Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11760


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO XLV- NUMERO 28.

FJ.,
*
PARA A CXPITAL E LUGARES. ONDE NAO SE PAGA PORTE..
Por tres mozos adjuntado*. J.............. 65000
l*or seis ditos dem.....f ...--... ....... fooo
Por uin anuo idem.....II.......'....... 2l000
Cada numero avulso w.............. 320
DIARIO DE
SABBADO 6 DE FEVEREIRO DE
S&^
PARA DENTRO E FORA DA PROVINCIA!
POC tres mez achantados...............
Por seis dit5*itlfm........ ........
Por nove ditos-idea.............. .
Por um anuo......... .........
750
136500
awano
2700O
Propriedade de Hanoel Figutra de Faria & Silbos.
l*.
%\o A.ir^ri:s.
Os Srs. Geraro Antonio Alvos & Fillios. no Para: (oitrnlves A Pinto, no Maranhao; Joaquim Josi
Guimaraes Pancada, em MaiMin/uape: Antonio Alexandiino de Lima, na Pa
em Nazaretii; Francino Tarares-da Costa, em Alagos;
isdfi Otiveira, no Cear; Antonio de Lemos Braga, noAraraty; Joat> Aftria. Julio Chaves, no Assi'i : .Antonio .Uvrques da Silva, no N-
araJiyba; Antonio Jos Gomes, nd Villa da Penna,- Bdarmino'dos Santos BuJeSo, em Santo Antao; Bstagos Jos da Costa Braga,
i. ciii Al.iL'iias: 1)1". Jos Mullios Alves. n:i Hmi.-i o li'> Itilieini asiiaNnhn. ir*i Itiii di> J.-inpim
Natal; Antonio Joaquim
Dr. Jos iMarlios Alves, na Baha; e Jos Kibeiro GaspaNnho, n Rio de Janeiro.

PARTE OmCIAl.
Ministfei'io la jiiHf l?a.
aviso H 19 DI J.VNKUU D8 lSltL
Iliiu. oExm. Sr.Fui prsenle aogoverno impe-
rial, Amo ofllcio de V. Bxc. de 4 do novenibro
ultimo a consulta do juiz municipal o do orphos
do tp.iAiu d;i Natividades se em visiado decreto n.
!,l05de8do junliii d 1851, mu tcsiamenteiro,
c tsado eom herdeira do testador, loni direitu a rc-
reber a viatana que etle deixara em verba de so-
lemne testamento, ou te o eitatlo decreto rofew-se
hjrpotbcso de naoter o tostador designado vin-
tena, redamando e estanenleir arbitramento de
sa la rio.
.claro a V. Exi\que, sendo a qnoslo da ex-
clusiva comBetecia do podertndfcrk, o govor-;
nasesbstam de ronheeer delta, eonvindoque os
juizes, qnando pedireminstracrites para julgar os
casos oeeorrentes, setembrem que"a elles compete
supprir a Btpovieao da le, meortvndo em roa-
-ahildado se demoran admiuistracao da jas-
tifa.
Dona guarde a V. Ene. Ju. Alfncw:Sr. presidente da provincia de Goyaz.
Cioverno da pro vi ucia.
BXPSBIBMTI \ssii.\ vil i Pi:i.;i i:\.\i.-t. COKDI DK BAE-
PKWDY, IVESiDWrfE DA l'lloVIMIV. SO DA 87 DE
asnino d IS(7.
'i' sorra.
N. 909.Ofljciu ao prndente da provincia do
',. ara.Ilom o oflirio de V. Kxe. de 23 do cor-
r ule. sol ii. 4. ehegaram a esta capital os tres re-
ralas m-l e inein-imiados, o viudo, do Ourrun
pela eidadu do Graln : c rogo a v. Esc. que se
digne doclarar-ine por que autoridade foram ottes
romettidos.
N. Dio. Portara a > director da aruldadc de
dreiio do Recite.Tonda resotvida nomear os pro-
fessopeedo cui-u de preparatorios anneso a essa
r.ieuldade, Dr. Innoccnein Serfico Qo A->is Car-
v.iliiii e ii |iadre Francisco l.iiio de Aiovedo, para
\aiiiiii.ireiii do c.iiicurso. a que se \a proceder
i da 1." de evciviro proxini i \i:i.l.mro. para
fiejiicliiiiieiiio do logar rago de lorcwro escrip-
inraro da tliesonraria de lazando, sondoopri-
i; lio oui princip.is i.t.k-sde geograiiltia ehisto-
ria d) Brasil, o segando em aigelira at as equa-
eo i d) segundo gr*; as-na o declaro a V. Exc.
paraseu euali.-i-i.n'iiio. a.n de que o faca cons-
tar a taes profossores, quj deveaj oatimdor-se a
esse re-|i 'ii.i chii ii inapaetor d'adueMa tbesou-
raria.
V. mi.l)ih ao descuiuarmdor provedor da
s ala Cu dd Hiserieorda.Vai ser remettidoao
Exiu. lainisuo da Duenda no rapor Cntse'wo do
.- ijiie segu boje para :i ere, o olflcio que
l'-'tM li-r i'ss- destino V'. K s 'i de ii do corrente. sol n. 17.(1.
\. '.II .Hila a i-;i'iiir.i irt-i:i:--jjl di Ri.i For-
ai '. no niii-i i ili'ili d' bmt.'n da enmara
inanicipal da eidade d) Rin Fornioso foram-ine
presont->s as copias nao so das artas das novas
"s. a que se proeedeu D dia IB d i corrale,
i 13 rregnenas de S. Jov de N,js?m Senliora di
Parificarlo e S. Gmeato do Daa.para vereadore
o jnizoj de pal no quadrtewto de I8W a 1S72,
visto terem sd> annulladas as qne se Ozeram em
7 d setembro do aun i paseado : c eom i da acta
daapar.ic'i.i geral das \\>\->< para vereadore cf-
! :..ida pela dita eaman na ni ama data de Ii n-
lena. Sao constandoirregularidadej assobredi-
las -. ordene eainara que, expedindo di-
plomas aos aove eidadios qo obtivacam maioria
da roma para veraadoras, assnn como aos juizes
de paz des districtos das referidas parochtas, con-
vide a i id os para prestarem juramento, aSm de
entrarem qoanto antes no ecreicio dea lespaeti-
vos cargos.
K. 913.Dita a cmara municipal de Goyaaaa.
ut.-iiMil i d.- qnj expjz a ciaua amnicipal da
eidade de ( lyanna, em sea offieio d9 21 do cor-
rente, eom referencia aos livros de q i' trata 0
i.ni'io da cmara mumcipal da villa deltambde
II daste mea, de que se ihe renntum copia, roe a-
mendo a referida eamara de fioyannaqoe enapre-
i idas as diligencias ao sen alcance para o
1'.,- ibrim mto d is meaeionad w livros.
H. 914.Dita a eamara mnnlcipalde Itamb. -
Tendo-me declarado a eamara autnicipal da eida-
de de Gojaana, em offleio do 'l dd corrale, nao
lhe ler sido po-sivel saber depois de baver empre-
gado todo o cuidado onde existemos Kvros4e <|tie
trata o oMeio que me dirigi a eamara amnicipal
di villa de [tamb, em 11 destemit,reeommen-
1 DBSta data aquella cmara que empKgass I i-
dis as dlUgeneias ao sen akaii'-e para o d-sc lini-
mento do taes livros : o que cominunico a referi-
da eamara mnuicipaj de Itamnpara seu conlie-
Miieato.
N. 915.Dita a eamara municipal da Villa Helia.
Pelo offleio de 13 do corrate, que me dirigi a
cmara miacipal de Villa Helia, afeita para o qua-
driennio de 1809 a 1871 liqnei iateirado ter no
dia 7 deste met, lomado peese e entrado no exer
cieio de suas fancc/iis.
. Mi.Di a cmara mnnjeipal de Floros.
Velo offleio que me dirigi a aova cmara mu- i-
pal da villa de Flores eii K do corrente, Ibmei in-
teirado d; baver ella prestado juramento e tomado
pos&e de tea cargo, t espera que meaota cma-
ra empregue lodo o sea zato em promover os me-
Ihjrameaios A sen municipio.
N. 917.Dita acamara municipal da villa de
Pao d'Alho.Acenso o racebimento do offick) da
eamara municipal da villa de Pao d'Allio, eom da-
ta de nontem, a laipanbad > da copia aatneatiea
das acias da nova eleicao, a q:ie se proceden no
dia 17 do corrente, para juiz de paz do quadrien-
nio de 18U9 a 187J da fregnezia ae Nosn Senliora
da (loria de (ioiat, por liaver sido annullada a
que se Tez a 7 d setembro do auno passado.
Eem resposta declaro ^|nviraque nao en-
contran 11 irregularidades nanita oleicio, cumpre
que ella expeca imaiedialameafe diplomas aosqua-
tro cidados nais votados d i cada um dos dous
districtos da mesma paroeia,eos convide a pres-
tir juramento, aflm de entrama quaalo antes no
exereio dos respectivos eargos.
v 918,Dita a msala.Reeabi o olleio da c-
mara aamicipal da villa do Pao d'Albo datado de
liontem, no qual me participa que no dia 7 pres-
tir juramento e entrara ao exerciciodas respec-
tivas funcnVs para servir dnate o quadrieanio
de 1869 a 1871 Fieandu iateirado densa participa-
rao c a/radecendo as obsequiosas expressoes que
me mrige, espero que a cmara empregue todo o
.cu zelo nos niethoramentos desee nmnieipio para
cuja realisacao pode contar eom a coadjuvacao
diisla presidencia.
N. !il!).Dita ap director geral da instruceao
publica.Tendo resolvido nomear o professordo
gymnasio provincial Dr. Felippo Nery (iliaco pa-
va examinar aocoarurso a que *e vai proceder no
dia de fevereiro prximo vindoaro, para preen-
cliiinento da raga de 3" escriturario da thesoura-
ria de fazenda ; assim o declaro a Vmc. para seu
c mbecnento e alinde que o faca constar a esse
protessor, que para esse tim deve entender-se eom
n iospeetor daquellathesouraria.
N. NO.Dita aojiiizde paz mais votado do pri-
iro ilistrieto da matriz da freguezia de Inga-
zeira.--Pelo sen offleio de 10 do corrente, flquei
inteirk) de baver Vmc. no dia 9 deste mez pres-
tado juramento e entrado no exercicio de seu car-
go, bein como ter convocado naquellc dia oselei-
' 'es. mtphniei c Votantes para a elci0o do elei-
tores geraes e especiaos, marcando o dia 7 de fe-
vereiro viiininiro para as referidas eleicoes. visto
nao o ter fekoem derido tem|>o o juiz de paz do
Jaadrienaio fndo. aflm de que so efTectuassem no
ia :il deste inca, cdnfttrme as ordens desta pre-
sidencia,
.V. 921 Dita ao inspector da saude publica.
lU'iaetta-me Vine, cota a pnssivel brevidade a in-
forinaean cirnim-laaciada que lite f'oi exigida em
met Offleio de i\ de oiitubro ultimo, acerca do
estado sanitario ila provincia no auno prximo
lindo.
EXP8DIKXTR A>.-M,.\\I>o PF.I.o BE. nn. JOAQl'IM COfft'
KA DK .MlUJii. SIM lin UUn DO ('.IVKIINO EAf 27
DE JANEIRO DK IStil.
I* seccao.
N. OH. OMeio ao general eommandante das
armasDeclaro a V. xc. de ordem de S. Exc.
ii Sr. presidente da piuvatcia, que no requeriinen-
to do atieres Juaquim dos Santos Nevos, que voto
aaai'xo ai offlcki de V. Exc. de 20 do corrate,
sol a. -lo. proferioo segninte dospacho : ao Sr.
Inspector da tuesouraria de (azoada para mandar
passar a ecrtidao requerida. Palacio do governo
de Pernmbnro, 27 dejaneirO de 18J59.ComU' <*
Baepenjty.
i ieccao.
N. 92,1.Oilcio au pro^iotor publico de Cabro-
li.O Fxm. Sr. presidente da provincia manda
acensar o rcbimento do lTicio de V. S. de 19 do
corrente, em que commanica fer deixado deexer-
eer as lancci-s de seu cargo, por motivo de mo-
lestia, que parrip'.iii de" I a 18 do referido mea.
X. 924. Dito ai' eommandante superior de Sim-
io Aatao.S. tace, o Sr. presidente da provincia,
respoadeiido o offlrio de V. S. datado de 22 do
corrate, manda declarar, (pie transiailtio as Ibe-
sourarias geral e provincial, para os flns conve-
nientes, os pretsque em duplcala vieran ance-
xos ao rilado o pmi'to.
:!' -eeeao.
N. 925Offleio ao inspector da thesourara de
fazenda.De ordem de S. Kxe. o Sr. prndenle
da provincia eommuniea a V. S. para os fins con-
venientes, que segando parlicipou o promotor pu-
blico da comarca de Cabrbo Tiburcio Raymundo
da Silva T.ivare.- em oflieo de 19 de dezen'iliro ul-
timo de I a 18 do dito mez. deixou elle de e.xeicer
as l'unccoes dO-sf carpo por motivo de mob^lia.
i' seccao
N. 926.Oilicinao adiaJdislrador do Correto.
Do ordem de S. Kxe. o Sr. presidente da proviu-
cia, rogo a V. S. que nao feclie a mala que lea
de seguir boje para a corte no vapor Cruzeiro do
Se', cinquanlo nao receber a correspondencia of-
licial da presidencia.
N. 927.^l)iin aos agentes da compaabia Brasi-
leira de paquetee a vapor.S. Exc. o Sr. presi-
derfleda provincia. tr.-ndomandado demorara ma-
la qae tem de seguir boje para a corte no vapor
Cruzeiro do Sw/at a rwepcao da eorreepondoa-
eia ullieial da presiik-acia : .-Htn > .......o.. ...
mullicara V". 5. para sua inteffigoneia e lias con-
venientes.
KXPEJHKSTE ASSKN \I> I PELO HXM. SR. C. INDF. DE BAE-
l'KSUY, I'HRSIDENTE .V I'HOVINCU, EM 28 DE JA-
NKIItO DE 1869.
I1 seceae.
N. BIS.Portarla ae Exui general eommandan-
te das armas.Com as incluas copias dos offletos
11 e i.n o mdante superior da guarda nacional do
municipio de Oiinda e Iguarass, e do capitn
camioandante interino do 9" batalbao de infanta-
ra datados de 16 e 18 do cunate, respondo ao
de V. Exc. de 2-1 de dezemliro do auno prximo
passado, sob n. 1145, acerca do procedimento irre-
gnlar e Uieonvenicnte das praeae daqaelle bata-
lbao que fazem o servico da guarnico do forte
do Huraco.
\. 929.Dita ao cuiisellio de compras do arse-
nal de guerra.Autoriso o conseibo de compras
do arsenal de guerra, a promover a compra do
objeeto mencionado ao incluso pedido sob n. o,
para aula de msica da eomjianliia dos aprendizes
ni n ires d i mesuro arsenal
X. 930.Dita ao nmselho de compras navaes.
Fiea approvad > o contracto qae o eonselbo de com-
pras navaeseeJobrou-com Gnilberme Ferreira Pin-
to, segundo o termo e offleio datados de i c 26
do corrente. para fornecer cimento as obras do
Porto at detembro do corrente anuo, a proco de
SjoiX) rs. por barrica de 10 arrobas.
2' seccao.
N. 93$.Portara ao Dr. ebefe de polica.In-
forme V. S. miando fo recrutado Joaquim los de
Sant'Anna. de que trata o seu ottlcio de 27 do
corrente, sob n. 144. visto que estando suspenso o
reerntamento, convm indagar se joi infringida a
lei ueste caso.
X. 916 Dita aojuiz'de direitoda 1* vara desta
eidade.Jnteirado pelo offleio de V. S. de 2o do
corrente, de baver tallecido o serventuario vitali-
cio do onicio de taliellio de notas desta eidade.
Joao Bautista de S, e de ter sido por V. S. nomea-
il i para cxercer dtlo olflcio interinamente o ba-
charel Francisco Teixeira de S, tenho a dizer-lhe
que ponlia a concurso a serventa de dito offleio
na forma da lei.
X. 937. Dita ao mesmo Transmiti a V. S. o
eonselbo junto de julgamento do cabo do corpo
provisorio de podra Paulino Maguo da Silva, para
no dia 29 do corrente. ao meio da, neste palacio,
como relator fazer parte da junta que em ultima
instancia tem de julgar o dito cabo.
N. 938. Dita a> juiz de direito da Boa-Vista.
Coin a informaran junta por copia, da contado-
ra de fazenda, coin a qual se confonnou o inspec-
tor da tbesouraria de fazenda, em olflcio n. i>2 de
27 do corrente, respondo ao offleio de V. S. de 15
de na tal 11', i do auno liado, relativo ao alaga.-I da
casa para quarlel do destacamento de Ouricury,
bemeomo a despea de luz c agua para o mesmo
quartel.
X. 939.Dita, aos tenentes-coroneis Decto de
Aquino Fonseca, Joaquim Jos da Sijveira e Fran
ciseo de Miranda Leal Sevc.Designo Vmcs.
para no dia 29 do crranle, ao meio dia, fazerem
parte da junta, que em ultima instancia lem de
rcunir-sc ueste palacio para julgar o cabo do cor-
po provisorio de polica Paulino Magno da Silva.
3" seccao.
N. 940.Dila ao inspector da tbesouraria de ja-
zenda.Tendo nesta data approvado o contracto
junto por copia que o eonselbo de compras na-
vaes celebrou eom (.nilhevme Ferreira Pinto, para
fornecer cimento as obras do porto desta eidade
at dezembro do corrate auno, a preco de 80O0
rs. por barrica de 10 arrobas, assim o cominuni-
co a V. S. pata seu coiiliecimento.
N. 941.Dita ao mesmo.Devolvendo a V. S. o
pivt, junto em duplcala, quo veto aunexo ao seu
offleio de 19 do corrente, sob n. 25, relativo as
diarias abonadas no mez de oiitubrn ultimo, a tres
refluas que estiveram recothidos a cadeia da
villa da Escada. lenlio a dizer em resposta ao ci-
tado offleio, que o primero de taes remitas fo
destinado ao servico da armada.
N. 942. Dila ao mesmo.Tendo nesta data
autorsado o conseibo de compras do arsenal- de
guerra, a promover a compra de objeeto coos-
lante do pedido junto por copia sob n. 5, para a
aula de msica do mesmo arsenal, assim o com-
munieo a V. S. para seu conhecimento.
N. 943.Dita ao mesmo. -1 Em vista dos prets
juntos em duplcala, que me remetteu o comman-
ilante superior da eomarca de Oiinda, coni offleio
de 18 do corrente. mande V. S. liquidar e pagar
os vencimeatos relativos a primeira quincena des-
te mez, dos guardas-naeumaes destacados tas for-
talezas do Brum e Buraco, bem como do corneta
do nono batao do bjdantarja, Francisco Xa-
vier, a cntar de mato a agosto do anno prximo
passado.
N. 944.Dila ao mesmo. Expeca V. S. suas
orden para que-, upois de liquidadas, em vis-
ta do prets, untos em duplieata, sej.uu pagos
aos uegocantos Souza.t GiAuuritos, cotifurnie so-
licitou o eommandante superior interino da co-
marca do Brejo- em oifljto de 5 do corrente os
veifcmeiitos, correspondentes aos mezes de ao-
vembro e deaemliro do anno prximo |i;is>ado,.
dos- guarda- nacionais destacados na villa de
Cimbres, nao obstante estarem os recibos passa-
dos ao tlM'.s(Ku*eroda tltesouraria provincial, pois,
ojio essa tilta pode ser sanada, passando noves
teeiHos a pessoa a quem se effectuar esse paga-
mento.
N. 94o.=*Dta ao uspeclor da tbesouraria pro-
vincial. Transmiti a V. S. para seu conbe-
Cimento e devidoa flWtoa. copia da portara que I
aesla dita dirigi ao ebefe da reparlico das i
obras publicas, relativamente ao canal aborto pelo
engeuhsiro evH, llenrique Augusto Milet, na bar-
ra do rio L'na.
N. 946. Dita ao mesmo. Declaro a V. S.
para sen coaliecimeatj e direceo. que, segundo I
consta de offleio do cete da repailioao das-obras|
pablicas, datado de hontcm e sob 40. o arre-
matante dos reparos da poatesaba dos Rontcdio. i
aclia-se coni direito ai recebimonto da segunda
pie-i.i;.i.i do sen conlrato.
X. 947. Dila ao mesmo. Depus de li-
quidada-;, em vista da conta e relacao juntas as
ilespezas fcjtas eom p sustento dos presen pobres
da culeia do termo do Brejo da Madre de l>i us.
durante o mez de dezemlim nltimo, mando V. S.
Iiagar a saa iiaporlaacia a Jeronvmo Pereira Ha-
ra, ou a Evaristo Mondes aa Cunta Azevedo.
conforme solicitou 0 chefe de polica em ottico de
nontem sob n. H.*.
X. 948. Dita ao mesmo. Transmiti a V.
S. o pret junto em duplieala, a que se refere o
olicio do eommandante superior da comarca de
Oiinda, datado de 18 do correte, atim de que
mande liquidar e pagar os vencmentos corres-
pondentes a primeira quiozeoa deste mez do^
guardas nacionaes destacados naquella eidade.
X. 949. Dila ao aiesiao. Autoriso V. S.
a mandar pagar a cmpivza da illuminaco publica
desta capital, em vista da conta c mais papis que
incluso devolvo, a quaalia de 8.627*108 rs. que
de conformidade eom o parecer dacoutadoria des-
sa tbesouraria, que se refere a sua informacc
de 26 do corrente sob n. 34, se est a dever, pro-
veniente do gu consainniido, durante o awz Ib
outubro ultimo, eom es-a illuminaco.
X. 950.Dita ao mesmo. .Mande V. S. liqui-
dar c pagar cm vista da relacao nominal e pret
junto em duplcala, que me rmotteu o eomman-
dante superior da comarca de Oiinda, eom offleiu
do 20 d corrente, os vencmentos relativo- aa
mez de dezembro ulliiiu, dos guarda- naciouaei
amuMwiw n.i una ae i^i.ii,i--fi, nao on-taitte cs-
tarcm os recibos passados ao tliesoureiro da tbe-
souraria geral, pois que essa falla pode ser sana-
da, passando notos recibos a pessoa, a queni se
effectuar esse pagamento.
X. 951.Dita ao mesmo.Dovolvendo a V. S.
o requerimeato de Antonio (lomes Netto, empresa-
rio da limpeza e asseo desta eidade, tenho a di-
zer em resposta ao ser. offleio de 26 do correnle
sob n. 33, que acabo de nomear o bacbarel Olvm-
pio Marques da Silva, liara na qualdade de pro-
curador liscal parecer acerca do mencionado requermento, visto
liaver-se dado de suspeito o procurador fiscal el-
fectuo bacbarel Cypnauo Fenclon Guedes Alcofo-
rado.
N. 952.Dita ao clie'e da reparlico das obras
publicas.Kecebi a ial'onnacao por Vmc. presta-
da em offleio de 2 do corrente sob n. 2, acerca do
oslado em que encontrn a barra do rio Una,
guando, em virtude de ordem desta presidencia,
fo examina lo a 8 do mez antecedente, para co-
nheeer quaes as causas que impedem a navega-
cao obstruindo o canal tlli aberto pelo engenheut)
Henrique Augusto Millet. e tomando em conside-
r.ieao o que a Vine, propz para remover esans
causas em quanto se nao procede a trabalbos, eme
as destruam competentemente, auiorso-o a des-
pender fi a quanta de um cont de res, em que
Vmc. clcala, importara as excavaejies do ban-
co formado em extremdade sul c do antgo leito
do rio des.-a extremdade ao lugar denominado
Abren, e obstruir o airombamenlo que o rio fez
ao sthmo. O que lhe communico para sua ntel-
ligeneia, itoveno Vmc. mandar proceder a novos
estudos i>ara tornar permanentes as obras que
convenlia fazer no rio, aflm de dar franca navega-
cao, e orear as despezas que coin isso se tornem
aece-saras, para que, apresentado tudo a asscia-
bla legislativa provincial em sua prxima sessao
possa ella resolver a semelhaute respeto como pa-
recer conveniente.
X. 953.Dita ao mesmo.Representando o sub-
delegado do districto da Magdalena deste munici-
pio, por intermedio do Dr. chefe de polica, que se
acba muito arruinada a casa que all serve de quar-
tel do destacamento, e que consta ser proprio pro-
vincial ; cumpre que Vine.,'mandando examinar o
estado desse edificio, informe que colicortos sao
precisos, e em quanto mporlaro, declarando ao
mesmo tempo se elle pertence provincia, nacao
OU municipalidad.'.
N. 954.Dita ao mjsrno.Fieo inteirado pelo
seu offleio de hontcm, sob n. 40, de acliar-sc o ar-
rematante dos reparos da pOteznha dos Reme-
dios eom direito ao recebimento da segunda pres-
taco do seu contrato, e em resposta ao citado offl-
eio (.'iilin a dizer que em partcipaedes idnticas
deve Vine, declarar o nome do arrematante da
obra.
X. 955.Deliberaco.O presidente da provin-
cia resol ve nomear o'bacharel Olympio Marques da
Silva, para, na qualdade de procurador fiscal ad
hoc da thesourara provincial e sob o juramento j
prestado para casos idnticos, dar o seu parecer
acerca da represcnlaco que fez Antonio Gomes
Netto, emprezaro do asseo e limpeza desta eidade,
relativamente s obras que tem de executar aduelle
emprezaro e acham-se paralysadas, em cnitse-
quecnia de se haver opposlo a essas obras o ige-
nheiro fiscal da estrada de ferro do Recito a S.
Francisco, pois que, secundo consta de offleio do
inspector da mencionada thesourara datado le 26
do corrente e sob n. 33, deu-se de suspeito nessa
qa.sio o procurador fiscal effectivo, bacbarel Cy-
priauo Fenolon Guedes Alcoforado.
4." seccao.
X. 956.Portara ao presidente da cmara mu-
nicipal da villa de Ingateira.Rcccbi o ofllcio que
Vmc. me dirigi cm 12 do corrente, e sendo as
ponderaeoes que nelle faz idonticas s qne se con-
ten no olflcio da cmara municipal do da antece-
dente, nesta data respondo mesma cmara pela
forma que Vmc. ver da portara inclusa, cuja
execueaolhe recommerdo.
X. 957.Dita cmara municipal da villa de
Ingazera.Em resposla ao olflcio da cmara mu-
nicipal da villa de Ingazera, datado de 11 do cor-
rente, remetto-lbe copia da acta da apuraeo geral
dos votos para vereadores, a que proceden em 14
de dezembro ultimo a tmara transacta, da qual
se v que fez-se o competente sorteio, na forma da
lei, para a collocacao dos nomes dos cidados que
obtiveram igual numero de votos, tanto para ve-
readores, como para jiotes dfe-paz dos dfferontes
districtos da nica parochia que compito esse mu-
nicipio. Da referida a Ma se reconheetPtjuaes sao
os vereadores ejuizes de paz eleilos, bem como
quo a cmara transacti Ihes expedio diplomar, se-
gundo eta refere, cmrprindo por isso que s ve-
Jitlque de quemfo a negligencia na remessa. des-
ses diplomas aos ditos eleitores, se da mesma c-
mara, ou do respectivo secretario, alini le proce-
der-se a semetoftnte uespeito, como fof de direito.
Kofoimneudo eamara (|ue eouvid.; os cidsdw
volada* |iara vriuew!-*-j|uHoHle paz; .fwaindtt
nao i;ire-(arara, juramento a faze-lo quanto antes;
verileando s* Ftancisco Joaquim da Canaia. Jos
Joaquim Pereira Lima, Miguel da Silva Sjpanba e
Joaquim Fi4x da.Silva, eleilos juizes de paz por
alguns dos districtos da parochia esli qonlincados
eia qualqiwc delles, cum tanto que morom>nA dis-
tricto para quo foran eleitos, por quanto no caso
Contrario seu nomes devem ser eliminados do nu-
mero dos mencionados juizes, e ehtimadoa os in-
mediatos em votoA segundo ancla especial da apu-
raeo fctta pt!la mesa parochial, e de-que tambwu
eavio capia.
KVI'KWKMKASSIU.NADOPELO SU. M. tOAOUll COHIIKA
H| AKAl'JU, SKCRKTAMO OVEIIV) EM 18 DI \-
NK1ROBK 1869.
21 ieccao.
N. 988.Oflle ao Dr. chele ik-poliri.ne- or-
den lio Exm. Sr. presideate da provincia trans-
miti a V. S. os ttulos junios de ri.inieacl) dosuli-
dalegado do 2o districto da freguezia o lar mor de
Ramiros e do seu Io suppleutv. de couTinudado
eom a proposta de V. S. em cilicio n. 44:1 de 17
do eoraenle.
- X. 959.Dilo ao mesmo.Xesla dala autorisou-
soatbesooraria provincial apagar a'Jeronyino
Pereira Marios, ou a Evavisio Mendos da Cuaba
Azevedo, a qnantia de 77,4200-, con.-laae lo offleio
de V. S., datado de honteine sob n. 14-i, o qual tica
assim respondido, de ordwa ao Exib. Si', presiden-
le d.i provincia.
X. 960.Dito ao coieniandanlosiiperior de Oiin-
da.S. Exc. o Sr. presidente' da provincia, manda
declarar a V. S.. em resposi ao sen uili.-iude 18
do corrente, que transmttio s tbesourarias geral
e provincial pan os flns convenientes, os prets (pie
cm duplieata vieraia aaaexos ao seu citado
olflcio.
X. 961.Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. pres-
aeateda provincia, leudo autorisad.i a tbesouraria
provincial a pagar, cm vala da relacao ntmiaal e
prot que om duplcala vicram annexos ao pffleto de
V". S. ile 20 do corrale, os vencmenlos relativos
ao mez de dozembro ultimo, dos guardas nacionaes
destacados na villa de Iguarass ; assim lli'o man-
da declarar em resposta ao rilado offleio, prev-
niqdo-o ao mesmo tempo de que tac- vencmentos
correal por aquella thesourara, e nao pela de fa-
zena. e neste sentido devem ser passados os com-
petentes recibos.
X. 962.Dito ao eommandante superior doj$ro
jo.0 Exm. Sr. presidente da provincia, tiendo "
torisado a tliesnurara de fazenda a pagM aos ne-
gociantes Souza & (iuimaies os veiiciiaenkos coas-
taute- d.is prets que em duplcala vieraiai aauexos
i., *-' jln iinr"i>pf"
avista d"ella, resolva de rouforinidade eom a lei e
regiJanurnto- respectivos.
97(iDila ao comnumdanie su^iertor de
i:ian.
destacadas na villa de l'esquoir : ssi o man-
Jeclarar a V. S. para sea conheciaienlo, previ-
nindVo ao mesmo tempo il- qae lies vencimeatos
0011vm p a- aquella tbesouraria e ao pela provin-
cial, em vista da tabella de 5 de novembro do anno
prximo passado, c neste sentido devem ser pas-
sados os competentes recibos.
3." seccao.
X. 96.1Olflcio ao Sr. lir. Olwnpio Maraes da
Silva.Pela secretaria do goverao se declara ao
lllm. Sr. Dr. Olympio Manais da Silva, pan seu
conhecimento e lins convenientes que nesta data
fo S. S. Borneado para, na qualdade de procura-
dor fiscal nd !hh- da tbesouraria provincial e sob e
juramento j prestado para casos idnticos, dar o
seu parecer acerca de nina reprosentaca i do An-
tonio Gomes Xetto, emprezaro da limpeza e asseto
desta capital, relativamente as obras, que tem de
executar aquella empresa e aehamvae pajraliaadas
por a ellas se oppr o engenlieiro liscal da estrada
de ferro do Recite a Sao Francisco.
EXPEDIRME ASSIG.NADI I'EI.O EXM. SU. COXD DE
B.VKPKXDY, rtlESUIKNrK .V l'UOVI.NtMA EM 29 DE
JANEIRO DE 1869.
I." ser i "i i.
N. %6.Parlara ao Exm. general eommandan-
te das anuas.Aguardo as inforiaacoes que nesta
data exijo do presidente da provincia do Cear c
chefe de polica desta, para satsfazer a requiseo
cuntida no offleio de V. Exc. n. 08 de 28 do cor-
rente relativamente ao dzertor do 8." batalbao do
exercito Clemente Rodrigues da Silva.
X. 967.Dita ao mesmo.Avista do que V.
Exc. ponderan em olflcio n. 40 de 21 do corrente
acabo de recommendar ao comtiahdante superior
da guarda nacional deste municipio que procure
substituir por praca de cavallaria da mesma guar-
da nacional a do deposito especial de inslrunfio
que requsitou.
. 9b8 Dito ao eommandante do pryidio de
Fernando.Por nao exstirem em avulso na se-
cretaria desta presidencia os regulamentos de 28
de abril de 1863 e de II d fevereiro de 1863
deixa de ser satisfeita a requiseo constante do
offleio de V. S. de 18 do corrente sob 11. 187, a
que respondo declarando, que os encontrar as
colleccoes das leis geraes dos referidos anuos.
. 969.Deliberaco.O Exm. Sr. presidente
da provincia attendendo ao que requereu Joo
Affonco Torres, c tendo em vista a inforiuaco do
capito do porto datada de 25 do correiite sob n.
12, resolve conceder-lhe lieenca para tirar as
maltas do engenbo Gurja do termo dol Rio For-
mozo para reconstruc^o da barcaea Mria Hen-
riqueta, 20 paos de sicupira, e reeoia acuda as
autoridades loeaes a quem esta Tr api'esentada
nao opponham impedimento ao corte e condueen
das sobreditas madeiras, tendo todo o cuidado c
vigilancia afim de se evitar qualquer abuso que
se possa praticar por occasio desta lieenca', que
ser apresentada ao capito do porto, c"ao ins-
pector do arsenal de maruha, e onde mais tocar.
2.* secQao.
N. 971.Olflcio ao presidente do siiprejiio tribu-
nal de justica.Participo a V. Exc. pa -a os fins
convenientes que segundo participacao do presi-
dente do tribunal da relacao de 29 do mez lindo
nessa data foi concedida o bacbarel Manoel Clc-
mentino Carneiro da Cunha juiz de direito da co-
marca do Cabo trinta das de lieenca cm venc-
mentos para tratar de sua saude for da comarca,
X. 972.Psrtara ao Dr. chefe de polica.Ten-
do vindo do Ouricury no vapor Cruzeiro do Sul,
que aqui chegou a 26 do crrenle, como remitas
e por intermedio do presidente da provincia do
Cear, sem declaraco da autoridade que os remo*
teu, Manoel Sucupira de Carvalho, Clemenlno
Antonio dos Santos e Clemente Rodrigues da Silva,
veriticou-se por declaraclo deste ultimo que elle
desertor da 7.* companha do 8. batalbao de in-
tentarla do exercito ; c para quo seja julgado em
eonselbo de guerra, se faz necessaro, que V. S.
exigindo os convenientes esclarecimento^, informe
em que dia foi dito desertor capturado, conforme
solicita o Exm. general eommandante d; armas.
X, 974.Dito ao eommandante superior interino
do Recife.Avista do que pondera o general eom-
mandante das armas no ofllcio n. 40de il do cor-
rente, junto por copia, procure V. S. substituir por
praca de cavallaria da guarda nacional a do depo-
sito especial de instruceao, que requisilJMl em data
de 18 do corrente.
do Cabo.
ao alteres
anli, sobre
do 4lj^>a-
scdfjBku-
Goiamjft-Expeca V. S. smis orden, alim deque
1 tima, guarda de honra de unidos carpo da guar-
| da- n-Kitwi! soto sen conimtindo Hiperuir. aeompa-
m^aproeissio do Senlu* Bem.Jess dus Navegan-
tes, que se ten'i de fazer nessa cidaiie ao dia 2 de
feveroiro vindoaro.
N. 977.Dila ao cotuwandaiile do- corpa provi-
sottodO koiiiria.Mand.- Vmc. eliminar do corpo
sob o sea eommando o soldado Antonio Jost Da-
masi-eno e Silva, de ijiic Ira'a o sen oAtrto n. 43
de 28 do comente, visto ter sido julgado incapaz da
>. 1 vico.
N. 978.Dita ao mesmo.Mundo Vine, postar
nos das 1 e 2 de fewreiro lindoaan, n m>s em que
bouverem lstmdades, na fregaetia do Poco da
Paiiella na ponte eotie-a estrada 1L1 l'ontede l'cboa
e Santa. Auna, tres pr.-icas do corpu sob seu eom-
mando, pan impeilrem' os rnturmos que co-in-
111:1111 dar-se em taes occasiVs, e se ropeitc o di-
reito do eeasioaarto do peibvgio da referida ponte.
X. 973.Dita ao mesmo. Transmiti Vmc.
para a devida ex'-uca.i 1 lir-euca inclusa da junta
que em ultima instancia julgiiu o cabo do corpo
sob o seu coinniilo Paa.liio Magno da Silva.
X. 980.l)elilier;u-o.O |H-e.-idente da provin-
cia, coiiformaikbi.se eom oproposta do Dr. chele
A polica cut ofllcio Be 87 de 18 do correte, re-
solve exonera por eowrantoneia do servico. dos
caraos de 2% 3% ", 5- e-ft' snnplenles do subdele-
gado do dv-r.-;.i lo Saeeo. 3" do lena i do Bxii, a
Agostinho iLiPaz l.aalim. Eufrasio da Costa Arau-
jo Ribo, Babrmmo da Costa Araujo, Martiabode
Otiveira e Silva e Francisco Lins da Cosa Anajo.
X. 981.Dita.O presdeme da provincia, eoji-
| formando-se cen a prposta do Dr. chele de poli-
ca em ofijeio n. 87 de 18 do corrale, resolve no-
mear para os cargos de 1", 2". '!". 4o, 5" e' sup-
pUefftes do subdelegado do districto do Sacco, 3"
do termo do Ex, os cidados segaintes. na ordem
.1 sua collocacao : Mariano da Costa Araujo Ja-
iia--u, Galdiao Rodrigues Bocha. Jos Ferreira do
Xasciiaento, Raymaodo da Costa Araujo e Sobas-
lio Cavalranti Lima.
X. 981Dila.-0 presdeme da provincia, con-
formando-se eom a proposta do Dr. chefe de poli-
ca em olflcio n. 86 de 18 do corrente, resolve ex-
onerar do cargo de 1 supplouto do subdelegado do
districto de Qupap, a Domingos Ferreira Ma-
cedo.
X. 98-1.Dila.=0 presidente da provincia, con-
i'oraiaado-se eom a proposta do Dr. chefe de poli-
ca em ollicio n. 86 de 18 do corrate, resolve no-
mear para o cargo de 1 suppleale do subdelegado
do districto de Qupap. lo cdado Diogo Henri-
que de Souza.
X. 984.Dita.O presideate da provincia, coii-
; formando-se. eom a pronosta 'lo l>r. ebefe de poli-
LiuLUii.'"- .. o iie'tH do corrente. resolve ex-
por conveniencia do sirviojuuljJOwdp
e Jos, escravo de Benjamim Francelino. da Cimba
Fernandes, por fgido.
A ordem do.de S. Jos. Candido, Afikano livre.
ate segunda ordem, e Benedicto, escravo de D.
Mana Aulmis. pov suspeit di; andar fgido.
A ordem do da Boa-Vista, Manoel Felippe da
Boa Morte. por disturbios; e Justino Lniz do Fran-
ca, a mnlia disposico por se achar pronunciado
em crime de marte no termo do Oiinda.
Deus guarda a V. Exclllm. e Exm. Sr. eond.-
d Baependy, presideate da provinciao chefe
de polica,.Francisco de Faria Untos
PERNAMBUCO.

cargos djjLi", 31' e 'r supplcntes do suT'deli'gaio u!
1" distnro do termo de Bom Conselbo, a Manoel
Cnaeiro de Souza Dantas, Francisco Teixcira de
Maeoilo e Emygdio Jos da Lapinba.
N. 985.Dita.0 presidente da provincia, con-
lorinando-se eom a proposta do Dr. chefe de poli-
ca em offleio n. 90 de 18 do crrente, resolve no-
mear para os cargos de 2", 3o, 4o, 5" e-6" supplcn-
tes do subdelegado do I* districto do termo do
Bom Conselbo..os cidados seguintes, na ordem
em que vio collocados :Xeposiano Cavalranti de
Albuquerque, Neniezo Carlos Soaivs Villela, An-
tonio Pinto de Olveira, e Manoel Cavalcantt de
Albuquerque.
N. 986.Dia O presidente da provincia, con-
formando-se coin a prposta- do Dr. chefe de poli-
ca em oflieo u. 87 de 18 do corrente, resolve no-
mear para o lugar vago de 6" supplente do subde-
legado do districto de Granito, ao cdado Joo An-
tonio de Lima Flho.
N. 987.Dila.0 presidente da provincia, em
\isia do qne pondera o ciiefe de polica em ofllcio
a. 124 de 22 do corrente, resolve declarar sem
efleito a nomeaco de Alexandre Jos Barbosa
Baaiaao, qne sea o nome de fos Barbosa Baha-
no, foi Horneado a 31 dejulho do anno findo 1"
supplente do delegado do termo do Ouricury. vi-ig
nao ter prestado juramento.
X. 988.Dita.O presidente da provincia, con-
formando-se i.....i a proposta do Dr. chefe de poli-
ca em ollicio n. 124 de. 22 do corrate, resolve
nomear para o cargo de 1 supplente do delegado
do termo do Ouricury, ao cdado Joaquim Por
Deas Rodrigues Seixas.
N. 989.Dita.O presidente da provincia, eon-
formando-se eom a proposta do Dr. chefe de poli-
ca em ofllcio n. 90, de 18 do corrente, resolve
exonerar, por conveniencia do servico, dos cargos
de 3' e 4o supplenics do delegado "do termo do
Bom Conselbo, Miguel Alves Cavalcantl e Liz
Carlos da Costa Villela.
N. 920.Dita.0 presidente da provincia, con-
fonnando-se eom a proposta do Dr. chefe de poli-
ca em ofllcio n. 90, ae 18 do corrente, resolve
nomear para os lugares de 3\ 4", 5 e 6 supplcn-
bs do delegado do termo do Bom Conselho. na
ordem de sua collocacao, os cidados seguintes :
Jos Emiliano Cavalcanti de Albuquerque, Au-
gusto Marlniano Soares Villela, Joaquim Isidoro
da Costa e Joo Cavalcanti de Albuquerque.
dksi'aciios n.v rnksidkxcia do dia 4 de fevebeiro'
d 1869.
D. abbade de S. Bento Fr. Antonio do Patrocinio
e Araitjo.Encaminbc-se.
Capito Antonio Augusto Maciel.Informe o Sr.
engenheiro chefe da reparlico das obras publicas,
declarando ond; flcaojasigo da pedra calcara,
que extenso tem, e qual a sua qualdade.
Bacbarel Chrysolito Ferreira da Costa Chaves.
Ao Sr. inspector da thesourara de fazenda.
Bacbarel Francisco Machado Pedroza.Concedo
a exoneraco que pede.
Major Flippe Duarlc Pereira.Fomeca-se.
Hcraclio Constantiuo de Paula Monteiro.Infor-
me o Sr. inspector da thesourara provincial.
Alteres Joo Pereira de Magalhaes.Iuforme
eom urgencia o Sr. Dr. chefe de policia.
Jos Euzebio Alves da Silva. = Satisfaca-se a
exigencia da thesourara de fazenda.
Jesuino Epamnondas Fernandes da Cruz, infor-
me o Sr. coinma idante superior interino.
Manoel Francisco Leite de Araujo.Informe o
Sr. inspector do arsenal de marinba.
Manoel Jos Moreira Encaminhe-e.
Pedro Cavalcanti do Reg c Albuqu erque.Iu-
forme o Sr. inspector da mesouraria provincial.
Teaoalo-coraaal Tbomai e Aquino Cavalcanti.
Informe o Sr. eageaheiro chefe da reparlico
das obras publicas.
N. 975.Dita ao eommandante su.
Determino V. S. que ouca por esc
Joao da Silva Pessoa de Siaueira *
as razoes de sua ausencia do districto
tallio de infamara da guarda
ca. &-aiwiuittliido-mc a iesp...s
iJr para que
Repartido da polica.
%' seccao.Secretaria da policia de Pernambuco
5 de feve'reiro d 5 1869.
N. 179.lllm. e Exm. SrTenho a honra de
levar ao conhecimento de V. Exc. que, segundo
consta das pank-iparoes receidas boje nesta re-
parlico, foram hoatem recolhidos a casa de de-
teneo os segu: des individuos :
A ordem do Dr. juiz de direito especial do com-
merco, Thomaz Figueredo, como pronunciado em
quebra culposa
A ordem do -abdelegado do Recife, Paulo Vaz
d'Oliveira, por desobediencia e ofloasas moral
publica,
A ordem do de Santo Antonio. Alexandre, es-
envo de Francisco Moreira Costa, por disturbios,
EEVISTA DIABIA."
ACTOS OI'-FICfAES.-Por deberacies do 3ei
do Hrrente:
Foi niiieado delegado de polica do termo *
Agua Pret, o Sr. Dr. Francisco Conidio da Fon-
seru Lima.
MSmdou-se dar guia de pAeMHtm ao alferes do
batalbao n. 5 de infamara da guarda nacional.
Antonio Manoel Ribeiro, tm> transferto sua resi-
dencia de S Lourenco da Malta para Limooiro.
TE-DECM.Ainanbi s 5 horas da tarde, sera
entoadona eatnednl em Dunda, em aeco de gra-
eas pela eonelusao da elcico para eleitores nessa
freg, vi a.
I.i Tl-:itl.\ A que se acba venda a 94", a
benclicio do patrimomo dos orpho, quo corre
-abliado 6 de fevereiro.
ELEICOES.Coneluiram -se os trabalbos ele-
loraes em diversas freguezias, como vero os lei-
tores cm seguida:
i ''istricto.
Xa fregueiia de Muribeca foram eleitos :
Eleitores para senador.
Vigaro Joaquim de Arago Kbla..... 762
Jos Thomaz Pires M. Portella...... 761
Antonio de S e Albuquerque...... 760
Isidoro do Freitas Gamboa........ 759
Andr de Sa e Albuquerque....... 758
Dr. Joaquim F.lviro de Moraes Carvalho. 751
Joaquim Pedro Carneiro Campello. 5.'ii
Manoel Carneiro Ijeio.......... 752
Fernando Francisco de Aguiar Montar-
royos................ 743
Jos Caetano de Albuquerque...... 743
K-teyao Jos Paos Brrelo........ 742
Antonio Bandeira Carneiro Leo..... 741
Joaquim Bartholomeo Marques dos Santos. 738
Gabriel Germano de Aguiar Montarroyos. 737
Jo> Joaquim dos Santos c Silva..... 735
Joaquim Ribeiro de Aguiar Montarroyos. 721
Joao Apolouio Cava lante........ 719
Manoel Antonio do Albuquerque Machado. 717
Jilli' da.....Iiu fclu............ r*
Francisco Paes Barreto......... 710
Antonio Baylo Cavalcanti........ 704
Jos Francisco Carneiro Leo...... 698
Belarmino Lourenco da Silva....... 677
Joo Antonio Pereira de Olveira..... 682
llenrique Das de Parias........ 675
Ildefonso de Barros Correa........ 671
Jos Nicolao de Olveira......... 655
Fernando Francisco de Aguiar Montar-
royos Flho.............. 642
Joaquim Theodoro Pereira de Olveira. .' 630
Eleitores para diputados.
Vigaro Joaquim de Arago Ebla..... 760
Dr. Joaquim Elviro de Moraes Carvalho. 758
Manoel Carneiro Leo.......... 750
Fernando /raucseo de Aguiar Montar-
royos................ 749
Antonio de S e Albuquerque...... 745
Jos Thomaz Pires M. Portella...... 742
Eslevo Jos Paes Brrelo........ 741
Jn-e Caetano de Albuquerque...... 740
Andr de S e Albuquerque....... 733
Joaquim Pedro Carneiro Camqello. ... 728
Gabriel Germano de A. Montarroyos. 7g5
Jos Joaquim dos Santos e Silva..... 718
Joaquim Ribeiro de Aguiar Montarroyos. 717
Joaquim B. Marques dos Sanios...... 714
Joo Apolonio Cavalcanti........ 713
Isidora de Freitas Gamboa........ 712
Francisco Paos Barreto......... 708
Francisco Jos de Moraes........ 702
Maurino F. de Paula Mendes....... 695
Manoel dos Santos de Olveira Goncalves. 690
Manoel Antonio de Albuquerque Machado. 684
Antonio Bandeira Carneiro Leo..... t 670
Antonio Baylo Cavalcanti........ 661
Antonio Salgado de Castro W...... 642
Alexandre Jos de Barros........ Rt,">
Jos da Siva Barras.......... 632
Joaquim das Chagas Bezerra....... 625
Antonio Eulropo Pereira de Souza. ... 622
Fernando F. de Aguiar Montarroyos Fillio. 610
Xa freguezia de Jaboatao foram eleitos :
Eleitores para senador.
Manoel do Souza Leo...... 899
Dr. Francisco do Reg Barros Barreto. 899
Antonio de Souza Leo...... 899
Jos Francisco Pereira da Silva. ... 897
Francisco Antonio Pereira da Silva. 895
Jeronymo de Souza Leo...... 889
Dr. Franeisco Elias do Reg Dantas. 884
Jos Francisco do Reg Barros .... 881
Jos Francisco Pereira da Silva Jnior. 878
Joaquim Pedro do Reg Brrelo. ... 869
liar., de Villa-Bella ....... 865
Jos Francisco de Souza Leo .... 863
Jos de Souza Leo....... 857
Manoel do Reg Barros...... 855
Desembargador Jos Felippe de S. Leo 853
Miguel Augusto de Olveira..... 831
Jos Fernandes Monteiro...... 849
Manoel Pires Ferreira ...... 846
Miguel Gennano dos Santos P. de Bastos. 843
Padre Vicente Pereira da S. Guimaraes 840
Ignacio Francisco Cabra! Cantanl ... 834
Francisco de Paula Souza Leo Jnior. 832
Jos Antonio Ribeiro de Carvalho ... 831
Francisco Ferreira Rio-Tinto .... 19
Jss Ferreira de Mesquita ...... 819
Jo-e Francisco Ferreira. .- 811
Franceliuo Carneiro de Lacerda. 787
Eleitores para depulados.
Antonio de Souza Leo..... 983
Manoel de Souza Leo...... 983
Dr. Francisco do Reg Barros Brrelo. 983
Francisco Antonio Pereira da Silva. 978
Jeronymo de Souza Leo...... 978
Jos Francisco Pereira da Silva. ... 966
Jos Francisco do Rogo Barros. ... 966
Miguel Augusto de Olivein..... 959
Dr. Francisco Elias do Reg Dantas 946
Jos Francisco de Souza Leo .... 938
Manoel do Bego Barros...... 932
Jos PnaeJaeo Pereira da Silva Jnior. 930
Manoel Pires Ferreira...... 923
Ignacio Francisco Cabral Cantaail ... 917
Joaquim Pedro do Reg Barreto ... 900
Miguel Germano dos Santos P. de Bastos 898
Padre Vicente Pereira da Silva Guimaraes 892
Jos Fernandes Monteiro ...... B87
Luiz Pereira de Mello....... 883
Francisco de Paula Souza Leo Jnior. 878
los Ignacio Rodrigues...... 87K
los Antonia Ribeiro de Carvalho ... *~'i
los Ferreira de Mosquita.....
los Francisco Ferreira...... K6''
f'rancsco Ferreira Ro-Tinto .... 8*9
los Braz Ferreira de Luna Laj-angera 842

-'

l Mafia


Diario de Pernambuco Sabbado 6 de Fevereiro de 1869.
y ;
!
mi



Jos (lo Reg Dantas Coutinlio ... .
3 districto.
Na fregunzia de Sefinhaeni foram.elelos:
F.lei tures para senador.
Gaspar Cavalcante de Awuqerqnc Venda
Manuel de Mosquita Barros Wanderley.-..
Manoel Peres Gampello lacome da Gama..
Virarte Mendes \Vandoilo\.............
Dr. (aspar Cavalcante de Albuquerque
Urina...............
Francisco Manuel Wanderley Lins. .
Mariano Xavier Canteiro da Cunha .
Joao florentino Cavalcante de Albuquerque
Xancol de Barros Aceioli Lins.....'.
Dr. Gaspar de Vasconeoltos Menezes de
Druniiiniiiil..............
Dr. Gervasio Goncalves da Sva.....
Dr. Ped.oGaudiano de Ralis e,Silva .
Antonio de Carvallo e Albuquerque .
Adolplm Wanderli'v Lins.........
Vrente Klias Cavalcante do Albuquerque .
Jos Manuel de Barros Wanderley. .
Gaspar Mauricio Wanderley.......
Arisiides Florentino Cavbante de Albu-
aerane..............
JaaoCavaleanle de Albuquerque l'ehoa. .
Ooriohno Venoso da Silveira......
Domingos Theodoro Riguoira l'intode Sou-
aa..................
Franci-co Podro Cavaloaule 1'eh.a. .
Alvaro Rarballm l'ehoa Cavalcante. .
Francisco de Paula Cavbante Wanderley
Miguel Alexandrino da Fon seca Gal vao. .
Francisco de Paula Gavalcante Wanderley
Lins..............
Concillo Cavalcante de Alhuqnerque. l'ehoa
francisco Manuel de Souza e Oliveira. .
Flix Jos de Mello Cavalcante......
Fructuoso Dias Alves da Silva......
Jos de Castro Paes Barate.......
SinTeTio Correa de Albuquerque.....
Jos Gavalcaule Brrelo Wanderlev. .
Gartano l'eieira dfl.iina........
Cuilliernie Tell Florentino Cavalcante de
Albuquerque.............
Paulino Fe reir de Ara lijo.......
Mainel da GttM tUJW........
Francisco Luiz Goncalves Chavea.....
Francisco Manoel de SCavalcante.
Joo llamaseeiio Barros.........
Joao IVssoada Gama...........
Miguel Aceioli. ............
Flix Pacheco de Menezes........
Manuel Vicente da Costa Pi'i eir: ....
Hermenegildo do Rogo Ranos.......
Joaquim Martiniano dos Res.......
FiliasCurdeirn Cintra..........
Carlos Lenidas do liego Barros.....
Eleitores para denotados.
San os meamos, menos Hermenegildo do Reg
Barn s. ipie foi substituido por Jos Basilio Coellio
Cavalcante. com 0 mismo numero de votos da*
qoelo.
PR1SO.A' ordem do Sr. Dr. ehefe de polica
fui recolhido ante-hontcm detcnoo Jistino Luiz
d<* Franca, que se acha pronunciado em crime de
inorle no termo de Oliiiua.
si ICIDIO.T-Suicidoii-se ante-liontem noite, em
a casa de sua n^ delicia, am Santo Amaro das
Salinas, o abastado coinniereiante Manoel Custodio
PeixoluSoai es. lomando nina porcao de um toxico
de aeco enrgica. Ignoramos a causa de semo-
Ihante acto da loueura. mas rasan deve ter Divi-
do (pie llie dielasse um tal destecho a vida.
NAVIO K.NCO.VrKADO.No dia 30 do passado
encontrn o brigue portuguez Relmpago rom o
patacho Mora taaabem portuguez, na lat. o.", 26'
so" e longitude O. de Gronwich, aV, 30', o' que
ia de Lisboa para o Rio de Janeiro com 31 dias de
viagein Mm a menor altoraoo em sua derrota.
PASSAGEIROS.l)o brigue portuguez JW"W-
pigo. vindo de Lisboa :
fos Antonio dos Sadlus Cmisseipo, D. Eugenia
da Cruz Siqueira e i lilhos. D. Auna da Luz de
Araujo Lemos. Jos Feruandes Mendes, l'.ypnano
Vasqu v Soto. Hapliael Alvares, Ramn Carpm-
Hr... Ignacio Camera, Jos Rodrigues, Manoel
Loiirenco. Joao F'eniaiides. Ventura Lonrtnro,
EduardoBeldrone, Jos Mari Carpinteiro, Manuel
l'ereira. Joao Alves Martins. Salvador Domingos I.
Rodrigues, los Varga, Jos Homo Alloneo,
liraz Fernandos.
1354
1331
1340
1335
1331
1.18o
133
131(1
1316
131
1312
130!
I34B
120/
1291
1287
1282
1274
1271
1222
1203
1184
117
1113
'.187
92o
910
807
878
869
829
826
818
813
809
803
796
791
788
J84
781
777
778
769
7().'
760
749
746
Pois bem, seni esporardes nenhnma votaeao
sois desde j repblica. Porque ? porque sois a
Hespanha grande. Sois repblica ; a Europa de-
mocrtica tomou auto diss. Hespanhes nao
podis -permanecer gloriosos, senao eom a condi-
cao dcpermaaneeerdes livros. Decabir impos-
sivel. Crescer, esta na natureza; diminuir, nao..
Perinanecerois livre. Pois bem, a liberdade
completa. Tem nina grande desconlianca no
qu Wea sua grandeza e sua pureza. Nada de
coniproniissos. Nada de concessdes. Nada de
baixezas. Nem concente cima a monarohia, nem
abaixo a escravidao.
Ter escravo?. e preciso ser escravo. O escra-
vo aos vosso ps justifica o t\ ramio sobre as vossas
Ha na historia da escravidao um auno horro-
roso, 1768. Naquelle anuo o crime chegou ao seu
auge: a Europa roubou a frica cento e quatro
uiiLnegros que vende America. Genio quatro
mil! Nunca se vio to espantosa cifra de venda
de carne humana! Succedeu isto ha cem annos!
Pois bem, cel.'lnai esse centenario rom a abolican
da escravidao; que aum anno infame corresponda
um anno augusto; a moslrai que entre a Hespanha
de 1768 c a Hespanha 1868 ha mais que uinsecu-
lo, ha um abysmo, ha a incommensuravel profun-
didade que separa o falso do verdadeiro, o mal do
bem, o injusto do justo, aabjeccao da gloria, a
monarehia da repblica, a escravidao da liborda-
de. .Precipicio aberto sempre por delraz do pro-
gresso; o que retrocede cabe nelle.
Fin |Kivo cresos com todos 09 hometis que li-
berta Sede a Hespanha grande, completa. Do
que mais carecis de Gibrallar; do que menos
carecis de Cuba.
A iil'lma palavra; na profundidade "do mal
enconiram-se o despotismo e a escravidao o pro*
ilu/eni (i niesmu elfeito. Nao ha identidade mais
sin prebndente. 0 jugo da escravidao sente-se
mais no senhor que no escravo. (Jual dos dous
pos.-ue ooutro? E' um erm crerque o proprie-
locio d> homeni o que compra ou vende, seu
prisioneiro. Elle qnein vos possue.
. Teades que participar da sua rudeza, gros- li-
ria, ignorancia, selvageria: porque senao horrori-
saos-v '< de viis niesmos. Julgaes vosso esse negro
e sois ildle. Tomaste-lhe o seu corpo. elle toma-vos
a vossa intelligencia e a vossa honra. Entre vos e
elle e taheloee-s um mvsterio o nivel. () escravo
castiga-vos porque sois seu senhor. Tristes e jus-
tas represalias, tanto mais terrivis (panto que o
escravo, vosso sombro dominador Moten cons-
ciencia dellas. (Is sens vicios sao os vossos cri-
mes; as asas desgranas chegama seras vossas
.catastrophes.
l'm escravo n'uma casa urna alma feroz que
est em vossa casa e em vs. Penetra em vos e
escurece-vos, lucubre envonenamonto. Oh! nao
secommette impunemente esse atroz crime, a es-
cravidao! A fralernidade desconhecida conver-
s-se em fatalidade. Se sois itm povo bril!iantc e
Ilustre, a escravidao, acceda como instituicao tor-
na-vos aboifiinavel. A eofAa na fronte do despota,
aargola nopescoco do escravo, o niesmo circulo,
e a vossa alma de' povo est nelle encerrada.
Todos os vossos explendorcs leem esta man-
cha, o negro. O escravo mpoe-vos as sofls tre--
vas. Nao Ihe cominiinicaes a civilisacao e elle
communica-vos a barbarir,. Pelo escravo, a fri-
ca nocula-se na Eurojia.
O' nobre povo hespnnhol! Ah est para vos
a segunda einaneipacao. Lvrastes-vos do dsspos-
ta ; livai-vos do escravo.Viciar Hugo.
1HYI ITK'A [VTERNA
Partido conservador.
l A' PEDIDO.)
QUE l'KKANTKs !!
I.i'-sc na Opinio Nacional de 2* do passado,
ii. 80. no centro da lerceira columna da prtmeira
pagina sol) a epgrapheEtmeUtO tetTilO se-
gHfntB |iedaciulio de ouro:
Estovamos eom u penua para iradu/.ir a carta
de Y. Hugo Hespanha snlne a escravidao,
quando o nosso urirtliqente amigo o Sr. Dr.
i Fraiiklim Tarom (o cujo que foi director da
insti icca i publica nesta infeliz provincia) mi-
i MaMttV-MM com una traduceSo dessa carta,
i poupando-nosassim um liabalho. o l'azendo-no?
na tlhlO ingente, y
o Mtigente e laborioto amigo, na carta era
que /////o..,.,,,, Agrippa. cnm a tradncijo da carta,
le V.. Hugo fazemlo-lhc um nrUom presente,
diz :
Copio tihnente do Cmritr -< .*i de dezeinbro a seguinte grandiosa carta de
-. Vctor Hngo, dirigida Hespanha sobre a aboli-
rn da escravidao.
< Met -crvicu. porm, seria como senao e\i--
lisse. a nao bver aipii urna folha bastante inde-
< pendente que pdesso affrontar. tem prejuizo, as
i iras dos actuaos dominadores, publicando a car-
i ta: ''por sao recorro Opinio Nacional,coto
patriotismo vai sendo posto o prova indubi-
i tavel.
Vamos agora tirar a mascara a estos improvisa-
Juri s. ii mostrar, que nao passam de ons peant,
e vonui'leiios de luiiii calilire.
Qnando o primero se preparava para traduzir
mmn pennu a Carta dcV.Hugo,e o segnudf.....piava
lielnieute em portuguez a inostna carta escripia em
Trancoz. j a redaeo do Mareo de fernawbueb
linha palmeado no dia 31 dedezembro passado a
traducrao da mencionada carta, da qual se utilisou
o intelli.'leitle e laborioso copiador fiel do Go rTSf
i\e TEuroptV.
Quom com semelhanto desplante nos qur enga-
ropar. impinginl >. como pro;iiia.liaduci"ao alheia:
quom nao trepida m-afflrmaT, que so nao tra o
patriotismo, tonto a prora induliitarel da (Ipiniiio
"i"rinnai, o seu serrico rerin como se nao e.ris-
tisse. que qnalihVaeSes"merece?
Sern suIHcientes'as de pedanle e poinadeiro?
Para eoofose daquolles takhfekefrot de pata-
rras, e desengae dos incrdulos tranwiweinos a
Iraduee.iu puldicada em 31 de dezombro prximo
nasada
Cuinpro-iKis accivsoentar, qu esta caifa de V.
Hugo ja lo: publicada vertida para o portuguez em
Mlias de Lisboa, l)om como as da corte deste
ii'norio.
Hecliv,:; de fevereiro de 1869.
C.IIMCAMANKABCrmiAB.*.
Vir.Ton Hi(o.Este Ilustrado escriptur. acaba
-- dirigir Hespanha a seguinte carta proposito
da abolico da escravidao:
De muHns pontos de Hespanha : da l'.oronha
M) 'intermedio do comit democrtico deOviedo;
deSevilba; de Barcelona, a cidade palriotic de
Cdiz, cid.nle revoluncionaria: do Madrid pela
generosa voz de Emilio Castelar. acaban) de ia-
/er-ni" un segando appefiO. Intenogam-me. Res-
pondo.
De pie se trata ? De esenrrko.
A Hespanha. que de nm s impulso arrojou
i,dos osvelhos opprobrios; fanatismo, absobitis-
nio. cadafalso. direito divino, consei'vara de todo
e axu nao.
Ali lira., abilielo (inmediata. E'este o
dever.
VacHIa-so ? E'isso possvel? Pois me, o
q-ie a li ajaterra fe em 1838, o que fez a Franca
nm 1848/ nao o tora a Hespanha em 1868! Como
se pode ser urna afie mre eier aeR seto pea
unui.raca sujeita eescraval Qneeontraeeasol Ser
a luz em sua casa o lora della a r-curido! Ser
era sua casa a-justica e ra della a iniqnidade !
i'i ladao aqui e negrero acola! Fazer mna revo-
lucao que ter.i um lado de gloria otitro de vorgo-
ha? Pois que. depais de derrabado o Ihrono na
de licar a escravidao! Poder havr a o vosso
lulo iiiih homem que vos pertenca. omhonwm
omisa I Trazeis natdieea um bar-
rote de I bordad) para vs e na nio lima cadeia
oara elk-l Qu.) o chicote do fazendeiro? E'o
-entro do re, simples c semouro. Quebrado um,
abe ooirtro.
Um?.. iuonapchia com eseravos logic;, l.'ma
repfihlict com eseravos eymea. 0 mie'realea a
nwnarcha urna virf indade.
Largo do Pelourinho n. 7
O English Bank of Bio de Janeiro, Limited,
casa sobre-as soguintes pracas:
Londres.Sobre 1-iidon Jont Stock Bank.
P.aris Sobre Fon 11 & G.
Hambnrgo.Sobre I. Berenberg Gossler h C.
Lisboa e Porto.Sobro Banco de Portugal.
Rio do Janeiro.-** bre Englii Bank of Bio de
aneiro. Limited.
Baha.Sobre G.*V:mgan A C.
Pora.Sobre Tappoobeck Brambcer & C.
Caixa Filial (lo Bauco do Brasil
A caixa filial do banco do Brasil em
Pernambuco em 1 juidaco pagau ;() divi-
dendo das accoes do Banco do Brasil ins-
criptas nesta caixa; a razao de OflOOO por
aecu.
Becife, i de Janeiro de 1809.
ALKAXDEGA.
Kendmento do da a 4 150:3$0J*52
dem do da 5....... 41:307*40*
191:8^73634
MOVIMEXTO DA ALFA.NDEGA.
Volamos entrados
dem dem
com fazendas
coi a gneros
Volantes saludos com fazendas
dem dem com gneros
361
474
109
34'.
un
838
PUBLICACOES A PEDIDO.
Protectora das familias
Em cumplimento do prevenido no artigo 29 do
regiilamento. se convida a todos os senhores con-
tribuimos desla assoeiaelo, que anda nao tiverem
I presentado as certidoes d idade dos segurados,
liara que faeam entrega dellas na ra do Lvra- j
monto n. 19, 1" andar, alim de ser expedidas o |
mais brete possivel para a inspectora geral do
llio de Janeiro. As certidoes devem ser selladas c
reconhecidas por tabellio. Becife lo de Janeiro
de 18690 representante,
X. E. de Vidal.
Descarregam hojo 0 de fevereiro.
Escuna norle-allezeiiflf.athnrma niercadorias.
Patacho norte-allemoApollodem.
Brigue portuguezRe'antpagodiversos gneros.
Brigue norueguenec Wild = farinha de trigo.
Vapor inglez.lwi;oii--morcadorias.
Barca ingleza=SnppA9=mercadorias.
Barca inglczaZenniaferro.
Barca nritizn Patacho inglezlllanchebaralho.
Patniho norte-allemo/{inc/-=farnha.
Ba re franceza.Variusvinhos.
Barca franceza=.VoH&>e de iVaM(es=idem.
Barca poiluguczaDespique II varios genenjs.
Importaofio.
Escuna norte-alleina Catharina, vnda de Ilani-
burgo, consignada a HabeSchmetlau & C., mani-
festou :
4 caixas tecdos de algodao, pelles preparadas o
conservas; a Alves & C.
1 dii iniudezas; a Antonio da Silva Paria.
4 ditas queij'-s ; a H. Xiomeyer.
1 dita conservas; a ordem.
1 dita chapos; a Ciristiani Irmo,
1 fardo cesto; a Theodoro Just.
100 ban-is cemento: a Vicente Penetra da Cos-
ta C. '
130 barras de ferro. 12 toneladas carvo, 2 cai-
xas teeidos de laa, 2 litas conservas, 47 ditas vi-
uros, 3 ditas iniudezas. 2 ditas armamento. 2 ditas
obras de latao, 2 ditas louca de barro, 1 dita en-
cerado. 70 barricas c evada, 3 ditas ferrageus: a
Otto Bohrcs.
70 garrafoes vasios, 22 ditos eevadinha, 24 ta-
boas de pinho, 1000 fardos prpel de embrulho, 31
pec,as (le cabo, i caixa teeidos de laa, 1 dita mu-
ama, 16 ditas movis, 1 dita banderas, 200 ditas
genebsa: aos Fonsignitarios.
10 caixas cerveja. 100 ditas stearina, 10 ditas
canella, 10 ditas sanlinlias, 23 saceos piuien a, .'l
em 10 de abril de 18CS, ignora-se o conte-
do e consignacSo.
I caixa marca J. Licio Marques sem nu-
mero viuda de Lisboa no brigue portuguez
Bella Fiynereiisr, entrado eirr8 de junho de
1800, idi'in. idem.
i dita marca AJSP sem numero vindo da
Nlha do S. Miguel no pafatBo ])ortuguez
Erna oiitrado em 29 de novembro de 186C
idem- i di -ni.
1 dita marca L n. 3 viuda do Porto na
barca portugueza Seguranca, en.rada em
16 de dezembro de 1807, idem idem.
:i barricas marca diamante C ns. I a 30 com
gesso, vindas de Londres no brigue sueco
Victoria, entrado em 18 de fevereirrj de
1868 a Babe Sclimetlau & C.
1-caixa marca Vi] sem numero cora livros
brochados vinda de Lisboa no brigue por-
tuguez Soberano, entrado em it de maio
ao dito anno de 1808, a Antonio da Costa
Figueiredo.
1 dita marca Antonio Joaquim Soares sem
numero vinda da ilha de S. Miguel no pa-
tacho portuguez Georgense, entrado em ll
de maio do dito anno, ignora-se o contedo
e consignarlo.
Armazem n. 0.
1 caixa marca L A D n. 002 vinda do Ha-
vre na barca franceza Fgaro, entrada em
9 de maio de 1807 idem idem.
1230 caixas marca J P & i) sem numero
com sabio, vindas de Liverpool na barca
inglesa Serapltina, entrada em 8 de junho
de 1808, a J. Pater A C.
400 ditas marca J P & C sem numero
rom dito, vindas de Liverpool na dida
barca e consignada aos mesmos J. Pater & C.
1 caixa marca N F sem numero com gra-
vatas vinda do Bio de Janeiro n|o Vapor
francez Extremadure, entrado ero 29 de
junho do dito annno, a Nova Freres.
20 fardos ns. 1002 a 1081 marca T J
com papel vindo do Havre na liarca franceza
Rio Grande entrada em 4 de julho do dito
anno, a Tasso Irmos.
21 caixas marca diamante U J B ns. 31 a
iiO, 07 com conservas vindas de Londres no
brigue ingle/. Comodore, entrado; em 29
de selembro idem a Jos Franqisco de
Paula Bamos.
Armazem n. S.
1 embrulho marca Augusto Valline, 686
vindo do sul no vapor nacional Tcantins,
entrado em 22 de julho de 1867, ignora-se
o contedo, e consignaeao.
1 caixa marca A. A. X. L. Macedo sem
numero viuda de Southampton ro vapor
inglez Oneida, entrado em 27 de desembro,
idem.
1 embrulho marca B C n. 241 vindo de
ditos arroz, 100 ditos farello, 30 garrafoes cevada; Mai^seilh no vapor Picardic entra .lo em 6
a H. Wilmer.
CONSULADO PROVINCIAL.
Rend ment do dia 1 a 4
Idem do d.\ 3 .
19:7384306
8:297770
21:03::-3276
Osangue.
MOVIMENTO 00 PORTO.
Iodos sahoin une una das iiecessm.iuus
mais imperiosas da vida e conservaijo san-
gue limpo e puro.
E' tambem feralmente admiltido. que
grande .somnia dos males que atacam o
liomom provem do estado doentio do san-
gtte : ou este grande palilo da vida huma-
na est, fraco e recos preeneher as suas
fiincces naltnaes, ou est cheio de coi'iup-
co e solirecarregado de humores e vino,
que por vezes tvbentam na pelle em forma
lie dartros, empingens, borbnlhas, nascidas:
nao obstante todos reconhecerem estes fac-
tos, poucos ha que sabem eom que facili-
dade se piule conservar o SMgoe setttofe
puro e liinpo.
E' facilimo e est ao alcance de todos.
E' siniplesmente prei',iso tomar o extracto
ciimposto tle salsaparrilha do Dr. Ayer.
Este grande reniedio americano, com-
posto polo piiineiro chimico do seculo,
um tnico neomparavel, fortalccendo todos
os orgos e expulsando do systema toda e
q talquer corrupeo.
COMMERCEO.
PRAGA 1)0 RKCIFE 3 DE FEVEREIRO
DE 1869.
AS .1 12 HORAS D\ TARDE.
Assucar maaeavado porgado = :i#200 pw arroba
(lionteni).
Assucar americano purgado3^100 e 3$ 130 por
arroba (Imiilem).
Assucar broto ranal 2-S730 a arroba (hontem).
Algodao de IVrnambiuo 1' sorte 13.-5 por ar-
roba.
Algodao da l'iabyba 1" sorte 16>400 [r ar-
roba jtosto a burdo ilioiitoine hoje).
Dito de dito 2' sorte15.4400 por arroba posto a
bordo, a froto (tantean e hoje).
Algodao do Rio'Grande do norte16000 por ar-
roba posto a bordo (bontoin boje).
Ge uros salgados verdes 175 rs. por libra (hon-
tem).
C; inbio sobre Londres 90 d/v 18 3/4. 18 7/8
e 49 d. por 15000 (henlem).
Frete do assucar para Marselha37/6 e 5 0/0
Di:o de dito de Guarape (Mo Grande do Norte pa-
a n canal inglez)46/ o 5 0/0
F. J. Silveira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
BANCO MAU & C.
Una do Trapiche n. 34.
Descoma leras co nmerciaesa taxa con-
vencional. Recebe dinheiro, a premio con-
vencional, por lettras e em conta corrente.
Confero crditos, saco sobre as primeiras
piaras do imperio, Rio da Prata e Euro-
pa, e compra cambiaos sobre as mesmas
pracas.
Encarrega-se, por eommissno, da com-
pra e venda de fundos pblicos e aeros de
conpanhias, da oobranca de lettras e di-
videndos ou de seu pagamento, e de qual
quer outra operaco bancaria.
0 expediente para o publico eomecar
s 10 horas da manba, e terminar s 4
horas da tarde de todos os dias nteis.
ENGLISH BANK
Of Rio de Janeiro Limited
Desconta lettras da praca taxa a con-
vencionar.
lie dinheiro em eontu corrente e a
prazo fixo.
^aca vista ou praso sobre as cidades
principaes da Europa, tem agencias na Ba-
ha Buenos-Ayres, Montevideo, New-York
e New-Orleans, e imitte artas de crebito,
Navios entrados no dia 5:
.Lisboa28 dias, brigm portuguez Hehintp. de
235 tonelada, c;i|iita) Joao Kpiphanio da-silvei-
ra, equipagem 13. carga vinho e oulros gene-
ros ; a Thomaz de Anuino Fotweca & C.
Habor Graee.'10 dias. brigue inglez Saxon. de
-Sttl tiinuladu? faailiia Jlm llrium ""! y-
5. carga ;i,ilfi* barricas rom bao aman: a lonas-
Ion l'alor & C."^
Rio-Grande do Sul37 das, hrjgne brazileiro
alinda, de 214 toneladas, capiiao Kraneiseo dos
Santos Loieba, eipiipageni 12, carga 8,000 arro-
ban de carne: a Bailar & Oliveira.
.Vooffl saludo no mesmo dia.
Parahybapatacho inglez Habor Groa, capitn
James Bron'n, carga parte da que transe da
Habor Grace.
ECITAES.
O Dr. Francisco dAssis Oliveira Maeiel,
cavaliieiro da Ordem de Christo e juiz
de direito da Ia vara criminal desta ee>
marca do Recite por S. M. Imperador,
a quem Deus guarde, etc.
Faco saber i|in.' adiando-se vago unidos
olticios de taliellifio de notas desla cidade.
pelo fallccimento do serventuario Joo Bap-
tista de S, o qual olliciofoi criado pelo do-
natario Duarte Ooelho, convido pelo presen-
te a quem prentender dito oflicio aapresentar
neste jasco no prazo de sessenta dias a con-
tar da data deste, sua petico datada e as-
signada pelo pretndeme ou seu procura-
dor e aconipanhada de certidao de idade.
folha corrida, exanie de sufficiencia e mais
documentos que entender convenientes,
sendo todos devidamente sellados na con-
lormidade do decreto n. 817 de 30 de
agosto de 1831.
E para que chegu'a noticia todos man-
dei pasear o presente edital que ser |hi-
bhcadop.'la imprensa e affixado nos luga-
res do costume.
Dado e passado nesta cidade do Recifr
aos 26 de Janeiro de 18G9.
Eu Joaquim Francisco de Paula Estoves
Clemente, escrivo o subscrevi.
Fraiicis A'As$a Oliveira Maeiel.
de fevereiro de 1808, idem.
1 dito marca A. F. de Jess sem nume-
ro vindo do sul no vapor nacional Cruzei-
ro do Sul, entrado em 9 de marco do dito
annno, idem.
^ caixa marca P. C. da Fonceca Irmaos,
sem numero, vinda do sul no vapor nacio-
nal Guara, entrado em 29 de abiil idem
idem.
f embrulho marca Theodoro Freres
n. 333 com livros, vindo de Southampton
no vapor inglez Oneida, entrado em 27 de
maio idem ; a Joao Liso Fress. -
1 caixa marca C F C n. 31 vnda de
Maiseiih no vanor francez Picardie^entrado
em 3 de junho dem; a Pecea Carneiro,
idem.
I dila marea Antonio de Souza Leo n.
G7I viuda do sul no vapor nacional Cru-
zeiro do Sul, entrado em 7 de julho idem
idem *
1 aaeeo marca baro do Grato, sem nu-
mero, vindo do sul no vapor nacional Pa-
ran, entrado em 8 de agosto idem, idem.
1 caixa marca V. C. Miranda, sem nu-
mero viuda do norte no dito vapor, entra-
do em 28 do dito mez e anno de 1868,
idem.
Alfandega de Pernambuco 2 de Janeiro
de !869.
Jo.< Mauricio Fernanda* P, de Barros.
DECLARACOES.
0 eidadao Anlonio Augusto da Fonceca, jui;. de
paz mais votado da freguesa do Santissimo Sa-
cramento do bairro de Santo Antonio da cidade
do Recife da provincia de Pernambuco, em vir-
tnde da le, etc.
Faco saber que, pelo oflicio circular do Exra.
Sr. presidente da provinciaconde de Baependy
datado de 3 de outubro do anno prximo passado,
que por copia me foi rcmettido junto a nm da c-
mara municipal desla cidade, de 19 de outubro do
dito anno, convoco os eleitores dosie municipio
para reunio do eollegio no dia 2 de marco pro-
simo vindouro, afin de proceder-se a eleicao dos
depntados me d este ctcuIo para a asscmbla
geral legi trierario.
Em consecuencia do que, devem comrJJreror
na groja matriz desta freguezia s 9 horas da ina-
nhiia do dia 2 de marco cima declarado, os res-
pectivns eleitores gwaes, que compoe eollegio do
llecife, os (paos sao: os de S. Fre Pedro Gon-
oalves, de Santo Antonio, de S. Jos, dos Afogados,
da Vaj-zoa. de S. Amaro de Jaboatao, de Muribc-
ca, de S. Lourenco da Matta, do Poco da Pan--lia
o da Roa-Vista.
E para constar n andei afflxar esto na porta da
igreja matriz desta freguezia e publicar pela im-
prenta.
Recife. Io de fevereiro 3e 1869.
En Joaquim da Silva Pego, escrivo que subs-
crevi.
Chama ao a attencao das pessoas que tpifaa-
rem anreseatar-se a forecer ao arsenal de guerra
os objecios de que este precisa, para o sen annun-
cio de 3 do corrente, publicado em o Diario
de 3.
Sala das sessoes do eonselho de compras do ar-
senal de guerra de Pernambuco, 3 de l'evere ro
do 1869.
Jos Baptista de Castro e Silva,
___________________ Secreta lio.
= Pela recebedoria de rendas internas gerae.-
se faz publico que neste hiez e no de fevereiro
prximo futuro, que os contribuimos da laxa dos
eseravos do exercicio corrente de 1868-69, quer
moradores as freguozias da cidade, quei- as de
fra, teein de paga-la. livre da inulta de 16 0/0, e
com ella de marco em dame.
Roeebedoria de Pernambuco 8 de Janeiro de
W59.
O administrador,
Manoel Carneiro de Souza Lac rda.
CORREIO (ERAL
Relaeo das cartas registradas vindas do |ul pelo
vajwr francez \'uvurre, para os senbore i abaixo
declarados: -
Autooio Carlos Perera Burgos P. de Lean. An-
tonio Duarle Carneiro Vianna, Alfredo Pereira
Carneiro, Gandid A. Matta Albuquerqiie,' (Carnei-
ro & Nogueira, Emilio Jemnymo Ferreira, Dr.
Francisco Vicente dos Santos" Jnior, Francisco
Itibeiro Pinto Guimaiaes (i. (leleodoia Candida
F-erreira (tabello, tenonte-coronel Hemeterio Jos
Velloso da Silveira, Joao Antonio Goncalves Gui-
mares, H. Joaepha Honorata do Espirito Sadto,
Joaquim Pinto da I^apa, Dr. Joaquim de Oliveira 4
Souza, padre Manoel da Vera Cruz, padre Pedro
da Silva Araujo, Jos Pedro de.Castro.
minisrativaiiiento e com todas as formalidades
das flaneas t'ucaes nos termos das instruccoes de
30 de dezembro de 1865.
O escrivo,
Luiz Francisco B. de Almeida.
^^___ '
TBEATRO
S. ISABEL.
GRANDES
Bailes de mascaras
mm das
Sabbado 6
Dommtjo 7
Segunda-feira 8
Terca-feir 9
ns
11:\ iitiiiH i i: i*.
0 tlieatro acha-se decentemente preparado e or-
nado, para rocober os amadores deste divert-
mento.
A banda de luusica do 3 balalhao da guarda
nacional desta 'imnieiio dirigirla pelo seu hbil
mestre o Sr. Attonio Francisco das Chagas, exe-
cular novas e brilhantes quadrilhs, polkas, schs-
tes etc., etc.
Os bailes cornecarao as 8 horas e 1|2 e term-
narao as i horas la madrugada com o grande
GALOPE INFERNAL
PRECOS.
Camarotes de .* ordem com 3 entradas.. lOOOO
dem de 3.' r.in i entradas............ 84000
dem de 4.' ordem com 3 entradas....... 65000
Dntrada.............................. 2000
Sentaras mascaradasgratis.
Os buhles vendeni-?e uo lugar do coslumo.
N. B. O regulamento da polica ser observado
em todos os bailes.
A empresa previne ao Ilustrado publico que a
abertura da estacan drama tica-te lugar a 17 de
fevereiro com o sberbo drama em 5 actos
COMPANHIA PERNAMBICANA
DE
Navegado coatelra por rapar.
Maceio em direitura e Penedo.
O vapor Jaguaribe, ermmandanto Moura, segui-
r para os portos cima no dia 8 do eerrente as 5
horas da tarde. Recebe carga at o dia 6 as 3
horas, encommendas. passageiro* e dinheiro a
frote at as horas da tarde do dia da sabida no
eseriptorio doPorte do Matos n. 12.
COMPANHIA PERNAMBICANA
DE
Xavt'savo cotstelra por vapor.
Femando.
O vapor Giqui, eommandante Aze-
vedo, seguir para o porto cima no
dia 10 do corrente ao nteio dia. Re-
cebe carga at as 3 horas da tarde do dia 9, en-
'commimdas, passa^eiios e dinheiro afrete ateas
10 horas do dia da sabida no eseriptorio do Forte*
do Matlos n. 1._____________________________
COMPAiNHIA PKNAMBUCANA
DE
\avesa<,'o costclra por vapor-
Paralryba, Natal, Macp, Mossor, Ara.
"caty, Cear, Ajcarac e Granja.
r O vapor Firapama, eommandante
Torres, seguir para os iwrtos cima
no dia 13 do corrente as 3 horas da
Recebe carga at o dia 13 as 3 horas da
encommendas, passageiros e dinheiro a
frete ate as i horas da tarde do dia da sabida co
eseriptorio do Forte do Mallos n. 12.
COMPANHIA PEKNAMBt'CANA DE NVE-
GAQAO C0STE1BA Ptt VAPOR.
Porto de Gallinhas, Rio Formoso e
Tamandar.
O vapor Mamanguap,1 com-
mandaiito Mello, seguir para o-
portos cima no dia 10 do cor-
rente a meia noite. Recebe r*r-
ga, oncommendas, paaaaaeirot
dinheiivi a frete : iio eseriptorio do Forte do Mat-
tos n. 12._________________________________
Para
Para o indicado porto segu em poneos di.i- i
palbabote Rosita, por ter a maior parle da eafta
e para o resto que Ihe falta trata-se com o con
signatario Joaquim Jos Goncalves Boltio, rn;i
do Trapiche n. 17. ____
tarde,
tarde.
:e
O assassino por amor
no qual farao a sua estra a Sr. D. Julia Azevc-
do e o Sr. Primo da Costa, promptitieando-se j o
grande drama
ailI'VR-Jl
para estra do primero actor o Sr. Marlnho Cor-
rea Vasques, d) Sr. Eduardo Alvares da Silva,
Primo da Costa Julia Acerado e D. Apdonia.
A empresa annnncia ainda ao ilustrado publico
que chegando-iios a grata noticia do lim da guer-
ra, suspender ipialqner trabalho para dar lugar
ao espectculo em festejo a to feliz nova, sendo
o producto des;e espectculo applicado as viuvas
dos voluntarios pemambucanos.
foguetes
THEATRO
Gymnasio campestre
ASS0C1ACAO ARTSTICA
GRANDE X0VID.VDE!
Mas noitcw de J, S e 9 de fe-
vereiro de IS*?
ESPLENDIDOS
Bailes malcarados!
A' mitaca1) dos que se fazem as principa*"-
cidades da Borona.
r. i aimiia do I baile.
As 9 horas di pfcis de sffbtreni ao ar urna infin-
dade de
Gyraiu lolas de
eomecar o divertimento.
O salo achai-se-ba primorosamente adornado.
A entrada do idilicio (iiiarnecidacoiii fesloos de
flores, reos, bandeiras e grande ipiantidade de
lampioes de efi -. produar deslumbrante ef-
feito.
Urna banda de msica
externar aaaoJUdaa
Syiiiphoni;..-.
Qundrilbas.
Wataas,
Polka-
Mamrknii
Scliottises.
algumas originaos do insigne maestro brasileiro
coi. t* rii.no.
A' meia noite soltar-se-ba
I eii grande halo
com diversas caricaturas entre ollas a do
TVR YNNO PARAGUAYO.
As i horas da madrugada terminar o baile com
O galope haeehaual!
reservando-se paneasa oeeasiie
MA AGRADAVEL SORPREZA
PARA
os mm mwmm
que abrilhanlarein a fulia com as suas respeita-
veis presemos.
Preeo do lllhetes
Camarote com ti entradas reservado para
familias...........1000
Ingresso para n salo, pior se apre-
seniem masca dos ou nao. 2S000
AVISO ESPECIAL.
As damas qu) se apre.-entarem pbanta^iadas
eiao entrada franca.
Os mascaras dovero respeilar-se inuluamenle,
assim como lae o obsequio de prestaran a
miior atteneae
JO MESTRE SALA
tncarregado de velar neta boa ordem do diverti-
mento.
As instruccoes p ilioki estaro affixadas ein
lugar competente
^ABIIAUO
COMPANHIA PERNAMBICANA
DE
Xavegaco coteira por vapor.
Macei, escalas Penedo e Aracaj.
m*??\to O vapor Polengi, cominan
y^LwL Pereira. seguir para os portos cima.
JMAmj no dia 13 do corrente as 3 horas da tai
de. Recebe carga at o dia 13 as 3 horas da lar-
de, encommendas, passageiros e dinheiro a frete at
as i horas da tarde do dia da manida no eseriptorio-
do Forte do Mattos n. 11_______________
To\\\ BRASILEIIA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do sul esperad-1
al o dia 8 do crrente, o vapoi
Paran, eommandante o eapno
de fragata Antonio Joaquim V
Santa Barbera."o qual depois da
demora do costme seguir para os do Borle.
Desde j rccebeni-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder condnzir, a mal deven
ser embarcada no dia desiiachegada. Encommen-
das c dinheiro a froto al as duas horas do dia da
sua sabida.
> fu i so recehem como eiicomniendas senao ob-
jectos de pequeo valor e que nao excedan a duas
arrobas do peso ou 8 palmo* cobicos demedici
Tildo que jiassar dostos limites deveni aar embarca-
do como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
gens s se reeebem na agencia ra da Cruz n. 57,
Io andaar. eseriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevodo & C.
Previno-so aos Srs. passageiros (pie mu pMM-
genss se reeebem na agencia ra da Crui n 57
eseriptorio de Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
A G._________^_________________________
mam brvslleihv
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperad."
al o dia 9 do corrente o vapor
Tcantins. connnandanto J. M
lenvira Franco, o qual depois
da demora do costme seguira
para os do sul.
Desdo j reeehem-so passageiros o engaja-se a.
carga aneo vapor poder" oonduzr, a qual deven
ser embarcada no dia de suaMieaadn. BaonunnaH
das o dinlieiro a frote at o dia da sua sahida as 2
horas.
Nao se reeebem como encommendas senao ob-
jecios de pequeo valor oque nao execdain a aftas
arrobas de peso mi 8 palmos cbicos de medie/i.
Tildo que passar dostos limites devera or eniba:
cado como carga.
Para o Porto
Segu sem demora a barca portugueza Se-
Silencio, por ter grande parte da sua carga promp-
la, para o resto e passageiros aos guano ofTereco
excedentes eommoilos ti-ata-se com Oliveira Fillu-
& C, largo do Corpo Santo n. 19 ou com o capit
na arana do eommercio.
Tara Lisboa.
para os mesmos lugares.
Faculdade de Direito
De ordem do Exm. Sr. director, faco publico
que o servco das aulas preparatorias ser regula-
do no presente anno pela forma seguinte
Lalini das 8 as 10 horas da manba.
Francez das 9 s 10.
Inaiez las 10 s 11.
Philosuphia das 8 s 9.
Rhetonca dos 8 s 9.
Geograpbia das!) as 10.
iiMinetria das II s 12.
Al aulas eslao desde ja .iberias.
Depois do dia 8 do ci/rrenle o alumno que se
pretender matricular as aulas de seionrk.s. de-
ver requerer precisamente ao Exm. Sr. director
assim como provar que aprendeu latim e francas,
se a matricula for de philosophia ; rhetorica e so-
mente francez se for de geograpbia.
Secretaria da Faculdade de Direito do II ;cife. 3
Caverna de 1808. '
O secretario.
^^^^^^^ Jas Honorio 0. de Menera.____
fwtiv do Yeitos dafaxeiida de
Pcrnamltneo.
Faz-ge publico aqnem convier e inteteessar pos-
ta, ijue tlndo o praso de tres mares a contar de 24
de dezembro ultimo, se ho de vender en hasta
publica, celebrada na, cidade de Goyanna c na villa
de ItatmSc, perante o sobredito juiz, x torras per-
lencentes a extincto eneapellado de Itamh, cons-
tantes do edital de prac,a. publicado noDiiripde
Pernitmbueo do citado da. Os que preterderem
lanear a praso, eonforme o art. 4 da le de 6 de
Tsetembrode 1830, deverao apresentar-re cotn seus
verpooi na escuna itgleza 2owaw enaial dadores habilitados, sendo as naneas prstalas ad-
Antonio Augusto da Fonceca.
O ins[H'ctor da dfandga faz ptihli o,
que achando-se as mercadorias eontidas
nos voluntes abaixo mencionados para con-
sumo nos tormos do capitulo 6.-, titulo -i\
do regulamento de 19 de setembro de
INo is donos ou consigiiatarios de-
verao dospaclia-las no praso de 30 dias sob
pena de Ando elle serem vendida per soa
eorrta, sero-qrje Ihes fique compettodo ; 1-
legar contra os efetos d'esta venda.
Armazem n. 9.
I barrica marca JAS n. 52 vindo de U-
do meio dia em diaute o estalM-leciinontn sera
franqueado as pesBOat que comprarem lilhetes,
aftm de convencerein-e deipie nao se Um qoor
impingir
Gato por lebre.
Os bilhetes ael am-se na eaaa n. JO ao largo do
Paraso e no thealro.
Extraordinaria eomnioditlade.
As pe--oa> ipie inorarom no Recife e nos ou-
tro- arrahaldes ato Apipucos no caso dequererem
aaaipfh ao baile tero derx s do mesmo passagem
graos, em trm especial, para os mencionados
lugares.
A soeidade Gymnasio Cainp-'stre nao se tendo
paupadoea despozas. apera merecer do Ilustra-
do publi eodesta capital a necessaria coadjuvaco
por isso
Monis, ooihea, bellas, feias,
Man-os, Unios, nleijados...
Den m lodoi ao Gaaapeatre
Ver os bailes maseaiados I
Segu com mnita brevidade a barca pattQfU n
Graliddo. tem grande parte da sua carga prump-
ta ; para o que anda Ihe falta c passageiros, tr
ta-se com Oliveira Kilhos & G, largo do Corpo San-
to n. 19.0U com o capitn na praca do eommercio.
Para Lisboa
Vai sabir com umita presteza o brigue portugU)*
tonstanie II por ter grande parte do sen carreg, -
ment prompio : para o restante e passageiroi
trata-se com Oliveira, Filhos A C, largo dttUBipti
Santo n. 19, ou com o capilo na praca do coni-
inercio.
Para Lisboa
0 brigue porttipuez hala I, capitao Vieira, vai
sahir coin muita brevidade, por ter a maior parti-
da sua carga prompla; para a que ainda Ihe falta
c passageiros, trata-se com Oliveira Filbos largo do Carpo-Santo n. 19, ou com o referido ca-
pitao, na praca do Gommercio.
PARA
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBICANA
BE
.tavegaeo eostelra por vapor.
ioianna.
O vapor Mamangwtpe, eomman-
dante Helio, seguira para o porto ci-
ma no dia 6 do corrente a meia
noite. Recebe carga, passageiros, encommen-
das edinheiro afrete no eseriptorio do Forte do
Matlos n. 12.
Segu com bi-evidade o palbabote Aurelia, re-
cebe cai>a iiiiuda.o trata-so com o consignatario
Joao FranriM-o da Silsa N'ovaes, ra do Vigario
companiiiv PKim^im^rA"
H
Have&aeo eosleira por vapor.
Mamaiiguape.
O vaporCormrimt, eommandante Penna. segui-
r para o porto cima no dia 18 do corrente as <
horas da larde. Recebe carga at o dia 11 as .1
horas da tardo, enconimendas, passageiros e di-
nlielio a frote aM as :t horas da tarde do dia da.
sahida no e-eiim.'rio do Forte do Malos n. l.
A pedido de. muitns carregadores o varias
outras pessoas interessadas na provincia das Ala
goas. resol ven a-C)inpanha Perna Imcana, a
miudar s'ias viagens na linha do sul, pelo une
sabirao os vapores naquella direccao a 7,13,*
'W de cada mes, expedindoj'agora o s
Jaguarib, para Macei e Penedo, desta vez
mente a 8, por cabir o dia 7 em domingo e ter ha-
vdo alen) disso uin dia santo,nos dbs7e na>
tocando as escalas.
llio de Janeiro
Para o paito aciioa segu com brevidade o pa-
acho norte-allemao Amonitas, por ler parte do
seu earregamento enajaiado : para o resto que
Ihe falta trata-se com Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C,, ra la Craa n. 7, !> andar.
LEILOES.
4 !
de
HOJE
60 caixas, 60 meias e
ijuartos com passas
40



~*PHKta

f
Diario de Pernambuco Sabbatlo 6 de Fevereiro de 1809.
3
i) agento Pesian far llio por cont eriso
d^ quem pertoncur, do 110 faixas coin uassaS so -
N lidas em un ou mais lates, lite as 11 horas a
Manilla, no artnazem defronte da alfandega.
LEILIO
da
le urna taberna cita a ra
Impcratriz n. 68.
Ouinta-I'eira II do corrente
lou liotclho Jiini.ir. lgatmento autorisado por
aeua redores e }>ara tratar de sua sade. far ci-
lio por internencao do agenta Pestaa, da arma-
ba >, paz. gneros e mais ateneilios existentes na
talicrna cita na roa da Imperatrii n. 68, e ser
vendida cin un on mais lotes a vontade dos lici-
tanles, o lialanco aelia-se ein mito do agento pan
aer examinado, e o leiiao lera locar na mesnia ta-
"herna. as H horas da inaiilifia do dia cima dito.
^raealv
Segnira com a |KiSsivol brevidde o palliaboto
Sbrateme ; a tratar cora S Leitao Irmaos. ra
da Madre de Dos n. 1.
Ama
Preeisa-se do urna ana para comprar e cozi-
nhar para casa de pouca familia : a tratar na
ra de Santa Rita n. M.
Ama
Precisa-se de urna ama que saiba cozinliar : na
ra da Cadeia do Rerife n. 22.
AVISOS DIVERSOS.
Ra do Rosario n. 79.
sobrado
Acucia k negocios da corle pa-
ra as provincias edesas para
a corle.
Sob a tlireeeao do advogado Franeiseo Cario:)
randa >, acna-se estabeleeiaa na oidade do Rio de
ro, i na do Rosario n. 79, sobrado, una agen-
cia de iie;r icios da rr!e para as provincias, e des-
fas para a ateto, l qiial, pelo pessoal habilitado, e
neio.s de que dispe, encaTrega-se ile todos e quaes-
<|::er negocios judieiaes em 1' e I* instancia, como
es etveis, Crimes o conunerciaes, recursos, ap-
pel aeSos, aggravos, revistas, delecas perante o
.jury, reciamacoes de anliguidades de inagistra-
i -. ele., ele.
laMinbe-se ontro sim de liquidacoes conimer-
ia 93, iie verilicafdes, e ajustes de contas, de co-
brancis de dividas, de arrecadacoes le herancas
de uiatricula de juies, e awnnwroiamoa, e-ein ge*
ral de todo e qualquer trahalho forense, ou que te-
ha de ser feifo pnate as reparlieOes administra-
tivas da corte.
Me lianteasconhivH'se.'aramiasque com as par
lea estipular, adianto dinheiros sobre as .arrecada
rbes e direitos que Ihe parecerem seguros, e l-
quidos.
I'resla-se h fornecer aos sens cominittentes as
mfoiiiiaeoi-s qtie exigena, e quo puder obter, so-
bre assiiniptos e interesses que Ihes digaiu res-
peito.
Seus lionorarios e commissoes serao razoaveisc
moderados, reiulando-se pela im|iortancia e dilll-
uldades ipie olerecerem os negocios conimet-
tidos.
As pessoas cue dos seus servicos se quizercm
ulisar, podero dirigir-ge pessoalmente, ou por
mi a ,n eseripi irio cima indicado, devendo na
segjnda Inpolliese remetler os documentos que
liwroin ou co|ii:t fiel delles. e nina iuformacao cir-
cirastaneiada, escripia; e aasigDada sobre o nego-
i mi negocios que tvereni ile ser tratados. Alm
des a reine-s;, os sen lores que morarem forado
municipio neutro, e em qualquer das provincia.'
devero eompetcntenianfe aatorisar pesaoa id-
nea, residente na cuete, com quein a agencia po.ss
ciit-nli r -e e validamente contratar.
< flel ileseinjienhi dos seus deveres para com
lndos. e especialmente para com aquellos, que nel-
ili.iiem. conatitue o fundo capilal, com que
neia nrincipalmente cunta, e por isso tera o
mais viro intercsse era mante-lo, e ha de zela-lo
<-"'ii a miis vigilante soMritude.
Precisa-se fallar cOm o Sr. Francisco Jos
de Aguiar Jnior, na ra dos Pescadores n. H.
Frederico Maia
Clrurgio dentista- pela escola
de mediciua
do Rio de SaueSro.
Tema honra de participar ao respeilavel publi-
co desta capilal e seas suburbios, que tem aborto o
3eu gabinete de consultas e operacoes dentarias a
ra Direita n. 12, primeiro andar,* ondo pode ser
procurado todos os das das 8 horas da manija as
3 da tarde. Elle acha-se competentemente habili-
tado para com perfeicao collocar denles artificiaos
por qualquer dos systemas, o bem assim desempe-
nhar qualquer out'ro trabalho coneernente sua
prolissio. 0 mesmo, reconhecendo que nem sem-
pre p,issivelssenhoras ou criancas sahirem a
procu..ii" o remedio, offerece-so a remover qual-
i|uer obstculo, declarando quo nacidadese pres-
tar a (pialquor chamado sera qne issoinflua eousa
alguma na comniodidade dos preces de seus traba-
dlos, e quando para fra ildla assim mesmo ser
precedido de uin ajuste rasoavel, garanlindo elle a
^fonoycae perfeicao de seus ditos trabalhos. Em
sen gabinete se encontrar constantemente exeel-
lenteps dentifricio. elixir e outros medicamen-
tos odontalgicos : ra Direita n. 12, primeiro
andar.
Innandade de \. & da Soledade
Tendoo Illm. Sr. Ur. juizdo eapolla> annulla-
do aeleicao a que se procedeo na rmaiidade de
N. S. da Soledade nodial dedezemliro uranio,
e deeigoado o dia 7 do corrente, pelas 9 horas da
manbaa, denote da rabsa, para se proceder em
mesa geral nova elei(,'o, coavidQ pelo presente
todos os irmaos aim le conyarecerein no dia c
hora cima indicados, no consistorio do igreja da
mesina Senhora.
Consistorio da irmandade d X. S. d Soledade
4 de fevereiro de 1869,
0 c-envao,
Vicente de Moraes Mello.
VAffl
elle.
0 rospeilavel public laWei oae saiba quera
Elle.
Elle: o main' farcola que jamis tem enga-
ado a humanidade. vendendo carne secca.
Elle : n ente mais repellante e iiiui lindo que a
sociedaile pode ter visto.
Elle : e o ente mais estnpido, covarde. immo-
ral e perverso, pelos seus nefastos untos, que so
tem visto.
Elle : o mesmo que foi lancado fra da casa
ae una respeitavel familia, por nao poderem tole-
rar suas immoralidades, e ipie se tivesse senti-
mentos, devia ficar corrido de vergonha (se a ti-
vesse), de ter dado motivo csse proeedimonto :
porin ao contrario, despintado, comecou a em-
pregar toda a sua requintada e rancorosa estupi-
dez em querer laucar sua asquerosa baba, sobre
s qnem devia res|>eilar, pelo que se tornou ainda
mais despresivel, pois se descomi completamente
quem essa alma dainada.
Elle : 6 o mesmo que infame e trairpeiramente.
se apoderou com requintada perfidia.*de nina so-
ciedade, para viver cusa d'ella. e mais meia
duzia de alcaides, que o acompanhain em seu
mofle de vida ; pois quando entrou para essa so-
ci.dade a sua miseria era tal, que nem casa tinha
para morar, que at a casa da soeiedade aproveitou
para murar, por l nada pagar.
Elle : o mesmo que pela sua estupidez, Ihe
entrou no bestunto a louca preteiieao de ser um
grande dancarinheiro, quando se "niio fossB sua
cegneira, devia ver o quanto era ridiculo : emn as
peinas arqueadas, os ps chalse cambados, mos
ensebadas e nieio corcunda, e alm disso suas
parases grutescas, a figura a dancarinhar, com-
pleta num aguadeiro que representa esse hroe.
Por boje basta : por outra vez se ser mais mi
nudosa.
_______ O Ganmoueijo..
Desapparecen do Chacn, do aitio que lica na
beira do rio, urna vacca com un hezerro cornos
segrales signaos : ccr vermeUia, rara branca,
com a ponta de uin ehifro cortado, e lorio de um
olho, levava corda e chocallio ao pescocfti o Iie-
zerro tambera traza coi da : quem a tiver ap-
preliendido pode annunciac ou i na nda-la levar no
referido sitio, ou avisar na ra do Imperador n. 3.
Pagar-se-ha qualquer despeza que se fizer.
(Jopeiro.
l'recisa-se alugir um copeiro de conduela
afianzada : na praca da Boa-vista n. 21, segundo
andar.
Ama de leite
OITerece-se urna ama com muito bom leite : na
roa Nova n. 51._______________~___________
0 inuzeo de joias
Na ra do Cabug n. 4 compra-se ouro, prata
e podras preciosas por presos ujais vantajosos do
que em outra quab uer parte.
Precisa-se alugar urna cozinheira que seja
perita na arte, pref ra do Imperador n. 51, 2" andar.______________
D-se a nro> sob hypothcca em predios a
qnantia de 2:n0 en njesnio compra-se mnacasa
lenca : quem qtiizrr annuncie por este jornal ou
dirija-se a ra Nova de Santa Rila n. 54, que se
dir a quem deve se dirigir. ______
UMA GRANDE DESCOBERTA
I
fcElGAROjBA
DSMFECTAbo
D BAGAtHAU V

Ai propiedades medictes do oleo de figado de bacalao forio unanime-
mente reconhecidas. Mas seo cheiro e seo sabor to desagradaveis torno o
aso d'elle muitas vezes impetsivel, mesmo os estmagos os maia robustos
e aos mais condescentes.
Por isso a descoberta do Snr. Chevwer quelhepermeitio de desinfectar
intiramente o oleo do figado de bacalhao sem alterar anas propriedades Um
ido um dos mais fezes problemas resolvidos pea therapeutica moderna.
O oleo de figado de bacalhao detlnfectado de Cfaerrier, com um
cheiro a{/radavel e um sabor assucarado, o nico que n.o tem nem gosto
nem cheiro de peixe.
bjeclo de numerlos relatnos scienlificos elle goza em Franca de urna
fuma bem merecida, e receitado por todos os mdicos em lugar do oleo de
fijado de bacalhao ordinario. Tendo as mesmes propriedades do oleo do
ligado de bacalhau ordinario, usa ae d'elle nos mesmos casos isto as:
Pobres* do e,
E*ralfamcBto p >r ezecnaa de
trabalb* ou *n prmmrren,
Maleattaa dea brtiaebioa recen-
t-H eu chronlrae,
T(l .( |lil llnil/O .,
astritea, KaMr.ilgjIa.,
>orvH de i-iloiugii.
Elle conTem a todas as conipleicoes e a todas a idadee, o tomada fcil-
mente pelas pessoas as maid delicadas. Elle um podoroso socorro para a
alimenlaeo das criancas fracfis o doentes.
Lili rllelo ac-compnliM cada Tldro
Deposito em (Parw, na pharmacia de Chevrier, e em
violpatlnH eserofnli
llarli tlanm.
Mw riiccno H (laadca.
ciMlea pulmonar,
MelCH'laa da nene
c (iii-.liluic.-ia l> uiphallra
tui-miu, di-bl.Klude, lrai|iieza,
lUagrcia,
Os cinco bne.is (la lotera i)' do paiiimo-
nio dos orphos ns, 4031, U4), 27o, 2443 e 44.64,
pertcncem aos Srs. Ricardo Weltig. Maiioel Comes
de l'reilas e Manoel Jos Martins. de Ar.'iraty cu-
jas bilhetes liean em poder do abaixo assig-
nado.
Jofio Jos da Cunha Lages.
O abaixo assignado tem justo c contratado
com o Sr. Guilherme Jorge da Molla, eomprar-lhc
os gneros c armaeo existnles na taberna da ra
do imperador n. 3, c quem se considerar com
direito queira aprosenlar-se no prazodc lies dias
a contar desta data.
Rccife, 4 de fevereiro de I8C".
_________Manoel Jos Guedcs Magalhes.
Na padaiia da ra do Rangel. precisa-se de
nm caixeiro de 12 a 14 annos ede um cosiuheiro
ou cosinheira.
O abaixo assignado declara ao corpo com-
mcrcial que tem justo com o Sr. Joao do Couto
AI ves da Silva a compra de sua taberna, sita a
na das Grases n. 41 A. livre e desonharneada de
dbitos praca e impostes : quem tiver direito a
dita taberna apresente-se uestes tres dias, lindos
os quaes nao sonto attendidos. Recife 4 de fe-
vereiro de 1869.
Manoel Leo Carneiro Piulo.
ni? i
i
.u.
L\
ilIllllJ
Ke dia M corrente a 1 hora" da larde, na
-ala das audiencias, perante e Illm. Sr. Dr. juiz
.municipal snppleaie da 2' vira. Virgilio deGllB-
inl' C "'lii i. serio arrematadas i> ir venda a quem
ii Ms derav casas s-juine* : una casa terrea n.
-i ni i":! i DireiU dos Afgados, avahada por
90 1400 1, ama dita pequea n. I na ra diMaxixe,
avalieda por i\\"\%. una dila n. -l'\ e nao 32 na Irara um grande sortimento de moldados, queso
era outra
miudezas.
i
Os donos deste novo hotel participam
ao respeilavel publico, que os seus frequen-
tadores podero apreciar a especialidade
dos gneros alimenticios, e tambem rece-
bem assignantes e se encarregam de man-
dar comida em qualquer casa, tuclo por
preco muito commodo.
_______No pateo da Ribeira a. 9.
O basar da Casa Forte junto a estacao do
Caldeiroiro, neste novo eslabelcciinnit i se ncon-
Na ra Direita n. 53 precisa-se fallar aos Srs.
alfens do 2o balalho da guarda nacional Joaquim
Manoel de Castro Sanios e Antonio l'raneisco Du-
arte. ou seu mano Dr. Mximiauo Francisco Duar-
te, (j sabem para que).
2&t.
Na ra do Imperador n. 33, lado es^nerdo, pre-
cisa-se de urna ama, preferindo-se escrara
i na d i -M! icol umIio. avahada por 600, una dita
n B9 A. na mesan ra, avahada em 9005, ontra
dita m. -i no porta do mitocotemb, avahada em
M>' 9 i. imiii i tul i eensta do eseripto em peder do
porleiro dos auditorios, aa qnass vio praca por
esecoea i de Antonio Alves de Miranda Guima-
raes, centra a ueranea de Victorino Teixeira Leite,
escrivao Baptista.____________________________
HOTEL
DA BOA FAMA
Pateo da Kibeii'a n. 9.
>Teste novo hotel havet todos os domin-
KQ3 e dias santificados w5o ie vatjsa mais
Dar.ito de queem oulra qualquer parte.
vende dez por cento mais barato qne
parle, assim como abromas fazendas e
Previne-sea pessoa que no dio 2 deste mez,
na f-sia da P.ajo, carr^-ni can um chapeo de
sol. il" 0 levar SCIJ dOO, na fabrica de cerveja
urna di Seb'i n. 35, por essee tres dias; ese
csiiii nao o lizer. ser dEUMads a |tolicia.
BecJfe, -i de fevereiro de 1960.
= Trindade & Vill-Jta part -ip-.-m ao respeilavel
Cflirpo de conini o.-ioi ipie heSttdata ilissolveram a
lid que tinhaiii na taberna n. 41 ra lin-
!. licandt o socio Jos,'-do Helio Trindade de
pT-se da up-ma. com o activo e passivo e a II-
|i> d iro seu cargo, e o setafl iois Martins da
Silva Vilk-la desonerado de- toda a gerencia de
compras e vendas e cobrancas. sem respoiisahi-
fladi: alguma a ."eu cargo, a -ioi com a hqnida-
ea di firma.
RechV, b k fevereiro de 1869.
Acha-se fugide desde o da 29 de. janeiro
dnpresente Maso, o escr.ivo len-ulano, criollo.
ile idade de 40 a 13 annos, e-mx os signaos se-
cuintes : alt'.irs regalar, sene i i > corpo er bem
preti. pernas bastante Unas, testa cantada, pouca
barba, falla de denles a com signaes (fe chicote ns
cestas; gratillea-se A ipmm opefanr eleva-loa
i 'iihor An'onio Joaq-iim i'.avalcaali de Albu-
<1iier.|ii.'. o i .-1u 111 > T.i;>u'.'i d> cima. Aa comar-
ca do Cali i. ou no Recife. roa do Apollo n. 31,
segundo andar._________________________
ae 1 >de um menino de 12 n 14 annos
pata caixeiro de taberna : na ra Imperial nume-
ro 213.
Vandem-se dous cavados bons para carioca.
e una carioca por proco enmmodo : quem pre-
tender dirija-se a Casa Forte, taberna junto i .--
tacao do Caldeireiro. que encontrar com (niem
traiar._________
Vende-se una vacca crioula com una cria'
qne d tres garrafas de leite : a traiar na ra
do Seve n. 26.
Vende-se urna preta de urna idade, cozinhei-
ra e lavadeira. por peftM dinliciro : na ra da
Imperatriz n. 5o, tinturaria francesa.
CARNAVAL
Na ra larga do Rosario n. 33, andar, alu-
gam-se ricos dminos novos, de velludo e sedas db
diversas cores, e laiiibem se, veudem os mesmoe ;
tem tambem diversos dminos para 25 e 3 de
aluguel.
A viuva do fallecido Carlos Hesse. avis a
lodos os crederes para i|e a|irtsentem snas con-
tas |egalisadas para seren pagasv assiwi remo as
il'Vi'il'ires do mesmo casal a liquidaren) as -ua-
contas al dia lo do corrente.
Conrado Waidmanu, genro do tlnado<;arhK
Hesse avisa aorespeitavi.-l publico e aos freguezes
do finado e sens que contina na mesma dlticina
na ra dos Piros n. 36. a fabricar e concertar to-
das as qulidades de carros e espera que conti-
nueui como d'antes honrar-lhe com a sua con-
flanea. ___________
_.\'o lio) 'I Dous Amigos precisa-sede v.n me-
nino intclligetite de 12 a 14 annos ipiem tiver
dirija-se a ruada matriz da Boa-Vista n. 8.
Emiliano Ernesto de Mello Tamborim e sa mu-
Iher D. Tlu;reza Augusta l.ins de Mello Tnnibo-
i-ini eonvidain aos seus prenles o amigos a as-
sislirem a urna missa que mandain celatirai* na
igreja da Santa Cruz, sabbado 6 do correnta as 7
I|2 horas da inaiiliaa. pelo repouso eterno de-en
presado irma e cunhado o major Dr. Secundine
l'cialiawo de Mello Tamhwim fallerido no Para-
guay a 13 de Janeiro lindo.
Offiu'oce-se um rapaz para caixeiro de taber-
na on para tomar conta. que para isso lem las-
lante pratica : quem prensar armniicie ou deixe
carta fechada com a iniciaos A D nesta typogra-
phki.
AMA
Precisa-se de uma ama para lodo servido de
urna casa de pouca l'.imili.-i : na ra da Viacao
n. I.
Garaelleira,
Instruccao primaria.
0 professor pobh'co de Gamelleira das 3
lioras da tarde em diante, dos dias uteis,
presta-se a leccionar particularmente as
materia^ de que faz parte a insliuccao pri-
maria : quem de seu prestimo se quiser
utilisar trate como mesmo no dito povoado.
aarf aiiMjjmm
VERD.1QKR0 LE HOY
del Dudar SISII9BET, aiceSucetcr,
on -' \ R *.
.1 tilos
r-.-'
me liol tles-
IwruJo l.i i odicia
- E :..
-
i mira I.e I
'' :rn;-reoi n-rrMMil..-^
rz n f-,:::,< ftHrici rt nardla
3 ... .., ;.i,:.-'.. a Ll lioi r la mu,
noabr SIGKOftatX
in i* iiisMt m*m mi mu.
.Sotan c axtin. abajaJaHaaaal
l*iHerttaeRo 1'imacii CarTm
i" aada
py cveDe d ia I
' mi r-rn!o aakaajfti cea
ctwiM hil oaim
raNCts.
l'T-r lo h nTio de on vlr
I de 500 francos atapUab so-
bre l'sris LoDdres. se uace
el mayor dascueolo posible.
0 oleo ie figado de laca,hau desinfectado ferruginoso ie
Chetrier constitue o melhor meio de administrar o ferro. O
ioduro de ferro reunido com o oleo de figado de-baealhau, aug-
menta a aeco to eficaz d'este ultimo, se dissolve mais fcil-
mente nos lquidos das vias digestivas, se assimila muito mais
bem do que quando 6 tomado sob a forma de pilulas, xaro-
pes, etc., enfim perde suas propriedades ritantes e nao pro-
voca a constipaedo.
As pessoas as mais delicadas que uo podem supportar as
preparacoes ferruginosas ordinarias, as quaes, principalmente
nos paizesquentes, temmuitasvezes grandes inconvenientes,
podero com a nova descoberta do Snr. Chevrier, usar do ferro,
um dos mais poderosos agentes thurapeuticos, tomaudo-o
unido ao oleo de figado de bacalhau.
0 oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chevrier, se emprega em todos os casos que o ferro acon-
eelhado; julgainos intil de os enumerar.
e oiiiem as obaiorvacdeM inc todas as boas pbarmacias de Franca e do estrangeiro.
.-
CURA DOS CALLOS.
PKI.A
Pomada galoupeau.
Deposite esp.'cial
. Pharmacia de Bartholomep & C.
34------Ra larga do Rosario------34.
.DONIClS das CRIANCAS
XAROPE de RBANO 10DADO
Df: GRJMAULT e: CA. PHARWACEUticos em PARS
Este merticamrnio goza em Pars e no mundo inleiro de una fama justamente merecida, por
achar-se intimamente combinado nejlc o iodo com o sueco das plantas antiscorbulicas, cuja efficacia
A bem conherida e as quaes ja nalriralmente existe o iodo. E com este motivo que elle suppre
com vantagem o Oleo de figados d Dacalho, que deve, secundo os homens cientficos, a sua
efiieacia presenc-a do ioiio. E' preciosa no trauunento das crianzas para combater o lymphalismo,
asohsirucgoes das glndulas do pscoco, e as diversas erupcoes do rosto, Uto frecuentes as
criancas de pouca idade. Tnico e depurativo ao mesmo lempo, elle excita o appetite, facilita a
dige.Mio, o restilii' aos treidor- a sua firmeza e vigor aaturaes. II' cada dia receitado pelos mdicos
especialistas para combater as diversas affeccScsda pelle.
n-posiio em Pernamlntco. em casa de Manrcr C
^stBr&S'SS'^Si.'af
Pilnlas assncaradas k Biislol.
NAO CO.NTKM NEM CAI.OMKI.A.NOS KEM MRMCTi
nono MIMIIIAL.
A glande necssidade e falla de um ca-
. lliartico ou de una medicina piirgaHva, ha
muito que lem sido sentida, tanto pelo po-
yo, como mesmo por meio da faculdade
medica; e por aso* infinit 6 o gosto e
prazer que sentimos, em podemos com
toda a i'ui]liaiu;.ii'si'|.uiiiilaili'. ivnninieiular
as lihilas rci/rlors assucrirarias de iiislol,
como una encllente medicina purgativa, a
qtial encerrl m si todfas as partes e mais
ingredientes cssenriaos. loinaiulii-se em um
perfeito, segara a agradavel catbartico de
familia. Este remedio nao composto
ilessas drogas orrtmariamente usadas na
composican dessaa pululas, que por ah se
vendem, mas sim. san prepanas com as
mais linas e superiores qulidades de rai/.es
medicinaes, nervas e plantas, depois de se
lll'll tllillllllllltfi i'xlrahido e separado,
os principios activos, ou aquellas partes
que contem o verdadeiro valor medicinal,
aquellas porcSee fibrosas inertes e agres-
tes inleiaiiaiMite desliluidas da menor virlu-
de. Entre esses agentes activos ou ingre-
dientes especilicos. podemos Bornear a po-
dophutiiH, a qual segundo a experiencia
tem demonstrado, possue um poder D mais
maravUnoso possivel sobra as regiSej do
(r/ado, assim como sobre tedas as secro-
rTu-s biliosas. Isto de comhinaco como
tepkmrin, e mais alguns atrastes vege-
taes e rOgAS altamente valiosas, ronsti-
tiiein e formam uma pilla purgativa, tor-
aando-se por isso muttissime superior,
qualquer una ontra medicina da mesma
natureza, que jamis foca aorasentade ao
puhlirn. As pituita vegettm MMWNuIat
de liiisinl. ai-liar-se-lio sempre uin reme-
dio prompto, seguid e eminentemente elli-
iaz. para a COW de molestias, taes cuirtu
sejam as segifinlse.
,0 'aanajg ap essa la i03nqiumuj tua opsoday
'jBJsdsa ujo2e| as uaunu sopti[nsoj
Doq so 'staogjip no sb3uo| seouaosoieAuoo sb 'sen
-sa[oiu SB]3d 'oqiaqBJi 0|jd oppajqodtua Bisa anSnBn
ofna sBossad sb sbpoi b hibauos o 'ogisolp b a.iajo.\B|
'ainaddu o Bipta 'uiijuig SBsoinjojasa no sc.iiu:t|d
-ai'X[ sBpi,||Bd'sE5iiBiJDsB ossoaons moa opcvoajjp o
'oscnjisuouj BBitpaBj atiJBinSoa 'steiiafns sozoa asas)
ogisa SBJoqnas sb sdsnb sb 'eji|j io.)na| Bpid no biui
-OOB B|d SBpEipsnS SiaAB.I3|01Ul OjBU101S,P SOJpp SB
jaaojBddesap aiuaueptdEj ze 'sopipaad no sopBJaqe
souliauud snas so oiIjo.i ob Jinp.saj a SEumaui sep
01UDUII.\|0.\u9S.ip O JBV|pej '8Bp!||Bd S3JQ0 SE jB.ino
saad 'sijb^ ap soiaupsip sum aoajpt ui so|od opridops
43 on3aES op soin.iuin|o saedpnud sop tun 'o.u3 o 9
'Biauaiiaoxa jod oainoj o o anb 'vutnb xs aunaj oiuaui
-BDipaui a]sa '[o\bpbj3p a epiduiii nujpi san qo^
Dyspepsia, ou indi-
gssHk),
Vdstringencia, ou..
prisao do ventre
habitual,
Azia do estomago e
llalulencia,
Perda do apelde,
Estomago sujo,
llydropcsia dos mem-
bros eu do cono,
AffeccOes do ligado.
Ictericia.
Hemoirodias.
Man hlito, e irregu-
laridades do sexo
femenino,
Dores de cabera.
Em todas as moleslias que derivan a
sna origem da inassa do sangoe: a tatsa-
parrtbm ie Brittol esse melbor de lodos
os purificadores deve ser tomado conjun-
tamente com as pilulas. pois que estas
diias medicinas, loado miIo cxpressaiiienlr
preparadas para obraren de harmona uma
com a oulra, quandiilirliiiciiie aasimse faz.
nao nos resta a menor ruvida em dizer.
que nomaior numero dos casos, podemos
uiliaiicar nao s um grande alivio, como
tambem urna cura piompta e radical, isto
est bem visto, quando o doente nao s<'
acbe n'um estado muito alm dos recursos
humanos.
> esquina
[da ra larga do
Rosario.
m^UA DI] LTOM^S
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortimento sem igual,
e vende por pretjos que nenhuma outra casa pode vender.
vista da qualidade e do prepo das joias cada um pder-se-ha convencer daverdade.
Gaa^nte-se ser tudo de lei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por presos muito ele-
vados. : ;*
A-loja est aberta at & 9 horas da nottte.
esquina
da ra largado]
Rosario.


***
Diario de Peruambuco rSabbatlo 6 de Feveareiro de *Q89.
J. Ferrelra Villela.
Photographo da casa impera
premiado em diversas exposi-
(*des.
Na sua photographia ra do Cabug n.
18, entrada pelo pateo da matriz tira retra-
tos por todos os systemas photographicos.
Em porcelana Em vidro
Em talco Km papel
CART ES DE VISITA A 9 A DUZIA.
Os retratos- carte-dc-visite sao collados
cm cartao de luxo brisW ou porcelana
dourados ou lithograpliados, quadrilongo;.
ou vinhetas para o que existe urna varieda-
de de 1 i modelos a escolha de quem se re-
tratar. Para as outras especies de retratos
temos caixinhas, jwse-par-touts, quadro;
e molduras doaradas e pretas cassoletas de
ouro e allinetes simples e com pedras pre-
ciosas, havendo nos alfmetes urna mimosa
variedade de feitios.
0 nosso estabelecimento photograpbico
est sempre em dia com os melhoramc-jitns
e progressos que na America do Norte, na
Europa ou no Rio de Janeiro sceousegue
na arte photographica, c para alcncennos
tal fim nunca pou|)amos despezas nem sa-
crilicios, de sorte que os nossos numerosos
fregueses podan ter a certeza de que sem-
pije encontrarao em nosso cstahelecimentc
tudo quanto a arte c a moda olTerccer de
bom no novo e velho mundo aos amantes
da photograpbia.
Joaquim Jos G en-
calves Beltro
RA DO TRAPICHE N. 17, i. ANDAR.
Saeea por todos os paquetes sobre o Ban-
co do Minbo, em Braga, e sobre os seguin-
tes logares em Portugal:
Lisboa.
Borlo.
Valonea.
Guimares.
Cuimbra.
Cbaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do CaSteflo.
Ponte do Lima.
Villa Rea!.
Villa-Nova de FamalieSo.
Lamego.
Lagos.
GovUhaa.
Vassal (Valpassos).
Mirandclla.
B'.'ja.
Barcellns.
ADVOCADO
*0 bacharaj J. Franklin da S. Tavora
4 Io andar.
Eusino de arltluiietica, algebra <
geometra.
O backarol Mu iiiri'iiii GMomiroBo' s Godinhn
de Assis, ensilla estas materias no p meiro andar
da casa. 17, sita na ra Nova, da.- 7 i/2 as 8/2
lloras da mauliaa aos senhores estudan que de-
sejain fazer exame no rollego das arles, e ua& 7
1/ as 9 da uoite aos senhores empregados uu coi.
merciq.
Trocam-se
as notas do banco do Rrastt e das raixas filiaes
com descont muito razoavel : na praca da Inde-
pendencia n. 2. ___'
fTElAO
Na roa estreita do Rosario, sobrado de nm an-
dar u, 85, alugam-se ricos vestuarios bordados ;
ouro o iaa, novos, de muito posto, dminos de sed;
e de tila, todos de gosto e bordados de wlludo, pan
vender-so, e faz-se para qualquer peana que quei-
ra mandar (azor a gosto e a carcter de qualquer
UfNirinn,tem un grandesortiniento de dominse
vestuarios do principe, tudo em muito lx>m estado
liara alugar a cada domin e vestuario, e par;
vender por muito barato prceo, tem rosas par;,
enfeitar qualquer vestuario pVoprio para o car-
naval.
GRANDE HOTEL
BE MU
Inaugurou-sc este commodo e elegante
estabelecimento ronde os sems frequenta-
dores poderlo apreciar a espeeialidade na
confecclio dos gneros alimenticios.
As bebidas sao as mais primorosas e re-
commendadas.
A decencia e bom servigo primara n'esta
casa no bello gosto oriental.
Mandam-se a domicilio comodonas, tanto
avulso, como por assignatura mensal. Os
preces sao, mdicos e convencionaes.
Ha urna espacosa c bonita sala para o
elegante jogo de billiar.
I la tambem aposentos commmodos e bem
mobilbados para hospedagem.
Ba larga doBosario
n. 44.
PARA A BOA CONSERVACO
de
VOSSO CABELLO
usai do
m 8!yiti
Ama
Precisa-se de una ama para eozinhar e com-
prar, prefcrindo-seescrava : na roa do Livramen-
to n. i, toja.
Casa para alugar.
Aluga-se no lim da roa da Aurora urna boa
casa constando de andar terreo, primeiro an-
dar, solea e um mirante no centro, com c.niiuio-
dos para erande familia, aehando-se a memas
casa toda Iluminada a gaz eeom eanno desotec
com bom quintal e eocfieira : os pretendentesone
desejarem urna boa inorada dirijani-se a ra No-
va n. 20, que acharan com qneni tratar.
BARTHOLOMEU 8: C.
I
-PARA USO INTERNO
PREPARADOS SIMPLES
Xaropc de jurubeba garrafa. I $000
Vinho dejurubeba gnala. l-stl)
Pitlas de jurubeba vidro. 14009
Tintura de jurubeba vidro. (540
Extracto ftfdraeooco de jurubeba. l^uOG
PltKPAtlADOS COMPOSTOS.
Vinho de jurubeba ferruginoso garrafa. 24000
Xarope de jurubeba ferruginoso garrafa. I (500
Pilulas de jurubeba ferruginosa vidro. 2*000
Oleo de jurubeba vidros. GiO
Pomada de jurubeba pote 640
Emplastro de jurubeba libra. 2)500
PARA USO EXTERNO
i JURUBEBA.
Esta planta hoje reconbecida como o mais poderoso toweo, como um esael-
lente desebstruente, e como tal appcada nos engorgitamentos do gado e baco, nns
hepatites propriamente ditas, ou ainda complicadas com anazarc'has, as inttlammc5es
subsequentes as febres intermitentes ou durezas, nos abeessos intentos, nos tpmores es-
pecialmente do tero c abdomen, nos tumores glandulosos, na anazareha, as hodrope-
zias,crysipcllas ; e associada as preparaces ferruginosas, ainda. de grande vantagem
as anemias, .chloroses, faltas de menstruaco, leueorriieias, desarranjos atnicos do
estomago; .debidade orgnica e pobreza de sangue, e$c.
O que dizemos afGrmam os mais distinctos mdicos desta cidade, entre os
quaes podernos citar os Illms. Srs. Dr. Silva Ramos, Aquino Fonseca, Sarment, Seve,
IVreira rio Carmo, Firmo Xavier, Silva etc. Todos elles reconbecema excedencia Peste
poderoso medicamento sobre os dentis at boje conhecidos para todos os casos citados,
tanto que todos os dias fazem d'elle applicaco.
A presentando aos mdicos e ao publico emgeral diversos preparad js da juru-
beba, tivemo6 por fim generalisar mais o uso dreste vegetal, fazendo desaparecer a
repugnancia que at hoje sentiam os doenles de usar dos preparados empine s d'elle, e
mais das vezes repugnantes a (ragarem-se, e que tinham ainda a desvantaget i de nao
ser calculada a duse conveniente a applicar-se, o que torna umitas vezes imptoficuo um
medicamento, que poderia produzir ptimos resultados.
Os nossos preparados s foram apresentados depois de bavermos conveniente-
mente estudado a jurubeba, fazendo as experiencias precisas para bem conhecer aspro-
priedades medicamentosas d*esta planta em sitas raizes, folltas, fructas ou bagas, ea
dose conveniente a applicaco, teado alm disto procurado levar os nossos preparados
ao maior grao de perfeico possivel, para o que nao poupamos esforcos, nao nos im-
portando o pouco lucro que posanos tirar.
Por tanto os que se dignarem recorrer aos nossos preparados podem ter a
certeza de que elles offerecem a garanta, de que se pode encontrar, a prompta e infalli-
velcura de qualquer dos sollrimcntos, que deixamos innumerados, se forem em tempo
applicados, tonda alm d'sso, medico eu lente a vantagem de escolber as nossas va-
riadas preparaces, aquella que mellior llie poileconvir, j pela fcil applicaco, e ja pela
eomplicaclo las molestias, idade, sexo, ou ainda natureza de cada individuo. I
As nossas preparaces ferruginosas sao feitas de forma que se tornam comple-
tamente soluveis nos suecos gstricos, porque procuramos oscompostos de ferro que
como taes esto boje reeoubecidos.
Para aipielles que mais minociosaineute qtieiram conhecer as propridades da
jurubeba, e saberem a applicaco de nossos proparados, destribuimos gratuitamente
em nosso deposito um folheto, onde tratamos mais extensamente d'esta plaiitt e dos
mesm s preparados.
Deposito geral de todos os preparados
Rollcaedrosaria
U,
Do xat^pe Vegetal tniej&'auo. e^peelalhlaile le Uarllioloneu 1 <
:Ji--RL'A LARGADO ROS.UtlO31
Nao-0(*stornamos proour.ir attestados para acreditar possos preparados, e dei-
xamos que sua applicaco e os resultados obtidos pelas fiessoas pie se dignaram acceita-
los, lliesdoem oivdito e voga; poique sao sempre os attestados considerados gratuitos,
e delles^roe IsaeamSo orluirJatanismo; mas, nao quejendo olender as pessoas que'
espontneamente nos ofierecemn os que abaixo vio transcriptos, os fzemos publicar,
manifcstantlcwlhefi nossa gratidoj)ela atteocSo, esperando que venham elles coiToborar
o concert, aoaeta;o que-lera merecido nosso xarope.
UartholoniPU C.
ATTKSTADOS
Iitais. Sis. Bartholomea C. com a mais subida satisfaco que declaro
ser o xar)pe Americano de urna dlicacia extraordinaria, pois que soffrenda ha dias de
intensa tose, ponto le nao ,potcr dormir a noite a despeito mesmo de medicamentos
que tomava, a etterecorr e nattireeira colher fui alliviado, ede todo me aeho hoje res-
tabelecido com o so somente de.quasimeio frasco: grato, pois/ esse resultado mani-
fest a Vv. Ss. neu roronhecimeato.Do Vv. Ss. amigo, venerador e obrigado.Ma-
noel Antonio Viegas Jnior.
Sua casa 20 le abril de 1868.
Illms. tv. Bartholomeu A CPenhoradissimo com o favor qu me fizeram
de aconselliar o use lo xarope Vegetal Americano, de sua composico, quaado me acha-
ra bastante doente de urna constiparo, que me tornou completamente rouco e que
trouxe urna forte toiee, e me mwossibiltou le cumprir os meus deveres le cantor da
empreza tona, vou agradecer-llies met completo restabelecimento, que obtive com um
so vidro do mesmo xarope, depois de baver recorrido a muitos tratamentos. Desejarei
que outros como en reeomm ao seu xarojK! para se reren alliviados de to terrhel
tucommodo, to fatal ueste paiz. Com mair consideraco contino a ser de Vv. Ss.
atiento, venerador c obligado.Luiz Cremona.
Recife, 2.*i de setembro de 1868.
Illms. Srs. Bartholomeu CO xarope Vegetal Americano que Vv. Ss. teem
exp%to a venda e ie toda eficacia para o curativo d'astlima, conforme observei appli-
caiMo-o a meu tubo Joaquim, menor de qtiatro amos; victima d'esse flagello, que at
cnto por espado excedente a dous annos havia resistido a outros xaropes de grande
nomeada. Quciram, pote, Vv. Ss. acceitar a expressao altameste sincera de meu reco-
nheeimento ao meritorio Service que Ihe prestaram com o indicado xarope. acreditan-
do-me para sempre de Vv. Ss. criado, atiento e obligado. Americo Netto de Mendonca
Recife, 2 deotitubro de 1808.
DE
DE
J. YIGNES
N. 55RA DO IMPERADORN. :io.
31Ra larga do Rosario-
Aluga-se
timaosorava que faz eom pcrfci;ao toilo servido
de tima casa ile familia : a tratar na ra larga
Jo Rosario n. :'t, botica.
DOENCAS DO PEITOlt
XABOPE D'HYPQPHOSPHITO de CAL
Elle um preventivo seguro e certo contra }
a calvice,
lle da e restaura forra e sanidade a pello
da cabera,
Elle de prompto fazcessaraqueda prema-
tura dos cabellos.
Elle la grande riqueza de lustro aos ca-
bellos,
Elle doma e faz preservar os cabellos em
qualquer lumia e posiejo que se deseje
^ ifum estado formoso, liso e macJo,
El!'- faz crescer os cabellos bastos e com-
andos,
Elle conserva a pelle e o casco da cabeca
liuipo e livre le tuda a especie de caspa,
Elle previne os cabellos le se tornaron)
brincos,
Elle conserva a cabera n'um estado de fres-
_ cura refrigerante e agradare!,
Elle nau demasiadamente oleoso, gordu-
rento oo pegadico,
Elle nao deka o menor cheiro desagra-
davel,
Elle o memofartigo para os cabellos das
enancas,
Elle c o melhor e o mais aprasivel artigo
paca boa conservaco c arranjo dos ca-
bellos das senhoras,
Elle o nico artigo proprio pan o pon-
teado dos cabellos e baritas dos senho-
res,
Nenhiiiii toucador de senhora se pode con-
siderar como completo sem o
Vnico Oriental
o qual preserva, limpa, fortifica e aformosea
O CARELO.
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
\. Caors, I. da C. Bravo & C. P. Maurer
dC,M. Barbosa, Bartholomeu (]., e em
todas as principaes hijas de perfumaras
! boticas,
liMiliWiMsS MlDISii ^fllilM! loSl
Aos 500 pares de brincos. I
[ Chegou e vende-se no Cora;ao ^
d'Ouro, ra do Cabug, brincos.le
[ miosmlias com una franja penden- n
I le a-um rico desenlio e ouro de ^
; le, pelo pequeo preco de lo-">000 S
i cada par. 6 baratissimo.
aracaoetube]ecida desde 1857, pelos mais celebres mdicos. Desde
militas ImitacoWNam sido feitas, mas nenhuma poude sustentar a comparacao com o
apreseniado pela nossa caza. Por isso excitamos o publico para que exiga sempre
ppe cora urna bella cor de rdsa, nunca branca, e com a nosa assignatura roda do
ent
prod
esle
frase
Sgkt sua influencia, a tosse acalma-se,ossuores nocturnos cesso e o doente volve rapida-
mea| i sade. 0 seu emprego d tambera os mais brilhanies resultados nos defluxos, catar-
rhof, Ijronchites, irriuicoes do pciio. ele.
Dtposito em Pirnambuco. em casa de Maurer e O'
Preeisa-se alagar urna casa terrea ou de um
andar em fiaakperbaiiTo desta tdade, preere-
se o de Santo Antonio ou S. Josl, temi a musma
asa bom quintal, sendo a frente para o naseente
ou norte, e na taita qualquer sitio rao seja pello
lo trem urbano em qualquer loealidade, tendo
boa agoa ou rio : procure a tratar na ra da Au-
rora ii. 7 i.
-\o silio n. 1 da Passagem, vende-.se tuna
osera va de meia idade.
Procisa-se le um traballiador capaz para
tratar de un pequeo sitio, prefere-se casado : a
tratar na ra Nova n. t'J, 1" andar.
JfcUUIiNMJIU
^'?'?a0 nacional, na fabrica de Jos Vicente
'odinflo 4 C, ra do Jardim n. 10, avisam aos
;eus jjregai'/.. s desta capital e do interior, qu con-
nltoas ftelbores coiidiaies, tanto em preco orno
;ni 7]naiidade. ment cltamam a attencao dos senhores consumi-
iores do interior, que "os quizerem honrar com
*ua frejrnezia, especil.cando em seus pedidos a
|HaIidade e numeraijan, olTerccendo-sc para os en-
tregar bem acondicionados em casa de seus cor-
respondentes neata pra a.
Lagdo para calcadas
A tratar na ra do ApoDo n. 4, escriptorio.
MARTIMOS
E
tmiRAFOGO.
A Companliia Indemnisadora, estabelecind S
tiesta praca, toma seguros martimos sobre]
navios e seus carregamentos e contra fogo |
em edificios, mercadorias c mobilias: aa'
ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Aluga-se
Huma casa com bastantes cominodos na
ciliado Nova de S. Amaro: a tratar com An-
tonio Jos Gomes em S. Amaro, das 6 horas
d maanhas 8, e dasen diante.
ESCRIPTORIO DE ADVOCACIA
| t-Ba larga do Rosario2G .
O arivogario bacharel Avies de
m
LASA DA FOKR VI
Aos 4:000^
Bilhetes garantidos.
A na lo Crespo n. 23 e casas do costme.
O abaixo assignado tendo vendido nos seu
muito felizes bilhetes garantidos 2 quartos n. 422(
com a sorte de i:000 ; t quarto n. 28H8 com a
s.irtc de 700* o outras nanitas sortes de lOO, 40
e 20 ila lotera que se acabou de extrahir en
beneficio da igreja de Nossa Senhora do Terc
(98), convida aos possuidores a virem receber seu>
respectivos premios sem os descontos das ltis na
casa da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 8" parte la lotera cu
beneficio do patrimonio dos orphaos (i.*) que si
extrahir sabbadoCdo correnie mer.
Precos. '
Bilhete.....4 000
Meio.....2000
Qnarto.....1.5000
Em porcae de 100 para cima
Bilhete.....33500
Meio......17*0
Wuarto..... 87
Manoel Marllns Finza.
m? o hachare
os que tem apparecido nesta praca; possnindo um tecladoemachinismo que obedecen
todas as vontades e caprichos das pianistas, sem nunca ralbar, por seren fabricadas
de proposito c ter-se feito ltimamente melhoramentos iinportantissimos para o clima
deste paiz; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas e por isso omito agradareis aos
ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como nado Sr. Blon-
del, dos em todas as exposi;es.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um esplendido e variado sorti-
mento de msicas dos melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos
harmnicos, sendo tudo vendido por precos commodos e razoaveis.
RA LARGA DO ROSARIO \. 37
Este acreditado estabelecimento augmenta
de dia em dia quanto possivel para chc-
gar ao cume do bem vi ver.
Alm dos saboreaos manjares confeccio-
nados com o mellior asseio. tem bellos apo-
0
CIIAMTERIA E PETIT RESTAIRWT
Annexos ao Hotel Central, ra estreita
Rosario n. i A, andar terreo.
Para dar a conhecer a variedade infinita
de charutos de Havana, Babia, Rio, etc. me
exstem neste novo estabelecimento pres-
sentos de hospedagem, tanto para urna s.cindimos dos annuncios pomposos que ge-
pessoa, como para numerosa familia. | ramente se fazem, reduzindo-nos apenas
A agua, indispensayel elemento para a tres letras que sao tres bbb bom, bonito e
vida e hygiene, temo-la sempre em abun- barato. A' vista do genero annunciado po-
dancia para facilitar excedentes banhos. le-se julgar de nossa veracidade. Esta casa
Ha lambem urna boa bibliotheca e perio- gosa tanihetn das condieOes de um elegante
dicos nacionaes e estrangeiios, piano para e peiit mtauremt onde se pode ver a es-
recreio, buhares, etc. etc. pecialidade dos fiambres e salames de Lion
Sendo ociosa qualquer reeommenriarao para lanches e at fazer urna boa rolarn,
para to acreditado estabelecimento, omit- juntamente com os principaes vinlms'.!.
timos mais prembulos, fazendo ver por mercado, sobresahindo entre o bom a pura
fim, me o bom servi'co, ordem e moralida- e fervente champagne, o mui saboroso Rbc-
de imperam n'esta casa, como observancia no, a primorosa cerneja, o licor espirituoso,
fiel do res-ulamento que possue. o quanto pede urna mesa. Faz-se noute
Comodonas a la caite. soneto e variedade de refrescos.
5fUU rjums==S35==ing===^
EFFICACIA
DO
ME
Joo (ioncalves
da
Gymnasio provincial.
De ordem do Illm. Sr. Dr. regedor se faz publica
para conhecmento do corpo eathedratic* e dos
lilis dos alumnos, ou qnem os representa, que a
ahertnra solemne do anuo lectivo tica transferida
liara o dia 11 do corrente as 10 horas da manhaa
Secretaria do Gymnasio 1" de fevereiro de 4869.
O secretario,
Antonio da Assumpcao Cabral.
t'P$uo
Portaran! do engento Simao da freguezia da
Kscada, no da 2 para 3 de fevereiro um cavallo
pedrez, pequeo, bota a clna a esquerda, intei-
o e bem novo, tem um bai\o obligado, tem duas
sobre-cana* pequeas e e to quemadas de novo,
esta bt-iii ferrado, de novo, eujo ierro o nomc de
seavwdadeUo dono Jote nelarmino Pereira de
.Mello, o ferro auutano caliio a easca : quem der
noticia do dito cavaBo ou embarga-lo, dinja-sc ao
riHismo engimho, ou nesta praca i-rna AugusU n
. que sera recumneiiaado.
(lollc^io de S. Francisco Xavier
Estabefcido na grande e bem arejaria casa
onde estove o Gymnasio, na ra lo los-
picio n. 32, dirigido pelos padres da
companhia le Jess.
O reverendo padre director daste collegio scicn-
tifiea aos pais de seus alumnos edos domis que
quizerem conliar-lhe a educaco de seus (ilhos.
que no da 3 de fevereiro comcaro a fuccionar
todas as aulas, achando-se abertas j as matri-
culas. Recebem-se meuinos de 6 a 12 annos
liara seren instruidos as materias preparatorias
das facilidades do imperio, a saber, primeiras le-
tras e lingoa nacional, geographia e historia, ari-
thmetica e geometra, inglez, francez, (da-se infe-
rior c superior), latim, da-se intima, media e su-
prema, isso a pratica da prosa e da poesa), c
linalmente humanidades ou a introdnecao rheto-
rca, que comprehende os tratados do estylo e da
elocu;oquer em prosa quer em poesa as duas
lingoas latina a nacional. A msica para canto-
na e para todos os iustrumentos de sopro e cor-
das, assim como as lingoas allemaa, italiano, gre-
ga, ebraica scro i-nsinadas pedido dos seuhoros
pas.
Alboquerque (ama tornou a abrir
o seu escriptorio na ra larga do
Rosario n. 0: onde pode ser pro-
cuVaiio, qualquer hura, para Id-
dos os misteres da sua prolisso.
Eng-ommadeira.
_ l'n'ris.i-se de urna mulhcr que engommc per*
(bitamente : a lr,it.ir na ra da-Cruz n. i", seg n
lo andar.
Silva Montarroyos, pode s^t pro-
curado para os misteres de sua
proussao,
ii. It).
na ra do Imperador
XAROPE DE RBANO IODADO
Precisa-se
O cirurgi3o-mr lo corpo da
,io ite po
licia, Joaquim Jos Alves d'Al-
huquerque ten o seu consultorio
na ra do Livramento, 1. andar
da casa n. 17, onde pode ser pro-
curado.

!fflt::Njt|i
I'recisa-se de um moleque de 12 a 14 annos
para servico externo : na ra ireita n. 79, laja.
Precisa-se de tundidores
ca da ra do Briim n. 54.
e ierro : n labri-
Ama
De una ama para casa de pouca familia que
saiba cosnliar e comprar : na ra do Livramento
n. 36, 2 andar.
HaVaHBH
Manuel herrara Pinto. Manoel da Hucha Pinto.
Joaquim Soares Nevos, Jos Soares Neves e Joi|)
Teixera da Rocha cordealmente agradecem aos
seos amigos e mais iies-oas que sa dignaram fa-
zer-lhes o .-aridoso obsequio de assistir aos lti-
mos sulTragios e acompanhar ao cemiterio o ca-
dver do seu presado sobrinbo, irmao e primo
Antonio Ferrera Gomes, e de novo convidam as
mesnias pessoas e aos seus e amigos do finado, a
assistir a una missa que por alma do mesmo
mandain celebrar na igreja do Espirito Santo,
sabbado i do corrente aa 7 horas da manhaa,
Dlo que desde j se confi ssam eternamente gratos.
u=^v
1S!@I
Ana
Qflerece-se urna mulher para ama de ca=a d.c
familia ou rapaz solteiro : a tratar no becco do
Ouviilor. casa de alfaiate.
~13TEQA(r
Pede-se a quem aehou quatro chaves que fica-
ram perdidas na ;sta;ao, no Recife : podem en-
li'.gar na ra do Queimado n. H.
Ama
Precsa-se de una ama para o servico interno
externo de una casa de urna s pessoa : a tratai
na ra do Rangel n. 33, Io andan
aniel t;. Hamos, Joo Hamos e Francisco ..
Paula Hamos, pedem aos seus amigos o piedosn
obsequio de assstireiri a urna missa que no dia ti
io corrente pelas 8 horas da manhaa mandam ce-
lebrar na matriz de Sanio Antonio pelo eterno
repens de sen iraio major Joaquim Francisco
Ramos, iiiorlo ltimamente na campanha do Pa-
-ay.e antecipam os siis asradecimentos.
Precisa-se alugar urna escrava para o servico
interno de casa de pouca familia : na na das
Vuz n. 66, i" andar.
Precisa-se alugar, para o servico ex-
trno de urna casa, urna preta e um preto,
'scravos, n5o se exigiiido que tenham ha-
bilidades, a tratar na ra do Crespo n. 8.
Molequinho.
Precsase de um molequinho de 8 a 10 annos
pam entreter duas enancas e acompanha-las:
fjiem tver para alugar, dirija-se 40 hotel central,
juuk a igreja do Rosario.
Na ra do Torres n. 16, andar, precsa-se
de urna ama que cosinhe e engomme para urna
PCS90,r_________________________^__ Jos Marcos unes-IJeirort, cunvtd;
A FRAGATA AMAZONAS a.mW*> ao "laranbeuses e amigos de Jos Roque
roga aquelles de seus devedores que teem contas', "'va> teiiente da armada imperiai fallecido
atrasadas com amesma, o especialmente aquel les j a PI)UC0 no Paragugy, a.issstirem a urna missa
menos zelosos, a cujas casas teem do de balde os i<|U! P6'? dpscailC do sua a[ma manda rezar na
caixeiros cobranza um cfm numero de vezes,
que se dgnem vir saldar ditas contas, pois im-
possivel continuar a ter um caixeiro empregado
em cobranzas dessa ordem : nao .0 fazendo ver-
se-ha a Fragata xmstrangida a entregar as ditas
contas a quem as cobre judicialmente, pois-que
precisando muito de dihheiro, a seus devedo-
res a quem deve recorrer. Este annuncio s se.
deve entender eom os remissos, e nao cem os hons 114 3 andar. ,
kff1efeL3?5.h?nramaFraata os wes muito 1 preqga.se
matriz de Santo Antonio as 71]2 horas da manhaa
do da (i do crrente, descie j se confessa agra-
decido.
Eseravo fgido.
Fugio em 23 do Janeiro de 1869 o eseravo Ma-
theos, de meia idade, cor preta, falla grossa, be-
xigoso, tem pelas costas cicatrizo de bacalho,
tem urna verruga no canto do nariz, os ps fovei-
ros, corpo regular, tinha sido do Illm. Sr. Agosti-
nho Leocadio Vieira, em Panellas de Miranda, que
ha poucos mezes de l vcio fgido: pede-se as
autoridades e captaes de campo de o pegar e tra-
zerem a seu seohor Josii Cardoso de Sa, na ra da
Lingoeta no Recife 11. 2 : eom* smo protesta con-
tra qualquer pessoa que o tenha aeoutado, e gra-
tiicar beiii a quem o pegar._____________'
Precisa-se de urna boa cosinheira : a tratar
na ra Nova n. 13, loja.
0 Xarope de Rbano iodado de Grimanlt e C, pharmacenticos de S. A. I. o principe
NapoleSo, em Pars, preparado com o sueco das plantas anti-escorbulcas cuia eflcacia
mm popular. '
Encerra o iodo como combinacJo orgnica, e considerado como o melhor succedaneo
do oleo de figado de bacalho.
A rara perfeicio d'este producto anima-nos a dar a conhecer aqni a opiniio de algnns
d entre os pnncipaes mdicos de Pars, que diariamente o prescrevem.
t O Xarope de Rbano iodado nm medicamento d'nm effelo suave e seguro para a
t medicacio dos meninos, nao smente suppre o oleo de figado de bacalho, mas ainda fax
as suas vezes eom vantagem. >
D' A. CAZENAVE, medico em chefe do hospital Saint-Louis, em Pars.
t 0 Xarope de Rbano iodado um medicamento de primeira ordem para o tratamento das
t atteccOes Iymphalicas e escrofulosas. Mulas vezes, empreguei-o com feliz xito, em certos
c casos de tsica ao seu principio, como succedaneo do oleo de figado de bacalho.
D' A. CHARRIER, antigo chefe de citica da t'aculdade de Pars.
0 Xarope de Rbano iodado sempre nos deo exccllcntes resultados como regenerador
do sangue, e succedaneo do oleo de figad de bacalho.
D' A. FAVROT, autor do Trait des maladies des femmes.
0 Xarope de Rbano iodado um dos mais poderosos modificadores das constituicSes
lymphaticas. Tenhe visto ulceras escrofulosas que iada podia curar, cicairizarem-se,
t gracas a sua acedo, com promptdo extraordinaria. Tambem, pelo seu uso desepparecem
as affeccSes tuberculosas dos ossosv nos meninos.
Dr GliESNARO, artigo externo dos hospitaes de Pars.
O Xarope de Rbano iodado possue todas as vaniagcns do oleo de figado de bacalho,
sem ter nenhum dos inconvenientes que aprsenla este ultimo medicamento.
Dr GUIBOtJT, medico dos hospitaes. Presidente da Sociedade de medicina de Pars.
0 Xarope de Rbano iodado de Grimault e C* encerra 1[2 por cento de iodo, na saa
composico orgnica anloga que se acba no oleo de figado de bacalho.
Dr KLETZINSKI, profeuor de chytnica, louvado dos trbunaes de Vienna.
Deposito em Pernambuco, em casa de Manr c.
FRANCA-BRASIL
/
AIR. MERCIER, alfaiate francez, previne ao respeitavel publico e a seus numerosos egue-
res rae, tendo transiendo sua residencia para a ra do Trapiche n. 7, primeiro andar, ah enconii
sempre todas as qualdades de fazendas para trajos de homem, e prepara costumes para montara de.
senhora. Faz tambem obras para militares epara criados, para as quaes tem grande sortimento de
botoes simples, com virola e cora de conde, brancos e amarellos. Recebe por todos os vapores os
ltimos figulinos para homem, senhoras e meninos.
Precisa-se d" una ama para o servtjo de casa
de ponea familia : a tratai na ra do Torres n.'
bem se conhecem.
Precisa-se de um caixeiro com pratica de a-
nerna: a tratar na ra Imperial n, 47.
de una ama para cosinhar: a
tratar, no pateo do Terco n. 63. Na mesma casa
precisa-se alujar um molcjue ou mesmo um preto
de maior idade.
O advOgado Dr. Antonio de Vas-
concellos Menezes de Drummond
transferio o seu escriptorio para a
ra do Imperador n. 20>nde pode
ser procurado todos ojftlias uteis
das 11 horas da manhaa at-as 4 da
tarde, para os misteres de sua pro-
fissao.
PECHINCHA
VESTIDOS A 6:000 RS.
Superiores cortes de gronedine de seda, lisos e de lista.*;,
de muito lindas cores, com 18 a 20 covados o corte,,, pelo baratis-
situ preco^ de 61000 cada um: na loja das columnas, ra do Crespo
n. 13, de "Antonio. Correa de Vasconcellos jr C.



i
1


Diario de Pernambuco Sabbado 6 de Fevereiro de 1869.
.-
i
/
>
. Grande liquidadlo de miudezas!
Alfonso librara Temporal, qucrcndo liquidar as miudezas existentes om sua
loja ra do Queimado n. 3"), resolveu annunciar as mesmas miudezas para que o pu-
blico se certifique do diminuto preco porque as est vendendo, a saber:
Massos com grampos 23 a
Pecas de tranca lisa e caracol a
Sabonetes de todos os nrecos a
80 160 200 e '. .
Abotoaduras para colletes a .
RotSes de louca para camisas, a
Garrafas d'agua Florida (verda-
deira) a. r .
Frascos com' agua de Colonia a
320 e........
Garrafa de tinta roxa a. .
Caixas com 100 enveloppes a.
Mantas de seda para homam a
Fita de sarja para enfeite de
vestidos por......
Frascos com oleo para cabello
a 400 e.......
La para bordar, libra. .
Escovas finas para chapeo a .
Ditas para cabello a 320 e .
Ditas muito finas para fatos
por preco nunca visto 400
300 c........
Pecas de babadose entre meios .
600 809 e .....
Gravatas de seda de cor a .
Ditas pretas a 400 e .
Bico e renda das ilhas a todo
preco. S a vista faz f .
Pecas de fita de coz com 10 va-
ras a
20
40
240
320
100
1.3000
400
800
300
800
000
600
0)800
:20
300
000
1*000
.320
300
Latas com graxa, duzia a 480
Coques muito bous com rede s
a rede val...... lt>500
Meias para homens boa fazenda
a 3*000 e .. ." if>000
Linha de marca", caixa com 10
novellos ,...... 240
Latas com banha (familiia), duzia^ 2 >OO
Frascos com banha a 320 400 Botes para punho fazenda boa
a80e........ 100
Volta de Aljofre cousa boa a 100
Fitas para debrum de vestido a 300
Caixa com agulha franceza a 100
Botaos de ac para coleto dnzia a 120
Carto com allinetes a 160
Caixa com perfumaras muito
fina. S a caixa val 10$000
? 12000 131.000
Copo com opiata muito fino a
400 e....... 300
Meias muito finas para senhora
duzia........ 3>000
CaHas francezas-a 200 e 240
Ditas portuguezas a 120 e 200
Caixa de linha do gaz branca 50
novellos.......
Frasco com tinta- a 100 e .
Franja de la para sapalo (peca)
500 PaiHil de peso muito bom .
Sapatos de tranca e outros muitos artigos, que enfadonho seria mencionar.
BA DO QUEIMADO N. 55
600
100
1-5000
47)OO0
$mMK Sil.
be QtiA6
A aguisi branca tem-se .cito to conheada e
acrcditada.mao so pelas Bondades, variedades, su-
perioridades abundancia te sea sortjaeBlO, tomo
pela constante commodidafte de seos preras, e mes-
mo polo tu assaz e nunca bridado agrado c-wnce-
ridade.
Essas verdades inouitesUivcis sao BOU davida
apreciadas pelo bello sexo em particular, e pelo
reepeitavcl publico era ceral, a tanto teui clisado
qceestaoquasipassaado como annexiin ou pro-
verbio, quaedo se ve ani olijeeto de elegancia,
gosto, novidade, etc., de, Me logoaquelle ob-
jeeto sera d'ivida foi comprado na fctja d'aguia
branca.
Quando no club, nos ludes, ou no salando
Santa Isabel, unta exccllentissima se aprsenla
irarbosa mente (rajando, traendo o moderno cinto
de mui larga fita, lisa, duaulotada, ou scoooort,
as sitas admiradoras dizem emasigo aquell;'. Ua
foi comprada m loja d'aguia branca.
urna a Otilia os agradaveis cm m.'s Unos leos, c cada urna das quaes orgu-
lliosas.'wlo elogio 'do acert de sua eseottia,-e como
que qiirrendo por si mesma justificar dizemimul-
taiieaiwente verdade que osle cheiro fc-eaaipra-
do na b>jh d'aguia branca.
linda atis.
Quanii liontem os pais alllidos sentiaoi.9 rigor
da dentico de seu haro lilliiiilio, e buje alegres e
satiseilos pelo lote restabWocinirnto recnVn as
risicas dos sena melbor amigos, dizem aejaeilea a
estes, foi Deus que uc inspiroujiara qne Hiuiras-
se, como comprei, um desses virtuosos collares
llover, yue se vcudeni na loja d'aguia branca.
.liiu do multo mate que aluda
falta dlzor.
Quando-etii un eimilo de cii-Yttmsnectos ca-rac-
leres M discutir a vera"idade de taes dizeres, -opa-
reeer u outro que qsseira ainda levemente bter-
romper a r.isciissao, es primeirospor momento es-
quecerio a cireunwp&coao e IHcs darao um gra-
cioso rtebique dizendu-lfce:
Escriptorio
Gomos de Mattos tenaos estao com o seu
criptorio aborto na mi do Vigaiio n
dar : ppc-sc a qualquer
de escravo-i.
26, 1" .m
eonsignacao, manos
~^~s abaixo assigiiados fazem seicnteao res-
peilavel publico e especialmente ao corpo do com-
niorcio, que ncta data teem eontrahtdo urna so-
ciedado comncrcial na villa de Mossoro, snt> a ur-
ina de Etelvw, lVro ra & (Junba, rujo gvro ae
commercio a venda e compra de mercadonas e
gneros por nos<.i ron (are pin eonsignacao.
Villa do Moor, 7 de Janeiro de 1869.
Jroquim Mehino Bfzeirn dn (.una.
Jt Thnmaz S/tihIo zeirn da Cuuha.
Aos 8 mil globos
de papel de cores chegados para illumina-
Co dos festejos, preco muito cm conta
e ainda mais sondo em dusia: no armazem
do Vapor Francez ra Nova o. 7. __
~^Trocisa-se para triado, nin pequeo de 10 a
12 annos de idado, d-se preferencia a que seja
esoiavo, o exige-se fkmeade conducta: a roa Di-
reita n- 12, primeiro n odar.
(HAMIi: HOTEL
Pateo da Itibeira n. 9.
Osdonos deste mui acreditado csslabe-
leeimento partecipari ao respcitavol publico
desta heroica ;cidade. que se enearregam
de mandar levar comida etn.casas parti-
culares com -menos 20 %do qne em outra
qualquer parte, garante a decencia' bom
servio, que parafctptem uin bom c^inliL'i-
ro Fumara. _
Feitor
Precisase rom urgencia de um feitor que en-
trala bom de janliin : a tratar no lieif;, travessa
da Madre de rios n. lli.
O Sr. Antonio Francisco Durte queira ppa-
rescr na roa Diroita n. 08, a negocio de seu inte-
resse.
20,000
De gratiflcaqo.
Quem achou na entrada do Parnamerim
um embrulho pequeo, contendo 4caixi-
nhas com botoes de punho e ditas com
de camisa, tudo de ouro, que canica d'um
passageiro que vinha de Appipucos no
trem de 8 horas da manha, no valor de
150#, querendo ter a bondade de entregar
ao chefe da estacao do porto do Capim re-
ceber 20fl de gi-atificaco.
Preeisa-se alugar em um dos arrabaldes pr-
ximos a cidade, um sitio, cuja casa nao tique
face da estrada. Quem tiver algum nes'ascondi-
c5%s, pode dirigir-se a ra do Apollo n 23 ou a
do Ouro n. 30, que adiar com quem tratar^
Prccisa-se de una ama para todo c servico
na ra da Concordia n. 9, padaria.
COMPRAS.
= Compra-se urna armario
tratar na ra Diroita n. 35.
envidr; rada
A aharxo assignada, proessora publica da
Boa-viagem. declara qc dtsta data em dianteas-
signar-se-hFeriannina Palatiua da Silva.
Bccife. 1 de, fevercire de 1869.
FernavUiaa Tal lina de Jess.
Borzer/uis para senhora
indos uclo uliuo vapor : na .pa Direita um-o
ro -".
Com muito maior vantagem
Compra o Corarao de Ouro, n. 2 D, ra do Cabu-
g, moedas de ouro o prata e podras preciosas.
Comprarse escravos
Lino de Paria i C, ua ra do Vicario n. 24, es-
criptorio, andar, comprajn escravos de ambos os
sexos, sendo que. moleques de 14 a 20 annos e bo-
nitas figuras, serao pagos por muito mais dinheiro
do que em outra qualquer parte, J_______
Illuminacao.
m:\ do ckfspo n. k>.
Duarte Pereira & c. i indo recetado pelo
ultimo vapor grande e variado gortmento
Grande qidavrio
0 propnetatio 'anliga fi Ijeiu conhi
loja de miudezas deiMininada Beij.tr
i na do Queimado o. 03, qur ndo acabar
ii sartinento ile'iniudr/.is i(! exi
de baloeide papel de divei-sas qnalidades, I tl,in deliberado prccd( r a urna eompi<
e do mais moderno gusto, proprios para
illuminacao tanto da cidade como do
campo, assini o fazem constar a sous tiumi1-
rozos fregueses e ao respitavel publico,
alim de que com lempo se pivvinam, visto
como atiento aos ltimos successosda guer-
ra se espera a cada momento a fausta no-
ticia de sua conclusito. A illuminacao em
baldes de papel alna de ser linda meooa
dispendiosa possivel, os annunc.iantos vea-
dem-os por procos mui raznaveis,
(inidaco, para o que chamaaattenra) d.
dos.
Os objectos serio vendados por metadl i
seu valor, e para que o publico, nao suppc-
nlia, que o presente annuncio una illus .
oproprietaiioda dita luja, Offerece una p-
<|uena lista de algumasmiud zes, o Ros f ^
diminutosIprecits^como abaixo se vera;
nao presentando urna Bata completa de to-
dos os objectosque estao expostos a%vi i
raz3o de se tornar um anuuncio muito
Ycnde-s .
pola razo de se tornar um annuncio
extenso e por .consequencia de enfadonlia h .-
. tura, pur isso apenas lemita-se as seguintes:^
Duas pas de nurmore muito finas, com florO i)mh ,iP mi,(i.K ,]o inhj rara
em relevo, que pdem servir para igreja, ou para i Un/.ia Ue muJ
cas.is particulares, vonde-se por proco muito com- tazer croch,
modo: ra Nova, escriptorio de Quinleiro & [ Caixa de li
Agr, n. 63.
Eap Gasse e Paulo
Cordeiro
N'o annazem do los Joaquim Lima Bairao, a
ra da Cruz n. IS. tem emsteatemente supriineti- i
lo de rapa Oaase grosao e, fino, e Paulo Cordeice
commum c viajado: nao precisa fazer apologa de
sua exoellente qnalidade, pois ella 6 j de HU*
conhecida, assim como o lugar prop io de sua
venda.
linha com '>0 novellos
i oO c
10
linha de carriteis de
ALTA NOVIDADE
fma casa l educacio de numerosissinsa faini-
lisi. desojando liemkordcnara 4idniini*traso inter-
it externa, precisa de um procurador para ad-
ninistrardoiis sitios<-d versos predios.ctirar alu-
gueis e mensalidades los mocos, e fazer oulios
aegorios: deva residir no rolegio ou ao menos
aiii ter o seu escriptorio.
tteve a|iresentar documentos que jiistifiquem a
sua nioralidade e capa .-idae : de mais um cosi-
nliro bem liabil na sua arte e aeostumado as
grandes familias; de mais um copeiro hafoil para
o arvifid de una numerosa comniunidade; de
mais un bolieiro ue |este-se aos outros servi-
cos ola casa ; de mais dous homens para o servi-
co interno da casa, como varrer, tirar agua, etc.:
deseja-se com especiali lade homens robustos c j
de idade.
Todos aquellos que so jitlgarem nessas coudicoes
podem dar todos os o-cla!>riinentos neeessarios,
para que sejam tomados na divida consifieracio,
na itia do Imperador n. ifi.
ARMAZEM l)W ".AMPOS.
?<) Sr. Jos Marja Alves da Silva lera um em-
brullio rindo do Portugal na ra da lladeian. 1.
-j sttfcemos que V.
olloutissima, nao menos gaF-; um daquolles que indina o chapeo de sol ou |;ie
osto na soertada mereca w.deignado tela aguia branca da ra
osa, mostra o rigor de son bumgosto
oscoma dos enfeitcs de ajta novidade que betu-
mate ornam seu vestido, ainda mesmo as nvaes
de sua sympatla confossaniqueaquclles enteites
roram da loja d'aguia branca.
Quaudo n'oulra excellentissiraa, apezar da n-
gelleza de seu porte agradavel, se vom as bonitas
iuvas de pellica duqueza as anas bellas ami-
gas louviiii-lli'' o gasto e eonfBHM queaquellas
Iuvas foram da bija d'aguia brauca.
Quando uosnie duas exeellenlissiuias, antigs
amigas de oHogin, e encontram naquelles [oca-
es, depois dos eumprimentos de roeiprocos beijos.
ambas por l'orca de ou elevada delicadeza, gabam
do Queimado u. 8.
*o tantas as eousas que por
iiBias scapan as oteiras.
J ia esquooendo a aguia branca, mas em tempo
laMbrou-ae pMa noticiar,-fue receben umape-
ipiMia ipiauUdade de enfeites para coques e gram-
pos jora ditos, tirio feito de metal com lindos e
agroJaveis coloridos, obras sas pela irmeira vez
apii.iroeidas, e pmTtanto inteira novidade.
Taitliem chegaram novamente delicados enfeites
e florea ornada* de aljofares c-vidrilhos,-tanto de
pama ara coques como para vestidos, o tudo
contina a merecer a apreciacao das exeeBaEtissi-
io.-s coobecedoras do iioui.
PEDIDO
Francisco Antonio de C'as-vaSho.t^ V. liqstidatarios da extine-
firma social de Reg & Honra, rogam aos devedores desta, o
obsequio de maudarem satisfazer seas dbitos at o lim do cor-
rente niez. sob pena de seren chamados jn-clalmente ao enin-
prlaiento desse dever.
Kecifc. 5 de fevereiro de fl?5.
Ama
Preotasrae de urna ;
andar.
de leite.
na ra da Pcnha n. 1\, P
AMA
Prefft-e de urna ama pan casa de pe^uoua
familia : na ra do Crispo n. 18, 2" andar.
= Quem -precisar dt urna ma pan cosinhar,
dirja-se a rija das Agots-Verdes, loja n. 44.
Xo onliecjio da (>jncoicao jirecisa-se de um
hornern idoao e aajn familia para oceupar o lugar
de portea.
Proci*a-se de un iaixoiro que tenlta pr tita
de taberna, do 4a 16 anuos, dando fiador de sua
.ondueta. prcoro-se dos ulliinos el legados : na ra
do Caldeireiro n. 94.
Quem precisar de um caixeiro com pratica
de.uiolliados, para foca desta cidade, anniuicie por
este Diario.
Preci.-a-so de una ama
fronte da alfandi'jsan, 4.-
para cosiliar; de-
Caixeiro
omine
Ouro c prata
em nioeda e em obras inutilisadas, compra-se por
lioni jrt-eco : na praga da Independencia n. ii.
Xa praca da Independencia n. 33, loja de ou-
rives, compra-se ouro, prata, e pedras preciosas,e
tambera se. faz qualquer obra e encommenda, e
todo e qualquer concert.________
Compra-se
lioje libras esterlinas, ouro e prata de todas as
nacoes e por maior preco do qne em outra parte :
na ra da Cadeia do ltecife,n. 8, loja do azulejo.
(>ompra-so cobre : na ra do Queimado n.
'49,rival sein segundo.______________j______
Comprarse urna escrava que seja
preta, e que saiba pentear e vestir una
seitora, paga-se bem agradando; ra do
Queimado n. 13, Io andar.
VENDAS.!
AFLOR BOFtMO
s
-
5 2
I*
' s
asa

SC!=.-S
5 S rt
-O re
-o
\
fi
e

ttiti.iou aioi.iv
^.\XERM44^
Loja do Pavao.
GURGUaOES PARA VESTIDOS A i 000,
O COVADO.
Chegaram ijs mais modernos gurguroes
para vestidos, sendo de todas as cores, como
sejan verde, azul, rosa, bismark, perola,
xo A A lendo quasl quatro palmos de lar-
gura e vende-se pele baratissimo preco
de lr>000, cadacovjde nicamente no ar-
mazem de Fex Pereira da Silva, na ra da
Iimwraliiz n. 00.
Biu.NS f.vitA c\i.i:\ NA LOJA DO PATO.
Vende-se o&fluis modernos g melbores
brais de linho.de todas as cores, outros com
listas do lado, garanlindo-se serena de linlio
paro e vende-se por prec-os muito em con- com II varas,
la no armazem de Flix Pereira da Silva,
iva da Imperatriz n. (50.
AS DEZ MIL VAHAS DE CAMBRAIASFRAN-
CEZASSNA LUJADO FAVAOAoGO
RS. O METRO.
Vende-se linissinias canibraias franeczas
cm os mais delicados padres, tanto mi-
(ios como gnidos, e com as cores mais no-
vas que tem viudo no mercado pelo bara-
tissimo preco (le;(iOrs. o metro; garanlindo
que 7 metros do um vestido para qual-
quer senhora, e que em outra quafcjaerloja
nao se. eiicuntrai a mesioa fazenda por
igual preco, e aim >*'> na loja e armazem de
Pavao, ra da Imperatriz n. 00 de Flix
Pereira da Silva.
C'assas i unieras a 44C5 rs o metro
Vende-se urna grande porcao de bonitas
cassas inglezas tanto gratulas como miudi-
nhfto e de cores fixas pelo barato preco de
4i0 rs. ometro,gari!iitiiido-se que 7 metros,
do um vestido para qualquer Sra. s na
loja do PevSo ra da Imperatriz n. 00 de
1 Dita
I Dita
I Duzia
100 jardas
I Dita de
200 jardas.
Fita de la para debruiB de (odas
as i -ores, a peca.
Dita branca
Dita
l\va de lita de linho rom 10 varas,
: !ci[ sene para cus.
Dila CS
Pentes voltiados para menina e se-
ohera.
Ditos muitos finos.
Ditos nreto com chapa.
Ditos brancos
Ditos pretos.
Ditos brancos finos.
Escovas para dentes a ICO, -i 10 e
Ditas para cabellos.
Ditas muito linas.
Ditas para roupa.
Ditas dita de dita.
Pentes de coque com fita a I300,
24000 e
Pentes para coques l#50, 2)5500
3*000e
Peca de franja paratoalha a pera
loo
500
800
.v .
300
seo
if <
i-i
Prefiisa-se. de um caixeiro para taberna aa ra
do Ranget n. t:t, reftuuo. prefere-se porluguez
de dad de li a li annos.
CompanJu'a Pcruambucana de na-
vegando cosleira por vapor.
De ordem do onselho de direceao o para satis-
taeo do que diaafle o a -r 19 dos estatutos, sao
convidador os sesljores aeeionstas a reunirem-se
em aaaembll -'era no (Ha 15 do eorrente ao meio
dia no Io andar do seu .'dilicio no caes da As-
semblan. 11
0
GOMES DE MATTOS IRMOS
tendo feito completa mudanpa em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe maiores proporcoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da noute na
RA DO CABUGA N. 4
oiiili-enconlrarao um completo soilinienlo do que ha de mais elegante-
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubius e tudo que em obras
de ouro, prata e platina se pode desojar, e para prova do que hao dito,
apresentam desde j
A ESTRELLA DO NORTE
riquissimo brilhantc de tamanio raro e seguramente a maior c mais bo-
nita pedia exposta a venda nesta prarja, a qual como tudo mais ser
vendido pre;o razoavel.
Garante-se a qualidade dos objectos venda.
C/2
0 MUSEO DE JOLAS
JitH1tf]'/cTtlE $C. ^'
Alegrai-vos myopes, e presbytas, ja po-
dis ver de longc, j podis ver de perto,
uo ha mais vistas curtas, nern caneadas.
F. J. Germann acaba de receber pelo ulti-
mo vapor um rico e variado sortimento de
oculos, lunetas, pince-nez, face--main,
lorgnons, de ouro, prata, tartaruga, marfim.
ac, blalo, ncar, unicornio e melcbior:
assiin como binculos de urna a tres mu-
danzas para theatro, campo e marihha da
ultima invencao; duquesas, vienezafe de 6,
8 e 12 vidros, tudo dos melhores l'abrican-
tes da Europa.
0 mesmo vapor trou-
xe urna excellentes ma-
china para graduar e
observar o numero dos
vidros que se necessita
conforme a vista de
qualquer pessoa.
Tem excedentes ste-
rioscopos, instrumentos de mathematica,
barmetros, vidros de chystal de rdcha, e
de cores para resguardar a vista; concerta
todos estes objectos a prec-os commodos e
com promptidao : tira o mofo dos vidros e
encarrega-se de toda a encQmmenda relativa
a ptica.
Recebeu tambem os excellentes rclogios
do antigo c afamado fabricante Rebert Gertk
& C, os quaes vende prec-os commodos
garantindo a sua superior qualidade.
Flix Pereira da Silva.
ItETALIIOS PARA LUTO NA LOJA DO
PAVO.
Vende-so una grande quantidade de re-
talhos (is; chitas e cassas pretaa por preco
muito baralo, e quanto maior for afpoirao
que o fregu comprar, mais barato se Ihe
vender na ruada imperatriz n. O de Fe-
lix Pereira da Silva.
CRINOLINAS OU BAL US A 205OQS* N'o
ARMAZEM DO PAVAO.
Balots 2,'OO.
Ciinolinas v(M).
Balcs >:(.
Crindiinas 2^300.
Balcs >:00.
Crinolinas ;i 2:>ri.
Vende-se os mais modernos bales ou
crinolinas americanas, muito bem feitas, sen-
do todas de modelo esgtiios, pelo barato
preco de .viO cada una, nicamente na
loja e armazem do Pava) de Flix Pereira
da Silva, ra ija Imperatriz n. 60.
CAMBRAIACOA SALPICO A7>0O0APECA.
Vende-se peca de cambraia brama eom
salpicos, sendo uv tem vindoao mercado, tendo 8 e meia va-
ras, pelo barato pivco de o-'-oO'.), pechincha
na lojae armazem do Pavao, ra da Impe-
ratriz n. 60 de Flix Pereira da Silva.
ntremelos bordados a pera 000
Tinteiros de porcelana l500 t&
Balaios para meninas de escolla
bonito desenlio 800, U), I05OQ
Peca de lita de seda para enfei-
jes de vestidos.
Fita de sarja.ile todas as cores.
Gravatas pretas a ''20 e
Ditas de cores.
Sapatos de tranca e tapete.
Carrafa de agua Flurida verda-
ira
deFrascocon extracto em sapall-
nliDitos com leos.
Dito agnade Colonia, pujarnos^
Dito, dito de dito de lie ver.
Ditos com banha.
Ditos com tnico.
Ditos aun oleo Alocme.
Ditos com extracto e banha.
Ditos com extractos diversos
Pao de pomada.
Ditos pequeos de pomada.
Capillas paranoivasmuito linas.
Sabonetes, 120, 320 e
Ditos transparentes de bolla (0,
Bi'des para cabera
Bandeja 900 a
Duzia de botes de seda para en-
feites de vestido
Porceira de contas.
leO
30 :
:.' i
:;< i
' i
:>-)
226
00
300
280
906
::. I
500
2560
I
2^600
7(1 i
2*500
2,0000
IdOwl
l.>!fX>
300
500
06
l300
to
400
:><
1,5000
51
'
I 000
I -5000
800
300
300
1,5000
300
! $80)
240
806
de eheA'ar os sabonetes de
*5~
Costumes novos para
I mascaras.
NA PLA DAS CRUZES N. H,1.
ANDAR.
Exposico para alugar e vendas de dif-
: rente? costumes em todas as pocas,
perfeitamentc completos para senLoras e
cavalleiros, e bem assimphantazias d-
minospierotsmumias, egiboes, com-
modos e frescos e com a differenca em
\ pre?os de30 /0doutro qualquer estabele-
: cimento, tendo a vantagem o comprador
de obter pelo preco que Ihe cusaria o
aluguel de 4 noutes. A vista faz fj___^_
Vende-se a taberna das Cinco-Punta;; n. 93,
com poueos fundos e bem acreditada.
PARA O CARNAVAL
Liivas de pelicgL para homem e para senhora, por prec,o muito barato, para acabar. Na ra
da Imperatriz loja de miudezas 54. ip
Vende-se urna annacao envernisada e taivi-
dracada, propria para ([ualnue_cstal)elocimonto :
a tratar na ra Direila n. 30, Taberna.
aleatrlo
Para curar as molestias da peHe, taes co-
mo impingiMis, dartros, saigas, comichoes
e mais molestias de pello sein occasionar
accidentes; desfaz as manchas do corpo,
pannos e sardas, restabelece a cor natural
quanto cutis, se i, grossa, amarellenta,
occasionailo por alguma enfermidade, e co-
mo desinfetanti e preservati?o das molestias
contagiosas.
Deposito, botica !.* Pinto, junto ao quaitel de
polica, n. 10.
Vend'--!-
jor neccssiilade una negTinha
com todas as habilidades : a tratar na ra do Pa-
dre Floriano n. 71. Xa ncsnia casa d-se algum
dinheiro a juro.
R. RabeUo i para vender eni seu es-
criptorio rua do Commeraio n. ii, 2o andar, vel-
las de cera, viobo Slierry muito superior em cai-
xas de 1 duzia do garrafas, c cachimbos de diver-
sas qualidades.
Para familias
Crimcle Bazar, rita Xova ns. 20 c
8, de tarnelro Vfcuuatt C.
Acaba de cliegar a este estabeleeimenlo
gi-ande porco de machinas para costaras do
autor Wheeier Wilson, approvadas na ulti-
ma exposico de Pars,as (jnaes Cuzem COB1
dous [lospontos toda a costura, e tem
vantagem de ser lao suave o movimento,
que quali|iier crianca de oito annos fcil-
mente trahalha, e pode, con este errtrete-
Qimento, levar vantagem ao sen ico diario
de trinta costoreiras. A comprheiisSo
simples, pois om um quarlo de hora se Pi-
ca senhor do movimento da machina, ten-
do a mesma a propriedade de fazer as se-
gundes costuras: pospontar, abainliar.
franzir. marcar e bordar,-como apresentam
os desenhosque acompanham-nas. Os pfe
prietarios do.estabelecimento se enorr
gam de mandar ensinar n'esta cidade, e
garantem entregar o importe dispendido ao
comprador, no caso de nao trabalhar com
perfeico a machina vendida, nao tendo,
poim, solridoella adunia avaria. Ha tam-
bem no mesmo estabelecimento machinas
do autor Grovver & Baker, de tralialho sin-
plesmente mo, e nutras com movimento
dos ps; e mxime todos os partenets das
mesmas machinas, para vender avulso.
Farinha de Mandioca.
No trapiche da companbia, largo i'
Corpo Santo, ha farinha de mandioca de
Porto Alegre, ensaccada c de qualidade muito
especial. A bordo do brigue Xurma ha
para vender farinha de mandioca de Santa
Uatharina, fresca e de boa qualidade que
se vende a prego, commodo ; a tratar no es-'
criptorio de Amorim Irmao, ra da Cruz
n. 3.
Bareges a 400 rs.
H6 ui loja do Pavo
3a vendB) as inais bonitas barras transparen-
tes, proprias para vestidos com listrinhas a imita-
<;ao de listras de s<^a, e vendem-se pelo barato
prc?o de um aviado cada um covado-, nicamen-
te na loja e armazem do Pavao, ra da Impera-
triz u. O, de Flix Pereira da Silva.
Tende-se
i. taberna da rua Direita n^l^ptapria par,Tf|ual
pWcos fundos t*t \*m\:
(mer principiante por ter
na mesa *
Victoriano Palhares
HARPA DE FOGO
Poeslias pctfrlotleas.
Um volume ntidamente impresso
11000.
Assgna-sc na livraria franceza, rua do
Crespo.
Vende-se um cairo daalfamtega com pouco
uso : na rua da .* tapas aaii^iaaaas
PAR-t O CARNAVAL.
A" rua da Cadeia do RecUe n. .'>. luja do uiudc-
DM de Jbe Domingos de Sampaio & (!.. exi-t
alom il(^ muitos objectos de gosto, um sortimento
de leques ja|nezes, que se acliam expostos
venda por piceos baratissimos. Estes leques vie-
ran a proposito, nonjae com pouco dinheiro' se
obtem um para oeste afamado tempo do carnaval
todos miinirem-se do indispensavel para pi
traumas mascara, tanto mais quando estames
em una estaca tan calmosa ; a elles, pois, beHa
rapaceada, antes qne se acate. Ha tamhem wn
gortmento completo de Iuvas de pellica Jouvin
Farinha de milko.
Vende-se- farinha de milho americano
muito lina, em porco e aretalho, por'pre-
coni oni-ko commodo, na taberna da rua targa
CHALES A 2000.
Vendem-se chales do merino conilPeni-1 co commodo, na taberna da rua targa do
tas barras, pelo baratissimo preco de 5009 Rosario defironte da botica do Rartholomeu
e 2dS0 rs., na loja do Pavao rua di Impe-
ratriz n. jJO, de Flix Pereira da Sil
e na travesaa t as Cruzesn. 16 esquina para
o tjuartel do jpolicia.
!:" baratisHlmo.
Vendem-se cortes de lia de gasto moi
que servem tanto para senhoras como, p;
Cas, pelo preco de 2*500 o ciie
Queimado n. 29.
ua na do
Attencao.
Vende-'e no caes de Capibaril
nha da primeira quali
palmo corrido, sendo li
com o mais que se segu.
Vendase urna casa de |mj*i.
reno ni la na rua Direita do l1^
nella n. 4: quem a pretender dinja-se a jua d-J
Hortas n. 6, iue achara com quem tratar,


Diario tle Pernambuco SnLbiido 6 dt\ iV\ereiro ile 1869-
AO BAZAR DA MODA
DE
JOS DE SOUZ SOARES ft C.
Ra Nova n. 50, esquina da ra de S. Amaro.
PARA O ft OVO A V\ O DE I 09.
Novo sortimento de artigos de moda eluxo,recobidos pelo ultimo vapor vindo da Europa.
Espocial sor tmenlo dedijeeios para minios.
Perfumaras linas dus prmeipaes autores.
Luvas de Deifica frescas, brancas e do cores para homens e senhoras.
Cliapeozinhosdcpalhade Italia enfettados, para senhoras.
nicas efaipelinas para senhoras. gorros de palba de Italia para senhoras e meninas.
Especial sortimento de .-tintos para senhoras.
Enfeiles de posto para sejihuras.
Fita* de grosdenaple superior de todas as cores e larguras.
Franjas com vidrlms. brancas, de cores e pretts.
Guarniees de todas as quididades para vestidos.
Vestuarios completos para taftisaops.
(linhas e punhos enteitados para senhoras.
Coques modernos, lisos o enfetados.
It'ii nous de Ka e seda, e.'ires claras, moda elegante para senhoras de bom rosto.
I'.orpinhos decambraia enflatados para senhoras.
Cache-nez de la.
Chapeos de sol para homens e senhoras.
Flores finas, sortimento especial.
Plumas elegantes de qualidade superior.
Cintos ricos de palta, alta novidade.
Grinaldas de llores linas.
Camisas superiores para homens.
Colarinhos e punhos.
Grvalas e manas modernas.
Bengala! de droersas qualidade*.
tlaixas grandes com cpiatro pecas de msica.
Flor a ii.' p.ilha para guarnieres de vestidos. bolees, fivelas.lacos para eneites.
Chapeos de pello de seda pelos, forma a Itotscliihl, fazenda superior para homens.
Curenles di' pa.pi lino, justos bonitos pararelogios.
Cae .1 itas (l liiiiii goetopara as mesmas.
CorrentoS pelas de b. irradia diversos modelos para voltas.
ObjeclOS para luto.
E nmitos oiltros artigos de novidade que s vista podem ser apreciados.
Existe continuamente un completo sortimento de miudezas, vende-se por grosso c a retamo
A COMMODO IREOS
NO *
BAZAR DA MODA.
fiC "HTCl'iTPAC ero u>dM Parte8 do manao' empregam, com o maior xito,
\JO 1uI1J^11-Vo> o phosphato de ferro soluvel de Lbras, para curar a er.lorosis
(cores paludas), as dores do estomago, e n exhausiacio do singue; com esta preparaste, dio
ao corpo o vigor, e s carnes, a soa firmeza natural; facilitam o desenvolvimento Uto labo-
rioso da puberdade. Com effeito, lude, n'esto medicamento, se acha reunido para Ihe
assegurar o maior crdito, pois que cntram, na sua composieo, os elementos dos ossos e
do sangue. O seu autor, M. Lekas, doutor em sciencias, pharmaceutico, profestor de
chymiea, inspector da Academia, foi, recenlcmcnlc, condecorado da ordem da LegiSo de
Honra, digna recompensa dos scus impor antes traballios.
As seguintes apreciarles dos mais celebres mdicos anda vem corroborar e juitificar
lodos estes ttulos cenlianca publica :
Precisa clasificar o pbosphato de ferro soluvel entre os ferruginosos que melbor
convem aos doentes rojos orgSos digestivos supportam mal as preparacSes de ferro. ,
SOlBElIVAf, profestor na Escola de medicina e de pliarmacia.
O phosphato de ferro soluvel pm quanto a mim, a melbor das preparaedes Urmgi-
nosas, e o seu emprego d os mais promplos 8 seguros resultados, o i
A11A.N, medico dt hespinl Sainte Eugnie.
A forma l.quida do phosphato de ferro soluvel d-lhc urna mmensa vaniaeem sobre
a as plulas; en considero esto medicamento como mni superior rts preparaedes iodadas.
AKNAL, medico de S. M. o imperador.
t Entre todos os ferruginosos, nao cochccemos um s qiic-obre lo prompta e efficaa.mente
* como o. phosphato de forro shrvel, o isso, sem cansar o estomago.
BELLOC, BAL'ME, BIG0T, FOLLET e PRVOST, mdicos dos hospitaet.
Os effeitos da preparatao de phosphato de ferro soluvel me parecem ser mui seguros
c e promptos. > DEIIOUT, redactor cm chefe do Dullelin thrapeutique.
Entre toda? as preparaefles ferruginosas, o phosphato de ferro soluvel foi a que sempre
ri
< me deo os mdhores e mais satisfactorios resultados. GLIBOIT, medico dos hotpilaet.
O phosphato de ferro solnvel tem# sobretodo, a vantagem de evitar a constipico e
t couvir aos temperamentos delicados. > Dr FAVROT.
Deposito em Pernambuco, em casa de Maurcr c O*.
REQO CORRENTE DOS CHAPEOS DE SOL
Da fabrica de
Eua Nova n. 23,Ra do Cabug n. 8
Pernambuco
Chapos de soda trancada, Paragon, de 16 hastes, 28 poilegadas a !G : 2i
poilegadas a 1 .")>. e 2i poilegadas a 14:5000.
Ditos de seda G. de Bara, de ac, de 16 hastes, 28 poilegadas a li:
de 26 poilegadas a 13,5 ; c 2i poilegadas a 12r$000..
Ditos de seda G. de N. usa, de ac, de 12 hastes, 28 poilegadas a 12* ; de
26 poilegadas a 115; e 2i poilegadas a 10000.
Ditos de alpaca, de ac, de" 12 hastes, 28 poilegadas a 6 ; c 26 DoHesadaB
a 50500.
Por duzia iz-sc descont de
PharmaciuticQ
laureto
pela Acac'mia .
4
medicina de Pars
PASTILHS
[i DOSES t DIGESTIVAS!
eBURINduBUISSON
hMedalhado
pela !*;
Sociedade
fomento.^
CON LACTATO DE*SODA E>M*GNE
Estas Pastlh as constituem o medicamento' o mais novo e o mais raciona
todas as affeccoes das Tas digestivas.' Ellas contem, com effeito. o acido lctico, um dos
elementos normes da digestio, comb nado com a magnesia calcinada, cajos bons effeitos
tem sido apprtciados por todos os mdicos, e o bi-carbonato de soda, sal que faz a-fc.se das
| d'estomago, etc. Deposito em Pernambuco, em casa de Kanrer c*.
a duzia.
15 OtO
Chapeos de sol de panno, de baleia, de 8 hastes, 21 e 20 poilegadas
(Descont de 10 00).
Ditos de panno, de junco, 8 hastes, a 18s>000 a duzia, liquido.
a 32
Approta(i9
da acdenla
ie medecna
di Part.
Pharmaceutico
laureada
dt academia
de medecina.
As preparaQies ferruginosas liquidas tem desde
(pedal dos mdicos, porque ellas obrilo mais rapid
muitos annos merecido a approvacJo
especial dos mdicos, porque ellas obrilo mais rpido c seguramente do que as plulas, e
silo mais fcilmente toleradas pelos doentes. Os Pos ferro-manganicos possuem a inappre-
ciavel vantagem de poder offerecer n'um instante urna agua ferruginosa gazeosa, de gosto
agradavel, mais activa do que as aguas mineraes, e contendo de mais um elemento precioso,
o Manganese, que sempre se acha no sangoe, junctamenlc com o ferro. Empregao-se em
todas as molesiias que tem por causa o empobrecimento do sangue, assim como para vigorar
os temperamentos debis c lymphalicos. A chlorose, as Perdas brancas dores d''estomago,
a irregularidade da menstruacSo e amenorrh.a ou supprcssSo do menstruo, cedem rpida-
mente a seu emprego. Dcvemos mencionar aqu um facto notavcl, isto que os doentes cura-
dos pela agua preparada com estes pds csl3o muito menos expostos a recadas do que
aquellesque forao tratados pelas prepara?Ccs ferruginosas ordinarias.
Deposito em Pernambuco, em casa de Maurer e c*.
?.ir~ msicas militares.
Completo sortimento
rt
VERDADEIRAS
PILUUSdeBLANCAR
COM IODURETO DO FERRO INALTRAVEL
APPROVADAS PEU ACADEMIA DE MEDICINA DE PARS, ETC.
Fossnindo as propriedades do lodo et do ferro, eonvem especialmente as Arnwcos
EscnnFiTT.osAS, a Tistca no principio,a fraqueza de temperamento e tambem nos casos de
Falta pe cor, amfnorbhfa, em qno precisareacir sobre o sangue seja para restituir
lhe-a sita rfqwsza e ahundenca normaps, ou para provocar e regular o seu curso peridico.
N. B. O iodur-lo fie ferro impuro ou alterado c nm medicamento infiel, S?S s^
Irritant". Como prova de jnirea e de aiilrienriilade das Tprrtailclra rl- yy 7^
de niancanl, dpe-se exifr ndssi aelf ile prala reactiva t^rCu^T2'^f/
noso Hrtrn. m--ii rerrortimila. trti#*Sc aclia na par* inferior de um f y.__j-
rolua vrpilo. Pevp-se desconfiar das falsificacois. *-
*Vliam--cm toda* m* phannr-in. Pharmaceutico, mo Bonafarte, tf, Parh
irritan
k lulaa
j^k nos
20.
RA NOVA N. 50,
Esquina da ra de >anto Amaro
:'.0 por i-eiito tenos que em outra qunlqucr parte vendi'in
JOS DE SOUZA SOARES
d> na s acreditado amor Geatrot Aince Pars.
RA HOVA 1%. SO
ESQUINA DA RA DE SANTO
h
c.
y
Tem para vender cm scus armazens, alem de ou-
tros, os seguintes artigos :
Papel para imprimir. *
Perlina azul.
Greve pautado e liso.
Yinlios cm eaixas de dozc garrafas
Bourgogne
llery.
Madeira.
Hermitage.
dnamblis. ... :
Licor de curaco de llollanda em eaixas de vin-
lecquatrobotijinli;i~.
GE8S0
Nos annazi ns de Tasso Irinaos.
Qrades de ferro
para jardins, porteirasele.
Nos armazens de Tasso Irmaos
< tIIIUMIOS DE I I BUSO
Para servic-os de grandes armazens. para remo-
ver barricas ou mhmm ie um para outro, lado pelo
mdico preco de lOOO cada un.
Fariiii de trigo de Trieste
Das melboras marcas Panonia (verdadeira) Fon-
'ana grande sortimento das memores mareas de
farnbas americanas.
Saceos de firinha de trigo do
Chile
Todas n-ivas. ehegadfl ultinianicnle nos arma-
zens de Tasso Irmaos.
Cemeuto romano
Nos armazens de Tasso Irmaos.
Cemento hydraulico 12$
O melbor pora-todo que sao obras para agua, co-
mo assinianionto de canos de esgolo, algorocea, de-
osito, tanques d'agua, etc., etc.: em porgos de
incenlo barricas se far reduccao no preco : nos
rmazens de- Tasso Irmaos.
Cemento Portland
0_verdadeiro cemento Portland em casa de Tasso
inaos.
rades de ferro, cercas, por-
teiras, etc., etc.
T)e differentes traalifiades para cercados de ani-
aos, cliii|iioirosliara galiubasoujardins: nosar-
inazcus de Tasso rmios.
Barris com bren
Nos armazens de Tasso Irmaos.
CANOS DE BARRO
Na ra Nova de Santa Rita, na antiga fabrica de
, sabio, lia para vender por prego o mais mdico
l possivel, canos francezes para edificaeoes eesgo-
os de tuda a i|ualidade, superiores a todos os que
aqui tcni apiiarecido pela sua solidez.
PRECOS
13400 por cano grande de 3 e mcia poilegadas.
11300 por dito de 2 e tres quartos de dita.
13000 por dito do 2 c um quarto de dita.
500 ris por pistoleta de 2 poilegadas.
CotovcUos, curvas e canos de maior grossura, a
vstase far o proco. Compras maiores de 2003
tem 5 por cento de descont por prompto paga-
mento. Pode-se ver as amostras nos armazens
de Tasso Irmaos.
Tijolos francezef
Para ladrillar casas terreas comasscioe preces
mdicos, muito convenientes e proprios para ladri-
Ihos de cosinlias em sobrados, pelo seu tsete e
evitar a passagem de afnaa para o andar inferior
mesmo opongo de fogo, aos precos de 30000a
:.'i -VKii) o rnneiro : na ra Nova le Santa Rita, na
intiga fabrica de sabio, e compras maiores de 20
e l.u o Mr e 'lito de descont por prompto paga- ~
nenio. Podem-se ver as amostras nos armazens L>ollarcs anodinos CllecfrO-maqnefl
| de Tasso Irmaos. f
Velas de esparmacele verdaderas para lan- COS COnlm OS COnVMCOCS d$
. lernas de carros: noarinazeni de Tasso Irmaos. rrrmir/te
Yinho do Porto fino superior: no armazem titanias.
i do Tasso Irmaos. No resta a menor duvida, de que muito
Omplhor cognac Gauthier Freres: no arma- collares se vendem por alti intitulados os
| zern de Tasso Irmaos. verdadeiros de Rover, c eis porqae muitos
Esteiras da India
LOJA DO PASSO.
Rut do Cresjto n. A. esquina
da do lui|ter:>.dor.
O dono desle importante estabeledmento,
tendu receliido de sua tonta, jielo vapor
tranca irtflwfadttre.diyerosartigosdeaha
novidailu proprios para a IV.-ta. lcoosco de
que seu slauelecintefa se atli.t ium sorti-
do, priiifipalnicnle em artigus do moda, pe-
de ao respeilavel publico e em particular
aos scus numerosos freguezes a bundade
de honra-lo com sua conlianca, garantindo-
llics seren bem servidos e por presos ni-
miamente baratos. Venliam, pois, todos
comprar novas e lindas azendas boas c de
alta novidade, com bem:
Riquissimos cortes de blonde.
Riqtiissimos cortes de seda de cores.
^Sedas de lindas cores para covados.
Moire-antiquc azul, verde, branco e pre-
to.
Grosdenaples azul, verde, branco e pre-
to.
Gorguro branco c preto.
Setim branco macau.
Cortes de seda cora duas saias.
Cortes de 13a escosseza com duas saias.
Cortes de laa e seda, novidades.
l'nil de chevre de lindas cores.
Alpacas de cordao lidas cores.
Ditas lisas de todas as cores.
Cortes de vestidos de cambraia bordados.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas bordadas .
Frtmlias de linho com, lindos bordados.
Lencos de cambraia de linho borda4p8.
Chapelinas de paJha da [tafia.
Ditas de sedas de cores e pretas.
Enfeiles para cabeea de senhoi a.
Cotjues de todas as qualidades.
Basquinas de seda enfeitadas com primor.
Leques de madreperola, marffi, sanda-
lo e osso.
Camisas bordadas para l.omens.
Col.has de altrodo e seda para cama.
Ditas de crochet para cama.
Pannos de crochet para cadeiras e sola.
Chapeos de sol de seda para senhoras.
Espartilhos para senhoras.
Toalhas de labyrinto.
Lencos de labyrinto.
Fronhas de labyrinto.
Ricos, rendas e grades.
Finissimas cambraias decores, percales,
lilas e outros muitos artigos de gosto e no-
vidade.
Loja do Passo roa do Crespo n, 7 A' es-
quina da do Imperador.
21
NOVA ESPERANZA
Ra do Queiniatlo 21
t para presentes
A Nova Esperauc.a, ra do Queimadn
tu 21 tem um variado sortimento de objet-
tos de gosto e phantasia proprios para pre-
sentes, suliri'saiiindo entre eHes ricM caixi-
nlias de bano com linas perfumaras, cos-
Idreiros de chagrn, agulheiros de madre:
perola : assim. pois, fnentqateef' fazermni
linda oll'crta. dirigir-se Nova Espcranca,
na do Oueimado n. 2!.
Km casa de Tasso Irmaos vende-se csteiras da
India de diversos padroes c larguras, por preco
commodo.

ATTEM
AO TRIUMPHO
Esta ae\piscao do respeitavel publico neste importante estabeledmento um
ando 0 completo sortimento de fazendas chegadas pelo ultimo vapor da Europa, o que
temos a honra de annunciar aos pais de familia, assim como ao bello sexo, a quem o
Tnum ilin p Me suaatteneo: garantindo sempre cm sua nova loja o gosto de fazendas e
novas modas c modificado do presos, para adquirir a svmpathia de quem dora honra
de procurar o Triumpho.
Lindas sodas de cores novo gosto a 2-600 c 23800D o covado. "
Glacez de sedae la apurado gosto para I 500 o covado.
i.la/.inlias com listras de seda para L520O, IjOOO o covado.
Ditas de lindos padrees para 500, 700,800 eOOOrs. o. covado
Cambraias brancas de 4-5000 at 8^000 .i peca.
Filas de co novos padroes de 6i0 e 800 re. a vara.
Satas i! i laa cana bonitas barras.
Batees de laa o murcelina e de arcos.
Basquinas de gros-de-nap!e de 22SOO0 a 0*000.
'ios-do-naples pretos de 2-5000 a 4^500 o covado.
Ditos de todas as cofas.
Organdiz branco.
Brilhantinas brancas e de cores.
K-part'ris o enlre-meios bordados.
Metas linas para senbora e para homem.
' \lm d.'stas fazendas tem um completo sortimento de chitas escuras celaras ma-
dapoloes, bramantes, atolhate, toalhas de linho e dealgod3o, e outras muitas fazendas
n p -r per is qn s a vista o comprador se poder desengaar que so no
TriumpRO poder comprar bom, c com economa.
P.ULV HOMENS. ,
Bonito sortimento de cawmiras, brins brancos c de cores, camisas de linho c al^o-
o, ciroulas, mantas e -avalas do que ha mais moderno, chapeos de sol de seda c, alpaca
eotitraf. muitas azendas rjoa vista se. podero agradar, e manda-se fazer qualquer obra
& alfaiate para o que tem um hbil mestre, p preco om tudo, s encontrara do TrimnDhe l
iw o Qui-iinalo n. 7. '
Conservadora .de sua iiicLivi-
dua-Kdade, amiga do
prrgresso.
Os labyrinllios da Esperanza
A loja de mindezas da ra do Qnelrnado
n. 35 A, vem apresentar sua seolhida
freguezia um artigo que at hoje cusfava
muito caro, e por isso s chegava para a
classe mais abastada da sociedade. .
l'Auifiaa tfe lab^i'infhos
Perfeitamente iguaes s epie se fabricis
no paiz por urna dcima parle do valor rPel-
las viudo a esta loja, apreciar a perfeico
LOJA ) GALLO VKilL.WTE
Ra do Crespo n. 7
MandOt vir de- sita conta e acaba de re*
ceber pelo ultimo vapor, comiileto sortimen-
ot de objectos de novidade e phantasia, os
qttaes eslao resolvidos a vender por precos
nimiamente baratos, para assim animar aos
concurrentes e ao mesmo tempo dar sabida
ao grande deposito que tem: isto ra do
Crespo n. 7, loja do Gallo Yigilai te.
Gollinhas, punhos e camisinhas para se-
nbora, fazendas de gosto e novidade.
Finos vestuarios para baplisados, assim
como touquinhas, sapatinhos c meiasinhas
para o mesmo fim.
Grande sortimento de bicos c rendas de
erooh e de outras niiiilas qualidades.
Superiores eaixas com msicas sem el-
las, tendo o neccssai io para costuras, pro-
Macarthy
mMbmm de deeni*ocai> alfsodlio.
Hoje que est reconhecldo qae as machinas do
serrote prejadicam c qnebram a "libra do algodSo,
preciso recorrer a machinismo menos spero,
rae produzindo o mesmo servico (pie aquellas, e
lacilidado no trabalho, nao quebrem a fibra da laa,
reunida economa, (neot sempre possivel 'prias para um delicado mimo,
isso).
As toalhas teem um circulo de lindo de-
senho e no centro se le em caracteres maitts-
culos a aliegorica seripeo.A' baptisar.
A' passeio.Meus cuidados.Lembran-
C-a.Visita.
Ninguem porcerto deixar de ir completar
o enxoval do lindo ilho para fazer ecoitomia
Finas eaixas com tefos e sem elles pai-a
voltarete.
Agtilhas para machinas decosttra.
Ditas para croch, sendo de ace, marfim
o outras muitas qualidades, assim como li-
nhas para o mesmo mister.
Finas grinaldas para noivas.
Meias de borracha para ipiem soffre de
a
para que essa possa obter-nos mercados europeos,
a dilTcrenca qtm lia entre o algodao doscarm-.id
por aquellas mencionadas machinas, que esta li
cando emdemzo, pelo prejuizo que tem causado,
e o da antij-a bolandeira, que nao pode competir
pela morosidade de seu traballio. E' as-iin qae
estas machines se tornan as mais proprjaa para o
nosso algodao, porque ao par da facilidatle c
promptidao conserva a libra da laa. qno limpa por
ella. qualificada na Europa a par da melbor bo-
lanilena. valeml.i assim estire iO arrobas 20 O 0
mais do que a lia limpa pela machina de serrote.
Estas machinas nao sao novas, pois que ha muito
eslao adoptadas no Egypto, aondo as de serrote
forana inteiramente abandonadas, e por iaaa o alfo-
daodaquellapro'edcnria, sendo da qualidade do
da nossa provincia, obtem boje de 10 arrobas 20
0/0 mais do que o nosso : vendem-se a 150*000
nos armazens de Tasso Irmaos.
pas de familias nao crcem (comprando-os)
no effeito promctlido, o que s pdem dar.
os verdadeiros ; a Nova Espcranca, porta
que detesta a falsificaco principalmente no
que respeita ao bem estar da liurhaiiidade.
fez urnaencommenda directa desl.scollares
e garante aos pais de familias, que sao os
verdadeiros de llover, ojne a taas crean-
cas tem salvado do trrivel incommodo de
convulces, assim pois preciso, que ve-
nliam a Nova Esperancn a rita do Queimadn
n. 21 compraren) o salva vida, para scus
(" filhinhos, antes que estes sejam aconimetti-
dos do trrivel mal, quando ento ser di-
fficil afcancar-se o effeito desojado, embora
sejam empregados os verdadeiros collares
de Rover.
Para extinguir as sardas e
ma di i
especial
de 15 ou 20;$,esses nadas de que se compe-ierysipella, assim como meias de la par
os qne soffrem de nieumatisaao.
o guarda roupa dos recem-nas.cidos qua-
si sempre ficam aos extremos; is cuibidos
das mais, a essas a quem e Esperance se
dirige, para quera desde ja dispe-se a dar
amostras c certa esl qudelo preco nenhu-
raa deixar de comprar.
Fronhas
A Esperance, tambem recebeu frouhasno
mesmo gosto das toalhas que vende peto be-
rato preco de 300Q, o que custava I-. I !
apreciai e se liganbs impurtancia aocon-
fortavel da vida, sem duvida comprareis :
neste bello paiz ninguem se faz pobre dis-
pensando lo;J ou 20.6000, com o acceio c
belleza de que se decora a babitacao, s
vezes no que menos pensamos, htretanto.
como diziara nossos maiores. a sepultura da
vida : ainda s senhoras a quem a Espe-
ranza se dirige. Urna senbora cuidadosa
do nada faz a casa.
Ra do Queimado n. 35 A,
Na ra de Hortas casa n. t,compra-sejoi i
ou outro qualquer papel que esteja limito, a li a
arroba.
de-so a 12!) rs. r,;, m arI;lzrn, teu, ,]n(.s Vilfte
ao eaoiptomo do Sr. Claudio Dubenx.
e Dmis fjf \;>_
Manuel AI ves Ferreira 6 C, na ra da
Moeda n. 5, segundo andar tem para vender
superior pidassa da Itussia em barris e meios
barris c cal de Lisba da mais nova que ha
no mercad.
Suspensorios para homem e meninos.
Finos pentes de tartaruga para coques ;e
de outras muitas qualidades e para outras
misleres.
"Dedaes de madceperola, marflm, osso,
ac, metal, etc., etc.
Superior agua cosmeocome para ungir
cali.'los, dando aos mesmos a sua cor pri-
mitiva.
Completo so#mento de finas perfumaras
dos molhores fabricantes, assim como mui-
tos outros objectos que inipbssivel des-
ere ver: isto s na ra do Crespo n. 7, loja
do Hallo Vigilante.
Collares llover elctricos magnticos con-
tra as convulses das criancas e para facili-
tar a dentinco das mesmas, o Gallo Vigi-
lante antigo recebedor d'estes prodigiosos
collares e contina a ter sempre grande de-
posito, ra do Crespo n. 7.
FNDICAO DOBOWMAN
I&tia do BS'smh u. 52.
Machinas de vapor.
Rodas d'agoa.
Moendas de caima.
Taixos de ferro, batido, fundido.
Rodas dentadas, pata moer com agoa,
vapor e anima
E outros amitos objeetos, etc. etc., pro-
prios para agricultura.
Tintura japoneza
Instantnea para fingir os cabellos e a
Wba, a lOOOo frasco.
E' a nica approvada e. recommendada
por ter sido reconhecida superior a todas
as tinturas d'este genero.
A venda cm casa de Gustavo Hervelin n.
51. ra da Cadeian. 51. :
; Em ca .i de Tbood. Christianscn, ra do Com-
mercio n. 16, eneontram-se ehVrtvamente todas
as qualidades de vinlio Bordeaux Bourcouuo e do
Rheno.
EPIDEMIAS
nSLS0" o1 Lf*f*RRA u E preservativo ^guro em lempos da
XtTJ Clwlera'/ebre -^ ^ 'y?", etc. Devem evitar-seTfai!
flcacaes as quaes sao lanr parte d !iaes ra4, preparadas, endo por isso
mais amas te qu. te>. Deposito em Par*, L. FREBB. 1, STU
E w^hMiM. DuponeheUe; f. Tesdorpf. um VMUItim M**tr.
Cemento ih Portland.
Vende-se no armazem de Vi.-ento Korreira-d
Costa A Filbo, na ruada Aladre do Dos n. 22,
.barris prandes.
Ra da Cruz n. 68
ha para vender
MEDIDAS c pesos de systcma decimal, de todas
as qualidades, pan lojas, trapiches c tabernas.
Meias elsticas de borracha.
As memores e CNCellentes meias elsti-
cas de borradla contra varizes e erysipellas.
Vende-se na^
Pbarmacia c drogara de
Rartliolomeu C.
3ira larga do Rosario34
Para armazens a retalho.
O Campos da ra do Imperador n. 28, tem par;,
vender grande quantidade de medidas de eslanlu
para liquidos, e de madeira para seceos, pelo svs-
tema mtrico decimal, pelo mial eslao osneRocin-
les a retalho ohrigados a vender suas meiradorfas.
a contar do 1 de marco do corren te anno. O an-
nuneiante avisa e garante aos que de taes medidas
aecessitam, i|iie sito estas as mais exactas, por
qnantosaofeitasem Pars, de conforinklade com
o systema'acima dito, e segundo o padrao adoptado
pelo governe imrrial ; nao aconteeendo, porm,
o mesmo com outras me ah se vendem, que sen-
ibi da mosma ca|iacidau<', deversitlcam de nwdello.
vindo offerecer dnvidas nao s aos compradores
como aos vended ires.
~ ^-Vloh ifeguelra
Vende-se em ancorotas. i 9 caadas
vinli4la Figueira, propio para casas nj
ivs : na ra do Amorim n. 58. armaxem.
Vndese por motivo de retirada, una es-
era va critiula de ueia lade.. cuziulu, engojnma,.
faz di ices emais arranjoade casa : na roa d* Im-
.^M^Miaratriz n. 45, 8* andar.____________________^
Veide-se por preco razoavel 1 sof. I par de
Vende-ce udia arriar
nizaa, om bom ropria
easadeaegieio : a tratad na ra
1 eongeloe, 6 r adeiras e 1 cabido, tu Jo com uso
Sravjl!SS
no
GADO GOKDA
No enfenbo Boa-vista, freguezia do (abo,
dse gado gordo, quer para carro, quer
acouguc-
ven-
I'ara
Vende-f bsrato e com mnitoponco uso um
relogio de ouro patente inglez : na ra estreita do
Rosario n. 4, loja de r*lojoiro.
f.AZ C.4Z Z
CHegeu ao antigo deposito de Bnrv Forster &
do Tmrradiw, vm arregamento de gar
Vrnde-se ama annacao de taberna ioiii al- P""iraqiialrad;oqiial se vende mTiarttdas
is gneros, propria para prmripiante : a tratar e
MntlmnerUln 37. jqner parte.
panno
Receben a Nova Espcranca,
Queimado n. 21, leile de rosas,
para extinguir sardas e pannos.
BONEGA DE CERA
A NeTa espcranca a ra do (jueiraado n.
21, ac- i de receber um completo sorti-
mento oe finas bonecas de cera de diver-
sos (amanaos, sendo as maiores do com-
primento d"um covado ; estas bonecas tra-
zem bonitos coques e botinas, liavendo en-
tre ellas algumas que fallara e outras que
clioram de sorte que fcilmente podem ser
preparadas, e fazer-se um presente demuda
acceiiaeo.
Finas eaixas de tartaruga para rap ven-
dem-se a ra do Queimado n. 21 na loja
da Nova Esperance.
Modernos brincos de sndalo, s se cn-
contraro na Nova Espcranca a ma >
Queimado n. 21.
MtlAS DE LAA
A Nova Espcranca a rua do Oueimadn n.
21, acaba de receber um especial sortimen-
to de meias de la para homem e senliora.-
CONTRA AS CONGESTS
E mal trrivel a congesto fulminante:
de repente leva um individo, d'esta para
inilhor vida, sera dar-lhe tempo de receber
conversa medica; deixando as mais das
vesos mulher e filbos no mais amargurado
pranto ; a Nova Espcranca que deseja pres-
tar servicos recorreu a Vojer, i qoal Ine
mandn anneis elctricos magnticos, como
e uniec preservativo para semelhantc mal
elles antes que se acabem : na Nova Espe-
ra tic ,r
NAVALHAS
A Nova Espcranca a rua do Queimado
n. 21 recebeu imi sortimento de navaibas.
de qualidades, c tamaitos especiaes assim
como afiadores e massas para as mesmas.
LIM1A PARA CEftGIR MEIAS
Esta muito necessaria linba vende-se a
rua do Queimado n. 21 na Nova Esperanca,
BORDADOS BONITOS, BONS BARATOS
Espartilhos s na Nova Esperanca a rua
do Quemado n. 21.
iiisoiiii i m%
POR
alvaaNir H. de Albaraei'fiic
2S EingAo
LifliMi mm
j
i

%
Vende-se
a iratar Ha na
^^rej^ nioe^coia baLilrladfs ;
n!3J.


Diario de Pernambuco Sabbado 6 de Fevereiro de. 1869.
GRANDE LIQUIDACAO
A OINHEIRO NA LUJA E ARMAZEM
DO -^. ______
83wia m iBi?aaa?a(i2===KL 8g>
DE
Flix Pereira da Silva, successor de Gama
& Silva
O proprietario d'este estabelccimcnto convida no respcitavel publico desta ca-
pital a \r surtir-se no grande estabelecimentoque_tem de fazendas, tanto da moda como
le lei, c as pcssoas que ncgociam em pequea escalla, tanto da praca como do matto-
nesta ca*a pudero fazer os seus sortimentos em pequeas e grandes poreoes, venden-
cto-se-Ihes pelos preces que se compram as casas inglezas ; assimeomo as excellentis,
simas familias, podero mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou mandare-
mos levar em suas casas pelos nossos caixeiros, para o que acha-se este estabelecimen-
lo aberto' constantemente desde as horas da iianhaa is 9 da noute.
PECHINCHAS
Novamente chegadas ao armazem
DO
DE
DES PORTO.
I. fias i ii has
A doze viuiens.
A doze vintens.
A doze vintens.
Vendem-se laasinhas de cores muito bo-
nitas com desenhos miudinhos e grandinhos
com lislinhas e pintas pelo barato preco de
240 ris o covado na loja do Pav5o, ra da
Imperatrizn. CO, de Feliz Pereira da Silva.
AS CAMBRAIAS DO PAV.iO
Vendem-se finissimas pecas de cambraias
lizas, transparentes tanto inglezas comosuis-
sas tendo mus de vara de largura, pelos
presos de 3000 at 10^000 a peca, assim
como flnissimos organdys branco liso que
serve para vestidos de bailes, por ser muito
transparente a 1#000, a vara, na loja do
Pavao ra da Imperatrizn. 60; de Flix Pe-
reira da Silva.
FISTO Bit ANCO PARA VESTIDOS AGIO
Na loja do Pavao vendem-se os mais mo-
dernos fusloes brancos de lista e corde
muito encorpado mas muito flexivel, pro-
prios para veslidos,roupes, perneadores etc.
etc.e roupa para meninos, pelo barato pre-
co c'.e 6i0 ris o covado, na loja e armazem
de Flix Pereira da Silva.
.SEDAS COM LISTINHAS A 3$00o o
' COVADO
Vmdem-se as mais modernas sedas de
lislinhas para vestidos, chegadas pelo uliimo
vapor com as cores mais modernas que tem
viudo a este mercado, pelo barato preco de
16 is. o covado na ra da> Imperatriz n.
GO ce Flix Pereira da Silva.
Auparas tarradas
Chcgaram pelo ultimo vapor as mais mo-
dernas alpacas lavradas com as mais lindas
cores, que se vendem a i000, o covado,
ditas lisas tendo tambem cor de canria a
800 re, ditas mescladas muito finas a 1:200,
o covado, e oulras muitas fazendas de gosto
e moda que se vendem mais barato do
que em outra qualquer parle, no armazem
do Pavo, ra da Imperatriz n. GO. de Flix
Pereira da Silva.
ORGANDYS DE COR
Vendem-se organdys de cores com pa-
drofij miudinhos em assentos brancos e de
cores pelo baratissimo preco de 3G0 rs, o I
covado, finissimas cassasfrancezascom deli-
rada.-; cores e bonitos desenhos a 3O rs. o
covado e ditas a 300 rs, na ra da Impera-
triz i:.. GO, armazem de Flix Pereira da
Silva.
Kotipas para homem
Arendem-se superiores palitts de panno
sobrecasacos foiTados de alpaca e de seda,
camisas inglezas e francezas com os peitos
de csguiSo, ceroulas francezas de linho o al-
godao, meias crilas inglezas superiores, ca-
misa* de llanella e de meia de la, assim
como neste estabelecimento existe um grande
sortimento de pannos pretos, e de casemiras
inglezas de cores, e que se manda fazer
qualquer obra a contento dos Srs. fregue-
te%, e promette-se-lhes que serao servidos
een a maior promptido e muito mais ba-
rato do que em outra qualquer paile
na na da Imperatriz n. GO,de Flix Perei-
ra da Silva.
< orf iuados
Para camas e janellas.
Vende-se um grande sortimento dos me-
ntores e maiores cortinados boruados pro-
?rios para camas e para janellas, que se ven-
dem a 123000 rs. cada par at 23-*000 rs,
isto na ra da Imperatriz n. GO, de Flix
Pereira da Silva.
Chitas
Vendem-se as melhores chitas escuras para
casa sendo de cores fixas, pelos baratos
presos de 320 e 3G0 rs. o covado, ditas
muito finas francezas sendo claras, com pa-
droes de cassa a 360 e 400 rs, pechinclia,
na ra da Imperatriz n. GO, armazem de F-
lix Pereira da Silva.
dirsileaa|i!fs preto
Vende-se um grande sortimento dos me-
IIlores grosdenaplcs pretos, tanto lar-
0 atoalbado do Pavo.
Vende-se superior atoalhado de algodo
com 8 palmos de largura, adamascado a
200 a vara: fjttode linho fazenda muito
superior a 3-5200 a vara ; guardanapos de
linho adamascados a >.'M) a duzia e muito
finos a 83000, c ditos econmicos a 3#>00
a duzia.
C'roehrs para cadeiras na toja do
Pavo
Chegai am os mais lindos panos de cro-
ch ou guarda bantras, proprios para ca-
leiras tanto d'encost, como de bataneo e
de guarnir, e o.ilros compridos para so-
f, assim como ditos redondos para m.v.as
redondas, ditos pequeos paraaimofadas, e
utos para cobrir presentes, tendo pequeos
4 para cobrir um pialo, que se vendem
por prego muito em conta, na loja e arma-
zea do Pavao ra da Imperatriz n. 60, de
Fettx Pereira da Silva.
Fustcs para vestidos brancos
a -*.
Vendem-se os mais modernos fustes bran-
i> llexivcis com padioes de listas e de
s lpicos proprios para vestidos e roupas de
menino a 6*8 rs. o covado, na loja e arma-
zem do Pavo ra da Imperatrizn. GO, de
Flix Perora da Silva.
Grosdennples
Chegoa para a loja do Pavo pelo ultimo
varpor un grande sortimento dos melhores
_cosdcnaples pretos e de cores, tendo verde
tambem, que se vendem mais barato que
ni oulra qualquer parte.
PlXIlI.NCil.V KM \I.(0I)A0S1MI0 A O:)500
\ l'KCA NA LOJA DO PAVO.
Vende-se supriores pecas de algotlnsi-
nho com 20 jardas a ooOO a peca, gran-
de pecliincha, na na da Imperatriz n. 60
armazem de Flix Pereira da Silva.
PICHINCHA A 3:500.
Cortes de la 3:500.
Cortes de laa a 3:500.
Cortes de laa a 3:500.
Lazinlias a 280 ris.
* Liazinhas a 280 res.
Lazinhas a 280 reis.
S o Pavo.
S o Pavo.
S o Pavo.
Vendem-se bonitos corles de lazinhas
para vestidos com padres modernos tendo
ada um corte 14 covaJos pelo barato pre-
0 de 3:500 rs, assim como ditas em pecas j
jue se vendem a 280 rs. o covado, sendo
jrande pecliincha na loja e armazem do Pa-
vo ra da Imperatriz n. GO, de Flix Pe-
reira da Suva.
BABADINIIOS
Vendem-se linissimos ba|}adinhos, tiras
b .i dadas e entremeins, mais baratos do que
ni outra qualquer parte, assim como espar-
'illios dos mais modernos, no armazem de
Pela Pereira da Silva, ra da Imperatriz
-.. GO.
ALTA NOVIDADE
A LOJA DO PAVAO
GurguiTo de seda
Chegaram pelo ultimo vapor os mais bo-
nitoJ gui'fairoes de seda, proprios para ves-
tios, sen Jo lisos clavradinhos, com muito
ustro, garantindo-se que a fazenda mais
inda e de maisphanlasia que esteanno tem
ahogado a este mercad.), e vende-se por
preco muito razoavel, na ra da Imperatriz
. 60, de Flix Pereira da Silva.
GftOSDEN VPOi.ES PRETO A MUATRO
PATACAS S 0 PAVAO.
Vende-ie grosdenapotes preto de boa
qualiddc pelo barato proco de 16280 oco-
vado, s na loja e armazem do Pavio, ra
da Impniriz n. 60 He Feliz Pereira da
silva.
CA VIRRAIA BRANCA A 3->5O0.
Vende* pefM de cambraia branca
Iraaspara de, com 8 e meia varas pelo ba-
rato proco de :>500, ditas muito finas tanto
tapadas omotraMoarentes 41000, 54000,
5*180, 7*000 e 8A000, assimeomo organ-
d muito lino tanto lizo, como de listas e
'luadios na loja e armazem do Pavo ra
da Imperatriz n. 80 de Flix Pereira da
Suva.
ALPACAS LUNADAS }PARA LUCTO.
Vciid'-se na loja do Pavao. as mais mo-
dernas lpicas lavradas para hielo, sendo
inmtolargasepelo barato preco tic 800 rs. o
novado, s na loja e armazem do Pavo, ra barato preco de 14000 o covado. na lujac
da Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da I ai-ma/.em do Pavo. roa da Imperatriz n. 60
Siha. I de Flix Pereira da Silva.
Tendo-nos chegado ultiinamente fazendas rnteiramente novas, convida-
mos por este mcio ao i-espeitavel publico a (pie nos procure comprar fazends de
bom gosto e por preces que nao achara em outra qualquer parte.
Atlmiicm !
Madapoloes finos a 54, G.4, 74 e 8,4 rs.,
s no armazem do Leo.
Chitas escuras, de p;droes lindos por pre-
co de 320 e 3G0, rs. o covado.
Cseas de cores com palminhas e com
listas de diversos padrSee a 210 e 320 fe.
Lazinhas ciiizentas e cor de bonina a
320 o covado.
Chitas claras miudinlias a 320 e 3G0.
Alpacas pretas e de cores lindas proprias
para vestidos a 680, 700 e 800 rs.
Pecas de cambraia transparentes a 44,
54 e (i;>. Por este preco admira a todos !
Coi-tes de casemiras de quadrinhos e lis-
tas a 24800 e 34.
Corpinhos brancos para senhora a 34 e
34200.
Pecliincha!
Cortes de cassiaeta e cores para calas e
paletots a 14500.
Cassineta de cores com um pequeo to-
que de mofo a iOO rs. o covado.
Espartilhos muito finos a i 4500, 54
54500.
Admira!!
Grvalas de seda a 500 rs.
Golinhas bordada* a 500 rs.
Lazinhas a 200 rs.! !
Lazinhas a 200 rs.! 1
Lazinhas a 200 rs.!!
No armazem do Leo, ra da Imperatriz ns. t
e padaria franeeza.
Lencoe bordados a G.->, 64500 0 124500.
Ricos o hoin escollados goslos do bis-
nuuUs para .alcas o paletots a 24500 o
curte.
Taabftt tem para acabar pecas de pan-
no de linho. com 27 varas, a 174 e 184-
ioalhas de linho para rosto a 104 a du-
zia.
A os Srs. armadores le enterjros.
Vendem-se pecas de hulianda prcta com
VO covad"s a :s na ra da Imperatriz n.
48 e 52, junto a padaria franeeza, lojja do
Leo.
Attenco roupas feitas!! no anmzem
do Leo, ra da Imperatriz ns. 48 e }&
Assim como temos um grande, completo
e variado su tmenlo de roupas feitas; pa-
letots saceos, sobrecasacos, baques, jaque-
toes, calcas, folletos, camisas, ceroulas,
chapeos etc., ludo porprecosque aduiral
Tem tambem um sortimento de rcupasi
ordinarias por preco baratissimo.
Acaba de chgar tambem um completo i
sortimento do (lmaseos de cores, sendo
azul, amartillo e cor de caf etc., que se
vende por preco eommodo.
Admira!!
No armazem do Leo !
No armazem do Leo !
No armazem do Leo !! !
No armazem to L'eSn '!'
52. jii:!>i a loja de ourivcs
SSA & C.
14-llUA NI IVA N.-ll
Os proprietarios d OSle e pletas ofcinas d alfaiale, encan-egando a direcro da mesma um dos mais habis
artistas ; e para ndlior satisfazer aos seus freguezes lm um variado sortimenlo dej ca-
simira de toda a qualidade, pannos finos, brins, merinos c varios objeclos proprios para
homem, assim como om completo sortimento de fazendas linas de toda a qualitlade,
(iarante-se a nieltior ipialitlatle da fazenda e o preco mais rasoavel pssivet.
gos como estreitos, sendo de 24000 rs. o
covado at 4.41)00 rs. garantindivse pie
n'istt genero ningnem tem inelhor fazenda e
(jue se vende mais barato do que em outra
qualquer parte, na na da Imperatriz n. (),
(le l'Vlix Pereira da Silva.
Ioi 1 de chvre a iMOOOo covado
Veide-.-.(> poil de Chvre muito largo rom
as melhores e mais modernas obre pelo
FAZENDAS PRETAS
PARA A QUARESMA
AUGUSTO POSTO a C.
Itia de Oueiuiado n. II
Heceberam directamente da Kuropa as mais superiores fazendas pn las espe-
ciaes para a quaresma, as quaes est) vendendo pelos mais mdicos pivcos em kisla
ja superior qualidade tle ditas fazendas.
ALTA \#>VI Hl\ til:
Hast|uines pretas de renda, vei-dadeira novitlade, para senhora.
lioigtiro preto de seda liso e com listas assetinadas para WtidflB.
Grosdenaples preto laiyo estreito de diversas qualidades havendo oeste ge-
nero ( que lia de melhor.
lsquines de croch pretos, ditos d" seda prcta com cintos delicadamente en
feitados, elegantes peplums de seda pretl, ticiios pretos de renda, modernas capinhas
pretas de renda e superioras vestidos de gorguro preto bordados.
Moirantique preto a liranco, liomhasina, snperiwes princezas pretas, merinos
de vero e trancados dos melhores.
Os mais lindos vestidos de biond com mantas, capella para noivas, superiores
(toabas de cambraia de linho e de esguio bordadas, e lindas col xas de seda e de la
para camas.
Kahidas de halle brancas, ames e cor de cinza de gosto eepeeial o. ves-
tidos de cambraia brama ricamente tordados.
Po|c9lBes de seda para vestidos lisos e com listas das mais lindas cores
e mais ludios padres, e grande e variado sortimento de sedas tanto en cortes como
em peca.
Cortinado* bordados para tamas e janellas, balos parisienses com
molas novo gosto, balos reguladores brancos e de or, espartilhos e bollas colxas
de croch.
Carniza* de llano inglezas para homem, chapeos tle sol de seda,
grvala.- modernas, pannos liims e casimiras de cor e pretas, c oulras muitas tazendas
que vendem por muito eommodos proco,.
A loja n. II da na do Oiteimado tem semp're o melhor sjtfanttts de tapotes,
ExtcaHis da India para forrar salas.
0 cordeiro previdente
j IIua do Queknado n. f O.
Novo e variado sortimento de perfumaras
tinas, e Aim do completo sortimento de perfu-
. manas, deque otfetivamente est provida a
loja do Cordeir i Previdente, ella acaba de
recel.er mu oulro sortimento que se torna
notavel pela variedade de objeclos, superiori-
tlade, qualidades e commodidades de pre-
pos; assim. pois. oCordeiroPrevidente pede
e espera continuar a merecer a apreciaco
do respeilavel publico em geral'e de sua
boa freguezia em particular, nao se afas-
tando elle do SUJ bem conliecidamansidao
e bai'ateza. Em dita loja encontraro os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita veiduleira de Murray dLamman.
Dita de Colog.ie ingleza, americana, fran-
I coza, todas dos iiolhores e mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentrificia.
Dita de llor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odcntalgico para consorvaco do
asseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e dioi-
cos agradareis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada Onapara cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente,
contras qualidades.
Finos extractos nglezes, americanos e
franceses em frascos simples c enfeitados.
Essencia impe ial do.fino e agradavcl chei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finos e agradaveis.
Oleo pliilocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualitlade,
com escolhidos cheiros, em fiascos de dif-
ferentes tamanhos.
Sabonotes em barras, maiores e menores
pira mos.
Ditos traosparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos cm caixinha para barba.
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
fruetas.
Ditas de madeira invemisada contendo fi-
nas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaris finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
e boneca.
Especial p de arroz sem composicode
cheiro, e por isso o mais proprio para crian-
cas.
Opiata ingleza e franeeza para tientes.
Pos de camphora e outras dilerentes
qualidades tambem para dontos.
Tnico oriental de Kemp.
Aluda mais coques.
Um outro sortimentos de coques de no-
vos e bonitos moldes com filets de vidrilhos.
e alguns d'olles ornados de flores e fitas,
osto todos expostos apreciaco de quom
os pretenda comprar.
GLLINHAS E PIMOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeico.
Fivellas e Ota* para cintos.
Bello e variado sortimento de taes objec-
tos, ficando a boa escolha ao gosto do com-
prador.
FLORES FINAS
0 que de melhor se pode encontrarnes se
genero,-sobresal lindo os delicados ramos
orvalhados para coques.
l'ara viagent.
Bolsas de tajxte e carteiras de couro, por
precos commodos.
Chapelinas de palha da Italia mu bem
entortadas, eenfeites de llores obra de bom
gosto.
E assim muitos outros objectos que se-
rao presentes a quem se dirigir dita loja
do Cordeiro Providente a ra do Queimado
n. 16.
ENFEITES DE PALIIA PARA VESTtf)0S,
CHAPEOS E COQUES.
O Cordeiro Previdente ra do Queima-
do n. 16 acaba de receber um bello sorti-
mento de trancas de palha para enfeites de
vestidos, outras para chapeos, coques etc.
ludo isto est sendo vendido com a sua bem
conhecida commodidade de precos.
ALEM D'AQUELLES.
Reccbeu outros lindos enfeites de seda
para vestidos ; assim como um variado sor-
timento de gallees de la, babadinhos de
cambraia com bordados de cores, cuja va-
riedade de gostos os tornain recommenda-
dos e apreciados ; compareci pois os pre-
lendentes que serao servidos a contento.
TO BEM BECEBEU.
Novo provimento de bicos e rendas de
guepure.
LUYAS DE PELLICA.
. De todas as cores tanto para horneo
como para senhoras, constantemente acham-
se a yenda na loja do Cordeiro Previdente :
ra do Queimado n. 16.
A Perfumara Victoria hoje muito |)rocur*
pela flor da aristocracia, e as elegantes, por
cansa da fabricacSo superior dos productos des-
tinados tos usos do loucatlor, e entre os quaes
ella creou urna espccialidaJc em cada artigo.
Os seus novos perfumes, preparados com a
Estencia de Ylangylang, que ella obiem mesmo
as ilhasPhippinas, pela disiillaco do Vitena
oderatissima, nSotcmcmnonliunia concurrencia,
o que diz respeiio fineza e sunvidade do ebeire-
pelo que aconselhamos ao publico elegante que
peca como perfume para o lenco
0 EXTRACTO DE YLANGYLANQ
0 BOUQUET DE MAN1LHA
Alm d'cstes dois extractos excepcionaes, qu*
sSo propriedade exclusiva de sua casa, os Sr'
Rigaud e 6'1, preparao igualmente, com parcn
lar perfeico, todos os extiactos adoptados pe...
moda, e entre os quaes citaremos os legantes :
'Jockey-Club. Vilela. Reseda.
Ess. Bouquel. Marechale. Jnsmin.
Feno fresco. Nousseliue. Magnolia.
Flor dos prados. Rondclelia. Rosa musgosa.
TOLI1TINA BIGAl'D
E' urna Agua admiravcl para o inilclle, cons-
titueclla o verdadeiro talismn da belleza, e eoc-
seryaa pclle fresca, e a tez do rosto branca, t' a
ultima expresso da scicucia. l'M por'todo.c
reconhecida a sua iucouicstavcl superiaridaoe
tabre as aguas de Colonia, a agua de Florida c os
Tinagres aromticos de maior uomiada.
OLEO E POMADA HIRAIDA
Excellenles preparacOes que se |*idem chamar
o thesouro do cabello, c que, compostas de subs-
tancias tnicas e fortificantes, cmbellezao e con-
servo o ctbcllo, ao mesmo tenipo que Ihe com-
municio um cheiro suavissimo.
SABAO MIRANDA
Quem comparar este sabSo com os que se
vendem por ah, fcilmente reconlieccra a supe-
riodade do cosso. Este torna a cut'is muiissimo
macia, faz urna escuma abundante que forma um
verdadeiro banlio de leite, e nada dcixa a desejar
como delicadeza de perfume.
DF\TOIll> \
PASTA DtVTIIliKlt
A Dentorina um elixir dentifricio dos mu
suaves : perfuma e refresca agradavelmenie a
boca, fortifica as geBgivas, e preserva os dente*
da carie.
Esta pasta dentifricia fez nma verdadeira re-
volucSo na Perfumara; acabou para sempre com
s pos e opiatas, que sao mais eu mAios cidos
ou perigosos. Basta passar urna escova hmida
por cima, para obter nma mneilagem suave
nnctuosa que torna Os denles perfeitamenu
brancos. _^^
POS ROSADOS
Preservlo a pelle do rigor dos ventos e do fro,
eommunicSoInenma agradavel f(pscura, e |>r*-
venem as sardas. Sao superiores aos pos de arras
de amldo. Sen perfume delicioso.
Deposito em Pernambuco, em casa do S"
l'ivilfico C BurlaOsaque & C. ra Nova n )S
loja da Nova Faina.
Para o canta\al
Na nartlo Bremo a. iti m ptn wadef ii
niusdc seda > de la, por piwus lni:tti--im ^.
T
Venilwi Anpnsto V. de Oliveira
Ontiirnereio. n. 42.
Jlilil
& C. ra do
ESGRAVOS FUGEDOS.
TCSSES
CaTARRHOS
PASTILHAS PEI10RAES
DE sueco deALFACEj
E LOURO GE REJO
IRRITACOES
DO PEITO
E' este o mais novo e delicioso confeito al agora .onhecido. Por isto tem adquirido r-
pidamente a populardade de que goza. Os mdicos os mais dislinctos o aconselhao contra
as toses, defluxos. caiarrhos, losses convulsas, calarrhos epidmicos, irritaedes do peito. Com
grande empenhoo procurio as maes de familia, assim para ellas como para as enancas, pois
primeiro que ludo inoffensivo, e as suas propriedades adocantes nao deixio nada a desejar.
Deposito em Pernambuco*em nasa de Maurer O1.
alcatifas e
rtf t""""^^"
4
4
4
4
UIM
OPPRISSll
?-'CIGARROS INDIANOS^
iDOGAIVrVABIS INDICA
SCFOCit
lontnili
Todi* es meios at boje preoonisados coeirs a asthma ale tem sido mais do qm patliallv
debaixi de todas as formas, tendo por base a belladona, o estramonio ou opio. Recentes expe-
nenciat feitas em A-Ilemanba, repetidas em Franca e na Inglaterra, tem provado que o cnamo
indio de Bengala possue as mais notaveis propriedade para combater essa temrvel affecco,
assim isme tosse nervosa, a insomnia, a tyska laryngea, a eaturuidao, eslinecae da voz,
c as nevralgias faciaes. E' pois com o apoio da sciencis que offerecemos estes cigarros, prepara-
dos com o extracto de cnamo das Indias, que nos impoi tamos de Bombaim.
Deposito em Pernambuco. em coi* de bar- O*.
SOFFniMENTOS D'ESTOM AGO. COMSTtPA^AO.
Cura em pouco das pelo CAftvio DE BELLOC em p ou em pastilnos.
ENXAQUECA9( NEVRALGIAS. Essasatracaessiod-
spadas lapidaniente pelas perolas O'ETHER U ailli.
ANEMIA, A PALLIDEZ e os snffrimentos que iiecessitam d
emprtgo dos ferruginosos sao sew( pelas PILU.AS OE vallet. Cid Pilul tem incravado o noi-.ellU.il.
PO DE ROG. Basta disselver um frasco d'este p em meie
arrala d'agua para se oiti'r urna limonada sfrailavcl que purm sem b-
aer clicas.
VINHO DE QUINlUm *e Uarraqne. leu- vinbo, um dos
poucos cuja compe&iglo garantida constante, urna das melberea pre-
paracoes de quinino, sea accao nauvel sobre as convaiesceiitea, dando-
Ibes torcas e ajressaitd* i velta a ude- Cura as febres antigs que as-
sisto ao sulCato de quinins.
MOLESTIAS OA BEXGA. A maior parte d'estai moles-
tia?, camo aa soiaticas, lombafroa, ciUrros, e toda* as dore* nervosa era
eral sis eiirudas pela krolak oc essenci* de therei ntihs da
Dr. Clei-tan. O proltssor TroJasseau tasssu Traltede literapetuita as*-
itlha as pan sercui tomadas na ibcumUo do jantar, na dty de a 12.
OLEO DE FIGADO DE BACALHAO OE BERTH.-
aranvido puro de prmeira qmhdads, n des pencos aproadas pela
academia de med usa.
AVISO. Toles tOm mtiicamaslM fftm tfrmiint pek Academ*
ivQtrmi t Makcaa 4 Pars.
tU-Mmekt.
Baha..
#m Prt.
HufietO.
D*rc s> rec. !.#
Cerno.,
lUcaaaetO.
Icssa et O.
NOVIDADE
A loja do Coollio & Oliveira ra do
Queimado n. 19, recebeu pelo ultimo vapor
um bello sortimenlo de bales de divei'sos
systemae, os mais aperfei^oados que iaem
vindo ao mercado, sendo :
Bales de guipur com tiras chamados
reguladores, ditos de musselina abertos por
ambos os lados, de modo que sendo todos
de um tamanbo servem para qualquer se-
nhora, de laa de cores, com tiras, e as so-
geiutes fazendas:
Salas de laa com bonitas barras.
Chales turcos de seda e laa Beatriz de
Tundas.
Fitas de guipur pretos Rocaiuboly.
Chapeos de sol para senhora, muito lin-
dos.
Liaslnhas
Sultanes, Poil deChevre, Tricte, dito de
xadrez e outras muitas, entre ellas urna
Especialidade
L3a pura de co"es a 360 rs. o covado.
Basquinas a Mara Antouiete.
Cambraias fantasa.
Ditas brancas transparentes e Victorias.
Colxas adamascadas.
Cobertas cbinezas a 2$500 rs. e outras
muitas fazendas que tornar-se-hia enladonho
annunciar.
de cera, de niassa, de rame e de soda, a precos
baratissimo, em paredes e a reteiho : no arma-
em do vapor francoz, ra Nova n. 7.
Roa recompensa
1'an unauhiH'er o dia 10 do rwmrtc fugi
ciil'.'mIiii C;inilir;iva. no lornio i llaiiilx''. OfBCW
Benicrda, niutilo, de idae 25 armo*, peuon rnai<
uu Monos, alio, seeeo, rosto doscaenaio, pouc^
barba, jueixo lino, i'- limpus. pernas Unas, toc-
iln alalia um ponen demorada, e sendo bwtNDte
espillo: quem o capturare o fui' entregar no
mencionado enpi-nlio a SM senlior Antonio Corren
de Oliveira Andrade, lera muito boa cecoinpeasa
Pede-se o auxilin e attencio da potiria. a qein -
pivviiif que o iiiosHM esetavoangum para 0 K-<
fe ombai'eand.t-se etu Go\anna. Suspeita-se qu*-
elle procure dalli emliaivai-si- nar t|iialt|uerot:-
tra provincia. ___
Fujrio a 15 do^eoSJte ra de janeiro
escravo Se nooM Kelippe. sato com -' anuos <
idaile. um potieo alto, subianeelias pelas csei-
iail;i>. os cabellos acalioculados, iitiainlo anda pi-
za duro e com pasaos breos, tem urna maread*'
eananco do lado diiviio sobn o ligado, lovou cai-
ca de brim de quadrinhos pelos, camisa de ma-
dapolao. chap preto de lao raftando. ete eseni-
vocnstunuivaa D4hftr na na eofduzindo gene-
ros de urna venda da ra ircita para a estaeS'i
das Cinco l'onlas. nattinil do lugar Canhotinno.
da ftimarca de S. lenlo desla provincia, e fri
comprado ao Sr. J. Alves de Mello, morador no
mesmo lugar, presmese que 0 mesmo oscrave
continua a ganhar na ra, munido de um bilhete
falso procurando stnhor pede-se aos Sra. eapi-
laes de eatnpn e mais autoridades poliriaes a cap-
tura do dito escravo e lvalo ao sen senhor Jof-
Pereira de Miranda Cnana, morador ein Santo
Amaro, sohrado grande do Sr. Mannel Custo*t'
n. S. que segratitlcar gfuernsaiHente. _____
O aliaixo assigiuulo recommenda a captin.'
do sen escravo de DOJue Joaqtiiin, mualo, fugide
do sen sitio do Munfico, comprado aos peus oV'-
nos os Sis Join Goncalveti da Silva, Vicente fe-
\;ileanli de Altinquerque e Alexainlre Gomes da
silv.i. aesta cidade, par intermedio de ios pro
curadores na pessoa do Sr. Manuel PnnivTOj
valcanti. lulos i Pao d'Allio e \u Sr. Sansas rorreesor du swiaxa^ rujo esrraa^r
lainlieiii nalural de Pod'Allio e tem oa distices
seguintes: idade 35 aimus. secco do corpo c ui;i
poucoalto, bigode, cabello uro pnuco eanqifeedn
e (icnteado, falta de teates, nina inflammacAo oi-
eruada na jimia da inao esquerda, falla a sertaw-
jo. muito deseaniiada e mansa : levou camisas dr
madapolao e riscado de aiflodo, o calcas de brim
pardo, t) aludi assignado muito recoinnenda a
capiura desie sen escravo ledas as aiKorKtod*'-
e mais pama encarregadas da capiura do esera-
vos. nao so pelas diversas oidades. villas e povoa-
doc, oomo |ieJo seno, para onde pode ler segUiaV,
promeUe bem gratilicar, e tambem a inalquer
pessoa ipie d'elle der noticia certa ; a dirigir
se ao seu escripiorio a na do Crespo n. 16, aa "
seu sitio no Mon'eiro.
llecil'e, 8? de Janeiro de 1KC>9.
AntnnioJos fodiifues de Sonsa.
A diae que *e anseutuu da casa de seu sennor o
escravo Ciclo, erioulo, natural da cidade da Babia
ptimo otlieial de sapateim, e trabaHiava na loja
ilo Sr. Ma^ de Andiade. sha ra da
Cruz, sabe ler e eserever, e iiHuui-se foriv, anda
calcad-1''111 ona 'U '* pO'ineno do pie o on-
iii a cabi'ya comprida, Cesta batida, o pesee-
ro com drmrsas cieatrizes provenientes de ewmfa
las, um Unto batxo e reforcado do corpo -. pni
o jtppreiiender leve-o a t*t* n. 11 da ra linpeml
a sen senhor Aprigio Jos da Silva, ou no largo "
Panzo n. S6, casa do capttSo Perix Francisco *
Soura Magalrrae, que :r recompensado
amate.
Escravo fgido.
Da nadan;, do paleo do Terco n. 40 fugie o
usciavo por nome Amonio, baixo, <*eo do eW-
po, ns cambaios, um psijiieBo felpe a orela..
traiesaloraica e jjkiueu de erim. okapio e u
da, desconfiare que levou um sacco com roana
qum ao mesmo appteueadar e levar na' padaria
cima, ser bem grafifleado.
'




8
Diario de Periiambuco {fabbado 6 LnTERATMA.
Instituto Areheolosice c Geogra-
Pernamtafano.
phiro
DE JA-
SESSAO MAGNA AVN1VER.SARIA, EM 27
NF.iHO.
Discurso do Sr. V. Ferreirq Jnior, orador
do Gabinete Portugue: de fritura.
Senhere*.Vonho. perante vos, repre-
sentar o Gabinete Portugus de jEeitura;
iho em norae da instituirn a eflie me
honro de perteoeer, prestarlos p preite e
homonagem, que todos deven, a ri^ados
benemritos, que quaes outras vestaes, se
empenham emconservar sempre vivoc ful-
gurante, o sagrado fogo do patriotismo.
o Gabinete Portuguez de Leitura, fillio
como o Instituto, do amor sacrosanto da
patria, nao poda exiniir-se de comparecer
solemnisaco do vosso aiiniversario, mr-
mente ganda a data deste, record* uin
dos dias mais gloriosos da historia da lie-
mica provincia de Pernambuco. qual o
Gabinete Portugus deve tanto favor e con-
sideradlo.
Sois para nos, senhores, nao s os es-
forzadas centurioes, que guardaes religio-
samente os humbraes do riquissimo templo
da gloriosa historia pernambucaa ; mas
lambem os apostlos inspirados de una
religio, cujas doutrinas atam em fcKtol
as pedos, o mor da patria e a venerarn
devida aos hroes, cujos feltos ennobrecem
ns paginas das tradieces nacionas, desper-
tando d'esl'arle, em uossos coevos, o de-
v'JD ardente de legar aos vindouros, afctos
de lieroismo, que os tornom mereeedores
das liornas da immortalidade.
(cande fai a idea que presidio a fundaro
do Insoluto Archeologio e Ueograpbico Per-
uamttacano ; grandioso o esforc, com que
tendes desempcnbadn a to ardua, quao be-
nemrita raisslo de que oflieiosamente vos
encarregastes.
Qual outra arca das escrituras, o Insti-
tuto Archeologico e (ieographico, resguarda
da diluvio de p levantado pelo camartello
demolidor embanhado pelo braco crimino-
so de indifferentismo, mnitos e gloriosos
padrees, que demarcan) os theatras dessas
dictas homricas, em que se ampenhram
os antbeus da liberdade. para* salvarem esta
heroica provincia das cadas do captiveiro
e (lis garras da heresia.
A historia a miragem das naces.
Pernambuco tem urna historia peculiar:
grande, gloriosa, brilliante como seria
crime de leso-patriotismo, deixa-la sumir
na voragem corrosiva dqs seculos.
Quando a decadencia das naces as torna
desconsiderada ante os povos que caminham
pela senda da wwperidade, eucontram
aquellas sempre um lenitivo adversidades
na recordaoo dos feitos gloriosos de seus
maiores.
' assim que Groe e Roma, apezar de
saa decadencia e qnasi null'ulade poltica,
linda se desvanecein ejdp-riam, ouvindo os
Vitos assombrosos de seus maiores, conta-
dos e diseminados por todos os pontos da
trra. .
A vos, senhores, coube-vos a subida
honra do resguardadles do esquecimento
o cofre precioso das glorias patrias: a vos,
pois, a considerarn e respecto dos con-
lemporaoees, as heneaos, e a veiieracao dos
vindouros.
Tendes feito muito; mudo vos resta ain-
da fazer.
Avante pois!
Se a gratido do presente como de-
ve, a precorsara da veneraco do porvir,
os vosses nemes serte das geraces vin-
douras, e vossas memorias bemditas ao
perpassar das horas.
Em nonio do Gabinete Portuguez de Lei-
tura vos sado, e faco votos, para que a
oasa utilissimae honrosa instituido, avance
sempre pelo caTninho arduo, mas glorioso
que tem trilhado, amparada pelo verdadei-
ro patriotismo, o sontimento mais nobre,
e o mais capaz de grandes coramettimen-
tos.
Tenho dito.
Retrospecto poltico de 1 SOS
(Do Jornal do Commerdo do Rio)
III
Repblicas Platina*.
Paraguay
Ah mesmo devia recebero maior castigo do
sen urgnlho,vendu-so obligado tambem aen-
trogar-nos osla prora de guerra, quesuppu-
nha iucnquistavel, c por meio da qual pre-
tenda estender sua dominarlo at embo-
cadura do Rio da Pirata, a titulo de manter
o equilibrio politico-daquella regio.
Antes, porm, que isto suecedesse, pas-
sarara-se quatro compridos mezes de angus-
tia c de anxicdade no Imperio..V duvidaj
priicipiava a affstar os espiril s, que suc-
cumbfara perante a cnormidada dos sacri-
!ici is feitos c perante a probabilidade
de seren flea anda precisos por muito
temo i. Aecui"iV-sc o general emchefe da
prolongado da luta.. por nao querer levar o
ataque snpsiijSes inimigas. Dizia-seque
deste modo Lepez teria teinpo o> evacuar
a praca, como evacuara os outros pontos,
levando lodo o seu exercito para nos espe-
rar em posices mais vantajosas,
N3o se attendia a que, emeada movimen-
to (lestes, o nimigo, alm da derrota mo-
ral qu solivia, perda sempre toda a sua
artimaa grossa. Ce se considrava prin-
cipalmene na grave responsabilidade que
pesava sobre os hombros do general em
chefe, que tinlia as suas mitos, nao s a
honra e o deslino da sua patria., mas tam-
bem a sorte das naces alliadas, e mesmo
a di propria repblica do Paraguay. Nao
se via que nestas condicoes elle nao poda,
ne;n devia arriscar um combate de resulta-
(!o duvidoso, quando p;* oulro meto; igual-
mente militar, chegaria infallivelroente a
vencer o inimigo.
Para satisfazer essa vaictlde fra Bister
que o general em cliefe emtanse na sua pa-
tria com ata novo exercito promplo a voor
ao campo de batalha, pira imntdiatajnenle
reparar as cOnsequncias de ipraquer revs,
muito possivel,e mulo prov.iwU* vista dos
recursos que o iuimigo acabava'de apro-
seatar em Villeta o Angostura*. Opiz, po-
rm, iitio poderla faz 'r este novo sacrificio"
seiiao a muito casto e com demora, e to-
dos saheni que'*a estado das nossa.v finan-
cas lai.inos perniittia esperar o tempopre-
ciso para crear este otttro exercito.'
Era necessario. pois, ser parco rom o
nico que possiiiaiuos.que tinhamos arca-
do com tantas difliculddos, e que estava
(Tisposto ou a sepultar-se todo nos campos
do Paraguay, 00 a vingar a affronta feita
nacionalidade bnsileira.
Quando se levarem em corita todas esfas
circiimstancias, c outras que nao tem cal-i-
da aqui, ha de recoflhecer-se que dabe-
raco tomada pelos nossos .generaes foi a
mais sensata e a mais patritica:
Felizmente a inqiaceiu'ia dos que aecu-
savam tio honrosa, como o procedimenlo
dos que- ouviain impassiveis as censuras e
coiitinuavam a cumplir o son dever com
abnegarjaa. Uns e outros se mspiravam no
caguayos pas.-ado para o GJiaco, flu
naquellas celebres ameias as bandeiri al-
liadas. Tra:isforio-se ento para a mitra
margem o thcatro da hita. Os sitiados fi-
zeram heroicos esforcos para se reunirem
aos seus companlieiros do Timb, que os
ajudavam com vantagem, mas oacontraram
nossos soldados e marinheiros, que nao os
deixaram realizar o sou intento. Durante
doz dias successivosos indmitos Paraguayos
acuados n'um bosque impenetravel resisti-
ram de modo admiravel. As lagas que
conmimicavam aquelle ponto com o Timb
foram a arena em que se decidi a sorte
desses bravos, que a toda a hora do dia e
da noute encontravam os nossw para dis-
pUtar-lhes o passo com igual d.jnodo, com
igual tenacidad !. Era carpo a corp, com
arma branca, com desespero de parte a par-
te, que se sustentavam estes singulares com-
bates.
Por fim o coronel Martnez, que comman-
dava os sitiados, ouvio as palavras de paz
que Ihe fallou um ministro da religio, e
aceitou a capitltacSo que llie propuzeram
os alliados, movidos polos desijo de pou-
par o dcrramamdnto de sangue intilmente.
No dia 5 de agosto o ltimos defensores
de Hmnavt se entregaram. Era esse dia
o a.iiiiversario daqoeHe ero que Estigambia
tinlia oceupado Uruguayana! Que singular
coincidencia!
Contdda esta campanha com tanta hon-
ra come fortuna, nossas forras nao dormi-
r ni sob os huro.
' O general ero eliefe tud preparou para
invadir o pafe, e para continuar em' prfmi-
ra do dictador; qw 9e diza ter estabefe-
iVIo sens no^os- entrwn'heiramenfw na pr>
sico fvoravel do Tpf *iquary.
J no dia i^ de agosto, isto 23 dias
d'epois, o bara!doTritafbo encorrava a
vangiwrda do .imigiv ik margem esquerda
dh({b!le: rio, e ;atirava pura o outrclado.
f'Jior Lpez nao fwsse tidb tempo (fe for-
tifica"r-se,'qiier retsonhecesee que a siteacao
era>\Hdnt.*ravel, ])ots que os- monitores apo-
deriaiii' flanquear entrando io rio, o faco
que no dia 1 de se**ml>ro aiondonava elle
a formitavel linha. que sempre receiansos
nos tolhcssc a marchapor muito tempo.
\ nwdida que peaetravamesno Paraguay
os soiis-mvsteri is se nos am revelando, e
as crueidades de Loi*z, de (jic Tagamentfe-
se fallava) st? foram pouco a jioueo mani-
festando ein toda a sias'hediondfcz.
Anda e$t bem recente a profmda im-
pressao qjio pniduzio iwHrasi % descrip-
ro queoSr. marquez fi Gaxia* Ifez da scj-
110 pavorosa que enconaroaienv 9 Feman-
do, acampawnto contigua ao Vhiqaary,
qiie acabaw-de sor abaiftlonado petobrraor
no. e ornU: 'entinares dt cadavere* de in-
Felizes victHHM ipplicatts naqitettes dias
intorosso publico, na gloria do paiz, na con- jaziain si'ini-^c-pultos, petMiuio vingaiiaa aos
veniencia de concluir com mais presteza c
brilho tito desastrosa guerra. Seguiam di-
verso cammlio, mis procuravan o mesmo
fim.
Quando nos achavam is nesta prostracio
fomos dispertados pala noticia de urna se-
gunda abordagem tentada s"m'xito pelo
inimigo sobre os encouracados Barroso e
fio-Grandc, na noute de !) dejulho, defron-
te da Tayi. Foram novas vctimas sacrifi-
cadas intilmente pelo tyramio e novos Ion-
ros conquistados pela marinha.
Em seguida tivem isadescriprSo do-com-
bastes de 10 e 18 de*julho.o primeii o leva-
do com arrojo pelo visconde do Herval at
aos ltimos eiitriricheirainentos de llumav-
t, e o segundo dirigido com menos felici-
dade no Gliaco pelo general Hivas. As per-
das ijue SOffreQWS uestes dous importantes
rccoiiliecirnentos demonstraram mais clara-
mente quanto seria arriscado um ataque
geral e assalto.
Pi*r oulro lado o inimigo observon quao
critica se tornara a sua pisicao desde que
a expedico mandada pelo general em die-
re do exercito alliado para oceupar o Cha-
co conseguir desembarcar, manter-se afii
e completar o sitio de Ilumayt, fechando-
Ihe a ultima communicac') que Ihe restar
va. A zona que at entao conservara livre-
da nossa accSo j estava dominada. A llo-
ra da queda de Hiimayl'i tinha soado,
Urna semana depois (lestes combates a
orgulhosa fortaleza era abandonada pelos
seos defensores, que deixavam nossa. dis-
posicaoum immenso material de guerra,
cerca de 200 canhes de diversos calibres
e outros preciosos trophos. Foi no dia
25 de julho que, verificado tere -os P-
ceos. Era ft-prinieira ccfilimnacFio de um
mrnor vago qpe carrera wbre a descober-
tade unacoimpiraco,nax^alestavaiacom-
proaiettidos O'Wmo do litadr, DBenig-
is) Lpez, sciii ministro Birges, o-oriental
Cineras. fatal instigador das calamidades
que ha quatn>aunos nos vcabrunlianv e ou-
tros nacionas e estrangeiros nolaveisv
Emquanto o exercito lr;*spunha o lebi-
(jjiary e marebava sobre VLIleh, oodt cons-
tava que Lpez tinha feit alto, aesqjiiidra
ilevassava o rio. o ia enawtrar o jrimeiro
obstculo na Angostura, tegar assiBkitk'no-
ininado, porque alias margeos s-i conche-
gam e comprime* as aguas, de m>dd" tor-
nar o'canal iF-iii oestreitiK. L'm.s- encou-
lacado, o SHrad; arrojadmnente enapcehen-
deu o reconlieeimento no'dia 7 de setem-
bro, c saudouo anniversarioda nossa inde-
j-ndencia tracaid balas c-bambas-comas
I.* pe^as que-verificou eatareUL assestadas
las duas baterian levantadas naqiieila forte
ifosicio.
O SUoaio avisan tambimdaus vapores
inimigos, mas naojiode alcanca-los- com as I
suas lulas, porque abao* delles soacbava
ifimdeada a < anhoneira americana )&asp, quej
tinha ido recebero Sr. Washburn. ministro;
residente no Paraguay. A.rebKida deste-v
diplomata, qpe desde fr>principa) da guer-
ra pareca ter -esposado. abrt amento a cau>
sa de Lope*, foi outra maravillia que reper*
Unamente oas scrpretuleu. Mca-um nov^
enigma, chave das incomprehenbiveis evoln?
c5es da dlplonaei americana, at agora no
l'araguay.
O lioiaem que nao tinha poupado esfor-
cos paraacender urna lula .entre o seu paiz
e o Rras, somonte para produzir urna di-
FOLHETIIW
CATH1RIM
POR
Jules Sandeau
XII
Wueeede um domingo a outro,
mas nao se pareee um eom o
outro.
(Continuado do n. 27)
Deixa-me t exclamou a pequea
fada no arrebatamento da sua desesperado
Bem te comprehendo : vens aqu para
te regozijares com as mnhas lagrimas, para
te vingares com a minha dr !
Perda-me, Catharinha- Eu promef-
tera appareccr-te s quando pedisse o
meu auxilio, porm olha o que encontre
ao despejar a bolsinha do peditorio. Na
idea de que isto poder encerrar alguma
rousa que te d allivio, apressei-me em
trazer-t'o.
D c, d c interrompeu Catha-
E, desdobrando com os_ delicados dedos
um embrulinho de papel, d'onde cahio urna
moeda de ouro, leu ella, com olhar ancioso,
algumas linhasalapis tragadas por Rogerio,
algumas palavras apenas, mas que respira-
vam amor e esperanca :
Amo-te Quanto s formosa ajoelha-
da e orando no meo dos pobres !... Oras
pela nossa felicdade ? Empalldeceste
quando me viste ? Soffres ? E's bella e
bella sobre todas as cousas f... Meu pai
regressou, e em companhia de minha tia e
prima, que vs ao meu lado. Elle sabe
tudo ; ouvio-me sem se encolerisar. Na
nossa primeira entrevista, hoje ou amanh5a,
sabaras tudo. Se en nao poder escapar-
me para te vir ver, em vez de me incre-
pares, lastima-me !
Obrigada, Claudio, obrigada I ex-
clamou a joven, apertando-lhe a mao.
Ora pois ; ainda bem! disse o bom
de Claudio com ar de resignada satisfa-
C3o.
E, dito isto, rerou-se discretamente,
verso a favor do dictador, era por esta
expedido de junto de si, depois humilhado
indignamente Justa puaico pie Ihe inflin-
ga em remunerado do serviros que deve-
riam ter posto em duvida o seu carcter!
At agora temos visto a bandeira estrella-
da da Unio Americana respeitada em todo
o mundo, e seus diplomatas t -atados com a
deferencia e considerarlo que merecemos
representantes de urna grande naco. Es-
lava reservado ao Sr. Wasliburn apresentar
o primeiro excmplo do contrario, nao sa-
bendo fazer respeitar as suas humanidades
estava reservado ao dictador Lpez / imbar
impunemente da poderosa repblica! Do
interior da legaro dos Estados-Unidos fo-
ram arrancados um a um para seren con-
duzidos ao supplicio os desgrjieadas asyla-
dos que nella procuraram um refugio ads
terrveis effeitos da suspeita que se tinha
apoderado do espirito do tyranno. Do pro-
pio lado d^cliefeda legaco, pie j tinha
sido obrigado a entregar aqm lias victimas
ao algoz, foram tirados dous eapregados
que delta faziam parte, para terem o mesmo
destino! E Washburn eiubarcju espavori-
do, sob a accusai;o de conspirador, que Hie
foi langada em rosto em nota diplomtica,
com outras mais graves censuras, c s res-
pirou a bordo da canhoneira djsua naco !
Nunca os aosas diplomticos registraram
urna correspondencia mais singular do qee [
a trocada por este ministro com -c* goveroo
do Paraguay! Quanto mais se l, tjwto mais
desagrdate! a hnpressao que tica.
A vinganc/a que Washburn torooa foi
declarar Lope?inimigo1 do genero humano;
n) obstante, 1 seu surcessor quem Iwjeo
acompanha na> agona, qjia?ni, se ha verdad e
as ultimas noticias, acete a sua testamen-
taria e a tutela d um dos- lilhos! QuotOS
enigmas para (fewfrar!
O Brasil, porm) obteve- om a publica-
c'destes importantes dotiuwentos urnii*-
nrtaiso triumpho moral: pd6*foe pela pro
prw peona de um dos seus-mais ardeoiv
advensurios ficou trovada a ju.tiri da sua-
eaus* combatendo-sem-tregnes- o sanguina-
rio dictador do Paraguay, que, iritnsforman-
do simples conversas- cm tenebrosa-* cons-
piraces; nao se deteto1 perante o fratricidio
nem o saerilegio para-abajar saojgofl as
vozes importunas quelhe dispwtavasa ore-
morso. Sen irmao ersea bisp>,-naiSallan-
do em eulras- pessoas-que vienm* cm sua j
l>rivanra pagaram con*-a /caneca O'criMW! de
pnsar popuao instante sobre o futan do
Paraguay.- Naquelle pon m idelo naipella '
Km li\ie,-cosaodizeia-ui paiu turistas-, s
$Ab pensar'mi hoimrtt
Contii*an* a desmipr) do& swcc^O!*
Huaros d -ultima carapujriu, que doamii-
RHemos da i Asttmpf\ porijis-. a ponsj
Ifesla cai>ial fiii o seneftgecyo, dwaaos
iSzarque o*exercito iik) j no.-tHii t de
on.UiQbro es&ra em poeiro de- olTeetinr
itm Teconhtciittiito da toda a linJUdfcPi-
(fsoy. (j, atlhada co mais. de M)
caaNs, anceelia e tttudia os- aeanapo-
moatos esaolhidos pelo (Helador, isa Y..!>rta
e na AngufiUiua. Esta oftracjio jiealiauda
pHx> visconde do Heival demontrn; sjk
ecaaimposaiod seguir tana diante.
As obras- aujcnUrtaV s?lo niaigot (fe
ccmbiiiacao orna as dficaldades oaUraos
do., terreno, laostiluiaui aquella, pesiad
ornadas maisdilliceis-d mquisteti. t'ia
e^tonsb e n/wundo buthado pistegiarllit-
teda a frente,; proloiigiindn-f*'- tanto- para o
interior despaja, que pfia witorn*!,-seria
ik'cessario. vir de noro-am Tibiquar.% io-
passa-Jo, espontar o terrtao firme -e sisbr
novamanle- nara o soute-. Se dnpendeaaa
dfcste mcA-iraento coaqdirado a sorte da
campanha,. ea eslan perdida. Pelo o
abi estavaiasiai fortificar.es de Angustura,
.Jas nasaas4kopas pelaae^fiadra.
Agora oxpcffvra-se araatio qedeve Lopes
para abaudonar o BeMquary. J lidia
{reparao> eomanticiwarjs) aqueje- tcrrivel
escolhOy onde persiRC*>*e esmagaa texto a
poder (ift allianca> e onde metaUDeolB a
nossa causa coitouios- mais siios pangos.
Pwde-se conjecli-rarqual niioseria instes
dias a aluiccao do.geueral. vcaattaa assim
contrariado"! NSo-desesperom. parra, do
xito da sua miss.
Na outra margem. do rio existia, talveza
solufai) do problenaa. Loptz salvou-se
pelo Chaco, quando evacuoui Humayt, o
Chaco devia perde-lo dando, passagent aos
nossos bravos- para alcani-arem, o ultimo
antro em que se tinha rc-fugiido. Con-
cebida esta idea, fai inmediatamente exe-
cutada, 6
Primeiramente passau no dia 10 'de ou-
tubro o coronel Tiburcio com dous ba-
tallos para proteger os engenheiros encar-
regados de abrir urna picada as florestas
virgens daqocile terreno fugitivo, por saber
o qual dominam as aguas a maior parte do
anuo. Reconhecidaa passibilidade, seguio
logo o general Argollo com novas loicas
para dar impulso ao trabaflio. Finalmente
ao cabo do 40 dias. os prkneiros explora-
dores couiiminicavam com a divisa) avan-
zada da esipiadra encourarada, que se
uiantinl* cima de Villeta.
l'ma testemuuha ocular acaba de mani-
festar as segrales linhas, que sao bom
eloqueutes, a grandiosa trela que os nossos
soldados executaram.
O terreno do Chaco, movedico, eoberto
da hervas altlssimas c de bosques swia-
res e ibipemtrateis, pareca iuaeceasKul
ao homem. Para poder abrir um cernadlo
lor aquellos lagares era necessario derrw-
bir as selvas, solidificar o solo, supprimir
os arrojos, fabricar ponte* e hitar com as
endientes do rio Paraguay, que destruiam
em poucas horas a obra de mutos dias.
Apozar do calor, da agua, dos insectos, da
Dataren ingrata do Chaco, cm somma, a
obra foi levada a effeito pelo general Ar-
gollo.
Valia bem a pena todo este mortificante
trahatho. porque era o caminho da gloria
(nc ahriana!!
O" inimigo1 nao acreditou1 muito-no- xito
do nosso rdawo, conliandc* naquella^tr'ai<;es
da natureza. Estava persuadido (jnc esta-
caramos diante de Vilfcto seis w> oMo
mezea, temiw' sufiiciente para pvepnrv
urna mediac3(>, ou promover-nos novos
todos
com arrojo, e tres vezes defendida com
tcnaeidade, a victoria parece indecisa. O ge-
neral em chefe apresenta-se, corre aos lu-
gares do maior perigo, o enthusiasmo re-
pasos, e a ponte nossa, deixando o inimi-
go o campo da aceito juncado de cadveres!
O exercito nio descansa; refaz-se das
perdas soffridas, e prosegue em procura
ilo inimigo. Este porseu lado nos espera.
No diall sobre o piisso de Ivahy, chave
ile Ville'a. encontrao-se os belligerante, e
dio urna das mais importantes batalha do
sul da America. Airaba bandeira brasile-
ra sabe radiante de gloria desta nova prova;
3,308 inimigosinortos, t,(H" prisionero?
e 40 pegas de artilharia indico a grandeza
desta aceito e a grandeza do nosso tri-
umpho.
Restavo os reductos (fas Lombas Valen-
tinas e Angostura, posices perfectamente
fortificadas i* bem guarnecidhs. Naquelles
se aflirmava esflaro proprio Lpez com toda
a soa familia. O general baeileiro podia
pela primeira ve* satisfazer o seu' empenho
de dous annos, encontrar frente a frente o
chefe nimigo.
Tudo se preparotf para o asttltv Antas.
porm, de realiza-o intimau o general bra-
sWrO1 ao general Lpez que depuaesse a*
aruttis. Este recusore,- respondendocapcio
saininte. Apenas nossos soldados ocebe--
ramordbm, ncommetteiiameom impetoirre-
sisliveK O general Lapez, acompasado
por (feos outros chefes," fugio desalmada-
mente per orna matta, e at hoje n3o- se-
sabe o ponto para onde sr dirigi.
O inmigro americano o precedeu na Alga-
condozfodbMhe a amante e os- filhos!
No diiv !!!, Angostura captttafava, e a vlc-'
loria dos alliados era cjrapieta. O cami-
nho paral llawwmufii Dea** mteiramente
franco, e f r;ni' ofleito para l :gniram im-
embnraros. AH, pois, cofteentrou
os.seus recursos-, todas os seus eleraSCfl oiediatameste as torras de mme Ierra,
de defestr, dicidiirtb a jogar a* ultima par-
tida.
As nu\ns acnmtiiladas pr.r snbee son
cabera petas revdbces de Washborn .lb-
raur-se poico a owito dissipand. enean
tr.indo ellenaqueltes mesmosijue Ibes foram
limar conlU face histrumei*>s da sua
fnganca.
O eommiTidante rtfe- rima canlewira
it*-
Finalmoid-' honra do Brasil est com-
pletamente NSiigada, e a bandeira nacional
ftirlua magertiiwi, ao lado das cores da alli-
an*;a, na [iropria- caftilal do loaeo tyranm
qiC' ousou al>onta-la. A ambir,*- deses-
perada de uitthemeni vnlgar, que se encon-
trp om poder sen* Itoaiios, sobra' una povo
isaantaalmente- oliedha, aniqntiu o Pa-
U1 raaaaa e esteriwe p* muitos i.anos os
'.. hsamjeada ^^STsJC alemeatos da gaaiideiVdo BraaM.
reeebeu de Mrsa Lvmdi a ajoaa*^btolar V(fnFm0S) *MS.c.hMIBKIR as vKtfaaaa sa
do^ictador, o -inaiS anda peb^ma di ^..^ Mlmv^ .-.eados aocom-
caateta de ser o ecofludo para depo-- m,.1.il), t.,, a,rifTltorav m n.ilhoiMl^pen-
tar>* urna grande soroma, f^^ Judos improilurfiranieale.
ne-pajaHriSt-qUe l-im. aceitwto seus ^- { ,,a_ d() |f5S60 lf_
Hidratados . de oMranspoitr par^a Europa. *.'nao dei- mly#w\om\nhn-?i>\m- aoBsea minhos. Bo-
om quanto Catharina. esquecida do. mundo
inteiro e sorrindo atravez das lagrimas, co-
mo urna manhaa de abril, em (jue o sol se
confunde com a chuva, lia e elia o bilhete
de Rogerio, devorando-o a Lugos tragos,'
como a corea esgota a foute quando, ex-
tenuada de fadiga, se v l'tvre da matilha
que a persegue.
Em quanto se passam oslas cousas em
S. Silvano, Kogerio, triste, zangado, des-
contente de si mesmo, volta a Bigny, vio-
lentado pela companhia das duas damas.
Tencionra elle escapar-so depois da missa
ainda que por um momento para ir apertar
a mo ao bom parocho, dizer adeus ve-
Iha Martha e tranquillisar Catharina da
inquietara em que a vira, porm a multi-
do curiosa reunira-se campada em volta
da carrugem. A Sra. Barnajon desojara
escapar-se s vistas d'aquella rustica con-
correncia, e, portante, Bogerio, para satis-
fazer sua tia, cujos sobranceiros olhares se
Ihe impunham como soberanas vontades,
teve de retirar-se como fra, isto sem
poder dar largas ao seu coracao.
Assentado defronte de sua prima, para
com a qual nao sabia porque comecava a
nutrir secreta zanga, o joven visconde con-
servava-se calado, carrancudo, aborrecido
e como amuado. A Sra. Barnajon contem-
plava os arvbredos; s Malvina sustentava
a conversarlo.
Ora pois dizia ella. Tudo isso
menos agradavel c distractivo do que en
suppunha. Decididamente nao merece o
passeio. E' horrivel esta igreja c" horriveis
lodos Os aldeos! E a aldeia ? Que co-
vil t Na ra cresce a herva como n'um
prado e as gallinhas andam s solas I Devo
confessar, todava, que ha alli um bom
typo :. o parocho. Conhcee-e, primo ?
Deve ser um bom velho.
E' um santo homem, digno de toda
a estima e venerara i.
Sim, continuou Malvina agradou-
me aquelle patriarcha. E' pena que officie
t5o morosamente, o que devido sua
longa idade.- E aquelle imbcil que cantava
no coro, conhece-o, primo ?
E' um excedente rapaz respondeu
Rogerio.
Como Ihe chamam ?
xa-fes cominuakar c*n> twnhum pnrtn da
America, ond^existsun suas ii.afiwres e
filheaf
l:m.ministro (ki grnndb' rt'publi.ail nor-
te reanosmomeiitiVr-orinque seis-tmteces-
sor esna nacao'tiuhrio>soi6ido o ainior in-
sulto, c lal aprweular suas credffiain. tor-
nand^ss dentro em i poneos di: o> jklu*
Achule do errawie dictador!
Es& triumptos dijtomaticos ram por
sem ni'aavta sullcintes- pnra embnfafoty-
rann/)para o faaerenv dbseuidar ;im> pou-
co dc5Ko>sas d;"jgueiTad
(acaula elle csperav(pieo geiaratbra-
sleiro eftoctuasse-o desamfearqao dfio for-
i;as oopplicioriartas d (Chaco na pruia de
Villetay que apressadnntiite foificana, e
que nossos encaawfodaaalivamento> t*x-
bardefiaiB para- macarar o eviMento*
real, ellas afortaaadi'aenle deseribarcivain
em Santo Antoaki,- algianas lepjas mais
acima^a amanhsoer dia i da-dy/em-
bro.
tnfr.Hfciria. artiiaaruv HTnlliiiaaniW pe-
sada material dlrgoama pertansaatoa um
exercito.de 28,0Wt)'oimoiis atakaiv-a de
cruz.ni duas vey.es orin Paraguay avista
do iriago, uai maior-ordem possivek. ma-
rinha-coube a hus iwpmtante j.^kl*- nesta
operr4f5o, o ao. seu; frwioso coauurso se
deve a.rcaliza(:r.O'da>ocisado pteaO'ilo ge-
neras em cheft..
Apenas os Bisso& bravos pis^tanw na re-
tagiairda doiiiigo* firam presentidos na
sua marcha, eomeruHi una soiiede comba-
tes gloriosos e- sanguinolentos, qpe do vic-
toriam.victoria. ih>s permttiram, esmagar
todo o poder do.dfetador.
Logo no dSe-G. o> passo da ponte de Itoro-
nVoos disputado) com urna furia infernal.
Nossos soldados caero aos ceios; as i-
leiras rareo; o* generaes de divisao e os
aiBoiaes sao.feridos, tomando.a parte mais
activa na.Itita^ Tres vezes investida a ponte
Claudio.
E' perfeito. o tal Sr. Claudio i Nao
seio que prefunii n'ello: se o naris, se a
voz f E aquefia rapariga que andn a
pedir para os. pobres, condece-* moa
primo ?
Jtogcrio n3o respondeu.
E' gentil a pequea. Aaind'aqjue ves-
tida iiobreiaente e sem gosto, incontosta-
velmente a melhor consa que alii vi. Faria
bem se com as csmolas obtidas comprasse
um cinto, um lenco e um vestido. Co-
nhece-a, meu primo ?
E' verdad e honro-mc muito por
isso. E' urna nobre criatura, t) piedosa
como bella, to modesta quanto encanta-
dora. Os'nobres bemdizem-na como pro-
tectora : o anjo tutelar d'esta aldeia e
d'estes campos, e, posto que vestida sera
gosto e pobremente, no conhec-o nada no
mundo mais amivel do que ella.
Falla serio ?
Muito serio, minha prima.
Mal vida mordeu os beicos e calou-se.
O resto do caminho transpoz-se em si-
lencio. Apenas Malvina de longe em longe
dirigi alguma pergunta a Rogerio, porm
este respondeu to seccamente, que a me-
nina Barnajon tomou o partido de nao dizer
mais palavra.
Chegados ao castalio, foram para a casa
do jautar, pois com quanto tivessem lovado
na carruagem alguma cousa de comer, os
estmagos iam bem vidos de comida, ex-
cepgo do de Rogerio, o qual durante a re-
feico conservou a feico taciturna qua ado-
ptara pelo caminho, nao se intromeltende
as conversas o provando apenas as comi
das que Ihe eram servidas. Inquietava-se
pelo desasocego em que detra Catharina
e lastimava um dia perdido para a felici-
dade. Zangava-se comsigo mesmo por nao
ter ticlo coragem de ficar em S. Silvano e
haver-se retirado assim covardemente ; em
tim, sem saber bem explicar o que o agi-
tava, soffria no seu orgulho e amor proprio
pela humilde posiejio da sua despesada em
preseneja das ras. Barnajon. Tal era a
verdadeira causa da sua secreta irritac'io
contra sua tia, ainda mais do que contra
Malvina.
Quanto a esta, abalada pelo vivo inte-
resse com que Rogerio se exprimir a res-
peito da formosa pedite, nutria um cario
sentimonto. de despeito a ciume.
Depois qjre os appelites. se saciaram, as.
linguas tornaram-se desanjtediJas c enta-
bolou-se a cooversacao.
Ora pois, meu" tiov-boniva a igreja
de S. Silvano t Nao a qureri.i para una
granja t Deus^ l no. alio dos cos, deve
lisongear-se por possiar tal habitacao na
trra f... E a concurrencia dos fias ? Bum.
liz eu, quando sahi esta manhaa de casa.
em deitar no meu lento um frascojde es-
sencia !... fi o seu banco senliorial r le-
commendolhe que mande alli por algumas
alraofadas... (y raama, nao se parece isto
muito com as missas cantadas as igrejas
de S. Roque e de Nossa Sendera de Lo-
reto?
= E' verdade, respondeu a Sra. Bar-
najonmas tambem devemos dar o des-
cont de que nos adiamos n'urna provincia
distante com leguas de Pars.
Tem graca a minha sobrhha acu-
di a cande, sorrindo-se Isso como se
quizessemos encontrar o thealro lyrico em
Bourganeuf ou os bufos em Aubusson 1
Permitla-me a primadisse Bogerio
por sua vezque eudivirja das sois ideas.
Quanto a mim, nao acho nada to contrario
ao verdadeiro espirito da religio como essas
solemnidades religiosas que convertem em
theatro as casas do Senhor. Nao conheco
as igrejas de S. Roque e de Nossa Senh ir a
do Loreto, porm visitei cathedraes, mara-
vilhas artsticas e obras primas Ja f, reple-
tas de ricos quadros de Alberto Durer, de
Rubens e de Van-Dik. Pois creia que em
nenhuma d'ellas me senti mai: compene-
trado de adoracao divina do que quaudo
me acho entre as paredes sem ornato e
sob o tecto d'aquella pobre igreja, a qual a
prima acaba de to cruelmente menoscabar t
E' porque o primo tem razoes parti-
culares para assim pensar! acudi viva-'
mente Malvina.
Bravo 1 bem respondido I exclamou
o condeIsso que graca como um anjo
e espirito como um demonio I
A estas palavras, o joven visconde fez-se
vermelho e ficou visivelraente perturbado.
E eu, que o3o tenho iguaes motivos,
proseguio a menina Barnajon, animada
iela approvarao do tio deraro que nem
s um instante me senti penetrada de ado-
racao divina naquelle templo essenci&l-
mente primitivo E o.primo mesmo pa-
recc-me que tambem estove alli menos pre-
oceupado da presenra de Deus' do que da
presenca de...
Peco perdo... interrompeu Rogelio,
lancando-lhe um olhar- severo e ao mesmo
teuapo supplicante.
O fado que-a tal menina 6 galante
preseguio Malvina irnplacavelmenteCo-
nhece-a, meu lio.?' N3o verdade, mam,
que ella agradavel ? Nem garbo, nem
elegancia, porm no meio d'aqueitle ajun-
tamento de rsticos aldeos dizer-se-hia tuna
acucena a vegetar n'um curral t
Sem duvida, accrescentou a Sra.
Barnajonaquella pequea ntlo de todo
desagradavet.
E eu aiTirmo-lhe, mama, que depois
de ensinada poderia vir a ser airosa e ele-
gante.
N'este ponto Bogerio fez um mo.vimento
de animal feroz prestes a lancar-se sobro a
presa ; os labios fizoram-se-lhe lvidos, e
os lhos azues, tornados pretos, envolve-
r m Malvina n'uma tempestade de raios.
Mas de quom falla a minha sobrinha ?
disse o conde*indolentemente Eu, como
sahi d'aqui ha vinte annos, nao poderei
conhecer militas acncenas quo por ahi teem
nascido.
Como assim ? exclamou Malvina
Pois nao conhece a perola de S. Silvano, o
anjo tutelar d'aquella aldeia c d'estes cam-
pos ? Urna creatura adoravel quo no pode
dar um passo sem que se levantem em roda
de si coros de benc3os I To piedosa
como bella, to modesta quanto encantadora,
to modesta que oceulta as suas azas de
anjo sob o chale, com.reeeio do humilhar
o prximo! Os pobres nao fallara seno
d'ella e o co inveja a Ierra por causa da
sua posse Se quzer informacoes mais
ampias dirija-se a meu primo, que se honra
com a sua amisade e n5o conhece n'este
mundo nada mais amavel, nem mais encan-
tador !
Por Deus! exclamou o condeIsso
nao pode dei&ar de ser a sobrinha do pa-
, cono em lK."?v i!Uinl!"Pxpelliir.os- Ro-
aa ila i'Jml'ederacn, a.iMseo do Brasil ha
d-ser reparado* Sabenaos ajuVIos a
.j'nqutetar a libeiiide.. mns-nao ci^itamos
taBcaodkH eadaath
OioraniO nosfaK- jiHt4." quand*'"vir o
ItragoaytransfoiTnaadbi. L* um pwo do
esaravaa coostituiiaq|oisW nacao d9 cda-
tlE.is, (iue no futuro -setao a* nossos melho-
it.s -amignt.
Etasfll agora a n;organSiao.dess( infeliz
pni. A diplonioia var princi|)iar a sua
i im. A trela c arduac porque dt^ta de-
IMnde e* tuturo di^sldaiAnerica.
Precisamos de. | a,cpw que seja'dura-
iliara-(lawmos lii-ma-t;eoij bases jjKtasc
la&iacs. Estas buses, se- no us cquivo-
(-.tnos,. eslao compit-heiiditis no seguinte
l^ograiaraa, que vailif ten* apresentoii
coau-perCto cont^ciniaS9dasitua(S) des-
te- -pai/ts no seu. iuniei de C de agosto
uiiiuioc
a (uado terminan a.guerra (dizia aquello
fcftodko) cumplir idh^omacia neutral
ctiHlarefti que a liburdadb- dos ros, at aos
j-KuUnj-ernque s*>iiiavejiweis, seja^aranti-
tote as Ijindeirasv porque, quanto
maior for o numiro- de navios aspeantes
Maleare que os- navegarem, melli v sogu-
raaga haver pama continnaco da. paz. e
aeinteresse do comniercio nao dawer ha-
wf fortalezas nem. fottificaces, quer na
hii' 'de Martin (iart'ia. na parte inferior.
qper em Humaita^ou Olimpo, na parte su
jsrior. Forlitfcafoes-em qualquos-ponto da-
ueRorio daraoem-.ri'sultado futuras liostili-i-
gades interrujee d eommerci*. ptcMeo.<
atraso e devastarn, tomo estamos agosa-
[iicscnciando. *
(Continua*-je-lia;
rocho de S. Silvano, que a.Dnlcioa. e
Rogerio!
Muito.bem acudi a Sra. Bai-iiajon.
Me pai... disse Bogerio. tom. voz
alterada pela raiva e pela bumilhaeaD>
Pon|iie nao me tinha dito isso?' ex-
clamou Mslvina Pois bem, mea primo,
ella verdadeiramente gentil e eudelteito-o
por isso
Ora pois proseguio o conde n'um
tom meio serio, meio cbocarreirtn Estes
amores sao d'aquailes firmes, a nio amo-
ricos que nascem e morrem na mesma es-
tacan. Os fogos fatuos nao s3n para nos.
Isto 6 a paixo de vos. rasgados e pode
dizce-se nutrida pelo ultimo, amante !
Bravo texclamou a Sra. BarnajoB*.
Quer gracejar, nao assim ?
Palavra quo nao gracejo e a prova, >
que Rogerio falla-me era querer desposar
a sua Clelia, a sua Mandara ou a su* (p~
lysandra.
N'este ponto a' mi e a filha desntarara s
gargalhadas, no que o conde as acorapa-
nhou estrepitosamente, cm quanto -que Ro-
gerio, palbdo, silencioso e arrebatado de
colera, perguntava a si raesmo, encaran-
do-os, se no.seria um acto de justica divi-
na estrangulados a todos alli.
Ento verdade isto, rae sobrinho ?
Pois serio aquillo, meu jirirao?
E' verdade e muito serio! respon-
deu Rogerio, erguendo-se da mesa com as-
pecto de resoluta dignidade.
Ento quer casar com aquella rapa-
riga ?
Quero casar com ella o boj de casar
com ella t Aquella nobre creatura to
digna de todas as attenc5es o de todo o
amor como eu sou senhor de laier respei-
tar aqui a mulhar que o meu coeaco esco-
Iheu e' a quem darei o me nomc !
E, dizendo estas polavras n'uin tom fir-
me que nao admittia replica, vi -ou costas
de sbito,' foi direito cavallarica e mo-
mentos depois atTastava-se a galope atravez
da alameda do castello.'
(Continmr-sc-ha.)
Tff PO PIAIIMUA DAS CR2G81!.
<




)
I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ERWXK3901_6B8ZQU INGEST_TIME 2013-09-14T03:20:07Z PACKAGE AA00011611_11760
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES