Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11773


This item is only available as the following downloads:


Full Text
i
I
ANNO XLV. NUMERO 41.



i
i
D
i
I
PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE NA3 SE PAGA PORTE.
Por tres meaes adiantados................ 65000
Por seis ditos idem................. 12#J00
Porura anuo idem...................* 440000
Cada numero avahto................... #320

SEGUNDA FEIRA 22 DE FEVEREIRO DE 869,

PARA DENTRO E FORA DA PROVINCIA.
7V
Por tres mezes adiantados. % .
Por 8e:s ditos idem. 'm .
Por wjve ditos idem......
Poruniaiuio, ,_ .
W7S0
13500
20,5260
870000
Propriidade de Manoel Rgueira de Faria & Tilhos.
Os Srs. Gerartlo Antonio Alves & Fillios, no Para; GortfalwS'6 fynto, no Maranho
fSaiifiafaW'Pancada, em Mamanguape; Antonio Alexandr,'
em Nazarelh; Francino



-
Julio Chaves, no Ass; Antonio Marques da Silva, no Natal; Antonio Joaqnira
Hnh-ilii. em Santo Ant3o; Domingos Jos da Costa Braga,
no Rio de Janeiro.
PARTE 0FFI0IA1.
Governo da provincia.
EXPBniEKTK MHMH PULO RXM. SR. 01NDK DR BAR-
PKNY, P11KSIDKNTE DA PROVINCIA DK PiRNAMBUCO,
KM 13 DE KEVERKinO DE 1869.
Ia seecao.
N. 346.Portara Exii. Sr. general comman-
dante das arma*.Em faced > que dispoemas pro-
vnoos de 21 de mareo de 1829 e H de agosto de
18il) ajaba de indeferir os requerimrntos que
arnmpanharam o offlciode V. Exc. n. 30 de 26de
Janeiro prximo Hntk. e em que Benedicto Joao
Quh resma e Januario lo*1 Juaqueira, pravas
excluidas do exereitfl por lerem sido rorrdemna-
das o. primeiro aiieua de seis e o secundo a de
dozo annos de pri'Pae, pediain pecasrie fardamen-
. lo que suppunbam llies seren devidas.
X. 317.Dita ai director do arsenal de guerra.
A vista da forniaeo ministrada peto eoraman-
danle do corpo provisorio de policia e junta por co-
pia, sobre a differenca encontrada no armamen-
i.i a corrame, de que trata o oflleio de V. S. u.
20 de 17 de Janeiro prximo firido, rerommendo
la data aquelle conunandante que apenas clie-
guem os objectos que estilo fra do quartel. sejam
recolhidoe a esse arsenal.
X. 348.Dita ao inspector do arsenal de mari-
nlia.Autoriso V. 55. a comprar a Francisco Joa-
quim Goncalves do Cabo pelo prceo de 500 rs. a
libra as anas pecas de cabo de cairo, que se fazem
precisas ao servico desseesiabelecimento, e de que
nata o, sen ollin n. 1687 de 11 do corrente.
!?. 3VJDita ao commandante do presidio de
l'ei nando. Indeferiudo nesta data, em face do
que dispoem as provisoes de 21 de marco de 1829
e l de agosto de 1849, os requerinentos que
acoinpaiiliarain o oflleio de V. S. n. 164 de 19 de
Janeiro prximo lindo, em que Benedicto Jos
o ua resma c Januario Jos Juuqucira, pracas ex-
cluidas do exercito por terein sido condenmados
i) primeiro a pena de seis e o segundo a de doze
anuos de prisio. pediain pecas de faldamento que
suppunham Ibes seren devidas : assim lli'o com-
munico enviando-lbe copia das referidas-provisoes
para sua intellgenca e cxeriieao.
2* seecao. ^
N. 332.Portara ao ehfe do nolicia.Inteira-
do pelo officio de V. S. n. 209 12 dos'e mez,
de haver salisfrito a requisieodo subdelegado da
Vanea, mandando para aquelle diatricto, um in-
ferior e seis pracas do corpo provisorio de poli-
!:-i. e ben\ assin nina peca de cabo de fcJflW para
formar un vai-vein, de modo a facilitar o trans-
porte dag,pomJy, que por causa da cheia do rio
Capibarihe, ptWuravam salvar-se as barreas,
cabo este que fol fornecido pelo arsenal de mar-
nba,; tenlio i dzcr-lhe'quc approvo cssas provi-
l.-ticias por V. S. dadas.
N. 333,Dita'no commandante do corno pro vi-
soriode polica.Em resposta. ao oflleio de Vme.
de 10 do corrente, sob n. 60, tenbo a dizer-lhc que
apenas chegucn as liayonctas e pecas de corra-
me que deixaran de ser entregues no arsenal de
cin-rra, os faca logo recollier em dito estabcleci-
inento.
3* seecao.
N. 334. Portarla ao insp'eetor da thesouraria de
t'i/eiida.Coiiimuiiico a V. S. pata sen conheci-
niento quo a 9 do corrente. entrn no exerrro do
lugar de ajudante da capitana do porto desta cida-
de, para une fura noueado interinamente por de-
lil,-i:ieao daipie!l."il.ila, o 1" teneute Francisco Xa-
vier Rodrigues Piuuciro.
\. 33.'..Dita ao niesmo.A Francisco Pereira
de Mendonca & C. mande V. S. pagar depois de
liquidadas em vista dasrelaeoes noniinaes e prets
juntos em duplcala, que me remellen o comman-
dante superior da comarca de Garanhuns com offi-
cio de 21 de Janeiro ultimo, sohn. o, os vencimen-
tos relativos aos mezes de outubro a dezembro do
anuo prximo paSsadb, dos guardas naclonaes
di slacados na povoacao de Aguas Bellas.
>. 356.Dita ao mesuro. Hecommendo a V.
S .[io em vista da ennta junta em duplcala, que
me remetteuo sujierintendcnte da estrada de fer-
io do Recite a S. Francisco cora ollicio de 10 do
crrente.mande liquidare paguro quejustamen-
t... -e estiver a dever. provnlAe de nassagens.da-
.1 dos Irens daquella estrada durante o mez de
aneiro ultimo, por contado ministerio da guerra.
N. 337.Dita ao mesmo.Exneca V. S. as suas
ordens, alim de que por essa iwsouraiia se ajus-
te contas e d guia do soccorrimento ao tenente
do I" balalliay de inanlaria do exereito, Francis-
co Ignacio Mamn'l de Linw. que tem de eepoip pa-
ra a corle no vapor Paran que. se espera do
norte.
N. 3.38.Dita ao niesmo.Tendo nesladata au-
torsado ao inspector do arsenal de marinha a
comprar a Franciseo Joanuiii Goncalves do Cabo,
p -h prego de 509 if. a libra duas pc?as de cabo
de cairo', que se fa/.em precisas ao servico da-
qnelle esiabolecimento ; asnmo commnnico a V.
S. parasen conlieciinentn.
X. 380.Dih ao msinvBm vfrta dainfor-
o de V. S. n. 6a do 3 do corrente, e do que
dispoem as provWJes de 21 de marro de 189 e
l'i de agosto de 184, defer nesta data os reque-
liinentos em quo as pravas excluidas do exercito
-los (Juaresma e Januarb Jos Joaquim re ue-
riam pecas de larJamenw,!que suppunham lhe se-
rem devidas.
N. :|60.--Dita ao inspector da thesouraria pro-
vincial.Declaro V. S. para seu -eonheriniento
e devidos effeitns, que consta de oflleio do chefe
da reparticao das obras publicas datado de H do
c irrente, sol) n. ii, que por achar-sc lindo o
praio de responsabilaade da obra de 140 bracas
de estrada no 18' lauco da do Nazaretb (ainjveza
Mam-idef a qual foi c intratada por Francisco de
SoutaWontlro, e estar essa obra em estado de
sor delinitivamente recebida, mande lavrar o com-
peteife oertinVad >. para pagamento da ultima
proslaao, que lein direilo aquelle arrema-
tante.
N. 361Dita ao mesuro.Depois de liquidadas,
e em vista do prct nominal junto em duplicata,
mande V. S. pagar a Anloni Domingues de Aimei
da Pocas, conforme solicitott o eommandante supe-
rior da comarca de Palmares em oflleio do do
correnU), os vanrimentos retrteos ao mez de Ja-
neiro ultimo, dos guardas naconaiis destacados na
villa de Aftua Irela.
N. 36o.Dita ao mesmo.Annuindo ao que so-
licitou o chefe de policia em oflleio de hnntem, sob
n. 214, recommendo V. S. que em vista da in-
clusa corita, mande>agar a setUenciadg Frederi-
co Antonio Pereira- Ba-lo-, a (planta dtW8o,500,
que. su llie est a deler proveniente de 80 tinas e
50 baldes, que, eni#rirMde de autorsacao desta
presidencia, fortn bricados para o servico dos
raios do norte d'casa de deleuco.
N. 366.Dita ao m folhas o prets juntos em duplcala, alim de que
mande liquidar os vencimentos do ollcial e pravas
destacados na eidade do Rio Formoso, e pagar a
sua importancia a Jos de Souza Barreiros, con-
forme solicitou o commandante superior daquella
comarca em oflleio de 5 de dezembro doanno
prximo passado, 2 de Janeiro ulliino e 3 do cor-
rente, sendo os vencimentes do oflicial relativos
aos mezes fie outubro a Janeiro j citado e os das
pracas Ibs de novembro e Janeiro smente, como
se'viftetaes documentos.
N. 367.Dita ao chefe da reparhcao das obras
publicaSrlmeirado pelo offlcio -que Vmc. me diri-
gi em 11 do corrente, sob n. tt, de haver manda-
do lavrar o termo de reeebimento definitivo a
obra de 140 bracas de estrada no 18 lanco da de
N'azaretli (euipre&i Mamede) a cjual foi contratada
\wr Francisco de Souza Monleiro, tenlro a dizer em
resposla ao citadb oflicio, que doi scioncia disso ,
thesouraria provincial para os flMtsonvenientes.
N. 368.Deliberac*.O presidente da provin-
cia, tendo em vista que requeren o lancador do
consulado provincial Joao Pedro de Jess da Mal-
ta, e oeni assim o que a este respeito informaram
as ropartieoes competentes, resolve eoneeder-lhe
dous mezes de liccnca com vencimentos, nos ter-
mos do art. 63 do regnlaniento de 21 de julho do
auno prximo passado, para tratar de sua sade.
4* secc,o.
N. 372.Portara a cmara municipal desta ca-
pital.Tendo-mc participado o juiz de paz mas
votado da freguizia de Sanio Antonio desta capital,
que us reunies do respectivo collegio eleitond nos
dias i e 4 de marco prximo para proceder as elei-
coes de deputados e senadores, nao podiaiu effec-
tuar-se na matriz da mesma freguezia, por se
achar essa em obras, determinei que as ditas elei-
coes tivessem lugar naigreja do convento do
Carino.
0 que communco a cmara municipal desta ca-
pital para sua inlclligencia e execucao na parte
que lhe toca.
N. 373.Dita ao juiz de paz mais votado da fre-
guezia de Santo Antonio, presidente interino do
collegio eleitoral da eidade do Becife.Em respos-
la ao ofBeto de boje, em que Vmc. participa-me
que o juiz da irmandade do Santissimo Sacramento
dessa freguezia lhe coinmunicara que a igreja se
ada em obras, c por esse motivo nao pode nella
elfeituar-se a 2 e 4 do marco a renniao do colle-
gio desta eidade para as eleicSes de deputados e
senadores, lembrando Vmc. a igreja do Carmo,
como a mais apropriada para a dita reun3o; de-
clarn-lbe que a vista daquello impedimento, auto-
riso que se renha o dito collegio eleitoral no ^reja
do Carmo, cumprindo a Vmc. pulilicar novos edi-
taes, em additamento aos que j afflxou no Io do
corrente, segundo refere, convocndoos respectivos
eleitores para comparecerein nesta igreja uos men-
cionados dias 2 e 'du mar;o.
N. 374.Djla ao Bevd. provincial dos religiosos
do Carmo nesta provincia.Tendo-me participado
do governo se declara ao Blm. Sr.. superintendente
da estrada de ferro dO"f;ccife a, S. Francisco, em
resposta ao seu oflicio de 1.0 do corrente, que trans-
mittio-se as thesouraHas geral e prortncial para os
lins convenientes, a contas que vieram nnexas
ao seu citado fflcio.
Rfparti^o da polica.
2'decco.Secretaria ca policia de Peraambuco
20 de fevereiro de 18iii). ,
N. 260.Illin. e Ism. Sr.Tenbo a nonra de
levar ao conhecimento do V. Exe. ^ue, segunda
consta das participarocs decebidas Iwje nosu re-
particao, foram bontem recolhidos casa de de-
leneo, os seguintes individuo (
a minha ordem Manoel Ravmundo, Luiz Nuqes
Cavalcanti, Manoel Jos Lisb, Ado do Espirito
Santo eManoel Ponciano Bispo, vindos do presi-
dio, de Femando, como #ntencMei. ^4
A ordem do subdelegaddo Recife, Miguel Ta-
lerio e Fernando, por olTensa* a moral publica.
ordem do de Santo Antonio, Samuel Bineo,
por disturbios : Tzdoria, cscrva de Senastao Mar-
ques do Nascimento, a re jlefimeato d'este ; Bnl-
tliasar. escravo do Dr. Mmrlel do Nascimento Ma-
chado Portella, por ser encontrado depois de 9 lio-
ras da' imite em bilhetC ds seu seahor.
ordem do de S.Ja*, Venando, escravo d<> D..
Anna de tal, por briga.
O subdelegado de Murbeca partieipou-me por
officio de hontem, que as 8 horas da note do-da
17, em trras do c igenho Comportas, o pardo
Eduardo Virginio, ferio ao menor Manoel Xavier
da Paixo, com urna canivetida o duas pauladas,
evadindo-se d'esde logo, e que tendo proceJido a
rorpo de delicio no oliendido, foram considerados
leves os ferimentos. #
Em officio tambem de lionlem datado, parhci-
pou-me o Dr. subdelegado de Santo Antonio, qne
as 8 horas da rnanha d'aqnee dia foi tirado do
rio Capibarlbe, junto a rampa daV-"11^ '" <''aPim'
o cadver do preto Joao, escravo do tenente-coro-
nel Feliciano Joaquim do? Santos, que se hava lau-
cado ao ro na note de 17.
Deus guarde a V. IxcIllm. Exm. Sr. conde
de Baependy, presidente.!: a provincia.O chefe de
policia, Franriseo de Faria Lmos.
de Marsella de 17, l-se o sesrumte:
litintem, onde rarnntiri o tencas-
rjramiiui StUfi. que torna *-
minha ida a Lisboa.
meu tornar pblicos immedia'amen-
te os exticlos destas cartas. Estao (lias na
inhiba 111S0, podem ser lidas par quen o dc-
'tenhdhne de accrescontar ipiaesquer
EXTERIOR.
o juiz de paz mais votado da freguezia de Santo
Antonio desta capital, que as reunies do respecti-
vo collegio eleitoral nos dias 2c 4 de marco pr-
ximo, para ptoceder-se as eleicocs de deputados e
senadores, nao podiain effertur-se na matriz da
masan freguezia, por se achar ella emobras deter-
minei que as ditas reunidos tivessem lugar na
reja do convento do Carino pertencente a ordem
de que V. paternidade Bvina. provincial. O que
communco a V. paternidade Bvma. para que baja
de mandar franquear a respectiva igreja nos das
precisos para aquellas eleicocs, que teem de termi-
nar a 3 do referido mez demarco.
N. 375.Dita aos agentes da companhia brasi-
lera de Paquetes a Vapor.Os Srs. agentes da
companhia brasileira do-Paquetes a Vapor, mau-
dom dar transporte para a corte, por contado mi-
nisterio da guerra, no vapor Paran, que se espera
do norte, ao lente do Io batalho de infamara
do exercito Francisco Ignacio Manoel de Lima.
K. 376.Dita ao gerente da companhia Pernam-
bueana.O Sr. gerente dacompanhia Pernanibura-
na mande dar passagem de estado a r at Maceio
no vapor que tem de seguir para o sul a 13 do
corrento, a fre Vital Mara de Pemambuco.
EXPEDIENTE ASSIGNADO PELO SR. DR JOAQUIM COR-
RK1A DE AB.AJO, SECRETARIO DO GOVKRXO, gM 13
DE FEVEREIRO DE 1869.
l'serco.
N. 377.Officio ao Exm. general commandante
das armas.De ordem de S. Exc. o Sr. presidente
da provincia, declaro a V. Exc. emresposta ao seu
oflleio de 12 do corrente sob n. 91, quefiram expe-
didas as convenientes ordens, nao s a thesouraria
de fazenda para ajustar rentas c passar guia do
soceorrimenlo ao lenle do Io batalhj do infan-
taria do exercito Francisco Ignacio Manoel de Lima
como tambem aos agentes da companhia brasileira
para dar transporte para a corte no vapor Paran
que se espera do norte.
X. 378.Dito ao mesmo.De ordem deS. Exc.
o Sr. presidente da provincia, coinmunico aV. Exc.
em resposta ao seu officio de 12 rto corrente sob
n. 94, que nesta data se mandn satisfacer o pedi-
do da companhia de operarios do arsenal de guer-
ra, que veo annexo ao seu citado oflicio.
2" seecao.
N. 379.Officio ao chefe de polica.O Exm. Sr.
presidente da provincia, respondendo os oficios de
V. S. datados de hontem e sob ns. 213 e 214, man-
da declarar, que a thesouraria provincial tem
ordem para pagar a Joaquim Jos Ferreira da Ro-
cha Jnior, a quantia de 2:5955748, o ao senten-
ciado Frederico Antonio Pereira Bastos a Ai 28o
constantes de seus citados oitieios.
N. 380.Dito ao commandante superior de Pal-
mares.Nesta data autorisou-se a thesouraria
provincial a pagar a Antonio Domingues d'Almeida
Pocas os vencimentos constantes do onVio tle V. S.
datado do 1* do corrente, o qual tica assim fes-
[Kjndido, de ordem do Exm. Sr. presicteute da
provincia.
N. 381.Dito ao commandante superiot do Hm
FnrmosoS. Exc. o Sr. presidente da provincia,
Correspondencia do Diario de
l'ei'nan Sun* o.
LISBOA 28 D K JANEIRO.
As salivatorias noticias quo o paquete wW"c-
miulure. entrado a 14, nos trouxe dessa gIMosa
campanha que tem distado ao Brasil mais fe o-
tenia mil lromens e enormes sommas. foram rece-
bidas em Lisboa com o mais vivo prazer.
llluniinarain-se as casas da legacao c consulado
do Brasil, e as de rauito.- particulares. Xo Porto
hoiive significativas flemonstraoes de jubilo.
Na sesso de 13 da cmara dos deputados, o
presidente Sr. Mondes Leal, antes da ordem lo
dia, apreseutou uma.mQfio feliciianih>o poro hra-
sileiro por terein triraulliadji as armas imperiacs
no Paraguay, e sndanno a aurora da paz. f'-ta
manifestaco de sympatliia foi unanemrmentc ap-
platidida.
Xa cmara dos pares foi 9 Sr. Casal Ribeiro
quem fez semelhaute mocan, dsC|jrrcndo sobre
to grato assumpto.
Toda a imprensa portugueza eclebrou cs;a :ts-
signalada victoria.
consider
proprios
rechai
HM
que o oh
Pela i
mmente
Os. documentos fallam por si
dclte! se prova ser falso que o ma-
desse a sua vinda por qtialquer
que nao losse a ordem superior
u a suspende-la.
ao destas linbas, lhe Picara sum-
adecido quem etc.
c D. Antonio da Costa.
pepito, deelarava o governo :x) paiz
bal se Eeeosara, pelo seta estado de
ar o gabinete.
iicao fazia recahirftbre o duque de
culpa de se nao ler organisadO novo
imprensa ila opposico insiste neste
Est resolvda a crise, ao que larece. Xo dia
21 do corrente, os ministros, que tiiiham pedido
todos a demisso no dia 6, tornaram a ser reeott-
duzidos, continuando na gerencia do governo, e
Sen I' a cmara dos deputados dissolvida por de-
creto de 23. As novas cortes devem reunir-so a
4 de maio. As eleicocs geraes ero por todo o
mez de abril. Afflrma-se qne a eleico ser feita
por urna nova lei eleitoral que, dentro em poneos
dias, ser dictatorialinente decretada. Os traba-
lhos para a nova lei estavam concluidos pida res-
pocliva rommissao, a qual, juntamente cora o mi-
nisterio, teve urna conferencia antes de hontem
Foram curiosissimos os (riamos dias da cauvira
dissolvida. O presidente (Sr. Mendes Leal) e os
outros membros da mesa, pediram por motivos
de pundonor a sua exoneracao, em consequencia
de urna manifestaco que a cmara fizera elogian-
do a poltica do governo. Morituri te salutant
como o gladiador que no circo romano ia soltar o
derradeiro alent para distraerlo do Cesar. As-.
sim'que foi acamara poucosdias antes da dissolucSO
saudou o ministerio. Ora nesta saudacao a m lio-
na foi pelo governo, como, poneos dias antos, na
eleico da presidencia, a maioria tinba sido pela.
opposico, E foi nesse cheque parlamentar q a 0
Sr. Mendes Leal e os seus collegas da mesa foram
eleos. e em virtud dessa eleico, como oppoHu-
namente Ibes contei, qno o ministerio pedir a
sua exoneracao. As manifesiaeoes ministeriaos
das provincias de Lisboa, do Porto o do muilissi-
nros* pontos do paz, tem sido publicadas na folha
oficial', e de todas ellas, com o appenso da mani-
festaco (quasi psthuma) da cmara electiva,con-
cluio o poder moderador que o ministerio agrada-
va ao paiz, o de novo, depois de inuitas ceremo-
nias e semi-recusas do gabineie, os ministros au-
nuiram a retomar as snas pastas por condese en-
deniiia com o -oberano.
E o duque de Saldanha... Esec nao passou'de
Ma*i-selha. Emquanto o nobro presideBte do con
seibo, (marquez de S) deelarava cmara qu o
marechl Saldanha paira excusa de vr a Li?boa
organisar novo ministerio pelos seus enenmmodos
e falta de sade, ia espera-lo era Marselha o vis-
conde de Lenautre, secretario da legacao portu-
gueza em Pars, com despachos telegrapnicos d'el-
rei, em virtude dos quaes era desnecessara em
Lisboa a sua presenca. Urna carta do Sr. I>. An-
tonio da Costa, sobfinbo do marechal. d c inta
destes telegrammas, e:*e todo Isso colhe a oppo-
sito quo o duque vinha. se o nao mandassem pa-
rar, que o duque nao stava doente, a que o du-
que tratara em Lisboa de organisar, como fosse
No da 2t
qne o m
sade, a fi
Esta deef
Saldanha a
gabinete. A
ponto ; diz militas cousas violentas aos ministros,
c pede ao rol que Icia a participacao dos seus mi-
msiros em sesso do da 21 e qne leia depois a
carta de A. da Costa, para ver coma foi Ilu-
dido ele. .
Realmente que, bareria conveniencia poltica
cm rceoiidmir o ministerio, pcssivel, que uave-
ria vantagein de grande alcance em dar mais pelo
voto dos signatarios das gianifestacoes das cdades.
villas e aldeias, cuja loquencia narenelica est
invadindo ha dias. as columnas.da folha ollcial,
doaque pela, votaco de una cmara logalmente
eleita, d'uuacaiiaia. que linha dado amn o vol
de eonliancjaiaD gabinete para proceder a diversas
reformas, croma cmara emlim qual o n.iniste-
rii tinha obrigac. de dar ronta dos seus actos,
tivesse ou nao mioria. E" possivel pois jucos
signatarios, dps quaes urna grande parte n;io sao
eleilons nem Blegiveis, nom pagara conlrbuicoes,
represenlenunais legtimamente o paiz do que os
deputados; possivel nualmontc que, estalielsci-
do o contlictapntre a cmara e o gabinete, prer-
rogativa rea se afligurasse mais sensato preferir
a conservaco dds ministros dura>;ao do niatfia-
to dos deputados. Isto. constitucional, e se o
nao fosse, tambem o nao era a.prerogativa do po-
der moderador, anda que as repetidas dissolucfies
de cmaras nao sao cousa muilo prudente luz
da poltica. .
Mas o que nao constitucional, nem raioavel,
nem boa poltica, nem jncsiuo .boa lgica, a dar o
mareclial por achacado e na unpossibildade de vr
formar um novo ministerio a Lisboa, qnand) pou-
cos das depois os sobr'mlios di marechal haviam
de assoalhar os motivqs que o mareclial teve para
nao passar de Marselha. ...
Esta leviandade, e a jos telegrammas aos go-
vernadores civis sobre o.emprestiuio, quando lal
emprestmo se nao tinha reabsado, sao erres gra-
vissimos, (|ue a oppiisicjio. pJSe em relevo, o que a
historia ds'e paiz ha de registrar.
Diz-se que na nova fei eleitoral, o numero
dos depnlados sor redjuido.; que os circuios se-
rao de dousu ti es deputados, como j foi, e que
o direilo do vituc ser ampbado a todos que sou-
bercm ler e erier, sejaflal lor o iiiip-- to que
pagarem. E'iaiural que m.uilos dos queassgua-
ram de cruz as lirmifestacoes quo se esto publi-
cando no Diario, nao sejam cbapiados a votar, se a
lei for assim concebida!
Em consellio de ministros, no dia 25,.iratou-
se de discutir as condicGes de um einprestinro de
dezoito mil coates, fra do paiz, para consolidar a
divida llnctuanl'e, oque este emprestimo nao de-
pende de qualquer Record com as compauhias dos
caminlros de ferro.
Foi elevado ao ltalo de marquez, o Sr. con-
de de Penafiel.
Alliriiia-se que em Lisboa existe um idalgo
Aeseeadenle em liaba red i, c por varona, de el-
rei D. ltamiro. de Lean, o qual se julga com incon-
teatavel direilo eora do Hespanba, e que vai
apresenlar all os ttulos com que pretende susten-
tar os seus direitos.
Fallecen o general Manoel Julio Guerra, que
inultos annbs foi ohefe das obras do Tejo. Resida
em Santarem.
Falleeeu tambem a esposa do vico-almirante Ser-
gio de Souza. actual governador de Maco.
da em Lisboa.
Afirma-so que a opposico se abstera de vo-
tar as prximas eleicocs. Algn; memoros da
cmara dissolvida, tem feito declaracoes nesse sen-
tido, mas nao so er geralmente que o despeito
chegue a esse ponto. Sera sabir do cammbo le-
gal, para deixar suppor que conspira centra as
instituicoes e ordem publica. Em quanto i lber-
dada d imprensa nao fer sopbismada, nem o di-
reito de reunio, nem a urna) ror cercada de vio-
lencias, indesculpavel a abstenco. E' possivel
que este boato seja forjado para mdispor, c como
intriga apeuas.
O Sr. Vicha de Castro publicou um folheto
com o titulo deA Repblica. Esgotou-se a
edico dentro eui poucos dias. Quando se reim-
primir lliojjiandarei, pois nao me preveni a tempo.
Parece que est scripto c*m muto enthusiasmo e
notavel fluencia de estylo.
Foi nomeado nosso reina-sentante em Pars o
duque de Salduuit^. Ao menos nao perdeu de to-
do as passadas.
A assodacao consoladora dos afflictos abri,
no palacio do vsconde d'Ouguella, ao Ciliado, um
bazar de beneficencia, em qne sao vendedoras al-
gumas damas da aristocracia. Xo primeiro da
renden para cima do 8005000. SS. MM. visitaram
o liazar, o deixaram valiosos donativos.
Foi emittido o thesoureiro da direegao dos
correios, Carlos Eduardo Martnez, aleivosamente
comprometlido n'uin alcance de vinte e tantos con-
tos, pelo seu propOsto ou liol, no qual depositava
inteira confiaheja. O lugar est a concurso.
As rnias
Silva, thesoureiro .
delegado do theseuro no districto de Lisboa, reem
bolsaraaw nronte-pio da quantia de dez cont em
subscripBes, que o referido Silva tinha subtraliido,
para com t. producto da venda das mesmas ins-
erpeoes comprar outras que fez averbar a favor
t porvr poltico, econmico e social de Portugal
i o Hespanba.
Uma rollia de Lisboa, eommentando o aunando,
diz que seria mais proveilosa a ^discussao, se a
these fosse assim posta e discutida*:
Da uniao ibrica, sob o ponto de vista do pns-
todo pobtiee, econmico e social de Portugal e
Hespanha.
Estabeiecrda d'um ou d'outro modo, conclne a
citada foiba, a qoe^to est resolvida por todos os
bous e leaes Portuguezcs, e a concluso tirada :
r Amigos, amigos, se quizercm; mas negocios
e easdte parte.
Dentro de um mez tem o governo de Pbrtu-
gal de pagar 500,000 (2.i5O:O0O4), mirortancia
do adiantamentn feito pela Sacete Genrale.
J foram remettidas para Londres as reformas
de algnias letraimportantes sobre o thesouro.
Fallecen nv Lol o conselheiro Marcal Hen-
riques de Azevedo Aboim. Foi depntado e gover-
nador civil do Algarve. Era cavalleiro e commen-
dador de varias ordens. Tinha mais de 70 aonos.
A Austria mandou retirar de Lisboa o sau
ministro, por isso quo depois da mortc do viscoioV
de Paiva, anda nenhum nutro foi nomeado para o
substituir na corte de Vienna. Parece que a le-
gacao vai ser supprimida.
A corte de Lisboa .tonrou luto de dez das
pela nwrte do |Mincipc real da Blgica.
Parte hoje para Mocambque o Sr. Fernando
da Costa Leal, govem.-vlor geral da provincia.
De Goa partirain a 22 do corrente referios einu-
nicoes para aquelle ponto. Esta expedicao foi or-
ganlsada na India portugueza.
Est nomeada uma rommissao para propor
uma relbrin completa da mstrucco publica. A
quo ultimrnoste foi decretada nroduzio p im-
presso, inintelligivel e obMf ra cm umitas de
suas partes, e deficiente n'outras. Tem causado de ter ardido a alfandega do Rio de Janeiro. Esta
noticia veio por Gibraltar. O prximo paquetea
confirmar ou desmentir.
Esl assignado o convenio com as condiedes
da arbitragem entre Portugal e a Inglaterra acerca
da questo de Bolama. O arbitro o governo dos
Estados-Unido-.
Debutram no Principe Real a 16 do cor-
rete os estimados actores Cesar de Lcenla e sua
esposa D. Carolina Falco. Levaram : O Gawe de
cachemira, Nao hd fumo sem fogo e as commoroes.
Uma salva de palmas acolheu o festejado drama-
turgo quando appareccu no palco. A Grito-du-
quesa dr Girolstein voltoii :'v secna naquelle thea-
tro, sendo a parte da gra-duqueta desempenhada
por D. Carolina. Cada superiormente e tem
agradado muto. A iinprcnsa toce os maiores lou-
vores empreza por ter e cripturado aquelles sym-
pathicos artistas.
Em breve subir scena o dranvt Os Dous Mun-
dos, de Cesar de Lacei da. O Monarcha das Cochi-
lat est em ensaios.
Ijjuiccaram com graude furor os bailes de
mascaras. Rossi aiuda est no Borlo; vai^Bra-
ga, vai a Combra, e anda vem a Lisboa.-^ide o
esperara os seim admiradores.
As Marcbisjs despediram-sc dos diMtantt de S.
Carlos. A peregrina voz daqnellrs dons ronxi-
nes faznt equer Wrtkrtes de fealdade que am-
bos possucm em'sbid grao: frlvallsSin, porem,
com o que ha de mais primoroso entre as canto-
ras de primeira ordem.
PERNAMBUCO.
rOLI'nCA INTERNA
*artdo eonserrador.
He-62!
ruTificou,
REVISTA DIARIA.
FACULDADE.DE IKEITO.De boje em diantc
deve-se pagar, na recebodoria de rendas geraes^a
tasa correspondente matrcula para in cripcao
dos alumnos do Curso de direito.
PUOCISSO DE PASSOS. Pretcndendo a ir-
mandante dessa denoniinaco ex por contemphi-
^o dos"liis a imsigem do seu padroeiro. no dia 12
do marco prximo, encarregou aos Srs. Marcelino
Jos.' Goncalves da Fonte e Bernardo Ferreira Lou-
reiro, provedor e thesoureiro da confraria, a re-
eenea das estadas das pessoas quem tem diri-
gido* carias.
FERIMEXTO.Em trras do engenho Compor-
tas, da freguezia de Murbeca, Eduardo Virginio
ferio ao menor Manoel Xavier da Paixo, com uma
canivetadu e nina paulada, logrando evadir-sc.
CADVERXo da 19 pela manha foi tirado
do rio Capibarlbe. junto rampa da praca do Ca-
pital, o cadver do preto Joao, escravo de tenenfe-
coronel Feliciano, que se havia laneado ao rio a 17.
FESTEJOS PATiHOTIWS. Aos moi-adores da
Capunga nao passott d#sperc*bHlo o dia 10 do
corrate, priiteiro anniversario d'e.^i feito gran-
dioso da esqnadra brasileira, at enlo reputado
impossivel, a iiassagem de Humayt, que
forneceu historia patria uma das mais bellas pa-
ginas que a ornara, e era cujas letlras de ouro, o
mundo admira a coragem e a intrepidez de nossos
bravos marinlieiros.
A Capunga venlio-se de gala* para festejar esse
anniversari'o ; embandeirou-se. illuminou-e e U-
petou-sc de llores. Houva passeiate noito cora
msica, muitos vivas patriticos e algumas poesas
cheias d'esse fogo sagrado que arde w> peito dos
filhos do knperio da Sarita Cnie.
A lembranca di$ moradores da Gnpunga foi fc-
licissima.
IMMUXDir.IA. Os vendedores de peine na ri-
beira de S. Jos tem o-mocostume de tratarem o
peixe, lancando os intestinos; escamas etc. no meio
ica. O lugar esta a concurso. j,a rua daado lu,ar agglomeraco de moscas, e
as do suicida Antonio Faislrao da a^^^-5., de miasmas ptridos quando o calor
eiro que foi do monto-pro oficial, e se ,orna mais forte Ni) podera 0 Sr fiscai fazer
possivei', umasituacltorva,y'nionrou\^V)on- daqellas pundonorosas senhoras. Indcmnisado
veniencia de sustar' as primeiras ordens que o assim o monte-pio, vai dar segumronto ao_processo
X. :ki2.Diu ao menmo.Mande V. S. pagar a manda declarar a V. S., em resposla aos seus offl-
Joaquim JosfJa Ferreira Racha Jnior, depois de
liquidada, em vista das inclusas contas doenmenta-
daque me remetteuo chefe de polica em officio de
hontem, sob n. 213, a importancia das despezas
feitas, durante o mez de Janeiro ultimo, com,o sus-
tento e dietas fornecidas aos presos pobres da casa
de detencao. -
\ :(i',:{._Dita ao mesmo.Autoriso V. S. nos
termos de sua infornWao de 10- do corrente, sob
n. M, a mandar pagajr'ao arrematante dos reparos
da ponto de Bsjary/"figmei Lajwento de S.queira
Varejo, qn* -tettt o-olic*Ka rtrnqtaer*iento que
incluso devolvo, a quantia de 2:079i que se Ibe
est a dever, proveniente da segunda prestaco
do sea contrata, como se ve do certibeado aaaexo
ao meacionado requerimento.
N.3t.Dita ao tnesme.-Expefa \. S. suas
ordens, para qne, depois de liquidada, em vista
dasdttts memsas corrtas, que me remetteu o su-
perintendente ila e*rracfe de 'fWTO do Becife a S.
Francisco com officio de 10 do corrente, seja paga
a importancia das pSsagens dadas, dtaranf o mez
de jaiwirn itimo, rios TTens daquella e^tPSrtla, pw
cont da proTiaca.
cios de 5 de dezembro do antro prximo passado, 2
de Janeiro ultimo e 3 do corrente, que transmittio a
lliesournria provincial para os lns convenientes, as
folhas e prets, que em duplicata vieram annexas
aos citados oficios.
N. 382Dito ao commandante snpenor de Ga-
ranhuns S. Exc. o Sr. presidente da provincia,
manda declarar a V. S., em respasla ao sen oficio
de 24 de Janeiro ultime sob n. S, que a thesoura-
ria de fazenda tem ordem para pagar a Francis-
co Pereira de MfOrienta & C, OS venomentos Cons-
tantes deaeu diado ditero.
NT H83*.Oficio ao director geral da inltruccjSo
publica. iL Exc. o Sr. presidente da.provincia
tendo por ciberartto d 3 do oerrerite, resolvido
a vista dariiaBosla,'no art. t de reguiamaUto le
21 de julho do antro paseado, designar o profeasor
da segunda cdeira do teTceiro anuo da E9edla
roraal, Dr. Exequiei Franco de S, para servir
le secretario da mesma eeoeia; assim o manda
xunmicar a V. S. para seu eonhecimento.
. 384.Dito ao superintendente da estrada de
Trro Ar-Redfe-' 9. frahetsco. Pela secretaria
marechal reeebeu em Rraia. A opposico lamen-
ta que se lizesse representar ao marquez de Si no
ultimo q na riel da vida um papel to pouco afra-
davol, como o de afirmar o que realmente ni
era ; a opposico approxiraa o primeiro facto dos
telegrammas (nao realisados) sobre a concluslo
do emprestimo que o Sr. Carlos Beato fora nego-
ciar a Pars, cora este laclo, nao menos equivoco.
de se dar o marechal por doente, quando eaV es-
lava em caminho, e chegaria a Lisboa por fin, se
nao tivesse recebido ordem de nio chegar nunca I
O duque de Saldanha fora chamado a toda a pres-
sa por qaatro trtegra romas, efoi effeettfansMB1
intimado em Marseba, ^ror um empregado da le-
gacao de Portugal em 'ars a que nao viesse. Is-
to passava-se no dia 117, como se uriere da<*rta
do sobrlnho do marechil que todas os jornaes pu-
blicaram antes de hontem.
A carta a seguinte:
Chegaado a Lisboa hontem, 24 do crrante,
encontrei em minha casa duas carias do mare-
> chai duque de Saldanha, uma de Roma do dia
8; e outra de Marse'ha do dia 17. Xa de lio-
ma dizia o raarecbal : Quntro tett^ratnnas
ta immediatamente pora formar o. ministerio,
sao a causa da mima rompa, jornada.
para ser dada penso viuva do infeliz thosourei-
ro, e mandou snstar na aeco qujjfjitcntra contra
esta senhora pela subtraccao praticada por seu fi-
nado marido.
Foi eleito thesoureiro o Sr. Pedroso, que esta va
gervindo provisoriamente. .
Antes de hontem bouve grande deso tem em
Alcntara, entre varias pracas do bataihao de ca-
ladores da Zarabezia e soldados da guarda muni-
cipal. Xa luta llcarain muitos feridos cora pedra-
das o uicadas de -bayoneta.
Xo ilia seguate bouve tambem desordetn entre
os estudantcs do lyceu de Lisbea, e os municipaes.
Fcaram alguns feridos.
s appr^ensoes e receios ibricos tem-se
aqu ftimainento dado tregoas: ou porque a si-
tuayo poltica da Hespanba na actualidade nao
inspira esses receios, ou porque a gravidrde da s-
Duaoao da fazenda publica era Portugal nSo deixa
qtfe se pense n'outra cousa. Apezar desia calma-
ra, em Madrid a idea nao esquece.
A Voz del S/jjo, daquella eidade, era un de seus
ltimos nmeros anounciava que contrauariam a
27 do corrente os fanalhos da sesso das scieacias
moTaesr e pfitias a Ath^nou, lacntudo-se o te-
ma segrate ; .
1 Da unlUo Ibrica'debaxo do ponto di vista do
pod.
cessar scinelhante abuso, to vbxatortl para os
moradores desse lugar? Delle ou da cmara mu-
nicipal esperamos remedio.
RfBEIKA DA BOA-VISTA.Um nosso signan-
te pede-no que lembremos ao Sr. lineal da Boa-
Vista e ao respectivo subdelegado, a conveniencia
de reprimir um abuso quo so d n'aquelle merca-
do por parte dos vendedores de peixe. Diz-nos o
assignante que os taes mercaderes vendem o peixe
j putrefacto mancas e escravos inexperienla,
insultando-os quando', advertidos, Ins vao engei-
tar a m raercadoria.
preciso que se extirpe egee abuso, que, sem
duvida, reproduzido nos outros mercadoe.
AGUA PARA TT-NGIR C.VBELLO. A* toja da
Aguia Branca aeabam de chegar de Pars alguns
frascos da Agua da Florida, preparada pelo casa
Guislaa, para fazer voltar eor preta os cabellos
brancas, sem nenhum.inconaiiodo para a "^ea
ou olhos. Tendo-a experimentdo em pjssoa oe
nossa familia, reconnecomos sna elBcaea, e qne
tem olla a vantagein de conservar sempre pre
os cabelles, friecioaando-se uma vez era cada sema-
na a cabeca ou a parte delta onde Ironverem os ci
beflosbranco* Recommendamo-la aos nossos lea*
torea de ambos os sexos.
PROTESTOS DELE5TRAS. O escrtvao dos
protestos Jos Mariarmo est de semana : a rua de
Santo Amaron. 20:
LOTERAA que se acba a venda a 96", em
beneficio da igreja, da Boa Viagom, que oorre no
dia 26.
aot'iss.vo i>K ti: df. cu ubuiau
Putibcou, lia poucos dias, a imprensa Kberal di
cyrte, uma carta do Sr. Urbano Sabino Pe.-soa de
Mello, aos meus comprar manos.
Essa manifestarao dos motivos, que aeonseihan
o illustre pernambucaiio a n nunciar as honras da
candidatura a um lugar ou na cmara dos depu-
tados ou 110 senado, merece que por alguns 1110-
mentos se oceupe can algumas de suas considera-
coes a altencao publica.
Era largo quadro tracou e delineou oSr. Urbarn
o painel do di ama eleitoral no imperio do Brasil.
Da sua palheita de adestrado artista saturara para
a lela cures to carrejadas, to tristes, tao medp.
nbas, e sua imaginaeao ardente achava-se, a ma-
near os nieis, entrada de ireoccupaoes lio pa-
vorosas, que a leilnra de suas raaos offerece acn
olhos o espectculo mas desconsolador e ttrico,
que baja execuiario a ar* dos Hoggarts c dos Sal-
vator Rosas.
Teve em mente o Sr. Urbano com as suas teme-
rosas piicelailas provar a sobeja razo, em quo 8f
firma o seu proposito de nao pedir votos san re-
presentar a sua provincia temporaria ou vitalicia-
mente.
A sua candidatura, quando nao corre sse o pe-
rico certeiro de raallograr-se, sera pouco airos*
sua conscencia, sempre iscnta, de hornera livre.
Bello sentimento, digno de um daquelles vreles
illustres, que a peona inmortal de Plularcho rc-
comiiieudou ao enthusiasmo e iuiilaeo da poet-
ridade I
Nao data de recentes dias a ouposico do Sr, Ur-
bano. Xo ultimo soxcniio, sob o mando e domi-
nio do progrossisiim, mezes apenas se contara, erii
que s contemplasse o honrado pernambucano ca-
ire os amigos do governo.
Esses mezes foram os que decorreram sob a^*-
socineo dos ronserraitores moderados rom os frV-
,aes.' ISira a gaeria eleitoral uni elle a sua for-
ra com aquelles, que aobre o iniaiRterio flan aamai.
de 30de maio, exerceram ab-oliiia e illiinilada
nlluencia, exclusivamenle atjplicada para a toa
Wrrrciln da Ubrrfndr -Ar-' ifrMs. Alcancada a vic-
toria.' n victoria das nnif. poticamente descpta
pelo Sr. Jos Bonifacio, consummada a conqnista.
reunidos os vencedores na agora triuinphal para a
ilistiibuico %is despojos, levaniou-se entre ellos,
lera e dura, a discordia, 6 aa liames ,\-A nuio vio-
lentainente qiiebraram-se.
Vm entao o Sr. Urbano alistar-se dnMto dai
banteiras da opposico. a que se habituara em
lempos anteriores, coniprelienddos nos annos qnv
forara de*IS3! a WH.
Nao quer isto dizer que no correr desses nove
annos fosse o Sr. Urbano invariavelmente npposi-
cionista. Pelo contrario, voniol-o em IM0 e 1W1
sentado entre os membros da maioria. .distinct.i
entre os saq liaren las, concorrendo com a voz efci-
cjueiite e o voto preponderante para a construrca >
das machinas infernaes. lata no eslylo do libe-
ralismo de antao o de depois. para as leia da re-
forma do cdigo e do conseibo ile oslado.
XaqueMa epocha, pois, era o Sr. Urbano um ex-
tremado carcunda, romo o qualilicon em 1866 0
venerando Sr. marquez de Olinda, em magna ses-
so da cmara dos deputados.
Com o rondar do tempo e a forca das crenms-
tancias, de prolixa narrativa agora, mas que talvei.
se inister for, relataremos depois esiendidamente.
o saquarema, o conservador, o rmnclho foi des-
maiando as cures polticas ate qne se aprsenlo
lihrrul entre os ma Mwvar.
E, pois. o liberalitsimo Sr. Urbano um dos ho-
mens mais ex|)crimentados as tricas, ardis, astu-
cias e estrategias dos partidos. Se elle nao enalte-
cer esses arcanos, quem misara avaniajai-se-llie
na proeminencia do saber 1
Possuindo assim piedic:aiientos para ser exced-
iente pintor das escaranincas eleitor.u-s. poderia
dar contemplarn dos dilettanti um primor aca-
bado.
O seu trabalho a nimios parecer primor. Has
6 exageradoo portento infiel. Se em alguns traeos
trou a verdade ao natural, em muitos outros dos-
fignrou carregando demasiadamenie a m4.
Da carta do Sr. Urbano collige-se quo nao lein
havido verdadeira eleico no Miasil. Km todos os
lempos de nossa existencia poltica, opensainenlo
do honrado pernambucano, verdadeira, legitima
eleico nao tem havido. Se na tanga serie de le-
glahrinras alguma eacepeo so mittr. sera sem
duvida a favor das candidaturas do Sr. t'rbano.
Porque ?
Porque sempre tem intervindo mais ou menos,
indebitainente a amarinada, 8 com ella a violen-
cia, a enrrupcao sob todas s formas t o mais que
pode, por quaosquer meios imaginaveis, coagir a
conscencia ou a vontade do votante
Mas, por ventura ha. tem havido eleicocs puras,
perfeitas, semsenaona America, na Harapo, iros
teinpos aetuars. nos scn-nlos prximos, as niade
antigs? ,
A Inglalerri offerecida a admiracao. ao en-
no, imitacao como o typo da boa pratica do svs-
lema representativo, como espclho das nstitaleoes
livres. O que tem sido, ha muitas centenas de an-
uos, a elcicao naquelle paiz elassteo da liherdade?
Xo principio deste soculo. Roberto Sontliey, norte
morecidiimente estimado no orbe luterano c parti-
cularmente svmpaibco aos brastMras, asurewa em
sen IKrioLttttrs (rom Fni/lund:
t As oloicoes em Inglaterra comparam--e eont
unijogo em que lodos os ardis fraudulentos sao
havidos por legitimes. Knto, o Iromem mais escru-
puloso em desempenhar-se nos eortpromfosoS, in-
quina-se as raais imprudentes e grosseiras falta
sem pejo, nem remorso.
No sen e-cripto /) regime cemltMbMNtt,aWa
Helio :
a Sous cotte blouissante merveille (l'Anglelerre
sepratiquent la corruption la plus effrewe et le
pkis grossier nipris de la inrale et des nomines.
Les mceurs se sont prorondnwnt penetres du poi-
son ; on est venu penser qu'un mal aussi uffle
devait erre imlispensable et qu'une neoassit an-
loeratique ne pouvat pas ne pas ire une necessiu-
socialo... En consequnce la venalilc electoral* a
ele rige en principe, elle se discute, h- professtf,
s'enseigne aussi gravement qu'un apopbtegme, olio
a sa doctrine, srs procedes, son tanf. ^^
O anuo passado o estimado publicista nancer
Coqnille. em sua Potitiqur Chrtienne, eserevia :
sein des fortunes analogncs a cellos de la patrie:
ses membros aehtent eber leur election et ts ne
s'ea plaignent pas. Si l'elrction cortte, en raoyea-
ne, renta cent cinqnmt millc (ranea, elle est iV-
(mssible aux gens de maigre fortune, e aux petiMw
celbrits doplume et ie barrean qui s<)ntplus n-
clies en pbrases qu"en captaux. (Pag. 13)
A uliima reforma eleitoral nao arredou seme-
Ihartte pendor corrapcao, roconhecido, ha sca-
los, na Inglaterra, continuado at boje. Se all a
autondade Dao ntervm directamente, elaranientc,
nao de Ifldo estranha ao processo eleitoral, pois,
como se sabe, os jut*es de paz, cujas attribniqoe
siooalas, nomeados pelo governo e vitalicios,
slo eseolhidos entre os homens ricos dos eountij*
que imperara as eleicoes com o seu dinheiro.
E quando a autoridade nao se faga sentir cora
tanta grftveza, como na Franca, em otttros pao?,
e no Brasil (digamol-o francamente),
do voto nao ser, por ventura, wraadir* T
e ainaa maior do que as iwionaes e mHa-wnaa*
.


.
t-



Diario de PernambiK Segunda fetn de Fevereiro de 1869.
xpa do inspector fie quarteirae e do sabdelegao ?
PorUnto os que com o Se urbano queiam-tlei-
oes estrenos de toda a acula, aasoluta libcr-
lade do voto, goerein o mpossivl. Qualquer que
seja a abstencito do govertro e dos seus iag*~ts,
quaesquer que sejam as preseripeoes, as-cautelas,
o systema, o tethodo, wai i ou menos se calarao
nas urnas (Jeitos de corrapcao ou de outra causa
le coaccao "consceneia, ao querrer do votante.
O Sr. Urbano, canipaao a leimo ^i, que
aprenden com a experiencia que governo tmo,
Ve no havpposiro ctpuz Se mirar eni uta con
elle, que'Uoclaron-se em opposirao situacao pro,-
yressitla .por entener fue ea nao -quera, nem
poda restaurar as likerades tpvAUcas, o Sr. Lba-
no nem-sempie, naoalwdindo ja aos'tempos do seu
saquartinismo ou comcminliiiM,mm\ scinpreoi tao
celoso paladim da virgindade das uroas.
Pelo c_itrario, vinwl-o Ha estacatia da cmara
temporaria, armado de ponto *in beanco, de lanca
*in risle, defendendo costra tudo e contra todos
urna das inais monstruosas desigriacoes de depu-
tados, que a monstruosa fleicio de 1S3 deu es-
candalosamente lu
Refi>imo-noss deices ara tepntados as-
sembtea geral pelo 1* distrele da provincia de Scr-
-grpe, da qual o honrado Sr. Silvcira Lobo, com
franqueza, que sempre honrar o seu obre carc-
ter, dhia :
< E' para mim Tacto arcrigmado que esta clei-
<;io esta radicalmente viciada e intmaeelmente
iullu. O vicio c a nullidade procedem da nter-
veneo efllcial e se manifestara por-dous modos :
pela Ilegal decretadlo da iaeompatibilidade de
ropos os presidentes das mesas parocuiaes, que
baviaiu esercido a vara de juiz municipal, e pelo
*ffecuvo cia na- marcha do processo cleitoral.
Accuaacoes que o Ilustre deputado por Minas
exuberantemente provou em dous discursos que
too bellos -entre os mais beHos florees de s
roa parlamentar.
O Sr. tJrbano, que assumira essa trela,
par todos m motivos devera repugnar sua
teda eonscieneia de liberal converso e sua fama
4e bomem inaccessivelis conveniencias de par-
cialidades de pessoas, o Sr. Urbano collocoii-se
na plana eominuin aos mais maleaveis cmplices
dessa srtnaco que, sobre riSo querer restaurar as
liberdades publicas, contra ellas maebinava teme-
rarios attentados.
Xaqni'lla tarefa, que perpetuamente remorder
essa eonscieneia, tao estrondosamente preconisada,
defendaos interesses eleitoraes de ara amigo au-
sente, a eleico do Sr. Lopes Netto, por Sergipe,
que apeuas conhecia desse cavalbeiro o nome hon-
rado.
E quando tdo, inclusive os documento^ offl-
ciaes, emanados do governo c dos seus agentes na-
quella provincia, denunciava, voz em grita, os vi
oos insana veis da farca representada no seu i
districto, o Sr. Urbano, o ineorruptivel Sr. Urbano,
*0m impavidez maravilhosa, que nas balalbas crea-
rla hroes, o Sr. Urbauo, homem de um s pare-
er, de antes quebrar que torcer, o Sr. Urbano
aaimou-se a dizer, desde a tribuna da cmara dos
deputados, em sesso de 9 de Janeiro de I8<31 ;
Adquir a conviceao a mais profunda de que
risas eleicoes sao validas, que foram feitas muito
regularmente e exprimen a vontade e a opinio do
districto libremente manifestadas; e que por ron-
.leguinie do derer da cmara dos Srs. epatados
approval-as, e que a annullacao ou rejeinio destas
eleicoes importara sua verdiideira depurwao.
Em prsate destas palavras e da carta aos
meas comprovincianos, todos serao invcncivelmente
tentados a exclamar: Qais tulerit Graccitos de
teUktne ftmmtei i
(Do Diario do Rio.)
que
ni-
PUBLICACOES A PEDIDO.
.% filustre corpo eleltoral provincia de Pernaubueo.
Nao estranha novidade o apresentar-me can-
didato senatoria, poniue umita gente tao despro-
vida de requesitos como en o lera fci#; novidade,
porm, e novidade glande, declarar que tenho
cincuenta anuos: quem tal dira Sim, tenho cin-
coenta annos; verdade que incompletos, mas
anda assim me peza mais fazer esta eonlissao, do
<|ue pedir votos aos uieus comprovincianos I Nao
: por ue me desdme de pedir,nem porque me
onvcrgonbe de ser vellio, pois seria isso negar os
beneficios da Providencia; mas porque nio in-
tristeco de nao ver u'unia vida de meio see.ulo
uin so servico relevante que me reconiniende pe-
anle etis, de cuja misericordia alias nao dBMS-
l>;ro I
Outro tanto niio posso dizer a respeito da mae
patria, da qual segreda-iue a cousciencia que nao
tenho sido um filho intil. Menos queixa de mim
pode ter o meu partido, porque l tem nos seus
archivos a minha fe de ofDcio, e por ella pode ver
que nao coiametli nunea desergao, nem simples,
nem aggravada. Desde que assentei praca rogular
em suas fileiras, o tenho sempre acouipanhado na
boa e na m fortuna. Nao gemeu nunca, que eu
Ihe nao gemesse ao lado, attrahindo com a minha
tenacidade o furor dos adversarios, e provando ao
mesnio lempo que possivel anda viver. no ostra-
ismo sem despir a constancia, e a independen-
cia.
Tinha resolvido nao fazer circular, e descancar
-rnente no fave^collectivo do partido, que se lem-
ttrou do meunome; mas entrei a fluctuar na cer-
teza, si o expediente sera bom. Urna vez por mi-
tra, fazia-me a mim mesmo este dilema: Si nao
peco, diro estes: quem nao pede porque nao
precisa. Si peco, dirao aquclles: por pedir,
perdeu. Como sabir da dimculdade ? Abr o
Bvangelho, que o livro das minhas consolaces,
; onde encontr sempre a resolucao de todos os
problemas, c l encontrei este conselho de Christo
SOhor Nosso: Ped, e receberes. Pe He, et ac-
pietis. Como nao aceeitar e seguir o conselho
do Mestre Divino ?
Eia pois, senhores eleitores, aqui me tendes a
pedir com todo o respeito os vossos suffragos para
hilador, e para deplado! Bem sei que pedir
muito; mas tambam sei que o pedir pouco revela
hi quem o faz certa especie de egosmo, e de or-
uulho :_de egosmo porque comeca a restringir do
onte-ino o motivo do reconlieciniento; e de orgu-
ilio. porque affecta precisar pouco que se Ihe d,
.piando l por dentro Ihe roe a cubica de receber
inuito I Deus me guarde de alardear tima e outra
cousa perante o corpo eleitoral I
Como deputado, nada mais piometto, do que o
proposito firme de continuar a comportar-me na
presente legislatura, como naqellas em que tive
.issento na cmara, de enjo largo tyrocimo nao
conservo remoraos de haver faltado aos meus dc-
veres. Reate ponto sim. fallo com algnm orgulho.
Como senador, porm, (si me fosse dada a honra
da escollia) o compromisso mais serio em que des-
Ai logo me adiara com os meus comprovincianos
rao de nao faltar a urna s sesso do senado, e
si nos intcrvallos o bem da minha provincia exi-
ipwe que fosse a corte representar qualquer neces-
sdade ao throno e ao governo, l voaria com a ra-
pidez do raio; entao havia eu de descobrir o se-
gredo do molo-continuo!
Quanto refoi mas nada prometi, porque fu-
jara de candidato, que comeca por prometter re-
foriaar muita cousa, sem prometter reformar-se a
si primeiro; pois a mxima parte dos males pbli-
cos nao provm Unto do leis defeituosas, como dos
que as executam 1
Entretanto, asseguro que toda a idea boa, til,
<: reclamada polas aecessdades do paiz, ser sem-
prebemviflda para mim, c Ihe prestarei todo o meu
ypoio. Eis o meu programma.
Recfe, 19 de fevereiro de 1869.
Joaquim Pinto de Campos.
de 2S 4e jarteiro indiGagio feita dos candidatos a depulados
geraes ntt txcluind* a Kberdaflede esco-'
tha fwv paite dos clealorts.etwnrrevelando
a kitoicao de Ihes p4r embarazo, s nhi
aauteridade de um oinselho,'motivado pela
necessidade de atleoer s dreumstancias
do jiaiitido e pela apreciaelb das servco&
prestados causa de suas.idas; r^ponlie-
ceado, alias fra do circulo tios candidatos
lirojiostos, muitos oatros nones dignos de
serem olferecidos ao suffragio eleitoral;
kudoeatido j a hanra de representar es-
te dietncto em duaa iegialataras da assem- "}'| j^ta
llaiprovincial, em Jiome tas ideas do
partida que hoje fc-ige o* destinos do pair,
ouso iuda apresentar-me andidato a de-
putado feral por este districto, aspiraudo
a konra de represeutal-o na prxima legis-
latura,
A dedtcaco e irmesa >e principios, de
que te'nlio dado pravas em toda minha vida
poltica; os servicos, que, por ventura, te-
nito prestado causa das ideas do partido,
soffrendo, por htso* demissao do cargo pu-
blico, qae exercia, lia ti annos, sem haver |
dem descascado oj pilado
Assucar branco......
dem mascando........
dem retiuailo.......
zete de aumudoii i ou amea-
doblnf......... caada
dem de coco.......
dem de mamona......
Batatas alimenticias. .... arroba
Baunillia.......- libra
Bolacha ruinara, propria uara
embarque. ....
"dem fina.......
Caf bom.....
dem escolha ou reslolho
Meni torrado ,.
arroba
Cal branca. ....
(kuue.seoca(xarqae). ..
Carneiros
Carvo vegetal.
libra
um
arroba
um
arroba
tem
4*700
:iW0
64400
2S00
lSOO
liOO
14500
24500
:I4000
7*000
7*000
6*300
4W
:m
400
3*800
4 000
1*600
Olveinas deajcupia .... uuu 3j00
lareJC......arwU fi*500
Cera ain
dem de carnauba em bruto.
dem idemein vellas .^
(evatlo ( portto ) .
Cha........
Charutos ... r
Cocos seceos .....
Colla........
Cooroede boi, salg;ulos

libra
i
um
libra
cento.
i
libra
que exercia, n. w .amiu, acm -'D'. Idem id(,m saceos ftipichado6.
jamis desmerecido docenceito em que.lu jdemidem verdes
sempre tido pelos meus amigos, sao outros
tantos garantes.que oflereco ao corpo eleito-
ral deste districto, ao qual me acho mais
estreitamente ligado por aquelles servicos
e relaees polticas para merecer-lhe o suf-
fragio que ora solicito. '
Se V. S. pois, tomando em consideracSo
8 deliberado do gremio que, na ausencia
da oppoeipio, bem apreciou a liberdade e
criterio, com que V. S. e os nossos ami-
gos deveriam escolher os candidatos nas
circunstancias actuaes do partido, apio
de sua ndole e principios, quizer tambem
considerar o que deixo exposto, por modo
que, com seu voto e o de nossos amigos,
venho eu a ser elito; serei incansavel na
defesa de nossas ideas politices, pugnando
pela felicidade e prosperidade da nacfo, eg
especialmente pelo bem moral e material
desta provincia e districto, assim me escu-
dem a Providencia Divina e os votos de
meus concidados, que invocarei e saberei,
de" preferencia consultar para bem cumprir
o honroso mandato, de que fr encarre-
gado.
E, sendo V. S. pessoa de legitima influ-
encia nesle districto, venho solicitar seu
valioso apoio, bem como o de seus numero-
sos amigos minha pretcncSo, tomando
desde j, a ser eleito pelo voto de confian-
ca e de conformidade de ideas, to cdhipro-
misso de desempenhar, quanto em mim
couber, to elevado encargo.
Agradecendo, de ante mo, sua valiosa
eoadjuvaco, contiua a ser, com a maior
estima e considerado.
De V. S. amigo, patricio e sincero corre-
ligionario. Cypriano Fenclon G. Alcofo-
rado.
Recife, 9 de fevereiro de 1869.
Protectora das familias
Em cumprimeuto do prevenido no artigo 29 do
regulamento, se convida a todos os senhores con-
tribuintcs aesta associacio, que anda nao tivercm
apresenlado as certidSs de idade dos segurados,
para que facam entrega deltas na ra do Livra-
mento n. 19," Io andar, afim de ser expedidas o
mais breve possivel para a inspectora geral do
Rio de Janeiro. As certidoes devem ser selladas e
reconhecidas per tabellio. Recife 15 de Janeiro
de 1869.O representante
N. F. de Vidal.
i COMMERCIO.
PRACA DO RECIFE 20 DE FEVEREIRO
DE 1869.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDE.
Assucar mascavado purgado = 3*400 por arroba
Algodo de Macei 1' sorte = 17*300 por arroba
posto a bordo, a frele de 5/8 e 5 0/0
Cambio sobre Londres90 d/v 19 d. por 1*000.
Leal Seve
Presidente interino.
A. P. de Lemos
Secretario interino.
BANCO MAUA & C.
Ra do Trapiche u. 34.
Desconta lettras co nmerciaes a taxa con-
vencional. Recebe dinheiro, a premio con-
vencional, por lettras e em conta corrente.
Confere crditos, saca sobre as primeiras
pragas do imperio, Rio da Prata e Euro-
pa, e compra cambiaes sohre as mesmas
pracas.
Encarrega-se, por commisso, da com-
pra e venda de fundos pblicos e acefies de
companhias, da oobranca de lettras e di-
videndos ou de seu pagamento, e de qual
quer outra operario bancaria.
.0 expediente para o publico comec-ar
s 10 horas da manha, e terminar s 4
horas da tarde de todos os dias uteis.
ENGLISH BANK
O Rio de Janeiro Limited
Desconta lettras da praca taxa a con-
vencionar.
Recebe dinheiro em conta corrente e a
prazo fixo.
Saca vista ou praso sobre as cidades
principaes da Europa, tem agencias na Ba-
ha, Buenos-Ayres, Montevideo, New-York
e New-Orleans, e imitte cartas de crebito,
para os mesmos lugares.
Largo do Pelourinho n. 7
*
um'
cento
dem de.caqras curtidos um
dem de onpa.......
Doces seceos #" ". libi
dem em gela ou niassa. .
dem em calda......
Enxams........
Espanadores grndes.....
dem pequeos ..*...
Esleirs para forrfi, ou estiva de
navio........?
dem de carnauba.....urna
Estopa nacional.....; arroba
Farinha de mandioca .... alqueire
dem de aramia......arroba
Feijo de qualquer qualidade
Frechacs........um
Fumo em folha bom.....arroba
dem em folha, ordinario ou res-
lolho ,........
dem em rolo, bom.
Fumo em rolo, ordiiarioou res-
lolho P '
Galinhas.......- urna
Gomma de mandioca.....arroba
Ipecacuanba ( raz i.....
Jacaranda ( coucoeii'as) duza
Lcnhacm adas......cento
dem de mangue era toros. !
Linhas e esteios v um
Mel ou melaco ..... caada
Milho..........arroba
Ossos..........
Palha de carnauba.....molho
l'apagaios.......um
Pao Brasil........quintal
um
arroba
nma
250"
500
20*000
2*000
3*WO
4-5000
660
2^)5
290
170
380
10*000
1*000
360
520
1*500
4*000
2*000
tfOOO
160
25000
2*500
lOlK)
4*000
5*000
15*000
8H0O
10*000
8*000
1*000
3*200
25*000
95*000
3*000
12*000
6*000
200
1*000
240
1*000
5*006
6*000
5J080
12*000
900
800
1*000
2*000
160
dem de jangada.
Peehury. .
Pedras de amolar.
dem de filtrar.......
dem de rebollo ..../
Pennas de ema. ...'.. libra
Piassava. .'...... molho
Ponas ou clfres de vaccas e
novlhos........ cento 25800
Pranchoes de amarello de dous
costados..... unt 205000
dem de louro. ... 10*000
Kan*....... libra 1*000
Sabo.......... 1 160
Sal. ...,...".,. alqeuire 400
Salsaparrilha....... arroba 30*000
Snalos de couro branco par 800
Sebo em rama...... arroba 5*000
dem em vellas. ...... 7*000
Sola em vaqueta..... um 4*500
Taboas de amarello .... duzia 140*000
dem diversas....... 87*000
Tapiocas......... arroba 3*000
Talajuba........ quintal 2*000
Travs......... urna 6*000
Unhas de boi....... cento 380
Vassonras de piassav.... 10*000
dem de timb...... 8*000
dem de carnauba ..... 6*400
Vinagre......... caada 800
ADITAMENTO.
Cigarros....... cento. 320
Costadinbo de vinbatico de man
de urna pollegada. .. nm 16*000
Dito de outra qualqueHfaadeira
de urna pollegada. .... 12*000
Cerveja em botija ou*arrafa caada I OO
Meldeabelhas ....... 1*280
Taboas de vinhatict*'at urna
pollegada........urna 12*000
Dito de outra qualquar madeira
at nma pollegada. 8*000
Era ud supra.
Alfandega de Pemambuco 20 de fevereiro de
1869.
Os l." eonferente, .W Florencio Domingues da Silva.
Approvo.Alfandega de Pemambuco 20 de fe-
veriro de 1869. Pereira de Barros.
Conforme.Joaqui.n Tertuliano de Medeiros.
RECEEDORIA DE RENDAS INTERNASt-
RAES DE PERNAM1JUCO.
Rendmento dodia 1 a 19 31:540*656
dem do dia 20...... 1:255*324
32:795*980
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendmento do da 1 i
dem do dia 20 .
19
79:088*220
6:625*320
85:713*540
ALFANDEGA.
Rendmento do dia 1 a 19 .
dem do dia SO......
597:812*957
32:212*084
630:025*041
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
Volumes entrados
dem dem
O conselhero Jos Bento da Cunha e
Figueirdo, abaixo assignado, espera que
todos os seu6 amigos particulares e polticos
do circulo do Cabo Ihe fac3o anda a dis-
tncta honra de elegel-o deputado assem-
blageral ; e roga a todos os seus amigos
polticos e particulares de toda a provincia
com fazendas
com gneros
Volumes sahidos com fazendas
dem idem com gneros
583
381
106
581
964
687
Bescarregam hoje 22 de fevereiro.
Vapor iogtezSa/arfi* fazendas.
Itarea fraaceza Co/0y=idem.
Barca inglezaCaraca=dem.
Patacho norte-allemaoVenedyidem.
Escuna dinaraarquezaHigard- farinha de trigo.
Barca portuguezaDejpique //diversos gneros.
Polaca italiana Saradem.
se dignen fazer-lhe a dstincta honra de in- Barcrgeza^r^-far?nha hiir o seu norae na lisia sxtupla para se-
nadores.
Longe do theatro da eleic5o, o conselhei-
ro Jos Bento nao duvda de que os seus
amigos, cuja generosidade invoca nesta
occasio, suppriro a falta de sua presenca
com dobrada deligenca. Elle assim o sup-
pKca com todo o fervor de quem saber
agradecer tamanha honia e fineza. Cidade
de 1869.
Jos Bento da Cunha e Figueirdo.
Illm. Sr. Declarando o gremio do parti-
do conservador desta provincia, em sesso
Valores.
2*500
Patacho hglez=17n Brigue inglezErabacalho.
TABELLA dos precos dos gneros scjeitos a di-
REITOS DE EXPOBTACAO. SEMANA DE 22 DE FEVE-
' REIRO A 27 DO MESMO MEZ DE 1869.
Mercadorias: Unidades.
Abanos......... cento
Alcool ou espirito de aguarden-
te .......... caada
Agurdente cachaca.....
dem de canna...... >
dem genebra.......
dem restilada ou do reino >
Algodo em caroco arroba
dem em rama ou em 15a.
Angico (toros)...... duzia
Arroz com casca. ..... arroba
900
490
1*000
880
800
2*975
151000
60*000
JJOOO
l'RA(;\ DO RECIFE
em 20 de n:vminino de 1869,s 3horas da tarde
REVISTA SKJI.lVtJL.
CambiosOs saque? sobre Londres regulara de
18 3/4 a 19 d. |K>r 1 s, sendo o total dos saques
para a Europa de 100,000, inclusive 80,000 para
Londres.
Algodo.O de Pe nambuco cscolhido e regular
vendeu-se de 15* a 15*500, o de Macei, posto a
bordo, de 17* a 17*200,* o da Parahyba, lambem
posto a bordo, de lO-iSOtra 16.,.180 porlarroba.
Assucar.O brancj vendeu-se de 4*600 a 5*.
o somenos de 5 a 4 3100, o mascavado purgado
de 3*200 a 3*400e o bruto deM850a 2*900 por
arroba.
Couros.Os seceos e salgados venderam-se de
260 a 270 rs. por libra.
Arroz.O pilado da India vendeu-se a 3*200
a arroba.
Azeite-doce.O de Lisboa obteve 3*400, e o do
Estreto 3* por galio.
Bacalho.Em atacado vendeu-se de 18*000 a
18*500, e a retalho de 20* a 21* por barrica.
Batatas.Venderam-se a 2*800 o gigo.
Bolachinhas.dem a 5* por barriquintia.
Caf.dem de 5*200 a 5* por arroba.
Cha.dem de 4*260 a 2*800 por libra.
Cerveja Rcgulou a 4*500,5*200 e8*000 por
duzia de garrafas.
Farinha de trigo.A de New-York retajhou-se
a 28* a barrica, a franceza a 29*, a de Bhmond
de 285 a 31*,adeTritste de 30* a31*,ado Chile
de 11* a 12*500 o sacco com 1''0 libr*, e a da
California a 135 o sacco tambem com 100 libras;
ficando em deposito 8,000 barricas da primeira,
1,200 da segunda, 1,200 da terneira, 8,509 da
quarta, 18,500 saceos da quinta e 2,800 saceos da
sexta.
Louca.A ingiera ordinaria vendeu-se com 440
por cento de premio sobre a factura.
Manteiga.Vendeu-se a ingleza a 1*100 c a
francezaa920 rs. pbrlibra.
Oleo de lhaca.dem a 2*500 por galo.
Passas.dem a 6* a caixa.
Qceijos.Os flamengos vebderam-se a 2*200
cada um.
SabXo.Vendeu-sc u nglez a 170 rs. por l*ra.
ToociNHo.dem o de Lisbto a 10*500 por arroba.
Vwagbe.O de Portugal vendeu-se 115*
a 135* por pipa.
Vimos.Vendeu-se d de Lisboa df 220* a 270*
e o do esti-angeiro tinto de 210* a^!5# por pipa.
Velas.As de compisicao regularam de oSO a
700 rs. o paste.
Descont.O rebate de letras regnlou de 8 a
10 por cento ao auno.
FnETr.s.Do algodo ,?ara Liverpool, carregando
aqui, a vapor Ji d. e fi.% e a vela }i d. sem pri-
mageni, de Macei e Paruhyba para o mesmo porto
a 1/2 d. sem primagem a vela. Do assucar d aqui
para Liverpool a 17/6 .L e S / a vela e para o
Canal a 30/,e5 % nominal; da arabyba eMacei
para o mesmo porto 35/ e 5 /.
MOVIMENTO DO l'ORTO.
Navios entrados no dia 30.
Rio de Janeiro7 dias, vapor ingtez Ticho Brahk,
de '*884 toneladas, commaidaaui R. E. Peel,
quipagem, 45, carga caf oniros gneros ;
a Saunders Brothers & C. Ve* reliecer carvao c
eguio para Liverpool.
Rile Janeiro27 dias, barcarusrana Suomai-
M,de 730 toneladas, ojqil:io A. Andenon, equi-
pagein 15, eui lastro : odea.
Trieste81 dias, escuna liolaaieza Sekkolina, de
485* toneladas, capitao C. H. Veen, ei|uipagein 8,
cargas 1365 barricas com farinhi de trigo; a
Heury FoHter & C.
Assu 12 dias, hiate brasilero Flor do Rio Gran-
Be, de ,"i4 toaoladas, capitao VicfiutJ Ferreira da
Costa, tquipagem 7 carga sal; ao capitao.
Navios saludos no mesmo dia.
Ro da PrataBrigue hespanhol Vigilante, capitao
Jos Mirambell, carga assucar.
ha deS. MiguelEscuna poMu'gueza Aguk,ii^i
-tio Pedro Augusto da Silva, carga assucar e
mel.
Observacdo.
Suspendeu no lamaro para llha lo Sal o bri-
gue iMirtnguez Lidador, capitio A. i', da Costa,
rwni imjsroo lastro que trouxe do Rio de Ja-
neiro.
Navios sahidaj no dia 21
Rio Grande do SulBarca portuguez!. Orense, ca-
pitao Joaquim Francisco Moreira ; carga as-
sucar.
Cana!Brigue inglez Helena, capitao Ilarkley; car-
ga assucar.
CanalBrigue norte-allemao Diana capitao C
H. Jacobson; cJr'ga assucar.
BarcelonaPatacho hespanhol Joan.to, capitao
Joao Fontanellc; carga algodo.
LiverpoolBarca ingleza Witch oftht Waxe, capi-
tio Guthcrie; carga assucar e algodo.
MarwilleBarga franceza Mousse, cauitao P. Ves-
chi: carga assucar.
Rio de JaneiroPatacho norte-alterna) Anumita,
capitgi Heurick; carga assucar e outros g-
neros.
AracatyHate brasileiro Sobralense, capitao An-
tonio Gomes Pereira; carga diterentes gneros.
Pr i>or MaranhaoHiate brasileiro Rosa, capitao
Antonio Francisco de Olivaba; cargii diflerebtes
gneros.
Observarocs.
Suspendeu do lmar to para Macei a barca in-
gleza Arkbar, capitao G. B%er, cora o mesmo las-
tro que truuxe da Baha.
At meio da nao houve entradas.
EDITAES.
Faculdade de Direito
De ordem do Exin. Sr. dirdfctor fco publico que,
desla data em diante, poderao os alumnos desta
Faculdade pagar na estacao competente a taxa
relativa a matricula da abertura do corrente anno
lectivo.
Secretara da Faculdade de direito do Recife, 20
de fevereiro de 1869.
O secretario,
Jos Hoifcrio B. de Mtnezcs.
Faco constar a quem convier, quo o Illm. Sr.
Dr. director geral da instruccao publica tera desig-
nado o dia 20 de marco prximo vindouro pelas 10
horas da manha, para ter lugar nesta secretaria
o exame de liabilitaco para e magisterio primario
do sexo feminino.
As senhoras que quizerop fazer dito exame
devero inscrever-se na forma das rastrueces de
11 de jiinho de 1859, at i4lia 19 do mesmo.
Secretara da instruccao publica de l'ernambuco
19 de fevereiro de 1869.
O secretario,
__________ lAurelino A. P. de Carvalho.
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, oflicial
da imperial ordem da Rosa, juiz de di-
reito especial do commercio nesta ci-
dade do Recife de Pemambuco por Sua
Magestade Imperial que Deus Guarde,
ect.
Fa^o saber pelo presente, que Andrade &
Bcgo por seu procurador, me dirigiram a
petico seguinte.Illustissimo Excellentis-
simo Sr. Dr. juiz do commercic. Dizem
Andrade Reg, que na execucao que mo-
vem contra Jos Ribeiro de Brito e sua
mulber, por este jtiizo escrivo Paes de
Andrade, tendo de ir a praca no dia 22 do
corrente mez os bens constantes do edita!
publicado no jornal que junto olerece, suc-
cede que as casa terreas da ra Real, que
ali esto cora os nmeros de 27 e 29 se
acham boje com os nmeros de 29 e 31
bem como por engao da typographia em
que foi publicado o edital no da 19 de de-
zembro do anno prximo passado, foi de-
clarado que a pra?a respectiva era no dia 21
de fevereiro do anno corrente, no entretan-
to que no original do mesmo edital consta
que a praca para o dia 22 do mesmo mez
de fevereiro, pelo que, e para evitar qual-
quer duvida requerem os suppl cantes a
Vossa Excellenca se digne mandar que nes-
te sentido seja feito novo edital aftixado e
publicado no dia da praca, e em outro qual-
quer anterior a elleassim pedem Vossa
Excellenca deferimento e espera receber
merc. Oprocurador Joaquim Canuto dsSan-
t'.Vnna.E nesta petico dei o despacho
seguinte. Sim, Recife 1 de fevereiro de
1869, Aftncar Araipe. E por forca deste
meu despacho, o respetivo escrivo interi-
no fez passar o presente edital, pelo theor
do qual mando, que ten ha lugar no dia 22
do corrente mez, a praca dos bens penho-
rados por virtude da execucao dos suppli-
rantes contra os'supplcados, constante do
original do edital j publicado, e com as al-
teracoes do presente, cujos bens sao os se-
gundes, a casa terrea n. 11 a praca da Boa-
Vista, por 4:000$ rs, a casa tetra n. 27 da
ra do Cotovello, por 3:000$ rs. e as ca-
sas terreas ns. 29 e 31 da ra Real por
?:3QO0 rs, cada urna.
E para que chegue ao conhecimento de
todos mandei fazer o presente edital que
ser affixado nos lugares do costume e pu-
blicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife
de Pemambuco aos 4 de fevereiro de 1869.
Eu, Manoel Silvino de Barros. Falco,
escrivo interino, o subscrevi.
Tristo de Alencar Araripe.
Vuizo dos feitos da fazetada de
l'cruamluico.
Faz-se publico a quem convier e inte essai- pos-
sa, que Ando o praso de tres mezes a eontar de 24
de dezembro nltimo, se bao de vender em hasta
Sublica, celebrada na cidade de (oyannr. e na villa
e Itamb, perante o sobredito juizo, as ierras per-
tencentes ao extincto encapellado de Itamb, cons-
tantes do edital de praca, publicado no Diario de
Pemambuco do citado dia. Os que pntenderem
tancar a praso, conforme o art. 4 da lei de 6 de
setembro de 1850, devero apresentar-re com seus
dadores habilitados, sendo as flaneas prestadas ad-
ministrativamente e com todas s fonnalidades
das flaneas flseaes nos termos das instt uews de
30 do dezembro de 1865.
O escrivo,
Luiz Francisco B. de Aln\eda.
DECLARACOES.
= Pela recebedoria de rendas intem;.s geraes
se faz publico que neste mez e no de fevereiro
prximo futuro, que os contribuintes da taxa dos
escravos do exercicio jrrente de 1868-69, quer
moradores nas freguezjas da cidade, qu fra, teem de paga-la, livre da multa de 6 0/0, c
com ella de marco em diante.
Recebedoria de Pemambuco 8 de jineiro de
1869.
O administrador,
Manoel Carneiro de Souza Larda.
A adminislraro do correio dosta cidafle faz
publico que desta data em diante recebo assgna
turas#30* por anuo pagas adiantadas, e no cor-
icio, e que os sonhores assgnantes recebero mas
correspondencias e jornac somonte no correio, na
conformidade dos avisos.
Correio de Pemambuco 18 de feveoelro de 1869
O administrador,
___________. Domingos dos Passos Miranda.
Nauta Casa da Misericordia do
Rectte.
A Iliina. junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Rocifo manda fazer publico que na
sala de suas sessdes, no dia 25 do corrente, pelas
quatro horas da tarde, tem de sor arrematadas a
quem mais vantagens oITcrecer. polo tempo de um
a tres annos, as rendas dos predios envleguida de-
clarados :
ESTABELECIMENTOS DE CARIDADE.
Ra da Alegra.
Casa terrea, n. 7, por anno.............. 300*000
Roa de Hortas.
fcja do sobrado n. 41, por anno........ 120*000
Ra da Moeda.
Primeiro andar do sobrado n. 37, por anno 76*000
Segundo andar, dem.................. 96*000
Areai do Forle.
Casa terrea n. 1, por anno.............. 100*000
Ra do Padre Floriano.
Casa terrea n. 43, por anno............ 170*000
M Beco das Carvalhas.,
Casa terrean. 5, por auno.............. 151*000
Ra da Imperatriz.
Casa terrea n. 68, por anno............303*000
Ra da Conceicao.
Casa terrea n. 5, por anno..............249*000
PATRIMONIO DOS ORPHOS.
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 100, por anno ,........201*000
dem n. fe, idem....................201*000
MOL 0
Ra do Rancel.
n "
302*000
Casa terrea n. 56, por ano .!
Ra da Madre de Deus.
Casa terrea n. 12, por anno............ 780*000
dem n. 6, idem .. ..................480*000
Sitio n. 5 do Forno da Cal, idem ........ 150*000
Rua do Cordoniz.
Casa terrea n. 1, idem.................440*000
Rua da Gloria.
Casa terrea n. 25..................... 144*000
Os pretendentes devero apresentar no acto da
arrematacao as suas flaneas, ou comparecerem
acompanhados dos respectivos dadores.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, l. de fevereiro de 1869. Ocscnvao. .
Pedro Rodrigues de Srmza,
i nspecco do arseual de
marinha.
De ordem do Exm. Sr. presidente da provincia
se faz publico o edital abaixo transcripto, relativo
a remocao do pharnl collocado nos baixos de Bra-
ganca no Para.
. Inspeccao do arsenal d marinha de Pernarabu-
co 17 de fevereiro de 1869.
O inspector.
H. A. Barbosa de Almeida.
EDITAL.
De ordem de S. Exe. o Sr. conselheiro presi-
dente da provincia, faco publico que lendo-se re-
movido a barca pharol da posicao annunciada por
edital desta secretaria de 2 d Janeiro" prximo
passado, acha-se ancorada a niesma barca em
quinze bracas d'agua em fundo de areia Una, e ao
norte do cotovello do baixo de Braganca na dis-
tancia estimada de una c meia milha da fralda do
dito baixo, demorando-llie a ponta da ilha da Ti-
joca ]>or 13 sueste c a da Curuca por 45 tambem
sueste, e na latt. sul 33' 27" e'na long. oeste do
meridiano Grew.-47 40-47'.
Os navios procedentes de leste que demandaron
a barca Pharol, logo que estejam leste-oeste coin
ella navegarao ao rumo de oeste, verdadeiro, pas-
sando ao norte da dita barca, e logo que a tenham
montado navegarao ao sudoeste.
Secretara do governo do Para 8 de fevereiro de
1869.=0 secretario interino, Joao Brigdo dos San-
tos. ConformeO olllcial-maior, Raymundo Al-
vos da Cunha. ConfereAntonio Annes Jaromc
Pires. Confen=Campos. Conforme, o secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
O administrador da recebedoria de rendas
internas geraes declara que tendo-sc concluido o
laucamente do imposto pessoal do exercicio cor-
rente de 1868-69 das freguezas de S. Jos e Boa-
vi-ta, tica marcado o praso deste mez e de marco
futuro em que deve ser pago o referido imposto,
sem multa, d?.s sobreditas freguezias, como deter-
mina a ordem n. 17 do ministerio da fazenda de
30 de Janeiro ultimo.
Rocebedoria de Pemambuco 19 de fevereiro de
1869.
,, _____Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
reFgm
Relacao das cartas registradaa viudas da Europa e
existentes na administrauo do correio desta ci-
dade para os senhores abaixo declarados :
F.lomeno de Simono, Francisco Antonio Ote-
ro, Francisco de Simone, Francisco de Paes Bar-
reto, Francisco Pungilore, Guiscppo Butaferoca,
Goram Lacorozza, Nicola Lambaglia, Phipps J.
Enders, Pasquih Lughihnino (2).
Aviso aos navegantes.
Capitana do porto de Pemambuco 17 de Feve-
reiro de 1869.
Em virtude da ordem de S. Exe. o Sr. presiden-
te da pmvinca, manda o Illm. Sr. capitao de mar
e guerra e capitao do |>orto, publicar- o edital
abaixo transcripto, relativamente, a remocao do
pharol collocado nos baixos de Braganca n'aquella
provincia, tonl'onne solicitou S. Exe. Sr. couso-
Ihero presidente da provincia do Para.
EDITAL.
De ordem de S. Exe. o Sr. conselheiro presi-
dente da provincia, faco pulvco que tendo-se re-
movido a barca pharol da posicao annunciada por
edital desta secretara de i de Janeiro prximo
passado, acha-tf ancorada a mesma barca era
quinze bracas d'agua em fundo d'areia fina, e ao
norte do Cotovello do baixo de Braganca na dis-
tancia ultimada de urna e me-a milha d fruid do
dito baixo, demorando-lhe a ponta da ilha da Ti-
Ca por 13. sueste e a do Curuc por 45. tam-
ul sueste, e na lat, sul 33' 47." e jia long. oeste
do meridiano deGrew. 47" 40a 47".
Os navios procedentes do leste que demandarem
a barca pharol, logo que estejam leste oeste
cora ella, navegarao ao rumo d'oeste verdadeiro,
passando ao norte da dita barca, e logo que a te-
nham montado navegarao ao sudueste.
Secretaria do governo do Para 8 de fevereiro de
1869. O secretario interino Joao Brigdo dos
Santos. Conforme, o olfieial maior Raymundo
Alves da Cunha. Confere, Antonio Annes Jaoo-
rae Pires.Confer, Campos.
O secretario da capitana
Dedo d'Aijuino Fonceca.
Personageiis.
Suzana Hcrner.....
Diana Mcndcs. '.
Lucilia. ...
A denconhecida.
j^Brarahladc (medico). .
CBBfcl (criado do doutor}.
Gilberto D'Artinas.
Honorato de Ogorac. .
Maltiuriiio......
Moretto..... .
Roberto. ......
O presidente Montbrison. .
Sr. Duvernais. .
Um criado......
Cainnonezcs, moco*, raeirinhos ete.
Em Bordcaux 1852.
D fin ao espectculo a nova comeda em 1
acto
DOl'S I A rflltOIClS
Personagens. Senhores.
Pomelo, tambor mor. Thomaz.
Bacquet, tambor.....Martinho.
Brgida........Apolonia.
Um caixeiro......Guimares,
Em Argel 1860.
Principiar as 8 horas.
Senhores.
D. Julia.
M.Velluti.
Apolonia.
Clelia.
J. Augu>to.
Martinho.
Fd nardo.
Primo.
JordanL
Thomaz.
Sania Rosa.
Jos Victorino.
.Gtumai'es.
Flaviano.
AVISOS MARTIMOS.
Para o Porto
seguir com a raaor*brevidade possivel a mui ve-
leira galera portugueza Nona Fuma II, por j ter
a maior parte da carga engajada : para o resto e
passageiros, aos quaes offerece excellentes com-
mudos : trala-se com Cumia limaos 4 C., rua da
Madre de Dos n. 34.
Para Lisboa
O brigue portugnez Laia I, capillo Vieira, vai
sahir com muita brevidade, por ter a maior parte
da sua carga prompta; para a que anda Ihe falta
e passageiros, trata-se com Oliveira Flhos 4 C.,
largo do Corpo-Santo n. 19, ou com o referido ca-
pitao, na praca do Commercio.
IftiSILElRA
M
Paquetes a vapor.
Dos portes do sul esperado
at o dia 23 do corrente o vapor
Guar, commandante o primeiro
lente P. II. Duarte, o qual de-
pois da demora do costume se-
guir para os portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder condiuir, a qual devera,
ser embarcada no da de suacbegada. Eneommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sua saluda as 2
horas.
Nao se recebem como encommendas senao ob-
jectos de pequeo valor e que nao excedam a doas
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medie lo.
Tudo (pie passar destes limites dever ser embar-
cado como carga.
COMIWNHIA PERNAMBUCANA
DR
Havegaco costeira por vapor.
Macei, esalas e Penedo.
O vapor Potengi, commandante
Pereira, seguir para os portos ac ima-
no dia 3 de marco as 5 horas da tar-
de. Recebe carga at o dia 2 as 3 horas da tar-
de, encommenditj passageiros e dinheiro a frete at
as 3 horas da tarde do dia da saluda no escriptorio
doFrtedoMattoan. 12.
HL
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DR
tfavegaco costelra por vapor.
Goianna
O vapor Mamauguape, com-
mandante Mello, seguir para o
porto cima no dia 26 do corren-
te as 9 horas da noite. Recebe
carga, encommendas, passagei-
ros e dinheiro a frete no escriptorio do Forte do
Matos n. 12.
Baha
Para a Baha sahe dentro de seis dias a polaca
italiana Sara, quem quizer na mesma aproveitar
carga entenda-se com o consignatario Joaquim
Jos Goncalves Beltrao, rua do Trapiche n. 17,
CORREIO GERAL
Relac3o das cartas registradas existentes
na administraco do correio desta cidade
para os senhores abaixo declarados :
Dr. Amaro Joaquim daFonseca Albuquerque,
Dr. Alfredo Teixeira Mondes, Antonio Bernardo de
Souza, Antonio Pires Ferreira, Antonio Pacbec >
Soares da Silva, Betefon Ribeiro da Fonseca, C.
Nodelino, Elias Baptsta da Silva Ramos, Erasmo
Jos de Mello, Frederico Chaves, Francisco Canuto
da Boaviagem. Julio Cesar de Alemn. Joviniano
Pereira Duarte, Joaquim do Andrade Lima, Dr.
Joaquim Ferreira Chaves, Joaquim Pereira Duarte,
conego Joaquim Pinto de Campos (2), Dr. Joaquim
Pires Machado Portella, Dr. Jos Pinto Jnior, Joao
Ramos, Jos Lucas Ferreira, Moreira 4 Primo,
Manoel Ferreira Lima, Manoel Gomes Vegas, Dr.
Manoel Jos Domingues Codiceira, Dr. Manoel do
Nascimento Machado Portella, Manoel Ribeiro d
Carvalho, Narciso Francisco Vidal (2), Theodora
Maria da Silva Pinto, Viconde de Camaragibe, Dr,
Vicente Pereira do Reg.
msiusfflA
DR
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at o dia 28 do corrente, o vapor
Paran, commandante o capitao
de fragata Antonio Joaquim de
Santa Barbora, o qual depois da
demora do costume seguir para os do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever.
ser embarcada no dia desuachegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at as duas horas do dia da
sua sabida.
Nao se recebem como, encommendas senao ob-
jectos de pequeo valor c que nao excedam a duas
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medican.
Tudo que passar destes limites dever ser embarca-
do como carga.
Previno-se aos Srs. passageiros que suas passa -
gens s se recebem na agencia rua da Cruz n. 57,
Io andaar, escriptorio de Antouio Luiz de Oliveira
Azcvcdo 4 C.
Para o Maranhao
A barca portugueza Despique II, de primeira
classe, forrada de cobre, sabe tora a carga quo-
houver nestes 8 dias : a tratar na travessa da
Madre de Dos n. 10.__________________
Para Lisboa.
Segu com muita brevidadi a barca portugueza
Gratidao, tem grande parte da sua carga promp-
ta : para o que aiuda Ihe falta e passageiros, tra-
ta-se com Oliveira Flhos 4 C, largo do Corpo San-
to n. 19, ou com o capitao na praca do commercio.
Para Lisboa
Vai sabir com muita*fcresteza o brigue portu-
guez Constante II por ter grande parte do ^u
carregamento prompto : para o restante e passa-
geiros, trata-sc com Oliveira, Filhos 4 C-, largo-
do Corpo Santo n. 19, ou coin o capitao na praca
do commercio.
WMPAHIA PERNAMBUCANA
DR
lavegaco costelra por vapor-
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara.
caty, ('ar.-i. Acarac e Granja.
*",?! y O vapor Ipojuca, commandante
Ak^ Martins, seguir para os portos cima
_B__B no dia 3 de marco p. futuro as 5 ho-
ras da tard. Recebe carga at o dia 2, encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at as
2 horas da tarde do dia da saluda no escriptorio
do Forte do Mattos n. 12.
Maranhao
THEATRO
S. ISABEL.
EMPBEZA DRAMTICA
* recita de asslg_atura.
Quarta-feira 24 de fevereiro
ESTBEA DOS AMISTAS
Srs. Martinho Correa Vasques e Eduardo
Alves da Sirva.
Segu com brevidade o palhabote Joven Arlhur ;
para o resto da carga que Ihe talla trata-se com os
consignatarios Antonio Loiz de Oliveira Azevedo 4
C, rua da Cruz n. 57.
Para
Parauo indicado porto
palhaboc Rozita, por ter j
e para o resto que Ihe falta lr
signatario Joaquim Jos Go
do Trapiche n. 17.
poneos di
parte da carga
hse com o con-
ves Beltrao, rua
Para o Porto
Segu 9em demora a barca portugueza Novo
Silencio, por ter grande parte da sua carga promp-
ta, para o resto e passages ao quaes offerece
excellentes commodos trata-sc com Oliveira Filho
4 C., largo do Corpo Santo n. 19 ou com o capitao
na praca do commercio.____________________
Para o Porto
Segu com muita brevidade a barca porgueza
Ilarmonia, para a carga e passageiros trai
com os consignatarios T. de Aquino Fonseca 4
Primeira representacao do drama em 5 actos de C, roa do Vigario n. 19, Io andar, ou cora, o ca-
lar. AccJBougesB, I pitao na praca.
? -
_
**



i
M
Diaria
de
Pernambuco
Segunda
feira 2*? de


Fevereir
de 186S

t*
'
Para Usboa
o brigne poituguez hela$migattm
(lias, [.mu a e;rp;i pi-nmpt eUn
aageiros trata-se r Aquii.. Konseca A I'., mi eoin o espito tul
Para oFofto*
seguir dentro em poucos dias a barca portogueza
Amelia, do 1 marcha, por ja ter mais ele dous
terco* de sua carga prompta; para o pouco que
IheTalta e passagciros, aos quaes offerece excelleu-
tes eomirotdos, tratase com Baltar, (Miveira & C,
na ra do Vigario n. 10.
Com ranila brevidade segu para o porto indica-
do a barca portugueza Belem, capitn J. J. de Frei-
tas, a qual tendo a maior parle fio carregamcntc
prompto, recebe o resto a frete, para o eme traa-
se noescriptorio de Aiuoriiu Irmaos, roa da Cruz
numero 3. *
CaMPANHIA PERNAMBUCANA
.\avesttvi stelra por vapor.
Maeei em direitura e Puncdo.
4l7|v O vapor Jiignaribe, coinmandau-
^ftl- te Mount, seguir para os portos aei-
-J**^^rf na no dia ti do correntc as 3 lloras
la'tarde. Recebe carga t o dia 20, wiconi-
inendas, paaengeiroa e dinheiro a frce ata as i
horas da tarde do dia da anida no escriptorio do
Forte do Mallos a. 11
ro,-1 mednlhao-drtwm, mi e*ix&i> > folba para
rena, dinesas paca? de roupa usadas, un ro-
^^^^Bf tiros, i musa*, fi bancas, 2 consolos,
O cjaiein* com a^sefw ataiui-ariWpareV, 1 iiiarque/.a. 1 mor-
puefco, 14 Bsoxo^ fcacos,quadros, ceJheres, fo-
hpoawgOTafae, protus, machina do fazer caf, ban-
deijas, garrafas u"e Vinho do Porto, vinagre em
barril muto outros artigos proprios de hotel.
(Juarta-feira 2i do correute.
0 agente Martins far leilao por autorisaclo
Illm. Sr. vice-cnsul de Mespanha, dos move e
ronpa cima pertencenles ao espolio" do Btibdtfb
hespahliol Jos Filiune Martins, na ra estreita o
Rosario n. 2-1, as 41 horas do dia cima.
LEILOES.
LEILAO
De naiudezas c fazendas.
A z."t do eorrnto.
O agente Olivcira far leilao por conta e risco
Se quem perteneer do molhor sortimento de miu-
dOM as mais proprias pan eslbeleciinentos
desta nrdam e do mercado, inclusive ferragens li-
nas e obras de latan, assim como de oatras fa-
zendas que sero vendidas sein limitaco de pro-
cos c cuja cl.'usMlicacao se torna desnecessaria,
vt to tereiu de sor previamente examinadas pelos
I tendentes.
BOJE
as H lioras da manha impreterivelmente. cmseu
oscriptorio ra da adeia n. i, primeiro andar,
por cima da armazem de fazendas do Sr. Barroca
LEILAO
de
fazendas deterioradas .
94 do rorrete.
O agente Oliveira far leilao, por couta e risee
de quem pertenec-, de algumas eaixas de chitas
de coborta em mo estado por deterioramento prt
prio, viudas recentemente de Liverpool no vapor
I* Plata.
QUARTA-FEIRA, 2i DO CORRENTE
s 11 horas da manha em ponto, em seu escripio-
rio a ra da eadeia n. i, 1" ailar, por cima do ar-
mazem do fazendas do Sr. Barroca.
i i
AVISOS DIVERSOS.
Precisa-se de um caixeiro
saiba desempenhar o seu lugar
gel n. 67._________
liara taberna que
: na ra do Ran-
LEILIO
De i. barrls eom bauha de por-
co e l O jaeazes com tonel-
uno.
BOJE
O agente Pestaa far leil > por conta e risco
de quem perlcncer de 2* barris com banha do
porro e 10 jsanos com loucinho em un pp mais
lotes no dia cima as 10 horas da manha, no
armazem do Annes, largo da alfandega.
II:bx De O eaixas can eai\inhas eom
peras seeade 4 eU libras
HOJE
O agente Pestaa far leilao por conta e risco
fle quom perteneor de eaixiabas com peras secas
nmito novas deaemb uvadas a semana linda, em
lotes a vontaV hoje as 10 horas da manha no
vnnes del'ronte da aliando".
LEILAO
De
f % eaixas eom baealho
grande.
O agente Pestaa far leilao por* conta e risco
de quem perteneer de 17 eaixas com bacalhai
grande : boje as 11 horas da manha no Annes
defronte da alfandesa.
De 34 saceos com feljo.
Terca-eira 23 do correntc.
O agente Pestaa.far leilao de 74 saceos com
leijo era mu ou mais lotes no trapiche do baro
do I.ivramento no dia cima as 11 horas da ma-
nha.
Jjfli.lT.AO
DE
';ii carro americano de 4 roda?, coberto, com
lancase arreiosnaraan e dous cavallos.
fin cavallo proprio para carro.
Um burro gordo, man.-o e propno para sela e
carro.
Quarta-feira 21 do correntc a I hora da
tarde.
Por intervene) do agente Pinto. Na ra do
Mondego por occasiao do leilao "dos movis da ca-
sa de residencia do Sr. Til unaz Adamson Jnior
Ir movis. lou A SABES :
Um piano de armario, mnamobilia de acaran-
di com lampos de pedra maimore, 2 grandes
espelhos, quadros com finas gravaras, eandieiros
-,12 cadeiras italianas, rpete grande (for-
ro de sala i, 1 relogio, 1 guarda roupa, 1 guarda
vestidos, coramodas, espelhos, lavatorios, camas
yin colxao, 1 eadeira privada. 1 jogo de bagatel-
la, 1 mesa elstica, l guarda ouc, t ap^raores*
1 quartinheira, 12 cadeiras, 1 Sof de amarello,
lauca para di c jantar. garrafas, ropos, garfos,
1S eeollieres. i urna de electro piale, 1 galbei-
teiro, 1 sateira, 1 excaUesta togao americano, 1
I ite treni de cosinha, II indres, i machina de lavar
roupa, frtretas em conservas, 2 eaixas de vinho
muscatel e muitos outros objnetos.
<|narta-feira S4de ferereiro
Na na do Colovello (Boa-Vista) casa nn-
mero 1 A.
O ag oe Pinto aulorisado pela Sr. Thomaz
nson Jnior cnsul dos Estados-Unidos, far
I lilao dos movis e mais objoctos cima dcscip-
t is existentes em casa de sua residencia ra do
Cotorello n. i A, (Mondego) casa pertencente ao
Sr. Dr. Jacobina.
A- lo l > horas da manha partir da piara do
cominercio um mnibus (gratis) para transporte
.lis eincurrentesao leilao, o qual principiara as
10 3|'i horas em ponto.
De um rok'giode ouro patente, 2cadeias de ou
ESTRADA DE FERRO
DO
Eecife ao S. Francisco.
AVISO
O superintendente faz publico que existindo na
estaco de Cinco Pontos ha mais de tres mezes,
dous atados de carne seca, urna barrica com bola-
chinha de araruta, urna dita com baealho e um
sacco com feijo, sero vendidas no dia t'.i do cor-
rente as 10 horas da nnnha de conformidade
com o art. 76 do regulamento.
Villa do Cabo 20 de fevereire de 1869.
G. O. Mann,
Superintendente.
Irmandade doSenhor
Bom Jess dos Fassos
na matriz do Corpo
Santo.
Tendo esla irmandade de esprcm solemne
jirocisso a imagem de sen Pauroeiro no dia 12
ilo mez vindouro, com aquella pompa e brilhan-
tismo que de costume, tem a mesa regedora re-
corrido aos numerosos devotos deste Senhor, aiim
de concorrerem com as suas esuiolas ; e nao es-
tando a par de todos olles, e mesmo pelas distan-
cias de suas moradas, a mesa regedora Ibes pede
que qualquer donativo com que queiram concor-
rer, dituar-se-ho entrega-lo ao irnio jirovedor o
Sr. Marcelino Jos" Gonc.alves de Fontes, ra da
Cadeia n. 2, ou ao thesoureiro Bernardo Ferreira
Loureiro ra do Amorim n. 44. Outro sim, nc-
nhunia pessoa se acha cncarregada para tirar es-
molas de capa com salva, cmo consta irmanda-
de se apre.-entra no dia l'J do correntc mez um
individuo assim caraelcrisado, pois os nicos en-
carregados dessa misso sao os cima menciona-
dos e os que a elles se juntaren) para formar com-
missan.
Aluga-se urna escrava de 13 annos para
servico interno de casa de familia : na ra d
Impefailor n. SO, 3" andar.___________
AFrblco"
O ab.iixn assignad), liipiiilatario da extincti fir-
ma de ltibeiro & Irmao, julga-ao quites para com
os credores a referida firma ; porm se alguem
se julgar credor aprsenle sua conta no praso de
oito dias, a contar desta data, aflu de ser confe-
rida e paga. O inesino abaixo assignado roga aos
seus devedores, tanto da extracta firma de Ribeiro
& Irmo, como seus especiis, que. venham saldar
os seus dbitos no praso de 30 dias. leudo de ser
ajanado todo aquello que o deixar de fazer no
praso improrogavel aqu marcado. Hecife 22 de
fevereiro de 1869.
Francisco Jos Lniz Ribeiro.
Vai praca terca-feira na audiencia do juiz
de paz de Santo Antonio, arma^o e alguns objec-
tos dt fonUetm, por execucao corara Marcos Co-
mes da Silva, sendo a luja na ra estreita do Ro-
sario n. 17.
Attengfto
Utna pessa que sabe ler, escrever e con-
tar, su offerece para caixeiro de escriptorio
ou mesmo de ra. Os prelendentes dir-
jam-SP a na &,\ m- e "atril! n. 16, Io andar.
i'icci>,i->e ue i m rap i. uv io airaos, u.uiao-
fc preferencia portiquez, para caixeiro de una
taberna, que de conheemen i de sua con lucia, ao
qna! nao se duvida dar nneresse caso entre com
algum capital: ni rna Direita n. 09.
Bom negocio
para quem quizer ganliar di-
nlieiro sem ter trabalho.
Adinitte-se quem entre com l:."J0para socio
em una eoxeira que se acha beni montada nao s
ile bons carros de passeio conio de cavallos e, to-
dos os necessarios : 'quem este negocio quizer
fazer dirija-so a ra larga do Rosario n. 22 loja
do Sr. Vianna que indicar com quem se deve
tratar.
JIIUITA
Tendo-se recebido novos vestuarios bor-
dados para anjos de procisso contiiitiain a
ser vestidos com elegancia : no Recite rita
da Cruz n. 48, segundo andar, e na lloa-
vista ra da Conceico n. 17.
Para cozinha
Precisa-se de una pessoa que coziuhc bem : na
rna do Crespo n. 23.
---------^--------Z.--------*---------------------------------------------_________________
= Aluga-se um sobrado de um andar na ra
destapiares ou Lobato n. 3. tendo 2 sala?, 3
quartos, cozinha fra, terraco e bom quintal, ca-
cimba meora : a fallar na ra do Imperador, so-
brado n. 2, entrada pela de S. Francisco.
1 I-TU'
FF*CfAdI^
XAROPE DE RBANO IODAGK)
O'farope de Ra>ano iodado de Grimatilt e C*. pharaaeewfees de f. A. I. principe
Mapttelo, em Paria, preparado eom o anee* das plantos enii-esearbnucu cuja efneaeia
mu popular.
Encerr o iodo como comWnaclo orgnica, e 4 canaidarade eorao o melhor saooedaoeo
do oleo de ligado de baealho.
A rara perfeiclo d'eate prodaeto anima-nos a dar a eonhecer aqni a opinile de alcona
d entre os principie) medico de Pars, qne diariamente o prescrerem.
0 JCarope de Tiabano iodado nm medicamento Vnm effeite snare e segar para a
c medicacio dos miniaos, nia smente auppre oleo de figado de baealho, mas anda fu
a as suas vezes eom vantagem.
D' A. CA2ENAVE, medico em che fe do hospifl SamtrLou, em Pars.
0 Xarope de Ratana iodado nm medicamento de prinuira ordem para o tratamento das
a affeccoe* ljrmphatioa e escrofulosas. Hnitas vezes, empregnei-o com feliz xito, encera
a casos de tsica ao sen principie, como snecedaneo do oleo de figado de baealho. >
Dr A. CHARR1ER, antie chefe de cnica da Faculdade de Pars.
a 0 Xarope de Rbano iodado sempre nos deo cellenias resultados como regenerador
a do aangue, e succedaaeo do oleo de figada de baealho. >
D' A. FAVROT, auior do Traite de maladies des femmes.
a 0 Xarope de Rikano iodado nm do mais poderosos modificadores das constituieoes
lymphacas. Temo visto nlceras escrofulosas me nada pedia curar, cicatrizarent-se,
grecas a sna acciie, eom promplidio extraordinaria. Tambem, pelo sen nao desappawcem
a aa affecedes tuberculosas dos ossoa, nos meninos.
D* GESNARD, antigo externo dos kosfaes de Pars.
a 0 Xarope de Raiman iodado possne todas as'Tantagens do oleo de figado de beoalhJo,
a sem ter nenbnm dos inconvenientes qne aprsenla este ultimo medicamento.
Dr GUIBOUT, medico dos kospitaes. Presidente daSociedade de medicina de Maris.
a t Xarope de Rbano iodado de Grmanlt e C" eneena 4r2 por eento de iodo, na sna
a composico organisa anloga que se acha no oleo de figado de baealho.
D' KLETZINSK1, professor de chymica, lotwado dos trbunaes de Vienna.
Deposito em Pernambuco, em casa de ttamm a O*.
ig^=&ns^=EjMns^^i^
80FFRIMENT0S DESTOMAGO. CONSTIPAQAO-
Cura em ixiucos dias pelo canvio oc billoc em p ou em pastiluat.
ENXAQUECAS; NEVRALGIAS. lasas ffeccaes rio di-
slpidas i-apidaniante pelos KR0LA8 OETHtfi UUTU.
ANEMIA, A PALLIDEZ e os sofTrimertos que necessiUmda
mprego dos ferruginosos rio sempre conbatidos com o melhor resultada
pelas pn.11 as OE vaLLSV. Cada Piluta tem incravado o norae ItLUI.
PO DE ROG. Basta dissulver uin frasco deste p era mata
garrafa d>ua para se ohtr urna limonada ajraclavel que purga sem h-
ter clicas
VINHO OE QUINIUM i* UUrrave. Este vinho. um dos
poucos cuja coniposicao garantida constante, urna das melhorw pre-
paragdes de quinin<, sem ac^io notavel sobre os convalcscenles, daodo-
Ihos rorcas e apressande i rolta a sauda. Cura as febles antigs que re-
sisti ao sulfato de quinino.
MOLESTIAS DA BEXIGA. A maior parta d'estos moles-
tia;, cerno as ^citicas, lombagos, catarros, a todas as dores nervosas em
gera! rio curadas pelas PEROtAS DE CSSEMCIA de THEDEBENTINa do
Dr. d.-riari. O professor Trousscau em seu Trote! de Vitrapeulict acon-
selh.i as pera seren tomadas na occastio do jantar, na dote de 4 a 12.
OLEO OE FIGADO DE BACALHAO DE BERTH.
Garantido puro e de primeira qualidade, um dos poucos aprovados pela
academia de medicina.
AVISO. Todos estes mdicamentH foram aprovudtt pela Academia
imperial ie mediana de Paris.
DEPOSITO
ataa Parla, U rstEBE, I, r J.ofc
lloxuiri i Ptrnanbuc. Iisasa et O.
1 Caara.....Mtoau et O.
lUo-Jemetr.
Painmaiiir ;
Te
fes. **"'
5JI t C<*.
pinaianH
/\f< AirTTiTPi^iQ cm t0l*as as Part'?s ^ mon,'0i empregam, eom o maior xito,
Uo 1t1 JtiUILivJOj o phosphato de ferro solnvel de Leras, para curar a chlorosis
(cores paludas), as dores do estomago, e a exhaustac&O de saague; com esta preparacao, do
ao corpo o vigor, e s carnes, a sita firmeza natural; facilita o desenvolvimento tao labo-
rioso da puberdade. Com cffeito, tudo, n'este medicamento, se acha reunido para lhe
assegnrar o maior crdito, pois que entram, na sua composioSo, os elementos dos ossos e
do sangue. 0 seu autor, M. Leras, doutor em sciencias, pharmaceulico, professor do
chymica, inspector da Academia, foi, recentemente, condecorado da ordem da Legiio da
Honra, digna recompensa dos seus importantes trabalkos.
As seguintes apreciacocs dos mais celebres mdicos ainda vem corroborar e justificar
todos ests ttulos contianca publica :
c Precisa dassificar o phosphato de ferro solnvel entre os ferruginosos (rae melhor
a convem aos doentes cojos oreaos digestivos supportam mal as preparares de ferro.
S0UBE1RAN, professor na Escola de medicina e de pharmacia.
c 0 phosphato de ferro solnvel em qnanto a mim, a melhor das preparacees ferrngi-
c nosas, e o seu emprego d os mais premptos e seguros resultados. >
ARAN, medico do hospital Sainte Euginie.
c A forma liquida do phosphato de ferro soluvel d-lhe nma immensa vantagem sobre
as pilulas; eu considero este medicamento como mui superior s preparacoes iodadas.
ARNAL, medico de S. M. o Imperador.
Entre todos os ferruginosos, nSo conbecemos um sd qne obre lio prompta e efficazmente
< como o phosphato de ferro soluvel, e isso, sem cansar o estomago. >
BELL0C, BAUME, BIG0T, F0LLET e PRfiVflff, mdicos dos hospitaes.
c Os effeilos da preparacSo de phosphato de ferro soluvel me parecem ser mni segaros
e promptos. > BEB0UT, redactor em chefe do Bullelin thrapeutique.
Entre todas as preparacoes ferruginosas, o phosphato de ferro soluvel foi a qne sempre
me deo oa mehores e mais satisfactorios resultados. GUIBOUT, medico dos hospitaes.
0 phosphato de ferro solnvel tem, sobrelndo, a vantagem de evitar a constipacio e
convir aos temperamentos delicados, a Dr FAVROT.
Deposito em Pernambuco, em casa de Maurer e O1.
BROU
Hyglrnlra lulalllvel e Presrrtatlva, absolutamrmu a umra i|uecura kiu nenmun auViiv. v i 4
nai principai-s bolica do mundo. (Eligir a nMrucca* do uso). (10 asnos de xistancia.) 'aru, em ca
da inventor a BOU. boulcard Maenla. 110.
RUAfj
IDO
CABUGI
esquina
[da ra larga do
Rosario.
fi *
Sob urna forma lmpida e agradavel, este medica-
mento rune a quina, qne o tnico por excellencia,
e o ferro, um dos principaes elementos do sangue. E'
adoptado pelos mdicos mais distinctos de Pars, para
curar as cores paludas, facilitar o desenvolvimento
das meninas e restituir ao corpo os seus principies
alterados ou perdidos. Faz rpidamente desappareccr
as dores d'cstomago intoleraveis suscitadas pela ane-
mia ou pela leucorrbca, s quaes as seuhoras esto
tantns vezes sujeitas, regularisae facilitaa menstruaco,
e receilado cora successo as criancas paludas, lym-
phalicas ou escrofulosas. Emfim, excita o appete,
favoieco a digeslaO, e convem a todas as pessoas cujo
sangue est empobrecido pelo trabalho, pelas moles-
tias, as convalescencas longas ou difficeia. 0a bons
resultados nunca se fazem esperar.
Deposito em PiJrmMnftttco, em casa de ataurar e O*.

3
<
O ph

w Q "O
gfl
"2 % Ja ?
'f. C i
tfl a; O dj
S"g
tu
8la.
en C S = >
O C ~
W O ~
o itP
s i*fi
Oo g o
2 S f
s
,S-rcs-i a
6 g S 2
a-i
2, fe t O g
c pico
i= p c o
liiFS
- I c 3 -
S i S 2
4^ re. u s s
j=-C^ =
-%
r-SO S
1
O
Lindos cortes lie cassa de cor rom narra,e cora figrino indicando o molde do vesti-
do pelo baratissimo preco de 3500 o corte
Ditos de percalia muito modernos com dnas saias a S&OOO ris
Na loja das Columnas da rna do Crespo n. i 3 de Antonio Correa de VascoE-
cellos C.
GRANDE HOTEL

DO
BRASIL E PORTUGAL
Situado em um dos bairros mais centraes de Paris, sendo as inimediaces dos
principaes theatros e outros muitos divertimentos, e assim das estaces dos caminhos de
ierro para todos os pontos da Europa, acabado de ser inteiramentc renovado, nao st
tendo uoupado o seu novo proprietario a despezas para seu completo embellesamento e
aceio, torna-si portanto vantajosanienle recommendavel aos senhores brasileiros e por-
taguezes, a onde encontrado sempre aquella convivencia desejada em paiz estranbo.
por ser constantemente frequentado por seus compatriotas. O tratamento superior a
todo o elogio, mesa redonda, ou a carta, ou servida nos apozentos; habitarles conve-
nientemente despostas para familias, e quartos para urna s pessoa, o servico feitu
com a precisa regularidadc : os presos muito rasoaveis e ao alcance tambem d aquellas
pessoas que se queiram limitar.
Gabinete de leitura com os principaes jornaesdos dous paizes, salo de recepeoc
de msica, etc. etc. Todas estas vantagens podem ser applicadas igualmente aos senho-
res passageiros das repblicas do Prata, porque alm da scmelhanra da lingua, ali en-
contraro muitos senhores hospanhoes, por quem tambem esta casa 6 bastante fre-
qtientada.
PHOSPHATOdeFERRO
LDB LERAS DOUTOR EM SC1ENCIAS.1
INSPECTOR DA ACADEMIA DE PARIZ Et
Dcbaixo da forma d'um liquido sem sab6r.
anlogo a urna agua mineral, este medica-
mento rune os elementos que constituem
os ossos e o sangue. E' o mais racional dos
ferruginosos; por esta razo o adoptarlo
os mais eminentes mdicos do mundo in-
teiro. Convem muito s meninas de temperamento delicado, cujo desenvolvimento tardo,
s senhoras que padecem d'cslas dores d'estomago intoleraveis, causadas pela colorse,
anemia, mcnsirua?o ou leucorrha, s criancas d'uma compleiolo paluda e delicada, e a
todas as pessoas que tem o sangue empobrecido pelas doencas. Efficacia, rapidez d'accO,
cura perfeila. sem constipacSo de ventre nem acc.o sobre os denles, taes slo as razocs que
imperio para que os senhores mdicos o preserevo aos seus doentes.
Deposito em Pernambuco, em casa de Maurer e c.
CAPSULAS VEGETAES
MATIC
DElGRIMAULT E Cl PHARMAGEUTICOS EM PARS
i/i
Estas capsulas, com capa de gluten, contem o balsamo de copahiba associado esseneia de
Matico (arvore do Per), e constituem nm remedio infallivel contra a gonorrhea. Ellas obrao
sem cansar o estomago e nSo provocan nunca oa enjooa e nanseas que occasiono as canaulas
ordinarias, tendo a immensa vantagem de nio communicar cheiro s onrinas. E por estes mo-
tivos qne ellas sao superiores s capsulas de copahiba, cu bebas, etc.
Deposito'em Pernambuco, m casa de Mauro C".
1^UA DE
Este importante estabelecimento n seu genero, tem sempre nm sortimento sem igual
Bnde por precfr tft nenhuma outra casa pode vender.
A yist da qualidade e do pre*?o das joias cada um pder-se-ha convencer daverdade.
Garante-s ser tudo dej le. Compra-se ouro', prata e pedras finas por presos muito ele-
vados.
rnq
A loja esfct-aberta at s 9 horas,da onte.
CABGA
esquina
da ra largado
Eosario.
TFtt
FVTTTT


IB
>_&

PlPJ[o de Penliibuco Segunda feira 22 de fevereiro de 1869.
"i
AMA
_ do Torres u. 16,1 andar;-precisa-se de
tona 300 engomme e cosiuba-para urna pes-
A &; Antonio Francisco Duanc qucira appa-
ecer na ra Direita a. 58, a negocio de seu inte-
Ettslno de arlthmctflca.'_,_,,._.
geometra. Srwr"x
iCharel cniaireito Case ___ _.__ r^in-.

is, eusina estas mate
an. 17, sita na
Pda manhaa
fazer exann
+XS W> primeiro andar
WeKa, das 7 i/2 as 8/
llores cstudantes que tfe-
- -m*, eollgio das artes, e das 7
as aa uoi ^m #>a\iores empreados no cop
aB#tasdo^a,,
rpDcam-8e
du Brasil e das raixas
,-oui deseo-lll0 lnUjt razoavel t>na praca
paen^ia n. j_.
No silio n. 1 da. rusaym, vende-so un
B''.,erava de nteia i(tle. _______
Megjo deS.Francisco Xavier
Estabeleoido na grande e bem arejada c?;aa
onde esjeve o Gjmnasio, na ra <\0 ijos.
picio n. 32, dirigido pelos lJaures da
companhia de,Josas.
O reverendo padre direct;^ ^ collegio scien-
liflcaaospaisdesejis (Unmos- dos domis qi\e
quBerem conlia>;.,M a educacao de seus ftl.aos,
que ao dia :(. ,IP fuvrtviro coniecarao a fuccionar
Todas ^uUs, sdMUKlo-sc aberias ja matri-
c__w. Rwehem'-se meninos de 6 a 12 anuos
"para seren insridos as materias, preparatorias
das facilidades do imperio, a saber, priineiras le-
tras c linfna nacional, gcegrapSia e historia, ari-
thawtic. e geometra, ingle, Yajiccz, (da-se i n fe-
riar c superior), latm, da-sc inlima, media e su*
praina, iso a pratira da-prosa e da poesa)/ a-1
ilMftmcnie humatida_l.so a introdnecao rhetor
rica, que comi-V-eDie os tratados do estyla-t da
elotacSoqucr cm presa qner ciu poesa nasduas
lngoas latina a nacional. A msica para danto
ra* para todos s iustrumentos de sopro e enr-1 fazer ntaisalgum rvieo do casa
das, assiin como as lingoas allemaa, italiano, gre- .^rfttur n. 7:1. 2" andar.
ga, ebraiea serio ensinadas pedido dos seuhores
pais.

(Iliaca,-
dalnde-
V
Precisa-se de unmcfl
externo de una casi i
do Itangel n. 33.
BARTHQtQM fr C.
*t I3-1

a para o servieo interno o
urna s pessoa : na roa
Efcriptorio
fljjjnos de Mattos InoAOs estao coin o seu es-
vrjjforjfabrlo na roe do Vgario n. id, Io an-
dar : prpoe-se a quahpaesr consigna*!, menos
de cfrravos.- '
H3U3.T0
Precitt-s.'il.' un menino i[ue saiha comprare
na nia.do Im-

3
PARAn$0L"HRKeo
P R K I'AH A DOS. S IMPLE 9.
Xarope de jombefe g'aWala': iSOOO
Vinuo de j uwbtftt fgyrab- 15600
Pilulas de j un beba vidro. l*ti<)0
Tintura de jurubba .vidro. 640
Extracto hjdrac(>0Hc de junibeba. 12$50O
PREPARADOS COMPOSTOS..
Vlnbo de jurubdba ferruginoso garrafa. 2$000
Xarope de jurnlx-.ba ferruginoso garrafa. f|000
Pilulas de jurubba ferruginosa vidro. 2o000
Oleo de jurubba vhlros. 640/
Pomada de ftirabeba pote .640
Emplastro .le jurabeba libra. feJoOO
l'AUA USO" EXTERNO
PA Jl'Rl BEBA

I

O
ob
Do xarope Vegetal iiaeiteano. es|irftalllale le Bartkofoatea A c.
34RA LARGA DO ROSARIO34
NSoxostumamos procurar attestados para acreditar nossos preparados, e dei-
.xaraos que sua applicago e os resultados obtidos pelas pessoa que se diguaram acceila-
los, Ihesdeem crdito evoga; porque sao sempre os attestados considerados gratuitos,
e dellcs que lauca mSo o charlatanismo; mas, nao querendo olTendcr as ptssoas qu*
. espontaneamentenoA offleTtJCIT'ai os que abaixo v3o transcriptos, os fajemos pobtear,
natiifestando-lhes rross gratWS pela atlenco, esperando que venham clles corroborar
oconeito,e acceitaego-que tem merecido nosso xarope.
BartholomeH & .
ATTRSTADOS
lllms. Srs. Bartholomcu & C com a mais subida satisfaco que declaro
ser o sarape Americano de urna efficacia extraonrNwirif, pois que siffnmlo lia dias de
. intensa tosse, ponto de nSo poder dormir a noite ;>. despeito mesmo de medicamentos
que tomva, a elle recorr e nterceiro collier fui alliviado, ede todo me acho lioje res-
tabelecido com o uso somentc de quasimeio frasco: grato, pois,f esse resultado mani-
"esto a Vv. Ss. meu econhecimento.De Vv. Ss. amigo, venerador e obligado.Ma-
-' 17

Rio de Janeiro.
Referios d'Almeta Pinto, advogado no
Rio de Janeiro e com escjjtorio de agen^
ea na ra dos Pescadores n. 68, cncaire-
ga-se de todos e quaesquer negocios judi-
ciaes e administrativos, rae rios e coininissoes rasoaveis e moderadas.
As pessoas que de seus serviros se qui-
zei-ein utilisai-, poderao dirjgir-se pessoal-
mente ou por carta ao cscripuio cima ou
a casa de sua residencia. Cllele n. 172,
acompanhados de todos os documentos
precisos e com indicacao da pessoa com
quem se possa tratar.
Paia mais informacies dirigam-se a bo-
tica da ra larga do Rosario n. 10, nesta
cidade.
=. Julio Kahn, no hotel Universo, vende libras
esterlinas mais barato do que em outra qualquer
parte._______^___________________
Ana
Precisa-se de urna aqu : na ra da (Jenefccao
n, 45. _I !
Precisa-se de urna aiua para eoiiubar e en-
gomniar em casa de uiu hoiuem solleiro : na ra
da Concordia n. l'i.
OITerece-se imia |iesoa para tratai- de um
sitio cratiitanienU',,*ppj-in com as eondyfi)es que
os prtendentcs \w*: a tratar na ra da Con-
cordia, taberna li. t. *&-
Antonio Yiegas Jnior.
; -. *m n ^- 4w Esta plmta U^e lecouhoeida-como o mais podeoso torneo, como,\mvexcel- tas. Srs. Bartliokmmu & lente desobstraente, e como tal appll.-ada nos etigorgilamontos-dOi/igado e baoe,na; ye aconselhar o uso do xarope Vegetal Americano, de sua eompQsIta'n, qnando me acha-
lumatitesfropria mente ditas, ou ainda torapficadas eonr anazarchas, as inflammacoef Va hastante docnte de urna constipacao, queme tornou completV-'le ronco e que
suqseqaentes as lebres intennitentes ou durezas, nosaheessosinternes, nos tinuO-s es- tl.ouxe lima folte t0SSC) e me mpossibilitou de cumprir os meus devens de canter da
peoialmente do teroe abdomen, nos tamores glanduiosos, na anazareba, ha,-? hodrfipe-ij eai^rezai iyrca, vou agradecer-lhes meu completo restabeledmeoto, quechtive ctm um
ziasieiysipellas ; e associada as preparaces ferruginosas, anda .de grande vantagewjg0 vllr0 0 mcsmo xarope, depois de haver recorrido a muitos tratain utos, in-.-t jare
n:w :iu.-iu:k i-hinrfi-M* fas ilo mPiisiriiacJfi. leiicorrheias. dcsarranios 2tnicos dft irt,lQ .
rl
mm
No aniiazeui .le Candido Alberto Sodr da Mol-
la liavessa da MaddeDeos n. ti, estao palen-
t.'< mais de de/, mil amostras de papel o mais lin-
do tille se tem visi.' nesta propicia, d.sde o mais
simples ate o mar* sumptaoso e piopno ira
gqarnifao e forro icreja (' sanctuariofc ueja v..ii|dade e belleza de
seos desenbos e alanzeos pflmorosaiiiente dou-
rados. O cust dssse artefacto o mais razoavel
powivel, porque alienas se sugeitar o Sr. presi-
dente a urna diminuta eomrissao alin do mdico
preco ponpie vende o fabricante em I'aris.
jfo niesino armazem de ('.andido Alberto ven-
de-se muito em eonta o seguinte :
3[uito bom farelo
Por Si o sacco de 120 libras. E' muito barato !
ptimo cimento
Por 10a a barrica de 1:2 arrobas. Nao ha que
tlizrsr. ff%V A *f _______
* Pede-se ao Sr. Manoel da Costa Pereira, prati-
eawte da reparticao das obras publicas, ora em
Jahoatao, que rompareca ra Augusta, sobne
n. 102, al'un de saldar o seu debito, ou pagar o
que pedio, c i Attenco! attencao!
Guilhermmo Rodrigues do Monte Lmala* sci-
ente im oficiaes de todos os corpas, que acaba de
rweber nm completo sortimento de espadas, ban-
das, talins, talabartes e cliarlateiras. o mais per-
lones \ssini eoni.i reeelieu taiulein ebancos de
oleanpa criadas, do copa alia- e kxa, um. Chaves*
eordao de oum on prata, e vende mais baratada Viseo.
que em outra qualquer parle, na praca da lude-
psnJencia n. 17, Junto a loja ilo Sr Arantes.
l'reeisa-sede inn criado para casado ho-
mem solteiro : a tratar na Camhua do Carmo n.
21, primeiro au lar.
Deseja-se fallar ao Sr. Feppe Antonio Tei-
xeira de Albuquei que, offlcial d<; descarga da al-
fandega a m-g.H-iode sen nteresse, e cuno nlo se
saiba-'a casa Se stia residencia, roga-Se de apptf-
recer na ra das Crines % das 9 horas da ma-
nUaa ao meio dia.
Precisa-i-c de una sma eswava que sailia.
cozinliar, engomniar e fazer, compras (paga-se
bem) : a tratar na ra da Cadeia do Recife n. 1.
armaiem._______________________________
Precisa-se de urna .cagonmiadeira : na ra
do Queimado n. 6, primeiro andar. _______
Precisa-sede mu preto esclavo para todo o
servieo : na ra da Cruz n. 1, primeiro andar.
)S I \1\UE
N.* 3UIA MREITA N. 3
As pilulas, o xarope alcohlico e
o ethereo de veame, conforme a
formula do linado pharmaceutico Pa-
ranhos, assim como a pomada con-
tra as inchacoes ensiplosas, acho-
se venda, na botica de Francisco
Antonio das Chagas ra Wreita n.
3, defronte do armazem de molha-
dos denominado viado branco. Es-
tes medicamentos teem sido e sao
dos mais enrgicos agentes auxilia-
dores da natuneza na debellaco das
doenr,as, serviudo de grande alivio
a humauklade saffredra, principai-
me.ite aquelles, que dispondo le
poucos recursos c nao podendo por
maitotempo permanecerem em um
I tratamento talvez intil, pela ineffi-
caciade cortos remedios, recorrer
efles ; e por isto asss recom-
mendad> se torno, para as pessoas
que offrem de rliumatismo, escr-
fulas, ulceras, impigens, erysipla,
tuiiiore6 ues ossos, tosse, asthma,
amenorrha ou suppressao-de mens-
trua e menstruaro difficil, sendo
porB usados conforme a direceo-
escripta que os acomdireha.
Ai iii;m '" de taheraa
com os 8fxs pertences, pesos e med das etc., ludo
em limito boiivestado e liropnio para algum prin-
cipiante : vende-se pnr imtade do seu justo valjo
Joaquim Jos 6on-
calves Beltro
RA DO TRAPICHE N. 17, 1. ANDAR.
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
jo do Minlio, em Braga/ e sobre os seguin-
tes ligares en Portugal:
Lisboa.
Porto. -
Valonea.
("iihniares.
Coimbra.
nasanemia's, chluj-oses, faltas de meastruaco, leucorrheias, dcsananjos atnicos,
estomago, iebhlade organk-a e pobreza de*sangue, etc.
0 que dizemos affiruuu o.s mais distinctos mdicos tiesta cidade, entre os.
qmOHiodeiuos lw os lllms. Sis. l)r. Silva Ramos, Aquiuo Fonseca, Sarment, Seve,
Pereira aoCVmo. Firmo Xavier, Silva etc. Todos elles roconlwcom a excellna d'este
poderoso medicamento sobre os demais at boje cohhccidos para todos os casos citados,
tanto.quc todos os dias fazem d'elte applc"aco.
Apresentando aos mdicos e ao publico em geral diversos preparados da juru-
belia, tiremos por (im gengealisar mais o uso d'este vegetal, fazendo desapparecer a
repugnancia que at boje sentiam os doerrtes de usar dos preparados empricos d'elle, e
mais da vezes repugnantes a tragal-em-se, e que tinham ainda a desvantagem de ao
ser calculada a dose conveniente a applicar-se, o que torna muitas vezes improcuo um
medicamento, que poderia produzir ptimos resultados.
Os nossos preparados s loram apresadas depois de bavermos conveniente-
mente estudado a jurubba, fazendo as experiencias precisas para bem conhecer as pro-
priedadts medicamentosas d'esta planta em suas raizes, fallas, finetas ou bagas, ea
dose conveniente a applicacao, tendo alm d'isto procurado levar os nossos preparados
ao maiorjjro de perfeioao possivel, para o que nao poupamos esforcos, nao nos im-
portando o pouco incro qae possamos tirar.
Por tario os que so dignarem recon-er aos nossos preparados podem tora
certeza de que elles offerecem a garanta, de que se podo encontrar, a prompta c infalli-
velcurt de qualquer dos soffrimentos, qite deixamos innumerados, se forera em tempo
applicaos, tendo alera d'sso, medico cu doente a vantagem de escolhcr as nossas ta-
adas |reparaces, aquella que melhor Ihe podeconvir, j pela fcil applkaco, e ja pela
complicaco das molestias, idade, sexo, ou ainda natureza de cada individuo.
As nossas preparacoes femiginosas sao feitas de forma que se lornam comple-
tamente soluveis nos suecos gstricos, porque procuramos oscompostos de ferro que
como ties estao lioje recouhecidos.
Para aquellos que mais minuciosamente.queiram conhecer as propriedades da
jurube|a, e saberem a anplicaeSo de nossos preparados, destribuimos gratuitamente
em nosso deposito u fo'.heto.. onde tratamos mais extensamente d'esta planta e dos
mesmo preparados. J '
Deposito geral de todos os preparados
itoiica c drogara
3iRalajga do Rosario34.
!que outros como eu recorram ao seu xarope para se verem alli\hules de tao li nivel
incommodo, lio fatal neste paiz. Com maior considerado contino a si r de Vv. Ss.
attento, venerador e obligado.Luiz Cremona.
Recife, 23 de setembro de 188.
Illms. Srs. Bartholomcu ti C.0 xarope Vegetal Americano que, Vv. Ss. teem
exposto venda de toda efficacia para o curativo d'astlima, conforme observa aepli-
cando-o a meu filbo Joaquim, menor de qualro anuos; victima d'esse flagello, que at
ento por espaco excedente a dous annos havia resistido a outros xaropes de giaude
nomeada. Queiram, pois, Vv. Ss. acceitar a expresso altamente sincera de meu reco-
nhecimento ao meritorio servieo que lhe prestaram com o indicado xarope, acredian-
do-me para sempre deVv. Ss. criado, attento c obligado.Americo Nelto de Hend m.a.
Recife, 2 deoutubro de 18G8.

aasusa
DE
.Ti

I'IAKOS

J. VlliNES


DOE3MGAS DO PITO
i\
Villa do Conde.
reos de Val de Voz.
Vianna do Castello.
Ponte-do Litas,
Villa Real.
Villa-Nova de Famalkfiw
Laiuego.
Lagos.
Covlhaa.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Beja.
Barcellos.
IJTIIilDADi:
[ Aos 500 pares de brincos.
| Chegou e vende-so no Coraco
\ dOuro, roa do Cabng, brincos de
maosmhas com urna franja penden-
te a um rico desenlio e ouro de
le, pelo pequeo preco de 155000
cada par. baratissimo.
CASA DA FOITOM
A^s 4:000i
Bilhetes garantidos.
A ra do Crespo n. 23 e casas do costume.
O aliaixo as*gnado tendo vendido nos seus
muito lelines bilhetes garantidos un ineio n. 336
con a sorle de 700, um meio n. i06 com a
sorle de 20 e utras muilas surtes de 100/,
i0 e 205 da lotera que se acabou de extraliir
em beneficio da matriz de Jaboatao (93.*) convida
aos possuidoies a virem receber seus respectivos
premios sem os descontos das leis na casa da
Fortuna ra do Crespo n. 23,
Aeliam-se a venda os da i" parte da lotera a
Beneficio da igreja de Nossa Sentiorada Boa-via-
pem tos Afogados(9ti) que se extralur sexla-era
26 do crreme mez.
Pre^o*.
Bilhete.....1*000
Meio.....2/000
Qnarto. .... 1*000
Em porra de IOS I para cima.
Bitnete, .... 3*800
Meio......1*7
Qoarlo, .... 87S
Manoel Martms Fiu/.a.
XAROPE d'HYPOPHOSPHITO
CAL
A efficacia d'esta preparacSo est eslabelecida desde 1897, pelos mais celebres medico*. Desde
eni&o muas imilagdes tem sido feitas, mas nenhuraa poude sustentar a comparacao com o
producto apresenlado pela nossa caza. Por isso excitamos o publico para que exiga sempre
este xarope com urna beUa cor de rosa, nunca branca, e com a nossa assignaiura i roda do
frase.
Sub a sua influencia, a tosse cilma-se, os suores nocturnos cessSo e o doente volve rpida-
mente sade. 0 seu emprego o umbem os mais brilhantes resultados nos defluxos, catar-
rbos, bronchiUs, irrlacSes do peu). ele.
Deposito em Pernambuco, em casa de Maorer O.
I
UAKAllS&iMU
Calcado jiaeional, na fabrica de osd Vicente
todinio & C, ru.i do Jardm n. 19, avisara aos
-eus freguezes desta capital do interior, que con-
tinuam a fabricar calcado em alta escala, e olfe-
j rcenlas inelluires _'ondic,es, tanto em preco como
jm i|ualitladc. Os proprietnrios deste estabeleci-
mealu chati wun a attencao dos seuhores eniisuiiii-
dores do interior, i|ue os quizerem honrar cotn
~ua freguezia, especlicando em seus pedidos a
lualidade e numera cao, offerecendo-sc para os en-
tregar bem acondicionados em casa tle seus cor-
respondentes nesta'.iraca. <|i
WIARIT1M0S
lOVriUKM.d
A Companhia In4emAisadora,estabelecMMl
oeala prat;a, bima-s*gro6 martimos sobre
turos e seus carregamentos e contra ifogo
edlicios, mere adocias e mobiliasi aa
ra 4o Vigario n. 4, pavimento terreo.
Os cinc bilheWl da otaria B6 a beneficio da\
im-eja a N S. da Boa-viajeM J "?- *97- *.073,
W,'2C88 o :t49, pi>rtea<'D aos, SM. Hicardo
Wlttig, Mmoel Gnes Muains, do Aracaty, e ficam em poder do abaixo
^sif^ado.
tMUMweo Mm-Ihw de Amoriin.
No /ollegio ta Conceicao precisa-se de urna
engommadeira perita
COMMEDORIAS
l'iepara-se almo;o e jantar em urna casa
particular de familia, na ra estreita do
Bosario n. 35, sobrado.
Precisa-se alugar um moleque ; na ra do
Catugm. li.
AVfOMO EPAM1N0NDA8 DE
MELLO tem o seu escriptorio de
advegada ra do tfjueiraadojn. 8,
f andar.
mm
PreHsa-se de um moleipiel* 12 a 14 annet
para servieo externo : na ra Diivita n. 79, loja.
Na ra do Livramentd n. 10, loja, preciBa-se
ic una ama que cozinhe liem
Os baix* asignados scMMtfleam.ao corpo
<-,ommeiTial desta praca, que" tem dlssolvMo nestai
data a societlaee que gyrava na razio social de
Magalhaes & Coellio, na padaria da ra da Praia
h. $7, e no deposi ida ra eslraita do Rosar ni
t, Jkando a liquSacln do artrvtre passivo a cargo
Cerera de Magalliaes Jnior exonerado de toda e
qualquer responsabilidade, e erabolcado do seu
rapal e lucros. Recife 13 de fevereiro de 1869.
Manoel Pereira de Magalliaes Juuior.
Bernardino Pint todli
Comida para to
Com lodo o asseio e proniptidio, bem prepara-
da c adubada, dando-sa louca uro. e" laadando-se
levar Has tinas que qnizer* ; na nu estrca do
Rosafion. 19, 1 andar.
Da-se 1:000,5 a premio com hypotheca em
fcein de raz de dobrado valor nesta rrdade: na
ra Nova, loja de ferragens o. 31.
Carpinteiro Filho & Sobrinbo sacam por to-
do os paquetes para Hespanha e .qara os portos
softiintes :
Orense.
(>lanova.
Poenteareia
Tuy.
Ponte-Vedra.
Redondeia.
Vigo.
Santiago.
IVedsa-se de urna inulbrpara encarregar-
se de andar com urna enanca de poucos roezes de
nascida, e assim de sua roupa : a tatar na ra
da Cadeia do Recife n. 5, loja.
ESCaiPTORIO DE ADVOCACV
ORa lifga do-Rosarhy0
0 arhogado bacbarcl Ayres de
Albuquerque Gama tornou a abrir
Jio seu escripiorio n ra larga ik)
Rosario n. 20: onde pode ser pro-
curado, qualquer hora, para to-
dos os misteres da sua proQsso.
Frederico Maia
Cirurglo dentista pela escola
de medicina
de lulo de Jaaelro.
T.'m honra de participar ao respeilavel publi-
co desta capital eseus snburbio, que tem abierto o
-i-u iraliint't> de i'ni.siiltas e operaedes dentarias a
ra Direita n. 12, primeiro andar, onde pode ser
Srucuradoi,dos os dias das 8 horas da manta as
.da tarde. Elle aeba-se competentemente habili-
tado para com perfoieao eolloear denlos artilleiaes
por quakmerdo systenvis, e bem assim dosempe-
nhar qnalquer outro trabalho concernente sua
protissao. O mesmo, recowheoendo que nom sem-
pre p9ssivelssenhoras ou criancas sahirem a
procf.jr o remedio, offerece-se a remover qual-
quer obstculo, declarando que na cidade se prea-4-
tara qualquer chamado sem que issoihOna cou*a
algumana'eommodidade dos presos de seus traba;
Ihos, e. quand'1 para fra delta assim mesmo era
precedido de um ajuste rasosvel, garanlindo elle a
segurancae perfeioao de seus ditos iraballios. Km
seu gabinete se encontrar constantemente expel-
iente pos dentifrieii, elixir e outros nedieamen-
U alaL\o assi^nado ruga a-> auiundades pe-
lieiaes ou a qualquer oulra pessoa que apprelien-
uam a escrava com. os sgnaes abaixo declarados o
se dignem manda-la entregar ra da Roda 2
andar da rasa n. 17ou ra do Imperador n.
12 em seu t artoiM, Raymunda, cabra, do>22 an-
nos pouco mus oh in-iios, estatura ordinaria.
bastante robusta, cabello carapinbo, tientes claros
e perfeitos, ps regulares c perfeilo <; com a mi
esquerda alteada, em 3 dedos. Fugio vestino
urna saia de chita escura, corpinho branco e cha-
les cor de bonilla ja um pouco desbotado, consta
que vaga em companhia de um soldado pela na
Imperial, Cabanga e outros lugares circumvn.
anos.
Joaqun) da Silva Reg-.
N. 55RA DO IMPERADORN. 55.
Os pianos dista antiga fabrica sao boje assz conliecidos para seja neeessaria
insistir sobre sua supeiioridade, vantagens e garantas que. offerecem aos CGjnprr.dores,
qualidades estas incontestavers, que elles tem definitivamente conquistado sobre lodos
os que tem apparecido nesta prata; possuindo um teclado e maclnismo ijiie obedeetm
todas as vontades e caprichos das pianistas, sem nunca falliar, por si rem fabricados
de proposito e ter-se feito ltimamente mdlioramentos iniportantissimos para o cuma
deste paiz; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas e por isso muito agradareis aos
ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como nado Sr. Blon-
del, de Paris, socio correspondente de J. Vignes, emcuja capital foram sempre pn mia-
dos em todas as exposices.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um explemlido e variado sorti-
mento de msicas dos melhores autores da Europa, assim como banaontcos o iiianos
harmnicos, sendo ludo vendido por procos commodos e razoaveis.
RLA LARGA DO ROSARIO N. 37
Este acreditado estabelecimento augmenta
de dia em dia quanto possivel para che-
gar ao cuine do bem viver.
Alm dos saborosos manjares confeccio-
nados com o melhor asseio, tem bellos apo-
sentos de hospedagem, tanto para urna s
pessoa, como para numerosa familia.
A agua, indispensavel elemento para a
vida e hygiene, temo-la sempre cm abun-
dancia para facilitar excellentes bandos.
CHARLTERIA E TETIT MSTAUIAAT
Annexos ao Hotel Central, ra estilita do
Rosarlo n. 4 A, andar terreo.
Para dar a conhecer a variedade infinita
de charutos de Ilavana, Baha, Rio, ele que
i \i>tem neste novo estabelecimento pres-
cindimos dos annuncios pomposos que ge-
ralmcnte se fazem, reduzndo-nos apenas
tres letras que sao tres bbb bom, bonito e
barato. A' vista do genero annunciado po-
de-se julgar de nossa veracidade. E.-ta casa
GRANDE HOTEL
DE ORIENTE.
Inaugurou-se este commodo e elegante
estabelecimento d'onde os seus frequenla-
dores podero apreciar a especialidade jia
confecgo dos gneros alimenticios.
As bebidas sao as mais primorosas e re-
c ominen dad as.
A decencia e bom servieo primara n'esta
casa no bello gosto oriental..
Mandam-se domicilio comedorias, tanto
avulso, como por assignaiura mensal. Os
precos sao mdicos e convencionaes.
Ha urna espacosa e bonita sala para o
elegante jogo de bilhar.
Ha tambem aposentos pommmodos e bem
mobilhados para hospedagem.
Ba larga do Rosario
n. 44.
Prectsa-se de um caixeiro para urna loja ue
laiendas, com praliea ou sem ella, para ir para
Alaga-nova, qiietenha li a 18 annos de idade :
a tratar na ra da Cadeia do Recife n. 35, loja tle
Alfredo de ('..
tos odontalgieos
andar.
ra DireHa n. 12, primeiro
AIuga.se wm 2" andar de uor- sobrado do
Caes do Hamos, e um 3 da ra da Praia; a Ira_
tar na ra da Inineratrit n. 63 2 andar.
Precisarse alugar, para o servieo ex-
terno de urna cata, urna preta e om preto,
escravos, nSo i exigindo que tnham h*
bilidades. a traUr na ra do Crpo n. 8
Ama.
Precia-sc de urna ama de meia idade para
comprar e eezinhar para urna familia de penca*
pessoas : na na Bella n. 3.
Ata*a-*e o annsem da ra das Cruees-n-
36, proprio para qnalquer estabelecimento : a
tratar com fose Heiulque* da 8ilva. a chS se
acham Tialrija f. marcinelro efroiHe do" mesmo
para quem o quizer ver.

t.iosrapbla e tnnerz
O bacbai'el .FraBsco Odetou.TavaK*.Lima lo-
iona particularmeiite trance .-e ftefrapha no
pateado Terco n. 33, e ah pode ser procurad
por aquellas que quizan! estndar es mesaio pre-i
pmtorios, das .1 as 7 hars "da tarde..
Instrucco primaria
A abaixo aseiaja/la competentemente babitada'
recebe rua-di^Artigao n. fi, meninaa pa o en-
sillo de primeiras latas e de costuras aasegura o
melhor tratan**, deiHeeae e mures peles
aluunna. Refleae tamben peaNontatts e meiaa-
pwwteilstas, taato .la cMade come do-exterior,
loseplia Augusta de Castro Fonseca.
O solicitador Ignacio Barroso de Mello, mu-
dou sua residencia para a ra do Caes do Capi-
baiibe, casa terrea nova com portao de ferro ao
lado.
Ensino de philosophia
Tobas Barrlo de Mnezes ensina phfioso|iha,
aa rea Direita n. 88, Io andar poueudo para
isso ser procurado das 9 horas at meio dia.
TBILHOS URBANO*
DO
Eecife a Apipucos.
Para maior eommodidade dos passageiros o
tnm que pasalrano Montara as 9horas e 25 mi-
nutos da note, passar as 10 e 3S, em qu nto
durarem as novenas de Nossa Senhora da Con<
amelo qoealii se edetora.
Ha tambem urna boa bibliotheca e perio- gosa tambem das condicoes de um elegante
dicos nacionaes e cslrangeiros, piano para e pett restaurant onde se pode ver a es-
recreio, billiares, etc. etc. pecialidade dos fiambres e salames de Lioii
Sendo ociosa qualquer recommendago para lanches e at fazer una boa (olaco,
para to acreditado estabelceimento, opiit- juntamente com os principaes vinhos da
timos mais prembulos, fazendo ver por mercado, sobresahindo entre o bom a pura
fim, que o bom servieo, ordem e moralida- e fervenle champagne, o mui saboroso Rhe-
de-imperara n'esta casa, como-observancia- no, a primorosa cerveja, o licor espirilueso,
fiel do regulamento qae possue. o quanto pede urna mesa. Faz-se noute
Comedorias a la carie. soneto e variedade de refrescos.
55-RA DA IMPERATR1Z-55
O proprietaro d'este importante estalielccimento tem a honra de participar
ao respetarte! publico que tendo fgido d'esta pruea a pessoa que se aehava na sua ge-
rencia, elle contratou para sua casa um perito oflicial que foi por muito tempo o pri-
meiro oficial da importante casa Sulingre do Rio de Janeiro ; por isso espera o annun-
ciante que todos Otario satisfeitos tos seus trabalhos, visto, alm d'isso, jiossuir no seu
estabelecimento as machinas mais aperfeicoadas para ungir e lustrar de que se faz uso
na Europa, e .achar-se tambera prvido de rande quantidade de drogas escolhidas.
sempre de priman qualidade e fomecidas pelas casas especiaes de Paris.
Tinge-se, lava-sc e limpa-se com a maior perfeicao fazeudas em pecas oa
em obras de qualquer qualidade que sejam, taes como 15, algodo, seda, touquiu.
pennas, chajios de feltro e de Manilha ou palhinha de todas as cores, etc. etc., a
tambem tira-se nodoas e limpa-se a secco sem niolhar os tecidos.
Os seuhores negociantes, logistas e particulares expenmeiitem que lodos
acharo proveito e vantagens.
Tintura preta tercas c sextas-feras. ^__^___
ATTENCAO
bscTipiorio da emnpanha 19-de fevereiro. de. ^
taas.
W. Rawlinson,
Gerente
Ama deJeite.:
Aluga-se urna ama de leite serava com filho
A*da se feudo a taberna da 'ra dos Co-
pares a. 14 e tambem a da roa do Fort 3 n. i-
AO
86Ra das Cinco Fontal-86
Thomaz Jos de Oliveira & C. avisa aos seus freguezes que foram, tanto destarra-
ra como do centro da provincia,'que i-egi-eastu do sua viagem Europa no fim dede-
zemJiro prximo passado, ese acha estabetecido com um armazem bem sorlido demer-
ceara-(volgo moldados) dobons gneros, e por procos commodos e garantindo qu;dida-
de, pezo e medida, nos gneros comprados no seu armazem ; portanto pede e rojra
que nao deixern de lhe dar a preferencia.
"TRANCA-BRASIL
MliJIERGER, alfaiate franeez, previne ao respeitaret puMic e a a?ue numerosos frega-
res que, tendflMraasferido sua residencia para a ra do Trapiche*n. 7. primeiro-andar, am encontrara
sempre todas as.i|ualidades de faiendas paraUrajos de homem, e prepara costumes para moatarhrd
senhora. Faz tambem obras para militare? enara criados, para as quaes lem grande sortiment de
bolfies simplW9>rt',*-'*-'-,>ra de eoade, Jiancos e amarellos. Recebe por lodo os vapores o
uuinos (iguriao* para benem, senherae e meninos. ^
f*
TtTttTtl
t ClGARFOS INDIANOS
WooCANrVABIS INDlCAj
PMisiIt [[ j.ii iiiiijuipumjimuwtcttoI iivui1
\.GBIM1 ..PARS*"
Todos os meios at hoje preeontados cooica a astbma nao tem, sido mais do om palliatiTM
debaixo de todas aa formas, tendo por base a aaikdena, o estramonio oo opio, lfeceaies expe-
riencias feitas era Allemanha, repetidas em Franca e na Inglaterra, tem provado qoe o cnamo
indio de Bengala possue as mais notareis propriedades para eombaier essa temivel afteccao,
assim como a tosse nervosa, a insomnia, a tvsica laryagea, a rooquMIe, extinec4o da tos,
a aa navraliriu (mfiaM R' n/A MunJi inO 01 KKB41 qu< tfitM
tmpartsi de 1
i, a tvsica
e as nevralgias fsciae. E' pois orno apoio-da sck_
ouem pra&sar,^inja^ea praaa-da tadaBsaiaawa- ^ com 0 ^^ Ttimmdu Udiaa.qHaos pmmm
numeren____________--------______ j f Jhfmit esa P*mm*m,-*m mm
L



Diario de Pemambuco Segunda feira 22 de Fevereiro de 1869.
ft.s,.
--------------i i. a i
~
^
-

A

Grande liqfuido de niudzas !

Alfonso Moreira Temporal, querendo liquidar as miuuezf euafttates era sna
a n. 55, resolveu annunciaf rs ttmom middOKisiwra qae 0 pu*
loja na to Queimado
blica se certifique do dimiuulo preco porqueras est vendendo.a saber:
Massos com grampos 25 a .
Pecas de tranca lisa e caracol a
Sabouetes de todos os procos a
80 160 200 e.....
Abolladuras para coletes a .
BotSes d louca para camisas, a
Garrafas Pagua Fforida (venia1-
deira) a......
Frascos com agua de Colonia a
320 e........
Garrafa de tinta roxa a. .
Gaixas com 100 enveloppes a.
Mantas de seda para homem a
Fita de sarja para enfeito de
vestidos por......
Frase com oleo para cabello
a 400 e.......
La para bordar, libra. .
Escavas finas para chapeo a .
Ditas para cabello a 320 e .
Ditas muito finas para fatos
par preco nunca visto 100
300 e........
Pecas de babadose entre meios
a 600 800 e .....
Gravatas de seda de cor a .
Ditas pretas a 400 e .
Bico e renda das Ibas a todo
preco. So a vista faz f .
Pecas de Atado coz com 10 va-
ras a
0 Latas com graxa, duzia a
iO Coques muito bons com rede s
a rede val ,
210 Meiaspara homens boafazenda-
3A) a 3*600 e......
ICO Linha de marca, cata com 46
novellos
i ,51000
400,
800
500
8O0
600
600
6,^00
320
300
600
U000
320
300
480
1*500
4J0OO
1
Latas conHNpba (fomilito), duzia W200
240
1200
500
500
Frascos com batrha a 390 400 e
Botes para punho fazenda boa
a 80 o....., .
Tolta de Aljofre cousaboa Ido
Fitas para debrum de vestido a
Caixa com agulha franceza a
Botes de acopara colotednzia a.
Cartio com allmetes a .
Caixa com perfumaras muito
lina. S a caixa val 10J00O
12*000 .......
Cop com opiata muito fino a
400 e ..... i .
Meias muito finas para senhora
duzia........
Cartas francezas a*200 e .
Ditas portuguezas a 120 e .
Caixa de linha do gaz branca 50
novellos.......
Frasco com tinta a 100 e .
Franja de la parasapato (peca)
500
160
120
{00
13*000
500
3*000
240
200
600
106
1*000
4*090
Papel de peso muito bom
Sapatos de tranca e ostros mu tos, arttgos, queenfadonho seria mencionar.
RA DO QUEIMAUO N. 55
Pilulas ass
Fen
)granho da casa, fnipi
premiado u diversas exposi-
ca*i. iiipenal
v
-.itf*WBJi..

[rgrw
&tt

NAO CONTEM NI.M CALOMELANOS NEM NEJjHl'M
OUTBO MINERAL.
A grande i. ecessidade e falla de um ca-
thartico ou de urna medicina purgativa, ha
100(TiMiito que tem sido sentida, tanto pelo no-
vo, como mesrou por meio da facuhlade
medica; e por ifso iufiuito o gusto 8
prazer que sentimos, em podamos com
tuda a coiiaiH-a t de^i idawie, reeoairnendar
as itltiUis mjtim mnncar(tdas de Dristol,
como urna excedente medicina purgativa, a
qaal encerra un si todas as paites e mais
ingredientes e perleito, seguro e agradavel cathartico de
familia. Este remedio nao comfosto
dessas dragad ordinariamente usada* na
composieao dessas pululas, que por mi se
vendem, mus siin, sao preparadas com as
mais finas e superiores qualidades ie rtwes
medicinaos, hervas e plantas, depois de se
haver chimicamente exfrahido o separado,
os principios activos, ou aquellas paites
3ue contem o verdadeiro valor mcdiciiial,
aquellas porces lilmtsas inertes e ages-
tis inteiramen e di-slituidas da menor viitu
de. Entre esses agentes activos ou ingre-
dientes especilicos, podemos notnear a po-
>Ii/n/Ih, a qual segundo a experiencia
lem demonstrado, possue um poder ornis
maravilhoso possivel sobre as rcgies ido
figado, assim como sobre todas as seee-
cocs biliosas. Isto de combinacao con: o
(itmihin, e mais Iguns" extractos vege-
tat c drogas alluiueiife valinsts. consti-
tuoa e l'omiam urna pilla qnircjativa. tor-
: por sso inuilssHuo superior,
qualqucr urna' oulra medicina. da raesun
natrtreza, que jamis lora .a^rescntado ao
piiblko. .U litaras vegetaes omt'cfaias
de Ih-iai^l, achar-se-Iilo semprc um rene-
.
A 66 CJ1MA156
A aguia branca tem-se fcilo ta oinliccida e i
acreditada, no*) s pelas uovidades, variedades, su-
wrioridade c abundancia do seu sortimento, como
pela constante eommodidade de scns prwos, e mes-
tno pelo sea assaz e nunca olvidado agrado c since-
idade.
Essas verdades cont.istaveis sse sem duvida
preciadaa pelo bollo sexo em particular, e pelo
respcitavel piiblic em ceral, e a tanto Kffl chegado
que ostao qnasi pr.ssanuo como annexiin ou pro-
verbio. <|uando se ve um objecto de elegancia,
gosto, novidade, etc., etc., diz-se logaaquelle ob-
jeeto s.,-ra d'ivida foi comprado ua loja d'aguia
"branca.
Quando no c!bJ, nos bailes, en no salao do
Santa Isabel, um excellenlissima se aprsenla
garbosamente trajando, trazeudo o moderno cinto
de mui larga fita, lisa, chatnalotada, ou escossesa,
as suas admiradoras dizem wmsigo aquella fita
foi comprada na loja d'agiti branca.
Quando MR 'xcellenti*iia, rio menos gaj-
osa, nioslra o rigor de seu han orto na acertada
escolba dis enfeiits de alta novidade que beHa-
mente oruam seu vestido, ainda inesmo as rivaes
de sua syimatlihi confessaatqnea*iuclles enfertts
foram da loja ('aguia branca.
Quando n'ontra excellentissinv., apezar da s-
ge>lleza de en porte agradavel, U vm as bonitas
luvas de pellica duqueza as tas bellas ami-
gas louvam-lhe o gosto e cotifessain queaquetlss
luvas orata da <>ja d'aguia branca.
Quando mesma du&3 cellentimas, anteas
amigas de eoflegio, se encootram aquelle* loga-
res, depois dos-fcumprimeiitos doieciproeos beijos,
mbias por fo'oade su elevada trffcadoza, gausan
caz, pra
sejam as segninte?.
I ivsix'wa, ou, indi-
-lao,
\(6trin?ercia,- iw,.
priso do \ entre
Imliitital,
que querendo i>or simesma jastillcar dizcra simal- .^ ,i0 S|,miartrt .-,
taneaiiiente- vade que este clieiro Ibhpmpra- A/J j' u P
do na loja d'aguia branca. liatUkJWJJ, ,
Alada mal. Pew* do api**-
uma a outra os agradaveis d*eiros de qu< usam
em scus Unos lencos, e cada urna das quaes orgu-
wsas pelo elogio do arerto de sua esolha, Va sua photflgrphia ra do ^abtfg u.
W, entrada pelo pateo da ma:riz tira retra-
to,s por toilos os systemas pbotogiapliicos.
Km porcelana Km \1dio
Em talco Em papel
'CLVRT ES DE VISITA A9> A DUZIA.
- I'crdeti-se do pateo do Collegio pela ra do
Queimado, ra do C.abuga at a ra Nona, um
estojo r-t dtaaft-ittVama<< ;i#*qBaes tem no- eabn
,;s letras iniciaos H. A. II, de Almeida, roga-se a
possoa qao as aehou leva-la- ao arsenal do rna-
riiiii.i em casa do ao mtador do mesmo que ser
l'iu tiraiilicado.' j t( }
biulicir* nrealo
N;i i ;;a d.is Ti mcheirtfl tS, t" andar. ,se dir
liieru tdiii pora dar. __
AVISO.
abai.xo assignado, proprietario do eneenho
I)ella-vi>ta, no termo de Uarreiros, reg a tetas as
autoridades |xiliciaes c capitaes de campo a ap-
prebensao dos escravos segumtcs : Luir, Cabra,
Os retratos cartce^ritite sao wdterto* ,&,, se(To, sem denles na frente, os ossea no ros-
era cartao de luxo bristal ou porcelana, to bem salientes, ps bem feitos, faltando as unhas
dourados ou litbographados, cuadrilongos dos ded. s grandes e mais algumas, falttnt,;' com
ou vinhetas para oque bxiste urna varleda- ;,';1wv;,si,elas ** % ,;Illr,,,,: Kl[<,m">
j. F, H n j fula, corpo regular, pes bem ledos, principio de
de de l modelos a escolha rie quein se re-! birl)a nas slli^aSj e'falta a Ullha do dl.(tll ,,..,,,
tratar. Para as outras espides de retratos do p diraito, com todos os (lentes e com Marcas
temos caxinhas, passe-par-touts, quadros; N^llliis de chicle, de 30 i 3S anuos, o segundo-de
e molduras douradase pretas cnssoirtas de Hf "d u?09' osl"aps 5Pram com destino a
ouroe alfinetes simples1 e com pe* p* J3ES .aJSrS SffJKH
cosas, havendo nos alfinetes urna mimosa qaem os levar ao lugar cima mencionado, ou em
variedade de foitios. Alogjades, pateo da matriz, em casa do 8r. ioa
0 nosso eslabelecimento p1w^pb^lS^toyateaf0 aoDrdeles,d^ "ll seu
Joao Cavalcanti de Alboqaerquc Mello,
est sempre cm dia com os niellinramentos
eprogressos qu na Amerf*a do Norte, na
Europa ou no Rio de Janeiro se consegtie
na arte photographica, e para alcanrarmos
tal fim nunca poupamos despezas nem sa- i
criflcios, do sorte que os nossos numerosos
freguezes podem ter a certeza de que sem-!
p encontraran em nosso estabelecimenlo ^ ^ilTSZ^iTJSf^A
ludo quanto a arle camoda olferecer de:,-oriente mea, e finio elle serio ellas entregues a
bom no novo e velho mundo aos amantes] mu procurador para cobra-las judicialmente.
da photographia. ___________
= Na ra po Kangel n. 41, 2" andar, precisa-
se de una ama de bons costuros para o servico
interno do urna casa de pouea familia.
Para a qiiaresiiia
Xa ra estrella do Rosario n. 13, sobrad*
VIH i LOTE
l'reeisa-se de una ama
Aurora n. 20.
de leile ; na ra da
de
Mojo stimo dia de seu fallecnient<>.
Jos Antonio Bitenrourt, Anua Jnaipiina Silvci-
um andar, fazem-se flores de todas as qualidades |
paraornnmeuto de igreja, altar, andores e Fenol- j
ebro, inclusive arcos, palmas e rosas, e ludo quan- i
to for cpueeriicntc aos s;u;ros actos ; assim como
preparsm-se para fra rom a maW presteza (|ual-
quer i'coinmeiida este genero ; entro sim tm-
belo -e facen i Boles Hiimosas ]inpnas para eiil'i-
ianWtldos, saiaW-* capacetes- de. anjos, i mais
barat* que em ofttra quabpier parle. \ mesBu| ra Bitencourt, Angelo Bitencurt, Hhria Joaquina
casa, se eneontr;im ia preparados e proinptns a.isiqueira Bitencourt, ausentes, baeharel Franciseo
venda o scguinte : iros ramos ,],., seda cnt<-itao$| jos,'. Cardoso Guimariim, Francisca Amelia lli-
a pamimTio mi Tf--.res ,ie cera piv.pnos para do- teIu.0Urt Cardoso, ausentes, Leopoldina Augusta
BiIMgo de ItainoS) v*ltaseulviladas ncauwuie. bor- Bitencourt, Mara EmHia-Slvefra Biten.wirf ai-
dadas a ..uro. papuas para bagados, can.cUasda tena HercuUao Silveira Bssone, Joaquim Au-
dlO piompto, ,iO!|UW>- enMnoutemente QU-| ll res |ttra i.i.niiMSonoivas. Akiu disto ie en- uist FVrruira Jacobina, major Francisco Jos
a Ctira de'moleslias, taes cano i cumlin do preparo de bandeas de bolos linos Silveira, Anna Joaquina Silveira, Jos Jarintim
eiifoitadas do eon&iniudadc ao Inu a (pie se iJeW- Silveira, lente-coronel Joaquim Jos Silveira,
na, quorseja#waca.-ainemo*, quer para Kules ; Bibiana Augusta Martins Silveira, Martoel de-SS
fazem-Uiubem vestidos, para aquaresma ou oulra suza, baeliarel Manoel Joaquim Silveira e Elisio
qualquer que se precisar com a ntaior pioiuptidan i Alberto Silveira, cordialmente agradecen) a todas
****w^ ____________as pessoas une se dignaram aeompanliar ao ce-
. J. iliiBa P**r ,v, iveT.'hilit iriTaM ",i,l'rio P"1)'i('0 fi alli Ma'stiran as exequias .pie
r'1 *c Hzeram ao cadver de seu muito presado e
e primo
Jos Francisco Silveira Bitencourt, rogando-Ibes
10 CAMPOS
28 = Ra do Imperador=* 28
KM tyO&Q K A YAilEJ
Charutos de diwsas ni los \>< m
acreditarlos fhbrlcantts, Costa Jrmos c
Manoel da Costo Ferrara do (Sao Feliz).
Farirma da trra muito boa, k& rete a
saca #
Miraguaia do Rio Grande do Sol peixo
secco de superior qnalidaMlc a -540O a ar-
roba.
Congro e ruivo de Portugal, em barris e
liliras.
Camai".es seceos, do Mnranho. em libias.
Latas com pcixc em con: erva sendo :
Salniom, Lagostas, (Dstras e oulias aiuitas
qualidades, a saber: Porluyuvzes. Ioglezes,
Americanos, Hospaiilies, ele. etc.
O Campos anda una v.v. vem ter a
honra de lembrar ao pesneitawol publico, as
muito excellentes auardeiites de Lima Pv-
rati, o Tiquira de .Maianliiio. por vir-llie a
idea que se aproxima o lempo invenios.,
e que muito nescessario se terna ttazero
estomago qaento, e como se ada o seu es>
tabelecimento bem prvido dos .'eneros ci-
ma ditos, recommenda un pflssek) at elle,
onde encontrarlo os amantes do que
bum bocudo, um completo sorflsento de
gneros linos, que se toniain n tt mmenda-
veis para urna mesa mais ou menos pro-
vida.
Quando Imnir-h os pais alictos senliam o rigor
da denlicao de seu charo lilhinh, e boje alegres e
saiseitos imk) feliz rcstaLelerimcnto recebem as
visil:is dos scus inellior amigos, dizem aquellcs
estes, fui eus que me inspiroupara que conipras-
se, como coniprei, umdesscs virtuosos cufiares
Boycr, que se vendem na loja d'aguia liranca.
Aiii i iiiii uiais que aluda
falla dizer.
Quando etn um circuto de rircumspectos carac-
t.r.s se discutir a veracklade de taesdizeres, appa-
recer um tro que queira anda levemente inter-
romper a discussao, os primeiros por momenlb es-
quecerao a cireumsp?Co e Ibes darao um gra-
linso debHH-.ic dizendo-Miosj sabemos que V.
um daqueiles que m&na o cbaptio de sl ou que
mereca designado pela aguia. branca da ra
do Queimado n. 8.
Nao tantas as con*a* que por
tunas ec*i>ani as fntras.
Ja a eequecendo a aguia branca mas em tempe
lembrou'se para mHtiar, (pie recebeu urna .pe-
quea quantidade-de enfeites para -coques c-gram-
pos para ditos, tndo feito de metal com lindos e
agradavois coloridos, obras asios pela primeira vez
apparedas, e portado intera novidade.
lanibem ehegaraiu novamenle delicados enfeites
e flores ornadas de aljofares e vitlrilbos, tanto de
paita para coques orno para vestidos, e tndo
contina a merecer apreeiaejio das excellenlissi-
uias conliecedoras do bom.
Hydropesia dos m*m-
bros o 4o coipo,
ArfeccSesi do ligado.
Icteiicin,
Hemorrodias.
Mau han, e irrtjnj-
U'idaib do ie\o
temeok,
C-stuuwgo iU^_
Em todas >> molestias que
na origejn da massa do sangue:*
os a ni
|de U>lu;
com:
Alu[a-sii urna ecrava rdomill para casa i'
gnsta n. 11
! de novo o caridoso obsequio de assislireiii as
iT~Z------'u is,. .:_/'.~i<>, f missas que se tem de rezar por intencau de sua
Hermi^egildoSevmMo(rfKK:}w*,ter- aInia ,,'., JliatrU- da Boa-^sia, hoej M do
oiPi de c:ibecr. ^ 6C^4U do tlu ^^.j m^v i\lV-
(Uiate- F4^doviinla da Conceico em virlude
do scu proceder deshonesto, previne a to-
dos os lLatv<. Srs. peredios le lanas as
l'roruezias'qtte steve da ref'da sin mu-
tamenle eofi as pifailus, pokk que tas
.i iloua? liliios
i i 'gi linios
dti ai 11 o lempo
.lilas medicinas. T ruin sido cTim*smirrte (]uerom a mesma couvivfn: pelo que, se
pneparadas paiaobrarenv'e'tamwna mai.)l|r veil,ra i com a outra,.qando.ftjlitMjnO! ii8sai(Ssaaei|1)m,a hapiizai-nualquer Hlhocomo legitimo,
nao nM-raata hmooot- duvida ein- JiWitJJe^r>sectido como aturaI. sendo -falsa
jte no'mator nnnero de_cmo, podanet t ^i^pp an0aa,:0; visto aquella senhora,
nao \iver conforme preceitua a lei civil a
relitiosa.
Recite, llHle feverere de I8G9.
affiani.-ar jt3o s um nade alivio, como
tambem urna cura prompa e radigd,' teto
est bem visio, .Juando o doeute uS) e
ache n'tuM oslado muito alm dos recursos
ananos.
BOTICA E CASA BE EROGAS
77 RA M MPEUATRIZ 77
Neste novo esubelecimi'nto h um completo nortiraenlo de medicamentos, pro-
ductos chimiecs, e drogara, ludo de primeira qualidade, e se-vendem por menos do
que em outra yualquer paile.
H tatlieiir um sortimeiilo de melcamentos tiomeopattcos, tinturas e glbu-
los inertes, por precos commodos; bem como xaropesde jurubba ferruginoso simples:
Ainlios dejurvbeba simples e ferruginoso, e o bem coahecido xarope de I'aracary,-es-
pecKil desta pharmacia. Aviam-se reccitas e quaiquer hora do dia, e noite, com promp-
tido, cuidado, e pericia ; nao e negam a quaiquer OGOiirrencia etn casos urgentes. O
-ocio gerente .eiicarregado do eslabelecimento moro no mesmo, para o .que est
premptoa abrir.a porta a quaiquer hora que J"or preciso.
iC. Clao &(C.
VERDADERO LE HOY
UDootar S1.6N0RE?, aiSuc8T,
RU DE SENE, 51,
en
Prix:6fr.
y


i %tf* lia -la-
la ,-O-l.CfL
un cr.ii- :Vm, ,
le lilsil l'i lanlodcl* uif irx 4
\l.:UtUO l.K lio. .n|
..-; impreso rn ikck. tiAm
' un :;.ilo velSiU f amw'tn
^j'/ llevj las Ennas L Rct > ujiu.
n| "?: t/ i>. f mo ti Domtre S1C.%0*4T
2 .A' u mi nast Jl fAUl.
^at N. O.Sobtt l.eorcho, debajo aLpasl
ul qi'e lleva ti sclio Piarmslii Loir.n
M Te pegado
el travs del
di: la bolella
lin rWlo amarillo con Af^^ tkF"
SILLO IL COIIKINO ti I I I I
lmM
Por todo envK de un Talo?
de 5C0 traneoctplaM so-
re Pars Londres, se naca
- Rga-se pessna .pie entre+wn nina cana-
na ma tt l*ires n. 3.". vioda da llahi liara o Dr.
LuiaJofi Corroa de Sa, a tavor de indeiur sua
morada para ser procurado
torrente pelas 7 boras do manbaa e desde ja se
confessan extremamente agradecidos a todos que
conipareceren. a este acto de raridade.
Hl
7E.^r-
.Manual para o exame de babilitaco para uia-
ajaterio dr nslriieeao primal ia pelos Drs. F. de
Castro Freires e J. F. de Hacotio : na liviana ni-
eiclopedica de J. R. de Metfo, na da Cruz n. ">i.
Ama
Em S. Jos do Manguinju), casa n. i, anUs de
rliepar a reja, ainda se precisa alugar ditas amas
que entendan de engommado e costura, paga-la
I bom aluguel agradando.
* Preeisa-e de um menino para caixeiro : no
, pateo do Carino n. 9.
Ao Sr. Manoel Jos Manques liaealba, do cr-
relo geral, queresa!.' a sua caria de liaiea,
Com muito motor vantagem
Compra o Coracao de Ouro, n. 2 I), ra do Cabu-
l'i ecsa-se alugar um preto de boa conduela -;1, moeaas de ouro e prata e pedras'preciosas.
-cvico de urna casa de ^rinde familia : a -------------------:
para o
trniar.no sobrado n. i da ra
trada pela de S. Francisco.
do Imperador, en
Comprarse escravos.
Lino de Paria & C, na na do Vigario n. 2i. es-
riptorio, 1 andar, coropram escravns de amlms os
- l'recisa-.-e de u.naaiua de boa conducta, que compram escravos ue amix.s os i o9,
sa.ba comprar e coiHitor perfedame-nte : na ra I ^ _;ndo q(](, a^ws (lo n a 20 .Ulll# e bl>_ \ S
Hitas ligaras, serad pagos por muito mais dinbeiro
do que em oulra qualqurr parte.
Fonnosa n 33.
0 MUSEO DE JOIAS
C^
GOMES DE HATTOS iRMAOS
tendo feito completa mudauca em seu antigo e
| acreditado estabelecimento de joias. com o fim de
dar-lhe maiores propor^oes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms. J
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da noute na
RA DO CABUGA N. k
tule enooiitrarao um completo sortinumto do que ha de mais cleganto*
bello e precioso em brilhautes, esmeralda^ -rubins e tmio rjue em obfa
de ouro, prata e platina se pode, desejar.
ADEREQOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBINS
denovos -gostog^ e que devem cauzar umgratide eeito nos trages quares-
maes, assim come grande variedade de^saWas e paliteiros de prata con*
trastada e e gosto ainda nao visto:
Compram a trocam quaiquer joia ou pedral preciosa e garantem
a qualidade dos objectos veudidos. .
- Precisa-sc! de um menino do l a l'i anuo
para caixeiro d? padam : no paleo do Tereo un
moro :J8.
Ouro e prata
em moeda c em obras inutiisadas, eampra-st>por
bom preco : na'prftea da Independencia n. 3.
Na praca da Independencia n. 33, loja de ou-
i'ivis, compra-so ouro, prata, e pedras preciosas,e
lambem se faz quaiquer obra de eucoinmenda, e
todo e quaiquer concert.
ua do Rosario n. 79.
sobrado
Agencia de negocies da corle lia-
ra as |iroviucias t tiestas para
a corle.
Soba dreccao do .advogado Francisco Cartee
Braudo, acba-se estabelecida na cidade do Rio de
Janeiro, ra do Rosario n. 7), soUcado, una rgea-
Ca de negocios da corle para as provincias, e des-
tas paran corte, a qual, pelo pessoal habilitado, e
meios detjuodispe, enearrega-se de todos e quaes*
quer negocios judicaes em 1* e 2a instancia, como
i accoes ci\is, crimes e commerciaes, recursos, ap-
! pella(;(5es,- aggravw, resistas, defezas perante o
jury, reclauacoes de aatiguidades de magisira-
dos, etc., etc.
Incumbe-se outro sim de lquidaees commer-
ciaes, do verificaces, o ajustes de eontas, de eo-
braaca de dividas, de arrecada*es de. Uerancas,
de luatricula de juizes, e commerelantes. e em ge-
ral de todo e qUalqvier trabalho forense, ou que te-
nha de ser feito perante as repartieses administra-
tivas da corle.
>i
l
Oompra-se
boje libras esterlinas, ouro e prala de odas as
na.Mjcs c por maior pre?o do que em outra parte :
n.-i ua da Gadeia do Roeife n. 08, loja de azulejo.
Compra-se urna burra ( cefre) : na ra do
Cnspo n. 16, primeiro andar.
0 miizeo de joias
Na ra do Cabug n. 4 compra-se ouro. prata
e pedras preciosas por procos mais vantajosos do
que cm outra quaiquer parle.
Grande liqui 0 proprietario d'ailtjp 6 bt-ni conheciua
loja de miudezas dcnontiniila Iteija Flor
na do Queimado n. 63, querendo acabar
coin- o sortiuuiito d.j imidez.ii que existe,
tem deliberado proceder* a nma c< mpleta ri-
rpiidaco, para o qne clianiaa attenc3o de to-
dos.
Us olqectos scio vendidos por metadede
seu valor, epara que o publico, nao suppo-
nlia, que o presente annuncio 6 urna illusao,
opropiieiiiioila dita loja offerece urna pe-
i|in'na lista de al^iinasniiwW.i's. com os seus
diminutos procoscomo abaixo se ver;
nao apiesciitando nina lista completa de to-
dos os objectosipue esto expostos a venda,
pela razao de se tornar um .annuncio muito
extenso e por consequencra de enfadonha Ici-
tura, por isso apenas leinka-se as seguintes:
Caixa de cnwlopes de corea. .
Ditas de ehvelopes un tarja.
preta........
Dilus de env.lopes blancos gran-
des..........
Ditas de envelope.s grandes c pe-
queos. ..,-....
Libra de 13a para bordar, siulida
Duzia de carines de corchete l'ran-
cezescom 21 pares cada cartao
Dita de collieres de metal prin-
cipe para sopa.....,
Dita de ditas para Concha de metal principe para ti-
rar assuear. ,.....
Boliiailiua para cullete. .
Pares de luvas de no da. escocia
branca d cores para homem.
Ditas de (lilas para senhora. .
Fila para sinto de senhora. .
Pares de sapalinhos de casimira,
bordados.......
Becas de cascarrilna de 15a. .
Fscuva lina para limpar unlias.
Ditas de ditas.......
1 Petite preto de barba. .
1 Caixa cora apparelho de chumbo
a (HO, ihid e.....
Boneca de cera a 1 -5000, 11200,
3*OO, tf>UU0 .....
Apparelho fie porcelana para al-
moco e jantar......
Jogo de Vispora......
Caixa com papel branco e de co-
res.........
Infladores para vestido. .
Caixa de linha de marca encar-
nada e azul.......
para Meninos.
Tocas.
1 duzia deli'.iha para faaer croch,
Ditas de carriteis com 100 jardas
brancas e do cores. .
Fita de laa para debrum de todas
as cores........
Ditas de ditas, branca. ,
Pecas de fita de linho para cs. .
Dita para cs.......
Pentes voltiados para meninas e
senhoras .......
Ditos pretos com chapa, para ali-
zar .........
Ditos broncos.......
Ditos brancos finos. .
Escova.para dentes a lOOfS.O e
Ditas para cabellos muito finas. .
Pecas de franja para toallia com
G00
900
706
600
7(5000
900
2/jfOJ
60fl
800
15200
SfiO
;
300
'
ifjsoe
;.)<>((()
jJIOOO
X0
70f)
80
280
400
800
160
360
Mi;
260
900
500
400
400
320
400
360
S00
VENDAS.
Augusto Porto ic C. receberam pelo vapor
i'.nnniw. superiores luvas de pellica pretas e de
cores para senhoras e homens, liirdos peplums
de renda e guipure prejos para senhoras o que
ha de mais moderno ; ma do Queimado u. 11.
OLEODE HOGG
DD
Mediante as concoese garantas que com aspar- U;(1.ofIAc fncPAC \(\ }\\(\
i estipular, adiarta dinheiros s.,bre as arrecada- IfrdiWb 11 tfcCUb Ut UdtxtJLlltW'
Para cura certa de phtsica, afTeccoes escrofu-
e li-
tes
coes e direitos que the parecer;m seguro
qudos.
Presta-ae a forneaer aos seus coBimiuenles a-
tnformacoes que exigirem, e que puder obter, so-
bre assmnptos e nteresses que Ihes dlgam ress
peito.
Seus honorarios e conHnisso'e sero razoaveis e
moderados, regulando-se pela imporlancia e difli-
culdades que oITcrecerem os negocios commet-
lidos.
As psssoas que do seus servicos se qnlzerem
utilisar, poderao dirigir-se pessoalmente, ou |ior
carta ao escriptorio cima indicado,-devendo na
segunda hvpotheBe remetter os documentos que
livwem ou copia del delles, e nma mformacao cir-
Eumttanciada, escripia, e assignada obre o nego-
io ou negocios que tiverem de ser tratados. Alwn
desta remessa os senhores que morarem fora do
municipio neutro, e em qualqu-'r das provincias
deverao eortipeientementfi aulorisar pessoa id-
nea, residente na corte, com qviern a agencia poas.
enlender-se e validamente contratar.
1 0 flet desempnho dos' seus deveres para com
lodos,ee9pelalmeTrtepara'com aqurtles, queneN
laconftarem, constue o undo capital, com que
enca principalmente conla, e por isso tem o
iau vivo fojeresse em mante-lo, e ha de zela-lo
oip a raats vigilant sollcitude.
GURA
DOS CALLOS.
rau
INtaa gal oii|>eau.
Deposito speeial
Pnarmaci de Batlboloino 4 C.
34Ra larga do Rosario34.
losas, tosse chronica, fraqueza dos membros e de-
bildade geral, recommenda-se a excelleneia desto
plo anda por ser agradavel no paladar.
VENflE-SE
XA
harrauria e drogara
DE
BARTHOLOMEU& C.
34 = Ra larga do Rosario ~ 34
Vende-se barato urna armacao completa e
balcao, proprio para taberna ou deposito : na ra
da Amisade na Capnnga n. 28, e tambem alnga-
se a dita casa eem os mesmos objectos a queni
nuizer botar quaiquer negocio : a tratar ua ra
das Pernambucanas n. 40.______________
J FfeK
* 1 Muito fino saeco* grandes a 4?500 em cuias a
IW : ao largarlo Pi\-a1 30t
mas escraras reeolhidaa perfeitasongomma-
Kas. Iionifa* Hgm*i idad'T,J0 a W annos;u*
Umntodo'nrsicA i dita para casa e.rua. de
hitiSiWfiSdt.'-i moleque peca do idade 9
ifjBi*.mnl**>'bpn copeire e cozlnheiro : na
i do aitiao-tv 1.
14 varas a peca.
2G00
600
2f5000
Entremeios bordados a peca 300 e
Tinteirds de porcelana l> ISOQ.
Balaios para meninas de escolla
bonito desenlio a 500, 1-5000,
1(5500 e........2:5000
Fita de sarja de todas alcores. iU00
Gravatas pretas a 400.' 500
Vende-so o grande sitio no becco do Espi-
nhejro.ao eliegar a entrada dos Afllictos, frente
murada e diversas obras de pedra e cal por aca-
bar, bons viviros com abundante pene, baixa
para capim, boas tenus para plantaco com ex-
cellentes fructeiras ; para examinar a quaiquer
bora. e para ajustar com Joaqnm de Olivara Mel-
lo, na na da Hora junt ao mesmo becco, ou na
fuiiHraoda Aurora.
Vende-se dnas escravas mocas, crioulas, ser:-
do nma preta oom babilidades, e outra mulata,
ambas para fra da provincia upara o mato : na
ra da Praia n. 24.
Capsulas de Baquim
' Oi bons effeitos destas capsulas para fazer ces-
sar os gonorrheas acham-se coniprovada* pelas
experiencias de niuitos anuos.
Os mdicos de todos os patees as recommendam
pela sua eflcacia.
VEfft)fiE
KA
Pharmacia e drogara
PARTH0I.0ME & C.
34Ra larga do Rosario34
PAsmuts
DO
WiWi-^x
Vefftl6-S*la'lesctaTa; que lava, cosfnha,
cftripra, e 'boa qutrideir, cora 30 annos
d idade; a ver e tratar na ra do Pilar,
em Fra de Portas, n. 02,
DR. PATERSON
De blsmntk c magifezla.
Remedi por exeeHencia para combater
a jttsftr.9, fai'ifittr'a drgestSOv fortificar
eistortiaJgaetc.
DKPS1T0 ESPKCUL.
Pharacia de Barttiolanieu d G.
84^-Roa i larga do R^34.
Attencfto
Vendasa tabrtaifta Cinc Ptmtas com.pou-
ooi fundos e eonwaodos para inorada, a pras c-on
garantia segur.
1 JustoT^


Diario de Pernunibueo Segunda feira 22 de Fe\ereiro de 1869.
AO BAZAR DA MODA
.1
- DE
JOS DE SOUZA SOARES & C.
Ba Nova n. 50, esquina da ra de S. Amaro.
PARA O MOTO ATOO E 1.
Noto sortimem\> de artigos de moda e luxo, reccbidos pelo ultimo vapor viudo da Europa.
Especial sortitumtn de objectos para mimos.
Perfumaras linas dos pnncipaes autores.
Lavas de pellica frescas, brancas e de cures para homens c scnhoras
apeozmlios de palha de Italia enfeitados, para scnhoras.
Ricas ehapclinas para senlioras, gorrosde pallia de Italia para senliuras e meninas.
Especial sortimento de sintos para scnhoras.
Knfeites de gosto para scnhoras.
Fitas de grosdenale superior de todas as cores e larguras.
Franjas rom vidrillios, brancas, de cores e pretas.
es de todas as qualidades para vestidos.
Vestuarios completos para baptizados.
r.olinhas e pininos en Ilutados para seultoras.
Coques modernos, lisos e enfeitados.
Bornous de 13a e seda, cores claras, moda elegante para senlioras debom gosto.
r.nrpinlios de cambraia enfoitadosparasenhoias.
Caene-nei de la.
l'.hap.is de sol para h >mens e scnhoras.
Flores linas, sortimonto especial.
Mamas elegantes de qualidade superior.
Ootnrieu de palha. alta-nnvidade.
trinaldas do flores linas.
Camisas superiores parahomens.
Rolarinhos e punhos.
Grvalas c mantas modernas.
Bengalas de diversas qualidades.
Caixas grandes rom quatro pecas de msica.
Flores de palha para guarnieres de vestidos, b itoes, fi velas, laeos para enfeites.
Chapeos de pello de seda pretos, forma a Uotsehild, fazenda superior para homens.
Correnlesde plaqu lino, gostos bonitos para refugios.
Cazoletas de bom gasto para as mesmas.
Correles pretas de borracha diversos modelos para vollas.
Objoctos para luto.
E mnitosoutros artigos de novidade que s avista poden) ser apreciados.
Existe continuamente um completo sortiment i de miudezas, vndese por grosso e* a relalho
a commodos mu A ON
BAZAR DA MODA.
PREGO CBRENTE DOS CHAPEOS DE SOL
Da fabrica de
Ba Nova n. 23,==Bua do Cabug n. 8
Pernambuco
Chapeos de seda trancada, Paragon, de 16 hastes, 28 pollegadas a 46$ ; 26
pollegadas a 1 .">.>. e 2\ pollegadas a 140000.
Ditos de seda G. de N. Bara, de aro, de 16 bastes, 28 pollegadas a 14$;
de 26 pollegadas a 135 ; e 24 pollegadas, a 12000.
Ditos de seda G. de N. lisa, de ac, de 12 hastes, 28 pollegadas a 12$ ; de
26 pollegadas a H; e 2i pollegadas a 10^000.
Ditos de alpaca, de ac, de 12 hastes, 28 pollegadas a G;$; e 26 pollegadas
a 5o00.
Por diizia faz-se descont de 15 OjO
Chapeos de sol de panno, debaleia, de 8 hastes, 21 c 26 pollegadas a 32#
a duzia. (Descont de 10 0|0).
Ditos de panno, de junco, 8 hastes, a 18;>000 a duzia, liquido.
GRANDE L.IQUIDACAO
LOJA DO PASSO
Ba do Crespo n. 7 A, esquina da do
Imperador.
PARA QUARESMA.
Gorgoreo preto.
Setiiii macan.
Sedas i Javrad.is.
Moireantique preto.
Gros-de-naples
Rasquines de gurgurao e de gros-de-na-
ples enfullado com primor.
Corpinhos de gros-do-naples.
Basquines, capiuhas. pelerinas, khus,
de crochet e de guipur, pretos e brancos.
Mantas pretas de blond.
Biquissimos chales de touquim.
Requissimos chales de gurgurao de seda
pela o mclhor nesle artigo.
Chales de rnirin prelos com requissimos
bordados e franjan) de retroz.
Chales de niiriu bordados sult;me;
ultima moda.
Bometis pretos cora lindos bordados.
beques de madreperola, marfm, snda-
lo e osso, e pretos, para senlioras.
Ditos de sndalo para meninas.
Chapelinas pretas.
PARA CASAMENTAS BAILES, TIIEA-
TROS, etc. etc.
Lindos cortes do blond, contendo setim,
mantas e griualdas.
Requissimos cortes d 3 sedas assim como
para covados.
Gurgurlo branco.
Moireantique branco azul e verde.
Gros-de-naples brancos e de cores.
Setim bramo macau.
Setim, branco, azul, verde, cor de rosa
e anwWlos.
Fil de seda, bfanco e preto.
Cortes de seda com duas saias.
Chales de gurgurao de seda de cores.
Camisas bordadas para homens.
Saias bordadas para senlioras.
Camisas bordadas .
Frondas de Imito bordadas com primor.
Lencos de cambraia de linho bordados.
Hi(|tiissimas colchas de damasco de seda,
assim como^e seda e algodo.
Ditas de crochet para cama.
Chapeos de seda bordados, para sol,
Poil de chevre de lindas cores.
Alpacas de lindas cores.
Chapelinas de palha [da Italia, assim
oemo d seda.
Enfeites para cabeca de senhora.
Espnrtilhos para senlioras.
Meias de laia para padre.
Ditas de la
l)t;is do seda fio da Escossia e algodo.
para senlioras e meninas.
Lencos de labyrintlio.
Fronhas de labyrintho.
Ricos, rendas e grades.
Finissiinas cambraias de cores, percales,
las, e otttros muitos artigos de gosto e
de alta novidade, isto s
Na loja do Passo ra do Crespo n. 7 A, esquina da do Imperador.
Appwacit
ia tcaimit
i* wudtein
d Pai.
maHS
PharmaceuHco
turnio
Wl vvwuffHlfl
i* mtitci%.
a approvacSo
e seguramente do que as plalas, e
As preparac5es ferruginosas liquidas tero desde muitos annos merecido
especial dos mdicos, porque ellas obrao mais rpido
sio mais fcilmente toleradas pelos doentes. Os ra ferro-manganicos possnem a mappre-
ciavel vantagem de poder offerecer n'um instante urna agua ferruginosa gazeosa, de gosio
agradavel, mais activa do que as aguas mineraes, e contendo de mais um elemento precioso,
o Manganese, que sempre se acha no sangue, jnncfcmente com o ferro. Emprego-se em
todas as molestias que tem por causa o empobrecimeito do sangue, assim como para vigorar
es temperamentos debis c lympbaticos. A chlome, as Perlas brancas, dret destomago,
a irregularidade da mtnstruaco e amenorrha ou rappresslo do menstruo, cedem rpida-
mente a seu emprego. Devemos mencionar aqu um ficto notavel, isto que es doentes cura-
dos pela agua preparada com estes pos esto mui.o menos expostos a recadas do que
aquelles que forto tratados pelas prepracoes ferruginosas ordinarias.
Deposito em Pernambuco, em casa de Mmimm **.
?>/^^^,^^^te^.-vr^
Para msicas militares.
n
VERD ADORAS
Completo sortimento
NO
BAZAR DA MODA
RA NOVA N. 50,
Esquina da ra de Santo Amaro
"20 a 30 por cento menos que em outra qualquer parte vendeni
JOS DE SOUZA SOARES & C.
do mais acreditado autor Goutrot Ainea Paris.
RIJA MOYA W. 50
ESQUINA DA RA DE SANTO
PILULAS
DE
5EIRAS ~^V
BLANCARD~
COM IOOURETO DO FERM IMALTRAVEL
'APPROVADAS PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARS, ETC.
r tossuindo as propritdades do lodo et do forre, conrem especialmente as Kmccotn
escrofulosas, a Tsica no principio, a fraovetat temperamento e tambem nos casos de
Falta pe cor, amenorrha. em que precisareagir sorre o sangue seja para restituir
lhe a sua riqueza e arundencia normaes, ou para provocar e rehilar o seu curso peridico.
A'. B. O iodureto d ferro impuro oo alterado i um mjiramento infiel.
Irritante. Como prora d pureza e de aothencidade das itrmetr** l*i-
Inlas de nianearil, deve-se exigir nosso cll* no rutula Tarde. Deve-se desconfiar das falsiticacots.
Arliam-ae rn todaa ai aaanarelaa. Phamuceulleo, ma Bt
^AXffiM4%
f-c>c>

QUARESMA
QUARESMA
QUARESMA
FAZEMHAS PRETAS
Grande sortimento de gros-de-naples por prcros inteiranaante redtizidos. assim
cuno basquioes de gros-de-naple c gurgiirao piolo, ditas de gtiiptir feoda do ulli-
i > gosto e outros muitos ohjectos proprios para a estaco, que se vende por menos
20 /0 do que em outra qualquer parte, assim como um completo soitimeoto de fazen-
das delnxo como sejam sedas de cores de lindos padroes pelo diminuto preco de2l00
i 20800 rs. o covado.
Alpaca-; de lindas cores, lisas c lavradas.
Lazinhas com listras de seda para i#200 e l,-)000 o covado
Ditas de lindos padroes para 500, 700, 800 e 900 rs. o covado.
Cambraias brancas de W000 at 8/5000 a pega.
Ditas de cores de lindos padroes de 640 e 800 rs. a vara.
Saias de la com bonitas barras.
Raloes de cores, brancos e de arcos.
Basquinas de gros-de-naple de 220000 a 40^000.
Gros-de-naples pretos e de cores que se vende por barato prego.
Organdiz branco, brillantinas brancas e de cores.
Espartilbos c entre-meios bordados.
Meias finas para senhora e para horaem. fc
Alm destas fazendas tem um completo sortimento de chitas escuras c claras, ma-
dapoloes, bramantes.atoalhados de linho e de algodo, e outras muitas fazendas
que se' vendem por presos queso a vista o comprador se poder desengaar qltsno
Iriumpho poder comprar com economa.
PARA HOMENS.
Bonito sortimento decasemiras pretas e de cores, bros brancos e de cores, camisas
de linho c algo io, ciroulas, mantas e grvalas do que ha mais moderno, chapeos de 06l
de seda e alpaca, e outras muitas fazendas que s vista podero agradar, e manda-se fa-
zer qualquer obra de alfaiate para o que tem um hbil mestre, tudo por preco qiie s
encontrao noTriumnho! r'ia do Queimadoji. 7.
OOENCAS das CRI ANCAS
XAROPE de RBANO IODADO
DE GRIMAULT E CA. PHARMACEUTiCOS EM PARS
Este medicamento goza em Paris e no mando inteiro de ama fama justamente merecida,' por
achar-se intimamente combinado nelle oiodo com o sueco das plantas antiscorbuticas, cuja efficacia
bem conhecida e as quaes j naturalmente existe o iodo. E' com este motivo que elle suppre
com vantagem o Oleo de ligados de Bacalho, que deve, secundo os homens scientificos, a sua
efficacia presenca do iodo. E' preciosa no tratmento das crancas para combater o lympbatismo,
as ebstrucedes das glndulas do pescoco, e as diversas erupcocs do rosto, tto frequentei nu
crisneasde pouca ioade. ToniOo e depurativo ao mesmo tempo, elle excita o appetite, facilita a
digsto, e restitue aos tecidos a sua firmeza e vigor naturaes. E' cada dia reeeitado pelos medioM
esp ;calistas ptra combatir as diversas affecc5es da pelle.
Deposito em Pernambuco, em casa de Hanra Alegrai-vos myopes, e presbylas, ja po-
dis ver de longe, j podis ver de perto,
nao ha mais vistas curias, nem caneadas.
F. J. Germann acaba de receber pelo lti-
mo vapor un rico e variado sortimento de
oculos, lunetas, pince-nez, face--main,
lorgnons, de ouro, prata, tartaruga, marim,
ac, bfalo, ncar, unicornio e melchior;
assim como binculos de urna a tres mu-
dancas para theatro, campo c marinha da
ultima invencHo; duquesas, vienezas de G,
8e I2vidros, tudo dos melltores fabrican-
tes da Europa.
O mesmo vapor trou-
xe urna excellentes ma-
china para graduar e
observar o numero dos
vi dios que se necessita
conforme a vista de
qualquer pessoa.
Tem excellentes ste-
rioscopos, instrumentos de mathematica,
barmetros, vidros de clnstal de rocha, e
de cores para resguardar a vista; concerta
todos estes objectos a pregos commodos c
com promptidSo; tira o mofo dos vidros e
encarrega-se de toda a encommenda relativa
a ptica.
LOJA DO GALLO VIGILANTE
Eua do Crespo n. 7
Mandou vir de sua conta e acaba de re-
cebe! pelo ultimo vapor', completo sortimen-
ot de objectos de novidade e phantasia, os
quaes esto resol \ idos a vender por pregos
nimiamente baratos, para assim animar sos
concurrentes e ao mesmo tempo dar sabida
ao grande deposito qiie tem: isto ra do
Crespo n. 7, loja do Gallo Vigilante.
Gdlinbas, punhos e camisinhas para se-
nhora, fazendas de gosto e novidade.
Fieos vestuarios para baptisados, assim
como touquinhas, sapatinhos e meiasinhas
para o mesmo fim.
Grande sortimento de bicos e rendas de
croch e de outras muitas qualidades.
Superiores caixas com msicas e sem el-
las, tendo o necessario para costuras, pro-
prias para um delicado mimo.
Finas caixas com tentos e sem elles para
voltarete.
Agudas para machinas de costura.
Ditas para crocit, sendo de aro, marfm
e outras muitas qualidades, assim como li-
nhns para o mesmo mister.
Finas grinaldas para noivas.
Meias de borracha para quem soffre de
erysipella, assim como meias de loa para
os" que soffrem de rheumatjsmo.
Suspensorios para homem e meninos.
Finos pentes de tartaruga para coques d
d outras muitas qualidades e para outros
rsteres.
TASSOIRMOS
Tem para vender em seus anuazens, altu ti
tros, os seguintes artigos :
Papel para imprimir.
Perlina azul. ,
Greve pautado e liso.
Yintos cm caixas de doze garrafas
[_ Bourgigne.'
Madeir.i.
Hermitage.
C.lianjlis.
Licor de curaco da Hollanda em caixas de viu-
lee quatro botijinluis.
GESSUj
Nos arniazens de Tassolnuaos.. .
Grades de ferro
para jardins, porteirastc.
Nos armazens de Tasso limaos
< \it ici mos i>e ferro
Para servidos de grandes anuazens, para remo-
ver barricas ou i-aixoi-s de um para outro, lado pelo
mdico prego de 12*000 cada um.
Fariiiha de trigo de Trieste
Das melhoras marcas Panonia (verdadeira) Fon-
lana o grande sortimento das mclhores marcas de
farinlias americanas
Saceos de fariiika de trigo do
Chile
Todas novas, chegadas ltimamente nos arma-
zens de Tasso Irmaos.
Cemento romano
No* armazens de Tasso Irmaos.
Cemento hydraulico 12$
O melhor pan tudo que sao obras para agua, ro-
mo assontainento de canos de esgoto, algerozes, de-
posito, tanques d'agua, etc., etc.: em porc.Vs oV
Pincoento barricas se far reduccao no prego: nos
armazens de Tasso Irmaos.
Cemento Portland
0 verdadeiro cemento Portland cm casa de Tasso
Irmaos.
Grades de ferro, cercas, por-
teiras, etc., etc.
De dilTerrntes qualidades para cerrados de ani-
maes, chiqueiros para galinhasou jardas : nos ar-
mazens de Tasso Irmaos.
Barris com breu
Nos armazens de Tasso Irmaos.
CANOS DE BARRO
Na ra Nova de Santa Rita, na antiga fabrica de
sabio, ha para vender por proco o mais mdico
possivel, canos fiancezes para ediflcacftes eesgo-
tos de toda a qualidade, superiores a todos os que
aqui tem apparecido pela sua solidez.
rasgos
liOO por cano grande de 3 e meia polcadas.
1 lOO por dito de 2 e trw quartos de dita.
I fOOO por dito de 2 c um quarto de dita.
500 ris por pistoleta de 2 pollegadas.
Cotovellos, curvas e canos de niaior grossura, a
vstase far o preco. Compras maiores de 2005
tem o por cento de descont por prompto paga-
mento. Pde-se ver as amostras nos armazens
de Tasso Irmaos.
Tijolos franeezes
Para ladrilhar casas terrras com asseio e precos
mdicos, muito convenientes e proprios para htdri-
Ihos de cosinhas em sobrados, pelo seu asseio e
evitar a passagem de aguas para o andar inferior
e mesmo o perigo de fogo, aos precos de 30*000 a
15000 o milheiro : na ra Nova ce Santa Rifa, na
antipa fabrica de sabio, e compras maiores de 200S
se far 5 por cento de descont por prompto paga-
mento. Podem-se ver as amostras nos arm;izens
de Tasso Irmaos.
Velas de esparraacetc verdadeiras para lan-
ternas de carros: noarmazem de Tasso Irmaos.
Viuho do Porto uo superior: no armazem
de Tasso Irmaos.
O melhor cognac Gauthier Freres : no arma-
zem de Tasso Irmaos.
Esteiras da India
Em casa de Tasso Irmaos vende-se esteiras da
India de diversos padroes c larguras, por preco
commodo.
Macarthy
Maehlnas le desearocar algodo.
Hojc que est roconhecido que as machinas de
serrote prejudicam e quebram a libra do algodo,
preciso recorrer a machinismo menos spero,
que produzindo o mesmo servico que. aquellas, e
facilidade no trabalho, nao quebrem a libra da la*,
para que essa possa obter-nos mercados europeos,
a differenra que lia entre o algodo descarocado
por aquellas mencionadas machinas, que estn n-
candocmdenizo, pelo prejuizo que tem causado,
e o da antiga bolandeira, que nao pode competir,
pela morosidade de seu trabalho. E' assim que
estas machinas se tornam as mais proprias para o
nosso algodo, porque ao par da facilidade e
promptidao conserva a fibra da-la, que limpa por
ella, qualifcada na Europa a par da melhor bo-
landeira, valendo assim entre 10 arrobas 20 0/0
mais do que a laa limpa pela machina de serrote.
Estas machinas nao sao novas, pois que ha muito
esto adoptadas no Egypto, aonde as de serrote
foram inteiramente abandonadas, e por sso o algo-
do daquella procedencia, sendo da qualidadc'do
da nessa provincia, obtem boje de 10 arrobas 20
0/0 mais do que o nosso : vendem-se a 150^000
nos armazens de Tasso Irmaos.
'Dedaes de madreperola,
ac, metal, etc., etc.
: Superior agua cosmeocome para tingir
FUNDICAO DOBOWMAN
Rua do Rrum n. 58.
Machinas de vapor.
Rodas d'agoa.
Moendas de canna.
Taixos de ferro, batido fundido.
Rodas dentadas, pata moer com agoa,
vapor e animaos.
E outros muitos objectos, etc. etc., pro-
prios para agricultura.
A NOVA ESPERANCA
21=Ra do Queimado=^21
1/ para presentes
A Nova Espcianca, rua do Queimado
o. 21 tem um variado sortimento de objec-
tos de goslo e phantasia proprios para pre-
sentes, sobresahindo entre elles ricas caixi-
nhas de ebann com finas perfumaras, cos-
tureiros de chagrn, agalheiros de madre*
perola : assim, pois, (piemqnizer fazerum
linda offerta, dirigir-se Nova Esperanca,
rua do Queimado n. 21.
Collares anodinos elhctro-magvet
eos contra as convtrlces das
creangas.
Nao resta a menor duvida, de que muito
collares se vendem por ahi intitulados os
verdadeiro de Iloyer, e eis porqae muitos
pais de familias n3o crcem (comprando-os)
noeffeito promettido, o que s pdem dar.
os verdadeiros ; a Nova Esperanga, porm
que detesta a falsificacio principalmente no
que respeita ao bem estar da humanidade.
fez urna encommenda directa destes collares
e garante aos pais de familias, que s3o os
verdadeiros de Royen qnc a tantas crean-
fas tem salvado do terrivel incommodo de
convulgoes, assim pois preciso, qne ve-
nham a Nova Esperanca a rea do Qtreimado
n. 2i comprarem o salva vida, para sena
filhinhos, antes que estes sejam acommetti-
dos do terrivel mal, quando* enfSo ser di-
fficil alcangar-se o effeito desejado, embora
sejam empregados os verdadeiros collares
de Royer.
Para extinguir as sardas e
panno
Recebeu a Nova Esperanca, rua do
Queimado n. 2i, leite de rosas, especial
para extinguir sardas e pannos.
BONECA DE CERA
A No^a Esperanca a rua do Queimado n.
21, acafu de receber um completo sorti-
mento de finas bonecas de cera de diver-
sos tamaitos, sendo as maiores do com-
primento d'um covado ; estas bonecas tra-
zem bonitos coques e botinas, bavendo en-
tre ellas algnmas que falram e outras que
choram de sorte que fcilmente podem ser
preparadas-, e fazer-se um presente de muit
acceitaco.
Finas caixas de tartaruga para rap ven-
dem-se a rua do Queimado a. 21 na loja-
da Nova Esperanca.
Modernos brincos de sndalo, s se en-
contrarlo na Nova Esperanca a rua do
Queimado n. 21.
MEIAS DE LA
A Nova Esperanca a na do Queimado n.
21, acaba de receber nm especial sortimen-
to de meias de laa para homem e senhora.
CONTRA AS CONGESTES
mal terrivel a eongestao fulminante:
de repente leva um individo, d'esta para
milhor vida, sem dar-lhc tempo de receber
conversa medica; deixando as mais das
vesos mulher e fillios no mais amargurade
pranto ; a Nova Esperanca que deseja pres-
tar servicos recorren a Vojer, o qual lhe
mandou anneis elctricos magnticos, como
o nico preservativo para semelhante mal a
elles antes que se acaben: na Nova Espe-
ranca-
NAVALIIAS
A Nova Esperanca a rua do Queimadi
n. 21 recebeu nm sortimento de navallus-
de qualidades, e tamaitos especiaes assim
como afiadores c massas para as mesmas.
L1NHA PARA CERGIR MEIAS
Esta muito necessaria linha vende-se a
rua do Queimado n. 21 na Nova Esperanca.
RORDADOS BONITOS, BONS E RARATOS
Esparlilhos s na Nova Esperanca a rua
do Queimado n. 21.
Sementes.
f.hepram as novas sementes de hortalicc d*
todas as qualidades na rua da Cadeia do Reeif-
n.50.
Vendem Augusto E. de Oliveira Ada ma. d>
Oommercio. n. 42.
Tintura japoneza
os cabellos
e a
cajbellos;' dando aos raesmos a sua cor pri-
mitiva.
'Completo sortimento de finas perfumaras
dos mefcores fabricantes, assim como mui-
Instantanea para tingir
marfim, osso, ^rtia, a 1^000 o frasco.
E' a nica approvada e recommendada
por ter sido reconhecida superior a todas
as tinturas d'este genero.
venda era casa de Gustavo lien clin n.
51. rua da Cadeian. 51.
Recebeu tambem os excellentes relgios tos outros objectos que Jmpossivel des-
do anligo e afamado fabricante Robert Gerth
& C, os quaes vende precos commodos
garantindo a sua superior qualidade.
Attenco.
Veude-rcno caes de Capibaribe pedra mulati-
nha da primeira qualidade, pelo preco de 1J200 o
palmo corrido, sendo hombreiras, soleiras e sepos
com o mais que se segu.
Illuminaco.
RUA DO CRESPO N. 16.
Duarte l'ereira & C, tendo recebido pelo
ultimo vapor grande e variado sortimento
de batees de papel de diversas qualidades,
e do mais moderno gosto, proprios para
illuminago tanto da cidade como do
campo, assim o fazera constar a seus rume-
rozos freguezes e ao respeitavel
alim de ,quc com tempo se previnam, visto
como atiento aos ltimos successos da guer-
espera a cada momento a fausta no-
q sua ccActasao, .A^.HumiaaclOTrl
bafes de' papel alm^ ser linda morios
dispendiosa possivel, osannunciantes ven-
dem-os por pEesos mui ktow6$
I Vende-se, por barato, o sobrado n. 17 sito a
fu do Pilar: a tratar na mesma rua n, 63.! an-
dar. *^
c|ever: isto s na rua do Crespo n. 7, loja
do Gallo Vigilante.
Collares Royer elctricos magnticos' con-
trit as eaovulsbes das criancas e para facili-
tar a dentinco das mesmas, o Gallo Vigi-
lte artigo recebedor d'estes prodigiosos
cellares-* contina a ter sempre grande de-
pos i to^rea^o_Cr^pon17.
Meias elsticas de borracha.
As. fflltiores e excellentes meias elsti-
cas de borracha contra varizes e erysipellas.
Vende-se na
_--------L=------------~f,----M--------.-----------------------
Manoel Ivs Ferreira & C, na ruada
Rfcedan. S: segundo andar tem para vender
publico" S*P ;rj3i^otas*a da Russia em barris c meios
^ ^.' barrite cal
no mercado.
i Lisboa da mais nova que ha


Cemento de Portland.
,.ende-se no armazem de Vicente Ferreira
GqBt*. & Filho, na roa da Madre de Dos n. 22,
barris grandes. _______r
T PECHIWCHA
*ende-se barato um bilhar com seus pcrMeeS f
natwt4t IiupeTatriz^_6^
-i- Em cas de Tlieod. Christiansen, rua do Com-
merek) n. id, eneontram-se effectiwmente todas
as qnalidades de Vinho Bordeaux fiourgogn e do
Rlieno.
caz caz iaz
Chegou ao antjgV) deposito de Henry Forsler &
C:, rua do Imperador, imi carregamento de gas
de primeira qualidade; o qual sevndeem partidas
e a retalho por monos preco do que em outra qual-
quer parte. *

Pharmaciae djogaria.de de. Chegar OS StlDOlieteS de
Barthoiomeu Cf $ alOitrMA
R^rua larga do Rosario-34 '1UU1 Para curar as molestias da pelle, taes co-
mo impingens, dartros, sarnas, comichSes
e fiis molestias de pelle sem occasionar
accidentes; desfaz as manchas do coi po,.
pannos e sardas, restabelece a cor natural
quanto cutis, seca, grossa, amarellcnta,
occasionado por alguma enferinidade, e co-
mo desinfetante e preservativo das molestias
contagiosas.
Deposito, botica do Pinto, junto ao quartel de
pofria, n- eidj-se ene%*is% trava
l'ILILR, ll\Hfl
1 X.4R0PE E JIRIBESA
3 PUEPAIIADOS PKI.0 I'HAtlMACKVTlCO
Joaquina le Aluielda
Piuto
As prepracoes de Jiirubeba s8o
a hoje vantajosamente conhecidas e
! preconisadas pelos mais habis me-
S mcos, tanto da Europa como do paiz,
B pela sua cllicacia nos casos de ane-
^ mia, chlorose, hydropesia, obstruc-
^j menstruacao dillicil, catharro na be-
xiga, etc.
\cndem-se em porco c a reta-
lho, na cidade do Recife, pharmacia
de son compositor, rua Larga do
Rosario n. 10, junto ao quartel do
polica.
XAROPE DE FEUEGOSO
E' de urna eficacia verdadeiramen-
te maravilhosa como calmanto do
system* nervoso o applicado-con-
tra a paralisia, asthma, tosso con-
vulsa otl roquthhlie, tosses recen-
tes ou antigs, suffocarOes, cathanos
broncneos etc. e em geral contra
todos os sofftimentos das vas res-
piratorias, e na phiysica pulmonar, :
suavirttulc contra o ttano ou espas-
mos, convulcoes c incontestavel, e
ninguem ha que a desconheca-
XAROPE I)K SALSA PARR1-
LHA DO PARA
ou
Depurativo lo sangue
Usado, as molestias de jwH*.- {
impigefs, dores rheumaticas.trli ]
ceras venreas.
O nico deposito distes melfia-
mentos na botica do Pinto, roa do
Rosario Larga n. 10 junto ao quar-
I tel de polica.
Jidade 4 lous bol
hataro pn
\ vesa to Caripca n. 2; Caes do Ramos
ajhjnfo de.
jdb chetrjos saboni
(fcdosito, bouca do Piulo, junto ao quarte.
de polica,
Baa^l



Diario ce Periiiiiibuco
Segunda felfa
22 de Fevereiro de 1869.
7
h
i
i
I
i
I
GRANDE LIQUIDACAO
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DE
Flix Pereira da Silva, successor de Gama
& Silva
0 proprietario d'este estabelecimento convida ao respeitavel publico desta ca-
pital .\ir surtir-se no grande estabelecimento que tem de fazendas, tanto da moda como
de lei, e as pessoas que negociam em pequea escalla, tanto da prca como do matto-
nesU casa podero faer os seus sortimentos em pequeas e grandes por(es, venden-
do-se-lhes pelos presos que se compram as casas inglezas ; assim como as excellcntis,
simas familias, poderao mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou mandare-
mos levar em suas casas petos nossos caixeiros, para o que acha-se este estabelecimen-
to abort constantemente desde s G horas da manha s 9 da ndute.
PECHINCHAS
Novamente chegadas ao armazem
DO
DE
PAREDES PORTO.
Tendo-nos chegado ltimamente fazendas inteiramente novas, convida-
mos por este meio ao respeitavel publico a que nos procure comprar fazendas de
bom gosto e por precos que nao achara em outra qualquer parte.
O cordeiro previdente
Ra do Inclinado u. fl .
Novo c variado sortimento de perfuma] tas
finas, e oulros objectos.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, de que efectivamente est provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se torna
notavel pela variedade de objectos, superiori- Acabado cliegar a esto eslahelccrmento
dade, qualidades e commodidades de pre-' grande porcao de machinas para costuras do
eos; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede autor Wheeier Wilson, approvadas na ult-
o espera continuar a merecer a apreciaco m exposico de Pars, as quaes cozem con
Para familias
fraudo Bazar, na \ova ns. e
2'i. de C'arneiro % launa fc C.
O atoalhado do PavSo.
Vende-se superior atoalhado de algodo
com 8 palmos de largura, adamascado a
a 1200 a vara; dito de linho faxenda milito
superior a 3 #200 a vara ; guardanapos de
linho adamascados i 4$oOO a duda e limito
finos a 80000, e vlitos economioos a 3*500
datia.
Creehs para cadelras na lof* do
Pava
"Chegaram'os mais lindos panos #e cro-
<& ou guara bantras, proprios para ca-
fieiras tanto d'encosto, como de fcalanco e
de gvnnrtrjao, e outros compridos para so-
f, assim como ditos redondos para mezas
redondas, ditos pequeos para knofadas, e
ditos para cobrir preswrtes, tendo pequeos
at para cobrir um prato, que se vendem
por preco muito em oortta, na toja e arma-
zem do Pavo roa da Impertriz n. 60, de
Peftx Pereira da Sirva.
WvnteH para vestidos braneos
a40.
Vendem-se os maismodernos fusties'bran-
cos flexiveis com padrees de listas e de
lpicos proprios, para vestirles e roupas de
menino a 610 rs.o novado, na loja e arma-
arm do Pavo ra fia Imperatrizn. 60, de
iFelix Pereira da Silva. ^
Admireui!
%& .,
droslenaples
Chegou para a loja'do Pavxo pelo ultimo
' varpor um grande sortimento dos melfcores
-grosdenaples pretos e do cores, tendowerde
tambem, que se vendem mais barato que
em outra' qualqueriparte.
Peciii\oi:\ EM ALOODOSHM10 A 5#5GO
A PECA NA LOJA DO PAVO.
Vende-se superiores pecae de algodaosi-
nho com 20 jai-das a #500 a pooa,-gran-
de pecbiacha, na ra da Imperatri o. 60
armazem fie Flix Pereira'de Silva.
BAMDINH06
Ventiea-se finisstmos babadinhes, ras
bordadas* entremeios, mafs"baratosdque Pereira"da Silva"
em outra sraalquer parte, assim como spar-
tilhos dos mais modernos, no armazem de
Flix Pereira da Silva, raa da Impewilriz
n. 60.
AS CAMBRAIAS DO PAVO
Vendem-se finissimas pecas de cambraias
lizas transparentes tanto inglezas comosuis-
sas tendo mais de vara de largura, pelos
precos de 50000 at 40(5000 a peca, assim
como finissimos organdys branco liso que
serve para vestidos de bailes, por ser muito
transparente a 1#O00, a vara, na loja do
Pavao raa da impertriz n. "60, de Flix Pe-
reira da Suva.
Alpacas lat adas
Chegaram pelo ultimo vapor as mais mo-
dernas alpacas lavradas coa as mais lindas
cores, que se vendem a #000, o-oovado,
ditas lisas tendo tambem cor de -carina a
800 rs, ditas mescladas wuito finas 1:200,
o covado, e outras multas fazendas de gosto
e moda que se vendem mais barato do
que em outra qualquer parte, no armazem
ilo PtrvSo, raa da Impertriz n. flf. deTelix
Pereira da Silva.
Roupas para Iioinciii
Vesdem-se superiores palitdts de pann
sobrocasacos forrados de alpaca e de seda,
camisas inglezas e'lrancezas eom os peltos
de eeguio, ceroulos francezas-de linho e al-
godo, meias craas inglezas superiores, ca-
misas de flanella t de meia fie laa, assim
como neste estabelecimento extete um grande
sortimento de pannos pretos, e de casemiras
inglezas de cores, e que se manda faeer
qualquer obra a contento dos Srs. fregue-
zes, e promette-se-lhes quesero serbos
com a maior provnptidio e -muito mais ba-
rato do que em outra gualquer parte
na na da Impertriz n. 60,-de Flix Perei-
ra da Silva.
!OorClaados
Para camas e^'anellas.
Vende-se um-.grande sortimento dos me-
lhores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janelas, que se ven-
dem a 12#00Os. cada par at 2o*X rs,
isto na raa da Emperatriz'a. 60, de felix
MadapoISes finos a &&, W 7 o
so no aimazem do Le3o.
Chitas escuras de padres lindos por pre-
co de 320 e 360 rs. o covado.
Cassas de cores com palmichas e com
listas de diversos padres a 240 e 320 rs.
Lazinhas cinzentas o cor de boniua a
320 o covado.
Chitas dars miudinhas a 320 e 300,
Alpacas pretas e de coros (indas propinas
para vestidos a 680,700 e 800 rs.
Pecas de cambraia transparentes a k&,
5l e <|. Por esi.e preee admira a todos !
Gortes de casemiras de quadrinteos e lis-
tas -a 2-$800 e 3#.
Oerpinhos hrancos pira senbxura a 3#
3*0O.
Pe chancha!
Cortes de cassineta de cores para calcas-ei,
jraletots a i5500.
Cassineta de cores com um pequeo -to-
que de mofo a 409 rs. o cowdo.
Espartiihos muito finos a 4$500, 5# -c
5^500.
tt
mira! 4
Gravitas de seda a 500 ts.
Goliillias bordedas a 500 rs.
Lazinhas a 200 rs. 1
Lazinhas a 200 -rs.!!
Lazinhas a 200 -rs. t!
No armazem do beo, ra da Impertriz ns. 48 e
ia francesa..
Lencos bordados a 6(, 6^500 e 12,51500.
Ricos e bem escolbidos gostos de bis-
marks para calcas e paletots a 20800 o
corte.
Tambera tem para acabar pecas de pan-
no de linho, com 27 varas, a 170 e i 85.
Toalhas de linho para rosto a 100 a du-
zia.
Aos Srs, armadores de enterres,
Vendem-se pecas de hollanda preta com
40 covados a 50 : na ra da Impertriz n,
48 e 82, junto a padaria franceza, loja do
Leao.
Attenco roupas feitas! 1 no -armazem
do Iteio, ra da Impertriz ns. 48 e 2.
Assim como temos vm grande, completo
e variado sortimento de roupas feitas: pa-
letots saceos, sobreoasacos, fraques, jaque-
toes, calcas, colletes, camisas, ceroulas,
diapos -etc., tudo por procos que-admira I
Tem tambem um sortimento de roupas
ordinarias por preco baratissirao.
Acaba de chegar tambem um completo
sortimesto de dtmascos de cores, sendo
azul, amarelloeeor de caf etc^ que se
vende por preco commodo.
Admba!!
No -armazem do Lo t!!
He aimazem do Lee III
le armazem do 'ieao 11'!
Ho armazem do-Leol!'!
52, junto a loja de owmes
ALTA
A L(
NOVIMDE
LOJA 0 PAVAO
Gurgura de seda
Chegaram pelo ultimo vapor os mais bo-
nitos gurguroes de seda, proprios para*\es-
-tido, sendo-lisos elavradinhos, com meito
lustro, garaatindo-se que a fazenda m;iis
linda e de mais phantasia que este anno tem
legado a este mercado, e veade-se por
preco muito razoavel, iw ra dailmperatz
n. 60, de Felix Pereira da Silva.
GEOSDENAPOLES PW5T0 A OjATRO
PATACAS S O PAVO.
Vende-se grosdenapoles prcto de boa
-lualidade pelo barato preo do L>s80 oco- l
.ado, Si) na lojae armazeaado Pa\^o, raa
da 'Impertriz n. 60 de Feliz Pereira da
Silva.
CAMBRAIA8RANCAA 3050a
Vende-se pecas de cambraia "branca
ifaosparente, com 8e meia varas pelo ba-
rato
laad
10
Gffetone para leiwjes com
palmostle largirra a 2$,
Acaba de chegar esta nova e exccHente
fazeada branca.propria para lences deum
s.pcnno, gaiaiiindo-se que um menso e
urna oarta ou nm metro e meio d um
exceHente lenc^l de um s panno, assim
come esta boa lazenda tamliein muito
pro{)i'ia para toalhas de meza, rosto ote. c
outros mystenes, e vende-se ipelo barassi-
mo preco de 2#--cada metro.
FAZENMS PBETAS
PARA A QUARESMA
MOCAIBIQUE W6k\ VESTIDO A 500 BS.
Citegou para atoja do Pavo um elegante
sortimento dos mais bonitos 'aiocambiques
proprios .para vestidos coru as cores mais
modernas e que -se vendem pelo barata
ALPACiODE COBDAO PARA VERTIDO A U
Ghegou f de alpaco, sendo de cordo e om mais
largura do que a alp&ca, com as ruis unas
dores, come sejam Bismark, lyrie, perolas,
nexo, cor de va una, magenta etc. e vende-
precode 30500, ditas muito tinas tanto w Pel baratsimo preco de io o covado.
las como transparentes i$300, 5,3000, R0Meira>s para quaresha a 16*,
tiooOO, 7.-5O00 e 8J000, assimeomo organ-
-Chegaram a mais bonitas e modernas
romeiras pretas de guipare, que se vendem
quadros na loja e armazem do Pavo -ra pelo-baratissimo preco 6% I6 cada:uma.
Silva.
ALPACAS LAVRADAS ?PARA LUCTO.
Vende-se na loja do Pavo, as mais mo-
dernas alpacas lavradas para lucio, 6endo
muitolargasepelo barato preco de80drs. o
cavado, s na Joja e aimazem do Pavo, raa
la Impertriz n. 60 de Flix Pereira da
Silva.
AS OZ MIL VARAS DE CAMRRALYS FRAN-
CESAS S NA LOJA DO PAVO A 560
RS, 0 METRO.
Vende-se finissimas cambraias francezas
ora os mais delicados padres, tanto mia-
dos eomo grados, e com as cores mais no-
vas que tem vindo no mereado pelo bara-
lissimo preco de 560rs. o metro; garantindo
que 7 metros do um vestido para qual-
quer senhora, e que em outra qualquer loja
nao se "encontrar a mesma fazenda por
igual pre^o, e sira s na loja e armazem de
Pavita, ra da Impertriz n. 00 de Felix
Pereira da Silva,
Cassas inglezas a 440 rs o metro
Vende-se urna grande porco de bonitas
assas inglezas tanto graudascomo miudi-
nhas e de cores fixas pelo barato preco de
140 rs. o metro.garsntindo-se que 7 metros,
do um vestido para qualquer Sra. s na
loja do Pavo ra da Impertriz n. 00 de
Felix Pereira da Silva. Q
Bareges a 400 rs.
H na loja do Pavao
Se vendem as mais bonitas bareges transparen-
tes, propinas para vestidos eom Hstrinhas a imila
SOBRDASACOS PARA A QUARESMA A i E
$.
Vende-se um grande sojtimento de so-
brecasacos e patots sobrecasacados de fi-
nissimo panno pelo pelo baratissimo preco
de 18$, cendo forrados de.nlpaca, e por
20(*, todos forrados de seda, grande pe-
chincha, principalmente por estarmos na
quaresma, assim como, tambem se vende
um grande sortimento de calcas e colettes
de casimira preta que se vende muito mais
barato do que em outra qualquer parle.
ICSGI/) DE LLNHO DE 12 JARDAS A 105.
Vende-se pecas de esguio de linho, fa-
zenda superior, com 12 jardas cada peca, a
100000.
Poli de ehvre a I^OOOo corado
Vende-se pol de Chvre muito largo com
as melhores e mais modernas cores pelo
barato preco de 1#XH) o covado, na loja e
armazem do Pavo, raa da Impertriz n. 60
de Felix Pereira da Silva.
Reoefeeram directamente da Europa as mais superiores azendas pretas espe- j
ctae6:qara a quaresma, s quaes esto vendendo pelos .-mais mdicos precos em vista
da pperior qualidade de ditas fazendas.
AMiTA MOV II V Ui;
Pasquines pretas de renda, verdadeira novidade, para sedhora.
Corgurao preto de seda liso e com iistas assetinadas pan vestidos-
Grosdenaples preto largo -estreito de diversas qualidades havendo aeste ge-
nero oque hademelhor.
Rasqames decrach pretos, ditos de*eda preta com cintos delicadamente en-
feiladoc, elegaates peplums de seda^reta, ficfcos pretos de renda, odernas capinhas
pretas-de renda e upertotas vestidos de gorguro preto bordados.
.?loiraaVrue pro e branco, boinbasiaa, superiores prineezas pretas, iierins
de veSo e trancados dos aielhores.
Os mais lindos vestidos de felond com mantas, capella paraaoivas, superiores
fronhas>de cambraui de linho e de esguio bordadas, e lindas colxas para camas.
Aahldaai de bafile brancas, azues e cor de einza de gosto especial tidos de -cambraia branca ricamente bordados.
.Popelines de seda para vestidos lisos e com listas das ais lindas rcres,
e mais beHos padrn c grande e variado sortimento de sedas tanto em cortes -como
em peca.
( or nato* bordados para camas e janellas, balees parisienses ^;om
molas novo gosto, baKfes reguladores brancos e de cor, espartillios e bellas colxas
de crocli.
Carnizas de linho inglezas para 4domem, cliapos de ol de seda,
grvalas modernas, pannos linos e casimac de core pretas, e utras maitas fazendas
que vendem par muito cemmodos precos
Aloja n. II da im doOueimado tem sempre o melhor 6ortmerro,de tapetes,
alcatifas e
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, nao se afas-
tando elle de sua bem conhecida niansido
e barateza. Em dita loja encontrarao os
apreciadores do bom:
Agua di\ina de E. Coudray.
Dita vei*dadeira de Murray A Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
ceza, todas dos melhores e mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica denlrificia.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservaefio do
asseto da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada finaparacabello.
Frascos com dita japoncea, transparente,
eoutras qualidades.
Finos extractos ingleses, americanes e
franeexes em frascos simples e eneitedos.
Essencia imperial do lino e agradavel chei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finos e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
com escolhidos cheiros, em frascos de dif-
ferentes tamanhos.
Sabonetes -em barras, maiores e menores
para mos.
Ditos transparentes, redondos ,eem figu-
raste meninos.
rtos maito finos em caixinha para barba,
Caixiuhas com bonitos sabonetes imitando
fpactas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
sgas perfamarias, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelBo igualmente bonitas, tam-
jbem de perfumaris tinas.
Bonitos vasos de metal coloridos, c de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
e boneca.
Especial p de arroz sem composicode
cheiro, epor isso o mais proprio para crian-
Cas.
Opieta ingleza-c franceza para dentes.
Pos de camphora e outras differentes
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Aluda mais coques.
Um outro sortimentos de coques de no-
ves e bonitos moldes com filetsde vidrilhos.
e alguns d'elles ornados de flores e fitas,
esto todos expo6tos apreciaco dequem
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E l'UNHOS RORDADOS.
Obras de muito jfosto e perfeico.
KK-elias e fitas para eiuios.
Bello e variado sortimento de laes objec-
dous
vantagem
posponlos toda a costura, e Um a
Je ser to suave o moviment,,
que qualquer icianea de oito anuos ful-
mente traliallia, e pode, ecm este entrele-
nimonto, levar vantaprm ao senico dian)
de trinta costureiras. A comprehenso
simples, pois em um quarto de hora se li-
ca senhor do movimento da machina, ten-
do a mesma a propiiedade de fazer as sc-
guintes costuras: pospontar, abainhar.
franzir, marcar e bordar, cosao apresentaoi
os desenhos que acompanham-nas. Os pro-
prictarios lio estabelecimento se eneafre
gam de mandar ensinar n'esta cidade> e
garantem entregar o importe dispendida ao
comprador, no ca*o de nao traballiar com
perTeifao a machina tendida, nao b-ndo,
porm, soffridoella algumaavaiia. Ha tam-
bem no mesmo estabelecimento machinas
do autor C.iwver a Hakcr, de trabalho sim-
plesmente mo, e outras com movimento
dos ps; e mxime todos os pertences das
mesmas machinas, para vender avulso.
Vende-se
ps dn laranja rravn, da China, lima da Pcfri;
friieta-pao de anaNS p;nn.'iias de diversas cuali-
dades : em i'.nnameriiu, sitio junto ao portaod-i
encanamenlo d'agoa.
Vende-se urna armacao le taberna i-.nm al-
pans gneros : a traiar na na Imperial n. .Iti.
Fundico da Aurora.
Neste casto estbeleclmcnte empre se encontra
um ruinpieto sortnieMo d<" taisM de fern batido
e fundido, fabricadas nifenleiiionle. e se fabric....i
de qualquer molde a vonlade dos eompradorr-, -.
preos razoaveis.
ESCRAVOS FUG1I0S.
Fugio a IS do rorrete inex de Janeiro, .i
eserttto de nome Felippe, rabra eom i." anuo* de
idade, mu pnuco alio, sutranrelluis pretas e ^er-
radas, s cneilos acabocutados, quando anda pi-
ta doro e com paseos largos, tem urna marea de
caustico do lado direito subrfe o ligado, levon cai-
ra dejirim dequailtinlns relos, camisa de nia-
dapolao, haiio pelo de laa redondo, este garra-
voeosiumav;ia paiili.ir na ra oondzindo gne-
ros de ama venida da ra Dfreita para a estli i
das Cinco Ponas, natural do logar Canbotmbo,
An comarca de S. Benlo dcsta provincia, n foi
comprado ao Si-. J. Alves de Mcilo, umrsdi-
nie.-ino lugar, presunie-se que o mesmo esexavo
eonlinua a ganliar na ra, munido de um bilhete
falso procurando senhor ; pede-se aos Srs. eapl-
tacs (k) campo e mais autoridades policiaes ;< cap-
turado dito eseravo e leva-lo ao sen senhor Jo-i
Pereira te Miranda Cimba, morador em Santo
Amaro, sobrado grande do Sr. Manoel Custodio
n. 22, que pe rralitlcar generosamente.
O abano assignado leeommenda a captura
do scii eseravo de nome Jonquim, mualo, fueid*.
da seo sitio do Momeiro, anotado aos seus do-
nos us Sis. joo Gmiealvcs da Silva. Vicente Ca-
valcanti de All.uqm rque e Alexandre Gomes da
Silva, nesta cidaoV, por ntennedio de seus prp
curadores na pessoa do Sr. Mainel Franciscoli
valcano, todos de Pao d'Allio e por intervenranl,
tos, ficando a boaescolha aogosto do com- *l'*'lll<'M"'<'!wior de escmyos). cojo eacmo
D,.aior laiNhein natural do l'aod Aloo e tem os disticon
segumtes: idade 3S annos, seeco do cor| e un
pouco alto, higode. cabello um pouco earapinhad-
e penleado, falta de denles, una inltommaean ,
pradoi
FLORES FINAS.
G que de melhor se pode encontrarnes so
genero, 6obresahindo os delicados ramos
orvalhads para coques.
Vava Tlagein.
Bolsas de tapete e carteiras de couro, por
precos commodos.
Cliapclinas de palha da Italia mui bem
eofeitadas, e enfeites deflores obra de bom
gosto.
assim reuitos outros objectos que se-
ro presentes a queni se dirigir dita loja
do Cordeiro Previdente a raa do Oueimado
n. 16.
ENFEITES DE PALHA PARA VESTIDOS,
CHAPEOS E COQUES.
eruada na junta da mao etquec*. Talla i sertane
jo, muito deseaneada a mansa : levon camisas do
madapolao e liscd de ftigOdlo, c leas de brim
naiilo: O abaixo assiprV.tlo muito reeommenda ;
captura tote sen eseravo lodas as intoridad. -
e na i s pessoas eneairegadu da captor* de asar,
vos, nao so pelas aiversoa eidades, villas e jiovua-
dos, cuino pelo serlao, para onde pode ter segoi
prometle bem gratificar, e tambem a qoakniei
pe?soa que d'elle der noticia certa : a dirigimn-
seao*euescr|>torio a ra do Crespn, lo. ou ao
s<'u sitio no Monlciro.
Recite, 27 de Janeiro de 18G0.
Antonio Josi Boriffuet de Souza.
O-Cordeiro Previdente ra do Queima- Stj SS?*1"* "- **
l
ALTA NOVIDADE
A
Loja do PavSo.
GURGUROES PARA VESTIDOS A
0 COVADO.
lOOO,
Chegaram os mais modernos gurgures
para vestidos, sendo de todas as cores, como
sejam verde, azul, rosa, bismark, perola,
i d^sTrs d* s^Tvend^m-se"'peio" barato rxo & A tendo quasi quatro palmos de lar-
preco de um cruzado cada um covado, nicamen-
te na loja. e armazem do Pavao, roa da Imper-
triz n. 60, de Felix Pereira da Silva.
Croadenaples preto
Vende-se um grande sortimento dos me-
lhores grosdenaples pretos, tanto lar-
gos como estreitos, sendo de 2&000 rs. o
covado at 40000 rs. garantindo-se que
n'este genero ninguem tem melhor fazenda e
.rae se vende mais barato do que em outra
qualquer parte, na ra da Impertriz n. 60,
de Felii Pereira da Silva.
CUtaa
Vendem-se as melhores chitas escuras para
casa sendo de cores fixas, pelos baratos
gura e vende-se" pelo baratissimo preco
de i#000, cada covado nicamente no ar-
mazem de Felix Pereira da Silva, na ra da
Impertriz n. 60.
BniNS PARA CALCA NA LOJA DO PAVO.
Vende-se os mais modernos e melhores
brins de lmho|de todas as cores, outros com
listas do lado, garantindo-se serem de linho
puro e vende-se por precos muito em con-
ta no armazem de Felix Pereira da Silva,
ra da Impertriz n. 60.
RETALHOS PARA LUTO NA LOJA DO
PAVAO.
Vende-se urna grande quantidade de re-
precos de 320 e 360 rs. o 'covado, ditas talhos de chitas e cassas pretas por preco
muito finas francezas sendo claras, com pa- muito barato, e quanto maior for a porcSo
droes de cassa a 360 e 400 rg, pechincha, qoe o fregu comprar, mais barato se lhe
a roa ca Imperatris n. 60,: armazem de Fe- vender na nuda impertriz n, 60 de F-
lix Pereira da Silva. lix Pereira da Silva.
Esteiras da India pata forrar salas.
VALOR THERAPEUTICO
DO
XAROPE DE QUINA FERRUGINOSO
0 GBIMAULT E COMP.
Pbrmeeutieo de I. Jk. I. o principe STapolefto, em Paria.
A asscciaeae do ferro e da quina resol veo um dos mais importaste* problemas da pharmaeia,
e faz cora que se congratulam os mdicos dos relevantes servidos que lites presta esta pre-
paracao.
Com efleito, ningnem ignera que a quina, em mateira medical, o melbor tnico que se
possa empregar, sendo, sobreido, unido ao Phosphato de ferro, a mais estimada das pre-
jwraedes ferragicosas, pois que entram na sua composicio o ferro, elemento do sangue, e o
phosphato, principio dos ossos.
Por isso, julgamoe que, para os srs mdicos,sern nteressantes as observac5es feitas pelos
seos collegas, os mais distinctos de Pars:
Este Xarope produz os mais fezes resollados nos casos de dyspepsia, chlororis,
ameoorrhea, hcmorrfaagias, leucorrheas, febres typhoidas, diabetes, e quando precisa
restabclecer as torca* dos doenies retitiuiir ao eorpo as Coreas alteradas ou perdida*. >
ARNAL, medico de S.M.o Imperador.
E orna das raras combinaedes que, ao mesmo tempo, saiisfazem o medico e o doenle. Em
t quanto a mim, eu a considero como a mais el'fcaz preparaco ferruginosa, cujo uso dos
mais agradaveis para os doentes.
CAZENAVE, medico do hospital Saint-Louis, em Pars.
t Com esta preparacSo d'uma forma agradavel, e fcil de digerir, administra-se aos
doentes dois medicamentos importantes.
CHAKKIER, chefe de diniea daFaculdadcde Pars.
En emprego cem o maior xito o Xarope de Quina ferruginoso, e o considero como-
i ama das mais felizes innovaedes, na mateira medical. "^
CIIASSAIGNAC, ciruryioem chefe do hospital Lariboisire.
Este medicamento, sempre bem aceito pelos doentes, deo-me constantemente os mais
ventajosos resultados.
HERVEZ DE CHEG01N, membro da Academia de medicina.
* A limpidez d'esta preparaco, o sen gsto agradavel, isento de qualquer sabor de
ierro, fazem d'ella um medicamento Uo efficat como agradavel.
M0N0D, addido Faculdade de medicina.
Deposito em Pernambuco, em casa de Ihni O*.
lite
do b. Lii acaba de receber um bello sorti-
mento de trancas de palha para enfeites de
vestidos, outras para chapeos, coques etc.
tudo isto est sendo vendido com a sua bem
conhecida eommod i dade de precos.
ALEM D'AOELLES.
Recebeu outros lindos enfeites de soda
para vestidos { assim como um variado sor-
timento de gall&es de la, babadinhos de
cambraia com bordados de cores, cuja va-
riedade do gostos os tornam recommenda-
dos e apreciados ; eompareeao pois os pre-
tendentes que serao ser\idos a contento.
TAO BEM RECEBEU.
?Novo provimento de bicos e rendas de
guepurc.
LUVAS DE PELLICA.
De todas as cores tanto para homerr
eomo para senhoras, constantemente achara-
se a venda na loja do Cordeiro Previdente :
a ra do Queimado n. 16.
MOA de graiileafio
rapto no dia H de Janeiro do crreme
anno,
i .innos de idade. cha-
fo) do Sr. Joao da Cuba
i.ivo esfera no depusilo geral .;
tem os sijnwes sepuinle- ; aja, sirco do rtpo,
ni;..! i -Marcelino, que
Pereira, cujo eseravo
leni ns signes sepui
nisiu milito marcado de bexig^MtV de dente-
na lieu..e eor-prea. sabio dr*.-lia|>ti do cuite, pa-
elote calca de castor, levando um lialiuzinho de
SlTr? r"pa' e PP-" "^ "a
nepiieaado -abo: quem o aporenenderlove-o
ao dito eiifeWio. ou ra da Senzala-nova n :i*
eseriptono do Sr. ernardino Pontual, nue reee-
bera a irratiQoacao cima.
Acla-ae lugida desde la de outubro do anno
ultimo a eserava de nome Custodia, idade de 24 a
pannos, mulata, cabellos carapinhos, dentes
alvos e lunados, ostatnra regular e um lano chele
do eorpo, e natural do Pianco/.inho, districto de
baisa-verde, e foi vendida aqui pelo Sr. Vicente
Nogueu-a de Carvalho : quem a capturar qneira
dirgir-se a Albino tose Ferreira da Cunba, no lar-
go de S. Pedro n. 17, que ser aw*erosamenle te-
eoinpeus.i.lii. ^s
Fugio do engenlio S. Pedro, termo de Bar-
raros, no da C de janelro de 186, o eseravo
Luiz, erioulo, cor meia fula, com idade do 2-"i an-
nos pouco mais ou menos, com muila pennaem
de barba no higode, e j nascendo na pona -i,
queixn, talla meia apresada, bracos e peinas um
pouco linos, o blanco do ollio anarellaco, tem os
dedos dos ps encostados ao dedo grande, .- mais
compridos nm pouco que o grande, mallo dever
A IOJ8 fle LoelllO Oliveira ra do tu, nao rteixa de oslar em funeciio no lugar onde
Queimado n. 19, reeebeu pelo ultimo vapor M?a,'i,a' faD3z dc P***" Pr fl""ro, temnoen,-.
de diversos
NOVIDADE


ifpmatk
a taitmt
k edtciu
t Par
J LULAS
JIho^SSmsJ
^BWNduBUISSok
rtaaacetlk*
mmk

___________________________taitmt
.JLtr*Uni?!lt0 d" affect*echloroiicai,-i3fji>phacas ou escrophulosas semnre lens-
KBSK^S^^dal^^,I,,l?d B"xeU"',G<"'<>ul eVreqnin de Lyo e
ZL* l~ft^/^^l.t?DPw>'te 1" *' Persis^rer. a compleut
ausencia do Maneanesp ln,~T H j *"""" r** i*"" er completo
: ,."" y, V, elment que sempre dere-se acbar nosaicoe mnetamenta com
nm
*.
um bello sortiruento de bles
systemas, os mais aperfeicoados tque teem
vindo ao mercado, sendo :
BalSes de guipur com tiras chamados
reguladores, ditos de musselina abertos por
ambos os lados, de modo que sendo todos
de um tamanho servem para qualqjjer se-
niora, de laa de cores, com tiras, e as se-
geintes fazendas:
Saias de laa com bonitas barras.
Chales turcos de seda e la Beatriz de
Tunda6.
Fitas de guipur pretos Rocamboly.
Chapeos de sol para senhora, muito lin-
dos.
Lfiaslahas
Sultanes, Poil deChevre, Tricte, dito de
xadrez e outras multas, entre ellas urna
Especialidade
L5a pura de cores a 360 rs. o covado.
Basquinas a Maria Antoniete.
Cambraias fantazia.
Ditas brancas transparentes Victorias
Colxas adamascadas.
Cobertas chinezas a 2*500 rs. e outras
muitas fazendas que tornar-se-hia-enadonho
annunciar.
dua.s ou iros marcas de chicote, islo mesmo pe-
queas, que se precisa reparar, boa altura, boni-
ta lignra, beieos meio grossos ; iulea-se andar
nesla piara : quem o pegar dirija-se a casados
brs. Manoel Alves Ferreira & C, ra da Moeda n.
o, t andar, que sera recompensado com 100*00
I erlence dito eseravo a Christovo Denlo do Re
liarreto.
tego
Vende-se
pilan..
4 a *
pez de rozeiras e fructeiras de varias qualidades :
no pateo da Santa Cruz u. 20.
Atten$o
Vendem-se caixas, meias e quartos com passas,
com pequeo toque a 4 a caixa
Madre d> Dos n. 18.
* ..
de gratificado.
Furlaram no dia 13 do crreme, das 2 para as 5
horas da manha, de um rancho de Tygipi. don?
cavallos de eaugalha, ambos ferrados' no quarto
direito, e rom os stgnaes seguintes: o Io ruc
beieos branco?, urna lislra branca dos bolsos para
a barriga, dous cascos dos ps brancos, gr
andador baixo. de lainanho regular, castrado r
com nm grao; o 2" wrmelho, una das oreln
lascadas na pona, pesado, c tambem castrado
pede-se a quem liver noticia dclles, c s aulorida-
des. ,|ue os apprehendam c os mandem levar ao
engenho Arariha de baixo, na comarca
ou nojtoeife a ra da Senzala-nova n. 38, onde
cebe rao a gralilicaeao cima.
tugio no dia 14 do crreme a pela Domin-
gas, escra. a que foi do finado Firmino Jos Felix
da Boa, eom os signaes seguintes: 33 annos de
idade pouoo mais ou menos, eslora
do eorpo, um tanto magra, olhos esbugaM
nao milit; nariz um tanto grosso, toma muito ta-
baco, pelo que tem a voz um pouco
eos grossos, sendo o inferior algmna
!'.ilbotados cornos dedos aun;;
un mediatos aos mnimos bastante-
grandes separados dos outros; ve- dita
verde brancas chale de rai(toi
com barra lavrada de du ai a
aprehender, pode leva-la na do Imperador n. 1
. nrimeiro andar, ou era Betoribe ao Sr. M
na travessa dalPeivi. o de ser ali ;q
I d, Rede, 19 de fevereiro de 18H.


8

Diario de Fenuimbuco Segunda feira 22 de Fevereiro de 1869.

-
_
UTTERATBA.
i:*TADO A eleicao presidencial.
Continuaco.
Os prophelas de mau agouro tinham ju-
rado que a eleicao cubara ros de sangue.
que seria feita com estampidos de canhao.
Ao inverso aisse, numa dia algum do elei-
cao se passou la) tranquilamente : apeaas
houve que reprimir algumas desonlens nos
estados do snj. O ittp -' tanfr todo uanto l W respaile se pode
dizer, as elei#es na Amenra sao negocio
serio e que, sol todos os governos, un
novo, que estiver acostumado a tratar tudo
ao serio, o nico fundamento solido da
tranquillidade dos estados.
Ha um anno que a influencia do grande
partido republicano, que at ento era so-
berana, pareceu gravemente abalada. Pela
priraeira vez, desde cinco annos passados,
e nao obstanto um redobro de esforcos
absolutamente desusados as eleicoes lo-
caes, a maioria llie tinha escaldo nos es-
tados do sul.
A vantagem ganha pelo partido demcra-
ta, posto que nmi insignificante, e talvez
devida em grande parte a causas secunda-
rias, pareca ser o ponto de partida de urna
reaco prevista desde muito tempo. As
maiorias republicanas, em geral, tinham
sido mui Iracas, c s vezes, mesma lacer-
tas e oontestaveis: porm. sem contar que
esta mesma igualdade donunciava a deca-
dencia da' Wfflieneta republicana, perce-
biam-se por todos OS Unios os signaos pre-
cursores dWSW retornos de opinio, que
nos paizes livres sao immediatamente se-
guidos de urna volta de fortuna e podero.
Quasi em todas as partes os radicaos
tetaementes rram, substituidos nos cargos
mimicipaes. (u>r pnr republicanos modera-
dos, quer mesino por demcratas.
Boston, a cidade de negroplulos, e a ca-
pital do abolicionismo, acabava de eleger
um maire demcrata. Os republicanos do
Oliio, ao pusso que uomeavara um goyer-
nador unionista, haviam-se pronunciado
enrgicamente contra o direito dos negros
votarem.
Esta evidente que os ;cbefes radicaes
que desde dous annos dirigiam a poltica
do congresso, comecavam a passar das mar-
cas e a fatigar o sentimento publico. Pa-
reca chagado para os republicanos o mo-
mento de tomarem sua desforrar reunindo
todos os descontentes, e de tornarem a
entrar para a presidencia, depois de terem
estado segregados della por oitoaunos.
B-pm-tTdrrdemocrativo, havia tres annos
que, por sua cotila, se tiuha acoimado mui-
to. A aJversidade tinhi-e feito remocar,
e.como vulgamente se diz, elle liavia crea-
do pelle nova. Resistindo seinpre as ideas
novas nio tinham cessado de ir aebmpanhan-
do-as de longe, c cada dia mais se dexava
arrestar pelo movimento de espirito pu-
blico.
J nao era mais nem essa minora arro-
gante, que nimia lia porteo quera impr ao
congresso a praga.da es/ravidao, e que
com insolencia negava a autoridade do go-
vumo da l'nio; nem to pouco essa faceo
ante-nacional, que durante toda a quadra
da guerra civil, nao se fartou de pedir a
paz a todo o custo, e de segosijar com os
triumplios casuaes dos rebeldes.
Amostrados pelos acontecimentos, con-
vertidos pela forca das circumstancias, e
mais amaciados por seus proprios revezes,
os demcratas pareciam resignados a reco-
nhecerem os factos consumanados. Como
partidarios do direito dos estados e da
lesigualdade das raras, nao tinham renun-
ciado a nenluima de suas antigs opiuioes;
porm aguardando deentSo em diante pelo
futuro, nao pensavam mais em reclamar
contra mudancas irrevogavis.
Os principios e prejjiizos, em que cites
anda se apoiatam, tinham ficado- constan-
temente populares, c coatavam muitos
adherentes secreto?, mearan at entre seus
adversarios confessos. Poda ser em sum-
ma, que os demcratas moderados estves-
o representaado mellior, que os repu-
blicanos, a verdadeira opinio do paiz
confidencia, elle com muita Inbilidade mu-
duva de conversa. Urna vez que o presi-
dente do senado, Mr. Wade, qaz sondado
e angaria-lo para a poltica radical, pz-sc
etle a dissertr acerca de cavallos corasum-
ma facundia, que Mr. Wade nao pode con-
seguir que elle passasse a outro assumpto.
Outra voz, comparecendo perante urna
commissao do congresso como testemunha
informante n'um inquerito grave, e sendo
intimado para dar seu parecer sobre I'a
i|ue ella acabava de dar aconheeer: Ser
isto um interrogatorio, exclamou elle, pelo
qual se me quer fazer passar. IVr acasft
quereriam processar-me, sentenciar-mc?
Gostava, em summa, de repetir que elle
nao era uin liomem poltico, mas sim um
soldado, cujo mister e dever eram o ser-
vir sua patria, prestando rigorosa obedi-
encia s leis, Assim era que sua conducta
eslava do todo accordocom esta linguajem.
Em todas as funeces, que por dous annos
elle tnha desempeuhado, quer conferidas
pelo presidente, quer pelo congresso, como
ministro, e depois oommandante em cliefe
do exercito, ou como dictador militar dos
estados do sul, nem urna s vez elle se trans-
viou de sua conducta; nunca ninguem o vio
nem republicano, nem radical, nem dem-
crata, pondo sua autoridade ao servir o a i
um partido ou de sua ambicao pessoal:
era que no lente general dos exercitos
nao se dexava entrever o futuro candidato
presidencia.
Ficou-se reduzido a conjecturas para se
adivinhar a escolua, que elle iria fazer. Uns
esquadrinhavam a sua vida passada, a ver
se nella encontrariam os indicios de suas
opinies presentes, e com gosto se recor-
davam que, em sua obscura juvenlude. o
general GTant pertencia parte mais deci-
dida do partido democrtico. Outros re-
cordavara sua vida militar, os brabantes
serviros prestados causa republicana, e
nao crian que pudesse abandonar as ban-
deras, debaixo das quacs militara tanto tem-
po. Para os dous partidos o general ara
como um orculo, que decidira da sorte de
ambos.* Indecisos entre a impaciencia,por
saber qual seria o pensamento Qual dalle, e
entre o receio de ve-lo declarar-se contra
algum delles, ambos os partidos nao ousa-
vam ataca-lo, e bem que nao gostassem da
freserva, respeitavam-lbe o silencio. Quan-
to maior ia sendo a perplexidade, tanto mais
os partidos se acodavam em alga-lo at os
cornos da la, o j de antemo cada um
se congratulava por ter alemeado o apoo
delle.
.No paiz nao havia exemplo do semelhan-
te fortuna. Jamis cidado algum, se
que nao foi-o glorioso fundador da rep-
blica, tinha gozado dessa situaco suprema,
donde Grant, sem commuriioar seus desig-
nios a nenhum, commandava os dous par-
tidos. Em qualquer outro paiz, onde nao
liouver liberdade da palavra e pubcidade
permanente e sem reserva, essa la ilurni-
dade, um tanto sobrancera, que tanto apro-
veitava bem ao general Grant, teria sido
encarada como urna insolencia insupporta
ve!, e crime de lesa-popularidade; tambem
nao so deixaria de enxergar mssoa amostra
de urna poltica perQda, deum carcter des-
potieo e ambicioso, e a hypoerisia de um
tudo, era por ser elle o candidato neces-. subraetel-os a urna autoridade regular e
sario, e por isao, ter bar-cada a estrada I forte.
aquclles que ellos tivessem oBerecitr do' Agora que^se trata da-restituiNhes as
seu gremio. No- djzr rijlldl, > ejfr fm
homem mediocre, sem firmeza, sem p n-
cipios o sem ideas. Mr.. Wendel Philips
nunca pflcmiHMJWto WhJJne Stllp um sota-
ipie de menoscabo e zombana. O propr
Mr. Horacio GreeleyMeclarava na Tribuna
que se os republifanosj|jy"|fmi ojgpral
Grflnt, da parte delle J
de decadencia e um acTWleilWwa^tt vv
luntaria. Urga que, afim de a todo custo
se evitar esse desdouro, se onuzesse a essa
candidatorl pseudo-repnb!
darle fran 'O e radical de Mr. Cliasje. as
rounioej |#tpatoi|s em que 8' linlA
apivscntado ondme dogfmeral Gnud, %Mm
moderados encontraranrnns radicaes urna
opposicao decidida. Por 'oceato- -das-
eleicoes annnaes do club de Untm leagne
em Phladelpha, as paroerias de Grant e
Chasse tinham iielejado urna batalha renbida.
Tendo-se pronunciado de parte a paite os
mais virulentos discursos, c havendo os
partidistas de Grant sobrepujado contra os
de Chasse, os radicaos amotinadamente se
retiraran! da assembla. Pareca, pusine-
vitavel urna sciso, e os demcratas con-
tnvam muito aproveitar-se dessa ruptura
tanto para aggregarem a si os republicanos
moderados, como para se appassareui do
candidato delles.
franquas, gue Bies haviam sido tiradas,
acontecera que, com o pretexto de restau-
rar a independencia*de suas iustit ligijes lo-
cct^cI}*;, flearwn sem inten, e entregues
n mfmgos poderosissimos! A guerra das
raras se tornara a accender sob urna nova
lasa^. scria-Gpio que, depois do part-
no de'Bcrala-ilBr dizimado por incapaci-
cliamariao partido dos
brancos a cooperar iautilmsnta m votaclo.
Consoutia-se que os eiuissarios do piriiih
radical com saas iredir,- fm^Bexaspe-
do general Grant matou-a complctament
para nunca mais resurgir. Tal personali-
dade agora s augmentar mais a lista dis
antigos presidentes, que estao oWidados,
e o mais que se lbe deve dtsajar, que o
povo americano se esqueca delle. Don ais
precis<) ilitr qu 3 manutencio oti a
deposiclo.ld ^M-edeiite'Johason nto era,
na poca em que se deu o procasso, sanio
questio de imo utanca sei'imdaria, a qu l
m.iis dzia respeto disciplina internada
go-ernanca, do que a gestii) *"05 nfcgodo*
de Estadik : vinlia, pos sftr o negocio do
impeachmerit' ((Jdnittindrr-s* a compara-
ca i com os paizes de principe e crte)j
rassema rara HflgrS, mis ao- adversarios umi mora brigi paktoana, a qual peaas
imilliadis negava-seat a iniiboilite 'pro-
ao de iiiff direito de sulfra^o igual e
'C T i s lca'va satisfi'il i >-i arr.iu-
csr-ibos 0 gozo de seus Dtailos polticos,
mas ia-se at o ponto de combator-lbes a
influencia moral sobre o espirito dos negros.
Os radcaes orgaoisavain contra elles urna
nova cruzada, dirigida por demagogos e ou-
tros aventureiros vindos do norte, ou mes-
mo de antigos su!ista.s, que no tempo da
guerra se chanwvam pipa-fogo, renegados
de sua propria causa, que agora por suas
novas violemMs envidavam a absolvico das
passadas.
Um dos chafes desses bandos facciosos
era um velho clrigo por nome Hunnicui,
que na Virginia pubbrava um jornal [tara
uso da gente de coi', e com> um strapa,
Emuuunti) os republicanos pelas suas des-
.VOTO se eufraqueciam nos estados do andaba ac.ompa.had. pop un, ascolU ar-
norte, os demcratas cada vez mais iafor-
taleciam nos estados do sul, onde (.'lies com
toda a sua influencia arreloravara a irgmi-
saco de iwvos governos deslado em coo-
l'ormiilade com o plano de reoonstrucao do
congresso. Esse sul, que outr'ora en to
mada. e tinha guarda porta de sua casa.
Tres lioinens, pela influencia Ilustrada,
elles exerciaii s tbre a classe servil,
uim-se tornando em verdal-iros reas do os-
lad do sul: entraara para a govananca,
oceupariam todas as magistraturas, e repar-
tiran! pelos seu? imm 'dalos todos os em-
iutratavel, co.n, que po,-e,.^:.^^!,^, Q
SSSSSSS2 ISPtZt --.* ^'- >>
potentes, <|ue se .icluinivam go-vernadores
militares. Nao sonmguein duvidamiis da
coucui-so delles n.\^ praMMH nloiew, sa
isso Ibes l'osse permiuido.^ como tambam
os republicanos MAmdoa iteviainuellasoer
der o lugar aes repubcanos exaltados, e,
se estes alcancassem a presidencia, nao pe-
dera acontecer isso mais senao pelo aju-
datorio dos estados do sul. Que singular
mudanca da fortuna, que faria com que as
npiiioes radicaes, que estavo desterradas
do seu slo uatal.viessem encontrar refugio
e ajuda no amago do paiz inimigo! Por
ipial contraste inexplicavel a patria da sci-
so, o foco do partido democrtico tiubaseJ
convertido em baluarte e terrado promis-
sfio para o radicalisino !
Comdar-seaotrabalhode se recordas das
para legatisar a dppresso revol iconaria.
Assim deveriam, n6 concto dos homens d)
sul, serasconsequencias da prxima recons-
truccao. Quantoos radicaos podi am dese-
jal-a, tanto a gente do sul devia roceial-a,
e comprcliende-se muito com que sacrificio
elles se resignaran! a atural-a.
Sendo a abstencao o seu nico recurso,
elles resolveram em massa abster-se della.
Pois que elles renunciavam a obter a maio-
ria dos sulTragios, o nico meio, que Ibes
restava para escapar da fatal reorganisaco,
era a abstencao. Se mais de Metade dos
eleitores recusasse votar, a eleicao ficaria
I'galmente iiulla. D.j**a nuneira a cleico
produziria, ao" meBos provisoriaiiicnte, to-
das os resultados de urna wctoria, O plano
de reorganisaca i seria tra isvisado, ouadia-
0
Comdar-se;mt al, Kuh ^rea,nla> .m. o ^ ^
^^'^'^ abaien.-ao nao rcsultsse o
ganisarem os es a do 1 S., Uidq i*> to- fl .,, ^ ,h der ^
cimente se comprehen.le.a. on| vanlages Unind ^ por um pr0.
F.ss.as leis n3o erain. como se noderia ter testo mudo com seus coneWados exclui-
poltico manhoso, que aguardava por todos
os relances para depois trucar de falso. Eis
o que provavolmoatte se teria julgado. s
este general fosse um poltico de prolisso,
por exemplo um Johnson, um Summer. um
Chasse, ou inesino um Lincoln, .acostuma-
dos s usancas da vida publiaa e subordi-
nados disciplina dos partidos; porm a
popularidad^ delle pairara muito cimeira a
todos esses vituperios.
O que n'outros teria parecido umdefeito
passava, ora, a respeito delle, como urna
virtude. A modestia, o desinters, o a
simplicidad! proverbial, que elle professava
angariavam-lhe a estima dos partidos, os
quaes simultneamente admiraran! e re-
cejaran a reserva obstinada. A sua n-
dole, que era pouco complceme, prestava-
lbe certo porte mysterioso, que Iba aug-
mentava o prestigio no concedo das turbas.
Pouco faltouque se nao admirasse o laco-
nismo forcado, cuja causa elle com toda a
modestia confessava, mas que lodos consi-
deravam como prava de espirito profundo.
Pareca que o povo americano, que pelo
compr
Essas leis nao erain.ctmo se poderla ter
julgado, simplas decretos dictatoriaes com
o liui de se %ss irar da sajeica da re-
gan, ondo'l.lvTou a rebelda ; maS Sitl vP
zavam a um fim mais imporfcmui e mais
dillicl. N3o ,se propwnham a nada menos
do que -converso repentina ilos estados
rebeldes do sul para as ideas republicanas
e radicaes. Por eoneedereiu dirtos poli-
ticos a todas as pessjas laes sem distinc-
co de rara, pela exclusao systomatica de
todos aqueUes que foram fuuccionarios da
governo confederado, c pelo uso arbitrario
desse direito de exclusa, confiado s auto-
ridades federaos, essas leis novas assegu-
ravam urna maioria quasi eerta gente de
cor, e aos radicaes, que do norte tinha,
vindo para dirigir a mesma gente. Fiando
assim composto esse corpo elitoral, era
convocado em cada um estado, para no-
mear urna assembla constitunte, votaruma
i'onstituieao. elege:-nina legislatura e res-
tabelecer toilas as formas de um governo
livre, com a nica condcSo de primeira-
mente se ratilicarcm todas as vontades do
congresso. Percebe-sc que, com um rgi-
men semelliaute, os radicaes nada tivessem
a temer do lado das no vos governos, e que
fieassem ancisos por instaural-os afim de
cantar com elles lio grande combate, que
se iaenipeuhar. Por isso empregam os l-
timos esforcos para ganhar de rojo as pri-
que Ibes eslava prejuihcando, era a attitnde, fact0 de ^ Jdhn90n sentir-se enfastiad
que elles assumiram durante a guerra, e os
votos, que elles mais disfarcarain, pelorom-
pimento da unio nacional.
Com algumas conqessoes hbilmente fei-
tas ao patriotismo offendido dos estados no
norte, tudo poderia ter ficado sanado. Sobre-
todo, se elles tivessem conseguido apossar-
se da entidade do general Grant e fazer
delle o seu candidato para a prxima elec5o
suprema, ticavain seguros de tornar a sol-
dnos da situac-o, e a presidencia Ibes
pertenceria^
Desde enro o vencedor de Richmond
era a personagem indispensavel, cujas boas
gracas eram cobicadas por todos os partidos.
e no qual todos tinham os olhos pregados.
Nunca houve candidato popular, que visse
seus favores disputados com tamanha vehe-
mencia em todos os comicios.
Todos parcebiam que o resultado da lide
elitoral j eslava encerrado as mos delle,
e a victoria pertencia de antemo ao partido
que tivesse a dita de cahir-lhe em grapa ;
porm at ento nao se sabia qual seria a
preferencia delle ; e disse-se que elle capri-
chava em irazer toda a gente suspensa a
tal respeito. Se foi que elle j tivesse to-
mado conuAg uma resoluto, nab bavia
ninguem que lbe tivesse obtido a confiden-
cia disso. Por excesso de prudencia e de
reserva, o que poda ser julgado como fruc-
to de indecisfol mas qde fia Pealidadeno
era outra cousa soilo habilidade, elle fugio
lie se pronunciar a respeito da poltica ge-
ral, e nao proferia palavra alguma, que se
parecesse com um empenho ou promessa.
Debalde ambos os partidos o imnortunavam
com adulacocs e finezas; debalde as depu-
taces delles biara sua casa fazel-o passar
por esses interrogatorios, de que na Ame-
rica nenhuma eminencia poltica p le es-
capar em qualquer occasjao; debalde era
ludo isso; porque elle acolhiacom polidez
taes differencias, agradeca lacnicamente a
offerta de seus bous servicos, porm illu-
dia-lbes sempre as ([uestoes com desplante
soldadesco, e assim, tratando com franque-
sa e muita sagacdade, se furia syndi-
cancia.
Se o interpellavam em publico, etle sa-
hia-se bem de taes apuros, pretextando
pe nunca teve o dora da palavra, e que
nem invja cultivado, mas que seus con-
cidados, que lbe tinham testenrunhado os
artos, podiam julga-lo pelas suas accs.
Qaando algum amigo tratava de surprender
o seu pensamento, ou apanhar-lho urna
foutras vantageas. Unindo-se por um pro-
testo mudo com seus enflfaados exclui-
dos do sulfragu), os conservadores do sul
ormariam um partido poderoso, e assim
melhor fariaui sobresalur a injustica de um
governo, que se apoiava as paix&es c ren-
cores de urna minora tosca ; rias, se ao
manos ellos padessem retardar a obra dos
radicaes at a grande eleicao presidencial,
ento os demcratas, tornando a entrar para
a'govomartca, cliegario a tempo de liber-
tal-os.
Esta ultima esperanca tambem nao durou
muito. No Mississipi, em Arkansas e na
propria Carolina do norte, as eleicoes,
por falta do numero necessario de votantes,
deveriam ser comeQadas outra vez. A ins-
tigacao de Mr. Thadeo Stevens, que foi fe-
cundo neste genero de inaenees, a cmara
dos represeaUates ducidio que, as elei-
goes dos governos do sul, a maioria relati-
va d'hora em diajite ser suficiente sompre.
Demais disso, os tramites cleitoraes em
toda a parte linfa ata corrido sem estorvo, e
quasi sempw tinham levado ao poder o
partido radical. Agente de cor, capitanea-
da par seus novos amos, tinha concorrido
armada, votara com unauimidade de carga
cerrada.
Por exemplo, em Savanah tres mil ho-
njjns de cor, o apenas nove pessoas braja*
e*, foram as que tomaraih parte na eleicao.
Quasi todos os que sahiram eleitos, eram
meras|eleicbes das assemblas constituintes. pessoas aovas e obscuras, quer fossem
influa indirectamente sobre a poltica geral
da naco. Comtudo, como esse pVicesso
servio de -campo de batalha para ambos
os partidos pelejarem tantos mezes ; como
os radicaes por muito tempo contassem
dependerem delle todas as suas esparancas
e anabir.oes eletoraes ; e como, em summa
fosse isso o sgnal e a causa da derrota
delles, convm aqui recorda-lo de passa-
gem. Ao menos, esta narrativa nao dei-
xar de offerecer um certo interesse cu-
rioso ao leitor estrangeiro, que nao estiver
acostumado a presenciar ser a propria pes-
soa do chefe do Estado posta pacificamente
em julgamento n'um tribunal, a dous pas-
sos do palacio presidencial.
Ojiando, emnovembro do anno pnssado.
o congresso se installou, a commissao de
impeachment, que fra nomeada na sessa)
anterior, ainda se achara trabalhando. Os
radicaes nao 'tinham reanudado de modo
algum a derribar o presidente de sua ca-
deira curul. Pelo contrario, quanto mais
elles iam perdendo na opinio publica, c
quanto mais Ibes pareca necessario esse
acto de podero, tanto mais ellos pensavam
em tornar a conquistar a autoridade por
meto de um arrojo de audacia. Depois de
varias tentativas infructuosas para se de-
parar, com motivo para o processo, elles
iam eacabecar a aecusaco, que Mr. John-
son acabava de ibes foruecer, pela dems-
so do ministro da guerra, Mr. Edwin
Sianton. Esse ministro, que por causa de
suas opines radicaes, nao era do agrado
do presidente, fra succintamenta demitldo
do gabinete, e provisoriamente substituido
pelo general Grant, em contravenco di-
recta cora a lei chamada teaure of omce
bil, que submettia previa approvaro do
congresso todas as mudancas administra-
tivas, sem exceptuar mesmo aquellas que
dizam respeito ao proprio ministerio. Este
novo capitulo de queixa, junto a outros
muitos, pareceu a commissao ser motivo
bastante para se pronunciar urna aecusaco
formal. Cinco de seus membros votaram
contra os outros quatro, pela aecusaco
immediata, o o relator, que foi Mr. Bou-
twell, propoz-la logo acamara.
I'avoravel pareca o momento : pois que
Mr. Johnson, que esta compondo a sua
mensagem annual, tinha dito a quem qoz
ouvi-loque a mensagem teria o effeito de
um raii) cabido no meio do congresso. A
cmara dos deputados, que contava lio
republicanos contra 40 demcratas, segu-
ramente nao aturara com muita tolerancia
essa nova affrona do presidente. Com
tudo, a principio, a proposta foi recebida
com frieza. O relatorio de Mr. Boutwell
provocou urna algazarra de applausos e
assovios de mo agouro. Pelo contrario
foi ouvido com grande attenco o relatorio.
que, como replica por conlrariedade, foi
apresontado por Mr. Eldridge e Mr. Mar-
shall, nicos membros demcratas da com-
missao.
Quanto aos outros dous membros de-
mcratas da commissao, Mr. Wilson e Mr.
Woodbridge, que tinham votado contra a
aecusaco, esses opinaram que sendo o pro-
cedimento de Mr.Johnson ccnsuravel, tanto
poltica como moralmente, ainda assim mes-
mo nao se prestava a urna condemnaro
jfidiciarra e que as faltas polticas devam
ser julgadas pela urna elitoral e nao pe-
rante o tribunal supremo. Ninguem du-
vidou mais de que a assembla sera do
mesmo parecer. O general Grant, citado
como testemunha perante a cmara, sem
que nem urna s vez desmentisse sua
fyial de vos caros lettores, ainda nio
ouvu palpitar o caracio ao lado de urna
dessas Circacianas recifenses! i
Mocas ou velhos nenhuaa dfr que
nfio I
0 coraco uotemidade,j ds.sealguem.
(We-o milito bemr nio teu id;
o Amor.. *f todas as idades, di- n-Hugo.
(jnmquo aa > a;ta!....o que quer
que seja.? JB
Mocos, vos gue desbrochaos aurora da
ti v? ^i'- fcen.tij.com toda forca arder
no peito'esse sentimento que ninguem ain-
da bem delfiio, porgue cortes vista de
ufHoHi)'? lindo.*;....mrtadere, e-ao apeMo
de urna mosinha ".'
Porque emmudeceis, mocas bonitas e
feas, ao voltear de urna walsa, ao apertar-
vos a cintaia o braoo de alguem que vos
faz palpitar o coraco ?
O amor!
Ttiiln ttesse man.) ama !
O amor rejuvenesse os velhos, e faz dos
mocos criancas !
Eo incentivo de todas as aceos nobres
e grandiosas.
Sonhai, vivei, amai!
Ainai vos verdadeiras mis de vosaoa li-
llios imballando-os no berca, vi mocas
aquello que despertou o vosso coraco, vos
mocos que experimentastes o Jarilho de um
olhar magntico....
I
O amor I
Gracas aos seus encantos
Tudo ama tudo gosa
Ama o homem a mulher
Ama Narciso a Rosa!
Ama o Narciso a Rosa! o grito do co-
raco e da toncaravi o carnaval!
O carnaval!
S.'inpre o carnavaj ainda que seja mo-
Ihadol
O carnaval de 09 tica registrado em
todas as memorias desde a da mais coqnette
chonchn at a do mais importante vulto
da provacia.
In'undaco e carnaval!
Picrrots, chicarJs, debartlecor litis e tu'.i
quanii, gritai comraigoviva a foliaviva
o carnaval t
Estoure a chapagne c viva o carnaval.
Ao Santa Izabel!
E a chura cahia, e o salo regogi-
tava.
Ninguem dansa, aquillo urna loucura
ao canean, ao cancn.
La carre o domin negro, salta, dansa e
nao esquece a pillera, o marinkriro, o
domin amare.llo debaixo do desfarce oceu-
lam um thesouro de ditos agudo, de epi-
grammas, e gracas fatpicadas de atticismo.
Venba o gracejo enluvado, venha a boti-
na cor de rosa, e eu sonho como um Mer-
curio urna liohomienne, urna Era e urna
Hespanhota de salo :um masqu de fa-
milia um cu. um iij erno.
Ao canean Egipcie-] ao cacan macaco
traquinas ;
E a msica fclia as abobadas do sa-
lo, e o soalho estremece s folias do cama-
val.
Ao Santa Izabel! velhos, mocos e crean-
Cas !
'

da casta de presidentes oradores, tinha
resolvido levar a chefia da naco um homem
de bem singelo, que nao estivesse ligado a
partidos, que nao tivesse pretences de
qualidade alguma, que fosse dependente
de todas as faeces, que brigam pelo
mando, e que fosse incapaz de servic-se do
poder em prol de seu interesse possoal.
Os republicanos poderiam licar vencido-;, e
os demcratas tornar a ganhar a sua antiga
influencia; s havia urna cousa que ento
pareca certa, e era que o genegral Ulysses
Grant seria o prximo presidento dos 'Es-
tados-Unidos.
Neste meio tempo, nao obstante a duvida.
em que ainda se eslava, de qual seria a sua
resoluco final, j eslava evidente que as
sympathias do futuro presidente pende-
riam para o gremio dos republicanos mo-
derados. Bem que elle nunca tivesse as-
sumido atttude hostil para com Mr. John-
son, fra sempre servidor honrado, e fiel
observador das leis do congresso. Dafnais
disso, os republicanos eram seus cantaradas
de armas; foi servindo-os que elle illustrou
seu nome, e elle nao era homem, que es-
timadamente os abandonasse. Neste mo-
mento o perigo provinha dos proprios re-
publicanos. Ao passo que os mbdorados
faziam de Grant um semi deu=, os e a!ti-
dos do partido, que nao gostavam delle,
corriam risco, mo grado delle, de mettel-o
as mos dos demcratas. Com effeito,
os radcaes tinham-n'o encarado sempre
com mos olhos. Nao podiam perdoar-lhe
as primeiras tendencias, e ainda desconfia-
vam delle, como uta convertido hora do
perigo, que ainda nao est desapegado
inteiramente da heresia primordial, c (pie
est sempre prestes a renegar para ella de
novo. Alm disso ac&imavam-lhe!jtoda a
quafidade de ma'zellas seras ou futeis :
porlexemplo, o general Grant fora o rival
feliz e quasi inimigo privado do general
Butler, (fue para o partido radical era o
seu grande vulto de guerra; e tnha con-
sentido ao general Lee uma capitular,
honrosa ; tinha tratado com muita brn-
dura os estados do sul; o tinha lidado por
ficar neutral na contenda entre o presi- s'uas antigs pretences em troca d'um to-
Era varios estados, como Alabama, MjssiS
sip, Louisianae Carolina do Sul, a popu-
lado de gente de cor era to numerosa, e
havia tantos cdadfios brancos excluidos fio
direito de sulfragio, que os radicaes nao
podiam duvidar de seu triumpbo. Em Nova
Orleans, por exemplo, apenas se eritava um
eleior branca contra dous outros de rara de
cor; porm, na Georgia, na Carolina do
Norte c na Virginia nao havia a mesma
despropiarn, e |, manto a futura vid
j nao paren';, t, crtCira! \"Junta fet-
tral de Washington deputou viril m-ndores
de cor, que andavam por todo o.paiz exci-
tando seus consanguneos: dirigm-se at a
plebe da gente bnmea. que elles lidavam
por angarial-a por meio de toda a qualida-
de de promessas extravagantes, como a daj
repartico das Ierras, da suppresso dos
impostas e da amiallaco de todas as divi-
das publicas. A gente de cor reunale
armada eameacav expulsar os brancos do
escrutinio. Os demcratas acabavam de
soffrer um dupliea lo revez na Virginia e na
Carolina do Norte; quasi por toda a parte
se dispunham a abandonar umi partida
muitd desigual, e seus candidatos io desa-
coroeoados deixar a lica sm combater.
A 'situaco dus homens do sul era ento
summamente penosa. Desde periodo tres
anuos que se tnha adabado a guerra civd,
mas seu paiz ainda seacha em revotuco
permanente,e elles ainda nao tinham gozado
de um s instante le repouso. Eram passa-
dos tres anuos que a paz se achara resta-
lileeida, e cHes nao tinham experimentado
nada menos de tresjou quatro systemas de
reconstrucao e bufaras tant.-.s formas de go-
verno, tudo isso improvisado e profnnlgado
a bel-prazer de preciptaces do presidente
efle caprichos soberanos do coqgresso. Ba-
loiifados por assim dizer, entre duas fae-
ces hostis, que se disputavam por elles,
como por uma presa, tinham piaethlo cOm
i es conflictos mais que ninguem. A anar-
chli alimentada or taes disimlas continuas.
dente e o congresso. N'uma palavra, os
radicaes se .queixavam de nunca term
adiado nelle seno um servidor sem en-
thusiasmo, e um executor conscricToso
de suas vontades, posto que algum tanto
ft-onxo. O porque lbe queriam mal sobre-
\ erno, que Ihes assogurasse uma paz real e
verdadeira. Foi pjr isso qae elles alegre-
mente acoHieram ssas leis rigorosas do
radicaos sem pudor nem f, quer demago-
gos ignorantes, tirados das nfimas classes.
Na contenco, que acabava de ser elcita na
Loihziana, s havia dous delegados con-
servadores para se entestarem contra deza-
seis homens de cor e dezaseis radicaos
brancos.
X.ogo no comeco a coavenco tinha to-
mado contra os antigos rebeldes medidas
de exclusao lo violentas, que os proprios
radicaos de Washington viram-se qlirigados
rfre'a-la;" O congresso nada tinha qae
fazer seno refreal-os, e gracas lei de
roconstrueco e vigilancia dos governado-
res militares encrregados de fazer res-
pitaki, os estados do stil io se i-eorga-
"ni'sar por si proprios, e tornar a entrar,
um por um, ao gremio do governo federal.
Dessa arte se desvanecan! as derradei-
ras esperanzas dos solistas vencidos, ao
passo que cada dia mais gravava sobre o
paiz a dominaco do partido radical. Por
uma dessas vira-voltas singulares, to
communs na historia dos povos, o norte
e o sul pareciam ter cambiado de papis,
o espirito revolucionario se apossa dos
estados do sul no mesmo momento em
(pie o espirito Conservador nos estallos do
norte resurga com uma nova energa. O
homem de cpr tornava-so mui poderoso
nos estados do sul na mesma occjisho, em
que seus antigos protectores tornavam-se
impopulares no? estados do norte.
Nos estados do sul ia reinar um radica-
lismo demaggico, ao passo que o stgma
de'radicalismo ataca a quasi todos os re-
publicanos moderados. O partido, que a
Virginia se dexava representar por um llun-
nicut, em Washington linha necessidades
para conservar o seu prestigio, de se abri-
gar por detrs do nome glorioso do gene-
ral Grant,
A assembla, finalmente, qae com tanto
dsembaraco dispunha dos direitos e das
s dos homens do sulj, no havia
conseguido depr da presidencia ao homem
que eoospirava contra essa gente.
Ao Santa Izabel, que a festa outra.
Bilhele. seiilwr!
Um bilhete para a Aime'e.
Ai mee ou o assassino por amor I
E o thealro revesta-se de galas: o so-
licito empresario adornava-o esplndida-
mente.
Joaquim Augusto a reaparecer.
Augusto a arte dramtica personi-
ficatla, o publico espera aacisameute a
sua apparico.
(Juanta flor, que harmoniosos sons de
msica aniuiuciam a sua- presenca
Viva, viva bravo, Joaquim Augusto!
Aime um lindo trabalho dramtico ;
tem bellezas adefeilos.
De pianto effeito nao aquelle baile
campestre.
Aquella scena do 3.* acto entre o conde
e Hortencia repugnante, cortado que fosse
nao faria mal a pe ;i.
A misso do thealro ensinar e mora-
reserva do costume, absteve-se de quai-|izai.
quer denuncia contra o presidente, e pare- q j-1Iia| (j0 jo acto pc|0 toca a Francisco
ia antes empenhado em faze-lo absolver. e uma concepeo bnlliante.
A todos os quesitos, que se lhe fizeram
acerca dos factos emitidos na aecusaco,
elle, em despeito do tisco [de poder se
comprometter para com o congresso, res-
ponden com franqueza e altivez, verdwlei-
ramente militares. Declarou (pie por sua
parte tomara tal e qual responsabilidade
pelas faltas, que se exprobravam ao pre-
sidente Mr. Johnson : que elle respei-
tara a imunidade dos officiaes confederados,
garantidos pela capitulaco de Itichmoinl ;
que elle.almeja pela restauraco da
ordem civil nos Estados do Sul ; qu.
elle fra do parecer dos funecioniarios se-
ren dispensados do juramento sempre que
se nao encontrassem lealistas, que tivessem
hbilitacao tambem. Ootras testemunhas
de importancia, como o proprio Mr. Sian-
ton, corroboraram o testemunho do gene-
ral Grant. Mr. Wilson propoz que se
passasse ordem do dia, o J$r. Boutwell
mesmo confessou que sera talvez mais
discreto o fecharem-s os olhos acerca do
desregramento do presidente.
(Continuar-se-ha.)
II

h'ia alimentada por taes disputas continuas
os Oflos'dc rara Incitados a bel-prarer'qjs
faeces que disso tiravam paftido.a mfstn
a fome e todos Os mais fltogeHos da guerra
civil, que anda onlinuavam, tinham Ihes o*-
cutido uma tal fadiga, que elles estavm' Talvez que seja agora muito tarde o re-
ijuasi resignados a larga oStfflaV^ottis fT Wm ese Wso processo de impecri-
V
theht (especie de suspenso), que t
abalu a America, enchen a Europa
moito espanto, e poaco f*00 nS
"JrWsS do poder supremo ao presid
so, as ijuae.i, sujeitando os ciheo. es- que fra proprio a provoca-lo. H
sul a o tros lautos procanealea diaate j alo s tratava mais *a|
tadas do si
militares, ao
,A. A?-1______
** -.
proconaaiea.1
vaatageaa e:hdade de Mr.
Andr Jackson.
RET1CEN<:IAS
Parece que o Recife accoi da do marasmo
em que sta embotado tanto tempo.
A indolencia O a pismaceira, reina vam de
croa e sceptro.
A parta o Vaguear abordo doCapibaribe
era noute de luar, percorrendo toda a x
tencSo da ra da Aurora, de cujas casas se ou-
viam os bellos sons de um pianno, ou os meli-
fluos cnticos de uma garganta divina que
nos lembraram a Lucia, ou a Sonnam-
bmba!
A parte uma palestra animada porta do
Caf Imperatriz, euum, passeio incommodo
nos carros dos trilbs urbanos at o Poco
ou o Monteiro; tudo mais era o positivo
chage, e a positivissima poltica.
Falta o meHior.
Com o anno de 68 desappareceu um
collegismo aproveitaval, deixamos de ouvir
o gorgear saWime de Tambarini, sentamos
saudades do reinado da arte dramtica pelo
re Joquim Augusto; com o 68 fugiram tan
tas recreaces familiares que nos anle-
vam alma e o coraco, em cajos ninbos
sentamos bateropeito ao choque de um
olhar divino, a vista do mais lindo rosto I
- Leiam, leiam, meus amigos, Frau-
cisco Itenaud condemnado morte
por ter assassnado a pastora do Ivry.
Aimeleiam, costa apenas em sold!
O re Joaquim Augusto trabalhou sobe-
ranamente.
Nos 3o, 4o e 5o actos e principalmente
as ultimas scenas do 3o e 4o, foi de uma
verdade artstica admiravel, magestosa!
Julio Azeiedo artista, tem a voz haca,
porm bonita declainaco.
N'uma eslra nao se pode mostrar o qu
se vale.
Entretanto teve scenas felizes: a ultima
do acto de forca superior.
Tliomaz satisfez-nos no Sr. Fauvel, foi
feliz no 3o acto quando encontrou com a
manta de Hortencia na casa do conde de
Grandval.
O Sr. Primo da Costa nao poda fazer
mais no papel de Grandvaltypo falso e
indillinido.
m tanto acanhado nos dous primeiros
actos satisfez no terceiro, na horrorosa ace-
a com Hortencia, e na antecdeme com
Aime. Com frez mezes de arte nao se po-
de fazer mais.
A Sra. Vellut stava deslocada.
Apolonia agraflou geralmente una fi-
gura Sj-mpathica c um talento promettedor.
Clela fez bem o seu papel.
Os de mais arompanhrara os primeiros,
qae bem camprehendafim as partes que
Ihiscjfttertft.
O mise em ve bom.
O drama agradou, presumivel que faca
carreira.
A comedia agradou, e a censura deixoii
passar atguns ditos que nao faziam falta, se
desapareciesen,.
O desempnho foi bom.
Uma nvidade.
No dia 4 teremos o Martinho, o sempre
applaudjdo Martinho debuta no Enforcao,
bem como o gala Eduardo da Silva.
O Recife Vai accordando do sen maras-
mo.
A guerra cbegba ao seu termo. ^
Que o leo do norte procure um CTiSeja
para festejar com enthuSasmo este aconte-
cimento.
E ergamos um monumento em honra das
vivos e em memoria dos mortos.
At sabtado. Edgardo Cellini.
ttP. PODIARIO-CAMSCRUZESH. ,




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EWP7ADL4A_GRL2MZ INGEST_TIME 2013-09-13T22:35:36Z PACKAGE AA00011611_11773
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES