Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11768


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO XLV. NUMERO 36.
PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE NAO SE PAGA PORTE.
Por tres mezes adiantados..................
Por seis ditos idem. ... T................
Por un anno idem....................
Cada numero avulso...................
WOOO
12,5000
24O0O
TERCA FEIM (6 DE FEVEREIRO DE 1899.
PARA DENTRO l IORA DA PROVINCIA.
Por tres mezes-adiantados. .*.........'. .
Por seis dtos idem................
Por nove ditos idem ".............
Par um anno.........,.,..'.....

13500
20^250
270000
DIARIO DE
5
Propriedade de Manoel Figueira lie Fara & Filhos.
,-----------------~
SAO ACflEUTetl:
Os Srs. Gerardo Antonio Al ves & Filhos, no Para; Gon?aIves< Pinto, no MaranhSo
Guimar5es Pancada, em Mamanguape; Antonio Alexandrino de
em Nazareth; Francino Tava
; Joaquim Jos de liveira, no Cear; Antonio de Lemos Braga, noAracaty;'Joao Maria Julio Chaves, noAss; Antonio .Marques da Silva, no Natal; Antonio Joaquim
9 Lima, na Parahyba; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha; Belarmino dos Santos Bulcao, em Santo Anto; Domingos Jos da Costa Braga,
ares da Cssta, em Alagoas; Dr. Jos Martins Alves, na Bahia; e Jos Ribeiro Gasparinho, no Rio de Janeiro.
parte ornciAL
,
*
u
Ministerio da fazenda.
Rio de Janeiro 27 do Janeiro de 1869. Illm. e
Exm. Sr. Respondeudo ao officio de V. Exc. de
11 do crrante a (|ue acompanhou o rcquermento
documentado do consclheiro Joo Baptista de Cas-
tro e Silva, pedindo a graca de ser aposentado
no logar que ora oxorco. de inspector da thesou-
raria de fazenda dessa provincia, allegando para
isso molestia e contar niais de quarenta anuos de
servico; tenho a declarar a V. Exc. que, nao pa-
recendo ao governo estar o supplicante inhabilita-
do para continuar a exercer o sen cuiprego com o
inesmo zelo e proveito da fazenda publica, com
que o tem feito ataqui, nao pode a sua preten-
cao ser por ora attendida.
Deus guarde a V. Exc' Visconde de Itaboratoj.
AS. Exc. o Sr. presidente da provincia de
Pernambuco.
Ministerio da Guerra.
Commando em chefe de todas as Core >s brasi-
leras em operaedes contra o governo do Paraguay.
Quartel general em Assumpro. 17 de Janeiro de
1860.
Illm. e Exm. Sr. Com quanto nao recebesse
confidencial e nein otticio algum em resposta as
communicacoes que dirig a V. Exc. a 13 do mez
prximo lindo, cunipre-me levar ao conhecimento
de V. Exc. que aqu ebegou o vapor (vapor no
dia 14 do crrante trazendo a seu bordo o mare-
clial de campo uillierme Xavier do Souza, ao
qual enlreguei logo o commando interino do 1."
corno doexercito. por ainda se adiar tratando-so
do ferimento pie receben o tenente general vis-
conde do Herval.
Coinmunico tainbem a V. Exc. que nesta data
faro rollar para essa corte o vapor Sonta Cruz,
das naclonaes que vieram do presidio de Fernan-
do, depor como testcmunha ein processo de cense-
llio de guerra, e se ausentaran! do de|>osito de re-
cimas. onde tinham sido incluidos, como V. Exc.
declaron-me em seu ofllcio de i do crrante, sob
n. 70, que assim respondo.
N. 132.Dita ao commandante do presidio de
Fernando.Seguem para esse presidio no vapor
(iqui da companhia Pernamlmcana, as pracas c
sentenciados militares constantes da relacao junta
por copia.
N. 133.Deliberacao.O presidente Ja provin-
cia attendendo ao que roquereu Joao Francisco de
Souza, resolve conceder-lhe licenca para embarcar
para o presidio de Fernando no vapor fiqui da
companhia Pernambucana, os gneros constantes
da retacad junta, assignada pelo secretario do go-
verno, nao podendo effeeluar o desembarque dos
referidos gneros, sem que por parte do comman-
dante do mesmo presidio se proceda a exame, afim
de so verificar se ha agurdente ou outra qualquer
bebida espirituosa.
2* seceo.
N. 13V-*-Portaria ao commandante superior in-
terino do Rccfe.Expeca V. S. as suas ordns
para que sigam para o.presidio de Fernando tres
guardas nacionaes em substituicao dos de nomes
Candido Jos da Silva, Geraldo Valontim dos San-
tos, ambos do 1.". batalho de infantaria, e Joa-
quim Jos de Santa Anua do 6. da mesma arma,
que vindo d'alli para depor como testemunhas em
processo de conselho de guerra, e sendo incluidos
no deposito de remitas, deste se ausentaram ; pro-
videnciando V..S., afim de que sejam elles captu-
rados e remedidos para o destacamento eui que se
achavani.
N. 133.Dita ao juiz de direito da comarca de
Casaos mordomos mencionados no seu citado of-
(icio.
N. 148.=Dita ao fuia de paz presidente da me-
sa parochial da rrcimezia de 8. Fr. Pedro Gonral-
ves do RecifeFo intoirado pelo ofllcio que
Vmc. me dirigi em 3 do corren te, deW havr-re.n
concluido naqnelle dia osIrahalhos das eleooos a
que se proceda nessa fraguezia para eTettores ge-
raes e especiaos.
N. 149.Dita ao juiz de paz presidente e_ mom-
bros da mesa parochial da fi*Uew' lW.-""Mnga-
dos.Pelo ollicioqne me dirigirain Vmcs. ero 3
ilo crrante, llqnei inteirado dse ter concluiii'
naquelle dia o processo da9 eleie'V* a que se pro-
media nessa freguezia para elitore geraese es-
peciaes.
N. 150.Dita ao furente da-eompanhiaPernam-
bucana.O Sr. gerente da rompantiia Pernambu-
cana, mande dar transporte para :o presidio de
Femando, por cunta do ministerio da guerra no
vapor Gquid as pracas e sentenciados militares
constantes da relacao junta por copia.
Relacao nominal (fus proras e tenlencindos minia-
res a que se refere a portara de S. Exc. o Sr.
presidente da pi-otincia desta data.
4" batlhao de artilharia a p.
Anspecada Manoel Percira de Aranjo, soldados
Ludgero "Francisco de Souza, Hygino Niines Pe-
rcira, Jerimias Matheus dePreitas e Marlinho Go-
mes dos Santos.
Guardas nacionaes.
Soldado Manoel Vicente Ferreira Baptista.
1" batlhao de artilharia.
Soldado Joao Francisco Dnarle.
6o bjtarao de infautaria.
Soldados Antonio liaymundo de Miranda c Joa-
quim Sabino da Rocha'Santos.
Flores.Accuso o recobimento do oflicio de V. S. Pracas do i" batalhad de artilharia a p que res-
datado de 16 do mez prximo lindo, acerca da re
i nessa para esta capital do reo Joao Manoel Fra-
zo, que por doente ficou na cadeia dessa villa ; e
' ,- niii' nn cii- nnvi'xli fiirr*i ilfriini'i iU\ nnv mi no nn-
tomados ao 'inimigo. e bem assim alguns feridos
que nerossitam de longo tratamento.
Tambera deapedi do artico de transportes do
exercito os vaporas Andaralifi e Cecilia, nao s
por nao seren mais precisos, como por terem
poucas aceonunodaces e Dessima marcha, e o
mesmo (arel com o" l'lralig, logo que conclua o
transporto das hagagens que anda tenho em Pal-
mas.
Segoio, como j tive a honra de commnnicar a
V. Exc. a expedico para o Fi'ii'Uo dos Hrrese
Matto Grosso: e desde o da 27 do mez prximo
passado ainda o exercito ou a esquadra nao dis-
parou um S tiro, puis o inimigo em numero de
l..*i(K> hwnens, poueomais ou menos, se ada alm
das Cordilheiras.
Continuo a manler partidas de cavallaria volan-
tes em dilferentes dinvcies, as quaes nada at
agora tem encontrado.
Deus guarde a V. Exc. Illm. e Exm. Sr. eon-
selheiio de estado har de Mtuiliha, ministro e
secretario de estado do negocios da guerra. =
tarqvez di1 (koala.
Commando em chefe de todas as foir.is brasi-
leiras em operaeoei contra e governo do Para-
guay. Quartel general em Montevideo, 24 de Ja-
neiro de 180!.
Illm. c Exm. Sr. Depois da partida do Va-
timm pi torel de minha sonde eonsideravetmeate,
ao pealo de ser acoinmcttido na igreja matriz da
AssompcSo, onde me achavaoiivinda missa no dia
17 d) crreme, de um ataque de cabeca, queme
prostron por oais de mola hora sem sentidos; e
isso me ivsolvi'ii por consellios do r. Bonifacio
de Abren, a deixar imniediatamente aquella ei-
dade, e vir liara aqui esperar a resoluao do go-
wiii'; imperial a respeito da denssao que pedi
do commando em chele do exercito.
Deixei o mareehal Guilhernie Xavier de Souza
enearregado das forras que eatSo em Assuinpcao
e Luque, e ihe liz saber tudo .quanto pretenda ta-
zer em reiacio guerra, ordeuando-lhe que, de
combinaelo com a esquadra e os dous generaos
adiados, qne all se arhain. deliberasse o que jul-
gasse conveniente.
Previno a V. Exc. que se nao se aggravar o meu
estado de .-ande, e.-peiarei aqui at qne eheguc a
deeisiodo governo; no raso contrario, partirei no
dia 80 do crranle para essa serte, pols supponbn
que. no estado de abatimenlB en que me acho,
pouco ou nada |ioderei da(|ui fazer.
O tenente general visconde do Herval e o ma-
reehal de campo Argolo, pediram-me licenca para
irem se tratar dos (rimentos que receberam, as
suas raspectifas luovincias, e eu isso Ibes con-
ced antes de partir de Assuinpcao.
Deus guarde a V. Exc. Illu. e Exm. Sr. con-
sclheiro de estado bario de Muritiha, ministro e
ivlario dos negocios da guerra. M'tr Caxio,
Commando em chefe interino das torcas bra--
ieiras em opperaees contra o o governo do Para-
guay. Quart'-l general na Assuinpco, 2*i de ja-
ueiro de M69.
III n. Exm. Sr. Tenho a honra de conimu-
ntcar a V. Exc que haveudo S. Exc. o Sr. mar-
quex de Callas seguido para Montevideo no dia PJ
do corrente. deleroiinou pela orden do dia de 18,
sob n. 273, qne eu assumisse o commando das
forcas, pelo que aguardo as ordens de V. Exc. a
respeito.
Deas guarde a V. Exc. Illm. e Exm. Sr. con-
selheiro de oslado barao de Muriliba, ministro e
senviario de estado dos ne^oeios da guerra.Gui-
Ib.i'im Xavier de Souz/i, marecbal de campo.
por ora ser enviada forca alguma do corpo de po-
lica, allm de trazer o dito reo, cumpre que V. S.
o faca conservar ah, lomando as precisas caute-
las medidas para que elle esteja com seguranza;
para o que requisitar., se for necessario, a forca
da guarda nacional que a V. S. inspire confianza,
para guarnecer a respectiva cadeia.
Logo que baja aqui pracas disponiveis de polica
darei as convenientes providencias, afim de trans-
portarle o mencionado preso para esta capital.
N, 136Dita ao commandante do corpo provi-
sorio de polica.Podo Vmc. alistar no corpo sob
seu cominando ao paisano Jos Januario do Paras,
a que allude o seuofflcion. Til, de 4 do corrente,
se tiver a neressari amoralidade.
N. 137.Deliberacao.O presidente da provin-
cia tomando em consideracao o que representou o
chele de polica, em ofllcio do boje, sob n. 182, a
respeito do engao que sedeu na pnposta de seu
antecessor, em virtude da qual foi nomeado, em o
1. de agosto do anno passado, quarto supplente
do delegado do termo de Jguarassii o capito Bra-
silino de Amida Cmara, quandooseu verdadeiro
nome Manoel Brasilino de Amida Cmara, re-
solve qu m corrija aquella angano na raepprtiva
deliberacao, e que se passe novo titulo ao nomea-
do, com o sen verdadeiro nome.
K. 138.Dita.O presidente da provincia, con-
foriiiando-se com a proposta do chefe de polica em
offlcio de boje, sob n. 181. resol ve esmerar por
conveniencia do servico a GuilhermintvFerreira de
Alcntara e Vicente Ferreira de Mello, dos luga-
res de quinto e sexlo supplentes do delegado do
termo de Iguarassii.
N. 130.Dita.O presidente da provincia, con-
formando-se com a proposta do chele de polica em
ollicio desta data, sol n. 181. resol ve nomear para
os lugares de quinto e. sexto supplentes do delega-
do do termo de Iguarassii ao tonente Manoel de
Gamillo Paes de Andrade Gouvim e a Jos Luiz
de Andrade Lima.
N. 14".Dita.O presidente da provincia, con-
formando-se com a proposta de chefe de polica
em offlcio desta data, resol ve exonerar por conve-
niencia do servico a Antonio Gomes Cordeiro do
Mello, Joao Cavalcanli de Lacerda Galvao e Fran-
cisco das Cliagas Mnniz, dos lugares de segundo,
terceiro e quarto supplentes do subdelegado de
p. imeiro distrieto da freguezia e termo de Igua-
rassii : e declarar vago o lugar de quinto supplen-
te do mesmo subdelegado, por ter sido Pedro Jos
Montenegro, que o oceupava. nomeado,em o l. de
agoslo de 1868, tereeiro supplente do delegado do
dito termo.
N. 141 Dita.O presidente, da provincia, con-
formando-se com a proposta do ciefo de [Kilicia
em oflicio desla data, sob n. 181, resolve nomear
para os lugares vagos de supplentes do subdelega-
do do primeiro distrieto da freguezia e termo de
Iguarassii os seguintes cidadaos.
2. Jos Joaquim Barbosa Jnior.
3." Manoel do Reg e Albuquerqnc.
4." Frederico Marques da Costa Soare?.
o." Jos Francisco de Amida Braga.
N. 142.Dita. presidente da provinciaat-
lendendo ao que Ihe requereu o alferes do l.tfM1
qnadrao de cavallaria da guarda nacional flPte
municipio Luiz Goncalves da Silva, resolve conce-
der-llie seis mezes de licenca para tratar de seus
negocios couiinerciaes onde Ihe convier.
3- seecao.
ExmrSr. oommunSco a V. S. para sea conheci-
mertto e fins convenh ntes.
If. 164.Dito o mesmo.Em vista das inf >r-
maees prestadas pelo director geral da instnlc-1-
can publica o regedor do gvmnasio em 25 e30 de
Janeiro ultimo, S. Exc. o Sr. presdeme da provin-
cia resolvu |r ddiberaeao desta data, nomear a
Manoel Pessoa de Siqueira Campos, paraexercer
Interinamente o sem TCncmento algtitn um dos lu-
gares de repetidoieqtiellc estabeleciniento; o que
a V. S. coiumun.co de ordem do inesmo Exm. Sr.
para seu conhecimento.
N. 165.Dito ao mesmo.Por deliberacao desta
data e em vista das nforma^oes prestidas pelo di-
rector geral da instruccao publica c regedor do
gvmnaslo urtfvioeial en 23 e 30 de Janeiro ultimo,
S. Exc. o Sr. presidente da provincia resolvu no-
mear a Felippe Emilio Menna da Costa, paraexer-
cer interinamente o lugar de preparador do museu
daquelle estabelecimeto o que eommnnico a V. S.
de ordem do mesmo Exm. Sr. para seu conheci-
mento e lins convenientes.
4.* seecao.
N, 166.Offlcio ao director geral da instrucelo
publica.S. Exc. o Sr. presidente da provincia era
vista de sua informacao de 30 de jar eir ultimo,
sob n. 23 e do regedor do gymnasio de 23 do mes-
mo mez, resolvu por deliberacao desta data no-
mear a Manoel Pessoa de Siqueira Campos, para
exercer interimente e sem vencimento algum
um dos lugares de repetidor daquelle estabeleci-
mento, o que a V. S. coinmunico de ordem do mes-
mo Exm. Sr. para seu conhecimento e lins conve-
nientes.
Commando em chefe interino das forcas brasi-
leiras era operarios contra o governo do Para-
gnay. Qaartel general na Assumpcao, 26 de Ja-
neiro de 1HII.
111 n. e Exm. Sr.. Tenho a honra de partici-
par a V. Exc que por occasiao de urna das ex-
ploraco^s mandadas fazer pelo coronel Vasco Alves
l'ereira, commandante das torgas destacadas na
eidade de Luque, foi encontrado as iminediacCes
desta um dejiosito abandonado pelo inimigo, no
qual acharam-se dous canhoes de ferro de calibre
21, bem como algum- armamento c ferrainenta,
i)ue mandoi recolher ao deposito do exercito, fa-
jendo embarcar as boceas de fogo no vapor Mar-
cilio DUu. que seguamanba para essa corto.
Deus guarde a V. Exc. = Illm. e Exm. Sr. con-
selheiro de estado barao de Mnritiba, ministro e
secretario de estado dos negociosjda guerra.Gm-
Iherme Xaiinr de Souza, mareehal de camjio.
Cloverno da provincia.
ExrEDiEim: asswwado pelo exm. sb. conde de bae-
peswy. PREsronirre da provircia, W) bIa b de
rcn'Eaemo de 1869.
1" seeea/
N. 120.Portara ao Exm. Sr. general comman-
dante das armas.Mande V. Exc por em liberfla-
de o reernta'Andrehno de Lyr* ("arlos Magno, vs-
te ter provado isencao legal.
130.Dita ao mesmo.Ficam expedidas as
convenientes ordens ao gerente da companhia Per-
nambucana para fazer transportar no vapor c-
avi, para o presidio de Fernando, as pracas e sen-
tenciados militares constantes da relacao que velo
annexa ao officio de V. Ekc. de 4 do Crrente, sob
n. 71, que assim respondo.
N. MIDita aomeswn.Acabo de expeair a
conveniente ordem ao'commandante superior in-
terine da guarda nacional iesU mnaiilpiiv attna dw
providenciar acerca da substituicao dos tres guu"'

N. 143.Por||fia ao inspector da thesouraria
provincial.evblvendo a V. S. as folhas dos vea-
cimenloa das pracas dos batalhoes da guarda na-
cional ns. 39 e 54, destacadas na villa do Cabo
nos mezes de setembro e outubro do anuo passa-
do, declaro a V. S. em resposta aos seus officios
de 24 e 25 de novenibro do mesmo anao e do Io
do corrente mez n. 52, que teodo se conservado
elfectivamente no serVico durante os priraeiros
qujnze mas de setembro aquellas pracas nao obs-
tante o disposlo na minha portara de 31 de agos-
to, que so eomecou a ser executada do dia 15 em
diante, como se v da Iblha respectiva, cumpre
que V. S. mande satisfazer a importancia dos
prets nella e na outra de outubro mencionados ;
assim como a despeza com o forneeiinenlo de luz
para o quartel do referido destacamento nos mezes
de maio, junh e outubro do sobredito anno, tudo
na conformidade da portaria de 10 de novembro
prximo findo.
N. 144.Dita ao mesmo.Autoriso V. S. em
vista de sua informacao de hontem, sob n. 55, a
mandar adiantar ao tbesoureiro da reparti^ao das
obras publicas a quantia do 1:000* que solicitou'
o respectivo chefe em offteio de 6 de Janeiro ul-
timo n. 36, para ocoorrer a despeza? com a con-
clusao das obras do primeiro Janeo da estrada da
Victoria Gravat.
. 145Dita ao chefe da reparticao das obras
publicas.Nesta data autorisou-se a thesouraria
provincial a entregar ao thesoureiro dessa reparti-
cao o 1.000, que se faz preciso para occorrer
as despezas com a eonclusao das obras do primei-
ro lanco da estrada da Victoria a Gravat, segun-
d consta do ollicio de Vmc. datado de 26 de Ja-
neiro ultimo, sob n. 36, que respondo.
% 146.Dita ao mesmo.-Inteirado de qoanto
Vmc. expoz em sua informagao de hontem, sob
n. 48, recommendo-Ihe que roe remella com bre-
vidade o orcamento da despeza a fazer-se com o
calgamento da estrada de Ounda desde a ponte de
Tacaruna at aquella eidade.
. 147.Portarla aodesembargaorjirovedor da
Santa Casa de Misericordia. Pelo offlcio que V.
lExr. p dirijo em 29 de jan^iro uliimo, sob n.
!17W>, fJquci mlelrado de continuare de mez nos
ponderam conselho de guerra e vo aguardar
dfliniiva senlenca.
Ans]tejada Marlinho Jos dos Santos, soldados
Scverino Jos Correa de Lima c Ignacio Gomes da
Silva.
Sentenciado militar viudo da corle.
Ex-soldado Manoel Jos l'ereira.
N. 151. Dita ao gerente da companhia Per-
nambucana.0 Sr. gerente da companhia Perfiim-
bucana mande dar urna passagein de estado a
proa para o presidio de Fernando no vapor que
tem de seguir brevemente para all, a Marra Luiza
de .Araujo, mulher do sentenciado Jos Feppc de
Flgueirede.
N. 132.Deliberacao.O presidente Ai provin-
cia, tendo etn vista s informacoes do director ge-
ral da instruccao publica e do regedqr*do gymna-
sio de 23 c 30 de Janeiro ultimo e sob ns. 6 e 22
acerca do que requeren Felippe Emilio Menna
da Costa, resolve nomear a este para exercer in-
terinamente o lugar de preparador do museu da-
quelle estabelecimento.
N. 133.Dita. presidente da provincia, at-
tendendo ao que requeren Manoel Pessoa de Si-
queira Campos e ao que informaran) o regedor do
gynmasio e director geral da instruccao publica
em oflicios de 23 e 30 de Janeiro ultimo, resolve
nomear o mesmo Campos para exercer interina-
OMUte ('! vonrimentos um (tus fagnres de re-
petidor naqnelle estabelecimento.
N. (81.Dita.O presidente da provincia, at-
tendendo ao qne requeren Isidoro Marinho Cesar,
professor publico da instruccao primarla dapo-
voacao de H"lmonte. e em visa da informacao do
director geral da inslrurcao publica de 7 de Janei-
ro ultimo, sob n. 1, resolve conceder-lhe tres me-
zes de licenca com ordenado somonte para tratar
de sua saiide.
N. 153 Dita O presidente da provincia, at-
lendendo aoque requeren l.ourenco (uedes Aleo-
forado, professor publico de instruccao primaria
de Qucimadas, e en vista da informaeo do (flraC-
tor geral da instrucrao publica de 19 de Janeiro
uliimo, sob n. H, r'solvc conceder-lhe dous me-
zes de licenca com ordenado somonte, a contar do
dia 7 do referido mez de Janeiro para tratar de
sua sade.
N. 156.Dita.O presidente da provincia, em
consideracao o ipie requereu Joao Fernandos Vian-
na, iiedinioqe fique de nenhum etTeito a remo-
cao que Ihe tora concedida em 20 de Janeiro ul-
timo, como professor publico do instraccSo pri-
maria da cadeira da villa de Gnranhnnspara a de
Nossa Senhora do O' de Ipojuca ; resolve, tendo
em vista a infurmaen prestada em 3 do corrente
pelo director geral da instruccao publica, declarar
sem cITeilo a deliberacao daqtella data, o manda
que o referido Joo Fernandos Vianiiacontinu a
ter exerciciona cadera onde se ael.ava.
EXPEDIENTE ASSICVADO PELO Sn. Dtl. JOAQIIM C011REIA
DE AR.WJ0, SECRETARIO DO GOVEIl.NO, NO DiA 3 DE
IKVEIIEIRO DE I8ti.
l'SOCitO.
N. 157.Ofllcio to Exm. general commandante
das arma?De ordem de S. Exc. o Sr. presidente
da provincia declarar a V. Exc. em resposta ao
seu officio de -26 de Janeiro ltimo, sob n. 52, que
nesta data se mandn satisfazer metade somonte
do pedido do commandante do presidio de Fer-
nando de saceos de baetilha para cariuchos fie
artilharia, o qual veio annexo ao citado oDcio de
V. Exc.
2." seecao.
N. 158 Officio io Dr." chefe de polica0
Exm. Sr. presidente da provincia manda transmU-
tir a V. S. o titulo junto de nomeacao do cappa
Manoel Rrasilno de Arruda Cmara", para o lugar
do 4" supplente do delegado do termo de Iguaras-
ii, tendo sido recdfl'adi o engao havido no nome
do nomeado, na conformidade do offlcio de V. S.
de boje datado.
N. 139.Dito ao mesrqo.De ordem do Exm
Sr. presidente da p-ovincia transmuto a V. S. OS
ttulos junios de omeacao do 5 e 6" suppl
do delegado do termo de Iguarassii, e do 2o, 3o,
4o c 5" supplentes to subdelegado do i distrieto
do mesmo tormo, de conformidade com a propsta
de V. S. em officio n. 181 de hoje datado.
N. 160.Dito ao commandante stperinr de Sc-
rinhSem.O Exm. Sr. presidente da provincia man-
da declarar a V. S. gara o seu conheciinonlo e fa-
zer constar ao capitao do batlhao n. 42" da guar-
da nacional sob seu commando superior Domin-
gos Theodoro Rigucira Pinto de Souza, que por
despacho destk data, concedcn-Ihe 6' mczes'de li-
cenca, convindo que por elle saja solicitad") o res-
pectivo titulo, para poder entrar no goso'dclla,
, N. 161Dito ao jnrz municipal da Escada.
i) Exm. Sr: presidente da provincia manda aecu-
- o reeebimento do offlcio de V. S. de 3 dest'
presidente da provincia por deliberacao desta data:
em vista das' informacoes prestadas por V. S.e o re-
gedor do gymnasio era 23 e 30 de Janeiro ultimo,
resolvu nomear a Felippe Emilio Menna da Costa,
para exercer'interinamente o lugar de preparador
do musen daquelle estabelecimento; a>sim Ih'o
manda ooiiiniuniear para seu conhecimento e lins
convenientes.
X. 168.Dito ao mesmo.Tendo S. Exc. o Sr.
presidente da provincia por deliberacao desla data,
em vista de sua nfonnaeao de 3 do corrente, re-
solvido que fique de nenhum elToitoa romocao con-
cedida en 20 de Janeiro ultimo a Joao Fernandes
Vihnna. professor publico de instruccao primaria
da villa de Garanhuns para de N. S. do O' de
Ipojuca. continuando o mesmo professor a ter exor-
eioio na cadeira onde se achava; assim o manda
communicar a V. S". para seu conhecimento e lins
convenientes.
do foi concedida ao consclheiro Antonio Hcnrique
do Miranda Reg a exoneracao que pedio do cargo
de memoro do conselho inspector e fiscal da caixa
econmica e monte de soccorro desta corte, agra-
decendo-se-lhe por essa occasiao os bons serviros
qne prestara no exercicio daquelle cargo.
Foi nomeado o conselheiro Joao Esterad da Cruz
para o snpndito lugar de memoro do coselbq
inspector e fiscal da caixa econmica e monte de
soccorro.
Por decreto de 30 de Janeiro ultimo foi naneado
Francisco de Paula Assis para o logar deeartora-
rio da thesouraria de Minas-Geraes.
Por titulo do Io do corrente foram nomeados :
Praticante da secretaria de estado dos negocios
da. fazenda, Jorge Roberto da Costa.
Praticantes do thesourn nacional, Benedicto An-
tonio Bueno, Christiann FreiUig, Francisco da Silva
Medella e o j>ratica;ite da receliedoria Antonio Fer-
reira Dias.
Praticante da recebedoria do Rio de Janeiro, Je
ronvmo Antonio de Castro.
Por decreto de 29 de Janeiro foi o bacharel An-
tonio Maria de liveira Bulhoes nomeado enge-
nheiro em chefe da estrada de ferro de D. Pe-
dro II.
Por portaria do Io do corrente mez foi nomeado
Jorge Rademaker Grecnwald para o lugar de chefe
de seecao da estrada de ferro de D. Pedro II, com
o vencimento annual de 6:000000, na forma da
tabella annex ao decreto n. 4,326 de 28 de Janei-
ro ultimo.
Por portara da mesma data foi nomeado para
N. 167.Dito ao mesma.Tendo S. Exc. o Sr, chefe das offleinas da mesma estrada o engenlwiro
DES1ACI10 DA PRESIDENCIA DO DIA 13 DE FEVEREIRO
DE 1869.
Benedicto Joao Quaresma.=A vista do que d|S-
pdem as provisores ue 21 de marco de 1829 e 14 de
agosto de l849.=Indefarido.
Francisco de $ouza Monteiro.Ao Sr. inspector
di thesouraria provincial.
Tenente Jos {tabello Padilha.Foraeca-se.
Tenente Joqunn Manoel da Silva e S.Foruc-
ca-se.
Joaiiuim Krancifco (Miserva. Informo o Sr.
commandante superior interino.
Januario Jos Junqueira.Iudeferido a vista do
que dispoem as provisoes de 21 de marco de 1829 e
14 de agosto de 1849.
Mai.....I Caudillo l'ereira de Lyra.Informe o Sr.
inspector da thesouraria provincial.
Mara Cordeiro Cavalcanti.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda,
D. Lauriana Candida liigueira uartede Druni-
niond..\vislado que dispoe o aviso do ministerio
da justica de i" de Janeiro ultimo, indefiro a pre-
tOMo pqr nao s-ra supplicante parte no conflicto
de jorisdeoao, a que alinde, e principalmente por
tratar-se de questae puramente judiciaria da ex-
clusiva conipetcqcia.dos, tribunaes.
^
INTERIOR.
sar
mez, em que communica ter nessa data entrado
no goso da licenca qne Ihe foi concedida por deli-
beracao de 26 do rnez lindo.
3* sec$ao.
N. 162.Offlcio ao inspector da thesouraria de
fazenda.O Exm. Sr. presidente da provincia man-
da commnnicar a V. S. para sen conhecimento e
lins convenientes me segundo o offlcio de 3 do
crreme de jniz municipal do termo da Bscada, na-
icharel Luiz Antonio Pires, nessa data entrou elle
no goso da licenca que lite foi cortcedhla nof deM-t
berai-an de 26 do mez lindo.
N. 163 Dito ao mesmo.Por deliberaradestH
data, e em vista di informacao do director geral
Ida instruccao publ ca de 3 do corrente, S. Ew. o
Sr. presidente da provincia resorvpn qneUasee de'
nenhum ellflito a nxnocae concedida em 20 de Ja-
neiro ultimo, a Joio Fernandes Viann jrotessor
publico e instnaeiiao primiaria da \fltede Gara-
nhons, para a e N S O' e tpoj^-a. oBti-
.Tiuaudo o mesmo 'fvofesser a terexotifrte1li'ina ca-
Rio de lanclro
2 DE FEVEREIRO DB 1869.
S. M. o Imperador, acompanhado do aeussema-
naiiis visitn hontem a fortaleza da Coneeicao e a
nfftoinas de machinas do arsenal de marinha. S.
M. enibarcou depois na galeote imperial e dirigi-
se lha do ioin-Jesiis, onde visitn 0 asvlo de in-
vlidos, re'gressando s 3 horas da tarde ao mesmo
arsenal, d'onde se retirou para S. Chrislovo.
0 transporte Cidade de Ulindu enlrm hontem a
tarde, procedente de Humaita, d'onde traz inv; li-
dos 4 ollieiaes e 176 pracas do nosso exercito e
eomp prisioniros 38 Paraguayos.
O Cidade de O inda nao adianta s .latas que ti-
nhainos tanto do Paraguay como de Montevideo.
De Sania Catharina trouxe-uos elle folhas que
alcancain'a 27 do passado: as uoticias nao leen
nteresse para os nossos leituivs.
Por decreto de 28 do mez ultimo foi nomeado
gra-criiz'effctivo da ordem da Rosa o vice-alini-
rante visconde de Inhama, ein attenco aos rele-
vantes sei vicos prestados na guerra contra o Pa-
ragnav. ,
Per'cartas iiiporiaes de 30do inesmo mez foram
naturali-ailos cidadaos brasilejros os subditos por-
tuguezes padre Francisco Jos da Costa t Souza e
Antonio Vicente Jtiuior, e o prussiano Gustavo
Ailohiho tVurffbain.
Por decretos desta mesma data foram nomeados,
om attencao aos relvaptcs sewioos prestados na
guerra contra o Paraguas :
Grande digjiita'rin da ordem da Rosa, o bngadci-
lo Joao Mnol Menna Brrelo.
Dignitaros' da' ordem imperial do Cruzeiro, os
brigadeiros Jcintho Machado de Bittencourt, Joao
de Souza da Fonseca Costa e Hilario Maximiano
Antunes GurjSo.
Foram concedidas as seguintes pensoes por ser-
viros prestados na guerra actual :
De 5:0004000 annnaes haroneza do Triumpho,
viuva do brrgadelro barao db mesmo nome.
De 120J000 niensaes a D. Anglica Rosa'da'Fon-
toura Machado, renartidamente com seus dous C-
ihos Maria e Alfredo, vinva e lllho's di) coronel Fer-
nando 79hetiado de Snuza. ,
De 603000 mensaes aoscapitaes do 28" cerno
de volvditawos da patria Francisco Torqnat de
Souza Caldas, e do 1 corpo provisorio de cavalla-
ria da guarda nacional do Rio-Grande do'Sl, Jos
Jilqnitn de Ouadros.
De 00 i-s. .barios a Io sargento do 47 corpo
de voluntarios da patria Manoel Ahtonlo dos
Santos.
De flO rs. diarios aos soldados :
Do'bhlaHiao de engenheiros. Tibnrcio Jos de
Farla.
Do I* 4>atalhao- de infantaria, Francisco Jos
Soares.
Do 14.dito dito, Jo Joaqmm Moteira.
Jos Carlos de Bulhoes Ribeiro, com o vencimento
de 4:800-3000 annnaes.
E por portara da igual data foi nomeado para o
lugar de chele de traccao da referida estrada en-
genheiro Joo ery Ferreira com o vencimento an-
nual de 4:8003000.
Por decreto de 23 de Janeiro uliimo foi nomeado
o bacharel Joo (andido da Silva, juiz municipal e
de orphos do termo de Cabo-Fri, na provincia do
Rio de Janeiro; fieando sem effeito o de 29 de
agosto do anno passado que o nomera para o ter-
mo de Cuyab, na de Mato-Grosso.
Por decretos de 24 do mesmo mez foram no-
meados :
0 bacharel Egydio Francisco das ('.hagas, juiz
municipal c de o'rphaosdo termo de Santa Maria da
Bocea do Monte, na provincia de S. Pedro do Rio-
Grande do Sul.
Para a guarda nacional das seguintes provin-
cias :
PernambucoAndr Cavalcanti de Albuquorque
Arco-Verde, tenente-coronel commandante do ba-
tlhao de infantaria n. 31.
Severiano Camello Pessoa Cavalcanti, major com-
mandante do esquadro de cavallaria n. 12.
Pianhy.O canito Joaquim Rodrigues de Souza
Martins, major ajndanto de ordens do commando
superior dos municipios de Jaicoz e Picos.
O alferes Qnirno Jos Ferreira, capilo secreta-
rio GcrM
O alteres Francisco Rodrigues de Souza Martins.
capito quarlel-mestre.
O guarda Jos Ildefonso de Souza Martins, capi-
to cirurgio-nir.
Foi reintegrado :
Joaquim Cavalcanti do Albiiqnerque. no com-
mando superior da guarda nacional dos municipios
de Olinda e Iguarassii. da provincia de Pernambu-
co, fieando sen effeito o decreto de 19 de junho de
1867, que o reformen no poslodc coronel.
Concedeu-se : ,
Ao tenente-coronel commandante do 4* batlhao
de infantaria da guarda nacional da provincia das
Alagoas Nicolao Florentino de Allniquerque Mara-
nhn, reforma no mesmo posto.
Ao capilo do batlhao de infantaria n. 19 da
guarda nacional da provincia do Cear, Joo Men-
dos da Roeb) as honras do posto de major.
Ao capilo reformado da guarda nacional da
provincia do Maranlio. Antonio Osar Catanhode
melhoramento de reforma no posto de major.
Foi aggregado:
O coronel Epamieondas Viora da Cimba, ao
commando superior da guarda nacional dos muni-
cipios de Olinda e Iguarass, na provincia de Per-
nambuco.
Fezrse merco da serventa vitalicia :
A Francisco Joaquim dos Reis, dos oflicios de
contador e distribuidor do termo da capital da pro-
vincia das Alagoas.
Por portaria de 30 do referido mez foi nomeado
Eugenio Adolpho da Silveira Reis, praticante df
secretaria de estado dos negocios da justica.
Por decreto do Io de fevereiro foi declarado sem
effeiloo decreto de 9 de Janeiro, que nomeou o ba-
charel Joo Nonos Ramalho juiz municipal do ter-
mo do Patrocinio, em Minas-Geraes.
Parti hontem no transporte Galgo para o Rio
da Prata e Assumpcao o Sr. consclheiro Jos Maria
da Silva Prannos, em missao especial junto dos
govemos da repblica Argentina e Estado Orien-
tal. S. Exc. chegou s 9 horas damanha ao ar-
senal de marinha, onde se achavam reunidos todos
os niembros do gabinete, varios generaos de mar e
trra, altos funecionarios c muitos cidadaos cons-
picuos. A banda de msica dos menores do arse-
nal de guerra all postada torou algumas pecas.
differeutfi& estabelecitnentos a cargo dessa Santa, deira ondo a actiava, o que de oxd&uv nnesnto
Por decretos de 30 de Janeiro lindo t
Conceden-se ao capito do corpo de engenheiros
Firmo Jos de Mello a damissao qne pedio do set^
vico do exwcito.
a conformidade das disposicoes do 1" do art.
^aa lei n. 648 de 18 de agosto'de 1852, concoilen-
se reforma ao capito do batlhao de infanta-
ria Joao Ferreira da Silva, visto soffrer molestia
incuravel que o torna incapaz de continuar no
servico.
for decreos de 36 "de ifczeiabro do anno p;ts9a-
Acompanhado dos seus collegas do ministerio e
varios amigos o Sr. conselheiro Paranhos embar-
ren n'uma lancha a vapor do arsenal, seguido de
alguns escaleras em que iam outros amigos que
foram at a bordo do transporte. Partiram lam-
ben como niembros da missao especial os Srs. Al-
varenga Peixoto e Adolpho Lisboa, e para tomar o
commando da nossa esquadra no Paraguay o Sr.
chefe de esquadra Klisiario Antonio dos Santos
Ficou interinamente com a pasta de estrangeiros
o Sr. bario de Cotegipe, ministro e secre ario de
estado dos negocios da marinha.
3
Entrou hontem o transporte de guerra .liinico-
ta, cora 219 doontes do exercito e 9 paraguayos
prisioniros.
As ultimas folhas qne tm de Montevideo sao de
24 do passado.
Nellas nao encontramos noticia alguma do Pa-
raguay ; sabemos, porem, por cartas que a 18
chegarain a llumayt no vapor Princtza, o almi-
rante visconde de Inhama e o chefe de divisad'
Alvim, que dosciam para Montevideo, tendo-se ag-
gravado os soffrimentos do primeiro.
A 17 tinha morrido em Humayt o
Gurjao.
visetnde do Herval continuava a
seu feriinentOjO dizia-se que emba
porte Pri^aWBTBIryQTpTj-'frarid'e .
do-se tamlini la pr^rhlS retirada do visconde de
Itaparica.
Ficava com o coniriunTJo do exercito o mareehal
de campo Guilhejine Xavier do Souza, tendo-se o
marquez do Caxlaretirado para Mome\ ulo, on-
de chegou na manha de S. Exc, descia no
Gua/ori, que em viagem abalrooo oomo bm* e
Slxa, sendo taa Torte o eneontro que aqurile va-
por pordeu o gurups, quebrou a caixa de rodea
de borobordo o foi vnealhar n barranca, donde
embald tentou safa-lo o lima Sito*. Tendo-se
partido todos os viradores sam nada se conseguir.
o-Sr, marquez passou-se^ara bordo deste uMmo
vapor, e nelle acabou de deater; Toado encbtitr.
doperte de Martina.Garcia o traneorte & M,
ordenou-lhe que veltasf o em conserva.
Chegando a Montevideo s.. ladras e meia da
maaha o Sr, uW*ez foi immediatamento vfeita-
do |iolas autoridades brasiluiras, chefo da estaca"
naval, i^ronel coiiiuiamlante militar, chefe da re-
particao fiscal, niembros da legaco e outros fune-
cionarios.
Ao uieo-da desembareou e toi alojar-so no Ho-
tel Oriental. S. Exc. retirou-sc por doente, e di-
zem-nos que tencionava voltar a esta corte no
transporte S. Jw.
Da repulica Argentina nao ha noticias de im-
portancia. A invaso de Vrala dizia-se agora qne
nao passava de alguns restos da linca com que
aquelle caudilho se retirara para a Bolivia, e tora
all dispersa.
O inculcado saque da Assumpcao continuava a
ser Iheina de disctisso na iinprnsa; estayi. to-
cen, j plenamente provado que nein cousa que
com saque se pareeesse tiuha luivido, e que se |r
parte da chusma que acompanhava o exercito al-
guns abusos se tinham dado, haviain sido promp-
to e ellicazniente reprimidos pelas autoridades mi-
litaras. Victoriosamente combatidos os nossx
detractores em algumas foUios platinas j iam eiu-
inudecendo. Provando o exemplar cuuiportainen
to das torcas brasileiras eserevtu o Sr. Jos Can-
dido Gines na Nacin raenlina um artiga que
deixoii patentes os embustes e calumnias dos nos-
sos adversarios.
Em Montevideo nada occonvra digno de nota.
4
Entrou hontem do Rio da Piala o paquete in-
glez Amo com folhas de Bueiios-Ayres at 28 e
Montevideo 29 do passado.
Sao um tanto vagas as noticias que encontramos
do Paraguay. Parece que os alliados preparavaui
urna expedico para sabir era persoguioo de L-
pez : nao se sabia, porem, ao rerto onde este se
achava. nein a gente que trazia eomsgo.
Para atio-Grosao imbam subido mais akamas
forcas brasileiras, diz-se, porni, ipie um dos va-
pores i>ara isto (retados, o Yaguaret, se perder
as Rocas, urnas 60 niilhas cima da Assumpcao.
O estado sanitario das tropas era satisfactorio.
Os telegrammas transiuittidos ultima hora oV
lliieiios-Ayres para o Telegyapho Martimo de Mon-
tevideo dizem assim, ruinprindo notar que nein
senipre sao seguras estas noticias :
Depois da sabida do Amo chegaram dous va-
pores do Paraguas. Lpez est reoiganisantlo al-
gumas tropas em Birabmi. Dos Paraguayos feitos
prijioneiros na Angostura alguns tm fueido para
Lopex. Os alliados preparan ana expedico para
as cordilheiras. Chegou da cidade da Conecao
um padre paraguayo que diz ter bopoz manoadn
gente para percorrer os cani|Ms, matando os habi-
ianles que encoiilras-e. Dia-80 que aquelle teiri-
torio est quasi deserto, e se nao ouvem seno la-
mentos. Todas as familias esto com Lpez na>
cordilheiras.
fin nover-
elle organisandn sua divisad exped*
ra seguir para as cordilheiras.
Alguns forrageadores brasileiros que anda-
vam pello de Luque encoiitrarain nina partida pa-
raguaya c voltarain Assiimp;o a avisar os st-u>
ohefca A ioi.U' da xarciUi mellior, mas o.ca-
lor espantoso. Tm-se feito avultados pedidu>
de cavallos.
Metade dos negociante-: da cidade do Corrien-
tes esnva-se passaado para a Assunipco, onde
varios Inglea-s j tinham aborto officinas em que
l'aziam boin negr.cio.
O vapor americano Kansas eslava eiiealhaito.
Os Brasileiros derain un vapor para o ajudar a
salar, mas nada so conseguio.
Diz-se que na Assumpcao eacontraranvse un-
200,000 coiiims, era |)ane averiados, moas 20,000
arrobas de tabaco e alguma herva mate, pOttCO,
qne appareeian muitOS individuos a reclamar o
seu direito de propriedade sobre estes gneros.
Segundo as folhas do Rio da Prata os ijrovernos
anteno e oriental iam enviar Assumpcao emis-
saros que de aoeord- rom o enviado Irasilcir
que se esperava, estabelecOSSem alli a ;;;ellior iir-
dt^in de colisas que as circiiiiistancias joriiiittis-
sem.
De Montevideo escrevem que o Sr. marquez d<-
Casias esnva Boffrendo monos depois que alli ofee-
L'ra. sendo assim provavel que esperasse pelo Sr.
Prannos.
Da RepnbMaa Argentina nada temos que noti-
ciar.
O ultimo corren do Pacifico retere que no Chile
continuava rom sorte varia a guerra contra os
indios da Arancania.
as cmaras tinham liavido sesedes lempestuo-
sas. e o ministro da fazenda Alexaudre Reges dea
a sua demisso, sendo suhsdtuido por Melclioi
Cdaoha y Toro. Por esta occaeSo aveiiiiou-se.
que o astado das linaneas era deploravel. O orna-
mente apresenlasa um dficit de unltio e meto r
a divida publica elova-se a :ii,"i'.i'>.i70 pesos, se-
gundo os dados ollieiaes. haveudo doseoiiliaiica di-
que losse maior ainda.
Mais urna calamidado cabio sobre a cidade de
Valparaizo. Um pavoroso incendio consumi all
predios e fazendas no valor de oOO.OOO [es*
lories.
No IVrii tambem o ministro da fazenda, Garca
Caldern, deu sua deuil->o, haveudo ao princi-
pio recelo de que o gabinete seguase o exemplo
Falleceu em Lima o mareehal peruano e chileno
I). Bernardo 0" Higgins, que tambora era general
da Repblica Argentina.
A Bolivia estova a bracos com mais una ravu-
luco. que rebentou na cidade de Sucre Para
debelaJa receava o governo desguarnecer a ca-
ptol, eoni temor que esta tambera se levantaste.
Touas as laminas esiao cora ixipez na>
ras. O general Emilio Mitre resolvou eni-
vi-M', c qliando o Venecia sabia esteva
inisando a sua divisad expedicionaria pa-
S. M. o Imperador, acompanhado de suu> sema-
narios, chegou ao arsenal de guerra hoiutein as 9
horas da manha, e embarcando na galeota a va-
por dirigio-se Ariaaco, onde visiten o asyk de.
invlidos, e de onde regressou as 3 horas da
tanto1
hrigadeiro
padecer do
O supremo tribunal de justica remellen hontem
ao governo a lista de 16 uzcb de direito mais an-
tigoa, atUH de seren escolbtdos dous que preen-
cliam as vagas deixadas por dous desembargadni
res que falleceram.
Os Srs. : ..
Antonio llenriquo de Miranda.
.loo Quirino Rodrigues da Silva.
Francisco Elias do Reg Dsnla.-
I'antileo Jos da Silva liamos.
Joao Caetano Lisboa.
Matheus Casado de Araujo Lima Amaud.
Leo\igildo de Ainoriui Filguoiras. _
Francisco Lourenco de Frailis.
Manoel Jansen Ferreira.
Antonio Francisco de Salles.
Joao Salom de Queiroga.
Francisco dh Serra Crneiro.
Antonio Joaquim Monteiro de Sampayo.
.Vntonio Angosto Perefra ua Cnelra.
js Caetano d A ndrade |f|to. i w
[^ 5
! Por decrewn. 4,3t7 de 30 do passado detenui-
nou-sc que o trabalho do expcdie.^ das conser-
vatorias do com'mrcio fique a cargo das alfandi.-
gtt-e mesas de rortdfts reTOg.1ndo-seo art o
decreten. l.B97'do i de mate de 18.W- ..08,-
lumentos devdos pelos actos de l^.n*s
conservatorias passarlo pra a rwelta geral do es-
jtado.
Pjr decretos da mesma dala :
Foi creado um commando superior de .
nacionaes nos municipios do sanoetro, s.
o'Atwar, da prvtcJa do Ceara.


m-

F'oran oreados um batatNiio do infantaria de
guardas nationaes no muaiojpio de.$.41attieus,da
provincia Ccr r, e outnau>dc Assar, da mes-
uta provima. .....
Foi marcado para o 2* carpo de ca vallara da
guarda nacional da provincia do Hio de Janeiro o
primeiro eniforme de sobcet-asacas do "panno azul;
com as golas e canhoes adates,-calcas brancas,
kepis con penacho escarate, c correante blanco ;
o seguido, de frdame* de blusas do,calcM-de panno azul, tauets a Ca\angnac c o dem dentro.4a isreja, e uparla da parte de lora
cpui o^ce*ct Jas Jroguczas do Itmbv e l'.iss
Tres, jomle v des dous segantes olllows:
Palaci do governo da provincia do Kiotdc Ja-
neiro. NitAeroy, defevwcro do 1869.
lllm. eKxnv SuParticipo a Y. Exe.o-co-
gundo os talearammas rebebidos da fregnezia de
N. S. do Besterrb d Itamby, d j termo de tabora -i
liy, deu--s .grate ttunultn' na referida iregiteza,-
na occasoia chamada dos votantes a que se pro-'
cudeu uo tita ill do iuez lida. Comegm a aospr-i
mesmo corrame do priraoiro unifique.
Diogo Machado de Cast Bueno foi, #or decreto
le 46 dejanciro prximo MMerito. exoneradoi)
lugar de secretario da capiania do port de Para-
nagua, e por titulo do 1* do*repte uiez nomeflo
para o einprego de alinoxanife do esUibleeimorto
naval.de lutara, cora o cacanio-de offieial de la
/euda a bordo do vapor Trainaniataku.
Por. decreto n. 4,3io de 7 do passado foi .deter-
minado que a provincia do Rio-Grande doorle
ni toda a extenso da sua osla desde ariofiia-
j. ao Mi, na latitude 6* 30" 30" S. at a baria do
ri Apod, ou Mossor, ao norte, na latudc i'i'
S. fique perteneendo ao 2* Jiitricto navaL
6
Sua Magostado o Imperador acompanhado de
seus wimnirinn. assistio kuntem no arsenal de
marraba, fundicta de urna afra para o uvirtel-
lete db arsenal de guerra, risitou depois vai as
ifficinasdo mesmo arsenal, e rotirou-se 1 hora
da tarde.
Sor portara de i do correte forain nomeados
ehefes de seccao da estrada de ferro de D. Pedro
II, com o venchnento annual de G:00>3 na forma
da tabella annexa ao decreto n. 4,34 de 28 de Ja-
neiro ultimo, os engenheiros R. A.-Helil, Joao Co-
mes do Val e Francisco Pereira Passos.
Psr portaras de o do correBte foram nomeados
ajudantes de primeira classe da estrada de ferro
de D. Pedro II com o veueimeute annual de.....
4:800^, na forma da tabella annexa ao decreto
n. 4,326 do 28 de Janeiro ultimo, os engentaira
Carlos Alberto Morsnig, J. Stanke, Luiz da Rocha
iDias e Henrique Jos da Costa.
Por .portara* da mesma data foram nomeados
.ajudantes de segunda classe, eom 3:600fi de veu-
.imento animal, na forma da tabella annexa ao
raesmo decreto, os engenheiros Hermillo Candido
ila Costa Alves, Joao Baptista de Carvalho, Paulo
Hermn, A. Lindonbeigue e M. A.da Silva ReU.
Sua Magestade a imperatrz viuva, duquoza de
Braganca, querendo coiupartilhar ossacrilicios que
ao Brasil tem imposto a guerra, mandn genero-
samente que continuarse no corrente auno o dona-
tivo que fez o auno passado da quinta parte da
sua dotaco para acudir as urgencias do estado.
Por deereto de 30 de Janeiro ultimo :
Foi removido o juiz de direito Frederieo Dabnej
de Avelar Brotero da comarca do rio Paran na
provincia de Goyai para a da Constjtuico na de
S. Paulo, ambas de primeira enlraneia, por assim
o baver pedido.
Foi concedida :
Ao desembargador Basilio Quaresma Torreao a
dispensa que pedio dacommssaoqueexeree, como
adjunto do tribunal do commereio do Maranhao,
passando a ter exercieio na relacao da mesan
provincia.
Foi nomeado :
O bacharel r.uiz Alvares de Azevedo Macedo,
juiz municipal da I* vara da corte.
Cwieearam hontem com grande animaeao os
olguedos carnavalescos. Varias ras da cidade e
eoM especialidade as da parte mais eommercal
.iiloi-naram-se vistosas e algumas elegantemente.
Numerosos bandos de mascarados percorreram a
cano e de p as ras da cidade. atirando para as
janellas dos soldados e para os espectadores, que
se apinhavam nos passeios, ramos de llores, esta-
los, etc.
Apresentaram-se ricamente trajada*, organisadas
com maestra carnavalesca algumas sociedades,
cujos ttulos deixamos de mencionar para nao ar-
risearmo-nos a corametter alguma injustas.
A" noite os theatros I.yrico e de S. Pedro abr-
ram seus vastos saloes aos bandos alegres e estre-
pitosos dos devotos do carnaval.
-9-
Entraram hontem do Ro da Prata, com lomas
at 2 do corrente, os transportes Pteiidtnte e Mar-
ciiio Das, que vicram trazer doentes, feridos e in-
vlidos do exordio.
Do Paraguav diz-so que o general argentino D.
Emilio Mitre tinta sabido com uns ">00 homens de
.?viUInriu {Hvra oil*or > ikm_->< ja paragem anda se ignorava, bem como nada se
sabia a resneUo do ministro norte-americano gene-
ral Mac Mahon.
FIra boa a sado do exercito na Assumpcao,
onde reinava a melhor ordem. Tmha-se cstabeli>ci-
do que nunca sahissem d'alli para Montevideo dous
vapores na mesma noite, e que todo aquelle que
vesse de deseer trouxesse gratuitamente a corres-
pondencia. Tambcm se proliibra o embarque de
gneros, cujos carregadores nao provassem evi-
dentemente o sen direito de propriedade sobre
.lies.
O visconde de Inhama tinha experimentado al-
gumas melhoras depois da sua chegada Monte-
video e dzia-se que viria para esta corte junta-
mente com o marquez de ("axias. Os vsconnes do
Hcrval e de Itaparica tambcm estavam naquella
cidade, devendo o primeiro sabir na manhaa de 3
para o Rio Grande no transporte Guapor e o se-
gundo \ir para esta corte no habel, que eslava a
largar.
Das repblicas Argentina o Oriental nada ha de
interesse.
Por va de Montevideo recebemos folhas do Rio
Grande, que aleancam a 28 do passado.
As noticias sao destituidas de interesse.
(esta tomum .aores propercSes. No ctiifliet foi:
ferido c nni glapejio pescoco Joa) Fraaejseo
ile Araiifi. ^ljuiz.d4)azipresidonto da asseuila
ile accordo eema asa parecliial suspendes os
irabalhoi e truxe jao ineu ewiliecimoio e^ fados
que oceorrerata, |^jo(lo,me providenoias a kem
da seguranra jiubliej, e argniuJn o subdelegado
de politia* seus ppi(,f)les. Mandei o delgado
de poficia .la termo ene infonnasse miniiciosamei -
te sobre o contedo da parucpacao do juiz de paz,
procedes** por si ntesmo summarios para for-
macao de eulpa ao autor do fernento e mirs ter-^
mos legaes, assiia conio tque dsse a* pi'ovidetcjas,
convenientes paia restaurar a seguranca abajada
na fieguezia e acalmar a exacerbado naseida dos
ltimos a*mteients.
Deus guarde V. Exclllm. e Extu. Sr. f-)n-
selhciro Jos Martiniano de Alencar, miuistro e se-
cretario de estado dos negocios da juslica.Be-
cenut* Auyutto de M. Tuques.
Palacio do governo da provincia do Rio de Ja-
neiro. Nictheroy, 3 de everoiro de 4869.
lllm. e Exm. Sr.Passo as raaos de V. Exc.
as partcipacoes lelograpliicas, juntas por copia,
que recebi do I ir. chele de polica e do juiz de di-
reito interino da comarca de S. Joao do Principe.
Das referidas partii pacoes ver V. Exc a ag-
gresso que na mauha do 1" do corrente soffreu a
forca que guardava a urna eletoral na matriz do
l'assa Tres, e que dahi resultaram duas mortes e
licara um homem gravemente ferido.
Xa villa de S. Joao lo Principe achava-se o
Dr. chefe de polica da provincia, e na freguezia do
PassaTres estavam o juiz de direito interino, que
o juiz municipal do termo do Rio Claro, e o pro-
motor publico da comarca.
O chefe de polica indica como conveniente
que se mande para Pjaasa Tres urna forca de ca-
vallaria com ordem deegr depois para a villa.
Nao lenta aqu forca de que possa dispor para
esse Ihn, e faltam-nie m para Mangaratiba, como ja particijiei a V. Exc. por
um lelcgramma.
V. Exc. resolver como mais acertado fr, e
aguardo as ordens de V. Exc
Deus guarde a V. ExcUhn. e Exm. Sr. con-
selheiro Jos Martiniano de Alencar, ministro e se-
cretario de estado dos negocies da juslica.lien-
venuto Augusto de Mngalhes Taques.
As noticias couimerciaes da ultima data (8)
sao as seguimos:
Cambio.Londres 18 7/8 i. a 90 d/v; Havre
'10 rs, por fr. a 90 d/v; Marselba 306 rs. por Ir.
a 90 d/v; Hamburgo 930 rs. i>Of B a 90 d/v, sab-
bado.
Apolices.=Geraes do 6 "/o. a 81 e 81 'A %
Metaes.Soberanos, a 123900a prazoe 133100
a diuheiro, sabbado; dts a 13130 a diubeiio,
taje.
Aceces.Banco do Brasil, a 177 e 1780(K)
rs.por ci;o, banco Rural e Hypolheeario a 1785
por accao.
a Gneros diversos.Alg Paulo superior a 165 por arroba.
Ineluindo pequenas transacQoes emcambio so-
bre Londres, a 1.8 Ya d. para o papel bancaro, c a
18 3/i e 18 "/ d. para o particular, e sobre Franca
cando nao poder comparecer sessao de hnje por
ter.de achar-se ecupado eni servico ^ublieo-s
uiesnias horas da sessi*.Inteirado.
Autro do ExiH. ikispo diocesana, conraiiintxMsv-
do-otio Ihe ler sitio ipossiveL coiuuareeeri sessao
anuiversari, |r se aonar doente Intekado.
t Perra da Silva, datada de 27 de Janeiro, nioando que por alente deixava deeomparteer.
sessiia daquelle dra .pac* que linba alia < luatauln.
-Inteirado,
irlos C^ndi

commereki, esokieu a gerencia ?da corapanhi Per-
naiubticana^ue i seus-vapores ,JV) juca e Petenyi.
que liuliamde-salar no lin dete niel para o?; por-
ts do suliiiorte, s seguisseui -no da 3 de litar-
lo, alni de podurtan ser portadores das malas (pie
aosul e diEunifm esperam-splo;paquetesinglez
e francz.
CONCERTSaLbado rcalifou-se no Sania Isa-
bel o conjjerlo aBnun/yado-eui Jteuelicio da jovem
pemambiMaua Argelioa' Picri. Tolos os aitistas
que lomanan nn>rte n'ssa festone smeraram em
.(iitrodoRiH.|^ejarlos C^n* m ofcr- gem deea^Miar Mi's prk%sdirtdosapplau'-
tMitlo um exenipaj ,&. mu Iraducrao.le Hetuu dios. ajov*i keneliciada ai.i. canea que
raMIeiroS.Int4raeUe rnn>alln ir ^r un,., !. rtrf-i m nuitlmur n
iMIicu/tx na lingu j,d*Ara
c.arcbivasse.
'& mesmo Sr. 2' eoretario menciona a aajauk-
ts oflertas:
.< Tarios nmeros do Diario consocio Dr. FigiieWs; algons rairaer ios e-
guintes jomaos : (IpiMo Mationa^ 0)i/iki.i-
berdl e Liberal, pojas respectivas redacees:; um
exenipiar do Amanak Admttratieo, Memuitil,
lndt%lri'ilf Ayrico'a Tlsta provincia, oflia-tad.por
-en aii"i- Kranciseo.l'aeilico Amara!; aitro^oa-
tendo a traduccao do iiyinno francezA Mursethe-
sn, pelo Sr. M. de Aleneastre Autran.Todas tistes
offertas sao rccebiilas wm agrado e mandam-se ir-
cliivar.
Procede-sc cleigao dos membros da me W
ministrativa e sahe n reeleitos:
PresidenteCottseibeiro raonsenhor Franci*co
Muuiz Tavar.'s.
! vifc-presidcntoDr. Joaquim Pires Machado
Portella
2 rice-presidente cleioCoronel Antonio-Go-
mes Leal.
J'-viee-presHlentePadre Lino do Monte Car-
meno Luna. J
2 secretarioMajor Salvador Henrique de Al-
bmpierqne.
OradorDr. Aprigo instiniano da Silva Gu-
inaiies,
Tiiesoureiro Dr. Gervasio Rodrigues Cam-
pello.
Proeede-se igualineute a eleicao das commiswes
e saheni eleitos :
Bedaecao de revista.Drs. Aprigio, Ayres Gama
e Campos.
Fundos e oreammitos.Drs. Wlruvio, Cicero
Peregrino e Farias Nevos. ,
lievisio de nianuscriptos.Drs. Cicero Peregri-
no, Soares Brandao e Campos.
Traballtos liislorios e arcbeologicos.Drs. Ger-
vasio Cainpello, Bel forte Baposo de Almeida.
Subsidiaria desta. -Drs. Ayres Gama, Faria Ne-
vos e corouel Leal.
Trabalhos geograjihtos.Drs. Cicero Peregrino,
Seraphco e Gervasio (impeli.
Subsidiara desta.--Drs. Gusmo Lobo, Souza
Reis o Paula Salles.
l'esquizas de manascriptos.Francisco de Bar-
ros e Drs. Gervasio Campello e Raposo do Al-
meida.
Admissao de socios.Drs. Ayres Gama, padre
Lino do Monte Carmello e Gervasio Campello.
I.evanta-se a sessao.
to. Appellanlc, o jaizo; appeado, Florencio Mu-
niz Chaves.
PniWTH civw^Ao Sr. proourador da co-
rda : appellaqtes^ Maiux'l Antonio dos Passos e Sil-
va e a'fazmla; appeilados, Francisco das ChagasJ
Salgueiro e otro.
As 2 horas encerrou-se a sessao.
prometi vir a ser urna boa artista se continuar a
irilhar a espiotiusa ca reir da arte musical tem
agilidade e j se Ihe vai dcmonsMn-lo algum gus-
to na cxecutjo das pequeas poca*, jue suas mao-
sinhas fazeui surgir do piano, correado graciosas Deposit de sobresalentes
Deposito de.rarrio
Bens movis .
BALANCO DA TOMPANHtA PERNAMBIHIAXA
DE iAVEGACAO COSTEIKA IDR IVAPOlt,
. EM 31 E DEEMIIRO DE 1868,
ACTIVO
Acedes disponiveis, .
Vapores........
Galera, alvarenga, lauchas, etc.
Propros inversos* ....
Subven
a 310,306 e o0j rs. por franco, electuadas boje,
sommain os saques pelo paquete inglez L/i PUta :
Sobre Londres cerca do 370,000 a 18 '/i, 18.
18 '/i e 18 J/g, 4 para o papel baucario, e a 19,
18 % 18 L 18 Va, 18 % 18 V. 18 /. 18 Vi,
18 Va, 18 Vi e 18 /, d. para o parUcular.
Sobre Franca cerca de frs. 1,030,000 aos ex-
tremos de o 18 a 300 rs. por fr.
Sobre Hamburgo cerca de B 210,000 a maor
parte a 9:10 rs. e urna parcella a 943 rs. por B.
Sobre Portugal vigorou o premio da tabella se-
guiute :
ELE1TORES. Resultado da eleieao de elcito-
res geraes, pie se procedeu cm o dia 7 de Feve-
reiro tu corrente anuo na paroehia de S. da
Escada, pertencente ao3. circulo eletoral.
Obtiveram votos os Srs.:
Exm. bario de l'ting.i...... 1923
LFraucsco Antonio de Barros e Silva 1920
afaaoel da Rocha Lhu...... 1900
Manoel Goiicalvcs Pe vira Lima. 1850
Aggeu Veloso Freir...... 1800
Marcionlo da Silveira Lins. .... 1800
Francisco Cavalonti do Albuquerque
Lins.......... 1800
Salvador dos dantos MoMeiro (aval-
canti.......... 1800
Belmiro da Sfkraira Lins..... 1783
Francisco Gerdeieo Falco. .... 1780
(toque Ferreira da Costa..... 1780
Jos Pedro de Oliveira...... 1765
Zefirino Aurelano le Figueirodo e Mello. 1700
Por decretos de 6 do corrente mez:
Foram apreeentados:
Em una cadera de conego de prebenda inteira
la s; metropolitana, o conego de mea prebenda da
mesma s, Antonio Muniz lomes.
Vigario da igreja parochial de Sant'Anna de Ca-
pivaiy, da diocese de Mariana e: provincia de Minas
Geraes, o padre Manoel Jos Vieira.
Foram concedidas medalhas humanitarias de 2-
classe a Joao Brum da Silva, Manoel Lojiesde Me-
leiros e Joao Manoel Pereira de Brito, por terem
salvado, na noute de 11 de novembro de 1868,
com risco de vida, a quatro tripulantes de um
barco que nauragou na altura da Iba de Cata-
lo; e a Jos Colho de Brito, mestre do encoura-
jadoUrna Bao*, que salvou no dia 22 de de-
zembro prximo lindo, com risco de vida, a do
guardio do mesmo encouracado Joao Nunes de
Souza, o qual caliira ao rio.
Foi concedida, por servicos prestados na guerra
actual, a pensao de 500 rs. diarios ao forriel do ba-
talho de engenheiros Francisco Mariano Franco
de Sa, licando dependente esta merc da approva-
cao da assembla ge ral.
Foi concedida a disp Lauriano Jos de Vasconccllos para poder tirar o
titulo de cavalleiro da Rosa, de que leve merc por
decreto de 8 de julho de 1868.
Foi nomeado z cirurgiao do corpo de sade do
exercito o Dr. Alcxandre Jos Soeiro de Faria
Guaranv.
Concedeu-se a Joao Antonio da Trindade Jnior
a demissao que pedio do lngar de almoxarife de
3* classe do arsenal de guerra da corte.
a conformidade da8dispo8 que baixou com o decreto de II dedezembro de
1805 concedeu-se a reforma, com o respectivo
sold por inteiro.visto achar-se impossibiliudo para
o servido do exercito, em consecuencia de feri-
niento recebido em combate, o cabo de esquadra
do 2 batalho de infamara Julio Alves, licando
bro do anno prximo passado.
Por decreto de 8 do corrente foi exonerado, a
seu pedido, o bacharel Antonio Augusto Monteiro
Je Barros, do lugar de inspector do trafego da es-
trada de feTo de 1). Pedro II.
Por decreto de igual data foi nomeado para
i'xercer o mesmo emprego o engenheiro Honorio
Biea no.
>
DIARIO DE PERNIMBUCO
REPIFE 16 DE FEVKRKIRO DE 1869.
NOTICIAS DO SUL DO IMPERIO.
Chegou hontem o vapor inglez La Plata, tra-
yendo jomaos da corte al 9 e da Babia at 12 do
arreste.
As noticias mais importantes acbam-se publica-
das 9ob as rubricas parte official e interior.
Alm dellas, s encoBtnuaos as que seguem :
RIO DE JANEIRO.
Correram placidas as elei^oes Unto no munici-
pio neutro, cxkna provincia do Rio de Janeiro,
19i a 186 ... vista.
193 a 185 .... a 30 d/v
192 a 184 .... a 60 d/v
191 a 183 a 90 d/v
Apolices Vendoram-se boje lotes regulares das
geraes de 6% a 81, 81 % 81 '/i e 82%,
Aceites.Negocarani-sc hoje 68 do banco do
Brasil a 178$ e SU ditas a 1775, e 40 do banco Ru-
ral a 178$.
Metaes. Venderam-se lioje varios lotes a
t-IMO, l".)al.VO o 133*K> e. .liulwii-.i. y 13#200 a
prazo.
Sabio para Pernambuco no dia 8, a polaca
hespauhola Viajero.
PARAN'.
No dial! celebraram-se exequias solemnes por
alma dos bravos que suecumbiram na tomada de
Villeta.
O .Yore de Dezembro de 16, sob a rubrica
prsionero, noticia:
Apresentou-se hontem ao Exm. Sr. presidente
da provincia o cabo de esquadra da extincta com-
panhia de cavallaria desta provincia, Joaquim Jos
de Queiroz, que, segundo diz, achando-se adddo
ao Io regiment de artilharia a cavallo, em Tuyuly,
foi no reconhecimento de Humayt extraviado e
prsionero pelos paraguayos.
Sendo levado para urna povoacao muto alm
da Encarnacao, onde se demorou em sen'ico uns
15 das, mais ou menos, em urna noite tempestuosa
logrou evadir-so, tomando o serian que vemler ao
ro Paraguay; alii chegando atirou-se nagua, com
o auxilio de um pao que tomou como salva-vida,
nadou mais de 2i horas para a lado da provincia
de Corrientes; demorou-se 13 dias em una illia des-
ertacujo nome ignora e atirando-se de novo a agua
nadou por muto tempo; seguio depois pelas ca-
beeeiras do Aguapehy, alcanzando os hervaes da
fronleira de Corrientes com esta provincia; eeteve
uo herval de Pedro Pagy; seguio depois pelo ser-
tao da fronteira e veiosahir no campo Er, distric-
to de Palmas, deixando o rio Iguass esquerda e
e Uruguay a direta.
Gastn em todo este trajelo nicamente dous
mezes..
BUHA.
Placidas e tranquillas correram as eleicoes em
toda a provincia.
Fallecer o secretario do commaudo das ar-
mas, niajor do cstado-raaior Antonio Domingos
Ferreira Bastos, que foi substituido interinamente
pelo tenente-coronel Cypriano da Rocha Lima.
Chegra, procedente de Londres por Ply-
month, o vapor Penedo, pertencente companhia
Bahiana.
Para o Ro de Janeiro seguir a fragata rus-
sa Dmetry Ditnskay.
Antes de seguir esse navio, o presidente da pro-
vincia dirigi ao seu commandante o seguinte oiii-
cio:
a Ao Sr. commandante da fragata de S. M. o Im-
perador da Russia Dmetry Donskay, surta nesle
poito, 9 de fevereiro de 1869.
E' muto agradavcl esta presidencia, dirigir-
se nesto momenlo.ao Sr. commanaiite para pedir-
llie o especial obsequio de t'azer constar aos pri-
meiros lente^ de sua fragata, Jean I^avroff, Mi-
chal Koutroff, Mclial Wischoniakoff o Serge Skrai-
gner, o sentimento de gratidao que lhe inspirou o
procedimento dos mesmos, indo em procura, s8
horas da noite, de dous brasileiros, que, levados
da corrente, com mar cavado e vento fresco, nu-
fragos, sahiram barra-tora, em urna pequea em-
barcacao (saveiro) sem recurso algum de salvacao,
que encontrai ara no procedimento humanitario e
generoso dos mencionados lilhos da Russia.
Em nome, pois, de S. M. o imperador do Bra-
sil,'rogo ao Sr. commandante que d este agra-
decimento toda pubiicidade.
Aproveito-me da opportunidade para scent-
ficar ao Sr. commandante da fragata Dmetry Dons-
kay. os protestos da minha alta estima e distincta
consideracao. (Assignaao) Barao de S. Lou-
HHhJft
O cambio sobre Londres regulava 18 1/2 a
18 3/4 d.
Dr. Sergio Diniz de Moura Mallos. 1700
Flix Pereira de Araujo..... 1700
Emilio Pereira de Araujo..... 1700
Henrique Gomes de Barros e Silva 1684
Franco Cavalcanti de Albuquerque 1684
Malinas de Albuquerque Mello 1680
Theodoro Jos da Silva Lins .... 1600
Antonio Alexandrino Cavalcanti 1600
Manoel Alves da Silva Caldas .... 1600
Joao Carneiro Lins Senadas .... 1600
Pedro Ferreira Lima ....... 1600
Jos Hermillo Cavalcaiti Lins. ." 1600
Bento Leite Cavalcanti Lins .... 1609
Antonio Goncalves Ferreira..... 1600
Joaquim Rodrigues da Silva .... 1600
lleiinqiio Marques da Silveira Lins 600
Peuro Cavalcanti de Albuquerque Lins 1600
Francisco de Barros Silva e Albuquerque 1580
Romarico Antonio de Barros c Silva. 1580
Joaquim Cavalcante Ribeiro de Lacerda 1380
Joao Damasceno o Silva...... 1500
Floriraaudo Marques Lins..... 1300
Joao Manoel de Barros e Silva. 1500
Herculano de Barros e Silva .... 1500
Antonio Jos dos Santos..... 1400
Joiio Salvador de Siquora Cavalcanti. 1400
Braz Cavalcanti de Albuquerque Lins 1378
Jos Leao Pereira de Mello..... 1300
Manoel Joaquim de Torres Calendo 1232
Jos Florentino da Foneeea Leao 1200
Manoel da Cosa Prazeres..... 1102
Eleitores especiaos.
Exm. barao de L'tinga...... 1923
Francisco de Barros e Silva .... 1920
Marcionillo da Silveira Lins..... 1900
Manoel da Rocha Lins...... 1850
Florimundo Marques Lins..... 1800
Francisco C. de Albuquerque Lins 1800
Franco Cavalcanti de Albuquerque 1800
Salvador dos S. M. Cavalcanti. ... 1800
Manoel Goncalves Pereira Lima 1783
Flix Pereira de Araujo....... 1780
Jos HermiHo Cavalcanti Lins. 1780
Bento Leite Cavalcanti Lins ..... 1763
Joao Manoel de Barroso Silva. 1700
Pedro Ferreira Lopes...... 1700
Jos Francisco Ferreira...... 1700
Deoaaedes Francisco dasChagas 1700
Ernesto Goncalves Pereira Lima 1686
Joaquim lavares Rodovalho .... 1686
Franciseo de Paula Cavalcanti. 1680
Antonio do Monte e Silva..... 1600
Seraflm Jos Antcro Joaquim dos Santos..... 1600
Manoel Paos Caminha...... 1600
Luiz Gomes do Azevedo Campos 1600
Mathas Bozorra de Barros..... 1600
Mathias de Albuquorqu! Mello 1600
Antonio Carlos C de Albuquerque 1600
Clorlndo de Gusmao l'choa 1600
Jos Goncalves dos Santos e Silva. 1600
Pedro Alexandrino Cavalcanti da Costa. 1600
Bernardino do Seana de A. Lisboa 1380
Martinho Rodrigues Lopes..... 1580
Antonio Mnniz Pereira...... 1580
Joao Florentino da Fons.;ca e Mello 1500
Francisco Jos de Vascoacellos. 1500
Pedro Rodrigues Lopes...... 4300
Antonio Feij de Mello...... 1500
Manoel Alves de Figueira..... 1400
Ladislao Alves da Silva...... 400
Jos Paulino da Silva...... 1378
Antonio Rodrigues da Silva..... 1300
Americo Brasil Monteiro .' 1252
Zeferino Ameliano de Figueiredo Mello 1200
Joao Damasceno e Silva ....
sobre o teclado.
PARA A EUROPA.-^) vapor tk Piala conduzio
137 passageiros, dos quaes 1-1 reecbidos em nosso
parto. r l
COMPANHIA PERNAMRT.ANA. Em eocise-
quencia da chegada do vapor doul, deixou hon-
tem de realsar-se a reuniao da assembla feral
ilesta compartira, fleando transferida paraqnando
de novo se aiinunciar.
GfAltA!Este vapor, da companhia brasilora,
devia partir da corte hontem era viagera ao norte
do imperio.
SERMES QUAftESMAES.-eomecam taje, na
igrtjsj de S. Jos de Riba-mar, segu tule-se em to-
das as lercas-feiras. Ser orador o Hvni. Antonio
de Mello e Albuquerque.
CHEIA DO CAP1UARIBE.Noticias mais minu-
ciosas de Pao d'Alho dizein que a cheia desse rio
foi all maor que a de 1834 ; que lora arrasado
o engcnbo Belem; que solTreram grandes estra-
gos os engentas Cipo, Sant'Anna e outros; e que
a ra do rio, na villa, perdeu toda as casas,
excepcao da do Sr. tenente-coronel Luiz Mara-
nhao, subindo as aguas at a igreja matriz.
Igualmente nos lugares Malhadinba e Pedra Ta-
pada licaram militas casas arrasadas, raorreiido
nimios animaos e algumas possas.
No Limoeiro as ras do Pirauhra e da Lama
foram completamente arrasadas; c em Ribeiro
Fuudo, da mesma comarca, quasi todas as fazen-
das tiveram grandes prejuzos, licando algninas
totalmente arruinadas.
COMPANHIA DRAMTICA. Encela amanhaa
seus espectculos no Santa Isabel a companhia
dramtica de que empresario o Sr. Coimbra.
MONTE PI POPULAR PERNAMBl'CANO.=
Hoje deve haver reuniao dos membros dessa as^o-
cacao em assembla geral.
LOTERA.A que se acha a vend a 96 em
beneficio da igreja da Boa-viagem. uo corre no
dia 26.
BILHETES OFFERECIDOS.N'umeiacao dos bi-
llietes da lotera 96.* oerecidos pelo tiiesoureiro
das loteras Jos Rodrigues de Souza, para auxilio
das despezas da guerra.
Bilhetes ns. 2601 a 2610.
PASSAGEIROS. Do vapor inglez La Pa ta,
vindos do sul:
Antonio Mendos de Paiva, conselheiro FeUppe
Lopes Netto, William Powell, Juta Halen, Adolptio
C. Sanchos, Francisco Jorge Relrolo, Theo men, David Osear Levi, Adele Lenoruiand e en-
transito 126.
Sabidos no mesmo vapor.
Samuel Corter, Adulplio Beir, Mano.d Pereira ila
(Emilia, padre Francisco Goncalves Ferreira, Joa-
quim Ribeiro da Gama e sua mulher, Jos Antonio
da Silva, Albino Jos da Cruz, Manoel Texeira Bar-
bosa Jnior, padre Manoel Barroso Pereira, Dr.
Jos Bernardo Galvao Alcoforado Jnior e A. EL
F de Freitas.
O vapor brasleiao Jaguaribe, trouxe dos
partos dos portas os seguidles passageiros. lente
Targino Paulino de Carvalho, Antonio Colodgim,
Roberto Parker e Leonardo Fantoff.
Remesas .
Accionlas. .
Devedores diversos
Gaixa ....
1.298:0005000
r.
17:007 454
ll3:842-5(Mi3
f>3:004013
29:2905184
14:6784)08
897*938
9:11003000
130:7204000
48:8734.">8
5:7744023
Rs. 2.301:3303060
um
feita
(HRONICA Jl DICIARIi
TI*lbl\AI. Di Ili:i. \\ AO.
SESSAO DE 13 DE FEVEREIRO DE 1869.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBAROAD.IR SANTUOO.
As 10 horas da manhaa, presentes os Srs. dcsoni-
bargadores Gitirana, Lourenco Santiago, Guerra,
Almeida Albuquerquo, Moa, Assis, Domingues
Silva, Souza Leao e Ucha Cavali:ante, faltando o
Sr. desembargador F'reitis Henriques, abrio-se i
sessao.
Passados os feitos deram-se os seguiutes julga-
mentos :
Recuiisis crimes.Reccorrcnte, o juzo; reccor-
rido. Joaquim Jos dos Santos Paturi.Relator o
>r. desembargador Glilrana, sorteados os Srs. des-
embargadores Lourenco Santiago e Almeida Albu-
querque.Improcedente. Reccorrcnte, o juizo ;
reccorrdo, Manoel Nonos da Rocha.Relator o Sr
ilescmbargador Almeida Albuquerque, sorteados
os Srs. desembargadoros Molla, Gitirana e Louren-
co SantiagoImprocedente. Reccorrente, o juizo;
reccorrdo, bacharel Manoel Januario Bezerra Mon-
tenegro.Relator o Sr. desembargador Lourenco
Santiago, sorteados os Srs. desembargadores Motta,
Gitirana e A. Albuquerque.Improcedente. Rec-
corrente, o juizo; reccorrido, Domingos de Araujo
Carneiro.Relator o Sr. desembargador Assis,
sorteados os Srs. desembargadores Gitirana, Motta
c Lourenco Santiago.Imprecendeute. Reccor-
rente, o iuizo; reccorrido, Joaquim Colho de Li-
ma.Relator o Sr. desembargador Molla, sorteados
os Srs. desembargadores Ucha Cavalcante, Lou-
renco Santiago e Domingues e Silva.Deraui pro-
viinento. Reccorrente, o juzo; reccorrdos, Jos
RayinundoSalgado e outros.Relator o Sr.desem-
bargador Domingues e Silva, sorteados os Sr. des-
embargadores Motta, Uchoa Cavalcante e e Lou-
renco Santiago.Improcedente Reccorrcnte, o
juizo; reccorrido, Antonio Jos Bezerra.Relator
o Sr. desembargador Ucha Cavalcante, sorteados
os Srs. desembargadores Almeida Albuquerque,
Motta e Gitirana.Improcedente.
AppellacSes civeis.Appellante, Antonio Joa-
PAfSSIVO
Capital.......
Emprestimo do governo geral
juros.......
Letras a pagar.....
(redores diversos. .
Dividendos 1., 2." e 3." .
Dividendo 4. 10 0|0 .
Fundo de seguro....
Fundo de reserva. .
Lucros e perdas ....
2.000:0004000
123:220.4000
10:0004000
122:6624814
2:3504000
52:7454920
160:0004000
21:7314151
8:6404175
S. E. 4 O. Rs. 2.801:3304060
Pernambuco, lo de Janeiro de 1869.
O gerenteF. F. borqrs.
DEMONSTRACAO DA CONTA DE LUCRSE
PERDAS DA COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE NAVEGACAO COSTEIRA POR VAPOR, EM
31 DE DEZEMBRO DE 1868.
RECIITA
Saldo de 1867.....
Frutes, passagens e subvences
Armazens.......
Seguro dos vapores. .
Depsitos......
Aluguel do trapiche de Penedo
14:9061091
368:318 4965
6:0214982
3:583()77
2:7164578
9164660
Rs. 596:13242114
DtMPEXA
Cnsteio dos vapores, galera etc. .
Delorioramonto dos niesmos .
Juros..........
Despezas goraese judiciaes. .
Salario das agencias, gereuca,eiii-
pregados e commisses .
Seguro dos armazens .
F'undo de seguro.....
Fundo do reserva .- .
Dividendo 4. 10 Ort) .
Saldo para o anno de 1860 .
32.1:7784199
78:93-24:140
14:9104474
7:9264402
34:9104230
1:9194782
60:0005000
6:3885740
32:7455920
8:6404175
S. E. AO. Rs. 590:152 5294
Pernambuco, 15 de Janeiro de 1869.
O gerente F. F. Bornes.
POLTICA INTERNA
Partido conservador.
DIVAGACES POLTICAS.
O Sr. consellieiro Saraira t os fusin islas.O fc-
p'trito anarchico e as revollas.Como se rom-
promette a santa causa do liberalismo.Os con-
serradores e as reformas.
A carta do Sr. conselheiro Saraiva foi fecebida
comapplausos nos arraiaes da opposicao, maspou-
co a pouco foi esfriando o enthusiasmo, e dando
lugar aos reparos e censuras dos que tanto a ap-
plaudiram.
Em primeiro lugar o Sr. Saraiva manifestoii-so
contra a extinecao do poder moderador, e a tem
porariedade do senado, arlgos do programma la
t)piniao Liberal, seguidos por mutas outros orgaos
liberaos fusionistas ; assim como deixou le men-
cionar oulras reformas, das pie a Opiniao Liberal
julga mais essenriaes naaclualidade.
Depois, dizendo o Sr. Saraiva que o exeessvo
poder do imperador raras vozes ha de servir pttra
n 'alisaban dos seus patriticos desejos, parece
eondemnar a guerra pessoal desabrida que, a pro-
posito de governo pessoal, est fazendo a oppo-
sicao.
Mas aespinha, cora que se cngx*garam aquellos
que em setenibro andaram pelas ras dando vivas
aos revoltosos de 1848, a referencia do Ilustre
conselheiro s revotas em virtude das quaes se
deu excessiva forra ao poder executiro. S. Exc.
justifica a proniulgacao das leis restrictivas que de-'
soja reformar, parecendo-lhe, porm, que, nao sen-
do mais necessarias, sua continuacao tornou-sc no-
civa, e dola se tem abusado.
Este pensamento est mais patente em uns arli-
gos que o Sr. Saraiva publicou ltimamente no
Diario da Baha. No dia 11 de Janeiro, diz elle,
que todos nos, liberaos e conservadores, cada um
por sua vez, temos experimentado a impossibl-
dade de manifestar o paiz sua vondade; em con-
sn/tientia das Iris de compressao e reacedo fM
exuUm e foram promulgadas para laminar n
reioiurt's, e suffocar o espirito anarchico de on-
trns eras. Em seu artigo de 13 de Janeiro, diz
anda o Sr. Saraiva que as leis de reacedo que pos-
sai,nos foram promulgadas no intuito 'de firmar a
paz publica e reprimir o espirito anarchico deou-
troi ro; diz mais que a nossa organisardo poli-
cial foi poderoso instrumento de ordem em pocas
anormal; e que as leis de reacedo nos deram a
ordem e destrualo os potentados 'do interior mais
cessantc de um estribra insulso, que os conser
vadores sao absolutamente contrarios idea da
cmancip.ieao.
Ja tivemos oxasJSo de provar que os liberaos
lUMoricos fm-an, os primelros que llzerain opposi-
cao ao m.iustcrio de 3 de agesto, a proposito da
abbela hiles reproraran, com toda onrgi.at
cora a i imoma o procedimento do governo; a pon-
i ue uizercm que a precipHaeao deste era um
erme;-que,ua philnnlropia era abominovel;
que aescrmnMo fot urna rozno deprogreeso u
aMo de nrilisnrao ;~que a refe,enca 'fe,
na fulla da Ihrono era urna fnclamarao de guer-
ra social ;que a mprrnsa era imjmsicel ;que
opnerno. rtconheeendo rs* impossibilidadejei-
ruin agitados os espiritas pela appro.rimaedo de
um penga que aineacata confagar o imperto in-
Uno;-que.... Basta I
Tambera j transcrevemos um pouco do que
dissorain na cmara dos deputados ( Srs. Jos Bo-
nifacio, Oltoni, Macedo, Olegario. Halishona, mu-
renco de AHinquei-que, Fonlenelle, Teixeirm ui-
maraes, llama Abren. Gariao Pei.roh;liezeiradc
Utntzes, Toscano de Brito e. Belfort Duarte.
Os conservadores concordaran! sobro a inopnor-
lunidade da medida ; a necessidade de provcnir-se
o paiz convenientemente; e a precpitacao do mi-
nisterio de aventar a ipiestao, sem ler assentado
em colisa alguma sobre os nietos de resolv-la;
sem ter csludo algum a respeito, alm do trabalta
de um consorvador, o Sr. Piuieuta Bueno.
O pronuiiciainento dos liberaes historeos nao foi
menor na impreusa que na tribuna. A Opiniao
Nacional, que ainda nao fallava em direito diino
do escravo, disse o segu uto :
O governo progresssta com scmelhantc pni-
> (losicao nniz especular com as tendencias libe-
raes iln paiz, o. por outro lado levantar m frw-
te e ruinoso monumento sua propria vaida-
de.
Quera agora que quer especular com as ten-
dencias liberaos do paiz f
... at um alto funecionario polilieo se ex-
pandio em inanil'estacoos de patritico enthu-
siasmo ante a mera iinaijem de um sonhado be-
neficio, que elle mesmo nao pih' reilisar, por
<( inopportuno, por deimisiadaimnie imprudente,
por eiidentemenle impoltico!'.
Entretanto pretndese agora fazer da emanci-
paeao do elemento servil una questao de partido,
dizendo-se que una idea aeccta pelos lilieraes e
repclda netos conser\-adores.
Depois de ludo isto vejamos o que diz o Sr. con-
selheiro Saraiva no Diario da Baha .
E conveniente a reforma d i elemento servil r
Felizmente o orgao
lou, antes reconheceu
da idea.
Nao exprimo-se como os philantropos ameri-
canos em teni|ios nao milito remotos : aescravi-
dao um grande mal, a einaucipacao, (>orm,
iuipossvel.
A ipiestao da emancipacrut do elemento servil
nao pode e nao deve ser urna queslao de part-
do; c bem posscel que tenha de ser re-olvida
por algum Disrael, sihido dentrv os torijs con-
u serradores.
Kis ah o caso (pie o Sr. Saraiva fez do Otanejo
de alguns seus correligionarios.
Porlanto o ostribilho da Opiniao Nackmal
contra a verdade; e tambem so Boderia acereteen*
larcontra a grammatca. Dizor-se que os con-
servadores sio homen% do direito divino do escra-
vo, para dizor-se, que, segundo ellos, a eaerari-
do de direito divino, ou do iusltuicao divina ;
nao penaguea que se emenda, o que significa
direito divino do escruro i
Se o ministerio Zacaras quiz especular com as
tendencias liberaes do paiz, s porque fez runa
promessa, sem contestar as bas inlenees dos
seus adversarios, o que pretende agora a Opiniao
Nacional f
Nao o perguntamos ao Sr. conselheiro Saraiva,
porque so elle respomlesse havia de craproniotter
anda mais a santa causa dos seus alliados.
.V.
conservador nao contes-
a bonda.de o cxcellenoa
REVISTA DIARIA.
LNSITrUTO ARCHEOLOGICO E GEOGRAPHICO.
Reonio-se hontem, em sessao especial de eleieao,
sob a presidencia do Exm. conselheiro monsentar
Muniz Tavares, e com assistencia dos Srs. Drs.
Aprigio Guimaraes, Campos, Ayres Gama, Cicero
Peregrino, Joaquim Portella e os Srs. padre Lino e
maior Salvador.
Sao lidas e approvadas as actas das sessoes de
21 e 27 de Janeiro Ando.
O segundo secretario, na falla do secretario per-
petuo, oceupa a respectiva cadeira, e d conta do
seguinte expedente:
Um offlcio do secretario perpetuo, 1102
DINHE1R0.O vapor inglez La Plata trouxe as
seguintes quantias :
Bankof Rio de Janeiro. 260:0004000
Keller &C. 70:300*000
Augusto F. de Oliveira & C. 49:300*000
Sinipson Broad & C. 30:000*000
Pereira Carneiro...... 30000*000
Pereira Carneiro...... 1000*
Jubo Kaber. .... ioqo 6
Thomaz de Aquino F. 4 C. joo *
Cramer, Frey & C! 2o:000*000
Marques, Barros & C..... 15:000*000
Carvalho & Nogueira. ..-.',, 12;000l000
Lehmann freres...... 11 284*000
Jos da SilvaLojo & C. 9:623*000
Sa Lcitao & Irmao ..... 6:000*000
Os vapores Potengi e Pirapatua levsiram
214:000*000
281*000
1:000*000
ESCOLA NORMAL.Continua ainda. aborta a
matricula do primeiro anco
TRIBUNAL DO JURY DO RECIFE. Aeha-*e
convocada para o dia i-de marco prximo a pri-
meira sessao judiciaria do termo do Recife sob a
presidencia do Sr. Dr. Manoel Jos da Silva Neiva
ESPANCAMENTO.-Infcrmam-nos da villa do S
nta, que no dia 30 do passado fora brbara-
mente espancada naquelle logar. Firma Jesuina Jo
Amoi Divino, sendo preso e processado como au-
tor do enme Bernardino de Senna Soares da Fon-
eeea
VAPORES COSTEIROS.-Deaccordocom a pro-
sidencia da provincia e a bem dos interesses do
Para Macei
Para Penedo .
Para Mossor.
Bento,
su
liellante, Jos Joaquim Barbosa; appellado, Joao
Baptista AuxetaDespresaram os embargos. Ap-
pellante, Joao de Souza Guimaraes; appellada, a
preta Benedicta.Despresaram os embargos. Ap-
pellantes, es herdcires.do commendador Manoel li-
gueira de Faria; appellada, a fazenda.Reforma-
da a sentenca. Appellante, Silverio Muniz le
Sant'Anna; appellada, D. Anna Mara Jos Pa-
guc-se a disima. Appellantes, os herdeiros de Ma-
noel Luiz da Veiga; appellada, a fazenda.Ilabli-
tem-se os herdeiros. Appellante, Joaiuim Caval-
cante de Albuquerque Mello; appellado, Del fino
Luiz Cavalcante e Albuquerque.Nao tomaram
conhecimento da appellaco. Appellante. Manoel
Jeronymo Terera; appellada, Antonio Notarlo de
Souz Lcaldade.Ao curador gral.
Babeas cxirpus.Indeferiram a peticao de Marti-
niano Francisco de Jess, e negaram soltura a
Raymundo da" Sil va Gomes.
passagens.
Do Sr. desembargador Lourenco Santiagj ao Sr.
desembargador Almeida Albuquerque.Appella-
c6es civeis: appellante, Luiz, por seu curador;
appellado, Dr. Francisco Pinto Pessoa. Appellan-
te, a irmandade do Espirito-Santo; appell;ido, Ma-
noel Camello Pires Falcao. Appellantes, Santos &
Rolim; appellado, Jos Soares de Azevado.
Do Sr. desembargador Souza Leao ao Sr. desem-
bargador Ucha Cavalcante.Appellaco crime:
appellante, o juizo; appellado, Rayinundo Ramos
da Silva.
Ao Sr. desembargador Gitirana.Apuellacao ci-
vel: appellante, Antonio Norberto de Souza Leal-
dade; appellada, acamara, municipal de Olnda.
Do Sr. desembargador Guerra ao Sr. desembar-
gador Lourenco Santiago.Appellaco cive!: ap-
pellante, Dr. Gaspar de Menezes Vasconcellos de
Drummond; appeilados, os herdeiros de Joo Hen-
rique da Silva.
Do Sr. desembargador Assis ao Sr. desembarga-
dor Domingues e Silva.Appellaco oivel: ap-
Kliante, Jos Rodrigues Paz; appellada, Helena
ariadoCarmo. Appellaco crime: appellante, o
juizo; appellado, Antonio Jos dos Santos.
. Dj Sr. desembargador Domingues e Silva ao Sr.
desembargador Souza Leao.Appellaces civeis:
appellante, Manoel Joaquim da Silva Leao: appel-
lado, Francisco Ferreira Bastos Amorim. Appel-
lante, Antonio Pedro do Rosario; appellad, Joa
Juira Bento de Mello. Appellante, Victorino Lopes
a Costa; appellado, Domingos Muniz de Barros
Monteiro.
Dkligencia crime.Ao Sr. desembargado? pro-
motor da juslica: appellante, Antonio de Freitas
Bezerra; appellada, a iustica. Appellante, Manoel
Leite de Mello; appellada a juslica. Appihnle o
juizo; appeilados, Antonio Cabocolo c outros. Ap-
pellante, o promotor; appellado, Antonio de Souza
Pereira.' Appellante, o juizo; appellado, Joao Viei-
ra Dantas de Castro. Appellante, Joao Anselmo
da Silveira; appeliada, a iustica. Apoellai te, o
juizo; appellado Manoel Rodrigue do ascimen-
Os liberaes de hoje nao lem por esta cartilha do
Sr. Saraiva. A lei de 3 de dezembro tem servido
de pretexto para as maiores increpacoes que se
nos tem feto na imprensa e na tribuna; nega-se
abertameulc a necessidade de sua promulgacao ;
proeura-se justificar todas as revoltas a que o Sr.
se refere, e aquel les que as promoveram
lamados^apostlos e martyres da mais santa
das catisas.
Mas a justificacao mais completa e brilhante do
partido conservador, o argumento que reduz a
(TRANCHIPChO.)
O NOVO l'IIOCnAMMA DO SR. SARA1V.1.
O gabinete i'e 31 de agosto exliaurio os
uieios e as formulas da liumildade para
tocar o corarao do poderoso Sr. Saraiva.
Vaos esfon-os! mallogradas fadigasl
O Ilustre ex-euviado extraordinario des-
(lcnhosamentt: recebeu as zmbalas, e com
sobrecenlio equivalente a un decreto de
coiHhMnnaeao, voltou-llie as costas e flo-se
na volta da sua provincia.
U viver d'esse triste ministerio foi urna
trama de miserias urdidas pela mao da
inepcia, matisada de erros sem numero,
guarnecida de escndalos inqualilicaveis.
Qualquer desses factos basta va para jus-
tificar demasas no uso da palavra escripia
ou articulada. Na historia dos ministerios
no Brasilvolumosa devora sernao se
depararSo muitos captulos que se asseme-
Ihem aos da chronica do 31 de agosto.
Pois o Sr. Saraiva, que lhe havia dado,
mal tinha esse ministerio estreado, mostras
pungentes do seu menos-preco, de sua
aversao de hostilidade latente, ceilo, mas
temerosa e comminante como prxima ex-
plosiio do Vesuvio, em presenta d'essas
l'aeanhas do 31 de agosto ficou mudo e
quedo. Nem fez, netn disse cousa que re-
velasse, ainda por sombras, os sentiineutos
manifestados com tantos extremos de me-
noscabo e desprezo.
Elle mesmo o declarou.
Nem urna palacra minha, nem um
(uto mea foi contrario a esse ministerio,
i/uer na iiiinki provincia quer fra d'el-
/<7.
Esse silencio, essa immobilidade ou sig
niflcavam approvaco tacita do procedimen-
to do 31 de agosto, ou denunciavam no
Sr. Saraiva pouco apreco aos sens deveres,
de homem poltico e de representante da
nacao, membro da cmara dos deputados,
c um dos principaes leaders da opiniao
progresista.
, Se alguem devia mostrar-se imparcial ou
neutro, quando romperam no parlamento
Mmeraifitiis invectivas accumuladas a respeito da as hostilidades ao gabinete Furtado, sen
le de 3 de dezembro, encontramos em algumas'
palavras proferidas pelo Sr. Sontt Carvalho, na
e note-se que o
chefe da maio-
camara dos deputados cm 1867
Sr. Souza Carvalho era entao o
ria.
Eis ah :
E a lei de 3 de dezembro? L:m par'ido pro-
teslou contra ella por todos os modos, at com :
duvida era o Sr. Saraiva. Obrigava-o a..,
coherencia.
Coherencia no Sr. Saraiva !... Oh 1 di-
ra com a emphase habitual o veterano da
nossa tribuna, o Sr. Jequitinhonha.
O mesquinho 31 de agosto nem gosou da
as armas; mas sobe depois ao poder e declara\satisfagao de ouvir, em formula parlamen-
pelo orgao de seus membros mais conspicuos
pie o paiz nao tinha ainda a experiencia sufll-
ciente para a revogacao dessa lei.
Foi o que tez o partido liberal, e ainda ha quem
se fie era seus protestos
Voltomos carta.
A Opiniao Liberal j apreciou com bastante aze-
dnme alguns trechos della; e a Opiniao Nacional
j disse, a proposito da liberdade da imprensa, que
o Sr. Saraiva reconhece.
O Sr. conselheiro Saraiva nao fez acto de ver-
dadeiro liberal, antes comprometteu a nossa san-
ta causa.....
Bem so v que para comprometter a tal santa
causa Basta confessar urna verdade que entra pe-
tos olhos de todos que sabem ler, e pie, excep-
e.io da Opiniao Nacional, sempre foi e reconta-
cida por todos indistinctamente. At um liberal
extremadsimo j disse que precisamos de liber-
dade de imprensa, pois o que temos nao liberda-
de, lieenea que deve ser coarctada.
Anda por outros motivos, o Sr. Saraiva com a
ua carta e os seus anigos explicativos est com-
prometiendo seriamente a aila causa do libera-
lismo.
Os fusonstas diem roe os conservadores nao
dosejam as reformas polticas aconselhadas pelo
Sr. Saraiva, nao porque elles attendam ao interes-
se publico, mas para se conservaren no poder;
para o pie necessiUm de leis restrictivas. Entre-
tanto diz o Sr. Saraiva:
Mirando a ta! ponto nao s o partido liberal
a que ter a ganhar com as reformas que ambi-
ciono, senao igualmente o partido conservador
este talvez mais que aquelle.
Quanto questao do elemento servil, temos vis-
to a insistencia com que a Opiniao Nacional, em
falt de urna razio qualquer com que mostr ser
isto urna questao de part-'do, procara incutir no
espirito le certa classe, por meio da repeticta in-
tar, o libello de sua aecusa^o. Aosjgraii-
des acelerados, envelhecidos no crime dia-
riamente commeltido, julga-se dever a con-
cessao da defensa. Ao 31 de agosto nem
espemear foi permettido 1
Foi a execuco da lei d Lynch. Agar-
rram-no, amorda;ram-no e enfercram-
no. Tolle crucifice eum.
O Sr. Saraiva singularisou-se entre os
executores do julgamento, representado no
escrutinio secreto para a eleieao do presi-
dente da cmara dos deputados.
Dominado pelo patritico desejo de sal-
var o partido, o Sr. Saraiva, em primeiro
escrutinio, votou em cdula branca. Quer
isto dizr que nKo votando, n3o declarou o
seu pensamento, mostrando-se neutro na
contenda, deixando ao 31 de agosto urna
probabilidade de victoria, nullicando a sua
presenta naquella grave conjunctura, tinha
para si que servia til e activamente aquelle
filho da foja no perigo |que estava corren-
do.
Em segundo escrutinio, sempre sob o
imperio do seu patritico desejo, vatou no
candidato da opposicao.
Eis um desejo patritico que, em den-
tica questao se externa pelo sim e pelo nao,
pelo branco e pelo preto, pela absolvicaoe
pela condemnacio pelo ministerio e pela
opposir3o.
Julgareis, leitores, que inventamos, soc
'<
/
1
v
*
4 *
*S-


Diario de Pernambiico Tenjaj feina
J de Fwwiro ** 186.
*_-
>

correnronos s (cencas da phantasiy po-
tica? s >ria engao vosso.
Dizemos a verade, a pura, a pumsiina
verdade. InvacaSios a nosso favor urabs-
teinuriho irrefragavel, u da Sr. Saraiva era
pessoa.
A 2t de maie de 1866 disse elle :
No escrutinio secreto, a que se proce-
den, em pritneir lugar para presidente
desta cmara, metti na urna urna cdula em
hranco. Forcado a escolher um dos dous
nomes que sigrfii _vam a morte ou a vida
do ministerio, ou antes a lula e as proba-
bilidades do desapparecimento dessa Juta,
vottei em segundo escrutinio no candidato
da opposicio, porque em TODO 0 CASO
votara pea salearn do partido. Esta era
a situarao e a apnio que eu tinha acerca
d'ella.
Quis potest ca>ere, capiat.
JPodia o Sr, Saraiva com sobeja razo
hcada:, depois do primeiroe ao passar ao
S{gon_o escrutinio, como a Medea.
Salntre pniui,perder an possim roas?
Morrea, pois, de morte sbita o misero
niosipiinlio gabinete Furtado, c as escuras
sem .pompa nem solemnidade foi laucado
a valla coinmum na grande ncciopok' dos
ministerios tinados,
Succedeu-llie o 12 de mato, o ministerio
nascido especial e privativamente para de-
beilar a guerra.
Este foi o programma. todo o na, to-
cante poltica, permanecera imsiuiu quo,
segundo a expresso do Sr. Nabuco, (pie
exilamava cem o Sr. Saraiva:Facemos a
guerra e depois ajustaremos asnossas con-
tas.
Fura do caminho desse gabinete arreda-
do jparatito lo;-ge ludo quanto de poltica
dsse ares, aiuda remotos, que o Br. Ur-
bano, aex|*ressao inais correcta Aos histo-
reos, crendo nos protestos solemnsimos
daaueUes varos conspicuos, que consti-
tuam 0 lde inaio, declanm perante a c-
mara quetitas melindrosa creumstan-
rias em que se achara o paiz prestara o
seu franco apoio a qttalqner ministerio,
ainda radicalmente conservador.
Poisbem! (Jaanao absoluta abstencao
de ideas polticas, fossem. tinha sido e es-
lava sendo a condico essencial e u;:ica or-
ganisaclo e da existencia do mhijstario,
quando somonte da guerra dedarava-se
preoecupado. adiando o ajuste das contas
para depois da ricturia, o Sr. Saraiva, mi-
nistro da niarinha, arrebatado pela expan-
sfi* irreflectida de um dos sem, habitual*
mente incorrectos, improvisos, apresentou
a cmara estupefacta um programma. espe-
cialmente seu,. de todo o ponto poltico,
per sua cunta e risco.
Singularidad! imior de marca I O gabi-
nete jurava por todos os seus deuses que,
em poltica lloara immovel no stntu qno.
Um dos seuj ipeinbros, sem combinar com
seus collegas, trucando o bosquejo de gra-
vsimas reformas, levanta-se e diz: Se
lies nao teera pensamento poltico, te-
nlio eu !
E depois disto admirein-sc de ter o 12
de maio vivido em discordia acceza, pare-
cendo-se multas vezes a sala das conferen-
cias com escola de esgrima...
Vejamos o famoso programma particu-
lar especial, pessoal do Sr. Saraiva, minis-
tro da marinha, errata corrye do program-
ma publico, ostensivo, geral do gabinete,
cujo membro era:
monumental, como sao militas das
produeces do Ilustre haitiano :
Se tivesse a fortuna de dirigir a poli-
tica da Imperio por alguin tempo e dispo-
zesse de auxiliares uleis e efjicazes (!! t)
eu realisaria as theses geraes que tenho
emittido...
Na relorma Judiciaria entregara s au-
toridades Ati'lfir') popular ludo o qnepu-
desse llies ser entregue sem pkhigo paiu a
OHDEM PUBLICA.
* E deixaria que o paiz em cada canto
do imperio nao precisasse da acedo do go-
rerno para tratar dos seus actos puramen-
te domsticos (?).
o Procurara obter que a guarda nacio-
nal nao fosse, como tem sido at agora,
um embaraco immenso para a manifestaran
sincera da vontade popular.
Esforear-me-hia para ir assim despin-
do o processo eleitoral que 6 a base da ver-
de no nosso systema de todas cssas parsi-
tas que o matam, e nao consentent que a
cmara dos deputados seja qual deve ser.
E ao passo que assim proeedesse, eu
zelaria as aitribuicOes do gocerno, e pro-
curara'com o concurso da cmara ir ma-
tando essa aspracao constante, fatal, ascen-
dente ou antes csse amor do funccionalis-
mo que nos devora e desnatura o carcter
publico dos nossos patricios.
Revelado assim o estado do seu espirito,
o Sr. Saraiva accrescentou estas, igualmen-
te notaveis explicacoes :
Senhores, eu e meus amigos fonos
conservadores, quando a orden estaca se-
riamente AMEACADA PELA CEGUEIRA DAS
PAIXES POLTICAS, E ERA PICOSO .NAO EN-
f-aAQtmcm a aitoridadk.
A illustraco do paiz cresceu, e hoje
todo indica que preciso firmar e conso-
lidar a ordem pelo desenvolvimento da li-
berdade. *~
Conserrador em relcelo constiluieao
sou liberal milito adiantado, quando nutro
o d;sejo de destruir, ou antes de substituir
pwinstituicoes simples esse macliinismo
complicado, de que um dos partidos se
aproveitou para fundar a ordem e de que
ambos se serviram para falsear a liberdade
do voto.
< Nao concebo mesmo que o estado
actual de nossa socedade, se possa deixar
de ser liberal como eu sou.*
Eis ah oSr. Saraiva retratado por si
mismo, quando era ministro da corda.
Cotejem esta imagem sua com a que apre-
sentou ltimamente em seu novo program-
ma de opposicionta.
Nos tamhpm temos tido nossos gramtos trinm-
phes artstico!'.
Joao Caatauo, Artelaide e Tamhwi no ostenta-
rn ile scil.genw brilliante vinunj seups toda
; pintea do nosso* theatro estendennft raioo* de li-
les pelo rainin!i'M|iiu tinliaiii de trliai'.
Boje que se atare no valentelas portas do Santa
Isahel estaco dramtica, nao podbnvDS fuar-
nos ao impulso que nos arrasta impren para
dizer duas palavras sobre alguns vultos imminen-
temenlo artsticos que vieran i pisar o palco per-
nambucano.
Patendo jnstica ao brilhante talento e Frtadb
Coellio nao pdeme* consentir que so maque da
fronte de Joaqun Augusto a cora de reformador
da arte dramtica no Brasil. J. Aqgusto,. intclli-
gencia superior, arlista o primeiro, genio que tem
conseguido vencer defeitos physicos par animar
creaeoes dramticas as inais difllceis, o ensaiadoi'
e director de scena da nova companhia dramtica.
t)cali Siman, Mauricio Henaiul, Dr. GtUiUn,
F. Luiz dr Soaza, Lillam mais alto do que olui-
mihle admirador da to da imprensa.
Murtinho o sy rapa Utico irmao do Vtistgi, que
forca de esludo e esforcos de sua bella inteUigen-
ria *ein onscguldo dominar a platea cortcsa.
Nos que o vinvw tantas vews no tynmasio,
ai;iiardaiiio-nos para acempanhar na iiupaensa os
seus triumphos.
Thoimiz e o nosso amigo constante, sempre ar-
tista, senipre estimado pela platea.
Julia Azerulo mn nome applandido con en-
Ihusiasmo por essa pleiade de jOVOM tatailosos
que se asseiitam nos bancos
  • Paula
    A imprensa do sul festeja-a sempre que tem a
    ventura de ve-la em seus llieatrus.
    Eduardo da Siten o Prima da Coutm iBblWH ro-
    meiros novos que seatiran ebeios de f ao sacer-
    docio da arte.
    Mara Yellu'i, ja nossa eonhocida : os applau-
    M (|uei'oni|iiislara na ultiun estaeao JVainatiea
    sao o seu titulo de apresentaeao.
    Apoloma urna joven lilba de artistas, por de-
    mais intelligonte, que depois de um pequeo no-
    viciado vem procurara sombra de J. Augusto pa-
    ra junto delta, crescer, como promotle a impreusa
    do norte e o genio que llie acea.
    CWi muito nossa conbecida, ten* talento, ar-
    te e estima do publico.
    Jordnni,J. Gunnaraes c OS domis sao por dentis
    nossos conhecidos, vem-se rodeados de nomes
    importantes e desejam sem duvida acompaitha-los.
    }o$ Victorino, bastante COBhecWo-BQ eongresso
    das letlras, artista de im-onteslavcl nterilo e que-
    rido pela platea paulistana.
    Eis una rezenua, segundo nosso modo de pen-
    sar, do que actual conipanla dramticaprova
    de zoJo, de dedicacSo do Sr. Duart Coimbra.
    (i nosso Santa'Isabel tem portanlo urna das
    maii o es e mais completas "cUmpanbias dram-
    ticas.
    OSr. Ooimbra sempre incansavelpara satsfaxer
    o ppblie, araba de pintar o atrio e a primeiraor-
    dea de camarotes.
    Una compensarlo tantos esforcos, contralu-
    mos desta sorte lima divida ;o governo c o pu-
    blico que esienda as nulos tmem tambeui cum-
    pre seus deveres.
    Edgardo Cellim.
    PUBLICACOES A PEDIDO.
    Theatro de Santa Isabel.
    A NOVA COMPANHIA DRAMTICA E A EMPREZA.
    Amanhaa abre o nosso Sania Isabel as portas
    com una nova companbia dramtica.
    O tbeatro tem seu lugar e sua hlerarchia, quer
    as suas abobadas ecboem aos divinos cnticos de
    Rosslni e Donisctte pela melodiosa garganta de
    Patti, Taraberlick ou Tamburini, quer o seu pros-
    cenio estremeca aos ps de um Taima, um Joao
    Caetano, ou um Joaqim Augusto !
    Tambem a arte tem a sua aristocracia.
    por ella que as capitaes do mundo absorvem-
    se ante o artista, por ella que Rachel, ioao Cae-
    tano e Rossini tiveram exequias reaes !
    O th?atro tem o seu Sinai : as lets que recebera
    da religiao e da moral transmitte-as a urna multi-
    dao que se extasa ante ella.
    E o que temos visto em todos os temjios e em
    todas as cidades.
    Halarte norte-alletniApollotmu
    Dffigue fnrlnw'7.*~fiiltimpagoliMd>--
    Baigu Mrueguonw-iftupar tV'*y= brinha de
    ri?i>. j J
    vapor i:ilez -.t/;M.^v=niercadowtf:. Yn i
    Iftmen. u^zaZemUi>ferro,
    llanca fraarezaJfania-^-sal.
    Barca poUnguaIMipiq (/ arios gneros
    Pataclio hespanMW*'i=yden. -- k v
    Patacho gieaS.i-barJuo. L| xj
    13*Boa ingrzaCnral^fafnna de-Hign.
    Patacho bespanliolLi';avinltos.
    Bri(tue argentino Volsmtefarinhat denrtfo-
    Pataclio iikgtezManche-baealho.
    Barra trancezaCo/o/=mfircadoriub
    Hale afezTygresvario genero.
    Sniuica hespanhola ltenla--vinhe
    Impcrtap*^
    Vapor francez Guimne, yb" de Bor-
    deaos e Lisboa, maiuFestou:
    icaixalivros; a to W. u> Medeiros.
    i dita ditos; a Jcs* Nogneim i ditas ditos e impwjssos; fcaittucar A
    C.
    2 ditas calcado; Arantes. -Ljtra.
    ' ditas miudezas: Yaz, e Lsul.
    I dita armacoes pira cbapos- do sol; a
    madama Falque. *
    1 dita modas; Tbeodoro J*t.
    3 ditas ditas e tetidos.de algodSo; Fer-
    ien-a Matlieus.
    1 dita obras de ooro e prato; Gomes
    de Mattos & limaos.
    2 ditas ditas de piata; 5fercclno Jos
    G. da Fonte.
    I dita mercurio; G. G. Breckenfeld.
    1 dita urna machina; J. Dutoya.
    ditas calcado: kCh. Leelerc. .
    i ditajoias; A,.Ilyvernat dt C.
    4 ditas ditas, papel, bengalas, modas e
    relogios, 3 barris-violto; Lemnam Frres-
    I caixa livros,-. ao Dr. G.Lipparoni.
    12 ditas vinho.; L. Puech.
    15 ditas queijps;. l 1. Gongalves- BeV-
    tro,
    15 ditas ditas.; Cf A, Sodr da Molla.
    13 ditas ditos; Joao M. de Barros.
    14 ditas ditos;. .Joo Ignacio da Costa.
    10 ditas ditos; Y. Ferreira de Costad
    Fillios.
    7 ditas ditos; Joao A. da Costa Carva
    er/nrpagera 8 carga 1:000 barreas- com
    fvn4i'#- trigo, i KatieStitmetarv As-,
    Sohty.
    l.'Ca- Iflrgue portugiiez,. laia v|!) o^jtao
    ifelvio. uyga assuci.
    Da 15 enttadbs.
    tto de Jnein e Babia- ti *CL3j(i
    ______
    DECtARAfllB.
    V*h reoebedofia de remilas intenus genes
    <&faz publico qui neslfl ntetono- ie fevere
    lOMiifci futuro, Hueos contiittuintw da laxa Ca*.
    ascBan do exersicio corren de l*-69, quer
    t ojuraArcs as rreps^'as da. liad*, ejer as
    Zfl%*~\ ^ ^r*"- I ^^deZ^en/Lt ^ ^ ^ *
    Hole, eipi^gera 28, farga j Oecebedoria dk Pernaubuao. t Janeiro d
    generosv s Admson tlflvi-
    tm.

    lito.
    20 ditas titos ;
    45 ditas ditos;
    Fonceca & C.
    13 ditas ditos; 1
    Carvalho,
    Tliomaz
    Zenha .C.
    de Aquio.0
    dita sedas, 5 (lilas te-
    Medicina domestica
    Hoje a moda descobrir plantas novas
    de nomes desconbecidos, naturae* sempre
    de algum paiz distante e inculto.
    Tem virtudes maravilhosas 11 dizem
    os seus descubridores, e abraca toda a qua-
    lidade de mal que atllige o genero humano
    de urna maneira to suave e doce que, at
    os que nao esto doentes querem s-lo
    para serem curados por tito mah.wh.hoso
    REMEMO
    Porm o bom senso do povo quasi sem-
    pre repugna semelhante charlatanismo.
    Todo o mundo sabe que os lempos dos
    milagres j l se foram ha mitos seculos,
    e boje n3o se cura molestia alguma seno
    tratando-a segundo os principios da sien-
    da.
    N5o se despreza t5o fcilmente a ex-
    periencia de 2.000 annos, assim diz o Dr.
    Ayer, e quando confeccionou seu grande
    remedio para molestias do peito e gargan-
    ta, o peitorai. de cereja, tomou por base
    de seus estudos a experiencia dos sabios
    da sciencia, que tem existido desde o tem-
    po de Hypocrates at hoje.
    E o remedio que elle conseguio produzir
    tendo por ingrediente principal o extracto
    da casca interior da cerejeira brava, um
    monumento de triumpho da sciencia sobre
    o charlatanismo.
    A acco d'este remedio sobre qualquer
    tosse, bronchites, inflammaco da garganta
    ou pulmes rpida e eflicaz.
    (Medical Review).
    Agua Florida de Mur-
    ray e Lanman.
    Desde os mais remotos das das deseo-
    bertas hespanholas, o famoso paiz da Flo-
    rida tem sido justamente afamado pelo bal-
    smico e odorfero aroma de suas raras e
    florescentes flores e verdejntes arbus-
    tos.
    Aqui temos pois o fluctan te perfume e
    incens de seus jardins agrestes e seus aro-
    mticos e refrigerantes bosquesinhos, har-
    moniosamente concentrados e encerrados
    d'entro d'um diminutivo espaco hermtica-
    mente fechado e sellado.
    Esta agua florida deriva e recebe a sua
    exquisita fragrancia das frescas, verejantes
    e florescentes folhas de flores e plantas do
    trpico.
    0 seu sublime e delicado perfume, nao
    desmerece em nada, posto em comparacao
    com aquelle da mais lina Agua de Colonia,
    e .infinitamente superior que se fabrica
    em Paris, em Quanto que ao contrario o
    seu preco apenas a metade do custo de
    qualquer um dos outros.
    Aena-se venda as pharmacias de A.
    Caors, J. da Conceico Bravo & C, M.
    A. Barbosa, P. Maurer 4C, e Bartltolo-
    meu c C.
    COMMERCIO.
    PIUCA DO RECIFE 15 DE FEVEREIRO
    DE 1869.
    AS 3 1/2 HORAS DA TARDE.
    Assucar mascavado purgado = 34*00 por arroba
    (sabbado).
    Dito americano purgado3*200 por arroba (sab-
    bado).
    Aalgodo do Cear sorte 16*560 por arroba
    posto a bardo a rele de 5/8 e 5 0/0 (sabbado).
    Algodao de Macei 1' aorte = 17*000 por arroba
    posto a bordo, a frete de 3/4 e 5 0/0 (sabbado).
    Cambio sobre Londres 90 d/v 19 d. por 1*000
    (sabbado).
    Cambio sobre Paris 90 d/v 502 rs. por franco
    (sabbado).
    Leal Seve
    Presidente interino.
    A. P. de Lemos
    Secretario tnlerinp.
    ALPANDEGA.
    Rendimento do dia 1 a 13 .
    dem do dia 15 ... .
    398:775*713
    23:957*252
    422:732*963
    MOVIMENTO DA ALPANDEGA.
    Volume entrados com fazendas 384
    dem dem com gneros 478
    Voluntes sabidos com fazendas 100
    dem dem com gneros 273.
    Descarregam boje 16 de fevereiro.
    Escuna norte-aueinaaCatharinamercadorias.
    862
    373
    cidos de algodo, 4 barris vinho: Keller
    AC.
    1 caxa chapeos e sedas; J. J. b Cos-
    ta Maia.
    4 ditas calcado, leques, roupa e tecidos
    de algodo ; Monhard, Mettler A C.
    2 d'tas ditos de dito; Custodio Jos Al-
    ves Guinares,
    8 ditas ditos de dito, de seda e de laa,
    chapeos, miudezas; F. G. de Oliveira
    Sobrinho.
    8 ditas tecidos de laa e de seda, couros
    preparados; Henrique c Azevedo.
    1 dita tecidos de laa e de seda ; Flix
    V. de Cantalice.
    4 ditas ferragens; F. Dubarry.
    1 dita msicas; J. Vignes.
    1 dita sedas e luvas: Augusto Porto 4
    C.
    1 dita chapeos; Dolomchet Saapiquet.
    1 dita objectos religiosos; a irmaa Dan-
    di gn.
    1 dita obras de prata; Rabe Schramettau
    AC.
    2 "ditas perfumaras e brnquedos; Lon
    Desprez.
    ;i ditas chapeos, sedas s modas; a Ma-
    galbScs A Irmo.
    4 ditas roupa, coques e tecidos de seda e
    la; Silva Cardoso.
    5 ditas modas, elsticos e tecidos do la;
    Adriano, Castro e C.
    3 ditas miudezas e modas; a Eduardo de
    Moraes 4 C.
    1 dita chapeos; Christani Irmo.
    4 ditas miudezas, objectos militares e
    sanguesugas; ordem.
    9 ditas chapeos, miudezas e tecidos de
    algodo e de la, roupa; E. A. Burle
    C.
    8 ditas grvalas, calcado, tecidos de se-
    da e de algodo; Lopes A Oliveira.
    3 ditas chapeos, roupa e miudezas;
    .Vives & C.
    1 dila chapeos; Cimba & C.
    1 dita miudezas; Domingos F. Bastos.
    5 ditas perfumaras, rendas e modas;
    madama Adour.
    1 dita leques; J. A. M. Dias.
    1 dita luvas, fitas e coques; madama
    Leconte.
    1 dita miudezas; L. A. Siqueira.
    1 dita tecidos de algodo; D. P. Wild.
    4 ditas ditos de la e de seda, coques;
    Linden Weydmam 6 C.
    2 ditas sedas e roupa; Carneiro No-
    gueira.
    1 dita chapeos; a Manoel Moreira de
    Souza.
    13 ditas ditos, calcado, gravatas, rendas,
    e tecidos de la; Monteiro Irmo.
    4 ditas miudezas; Joo da Rocha e
    Silva.
    1 dita ditas; Jos Luiz Goncalves Fer-
    reira dt C.
    2ditas roupa e porcelana; A. L. tfe
    Oliveira Azevedo & C.
    1 dita roupa e gravatas; H. Leger.
    2 ditas impressos; Clt. Gassier.
    4 ditas cera; D. A. Matheus.
    2 ditas conservas, 2 barris vinho; Cra-
    mer, FreydC
    5 ditos dito; F. Souvage.
    2 ditos dito; J. Meudiboure.
    1 dito dito; H. Leiden.
    1 dito dito; Meuron & C.
    1 dito dito; Schafheiliin & C.
    17 volumes passas, 1 barrica nozes, 10
    ditas castanhas, 10 ditas conservas; Oli-
    veira Pilhos & C.
    RECEEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
    RAES DE PERNAMBUCO.
    Rendimento dodia 1 a 13 21:009*295
    dem do dia 15...... 3:862*522
    dfffrente*
    re 4 C.
    Terra Nova34 dias, Itigue-nglez Petris,
    dd 104 towelladas. .'apitio P. RhodeS,
    eq?pagemi8, carga 21154 barricas oom^ -i f-^
    bacalhb-a* Ordem
    Terra Nova31 dias, Pfitachoinglez/ravd
    lOtonelIftdas, capii* W. Harria, eou>
    pagent,83t barricas conn ba-
    alho, 41 .ditas civatftiriha de trigo,--a
    JMtnston Jttter A C;.
    I.eitti.!% (fias Barca mgleza Jane. Kefye-ur,
    464 tcnelladas, capilai Greve, equi-
    pagem i% carga ftiv.o: a Edaaisdo
    MOfoBi
    KbwYork36 das, patacho Norte AJfemo
    Wnedei/i de 20: tonelladas, eamUiO
    Miller,- e^pipagem. S| carga farinila-, de
    trigoe-otrof gerarcosy a Johnsli.i Par
    tiri (L
    Nimios subida*. :u,. mesmo dia. ,
    Wiadelplai^Escuiici iugleza EagVn-Uihgb.
    capitoJL. Maniera, earga assucar.
    Soathampon e porto* entermedios Yai-
    por ngJez'.L Wua,oinmaiidant3ltole.
    LiverpoolVapor kiglex Alnainbrt.Gom-
    mandaoje Ji. "Ffeoiaas, carga auca- e
    ; algod&x
    PenedoVapor tcasileiro ParaJtitln. com-
    mandaiite Goslav em lastro.
    Atacaju e portas, entermediosVa^er brasi-
    leiro puieiuji, eliminan dan te IV; lira* car-
    ga dierentes gneros.
    Granja e portas, entermediosVapor bra-
    sleiro Pieapama, comiiiandaue Torres,
    N carga varios, gneros.
    (Muervariio.
    Saspendoram do lamerlo parAVest In-
    dies, a barca ingleza Booimmng, capitao
    Christon, com o mesmo lastra, qao trouxo
    de Montevideo.
    dem para Parahiba a bar.c^ ingleza fin-
    io Mecln't, capito S. Andrea* cara mesmo
    lastro que trouxe da Bahia^
    O adnwtislmdfer,
    Manoe^rjirneiro d -Soma Lacerda.
    f MP*NHIA\ VWAMBUCANW DE NAVE-
    GA^AOi OWlElttA POaDVfPOR.
    Porto, de-tialliohas, Rio Fbratoso e
    Tainandar.
    O vapor Mn-itmmfmijf, com-
    ataadante Mello, sewirv para os
    gortoa cima no da 20 do eor-
    KMe a meia imhMl- Recebe car-
    jw-T oi!comnii'ml:w. passaeeiros >
    dmheirraifrte-; no escriptoriu c!o>.E*rte do Mat-
    n. 1*2
    ucliencia raw ter<;ab*fi8aras as 1 <|
    lioras da inaiiUaa ^m"'1 *'a Boa-
    Vista n. 2, e-qtjiaiHlir o dia sejaJ
    Para
    Lo tc>>t.rto segu ts*. neneos dias o.
    a maitfr>uate da carga
    apara orestg ima-Be falta tratarse- fra o
    ijmatafe.Joaijui Jos Gonealvsa-Bettrao, roa
    a TrapMfor'Bi KL ^_______
    UjUlfiMle padb>r riisll IC- palhaba*:JtQzita>jor ter
    rptriipwri . i e*uexrdtua ouw-isii, u j, itm,3I,i. irtnaiiui,*<. r.i
    Pan o Parto
    excellentee-cmimuMlor trata-s cum Hiveira Filhos
    f: C., largodO'tbrpo Santo n. l>"ou eoin o capitao
    Ba praeaida eeainiercio. -
    Sego*-semdomu a barca poctugueza Hora
    fado ou saiilifiaadb, ter luga^l ft^!& ^^TSl
    no dia imraedlatift as mesnis
    boras.
    InspeefSa 4o,aueau eo
    marJiaJJtfl^
    De ordem ilr. SUin. Sr. iuspector bco publiats
    |iie aclta-se mareado o {>ra*o.de CO dias, a cobm
    tar da data do pnwente, paia. o^oofietirso a que-se
    hra Listoa.
    v.i proceder n<*ta.inspec.i. pana proviinento da
    lugar vago de judante di> awiiviiw Oo almoxafa?
    iV-> de in.iiinlia,'.testa provktoia.
    Os preteudeales duvura inseiteter-se no ueu-
    leonado praso,.e- exige.-st-ihe* iioc leuham boa
    letra, bom comportanieute,. u a tdade de 21 aitoos
    completos, asniui como siberimi gramioaii.ts.iU
    lingoa nacional, principio, de eseripturacjio. por
    (tartidas dobsadA^, ar\ tkuieca e suas applicacoa^.
    Inspeci-ao &o arsenal dt- niarinfu de Pernatubu-
    eo 12 de fevateiro de 1*09.
    O secretorio,
    ______ Alexamce lUnkigues dos Anjas.
    Vice-oxisulrdii> ile Hespaahat
    em P^ruambuco.
    El infriM-rits, vice-consul de Hespann en esta
    provincia pr.el presente convida a lodc*a|ueHes
    que acreedores se juegan, de! fallecido suidito Hes-
    panol Ji* FelippeMnrtine,a presentar su* cuen-
    tas en el:irnprorogabte ptaso de quince diw, a con-
    tar de esta fecha, ltrnainbuco a trece-de febreto
    de 1860. =EI vicc-eoHsutJuan Uuson..
    Segge cem. Bsua brevidade a haera portugueza
    GratidBo, tem. grande parte ta ; parado iiuanda Ibe falti, c passageiros, tra
    ta-sc -.uiut Oll.win Fillios & ., largt>do Corpo San
    to n. 10,ou como capitn n i ;x-,;a iVi conmierrio
    ECITAES.
    0 cidadao Antonio Augusto da Fontecr., juiz de
    Saz mais votado da fp.-guezia de S. Antonio do
    ecife, e presidente injvrino do colegio eleitoral
    desta cidade em virtnde da loi etc.
    Faro saber em aditamento aos editaes aflixjdus
    em data do 1. do carrente, que nao podeno>ter
    lugar a rcunian do evltegio eleitoral em a igceja
    matriz de S. Antonio, pelo motivo da mesma se
    achar em obras, e nao poder nella oflecluaivsev a
    e 4 do marco, dita reunio S. Exc. o Sr. conde
    de Baependv, presidente da provincia, ordwira em
    data de 13 do eorrente que tal reuna^, se effec-
    tuasse na igreja do Carmo desta cidade,.'
    Assim, convido aos Srs. eleitores gwae> e espe-
    ciaes das freguezias de Mnrbeca. Joaoata-i, S. l.ou-
    renco da Matta, Vanea, Poco, Affojjap!, lloa Vista.
    S. Jos, S. Frei Pedro Goncalves *> Recie, e S.
    Antonio, a eompareuereni em es dias 1 e 4 de
    mareo s 9 horas da manmV na referida igreja do
    Carmo ; afun de-elogerem os VfMttadoa a assem-
    Lla geral legislativa, e os dous senadores pelas
    vagas dos conselheiros Amonio CotMho de Sa Al-
    buquerque-, e Francisco de Paula Almeida e Albu-
    querque.
    O que, para constar mandei fazer o presente
    para ser aftixado no lugar mais publico desta fre-
    guezia, e pela impronsa. Rocife, 14 de fevereiro
    de 1869. Eu Joaqun) da Silva Reg, escrivo que
    o escrevi.
    Antonio Augusto da Fonceca.
    Ue ordem,dp llliu. Sr. inspector da thexoi-
    rari de fazendn. desta provincia s. fazpubliwi
    par conhecimento. dos interessados que- o trihiti-
    naldp thesouro. autorisou pagamento de dividas
    de ejercicios, t'ai/its eujos credores sao os segua-
    te*: RstevSo los Damas 135870 e-Jiaquins Cus-
    todio, de Oveia tCSitiO.'i rs.
    Socreta da tltesourria de twenda. a> Por-
    nambiLco | ov fevereiro de 1869.
    O offlcial-maior.
    Manoel Mamede da Silva Certa.
    Arrematado.
    A aJTomatacao das casas i>. 84 da ra Direita
    nos Afogados, avahada em 900$, ih ra do Ma-
    xixe u. 1, avahada por 2OOt0. n. 23 da ra do Mo-
    tocoiomb por 600, n. K A avaVtada em 900 j, e
    n. 5 do porto do Motocolomb avallada em 1:0005,
    que deveria ter lugar no dia 40 do eorrente pelo
    }uizo municipal da 2* vara Virgilio de Gusmo
    Coelho, escrivo Baplista, fleo transferida para o
    dia 17 do eorrente, a i hora A tarde, na sala das
    audiencias, as quaes xao praea por execucaa Je
    Antonio Al ves de Miranda Guimaraes contra a ne-
    ranca de Victorino Tavares Lcite.

    24:871*817
    CONSULADO PROVINCIAL.
    Rendimento do dia 1 a 13
    dem do dia 13 .
    o!>: 152*089
    4.89J696
    60:047*785
    MOVIMENTO DO PORTO.
    Navios entrados no dia 14.
    Penedo por Macei 2 dias, Vapor Brasi-
    leo Jaguaribe, de 459 tonelladas com-
    mandante Manoel R. dos Santos Moura,
    equpagem 30, eai lastro ; a companhia
    Pernambucana.
    Havre-iO dias barca franceza Bolegny de 284
    tonelladas, capit5oNecolas, equpagem 13
    carga fazendas outros gneros a Tisset
    Frere.
    Trieste6* dia*, Escuna Dinamarquez Hy-
    0wa,del68 tonelladas, capitao Redstrufo
    O Di. TiiMoO e Alinear Araril. nfllcial da iip-
    ]t-ial ordem da Rosa, juiz de direito especial do
    commercio nesta cidade do Recife de Pernani-
    bm" e sen termo, por Sua Magestade Imperial
    e Constitucional o Sr. D. Pedro II a qusni Deus
    guarde, ele:, etc.
    Paco saber pelo presente, que os administrado-
    res d massa fallida Je Amorim, Fragoso, Santos
    & C, por seu advogado me fueram a jieticao do
    theor seguinte:
    Illm. Sr. Dr. juiz especial do commercif.Dizem
    os administradores da massa fallida de Amorim,
    Fragoso, Santos & C, que querem far citar a
    Henrique Jos da Cunba, para fallar aos termos
    de urna accao ordinaria, em que tem de pedir-lite
    o pagamento daquantia de 4:0005,' equivalente a
    atetada do capital que subscreveu, e pelo qual se
    obrigou como socio cominanditaro da referida so-
    ciedade, como mellior allegaran! nos artigos que
    protestam offerecer.
    E como o supplicado se acha attzenle em lugar
    incerto, requerem a V. S. os suplicantes, que os
    admitta a justificar dila auzencia, e qucdepois de
    juleada maodo passar edital allm de ser citado o
    mesmo supplicado, por moa com o prazp detrin-
    ta dias para todos os termos at linal decisao.
    Pede a V. S., mande fazer a citacao requerida sob
    pona de revena.E R. M. Augusto Vaz
    E nesta pelicfw dei o despacho seguinte :
    Cite-se, jusk-ando a ausencia no dia 14 do
    eorrente mez, depois da audiencia.
    Recife, 11 de dezentbro de 1868.Alehcar Ara-
    Po'r forca desie raeu despacho foi |feta a distri-
    buicodo oscrivo deste juizo.Jauotl le Carva-
    lho Paes de Andrade,
    Depois do que tendo no dia designado os snpph-
    cantes produzido suas U'Stotutinhas que sob jura-
    mento prestado aos Santos Evangelhos, dcpozerain
    convenentemeote cerea- da ausencia do suppHca-
    do; pelo que o respectivo escrivo interino fazen-
    do sellar, preparar.eautoaros autos mos fez con-
    clusos, e nos quaes profer a setenca seguiute :
    Hei por justificada a auseucia do supplicado, e
    mando que o mesmo seja citado por editos de
    trinta dias na forma requerida, pagas as costas ex-
    causa.
    Recife, 10 de fevereiro de 1869.Tristao de"
    Alencar Araripe.
    Em virtude desta minha sentenca, o respectivo
    escrivo interino, fez passar o presente pelo theor
    do qual chamo, cito e hei por citado a, referido
    supplicado, para que dentro de trinta dias comp-
    rela ante este juizo por si ou seu procurador, aflu
    de fallar aos tormos de urna acco ordinaria, que
    Ihe propoem os supplicantes na forma da peticao
    aqu transcripta, sob pena de se proceder a todos
    os termos da mesnia accao a sua revelia.
    E para que o supplicado nao fique indi Teso toda
    e qualquer pessoa, prente e amigo ou (onhecido
    poder lhe fazer sciente de todo expendido.
    E para que chegue ao conhecimento de todos
    manuei fazer o presente edital que ser aftixado
    nos lugares do costume e publicado pela imprensa.
    Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
    nambuco aos 13 de fevereiro de 1869.
    Eu Manoel Silvino de Barros Falcao, escrivo
    interino o subscrevi.
    _____________Tristao de Aiencar Araripe.
    Pelo presente faco publico a todos os
    donos de estabelecimentos nesta freguezia
    de Sao Jos, que'venderem por pesoe me-
    didas que at o flm do correle miz deve-
    rao estar com os pesos e medidas, pelo
    novo systema posto em execu?o pela Illma.
    Cmara, todos aferdos, sob pena de lhes
    ser imposta a multa em que incorrerem
    conforme determina o art. 2 til. i i das
    posturas de 30 de jullto de 4840. Outro
    sim. que todos os das at 7 horas da ma-
    rina devem manda varrer as testadas tle
    suas frentes ou toda largura da rea at o
    outro lado ( senlo houver igual obrigacao )
    como determina o art. S. t.2. das
    posturas de 20 de novembro de tc55,cujas
    penas serSo impostas- aos contra'entores.
    Fiscalisacio da freguezia de Sao Jos 15
    de fevereiro de 1869.
    0 Fiscal supplente em exerc co
    Joaqun Cavalcane de Hollando Albu-
    querqtie.
    THEATRO
    DE
    S. ISABEL.
    EMPREZA DRAMTICA
    Inauguraqao da estaqo drama-
    tica de 1869.
    ouarta-felra 19 de fevereiro
    Primeira representacao do urama em o anos
    AIME
    i PASTORA D'IVM,
    No qual faz a sua estra a Sr." D. Julia Aze-
    vedo.
    Personagens. Senhores.
    Aimee (a pastora de Svry) Julia Azevedo
    Hortencia Fauvel.....Maria Velluti.
    Senhora Deronville.....Clelia.
    Julianna (moca da herdade). Apolonia.
    Francisco (soldado). J. Augusto.
    Jacqiies Fauvel......Thomaz.
    0 conde de Grandnal. Primo da Costa.
    Luiz de Beanchamp. Flaviano.
    Arihur de Marsoy. Jos Guimaraes.
    Cannuche (moco da herdade). Jordani.
    Bourgogne. ...... Santa Rosa.
    Mocos, camponezes, mercadores, ambulantes,
    soldados.
    A scena passa-se em Ivry em 1827.
    1. actoO desertor-Sala na herdade da Sr."
    Deronville.
    1 actoO ramalheteJardim dos dous moi-
    nhos.
    3." actoUrna por outraSalo no castello de
    Grand-val.
    4. actoSacrificio d Aime = O mesmo do 1
    acto.
    5." actoO assassino por amor Bosque em
    noite tormentosa.
    A msica composico do distincto artista Jos
    Coelho Barbosa.
    . Da fim ao" espectculo a nova comedia em 1
    acto
    0 houiem nao perfeito.
    Para Lisboa
    f>hguo portuguez Laic. I, capifio Vieira, vai*
    salw- oom.Manita brevidade, por ter a maior parte-
    da su.cap} prompta ; nasa-.a.que ainda lhe falta.
    e poeeageiree, trata-se cou.Oliivetra Filhos & C:.
    lafftodn.Orpo-Santo n. 19, ou. cen o referido ca-.
    fmm, na ataca do Commerelo._____________
    Para Lisboa
    Vai: .'-abir com imiitt.prasteaa o brigue ^ectu-
    P>r/. t'.nuMantr II por)ter grande parte do.seu
    rarcegamento promplj.; para o restante e nassa-
    geiros, Irala-se com Oliveim. Filhos & C. largo
    iJn t'JH>H> Santo n. 11; ou coa o capitao nsjiraca.
    Jo. commercio.
    PaA-o Porto
    Segu com miiua.ljrevidude a barca largueza.
    Hutuutnia, para .V.earga passageiros traia-s.
    rom os aWWgiatnaiaa *le Aquino Foaaeca, 4
    C, ra do Vigas, tk. Ift; t andar, ou com, o.car
    pitao na praca.
    ara Usboa
    o brigue portaguez tftompago, segu vuv.poiK*
    dias, tem a carga prosapia e para o resto e pas-
    sageiros traai.se cott os consignataavs. T. f.
    Aquino Fon^ra & (- ti com o capitao- na prava
    WLfflm BRASILEUft
    DK
    Paquetes a vapor.
    Dos jiortos do nonte esperado
    at o dia 28 do (vrj-oute, o vapor
    Paran, commaelaale o capitao
    de fragata Antonio Joaquim de
    Santa Barhora, o pal depois da
    demoiTi eostnme seguir para, os do sul.
    Besde j recebem-se.passageinos e engaja-se \
    carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
    seF embarcada no dia de suachegada. Encomntea-
    das e dinheiro a frete at as djias horas do dia d*>
    sua sabida.
    Noserecebcm como eocommendas seno-ol-
    jectos de pequeo valor e que nao excedam a duas
    arrobas de paao ou 8 pahrios cbicos de nwdicao
    ludo que passar destes nMtes dever ser otaba rea
    do eomo carga.
    Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
    gens s se recebe na agencia na da Cruz n. 57.
    Io andaar. escriptoria de Antonio Luia de Oliveira
    Azevedo & C.
    LEILOES.
    LEILAO
    LEILAO
    De um relogio de ouro patente, 2 cadeias de ou-
    ro, 1 modal lian de ouro, um caixo de folha para
    roupa, diversas pecas de roupa usadas, um re-
    wolver de 6 tiros, S mesas, 6 bancas, 2 consolos.
    20 cadeiras com assento de palha, urna dita de
    balanco, 2 relogios de parede, 1 raarqtieza, 1 mar-
    quezao, 14 moxos, bancos, quadros, rolheres, co-
    pos, garrafas, pratos, machina de fazer caf, ban-
    deijas, garrafas de vinho do Porto, vinagre em
    barril e limito- outros artigos proprios de hotel.
    Quinla-feira i do con-ente.
    O agente Martins farit leilo por autorisacab do
    Illm. Sr. vice-consul de Hespanha, dos movis
    |roupa cima pertencentes ao espolio do subdito
    licspanhol Jos Filippe Martins, na ra estreita. do
    Rosario n. 23, as II oras dodia cima.
    Personagens. Senhores.
    Michou, moco de fretes. . Jos Victorino
    Boirot, seu amigo..... Thomaz.
    Godolphin, pasteleiro. . Jordani.
    Magdalena, peixeira. . M. Velluti.
    Luiznha, lavadeira. . Apolonia.
    En) casa de Michou.
    Principiar as 8 horas.
    Acha-se aberta urna assignatura de 30 recitas
    divididas em 3 presUcoes para camarote e ca-
    deiras, com abatimento de 10 por eento, tendo os
    Srs. assignantes direito a 10 espectculos (pelo
    menos) inteiranicnte novos.
    AVISOS MARTIMOS.
    par
    Com mui.ta brevidade segu para o porto indica-
    do a barca portugueza Belem, capito J. J. de Fre-
    tas, a qual tendo a maior parte do carregamento
    prompto, recebe o resto a frete, gara o que trata-
    se noescriptorio de Amorim Irmaos, ra da Cruz
    numero 3._______________________
    COMPANHIA PERNAMBUCANA
    DE
    Navegado costelra por vapor.
    G o amia.
    O vapor Mamanguape, comman-
    dante Mello, seguir para o porto ci-
    ma no dia 16 do eorrente as 9 horas
    da noite. Recebe earga, passageiros, enrommen-
    das e dinheiro a frete no escriptorio do Forte do
    Mattos n. 12.
    III. BSCI1AV4^,
    O agente Pontual vender em leilo por autori -
    sacio de diversos os seguintes escravos : 1 escra-
    va de 17 annos de idade, sadia, cosinheira e en-
    gommadeira, lavadeira, cose muito bent, borda e
    faz labyrintho ; 3 ditas de habilidades diversas,
    sendo as idades H, 25 e 50, assim como um escra-
    vo de meia idade.
    Quarta-feira 17 do eorrente.
    No Io andar do sohrado n. 62, ra da Cruz, a.
    11 horas.
    De um guarda roupa de amarello, urna meia.
    commoda, dous pares de cadeiras de balanco, um
    candieiro a gaz,l par de redomas, 4 quadros com
    ricas gravuras, 1 banca para ourives, 1 guarda
    vestido de amareflo, 3 meas proprias para en-
    gomraado, dous pares de serpeulinas, diversos
    quadros a oleo, 2 marquozoes, diversas marque-
    mas, consolos, mesas redondas, cabides, quarti-
    nheiras, um meio apparelho de louca para jantar
    1 tocador de Jacaranda, 13 cadeiras de Jacaranda.
    18 ditas de amarello com pouco uso, % pares de
    bancas de Jacaranda proprias para jogo, um re-
    partimento de amarello para escriptorio, um re-
    logio patente inglei.de ouro, urna palseira esmal-
    tada, um meio adrtceon e uns oeoloe*om armara..
    de ouro.
    Quinta-feira 18 do eorrente.
    O agente Martins competentemente autorisado
    vender em leilo os objectos cima desenpto no
    armazem da ra do Imperador n. 16, ao meio dia
    em ponto, sera reserva de precos.
    I
    Para o Porto
    seguir com a maior brevidade possivel a mu ve-
    leira galera portugueza fona Fama II, por j ter
    a maior parte da carga engajada : para o resto e
    passageiros, ao* quaes ouerece excellentes com-
    modos: traia-s com Cunha Irmaos & C, ra da
    Madre de Dos n. 34.
    152 onde tem
    142 onde tem
    DE
    Um terreno na raa Imperial onde tem casa
    Theodoro Jos de Sanl'Anna.
    Um dito dito na mesma ra n.
    casa Francisco das Chagas.
    Um dito dito na mesma ra n.
    casa Timtrcio Valeriano Baptista.
    Um dito dito na mesma ra onde tem casa
    Custodio Jes da Silva.
    Dividas na importancia de 17:984*596 em le-
    tras.
    QuinU-feira 18 do eorrente.
    0 agente Martins far leilo dos terrenos e divi-
    das cima por authorisacao do Illm. Sr. Dr. Clau-
    dino de Araujo Guimaraes cnsul de Portugal
    pertencentes ao espolio do subdito portuguez Joa-
    quim Jos dos Santos Andrade.
    o armazem da ra do Imperador u. 16, as 11
    horas do dia.
    lil_IIiAO
    EM ULTIMA PRACA
    DE NA HH-CI
    de
    ^racaty
    Segnir com a possivel brevidade o palaeholb
    Sobralense ; a tratar com S Leitao Irmaos. rua
    da Madre de Doa> a. 1.
    co-
    &7^^MSrZtt C. de
    charque, demandando apenas 9 jialmos d agua^
    Q_L mo da.


    m

    .
    ~*m
    MBMHn
    Diario de rernambuco Terqa fera 16 de Fevereiro de 1869.

    V
    Ko longo do Carpo Santo porta do ar-
    mazem n. 17, onde
    _0 agente Bernardino Guiu&riLes por authorisa-
    can de juixo de orplmos desta capital, levar no-
    vamente a leilo dita barcaca, pertencente aos
    bens.do finado iat I.uiz de Azevedo Maia, po-
    deudo .ser examinada no estaleiro do constructor
    Sr. 1. A. Rodrigues, ra do Brtun. ____
    lilil
    lie f <>o i l to calxas eow dnzla
    c garrafas de azeite doce
    Quinta-feira 18 do corrente
    as 11 horas no armazn do Aunes, largo
    fandega. por inlervencao do agente
    Gordeire Simdcs
    da al-
    LEILAO
    ES KOTEXS.
    A SARR :
    i mi piano forte, uina mhia de Jacaranda, 4
    jarros com flores, jnn relogio de parcdc, uin sor-
    liinento de msicas para piano o canto, 2 comino-
    das, 2 canias de ferro, 2 ditas para menino, 1 to-
    cador, 1 sof, 2 consolos e 12 cadeiras de ama-
    relio, 1 quaitinlieia. 2 venecianas, 1 banca de
    jogo, cadeiras de bataneo. 1 fogo, 2 eabides, I
    mesa de eugommado e outros olijectos.
    *<\t:i-feiia IB de fevereiro
    ti ra da Iuiptrutri: n. 4(), Io andar.
    Tobas Piori temi do relirar-se para Europa
    com sua familia far loilao por interveucao do
    agente l'into. dos movis de casa de sua residen-
    cia, no i" andar do sobrado da ra da linperatrix.
    n. 40, onde se cffccluar o leilo as 10 lio ras do
    da cima dito.
    ---------------m -
    i:usluo de arlhmeHra. algebra e
    geometra.
    O bacharel em direito Casemiro Borges Godinho
    de Assis, ensiua estas materias no pnmelro andar
    da casan. 17, sita na ra Nova, das 7 1/2 as 8/2
    boras da manbSa aos senhores estudantes (pie dc-
    sejajn faxer exame no collegio das artes, e das 7
    1/2 as 9 da floite aos senhores empregados no com-
    moreio.
    Trocam-se
    as notas do banco do Brasil e das caixas filiaos,
    com descont limito razoavcl: na praca da Inde-
    pendencia n. 22.
    Ama
    Precisa-se de uraa ama para eoajnhar c com-
    prar, preferindese escrava : na ra do Livramen-
    to n. 4, loja.
    No sitio n. 1 da Passageui, vende-s uiua-l
    escrava de meia idade.
    ft Pwcisa-se de um inoleque de 12 a 14 anuos
    para servico externo : na ra DirciU p. 79, loa.
    AVISOS DIVERSOS.
    AMA
    Precisa-se de moa ama : a tratar no pateo to
    Terco n. 63.__________________________
    Moleque
    Proda oe alugar um moleque on uesnio mu
    negro de inaior idade : a tratar no pateo dj Ter-
    co n. 03.________________
    Com segHraaea
    l'recisa-se de 500,8 a juros por 3 mezes, pagan-
    ilo-se os juros de 2 por cento : na ra do Hospi-
    cio n. 38, se dir qnem quer.________________
    Brigue inglez Wless. ebegado de Terra No-
    va consignado a Saundcrs Brothers C. tem um
    earregamento de 2164 barricas de bacalbo em-
    barcado pelos Srs. Bieber C. de Londres, o
    possuidor do conbecimeniii ten a bondad* de
    aprsenla!- o mesmo no e-cripterio dos consigna-
    tarios.
    CASA DA FORTUNA
    Aos 4:(K)0;S
    Bilhetes garantidos.
    A ra do Crespo n. 23 e casas do costume.
    O abaixo assignado tendo vendido nos cus
    Pito Mices bilhetcs garantidos um mel n. 536
    com a sorte do 7003, nm mcio n. 10>2 com a
    surte de 202 e outras militas sortes de 100$,
    i0 e 20 da lotera que se acabou de extraliir
    em beneficio da matriz de Jaboato (D.*) convida
    aos possuidores a virem receber sens respectivos
    premios sem os descontos das leis na casa da
    Fortuna ra de Crespo n. 23.
    Acham-Se a venda os da 4' parte da lotera a
    lii'iii'lieio da ireja de Nossa Senhora da Boa-via-
    gem (96) que se extrahir sexta-feira 26 do cr-
    reme niez.
    Precos.
    Bilhete.....4*000
    Mcio.....2000
    Quarlo,.... U000
    Em porcao de 100* para cima.
    Bilhete. .... 3*300
    Meio......1*750
    Quarlo..... 875
    Manocl Marlins Fiuza.
    _
    BARTHOLOMEU a C.
    Ama
    Precisa-se de una ama para o servico interno e
    externo de nina casa de una s pessoa : na ra
    do Bangel n. 33.
    Precisa-se de urna ama para todo e qualqner
    servico de urna casa de aaquena familia ; na ra
    do Hospicio n. 64.
    CRIADO
    Xa ra do Imperador n. 73, 2 andar, preeisa-se
    de um criado.
    Precisa-se alugar, para o servico ex-
    terno de urna casa, urna prcta e um preto,
    escravos, nao se exigindo que tenliam ha-
    bilidades, a tratar na ra do Crespo n. 8.
    Ama de leite.
    Precisa-se de una : na ra da Penha n. 21,1"
    andar.
    Sr. Antonio Francisco Duarte queira appa-
    rener na roa IJivita n. 58, a negocio de seu inte-
    rtMe. ____
    Para servico domesti-
    co interno.
    Ha para alugar-se um moleque de 11 anuos:
    na ra do Hospicio n. 28.
    ATTB
    Na ra do Imperador loja de ourives preeisa-
    - alugar mulheres (orras para comprare cosinhar.
    Terca-eira 16 do corente, depois da audiencia
    do Dr. juiz de orphaos, ir praca de venda o es-
    i-ravu pardo GtomeMA de idade de 10 annos. per-
    leuttm aos menores heidoiros do finado Manoel
    Ignacio de Lyr.i.
    Cozinheira
    Precisa-se de una criada cozinheira : na ra do
    Imperador n. 73,2J andar.
    Escriptorio
    Gomes de Matlos limaos estao com o seu es-
    criptorio aberto na ra do Vigario n. 26, 1" an-
    dar : propde-se a qualqner consignacao, menos
    de escravos.
    Sebastin Olegario Lauenha I.ins declara ao
    publico cao corito do conimercio que lem justo a
    taberna da rua Direita dos Afogadosn. 42 perico-
    cenle a Jos de Soma Perera, e se alguem se
    julgar rom-direitn a mesma aprsente no- prazn
    le 3 dias a coHtjir do lwje. Recife 12 de feverei-
    ro de 1869.
    PARA USO INTERNO
    PItKPABADOS SIMPLES
    Xarope de jurubeba garrafa. 10000
    Viuho de jurubeba garrafa. 15600
    Pilulas de jurubelia vidfo. 1^600
    Tintura de jurubeba vidro. 640
    Extracto liydracoolico de jurubeba. 12^500
    PREPARADO C0MP09T0S.
    Vinho de jurubeba ferruginoso garrafa. 2#000
    Xarope de jurubeba ferruginoso garrafa. 1(J600
    Pilulas de jurubeba ferruginosa vidro. 2,5000
    Oleo de jurubeba vidros. 640
    Poicada de jurubeba pote 640
    Emplastro de jurubeba libra. 2#500
    PARA USO EXTERNO
    A JURUBEBA.
    Esta planta hoje teeonhecida como o mais poderoso tnico, como un excel-
    lente desobstruente, e como tal applicada nos engorgifamentos do figado e bago, as
    hepatitis propriamente ditas,?ou ainda complicadas com anazarebas, as inflammagoes
    subsequentes as febres intermitentes ou durezas, nos abeessos internos, nos tumores es-
    pecialmente do tero e abdomen, nos tumores glandulosos, na anazarcha, as bodrope-
    zias, erj'sipeUas; e associada as preparagoes ferruginosas, ainda de grande Vantagem
    as anemias, chloroses, faltas de menstruagao, leucorrheias, desarranjos atnicos do
    estomago, debilidad orgnica e pobreza de sangue, etc.
    O que dizemos affirmam os mais distinctos mdicos desta cidade, entre os
    quaes podemos citar os Illms. Srs. Dr. Silva Ramos, Aquino Fonseca, Sarment, Seve,
    Pereira o Carmo, Firmo Xavier, Silva etc. Todos elles reconhecem a excellenci i d'este
    poderoso medicamento sobre os demais at boje conbecidos para todos os casos citados,
    tanto que todos os dias fazem d'ellc applicaco.
    Apresentando aos mdicos e ao publico emgeral diversos preparados fia juru-
    beba, ti vemos por fim generalisar mais o uso d'este vegetal, fazendo desapparecer a
    repugnancia que at hoje sentiam os doentes de usar dos preparados empricos "elle, e
    mais das vezes repugnantes a iragarem-se, e que tiubam aiuda a desvantagem de nao
    ser cakulada a dose conveniente a applicar-se, o que torna muitas vezes improflcuo um
    medicamento, que poderia produzir ptimos resultados.
    Os nossos preparados s foram apresentados depois de bavermos conveniente-
    mente estudado a jurubeba, fazendo as experiencias precisas para bem conheccr1 as pro-
    priedades medicameatosas d'Qsta planta em suas raizes, folbas, fructas ou badas, e a
    dose conveniente a applicago, tendo alm d'isto procurado levar os nossos preparados
    ao maior grao de ptrfeicSo possivel, para o que nao poupamos esforgos, nao nos im-
    portando o pouco lucro que possamos tirar.
    Por tanto os que se dignaran recorrer aos nossos preparados podem ter a
    certeza de que elles oferecem a garanta, de que se pode encontrar, a prompta e infalli-
    velcura de qualquei dos.solJriinenls,qu,e deixamos innumerados, se forem em tempo
    applicados, tend) alm d'sso, .medico en doente a vantagem deescolher as nossas va-
    riadas preparaees, aquella qae melhor lhe pode convir, j pela fcil applicago, e j pela
    complicarlo d.is molestias, idade, sexo, ou ainda natureza de cada individuo.
    As nossas preparagoes ferruginosas sao feilas.de forma que se toruam comple-
    tamente soluveis nos suecos gstricos, porque procuramos os compostos de ferio que
    como taes esto hoje reconhecidos.
    Para aquel les que mais minuciosamente queiram conhecer as propriedades* da
    jurubeba, e saberem a applicago de nossos preparados, destribuimos gratuitamente
    em nosso deposito um folheto, onde tratamos mais extensamente d'esta plantaj e dos
    mesmos preparados.
    JDeposilo goral de todos os* preparados
    Botica e drogara
    31 Rualarga do Rosario34.
    Do xarope Vegetal Americano, especialldadc de Bartholoinen tfc c.
    34RA LARGADO ROSARIO34
    Nao costumamos procurar attestados para acreditar nossos preparados, e dei-
    xamos que sua applicago e os resultados obtidos pelas pessoas que se dignaram arceita-
    los, lhesdeem crdito evoga; porque sao sempre os attestados considerados gratuitos,
    e delles que langa mo o charlatanismo; mas, nao querendo ofTender as pessoas que
    espontneamente nos offereceram os que abaixo vo transcriptos, os fazemos publicar,
    manifcstando-lhes nossa gratido pela attengo, esperando que venham elles corroborar
    o conceito, e acceitago que tem merecido nosso xarope.
    Bartholomeu dt C.
    ATTESTADOS
    Illms. Srs. Rartholomeu C. com a mais subida stisfago que declaro
    ser o xarope Americano de urna eflicacia extraordinaria, pois que soffrendo lia dias de
    intensa tosse, ponto de nao poder dormir a noite a despeito mesmo de medicamentos
    que tomava, a elle recorr e na terecira colher fui alliviado, e de todo me ado luje res-
    tabelecido com o uso somente de quasimeio frasco: grato, pois/ esse resultado mani-
    fest a Vv. Ss. meu reconhecimento.De Vv. Ss. amigo, venerador e obrigado.Ma-
    noel Antonio Viegas Jnior.
    Sua casa 20 de abril de 1868.
    Illms. Srs. Rartholomeu & CPenhoradissimo com o favor que me izeram
    de aconselhar o uso do xarope Vegetal Americano, de sua composigo, quando me acha-
    ra bastante doente de urna constipago, que me tornou completamente muco e que
    trouxe urna forte tosse, e me impossibilitou de cumplir os meus deveres de cantor da
    empreza lyrica, vou agradecer-lhes meu completo restabelecimento, que obtive c< m um
    s vidro do mesmo xarope, depois de haver recorrido a muitos tratamrnlos. Desejarei
    que outros como cu recorram ao seu xarope pata se verem alliviados de to terrivel
    incommodo, to fatal neste paiz. Com maior considerago contino a ser de Vv. Ss.
    attento, venerador e obrigado.Luiz Cremona.
    Recife, 25 de setembro de 1868.
    Illms. Srs. Bartholomeu & C.0 xarope Vegetal Americano que Vv. Ss. teem
    exposto venda de toda eflicacia para o curativo d'asthma, conforme observe! appli-
    cando-o a meu filho Joaquim, menor de quatro annos; victima d'eese flagello, que at
    ento por espago excedente a dous annos havia resistido a outros xaropes de grande
    nomeada. Queiram, pois, Vv. Ss. acceitar a expresso altamente sincera de meu reco-
    nhecimento ao meritorio servigo que lhe prestaram com o indicado xarope, acreditan-
    do-me para sempre de Vv. Ss. criado, attento e obrigado.Americo Netto de Mendonra.
    Recife, 2 de outubro de 1868.
    DE
    DE
    J. VIliNES
    O abaixo assignado faz sciente a todas as
    pessoas que sejulgarem ctedoras u taberna sita
    travessaula Senzla-vclliaii. 6, qtie 'i;o prasi*c
    8 dias apfesentflBi suaa coatas conferidas pok> e*-
    adiuinistradoi' dt refeMda taluTna Francwco J.
    da Silva Santos, para serem pagas. Recife 12 de
    fevereiro de 1869.
    Francisco Alves, Montciro Jnnior.
    Aliiga-sdum segundo andar do caes do Haino, e mu tereciro andar da rua da
    Praia : a tratar na rua da Imperatriz n. 6.1 se-
    gundo andar.
    Na rua do Turre* n. M, "{ andar, precisa-se de
    nina mulber para engoniBi.ir a <|uo. lenlia regu-
    lar coinpoi laiiicnto. para-sn bem.
    JoT
    !
    1130300
    Precisa-se de un menino que saina comprar e
    Eazer maisalgum servico de casa : na .rua do Jm-
    p.'radoji. 7;^ alindar.
    IrmaBdadede V *. dVcomel-
    cSlo dos NHItares.
    Por deliberacao da mesa regedme desta imian-
    dade sao convidados os nossos charos irmaos para
    urna mesa geral que dever funecionar quinta-fei-
    ra 18 do corrente, pelas 5 boras da tarde.
    O secretario,
    Manoel Fonseca de Mcdciros.
    DOENGAS DO PEITO
    XAROPE d'HYPOPHOSPHITO OE CAL
    GRIMAULT l C'.a pharmageuticos lm PARS II
    A eflicacia d'esta preparaclo est estabelecida desde 1807, peles mais celebres mdicos. Desde
    ento muitas imitares tem sido feitas, mas nenhuma poude sustentar a coraparacao com o
    producto apresenudo pela nossa caa. Por isso excitamos o publico para que exiga sempre
    este xarope com urna bella cor de rosa, nunca branca, e com a nosa assignaiura roda do
    frase.
    Sob a sna influencia, a tosse acalmarse, os suores nocturnos cessSo e o doente vol ve rpida-
    mente sade. 0 seu empreeo di tambero os mais brilhantcs resultados nos defluxos. eatar-
    rhos, bronchiies. irriUcA>< 2o pciio, ele.
    Deposito em Pernambuco, em casa de anrer e C*.
    N. 55RUA DO IMPERADORN. 55.
    Os pianos desta antiga fabrica sao hoje assz conbecidos para seja neceesarie
    insistir sobre sua superioridade, vantagens c garantas que oflerecem aos compraderos,
    qualidades estas incontestaveis, que elles tem definitivamente conquistado sobre todos
    os (fue lera apparecido nesta praca; possuindo um teclado o machinismo que obedecen
    todas as vontades e caprichos das jn'anistas, sem nunca faltar, por serem fabricados
    de proposito e ter-se feitoltimamente mellioramentos impoilantissimos para o clima
    deste paiz;. quanto as vozes sao melodiosas e flautadas e por isso muito agradaveis aos
    ouvidos dos apreciadores.
    Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blon-
    del, de Paris, socio correspondente de J. Vignes, emcuja caiital foram sempre premia-
    dos em todas as exposicoes.
    No mesmo estabelecimento se achara sempre um explendido e variado sorli-
    mento tle msicas dos melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos
    liarmonicos, sendo tudo vendido por precos commodos e razoaveis.
    ^;&^:w#^#w^M$M$^&}7$;0?&
    rai^a e Mello, Antonia
    de Paula e Mello, He-
    (ionealo Augusto
    Joaquina de Mello. Antonio
    lena Tasso de Mello, marido, mai, irntao e cunha-
    Mello, cordialmente agradecem a todas as pessoas
    que se dignaram acompanhar es restes mortaes
    por um acto de caridade ehristaa queiram asis-
    lir a missa do stimo ilta, que se deve celebrar
    t.-rca-feira na matriz de S. Jos, as 6 horas da
    luanliaa, pelo que Ibes licaro summainente gra-
    tos.
    Precisase de una ama livre ou escrava pa-
    ra cosinhar e comprar: a tratar na rua da Praia
    aimazem ns. i:t e l*i.
    Precisa se de urna ama forra ou escrava pa-
    pa o servico de nina casa de pouca familia, pa-
    ga-so bem : no largo do Corpo Santo n. l'J. trapi-
    che da companlija.
    Precisa-se
    de urna co/.inlieira. preferindo-se escrava : a tra-
    ar na rua de S. Goncalo n. 26.
    AVISO
    Na rua Nova n. 46, loja, precisa faliar-se com o
    Sr. Jos Patricio de Castro a negocio que nao Ig-
    nora.
    Caixeiro
    Precisa-se de um caixeiro de l.T a 16 annos,
    prcterindo-se dos chegados ltimamente : na roa
    dos Pires n. 50.
    Aluga-se nm escravo moco e robusto para
    qualquer servido, no qual se possa mw* as
    9 horas da mahbaa as 7 da noite : a tratar nos
    lloelhos, ma.dos Prazeres n. 22.
    - Offerece-se um. rapaz . conducta ; quem quizer ulilisar-se'escreva em car-
    ta fechada com as iniciaes A. S. esta tvpogra-
    phia. e
    AlLi'J'lSSlMU
    Calcado acjoual, n;i, fabrica de Jos Vicente
    Godiabe xC, rua do Jardimu. 19, avisam aos
    iouj) freguezes desta capital e do interior, que con-
    tinan! a fabricar calcado em alta escala, e ofle-
    recem as melilotosc.iudieoes,lautoempreco como
    aiu qualulade. Os propietarios deste estabekrir
    ment chaiuam a atleucio dos senhores consumi-
    dores do interior, que bs uuizereni honrar com
    sua freguoxia, esixscicando em seos peilidos a
    qualidade e numeraiao,.)fl"ereeendo-se para os en-
    tregar bem acondicionados em casa de sous cor-
    respondentes nesta praca.
    Costuraras
    Piwisa-so de costureiras : na loja do Triumpho
    a ruado Queiinado n. 7.
    Offerece-se uina pessoa para~tratar de um
    sitio gratuitamente, porin com as condices que
    os pretendentes veriio : a tratar na rua'da Con-
    cordia, taberna n. 12.
    Lagd para calcadas
    A traiar na rua do Apollo n. i, oscriptorio.
    i ESCRIPTORIO DE ABYOCACIA
    6Rua larga do Rosario-----6
    0 advogado bachaiel Ayres de ]
    Albuqucrquc Gama tornou a abrir ]
    o seu escriptorio na rua larga do i
    Rosario n. 0: onde pode ser pro- j
    curado, qualquer hora, para to-
    dos os misteres da sua prosso. c
    O advoga concellos Menezes de Drummond
    ttansferio o seu escriptorio para a
    rua do Imperador n. O.onde pode
    ser procurado todos os dias uleis
    tarde, para os misteres de sua piro-
    RIA LARGA DO ROSARIO 137
    Este acreditado estabelecimento augmenta
    de dia em dia quanto possivel para che-
    gar ao cume do bem viver.
    Alm dos saborosos manjares confeccio-
    nados com o melhor asseio, tem bellos apo-
    sentos de hospedagem, tanto para urna s
    pessoa, como para numerosa familia.
    A agua, indispensavel elemento para a
    vida e hygiene, temo-la sempre em abun-
    dancia para facilitar excellentes banhos.
    Ha tamben uina boa bibliotheca e perio-
    CIIARLTERIA E PETIT BESTAL'RAMT
    Annexos ao Hotel Central, rua estreita do
    Rosario n. 4 A, andar terreo.
    Para dar a conhecer a variedade infinita
    de charutos de Havana, Babia, Rio, etc. que
    existem neste novo estahelecimento pres-
    cindimos dos annuncios pomposos que fe-
    ralmente se fazem, reduzindo-nos apenas
    tres letras que sao tres bbb bom, bonito e
    barato. A' vista do genero annunciado po-
    de-se julgar de nossa veracidade. Esta casa
    gosa tamben das condices de um elegante
    lisso.
    inn
    mm\
    = .Sarna Direita n. 8K, asaque fui do falleci-
    do Paranhos, contina-se a vouUc' o verdatleiro
    T-ianie ca salsa do Dr. Tompsom
    Precisase de um m.-uino le 12 a 14 annos,
    para caixeiro de padaria nij patefli do Terco nu-
    nier o3R.
    Batalho patritico
    Avisa-se ao respeitavel publico que ten-
    do de se organisar esse batalho, para a
    i oncluso da guerra, eonwda-se a aquellos
    que se quizerem alistar i rua direita no
    filar, onde ha sess5o ttfdas as noutes; na
    venda f\. 139 se iitdicar a casa,
    Cieographfa e francez
    O bacharel Francisco Odelon Tavaras Lima lec-
    ciona particnlannente francez e geographia n
    pateo do Tercio iu 33. e ahi pode ser procurado
    o ir aquellos que quizerem estudar os mesmos pre-
    prratorios, das r> a*^ horas da tarde.
    Acha-3e fgida desde Fde outubro do auno
    Itimo a escrava de nome Custodia, dade de 24 a
    20 annos, mulata, cabellos carapinbos. denles
    alvos e limados, ostatura regular c um tanto elieia
    do corpo, 6 natural de llancozinlio. distrii-to de
    Baixa-verde, e foi vendida aqu lelo Sr. Vicente
    Nogueira deCarvalho : quem a capturar ipieira
    dirgir-se a Albino lo%i- Ferreira da Cunha, no lar-
    go de Si Pedro n. *7,;qfte ser /generosainente re-
    compensado.
    Preeisa-se de um menino de 12 a 14 anos
    ara eab*ro de taberna, preferlndo-se dos lti-
    mos ebegado da Europa : no pateo da Ribeira
    a 13.
    Nq armazem de Candido Alberto Sodr da Mot-
    ta iravessa da Madre de Dos n. 14, estao paten-
    te- mais de doz mil amostras do papel 0 mais, lin-
    do que se tem visto nesta provincia, desde o mais
    simples ah o mais sumptuoso e proprio para
    guarnicao e forro de salas, gabinetes, capellas de
    igreja e santuarios, pela variedade c belleza de
    seos desenhos e ajbesros primorosamente dou-
    rados. o custo desse artefacto o mais razoavnj
    possivel. porque a|ienas se sugeitar o Sr. preten-
    dente a uina diminuta commisso aleni do mdico
    preco iwrque vende o fabricante em PutS.
    No mesmo armazem de Candido Alberto ven-
    de-se muito em conta o seguinte :
    3fuito bom f{_elo
    Por 8 o saeeo^de 120 libras. E' muito barato I
    Opio cinieiito
    Por I0 a barrj de iiaH-ubas, Nao ha que.
    duer. '
    Armado 4 tabem
    com os seos pertenecs^ pesps fi med das etc., tudo
    em muito bom estado e pojirio ^ara algum prin-
    cipiante : vcmle-se por metade do seu justo vahe
    Precisa-se
    De um menino brasileiro de 13 a 14 annos de
    idade que tenha ou nao pratica de taberna, na rua
    dos Pescadores n. 43.
    Aluga-se a loja do sobrado n. ~32, toma
    praca da Boarvista, tendo commodos ,para qual-
    quer estabeteehnento : a tratar na rua do Atecrim
    n. 30.
    PASTILHAS ASSICARADAS
    DO
    Alaga-seo lerreiro andar do sobrado da
    rua da Imperatriz n. 31 com ubi grande sotao;
    fc-iraco e bastantes commodos para urna familia :
    a tratar na rua Angosta n. 43.
    DR. PATERSON
    De biNiuuJi e inaftaez|_
    Remedio fwr exoellencia para combater
    a magreza, facilitar a digeslo, fortificar o
    estomago et.
    RPOSITO- ESPECIAL.
    Phannacia de Bartholomeu dr C.
    34Rua larga do Besacio------3i
    Frederioo Maia
    t irurgio dentista peta escola
    de medicina
    do Ilio de Janeiro.
    Tema honra de participar ao respeitavel publi-
    co desta capital eseus suburbios, que tem aberto o
    seu gabinete de consultas; c operacoes dentarias a
    rua Direita n. 13, prfanciro andar, onde pode ser
    procurado todos os dias das 8 horas da man l.oa as
    3 da tarde. Elle acha-se competentemente habili-
    tado para com perfeicao collocar dentes artiliciaes
    por qualqner dos syslema, c bem assim desempe-
    nhar qualquer outro trabllho concernente sua
    profissao. O mesmo, reeonhecendo qut nem sem-
    pre possivel s senhoras ou crianzas sahirem a
    proctur o remedio, fferce-se a remover qual-
    quer obstculo, declarando que na cidade se pres-
    tar a qualquer chamado sem que isso influa cousa
    alguma na commodidade dos precos de seus traba-
    lhos,e quando para tora della assim mesino ser
    precedido de um ajuste rasoavel, garantindo elle a
    seguranca e perfeicio de seus ditos trabaibos. Era
    seu gabinete ge encontrar constantemente excel-
    lente pos dentifricio, elixir e tros medicamen-
    tos odontalgias : rua Direita n. 12, prmeiro
    andar.
    mmmm 'Mm
    = Preoisa-se de uuia ama que cosine e en-
    gomme : na rua de S. Francisco n. 54.
    O abaixo assignado, roga as autondiuies po-
    iciaes ou a qualquer mitra pessoa que appreben-
    dama e?crava com ossignaes abaixo declarados e
    so digueni manda-La entregar rua da Koda
    andar da casa n. 17 ou rua do Imperador u.
    l em seu cartorio, Kayiuunda, cabra, de ti ;oi-
    .Oos pouco mais ou menos, estatura ordinar';>.
    bastante rohusta, cabello earapinho, denles cl.-ii-.s
    d perfeitos, ps regulares c perfeitos e conf ajn.i i
    asquerda aleijada em 3 dedos. Fugio vesluid
    una saia de chita escura, corpinho branco e cha-
    les cor de bonina ja um pouco desbotado, consta
    que vaga em eompanhia de um soldado neja rua
    imperial. Cabanga e oulros lugares circumvisi-
    nlios.
    Joaquim da Silva Reg).
    dicos nacionaes e estrangeiros, piano para e petit restaurant onde se piide ver a es-
    recreio, buhares, etc. etc. pecialidade dos fiambres e salames de Lion
    Sendo ociosa qualmier recommendaco para lanches e at fazer urna boa colaco,
    para tao acreditado e'stabelceimento, omit- juntamente cora os principaes violtos do
    ftimos mais prembulos, fazendo ver por morcado, sobresabindo entre o bom a pura
    fim, que o bom servico, ordem e moralida- e fervente champagne, o mu saboroso Rin-
    de imperan n'esta casa, como observancia no, a primorosa cerveja, o licor espirituoso,
    fiel do regulamento que possue. o quanto pede urna mesa. Faz-se noute
    Comedorias a la carte. sorvete e variedade de refrescos.
    Precisa-se de nina ama parajo servido ini.i -
    no e exterpo de urna casa de duas pessoas: na
    rua Formosa n. 6.
    Padaria alema
    Rua do Lama, em Sanio Amaro.
    Precisa-se alqgar um moleque de 16 awtos, pou-
    co mais ou menos.
    _T250
    Na rua Nova n. 46, toja, precisa ffallar-.se ao
    Sr. Guilherme Rodrigues BreckeofeW a negocio
    que nao1 ignora.
    Madamo Augusto Caorsvai para Fraqea, le-
    vando em sua eompanhia os seus dous lilho* me^
    GRANDE HOTEL
    U OBMTE.
    InaHgurou-se este cemmodo e-elegante
    estabelecimento d'ende os seus frequenta-
    dores podero apreciar a especialidade na
    confeceo dos gneros alimenticios. .1
    As bebidas sao- as mais primorosas e i e-
    commendadas.
    A decencia e bom servico primara n'esta
    casa no bello gosto.ortental.
    Mandara-se domicilio comedoriasi, tanto
    avulso, como por assignatura mensa!. Os
    precos sao mdicos e convencional.
    Ha urna espaoosa e bonita sala para o
    elegante jogo de 1hlitar.
    Ha tambem aposentos commraedos e bem
    mobilhados para hospedagem.
    Rualarga do Rosario
    n. 44.
    Precisase.de um caixeiro para urna loja de
    lazendas, com pratica ou sem ella, para i para
    Alaga-nova, que tenha 14 .a 16 .annos de dade :
    a traur na rua da Cadeia do Recife n. 35, loja de
    W Credo A C.
    55--RUA DA IMPERATR1Z--55
    O proprietario d'este importante estabelecimento tem a honra de participar
    ao ii^|M'iiavri publico que leudo fugido d'esta praca a pessoa que se acbava na sua ge-
    ivncia. elle contratou para sua casa um perito ollicial que foi per muito tempo o pri-
    meiio o.Ttcial da importante easa Sttlingre do Rio de Janeiro ; por isso espera o annun-
    dante que todos licaro satisfeitos dos seus trabajos, visto, alm d'isso, possuir i;o seu
    estabelecimento as machinas mais apereicoadas para ungir e lustrar de que se faz uso
    na Europa, e achar-se tambem prvido de grande quantidade de drogas escolhidas,
    sempre K plimeira qualidade e fornecidas pelas casas especiaes de Paris.
    Tinge-se, lava-se e limpa-se com a maior perfeicao fazeudas em pecas ou
    em obras de qualquer qualidade que sejam, taes como l, algodo, seda, touquim,
    pennas. chapaos de feltro e de Manilha ou palhinha de todas as cores, etc. etc., e
    tambem tira-sc nodoas e limpa-se a seceo sem molhar os tecidos.
    Os senhores negociantes*, logistas e particulares experimentem que todos
    acharan proveito e vantasrens.
    Tintura preta tercas e sextas-feiras.


    ATTEMIVO
    AO
    % lun/iM ii: it ^ i n iiucjvo
    86Ra das Cinco Pontas86
    Tnoniaz Jos deOvera& C. avisa aos seus lreguezes que foram, tanto desta pra-
    ca como do centro da provincia, que regressoa de sua viagem Europa no fim de de-
    zembro prximo passado, esc acha estabelecido com um ai mazem bem soitido demer-
    cearia (vulgo molhados) de bons gneros, e por procos commodos e garantindo qualida-
    de, pezo e medida, nos gneros comprados no seu armazem ; porlanto pedo e roga
    que nao deixem de lhe dar a preferencia.
    ~~Hatca-brasl
    MR. MERC1ER, alfaiate francez, previne ao respeitavel publico e a seus numerosos fregue-
    mos que, tend transferido sua residencia para a rua do Trapiche n. 7, primeiro andar, ahi encontrara
    sempre todas as qualidades de fazendas para trajos de homem, e prepara ostumes para montana de
    Gruido.
    No caes de Apollo, armazem n. 71, precisa-se
    alugar para sen-ico de casa um rapazmho de 12
    a 14 annos.
    Amas
    Em S. Jos do Maaguinho, casa n. 2,
    antes de chegar a igreja, ainda se precisa
    alugar duas amas que entendam de en-'.! segu'adasTfeira, a*4 horasi alarde, em boa casa
    gOBunadoecestari,. p;jga-se bom.alygiyt|.|-(y residencia no.MQnteir. ________' t
    agradando. "" Aluga-se a casa n. 8 da rua do Jasmim : a
    Precisa-se alugar uina prela moca para iodo ? ,nora: 'tmbemobras para militares e para criados, para as quaes tem grande sortimento de
    jrvigo de urna senhora; na rua do Livnumoto d. j t>t.oe8 ^'mpli's, com vi-ola e coroa de conde, brancos e araarellos. Recebe por todos oe vapores os
    servigo oe urna senijora : na ru.% _
    3t, ou rfta Augusta n. 94. la mesma ma se| UBimo9J"trurinospara homem, senhoras e meninos.
    Testemanjos para procissSes, por todo preco
    = 0 3 juiz de paz do i'*-districto 4* freguezia
    doPoeo da Panelki, Antonio da Roeba "Aeciolv
    Jitns, em exeroicio, contina dar aodienc a as
    Oozinh.eiro
    Precisa-se de um cozinheiro para nm coUegto :
    a mformar na rua do Imperador n. 28.
    - Jos U^^en-e^W^^^ZV^^^" d ***** ^ "** m
    apa ao-respeibvel pubhco, que mudou a-j.' w ^Hepo da 'conceicao precisa-se diHuba1
    sua residencia pata a tua do Bangel 69; ngommadoira perita. .
    podendo ser all procurado, na aita na rua
    do Queimado n SS
    f \Jfa
    r- Precisa-sedeum caiteiropara taberna : a Naroaeetreiu^oRoBario n. andar, pre-
    rua do Pilar, travessa do ciafanz n. 4. cisa-ee de urna ama.
    PECHINCHA
    VESTIDOS A 6:000 RS.
    Superiores cortes de gronedinc de seda, lisos e de listas,
    de muito lindas cores, Com 18 a 20 covados o corte,, pelo barata-
    siwoj>recQ de 6 $000 cada um: na loja das columnas, rua do Crespo
    n. 13, de Antonio Correa de Vasconcellos Sf C.

    *.
    V<.


    Diario de Pernambuco Tenja feira 16 de Fe\erero de 169.
    5
    !
    Eusino de phosophia
    Tobas BarreU. 'Maetea auul phiiosophia,
    tu ra Direitt u. 88,. 1 antUr pmleudu paja
    meio da.
    Precisa-so Jalu^aruiu mulequu ; ua ra do
    Cabuga n. 2 &.
    Hoga-si) pessoa que entrfieou nina carta
    na raa do* nres u. 35, viuda da Baha para oDr.
    Luii JOsACorreta di' S, o favor de indicar sua
    inorada para sor proeurulo.
    Para a quarcsma
    Na ra estrala do Rosario n. 35, sobrade de
    un andar, fazom-se flores-de todas as qualidadqf
    para ornaineuto de igreja, altar, andorcs e sepiil-
    ehro, inclusive arco?, palmas e rosas, e tudo (juan-
    to for concernente aos sarros actos ; assim como
    prepar.un-sc para fra coni a maior presteza qual-
    qucr cucouiiunda nesle genero ; cutio sim tam-
    bera se fazera flores mimosas propnas para enfei-
    tar vestidos, saiotes e capacetes de anjos, c mais
    barato que em outra qualquiT parte. Ni IIMMM
    casa se ein-ontrain ja preparados e promptos
    vehdao seguintc : ricos ramos de seda enfeitados
    canutilho com flores de cera proprios para do-
    mingo d Ramos, vellos cnfeitadas ricamente, bor-
    dadas a ouro, propnas para baptizados, capellas de
    llores para meninas e noivas. Alem disto se Cil-
    euinbem do preparo de bandejas de bolos finos
    enfeitadas de eonformidade ao lini a que se desti-
    na, quer seja para etsamentos, quer para bailes ;
    faSHO tambeo vestidos para a quaresma ou outro
    ijualtpier que*M precisar com a maior promptido
    e asseio.
    ANDE
    A DINHEIRO NA
    A E ARMAZEM
    i
    Monte Pi Popular
    Pernambucano
    N.ao tendo comparecido numero sufflciente de
    ocios para assenibla geral no dia 11 do corren-
    te, de novo sao convidados a comparecerein no
    lia 16. qelas C horas da tai-de, e e?pcra-se nao
    baver falta, visto ser nog.x-io urgente.
    Secretaria do Monte l'io ("opular Pernambuca-
    no 15 de fevereiro de 1869.
    Julio Cesar P. da Rocha,
    Io secretario.
    qqaoa a aiai?aaftiaa-sa. m
    DE
    Flix Pereira da Silva, successor de Gama
    SilVa
    O proprietario d'cste estabelecimento convida ao respeitavel publico desta ca-
    pital a vir surtir-se no grande esUbeleoiinento que tem defiendas, tanto da moda como
    de lei, e as pessoas tute negociara era pequea oseada, tanto da praca como do matto-
    aesta casa podero fazer os seus sortimentos em pequeas e grandes porcoes, venden-
    do-se-liies pelos precos que se compram as casas inglezas ; assim como as excelUmtis,
    iimas familias, podero mandar bascar as amostras de todas as fazendas, ou mandarf-
    mos levar em, suas casas pelos nossos caixeiros, para o que aclra-se este estabelecimen-
    to aberto constantemente desde s 0 horas da manMa s 9 da noute.
    ILasinhas
    A doze vintn s.
    A doze vintens.
    A dore viirterts.
    Vendem-se lasinhas de crs muito bo-
    nitas, cora desenlut raiudinbos e gramliuuo*
    com listiiihas e pintas pelo batato preco de
    Oris o covado na luja do Pava), ra da I
    Ama de Icite.
    Aluga-se urna ama de leite escrava com filbo :
    quem precisar dirija-se praca da Independencia
    numero S.
    *m
    COMPRAS.
    = Compra-se nina annacao euvidracada : a
    tratar na na Direita n. 35.
    Com muito maior vanagem
    Compra o Coraco de Ouro, n. i D, ra do Cabu-
    la, moedas de ouro e piala e pwiras preciosas.
    Compra-se escravos.
    Lino de.Faria & C, na ra do Vigarjo n. 24, es-
    'riptorio, i" andar, compram escravos de ambos os
    sexos, sendo que, moloques de 14 a 20 annos e bo-
    nitas figuras, erao pagos por muito mais diaheiro
    do que em outra qualquer parte.
    COMPRA-SE
    no largo do Corpo Santo n. i, Io audar, cobre
    vellin.__________________________________
    Ouro c prata
    i m maeda c em obras inutilisadas, compra-se por
    hora preco : na praca da IndepefWencia n. 22.
    Na praca da Independencia n. 33, loja de ou-
    rives, compra-se<>nro. prata, e |iedras preciosas,e
    tambem se faz ipial(|tier obra de encommenda, e
    lodo e qualquer concert.
    Compj
    )ra-se
    boje libras esterlinas, ouro e prata de todas as
    nacoes e por maior prccj) do quo em outra parte :
    n ra da Cadeia do Recife n. 58, loja de azulejo.
    fferece-se utn i 'apa/, de 16 anuos para cai-
    xeiro, com pratica de miudezas, e d fiador de sua
    conducta : quem quizer utilisar-se esereva em car-
    la fechada com as iniciaes A. S. nesta typogra-
    phia.__________________________________^
    Compra-se nina burra ( cofre) : na ra do
    Crespo n. 16, primeiro andar. _____________
    OURO E PRATA
    Em obras velhas, compra-se por maior
    preco que em outra qualquer parte na ra
    do Cabug n. 5, junto i loja de cera.
    Compra-se urna casa terrea e d-se a qnan-
    lia de 2:300$ a juros, seb hypotheea em predios :
    na ra Nova de Santa Rita n. 54.
    0 niiizeo de joias
    Na ra do Cabug n. 4 compra-se ouro, prata
    pedras preciosas por precos mais vantajosos do
    que em outra qualquer parte._________________
    Compra-se urna pequea casa em boa ra;
    qnera pretender vende-la dirija-se a ra do Qttei-
    inado n. 22.
    VENDAS.
    Fundico da Aurora.
    Neste vasto estabelocimente semprc se encontra
    um completo sortimento de taixas de ferro batido
    i fundido, latineadas rnvnUmiento, e se fabricara
    de qualquer molde a volitado dos compradores, e
    procos razoavttis. ____
    Vende-sc o grande siiio nu becco do Espi-
    rheiro, ao chegar a estrada dos Afflictos, frente
    murada o diversas obras de pedra e cal por aca-
    bar, 1)ons viwiros esta aliundante peixe, baixa
    para rapim, boas trras para plantario com ei-
    cellentes fructeiras : para examinar a qualquer
    hora, e para aiuslar com Joaquim do Oliveira Mel-
    lo, na ra da Hora junto ao mesrao becco, ou na
    fundico da Aurora.
    Vendem Augusto F. de Oliveira 4 C. ra do
    t'x)mmercio,n. t.*
    Capsulas de Raquim
    Os bons efleitos destas capsulas para fazer ces-
    sar os gonoi riieas utluu Se comprovadas pelas
    xperieitpias de muitos annos.
    Os mediros de thre s paizos as reconnrmdam
    itela sua eitieacia.
    VENDE-SE
    RX
    rhanuacia c drogara
    DE
    HAI1TH(IU)MKC & C.
    3iRua larga do Rosario34
    O atoalhado do Pavo
    Vende-se superior atoalbado de algodo
    com 8 palmos de largura, adamascado a
    200 a vara; dito de linho fazenda muito
    superior a 32O0 a vara ; guardanapos de
    linho adamascados a 4#500 a duzia e muito
    finos a 85000, e ditos econmicos a 3;?oOO
    i duzia.
    Crochs para cadelras na loja do
    Pavo
    Chegaram os mais lindos panos de cro-
    ch ou guarda bantras, proprios para ca-
    deiras tanto d'encosto, como de balanco e
    de guarnicao, e outros compridos para so-
    f, assim corno ditos redondos para mezas
    redondas, ditos pequeos paraalmofadas, e
    ditos para cobrir presentes, tendo pequeos
    at para cobrir um prato, que se vendem
    por preco muito em conta, na loja e arma-
    zem do Pavo ra da Imperatriz n. 60, de
    Fex Pereira da Silva.
    Fustes para vestidos brancos
    a40.
    Vendem-se os mais modernos fustoes bran-
    cos flexiveis com padroes de listas e de
    salpicos proprios para vestidos e roupas de
    menino a 640 rs. o covado, na loja e arma-
    zem do Pavo ra da Imperatrizn. 60, de
    Flix Pereira da Silva.
    Cirosdenaples
    Chegou para a loja do Pavo pelo ukimo
    varpor mn grande sortimento dos memores
    grosdenaples pretos e de cores, tendo verde
    tambem, que se vendem mais barato que
    em outra qualquer parte.
    Pechinciia em algodosimio a 5/5500
    a peca na loja do pavo.
    Vende-se superiores pecas de algodosi-
    nho com O jardas a 5500 a peca, gran- i (
    de pechincha, na ra da Imperatriz n. GOJ
    annazem de Fex Pereira da Silva.
    PECHINCHA A 3:500.
    Cortes de 15a ,3:300.
    Cortes de la a 3:500.
    Cortes de laa a 3t500.
    Laznhas a 280 ris.
    Lazinhas a 280 reis.
    Lazinhas a 280 reis.
    So o Pavo.
    S o Pavo.
    S o Pavo.
    Vendem-se bonitos cortes de lazinhas
    para vestidos com padroes modernos tendo'triz n. 60
    cada um corte li covados pelo barato pre- s
    co de 3:500 rs, assim como ditas em pecas
    que se vendem a 280 rs. o covado, sendo
    grande pechincha na loja e armazem do Pa-
    vo ra da Impefaiz n. 60, de Flix Pe-
    reira da Silva.
    BABADINHOS
    Vendem-se missimos babadinhos, tiras
    bordadas e entremeios, mais baratos do que
    em outra qualquer parte, assim como espar-
    tilhos dos mais modernos, no armazem de
    Flix Pereira da Silva, ra da Imperatriz
    n. 60.
    ALTA NOVIDADE
    A LOJA DO PAVO
    Gurguro de seda
    Chegaram pelo ultimo vapor os mais bo-
    nitos gurgures de seda, proprios para ves-
    tidos, sendo lisos e lavradinhos, com muito
    lustro, garantindo-se que a fazenda mais
    linda e de maisphantasia que esteanno tem
    chegado a este mercado, e vende-se por
    preco muito razoavel, na ra da Imperatriz
    n. 60, de Feh< Pereira da Sirva.
    GROSDENAPOLES PRETO A QUATRO
    PATACAS SQ PAVO.
    Vende-se grostfenapoles i>reto de boa
    qualidadpelo barato preco de 1&80 oro-
    vado, s na loja e armazem do Pavo, ra El^ j^? '
    da Imperatriz n. 60 de Feliz Pereira da
    Silva.
    CAMBRAtA BRANCA A 30500.
    Vende-se pecas de cambraia branca
    transparente, com 8 e meia varas pelo ba-
    rato preco de 3^500, ditas muito finas tanto
    Novainente chegadas ao armazem
    DO
    DB
    PAREDES PORTO.
    Tendo-nos chegado ltimamente v.fizendas inteiramente novas, convida-
    mos por este meio ao respeitavel publico a que nos procure comprar fazendas de
    bom gosto e-por precos que nao achara em Mitra qualquer parte.
    Almirem |. Lencos bordados a 6, W500 e 12^500.
    '*. .L .. o Ricos e liem escolhidos gostos de bis-
    Madapoes finos a 5, W, 7,$. e 8 rs.,yarks para calcas e paletots a 20500 o
    so no armazem do Lelo. ^rte.
    Chitas escuras de padrees liniios por pre-
    Co de 320 e 360 rs. o covado.
    Cassas de cores com palininhas e com
    stas de diversos padrote a 240 320 rs.
    Lazinhas cinzentas e cor de bonina a
    30 o covado.
    Chitas clara* miudinhas a 320 e 360.
    Alpacas pretas e de cores lindas propriaf
    Imperatriz n. 00, de Feliz Pereira da Silva, para vestidos a 680, 700 e 800 rs.
    AS CAMBUAIAS DO PAVO
    Vendem-se fmisshnas pecas de cambraia* 150 e 60.
    lizas ranspareutes tanto inglezas como suis-
    sas teado mais de vara de largura, pelos
    precos de 30000 al 100000 a peca, assim
    como flnissimos organdys branco liso que
    serv$ para vestidos de bailes, por ser muito
    tranapafente a 10000, a vara, na loja do
    Pavo roa da Imperatriz n. 60, de Fehx Pe-
    reira d Silva.
    I I STO-BHANCO PARA VESTIDOS A 640f
    Vi loja do Pavo vendeni-si; os mais mo-
    dernos fustoes brancus de lista e cordo
    muito encorpado mas muito flexivel, pro-
    prios para vestidos,roupes, petteadores etc.
    etc., e roupa para meninos, pe4 baratopre-
    co do,640 ris o covado, na loja e ai'mazem
    de Fk Pereira da Silva.
    SEDAS COM LISTrNHAS A *0OOo o .
    COVADO
    Vendem-se as mais moderaa sedas de
    listinha* para vestidos, chegadas pelo ultimo
    vapor com as co.-es mais modernas me tem
    viudo este mercado, pelo barato, preco de
    30 rs. o covado na ra da Imperatriz n.
    60 de Flix Pereira da Silva.
    Alpacaslavradas
    Chegaram pelo ultimo vapor as mais m-
    ldenlas alpacas lavradas com as mais lindas
    cores; que se vendem a 10000, o covado,1]
    tendo tambem cor'de raima a
    800 rs, ditas mesclartas muito finas a 1:200;
    o i:ovdo, e auti'laamai lauBudaydep^i
    e mofla que se vendem mais barato do
    rr::c em outra iinalmier parte, no annazem
    lo Patfe, ';a |Imperairfa"H. M. ufFelft
    1'ere.irfr.la Siv j .
    OlUiAHUVi rUOB .
    Yefldem-se organdys de_*uitt-U)m pa-
    Pecas de cambraia transpareites a i0.
    "^e 60. Por este preco admira a todos*!
    Cortes de casemiras de quadrinhos e ba-
    tas a 20800 e 30.
    Corpinhos brancos para senhira a 30 e
    30200. .
    Pechincha!
    I droes miudinhos em assentos brancos e de
    CreS pelo haralissmo progo do 300 rs. O
    cova|u, llnissimas cassas francezas com deli*
    cada} cores e bonitos deseulms a 320 rs. o
    eovalo e ditas a 300 rs, na ta da-bnpera-
    armazem de Flix Pereira da
    Silva.
    Roupas para hotnem
    Vendem-se superiores palitts. de panno
    sobrecasacos forrados de alpaca e de seda,
    camisas inglezas e francezas com os peitos
    de esguio, ceroula3 francezas de liidw eal-
    godo, meias cruas inglezas superiores, ca-
    misas de llanella e de meta de la. assim
    como neste estabilecimento existe um grande
    sortimento de pannos pretos, e de casemiras
    inglezas de cores, e que se manda fazer
    qualquer obra a contento dos Srs. fregue-
    zes, e promette--se-lh.es que sero servidos
    com a maior promptido e muito mais ba-
    rato do que em outra qualquer parte
    na ra da Imperatriz n. 60,de Flix Perei-
    ra da Silva.
    Cortinados
    Para camas e janellas.
    Vende-se um grande sortimento do me*
    lhores e maiores cortinados bordados pro-
    prios para camas epara janellas,-que se ven-
    dem a 120000 rs. cada par at 250000 rs,
    isto na ra da Imperatriz n. 60, de Fehx
    Pereira da Silva.
    Chitas
    Vendem-se as melhores chitas escuras para
    eaia sendo de cores fixas, pelos baratos
    covado, ditas
    muito finas francezas sendo claras, com pa-
    droes decassa a 360 e 400 rs, pechincha,
    na ra da Imperatriz n. 60, armazem de F-
    lix Pereira da Silva.
    Cirosdenaples preto
    Vende-se um grande sortimenW dos me-
    ie
    lfctasTDfflcinps d ni la
    Irtistsfc;- e rErraTnerrfor satislteet-anseus freguezes tem um variado sortimento de ca-
    nimirade toda a quakdaile. pannos finos, lirios, merinos e varios objectos proprios para
    hornera, assim cerne um compteto sortimento de fazendas finas de toda a qualidad.',
    liarante-so a melkor *\ jaJado da faienda o nreco mais rasoavel posnivoi.
    tapadas como transparentes i 40500, 50000, lhores grosdenaple pretos, tanto lar-
    60500, 7r5000 e 80000, assim como organ-
    d muito liriD tanto Irv.o, como de listas-
    quadros na loja e armazem do' Pavo ra
    da Imperatriz n. 60 re Flix Pereira da
    Silva.
    ALPACAS LAVRADAS ?PARA LCTO.
    Vende-se naltij-do Pavo, as mais mo-
    dernas alpacas lavradas" par Indo, sendo
    muitolargasepeio barat, preco de 800rs. o
    covado, s na loja e armazem do Pavo, ra
    da, Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da
    Silva.
    Feijito mulatinho
    Vende-sc superior feijfw mulatinho em saceos
    . a reutlHo : na fu dr Pnnh n. 33.
    Calcado barato
    H'-rzeguiu* de cieno e coidavo para homeav a
    5*000.
    Ditos- H-itiiizinhos par mertnnsa i-gSSOO.
    Vende-se a pr;ad indepeneia, lojatde calea-i
    do n. 39.
    m .- i
    Attenpo
    N '-ado-se um* per^o de Utas para i, 6 e 8 M-
    liras de doce : na ra da Gloria n. 10V
    Vende-se 'urna Liberna no Mjndufo n.97,
    liera afreguesadapara a ierra,'com'poneos fui-
    do, pfepntrH Mgv.it prtaeiBtftRte; -a -easa- ofle-
    reee tatttagens, qae- ao prejrftacnte se exptiar :
    a tratar Ba m -----t---i-----i^"-------------;------7Z
    Vende-se un tacea, urna garrota e ovelnas
    prenlies e paridas: a trawr no sitio n. 17 ira -
    traila dos AlWwfyy tascando a eajMla.
    Vendem-se quatro escravas de 20 a 22 an-
    iiok, bonita} (guras, boa conducta, engommain,
    otinham e cosm fnto' bem, duas ditas imn' ro-
    bustas proprlas para engenho, e teem habilidades,
    om inoleqe jwea d* i dad* SOannos, am lana lo
    bom cozinheiro e copeiro, de idade 22 am*e : na
    iravefsa do Caruio n. 1.
    gos como estreftos; sendo de ^0000 rs. o
    covado at 40000 rs. garantindo-se qti
    n'este genero ninguem temmelhorrazenda e
    que se vende mais barato do que em outra
    qualquer parte, ra ra da mperatrte n. de Flix Pereira da Silva.
    P!l de chvi-e a l^OOOocovad
    Vehde-se poH de Qivre mdild largo coin
    as melhores e mais modernas cores pefo
    barato proco'de 10000 o covado, naloja'e
    armazem1 do Pavlib, ra da Imperatriz n. 00
    de'Flix Pereira da Silva.

    T8SSES
    CATABRHOS
    PASTII.HS PEITORAES
    E LOUR GE REJO
    IIRITI(OES
    DO
    PEITO
    E' este ornis oovoe ielieiosio pnfaiio at agora conlteeklo. Poristyt|d(rajri4^ i
    I pidamenie a popularidad df que gau. Os mdicos os mais dislteto* O aoinelhltf era
    as tona, dtfluxo$, caiarWw, louet ctnvulsat, catat*kotepidemic*iitrit*f9itt4imio.atn
    grande empenho o procarao as mies de familia, assim para ellas como para a* enancas, pea I
    ir u todo e lotfeBlivo, eu rou propriedades adotaates nao deuto nada a deaejar.

    primeiro que'
    Deposito em Pernatnbueo'em casa de 1
    O.
    lilil
    PPIIISll
    CHARROS INDIANOS
    DOCAJVNABIS INDICA
    .GWMW -, -MAC w neos Lv. PA ftlS^j
    iflFJteifit
    HIADllll
    . Todos os meioe at heje preconlsados contra a atltima n tem sido malt'd* W
    Ldebaixo de todas as formas, tendo por base a belladona, o estramonio ou opio,'!
    I rienda feitasem Allemanha,- repetidas em Franca e na Inglaterra, um protade <
    indio de Bengala possOe as mais ootaveis propriedades para combaier esta tei
    assim como a loase ervo,- semnia, a yaic Iaryn|e, a T(tMl,' ttl
    e as nevrargia faciaes. E' pola com o apoo d sciencia quaoffereceisoa estes<
    ..dea com o extracto deedaam du Indias, qnenos importamos de Bombtisa.
    I 4 Deposito US PemHib, em casa de Mam. o*.
    Cortes de cassineta de cores para calcas e
    paletots a I0O6&___________
    Cassineta de fOT com ran pequeo tr>
    *roe de wfo a 400 rs. o eevado.
    Esparlhos muito irnos a 4.00, :>;> e
    5^800.
    Adiira!!
    Grvalas de soda a 500 rs.
    Golinhas bordadas a 500 rs.
    Lazinhas a 200 rs.! !
    Lazinhas a 00 rs.!!
    Lazinhas a 200 rs.! i
    Na armazem do Leo, ra da Imperatriz ns. 4#e
    e padaria franceza.
    I Tambem tem para acabar pecas de pan-
    no de linho, com 27 varas, a 17 e 180.
    Toalhas de linho para rosto a 10)5 a du-
    Aos Srs. armadores de enterros.
    Vendem-se pecas de hollanda preta com
    40 covados a 54 : na ra da Imperatriz n.
    18 e 52, junto a padaria franceza, loja do
    leo.
    Attenco roupas feitas I! no armazem
    du Leo, rita da Imperatriz ns. 48 e 52.
    Assim como temos um grande, completo
    e variado sortimento de coupas feitas: pa-
    fetots saceos, sobreeasacoe, fraques, jaque-
    loes, calcas, cohetes, camisas, ceroulas,
    tjhapos etc., tudo porpreco*qoe admira!
    Tem tambem um sortimento de roupas
    ordinarias por preco baratissimo.
    Acaba de chegar tambem um completo
    Sortimento de damascos de cores, sendo
    azul, amareHo e cor de caf etc., que se
    ende por preco conunodo.
    Admira!!
    No armazem do Lelo-111
    No armazem do Leo!!!
    No armazem do Leo 1! 1
    No armazn do Leo 1 f!
    52, junto a loja de ourives
    , -
    I
    II
    LESSA & C.
    i NOVA N.-14
    eskt estabelecimento acabam de montar urna das mais com-
    t, ncti-B>giir3o a dlrecco da mesma um dos mais habis
    sleus frejtuezes tei

    PRETAS
    PARA A QUARESMA
    AUGUSTO PORTO & C.
    Rii do Qiicimado n. II
    Receberam directamente da Europa as mais superiores fazendas pretas espe-
    ciaes para a quaresma, as quae*; esto vendendo pelos mais mdicos precos em vista
    da superior quaiidade de ditas fizendas.
    IliTI \0% III % IIK
    Basqwnes [tas de renda, verdadeira novidade, para senhora.
    Gurguro preto de seda liso e com listas assetinadas para vestidos.
    Grosdenaples preto largo estreito de diversas quahdades havendo neste ge-
    nero t que ha de melhor.
    Basquines de croch pretos, ditos de seda preta com cintos delicadamente en-
    feitados, elegantes peplums de seda preta, fenos pretos de renda, modernas capinhas
    pretas de renda e superiores vestidos de gorgurSo preto bordados.
    . ,,!oirantique preto e branco, bombasina, superiores prineezas pretas, merinos
    de vero e trancados dos melhores.
    Os mais lindos vestidos de blond com mantas, capella para noivas, superiores
    fronhas de cambraia de linho e de esguio bordadas, c lind* col.tas de seda de laa
    para camas.. .
    Habidas de baile brancas, azues e cor de cinta de gosto especial e ves-
    tidos de cambraia branca ricamente bordados.
    Popelines de seda para vestidos lisos e com .listas das mais lindas cores
    e mais bellos padroes, e grande e variado sortimento de sedas tanto eni cortes como
    empeca.
    Cortinados bordados para camas e janellas, bales parisienses com
    molas novo- gesto, baloes regd!a'r1b#es brancos e de cor, espartilhes e bellas colxas
    de croch.
    Carniza de linho Inglezas para homem, chapeos de sol de seda,
    .grvalas modernas, pannos finos e casimiras d cor e pretas, e futras multas fazendas
    gue yendem por muito eommodos precos.
    A loja n. H da ra do Queimado tem sempre o melhor sortimento de tapetes,
    alcatifas e
    Esterras da India para forrar salas.
    4x
    ,
    SOFFRMIIENTOSDESTOWAQO, CONSTIPAgAO.-
    Cur ai fOMK alas pela c*avAo dc klloc em p ou em pastiltus.
    Essu tOeootes sio d>-
    * aUTlL
    ENXAQUECA; NEVRALGIAS.
    dlNHhs npidainanie fehs KHOLA OTTMCtl >
    ANEMIA, A F'ALLIDEZ o frnmentoqw neeesstumd
    prego do Urruginaum to seinpre combatido: com o melhor resUlMt
    peh rauta oe vaij.CT.Gada- Ptlul tem incrdo o ntmeliXI '
    *'^ !^c^Rp^"' ssta dls3)Tr um frasco d'este p en meto
    btruiaa Imanada agradivel que porra sem B>-
    tl
    iiii* mm as qijinkim u u^^ _sta,i.ta
    poueos coja.ooniilo garanda constant, 4 urna, das*lkfei ja-
    paracoe o> .quinina ^m ac notavel sotare o eonraliiauutai, dajado-
    lhea. fora e aPrs na a aaude. Cura a libre anOra. qu re-
    aisUo ao sulfato de -piiniee.
    MOLESTIAS I JA BEXICA. A A** #*m **m
    tas, cerne as sciaticae k>mbfos, catarros, t idas tt don wrvM *
    geni slo cnral aelis krolm o uMisJK* oc tmcmcbciithm d
    tt. ClerUn. 0 prefce* Irouweau em api TrtUio de tta|||j||ii m
    seiba as para senm tenadas na occaaito de jaatar, na4AM>4il1
    OLEO DE FiaVDO DE BACALHAO DE BW7H.-
    ilMi>Wade aifaeira qualidad, na ios poace apnaJau. pato
    . de medicina.

    (i

    ifSI. TadM eUtt mrdioameito* fmnm
    iitprial di mediar* d*
    pModmi
    DEPOSITO
    rasas, i, r J...k
    0 cordeiro previdente
    Roa do UiEelmado o. I O.
    Novo evariado sortimento de perfumaras
    ^. finas, e outroc oBjeel
    Alm do completo sortimento de perfu-
    marias, deque eleclivarnente est provida a
    loja do ordeiro Previdenle, ella acaba de
    receber ^im outro sortimento que se torna
    notavel pela variedadetde objectos, superiori-
    dade, qualidades e commodidades de pro-
    cos; assim, pois, o Cordeiro Providente pede
    e espera continuar a merecer a apreciacao
    do respeitavel publico em geral e de sua
    boa freguezia em particular, nao se afas-
    tando elle de sua bem condecida mansido
    e barateza. Em dita loja encontrarao os
    apreciadores do bom:
    Agua divina de E. Coadray.
    Dita verdadeita de MtuTay & Lamman.
    Dita de Colognc ingleza, americana, fran-
    ceza, todas dos melhores e mais acreditados
    fabricantes.
    Dita balsmica dentrificia.
    Dita de flor de larangeiraa.
    Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
    Elixir odontalgico para conservaos do
    asseio da bocea.
    Cosmetiqucs dc superior quaiidade e cho-
    ros agradaveis.
    Copos c latas, maiores e menores, com
    pomada fina para cabello.
    Frascos com dita japoneza, transparente,
    eoutras qualidades.
    Fino extractos inglezes, americanos o
    francezes em frascos simples e enfeitados.
    Essencia imperial do fino e agradavel chei-
    ro de Violeta.
    Outras concentradas e de cheiros igual-
    mente finos e agradaveis.
    Oleo philocome verdadeiro.
    Exteacto- d*olco de superior quaiidade,
    com escolhidos cheiros, em frascos de dif-
    ferentes tamanhos.
    Sabonetes em barras, maiores e menores
    para mos.
    Ditos transparentes, redondos ecm figu-
    ras de meninos.
    Ditos muito finos em caixinha para barba.
    Caixrahascom bonitos sabonetes imitando
    frac tas.
    Ditas do madeira invemisada conlendo fi-
    nas perfumaras, muito propias para pre-
    sentes^-
    Ditas de papHo igualmente bonitas, tam-
    bem de pernimaris finas.
    Bonitos vasos de metal coloridos, e dc
    moldes novos e elegantes, com pode arroz
    e boneca.
    Especial p de arroz sem composirodc
    cheiro) e por isso o mais propino para crian-
    cas. '
    Opiata ingleza e franceza para denles.
    Pos de camphora e outras diferentes
    qualidades tambem para dentes.
    Tnico oriental de Komp.
    Atada mais coqnes.
    Um outro sortimentos de coques de no-
    vos e bonitos moldes com filetsde vidrilhos.
    e alguns d'elles ornados de flores e litas,
    esto todos expostos apreciacao de quem
    os pretenda comprar.
    (lUI.I.INILVS E I'LXHOS OliAOS.
    Obras demudo gosto eperfeifo.
    FlTells e Itas lar: elnf i.
    Reto* e Garlado"sdrtimftito ueftaes objec-
    tos, ficanao a boa escolha ao gosto do com-
    prador.
    FLORES FINAS
    O que de melhor se p4e encontrantes pft
    genero, sobresahindo os delicados ramos
    orvalhados para coques.
    Para viagem.
    Bolsas de tapete e carteiras de couro, por
    precos eommodos.
    Chape-linas de pallia da Italia niiii bem
    enfeitadas, e enfeifes deflores obra de bom
    gosto.
    E assim msitos outros objectos que se-
    ro presentes a quem se dirigir dita loja
    do Cordeiro Providente a ra do Queimado
    n:16.
    ENFEITES. DB PALMA PARA VESTIDOS,
    CHAPEOS E COQUES.
    0 Cordeiro Providente ra do Queima-
    do n. 16 acaba de receber um bello sorti-
    mento de trancas & pajliapaia eneiies de
    vestidos, outras pea charitis, coques etc.
    tudo isto est sendo vendido coma sua bem
    conhecida commodidade de precos.
    ALEM D AQLELLES..
    Recebeafutios Mudos eneiies de seda
    para vestidos ; assim como um variado sor-
    tinieni de calidos de laa, babadinhos de
    cambraia fom bordados de cor)!?;, cuja va-
    riedade de gostos os torteara recommenda-
    dos e apreciados ; compareci pois os pre-
    tndanles que sero servidos a contento.
    to bem recebeu.
    Novo provimento d bicos e rendas de
    guepure.
    LUYAS DE PELLICA.
    De Unas as cores tanto para horneo-
    como para senhoras, constantemente acham-
    se a-vendaba lqja.do .Cordeiro Providente :
    ra do Queimado n. 1C.
    ~rr
    "I ?l
    NOVIDADE
    Afoja' d Coelho 4-0fWeira ra do
    Queimado n. 19, recebeu pelo trltmo vapor
    um beHO sortimento d balbes de diversos
    'systemas, os mais aperfeicoados que teem
    vibrio ao mertcado, sendo :
    Baloes de guipur tfon tiras chamadOj!
    reguladores, ditos de musselm abertos por
    ambos os lados', de modo que sendo todos
    de um tamanbo servem para qoalquer se-
    nhora, de la de tres, com tiras, e as se-
    gefntes fazendas:
    Safas de 13a com bonitas barras.
    Chales turcos de seda e laa Beatriz de
    Tundas.
    Fras de guipur pretos Rocamboly.
    Chapaos de sol para senihora,' muit Krt*
    dos.
    LiaalnlMs
    SMahes;Pltde'Che xadrez e outras muitas, edtre ellas urna
    ido.
    irui,Usazeiidas que torna'r-se-Lia enfadnbo
    aiiu
    Barege8^.40OrB.
    Ma loJadoPavi
    -veade as mais feenkaifcwefM trans|r-
    to>, proprias para vetidoOws kstrinhas a ir
    et de listras de seda, e veaeVw-fe pelo hrtm
    prco tie mu iiUimhmJpiWi covado, uniramen-



    urio de
    Pe
    numibuco ^Terva feira 16,.de Fevereiro
    Je,
    1869.


    AO BAZAR DA MODA
    1
    t J
    DE v
    ' JOS DE SOUZA SOARES ft"
    Ra Nova n. 50, esquina da ra de S. Amaro.
    PARA O MOTO AMM K t &H9.
    >,o\o Bortimtofertiiode moda eluxo.reccbidus pelo ultimo vapor vindo da Enrona.
    Especial sortimeut.i de olvidos para mimos.
    Ivil'uinarias linas dos pnneipaesautores.
    uvas de pellica frescas, brancas o de cores para homens e sentioras
    l.iiapi'i.zinhusdepalhade ludiaenfeitados.parasenhoras.
    Ricas chapelinas para senhoras, gorras fe patria .le Italia para scnlioras c meninas.
    Especial sortimento de sintos para senhoras.
    Enfeites de gosto para senhoras. I
    Fitas de grosdenaple superior de todas as cores e larguras.
    Franjas rom vidrilhos, brancas, de cores e pretas.
    Guarnieses de todas as (nulidades para vestidos.
    Vestuarios completos para baptisados.
    Golinhas e punhos enfeitados para senhoras.
    (loques modernos, lisos c enfeitados.
    Iteraras delfiae seda, rt'.res claras, moda clesranto para senhoras de hora gosto.
    (orninlm de rainbraia enfeitados para senhoras.
    Oache-nez de la.
    Chapeos de sol para homens e senhoras.
    v 1'lores Qnas, sortimento especial.
    l'luinas elegantes de qualidade superior.
    Cintos ricos depalha, alta novidade.
    (Irinaldas de flores tinas
    ('misas superiores para homens.
    Colarinhos e punhos.
    Grvalas e mantas modernas,
    ltengalas de diversas qualidades.
    I '.aixas grandes com quativ peras de musir.
    Flores de palha para uarniroes de vestidas hotSes, 11 velas, lagos para eneites.
    i napeas de pello dr seda pretos. forma a Kotseliild, fazenda superior para homens.
    Correntes de plaqu lino, gostos bonitos para relogios.
    i aiolrtas de bom gostopara as mosif.as.
    Correntes pretas de borracha diversos modelos para voltas.
    flbjectos para luto. <
    V. mallos outros arligos de novidade que so vista podem ser apreciados.
    Existe continuamente um completo sortimento de miudezas, vende-sc por grosso e~a retalh0
    A C 1O.HH01>ON PRECOZ
    NO T
    BAZAR DA MODA.
    PREGO CBRENTE DOS CHAPEOS DE SOL
    Da fahriea de
    MANUEL & C.
    Ra Nova n. 23,Ra do Cabug n. 8
    Pernambuco
    Chapeos de seda trancada, Paragon, de 16 bastes, 28 pollegadas a 160 ; 26
    pollegaila.s a 154, e 24 pollegadas a 14,5000.
    Ditos de seda G. de N. Bara,, de ac, de 16 bastes, 28 pollegadas a lft;
    de 26 pollegadas a 13 ; e 24 pollegadas a 12000.
    Ditos de seda G. de N. lisa, de ac, de 12 bastes, 28 pollegadas a 120 ; de
    26 pollegadas a 110 ; e 24 pollegadas a 100000.
    Ditos de alpaca, de ac, de 12 hastes, 28 pollegadas a 0 ; e 26 pollegadas
    a 56500.
    Por duzia faz-se descont de 15 0[0
    Chapos de sol de panno, de baleia, de 8 bastes, 24 e 26 pollegadas a 325
    a duzia. (Descont de 10 OJO).
    Ditos de panno, de junco, 8 bastes, a 180000 a duzia, liquido.
    m scienclas, pharmacentico,
    nte, condecorado da ordem
    Silbos.
    .,.1 Jicos ainda vem corroborar justificar
    rofessor de
    i Legiio do
    vcl entre os ferruginosos que melhor
    faC IfaTTiTP Afl em t0 \JO MJCjl/ilAf^ o phosphato de ferro solnvel de Leas, para curar a chlorosii
    (cores paludas), as dfr-es do estomago, e a exbansucio do singue; com esta preparacio, dis
    ao corpa o vigor, e i> carnes, a sua.. firmeza natural; facililam o desenvolvimento to labo-
    rioso da puberdade. Com efTeir i <'". n'este medicamento, so aeha reunido para lh
    assegnrar o maior crdito, pois q -.na sua eomposieSo, os elementos dos oasos e
    do sangne. 0 sen autor, M. Leras, ul
    chymica, inspector da Academia, foi. re.:
    Honra, digna recompensa dos seus imjx
    As seguintcs apreciaces dos mais ci
    lodos estes litulos confianca publica :
    c Precisa rlassifica- o phosphato de fer
    c convem aos doentes ciijos reles digestivos y ,-i">rtam mal as preparaedes de ferro. >
    SOl'BEIRAN, profeuor na Escola de medicina e de pharmacia.
    a 0 phosphato de ferro solnvel em qnanto a mim, a melhor das preparacoes ferrugi-
    sosas, o o seu emprego d os mais promptos e segaros resoltados.
    ARAN, medico do hespital Sainte Eugenio.
    A forma lquida do phosphato de (erro soluvcl d-lhe urna immensa vantagem sobre
    c as pilulas; en considero este medicamento como mui superior ds preparaedes iooadas. >
    ARNAL, medico de S. M. o Imperador.
    Entre todos os fe-ntginosos, no conhecemos um sd que obre tio prompta e effieaxmenU
    como o phosphato de -ferro solavel, e isso, sem cansar o estomago.
    BELLO:, BAL'ME, BIGOT, FOLLET e PRVOST, medicot dos liospitaes.
    c Os effeites da preparacio de phosphato de ferro solnvel me parecem ser mui seguros
    c e promptos. BEBOl'T, redactor em chefe do Bullelin thrapeutique.
    Entre todas as preparares ferruginosas, o phosphato de ferro solnvel foi a que sempre
    c me deo os melhores e mais satisfactorios resultados. > GUIBOL'T, medico dos hotpitaes.
    c 0 phosphato de Ierro solnvel lem, sobretodo, a vantagem de evitar a conslipacio e
    t convir aos temperamentos delicados. Dr FAVROT.
    Deposito em Pernambuco, em casa de Maurar O*.
    i 11111 in-ri 11 i|t aiiiiuiiiu
    IpiroTijl
    i arailcaia
    de BKdecis*
    de Pars
    PIIiULAS
    JIMlOFi52?-aANGANF.S
    deBURINduBISSOn
    Pharinceutin
    buread*
    '
    ar adrada
    0 tratamento das ffeccdcschlorocas, lymphaticas ou escroolmlosas sempre lentis-
    simo, e muitas votos essas molestias resistem as preparaedes ferntgirrwws ordinarias. As
    indagacdcs feilas pelas profesaores Hanunn de BroxcHas, Gensoul e Perrequin de l.yfio e
    Bcrzelius e Trousscau de Pars, tcm provado que a cansa d'essa persistencia era a completa
    cora
    este
    approvacio da Academia de Hedecina e das prmeipaes socie-
    dades medicas. Deposito em Pernambuco, em casa de Maurar a o*.
    ausencia do Mangansc. olemento que sempre deve-se achar no sangne jarciamente coi
    o ferro. Estas pilulas snpprem, pois, na tberapctica urna falu imprtame, e por esl
    motivo ellas tcm merecido a approvacio da Academia de Hedecina e das prmeinaes soci
    i em Pernambuco, em casa de Maurar a C
    IIMIIMIIIIT
    i4aprooca
    4a tcaiemia
    de e.-tec a a
    dt.Ptrit.
    II]
    !^POS
    MAS2
    Phtrmtcewtko
    Isureti
    ds acuitan
    di mtdecina.
    As preparaedes ferniginosas liquidas tem desde muitos anios merecido a approac3o
    especial aos mdicos, ]x>rque ellas obrio mais rasrd e segu Mata do que as pilulas, e
    sao mais fcilmente toleradas pelos doentes. Os Pos ferro-mmrgaieos posiuera a inapprc-
    ciavel vantagem de poder ofrerecer n'um insunte urna agua ferruginosa gazeosa, de gasto
    agradavel, mais activa do que as aguas mineraes, e centendo d mai um elemento precioso,
    o Manganese, que sempre se acba no sangue, junctamenie com o ferro. Empregio-se em
    todas as molestias que tem por causa o empohrecimenlo do sangue, assm como para vigorar
    os temperamentos debis e lymphatieos. A chlorose, as Ferias fcroiws, dores d'eslomagg,
    a irregularidade da mo.nstruacao e amenorrha ou suppressio do menstruo, cedem rpida-
    mente a sen emprego. Devenios mencionar aqu um faeto notavef, isto que os doentes cura-
    dos pela agua preparada com estes pos esli muito menos exposto a recadas do que
    aquel les que forao mudos pelas preparacoes ferruginosas ordinarias.
    Deposito em Pemamhuco, em casa de Maura a O*.
    .^/>^.-va/V/VV<,.V-/>.V.^
    TASSOIRMOS
    Tenpara vender em seus amazens, aJm de ou-
    tros, os seguirles artigDf :
    Papel para imprimir.
    Perlina azul.
    Greve pautado e liso.
    Vinhos en caixas de dozo garrafas
    Bourgogne.
    Hery.
    Madeira.
    Hermitage.'
    Chamblis.
    Licor de curasao de Ilollanda em caixas de vin-
    tee quatro botijinhas
    GESS0(
    Nos armazens de Tasso Irmaos.
    Grades de ferro
    IKtra jardins, porteiras eU\
    Nos armazens de Tasso Irmos
    C AHIIIMIO\ I)i: FERRO
    Para sen*icos de grandes armazens. para remo-
    ver barricas ou caixoVs de um para outro, lado pelo
    mdico prego de 134000 cada um.
    Farinha de trigo de Trieste
    Das mclhoras marcas Panonia (verdadoin) Fon-
    tana e grande sortimento das mlm marcas de
    farinhas americanas.
    Saceos de farinha de trigo do
    Chile
    Todas novas, chegadas ltimamente dos arma-
    zens de Tasso irtnaos.
    Ceroenlo romano
    Nos armazens de Tasso Irmaos.
    Cemento hydrauco 12^
    O melhor para Indo que sao obras para agua, ro-
    mo assentamento de canos de esgoto, algerozes, de-
    pSMto, tanques (Tagua, etc., etc.: em poreoes de
    cincoento barricas se far rednecao no proco : nos
    armazens de Tasso Irnifios.
    Cemenlo Portland
    0 verdadeiro cemento Portland em casa de Tasso
    Irmaos.
    Grades de ferro, cercas, por-
    teiras, etc., etc.
    Ds differentes qualidades para cerrados do ani-
    maes, chiqueiros tiara gahuriasou jardins: nosar-
    inarens de Tasso Irmags.
    Barris wm bren
    >'? armazens de Tasso frmiK.
    CANOS DE BARRO
    NamckNova de Santa Rita, na antiga fabrica de
    sahao, ha para vender por preeo o mais mdico
    possivet, canos francezes para difleaft e espu-
    tos debftt aqualidade, superinnes a todos-os que
    aqui ten apparecido pela su sulidva.
    PRECOS
    HiOCr por cano grande de e meia poHsrgadas.
    1 200 poK dito de 2 e tres tniartos de dita.
    LOJA DO PASSO.

    GRANDE LPIDACAO
    Para msicas militares.
    Completo sortimento
    NO -
    BAZAR DA MODA
    RA NOVA N. 50,
    Esquina da ra de Santo Amaro
    20 a 30 por cento menos que em outra qualquer parte vendem
    JOS DE SOUZA SOARES fr C.
    do mais acreditado autor Goutrot Ainea Pars.
    RA MOTA Y. 50
    ESQUINA DA RA DE SANTO AMARO.
    VERDADEIRAS
    PILULAS DE BLANCARD
    COM lODURETO 10 FIRRO IWttTrUVEt
    APPROTADAS. PEU ACADEMIA DB MEDICINA DE PARB^ ETC.
    r r-op..;rid*i1ns do lo et do irv, ooavsm especialmente BU Amccos
    ESCROFULOSAS, a Tsica no principio,a frtiqwxa de temperamento e tambem nos casos do
    Falta de cor, amenorrha, ea que precisa reagir sobre o-sangue teja pare restituir
    lhe sua riqueza e ahundencia normaes, ou para provocar e-regular o settcurso peridico.
    H. B. O iodonto da ferro impuro on Iterado a im Bedicamanto infiel,
    irritante. Como prova de purera a de anthencidade dai wrrdm-irirmm ru
    ^. luisa ata manear*, deve-sa exigir nossa ella ate prata> milita
    ^k nn^so Irm, aqni rep-oduzida, que sa aeha na parte aenor da
    K retuta rerdr. Deve-M desconfiar (tu faUifieacoeS.
    -^
    . SebaBHW i
    tailaa fhari
    PhamuKmUico, rwm Btnapmtt^tb, PmM
    tXGERM%
    ATTKMC^tO
    AO TRIMPHO
    .
    Est a exposico do respeitavel publico neste importante estabelecimento um
    lindo e completo sortimento de fctendas chegadas pelo ultimo vapor da Europa, o que
    temos a honra de annunciar aos pais de familia, assim como ao bello sexo, a quem o
    Triumpho pede sua attenco; garantindo sempre em sua nova loja o gosto de fazendas e
    novas modas e modificarlo dos precos, para adquirir asympathia de quem der a honra
    de procurar o Triumpho.
    Lindas sedas de cores novo gosto a 20600 e 2#8000 o covado.
    ' Glacez de sedaelaa apurado gosto para 1^500 o covado.
    Lazinhas com listras de seda para 15200, 1^000 o covado.
    Ditas de lindos padres pira 500, 700,800 e 900 rs. o covado.
    Cambraias branowde 4b>'8>000 a pega.
    Ditas de cor novus padres, de 640 e 800 rs. a vara.
    Saias de la com bonitas barras.
    Bales de la e murcelina e de arcos.
    Basquinas de gros-de-uaple de 22(5000 a 405000
    Gros-de-naples pretos de 2jJ000 a 40500 o covadi
    Ditos de todas as cores.
    Organdiz branco.
    Brilhantinas brancas e de cores.
    Espartilhos e entre-meios bordados.
    Meias finas para senhora e para homem.
    Alm destas fazendas tem um completo sortimento 5e chitas escuras e claras, ma-
    dapoloes, bramantes, atoalhados, toalhas delinho e dealgodo, e outras muitas fazendas
    que se vendem por precos que s a vista o comprador se poder desengaar que s no
    Triumpho poder comprar bom, e com economa.
    PARA HOMENS.
    Bonito sortimento de casemiras, brins brancos e de cores, camisas de linho e algo-
    do, ciroulas, mantas e gravatas do que ha mais moderneychapos de sol de seda e alpaca,
    e outras muitas fazendas que vista se poderlo agradarle manda-se fazer qualquer obra
    de alfaiate para o que tem um hbil mestre, p preco em fiado, s encontram no Triumpho !
    ua do Queimado n. 7.
    j.O
    Alegrai-vos fhyopes, e presbytas, )a po-
    dis ver de longe, j podis ver de perto,
    n5o ha mais vistas curtas, nem caneadas.
    F. J. Germann acaba dereceber pelo ulti-
    mo vapor um rico e variado sortimento de
    oculos, lunetas, pince-nez, face--main,
    lorgnons, de ouro, prata, tartaruga, marfim,
    ac, hualo, ncar, unicornio e melchior;
    assim como binculos & urna a tres mu-
    danzas para theatro, campo e marinha d
    ultima mvenco ; duquesas, verezaS'de l
    8 e 12 vidros, tudo dos melhores fabricara
    tes da Europa.
    O mesmo vapor trou-
    xe urna excellentes ma-
    china para graduar c
    observar o nttnerb dos
    vidros que se neeessita
    conforme a vista do
    qualquer pessoa.
    Tem excellentes ste-
    rioscopos,' instrumentos de mathematica,
    barmetros, vidros de cliystai temaba, e
    de cores para resguardar i vista; concerta
    todos estes objectos a precos commodos tJ
    coaa promptidao; tira* mofo dos vidros e
    encarrega-se de toda a encommenda relativa
    -AG
    iOJA DO GALLO VIGILANTE
    Ra do Crespo n. 7
    Mandou vir de sua cunta e acaba de .:'*>-
    ceber pelo ultimo vapo, completo sortimttn-
    ot de objectos de novidade e phantasia, os
    qaes esto resolvidos a vender por presos
    nimiamente baratos, paca assim animar aos
    concurrentes e ao messio tempo dar sabida
    ao grande deposito que tem: isto ra.do
    I Crespo, n. 7, loja do 6aHo Vigilante.
    Gollinhas, punhos e camisinhas para, se-
    | nhora, fazendas de goeto e novidade.
    Finos vestuarios para, baptisados, aesim
    como. touquinhas, saatinbos e meiasiahas
    pata o mesmo fim.
    Grande sortimento de bicos e reira8 de
    croch e de outra muitas qualidades.
    Superiores caixas. com msicas e sem el-
    las, tendo o necessario para costuras, pro-
    priat> para um delicado mimo.
    Finas caixas com tentos e sem elles para
    voltarete.
    Agulhas para machinas de costura.
    Ditas para roch, sendo de ac*, marfim
    e outras muitas qualidades, assim como li-
    nhas para o mesmo mister.
    Finas grinaldas para noivas.
    Meias de barracba para quem solre de
    erysipella, assim como meias de la para
    os que soffrem de rheumatismtx
    Suspensorios para homem e meninos.
    Finos peo tes de tartaruga para coques [
    de outras muitas qualidades. e para outr
    misteres,
    Dedaes de madreperola marfim, osso,
    ac, metal, etc., etc.
    Superior agua cosmeocome para tingir
    cabellos, dando aos mesmos a sua cor pri-
    mitiva.
    Completo sortimento de finas perfumaras
    dos melhores fabricantes, assim como mui-
    tos outros objectos que impossvel des-
    iOOOpoi ditu do i e um qnartn de dita.
    500 ri* |wir pistoleta de 2 poltepadas.
    CotoveH)*rcurvas e canos de maior grossura, a
    vstase faio preco. Compras maiores de 20
    tem 5 (>or cento de descont por prompto paga-
    mento. PMfe-se ver as amotinas- nos anwuens
    de Tasso Irtnus.
    lijlos franeezes
    Para ladrlliar casas terreas om asseio e paoros
    mdicos, msito convenientes e proprios para ladri-
    Ihos de cosialias em sobrados, pelo seu asseio c
    evitar apas*tgem de aguas pana-o andar inferior
    e mesmo o porigo de fogo, aos preras de 30C00 a
    15*000 o mtiriro : na ra Novde Santa Rita, na
    antiga fabrica.de saliao, e compras maiores de NOj
    se far 5 por -ento de descont |mr prompto paga-
    mento. Po*m-se ver as amostras nos armaaens
    de Tasso Irruios.
    Velas db esparmacete verdadeiras para ton-
    tern.ts de carros: noarmazem dfe Tasso Irmaos.
    Vinho do Porto fino superior: no armacem
    de Tasso rmeos.
    O melbor cognac Gautbie Prcres : no araa-
    zem de Tasso Irmaos.
    Esleirs da Lidia
    Em casa A Tasso Irmaos vende-se esteiras- da
    India de diversos padres e terguras, por pivro
    commodo.
    Macartby
    Machinas de descarnear algoilio.
    lloje que est reconhecido que as madrina* de
    serrote prejndiram e quebranta fibra do algodao,
    preciso raeorrer a machim^no menos asgero,
    que produzido o mesmo serrifo que aquellas, e
    facihdade r trabalbo, nao quobrem aibra dailaa,
    para que essa possa obter-nos-mercados europeos,
    adilTerene>que ba entre o algodao descamado
    por aquella^menconadas machinas, que estao fi-
    cando em de'uzo, pelo prejuzo que tem casado,
    eo da antiga bolandeira, qtmnao pode competir
    pela morosfdade de seu traftallto. E' assmt que
    estas maemas se tornam as-mais projirias p*ra o
    nosso algodao, porque ao par da facltade e
    promptidb) conserva a fibra.da laa, que lmja por
    ella, qualificada na Euro a par damelhar bo-
    lamlci'.t. ralendo assim entre 10 arrobas W 0/0
    mais do que a I i a limpa pita machina de aerrote.
    Estas machinas nao sao navas, pois quo tu muito
    estao aceptadas no Egyrto, aonde as de- serrote
    foram inteiramente abamlonadas, e por isso o algo-
    dao daquella procedencia, sendo da qualrdade do
    da nossa provincia, obtet boje do 10 anrobas20
    0/0 mais do que o nossa. : vendem-se a. 150*000
    nos armazens de Tasso Irmaos.
    lina do Crespo SA. esquia*
    da do Imperador.
    O dono deste importante estabelecimeHto,
    temi recebido de sua conta, pelo vapor
    frartcez Extarmndure, diversos artigos de ;dta
    novidade proprios para a festa, econscio de
    que seu estabelecimento se acha bem sorti-
    do, principalmente em artigos de moda, pe-
    de ao respeitavel publico e em particular
    aos seus numerosos freguezes abondade
    de honra-lo com sua eonlianca, garantindo-
    llies seren bem servidos e por precos ni-
    miamente baratos. Venham, pois, todos
    comprar novas e lindas fazendas boas e de
    alia novidade, com bem:
    Riquissimos cortes de blonde.
    Hiquissimos cortes de seda de cores.
    Sedas de lidas cores para cavados.
    Woire-antique azul, verde, branco e pre-
    to.
    Crosdenaples azul, verde, branco e pre-
    to.
    Gorguro branco e preto.
    Setim branco macau.
    Cortes de seda com duas saias.
    Cortes de 12a escosseza com duas saias.
    Cortes de la e seda, m > vid ai les.
    Poil de chevre de lindas cores.
    Alpacas de cordo lindas cores.
    Ditas lisas de todas as cores.
    Cortes de vestidos de cambraia bordados.
    Saias bordadas para senhoras.
    Camisas bordadas > .
    Fronhas de linho com lindos bordados.
    Lencos de cambraia de linho bordados,
    Chapelinas de palha da Italia.
    Ditas de sedas de cores e pretas.
    Erifeiles para cabeca de senhora.
    Coques de todas as qualidades.
    Basquinas de seda enfeitadas com primor.
    Legues de madreperola, marfim, snda-
    lo e osso.
    Camisas bordadas para homens.
    Colchas de algodao e seda para cama.
    Ditas de crochet para tama.
    Pannos de crochet para cadelfas e sof.
    Chapeos de sol de seda par senhoras.
    Espartilhos para senhoras.
    Toalhas de labyrinto.
    Lencos de labyrinto.
    Fronhaa de labyrinto.
    Bicos, rendas e grades.
    Finissimas cambraias de coresy percates,
    faas e onfc'os muitos artigos de gs4e e no-
    vidade.
    Loja do raaso ra do Crespo rv 7 A es-
    quina da dfc Imperador.
    FUNDICAO DOBOWMAN
    ltua doBriim n. &t.
    Machinas de vapor.
    Rodas d'agoa.
    Moendas de caima.
    Taixos de ferro, batido; fundido.
    Rodas dentadas, paia meer com agoa,
    vapor e aniavaes.
    E outros muitos objectos, etc. etc., pro-
    prios para agricultura.
    a ptica.
    J Recebeu tambem os excellentes relogios -
    do antigo e afamado fabricante Robert Gerth, creter: isto s na roa do Crespo n. 7, loja
    fe C, os quaes vende'3 prepos commodos
    garantindo a sua superior qualidade.
    III! Hll
    POR
    Salvador H do Allraunerque
    2* EDICO 200
    LIVBARIA rH.lMB.1.
    DOENCAS das GR I ANCAS
    XAROPE oe RBANO IODADO
    DE GRIMAULT E C* PHARMACEUTICOS EM PARS

    Este medicamenu) foa em Pars e no mondo hrteiro de urna fama justamente mereddif f
    ichar-t intimamente combinado nelle o iodo com o socco das plantas anuscorbuU'ets, enja efflcacia
    bem eonhectda e naa quaes j naturalmente existe o iodo. I' com este motivo trae elle suppre
    com vantagem o Oleo de figados de Bacalho, qne deve, secundo os homens scientificos, a su
    eficacia a presenca do iodo. E* preciosa no traUmento das crlancas para combater o lTmphttimo,
    as obstrnecoes das gliodula do ptscoco, e u diversas ernpebes do rosto, to freqventes nu
    enancas de ponca idade. Torneo e depurativo ae mesmo tempo, elle excita o appetite, faciliU t
    digestlo, t resume aos toados a sua firmeza e vigor naturaes. V cada da recatado pelo* medios
    especialistas para combater u diversas affeccoes da pelle.
    O*.

    U diversas affeccoes da pelle.
    Deposito em Ptrtumbueo, em casa de
    CHALES A Wm.
    Vndem-se chales de merino com boni-
    tas barras, pelo baratissimo prego de 2(5000
    e 2^500 rs., na loja do Pavo ra da Impe-
    ratriz n. 60, de Flix Pereira da Silva.
    Attenpo.
    Veude-: e no caes de Capibaribe pedra mulati-
    nha da primeira qualidade, pelo preco de 1/200 o
    palmo corrido, sendo hombreir, soleiras e sepos
    com o mais que se segu.
    do Gallo Vigilante.
    Collares Rover elctricos magnticos cos-
    tra as eopTUrSoes-das enancas e para facili-
    tar a deniinco das mesmas, 0; GaHa Vigi-
    lante aatigofecebedor d'estesprodigosos
    collares e contina a ter sempre grande &*
    psito, ra d Crespo n. 7.
    Ba da Cruz n. 68
    ha para Tender
    MEDIDAS e pesos do systema decimal, de toda)
    as qualidades, para tojas, trapichee e tabernas.
    Tintura japoneza
    Instantnea para tingir os cabellos e a
    barba, a 1(51000 o frasco,
    E? a nica approvada e recommendada
    por ter sido reconhecida superior a todas
    as tinturas d'este genero.
    venda em casa de Gustavo HerveHn n.
    51. ra da Cadeia n. 51.
    Em casa de Thood. Christiansen, ra do Com-
    mercio n. 16, eneontram-se etTectivamente todas
    as qualidades de vinho Bordeaux Bourgogne e do
    Kheno.
    Vende-se por necessidade urna negrinha
    com todas as habilidades : a tratar na ra do Pa-
    dre Floriano n. 71. Na mesma casa d-se algum
    dinheiro a juro.

    = No principio da estrada de Joao de Barros,
    o primeiro sitio rindo pela Sole,ade, a esquerda,
    vende-se urna commoda grande.
    Meias elsticas de. borracha.
    As rflfelltofes e excellentes metas elsti-
    cas de borracha contra varizese erjapellas
    Vede-se na'
    Pharmacia e drogara de
    Bartholomeu & C.
    34ra larga do Rosario34
    iaz taz m
    Cuegou ae antigo ftpoSto de Henry Forster A
    C, ra do Imperador, um earregamento de gaz
    de primeira qualidade'; o qual se vend em partidas
    a retatho por menos preeo do que em outra qual-
    quer parte.
    ACABAM
    de chegar os sabonetes de
    alcaMo

    Veade-se por preco raioavel 1 sof, 1 par de
    do pateo Terco n. toja.__________________
    Manoel Alves Ferreira 4 C, na ra da
    Moeda n. 5, segundo andar tem para vender
    riuperior pptassa da Russia em barris e meios
    barris e cal de Lisboa da mais nova que ba
    no mercado.
    Para curar as molestias da pelle, taes co-
    mo impingeos, dartros, samas, comiclroes
    e mais molestias de pelle sera occasionar
    accidentes; desfaz as manchas do corpo,
    pannos e sardas, restabelece a cor natural
    quanto cutis, seca, grossa, amarellenta,
    occasionado por alguma enfermidade, e co-
    mo desinfetante e preservativo das molestias
    contagiosas.
    Deposito, botica do Pinto, junto ao quartel de
    polica, n. 10.______;_________________^^^
    Vende-se somonte para esta praca urna bo"
    nita negrinha de 6 nnos de idade e um negrinho
    A NOVA ESPERANZA
    21=Raa do Queimad>=a=2
    h para presentes
    A Nova Es^eranca, ra do Qaeimado
    n. 21 tem ui variado sortimento de objec-
    tos de gosto e phantasia proprios para pre-
    sentes, sobresarundo entre elles ricas caixi-
    nhas de bano eom finas perfumarias, cos-
    tureiros de chagrn, agulheiros de madret
    perola : assim, pois, quemquizer fazer um
    linda olTerta, (hrigir-se Nova Esperanf a.
    ra do Queimado n. 21.
    Collares anodinos ellcctro-m eos contra as convulces a
    creangas.
    Nao resta a- menor duvida, de qw muito
    collares se vendem por ahi intitulados o
    verdadeiros de Royer, e eis porqae muitos
    pais de familias nao creem (comprando-osl
    noeffeitopromettido.o que s pdem dar,
    os verdadeiros-; a Nova Esperanga, porm
    que detesta a< falsificarlo principalmente nt.
    que respeita ao bem estar da humanidade,
    fez urna encommenda directa destes oollares
    e garante aes pais de familias, que sao os-
    verdadeiros de Royer, que a tantas crean-
    cas tem salvado do terrivel incommodo de
    convulces, assim pois preciso, que ve-
    nham a Nova Esperanca a ra do <$uaimado
    n. 21 conwrarem o salva vida, para seus-
    filhinhos, antes que estes sejam aoommetli-
    dos do terrivel' uta!, quando ent* ser fJi-
    fficil alcanear-se o effeito desejado, emborn
    sejam erapregados os verdadeiras- collarthi
    de Royer..
    Para ^xtimruir as saardari e
    panno
    Recebeu. a Nova Esperaneav ra do
    Queimarfc.Q. SI, leite de rosas, esfwrril
    para extJngir sardas e pannos.
    BONECA DE CERA
    A N."-j, Esperanra a ra do Queimado i.
    21, acaba de receber um completo sorti-
    mento de finas bonecas de eera de diver-
    sos tamanhos, sendo as maiores do com-
    primento d'um covado ; estas, booecas tra-
    zem botutos coques e bobeas, ha vendo en-
    tre ellas algumas que fallan e outras que
    choram de sorte que fcilmente podem ser
    preparadas, e fazer-se m&preseale de muita
    acceitacSo.
    Finas caixas de tartaruga para rap ven-
    dem-se a na do Queimad n. 21 na lojt
    da Nova Esperanca.
    Modernos brincos de sndalo, s* se en-
    contrarlo na Nova. Esperanca a ra du
    Queimado n. 21.
    MEIAS DE LAA
    A Nova Esperancaa rita do Queinado r..
    21, acaba de receber um especial s*rtimen-
    to de meias de laa para homem e senhora.
    CONTRA AS CONGESTOES
    mal terrivel a congestao fulminante:
    de repente leva um individo, d'esta par*-
    milhor vida, sem dar-llie tempo de receber
    conversa medica; deixando as mais das
    veses mulher e filhos no mais amargurado
    pranto; a Nova Esperanca que desoja pres-
    tar servicos recorreu a Vojer, o qual lhe
    mandou anneis elctricos magnticos, como
    o nico preservativo para semelhante mal i
    elles antes que se acabem : na Nova Espe-
    ranca-
    NAVALHAS
    A Nova Esperanza a ra do Queimado
    n. 21 recebeu um sortimento de navalhas,
    de qualidades, e tamaitos especiaes assim
    como afiadores e massas para as mesmas.
    LINHA PARA CERGIR MEIAS
    Esta muito necessaria linha vende-se a
    ra do Queimado n. 21 na Nova Esperanca.
    BORDADOS BONITOS, BONS E BARATOS
    Esjiarlilhos s na Nova Esperanca a ra
    do Queimado n. 21.
    Vende-se urna armacao envernisada e envi-
    nara qualquer estabelecimento:
    Direita n. 50, taberna.
    dragada, propria
    a tratar na ra
    Na ra de Hortas casa n. 1, eompra-se jornaes
    ou outro qualquer papel que estoja limpo, a M a
    arroba.____________ .
    Cemento de Portland.
    Vende-se no armazem de Vicente Ferreira
    de 13 anos, irraao da mesma : aa ra do Pilar Costa & Filho, na ra da Madre de Dos n. SS,
    n. 63,1" andar. I barris (-raides.

    N

    5


    ?'>
    Diario de Pernambuco Ter<;a feira 16 de Fevereiio de 1869.
    TEMPORAL
    Grande liquidacto de miudezas!
    Alfonso Murcira Temporal, querendo liquidar as'miudezas existentes era sua
    ra do Queimado' n. 55, resolveu annunciar as mesmas miudezas para que o pu-
    loja
    blico se certifique do diminuto preco porque as est vendendo, a saber:
    Massos com grampos 25 a 20 Latas com graia, duzia a .
    Pe<#s de tranca lisa e caracol a 40
    Saboaetes de todos os procos a
    80 160 200 e..... 10
    Abotoaduras para colletes a 320
    Botes de louca para camisas, a 160
    Garrafas d'agua Florida (verda-
    deira) a....... I.J000
    Frascos com agua de Colonia a
    320 e......... 400
    Garrafa de tinta roxa a. 800
    Caas com 100 enveloppes a. 500
    Mantas de seda para homem a 800
    Fita de sana para- enfeite de
    vestidos por. i 600
    Frascos cora oleo para cabello
    a 400 e ....... 600
    L5a para sordar, libra. 3800
    Escovas finas para chapeo a 320
    Ditas para cabello a 320 e. 500
    bitas nsito finas para fatos
    por preco nunca visto 400
    300 e........ 600
    Pecas de babadose entre meios
    a 600 800 e..... 1000
    Gravatas de seda de cor a 320
    Ditas prolas a 400 e 300
    Bico e renda das ilhas a todo
    preco. -S a vista faz f .
    Pecas de fita de coz com 10 va-
    ras-a......... 500
    Latas com graxa, duzia a
    Coques muito. bous com rede s
    a rede val......
    Meias para hoinens boa fazenda
    a 3#600 e ......
    Linha de marca, caixa com 16
    novellos.......
    Latas com banba (familiia), duzia
    Frascos com banba a 320400 o
    Botos para punbo fazenda boa
    a 80 e.......
    Volta de Aljofre cousa boa a
    Fitas para debrum d vestido a
    Caixa com agulba franceza a
    Bates de ac para colete dnzia a
    Garto com alfinetes a .
    Caixa com perfumaras muito
    fina. S a caixa val 10000
    120000 .......
    Copo cora opiata muito fino a
    400 e.......
    Meias amito finas para senhora
    duzia. .......
    Cartas francezas a 200 e .
    Ditas portuguezas a 120 o .
    Caixa de linha do gaz branca 50
    novellos.......
    Frasco com tinta a 100 e .
    Franja de laa para sapato (peca)
    Papel de peso muito bom
    Sapatos de tranca e ontros muitos rticos, que erifadonho seria mencionar,
    BA BO QUEIMAT*) N. 55
    150000
    500
    5,weo
    240
    200
    600
    106
    taooo
    4**
    900
    700
    600
    7600
    000
    4800
    2*100
    600
    360
    600
    600
    800
    *'* $EtMA
    A aguia branea tau-w faite tio eoehoeida e
    acroditadav ao s pf las navidades, variedades, sa-
    (?erioridado abundancia de sou sortnnento, como
    pola eonstau*; commoddade do seus pre*08,e mes-
    n.,pt lo seu fssaz e usca olvidado agrado e-sinee-
    ridade.
    Esfiis verdides ineoseostaveis sao sem dirvida
    aprooiadas palo bello sexo cin ,t)articular, e pelo
    respeitavel publico em geral, e a tanto tem enejado
    verbio, aliando se v un objecto de elegaacia,
    gosto, novidade, etc., etc., 4iz-se lagoaquello Bb<
    jecto seu d'.ivkk foi comprado iu: luja d'aguia
    branca.
    Quaad no ciub, nos bailas, ou no salao de
    Santa Isabel, urna exceileatissima se aprsenla
    ya diosamente trajando, trazendo o soderno cinto
    de mu larga fita, lisa, chamalotada, 6ii cscosseza,.
    as suas admiradoras dizem eomsigo aquella fita
    ini comprada na luja d'aguia branca.
    Ojuando outra exceJlentissinu, nao dtanos gar-
    - a, mostra o j'igor de seu boa) coste na acertada
    -. -illia 11os enfeitcs Ae alta novidade ojoe foolla-
    ineate ornam seu >veMtiO, anda mesnio a* rivaes
    :' iiv-ia da luja d'aguia.branca.
    Quando n'outra exceHentissima, ajaezar da sin-
    gelleza de seu porte agradavcl, se vea as bonitas
    (uvas de pellica duquezaas suas bellas ami-
    gan loncam-lhe o gasto e eonfessam queaquellas
    luas foram da loja d'aguia branca.
    Quando jnesmo duas exceilentissimas, .-atipas
    amigas de cellegio, se eneonram naquelles loga-
    res, depois dos cumprimentos de recprocos beijos,
    mbaas por forty. de sua elevada delicadeza, cabaai
    una a outra os .agradareis cheiros de que usam
    en *'us linos lencos, e cada urna das quaes-orgn-
    Ihptaspelo elogio do acert de sua escollia,eorno
    que querendo por si mesma justificar dizem sknul-
    tancamente>veulade que este cheiro foi compra-
    do u luja d'aguia branca.
    Muda luals.
    Quando hontem-os pasallictos sentiam-origor
    da deuticao de seiiccbaro lilliinho, e hoje alqgrcs e
    satisnitos pelo felk r<'stabeleckncnto recebem as
    visitas dos seus ineUwr amigos, dizem aquellos
    estes, foi Deus queme inspiromura que compras-
    se, coeio comprei, umdesses virtuosos collres
    Royer,.gue se vcudem na loja d'aguia branca.
    Alear, do malte mais que aluda
    falta dlzer.
    Quando em um circulo de circuoispcctos cacac-
    teres se discutir a veracidade de taes dizeres, apjia-'
    fecer nm^ulro que jueira a inda levemente intw-
    j-onipeT a.liscussao, os pxBueiros por momento es-
    quect-nio a ciicinnspejico e liles da rao um gra-
    c.so debiVjue dizendo-lbesja sabemos que V.
    uw daquelles que inclina o bapo de sel ou que
    meracia ser designado \ivlt ^guia branca da ra
    do^Queimado u. 8.
    fc lautas as coauas que por
    tuuas seapana a* oiutras.
    J ia esquecendo a agua branca, mas era tempo
    Icmbrou-ec para noticiar, que raeebeu una pe-
    quena quantidade de enfeites para coques e gram-
    pos para ditos, tudo feito de mctaJ com ndos e
    agrada veis coloridos, obras estas pela prtnieira vez
    apparecidas, e portaoto inteira novidade.
    Tambcm chegaram aovamente delicados enfeites
    floivs ornadas de aljofares e vidrilhos, tanto de
    Grande liquidado.
    0 proprietario d'antiga e bem oniecida
    loja de miudezas denominada Beija Flor
    ra do Queimado n. 63, querendo acabar
    com o sortimento de miudezas que exista.,
    tem deliberado proceder a urna completa li-
    quidaco, para o que chama a attenco de to-
    dos.
    480 Os objectos serSo vendidos por metadede
    seu valor, e para que o publico, nao suppo-
    1.-55O0 nha, que o present annuncio urna illusto,
    0 proprietario da dita loja offerece urna pe-
    4)000 quena lista de algunasmiudezes, com os seus
    diminutos. precoscomo abaixo se ver;
    240 nao apresentando urna lista completa de to-
    2f5aO0' dos os objectos me csto expostos a venda,
    500 pela raz5o de se tornar um atowncio muito
    extenso e por consequencia de ehfadonha lei-
    100 tura, por isso apenas lemita-se as seguintes-
    ICO Caixa de envelopes de cores. 600
    500 Ditas de envelopes com tarja.
    ICO preta........
    i 20 Ditas de envelopes brancos gran-
    100 des.........
    Ditas de envelopes grandes e pe-
    queos. .......
    Libra de lia para bordar, surtida
    Duwa de cartees de corchete fran-
    Dita de colheres de metal prin-
    cipe para sopa. ..-..,
    Dita de ditas para cha. .
    Concha de metal principe para ti-
    rar assucar. ...
    BoUiadura para collete. .
    Pares de luvas de fio da escocia
    branca e de ctye para homem.
    Ditas de ditas para senhora. .
    Fita para sinto de senhora. .
    Pares de sapatmhos de casimira,
    bordados.......15200
    Pares de casca rrtUia de la. 300
    Escova fina para limpar unhas. 600
    Ditas de ditas....... 300
    1 Pente ireto de barba. 300
    I Caixa com apparelhode chumbo
    a 640, l200 D. .... 1#500
    Boneca de cera a l?>000, lf>200,
    3^1200, 4,$008 <;.... 55000
    Apparelho de porcelana para "al
    moco e .jantai-...... 2.5000
    Jogo de Vi^pora. ..... 000
    Caixa com papel branco e de co-
    res......... 700
    Infladores para vestido. ... 80
    Caixa de linha de marca encar-
    nada e azul....... 280
    Sapatinhos de la para meninos. 400
    Tocas......... 800
    1 duzia de linha para fazer croch. 160
    Ditas de carriteis com 100 jardas
    brancas e de eres. 360
    Fita de la para debrum de todas
    as cores. 560
    Ditas de ditas, branca. 260
    Pecas de fita de linho para cs. 000
    Dita para cs....... 500
    Pentes voltiados para meninas e
    sentaras....... 400
    Ditos pretos com chapa, para ali-
    zar .. ......' 400
    Ditos brancos....... 320
    Ditos brancos finos..... 400
    Escova para dentes a ICO, 240 e 360
    Ditas para Pecas de franja para toalha com
    14 varas al'peca. 2560G
    Entrcmcios bordados a peca 500 e 600
    Tinteiros de porcelana 15 15300. 200j
    Balaios para meninas de escolla
    bonito desenlio a 500, lr?000,
    ' i#HX)c....... 4000
    Fita de sarja de toda<; as cores. 15100
    Gravatas protas a 400. 500
    ALTA NOVIDADE
    A
    Loja do Pavo.
    GURGUROES PARA VESTIDOS A 15000,
    O COVADO.
    Chegaram os mais moderaos gurguroes
    para vestidos, sendo de todas as cores, come
    sejam verde, azul, rosa, bismark, perola,
    rxo r tendo quasi quatro palmos de lar-
    gura e vende-se pelo baratissimo preco
    de 15000, cadacovado nicamente no ar-
    mazem de Flix Pereira da Silva, na ra da
    Imperatriz n. 60.
    Brins para cauca na loja do pavAo.
    Vende-se os mas modernos e melheres
    brins de linhojde todas as cores, outros com
    listas do lado, garantindo-se seren de linho
    puro e vende-se por precos muito em con-
    ta no 'armazem de Flix Pereira da Sirva,
    ra da Imperatriz n. 60.
    AS DEZ MIL VARAS DE CAMBRAIAS FRAN-
    CEZAS S NA LOJA DO PAVAO A 560
    RS. 0 METRO.
    Vende-se finissimas cambraias francezas
    cora os mais delicados padroes, Unto mia-
    dos como grados, e cora as cores mais no-
    vas que tem vindo no mercado pelo bara-
    tissimo preco de560rs. o metro; garantindo
    que 7 metros dao um vestido para qual-
    quer senhora, e que em outra qualquer loja
    nao se ^encontrar a mesma fazenda pOr
    igual preco, e sim s na loja e armazom do
    Pavo, ra da Imperatriz n. 60 de Flix
    Pereira da Silva.
    Cassas inglezas a 440 rs o metro
    Vende-se orna grande porc3o de bonitas
    cassas inglezas tanto graudascomo miudi-
    nhas e de cores fixas pelo barato preco de
    440 rs. ometro,garentindo-se que 7 metros,
    do um vestido para qualquer Sra. s na
    loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de
    Flix Pereira da Silva.
    RETALHOS RARA LUTO NA LOJA DO
    PAVO.
    Vende-se urna grande quantidade de re-
    talhos de chitas e cassas pretas por preco
    muito barato, e quanto maior fox a porcao
    que o fregu comprar, mais barato se he
    vender na ruada imperatriz n. 60 de F-
    lix Pereira da Silva.
    CRINOLINAS OU BAL ES A 25500 Sv No
    ARMAZEM DO PAVO.
    Baloes 25500.
    Crinolinas 26300.
    Baldes 25500.
    - Crinolinas 25500.
    Baloes 25500.
    Crinolinas 25500.
    Vende-se os mais modernos baloes ou
    crinolinas americanas, muito bem feitas, sen-
    do todas de modelo esguios, pelo barato
    preco de 25500 cada urna, nicamente na
    loja e armazem do Pavo de Feli.v Pereira
    da Silva, ra da Imperatriz n. 60.
    CAMBRAIA COM SALPICO A 55000 A PECA.
    Vende-se pegas de cambraia branca com
    salpicos, sendo neste genero o melhor que
    tem vindo ao mercado, tendo 8 e meia va-
    ras.pelo barato preco de 55000, pechincha
    na loja e armazem do Pavo, ma da Impe-
    ratriz n. 60 de Flix Pereira da Silva.
    E. R.itabello tem para vender em seu -
    criptorio ra do Conintercio n. i. i" andar, vi I-
    las de rea, vinliti Sliei-ry Emito superior em
    xas de i duzia do garrafas, e cachimbos de d
    ~as qtialidaili -.
    Para familias
    Grande Bazar, ra \ova ns.Oc
    8, de Carnelro viaiuia A C.
    Acaba de chegar a este estabelecimento
    grande porgo de machinas para costaras do
    autor Wheeier Wilson, approvacias na ulti-
    ma exposi'cao de Pars, as quacs cozem com'
    . !.!
    SCRAVOS FGIDOS.
    rucio a
    e.-cravo de nonie t'i'li|ii"', cabra com -'> aun1
    darte, um ponfo alio, rabranrdlias prclas o nr-
    rada, es cal ellos acalmnilados. qutnda Midi i >-
    ,.i duro e ron B**$M lltp, lein una nvea >l't
    caustico do lado diii'itu (obre o ug*do, l
    ra denrim dcqnadiinnos pretor, camisa de i..a-
    dous pospontos toda a costura, e tem a
    vantagem de ser le suave o movimento,
    que qualquer enanca de oilo annos fcil-
    mente trabalha, e pode,-com este entrete-
    nimento, levar vantagem ao servico diario,
    A comnrehenso : IIK'l" lug:"'' P'^ul,,e-!ie mie ?. "T
    L LumpieiieiK>du c riintniu a gaD|iar na ua Hinido de
    de trinta costureiras.
    dapolao, chapeo jirl-lo de laa redondo, wt cscia-
    viicusluiiiavaa jranliar na ra conduzindo gi
    roa de, una venda da ra Direila para a oet
    ilas Cinc. lVnUs, nalural do lugar CaiihotiiifiO,
    da comarca de S. pento desla provincia, e w
    comprado ao Sr. J. Alvos de Mello,- morador i
    fnesmo esrrv*
    um Ijiilii ;e
    falso iirocuiandn senluir ; pedo-s aos Sis. raj i-
    laes de raiupo e mais autoridades policiaca a rap-
    lurp do dito escravo e leva-lo ao cu senhor Jom
    IVriira d .Miranda ('nidia, morador em Si''
    Amaro, sobrado grande do Sr. Manoel Custoi u
    simples, pois em um quarto de hora se fi-
    ca senhor do movimento da machina, ten-
    do a mesma a propriedade de fazer as se-
    guintes costuras: pospon tan, abainhar.
    I'ianzir, marcar e bordar, como apresentam j n. n, su sc^raiikarg^ic'rosaiiieuie.
    os desenhos que acompanham-nas. Os pro-
    prietarios do estabelecimento se encarre-
    gam de mandar ensillar n'esla eiilade, e
    garantem entregar o importe dispendido ao
    comprador, no caso de Bao
    perfeico a machina vendida, nao tendo,
    Korm, soffrido ella alguma avaria. Ilatam-
    em no mesmo estabelecimento machinas
    do autor Grower Baker, de trabalho sim-
    plesmente mo, e outras com movimento
    dos p^; e mxime todos os perteees das
    mesmas machinas, para vender avulso.
    O abaixo assgnado lUmaintIMaa a cap.'-a
    do seu escravo de iiomc Joaquim, unalo, 111
    do seu sitio do Monleiro, comprado aos seus do-
    nos os Srs. Joao Goncnlves da Silva, Yieenie Car
    valcantide Albuquerqc e Alexandre Goatei di
    1 Silva, ncsla cidade, \mv intermedio de seus ; ro
    40
    li m..
    }
    ^
    28
    curadores na pessoa do Sr. Manuel Francisco 1
    valcaut, todos de l'o dAllm o por intervencfu d
    Sr. Santos (corrector de escravo). cujo earravr.
    lanihem natural de Pao d'Allio e tem os tics*
    seguintes: idade 38 anuos, secco do coipo c 1: n
    ppoco alto, bigodc, cabello um pouco earaptnl
    e ponteado, falta de dentes, urna Inflammacao n-
    cruada na junta da mao nqnerda, falla a sertane
    jo? muito descancada e mansa : levou tamisas (16
    madapolao e risc-ado de algodao, e calcas de loen
    pardo. O abaixo assipnado muito reenuoend
    captura desle seu escravo lodas as autoridades
    e mais pesadas encarregadas da captura de esfra-
    viis, naos telas diversas cidades, villas e poyoa-
    dos, como pelo sertao, para onde pode 1er seguido ;
    prometi, bem gratificar, e tasiSva a^ f
    pessoa qiie d'el'e der noticia ceri* u uigirem-
    seao ?ov wcriPl'.'rio a -.^ uo Cl.t;:po u [:,w -0
    seu sitio no Mbtelro.
    Recife, 27 8c janeara de 1869.
    _______Au/Otto Jos Hotlrigues de Sonsa.
    = Fugio nodia ii o corrate 9 escravo
    cmtlio, &ngp,idade naneada, bem preto.falla nu-
    jiiclli n
    28 = Ra do Imperador
    EM GROSSO E A VAREJO
    Charutos de diversas marcas dos bem
    acreditados fabricantes, Costa Jrmos e
    Manoel da Costa Fcrrc-ira de (Sao Feliz).
    Farinha da trra muit boa, 45 reis a
    sacca.
    Miraguaia do Rio Grande' do Sul, peixe
    secco de superior qualidade a 6,5400 a ar-11'1 atrawaiaaila, quando anda a ji ia os
    roba. tornase |Hir coi)sei|iiint-; cambeta, tem una -
    Congro eruivo de Portugal, em harris e E^E^JS!*?!* "S* -^ *
    .. ? j 'un sacro as costa- e un pao na m3o, oarmp.
    Cainaroes seceos; do Maranho, em libras.
    Latas com peix em conserva sendo :
    Salmom, Lagostas/ Ostras e outras muitas
    qualidades, a saber: Portuguezcs, Inglezes,
    urna cafcja de easemira vollia de quadri'uho-j .
    um remondo azul no joelho, paletol t>e>'io
    o, chapozinho preto com o alto :.x' ,' n i
    \ ..ti i.i.v. t >.:. ..!. .1 nmt ....
    Clll
    lado mi cnvi-misado d
    da-se aes Sis. capitacs
    euca'
    de
    ^do : roeoniii;- -
    Vende-se
    i. taberna da. ra Dimita 50, propria para qual-
    quer principiante por ter pateos fundos : a-trattr
    na mosnia
    OLEO DE H0(iG
    DD
    Figados fiascos de bacalho
    Para cura certa de phtisica, affeccoes escrofu-
    losas, tosse chronica, fraqueza dos nombros e do-
    .bilidade jreral, recommenda-se a excelleucia deste
    o.'o anda pOr ser agradarel no paladar
    VENDE-SE
    NA
    Pharniacfa e drogara
    DI
    BARTHOLOMEU & C.
    34 = Ra larga do Rosario = 34
    Americanos, Hespahlies, ele, etc.
    O Campos ainda urna voz, vem ter a
    honra de lembrar o respeitavel publico, as
    muito excellentes aguardentes de Lima Pa-
    rati, e Figuera do Maranbo, por vir-lhe "
    idea que se aproxima o tempo >vc*;ilOSo^
    o que muitonescessario se to>;i;l tl'..lzer^
    estomago quente, o como ^ ac|ia SPU cs.
    tabelecimento bom n;;ovido dos gneros aci-
    mente. -*** 1ue ^ inrtilwar genen'.'-
    100$ de graliKT
    Fupio uo da II do Janeiro do corren!.- ar. 0,
    do ongeulio Baitura. /rojrutvia da Eseada, n
    cravo preto; crioulo, de annos do idade c -
    mado Marcelino, que foi do Sr. Joao da Ca 1
    1 Pweira, cujo escravo estovo no deposito gen e
    mantos, recomme^da umpasseioatell ^^ZSTSa.l^ S S
    onde encontrarJo os amantes do que e
    bom bocado, um completo s.ulimento de
    gneros finos, que se tornam recommenda-
    veis para urna mesa mais ou
    vida.
    Ilhiminaco.
    RA DO CRESPO N. 10.
    Duarte Pereira & C
    ultimo vapor grande
    ta frente, cor preta, sahio de chapeo do chile,
    Iptol e calca de castor, levando um babuziuh
    (landres com mas roana, e snppde-se estar r.a
    nro flv"'"17ia d0 (:aho : 1em nprehender leve-o
    '"" jaoddo ciigonlio, ou ra da Scnzala-nova n
    cscriplorio do Sr. Bernardino Pontual. que r. -
    i 11 a gralilicacao cima.
    Acha-se fgido desde o dia W de jan 1
    ile nladc de 10 a t annos, eoM os sianaes -
    lUlll'l 1^ 'lIllll-O PAKIil.lll -..-. ^ .1 .
    1 tomn NwfydA noln gn!"eS : '""ril n'^liar- do eOTBO. cor I i
    ,., tcnio t< cDUJO pelo preta, pomas bastante linas, testa rutada 1,. .
    e vanado sortimento barba, (hita de denles ccoin signaos de chicle r..
    Vende-se ou pemiuta-se una grande pro-
    Sementes.
    pal ha para coques como para vestidos, c tudo priodade porto de Apipu eos e Watissna : a"tra-
    !^.t\?au!mfr'wrJa>a,e*ia-50 das oxcellentissi-j tar no pateo doCarnio 11. 28, junio a groja de
    i Santa Theroza, das O horas .m di.usto.
    ma* conhecedoras do bom.
    Chegaram as novas sementes de hortalice de
    todas as quadades na ra da Cadeia (\ Recife
    n.SO.
    rozos freguezes e ao respeitaVcl publico,
    aim de que com lempo se previnam, wste
    como atiento aos ltimos successosda guer-
    ra se espera a cada momento a fausta no-
    ticia de sua concluso. A illuniinacao em
    baloes de papel alm de ser linda menos
    dispendiosa possivel, osannuticiaiites vn-
    dem-os por precos mui razoaveis.
    PEHI?IBIA
    Veade-se barato um buhar com seos perteees
    na ra da imperatriz u. 69.
    Escravo figido
    Futyo em 2.1 do ianoiro de 186!l o esc
    th.-us.de meia dado, cor preta, falla grossa
    xigoso. (em polas costas cicatrizes de bacal!
    tem ama VBltaga no canto do nariz, os ni fov< -
    ros, corpo regular, linha sido do lllni. Sr. \-
    nho Leocadio Vicira, em Panollas de Miranda -
    ba poneos metes de i. veioAido: pede-sc
    antorldadesecapifSos decampo de o p caro
    icram asea senhor Jos Cantoso do S. i,iM -,
    Lmgoota no llecii',- n. i ,. li;,.SM10 ,,r,(I,.sI;t
    ira qnalqner pessoa que o loaba acoutado. e
    Uflcaia bem a quem d pegar.

    4.
    LISTA GERAL
    DOS PRE.\U0S DA *f- PARTE DAS LOTERAS CONCEDIDAS POR LEI PROVINCIAL N. D88, A BENEFICIO DA MATRIZ DE JABOATO, EXTRAHIDA EM lo DE FEVEREIRO DE 1869.
    AS. PRK.MS. NS. PREMS.
    3
    i i
    17
    18
    6
    35
    M
    44
    m
    61
    63
    66
    68
    81
    86
    87
    93
    97
    101
    i i
    15
    7
    U
    26
    33
    18
    59
    N
    M
    76
    78
    81
    m
    91
    M
    *01
    i
    9
    (3
    n
    12
    I7
    :\
    M
    M
    1-9
    m
    "2
    8
    4*
    8J
    y
    8*
    41
    274
    75
    94
    99
    304
    12
    18
    19
    21
    22
    25
    27
    28
    35
    42
    46
    a
    56
    58
    67
    69
    70
    72
    76
    82
    85
    86
    87
    88
    89
    92
    95
    97
    403
    8
    19
    21
    26
    32
    35
    38
    39
    46
    56
    61
    3
    65
    7
    69
    id
    84
    i*
    NS.
    172
    74
    75
    83
    91
    93
    96
    513
    22
    27
    34
    44
    47
    54
    56
    58
    59
    64
    81
    87
    PREMS.
    M
    91
    92
    600
    6
    9
    14
    85 19
    H 21
    IJ 27
    36
    .^ 45
    _ 47
    . 49
    ... n
    _ 59
    _ 61
    _ 64
    _ 7
    . 84
    _ 93
    ,_ 94
    702
    8
    7
    13
    NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.'NS. PREMS
    I
    '11 1003 4j|1291 4j 1473 44
    7004
    44
    8
    U
    H
    44
    8*
    84
    44
    726
    27
    29
    34
    35
    46
    52
    54
    55
    77
    80
    82
    804

    o
    11
    12
    19
    20
    21
    25
    26
    29
    34
    48
    54
    62
    88
    91
    903
    9
    10
    11
    14
    19
    32
    33
    34
    37
    38
    52
    62
    66
    71
    72
    73
    81
    91
    97
    99
    .5
    9
    10
    36
    37
    U
    53
    61
    62
    65
    70
    72
    76
    81
    99
    1103
    7
    13
    18
    22
    32
    35
    38
    39
    41
    42
    49
    50
    51
    63
    70
    73
    78
    81
    83
    84
    94
    liOl
    21
    22
    24
    29
    34
    35
    44
    48
    68
    88
    2024
    44J1291
    4041 92
    1303
    6
    7
    15
    16
    17
    18
    19
    20
    22
    27
    32
    35
    40
    14
    45
    49
    50
    51
    54
    57
    58
    65
    69
    70
    76
    92
    1401
    5
    13
    22
    23
    29
    30
    37
    38
    42
    44
    46
    48
    51
    52
    53
    58
    61
    64
    71
    >4
    44
    84
    44
    204
    14
    1473
    74
    79
    83
    91
    f
    9
    14
    17
    24
    34
    41
    47
    49
    54
    57
    58
    63
    65
    66
    73
    78
    m
    91
    1603
    4
    8
    10
    n
    w
    16
    33
    34
    35
    36
    37
    40
    M
    50
    52
    53
    34
    61
    62
    73
    74
    76
    86
    87
    NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.1NS. PREMS.INS. PREMS. NS. PREMS.INS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. RS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PRKMS
    44
    204
    44
    84
    44
    84
    i 4
    1691
    1700
    8
    12
    16
    17 -
    19
    20 -
    22 -
    28 -
    29 -
    31
    II -

    58 -
    67
    68
    69
    71
    83
    85
    87
    91
    97
    S8
    1800
    7
    li
    20
    40
    41
    48
    49
    60
    74
    80
    83
    85
    0
    91
    98
    1901
    7
    9
    14
    25
    29
    31
    33
    84
    44
    84
    44
    1937
    38
    41
    ce
    56
    59
    61
    62
    69
    73
    76
    i
    84
    y
    96
    1001
    3
    8
    10
    18
    2
    25
    28
    55
    49
    57
    60
    67
    69
    73
    78
    80
    81
    82
    88
    93
    87
    2105
    6
    7
    12
    14
    15
    20
    24
    28
    29
    31
    33
    44
    84
    44
    2143
    50
    55
    56
    57
    68
    69
    72
    0
    86
    89
    0
    92
    99
    2206
    10
    11
    13
    18
    23
    ' 31
    38
    42
    48
    50
    53
    1
    64
    74
    75
    80
    82
    85
    94
    2307
    10
    12
    13
    30
    3>
    49
    51
    52
    53
    55
    59
    65
    67
    70
    404
    44
    4:0004
    44
    44 2373
    77
    78
    85
    86
    88
    2401
    4
    6
    21
    22
    23
    * 26
    29
    30
    38
    33
    34
    35
    38
    42
    44
    47
    55
    62
    63
    64
    73
    76
    79
    81
    92
    93
    2505
    10
    19
    23
    29
    31
    36
    38
    42
    47
    59
    63
    *73
    77
    78
    79
    204
    84
    44
    44 2589
    93
    94
    95
    97
    2C02
    I
    18
    22
    24
    26
    40
    42
    49
    50
    61
    *8
    79
    82
    87
    93
    2707
    9
    12
    20
    23
    24
    26
    8
    37
    40
    49
    5?
    60
    61
    62
    66
    68
    75
    78
    84
    85
    2802
    4
    7
    12
    25
    26
    32
    84
    44
    404
    4.4
    44 2834
    43
    44
    46
    48
    50
    64
    65
    75
    76
    77
    81
    83
    96
    98
    2902
    4
    5
    6
    12
    13
    18
    26
    31
    40
    41
    50
    52
    SI
    66
    70
    72
    78
    84
    87
    91
    93
    94
    98
    3001
    5
    7
    9
    14
    21
    29
    33
    43.
    51
    44
    84
    44
    1004
    44
    84
    44
    .1052
    54
    55
    59
    61
    65
    66
    67
    69
    70
    75
    76
    82
    89
    3101
    4
    6
    12
    18
    22
    23
    24
    25
    41
    42
    52
    54
    58
    61
    77
    $9
    92
    3212
    14
    16
    31
    33
    34
    53
    58
    61
    66
    58
    76
    94
    97
    3306
    12
    21
    44
    84
    14
    3327
    30
    34
    37
    42
    43
    45
    52
    56
    58
    85
    87
    SO
    92
    93
    3400
    1
    8
    lo
    16
    18
    23
    27
    39
    40
    44
    50
    57
    70
    81
    82
    87
    88
    89
    91
    92
    97
    3502
    9
    14
    15
    16
    20
    22
    29
    46
    50
    63
    53
    44
    3562
    69
    72
    73
    78
    87
    3600
    3
    7
    9
    11
    18
    22
    30
    32
    34
    n
    46
    50
    51
    55
    61
    62
    69
    71
    73
    81
    85
    86
    98
    3702
    4
    (I
    7
    8
    16
    19
    404 31
    33
    36
    40
    47
    61
    68
    74
    80
    99
    3800
    4
    44
    84
    44
    44
    84
    84
    44
    204
    44
    3806
    11
    12
    21
    25
    28
    29
    34 -
    37
    41 -
    43
    46
    51
    60
    63
    64
    66
    73
    79
    82
    85
    91
    96
    i4021
    H
    30OI
    10
    16
    19
    24
    27
    31
    36
    51
    54
    17
    58
    59
    63
    71
    74
    81
    90
    92
    93
    99
    4004
    8
    11
    44
    20#
    44
    37
    41
    4G
    52
    56
    57
    59
    69
    70
    n
    77
    80
    93
    96
    4112
    15
    19
    21
    %
    25
    28
    31
    40
    41
    53
    57
    59
    63
    67
    80
    91
    94
    96
    98
    4204
    7
    13
    14
    22
    23
    33
    34
    48
    19
    61
    63
    69-
    84
    44
    204
    44
    4270
    76
    81
    83
    89
    4:302
    4
    8
    14
    26
    27
    30
    33
    38
    40
    44
    46
    48
    50
    63
    63
    69
    70
    71
    76
    77
    81
    82
    86
    86
    87
    95
    4400
    3
    10
    11
    13
    17
    24
    29
    32
    36
    38
    52
    66
    57
    61
    64
    66
    44
    84
    4469
    76
    78
    82
    86
    96
    99
    4503
    5
    12
    84
    44 16
    21
    22
    25
    27
    30
    37
    46
    48
    50
    56
    60
    84 68
    44
    73
    84
    86
    87
    89
    93
    4602
    5
    7
    10
    17
    18
    34
    42
    48
    52
    56
    61
    76
    78
    81
    83
    91
    92
    14700
    i
    83
    45
    204
    If


    8
    Diario de Pernambuco Ten;a feira 16 de Fevefeiro de 1869.
    ..
    i_
    -r-
    --i
    =

    LPFTERATURA.
    Desengauo.
    Porque teus olhos sobre os meus se fitam ?
    Porque, com ettes, meu semblante feres ?
    Parque teus rteos para mira desprendes,
    Se os meus queixumes tu ouvir nao queres ?
    Porque desejas envolver minha alma
    Nos veos escuros da illuso fatal ?
    Porque as trovas tu me vas perder,
    Sem urna luz, sem o menor fanal ?
    -Os lew olhares me despertara crencas,
    Oue su se embalara nos fulgores seus ; .
    Sonhos brilhan'tes, esperances doces,
    Que se alimeutam nos sorrisos teus.
    Ah que teus olhos ateiar s (pierem
    A chamma ardente que minha alma prende,
    iloja-la ao meio d*essa grutta immensa,
    -Oale o maldito chorar aprende I...
    Estes suspiros que ten seio exhala,
    Do co litando a limpidez, a calma,
    SSo companheiros da lembranca viva
    De quem outr'ora incendiou tua alma ;
    SSo os ressabios de amorosa idea,
    SIo aventuras de um prazer gosado,
    Sao os algozes de meu peito enfermo,
    Sao os tormentos de meu ser magoado.
    Teus olhos falsos sobre os metis nao lites,
    Cerra teus labios, que o sorrir rejeito ;
    Assim, ao menos, calarei as chammas
    O suspirar nao quero de teu seio virgem,
    Elles sao chos d'esseamor que dura ;
    Chorar nao pode por mais tempo a alma
    t>ue se defmlia n'essa m ventura.
    Chorar nao quero por amor fingido
    Las chammas fujo p'ra me nao qneimar :
    E' tempo ainda de fugir do abysmo,
    Se tu'alraa, ingrata, nao me quer amar.
    /. B. Carneiro.
    POTJCO DE TUBO.
    SORPREZA DESAGRADAVEL.Um po-
    bre americano prorurava em vo urna con-
    sorte que Ilie servisse de companhia dura-
    doura as peregrinacoes da vida. Casara-
    se ja" por cinco vezes ctivera o desgosto de
    ver morrer todas as suas cinco mulheres,
    depois de alguns mezes de felicidade con-
    jugal. Resol veu casar-se pela sexta vez e
    procurou para sua esposa urna outra mulher,
    cujo marido partir ha vinte annos para a
    India e l desapparecera, sem duvida engo-
    lido por algurna fra ou victima das mo-
    lestias do paiz. Todas o criam morto.
    Casou pois o nosso homem com a viuva, e
    julgava-se feliz com a nova companheira,
    quando o primeiro marido d'esta surgi
    como a sombra de Ranquo a perturbar a
    vida de delicias dos recencasados. Os tri-
    bunaes tratara de solver a diliculdade, o
    malogrado marido est inconsolavel.
    prelados, que desejam nao estar muito tem-
    po ausentes de suas dioceses.
    EXPOSigO DE PARS BE 1867.4"
    coniDiissao da exposicao universal de Paris
    de 1867 teve de sustentar njuitos pleitos
    em umprimeMo dos contratos que 'fez.
    Urna dasquestes mais importantes Ib* a
    que intentou Mr. Bernard, que havia contra-
    tado com a commissao o exclusivo das
    duas mil cadeiras para uso dos visitantes
    no palacio eno parque do.CampO.dB Marte,
    podendo ainda collocar mais cadeiras, ob-
    tendo para isso autorisarao da commissao.
    Mr. Bernard pedio perdas e (himnos pelo
    prejulzo que solrreu com as cadeiras o ban-
    cos que tinham fora das portas as casas
    de pasto, os cafs e os mais estabeleimenr
    tos do parque A commissao foi condemna-
    da pelo tribunal a pagar as perdas e dai-
    nos que se liquidassem. Mr.'Bernard pe-
    dio 511:093 francos pelos prejnizos solfri-
    dos. O tribunal da 1.a instancia jnlgou
    que elle s tinha direito quantiade. .
    229:071 francos, quantia que foi reduzida
    pelo tribunal de 2.* instancia a 20:0l)0
    francos.
    EMIGRACAO ALUEM.U.O numero dos
    allemaes que emigraram para o Brasil, em-
    barcando em HambUrgo, snbio em 1868 a
    3:399, dosquaes 2:313, ou 68 por 100,
    sSo natnraes da Prussia; 581, ou 17 por
    100 da Saxonia; 45 do Hanover e Hsse ;
    233 do Schleswig, Ilolstein, Mechlembur-
    go, Oldcnburgo e das cidades anseticas;
    85 d'Anhalt e de Brunswick; 86 Austria;
    46 da Allemanba do sul.
    EMPRESTIMO.Um francez faz a segura-
    te resenta des emprestimas effectuados du
    rante o anno de 1868, anno (pie decorreu
    sem liaver guerra, ne-te-se bem. O alga-
    rismo total eleva-se a 2,127.000:000 de
    francos:
    Franca .... francos VW.OOOcOOO
    Hespanha . 625,060:000
    Prnssia. . i 120,000:000
    Egypto .... 277,0f0:0O0
    Hungra. . 212,000:000
    Wurtemberg. . 19,000:000
    s 2,100:000
    Brunswick. . 37,000:000
    Finlandia. '. 17,000:000
    Cantees suissos. . i 8.500:000
    Colonias inglczas . 66,800:000
    Obrigacoes hypothe-
    canas russas. . i 20,000:000
    Italia, emprestimo
    dos tabacos. * 237,000:000
    Ttulos de divida em-
    mittidos'pelo ban-
    co de Italia. 35,000:900
    nos; sem ser precisamente o que era ha
    dous seculos, comtudo ainda conserva em
    grande parte os'usos, os costqmjis, e as
    supersticoes d'essa- poca; o carcter de
    seus habitantes loucaaUeracaotemsoffrido;
    e em grande minero de localidades o novo
    guard fielmente os trajes dos tempos pas-
    sados.
    Os hespanbes, sobretudo os rastelha-
    nos, sao geralminte altos, o distinguem-se
    pelos cabellos p etos, cor morena, e rosto
    muito expressivi. As muieres, gtralmen-
    te baixas, tem bastante espirito emuita
    vivacidade.
    Grande circamspecc5o, constancia as
    empiezas, odiis colisas novas, bialdade,
    generosidade, e Adeudado em todos os com-
    promLssos, taes o os tragos prinoipaes do
    carcter hespanliol.
    As iflMQts do distineco adoptaramo
    trajo raoc-tz, se porventura se pode dzer
    que boje exista semelhante trajo, o que ef-
    ectivamente muito duvidoso; mas; o povo
    em nada mudou a manoira to piuwesca do
    se vestir, e ulo existe ali muHier alguma
    que tr.'ilia renunciado amantilba e > leque.
    t Entre as boas qualidades dos hespa-
    ules deve-se contar a sobriedade ; comein
    muitos alhose legumes, e beber pouco vi -
    nho.
    f O ciuroe hespanbol foi outr'ora cele-
    bre; boje cedeu o lugar a habites menos
    sombros, e menos severos ; porqn > o clii-
    cliisboismo italiano passou para a pennsula
    ibrica.
    Tantooas bellas arles como na littera-
    tnraa Hespanha teve o seu perioiu.de glo-
    ria. A architectura eaesrulptura hespa-
    nhola*contam ai-tistas de grande mrito ;
    porm sobretudo na pintura qu8 .i Hespa-
    nha pode sasten lar compararlo at coma
    propria Italia : Murillo, Ribeira, e Velas-
    quez, nemas bastante conhecidos, prodTizi-
    ram obras primas que se acham espalhad.is
    por toda a Eurc>p; e-nosio.menos para
    admirar C^no, .loanes, Hibalta, e Morales,
    ciyas olrasy om Hespanha, ornam os paeos
    reaes, as igrejas. e os palacios da aristocra-
    cia.
    RAPIDEZ TELEGRAPHICA. 0 discurso
    do imperador dos Francezes, na abertura
    do parlamento, tem 1:012 palavras; Lon-
    dres recebeu-o em 15 minutos ; Belin n'uma
    hora e 9 minutos; Florenca em urna hora
    e 40 minutos; Bruxellas em 45 minutos,
    Vienna em I hora e 50 minutos. A diffe-
    renca do tempo com vantagem para a In-
    gaRerra explica-se por este fado: serviram-
    se de 4 fios para a transmissao do discurso
    para Londres, emquanto que paraas outras
    capitaes l'unccionava um s lio. As cabe-
    ras dos departamentos francezes receberam
    o discurso 15 a 30 minutos depois de pro-
    nunciado. Marselha recebeu-o em 28 mi-
    nutos, Lyon em 20, Bayona em 17, Lb
    -4KB 25, Limoges em 15, Dijonera 17.
    O CONCILIO.Est decidido que o con-
    cilio ecumnico far as suas reunioes na
    nave direita da baslica de S. Pedro em
    Roma; os trabalhos de marceneria para as
    poltronas dos padres custam elles s mais
    de duzentos e vinte mil francos, ou trinta e
    dous contos e oitocentos mil reis, pouco
    mais ou menos. Se acreditarmos as noti-
    cias quechegam das mais recnditas regioes
    da America, j os bispos d'essas longiquas
    paragens devem, na semana santa, estar em
    Roma ; mas pde-se aflirmar sem perigo
    de errar que, a partirdos primeiros das de
    abril, os bispps comefarp a cliegar futu-
    ra capital da Italia.
    Alguns bispos tomaro parte no encer-
    ramento dos trabalhos das.congregaces;
    trabalhos cuja extenso immensa indica que
    ser muito diflicil effecluar o concilio n'uma
    sessao de seis mezes; como querem varios
    UMA ELEICO CURIOSA.Os diariso
    da Estremadura hespanhola referem um
    fado cmico, occorrido por occasio das
    eleices n'uma trra d'aquella provincia.
    A urna era um bah velho. Quando a
    eleico ia em meio, os membros da mesa,
    a.chando-se alguma cousa caneados e sobre-
    tudo com as gargantas seccas, resolveram
    ir todos juntos taverna prxima para bu-
    medeee-las com um trago de vinho. As-
    sim o fizeram, abandonando a urna (isto,
    o bah).
    Aproveitando esta circumstanca o mes-
    tre de instrueco primaria, (jue era all o
    chefe da opposico, entrou na sala da vo-
    tacao e comprehendendo que em situaces
    supremas sao precisos remedios heroicos,
    lancou-se sobre o bah, travou d'eHe com
    mo vigorosa e... desappareceu cora elle.
    Quando voltarara refrigerados os mem-
    bros da mesa eleitoral encontraram-se sem
    a urna. A eleico ficou suspensa, e ainda
    boje os bons dos homens andam em busca
    do bah e das listas eleitoraes!
    PI IX-Escrevem de Roma que no da
    7 de dezembro, que vera o ultimo da no-
    vena e vespera da Immaculada. Conceicao,
    foi Sua Santidade como nos outros annos
    baslica dos Santos Apostlos; o papa den
    a benco a um concurso numerosissimo de
    liis, que chegada e sahida do templo
    n'aquella grande praca o acclamaram com
    verdadeiro enthusiasmo: seriam 4 e tres
    quartos quando se retirou para o Vaticano
    o Soberano Pontfice.
    Roma d sempre testemunho da sua de-
    voco pela Ma de Deus, e do seu respeto
    pelo vigariode Christo; a revoluco estor-
    ce-se e morde-se de raiva por taes sentimen-
    tos, e esconde as suas derrotas diante dos
    romanos as palavras de que ha pouco se
    servio um partidario italianissimo.
    ERROS SINGULARES A RESPETO DAS
    ANDORINHAS E DO REDOVALHO.N'uma
    sesso da academia franceza, o Sr. Carlos
    Nodier citou dogs notaveis engaos causa-
    dos pela iniperL'.icao dos ^mtigos dicciona-
    rios latinos.
    Sidonio Apolinario, na descripeo da sua
    casa de campo,' disse o Sr. Nodier, descre-
    ve com muita graoa o agradavel asylo que
    offerecera os asseres do seu telhado s tri-
    bus viajantes das andorranas. Esta pas-
    sagem nao diflicil de traduzir. Os se-
    res sao ofeixe de retalilo, de ripas, ou de
    vigotas que, segundo o diccionario de car-
    pinteria, componm o vigamento ou mem
    bruras do telbat.o. Asseres palavra que
    nao se achava nos lexicoos de que o sabio
    escoliasta Andr Schott podia fazer uso,
    nem elle se lembrava de te-la encontrado
    em Vitruvio: pir isso corrigio-a ousada-
    mente, escrevendo anseres.
    Aplirase de Sdonio Apollinario apresen-
    ta-se entao sob um aspecto inteiramente
    novo, significando rigorosamente:que os
    gansos tiveram o incommodo de fazer no
    seu telhado nintios para as andorinhas
    faci inteiramente novo, e o mais extraor-
    dinario que se pode dar em ornitbelogia; e
    po alguns graves naturalistas trataram de
    notar cuidadosamente.
    To extravagante engao, accrescentou o
    Sr. Nodier, faz lembrar outro nao menos
    singular.
    antigos diccionarios latinos apenas
    davam palavra rhombuso significado vul-
    gar de redovalho; esquecendo a accepeo
    tcctoiica, na qual a palavra significa urna es-
    pecie de pitorra olea, do que os rapazes
    tiram um son prolongado, fazendo-a tirar
    por meio de urna correia. Ora o rhombus
    estava muite>em uso em certas ceremonias
    mgicas, e o Sr. Noel, autor do diccionario
    dos p8ixcs, e que apenas conhecia um sen-
    tido palavra latina, mostra-se inteiramente
    persuadido de que o redovalho servia aos
    encantamentos dos pastores de Theocrito e
    das feiticciras da Apulea; opinio partilha-
    da pelo proprio Hoffman.
    rentes membros da familia d s Bourbons
    dllespaiilia residentes em Paiiz. Isabel,
    o re esposo, D- Carlos e a duqueza de
    Madrid ssignarain um tratado d'allianca
    (defensiva e offensiva, de suppor.) As
    bases de tal reconciliaco foram, sobretudo
    a promessa d'um futuro casamento, porque
    osnoivos sao ainda muito joveis,
    Fallamos do principe da^ Austrias e
    d'uma lilha de D. Cari
    A FAMILIA ORLEANS,A lindad Na-
    cional publica as seguintes linhas :
    A familia Ori;uis den seu.jiie provas
    de ardente amor liberdade.
    O duque de Orleaiis le/ se chamar
    F'lippe Igualdade em 17*93; e sempre
    defendeu os direitos do povo indo d'on-
    contrQ.|Q|tsftus mais caros aflctos pes-
    soaes. mvw%J
    O ramo da familia dos Orleans soffreu
    resignada o ostracismo a que se vio con-
    demnada durante os ltimos tempos da
    revoluco franceza.
    Posteriormente, e apesar dos 9offr-
    mentos e privacoes qile a revoluco Ibe
    impuzora, a familia Orleans, |OQge de fazr
    causa commum com a restauraco de Luiz
    XVIII, retirou-se para biglateira protes-
    tando cora a sua ausencia.
    Em 1830 quando Carlos X, caba por
    retrogado, o duque de Orleans tentava sal-
    varlhe generosam rite o throiiL acceitando
    a regencia entre os perigos do combate
    e se por ultimo aceitou a cora, foi quando
    o parlamento assim o decretou i in vista da
    tenacidade dos chamados legitimistas.
    Os Orleans partidarios do soberana
    do povo J acataram sempre as disposicoes
    adoptadas pda naca.-
    QUE MENINO N'uma .'aria de Ctiat-
    tanooga, Estados-Unidos, l-se o seguintc :
    O mestre escola Heaur, vsideato em
    Salt Greek, quiz lia das castigar imiseu
    dis'ipulo chamado Hutcheson, que llie re-
    sisti e fugio da aula.
    Passados das, Hulclieson, aconpanha-
    do de seu irmao e d'um collega chamado
    Simith, dirigirara-se escola, com o intento
    de se vingarem de Beane; mas nao o en-
    contrando all foram procural-o a casa,
    onde elle estava com um tal Moore, que,
    desconfiando dos tres jovens, armou-se de
    um revolwer, bem como o professor.
    Apenas Hutcheson entrou declarou o
    seu projecto de dar urna correc(o a Beane.
    Moore quiz fazer-lhe algumas observacoes,
    mas cahio mprto por um tiro d i revolwer,
    dado pelo antigo discpulo. Isto foi o
    signal de combate. Beane atirou e matou
    a Cyrus, irmao do estudiante. Ouviram-se
    ainda por algum tempo detanaees d'armas
    de fogo, e passados vinte minutos, Moore,
    Beane, Cyrus, Hutcheson e Smith jaziam
    mortos no pavimento.
    NOVA MOEDA HESPANHOLA.A Cor-
    respondencia de HespajJia diz que j
    se acha prompto o novo cunho para a fa-
    bricarlo de moeda. No anverso e na
    parte que d'antes era oceupada pelo busto
    do monarcha, v-sc urna matrona que re-
    presenta a Hespanha, recostada noPyreneu,
    com o leme /averno provisorio. No re-
    verso, onde d'antes estava a coma, ha duas
    columnas com as armas de Castella, Arago
    e Navarra e urna cora mural, e na cir-
    cumferencia da moeda v-se urna inscripcao
    que diz Soberana Nacional.
    FOLHETIM
    POR
    .Jules Sandeau
    XVI
    Planos frustrados.
    (Contiimacao do n. a.'i)
    Assim seguan as cousas o seu curso
    natural, quando o conde teve noticia do
    sinistro que acabava de lancar* a aldeia de
    S. Silvano na maior consternaco. Papa
    logo comwehendeu qaanto interessava aos
    seus designios que Rogerio ignorasse o que
    se passava na aldeia. Rogerio nada sabia
    ainda, porm urna carta poda" dar-lhe co-
    nhecimento de todo.
    Sem perda de tempe, o conde deu as
    suas instrueces a Rebineau para que se
    redcbasse de vigHaneia em volta do cas^
    tello. Isto nao bastava, por quanto Ro
    gerio, n'aquelle ou era outro dia, nao deit
    xaria de ir a S. Silvano.
    Depois de larga> conferencia com sua irr
    ma, convencionea-se que na mnhaa do di;.,
    seguinte se fosse fazer urna digressao qual-.
    quer, e que depois, de lugar era lugar,
    ella se prolongasse o mais que fosse pos-
    sivel. O que primeiro que tildo importava
    era resolver Rogerio a ausentar-se por umj
    ou dous das.
    Esta misso foi confiada menina BarT
    najon.
    Com effeito, tarde, ao jaatar, fallando-
    .se a respeo das ruinas de Crozant, Mal-
    vina, que sagra va s ruinas apaixonad<(
    A IJESPANHA.Eis como os francezes
    descrevem hoje a Hespanha n'um liveo in-
    tituladolbum para viajantepublicado
    no principio do corrente mez.
    De todas as nacSes da Europa a Hes-
    panha sem duvida o paiz que os pro-
    gressos da civilisaco tem modificado me-
    culto, estreou-se em carcter no seu papel,
    manifestando desde logo o seu ndented<-
    sejo de conhecer as. taes ruinas, para o
    que estava decidida a ir fazer all, ama ro-
    znara.
    Isso facilmoacudi o conde.^-0
    que precito que seja sem demora, por
    que a estacao vai correndo e esto a ter-
    minar os das bonitos.
    Ento vamos manhaa.
    Pois seja manhaaredarguio o con-
    de.Ns prazeres improvisados sao os: que
    teem algara mrito, Posso aflianfardhes
    a paisagem mais romntica e pittoresca que
    se mira as aguas do Cr,eusa,
    Sem duvidaaccrescentou a Sra. Rar-
    najonque nao se pode encontrar mellior
    n'aquelle genero. E o. meu sobrinho nao
    deve deixar estes sitios sem ter. visto Cro-
    zant ; o contrario seria o mesmo que ter
    estado em Roma e sabir de- l sem ver o
    Papa.
    Oh I as ruinas I exetamou Malvina
    -Eu adoro as ruinas !.. Como sao bellas
    as que se veem'no terceiro acto do Rober-
    to do Diabo. 1 Como eomprehendo o bello
    pensamento da viscondessfti de Hlampiit,
    qae_as tena exjpressamnte preparabas, na
    sua tapada I... Nao eonheco nada' ibais
    aprazizel do que meditar sobre um tapete
    de musgo, sombra de um muro secular
    desmoronado e cheio de fendas entraiaca-
    das de heras... Oprimo est dispostp a
    aqompanhajv-mp ? Se bouver luar, e o
    prazer completo, porque o aspeclo Idas
    ruinas sem o lampejar da la o,memo
    que um jardim sombra.
    Ah 1 teremos a loa ebeia I exfila-
    mou o conde Ora vejam como elfo, om
    a sua rotunda face, nos est observando
    atravez doscioupos desfolbados do pat>o!
    E' SINGULAR.Cartas de Florenra di-
    zem que todas as esperancas dynastieas de
    Vctor Manuel-empregam-se n'este momen-
    to no recemnasido duque de- Pouilles, por-
    que mais para temer de que para dese-
    jar o estado de gravidez da prncezi Mar-
    garida, esposa do principe Humberto.
    Verdade que o joven principe nasceu a
    13, dia nefasto, que d azo s parvoices dos
    visionarios. 03 getlatori, n'esta quadra,
    teem muito que fazer em Florenca.
    ELEITORES EM HESPANHA.Calculase
    que o numero de eleitores no visinho reino
    de 3 619:642, isto 23 p. c. da popu-
    lacho. Se o censo fosse desde os 20 annos
    haveria 647:000 eleitores mais. Corres-
    pondem pois actualmente 10:273 eleitores
    para cada deputado.
    At 1863 s ftnham voto os hespanhes
    que pagavam 400 reales (18*000) de con-
    tribucao directa, ou 200 reales (9,5000)
    tendo o censo de capacidade, e havia em
    toda a Hespanha (em 1804) 158:402 elei-
    tores contribuimos e 8:249 com o censo
    de capacidade; total 166:201 eleitores
    Em 1865 desceu a quota a 200 reales
    de contribuico directa, c ampliaram-sc os
    motivos que davam direito a ser eleitor.
    0 resultado foi elevar-se o numero de
    eleitores con-buintes a 233:387 e o dos
    que tinham o censo_de capacidade a 62:884;
    total 318:271,
    Nas-eleices de 1864, dos 166:294 elei-
    tores votaram 102:610 e abstiveram-se de
    votar 63:684.
    as de 1863, depois de ampliado o
    censo, votaram 223:211 eleitoies e absti-
    veram-se de ir urna 195:060.
    furioso; o-/&>-faltarlo aoves, gelo, tro-
    voadas e furaces.
    . Os pescadores que sahirem ao alto mar
    durante esse tempo correrlo gravissimos
    perigos.
    No centro d pennsula ibrica, chuvas
    e dias tempestuosos ao N. O; e ao mais
    que se disse accresceram ventos frigidissi-
    mos.
    Deus nos livre de tanto mal!
    ANTHROPOPHAGIA. 0 tribunal deMos-
    taganem, na Argelia, acaba de julgar um
    rabe accusdogdo crirn de anthropophagia
    descoberto as seguintes circumstancias.
    Na manha de 9 de marco do anuo passa-
    do ojuiz de paz de Tiaret teve noticia d
    que apparecera as raontanhas de Sidi
    Khaed um cadver humano. Dirigindo-se
    immediatamente quelle sitio, a attencao do
    juiz e dos seus auxiliares foi particular-
    mente attrahida por urna tenda que se
    erguia quasi a cavalleiro de um barranco.
    Um indgena j idoso estava tranquilla-
    mente assentado no centro da tenda; de-
    fronte d'elle uraa mulher de trinta annos ;
    e entre ambos, sobre urna treinpe com-
    posta de tre grossas podras e sobre o
    fogo em plena actividade estava urna
    grande panella de barro chia de carne
    em pedamos; esta carne era cosida n'um
    liquido amarellado e oleoso; ao fundo da
    tenda vim-se tres pelles de cabra urnas
    sbbre as outras; a primera contmha far-
    raps, una funda e objec.tos insignificantes
    a segunda dous albornez, cujos capuzes
    estavam inuundados de sanguc; no ter-
    ceiro estavam dous bracos e duas peimas
    recentemente decepados de um corpo bu-
    mano,
    Parecendo muito estranha a imnwbli-
    dado do indgena, constrangeram-n'o a
    levantar-se; os europeus naopoderam re-
    primir um grito de horror; o canbal estava
    sentado no tronco ensanguentado de um
    homem a quem haviam separado a cabeca,
    as pernas eos bracos. A carne que es-
    tava na paoelf era carne humana; e
    alguns graos de pimenta de Cayena que
    sobrenadavam no liquido em ebolicao, erara
    um indicio de que o indgena n3o tinha fal-
    tado com as especiaras ao seu cosrahado.
    O tribunal conderanou o aDthropophago
    a trabalhos forjados por toda a vida,
    UMA RECONCILIACO A TEMPO.Lc-se
    no Monitor Universal :
    Teve lugar no pavilhao -Roban urna
    commovente reconciliaco entre os diffe-
    Malvinatem razio : o astro-da noute qua-
    dra s ruinas como o do dia s flores.
    Meu to, tfio deve all Jaltap tambera
    o som, do clarm.
    Isso fica por minha conta. O jocliey
    levar o seu cornetim.
    E, por ultimo, meu tiot, careceramos
    alli de urna tempesta de, e de um velho
    eremita de capuz e barbas- brancas que
    nos dsse hospitalidade.
    Tratarei d'sso, mnlia amavcl so-
    brinha^replicn o conde, sorrindo-se
    anda que seja um pouco tarde para fazar-
    se a encqmmendVi.
    Seja manhfa dizia a menina Bar-
    najon, batendo ai; palmas Se fox do meu
    parecen, Rogerio, dejaremos:nossos bons
    pas ir de carruajera e nos escoltaremos o
    caleche, a cavallo. O primo sobre o seu
    ginetee eu sobre o meu palafrem facemos
    bom eftleto em frente das torres arruina-
    das : offerecereruos o aspecto de uraa vi-
    nheta de romance.
    Ej de facto ser um quadro delicioso
    aedf) gravemente o conde." N3o loa
    parece, i mana ?
    Poder-nos-hemos julgar transporta-
    dos idade mediareplicoii' a Sra. Bar-
    najon.
    Rogerio, anda que longe da suspeitar
    do (acoque lhe armavam, bem como do
    sinistro que redqzira o presbyterio deses-
    peraco, n3o se deiaou enlevr por aquel-'
    les bellos-projecto*. Alm de .oto sentir
    affeicao per taes excursoes poticas, corn-
    prehendera elle togo que seria rprehnsi-
    vel e mesmo culp.ivel ir divrtusse n'uma
    digressSo cora sua prima, ao mesmo tem-
    po que Camarina; estara contando-os mo-1
    meatos da sua auseijcta, a espera-lo e a
    soffnee. J .elle senta o quer que fosse
    CUIDADO! O astrnomo hespanbol
    Castilho d o grito de alerta a todos os
    que tveiem de navegar pelas costas can-
    tbricas desde 17 do, correte u la de
    marco prximo.
    N'este periodo o mar estar soberbo e
    de dessocego l na sua conscencla, e, por-
    tanto, nao (pieria addleionar-lhe mais um
    remorso. Alm d'isso, traba j resolvido
    passar o dia seguinte no i>resb)terio. De-
    clarou, pois, attenriosaThais positivamente
    que nao ira a Crozant nem a cavallo, nem
    de carruagem, e que .ficaria em Bigny.
    Ento nao temos nada feito diss
    sem oceultar o despeito que sof-
    Malvina.
    frera.
    Isso nao tem lugar,accrescentou o
    condecorar de indillerencaporque, na
    opinio de todos os homens da arte e dos
    poetas que as* teem visitado, aquellas ruinas
    valem a pena .de ser vistas, e quem ama
    vez as examiaou jamis as esquece.
    = N'aquelle genero > o mellior qne se
    conflecerepetio a Sra.Barnajme pela
    miulia parte confesso. q^e.volt;.rei'lli de
    boa vontadje.
    | Mas que querem ? disse Malvina
    com as lagrimas nos olhos,Meu primo pe-
    cusa-se a ir, e, portanto, nao fallemos mais
    era, taldigressaa.
    Ora essa, minha prima I redarguio
    o mancebo, Nao sei o que isso significa,
    porque a minha presenca em nada aug-
    mentara o prazer da jornada, nem os at-
    trativos da paisagem.
    Deixe-me I disse Malvina erguen-
    do-se da mesaO senhor um ingrato t
    E, dizendo isto, saino da casa do janLir
    e foi para o salo, seguindo:a sua mal e o
    to, e atraz d'este Rogerio.
    Realmente nao vejo motivo para as-
    sim affligirem. esta menina,, Parecq-me
    urna loucura 1^ Bem ves, Rogerio, qi^e.
    apenas a ausencia de dousiou tres diasi
    E' pouco amavel 0 meu sobrinho I
    aperescentou a Sra. Barnajon com altivez
    Pos c era Franca comprehiendemos de una
    0 VERDADEIRO BLONDN.Ha alguns
    annos que os amadores da arte acrobtica
    souberam.com grande adrairaco, que havia
    um hornera to ousado, e dotado de tanto
    sangue fri, que faza na corda forte exer-
    cicios, que nenhum outro antes d'elle tinha
    anda sequer tentado.
    Os jomaos annunciaram que se havia
    atravessado urna corda por cima da famosa
    I catarata de Nigara, na altura igual largu-
    'ra do espaco da torrente, e que um homem
    conhecdo pelo pseudonymo de Blondn,
    atravessava esta ponte improvisada, fazen-
    do n'esta corda, retezada sobre o abysmo,
    excrcicios gymnasticos de grande perigo.
    A catarata de Nigara, como bem sa-
    bido, tem 200 metros de largura, e a agua
    pi ei-ipta-se a 50 metros de altura. To
    arriscados excrcicios deram ao nome, ou
    antes ao pseudonymo de Blondn, urna tal
    celebridade e reputaco, que muitos outros
    acrbatas adoptaram o mesmo pseudonymo,
    com o fim de trarem proveito da fama ga-
    nha pelo homem corajoso que atravessou o
    espaco entre o ceo e a trra sobre a queda
    das aguas do Nigara.
    O verdadeiro nome d'ste acrbata, que
    trabalhou no palacio de crystalem Londres,
    e que nos vimos no circo de Price, e no
    Campo de Sant'Anna, Gravelet.
    Em 1867 a exposicao universal attrabia
    Paris visitantes de todas as naces, e attra-
    bia tambem todas as especies de especu-
    lacOes. Os theatros, os concertos e os di-
    vertimentosannunciavam-se portoda a parte,
    e chamavam a attencao do publico, apre-
    s^ntando urna grande variedade de espec-
    tculos. Uns cartazes com letras enormes
    annunciaram tambem exercicios executados
    por Mr. Blondn no cample Gravelles, no
    parque d'Asnires, etc.
    Ao mesmo tempo Mrs. Arnault & C, di-
    rectores do hyppodromo, annunciavam no
    seu circo representaces de uiu outro Blon-
    dn, de modo que disputavam os favores
    do publico dois acrbatas com o mesmo
    nome. tao afamado pela passagem do Na-
    gara.
    Nestas circumstancias Mr. Grarelet, o
    Blondn:quo oxectilava exercicios acrobti-
    cos no campo de Gravelles, e no parque
    de Asnires, pretendendo ser o nico que
    tinha direito aapresentar-se ao publico com
    o nome de Blondn, por ser elle que atra-
    vessou sobre a corda a catarata de Nigara,
    e que deu a este pseudonymo toda a cele-
    bridade que lho resultava daquelle fatto,
    demandou pelo tribunal do comraercio de
    Paris Mr. Arnault, director do hyppodromo,
    por haver escripturado um tal Corelly para
    dar neste circo, no da- 15 de jumo, repre-
    sflnlacdes de genero' igual s que dava Mr.
    Gravelet, denominando-se Blondn; e an-
    nuniando-se ao publica conteste nome.
    Mr. Gravelet demandou tainb'in Mr. Co-
    relly para que se no apresentasse maisao
    publico com o boma de Blondn, e para
    lhe pagar perdas e damnos.
    O tribunal condemnou Mr. Ari)ault,_ di-
    rector do hypn 'Iroiim, a supp.'imir dos
    annuncios, cartazes-e retamos e de lodos
    os documentos de publicidade o nome de
    Blondn, e no pagamento do 500 francos
    (90.-5OOO rs.) de perdas e damnos; e jul-
    gou-se no competente para hijgar a accjto
    de Gravelet contra Carelly, per nflo ser
    nenhum delles commercwnte.
    ESPARTERO.0 Ckromsta, folha de Ma-
    drid, publica a uota dos servifos prestados
    pelo duque da victoria, um dos mdigitados
    para oceupar o throno do Hespanha.
    Nascido am 1794, Espartero eomeeou a
    sua carreira militar em 1809 como cadete
    e no Io de mao de 1838 era caprto gene-
    ral do exercito.
    Tem 59 annos de servaos effectivos e as-
    sistio a 221 accoes. Ni ha em Hespanha
    nenhum general que apreswte to grande
    numero deservicos patria.
    AMERICA.Em Sr. de Saint-I',
    lais. ento simples sacerdote, vialtaildii urna
    pequea cidade chamada 'Jwper na dioces.-
    de Vincepnes nos Estados-Unidos, smenle
    encontroi duas familias allemSes cattioliras.
    Ha pouco o mesmo misionario, hoje Mspo
    de Vincennes, visitando esta mesma misf.),
    achou ne|la vinte ignejas, um'convento de
    Renedictinos, e clirismou 1:632 pessoas.
    LIBEHAL1DADE.L-se uo New-VarL
    Times: .
    As liberalidades de Mr. Peaboly sao
    bem maiores do que geralmente se suppe.
    Eis a lista authentica dos seus donativos
    rom o valor eiu moeda de ouro, n3o se
    eOmprehendendo as sonamas consideraveis
    quo deu para fazer valer offlnteresses ame-
    ricanos na grande exposicao de 1851, nem
    as sommas igualmente importantes que
    deu para banquetes intemacionaes e outros
    objectos anlogos :
    Aos pobres de Londres, 1 milhao e
    750:000 dollars; ao Instituto de Raltimo-
    re, i railliio; para a educaco dos negros
    e dos brancos nos Estadbs do Sul, 2 mi-
    llies; para um masen de antiguidades
    americanas no collegio de Vale, 150:000
    dollars; para um museu anlogo no colle-
    gio de Haward, 150:000, para um institu-
    to e objectos de educaco em Douvers.
    250:000; para um museu livre em Salem
    50:000; ao estado deMaryland, 230:00;:
    ao hispo de Mac-Ilvain, para o collegio de
    Kenyon, 25:000; expedicao de Kane, ao
    polo rctico, 10:0.K); para a creacao de
    urna groja commemorativa, em honra de
    sua ma, 100:000; a membros de sua fa-
    milia, 2 milhes. Total 7 milhes e.....
    735:000 dollars aproximadamente.
    maneira diversa as regras de etiqueta o os
    deveres de hospitalidade. Como, porm,
    foi educado na Allemanba, ost dito tudo !
    Cercado por dous fogos, Rogerio vio-se
    obrigado a approxmar-se da prima, fazea-
    do diligencias por a animar e dando-lhc ex-
    plicacoes.
    Dexe-me, deixe-me disse Malvi-
    na, repollindo-oRepito : um ingrato I...
    Desde que cheguei a esta casa, nao tenho
    feito outra cousa mais do que estudar-llie
    as vontades e procurar-lhe toda-; as oeca-
    sioes de o distrahir. Lembra-so do alguma
    occasio era que nao encontrasse em mima
    mais terna das irmaas, a mais delicada
    amiga? Asmin'as nicas distraeces tem
    sido anima-lo as suas tristezas... E'em
    troca da minha amabilidade e dedicado
    que assim se recusa a satisfazer o primeiro
    desejo. qoe lhe manifest ? E' em recom
    pensa das minhas solicitudes para com o
    seu coraco que fere agora cruelmente o
    mou? Rogerio, se lhe agradavel ver-m'
    solfrer, est feita a sua vontade, pois que
    estou realmente atormentada : deu-me
    um.golpe de que nao espero jamis cu-
    ra r-me t
    - Ora >:amoSs meu anjo, isso ha de
    passar 1 exclamou a Sra. Barnajon, que,
    vendo chorar a fllha, comecava a tomar o
    negocio a serioDedizer-Hte, mano, que
    seu.fllhjo um moistro! Cfceco a acre-
    ditar que- se nutri eom leite de- alguma
    loba e que sua ma o alimentan eom me>
    dulas de leao oh urso!
    -tu Realmente, Rogeeio, -disae o condt/
    sem isaher j o que bivia de fazer nio
    eomprehendo para aja deixas. dar tal corpo
    a ana cousa to. simples. Repito-te qi
    nao ae traa sena de um passtio, offert-
    ceriaa talwz menos nesistencii, se houvesse-
    UMA SANTA MULHER!L-sc no Cor-
    reio dos Estados I nidos:
    * A' dias a Sra. White residente emLa-
    fayette, condado de Sussex (Nova Jersey).
    sentmdo-se prxima a morrer, mandou
    chamar junto de seu leito alguns de seus
    amigos e correligionarios, c declarou-lhes
    que, para tranquildade de sua consceneia.
    desejava fazer-lhes importantes revelcoes.
    A doente tinha passado sempre por
    urna pessoa de conducta exemplar; era ci-
    tada pela sua devoco e caridade, e as suas
    modestas virtudes pareciam tanto mais
    tdilicantes cpianto ninguem ignorava, na lo-
    calidade, que elle tinha sido repetida o do-
    lorosamente feriti no seu coraco pela per-
    da dos entes que lhe eram mais caros.
    Tinha visto morrer ruccessivamente.
    seu nico filho, creanca encantadora, por
    quem teria com alegra dado a vida: seu so-
    gro, excellente velho em casa do qual viva
    em quanto seu marido estava no exercito,
    e que accumulava de cuidados e attencoes
    para lhe tornar menos sensivel a ausencia a
    que a guerra condemnava; finalmente seu
    proprio marido, que falleceu poucos dias
    depois do seu regresso ao lar conjugal.
    Imagine-se do espanto das pessoas,
    que-a Sra Whte mandara chamar 'quando
    esta santa mulher, com voz enfraquecida.
    mas perfeitamentc distincta, lhes declarou
    que seu filho, seu sogro, seu marido, fra
    ella que os matara, que os envenenara uns
    depois dos outros, e sem que tivesse o
    menor odio contra elles ou o mais peque-
    no interesse na sua morte, sem outro mo-
    tivo mais do que o deleite de os ver con-
    torcerse as agonas da morte 1
    E todos os habitantes da localidade se
    condoiam da suas desgranas!
    A mulher White morreu no da seguin-
    te quelle em que fez a sua conuisso pu-
    blica.
    de ser conduzida ao supplico, o afina),
    sem quereres, ests fazendo um papel ri-
    diculo.
    Dominado pelas estratgicas palavras da
    Sra. Barnajon e seu irmo, e vencido pelas
    lagrimas de sua prima, Rogerio teve alia!
    nao s de ceder, mais anda de desfazer-se
    em desculpas do seu procedimento.
    As expansoes que se succederara na in-
    mediata reconciliaco foram das mais tocan-
    tes que se1 podem imaginar.
    Depois que a Sra. Barnajon concedeu o
    seu indulto com o carcter de urna rainha
    inacessivel a qualquer offensa, fizeram ap-
    proximar os dous jovens um do outro, e,
    como para apagar todos os vestigios da
    dscuss, Malvina doixou-se cahir nos bra-
    cos de seu primo, o qual se arrepiou dos
    ps al s pontas dos.; cabellos, aentindo
    bater contra o seu peito aquel le coraco
    agitado, e rocar-lhe pelas faces aquolle ros-
    to moreno e avelludado, anda humedecido
    de lagrimas, fresco como as ptalas da rosa
    a ao mesmo tempo argente como sol de
    esto.
    Como do eslylo em taes casos, Malvi-
    na declarou que nao insista no passeio,
    que renuneiava a elle da mellior vontade e
    que somonte ge affligira pela recusa do
    Rogerio, e^dissa isto m termos taes, que
    a joven visconde julguu-se obrigad a pe-
    dir-lhe de joelhos para-a resolver a.acceitar
    piasecenda aliaal que lia | concordava s-
    meate para-o obsequiaev
    (OffUiauar-se^t).
    TW. IK>U1%-RPJ D45IEI8 M. \

    V


  • Full Text
    xml version 1.0 encoding UTF-8
    REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
    INGEST IEID ENW7VQE8Y_LTHUW0 INGEST_TIME 2013-09-13T22:00:57Z PACKAGE AA00011611_11768
    AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
    FILES