen-
timento'deseus deveres, como juizes, e o
escrpulo de uma consciencia, que se nao
precipita em decidir. O jornal de Mr. Ho-
racio Greeley, a Tribuna, chamava-os vis
apostatas e acaios da Casa Branca.
Perguntava-se publicamente quanto elles
tinham recebido por sua traicao. Era em
vo que algumas pessoas de uma ndole
mais placida e de um pensar mais elevado
se indignavam contra semelhantes insultos
dignidade djdiz : a paixo do partido
radical queria a todo o custo sacar-se, as
vezes fazia que sua impertineatria degene-
rasse em asneira. Varios senadores, aliis
mui bem predispostos em favor da pro-
posta de impeachment, mas que estavam
resol vdos a volar livremente; e portarem-se
si runente em seu carcter de jiizes,
tinliam sido, escoraados pelss violencias,
que haviam^ sido praticadas para com
eltes.
A" uma carta de ameaca, mnndada**poi
um fazendeiro de SEuiz, o senador Heffi-
dersony de Missouri, eontestou com nobre-
sa de senfimentos, qu" elle se ci>rnportara
conforme sua consciencia de horoem de
bem e o su juramento do juiz. O* senador
Ross, cftie- semelhantentente fra anacarado,
negou-se' com altivez d'alma dar mialquer
satisfaco a sens constrftiintes de Kansas.
Pareca dvidar-se tanto de obter uma
maioria. qpej se pensavr cm/a&rt'crr no-
vos jarees-, mediante o expediente de aco-
lerar-se a reorganisacao 1* 5 ou seis esta-
dos do suf, e deadmittir no-seio do-con-
fgresso os-seus respectivos-representantes.
J alguns das antes, a cmara se havia
apressuradb- em proclamar a admisso> do
estado de Arkan&as, apenas meio reorgani-
zado, sem outro- motivo sean o de fomarer
reerutas i phalange dos senadores radkaes,
que eslava muito desfalcada; mas os chefes
republicanos do congresso nao quizernm
lireralecer-sede- nm semelhante expedoTite
to desleal, e-fechando a porta a esses col-
legas adventirms at o fim* do processo,
resotveram arabar com todas as intrigas- e
a dar sua sentenca sem dilaoao.
Era lempo- dfe acabar cornea questo do
siifcnte. Corra omez deraaio
repuWoana de Chicago estava
por das a se rermir, e o paic, no momento
ot se preparar para as prximas eleici es.
natunlmente- agma^ava cor anciedade o
resultado de tal oceurrencia, qne poderia
de entoeio diante, a aeco do tribunal! transtornar os- ozas e ensejos- da eleiiTw -o
supremo tinha Picado coarctada< pelas leis
recentes do congresso. Finalmente, teima-
ria Mr. JWtnson offl:fai:r com que a cma-
ra o aecusasse forranlmente potante o sena-
do, e em-desaliar qjie esse o conderaoasse ?
\ssim o- cmprelaneram os radicaes, e
tiinaeao, chama seulportanto julgaram ter diegado o momento
ci,i bierarchica, pro-J de p6l-o-.em prati^fc. No dia24-defeverei-
i rq1 a enmara decretoaa accusaeao por
votos contra 17. Dista vez os-repblica
testa contra- uma tal illegafcdade, e Bnal-
mente pede tempo para reffectr. Irame-
diatamente participa ao senado uma, to
extraordinaria poticia, e dalli se lhe res-
ponde qie se agente resolutamente,- em
despeito do qne pudesse acontecer, c que
se lhe promettia sustentado no posto?
Este golpe de estado em miniatura es-
pantou a tuda genle, n'um instante a no-
ticia corren todos os quarterres da cidade
ipie nao eslava acostumada a semelhantes
espectculos e que logo repercuti com
clamores; por todos os lados. Mr. Johnson
nao podia ser acensado de ter obrado le-
vianamente. Com pleno conheciraento da
causa, elle violava as iUsposicoes do tonare
of office bil, que nao o autorisavam seno
a propor ao senado a demisso de Mr.
Stanton c a nomeaeo de um novo niinigv
tro. Era de caso pensado qne elle tor-.
nava a levantar essa questo, que j fra
julgada, c quo lanrava a autoridade legis- ge-raes. Entretanto, como era a primea*
lativa um desalio aqjtt) iusoi<;;ite. Qufr vez que se [x-atioava om, piocesso de im-
ria, sera duvida. Viras do cabo com coa- peachraent, e que nlrlhavia precedente a-
gir os radicaes a lancar nwo da alguma gum, a quo se conformasse a marcha do
medida violenta e trovar com o congresso processo. a oiganisacD d/ alto ti
um duelo de morte. Talve/. que elle, com
lanos
moderados nao hestaram mais do que os
radicaesv
Nao necessario acompantr passo a
passo a>accusafao por entre os delahes do
processo complicad, que leve lugar. De-
ntis sao sabidas as regras establecidas
pelaconstituicaoera semelliaues casos; os
proeessos de impeachmente, infantados con-
tra os-presidentes, devem ser hgados pelo
senado, que funectona como tribunal de alta
jiistir.fi, e sob a presidencia do presidente
do supremo tribunal dejustica. Acamara
dos deputados, que se torna accusadorai
fai-se representar na sesso do senado tr-
bonalpor umcertonunwi-o.de delegados,
earwregados .te sustar a*aeuieao. \ con-
demnaco nao pode ser proferida seno por
ama maioqa o dous tercos da casa. Star
guem pensava em desobeder estas regras
provocar um escndalo, que obrigasse o
senado a fazer nina estralada, esperasse
reconquistar a sua popiJaridade perdida ;J
c que aera pjrecisasse clamar sobre sua-
pessoa algmaa condemnaca, do que-elle
centava sabir inclume, e com mais poder
que d'antes. Se assim era entao o seu
pensar, talvez que se arriscasse muito era
perder a partida. Nao seria mui difiicil
fazer que sahisse oondemnado ; mas o de
que elle nao tinha seguranca alguma, era
da opinio publica revoltar-se contra os
juizes. Contava que poderia despedir o
congresso pela porta fra do capitolio,
mas foi elle mesmo, como j se ver mais
adianto, qu esteve quasi a ser expulso
com a maior indifferenca publica.
A cmara dos deputados, no prkoeiro
momento de raiva, esteve a ponto de, em
acto continuo de sesso, pronunciara aecu-
saeo do presidente. Comtudo, comprehen-
dendo que essJ votaco daspaitada, e no
auge ib ritaco, conipromettia a sua dig-
nidade, conteye-se; porm tomaram-se me-
didas enrgicas a fim de sutfocar-se o tra-
ma desde a procedencia. O senario dirigi
inmediatamente Cisa Branca um pro-
testo, o general Thomas, que segundo o
codigo'penal fra pronunciado nt> ctime de
rieajfio, por se haver prestido as io4Ses
do presidente, foi preso a requerimrata de
Mr. Stanton, e avocado perante o supreroa
trilranal do drstieto federa! de Colombia.
O edificio do ministerio da guejjSuai pesto
esa tado de.*Wesa, coma mal pcaca i-
tiada. Toda a noite esteve alerta Mr. Stan-1
uj jpnto com os amigos, qae tmtian viudo
pnwar-lae siHiaAljuturio. Alsedaiaque
jusiiga deu logo motivo de uma muliido
do controversias. Os radicaes. qae, desde
as ilesavoncas com o supremo tribunal, des-
conliavaai "de Mr., Chasie, e qae agora
viam-8e obrigados a submelter-se a iidluea-
alterar as preporcocs dos pai-tidos.
Tendo-se filado o cha paraojulganumio,
ima multid^.de gente, que toda ella tomu*
va por aqmelle negocio tanto nter.
ajaanta era a perplexdade acerca do re-
sultado, logo- desde manlifrcedo inva.-ira
a sala do senado.
Mr. Chassc con sna beca do juiz supremo
presidia a scsso jwdiciaria, e, atravea da
^ravidade e suas-actuaes fdnecoes, perce-
Wa-se que eHe tambem esaaa participando
la iuipacieacia geral.
Os seadi res vieram entrando, um cps
>utro, e foram sentando-se calados, ou
3egrcdando -em. grupos coh* visos de pre-
ocenpaco.
l'm on ouro senador Invalido, que to-
mou a peiio comparecer em honra de seu
partido aquella sessSo, fai coxeando tomar
assento.
Mr. Iloward, que j mal poda ccasigo,
entrn i ,irregadoem unta- liteira, e e para-
ico Mr. trimes, embolinado em um cober-
tor, jazia- em sua poltreoa.
Olhava-se com curiosidade para quetles
moderados, que pamjam [tender para a
parte dos demcratas, o trazer penuente de
sua votacao a sorte dosprocesso.
Apesar da desercao de alguns arllegas,
os ropnblicaiios j tinham laucado suas
cuntas, e se julgavata quasi seguws de al-
oaoeaff o resultado favoravel.
lit todos os seus partidistas de que ainda
nao se estava bem -seguro, o que raais in-
quietaco Ibes iuspirava, era esse mesmo
sonador Hoss, o qual at acuella data se
liaba negado a dar quahjuer i\plicaco e
a fazer promessa alguma.
No momento, em que elle entrou, pola
pelo exemplc
de um nobre respeito para com as leis do
seu paiz.
A alegra do presidente foi sem lmites.
Julgoii-se vingado n'um s dia de todas as
hamilhacoes, que, desde tres annos o sena-
do lhe infligir. Era que elle, como que
por milagro, acabava de escapar de uma
destituico, e como que tambem tudo lhe
corra medida de seus desojos. Nesse
mesmo tempo em que elle era absolvido
pelo senado, tambem o propio general Tho-
mas era despronunciado pelo tribunal su-
premo do dislricto federal do Colombia.
Mr. Stuuton espontneamente deu a sua
demisso, e o senado conliriiuHi sem resis-
tencia a noraeafo do general Schoeliel.
O presidente crea ser uma rocha inespug-
navel, do encontr a qual se vera esbrear
a potencia do partido radical. Por toda
as partes se manifestava um retorno da opi-
nio publica em prol delle, e tafvez qne
elie j lobi igasse a 1 ^peranca de nova can-
didatara.
Toda a semana, queso seguio a afeolvi-
Co. a Cam Branca esteve cheia d con-
servadores liis, que acadam dos ciados
visinhos pnra se congratularem com o .justo
perseguido. Officios, expeidos para todos
o pontos do horizonte, tmnarn levada a
gloriosa iidfioia al os lugares mais recn-
ditos-, e por toda a parte proromperam
transportes da mais fervonisa alegra.
Hbuvc salvas de artilliaria- em varias ci-
dades, o restejou-se o despronnnciamento
judicial do ptiesidente, como ama victoria
nacional. Deve-se por issa incluir que.
era caso contrario, o povo estiwsse dispos-
to em favor do presidente se insurgir con-
tra o congresso? A verdade era que a
opinio1 estava bem longe de ser favoravel
desposk-ao do presidente, aqaa era re-
putada como materia, que chegava- lora de
tempo, ni traria utilidade e ovantova um
exemplo-perigose para o futuro ; porm o
povo dng Estados-I Irados quer*, prmeiro
que tudbj-reterir-se acerca dessenogocio a
regular execucSo e exercick) das le, lina
condemnaro do presidente, Mr. Jbhnson
nao teria de maneira nenhuma susritado
a guerra civil, e poderia ser qae-vifsse a
ser acollada pelo partido radical com ma-
niestacoes-de alagria> iguaes taloez'.de que
tanto se ahicinaaa- a vaidade do-presei-
dente.
Os demcratas, pois-, se enganavana em
cntoar j o canto de victoria: nuda aimun-
ciava que elles devossem ser ben* ssacee-
didos n. prxima- eleirao preshlencial.
Pelo contrario, a absolvilo de Mr. Johnson
era um penhor quasi seguro do bem xito
dos republicanos moderados, e da preloren-
cia que seria dada 1 candidatura ao gene-
ral Gran! pola convencSo eleitoral, qae ia
reunir em^ Chicago. Isso no havia de sig-
nificar lauto urna victoria sobre os repu-
blicanos, como sin: uma conrlimaco es-
plendida do ascendente, que os republica-
nos mor-arados iam ganhando sobva-os re-
publicanos radical -j. 9 que estava uruina-
80, semesperanca de remedio, ora o pla-
no de campanha exclusivo do partido radi-
cal extremado, isto-, a temeraria e arris-
cada tentiva pie. diviiitBdo as forjas dos
republicaaos, se arriscava a vir asonfir in-
directamente aos seus adversarios e abrir-
Ihes a estrada para o poder. Se os-partidos
nao se tivessem deixado cegar pelas jia-
xoes da luta,-sen'3o os demcratas os ({ue se de-
veriam assustar a respeito do paradoirodo
processo, e os republicanos que teriam de
se regjBijar por asa
(Conlinuar-ss-ka.)
lewtMur. isto mam W*** W*e elle i*eaava os .&>aadies se
ca deMe, allirraavam que a conMitairSo nao.|sala, todos pregaram os otas sobre o ros-
llte dar o direito de tomar parto no julga | to delle, -como para all se ler o segredo,
monto final, c absolutamente nao lhe per-
mita seno a simples direceo dos dolales.
Os demcratas respondan! que se alguem
deveria ser privado de dar sen voto em tal
caso, era Mr. Wade, o preside ate do sena-
do; porque elle, no caso de haver condem-
naco, bordara do aecusado o fado de suc-
ceder presidencia, e que portanto nao
podia ser jai^/i'uma causa, em que se acha-
va empenuad o sou interesse aivado. Eui-
fim dapois de varios das de discussoes
-arduas e odiosas, os radicaes levaram as
melhores; o juiz Cbasse foi privado do
gozo de votar, os cinco managers, ou pro-
motores da aecusacio, foram admittidos A
sessao judiciaria, e o alto tribunal de jes-
tica solemnemente avocou da cmara dos
deputados o processo contra o presidont
dos Estados-Unidos.
Os managers ou promotores, contava
andar depressa com o negocio. Thaleo
Stevens, oceupando seu assento em freae
do tribunal, pronunciou uma arenga altiva,
dcixassera o processo jieJ'der-se. Porm
logo percebeu quo devja mudar de lin-
gungern, e que o resultado j >e via estar
"comprometlido em razan das delongas d
pces or* dos moderados. Os conservado**,
animados pela dutude hnnaicial do <*>
Chif Just,C4, que*
gadoj- dajustifia,
Mr. Caasse, e pela ancia, qa; tiuliam, 04
presidente pretenda apanhai-et. de assa^- qne o processo atortasse, gaiviaram outra
Ao romper do dia ouvio se o ruido vez coragem, e. nao se s-ntir m mais to
, amoacador de ;j;opa,que pa^v^feJBfraate /naco*, como no priutpio tinham sapfxxti
da raanso ministerial : ara ana; 'patalbatlVaiiiae aenadarest otnrapnwioanos awi
que se raoastta-.-a tar roa4aao., ^a^m i aX^rtns, dpetaravaai que rito -;
que elle dislarcava. Emfia, houve silen-
cio, e o presidente comeen a fazer a cha-
mada nominal.
Naquelle dia a votacao deveria versar so-
mente sobre o ultimo dos onze artigos do
impeachment, apresentadi# ao senado pela
cmara. Esse artigo, que era ao mesmo
tempo o mais grave e pareca dar um re-
sultado seguro, aceusava o presidente de
se haver revoltade abartamento contra as
leis do congresso. De unnime accordo, e
para mais depressa saber-se que conta-se
fazer, tinha-se convencionado votar-se pri-
meiramente acerca do artigo, que devia de-
cidir da sorte de todos os outros. A cada
lacnico appello do presidente, se ouviam
os sim do banco dos republicanos,_ que
eiam as vezes interrumpidos petos nao do
banco dos demcratas. Finalmente o se-
cretario proclamou a numeracSo: 35 vo-
tos dcclararaui culpado ao aecusado, e 19
opinaram pela iunocencia delle. Dasses 19
votos favoraveis, 12 eram do democraias e-
7 de republicanos moderados. Por um s
voto mais, o presidente nio escapara "de
licor conderanado. O impeachment fioou
malogrado sem reeurso, e foi o voto do se-
nador Hoss. que decidi a questo.
Mais fcilmente se pode auiv'uA'.ar qual
foi o furor dos radioaes, do aure descrey-
lo cabalmente. Os delegados do cmara
dos deputados iusultaram grusseiramonts
aos refractarias. Jdr. 4ammer chorou la-
gaamas de sangue. Trasoarse aaaa dis-
casaau aseda de mais estro os daua ataae-
l.'Esprit des lois* (liv. X.XJ.
A historia do commercio a
A|oiitumenios acerca da eidade
de Tauris.
De um extenso, e magnifico etudo geo-
grapbjco commercial de Mr. (Irauqion, cn-
sul fraucez em. Tauris, sumraaivmos as se-
guintes linhas :
Tauris ha seiscentos annos que a ci-
dade mais commercial da A/ja central t-
tambera a raais populosa, Samarkand e
iapaban, creacoos artiticiaes de Tanierl 1 e
de Chab-Abbas, resplandeeoram cada nma
por sua vez, com mais esplendente brilho.
emquanto que a -importancia de Tauris..
de vida a causas mais perduraveis, ainda
actualmente subsiste. A sua posicao geo-
gripbica e a natureza do seu slo, as
guerras eas invasoes, mas principalmente
as revoluces do commercio, ho podero-
samente iiludo no destino d'ella. Quando
Montesquieu, o sabio quanto eloquente e
elegante escriptor, escreveu na sua admi-
ra-, el obra
cap. V):
da commiinicacao dos povos. As deetrui-
ret diversas d'elles, bem como ertos
lluxos o relluxos de populaco, formara os
raaiores acontec meatos dos mesmos ixjvos
elle resumi em urna peonada a his-
toria de quasi todas as cidades da Azia <
da de Tauris era particular.
E' do mais subido interesse examinar as
causas da anga prospe idade, d'esia cidade
e as ciVcsmstanofes que a toera mantido
no p em quo boje est.
Primeiramente, como se pode assewerar
que Tauris, Uto apartada do centro d^ Aria.
e relativamente to vjsinha da Europa, faz
paite da Azia central I E' porque a Asia
central nao se compoc apenas dos territo-
rios geograpbicos. situados no centro do
cuati nenie. Todos os geograjjaicos en-
tondem por Azia central uma serie de
planuras elevadas mais ou nw>Hs ati'asta-
das da cjioimfeiencia ; Horm que tem
todas o caractN- wmmiun, que as agaas,
que as.banbam. em wede m laocanem no
Ooaauo ou nos mares soadarios em
velaco cora elle, nao pt^raaViauie nos
mares ou lagos miwxttt* a saber : mar
(iasjmt, a de Ara!, lago de Teogate, etc.
(OrmtinHar-se-htiJ.
moa-da assaaibla, &<*mm0
podia jfolgar aataa-se^pU do dia, em-j
surgi a separafioi do> aatad* do-al
1
f
i
ff p. m nk*i*-m uta tmaw .


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EYRW5PZA6_5R5GRO INGEST_TIME 2013-09-13T23:46:12Z PACKAGE AA00011611_11774
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES