Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11759


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO XLV. NUMERO 27.

I '

PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE NAO SE PAGA PORJE.
Por tees meses adfantados.................. *
sr\rr seis dios idem. ..'.............. .
Por um aiuio idei....................
Cada numero avulso......, ,..... L
OOO
msoo
2id000
320
SEXTA FEIRA 5 DE FEVEREIRO DE 1869.

PARA DENTRO E TORA DA PROVINCIA.
Por tres meze.s adiantados.
Por seis ditos idem. .
Por nove ditos idem .
Por um auno.....
6,5750
13,4500
20*250
27*000
PERMUTO.
Propriedade de Wanoel Figueira de Faria & Fhos.
S.4 AGENTE:
Os Srs. Gerardo Antonio Alves & Fillios, no Para; Gonr/alvesd- Pinto, no Aaranhao; Joamn'm Jos de Oliveira, no Cear; Antonio de Lemos Bra^a nn \nniv JOSA Marta i.,) ffljriMa am1- *. ,
** Pancada, em Mantua,, Antonio Alexandrino de LinS, na Paruhvr,; Antonio Jos Gomes na VHIa da ^fflEJJ ftftfiK "S^JS^^&J^^' ^ *****
eni .Nazarctii; Franc.no Tavares da Costa, em Magdas,- Dr. Jos Martms Alves, na Baha.; e Jos Bibeiro Gasparinoo, no Bio de Janeiro. ummm JOse d LSta B,aSa'
PARTE OFFICIAL.
ovcrtio da provincia.
Hvl'EIHKNTK ASSICXAIM PKI.O KXM. SU. CO\l>K MtBAK-
.'HNI>Y, l'UKSIDKNTK DA PROVINCIA I'E l'KllNAMM'CO.
H 26 M JANKIHO DI 1811!'.
1." seeeao.
K. 846.Portara ao general commandante das
:i'iiias.Communico a V. Exc. pata sen conhec-
Iq e iiis oonvementos, que conced permisso
p ira seguir amntala para a erte uo vapor c>
:;(' da Sni. ,u) niajor honorario do exercito,
-ajudante de ordena dista presidencia, Joao Vi-
cente de Brito Galvao.
N. 8*7.-Uila ao mesmo.-Para poder darcuni-
primento, a |ue me fui determinad pelo conselho
do licitantes para a arremataran dos eonrertos
necessaros no paiol de,plvora da fortaleza do
Brum oreadas em 2ill0. atortsei o I" tente
de cngenheiros enrarrcgado das oltras militares
a mandar cffeelua-Ios pet adipiustracan ou por
empichada sob sua rreponsabilidade at a quan-
tia oreada.:. o pe communico a V. 8. van seu
conheeimento..
X. 868.Dita ao mesmo.Transmiti a V. S. a
eonta jimia cui duplcala, afim de que, depoisde
liquidada a despea feito eom o fornecimeato <>
luz e ama para o quartel do destacamento da villa
do lionito, a contar de 2^ de aposto a 3i do dezeni-
bro do auno prximo passado, mando papar sua
importancia Olympio Coolho da atra^onforme
solieitou o cliefe de polica em ofTicio de hontem.
sol ii. 133.
N. 869.Dita ao mesmo.Remetto a V. S. para
supremo militar, remeta ine T. Exc. eom urgen-1 sen onoheefanento e iin> convenientes, copia da
ia a ti de oractos do lenle Hemetoro J VeL
loso da Silvora, reformado por decreto de 23 de
- i mino d' 1852.
X. 848.Dita ao mesmo.I'.ua os lins ronve-
v entes laca v. Exc. daamlwnini d > rapar Cruzei-
ro (h ShI. surto no porto, os remitas desla pro-
v ncia Clemente Rodrigues da Silva, f.lementiuo
Antonio dos Santos e Manuel Sucupira dcCarvamo,
vindos doOarieurj pela eidade do (jato, e men-
cionados na guia desnecorruient. junta par copia.
que me Coi romettida pelo presidente da provincia
di > ir cun ollicio de .'l do coiTente.
X. SU*. Dita -ni inspector de arsenal de inari-
-Constando de ansa da reparticao da inari-
, .i de 13 do Borrante, lar sido inueerido n requo-
rmente, em que o capelln dessearsen.il padn
Priuiu Feliciano Tavares pedio augmento d i orde-
. i i,graduar/H militar e os i do respectivo nnifor-
i-sini o communico aV. s. pira sen conheei-
mento; atini deque fac constar ao suppH-
cante.
V. 830.Dita ao I" teneule d engenlieiros en-
carregado dasrbras militares.Em resposta ao
sen oracio de 23do correte, tenho a dizeMhe que.
nao tenda apparecido licuantes para arremataclo
d i concertos neoassarios no pa'uil de plvora da
tortolea do Brum. oreados em ii-'>iii, autoriso
\ a mandar cltcetoar-los por adminjstracao ou
por empreitada, sob sua responsabilidad"! al a
qnantia oreada.
2.*
seeeao.
V. 835. Portara ao Dr. ebefe de polica.
' mrannico a V. S., que attendendosua repre-
s'lltacaoe proBOSttl li'itas em olliciode 20 do cor-
r ote, sobn. 107. por deliberaeio de boje, epor
conveniencia do servios, exoanrei Francbeo Anto-
i i Pcroira dos Santos do cargo de subdelegado
di -cgundo distrrto da Ircguczj e termo de
Karretros ; ass.imeoino que approvei as providen-
cias por >'. s. dadas e a que se refere ao nnal-do
dito ofliejo, relativamente aos proeessbs qu inan-
d | instaurar pelos lacios de ipie tratou.
X. 836.Dita ao niesnio.Inleirado de quanto
V. S. me participa eiu seu olliciode lionteiil, snb
1' 1^11. tenll'! 'i (1(7' II''.. qno |iiwmi' ilisi^lnh
. autores de eonflieto havida entre pracas da
guarda nacional e pessoas do povo. na na do
Lima, na fteguezia da Roa-Vista, na oc'casao de
pe;1 ella passar a msica dos menores do arse-
nal de mariaha a 21 do torrente, afuu de aeran
punidos.
X. 857.Dita ao mesmo.l'asso as nios de V.
S ollicio junto por copia do gerente dos trilhos
moa do Reeifc a Apipucos, para que de as
priivideneias por che pedidas em dito ollicio.
N. 8."8.Dita ao ciHiimaudanlc superior de 6a-
ranhnns.Inteirado de quanto V. S. me parti-
cipa em otlieo n. 188 de 24 do inez lindo, quanto
ao procediinento do capitao Joaqiiini Alves da
S Iva Valonea, recoininendo-lbe que enqnegue
todos os seus esforcos para chamar os omciaes
dos cupos sob seu eliminando superior ao cum-
plimento das respectivas obrigaeoes, proterindo o
quolr conveniente e necessaro paraessefim.
N. 859.Dita aojuiz de dlreJto do Rio Formo-
Respondendo o ollicio de V. S. de 23 do cor-
rente, tenho a dizer-lhe, que esta presidencia, ja
inteirada peto delegado de polica do estado sani-
t trio do municipio de Serinliaem, inaiidou-lhe en-
tregr ama poica de laminas de puz vaccnico,
para ser empregado na vaceinae^o dos individuos
daipielle municipio, eonvmdo que V. S. me infor-
me ge all existe algum facultativo, que pessa n-
c mliir-se do tratamento das pessoas pobres. Nes-
i data deterniinei a cmara inunicipal respectiva
queprestasse igual mforuiacao, deaurando quaes
s jam os meios de quemis precisa para soecorrer
a (opulaijao pobre. Sevendo providenciar que se-
leitas as iuhuma$oes dos cadveres em ce-
nterio pnhuco, que compre estaltelecer quanto
ites, lazendo cessar o perniciosn costume de sc-
pnilarem-se eadareresno recinto dos templos.
K. 860Dila ao juiz municipai do termo do
('. lio.Nao tendo podido ser cumplida em Lon-
como ni" foi declarado por aviso do minis-
ter o dos negocios eatrangeiros d.> 7 deste mez, a
prceatoria expedida por esse juizo a requerimen-
to de l.uiz de Moraes Gomes Ferreira, para ser
?,!i citada a menor Mara, por estar esta residi-
lo em Pars e ter de robar para o Brasil no
c.rrcnte mez, devolvo a Vine, a referida preca-
loria para ipie Ibe d o eoBvemente destino.
N. 861.Dita ao commandante do corpo provi-
sorio de polica.-Transmuto a Vine, para que o
laca constar ao major Antonio Feitosa de Mello, o
omcio junto por copia do general commandante
das armas de 23 do Brrente, boro como a infor-
iiiacaodada pelo capitao coinniandante do deposito
relativamente aos selins e mantas fornecidos as
duas pracas que o aeompanharam a Buique, os
i nus estavam em bomestado.
v 862.Deliberacao-1>presidente da prnvin-
ria, attendendo ao que lbe requereu o bachareJ
laz Antonio Pires, juiz inunicipal e de orphaos
do termo da Eseada, resolve coneeder-lhe trinta
das de Henea eom vencimentos para tratar de sua
saude nesta eidade.
N.*8G3.Dita.O presidente da provincia, at-
tendendo ao que representou c propoz o ebefe de
polica em ollicio n. 107 de 30 do crrele -mez,
resolve exonerar por conveniencia do servico, a
Francisco Antonio l'ereirados Santos do carg de
subdelegado do segundo districto da fregueziae
(irme u HttmiBoa.
3' seccit.
A. 861.-Portara ao inspector da thesourara de
fazeudaInforme V. S. se por esta tbesouraria
foram pagos os venrnmtoU a contar de julho de
1867 a fevereiro de 1868, de um inferior e dez
pracas. que em virtudeda portara de 5 de mar
i;o oo pnineiro daquelles aunes, segurran do des-
tacamento jda villa do Bonito para estacionarem
na povoaeao de Beaerrea eom deelaraeao,se esses
pagamentos tiveram lugar em vista de'prels espe-
ciaes ou i.-ngli diadamente eom os vencimentos do
uestacamento a que pertenanun mes pracas.
N. 8I:Dita ao mesmo. A V. S. tfansmitto
para ea lins convenientes as tres inclusas guias
de soccorciuienlo das pracas dos hntalhoes de in-
fantaria da guarda nacional deste municipio Io, 3*
e 6 que regressaram no vajior Giqu do presi-
foram substituidas.
Y 806.Dita ao mesmo. Transmiti a V. S.
jpara os tins convenientes as inclusas relacoes no-
jnina>>s di pagamento e alteraeoes havidas no mez
de dezembro prximo Ando eom as pracas dos ba-
talhSes di guarda nacioHal, Io de artilharia, Io,
2o, 3o, 4*. 6 e 8 de infamara deste municipio e
9" do de Olinda, que se acham destacados no prn-
. lio de Fernando.
>'. 867.- Dita ao mesmo.>"5o teudHppai'ee-
guia de sjccorriniuntocoiiique vieram doOuricurv
pela provincia do Cear os remitas Clemente Ro-
drigues da Silva. Clementino Antonio dos Santos e
Manoel Sicupirade Carvalho.
N. 870.Dita ao mesmo.Transmiti a V. S
para sen conbecimentn e devida oxecucao copiado
aviso circular expedid pelo ministerio da agricul-
tura, commercio e obras publicas, em 31 de de-
zembro do anuo prximo lindo.com referencia aos
de 7 de maio e 16 de outtibro do meino auno, so-
bre gratiOcaeao de transporte engenheiros ao ser-
vico daqiielle ministerio.
6" seeeao.Rio de Janeiro.Ministerio dos ne-
gocios d agricultura, commercio c obras publi-
cas, em.'H de dezembro de 1868.Circular.Illm.
e Exm. Sr.Eslabcleeido, pela circular de 7 de
maio deste anuo, que a gratficaciio de transporte.
concedida aos engvuheiros deste ministerio, nao
devida aos que se achara em commssoos sedenta-
rias, era foreoso declarar que fosseni restituidas as
sommas assim iudevidamenle pagas. Foi o que
teye em vista a circular de 16 de outubro ultimo,
ciyos eleitos entretanto nao podiam romprehender
iinoca anterior data da primeira circular, nao
obstante a semelhante respeitonada ter declarado.
Todava, relerindo-s os actos do ministerio a meu
cargo, que tem autofisado taes gratificacoes, ta-
bella do regulamenlo apprnvado pelo decreto n.
2,(122 de 10 de maio de 1862, que anda nao foi
posto em oxecucao, entendenm as tbesonrarias de
fazenda que a circular de 16 de outubro fdra ex-
pedida no intuito de explicar a doulrna do mesmo
regulamenlo e neste preaupposto, eom todo o fun-
damento, exigiraiu de alguus engenheros a resti-
tuiciio das sommas que Ibes foram abonadas em
dilTerenles anuos, em contrario da doutrina ora vi-
gente. Tendo, porm, este ministerio rnenle em
vista regular o lutnro, e de nenhuma surte exigir
quantias pagas e secebdas em boa f, e cuja res-
tituicao as circunistaiicias acluaes muibi one-
I rosa aos fiinccionarios pblicos de que se trata, al-
( gnus dos quaes talvcz ja nao existan), cumpre cpie
i V. Exc assim o commumque tbesouraria de fa-
I zenda dessa provinciii tiriiviyn.i. j~ -.
uaia souciiu do niimsfcrio da fazenda as convenien-
tes ordena para a cxccucao desta circular. Deus
guarde a V. \K.-Juuinim Anto Fernmfr* Leo.
Sr. presidente da provincia de lVrnambuco.
Cumpra-se. Palacio do governo de l'ernambuco,
23 de Janeiro de 1869 Conde de Baependy.
N. 871.Portara ao inspector da tbesouraria
provincial.Declaro a V.S. para seu conheeimen-
to e direccao que, segundo consta de offleio do
cuete da reparticao das obras publicas, datado de
hontem, e sob n." 3i, o euipreiteiro do calcamento
desta eidade cxecutuii, durante o mez de dezembro
prximo lindo, obras no valor de 48:967.
. 872.Dita ao mesmo.Gom a informaco
junta por copia, prestada pelo delegado do termo
da Eseada, c a que se refere a do chefe de polica,
datada de hontem e sob n. 132, respondo ao ofllcio
que V. S. me dirigi em 1 do corren te, n. S.aeom-
panhado dos papis, que incluso devolvo, compro-
batorios das despezas taitas nos metes de julho a
setembro do anno prximo passado, eom o sus-
flco de 27 de novembro do anno prximo fmUo,
em que o juiz de direito dessa comarca communi-
cou ter despronunciado era grao de recurso a Ma-
noel Peres Campello Jacome da Gama, que na qaa-
lidadc de veroador dessa cmara, do quadriciniio
que flndou havia sido suspenso, multado e man-
dado responsablisar por .leliberacao desta presi-
dencia de 29 de dezembro de i8bVi.
N._883.Dita a mesma.Informe a cmara
municipal da villa de Scrnhiem. se no municipio
ha algum facultativo que possa incuinbr-se do
tratamento das pessoas pobres que forem anecia-
das da varila; assim como declare quaes sao os das obras
meios de que mais precisa para soecorrer a po-
pulacao pobre, devendo r.tuanto ao modo porque
sao fritas as iuhumacoes car as convenientes pro-
videncias para que sejam ellas em cemiterio pu-
blico, que cumpre estabelecer. fazendo cessar o
pernicioso costume de sepultarem-se os corpos no
recinto dos templos.
N 884. Dita aos asienfs da companha Bra leira.de Paquetea' a Vapor.Podem Vmcs. bepr
seguir para os portos do sttl o vapor Cruzeiro do
Sul. amanb a hora indicada .em seu ollicio de
boje.
.Y 88j.Dita ao mesmo.Ex|tedindo ordem ao
Exm. general commandanie das anuas para fazer
desembarcar do vapor Cruzeiro do Sal, os remi-
tas Clemente Rodrigues da Silva, Clementino An-
tonio dos Santos c Manoel Sucupira de Carvalho,
viudos do Otiricury pula provincia do Cear, pro-
ridenciem Vmcs. para que sejam ettes entregues a
3iicin se apresentar no mesmo vapor, por parte
aipielle general.
N. 886.Dita aos inesmos.Os Srs. agentes da
conipanbia llrasileira de Paquetes a Vapor man-
dein dar uina passageni de re 0 outra de piva. por
cunta do ministerio da fazenda, ao procurador lis-
cal da tliesnuraria de fazenda desta provin.'ia ba-
cbarel Ilemiipie do Rugo tarros, que vai para a
corte em gervieo, c a um (triado que o acomp i-
nlia.
N. 887.Dita aos mesmos.Os Srs. agentes da
conipanbia Brasileira de P.upieles a Vapor man-
dem dar transporie para a curte por eonta do mi-
nisterio da guerra no vapor Cruzeiro do Su!, ao
desertor do 7o bataihao do infantera do exercito
lose Monteiro.
EXCKDIK.NTR ASS1G.NAD0 PELO SU. bll. JoAOUM CORREA
DE AUMIO. SFXRETARIO DO OOVEBKO, EM 26 DE JA-
NEIRO DE 1869.
I.' secc.io.
N. 888.Officio ao Exm." general eoiumandaiiie
das armas.De ordem de S. Exc. o Sr. presiden-
te da provincia, declaro a V. Exc. em resposta ao
seu ollicio desta data, sol n. 51, que (lea expedida
a conveniente ordem aos ; gentes da companha
na-
Anto-
gar os vencimentos de urna escoba de guardas
conaes que conduzio o criminoso Joaqiiim A
"">: oJr!l'iv',ue"e ten,,-la es' capital.
.y Jtrs.Dita ao mesmo.Declaro ;i V. S. para
seu contirciinento e dlrecito-, que o chele* da ro-
pariicao das obras publicas participou-me em olH-
co de hoirtem, sob n. 37. acbar-se e arrematante
oa ponte Oe Bujary sobre o rio Tracunbaem, eom
iiireito ao pagamento da segunda prestacao, por
ha ver exectUado dous leroos das obras do seu con-
trato. k
Jf. 903.Dita ao mesmo.O chefe .da reparticao
as ooras publicas participou-me em olliciode
nontem, sob n. 33j .>. tendo sido encamaada a
oora dopnmeiro lauco da estrada da Victoria
(lavata, e jlevendo a suaconclusao ter lugar por
ailnunistraeao, mandara aassar ao respectivo arre-
niatanre o certlicado. dis prestotoes que tem
eiieuireiio.com deduecSo da qnantia de 1:600!
em que foram avahadas 'as obras que fallan para
essa concluso. O qUD declaro a V. S. para seu
conbecmien'o e direccao.
y. 901.Dita ao meSBM.Consta de offi "io do
enefe da reparticao das obras publicas datado de
hontem, e sobn. 38, haver mandado lovraro termo
de rceebiinento delinitiwi da obra da ponte da
ranea do engenbo Araripe de baixo, visto estar
indo o prazo : responsabilida.1- daquella obra.
t) que declaro V. S. para sen conheeimento o di-
reccao.
.Y 905.Dita ao chefe da reparticao das obras
publicas.Inteirado. |m>|o ollicio que Vine, me di-
rigi hontem, sob n. 38, do haver mandado lavrar
o termo de recebmento delintivo d.\ obra da pon-
te da vanea do engenbo Araripe dt> baixo. por es-
tar lindo o prazo de responsabilidade daquella obra,
tenhoadizer em resposta que vou dar scieucia
disso rnesouraria provincial.
II. 906.-Dita ao mesmo.Fico inteirado d
ver \me., segundo participou-me em olliciode
hontem, sob n. 35,mandado passar o certilicado das
piestacoes devidas ao arr maUnte da estrada da
victoria Grvala, por ler essa obra sido escam-
pada, edever a sua conclusa) ter lugar por admi-
nistraean, o neste sentido vou ollicar ao inspector
da thesourara provincial. O qne lbe declaro em
resposta ao seu citado ollicio.
N. 907.Dita ao mesmo.Acruso recebido o
ollicio de hontem, sob n. 37, em que Vine partici-
pon achar-se o arrematante da ponte de Bujary
sobre o rio Traennhaein eom direito ao pagamento
da segunda prestacao, por haver concluido dous
tercos das obras do seu contrato, e disto mesan
acabo de dar scieucia Ibosourara provincial.
O que lbe declaro para seu conheeiui 'n!o e em
resposta ao citado ollicio.
toa Paulo de Souza...................
Lnil de Franca Lins de Albuquerque____
Augusto Osar l'ereira de Mendonca.....
Antonio Jos Rodrigues de Souza.".......
Den/amin l. Pereira da Silva.....
: irentcs
Brasileira de Paquetes, para daren. transporte para DES1,A(:110 D.v pnsuo&ax do da 30 be Janeiro de
corte no vapor Cruzeiro do W. ao soldado dese 1}W,
tor do 7 bataihao de infanlaria do eweito J isi
Monteiro.
v ooa rito -Kf" !' iMitiri-i
Sr. presidente da provincia manda declarar a
S. em resposta a sen olliriw Je hontem, sob n. 133,
que nesta data autorisou-sn a thesourara de fa-
1869.
Tenenle-coronel Joao de S e Albunueroiie.A'
i da resposta do delegado do termo de Ipojuca
lento dos presos pobres da cada daquella villa.
. 873.Dita ao chefe da reparticao das obras
publicas.Fico inteirado pelo ofllcio "que Vmc. di-
rigi hontem, sob n. 34, de haver o empreleiro do
calcamento desta eidade executado, durante o mez
de dezembro do anuo prximo passado, obras no
valor de 48:967 i, O em resposta tenho a dizer que
acabo de dar scieucia disso a tbesouraria provin-
cial para os lins convenientes.
X. 874.Deliberaeao.O presidente da provin-
cia, tendo em vista o'qut; requereu o arrematante
da ponte sobre o ro Tracunbaem na vanea do en-
genbo Bujary, Manoel Laurento de Siqueira Vare-
jao, resolve, de conformidade eom a informaco do
chefe da reparticao das obras publicas dVl8 do
corrente, sob n.22. conceder ao mencionado arre-
matante dous ames de prorogaeao para a conclu-
so das obras do sen contrato, contar do dia em
qne se lindar o prazo marcado para esse lim. Esta
ser apresentada naseslacfies competentes para ter
a devida execucao.
4 a seceo.
N. 877.Officio ao presidente da provincia do Pa-
ra.Vo ser traiisuiltdos para a Europa no va-
por fraucez que se espera do sul no da 30 do cr-
reme, os offlcios que para terem esse destino V.
Exc. me remellen eom o seu de 16 deste mez.
N. 878.Portara a cmara municipal do Reci-
te. Remetla-me a cmara municipal do Recite
coma possivel brevidade unimappa dos bitos que
houveram neste municipio durante o anno prximo
findo.
N. 879.Dila a cmara municipal da eidade de
Goyanna.Respondendo ao oJcio de 26 do cr-
reme, em que a cmara municipal da eidade de
Goyanna, consulta se deve continuar por adminis-
tradlo a arrecadaco dos impostes do seu munici-
pio, visto ter decorrido quasi quatro annos do an-
no (inanceiro, ou se deve po-los em arrematacaj,
tenho a dizer-lhe que se da referida arreinatacao
provra vantagem aos cofres municipaes, ponha
essa cmara as suas rendas em hasta publica, pe-
lo tempo que faltar para completar o anno finan
ceiro que termina no dia 30 de setembro do cor-
rente anno.
N. 880.Bita a mesma.Recebi o ofllcio de 8
do corrente, em que a cmara municipal da eida-
de de Goyanna me participa ter, no da antece-
dente prestado juramento e comecado o exercicio
de suas funecoes no quadi iennio de 1869 a 1872.
Inteirado dessa particpacao, e agradecendo a ca-
da um dos vereadores da mesma cmara as obse-
quiosas expressoes que me dirigem, declaro que
muio espero do sen patriotismo a bem dos melho-
amentos des.se importante municipio, podeudo Pi-
car certa a camai a de que esta presidencia a au-
xiliar em tudo quanto della depender para sua
realisacao.
N. 881.Dita a mesma.Accuso o recebmento
do offloio da cmara municipal da eidade de
Goyanna, eom dala de 23 do corrente, acompanba-
do das copias aulbenlicas das actas da nova elei-
cao, a que se proceden no da 17 na freguezia de
S. Lourenco de Tejucupapo, para juizes de paz do
actual quadrennin dos tres districtos della por
haver sido annullada a que all se fez em 7 de se-
tembro do anno passado.
Nao encontrando no processo da mesma eleic,ap
irregularidadc que a vicie, declaro cmara mu-
nicipal que deve expedir quanto antes diplomas
aos 4 cidados de cada um dos referidos districtos
que foram eleilos juizes de paz, e convida-los a
prestar eom toda a brevidade juramento para en-
trarem no exercicio dos respectivos cargos.
N. 882. Dita a cmara municipal da villa de
zenda a pagar a Olympio Coulho da Silva a qnan-
tia de 27380 rs. constante dj citado ofllcio.
expediente assicxado i'ia i f\\i sr. conde de bae-
pendy, l'lIKSIDI'NTK DA PROVINCIA, EM 27 DE JA-
NEIRO DE 1869.
1* seeeao.
N. 890.Portara ao coniniandante das armas.
Faca V. Exc. constar ao tenenle-coronel director da
colonia militar de Pimenteiras, que para se poder
lomar em consideraciio o que expoz em ollicio de
23 do corrente, relal i vamente ao reboco de algumas
casas daquelle estabelecimcnto. faz-se preciso que
elle remella, por intermedie de V. Exc, o orna-
mento da despeza a fazer-se eom esso concert,
especificando o valor dosipateriaes e o servico dos
trabalhadores.
N. 891.Dita ao conselho de compras navaes.
Fica approvado o contrato que celebrou o conse-
lho de compras navaes, eom diversas pessoas. como
consta do termo por copia annexo ao sen ollicio di.'
26 do corrente, para fornecerem os objectos do
material da armada, necessaros ao almoxarifado
do arsenal de inarinha. U que conimunico ao mes-
mo conselho para seu conheeimento.
2a seeeao.
N. 892.Portara ao Dr." chefe de polica.Ap-
provei a proposta que V. S. fez em ollicio de hoje,
sob n. 143. e nomeei o Io suj pente do subdelegado
do 2o districto da freguezia e termo de Darreiros,
Antonio Francisco de Albuquerque Santos, para o
lugar vago de subdelegado e para o de Io supplente,
a Constantino Gomes Ferreiri, que era 3". O que
communico a V. S.. em resposta ao dito officio, e
para sua intelligencia e governo.
N. 893.Dita ao juiz de direito do Ro Formo-
so.Respondendo ao seu officio de 13 do corren-
te, tenho a dizer-lhe que fleo inteirado da deciso
por V. S. dada, aojuiz de paz do 3o anno do dis-
tricto da freguezia de S. Jos do Rio Formoso, quan-
to a poder exereer as funecoes de juiz de paz no
corrente anno, at que fosseni empossados os novos
juizes.
3" Boecio.
N. 896.Portara ao inspector da tbesouraria do
fazenda.Attendendo ao que V. S. solieitou em of-
cio de 25 do corrente, sob n. 43, resolv nomear
para examinadores no concurso, que se tem de
proceder no dia 1 de fevereiro prximo vindouro,
para preenchmento da vaga de 3* escripturario
dessa thesourara, aos Drs. Felip|ie N'ery Colaco o
Innocencio Scrapuco de Assis Carvalho, o padre
Francisco Joao de Azevcdo, c os empregados dessa
reparticao Antonio Ltiiz do Amaral e hilva e Jos
Francisco de Salles Baviera, sendo o Io em inglez
e francez e 2o em princi|tios geraes de geographia
e historia do Brasil, o 3o em algebra ale as equa-
coes do 2 grao; o 4o em pratica do servico da re-
particao; e o 5o em escriptura^ao mercantil por
partidas simples e dobradas e sias applicacoes ao
commercio e ao thesouro. O que declaro "a V. S.
para seu conheeimento e em resposta ao citado of-
llcio.
N. 897.Dita ao mesmo.Em vista dos dous
prets juntos em duplcala, que me remetteu o com-
mandante superior da comarca de Santo Antao,
eom officio de 22 do corren :e, mande V. S. liqui-
dar e pagar os vencimentos de duas escoltas, que
conduziram recrutas daquelle termo para esta ca-
pital, sendo una em agosto e outra em outubro do
anno passado.
N. 898.Dita ao mesmo.Em resposta ao offi-
cio que V. S. me dirigi em 25 do corrente, sob n.
44, tenho a dizer que apurovo o acto do inspector
da alfandega desta capital, concedendo a demissao
que solieitou Antonio Mariano de Souza Gouva, do
lugar de guarda da mesma alfandega.
N. 899.Dila ao mesmo Transmuto a V. S.,
para os fin confuientes, a inclusa guia de soc-
corrimento do soldado do 2o bataihao de infantaria
da guarda nacional deste municipio, Luiz de Fran-
ca de Jess, que foi retirado do destacamento do
presidio de Fernando, por se achar incapaz do ser-
vico.
N. 900.Dita ao mesmo.Tendo nesla data
approvado o contrato junto |ior copia que celebrou
o conselho de compras navaes ooa diversas pes-
soas para fornecer os objectos do material da arma-
da necessaros para provin ento do almoxarifa-lo
do arsenal de inarinha ; assim o communico V.
S. para seu conheeimento.
N.901.=Dita ao inspector da thesourara pro-
vincial.Depois de liquida/las, cnrJIista do pi-et
junio em duplcate, que me remetteu e comman
, Padre Cliristovaode Hollanda Gavalcant.
Desembargador Francisco Domingues da
Silva................
Bf. Felippe de Figueira Faria.....
Francisco Rodrigues da Silva......
Francisco Baptista de Almeida......
Genuino Jos da Hosa.........
tes Flix dos Santos........ .
Jos Jacinthoda Silva.........
Dr. Jbaquim de AquinoFonseca. ....
Joaquim (Jgnttno da Silva Fragoso .
Jos Miguel de l.vra..........
Jos Vidal de Ksgreiros........
Joaquim da Fonseea e Silva......
Joaquim Severiano Xegueira......
Julio Cesar Pereira da Rocha......
Jos Ribero Sinioes..........
Joaquim Manuel de Castro Santos. .
Jos Lanrentino de Azevedo......
I-uz Jos de Franca Carioca......
Manoel Francisco d Oliveira......
Manoel Joaquim Muiiiz Baranda ....
Marcolino Henriqnes de Figneiredo .
Dr. Manoel Jos da Silva Neiva ....
Manoel Jos' da Multa.........
Manoel Adriano de Souza.......
Manoel Luiz Gonralres.........
Salvador Henriquee de Albuquerque. .
Thomai Jos da Costa e S.......
Thoin Lopes de Senna........
TIusitonio Jos de Souza. .-.
Etitores naradenutados.
Kmlio Americano do Ropo Cazumb. .
ia- Dr. Antonio Domingos Pinto......
'Augusto Xavier de Souza Fonseea. .'.
Dr. Manoel do Xasrimento Machado Por-
tolla................
Francisco da Silva Reg........
Dr. Ignacio Joaquim de Souza Lelo. .
Manoel Joaquim Machado........
Albino do Reg Machado ...'....
Angelo Custodio Rodrigues Franca. '. '.
Barato Lufa CoeAo......"...
Caetano JeaMendes........ .
Dr. Ernesto d" Aqumo Fonseea.....
Francisco Antonio de Assis Goes ....
Firmino Francisco de Brito.......
Franceiino A. de Hollanda Chacn. .' .'
Joaquim Francisco de Torres Gallindo. .
Germano Pinto de Magalbies......
Joao da Ciiuia Soares Guimaraes. .
Jos Luciano Cabial.
Joan Goncalres Ferreira e
Joao Henriqnes da Silva
Jua iii r c.,.,1.
nao
djjimez canno prximo lindo, nada ha a deliberar
jK)e oata pQpidenria contra o dito delegado.
3 de fevereiro
Francisco Ferreira Borges.Informe o Sr. ins-
pector da tbesouraria de fazenda.
Joanna Mara do Espirito-Santo.Informe o Sr.
comiiiandante superior interino.
Joao l'essoa da Gama.Procure na secretaria
do governo o seu titulo, o qual lbe ser entregue,
pagos os direilos devdos.
Joo Salvno de Souza PeixeA' vista do resul-
tado da inspeccao de. sade porque passou o su im-
plicante perant a junta de sade do exercito. nao
pode ser atlendida a sua pretencao.
Jos Soares de Mello Avellines. Selle o reque-
rimenlo e os documentos.
Alferes Luiz Goncalves da Silva.Passe titulo
concedendo seis mezes.
Pedro Cavalcanti do Reg e Albuquerque.In-
forme o Sr. inspector da tbesouraria provin-
cial.
RepartlfSo da polica.
2a sercao.Secretaria da polica de Pernambuco
4 de fevereiro de 1869.
N. 172.Illm. e Exm. Sr.Tenho a honra de
levar ao conheeimento de V. Exc. que. segundo
consta das participaeoes receladas boje nesta re-
particao, foram hontem recomidos a casa de de-
lenco os seguintes individuos:
A' ordem do subdelegado do Recfe, Rita Maria
da Concegao e Milto Barros Carneiro da Cunba.
por briga ; Serafina, escrava de Mathias Jos Fer-
nandes Gomes por ser encontrada depois das 9
horas aa norte sem bilhete de seu senhor; c Mar-
celino, escravo de Joaquim Ferreira dos Santos
Coimbra Guimaraes. requerimento deste.
Em data de 19 de Janeiro prximo lindo, parti-
cipou-me o delegado do termo de Itamb, que no
dia 16, no lugar Camutenga daquelle termo, em
una capoeira contigua casa de Honorato Alves
da Cunta Rocha, foi encontrado entercado um es-
cravo do mesmo Rocha, de nonie Casimiro, e que
dando-lho Rocha parte de semelhante fado para
all se dirigi e procedeu ao auto de vistoria no ca-
dver de Casimiro, que anda estava eom a corda
no pescoco e n da cintura para cima, tendo as
costas militas contusoes provenientes de cacetadas,
o que tudo foi declarado no referido auto, para no
irocesso que ia instaurar conhecer do motivo que
evou Casimiro tomar semelhante resolueao, ou
se o facto o resultado de um crme. e neste caso
quaes os seus autores.
Por officio datado de hontem, participou-me o
subdelegado da Boa-vista, que s 8 horas da noite
do dia 2 do corrente, na ra da Imperatriz daquelle
districto foi pisada urna mulher pelo carro n. 114
pertencente Antonio Jos Ferreira, eom eocheira
ra da Paz n. 13 ; que, em vista do auto de vis-
toria a que fez proceder, verilkou-se que os feri-
mentos eram leves; e que apezar dos esforcos em-
pregadosjiao pode ser preso o boleiro que condu-
zia o carro, por se ter evadido.
Deus guardo a V. ExcIllm. e Exm. Sr. conde
de Baependy, presidente da provincia.O chefe
de polica, Francisco de Faria Umos
Slva.
229
229
226
226
226
226
226
226
226
226
226
22(
226
226
226
226
226
226
226
226
226
226
226
226
226
226
226
226
226
226
226
226
226
226
226
241
240
2i0
2i0
239
231
231
230
230
230
230
230
230
230
2311
2:W)
230
*30
230
230
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
ACTO OFFICIAL.Por deliberaeao de 4 do cor-
rente foi exonerado, seu pedido, do promotor
publico da comarca de Palmares, o Sr. Dr. Fran-
cisco Machado Pcdrosa, sendo nomeado para o
substituir o Sr. Dr. Pedro Alfonso Ferreira.
SUICIDIO.Segundo partecipacao do delegado
de Itamb, no dia 16 do nassado, no lugar Camu-
tengo, d'aquelle termo, foi encontrado entercado.
n'uma capoeira contigua casa de Honorato Al-
vos da Cunha Rocha, o preto Casimiro escravo do
mesmo Rocha, tendo as costas cobertas de contu-
soes, provenientes de facetadas. A polica local
proceda s devidas pesquizas, para conhecer se o
facto fra espontaneo, ou se o resultada de um
crim.
ELKICOES Concluiram-se os trabalhos em
diversas* freguezias, como verao os leitores em se-
guida :
Joao Manoel de Siqueira.
Dr. Miguel de Figueira Fan .' : :
Miguel Lucio de Albuquerque Mello. 2:10
Dr. Ol\nipio Marques da Silva..... 230
Padre Raphael Antonio Coelho-. .... 230
Virgilio Jos da Motta......... 230
Antonio Bernardo Quinteiro....... 229
Flix Francisco de Souza Magalhaes. 229
Francisco Ribero da Silva........ 229
Dr. Francisco Leopoldino de Gusmo
Lobo............... 229
Flix Jos da Cmara Pimentel..... 229
Jos Candido de Souza Castro..... 229
Manoel Goncalves Agr......... 229
Rufino Paulino da Silva Cera..... 229
Vicente Ferreira da Porciuncula .... 229
Xa freguezia dos Affogados foram eleitos :
Eleitores para senador.
Manoel Joaquim do Reg Albuquerque .
Francisco Carneiro M. Rios Jnior. .
Ilelarmino do Reg Barros......
Jos Thomaz Cavalcante Pessoa.....
Joao Crsoslomo de Albuquerque ....
Delpbim Lins Cavalcante Pessoa ....
Jos Mariano de Albuquerque.....
Jos Lucio Lins..........
Joaquim Francisco de A. Santiago. .
Antonio Correa Maia........
Francisco Monteiro Goncalves da Luz. .
Tnsto Jacome de Araujo.......
Fulgencio luante de Albuquerque Mello. .
Joao Luiz da Silva Lenas.......
Maximiano Antones Tavares......
Jos Gabriel Finheiro........
Joaquim Jos de Farias........
Manoel Bezcrra Cavalcante de Albuquerque
Simplicio Rodrigues Campello.....
Manoel Gomes Pereira Guerra.....
Joao Nepomuceno Accioli.......
Marcolino Joaquim da Silva......
Manoel Ferreira da Costa.......
Eleitores para deputados.
Manoel Joaquim do Reg Albuquerque____
Francisco Carneiro Machado Rios Jnior...
Jos Thomaz Cavalcanti Pessoa...........
Bellarinino do Reg Barros............... 319
Dellim Lins Cavalcanti Pessoa............ 318
Joao Chry sostomo de Albuquerque........ 318
Jos Lucio Lins......................... 318
Antonio Correa Maia.................... 317
Thomaz de Aquino Pereira de Brito....... 317
Manoel Joaquim dos Passos.............. 317
Joaquim Francisco de Albuquerque Santiago 316
Jos Elesbo Borges Ucha............... 315
Ignacio de Souza Leo................... 315
Joao Luiz da Silva Lorias................ 314
Jos Buarque Lisboa.................... 314
Jos Marianno de Albuquerque........... 314-
Dr. Fulgencio Iufante de Albuquerque Mello 314
Joao Ribero Pessoa de Lacerda Jnior____ 312
Antonio Joaquim Pereira de Oliveira...... 312
Ignajio Xavier da Costa................. 312
Jos Pereira da Cunha Jnior............ 312
Luiz Marques da Cunha................. 311
Rufino Rodrigues Campello.............. 311
Na freguezia do Poco da Pancha foram elei-
tos, cada um eom 196 votos :
Eleitores para senador.
Joao Francisco do Reg Maia.
Jos Cesarlo de Mello.
Coronel Jos Francisco Pires.
Antonio da Rocha Accioly Lins.
Francisco Carneiro Monteiro.
Manoel Jos de Palva Pinto.
Sebastiao Alfonso do Reg Barros.
Galdino Themistocles Cabra I de Vasconceltos.
Dr. Jos Bernardo Galvao Alcoforado.
Dr. Antonio Joaquim de Moraes e Silva.
Dr. Jos Bernardo Galvao Alcoforado Jnior.
Felippe Duarte Pereira Jnior.
Antonio Luiz do Reg Barrete.
Joao Neponuceno Ribero.
Thomaz J. A. da Costa Pimentel.
Joao de Santa Monica Lima.
Francisco Rodrigues do l'asso.
Gervazio Pires Ferreira.
Jos Alfonso do Reg Barros.
Antonio Lins Caldas.
Manoel Antonio de Lyra.
Eleitores para deputados.
326
323
325
32i
323
323
321
321
321
318
317
315
313
311
310
310
310
307
307
307
:K)7
306
303
320
320
320
Jos Francisco do Reg Barros.
Henrique de Miranda Henriques.
Galdino Themistorles Cabral de Vaseoncellos.
Francisco Carneiro Monteiro.
Francisco Cesario do Reg.
Anonio Lins Caldas.
Antonio Jos Gomes do Conejo
Joao Francisco do Reg Maia.
Dr. Jos Bernardo Galvao Alcoforado.
Jos Cosario de Mello.
Antonio da Rocha Accioly Lins.
Dr. Jos Bernardo Galvao Alcoforado Jnior.
2." districto.
Xa freguezia da S de Olinda concluiram-s
os trabalhos no da 3, sahindo eleitos :
F'leitores para senador.
Luiz do Reg Barros....................
Felippe Manoel de Christo Leal...........
Joao Goncalves Rodrigues Franca.........
Cmiego Js Joaquim Camello de Andrade.
Jos Candido da Silva Pessoa.............
Conejo Ignacio Antonio Lobo............
Di. Manuel Joaquim de Miranda Llio.....
Manuel Ignacio da Silva Rraga...........
Jaciuilio Soares Botlbo.................
Mathias Ferreira Lima..................
Antonio Ribero de Albuquerque-........
Hilario Manoel da Concecao.............
os Marcolino da Fonseea Mangnioho.....
Elcuterio da Rocha Wauderley...........
fernymo Joao Pinto____n .'............
Eleitores para Bputados.
Luiz do Bego Barros ........
Joao Goncalves Rodrigues Franca ...
Felippe Manoel de Christo Leal.'- ....
Conego Ignacio Antonio Lobo.....
Conego Jos Joaquim Camello de Andrade.
Jos Candido da Silva Pesada......
Dr. Manoel Joaquim de Miranda Lobo .
Manoel Ignacio da Silva Braga.....
Mathias Ferreira Lima........
Jacntlio Soares Bollho.......
Antonio Ribero de Albuquerque ....
Joao Baptista da Silva Mangninho Jnior .
Hilario Manoel da Concecao......
Jeronymo Joao Pinto '.......
Manoel Joaquim Goncalves Leal.....
D1XHEIRO.O vapor Pirapanm trouxe as se
guiles quantias, para os Srs. :
Antonio da Silva Pontos. .
Alfredo Garca & C......
Cunha limaos & C......
Joaquim Dias Fernandas. .
30o
30'i
305
302
30)
301
301
30li
296
236
29:;
295
5
29-J
292
3o;
305
305
302
301
301
30li
30
296
29l
29.".
295
W
292
292
Antonio Jos Coimbra.
Joaquim Ferreira Xobre. .
Tbesouraria de Fazenda. .
P1RAPAMA.Este vapor da
na ni I mean a. ('hgado hontem ito
. 1:800JOOU
l:36000..
. l:200400ti
9364000
623462o
300400o
167*200
orapanhia Per-
imrtos ilo n'i.
/- di,
Xa freguezia de San
Eleitores
. Antonio Augusto da,
Serinhaem.Rernetto a cmara municipal da villa dante superior interino da remarca de Santo-An- Daniel Cesar Ramoaff
de Serinhaem para -ni conheeimento copia do of-l tao coni officio de 22 do crrenle, mande \r. S. j-a- Hvppolito Jos HoWrto........
foram
res.
eleios
229
220
229
Jos Francisco Pires.
Dr. Antonio Joaquim de Moraes e Silva
Joao Lniz Vctor Lieuthier.
Manoel Jos do Parra Pinto.
Felippe Duarte Pereira Jnior
Theophilo Alves da Silva.
Jos Paulino Ribero de Mello.
Sebastiao Alfonso do Reg Barros.
Jos Camello do Reg Barros.
escala, foi portador de joraes do Cear
11 yy- du nio (irailde at 30 laanuario, ftidi
as noucias doTheatro da guerra levadas
capital do Cear pelos m^S ,eva
cantius, foram uiuilo festejadas.
A cmara municipal da capital nomeou urna
coiinnisio de seu seio, para tratar dos festejos
que so deven) fazer por occasio da noticia da
terminacho da guerra. A commisso compoe-sc
dos Sis.'vereadores Francisco Colho, Feij, Pedro
Xogueira, e Almeida. e do seu engenhero Adol-
pho Herbster.
A presidencia da provincia mandou suspender a
execncao da lei de torca policial e de urna outra
concedendo licenca diversos empregados.
Seguir a 28," para Liverpool, o vapor ingle/.
Uruguay.
Xo Rio Grande foi exonerado de engenhero
das abras publicas o Dr. Antonio Dias dos Santo?
Corriam calmas as elecoes na capital, S. Gon-
zalo. Cear-inerim, S. Jos de Mpib, Papary e
Goyaninha.
Na Parahyba falleceu o tenente-coronel Lou-
renco Dantas Correa de Goes, na villa do Tei-
xera.
GUIAS DE IMPOSTO.Senindo-nos de base
una informaco de pessoa de nossa amizade, de-
mos hontem "una noticia sob essa epigraphe, fue
hoto vimos rectificar.
E' facto que as guias de imposto pagam 74300
mas a pessoa que nos informen esqueceu sem du-
vida verificar e nos passon desapercebido que.
semnre que ha sitacao para pagamento de impos-
to, d-se a confeccao de um breve processo, cu-
jas cusas levara "a importancia da guia aquella
qnantia, tudo de accordo eom o regiment espe-
cial, quo serve de base contagem.
MISSA Fl'XEBRE.Hoje pelas 7 horas e raeia
da manhiia. ten lugar na matriz da Boa-Vista-
urna missa, que pelo descanco eterno da alma do
heroico e sempre lembrad general barao do
Triumpho, lbe niandam resar o Illm. Sr. major
Xeves e seus filhos, parentes do Ilustre (nado.
BAILES CARNAVALESCOS. Annunciam-se
cora pompa os bailes do carnaval, esle anno, no
Santa Isabel e no Gymnasio Campestre, no Poco.
X'uma e noutra parte preparam-se cora atavos
os salees, e o deus Momo veste seus melhores
adornos atlm de melhor receber seus mascaradas
festivos. Xo Poco o emprezaro promette passgeni
gratis em tren especial aos concurrentes que pa-
ra alli se drigrem de qualquer ponto da Bina
terrea de Apipucos. No lugar competente vao os
annuncios.
PROCLAMASForam lidos na matriz da fregue-
zia de Santo Antonio no dia 2 do corrente mez os
seguintes proclamas :
1.* denunciaeao.
Innocencio Jos de Miranda, eom Theodora Go-
mes da Silva.
Domingos Pires Repezas, eom Maria Umbehna
da Silva Prado.
Francisco Jos de Brito, eom Felicia Claudina
de Jess.
Francisco Borges da Silva, eom Ntulraa Bisulina
da Silva Xobre.
Jos de Jess Ferreira, eom Maria Amelia da
Franca.
2.' denunciaeao.
Jos Baptista Marques Dias, cora Maria de Cal-
mo Alves. >
Braz Adelino Cavalcante de Albuquerque, eom
Constanca Juventina Vieira da Silva.
Manoel Goncalves Ferreira e Silva *JJ*>r> C01"
Alexandrina Zeferina de Castro PimenMI.
Manoel Venancio Alves da Fonseea, c*n Febz-
mina Maria dos Santos. .
Henrique Manoel da Silva, eom Jesuma Mana
da Concecao.' ,
Miguel Zeferino d'Assumpcao, cora Momea Finca
Barbosa.
Jacintbo Heliodoro Alves Cavalcante, eom Maria
Carolina Wanderley.
3.* denunciacrio.'
Luiz Pereira da Cunha, eom" Maria Martins Pires
Agostinho Jos Mendes, eom Pastora Mara da
Luz.
Tobas Barrete de Menezes, eom Grata Maphalda
dos Santos.
Deodato Gomes da Fonseea, eom Maria Alexan-
drina Dias de Toledo.
Andr Firmino Cezar, conf Rila Amelia Salgued
Callaca.
LOTERA.A que se acha venda a 94', a
beneficio do patrimonio dos orphaos, que corre
sabbado 6 de fevereiro.
ESTABELECIMENTOS DE CARIDADE. M
ment do hospicio de alienados na Misericordia
de Olinda, do Io ao ultimo de Janeiro de 1869.
Exiitiaju 2i hoinens e Vi mulheres, euiraram i
LJutHQ



.63813Q mmm
Biario de Perimmbuco Sexta feira 5 de Fevereiro de 1869. .C 0 MUH VJX

niulheres, horrcram 2 mulheros, existen 24 bo-
mens e 44 mulheres.Total 68.
Exis'ttm iO ompregados ate e9tabelecimento, 7
honens e 3 mulheres,sendo: 1 medico, 1 apella*,
pdrteiro e saehrfetao 1; Ibarbeiro, iewfcrmciros
e 1 cosnheira. .
Foi visitado o mesmo eslalieleciwento peto res-
pectivo medico nos dias 7; 12; 13,19. 22, 26'e 30
as horas 10, H, 11 t ** da inanhaa.
Advertenoia. .
Entraran 4 mulheree, i no dia 3, tener. Mariana
de Scnna c Joaquina, africana, no da 6 Jostrpha
Gomes da Paixio, o no dia W-Martinha lana da
Coneeieao. ,. .
Morrram 1 *o dia Joaquina, .-'.fricana, de
ataque apopteUcm e no dia 31 Mariana Boier de
t inia Freir ^
Oinordoniodenet,
A. J. Gomu do Comi.
Orejreute,
l.tOzrto Breo Barres.
MovbwniIo do hospital de Nossa Senara*
Ha ttanootaio dos lazaros, do Ia a 31 de jawu
,le 186!).
Existan 12 hoiafiis e 10 niulheres, existem 12
liouieus e 10 mulheres.Total 22.
Advertencia.
Foi-visitado o estabeliHinetilo peto respectivo
nediro o Sr. De. Ignacio Firmo Xavier, m das
lHi 4, 7, 12, 15, 22, 26 e 30.
Fxisteih embregados, neste estabetocimeiito 8, a
saber: capeUi" I, medico 1. regante i, dtta i. "
miro 1, cosinieiro I, serventes S.
Omovdomo demez,
.4. i Gomes tn -Comi.
( rcinato,
Diniz 1-gMa.io P. dos Sania*.
PASSA6EIR0S.Vieran do Acarace portas
intermedios no vapor Pira fama :
Joio de Mattos, Joao Jos de Miranda, Domingos
Francisco dos Santos, Joao Esievao Soares, Joa-
juim Gomes da Silva, A&Jpho Eugonio Soares,
loaquiu (oncalves dos Res, Joao Raposo-de Sou-
za, Mauoel Correa Senua, Manael dos SantosCosta,
padre Mauoel Maria da Guneeteffe, Jorge Vctor
1'erre.irLopes Juntar, Caamro H.deHollandaCa-
vakantl; Daniel O. de HoUanda Cavalcanti, Carlos
Marnho da Cunha c sua familia, Joao Sabina Ca-
lotean* da Silva, Angelo Serafina da Silva santos,
Letras pagar.
Diversas coritas.
i 1:002 5730
205:7215230
S. E. (L. 2,9i9:2005900
Pernambuc, i de ftevereifo de 1809. .
Joseph S. Lambley, Accountant.
F. li. tiloxhum, Manager.
mXIMIMEBSr'
hmido conservad*!-.
A opposicao apeuaspor antitbeses se denomina
liberal.A prova .tesTa proposico nos lera ella
dado constantemente na inipresa.
ProBUtcia-se senipre com azcdiine contra os
actos de seus adversarios, dignos, .por .erto, de
elogios (lela utoderaeao e mesmo lilieralsmo que
os caracterisam.
Assim ataca a autoridade policial da fregueaa
de S. Jos, porque nao prende un polue pai de
familia, que repe.'le un infame, que scoceultra
alta noite em sua casa para roabar-lhe a honra
de urna lilba, e que antes de fugir o fere com dous
tiros E funda a sua injusta ceusacao no facto
de constar ter sido levemente brida b aggressor,
como depois se verificou por urna vestoria n elle
feita.
Nao se liinitou s a isto a opposicao. Injuriou
alro/uu ule na imprensa a infeliz victima da seduc-
eita.
Sao osles os principios liberaes que professa a
Opposicao f
Sao liberaes os redactores do Liberal, querem a
liel execuco das late, prgaiu que o povo deve
ser iii.iiiiido no livre gosode seus direitos ; que o
cidailiiduve encontrar na autoridade um amparo
contra a prepotencia a contra a opprcssio, e trata
parte,i volate paladino do audaz estrangeiro, que
invad.' liairoeiraiiicnte o lar domestico do pobre II-
llio do povo para roubar-llte o inais precioso the-
soun>. a honra !.'.'.'
Que mis respndalo os verdadeiros liberaes.
Nao nos foraeeeu a oppssicao smente este
exe.inpta.
diz, se
intonio MorenT VhThas, Jos Joaquim Osorio e Clama contra o modo violento com que
una escrava, Joao Percra, Manuel Joaquim da faioni as prisoes preventivas : grita a bum pilar
i^wLt Carvalbo, Antonio d> Carvalho-e Souza etiui
mano menor. Joaquim Gurgel do Amaral, Ismael
ikuidencio F. de Mello e oito -escravos, Torquato
Jos da Silva e Souza, urna mana e dous criados,
Damasio de Miranda, Okmpia Maria de Oliveira,
Manuel Antones de Mello," Adolphu Beer, Dr. Igna-
.:io Antonio Das dos Santos, Jos Gomes Monteiro
lanior. Francisco de Paula Rodrigues Joaquim Ra-
mos Seabra de Mello, Manoel Francisco de Souza,
litutherme Ferreira da Silva,. Vctor Maria Pcreira
Vinagre, Joao Ferreira da Malte-liveira, r. Fran-
Lsco do Reg Barros de Lacorda, Dr. Gustavo A.
Walbauni. e um escravo entregar.
O vapor nacional Paraht/ba, entrado do Pene-
do, trouxe Uunbem seu bordo os seguintes: Al-
van Augusto de Almeida, Francisco llenrique, Jos
-t'^lueiro, sua senhora e um lillio menor.
Seguiram bordo do biigue biasileiro Ib'ti-
nque sabido para .o Para, os seguintes: Pedro
Dralo, Maria Jos Coi'-llio, Luiz Omoreno.
CEMITER1 PUBLICO.Ofctnario do dia 1" do
i-orrente :
Gregorio, frica, 40 annos: Roa-vista ; ttano
.'.xpontaiieo:
Joseplia Maria da Coneeieao. Pernambuco, 40
.umos, viuva. Recife ; bexigas. .
Antonio, Pernambuco, 7 anuos, S. Jos ; va-
rilas.
Jovila. Pernambuco, 2 anuos. Recife ; convul-
soes.
Henriqtie, Pernambuco, 1 mez, Boa-vista; inte-
nte. ,,
Emilia Celestina de Mewionea, Pernambuco, i\
aimos, solteira. S. Jos ; hypertropbia no coraca
Silvana. Pernaiiibuco, 40 anuos, solteira, Recife;
tubrculos pulmonares.
. Antonia .Maria Pessoa, Pernambuio, :0 annos.
dlaira, s. Jos; picarte.
Auna Francisca da Coneeieao. Pernambuco. /()
nios, solteira. 'Roa-vislft ; meg lite.
contra as algeinas os troncos, os cercos e varejos
de casas e ao mesmo lempo insulta na imprensa
una autoridade policial, que, tendo de realisar
una prisao preventiva, dispensou o aptiarato da
terca publica, e a realisou so com o auxilio de un
ou dous inspectores de quarteirao !
Que liberaos, Santa Barbara !
Oleitor sabe que um atroz delicio se praticou a
villa do Cabo em una infeliz rapariga, tilha natu-
ral Je um Fulano Varejao. Sobre os autores deste
facto sao diversas as andes, sendo a ultima de que
o pai natural l i vea parte no chine.
Este Sr. Varejao, qiiein nao conbecenios, pare-
ce que gosa de boa nomeaila no lugar, onde exer-
re, ou exerceu cargos pblicos, sendo ate conde-
eorado com o hbito da llosa pela liga, se nao nos
falla a memoria : e sobre a sua innocencia j se
publicaran] algumas debas na imprensa, produ-
zindo-se, a viste dos depoimenlos ou interrogato-
rios sobre o fado, argumentos bem procedentes:
julgada ncessaria a sua.prisao preventiva antes da
culpa formada, deprecou-a a autoridade protestan-
te ao delegado de Ipojuca, que nao o do districto
da culpa, e poz sua disposicao urna forra.
0 Sr. eominendador Manoel Jos da Costa, que
o delegado de Ipojuca, e cujos senlimentos verda-
deirainente liberaes nunca foram ponteo em duvida,
eiilenileu comentante dispensar o apparato da tal-
ca publica, o dos proverbiaes cercos, e, s intiiiiou
por certo dentar a imprensa sob a no do go-
verno.
i Quando tudo devia comcorrer pai** facilitar
a nissao civilisadora da imprensa. q>i o pri
meiro agente do laturo, os direitos liscaes ele-
a vados sobre o qi' pertinente imprenta, a
elevada taxa ib i rorreio sobre os iiimmsii
impostes sobre as otlicinas tvpograpBR, etc.,
etc., tudo isto qus significa muito pouco para o
tbesonro; mnito significa para a imftMsn que
tassim v eentuplicadas^as suas^^iculda-
des.
Como bello este iiedacp!
Itrteressando supremamente, como j i dissivin *,
t a communicacao do pensamenlo, nao pode wm
t lifceral deixar d< reconhecer como ex.v.geiadas
em peral as taxa.i de correio.
t Finalmente, aiiula com relaeo ao pensatnflD-
t*, nao devia esqitecer ao Sr. Saraiv (tome Sr.
los Antonio!) a queslito da Uberdade-de con-
K sciencia, questo que tanto mais interessa aos
liberaes do Brasil quanto o nosso futuro muilo
depende das Uvret corren/es (bonito!) d irai-
pa cao.
Assim o illostre chefe liberal (reo sciente do
tartiiflsmo libera ) dando por completa urna li-
berdade que temos a menos de meio caminho,
deute. No segundo periodo a tosse auc-
ttSttitttt*""' "^ na frequencia e na violencia, e a
Devia ter dito muito menos ou muito mais. expectoraco mais abundante c militas ve-
E andavatn os ncsetos por alii a apregnar que
o Sr. Saraiva era lumiem de estatura! I 'Honicmde
uSWKawi Agrippa.
E o Sr. Xabuco a esquecer-se delle!
Agora tome o pio na unha, e veji la se vai
guiar-se pela cabe? do Sr. Saraiva.
Conveuca-se que Agrippa o homem, cuja esta-
tura foi lalliada iwki natureza para salvare parti-
do liberal.
Bismark na Pmssia, Agrippa em Pernam-
buco.
Tudo o mais sao historias do Xegreiro, que bem
dizia, que nrio se pode anuir a gente fasta.
Recua, 4 de fevereiro de 1869.
Chakama ukulrudUtaba.
PUBLICACOES A PEDIDO.
Conservadores de todos os lempos, e tendo sem-
pre em grande apreco as Meas emittidas pelo or-
gao do partido, quando em opposicao, nao pode-
mos resistir ao dosejo de transcrever o que a res-
lieilo de urna cbapi da liga escrevera o peridico
Coiuenudor de 2 de uovembro de 1807 em seu
numero 2o.
O corpo eleitoral do partido conservador que
l>tse bem o que ento foi dito, e por ah paute sen
procedimento na presente conjunctura.
O rouscriadur de todos os lempos..
manhla ; respirarn curta, difficultosa e
rpida quando se fae exercicio. .
Pallidez extraordinaria, molleja ws mus-
culos, emai-eiimento em torj^ "corpo,
diffirulilaile em fazer esforco, qter physico
quer mental.
Estes symptomas podan continuar por
mude tiTnpo sem augmentar-se o mal;
pocen rt'do ou tarde apparecero signaes
ilo seu progresso: o pulso se tornar mais
rpido, stnflr-se-ha fri pelo eipinhaco de
manhia e de tarde, seguido por febre.
Dahi em diante o doeute passa a noute in-
quieto, tss. secc e irritante todas as
veses que se vira na cama.
Neste prhneiro periodo de tnica tuber-
culosa, os pulmoes contm j mais ou me-
nos dos depsitos tuberculosos.
A transicSo do ppmeiro ao segundo pe-
riodo desta molestia em alguns vagarosa
e apenas visivel, em ouros rpida e evi-
A CHAPA DA LIGA.
Bate-nos a porta a eleicao provincial, e o Sr.
Villa Relia j fez a lesignacao dos deputados I
Em oulras pocas, que clamores nio levanta-
ra una desigiiaca.) assim feita, em concilibulo
secreto, sem cnsul a s influencias locaes, sem
consideraeao s alTeicoes dos candidatos, sem ac-
crdo dos centros do partido!
Mas como estamos em quadra, em que o abso-
lutismo avulta sob a capa do liberalismo, nada se
diz, todos recebem em silencio a mais degradante
das iinposices!
Admilte-se una chapa batida, quando dous
partidos estao em frente um do oulro, dispondo
ambos de elementos de torea; mas quando o par-
tido que governa esta exclusivamente apoderado
do campo eleitoral, quando nao teni competencia
dis adversarios, porque al aqui nao consta a
Jesnina Maria da Concateno, Pernambuco, 22 queHireito, em que principios de juslica se fumlou
anuos. Boa-vista ; febre typloide. para atacar to cruelmente o culadao Varejao,
rctium.i.., i>,.ini,.ui,uen, i me/es. Hoa-visla
patita.
jS, Boa-vteta; ptSy^el f*m
ordem de hrsaO' Varejao, recolliendo-o inune-j candidatura de nelium opposicionista, que expb-
diatamente prisao, que, Ihe compete em face da cacao pode ler urna chapa cerrada, seuao a gana
distinecao cOm que o homou a munificencia im-
perial.
Vaiejau foi da prisao da villa do fibo removido
para o quartel de polica desta capital, e dahi uo-
vamente rCmellidi) para aquella villa, aliui de as-
sistir formacao da culpa.
Els tudo quanto respeito da prisao de Varejao
lem oecorrido.
Agora pergulitaremos redaccao do Liberal em
he-
Jos, l'einamlmeo, 18 mezes, Boa-vista ; e,
Theodora Maria do Jesns Villa-nova, r.-rii.-iiolni-
eo, 80 anuos, viuva, S. Jos : cancro interino.
Caetano, frica, O anuos. Boa-vteta ; jpufritlll
cerebral.
Syinphorosa Lourenca de Souza Almeida, Per-
nambuco. 2* .-huios, solleira, S. Jos' ; tnlw'rculos
pulmonares.
Bernardo. lVrnaiiibuco, 5 mezes, S. Jos ; con-
vulsoes.
EduarJo, Peniimbuco, I mezes, Recita ; diar-
rlia.
Antonio Manoel da Silva, Pernambuco, 4.') an-
uos, solleiro, Boa-vista : tubrculos pulmonares.
Anna Joaquina da Coneeieao, Pernambuco, 1.*>
aimos, viuva, Boa-vista: interite. chronico.
Joaquim Manoel Riandn, Pernambuco,^-" an-
uos, casado, Santo Antonio ; hvpcrtrophia no co-
rarn.
caetano, Pernambuco, 22 anuos. Recite : de-
sastre.
Joao, Pernambuco,6 anuos. SedoOlinda; pneu-
mona.
Cecilia, Pernamluic... 18 nasea, S. Jos ; eon
ulsoes..
para atacar tao
que anda pode ser delarado innocente pelos tr-
liimaei iln nal/
,. W",~--*.lta eqxnmvmitr in-ni ueU'gaUO (ICIIIOJM
'' com o fado de recuu.^ i- '
'...... ",- ..... n. nio de soldados '
Pois ss liberaes, e queris que o cidadao sus-
peito de um crinie seja logo desfeitiauo, ultrajado,
e al torturado ?
de'dominio absoluto, que demonstra o Sr. \ illa-
Bella I
Porque S. Exc, reduzdo as inspirarles que
recabe dos Srs. .Vi-aujo Baas e Alilite, seus di-
rectores de conscieucia, excluio da competencia
niuitos dos seus amigos polticos, que aiubiconain
nina cadeira na asembla provincial, abafandu
suas aspiracoes com urna chapa serrada, organi-
sada sem aecrdo eom as nlluuncias locaes, c im-
pondo aos diversos districtos nomes a elles inte-
rainente desconheciJos, como sao o Sr. Lopes Ma-
chado, ao quarto, e o Sr. Colninhano, ao se-
guiido 1
r.,.H... tanta .. Bu de supplaniar prelen-
brir espaco aos seus protegidoint! aS rrTisa iiiiinoraes, em que wto se ha distinguido .'
Mas nada temo, eoui isto, nao nj^abe mtl-
ter mito nos negocios da familia alhena
Estamos, sim, ou mso direito, cSmbalendo
Sois liberaes. e iiljuraes a autoridade que trate
eom blandura um cidado infeliz, apenas sus-1 este systema de imiwsico odiosa que ijuer o Sr.
peitedo, e cuja prisao meramente preventiva ? i Villa-Bella plantar na provincia, machucaudo-lbe
os bros.
Entre os menibros da redaccao do Liberal exis-
tem alguns sobro os quaes a ac'cao da justcajse
fez sentir : e desejariam estes que a autoridade
Reluca S. Exc, se anda est em estado ita
reflexo, nos seus erros administrativos, nos seus
procedesse para com elles. como deeejm que t I desmandos. .Nao torne o seu pome mais odioso
LONBOJt A BRASII.IAN BANK, UMITKD.
'-ipital doflaneo 15,006accoes
a liHi.................. i:i.:i:i.l::i:t:ii.'l.to
\ccoe> emittidas 13.000...... ll.55.":555iS50
Capitel pago a 115 por aecBes. -"i.2O():0O04OiH)
BVLASO) I)V CAEU FILIAL KM PKRNASBCCO KM 30 DE
lmno db W(19,
Asthco.
lateas descontadas..........
Ireditos sobre diversos oatroS
haniMs e cabs filiaos.....
Catea em mo.'ila comaite-----
90S:79fi*110
1,372:573*330
:17:490690
vesse procedido o delegado de Ipojuca com Va-
rejao f
O odio potiticn tem tornado a opposicto incohe-
rente, inconseqnente, e delirante.
Nao salie o que diz, nem o que faz.
Na ausencia de. babilitaco para discutir ideas e
principios, vegeta no lodoso terreno das personali-
dades.
inglorio lidar !
Optante Va
Rs........
Hinten
Capital forneiido pela caixa
matriz...................
rjejMisitos:
Km coDta coi rente
simples......7*8:7*5*830
Apnmntixo.... TOStSOMITO
1793:861*130
< jrilitos sobre diversos outros
bancos e caixas filiaos.....
Rs........
XHX:XN84890
l.4::IO>10
482:6725140
2,793:8615130
S. E. i! 0>.
IVrnaiiiliuco. i de fevereiro de 1869.
T.WUkiusoa,
Accountanl.
i-:
Ssh Bauk of Rio de Janeiro.
Uiitlted.
Capital do Bwn BO.QOO
. a l.tKMMMK)
. 5(Kj.ijikj
!>0.iiu:t
aix'ocs de 20
ilapial realisado .
KuMtlo de rcscrja
Bataneo da caixa filial em Pernambuco, em
:U do Janeiro de 1869.
Adico.
Loira? descontadas. . i.ori9:u:;.>8:;o
'.anintias e \;ilnres de-
positailus....... i>8:i:.'i77>ili0
Moliilia etc. do Hani'O.. 8:K:ttH0
Emprestiiaus e iniitas
caucionadas..... tomasm
letras reeeber. . :{::'.!M:S(i:iii
Oivi'i-sas cuntas..... 83fc20WM9
Ciflxa.......... Ii20:l0>'i'i0
.9in:2lM(.V.00
Pmtito.
JMttas correntes >m-
jds 7t>:i:l):iMiio
Di^ostos waso liso.
com aviso e por le-
tras 1.6fi5:69tit470
2.428:8890480
lindos em caucik) ede-
283:S77A460
. (A'PEDIDO.)
.1 caria iopenseUuin Sarnita
rimiiil.
lem se disse nesia columna que, se na carta
escripia peto. Sr. Nabnco ao Sr. Saraiva nao havia
armadilha o diafeo cpiejniassa.
O Sr. Saraiva cahio as nnhas de Agrippa,
redactor e proprtetario da OpitSe NekHtal.
tem feito. Quein Ihe maiidou responder ao Sr.
Nabnco sem ouvir prinieiro o parecerse Agrippa,
Agora chore na.cama que lugar quent. V
toando para seu eosim.
Agrippa. qur lem mais ettotum que o Sr. Sa-
raiva misto nao ha duvida. que tem mais lais e
mais guinda) chamou-os a contas na Opiniaa .Na-
tional de 2H.ilo.pa.ss.-ido.
Occupando-se da caria do Sr. Saraiva escreveu
Agrippa: ...
< Quanto.s honiens illuslres do lirasil bao sido
reos sejeatet oh inwntrialtB desse tarlulismo
a liberal, que ha sido o priiueiro agmile do absolu-
i lisniM un Brasil ?!
Heiin! >' bted on aabaea ?
O Sr. Saraiva, que foi ministro, que aceite a
carapuca, e diga se foi pos MMft ou incon-
sciente.
I'.ontimi Agrippa :
Mas o Sr. Saraiva, permittem que, franea-
t mente o digamos, ou devia ter dito muilo mais,
a ou muilo menos nessa sua carta.
Quesloes como aquellas, ou sao propostas
a simplesinente, em um momento dado, s medita-
coes ilo paiz, ou sao cabalmente desenvolvidas
minuciosamente detalhadas. principalmente
ando dellas se orcupam liomens da estalnrn
do Sr. conseJheiro Sumir : as lacinias e apre-
eipitaco em laes casos podem accaireter sanos
inconvenientes.);
Tome, Sr. conselheiro, para o seu ensino. Veja
como se falla fsneudo e v aprendemlo.
O Se. conseibeiro.Saraiva eonio quep&snue
ttca plenamente satstailo, ante a liherdade de
provincia, nao chame sabr si as malai<;es de um
povo irmae.
Desea do orgullto louco a que o airaste a ufa-
na de tuna posteas iinmerecida, realidade dos
aconleciineiilos, "e ver que o que aqui Ihe ponde-
ramos para seu bem. Somos seu adversario,
mas temos pena de ver um pernambiirano Irans-
viado.
Srs. Heda,1om.Yoltaulo a defeza do pai da
infeliz Antonia, dcllorada e assassinada no Cabo,
adilicionainns que o ex delegado Antonio Pedro
Ferreira Lima, |K>r esquecimenta deixon de men-
cionar as participacoes :1" ler encontrado o
corpo da infeliz estragado por hediondo servico;
2a ter adiado entre as mapas da infeliz a certido
de seu baplismo; 3"ier Jos Meniir declarado que
logo que a infeliz desappareceu de casa, sua mi
dirigio-se a Garby, e Ihe rogara, que enlregasse-
Ihe sua lilha, on Ihe dissesse su eslava em poder
de llenrLqiio. donde vem a certeza da mi contra
Corbv u llenrique, a nao estar vulgarisailo que
aquelle era o inedianeiro ileste para semelhanle
rapto.
Vi'-se bem que essa omissao muito tevorece a
llenrique e seus cmplices para sua soltura,
como j preleudeu o ex-delegado, e realisou a de
Pila, alleni, serralhero da via frrea no Cabo,
cunhaito de Henriqui, o mais empenhado que esle
nao easasse com a infeliz, como notorio, e o mais
que se empaoba no trama de testoinuiihas, talvez
3ue taiiihein saja waprapado de via forrea, para
esviai de si e de seus companheiros a complici-
dade.
De nossa parto dizeinos, que Pita acoiiipanlioii
da prisao a Jos Menino, quando peante o mes-
mo delegado, eom semblante risontio, a uo com
choro, disse ao pai da infeliz que elle foi queni a
mandara raptar, alto pai assassinara. Rogamos
ao Sr. Dr..chufe de paluda pela inve-u.,'aei des-
tes teslemunhas falsa s
Al aqui.
zes contm pequeas nodoas de sarigue. 0
fri, a febre, insomnia, suor de noute, sao
mais notaveis, e a febre hectica mostra-se
claramente.
0 semblante paludo de msnba, e de
tard/5 toma-se corado.
Cterceiro periodo simplesmente o se-
gualo gradualmente augmentado.
A severidad!', a rapidez dos symptomas
e o progresso da molestia diflerem muito
era diferentes casos, e depende da consti-
tuicio da pessoa e do clima, tempo, etc.
Em alguns a marcha gradual, sem dr e
com | K mea tosse, acompanliado de diarrha,
suor, etc., e o doeute ainda nos ltimos
dias mosti'a-se cheio de coragem e espe-
ranza. Em outros, e pela maior parte, a
marcha desta terrivel molestia rpida e
dolorosa e a lula mortal entre a esperanca
e o desespero mostra a severidad b da doen-
caeo solrimerito do doente.
Em todos os tres periodos, nao conbe-
cemos remedio melhor do que o Peoral
de cereja do Dr. Ayer, se fr tomado a tem-
po, a cura quasi certa, e mesmo quando
a morte prxima elle mitiga a dr e alli-
via o solfrimento do doente.
Urna tosse por mais leve que seja peri-
gosa edeve ser tratada inmediatamente
antes que tome assento sobre os pulmoes ;
tonta sempre em casa um pouco deste
Peoral de cereja e siga as direccoes que
acompanliam cada frasco.
Se a molestia esl j muito adiantada
procure tomar o Peiloral debaixo da ili-
ruciao de um medico entendido. Obser-
vando ao mesmo tempo toda a cautela pos-
sivel, quanto dieta e ao tempo,
COMMERCiO.
gados, 18 sacras algodlo; aSaLeiHod- 368 ditos de dita ; a Fernandes Alr-
IrmSo. m3o.
51 ditas dito: I picote pennas, 30cou- 2219 ditos de dita; a Antonio Alvos de
ros salgados, IG92 irieios de sola ; a Joo Moraes.
Jos de Carvallto Moraes A'IrmSo. | ,46 ditos de dita, 13 couros salgados, 10
674 ditos de dia ;'a Jos Lopes Davim. caixas velas de carnauba ; a Lino deFa-
81 ditos de dita; al'. Joao de Barros Ju- ra 4 C. -^m- ^~\Wk
Bior. I 30 saceos algodo; a Albino Amoi m
381 ditos de dita; a Joao Busson. & C.
TABELLA DO Ri:\DIMKNTO DA AU-ANDEGA DE PERNAMBUCO DO MEZ DE JANEIRO DO
UIRRE.VTE A.NNO KI.NANCE1RO, COMPARADO COM O 1>E IGUAES MEZES IMIS DOUS
ANNOS LTIMOS.
'"

Imporlurao -
Direitos de coiisiiiho.............;........
Ditos addicionaes de 5 %.................
Ditos addicionaes de 2 %.................
Ditos de baldeacao e reexportaco.........
Ditos de ditos d reexportaco para a Cosa
d'frica..............................
Expediente dos gneros estrangeiros navega-
dos por cahotagem.....................
Ditos de '/ % dos gneros do paiz.........
Ditos de 3 % ilos gneros livres...........
Armazenagein...........................
Premios dos assgnados...................
Desparti martima
Ancoragem.............................
Bspflrtaplo
Direitos de lo % do po lirasil.............
Ditos do 7 % de cxporlaco('9%no exerci-
de 18681869........................
Ditos de t % dem.......................
Ditos de 1 % do onro em barra...........
Ditos de '/ "o dos diamantes..............
Expediente das capatazias................
Interior
Sello do papel lixo.......................
Dito do papel proporcional................
Emolumentos......t....................
Imposto dos de>|iachantes.................
Dito de a e 15 % de transmissao de p/oprie-
dade...............................
Extraordinaria
Receila eventual t mullas...............
Dizimos da provincia das Alagas..........
Ditos da provincia da l'arahylia............
Ditos da provincia do Rio Grande do Norte.
Contrihuicao de earidade..................
J8G8 MU
593:157*537
79:5873916
200.S30
549*586
539*567
3:027*184
|-.3S.i550
7612I7
3:497*100
218:760*786
1:028*660
709*600
295*21.0
51*400
;'.Io>iim
l:ltt43M
934:698*393
12:058*719
3:320*765
374*437
461*080
950:913*094
1667 1868
160:033*331
18:087*492
70*362
.10*928
714*856
2 888*345
2:129*058
1845226
3:262*670
254:240*438
716*160
333*200
256*680
49*200
167*138
243*000
376*973
1866 mi
444:184*059
11:090*26!
1:1324979
137*500
286*813
456:831*614
617:1071605
1:1180 4463
MOJ152
67*148
4:373*584
1'MiaiV
1 41*358
a:)*85A
184:380*158
l:0W4O0
647*001
299*33o
62*400
431 *m
:H>*00f>
937*939
900:204*242
6:988*4 lo
5:491*027
199*607
48I4WI
913:364*3-7
Alfandea de I'eriiamhuco, 3 de fevereiro 1869.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DK PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 3 3:317*534
dem do dia 4...... 1:243*242
4:760*756
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia I a 3 8:596*603
dem do dia 4....... 4:138*903
12:735*306
PRAGA IX) RECIFE 4 DE FEVEREIRO
DE 1869.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDE.
Assucar mascavado purgado = 3*200 por arroba
Algodao de Pernambuco 1* sortc = 15*e 15*100
por arroba.
Algodao da Parahyba 1* sorte 16*200 por ar-
roba posto a bordo (hnutem e hoje).
F. J. Silveira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
DANCO MAUA P
Ra do Trapiche u. 34.
Descorita lettras cotnmerciaes a taxa con-
vencional. Recebe dinheir, a premio con-
vencional, por lettras e em corita corrente.
Confere crditos, saca sobre as primeiras
pracas do imperio, Rio da Prata e Euro-
pa, e compra cambiaes solire as mesmas
pracas.
Encarrega-se, por commissao da com-
pra e venda de mudos pblicos e acedes de
companliias, da oobranca de lettras e di-
videndos ou de seu pagamento,' e de qual
quer outra operaco bancaria.
0 expeiliente para o publico comecara
s 10 horas da manlin, e terminar s 4
horas da tarde de todos os dias uteis.
MOViMENTO DO PORTO.
Narios nmlnu no dia 4.
Ararac e portns intermedios8 dias, vapor na-
cional Pirapama, de 312 toneladas, eommandan-
te A. G. Torres, equipagem 30, carga differeutes
gneros; a Companhia Pernambucana.
Barcelona 47 das, sumaca hespanhola Talia,
de 102 toneladas, capilao Antonio Caslella,
etpiipagem 10, carga vinho e outros eleitos; a
Keller & C.
Nucios subidos no mesmo dia.
Ro Grande do SulPatacho brasleiro Garihaldi.
capilao Francisco Domingues, carga assncar e
.* gurdente.
Parahvba Brigue nglez Alejandra, capilao T.
i.,i.i-. wiKa ...... .... .,._ .,a Jn IWi.
Nova
tllitiriticOo.
Fundeou no laarlo um DrigVC portiiguez. mas
nao leve comniunicacao com a trra.
ECITAES.
i mprensa qoe.possuimos: entrelanto corlo, em
< nosso fr.ico entender. i|ue o partido liberal muito
lem a faa'r por bem da hherdade de iui-
prensa.
Com nina legslacio, que entrega os orines
< de injuria ao'julgaiueulo de jutess singulaiv-,
jatees como os que possuuios, quasi todos eiva-
'dos de espirito partidario, todos dependentes da
accao do poverno, pi'nle-so dizor que a mprensa
esla inerc desses jatees, atiento o vago que
como quo essencial a > factoileinjuiia inpressa,
da com que um individuo pode toilurar iiuies-
eripto alheici.
Apoiado meu Ammm as-im tac as interpre-
f<: HPOfWO.arn,'s tipaomidas 4a montanha russaparaes-
Torregar : gruta de CaJipso, ele., etc.
* Com una legslaeao. que il lugar, porexem-
a po, como j aqu aeonteecu, <(tie um imlivi-
do. chamado de miseravel assansiao, para
<( fugir a prova cabaret no crime de calumnia.
i chame a i'es|ionsabilidade o autor do escripia
n sonienle pela palavra miseravel, por contar com
a um juiz, que acastelando-se no crime de injuria
mande o adversario cadeia, eom urna legisla-
cita assim nao pode um liberal dizor. que a ini-
(i prensa livre.
Oueui sabe. sabe.
Otte estpidos que eram os Kaaraes que na ca-
ara di s depotados tanto claraaram eontra a li-
berdade da iJiprensa. que.possuimoc, degenerando
eai licenca I
Em un paiz novo, onde mais que tudo inte-
ressa a dffusao das loses, c a eomranmca&io
do pensamento, nao isentar da aeco vexatoria
dos agentes da autoridade, do recrotamento por
exemplo, os que se dedican a arte rypograpbica
Por acaso esperinieiities os
seguintes symptomas.
Tendes tosse vilenla? Sents tlies
nos ptilmoos? expectoris phleema ou
inuiusiilade? Vos encommodam debili-
tan, os suores nocturnos ? Tendes a gar-
ganta inllainaihi .' Estis rouco ? Sents
oppressto no peito ? Se por acaso, ou
dado o caso que adoeceis de todas ou 8b
qualquer urna das en ermidades menciona-
das, achar-vos-hei na uigontissima neces-
sidade de emprogar um Pemedio eflicaz e
seguro, (al qual seja o Peitoral de Anaca-
hiiita. Nao deixeU passar urna hora, som
que facaos nina piompta applicacao d'este
inapreriavel e prodigioso remedio. Os
miles e solrimentos, para logo serto ali-
viados, e por fim acabar por restabelecer
i'oiii|ili'taiin'iile a vossa sade e com ella
vossa alegra e prazer. Sua historia uma
serie continuada de prodigiosas- curas e
detriumphos sem fina. Encontra-lo-heis
venda em todas as principaes boticas da ci-
dadee do campo.
Aelm-st' i venda as pharmacias de A.
Caors, J. da Coneeieao Bravo A C, M.
A. Rail tosa, P. Maurer 4 C. e Birtbolo-
meu & C.
Tafeerculos pulmonares
n
Os principaes svmptoIs da formaeo de
uberculos nos puimes, o:
Urna tosse secta quando se levanta de
ENGLISH BANK
Of Rio de Janeiro Limited
Desconta lettras da praca tjixa a con-
vencional-.
Recebe dinheir em conla cerrenteea
prazo fixo.
Saca vista ou praso sobre is cidades
principaes da Europa, tem agencias na Ba-
ha, Buenos-Ayres, Montevideo, New-York
e New-Orleans, e imitte cartas ce crebito,
para os mesmos lugares.
Largo do Pelourinho n. 7
O English Bank of Rio de Janeiio, Limited,
casa sobre as seguintes pracas:
Londres.Sobre London Joint Stock Bank.
Pars.Sobre Fouid A C
Hamburga..Sobre J. Berenberg Gossler de C.
Lisboa e Porto.Sobre Banco de Portugal.
Rio do Janeiro.Sobre Eoglish Bank of Rio de
aneiro, Limited.
Biiia.Sobre C. Vanghan 4 C.
Para.Sobre Tappenbeek Braiubeer & C.
Caixa Filial do Banco do Brasil
A caixa filial do banco do Brasil em
Pernambuco em jiquidac5o paga o 38 divi-
dendo das accoes do Banco do Brasil ins-
criptas nesta caixa; a razo de 9^000 por
ac?o.
Recife, HSde Janeiro de 1869.
dulzo dos rollos da fazenda de
Pernambuco.
Faz-se publico aqun eonvter e interessar pos-
sa, que lindo o praso de tees mezes a contar de 24
de dezeinbro ni timo, se hao de vender em hasta
publica, celebrada na cdade deGoy;inna e na villa
de lianib, peanle o sobredto juiz, ae tenas per-
tencentes ao extineio cneapaUado de bamb, cons-
tantes do edital de praca, publicado ao Diario de
Pernambuco do rilado dia. Os que pretenderem
ianrar a praso. conforme o.art. 4o da le de 6 de
selembrode 18,'i0(|,-\(i;io apresenlar-re com seus
fiadores habilitados, sendo as (ancas prestadas ad-
ministrativamente e com tudas as formalidades
das fiancas fiscaes nos termos das nslruceoes de
30 de dezembro de 1865.
O escrivo,
Luiz FremcitC B. de Almeida.
O chefe da 2" seccao
Jurme Gerardo .Varia Lumacbi de Melk.
Vossa Excedencia se digne mandar que ues-
te sentido seja feto novo edital atlixado e
publicado no da da praca, e em outro qual-
(|inT anterior a elleassim pedem Vossi
Exeellencia deferimenlo e espera reeeber
merce. Oprocui ador Joaquim Canuto dsSau-
t'Anna.E nesta pelco dei o despacho
eeguinte. Sim, Reciie 1 de fevereiro de
1809, Alencar Araipe. E por forca deste
meu despacho, o respetivo escrvao interi-
no fez passar o presente edilal, pelo Ibeor
ilo qual mando, que tenha lugar no dia
do corrente mez, a praca dos bens paobo-
rados por virtude da execuc5o dos soppli-
cantes contra os stipplicados, constante do
original do edital j publicado, e com as af-
teracoes do presente, cujos bens sao os se-
guintes, a casa terrea n. 11 a' praca da Boa-
Vista, por :000r> rs, a casa trra n. 8?da
ra do Cotovello, por 3:000i^ rs. e as ca-
sas terreas ns. 29 e 31 da ra Real por
?:500-$' rs, cada urna.
E para que chegue ao conhcimento d--
todos mandei fazer o presente edilal que
ser aflixado nos lugares do costume e pu-
blicado pela imprensa.
Dado t. MSMrfo ih'.aU cidatlo dn Ite.l,
de Pernambuco aos 1 de fevereiro de 180'.'.
Eu, Manoel Slvino de Barros Fal.fi .
escrvao interino, o subscrevi.
____ ___Tmlo de Alencar Aruripc
ALFANDEGA.
Rendimento do dia I a 3 .
dem do dia 4......
l-WOOHilO
:!5:4720i2
150:380*252
MOVIMENTO DA ALFANDEGA.
Volumes entrados com fizendas S8
dem dem com gneros 758
0 Dr. Francisco d'Assis Oliveira Maciel,
. cavalheiro da Ordem de Christo e juiz
de direito da vara criminal desta co-
marca do Recife por' 8. AI. Imperador,
a quem Deus guarde, etc.
Papo saber que a>hando-se vago um dos
oflicios de tabelliao de notas desta cdade,
pelo fallecmento do servontuario Joao Bau-
tista de S. o qual officioVii criado pelo do-
natario Duarte Coelho. convido pelo presen-
te a quem prentender dito ofTicio a apresentar
neste juizo no prazo de Destenta dias acon-
tar da data deste, sua petico datada e as-
signada peto pretndeme ou seu procura-
dor e acompanhada de certido de idade,
folha corrida, came de suficiencia c mais
documentos que entender convenientes,
sendo todos devotamente sellados na con-
formdade do decreto n. 817 de 30 d
agosto de 1881.
E para que chegue a indicia todos man-
dei passar o pi-esente eJital que ser pu-
blicado pela imprensa e allixado nos luga-
res do costume.
Dado e passido nesta cdade do Recife
aos 26 de Janeiro de 1869.
Eu Joaquim Francisco de Paula Estoma
Clemente, esciivao o subscrc\i.
Francis d'Assis (Hireira Maciel.
O cidadao Amonio Augusto da lunera, juiz i.
paz mais volado da freguezia do SantissteM Sa-
cramento do bairro de Sanio Antonio da cida.i
do Recite da provincia de Pernambuco, em vir-
tude da le, etc.
Paca saber que, pelo onlcio circular do Exin.
Sr. presidente da provinciaconde de Baepend\
datado de 3 de outubro do anuo prximo pana i
que por copia me foi reinetlido junto a um da c-
mara municipal desta cdade, de 19 de outubr
dito anuo, convoco os eleitores deste muncqr
para a reuiiiao do eoUegte no dia 2 de narce pro-
Uno vindouro, allm de proceder-se a eleicau do*
deputados que d esle circulo para a issembd
peral legislativa, que tem de funecionar no qua-
triennio.
Em consequencia do qae, devem comparecei
na groja matriz desta nreguezia as 9 horas da mu-
nida do dia 2 de marco cima declarado, os re- -
(lectivos eleitores gera'es, que compoe o coltegio d>
Hecife, os qnaos s;ta : os de S. Fre Pedro Gon-
calves, de Sanio Anteado, de S. Jos, dos Alagados,
da Varzea, de S. Amaro de Jaboalo, de Murib
ca, de S. Lourenco da Matta, do Poco da Pane!
e da Boa-Vista.
E para constar n ande afflxar este na porta da
igreja matriz desta freguezia e publicar pela tn-
prenca.
Rente, de fevereiro de 1869.
Eu Joaquim da Silva Reg, escrvao que sub
ere vi.
Antonio Augusto da Fonrera.
OECLARACOES.
Tribunal do cominereio
A secretaria do tribunal do comniercii di
provincia faz publico, que se acham parados p
falta do res|eclivi) preparo, os feitos abaixo SMI
etanados, os oaaes iiendem de appellacio :
1857.
Autor Bernardo Amonio de Miranda, reo o p -
dre Jos dos Sanios Fragoso 64420.
1858.
Aulores Miguel Ferreira ite Mello i rsula Mi.
ria das Virgens, reo Francisco Ferreira de M.t
84820.
Autor Joao de S Cavaleante de Alhnquerqu-.
reo Antonio Nuiles Jaeome Pires 16*620.
1860.
Volumes gaidas com fazendas 2<0
dem dem com gneros 6S6
1346
886
T
K8im_j
lilil II .......
Deaearregam hoje t> de fevereiro.
Vapor inglez.I//I130/1 diversos geneos.
Barca ingleza--Suppko- mercadoTias.
Barca ingleza- /'cuma idem.
Patacho norte-allemoApollodem.
lia rea nglczaMaranhaoferro.
Patacho inglez--B/aieAbacalho.
Escuna none-allezeaoCatkarinafazenda1.
Brigue argentinoVolantefariuhf de trigo.
Barca fram eza Marasvinhos.
Patacho norte-allemoHcnner farinha.'
Brigue inglezElemlaidom.
Barca franc.eza=.l/nii.sete Nantes--9A\.
Barca portuguezaDespique 11 varios gneros.
Baldeacao da simiaca hespanhola Tiatiita para o
navio -Aglaia vinhos.
Vapor nacionalParaliyba<\ versos gneros.
Vapor nacionalPirapamaidem.
Patacho amerii-moAglaia^brea.
Barca norueguense Caspor Wild = farinha de
trigo.
IwporlH'So.
Vapor trasileiro Pirapama, viudo do
Acarac e portes intermedios, ma ufestu :
1596 nejos de sola, 1 pacote pennas,
46 caixa telas de carBaba, 59 ecuros sal-
0 Dr. Tnstao de Alencar Araripe. oflicial
da imperial ordem da Bosa, juiz de di^
roito especial do .onuiiercio nesta c-
dade do Becife de Pernambuco por Sua
Magestade Imperial que Deus Guarde,
ect.
Faco saber pelo presente,.que Andrade
Bego por seu procurador, me dirigirn) a
peticao seguintc.Illusiissimo Excellentis-
simo Sr. Dr. juiz do nnmercio. Dizem
Andrade t Reg, que na execnco que mo-
vem contra,Jos Bibeiro de Brito e sua
mulher, por esto juo esciivao Paes lie
Andrade, tendo de ir a praca no dia 22 do
correte Mea os bens constantes do edilal
publicado no jornal que junto offerece, suc-
cede que as aua terreas da ra Real, que
ali esto com os nmeros de 27 e 29 se
acham hoje com os nmeros de 29 e .'H
bem como por engao da typographia em
que foi publicado o edital no dia 19 de de-
zembro do auno prximo passado, foi de-
clarado que a pracn respectiva era no dia 24
de fevereiro do anno crreme, no entretan-l
to que no original do mesmo edital consta
que a praca para o da 22 do mesmo mez
de fevere.ro, pelo qoe, e para evitar qual-
quer duvida requerem OS supplicantes a lustradores damassa faldadeMartiaho deOhvti
Autor Joaquim Rodrigiiif Tavares de Mello, i
Manoel Ferreira (iu-rido itO.
Autor Manoel Jos Martins da Corredonra. re-i
Antonio Pacico Simr.es de Amaral 6*420.
1801.
Sintente Manuel Jos Leite. executado ten*
Francisio do KeguBarros Juntar 8820.
Autor Jos1 Maitins Alves d:i Cruz, reo Jos \i
lomo Cwnlwe Pires 6i20.
1862.
Autor Miguel Jos de Abren, reo Horacio Tihm
co da Cruz Monte 4,s02O.
Autor Fehpiie da Silva Pimental, reo os curad. -
res nseaes iLi inassa fallida de Faria & I'.. 6420
Autor Cluisanio Daro .Nobre de Almeida, reo
Joao Hiplito de Matea Lima 84820.
Autor Jos Bidrigues da Silva Rocha, reo Ma
noel BosMfwa fiaste Magalhes 16620.
Autor Frauciseo Aulonio das Lliagas, i
dio Dubeux 16*620.
Autor Manoel AMmie Supari, reo Joio Ai^
to de VascoiRMllos Leilo 4*020
186.').
Autor Antonio Ferreira Leal, reo o curador tk
antean raiwni de Qeunte 8*820.
Autor Antonio Jos lloarado, can Anaato lYai
cisco das Nevtis, 1. nirenco Luiz das eras B<
dicto Jos Duai'te Odriui 11*220.
Autor o baeharel Joao Franrtsco Teixeira. mu-
administradores da inassa fallida Jo Guimaraos&
Irmo6420.
Autor Galdino Themistoctes Cabtal e Tase,
(vitas, reos Manuel Alves tiuerra, Francisco AmU
uta de Brito, Framisco de Paula Queiroz Fonscca.
e Francisco Xavier de Moraes 1U220.
Autor Joaquim Elviro AItos da Silva, reo Tteo-
totuo da Silva Vieira 164626.
Autores Mathou9 Austin A C, reos Brito. Ou
roz&Cagtti ^^
Autor F nkisco Ferreira Borges, reos os aun
I
II
1,
!


wn


Diario de Pernainbuco Sexta feira 5 de fSeveretro de !___',
s
ra Borg.-s e Rento Jos Ramos de Olivara 11*330.
Autor o mesmo ut smira. reos Unibeni o mea-
mos 11*330.
Autor Antonio Jos de Caafro, ros Francisco
Antonio de Brito c Fraueis de Paula Quairoz
h'onjeca 16630.
Autor David Willfain Rowinan, reos" Manad Al--I
vs Buerra, Francisco Antonio de rito e Francisco
le Paula Queiroz Fonseca 8^830.
Autor Manoel Alvos Fereir, roo Pedro Caval-
aalede Albuquerque Bebda 13 030.
Autor Antonio Joaquim de Vanooneellos, reo Jos
Joaquim Lopes de Almeida 01420.
Autora a directora da caixa filial do banco do
Brasil nesta eidade, reo Manoel Alves Guerra e
Brite Queiroz ( C. 165620.
Autor Agostinho Rodrigues dos Santos, reo Ma-
nod Paulo de Albuquerque 6430. .
Autor Juio Nicolao de Lvra Cavalcanto. reo Ma-
od Jos da Silva Grillo 84820.
1861.
Exequente Oetaviann de Souza Franca, exeruta-
_ Jos Francisco da Reg tarros uio tem valor).
dem, idein UiliH). .
Autora a directora da cauta filial do banco do
Krasil nesla eidade, reos Daniel Guimaraes & G.
*t3
Autor Domingos da Gosta Maia, reo Sirviuo Joa-
quim Martins dos Santos 8 830.
Autor Luiz Jos da Silva Guimaraes. reos Jos
Antao de Souza Magalhes. Francisco de Paula f.a-
valcaule Wandcrlev Litis Francisco Gavalcante
Diogo Jos da Costa, executados a viuva e herde-
ros de Jos llvgi no de Miranda 16j62.
uter Garlo Rook, reo o gerente the London
and Brasilian Bank 161620.
Autor Manoel Garvalho Moura, reos os curado-
res liscaes da maisa fallida da Antonio Pereira de
Carralho Guimaraes 112220.
Autora D. Alexandrina Mara do Santos, reo
Antouio Joaquim Fernandes 62120.
Exequente Trajano Uuedes de Moura, executado
Jos Joaquim da Costa Tinoco i 020.
Exequente Salvador Barone. executado Francis-
co Felicio da Lux 42020.
186!).
Autores Brostclinan & C, reo Jos Francisco Ta-
oca 112220.
Secretaria do tribnnal do cotnmercio de Per-
nainbuco, 1." de fevereiro de 1869.
O secretario
Julio Guimaraes.
Je Albuquerque 8830.
Autor Jos narciso Camello, reos os administra-
dores da nuissa fallida de Seve, Filhos & C. (nao
*em-valor).
1863.
Exequente Jos Alves da Silva Guimaraes, exe-
eu'aju F.lisiario Gomes de Mello, embargante lar-
reir I). Maria Margarida de Mello 62120.
Autor Joaquim Pinheiro Jaeome, reo Joao Tara-
ras Contato 162620.
Exequentes os curadores Oseaos da massa fallida
le Am irim. Fragoso, Sautos 4 C, executado Pedro
Paulo dos Santos, embargante lereeiro o mesmo
secutado como administrador de sua fllha85820.
Autores Jolmston Pasar & C., rM os administra-
dores da massa fallida de Amonio. Fragoso, Santos
fc G. I$(620.
Autor Joaquim Amaro da Silva Passos, reo
Frasrirco do Prado 85820.
Autor Jos Marques dos Santos Aguiar, reos
Domingos Francisco Ramalho c Pedro Jos de
Mullo 85820.
Autores Moreira & Duarte. reo Jos Vorissimo
los Aojos 165620.
Autor Gabriel Antonio, reo llenrique Luiz de
Barros Wanderley Lius 82820.
Exequentes Correa & Irmo, executado Fran-
cisco Yi-rissimo do Rogo Barros 11 230.
1866.
Exequente Francisco das Chagas Ferreira Diu'o,
Exequente Tasao Irmaos, executados Albuquer-
que & Silva 115220.
Autor o lr. Antonio Vicente do Nasomenlo Fe-
tosa, reos os administradores da massa fallida de
Amorim, Fragoso, Sanios & C. 115220.
Fxeqnente Luiz de Moraes Gomes Ferreira. exe-
cutados os administradores da massa fallida de
Vmorm. Fragoso, Santos dt C. 16620.
Exequentes Mello, Lobo t C, executados os ad-
inmistrailores da massa fallida de Joao Baptista
GMeataes Bastos 60480.
Arrestante Antonio Valentiin da Silva Barroca,
arrestado Franklin de Alleluia Malvera, embar-
cante lereeiro Jos S Le tao Juni.ir i:i630.
1867.
__MUf_tes Guimaraes 4 Lima, executado Ma-
noel Marques da Costa Soares, embargante tercei-
ro Manoel Alvos Filgueras 115220.
Exequente Ronjainim Franklin da Cimba Tor-
l-eso, executado Joaquim Coelbo Cintra 85820.
Autor Francisco Pires Carneiro, reo Halthazar
Jos de Magalhes Bastos 112220.
Autores Soulhall Mollors & C. reos Baltai'4 Oli-
dra 112230.
Autor Manoel Firmo Ferreira, reo Francisco Bo-
tellm deAndrade 115220.
Autores a viuva e berderos de Manoel Gon-
ealvas da Silva, reo Joaquim Juvencio da Silva
I62GS0.
Autor Estovan Jos da Molla, reo Domingos Al-
. a fntwus II 22(1.
Alor Antonio Pereira de Miranda, reos os eu-
r i'l tres Sames da massa fallida de Jos Alves de
Moura 65120.
1868.
Justificantes Jos Joaqun da Silva Gomes & C,
justificado llciiiique da Cunlia Rodrigues 165620.
Exequen es Tasso limaos, exocukido Ignacio
Moreira da Silva, embargantes ten-oros Jos Gon-
v-hes do Silva e sua mulher 85820.
Autor .Maturinn Barroso de Mello, re D. -)fma
Mara Uuaiz 115220.
Autor Audr de Abren Porto, reos Joaquim Fer-
reira Valente e Jos Marlins da Silva 162620.
Autor os administradores da massa fallida de
Amorim, Fragoso; Santos & C. reo Miguel Joa-
quim da Costa 115221.
Autor os ditos administradores, roo Joaquim
Antonio Pereira 132620.
Autor os mesmos administradores, reo Bartholo-
Hioo Francisco de Souza 132620.
Autor os ditos administradores, reo Joao Jos
Rodrigues Mondes 83820.
Autor os ditos administradores, reo Andr de
tura Porto 165620.
Autor Johnstoi Pater 4 C. r a massa de F-
lix SauTagu 4 C. 165620.
Exequentes a viuva e hcrddros da Agostinho
tteni iaucs da Silva, executado Diogo Voltio Caval-
r.xn de Albuquerque. embalsante lercoiro o ines-
nm exentado Ki620.
Autores Manoel Jos Ferreira da Silva e (tros,
os administradores da massa fallida de Joa-
4]nim Jos Gomes de Souza 135620.
Bimquente Joaquim EIvim Alves da Silva, exe-
cutado; a riiwaje berdok-oj dea Krauelsixi Santiago
Ramos, iqeferenleMMoal Alvos Faxffira,.ejbfcar-
ganle tercelrn Jos Francisco Accioly I.ns 105620.
A^ltor Jos '! i Bogo Mello, reo Antonio Baptista
Nogueira 81820.
J. 2.
Esequsate Braz Carneiro Loao, oxecutada a or-
i pha Maria de Santa Anna Gomes de Mello 115220.
Autora a cmara municipal da villa do Pilar,
reo Antonio Theodoro de Almeida Macd 1*020.
Bajquente D. Zoforina Mada de Jess, cuecuta^
los Ferreira 4 Lima, embargaute Antonio Jos
i Faulo i! Cirvalbo 8510.
/ Autores Kalkman 4 C. r a massa fallida de V-
rente Alfonso Botelbo 64120.
Autores Manoel Antonio da Bocha Jnior 4 Ir*
v\), reo Manoel deGnnvoia Pinto l5l)2i).
luenle o Dr. Silvino Cavaleanti de Albu-
;-ierqui, executado Francisco Xavier Das de Al-
siiquerque Jnior 62120.
Autor Antonio Joaquim Salgado, reo Antonio
fcjonealves Pendra 62430.
Autor Lej|ioldo Ferreira Martins Ribciro, reos
'Manoel [paci de Squeira Cavalcanti e outro
12320.
'Autor loio AItcs Pedroso, reos os administrado-
ves da massa fallida de Jos de Castro Redondo
2830.
Autor Jos Alves da Cruz, reos os ditos admi-
nistradores 62120
Exequente Joao Alves da Cruz, cessionario de
O oousellio de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o segunte :
4 livrossem branco de papel de Hollaiula pauta-
do com 20 tullas cada um.
2 ditos dito de dito com 34 didas dem.
3 ditos dito dito com 30 ditas dem
'2 ditos dito dito com 40 ditas dem.
1 dito dito dito com 50 ditas dem.
1 dito dito dito com 80 ditas dem.
1 dito dito dito com 300 ditas com ous palmos
de comprimonto a um e meio de largura.
1 dito dito dito com 300 ditas com o mesmo com-
primento e um palmo o duas pollegadas de lar-
gura.
1 dito dito do 150 folbas com o mesmo compri-
mento c um palmo e duas pollegadas de largura.
1 dito dito de 100 folhas com o mesmo compri-
men e um palmo e urna pollegada de largura.
1 dito dito dito dito dito.
1 dito dito dito dito dito.
6 ditos dito com 16 pollegadas de rompimiento
com 300 folhas.
8 ditos dito dito com 300 ditas.
4 ditos dito com 14 pollegadas com 100 ditas.
3 ditos dito com 16 ditas com 40 ditas.
1 dito dito com 16 ditas com 70 ditas.
1 dito dito com 22 pollegadas de largura e 17 de
comprimento, com 172 folbas.
1 dito dito dito dito com 30 ditas.
i dito dito dito dito com 90 ditas.
1 dilo dito dito dito com 130 ditas.
1 dito dilo dito dito com 100 ditas.
1 dito dito dito dito com 350 lita-.
1 dito dito cun 150 ditas.
i dito dito com 100 ditas.
1 dilo dito dito dito com 100 ditas.
30 pares de sapatos de lona.
50 artes do msica.
2 elarins de metal.
28 bonets de panno azul navagoac com vivos
e galio de casimira amarella para o deposito espe-
cial de instruccao.
38 suspensorios.
400 majipas para o movmonlo diario da enfer-
mara, segundo o modelo.
3 ps de ferro.
100"meios de sola de lustre para grvalas.
As pessoas que quizerem forueeer ditos objectos,
apresentem no arsenal de guerra suas propostas,
ein carta fechada, com as competentes amostras
marcadas com o mesmo signl que as designe as
projiostas. at as 11 lloras do dia 9 do correte,
na sala das sessoes do conselho.
Sala do conselho de compras do arsenal de guer-
ra de Pernambuco, 3 de fevereiro de 1869.
F. Rnphael de Mello Reg,
Presidente.
Jos Baptista de G. e Silra
Vogal-seeretario.
Pliilosopbia das H x 9.
Rheforira dos 8 ,i> 9.
Geographia das 0 as 10. } I I"
Geometra das lia* 12. *
As aulas esto desde j abena*.
De|)ois do da 8 du contente o alurmwque se
pretender matrienlor as aulas de tciencias, de-
ver requerer precisamenla ao Bxm. Sr. director
assim emito nrovarqt e aprenden latati e franaei,
se a matricula for de phifosophia ; rhetorica e so-
manto frartoez se for de geographja.
Secretara da Faculdade de Dirdto doRedfw. 3
fevereiro de 1869.
O secretario,
Jos Honorio B. deMenezes.
THEATRO
DE
S. ISABEL.
GRANDES
Bailes de mascaras
Sachado 6
Domingo 1
Segunda-feira 8
Terca-feira 9
DE
ii:% i: ai i: i no de *.
thcatro acba-se dccciilemente (reparado o or-
nado, para receber os amadores deste diventi-
mento.
A banda de.msica do 3 battdhao da guarda
nacional deste municipio dirigida pelo seu hbil
mostr o Sr. Antonio Francisco das Chagas, exc-
cutar novas e brilhanies quadrilha?, polkas, seta-
les etc., etc.
03 bailes comecarao as 8 horas e 1|2 e termi-
narao a 2 horas da madrugada com o grande
GALOPE INFERNAL.
X. B. O regulamento da polica ser, observado
em todos os bailes.
A eiupreza previne .o Ilustrado implico que a
abertura da estacao dramtica ter lugar a 17 de
fevereiro com o soberba drama em 5 aclos
AIME
OU
0 assassino por amor
no qual farao a suaestra a Sr. I). Julia Azcve-
do e o Sr. Primo da Costa, proinpticando-se ja o
grande drama
(nio por obre.
O bh?f< ak-'iam-.-* casa n. 20 o largo du
i'araizo e no heatro. _
i:x As pestoas que murarein no Herifc e nos ou-
tro acralialdes at Anmicos no m* d;quereiem
asoistit ao baile lero dopois do ibjpsiro paasagem
gratis, nitrain espoeiai, pala- na?ncionados
lugares.
A sociedade Gvmnasio Campestre nao se tendo
noiijiado a despezas, espera merecer di Ilustra-
do publica desta capital a necessaria coadjuvaco
por isso
Mocos, vdbos, bellas, feias,
Mancos, torios, alejados...
Devem todos no Campestre
Ver os bailes mascarados !
Para o Porto
Segu fi demora a barca portngueza Mata
Silencio, par ler grande pSfle da sua carga promp-
ta, para o resto e passageiro aos quaes eflorece
ex;llentes commodos trata-se com Olivdra Filos
4 C, largo do Gorpo Santo n. 19 ou com o eapitao
na praca do commercio.
fra UH
i
GRANDE BAILE
DE
E
VMS
Saldes do caes doRamos
\os
das 9, H.
ENTRADA
.
II
Chama-se a alteiirao das pessoas que qui/.-
rein apresentar-so a forueeer ao arsenal de guerra
os objecios de que este precisa, para o seu anuun-
eio de 3 do crrente, publicado em o Diario
de 5.
Sala das sessoes do conselho de compras do ar-
senal de guerra de Pernambuco, 3 de fevere ro
de 1869.
Jos Baptista de Castro e Silva,
Secretario.
liara estra do primeiv actor o Sr. Martinho Cor-
rea Vasques, do Sr. Eduardo Alvares da Silva,
Primo da Costa, Julia Azevedo g I). Apofona.
A empreza annuncia anda ao Ilustrado publico
que chegando-nos a grata noticia do lim da guer-
ra, susjiender qualqner trahalho |iara dar lugar
ao espectculo em festejo a tao feliz nova, sendo
o producto desse espectculo ajiplicado as viuvas
dos voluntarios pernambueanos.
= Pela recebedoria de rendas internas geraes
se faz publico que neste mez c no de fevereiro
prximo futuro, que os contribuintes da laxa, dos
escravos do exercido crvente de 1868-69, quer
moradores as freguezias da eidade, quer as de
fiira, tecm de paga-la, livre da multa de 6 0/0, e
com ella de margo em diante.
Recebedoria de Pernambuco 8 de Janeiro de
1369.
O administrador,
________Manoel Carneiro de Souza l.acerda.
C0RRE10 GERAL"
Relacao das cartas registradas viudas do sul pelo
vapor francez Navarre, para os similores abaixo
declarados :
Autooio Carlos Pereira Burgos P. de Leio, An-
tonio Duarte Carneiro Vianna, Alfredo Pereira
Carneiro, Candido A- Malla Albuquerque, Carnei-
ro 4 Nogueira, Emilio Jeronymo Ferreira, Dr.
Francisco Vicente dos Sautos Jnior, Francisco
Ribeiro Pinto Guimaraos (2), Heleodora Candida
Ferreira Rabello, tenente-coronel Hemeterio Jos
Velloso da Silvoira, Joao Antonio Gon^alves Gui-
maraes, D. Josepha Honorata do Espirito Santo,
Joaquim Pinto da Lapa, Dr. Joaquim de Oliveira 4
Souza, padre Manoel da Vera Cruz, padre Pedro
ta Silva Araujo, Jos Pedro de Castro.
Conselho de compras navaes
u conselho proinove uo dia 5 do cortante mez.
;,visla de {impostas recdiidas al as 11 horas, da
inanhaa esob as condicoes do estylo, a compra
ilos objectos do material' da armada seguimos: 6
I cas de arrbem, 3 ancorotes de 3 quintaes. 200
alqueircs de cal preta, 8 pecas de cabo de linlu
de 1 pollegada, 8 pecas de cali de linlio de 1 i/i
pollegada, 5,000 estopares, 300 loneos-de seda pre-
ta, 30 resmas de lxa de esiiicril em pauni1, 6
arrobas de mialliar, 10 libra-de obreias franec-
;as,50 folhas de pajiel liara mappas, 2 resmas de
papel hollanda, 20 tira-1'uilias, 40 Irados de ferro
de 4/8, 60 irrosas de torcidas para pliaroL c 8 vi-
dios grandes de patente de 5 1/2 palmos do com-
irmento e 4 1/2 de largo.
Sala das sessoes do conselho de compras navaes
1 de fevereiro de 1869.
O secretario
Alexandre Rodriones dos Anjos.
THEATRO
Gymnasio campestre
ASSOCl\<;.\<) AHTISTIC.v
GRME NOVIDADE!
Xa noites de (t, 9, He 9 de fe-
Terelro de i Ht
ESPLENDIDOS
Bailes mascarados!
A' imitacao dos que se fazcm as principis
cidades da Europa.
Programntia to 1 baile.
As 9 horas deptis de subirem ao ar urna infini-
dade de
Gyrandolas ce foguoles
comecar o divertimen o.
O s'alo achar-se-lia primorosamente adornado.
A entrada do edificio guarnecida com festes de
flores, arcos, bandeiras e grande quaiitidade de
lampioes de cores, producir deslumbrante cf-
feito.
Urna banda de mmica
executar Rcolhidas
Symphonias.
Quadrlhas,
Walsas,
Polcas
Mazurka.-
Schottises,
algumas originaos do insigue maestro brasileir
A" meia noite soltar-se-ha
I ii grande balo
com diversas caricator.is entre ellas a do
TYRYNNO PARAGUAYO.
, As 2 horas da madrugada terminar o baile com
O galope baeehaual!
reservando-se para essa oocasio
MA AGRADAVfil, SORPREZA
l.fNNI
rara tiomens e gratis para senboras, havera
lanche a l000|iara cada pessoa e gaMnetes re-
servados para o# mascaras esta rom a gosto. As
carrancas dos gigantes da Rumia estarp expo-
sioao do resjioilavel publico. Ser cumnrido o
regulamento do lllm. Sr. Dr. chefe de polica em
la sna olenitudc.
Segu com umita brevdade a barca ix>rtugueza
GrauUlo, tem grande parte da sua carga proni|*
ta ; para o que anda I lie falta e passageros. tra-
ta-sc com Oliveira Filhos 4 C, largo do Corno San-
to bu 19, ou com o capitito na praca do commerdo.
Para Lisboa
Vai sabir com multa presteza o brigne portuguez
CoMtante 11 por ter grande pacta do sen carrega-
mento promplo : jiara o restante e |iassageii os.
trata-se com Oliveira, Filhos 4 C, largo doConm
Santo n. 19, ou com o cajiitao na praca do com-
mercio.
Para Lisboa
O brigue portuguez Laia I, capitao Vieira. vai
sahir cora umita brevdade, por ter a maior parte
da sua carga prompta; para a que anda Ihe falta
e passageros. trata-se com Oliveira Filhos 4 C,
largo do Cdrpo-Santo n. 19, ou com o referido ca-
pitao, na pr:u}a do Commercio.
0 niiizeo de joias
Xa ra do Cabug n. 4 temprano miro, jirata
e podras preciosas por precos mais vanlajosos do
que em outra qualquer parte.
Precisarse alugar uuia eozanera que aajf
perita na arte, prefer ndb-*e osera va : a tratar na
na do Imperador n. 51, 3 andar.
D-se a juros sob hypotheca em predios a
quantia de 3:300< ou mesmo compra-se amaras
terrea: qiiem qaizer annuncie por esto onmaa
dirija-pe a ra fora de Santa Rita n. 54, que .*
dir a qurm deve se dirigir.
Os cinco bilhetes da lotera 94" do patrimo-
nio dos orphaos ns. MSI. 1149. 375, ftVic 4464,
porhneem aos Srs. Ricarilo VS'okig, Manoel Gomes
de FreMas.e Manoel Jos Martins do Ararat? co-
jos hilliefes ficam em poser do abaixo aSitig-
nado.
Joao Jos* da Cimba Laaes.
PARA
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBL'GAIA
HE
MaTegaeSo eonteira por vapor.
. Mceirt em direitora e Peneflo.
O vapor Jaguar lie. crmmandanie Moura, segui-
r para ns portos cima no dia 8 do crtente as 5
horas da tarde. Uecclie carga at o dia 6 as 3
horas, encoimneudas. passageros e dinliiro a
fretc at as 3 horas da tardo do dia da
oscriptoro dn Forte do Matos n. 12.
saliida no
C(IMI'AMIIA PER^AMBCCANA
DE
Wavegavo eosteira por vapor.
Femando.
0\i\M-Gitiiih, conmiandanle Aze-
vedo, seguir jiara o porto cima no
da 10 do corrento ao meio tla. Re-
/';
cebe carga at as 3 horas da tarde do da
9, en-
at as
Forte
romineudas. passageros edinheiro a frite
10 horas do dia da sabida no escrijitorio lo
do Mattos n. 1.
CMPAlA PRNAMBUGAI^
DP.
Xavesuvo coseira por vapor-
Paraliylja, Nalal, Maco, Mossor, Ara.
"caty, Ceani, Acarac e Granja.
O vapor Pirapama, comuiandante
Torres, seguir para os porfos cima
* no dia 15 do corrente. as 5 horas da
Recebe carga at o dia 13 as 3
encommendas, passageiros^je dinheiro a
Para
horas da
tarde.
tardo,
fretc at. as 3 horas da tarde do dia*da anida no
escrlptorio do Forte do Mattos n. 13
l'AR.V
Para o indicado porto segu em poudis dias o
palhabote Rozitn, por ter a maior parte da carga
e para o rosto que Ihe Calta tratarse com o con-
signatario Joaquim Jos Goucalves Belo, ra
do Trapiche n. 17.__.______________________
COMPS*-. l'ERr\AMBL'G\iNA"
di;
JTavegaro costelra por vapor.
Maceio, esalas Ponedo e Arai;iji.
O vapor Potengi, commaudante
Pereira, seguir para os portos cima
nodia 15 do corrente as S horas datar-
de. Recebe carga at o dia 13 as 3 huras da lar-
de, encommendas, passageros o .dinheiro afrete at
as 3 horas da tai;dedoda da saluda no escrptorio
do Forte do Mattos n. 13.
AM. BR:\S1L1EL\
di:
Paquetes a vapor.
Dos portos do sul esperado
at o dia 8 do corrente^ o vapor
forana, commanante b capillo
de fragata Antonio Joaquim de
Santa Itarbora. o qual depos da
demora do costme seguir para os do norte.
Desde j rcccbem-si' passageros e engaja-se a
carga qne o vapor poder cunduzir, a qual dever
ser embarrada no da dcsuae_eg_. Encomincn-
d_ o dinheiro a frete at as duas horas do da da
sua sabida.
Nao se nivbeni como enconunendas senao ob-
(ectos depequeno valor o que nao excedan a duas
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos demedicao.
Todo que passar destes limites de\-er serembarca-
do como carga.
Previne-M' aos Srs. passageros que suas passa-
gens so se reeeliom na agencia ra da Ciruz n. 57.
1 andaar, escrptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo 4 C.
Prevne-seaosSrs.iiassagoiriis qoe suas passa-
genss.i se lecobomna agencia ruada Cruz n. 57,
escrptorio de Antonio Luiz de Oliveira! Azevedo
4 C.
Segu com brevdade o palhabote Aurelia, re-
cebe carga miiida. e trala-so com o consignatario
Joao Francisco da Silva Novaos, ra do Vicario
n. H.
COMPANHIA PERNAMRCANA
M
Have Mnmatiguape.
O vapor Coruripe, conunandante Peuna, sogui-
ni para o porto cima no dia 13 do corrente as (j
horas da tarde. Recebe carga at o dia 11 as 3
horas da-'tarde, encommendas, passageros c di-
nheiro a fete at as 3 liaras da tarde do dia da
sahida no ewriptorio do Forte d Matos n. H.
O advocado Ur. Antonio de Vas-
coaeeUbi lenezes de ftrumrioud
transfera o seu escri'itorio pata a
ra do Imperador ti. O.onde pode
ser procurado todos os dias uteisi
das i i hora da nianha al as da
tarde, para os misteres de sua;
lisso.
pro-
O abaixo assignadu tem justo e contrata*
com o Sr. Gulherme Jofro da Molla, comprar-lbe
os gneros e armarn existentes na taberna da ra
do Imperador n. 83, e ijpem se considerar coro
direito queira apresentar-se no jirazo de tit dias
a contar desta dala.
Rccife, 4 de fevereiro de i(i'.l.
Mainel Jos Guedcs Magalhaes.
Na jiadaria da ra do Hangel. |irec_a-so de
um caixoiro de 13 a li anuos e de um co>iuheirn
ou cosnheira.
COMPANHIA PKRNAMBL'dVIVA
DE
avegaco costelra por vapor.
(.oiaiina.
O vapor Mamanguape, cominan-
dante Mello, seguir para o porto ci-
ma no dia 6 do corrente a meia
noite. Recebe carga, passageros, encommen-
das edinheiro afrete no escriptorio do Forte do
Mattos n. 13.
Siseo martimo
Tuerd Dyckstra, naj_||n do patacho hollamlez
S. Pelersburg, precisa lomar a risco martimo, so-
bre o casco, apparolhs. vctualias, carregameiUo
decarvo c frete do dito navio para pagamento do
despezas encorridas pela sn?. arribada neste porto,
a quantia de li a 7 0004000. |iara poder continuar
asiiaviagem para Ruenos-Ayreis. As propestM
devem ser entregues um cartas fechadas at o da
6 de fevereiro ao meio dia. no consulado dos Pai-
zes-Oaixos, na da Cruz n. 9,
A pedido de muos carrogadores e varias
outras pessoas interessadas na provincia das Ma-
gnas, resol ven a Companhia Pernai bocana, a
miudar suas viagons na linha do sul, pdo que
sahiro os vapores naijuolla direceo a 7,15,33 e
30 de cada mes, expedindo j agora o seu vapor
Jaguarioe para Macei e Penedo, desta vez se-
ment a 8, por cahir o dia 7 em domingo e ter ha-
vdo alem disso um dia santo, nos das 7 a 33 nao
locando as escalas.
AVISOS DIVERSOS.
A viuva do fallecido Carlos Hessc. avisa a
todos os credores para que apresentem suas cun-
tas legalisadas para seren pagas, assim como aos
devedores do mesmo casal a liquidarem as suas
contas at o dia 15 do corrente.
Conrado Waidmann, genro do finado Carlos
lies se avisa aoVespeitavol |iublico e aos reguezes
do finado e seus que contina na mesma oflicina
na ra dos Pires n. 3ti, a fabricar c concertar to-
das as qualidades de carros e espera que conti-
nuem como d'antes honrar-lhe com a sua con
lianca.
Na hotel Dous Amigos precisa-se de nm me-
nino intolligente de 13 a I i anuos: quem livor
dirija-so a ruada matriz da Roa-Vista n. 8.
Eiilianor.rnesto de Meti Tainborim o sua mu-
lher D. Thereza Augusta I.ins de Mello Tambo-
rim convidam aos seus prenles e amigos a as-
sstirom a urna inssa que maudam celebrar na
groja da Santa Cruz, sabbado 6 do corrente as 7
1|3 horas da manliaa. polo ropouso eterno de seu
presado irmo e cimbado o major Dr. Secundiiio
Felafiano de Mello Tainliorni fallecido no fra-
guay a 13 de Janeiro findo.
" wamiimtmKinBninmBHKr^-
ade do B. S. da
Pela subdelegacia de S. Pedro Martyr da ri-
lado de Oluda acha-se recolhido cadeia o preta
Antonio, qae diz ser escravo do capitao Francisco
Bruno, senhor do engenho Adique ou Maningua-
ie. provincia da Parahyba, e est fgido desde o
principio do mez de dezembro do auno jiassadb.
Subdelegacia da freguezia de S. Pedro Martyr da
eidade de i Hile la 3C de Janeiro do 1869.
Jos Eustaquio Maciel Mouleiio.
Subdelegado em exereicio.
Faculdade de Direito
De ordem do Exm. Sr. director, faco publico
3ue o servco das aulas preparatorias ser rogula-
o no presente anno pela forma segunte:
Latim das 8 as 10 horas da manha.
Francez das 9 as 10.
Inglez las 10 as 11.
M MI
que abrilhantarem a fulia com as suas ruspeita-
veis presentas.
Precos ilos bilhetes
Camarote com 6 entradas reservado para
familias...........13*000
Ingresso para o salan, quer se apre-
sentem mascarados ou nao. SjtOOO
AVISO ESPECIAL.
As damas que se apresentarero phantanadas
ero entrada franca
Os mascaras deverao respeitar-se mutuamente,
assit como Jarn o obsequio de prestarem a
m&ior attenco
JOMESTRE SAL
mearregado de velar pela boa ordem do divert-
tnento.
As instruccoes palicaes estaro anisadas em
lugar competente.
SABBADO
do meio dia em diante o estabelecimente ser
franqueado as pessoas que comprarem bilhetes,
afim de conveneereui-se de que nao se lhes quer
mpingir
CUMPAMIIA BRiSILEIM
DE
Paquetes a vapor.
Tendo o lllm. Sr. Dr. juiz de empellas annulla-
do aclei^So a que so proeedeo na riiiandade ie
N. S. da Soledade. nodia 21 de dezembro ultimo,
e designado o dia 7 do corrente, pelas 9 horas da
manhaa, depois da missa, para se jirocedcr em
mesa goral novn eleicao, convido pelo presente
todos os irmaos alim de com|iarecerem no dia >
hora cima indicados, no consistorio da igreja da
mesma Senhora.
Consistorio da irmandade d N. S. da Soledade
4 de fevereiro do 1809.
O escrivo.
Vicente de Moraes Mello.
Precisa-se de urna ama para cosinbar: a
Halar uo paleo do Torco n. 63. Na mesma,casa
precisa-se alngar um mleque omiM'smo um preto
de maior idaile.
Procsa-scrfle um eaixein flo jiralioa de la-
borna : a tratar na ra Ini|M',ral n. 47.
A FRAGATA AMAZONAS
loga aquellos do seus devedores que tecm contas
atrasadas com a mesma, e especialmente quelles
menos zelosos, a cujas casas teem ido de balde os
caixetros cobranca um etm numero de \x_ts,
(pie se dignem vir saldar ditas contas. pus ioi
possivei continuar a ter um caixero empregapo
em cobrancas dessa orden : nao o fazendo ver-
sc-ha a Fragata constrangida a entregar as ditas
contas a quem as cobro iudieialmente, jwis que
precisando milito de dinheiro, a seus devedo-
res a quem deve recorrer. Este annanem so te
deve entender com os remissos, c nao com os bons
freguezes que lioiuam a Fragata, os insaes muito
bem se conhecein.
O abaixo assignadu declara ao cumio com-
mercial que tem justo com o Sr. Joao do Coulo
Alvos da Silva a compra de sua taberna, sita a
ra das Cruzes n. 41 A, livre e desembaracada de
dbitos praca e impotos : quem livor dirdto a
dita taberna apreaenle-se uestes tres dias, lindos
os quaes nao serio altondidos. Recfe 4 de fe-
vereiro do 1869.
Manoel Lelo Carneiro Pinto.
i
Na ra Direita n. 53 prorisa-se fallar aos Srs. i
alteres do 3" hatalho da guarda nacional Joaqnim
Mantel de Castro Santos o Antonio Francisco Du-
arte. ou son mano Dr. Maxmiano Francisco Duar-
te. (j sabero paca que).
Ate.
Na ruado Imperador n. 33. lado esqurdo, pre-
cisa-so de urna ama, preferindo-sc eserara
lisera va.
Precisa-se alugar urna escrava para o scrvicii
interno do casa de pouca familia : na ma das
Cruz n. 06, Io andar.
Atten#iO
Na ra do Imperador n. 53, ha pande sort-
mento de roupas novas carcter, sendo a maior
porcao de vestuarios de velludo e caradores do
pocas remlas e 100 dminos de seda e vdlmlo
de differentes coros lodos novas, ludo par preco
mais barato do que em outra qualquer parte,
portante roga-so a rapaziada de gosto me ve-
nha ni visitar o guarda roupa que com isso nao
perdem nada.
1
Dos portos dn norte e esperado
ate o dia 9 do corrente o vapor
Tucaulins. eoinmandante J. M.
Ferreira Franco, o qual depois
da demora do costiune seguir
jiara os do >_ i.
Desde j recebem-se passageros e etigaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qUal dever
ser embarcada no ma de suakbegada, Elnconmien-
das e dinheiro a frete at o da da sua saluda as 3
horas.
Nao se recebem como encommondas
jectos de pequeo valor e que nao exced
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos d
Tudo que passar destes limites dever ser embar-
cado como carga._________________________
Rio de Janeiro
Para o porto cima segu com brevdade o pa-
acho norte-allemo Amontas, por ter parte do j
seu carregamento engajado : para o rosto que i
Ihe falt trata-se com Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo C, ra da Cruz n. 57, Io andar.
wca
Furtaram do engenho Simao da fregnezia da
ESscada, no da 3 para 3 de fevereiro um cavallo
pedrez. pequeo, bota a dina a esquerda, iiitci-
ro e bem novo, tem um bailo obrigado, tem duas
sobro-canas pequeas c o tao queiinadas do novo,
est bem ferrado, de novo, rujo ferro o nome de
seu veriladero dono Jos Rdarmlno Pf-rcira de
Mello, o hita aimia nao "'aliin a casca : quem der
noiicia do dito cavallo o i ombarga-lo, dirija-so ao
mesmo engenho. ou nesla praca rna Augusta n.
3i. que ser recompensado.
AMA

Precsa-se de urna ama
uina casado pouca familia :
n. 10.
para todo snico di-
na ra da Virarao
Offerece-se um rapaz para caixoiro de taber-
na ou jiara tomar emita i|iio para iaap tem has-
lante pratioa quem precisar annuncie ou ddxe
carta fin-hada cumas iniciaos A D nesla typogra-
pbia.
Desappareceu do Chacn, do ailio que Dea na
lieira do rio, urna vacca com um bezerro com os
seguintes signaes : ccr vermelha, cara branca,
com a pona de um cintro cortado.e turto de um
olho, levava corda e chocalho ao pescoeo- o be-
zerro tambein trazia corda : quem a tvor ap-
! prebndalo pode annmiciac ou manda-la levar no
seno ob- referido sitio, ou avisar na ra do Imperador n. 3.
un a duas Pagar-se-ha qualquer despeza que se flzer. ^^
medicao. rt
(jopeiro.
Precisa-se alugar um copeiro de conduela
afianzada : na prac,a da Roa-vista n. 31, segundo
andar. ____________
Ama de leite
Offerece-se urna ama com muito bom lete : na
roa Nova n. 51.
Molequiuho.
Precisa-se de un molequinho de I a 10 annos
para entreter duas criancas aeompanha-las:
quem tiver para alugar, dirija-s ao liotel central,
junto a igreja do Rosario.___________________
Escravo fgido.
Da padaria do pateo do Terco n. 40 fugie o
escravo por nome Antonio, baixo, cheio do car-
po, ps cmbalos, um (icqueno golpe na qrclha.
trazeudo calca e jaqueta d- brim, chapeo de se-
da, desconfia.se que levou um sacco com roupa
quom ao mesmo apprehcodt-r e levar na padaria
cima, ser bem gratificado.________________
Precisa-se alugar, para o servigo ex-
terno de urna casa, urna preta e um preto,
escravos, nao se exigindo que tenham ha-
bilidades, a tratar na ra do Crespo a. 8.
I\
RA
DO
Y4BUG
esquina
Rosario.
ANNEL DE OURO
1K
Este importante estabeleeimento -no seu genero, tem sempre um sortimento sem igual,



RIJA
EO
a~ i- _i^e vende por presos que nenhunu outra casa pode vender,
da ra larga do A vifita da qfllid||B e do
Cterante-^e ser tudo de le.
prego das joias cada um pder-se-ha convencer daverdade.
Comprarse ouro, prata e pedras finas por presos muito ele-
.
A 1<# est aJberta at s 9 fcof&s te noute,
CABUG
esquina
da ra larga do!
Rosario.
r
II
II i


4
Diavio de Pemaiu.buoo Se\U IVira 5 de FeVereiro de L$9.

f*
d. Ferrelra Tllela.
Photographo ta casa imperial
premiado em diversas exposi-
joes.
Na sua photographia a ra do Cabug n.
18, entrada pelo paleo da matriz tira retra-
tos por todos os systemas photographicos.
En porcelana Em vidro
Em talco Em papel
CARTEES DE VISITA A 9,? ADUZIA.
Os retratos carte-de-visile sSo collados
?m cwto de, luxo hristal ou porcelana,
doarados ou liUiograpliados, quadrilougos
ou vrohetas paraoque existe urna varieda-
de -de ti modelos a escolha de quena se re-
tratar. Para as ertlras especies de retratos
temos caixinhas, passe-par-touts, quadros
e molduras donnrdas e pretas cassohHas de
ouro e alfiuetes simples e com pedras pre-
ciosas, havendo nos alfiuetes urna mimosa
variedade de fetios.
O nosso estabelecimento photograpbico
est sempre n din com os meltoramentos
e progressos que na America do Norte, na
Europa ou o Rio de Janeiro se consegue
na arte photographica, c para alcancarmos
tal fim noica poupamos despezas nem sa-
rrificios, de sorte que os nossos numerosos
freguezes podem ter a certeza de que seai-
pi>e encontrarao em nosso estabelecimento
tudo qwanto a arte e a moda olTerecer de
lKm no novo e vellio mundo aos amantes
da photographia._______________________
Joaquim Jos Gon-
calves Beltro
RA DO TRAPICHE N. 17, i. ANDAR.
Sacca por todos os paquetes sobre o Ran-
eo do Minko, em Braga, e sobre os seguin-
tes logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenga.
Guinares.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castee.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de FamalicSfo.
Lamego.
Lagos.
Covilha.
Vassal (Valpassos).
Mirandclla.
Beja.
Barcellos.
OVWUM'
bacbarel J. Franklin da S. Tavor
46=Rm do Imptrador=^46
Io anriar.
li:niao geometra.
. O hachare! enidijwjto Cascniiro Borges Godinho
e As*s, cusma citas materias no primoiro and;ir
da casan. 17, sua na ra Nova, das 7 1/ as 8/i
horas da manhia aos senliorcs estudantes que de-
i-ejam faier erante no collegio das artes, e das 7
tfz as 9 da noile aqs senhores empreados no com-
inercio.
BARTHOLOMEU & C.
1
Trocaui-se
as notas de banco do Brasil c das Ctxas flliaes,
com descont muito razoavel : na praca da ,nde*
pendencia n. 22.
Antonio Jos Rodrigues de Souza, precisa
alugar um criado hh o servico de casa, de man
ile 15 annos : a tratar com o mesmo na ra do
Crespo n. 15, on em se sitio no Monteiro.
UT
I v
Xa ra pstreita do Rosario, sobrado de un an-
idar n, 3o, alugam-sa ricos vestuarios bordados a
ouro e laa, novos, de maito gasto, dminos de seda
e de laa, todos de gosto bordados de velludo, para
vender-se, c faz-se para <|ualquei* pessoa que quei-
ra mandar Casar a gosto e a carcter de ipialqucr
ligurino, tem um grande sortimento de domin* e
vestuarios de principe, tudo em muito bom estado
para alugar a 2i cada domin e vestuario, e para
vender por muito barato preco, tem rosas pan
enfeilar qualquer vestuario proprio para o car
naval.
GRANDE HOTEL
1 ORIENTE.
InaHgurou-se este commodo e elegante
estabelecimento donde os seus frequenta-
dores podero apreciar a especia I idade na
confeevao dos gneros alimenticios.
As bebidas sao as inais primorosas e re-
commendadas.
A decencia e bom servico primam n'esla
casa no bello gosto oriental.
Mandam-se domicilio romedorias, tanto
avulso, como por assignatura mensal. Os
f recos sao mdicos e convencionaes.
la urna espacosa e bonita sala para o
elegante jogo de buhar.
la tambem aposentos commmodos c bem
mobitbados para hospedagem.
Ra larga do Rosario
n. 44.
*r.
THILMPIIO .MEDICA DA SCIENCIA .
Em lempos modernos uenhuin descubri-
mento operoa maior revota?3o no modo de
airar anteriormente em voga do que 0
PEITORYL DE AMCAHUTA
TANTO NO THATAMCNTO DA
TOSSE, CR0P0,
ASTHMA, THISICA,
ROtOlinO, BESPRIAMENTOS.
RHON'ClilTKS,
TOSSE CONVIXSA,
DORES DE I'EITO,
EXH CTlRACO DE SANGVE.
Como em loda a grande serie de enfermi-
dattes da <;ai,<;anta, doi>Erroe dos oroaos
n v iiF.si'iKACo, que tanto atormentam e fa-
zem soffrer a humanidade. A maneara an-
tiga de curar consista geralmente na appli-
.-aca) de vesicatorias, sangrias.sarjar ou ap-
plicar exteriormente ungentos fortissimos
compostos de substancias vesicantes, alm
deprodozirempolbas; cujos dlerentesmo-
los de curar, nao faziam seno enfraque-
eer e diminuir as Coreas do pobre (lente,
contriboindo por esta forma d'uma maneira
rnais fcil e certa para a enfermidade a des-
truiCo nevitavel de sua victima (Jucm dif-
ferente pois o effeito admravej do
PETTORAL DE ANACAHITTA I
YM VEZ DE IRRITAR, MORTIFICAR E CADZAR
INAUDITOS SOKKRIME.NTOS AO D0ENTE,
CALMA, MODIFICA E SUAVIZA ADOR.
.M.LIVIA A IRRITACO
DESKMVOI.VE O ENTERDIMENTO,
10HTIKICA O CORI'O
e faz com que o systema
Desaloje (ruma maoeira prompta e rpida
at o ultimo vestigio da enfermidade. Os
ntelhores votos em medicina da Europa (os
tintes dos Collegios de Medicina de Berlim)
testiii-am serem exactas e verdadeiras estas
rolacoes analgicas, ou alm disso'a experi-
encia de milbares de pessoas da America
Hcspanliola, as quaes foram curadas com
'ste maravilhoso remedio, sao mais que
sTifficientes para sustentarcm a opinio do
PEITORAL DE ANACAHITTA I
Deve-se notar que este remedio se aeha
mteiramentc izento de venenos, tanto mine-
raes, como vegetaes, em quanto que porm,
;ilguns d'estes ltimos, e particulaimente
aquelles que sao dados sob a forma de Opio
! Acido Hydrocianico, foimam a base da
raaior parte dos Xaropes, com os quaes to
fcilmente se engaa a credulidade do pu-
blico. A Composico de Anacaliuita Peito-
ral acha-se linda e curiosamente engarrafada
em fiascos da medida de cerca de meio
quirtiiho cada um, e como a dose que se to-
la s d'uma eolher pequea: basta ge-
Ama
Precisa-se de una ama para cozinliar e com-
prar, preferindo-se esorava : na ra do Livramen-
ton.4,loja. _______________________
Casa para alugar.
Aluga-se no fim da ra da Aurora urna boa
casa constando de andar terreo, primeiro an-
dar, sota c um mirante no centro, com comnio-
dos para grande familia, achando-se a memas
casa toda Iluminada a gal eeom canno deesotnp
ei ni bom quintal e coclieira : os pretendcntesqne
desejarcm urna boa morada dirijam-se a ra No-
va n. 20. que achanto com quem tratar.
PARA USO INTERNO
l* REPARA DOS SIMPLES
\arope. de jurubeba garrafa. I .$000
Vinbo de jiuubeba garrafa. l$G(X)
Pillas de jurubeba vidro. I $000
Tintura de jurubeba vidro i 040
Extracto liyiliacoolico de jurubeba. I2$300
PREPARADOS COMPOSTOS.
Vinho do jurultpba ferruginoso garrafa. 2.$000
Xaropc de jurubeba ferruginoso'garrafa. loOOO
Pilulas de jurubeba ferruginosa vidro. 2$000
Oleo de jurubeba vidros. 640
Pomada de jurubeba pote 040
Emplastro de jurubeba libra. 2$500
PARA USO EXTERNO
A .11 Itli ISIIt \.
Esta planta hoje reconbecida como o mais poderoso tnico, como ym excel-
lente4e*oblruente,e como tal appticada nos engorgitamentos do figado e bjac, as
bi'pftites propriainnte ditas, ou anda complicadas com anazarebas, as inflainmafes
subseqneHtes as febres intermitentes ou durezas, nos abeessos internos, nos tuibores es-
pecialmente do tero e abdomen, aos tumores glandulosos, na anazareba, as hodrope-
zias, erysipellas ; e associada as preparaces ferruginosas, anda de grande vantagem
as anemias, chloroses, faltas de inenstruaco, leucoiTbeias, desarranjos atnicos do
estomago, debilidade orgnica e pobreza de sangue, etc.
O que dizemos aflirmam os mais distinctos mdicos desta cidade, jntre os
quaes podemos citar os Illms. Srs. Dr. Silva Ramos, Aquino Fonseca, Sarment, Seve,
Pereira do Carino, Firmo Xavier, Silva etc. Todos elles reconhecem a excellencjia d'este
poderoso medicamento sobre os demais at boje conbecidos para todos os casosi citados,
tanto que todos os dias fazem d'elie applicac3o.
Apresentando aos mdicos e ao publico emgeral diversos preparados da juru-
beba, tivemos por lim generalsar mais o uso d'este vegetal, fazendo desapparecer a
repugnancia que at hoje sentiam os doentes de usar dos preparados empricos d'elie, e
mais das vezes repugnantes a tragarem-se, e que tinham anda a desvantagem de n5o
ser calculada a dose conveniente a applicar-se, o que torna muitas vezes improcuo um
medicamento, que poderia produzir ptimos resultados.
Os nossos preparados s foram apresentados depois de havermos conveniente-
mente estudado a jurubeba, fazendo as experiencias precisas para bem conhecer aspro-
priedades medicamentosas d'esta planta em suas raizes, folhas, fructas ou bagas, e a
dose conveniente a applicaco, tendo alm d'isto procurado levar os nossos preparados
ao maior grao de perfeico possivol, para o que n2o poupamos esforcos, nao nos im-
portando o pouco lucro que possamos tirar.
Por tanto os que se dignarcm recorrer aos nossos preparados podem t6r a
certeza de que elles olTereeem a garanta, de que se pode encontrar, a prompta e infalli-
vel cura de qualquer dos soffrimentos, que deixamos innumerados, se forem em tempo
applcados, tendo alm d'sso, medico eu doente a vantagem de escolher as nossas va-
riadas preparaces, aquella que melbor lhe |>ode convir, j pela fcil applicaco,'e j pela
complicarlo das molestias, idade, sexo, ou ainda natureza de cada individuo.
As nossas preparaces ferruginosas sao feitas de forma que se tornam comple-
tamente soluveis nos suecos gstricos, porque procuramos os compostos de fefro que
como taes esto hoje reconhecidos.
Para aquelles que mais minuciosamente queiram conhecer as propriedades da
jurubeba, e saberem a applicaco de nossos preparados, destribuimos gratuitamente
em nosso deposito um folheto, onde tratamos mais extensamente d'esta planta e dos
mesmes preparados.
# Deposito geral de todos os preparados
Botica e drogara
34Ra larga doRosario-
-34.
DOENGAS DO PEITO
XAROPE d'HYPOPHOSPHITO
CAL
Aluga-se
urna cscrava que faz com perfeico todo servido
de una casa de familia : a tratar na ra larga
do Rosario n. 34, botica.
ITILIDADE
Aos 500 pares de brincos.
Cliegou e vende-se no Coracao
d'Ouro, ra do Cabug, brincos de
maosinhas com urna franja penden-
te a um rico desenlio e ouro de
lei, polo pequeo preco de 15$000
cada par. baratissimo.
Precisa-se alugar una casa terrea ou de um
andar em qualquer bairro desta cidade, prefire-
se o de Santo Antonio ou S. Jos, tendo a mesma
casa hom quintal, sendo a frente para o nascente
ou norte, c na faita qualquer sitio que seja perlo
do trem urbano em qualquer localidade, tendo
boa agoa ou rio : procure a tralar na ruada Au-
rora n. 7.
No sitio n. 1 da Passagem, vende-se una
escrava de mr-ia idade.
l'recisa-se de um trabalhadur eapaz para
tralar de um pequeo sitio, prel'ere-se casado : a
tratar na ra Nova n. J'J, Io andar.
GRIMAULT e C'.A pharmaceuticos em PARS $
A efficacia d'esta preparacSo estestabelecida desde 1857, pelos mais celebres mdicos. Desie
entSo muitas imilacoes tem sido feitas, mas nenhuma poude sustentar a comparaco com o
producto apresenlado pela nossa caza. Por isso excitamos o publico para que exiga sempre
este xarope com urna belia cor de rosa, nunca branca, e com a nossa assignalura roda do
frasco.
Sob a sua influencia, a losse acalma-se, os suores nocturnos cessao e o doente volve rpida-
mente sade. 0 seu emprego d tambem os mais brilhanies resultados nos defluxos, catar-
rhos, bronchiles, irritacoes do peito, ele.
Deposito em Pernatnbuco, em casa de Maors* o O*.
^#^^^^^#$0^
JiAKATl?SMJ.ti
Calcado nacional, na fabrica do Jos Vicente
Godinho & C, ra do Jardini n. 19, avisam aos
seus freguezesdesta cap.taledo interior,que om-
tinuam a fabricar calcado em alta escala, e olTe-
lecem as melliores condicoes, tanto em prego como
sin qualidade. Os prop ietarios deste estabeleci-
mento chamam a attenciiodos senliores consumi-
dores do interior, que es quizerem honrar com
iiia freguezia, especificando em seos pedidos a
lualidade e numeraeao.nffereceiido-se para os en-
tregar bem acondicionados em casa de seus cor-
respondentes nesta praca.
Lagdo para raleadas
A tralar na ra do Apollo n. 1. cscriptuiio.
SEGURO
MARTIMOS
CONTRA FOOO.
A Companbia Indemnsadora, estabelecind
nesta praga, toma seguros martimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
em edificios, meivadorias o mobilias: aa
ra do Vigario n. i, pavimento terreo.
Collcgio de S. Francisco Xavier
Estabelecido na grande e bem arejada casa
onde estove o Cymnasio, na ra do Hos-
picio n. 32, dirigido pelos padres da
companhia de Jess.
O reverendo padre director daste collegio scien-
tifica aos pais de seus alumnos edos demais que
quizerem confiar-lhe a educacao de seus tllhos,
que no dia 3 de fevereiro eonieearao a fuccionar
todas as aulas, achando-se abertas j as matri-
culas. Recebem-se meninos de 6 a 12 annos
para seren instruidos as materias preparatorias
das laculdades do imperio, a saber, nrimeiras le-
tras e lingoa nacional, geographia e historia, ari-
thmetica e geometra, inglez, francez, (da-se infe-
rior e superior), latini, da-se nfima, media e su-
Srema, isso a pratira da prosa e da poesa), e
nal nenie humanidades ou a introdcelo rheto-
rica, que comprehende os tratados do estylo e da
elocugaoquer em prosa querem poesa nasduas
lingoas latina a nacional. A msica para canto-
na e para todos os iustrumentos de. sopro e cor-
das, assim como as lingoas allemaa, italiano, gre-
ga, ebraiea sero ensinadas pedido dos seuhores
pais.
Aluga-se
Huma casa com bastantes rommudos na
cidade Nova de S. Amaro: a tratar com An-
tonio Jos Gomes em S. Amaro, das 0 horas
d maanlias 8, e das 3 em (liante.
WbWM NWI PMll I !H^1IP
i' HtWTORIO 1)E ADVOCi.i |
g iGtea larga'do Rsdio20 B
^. O advogado bichare 1 Ayres de ^
';g Albiipiorque Caira lornou a abrir p^
I o seu escriptorio na na larga to 5
casa da mim
Aos 4:000,^
Bilhetes garantidos.
A ra do Crespo n. 23 e casas do costume.
O abaixo assignado tendo vendido nos seu>
muito felizes bilhetes garantidos 2 quartos n. 42(i
com a sorle de 4 0004 ; 1 quarto n. 28e8 com a
surte de 700 e outras muitas sortes de lO, 40
6 20 3 da lotera que se acabou de extra|hir em
beneficio da igreja de Nossa Senbora doi Teryi
(!"3), convida aos possuidores a virein receber seu>
respectivos premios sem os descontos das leis n:i
casa da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 8' parte da lotera en
beneficio do patrimonio dos orphaos (94.*) que s
extraniri sabbado C do correnie mes.
Pregte
Bilhete.....4S0O0
Meio.....2j000
Quarto.....1^000
Em porcae de 100 para cima
Bilhete.....3J500
Meio......15730
Quarto..... 87o
ManoerMartfns Fiuza.
^BMliliHll HDHI} 111 j
^ 0 bacbarel Joo Concalves fla
f| Silva Montarroyos, pode ser pro- egr
M curado para os misleres de sua 10
profissao, na ra do Imperador
10. 1
8
US
Rosario n. 20: onde pode ser pro-
curado, qualquer hora, para tu- 331 ^ ,0-
dos os inisleivs da sua pi'.'lis>ao. jg> liliiiiaiieiliSl^siMI^IS
0 cirurgiSo-mr do corpo de po- jgj
**4' r*.**
i m
Mm

ramente a applicaco dum ou dous frascos
para a effectuac3o de qualquer cura.
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A. Caors, J. da C. Bravo d- C, P. Maurer
A C, M. A, Barbosa. Bartholomeu & C, e
m todas as principaes boticas e lojas de
(tragas-
Gymnasio pro^cial.
De ordem do Illri. Sr. Dr. regedor se faz pnblic
tan conhecimentj do corpo cathedratico e dos
jtais dos alumnos, ou quem os representa que a
abertura solemne do anno lectivo ca transferida
f>ar o dia 11 do corrente as 10 horarX^a manhia
S?ereiaria do Gymnasio Io de fevereiro de 19
O secretario,
Antonio da Assumpgo Cabra!
Precisa-se de um eaixeiro para administrar
a botica que foi do fallecido Paranhos : a tratar
na mesma.
Despja-se fallar com o Sr. Justmiano
deMendonca Lima, na roa do Queimado n.
18 A, ou que se digne annunciar a sua mo-
rada para ser procurado.
Engomiiiadeira.
Precisa-se de una mulber que engomme per-
feitamente : a tralar na ra da Cruz n. 17, segun-
da andar.
Precisa-se
Precisa-se de um moleque de 12 a 14 annos
para servico externo : na na Direita ri. 79, loja.
Ama.
Prtcisa-sc de urna ama para cozinhar, prefe-
rindo se escrava : a tratar na ra do QueiAado
n. 3.'i A, loja.___________________
Alugam-se oe tres andares do sobrado da
ra Nova n. 23 ; e vende-se urna escrava criou-
la ainda mo?a, e parte de urna mobilia : a tra-
tar no primeiro andar.
Precisa-se de fundidores
na da ra do Brum n. 34.
e trro : na fabri-
Ama
Naiua do Torres n. 16, t andar, precisa-se
de ama ama que cosinhe e engomrae para urna
pessoa.
De urna ama para casa de pouca familia (|ue
saiba cosinhar e comprar : na ra do Livramento
n. 36. 2 andar.
anoel Fcrreira I'mlo, Mauoel da llocha Pinto,
Joaquim Soares Neves, Jo? Soares \evcs e Joo
Teixeira da Bocha cordealmente agradecem aos
seus amigos e mais pessoas que so dignaram fa-
zer-lhes o caridoso obsequio de assistir aos lti-
mos suffragios e acompan ar ao cemiterio o ca-
dver do seu presado sobrinho, irmao e primo
Antonio Fcrreira Gomes, c de novo convidara as
mesmas pessoas e aos seus e amigos do finado, a
assistir a urna missa que por alma do mesmo
mandam celebrar na igreja do Espirito Santo,
sabbado 6 do corrente as 7 horas da manhaa,
lelo quedes i j se confessara eternamente gratos!
aniel (J. Hamos, JooRamo^^Francisco u
Paula Ramos, pedt'ttf aos s;us amigos o piedoso
obsequio de assistirem a una missa que no dia 6
do correnie pelas 8 horas da manhaa mandara ce-
lebrar na matriz de Santo Antonio pelo eterno
repouso de seu irmao niajor Joaquim Francisco
llamos, morto ltimamente na canipanha do Pa-
raguay, c antecipam os seus agradecimentos.
arcos Nunes Beuort, convi
amigos, aos maranhenses e amigos de Jos Roque
da Silva, 2o tenente da armida imperial fallecido
na pouco no Paragugy, a assistirem a urna missa
qt;e pelo descanso de sua alma manda rezar na
matr.7 de Santo Antonio as 7 1[2 horas da manhaa
do dia 6 do cbrente, desde j se confessa agra-
decido.
t| licia, Joa(]uim Jos Almeida d'AI- |g.
a buquerque tem o seu consultorio W
s| na ra do Livmmento, 1. andar ^
13 da casa n. 17, onde pode ser pro- Wt
curado. \W
mmmii
Ama
Offercce-se urna mulher para ama de qasa df
familia ou rapar solteiro : a tralar no becco c!o
Ouvidor, casa de alfaiate.
Parentesdo intrpido, bravo, e denodaoi
baro do Triumpho, pedem aos amigos (
admiradores deste destnelo general o pe
do so obsequio de assistirem a missa qm
pelo eterno descanco de sua alma roand;
re?ar na matriz da Boa-vista, sexta-l'eira.
i> do corrente. pelas 7 horas e 112.
Precisa-se de urna ama para cozinhar e com-
prar para urna peswa : na ra do Fogo n. 27, !
andar.
ATTENQaO
A
Precisa-se de urna ama para o .servico de casa
de pouca familia ; a tratar na ra: do Torres n.
14,3o andar.
Pede-se a quem achou quatro chaves que fica-
ram perdidas na estaejio, no Recife : podem en-
tregar na ra do Queimado n. 11.
Ama
Precisa-se de urna ama para o servico interno <
externo de urna casa de urna s pessoa : a Iratai
na ra do Bangel n. 33,1 andar.
Do xarope Vegetal Americano, especialidadcdelfiartliofomen \ i .
34RA LARGADO ROSARIO3i
Nao costumamos procurar attestados para acreditar nossos preparados, e dei-
xamos que sua applicaco e os resultados obtidos pelas pessoas que se dignaram acceiia-
los, Ibes deem crdito e voga; porque sao sempre os attestados considerados gratuitos,
e delles que lancamao o charlatanismo; mas, nao querendo offender as pessoas que
espontneamente nos oft'creceram os que abaixo vo transcriptos, os fazemos publicar,
manifestando-Ibes nossa gratido pela attencao, esperando que venham elles corroborar
o conceito, e acccita<;ao que tem merecido nosso xarope.
Bartholomeu & C.
ATTKSTADOS
lili is. Srs. Bartholomeu A- C com a mais subida satisfaco que dectoro
ser o xarope Americano de urna efficacia extraordinaria, pois que soffrendo ha dias de
intensa tosse, ponto de nao poder dormir a noite a despeito mesmo de medicamentos
que tomara, a elle recorr e na terceira collier fui alliviado, e de todo me aclio hoje res-
tabelecido com o uso somente de quasi meio frasco: grato, pois/ esse resultado mani-
fest a Vv. Ss. meu reconhecimento.De Vv. Ss. amigo, venerador e obrigado.- Ma-
nuel Antonio Vegas Jnior.
Sua casa 20 de abril de 1868.
Illms. Srs. Bartholomeu A CPenhoradissimo com o favor que me fizeram
de aconselhar o uso do xarope Vegetal Americano, de sua composico, quando me acha-
va bastante doente de urna constipaco, que me tornou comiletamente rouco e que
trouxe urna lorie losse, e me impossibilitou de cumprir os meus deveres de cantor da
empreza lyrica, vou agradecer-Ibes meu completo restabeleeimento, que obtive com um
s vidro do mesmo xarope, depois de haver recorrido a muitos tratamientos. Desejarei
que outros como eu recorram ao seu xarope para se verem atliviados de t3o terrivel
incommodo, to fatal neste paiz. Com maior consideraco contino a ser de Yv. Ss.
attento, venerador e obligado.Luiz Cremona.
Becife, 25 de setembro de 1868.
Illms. Srs. Bartholomeu & C0 xarope Vegetal Americano que Vv. Ss. teem
exposlo venda de toda efficacia para o curativo d'aslhma, conforme observei appli-
cando-o a meu filho Joaquim, menor de quatro annos; victima d'esse flagello, que at
entao por espaco excedente a dous annos baria resistido a outros xaropes de grande
nomeada. Queiram, pois, Vv. Ss. acceitar a expresso altamente sincera de meu reco-
nhecimento ao meritorio servico que lhe prestaran com o indicado xarope, acredilan-
do-me para sempre de Vv. Ss. criado, attento e obligado.Americo Netto de Mendonca.
Becife, 2 deoutubro de 1868.
DE
1
l
DE
TI
55.
L
N. 55BA DO IMPERADORN.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje assz conbecidos para seja necesario
insistir sobre sua superioridade, vantagens e garantas que offerecem aos compradores,
qualidades estas incontestaveis, que elles tem definitivamente conquistado sobre todos
os que tem apparecido nesta praca; possuindo um teclado e macliinismo que obedecem
todas as volitados e caprichos das pianistas, sem nunca falhar, por serem fabricados
de proposito e ter-se feito ltimamente melhoramentos inipoilantissiinos para o clima
deste paiz; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas e por isso muito agradauis aos
ouvdos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as cncommendas, tantone.sla fabrica como nado Sr. Blon-
del, de Paris, socio correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premia-
dos em todas as exposices.
No mesmo estabelecimento se achara sompre um esplendido e variado sorti-
mento de msicas dos melliores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos
harmnicos, sendo tudo vendido por procos commodos e razoaveis.
RA LARGA DO ROSARIO l 37
Este acreditado estabelecimento augmenta
de dia em dia quanto possivel para che-
gar ao cume do bem viver.
Alm dos saborosos manjares confeccio-
nados com o melhor asseio, tem bellos apo-
tHARl TERIA E PETIT RESTALRANT
Annexos ao Hotel Central, ra estreita do
Rosario n. 4 A, andar terreo.
Para dar a conhecer a variedade infinita
de charutos de Havana, Babia, Bio, etc. que
existem neste novo estabelecimento pies-
sentos de hospedagem, tanto para unta s cindimos dos annuncios pomposos que ge-
pessoa, como para numerosa familia. ramente se fazem, reduzindo-nos apenas
A agua, indispensavel elemento para a tres letras que sao tres bbb bom, bonito e
vida e bygiene, temo-la sempre em abun- barato. A' vista do genero annunciado po-
dancia para facilitar excedentes banhos. de-se julgar de nossa veracidade. Esta casa
lia tambem urna boa bibliotheea e perio- osa tambem das condicoes de um elc.ite
dicos nacionaes e estrangeiros, piano para e pet restareme onde se pode ver a es-
recreio, buhares, etc. etc. pecialidade dos fiambres e salames de Lion
Sendo ociosa qualquer recommendacao para lanches e at fazer urna boa coIacSo,
para to acreditado estabelceimento, omit- juntamente com os principaes vinhos do
timos mais prembulos, fazendo ver por mercado, sobresahindo entre o bom a jaira
lim, que o bom servico, ordem e moralida- e fervente champagne, o mu sahoroso Hie-
de imperam nesta casa, como observancia no, a primorosa cerveja, o licor espirituoso,
fiel do regulamento que possue. o quanto pede urna mesa. Faz-se noute
Comedorias a la carie. sorvete e variedade de refrescos.
tl^llEs6til==5
EFFICACIA
DO
XAROPE DE RBANO IODADO
0 Xarope de Rbano iodado de Grimauli e C\ pharaiaeeoticos de S. A. I. o principe
Napeleio, em Paris, preparado com o sueco das plantas anii-escorbulicaa cuja efficacia
mui popular.
Encerra o iodo como combinacio orgnica, e considerado como o melhor succedaneo
do oleo de figado de bacalho.
A rara perfeicSo d'este prodacto anima-nos a dar a conhecer aqu a opiniio de alguns
d'entre os principaes mdicos de Paris, que diariamente o prescrevem.
0 Xarope de Rbano iodado um medicamento d'um effeilo suave e seguro para a
t medicacSo dos meninos, nao sdraente suppre o oleo de figado de bacalho, mas ainda faz
a as suas vezes com vantagem. *
Dr A. CAZENAVE, medico em chefe do hospital Saint-Louis, em Paris,
t 0 Xarope de Rbano iodado um medicamento de primeira ordem para o tralamento das
affeccoes lymphaiicag e escrofulosas. Alunas vezes, empreguei-o com feliz xito, em ceos
t casos de tsica ao seu principio, como succedaneo do oleo de figado de bacalho.
D' A. CHARRIER, anliyo chefe de clnica da t'aculdade de Paris.
t 0 Xarope de Rbano iodado sempre nos deo excellenies resultados como regenerador
do sangue, e succedaneo do oleo de figad de bacalho. *
Dr A. FAVROT, autor do Traite des maladies des femmcs.
f 0 Xarope de Rbano iodado um dos mais poderosos modificadores das constituicoes
lymphalicas. Tenho visto ulceras escrofulosas que nada podia curar, cicatrizarem-se,
c gracas a sna accSo, com uromptidSo extraordinaria. Tambem, pelo seu uso depparecem
as affeccoes tuberculosas dos ossos, nos meninos.
D' GUESNAR, antigo externo dos hospitaes de Paris.
c 0 Xarope de Rbano iodado possue todas as vantagens do oleo de figado de bacalho,
c sem ter nenhnm dos inconvenientes que aprsenla esie ultimo medicamento. *
Dr GIJ1B0UT, medico dos hospitaes, Presidente da Sociedade de medicina de Paris.
i 0 Xarope de Rbano iodado de Grimault e C* encerra 1|2 por cerno de iodo, na sna
a composico orgnica anloga i que se acha no oleo de figado de bacalho. *
Dr KLETZINSK, professor de chymica, lomado dos tribunaes de Vienna.
Deposito em Pernambuco, em casa de Maurer C*.
FBANCA-BBASIL
MR. MERCIER, alfaiate francez, previne an respeitavel publico e a seus numerosos fr-gm;-
zc9 que, tendo transferido sua residencia para a ra do Trapiche n. 7, primeiro andar, ah encon aro
sempre todas as qualidades de fazendas para trajos de homem, e prepara costumes para montara do
senliora. Faz tambein obras para militares e para criados, para aaqaaes tem grande sortimento botocs simples, com virola e cora de conde, brancos e amareHos. Recebe por todos os vapores o*
ultimo* tmrinos para homem. senhura* e meninos.
Escravo fgido.
Fugio em 3 do Janeiro de 1869 o escravo Ma
theos, de meia idade, cor preta, falla grossa, be
xigoso, tem pelas costas cicatrizes de bacaao
tem urna verruga no canto do nariz, os ps Bve
ros, corpo regular, tinha sido do Ilhn. Sr. Agosti-
nbo Leocadio Vieira, em Panellas de Miranda, qu*
ha poucos mezes de l veio fgido ; pede-se a:
autoridades e rapitaes de campo de o pegar c tro
zerem a seu sennor Jos Lardoso de S. na ra d.
Lingoeta no Recife n. 2 ; e o in< sino protesta con
tra qualquer pessoa que o lenha acontado, e gra
ti Acara bem a quem o pegar._____________
Precisa-se de urna boa cosiuheira : a ti alai
na ra Nova a. 13, loja.
rmniT

Irffmjk
da aeaieria
de edecau
de Para
PILULAS
^lODlIRRTOrxFEBi^MANGANF.SF,
bebi/HINdBIIISSon
Pbaructulict
lauread*
da
academia
. 0 tratamento das affeccoes cblorotica, lymphalicas ou escropbuloaas sempre lentis-
simo, e mullas vtzea estas molestias resisiem s preparaedes ferruginosas ordinarias. As
indagaedes feits pelos professores Hannon de Bnnellaa, Gensoul e Petreqoin de Lylo e
Benelius e Troosseau de Paris, tem provado qoe a causa d'essa persistencia era a completa
ausencia do Manganese, elemento que sempre deve-se achar no sanjgue junciamente com
o ferro. Estas pilulas supuren), pois, na therapriica urna falla injiorianie, e por este
motivo ellas tero merecido a approvacSo da Academia de Medecina qdaa priucipaen socie-
dades medicas. Deposito em Pernamlmco, em casa de Mmtci
\


MM
mtm
*


Diario de Pernal ibuco Sexta feira 5 de Fevereiro de 1869.
5
4
TIF ORAL
Grcande liquidacao de miudezas !
Affonso Moreira Temporal, querendo liquidar as miudczas existentes em sua
loja ra do Quemado n. .*i.', resolveu annunciar as mesmas mirilezas para que o pu-
blico se certifique do diminuto proco porque as est vendando, a saber:
Massos com grampos 25 a .
Pecas de tranca lisa e caracol a
Sabonetes de todos os precos a
80 100 200 e ". .
Abotoaduras para colletes a .
Botesde loucapara camisas, a
Garrafasd'agua Florida iverda-
/leira) .......
Frascos cora agua de Colonia a
320 e........
Garrafa de tinta roxa a. .
Caixas com 100 enveloppes a.
Mantas de seda para hornera a
Fita de sarja para enfeite de
vestidos por......
Frascos com oleo para cabello
a 400 e.......
L5a para bordar, libra. .
Escovas finas para chapeo a .
Ditas para cabello a 320 e .
Ditas muito finas para Tatos
por preco nunca visto 400
500 e........
Pecas de babadose entre meios
a 600 800 e .....
Grvalas de seda de cor a .
Ditas pretas a 400 e .
Bico e renda das ilhas a todo
preco. So a vista faz f .
Pecas de fita de coz cora 10 va-
ras a
Borze.gwhs para senhora
viudos lelo ultimo vapor : na ra Direita num-y
'-. M
Feitor
Pjreoua-se oom urgencia de um feitor que en-
Amm bem de jardim': a tratar io Hecife, travesa
da Madre de Dos n. 16.
20
40
2i0
320
100
IfSOOO
400
800
300
800
000
600
0->800
320
500
600
1)000
320
300
.100
Latas com graxa, duzia a
Coques muito bons com rede s
a rede val......
Meias para homens boa fazenda
a 3^000 e ......
Linha de marca, caixa com 16
novellos ...
Latas com hanha (familiia), duzia
Fiascos com'hanha a 320400c
Botos para punho fazenda boa
a 80 e....., .
Volta de Aljofre cousa boa a
Fitas para debrum de vestido a
Caixa com agulha franceza a
Botes de ac para colete dnzia a
Carlo com alfinetes a .
Caixa com perfumaras muito
fina. S a caixa val I0f5000
12,3000.......
Copo com opiata muito fino a
400 e ...... .
Meias muito finas para senhora
duzia........
Carlas francezas a 200 e .
Ditas portiiguezas a 120 e .
Caixa de linha do gaz branca 50
novellos.......
Frasco com tinta a 100 e .
Franja de la parasapato (peca)
Papel de pesouito bom
480-J
i#soa
|
4*000
240
20200
300
100
160
500
160
120
100
larOOO
500
5,3000
240
200
600
106
1-3000
4;j000
fea eaa d oduCcao de numerosissima fami-
lin. riesejaudo hem orenar a administracao inter-
na e externa, precisa de nin procurador para a ministrar MiS sitios e diversos predio?, cobrar ala-
guis e mensalidades dos moros, e fazer outros
laboros: deve residir no collegio ou ao menos
ahi ter o-seu escriptono.
Deve aniesentar documentos que justiflqnem a
sua moralidade e capacidade; do mais mu cosi-
nlieiro bem hbil na sua arte e acostumado as
grandes familias; de mais um copeiro hbil para
o servico de urna numerosa conuuunidade; de
mais um bolieiro que preste-se aos outros servi-
ous da casa ; de mais dous homens para o serv-
o interno da casa, cerno varrer, tirar agua, etc.:
deseja-se com espcialidade homens robustos e ja
de idade.
Todos aquelles que ;ie julgarem nessas condicoes
podeni dar todos os usclareciiuontos necessarios,
para que sejam tomados na divida consideradlo,
na ra do Imperador a. 28.
. ARMAZEM 1M) CAMPOS.
Precisa-se de un menino de 14 a 16 anuos
de idade pouco mais ou menos, para caixeiro de
taberna: a tratar na ra do Crespo, loja da esqui-
na, n. 8. ^^____
Sapatos de tranca e outros muitos artigos, que enfadonho seria mencionar.
RA DO QUEMADO N. 53
O Sr. Jos Mara Alves da Silva tem um ein-
brulho viudo de Portugal na rua da Cadeia n. 1
Ana de lelte.
Precisa-se de urna : na ra da Peuha u. 21,1
andar. "___________________
Precisa-se de" uina ama que cozinlie bem,
para casa de pouca familia : na ra do Impera-
dor n. 71, 2o andar.
O Sr. Antonio Francisco Duarte querr apa-
recer na ra Direita u. 58, a negocio de scu inu-
resse.
20,000
Be gratificacao.
Quem achou na entrada do Painamerim
um embrulho pequeo, contendo Icaixi-
nhas cora botes de punho e duas com
de camisa, tudo de ouro, que calara d'um
passageiro que vinha de Appipucos no
trem de 8 horas da manha, no valor de
150^, querendo ter a bondade de entregar
ao chefe da estarao do porto do Capim re-
cebe r 20fl de gratificacao.
Precisa-se alugar em um dos ai ral;aldes pr-
ximos cidade, um sitio, cuja casa nao fique
face da estrada. Quem tiver algun ne.-tas condi-
coes, pode dirigir-sc a ra do Apollo n. 2." bu a
do Paro n. 30, que achara com quem tratarj >
luniinacao.
RA 1)0 CRESPO X. 16.
Duarte Pereira A C, tendo reeebido pelo .'
ultimo vapor grande e variado sortitneuto
de baloesde papel do diversas qualidades,
e do mais moderno oslo, proprios para
illumiuai.rio tanto da cidade como do
campo, assim o fazem constar a seos iitime-
rozos freguezes e ao respoitavel publico,
afim.de que com tempo se previnam, visto
como attento aos ltimos successosda guer-
ra se espera a cada momento a fausta no-
ticia de sua concluso. A Iluminarn cni
bales de papel alera de ser linda menos
dispendiosa possivel, os anunciantes ven-
dem-os por precos mu razoaves,
Aos 8 mil globos
de papel decores chegados para illumina-
c5o dos festejos, preco muito em cota
e anda mais sendo em duzia: no uraazem
do Vapor Francez ra Nova n. 7.
AMA
. Precisa-se de urna ama para casa de pequea
familia : na ra do Crespo u. 18, 2 andar.
i'
1TTENCA0
*6 $UlMAt>0
A aguia branca tem-se feito So conhecida e
acreditada, nao s pelas novidades, variedades, su-
perioridade e abundancia de seu sortimento, como
peJa constante commodidade de scus prect, e mes-
mo pelo seu assaz e nunca olvidado agrado e sinee-
ritlado.
Essas verdades ineoMestavciS sao Bem duvida
apreciadas pelo bello sexo em particular, e pelo
respeitavel publico em geral, e a tanto tem chegado
que esto qnasi passando como annexim ou pro-
verbio, quando se v um objecto de elegancia,
gosto, novidade, etc., etc., diz-se logoaquello ob-
jecto sem duvida foi comprado na loja d'aguia
branca.
Quando no club, nos bailes, ou no salo do
Santa Isabel, una excelleutissima se aprsenla
garbosamente trajando, trazendo o moderno cinto
de mui larga fita, lisa, chamalotada, ou eseosseza,
i suas admiradoras dizem comsigo aquella lita
foi comprada na loja d'aguia branet
Quando outra excellontissima, nao menos gar-
bosa, mostra o rigor de seu bom gosto na acertada
isecdha dor etifeites de alta novidade que bella-
mente ornam seu vestido, ainda mesnio as rivaes
de sua sympathia confessam queaqueHes enfeite
foram da loja d'aguia branca.
Quando n'outra excellentissima, apezar da sin-
?elleza de seu porte agradavel. se vem as bonita!
lavas de pellica duqueza as sata bellas ami-
gas louvam-lhe o gosto e confessam queaquellas
lavas foram da loja d'aguia branca. ^
Quando mesmo duas excellentissimas, antigs
imigfts di collegio, se enconlram naquelles loga-
res, depois dos cuiiiprimentos de recprocos beijos.
ambas por torca de sua elevada delicadeza, gabam
urna a outra os agradaveis cheiros de que usam
em seas linos lencos, e cada urna das quaes orgu-
Ihosaspelo elogio do acorto de sua escolha, e como
que querendo por si mesma justificar dizin simul-
tneamente verdade que este cheiro foi compra-
do ua loja d'aguia branca."1'
Aluda mais.
Quando bontem os pas alllictos sentiam o rigor
da denticao de sen charo llnho, c hoje alegres e
satisfeitos pelo feliz restabelecimi-nto recebem as
visitas dos si'iis uielhor amigos, dizem aquellos a
estes, foi Deus que me inspiroupara que compras-
sc, como coiuprei, umdesses virtuosos collares
Royer, que se vendem na loja d'aguia branca.
Alcm do muito inals gue aluda
falta dizer.
Quando em uin circulo de circumspectos carac-
teres se discutir a veracidade de taes dizeres, appa-
recer um outro que queira ainda levemente inter-
romper a discussao,' os primeiros por momento es-
qoeomo a circumspeccao e Ibes dariio um gra-
cioso debiqtie dizendo-lbesj sabemos que V.
um daquclles que inclina o chapeo de sol ou que
mereca ser designado pela aguia branca da ra
do Queimado n. 8.
Sao tantas as eousas que por
untas escapam as outras.
J a esquecendo a aguia branca, mas em tempo
lembrou-se para noticiar, que recebeu una pe-
quena quantidade de enfeites para coques e gram-
pos para ditos-, nulo feito de metal com lindos e
agradaveis coloridos, obras estas pela primeira vez
apparceidas, e portante inteii a novidade.
Tambem chegaram novamente delicados enfeites
e floreg ornadas de aljofares e vidrilhos, tanto de
pama para coques como para vestidos, e tudo
contina a merecer a apreciadlo das excellentissi-
mas conhecedoras do bom.
Furgiram no da ib de Janeiro do crreme an-
no ile 1869 do engenho Jassir, em Serinhaem, os
escravos seguimos : Luiz, criouk, do servico do
rampo. estatura e corpu regulares, bem fallante e
bastante esperto, cor preta, olhos um tanto api-
tombaaos, representa ter 30 anuos de idade, pou-
co mais ou menos, tem eicatrizes de chicoto pelas
costas; Maria, crioula, alta e corpo regular, falla
uin auto descaneada, rosto bem f-ilo, olhos gran-
des e um tanto blancos, represedta ter 23 annos
de idade, do servico do campo, tem os dentes al-
vos e perfeilos ; esta eserava foi comprada ao
Exm. Sr. bario de Nazareth ; Luiz, erioulo, com
25 anuos de idade, nonro mais ou menos, carreiro,
alto e um tanto secco do corpo, tem falta de dentes
na frente, peinas finas, bastante esperto, o nao
bem feito de ps, tem eicatrizes de chicote as
costas e todas saas, de cor preta; foi este compra-
do ao major Luiz Antonio de Alineida nesla cida-
de, na qualidade de procurador do Sr. Antonio
Maria de Araujo, morador no engenho Pacas, tam-
bem de Serinhaem, cujo negro j foi escravo do
Sr. Joao Cardoso do engenho Quimiv, em Agoa
Preta. Roga-se a captura xle ditos escravos, o a
entrega cites a seu sen W no engenho Jassir, o
major Francisco Manoel de Souza Oliveira ; nesla
cidade na ra da Madre de Dos, esciiptorio los
Srs. Cunta limaos & C. ou na ra do Imperador,
escriptorio do Exm. Sr. barao de Nazareth. A
pessoa que os capturar ou delles der noticias nos
lugares cima indicados ser generosamente re-
compensada.
Precisa-se de una ama para cozi mar : na
ra do Senhor Bom Jess das Crcoulas n. 41, 1-
andar.
Vscrava.
Xa ra da Cadeia n. 4, 4o andar, precisa-se
comprar urna escruva com todas as habilidades,
de idade de 20 a 30 annos, mas que si ja bonita
figura. _____________
Pre>sa-se de um criado copeiro para casa
de homem solteiro: a tratar na ra da Cadeia do
Recife n. 40, andar.
Escriptono
Gomes de Mallos Irmios esto com o seu es-
criptorio aberlg na ra do Vigario n. 2ii, Io an-
dar : propoc-sc a qualquer consignacao, menos
de escravos.
Vende-se
Duas pias de marmore muito finas, com floros
em relevo, que poden servir para igtvja, ou para
casas particulares, vende-se por preco muito Com-
modp; a ra Nova, escriptorio de'Quinteiro &
Agr, n. 63.
Rap Gasse e Paulo
Cordeiro
No armazcm de Jos Joaquim Lima Baiio, a
ra da Cruz n. 18, tem constantemente suprimen-
lo de rap Gasse grosso o lino, e Paulo Coidiiiv
commum c viajado; nao precisa fazer apologa de
sua excedente qualidade, pote ella j de oais
conhecida, assim como o lugar proprio de sua
venda.
INJECTION BROU
HjKlenlca luuIOm i c Pi-eM>rtatita, absuluijniiiuiu a iu.ua uu turMan uenuuih addiiou. i uval
n principan boliraa do mundo. ( Exigir a iotlruccM do uso). (30 auuo ciislaocia.) l'an, em ea
do invenlor IBOV. boulevard Mascla, lia.
(MTerece-se um rapaz de 10 anuos para cai
xeirc, com pratica de miudezas, e d fiador de sua
conducta: iiuein quizer utilisar-se escreva em car-
ta fechada com as iniciaos A. S. nesta typogra-
phia.
= Quem precisar de una ama para cosinhar,
dirija-se a ra das Aguis-Verdes, loja n. 14.
No collegio da Conceicao precisa-se de um
homem idoso e sem familia para oceupar o lugar
de porteiro.
Precisa-se de uin caixeiro que tema pr; tica
de taberna, de lia Iti amos, dando fiador de sua
conducta, prefcre-sedos ltimos chegados: na ra
do Caldei'reiro n. 94.
Quem precisar de um caixeiro com pratica
de mol hados, para fora desta cidade, annuacio por
este Didiin.
= s abaixo assignados fazem sciente ao res-
peitavel publico c especialmente ao corpo do coin-
mercio, que nesla data teem contrahido urna so-
ciedade -comincrcial na villa de Mossor, soba fir-
ma de Etelvino, Pereira & Cuha, euje gjre de
commercio a venda e compra de merca lorias e
gneros por nossa ronta e em consignacao.
Villa de Mossor, 7 de Janeiro de 1H<9".
Jcaquim Elelrino lkzena de Ciinha.
Jcse Thomaz de Ai/hiio Peieiiv.
Servulo liezerra da Ciiiilm.
Precisa-se para criado, nm pequeo de 10 a
12 annos de idade, d-se preferencia a que seja
escravo, e exige-so fianca de conduela : a ra l)i-
reila n. 12, primeiro ailar.___________
Precisa-se de urna ama para todo o servico :
na ra da Concordia n. 9, padria.
COMPRAS.
= Compra-se tima armaco
tratar na rua Direita n. 35.
envidraeada : a
Com muito motor vantagem
Compra o Coracao de Ouro, n. 2 D, rua do Cabu-
g, moedas de miro e prata e nedfas preciosas.
Compra-se escravos.
Lino de Faria & C, na rua do Vigario n. 24, es-
criptorio, Io andar, comprain escravos de aiidios os
sexos, sendo que, moloques de 14 a 20 annos e bo-
nitas figuras, serio pagos por muito mais Jinheim
do que em outra qualquer parte.
Ouro e prata
em moeda e em obras inutilisadas, compra-se por
bom preco : na praca da Independencia n 22.
Precisa-se de una ama para cosinhar ; de-
fronte daalfandega n. 4.
Fazejn-se filhs de ceringa para presentes-
oin promptidao, aecio e pericia: no pateo de Sr
Pedro n. 20.
Na praca da Independencia n. 33, loja deou-
rives, compra-se ouro, prata, e pedias pr tambem se faz qualquer obra de encomnienda, e
lodo e qualquer concert._____________
Compra-se
hoje libras esterlinas, ouro e prata de todas as
nacoes e por maior prego do que em outra parto :
u rua da Cadeia do Recife n. 08, loja de azulejo.
Caixeiro
Precisarse de um raixiiro para taberna na rua
do Rangel n. 43, refinaeio. prefere-se portuguez
de idade de 12 a 14 anuos.
Companhia Pernambucana de na-
cegaedo costeira por vapor.
De ordem do conselho de direccao e para satis-
lac;io do que dispoe o art. 19 dos estatutos, sao
convidado* os senhores accionistas a reunirem-se
em assembla geral no da 15 do corren te ao meio
dia no Io andar do seu edificio no caes da As-
s embica n. 12.
0
DE JOIAS
Ca^
C/^
GOMES DE MAHOS IRIWHOS
tendo feito completa mudanpa em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe maiores propor ao publico em geral e com espcialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manha s 9 da noute na
RUA DO CABUGA N. 4
onde encoutraro um completo sorlimento do que ha de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubins e tudo que em obras
de ouro, prata e platina se pode desejar, e para prova do que hao dito,
apresentam desde j
A ESTRELLA DO NORTE
riquissimo brilhante de tamanho raro e seguramente a maior e mais bo-
nita pedra exposta a venda nesta praca, a qual como tudo mais ser
vendido pretjo razoavel.
Garante-se a qualidade dos objectos venda.
0 MUSEO DE JOIAS
- Compra-so cobre : na rua do Queimado n 49, rival sem segundo.
VENDASi

A i i 0 fi ti e m i < 1 i FLOR DO FIMO 1 1 5 m e fi es I\ i I
| 8 o ., ...Es 52-r fcc^o g ai S -f *3 w ^ lililis-1
Illl.IOil HO'M V

t.\XERM^
ALTA NOVIDADE
A
Loja do Pavao.
GURGL'ROES para vestidos a I $000.
O OVADO.
Chegaram os mais modernos gurguroes
para vestidos, sendo de todas as cores, como
sejam verde, azul, rosa, bismark, perola,
rxo & & tendo quasi quatro palmos de lar-
gura e vende-se pelo baratissimo preco
de l-)000, cada covado nicamente no ar-
mazem de Flix Pereira da Silva, na rua da
Imperatriz n. 60.
niNS PARA CALCA NA I.OJA DO PAVAO.
Vende-se os mais modernos e melliores
brins de linhode todas as cores, outros com
listas do lado, garantindo-se, screm de linho
paro e vende-se por precos muito em con-
ta no armaem de Flix Pereira da Silva,
rua da Imperatriz n. UO.
Pechinciia em AI.G0D0SIM10 A 5:)o00
A PECA NA LOJA DO PAVO.
Vende-se superiores iteras de algodosi-
nho com 20 jardas a 3500 a peca, gran-
de pechinciia, na rua da Imperatriz n. GO
anuazem de Flix Pereira da Silva.
AS DEZ MIL VARAS DE (1V.MHRAIAS FRAN-
CEZAS S NA LOJA DO PAVAOA.'iOO
RS. O METRO.
Vende-se finissimas cambraias francezas
com os mais delicados padroes, tanto mui-
dos como grados, e rom as cores mais no-
vas (|ue tem vindo no mercado pelo bara-
tissimo preco deSGOrs. o metro; garantindu
que 7 metros do um vestido para qual-
quer senhora, c que em outra qualquer loja
nao se encontrar a mesma fazenda por
igual preco, e sini s na loja e armazcm do
Pavao, rua da Imperatriz n. GO de Flix
Pereira da Silva.
Cassas Inglczas a 4 JO vs o metro
Vende-se urna grande poro de bonitas
cassas inglezas tanto graudascomo miudi-
nhas e de cores fixas pelo barato preco de
liO rs. ometro,garentindo-se que 7 me(rost
dao um vestido para qualquer Sra. s na
loja do Pavo rua daimperalriz n. 60 de
Flix Pereira da Silva.
RETALIIOS PAR LUTO NA LOJA DO
PAVAO.
Vende-se urna grande quantidade de re-
talhos de chitas e cassas pretas por preco
muito barato, e quanlo maior for ajponao
que o fregu comprar,' mais barato se he
vender na ruada imptuatiiz n. GO de F-
lix Pereira da Silva.
CRINOLINAS OU RAL ES A->dOOSv Nq
ARMAZEM 1)0 PAVAO.
Baldes ->:00.
Crinolinas S.'iOO.
Rales viOO.
Crinolinas -'>.'i00.
Baldes --'oo.
Crinolinas -VJOO.
Vende-se os mais modernos bales ou
crinolinas americanas, muito bem fuitas, sen-
do todas de modelo esgm*os, pelo barato
preco de 2$500 cada urna, nicamente na
loja e armazcm do Pava) de Flix Pereira
ila Silva, rua daJnipealriz n. GO.
CAMRR.UA COM SALPICO A o->000 A PECA.
Vende-se pecas de cainbraia branca com
salpicos, sendo neste genero o melhor que.
tem viudo ao mercado, tendo 8 e meia va-
ras,pelo barato preco de S-jOOO, pechinciia
na lojae armazein do Pavo. rua da Impe-
ratriz n.GO de Flix Pereira da Silva.
Grande liquidar, ao
0 pro|inebrio d'anti^a c bem coiih.:..ia
oja de miudezas denominada Bcija
rua do Queimado n. 6!1, querendo acabtr
com o sortimeiito de miudezas qi
tem deliberado proceder a nina ci mpli
(Iiiidaeo, para o que chama a anenrao de '. -
dos.
Os objectos sero vendidos par mct:ule-',e
seu v.ilnr. epara que o publico, nao supl-
idla, que o presente atinuncio urna illu
o proprietario da dita loja, qlTerece una i -
quena lista de algumasmiudezes. c. mos
diminutos [precoscomo abaixo se v<
nao apreseiitando una lista completa de te-
dos os olijectosque estao expostos a venda,
pela razao de se tomar um annuncio muito
extenso e por conseqiieneia de eoftdonha
tura, por isso apenas Ienila-se as seguint' -:
1 Duzia de miadas de linha para
fazer croch.
1 Caixa de linha com 30 novellos
1 Dita < 00 a
i Dita i. 10
1 Duzia linha de candis de
100 jardas
I Dita < de
200 jardas.
Fita de laa para debrum de todas
as cores, a peca. '
Dita branca
Dila
Peca de fita de linho com 10 varas,
e qeu serve para cs.
Dita t cs
Pentes voltiados para menina e se-
nhora.
Ditos muitos finos.
Ditospretocom chapa.
Ditos brancos
Ditos pretos.
Ditos breos linos.
Escovas para dentes a 1G0, -20 e
Ditas para cabellos.
Ditas inuito linas.
Ditas para roupa.
Ditas dita de dita.
Pentes de coque com fila a 1 $800,
-MJO e
166
300
S(')
300
380
M
24 *
ISO
960
300
;;r .
320
220
100
360
289
960
;i->
500
Pentes para coques 1*550, 2300
3%00e
Peca de franja paratoalha a pica
com 14 varas.
ntremeles bordados a peca 600
Tinteirosde porcelana l500 i&
Btalos para meninas de escolla
bonito desenlio 800, !>, I-SJiOO
Peea'de lila de seda para enfei-
jes de vestidos,
Fita de sarja de todas as cores.
Cravatas pretas a 320 e
Ditas de cores.
Sapatos de tranca e tapete.
Garrafa de agua Florida verda-
ira
deFrascocom extracto em sapati-
os.
nliDitos com leos.
Dito agua de Colonia, piquenos.
Dito, dito de dito de lie ver.
Ditos com hanha.
Ditos com tnico.
Ditos com oleo iloeome.
Ditos com extracto e hanha.
Ditos com extractos diversos
Pao de pomada.
Ditos pequeos de pomada.
Capellas para noivas muito linas.
Sabonetes, 120, 320 e
Ditos transparentes de bolla 300,
Redes para cabeca
Bandeja 900 a
Duzia de botes de seda para en-
feites de ves! do
Porceira de contas.
2r>u00
i-:u<-<>
2Siino
700
80500
8000)
I ;>l II N '
I-SIDO
500
1:
I
106
MO
500
1000)
."| I
10000
10000
luOO
300
506
80
3I460
560
360
10806
246
806
JiWK1A*tWti Se >
PARA O pARNAVAL
Luvas de pelica para homem. o para senhora, por prec,o muito barato, para acabar. Na rua
dai Imperatriz loja e miudezas n. 54.
Alegrai-vos myopes, e presbytas, ja po-
dis ver de lonie. j podis ver de perto,
nao ba mais vistas curtas, nem caneadas.
F. J. Germann acaba de receber pelo ulti-
mo vapor um rice e variado sortimento de
oculos, lurtas, pince-nez, face-s-main,
lorgnons, de ouro, prata, tartaruga, marfim,
ac, bfalo, ncar, unicornio e melcbior;
assim como binculos de urna a tres mu-
dancas para theatro, campo e marinha da
ultima invenco; duquesas, vienezas de 6,
8 e 12 vidros, tudo dos melhores fabrican-
tes da Europa.
O mesmo vapor trou-
xe urna excellentos ma-
china para graduar e
observar o numero dos
vidros que se necessita
conforme a vista de
qualquer pessoa.
Tem excellcntes ste-
rioscopos, instrumentos de mathemaca,
barmetros, vidros do chystal de rocha, e
de cores para resguardar a vista; concerta
todos estes objectos a precos commodos e
com promptidao; tira o mofo dos vidros e
encarrega-se de toda a encommenda relativa
a ptica.
Recebeu tambem os excellentcs rslogios
do antigo e afamado fabricante Robert Gerth
& C, os quaes vende precos conimodos
garantindo a sua superior qualidade,
J
de cherar os sabonetes de
un ui'i'aO
Para curar as molestias da pello, taes co-
mo impingens, drteos, sainas, comiches
e mais molestias de pelle sem occasionar
accidentes; desfaz as manchas do coipo,
pannos e sardas, restabelece a cor natural
quanto cutis, seca, grossa., amarellenta,
occasionado por alguma enfermidade, e co-
mo desinfetante e preservativo das molestias
contagiosas.
Deposito, botica do Pinto, junto ao qturtel de
iwlicia, n. 10.
Vcnde-sc a taberna das Cinco-l'ontas n. 93.
com poneos fundos e bem acreditada.
E. H. Ratono lein para vender em seu es-
criptorio rna do Connnercio n. ii, i andar, vel-
las de cera, vinho Slierry muito sii(iPior em cai-
xas de I duzia de garrafa?, e cachimbos de diver-
sas qualidades.
Vende-se urna casa de pedia e cal, em 1er-
reno proprio, sita na rua Direita do Poco da Pa-
nada n. i ; quem a pretender dirija-se a rua de
Portas n. 6, que achara com quem tratar.______
Bareges a 400 rs.
S na loja do Pavo
Se vendem as mais bonitas bareges transparen-
tes, proprias para vestidos eoni listrinhas a imita-
gao de listras de seda, e vendem-se pelo barato
preco de um cruzado cada um covado. nicamen-
te na loja e arnmem do Pavo, rua da Impera-
triz n. 60, de Flix Pereira da Silva.
Victoriano ralbaros
HARPA DE FOGO
Poesas patriticas.
Um volume ntidamente impresso
2*000.
Assigna-se na livraria franceza, rua do
Crespo.
Vende-se um carro da alf-andega eom pouco
Uto : na rua da Senzaia Velha u. %i.
Para familias
tranr ffiaxar, rna !tova ns. *0 c
9'i, deCarncIroVianua& f.
Acaba de chegar a este estabelecimen'
,'iandeporc de machina-; para costeras d i
autor AVheeier Wilson, approvadas na ulti-
ma exposieo de Paris, as quaes co/eni Ci
dotis pospontos toda a costura, e tem a
vantagem de ser to suave o moviment',
que qualquer crianei de oito annos fa
mente trahalha, e pode, aun este entret- -
ni nento, levar vantagem ao servio diario
de trinta costureiras. A compre!.
sinplas, pois em um quarto de luna se I -
ca senhor do movimento da machina, i
do a mesma a propriedade de fazer as se-
guintes costuras: pospontar, abainhai,
franzir. marcar c bordar, como apresentam
os desenhosque acumpanham-nas. Os pro-
pietarios do estabeleciniento se encarre-
gam de mandar cnsinar nesla cidade, e
gsrantem entregar o importe dispendido ao
comprador, no caso de nao trahalhar com
perfeico a machina vendida, Dio ten
porm, sofridoella alguma a\aria. Ha lam-
hem no mesmo estabelecimento machinas
do autor Grower 4 Baker, de trabalho sim-
plesmente mao, e outras oom nioviiiiei- >
dos ps; e mxime todos os pertences das,
mesmas machinas, para vender avulso.
Farinha de Mandioca.
No trapiche da companhia, largo do
Corpo Santo, ha farinha de mandioca de
Porto Alegre, ensaccada e de qualidade muito
especial. A bordo do brigue Norma ba
para vender farinha de mandioca de San i
Catharina, fresca e de boa qualidade que
se vende a preco commodo; a tratar no es-
criptorio de Amorim Irmo, rua da Cruz,
n. 1.
Vende-se por necessidado urna neprinlia
com todas as habilidades : a tratar na rua do P-
dre Floriano n. 71. Na mesma casa d-se algum
dinheiro a juro. ________
napas 'j^'i^aaaa
PARA 0 CARNAVAL.
A' rua da Cadeia do Hecife n. fi, loja de miude-
zas de Jos Domingos de Sampaio & C., ea
alan de muitos objectos de gosto, um sortimento
de leques japonezes, que se acbam ex|K)stos a
venda por precos baratissiinos. Estes leques vie-
ram a proposito, por^oe com pouco dinheiro
obtem um para inste afamado tem|)0 do carnaval
todos inuuiiem-sc de ndispensavel para poder
trazer urna mascara, tanto mais quando esli
em una estacao tao calmosa ; a elles. pois. i
rapazeada, antes que se acaben). Ha'taiiiliein
sortimento completo de luvas de pellica Jon\
i:" baratissimo.
Vendem-se corte-: de laa de gestos nodei
que serven) tanto para senhoras como pira c
cas, pelo preeo de 23Q0 o corte : na rua do
Queimado n. 29.
Attenpao.
Veude- e no caes de Capibaribe
nba da primeira qualidade. i
palmo corrido mbreiras,
c<)m o mais que se segu.
pedra i


6
Diario de IViuambuco St-\ta fnni 5 de tVereiio de 1869.
AO BAZAR DA MODA
DE
JOS DE SOUZA SOARES 8: C.
Ra Nova n. 50, esquina da ra de S. Amaro.
PARA O NOVO ANUO DE 1869.
.Novo sortiment de ai-tipos de mola laxo, receidos pelo ultimo vapor viudo da Europa.
E>pccial sortiment de objetos para minios.
Perfumadas linas dos principaes autores.
Luvas de pellica frescas, brancas e de cores |>ara homens e scnhoras.
Chapeozinlms de pallia de I tilia enlejiados, para senlioras.
ilicas chapelinas para senlioras, gorros de pallia de Italia para senlioras c menina?.
Especial sorlimcnlode sintos para senlioras.
Eofeiles de goeto para seaboMa.
Fitas de grosdenaple superior de todas as cores e larguras.
Franjas com vidrilhos. brancas, de cores e pretas.
Guarnicocs de todas as qualidades para vestidos.
Ve.-.luanos completos para baptisados.
rSofinhas e pannos entortados para senhoras.
Coques modernos, lisos e enfeitados.
Bornous de laa o seda, cores claras, moda elegante para senlioras debom gosto.
Corpinhos de cambraia enfeitadospara senlioras.
Caohe-ncz de 15.
Chapeos de sol para homens e senhoras.
Flores linas, sortiment especial.
Plumas elegantes deipialidade superior.
Cintos ricos de pallia, alta novidade.
rinaldas de llores finas.
Camisas superiores para homens.
Colarinhos c punhos.
Grvalas e maulas modernas.
Bengalas de diversas qualidades.
i laicas grandes com ualro pecas de musica.
Flores de pallia para guarnieiies de vestidos, botdes, fivelas.lacos para eneitcs.
Chapeos de pello de seda pretos, forma a Rotsehild, fazenda superior para horneas.
Correnli-s id' plaqu tino, eostos bonitos para relogios.
Canil.'las dr liom gosto para as niesmas.
Correutes pretas de borracha diversos modelos para voltas.
Hbjeclos para luto.
E intuios oiitrosarligos de novidade que s vista podem ser apreciados.
Existe continuamente um completo sorliniento de miudezas, vende-se por grosso e a relalho
A COMMODOS PRECOZ
NO '
BAZAR DA MODA.
PREGO CORRENTE DOS CHAPEOS DE SOL
Da fabrica de
YlQ AfFI^Tfn^ "> todas as partes do mando, empregam, com o maior exilo,
Uu iTiEil/lUv/Oy ophosphiMde ierro solovel de Lbras, para curar a cllorosis
(cores paludas), as dores do estomago, e a exhaustacao do sangue; com esta preparacio, dio
ao corpo o vigcr, e as carnes, a sua firmeza natural; faciliten o desenvolvimento to labo-
rioso da pubcrdade. Cora effciio, tudo, n'este medicamento, se acha reunido para lbe
assegurar o maior crdito, pois que ;ntram, na sua composicdo, os elementos dos ossos e
do sangue. O seu autor, M. I.kra doulor era sciencias, pharmaceutico, professor de
chymiea, iaspector da Academia, foi, recen temen te, condecorado da ordem da Leg 0 de
Honra, digna recompensa dos seus importantes trabalhos.
As seguate* aprectaeoca dos mais celebres mdicos ainda vem corroborar e justificar
todos estes ttulos cenlianca publica :
t Precisa clarificar o phosphat- de ferro soluvel entre os ferruginosos que rielhor
t convem aos doentcs cujes oes d gestivos supportam mal as preparacies de ferro..
S0( BEftAN, professor na Escola de medicina e de phurmacia.
t O phospliato de ferro soluvel em quanto a mim, a melhor das preparaedes ferrafi-
t oras, e o seu emprego d os mais promptos e seguros resultados.
AitAN, medico de hosjiitul Sainte Eugnie.
A fdrma liquida do phosphal de ferro soluvel d-llic urna immensa vantagem sobre
t as plalas; en considero esto medicamento eomo mui superior is preparaces odadas.
AKNAL, medico de S. M. o Imperador.
Entre todoi; os ferruginosos, no conhecemos um sd que obre 12o prompla e cfficazmente
t como o phosjihato de ferro soluvel, e isso, sem cansnr o estomago.
IIELLOC, BAUME, BIGOT, FOl.LET e PREV0ST, mdicos dos hospitaes.
t Os effeilos da preparaclo de phosjliato de ferro soluvel me parecem ser mui seguros
e promptos. BEfiOUT, redactor cm chefe do Bullelin llirapeutiqne.
Entre todas as preparacSes ferruginosas, o phospliaio de ferro soluvel foi a que sempre
me deo os mf Ihores e mais satisfactorios resultados. GUIBOUT, medico dos hosfitaes.
< O phosphatj de ferro soluvel ten, sobreludo, a vantagem de evitar a constipado e
convir aos temperamentos delicados, s Br FAVROT.
Deposito em Pernambuto, em casa de Maarer c C.
P/iarmocttt'c
lauremio .
pelacadtmia i
i
medicina dt. Paris
PASTILHAS
DOSEStDIGESTJAfrSl
deBURINduBUISSON
Uedalhaio
palafX
ad4 ;:
PHW
CON LACTATQ.DE?SOI
Estas Pastilhas constituem o medicamento o mais no^e^ sWndouTkw
todas as affecedes das tos dlgesvu. Ellas contdem, com effeito, o acido ffi>^SH
elementosnom.ee da dVeaUo, combudo com a magnesia ealra'^eajoH^Ltel
tem sido appreciados pot todos os mdicos, e o bHiaAonato.de soda, i^ faz Vb
aguas de Vichy .idamaior parte das tras mineraes alcalinas.'Este trpUce conjuncto de tra
productos coja efficacla popular, explica o bom exilo que se obtem asgastritTaatralaiaV
sahidas degw, xnchacio do estomago, vomito, dqo das wmt^,Sff&
Eua Nova n. 23,Ra do Cabug n. 8
Bernambuco
Chapeos de seda trancada, Paragon, de 16 bastos, 28 pollegadas a 10$ : 2(3
pollegadas a 15,5, e 2 i pfillegadas a l-SOOO.
Ditos de seda G. de N. Bara, de aro, de 16 hastes, 28 noegadas a i\5:
de 26 pollegadas a 13^ ; e 21 ppllegadas a 12;$000.
Ditos de seda G. de IV. lisa, de aro, de 12 hastes, 28 pollegadas a 12 d
26 pollegadas a U; e 2 i pollegadas a 10,-KKM).
Dilos de alpaca, de ac, de i2 hastes, 28 pollegadas a 6f5; e 26 pollegadas
Por duzia foz-se descont de 15 0{0
Clnipos de sol de panno, de baleia, de 8 hastes, 2i e 26 nolleeadas a 3fl
a duzia. (Desc-onto de 10 0|0).
Ditos de panno, de junco, 8 hastes, a 18;?000 a duzia, liquido.
Approvafio
da academia
it meiecint
de Parts.
:>:k).
Phamaceutko
bureado
da academia
di medicina, i
As preparac<5es ferruginosas liquidas tem desde mtiitos annos merecido a approvacao
especial dos mdicos, porque ellas olro mais rpido c seguramente do que as Diluas; e
sao mais fcilmente toleradas pelos doenles. Os Pos ferro-manganieos possuem a na .pre-
ciavel vantagem de poder offerecer n um instante urna agua ferruginosa gazcosa, de Vosio
agradavel, mais icUva do que as aguas mineraes, e contendo de muis um elemento precioso
o Nanganese, qoe sempre se acha no sangue, junctamente com o ferro. Empregao-se em
todas as molestias que tem por causa o empolirccimento do sangue, assim romo para vieorar
os temperamentos debis c lympbacos. A chlorose, as Perdas brancas, dores d'estoaqo
a irregulandade da mcnslruacao c amenontia ou snppresjao do menstruo, cedem rpida-
mente a seu emprego. Devemos mencionar aqu um faci notavel, isl que os doentes cura-
dos pela agua preparada com estes p<5s cslSo muito menos exposlos a recadas d
aquelles que fora.) traudos pelas- preparac.dcs ferruginosas ordinarias.
Deposito em Parnambuco, em casa de Maorer e C*.
que
TASSOIRMAOS
Tem para vjnderem seus armazens, am (te ou-
tros.os seguitcs artigos :
Papel para imprimir.
Perlina azul.
Greve pautado c liso.
Vinlios em caixas de doze garrafas
Bourgogne.
Hery.
Madeira.
Hermitage.
Chamhlis.
Licor de curaco de Hollnnda em cakas de rin-
tc o quatro hotijinhas.
9E880
Nos armazens de Tasso Innas.
Grades de ferro
para jardins, porteiras etc.
Nos arniizons do Tasso Irraaos
AISIIIMIOS DE FERRO
Para sorvicos de grandes armazens, para remo-
ver harneas ni raixoos de um para outro, lado pelo
modn, pceo de 12*000 cada um.
Fariiiha de trigo de Trieste
Das melhoras marcas Panonia (verdadeira) Fon-
tana e grande sortiment das melhores marcas de
facilillas americanas.
Saceos de iriiiha de trigo do
Chile
Todas novas, chegadas ltimamente nos arma-
zens de Tasso Imiaos.
Gemento romano
Nos armazens de Tasso Irmaos.
Cemoiito hydraulicol2|>
melhor para udo qp sao obras para agua, co-
no assentamento de canos de esgoto, algeror.es; de-
iwito, tanques d'agua, etc., etc.: em poredes de
incoento barricas so far redusto no pi'eco : nos
nnazens de Tasso limaos.
Cemento Porlland
0 verdadeiro cemento Porlland em casa de Tasso
maos.
Irades de ferro, cercas, por-
teiras, etc., etc.
De (lilTeivntes quaiidades para cercados de ad-
ulaos, cliiqueicos para tialinhas ou jardins : nos ar-
mazens de Tasso rmios.
Barris com breu
-Nos armazens de Tasso Irmaos.
CANOS DE BABEO
Xa ra Nova de Santa Rita, na antiga fabrica de
sabao, ha jiara vender por prejo o mais mdico
possivel, canos francozes para edifleacoes cesgo-
ii- tic toda a qualidade, superiores a todos os que
aqu tem appaivcidb pela sua solidez.
PHKCOS
1 400 por cano grande de .'I e meia pollegadas.
1 OO por dito de 2 e tres quartos de dita.
i 000 por dito de 2 e um quarto de dita.
dO ris por pistoleta de"2 pollegadas.
' Cotovellus, curvas e canos d maior grossura,a
vstase farao preco. Compras maiores de 200
em o por cont de descont por prompto paga-
mento. Pudo-so ver as amostras nos armazens
do Tasso Irmans.
LOJA DO PASSO.
Rn lo Crespo n. A, esquina
da do imperador.
O dono (leste importante esfalielecimento,
tendo recebido fl sua conia, pelo vapor
trancez Extacrtnittrtr&v&r&Hitityoseilt*
nuvkla.li' pn.piios para a fest, ocmusco de
que seu esiahclivinient,, M delta !>im sorti-
do, prmeipalnR'nie em artigo.s de moda, pe-
de ao respeitavel publico e em particular
aos seus numerosos fregnezes a bondade
de bonra-lo com sua confianra, garantmdo-
Ihes seren- bem servidos e por precos ni-
miamente baratos. Venham, pois, todos
comprar novas e lindas fazeodas boas e de
alta novidade, com bem:
Riquissimos cortes de blondo.
Riquissimos cortes de seda de cores.
Sedas de lindas cores para covados.
Moire-antique azul, verde, branco e pre-
to.
Grosdenaples azul, verde, branco e pre-
to.
Gorgur5o branco e preto.
Setiin branco macau.
Cortes de seda com duas saas.
Cortes de 13a escosseza com duas sata?.
Cortes de la. e seda, novidades.
Poil de chevre de lindas cores.
Alpacas de cordo lindas cores.
Ditas lisas de tedas as cores.
Cortes de vestidos de cambraia bordados.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas bordadas .
Fronhas de Hnho cora lindos bordados.
Loncos de cambraia de linho bordado*.
Chapelinas de palha da Italia.
Jaitas de sedas de cores e pelas.
Entintes para cabera de senlora.
Coques de todas as qtialidadcs.
Basquinas de seda enlejiadas com primor.
Loques de madreperola, matlim, snda-
lo c osso.
Camisas bordadas para homens.
Colchas de algodao e seda para cama.
Ditas de crochet para cama.
Pannos de crochet papa cadeiras c sof.
Chapos de sol de seda para senhoras.
Espartilbos para senhoras.
Toalhas de labyrinto.
Ltmcos de labyrinto.
Fronhas de labyrinto.
Ricos, rendas e grades.
Finissimas cambraias de coros, percales.
Mas e outros muitos artigos de gosto e no-
vidade.
Loja do Passo ra do Crespo n. 7 A es-
quina da Kisicas militares.
Completo sortiment
BAZAR DA MODA
RA NOVA N. 50,
Esquina da ra de Sanio Amaro
30 por rento menos que em outra quali|uer parte vendem
t jqgs de souza soares a- c.
do mais acreditado autor Gontrol Ainea Paris.
RIJA lOIA l. SO
__ ESQUINA DA RA DE SflWTO AMARO.
^^
W VERDADEIRAS ~^|
PILULASdeBLANCARD
COM IODURETO DO FERRO INALTRAVEL
APPROVADAS PEU ACADEMIA DE MEDICINA DE PARS, ETC.
Possuindo as rroprledadesdo lodo et do ferro, convem especialmente as Arreccois
escrofulosas, a TtstCA no principi.a fragela de temperamento 0 tambem nos casos de
Falta i>e rtfn. AMF.pmnRnA.em que precisareacir sobre o sangue seja para restituir
lhe a sua riqueza e aNundencia nornaes, ou para provocar e regular o seu curso peridico.
K. B. O ioiioroln de ferro imporo 00 atorado um medicamento infiel, >{/ ^
irritante. Como r.roa dp pureza 8 de aottienridade das vcriladriraa TI- jflf
m .Ir lilnnrnril, deve-se exieir no? noli, e prala prniv */t*0?QZ&t-
xso Orn>n, a'iii rerroiliiziria, <|ue se nriia na parla interior de um r----------<
roalo rno. Deve-w desconfiar daj fatiificacos. v
^ luan
^W no el'
*clim-r -m iiU> a plmrmirU, PUormaccutico, ra Bonaparle, 40, Parto
'fir ------------------------------f
so
lijlos francezes
Para ladrilhar casas terreas comasseioe precos
mdicos, mnifoconvenientes e proiniospara-ladri-
llios de cosinlms em- sobrados, pelo seu asscio c
evitar apassarrm de afinas para o andar inferior
emesmo o perico de fogo, aos precos de 30000a perola
i.)5000 o millieiro : na ra Nova de Santa Rita, na
antiga rabriea de sabao, o compras maiores de 200
sefaraS porcento de descont por prompto paga-
liento. Podem-se ver as amostras nos armazens
de Tasso Irmaos,
Velas de esparmacetc verdadoiras para lan-
I ternasidecairos: noannazem do Tasso Irmaos.
Vinlio do Porto lino superior: no armazem
I de Tasso Irmaos.
0 melhor cognacGautliierFieros: noarma-
i zom do Tasso Irmaos.
Esteiras da India
Em casa do Tasso Irmaos vendo-se esteiras da
ludia de diversos padroes e larguras, por pie m
eommodo. F
AlTISICIAOs
i
AO

Coiiservadora. de sua indivi-
dualidad'e, amiga do
prog'rosso.
Os labyrinthos da MJtpermc*
A loja de manteas da roa do Queimado
ii. 35 A, vem apresenUr ;i sua escoHiida
Ircguezia um artigo que at liojo custava
muito can., e por Use s cherava para a
classe mais abastada da soetaae.
Toalhas Perfeilanieulo unes is que se faDHcam
no paz por urna deei'ita parte do valor del-
las vindo a esta loja, apreciar a perfgicSo
LOJA DO GALLO VIGILA\TE
Eua do Crespo n. 7
Mandoit vir de sua cunta e acaba de re-
ceber pelo ullimo vapor, completo sortimeu-
ot-de objectoS de novidade e pharitasia, os
quaes eslao resol\ idos a vender poi-precos
nimiamente baratos, para assitn animar aos
concurrentes o ao mesmo lempo da saluda
ao grande deposito que tem: isto ti ra do
Crespo n. 7, loja do Gallo Vigilaut:.
Gollinlias, punbos e camisinlias j)ara sc-
nbora, fazendas de gosto e novidadt.
Finos vestuarios para baptisados, assim
como touquinbas, sapatinbos e me asinhas
para o mesmo iin.
Grande sortiment de bicos c redas de
rrorli c de outrs umitas qualidadts.
Superiores caixas com msicas e $em el-
las, tendo o necessario para costuras, pro-
Iffacarthy
1Iacliina.i ce descampar alsodo.
Hoje
A NOVA ESPERANZA
21= Ra do Queimado = 21
E para presentes
A Nova Esperaiica, roa do Queimado
n. 21 tem um variado sortiment de objet-
tos de gosto c pliantasia proprios para pre-
sentes, sobresabindo entre ellos ricas caixi-
ubas d bano com finas perfumaras, co-
tureiros de chagrn, agulbeiros de madrt
perola : assim, pois, quemqnizer fmtnmt
linda offerta, dirigir-se Nova Esperance.
ra ilo Qoeimada n. 21.
Collares anodinos cllecfro-marjneti
eos contra as convulces das
creaeas.
Nao resta $ menor duvida, de qup muito
collares se vendem por ahi intitulados os
verdadeiros de Hoyer, e eis porqac muitos
pas de familias nao creem (compnmdoH s)
nocleitopromettido.o que s pdem dar.
os verdadeiros ; a Nova Esperanra, porm
(|ue detesta a falsifiraco principalmente no
que respeita ao bem estar da liumanidade.
fez urna encommenda directa destes collares
c garante aos pas de familias, que sao os
para i|uo essa posst obter-nos morcados europeos,
a diirorenca que lia entre o algodao doscarocado
n. 21 compraren! o salva vida,
por aquellas mencionadas machinas, que esta fi- '''binhos, antes que estes sejam acommetti-
reunida economa, i uem sempre possivel' prias para um delicado mimo.
i;,ui/nfTSV d0, refPe'tavel publico neste importante estabelecimento um
\'t\TP *sorliracato de fazpndas che*adas PPlo ultimo vapor da Europa, o que
tenOS 3 honra fio. nnimnciai- HAa nao ,ln f..^.:i: ..:______
de procurar o Triumpho.
Lindas sedas de cores novo gosto a 2600 e 2^8000 o covado
Glacez de sedae laa apurado gosto para i500 o covado.
t.aazmhas com listras de seda para 1;)200, l.HKK) o covado
I'i las de lindos padroes para 500, 700,800 e 900 rs. o covado
Cambraias brancas de 4.-500O at 8>000 a pega.
Ditas de cor novus padroes de 6i0 c 800 rs. a vara.
Saias de la com bonitas barras.
Baloes de la e murcena e de arcos.
Basquinas de gros-de-naple de 22.4000 a 400000
Gros-de-naples pretos de 2#000 a 4.-JS00 o covado.
Hitos de todas as cores.
Organdiz branco.
lirillianlinas brancas e de cores.
e entre-meios bordados.
Vetas ins para seubora e pan homem.
\lm destas fazendas tem um completo sortiment de chitas escuras ociaras mv
'S^^JSS^^fi de,inlip o dealgudo, e outras muitas fazndl
que se u ndem por procos queso a vista o comprador se poder desengaar queso no
1 mmipito poder comprar bom, e com economa. D '
I'AK.V HOMENS.
Boato sortiment de casemos, brlns brancos e de cores, camisas de linho o al^o
d i,,, cireulas, mantas c gravatas do que ha mais moderno, chapeos de sol de seda e alnan
e mitras mudas fazendas que vista se podero agradar, e manda-se fazer qualquer obra
d aUlate para o que tem m hbil mestre, p pre;o em tudo, so encontram no Triumpho I
isso).
As toalhas tecm um circulo de lindo de-
senlio e no centro se le era caracteres maus-
culos a airegorica nscripeo.A' baplisar.
A' passeio.Meus cuidados.Lembran-
?a.Visita.
Ninguem porcerU) deixar fififrcompletar
o enxoval do lindo lilho para fazer economa
de 15 ou 20,-i,esses nadas de (pie se compe
o guarda roupa dos recem-nascidos qua-
si sempre 6cam aos extremosos cuidados
das ms, a essas a quem e Esperanza se
dirige, para quem desde j dispe-se a dar
amostras e certa est que pelo preco nenhu-
ma deixar de comprar.
Fs'o;:ihas
A Esperanra, tambem recebeu fronhas no
mesmo gosto das toalhas que vende pelo ba-
rato preco de 35000, o que custava 100 !
apreciare se ligardes importancia aocon-
fortavel da vida, s-m duvida comprareis:
neste bello paiz ninginm se faz pobre dis-
pensando IH ou2(ioJ0O, com o accoio e
belleza de que se decora a habitaco, s
vezes no que menos pensamos, entretanto,
como diziam nossos maicres, a sepultan da
vida : anda s senlnras a quem a Espe*
rana se dirige. Umi senhora cuidatiosa
do nada faz a casa.
Ra do Queimido n. 35 A,
:s para
marfim
Vende-se a ItO rs. ,, p : no annaxom n. 32tdo Caes Vinte e Dous ,1, Vn
0 junto ao escnptni-io do Sr. Claudio Dubeux.
33!?aaaa(a
Na ra de Hortas ca:i n. 1, comnra-se ioruaes
"u nutro qualqtter papel que esteja l!nnn
a 42 a
EPIDEMIAS
BARRAQUE um pr
ma^no^do ^ *. Det0 T^Sfr^S *
arroba.
Manuel Alies Ferreira & C.,na ruaa
MAea n. 5. segundo andar tem para vender
superior potassa da Russia em barris e mt ios
barris e cal de Lisboa lamis nova que ha
no mercada.
Finas caixas cora lentos e sera ell
volt a re te.
Agulhas para machinas de costura)
Ditas para croch, sendo de ac,
e outras muitas qualidades, assim ejorao li-
uhas para o mesmo mister.
Finas grinaldas para noivas.
Meias de borracha para quem soffre de
orysipolla. assim como meias de 13a para
os que solfrem de rlummalismo.
Suspensorios para liomem e meninos.
Finos pentes de tartaruga para coipjes 'o
de outras muitas qualidades e para-mitras
misiere?.
Dedaes de madreperola, marfim
ac, metal, etc., etc.
Superior agua cosmeocome para Ungir
cabellos, dando aos mesmos a sua cor pri-
mitiva.
Completo sortiment de finas perfumaras
dos melhores fabricantes, assim com) mu-
tos outros objectos que impossivel dcs-
crevi'i': isto sO na ra do Crespo n. "j, loja
do Gaflo Vigilante.
Collares Roye rWtrieos magnticos con-
tra as convulsoes das crianzas e para facili-
tar a dentincao das mesmas, o Gallo Vigi-
lante mugo recebedor d'estes prodigiosos
colaros e contina a ter sempre grande de-
posito, ra do Crespo n. 7.
nosso algodao. porque
promplidao eonsarva a libra da laa, (pie limpa por
olla, o qualilicad i na Europa a par da melhor bo-
landoira, ralendc assim entre 10 arrobas 20 0/0
mais do que a la i limpa pela machina de serrote.
Estas machinas nao sao oras, pois ,ne lia muito
ostao adoptadas no Egypto, aonde as do serrote
foram intoiramento abandonadas, o por is dan daquella pro .edencia, sendo da qualidade do
dano.-sa piovincia, olitoiii boje de 10 arrobas 20
0/0 mais do que o nosso : vondom-se a loO^OOO
nos armazens de Tasso Irmaos.
OSSO,
FUNDICAO DOBOWMAN
llua do Rniiu u. 59.
Machinas de vapor.
Rodas d'agtia.
Muendasde canna.
Taixos de ferro, batido fundido.
Rodas dentadas, pata moer com agoa,
vapore anmacs.
E outros Abites objectos, etc. etc., pro-
prios para a.,-iculluia.
ra do
especial
Tintura japoneza
Instantnea para tingir os cabellos e a
barba, a 15000 o frasco.
W a nica approvada e recommendada
por ter sido reconhecida superior a todas
as tintaras d"este genero.
venda em casa de Gustavo Hervelin n.
51. roa da Cadeian. 51.
Em rasa mercio n. IB, eiiiontrani-so efTectivamente todas
as qualidade- de vinho Bordeaux Bourgogne e do
Rheno.
Ra da Cruz n. 68
ha para vender
MEDIDAS e posos do systcma decimal, de todas
as qualidades, para lujas, trapiches o tabernis.
O LICOR DE UABARRAOUB presenavo seguro em lempos de
fal-
Cemento" de Portland.
Vende-se no armazem de Vicente Ferreira da
Costa & FilKo. na na da Madre de Dos n. 22 em
barris prandBs.
En mio-Jmero,
DuponckeUe; B. ludorp'.
Km Fernambaoo. Maorer.
Vlnho I Isitelr
Vn*>.se em aneoretAs de 9 caadas snnerior
vmho da Fignetra, proprio para casas partcula-
ros : na rna do Amoriro n 58. armaem.
Vende-se una ar.ua^o di aauMkTev.T.
mzada, em bom estado, propria para qua]qi et
^ss de negocio : a tratar na ra do Vinar. n.
JVfeias elsticas e borracha.
As melhores e encllenles meias elsti-
cas de borracha contra varzes e erysipellas.
Vende-se na
Pharmacia e drogara do
Rartholomeu A C.
____ 34ra larga do Rosario34
Vende-so por tuitivo de retirada, iimi es-1
crava criorta de meta idatle, coinlu, weommaj
fu doces ornis arranjos d casa : na roa d Im
peratriz n. 4f. 2 andar.
Tarte-se umaann.iwta gnvwrnisada e en*i-|
Para armazens a retalio.
O Campos da rea do Imperador n. 28, tem pan
vende* exaude quantidade de medidas de estaiil*
[wra lquidos, e. do madeira para seceos, pelo svs-
lema mtrico decimal, polo qual esto os negocian-
tes a retalho obrlgidos a vender snas nierodrias.
a contar do Io de marco do corrento anno. Oan-
nnneiantp tnfam e parante aos que de taos medida?
nocesjilara, que s.io estas as mais exactas, por
quanto slro.feitas em Pars, de conformidade com
o systema cima dito, e segundo o padrao adoptado
pelo gnverno im|terial ; nao acontocendo, porm,
o mesina com outras qe ahi se vendem, que sen-
do da mesma capacidade, deversificara de modello,
vindo offerecer du vidas nao s aos compradore'
como aos vendedores.
.e-se
i tajM*nad.-irua Direltan. fio, propria naraqual-
Itw'fnm-i[ii,iiitf>pflrterpoucos finaos : a Xtior
nu'sma
t.Vl)irGOKBO~ "
3o eOgenhtvBoa-vjs, fnntiBiU do Cabo ven.
i-so gado goH* qoar pM eartto. qUer para
longat,
Vendse bara' o edm muHopoueo uso um
Jilpii, propria para quatooar ostabeteeinicuto : reJogiode onre paVue mate: na ruaeslrouadn
a tilWMlir rna DiroHa n. ?fr taberna. BnsHrinn^log^ rthjS? ruaes
Vrtiitese por prceo ratnavel 1 sof, l par de Vende-se urna armaeo de taberna ooui at-
consolos, 6 cadeiras e 1 cabale, ludo coniuso : no guns gneros, proprin para DrincmhiHo i tratar
4 pateo Terco n. 29, loja. na ra Imperial n. 37.
de Rover.
Para extinguir as sardas e
panno
Recebeu a Nova Esperanra,
Queimado n. 21, leile de rosas,
para extinguir sanias e pannos.
BONECA DE CERA
A Ne'a ^speraiifa a rna do Queimado n.
21, aeat'i de receber um comjileto sorti-
ment ae Tinas bnnecas de cera de diver-
sos ttantnftOs, sendo as maiores do com-
primenlo d'um covado ; estas bonecas tra-
zem bonitos coques c botinas, havendo en-
tre ellas algunas que fallam e outras que
clioram de sorte que fcilmente podem ser
preparadas, e fazer-se um presente demuda
acceitac3o.
Finas caixas de tartaruga para rap ven-
dem-se a rna do Queimado n. 21 na loja
da Nova Esperanra.
Modernos brincos de sndalo, s se en-
rontrarao na Nova Esperanra a ra do
Queimado n. 21.
MEIAS DE LAA
A Nova Esperanra a roa do Queimado n.
21, acaba de receber um especial sortimen-
t de meias de la para homem e senhora.
CONTRA AS CONGESTOES
mal terrivel a congestao fulminante:
de repente leva um individo, d'esta para
milhor vida, sem dar-lhe tempo de receber
conversa medica; deixando as wais da-
veses mulher e filhos no mais amargorado
pranto ; a Nova Esperanra que desoja pres-
tar servidos recorreu a Vejar, o qual me
mandou anneis elctricos magnticos, como
o nico preservativo para semelhante mal
ellos ames que se acabem : na Nova Espc-
nnr;r
NAVALIIAS
A Nova Esperanca a ra do Queimado
n. 21 recebeu um sortiment de navaHws.
de qualidades, e lmannos especiaos assim
como aliadores e massas para as mesmas.
LJM1A. l'ARA CKRGIR MEIAS
Esta muito necessaria linha vende-se a.
roa do Queimado n. 2! na Nova Esperanca.
BORDADOS BONITOS, BONS BARATOS
Espailhos s na Nova Esperanca a na
dD Queimado n. 21.
ms'iwi i im
*iU
pon
2* EDICTO
nvaMiraR
2500f>
Vende-se urna pret moca con habdadet'-
a tratar ai ra do Aiagio^a. M.


Diario de Pernantbuco Se\la feira 5 de Feveroiro d 1*11*1

*
I
GRANDE LIQUIDACAO
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DO
RE
PAREDES PORTO.
8~Ha8& &)& iiEUpaiaai'iaaa;ia. m
DE
Flix Pereira da Silva, successor de Gama
& Silva
O proprictario d'este estabelecimento convida ao respeitavel publico desta ca-
pital a vir surtir-se no grande estabelecimenlo que tem de faaendas, tanto da moda como
de lei, e as pessoas que negociara era pequea escalla, tanto da praca como do matto- moR Pr este mcio ao respeitavel publico a que nos procure comprar fazendas de
Resta casa poderao fazer os seus sortimento}. em pequeas e grandes poreoes, venden- l)om &ost e por precos (pie nao achara em outra qualquer parte,
do-se-llies pelos preces que se comprara as casas inglezas ; assimeomo as excllentis,
simas familias, podero mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou mandare-
mos levar em suas casas pelos nossos caixeiros, para o que acba-se este estabelecimen-
to aberto constantemente desde s 6 horas di mauha s 9 da noute.
PECHINCHAS
Novamente chegadas ao armazem
DO
BLJEAO
Tendo-nos
ebegado
ltimamente fazendas inteiramente novas, convida-
0 atoalhado do Pavo.
Yendc-se superior atoalhado de algodo
com 8 palmos de largura, adamascado a
-5OO a vara; dito de linho fazendamuito
superior a 35200 a vara ; guardanapos de
liana adamascados a i500 a duzia e muito
tinos a 8.->000, e ditos econmicos a 3,-JoOO
a dnzia.
Tochos para cadelras na lojado
Pavo
Chegaram os mais lindos panos de cro-
ch ou guarda bantras, proprios para ca-
l.'ias tanto d'encost, como de balanco e
de guarnido, e outros compridos para so-
la, assim como ditos redondos para mezas
redondas, ditos pequeos para almofadas, e
ditos para cobrir presentes, tendo pequeos
at para cobrir um pialo, que se vendem
por preco muito em conta, na loja e arma-
zem do Pavo ra da Imperatriz n. GO, de
Flix Pereira da Silva.
ruses para vestidos brancos
a 40.
Vendem-se os mais modernos fustoes bran-
l.asiuhas
A doze vintens.
A doze vintens.
A doze vintens.
Vendem-se lasinhas de cores muito bo-
nitas cora desenhos raiudinhos e grandinhos
rom listinhas e pintas pelo barato preco ie
J40 ris o covado na loja do Pavao, ra da
Imperatriz n. 60, de Feliz Pereira da Silva.
AS CAMBRAIAS DO PAVO
Vendem-se nissimas pecas de cambraias
lizas t ra i> liaren tes tanto inglezas como suis-
sas tendo mais devara.de largura, pelos
procos de iiOOO at 105000 a peca, assim
como linissimos organdys branco liso que
serve para vestidos de bailes, por ser muito
transparente a 15000, a vara, na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Flix Pe-
reira da Silva.
FUSTAO BRANCO PARA VESTIDOS A 640
Na loja do Pavo vendem-se os mais mo-
dernos fustoes brancos de lista e eordo
muito encornado mas muito llexivel, pro-
prios para vestidos .roupes, perneadores etc.
etc., e roupa para meninos, pelo barato pre-
Aiiimrem I
Madapoles finos a .'i>, (1\ 75 e 85 rs.,
so no armazem do Leo.
Chitas escuras de padrees limlos por pre-
co de 320 e 360 rs. o covado.
Cassas de cores cora palminhas e com
listas de diversos padroe* a iO e 3i0 rs.
Lazinhas cinzenlas e cor de bonina a
320 o covado.
Chitas claras miudinhas a 320 360.
Alpacas prelas e de cores lindas proprias
para vestidos a 680: 700 e 800 rs.
Pecas de cambraia transparentes a 45,
55 e 65. Por este preco admira a todos!
Lencos bordados a 65, wOO e 12500.
Ricos e bem escomidos gustos de bis-
marks para cairas e paleto! a fe300 o
corte.
Tainbem tem para acabar pecas de pan-
no do linho, com 27 varas, a 175 e 18#.
Toalhts de linho para rosto a 1Q# a du-
y.ia. I .
Aos Srs. armadores Je enterros.
Vendem-se pecas de hollaiida preta com
40 envados a 55 : na roa da Imperatriz n.
48 e 52, junto a padaria franceza, loja do
Leo.
Attcnco ronpas feitas no armazem
Coiles de casemiras de quadrinhos e lis- do Leo, ra da Imperatriz ns. 48 fe 52.
tas a 25800 e 35.
Onpinhos areos para seuhora a
3520a.
Peehincha!
.-os flexiveis com pad.oesde listas e de co de 640 ris o covado, na loja e armazem
.tpicos proprios para vestidos roupas de (,e Fejix p^n, da sj|va_
menino a 640 rs. o.covado, na loja e arma-
dora do Pavo na da Imperatrizn. 60, le
Flix Pereira da Silva.
Ctrosdenaples
Coegou para a loja do
var)or um grande sortimento
grosdenaples pretos e de
imbem, que se vendem mais barato que
;m outra qualquer parte.
CHALES A 25000.
Vendem-se chales de merino com boni-
!as barras, pelo baratissimo proco de 25000
20900 rs., na loja do Pavo ra da Impe-
ratriz n. 60, de Flix Pereira da Silva.
PECIirNCHA A 3:500.
Cortes de la 3:500.
Coi-tes de la a 3:500.
Cortes de la a 3:500.
Lazinhas a 280 ris.
Lazinhas a 280 reis.
Lazinhas a 280 reis.
S o Pavo.
S o Pavo.
S o Pavo.
Vendem-se bonitos cortes de lazinhas
ira vestidos com padroes modernos tendo
ada um corte 14 corados pelo barato pre-
ro de 3:300 rs, assim como dita em pecas
jue St vendem a 280 rs. o covado, sendo
jrande peehincha na loja e armazem do Pa-
n i i.- listinhas para vestidos, che
i Pavao pelo ultimo v r ^ as tres majs g
lento dos meihores v i cores, tendo verde 3d rs. 0 GOVado na rua i
SEDAS COM LISTINHAS A 3500o 0
COVADO
Vendem-se as mais modernas sedas de
istinhas para vestidos, chegadas pelo ultimo
modernas que tem
barato preco de
da Imperatriz n.
60 de Flix Pereira da Silva.
Alpacas lavradas
Chegaram pelo ultimo vapor as mais mo-
dernas alpacas lavradas com as mais lindas
cores, que se vendem a 15000, o covado,
ditas lisas tendo tambem cor de canna a
830 rs, ditas mescladas muito finas a 1:200,
o covado, e outras muitas fazendas de gosto
e moda que se vendem mais barato do
que em outra qualquer paite, no armazem
d) Pavo. rua da Imperatriz n. 60. de Flix
Pereira da Silva.
ORGANDYS DE COR
Vendem-se organdys de cores com pa-
droes raiudinhos em assentos brancos e de
cores pelo baratissimo preco de 360 rs, o
covado, linissiinas cassas francezas cora deli-
cadas cores e bonitos desenhos a.320 rs. o
covado e ditas a 300 rs, na rua da Impera-
triz n. 60, armazem de Flix Pereira da
Silva.
Roupas para hoiiiem
Vendem-se superiores palitts de panno
Cortes de cassinela uWom para calcase
paletots a 15500.
Cassineta de cores eom um pequeo to-
que de mofo a 400 r?. o ovado.
Espartilhos muito linos a 050$ 55 C
55500.
Admira!!
Grava tas de soda a 500 rs.
Golinhas bordadas a 500 rs.
Lazinhas a 200 rs. !
Lazinhas a 200 rs. f!
Assim como temos um gi-ande, completo ro de violeta,
e variado sortimento de roupas feitas: pa-
letots saceos, sobrecasacos, fraques! jaque-
toes, calcas, cohetes, camisas, cproulas,
chapeos etc., tudo por precos que admira!
Tem tambem um sortimento de roupas
ordinarias por preco baratissimo.
Acaba de cliegar tambem um completo
sortimento de damascos de cores
azul, amarello e cor de,caf etc
vende por preco commodo.
Admira!!
No armazem do Leo !!!
No armazem do Leao !
*0 cordeiro previdente
Una do 4|ueiniado n. I.
Novo e vaiiado sortimento de perfumaras
fin is, c outros objectos.
Alera do complete sortimento de perfu-
maras, deque ([lectivamente est provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba e
i eceber ura outro sortimento que se torna
notavel pela variedadedeobjectos,supeiiori-
dade, quididades e coramodidades de pre-
cos: assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
e espera continuar a merecer a apreciafo
do rospeitav.'I publico em geral e de sua
boa lieguezia em particular, nao se afas-
tando elle de sua bem conhecida mansidao
e baiateza. Em dita loja encontrarn os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Goudray.
Dita verdadeira de Murray 4 Laminan.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
ceza. todas dos meihores e mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentrificia.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para consenacao do
asseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
ros agradavei.'.
Oqws e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente,
e outras qualidades.'
Finos extractos inglezes, americanos e
francezes em frascos simples e enfeitados.
Esscncia imperial do fino e agradavei chei-
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finos e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
com escolhidos cheiros, em frascos de dif-
ferentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menores
sendo! Para m5os-
que se Ditos transparentes, redondos eem figu-
No armnzem do Leo !! !
No armazem a L: So !!!
Lazinhas a 200 rs.!!
No armazem do Leo, rua da Imperatriz ns. 48 e 52, junio
e padaria francoza.
a |o
ja de
, LESSA
vid rua da Imperatriz n. 60, de Flix Pe- sobrecasacos forrados de alpaca e de seda,
-eir da Silva. i camisas inglezas e francezas com os peitos-
BAIADIMIOS
de esguio, ceroulas francezas de linho oal-
Vendem-se linissimos babadinhos. tiras, &*Sq, meias cruas inglezas superiores, ca-
ndadas e entremeios.mais baratos do que |misas de flanella e do mwa *5 la, assim
m outra qualquer parte, assim como espar-1C,mn nes,e estabelecimento existe um grande
'has dos mais modernos, o armazem de *n'timonto de pannos pretos, e de casemiras
eiiv Pereira da Silva, rua da Imperatriz i '"K^zas di Ares, e que se manda fazer
. 60.
I4-RV NOVA N.-I4
Os proprietarios d este estabelecimento acabara de montar una das mafe com-
pletas ollicinas de aliaiale, encaiTegando a direceo da mesma um dos mais! habis
artistas; e para melh.or satisfazer aos seus fit'guezos tem um variado sortimento |de ca-
simira de toda a qualidade, pannos linos, brins, merinos e varios objectos proprios para
homein. assim como um completo sortimento de fazendas linas de toda a quilidade,
Garante-se a melhor qualidade da fazenda e o preco maisrasoavel posjvel.
FAZENDASTRETAi
PARA A QUAflESMA
AUGUSTO FOTO C.
ALTA
A
NOVIDADE
qualquer obra a contento dos Srs. fregue-
zi s. e promette-se-lhes que sero servidos
com a inaior promptido e muito mais ba-
rato do que em outra qualquer parte
na rua da Imperatriz n. 60,de Folix Perei-
ra da Silva.
Cortinados
Para camas c janellas.
Vende-se um grande sortimento dos me-
mda e de mais pbanlsia que este anno tem!mores e maiores cortinados bordados pro-
helado a este mercado, e vende-se por i P"os Para :amas p Para janellas, que se ven-
ve0 muito razoavel, na rua da Imperatriz ,l,'m a ^*000rs. cada par ate 255000 rs,
i. (0. de Flix Pereira da Silva. lsro na n,a Imperatriz n. 60, de
GROSDENAPOLES PRETO A QATRO ljreira (,a s
PATACAS S O PAVAO;
LOJA DO PAVAO
Gurgiiro de seda
Chegaram pelo ultimo vapor os mais bo-
nitos gurgoroes de seda, proprios para ves-
tidos, sendo lisos e lavradinhos, com muito
ustro, sarantindo-se que a fazenda mais
Flix
1
Vende-se grosdenapoles jtreto de boa
qualidade pelo barato prego de L>280 oco-
vado, s na loja e armazem do Pavo, rua
da Imperatriz n. 60 de Feliz Pereira da
silva.
CVMBfiAIA BRANCA A
Chitas
Vendem-se as meihores chitas escuras para
casa sendo de cores fitas, polos baratos
l'reros de 320 e 360 rs. o covado, ditas
muito finas francezas sendo claras, compa-
d.-oes de cassa a 360 e 400 rs, peehincha,
na rua da Imperatriz n. 60.. armazem de Fe-
Vende-se pecas de cambraia branca 'ix Pereu'a ^a s''va-
transparente, com Se meia varas pelo ba- Crosdeaaples prcto
ralo preco re 35500, ditas muito linas tanto Vende-se um grande sortimento dos rne-
'apadas como transparentes idOO.SOOO, Ihoxee grosdenaples pretos, tente lar-
5500, 7)000 e 8:j000, assim como oigan- g. s como estreitos, sendo de 2-iOOO rs. o
-i muito fino tanto tizo, como de listas e; evado al 46000 rs. garantindo-se que
"iiadros na loja e armazem do Pavo rua nf te genero uinguem tem melhor fazenda e
Imperatriz n. W de Flix Pereira da (pie se vende mais barato do que em outra
espe-
vista
te
ge-
silva.
\LPACAS LAVRADAS |PARA LUCTO.
Vende-se na teja do Pavo, as mais mo-
dernas alpacas lavradas para lodo, sendo
rauitolargase pelo barato preco de 800 rs. o
qualipier paite, na rua da Imperatrizn. 60,
de Flix Pereira da Silva.
Podechvre a lftOOOoeovado
Vende-se poil de Chvre muito laKgo eom
as meihores e mais modernas tres pelo
jvad.i. so na loja e armazem do Pavo, rua barato preco de hSOOO o .covado. na loja e
da imperatriz n. 60 de Flix Pereira da armazem do Pavo, rna da Imperatriz n.60
Sil^r. ; de Fel Pereira da Silva.
TCSSES
CATARRHOS
PASTILHAS PBITORAES
E LOURO E REJO
IRRITACOES
DO PEITO
E' este o mais doto e delicioso uonfeito ule ag ra coniiucido. Por itlo tem adquirido r-
pidamente a popularidade de que goza. Os mdicos os mais disnctos o aconsefhAo contra
as to&et, defluxot, caiarrhos, losset convuUas, calirrho* epdemcot, irritafes do peito. Cora
grande empenhoo procuro as mes de familia, assim para ellas como para aa criaDcas, pois
pntn .'iro que todo inoflensivo. e as suas propriedades adocantcs nao dei&io nada a desejar
, Denosilo em Penambuco? em casa de Maanr e 9.
Rua do Oneimado n. 31
Receboram dir^trtente da F,uropa as mais superiores fazendas pretas)
cjaes para a quaresma, as quaes esto venaeno pelos mais mdicos procos cxn
,|a superior qualidaile de ditas fazendas.
AliTA .^OVIIIA ili;
Hasquinos pretas de renda, \ordadeira novidado, para senbora.
iqrgurSo preto de seda liso o cora listas assetinadas para vestidos.
Grosdenaples [neto largo cstrjto de diversas qualidades havendo ne
ero o que lia de melhor.
Casquines le croen pretos, ditos de seda preta com cintos delicadamente en-
feitados, elegantes pepioms de seda preta, fiches pretos de renda, modernas c
pretas de renda e seperioras vestidos de gorgurao preto bordados.
Moirantique preto e branco, bombasina, superiores- princezas prelas, merinos
de verlo e trancados dos melbrjrs.
Os mais lindos vestidos de blond com mantas, capella para noivas, supriores
fronbas de cambraia de linho o ih o^tiio lardadas, e lindas colxas de seda t de-laa
para camas.
.. *hMa *lc brancas, azues o cor de cinza de gosto especial e ves- (jS e apreciados ; compareci pois os pre
tidos de cambraia branca ricamente bordados.
opeiips de seda para vestidos lisos e eom listas das mais lindas cores
e mais bellos padrees, o ramio o variado sortimento de sedas tanto e'm corte* como
em peca.
Cortinados bordados para camas e janellas, balos parisienses com
molas novo gdsto, baloes rPgoladotes braucos o de o'jr, espartilhos e bella?: colxas
de croch.
Carnizas de liuho inglezas para hemem, chapos de sol grvalas modernas, pannos finos e casimiras do cor o pretas, e outras raudas fazendas
que vendem por imito commodos precos.
A loja n. 11 da rua do Oueimado tem sempre o melhor sortimento de tapetes,
alcatifas o
Estars da India para forrar salas.
ras de meninos.
Ditos muito linos em'caixinha para barba.
Caixinhas cora bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira nvernisada contendo fi-
nas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelao igualmente bonitas, tam-
' bem de pe -fui laris linas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
e boneca.
Especial p de arroz sem composirSo de
cheiro, e por isso o mais proprio para crian-
eas.
Opiata ingleza e francezapara dentes.
Pos de camphora e outras differentes
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental deKemp.
Aluda mais coques.
Um outro sortimentos de coques de no-
vos e bonitos moldes com filetsde vidrilhos
e alguns d'elles ornados de flores e fitas,
esto todos expostos apreciaco de quem
os pretenda comprar.
(OLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeicao.
Fivellas Utas para cintos.
Bello c variado sortimento de taes objec-
tos, tcando a boa escolha ao gosto do com-
prador.
FLORES FINAS
0 que de melhor se pode encontrantes se
genero, sobresahindo os delicados ramos
orvalhados para coques.
Para vlagem.
Bolsas de tapete e carteiras de couro, por
precos commodos.
Chapelinas de palha da Italia mui bem
enfeitadas, e enfeites de flores obra de bom
gosto.
E assim mui tos outros objectos que se-
ro presentes a quem se dirigir dita loja
do Cordeiro Providente a rua do Queimado
n. 16.
ENFEITES DE PALHA PARA VESTIDOS,
CHAPEOS E COQUES.
0 Cordeiro Previdente rua do Queima-
do n. 16 acaba de receber um bello sorti-
mento de trancas de palha para enfeites de
vestidos, outras para chapeos, coques etc.
tudo isto est sendo vendido com a sua bem
conhecida-eommodidade de precos.
ALEM D'AQUELLES'.
Reeebeu outros lindos enfeites de seda
para vestidos ; assim como um variado sor-
timento de galloes de 15a, babadinhos de
cambraia com bordados de cores, cuja va-
riedade degostos os tornam recommenda-
A Perfumara Victoria hoje muito procurad
pela flor da aristocracia, e das elegantes, por
cansa da fabricaeio superior dos producios des-
tinados ios usos da. toucador, e entre os quacs
ella creon orna especialidade em cada artigo.
Os seus novos perfumes, preparados eom i
Etsencia de Ylangylang, que ella obtem mesmo
as ilhas Pbilippinas, pela disiillacao do Unom
odoratissima, naotememncnhunia concurrencia.
BO que diz respeilo fineza c suavidadedo cheirf
pelo que aconsclhmos ao publico elegante qje
peca como perfume para o lenco
0 EXTRACTO DE YLANGYLANG
0 BOUQUET DE NANILIIA
Alm d'estes dois extractos excepcionaes, qi
to propriedade exclusiva de sua casa, os Sur'
Rigaud e C; prenarilo igualmente, com parlicu
lar perfeicSo, todos os extractos adoptados pe.
moda, e entre os quaes citaremos os seguinlet :
Jockey-Club. Violeta. Raed*.
Eu. Bouquet. Narcchale. Jusmin.
Feno fresco. Mousseline. iagnolia.
Flor dos prados. Rondclelia. Rosa musjoa.
TOIiVTIIVA RIGAUD
E' urna Agua admirave! para o toilette,' cor,'-
titueella o verdadeiro talismn da belleza, c cor-
serva a pelle fresca, c a tez do rosio branca. E' a
ultima expressSo da scicncia. Est por todo
reconhecida a sua inconteslavel superioridari
sobre as aguas de Colonia, a agua de Florida r o
vinagres aromticos de maior nomcada.
OLEO E POMADA MIRANDA
Excellenles preparaedes que se podem cliamr
O thesouro do cabello, e que, comoslas de sub^-
tandas tnicas e fortificantes, embellezco e con-
servio o cabello, ao mesmo lempo que rhe eorr.-
municao um cheiro suavissimo.
SARAO MIRAKDA
Quem comparar este sabio com os que se
vendem por ah, fcilmente reconbecera i supe-
riodade do nosso. Este torna a cufis muitissimb
macia, faz urna escurra abundante que forma um
verdadeiro banho de leite, e nada deixa a intin
como delicadeza de perfume.
DKUOBIVt
PASTA DEIVTIFRICIA
A Dentorna um elixir dentifricio dos mu
suaves : perfuma e refresca agradavelmcnle a
boca, fortifica as geagivas, e preserva os dente*
da carie.
Esta pasta dentifricia fez urna verdadeira re-
volucSo na Perfumara; acabou para sempre com
s pds e opiatas, que sao mais eu menos cidos
OD perigosos. Basla passar urna escova humid
por cima, para obter urna mucilagem suave e
unctuosa que torna os dentes perfeitamei.it
brancos. ______
POS ROSADOS
Preserylo a pelle do rigor dos ventos e do fro,
oommnnicao-lhe nma agradavei frescura, e pr
venem as sardas. SSo superiores aos pds de arras
do amldo. Sen perfume delicioso.
Deposito em Pernambuco, em casa de S"
Frederieo C. Riirlam;uiue
loja da Nova Pama.
& C. rua Nova f. t>-
GAZ GAZ GAZ
Chcgon ao antigo deposito de Rcnry Forstci
C, mu do Imperador, um nrregameMo M
de piinn'iiaqiialidadi';oqual se vendo em partid;,
e a retallio por menos preco du que em outra qu;.
quer parle.
tendentes que ser3o servirlos a contento.
TAO BEM RECEBEU.
Novo provimento de bicos e i
1 guepure.
LUVAS DE PELUCA.
De todas as cores tanto para bomen*
como para sen horas, constantemente achara-
se a venda na loja do Cordeiro Previdente :
rua do Queimado n. 16.
Vendem Augusto F. de Oliveira & C. rua d i
Goniinerei, n. 42.
Para o carnaval
Na ruado Crespo n. 0 ha pera venSer rifw .'-
minos de seda e de. lia, por precos lianuis=iruos.
ESGRAVQS FUGiBOS,
Boa
NOVIDADE
mu
4PPimIt
i
IDQCANINABIS IIVDIGA
,GR!MLTeC'?PHARN'ACUTIC05,e.vPARIS^
SBIIOClfll
lOIDlO
Todos os meios at boje preconisados contra a asUima nao tem sido mais do aw palhativos
debaixo de todas as formas, tendo por base a belladona, o estramonio ou opio. Recentes expe- t
ricnciait feits em Allemanha, repetidas em Franea e na Inglaterra, tem provado que o cnamo J
indio de Bengala possue as mais notaveis propriei ades para combater essa temfvel affecelo, T
assim como a tosse nervosa, a nsomnia. a tysica laryngea. a rouqwdae, ntinecio da vos, *
e as nevralgias faciaes. E' pois com o apoio da scicncia queofferecentos estesoiamw, presara-
dos com o extracto de cnamo das Indias, que nos importamos de Bombaim.
Denosilo em Pernambuco, en, casa de Ibtm O*.
' *mTTTTTTTTTTTTTTTTTT*TT
SOFFRIMENTOS D'ESTOMAGO. CCNSTIPAQAO-
Cura ein poucos das elo carvo de BELLOC em pd od om pastiHue
ENXAQUECAS; NEVRALGIAS. Es. airecaes sh> sipadas rpidamente pelas peroltt D'ETHER stl'ClUTH.
ANEMIA, A PALLIDEZ o m sefTrhnenUque necessiUmds
einpi'.-j o dos feri uginu-jos sao sempre cuiulwtidos com e inellior resultad*
pelas pilulas de vllct. Cada Piluja tem icravado o hoem I1LUT.
PO DE ROG. Basta disolver um frasco d'este p em rois
jaiTal d'sgus para se abtf r ama Umanada igrwlaTcl que purga sera fe-
ser clicas.
VINHO DE QUINIUM c Ubarraq**. Este vinho, um dos
poucos 'luja composieio i parantida constante, urna das meihores pre-
pnrai Oes de quiniao, . Ules loross e tprewai.-do a vetta a stude. Cura as febrea antigs qne re-
stao su ulto de quinLio.
MOLESTIAS DA BEXIPA. A maiar parte d'estas moles-
tias, cerno as scisticas, lombsme, catarres, e tedas aa deres nervosas ni
geral sio curadas poi.s PtROkas oc CSSCNCiA OC Thereb ntin* de
Dr, Uatan. 0 prolrssor Trowsssau im seu Tnttt ie tuerapeuiie aoon-
selua as para terca turnadas na oc-satUo do jantar, na doce de 4 i 12.
OLEO DE PIGADO DE BACALHAO DE BERTH.-
Carantdo puro e de prunisri quadada, m dos peueos aprovadoa peb
Acadcmii de medicina.
fISO. loot etiu vtr\\k imperial dt mikina de Pars.
"1
S rirli
ItlOSITO
t, rannt, f% ,
iUnun ,.. Permmtuco. **mm t O.
Ceara.....*
A loja de Coelho & Oliveira rua do
Queimado n. 19, reeebeu pelo ultimo vapor
um bello sortimento de baloes do diversos
systemas, os mais aperfeicoados que teem
viudo ao mercado, sendo :
Baloes de guipur com tiras chamados
reguladores, ditos de musselina abertos por
ambos os lados, de modo que sendo todos
de um tamanho servan para qualquer se-
nbora, de la de cores, com tiras, e as se-
geintes fazendas:
Saias de la com bonitas barras.
Chales turcos de seda e la Beatriz de
Tundas.
Fitas de guipur pretos Rocambely.
Chapeos de sol para senhora, muito lin-
dos.
sLaslnkas
Sultanes, Poil deChevre, Tricte, dito de
xadrez- e outras muitas, entre ellas urna
Especialidade
LSa para de cores a 360 rs. o cavado.
Basquinas a Mara Antoniete.
Cambraias futazia.
Ditas brancas transparentes e Victorias.
Colias adamaseadas.
Cobertas ebiuezas a 2)5300 rs. e outras
muitas fazendas que tornar-se-bia enfadonho
annunciar.
retwpeisa
Para awanhecer o da 10 do frrente fugio dn
engehho Cnimbrava, no Iitiho Itamb, o enera'
Bernardo, nioiiln. ie Mbifl 98 anas*, piuco Mfe
ou meos, alto, sfi-cn. roslo rli'scarnado, po
liarlia. msxo lino, ps linipos, peinas linas, ler-
do a falla um pouco demorada, e sendo to1'
espeito: quem o capturar e o for entregar r
meucionado engenlm a seu senlmr Antorii.) (>>rr?>~
de Oliveira Audi vule. tii;i muito boa recompensa
Pede-se. o auxilie e atten^M) da polica, a quem se
irevine que o njeemo eseravo seguio para o Rec:-
s embareando-se em Goyanna. Suspeita-se |oe
elle proeiuv llalli embarear-se para qualquer'
tra provincia.
Fugio a 15 do correnle mz de janwro. ..
pseravo de nome Feli(i|ie. calila com ii annos d'
, '. idade. un pouco alto, subianrellias pelas e sei
enaas ae radas, os eabevos acaboetdados, quanuo anda i
ta dimi p eom passos largus. tem nina marra
caustico do lado direilo sobre o ligado, leve ra-
ra de brim de quadrinlios pretoe, camisa de
(lapolao, chapeo preto de laa redolido, esle
vocostiiinavaa ganhar na roa eonduziiul'i
ros d0 tuna venda da na Hircila para a ovit^
das Cinco Puntas, salitral do luiiar C.anbot
da comarca de S. Benlo desla pmxiiicia, (
comprado ao Sr. J. Alies de Mello, morador*
inestHo lagar, pfecafte-ee que o mesma esc
continua a ganbar na rua, munido de un tiilbeb
falso procurando selibor : j*de-se aos Srs. rs$
lcs de campo # mais aerfd*te pnlieiaes a rif -
turado dito eseravo e leya-le ao seu sejiher I
Pereira de .Miranda C.unha, morador em San**
Amaro, sobrado grande do Sr. Manoe.l listPd
n. 82, (pie se gratificar ienPTfi?am'ntP.
de cera, demassa, de rame e de seda, a precos
baratissimos, em per pies e a retalho : no arma-
zem do vapor francez, rua Nova a. 7.
O abaixo assignanb recoauneoda a raptur?
do seu escrav de rime Joaquim. mulato, fuyoi
do seu siiio do Monteiro. comprado 'aos seus ,;
nos os Srs. Joao Goncams da Silva. Vicente ;.-
vateanti do AUmquerqe e Alciandrn Gomes A>
Silva, poeta cidmlc. por intoi-niedio d seue w*>
curadores na possoa do Sr. Manuel Franci-cp
va lean ti. todos de Pao d'Alho e por iiirer\Tne&f<1
Sr. Santos (corrector de escravos). rujo eseravo c
tambem natural de l'aod'JUho e lem ns distie**
seguintcs : idade II." annos, seivo do coipo e in
punco alto, bipode, rabelln um jioiieo caraplnhad"
e penteado. falla de dentes, una iiiBammar.io eri-
cruada na junla da niao esquerda, f:Ula a sertan*
jo, muito descansada e mansa ; levoa camisas de
madapoln c riscado de aleodjo, e caifas de brim
pardo. O nbaixo assipnado muito ivcommenda a
captura (leste sen eseravo ludas as au'orida'le
emais pessoas enearrepadas da capitira do esera-
vu--. nao-ii pelas inversas ricUdee, villas povoa-
dos, como pelo serto.para onde pode ternefj
promeile bem era'incar, e lambem a qualquer
pessoa que dVIlu der nolicia certa ; a dirigirem-
seaoseuortcriptorin a rua do Graspo n. 13, eu a
leu sino n < Mun'eiro.
Recife, 27 de Janeiro de Iflff).
Anttmio Jos Rodrigue* Ae&niM.
A das q.ie se ausenten da casa de seu vor o
escraw r.leio, crmvdo, natural da cidadeda Baft!.
ptimo ofnr al ae sapataira, e tranamava im
do 8r. axiino Jes de Andrade, siu rua
Cruzf sabe lcr e i e intula-se forro, andii
calcado, tom um olho mais peirumo dn que o mi
tro, tem a i aboca coniprida, testa batida, o pecev-
ceeomdivursasciatriies prarMrigMesdo airpifo
las, um tanto baxoe reforfado d corfo : q4W>
o appreuetuler leve-o a casa n. l da rua lmpwkl
a seu senlii r Aprigio Jos da Silva, ou no largo" #>
Paratzo n. S6, casa do eanltlo I >effe *
Sonta Magulbaea, qne :er recnmpii*do
smente.


8
Diariq. de Peinambuc &e|ta feia 5 de Feveieiro de 1869.
HTTERATRA.
phi
Ardifologif^ c Geogra-
ico Peniamhiicaiio.
sj:ss.\o ma<;\v
AYMVKHSARU.
NKino.
KM 37 DK JA-
/;/'' rrso Udo pela Dr. Francisco Jacintho
de Sampuyo, socio cpr responderte.
Smihores.-Ofestiin Iliterario niie ll0Je coin
lula pompa snlemnisamae, nao vet somonte
coimueinoraj mn dos successos mais no-
laveisqueos archivos histricos do poyo
mundo encerram para legarem postcri-
dade a fama de seas descubridores, o
pintarem o herosmo d'aquelles que nao
trepidaran oin derramar o seu saiigue para
conservar illezo o estandarte da cruz e da
liberdade.
Elle vem taml>em render a devida honu -
nagem aos Ilustres andaos no saber e na
dade, que liveram a feliz nspracao do
instituirem n"esta capital urna sociedad'
'Hia iittt'rara soba denominarlo de Insti-
tuto Arrhe.ologieoe GeographiCO Pernambu-
cano, para era auxiliar a historia patria
patentear aos contemporneos os gloriosos
sendo frica perder a sua primitiva
guracao de pennsula.
"Ora, se todas essas e outras muitas em-
preza* obtidas pelo evforro da intclligncia,
alm de iminortazarem o nome de seus
autores dito impulsos agigantados na histo-
ria do paiz, que os vio nascero Brasil
que desde a descobeila de Cabral,enumera
tantos sii.-cessos dignos de commemorarlo
nao defecar por certn ao olvidos que como
ve, analizando fados, confrontando eras,
revolvendo vestigios monumentaes. ontrr-
gam-se a serios estelos alim de tornarem
mais saliente e rerommendavel a historia
de sua nacionalidad!'.
E nem prec so aqui expor quam difli-
cH lem sido a vossa tarefa nesBe ramo de
trabalho mtdi.'dual.para todos convencer
que rom a organisaco desta sociedade nao
tendea outro tira senJo o bem e a prospe-
ridade da patria.
Faltam-me agora as habilitarles precisas
para descrever a eiruzlo de sangue, (^in-
fortunios, as fadigas que distaran) aos nos-
sos antepassados. verem cornados seus es-
forcos com a capituladlo llollandesa no me-
morando dia Ti de Janeiro de 1601, que
as.-, igualan do urna nc;a poca venturera, ful-
gura no panorama sul-americanocomo a
primeira aurora preem-sorada nossa libe:-
dade baze de todas as garantas sociaes.
Omittindo os denodos que- superabunda-
feitos passados, e despertar no coraran dos rain em Vieira, Cantarlo, V. de Neguiros
\indouros o insaciavel esejo de imita-los.
A historia, ossa inransavel narradora dos
'ic Mitecimentos, segundo a serie dos tempos
nos ha convencido que sem fadigas e sa-
crificios nao se teni posto em predica as
oais arriscadas, e audazes emprezas, e si
esta razan prevalece em sociedades mais
adiantadas, onde sendo mais facis os meio*
ile ceiiseguir. mais provaveis sao os de
recompensa, com mais fundamento deve
prevalecer n'aqueltes que vivando n'iim
paiz como o nosso. onde as lettras aiuda
esto fia infancia, onde nao ha grande es-
limulo em cultiva-las, onde tudo diflicul-
dade. superam todos os abecs at traca-
ren os primeiros pontos da historia de
ni paiz, estimulando outros acompanha-los
na obra encojada,
Fazendo abstracao dos fados da idade
autiga, o da idade media, um tanto alheios
a occaziio. fiassemos aos do seculo, em
que principiou a raiaro sol da idade mo-
derna, e que mais relacSo tem com o as-
BDflptO hodierno, para demonstrar que se
honras e distinerbes tem sido conferidas
a todos que na realizarlo de trabalho-.;
diflicei mais elevara o seu nome, e eiiuio--
breeeni a sua patria : nao menos devein
merecer aquellos que encarregando-se
voluntariamente de examinar, como os
fados occorreram na vida das naces,
-:i!\a-os da eonluzao e leuda popular, e os
rediizem a prova escripia como o padrao
inais proprio de resistir a aeco corruptora
do tempo, e transmitir fielmente a verdad*
as geracoes futuras; pois descrever na
I'liase de Stocker a historia de una nacao
anda relativamente um su ramo de sci-
licia por ella cultivado, empreza tanto
mais dillicultosa, quanto menos solicita tem
sido a niesma naeftVem conservar e collegi
os documentos, que poderiam servir di
base narracao e reflcxo do historiado
philosoiiho: e si nao sao as grandes em-
prezas e descobertas os nicos elementos
constitutivos de assumplos histricos, nao
se contesta serem as que amplificara e
adornara os fastos de urna nacao.
A historia da pennsula ibrica mais 80-
bresahio nos flns do seculo XV, miando
C. bolombo abordando as plagas de um
novo mundo, realisou o que muitos
siippunham urna illuso.
Jad'antesao mesmo seculo aAUemanha
avia ende isado as ledras descobrindo
Gutemberg a arte typographica. que pro-
duziouma revolurao no universo
A Prussia no seculo XVI enriquecen
a sua litteratura com o systema planetario
de Copornico que a principio to combatido,
boje o nico adoptado por todos os povos
evilisados.
Orgulha-se a Gran-Bretanha com o nome
de Newton, esse genio matbematico do se-
ndo passado, que pondo em pratica o sys-
tema de attracco gravitaco, abri s
sciencias physicas e philosophicas rana era
inteiramente nova, pois desde WMgoras,
como diz.M. Hlast, o mundo nunca se vio
to profundamente abalado como pelas ou-
zadaia doutrinas do sabio inglez, pelo que
gozou at morrer de todas as remunera-
roes attriruidas sciencia e virtude.
No principio deste seculo alargQU-se c
orizonte da historia do continente norte-
americano, quando Robert Fulton descobrio
a navegaclo vapor, urna das mais estu-
pendas maravilhas que podiam surgir do
genio audaz e investigador do hornera.
Com a abertura do isthmo de Suez rea-
lizada ha quatroannos por.M. Lesceps contra
a expectativa de todas as intelh'gcncias eu-
ropeas, a Franca que tanto se destingue no
mappa universal, canta apothose por ser
a primeira a alterar a carta geographica fa-
FOLHETIM
CATHAMIA
POR
.hiles Sandeau
XII
ttuecede ubi domingo a outro,
mas nao se parece um eom o
outro.
(Continuado don. 27)
N'esse mesmo dia, a nossa pequea ami-
ga, acordada antes das Ave Marias, levan-
ta ra-se rauito- cedo, mas nao como d'antes,
alegre e rubicunda, semelhanca da aurora
t enchendo a casa com os alegres sons da
Ma fresca voz. N'aquellas faces j nao
brilhava o rosado da saude, n'aquelle seio
virginal j nao palpitava a mesma commo-
cao de jubilo.
E' assim ipie, ao apropinquar da tempes-
tade, posto se conserve ainda o co lmpi-
do e sereno, as flores desfallocem na haste
e as aves emmudecem nos ramos.
Havia urna semana que a insomnia se lhe
acercara do travesseiro e que a idea de
nceultar alguma cousa a seu tio a torturava
incessantemente; todava, no meio da sua
tristeza e da sua inquietado, sorria-lhe fa-
gueira idea de que ia ver Rogerio e passar
com elle um dia inteiro.
Vestio-s vagarosamente, penteou a sua
bella tranca de cabellos castanhos com todo
o esmero ; depois, preparada" com os seus
mais bonitos enfeites, sahio do quarto e
fui assenlar-se ao fundo do jardim no mes-
e Ileiique Das, matmanimos hroes as
diversas hatalhas e ^"uerrillias parciaes,
que tanto influiram para o ahatimento do
ininiigo e realce da nossa gloria, e j tantas
w/es d''scri|)tas com vanta^'in por todos
os Ilustres oradores deste Instituto, apenas
re-ordo queeni alguns dos mais assombro-
sos episodios, que precederam a esse dia.
que hoje edm todo o regosijo celebramos,
nota-se nina O0n i de muavilhoso que bem
parece ser uma mo sobre natural, dirigin-
do os nossos ao carainbo da felicidade. como
em os tempos bblicos foram os Hebreos
desde a saludado Egypto, at entrarem na
tena da [iroinissfiu e s assim conprehen-
de-se, como a anliga nietropole, envolta em
guerras civis, despondo de limitados recur-
sos, pode militas vezes anniquilar numero-
sos e aguerridos exeivitos, afugentar de
seu vastissimoe indefeso littoral poderosas
escuadras, rebater o orgnlho dos mais bel-
licosos povos da Europa e tornar o seu
nome temido por todo orbe.
Invoco ein justilicaro desta proposicao
os mares terntoriaes da Babia, no famoso
combate naval, onde a inl'erioridade no pes-
soal e vasos dos nossos. nada obstou para
supplantara sii|eriondade as forras ma-
teriaes do inimigo. obrigando o proprio al-
mirante batavo prucunir no seio das ondas
o seu ultimo jazigo para nao sobreviven!
sua propra derrota.
Em seguida desapparece no meio de um
incendio a \\ossa niotanhosa cidade, rai-
nba. do athlanlico, para depiS r'eapparpcer
mais garbosa e altiva, como a pheniv re-
nasa'ndo de suas proprias cinzas presen-
ciar o exterminio de seus iinmoladores.
Testemunha o Porto Calvo a coragem
desenvolvida no invido Ilenrique Dias. que
ali est aestando esta verdade, perdomh
um braco para toruar-se ainda mais deno-
dado no servico e ordena de sen soberano.
'- Presenciaram os montus Guararape duas
grandes hatalhas. que decidindo quasi da
sorte dos belligerantes, nuuortalisarain-se
por sertradirao quenuma dellas uma figu-
ra sobre humana circundada de um cer-
leo e brifhantc veo surgir priessurosa no
ponto mais arriscado da lua, na occasiio
era que fazia-se mais sensivel a falta de car-
tuxame, e s (iesaparecendo quando se deci-
dir a victoria pela nossa parte.
Eis como o pavilhao da suberba Hollanda
que nao se luiinilhava a potencia alguma do
velho mundo, prostra-se ante uma nas-
cente colonia da America que s dos se-
rillos depois obteve os foros de nacao livre e
imlepeiulente.
Factos desta ordera despensam qualquer
commenlario para ctemoastrar claramente
que havendo chegado a poca de cumprir-se
a proinessa do Regenerador da humanidade,
isto de dilatarse por todos os confus
da trra a doutrina evanglica, nao deixasse
a Providencia de velar sobre aquellos que
propugnando pela f, chamassem ao gremio
da igreja essas tribas despersas o anmalas,
que entao viveudo na taciturnidade dos
bosques, devotadas monotona da vida na-
tural, desconhecendo a luz da civilisacau, j
estavo irapassientes pela vinda de novos
athletas que [xidessem liberta-las da barba-
ria e as prendessem ao estado cvilisado.
Era auxilio dos hroes as armas, appare-
ceram outros nao menos conhecidos pela
voz da religiao,os Archietas,Nobregas,Nunes,
Vieiras e outros luzeiros apostlicos que
corroborados na f, s tendo ora mira a sal
vacuo das almas, sem outra recompensa a
nao ser muitas vezes o martyrio todos os
contrastes da vida, a todos os rigores da fo-
me, a todas as vicissitudes do tempo se ex-
pozeram at arvorarem por todos os cantos
coiil-1 do novo hemisplierio o salutar e edificante
' tmblema do christiahiahio.
E -nie grato aiiffla consignar, qi|e
esses intrpidos defensores do aposte-lado
no sul o aos seus dignos rivaes no norte os
Las Casas, Cordovas, Montesinos etc., di vem
?js Indios todas as prerogativas de cidado:
basta mencionar a bulla de 4711, que asse-
gurou-lhes a liberdade usurpada ettra
todo o (lireito (lis gentes pela desenfniada
cubica de colonos degenerados; e atarla
regia de 1753.(ue levbu-os ao fastigiadas
honras e dignidades, at entSo vedadas".
Faltava uma s couza parajeulorir o qua-
dro de todos es-es interessantcs acontec-"
mentos,era liaver quemo reduzisseforma
de permanecer intacto psteridade; e j.
que os Bttssos raiiores, poaco consdos de
seus deveres, apenas esbocaram esse qua-^
dro, compete aos modernos mais habilitados
dar-lhe todo brillio possivel at dissiparem-
se as duvidas, pieencheram-se os vacuos de
que rauito se resentem as nossas memo-
rias histricas.
Tomou fmaknente a iniciativa desse insa-
no trabalho, e tem asss'progredido em seu
aperleicoainento o Instituto Histrico e Go-
g.aphico da corte composto das nossas no-
tabiliados. segio restrictamente o seuexem-
plo esta provincia que tendo sido o theatro,
em que mais joirou o sangue brasileiro,
sem duvida a que'pod fallar mais alt!, fe
darnos as mais ampias explicacoes anlo-
gas; rendamos por tanto aos Ilustres ins-
taladores leste Instituto os sinceros votos
de eterna gratido, tanto pelos inefaves be-
neficios, com (pie bao dotado as lettras pa-
trias, como pela emulaco que desta empre-
za ha de uecessai ament brotar no animo
de todos que osdesejarein imitar para atin-
girem ao grao da nnnortalidade.
Becife. -21 de Janeiro de I8G!).
exageraco lamenlayel a abstenco siste-
mtica do juiz inglez.
A ei franceza, prescrevendo aos presi-
dentes dos nossos tribunaes de jury que
resumam bem os debates, lim'ta-se a re-
comraendar-lhes que facaiu notar aos jura-
dos as principaes provas pro ou contra o
reo e lembrar-lhes os deveres que vo
cumprir.
Abusariam esses magistrados desse po-
der, como dizeoL para se fazerem auxilia-
res apaixonados do ministerio' publico ?*
A censura inmerecida. Suppondo
que, em certas conjunturas excepcionaes,
tenham ellos cedido ao ai i astam0nto de sua
convieco, certo que ordinari miente re-
sistem, e a sua palavra ronserv,i-se -grave.
moderada, impassvel, digna, em urna pa-
lavra, do carcter emque esto revestidos.
Os juizes ingleses procurara mais do que
os nossos dirigir as apreciaccs do jury.
Consideram elles que a ei inglezii Ibes per-
lletropeeio polltleo de 1SSS
(Do Jirml do (kmmerch do II
Repblicas Platinas.
Paraguv
Eis-nos chegados finalmente ao Paraguay-;
ao paiz dos mysterios e dos fWrores'. re-
publica dos tormentos e da escravdo, em
cujas florestas, bosques e pantanos enga-
adores se ergueu um novo iephiwie, para
flagello dos povos vizinhos. a prosr enig-
mas, c a destruir tudo quanto.o cerc*a' ou
delle se approximava.
Por ipialru lungiis anuos o monstro per-
sonilicailo no cruel dictador. r,o orgulhoso
mortal que ousa denominar-se El Supremo.
fartou-se di sangue, de lagrimas e de gracas. Desde, as cabeceiras do Amazonas
at-s nascentes do Paraguay, o estridor
das armas e os hymnos marciiies sffpplan*
tarara a pancada do machado e os cnticos
mitte e os obriga a esclarece-lo c instrui-lo, pastons, o loto substituio as galas; e nes-
' ta immensa extenso, que est pedindo ha-
bitantes aos millkes para revelar-Ibes sua
riqueza e fecundidade, smente se ouvem
as imprecai-bes das mis. inis e orphaos
de 150,000 combatentes sacrificados na vo-
ragem da guerra provocada pelo implacavel
lyranno.
Nestes quatro loncos anuos o Paraguay
e seu seulior l). Francisco Solano Ijope'z
tm sido o nosso pesadello, o cravo collo-
cadi> pelo destino na roda da nossa pros-
perdade. Felizmente aduni elle tambera
o s -ii (Hidi|)o, e hora em que escrevemos
um brado unisono de intima salisfaco echoa
por todo o Imperio, livre (k' scmelhante fla-
gello, e nobremente vingadodo ultrajes que
recebeu.
(Juando terminou o anno de 1867 os
exereitos da aHianra dominavam uma exten-
sa liuha de porto de seis leguas cercando
o campo immigo desde Tuyutv a Tayi so-
A ei criminal
Fingimt crvdiaitque
VI
(Conclitso.)
A parle dos nossos debates pblicos que
se ataca rom maior azedume, o in-
terrogatorio do ivo. Quer-se que elle as-
sista audiencia, por assim dizer, como
espectador indifferente, e que s se expli-
que por boca do seu deffensor. As cousas
passam-se assim "em todas asjurisdieces
de Inglaterra.
Dsvirtura-se a verdade, exagerando-a.
0 reo interrogado em todos os pro
cessos julgados pelas pethf smions e pelos
magistrados de polica de Londres.
E' interrogado tambera em todos os
outros prceSKOS antes de ser submettido
ao jury. Mas ah obligado a responder.
indicando-lhes o caso que devem fazer de
um argumento, e at, muitas vezes, a de-
ciso que devem dar.
Desempenham esse dever em todas as
materias, civil e criminal, permite o jury
de aecusaco, como peante o jury dejul-
gamento.
Permitt que nao feixe esta asseveracao
sem prova : por outro modo, ser contes-
tada.
A C de agosto ultimo, o Sr. Vellos, um
dos graedes juizes da Inglaterra, esereven-
do os debates de um processo civil, dizia
aojury: Se o qucixoso s tem por si os
termos da convenco, est pago e repago.
Se quer receber mais, deve prorar a exis-
tencia de outro contracto. Fal-o elle. ? E"
duvidoso. Em todo o caso, b jury nao
pode conceder-lhe mais de 125 libras.
Alguns dias depois, o mesmo juiz presi-
dia em Maistone o tribunal dodistricto.
Apreciando a defeza do aeens|ado Viles, bre a margem esqoerda do Paraguay, alm
cujas violencias e irratibilidade foram apre- de Humayt, impedindo incom[*ftmwnte as
sentadas como desculpa, o Sr. Velles con- communicaces-. quer pelo r\, (juer por
cluio assim o seu resumo: (J testemunhos invocados pela defeza, mal ty o bombardeaba Homayt, o. j se antevia
sei o que ella quer dizer ? (Juer allegar arobabilidade te refirar-se Lopex do qua-
denuneia? Sefalbverdade, Viles deve ser latero i>elo Cliaci>. ainda que tivesse de
absolvido. Quer dizer que oreo Le carcter abandonar o sen pesad material de-guerra. I
e temperamento irrifaveis? Nei } desculpa Era a campanha de Homayt, esmerada!
isso. Se fosse estaramos todos aere dos I pelo importante movimento de fuxn effec.-!
homens colricos e violentos, e 06 homens
desta especie teriam ma munidafSe relativa,
de que nao gosariai os homens de melhor
carcter: ponto de vista que eu o admit-
i que seja confoime com o lom< senso,
e que ciTtamente n3o est de accondo com
a ei.
Nestes-ltimos mwes, parante o-gian-
de jury, Sr. BlaCkbwn, um do* grandes
juaos dos tribunaes de Westmmeter, ex-
Nao ha rauito, era com a pena forte e dora, | g* SrSASS JZSSTt^
que .esperando a sua resposta, oprendiam:^; T'tx fSf" J,im,,lta.
no chao nmn ealaboucohmido, arrega- "JEiS HR '
vani-lheo prito com uma massa de fono JSftSfi SSC "2 e2?po?"
aavcl pelos, actos violentos que Ifae iinpu-
tavara, se lwuvesse da parte d'elte boa f
e boaintenco, se elle, considerasee que o
Sr. Gordin era a alma da conspiraran, c
que uma prompta desiso era neoessaria;
accrescentdu que, nwte caso, a acu>aco
devia sei
mo lugar onde Rogerio lhe flzera os seus
protestos de amor.
Ao mesmo tempo o bom cura lia o bre-
viario debaixo do castanheiro do terrasso,
e a vellia Martha, inclinada sobre as forna-
Ihas, dava o ultimo apuro a um tacho de
creme, com que conlava que o joven vis-
conde lambesse os beicos.
Ao primeiro toque da missa, Catliarina
ergueu-se e foi para a igreja, nao sem lan-
?ar, atravessando o adro, um longo olhar
para a vereda d'onde devia surdir Ro-
gerio.
A' porta do templo encontrn Claudio, o
qual.em vez de lhe dirigir algumas pala-
vras, como era de coslume antigo, perfi-
lou-se em silencioso recolhimento para a
deixar passar. A pequea fada, por sua
parte, nao teve coragem de lhe dizer cou-
sa alguma e passou tmidamente, como
quem se senta culpada. No meio das
preoccupaces que lhe absorviara o espiri-
to, nao pode deixar de lembrar-se do tempo
em que ambos iam colher as searas e nos
silvados as flores, que depois iam junta-
jnente espajhar todos os domingos nos de-
graos do altar, talvez mesmo de sentir
uma vaga saudade d'esses dias de frater-
nidade, de socego e de innocencia.
Depois'de haver disposto tudo para a
celebrarlo da missa, dirigise para o seu
lugar habitual, onde os pobres da parocla
nao tardaram em ir ajoelhar-se em roda
d'ella. Dentro em pouco a multido que
estacionava no adro deu entrada silenciosa
e respetosamente no interior do templo.
Claudio seu pai collocaram-se em frente da
estante do coro. 0 pequeo Joo agitou
1'
ou de chumbo, e davani-lhc i>or alimento,
oiini dia pao corrompido, e n'oulio um
copo (le agua tirado do prximo rego. Era
preciso (pie elle dissesse se CQB^essava ou
negava o fado que lhe era imputado, por
outros termos se era culpado ou nao (yuiltfi
ou iioi niiilt//'). A sua resposta obligado;
determina a competencia. Se nao se con>-
fessa culpado, julgad pe jury; se
culpado, julgado inmediatamente pelo
magistrado^
Quando o reo est perante o jury, verda-
de que pouco interpelado, e nao obrig*-
do a responder s perguntas que se lhe
fasem.
Mas acaso a le francesa tem outras pree-
cripces ? Prescreve ena com insistencia, o
interrogatorio do reo ? Autoriaa para cens-
trange-lo a reapoiider, oempregode aJfean
uni de violencia physica ou nuwal ?
(I art. 190 diM-odigo do pwcaoMur
nal, (jne regula o processo perante os tri-
bunaes correecionaes, limita-se a dc&er que
o reo .ser interrogado. Perante o jury, o
art. iO do cdigo s prev um interroga-
torio acerca da identidade do acensarte, e
o art. :M0 apenas o utorisa a responder,
M sobar, aos depoimentos contra elle.
A nossa le criminal nao contem outras
disposices acerca do interrogatorio. O
reo nein obrigado, como na Inglaterra, a
declarar se culpado ou iab. Responde
se quer; cala-se se prefere cater-se ; e di-
gamo-lo de passagem, se confessa o crime
nao dexa de ter o jury por juiz.
Os presidentes do nosso paiz, que cbam
no seu poder discricionario, o direito de
interrogar, nao nsam dessa faculdade, como
se allirma, para arraucar conflssoes com
implacavel ardor : preciso nao ter acora-
panhado os nossos debates para fazer aos
que os dirigem semelh'antes censuras. Qual
de nos nao conserva a lembranca desses
interrogatorios, lembrando com tanta mode-
raaia quanta imparcialdade, os pontos da
aecusacao, e convidando com calma e dig-
nidade, o aecusado a apresentar os seus
metes de defeza.
Mais de um publicista considera como
a campanilla. Todos os joelhos se curva,
ram, todas as frontes se inclinaram: co.
mecra o ollicio divino.
, Catliarina ora com fervor, mas nao com
tanto, ainda assim, que de vez em quando
nao olhasse furtivamente para o lado do
banco senhorial. A devota rapariga indig-
nava-se comsigo mesma das suas distrac-
Coes; por mais, porm, que fizesse para
se dominar era como o heliotropo sob a
attraceao do sol ou como a agulba de ma-
rear ,-ob a influencia do mar, e o seu cora-
cao fazia que os olhos se n5o desviasser
do ponto por onde contava ve-lo entrar.
Decorrera mais de uma hora : o divino
mysterio approximiva-se do seu termo e
Rogerio nao apparecia; o banco senhorial
conservava-se vazio.
Catliarina comec.Jva a sentir-se desasso-
cegada, quando de repente Paquerette, pu-
xando-lhe pelo vestido, lhe disse em voz
baixa I
Mouina, menina, veja que bellas se-
nhoras acompanham o senhor bonito I'
A estas palavra >, erguendo os olhos do
sobre o livro, a pequea virgera vio Ro-
gerio de p junto de Malvina, a qual per-
corria os circumstantes com olhar investi-
gador e altivo. No mesmo instante Claudio
ergueiirSC do banco onde estava assentado.
,0-se para Catliarina, gritou cos
ocia :
os pobies da parochia I
lenciosi, immovel, com os olhos
bre a menina Barnajon, cujofc
fcdlpz se ostentavam sem re-
is rafes do sol, que lhe davam sobrt;
a cabera, Catliarina nSo redarguio.
tegeitada.
va
Para completar este- trabalho desejava eu
apresentar o qnadro das jurisdivtoes que
em Franca e na Inglaterra, sao ncarrega-
de appbcar a lei criminal, c mostrar-vos
quaes as vas de recursos que esto aber-
tas s suas decisoes. Reconhecerieis, creio
que a nossa organisarao judiciaria nao
inferior a-dos inglezes, e que elles nao
podem comparar nem. as suas appellares
com as ossas, nem os seus uns of error
com a nossa rovista dos proccswis crimi-
naes. Ufes esse exame pedira' mais tem-
po do que tenho. Renuncio a- elle. Jam
satis est.
Ha mais de 20? annos, un dos mestaes
da scieccia considetava o nosso cdigo do
processo como a le do processo criminal
menos imperfeita entre as leis jmodernas.
Pensava, e tiuha vazo, que esse'cdigo ca-
reca de melhoramentos; isas j segundo
elle, eom os seas defeitos e ladunas, me-
reca mais louvor que censura.
De entao para c tem sido a nossa lei
criminal muita aperfeicoad.
Se ainda redama alguns repares, nao
nos poremos no caniinlw. Nao esqueja-
mos porm, que da segar anca lia repres-
tmdo pelo general emd>efe brasilero, que
sir esbocava assim ao princijiiar o auno de
11*58.
Em IStio terminamos a inmortal ampa-
uhado Hiachue!. que foi intei ni mente' de-
fensiva, mas que obrigouo inimigo a lecuar,
a regressar ao so solo, depois de perdidos
nwis de I o. 00. homens.
Km 1(56 abrimos a campanha do fthru-
|mity, tomando auritizmente-a offensivji. Foi
una das mais rudfes desta guena t tlifli-
cil!. porque fomos desaliar o inimigo as
suas proprias posires, con forras iiwulfi-
cientes para a operacio que einpreMndf-
ibos. Neste periodo registramos a (Mesa
da Iba di Cabrita, que tanto lustre (ten s
amas brasileas, a-passagem do Patona.
nanea assaz ponderada, as hatalhas d 2 e
:'.i de maio, os combates d julho, o as-
salto e tomada de Guruz. Bm toda* es-
tas accoes, e em outras ajar se succetam
(guisi diariamente, as armas- adiadas nm
liimando a sua superioridad sobre a^ini-
migas e adquirindo a' forra moral que ievia
' companha-las depois.
Um nico revs,, porm, bastn para en-
torpecer-nos os moyimentos nao pela par-
das que nelle solreraos, mais porque os
triumpbos que aciaaa raencioiimos lifiham
sido caramente comprados,, e elle vet> ag-
gravar a nossa ptaiflp. Referimo-nes ao
mallogrado assalto- d Curapaty. >Sonos
compete inquirir das causas que inkmani
para este resultao. E" cedo aind> para
esGievt'r a historia com imparcialidiate, e a
nossa mssao liisita-se a deixar registrados
os faelos principaes. A este resa/eo as
dscusses da poca partee-nos qta> livr-
rain os chefes biasileiros.de toda a. culpa-
bi I idade.
Seguiose, edmo era natural, uiaperiodo
de re|>aracao de reorganisaco, em que
oslelligerantes se conservram 'orno que
era treguas, at que no-lim de 1807 em-
pithendemos o movimento que aos collo-
cou na posifSo j esbocada.
Quando as. nossas frcas oceuparam Tayi,
ponto imprtente na margem Ul rio Para-
guay, cima d Humayt, o inimigo coi
prehendeu qpe a sorte desta geaca de guer-
ra eslava (fecidid. e que seiii, qnestao Je
sao depende a seguranc-a dos noaaos bens I tempo a ^j, qutbt vist0 a esquadra j^.
odas nossas pessoas : das nossas cida- s|eira poosuir j a. base de apoioedecom-
o uas nossas pessoa
des e das nossas aldeas, e das nossas
ras e das nossas estradas. Nao busqu
mos, por gosto de deaegrir as nossas insi-
tuiebes e louvar as alheias, aprOpriar-nos
a legsIac5o de um povo que nao ten os
nossos costumes, era os uossOs hbitos,
nem a nosso temperamento., Grande acaso
, diz Montesquiou, quando as leis le uma
nacao podem convir a outra^
BlmcAe.
Pal!
pregad
'adorno
Para os pobres da parochia Irepe-
tio com voz estridente o simplorio de Clau-
dio^ que estava bem longe de suppor o que
n'aquelle momento se passava rio coracao
da pequea virgem.
A crta denotaco. que acabava de fazer
estremecer as vracas da igreja, Catharina
sentio como que um choque elctrico. Fez
um esforco para se levantar, porm tendo-
Ihe vergado as pernas, flcou-se no mesmo
lugar.
Se ella tivesse visto com que olhar tris-
te e terno Rogerio a contemplava, talvez a
sua perturbaco nao fosse tilo forte, porm
as suas vistas convergiam completamente
sobre a bella estrangeira, que attrahia toda
a assembla, um pouco distrahida pela ap-
paricao d'aquellas damas.
Como s5o bellas, Santo Deus! A
nova principalmente !=exclamou Paqueret-
te, sem poder por mais tempo suster a
liuguaEncontrei-as hontem passeando de
carruagem com o senhor bonito e um ve-
lho, que n5o de todo feio. Era para ver
como conversavam e riam todos quatro, a
nova com o senhor e a outra com o velho!
E que bellos eram os cavallos! Que bo-
nita a carrugem !... Nao faz uma idea,
menina I
Cala-te, Paquerette, e reza as tuas
oracoes Ibalbuciou Catharina, mais palli
da do que a alva do tio e gelada como a
pedra que jazia sob os seus ps.
Para os pobres da parochia Irepe-
ta Claudio, sem perder a coragem, e ainda
uma vez a igreja como que estreneceu pe-
los alicerces.
Menina,proseguio Paquerette o
municaco com o exercito db que careca
para assegorar seus fornecimentos e aven-
turar a arriscada passagem que se exiga,
que cita, aubelava eflectuar* e que s. tinha
sido retardada por falta dbquella baso. Tra-
tou, pois. o dictador immediatainente de
fortificar un ponto na margem opposta, isto
, no Chaco, que lhe gararitisse tambema
oinmiinica,.o com o interior do paiz, com-
inonkacao que elle reconhecia ter de ees-
sar em breve.
Sr. Claudio que a convida para o pedito-
rio dos pobres. Realmente a mellior voz
que tenho ouvido!
Por um esforco supremo, Catharina er-
gueu-ie. e com a bolsinha do peditorio na
mo avangou atraz do joven Noirel, que ia
abrindo caminho alravez dos fiis, mais
estava tao paluda e desfigurada, que fazia
pasmar os que a \ iam.
Tem alguma dr, menina ? pergun-
tavam-lhe as matronas da aldcia.
Que ter a pequea virgem ?diziam
uns para os outros os aldelos.
(Jaudio, que ia na frente, era o nico
que nada percebera.
A todas as perguntas que lhe dirigiam,
a todas as demonstracbos de interesse que
se lhe testemunhavam na sua passagem, a
sobrinha de Francisco Paty esforfava-se por
sorrir-se e desfarcava do melhor modo a
suacommoejo ; chegando, porm, junto do
banco senhorial, onde estava Rogerio, tor-
nou-se to trmula, que por pouco lhe nao
cahioo saceo das maos. A Sra. Rarnajon
e sua fllha ahi depozeram ostentosamente
a sua offerei.da. Para voKar ao seu lugar
teve Catharina de encostar-se ao braco de
Claudio, o qual notou a commoco c logo
traduzio a sua causa, porque tambera sof-
frera do mesmo mal, tambem o seu coracao
recebera igual ferda, ecousa admiravel I
era n'esse mesmo banco em que Rogerio,
como devemos estar lembrados, lhe appa-
recera to fatalmente, que agora, nao me-
nos funestamente para Catharina, appare-
cia a sua rival Malvina.
Um espirito trivial saboreara esta vin-
ganca e admirarla satisfeito esta como que
Sua esculla r*cal|jo no Timb, que cons-
titaio-se a chav de toda a sua prolongada
resistencia, pois que por alli, sena que o
pudessemos impedir, recebia eFle o que
careca, ao mesmo tempo que possuia uma
saluda franca. Se tivessemos eonhecimento
mais perfejto do Paraguay, e se o nosso
exercito fosse mais numeroso, houvera sido
um grande erro nlo oceupar aquella impor-
tante posico quando oceupamos o Tayi.
Infelizmente falfaraiu-no? estes recursos, e
seria uma jwpe/da*vel imprudencia sacri-
ficr um piinhado de bravos, que nao se
'poiteiiam sustentar separados de todas a*
nossas Torcas por um lio ainda dominado
pela raarinha inimiga. Na contingencia de
um revs, o generalera cliefe fez bem em
nao determinar uma operaejo que nos po-
deria ser fatal, por mais seductoras que
fossein as suas proraessas.
Entretanto approxmava-sc uro grande dia
de gloria para o Brazil. (i destino havia
reservado para a nossa marraba- o maior
comraettiniento naval deste secule, conhe-
cdo pela denominarlo de passagem de
Humald, e ella executoia-o como o poderte
fazer a mais experiente c denodada.
A difficuldade material que se oppunlw
seriamente operarlo nao eram as- du-
zeatas bocas de fogo que enicavam as afa-
madas baterias, mas sim una slida eor-
i ente que fechava o rio de lado a lado.
Tinha-se pensado na possibildade de airir
um canal pelo Chaco, que dsss entrada aos
nossos navios, e os fizesse surgir cima (fe
Hamayt. Este canal estava delineado pe*
nafureza, e no seria mais do que-uma redi-
ficaflo d rio. Parece, porm, que houvc
razo sera para fazer desistir desta
ausada idea, qnej tinha tido to fptizappli-
racrioeni civciimsl.-wras quasi identcas na
guerra dos Estadi-Unidos.
Nada mais esperamos. No memoravel
dia 19 de ferereiro tres encouracados, o
Barroso, o Tamundr e o Dahia, e tres
monitores, o lo-drrrmle, o Alagte e o
Part, seguir para a nwjada romraiesao.
e nft) obstante o vivo Phqh que soffrram
ebeganm ao seu destino
CVcorreu com o A'iiiga* um episodkHfw
ileiiM'esla arriscada empreza, por si mswa
noiavel, a justa medida do sangue frio> e
valor da nossa roarinha. Escusado ne-
feri-b/a(|ui: nio lia llrazik'iro que nao o
tenba presente na memorial e que nao se
recoi-e com orgullm do bradruleaduiir;!
ipie eHo provocou n. Europa
Quamki os nosso* navios ebegaram <
Tayi. alguns delles quasi a rem a pique.
como ifTaiiuiiHtar <>. o Alagtk, nossos sol-
dados os recebaram com cndiusiasmo iiv-
dizivei. Elles tambera arabavam neste dia
j tao grato causa da alfiaiira, de se
cobrir dfc glora, tomando dfe assalto a-
fortific-uys do EstsMetimeato, poscae
(pie se julgava YantejeM par* estreitar (.
sitio, mas (pie se teve d abandbnar, por-
que nO'ficava raar-rmdd rio, como se
presuma.
O cerco do inimigo ainda assim nao fic-
ra co|iteto. Havia entre a escuadra col-
locada, abaixo de Humaita, e a ura espa<;p qpe era irKicessivel,- nao s s
nossas-balas, mas tambera nossa vista, e
por elle se cwnmunicava.francamente o ini-
miffo com as forfas que estabeleccra no
Chace,.e poriotermedk^ dellas eom o inte-
rior db paiz. Entretanto a escuadra e o
exercito contnuarain a baatiieaai tao renhi- .
damaate o iaimigo que elle recoiibeceu logo
as dlfliculdades em que se atb^iva para'
mantersuas posicos ao celebn quadrila-
tero..
No.desespero da su>situaco*Lpez con-
cebau, e fta executar, um. plano da maior
audacia, pe felizmente para* a marinha
bnieiteira te* mais uufiioccasiao de robus-
tecer o se* crdito < firmad*. Era uma
carta que dlejogava, deixando-ao acaso o-
qi nlo pedesse realisar o valor dos ser,-
compatrioQs escolludes para to louca ex-
I'dicao.
Na madrugada do ala. 2 de-marco l,20>'
lnaticos, armados at-aos denles, smi-
nos, surgindo do meio das aguas como.poi
encanto, depois que tinhanvsido trazidoeera
canoas envoltas era verdura, atiraram-e s
toldas te Lima Barnes>- e A* Cabral, quasi
sem seaem percebidos, por causa do. ardii
de que- usarani. I^lejoii'se- de parte a, par-
te com valor indomavel, disputandb-so a
victoria tenazmente : mas ainda deste. vez
ella eos sorrio, e quasi todos aqueles, ho-
mens, cheio de viil, dabi a poucas- horas
eram cadveres,, escapando mu poucos
nesta luta titnica.
Kste mallogro desanisaou o inimigo. (
effeito da passagem de Humayt, que se
coiisiderava co justa razio como decisivo
principiou entao a aprecar-se. Lpez aban-
donou Curupait?v no dia 21 de marco, aban-
donou o quadrilatero no dia soguinte e en-
cerrou-se na sa Humavl.
(Contma.)
justa compensacao da Providencia ; Claud'u.
porm, tinha mais bem formada a alma dt*
que c* nariz, e, vendo soffrer Catharina, par-
tilhott da afttcco d'ella como sua pro-
pra.
Vamos, cobra animo f disse elle,
conduzindo-a ao seu lugar 0 fazio don-
rado nlo canta como a toutinegra dos nos-
sos bosques, nem a tulipa dos jardins tem
a graca da bonina dos nossos campos !
Tendo terminafc a missa, conservou-se
elle de p humildemente atraz de Catharina.
esperando que ella acabasse de orar jiani
aroinpatiha-la e ampara-la, no caso de ne-
cessidade, at ao presbyterio.
Com effeito, logo que as Srs. Barnajoft
se retiraram acompanhadas de Rogerio e
deixando aps si ura activo ebeiro das mais
tinas perfumaras, sahiram elles juntos da
igreja, chegando porta bastante a tempo
de verem o caleche levado a galope pejos
fogosos cavallos, que abriam caminho atra-
vez da multido estupefacta.
Catharina, como immovel, seguo-os al-
gum tempo com a vista ; depois, quando os
vio desapparecer ao virar do caminho, en-
volvidos n'uma nuvem de poeira levantada
pelas rodas da carruagem, largou pi-ecipi-
tadamente o braco de Claudio,. e, agarran-
do violentamente pela mi de Paquerette,
que alli se achava, conduzio-a para o seu
quarto.
i
'

{Conth/uar-se-ha.j
TU'. DO MARIO-BU 18IRIZES R,

i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ETAE06FVW_ATS8L7 INGEST_TIME 2013-09-13T22:55:39Z PACKAGE AA00011611_11759
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES