<%BANNER%>

Diario de Pernambuco ( Friday, February 12, 1869 )

Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/11765

Material Information

Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Friday, February 12, 1869

Subjects

Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:11765

Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/11765

Material Information

Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Friday, February 12, 1869

Subjects

Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:11765

Full Text
^^^
w^

ANNO XLV. NUMERO 33.
Ll

-
PARA A CAPITAL ,1 LGABES flHDE IAO-.SE PAGA PORTE.
"Por tres mezes adiantados.........,........ 65000
Por seis ditos idem...........". ......... i000
Por um auno idem.................... 24iS000
Cada numero avulso.................. ." .&J20
w,
SEXTA FEIRA 12 DE FEVEREIRO DE 1869.
PAHA BEHTRO E PORA DA PROVHTCIA.
Por tres rnez adiantadoi. .................
_. Por seis ditos idem.....,..............
Ifiq U?| n;,l} Por novatos idem....................
.: I,C,,J J.for.um?-'
r.
~
anno.
6>750
205450
27*000
MKUI3J
Propriedade de 'Manoel Figneir^a de Faria, & Filhos.
_.______________,.i
______

02S3V 3021V
Gs Srs. Gerardo ..-Vntonio
_...
AO ACiKXTKN:
--------

___
i.
Antonio Joaquim
PARTE OmCIAL.
Co ver uo da provincia.
da provincia manda declarar V. S.^que, segundo
ollicio do juiz de direito de Itamb, hachare! Felinto
Henrique de Almeida de Ll do mez lindo, nessa da-
ta enlrou elle no poso da lieenca que Ihe foi coa-
cedida por deliberacao de 4 do dito mez.
Kd/deTw? """ viUda pronta da .J,rector ger.d da. instru
i veq por deliberacao desta data namaai Wasbing-
N. :8.-jJuicio ae4)r. (itrios Augusto Ferrar de i ton Ildefonso toNovaes Calombr, para reger inte-
Alircu, presidente da proviucia ije Santa Cathari- | rinamente e mediante a gratijlcacao aujiual do
uj- -Pelo ofhcio que V. Exc m servio dirigir-MW|bjUUi, a cadeira de instraccao primaria dafregue-
(i de ter V. na de Cabreb : o i
:m li de Janeiro ultimo, liquei inteirado
f.xr. naquclla data prestado juramento e daado
fwsse da administraco dessa provincia, para que
hi Horneado por carta imperial dDj24de outubro
uiitedcpara aasegorar a V.-Exc. que sere solicito
mt cumplir siiaa ardeos qrJ<;r a-jam. relativas ao
v-rvigo,ubico qurrao sdu jiartirnl.-ir"
N. 39.Portara ao desembargado]- provedor da
Saiil.iyCasa de Misericordia.Concedo a aulorisa-
voque V: Exc. solicitou em seu offlcio de 19 de cao animal de 6005, a calicha de LOStruccao pri-
- de Cabreb : o que Y. S. communico do or-
neni do mesmo Exm. Sr. para sou conhecimenlo c
,lins conveniente?.
4*. seccao.
N. 58.Offlcio ao director geral da ins.trurr.ao
publica.S. Exc o Sr. presidente da provincia,
em vista da;Sua propost de 30 de Janeiro ultimo,
sob n. 21, resolveu por deliberarlo dosto data no-
mear .Washington Ddefonsode dvaes Calumby,
pa/a reger interinamente c mediante a gratiBra-
jtmtvit ultimo, sob n. 1,744, para ser a eduanda
*>t a Jlegto das orplias Francisca Egydia entregue
3. loaquitq Uias dos Sautos, obrigaudo-se b^le por
tennoapagar mesma educamla a. measalidade
isjinada em sen citado offlcio.
JV. 40.Hita ao niesmo.Itogt) a V. Exc. queira
OfpeSit ordens paM ipie soja recebido no hospicio
At alienados de (llinda, um individuo, rujo nome
-*r ignora, que foi enconlrado bontem a noilc do
2* dislricto da fnigdwia da Uoa-vista desta capital,
jkIoviespeclivo subdelegado, e soll're de alienacao
mental, segnndo cejeao-me em nllicio de boje o
civefc dt'l|iolicia, a quem V. Exc. se servir mandar
alregar a ordem que dr para o administrador
la % 4Dita cmara municipal doRecife.
Twulo o governo imperial^ por aviso do minisleiio
da agricultura, comniercio e obras publicas, de it
Je Janeiro prximo lindo, junto por copia, appro-
vmo a (les^iiicao feita do local na praca das Cin-
o-1'ootas para construccao do edillcio em que tem
le uaceionar a bomba de esgato da companhia
Aedle Draiuage; assini o communico cmara
municipal desta ridade para seu conliecimento e
L'is convenientes.
S, 42.Dita cmara municipal de tambres.
t**r offlcio de 8 de Janeiro prximo lindo, Qquei
ute de baver a nova cmara municipal da villa
t Cimbres enlrado no exercicio de suas funcedes
a <-: - Misncia ordeuou em portara circular de ;i de ou-
tubro Jo auno prximo passado, relativamente s
V.mcA'.s de depiila'ls gei*M e senadores.
N- Vi.Dila ao eiigenlieiro liscal da estrada do
enuTcndo u governo imperial por avi.>o expu-
pelo ministerio da agricultura, commercio e
obras publicas, em 22 de Janeiro prximo lindo.
jiiiilo por copia, appiovadn a de-ignarao feita do
litexi a proea das llmcn-l'onias para construccao
)" i'dJiicio em quetcm de funecionar a bomba de
to da companhiaHecil'e Drainage; assiuio
nmnico a Vine, para seu conheeiinento e lins
Menles.
Y '."i. -Dila ::.. OTOnd Anlonio LiollleS NttttO.
Tlo o ijuvcrup imperial por aviso expedido pelo
ministerio da agricultura, commercio e obras pu-
blic i>. ni l de Janeiro prximo Ando, junto por
i anprQvado a dcsigaa^ao feila do local napra-
i;a das (anco-Ponlas para construccao doedilicio
-un que tem de funecionar a bomba de esgolo da
libiaHecil'e Dra'uiaye; asrim o coinmuni-
V. S. para seu conheeiinento e lins conve-
tejiles.
N. 47.Deliberacao.O presidente da proyin-
n vista da pfoposia do director geral da ins-
(rnecao publica, de 30 dq Janeiro ultimo, sob n.
21 resol ve nomear a Washington Ildefonso de No-
ti.-i r.alumby para reger Interinamente e nwdian-
-laiilica'i ao auuiial de GUO a cadeira de ins-
(ruccao piiniaiia da liegnezia de Cabiob.
/CM'liHKNTi: HS8ICNAD0 l'l-l.o Sil. lili. JOAOt'IM COR-
REA DE AIIAIJO, SECKKTAIUO DO GOVERNO EM 1
HE I EVEIEIRO DK 18!>.
2a seccao.
5 18.Offlcio ao Dr. elefe de polica.S. Exc.
Sr. presidente da provincia. Meando inteirado do
mteiido do oflicio e V. S. datado de 28 de janei-
r" ultimo, e sob n. 188, manda declarar em res-
j"- a (pie acaba de autorisar a Ibesouraria pro-
viocial a pagar aoDr. Trislo de AJeucar Araripe
i auantia de 20000, coustante de seu cilado
ffleio.
IB. 19.Dito ao mcsino.De ordem do Exm. Sr.
presidente da provincia, transmuto a V. S. os fita-
le 1" e 2" supplente.s do subdelegado do ldis-
IrJcto da freguezia e termo de SerinhaeTn,Ale con-
urraidade com a i>roposta de V. S., em offlcio n.
161, de 30 do correte.
K i*).Dito ao niesmo.De ordem do Exm. Sr.
residente da provincia, transmiti a V. S. as titu-
:s.untos de iiomeacao dos supplentes do delegado
4o termo de Olinda, dos supnlentes dos subdele-
1 a das fi-egiezas de S. Pedro Martyr, da S e
l'c* ilisirietos da freguezia de Maranguape
do dita terino.de conformidude cen a proposta, de
V s em offlcio n. 187, da 29 de Janeiro lindo.
>'. 51.Dito ao huz de direito de Itamb.0
Eint Sr. presidente da provincia manda declarar a
V. S. que nestadaia se transmitlio ao presidente do
supremo tribunal de justica o ollicio (pie para.esse
iw oi remetlido eiu oflicio de 30 do mez lindo.
S. 8*.Dito ao mesino.O Exm. Sr. presidente
\\ provinria manda secutar orerchimento doofll-
*i de V. S. de 13 do mez liado, em que conumi-
aiea ter nessa data entrado.nt> gozo da liconca de
15 lias, que Ibe fui concedida por deliberacao' de 4
ilo 'lilo mez.
N. ii'XEdital.Pela secretaria do governo .
faz publico, para eonheeiniento de quem interessai
a. o odilal do juiz municipal do termo de Santo
Aalaq, abaixo U'ausiTiplo, para o coucursp daser-
viitin vitaneja dos oficios de partidor e contador
laquelle jairo: Os pretendentes deverao apresen-
lar os atas reqiiermentos no prazo de 60 dias, e
ins ruidos na forma do decreto h. 817 de 30 de
anoeto de 1851.
X. 3i.Eiital.-rO Dr. Jas. Ricardo Goims de
Carvalbo, juff mdnfeipal e de orphaos desta cida-
de da Victoria e sea termo, da comarca de Santo
Aalao da provincia, de Pernambuco, por Sua Ma-
^estade Imperial e ConslibUQiunal o Sr. D. Ppdrr
II, qti" Deus guarde, etc. Fago saber aos que c
presente elitd rtrera e d'elle noticia tiverera, que
achanlo-Be vigos oj odelos d contadorepartidoi
iaste t'Tino, creados.pelo an. 1" da lei provincial
. W\ de 29 de maia d 1860, em v'tudwdo de-
aano c ine.it-, pir t!os abandonado p serventua-
rio Tiburlino Pinto de Alinejila Jnior; convida-se
ts pessoas que pretonder.ein a. serventa dos refe-
inaria da freguezia de Cabrob, o que comumnico
a V. S. de onliMii do msate Kxm. Sr. iwra seu (ai-
nhecimento, enviamlo-llie os dous offlcios que vje.-.jiquulla ceparlieao quand* -deve Kr per cssa em
rain tnnexos citada proposta.
N. 59.Dilo ao engenheiro fiscal da estrada de
ferro.S. Exc. o Sr. presidente da provincia, ten-
do submettido Desta data ao conheetmento do go-
verno imperial para resolver, a materia do ollicio
de V. S. de 30 de Janeiro proxi no flndo, sobre o
modo de organisar as contas dessa companhia ;
assin Ih'o manda conimunicar para sua intelli-
gencia.
EXPKDIK.NTE ASSIGNADO PKLO EXM. SR. CONDE DE
BAEPEiNDY, PRESIORNTE DA PROVINCIA EM 2 DE
FEVKEIRO DE 869.
4." seccSo.
N. 60.Portara ao juiz de paz do 4* anno da
freguezia de S. Lourenco da Matta, coronel Jos
Pires Campello.Por seu offlcio datado de hon-
lem, lique inteirado de haver Vine, por falta de
comparecimeiHo dos juizes de |>az que o precedem
na ordem da vota cao, assumido no da antecedente
a presidencia da assembla parochial dessa fregue-
zia para as eleicoes primarias, geraes e especiaes.
ijue actualmciile se fazem, bem coino de correr o
respectivo processo com regularidade. O que Ihe-
ilocfciro, em resposla ao dito'olllcio.
BXPBMBNTB ASSIUNADO PELO KXM. SR. CONDE DE DAE-
PKNUV. PRESIDENTE DA PROVINCIA, EM 3 DE EEVK-
fUURO DK 1869.
i." secciio.
N. 62.=Portara ao Exm. Sr. general comman-
danle das armas.Communico i V. Exc. para seu
conheeiinento e lins convenientes, que o vapor
i;iii. da companhia Peinamuucana, segu para
o presidio de Fernando pelas 12 horas do dia 10
do corren te.
N. 63.Dita ao director do arsenal d guerra.
sta presidencia o rcqujirhneto do
bacharel Jos da Costa Camino Guiuarjes. pro-
motor publico removido da Cprnrcj de F!ines.pacaJ
a de 'Tacaratti, para qne seja iinlieiiilo n is tormos
dqnelf aviso, ronsiqorando V. S. levog.iila desde
ja ordi-rn de 28 de noverabro acerca, deslc as-
sumpto.'
N. 79.Dita ao niesmo.jRecoiampdu a V. S.
que em vista dos respectivos pret-, qup HiescHio
aprsentados por parte"da tbesourana provincial,
mande indeninsar a esta da importancia que hou-
ver pago dos venciiuentos das pracas ila guarda
nacional destacada?, na villa de Itamb nb's mezes
de novembro a dezembro do ,anno prximo pas-
sado, visto ter sido esse pagamento effectuado por
mande solo'ta-lo denois de pagos os emolumentos
gistrados os promotores, pblicos, B jaq estando
poffcsd comprehendidos na dir'posicodoart. 40) editeitos respectivos.
da lei b. :m de 18 de fletembm de J845 nao teem .N'. 6,rrDit ao: Sr. Jo
direil., ijuabdo removidos- a percepao do respec-
tivo ordenado antes de entrarem im xercicio na
novas comarcas, aiwla me-in. no caso ileobtrem
lieenca, ritmo acontece cOui o.s uzu* munici|iaes,
?m vrtudado.avijw di itiiMkno sJadit de
i de novembro Je 18ij,-|ssim o communico a
V. S. em respoi-l i i sii offlcio n* 938 de 30 de no-
vembro do anno passado. cuiijprindo-lhcpo.r tan-
to devolver esta
vista da tabella de .'i dos ibh3 cima citados.
N. 80. DJta no me.'DK>.-^Ova|ioi- Gii/uin da com-
panhia Pernambucana segu para o presidio de
Fernando pelas 12 lnn-as Jodia 10 do torrente, o
que aV. S. communico para seu conberimento e
lins convenientes.
S; 81.Dita ao ne.mio.Em vista da olha e
prets junios em duplcala, que me remetteu o
coiinuandante das armas com oflicio do 1" do cor-
rerite, sob n. 62, mande Y. S. liquidar e pagar os
vencmentos dos offlciaes, pracas e calcetas, era-
pregados no deposita de recrtas, sendo os dos
offlciaes e calcetas, relativos ao mez de Janeiro ul-
timo c os das pracas a segunda quinzena do mesmo
mez.
N. 82.Dita ao mesmo..Mande V. S. liquidar
e pagar em vista da folha e pret juntos em dupli-
ata, a que se refere o offlcio do rommaiulante das
armas, datado do Io do corrente e sob n;61, os
vencmentos relativos ao mez do Janeiro ultimo, do
offlcal coininaiidante do deposito de prisioneiros.
paraguayos e bem as-im os dcstes, correupoeden-:
tes a segunda quinzena do mestq mez.
N. 83.Dita ao inspector da thesourari; provine
cial.Atteadcndo ao que sok-lou o chele de poli-
ca em ollicio da 30 dj jannire. ultqio, sol n. 161,
recommeiuln a V. S. que, a vista de attestado com-
petentemente passado, mande .pagar a Jiio Anto-
nio Pereira de Ol veira Jnior, o que justamente
se eslver a dever, proveniente, do aluguel de 5
mezes vencidos no di i 17 do citlo mez de Janeiro
d casa que serve de prisao o de quartel do desta-
camento na froguezia de Muribeea.
N, 84.Dita ao mesmo.Em resposla ao oflicio
le V. S. datado de 27 de Janeiro ultimo, sob n. 38.
-O vapor Giqui, da cpmpanlua Pernambucana, declaro-Ihe que deve mandar reeditar ao eolleetor
segu para o presidio de Fernando, pelas 12 horas
do dia 10do correte; o qne V. S. communico
para seu conhecmiedto e Iras convenientes.
9.- sec^ati.
das rendas provinciaes da ridade le Goyanna, a
quantiaque elle panou dos ve.neioien'...- i<. .......>-
io u oc/Vuiiiiii lio .Mino pasmoo. das pracas da
guarda nacional destacadas na villa de I tamb e
N. 68.Offlcio ao presidente do supremo tribunal, nao Govanna como V. S. por engao refere no sen
de ju tica.bevo :uj coubeciiiieiito do V. Exc. que, offlcio devendo a dita (planta sol' indemnisada pela
Ibesouraria de fazenda, por onde corneal a.despe-
zas com o destacamento dessa villa, da mesma
segundo me participon o juiz de direito da comar-
ca do Cabo, bacharel Manool Clementino Oarneiro
da Cuiiba, era offlcio de 1 do correte, nessa data
entrn elle no goso de um mez de liceuca, que
Ihe foi concedida pelo presidente interino do tri-
bunal da relacao.
. 69.Portara ao presidente interino da rela-
cao.Nesta data ordenei ao juiz de direito da 1'
vara, que instaurasse o respectivo processo de ies-
ponsablidade o secretario desse tribunal, Domin-
gos Alfonso Ferreira, iraiismitliudo-llie as informa-
eoes o documentos jiir V. S. mandad os em offlcio
'le 26 do mez flndo, convindo que V. S. providen-
cie para que com brevidade, me sejain enviadas
as listas dos feitos distribuidos aosscrvaes Cu-
nha & Bandeira.
N. 70.Dita ao Dr. chefe de polica.Tendo de
seguir para o presidio de Fernando pelas 12 horas
do dia de 10 do crrente, o vapor Giqui da com-
panhia Pernambucana. nelle faga V. S. embarcar,
CODB a devida segurante, os sentenciados que para
esse lira forera postes sua disposicao pelo juiz
municipal da 1" vara.
N. 71.Dita ao mesmo.Inteirado de quanto re-
lata o delegado do termo de Cimbres no offlcio que
veio amiexo ao de Y. S. de 11 do mez lindo, sob
u. 37, tenlio a dizer-lhe que aguardo informaodes
do resultado do processo instaurado aoraajor Joao
Hodrgues de Freitas e outros, pelos factos de que
trata o dilo offlcio.
N. 72.Dila ao eomraandante superior interino
do Recie.Mande V. S. que a alferes do 5" ba-
lalliao de ml'antaria da guarda nacional deste mu-
nicipio, Antonio Manuel Ribeiro, que por delibera-
cao desta presidencia de 24 de julho do anno lin-
do, passou a perteneer ao servico da reserva, seja
dada a guia de que trata o art. 45 do decreto n. H30
de 12 de marco de 1853, para o municipio de Li-
moeiro onde actualmente reside.
N. 73.Dila ao coinutandaute superior de Flih
i -es.Reteiro a V. S. ordem expedida em porta-
ra de 5 de novembro d" anno lindo, para que,
forca ;*t
forma que a Ihesouraria provincial tem platicado
cora pagamentos por aquella.
Para esse lira V. S. remetiera as fplhas pspecti-
vas a mencionada tbesouraria 4< monda, cum-
prindo, para evitar cstee outros pagamentos nde-
vidos pelas collectoras proviiu'iaeseurr-lhes co-
pia da nimba tabella de 5 de novembro do anno
passado aparte relativa a cada anno.
N. 85.Dita ao Dr. Joao da Silva Ramos.Tendo
designado V. S. e os Drs. Pedro dn Athayde bobo
Moscoso e Francisco Pires Maclado Portella para
comporem a junta medica cirurgica, que de eon-
I innidade, com o art. 1" 1" da lei Bu 276, de 7 de
abril de 1881, deve dar parecer se o colleetor das
r.endas provinciaes no .municipio de Pao d'Allm
Alexandre Mara Barbosa da.Silva, acha-se phvsi-
caniente iinpossibilita-lo de ontinuar ao exercicio
do seu emprego, assm Ih'o declaro para seu co-
nheciuienlo esperando que aceitar de boa volitado"
essa cominissao.
N. 86.Ignaes aos Drs. Pedro de Athayde Lobo
Moscoso c Francisco Pires Machado Portella.
. 4* seccao.
N. 87.Portara ao gerente da WBBtlftUl Per-
nambucana. Ple Vine, fazer seguir para o pre-
sidio de Fernando o vapor Giqui. e paraos por-
tos do norte e sul os vapores frapama i Vulenqi
no dia e hora indicados era seu offlcio do 1 do
corrente.
EXPED ENTE ASSICNADO PELO SR. nR, JOAQUIM CORREA
DE ARAUJO, SECRETARIO DO GOVERNO, EM 3 DE
FEVEREIRO DE 1869.
l* seccao.
N. 88.Offico ao Exm. coramandante das ar-
mas.De ordem di S. Cxc. o Sr. presidente da
provincia, declaro a V. Exc. em resposta ao seu
offlcio do Io do corrente, sob n. 63, que mista data
ao Sr. Joao Peasoa da Gouu.Pela
'^v'':l*4ri* do governo se c miraunica ao Sr. Joao
PessoaJjaCania.que nella se acha otibM^ per-
mttta dS*serveniia vitalicia dos ofllcios de partidor
e contador pe hi uVescrivao de erphSns t* termo
de Serinhaem, coaviiido que venha 011 mande so-
hcita-lo depoj* de pagos os emolumentos e direi-
tos respectivos.
.i- 97.pito ao Sr. Joaquim Igaaciodes Santos.
J ela secretaria do governo se comnipnica ao Sr.
Joaquim Ignacio dos Santos, que nella se acha o
titulo de permuta da serventa vitalicia do ollicio
de escrivao de orpliies pela dos de pulidorecon-
tador do lerm de Serinhaem. convindo que ve-
nha ou mande solicitado, depos de pagos os emo-
lumentoi e diretos respectivos.
3^ seccao.
N. 98.Offlcio ao Sr. inspector da tbesouraria
lie fazendaO Exm. Sr. presidente da provincia,
manila declarar a V. ,S. que segundo offlcio do juiz
de direito da comarca ib Cabo, bacharel Mano !
Clementino Caroeiro da Cunta, de 1" do rorwnte,
nessa data entrn elle no goso da lieenca do um
mez que Ihe foi concedida pelo presidente da re-
lacao na forma da lei. .
>'. 99.Dilo ao mesmo.O presidente da pro-
vincia manda declarar a V. S. para is lins con-
venientes, que segundo participon o jiz munici-
pal do termo.doiHrejo, bacharel Joao Alvares Pe-
reira de I.yra, e em oflicio de 16 de Janeiro flndo,
nesta data deixou elle o exercicio interino da vara
de direito, reassumindo a de seu cargo!.
5. 100.Dito ;io mesmo. O Exm Sr. presi-
dente da provincia manda declarar a V. S. que
segundo particlpou o juiz municipal do termo de
Cimbres, bacharel Joao Vieira de Araujo, de 15 do
mez'lindo, assumk> all nessa data, como prmeiio
substituto B jurisdiecao da vara de dir to da co-
marca no impedimento do respectivo juiz.
-N. 101.Dito ao mesmo. ^0 Exm Sr. presi-
dente da provincia manda declarar a V. S. para o
sen coDhecmento e lins convenientes, que segun-
do offlcio de 22 do mez lindo, do juiz de direito de
[tamb, .bacliarel Entinto Henrique de Almeida,
nesga data reassuraio elie o seu exercicio renun-
ciando o resto da lieenca que Ihe foi concedida
por delilieracao de 4 do "dilo mez.
da 6 DE
FEVEREIRO
DESPACHOS DA PRESIDENCIA Do
Antonio Joaquim Salgado. Informe a cmara
municipal dista ridade.
Feliciano Francisco Xavier do Hullanda Cliacon.
Como requer a vista da iuoriiiacao.
Gustavo Liuiosino Furtado de Meiidojnca. In-
fornie o Sr nispi-clor da Ibesouraria provincial.
Joaquim Carneiro Penna Forte Inorme o Sr.
director da nstniccao publica ouviudo o regedor
do Gvmnasio.
_ 8 -
Antonio Jos Pereira da Cimba. Dirija-sc ao
Sr. inspector da heauocaru !.i-n.-ial. unem -
'ipedio ordem no sentido que reqoerap
v-----i. rvr..ura Dwgifi. l'ague-se, como
informa a tbesouraria de fazenda.
Januaro Jos de Souza. Informe 4 Sr. com-
mandante superior interino.
Mara Magdalena da Assumpcao. A' vista das
nformacoes, ex|ieca-se ordem no senli lo que re-
quer a supplcanl.
9
Antonio Valerio dos Saijtos Neves. | Informe
o Sr. Dr. chele de polica.
Belarmno da Cuaba Cortes. Inforn o oSr. Dr.
chefe de polica, ouvindo a pessoa que foi encar-
rujada di) tratamepto dos enfermos, assim a aulo-
rdade policial do ln-ar. sobre as Contal ora aprc-
seiitadas.
Fructuoso Marlins Comes. In&rtni o Sr. en-
genlieiro rliel'e da reparticau das .obras publicas.
Francisco de Magalhe* Como. lulorinoo Sr.
commandanle do presidio de Fernando.
I!,.chaiel Joao Cavalcanti de AlbuqucrqueIn-
forme o Srengenliero chefe da reparlicao das
obras publicas.
Bacharel Joao Cavab-anli de Albuquerque. In-
uiuie o Sr. eit^uaheiro chofo da reparlicao das
ulnas publicas.
Bacharel Joan Alvares IVivira de Lii
ja-se a tbesouraria de fazenda.
Ho/.endo Mouteiro de Lima.Conced
neracao pedida.
10
Antonio Francisco Paes.de Mello Brrelo. In-
forme o S\ eugenheiro chefe da reptu'cao das
obras publicas.
Augusto Octaviand de Souza. Informe o Sr.
cniniiiandante superior do municipio de Flores.^
Francicol'acilico do Amaral. Informe o Sr.
inspecior da tbesouraria provincial.
Flavio Ferreira Catan. Informe o Sr. enge-
nhero, chefe da reparlicao das obras publicas.
Joaquim Jos de Mora. Requeira por in-
termedio do Sr. directw da instiuccao publica.
Jos Cavalcauti de Albuquerque.Informe o Sr.
inspector da tbesouraria provincial.
Bacharel Lourenco Francisco d'Ahfieida Cata-
733
733
733
729
729
729
Joaquim Pedre dos Santos Besen-a. .
Dr. Francisco Teixeira de S......
Joao Cesar Cavalcanti de Albuquerque. .
Jos Antonio Candido de Lira......-
Miguel Jos da Silva.........
Jos Elias Machado Freir......
Manoel Gosiuc de Joraes.......
Jos Xavier tkelho.........
Paulino Herculano de Figueiredo......
Mauocl de Paula Correa...... .
Joao Moreira de Mondonea...... .
Antonio Persiliauo de Barros Slarinlio.
Francisco de 'aula Mariano Fafeao .
Joao Xavier di Foneeea (^piburibe. .
Crnestmo Cav dcanti de Albuquerque.. .
Jos JuvenaJ Dias Brrelo.......
Antonio Munz Tavares........
Claudino Jos de Siqu^ra.......
Antomo Dias ca Silva Cardeal......
Caetmio Gomes de S........
Joaquim Gualberto de Paula Franco.
4 lli.ilficto.
Xa freguexia de Caruar foram eleitos :
l-Hcitoi e.s para senador.
Joiio Vieira de Mello e Silva......
Antonio Victor da Silva Tierra.....
Jos Isidoro dos Santos.. ....
Francisco Leile de Azevcdo......
Joao Alves Theuyro.........
Antonio da Silva Florencio......
Francisco Roberlo Ferreira da Silva. .
Joao Baptista Nunca.........
Francisco Xorberto de Souza......
Joao ChiAsostomo de Aquino e Silva. .
Joao do Freta;; Torres........
Manoel da Silva Florencio......
Joao Caelano Coelbo da Silva......
Jos Francisco Florencio de Souza. .
EJaitor.es para depatados.
Joao Vieira de Mello e Silva......
Antonio Victor da Silva Vieira.....
Jos Isidoro dos Santos........
Francisco Leite de Azevedo......
Silvano Horneo de Torres Galludo. .
Francisco Jos Florencio.......
Joao Pacs de Lyra Brandan......
Caetano Alves da Fonccca. .
Joao Joaquim, da Silva Limeira.
.Francisco Rodrigues Porto.. .
Caetano Alves Florencio, .
Kstevao Joaquim de Lima. .
Luiz Antonio- Cordeiro. . .
uo Bezerra da Silva. .
VIA FRREAA estrada de ferro do Recito a
S. Francisco runden no mez de Janeiro ultimo.......
7i.l06.(i'>i), provenientes das seguales Ionios
triciode Afogados. Magdalena U de fovereiro d-
1869.He/armio d ftyo Burras.
TRANSFERENCIA.Em eonscmenci dos d-
sastres bavidos no Monteiro, oecasioaados |>ebi ul-
ma chata, foram transferidos o levanlamento da

398
596
393
593
592
:>91
589
588
SKr
585
583
580
580
579
598
596
593
593
592
391
589
588
586
588
38:1
581
581)
579
l'assageiros.....
Bagagera......
Ananaes......
Merendaras.....
Arinazeiiagein. .
TraiLsportes do governo.
Telegraplio.
23:il82IO
2:940 .iliiu
1:033 15 i
46:01)6 1811
2724680
1312U)
47
):i.SWll,
com a maior urgencia, seja .prestada a forra "da offico.
guarda nacional sob o seu commando, que tem de 2* seccao.
destacar na villa do Ingazeira, e que segundo n- X. 89.---Offlcio ao.Dr. chele de polica.O Exm.
forma o respectivo delegado, ainda nao Toi presta- Sr. presidente da provincia manila declarar a V. S.
.da, convindo que V. S. dos motivos pelos quaes em resposta ao seu oflicio de 30 de Janeiro ultimo.
nao foi anda execntada a ordein comida em dita,
(Mirlara.
N. 74.Dita ao Juiz de direito d* 4* vara desta
cidade.Transmiti a V. S. as mfbrmacoes juntas
por copia,"qu ei'n offlcio de 26 do mee lindo, pres-
tou o presidente interino do tribunal da relacao.
relativamente aos factos criminosos praticados pelo
secretario, daquelle tribunal Domingos Alfonso Fer-
reira, e bemassim a do aviso do ministerio da
justica, de 17 de dezembro ultimo, o Ihe ordeno
que proceda de conformidade com a le, contra o
dito secretario.
N. 75.pila aq juiz municipal da i' vara.Ten-
do de seguir.para:.presidio de Fernando, pelas 12
horas, do,dia 10 do crrente, o vapor Giqui, da
companhia Pernambucana, ponha Vmc. a,.iisi|lis'-
cjio do Dr. chefe de polica, os sentenciados qne
alli tiverem de cumprr sentenca; enviando com
antecedencia a esta presidencia as respectivas
guias.
jjt 76<:=Dila aa commandanle do batalbao n. 32
de Villa-BellaCora a inorroacao junti por copia,
da seccao da contailaria d thesourara da fazenda,
a que se refere o inspector da dila tbesouraria, era
oflicio da 30 de Janeiro ultimo, respondo ao de V. S.
de 2 do dito mez, quanto aos. prets da varias pra-
cas da guarda nacional sob seu commando. que
dispensados do servico do destacamen'a de Villa-
sob q. 161, que acaba de rocommendar a tbesou-
raria provincial, que vista do. aunstadf compe-
tentemente passado, pague a Joao. Antonio Pweira
de.011 veira Jnior, o aluguel da casada que trata
o rilado ofcio.
a. Diri-
i-se a exo-
|) i(f..:^ s.-J *** !* .
A uospeza, no referido mez, foi do
destribuida pela segualo forma .
Consetvacao ili linha......9:305909
Traccao...........11:2694731
Trafego de passageiros...... 3:3714400
Trafego de mercadorias...... 4:783'.Mi'i
Reparos de cairos e wagoes. 1:6744907
Admiuislracao......... I:15;i3767
tetegrapho.......... 75U6IK)
Despezas sanitarias....... iOilKN)
Ajtida de CIHto......... 94.'6i
A relacao entre a despeza e a roceita foi de
42,64 por cenlo.
Circularan! durante o mez 11,356 passageiros,
e os trena iransixirtaram 52099 toneladas e 963 ki-
logrannnas.
l'ercorreram em kilmetros 17.536.ii8.
NAVIO DE GUERRA.Procedente da Baha e
Alagi'ias chegou o brgue-escuna de guerra Tone-
Irro, euiumandante o Sr. Nolasco Pereira da Cu-
nta.
DI.NI1E1RO -O anor Paran levou de nossa
praca as seguintes siMiimas :
'Para a Paralnba......... "33:OtK)O00
ParaoCeir............. 500JOOO
Para o Para............. 2:0923761)
O vapor Tooanthts levou :
Para Macei............. 130:')00i000
Para o Rio de Jaueiro......I28:000O0
sendo desta parcella para o thesouro nacional
93:0004000 em ouro e 273000 era nota nutili-
sadas.
NOVA CHEIA.Hontem eircularam boatos al-
tercadores sobre uraa nova endiente do Capbari-
be, que, dizera os novelleiros, tomou novo e co-
pioso volume de aguas, que vem descende com
impetuosidade. Cremos nteiramente destituido de
fundamento- semclhante boato, no entonto convm
que scosteja de sobre-aviso.
SERMES- QUARGSMAES.Durante a presen-
te quaresina havero prdicas, nos domingos
tarde, na villa do Cabo, pelo Rvm. Jos Estoves
Vianna.
se mandou sat.sfazero peibdo do commandanle da f J ^ n9ncclor da thekourara de
fortaleza do Brum, que veio annexo ao sen eitailo fat|)da
Luz Elias da Silvai Albuquerque. -r Infonne o
Sr. Dr. juiz de direito da comarca doGaranliuns.
Manoel Anlonio dos Santos Fontes. Entrege-
se os documentos.
Sfllustiano Severiano Ramos. iaforme o Sr.
inspector da thesourara de Farama.
llep:u*iv-'i0 8* seccao.Secretaria da polica dn Pernambuco
X. O.-^ito ao mesmo.O Kxm, Sr. preHJentej-H de feverelro de^lSBl.
da provincia manda declarar a- V. S.que-fiesta X. 204.Illra. e Exm. Sr.fenho a honra de
4a|asereUTua,ordem;expetf*la em pattaria de,..levar, ae oonheciniantode V. Exc. que, segundo
3 de novembro ultimo, ao coramandante.superior consta das partcipandes recibidas boje nesta re-
da guarda nacional do municipio de .Florea, para particap, foram hontem recolhidos 'asa de de-
ESCALLEHES DE MARIXHAO Sr. majar Be-
larmno^ subdelegado da Passagem, remette-nos
as tmlias abaixo; as quaes, dando puhlicidade,
testomunhamos o amor que lomos verdade. A
consura que lizcmis foi por nossa propria conta e
bascados, como j disemos, era informacoes que
provieram d'aquelle subdelegado Kaetiflcando po-
rm essa auceridade sua -inforinacao, por nossa
yea deelinamos da censura, lleando todava certos
aquelles que nella foram incluidos de que era a
censura muito procedente no caso de ser verdico
o facto tal qual no-lo narraram.
Srs. mfaiJwe*,PermittaavVmcs. que eu faca
i-IeaL^.dji jaoeirq uUiiuo,.sobu.r7V,renMitto(id<< por
Vk] copia.-fr mformaeao que don o director do arsenal
4e w de agosto de. 1851. E. pjraque chage
ticii a todos, Oz paisar o presante, que se.aCftxara ccipia. a mformaaao que
i porta da casa das audiencias, lugar puMco-dol de guerra no ! do corrente n. 30, acerca da no-
caslume, e se publrar. pela imprensa. Dado e ;maacao e. eerclcta de Jo5o de Souza Rangel Fi-
lias sadw'nesia. cidade da Victoria, aos 10 de novent-
wo de 1868. E eu Antonio Luagero da Silva'Cos.;
la, eserjvaa que Ojascrivi
,*eaeao.
X. 5a.-efflcio.,ao .iaapector- da. thesourara di
fazanaa.S. Exc. o Sr. presidente da promet.,
*aa*a>taaasinittir a V. S. as dua* inclusas orders
* tribimal do thesouro aaciomd sob ns. 8 e 9.
'K 56.Dito ao mesmo..S. Exc o Sr..presidan
fhoy no Jugar de ajodante de portaro daquelle ar-
aenal.
A vista*.dessa nformacao V. s. deferir como
tor .de direito aprelencao do mesmo Rangel Filho,
a sai pago dot vencmentos correspondentes, aquel-
le Bmprgo, e ao lempo da servico prestado.
. 78.Dita ao(nsmo.=*Resolvendo o governo
imperial em avis de 18 de Janeiro ultimo, expe
dido^eJa
nnra
fa/.er destocar na villa de Ingazeira aa piaras de-
signadas era dito portara.
X, 9i.=Dtonpjuzde.direitodo Cabo.OExm.
Sr. presidente da provincia manda, acemar ore-
cebimenio da oflicio de Vt S. dk I* do con ente, em
i'jue commuuica ter npssa dato entrado no oso da
liceuca de um mez que Ihe foi concedida [do pre-
sidente do tribuna) da relacao.
X. 92.Dito aojuiz do direito de.Itamb. - O
Exm. Sr. .presidenta- da provincia manda acousar
p reeebiiuento do offlcio de V. S.. do 22 de meadin-
do, em que.conuuunica tei nessa-.dala reissumido
o exercicio. do seu, cargo, renunciando o resto da
lieenca que Ihe foi concedda.pon.dolil)ertfode4'
do ,dito mez.
X. 3.Dito ao juiz municipal de Cimbres.O
Exm. Sr. presdeme da provincia manda censar
o recebimonto do offlcio de V. S. de lado mez An-
do, em que communica ter nessa data rtassu-
mido o exercicio da vara de direito como .rimei-
ro substitua,elle,a noiimpedimento do respectivo
juiz.
N. 94. Dito ao juiz municipal do Brejo. 0
Exin. Sr. prejdenln da, prinjiupi^, ,ny^i"|la*'ru*ar
o reeebiniento do tlcio de Y.- S^ de *6 do mez
lindo, era que eoomiunic ter, .naaia ata deixado
o exercicio da vara de direito e reassura do a do
seu cargo.
-Nj.98. - Dito a? Sr. Tilo dos Passo d Abneida
Rosas.-^Peh secreteria do governo se.coinranica
ao Sr. Tito dos Passos d"lmeda unas, que nella
se acha o titulo de sua n
particap,
tencao. os seguintes individnos :
A''ordem da .'Subdelegada d Recife, Marthim
Jan sen, por disturbios: a Jalo osera vo de Tarjio
Banaae-a, a requerimonto de Loy Soirinho & C.
A' or.b'iu db e S: Jos,Constantino FelippeSan
ttafl Maria Luiaa daaiCbagas-Praio, I-uw Oyriaco
da Silva e Alexandriua Mara d* Co,icei(-o, por
disturbios; e.Mauoel Frasao daLuz,.t ordem.
liDeae^uarde a V. Exc.^-Ubn. ExnvSr. rondo
de Baependy presidente da provincia. 0 ehefe do
.nolicia,; ftansisc$ fcjkma Umot.
BE VISTA DIARIA.
ELEfCOES^Conclairam-se os trabalhos e|eito-
iaesBas.aeguitites frugueiias:
/. itstrieio.
Xa freguezia de S. Jos, foram eleitos emito-
res para doputados :
MajioeLJoaquim ferreira Estoves. 736
Antonio Moreira de Mandonca..... 736
ManoeKAntonio, Ribeiro.........736
JqaSyinplciodeSEstevcs...... 333
Joao Baptista do Reg.......
Padre .Antonio.de Jello e Albuquerque.
Jjoao Soarea da Eopceca Vattoso. .
ra a serventa Joao Antonia da SuvaPeraira .
vitalicia dos fifias de d^j$W,fbJo>jmlicial hrnco Pessoa Este ves da Silva. .
. natas a escrivao ^?~"r^Prirfr.|Mhj>T1 Hjajll"
da ustica, que nao, sendo ma- \ xos do termo da iwta^^wwadqqrae venha ou
Joai-1 Lopes Dtas.
jjosfcaaaiscat Beato.
urna rectillca/fia aa qi se l-enasaa Revista ha-
cia de liouteii: relativamente aos-senhores olliciaes
da armada brasileirai-que estivuram em servico por
occasiao da grande cheia do ro Capibaribe no dia
8 do corrente, o que faco com tonto mais razao
quanto Vmcs. hoje declararan! que por infonnacao
minha foi quederam a noticia, cuja recficacao ve-
nho fazer, e a seguinte :
Nao falle, e nem vi a nenbum daquollos offl-
ciaes no referido dia 8 do corrente; soubc, porin,
por me dizer o Sr. Bento Joaquim Gomes que, na;
ronfrontarao da estrada dos Remedios, prximo de
minha residencia apparecera n'esse idia-um escaler
com um offlri il de marinha, e este Ihe perguntra
se sera precim prestar algum soccorro nos Reme-
dios ; e sendo-lhe respondido que nao, mas que na
Estrada Xova e na Torre se precisa va, devendo o
escaler ser levado rnao at certa distancia, ne-
nhnma resposta Ihe dera esse offlcial e descera
para a -Passajrein.
< Quem dcee quenada linha com o subdelegado
o foi patrao do ma osaalar do.arseaal da marinha,
de nome'Miguel, que por ali passou tmbame que
se presin a levar um offlcio meu ao Sr, Dr. chefe
de polica, a quem o entregou n'esse mesmo dia :
nao vi porir, e nem fallei a este patrao : o que
acabo de rofi rk sabr elle ouvi a pessoa de con-
anca.
* Devo po'uUimo dizer que se, por nformacoes
de maitas pesoast que os senhores offlciaes da ar-
mada brasileira prestaram muito bons servicia por
735 occasiao da cheia do rio Capibaribe no dia 8 do
733 corrente, e ojiando dei a Vmcs. as iiitoriaar-es em
mi qae-sebasearam para idar a noticia que rectifico,
733 nao t ve em vta asnrar,' nem deseonheoer os
733 bous serviros daqueUeaattciaes. c
733 Peco a \'mcs. a pubbcacao.d'ta3 imhs, nem
:"^B3. o que obrigarlo ao Stibuelegado do segundo dis-
A parlhla, que devia ter lugar hoiiiem noule,
foi tombein Irinsferida para o dia 18.
MAPPA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO.-
Das ollk-n.is lilhograplucas do Sr. Rensburg ac
ba de sabir api iuieira folha de mu utappu com
meiciai da cidade do Hi-ile-Jaueiro orgauisadu \*-
la Companhia FI-imuciisc.
Tanto Banana teclmica como na arlsliea, diz >
Jornal do Commstm, iiqueslioaavelmento *;
melhor trabalho que temos ueste nencro, e ge.
como tudo leva a crer. ebegar a eoinplc4ar-se o
mappa, qne eva caaalar de ornas 14 tullas, seni
uraa obra como tolvez pouras eidades podeio
gabar-se de. possui-la.
A priiueira folha que temos vi>ta, e que
una das mais importantes por aferaager o nenlm
eommerclal, comprehende enUe as mas de S. Pe-
dro e de S. lose o espaco que vai do litoral at
urna Imhn que corta n "largo de S Fram-isco d
Pjula mi rumo approxiBuido de S S E a N X (.
NTu so as ras e largos, mas famb.in todos o>
Mliiicios eaaaa eompreheadidaa nesta espaco e>-
tao designadas pelos seus jiinueos. distiuclamenle
niarrado o terreno que oecpam os diversos pre-
dios com snas reas interiores e quintoes.
Esle mappa que se assemelha a nina estampa
anatmica mostrando-nos toda a construccao e di-
visao interior da cidade para dentro das fachadas
3ne formam as ras, foi IbitO sobre nina planta
a companhia de esgolo, que para asseulamento
dos seus canos teve de devassar as divsoes inter-
nas das casas. Asseverain-nos, porin, que, leu-
do sido levantada ha airaos aquella planta, fui
agora novainente Verificada e reeducada para or-
gansacao desle mappa. Com effeito achamo-l
exactissimo na descripcao d;is casas que eenheee-
inos e d'ahi parece-nos lcito concluir que igual
exaeiidao baja em todos os pontos.
Os prinipaes estalielecimentos estoo nonina-
livainenle designados; ciato, porin, (pie o mes-
mo s niio poderia fazer a respailo da maor par-
te delles. qu, imidaiido freiuientemeiiie dq don..,
em bree Dcariain cora indcaco errnea. Pan
preencher esta lacuna, sem ncorter no mesmo
inconveniente, ser o mappa arouipanhado de u;ii
registro mpresso lodos os anuos, era que adiante
do numero de cada casa se indique o jiome do
.....rador. Este complemento vira augmentar a im-
portancia de um trabalho reeonmiendavtl a lodo"
osrespcltos e que se torna de grande uliliflade.
nao s para o commercio e mesmo nteresses par-
ticulares, mas tonmem para as diversas autorida-
des que precisan conhecer cora exadidao a hi|k>-
grapliia da cidade.
J dissemos que^gsle trabalho prima tambein
pola [.arte artstica, com efteta o desenlio e im-
qualquer ontra, Ui^Bjp era eidades omlo esta arte
lenha adquirido mais alto grao de pi rfeicSo.
TltlLiiOS URBANOS.Hontem aoowoaram ..
irabalbar regnlanliente os trena desea va de
communicacrio.
MISSA FU.NEIIIIE.O Dr. A. S. Pereira <>
Carino manda dizer nina atiesa por alma do har i
de Atalata no dia 13 pelas 7 horas da manha i,,
matriz da Boa-Visto, i. anniversaro de seu na>-
amento.
FALLECIMENTDHontem por volta de 2 ho-
ras da tarde fallecen victima de nina ei ysqiela u
Sr. Caetano Sitarlo d Silva, contador da cmara
municipal desta cidade.
ANDA EX TEMPO. A requisieo do Sr. Dr.
chefe de poliaia, mandn o Sr. inspector do arse-
nal de marinha no dia 8 una das balearas do
mesmo arsenal em socivito dos liabilantes da fre-
guezia da Varzea. e 18 dos seus operarios,asr-
denselo Sr. subdelegado de S. Antonio, para des-
obstruir ponte da Boa Vista de algons pana que
as torrentes das aguas haviam levado de encontr
a mesma ponte.
PREVENCAO. =q Como se esp.ilhasse hontem a
noticia de que em Pao d'Alho linha tdo lugar o
cresdroento das agu s e livesse anianhecdo o din
mu pouco cliuvoso e se rnasBTVaase nublado at
a tofile, o Sr. insp'-rlor do arsenal de marinha
mandn tres bab-eiras tripuladas eslaejnaanni
na Iba do -Retiro e Passagem da Magdalena
para, no caso de se teriflear novaenebente,dareni
de prompto os soccorros precisos
TE-DEl'M Segunda feira pelas .:i horas da
larde lera lugar o Te-Deam em aeco de nasas
pela feliz conclusao daseleicoVs da i'reguezia de's
Pedro Concalves.
PIANISTA Aoaba de eheirara esla provincia n
Sr. Jorge Viotor Ferreira l^ipes Jnior hbil pianM a
bem eonhecdo nesta cidade pelo talento e apurado
gasto com que sal"- ejecutar no piano as mais
dillices e sublimes eiiiicepcoos da msica.
Dolado de inerecimenlo ineontestavel e d'uma
rara aptdo para a BBaw, faria o Sr. Jorge Vctor
un liom servico assnM antigs decipnlas, soqui-
esse continuar a prestar-1 be snas oasis lien /s
r.on-ia que o Sr. Victor *nios.iriiir no pnix-
mo vapor pretende- dar um concedo no theai'i
de S. Isabel.
Ter o publico raais es'a occasiao de ainda apre-
ciar o ilustre pianista e W de esperar que o di-n
empresario do Ueairn Facilite dosua parte ao Sr.
Victor. a realisacao arseailesejo.
LOTERA.A que se acha a venda a 95 eiu
beneficio da-matriz de Jaboato que corre segn
da-feira 13 do corrente.
'HKOMn .11 IU(I\R!\.
I IIlili \ Al. u v m:i.Al %o.
SES8AO DE 9 DE FEVKHEIKO DE 1869.
PHK.SIOBKCIA DJ KXM. SR. D8SKMBAH0AD )R SANTIAiai.
As 10 horas da manhaa, presentes os Srs. desem-
bargadares (tirana, Guerra, Lourenco Santiag'
Molla, Dnmingues e- Silva, eFrpit.s Henrique-
faltando os Srs. desembargadores Almeida Allm
querqm*, Assis; Snuza Lean e Uclioa Cavalcaate.
abrw-se asessao.
Passados os feitos deram-sc os seguintes iulga
mantos:
Agoravo de prtk:\o.Aggravanle, Bernardo
Alves de Oliveira; aggravado, o juizo. Relator
Sr. ilesembargadnr Guerra, sorteiados os Srs. des-
embargadnres'Dommgues e Suva, e Gitirana.Xe
garsm provimento.
Rkcuksik cmmks Reecorrente, o juizo; reecur-
ridu, Jos Raymundo da SilvaRelator o Sr. di-s
embargador Lourenco Santiago, sorteiados os Ss.
kaembargadere* Molla. Freitas Henriques o Do-
aaiognes e tva.Inqii-oeedente.. Reecorrente,
M 7 reeeorrido. Augusto Joaqiriin deCarva-
Iho.Relator o Sr. desembargador Motta, sorteia-
dos os Srs. desembargadores Lourenco Santiago.
Freitas Heriques'emiimgues e Silva.Improce
dente, leceomate o Juizo; recorridos, Anjooi
t*erreira Pinto enutro.fletetor oSr.'descmharpt-
dorDaniofueo eSva, sorteiados os Srs. deseni-
bargadores -Motta, ltonrencci.-danti.ago c Gibra
naw^mprocedante. Reoeorrente, o jub; rector-
rido, bacharel Manoel Jannario Montenegro Bean-
ra^Artator o. Br> deatuiBairianrfrafctf^yi
aas,. sartoiaoa^ot8^.llllrtM Lourenc) Santiago e Gitirana.Improcedeale.







m

21
Vfl Cl Rll ftTX??*0 dc-PenMU,Jluco %lxla * 12 de FewWTO de 1869.
ggravo d pethao.Aggravante, Antonio de
SAJboqnerqne; aggravado, o jui.Relator a
Sr. de.'eaibargador Lourenn Santiago, sortciads
os Srs..desembargadores Freilas Heariques e Mot-
la.-Nogaram provimenlo.
HaSkas Corpus.--Ceneedeu-se ordem a-Jos Ray-
nuindo Gomes, para .o dia 13 do corrente, -is li
horas dia. ...
PASSAEP.8.
Do Sr. desembargados Gilirana ao Sr. desembar-
cado- Lourenco jentiago.AwCTlaco cr*et: p*!
pellaate, I). FraariscaThonifna-daXonceiciio <'.u-
uha.; appellada, a fazenda. Ajipellacao rrihie ap-
. pellante, o juno; apiiellado, Mauoal Jos de Mella
Do Sr. desembargador Guerra ao Sr. desembala
gadar Almeida AllmquerfueAppeUacan civei
appellante, Jos Rodrigues Raz; appeUadi, Hcle-I
na Mara do Carino.
Do Sr. deseinbargador Lourenco Santiago ai Sr. meara. Instilado, ~ escarnecido, vilipendiado i>(
Almeida Altfrqerqiie.Apj ella-
desembafgador
res cnajji: appellante, MartHj.iano Barbosa _
Carino; appellada, a justica. Appellante, o mizo;
.appellado, Them-iteo de Jess Costa. Appellmte,
o juizo; appellado, Januario da Costa Salles. Ap-
iolante, o juizo; appellado, Vicente Rodrigues
Pereira.
Do Sr. deseinbargador Molla ao Sr. desembarga-
-dor Asis.Appellacdcs rrinies: apellante, o jni-
io: appellado, Autnio Baptista dos Santos Gran-
jeiro.
Do Sr. deseinbargador Domingues e Silva ao Sr.
deseiubargador Soma Leao.Appolliicao C'"'ne:
appellante, Luiz Jos Maranliao; appellada, fc.jus-
lica. Appellacm* eiveis: appellante, Heliodoro Aca-
v.iRaugcl; apjtellado,Joo Fernando daCruz. Ap-
liellante, Joaquim Goncalves Ferreira; appellado,
Manuel Jnnquim Baptista.
Ao Sr. deseinbargador Lourenco Santiago.An-
pellaroes eiveis: appellante, a irmandade de Divi-
no Espirito-Santo; appellado, Manocl Camello Pi
res Falcan. Apjrellante, Dr. Jos Soares d'Aieve-
do; apellados. Santos &Rolim. Appellante, Lniz.
por seu curador; aipellado, Dr. Francisco Pinto
Pessoa Appellante, Manoel do Nascimcnto Costa
Montciro; appellados, o bario de Cruaugy t ou-
iros.
A*signou-*e dia para julgaraento dos segantes
t'eitns:
Appellacoks cmis.Appellante, Joiio Joaiyuim
Barbosa; appellado, Joao Baptista Ancheta. Ap-
(tellanle, Antonio Francisco de Salles Pessoa; ap-
pellada, Theraza Maria de Jess.
Da de appaiieceii.Appellante, D. Virginia Ze-
nandes Ferreira ; apellada, Angela,por seu cura-
dor.
Dklioencia chime.Ao Sr. deseinbargador pro-
motor da justica: appellante, o juizo; appellado,
Joao Pedro dos Santos. Appellante, Manoel Andr
la Silva; appellada, a justica. Appellante, Miguel
Simplicio dos Anjos; appellada. a justica. Apel-
lante, o juizo; appellado, Pedro Vieira da Fonseca.
A' 1 hora eiicerrou-se a sesso.
POLTICA interna
Partido conservador.
, O Liberal dilira, ou anda as tontas........
Eis a prava:
O adiamento da assenibla provincial custou ao
Sr. conde de Baependy una desabrida censura
d'aqurlle jornal, fundada na circumstaucia de nao
lerS Exe. dado as razos (pie o levaram a espacar
a abertura da inesma asscinblj. para o dia lo de
abril do corrente anuo.
Ein que le foi o Liberal exlrahir a olirigncio do
presidente assim proceder, nao o sabemos nos: sa-
lamos apenas que sendo os presidentes os juizes
do caso em que o bem da provincia exige adiainen-
.) das assemblas provinriaes, nao tem, por isto,
dever restricto de declarar as causas c que se
firma para resolve-lo.
Mas como o liberalismo de boje avulta em novi-
tladcs, nao nos poremos cargo de apreciar a ques-
to, remetiendo o Lilieral para o Sr. Silceira tilio,
que confrade da ordem.
Esse ex-presidente, sem que a provincia esti-
vesse, como actualmente, einaranhada em diversas
deicoes, e lutando com diflieuldades nanceiras de
vulto, adiou a assembla provincial em 1807, nao
dando os motivos do seu acto.
A resolucao foi assiin concebida:
Palacio do governo, 31 de Janeiro de 18G7.0
presidente da provincia, usando da faeuldade que
lhe eonfere lei de 12 de agosto de 1831, resolv:
adiara assembla provincial para o dia lo do abril
do corrente anuo, e manda que ueste sentido se
l'apam as commmeacoes.Francisco de Paula da
St/reira hibo. .,
T-ria o Sr. Silveira Lobo, librala, iiupmgidr o
SITverra desouza*
Certanwnfe, nao.
Ser rriino no Sr. conde do Baependy o que no
Sr. Silvoira Lobo foi virtude i
Tambem nao.
O Liberal o que quiz foi airanjar uma historia,
hi que podesse figurar o Sr. conde de Baependy
umedrontado com a opposieo dos seus predilectos
ileputados.
E' ueste ponto que lhe fugio o criterio.
Quem. romo o Sr. conde de Baependy, governa
laz justica recta, nao leme adversarios.
Portanto,porde o Liberal o lempo con o syslema
le opposieo que tem adoptado.
As snas theorias de adminlslracao nao illudem a
ninguem. Quem vio o Sr. Silveira de Souza, pre-
sidente desta provincia em 1863, e o Sr. Epaini-
nondas, do Amazonas, em 1866; nao toma ao
serlo o que ellos escrevem. Ao contrario para
admirar que, entro nos, cortos individuos se arve-
mn em zelador da moralidade dos actos, esque-
eendo a propria !
E... basta.
facilidade com que smtou-se ae jantar dado ao
guHfjjptNtgo 4af|llM?ospertfj.n)L sua partida i^
r Montevideo.
Neto, o general Noto viera acallar os .nimos o
provocar guerra contra o "Estado Oriental. Como
tal foi trdo e htfvido, cenuo tal" osteutotl'se kj
orbi. ........
Xao era denuncia de tendencia liostil qootte
estado, nao era a rcvelacao improi'edente do pan-
sanenlo, que devia ser" secreto, do enviado ex-
I^BOnlinario, ftzef numero copi"Tonviv#|eu-
nidos cm honra ao boin exito dos plano d.'
Jeto t....
Foi ? 8r. Saraiva e vaho, iaixando, eom o
seu uHimaiiun aleado o itceHdio, cJas nanimas
tantas vidas, tantas riquezas tem devorado e vi
devorando.
Nao governava ja o 15 de jiejro que o no-
0 expedierte para o publico meftrilijae a praca para 'dia 2 domesmo mez
s 10 horas ta anha, e terminar .as/iUe fevereiro, peie que, pa a evitar qual-
liuras afiielles fue. o linbam levantado sobre seus pavo
iln, es, desapjujoera soin deixaf sauWes.
Estava no i>oler o 31 de agosto, o ministerio
Furlado, em que a allogoria observa va um da^ef-
feitos das mares grandes.
Eram no entanto, os sens niembro legirttnos
lllhos da liga, se que todos os seus fructos nao
merecern) a qualilicacao de bastardos ou espu-
rio.
Nao havia razo para o Sr. Saraiva nao adherir
a essa nova combinacao ministerial dos seus com-
paiiheiros e correligionarios. Era a nicsma poliliai,
a progre.isiiita eram os mesmos principios, os li-
gustros.
So havia dilTerenra nos homens, que no enllan-
to, mercciam-lhe provs de veruadeira fraterni-
dade.
E tanto, os homens do 31 de agosto o liuham
em f(ro do confrade, (anlo achavain uma honioge
nidade as crearas, nos principios do ministerio e
as crennu e principios do Sr. Saraiva que
em chegano elle do Rio da Piala, entregaraiu-se
lhe discripcao.
Est.'mos is vossas ordens, inleiramente a vns-
sa discripcao ; disseram-lhc :Queris ser minis-
tro deeslrangeiros ? Dignai-vos acceitar a pasta que
reveremos dejiomos aos vossos pos. Queris voltar
ao Bio da Prata com poderes sem limites ? Dizei
e a obediencia ser immediata. Se, nein Urna nem
outra cousa vos apraz, acceitai, por quem sois, a
presidencia da Babia, da vasta provincia onde leu-
des todos os elementos de influencia.
Nao ibrain jirecisaiiiente estas as suas palavras;
mas significam isto inesmo as que um dos orna-
mentos do ministerio Furlado proferto na cmara
dos depulados a 29 de maio de 186o.
Por amor a escrupulosa exposico da verda-
de vamos transcrever essas palavras do Sr. Jos
Libralo.
S. Exc.disse elle(o Sr. Saraiva) tinha no
gabinete de 31 de agosto o mesmo ministro que
o tinha nomeado ministro plenipotenciario do Bra-
sil junto s repblicas do Prata.
No gabinete de 31 de agosto C3tava o meu hon-
rado colloga, comprovinciano e amigo intimo de
S. Exc. (o Sr. Pinto Lima): supponho qne S. Exc.
ontretinha as melhores relacoes com o presidente
do conselho desse gabinete.
Voltando S. Exc. do Bio da Prata, o gabinete
de 31 de agosto declarou-lhe que S. Exc. com-
peta a- direccao dos negocios exteriores ; ou S.
Exc. MM que era contntente para dirigir
poltica que havia inaugurado no Prata oceupar
a pasta dos negocios eslrangeiros, ou S. Exc. f-
tendesse que era conteniente continuar na rnissao
em tpie tinha estado at euto ; o gabinele de 31
de agosto declarou-lhe que tiiiha uelle a niais
rom/ileta eonftanea. Pezmais de que isto : d^ela-
rou-lhe. que os seus serviros eram necessarios no
Rio da Prata e instou pela sua volta.
Bepois, quaudo a provincia da Babia so achou
em uma situacao delicada, o gabinete de 31 de
agosto yppcllo aimla para o patriotismo do nobre
ministro da marrana (o Sr. Saraiva) e rnlrenou-lhr
a adminisuaco da sua provincia. Ainda desta
voz loi infeliz' ueste ajipolfo que fez,
Donde proceda essa repugnancia do Sr. Sarai-
va ao gabinete de 31 de agosto e s suas cousas e
pessoas ?
Ninguem soube entitn, ninguem explicou depois.
O Sr. Saraiva nao se dignou declarar os motivos
de seu procedimento do deseonlianca.
mais um cnygma desse homem poltico.
Quem pode comprchender o Esphynge ?
Onglrsh Bank of Rio de Jaitotro I.nited 0ilgi|l dp tdital j :p|
casasbbre^'segiiinfeWracar: **^ terac,oes do presente,
Londres.Sobre London Joint Stock Bank. ,,,;iao ; ,n'
'EHGLISH BANK _
Of. Rio de Janeiro Limited
lis*iiiMeUr3*da prar, Jrtaxal inih
voncioaar.!
Recebe din iciro cm eonfc oorrente e a
praze teo.
Saca vist a1* pr sobw as cifladen
piiucjpaes da Europa, tem penriasi Ba-
ha, peno^Ayres, Moo^vitlo, Ncw-York
e New-Orleiins e imifte cartas de erfbito,
partios int6m*iares.
Largo do Pelourinho n. 7
T.
AC.
PUBLICACOES A PEDIDO.
Im brado de sralidio
Nao quero eommemar, ?onwP i, siinprasnreuns
ii,r i.ioeor da ioilo coracaoos serviros que me fo-
raffi prodigaiisadOB pelos Srs. l)r. Jos Eustaquio
Ferreira Jacobina e Joo Foox no dia 8 do cr-
lenle quando aenchsote^do Capibarihe sorprehen-
deu-me e a iiiinha familia em nossacasa no porto
do Lacere n. 3i..
llouve mais um homem, que nao tenho visto
mencionado em parlieipacao alguma, esse o pes-
cador da Capnnga Mximo Teixeira, que alm de
tudo, perdn sua jangada depois do inuilo que fez
em pro da huma nidade.
Recife 11 de Fevereiro de 1869.
. Antonio da Costa e S.
Bank.
Pars.Sobre Fould 4 C.
HamJmrgo.Sobre J. Berenberg Gossler
Lisboa e Porto.Sobre Banco.daPottMaL
Rio do Janeiro.Sobre EnglishTJaiiinjfTuo ae
anciro, Limited. .
Bahaobre C. Vaughan 4 C.
Prtr ' .i..
Caixa Filial do Banco do Brasil
A caixa lial do banco do Brasil em
Pernambuco em liquidacao paga o 36 divi-
dendo das acedes do Banco do Brasil ins-
criptas nesta caixa; a raz3o de Oi^OOO por
accao.
i Recife, 1G de Janeiro de 1869.
ALFANDEGA.
Rcndimento do dia 1 a 10 .
dem do dia 11......
3i3:10U(H7
25:696*118
338:801*1)65
MOVIMENTO DA ALFANDEGA.
Volumes sabidos com fazenda*
dem dem com gneros
Volumes entrados
dem idem
com fazendas
com gneros
284
673
-----956
194
263
459
Descarregam nejo 13 de fevereiro.
Escuna norte-allemaCalharinamercadorias.
Brigue portuguezRelmpago dem.
Brigue norneguensoGaspar Wild farnha de
trigo. J
Vapor inofez.lrt;on=niercadorias.
Barca inwza=Srtp/>/M>=nierradorias.
Patacho norlo-ailemaoApollo idom.
Barca inglezaZenniaferro.
Barca nglezaMaranhaoferro.
Barca francezaMarassal.
Patacho norto-allomao/?e/i/icr=farinha.
Brigue inglezEleadafarnha de trigu.
Barca porluguezaDespique II varios gneros.
Patacho hospanholr//=idem.
Patacho inglezSanxonbacalho.
Barca porluguezaArmonavarios gneros.
RECEEDGRIA DE RENDAS INTERNAS GE-
11AES DE PERNAMBUCO.
Rcndimento do dia 1 a 10 16:894*855
dem do dia 11...... I:l477
18:049o82
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 1 a 10
dem do dia 11 .
42:7694387
3:691*189
46:460*576
MOVIMENTO DO PORTO.
(TRAN'CRIPCAO.)
O NOVO I'llOUlAMMA DO Sil. SXBA1VA.
Sea lgica, ordinariamente pratcada pelos bo-
iupus singlos, fosee a lgica seguida e adoptada
jieloSr. Saraiva na subliinidadc los seus pens-
menlos, mandava ella que o equilibrista de 4 de
maio, o conservador de hontein, de hoje, de ama-
jiiia, o dissidente do gabinete cm que fura mi-
nistro, o linanceiro do nao e do sim na uesma
inesto, livesse graduacao de cali eminente na
tiga formada contra o ministerio de 2 de marco.
Era a-consequoncia daguellas suas voltas e tur-
ricollus.
Mas, eumo o Sr. Saraiva nao caminba polas
veredas abertos a lodos, os que estavam habitna
dos sua ndole, espcrauam cousa diderente
' nuis urna incoherencia.
MeiH'ionando somonte o faci, sem conlieesr dos
seus motivosinsana tarefaabi temos o Sr. Sa-
raiva eito cuefc entre os ebefes da liga.
Quem ignora as facanlias dessa associarao de
interesses que se abarloavam e oombatiam,' para
a conquista dasurnas, dispondo a seu talante do
edabre iiinistoro das aguiasaguias vellias em
piem a decrepidez compela eom a experien-
cia f
Entao o (jue boje o liberalismo nota de crimi-
iiosos excessos foi oscrcicio legitHO de um gran-
de direita. De certo O que licito.a Jifeeraes est j
defeso a conservadores.
Na guerra contra cEes que estiaiegia potler ser
Irohihida E nao se defendam, senio.,..
Surgi da victoria 4a* urnas esse amalgama de
elementos repugnantes a que depois pretende-
i.aii os regeneradoivs eonwrtef de lUfa. em par-
tido progresista.
O conserrador eterno; r. Saraiva, abrazado em
zlo pela nova reiigiiio, enjo propheta se conside-
i ava, ja de conservadores nem a memoria quz
mais admitlir.
Qnando o Sr. Fcitosa,de Prnambuco, lgico,
-enjelhaiioa dos outros horneas, declarou-se na
amara dos Srs. depulados eonvicto de que se
nao Arria perder a dualidade autonmica dos ele-
mentos de que se compunlia a liga, o Sr. Saraiva,
agostada contra aquella verdade, futminou o teme-
i.irioque se atreva a tirar a consequoncia das
premissas e sustentar doutriaas e prevenm que
podiaat matar os Iifueiros.
Sob o mando e dominio do partido progresista
em seu berro, ou da situacao asente, como o
appellulavam os sabedores da grey, foi que, nomo
mnguem ignora, roinperan os lacios de aue se
originou a guerra actual. Gloriosa heranca d pro-'
irrcssisuio r
Ao Sr. Saraiva
Estatistica curiosa.
Quem sonharia da importancia de uma em-
preza estabelecida com o fim nico de fabri-
car um purgante para o uso geral do povo, e
com que voz de magoa fallam os segniates
algaiismos do Soffrimento e da dor que
combatida diariamente por uma cousa tao
insignificante como soja uma pilula?
0 Dr. Ayer de Lowell, nos Estados-Unidos
fabrica no seu laboratorio oitenla grozas por
dia das suas plalas ratharlicas durante todo
o auno, isto , dozeseis vidrinhos por minuto
ouduas dses por segundo; portante, mais
de 86,000 pessoas tomam estas pilulas todos
os dias, ou 2.580,000 por mez Facto este
(|ut! faz admirar86,000 doentes qtte buscaw
allicio todos os das na pericia medica de
um homem t
Um bomcm em caijos hombros pesa uma
respon.sabilidade taUleve ser sempre, como
inste caso , de umaintelligencia da piimeira
ardem deum carcter elevadissimo.
Navios entrados no dia 11.
Rio de Janeiro =29 dias, barca porlugueza Belm,
de 274 tonelladas. capitao Jos Joaquim de Fre1
las, equipagem 16, em lastro ; a Amorim Ir-
mao.
liba do Santa Helena9 dias, patacho inglez Eli-
za Slierres, de 195 tonelladas, capitao E.lwin
Sherris, equipagem 9, em lastro; ordem.
PArino A^* ""\>'"l"ft" '"> memo dia.
I ortos sol-Vapor l.ra.siloirn Thfttfu fiom-
maiidanle I. M. !. Franco, carga diflenniles g-
neros. "
Canal-Brigue inglez Eleonor, capitao S. II. Da.
vison, carga assoear.
BahaPatacho americano Aglaia, capitao flaird.
carga differentes gneros.
Rio Grande do SulBrigue brasileiro Unido, ca-
pitao Joaquim dos Santos Souza, carga assucar.
Obsercarao.
Suspenderam do lamarao para Macei a barca
rnssa Hercules, capitao Wi Ahlfors, com o mesmo
lastro que trouxo do Rio de Janeiro.
Mcm para Macei a barca norte allema Pein,
capitao Thomson, como mesmo lastro que trouxe
do Rio de Janeiro,
dem para Falmouth o brigue diuamarquez
Ckrtian, capitao Neelson, com a mesina carga
que trouxe do Rio de Janeiro.
Fundearam no lamarao duas barcas inglezas e
una noruega mais nao tiveram communiccao
com a trra.
Apparece a lesle urna embarcacao.
Vossa Excelleacia se igfte mandar que nes-
te sentido seja feito novo e< ital aflixado e
publicado no dia da praa,e em outroqual-
quer anterior a elleassimpedem Vossa
K^Uttftcia delpHpinito c esoara 'Teceber
Wrc8*OpmcurtdorJdaquni (SiutodsS.iti-
t'Aiin* E ns|i pe(jo dei o despacho
seguirte. Sim, Ikvife l de fevereiro de
1800, Aleti.ar Atafpe. E por terca deste
meu despacho, o respetivo tscrivao interi-
iiD feijpassar o presente edkal, pelo ttieor
do qua manilo, que tenha lugar no dia 22
do. coffente mez, a piaca dos Iwns pero-
rados por virtude da execugao dos suppli-
ca^tes_coiitra_as||supplicados, constante do
publicado, e com asalr
cujos bens S5o os se-
guintes, a casa terrea n. II a praca da Boa-
Vista, por 4:00041 rs, a casa trra n. 27 da
r^p Cetovello, por :i:000fl rs. e as ca-
sas terreas ns. 29 e :tl da ra Real por
*:500l rs, cada uma.
E-para que chegue o coiihecimento de
todos' mandei fzer o presente edital que
ser afluado nos lugares do costume e pu-
blicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife
de Pernambuco aos 4 do fevereiro de 1869.
Eu, Manoel Silvino de Barros Falc5o,
escrivlo interino, o subscrevi.
_____Tristao de Alencar Araripe.
lu* d*s feltos da falseada de
Pernambuco.
Faz-se publico a quem convier t iiueressar pos-
sa, que lindo o praso de tres metes acontar de 24
de dezembro ntinio, se hao de vender em hasta
Suhlica, celebrada na cidade de Goyauna e na villa
e Itamb, peranteo sobredito juizo, as tenas ner-
tencentes ao extincto enca;iellado de Itamb, cons-
tantes do edital de praca, publicado no Diario de
Pernambuco do citado dia. Os que pretenderem
lancar a praso, conforme o, art. 4o da le-de 6 de
setombro de 18S0, devero a|iresenlar-re com seos
fiadores habilitados, sendo as Cianeas prestadas ad-
ministrativamente e com todas as formalidades
das flaneas fiscaes nos termos das instruccoes de
30 de dezembro de 1865.
O escrivio,
Luiz Francisco B. de Almeida.
!.* Ouvrtu/i da opera inramis, do maestro
Rossini.
2.J PueJo da opera Poliuto, pelos Srs. Tambu-
rini e Coy. ...
3. Romance para piano da opera Ernan,pela
beneficiada. '
4." Caioao del Porto da 0|icra-.H,flr/tf, pelo Sr.
Tournerie.
.>." IV,can da opera / htmlturbi, palos Sra*,r
Tambrfii, Coy e Scolari.
SK(RINDA PARTK
1. Oni-ertura da opera Barbtiro de Sfi'ilha, do
I maestro tossini.'
2." Tercero aeto da opera Marta ie Boltan, pe-
los Srs. Tamliiirini. Coy e Tournerie.
TEHCEIRA PARTE
I. Phanlasia para flaata. pelo Sr. Candido J-
nior.
2. Cavatina da o|iera Ernoni, pelo Sr. Scolari.
3. Duso'da opera Bailo in msenera, pelos
Srs. Tamburini e Coy,
teJCarnacal de Veneza, pela beneficiada.
o*.* Terceto da opera Italiana in Argel, Papa-
tari, peles Srs. Coy, Tournerie e Scolari.
O concert ser' dirigido pelo eximio maestro
I. Smoltz.
Principiar as 8 horas.
A beneficiada ir agradecer ii'um dos interva-
los a todas as pessoas que se dignaram aceitar ca-
marotes.
N. B. A beneficiada agradece do intimo do co-
racao a todos os artistas que tao generosamente
pe prestam a coadjuva-la ueste seu primeiro pas-
so da vida artstica e especialmente aos Srs. Tam-
burini, Coy, Tournerie, Scolari, Candido Jnior e
Mr. Smoltze ao digno emprezario Sr. Coimbra pe-
la gracio-dade de ceder-lhe o theatro.
Uepos do espectculo haver un trem especial
para commodidadcs das famiiias que murarem
lora da capital.
Rf
reio de Janeiro
Pao porto cima segu com brevidade o pa-
acho norte -al tomad' Amonitas, por ter parte do
seu carregamento- engajado : para o resto que
.lhe falla tratarse com Antonio Luiz de Oliveira
Azevedn & C. ruada Cruz n. "i", 1*andar.
DECLARACOES.
= Pela recebedoria de rendas internas geraes
se faz publico que ueste mez e no de fevereiro
prximo futuro, que os contribuintes da taxa dos
esoravos do exercicio oorrente de 1868-69, quer
moradores as freguezias da cidade, quer as de
fra, li^in de paga-la, livre da multa do 6 0/0, e
com ella de marco em dianle.
Recebedoria de Pernambuco 8 de Janeiro de
18G9.
O administrador,
Manoel Carneiro de Sou/a Lacerda.
Companhia Pcrnambucana de na-
vegando costeira por vapor.
De ordem do conselho de dircccac e para satis-
facao do que dispoe o art. 19 dos estatutos, sao
convidados os senhores accionistas a reuuirem-se
em assembla geral no dia 15 do corrente ao meio
dia no 1* andar do seu edificio no caos da As-
semhlan. 12.________________
Correio geral.
Pela administracao do correio desta cidade so
faz publico que ein virtude da conveneao post.il
celebrada pelos governos brasileiro e fncez, se-
ra expedidas malas para Europa no dia lo do
corrente pelo vapor inglez La Plata.
As cartas sero recebidas at 2 'loras antes da
que for marcada para a sabida di vapor ; e os
jornaes at 3 horas antes.
Adminisiracao do correio de Pe nambuco 9 de
fevereiro de 1869.
'Domingo
O administrador,
dos i'assos "
sos Miranda.
Arsenal de guerra.
Chama-se a atteneau das peesoas que quizereni
vender ao conselho os objectos annUnciados a te-
rem om vista o annuncio do mesmo de 9 do cor-
rente e publicado neste Diario a 10J
____ Jos Baptista de Castro Silva.
AVISOS MARTIMOS.
TF'
PARA
Segu eom brevidade o palhabole
cebe carga nnuda,firafa-se com o consignatario
Joao Francisco da fcilva .Noraes
n. 11.
Amelia, re-
ons
ua do "Vigario
Para "STHfetl
vai saliir breve a bsfeuna porlugueza Aguia, roce-
la pssageiros : lrata-se com o capitao ou com
K. R. Rabello, ra do Commercio n. 44.
LEILOES.
AVISOS DIVERSOS.
Monte Pi Popular Pernam-
bucano
De ordem do Sr. director convido a todos os so-
iosa roinimrecerein no dia li do corrente, pelas
lOfioras iki dia, para om assembla geral, tratar
Secretaria da socledade Monte Pi Popular Per-
nambucano 10 de fevereiro de 1869.
Julio Cesar P. da Rocha,
Io secretario.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
IVavcgacSo costeira por vapor
Paralvyba, Natal, Maco, Mossor, Ara.
caty, Cear, Acarac e Granja.
0 vapor Pirapama, commandante
Torres, seguir para os portes acuna
no dia 15 do corrento as .' horas da
tarde. Recebe carga at o dia 13 as 3 horas da
tarde, eneommendas, pssageiros e dinheiro a
fretc at s 2 horas da tarde do dia da saluda no
escriptorio do Forte do Mattos n. 12.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
Navegaco costeira por vapor.
Macei, escalas Penedo e Aracaj.
**S\W 0 vapor Polengi, commandante
/y\A/L Pereira, seguir para osportos cima
aBaaiB no dia lo do corrente as i> horas da tar-
de. Recebe carga at o dia 13 as 3 horas da tar-
de, eneommendas, pssageiros e dinheiro afrete at
as 2 horas da tarde do dia da saluda no escriptorio
do Forte do Mattos n. 12.___________________
COMPANHIA PERNAMBUCANA DE NAVE-
GACAO COSTEIRA POR VAPOR.
Porto de Gallinhas, Rio Fonnoso e
Tamandar.
O vapor Mamanaitape, com-
mandante Mello, seguir para os
portos cima no dia 20 do cor-
rente a meia Mita Recebe car-
ga, oncommendas. pssageiros e
dinheiro a frete : no escriptorio do Forte do Mat-
tos n. 12.
- COMPANHIA
Xavcgaco
PERNAMBUCANA
DE
costeira por vapor.
Goianna.
O vapwr Mamangvape, comman-
dante Mello, seguir para o porto ci-
ma no dia 16 do corrente as 9 huras
da noite. Recebe carga, pssageiros, eneommen-
das e dinheiro a frete no escriptorio do Forte do
Mattos n. 12.
Hospital Portuguez de Benefi-
cencia.
A actual junta administrativa do Hospital Por-
tuguez de Rcrwlicencia. leudo de impossar a nova
jimia que tem de fnnecionar no corrente anno de
1869. roga a quem se julgar eredor do mesmo
Hospiial, de apreseutar a sa-eonta ao respectivo
esmoler, para ser incontinente paga.
COMPOSITOR '
Precisa-se contratar um bom compositor,
para trabalbar n'uma typograpbia' de pro-
vincia perto de Pernambuco ; quem quizer
deixe ficar as condices com que quer ir,
em carta fechada, nesta typographia.
- Ollerece-se um rapaz de 16 annos para cai-
xeiro com pratici do miudezas, e d llador de sua
conduela ; quem quizer utilisar-seescreva em car-
la fechada com as iniciaes A. S. esta typogra-
phia.
Precisa-se de dous portugnezes para feitoi
e destilador em um engenho : a tratar na ra do
Alecrim n. .'12, portan de Ierro. *%
Manuel Pereira da Cimba vai a Europa.
PERFUME INEXT1NGUIVEL.
Para o Lenco, Toccador, e Banho.

do
EDITAES.
Protectora das familias
Ein cumprimento do prevenido no artigo 29 do
reaulauenlo, se convida a todos os senhores con-
tribuintes desta assoeiaclo, que ainda nao tiverem
apresentado as certidoes de idade dos segurados, I Hr^mnni
para goe facam entrega deltas na ra do Livra-'
meuto n. 19, Io andar, alim de ser expedidas o
rnais rev pussivel para a inspectora geral do
Rio de Janeiro. As certidoes devera ser selladas e
reconUecidae por tabellio. Recife 13 de Janeiro
de 1809.-^0 representante,
N. F. de Vidal.
0 Dr. Francisco d'Assis Oliveira Maciel,
cavalheiro da Ordem de Christo e juiz
dedireito da Ia vara criminal desta co-
marca do Recife por S. M. Imperador,
a quem Deus guarde, etc.
Faco saber que acbando-se vago um dos
oflicios de tabellio de notas desta cidade,
polo fallecimeuto do servenluario Joao'Bap-
tista de S, o qual okiofoi criado pelo do-
natario Duarte Coelbo. convido pelo prsen-
lo a quem prentemlerdito ol icio a apreseutar
ueste juizo no prazo d sessenta dias a con-
tar da data doste, sua petico datada e as-
signada pelo preteudente ou seu procura-
dor e acompanhada de certido de idade,
folba con-Mla, exame de suficiencia e mais
que entender convenientes,
1005000
1705000
lolOOO
COMMERCIO.
PRACA DO BECIFE H DE FEVEREIRO
DE 1869.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDE.
Assucar mascavado da Parabyba 3*200 por
arroba posto a bordo..
Algodao da Parabyba Ia sorte 16i00 or ar-
roba posto a bordo, a frete de 3/8 e S OiObaa-
tem).
Aalgodao do Cear ! orle 16M00 por arroba
posto a bordo, a fele de5/8 e 3 0,0 (iionteui).
Cambio sobre Londres90 d/v iq d. por 1000
F. J. Silveira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
sendo todos dovidamente sellados na con-
formidade do decreto n. 817 de 30 de
agosto de 1851.
E para que chegue a noticia ldos man-
dei passar presente edital que ser pu-
blicado pela imprensa e aflixado nos luga-
res dp costume.
Dado e passads nesta cidade do Recife
aos 26 de Janeiro le 1869.
En Joaquim Francisco de Paula Esteves
Clemente, escrivao o subscrevi.
_____Francis d'Assis Oliveira Maciel.
Manta Casa da Misericordia
Recife.
A Illma. junta administrativa da Sonta Casa da
Misericordia do Recife manda fazer p blico que na
sala de suas sessoes, no dia 21 do corrente, pelas
quatro horas da tarde, tem de ser arrematadas
quem mais vantagens offerecer, pelo lempo de um
a tres annos, as rendas dos predios em seguida de-
clarados :
ESTABELECIMENTOS DE CARIDADE.
Ra da Alegra.
Casa terrea n. 7, por anno..............3005000
Ra de Ilorlas.
Loja do sobrado n. 41, por anno........ 1205000
Ra da Moeda.
Primeiro andar do sobrado n. 37, por anno 763000
Segundo andar, idem.............. .. 96.1000
Areal do Forte.
Casa terrea n. 1, por anno..........|
Ra do Padre Floriano.'.
Casa terrea n. 43, por anno........i
Rcco das Carvalhas. '
Casa terrea n. 3. por anno...........
Ra da Imperairiz.
Casa terrea n. 68. por anno............3035000
Ra da Conceicao.
Casa terrea n. 5. por anno.............. 2195000
PATRIMONIO DOS ORPHOS.
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 100, por anno .. ..
dem n. 102, idem................
Ra do Rangel.
Casa terrea n. 36, por anno........
Ra da Madre de Deus.
Casa terrea n. 12, por anno........
dem n. 6, idem..................
Sitio n. 8 do Forno da Cal, idem .. ..
Ra do Cordoniz.
Casa terrea n. 1, idem..............J .. 440.3000
Ra da Gloria.
Casa terrea n. 23..................J .. 1445000
Os pretendenles deverao apreseutar no acto da
arremataeao as suas flaneas, ou coriparecerem
acompanbados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, 1. de fevereiro de 1869. O escrivao,
__^_____ Pedro Rodrigues de Souza.
Companhia americana c brasile-
ra de paquetes u \apoi.
At o dia 13 do corrente esperado de New-
York por S. Thomaz e Para o va|Kr americano
Merrmack, o oual depois da demora do costume
seguir para os portos do sul. Fretes epassagens
trala-se com os agentes Henry Forster & C, rua
do Trapiche n. 8,
PAMHIA
essageries imperiales.
Ateo dia 14 do corrente mez espora-se da Eu-
ropa o vapor franeez Guenme, o qual depois da
demorando costume seguir para Rabia e Rio de
Janeiro.
Para condices, fretes e passagens tratase
agencia rua do Commercio n. 9.
lia
Para
Para o indicado porto segu em poucos dins o
palhabole Rozita. por ter a maior parte da carga
e para o resto que lhe falla trata-se com o con-
signatario Ji-aqnim Jos Goncalves Reltrao, rua
do Trapiche n. 17.
2015000
2015000
3025000
7805000
4805000
1305000
Para o Porto
Segu sem demora a barca portugueza Novo
Silencio, por ter grande parte da sua carga promp-
ta, para o resto o pssageiros aos quaes offerece
excellentes commodos trata-se com Oliveira Filhos
& C, largo do Corpo Santo n. 19 ou com o capitao
na praca do connnereio.
0 Dr. Tnstao de Alencar Araripe. official
da imperial ordtmda Rosa, juiz de (H-
reito especial do eommercio nesta ci-
dade do Recife de Pernambuco por Sua
Magestade Imperial que Deus Guarda,
ect.
foi ommcttida a rnissao diplo-
I'Sl,^i,irerd"VU ""K 4 8vern KA)
Oriental do l ruguas latuiacjto aos aggravos feitos
aos subditos biasileiros, seguranca e tramiuillida-
de para o futuro. '
.Ni temos que dizer do sou procedimenlo como
enviaA) extraordinario. Se desaceitou, fez o nue
lhe ordeiKU-am, E s acertou, quando s pelo im-
ml eom Elizalde e Thornton para o eongracamen-
to dos blancos e colorados o pacilkaeo da rep-
blica.
Notamos, porni, a-ino unu das inconseqnencias
/'abituaes do Sr, Saraiva. a indiscrela, a leviana
BANCO MAUA i C.
Rua do Trapiche u. 34.
Desconta lettras'co.nmerciaes a taxa con-
vencional. Recabe dinheiro, a premio 4oo-
I Faco saber pelo present, que Andrade V
Bego por seu prutairador, tm .-lirwinni a
peticao seguinte.mustissimo Eicellentis-
simo Sr:,Dr. juiz ,lo commeraio Dizena
i Andrade - Reg, que na execucSo que mo-
vem contra Jos Hbefro de.-Brito e sua
mulher, por este juizo escrivao Paes de
Andrade, tendo de ir a praca no dia 22 d$
corrente mez es bens constantes do edital
-eocional, por lettras e era conta corrente. publicado no jornal que "junto offerere 7
Lonfere crditos, saca sobre as pnmeiras cede que as .asas torreas da rua Real aue
pracas do imperio, Rio da Prata" e Euro-
pa, e compra cambiaes so;>re as mesmas
pracas.
Encarrega-se, por commissao., (la com-
pra e venda de fundos pblicos e aegoes de
compaahias^ da oobranca de lettras e di-
Mdendos ou de seu pagamento, e de qual
<[uer outra operaeSo bancaria.
- rua Real, que
ali estao com os nmeros de 27 e 29 se
adiara boje com os nmeros de 29 e 3|
bem como por engao da tvpographii em
que fot publicado o edital no'dia 19 de de-
zembro do nno prximo passado, fo de-
clarado que a praca respectiva era no dia 2i
de fevereiro do anno Corrente, no ontretan-
to que no original domesmo edital insta
Conselho de compras navaes
O conseibo promove no dia 15 do corrente mez,
sob as candicoes do estylo e vista de propostas
recebidas at as 14 horas da manhaa. a compra
dos seguintes objectos do material da armada : 6
pecas de arribem, 3 aueorotes de 2 quintaes, 1
ancora de 6 uihtaes, 200 alqueires de cal preta,
8 pecas de cabo de linho de 1 pollegada, 8 jiecas
de cabo de linho de 1 1/2 pollegada. .1 pecas de
cabo de iinho 3 1/2 pollegadas. 1 peca de cabo de
linho de 4 pollegadas, 1 peca de cabo de linho de
4 1/2 pollegadas, 3,000 estopares, 200 lencos de
seda preta, 80 resmas do lixa de esmeril em pan-
no, 6 arrobas de mialhar, 10 libras de oforeias
franceras, SO folbas de papel para mapi as, 2 res-
mas de papel Hollanda, 100 pratos travessos de fo-
; lha, 400 pucaros de folha grandes, 20 tira-linhas.
40 irados de ferro de 4/8, 10 duzas de taboas de
assoalho de pao-carga, 10 duzas de taboas de
po-carga de 3/4 de pollegada. 00 gros.-.s fletar-
cidas para pharol e 8 vidros grandes de patente de
jl 1/2 palmos de comprimento e \ i i de largo.
Sala:das sessoes do conselho e compras navaes
itdefevereircdel869. '
O leer ario
Alexandre Rodrigues dos Anjoi.

Attenpo
Tara Lisboa.
PROGRAMM

DO
Segu com muita brevidade a barca portugueza
Gratido, tem grande parte da sua carga promp-
ta ;^>ara o que ainda lhe falla e pssageiros, tra-
ta-se eom Oliveira FiHfos & C, largo do Corpo San-
to n. 19,oii com o capitao na praca do commercio.
Parak Lisboa
Vai sabir com muita presteza o brigue portuguez
Constante 11 por ter grande parle do seu carrega-
mento pramplo : para o restante e pssageiros,
trata-se com Oliveira, Filhos A ()., largo do Corpo
Santo u. 19, ou com o capitao na praca do com-
mercio.
Para Lisboa
O brigue portuguez Laia I, capitao Vieira, vai
Shir com muita brevidade, por ter a maior parte
saa carga p rompa; para a que ainda lhe falta
e pssageiros, trala-se com Oliveira Filhos & C,
largo do Corpo-Santo n. 19, ou com o referido ca-
pitao, na praca do Commercio._______
Para o Porto
seguir com a inaior brevidade possivel a mu ve-
leira galera portugueza Nova Fama II, por j ter
a maior parte da carga engajada : para o resto e
passageirtfc, aos quaes ofrerece excellentes com-
modos : frata-se com Cunha Irmaos & C. rua da
Madre de Dos n. 34.
A MU AFAMADA
AGUA DE FLORIDA,
DE
MI Hit ti V I \\?1 W
He o mais delicado e mimoso e ao mes-
mo tempo o mais estove! de todos os per-
ftnnes, e encerra em si, no seu maior auge
de excellencia, o proprio aroma das verda-
deiras flores, quando ainda na sua flores-
cencia e fragancia natural. Como um meio
seguro e rpido allivio contra as dores de
cabeca, nervosidade, debilidade, desmaios.
Hatos, assim coiuu cunta todas as formas
ordinarias de accidentes hystericos; de
summa eflicacia e nao tem outro que o
iguale. Igualmente, quando destemperada
com agua, toma-se um dentifricio o mais
agradavel e excellente, dando aos denles,
aquella ahora e aperolada apparencia tao
altamente apreciada e desojada pelas Se-
nhoras.
Como um remedio contra o mau haliln
da boca, depois de diluida em agua,
saturnamente excellente, faz remover neu-
tralizar todas as materias impuras que se
crian 1 roda dos denles e das gengivas.
tornando-as duras, sadias e d'uma linda cor
encarnada. Quinto a delicadeza, riqueza
e permanencia do seu fragrant aroma, pila
por certo n5o lem igual; e a sua supe-
rioridad!; sem rival. Ella igualmente tor-
na-se um meio mu excellente, para fazer
remover de sobre a pelle do rosto, toda a
qualidadede brotoejas, ebulicoes, sardas,
pannos, mancbas, impigens e espinhas.
Quando se quena servil- della como reme-
dio para fazer desaparecer qualquer um
desto^disliguraini'nios, e que tanto desfei-
amaWlndas feicoes do bjllo sexo; devei..-
se usal-a n'um estado de dilluico, destem-
perando-a n'uma pouca d'aga ; porm no
tratamento de qualquer espinba, usar-se-ba
della pura em toda a sua forca. Final-
mente como um admiravel meio de com-
municar as feicOes trigueiras e paludas,
uma pelle maria e d'uma transparente al-
vura, dando-lbe uma linda cor de rosa :
para um tal fim, ella leva a palma a todos
os perfumes que se toen inventado at ho-
je, e existe em plena adnate san rival.
Bem entendido tudo isto se refere nica-
mente a Agua de Florida de Mi khav
Lanvian.
As imitacfies (pie se tem feito na Franca,
Allemanha, assim como em outras partes ;
sao inteiraiiteuto inuleis e invaliosas ; por-
tanto reconimeiida-se niui especialmente
las senboras, que tenhan toda a precaucao
e cuidado, de quando comprarem, estejam
certas que comprara. /
A Gemina
AGUA DE FLORIDA
DE
MURRAY A LAN1L\N,
A qual preparada smente pelos nicos
Proprietarios,
LANMAN & KEMP, DE NOVA YORK.
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A. Caors, i. da C. Bravo, rer & C. A. A. Barboza Bartholomeu, d C.
E em todas as principaes tojas de per-
fumarias e boticas.
A BOEFlCIO DA J0VK.V I'hB.NAMBI.C^ A
am\ pbi
Kan 13 rtf fcTerelro djc f !f
PftQffinL< PARTE
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
navega?3c. cos(eira por vapor.
Mamanguape.
O vapor Coruripe, commandante Penna, segui-
r para o porto cima no dia It do crreme as 6
horas da tarde. Recebe carga at o dia 11 as i
Iioras da tarde, eneommendas,! pssageiros e di-
nlvelro a frele al as;) horas da tarde do dia da
sabida nu esCTmtorio do Forte do Matos n. 11
Segmra com a possivel brevidade palhabole
**rak*; a U-alar rom & Leilao Inaio*, rua
da Madre de Dess n. I.
nassa fallida de loaqulai lose
SUvelra.
Os administradores da raassa Mida de Joaquim
Jos Silveira estao autorisados pelo Sr. Dr. juix do
commercio a pagaram o 4o dividendo da mesma
massa a razao de i e meio a 3 decimos, para o
que Dodem os credores se dirigir ao escriptorio do
Dr. Jas Bernardo Galvao Alcoforado.
O abaixo assignado faz sciento a todas as
pessoas que se julgarem credoras da taberna sin
a travessa da Sensak-velba n. 6, que no praso d
8 dias apresentem suas eottas conferidas pelo ex-
adminisirador da referida taberna Francisco Jos
da Silva Sanios, nara serem pagas. Recife 12 de
fevorairo de 1869.
Francisco Alvee Monteiro Jnior.

I
v.

f
= Na rua Direita n. 88, casa que foi do fali
do Prannos, conbna-se a vender o verda*'
, clame e a salsa do Dr. Tompson.
*


Diario de PernamWeej *pta feira 12 de Fe.emro u^ 1^.
3
esquina
da ra larga do
Rosario.
i
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortimento sem igual,
e vende por presos que nenhuma outra casa pode vender.
vista da qualidade e do prepo das joias cada um pder-se-ha convencer da verdade
Garante-se ser tudo de lei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por prepos muito ele-
vados.
A loja esi aberta at as 9 horas da noute.

esquina
da ra larga do|
Rosario.
UMA GBMDE DESCOBERTA
O O
deFIGADOdeBACALHAU
DESINFECTADO
MEDALHA
DE
HONRA
DESINFECTADO FERRUGINEO
" CHEV
A propiedades medktet do oleo de gado de bacalao forto unanime-
mente reconhecidas. Mas seo cheiro e seo sabor to desagradavels torno o
uso d'elle muilas vezes impossivel, meemo sos estmagos os mais robustos
. tos mais condescentes.
Por isso a descoberta do Snr. Chitbiek que lhe permettio de desinfectar
inteirament. o oleo de 6gado d. bacalhao sem alterar tuas propriedades lem
sido um dos mais felizes problemas resolvidos pela tberapeutica moderna.
O oleo de figado da bacalhao desinfectada de Cherrier, com um
cheiro agradavel e um sabor astucarado, 4 o nico que nlo tem n.m goslo
nem cheiro de peixe.
Objecto de numerosos relatnos scientificos ella goza en Franca de urna
fama bem merecida, e i receitado por todos os mdicos em lugar do oleo de
ligado de bacalhao ordinario. Tendo as mesmas propriedades do oleo de
6gado de bacalhau ordinario, usa se d'elle nos mesmos casos Uto as:
Molona* eserafulaaaa. rohrr/a ilo iaaaae,
hiiiamo. afairameata atar ueeaa* da
Irabalha on de araaerea,
Maleallaa d*e araaehloa recea-
Im o tkronlm,
Taaaea aertlaaaea,
l-arlcra. axlralglaa,
tarea de ralomaga.
Elle convem todas as cempleicSes e a todas as idades, e tomada fcil-
mente pelas pessoas as mais delicadas. Elle 6 um poderoso socorro para a
alimeutacjo das enancas iracas e doentes.
I m rllela rcompn; Deposito em Part, na pharmacia de Cherrier, e em
ok naced* data alaadea.
Tlalra anlmaaar,
alcana- da k"'
M.iiiak lyaaaaatlea,
Aaeatla, deaUldade, Iraqana,
Magreza,
0 olio de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chevrier constitue o melhor meio de administrar o ferro. 0
ioduro de ferro reunido com o oleo de figado de bacalhau, aug-
menta a aeco to eficaz d'este ultimo, se ssolve mais fcil-
mente nos lquidos das vias digestivas, se issimila muito mais
bem do que quando tomado sob a forma de pilulas, xaro-
pes, etc., enfim perde suas propriedades irritantes e nao pro-
voca a constipaco.
As pessoas as mais delicadas que nao podem supportar as
preparacoes ferruginosas ordinarias, as quaes, principalmente
nos paizes quentes, tem muilas vezes grandes inconvenientes,
podero com a nova descoberta do Snr. Chevrier, usar do ferro,
um dos mais poderosos agentes therapeulicos, tomando-o
unido ao oleo de figado de bacalhau.
0 oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chevrier, se amprega em todos os casos que o ierra acon-
selhado; julgamos intil de os enumerar.
e roiitem ni obaervacoca medicaen.
todas as boas pharmacias de Franja e do es rangeiro.
Quem prensar Mrigat urna ams de leito
mnito rarinnosa, crioula e sem llm, dirija-sc a
ra da Imjieratnz, loja n. 28, onde dir i|iumi e
. Precij-so de um menino de -t a 14 anno'
para caixeiro de padaa : no paleo do Terco nu-
mero :i8.
= No sobrado n. 2 da ra do Imperador ha
una carta vinda do Ass para o Sr. Bcrnardfno
HMriipMt de Oliveira.________________
.KA.
Na ra estreita do Rosario n. 18, f andar, pre-
cisa-so de urna ama. ________
Precisa-se
de urna cozinheira. preferindo-se escrava : a tra-
tar na ra de S. Goncalo n. 26-________________
= 1). Mananna ila CBMQ tenar, curadora
de jen marido Joo Tertuliano Morda de Carva-
Iho, declara, por ordem do lllm. Sr. Di. jiuz de
orpliiios, que nenlimn debito de sen mando sera
pago, a nao ter sido ci.ntrahido com autorisaran
dojuio, oi|ue annuncia atim de ifMnao cunt-
uiiem a veuder-lhes liado, como e tem dado ul
tintamente. ________
Na na Nova n. 46, toja* precisa fallar- com o
Sr. Jos Patricio de Castro a negocio qu.) nao ig-
nora.
No collegio da Coiiceico precisa-se de urna
engommadeira perita. _____
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro de 13 a 10 anuos.
preferindo-se dos chegados ultimauenle : na ra
dos Pires ii. SO.'____________________________
) l'reoisa-se fle um caixeiro |>ara taberna : na
ra do Pilar, travesea do chafanz n. 4.________
I = Na ra Dirata n. 84 se dir qnem d :>:6
a premio com liypoihcca em bens de ra*.______
i Precisa-se de nm criad : na roa Nova.nu-
raero 46. ______ : _________
Atafaa a ras n. 8 da ra do Is.muhi : a
tratar na-feguiido talar do soLrado li. :7 da.na
das Flores.
55-RUA DA IMPERATRIZ-55
O proprietario d'ste importante estabelecimento tem a Itoura de participa1'
ao respeitavel publico que tendo fgido d'esta prara a pessoa que se achava na sua ge-
rencia, elle contratos para sua casa um perito oficial que foi por muito tempo o pri-
meiro offiejai da importante casa Sulingre doHio de Janeiro ; por isso espera o annun-
ciante que todos fiearo satisfeitos dos eeus trabalhos, visto, alm d'isso, possuir no seu
estabelecimento as machinas mais aperfeicoadas para Ungir e lustrar de que se faz uso
na Europa, c achar-se tamben prvido de grande quantidade de drogas escolliidas,
sempre de prmeira qualidade e fornecidas pelas casas especiaos de Paris.
Tinge-se, lava-se e limpa-se com a maior perfei(o fazeudas em pecas ou
em obras de qualquer qualidade que sejain, taes como 15, algodo, seda, touquim,
pennas, chapeos de feltro e de Manilha ou palliinlia de todas as cores, etc. etc., e
tanibem tira-se nodoas e limpa-se a secco sem moibar os tecidos.
Os senhores negociantes, Logistas e particulares experimenten, que todos
acharao proveito e vantagens.
Tintura pela tercas e sextas-fciras.
HUffl HOTEL
i'5-71
n
mmm
'
w

1?

i
.2
.
en
es
s-



"c5
c
>t 5
**>
J tt Y s \61 o. "s ^ 8 ce t>s Ca^

e a

4
o
a
O *h
O
o* >.
o
c
d
e
P3
o
c
cu
_2*>
C O u
s^ o = =
2 o ~ s
s w I
s 11 il
.Sss
8 o S 5-
w = V.
i .-Sil
, 4> u -j n
fi -^ i S
o ., J
11
.5--C.-J
= so
.2.3. |2
|1 5
S ST2
C c fi
? -
VALOR THERAPEUTICO

i
DO
XAROPE DE QUINA FERRUGINOSO
DE GRIMOLT E COMP.
Pharroaoeuticoi da 8. A. I. o principe Napoleao, em Paria.
A associacSe do ferro e da quina resolveo um dos mais imporlanles problemas da pharmacia,
e faz com que se congratulan! os mdicos dos relevantes ervicos que lkes presta esta pre-
paracao.
Com effeito, ninguem ignora que a qnina, em mateira medical, o melhor tnico que se
possa empregar, sendo, sobretudo, anido ao Phosphato de ferro, a mais estimada das pre-
paracoes ferruginosas, pois que entram na &ua com|>osico o ferro, elemento do sangne, e o
pbospbato, principio dos ossos.
Por isso, julgimos que, para bs srs mdicos, serao inlercssanles as observavdes feitas pelos
aens collegas, os mais distinclos de Paris:
. Este Xarope produz os mais felizes resultados nos casos de dyspepsia, chlorosis,
amenorrhea, bemorrhagias, leucorrheas, febres typboidas, diabetes, e quando precisa
restabclecer as torcas dos doentes e restituir ao corpo as forcas alteradas ou perdidas. *
AUN AL, medico de S. M. o Imperador.
E ama das raras combinares que, ao mesmo tempo, satisfazem o medico e o doente. Em
a quanto a mim, cu a cxinsidcio couw a mais eUicaz preparacao ferruginosa, cujo uso dos
< mais agradaveis para Os doentes.
CAZE.NAVE, medico do hospital Saint-Louis, em Parit. r
c Com esta preparaclo d'uma forma agradavel, e fcil de digerir, administra-se aoa
doentes dois medicamcnios imjiortantea.
CHAUR1ER, chefe de clnica da f acuidaddt Parit.
t Eu emprego cara o maior eiito o Xarope de ffuina ferruginoso, c o considero como
c una das mais felizes ionovacoes, na mateira medical.
CHASSA1GNAC, cirurgiao em chefe do hospital LariboUr.
Este medicamento, sempre bem aceito pelos doentes, deo-me constantemente os mais
yantaiosos resultados. ....
HERVE7. DE C11EG01N, memoro da Academia de medicina.
c A limpidez d'esta preparaclo, o sen gosto agradavel, isento de qualquer sabor de
Ierro, fazem d'ella um medicamento to eflicaz como agradavel.
MONOD, addido facaldade ie medicina.
Deposito em Pernambueo, em casa de Maarer a O*.
EPIDEMIAS
O LICOR DE LABARRAQUE um preservativo seguro em lempos de
epidemias: cholera, febre amarella, peste, typho, etc. Devein evilar-se as fal-
sificacdes as quaes sao a maior parte das vezes mal preparadas, sendo por isso
mais nocivas de que uteis. Deposito em Parit, L. FREKE, 19, ru Jacob.
Em Rle-Jaaetro. Duponche'.U; II. Tetdorpf. Km Pernambueo. Mnurer.
n

Situado em um dos bairros mais centraes de Paris, sendo as immediacoes dos
prijicipaes theatros e outros muitos divertimentos, e assim das estacoes dos caminbos de
ferro para todos os pontos da Europa, acabado de ser inteiramente renovado, nao se
temi pniipadoo seu novo proprietario a despezaspara seu completo embellesamento e
aceio, torna-se portanto vantajosamente recommendavel aos senhores brasileiros e por-
tgnezes, a onde encontraro sempre aquella convivencia desejada em paiz estranho,
por ser constantemente frequentado por scus compatriotas. O tratameiito suprior a
todo o elogio, mesa redonda, ou a carta, ou servida nos apozentos; kabitacoes conve-
nientemente despostas para familias, e quartos para urna s pessoa, o servico feito
com a precisa regularidade : os procos muito rasoaveis eao alcance tambem d'a pessoas que sequeiiam limitar.
Gabinete de leitura com os principaes jornaesdos dous paizes, salo de receproe
de msica, etc. etc. Todas estas vantagens podem ser applicadas igualmente aos senho-
res passageiros das repblicas do Prata, poique alm da senjelhanca da lingua. ali en-
contiaro muitos senhores liespanhoes, por quem tambem esta casa bastaite fre-
quentada. _.. r_' V . aD
iPHOSPEATOdeFERRO
[de levs doutor em sqencias^
INSPECTOR OA ACADEMIA DEPARIZ Etc.
Debaixo da forma d'um liquido sem sabor,
anlogo a urna agua mineral, este medica-
mento rune os elementos que constituem
os ossos e o sanguo. E' o mais racional dos
ferruginosos; por esta razo o adoptrSo
ds mais eminentes mdicos do mundo n-
teiro. Convem muilo s meninas de temperamento delicado, cujo desenvolvimenlo tardo,
s senhoras que i adecem d'estas dores d'estomago intoleravei., causadas pela chlorose,
anemia, mensiruaco ou leueorrha, s criancas d'uma corapleigo paluda e delicada, e a
todas as pessoas que tem o sangue empobrecido pelas doencas. Efficacia, rapidez d'acciio,
cura, perfeila. sem consiipaco de ver.ire nem aefio sobre os denle, taes sio as raioea ene
imperio para que os senhores mdicos o prescrev&o aos seus doentes.
Deposito em Pernambueo, em casa de Btaarar a O*. .onitisi, la tL 4 '
NJEGCAO VEGETAL
com MATICO
0 successo d'esta injeccSo, preparada com as folhas do Matlco do Per, foi to rpida, que
ella se tem tornada popular em todos os paizes do mundo, para a cura da gonorrha e das purga-
coes de toda a natureza. f o nico produelo neste genero caja entrada na Russia tenha sido
autborizada pelo conselho medico de Sio Petereburgo.
Deposito em Pernambueo, em casa de ataare* a o*.
CAPSULAS VEGETAES
com MATICO
DE GRIMAULT E C* PHARMACEUTICOS EM PARS
Estas capsulas, com capa de gluten, coutem balsamo de eopahiba associado esseocia de
Matico (arvore do Per), e consliluem um remedio infallivel contra gonorrha. Ellas obrio
sem cansar o estomago e nio provoca* nunca os aojos e nauseas que occasionao as caisulas
ordinarias, tendo a immensa vantagem de nao commnnicar cheiro s ourinas. E' por estes mo-
tivos que ellas sao superiores s capsulas de eopahiba, cnbebas, etc.
a Deposito*cin Ptrt.ambuco, era casa de Maura C
II,
Ra do Rosario n. 79,
sobrado
Agencia de negocies da corte pa-
ra as provincias e deslas para
a corle.
Sob a direccao do advogado Francisco Carlos
Branda", aclia-se cstabelecida na cidade do Rio de
Janeiro, rita do Rosario n. TJ, sobrado, una agen-
cia de negocios da c/>rie para as provincias, e des-
las para a corle, a qual, pelo pc>soal habilitado, c
inefcw de ipiedisnoe. encanera-se de lodos o qnaes-
i|uer netocios judicaes em Ia e " instancia, como
i accoes civeis, Crimea e cominerciaes, recursos, ap-
peuagoes. aggravos, revistas, doezas peranle o
jury, reclamantes de antignidades de magistra-
dos, etc., ete.'
Incumbe-s" outro siin de lii|uidaciies conimer-
eiaes, de veolioncoes. e ajmtes de cotas, de co-
branoas de Svi?, de airccadaQTes 4e heranaas,
de matricula de juizes, o commerqantes, e em ge-
ral de todo e qualquer trabalho forense, ou que te-
lilla de ser feito peraute as eparticOes administra-
tivas da corte.
Mediante as condicoese garantas que com as por-
tes estipular, adianta dinlieiros sobre as arrecada-
i;ois e direitos que lhe parecerem seguros, c li-
quidos.
Presta-se a fornecer aos seus commitientes a-
mfonnacCes que exigirem, e que puder obter, so-
bre assumptos e interesses que hes digam ress
peito.
Seos honorarios e commissoes serao razoaveis c
moderados, regulando-se pela importancia e diffl-
culdades (pie olferecerem os negocios commet-
tidos.
As pessoas que dos seus snicos se quzerem
ulilisar, poderao dirigir-se pessoalmvnte, ou por
crina ao eseriptorio cima indicado, devendo na
segunda hypolliese remetter os documentos que
tiverem ou copia liel delles, e urna informacao cir-
cumstaneiada, escripia, e assignada sobre o nego-
cio ou negocios que livcrem de ser tratados. Alem
desta remessa os senhores que morarem fora do
municipio neutro, e em qualquer das provincias
deverao competentemente autorisar pessoa id-
nea, residente na corle, com quem a agencia possa
entender-se e validamente contratar.
0 fiel deseinpenho dos seus deveres para com
todos, e especialmente para com aquellos, que ncl-
la conflarem, constitue o fundo capital, cotn que
a agencia principalmente conta, e por issotein o
mais vivo interesse em manle-!o, e ha de zel-lo
rom a mais vigilante solicitud.'.
Sob ama forma lmpida e agradavel, este medica-
mento rune. a piifui'qne o tnico por excelkncia*
e o ferro, um dos principaes elementos do snete. E
adoptado pelos mdicos mais distinclos de Pars, para
curar as cores paludas, facilitar o desenvolvimenlo
das meninas e restituir ao corpo os seus principies
alterados ou perdidos. Faz rpidamente desappareeer
as dores d'estomago intoleraveis suscitadas pela ane-
mia ou pela leueorrha, s quaes as senhoras estilo
tantas vezes sujetas, regularisae facilita a menstru co,
e receitado com successo s enancas paludas, ljrm-
phaiicas ou escrofulosas. Emfim, excita o appatita,
favorece a digesto, e convem a todas as pessaas cujo
sangue est empobrecido pelo trakalha, pelas moles-
tias, aa convalescencas longas oB diflceis. 0s bons
resultados nunca se fazem espera*
Deposito em Pernambueo, em casa de Maauai a O*.
Paris, 36,RuaVivienne, D"
CHABLE MEDCCIN
ASENFERMIDADASDESSKXUAES.ASAJrTatV
COF.S CUTNEAS, EALTUQOESDO SAllOUR.
---------------------aaaoOCurt,(iasmainjfU
^atiio*. herpes, tama
fcomixoes, acrtmonia.e aU
treoes, viciosas do san-
b/m; virus, alteracoes
do tangue. (Xarope vegetal sem mercurio). aea-
rativaa vee(aea BANBOa MIHBRaB
tomao-se dous por semana, seguindo o tractamente
Deptiralioo : i empregado as mesmas molestias.
"H Este Xarope Citracto da
ferro de CHABLB. cura
immediatamente qualquer
purgacao, relaxacao,
_J debllidade, IgnU-
mente os ftuxot e floret brancas das ""**
Esta injtccao benigna smprega-M com o Xarapa de
Citracto de Perro. . ,_. Mmm
Beaaarraidaa. Pomada qua as cara ea tras da*.
POMADA ANTIHERPETICA
Contra t aas /fccoMJutandi eomto.
PILULAS VEGETAES DEPURATIVAS
DEPURATIr,
.i SANG
PLUS DE
COPAHU
IVutrimeuto
MEDICINA!
nSPABADO MB
l.uiiwiil d! A'tf;'.>
PAHA
Tisita e loda i
qualidade de dti-
rngas qtu'r seja
ua garganta, im-
to ou bofes.
Exp re s-
mente escohrd'
dos itrlliores li-
gados dos quaes
m ex trabe o
Oleo, no banen
'da Terra No\a
puriticadO chi-
inicaliiicnlc, c
suas valuaveis
p ropriedades
conservadas
com todo o cui-
dado, em todo o
frasco, seguran-
te perfeitamen-
te puro.
Este oleo tem
sido subnieltid"
a un exami'
muito severo, pelo chimico de mais talen-
to, do govorno hespanliol em Cuba, e foi
por elle a conter,
MAIOR PORCAO D'IODINA
do que outro qualquer oleo, que elle tem
examinado
IODINO E' UM PODER SALVADOR
Em todo o oleo de figado de bacalhao,
onaquelle no qual contm a maior porga
d'esta invaluavel propriedade o unici
meio para curar touas as doencas de
GARGANTA, PEITO, BOFES, FIGADO,
Tsica, bronchites, asma, catarrho, teme.
resfriamentos, etc.
Uns poucos frascos d carnes ao muilo
magro que seja, clarea a vista, e d vigor <
todo o corpo. Nenuum outro artigo co-
nhecido na medicina ou sciencia, d tea*"
nutrimento ao systema e encommodand"
(|uas nada o estomago.
As pessoas cuja organisafo tem sido
destruida pelas atTeccoes das
ESCRFULAS OU KHEUMATISMO
e todas aquellas cuja digesto se achacom-
iiletamente desarranjada, devem tomar
O OLEO DE FIGADO bu BACALHAO
DK
Laanan ti Kemp,
Se que desejam ver-se livres e isenUis
de enfermidades.
Acha-se venda nos'eStabfelecinieniix
de A. Caors, J. d Conceic/io Bravo & C.
M. A. Barbosa1", P. Marer A.- C. e Bartholo-
meu A C.
E em todas as principaes lojas de perfit-
marias e boticas. ___
CURA DOS CALLOS.
PBLA
Pomada galonpeau.
Deposito especial
Pharmacia de Bartholomeo d C.

* \

1
40 T,^"*" "* tn i0^*'t,wa 34------Ra larga do Rosatio34.
aa loinsU). -?


"v


r
4
Diario 3e Pemambuco Sexta feira l de Fevriro de 1869.


ICOS.
4 I. Ferrelra Villcla 1
Photographo da casa imperial
premiado em diversas exposi-1
^*2S.
Na sua photograpliia ;i ra do Cabug n.
18, airada pqlo pateo dajnatria tira retra,-
tos p ' Em porcelana Eurvijicf
Em talco Em papel
CHIS ES DE VISlty A 90 ADUZIA.
(Ja retratos caite-de-risite sm collados '
<-M carto de luxo brslal ou porcelana?
douftidos ou lithograpliados, quadrilongos
de de 12 modelos a escoma de qtTcm'se re-
tratar. Para as outras especies de retratos
lemas"cjmuhas, passe-pai-totits, quadre*^
i-, molduras douradas e pintas tassoltas de*
v>urq,e,t)finetes simples ecoin pedras pre-
cios!, jia vendo nos alfinetes uma mimosa
varidpe de feitios.
O'nosso estabelecimento photograpbico
< st empre em* dia com os melhornmentos
progressos que na America do Norte, naj
Kuropa ou no Uio de Janeiro se consegu1
na arle photographica, e para alcancarmos
la I Em nunca poupamos despezas nena sa-
< riicios, de sorte que os nossos numerosos
l'reguczes podem ter a certeza de que sem-
ine encontraro em nosso estabelecimento
!udo quauto a arle e a moda oflerecer de
bom no novo e vclho inundo aos amantes
> la photograpliia. '^ Z______^^
Troeam-fce
es notas do banco do Brasil odas raizal tiliaes,
com descont lamko raiotvi : i.pjpWa IndP
pendencia n. 22.
Joaq
cal
uim Jos Gon-
ves Beltrao
MJA 1)0 TRAPICHE N. 17, d. ANDAR.
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
co do Minho, em Braga, e sobre os seguin-
les logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valonea.
Guiarles.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famalico.
Lamego.
Lagos.
Covillia.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Beja.
Barcens.
ajajs>^ f w|fl 9mbv
Baaino le arlthaietlcfi, algefpra e
geometra.
O-tmcharel cmdipila Catiap Bor||g6odinha
de Assis,eitsiiia tas materias ho pntBH and
fcfasa> 17, ttna rua Nova, .las 7 0 as 8/2
as da manilla aos senhores estiulaotes que. de-
seUin lazer oxamc no collegio das arles, c das 7
t/ as 9 da licite aos senhores chipi'eg.'idos no om-
mercio.
R3I
BARTBOLOMEU ft C.
:
GRANDE HOTEl
DE ORIENTE.
naHgurou-se este commodo .elegante
estabelecimento donde os *ls frqnorita-
dores poderlo, apceciaj' a especialidade na
bnfcccao dAs genero alimenticios.
As bebidas sao as mais primorosas e re-
commendadas.
A decencia e bom servico primam n'esta
casa no bello gosto oriental.
. MantJaw-se domicilio comodonas, tanto
avulso, como por assignattira mensal. Os
procos sao mdicos e convencionaes.
Ha urna espacosa e bonita sala para o
elegante jogo de bitliar.
Ha tambera aposentos commmodos e bem
m(bi hados para bospedagem.
Rua larga do Rosario
n. 44.

PAtsA USO INTERNO
P n E p\ ii v rol s i tt E
rope deflftibeba gjkafa.- 1>000
bo VjnnfaKi ganWB' Wl- WW^-
Pilulas de jurubeba \idro. _. JAJOO
Tintura d.- urubeba vidro. GiO
ExtrafM.hydhcoolio defnrelieba. 12#>00
PREPARADOS C0MP0ST0S.
fTjJ 9*f(I Viiiho.de juifubebftent^03ogarafa.- 20Q0
Xarope. de jurubeua'(erruginbso garrafa. 16G0
PiliWs de jtltfieba ferrflginoga vidrd. 2#000
Oleo de jurubeba virtros, G40
9-'ieJ}0C[ 3fa f^6rSbi ote m"
Emplastro de jurubeba libfa. 2$00 *_
^1D3(T 9 PAm USO EXTERNO
t; A .11 IU III UA.
Esta planta a boje reconhecida como o mais poderoso tnico, como um excel-
lente desobstruante, e como tal applicada nos engorgitamentos do Ogado e baca, as
hepautes prepriamerRe ditas, ou anda complicadas'rom anafcaHchs,' as nflammaces
subsequentes as febres intei mitgnteso (jbjpezas. nos abeessos mffirnos. nos tumores es-
.
rx
Prwisa-sc de urna'ama pa^a eozinliar c com-
prat preferindo-seesf*^? ta rua
^
UTimfSDE
Aos500 pitf^s Cliegou e vende-sc no Coraco
d'Ouro, rua do CabOffu."brincos de
niSosinbas com uma franja pendeji-
te a um rico desenlio e ouro de
lei, pelo peqmwT proco e li;>000
cada par. baratissimo.
No silio n. I ila l'assateii, vendo-pe una
esrraw dt llmaidade.
i-sqde
frr-tfiwi-se de i
ji-alar m- \ut\ pquenn
(ralar'rfa fa lova n.
W^KKS'
ior ra^azipara
e-se easauo: a
Piciisa-sc alugar, para o servico ex-
lerob de uma casa, uma preta e um preto,
sci-avos, nao se exigindo que lenliam ba-
bilidadi's. a tratar na rua do Crespo n. 8.
Do \arpe H'egctal Aaerbano. esMclaladede KartlMfiinuii ai
:iB( A LVKCADO'HOSAHIO31 *
Nao oostumamos jjjwurai*attestajltbs para acreditar nossos preparados, e t
xanyis que sua-applicaro e oM^sultados nbtidos-pelas pessoas que se dignaram aeccH
los,'Ibes deem crdito evoga;: porque soienpre s attestados considerados gratuito,
e delito espontneamente nos offereceram os que abaixo vo transiriplo* o faams pifies
manifestando-llifcsnossa gratidao pela attencao. esperando qu vbnhfn los coriilioj
o conceito, e aoeeitaco qne tem merecido nosso xarope.
BarQiolonm Je fi.
ATTTAD0S,
Illms. Srs. Bartholomcu A- C com a mais subida satisfago que decta*p
6r o xaJtqie Ajnejicano,di' uma eflicaiK'xtraoliimia, pois que soffrendo lia dias w>
intensa tOsse, ponto delriao iiocttr dormir'a imite a dt'kpeite. umim nermedicaatit
qife tomav, a elle recorr e na terceira colbcr fui allivfado, de todo lie arbo boje r>-
tabcfecldo com o aso somente de quasimeo frasco: grato, pois,r esse resultado naa|-t
fe*o tfy. S*. mea reconlieciinnVo.-~De Vv. Ss. amigo, venerado*.*-obfcade.il-
noel Antobio "Vfegas Jnior.
Sua casa 20 de abril de 18(58.
Illms. Srs. Bartbolomeu & Cl*enbords"simo com o fator que me ficra
de aconselhar o uso do xarope Vegetal Americano, de sua composico, quando me ark
va bastante (lente de uma constiparlo, que me tornou completamente roieo t q
trotmeiima- forte"tossr,' e me'impossibrtrtw! de cumprir os meus devores de cante*
[tecialmente do ule4-o<; abdomen, nos tumores glaudulosos. na anata relia, as bodrope- ,
zias, ervsipellas : e as ociada as prapara.Se ferrit^moeao, e mda de gramle vantagU P rica' vou ^^cer-lhes mea completo rcstabelecmenlo, que ,bl.ve co* vm
iw-Ji - mesmp xarope,..depoiS de liaver nroindo a lunik* iraUiUialus. Ik*t'#a/<">
mm BOTtt
III) V F.U
I'aeo da ES boira n. ?>.
Osdonos leste mui u'fcedado estabe-
i'Ciinenlo partecipam ao ruipe^avcl publico
desta heroica cidade. que s encarregara
de mandar levar comida em cdsd parU
......... ...... au v' **u ,iul' v,il wuira
qualquer parte, e garante a decencia bom
-i vico, ijne para isto tem um bom cosinbe-
ro Fuinai^i.
Li J/il J \JY
Os douos (leste novo hotel participan!
ao rcspeitavel publico, que os seus frecuen-
tadores poderao apreciar a especlalidode
ilos gneros alimenticios, e tambem reee-
bera assignantes e se encarregam de man-
dar comida em qualquer casa, tudo por
prego muito commodo.
jNo pateo da Ribeira a. 9.
Precisa-se do nm nioleipie (le 12 a H atinos
i Lira servii-o externo : na rua Direita n. 79, loja.
Ama de lefte.
Precisa-se de urna : na rua da Penha n. 11, l-
andar;
CO^TliAFOGO
A"tioni|i;i!iliia bidcmnisadora. estabelecind
ncslapraca. loma segnrrtf'maiitiiiios sobre
:iavios c seus cari'gamentMr e contra logo
em fljlicos, iin'iv.idorias e niobias: aa
rua do Vigario n. \. pavimento terreo.
Gflegio de S. Francisco \avicr
Estabelecido na grande e bem arejada casa
Ofe estuve o dymnasio, na rua do Hos-
picio n. 32, dirigido pelos padres da
companbia de Jess.
O reverendo padre director daste Cotiegio scicn-
lilii'a aos pais de seus alumnos edos dernais qne
niift nfi ilifl 3 de fevereiro flbinwyii-ao a friccionar
todas as aulas, aeliando-se abc'Was j as niairi-
ulas. Itefubeni-se nienifeos de 6 a 12 lino?
para jereirr instruidos has -materias prepioalurias
das fiutaog do im[)rio, a saber, jiriineiras le*-
tras e linjoa narinnale peopr%)hia e historia, Sil*
ilimetica e geometra, biplez. franeoz, (da-sa-iafoi-
rior e stiperinr), iMiin. da-e nfima, media e su-
prciiia,tjw, anraca daprusa C da poesa), e
iiiialmene kuitiaaidadoE dura 'mihjdrcao. rheto-
rica, que cnmprclicnde os tratados do estilo e da
eloccaoqucr em prosa rpaer ora udefla iiasduas
lingdas latina a nacional. A masira para canto-
na e para todos os iUBtruincnjo&de sopro o cur-
das, asn como as Huo,ts alemaa, italiano, irri-
ga, ebraic'a serio ensnadas pedido dos seutiores
'iais.
as anemias, chloroses, faltas de menslruacao, le
estomago, debilidade orgnica e pobreta de sangue
O que dizernos affirmaita Os mais distincin mdicos desta*" cldde,* entre os
quaes podemos citar os Illms. Srs. Dr. Silva Bamot, Aquino Fonsepa, Srnjento, 8e.t<>,
Pereira do Carmo, Finho XaAier, Silva etc. Todos iles reconhecemSi cxrelfenia desle
poderoso medicamento sobre os demais at hje confecidos para todos as-casos citados,
tanto que todos os dias fazem d'elle applcacSo.
Apresentando aos mdicos e ao publico etigeral #c*Q& preparados da juru-
beba, tivemos por fui ^euerajisar mais o uso d este venial, fazendo desappartcer a
repugnancia que athGJe sentiam os doentes de usar d preparados empricos d'elle, e
mais das vezes repugnantes a iragarem-sc, e que tiaba ainda a desvantagem de nao
ser calculada a dose conveniente a applwar-se, o qu torna muitasvozes improficuo qm
medicamento, que poderia produfjr ptimos resultwsW
Os nosM^e^arads* foram apresentalos dpois de havermos conveniente^
mente estudado a jurubeba, fazendo as experiencia* precsas^pra bemeonhecer aipro-
priedades medicamentosas d'esta planta em suas rafees, folhas,*ftuctas- ou bagas,- e a
dose conveniente a applicaco, tendoalm disto prdturado levar os no'sSos prep"ad>s
ao maior gnto de perfeicSo possivel, para o que njo ^wupamos esforcos, nao m.s im-
portando o pOuco lucro que possamos brar. -
Por tanto os que se dignaren! recorrer aoj nossos preparados podem ter a
certeza de que elles offerecem a garanta, de qoe se jiocte encontrar, a pronpta e iiifallf-
vel cura de qualquer dos soffrimentos, que deixamol imWmertdAs, se forera em tempo
applicados, leudo alm d*sso, medico en doentc a vantagem deescollier nas^nossas va-
riadas preparaces, aqiwlb qu#.melbor Ibe podecoi^ir, j pela fcil applicacio, ejpeln
complicacao das molestias, idade, sexo, ou anda natureza de cada individuo.
Asnossas-preparaces ferruginosas s3o feas de forma que se tornam comple-
Limente soluveis nos suecos gstricos, porque procii-amos os compostos de ferro! que
como taes estso boje reconheddos.
Para aquelles que mais minuciosamente qseiram conhecer as propriedades da
jurubeba, e saberein a appbcioo de nossos preparados, destribuimos 'gratuitamente
em nosso deposito um fomet, onde tratamos mais .extensamente d'esta planta dos
mesmos prepararlos.
Deposito geralde todos'os -preparados
Itot ira c drogara
3iBa larga do Rosarlo34.,
que outrs como eu recorram ao'sen xarope para se vrrem altiviados de tan lerifrrJ
jicommodo, tao fatal ueste faje^- (^m ai attento, venerador e obrigndovLuie Cijpmoiii. M ,
\ Wi flIladuX^Mle settmfera de 188.JI HF i 11. B
^ Illms. Srs. Bartbolomeu & CO xama| Atogetai AoMiwano (pie Vv. Ss. tfm
exposto venda de toda eflicacia para o cnrativ d aatbma, nufiMn observei apfI
caiido-o a meu illio Joaqum, menor de quabo anuos; victima d'esse flafello, que-'nt*
ento por espado excedaqteua doas annos bavia resistido a outros xaropes de jri .'->
nomeada. Queii-am, pois, Vv. Ss. acceitar a expresso altamente sincera de mr% r*
rihecimento ao meritorio servico que Ibe prostaram com o indkado xarope, acrediH*-
do-me para sempre deVv. Ss. criado, altento e obrigado.Americo Netto de'MeitU*~.
Recife, 2 deoutubrode 1S(.
DE
f
! '^^;ir4'P>^:^;:
DOENGAS DC PEITO
XAROPE d'HYPOPHOSPHITO
CAL
GhiLTr l C- phahwiaulu ic tiVi PARS
A eflicacia d'esta prepaiacloMlastabelciia desde 18*7, pelos mais celebremdicos. Desde
entSo muitas imiuede tem sido feitas, mas nenhuma poade sustentar a eompararao com o
producto apresentado 'pela'noasa ctaa. Por isto excitlmo o publico para qua-exiga sempre
esle xarope com uma bel* cor de rtsa, auuc branca, e com a nossa asslgnaura roda do
frasee.
Sob a sua influencia, a tosse acalmare, W saores nflclnnios eessStfp o doente volve rpida-
mente sade. O seu c mprego d tambem os mais brilhanies resultados nos defluxos, catar-
rhos, bronchites, irriUiccs do peito, ele.
Deposito em Perntmbuco, em casa deatawW* C.
JLKAIllSSIMO
ATTENCAO

O Sr. Antonio Francisco Duarte queira appa-
reter na rua Direita n. 58, a negocio de seu tnto-
resse.
Na rua do Imperador loja de ourves aluga-se
inolhercs forras para c nnprar e ciisinhar.______
aos seuS prenles e amigos para ouYreru uma
ntissa que por alma de seu pre;adssmo pai man-
dara dizer no dia 12 do crrente, pelas 8 horas
da inanliaa, na i groja do Carina.
Calcado, naeional, na falirira d^Jos Vicue
Gediiibo AC,, fu do JoTilim n. 19, avisan) ais
sons freguezes det.i capital e do interior, que cm-
liniiam a fabricar calcado em alta escala, e offe-
r^emas melliorescondicoe;'. tanto empreo como
fin qualidade. ()s propietarios d*s esfelwloti
ment cliamam a atlefleao ilos sentiordp ooisnnu-
dores do inieriur,|irt' ^< rnlzcrmn: honrar rom
*ua freguezia, esppc(rando emj s.>us ludidos a

CASA A PKTlH
Aos*4*00^1
Biftts ^ftrantidos.
A rua do Crespo n. 3 e casas do costme;
O abaixo issiynad ifido vendido nos seus
muito feliz*"ftillietesiiailindos iuii meio n. lt:t
rom a sorte de 4:tlO# ; um meio n. 885 eun a
.

N.,So KUA DO IMPEIUDOR-t
'
I
fis*W- ,. o
.
Os pianos dista antiga-fabrica m\ hoje> assa conbecidos jwra s-ja nt-e*>a:
insistir sobre sua superioi idade, vantagens e garantas qoe offerecem -ao* rorniiradots,
qualidades estas inconteslawj, qne -elles teirt-d^ihnivamente crinrmi4do sobre t os que tem apparwido nesta prarn; possuindo um teclado e marhmismo que obcilvini
i todas as vontades e caprichos das pianistas, sem minea falhar, por serem fabriraf s
de proposito e ter-sc feilo ltimamente methoramenJOs importantssraos para o ,-lfc .
(leste paiz; quanto ;is vozes sao melodiosas e flautadas e por isso muito agradawisTt*
ouvidos dos apreciadores.
I-'a/.em-se conlorme as encommendas, tanto nesta fabrica x*ano nado Sr. 1\frr~
del, de Pars, socio tontespondente de J.-Vigncvewtuja ca|Knhforam sempre 'prima-
dos em todas as exposirjes.
NO-mesmo'csmlHlecimento se adiar sempre um explencbdo e variado sn-
in.'nto de'msica dos inelbores autores da Europa, assim onno barmoniews e pilln
harmnicos, sendo tudo vendido por precos commodose razna\i'ia.
RIA LARGA DO ItOSAIO i\V 37
Rsle airodilado estibo'IecIraeDlr .iufmila
de dia enito' rpianfo'e possivel para clie-
gar ao come dffMB \ ifBr H "" /I'
Alm dos saDomsos*inamtores confe-io-
nados com o netbrir asseio. tem bellos apo-
sentos de nospedagem, tanto para uma s
pessoa, como para numerosa familia.
A agua, indispensavel elemento para a
a n
(IMTERIA E PETIT iESTAI'IAW
Ai mixtos ao Hotel Cenlral. rua estrella
RrWirirjr"n'. iit. andaf btreo.
- Para dar a ewibecer a varie.tode fnfinlra
de ebamtos de Havana, Rabia. Rio.-eje. ru
exRtem ueste no\^) estabelecimento pr>-s-
ein)limos dos anmmcios pomposos qnr ge-
ralmente se fazem, reduzindo-nos apenas 2.
tres letras qne sao tres bbb bom, bonito a
Lagdo para caJ<*arJt
A tratar na rua do Apollo n. i, escriptoro.
a numRAiMK n mi
B N. :i RUA DIREITA N. 3
SS As pillas, o xarope alcohlico e
^ o etberee de veame, conforme a
jg formula do finado pharmaceutico Pa-
Jgj ranbos, assim como a pomada con-
^ tra as inchacoes erysipelosas, acho-
se venda; na botica de Francisco
a Antonio das- Chagas rua Direita n.
I^j 3, defronte do armazem de molha-
Oj dos detiominido viado braneo. Es-'
4 tes medicamentos teem sjdo e sao
dos mais energ eos agentes auxilia*
dores da narureza na debellarSo das
doenfas, servindo de grande alivie
{tg; a bunianidade solTredra, principal-
g 'nenie ,i aquelles, que dispomlo de
0 poneos recursos e nao podendo por
g5 muito tempo permanecerem m um
a Jiatamento talvez intil, pela inerf-
a cacia de cortos remedios, recorrtim
B ;i elles ; e por isto asss recrtm*
I mondados se torno, jiara aspessas
que | fulas, tillaras, inipigens, erjsipla,
I tumores nos osase, tosse, asthma,
5 amenorrhea ou suppressio de raens-
H truo e menslruacao diflicil, sendo
g porm usados conforme a direccao
escripta que os aiompanba.
-in seus [ledMM ! sirte de TOOJ, dous qn;,rt( a. 8i com a sorte de
iuahd.adccnumeracao,ofrerecendo-separaosen- * e outras niuitassorle de 1005, 40* e m
ogar bem acondicionados em casa de seus cor-1 da lotera que se aeabou de extrabir embene-
repondentesj.estapraca. fi* do p;iimonio do* orphSos (94.-) convida
an* pOssuidoroa a virenfreeber seus respectivos
I prMsiAs Mim os lescontos-das leis na casada
Fortuna rua d Cres|K n. 23.
Anhau-se a venda os da 4* parte da lotera em
beneficio da matriz de Jahoatao (!).') (|ue se ex-
trahiri segunda-feira t-'i do correnie mez.
Precos.
Bilhete. . \ 4000
Meio: .... 24000
Quarto.....1*000
EmporrSo de 100* para cima ^,
Bilhele.....34BOO
Meio......1*750
Quarto. .... 873
Manool Martins Fiuza.
ESCRITORIO DE ADYOCI.t.
26Rua larga do Rosario-"26
0 advogado bacbwel Ayres de
Albquerque Gama tornou a abrir
o seu escriptoro na rua larga do
Rosario n. 26: onde pode ser pro-
curado, qualquer bora, para to-
dos os misteres da sua profisso.
Tendo sabido da cidade do Recite no dia 28 do
passado o escravo Izidnro, preto, de nacao Angola
magro, estatura mediana, pouca barba." idade de
40 a 45 annos, embriajra-se muitas vezes, trazen-
do um liabti de couro, succedeu ser vistp no dia
'10 nos limites dos enjeobos Macoj e Palmela
deitado ao fado da estrada, tendo o bah junto a
si. Gomo al o presento nao touha chegado ao
engenho Garana freguezia de Santo .\uiaro de
Jaboatao, suppoe-se ter sido furtado o dito babU
e que por isso tenha elle fgido. Roga-se pois a
pessoa que tiver noticia do bab ou do escravo,
de maudar traze-losaodito engenho pelo que ser
fcem recomiiensado. O bah contiiiha algumas
calcas e cohetes de panno preto, outras brancas,
pm paletot grosso do invern, outro de brim, len-
cos, majas, eollarhihos, puabos, camisas, ceroulas,
Trasc(ts de ebeiro e de objo, sabonetes, escovas de
lentes e de cabellos, seis pares de luvas de petli.
ca, mn par.de botinas debezerro, seis livros eu-
cadernad, tendo as. costas as iniciaos R. B.,
um aimanak da provincia dcste anuo, urna eaixa
coto papel e ouua.com capas de carta, urna car-
teira com as inkiaes C. B. R., urna clianiteira com
as imciaes F. S. C, duas cartas com subscriptos
os Srs. Francisco Manool deSiquoira t^vateanti
e Christovao de Barros Reg, urna caeta de prata,
I algtimas imagenszinhas, alguns rosarios e varios
nitros livios e objectos diversos.
BA BOA FAJIA
Pata> da Ribeira n. 0.
N'estenovobotel haver lodosos domin-
gos e dias santificados mao de vocea mais
barato de qne em-ontra-qualquer parte.
Prtfelga-se alugar um uiolaquc : na rua d
0' bacbarel loan Goncalves da
Silva Montarroyos, pode ser pro-
curado para os misteres de sua
profisso, na rua do Imperador
n. 10.
Cabug n. t B.
MMA
l'recisa-se de una ama qt saiba bem counhar.
Tasaba kk^: na ,ojada
AO PUBLICO
I .ende este Buno de 9 do coireilte. depnrel com
suau nouie na lista de supplentes de eleitores da
Iregnezia da Bo.i-vista, o qw muito me admiro
por nao ter previamente sciencia alguma, nem ter
;do consultado i resjieito, i|uandopor vezes em
Oittrante mpre ful ,m>1d,T, eattemfidas
as minhaK*9i*pak ; e como nao amor1ais7)e*-
- a algnma para fazer-me semoibante honra, ra-
/ao cuta por que declaro ao- publico iiao aceitar
-Jilo encargo.
___________ Manoel Joaquiffl Pas'.
- Precisa-se de um meruno de 12 14 annos
. #*iacaixeire de talefna-: na rila mpihit fl.'2i3.
Frederico Maia
Clruirglo deuttst* pela escola
de medidua
do Rio de liinelro.
Tem a honra de participar ao respeitavel pnbH-
co desta capital e seus -sulrarb os, tpie tem Sbert b-
sea gabinete de consultas e op<'racoes dentarias a
rua Diretes., primeiro andar, onde pod# ser
procurad! todos os dias das 8 tiorasda -Tnanr^a as
3 datar. Elle acharse conp.^tentaBiente babifi-
tadopara com iterfeicio coilocar daate artifidaes
porquatouerdos systemas, e bem assim deaemBo-
nhai-quafcpier outro traballio c.oicernUe i u
profisso: O mesnw, reconhe-endo que nem sem-
pre e ptwsivcl as wnhoras ou criacas sabirera a
proccLiroremedMi, ?.nWefe-fe a remover qual-
quer obstculo, declarando que na cidade se pres-
ura a qifalqner chamado sem que issowflna eousa
m'-'n^parjrcmlftt-o'fliz*' adunia na commodidade dos precos fe seus- traba*-
t, f,""*,n*'r* rnaes- Ihos.e qundo para ra della assim mentlo bw
. Cozinheira
Na imperial fabrica de chapos, rua do Crespo
n. 6, prceisa-se. de urna cozinheira ou ciHinheiro.
' l'recisaisesje^
senico de uma*ea
triita tkj Rosario'n. 2, segutido aadaf.
0 cirurgiao-mr do corno de pn- |g
jicia, Joaqnim hv Alves d'Al- jl
buquerque tem o seu consultorio :
na rua do Livramento, 1. andir ||
a casa n. 17, oinle pode ser pro- -s
curado.
0 advogado f)r. Antonio de Vas- j{
[ concellos Menezes de Druimond j|
Iransferio o eu escriptoi'io-para -a *g
.rua do Imperador n. t0.on ser procurado todos os dias uteis s
das II horaff-daTnanhaa ateas ida
tarde, para os misteres de sua pro-
fisso.
mm
) do Rogo Barros qtw
ao Sr. Sehastio'do Hego Barros que -p sen esrra-
vo l.adi-laiv. auMMOH-se do armVUft d'oM* n
senhor o tiub* lujfado. logo no dia si^gafnle; e
romo nao sarM'lira moraitSrdCseBlpe'ariiig-ropelo
j rntl._______
Ju dflsemharacad, A naWi'U'rrea il. 66 da rua Direita
-----menno ser
precedida de um ajuste rasoavel, garantindo elle a
seguranc* e fterfeicao de seus ditos trabamos. Eni
^i gabinete se encontrar coasUnteuianta exce-
tepB dentifrclo, elixir e o'tros medicmen-
'odontalgicos : rua Direiu n. 12. primeiro
vida e hvgiene, temo-la sempre cm abun- barato. A'vista do genero annunciad-o i.,-
dancia para facilitar excellentes banhOs. > de-se julgar de nossa veracidade. Esta casa,
Ha tambem urna boa libliotbeca e perio- gosa tambem das condices de um elefante
dicos nacionaes e estrangeiros, piano para e petit restauraM onde se pode ver a t-
recreio, buhares, etc. etc. pecialklade dos fiambres e salames de Iw
Sendo ociosa qualquer recommendacao para lanches e at fazer uma Loa olarao,
para 15o acreditado estabelceimento, omt-juntamente cora os principaes vinhos do
timos mais prembulos, fazendo ver por metv.ido, sobresahindo entre o bom a par
im, que o bom servico, ordem e moralida- e fervente champagne, o mui sabornso Rhf-
de imperam n'esta casa, como observancia no, a primorosa cerveja, o licor esnjrftoosi
fiel do rpgnlamento que possue. o quanto pede tima mesa. Faz-se noute
Comedorias a la carte. sorvele e variedade de refrescos.
EFFICACIA
no
XAROPE DE RBANO I0DAG0
0 Xarope de Rbano iodado de Grimaiilt e O, pbannacenticos de S. A. 1. princiH
Hapcleao, em Paris, preparado com o sueco das plantas aali-escorbuticas cui *fe**,%
mi popular. ^^ ^TT
Encerra o iodo cmo combinadlo orgnica, e considerado como meibor inrisMn
do oleo de figado de bacalho. ""
A rara perfeo d'este producto anima-nos a dar a conhecer aqai a upiwfc do sljwi
o entre os pnneipaes mdicos de Paria, que diariamente o prescreveea,
0 Xarope de Rbano iodado nm medicamento d'nm effeite suave e segare pan i '
medieacio dos meninos, nao smente snppre e oleo de figado de baealhio, mal anda tu '
< as asas vezes com vantagem. *
D'A. CAZENAVE, medico em chefe do hospital Saint-Louis, em Pars.
VS?? ** R*bano 'aad(> medicamento de primeira ordem para o traUmente du
BUleceoes lymptiacas e escrofulosas. Muitas vezes, emprrguei-o eora feliz xito, em certas
e casos de- tsica ao sen principio, como snecedaneo do oleo de figado de bacalho.
D' A. CHAHRIER, antigo chefe de elmica d* foculdode de Par.
e 0 Xarope de Rbano iodado sempre nos deo excedentes resultados como regenerador
do sangue, e snccedaaeo do oleo de figade de bacalho. >
IV A. EAVROT, autor do Traite da maiadie* iu femmt.
0 Xarope de Rbano Iodado um dos mais poderosos modificadores das consumieses
t lympbneas. Tenho visto ulceras escrofulosas que nada podra eurar, ccatru*rem-e*,
gracas a sua accSo, com promptidao extraordinaria. Tambem, pelo sen SO desepparecea '
as affeccoes tnl>ercnlosas dos ossos, nos meninos. >
. IP 6ESMARI), amigo extern dm hotpilaet de Parit.
c 0 Xarope de Rbano iodado possue todas a vantagens do oleo de figado de besantes-,
sem ter nenhum dos inconvenientes que aprsenla estenllimo medicamento.
IV GUIBOUT, medico iot hotpitaee. Prndente i+Soeiei+de de medietne, de Pane.
S 0 Xarope de Rbano iodado de Grmanlt e C* encerra 4 J por cenio de iodo, na sa
aoniposicio or|anic* enaloga i que1 m acha no leo deAgadode bacalMo. >
IV XLETZLNSKI, profeuor deckynica, lomudo de (riOSMsw de Viomm.
Deposito em Pemameuco, em casa de sanar sr.
I *
Em S. Jos do MabguitiliO, sitio n. :.,
precisa-se d'uma boa ngommadeira forra
e que seja de boa conducta.
>= Precisa-se de nm pequen* para caixeiro de
taberna preferindo-m do ltimos chegados do
Viwin: na piHca da Boa-Vista n. 17.'
I roeisa-se de um pequeo de 12-a 15 annos
le-jdado para criado e-qued de sua comkelfc
liaaca : a rua Direita n. l, i andar
jiaru servico- de rampo. dtflJINie no' la
dos Arogado*-eMs,|rlVrt)j; eom-'tidW os sentf^ra de^- im* traW no-wtbrnd^ n. i
Pienccs d^yaflfH? i'reeisa-se alagar' uraT o granfle fcom boa
Qneii quizer ser feitorda tawsiiW,' asi
io qnem tiver nm ier.ivo. e qufter^'dWrl WVHMpor sua alma se celebraran! nodia:<
Na ruado Mondejro n. 1, 1 andar i*-
'a), ha paratvedsjrAinrarnetro &m'-ayHmltWjf*i.'<
'so; para utenino montar.
i de vitenda' a trtarnafu da Im'peratiizn
(i loja.
Gomes de^a%g
eriptorio ai
torro
r.
"JbM
m esuft-com o sea
-l* dar. propa^Vijfailfrie*'- oiraaHR> 'm'&s'
l'^VAC '
de escravos.
1 U-?Al L+-
'Precisarse de urna ama para o 'srVteee
etoa casa de duas peesosn.: na tu *a
n , 2 andar, entrada pelo bceo Largo.
' Prc'ija-se de uma cozinheira forra ou es-
ef avs; que entenda bem de seu oflici > : a tratir
na rua do 4Commercio n. 8, 1* andaf.
a Joaquina de Azeveao GuedeS, D. Em-
lia AnVttsta de Azevedo Guedes, Augusto Cesar re
AizBfearji Gtiedes o Luiz Guedes de' Azevedo, mH
e irrtaos do finado Joao Emilio de Azevedo Gut -
de.'agradwcm cordialmente a todas as pessoas
de slia tmizade que se dignaram assistir aos sul-
P'>Y*fl* HH*/n*%rBJt matriy. do CorjMfSanto;
awhovb'Rie'Topun encarecidamente a bondade d,1
nsiWfM^iiMaifcfr.M'do wrrtwc; as missas
qttif Jbt slrS" alma lem de rellirar-se na referid
- matriz do Corpa Santo, pelas-7 1/2 horas di
rujo ranpareeiroento a este acto d ?
rnaf eaptfrario setrs senti -
MR. Ma^RCIFiR, alfaiate francez, previne ao irspriBrret poblir e a seus numerosos fritue-
zes que, leudo transferido sua residencia para a rua do Trapiche- a. 7, primeiro anda*,-aba sjcoa|Si-iK
sempre todas as asnaMides de fazendas para trajo* de horaefn, e prepara costumes para montarh> o
senhora. Faz taiibelrr obras para milftaresepara criados, jiara as quaes tem granja sortUneaaB o
bolees simples, Mn vifila e corda do conde, brancos e aniarellos. Recebe por'todos os vauor
ltimos ligurinos para liomem, senhoras c meninos. *^
fl
Junt segundo andar de um sobrado
11*,'fe tiff 'tertettb andar da rua di
: a tratar u na da Impestanilt. 63, se-
gundo andar.
VESTIDOS A ROOO RS.
Stiperiorm corts -de grottedu" dwetbi-titoe*e dflitW^
muito lindas cores, com 18 a 20comd^o <***>, pefo mtttii
swvprcco de6.000 cd&nm?na loja das columnas, rua doCr.expp
n. 13,Ve Antonio Correa de Vasconcellos $ CS
i
r


M
Diario de Pernambuco
_
Sexta fera 12 de Fevereiro de 1869.

i'.,'i a
^ .-V i, x .% C
-***-

i
I
Al
7 1

Granee liquidado de niiudezas !
Alfonso Moreira Temporal, querendo liquidar-as nwideaa! e$itetes * su
rua do Quuimado n. 35, resolveu annunciar as mesmas Ttoiudem "par qu o pu-" '
loja
buco se eei tiuque to diininuto preco porque as esta vendendo, a s
Massos coin gcainppS 23 a 20" Latas com graxa.duzi
Pegas de tranca lisa e caracol a
Sabonates de todos os precos a
40
80 ICO 200 fe
Abotoa loras para colletes a .
Botoes do louca para camisas, a
Jarraras d'gua Florida (verda-
deira) a.......
frascos com agua de Colonia a
320 e........
iarrafii de tinta roxa a. .
Calas com 100 enveloppes a.
Mantas de seda para homem a
Tita de sarja para enfeite de
vestidos por......
Frascos com oleo para cabello
a iOO e......
I-ln para bordar, libra. .
Kscovas finas para chapeo a .
Hitas para cabello a 320 e .
Ditas milito tinas para fatos
.por pre<;o nunca visto 400
300 e........
Pecasde habadose entre meios
a 600 800 e .....
'Iravatas de seda de cor a .
Hilas pretas a 400 e . .
ico e renda das ilhas a lodo
preco. S a vista faz Rf .
Pecas de fita de coz com 10 va-
ras a....... .
240
320
1G0
400
800
500
800
GOO
600
G,)800
32Q
300
GOO
l000
320
300
saber:
duzia a ...
Coques muito bons com rede s
a rede val ._ .
.Meias para homens boa fdreda
a 3*600 e .-, .
Linha de marca, caix -colifo
novellos.......
I OOO| Latas com lianla.t.familiia*diwia.
Frascos coiii bahha-a 32 Botoes para puuho fazendti boa
a 80 c -. I
Volta de Aljol're coiboas.a.,
'i las para debrum de vestido a
iaixa com agulha francesa a
Botoes de a$o para coletc diaria! a *.
Caitaocom alfniotb a '!
Caixa com perfumaras '-milito
lina". S a caixa val I6#)00'
120000 . ... . .
Copo com opiata muito fino a
400 e.......
Reas muito finas para senhora
duzia........
Cartas francezas a 200 4
Ditas portiignezas a 120 e .
Caixa deihh do gaz branca 50
novellos.......
Frasco com tinta a 100 e .
Franja de la para sapato (peca)
48*,;
>000
240
500
160<
SO
160
120
IQi.P*
pe?*
'**u,p.


t
i A
Vwioiia Uojt muito-proairi*
da rufttgacia^e das elegante, fW
_fabricacSo suiwior do* prodMc* dar
oad-os usos do toucador. e eire os quaei
IOO1 ella creta nmn esfchilidada cm cada artigo. '
O* fttem de Ylanfalttng, qu'clla obtrrr meimo
iS'iIli|B WiiippJiias, pel*Millacioo Umu
B^qu^iz tcspeiio i eza-c suavidadede cheo >,
acotiscltyni&s ao publico legaste qut
o perfume para o lenco
OVBXtltXCT0 I'E YL^NGYtANG
v _

t'
II.
Mara, da Assum|>co de Luna AIraeida, pro-
pora piiMcaida 3-caraira alreguaa de-San-
Mptonto desia cidade, faz scientc aos^isde
is almonas, o i quem mais convier, que te
ha cinn a auti aula .-iberia em sua residencia
do Rangcl n.tl, i> mear.
ATffiNOAfJ
Na rna do-Imperador, loja de oiiirres, i lugam-
Seyniflhrrw ^m-m para comprar e cozmhar.
TRIUMPIIO MEDRA DA SCIENCI

Ama
Pnvisa-so di-urna ama para rasa de -pequea
familia : na ra da Senzala-vclha n. 112.
-j l'rcrisa-se de una ama de leile que traga u
| se& lillm, c lonlia leito com abundancia, nao s
(iar.*umaiiH!iilar a este, como tanibem urna crianca
ilous nmzea : a tratar na ra Formosa n. la,
Imperalriz, luja n. 41.
Precisa-se de uin bom
nacional, rua da Cruz n. I.
copeiro : nu botel
IS90O0
500
240

0 B0UQUET DE UAIiiMMaH f h
Alijr d'estes doi eUracioa excepcionae, ot
sSo pMiprieda4UM-ftrMv* de sua casa, os St*
Riyaud t t\ prcparSo igualmc-nie, com parlicu
lar perieivio, iodos os uxliaclo-s adA^lados (u'X
moda, e entro os qu;ic > citanmos os se^Mulfs :
loektttClb. Vilela. Iletea.
Ess.Sttmet. Niirechilt. JafUi*.
iiiagnoUa.
Rota muigoi*..
Ptalas assm'iMlas Brslol.
MO. cbjcwm' nem cai.omki.anos ney i KNHM
orino miW.ii\r.
Agrande ncessidade e falta* d^'um ca"-
tliartic'ou de urna medicina purgativa, lia
muito qno tem Sido sentida, tanto pelo po-
vo, ionio inosmo pqr inuio ida'facudade
medica; e p.jr sjq, alijlo 6 ost C
yw/ti'-; q* sentimos, em podernios eom
; tyda a t(ii^iatte*egu44da as /hIhIiis irifttiaeti atstioaradm 4e rmtik
qual encer.fl.iem si odw- pX e maix J&^iSSl "-'"' "^^ Whr '
Ama
Prwisa-se de urna ama para cozinhar e com-
prar : na rua estreita di Rosario n. 41, loja.
''
2rV)| Feio freico. Ho*'*eUne.
flor des fiada, ftondetttia.
f>HHI.il8Alij
E' urna Agua adinna\cl ira o toilette, con,-
Papcl de peso muito bom
Sapatos de tranca e outros muitos arligos, que enfadoul seria^mencioBar.
RUA DO QUEMADO N.* 55
Ir^OOO
45000

tilaeella o verikdciro talismn da belleza,e con-
serva a (KI fresca, c a tez do rosto branca. E'a
ultima expressao da sciencia. Est por iodos
reconliecida a sua inconteslavel superoridhde
sobre as aguas de Colonia, a agua de Florida e o
vinagres aromticos de mior nomcada.
oi.ko e poiiaua nrnivpA
Excflllctes prepai-avd* s <|ne se podem cliamar
o lliesouw d cabello, e yt, coin;iosUs iimW'
tancias tnicas c forlilicc mes, eml>elb'z3o e coo-
servfioo cabello, ao mesmp lempo que le eom-
manicaoMi heiro suarissfmo.
pao com o
i'xtracto- vege-
Duarte, ou seu mano Dr. Ma-
ximiano Francisco Duarte, (j sabem para que).
Alugain-vc duas negras, urna cozinha e en-
gontnia, e outra pequea que tcm 12 anuos, am-
bas para servieo interno : na rua Direita n. 49.
COMPRAS.
. |= C.ninpr.vse urna armac;o
latar na rua Direita n. 35.
envidrncada : a
Com milito maior vantagem
Compra o Corafao de Ouro, n. 2 D, rua do Cnbu-
3, moedas de ouro e prata e pedras preciosas.
Su.
b$ ^tlMAC6
urna a outra os agradawis cliciriis de fftw osaj
--ni sis linos lencos, e cada tima dainitSrS orgti-
lliosaspelo cloji do aceito de sua escolba,e come
que -querendo por i mesHia jnslilicar diz lanoainrnte ventada que este cheiro oicouipra-
do Aiuika niafs.
<>uandq hontem os 'pas afilelos. sentan.o ri^i r
A af[ffie. ftranca lem-se fisKo tfie onhedda e
a.-ieditadA,*:io so pelas novMadcs, w.riedades, su-
i-riitridadc e abundancia de seu sortinieito, como
a ciuswte comiu ino (H-lo^on assaz e nunca olvidado-agrado e siuce-
ridade. ,
rssaa verdades incoiitestiveis sio sem duvida ,
rontalM pelo bello sexo em particular, c pelo i adencao;de seu_charo liUiioho, c liuje jilegres e.
. speitafvVI publico en ral, e a tanto tem chepido Batolatoa [icio Miz resiab.elecinie.nui ceam\ as
-, ;,- estiw qnasi passandn BMM annexim ou jiro- \visitas dos s-us uielliur amigos, dizeui aqqeUes a
v.-rfcio, qa.mdo se v mn ol^Mta de elemow, estes, fm Deus que we tnspiroupara jeconutt;u--
wiislo, Envidado, etc., etc., diz*e KgoaqueJIe ob-
: i sen d'ivida l'oi comprado na loja d'aguia
. naco.
QumAo no club, os bafles, ou no salao do
<: uta Isabel, nula e**fleffssinH se aprsenla
..arbosemente trajando, trazando o moderno cinto
'.- mui larga lita, lisa,-cbamaloteda, ou eseosseza, | ,.L.(.,.|. uni outro (p,c ^^ ninda leAimente iiir-
s admiradoras ftrzem com^go aquell; lita I romper a discussao, os primeiros por inonienlofs-
se, como comprei, umdesses "vjrfttJus..'Cows
llover, que se vendom na loja d'aguia iiauca.'
*ciii -do tuuilo iii;s que alada
talla dizer.
Quandn em nm -eireulo de (ircumsfwcios carac-
(cr.s se discutir a voracidade de taos dzoies, appa-
sima unitf
Quen comparar este sabSo co
vendeAyor ahi, racilmenie reconh
riodadedo nosso. Este lorua a Cttfii
macia, b urna escurra abundante qu
verdadero banbdeleite, e nada dcixaa acKjai
como delicadeza,de perlume.
BBKfOBIlVA
T A Df I * KCftA
anr.eliiir denrMie tos* > "-
re6aea gradae)nett
aageapaa, a preaerva os deamr"-
Ini conquada na loja'aguia branca.
; qaeeerao a ciiTjrmspecao e Ibes darao uin gra-
cioso debique disendo-lhcsj saltemos
Ouando outra excr-Ueiitisima, nao menos gar- nm daquelles que .iacfia >. et.
>a, musir o rigor le sen brm goflto na aecnad;. mei acia ser desigwUo peta ag
scdlba los enfetes -de altaiinvidade que bella-1 do Queimado il ti.
v.iv ornam seu vestido, anda nnsmn as rivaer-
A
suaves
boca,
da carta.
E&i}mt>4e*frie* tez urna Terdadeira r*-
voluvo na Perfumara; acabou para senpre ODB
es pos e pialas, qe sao mais en menos cidos
od perigosos. Casia passiir urna cACoya biunida. ,
Z.^'?*,*T n:n m"cilaee'f J1S&S& do apetite;
unctoesa que toma os denles perfeitamenU Kstiiina"o suin
braBcos." ~'j~~mmimmm
MS
Preserlf_pel.
conmunjiilann
veoem as sarda
de aopflo. Sea
Depoto em
<(Jt^'()tltatito-tiMM^HWit(|.Mrnando-se em um
peifeito, seguro c agradawl catbartko- de
familia. Este romodio nao composto
dessas drogas ordinariamente usadas na
composfr dessas pilllas, que por alii se
vendom, mas sim, sfn prrrnrada1: mm a?
i mais finas e supciioirs qualidades de rai/.e*
> itiwlicmnes, liepvas e [llantas, depoi^ de si
havej- diiinicjimente extrahido. e separado]
os principios activos, mi aquellas partes
tpiumlim o wtmtMrn valor metlH'inaly
daquellas ponfies libi-osas inertes agres-
tes inteiiamenfe destituidas da menor virtu
de. Entre esses agentes activos oti ingre
dieate* especifioos, podemos nomeajr a jm-\
tophgtim, a qnal segundo a experiencia;
tem demonstrado, possue mn toder o mais
maravilloso possive! sobre as.regjues do
lo, asjim como sobra toda m spcij-
hilinsi?. [slo de com
If-ptanrtria,' e mais algons
;as aUaffltantP valios, :osti-
{^^filHe ormam orna pilla purgativa. l.r-
'^/^2W^v95>^n^Bu',iss'^ superior, i
. qulque'i- unta JB medicina do, tticsma
natrPza, que jomis fura ap^njdo ai
i mitas ri'ijrUics assticiradas
T-se-llilO sernprfi. tfm reme- n^es ,-por maier proco do-qae" nrmlr.iparle :
dio, pronqip, seguro c omiiieulemejite elri-, utua cajuela,* -6iHa dedUOietitiOr;, Uies JOnfe^ 5f- <)ITerece-se um rapaz de 16 annos para
.-M'jhm. as-si;#qatiK.'j' xpifo, rom pratica de miudezas, e d Mador de sua
lVaiH>psJ. ou indi- Hrdrn|>esl;rdosnii'ni- coWliieU : ipieiw.piizer utilisar-seeserevaemcar-
"gesto; WWmWflIO* jft m *""" A..S.nesta typogra-
Ad^Uiut>taia, ,ou, k, AtfaoifSes do.iligado,
fH0am*mmHmn IcCwicin, <
liahifna!. niTOOrrodras.
Azil fio i' laridades de sexo
Comprarse escravos.
Lino de Faria A C, na rua do Vigario n. 2i, es-
eripiorio, I" andar, comprara escravA de ambos os
OSo, sendo que, moloques de 14 a 20 tunos e bo-
nitas guras, seno pagos por muito mais dinheiro
do.que em unir qiialquer parte.
Ouro e prata
em mceda e emolirs iiuUilisadas, compra-sopor
intil r-reco : na praca da Independencia n. 22.

.Na praca da Independencia n. 33, loja de ou-
rtars, eompra-seoiiro, prata, e pedras-'preciosas,e
Uiiiiiein se faz ipialquer obra*da eneutanicnda, e
hR|) e qiialquor concert.
*\a -------
Comprare
hoje libras^ esterlinas, ouro n piara de lodas as
iTaliiliTrcia,
erda do
stomao|o
Em fot].
j&m
na rua do
Ficderi
I
icderi#b ('. nrl;
la dalNvajv^
iiu{rjt-
.la.'fm n.i

Olho tto-viAtK
rksoa qrrtf'p-ruVu um"oftio': dt .
ffi; r\ ^iwnlnft.s .da p^ do {Km
But 4ran*a flamaHmiidaL-N|ii(-ira Pr^^:j^^*(tj*pogr^
pitia.
sea ssiopatbia nwfessam queaquelles efeites
-i.iii! da loja d'aguia brarrea.
Quaode n'outra c*ee.l|ii'iissna, ajiezar da sic-
-eiiaa di seu prirv agradavd. se vm as IwniUts
ivas de pellica duqueaa as suas bellas aHifc
..is loiivam-lhe o gest e confessam queaquott?
I uvas foram da Itjad'agukt bninea.
Quando mesmi duas exeellentissimas, anigs
:i,i; as de collegio, a oircimtrAiu mupielles loga-
es, depois dos cua^prinienTosde recprocos beijos,
iibas por forca de -sua elevada delicadeza, gabem
*8rJos.K
Sao l-ia(.ik as consas qne por
siiii2s (vvcap:iui as mira*.
Ja ia esqwweiidu a'agtiia brancvmas f|j tempx>
Ifiiibrou-se juira jioiiciar, que receben urna pe-,
quena quasnidadede-onfeite para-ooquese fnSanv
pos |iara ditos, turto feit de metal com lindos*-
agrada veis coloridos, obras estas (Kjla priineira vee
appanridas, e prtanlointeira novlade,
Timb,nn cliegarimi novamente delicados enfeHes. ^I* JU^bina 1,10 lloras da maaliaa lia-
elloresomas de aljofaras e-vMrtUKts. tantoe>'i vera missa cau.'ada cum secmao, sendo
pallia |iam coques como para vestidos, e ludo urador-o R\m padre Augusto Mai ia Kenvira
i4- Compra-se urna burra ( cofre
Qj|io n. 16, priineiro andar.
TWIPM-SE ~
largo do Oirpo Santo n. 4, Io andar, cobre
ROSADOS lA
/'///'( 4r r
urilicado
nt
UTliff llMUMlli;
bmpaailB.-cpaMuiliratfK)->li> barmoma nina
t!ts a* rm#t,*) ;** "wnrra BMM ApjaniolwliB/'nt "assiwte faz,
nao n-i.s iv>ia .i im-mir duvkla wu dizor.
que Hoinaior namero dos casos, podemos
indicar nat> s/i um grande alivio, como
, pjjssoa rrnt1'p^rYffii pm"oliin [\ \\\vo, lambem nma rm'a prompf^ e radical, isto
-eri beta visto, ipiaiwlo o doenle oo se
ache: fi]9m-esUido maito alm dos recniw
IiIUUUOS'.'-' .'.*' *
OURO E PRATA
ohras vi-llias, compra-se por maior
que em outra qualquer parte na rua
tbugin. 5, junto loja de Cera.
VENDAS,
f
Ve
I

, ende^se
.\ tAerna da rua Direita n. 50, propria para qual-
j que! principiante por ter poucos fundos : a tratar
Offiitthttitfr
Ame/a i.-gcdma da iimcitiadfi, dqfifln- 0
tissiuio Sacramento da rregneua faz sciento a Jftjosn* irua peilavel |td)lico, que los domingos da pro- zdiar para casi!
sent quarosma as 1.0 bocas da mauba lia- lml't'r;ldor f^-
No caes de Apullu. a4ina/eia o. tW. preisa-se
mn coziuheiro de boa conducta, para casa de
p^iuena familia. i
nm-----j-:--------j-rfT~*~----:----------------
*Jm Precisa-se da.imta ama para comprar o co
na rjesuia
Farinha de millio.
Ifende-se farinha de milho amarello
muito lina, em porojo e a retalho, por pre:
fCO commodo, na taberna da rna larga do
Rosario defronte da botica do Bartholomeu
e na travesaa das Croxes n. IC esiptina para
o quartel de polica.
de.rapazes solteiros : na coa do
contina a merecer a apreciacao das excelltintissi-
mas conlteeedoras-do bom.
Botellio,
grada.
ij'bem conliecido na tribuna sa-
l ranclsre Antonio de Carvalho ti C. Ilqnidatarlos ia exttae-
a firma .norial de llego A Honra, rogaoa aos devedores desta.
osequio de manilarem atlsfnwr seas deliitot ate o lina deo^jnw<*taa^*U)im^;6Vnqaadri'nhM
reate mez. sol sena descrem ehniuados iutUrialmente ao enw-!um remen(lB M"l j'-elho, paletot velhoazul es-
limcnio desse dever.
Iteeife. . de fevereiro de 1 *.
,= Ftigio no dia II do nu rente o escravn Ja-
einllio, Ciijigo,iddeavancada, Umi preto,fall mui-
to atravessaflo, quando anda a junta Os joelbos' a
iejMrte or consqquitde cambeta, tem urna pe-
quenacri ho alto da caln-ca. eostuma andar coin
um sarco as costas < nm juio ira mo, arregoa
nuil
INJECTION BROU
J!f!SS!iSL,if*."",i" :(*'. tbMluUiuruiu a i i-a Mmi- cum n MrtMM adOil.v... Vu.
curo, cbapiVninlio preto com o alto da copa pa
| lado oiieiivernisadp de encarnado : rccomnim-
da-se aos Srs. capitaes de cimpa e mais autori-
dades policiacs a raptan do dito >seravo e lev.vlo
a travessa da Madre de. Doos a Jos Jnaquim Dias
i Fernandes Jnior, que s..1 grafrietr geueruia-
. iicnle.
TKSO
ou. M.
i ,\.\ rua.Nora n. 4fi, loja, precisa Ifallar-se ao
W. GiiilliermR llodrigues Itrc-kenfeld a negocio
toe nao ignora.
0 MUSEO DE JOIAS
GOMES DE MATTOS IRMAOS
tendo feito completa mudanza em seu antigo e
acreditado estabelecimento d jolas, com o funde
dar-lhe maiores propori?oes e elegancia, convidam |
ao publico em geral e com especiaiidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manha s 9 da noute ua
RUA DO CABUGA N. 4
ondeenconltarSo um .completcy sortimento do que ha de mais elefante, II
bello e precioso fin bri I liantes, esmeraldas,- rubina e ludo que euiobfcas
apresentam desale j
A ESTRELLA DO NORTE

riqissimo brilhante de tamanlio rar6 e seguramente,a maior e man bo-
nita- podra- fxposta a venda nesta j)ia v eudido* prej razoavel.
garntele a qualidade dos obyectos venda.

Ama.
Preoisa-se de unta ama
p>ar para dus pessoas : na
Rito u. iir~
i p*r,a citailiar e eom-
na rna vdha de Sania
Precisa-se alugar una escrava parae igom-
mar e fazfcr o servicrj nterrfo'de irmn casa : a tra-
tar na ruj daCruzih^l, I- andar.
( aHxo assignado tem justo e~rnntrataJo
vender ao Sr. Maooel Jos Gqedes de MaJhaos,
para pgameuto de seus cn-diHes, a sua taberna
da rua do Imperador n. 83 : quera se considerar
prejudicado apresente-se ao praso de tras dias, a
mular desta data. Recita 10de fevereiro de lHti'.i.
______ Guillierme Jorge da .Malla.
Precisa-sede urna mullier branca, nacional
ou estrangeira, com capacidada para dirigir a
ea*a de um homem solteiro : quem pretender pt'xle
indicar seu nomee morada rna da Concordia n.
lio para ser procurada.
l'recisa-se de una nmlber que saiba cozi-
nliar : na na do Queimado n. H.
Pnecisa-se de urna ama para o servco inter-
no t externo de urna casa de duas pessoas-: na
rua Formosa n. 6.
Prerlsai-se de nm calxefm para, uuu lija de
fawndas, cora pratica ou sera ella, para r para
Alaga-nova, que lenha. 14 a 16 annos de idade :
a tratar na-rua daCadeia do Recife n. 35. loja de
Alfredo & C.
0 muzeo de joias
i Nat rua do Calinga n. 4 compra-se ouro, prata
e pedras pi-oeiosas por presos mis vantajosos do
que em otra qualquer parte.
Antonio Jos dos Res A C. fazam'sciente ao
respeitavel publico, com especiaiidade ao c coniinoiviij que desolveram aiuigeljutuMe a socie-
dada. de. seu estabelecimepto de fazenda*, passaudo
o activo e passivo a cargo da novaflrma. Jaj-ques,
Santos A C.
Ama
Preciaa-se de un;.ama para cotuprar e coii-
nhar para, casa, de puuca familia: a tratar na
rua de Sania Rita n. I.
= Precua-ge da urna ama
gomme : iiarpstdo S. r'raoeis
que cosiuhe
n.it.
e en-
l 'j;.._i^Jl' i de S. l-rancisc.il :i :, i.
~\lTni(^luT^^^u^^^^r!!vidi .ios
seuaimg e prenles* aos de" ser prime o n-
uitao Juao Barbosa Cordeiro Fitosa, fallecido no
Paraguay bu cumliate de 6 de detembro, a ouvi-
rein una missa que por alma do mesuio manda
Mzer no dia 13 do crrente, as 7 horas da manhaa
rra matriz da Boa-Vista.
Q abaixo asignado rog as autoridades po-
liciaes ou aTrualrprer outra pessoa qna appchen-
dama escrava com os signaos abaixo declarados e
se dignwn manda-la entregar rua da Roda 2*
andar da casa a. 17 ou rua do imperador u.
11 em seu carl^io, Raymunda, cabra, de 2:1 an-
nos pouco mais ou ieuo.s, estatura ordinaria,
bastante robusta, cabello earapinho, dentes daros
e perfelto?. p^sregntarcs.e perfeitos e cqpi a mo
esquerda aleijada em 3 dedos. Fngio vestindo
urna snia de chita escuta, cp'rpinho branco e rha-
les enr de-ponina ja-.um poco desbotado, consta
!.ue vaga1 era cortipanhla de um soldado peto rna
mperial. Cabanga e muros lugares circumvisi-
nlios.
______Joa'quifli da.SiliV Reg.
ao-Olegario Lamenha Liits.decaFa ao
(Upoqn do coniinercio qne tem just a
da rua Direita dos Alegados n. 42 perten-i
Jos de Sonm -Perei^-t-e -fe-algaein se
! com direito a melii apw^le no prazo
r Ja*** ciwr9tt(r*njer' ReMft-W-41MMt*<
wim.
Vemle-se ou permta-se nina grande pro-
priedade pertn de Apipuros e liaralissima : a tra-
tar no pateo do Carmo n. 28, junio a igreja de
Santa Thereza, das 9 horas em diante.
PECHIMC1IA
Vende-se barato um bilhar com seus pertences :
na rua da Imperatriz ti. 69._____________________
Feijo mulatilio
Vebde-se superior feijao nmlatinho em saceos
e a retalho : na rua dr Penha n. 33.
Vendem Augusto
Commercio, n. 41.
Oliveira & C. rua do
Vende-se prfr necessidadi urna negrinha
com todas xs habilidadea : a tratar na rua do Pa-
dre Floriano n. 71. Na mesiua casa d-?e algum
dinheiro a juro.
Vendem-se duasesciavas com habilidades,
tendo urna dellas una linda lilha de C para 7 an-
nos ; na rua dos Prazeres, nos Coelbos, n. 22.
Li
Na rua Ja Praia u. 24 vendem-se liugoas de su-
perior qualidade por preco muito conuuodo, che-
gadas do Rio Grande do Mil.
Capsulas de Saquim
Os bons efft\itos destas capsulas para fazer ces-
sar os gonorrheas acham-se couiprjvadas pelas
experiencias de muitos annos.
Os mdicos de todos os paizes as recommendam
pela sna eflicacia^
VENDE-SE
NA
Pharmaeia e drogara
DE
BARTHOLOMEU & C.
34Rua larga do Rosario34
Vende-se um bote em bom estado : no Ira
piche do bario do Livramento.
An tempos modernos nontium desculu i-
mento oin-rou maior revoluf^d qp modo corar iuiterioriaeiite em vogatloquq o
PEITORVL DE WAKIITA
TANTO NO TMTAMKNTO OA
TOSSK, C.noi'O,
ASTHMA, IIIISICA,
ROtyL'IDO, HKSFRIAMKNTOS.
BnO^CIIITIvS,
T06SE CO.MTLSA,
P0RK8 DIC ratftj
Kxi'rcrinACo dk sant.i'r.
Como em (oda grande serie de enfeimi-
dades da gamianta, do hkitoc dos oro.vs
da kesi>iiia.;o, qut; tanto aloriiienlam e fa-
ziiti soffper a liwmanidade A maneira an-
tig de curar ronsisfia gerthBente na apjili-
laniod.' vesjcatoiios, sangrias.sarjar ou ap-
pbear cxtcnorniiiiitu ungiieutos Ibrtissimus
conipostos de sulistaniias vesicantes, alm
de produzir empollias; cojos ditrerr-ntesmo-
dos de curar, nci faziam .seno enfraque-
cer e diminuir as forras do pobre doentc,
contirlniindii por esta forma d/iumi maneira
mais fcil e certa para a eiifermtdade a dos-
truicau iiii'vitavel de sua viclinia Quem dif-
ferente pois o eleilo admiravcl do
PEITORAL DE ANACAIILTTA I
EM BZ DE IRHITAR, MOHTII ICAW E CAlZAli
INAUDITOS SOnni.MK.NTOS AO DOKNTE,
CAIMA, MODIIICA E SIAVI/A A DOR.
Al.l.tvtA A imiliAi: .0
DMfekvOLVE O. ENTENDUIENTO,
EOHPKICA O tOIIHI
e fez coin que o systema
Desaloje d'uinainatteira promph e rpida
at o ultimo vestigio da enfmmlade. Os
mihoresvotos em medicina da Europa (os
Lonles dos t elegios de Medicina de llerlinn
testificam seivnrex.idas e veidadeitas esla-
relaijpiy anulugicas, oualm dissi/a expe-
eiM'ia de mimares de (tessoas da America
Hcspaiilmla, as quues foram ciliadas com
este maravilhoso remedio, sao mais que
suficientes para susteuterem opinio do
I'EITDBAL DE A\A(L\II( ITA !
Deve-se notar que este remedio se aelta
inteirameiHu izentode vchcos. lauto niinc-
raes, como vegetaes, em ipianla que porm,
alguns d estes ltimos, e particularmeate
aqueUes que sao dados sob a forma de Opio
e Acido Hydrocianico, Ibrmam a base da
maior parte dos Xaiop'S. coiiios qua.-s lo
fcilmente se engaa a credulidade do pu-
blico. A Coiuposicn.i de AnacalUiita rt'ito-
ralacna-se linda e curiosamente engarrafa
em frascos .da medida de cerca de i.
ijuar|llio cadiftihut^oiiio a d'-se que so i
ma so d'niii.-i uolier pequena: pasta -'-
ralnnjite o applicac.li il'iiiu ou loas Irise
'para aelTecluacao de qualquer cura.
ArUa-sc a.vcuda nos *st4jelccimejiios
A. Gaor*. J. daC.JI-avod B., P- Maurn
A C, M. A. Barbosa. Ilarlliolomcu A- C.
em todas as principaes boticas e lujas dragas-
ALTA MVIDAHE
A
Fadaria allema
DE
ffaternus henze
EM
SANTO AMAR.
Tem para vender chegado pelos ltimos navios
viudos de Hamburgo :
Presuntos a salame*
llervilhas racbadas,
Hervilhas inteiras,
Peraa seccas,
Amechas seecas,
Macaes,
Kirchen,
Tudo de 1' qualidade,
Preens bfao's.
Vj|de-se"umai sor
tar na Boa-Vista rn.'t da
reta e, mo 4ae n. 8.
OLEO DE HOGG
DD.
FigaQg tffcscos de bacalhp
Para ir* cena tie phsira, affecoes egorofa-
loss, un8*ebronica, fraquoza dos membros e de-
liilidade.gej-al, recoiMnenda:So a excell#nia deste
oli'-o ainda por 6r agraidavel'no paladar.
VENDER
NA
f*harmafl e drogara
ME
BARTHOLOMEU c-e.-
34 '-= Mm larga do Rmm = 34
Loja do Pavfto.
GUBGL'ROES 1ABA' VESTIDOS A I JOCO,
O COVADO.
Chegaram os mais modernos gurguroes
para vestidos, sendo de todas as cores, como
sejam verde, azul, rosa, bismark, perola,
rxo A A leudo quasi quatro palmos de lar-
gura e vende-se pido baiatissimo preco
de I 1000, cada covado nicamente no ar-
mazem de Fejix Pereira da Silva, na rua da
Itnperattif n. (JO.
llntNS PAll.V CALCA NA LOJA DO AVO.
Vende-se os mais modernos e melhoi's
brins de litihojde todas as cores, outros com
listas do lado, garanlindo-se serem de tnho
paro e vende-se por precos muito em cori-
ta no'armazem de Flix Pereira da Silva, i
mi da "Imperatriz n. 60.
AS DEZ MIL VARAS DE CAMBRAIAS FRAN-
CEZAS SON A L6JA DO PAVOAiMW
US. 0 METRO.
Vende-se fmissimas cambraias francews
com os mais delicados padrees, tanto mtu-
dos como grados, e com as cores mais no-
vas que tem vindo no mercado pelo barc-
tissimojpreco de B60rs. o metro; garantind*
que 7 metros d5o um vestido |>ara qual-
quer senhora, e que em outra qualquer loja
nao se "encontrar a mesma szenda por
igual preco, e sim s na loja e armazem de
' Pavo, rua da Imperatriz n. O de Feiix
Pireira da Silva.
Cassaa Inglezas a lio ru naelr*
Vende-se urna grande porcao dn bonitas
cassas inglezas lauto graudascomo miudi-
nbas e de cores flxaspelo barato preco d
410 rs. ometro.gaiiaitindo-se que 7 metros.
dSo um'vestido'para qualquer Sra. s na
loja do PvO na da Imperatii n. 60 d
Flix Pereira da Silva.
RETALHOS PARA LUTO NA LOJA DO
(PAVO.
Vende-se urna grande quantidade de re-,
tainos de chitas e cassas pretas por prec
muito barato, e qunnto maior for a prce
que o fregu comprar, mais barato se lti
vender na ruada imperatriz n. 60 de F-
lix Pereira da Silva.
CRINOLINAS OU BAL ;ES 20500 S, N#
ARMAZEM DO PAVO.
Baldes. isort.
Crinolinas i Z&!m.
Halos 24S00.
Crinolinas 2iJ50O.
Bales 20500.
, W50Q..
Vende-se os majs mudemos. .ha15es ou
crinolinas amer-anas, mnito bem ferias, son-
d' todas de' modelo".'esgiiufc', pelo barata
preco de'"203DO caila.uxna. imicamente pa
loja e arfliazem do PavatJ .de Flix Per'lra
S SMJ. ruAdUmprarja n. t;o.
CAMBRAIA CaIM^AUICO A 50000 APEC^-
Vendfr-se Retas de cambraia branca coaa
salpfcos, sendo neste genero o ralhor qae
tejn viudo -ndo 8 e meia va-
ras, pelo bar^^ec>,(le'W, i.peoltiacja
na lojae armaxem do: Pavao, rua da Impt-
ratrizn.OOde FetxPreita
----- I,"" nln>*.1ii'-ff......."---------1-----
No caes aoRanjos n. 10, vendem-se dua*
borras mat** "e' bjj caliN^a nova, por.prej
OOQUDOMK '
*





i


G
Diario de Pernanibuco Sexta feira 12 de Fevereiro de 1869.
AO BAZAR DA MODA
DE

JOS DE SOUZA SOARES fr C.
Ra Nova n. 50, esquina da ra de S. Amaro.
PARA O MOTO AIVIVO DE i 809.
Novo sortimento de artipos-de moda p|u\n,r......,1.1o.* pelo ultimo vapor vindo da Europa.
Especial sortimmtde objectos pra mimos.
Perfumaras Anas dos frinclpaes autores.
Luvas de pellica fresca, branca* e de cores pora liomens e senhoras
Chapeozinhos de palha de Italia enfcilndos, para senhoras.
Ricas chapotmas para scnhoras, porros de alba de Italia para senhoras e'meninas.
Especial sortimento de -int.wparasenhoras.
Eofi ites de gosto para senhoras.


Filas de grosdenaple superior de todas as cores e larguras.
Franjas com vidrillios, brancas, de cores e prlas.
' GuarninVs de todas as qual dudes para vestidos. """
Vestuarios completos mea haptisndns.
Goliates e polillos eufeitados para senhoras.
Coques modernos, lisos e enfenams.
Bomons de liae seda, cores claras, moda ele'ante para senHora." deboni go?to.
Corpinhos de cambraia eufeitados para senlioi as.
OlIHH de la.
-Chapos de sol para liomens e senhoras.
Flores finas, sortimento especial.
Plumas elefantes de <|ualidade superior. ^
Cintos ricos de palha, alta novidade.
Grinaldta 48Sores linas.
Camisas superiores para horneas.
C ilariuuos e pannos.
ravatas n mantas modernas.
Kenpalasdedivi'i.-as qualidades.
Caixas montes <'4'ni quiltro |.easrtemusica.
Floros de palha para guarnicGes de vestidos. Imt.Vs, fivelas. laros para-onoiftes.
Chapeos do pello de seda pretos, forma a Rotscaild, fazenda superior Jiara liomens.
C'irrentesde plaqu lino, gostos bonitos para vlngios.
Cacoletas de boin gusto para as mesmas.
C urentes pretas de borracha diversos modelos para rollas.
Mbjeetos para luto.
E iiHiitos outros artigof de novidade que so vista podem ser apreciados.
Existe continuamente um completo sortimen'o de miudezas, vende-se por grosso e a retalli..
A eOMMODO^ PRffft'OS
NO '
BAZAR DA MODA.
.i
PRE^O CBRENTE DOS CHAPEOS DE SOL
1 Da fabrica de
Ra Nova n. 23,Ra do Cabug n. 8
Pernambuco
Cliapos de seda trancada, Parngon, de 16 hastes, 28 pollegadas a 10$ ; 26
pollegadas a 15, e 2i pollegadas a 14-5000.
Ditos de seda G. de N. Bara, de ac, do 10 hastes, 28 pollegadas a 140;
de 26 pollegadas a 135 ; e 24 pollegadas a 12*000.
Ditos de seda G. de N. lisa, de ac, de 12 hastes, 28 pollegadas a 12; de
26 pollegadas a i 40; e 24 pollegadas a 405000.
Ditos de alpaca, de ac, de 42 hastes, 28 pollegadas a 6; c 20 pollegadas
a 5#3O0. .
Por duzia iz-se descont de 15 0{0
Chapeos de sol de panno, debaleia, de 8 hastes," 24 e 26 pollegadas
a duzia. (Descont de 10 0|0).
Ditos de panno, de junco, 8 hastes, a 18,->000 a duzia, liquido.
OS MED COS, phesphato de ferro aWl
(cores paludas), as dores do estomago, e a exhanstacJa do :
ao eorpo o ..vigor, e s carnes, a taa finnoia natmral; fscilii
ao eorpo
rioso da
puberdaie.
Com effeito, lado,- n'esle stidicam
assegnrar o roaiot crdito, pois que eatiam, na sna com
M. Liras, dontor em
estaprej
IsTensjtlTinnec
sefit reunido
para 11
reunidi
os elementes dos ossm
rmacenco, prokssor
da orden da Leglao
Slfica,
do singue. 0 sen autor, u. lisas, doutor em seiencia
chymica, inspector da Acadamia, foi, rigentemente, cond
Honra, dignajecoiupensa dos sen importunes trabarnos.
As seguint apieciacSes dos mais celebres mdicos ai A
todos estes ttulos ;t confianca pnblica :
c Precisa elassifier phoaphato de ferro soluvel entre os farraginosos (ue me]hl
a convem aos doentes cojorOrgfes digestivos supportam mal as preparacCes daten.
S0UBE1RAN, profesa* na Escola de mes\\mm $ de phatmaa.
Ophsphste de ierro soluvel , em .(uanto a mim, a rtHHwr das prepancees fortBj.l
i nosu, e o seu emprego di os mais promptos e seguros retSMUIt^, -*
ARAN, medico do htspitolSainto-EuQnie.
t A fdrma liquida do phosphato de ferro soluvel d-lhe urna immensa vantagem solire !
i as pilulas; eu considero este medicamento como mui superior s preparaedes ociadas, i
ARNAL, medico de S. M. o Imperador.
Entre todos os ferruginosos, nSo conhecemos um sd que obre lio prompta e effieazmet te
como o phospha.o de ferro solavel, e sso, sem cansar o estomago.
BELLOC, BAUME, BIGOT, POLLET e PRVOST, mdicos dos hospitaet.
t Os effeitos da preparacio de phosphato de ferro aolttvel me parecem ser mui segur
e promptos. > BBOUT, redactor em chefe do Bullelin thrapetUiqui.
< Entre todas as preparacSes ferrogtao&s, o phosphato de ferro soluvel foi a que sempi-e
< me deo os melhores e mais satisfactorio! resultados. GL'IBOLT, medico dos hospitaet.
t 0 phosphato d; ferro soluvel tem, lobrcludo,
t eouvir aos tempe -menlos delicados. >
vantagem de evitar a constipacio
D' FAVROT.
Deposito em Pernaml%e$, em casa de Mmum 0a.

raarsMceilic* L
Uarrtd* L
i* L
t IM *&ti> !
sempTe lentis-
.1 prephn
indagacoe feitas pelos j>rof<-S!K>rc hurn e Rnnfif^. (ien'ijl Vin-nuip d LjAo
prppftrsrSec f^rrnjjinncs nrrfiinriRS. As
0 tratamento das alTix..oesciilorotiia, lympliaticas OH oscri.. !;o|osa>
imo, e mnitas rttesi csa* molestias rmifm A* i
ndagaedes feitas (h-Ios j)rofpsson'--
Bcrzelius .^Troassean d* Psrris. ie>" nror^-io q*n a t nrnn HVss* p.-ist ria era a rv, vpM
ausencia do Manginese. elemenio que >m|,rr dfe-r hs> no saneiie juncniieiil* t'-ont
o Ierro. Estas pillas supprem. |>ois. n iherapriir p-n* falta iim onaore. c por le
motivo ellas lem merecido a approvnvAo di Armterm di mefleia e oas nrincipaes aoei-
dades medicas. Deposito em ferriHmhttco, em cssa fle Htorr f.
m i tf *
TASSOrMOS

ii
Tem para vender em seus iumazcnn, alin de o}-
tros, os seguintes artigos : vil.
Papel para imprimir.
Perlina azul. *
Greve pautado e liso.
itpprMc3
ta academia
U Blfllfci%*
i Pars.
Phamauutko
lawread*
4ac sVSMdfCiM.
Yinhos em caixas de doze garrafas
Bourgogne.
Hery.
Madeira.
Hermitage.
Chanujlis. ^
Licor de curaco de Hollanda et aixas de vin-
te e quatro botijinhas.
Nes arxnazens de Tasso Irmaos.
Grades de ferro
para jardn?, poneiras etc.
Nos armazens de Tasso Irmaos
C 111 Itl VIIO* DE II lili J>
Para snicos e grandes armazens,para remo-
ver barricas ott c.iixoes de unijiaraouro, lado pelo
mdico preeo de 12000cadaiun. "
Fariiiha de trigo de Trieste
Das mellioras marcas Panonia(verdadeira) Fon-
tana c grande sortiiuento da.< luelliores marcas de
farinhas americanas.
Saceos de fariiilia de trigo do
Chile
Todas novas, chegadas ltimamente nos arnir.-
xens de Tasso Irmaos.
Cemento romano
Nos armazens de Tasso Irmaos.
Cemento h\ tiran I ico a 12>
O melhor para tudo que sao obras para agua, co-
mo assentamento de canos de esgoto, algereaes, de-
posito, anques d'.igua, etc., etc.: em porches de
i-iiieiieiito barricas te far redueco no preco: nos
[ armazens de Tasso Innios.
Cemento Portland
Ovcrdadeiro cemento PorflaHd em casa de TMM
Irmaos.
Grades de ferro, cercas, por-
teiras, etc., etc.
De differewfes qualidades para errados de ani-
jinaes, cliiiineiros pam galiiibasoujRrtliiT: nosar-
[joazens de Tasso Irmaos.
Barrfe cora bren
Ro armazens do Tasso Irmaos.
CANOS DE BARRO
Al preparacSes ferruginosas liquidas tem desde
especial dos medios, porque ellas obrio mais
muitot anaos merecido pprovici;o
rpido e seguramente do que as pilulas, e
si mais fcilmente toleradas pelos doentes. Os Pds ferro-manganicos posssem inappre-
ciavel vantagem de poder offerecer n'um instante urna agua ferruginosa gaxeeea> de gosio
agradavel, mais activa do que as aguas mineraes, e centrado de mais um elemento precioso,
o Manganese, que sempre se acba m saogae, junclamente ecen o ierre. Empregle-se ein |
todas as molestias que lem por causa o empobrecimento c t*ne, assim como para- vigorar
os temperamentos debis e lymphafieos. A chlorose, m Perdas brancas, dores 'eit a irregularidade da menstruacio e omtnorrha on suppressio do menstruo, eedem rapid!.-
mente a seu emprego. Devemos mencier aqu um facto notavel, bto 6 que o* doeates cura-
dos pela agua preparada com estes pea esli muito menos expone* a reeaidar Hr que
aquelles que forao tratados pelas preparaeees ferruginosas erdmrm.
Deposito em Permmbuco, em easa de Mmtmm O*.
h
0 di
OJA DO PASSO.
a 32
P.ira msicas militares.
Completo sortimento
BAZAR DA MODA
RA NOVA N. 50,
Esquina da ra de Santo Amaro
SO a 30 por cento meno* que em outra qualqner parte veodem
JOS DE "T" ""'
do mais acreditado autor Goutrot Ainea Paris.
O
c.
a-
RA -MOTA tf? 50
ESQUINA DA RA DE SANTO AMARO.
---------------------------------------------------------------------------------------------i
ATTEMCAO
AOTRI
Est a expsito do respeitavel publico ueste importante estabelecimento um
lindo e completo sortimento de fazendas chegadas pelo ultimo vapor da Europa, o que
temos a honra deannunciar aos pais de familia, assim como ao bello sexo, a quera o
Triumpho pede sua attenco; garantindo sempre em sua nova toja o gosto de fazendas e
novas modas e modificado dos presos, para adquirir asympathia de qqem der a honra
de procurar o Trismpho.
Lindas sedas de cores novo gosto a 2#600 e 2:>8000 o covado.
Glacez de seda e 15a apurado gosto para i-yOO o covado.
Laazinhas com listras de seda para 4#00, BOOO o covado.
Ditas de lindos padres para 500, 700,800 e 900 rs. o covado.
Cambraias brancas de 4000 at 80000 a peca. :-,
Ditas de cor novus padres de 640 e 800 rs. a vara.
Saias de la com bonitas barras.
Bales de la.e murcelina e de arcos.
Basquinas de gros-de-naple de 22^000 a 40$000.
r,ros-de-naples pretos de 2|J000 a 40500 o covado.
Ditos de todas as cores.
Organdiz branco.
Brilhantinas brancas e de cores."
Espartilhos e entre-meios bordados.
Meias finas para senhora e para homem.
Alm destas fazendas tem um completo sortimento de chitas escuras e ciaras, ma-
dapoles, bramantes, atoalhados, toalhas delinho e dealgodo, e outras muitas fazendas
que se vendem por precos que s a vista o comprador se poder desengaiiar que s no
Triumpho poder comprar bom, e com economa.
F PARA HOMENS.
Bonito sortimento de casemiras, brins brancos e de cores, camisas de linho e algo-
dao ciroulas, mantas e grvalas do que ha mais moderno, chapos de sol de seda e alpaca,
e outras muitas fazendas que vista se-podero agradar, e manda-se fazer qualquer obra
de alfaiate para o que tem um hbil raestre, p prego em tudo, so encontrara no Triumpho I
ua do Queimado n. 7.
VERD ADORAS
PILULAS de BLANCARD
coa ioduheto do wtmrn iNALTtmtvtk
APfROVADAS PELA ACADEMIA DE EDICINA DE PARBr ETC.
' Fossuindo as protrledades do lado et do forre, convem especialmente na kmccoti
navmwosAi, a Timca no principio.a fraqwtade ttmlea* ease* Ir
Falta de coa, amiworrhea, em que precisahjeaow sobrk ovSAfKtnt iej* pera restituir
Ibe sua riqueza e abundencia normaos, ou para provocar e regular o seu-earto periodicc.
IT. B. O iodireto di ferro impuro o* alterado ara dkaratoto infiel,
irritante. Como prova de purera e de anthen-ndade dai tt*
arf, dfT-sa igir 101 aafto pratt
nosso OnuM, aqoi reprodnrida, ifae a* ka aa parla-
mi* verde. Deve-aa desconfiar das,faIaifleacoes.
irliini-ne F> > HlMWilM
iaferior
Ke-Fua Nova de SanriiRita, naantigalhltrca de
sabo, ha para vender por preeo o niris niodko
pos9J;l, canos frasrezeji-psra edlficaeoos- a esgo-
tns dcKtdtt ai|ualidade,st^>erw-es a todo os que
aqui tei i>parecido pe1.-vBa !*lidez.
ntE<;e)8
I 1 44)0 por cano graadede:< e meia po'f*?>idt.
I OO |i>r dito de t e tr*s-qusnos de dita.
l'A< N K> por dito de 2 e n qua*ft> le dita.
iMOrisi> pistoleta dM2polleudas.
Gotovcll(ifrcurvase caaos de noior grossent;^ 21 = Rila
-rietase fario preeo. Compras r.saiores de iSffS.
was> 5 por mito de descont por prompto pr.f,v
luemto. PV-se ver as auiosuw aos araiazjnr
de asso Irmaos.
espo B.IA, exqulua
do Imperador.
ono deste importante estabelecimento,
tendo recibido de sua conta, pelo vapor
francez Exkttmadure, diversos artigos de alta
novidade proprios para a festa, econscio de
que seu estabelecimento se acha bem sorti-
do, principalmente em artigos de moda, pe-
de ao respeitavel publico e em particular
aos seus numerosos freguezes a bondade
de honra-lo com sua confianca, garantinde-
lhes seium bem sen'idos e por presos ni-
miamente baratos. Venham, pois, todos
comprar novas e lindas fazendas boas e de
alta novidade, com bem:
riiquissimos cortes de blonde.
Riqusimos cortes de seda de cores.
Sedas de lindas cores para covado.
Moire-antique azul, verde, branco" e pre-
lo.
Grosdenaples azul, verde, branco e pre
to.
Gorgurao branco e preto.
Setim branco macan.
Cortes de seda com dua* saias.
Cortes d la ecosseza com duas sa'as.
Cortes de 3a e seda, novidades.
Poil de chevre de lindas core.
Alpacas de cordo lindas cores.
Ditas lisas de todas as cores.
Cortes de vestidos de cambraia bordados.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas bordadas .
Frondas de linho com lindo* bordado.
Lencos de cambraia de linho bordador.
Chapelinas de palha da Ralia.
Ditas de sedas de cores e prefa*.
Knfeites para cabera de senhora.
Coques de todas as qualidades.
Basquinas de seda enfeitadas com primor.
Leques de madneperola, marfim, and>
lo e osso.
Camisas bordadas para homens.
Colchas de aJgt*i5o e seda para camav
Bitas do cpoeliei vara auna.
Pannos de' croch* p-ira cadeiras e sof&.
Cliapos dr sol de serla para senhoras.
Espartilhos jnra senfeera*. '^
Taalhas de febyrintov
LmiCos de lalyrinto.
FrMihas de laV.rrinto.
Bie*s, rendas grad.
Finsimas cambraias d1 cor, percales,-
fSas e utros murfes-artges- d josto e no-
vidade.
Loja :?o Passo nua do Cresjw. 7 A es-
quina da do Imperado!".
Tjolos fraaieezss
rara ladrilbnrc;isasterre*-comas9Hoe preces-1
modwos, muile^rwivenieiitej-e'pronr'Jwpara ladrv
Ihos .le eosinhr.* im sobrados, pcib aeu asseio e-
de Tasso Irmaos-.
lan-
-"""'
Pharmaeeutico, ru- Btnaporte ** Pbrit
t.V:GERM%^
/lMAK-\l/lllSl.
LOM DO GALLO VIGILANTE
Boa do Crespa n. 7
Mandou vir de sua conta
Ak'grai-vos myopes, e presbytas, ja po-
dis ver de longo, j podis ver de perto,
nao ha mais vistas cortas, Tem canea*.
F. J. Germann acaba dereceber pea ulti-
mo vapor om rico e variado sortimento de
oculos, lunetas, pim^-nez, face-a-main,
lorgnons, de ouro, prata, tartaruga, marfim,
ac, bfalo, ncar, unicornio e melchior;
assim como binculos de urna a tres mu-
danzas para theatro, eampo e marinha da
ultima invenco ; duquesas, vienoias de 6
8 c ti vidros, tudo os melhores fabrican-
tes da Europa.
O mesmo vapor trou-
xe urna excetlentes ma-
china para graduar e
observar o numero dos
vii I ros que se necesata
conforme vista de
qu.tlquer pessoa.
Tem excellentes ste-
rioscopos, instrumentos de mathematica,
barmetros, vidros de chystal de rocha, e
de cores para resguardar a vista ; concerta
todos estes objectos a presos commodos e
com promptidao ; tira o mofo dos vidros e
eacarrega-s de toda a encommenda relativa
a ptica.
Recebeu tambem 05. exceltentes relogios
4-tlo antigo e afamado fabricante Roberl Gvrth
& C, os quaes vende precos commodos
garantindo a sua superior qualidade.
DOENCAS das CRIANCAS
XAROPE de RBANO IODADO
DE GRIMAULT E (JA PHARWACEUTICOS EM PARIS_
Este medicamento goza em Paris e no mundo nteiro de orna fama justamente merecida,
achar-se intimamente combinado nelle o iodo com o sueco das plantas anUscorbutieas, cuja effit
bem conhecida e as quaes k naturalmente existe o iodo. E' com este motivo que elle suppre
com vantagem o Oleo de figados de Bacallio, que deve, secundo os homens scientifieos, a sna
efficacia presencado iodo. E' preciosano tratamentodascrancas para combater o lymphatismo,
as obslrnccdes das glndulas do pescoco, e as dive-sas erujc6es do rosto, lie freqaentes as
enancas de pouca idade. Tnico e depurativo ao mesmo tempo. elle excita o appetite, facilita a
digestSo, restitue aos tecidos a sua hrmeza e vigor r aturaes. E' cada da receiUdo pelo medieo
especialistas para combater as diversas, afteccoes da pelle.
Deposito em Pernambuco, em casa de tata o*.
lilSilll IHI BRASIL
POR
Salvador 11. de Albuqnerqiie
2 EDigiO 2.J000
e acaba de re-
ceber pelo ultimo vapor, coaipleto sortiraen-
ot de objectos de novidade e phantasia, os
quaes esto resollidos a vender por prados
nimiamente barato; para afisim. animar aos
concurrentes e ao mesmo twnpo dar sabida
ao grande deposito que tem; isto ruado
Crespo, n. 7, loa do Gallo Vigilante. .
(ioliihha-. puidios e caiwnhas paia nlioras fazendas de gosto -novidade.
Fieos vestuarios^ para baptisados, ;tssim
como touquinhas,. sapatiuhofr e meiasiohas
para o mesmo fim.
Grande sortimento de feicos e renfls- de
croch e de outras- muitas qualidades.
Superiores caixas com ausicas e siin.el-
lasr tendo o nocessario pra costuras, pro-
prias para um delicado mimo.
Finas caixas com tentos e sem elies para
voltarete.
Agulhas para, machinas de costura.
Ditas par croch, sendo de ac, marfim
t outras maitas qualidades, assim corno li-
'nhas para >. m0&mo>mster. -'
Final gsinaldas para noivas.
Meias de borraclia. para qne soffre da-
erysipella, assim como meia de 19a pata]
os queisoffrem de- riieumatismo.
Susptensorios para homem e meniniS^
Finoi pentes uV tartaruga para coqiae&^t
de puteis muitas qualidades e para oaros
mis terei.
Dedaes de madreperoka, marfim, osso,
accv metal, ec., etc. .
Suparior agua cosmeoeome para tingtr
cabellos, dando aos meemos a sna cor pri-
mitiva.! "" V*J
Completo sortimento defmas perfumaras,
dos meihow fabricante, assim como mu-
tos outros. objectos que impossivel des*
crever: isto na rea do Crespo n. 7, foja-
do Galo Vigilante. ,t.
Collates Royer electrieosoapieticos con-
tra as convulsas das criancas e para facili-
tar a dentincSo das mesmas, o Gallo Vigi-
lante antigo recebedor d"estes prodigiosos
collarel e contina a ter sempre grande de-
posito, ra do Crespo n. 7.
i
OVA ESPERANCA
do QueMado=2l
1; para presentes
A Nova fisperangrrua db Queimado
ti. "il tem cn variad'sortimento d sbjec-
tos de gosto o phantasM proprios-pas pre-
sentes, sobwsahindo arrtfe ells- riras- saixi-
uJias de bano com ffnas perfumwias-, cos-
ev}tar~a pass^remie ag^uaT^Vm^luBiar inferior] *"* t]e" <*agren, asnllieiros- de madrea
e mesmo o perism de logo, aoo-prcro ite .TOOOO.-s'peroia : as9i,pois, fm quiatT' fazemma
45ooo milhrim:m ra ft>vade ftm*aRita,na fiVeda offertas dirigir-se fiovs' Esperara,
antifra fabrica de-saawn, e compras maiem*" de 2003 r(J9 (j0 OueiTWdo n 2
se farr*5 uor ceatt de-descon^i por prcmplo paga- ~ ,, ,. ,, .
ment. PrtSwnKi* ver as amsetrl n*-rmai:ens WwiafCS anodinos m&CirOHmagnmi
eoscwxtrxias e cranlas.
Ilao resta 3-menor anida, dorque mote
->ft>res se vandem po ah inlUiados os
artbdeiros d Royer, e- eis porqoe muife*
pais de familia-nao f-wm (comprando-es)
ujetfeitoproaaHtido.O'qpe s rim dar.
osj-verdadeirotk; a Nova Esperaba, porm
qp tJetesta a princijamente n.
qfje> respeita ao> bem estar da humanidad.
IV".uina encomienda Irerta destts-collan^
epatante aoa-pais de fhinilfas, qne so os
v^rddeiros d4 Royer,-qpae a tastos- crea-
C3-tem salvado do taunvel incoaamodo de
caavolcoes, aesim pci preciso, que w-
nitam a Nov^>Bsperairoia ra d> Oueimni"
n. 21 comj)em o salva vida, para ses
fflUaJios, an^s que estes- sejam acommelti-
i\X do terriwl mal, qaando enla ser di-
ffieii alcancar-se o efib desejad, emlrn <
sjaan empagattos &verdadei collaae^
Ift-Hoyer.
lvra eMingw as sardas, t
panno
Recebeu a Nova Ksperangaji ra do
$neimado n. 21, l-xt* de rosas especia!
Volas de espaeoneete verdadeira. p
ternas de carros: no armazem de Tasso irmaos.
\lo do fOflOlaio supjrior: uo-annazcni
de T.two Irmaos.
i)melhor ojnaeGautliiepfreres ^no.arma-
zeni 11 Tasso Iriaaosv
Eisteias da .fisfii
Em casa de Tase ftrmaos vende-se nalMBl da
India ' diverso patCroes o Uaruras, ;i' preeo
coniunHA
MacartSy
n-.u in.is de*(Itaear>far alaaalio.
Iloj-.i..-e.-t.i rsoenisceido qn-as marinas do
serrot3-pjndicamiO'(|iirt)rani Sbra do- alRodao,
preciso recorre a- raachinisno- menrw- aa|>rro,
que pitMkaxindo o mosnao servio que ^pBlks, o
facilidad no trnhaioo, ao iiuebaem a flLn.da lia,
paraqaeessa pob^a.-obter-nos vuraados auaopeos.
a dille .naca que Ka caire o al^vrdao desoomrado
por acjHvi.is nieneionabs macljans, que- osti li-
r.inil eo da amiga liolandein, que nai> pode competir
pela i.iorosidade dfl. se trabal hx E* atmoa que
estas machinas ss-toraam as ni; ir* proprits para n
nosso afeodo, fompe ao pan da taatiiade e
promptidao consarv* a fibr3 da H*,- que tiwpa por
ella, e qualilicada na Enropa ^par-da rnolhr bo-
lanil 'a. valenb' as sin entre M arrohos- 30 0/0
iii.ii>-(i.que a lar..liMfn pela aaaeliina da> sorrote.
K>ta esta adoptadas
Entura japoneza
Instantnea p3t> ungir as cabellos e a
barba, a i$000 a frasco.
E" a nica aper-ovada e recommendada
f por ter sido reeonheci as tinturas d'oste genero
venda emeasa de Gustavo fbrveim n.
SI. ra da Cailda 11,. 31. :.
CHALES A 2$000.
Vendem-se chales do merino com boni-
tas barras, pelo baratsimo preeo de 20000
e 00 rs., na loja do Pavao ra da Impe-
ratrz n. GO, de Flix I'ereira da Silva.
,----------
Attenco.
Viimle- eno caes de Copitiaribe pedra mulati-
nha da primera qualidade, pelo preeo de 44200 o
palmo corrido, sendo bombreiras, soleirasi e set>os
com o mais que se segu.
GADO fcORDO.
No engenbo Boa-vista, freguezia do Cabo, vin-
de-se gado gordo, quer para earro, quer piu-a
acottgoei '"
Carteara
Vende-se urna carteira com estante
na ru^ Diroita, talwrna n. 9t. ,
a traur
Btiada Cruz n. 68
no- Eav'pto, .-junde as des serrote
foraminteirameole abandonalSis, e por rssoo algo- para extiiraiir saldas-e pannos,
daoaqnella p04cdeeia, se:Wo da qsafidade do, BONECA HE CERA'
da-Mesa provinokweatORi hoja do i4> arolas 201 i m- -^al a^ w;.j. .
oirmaisdoqm-.> nosso : vdom-se- a m/ot\ Aor*Esperano arua do.Ooeimadf..
nos armazens tfc T>o Irma. pi, acaba de raetter um cacamtoto sFtt-
rtIiinii^ftA nIAIUIU ,en, <1l>finas Ias de cara de diver-
tUilUlLAU Uo DUWWlAlf ,so;: taninnlios, seatoas m;iaces do cam-
lii'a lo Brivaa u. *. primento d'um colado ; estas- bonecas> tra-
Machinas.de vapor. zem bonitos, cogas ebotinas bavendb.ea-
Rodas d*agoa.
Moendaide canna.
Taixos dfe ferro, batido-
Rodas dentadas, pan
vapor e animaes.
E out?os muflos afcjectos. *tc. etc., gro-
prio pjwa agricnlhira.
fundido,
moer com agaa,
-- Ejn rSp de Theo Cbristianse, ra do Com-
mereio n. 6, cnconkrain-se aflec4#>-amente aidas
as rrnalidadee do \iaho fiordeanx BoUrgoploe do
Rheno. _ _ __ ~-. n r\4
Para armazens a retaliio.
O Campos da rna do Imperador n. 2&, tem para
vender grande quantidade de medidas de estanlir-
I>ara lquidos, e de madeira pnrp *ciss, pelo sys-
tema metlico decimal; peto pial estao os negocias-
tes a rerfiho onrfgados a vender sitas mereadorias.
a contar do Io de mareo do corrate auno. Oan-
nunciante avisa e parante aos que de taes medida.
necessitam, que san estas as mais exactas, pa
quanto sao feitas em Paris, de conformidade com
o vstema cima dito, e segundo o padran adoptado
pel governe imperial ; n5o acontecendo, porm,
o mesmo com outras qne alii se vendem, que sen-
deverslflcam de modello
m m caz
ha para vender
MEDiDAS e pesos do systema decimal, de todas
as qualMad*, para lojas trapiches e tabernas.
u -A. **ms*u- -------------u-..nko do l1 mesma canacidade^dcversiflcam de moo^lloj vtn mui
Meiab -Masticas de borracha, wnbgrr, -.fi|if|ao |5 aoe r*rrnradorr glJJb Qudi
As melhores e excellentes meias elasti- toao to vendedor. lai5m*e
cas de borracha contra varizes e erysipellas.*"
Yende-se na
Pharmacia e drogara de
Bartholomeu & C.
04na larga do Rosario34 ___
Vende-se por preeo rar.oavel l sof, 1 par de
consol, 6 cadeiras e 1 cabide, tudo coui u*o : no
do patetj Terco n. 29, loja.________________
lanoel Alves Ferreira & C., na ra da
Moeda n. 5, segundo andar tem para vender
superior potassa da Russia em barris e meias
barris e cal de Lisboa da mais nova W&M
no mercad.
Chego'u ao antigdeposito de Hcnry Forster &
e., na do Imperador, um carregamento de gaz
de primera qualidade; o qual se vende en partidas
e a retalho por menos preeo do que em outra qual-
quer parte.
tre ella -.-ilu'iimas.que falla. outra- qm-
choran; da sor** 4|ie iacilaatate pod*. ser
preparadas, e Iaer-se umgresente da-maita
acceitagao.'*
Finas caixas. etartarnisiiwra rapa- Meri-
dem-se a ra o Queiraato n. 21 na. loja
da Nova Esptwann.
Modernos- brincos de sndalo, s\ so en-
conrar5o-.aa Nova Sjperanca a> aa d
Queimado v 21.
MEIAS D8 LAA
A Nova Esperanza a. ra do Queimado u,
,.acaba da receber tan especia sortimeu-
tj de- nu'itis de la i ara hornea) c senhoa*.
CONTRA ASi CONGESlteS
rnat terrivel a cungestlu. ailminaale:
do rpente leva um indivioV d'esta aa/a
millior vida, sem Uap-lhe tepo de rebeber
conversa medica: deixando as mais dai
vese-s muiher o lhos no wais amarguradu
I tir serviros recorrou a. Vojer, o qual llie
mandn annefc elctricas magnticos, conu>
o nico preservativo para scmelhante maa
eBes antes que se aeabom : na Nova Egp. i
ranea-
NAVALHAS
A Nova Esperanra a ra do Quei
n. 21 recebeu um sortimento de navetas,
do qualidades, e tamanhos especiaes assim
como atiadores e mdssas para as mesmas.
LINHA PARA CERGIR' MEIAS
ito necessaria linha vende
imado n. 21 na Nova Es
RfiAtS BONITOS, BONS E BRA
Esparlilhos s na Nova Esperanc a ra
do Queimado n. 21. -^
Hiparte.. ..________ ______. ,____
criplotio'a' i^'dooittrffll^S.1 i
la* de cYa, vinho Sherry mnito superior em rai-
xis t 1 dii|ia de garrafas, c cachimbos, de diver-
immMiVmLm
ro qualquer pspH qu
l.coapttrsecffiaes
estoja linao^ai^a
Vende-se um; -misada e envi.
dracada; prtpria pitra, quidiuijjjicstabelecimento :
a tratar na ra Direita n. 30,'taberna. ____
Aja lie rna eom al-
pnra pri*f ante : a tratar
a na Imperial n. 37-
r\ _fVciHk>se urna arpwoSo
(JemQiito de Portland.
1 **de-sc %o armazem de Vicente Ferreira da
.lew & Fiio, na ra da Madre de Dos n. 13, em
barr grandes. ...

i







Diario de Peruambuco Sexta feira 12 de Fcvereiro de 1&69.
'; v.....'
z:


a dinheiro na loja e armazem
paAo
DE
Flix Pereira da Silva, successor de Gama

Novamente chegadas ao armazem
DO

& Silva


0 proprieurio d'este estabelecimento convida ao respeitavel publico desla ca-
piial a Tir surtir no grande esUbelecimeoto que tem de fazendas, tanto da moda como
de le, e as pessoas que negocian em pequea escalla, tanto da. praca como do matto-
nesta casa podero fazer os seus sortimeutos em pequeas e grandes porces, venden-
do-se-lhes pelas precos que so compram as casas inglezas ; a$simcomo as excellentis,
sinos familias, podero mandar buscar as amostras de todas as tasadas, ou mandare-
mos levar em suas casas petos nossos caixeiros, para o que acharse este estabelecimen-
to aberto constantemente desde s horas da manlia s 9 da noute.
O atoalhado do Pavo.
Vende-se superior atoalhado de algodo
com 8 palmos de largara, adamascado a
24*00 a rara; dito de linho fazenda muito
superior a 30200 a vara ; guardanapos de
linho adamascados a ijSOO a doria e muito
finos a 8^000, e ditos econmicos a 30500
a (Iuzhi.
Crochs paracaalelras aa tajado
Pa-vo
Cbegaram os mais lindos panos de cro-
ch ea guarda hanftras, proprios para ca-
deiras tanto d'encosto, como de balando e
de gaarnigao, e oatros compridos para so-
f, assim como dits redondos para mezas
redondas, ditos peqaenos para almofadas, e
ditos para cobrir presentes,1endo peqaenos
at para cobrir ubi prato, que se vendem
por preco muito em conta, na loja e arma-
zem da Pavo ra da Iinperatriz n. UO, de
Flix ?ereira da Suva.
Fmates para vestidos braaeos
a 44.
Vendem-se os mms modernos fuste6 tran-
cos flesiveis com fiadres de listas de
salpico* proprios para vestidas e roupas de
menioe a 640 rs. ovado, na loja e arma-
zem de Pavo ra da Imperatrizn. 60, de
Flix Pereira da Suva.
iros4eaaples
Chegeu para a loja do Pavo pelo ultimo
varpor ubi grande sortimento dos melheres
grosdenaples pretos e de cores, tendo verde
tambem, que se veadem mais barato que
em i nitra qualquer parte.
Pechixcha em aloobosiniio i 5.>dO0
a peca na i.oja do pavio.
convida-
Tendo-nos chocado ltimamente fazendas inteiramente novas,
mos por este meio ao respeitavel publico, a que nos procure a comprar fazendas de
bom, gosto eporprecos que n5oachara m outraqualquer parte.
Admiren!!
141
Uaaslubas
A doze vinteus.
A de*e vintens. I
A doze vintens.
Vendem-se lasinhas de cores muito bo-
nitas com desenhos miudinhos e grandinhos
com listinbas a pintas pelo barato proco de
2 40 ris o covado na loja do Pavo, ra da
Imperatrizn. 00, de Feliz Peteira da Silva.
AS CA.MKAIAS DO PAVO
Vendcm-se finissimas pecas de cambraias
lizas transparentes tanto inglezas como suis-
sas tendo mais de vara de largura, pelos
precos de a^OOO at 100060 a peca, assim
como (misamos organdys branco liso que
serve para vestidos de bailes, por ser muito
transparente a 10000, a vara, na toja do
Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Flix Pe-
reira da Silva.
FUSTO 8RANG0 PARA VESTIDOS A 640
Na loja do Pavo vendem-se os mais mo-
dernos fistes brancos de lista e eordo
muito cncorpado mas muito flexivel, pro-
prios para vestidas.roupfies, penteadores etc.
etc.,e roupa para meninos, pelo barato pre-
go de 640 ris o covado, na loja e armazem
de Flix Pereira da Silva.
SEDAS COM LISTINHAS A 3000o o
COVADO
Vendem-se as mais modernas sedas de
lisnhas para vestidos, chegadas pelo ultimo
vapor com as cores mais modernas que tem
viudo a esto mercado, pelo barato preco de
30 rs. o covado na ra da Imperatriz n.
60 de Flix Pereira da Silva.
Alpaeas lar nulas
Chegaram pelo ultimo vapor as mais mo-
Madapoloes finos a 50, 60, 70 e 80 rs.,
s no armazem do Leo.
Chitas escuras de padroes lindos por pre-
co de 320 e 360 rs. o covado.
Cassas de cores com palminhas e com
listas de diversos padrees a 240 e 320 rs.
Lazinhas cimentas e cor de btinma a
320 o covado.
Chitas claras mii; dinhas a 320 e 360.
Alpacas prelas e de cores lindas proprias
para vestidos a 680, 700 e'800 rs.
Pecas de cambraia transparentes a 40,
H e 60. Por este preco admira a todos !
Cortes de casemiras de quadrinhos e lis-
tas a 20800 e 30.
Corpinhos branoos para senhora a 30 'e
-3^200.
Pechincha!
Cortes de cassineta de cores para calcas e
paletots a 10500.
Cassineta de cores com um pequeo to-
qae de mofo a 400 rs. o covado.
Espartilaos muito finos a 40500, 50 e
.3*500.
Admira!!
Gravatas de seda a 500 rs.
Golinhas bordadas a 500 rs.
Lazinhas a 200 rs.! 1
Lazinhas a 200 rs.!!
Lanohas a 200 rs.! I
Lencos bordados a 60, 60500 e 120500.
Ricos e bem escolhidos gostos de bis-
marks para calcas e paletots a 20500 o
corte.
Tambem tem para acabar peca de pan-
no de linho, com 27 vara* a 170 a 180.
Toalhas de linho para rosto a 100 a du-
zia.
para
Aos Srs. armadores de en trros.
Vendem-se pecas de hollanda preta com
40 covados a 50 : na ra da Imperatriz n.
48 e 52, junto a padaria franceza, loja do
LeSo.
. Attencio roupas feitas 1! no armazem
do Leo, ra da Imperatriz ns. 48 e 52.
Assim como temos um grande, completo
e variado sortimento de roupas feitas: pa-
letots saceos, sobrecasacos, fraques, jaque-
toes, calcas, colletes, camisas, ceroulas,
chapeos etc., tudo por precos que admira!
Tem tambem um sortimento ce roupas
ordinarias por preco baratissimo.
Acaba de chegar tambem um completo
sortimento de damascos de cores, sendo
azul, amarello e cor de caf etc., que se
vende por preco commodo.
Admira!!
No armazem do Le5o IJ!
No armazem do Leo I.'
No armazem do Leo 111
So armazem do Leo I!!
No armazem do Leo, ra da Imperatriz ns. 48 e 52, junto a loja de ourives
e padaria franceza.
a peca na loja oo i Mjso. dernas alpacas lavradas coin as mais lindas
Vende-se superiores pecas de acodaos.- !r0reS; ^ sc vcndem a 10000, o covado,
nho com 20 jardas a b-MO a peca, e gran- ^ ljsas tendo lam,)em cr d(J canna a
de pechincha, na ra da Imperatriz n.
jrraazem de Flix Pereira da Silva.
PECHINCHA A 3:500.
Cortes de la 3:500.
Cortes de la a 3:500.
Cortes de la a 3:500.
Lazinhas a 280 ris.
Lazinhas a 280 res.
Lazinhas a 280 reis.
S o Pavo.
S o Pavo.
S o Pavo.
Vendem-se bonitos corles de lazinhas
para vestidos com padroes modernos tendo
ada um corte 14 covados pelo barato pre-
go de 3:500 rs, assim como ditas em pecas
que se vcndem a 280 rs. o covado, sendo
grande pechincha na loja e armazem do Pa-
vo ra da Imperatriz n. 60, de Flix Pe-
reira da Silva.
BABADINHOS
Vendem-se finissimos babadinhos, tiras
bordadas e entremeios, mais baratos do que
em outra qualquer parte, assim como espar-
tilhos ilos mais modernos, no armazem de
Flix Pereira da Silva, ra da Imperatriz
n. 60.
ALTA NOVIDADE
A LOJA DO PAVO
Gurguro de seda
Chegaram pelo ultimo vapor os mais bo-
nitos gurgumes de seda, proprios para ves-
tidos, sendo lisos e lavradinhos, com muito
lustro, garantindo-se que a fazenda mais
linda e de mais phantasia que esteanno tem
hegado a este mercado, e vende-se por
preco muito razoavel, na ra da Imperatriz
n. 60, de Flix Pereira da Silva.
GROSDENAPOLES PRETO A QATRO
PATACAS S 0 PAVO.
Vende-se grosdenapoles preto de boa
lualidade pelo barato preco de 10280 o co-
vado, s na loja e armazem do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60 de Feliz Pereira da
Silva.
CAMBRAIA BRANCA A 30500.
Vende-se pecas de cambraia branca
transparente, com 8e meia varas pu .ba-
rato preco de 3:5800, ditas muito finas .to
lapadas comotransparentes 40500, 50000,
;>500, 70000 e 80000, assim como organ-
d muito fino tanto lizo, como de listas e
quadro* na loja e armazem do Pavo ra
da Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da
silva.
ALPACAS LAVRADAS JPARA LUGTO.
Vende-se na loja do Pavo, as mais mo-
dernas alpacas lavradas para lucio, sendo
inuitolargase pelo-barato prego de800rs. o
-ovado, s na loja e armazem do Pavo, ra
la Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da
silva.
800 rs, ditas mescladas muito finas a 1:200,
o covado, e outras umitas fazendas de gosto
c moda que se vendem mais barato do
que em outra qualquer parte, no armazem
do Pavo, ra da Imperatriz n. 60. de Flix
Pereira da.Silva.
ORGANDYS DE COR
Vendem-se organdys de cores com pa-
droes miudinhos em assentos brancos e de
cores pelo baratissimo preco de 360 rs, o
covado, finissimas cassas francezascom deli-
cadas cores e bonitos desenhos a 320 rs. o
covado e ditas a 300 rs, na ra da Impera-
triz n. GO, armazem de Flix Pereira da
Silva.
Roupas para ltomcni
Vendem-se superiores paulte de panno
sobrecasacos forrados de alpaca e de seda,
camisas inglezas e francezas com os peitos
de esguio, ceroulas francezas de linho e al-
godo, meias cruas inglezas superiores, ca-
misas de flanella e de meia de la, assim
como neste estabelecimento existe um grande
sortimento de pannos pretos, e de casemiras
inglezas de cores, c que se manda fazer
qualquer obra a contento dos Srs. fregue-
zes, e promette-se-lhes que sero servidos
com a maior promptido e muito mais ba-
rato do que em outra qualquer parte
na ra da Imperatriz t. 60,de Flix Perei-
ra da Silva.
Cortinados
Para camas e janellas.
Vende-se um grande sortimento dos me-
Ihores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se vcn-
dem a 120000 rs. cada par at 250000 rs,
isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
Chitas
Vendem-se as memores chitas escuras para
casa sendo de cores fixas, pelos baratos
precos de 320 e 360 rs. o covado, ditas
muito finas francezas sendo claras, com pa-
droes de cassa a 360 e 400 rs, pechincha,
na ra da Imperatriz n. 60, armazem de F-
lix Pereira da Silva.
Grosdenaples preto
Vende-se um grande sortimento dos me-
lhores grosdenaples pretos, tanto lar-
gos como estreitos, sendo de 20000 rs. o
covado at 4.0000 rs. garantindo-se que
n'cste genero ninguem tem melhor fazenda e
que se vende mais barato do que em outra
qualquer parte, na ra da Imperatriz n. 60,
de Flix Pereira da Silva.
l'oll dechvre a lOOUn covado
Vende-se poil de Chvre muito largo com
as melhores e mais modernas cores pelo
barato preco de 10000 o covado, na loja e
armazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60
de Flix Pereira da Silva.
ItlllW l'IHI 11
LIMA, LESSA &
14-RUA NOVA N.-14
0 cordeiro previdente
Una do qs.eiuiado n. I
Novo e variado sortimento de perfumaras
fins, e-outros objectos.
Alera do completo scrliuicuto de perfu-
maras, deqje etrectivameute est provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
recebar um outro smftimento que se torna
notavel pela variedado de objectos, superiori-
dade, qualidades e commodidades de pre-
cos ; assim, pois, o Cordeiro Pi evidente pede
e espera continuar a merecer a apreciar)
do respeitavel publico em gcral e de sua
boa freguezia em particular, nao se afas-
tando elle de sua bem eonhecida nmsidab
e barateza. Em dita loja encoiitraio, os
apreciadores do-bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray d- Laminan.
Dita de Cologne ingtetta, americana, fran-
ceza, todas dos melhores c mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica denlrifieia.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Exir odontalgico para conservaco do
asseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente,
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos e
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do lino e agradavel chei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finos e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
com escolhidos cheiros, em frasco* de dif-
ferenes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menores
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Caixinhas.com bonitos sabonetes imitando
fructas. A c
Ditas de madeira invernisada contendo li-
nas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes. ,
Ditas de papelao igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaris finas. ,
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
molaes nevos e elegantes.com pode arroz
e boneca.
Para familias
Grande trazar, ra Xova ns. tO c
9t. lo C arnclro \ launa A C.
Acaba de chegar a este estabelecimento
grande porcSd de machinas para costaras do
autor Wheeier Wilson, approvadas na ulti-
ma xiwsiro de Pars, as qbacs cozem c
dous pospontos toda a costura, e tem a
vantagem de ser to suave o movfanento,
que dulqcf criante de oiJto annos facil-
niente trabalha, e pode, edm este nlrete-
nimento, levar vantagem ao servicq diario
de tiiuta costureiras. A comprehensio
simples, pois em um qhaVto de hora se ti-
ca senhor do movimento da machina, ten-
do a mesma a profcriedade de fazer as se-
guintes costuras: pospontar, abainhar,
franzir, marcar e bordar, como apresentam
os deseuhos que acomiianham-nas. Os pro-
prietaros do estabelecimento sc encani-
gam de mandar ensinar n'esta cidade. e
garantem entregar o importe dispendido aj
comprador, no caso de nao trabalhar c a
perfei* ao a machina vendida, nao tedo.
porm, soffridoella alguma avana. Ilam-
lxm no mesmo estabelecimento niaui*na3
do autor Grower A- fiaker, de trbala siai
plesmente fflSo, c outras com movimenb.
dos ps; e mxime todos os pertences das.
mesinas machinas, para vender avulso.___
c
^/ i/un *-*-** i
Espocial po de arroz sem composicaode
L'bero, e por isso o mais proprio paia enan-
che
cas.
TOSSES
CTRRH0S
PASTILHAS PEITORAES
E LOURO GEREJO
IRRITUQOES
00 PEITO
E' este o mais novo e delicioso coofciio at a^ora conhecido. Por isto tem adquirido r-
pidamente a popularidade de que goza. Os mdicos os mais dislinctos o aconselhSo contra
as touei, defluxoi, catarrhos, tossu convulsas, catarrhot epidmico!, irriafSet do peite. Com
grande empenho o procurao as mies de familia, assim para ellas como para as enancas, pois
primeiro que todo noffensivo, e as suas propriedades adocanles nao deixo nada a desejar.
, Deposito em Perwmbuco? em easa de Kinnr o*. <.________
.:-,}. >>.v;. o .-V.-'v.-V.-
rC'*rst4Lrst'i
r
tttttttttttj
iinii
ippiiiiIi
t CIGARROS (NDIANOS S
IDOCANNABIS INDlCAlll
,xGH!MAOLTlC: PHARMA'' PARS-
BCFFOCiCI
lODQDIBll
Todos os meios at boje preconisados contra a astbma nao tem sido mais do qae palliativoa
debaiio de todas as formas, tendo por base a belladona, o estramonio ou opio. Recentes expe-
riencias feitas em Allemanha, repetidas em Franca e na Inglaterra, tem provado que o cnamo
cigarros, prepara-
dos com o extracto de cnamo das Indias, que nos importamos de Bombaim.
Deposito em Pernambuco, em easa de Inm o*.

Oniata frHe'" c francezapara (lentes.
Pos decm*^ eqrttras difierentes
qualidades lamb ^ ^ denteS-
Tnico al ^^qnes.
\ose bonitos moldes co. ^ ,e !lorcs ef,tas,
Os proprictarios d'este estabelecimento acabam de. montar urna das mais com- e ,. guns. d ellc's "nado5 o^Bc5o * quem
pelas officinas de all'aiate, encarregando a direceo da mesma um dos mais habis'esta0 loo.s exPosls api
artistas; e para melhor satisfazer aos seus freguezes tm um variado sortimento de ca- os P1^.n.(,.a-c-0,?P|'ar- tBjaDDS.
simira de toda a qualidade, pannos Anos, brins, merinos e varios objectos proprios para
homem, assim como um completo sortimento de fazendas finas- de toda a qualidade,
_______Garantc-se a melhor qualidade da fazenda e o preco mais rasoavel pssiv!.
(le chegar os sabonetes de
alcatrfto
Para curar as molestias da pelle, taes co-
mo impingens, dartros, sarnas, eomicWJes
e mais molestias de pelle senvoccasionar
accidentes ; desfaz as mandas do corpo.
pannos e sardas, restablece a cor natural
quanto cutis, seca, grossa, amarellenta
occasionado por alguma enfcrmidade, e co
mo desinfetaiite e preservativo-das-molesta
contagiosas. .. .
Depsito, botica-do Pinto, janano quartel do
polji-ia, n. 10. _________________
Friuha de Mandioca.
No trapiche da compnh,, largo do
Coi uo Santo, ha fiuinha de mandioca de
Porto Alegre, eusaecada e de qualidade mmt..
especial. A bordo do brigue Xoma ha
para vender aiinlia de mandioca de Santa
Gaibrina, fresca, e de boa qualidade que
sc vende a \nwo commodo ; a tratar uo e:
rrifitorio de Amorim luna"..
n. 3.
ua da Cruz
FAZENDAS PRETAS
PARA A QIMRESMA
iRnn pobto a i
Una do Oueiinado n. t
Receberam directamente*da Europa as mais superiores fazendas pretas espe-
ciaes para a quaresma, as qnaes esto vendendo pelos mais mdicos precos em vista
,ja superior qualidade de ditas fazendas.
ALTA JftOVIDADE
Rasquines pretas de renda, verdadeira novidade, para senhora.
Corguro preto de seda liso e com listas assetinadas para vestidos.
Grosdenaples preto largo estreito de diversas qualidades havendo neste ge-
nero o que ha de melhor.
Basquines de croch pretos, ditos de seda preta com cintos delicadamente en-
feitados, elegantes peplums de seda preta, fichos pretos de renda, modernas capinhas
pretas de renda e superioras vestidos de gorguro preto bordados.
Moirantique preto e branco, bombasina, superiores princezas pretas, merinos
de vero e trancados dos melhores.
Os mais lindos vestidos de blond coin mantas, capella para noivas, superiores
fronhas de cambraia de linho e de esguio bordadas, e lindas colxas de seda e de la
para camas.
Kahldas de baile brancas, azues e cr de cinza de gosto especial e ves-
tidos de cambraia branca ricamente bordados."
Popelines de seda para vestidos lisos e com listas das mais lindas cores
e mais bellos padroes, c grande e variado sortimento de sedas tanto em cortes como
em peca.
Cortinados bordados para camas e janellas, baloes parisienses com
molas novo gosto, baloes reguladores brancos e de cor, espartilhos e bellas colxas
de crodi.
Carnizas de linho inglezas para homem, chapeos de sol de seda,
gravatas modernas, pannos finos e casimiras de cr e pretas, e outras muitas fazendas
que vendem por muito eommodos precos.
A loja n. 11 da ra do Queimado tem sempre o melhor sortimento de tapetes,
alcatifas e
E'tetras da India para fotrar salas.
GOLLI.NHAS E PUNHOS BO, rao.
Obras de muito gosto e perfei u s.
Fivellas e fitas para efc .s jjec-
Bello e variado sortimento de tai > com-
as, ficando a boa escolba ao gosto d,
piador.
FLORES FINAS-
0 que de melhor sc pode encontrarn.es s
genero, sobresabmdo os delicados ramos
orvalhados para, coques.
Para rfageni.
Bolsas de tapete e carteiras de couro, por
precos eommodos.
Cliapelinas de palha da Italia mui bem
enfeitadas, e enfeites de flores obra de bom
.
Illuminacao.
RA DO CRESPO X. 10.
Duarte Pereira & C., tendo ecebido pelo
ultimo vapor grande e variado BQftimento
de baloes do papel de diversas qualidades,
e do mais moderno gosto. proprios para
llumnaco tanto da cidade como do
campo, assim o fazem constar a seus numi
rosos fregueses e ao respeitavel publico.
aiin de que com lempo se previmipi, i
como atiento aos ultWHoccessos da go r-
ra se espera a cada momento a aqsla no-
licia de sua concluso. A illuininaco em
liafies de papel alm de ser linda menos
dispendiosa possivel, osannunciantes ven-
deni-os por prSeds mui razoaveis,
gosto.
E assim mgilos outros objectos que se-
ro presentes a quem sc dirigir dita loja
do Cordeiro Previdente a ra do Queimado
n. 4G.
ENFEITES DE PALHA PARA VESTIDOS,
CHAPEOS E COQUES.
0 Cordeiro Providente ra do Queima-
do n. 1G acaba de receber um bello sorti-
mento de trancas' de palha para enfeites de
vestidos, outras para chapeos, coques ele.
tudo isto est sendo vendido com a sua bem
conhecida commodidade de precos.
ALEM D'AQUELLES".
Recebeu outros lindos enfeites de Seda
para vestidos ; assim como um variado sor-
timento de gallees de la, babadinhos de
cambraia com bordados de cores, cuja va-
riedade de gostos os tornam recommenda-
dos e apreciados ; compareco pois os pre-
tendentes que sero servidos a contento.
TO BEM RECEBEU.
Novo provimento de bicos e rendas de
guepure.
LUVAS DE PELLICA.
De todas as cores tanto para horneo/
como para senhoras, constantemente acham-
se a venda na loja do Cordeiro Previdente :
ra do Queimado n. 10.
SOF FRimENTOS D'ESTOMAGO. CONSTIPAQO.-
Cur tn. poucos das pelo Carvo de ielloc em p ou em pastiUias.
ENXAQUECAS; NEVRALGIAS. fosasiffec*>dto-
ipadas lapidainante pelas KMiat D'ETHEB t I* ttMIU.
ANEMIA, A PALLIOEZ os solfrimeiitos que necessiUmdo
emprego dos lerrnginosos sao senipre combatidos com o melhor resultado
pelas pitUL as de vallet. Cad* Pilula tem inerando o norae ULUT.
PO DE ROG. Basta dissolver um frasco d'este p em meie
garrafa d'agua para se obtir urna limonada agradavel que purga sem U-
ter colioj.
VINHO OE QUINIUM Utarraqut. Este tiabe, om dos
poucos cuja composi^o garant Ja constante, i uma das melheres prc
paraccs de quinin, sem ac{o notavel sobre os coavalesceotes, dande-
lhes torciis e apressaj.do i volts a saude. Cura as febres antigs que re-
sistae ae sulfato de quinino. ''
MOLESTIAS DA BEXIGA. i maior parte d'estes moles-
tia*, como u sciaticas, lonibagos, catarros, e tedas as dores nervosas em
geral sSo curadas pelas PEROLAS OE ESSf KiA de theruentina do
Dr. ClerUn. 0 professor Trousseau em seo TretU ie tlieropeiuic* acoa-
tclha u t*ra seren tomadas na occasUo do jantar, na dose do 4 i 12.
OLEO DE FIGADO DE BACALHAO DE BERTH.-
GaranUdo puro e de prneira qualidade, un dos penosa aprosados pe*)
Academia de medicina.
4TM. Todos
etlet medicamentos foram aprovadtt pe* Academia
imperial de medicina i Pars.
NOVIDADE
A loja de Coelho & Oliveira ra do
Queimado n. 19, receben pelo ultimo vapor
um bello sortimento de baloes de diversos
systemas, os mais aperfeicoados que teem
vmdo ao mercado, sendo :
Baloes de guipur com tiras chamados
reguladores, ditos de musselina abertos por
___ 'ugio .1 Vi ;W> tente na i
_ i. ae nonw-Wippp, cabra com 23 annos
,.....,.,, potra .ilt'>. suliraiii-i-iis prelas efor-
,i ,i',. i,., -iliell.is ac*bnnilados, quando atufo pi-
rada? rw r PS8rts l*rfW' "',;l ,u,,a man '
7 iliinVo r ''" ';ir"i;" s"1'"' ''i"'"1"- '''Vn" '"!l"
nn4lm Lili luadnalK^ pretos, camisa de tu
S I i i- wtodolj, redondo, te esm-
lalunl: do logar Canhotinho,
'nio Jos'.i provincia, e foi
w .!; M'!i(i. morad
1 (|u" o nicMiio escravn
de una vei.il;,
das Clncjo Tontas,
da comarca d 8. !!>
comprado ao Sr. i. Ah
ncsino logar, proSOM-Bi
eontinna a gannar na ra
biso proehrando pennor; p
6 es de campo e mais autoni
tora iln dltoescravo e levarlo
Pereira de Miranda Canlia, ni
Aman), sobrado gnmdi! di Sr.
ificar
munido ?de.. %w Srs. capi-
ladtM aojiaes .i cap-
an iQ% sepnor Ji"';
. >rair.T epi -
Manool.Cu>:
vntt.
n. 22; que SO praiilicar gfnerosan
di & captura
Joio, figjd'-
s M 1*1 oV -
*ceai-.' i'.'-
mm a
s p.
a
4s
U abaixo aasgDAdo recommei.
do sen escravo de nome Joaqukn, mi
do seu sitio do Monteiro. comprado ai
mis os Srs. Joo Gonralves da Silva, W
valcanti de Afliuquerque e Alejandre (;
silva, iicsia cidade, por intermedio de sei.
cirradores na psaos do Sr. Manuel Francis*
valcanti, todos de Pao d'Alho e por intervenc
Sr. Santos (corretor de estnsna), cujo esefav
tambem natacal de Pao d'Allio e tem os dislici
seguintes: dade 35 annos, serr do corpo c um
pbuco alto, bip-odc, cabello um pouco carapinbado
e ponteado, falta de dontes, una inflammaco en-
cruada na jimia da mi esqoerda, Calla a sertane
o, muito descansada e mansa : lopou omisas fe
madapolao e riscado de altrodao. c raleas de brim
pardo. O abaixo assipnado muito recomnienda i
captura deste sm escnajro todas as antordadci
e mais pesseas enearrepadas da captura de escla-
vos, nao s pelas diversas cidades, villas e | orea-
dos, como pelo seriao.^ara onde piule ter seguido :
prouiette bem gralillear, e tambem a qualquer
pessea que d'dlie der nnik-ia certa : a digirem-
se ao sen escriptork) a ra do Crespn. IS,
seu sitio mi Monteiro.
Reclfe, 27 de Janeiro de 1869.
Antonio Jhsf llorlr/gurs Fugio do engenho Morenos, no dia 7 do cor-
rente, um negro de nome TlMma7.. com os slgnees
seiuintes! crioulo. cr pnta, idade 20 auno-.
taiura regular, sem 'liarha. dente-, e ps pereitos,
ambos os lados, de modo que sendo todos llias ooi oouc armteacH tem uma erida
de mn tamanho servem para qualquer se-
nhora, de la de cores, com tiras, e as e-
geintes fazendas:
Saias de la com bonitas barras.
Chales turcos de seda e la Beatriz de
Tundas.
Fitas de guipur pretos Rocamboly.
Chapeos de sol para senhora, muito lin-
dos.
I.-iinhas
Sultanes, Poil de Chvre, Tricte, dito de
xadrez e outras muitas, entre ellas uma
EspecialidMe
La pura de cores a 360 rs. o covado.
Basquinas a Maria Antoniete.
Cambi-aias fatitania.
Ditas brancas transparentes e Victorias
Colxas adamascadas.
Cobertas chinezas a 2^500 rs. e outras
muitas fazendas que tornar-se-hij enfad<)nho
annunciar.
e.ileanliar, pucha pela perna quando anda, e es-
padaudo. foi escravo da viuva I). Anna Maria da
Luz que mora na povoacao da Vara e foi vea
dido ao senhor do engeuliu Morenos ha ti dia-.
este negro tem irmao em poder da mesma senho-
ra : ipiem o appreliciider leve-o ao engenho Mu-
renos ou no Recite ra da Praia armazem do Sr.
Samuel Haliday que ser bom gratificado.
K-Jantir*
Baha..
boKucHrua;
Tudsw.
Bisa otO.
DEPOSITO
u raas, i, rao jc.a
Buuuks 1 Psrnamhm.
Cama.. .
ate.
ttC*.
Bareges a 400 rs.
S na loja lo Farao
Se vcndem as mais Iwnius bareg s transparen-
tes, proprias para vestidos com listrithas a mita-
d listras de seda, e vendem-se pelo barate
preco de um cruzado cada um covado, unicam
te na loja e armazem do Pavao, ra 4a
triz n. 60, de Flix Pereira da Silva. | secundo andar.
I00S de grafiilca^o
Fugio uo dia i i de Janeiro do ron-ente ai
do engenbo Batatura, imiaatia da Ks. ada, es-
cravo prete. crioulo. de l annos de dade. cha-
m.'ulo Marcelino, que fui do Sr. Joao da C.unh.i
Pereira, cujo escravo" esteve no deposito geral.
,. i i us-signnes seguintes : alto, seoco do fo
muito marcado do besjgas, falta de dei
na frente, cor preta, sabio de chapeo do chile
leti i- caira de castor, levimdo um bahuzinlio de
ll tdres com mais roana, e suppdo-se est;,i
freguezia do tlilio : qoem e a|ipn*endur l
ao dito engenho, ou ra da Seiizala-nova u
esiriptorio doSr. Bernardino Pontual. que i
ber a gratificacao cima.
- Acha-se fgido desde o dta 9 de jai
do presente anno, o escravo Ilerculano. rn
de idade de 40 a i-'l annos, coin os signa*
gu ules : altura regular. corpu. Ciir bem
acta, Dornas bastante fin
barba, falla de di
-; gratilir
seu s mhor Amonio quorqoe, no engeuh


8
Diario de Pernambuco Sexta feira 12 de Fevereiro de 1869.
~**v-
-~~~
^_^_
_
......~

-ji
*L

..- ...U
LlrTOTUBA.
Are Callas.
I.
Deus te salve, Caxias venenando,
General destemido,
Chefe que a Brasileiros commandando
Jamis sers vencido :
eus te salvo dos bravos o prmeiro,
Delicias do Brasil,
Qu'o gladio sabes manejar guerreiro
Com braco varonil:
eus te salve da hvnra daNaco,
Soberbo vingador,
Que tens uas apoSes tuas um brazo
De honra e pundonor.
O aojo da victoria immarcescivel'
A palma te olTerece,
Riada a naco, proclama-te invencivel,
O teu uome engrandece.
11.
Quando da patria oltgauto
Ouvio-se o grito soar
Que convidava a vingar
Lina injuria degradante,
Caxias de gladio em punlio.
Nos foi dar un testomunho
De uin espirito gigaute
Km bem querer seu paiz :
E voltar de l nao quiz
Sem que fosse triumphante.
E triumphoul Eis o Um
Desea luda amargurada
Contra o Brasil provocada
Por um dspota ruim:
K vosgeracSo Infinite
Guardae a'flro brlBanle
(Jue toiiiou o paladini.
guando forem insidiados
Vossos brios denodados
Procedei tambera assim.
Nos castellos d'Assnmpco
Attestam nossa pujan?
Estandartes d'allianca
Onde impera da Naco :
Foi oexemplo firmado,
Dos povos tica gravado
Na longa recordaco
=A injuria desafronta,=
E as lagrimas em corita
Dos linios da escravidao.
.- Embora assim De que val
Urna vida deshonrada ?
Por um despota insultada
i A vida de certo um mal:
Antes cora gloria morrer,
y Do qu*infamado viver
Debaixo de oppresso tal:
Assim Caxias o diz
E pisa heroico a cerviz
Do paraguayo animal.
III.
De mar, e de trra as tropas ovantes
Da guerra o brado entoam,
E corpos aos mil catando expirantes
Todo campo povam:
Uraco a braco o guerreiro se debate
Em tata horripilante, *
Entram todos no frvido combate
De victoria inconstante.
Itosor trez vezes retomado
Prova asss que guerreros
Traba frente Caxias denodado
Affoutos Brasileiros:
Resistir horas trinta metralhada,
Em fumo involtos ses
Dons passarem I Proeza requintada!
Maior (lo que dheres!
Itosor, as Lombas e Villeta
Cahiram fulminadas
Pelas bailas oq pela baioneta
Das tropas alladas.
Ao viandante ignaro quando um dia
Por all tramitar
O vellio Paraguayo a ousadia
Ha-de nosso narrar.
Ter presente atada na memoria
Os feitos do Brasil,
D i mare-chal Caxias a historia
O valor o ardil.
ste ser, Caxias, um padro
Po-lempa isempto ao dente
Que zumbar dos botes da traico
Da invejosa gente.
Recife,
L. A. F.
O fabrico da plvora.
(Cmtinvacao.)
Foram substituidas pelas modernas
estufas de vapor. E' simples a construc-
co deslas. Um tubo que vem de compar-
lii i ato onde se acha a caldeira leva o va-
por para certo numero de tubos parallelos,
dispostos no solo da estufa, onde a plvora
repousa eav gamelas chatas de raadeira ou
de cobre. Por meiode um' tfiermometro
-jestahelecido'-na perede-, o vigilante pode
verificar constantemente a temperatura da
estufe, a qnal pode regular por meio de
ventiladores, sem precisar abrir a porta.
A plvora fien ahi deaoito horas n'uma
temperatura constante de 130 graos da
Fahrnlieit, e adquire um tal calor qae nao
se pode mettor-lhe a uo sem inconveni-
ente. Era 4800, um nlWcinl do exercito
da India I propoz aquecor a- plvora a 500
graos, a lim de fund'- o- enxoiv rom o
fim de tomar o grao duro 8 imp.rmeavel
humidade. O relatorioo!liriahicdreadessa
proposta, fteko no Mflitnry Beard de Ma-
drasta; em 180* e 4802,'declara : que a
idea era feliz e audaz, e o mrito -partencia
seguramente* ao autor da'upBnposta. Osr
officiaes que redigiram o relatorio erara- v> se rhtorie rerca da oxplosi* de Hrttta
FOLHETIIH
eiTHiBIM
pon
Jules Sandeau
XV
i.Mi'ii'i sobre desgrava.
(Continuaco do n. .32)
Assenlada junto de um camino secular,
plantado desde pocas immeraoriaes sob a
invorai.au ta Yirgem, que do alto do seu
docel de ramagens pareca la'ncar-lhe um
olhar risonho c protector, Catharina segua
i um a vista distrahida as folhas que, des-
tocadas pelo vento, redemoinhavam no chao
imagera das suas illusoes prestes a dis-
sparem-se cora o spro gelado da reali-
dade.
De repente p.uvio rumor de passos : er-
gue-se rpidamente, e, quando julgava ter
ao seu lado Rogerio, achou-se face a face
com a Sra. Baruajon, que logo reconheceu,
posto a tivesse visto urna s vez. A jo-
\e:i ficou to trmula, que forcoso foi
Sra. Barnajon susto-la e ajuda-Ia a assenlar
junio de s.
Tranquillise-se, minha menina dis-
se-lbe ella com a, mais familiar bondade,,
apenando affactuosamente as mos as
suas Nao c urajuiz severo, mas sim urna
amiga que o-co.lhe enva. Quiz o aea'so
que :a me assenhoreasse dos ntimos se-
gredos do seu corago ; isso porm, nao
motivo para que 'se cnvergonbe, nem se
arreceiede mfn. .Cont. , ecico e ao msmo tempo com a minha in-
dulgencia.
Nao tenho de que epvergonhar-me,
era to poucb de, qu assusarr-to, senbora
redarguio ingepuamente Catharina, que,
se oficial, verdade. ipieurna iravxtde.tmpeale tobara. -A-eTtplngSo actual,
laco koderja. traser coin,jlicac5eg por
fcldjfB^oP .adqueridos, mas pensa
alean' fea o fim desejado dafilo ao
troTmTpodeT dscreciomirio as ma-
terias secundarias. O que aites de ludo
_ sw;ia p/4oo Ma 4hv *;* lamento oan
^Mciso'*iio'fttjw;,'ij(-)MD aos deposi
do estado e a creaco de alguns raspe*
(iu:res offieaes armados de plenos poderes
poi' consquencia, foi raraensainente mais
coisUenjvel iueAtoai as otra femadas
at* afora pels geertel ma (feslemos
e meficB eterapU*9u| dbm Jfen t^ites-
ficaces. ,
s, namtsina data
eciment, fazendo observar quo poaco a
le ingleza Q^qi^idadJBk ao -abrigu de
to niedoa"
Com m
no de inctinaco suav
u> |dno pedeise
tade de Ma al
mn^dfc/esaltoj
Votate cma o at
em que cada [
rrada at
a lerra[
pregada a
proleccio
rofleana- o edititHj > d 3o pije de espe$mr*6o iiu>.
O relaluir, iv.v.niinpiida
um nvn dtiieliamcntii para as p\\
{Wm da pvK:. Vt agora, o'cwji
Da quantidade mromadepolTora'qMepM*
^ai; ftifcwaulaili.i (fi slo umna, ^brra de
plvora i liarse .UiidaBftnvtarafiijm4adis-
f
i
ns
8." .
t Neiilinin vimd.edur- de ^.W' Mbm
ter on conservar ao mesmo tempi.^w.^lit
OO libras de plvora, e os que na'jfyrainj*
vHdt:ik*es.flrii,ipt>deraa terjoaiaid&oO li-
J^asiiiii|..^jihMMi;ili-4-sa,..j!k;p.visiin, et., sin
ares, bu n'um raiode milhas d. nciihuin
palacio ou casa do ^s/j^ijcia' de SuMj-
g^s'ad', im li'i'djios oi| su,cs>oivs ou
o um i-aio il 2 iniili.is (l^nj,^liiim deposito
'e polyyr, peitcii.-ciiir a/o^'ij (^.n'imi
II -
de opioio.que essa opetacio. em appa-
ifiicia to perigosa. diminua a somma dos
pergos do fabrico. Nao -fteceBsario
accrescentar ,que essa idea feliz e amia/.,
que destruira ouiupletaitienui a iawrporaro
da jtolvora, e provavuunnto dimitu|s$e
duas exptoses -em t$s experiencias.
nunca foi executada.
As e.\plos5es de estufas de i^pos nao
sao desgracadamente to faras como se
pode suimr. E' dfficil crer como, .m*
vez fechada a estufa e estando a tra|)all.iai.
pode produzr-se um desasir. Km iMl.
entretanto, fezexploso urna estufa de vapor
da fabriea de Balliueolly. s 'puUapda dous
operarios as ruinas da sala onde se achava
a caldeira ; e em 1867, ,outra estufa fez
explosao era Melfort, felizraente.spm matar
uinguem, mas |causando grandes damnos
as conslruccoes em consequ^m:ia das ex-
plosores,que se lhe seguram.
A quantidade mxima de plvora que"
lei perraitte fazer secoai' n'uma estufa de
50 cwt ou 2,500 klogjummas. Nenhnm
disposii;ao regula a distancia i|ue,.deve sp-
parar as estufas das outras oflirinas.
A operaco deseccar gorahnente si'-
guida de urna terceira/jud tera por fim tirar
o p que por ventura se baja formado sob
a accao do. calor ou pelo transvasamento
da plvora as bandeijas da estufa. Mas
para as plvoras de.grao maior c lustrosas
taes como a plvora da aitilliaria do esta-
do, essa operado nao ncessapa.
A plvora, prompta cnto ,pra ser em-
pregada, guardada crp banis, de carva-
llio e transferida para. os .depsitos. 0
barril de plvora era, uso nos >i-rviciis p-
blicos contem sempre 100 libras, posto que
frequenteraente a industria privada, e s
vezes o estado facara raeios banis e quar-
tos de barris. Todava, quando se trata da
capacidade de um deposito, contain-s sem-
pre por barris de 100 libras.
Os depsitos de plvora de todas as fa-
bricas devera, nos' termos do acto do par-
lamento ser bem e slidamente construidos
de lijlo ou depedra, eposfos na distancia
pelo menos de 140 jardas das officinasou
qualquer otra construcco dependente da
fabrica. Alm disso, quer a lei que todo
o fabricante de plvora deva cmpregar a
maior diligencia em fazer armazenar e al-
fastar da visuhanca das offlcnas a plvora
,aeal)ada, e alm disso munir-se de bous c
eflicazespararaios. Nao ha limite marcado
quantidade de plvora que, deve ser accu-
mnlada. Tambem nao ha regras para o enca de-plvora. Todbotrabalhodo.de-
arranjo interno dos armazens. psito feitu por operaras da
E' agradavel prever que:
Nenhuma explosao do deposito de pl-
vora do governo liouve jamis em Inglater-
ra, e nao haexeraplo deexplosoes th accu-
empreguem pregos de ferro para concertar i
o assoalho ; que as tajxas pregadas ou or-J
ladasde ferro^ofsejn |'r''4|^#' W\
chao; que sitWanfas fei#osaa|9 firj
se inflararaarW ftpoiitafTOftwnte^ myoi
percusso, como capsulas, etc., nao sejam
ai-cumulada* ofertadas 410 4w|i*it.. A
res^iNt^ie^tos^stes^^ito^^'Wfffe <
acto do parlamento.
Faz-se distinccao entre os deajsitos que-j 1 omci
fazem parte de u,tffVkde^ffeura P^jBf1 ^oxecut-ir.
't 1' peit'-ncem af^n|piiJ^^sv^r^l|)|^cjB> haver poneos xemplos de Cmn razWyBoalopmio pftica, pPexperencH^^Has sobre as
des. Estes, posto que (Teixdosio dsTilos explosoesoe ili-positus de po'vora nao se e deadfrlogajSir Geo^gaGrey erdeaou umai voras, qu/>r(peam da fabrica de Wallb-im.
negocianies. sio muitas vezes vigiador pela dera tirar argumento para'adiar medidas iuspeec&u rafalar na>->MJ<>t!liw slaJ^i- AWwwou*4jM|!dustrta -privada faz-* no
pnliqa. ": .......r n""'\n-y' ||j^||"Uil||il| Aj^tlOjio itoJ|rUI......stra o cas de plvora, romo tambora de todos os deposito de Pur^leet, OJHesti j IDbh,^
iupostas; c- .....iios : dev.m serWl feW-"nt>c<-i ati .^.raento ll*^#^itusge lwhW**mbm dfl#ri^' Ntvk*fl,j*vt de Londres, e nrthm
jolfofcp,. MWi^srii^ftHraioif ^[i34,t^;,l^*'l,J^'^ n',lui v/-:l ^uaco das o-sas'em Clu-slc- tal como \*,,000 liarris.
tii#>4> 1*0 Iros pel'MiioiBP dosJbfa-4E*A||ei:^ktai na tiidai.-naer-1
htfejP iAfawr%ffistafti ablMJfc*MMhjfMhfEam>ri
mente insulliciente para garantir o deposi- bro de 18oidi/ia que io havia naj4i<*.4(ar aos, t*efs-cmtstai/lc* "dos condados
to do-perigo.^observ1 o eorotiel Wvxer lempos modernos que se pudesse cumpa- para^qiK.presentassem listas das fai>ricas
ranao immeuso i-iror pioiuzido ao longo: odepottosde plvora. Devem eitar-se al*
QUfiem siuistru e ao enorme mtresst que. gunsexttTictosMlessas listas. O Cumber-
excitou de^yi^ j 1, lam tiuha nada wcbos -de 40 depsitos:
O relalorio do coronel Boxes entra afun- ooCornoiii|les>dava cuma longa lista bem
Glouo5-
distiicto
ponshire.
depsitos.
Miroi _dos.8rtiHatt..tjuflm., M laueisUaia enos gashire'-3d, emoutros condados, menos,
da (vomiuodii 1 Lowood, situados uo l^liuns- Todava, a inspec?io nunca foi executada
tead Marshes, s marges d Tamisa. wla completamente. As principaes fabricas de'
Eritli rJtaiiere, ..js itepoMtos, qistan>j plvora um pequeo numero de deposi-
tuadus no interior dos liunti-s.^uiuts^u.tfs.uiu do outro uiis *0. uietf*,' erara, ile tos .imprtanles, talvez urna duzia delles,|
na cnjadi- de Londres ou mi >\'e>^iiisler, j coii.Uutffo. Iw, comjianidos rom os depi*> ter.un-os nicos visitados.
011 n'um raio'deS milhas de mnu|^Btaa,|:Si>o d .estado: t-tavo situados perto do vasto: s pedera ser feito por inspectores
ou era qnaliiuer lnrg/y)u cJdaile y mT^mm e r.umuuuiicavanuxtm -lio br urna es-iregHlanneote.nomeados que podessem em-
ijo, on irum raio.,1^ l jnillia .<[>> diMs, lu- pwi de, ^aos: as jam-llas >/<> para a .{rogar niMmllo todo o seu tempo, como 1
'"o. os inspectores das fabricas de plvora, i doravel. quando o Sr. Gale Plvmoitb. .ih-
Kfk manlia .do- I. i-. oirtubm de 18I1W Oray faltando edsefunecionarios, a inspec- Uinciou a sua descolierta para' turnar ^
logo, cedo, duas barcas carr.-g idas- de, po^-.
Iv.v. em qual- o descreveu o coronel Boxer.jmwlija^uo
e 3 deiOutu- urgente era a medida Drigio-se umYcir-'"' Toma-se dcada fornenmeritonmortv
plvora, 40 por cenia do numero de bar-
ris que se pe.m na oflicina das experirn-
,cias. Essa oficina est toada a nvm
de M jarlas do deposito mais prnxnn. r
s separad delie por ura ligeiro \amn>
de torra. All os liarris estio sem fund..
era tampa, s vezes em numero o> trezen-
tosaum tempo, durante lodo o lempo
experiencias.
. Compreliedc-se que am tal *udo >u-
cousas offereca peiigjo em semellonn- lu-
gar, e^sa vzinnca do mil Imuts d.-
plvora, e (Cpio iu-gento& o os molnro-
que iniltam em favor da lianserencia im-
medata da oflicina de experiencias nar;t
^'J^q popto.
0 interesse.^Mltado pela explosao rt>
Erith, para .todosos pontos relativos >.
aniiazenaaiento da plvora era anda ronsi-
vora, amarijad^as iio|i4igodo qes, estavio.
a desrarnvar. Cada lima dljas rontuii 1
>-,H-ilW'S.|iiii*(tvrci4 ili.-5P nb de-
:llbs Sis. Hall i.v,.dU0uro a*W>. isio .
ledo cr,,- .de tll(O,U(i.m*.ilaras.*ndn
n;o vai-se demorando Cada vez mais, e nun- poluora nao explosiva 011 explosiva . % .,,
civuins se tornar a fallar delta seno ne> tade. .CaajMlia o proeesso ttmjbatKUU-
da emque urna segunda explosao como a em misturar urna substancia nao pxphba.
de EiYtii chamar de novo a atttenco para 01 tal como o vidro em p, rom os gitm ,t
asjranvDto.
for exclusiva rae, i te des]iuada, aps ^ajtaJihw
de mina, e'dos depsitos .eslaliel^idoa an-
tes do acto, os quaus podem continhar a
existir se estverm munidos de urna licenca
de um dos secretorios-de-estado.
A dsposjcfio da lei .asaz.clara no que
respeita prpvsSo pertJcente a )im parti-
cular ou a ura vendedor ; 'mas o qiic q ella
no caso de certas cidades onde aspro^ses
reunidas de um certo numero de vend4^
dores,provisSes que, assim, passao cera
vezes o limite xaTtO, j^l/vdepo
n'um deposito unied ao)ijcado nas ittribui-
ces da polica? |)aimla$#iio o mili-
tas cidades do lleno-l'nhl
mils pj-e.-ciiptos. grandes rleposti^ qu.-
sao abandonados a cargo ia< igno-
rantes rjii '. systiMiiatii an\e^te, iiqsj"iyf'..-%
precaitjoes ordi,lacias. :\,iyila qpai.do q pi-
n!ia a vigilancia nominal, a gu;
licia tei
deposito i
balterno n

no
ta vez candada, a
ate,
1
de plvora perto d
nel Hixec. descobr u;o estado
ni
A devasta demui|.si,i,-ou qe. a. explosao
parti de urna dasJiarcas anc radas, juutu
ao caes. Pro,va\gbp1i^ite cahira polvora^le
alguma calx'a nial construida, c foi incenH
diada por causa de, algyma Qgjigencaida
equpagijm.^ Mpuve tres ejpljsoes distinc-
tas : primeiramente as barcas voaram em
aloraos, e os dous depsitos adjacentes
aps ellas, \lorreram 10 pes^oas e licaram
outras tantas perigosamente..fei i.das. Se as
desgracas nao lo.ain unilos J'oi gracas ao
as peuuano, /ram/ro de individuos presentes
nos ligaf<^niinilo a catastroplle occorreu.
\ Hilado inU-ira de Londres oi abalada
como por luq Ii^ju r du Una'. A detona-
i'So foi oinida distiiictamente ein L'xbridge
Wuidw. Peddington, i.itiiiu cat em Ash-
for. a .*>'.) iniluas de distancia. I'm enorme
atorro de .J.'iO ps de couqudo, fazendo
liarte da represa do rio, foi levado em
5eu- niassa, expido ia/-u4daco lodo o ter-
reno dos acalores."" *s habHacoes dos
um,. d^posBo guajjdas dos djep.isilosjficaram arrasadas,
ne^sa poca na opinio publ
?5o, m- WC, de umi couimisso
ania do
aljim
N'uma rejefe revista* 1
''Cliester, Couta o. coro-J.lojas situadas a urna inilha de distancia t-
.plvura,de.maH'ira a eneber todos
OS 111-
THitro resultado da commoco causada, .tersticios existentes entre elles
pmiao publica foi aerea- coramuncaco de um (
plvoras composta d 0, ofliciaes distinctos
de artilbaiaa e engenharia, tendo Sir Jclm'
Burgoigne por presidente, para o fim de
evaminar o estado dos depsitos de polvo-.
ra de guerra e s medidas que se deviara
tomar, -de accordo cora as exigencias do
servico, para augmentar a seguraaca das
pessoas residentes na proximidades desses
.las. tojava a pohur.i
atmazens. Os pontos que se deviam espe-,.as suas proprindad,>s. Eis o que corla* 1
com oulro.
absotofaiueole
0 ni
Mtplo-
siva. 0 quera em[>regar a vU
ra, basta va peuairal-a ereduxil-a ao .
primitivo. Nada mais BOpiaS. Era fanl
em aliuus minutos, misturar vidro em p.'.
a um barril de plvora, e-prulia-se nqx i>
passar. por,cuna una harra la ferro en*
braza sem o menor ptrige de aipaeSo, sal-
vo dar-llio (Wpois com igual rapitlez. toda>
de
jm^smos^attoivs i^diratos;
rio de Dee. Pe el ii ice a nina coni]).i:ihi i
foi'recenlemente confiados' a um lavrai
da visinhanca que pao t.-m a uieno
mulacoes de plvora qu se comparen) em
quantidade s que encerrara habitualmente
os principaes depsitos inglezes. (fttport.
Mayazint CommiUe, pag. 8.)
is o que mostra elocuentemente os cui-
dados o preeauces exercdas em Inglaterra
em todos os depsitos do estado.
Os pergos a que esto sujeitos todos os
depsitos de plvora sao de duas especies:
os de fra e os de dentro. Os priineros,
ignico accidental da plvora,' por urna ex-
plosao ou por um .incendio da visinhanga,
podem ser fcilmente evitados na construc-
co do edificio; os segundos sao mais se-
rios. Se os guardas dos depsitos nao co-
nhecera perfeilamente as preeauces hab-
tuaes exercdas nas fabricas de plvora, e
se, alera disso, nao sao sujeitos a regula-
mentos severos, como os que seguein os
depsitos do estado, nada garante que o p
da plvora nao se accumule nos assoalhos,
que as pessoas nao entrera cora sapatos
cheios de cascalbo ou ara, cora phospho-
ros, cachimbos, etc., nas algibeiras; que os
barris de plvora nao fiquem abertos onde
se possa manejar plvora livre ; que se nao
ijjjias, de.d.isajina qucbraram-N- caixjlhos
le jaucllas, e a oi'o millias inuitos vidros.
.voaram en) mil pedar
i:iIcii!oii-^> em ifiLQOO ibr.s o total da
polvora.qucL-z explosao. S se jM'wle ava-
experi- liar bem o que ii.io foi, comparando os
effeitos' produzidos .por outras explosoes
erdade. inenos.niporlantes.
Lembia-.se toda a gente, diz o Tinirs
de :i de outubro de 18, da explosao de
Janeiro lindo, da barca Lillie Heiyh, que
eialinente estndar erara": o estado actual da
organisaco dos depsitos, o melhor moilo
de construcco para se Ibes adoptara. pos-
sibilidade de substituir depsitos flucuan-
tes aos" deposiios permanentes, as medidas
para parausar as explosoes, e os argumen-
tos pro e contra o estabelecimento de imi
grande deposito central, n'um distrieto
comparativamente inhabitado, e por conse-
cuencia, a n-dueco dos outros depsitos.
V- ditlerentes especies de depsitos exa-
minados pela comraissao foram os grandes
depsitos de reserva, ta.es como os.de er-
diwood e de Purfeet, que contara respe-c-!
duas tivamente 7(ik000 c .>,u00 barris ;
Mas as di/iiiuldades e lazia dsipnan
todos os perigos resultantes do armav-na-
raento.
Entra aquella gente no deposito sera des-
calcar os sapato; ferradosnam catear clw-
uellas por cima, e. (piando ti en t re, o assoa-
lho eslava coberlo de lama trra mistura- carregava plvora no Mersey. A quantiila-
da com plvora que cahira dos barris. Os de da plvora que fez explosao nessa oc-
casio era de cerca de \\ toneladas ou
5,000 libras, isto apenas a qiiarta parte,
talvez a sexta parte de que consummio a
explosao il; sabbado. Nao obs
Liverpool ficou abalada com a
nao bouve janolla cm que licassil
Ninguem pereceu porque a ex
ao ouvir aquellas ultimas palavras, erguera
a fronteNao despreso a sua indulgencia,
bem que ignore com que ttulos me of-
ferecida, mas nao careen da sua discrigo.
Deus l em todos os coraces, sja qual
for a sua condco, e, portanto, bera sabe
elle se eu sou culpada.
Nao digo que esteja culpada, minha
filha, mas poderia vir a se-Io, se nao hou-
vesse quem lhe mostrasse os pergos a que
se expoe a sua mocidade e inexperiencia.
Nao sei de que perigos me falla,
minha senhora Iredarguio Catharina sor-
prendidaNunca fiz mal a pessoa alguma.
Por amor de meu lio, toda a gente (Pestes
sitios me respeita e estima ; at os caes
que acompanham os rebanhos de gado rae
conhecem e me veem lamber as raaos.
Creio isso, Creio tudo isso, = prose-
guo, sorrindo, a Sra. Barnajonporm os
perigos mais serios sao exactamente aquel-
es que se nao preveem. Ora varaos, mi-
nha menina, permitta-me que lhe falle como
se fosse sua mi: nao era por certo a mim
que a menina esperava a esta hora e n'este
lugar ?
Nao, minha senhora, e por isso
que fiquei sobresaltada ao ve-la.
Esperava o.fllho do conde de Sou-
gres ?
Sim, minha senhora, esperava por
elle^-respondeu resolutamente a pequea
virgem.
Ento ama-o e elle araa-a tambem ?
-Sim,.minha senhora, amamo-nos, e
por isso que o esperava.
E nao receia' de se encontrar a sos
n'um descampado com aqelle' miielr
Visto que elle me ama, que tenho eu
a receiar, mioha senhora ?' responded
Catharina com serenidade.
Passados alguns momeotos.de, meditaco,
a.Sra. ftaruajon, prosigui :
Fallamos com toda a clareza. Ame-
1
barris encerrados no deposito erlm,, a to-
dos respeilos, de m quafldad. Il-via al-
guns quebrado- deixaud aparecer a'pplvov
ra. A porra, abri'nd-se de fora pira d -li-
tro, rocava pelo assoalho, e a maior negli-
gencia pareca reinar era todos os arranjos
concementes ao deposito. (Copies of Re-
ports, etc. p. K':)
Podem citar-se muitos fados semelhan-
tes. lia infmitimente mais peiigo eia
morar ao p de ura pequeno dejioslto cqn-
tendo uns vintes barris de plvora, mas
dirigido deste modo, do que ao pode gran-
de! depsitos do estado, como os de Mar-
chwood e de Purleet, contendo priineifo
Setenta e seis mil barris e o segundo cin-
coenta e dous mi.
Fra do poder dado pela 17.1 seceo do
acto a um dos principaes secretarios 'dc's-''
tado da rainha para autorisar pessos a visi-
tarem e inspeccionaren!' os depsitos d
plvora, a lei nio c.ontm nsoltamente
nenhuma disposico para acabar cora esse
estado de coosas. A (acuna ssignaJada
pelo coronel Boxer no seu relatoro. Ad-
ante, toda
lexploso, e
iloso fra
prevista e toda a gente tinha deixado o na-
vio.
Recentes operaces militares do an-
da mihor Upo de eomparaco. O gene-
ral Crant penetrou ltimamente, sob as for-
tlicacoes de PeterSburgo, urna mina de
que se esperavam grandes resultados; com
effeito, a mina destruio um forte inteiro,
enterrando em suas ruinas 250 confedera-
dos. A commoerto foi tal que, de parle a
parte, bouve urna pauza no ataque e na de-
reza. A carga da plvora era, entretanto,
de toneladas, isto , menos de 11,000 li-
bras. A ultima mala da China nos trouxe
a narracao de urna operaco anloga em
Nankin. As tropas imperiacs fieram dis-
parar urna mina contendo 6,(i,0.0 libras de
plvora, a qual fez na murallxi urna brecha
psitos de porlos nara proviso da raari-
nba, taes eoiio IJpor Castle, Posthmou,
l'lvuiouth, etc., alguns dos quacs contara
at 1,000, os depsitos das guarnices e
dos quarteis espalhados por todo o reino,
os quaes sao confiados a officiaes de arti-
tharia e contin geranicnte quantidades me-
nores de plvora.
A principal questo estudada pela com-
misso, depos da dos melli >rcs methodos
de ensacar transportar, foi a construcco
actual, o arranjo e a distribuico dos de-
psitos, e as distinecoes que devem haver
entre esses depsitos e as outras partes dos
estabelecimentos.
Eis as concluses da commsso .
Fez-S'- distinccao entre os grandes de-
psitos de reserva, onde a plvora dei-
um vidro. xada sera desarranjo e os depsitos em ac-
Comtudo, o,nieio foi radicalineule ron-
deinnado e por muUis razes. Pare..
que a idea nao era nova; j fura experi-
mentada c condeiniiada na Uuw e im
Franca. Poberl falla delta (alenaaoMnl*-.
A nica dlerenca entre o procesao do Sr.
Cale e o proeesso dos franc./.r> , ,|,,-
russos, que estes baviam empregad. .
com bom xito, ara, carvi, fropl.it.,. .
at salitre para corlar a plvora. ,,,, ;
)S(e- *le-0 Sr. X>ale, pi-eTeria vidro r.-duz-d. a
p. As objecooes sao numerosas; 3 prin-
cipal, e essa insuperavel. que a \A-
vora fica era grande par'- estragada peto
mistura. Primeiramente, desln.e-,-- . .,
pulido, e o tiro soffre enormemente: d-poi>.
nao ha peneira que a lmpa eoinpl.-lameni.-
do elemento estranho. Alera esso, pai
provado que as anbaUadM mi^urada-
nao supportariam e (nbaporte sem ,|n,
resultasse urna separar- parcial ou total
da plvora com o vidro. por oulro Uto
as operaces de misturar e de pea
apresentariam grandes perigos ; | nliim.,
teria serapre de ser feu com mais menos precipitaran, eaborod de um nati i
seria impraticavel.
nina ama Rogerio e elle ama-a tambem :
proraettou-lhe desposa-la ?
, Sen ora...
Nao se escandalise : sendo este mofo
lilo de meu irmiio, deve eeoijnheefrr-Hnev
dieto de Mitrometten-rae n'esle negocio-.
A menina rauito galante, e confesso que
achando-ine ausoute d'estes sitios'ha trinta
annos, nunca rae lerabrou que podesse vir
aqu encontrar una flor to vkosa e beHa.f
A priraeira vez que a vi foi na missa,
quando pedia para os pobres: fiqiiei en-
cantada do seu liello aspecto. Alm d'isso
tenho ouvido elogiar as suas virtudes c o,,se tornara seu cmplice n'esta alliciacjlo.
seu piedoso coraco. Gonsta-rae rpic i-
inexcedivel em paramentar aos domingos e
vedara o contado com o ipuodo a sua fa-
milia, (pe torm?ntn nav Seria o d'elle e
qiie remorsos os seus f
Tudo o que acaba 4e nie dizer, se-
nhora, jeu o disso pouco mais ou.m.-iDs
ao'Sr. Rogerioredarguio Callnrina, bai-
xando submissamente os olhos.
-1- Estou convencida d'isso, rainha que-
da. porque a considero a dignidade e de-
nxadeza tsm passoa. Nunca pude acredi-
tar certos boatos de que a menina einpre-
gra todos os raeios de atlrahir meu so-
brinho, e que seu to, para a lisoogeiar,
tividade, onde as entradas e sabidas sao
diarias. A comraissao de opinio que
os ltimos devera ser reconstruidos em
outros sitios e segundo os principios que
poem a visinhanca ao abrigo das explosoes,
por mais improvaveis que sejam.
Quanto aos grandes depsitos de re-
serva existentes, as probabilidades de pe-
rigo sao to limitadas, que nao necessaro
recoustrul-os. Entretanto em caso de
constracrao nova, as preeauces se devem
observar.
Essas preeauces, na opinio da comms-
so, seriara a substituirn do que existe
por ura grupo de pequeos depsitos lon-
gos, baixos, estrenos, com o contedo mar-
cado de 2,000 barris, e separados entre si
por espessas trincheiras de torea. -
O sitio mais provavel seria ura torre-
(Oviiin>uir-se-/*r.)
ERRATA.
Ah minha senhora, exclamo^ Ca-
tharina com o rubor nas faces e contotcen-
dias de festa a igjm.do S. Silvano. Em,do as mos, imperada por ura movn|ento
fim, se devo acreditar a voz publiaa, cer-
to quf borda maravillosamente cora um
gosto exquisito. Seria preciso que eu fosse
bera exigente para n3o rae dar por feliz de
lhe cBamar minha soarinna ; desgracada-
mente, porm, obstam a isso vaidosos pre>
concekos da sociedade e mesmo da Aossa
familia.
Creia, minha senhora,-replicou. C-
ete- dignidade ultrajadaSe condece 0$ mi-;
setaveis autores d essa calumnia, rotora-
ui-'nde-lhes que s calem, que nao a tepi-
.tam, porque Ihes pede custar cara, |car-
retando-lhes o. odio de todo este povd era
geral e quem sabe se urna horrivel vingan-
'p da parte d Claudio !
Repito-lhe, minha menina, que*;nao
tenho acreditado nada tl'esses ditos. A
tharin com dignidade que me" seria pe-(prova que me ado aqu. Nao liesitesjera
nosoaertida como estranha pelaJathflia d! prpcura-la. Venho franca e lealmenteix-
raeu njardo ; o que, porm,' relnportra gir m sacrificio, mais do seu amir derbue
poucO saber era se no mundo existia ou- do seu bom juizo, por auanto njs noires
tro-caito de tetra alm d'aqnelle onde eu
rae seotisse amadi.
- Seu marido nao o ijcnoraria. 0 quo
elle poderia fazer era &ft;ceY tudo
nosprgneiros tempos," mais" chegara um
dia etique elle ie^ajajphotse. 0 amor,'
minha jEbara, podo beoaoocapar a fMa in-
teira, nos outras as mulheres que nao
temos jnuitos meios de distraccao, mas
para a existencia de ura homem IB lhais
,do qual um pequeno episodio pfeW
jlhe os primeiros annos. A sua ambicio!
limitarae-hia a viver tranquilla n'um
canto (Cestos bosques, rporenj^l
erio sf lembrasse d

M sta
brilhantes destinos, aos quaes o seu amor
vem servir de obstculo. Veja ]ne assim
nos quebra todas 's- esperanzas que fazia-
mos consistirrfaquella I o ora cabfa e nos
transtorna todos os planos que haviamos
formado para a sua feheidade. E j agora
,no lhe devo oceultar consa alguma : olhe
i|ue reduz desesperaco urna familia n-
teira, inortalnvjnte ferida no ultimo tronco
da sua raca Meu irmo j chegou a fl-
lar-rae cm desherdar e at amaldicoaro
lillio A menina, sem qnerer, sem o sa-
ber e por certo contra sua vontade, seneou
a mais fatal discordia entre aquolles dous
corares estreitamente unidos. N'aquella
casa, onde entramos com tanta satisfacao.
teem-se dado sem cessar scenas violentas
e de profunda amargura. Em presenca
d'estes desastres, que tenciona. fazer ?
ser a sua ? Tei
r a' desgraba da nossa Casa ?
No Diario de lionlera, no discurso da id
commendador Antonio Joaquim de Mello.
d rara-sc ossegointes erros:anniversar..
desta, la-se : annversario. desta. Em v./
de absolvido, la-se: abardo. Km
deme congratulo grandioso, lea-
congratulo gaudioso. Em veza >atria j
deu, la-se: a patria j deve. Em vez aV
trabalhos precisos, la-se : trabadlos
ciosos. Em vez deteve de batirir, Ma-M
tem de haurir. Era vezesta fac.mh.i. I...
se: desta facanha. Em \xz detinha si.-
citado, la-se: tinha supitado. Em *nd
ha farol, la-se : a farol. Em vea de
aqu deixar, la-se: aqui dizer.
ta cruel situaco e mais tarde ha de tero
premio do seu sacrificio. Se quanto costa
renunciar assim a ura verdadero amor. E
um lance cruel, mas ver que tudo passa.
A menina est nove, e, se verdade qm
1 vida apenas tem urna primavera, e-.
primavera pode ter muitos amores. Jal
intil dizer-me que meu sobrinh dever
ignorar o passo em vez de attenuar, o mal. A menina.
tima perola: a nossa familia nao ingrata :
cont com o nosso reconhecimento. Ni
perderemos qualquer ocrasio de remune-
rar dignamente a sua abnegarn. Fare-
mos quanto estfeja ao nosso alcance pel
felciitade. A sua igreja pobre: aogmen-
tar-Ihe-hemos os rendimentos. Seo ti-
esta cansado de trabalhos : obler-lhe-hemo
urna conezia. Convif4he.7ha a abbadia d>
Boussac ou de Bourganeuf ? Te-la-ba por
nossa imVfiflfflrj. Ouanto a si, mba
do seu bom juizo, por qjtanto n
6ora$3s, como o seu, o amor geneftso
e nao recua em caso extremo perante a
sua propria immolaco.
u meu Deus,exdamou Cathari-
na, mal contendo as lagrimas nao cab-
m minhas fon;as di-ixar deama-lo, ma
i Ventar d'elle exige a miiiia m9rte, as-
me prompta'para o sacrificio !
Nao, minha querida, n|o .i& cartee
da sua morte, mas Oque nao d'eve cofti-
ttntfr a ignorSr' que desde hoje a merina
Obstculo na carreira d'esta manee-
seq^altQjpascimento e riquezs,
do^.titulos, ^-Jbeos do code
res, akpirava Rogerio aos nuif

e superior ,
foiT&mrm&r
obri-
111 eioltfiagiiez da paixao.
que anla fmifia inteira que lhe
cira ou lenco que nao seja
e^ns lindas raaos.
Seja foi
jropna vontade ; faca
^ZZc^^Z^ i" Cathanna
um;i.sopalavra. VSra.. Baraaioe recai-
laqui pela minha bocea: umpai af-f^41'; '^uflle ***<> ** JaiifaWC
- como nmipaiii
da ter
flie est pedrad
? ?? ????
l>ma,mai i alsmna cris- -ncosaw to
do
dei*
ItSl^flBk?!
Ion a Sra. Ba
Mt Iriferaom
yaBdo a seu
midid^ Gerentes
E Catharina, com
5.0,paito, paito]*, nrd
'3llar,M*)te.
jer, nltnba^fiUu? A vida
atetemos saue.cm
indo. Deus ha de
isto. affaataal
ote, Att^'se, dei
ima bflyyrila
use mane i
(knUmmr-$e-ha).
*
r


1

T P. J1 miu^m a bis vas I.

wmttmm^m mmm

...^.>i