Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11756


This item is only available as the following downloads:


Full Text
*
I
PABA A CAPITAL E LUGARES ONDE NAO SE PAGA POBTE.
Por tres mezesadiantados. .
l'or seis ditos idem.
Por mu anno idem.
Oda numero avulso
60000
000
2W000
120
SEGUNDA FEIRA I DE FEVEREIRO DE 1869.
PABA DENTRO E FORA DA* PROVINCIA.
1
Por tres mezes adiantados.................. 66730
Por seis ditos idem.................... 13*500
Por nore ditos idem........,........... 20*250
Porumanno........*. ............ 27*000
NAMBUCO.

u
Propriedade de Manoel ?a de Faria & Filhos.
H\0 AfiKNTBS
OsSrs. Gerardo^ntonio Alvos & Filhos, no Para; Goncalves d Pinto, o Maranliao; Joaquim Jos de Oliverra, no (
Guirnaldas Pancada, em Mamanguane; Antonio Aiexandriuo de Lima, na Paraliybi: Antonio Jo
lamanguape
em Nazaretli: Francino Tarares da Costa, em Alagas; Dr.
i Lernos Braga, m> AracaM : Juao Mara Julio Chaves. noAss; Antonio .Wanjues da Silva, no Natal; Antonio Joaqaim
I da Penha;Belarmino dos Santos Hukao, em Santo Anta; Domingos Jos da Cosa Braga,
m, Da Baha; *e Jos Biheiro Gasparinho, no Rio de Janeiro.
_ PARTE OFFICIAL.
lf par licito da polica.
t' seceao.Secretaria da polica de Peniambnco
JO de Janeiro de IW.
N. 160.Illin. e Kxm. Si'. Tenho a honrar *
levar ao conhecluicnto di* V. Ex<\ que. segundo
ronsta das particparoes nvenwas hoje nesta re-
partiese, taran recomidos a eaa de deteneSo os
.guiles individuos :
V erdm Ai subdelegado do Rftfife. loaqnim
i-'r.imisro Gomes, por bVrimentos.
A' nuleiii do da Boa-Vista, Hanoel de lal roiihr-
eido por Manoel Cigano, por distnriiiok
Heos guarde a V. Exc Hito, e Exui. Sr. eoiule
de li.iepcndy, presidente da provincia.O Cbefe
de polica, Francisco de Furia Lemas
EXTERIOR.
III "ESOS AYIlKS. 15 OK MNKIK') D" IH .
Nai,soanno que ia lindar desos de tantos fei-
i j- mero, "aveis, mas a prunria guerra que e mi
ires anus e mi) de durara i torav.i 0 seu tormo,
\i?ia.) com i fr-'i i digno dril ,im ijua'lij gran-
dioso, ni un irav..*!, mico n>s a'ina?.: das guerras
rasrieaaas,
Sene quadr'i devia n deMaear como yntalos
ranetetutiius de un lad> a c >rag" n, a mabalaVol
e (n-.taneia, a jm t.i- 111-.': di ou'ri a eoragera
Irii'j.Ti, iunin-ri.il pdo fatia'is.n >. rarpregatU
e:n defeza Be cruel lyrannia, e esta sellan I > cara
> icrives ose '--os suj hora derrattoira.
ra aeredilassem n'mn patriotismo cuja prova vi-
rara |wr seus olhcj nos MO cadveres de homens,
innlliercs c criancas pingardeados no Tehiijuary
e alm. __
0!i f nem isso s Xa mesnia oecasiSo em
que esse nttvadn li; pocrita declara va-s" o pala-
dn da libordade. e' folieidade da una patria, faria
espiigardcar por gru ios de 20 ;i Vt individuos un
rento de |H'ssoas das priineiras elasses que .huvia
mezes conservara em priso.
E, posto que tnquei nisto, direi aqui o que lioje
se saM eoni plena eei toza.
Neuliumi das prss. as que apmuvc a Lpez fa-
sor ligurar eomo autnvs. cmplice-, ou meros co-
nhefedorasda supposia conspiracao. escanM cora
vida, lina anos mitra twm ellas sofTndoraorte
alroQtosa,. e algumas com reiinamentos de cruel-
dade que espantam. Do Dr. Carreras, por exem-
plo. se di/, que, niio qi erendo esti- assiguar as de-
claraeoes de sua comp ieidade, Lpez llie fez cortar
ainai, antea de 0 fim'ar, e ordenon que nm solda-
do assignasse com ell;. c.-rlilieandi' logo o escrivao
que as dei-laraeoes ha'iam sido assiguadas de pn-
iihn lellru do reo !
Nao escanda nm s dos emigrados argentinos
mi orientaos, porque t iodos aecusava l.opez de o
l.ovm envolvido nesta guerra lia fatal para ello.
De alguns ceios de prwoneiros argentinos e
brasileiroi que le/, n i correr da guerra, nao clie-
gam a dez os que se ti ni aehndo r mi vida.
Os principaes negociantes e prop etarios da As-
smupciio, e algnns nazidns de (orumlia, petlen-
ronts a todas as nacionalidades, pon havia Ingle-
/-. Francczes, Italianos, Hespanlioes. Portuguezcs,
ele., euno ailiante se ver, depois de seren despi-
do coroi
Bittencnurt e pela direiti a argentina
GonJillo o inimigo s cuidou cu fagir.
Poi. pornjL_I>erifcuidi eui toda* as direc5
atravw dttTBlIrjfflpao alii grlinde numen
prisioneiros, injpBrencles e ofriaes.
Toda a artifcria,,imimsa porcao deannamoii-
tu. nr.micoes, pqnipmenlo e vi\i>res calo cui p>-
der dos Miados. A carro igem de Lpez rom gran-
de parte do sen archivo, ruupa de sen uso e \\
sua familia, livros, mappis, nada |x"ide escapar.
At o alinoeo que ia-llie ser servido utilisarai-
se os vencediirr-s.
S oproprio Lpez, sin amasia, alguusajudaii-
tes de ordens e lima escolta de menos de cein lio-
)4 que havia na fnrtifieaciio lormava
nmeros:
de combate. ?roiptos.
!*los de dito, feridos.
UMlllierese crianras.
pdividuos particulares,
artilharia constava de 42 pecas, sendo una de
le de loO (chamada o ci hIo\. l de I' rro de
68 o 69 de varios calibres.
Havia grande abundancia .V municoi's. n assup-
1 primento escaaso de vveres. < anda niais escasso
de medicamentos
Rendida a Angostura eslava ludo t.-ito; adias
ii bastado ao marquez de Caxias e ao valenle
luens. rngind'o no inomenlo em que nossas colunj- U^fc-aaMeiro para dispedacarein a delesa do
- inumgo, defesa \w cok-sal qi* se premlia de mil
lado ao rio Paraguas no ponto uiais inaceessivel
Ble, e do outroa sena, serviinlo de ante-mural
Ijiiha tiMla esteiro- e rio- invaileaveis.
Mas tambera que csforiMs fui preciso eui| regar'
A via meiiioravel do Cuaco, os rombales furibun-
nas de ataque avaneavan e. segundo se er, pu
alguma vereda escusada que levava ?erra, I
nhan conseguido salvar-se.
Como todava que Lo[>ez. tendo-se dirranl
da a guerra conservado sempre a dnas leguas l
ruis dos campos de bata'lia. licou nesse ala
derradeiro momento ?
Haver quera o explique pela coragem do
pero que possuem ainda os homens inais .
turnes, posto que quasi un instincto animal.
ver tambera ipiem o explique pula necessidade
cora sua pre.-enca ubri}."u suas tropas, ja desitHt-
ralisadas. mellior defeza. Ma-mitra a explica-
cao que os successos e o earaeter do homem
rece.
Lope/ sabia que no-sas forras-de cavallarias ti-
nliani-se alongado pela sua dreita e retaguarda, o
receiou, salando da Lomb i. cahir em poder dellas.
I'erigopor pergo, Me pa cria monos imminen'e u
de acliar-se em urna fortilcaco rodeado de ca-*
Paragnayos e>a (brea r/ue porventura ahi conser-
vera ellos.
Antes de 15 das teriio assim nossos niiiios de
Satto-Grosso-a certeza deque sen algo/, foi venci-
do, e depoi> de Ires annos e meio ver-se-hao de
novo en i lv*e e fcil comniuiiicacao con o resto
do sen paizedo mundo.
Ontra noticia nao menos plausvel: a divisao
brasileira mandada a Sfrro-I^eon nao achou ahi
souo algnns invlidos e alguns centos de mulhe-
rcs~. A forra de 800 homens que guardara es-e
ponto fugio.' ou niais proravelinente dissohvo-se
noticia da derro^de Lnfiez e tomada de suas po
sime*.
Tereinos aimfe rniniigos que combater E |m>ss-
vel: mas nao se v onde, nem como Lome Missa
reunir 1,000 homens, arma-Ios c equipa b>-.
.Nem ha indicio algtini de que elle, |>erdidas
Lomba e Angostura, tivesse anda o pensaniento-
de resistir; suas disposicoes. cnlrcjjjllas : do tes-
tamento, e mais ilo fpxe nada o 1 rdadu cabo de
si da a da. a- fadigas, a privaeo absoluta presos e prisionerosTmostran assaz que fle dava
luto e ik descaii po-tendo disputar a pf
de gnorra d sde q-i" ellas sao levada- direc-ie r-
pidamente di Paragua) ao R de Janeiro, deve
la, narrando os principaes stteeessos, fa/er de
lili ii na apr.'-iaeii i ni M\ idica. que raipjssivel
.-i- c irrospofldeaoii s e aos mesui is boletius do xer-
pil i. p i-to que s redimidos sob as impressoes do
mmenlo, e devo amia cuidar n que resaliera aos
< U is da opiniao do mundo e d futuros bistoria-
1 iros di guerra paraguaya os \\ tos significati-
. e coii nac s.
foiuarei como ponto de partida oque refer na
u'tuia parle de miaba cu re -pon Jeiica anterior.
\- forcis brasilei.is. pie. aperando em tres eo-
Juranas. das qnaes irna sobre Aurostura e duas
eia'ri a posi;i i de Loa iba, d,"-i:ira desalojar o
inimigo desses exlreraos baluartes, derain, corno
ja tive occasio de referir, pi'uyas inauditas, niio
s de coragein, mas de heroica tenardade.
hopoisde eombaterem un da iutro, tomando,
perdendo e ieconquistanda a primera trineheire
oiraguaya, a note inteira (de l a ii~> sustenta-
i un, joelho en trra, un fogo vivissimo, sotfrendo
t iinbem o que de intantaiia e m trailla nao eessa-
vara de fazer c infinigo.
\ i da 22 anda continuou e-se duello a raorte '.
i como nossos heroicos soldados n i tiuhan rele-
vo, e havuun combatido .'ID lunas, soirendo per-
das extraordinarias, nao era mais pjssivel dei-
\arde chamar o exercilo rg-nno a tomar parte
na peleja.
Sera urna ligeira explicar. nao se eomprehen-
dertalvez como, lendo ooxereita brasiloiro. .
23.000, nao podesse s elle renJer a posicao da
Lomba, que s eontava cpuio 3,000.
O iveercito In'Kleiro havia -ilo dividido em tres
grandes columnas, tendo de eavallaria a que as
ordens do bario do Triiimpho fui enviada a tomar
.....-cupar o portrelro Marmol, na dreita e quasi
retaguarda da Lomba, sen (im era evitar qiie por
aquello lado viesse a Lope/, un referco de Serr
I, m ou oulro punto, c taiuheni que por all fu-
;i--e o inesnio Lope/, cora as forras ,|i tiiilia a
sen lado.
Outra forte columna de nfa:*,ir."., conmandada
pelos brigadelros Jacintho Sfarhado HiUencourt c
jou Manoel Menna Brrelo, depoi de quebrar a
linha do Piquirisy, havia tomad', p isieescm roda
da Angostura, para que tainflcui dabi nao sahisse
um s luai.'ii, quer de fgida, qiier pira uostili-
sar n issas fnreas que ataeavam Lomba.
Em frente, pois, desta fortificarlo, anieacando-a
l>or diversos pontos, e levando-lhe ataques succes-
sivos p ir espaco de 30 h iras, nao liana mais de
10 a 11.000 homens: ellos formavau a columna
I brigadeiros Jos Luiz de Menna Brrelo e Jos
Antonio' da Silva Guiara -. sob a d'ireeco im-
mediata do marque', de i'.axias, posto que os ge-
neraos Osorio c Argollo tinham licado ni Villela
Halando de sen? frinientos d>s das ti o 11.
Xa manlia de 22 o exercilo argentino adiando
o cannbo inteiranienli livre passou o arroio Pi-
quirisy, e foi tarde tomar as pasicSes que se
Ihe designaran!.
dos de quanio possuia n, Pirara tambera espingar- < nhoes e dons ou tres mil homens de tropas e*H
deados ou degotados. lidas, do que sendo apanliado.no meio do sua fu-;
Os ni ais vaBJntes e dedicados generaes, como j ga c frente de urna pequea escolta.
ipie suas tropas
larduu para isso a.
\ss 'iriref,..re ncIeiV d : un 'u'iar Alen e liamos, o prineiro sen amigo de infancia, e Q nem sabe i.iesmo se teineu
,, i,; p ,! ,t ti ',', este sen cuuhado. mo.Teram do mesmo modo. uu o deixassem sabir, e agnai
X Jflo SnXt da n ..icias ,. *** senhoi as parainuyas, qno o vnlgo que tolas estivessem occnp>da;
dioer.Mii sido amant:s dotjranno, pagaram cora
a vida seu erro.
Havia seis mezes ojee essa carnificina honenda
se desenvolva sobre a misera sociedad paraguaya i
iii- una cei-la ordem de victimas, pareca reser-
va-las o tyranno para o ultimo momento. Sybarita
atroz, deeitava-se coi i demorar a sobremesa !
O bispo do Paraguav e os irmaos de Lpez Be-
nigno e Venancio tinli.im sido conservados em fer-
ros, e un pelo sen csracter sagrado, os outros
pelos beis de sangue, 'sperava-seipie seriara |>ou-
pados.
Nao linha talvez est esperanca a infeliamulher
que den o ser ao S'eif dos lempos modernos; por
isso no sexlo anniverstrio da moi'te de seu marido
dirigi ella a Lpez uiracartapedndo-lbe a vidade
seus outros dous;lilhos. Di/.em que Lpez respondeu
tranuuillisando-a, ^mai era nina impiedosa bypo-
erisia.
>*o dia 21 Lpez vendo-se cercado de iinmigoM e
prestes a fuyir s ou i cahir prisioneirn. teve urna
especie de paroxismo de furor, e todos os presos
foram nesse dia espngardeados; entre elles eslava
seu imito Benigno. O oulro irinao Venancio foi
mandado com urna guerrilha de 10 homens... e
depois niio se o vio mais.
Nao sao estes factos supposlos ou vagamente
sabidos: nao, ha provis escripias delles, ha a pro-
va testemunhal, pois slao prisioneiros oflciaes e
soldados que assistir; m (se que nao concorre-
raui) ao fuzilamenlo d: Benigno Lpez, e referem
suas dorradeiras palavras e acees.
O inundo niio acreditar de boa-mente em tanta
ferocdade de um homem que se diz civilisado;
mas forra (' que acredite vista dos documentos
que vo sahindo luz publica, chillidos no archivo
ao tyranno.
Elles sao exiiberant ;s e sao tambera concordes
as derlaracoes dos prisioneiros. Do dia 21, em que
os adiados tomaram r. linha de Piquirisy, at 27,
em (pie teve Lpez de fngirjespavorido, elle Hmpou
o que chamava o carcere. isto quadrado era que
no seu proprio acamp menlo tinba conservado al-
gnns ceios de presos. A razao que parece dava
para tirar a vida a tartos desditados era querien-
do provavelmente deietirar-se com pressu, nao os
podia levar comsigo!
Dest'arte o cruel alftoz de um povo desditado fa-
zia que o Paraguay se convertesse era um charco
de sangue. Sangue de mulheres de soldados que
fazia matar as trincl eiras. emquanto elle escon-
dia-se no ultimo canto da sua habitacao ; sangue
que fazia verter espinmrdeando aos centos as vic-
timas de seu furor saianico.
Qnal se nao bastas:* a inspirar honor a figura
de um hornera ergu rado-se aos oltaos do inundo
col. rom nina outra figur; nao menos sinislra, euibora
seja de una inulher.
Elisa Lnch, a adu dera trazida dos lupanares
de Londres a ser co locada como um padrao de
immoralidade e escndalo frente de urna socieda-
de inteira, essa mulher depravada apparecc ao la-
do de Lpez, excitara o a vnganca, insultando as
uplar oquadroiie-sa i uiiHtiiiha.uiicaiio seu
Bjn amiiraco. -cnienilmsia-:uo p r essas
an tropas bra-ilei a-, > n'iii curvar-se ib- ve
aerara i ante a, grande figura do marquez de C'.a- mas nao verosmil: un carcter pusilnime de
dal
istona
dcando-ft aos olhos do inundo e
como um bere ile llonn-ro.
Esse lioniem de !>") anuos rom pe lo de o) de la-
digas militares arhou-se por a-sin diz--r so o ino-
mento supremo. Seus biavos conipanlieiror- Oso-
io e Argollo feridos. o liarn dol iuioplioe Menna
Brrelo (Joo Manindi afastados em nutras tirefas,
Linarquez so linha para o coadjuvar um briga-
deiro moco como Jos Auto e coroiieir.de recente
pEraniNjii. A'sna voz. porin, commnda.des de
I^M> que lia 3 anuos erara paisanos, arharau-si
militires. ebeiot de pericia e de indoniavel auda-
cia, cada subalterno era um here. cada saldado
So eiitao ti vera ni as tropas brasileii as o pri- desditosas victimas, ir. dicando os reiinamentos de
.;., ... i.,.,. -... .1.. .1. -_,.......I...... *...,.. !. mi '! i-i.i. nilit cuTi'i'im t\a do. lili ni.. '. nnii'tt Clk.
meiro nnmento de discanso c i ideram timar ali-
mento.
Mas ainlaqu" qaadro con'rislad r.'! Algnns ba-
lalhesacliavam-se reduzidos a melad: de sua for-
e i, tod is os outros estavam ainda minio dizimados,
e todos procaravam enao vi i pisto o-
ofiriacs iflas ralsn'es^ft" o- liaviam guiado ao
> -mbate.
inartyrios que solfriam os destinados morte, so-
bretudo se eram mulheres. A distincta Mercedes
Egusquiza (irmaa do antgo agente de Lpez em
Buenos-Ayres), a forniosa Elelvina Mar.inez, espo-
sa do coronel que caj itulou na pennsula, soffie-
ram tratos crueis nos seus derraderos momentos,
ordenados por Elisa i.inch '.
A celebre lady liaiuilton reappareceu no mun-
general e:n chefe, que em dous lias e duas do, mos excedida, ret horas, acudindo
pessoa aos pon-
ento de consa-
- nao tintn descansad > ti
mi suas ordens e at com sua
ios principaes do combate, t"
errar sua alie ira a fazer resollie os feridos. rujo
numero nao baixava de 2.000 e sepultar oseada-
veres, que excediam dt 3,00 I, ineluiudo os do in-
Subre este objecto coii-'a que dea-s am inci-
dente, como lodos, caractersiieo da fereza de L-
pez. Propoz-lhe o marquez suspender o fogo em-
ipianto se rc?olhiam e qneiiuavam o eorpos: Lo-
p.7. negou-se e at mandou avivar o fogo de sua
.i -Miliaria.
Quatro das decon-eram. entretanto, sem que
se Ihe levasse o alaipie decisivo. Esta demora, im-
posta em parte pela clniva, o foi ainda mais pela
necessidade de transportar a artilharia aos pontos
(invenientes para um bombardeio geraUrenovar
a m un ee* e grande porcp de armamenw), e em
iiu reorganisar os batallioes. que tanto liaviam
r-olTridn.
Ao exercto argentino bi-lhe tambera neeessaria
easa curta demorapara transportar sua artilharia,
reservas de inunces o viv.-r.-.
A*s forras paraguayas que era menos provei-
los.i a denora. Quer ,as de Lombas, quer as de
Angostura, achando-sc cercadas, nao podiam ten-
lar fugir, e eram obrigadas a una vigilancia per-
manente que as fatigava e onfraqueeia.
No da 21 tomou-se una resolucao de verdadei-
nerosidade militar e tambera de hunianidade,
foi a de dirigirem os generaes dos tres exercitos,
brasileiro, argentino e oriental, urna nota collect-
vaaLpoz propondo-lbe jender as armas, pou-
pando assim a intil eftusao de sangue.
A nota dos generaes alliados ser e digna,
euibora exprima com firmeza a intiniacao que o
estado das cousas aiitori-av,!. Todava Lpez se
declara fondo era sna dignidade. o depois de mili-
to palavreio e declamacao manifestou o proposilo
de nao transigir, a menos de-eer um ajuste de pa:
honrosa para todos.
lia, porm na resposta de Lpez certos toques de
patriotismo e abnegarn visivlmente calculados
para fazercm effeito ao longj s ao longc, porque
o-lo de stippor que os gonera-is a quem se dui-
upadas em resistir o
gVanile e geral acommettimento do exercilo alliado:
(i que (' exacto que cLe fugio espavorido, qua-
si wi, einbri'nhando-se na seria ; nessanoite, poda
rejietir com toda a exactidao o melanclico canto
da liufaille pmluede Vctor Hugo, dizendo :
Helas qui me reudra ma redoutablt armef....
Kl ma hache... el mon pewple genou-t!
En o reconheco, e declaro sem hesitar : a con-
quista da fortilcaco da l^mba,alis extrema e
complementar derrota do inimigo, nao 6 um feilo
to glorioso eomo ao longe se ponderar. A verda-
deira victoria contra essa fortificacao foi o do tlia
21 a 22, porque ahi, tonnndo-se primeira trin-
eheira, e taiiibem a linha de Piquirisy., poz-se o in-
imigo em cfirenuifr.
No dia 27 nao houve mais do que o exercilo
alliado fechar, por assim dizer, os traeos de ferro
que abrir em roda de lamba, c esniagar entre
elles o que restara de for vi ao inimigo, vencido
em It"sor, Vieta (ou Avuhy), em j^qtnriy, e em-
flm nessa mesnia posicao da Lomba, no combate
de 30 horas.
Sem embargo, de justica dizer que de audacia
deram as forras dos tres "exercitos a nuiis rabal!
prova no da 27; e sn a columna da esquerda di-
rigida pelo generar fm chefe. teve a fortuna de
rhegar antes ao centro'da posicao, adifferenca com
as-nutras foi curta, a coniar-se s por minutos.
No mais a victoria de 2" foi coiiipletissinia, e tao
decisiva que de certd'scr a ultima da guerra para-
guay a. Lope/, ahi perdeti tudo que llie restara de
armanienlos. de soldados, de recursos; e, o que
para elle mais fatal, perdeu a tosideracao e res-
peito dos seus.
At ento Lpez tinba ido a prudencia de nao
entrar em combate para, im caso de um contraste,
nao ser obligado a fugir; nesse dia teve de o I
Corre agora qU* eonseguio subir em um peque-
no vapor, para tomar, milito cima da Assunipco,
o caminho da Bou'via. Tambera direi. possivel,
Lpez, e sahindo como sabio de Lomba, elle nao
ter coragem para inais do que para se internar
as maltas e brenhas da cordilheira. fligindo sem
rain i. mas apressado, dos proprios e estranhos,
pie de todos teme por igual unta justa vn-
ganca.
Agora rerla-me perguntar: este ou nao o ter-
mo tao desojado da guerra 1
A duvida nao mais possivel, e o imperio re-
conhecendo-o, deve sem apprehenses de nenhum
genero festejar esse grande acontecimento; e deve
ainda mais festeja-lo, porque a tonga contenda leve
o mais formoso e bi ilhante desfeclio que podia de-
lira bravo. |sejar-se.
Foi assim que se brigoii. que se vencen, ei2i,000 | O exercilo brasileiro no Paraguay pz-se jiltu-
lioinens fura de cmbale. 180 canlioV^s tomados ao ra do de Annibal as Al|>es. do de Napoleo no
inimigo. 1,000 prisioneiros, e em siinima Lo iez fu- no Egvpto, e nao trocara a sua gloria pela denB-
gindo, oceulto talvez em alguma cova da sena,di- nliuiii nutro no inundo.
zeui beui alto o que se fez; dizetn que nunca se Do Ilustre marquez de Caxias que diremos
opnibaleu assim em parte alguma do niuiulo, e nos ?
dizem sonre udo que esto fei o grande fecho da O general (lely y Obes. que acaba dechegar a
guerra de i anijos' Buenos-Ayres, e nunca leve occasio de comman-
eciso decla/ar que nao sao fanta>iadoJ nem
hyperliolieos uonmeros que venbo de dar. En-
tre as diversas rresitondencias da Nacin Anjen-
lina, a do Sr. Mallos, que acompanbou liara a hora
oseo exercilo ( ponto de ser um dos que.uarti-
Ihou o alniocu deLopezi.d como exactos estes nu-
mero: e sobre o quadro que apresentava c cam-
po da Villela interessante urna pagina historico-
poetica que 1). ^piliago Estrada com o pseudjonymo
de Humillo (mblirou mi Tribuna ha 3 ou i das.
Mi lo-iis: o X'icHimi aa u tiimex'o de H. subu
titulo fci nmrquez de ruia*; escreve um artigo
pondo e-se general era grande altura dos fwieraes
da poca, i< reronhece sem liesilaco que sefdS fe-
tose habis operacoes estratgicas puzeram termo
presente guerra.'
Mais ou nieiios' toda a imprensa do Rio da Prata
d igual lesteiminbo, calando no imo do pl>ito as
enuilares de nacioualidade e de partido.
De resto, mais eloquenle que a imprensa de mun-
do inteiro fallara os factos.
Onde esto as fortificacoes inexpugnaves de L-
pez, onde seu exercito, seus 180 canbe.-. sua- re-
servas de eflwpamentos? Tudo aniquilado ou em
nosso poder.
O mesmo Lpez, j disse cu, anda foragidb, sem
rumo, sem esperanca talvez de escapar.
, Sua fortuna tinha-a j elle enviado Europa.
pois das djeclaracoes dos prisioneiros resulta que..
covarde e vergonbosamenle, no momento de prin- sera prejttizo de outra- remessas, a canhoneira ita
ripiar o cmbale; e mesmo aos olhos dos ingenuos liana Ardua recebeu inuitos caxes rliapados de
Paraguavos devia ficar e licou nullilicado. ferro, que sciencia de todos continhain d nliero
Antes m,'sino do ataque de 27 informara os offi- "e Jolas.
ciaes prisioneiros que fi rea de castigos crueis Seus filhos, Lpez entregou-os ao novo n inistro
queese podia conservar alguma disciplina QD-eam- norte-americano o Sr. Mac-Mahon, -que ira um
po. isto ve-se de documentos apanliadosBO quar- mez de retajos leve a fortuna de sentir eiiispirar
tel-general de Lpez e que sao aqu diariamente to viva sympathia a Francisco Solano Lpez, que
publicados. este o instiiuio seu testamenteiro, tutor dos filhos
Ha um que prova i, i--c mandado fuzilar um sol- e quasi anta secca domaispequenino de nonke Loo-
dado por ter referido no fogao a alguns compa- poldo.
nheiros palavras que de longe ouvira do A todos pareca nm escndalo que a nobre na-
esses roiiipanheiros foram castigados cora 80 jpau- ijao do virtuoso Washington e estoico Frauklin
ladas.e houve um queperguntando com soberna ao acrodilassc um min.-lro seu cerca de um governo
official se estava satisleito. este ihe mandou dar como o de Lupez, coberto deronbos, de homicidio,
mais 30 pauladas. de attentadorcoutra o direilo.das gentes e sprin-
l'mlcnnm apparece fuziladopor nao levantar-se eipiotde humanidade. Que vai pensar gorao
quando foi chamado ao oque de alvorada; dous mundo vendo que Lpez, parodiando cwiic miente
eiifcnneiios l'or.uii acontados por deixarem o hos- palavras do Rederaptor, diz a Mine. Lnch :
pital a seu cargo. i En alii teu prok'Ctor e diz a Mac-Mahon: Eis
As ordens assiguadas |mr Resquira, general em'. ahi ininha melbor amiga e bcrdeirai !
cbefe de Lpez, para esses e ontro* c Pro/t pudor!.......
cumpridn dos executores, esto aqui depositada-
lypographias. A Tribuna de hontera protnclte col
Lpez en urna declaracao que se arhou em seu
archivo instituio-a sui berdeira universal, porque
mu'tos serviros Ihe hrvia feilo...
Porm tmpo de -oltar s operacoes militares,
que deixei de lado para esboear um ligeiro quadro
do que ia pelo campo de Lpez nos quatro dias
que durou o assedio a elle pelos alliados.
A madrugada de 21 vio romper de diversos pon-
tos em roda da fortificacao paraguaya um bora-
baideamento como ainda nao se tinha visto nesta
gu srra, e Lpez deve i reconliecer que o ultimo
dia de seu dominio ti ha chegado.
Pelas 4 horas da i anhaa arancavam as forras
all adas em tres gran les columnas convergentes.
A da dreita inimi; a (que era a sabida para o
interior!, formada de (breas brasileira* em uniao
cora alguns eorpos argentinos, a sob o commando
do brigadeiro Rivas ( direefao inunedata do mar-
quez de Caxias : era a que devia levar o ataque
principal.
Pelo centro o brigndeiro Jacintho Machado Bit
tencourt cora uh>a n lumna das tres armas, sendo
a cavallaria nominan lada pelo general Castro, se-
cundava aquello ataque.
Finalmente pela esquerda fomis argentinas com-
mindadas pelos cor rais Agero e Gordil lo de-
vi im completar o ataque siiitllaneo.
Esta terceira columna avam-ou com denodo c
eonseguio saltar nina pequea trincheira que o
inimigo defenda com infanlaria. Em seguida aran-
cou at perlo da casi de Lpez ; mas, recebendo
urna terrivel carga os Paraguayos, na subida da
Lomba, teve de recu ir tomando'posicao para re-
fazer-se. O coronel (tordillo, forca de bravura e
serenidade, consegu nianter suas forras em or-
dem. Teve, porin, dous ferimentos. .
Nesse cmenos as outras columnas, e especial-
mente a da nossa esquerda, depois de alguma re-
sidencia do inimigo, e affrontando a metralha que
d-spejavaelle com fu or.linha conseguido apossar-
st da trmcltora.
To rpida e galhs rdamente tinha avancado es-
ta nossa columna da esquerda, (pie, abatalonando
9uas trincheira, nao poderam os Paraguav os. con-
servar formacao alguma, e quando momentos de- opmiao dos generaos Gely e
iilravampela fenle a columua do brigadeui)!6:000 horneo jiaratomar Anaj^H
lecciona-las n'iiin lvro. para que o inundo'l
as conheca e conserve.
Rendida a posicao da Lomba s ficava e:
de todas as defesas paraguayas, a fortissima bate-
ra da Angostura. Diante della se tinham o
vado pela parte de trra, havia 8 dias, algumi
visos brasileiras e una brigada argentinl
parte do rio, distancia conveniente, as divisi
encouracados.
Cora (uanto reduzida ;ra sua forca, a si
topographica eo numero de canhoes faziam.t
se pudesse aviva forra tomar essa fortifleJM
a perita de ."> a fi mil hrinens.(*;
Caxias parece te-lo' reconhecido d
dia e teve a esperanca de penpar ess
exercitos alliados, guardando para o ultimo
que a Angostura, ou limitando-se a rende-la pela
fome.
No dia 28 fez-se guarnicao de Angostura urna
intimacao para que se entregasse: mas
raca. que era mu inglez de nome Km
'onipson. comose di/.ial. e seu immedii
um paraguayo de nome Carrizo, repellirai
macao, mostrando-se descridos da n
Ibes* dava de harer-se tomado a fortit
Lomba.
Rellectinilo, porm. melhor,toBiraai
dar ao campo alliado dous parlamentarioi
texto de que insidiosamente um dosel
cara bandeira branca para pass
sado. Aproveitando a occasio, fr^
parlamentarios fossem por si pr
a Lomba eslava em nosso poder, ^
prolongaran das horas dadas para _
ajustada nina capitularn, cuja nica _
sabirem as torcas de Angostura com si
entrega-las aos exercitos "alliados.
Esta operarn teve lugar no dia 30.
ao meio dia.
As forgas alliadas formram senti-
da da fortificacao de Angostura. A
ragnaya, ao signal convencionado,
cacao, tocando caixas e com
ganas.
A vaneando at o centro do
reclillcaram a formacao dos cornos,
mas em pavilho fez entrega delaj
ra e handeiras, lieando s^^^T
suas armas. A' ordem qu
rain as tropas paraguayas
como prisioneiros de guei^^l
Ao mesmo tempo que i
dos alliados entravam na foi
icando-se simultneamente as
naeoes.
r) Precisamente a Nuci
Falta-me o tempo para dar sequer un extracto
das cruezas e despotismo de Lpez no ultn o tem-
po do seu criminoso governo: mas perconram-se
as (binas desta cidade, achar-se-ho relaedes no-
minaes das victimas, das casas de negocio saquea-
das e do quantum que Ibes foi roubado. Na lista
que boje mesmo publica a Tribuna acho eu por
seus ames e capilaes que g\ ravo :
rem foi
ro-
aespre-
aho,
as ar-
guer-
t^^Biado-.
ura.
Casas bespanbolas 22
Casa ingleza ... 1 (nao havia maisi.
Casas francezas <>
Casas italianas- 6
Casas argentinas. 12
Casas orientar?. 4
Casas allemaes. 6
Casas portugueza- '
Com mn rara excepcao, todos os donos dessas
casas ou seus gerentes, depois de soffrerem tratos,
morreram fuzi lados!
E s agora apparecem a* priineiras provas di'
(pie o sanguinario despola fez do Paraguay. Urna
s mala de papis delle j moslra tanto, que ser
quando os archivos paraguayios seiam abortos s
eseancaras ao same das nacoes cultas?......
Depois deoecupada a Angostura, e emquanto
urna forte columna de cavallaria e infanlaria as
rdens do baredoTriumpho. inoculando apandar
diriga a Cerro-Leon, que diziam ser seu
derradeiro refugio, as forras alladas preparavam-
se e puiihain-se.eni caminlio para Assiimpio.
squadra toda, ou quasi toda, suba,
|ue no dia 3 de Janeiro j l havia for-
issas.
A entrada, porm, do exercilo brasileiro, nico
que ahi penetrou, para mellior garanlir-si a pro-
priedade, teve lugar no dia <
rtava complelainonte deserta, fil-
eos guarnicao que nella hav.a; mas
ero de habitacoes estavam mobiliadas
as tinham deixado. Al movis
pianos, vam-se nellas.
Tendo. | o exercito um numero ronside-
I ravel de ] e fazendo-se regressar ulguns
centos dell wpor ordem de Lopes se dirigiam
para aserra, vindo iambem umitas deJraquee
outros povoad Spcumvisinhos, Assiunpcao prm-
cipiava vida.
Nao temos ate detalhes sobre a ocenpacao da
capital paraguaya, mas era compensaban ha outras
noiieiaf^^^^^Knais positivo.
Estava pi Baarlir urna divisan de encoura-
cados, amoneiras e navios transportes,
3,000 homens de tropa de desem-
jadi^o era '.omar os tres ou (ma-
que consta possuia anda
n escondidos em alguma
qiois oceupando Coimbra
nda existe) seguira ate Oa-
aesquadvilha que l toemos
dar aceo alguma de guerra, tem sido objecto das
raaiores ovacoes nesta grande cidade: opovocm
massa foi receb-lo, serenatas, banquetes, offerta
de una riqnissima medalba, de urna casa tamben.
Se reconhecermos que tudo isso merece s por
te.r-se conservado frente do exercilo argentino no
Paraguay, que far o Brasil, o rico e magnnimo
Brasil, ao marquez de Caxias, que tudo organisou,
tudo dirigi, e de espada em mo combateu pela
honrada sua patria? Que tara? pergunto.
Ab! wn-se ao pensamentoos versos de C Dtia-
vgne sobre Coloinbo:
S> roi van le puijer des man.r qu'il a $afferts,
Bes tresors, des honneurs en change *u monde
Um I roe, ah c'tailpeu.'... Querecut-ilf Desfers...
A historia ao menos ser justa, e apa dous sc-
culos o nome do marquez de Caxias estar no co-
raco agradecido do povo brasileiro, como est o
de'Turenne no do povo francez.
Ainda muito loria a dizer sobre os ltimos suc-
cessos da guerra, mas falta-me o tempo, e nao ha
esperanca de alcance. Breve no entanto continua-
re! a intercalada relacao de factos que forma esta
correspondencia.
Agora que nao se podem ter mais sossobros pe-
los sapcessos militares, eque tambera elles, se os
houver ainda, ser.o de pequeo interesse, teremos
espaco para considerar o que foi a guerra do Pa-
raguay e os efleitos que conviu que ella produza
na America do Sal.
Doixemos extinguir-se os ltimos chos do ri-
liombar do canho; deixeinos ao governo dizer ao
paiz: Basta.de sacrificios, e volte para seu lar o
recruta que vinha era caminho; dexemos tudo
screnisar-se, que a conscrraco exige calma.....
Fecho esta com poueas palavTas de felicitaco
ao governo, dos diversos credos, que, seguradora
mesmo'inspirarn alia, digna c patritica, nao
desanimon nos'contrastes e boje sobre asininas
do poder ominoso de Solano Lpez levanta illesa a
honra do nome brasileiro.
Quanto ao paiz. se lauto soflreu, nao se poupou
o sangue de seus (libes nem sua riqueza, se empe-
nliou seu futuro, se 10,000 viuvas e 20.000 or-
pbaos arrastam o lulo dos bravos que suecumb-
rara na peleja......Oh! a esse preco o Brasil se le-
vantnu cathegoria da mais nobre, forte e inven-
sivel nacao americana.
A ess preco tambera comprou a paz e o respeito
de seus visinhos por meio seculo.
Seria caro?
0 futuro o dir.
13
(Ultima hora.)
Nenhuma noticia chegou de honlom para hoje
do theatro da guerra : tambera nada espera-se de
prompto a nao occorrer a captura de Lpez, ou
dados precisos sobre sua fgida para a Bolivia.
Tambera da expedico q ic deve ter subido da
Assunipco para o Alto-Paraguay as noticias se-
rao demoradas, pois se nao fr a captura do algum
dos pequeos vapores de Lpez, que se sabe esta-
rem escondidos, a expedico nada ter que com-
raunicar antes de sua chegada ao forte de Coim-
bra- j j,
Referindo-ine s carLas c pessoas ehegadas das
Palmas, ha tres dias, posso anda accrescentar al-
guns factos minha correspondencia de hontem.
Segundo as ordens do marquez, a Assiunpcao
seria oceupada como una praea de guerra, pos-
to que assim a declarou o governo paraguayo lia
mezes.
Todos os edificios pblicos seriara, tomados para
hospitaes e depsitos do exercito, mas serian
estrictamente respeitadas as propriedades particu-
lares.
Dispunham-se muitos navios, que j estavam
as Palmas, e outros que earregavam em Corrien-
les. a subirem at Assumpcao. mas parece que nao
se tinha ainda permittido o accesso tranco ao coni-
mercio.
O que se confirma que militas familias ara
recolhendo-se capital, se bem ainda o fizessem
com sobresalto, o s leavam tranquillas quando
se achavam sob o amparo das forcas adiadas.
De Lpez nada mais s#8oube, e claro que nao
acontecera isto se elle estivesse remirado gente ou
fortificando-se em qualqner poato do territorio. O
Paraguay nao a Russia em extenso para que
nao houvesso sequer urna vaga noticia, urna vez
que Lpez oceupasse militarmente algum ponto do
paiz.
D'aqui deduz-sc que elle j deve ir em caminho
da Bolivia, sendo este o pensar de muitos prisio-
neiros, que alias sao uoanimes en iulga-lo com-
pletamente perdido. Eu, porm, teBBo outi
ILEBIVEL
ceio, e- que elle se conserve oceulto era algum pon-
to longinquo, at que um navio de fuefra estran-
geiro o receba a seu bordo com tudo que quizer
ou poder levar comsigo.
Nem se diga que depois das atrocidades por L-
pez commettidas nenhum pavilho
urna uacao que se respeit'', ha de abrigar esse
novo Cim.
Quera se prestou como a cauhoneia la
Ardita a reconer c trazer aqui, para seren ei
dos Europa, os ca uro roubados a tan-
tos desditados, i Italianos, como ni
A verdad que os agente estrangeiros, autori-
sados acerca dogorern > de Lpez, e Iambem1 aquel-
los que occasionalmente a elle se apprmdmaram.
devem urna jiistilicaco a seus gevernos e ao mun-
do da annueura que deram cora seu silencio s
atrocidades daquelle despota sanguinario.
A imprensa do Rio da Prata ainda nao sepro-
nuncou a resp*ito como devera fazc-lo, mas vo
ja apparecendo aiedas insnuaeftes contra taes
agentes, e algn jornaes promettfii voltar cedh
inaleria.
que a sociedade argentina est profundamente
iinpressionada coyi a vericacao das crueldades de
Lpez, e o luto que arrastam mais de 50 familias
paraguayas, argentinas, italianas, franrezas, ctr.,
ida certeza que buje teeni da morte de seus chele
ou parentes, c um esprctarulo que exacerba O ge-
ral resentinieiito.
Devo aqu ndrir mn episodio. O coronel para-
guayo Martnez, que capitulon na pennsula, na
tinba acreditado o que se Ihe dizia des tratos da-
dos sua esposa e duas tennis ulnas. Agora, po-
rm, colhendo a evidencia do facto, ftVou como hin-
co de dr e de raiva.
Foi greta das Mercs, e l prestou o juramen-
to solemne de tirar a vida Lpez onde qur que
o podesse adiar, fosse dtmtro ou fra de seu pab.
na frente de seu exercito ou sobre o leitode mori-
bundo.
Era seguida embareou-se para o Paraguay, pedi-
r ao marquez um, dez. cein bomens, os que quizer
confiar sua lealdade (que leal deve ser, pois um
bravo), e dar caca ao tyranno por airares d*
matos e lirondas.
Este facto causou sensaeio, como tudo que se
refere s crueldades de Lpez.
o assumpto de todas s eoarersacSes, desde a
belsa al o estrado das senhoritas, e "sob todos os
pontos de vista anah -ado c commentado.
..Antes de lindar esta rarta, vollarei materia do
una forma mais esperial.
Dirri agora que estou redigmdo estas 1'uihas de-
baixo da mais angustiosa impresso.
Se eu fallasse romo individuo, diria que se trata
de urna cruel noticia referente a um amigo de Si
annos ; e, fazendo-o como o correspondente que
mais se tem oceunado da presenta guerra, declara-
rei ainda, um aos maiores hroes d'ella que me
refiro.
Desde anle-hontem tive eu noticia, por pessoa
vinda do exercito. que o intrpido baiSo do Tiium-
pho, tendo sido accommettido de urna febre perni-
ciosa, e descuidando-a para desempenbar o encar-
go de perseguir Lpez, tinha sentido aggravar
sua molestia a ponto de se conservarepi puncas
esperaneas de o salvar.
Agora mesmo dizem-me que ontra pessoa che-
gada hoje acerescenta que b hroe do Pilar, do Ja-
car e do Avahy tinha j siiccumbido !
Ser isto um accrescno por induc;o daquella
primeira noticia ou tui o imperio, e sobretodo a
provincia do Rio Grande, de chorar inais urna it-
lustre' victima ?
Nao posso sab-Io, mas por todos os meios
mcu alcance averiguare! se falso o boato para o
desmentir na primeira occasio.
Altos e irapnetraveis sao os designios da Prori-
dencia, mas pareca natural e justo que o primei-
ro paladim do exercito brasileiro vivesse para vol-
tar patria, c rereber d'ella o premio de tanta ab-
negarn, de tantas fadigas, de tanto herosmo dis-
peuddo por ella, e s por ella !
Es|ieremos, pois, esperemos que a fatal nova nao
se confirme ; nem sena a primeira que de um ge-
nero anlogo tem aqui vindo. Osorio, Argollo, o
mesmo marquez de Caxias, foram algumas rezes
dados i>or morios, e o desmentido felizmente nao se
fez aguardar.
Eu disse ha pouco que tratara especialmente
das crueldades do despota paraguayo.
Pois bem, a Nacin Argentina de boje publica
sob o titulo Ferocidades de Lpez o artigo que se
vai 1er. Eu, traduzindo-o, cora elle encerrarei
este alcance ininha correspondencia, porque na-
da posso accrescentar-lhe mais de aetualidade.
Observarei todava o seguinte :
A Nacin nao um jornal declamador ou atra-
biliario, mas antes muito sizudo e comedido, seus
escrmtos tem dentro o fra do paiz bastante auto-
ridade. Assim o seu artigo de hoje deve merecer
todo crdito, muito mais quando se declara a ori-
gem qas informaees colindas. D. Adolpho Sag-
nicr, que foi o informante, cabio prisioneiro, fe-
rido nas duas pernas, rmo do rico negociante
argentino D. Carlos Sagnier, e cunhado do depu-
tado Dr. Quintana, que to hostil se raostrou
allianca na ultima sesso do congresso.
Eis o artigo :
Ferocidades de Lpez-
Novos detalhes.
O capitn D. Adolpho nos fornece os segrales
detalhes sobre os actos de barbaria perpetrados
por Lpez. .'. ~w
Lpez fazia castigar os prisioneiros cora SW,
1,000 e 1,200 aeputes antes de os fuzilar.
0 Dr. Carreras foi assim acontado da maneira
mais barbara.
0 Sr. Sagnier, que se acbava vista do Dr.
Carreras, tambera com ferro aos ps. havia cinco
mezes, tudo presenciou. e refere al os gritos que
dava o Dr. Carreras aos golpes do taco e das ch-
balas. v .
Bergcs foi tambera aroutado antes de ser uui-
'ad0- /, .
D. BB^igi0/Lo|>ez (irraao do tyranno) lo tam-
bera despedafilo a acoutes. O Sr. Sagnier vio-o
e conhece o carrasco que o acoulou. Chama-se
Aveiros, e foi oulr*ora escriv de governo e fa-
zenda.
O marquez de Caxias tem prsionoiro ao capi-
to de cavallaria Mathias Goigur, que foi quem
commandou a execucao de Benigno Lpez, gene-
ral Barrios, bispo, deao Bogado, da mulher do
coronel Martnez, de D. Mercedes Egusquiza, D.
Dolores Recalde, e entras pessoas cujos nomes
nao lembra.K
Isto aconleceu no dia 21 de dezembro, e assbsti-
ram s execucoes, por ordem de Lpez suas anas
irmaas D. Innocencia, mulher do general Barrios,
e D. Rapliaela, viuva de D. Saturnino Bedoya, que
Lpez fez morrer no tormento chamado Cipo
(tronco} Uruguaqana. e seu inno Venancio, os
quaes depofs da execucao foram levados para o
interior n'urna carreta, sera se. saber a que ponto
se dirigiam; *
A grande BBioria dos presos soffreu torturas
de toda especie, que consistian no Cepo Uru-
guayana. nos acoutes e na fume.
Muitos desditados condemnados tortura mor-
riam diariamente aos cinco e aos seis por nao po-
derera resistir aos tratos e tome. Todos esses
horrores inauditos succediam a poucos passos,
cm presenca de D. Adolpho Sagnier, que igui-
monte estava na tortura com uniajbarra de ferro
de quarenta e cinco libras de peso, alm do ten
de taco, permaaecendo assim durante cinco m
ao sol e a chuva como todos seus CTrneanheiros
de infortunio.
Este seuhor ignora
da via presume i
ra processar a





razio foi logo
a sorte deltas, f
no para
lUtfphue malvad
.'epo UruQttaya-
peior qie

I llf c^' "i, *^v*"^ >" "- --------- "-----"- _
uta a receber a pessoa do men I-onez. se la inquisicAo no temi de Torquemada.
asim Ih'o pe 1 Apenas lbe loi aplicado, petdeu os sentidos, e
',."


*
2 .638! 30 0 Drio de Pernambuco ~ unda feira 1 de Fevereiro de 1860. 083MtfH .tf\ CMMA
"*
quasdo tornou a s achou-se na sua a litiga paaicAo
no cepo de.laco e com ferros aos ps,
Fe a marc-fea up d S.- Fernando a Vidria,
.-ndj os ps eMdsaos, e. extenuado, pelos sofl'ri-
inentos rejfcuea-se, eonio os mais, a cssa tremen-
da mareta i qnarenta leguas por cammhos im-
pratiravois, pisii ordeinrera de'matar i bamaeta
indhlincUiuentc todos os que eansassem. fossetn
gen<5raes, chefes, oflleiaes soldades, preso, <-
eerdotes, mullieres, enancas, vollios. ommu todos
os que Tazian o trajelo; o, como era nal nial.
muitos infelizes eakiram par tem desfallecidos,
pedindo por Deus em fritos que Ih.-s dessem utn
s momento de dcscaaso, aflm de seguir adianto
Purm a erdem do facinora ra terminante, e os (
que cahiam eram exeeotados sem pv Jada pelo os-1 tal, botica e
Jiirro Hilario Marco, entibo chefe de polilla da As-1 para a illia
sumpeo, muito conbecido de todos.
intil querer dscrever os ;u-tos do malva-
do liopex, jwrque ha voz para narrar esses horr-
les inauditos execiitados no seculo da eivHsaco.
Cls que tiveram lugar nos tempos mais liai Da-
ros nao alcatreain nem com muito a assemelhar-
vista.
>ao tera nma seqner das virtudes -do militar.
'iAarde como ninguein, longo sompre do perigo,
todo scu enipenho era sacritiear em-cmbalos i ilu-
tis ate o ultimo de scrs soldados.
Nos das 21 e 27 cahlram todos, e os que com
Me escaparan) van n* sua mor parte flidos, fal-
lando-lhe no Interior recursos de homens e de .nu-
icoes. S lle lleaRi tres ou (marro pequeos va-
pores escondidos nos arroios 4o Alto-Paraguay,
unte tinha lamben alguna recursos insignificantes,
de que ter dado cabo a expeJrco que marchou
m sua procura
Entre os carrascos mais caraclerisados que o
tyranno tinha a sen servico, podemos rita)1 com os
nomos c sohrenomes os 'mais notaveis, deixando
pan outra occasiao os de segunda categoria
Uooiein sS horas da maubia tcntou sweidar-sc,
dando tres gol m no pescoco com mea faca opm-
Lmiun, opoiugtcx Joso Aatonio Sarniento, morador
.lu i'stajagem da ra do Riachuelo n. 5. Compa-
reeeu o respe) tivo subdelegado som o medico ve
rilieado'r da Ireguezi, que prestou oaiprimeiros
fsoceorros ao f;rido, sendo cs*> depois remettido
para o hospital da santa casa da Misericordia.
Daa aerlaraoes leilas pelo inesiuo Sarment
resiilu que < i levado a praticar scinemante acto,
por Molestias desguato* e falta de ineios.
19
S. M. o lmj erador, companhado de seus sema-
narios ebegoe ao arsenal de marinha bontem. as 9
horas da machia, e percorreu o respectivo hospi-
lais deaendancias; dirigio-se depois
das '.obras, onde visituu as diversas
oflicinas; seg do para a Arinacao e d'alli regressou
aq arsenal (le faena, e ao rerar-se para a quin-
ta imperial, do S. Christovao visitn o hospital
militar.
---------
l'or decrete>5 de 16 do corrente mez;
Foraui nomeados cavalleiros da ordem de S.
l.'ut.i de itcvii os eapitaes de fragata loao Antonio
Alves Nogae ra, Joaqnim Francisco de Abreu e
Augusto Ce-ar Pires de Miranda, os capitaes-te-
nontes Berna rdmo Jos de Queiroz e Francisco
Romano Stepple da Silva e o 1* lente Carlos Ra-
mel; c os ofllciaes de 1* classe' do rorpo de fazen-
da da armada Alexandre Lzaro da Luz e Joo
Baptista de Oliveira Gama, e os de 2' classe Bar-
thoir.eu Jos .Moreira e Justino da Rosa Fialho.
f 'Wc*! ni e a Catharina Poster, viuva do ma-
ehiul.^.i ila irmada Hobcrt Fetfer, a pensao de
^flii a'iiiiiae?.
rii.innii.co que, sem embargo ihi lapso de tem
,.
Italia urna nota, dizendo-lhe#i?v;,.'inqnanto oh seus
Iminpatriotas erarn espingarucadns e n.ubaeoa,- os Augusto de Oliveira, o sargento ajudaute A^
agentes Italianos rio Paraguay somante cuitovam de Barros Teiy.'ira. o lu-inieiro cadetj Jos'oa
Costa Paiva, o sargento quartel-mestre Aman^f
Sao os egunles
General Resquin.
Tenente-c^iduel Hilaiiu Marc.
Tenente-ciirincl Germn Serrano.
Os padres Maz e Romn.
Maiz fui o que esleve preso tres anuos, accusxdo
de pouspiracao. Depos*sc desdisse de tuda e s-
bado da prisao converteu-se no mais brbaro o
truel carrasco de L>|)ez.
lab Caminos era mu nutro alg.iz, que htfgava n
unidava executar por sua conta. Tanibcm mn
licin, e o Avciros, que cima nomeamos.
Entre os estrangeirus que tem soffrido os lor-
mentos achain-s.' ae todas as nacionalidad-s. lo-
^toies, brancezes, bespanhes, uoric-aniericanos. ita-
lianos, portugueies e allomaos. Nao ha que fallar
dos argentinos, orientaos c brasileiros. por (pe es-
tes furam saoriQeados em massa.
lntre os que podemos mencionar, ao correr da
(una, de framceze morto* a atontes,esToos Sis.
Anglade o l'liilisbert. Compre observar que nao
se livrou de levar multas planchadas dos esbirros
4o a
nli'
i:
in
llM
P
I'
i c carta de cavalfciro 5a ordem de Chris-
' ( 'igiao-mr de drffeao Joao Pires Fari-
em salvar os bens do dictador.
No Estado Orio nal reorganisou-se o nmstm.
Foram nomeados ministros do interior I), jp
Bustantatile, de esrangeiros o Dr. D. Alexandre Ma-
Salinos i'.eivantcs e da fazenda D. DuneanStewart.
tiMi'iiii'-cii-iiin.'l 1). Manuel Pagula fui uemeado
clicfc polilicodo dejtartaraento da capital.
Por va de Montevideo fainos obsequiad* a pelo
commaftianle do vapor Gerente, rom Sflhaa ilu Kio
firande do Sul que alcancam a 12 do c irftate.
Fleava interinamente enca rogado do ropuiiando
da-varmas da provincia omarechal de camim l'ratf
risro Antonio da Silva Bitteneourt, em bstitulcio
do^rneral Guilbernie Xavier de Ronza, que segio
para o exercilo en) operacao no Paraguay.
Fiea nomeado commandanle interino da frontei-
ra de Quarahymo coronel eoiuiuandautc da guar-
da nacional de S. Bonn, Aiitaqio Fernaudes "Lima.
O governo'da provincia ordenara que fosge sub-
metidoaprocessode responsahilidadc.por \iraban-
donado o emprego, o Dr. Antunes Guimaraes, juiz
municipal do temi de Sant'Anna do Livtamento.
L-seno Artista:
Concluio os seus irabalhos na semana passaA
a rommissiio que por parte da alfandega desta ci-
dade fura nomcada para proceder a arrecadarao
dos salvados da [laca Ditas Irmans; naufragada
na costa do Albardao. tendo ja regressado dahi o
Dr. juiz do comuiercio Rufino lavares de Almeida,
seu escrivo o Sf. Manoel Jos da Soledale e o 4o
escripiiiiaiio da alfandega Joaquim de Miranda Ri-
beiro, os quaes cuiopiirain com uiuito zelo e acti-
vidade a espinhosa conunissao de que se tiuhaui en-
carregado.
Km leilao auniiuciado |n-la alfandega, seraar
I ii -se a exonerario qui; podio o Dr. Joao
II Oliveira Mata do lugar de delegado da
' i p maria c secuiidaria na fieguezia de
11 ta inporial da mesina dala:
ri lineado0 bacbard Joao Casariodos Santos
ii nk provincia de Sauta Catharina.
i' i crol isde 1G do corrente :
.*. < onl'ormidade das disposicoes do 8 Io do
ar! .la Ici n 6i8 de 18 de agosto de 1852, fu-
ra -1 H.i na los o
do exercilo Dr. Joao .Manoel do Sacramento, e o
f apilando !'! balaltut) doiufantaria Laurcntino de
S. Pedro Nevss, visto sotrereni molestias ineura-
tonio
oaquim
Tes do Nascimento, e o tc'rceiro ulbcial, da paga-
(Vrb Franci < > de Borja de_Aluieid!u Orte-Real,
que contauia coto a romniissao de enenlo.
Guardt nm::mul .Para o eilado-maior da
qiiiirdn narhiio'da Hm Grande.A tenente-coro-
fi% o uwj..i Uiz Alves reir.
A majiiri, os capital Francisco Corrija de Mel-
lo. Manuel Jaeintho FagWdes e Antonio Marques
FrtMa.
A capities. os lenles Andr Alvos de Oliveira
lliloe Custodio Carlos de Araujo.
Foram tambem rommissionadoii em a mesma
anliguidade de 11 de dezeni|ro cvenios ofllciaes
d exercito, e promovidos ontros di. guarda nacio-
nal, e dos corpos de voluntarios, como abaixo pu-
blicamos :
A coronis de commissao. o terente-coronel de
engenheiros Ruliuo Eneas Gustavo Gal vio, e dito
do tstado-inaior de primeira classe Ciarlos Bcsr
FiB.
A tenenle-coronel em commissao, commandanle
do quarto de caradores, o major Manoel Jaeintho
Osorio. '
kjA bMUtle-coronel commandante do 10 de guar-
da-nacional, o major Urbano Rodrigues das Cha-
gas, e a major para o mesmo eorp o capitao Anto-
nio da Fonseca Riquinho.
A majores de commissao, os eapitaes de caval-
laria Joio (ludido Guulart. Jos Diogo dos Res,
Osar Augusto Brandio, Placido Bialho do Olivei-
ra Ramos, Pedro Antonio DiaS, Jo^ Almeida Bar-
reUi, o capitao de voluntarios Francisco oilve.ii a
Filbo, Joio Jos de Mello e Antonio dos Santos
Lontra. os eapitaes Je infaalaria Augusto Rodri-
gues Chaves e Rapliael FflAdes Lima.
A eapitaes. os IenenteslHB)ia|no Jos Gomes
de Paiva. Jom- da Costa Pellado. Jos Simeao Tor-
res. Reinaldo Sua res Louzada, JoSo Costosa da
Por derrito n. I,9H da mesma data antorisou-so
a incorporaeao da sociedade Jockey Club e appro-
varam-se os respectivos estatutos, salva a disposi-
cao do art. 27, ipue tica -supprimida.
Por porlaiias de ii di) correte :'
Ful exonerado" do" lugar de ajudanl de- ordonS
da presidenciajla iirovincia de Santa Catharina o
alferes refonuado Jorge Rudi'igues Cidrera.
Transferido o lenle do corpo de *lado-maior
de 2" ciaste Joao da Silva Tonvs do higar de aju-
daute de ordens da presidencia da provincia do
Paran, para o de ajudaute 4; ordens da de Santa
Catharina.
Nomeado o rapio reformado Femando Ferreira
de Abreu para o regar de aldanle de ordens da
presidencia da provincia do Paran.
DIARIO DE PERNAMBUCO
rematado o casco doinesuio navio.lviu como os se-
gundes salvados: 132 pipas mu vinho, 1. e ineia
ditas dito, Cl harris de quaito di'wi. ;j;t caixas cun Cunlja, Vasco Alfonso de Andrade'Neves. Amonio
'quides, ti rolos de esleirs, una laucha, um bote. Mximo da Silva. Antonio J e todo o maeamo e diversos objeitos mais. i
As folhas do Rio-Grande publieam a segumte
relacao dos offleiaes promovidos por distineeio,
pelo maivchal niarquez de C:\ias, rom .nuliguida-
dede 11 ile dezembro de 188 :
Corno de engeimeiros.A capitn, pelo relcvan-
2"cir igiao'do corpo de sade |fifr*',,:i Pastados como dirretor geial dos-tc-
legraphos. ocapilaode conunissao Aly.iro Joaquim
de Oliveira.
Estado-maior de primeira classe.Amalares, os
veisqueosnrnam inrapazot do continuar no sor- majores de, commissw Julio Anacleio Pnlcao da
.VICO.
Por portar as de 18 do corren;- foram declarados
sem effeitn:
O decreto de 27 de fevereiro de 1867, que nd-
nie mi n kflcharol Agostinho Julio do Coulo Bel-
nioiiie juiz municipal da vara da capital do Ma-
4aXyawoouMeelkrdaco*slado (ranees Mr.; animo, por nao ter irado o respectivo titulo no
Librrtut, que passou para Europa, nu'iiualidaae de
tuvo r por ordem dtlJ)tez, na canhonerra fraiurzu
Drridt'e, .
Os italianos eaoilao Fidanza, (Ion? roaos Sasim.
Bibaud, e outdsV '-, ^
Inglezes, Slarek. e ontros cojos nomes prof ros
nao temos prsenles ueste iu.laiUe. porcm os
liosos ou as partea interessadas p'oilerao sabe-loe | o titulo no prtso da lei.
do eirurgio inglez M. Sluars,que est aoiacl
lodos.
praso legal: e bem assiin o decreto de 28 de mar
ea de I8W, queo removeu para o termo deCaxias.
na niesina piovineia.
0 de li di setembro de 1807, que nomeou o
baeharel Lufc: Alves de Almeida Predas juiz muni-
cipal e da prpbios do tormo de Paranagu na
provincia de Piauhx, por nao ter tambem solicitado
!e
20
Por despacho de 18 do corrente foi exonerado,
Alemaes, os Si. Ncwman, Gtukivo Hamarif-e I como pedir, Joaquim Saldanlia Marinho Jnior,
do lugar do manilense da secretaria de oslado dos
negm-ios da niarinha. e nomeado para o mesmo
emprego Joai Henriques da Conculcan.
ouiros mais.
' Hespanhes. lialdrraga, Elordoi, Fribee varias
oulros.
Portuguezes, o cnsul de sna magesladi llde-
lissima Leite Peroira, o vice-cOnsul Vasconct los
outros.
Ja referimos que os argentinos, brasileiros e
oiientaes foram sacrificados em massa.
Urna circnmstaniia especial, e nica talvez no
inundo, deu-sc con) o coronel Laguna.
Herebendoo fogo dosaliradores, foi alravessado
por qualro balas : nao obstante assentou-se de
novo, e pedio que acabassem rom elle. Segunda
\ez receben o fugo, e tornou-se a assentar. teudO
o peito despedazado! Alirarani-lhe anda, e. de
novase ergueu.' Assiin conlinuou o drama :re-
uieiido at ipiinta descarga, ern que cabio fin
vida.
Os bolivianos que pas.-arain por santo-cora cao
.para uegociarcm com o tyranno foram lodos, sem
xcepcao. sacrificados eni conipanhia dos ebcfss e
offleiaes que o general Saa do Ponto tinha uum-
dado a Lpez por via de Bolivia.
Gaspar Campos e Tolmo Lpez foram os pe
mais Boflreram pela lome ; por que na inmensa
1'or.porrarh de 13 do corren! foi exonerado o
baeharel Guiavo do Reg %acedo, do lugar de
rtele de traco da estrada de forro de D. Pe-
dro II.
Por decreto de 2 do corrente foi nomeado Ray-
muudo Andio Salazar major commandante da sec-
Qao de listaiho da reserva n. M da guarda nacio-
nal da provin-ia do Maranhao.
Por decrdtoi de 9 foram nomeados :
O baeharel Joaquim Rogerio de Oliveira, juiz
municipal e. de orphaos do termo de Queluz, na
provincia de S. Paulo.
O baeharel Joao unes Ranialho, juiz municipal
e de orpbaos lo termo de Patrocinio, na provincial
de Miuas-Goraes.
(i baeharel Juvenal de Mello Carramanhos, juiz
municipal e de orphaos do termo de Itajub, na
mesma provincia.
o ba*'harel Luiz Gomes Ribciro, juiz municipal
: e di' oiphaos do termo da Januaria, na mesma pro-
pon ao de presos eslavam retaguarda, DlUitOpcr- j vmcia
to do Sr. Saguier, c 0 preto que distribua a raco' O baeharel Maxiniiano Augusto de Barros Oo-
1 bra, juiz mu ieipal e de orphaos do termo de Ja-
guar), na imsma provincia.
O baeharel Francisco Xavier de Mallos Telles de
Meiiezcs, joiz municipal e de orphaos do termo de
Maroim, na p ovincia de Sergipe.
que consislfa em um pedaco de carne as 10 lio
ras e outro as 4, sem duva goslava muito de
carne, e depois de estar bem repleto (TOO s ho-
jas indicadas se diriga s victimas, e as retes a
dislribuicao nao chegava a todos. Em tal situa-
rn mullos 'elles, extenuados e com urna natu-
ra mais dbil (jue os oulros. suerumbiaiu mor-
Mudo assim fue cada dia oito ou dez priaio-
ueiros.
Foram mar nomeados para a guarda nacional
das seguintes provincias :
S njiye. -o capilo Jos Francisco de Siqueira
Sobral, major ajudante de ordens do eslado-maior
inaudito que no seclo do Megrapuo, que em do eommaido superior dos municipios de Baran-
'achlado a comiuunicaco inmediata entre todos gelras eSanti Amaro.
os pnvos e por tanto a nuirigemao dos costutues
wiai? duros dos paizes nao civilisados, se tenharn
nsllln a comiiietter atrocidades semclhanles, lo
pe lo do nos. e na preseiiea de rauitos agOBtes es-
iranieiios, que de algum forma cni ella os au-
: iisavam, e (pie lendo tido osles coininunica.;o
Irequenle. por miao de canlioneiras de guerra,
nao tarima preteetado ou fgido dalli, se nao li-
Jibam eoiageni para fazer o pi'imehn, alim de |-'-
hIm- jusiica a seus governos, e com essepasso Bu-
inanilaii salvareni lanas victimas innocentes da
leroeidade selvagmo de Lpez.
Lunge disso. liearain-se tranquillos, embarcando
os thesouios roubados a naconaes e eslrangeiros
e tn cofres pblicos do Paraguay.
Agora resUi-nos ver (|ual ser o governo QOe
aceile em seus estados tao a-oz cruuhioso. Bie-
re saberemoa.
O malvado ganbou as selvas, indo provavelmrli-
le caniinho da Bolivia. Se ebgaC aquella rep-
blica ranos o ecomniendaiHos ao general M'l-
gan-jo, uo paia que proceda a um juizo polico,
p llr em noiue dos mais sagrados ihreitnsda hunia-
ikdade calcados aos ps por aquelle monstrO, | SSO que em tal seuldo Lpez justicavel ames
lodas as naces do inundo.
Por boje ajrai paramos, garantindo a authenli-
-.idade destes deUlbes, que lodos, repotimo-lo, lo-
ian-nos tiansuiuidos pelo Sr. capitao Sagnier.
INTERIOS.
lio de daorlro
17 de Janeiro de 1860.
IS>r de crotn de li do corrente foi ..
fr Bento Jos Ribeiro Sobragy do lugar de diree- P"''1 para^iaN,-.
(or da estrada de ferro de D. ivdro li, viiuo
aehar-se em Ixmdres em commissao do goveru i,
na qualidade de inspector das estradas de ferro
subvencionadas, e nomeado para o substituir o
eoinmendador Mariano Procopio F. Lages.
Por decreto n. 4.1119 da mesma data eoneedeu-se
a Gnilheriiie Van Vleck Lidger'nol privilegio, |ior
15 anuos, para labrieai-, usar e vender no imperio
anas de despulpar, separar e beneficiar ocafe,
q mes deeuou baverfeilo diversos aperfei-
<,-oamen.'os.
Por pertaria de -10 de deaeuibro ultimo foi exo-
pemdfl d i Iiiti de prol'essor de primoiras lettras
do arsenal de guerra da corle Gamillo Ferreira d
Andrale, e por oulra portara de igual data foi
nomeado para substilui-lo llenrique A. Kopke.
18
Entrn hontem de Bucnos-Ayres o vapor ar
gemino 1'atogoHei,. que vem faner reparos no di
que. As follas que traz do dia 8, data dos ultimo
telegnunma* receidos por Montevideo, nada refe-
rem dn intoresse. Na manlia de 9 quando sabio
o vapor tambem nada de novo conslava do theatro
ds guerra.
O fttcional de Duen.'is-Ayres de 8 do corrente,
entre oulros documentos eneontfalos no quartei
ral de l.opcz, publica um-mappa detalliado da-
lonas exisleiiles em Serr Len a 20 de dezeiubro,
oom espeeiflea^ao de armas e classes.
Dofj mappa, assignado pelo sargento-nir Ga-
briel Soza. iouuiiandante do acampamento, v-se
qnc Cilstian pertencen'es ao exercito e capita
?8 homens de artilharia, 188 de infantaria e 91 de
eawllaria cem 7 ofliciaes. Havia mais 635 homen
de infantaria e 40 de cavallaria com 16 offleiaes,
aatodo 1,020 homens com S3 odlciaes el che-
t: Desta forra 125 soldados e 4 offleiaes eslavam
nuarnecendo os pontos de Estacin Eucrucijada,
Eslicioii Pirani, Estacin Famarral, Passo da Cor-
ddfcuira de Escurra e Pasto da Cordilueira Pe-
dro*.
Jos Barbosa de Oliveira, capitao secretario
giral.
.l/tuiliis.( capitao Joaquim Albino de Oliveira
I.e-sa, leen ti -coronel commandante do batalho
de infantaria n. 18.
Foram rein egrados no exercicio de seus postos,
em vfsta da npresenfacao do respectivo presidente,
os seguintes i fOciaes da guarda nacional da pro-
vincia do Piai hy.
O coronel commandante superior do municipio
ile S. Raymuudo .Nonato, Benedicto Ferreira de
Can aillo.
infantaria n. 2. Carlos Mendos de Carvalhn.
O major commandante do 1" esquadrao de ca-
vallaria, l.udgcro de Moraes Reg.
Foi reformado, a seu pedido, no posto dr coro-
nel, o tenenie- loronel commandanle do 2" batalho
de infantaria da guarda nacional da mesma iro-
vimia, FranciCO Mendos de Souza.
Foram dedirados sem elfeito:
< IS decretos de 8 de julho do auno passado, un
que reformo* o coronel commandante superior da
guarda nacional do municipio de S. Goncalo, na
provincia do Piauhy, Theolonio de Souza Mondes ;
e outro que n. meou o capilo Raymuudo Antonio
Bornes para o el'erido posto.
21
Entran banDudo Rio da Prata o paquete baa-
pez Anus con folhas de Bucnos-Ayres e Moutc-
viilo al U 15 do corrente.
No na l o i;i"osso dos exercitos aliiados entrn
na Assumpeio donde na vespera ja tinha parti-
do nina expedico por agua para Matto-Gi osso,
alim de roslabt lecei1 as eominuiiicacoos c.om aque-
ja piovineia
i) Sr. niarquez de Oaxias apropriou para quar-
exoncrado o ilrtis Iwptta todos os edificios pblicos da ea-
a^uaj, ordenando, jiorni, que se res-
i!lasje rWigJtjMOaate a propriedade particulai'.
No eiupeuho temanter a ordem e inspirar eon-
lianea aos vencidos, orgauisou-se ali um corpu es
pedal de po-li-ia. Com elfeito, as familias prin-
eipiavam a re-olher-se a seus lares, e sombra
das armas aliiadas sentm-se seguras e tranquillas.
in Serr L*on smente mullieres, cjiancas e
geni.' inerme fo.encontrada. La ella voltaudo
Assumpcao, p ;. noticia do bom agazaliio que en-
ronlrava da parle das aliiadas nao tardara apro-
duzir, o*pall)aniluf#e ao longe, os seus naturacs
ell'eiios sobre o que restava do puvo paraguayo.
Lpez dosapparecera sem deixar vestigios, ao
menos niiigueni sabia indicar o ruino que levara.
un1. iiisnos o ponto em que se achava. Ora.
cuial u poileudo suppor queestivess<' ello em qual'
quer piule com torcas organisadas, sem que logo
corrogao a noli ;ia, pareca altamente fundada a
presulimeSO' geral de que se bouvesse eseapado
para a Bolivia, ou que errante e fugitivo se enn-
seivasse oceulto, esprelando occasiao de pausar-
se para bordo .le algum navio estrangeiro.
C-iusa horroi a narrar o das alrocidades coin-
inetlidas nos ql irnos momentos pela ha para-
guaya, que pareca empenhada em nao deixar
ajuis si folego "vo no desgranado paz'quo via
prestes a escap ir-lhe das garras. Esta narracao
i^ui parid feita pelos pcjaioaeiros, em parle cons-
U de documentes que o governo argentino eslava
colleccioiaiido p ira faze-los correr mundo impres-
sus em varias Ui guas.
Paree realmente que Lpez nao doixou vivoum
s humem de al ruma importancia poltica ou pe-
cuniaila. Os des.a ultima qualidade, l'osseni na-
lugeiros, eram innnolad para se
i nilkcar a fortuna, e esse tliesouro que se
diz entregue a urna canhoneira italiaju^lao era
pMvaveunente sean o fructo da expoJia^ao e do
ruubo. Eas uMimas atrocidades offeiecein mais
urna vehemente probablidadc de. que as Lom-
bas Valentinas d:u Lpez ludo por acallado.
Taes sao as iiifonnasdes que podemos caJber
das folhas que lemos vista
m lelegramm i de Buenos-Ayres amiuncia que
o governo argent no dirigir ao representante da
Frota o Francisco Cesar da Silva Am.iril.
Estado-maior de artilhariaA coronis, o coro-
nel graduado Jos de Miranda da Silva Res, o te-
nenle-coioiiel Cornado Maria da Silva Bitteneourt
A lenenle-coronel, o major Jos Maria de Alen-
castm.
Estado-maior de segunda classe.A lenentes-
corones. os lenenies-coroneis em commissao, Ale-
xandre Angusto de Fras Villar e GenuinoOlympio
de Sanipao.
A major. o major em commissao Pedro Guilber-
nie Mayer e o capitao Manoel Maria Camiso.
A capilo. o lente Jos Manoel Teixeira Rios.
A lenles, os lenles em commissao Jos An-
tonio Peroira Xoronha e Silva, Geraldino Gomes
Pacheco e Salustiano de Barros e Allmquernw ;
os alferes Frederiee Ferreira Rangel e Fredmc
Cesar Vianna.
Arma de artilharia.A coronis, o tonenfes-
coi-oneig Manoel Almeida Gama Lobo d'Eea e Ma-
nuel Deodnro da Fenecen.
A teen te-coronel, o major Jos Angelo de Mo-
raes Reg.
A majores. os majores em commissao Antonio
Candido Stdasar, Manoel Jos.' Pereira luiior, Flo-
rirno Vieira Peixoto e Jos Clarindo de Queiroz :
o capitn Adriano Xavier de Oliveira Pimenlel.
A eapitaes, os primeiros lenentes Luiz Garios de
Monro Pinheiro. Antonio Gomes Pimenlel, Joc
Luiz Gomes. Antonio Joaquim da Cosa Guimaraes
e Antonio da Rocha Bezerra Cavalcanli.
A primeiros lenentes, os segundos lenles Ju-
liano Jos de Amorim Gomes, Eribo Rodrigues da
Costa, Jos Dernardinn Bormann, Joo Brrelo Pi-
caneo da Cosa. Luiz Carlos Brrelo Pereira Pinto,
Jos Pereira da Graca Jnior. Antonio Pereira da
Silva. Mitmel Vctor de Andrade Fjgueira. Antonio
Bezerra Teixeira Cavalcanli. Malino Favorino Vil-
laca. Antonio de* Vasconcelos jlardim^ Antonio
Fernandos Barbosa, AngislodV Cnnba Gal van e
Joo Carlos IsiIhi Bolelhn; os segundos lenentes em
commis5n Carlos Augusto Pinto Pacea c Joo Vi-
dal Pereira da Sih.i.
A segnnoos lenles, o alferes em commiwao.
Emilio Carlos Jordin, o prinipim sargento Virginio
Napolen Ramos; o sernn''a cadete'e segundo sar-
gento Joo Ribeiro Nngueira Soares, o segundo ca-
do'e Jos Luiz Bastos, o sargento-ajudante Joao
Rodrieues Moreira dos Santos, o segundo cadete
Jos Pedro de Souza Queiroz, e cadetes Thcodoro
Alves Fernandos de Andrade o Joao Baptista do O'
de Almeida.
Arma de cavallaria.A majores, os majores eni
commissao Manoel Antonio da Cruz Brilhante. Ma-
noel Cuecas de Souza e Antonio Nicolao da Fmla.
A eapitaes. os eapitaes em commissao Jos de
hlido da Silva
de Azanibuja,
Joo Mariano
licano Teixeira de AlmeidlIrCa
Barbosa. liento C.oiiralvcs Xavieif
Rodrigo Augusto da Gama e Costa
de Jess Fmnro.
A lenentes, os alferes Joo C
Osorio. Florishello Jos da Silva,
gnes da *Rorha, Kniesto Barcell
Antonio DainasceiKi dos Sanios. Joiquini Correa i
Domingos Jos da Silva Flho.
A alferes, o saigenio do 17 de
Jos Pedroso. o 2." cadete Vctor
veira. os 1. sargentos Carlos Man^i
irlos da Rocha
AdiTmo Rodr-
18 de Amorim,
cavallaiia Vasco
Brrelo de Oli-
da Silva de
; RKCIFE, 1" DE FEVEHE1RO DE 1869.
.NOTICIAS DO BUL DO IMPERIO.
Chegou sabbado o vapor francez Natarre, tra-
zendo datas do Rio de Janeiro ate 24 e da Babia
at 28 do passado.
Sob as lubricas Exfenpr e Interior vao jwr
extenso as noticias mais importantes, alm das
quaes si'i encontramos o que segu :
1)10 DV ATA.
Traduzlmos o segninte da Tribuna :
l'ara que o leiior |>ossa fazer idea da forma
dispoiica pori|ue praedia Lpez no Paraguay,
tratando-so nao so de individuos, mas lambein de
povos iuteins, damos em seguida um dos decre-
los encontrados entre os papis tomados na bata-
Iha de 27.
Como seria a evacuaco de .\jatoipco para
que os agentes de l.ope'z a qualifiquei de su-
bita
Pirin qualquer coinprehende que o espirito
do decreto que se vai lr tende a obligar os ha-
bilanlis de Assumpcao a desenterrar seus tliesou-
ros, gra)ides ou pequeos, para em seguida rou-
bar-lh'os. puis se Ibes avisa que niogoem podera
mais entrar em Assumpcao, e sabe-se que bope
conipiava com o assassinato de seu dono a ac-
quisieao lie sua .lorluna.
() dci-reto a (pie nos referimos o seguiile:
Otfflgderando que a evacnaco da AaBump-
cao eni fevereiro desta anuo foi operada de una
maueira sbita. deiNaiido a liaior parte dos seus
lialilanlw. nacionaes e estrangeirus, conliailo-
(A metmo).--'HM distincto Sr.Tendo V. li-
do a nmiia bondade de tomar a seu cuidado mwi-
lilhos, recoinmendo-os sua proteccu se alguma
cousa chegar a acontecer-me, antorisando-o a
adoptar am favor debes qualquor medida que con-
sidere melhor ou mais ueretsaria paia assegurai o
futuro bem-cslar dessas pobres enancas, mu par-
ticularmente Leopoldo, cuja roui toara idade Me
inspira exlremo-nidada
Sera slo um ululo muito especial de ineusin-
cero conlieciinenlo. pois a exlatearia desses nien-
nos a nica cousa que pode prox-rupar uiinna
imagnaco no momento em que tenho por dover
dedicar-me l,lo sorle de minha patria, c elle-
serao felizes ao lado de am cavaHiciro, cujas qua-
ldades pude apreciar em um lapso de lempo de
certo uo muito longo, porm feliz para iiim.
a K por i-so. Sr. general, que lomo a liberdad.
de aJiusar do cavalbeirismo que nw congratulo ter
encomiado em V. Exc. a quem offereco lodo o met
sincero agradecimento.
Seu muito ltenlo, etc.Francisco S. topez
Kis as noticias coiiimerciaes da ultima dala
(23):
i Apolices.^Geraes de 6 %, a 82 e 82 '/- % :
enipresinio nacional de .mO0O:000j00O, a o000<>
de premio.
Metaos.Soberanos, a I2a830.
AccOes.Banco do Brasil, a 177*01)0 por ae-
o.
t Fretes. Xew-York, Jacaranda, 36/eo/0;
dito 40/ e 5%. Canal 45/o 3% e 47/6 bS'j:
algodo, '/, d. por libra e o/0. Marselha, 37/6 e
5%. Ncw-Orleans, 40/e 5%. Estados-nid"-
norte, 40 c i%; mo lul, 4o/ e S'/u. Gibraltai
a ordens, 45/ e 5 v
Ineluinio iiausaccjies menos que repulan-
em cambio sobre Londres a 19 d. para o papel
bancario c a 19 / 19 ? d. para o pai lculai
elfectuadas boje, e pequeas solue Fra)iQa a 5B rs. por Ir., sommam os saquea polo paquete fran-
cez Nawrre:
> Sobre Lmdres cerca de 340,000 a 19'/.'
19 d. papel bancario, c 19 J/j, 19 % 19 V* 19 '..
' t,I9%,WV4,19Vi,wVse%4ftt-
19 i
Agniar Franco. Cesar Augusto daj Silva Brandan,: seus nleresses a guarda da guarnico ; e que por
Zelerino Teixeira de Can albo. Eni lio Jos Teixei-. mais de oilo mezea tem estado retirando seus
Jos Candido Penteado, Antonio Jos
Jiiuor. os I." cadetes Camllo Remi-
ra Filbo,
Fernandrs
que Guimaraes c Leonardo Jos i e Lima Jnior.
1.' sargentos Manoel Joo de M ilei ros, Manoel
Moreira da Fontoura Filbo e Ricaia o Magno Beck-
nann, sargcnlo-ajudanle do 14" di cavallaria An-
Jonio Feliciano Pimenla, sargento ajudaute Anni-
bal Anto Prisco Servido e sargei to quartel-mes-
tre Carlos Norton Mural.
22
S. M. o Imperador, acompanhado de seus sema-
nario, chegou hontem ao arsenal d s marinha s 9
e rucia horas da manlia, onde visitou as ofJlciuas
de uaclinas. e embarcando depoa na.galeota im-
perial foi fortaleza de Villegaignifu, e desembar
cou no arsenal de guerra.
Iiens. 6 considerando possivel que os encouraea-
dos inimigos prahidiqnem com um bombardea-
lucillo as propriedades e movis que anula podeni
existir nella : .assim eomp o inconveniente de (re-
quemes entradas e sabidas de toda a classe de
pessoas, decreta :
Ait. I." Todos os que lveivni InteroBsei eni
Assumpcao, constando de dinheiro e outros bens
movis, Rideio ir tira-Ios no mais breve prazo
po>-iv.|. ,pie nao passar do dia 6 do crlenle. 6
para esse m o ferro-carril prartar-SH-ka gralu-
laiuenle.
Arl. 2." A 7 do crlenle a eidade licarcom-
Em data de 12 do corrente, conejedeu-se titulo
de agrimensor a llenrique Augusto de Sepulveda
Eierard, iua confonnidade dodecieto n. .'{,198 de
lfi d.-dezembrode 1863.
de Montevideo
dalas de Porto
ineia de S. Pe-
ona horrorosa.
Almeida Barreto. Berna Mino Bodrigue} de Mos-
quita. Genuino Osario Nunes. Manoel Luiz da Ro-
cha Osuno. Germano Julio da Silva ; os lenles
Jos Joaquim Ferreira Jnior, Paulino Caetann de
Souza, (birlos Machado de Bitteneourt. Jos Bor-
ges de Abreu, Dionys Jos de Oliveira e Germa-
no Jos da Rosr.
A lenentes, os alferes Joo Pereira da Silva. Luiz
Jo-e de Miranda, Joaquim Flias Amaro, Jos Maria
de Moraes, Francisco Servlo de Oliveira Porto,
Jos Joaquim de Agniar Correa. Jos Pinto F'reire,
Luiz Alfonso dos Res. Frederieo Soln de Sampaio
Ribeiro, Joaquim Melehiades Ferreira Lobo, Boa-
ven tura Fernandos o Jaeintho Ferreira da Silva.
A alferes, os alferes de commissao Alfredo de
Miranda Pinheiro la Cnnha e JosjMaria Marinho
da Silva o 1" cadete Joo BaptMa Menna Brrelo,
o sargento quartel-mestre Pedro Boque de Sou-
za, o '" sargento Manoel d'Abnelda Sanios Velhoe
o 2o sargento Au!r>no da Silva Castro.
Arma de infamara.A coronis,os tenentes-co-
Toneis" M-anoel da Cunta Wanderley Lins e Joao
Antonio de Oliveira Valporto.
A- toneiUes-coronei-. o- lufllw fmwnll em
conunissao Antonio Marlins de Amorim Rangel,
Jos Lopes de Oliveira e Joaquim Cavalcanli d'Al-
buquetque Bello: os majores Joaquim Ignacio Ri-
beiro Lima, Antonio Joaquim Bacellar eMonso
Jos d'Almeida Oh te-Real.
A majores. os inaiores em commissao jaoTheo-
doro Pereira de Mello. Joaqnim Cardoso da Costa,
Francisco Borges de Lima, Joaqnim Jos de Maga-
Ihes, Doimngos Alves Barreto Leite, Joo Pinto
Ilomem, Feliciano Jos Henriques, Secundnn Fila-
nano de Mello Taniborim, Pero Alves de Alencar.
Antonio En(>as Gutavo Galvo, Frederieo Chris-
liano Buiy. Amonio Pedro da Silva, Carlos Masno
da Silva. Francisco de Lima e Suva e Luiz Jos
Pereira Jnior.
A eapitaes, os lenles Eusebio Gomes Argollo
Frreo, Jos Loiipuinlio da Costa Leite, Manoel Be*
zerra de Albuquerqne Jnior. Manoel Clomeminn
Carneiro da Cnnha Aranha, Mareos Anloaio d'AI-
buqnerque Mello. Antonio da Vera Cruz Doria
Leocadio Jos Rodrigues. Clemente Jos t\;rrfiiri.
Carlos Manoel de Lima, Fortunato Melchiadw. F.
Cobo, FrairktinTupinamb Maribondo da Trindade.
Joo Domimrufs Ramos, Francisrode Paula Perei-
ra, 8ebato Baymundo Ewertnn Quadros, Candi-
do Alfredo de Amorim Caldas, Onofre Jos Antonio
dos Santos. Honorio Clememino Martins eVompilio
da Rocha Moreira.
A tenwites. os lenles em eommissao Olvsses
Augusto de Albnquerqiie Salles, Joo Baptista da
Silva Telles, Francisco de Paula Argolle, JooSe-
veriano Maeiel da Costa; Antonio Jorge Moreira,
Eugenio Angosto de Mello,; os alferes Francisco
Joaquim Pereira Caldas, Prancisro Salustiano da
Silva, Joo Luiz Alexandre Ribeire, Melanio dos
liis Pereira do Lago, Anarleto Ramos d* Abreu
Carvalho Contreiras, Luiz PraneMeo de Paula de
Alhmraerque MaianhJo, Manoel Euphrasio idb
Santos Dins, Jeremas de Aran jo Costa, Antonio
Francisco d Mello, Jos Salustiano Fnrnandes
dos Ros, Frederieo Angosto da Gama o Cota,
Julio Augusto da Serra Martins, Antonio (^rlos
da Silva, Ignacio de Sentva Gonvea Jnnior, Honorio
Horacio de Almeids o i.uz Alves de Oliveira Sal-
gado.
t) vapor Gerente, entrado bouteni
e iiorlos do sul do imperio. Irouxt
Al|re al 13, Rio-Grande 16 e Smla Catharina
19 do corrente.
Xa cadeia civil da capital da prov
drado Sul deu-se uodia 14 una st
que, sob arUuca Lowura e trine, a-sim des-
cifpta pelo Jtiriutlilo Commercio:
Gaspar Ferreira Maeiel, reo sentenciado pelo
jury da Santo Antonio daPatrulh a 14 i
priso, de enja pena faltava llie smeme cumplir
44 dias, achaudo-sc com outros pesos na enfer-
ma ria, foi atacado de Joucura, e munando-sc di-
urna faca precipitou-se sobre os sods companhei-
ros que dormiam e foi-os ferindo si ni descanso,
al que despertado pela bulla o preso sexagenario
trineo Balthazar de Toledo, lanca n ao de nina ca-
deira com a qual descarregou "un:, forte pancada
sobre o tonco aggressor, que lie >u aturdido, e,
gcacas ,i presteza com que acudi |i guarda, pode
ser agarrado o desarmado.
Tudo islo passou-se com rapidez iucriveJ t
O facto deu-se entre 1 a z huas da madru-
gada.
Os presos feridos foram:
1*, Jos da Silva, coinduas facidas no ventre,
por onde sahiram os intestinos, o qual falleceu
honlem s 4 horas da larde.
2. Manoel Ptancsc i do Nasciuiento, cun ditas
hcadas no peitqj que o mataram nstautanea-
llieille.
3^, Alfonso, esclavo de Jos Joaquim de Mello,
com cinco facadas, das quaes urna apenas o ferio
plelainentc despida de lodos os bens movis, de
qualquer classe o genero que tenham-se deiiado
alli, e a ningueni ser permittido entrar nella a
pretexto de mtereaae.
Dado eniLuque. no da I" de dezcinluo de
186K.Fninrisco SancktS.Joi 'alean, niuistro
do gbvero.
l)e s.ii coiii sponilenle em .Monlevido, eni
dala de io do corrente, cerebeu o Jornal) Com-
merejo da corle, ;i segninte mis.-iva :
Temos passado uestes ltimos dias por urna
e i>e ministerial provoeada pelo jiedido de demis-
so ilo Dr. I). Antonio Rodrguez Caballero, ini-
pel particular.
i Sobre Franca cerca de li-s. 1,860.000 aos ex-
iman de 482 a oO!) rs. por fr.
Sobre llamburgo cerca de 60.000 a 910
925 rs. por .
Sobre Lisboa e Parto regulou o premio da ta-
bella segunde :
180 a 188 % vsla.
i 179 a 187% ... a SOd'v
178 a 186% aOd/V
177 a 18u .a 90d,'v
Hoje o Hincado fecliou a 184 a 188 xir cenl
vista,
o Aceii's.Das do banco do Brasil venderam-
so boje 90 a 177a cada una.
Apolires. Xegociaram-sc boje varios I,.le-
das de 6% a 82'/,% o de ttulos do cmpresiiin..
de 1868 a 48.5 e 0i de premio.
Metaes. Os soberanos venderam-sc hoje a
12.4800 e I48I0, fechando o mercado a este ulti
1)10 pi'CCO.
Descontos.A laxa do banco do Brasil conti-
na a 9 por rento.'
Sahiram para Pernambuco: a 17, barca
russa Uercule a I!), barca ngleza Jettii; ? 20.
barca portugueza Harmona; e a ti, brigue |i"i
luguez Lidador; o sumaca hespanhola Cariosa
O vapor Paran devia sabir para os porto-
do norte no dia 1" do corrente.
Fcava carga' para Pernambuco a barca
Gotea.
S. PAULO.
Fora nomeado paraexcrcer interinamente o car-
go de ajudanl ifordens da presidencia o coronel
Joaquim Mondes Guiniaies.
Cbegi'a a Santos, e devia embarcar para es-
la forte, urna familia de indgenas viuda de Mi-
randa, provincia de Mato-Grosso. Dizem-sa eom-
iiistru do governo, e iuleiuaniento de eslrange- i plelamnto espoliados pelos paraguayos, por oc-
res. Depois de andarem as pastas de. porta em casio da invasao, e vem upreseular-se a S. M. o
Imperador.
Em Soroeaba dra-se no dia 8 um lanienla-
vel desastre? que do Crrelo Paulistuno contam d<>
segninte modo :
a estrada de S. Paulo, na fazenda do Sr. le-
nenle-coronol Joaquim Jos de Oveira, pessa
muito sthnavel. onde re ochava o mesmo cen to-
da a sua familia, foram passar o dia o Dr. Ubal-
dino do Amara) Fontoura, o estimante do 4a auno
de medicina Manoel de Assls Vieira Bueno, o es-
tallante de preparatorios Odorieo Guaicur, filho
do nosso amigo Jos Leile Ponteado, e Mainel Leo-
Oliveira: s 4 Inras da larde embarcam-
porta, ana acharen) quein as aceitaste, somonte
hontem tarde pode o presidente constituir mu
novo gabinete, que licou darte modo orgaui-
sado :
Governo. 4J. Jos Candido Bustamante. que
era chefe poltico da capital ;
Relaces eMeroies. I). Alexandre Magarmos
Csrraqtaa ;
o Fazenda, D. Dunean SUiwarl ;
Xa pasta da mai inha e guerra cmitnna o ge-
neral Goyo Suarcz.
u Pledoiiiina nesta combina(;o o eleineiilo llo-
risla : por OSO Coi ella reeelida (oiu applaliso ] poldo d.
pela Tribuna, e com opposicp peto 8'#fe>, orgo-l se estes
qualro, leoentef-coro ui, o sea Rlhn ma-
do lado coiiserv.-nlor. que pnte a autga inlluen- i veBio Joaquim, e mais dous IIUios, o estudante do
ca sobre o presidente, e apenas tem sua garan- 2 auno do curso jurdico de nome Francisco e um
lia na roiiservaeu no miinterio do generaLGov) oulro irmu de.-ie de uome .fndo, ustndaute d>
Suare que parece dsposio a nao abandonar D. collegio. ao ImIo 8 pessoas, e foram passear pelo
Loureiieo Ralle i^iii lodo o periodo de sua aibnis-1 tanque da mesma fazenda; tendo andado mu pou-
gravemenie.
tracao.
Ser devo|amento ? Ser desconlianea f In-
elno-ine a esta hvpotliese.
-X.'io houve para esla erise p.-litica noiliiima
causa imprtame. Ajienas a inolivaram divergen-
cias fundas entre os meiiibros do gabinete caliido.
que. entretanto, prestou bous servieos ao paiz,
evitando eomsuas medidas prudentes < concilav
deaas os bnwatos oflBbes da quaso baoraria.
Os novos iinist)os moroeem a estima publi-
ca < podan lazer una boa adiiiinistraco. apio-
da Suva, cun urna facada vedando a tendencia geral dos e.-.pirito> para ex-
plorarn d;is riquezas nacionaes.
Algiiinas providencias linliain sido ja toma-
das ueste sentido pelo cx-iniistro da fazenda D.
uielhoiar a lis-
4, Maximiano Padilha, com una facada na
mo direita.
Sf, Floriano Dia
na man esquerda.
Api'is o acoaleciniento compareberam os Srs.
subdelegado do terceiro districlo Ignacio Dutra da
Silva cDr. Amedo Prudencio Masson, que com Daniel /orille, qu, cun o lito de
toda acaridade e nrouipdo presto i os scennos
mdicos aos feridos ; mais larde, logo que leve
participacodooeeorrido. alli apreneiilou-so o Sr.
Dr. ebefe de polica acompanOado lo eirurgio do
corpo policial, Sr. Dr. Porlirio Joiquim de Ma-
cedo.
Os presos feridos que firarain em perigo eee-
lieram os Sacramentos, ministrados pelo parueho
da freguezia. m
(kmsta-nos que os empregados da cadeia e a
guarda que alli esteva todos cuuipriram bem o
seu'dever.
ealisaco das rendas, nomeou novos adimnislra-
iores geraes para alguus departamentos, oncar-
regaudo-us tambem-da cobiauca da contribui-
ca'i directa, da venda de papel sellado, e das pa-
tentes.
Esle anuo- foi eslreado com a inaiiiiuraco so-
lemne da primeira liuha de ferro carril central
do l'ruguav, que leve lugar no da 1 do eorren-
lo. Assistirain a esta festa as autoridades, e cor-
po diplomtico e una iinmeusa concurrencia de
povo.
po in-siDu dia comecou a vigorar o cdigo
Xa tidade do Rio Grande suspender suas upe- civil oriental, que satisfaz a una das maiores ne-
Souza, Krannich- ressidades desta sociedade.
a As cunaras foram convocadas para o da lo
d- levi'ieiro prximo.
i Do Estado Oriental uiiicanieiile o que acho
de iuleie^ejiara referir nesta eorre.-|>onden-ia.
A siiujro^ae seu commercio nao prospera.
Tem hayido um tal abuso de crdito, e tanto es-
peettiaco vergonhosa, que por brea a praca se
ha de i sentir diste e-lado de cousas. Depos da
estafa dos bancos seguio-se a estafa dassoeieda-
yellli
raeftes a cas;i bancaria
feld 4 C. O Commercial, dando noticia da reuuii
dos credores, diz:
a Continuam na gerencia da casa os Srs. Kran-
nichfeld e Manoel Marques das Xeve 4 Lobo.
Nomeou-se nina conunissao li( uidadora. que
se eoinpoe dos Srs. Claussen, Damiai i e Jos Frau-
cisco de (lastro.
o Supplentes os Srs. Jos da Co-ta Bezeira e
Osear Alexanderson.
^,'^ZT^ Pf?fw' a,,t n8 ,%.fc^d^"diribMn".-qH allucinaram a i
dividas menores de 500, e d ah por diante confor-
me as torcas da caixa.
Segundo os clculos mais bem fundados o>
credores nao soffrerao o menor prejuizo.
Tambem se calcula, segundo nos ntorniain,
i|ue os accionislas se as eobraucas toreiu felizes.
podero obler algurq, dividendo.
Fallecer em Pelotas o Dr. Sebaslo Rodrigues
Barcell os.
I co a canda esharrou na pona de ura pao, imme-
diatamente \irou, e foram os 8 navegantes ao fun-
do (Tagua, que tinha 22 palmos de profundidaJe ;
alguns surgiram c puderam agairar-sc a nns ga-
lbos, uulro a pmpria "-ana, estes foram o Dr. V-
baldino, Assis Vieira, Manoel I,eopoldo, e Joaquim
lilho mais volito do tenente-corouel Joaquim Jos
de Oliveira, sendo allnal salvos por meio de um
laco que se Ibes atirou de twra. Os outros 4, is-
to o tenenle-coronel, seus dous lilhos, e Odori-
eo moireraui no fundo d'agua, conseguindo-sc ti-
rar irpiimeiro com un gancho, sondando-se o lu-
gar e aenandp-so o corpo. Os oulros 3 nes-e dia e
noitero foi possivel encontra-los o que so conse-
guio-se s ,'i horas da madrugada do dia 9, depois
de esgolad) o tonque,e para aqui foram iraospor-
lados os i cadveres, aos quaes deu-se s"pultura
indo todos em mu so enterro.
F'aca den como nao licariainos nesta eidade
Juando no dia 8 as 6 horas chegou-nus a noticia
este desgranado acontecimento, porque todas as
pessoas que solfreram sao muito es tima veis, e to-
das unham.aqui suas familiar.
Qual nao deve ser o estado de eonsternacao
da viuva daqnelle tenente-coronel que poucos mc-
zcs vio seu genro casado de qualro mezes morto
por um tirona estrada de Tatuhy, e hoje perder
ao mesmo tenipo seu marido e dous fllbos, uin o>
18 c oulro de 11 anuos! Ha bem anuos que nao
temos aqui noticia Je um fado to desastroso. A-
quello teneiite-cnronel era lavrador abastado, i-
juiz de paz do quatrienuip que lindou na vespera
de sua morte, membro proemineute do psrtido li-
beral eexiremosopai de familia; os mais iodos
libones e pessoas muito importantes e estiniaveb-.
A eidade toda .onnnoveu-se a visto de tanto des-
grijea.
A mesma folha escravem de Braganca na ma-
rida dala de do corrente :
Hontem as 4 horas da larde, na occasiao que
com a proinessa de lucros fabulosos, e acabaran) chovia, cabio u:u rato em casaanJuaomm Bunio,
por absorver as fortunas de uns e as economas bairro do Campo-Xovo, desta eidade, matando
de oulros. a Ayres do Araujo Braga, uin casal do lilhos dr
- Kiitnaraiiio o mercado monetario estove me- Joaquim ltucno e urna niulhei 1 sua visinha, uin
nos tirante, e o banco Man, aproveitando a bai- Iropeiru do lado de Santo Antonio da Cari
xa que se produzio no ouro, saca por esle pa-1B J1" cacliorro. Ouirosque_estavam junios nada-
quete por avuliada somma.
,Em Santa Catharina lomou posse da administra- !de Marianna; en. Ctoro-Preto, o E
Sao da provincia o iiuvo presdeme Dr. Carlos Au- D. 1 'edro Mara de Ueurda, bisin
iusio Ferraz dr Abren, voltaudo o Dr. Carlos de neiro. ^
gao
gu
Cerqueira Pinto ao exercicio do
polica.
cargo do chefe de
A alferes, o alferes em commiesio Antonio Gar-
lea Miranda. bVIariirino Augusto de Mendmea Lo-
bo, Joao Capistrano de Oliveira, Emvgdio Dan'a
Barreto, Joaquim Jos do Oliveka, Franci vo luiiz
de Souza Coiiceiviio, Joo Antonio de Barros La-
cerda, Manuel Emvgdio do Espirito Santo, Fran-
cisco Flix de Araujo, Felippe Beserra Cavakanti,
Annioal Antonio Rodrigues de Araujo, Jesuinn
M.;lcliades de Suuza, Joaqnim Candido de Vas-
concelos e Leoncio Luiz Pinto Ribeiro ; opsneiro
-argento Faniliano de Araujo Lopes, oiicfundn
sargento Floriaao Pereira de Brito, o segiado ca-
dete Segismundo Augusta de Mmdonca Uto, o
segundo cadete Antonio Baymuado Minada de
Carvalho.o segundo cadete Jos'de Miranda Ferrei-
ra CampeUo, o sargento ajudante Age Avelino da
A bordo da fragata americana Guariere, entra-
da hontem do Rio da Prala, asseveraiu-nos que
veem presos e ineommunicavois, pgra seguirem
para os Estados-Unidos, no paquete ilississ pe, os
Norte-americanos Bliss e Masierman, que, como os
leilores se recordam, foram arrancados na Assum-
cao do lado do an-minislro Washlnrn. quaddo
esle se retirava, e retidos por Lope? com i cons-
piradora". Ignoramos se a priso devida a ler-so
convencido o novo ministro no Paraquay queches
realmente conspiravam, ou simples olreii de terein
sido entregues sobre proinessa de nao os deixarem
communicar em ierra platina ou braseira.
23
Pelo vapor inglez A>p/ bemos folhas de Montevideo de 16 do corrente,
adiantando um dia as que tullamos. Xo referen)
noticia alguma do Paraguay, donde ninhum vapor
chegra naquelle da. -
Por derroto n. 4,324 de 19 do crrente, inan-
daram-sa fornecer s iracas do balaihao naval,
em vez de frdelas, blusas de panno > de brim
para o 1 uniforme, que devem dur:,r um anuo.
-S4-
Por decreto n. 4,322 de 19 do corrente conce-
deu-se permissao a B. Caymari para que Ihe sejam
transferdn pelo baro do Rio-Negro c Quintino de
Souza Bocaytrva es privilegios e favores a estes
concedidos par decreto n. 4,133 de 28 de marco de
1868, paraxrataunu-eiu a empreza de carra de
ferro entre eflpldade c o Abo da toa-vista, na
serra da Tljnca; e bem asslm para rju a direcuao
dos trlhos da mesma via frrea seia modificada
segukulo da ruadoSabao da Cidace Nova pelo
campo daiaalamacao at rao do Senhordos
Passos, por oade se prolngala al ar seu ponto
terminal na ra dos Andradas, que fiar cumple-'
lamente deumpedida.
HIO OF. JA.NRIRO.
Fui s.iyado a 10 do urente, na ralhedial
Emii. e Hvm. Sr.
1 do Bo de Ja-
O Diario do Rio de 21 diz o seguinte :
Vao em seguida os documentos do punho e
tottea de I^pez e como copia dos oiiginaes que se
eneontraram.
Xo farcinos commcnlarios. Faca-o< cada um
os que desses documentos se deprehendein, que de
certo nos Estados-Cuidos sero cloqueles, j que
seu representante faz o triste papel de merecer a
lixstonieiilaria.de um malvado, que outro ministro
americano deelarou (ota das leis das nacoes.
Kis aqu os papis de Lpez :
' 0 infra assignado, marechal presidente da re-
pblica do Paraguay, |>elo prsenle documento de-
olara formal c solemnemente que agradecido aos
serviros da Sra. 1). Elisa A. LynMi, face em seu
favor duacu pura e perfeita de lodos os ineu-
lieus, diieitos e acedes pessoaes, e minha vontade
iie esta dispo8c.o seja fiel e legalmente eumpri-
i. Pelo que iirmo-a com lesleiiiunlias no quar-
tel-general de Pkysiry, aos 33 do mez de dezeni-
bro de 1868.Francisco Solano Lpez.
Sr, general Mac-Mabon, ministro dos Estados-
Unidos da America.
Pikysiiy, 23 de dozembro.Mili distincto Sr.
Co)o_ representante de urna naco amiga e por
Maeaaaao de quanlo ponsa sueeedor. lomo a lber-
dado ib> confiar o incluso documento de doaca),
pelo qual Iransliro a D. Elisa Lynch lodos os bens
particulares pe qualquer etosse que sejam.
Bogo-Ule que tenha a bondade de conservar
esse ducumento em seu poder ate que possa'entre-
ga lo com soguranca dita seuhora. ou devolver-
ni'u em qnab|uer contingencia iaMirevisla que pos-
s;i impedir-me de tornar a entender-*ae con vTa
este respeito.
- l'eiyiitu-nie tantoem rogar lhe desde j matan
fazer quanlo estiver ao seu alceaao para levar .a
) as disposicoes feilas no dito documento.
agiadecendo-ihe desde j qnanto eate sentido
possa f;izer em obsequio ao seu muito atiento cria-
solTreram. Diziw que intendion a ropa des que
nioi re rain, cuatondu a apagar o fogo. >
De Ihtiiyi coumuiucain anda ao Cmreio
Paulistano, 0 saguinte:
Xo dia 26 do corrente fdetembro) fomos aqu
sorprendidos por urna noticia de ipie no Bibeiro
do Balalaes, distante desta villa legua e tres quar-
los, mais ou menos, se acbavara dous cadveres.
em visto do que, no dia seguinte pela manlia o de-
legado de polica e grande numero de habitantes
desta vHIa. levados pela curosidade. se dirigirn
ao lugar, e de fado eneontraram os dous roepos,
que, litados do lagar e felto o devido exame e auto
de corpo de delicio, se cenbecea sortan corpos ne-
gros, que. assassinados por tiros, foram dejmis le-
vados nara aquelle lugar e alli depositados: am-
bos aara sido baleados na eabeca. A iwlcia pro-
cede diligencia do costume. Os cadveres eslavam
tao mudados o disformes que nao se [ide conhecAr
de quem eram.
doFrancisco S. Lima. %
BAHA
A junta de correlores da praga firoa-
assiin orpaiiisada, na ultima eleirao: presi-
rJcnte, Antonio Bunirio Ferreira : secretario,
Guilhenae Mengo ; Uiesoureiio, Domingof
Adrin Ralw'.Io ; adjuntos Ant^iiu l.eonardu
Pereira o Joaquim Jos Teixera Leal.
*-A caixa ce economas clegeu a sua nen
va directora, que se compe dos Sis : Dr.
Francisco Pereira de Aguiar, presidente ;
Joaquim Jos Teixeira Leal e (laelano Al-
berto detioaza Seixas, secretarios.
A companhia de seguros contra fogo
IiUertase. Publico tambem etegou sua nova
director, fliie se csmpoe dos Sr.: omin-
Soares Pereira, presidente ; Jos Lo-
pes da Silva Lima, vice presidente; Monot
Joaquim Rodrigue* e Joao Soarcs Chaves
cratarios,
Fallecen o antigo advogado "^e Sergipe.
Joaquim Mauricio Cardoso, de 63 anuos
de idade.



>
y Miiiiiinn ^
_T REEtHll ^b.




jwno
gurula
de Fevereiro de l$0.
Adiava-se no porto a fragata rnssa
vapor Domitg Douskoi, montando 30 ca-
nlies.c tendo uiim guaraicao de fftt pra-
vas Vcio de Cabo Verde para o Rip de Ja-
neiro.
0 Dr. chefe de polica rcgrcssra da
lachoeira, onde fora para providenciar
.sobre os effeitos legaes do aeordao da re-
lacfr), que absolveu os implicados no proces-
an Dr. Podro Moniz.
Deu-se nessa cidade urna occorrencia,
que assim narrada pelo delegado de po-
lica da lucalidade.
c lUm. Sr.Levo ao conhecimento de
V. S. que hontem pela meia noute. pouco
mais wi menos, aportrtu ao caes d'esla ci-
dade un vapor tocando msica e foguetes
e repi .ando a igreja da Conceico do Mon-
!' dispertou o povo. i|ti aflluio ao caes
stippomlo ser milicia da guerra.
Sallando do vapor un grupo que, com
msica se diriga para a praca, alguem
d'cssa frupo gritou que a canallM da
Cachoutra poda prender porque tinha a re-
Jaco para soltar.
t O povo patoou o grupo, o o acompa-
nliou, dando vivas as autoridades consti-
tuidas.
t PjhI rain akjuus surprehender a guar-
da da eada, e entrar para a casa da cma-
ra, nao conocndo porui a guarda que
cntra&ea msica.
A' minha residencia veio um do grupo
pedir iicenca para que entrasse na cadea
e tocasse ali, o que nao consent, mandan-
do reforcar a guarda, e o commandante da
polica que contivesse o povo e disper-
saste p :> juntamente,
O Dtesno commandante e o subdele-
gado, que inmediatamente se aprcsentou,
omprcg.ivaiu todos os meios para acalmar
os nimos provocados por aquelle insulto,
0 [felizmrate nenhuma desgraca se deu,
nao passando de urna manifestacao popu-
lar, que teve origem repentina na decepco
porque passou o povo, alllundo ao caes
no su,.)posto de rece-ber noticias da guerra,
nconrandj eiq lugar d'isso urna provoca-
ran d'aquelle grupo, que vinha a taes horas
invadir a cadea em applausos a deciso,
que obtiveram os presos coronel Francisco
Pereira Sodr e outros, parecendo mais
que o povo se mantinha n'aquella posicao
para evitar a iuvaso na cadea publica des-
ta cidade.
t Deus guarde a V. S.Illm. Sr. Dr.
chefe de polica da provincia.Dr. Roberto
Francisca d'Assis.
O canil iio ficava: sobre Londres de 19 l\\
a 19 Ir d.; e sobre Paris a 494 ris. .
SEHC TE
-Foram muito festejadas as ultimas no-
1 idas do theatro da guerra.
Diz o Liberal que consta achar-se or-
ganizada urna commisso composta de pro-
prietarios de Japaratuua para desobstruir o
canal do Pomonga, alim de estabelecer-se
all navegacao a vapor para
boceas quesahem daquelle
productor da provincia.
rebocagem das
grande centro
pepsia, podem eo aprehender vossoe so(Trii>irfns
Asura bi mu remidi i mo, innnediato. alisofufo
iiifallivil: o qual :( aclia i*>r assini dizera porta
de vosms casas. Case o a Sabaparrilha de ristol.
llevis conhace-l. Quem ha, que nao tenha ouvi-
tlo fallar delta? Vsai*a. e vos nreis das indigestoes
e di todos os sais mncoimtftHtes e consequeneias.
S'uma sanana.aliviar o repleto doposjto di?sse
lerigoso material,) que lano vos trtz atormentado.
A nacliilt'iicia. a'0| pressao do estomago, a falta de
tmdade tanto di corpo eonio do espirito, as vi-
gilias e as angustias durante o dia. as dores dcea-
ln;ca, as nauseas, as ndesfripliveis sensafdcs (jne
aeoinpanham a dy mepsia. e nao ha ncnliuniaoiUrii
molestia, que nao" iesappareea ual sombra passa-
geira. Tirai-lhe a prava, ex>enim>ntai-a.
Ai'Iui-m' venda as pharmacias de A. Caors, J.
da Conceico Bravj & C, M. A. Barbosa, I'. Mau-
rer & C. e Barthol imeu & C.
Senso
commum.
Emquafito o mercado esta innundado de
preparares chamadas sals.vpariulii.v,
que, nao tendo em si as quididades que
ilevem sempre rscommendar um remedio,
sS apregoadas era a titulo de frascos gran-
des, ora pela vil lude da antiguidade, e ora
or serem nova, nJs a presentamos ao pu*j
ico um remedio em /rseos de tamanho
regular, que tem i sen favor smente a
virtude de curar toda a qualidade de mo-
lestias que vm da impureza do sangu.
E este remedir chama-se sai.s.vpahwlua
DE AVER.
es
\o publico.
Brevemente lera lugar no theatro de S. Isabel
un grande concert vocal e instrumental a favor
da joven pornaubueana ArseUim Pen, lllha do
distincto professor ile musita Tobas Pier, uo qual
se prestam generosamente a tomar parte os dis-
tiaclos e applaiididrs artistas as Sras. Julia Tim-
'i.irini e Srs. Coy, Iwrneric, Scotori, Canil ido J-
nior, e dirigidos pelo eximio maestro Smoltz.
Esta joven na tenra idade de seis annps tendo
Ivido mu p -eeoco talento musical, e que-
desenvor
[i iilo seus dignos | ais aproveitar este iustiueto na-
tural, resolveram le val-a para Europa, Walli eollo-
eal-a n'um dos melliores conservatorios afnn de
beber na e-cola dos melliores mestresde arte di-
vina trm justamente apreciada por tolo o mundo
civilisado.
E' eui uoina dess;. crianza, que appellamos para
o publico, e confiamos no seu instincto benvolo e
generoso, p-ai-aque oncorra a este concert offe-
recidopela sua peijuena patricia, cujo producto
deve servir para suas destazas de viagein a ins-
tme^ao msica).
Cortos, qu pste ippello resoar no cora{ao de
todos aquellos que anain a ilustraeao do seu pai
e um numeroso concurso vira realisar as espe-
rangas desta nossa.oven patricia.
Muitos peritambucanos.
COMMERCEO.
PUACA DO RlCIFE 30 DE JANEIRO
DE 1869.
as 3 i/:l h.jius nx TABDE.
Algodao de Pernambuco se:n inspee;o 3->8O0
por arroba.
250 rs. por libra.
F. J. Silveira
Presidente.
Leal Sove
Secretario.
Baha7 das briguo brasileiro ?*!** Ame-
ricano, de i'M tenatadas, cap
nio Martins da SHva. equipagem l
lasti-o; a Francisco ftibeir Pinto Gui-
maraes.
Baha-15 das, hiato" Racional Santa <*;,
ile KM toneiAis, capitao J,os VicUrinu
das rWrtrCTfvtil'g,*n 7, carga ehaiwis
e outros gneros a C. C. da C. Moteira.
Terra-Nova32 dias*. patadio gtez-/yt///
Bird, de 110 tonetat!Lcapitao I. BOur-
gard, equipagem 8. carga 2008 barricas
com bacalho; a D. C. d. C G.
Macei- 2 dias, patacho nacional Jabono,
de 237 toneladas, rapiio G. D^ipr.
equipaggm 9r carga assucar, Hetny
Forster 4- C. Sugoio- para New*York.
Swahsea52 das, pataoho ingler Serio, de
147 toneladas, topitffo Gvalef, e^iipa-
gem 8, carga carvos Sawnders Bro-
ther A C. Seguio par h Rio de Jawim.
Lio Grande deSul31 dias. patacho brasi-
leiro Relmpago, de 241 toncadas, (api-'
tio Frederico Josi' Prates, equipageifii2,
carga 109OO arrobas de carne ; a Francis-
co Jos da Costa Araujo.
Navios snhMos no mesuio dia.
Granja c portos intermedios -Vapor brasi-
leiro Ipojuca, conunandante Martins, car-
ga dilferentes gneros,
Penedo e portos,.eutermediosVapor brasi-
leiro Po/enj'.commandante Pereira.carga
dillerenles gneros.
Bordeaex e .portos intermediosVapor fran-
ce7. Navarre, commanda,ute Massunet.
Rio Grande dqjfclprtelliate bi'asilek-o Sova
Esperanza, capital Iallcs, carga farinha
de mandioca, c outros gneros.
Rio da PrataPatacho i>ortugue rabe, cai
pito Antonio Pereira Marques, carga as-
sucar e agurdente.
Rio da PratePatacho norte alemo Dio-
mante, cpito Meyer. carga assocar e
agurdente.
HavreBarca franceza Haoul, capitao Par-
quet, carga couros c outros geueros.
Canal brigue inglez Courtetmij, Cqto
Perrean, carga assucar.
subdito- espinol Jot Feljppe Mar- puma carga rniurLi: tiaia-se com e consignatario
Joan Francisco da Silva Novaos, ra do Vigario
onsul de EsyiiaJuan Btmn.
avbo* mmrnmis.
Para
Para o indicado podo segu em ponto* dias o
palhabote Bozifa, por ter a maior parte, da carga
e para o resto que Ihe falta trata-so coi o ''""
"t^Mtario Joaquini Jos.' Goncalves Bel trio,
d Trapielie n. 17.
EDITAES.
O inspector da all'andoga fai publico que
no da 3 do feveruiro vind mro, de|>ois do mcio
.lia, e a porta da mesma reparc^, sero levadas
a hasta publica, livre de direifoj ao arremataute,
80 pecas de madeira velha, cxlrahida das obras
da poni, e que se actaan juntas ao trapiche do
aJgodau, avalladas em :!00d()00.
Alfandega de Pernambuco 20 de Janeiro de
t8C)9.Jos MauricioFerreira Pereira de Barros.
Coaros salgados sercos
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
AGDSOFClAii?ar avisa de 1S do pas-
sad '. il i ministeri > do im;)?rii, foran a;iprovalas
a djliiwrcpai da prosi'loa.-ia d- Pernambuco,
que annulram as efei^Ses para vereadores e jui
zes de \) i:, reitiu a 7 d>. #ete ateo lo aaao pasja-
do, e.n d ipiic.ita. n is tregu "-as d,; >. FetiX dd
Baiqoe e de Possa Sennora di CaceijSo du
PmSaL
'oravis.) da magma data, do ministerio da
tazoil.i, fji d i nittid' id *' escripturari i di the-
s i ir Mia de i'-v.i.i n.i >, o Sr. Dionyiio da Ara jjo
Catan!) le.
A.^83LEA PltOVIXClAL Por deliberaea
da presidoBCia da provincia, de 23 di passadi,
i ti a lia 11 a abertura di i. > sejsa >, me d ivia ter
lugar id lia 1. du mar; i, para o da 13 de abril
prximo v.ndmro.
A!U)\\rS !> ) PR i '. .( \> I r'i-CVL Vn
a ra a 11 para exereor esie e.uv), na the^ouraril
proviaoial, p w delOi raea i d J.', o Sr. Dr. Olym-
pio Marques da Silva.
AUldtUDADES I'LICIAKS.Por deiiberaea)
1 29, foram Horneados, sob proposta do Dr. chefo
de polica :
Joaqiim ParDus Rodrjguns Seixas, 1" sup-
plen!" di delegado de Ouricury ; Diogo llenrique
de Smta, l'supplente di subJelegad) de Quipa-
pi; Jm linilian) Civalca'iti Aa Alba|ier.ric,
Augusto MrnolaSD Soares Villela. Joaqiiim Izido-
rV ."J", 4, o" e 6 supplentes do delegado ao U >m
Consellio; Nepodane Cavaleanti di Albb |uer pie,
Neiaezio Carlos Soare Vilella, Juveneio Soares
\'i"ll.. Ai: mi Pinto d i.i,iv,'..ra c Maj K'l Caval-
eanti do Alauqurqie a>. :l. I", -'i1 e 6* supiilen-
tes do -ubdelegado dn Io districto d B-m Conse-
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 1 a 29 .
dem do dia 30......
898:391 iot
3C:30"U0
9:ii:C98S39:i
MOVIMENTO DA ALFANDEGA.
Volumos entrados (om fazendas 437
dem idein (om gneros 570
Volumes sabidos com fazendas 194
dem idem con gneros 308
1013
499
Descarregam hoje 1 de feyereiro.
Barca fraacea Yendianamercadorias.
Va|k>r inglezAma ;n=idem.
Barca ingleza^Sap^ao^idem,
Brigue inglezUe t 'wi=bacallio.
Escuna inglczaEiijle HV/i^^bacalbo.
Brigue inglezTitaniaidem.
PMaetoa Morieaaw !<|aiaiinrctdo>lat.
Patacho norte-allemaoApolloidem.
Brigue inglezEle, di larinlia de trigo.
Patacho inglezMargareth flWci/^bacallio.
BrgUQ inglezAlejandraidem.
Galera porlugueza = -Voca ffaM -= varios g-
neros.
KECEBEDORfA DC RENDAS INTERNAS GE-
BAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento dodia 1 a 29 38:1014223
dem Ao dia 30 : 4:16^093
42:2035918
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 1 a 29 134:390*917
dem dodia 30....... 11:818*141)
l'i (-409*037
PRAGA DO RECIFE
EM 30 DF. JANKIRO D' 1809, S :t HOAS DA TAIIDK.
Cvmiiios.Sobre Londres sacou-se. de ift.'-j d
Paris de 482 a 087 r%
3/4 e 7/8 d. por* 1* sobre ...... ^ ._
Ibo: load Voionio de Luqa Fdbo,. 0" supplente > ,M- fr. c ^Urv LisUla do loa a 100. Sendo o total.
subdelegado do Granito; Marianao da Co-^ta
Ar.-i'ij> JapiUB, GnJffino K xmg^ies Rocha, Jiis
Ferreira do Nascimento. Raymundo da Costa
Vraujo e Sehauiai I',avalcantef.ima2", 3". 4o. 3 e
6" supnenles do subdelegado do termo do Saeca
da Granito.
CONFLICTO EM AGUA PRETADe telegram-
maa.ToeebiJos sabbad) tarde dessa localidad''
eon-ta qu>> no termo do Binito, districto de Ca-
tende e no sitio denominado Prata, dera-se um
iii-aud; conflicto entre Alinio AiTniso, dous ir-
hijs, mu pniiu e tres carreiro de um lado ; e
Jlo de Genipapi.- um lillin. um irmao I tres com-
panheiros de outro; do qual resultua a uiorte de
AMpio e J.uo de Genipapo, sahindo gravemente
r.ridoso lil'no deste, os dous raos, o primo e
dou earreiros.
Don lugar a esta triste oceurroocia o facto de
oppor-se Jo:) de Genipapo a que Atiplo tirasse de
maltas de sua propriedade tres praneboes de ma-
deira I
C irre que dos feridosj falleceram tres.
DINHEIBO.O vapor francez Nararre trovxe
para nossa praca as BflgtdBes somas, para os se-
(lhore^.
Pereira Carneiro 4. .... 140:000*000
Augusto h\ de Otiveira & C. 03:463*100
Keffer&C......... 20:000*001)
Lioden. Wevdmann t C. 133 S
Para a E ir ipa levou esse "raesmo vapor, da
l 33,000 Irs. em ouro e prata.
EM TRANSITO.Com destino Europa, Inclu-
sive os recebidps etn nissu poxtoxonduzio o vapor
N'unrm 101 passageiros, sendo 38 para Lisboa e
63 para B.irdeaux.
O vapor Ipojuca, levou a seu bordo as se-
uintes i[ antias para as seguales pracas :
ear-CarvalhQ Nogueira. 21:000*000
demJos Rodrigues de Souza. 600*000
Praliiba FrancisroM.de Almeida 8:712*340
-_ o vapor Po'engi conduzio desta para a praca
ae Macei a seguirte somma :
Johnson Pater & C......40:0001000
LOTERA.A que se arha venda a 94*, a
beneficio do patrimonio ios orphlo^ qne corre
sabbado 0 devereiro. ^hhm
l'ASSA'jEfROS.Vindos do sal no rapor ran-
ciz Aunare: ... ...
Josti Correiados Santos, Justmiano H. de Azam-
bujrLLuiz Herao, madama Helanfel Sehtosser, Luiz
de jffaeida Araujo Caralcante.
Segn> n para o norte :
SeiiMnio Antouio Gayo de Branda, Antonio
Maia Momeiro, Laiz Pueeh e dor^W>8 e Ferdi-
naud Lab.iuriau. .. ,... ^ ~^H
a 27 d Janeiro de 18G9-
n. 11.
Para o Porto
_
casa da ramiA
Aos 4AH)0%
Bketes irarantidog.
a ra
Cooipanhia americana
ra
Stgua com a maior brevMad possivel a barca \ roa do Crespo n. 23 e casas do cotume.
Amelia fle primeira niarcba, jior ter a maior parte
de sua carga engajada; para o pouco que Ibe falla
e passageiros, aos quaes olTere exceUentes commo-
dos, trata-se com Bailar, Oliveira 4: C, ra do Viga-
rio n. 10.
J?
paquetes a vapor.
Al o dia 1" de tevcretro esperado dos portos
do sol o vapor americano Mississippi, o1 qual de-
fcois da-demora du costun.e seguir p:ra New-
York tocando no Pava e S. Thoniaz. P; ra fretes
e passagens trata-sc com os agentes Heu y Fors-
ter & C., ra do Trapicbe n. 8.
Para o Porto
Segu sem demora a bajea portugueza Noto
Silencio, por tur grande parle da sua carga promp-
ta, (tara o resto e passageiros aos quaei offerece
excellentes eoramodos trata-se com Olive ra Filhos
A C, largo do. Corpa-Santo u. 19 ou com o capillo
na praca do commercio.
Para Lisboa.
Segu com omita brevidade a barca pi-rtugueza
Gratnhio, tem grande parte da sua carga promp-
a ; para o que anda Ibe falta e passageiros, tra-
la-se com Oliveira Filbc* & C, largo do Corpo San-
to n. 19,oii com o capillo na praca do commercio.
Para Lisboa
Vai sabir com milita presteza obiigne pnrtuguez
Constante 11 por ter grando parle do seu carrega-
ment prompto : para o restante e passageiros,
trata-sc com Oliveira, Filhos & C, largo do Corpo
Santo n. 19, ou com o capitao na praca do corn-
il ercio.
Para Lisboa
O brigue portuguez Laia I, capitao Vieira, vai
sabir coi muita brevidade, por ter a maior parte
da sua carga proinpta ; para a que anda Ihe falta
e passageiros, trata-se com Oliveira Filaos & C,
largo do Corno-Santo n, 19, ou com o referido ca-
pitao. na praca do Commercio.______________
Para"
O briguo escuna nacional Amelia II, segu no
fim do corrale niez de Janeiro, anda recebe al-
D! unta fscrava moca, de bonita figura, perfeita
eagouiBiadeira, costuran e eosiueira, una
dita com 22 anuos de idade com al gomas habi-
lidades, quanos todos em U">as carnes pro-
prios para carga e um boi de carroea.
Qninta-feira I de fevereiro.
O agente Martins competeutementr autorizado
far leilao dos cscravos e quartos .cima no ar-
mazem da ra do Imperador ii. 10. as II horas
em ponto.
AVISOS DIVERSOS.
AO PUBLICO
Informado o abauui assgmido que alguem por
vinganca, e para faier dcsappareeer a conlianca
que Ihe depositada, fez espalbar que cu pii -ten-
da vender o meu eslabelarimento, escondidaineiile
de nteus credores, e quo fugia para o Paawi de
Camarag>e ; esse alguem nw tendo a coiiscien-
cia de seus actos, entende que os de mais o emi-
tam. O abalxo assignado foi negociante no Passo
da-Cainaragibe desasis anuos, negociando duran-
te esse lempo com as pracas. de Pornanibuco, Ma-
cei e Babia : respondan! esses com quem inanl-
ve traitsacijoej commerciaes se foram prejudi-
cados.
Em 1800 estabeleci-me nesta praca, e com ter
soffndo graves prejuizos nio dexo nem pretendo
dar prejuizo alguai aos meas ciodores; com i le-
nho conscienca de mous actos despreso esse vil
calumniador de rastuims seiiliutenlos, que nao tem
a coragem precisa para depor a luva que nao Ihe
seria regeitada. Recfe 39 de Janeiro de 1809.
Guilherme Jorge da Molta.
O ahaixo assignado faz sciente aos Ilhns.
Srs. pas de famiHas da jiovoaeao de Apipuc-s. e a
quem mais possa interessar, qne do I" de feverei-
ro em dante comecar o ejercicio de suas func-
coes na escola de istrucrao elementar da referida
povoacn, e que desde ja esi aberta a respectiva
matricula, a qual s poderao ser admeltdos ge
aue vierem competentemente habilitados na fima
a le.O professor publico de Apipucos,
Jos Vicente Ferreira Barros.
Precsa-se de nm inolequede 12 a 14 annos
para servico externo : na ra Direita n. 79, loja.
i) ahaixo assignado tendo- vendido nos seus
muilo felizes bilbeles garantidos 2 quartos n. 4226
com a atrU; de 40(K)* ; quaito n. 28 com a
sorto de 7003 e mitras uuiitas sortea de 100440*
e20*da lotera que se acaboii de extrwr eiu
henrticii) da igreja de Nossa Senbora do Terco
(93), eonvidaaos iwssuidoros a vlrem webar aaus
respectivos premios sem os deseuntos das lea Da
casa da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 8' parle da lotera em
beuchrio do patrimonio dos orpliiios (Di.*) qae se
extrahirii sabbado 6 do inez viudouro.
Precos.
Bilhcte. '. 4*000
Meio.....2*000
Quarto.....1*000
Em porcia de 100* para cima
Biihrte.....3*900
Meio......VO
Uuarlo..... H75
Manoel MarUns Fi*
C^etauo Silveno dii Silva, Mara CarobUa Ca-
valeanti da Silva e Napoleao Silverio da Silva
agradeeem cordbtlmeote a tidas as possoas qne se
dignaram acomfianhar o cadver de sua tnm pre-
sada lilha Mara Ailelaide Cavaleanti da Silva, a >
ceniilerio publico, e desde j con\idam ai seus
amigos para as stimo dia qii'
se ha de retar marta-reir 3 de fevereiro, as 7
horas da manhaa, na igreja da povoaci? dos, Api-
pucos.
Precisa-se
de um iii lin.i de 13 a 14 anno% de idade, brasi-
leiro. que tenha ou nio pratica de taberna : na
Iruad.is Pescadores n. 43.
Precisa-sc alagar tuna casa terrea ou de um
andar em qualquer bairro desta cidade, prefere-
se o de Santo Antonio ou S. Jos, tendo a mesma
casa bom qninlal, sendo a frente para o nascente
ou norte, e na faita qualquer sitio que seja perto
do trem urbano em qualquer Iocalidade, tendo
boa agoa ou rio : procure a tratar na ra da Au-
rora ri. 74.
Ama de Icite
Preeisa-sc de urna ama de leile sem ftlboepa
ga-ee bem: na na di 1 'a-lea do Becifc n.23, i
an>l;u'.
Ama
Precisa-so de urna ama para cozinhar e com-
prar para rapazes soltwros : na rna do Crespo u.
2. livraria.
0 J-. Francisco Ue Assis do Oliveira Maciol
juiz tlt diroito da primeira vara docrime
e substituto do do commercio nesta ci-
dade do Recite* do Pcnianibuco o cu
termo por Sua Magestade imperial e
Constitucional o Sr. I). Pedro Segando
que Deus Guarde., ect.
Faco saber pelo presente, que no dia^
de fevereiro do anno prxima futuro >elia
de arrematar por venda a quem mais der
em praca publica desta juuo, depois da au-
diencia respectiva, os bns Beguinles :
A rasa terrea n. l 1 sita a praca da Boa-
Vista, com tres portas na frente, 2 salas,
2 (piarlos, cozinlia lora, quintal murado,
avaliada em 4:000;$, 1 dita n. 7, sita a ra
do Colovelo, com 1 porta e 2 janellas na
fente, 2salas, 'i quarlos, cozinlia fra, ca-
cimba e quintal murado avaliada em 3.000:),
urna dita n. 27 sita estrada Ileal com
porta e janella na fente, e portao ao lado,
2 salas, 3 quartos, cozinha fra e cacimba
meeira e quintal cm aborto, avaliada por
2?30O, outradta n. 29, sitaamesma es-
trada Real, convpo.-ta e janella na fente,
i salas, y quartos, cozinha "fra e quintal
murado, avaliada eni 2:5003. Os quaes
vo a praca par exeeucjp de Andrade -
Reg contra Jos*! RibeFro de Brito o sua
mullier. E na falta de lancador que cubra
o preco da avalinch ser a arrematara.)
feita pelo preco da adjudicafao com o aba-
timento da lei.
E para que chegue ao conhecimento de
todos mandei fazer o presente edital que
ser afixado nos logares dy costume c pu-
blicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife
de Pernambuco em 13 de dezembro de 18G8.
Eu, Manoel Silvtno de Barros Falcao,
escrvio-interino, o escrevi.
Francisco de. Assis de Oliveira Maciel.
DECLARACOES.
dos saques fuitos pa a Europa do 190,000.
Alo ida i.O de Pernambuco e-eolhidoerti:iilar
veudeu-se de l.'l .> 0 a 14200 o do Macei, posto
a bordo, a loa e o da Parabyba de 15 R l.'> vi 0
por arroba.
Asslgar.Vendcu-so o branco de 4#400 a
5ji 100, o raascavado purgado de 3J1^0 a 3#o00 e
o Druto de 24o30 a 2&750 por arroba.
Agurdente.dem de 84S a SBJ por pip i.
CiURos.Os seceos e. salgados venderam-se de
230 a 2)5 r<. porlilra.
Arroz. pilado da India vendeu-sc a 33500
|Mir arroba.
AiaiTE-oacK.O de Lisboa obteve I-I40O por
gaUw.
Bacu-iio.Em ;.tacad a rctalho de 2I a it2 por jarrica.
Batatas.Venderam-se a l800a arroba.
B iL.vciiiNHAS.--Id-ni a 5i por barriquiuha.
Caf.dem de \ iOO a 6 por arroba.
Cha.dem de 2.J200 a 2<57. por libra.
Carvao dk pbd. .O de Cardi vndeu-se a
18 e o de outros paizes a 16S por tonelada.
Ckbvrja.Reguku a 4*000,5200 e8s000 pqr
duzia de garrafas.
LaiMA.A ingleza ordinaria vendeu-se com 42ai
por c*ato de premio sobre a factura.
ManteioaVenden-se a ingleza a 1*100 e a
franceza aO-iO porlbra.
Ma~sas.dem a lO a caixa.
Oleo db i.imiacja. -dem a 25300 por galao.
Passas.Idem a 74 a oaixa. *
Presuntos.dem a 20 a arroba.
(Jurijos.Os llai engos venderam-se a 1*800
cada um.
S.uao.Yenda*-se ingles a 170 rs. por libra.
Toucwho/dem o de LishCa a Hl por arroba.
Vinagre.0 de Portugal vendan-se de 1205
a I33 por pipa. IT"-
ViNHosf-^-Vendeu-se o de Lisboa a 2705 e do
estraugeiro a 2105 por pipa
Velas.As de eomposicao regularan! a 700 rs. o
P acole.
Descostos.O bate de letras regulou de 7 a
10 por cento ao amo.
Fretes.Do algMlao carregando aqu para Li-
verpool a 5/8 d. o 5% a vapor, ),d.e e% vela
e em lastro de assuear a 17/6, a20c5%avola. Do
assucar para o Canil carregando aqu c em portos
de fra de 35/ a 371 a vela.
0 MUSEO DE

C/2
GOMES DE MATTOS IRWIOS
tendo feito completa mudanca em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe maiores proporcoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da noute na
RA DO CABUGA N. 4
nde encontrurao um completo sortimento do quo ha
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubiiis e
de mais elegante,
precioso
de ouro, prata e platina se pode desejar, e para prova
apresentam desde j
tudo qne em obras
o que hito dito,
A ESTRELLA DO NORTE
riquissimo brhante de tamanho raro e seguramente a maior e mais bo-
nita podra exposta a venda nesta praqa, a qual como tudo mais ser
vendido preco razoavel.
Garante-se a qualidade dos objectos venda.
&3
^-^^-
PUBLICACOES k PEDIDO.
Os vkiirtyre quA Ieiao. -- Uiaa
palavra aosdy^pepticos.
jjoffivis martyrio, e so os que abem o que dys-
MOVIMEMTO DO PORTO.
oajiilailo portuguez.
Os senhores credares d > espolio do finado sub-
dito portuguez Solidonio Jos Francisco (aficano)
queiran apresentar suas contas neste consulado
denlro do praso de 8 ditis, para serem conferidas c
pagas.
Consulado de portugal em Pernambuco aos 29
de Janeiro de 1809.
Antunes Guimaraes,
Chanceller. ___
CORREIO (iERAL
Relaro d;is carias registradas viadas do
norte e das existentes na administran ao do
correio desta cidade para os' senhores
abaixo declarados i-
Dr. Alfredo Toixeira Jteades, Antonio Bernar-
do de Souza, Antonio JdMfnim de Campos, Anto-
nio Jos Mauricio, Antonio de Souza eS(2), C.
Nodelno, Candido Alberto S. da Motta, Elias Bap-
tsta Silva Hamos. Eras rao Jos de Mello, Dr. Fe-
lppe Nery Collaco, Francelino A. H. Chacn,
Francisco Antonio aa Rosa, Francisco dos Santos
Lomba, Galdinn Ferreira da Silva, G. Lailhaea,
Ilermino C Martins Curvello. Julio Cesar de Ak-
mao Cysueiro, Joaquina Maria de Lemos. Joa-
quim Bernardo Mangonea, Joapnim Pereira* Costa,
Joao Bautista de Oliveira, Joao Ramo?, Joao Ro-
dolpho Goncalves. Jos Dotningues Porto Netto,
Jos Joaqum Ferreira Punha, Jos Luiz Goncalves
Ferreira & C, D. Marianna C. Pereira, Moreira &
Primo, Marcolino Souza Tmmsso, Manoel Duarte
Vieira, Manoel Rodrigu s WSantot Moura Nar-
ciso T. Vidal, Nogueira 4c C,
cBREio ma
Relaco das cartas registradas v indas do sul pelo
vapor francei auar,*, para os senbores abaixo
declarados :
Autooio Carlos Pereira Burgos P. de Leo, An-
tonio Duarte Carneiro Vianna, Alfred^ pereira
Carneiro, Candido A. Hatta Albuquerquer Carnei-
ro & Nogueira, Emilio Jeronymo Ferre'a, Dr.
Francisco Vicente dos Santos Jnior, Fr.inclseo
Ribeiro Pinto Guimaraes (2), Heleodora (ludida
Ferreira Rabcllo, teneiite-coronel Hemeterio Jos
Velloso da Silveira, Joiio Antonia Gonijalves Gui-
maraes, D. Josepha Honorata do Espirito Santo,
Joaqun i Pinto da Lapa, Dr. Joaquim de Oliveira &
Souza, padre Manoel di Vera Crnz, padre Pedro
da Silva Araujo, Jos Pedro de Castro.
Navk sahido no dia 29.
Rio da PrataLugar portuguez ysne da
Vouga, capitalt Fraocisca Pereim Coelbo
carga assucar e agurdente.
Navios mirados no dia 80.
Rio de JaoMro e Baha9 dias, vapor fran-
cez NcaSne, de 1*71 WoladM, ccU
mandante i!a.-enet, e^uipagett U', eai--
ga lffereoles geros; a Tesftt Frere.
Vice-consuladt* de JEspdna en
PcrnambucQ.
En virtud de lo dispuesto eu el art. 10.
g 3, de la convencin consular celobrada
entre loe gobiernos de Brasil y Espjna en
0 de febrero de 1863, el hrfrascrito vice-
cobsu! de Espina e esta nrovicia,- hace
publico que en el da 26 dw que cuta fal-
C^2
nos
"TH1L110S URB-ViNOS
DO
Recife a Apipucos.
No dia 2 de feverein prximo haverSn
trens especiaes de hora era hora desde as
seis da manhaa meia noute, do Recife ao
Caldeireiro, e dalii ;i Apipucos.
S recebera e ileixam passageiros
pontos inlermcdiarios os trens que partirem
do Recife s 6, 7, 8 e 9 horas da manlia,
e 1, 3, 5. 7 e 9 da tarde, e de volta du
Caldeireiro os de 7, 8, 9 e 10 da manhaa
e 2, 4, 6, 8, lo e o ultimo da tarde.
Os bilhetes de ida e volta para esse dia
sero especiaes e vendidos as cstac5es du
Recife e Caldeireiro.
Pede-se s pessoas que tiverem outros
bilhetes queiram troca-los as estacos men-
cionadas pelos especiaes, que sSo os que
nicamente se recebem nos trens.
Escriptorio da empresa dos trilhos urba-
nos do Recife Apipucos, 29 de Janeiro de
4869.
W. Rawhnson,
Gerente.
PARTICULAR
DK
jliMiruceo primaria
emularla
DIRIGIDA POB
Francisco de Borja
42-^-Prazeres42 '
CHBUW6.
Deseja-se faHar com' Sr. Justiniano
de Mendonca Lima, na ra do Quekoado n.
18 A, ou que se digne annunciar a sua bu>-
[rada para ser preoawdo.______________
= Preeisa-se ataga/ urna pretajtara * ra. sendo diligente e o preco rardfro : f**
a ra do Padre Flarlaoo n. 69,1 andar.________
Abjaam-seltts casas na Caranga, ra 4
Amizade n. tf e 21,Itndo a den. ti murto bjins
oommodos : a trattr na ra da Imperatrn n. 71.
*
^
ii n
H^l'
>


r
Diario de Periiambuco Seguwfo lew 1 de Federe-tro de 1869
SEGUROS
MARTIMOS
CONTRA l'OGO
A Companhia Indemnisadora, estabelecind
nesta pra^a, toma seguros martimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
em edificios, mercadorias e mobilias: aa
ra do Vtgario n- 4, pavimento terreo.
Precisa-se de un trabalhador capaz para
tratar de um pequeo sitio, prefere-se casado: a
tratar na ra Nova n. 19, Io andar.
Cozlnhelra.
Precisa-se do una cozinheira : na ra do Mon-
dego n. 24.
Dclaracilo
D. Anua Joaquina de Mello Cariota, de-
clara ao publico que deixa' de ser seu pro-
curador o Sr. capitao Jos Rodrigues de
OltveiraLima. Recife 25 de Janeiro de 18C9.1
25$000
Paga-se 2o mensaes por urna eserava boa co-
zinheira e de boa conducta : na ra do Pires, so-
brado n. 27.
ADVOCADO
|[0 tachare] J. Franklin da S. Tavora
46Iba do Imterador=4S
i" andar.
Ama cozlnhelra.
Na ra do Pirw, -stlirado n. 27, precisa-sede
Tima ama boa cozinheira e de boa conducta, pa-
a-se fcem.
Cosinheiro
Na cidado nova ein Santo Amaro sobrado gran-
de do Sr. Manoel Custodio n. 22, precisa-se de
um cosinheiro homem ou mulber que seja de boa
conducta.
Engommadeira,
Precisa-se de urna mulher que engonune per-
feitamente : a Halar na ra da Cruz n, t7, segun-
do andar.
Fazem-se lilhs de
pomp^oinpiido, aceio e
P-dro n. 26.
relinga para presentes.
pericia: no pateo de S,
CoIIegio de S. Francisco Xavier
Estabelccido na gratule e beraarejada casa
ende estofe o Gyninasio, na rna do Hos-
picio n. 32, dirigido pelos padres da
companhia d Jesvs.
O reverendo padre director daste coHegio scien-
tttica aos pais de seus alumnos edos demais que
quizerem confiar-Ihe a educaran de seus lilhos,
que no dia 3 de fevereiro comecanio a fuccionar
todas as aulas, aehaudo-se abe'rtas j as matri-
culas. Recebem-se meninos de G a 12 annos
para seren instruidos as materias preparatorias
las acuidades do imperio, a saber, primeiras Ie-
rras e lingoa nacional, geographa e historia, ari-
thinetica e geometra, inglez, francez, (da-se infe-
rior e superior), latim. da-se intima, media e su-
prema, isso a pratiea da prosa e da poesa), e
finalmente humanidades ou a ntroduceao rheto-
riea, que comprehenoV, os tratados do eatyto c da
Hocuc/toquer em prosa quer ein poesa as duas
Iigoas latina a nacional. A msica para canto-
ra e para todos os iustrumentos de sopro e cor-
das, assim como as lingoas allemaa, italiano, gre-
ga, ebraica sero ensilladas pedido dosseuhores
fiis.
Kuftino i' ;irl geometra.
O bacharel em direito Casemiro Borges Godinho
de Assis, ensilla estas materias no primeiro andar
da casa n. 17. sita na ra Nova, das 7 1/2 as 8/2
horas da man aa aos senhores estudantes que de-
sejan fazer exame no collegio das artes, e das 7
1/2 as 9 da aoite aos senhores einpregados no com-
mercio.
VVISO
Real companhia de paquete*
Ingieres a vapor.
Os agentes ca real companhia de paquetes in-
ffleaos a vapor fazem publico que os directores
da mesma, para facilitar as eommunicaroes entre
Pernainbuco, E ahia, Rio de Janeiro, Montevideo c
Buenos-Ayres autorisam mira redueao as passa-
gens para aqmlle*portos ; d-se tamhom nilhc-
tes de ida e vol ta rom prazo de 6 mezes, confor-
me a seguinte tabella reeebidas em pa|iel niocda.
Primfia tlaste. Ida. Ida e ralla.
De Pernanibueo ate Ilahia. o6| 8V
> Rio de Ja-
neiro. 1125 108.5
> Montevideo. 2o0 3755
Buenos-Ay-
res. .....2705 4035
Passageiros da terceira classe pagam um qliar-
lo das quantia; cima mencionadas.
A passagein d'aqui at Lisboa da segunda clas-
se fica rediuidn de a? 27 a 9* 24.
Tambem aeham-se reduzios os fretes de di-
nheiro para InjdatVrra, Franca e os portos do sul.
Para ulteriores informaeoes trata-se na agencia
ra do Trapiche Novo n. io.
BARTHOLOMEU ft C
Tropaiii-se

Joaquim Jos Gon-
palves Beltro
RA DO TRAPICHE N. 17, 1. ANDAR.
Sacra por todos os paquetes sobre o Ran-
eo do Minlio, em Braga, e sobre os seguin-
tes logares em Portugal:
Lisboa.
Poro.
Valenca.
Guimares.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Viantia do Castalio.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famalicn.
Lamogo.
Lagos.
Covflhla.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Ceja.
Barceltes.
as notas do bano do Brasil e das caixas filiaes,
com descont muito razoavel : na praca da Inde-
pendencia n. 22.
Antonio Jos Rodrigues de Sonsa, precisa
alagar um criado para o servico de casa, de inais
Je I. annos: a tratar com o "mesmo na ra do
Crespo n. 15, ou em seu sitio no Monteiro.
PARA USO INTERNO
PREl ASADOS S*IMPLES
Xarope de arubeba" garrafa. 1000
Vinbo de jurubeba .garrafa. 10600
Ptalas de jtrubeba vidro. I JtiOO
Tintura de jumbeba vidro. 640
Extracto Irydracoolico de jurubeba. 12;>50u
PREPARADOS COMPOSTOS.
Vinho de jorubeba ferruginoso garrafa. 2000
Xarope de jurubeba ferruginoso garrafa, 1 5600
Pilulas dejurubeba ferruginosa vidro. 2.JO0O
?Meo de jurubeba vidros. 640
Pomada de jurubeba pote 640
Emplastro de jurubeba libra. 2#oOO
PARA USO EXTERNO
k A JURUBEBA.
Esta planta c hoje reconhecida como o mais poderoso tnico, codo um excel
lente desobstruente, e como tal applicada nos engorgitamentos do gado e baco, as
hepatites propri ente ditas, ou ainda complicadas com anazarchas, as inflammacoes
subsecuentes as febres intermitentes ou durezas, nos abeessos internos, nos [tumores es-
pecialmente do tero e abdomen, nos tumores glandulosos, na anazarcha, rjas hodrope-
zias, erysipellas ; e associada as preparacoes ferruginosas, ainda de grande vantagem
as anemias, chloroses, faltas de menstruacao, leucorrheias, desarranjqs atnicos do
estomago, debiiidade orgnica e pobreza de sangro, etc.
O que dizemos afirmam os mais distinctos mdicos desta cidadej, entre os
quacs podemos citar os Illms. Srs. Dr. Silva Ramos, Aquino Fonseca, Sarniento, Seve,
Pereira do Carino, Firmo Xavier, Silva etc. Todos elles reconhecem a excelencia d'este
poderoso medicamento sobro os domis at hoje conhecidos para todos os casos citados,
tanto que todos os dias fazem d'elle applicaco.
Do xarope Vegetal Americano, especialldadcde Itarlkoioiucii fc <
34RA LARGADO ROSAHUJ34
Nao costumamos procurar attestados para acteditar nossos preparados, e dei-
xamos que sua applicaco e os resultados obtidos pelas pessoas que se dignaram acceita-
los, lhesdeem crdito e voga; porque sao sempre os attestados considerados gratuitos,
e delles que lani;amo ocliailatanismo; mas, nao querendo offender as pessoas que'
espontneamente nos olereceram os que abaixo v3lo transcriptos, os fazemos publicar,
manifestando-lhes nossa gratido pela attenco, esperando que venbam elles corroborar
o conceito, e aeceitayao que tem merecido nosso xarope.
Barlhulumcu & C.
ATTESTADOS
Illms. Sis. Bartholomcu C com a mais subida satisaco que declaro
ser o xarope Americano de urna eflicacia extraordinaria, pois que soffrendo ha dias de
intensa tosse, ponto de nao poder dormir a noitc a despeito mesmo de medicamentos
que tomava, a elle recorri e na terceira colher fui alliviado, e de todo me acbo hoje res-
tabelecido com o uso somente de quasimeio frasco: grato, pois,r esse resultado mani-
fest a \v. Ss. meu reconhecimento.De Vv. Ss. amigo, venerador e obrigado.Ma-
noel Antonio Viegas Jnior.
Sua casa 20 de abril de 1868.
Illms. Srs. Bartholomcu & CPenhoradissimo com o favor que me fizeram
de aconselhar o uso do xarope Vegetal Americano, de sua composicao, quando me acha-
la bastante doeute de urna constipado, que me tornou completamente rouco e que
trouxe urna tarto tosse, e me impossibilitou de cumprir os meus deveres de cantor da
empreza lvn,a, vou agradecer-lhes meu completo restabelecimento, que obtive com um
so vidro do mesmo xarope, depois de haver recorrido a muitos tratamentos. Desejarei
que outros conio eu recorram ao seu xarope para se verem ataviados de t3o torrivel
incommodo, tao fatal neste paiz. Com maior consideracao contino a ser de Vv. Ss.
attento, veyerador e obligado.Luiz Cremona.
Recife, 23 de setembro de 1868.
Illms. Srs. Bartholomeu & CO xarope Vegetal Americano que Vv. Ss. teem
exposto a vendai e de toda eflicacia para o curativo dasthma, conforme obsenei appli-
Apresentando aos mdicos e ao publico emgeral diversos preparados da jura- Mm/" a meu Wn0 Joaquim, menor de quatro annos; victima d'esse flagello, que a'>
cer acnta p.r esl)a?0 excdente a dous annos l.avia resistido a outros xarones de grande
Na olaria do 1'undao precisa-se de dous tra-
aaudores de grades para lijlos e tenas, e un
acociro, paga-se com ganerosidade : a tratar
na mesma.
Alug^-se
por aiTciidanieiito a grande e excellente haixa de
capim, sita na Caponga ra da Ventura, na ipial
tem algtins ps de coqueiros : para tratar ua ra
larga do Bosario n. 34, botica.
Aluga-se a loja, i" e 2o andares do sobrad
n. 30, sito ra da Aurora : a tratar na ra Bel-
ta n. 37, I andar.
Qtiem precisar de um homem chegado ha
pouco do norte para administrador de engenho,
leudo grande pratiea de novo s\stema de fazer
assucar. como se ua as ilhas de Cuba, e en-
tende tambem de asseatar vapor, ou para traba-
Ihar com o mesmo: pode ser procurado na tra-
ressa da Lingneta n. ou na roa do Brum n.
91, bbriea de calderciro dos Srs. Villaca &
Braga.
Precisa-se comprar ou aingar alguns es-
eravos para o servico de armazein de assucar ;
na ra do Apollo n. 14.
1
Na ra estreit.i do Rosario, sobrado de um an-
dar n. 33, alugam-se ricos vestuarios bordados a
ouro o laa, novos, de muito gosto, dminos de seda
e de lia, todos de gosto e bordados de velludo, para
vender-se, e faz-se para ipialquer pessoa que quei-
ra mandar fazer a gosto e a carcter de ipialquer
ligurmo, tem tira grande sortimenfo de dminos o
vestuarios de priucipe, tudo em milito bom estado
para alagar a 2J cada domin e vestuario, c para
vender por muiti barato preco, tem rosas para
enfeitar qualijuei vestuario proprio para o car-
naval.
Roga-se ao: r, Paulino Rezerra de Andradc
Lima, ."> supiilct de subdelegado da Gloria de
Goit, que compareca na ra da Cruz n. 34, que
muito sedeseja fi.llar.
GR!MDE~HOTEL
1 ORIENTE
Inangurou-se este commodo e elegante
estabelecimento donde os seus frequenta-
ilorcs poderao preciar a especialidado na
confeevao dos gneros alimenticios.
As bebidas so as mais primorosas c re-
commendadas.
A docencia e bom servico priniam n'esta
casa no bello gosto oriental.
Mandam-se domicilio comedorias, tanto
avulso, como por asignatura mensal. Os
precos sao mdicos e convencionaes.
Ha urna espai;osa e bonita sala para o i
elegante jogo di buhar.
Ha tambem aposentos commmodos e bem
mobilhados para hospedagem.
Rualar|fa do Rosario
44.
beba, tivemos por tan goneralisar mais o uso d'este vegetal, fazendo desapparecer
repugnancia que at hoje sentiam' os doentes de usar dos preparados empricos d'elle,
mais das vezes repugnantes a tragarem-se, e que tinham ainda a desvantagem de n
ser calculada a dose conveniente a applicar-se, o que torna muitas vezes improficuo um
medicamento, que poderia produzir ptimos resultados.
Osnossos preparados s foram apresentados depois dehavermos canveniente-
mente estudado a jurubeba, fazendo as experiencias precisas para bem conhecer as pro-
priedades medicamentosas desta planta em suasraizes, folhas, fractas ou ba^as, e a
dose conveniente a applicaco, tendo alm d'isto procurado levar os nossos preparados
ao maior grao de perfeico possivel, para o que nao poupamos esforcos, upo nos im-
portando o pouco lucro que possamos tirar.
Por tanto os que se dignarem recorrer aos nossos preparados pidem ter a
certeza de que elles offerecem a garanta, de que se pode encontrar, a prompta e infalli-
vel eura de qualquer dos soffrimentos, que deixamos innumerados, se forem em tempo
applieados, tendo alm d'sso, medico eu doente a vantagem de escolher as possas va-
riadas preparacoes, aquella que melhor lhe pode convir, j pela fcil applicaf), e j pela
complicacao das molestias, idade, sexo, ou ainda natureza de cada individuo.
As nossas preparacoes ferruginosas sao feitas de forma que se tora; m comple-
tamente soluveis nos suecos gstricos, porque procuramos osompostos de ferro que
como tacs esto hoje recouhecidos.
Para aquelles que mais minuciosamente queiram conhecer as proprjedades da
jurubeba, e saberem a applicaco de nossos preparados, destribuimos gratuitamente
em nosso deposito um folheto, onde tratamos mais- extensamente d'csta plaiita e dos
mesmos preparados.
Deposito geral de todos os preparados
Botica e drogara
34Ba larga do Bosario34.
nomeada. Queiram, pois, Vv. Ss. acceitar a expresso altamente sincera de meu reco-
nhecimento ao meritorio servico que lhe prestaram rom o indicado xarope, acreditan-
do-me para sempre de Vv. Ss. criado, atiento e obrigado.-Americo Netto de Mendonca.
Recile. z i e oiituhrn ri IfiAfl ^
DE
N. 55RA DO IMPERADORN. 55.
Os pianos desta amiga fabrica sao hoje assiz conhecidos para seja necesario
insislir sobre sua snperioridade, vantagens e garantios que offerecem aos compradores
qualidades estas incontestaveis, que elles tem definiivamenle Conquistado sobre todos
os que tem pparectdo nesta praca; possuindo um tecladoemacltinismo que obedecen
a todas as vontades e caprichos das pianistas, sem nunca falhar, por serem fabricados
de proposito e tec-M leito ltimamente nielhoramentos importantissimos para o clima
(leste patz; quaulo as vozes sao melodiosas e flautadas e por isso muito agradaveis aos
ouvidais dos apreciadores..
ii i ., F.azoin"se conforme as encominendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blon-
del, de Pars, socio correspondente de J. Vignes, emcuja capital foram sempre uremia-
dos em todas ac exposicocs.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um esplendido e variado sorli-
mento de msicas dos melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos
harmnicos, sendo tudo vendido por precos commodose razoaveis.
XAROPE d'HYPOPHOSPHITO oc CAL
GRIMAULTe CLa pharmaceuticos em PARS
A effleacia d esta preparacao est e*ubelecida desde 1857, pelos mais celebres medico. Desde
ailo muitas mutacocs tem sido feitas, mas nenhunin poude sustentar a comuaraco com o
producto apresenudo peta nossa caza. Por isso excitamos o publico para que exiga mmm
esie xaroi)e com urna beUa cOrde rosa, nunca brinca, e com a nossa assignaiura roca do
Sob a sua influencia, a tosse acalma-sc.ossuorcs nocturnos cessSo e o doente vol ve rpida-
mente i saude. 0 seu emprego d tambem os mais brilhantes resultados nos defluxos, catar-
rlios, broncnites, irrita?6cs de peito etc. [
Deposito em Pernambuco. cm casa de Mnrer e C*.
AVISO
:a.
Ama de leile.
Precisa-se de umi ama de leile prcferindo-FC os-
erava, para acabar de criar urna menina de 8 me-
zes de idade: na na da Couceicao, na Boa-Vista.
*. Frrreir Villela.
Photographo da casa imperial
premiado em diversas exposi-
*oes.
Na sua pbotographia roa (Jo Cabug n.
*8, entrada pelo pateo da matriz lira retra-
tos por todos os systemas photographicos.
Em porcelana Em vidro
. Em talco Em papel
C\UT()ES DE VISITA A !)> A DZIA.
Os retratos carie-dc-tisiie sao collados
em carto de luxo bristal ou porcelana;
dourados ou lithographados, quadrilongos
ou vinhetas para o que existe urna virieda-
dc de 12 modelos a escolha de quem se re-
tratar. Para as outras especies de retratos
temos caixinhas, paue-par-tout, quadros
e molduras douradas e pretal cassoltas de
uro e alfinetes simples e com pedras pre-
riosas, bavendo nos alfinetes urna mimosa
variedade de feitios.
O nosso estabelecimento photograpbico
est sempre em dia com os melhoramentos
o progress'os que na America do Norte, na
Eurojia ou no Hio de Janeiro se consegue
na arte photographica, e para alcan?armos
tal fim nunca poupamos despezas nem sa-
criflcios, de sorte que os nossos numerosos
treguozes podem ter a certeza de que sem-
pre cneontraro em nosso estabelecimento
tudo quanlo a arte e a moda offerecer de
bom no novo e velho mundo ao amantes
da photographia.
Mont<
Fuitarain honter da eslagao das Cinco Ponta^
ate os Prazercs, urna rarteir'a de algibeira con-
tendo os seguintes 'ibiectos : um tica do banco
mglcz do valor de 8 2bO e tantos mil ris, alKiiin
mais de diversas quinlias, HO e tantos mil ris
em dmheiro, urnas demissurias, e passaporte para
Lisboa, tudo pertencente ao abaixo assinado-
raga-sea policaea todo particular deapprehen-
der elevar ao mesr 10, no escrtptorio de Albino
Jos Ferreira da Cu alia, no largo de S Pedro
que sera gratificado generosamente.
Os vapore Ha Goinpanliia Pernambneana d
liojecm liante eliegariio na linha do norte regulai
e peridicamente ata ao porto da Granja, e niesmo
entre este e os demais portos do norte da cidade
da Fortaleza, capital da provincia do Ceani, car-
regario cll;, visto ter expirado o previlegio que
para esse lim tinlia a Companhia Maranliense, e
por isso o vapor Ipojuca da Companhia Per-
nambneana, que segu para o norte no dia 30
do correntc, chegar at aquello porto, pira onde
recebe carga e passageiros, tanta destecomode
outro qualquer porto da escala : trata-se no seu
eseriptorio, raes da Companhia Pernanibueana nu-
mero l
Precisa-se de mu honieni para toniar con-
ta de um sitio e tratar de vaecas, se tiver fami-
lia ser preferido: na ra do Imperador n. 79,
Io andar das 10 horas da manhaa s duas da
tarde.
= Aluga-se um segundo andar na na do Ro-*
aario da Boa-vista n. 53, e urna casa terrea na ra
Velhan. 0.1: a tratar ni ra da* Crozas, >brado
n. 0, Io andar,
o professorde latim, abaixo assignado, fa
sciente ao publico que se aelu abert a matricula
de sua aula, e que o cxereieio da mesma tara eo-
meeo no dia :i de oven-iro: qn ni se mn'ter ma-
tricular, dirija-seao sobrado n. .1 sito no larao da
ribeira. .
IP1LULAS, VINHO
E
XAROPE DE JURUBEBA
PREPARADOS PELO I'HABMACECTICO
Joaquim d'Alineida Pinto.
As preparacoes de jurubeba sao
hoje yantajozamente conhecidas e
preconisadas pelos mais habis m-
dicos, tanto da Europa conu do
paiz, pela sua ellicacia nos pasos
de anemia,*chlorose, hydroresia,
obstrueco de abdomen, e tambem
as de menstruacao diicii, ca liar- M
ro na bexiga, etc.
Vendem-sc em porco e a -eta- 8
lho, na cidade do Recife, pha na- t&
P.i.l rl> SPii rnmmcllnp i>ni liriro jgr
m LARGA DO ROSARIO 137 CIIARLTERIA E PETIT RESTAIRA.\T
Este acreditado estabelecimento augmenta Annexos ao Hotel Central, rita estreita do
de dia em dia quanto possivel para che- Rosario n. 4 A, andar terreo,
gar ao cume do bom viver. Para dar a conhecer a variedade infinita
Alem dos saboreaos manjares confeccio- de charutos de Havana, Rabia, Rio, etc que
nados com o melhor asseto, tem bellos apo- existem neste novo estabelecimento pres-
sentos de hospedagem, tanto para urna s cindimos dos annuncios pomposos que ge-
pessoa, como para numerosa familia. ramenle se fazem, reduzindo-nos apenas a
A agua, ndtspenaavel elemento para a tres letras que sao tres bbb bom, bonito e
vida e hygrene, temla sempre cm abun- barato. A' vista do genero annunciado no-
dancia para lacilitar excelentes banlios. de-se julgar de nossa veracidade. Esta casa
Ha tambem una boa bibliotheca o perio- gosa tambem das condices de um elegante
dicos nactonaes e estrangetros, piano para e petit rpstainain onde se pode ver e<-
recre.o b.lhares, etc. etc. pecialidade dos liamlires e salames de I ion
sendo ociosa qualquer recommendaro para lanches e al fazer urna boa colacJ i
para tao acreditado estabelecimento, omit- juntamente com os principaes viuhoa
timos mais prembulos, fazendo ver por mercado, sohresahindo entre'o bom a puta
hm, que o bom servico, ordem e moralida- e fervente champagne, o mui saboroso Rhc-
de imperam n esta casa, como observancia no. a primorosa ceneja, o licor espirituoso
fiel do regiilamento que possue. o quanto pede urna mesa. Faz-se noute
Comedorias a la caite. sorvete c variedade de refrescos.
ra
ca de seu compositor,
do Rosario n. 10, junto ao qba
tel de polica.
M:.......I l-'iaiii-iseo Ci'H-lho.
Ama
Piecisa-sc de una ama para cozinhar : na ra
do Crespo n. 20 H.
OITereee-sc um cozinheiro : quem
falle ni ra das Crines n. 11 A, taberna.
quizer
.ima
Na ra do Queiimdo n. 46. loja, precisase alu-
gar urna ama escrav para cozinhar e comprar,
paga-se bom aluguel.
Casa para alugar.
Aluga-se no fim da ra da Aurora una boa
casa constando de andar terreo, primeiro an-
dar, sotea o um mirante no centro, com commo-
dos para grande familia, achando-se a memas
casa toda illuminada a gaz e com canno de esotoe
com bom quintal e cocheira : os pretenduntesque
desejarein urna boa morada dirijam-sc a ru No-
va n. 20, qno achara i com quem tratar.
Aluga-se
Pi Popular Pernam-
bucano.
De ordem do.Sr. director seientifieo ao conselho
;idminis:rati^ o, que a =essao marcada para o dia
J de fevereiio foi transferida para o dia 3 do mes-
mo em razao de ser dia san tincado.
Se*relaria do Monte Pi Popular Pernambucano
!8 de Janeiro lo 1869.
O secretario,
Julio Cesar P. da Rocha. .
urna pserava que faz com perfeico todo servico
de urna casa de fam lia : a tratar na ra larga
do Rosario n. 3i, bot ca.
itii.ibiviii:
Aos 500 pares de brincos.
Chegou e vende-se no CoracSo
duro, ra do Cabug, brincosde
mostnhas com urna franja penden-
te a um rico desenlio e ouro do
le, pelo pequeo preco de li^OUO
cada par. ba -atissimo.
Precisa-se no hotel nacional, na ruada Cruz
n. 1. le una engommadeira.
AKATJMMO
Calcado nacional, na fabrica de Jos Vicente
uodinlio & C, ra do Jardim n. 19, avisam aos
seus freguezes desta capital e do interior, que con-
ttnuam a fabricar calcado em alta escala, e offe-
recem as melhores condices, tanto em-preco como
em qualidade. Os^proprictarios desle estabeleci-
mento chamam a attenco dos senhores consumi-
dores do interior, que os (luizercm Honrar com
sua freguezia, especilicando em seus pedidos a
qualidade e numera^ao, ^ITcrecendo-se para os en-
tregar bem acondicionados cm casa de seus cor-
respondentes nesta praca..
Lagdo para calcadas
A tratar na ra do Apollo n. 4, eseriptorio.
Aluga-se
Huma casa com bastantes commodos na
cidade Nova de S. Amaro: a tratar com te-
lonio Jos Gomes em S. Amaro, das* horas
d maanh as 8, e das 3 era diante.
Precisa-se alugar urna negrinha de li a 14
annos de idade para andar com urna creanca de
anno e ineio; na ra da Impeatriz n. 15 i an
dar.
XAROPE DE FEDEGOSO
E' de urna eh*icacia verdadera- W
mente maravilhosa como calm inte |
do systema nervoso e 6 applkado B
contra a paralisia, asthma, tosse &
convulsa ou coqueluche, tosse re- gg
cente ou antiga, suffocacoes, ca- W
tarrhs broncneos etc., e cm geral ^
contra todos os solTriments das
vias respiratorias, o na phytisica B
pulmonar, sua virtude contra o S
ttano ou espasmos, e convulsoes p
incontestavel, e ninguem ha que
a desconheca.
XAROPjE
DE
SALSA PMUIII.HA DO PARA
ou
DEPURATIA'O DO SANG.
Usado as molestias de pe lie,
impigens, dores rheumaticasj c
ulceras venreas.
O nico deposito desfts medica-
camentos na botica do Pinto, ra
larga do Rosario n. 40 junto lae
lartel de polica.
EFFICACIA
> DO
XAROPE DE RBANO IODADO
0 Xarope de Rbano iodado de Grimanlt e O, pharmaeeuiicos de S. A. 1. o principe
NapoleaO, em Paris, preparado com o sueco das plantas anti-escorbuticas cuia eflicacia
mni popular.
Encerra o iodo como combinacSo orgnica, e considerado como o melhor succedaneo
do oleo de ligado de bacalhio.
A rara perfeico d'esie prodocto anima-nos a dar a conhecer aqni a opinio de alguns
d entre os principaes mdicos de Paris, que diariamente o prescrevem.
O Xarope de Rbano iodado nm medicamento d'nm effeiio suave e seguro para a
medicacao dos meninos, nSo sdmentc suppre o oleo de figado de bacalho, mas ainda faz
as suas vezes eom vantagem.
Dr A. CAZENAVE, medico em chefe do hospital Sainl-Louis, em Paris.
Xarope de Rbano iodado nm mcdicamenio de primeira ordem pura o tralamenlo das
affeccoes lymphaiicas e escrofulosas, iluitas vezes, empreguei-o com feliz xito, em ceos
casos de tsica ao seu principio, como succedaneo do oleo de figado de bacalho.
Dr A. CHAKKIER, anligo chefe de clmica da l-'aculdade de Paris.
0 Xarope de Rbano iodado sempre nos deo excedentes resultados como regenerador
do sangue, e succedaneo do oleo de figad de bacalho. >
D* A. FAVROT, autor do Trai't des maladies des femtnes.
0 Xarope de Rbano iodado nm dos mais poderosos modificador das constituiedes
lymphacas. Tenho visio ulceras escrofulosas que nada poda curar, cicatrizaivin-se,
< gracas a sna aeco, com uromptido extraordinaria. Tamben, pelo sen oso desepparecem
* aa affecedes tuberculosa* dos ossos, nos meninos
Dr GUESNARD, amigo externo dos hospilaes de Paris.
c O Xarope de Rbano iodado possue todas as vantagens do oleo de ligado de bacalho,
sem ter nenhnm dos inconvenientes que aprsenla este ultimo medicamento.
Dr GUIBOUT, medico dos hospilaes. Presidente da Sociedade de medicina de Paris.
t O Xarope de Rbano iodado de Grimaull e C* encerra ti2 porcento de iodo, ve. na
composicao orgnica anloga que se acha no oleo de ligado de bacalho.
D'KLETZINSKT, professor de chymica, louvado dos tribunaes de Vienna.
Deposito em Pernambuco, em casa de Maurer c.
Quem prensar de uin menino de 14 a 15 an-
nos de idade para caixeiio de qualquer estabele-
cimento exceptuando tatema dirija-se ru i Di-
reita n. 79, loja.
AMA
Precisa-se alugar ama ama para o servico in-
^rno de urna casa de pequea tamilia : na ra do
Livramento n. 24,3 .ndar.
Precisa- e de urna criada
Visto n. i.
Ama
JTecisa-se de tima ama para cozinhar e eom-
na praca da Boa- prar preferindo-ie osvrava i^nTnu do LiwaSS-
J to n. 4, loja.
ESCRIPTORIO DE ABVOCACIA
26----Ra larga a"o Rosario26
O advogado bichare! Ayres de
Albuquerque Gama tornou a abrir
o seu eseriptorio na ra larga do
Rosario n. 26: onde pode ser pro-
curado, qialquer hora, para to-
dos os misteres da sua profissao.
i vgttmtm mam^ ^~*m*^M
^* iBMm mmmmM
Frederico Maya
Cirargio dentista pela escola
de medicina
do Rio de f aneiro.
Tem a honra de participar ao respeitavel publi-
co desta capital e seus suburbios, que tem aberto >
*!U $?biW6 de consallas e opera^es dentarias a
ra Direita n. 12, primeiro andar, onde pide ser
procurado todos os dias das 8 horas da man la as
da tarde. Elle acha-se competentemente habili-
tado para com perfeico enllocar dentes attiflciaes
por qualquer dos systemas, c bem assim dtjsempe-.
ohar qualquer outro trabalho concernent sua
profissao. O mesmo, reconhecondo que nem sem-
pre -.'ssivel assenhoras ou enancas sahirem a
procu. jr o remedio, olTerece-se a remover qual-
|uer obstculo, declarando quo na cidade sb pres-
tar a qualquer chamado sem que isso nflua cousa
iljruma na commodidadedos precos de seu? traba-
Ihos.e quando paca fra della ass m mesmo ser
precedido e um ajuste rasnavel, garaptind) elle a
egurancae perfeico de seus ditos trabalhes. En.
*eu gabinete se encontrar constantemente excel-
lente pos dentifricio. lixir e outros medicamen-
tos odontalgicos : a ra Direita n. 12, primeiro
andar.
No sitio n. I da PaL^agem. vende-se urna
escrava de meia idade.
3==Efl*
FRANCA-BRASIL
MR. MERGER, alfaiate francez, previne ao respeitavel publico e a seus numeraos frpirae-
s que, tendo transferido sua residencia para a ra do Trapiche n. 7, primeiro andar, ahi encontraro
mpre todas as qual.dades de tondas para trajos de homem, e prepara costun.es para montara do
Mnnora. Faz tambem obras para militares epara criados, para as quaes tem grande sortimento de
I te. imple, com virola e cora de conde, trancos e amarellon Hecebe por todos os vapores c
oHiniMQ Hi-nrinos para homem, senhoras e meninos. -i~i
Isfreraja*
audeau
de *iJcim
Je Paria
PILULAS
I I I I I li
TOFEBjo'^ANr,AMF(sl'l
deBUIINduBISSon
fijar jcpuIic*
k
takm
0
simo
tratamento das affeccocs chlorotieu, lympbaiicas ou escroptantosas sempre loctis-
-!jir? VW7 **"* mo,esas renhiem t-vmfmrwr** frmjgnosas ohflflari. As
fifiSFi T.^f wloeJPro/"s,"* Hannon de BruwJta. tmmm* %. HoWqort le L,i e
Beraelms .TriMUMan e Pan, lem provad qne a Su'me p.rsisten.k era eoiipkiia
usencia d Mao^aneu. elememo-que sempre deve-e bar no -angue junciamenie co
pois, na inerapiiia uina falta importante, e por Me
> ferro. Eslae pilulas suppre
motivo ellas tem merecido a ai
dadet medica. Deposito em
ivacao da Academia de Medecina e las principaes aocw-
rnaiutmco, em rasa t Mmnm O1.
*5



II III lili
\~1
tkwm



Diario de Pernambuco Segunda feira 1 de Feverc.ro de 1869.
]
1
i:
-
I
i
iL
Grande liquidado de* miudezas !
Affonso Moreira Temporal, querendo liquidar a. miudezas existentes em sua
loja ra do Queimado n. 55, resolveu annunciar as'mes as iniudezas para que o pu-
blico se certifique do diminuto preco porque as est vendendo, a saber:
Massos coro grampos 25 a 20
Pecas de tranca lisa e caracol a O
Sabonetes de todos os precos a
80 460 200 e..... 210
Abotoaduras para colletes a :J20
Botfes de louca para camisas, a 160
Garrafas d'agua Florida (verda-
dera) a....... 1^000
Frascos com agua de Colonia a
320 e........ 400
Garrafa de tinta roxa a. 800
Caixas cora 100 enveloppes a. iOO
Mantas de seda para hornera a 800
Fita de sarja para enfeite de
vestidos por...... 600
Frascos com oleo para cabello
a iOO e....... 600
La para bordar, libra. 6/5800
Escovas finas para chapeo a 320
Ditas para cabello a 320 e. 500
Ditas muito finas para fatos
por preco nunca visto 400
500 e........ 600
Pecas de babadose entre meios
a 6)0 800 e.....
Grvalas de seda de cor a .
Ditas pretas a 400 e .
Bico e renda das ilhas a todo
preco. S a vista faz f .
Pecas de fita de coz com 10 va-
ras a........
I.000
320
500
iOO
Latas com giaxa.duziaa
Coques muito bons com rede s
a rede val......
Meias para homehs boa fazenda
a 31000 e ......
Linha de maica.caixa com 16
novellos ,......
Latas eom bauua i faiftliia), duzia
FrascflS com hauhaa 320400e
Botcs para panno fazenda boa
aHO.e.......
Volta de Aljcfre cousa boa a
Fitas para delirum de vestido a
Cafas cora ajmlha franceza a
Botos de ac ara colete dnzia a
Callao rom almetes a .
Caixa com perfumaras muito
fina. Sa caixa val 10000
12*000 .......
Copo com op ala muito fino a
400 e........
Meias muito finas para senhora
duzia........
480
4-5000
240
2)200
500
100
160
500
160
120
100
I5;)000
PROGRAMMA
, DA
Venta de \o *sa enhoru da Saft-
de uo eouveato de Manto
AntoqH do lieeffe.
A mesa rcgedora da devocSo de Nossa
Snbora da Saine tendo por um dos seus
lveres festejar no corrente anno a Pa-
'droeira da referida devocao, afim de satis-
1 ViOO ^ZCF ,este comPram'88<> mu't0 M,e tem aJu"
dado a valiosa coadjuvaco daquelles que
aptrindo sentimento de religiostdadu de-
ihonstram dedicarlo ~ Santissiuia Mi de
Deus.
,'Segunda-fera pelas 7 horas da naife de-
pois de reunido um avultado numero de
Meninas, d'este convento ser levado em
ociso o estandarte de Nossa Senhora da
Sade, ao som da msica do 2.- batalho
de infantaria da suarda nacional, e hastear-
se-ha no respectivo mastro. No dia 2 do
corrente pelas 11 horas da mlma ter
Nlgar a Testa, na qual tecer o panegyrk'o
Excelsa Senhora o muito digno guardio
d'este convento, e a.orchestra ser regida
pelo maestro Jos.Miguel, e poite o pre-^
gador da capella imperial Fr. Joaquim do
Espirito Santo recitar um bem acabado djs-
Feitor
Precisa-*1 eom Urgencia de um k tor que en-
feuda bem dejardm : a tratar heTlecife, travesea
da Madre de Dos n. 16.
ff
Uta
Quem precisar de un criado pura fazer todo
o servico de uiua casa, pode procralo ua ra do
Imperador n. 79, 2o andar.
N'a provincia das Alagoas precisa-se de um
caixeiro : a pessoa que se propozer djriia-ae a ra
Nova i). 6.
O Sr. Antonio Francisco Duartequcira appa-
recer na ra Direila n. 58, a negocie de seu ititc-
500
i-OOO
240
200
Cartas francezas a 200 e .
Ditas portugiiezas a 120 e .
Caixa de linha do gaz branca 50
novellos....... 600
Frasco com tinta a 100 e 106
Franja de la pira sapato (peca) 10000
Papel de peso muito bom ifSOOO
Sapatos de tranca e outros muitos artigos, que enfadonho seria mencionar.
BA DO QUEIMADO N. 55
resse.
20,0l)
De gratificado.
Quem achou na entrada do Parnamerim
um embrulho pequeo, contendo icaixi-
nh'as com botos de punho e duas com
de camisa, tudo de ouro, que calra d'um
passageiro que vinha de Apptpucos fo
trem de 8 horas da manilla, no valor de
1303,querendo lera bondade dje entregar
ao chefe da estacao do porto do Capim ie-
ceber 20 de gratificarlo.
Cyes,.podc diii^ii->c a ra do Apollo! a. 25 ou
do_Ouro n. 30, que achara com quem tratar;
Precisa-so alagar em um dos arrabaldes pr-
ximos cidade, um sitio, cuja casa nao fique
cfso. Em seguida ser entoado o Te- j face di estrada. Quem tiver algum gestas eondi-
DeuiH, e lido o qual ter lugar o l'iuien-
to da bandeira. Rogamos, concyrnaicja
dos devotos neste ocio para maior b'tilhun-
tismo d'elle.' k
Consistorio da 'devoco.de Nossa Senhora
da Sade, 1 de fevere.ro de 1869.
Izaias Francisco de Paula S.
- Precisa-se de una escrava que saihtv''COzi-
nliar. einmmare fazer compras : a Halar na ra
do Cadeia du ncle, n. i, armazem. .
Aos 8 mil globos
_ Aluga-se um molequt! do 10a-,l^,ujnjspar#
o ii^rvirn eXterBo do uui casa : a tratar na ruja
da Impcratriz, loja n. 13 A,
Ana.
apel decores chegados par^i illumiaa-
o^-dos -festejois, preco muito] em conta
I* i*a mate sendo em duzia: no armazem
do Vapor Francez ra l'ova n. 7
minacao.
RA DO CRESPO V. 10.
Duarte l'ereira C, tendo recebido peld
ul*ho vapor grande e variado sorttmenta
de baloes dej papel de diverjas (jualidades,
e do mate nioderno gosto, propios pan
illuminavo lauto da cklade cotto do
campo, assim o tzem constar a seus nmne-
rozos ft-eguezes e ao respeitavrl publico,
alim de que com tvmpo se pre\inanl, visto
como attento aos ltimos successosda guer-
ra se espera a cada momento a fausta no-
ticia de sua concluso. A illiiininac3o em
baloes de papel alm de ser linda c menos
dispendiosa possivel, os annunciantes ven-
dem-os por precos inui razoaveis, (Al
noticias da concluso).
PASTILIIAS AfCMDAS~
DO
DI. TATERSON
De bismuth e naagnexla.
Remedio por excellencia para combater
a magreza, facilitar a digesto, fortificar o
estomago etc.
DKP0S1T0 ESPECIAL.
Phannacia de Bartholonieiuv- C.
34-------Ra larga do Rosario-
Vende-se
Duas pias de marmore muito Boas, eom Sortee
em relevo, que pdem servir para igreja, ou para
casas particulares, vende-sc por preco muito eom-
modo: ra Nova, escrintorio de" Qinteiro A
Agr, n. 63.
Grande Bquidagto
O pinpnetari.! d.-ntiga e km cnnkeciiti
l'ja .le miiidexas deueminada Beija FkJr
ra do Queimado n. (i:i, querendo acabar
com o aortimentodc miudezas que existid
(em deliberado pnweder a una .mpkta b-
qiiiilncao. para o que cnama atteneaidel*-
(|us.
Os objectos serio vendidos por metadede
seu val*,'o para que o publico, nao sippo-
nha, que o presente annuncio una illusu,
oproprietarioda dita loja, offerece urna (if-
3uena lista de algumasmiudezes, com os seu
minutos{prefos coma abaixo se ver;
nao apresentando una lista completa eU*
dos os objectos quo esto expostos a vcimL.
pela razode se tornar um annuncio mui.
extenso e por aamaipiMiaja de enfadonha lec-
tura, por bao apenas lemita-se as seguintes:
1 Duzia de miadas de linha para
fazer eroch. 11$
1 Caixa de linha com 50 novellos 00b
1 Dita 50 t 801!
Dita 10 t Stib
1 Duzia linha de oarriteis de
100 jardas ;me
i Dit a de
200 jardas. iQt
Fita de la para dehrum de todas
as cres.wi peca. f^>
Dita a branca aJl
Dita i>n,
Peca de fita delinhocom 10 varas,
J na estreiw lo Rosario n. 18, i1 andar, pre-
cisa-se de urna ama para comprar, corinhar e en-
gonunar para duas p.;ssoas.
TR1UMPH0 MEDICA DA SC1ENCIA
b* tElMA^'
1 m
A iguia branca tem-se f^ito tao conliecida e
acreditada, nao s pelas novidades, variedades, su-
perioridade e abundancia de.seu sortimento, como
pela constante comniodidade ?. seus prec/is, e me
mo pelo seu assaz e nunca olsidado agrado e since-
ridade.
Essas verdades incontestaveis sao sem duvida
**%.
%
Precisa-se
de um menino de 13 a 14 annos de id ade, Brasi-
letro, qne tenha ou nfc pratiea de
tratar na ru* dos Pesadoies n. 43.
taberna : a
a recompensa
Para araauhecer o dia 10 do crreme fugio-do
engenuo Ganabrava, no termo de Itainb. o esevo
Bernardo, crioulo, de idade 25 annes, ]wuco mais
on menos, alto, secco, rosto descarnado, pouca

urna a ontra os -igradaveis cheiros de que usam
eot s^us linos lencos, c cada urna das quaes orgu-
lliosa^pelo elogio do acert de sua escoma,e como
que querendo pur si mesraa justicar dizem simul-
laHeaniente< verdade que estecheh'o foicomiira-
do na luja, d'aauii luanca.
.Muda uiais.
Quando hontci i os pas alllictos sentiam o rigor
apreciada pelo beo sexocin partienfer, e"pel a denti;ao de si u efiaro lilliiuho, c boje- alegres e
i eepeitavel publico em peral, e a tanto tem chegado; ti^feitos pelo f Jz restabelecimcnto recebem as
que estao quasi passando como annexim ou pro-1 visitas dos seus luelbor amigos, dizom aquellos a
.erbio, quando se v um objecto de elegancia. cstes.'" Doils Te me msjiLroupara que cumpras-
gosto, novidade, etc., etc., dir-se logoaquello ob-; M, como compiei, um desses virtuosos collares
jecto sem d'ivida foi comprado na loja d'agub oyer^ymse YeBdeanaJojadagnibranca.
branca. Alem tao muito uais que anda
Quando no club, nos bailes, ou no salao do \ falta tlzer.
Santa Isabel, una exceHentissima se aprsenla Quando em un circulo de cireumspectos carac- xlades da GARGAKTA,
garbosarneate trajando, trazendo o moderno cinto l-terea se dscutir a veracidade de taes dizeres, appa-
de mu larga tita, lisa, chamalotada, on esepssen, recer um ontro que queira anda levemente liter-
as suas admiradoras dicen oomsipo aquella lila romper a discussio. os primeiros por momento cs-
foi comprada na lojad'aguia brauca. queeerao a circumspeoco e lhes daiao um Btv-
cioso ddlique dizendo-llicsj sabemos que V.
Quando outra exceHentissima, nao menos par-! uin daquelles que inclina o chapeo u\ sol ou que
bosa, mostra o rigor de seu bom posto ua acervada I mereca ser designado pela aguia branca da ra
escolha dos enfetes de alta novidade que bella- do Queimado n. \\.
mente oruam seu vestido, anda mesmo as rivaes I fi5 ^n4nt!
de sua synipatbia conft-ssan ipic aquelles enlutes !!,ao OHKas qHC por
foram da loja d'aguia branca. utr:a* e.'.capaiu as otif ras.
Quando n'outra exceHentissima, rAiri. J;fia ^lueceiu o a aguia branca,mas em lempo
g-'lleza d
iuvas de petli
sas louvain "
hivas foram .UJ.. -e---------Mv. appareciaas, o p
Tamben chegaram novamente delicados enfeftee
Quando mesmo duas excellentissimas, antigs e llores ornadas le aljofares e vainilles, tanto de
;.migas ce collegio, se eneontram naquelles loga- palha para coqxes como para vestidos, c tudo
res, depois dos cumpnni.yilos de reciprtH-os beijos.; conlimi.i a nierecr a apreciacao das ex-cellentUsi-
mbas por torca de sua elevada delicadeza, gabapi I mas eonhecedora- do bom.
*
DO
BRASIL E PORTGA
I
Siluado em um dos bairros mais centries de Pars, sendo as immediaccs dos
principaes theatros e outros muitos divertinientos, e assim das estacoes dos caniinhos de
ferro para todos os pontos da Europa, acabado de ser inteiramente renovado, nao se
tendo poupadoo seu novo propietario a dsapezaspara seu completo embelesamento e
aceio, lorna-se portanto vantajosamente reciinnicndavel aos senhores brasileiros e por-
tuguezts, a onde enconiratiSo serapre aquella convivencia desejada em paiz estranho,
por ser iMJistantemente frecuentado por seu> compatriotas. O tratamento e superior a
todo o elogio, mesa redonda, ou a carta, ou servida nos anozentos; babitaces conve-
nientemente despostas para familias, e que ros para urna s pessoa, o servico feito
com a precisa regularidad*:: os precos muito rasoaveis e ao alcance tambem d aquelas
pessoas que se queiram limitar.
Gabinete de bkdca com os principaes jornaes doe dous paizes, salao de recepcSo e
de msica, etc. etc. Todas estas vantagens poileui serappl cadas igualmente aos seiiho-
res paftsageiros das repblicas do Prata, psrquc alm da emeljianga da lingua, ali cn-
ront -ario muitos senhores hespanhoes, por quera tambera esta casa bastante fre-
quenada.
Dcbaixo da k rmad'um liquido sem sai.CrT'|
anlogo a urna agua reine/al, esie medica-
memo runc o elementos que constituem
Os ossos e o sangne. E' o mais raeional dos
ferruginosos; por esta razad o adoptro
os mais eminentes mdicos do mundo in-
teira. gon\em mui.to s meninas de temperamento delicado, cuj desenvolv memo Urdi,
DE LERAS DOTOR EM SCIENCL4S.
| INSPECTOR DA ACADEMIA OE PARIZ l
s senhoras qpe padecem d'rsias ddres destomago ntoleraveig, causadas pela cblorose,
mama, mensiruacio eu lencorrhea, s criancas d'uma complncio pailida e delicada, e a
todas as pessoas que u-m o sangue empobrecido pelas, doencas Efficacia, rapidez d'aeco,
cui-a perfeua. sem consupavo de ventre nem acSo sobre os dfiites, taes sito os razes que
imperio para que os senhores mdicos o preserevo aos seus doe ites.
Em tempos modernos nenhum descubri-
meirto operou maior revoluco no modo de
curar anteriormente em voga do que o
rillllim. DE .\V4UHI'IT.t
TANTO NO TRATA-MENTO D.t*
TOSSF., c.nopo,
A.TH*\, THBlCA,
nocnnAo, RKSmt AMEN TOS.
MIONCHITES,
- TOSSE CONVULSA,
DORKS DE PEITO,
EXPECTUBACO DE SANGtE.
Como emtoda a grande serie de enferma-
do peito e dos OIVGAOS
da KEsj-iitAco, que tanto atormentara fa-
wm safirer a humanidade. A maneira an-
tiga fc curar consista gerahnenle a appli-
caeaode vesicatorios, sangiias,sarjar ou ap-
phcaroxterormaote ungentos l'ortissimos
compostos de substancias vesicantes, alm
de praduzir fcurf.olhas; cujas di lereirtes mo-
dos o> curar, nao fhziam senao" enfraque-
ccr e diminuir as forcas do pebre doente,
contrBuiindo pac esta forma d'uma aneira
mais fctcil e certa para a enfermidade a des-
truteio inevilawl de sua victima Quem dif-
ferento pois o effeito adiuiravel do
PEITORAL DE ANACAM1TA 1
EM VEZ DE mtlTAR, MORTIFICAIt E "CAUZAR
IWLIIITOS SOmtlMENTOS AO DOE\TE,
UduLMA, MODtnCA E SUAVIZA A D0.
AI.LttIA A IRKHAC0
CESEMVOLVE O E.NTESDl.MENTO,
EORtriEICA O UORPO
e faz eom que 'o svstema
Desalaje diurna maneira jirompta e rpida
at o ultimo vestigio da enfermidade. Os
melhores votos em niedicitra da Europa (os
Lentes dos Cdllagios de Medicina de Berlim)
testiicam serem exactas e verdadeiras estas
relaeoes analgicas, oualm tlisso|a experi-
encia de milharcs de pessoas da' America
Hespanhola, as quaes foram curadas com
este maravilhoao nemedk), sao mais que
su&cieiitespaia sustentarein a opinio do
PEITUHAL DE ANACAHU1TA I
Dove-se notar que este remedio se acha
nileitamente izentode venenos, tanto mine-
raes,-como vegetaes, em quanto que porm,
alguna d'estes ltimos, e particularmente
aquelles que sao dados sob a forma de Opio
e Acido Hydrociauico, Joruiam a base da
maior parte dos Xaropes, com os quaes to
fcilmente se engaa a credulidade do pu-
Imjco. a Composico de Anacahuita Peito-
ral acha-se linda e curiosamente eng;urafaila
em frascos da medida de cerca de meio
quarfilho cada um, e como a dosc que se to-
ma so d'uma eullier pequea: basta ge-
ralmemn a applicaco d'um ou dous frascos
para a ejrectuaco dequalquercura.
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A. Caors, J. da C. Bravo C, P. Maunir
: C, M. A, Barbosa. Bartholomeu dV C, e
em uxlas as principaes boticas e tojas "de
dragas-
barba, queixo lino, ps limpos, pernas
do a falla um pouco demorada, e sen
finas, ten-
lo bastanti
esperto : ovm o capturar e o for entregar no
mencionado engenho a sen senbor Antonio Carreta
de Oliveira Andrade, ter muito boa i compensa.
Pede-se o auxilio e attencao da polica,, a quem se
previne que o mesmo escravo seguio ara o Rcc-
fe embarcando-se em Goyanna. Susp3ila-se que
elle procure dalli embarcar-se para qualquer ou-
tra provincia. *
Rap Gasse e Paulo
Cordeiro
No armazem de Jos Joaquim Lima Bairio. a
ra da Cruz n. 18. tem constantemente suprimen-
lo de rap Gasse grosso e fino, e Paulo < Jirdeire
comino ni e viajado; nao precisa fazer apologa de
sua excellentequalidade, pois ella j de mais
conliecida, assim como o lugar proprio de sua
venda.
Precisa-se de urna ama para cdzinhar : na
ra do Senbor Bom Jess das Crcoulisn.il, i
andar.
COMPRAS.
= Compra-fie nina armando envidracada : :
tratar na ra Direita n. 38.
Com muito maior vantayem
Compra o Coracao de (taro, n. i D, r
ia do Cabu-
g, moedas de ouro e prata e pedras preciosas.

Compra-se escrayos.
Lino de Faria & C-, na ra do Vigarb n. 2i, es-
le ambos os
anuos e bc-
criptorio, 1 andar, compram esclavos
sexos, sendo que, moleqnes de I i a 20
nitzs figuras, serio pagos por muito mais dinheiro
do que em outra qualquer parte.
Ouro c prata
em moeda e em obras inutilisadas, co..
bom preco : na praca da Independencia
Na praca da independencia n. 33.
rves, compra-se ouro, prata, e pedras
tambem se faz qualquer obra de encej
todo e qn.-ilqniT concert.
Compra-se
hoje libras esterlinas, ouro o prata
nacoes e por maior preco do que em ojitra parte :
ni ra da tadeiado Recifen. 58, loja de azulejo.
--=* Qnem precisar de comprar ui
com leile para criar meninos, dirija-s
perial n. 217.
npra-se por
n.22.
loja de ou-
prociosas, e
uimenda, e
ALTA NOVIDADE
A
Loja do Pavao.
GURGUROES PARA VESTIDOS A lJOi,
0 COVADO.
Chegaram os mais modernos gurgaroes
para vestidos, sendo de todas as ii'nes,conio
sejam verde, azul, rosa, bismark, peola.
rato A- A- tendo quasi qtiatro palmos de lar-
gura e vende-se pelo baratissimo preco
de lOOO, cadacovado nicamente no ar-j
mazem de Flix Pereira da Silva, na roa da ,s (
Imperatriz n. 60.
BrINS PAnA CALCA NA LOJA no PAVO.
Vende-se os mais modernos e melhores
brins de linhode todas as cores, outros com
listas do lado, garantindo-se serem de linho
puro e vende-se por precos muito em con-
ta no armazem de Flix Pereira da Silva, ldeFrascocom ex tracto em sapati-
rua da Imperatriz n. 00. 0; *
1'KCIHXCIIA EM ALGODOSINHO A 3&0 riltUito.S COlfloleoS.
etjeu serve jiara eos. KK
Dita el .'O
Plantea voUMm para menina e se-
ntara. .'K
Ditos minios finos. r(X
Ditos preto com chapa. mu*
Ditos blancos yfti
Ditos pretos. +&)
Ditos braneos fino-. 400
Escovas para dentes a ICO, 'iO e .'f(k>
Ditas para cal>ellos. SO
Ditas muito finas. KM;
Ditas para roana. :',{.
Ditas dita ile dita. (00
Pentes de coque com fita a l-^uOO.
.S000 e
Pentes para coques 1^30, 2500
:i>000e
Peca de franja iiaratoalha a pica
com 14 varas.
Entremeios bordados a peca 000
Tinteiros de porcelana l^Stk) H
Balaios para meninas de escolla
bonito desenlio 800, l#, 1(W00
Peca de fila de seda para enfei-
Fita de sarja de todas as cores.
Grvalas pistas a 320 e
Ditas de corea.
Sapatos de tranca c tapete.
Garrafa de agua Florida verda-
ira
Dito aguado Colonia, piqueos.
Dito, dito de dito deiiever.
Ditos rom banha.
Ditos com tnico.
Ditos com oleo lilocomc.
Hilos com extracto e banha.
Kilos com extractos Jiversos
Pao de pomada.
Ditos pequeos de pomada.
CapeUas para corvas muito finas.
Sabonetes, 120, 320 e
Dilos transparentes de bolla 00,
Bedes para cabeca
Bandeja 900 a
Duzia de bolees de seda para cn-~
VENDAS.
Vende-se urna escrava
n. 30.
A FLOR DO FIH
i

2
-
S 8 4
ts a j
.' "S L" o o

3j S .dhaS*" ce -col
_9*e -. *> =rs ~z\
illllls^ 6C ~<2 Q.T3 &r5 -< I
A PECA KA LOJA DO PAVAO.
Vende-se superiores pecas de algodaosi-
nho com 20 jardas a 5">30a peca, gran-
de pecluncha, na ra da Imperatriz n. 00
armazem de Flix Pereira da Silva.
AS DEZ MIL VARAS DE CAMBRAIAS FRAN-
CEZASSNA LOJA DO PAVAO A 300 j
RS. O METRO.
Vende-se finissims cambraias francezas
com os mais delicados padroes, tanto rai-
dos como grados, o com as cores mais no-
vas que tem vindo no mercado pelo bara-
tissimo preco deoOOrs. o metro; garanundo
que 7 metros do im vestido para qoal-
quer senhora, e tpie em entra o,ua!<;uei loja !
nao se encontrar a mesina fazenda por! r(>jtPS (je vestido
igual preco, e si.n s na loja e rmazem do j Poiwil,., de C0Il(ai!_
asas pava0j rua ,|a imperatriz n. 00 de Flixj
Pereira da Silva.
Cassas inglczas a 4 O r o metro
Vende-se urna grande porfi de bonitas
cassas inglezas tanto graudascomo miodi-
nhas e de cores lixas pelo barato prefo de
140 re. ometro,garailindo-se que 7 meteos,
do um vestido para qualquer Si a. s na
loja do Pavao rua da Imperatriz n. 00 de
Flix Pereira da Silva.
RETALHOS PARA LUTO NA LOJA LX3
PAVAO.
Vende-se urna grande quaotidado de re
talhos de chitas e cassas pelas por* preco
muito barato, e quanto maior for afpordh) ,
que o fregu comprar, mais barato se IIiu'
vender na ruada imperatriz n. 00 de F-
lix Pereira da Silva.
2.r)00
I
700
atsoo
2^000
I000
l>lfltl
300
500
M500
I
too
400
30(1
14000
son
14000
1(9000
1)9004
506
300
80
3400
300
IJOOu
300
J r,800
240
00
ia escrava
a rua (in-
na rus da Gloria
OH MOU JBO'l.l
Deposito em Pernambuco, em casa de wr
1
urer e O*.
INJECCAO VEGETAL
com 1HAT1CO
0 sboomm d'eau mj-co, prepararla cum aa folhas do XaMcc lo Per, fai uto rapid, que
ella te ten tornada popular em todos os patzea d i mundo, para a a a da gooorrfaa e das purga-
ces ce lod s asuma- I' o nico producto nene genero Sj* eitrada na Raaaia tsnha sido
aotboiixads pelo conselbo medico da Sao Petersbargo.
DepMMitoom Ptmamduco, eacasa dala irs*r.
VERDIDRRO LE ROY
delDoeorSIGNORET, anteo Sucesor,
ROE DE SEINE, 54
en rini,
rix:6fe
?oga
fcwl
UtM
prtciixcc r-
mediok la da-
perudo b codiei
1' mi gria nuHro
(alsi'cjdure; |or
lo Unta defce ligirsa ti
erdaiho Li Rot,cb;o
lulo iBiiiratoaa negro ubre
OC un tundo Titeado da amarilla
Of llTilaaimuLc Boy T u ata,
" aii cuno ni nombre 81GAOKKT
a aism fasia cu, rarau
B.Sobre al corcho, debajo dal paaal
aiul qua llari al sallo Paaaaacn Coma
t pagado
por el trira* dal
cuello da la bolaiia,
un rttak tmartlh coo
d HILO BU eOlIKNO
raaacti.
Por toda arria tasa nlot
da loo friacoe acepUbki ao-
bra Paria d Londres, te has*
ai aoayor descae ato patmls.
BONECA DE CEBA
A Nova Esperanga a rua do Queimado n,
21, acaba de receber um completo sorti-
mento de tinas bonecas de cera de diver-
sos tamanhos, sendo as maiores do com-
primeuto d'um covado ; estas bonecas tra-
zem booitos coques ebotinas, ba-endo en-
tre ellas algumas que fallaiu c OJtras que
clioram de sorte que fcilmente podem ser
preparadas, e fazer-se um presentjj de milita
a c itacio.
Finas cai.xas de tartaruga para rap ven-
deiu-se a rua do Queimado n. 21 na loja
da Nova Esperanca.
Modernos brincos de sndalo, sjj se en-
rconlraro na Nova Esperanca a rua do
Queimado n. 21.
MEIAS DE LAA
Para familias
CirandeBazar,rtta \cia u%. O e
99. le'arne.ro Viauuntl c.
Acaba de chegar a este estibeleenento
grande porefto de machinas para costuras do
autor Wbeeier Wilson, apjirovadas na uh-
nia exposico de Paris, as quaes cozem com
bus pospontos toda a costura, c tem a
suave o ntvhnento,
que qualquer crianca de oito annos faci-
mente trabalha, e pode, com este ert
CBWOLINASOU UAL ESA2>500S, X(V'lillf.'t'>''^iMautagem ao stivicu diarie
\ ru 17vu mi i iv ~u\ "de tnnta costureiras. A cemprebenso e
,H n,--..' ., Isfaiplee, mis em um quarto de hora
,..,"'"I;5''.' awJS'lc8 senbor do inovimeiito da machina, ter-
BaRIes 125500 do.a mesma a P'"!"^^'^ le fazer as se-
Crinolmas 2-WQ.
Baloes 2500.
Crinolinas 2|500.
Vende-se os tois modernos bEks ou
crinolinas americanas, muito bem feitas,
do todas de modelo esguios, pelo barato
preco de 2r$500 cada urna, nicamente na
loja e armazem do l'avi de Flix Pereira
da Silva, rua da Imperatriz n. 60.
CAMBRAIACOM SALPICO A 5^^00APEGA.
Vende-se pecas de cambraia branca rom
salpicos, sendo neste genero o melbor <|ue
tem vindo ao mercado, tendo 8 e meia va-
ras, pelo barato preco de 55000, pechincln
na loja e annazem do Pavo, rua da Imi>e-
ratriz n. 00 de Flix Pereira da Silva.
guintes costuras: jjospontar, abainhar,
l'ranzir. marcar e bordar, como apresen!
os desenlies que acompanbam-nas. Os pro*
prietarios do cstabelecimento se enea -
gam de mandar ensinar n'esta ejdade,
garantem entregar o imporle dispendido v
comprador, no caso de nao trabalhar
perfeirao a machina vendida, no |.
poim, soffrido ella alguma avaria. Ha tan.
bem no mesmo cstabelecimento BttcJiipas
do autor Grower & Baker, de trabalho srr,-
pl.Nin.'nte i mfio. e outras com movimor.to
dos ps; e mxime todos os pertences .
ni'sinas machinas, para vender avulso.
Vende-n-se seis .aradas de podra ~ de Lis-
boa : na rua do Queimado n. 2! so dir
vende.
quem
Vende-se tima preta de meia Idade
bT na rua da Imperatriz n. 15.
a Ira-
A Nova Esperanca a rua do Queimado n.
21, acaba de receber um especial sortimen-
to de meias de 13a para homem e senhora.
contbaascongestOes
mal terrivel a coogestao fu minante:
de repente leva um individo, dcsta para
milhor vida, sem dar-lhe tempo de receber
confersa medica; deixando as ibais das
veses mulher e filhos no mais ainargurado
pranto ; a Nova Esperanca que desja pres-
tar servicos recorreu a Vojer, o qual Ihe
mandou anneis elctricos magnticos, como
o nico preservativo par.1 semelli^nte mal
elles antes que se acabem : na Nova Espe-
ranza
NAVALHAS,
A Nova Esperanza a rua do Queimado
n. 21 recebeu um sortimento de navalhas,
de qualidades, e tamanhos especiaos assim
como afidores e massas para as mesnv-U
UNHA PARA CEBGIB MEIAS
Esta muito necessaria linba ve,ide-se t
rua do Queimado q. 21 na Nova Esperance,
BORDADOS BONITOS, BONS ,E BARATO*
Esparlilhos s na Nova Esperan^ a rua
do Queimado n. 21.
Vendeni-se 3 esrravas rcrolhi.las, erioulas,
I bonitas guras, de ptima conducta, sao |v;rfeitas
no engommado, na costura, e insignes cozinieiras.
idade 18 a R a&Doa, 2 ditas de idade 20 a K an-
Hn, muito robustas, sem vicios, para todo o ser-
vico, i dita de meia idade por 400.J : na travessa
do Carino n. I.
Vende-si; urna das principi es tabernas i .
,r a S. Jos, muito bem afregu.-zada para a trra e
pela sua boa loealidade nfio pide sor o melo*
possivel. e agadarac comprador, c o inotiw lo
prnprietartn rt sfer-se da dita em virtude ue
retirar-se para Europa a Iralar de negocios ten-
dentes a sua patria : qualquer pessoa que desej; r
lazer negocio, dirija-se a rua da Madre de I) -
annazem n. .18, que achara com quem tratar,
dir-se-ha qual o cstabelecimento.
ACABAM
de chegar os sabouetes de
alcatrito
Para curar as molestias da palie, taes co-
mo impingeos, dartros. sarnas, comichoes
e mais molestias de pelle sem occasionar
accidentes; desfaz as manchas do corpo,
pannos e sardas, restabeleco a ct natural
quanto cutis, seca, grossa, arnarellenta,
occasionado por alguma enfermidade, e co-
mo desinftaitle e preservativo das molestias
contagiosas.
Deposito, bf tica do Pinto, junio ao quartel de
polica, n. 10.______
Vendo-sea tabema n. H da rua dos Copa-
res on b*cco do Lobato, bem afreguezada e sorLda
de gneros de estiva, com poneos fundos, assim
como tainJje.-n a armscao da tsberna n. 2 d.i roa
do Forte.
Buhares.
Yinde-se magnficos buhares com b hs
peilences, 1 gamao com pedras de marfi
8 2 grandes fiteiros envernisados e envidiv
jados: na na da Imqeratnz n. 69.
Farinha de Mandioca.
No trapiche da companhia, largo 09
Corpo Santo, ha farinha de mandioca de
Porto Alegre, ensaccada e de qualidade muto
espdoial. Abordo do briguo Normn
para vendef farinha de mandioca de &
Calharina, fresca, e de boa qualidade que
se vende a preco commodo; a tratar no e*-
criptorio de Amorim Irmiio, rua da < *
n. a.
% laho sFiguelra
Vende-* em ancoretas d 9 caadas soi
.vinho da KiRueira, proprio Btra eaMis par.
res : narria do Amoi 'S^L^ssl
Vende-se por iweesMti.
com todas as habilid
Ir Kloriano n. 71. Na mesma casa d-st al
ro a luco
Ven le-se por prnr raqtavrl ( ofs.
consolos, 6 cadeiras e I cabide, tude Coa uso : i
do pateo Tere* c. 29, loja.


___-^
o
Diario de Pernambuco S'^uuVa feiru 1 de Fe\ere'uq de
AO BAZAR DA MODA
di:
JOS DE SOUZA SOARES i: C,
Ra Nova n. 50, esquina da ra de S. Amaro.
PARA O IOV A.MMO E 1869.
Novo sortrment de artigos de moda e Inxo. reeebidos pelo nliimovapor vindo da Europa.
Especial sortimento di- ulijctos para minios
Perfumaras Anas dos principaes autores.
Lnvas de pellica frescas, brancas e de cores para homens e senhoras.
C.hapeoziahos de pauta de Italia enfeitados, para senhoras.
Rtca ehapeUnas para senhoras, gorrosde palha de Italia pan. senhoras c meninas.
Especial sorbneuto de gitos para senhoras.
Enfeiies degusto para senhoras.
Filas de grosdenaple superior de todas as crese larguras.
"ranjas eom vidrilhos, braneas. de cores e prw,i<.
(jiiarnieoes debidas asqualidadespara Vestidos,
Vestuarios completos para baptisados.
Golinhas 0 punnos enlejiados para senhora?. -
Coques modernos, lisos e enfeitados.
Honions de laa e seda, cures claras, moda elegante f ara senkeras debom gasto.
i'.orpiniii!s de rainiraia enfeitados para senhoras.'
vLnezdeia.
Chapeos de sol para homens e senioras.
Flores linas, sortimento especial.
Plomas elegantes de qnalidade superior.
Cintos ricos .de palha. altanovitldr. I
Grinaldas de flores linas.
Camisas superiores para homens.
(lolaiinlu's e punhos.
Cravatas e mantas modernas:
Bengalas de diversas qnalidadi
Caixas grandes eom qnatro pecaside iiisica.
Flores de palha para guarnirlos de vestidos, botSes, fivefas, I icos para enredos.
Chapeos de pollo de seda preius, forma a Rotsehild, foseada superior para homens.
Hrrenlos de plaqu lino, gostas bonitos para relogios.
escoletas de boa gostepan as mesmas.
Correntes pretas di borracha diversos modele* para voltas.
fcMijectits para luto.
K mnitos ostros rticos denovidode qne s vistapodem ser apreciados.
Existo continuamente um completo sortinn nto demiudezas^ende-sepor grosso c]a retamo
A COMMOIIOS PINEDOS
BAZAR DA MODA.

~\C UfnirAC em todas ai artes do mondo, empregam, eom o maior xito,
UO luILLJlV-vJOa o phosphato da ferro soluvel de Lms, paratnrar a chlorosis
(cores paludas), tis dores do estomago, e a exhaoslacSo do saogoe; eom esta preparacSo, dio
ao corpo o vigor, e as carnes, a sua firmeza rmwral; facilltam o desenvolvimento to labo-
rioso da puberdadf. Com effeito, tudo, n'este medicamento, so aeha reuno para lhe
assegurar o maior rdito, pois qne entrara, na sua cemposioao, os elementos dos ossos e
do sangue. 0 sen autor, M. Leras, doutor'em scicncias, pharmaeeutico, professor de
chymica, inspector da Academia, foi, reccntcmenle, eondecoredo da ordem da Legiao do
Honra, digna recompensa dos seos importantes- irabalhoa.
As seguintes apreciacScs dos mais celcbre-i mdicos anda vem corroborar e just ficar
todos estes ttulos centianea publica.:
t Precisa classificar o phosphato de ferro SOlnvel entre os ferruginosos roe melhor
convem aos docntes cojos orgitos digestivos supportam mal as preparaooes de ferro.
SOUBEIRAN, profttor no- Estola de medicina e de pkarmacia.
0 pb6pltato V frfrRdlo*el 6, em quanto a mim, a melhor das preparacoes ferrogi-
t nasas, e o sen ei ragod os mais prompio e seguros resultados.
ARAN, medico do hetpilal Saiute Eugnie.
A. frraa liquida do phospliato. de ferro soluvcld-lhe ama immensa vantagem sobre
i as pilulasf eu considero esle medicamento como mui snperior ts preparares odadaa.
5 -Jtrxi X/*> x a S7VI. xRNAL, medico de S. ti. o Imperador.
Entre todos os ferruginosos, nioconhccefllos um s que obre 13o prompla e efneazmente
< como o phosphato de ferro sobivcl, c isso, sem cansar o estomago. i
BELLOC, BAliME, BICOT, FLJ-ET e PRY03T, nudosdos hospital*.
Os effeitos da preparacSo do pbesphalo de ferro souvcl me parceera ser mui seguros
e promptos. DEBOUT, redactor em cliefo do Bullen tlirapeutique.
Entre todas as preparac$es ferruginosas, phosplialo de ferro solavel foi a que sempre
< me deo os melhorcs e mais satisfactorios resultados. GllIBOLT, medico dos hospilaet.
0 pbospbato d ferro soluvel tem, sobrttado, a vantagem de evitar a consiipaco o
c convr aos temperamentos delicados. Dr FAVROT.
Deposito em Pernambuco, em casa de Maurer e O*.
Sr'M*s5f/t *>'/< '> .' -
Pharmaeeutico
laureado
fel Academia
medicina de Par
PASTILHAS
DOSESuDIGESTlVAS]
eSHSNluBUISSON
Medalhado,
pete.rS
Sociedaie
fomento.
PREGO CGRRENTE DOS CHAPEOS DE SOL
Da fabrica de
MANUEL & C.
Ra Nova n. 23,Ra do Cabug n. 8
Pernambuco
Chapeos de seda trancada, Paragoi, de 10 hastes, 28 pollegadas a 1G?5-; 20
poHogadas a 155, o 2i.pollegadas a i4^0OC.
Dilos i!e seda" G. de N. fiara, de ac, de 16 hases, 28 pollegadas a 14$
de 26 pollegadas.a \U ; c 24 pollegadas a I2d000.
Ditos de seda G. de lisa, de ac, de 12 bastes, 28 pollegadas a 12 : de
20 pollegadas a 114; e 24 pollegadas a 10,>000.
Ditos de alpaca, de ac, de 12 bastes, 28 pollegadas a 6 ; e 26 pollegadas
a '.,-5500.
Por duzia laz-se descont de 15 0{0
Chapeos de sol de panno, debaleh, de 8 hastes, 24 e 26 pollegadas a 32)9
a duzia. (Descont de 10 0|0).
Ditos de panno, de junco, 8 liaste?, a 18^000 a duzia, liquido.
COM LACTATO DE .SODA E MAGNI
Estas Pastilha eonstitnem o medicaen) mais novo e o mais racionaTpara^cd&tbater
todas as affeccoes das vas digestivas. Ellas eontem, eom effeito, o acido .lctico, un dos
elementos nomaes da digestio, combinado com a magnas calcinada, cujos bons e leitoi
tem -'
ag
productos i
I sonidos de gazes, inchacao ao estomago, vmitos depois das comidas, indigestos.
f estomago, etc. Deposito em Pernambuco, em casa de agaonr a O1.
ApprevafS
da academa
ie medicina
de Par.
Phamactvtico
laureada
da academia
de ntdecina.
As preparagoes ferruginosas liquidas tem desde muitoi annos merecido a approLacio
especial dos mdicos, porque ellas obr5o mais rpido e seguramente doqne as plalas, e
sSo mais fcilmente toleradas pelos docntes. Os Pds ferro-manganicos possuem a inappre-
ciavel vantgem de poder offercoer n um instante urna agua ferruginosa gazeosa, de gosto
agradavel, mais activa do que as aguas miueracs, c ontendo de mais um elemento precioso,
o Manganeso, que sempre se acha no sangan, junctamente com o forro EmpregSo-se em
todas as molestias que tem por causa o empobrecimento do sangue, assim como para vigorar
os temperamentos debis c lymphalicos. A clilorose, as Peritas brancas dores d'eslotiago,
a irregularidade da menstruacao e amenorrlia ou suppressSo do menstruo, cedem ra
mente a seu emprego. Devenios mencionar aqu um factb notavcl, isto que os doenles
dos pela agua preparada com estes pos esli muilo menos exposlos a recadas do
aquelles que forao tratados pelas prepara?6es ferruginosas ordinarias.
Deposito'em Pernambuco, em casa de Maurer c*.
-ara msicas mililaivs.
Completo sortimento
NO
BAZAR DA MODA
RA NOVA N. SO,
Esquina ta ra de Santo Amaro
20 a 30 por rento menos que em outra qualipier parte vendem
F
VERDADEIRAS
PILULASdeBLANCAR
.
COM IODURETO DO FERRO INALTERAVEL
APPROVADAS PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARS, ETC.
Pnssn'ndo as pronriedade do iodo et do forro, cnovem especialmente as Affeccoes
EsrnoFiTi.osAS, a Tsica no prineipio.a frwjwao.de temperamento e tambem nos casos do
Falta pr cor. AHF.NORRnr.A, em que precisarf.agir sobre o sangue seja para res '"
lhe a s'ia riqueza e Shondencia normaes, ou para provocar e regulat o seu curso perio
A", f. O ioHurelo de ferro impuro on alterado um medicamento infiel,
Irritante. Como rmra de pur-za e de antlienciilnde das rr4dilr *!-
rt> ittanrnrfl, di-ve-se exiirir nosso aelto. a> prala reactiva e^,
noso flrr>a.' a n reprodiiziila, que se ama aparte interior de um
ntu'a pHi'. Deve-se desronliar das falsificacos.
oiiam-r ero toda* aa ahanureiaa. Plutrmaccutico, ra Bonaparte, 40, Parit
Irritan
^ lula*
B^ no-~
fta:
soAHEs a- c.
JOS
d> Hlai9 aeoditado tutor Goutrot Ainea Paria.
RiA mova ar. o
ESQUINA DA RA DE SANTO AMARO.
ATTTEMCSAO
TRIMPHO
LOJA DO GALLO VIGIL.WT
j Ra do Crespo 7
Manda? vii do sua conta e acaUa de re-
ceber pelo uliiino vapor, eomplcto nrtimeo-
Coiiservadora de suaiiidivi-;oldtol,jeclSd^faidleiuaniksia, &
ijtiaes estao resolvidos a vender por preros
Est a exposifao do respeitavel publicc oeste importante estabelecimento um
lindo e completo sortimento de fazendas ebegadas pelo ultime vapor da Europa, o que
temos a honra dcannunciar aos pais de famua, assim come ao bello sexo, a quem o
Tnumpho pode sua attenco; garantindo sem])re em sua nova loja o gosto de fazendas e
novas modas e modilicacao dos precos, para adquirir asvmpa.hia de quem der a honra
do procurar o THumpho.
Lindas sedas de cores novo gosto a 2#600 e 258000 o covado.
Glacez de seda e laa apurado gosto para 15500 o covado.
Laazinhas com ristras de seda para 45200, 15000 o covado.
Ditas de lindos padroes para 500, 700,800 e 900 rs. o covado.
Cambraias brancas de 45000 at 85000 a peca.
Ditas do cor novos padres de 640 e 800 re. a vara.
Saias de 15a com bonitas barras.
Balites de la e murceliha e de arcos.
Basquinas de gros-de-naple de 225000 a 405000.
Gros-de-naplcs pretos de 25000 a 45500 o covado.
Ditos de todas as cores. '
Organdiz branco.
Brith mimas brancas e de cores.
INpartillios e entre-meios bordados.
Al.'ias linas para senhora e para Itomem.
Alm dess fazendas tem um completo sortimento de chitas escuras e claras ma-
dapoloes, bramantes, atoalhados, toalhas denho e dealgodo, e'outras muitas fazendas
luesc veodem por precos queso a vista o com orador se poder desengaar queso no
Tnumpho poder comprar bom, e com economa.
PARA HOMENS.
Bonito sortimento de casemiras, brins brancos e de cores, camisas de linho e algo-
do, ciroulas, manUs^ gravatas do que ha mais moderno, chapeos de sol de seda e alpaca
entras mutas fazendas que vista se poderiio agradar, e manda-se fazer qualquer obra
ae aitaiatc para o que tem um hbil mestre, p proco em tudo, so oncontram no Triumpho 1
ua do Queunado n. 7. '
dualidade, amiga do
progresso.
Os labyrinthos da JEsperanca
A loja de miudezas da ra do Queimado
n. 35 A, vem apresentar sua escolhiila
freguezia um artigo que at hoje custava
muito caro, e por isso s chegava para a
classe mais abastada da sociedade.
Toalhas de la!>yiu hos
Perfoitamente iguaos s que se fabricara
no paiz por urna decima parlo do valor dVI-
las rindo a esta loja, apreciar a perfeico
reunida economa, (era sempre possivel
isso).
As toalhas teem um crculo de lindo de-
senlio e no centro se le em caracteres maus-
culos a allegorica inscrpgo.A" baptisar.
A' passeio. Meus cuidados.Lembran-
ca.Vs.
Ninguem por certo deixar de ir completar
o enxoval do lindo filho para fazer economa
de 15 ou 205,esses nadas de queso compe
o guarda roupa dos recem-nascidos qua-
si sempre ficam aos extremosos cuidados
das m5is, a essas a quem e Esperanrp se
dirige, para quem desde j dispe-se a dar
amostras e certa est que pelo preco nenhu-
ma deixar de comprar.
Fronhas
A Esperance, tambem recebeu fronhas no
mesmo gosto das toalhas que vende pelo ba-
rato preco de 35000, o que cusUva 105 1
apreciai e se ligardes importancia ao con-
niraiainente baratos, para assim anjiMar aos
concurre!ilos e ao mesmo tempo dar sabida
ao granos deposito que tem: isto j) ra do
Crespo n. 7, loja do Gallo Vigilante.
Golnlias, punnos e camisinhas para se-
nhora, fazendas de gosto e novidadjts.
i Finos vestutuios para baptisados! assim
como touquinhas, sapatinhos e nwiasinhas
para o mosmo lim.
Grande sortimento de bicos e rendas de
croch e de outras muitas qualidades.
Supoiioros caixas com msicas e sem el-
las, lendo o io.\essaiio para costuras, pro-
lirias para um delicado mimo.
Finas caixas com tentos c sem eles para
voltarete.
Agttlhas para machinas de costura.
Ditas para croch, sendo de aco,.marfm
e outras muitas qualidades, assim Como li-
nhas para o mesmo mster.
Finas grinaldas para noivas.
Meias de borracha para quem soffre de
orvsipella, assim como meias de a para
os que soffrem de rheumatismo.
Suspensorios para homem e mor nos.
Finos pentes de tartaruga para o ques Je
de outras mutas qualidades e para
mis! eres.
Dedaes de madreperola, marfi
aro, meul, etc., etc.
Superior agua cosmeocome para Ungir
cabellos, dando aos mesmos a sua cor pri-
mitiva.
Completo sortimento de finas perfumaras
Tem para vender em seus armazens; 4&" &i ou-
tros, os seguintes artigos : *
Papel para imprimir.
Perlina azul.
Greve pautado c liso.
Vinhos em caixas de dozc garrafas
Bourgogne.
Hery.
Madeira.
Ilennitage.1
Chmblis. .
Licor de curasao de Hollantia em caixas devii-
teequatro botjinnas.
GESSO
Nos armazens de Tassolrmaos.
Grades de ferro
para jardn*, porteiras etc.
Nos armazens de Tasso Irmaos
C.IRRIKIIOM DE I 'ERRO
Para serviros de grandes armazens, para remo-
ver barricas qn eaixoes de um para outro, lado pelo
mdico preco de 124000 eada um.
Fariiiha de trigo de Trieste
Das melhoras mareas Panonia (verdadeira) Fon-
I tana o grande sortimento das memores marcas de
farinlias americanas.
Saceos de firinha de trigo do
Chile '
Todas novas, chegadas ltimamente nos arma-
zens de Tasso Irmaos.
Cement romano
, Nos armazens de Tasso Iruius.
Cemento hidrulico 12
O iiii'lhur para tudo.(|uc saoohiaspara apua, >'0-
|iq assentaniento de canos de esguto, algeroxes,di-
osito, tanqnA d'agua, etc., etc.: em porefles d"
incoento barricas se far reduceao no prccn : nos
irtnazens de Tasso Irmaos.
Cemento Portland
0 verdadeiro cemento Portland em casa de Tasso
nuaos.
}rades de ferro, cercas, por-
teiras, etc., etc.
De differentes qualidades para cercados de ani-
( maes, chiqneiros para galinLasoujardins: nos ar-
mazens de Tasso Irniaos.
iarris com breu
Nos armazens de Tasso Irmaos.'
! CANOS DE BARRO
Na ra Nova de Santa Rita, na antiga fabrica de
sabio, lia para vender por preco o mais mdico
possivel, canos francezes para edificac.oes cesgo-
[ los de toda a qnalidade, superiores a todos os que
i aqui tem apparecido |la sua solidez.
l'RFCOS
liOOporcano grandede-'J c raeia pollegadas.
1 (SOO por dito de 2 e tres quartos de dita.
1 OO por dito do 2 e um quarto de dita.
500 ris por pistoleta de 2 poHegadas.
Cotovellos, curvase canos de maior grossura,a
vstase far o preeo. Compras maiores de 200
tem 5 por cento Je descont por prompto paga-
mento. Pde-sc ver. as amostras nos armazens
de Tasso Irmiios.
lijlos francezes
Para ladrilhar casas terreas comasseioe precos
mdicos, muito convenientes e prop io? para ladri-
ilhoe de cosinhas em sobrados, pelo s;u asseio c
I evitar a passagem de aguas para o andar inferior
emesmo o perigo de fogo, aos precos de 300oa
i."j000 o millieir.): na ra Nova de Santa Rita, na
antiga fabrica de sabao, c compras maiores de 200
j se far o por cento de descont por prompto paga-
| ment. Podcm-se ver as amostras nos armazens
de Tasso Irmaos.
Velas de esparmacete verd;ideras para lan-
ternas decanos: noarmazem de Tasso Irmaos.
Vinho do Porto fluo superior: no armazem
de Tasso Irmaos.
O melhor cognac Gattthier Freres : no arma-
| zem de Tasso Irmaos.
Esteiras da India
Em easa de Tasso Irmaos vende-se esteiras da
India de diversos padroes e larguras, por preeo
eoiamodo.
Maearthy
Machinas de descarocar algodao.
Hoja que esla reconheeirto que as machinas d>'
serrote prejudicam e quebrain a fibra do algodo,
preciso recorrer a maclnismo menos spero,
que produzindo o mesmo sorvico que aquellas, e
facihdade no trabalho, nao quebrem a fibra da laa.
j para qne essa possa obter-nos mercados europeos!
. a difTercnea que lia entre o algndao desearoeado
por aquellas mencionadas machinas, que esta'o l-
cando em lenizo, pelo prejuizo eme tem causado,
* o da antiga bolandeira, que nao pode competir
pela morosidade de seu trahalho. E' assim que
estas machinas se tornam as mais proprias para o
algodao, porque ao nar da lacilida
LOJA DO PASSO.
Hu.t do Crespo n. 9 A. esquina
da do Imperador.
O dono destuinipmt.uitc estabelecimento,
tendo reeebido de sua emita, pelo vapor
fraucez 'a-to'.^r,tii\riM)>aiiKOsdeaUa
novidade propiios p;iia a h>la. nonscio de
que seu i.'Slalit'li-'cinioiit se a. lia liun soni-
do, principi.Iinente em wtjgos de moda, pe-
de ao resptjitavel publico e em particular
aos seus numerosos freguezes a bondade
de honra-lo com sua conlianra, garantiudo-
Uies serem bem servidos c por precos ni-
miamente baratos. Venbaw, pois, todos
comprar novas e lindas ftuetidas boas e de
alta novidade, com bem:
Itiquissimos cortes de blonde.
Riquissimos cortes de seda de cores.
Sedas de lindas cores para cvados.
Moire-antique azul, verde, branco e jpre-
to.
Grosdenaples azul, verdp, branco e pre-
to.
Gorgurao branco e preto.
Setim branco macau.
Cortes d seda com duas saias.
Cortes de laa escosseza com duas saias.
Cortes de la c seda, novrdadcs.
Poil de cltevre de luidas cores.
Alpacas de cordo lindas cores.
Ditas lisas de todas as cores.
Corles de'vestidos de cambraia,bordadas.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas bordadas .
Fronhas de linho com lidos bordados.
Lencos dy cambraia de linho bordados.
Chapelinas de palha da ll.ta.
Ditas de sedas de cores e pfetat,
Enfeiies para cabeca de senhora.
Coques d todas as qualidades.
Basquinas de seda enfeitadas com primor.
Liques de madreperola, marlim, snda-
lo e osso.
Camisas bordadas para homens.
Colchas de algodo e seda para cama.
Ditas de crochet para cama.
Pannos de crochel para cadeiras e sof.
Chapeos de sol de seda para senhoras.
Espartilhos para senhoras.
Toalhas de labyriuto.
Lencos de labyrinto.
Fronhas de labyrinto.
Bicos, rendas e grades.
Finissimas cambraias de cores, percales,
las e outros muitos artigos de gosto e no-
vidade.
Loja do Passo ra do Crespo n. 7 A es-
quina da do Imperador.
Para armazens a retalho.
0 Campos da ra do Imperador n. 28, tem para
vender grande quantidade de medidas de estanto
para lquidos, e de madeira para MBos, pelo sys-
lema mtrico decimal, pelo qual estao os negocian-
tes a retalho obligados a vender suas mercadoi lar,
a contar di) 1" de marco do correnlc auno. O an-
nunciante avisa e garante aos que dr Uies medidas
iiircssitam, que sao estas as mais exactas, por
quanto sao feilas em Paria, de ennformidade eom
o svstema cima dita, e segundo opadrao adaptado
pelo governn imperial ; nao acontecendo, porm,
o mesmo com outras qne ah se vendem, que sen-
do da niesma rapacidad-1, de\i;rsilicam de modello.
viudo offerecer duvidas nao s aos compradores
como aos vendedores.
Meias elsticos de borracha.
As nielhores e excellentes 'meias elsti-
cas de borracha contra varizes e crysipellas.
Vende-se na
Pharmacia e drogara de
Bartholomeu d- C.
34ra larga do Rosario34
Taberna
Vende-se a taberna da ra das Crues n. 41, o
local nao so bom para o mesmo estabelecimento
como mesmo para qualquer outro negocio por sor
em una na lias prmeipaes : a tratar na mesma
A NOVA ESPRANCfl
21= Ra do Queimado = 21
t para presentes
A Nova Esperanca, ra do Queimado
n. 21 tem um vanado sortimento de objec-
tos de gosto e phantasia proprios pata pre-
sentes, sobresahindo entre elles ricas caixi-
nhas de bano com finas perfumaras, cos-
tureiros de chagrn, agulheiros de madre-
nosso algodao, porque ao par da facUidade e lu,u,,us ut cuadren, aptiineiros oe maare?
pronijitidao_conserva a libra da laa, que linipa por PCOla : assim, pois. quem qtlizi'r fay.rrum>
ella, qualiflcada na Earopa a par da melhor bo- nda oiferta, dirigir-se i Nova Esperanca,
landeira, valeiido assim entre 10 arrobas 20 0 0 na do Queimado n. 21.
inais do que a laa limpa pela machina de serrote.
Estas machinas nao sao novas, \x>h que lia muito
estao adoptadas no Egypto, aonde as de serrote
foram intoirameute abandonadas, e por isso o algo-
dao daquella pro- odeneia, sendo da qnalidade do
da nossa provincia, obtciu boje de 10 arrobas 20
o o mais do que o nosso : vendem-sc a 130^000
nos armazens de Taso Irmaos.
outros
54
osso,
fortavel da vida, sem duvida comprareis : dos melliores fabricantes, assim como mui-
neste bello paiz ninguem se faz pobre dis- tos outros objectos que impossiwl des-
pensando 153 ou2,$O00, com 6 acceio e
belleza de que se decora a habitaco, s
vezes no que menos pensamos, entretanto,
como diziam nossos maiores, a sepultura da
vida : ainda s senhoras a quem a Espe-
raba se dirige. Urna senhora cuidadosa
do nada faz a casa.
Ra do Queimado n. 35 A,
Vende-se a 120 rs. o pe: no armaiem n.
vcmbio junto ap escrtptorio do Sr. Claudio Dubaux.
32jdo Cites Vinte e Dous d< N
H-
EPIDEMIAS
LC"u!E Lt**R*OUE mp preservativo
^dermas : cholera febre amarella. peste, trpho. etc. bevem STt
flc-Cesai quaes sao .maior parte das ve:s mal preparadas, sendo or Uso
mak nociras do que otis. Deposito em Pari%, L. FRERE, w, ZtJ*.
DupmkeUe; H. Tesdtfff. c. Pmnmmim^. Mmr'er.
CURA DOS CALLOS.
PKLA
Pomada galonpeau.
Deposito especial
Pharmacia de Bartholomeo & C.
34------Roa larga do Rosario------34.
Esteiras da India
.,Acas de chejrar loja do Alvaro Augusto-da
AlmeroaA T.. ruado Crespo n. 20 B, um com-
pleto iMlHmnl'i de esteiras da India para forr de
sala, de differentes larguras, e exeeliente qnalida-
de. ev^ue ae vende por preeps raznaveis.
Na ru de atetas casa n; l,mpra-se'jrtiaes
ou OM-o-qualquer papel que esteja limpo, a W
arroha.
Vene-se
urna boa rmacio de-lonro : a tratar na roa Di-
aria* dos Afolados n. 41
crever: isto s na ra do Crespo n. 7, loja
do Gallo Vigilante.
Goliates Royer. elctricos magneticis con-
tra as convulsrs das enancas e para facili-
tar a dntiicao das mesmas, o Gallo "Vigi-
lante artigo recebedor d'estes prodigiosos
collares e continua a ter sempre grande de-
posito, ra do Crespo n. 7.
Jabonetes dealcatrafT"
AntrViio Nones-deCaMro.
E|te acreditado preparado, quctin boa
aceelaco tem merecido n'etta provincia,
muito se recommenda para a cura certa
das impigens, sarnas, caspas e todas as
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu C,
34na larga do Rosario34.
4
Tabellas vermicidas
DE
Antonio Nunes do Castro.
Vermfugo efficaz c preferivel todos os
conhecidos j pela certeza de seu resultado,
e j pela fcil applicacao s enancas, quasi
sempre mais atacadas de lao terrivel e
muitas vezes fatal sdifrimento.
nico deposito,
Pharmacia de Bartholomeo d-C.
3ma larga do Rosario34
FUNDICAO DOBOWMAN
Ra do Bo-un n. 58.
Machinas de vapor.
Rodas d'agoa.
Mocadas de canna.
Taixos de ferro, batido: fundido.
Rodas dentadas, pata moer com agoa,
vapor e animaes.
E outros muitos objectos, etc. etc., pro-
prios para agricultura.
liAZ m GAZ
Chegou ao antigo deposito de Henry Forster &
C, roa do Imperador, um earregamento de caz
de primeira qnalidade: o qual se vende em partidas
e a retalho por menos preco do que em outra qual-
quer parte.
Queimado
Collares anodinos cttectro-magneti
[eos contra as convulccs das
crcancas.
Nao resta a menor duvida, de que muito
collares se vendem por ahi intitulados os
verdadeiros de Royer, e eis porqae muito
pais de familias n5o creem (comprando-os)
no effeito promettido.o que s pdem dar,
os verdadeiros; a Nova Esperanca, porm
que detesta a falsificaco principalmente no
que respeita ao bem estar da humanidade.
fez urna encommenda directa destes collares
e garante aos pais de familias, que sao os
verdadeiros de Royer, que a tantas erean-
Cas tem salvado do terrivel incommodo de
convolces, assim pois preciso, que ve-
nham a Nova Esperanca a ma do Queimado
n. 21 comprarem o salva vida, para sen-
ilhinhos, antes que estes sejam aconimeli-
dos do terrivel mal, quanrio ento' ser di-
fficil alcancar-se o effeito desejado, embora
sejam empregados os verdadeiros collares
de Royer.
Para extinguir as sardas e
panno
Recebeu a Nova Esperanca, ra do
Queimado n. 21, leite de rosas, especial
para extinguir sardas e pannos.
-Manuel Alves Ferreira & C,aa ruada
Maedl n. 5, segando andar tem para vender
meer potassa AiRussia-emharrise neios
barril e cal de Lislia da mais nova que ba
no mfrwd^______^___
nto de RtraniT
'enie-ft-no armatem_d Vicente Perrera ^,a f Filho, n
vatiis NaaMe
Tintura japoneza
Instantnea para tingir os cabellos e a
barba, a 1<$000 o frasco.
E' a nica approvada c recomraendada
por ter sido reconhecida superior a todas
as tinturas d'este genero.
venda em casa de Gustavo Hervelin n.
51. ra da Cadeia n. 54.
Rap Paulo Cordeiro.
Vende-so rap Paulo Cordeiro fino, via-
jado, em latas, me i o grosso e vinagradlo,
no eposito i carao de Joo Francisco da
Sd*a(NovaeB, roa o Vifario o, H. Faz-se
vanttjgens a quem comprar pm?3o, e troca-
se o rap qne nio salm* ao agrado dos con-
sumilores.
Vaquetas envernisadas para
caiTos.
Vinho de Bordeaux fino em cai-
xas da marca de I. B. & C
Vinho de champagne em. caixas
venda ra da Cruz n. 68.
Vendp-se nina taberna sita no bairro dr S.
Jos, propriipara principiante a tratar na ra
Imperial n. 3o.
Bomba
Vende-se urna
eom pouco uso
tS, loja.
bomba de iapy para cacimba,
na na da fmparanir mim

Goata k Filho, na roa da Hadiv < Dos 2i, em as qnalidadw da "-""r "Ttaiai SttiMpgaae t\ aWPWdB
v, nTroT
Im^
Ljqnidacaa de mlaeaas, ra de Queiado n.
55. tubos >u abaie para aiaiiiSaTO a gaz a
3 ni
'Vende-se dnwrriontes peritas
as e o cabn de 39 annos com
a na do Ffn m. %.
= Vende~e ama j>reta de s'annos de idade,
casadeTheod. Chnatiansen, ra do Cnm-; *onita Afrora, sem achaques e nem vicio aJ-
n. 16, encontram-se .laTaritiyiaaam Hia* on, boa lavadeira, prianfio de cozinhar e en-
*\
<




.


'



*
I
1

(le Peruairibiiib '' Sogu.ula* tra 1 de F^e.viro de 1869,
A DINHEIRO NA LOJA I:ARMAZEM
DE
Flix Pereira da Silva, successor de Gama
& Suva
0 proprietnricr d'este estabelecimento convida ao respeitavel publico desta ca:
pUal a vir surtir-se no graade estabelecimento que tem defazendas, tanto da moda como
le lei, e as pessoas que negocian) em pequea escalla, ta.)to da praca como do matto-
nesta casa poderao fazer os seus sortimentos em pequeas e grandes porcoes, vanden-
do-se-lhes pelos precos que se compram as casas inglezas; aasiiii coino. as exceUeiis,
-.iiuas familias, podero mandar buscar as amostras de todas as fazentjias, ou -mandare-
mos levar em suas casas pelos nossos caixeiros, para o que acba-so osle estabelecimen-
to aberto constantemente desde as G boras da manha s 1 da noute.
Notamente chegadas ao armazem
1)0
MJEAO
DE
O atoalhado do Pavao.
Vende-se superior atoalhado de algodo
con 8 palmos de largura, adamascado a
24280 a vara; dito de iinho fazenda muito
superior a 33200 a vara ; guardanapos de
linno adamascados a l550O a duzia e muito
linos a 8:$000, e ditos econmicos a 3300
a duzia.
Crochs para cadeiras na foja do
Pavo
C!t egaram os mais lindos panos de cro-
ir ou guarda bantras, proprios para ca-
loiras tanto d'encosto, como de bataneo e i
de guarnico, e outros compridos para so-
ta, assim como ditos redondos para mezas
redondas, ditos pequeos para almofaas, e
ditos para cobrir presentes, tendo pequeos
at para cobrir uin prao, que se vendem
por preco muito em conta, na loja e apma-
zem do Pavao ra da Imperatriz n. GO, de
Flix Pereira da Silva.
Pustes para vestido atrancos
a40.
Vendem-se os mais modernos fustoes blan-
cos lexiveis com padioes de listas e de
:>alpicos proprios para vestidos e roupas de
menino a GiO re. o covado, na leja e aima-
em do Pavao ra da Imperatrizn. GO, de
Flix Pereira da Silva.
Cirosdeaaplos
l.asiuluM
A doze vintens.
A doze vintens.
A doze vintens.
Vendem-se laasinbas de cures mnito bo-
nitas com desenhos miudinbos e grandinhos
cun lisubas e pintas pelo barato piv.<;o de
240 ris o covado na loja do Pavo, ra da
Imperatrizn. (0, de Feliz Pereira da Silva.
AS CAVIBRAIAS DO PAVO
Vendem-se linissimas pecas de cambraias
lizas trauspare ites tanto inglezas comosnis-
SM tendo mais de vara de largura, pelos
precos de 5$0)0 at 10r>000 a pega, assim
i orno fmissimos organdys branco liso que
serve para vestidos de bailes, por ser muito
transparente a I#000, a vara, na loja do
Pavo ra da Imperalriz n. 60, de Flix Pe-
reira da Silva. ,
FUSTQ BRANCO PARA VESTIDOS AGIO
Na loja do Pivo vendem-se os mais mo-
dernos fustoes brancos de list e cordao
muito encorpadj mas muito flexivel, pro-
lirios para vestii.os.roujMk's, iienleadores etc.
etc., e roupa para meninos, pelo barato pro-
co de G40 ris o covado, na loja e armazem
de Flix Pereiri da Silva.
SEDAS COM LIST1MIAS A 300() o
COVADO
PAREDES PORTO.
Tendo-nos diegado ltimamente fazendas inteiramente novas, convida-
mos por este meio ao respeitavel public a que nos procure comprar fazendas de
bom gosto e por precos que n3b achara'm outra qualquer parte.
0 eprdeiro previdente
Una do tnelniado u. 1.
Novo e vanado sortimento de perfuman as
finas, e outros objectos.
Alm lo coinpl.'tu sortimento de perfu-
maras, deque oil.-etivanienli' est pruvida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se torna
notvel i^la variedade de ubjertos, superiori- Commemo
dade, quididades e commodidades de pro-
cos: assim, pois, o CordeiroPrevidente pede
e espera continuar a merecer a apreciaeo
lo respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, nao se afas-
tando elle de sua bein condecida mansido
e barateza. Em dita loja encontraro os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murra'y Laminan.
Ra da Cruz n. 68
ha para vender
MEUIDAS c Wsosdo systema d rimal,fie Iwtes
as finalidades, para lujas, trapiche e taberna-..
"ISSnftTTiT
Vendem Augusto P. de Oiiveira &
48.
Proprias para a qua-
resma

Admirem!
Vendem-se as mais modernas sedas de
.roBucuapit listinlias para vestidos, cliegadas pelo ultimo
-^^^J&.^^.P6^-?.^ vaporeo as etres mais modernas que tem
viudo a este mercado, pelo barato preco de
3 re. o covado na na da Imperatriz n.
60 de Flix Pereira da Silva.
Al|a cas larada
Chegaram pe) ultimo vapor as mais mo-
dernas alpacas lavradas com as mais lindas
irpor um grande sorlimento dos melliores
roedenaples pretos o le cores, tendo verde
lamliem, que se vendem mais barato que
em outra qualquer parte.
. CHALES A 2O0O.
Vendem-se diales de merino com boni-
Madapoles finos a o& 6;>, 7 e 8 rs.,
s no armazem do Leao.
antas escuras de padrees lindos por pro-
co de 320 e 3G0 re. o covado.
Cassas de cores rom palminlias o cun
listas de diversos padi oes a 240 e 320 rs.
Laazinhas nzentas c cor de bonina a
320 o covado.,
Chitas claras miiulinlias a 320 e 360.
Alpacas pretas e de cores lindas proprias
para vestidos a 680, 700 e 800 re.
Pecas de cambraia transparentes a i^>.
or? e 6/3!. Por este preco admira a t^los !
Cortes de casemiras de quadrinlios e lis-
tas a 2;>800 e 3-J.
- Cprpinhos brancos para senbora a '#< e
3>200.
Pichincha!
Cortes d' cassineta de cotes para'calcas o
paletots a 1-j00.
Cassineta le cores com um pequeo to-
que de mofo a 400 rs. o covado.
Espartilbos inuilo finos a 4J00, 3 e
oi>300.
Admira !!
Gravatas de seda a 500 rs..
Golinhas bordadas a 500 rs.
Laazinhas a 200 rs.!!
Laazinhas a 200 rs.!!
Laazinhas a 200 rs.!!
Len. s bordados a 6, 6<500 e 12300.
Ibais e l;m escolhiilos gosk* de bis-
niarks para raleas e paletots I 2f>aOO o
corte.
Tamben) tem para,acabar pecas do pan-
no de liiilw, com 27 varas, a 17# e-184.
Toallias de liubo iKira rosto a 104 a dn-
zia.
Aos Srs. armadores de enterros.
Veodem-se pecas e bollanla preta^ com
40 oovadns a 84 : a ra da Im{eratriz n.
48 i-2, junto a padaria franceza. loja do
Leo.
AUencao roupas feitas I no armazem
doiLeao, na,da Imperatriz ns. 48 e 52.
Assim como temos um grande, completo
e variado sortimento de roupas feitas: pa-
letots saceos, sobrecafacos, fraques, jaqne-
toea, cairas., coiietes, camisas, ceroulas, i
chapeos etc.,- tudo por precos que admira!
Tem .tambern um sortimento de roupas
ordinarias por preco baratissimo.
Araba de chegar tmbem um completo
sortimento de damascos de cores, sendo
azul, amaretioe coi waffc'-etc, que se
vende por preco commodo.
Admira!! '
No armazem dj Leo f 1 !
No armazem do Lelo 1!
No armazem do Le5o !! !
No armazem do Lefio !!!
No armazem do Leo, ra da Imperatriz ns. 48 e 52, junio a loja de ourives
e padaria franceza.
A saber:
Grs-de-napoles para todos os procos,
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-1 -j! t ^^ST*0 ^
:.a, todas dos memores e aiaacn*** RKSSSUaSL fazenda aba-
rata,
Moir-antiipie,
Ricas basquinas t-unbem as mais na-
l>les e baratas,
ra loOueimado n. 31, loja de fajea-
das le A. M. Kolim &;., aonde tambern f
encontrar completo sortimento de fazenda*
de toda a especie.
\.n rn;i dos OoeNioS n. 8 WndeflK"floM c
ramo? de cera, win n* ?< ha-ve una panita
fonipelenlemenle habilitada para ensjnar aier ^
ditas llores pur proco eoimuodn. Na menina na
propris paca
ceza
fabricantes.
Dita balsmica dentrificia.
Dita de flor de laraugeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservaruo
asseio da bocea.
Coumetiques de superior qualidade e cliei-
ros agradaveis.
Copos e-latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
de
Frascos com ditjaponeza, transparente,
coutrasqualitlades.
Finos extractos inglezes, americanos e vendern-sc 4 jarros le mahnere
francezes em frascos simples e enfeitados. |Jar(,,ni
Essencia imperial do uno e agradavel chei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finos e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Exacto d'oleo de superior qualidade,:
ESCRAVOS FGIDOS.
Esciuro fgido
Ausentou-se pela segunda vez de bordo
com escolhidos chebos, em frascos de dif- .do patacho Garibaldi o pelo Jos, idade
ferentes tmanhos. anuos, (r escura, estatura recular, olhos
Sabonetes em barras, maiores e menores pardos, rosto comprido, bailado, natMBd
para inos. do Ccar, conhecido por Jos Maltuto ;
Ditos transparentes, redondos eein li<.'u- (memo apprehender queira leva-lo i bordo
ras de meninos. do mesmo navio, ou no esa plorio
Ditos muito finos em caixinha (tara barba. Amorim limaos para se* gratificado.
las luirs, pelo baratissimo preco de 2>0001 cores, que se v^udein a 1000, o covado,
2()300 rs., na loja do Pavo ra da Impe- ditas lisas tendo tambern cor de canna a
itriz n. 60, de Flix Pereira da Silva.
PECIIINCIIA A 3:500.
Cortes le laa 3:500.
Cortes de la a 3:500.
Cortes de la a 3:500.
Laazinhas a 280 ris.
Laazinhas a 280 reis.
l-.ai/.inlias a 280 reis.
8A 0 Pavo.
S o Pavo.
S o Pavo.
Wndem-se bonitos cortes de laazinhas
para vestidos com padroes modernos tendo
ada um corte 14 covados pelo barato pre-
co de 3:500 rs, assim como ditas em pecas
'jue si; vendem a 280 rs. o covado, sendo
gi ande pecbincha na loja c armazem do Pa-
vo ra da Imperatriz n. 60, de
reir da Silva.
DABADINIIOS
Y.ndeni-se linissimos babadinhos, tiras
i,.)dudas o fiitreineios, mais baratos do que
WD outra fjualquer parte, assim como espar-
idhos dos mais modernos, no armazem d
l'elix Pereira da Silva, ra da Imperatriz
t. 60.
ALTA NOVIDADE
A LOJA DO PAVAO
Curguro de seda
Gkegkun pelo ultimo vapor os mais bo-
ifl gurguroes de seda, proprios para ves-
-, sendo lisos elavradinhos, com muito
lastro, garantindo-se que a fazenda mais
800 rs, ditas mescladas muito finas a 1:200.
o covado, e outras militas fazendas de gosto
e moda que se vendem mais barato do
que em outra qualquer parte,, no armazem
! do Pavo, ra da Imperatriz n. 60. de Flix
Pereira da Silva.
ORGANDYS DE COR
Vendem-se organdys de cores com pa-
droes miudinbos em assentos brancos e de
cores pelo bai a issimo preco de 360 rs, o
covado, finissimas cassasfrancezaseom deli-
cadas cores e bonitos desenhos a 320 rs. o
covado e ditas a 300 rs, na ra da Impera-
triz n. 60, armam de Flix Pereira da
Silva.
Ronpa s para homem
Vendem-se supriores palitts de panno
Flix Pe- sobrecasacos forrados de alpaca e de seda,
camisas inglezas e francezas com os peitos
de esguio, cerojlas francezas de Iinho c al-
godo, meias crtias inglezas superiores, ca-
misas de tlanella c de meia le la, assim
como ueste estabelecimento existe um grande
sortimento de paimos pretos, e de casemiras
inglezas de coes. e que se mamla fazer
qualquer obra a contento dos Srs. fregue-
zes, c promette-se-Ihes que sero servidos
com a maior promptido e muito mais ha-
rato do que ein outra qualquer parte
na ra da Imperatriz n. 60,de Flix Perei-
ra da Silva.
Cortinados
Para camas e j mellas.
Vende-se um grande sortimento dos rae-
NOVIDADES
Roa do OiHMuiado n. 11
PITO k
A c.-te estibelcciment chegaram as mais lindas cbapelinas de crep, tule e pa-
Ihinha da Italia, primorosamente eufeitdas. i
ales reguladores para siniiras e nwninas, os mais modernos e de \-arias
cores.
feitadas.
Basjuinas de seda para senhoras, o que ha de mais gosto, e delicadamente en-
GR0SI1KNAP0LES PRKTO A (JLATRO
PATACAS S 0 PAVO.
Vende-se gmwdaiapales pi-eto de boa
'|;ialid.ije pelo barato preco de 14280 o co-
vado, s na loja c armazem do Paxo, ra
la Imperatriz n. 60 de Feliz Pereira da
Siria.
CAMBRAIA BRANCA A 3&500.
Vende-se pecas de cambraia branca
transparente, com 8 e meia varas pelo ba-
rato pvece de 34500, ditas muito finas tanto
tapad's como transparentes;'! 4&50O, 5#000,
i->500, 7;$000 e 8-5000, assim como organ-
d muito lino tanto lizo, como de listas e
quadros na loja e armazem do Pavo ra
da Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da
Silva.
ALPACAS LAVRADAS JPARA LUCTO.
Vende-se na loja do Pavo. as mais mo-
dernas alpacas lavradas para lucio, sendo
muitolargasepelo barato preco deSOOrs. o
rovado, s na loja e armazem do Pavo, nin
da Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da
Silva.
Pereira da Silva.
Chitas
Vendem-se as memores chitas escuras para
casa sendo de cores lixas, pelos barajos
precos de 320 e 360 rs. o covado, ditas
multo finas francrzas sendo claras, com pa-
droes de cassa a 60 e 400 rs, pecbincha,
na ma da Impera ;riz n. 60. armazem de F-
lix Pereira da Silva.
Cirosd'cnaples preto
Vende-se um grande sortimento dos me-
lliores grosdenaples pretos, tanto lar-
gos como estreitos, sendo de 2^000 rs. o
covado at 4#000 rs. garantindo-se que
n'este genero niiif-uem tem melhor fazenda e j
que se vende mai: barato do que em outra i
qualquer parte, na ra da Imperatriz n. 6Q,
de Flix Pereira -Ja Silva.
Poli de chvre a *OOOo eovado
Vende-se poil de Chvre muito largo com
as melliores c mais mo^-nas cores pelo
barato preco de 1000 o covado, na loja e
armazem do Pavo, na da Imperatriz n. 60
de Flix Pereira da Silva.
Ricos vestidos de blonde, com manta-e capolla, para norma,
Cortinados de cambraia bordados para camas e janellas, de diversos gostos e
qualidades de 15> at 805000.
Tapetes alcatifas em peca para forrar salas, gabinetes e corredores.
Camisas inglezas de Itabo para homem.
Ricos vestidos de seda pretos bordados- agnlha c de cambraia brancos tam-
bern bordados pelo mesmo systema.
Fronlias e toalhas le linbo c de esguio-iodas bordadas para easamentos.
Sedas de limlas corea, casimiras de cores as mais modernas, saias de la com
barras de cor, chapeos de sol de seda inglezes, eapartilhos para senhoras e meninas,
colarinhos de Iinho para homem e grande sortimento de fazendas de todas as qualidades
pie se vendem por precos que agradam aos compradores.
Neste estabelecimento contina a receber-se esteiras da India para forrar sal-
las de diversas larguras e cores, que vendem-se mais baratas do que em otilra qual-
quer parte, por isso chaman) a attencio para as
Estevas da India para forrar salas.
SOFFRIMERTOS D'ESTOMAGO. CONSTIPAQAO.-
Cura (n poucos das pelo CMRVio oc BELLOC era p ou em paslilhas.
ENXAQUECAS; NEWRALGIAS. BasuaUeccteseiodK.
tifia rjidaiinnie {telad PEROL M O ETHER CUUlfl.
ANEMIA, A PALLIDEZ e os sofrrirocntoi que necessitam d*
emprrjro dos lenuginosov bSo setnpre combatidos com o melhor resulUcle
ptl-is riLUtAS BE l/MXIT. Cada I'iiuU tem incravado o noria 'JAIT.
PO DE ROG. Bacu dissolver um (rasco d'este p em sneia
garra l> d'agua para se obter una laonada agradavel que purga sen la-
ler clicas.
l'IMHO DE QUINIUM <* u.rravi. feto mi, um do.
poneos cuja coraposigao garantida constaatt, una das memores pre-
parc6i de quiniuo, sem cstuotavel sobre os convalesceuies, dando-
Ihcs forg.is e apresando i'volO a saue. Cura as tabres antigs qu re~
shtSo o siflftTto de quinino.
MOLESTIAS DA BEXIGA. A maior parte d'estas moles-
Uas, como as citicas, lembagos, catarree, a tedas as dores nervosas em
geral sao curadas pelas PEBoias oe essencia OE THERU. ntin* do
Dr. Ckitan. 0 profissor Trousseauem seu Tratado de teraputica acn-
Mba tf para seren tomadas na occasiio do jantar, na dee de 4 4 18.
OLEO DE FIGADO DE BACALHAO OE BERTH.-
Garant lo puro e de prilneira qualidade, um dos poucos aprorados pela
Academia de medicina.

A?IS0. Todot
TCSSES
CATIRRHOS
'*ww&xwwm#ggi
PASTilHAS PEiTORAES
de sueco deALFACE^
E LOURO GE REJO
IRRtTACOES
00 PEITO
ettet medicamento feram aprovudrt fel Acdeme*
imperial de media** *e Pars.
DEPOSITO
DUPOBCEIUJI i
TuueKFB.
Husji et C'v
ItUlUi
>, r.. J.c.k
Pentamtueo.. sUcnaa et O,
Cear*. .
Minu* et O.
E' este o mais novo e delicioso couleitu me. agora connecido. Per hlo tem adquirido I--
pidamente a popularidade de que goia. Os mdicos os man distlwio o aconaelbao contra
as toses, defluxoi. caiarrho, toue> convulsas, catarrho* epidmicos, irracies da yeito. Cora
grande empt-nhoo procurio as mies de familia, assim para ellas cono para as enancas, neis
pnmeir que ludo inofensivo, e a suas propriedadesadocantesnilodeixSo nada a desejar
Deposito em Pernambuco* em casa de Hniii o*.
T^^^^^^^^nTTTTn^TT .....r.......
1ITII1
IPrlIsill
CIGARROS INDIANOS
[DoCArVNABIS I1VDCAI
RiMALTeC: PHARACtUT!GS tPAPISA
scppocicIi
i wn li
Todw os meies at hoje ptveoniwios contra a astlims nao tem sido mais do que palliativos
abao de lodos as formas, leudo por base a belladona, o estramonio ou opio. Recentes p-'
rancias feitas em Allemanha, repetidas em Fraiifti e na Inglaterra, una pmain qne cnamo
m-iio le Bengala possue as mais ootaveis propri dades pan comba rt eaaa lemirel affecaio
asnm romo a losje nervosa, a insomnia. a tyaict. lanmgea. a ronqnidla, eitincclo da vio!,
e as uerralgias faciae. E' po> cem o apoio da scienma queofferecen oestesciavros, prepan-
<4ss < o uiracio de caaaiao tias Indi**, que nos imi>orlamos de Boniaim
Pesajaiao m* htrntmvuro. em casa de lUssw s *f.

'.
-Suti uinu lrmn lmpida e agradavel, ole medica-
meuio rune a quina, que o inico por exeWieucia.
c o Ierro, um dos principaes eiemeiiuas do saa|ue. E'
adoptado pelos mdicos mais disiinctos de Pan., para
curar as cores paludas, fcil.lar o deseavorrimenlo
das meninas o restituir ao corpo os seus principios
alterados ou perdidos. Faz rpidamente desapp irecer
, as dores d'estonugo intoleravcis suscitadas pela ane-
mia ou p''la lencorrlica, as quaes as sennoras esulo
tanl retes sajeitts, regularisae facilit a mensiriacAo,
e receiado com successo s enancas paludas, lym-
pliacas ou escrofulosas Emtm, excita o apfeihe,
favorece a digeuo, e convem a todas as pesso*. cujo
sanguc est emiobrecido pelo trabalho, pelas moles-
tias, a ormlesceneas lougas ou dilliceis. Os ""
resultados nuca se lasen eperar.
Deposito em Pernambuco, em casa e KaarM- o*.
M, ffSLA S VEGETAE S
oriijpiJLT ? i 3m par:S
**
obrio
Bslas enpala*, W*i .q,, AWflatoa, miiVim o-lnawauo de oopsibiba assuciado i
Zatico (arvoro do l^'m^.e -oonsiluem um remedio iofallvel contra a gonorrha. Ellas obraV
sem cansar o estomago e nao nunca os eujoos o nauseas que occasionao as cabula
ordinarias, tendo a immenso Varorgom d vio oinmunicar ebeiro s ourioas. E' por estes -mo-
tivos eme ellas sao nneriori": W e.i'nli3S. etc.
ti vos que ellas sao superiores ds capsulas detopimiba, nsmbas. etc.
- %>lM}T&m'P**.mnbue*4*xii4**d<> aW.

. Caixinlias com bonitos salionetes imitando
fructas.
Ditas le madeira invernisarla contend li-
nas perfumaras, muito
sentes.
Ditas de papelo igualiiiente bonitas, tam-
bniii de perlumaris tinas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos o elegantes, com p de arroz
e boneca.
Especial p de arroz sem composii.aode
iOOS a 400S de graikaro.
Gra4Qoa-so, segundi) a dt>lancia, a ijuiui "gar
proprias para ore- e levara 'asenher Dr. Virgin. Caraetr.*
Cunha e Albo4)uenme, morador no enteuho Cou-
cordia. da freguezia da Luz. o escravo Ji.i.qnim de
Sanl'Anna, px'tn ile idade dei anuos, litii;al, e*4a-
Irua regular, perm nni pouco eipadaudo e largo,
olhos pequenos, vives e um [iouco L-iai>rcs, deilc-
perfeitos, alvos e limadas, cabrea peqnetU, cs e
maos regulares, disposlo e esperto para qualipu-r
.-'Tvifo, falla vagarosa egro-a nu clii-u, andar uui
pouco rangueiro, devfl U r mana aae p< mas en-
clieiro, e por isso o mais proprio para crian- cosiada aos ps de ferros que levou. Foi romprado
ao Sr. harn de Nazaret e este ccni|ku-o ao Sr
Cas.
Opiata ingleza e franceza para dentes.
Pos de camphora e outras diUeientes
qualidades tambern para dentes.
Tnico oriental deKemp.
Alada mais coques.
Um outro sortimentos de coerces de no-
vos e bonitos moldes cora filis de vidrilhos.
Jos Miguel (Allemo) (|iie o ferwxe do l:io-Grand
ilu .\orlee alii o eomprouao Sr. ca|ili"io Fredirlto,
moiador na villa do Pa de ferio, e u sea paro
capitn Fernandes comprou-n ao Sr. Manee) TIh-
inaz da Silxa morador na Tilla de loila Alegre,
senlo o referido escravo natural do Inga da provin-
cia da 'arab) ha, perteneeti e viajmi prinxipltntBte
os scrtes du Ingazea em Pajc uae tem dtc:
senlinres uincris por tuimc tfarc lino e Camillo,)
e algons d'elles ornados de flores Atea, frlfiS! ^JUSil **"! JllS?
:..-.". 7 j________.-- i _____-.*. i........* lele, etc., assim tambcn previne-se a queni apren-
esto todos expostos apreciado de quem
os pretenda comprar.
(iOLLINHAS P PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeico.
Fivellas e Otas para ciatos.
Bello c variado sortimento de taes olijec-
tos, ficando a boa escolha ao gosto do com-
prador.
FLORES FINAS
O que de melhor se pode encontrames se
genero, sobresahindo os delicados ramos
orvalbados para coques.
Para vlagem.
Bolsas de tapete ecarteiras de como, por
precos commodos.
Cliapelinas de pallia da Italia mui bem
enfeitadas, e enfeites de flores obra de bom
gosto.
E assim muilos outros objectos que se-
ro presentes a quem se dirigir dita loja
do Cordeiro Previdente a ra do Queimado
n. DJ.
ENFEITES DE PALHA PARA VESTIDOS,
CHAPEOS E COQUES.
O Cordeiro Previdente ra do .Queima-
do n. 16 acaba de receber um bello sorti-
mento de trancas de palha para enfeites de
vestidos, outras para chapeos, coques etc.
tudo isto est sendo vendido com a sua bem
conhecida commodidade de precos.
ALEM D'AQUELLES.
Receben outros lindos enfeites de seda
para vestidos ; assim como um variado sor-
timento de gal loes de laa, babadinhos de
cambraia com bordados de cores, cuja va-
riedade de gostos os tornara recommenda-
dos e apreciados ; compareci pois -os pre-
tendentes qne serao servidos a contento.
TO BEM RECEBEU.
Novo provimento de bicos e rendas de
guepure.
LUYAS DE PELLICA.
De todas as cores' tanto para horncir
c5mo para senhoras, constantemente achain-
sea venda na loja do Cordeiro Previdente :
ra do Queimado n. 16.
hender 0 referido escravo que sendo no i er.iro da
provincia da Parahyba o eniregue ao Dr.Jos Pan-
iin' de Figueiredo na cidade de Souza. ou ao ta>
pitS Juaqnin Saldanlia. ra fazonda Mnltig na
riacho de Poreos, no caso de nao querer trazer tn<
sen referido senlmr.
.No dia 30 mez uVj novcinbro prokna pa.-
gado, fugio do engenlio S. Jos, do termo de Scti-
nliaem, a escrava de borne llenedicla. muala, tem
Si anniis de idade. cara hexigosa. altura regula.
cabello cortado a denles pmlres. fui i'sc ava de Iw'
ile Pairos Araujo, rendeiro do ongenlm Marianna.
levoii un roiipio de chita clara j vellu,, e um |aut-
no da Costa novo : quem a pegar leve-a o did<
engento, nu an Sr. Hanoel Alvcs Ferreira A r..
meta praca, que ser generosamente recompen-
sado.
Fugio do engenho Suiedade, na comarca d
Porlo-Cava, provincia das Alagas, o aaeravn Fe-
lino*, cabra, cabellos earapinhos, de 24 annes e
idade, pouco mais ou menos, punca barba. pes]pe-
quenos, nariz regular, olhos grandes, dentes um
pouco limados e com falta de um na frente, andar
(giro, cujo escravo foi comprado ao Kxm. bari
deNazarei: pede-sc s autoridades policiaca e
capitaes de campo a apprchcnsao do mesmo, c le-
va-lo ao seu senhor no referido engenho, ou naw
dade do Recife ao Sr. Joarniin Kudrigucs Tavare
de Mello largo do Carpo-Santo n. 17,1 andar, um
ser generosamente recompensado;
NOVIDADE
A loja ti Coelho & Oliveira ra do
Quenado n. IU, recebeu pelo ultimo vapor
u iJatr/sortiinento de balos de diversos
sy3temas, os mais aperfeicoadosque teem
viudo ao mercado, sendo :
Baloes de guipur com tiras chamados
reguladores, ditos de musselina abertos por
ambos os lados, de modo que sendo todos
de um tamaito servem para qualquer se-
ubora, de la de cores, com tiras, e as se-
geintes fazendas:
Saias de laa com bonitas barras.
Chales turcos de seda e laa Beatriz de
Tradas.
Fitas Ue guipur pretos Rocamboly.
Chapeos de sol para senbora, muito lin-
dos.
Liaslnhas
Sultanes,Poil deChevre, Tricte, dito de
xadrez e outras muitas, entre ellas urna
Especialidade
L5a pura de cores a 360 rs. o covado.
Basquinas a Mara Antoniete.
Cambraias fantazia.
Ditas brancas transparentes e Victorias.
Colxas adamascadas.
Cobertas clunezas a 2iJ500 rs. e outras
muitas fazendas que tomar-se-hia enladoaho
annuuiar.
Fugio no da 10 do correnle mez, do engH-
nho Qtiiliba, freguezia de SerinM>ni, o esrtaw
Ilenedicln, criunlo, dado 30 c tajitos annns, naixo.
feieei mindas, pira e bjnde, dente quebrado la
frente, bem fallante e ladino, montado em um ea-
vallo com cangalha, com os signaos seguintcs
alasn, bem feit<>, est gordo, nao tem estrella na
testa, nem calcado, rol comprado ha pme<*
tnezes ao Exm. Sr. barao de Nazaretli.
Quem o apprehender e entregar ne-la rraca ae
Dr. Joi) d Silva Ramos, ou a Gabriel Antonio de
Castro Quintaos, na travssa do Queimado n, 3,
e no referido engenho Quilina seu enhhr Dr.
Jos Eugenio da Silva Ramos, ser generosamente
recompensado.
Fugio a 18 do correntc mez de Janeiro, o
escravo de nomo Pelippe, cabra com ?.' annos rt
idade, um pouco alto, subrancelhas tretas e ?n
rafes, os caliello's acaloculados, quando andapi
za duro c com passos largos, tem urna marca te
caustico do ladodiieito fobre o Igado, levot e>-
ca debrim de (fnadrmhos preto, cniisa de ma-
dapoln, chapeo preto de la redondo, este escra-
vo costumava a ganhar mr ra ronduzindo gCBi^
ros de tuna venda da na Djreila para a estoclu
das Cincfl Pontas, natural do lugar (^inhotinKc.
da comarca de S. Benlo desla pro\inc1a, e fui
comprado ao.Sr. J. Alwe de Mello, morador So
mesmo lugar, presurae-se que o mesmo escravo
continua a gaabar na ni*, iminnrn de um bilhefe
falso procaraMO senhor ; pede-se aos Srs. capi-
taes de campo e mais autoridades tolieiaeis a cap-
tura do filo esclavo e lera-l ao seu Pereira de Miranda Cuaba, morador em Sanb
Amaro, sobrado grande n Sr. Manoel Cnstodtt*
n. ti, que se gratificar generosamente.
de cera, demawa, -de arante e de seda, a pracosi
baratisimo, em porr,6e< rajaw : so arma
zem do vaptr francez, ra Nova n. 7.
O abaixo assignado recommenda a captura
do seu escravo de nonie Joaqnim, mulato, fngitn
do seu sitio do Monteiro, campeado aos seo do-
nos os Srs. Joan Goncalvcs da Silva, Vicente C-
vakaui: de Albuquerque e Alexaiidn- Gomes da
Silva, nesta cidade, fot* intemiedio de sepa pro-
curadores na lessna do Sr. Manoel Francisco
valcanli, todos de Pao d'Alho e por mi venci d
Sr. Santos (corrector de eseravos). cujo escravo*
tambern natural de Pii i d'Alho e tem os Rslieet
seguintcs: idade 35 annos, seero do corpo c un
[ntico alto, bipode, cabello ura pouco <-rapwbaa>
e perneado, falla de dentes. urna inflainmaeao U-
cruada najunU da man esquerda, falla a scrtan'e-
io, muito descansada e masa : levuu camisas dr
madapoln e rlsrado de aleodao, e calcas de briHi
pardo. O altaixo assignado muito recommenda a
captura deste sen escravo todas as autoridad
e mais pecaoas encarregadas da captura do escra-
vos, ni so polas diversas cidades. villas e nov*a-
dos, como ido senao, para onde pode ler seguido .
prometie bem gratificar, e tamban a qualqwr
lesse* que d/elle der aiiticia certa ; a dinprre*-
seao mu escriptoho a roa do Crespo, n. 15, oa '<<'
sen sitio mi MuBeirn.
Recite, 27 de Janeiro (le 1869.
-AiifOR'0 losi- Rodrigues de So*.
A dias que se ausentou da casa de mu serta*
escravo f.leto, crioulo, natural da eidade da B|
optiino otlicialde aapateiro, e trahalhava r
do Sr. Mximo Josirde Andrade, sita i
Cruz, sabe ler e ese-rever, e intitaja-
calcadn, tem um olho imfwfiPMM do qne o o
tro, lew a enbe<}a.rqprida, twta banda, o *mc
eo oen diversas *icatrai.piovaBieiiten le a**^
las, um tanto baixo e reliircado do cirpo MfW
i anpmhender"leve-o a rasa n. H 8a imhapaw
a seu ennor Hfwlf|toJ da Silva, oaotefat
Pai-aizo n. 26, rasa da c^Wa-M Frawea *>
Snaza MagaolMieB, qne :er- rKumpea>ado gHMTO-
atimii
<
HIGlVU


,8
Diario de Penia.abuco Segunda feira 1 de *Wreiro 4e 1869-
i
I
UFTERATBRA.
taslilulo Archeologieo e Geogr-
fico Pcnramliiu'ano.
**SO MAGNA ANMVEHS.UU.V, EM 27 DK JA-
NF.IM).
Bclatorto d,) Sr. Secretario perpetuo, li-
tio era Assembla Geral, por occasiao
do 7.- annkersario de sua fundaran.
Mcm senhores.Venho como le costu-
ms nfest da memnravel, em obediencia ao
(|uc- prescreve o art. 28 de nossos estatu-
to.*, apresantar-vos urna resenta dos tra-
balhos e movimento da A4Soca$o durante
o sptimo anno de sua existencia, j hoje
teasrada e eoberta de heneaos por toda a
previneia.
A Meza administrativa e as differentes
commisses do Instituto que funecionaram ,
este anno, forara eleitas regularmente em -Mr***'. P*Ho generoso, que h hoje exac-
0 SjL P. M. Liu) do Monte-Carmello Lu-
na. .'vi'isfH'i. efldivo. deu fritura aa Ins-
tHt i de urna'* curiosa Memoria sobre os
montos Goarafnpese edifleaco daegreja dos
Prazeres. a qunl oceupoua aUenc5o da caza
em tres sessnts successivas, e foi ouvida
com summo interesse e applauso.
A" ahorecer do anno acadmico me bo-
je l'-nitina. veio urna grande e inopinada
peda rnbrir-nos a todos de luto, e abrir
um Ttgfei insondavel nesta patritica Insti-
tuirn, o hoi em que 09 IWSSOS sttffragios
liaviam escolhido desde que nos constitui-
mos para ser o interprete de nossos. pen-
saomntos e a atalaya de nossos Estatutos,
penden."un ii stante para a trra, como a
pahneira do descro, que o nordeste-desar-
raiga. Aquella bocea, que tantas vezes aqu
se abrir para nos arrebatar em vos al-
lissimos, secot de repente, cotilo a fonte
de Sanir. e dei ion-nos a todos bumilhados
ante o decreto imprevisto da Providencia !
Assembla Geral de Vi de fevereiro, e to-
inarara posse de seus cargos na pritneira
sesso ordinaria do 1. de abril.
Nesta mesma sesso do 1. de abril apre-
stou a vossa commissao de fundos o pro-
coto dorcamento para o anno social de
'SliH69, demonstrando o batato pro-
\ aval em favor de nossos cofres de reis :
l:B3:jli Este projeclo fot denitiva-
aonte approvado sin Assembla Geral de
Tendo-se vencido a leltra do capital qu
Uiente um anuo e a esta mesma hora aqui
se 'xhalou em lis,e tantas flores d^sfolhou
sobre a memoria do valente que nos per-
teiu'ia. e que a morte ceifra as agoas do
Paraguay, deixnu de bater dous niezes de-
pnis dessa nienoravel inspirarlo elegiaca!
Aquelle espirito de escolha qu a todosas-
som brava pela \astido de sua* luzes como
publicista, pela hahilidadc e zlc- com atoe
defenda os direitos de tantos clientes, romo
seu patrono, e pilos iminensos recursos de
SUa cnitlicao como homein de lettras, dei-
tinhamns depositado no Manco luglez, foi te P^tencer Ierra em 29 de mar.;.,!
ewa letlra reformada de uno e acceita pelo1'"1"; - -smo Banco, a vencer os juros de o porh'rantearam em una sessao i
ato ao anno, tirando o capital agora ele-
v.do a reis: l:905->320, que
era deposito.
aii continua
solemne, consagrada sua memoria, e com
quanta pompa a piedade dealguns amigos
ntimos dirigi ;i suas exequias no templo
Est oreada em 800*000 reis a colum- ^W]' 0,lll,> M achou P,',;s,>,n,,> qnaIrt
na commeniorativa que se h de levantar | "J ",'nvel cm &* cidade, sem dis-
co centro do antigo acampamento bellico,!'
eonhecido pelo nome de Arraial-Xoco,d\i-
Pir fortuna p;ra nos, e po urna com-
ante as gloriosas evoluces de nossas ar- 5* providencial, o robusto tatemo
jas contra asforcas dTollanda. V W0 oceupaa propnacadeira que por
A illustrissima Cmara Municipal do Re- se,Jm'* 'fcupira o Dr. Antonio Tieefte
rife apnrovou o parecer da sua commissao doNarunento Foitosa, ha de contuiuar-lhe
eipecial, encarregada de escolher, reunida as tradir 4 do Instituto, as localidades em que se ho \ m?i ft "**?> e plendr.
de levantar as quatro estatuas dos restan- \ aqu a poneos momentos, esobo prw-
radores de Pernambuco, remettendo-nos a I ,'K,, das mus correctas formas, oiivhvi-;
planta dessas localidades, parque o Ins- v6s.0?ir0W9 todos com a maior ancie-
tituto tome dellas posse, e mande assentar dade; -as principes pliases em que se cri-
os respectivos marcos (piando llie aprou-
\ r.
flequisitiram-se da Piesidencia da Pro-
* ocia os livios dos Assentos da Cjdeia do
Rece conceraentes .aos anuos de 1817 e
1981,08 qua'es consta existirem no archivo
ir Caza de Detengao, alim de serem am-
volvAia a tempestuosa carrera do illustn
morto, como hoiuena publico, assim os
dotes singulares (l'aqnella alma ang-elica.
surprehendidos pelo novo Orador no seio
da arakade edo retiro intimo.
Nopiraram pirm rom togrande per-
da ai nossas dor.\s no auno actual. 1/Ogo
t,.s elles guardados nos archivos' do Insti- dpPois da cahftnipto de que acabo de la-
zer menco, va o Instituto suiruintiir na
Csliaila amis dois comp;mlieni< seus. m-
tatb, como documentos de suman impor-
tancia para a historia poltica da provincia;
ras (pie, qnando a guarda de taes livros nao
posea ser confiada ao Instituto, como pare-
ee derer ser, se lite eonsinta ao menos ex-
trair copia dos assentos que elle necessi-
lar. Esta requisco ser sem duvda aa>-
tb.ida pelo esclarecido Governo da Provincia.
Aclia-se confiada ao esludo da vossa
commissao de trabalhos historios e archeo-
lugtos copia de um epitaphio gravado em
W2!) sobre urna pedia tumular, encontrada
i a sach-istia da egreja de Guadalupe em
Olnda, do qual parece deprehender-se ha-
nieros intelligents e
sollicitos na pivgri
nai.ao em que vamos: 1. o Bario de Veiy-
Cruz. nu-so socio electivo, earactev hones-
tissimo e rccommendavel, modelo de ab-
n igajptoi c amor >n patria as multas e im-
portantes missoes publicas de que fra in-
vestido, e amigo dedieadissimo d'aipielles
porquem se sacrifleava; e o 2. o Major
Salvador COelho de Drummond e Albuquer-
que, nosso socio correspondente, homem
de raras e excell'riles virtudes domesticas
e sociaes. trabalhador proveitoso o incansa-
despeza para o anno social de 1Sn70 ;
e as verbas que ella ah i&crevef jrlo de-
vidamente discutid desil' o 1/ di abril
cm diante, como aispem os anigof 19 e
7 dos nossos Estatutos.
Muitas form as offertas de liaros e ob-
jectos raros (pie este ano se iiflftberam do
patriotismo e beoirelencia de, eMadaos es-
timaveis, aos qunts o Instituto, por esta
occasiao, vota mil agradecimaot.-;.
Assim vai serena e segura asiiarcha do
Instituto. As asscnarcs de>ta ordem, em
toda a parle acaUdas, s3j os mafc uteis
auxiliares das sooietlades modernas, eni seu
inmenso moviinento industrial, seientilico e
religioso; S3o aores, que annuncian no
tronco nuiita forija vida, oias ramas, em
verdes esperamvts, uitos fructos emolien-
tes que se ho de um dia colbr, nas que
se lles nao pode legtimamente pedir em
antes de se Ihes dar tempo e longa cultura
para amadnrecerem. E' o caso em que es-
tamos. A arvore vai crescendo frondosa e
Honda, mas necessario que nao s os
nossos trabalhos e esforcos a susteniem e
a orvalhem, mas que os dignos Represen-
tantes da provincia continen a alental-a
com maior estimulo, alim de que, una Ins-
tituir: > que tanta Innra faz patria, nao
esmoreca por falta de seiva, e continu a
provincia a mostrar-.se digna das recorda-"
cjs legendarias1 que as armas e as lettras
ha muitoniais de dois sculos Hie conserva
a historia, agora reproducidas nos louros
vrenles que acal/a de colbr em campos
| inhspitos, por Jeitos de valor e audacia
quasi impossiveis, e ante os quaes ajoe-
liiaro reverentes 'os limos de- nossos fi-
Ihos, possuidos de. um nobre e santo or-
gulho.
Sala das sesoes do Instituto Archeologico
e Geographico Peniiiubucano. 27 de Janei-
ro de 18(>.
Jos Soares- de zeredn.
Secretario perpetuo.
\ lei .criminal.
FinifHnt creduniipte.
V
(CoHtinuarv;
Sim. sem dunda, vale mais prevenir os
dimes que reprimil-oss Mas seguindb a
via indicada por Montesquieu (jue se pode
attingir a esse fim; dando ios homens
bous costumes, deseuvoKendo nelles os
sentimentos reliaws'js, prodigalisando-lhes
a instrucro, inspirando-fties- o am<>r ao
trabadlo e ecoooniia; im> prendendo
os e encarcerando-06 por sinspes suspeifa.
O regimein autorisado pela lei inglez
extremamente attenttaorin dti liberdade '*>-
dividual. I* um caria reiia de prisao
que a Inglaterra pode usar freque.-iftV
mente(19V
Os resultados das duas legislacoes sc* o
que se poda e devij- esperar dellas. Ab
[irisoesso mais nwnerosas na Inglaterra
do que em Francia, cm Eontftres que era-
Pars (20).
ver sido fundado aquelle templo em 1628 yel, que to relevantes serviros nos pres-
ou 1027, tres ouquatro anuos antes da in- tupor vezes.coadjivandocomo maior de-
especiaes:
a qno se
Smtercsse as vossas comnussoes
nas investigacLes archeologicas
mandara procede.1.
De um e outro destes espiritos que pas-
vaso hollandeza, e quatro ou chico antes
to incendio de Olinda.
Tendo-se descubert no Passo de Gequi
um grande cruzeiro de marmore, a respei-!
io do qual anda a tradigao vacila", mas cu-1 saram vos estocara tambem as arcos a
V cstudo se acha egualmenle commettido i grandes traeos o vosso novo e dstmeto ora-
vossa infatigavel commissao de trabalhos dor, com aquella fragrancia de uneco com
aTcheologcos, reclamou-o para um piedoso
uso o reverendo missionario capuchinho Fr.
lidelis Maria, vice-prefeito da Penha, o qual
o fez transportar do Gequi para o pateo da
motriz de N. Senhora da Paz dosAfogados,
com grande solemnidade; e ahi esteve pre-
sente respectiva benco, por parte do Ins-
tituto, uina deputaco de seus membros.
Pela digna commiss5o de cidad|os incum-
bidos de dirigir e enviar ultima exposico
universal dejjarisos variados productos de
ooasa indus.na provincial, foi remettida e
mflada guarda do Instituto a medalha de
brome e diploma de honra que a acompa-
nhoii, concedidos a Peniambuco pelo Go-
bern de S. M. o Imperador dos Francezes,
sb pro poste do respectivo jury de recom-
pensas, como um preito da commissao di-
rectora ao sanctuario archeologico da pro-
vincia. OrgSo natural do Instituto, cbe-
me a honra de reiterar 3qui, d*uma raa-
rieira hern publica, os votos de agraueci-
mento que j urna vez lhe frara manifes-
taos em sesso de 10 de dezembro.
FOLHETIM
CATHARIHA
POR
Jules Sandeau
XI
Pars em Blgny.
(Continuaco do n. 24)
Rogerio passou a noute a preparar-se
para o combate, que n3o esteva disposto a
adiar por um s dia.
Com effeito, no dia seguinte pela ma-
nha, logo (jue lhe pareceu opportuna a
hora de apresentar-se no aposento de seu
pai, a quem nao podera ver na vespera por
ser j tarde, sahio do seu quarto em direc-
$o ao do conde com passos firmes caninto
resoluto.
Nada perder da ua coragem e propo-
sito ; todava, prximo a entrar alli, parou
em frente da porta, e, pensando nas iras
que nciessariamente ia despertar, empalli-
deceu, e sentoo sangue coalhar-se-lhe nas
veias em presenca da recepcSo spera e
glacial que o esperava.
Nunca se apresentSra a seu pai seno
animado de um sentimento de dolorosa
contrariedade muito Semelhanto a susto.
Depois de alguns momentos em que se
soccorreu memoria de Catharina, enver-
gonhado da sua fraqueza, decido-se final-
mente a arroster com tudo e abri urna
porte.
Na ante cmara encontrou-sc com Robi-
neau, que sahia do quarto de seu amo. A
figura insultante d'este homem servio-lhe
de novo estimulo. Deu mais alguns pas-
aos, e, sera perder a coragem, entrou na
sala onde se achava seu pai.
. Qaer tivesse ficado pooco satisfeito com
ipie elle sabe e costuma fallar-nos das san-
tas tristezas do tmulo..
O Instituto, no correr do anno que boje
se enterra, reunio-se duas vezes em As-
sembla geral,ramas ellas para eleicoes
da mesa,celebrou urna sesso fnebre,
e leve 19 conferencias ordinarias e regula-
res : ao todo 22 sessoes.
Recebemos em nosso seio um socio elec-
tivo, elegmos oito correspondentes, e en-
viamos o diploma de socio honorario a S.
Exc. Rvma. o Sr. U. Francisco Gardoso Ay-
res, Bispo d'este diocese. De sorte que o
quadro pessoal do Instituto actualmente
ossim composto:
Socios efectivos. 40
Socios honorarios 19
Socios correspondentes. 63
A o todo.
122
A vossa commissao de fundos vos apre-
sentar em Assembla geral de 15 de feve-
reiro prximo o ornamento da receita e
a conversa havida entre elle e'o mordomo,
quer opreceupasse outra qualquer itla, o
conde de Sougre.} passeava a largos passos
com ar sombro ( visivclmente agitado. Ao
ruido que fez aporta abrindo-se voltou-se
de sbito e Rogerio arripiou-se dos ps
cabeca ao ver-se sob aquello olhar que du-
rante vinte annos fra para elle como o
olhar do acor schre o pardal. De novo
empallideceu e >e lhe cobro a fronte de
suor, porm ests improsso desagradavel
para logo foi substituida por outra de sur-
preza e espanto, quando .vio seu pai enca-
minhar-se para elle risonho o estendendo-
Ihe a mo.
Bons das, 'togerio. Como ests, meu
filho ?disse o conde, apertando-lhc ter-
namente as mao?.
E, cingindo-o contra o peito, abracou-o
com a rudeza de um soldado.
A este testemunho de affeico, o primei-
ro que recebia de seu pai, Rogerio, natu-
ralmente terno e excessivamente impressio-
navel, sentio o coraco commovido a ponto
de lhe chegarem as lagrimas aos olhos.
Meu pai,disse elle com voz trmula
esta a primeira vez que me abraca !
O conde respondeu-lhe abracando-o outra
vez.
Nao suppunha, meu pai, que lhe me-
reca tanto affecto I
Meu filho, redarguio a astuta ra-
poza com melanclica gravidade os affec-
tos mais vivos e profundos nem sempresao
aquelles que se n.anifestam mais estrepito-
samente. Ha espiritos concentrados i quem
ripugnam expansivas demonstrcijes. E'
rreciso estudare -me para me conbecerein.
Hais tardo sabens porque tempestadestem
jissado a minha vida e que magoas esgo-
taram no meu coracSo o manancial das
ternuras. Saber;is tambem comojsob este
apparente frieza, pie te fez duvtlar dos
moas affectos, m nao oceupava jeno da
taa felicidade. Ior tanto concordo que eu
cdsmo ignorava at que ponto me eras
(19) Reputados lsdroes (rrpi4ed thieves)*
Presos em 1858, 302; julgados em 1558>
332.
Presos em 4859^205: julgados em 1859;.
205.
Presos em 1800.203: julgatlns em 1860*
203.
Presosem is..112: julgadosem 1864,
112.
Moralidade suspeite (sus/ticiom eharao*-
ters).
Presos em 1838, 2,862; nao pronuncia-
dos, 2,155; julgados, 707.
Presos em 1850v 2,410; nao pronuncia-
dos, 1,794: julgados, 616.
Ilesos em 1860, 2,429; nao pronuncia-
dos, 1,814; julgados, 61.v
Presos em 1864, 1,128.; nao pronuncia;
dos, 883; julgados, 345.
Estes algarismos sao extrahidos das
Miscellaneous Slutistics fa' ttie uuited Kir
gdom, onde se achara no quadro intitulado?
Natttr;.of offenes with mch persos tajeen
into custodif by the ntetropoMan plice
toere ckarged, durim the tftrs, 18oS, l#<5#
mo, 18G4.
(20) Segundo as estatisticas citatfet na
nota precedente, o numero das pessoas
presas :foi na Inglaterra e no paiz de Galles,
n'uma populaco de 18.000.000 individuos:
em 1858, de 43*< 492 pessoas; em 1839,
de 418, 925; em 1864, de 469, 647; em
Londres, em 1858: de 74. 360-: em 4859
de 64 81; em 1860, de 62.537; em 4864
de 63.827: em 1806 67, de 105.636.
Segundo as estatisticas francezas, o numero
mm ""...""*_
------------------------------------------------------------------------------------------------------------... i ,
caro : a tua ausencia que acaba de m'o
evidenciar.
Meu pai, acudi Rogerio, qne a si
proprioperguntava so aquillo seria um so-
nhopesa-me de nao estar hontem no cas-
tello para o receber *sua chegada. Es-
queceu-se de me fixar o dia, e. segundo a
sua ultima carta, nao 'poda presumir que...
Est bem, est bem !exclamen jo-
vialmente o conde, batendo-ihe amigavel-
mente no hombro J se sabe que nao
possvel estar simultneamente ao servico
do re, da amante e do pai! Est bem,
Rogerio ; l por iso nao ha razo de corar.
Ests apaxonado ; isso proprjo da tua
idade. O amor fica bem mocidade,* como
as rosas i primavera.
Dessa forma, meu pai, disse o
mancebo cada vez mais admiradovejo que
est informado de tudo, que sabe que du-
rante a sua ausencia dispuz do meu cora-
c3o ; tambem vejo que, longe de me incre-
par, como eu receiava, approva a minha es-
colhae lhe apraz a minha paixo?
Ora essa !exclamou o conde En-
fto imaginavas-me para ahi um tyrannete
de comedia que quer que seus filhos fiquem
envolvidos at aos trinta anos de idade
no seu veo de innocencia?... Nunca foi
minha idea ter-te em carcere privado. Ests
joven e preciso que goses a mocidade.
Declaro at que me nao lisongeava de ter
por herdeiro dos meus titules e notae um
pudibundo Jos, disposto a fazer awrifi-
cio da sua capa virgindade Gos de
conhecer n'um rapa? os enthusilsnvis da
primavera da vida. Nada me enoja tanto
como esses papal vos que, era materia de
ajcrupulos amorosos, querem representar
o papel de sacerdotisas vestees I Portento
nao so,approvo, mas at te felicito !... Ora
vamosla pequea bonita, segundo di-
zera...
E' um anjo, meu pai I
Ah I estou cei-to d'isso. Em geral
todas as mulheres t[ue. se amam so anjos,
oaseus negocios o destruindo
so' se justifica pela necessi-
S 'i verdade que entre nos as prisoes
qne tem porohjecto mn fado penal pro-
priafneate dito, dio em resultado,. na maior
parte dos caso%, a descae preventiva, ao
passo que, entre os inglezes, sao logo se-
guidas da liberdade provisoria? '
.; A detenco preventiva qie, por indicios.
priva um cidado da sua liberdadi, sepa-
ra-o da familia, compromette profuiidamente
a sua consideradlo, e o arruina, talvez,
suspendend
o spucrem
dade.
Importa, pois, que eHa nao seja lermitti-
da pela lei e praticada pelo iuiz siioo nos
casos em que o exigem formalmente as ur-
gencias da devassa ou da vindiita .publica.
E' preciso tambem que ne seje intil-
mente prolongada.
Entretanto nao haveria perigo erli nunca
usar di'lla e accellerar a marcha do pro-
cesso.
Est modus in rebus, sunt cerli denidue fines.
Se examinardes, disse Montesqiiieu, as
formalidades da justica.em relacSoj dilli-
culdade que tem um cidado paral rehaver
os seus bens ou obter satisfago de! afguma
injuria, achal-as-heis de mais, se a? consi-
derardes nas relaces cem a liberdade e a
seguranca dos cidados, achal-as-heis muitas
vezes de menos, e veris qne penas.
custes, detengas e at os pernos da justira
sao o preco que cada cidado paga pela sua
liberdade (21).
Ha dous annos, offerecia-nos a Inglaterra
um exemplo curioso do perigo d is pro-
cesaos criminaes nimiamente precipita-
dos. (22)
Nao ser urna illuso ?
Estou longe de desconhecer o que ha de
sabio e de humano na legistaco dos ingle-
zes acerca da priso preventiva e da soltu-
ra provisoria; mas neg que ella tenha sof-
frido, como a de outi-os paizes a dura ne-
cessidade dos factos.
Na inglaterra, a justira criminal tem
como representantes habituara-, no mais bu- J
milde grao, nos condados, as pttUf sesons:
em Londrese em algumas graiues ^idades,
os magistrados de polica (potice magis-
tral acling singlg) ; no grao intermedio, as
sessoes trime&raes, (qmler msiwiej\, asis-
tidas por um magistrado local: n|> gro
mais elevado, ostribunaes de dstiteto, pre-
sididos por um dos quiuze grandels juizes
de Inglaterra, e o tribunal central criminal
de Londres.
As petty seisiom dos condados k os jui-
zes de Londres tem, no> ponto djw viste
que nos occupar duas attrjbuices dstinc-
tas.
Con tribunaes de ji**tH?a, esse> tribu-
naes decidem sobre gramil numero de in-
fi-aeces que a feiingleza cjtama snmiung
convieftinc- (cowticres summarias^ e que
podeni ser comowadas is- nossas contra-
vence*db policial o ao grande nunjioro-de
nossos pequeos- deudos.
Alen disso serao. encarsegados de infor-
mar, como o fariaumjuizfiarmador de cul-
pa, sobre os factos criminosos que eaee-
dem a sua competencia, e qpe, sob a qpa-
lificaca. de indietablc offrmes, islo -di-
mes ou delictos- que mot'wam acusaco,
sao.deferidbs quer ao jury das sesses-tri-
mestraes> quer ao jury dos tribunaes do dis-
tricto ou do tribunal centoal criminal de
Londres.
Os raagistradt* de polica fumcioaain
todos os das, mus as petty sessions s< se
renen, urna ve* por semana, e anda, em
certos lugares por quinzena. Eis j para
os condados urna primeira causa de ptso
preventiva, lamontevel, pois. que poda ser
evictada
As petty sessiom. e os magistrados dn^po-
lica podem vir dar immediatenietite a: sua
sentenca, abscJvendo o-ro, condemnando-o
mandhndo-o para os tribunaes das sessoes
trimestraes oa superiores, ou estetar de
modo, que continu a devassa comecda pela
polica ou pela parle aecusadora.
Ob juizes inglezes sao. to dedicadas aos
seus deveres que nto. ho de deixair de to-
mar este utma resolur^ quando a acre-
ditem necessaria. Ora, ser o lonlvmayor
dbs pessoas presas^mlarisfoi; ein. 1858,
de 45.306; em 1859, de 13.964: eda.1860,
do 16 336; em'4865, de 6^955; em
1866, dfc 23.25X O augmento desates l-
timos algarsmo*eiq)lica-se pela aniiexaco
das communs saburlianas. No.pude adiar
nas estatisticas o numero exactoidas pessoas
presas em Franca: mais certos doduaentos
me autorisam a peusar que inferior ao
das pessoas presas na Ingiatorra e no paiz
de Galles.
(21) Espirito das lcis, liv. VI, cap. II:
(12) Times, de^7 de setemhrodje 1866.
e essa, alm d'isso, cheira a paraizo por
todos os lados, porque, segundo creio,
sobrinha de um parocho d'ostes arrebal-
des.
Sim, meu pai rospondeu Rogerio,
o qual, notando o tom em que o conde fal-
lara, comecava a sentir-so offendido. A
menina que eu amo a sobrinha do paro-
dio de S. Silvano.
A's mil maravilhas exclamou o
conde, rndo-se A sobrinha de um paro-,
chol- Apre, como s arrojado!... Quem,
ao ver-te, ajuizaria tal ? Coraecas melhor
do que D. Juan !... A sobrinha de um pa-
rodio I E' por aqu que te estreias Re-
cebe osmeus comprimentos I... Ora diz-
me, Rogerio, seno ha indiscrico n'isto:
em que alturas vaes com a tua Arraida de
sacrista ?
Eu lh'o digo, meu pai respondeu
sobranceiramente Rogerio, sentindo-se to-
mado de indignaco. Essa menina tao
virtuosa como bella !
Tanto peior para ti! rephcou o
conde.
Respeito-a tanto quanto a amo !
N'esse caso, tanto peior para ella !
Estou resolvido a desposa-la ac-
crescentou Rogerio com firmeza.
Que dizes ?
Digo, meu pai, quaxroero desposa-la!
repetio o mancebo coa respeitosa intima-
tiva.
Rogerio nao duvidava que, depoi d'estas
palanas, nao rebentesse o raa sobre a sua
cabeeji, mas aconteceu o contrario. O con-
de soltou urna estridente gargahada, e
comecoua percorrer o quarto apenando as
ilhargas e n'um accesso de hilaridade, em
quanto seu filho, de p e immovel, o con-
templ.iva estupefacto, como um homem que
tendo-se armado dos ps cabeca para um
encarnicado combate, visse o seu adversario
atirar-lhe .ao nariz com bolas de niolo de
p3o.
Meu filho,disse afnalo con3e, dan-
ou ojuiz de CJerkenweil, queaffo" aecu-
sade sob mandado de prisao, a fin de co-j
pleter una pro\.i. quee anda iinp'Telta :
ora .sen'.o juiz de Saublt, que retef.o
preso com a idea de que a polica flstebe-
Iceer que e um** amigo coudmnatlo ; ora
ser o juiz de Malborough Street, que toma-
r essa rsoIuCao, porque inspector da
polica julgar que so pode convencer o reo
de criines anlogos quelle pelo qual ao
cusado.
Taes mandados, como todos os que os
juizesinglawM diovtSo apenasU'in]iofarios:
s tero valor durante una semana : mas
podeni ser renovados tantas vezes quantajs,
o exjam as circumsta'ncias.
No tribunal Row-Street, o juiz dara um
novo mandad) de detenco contra o r I;
por (jue Mary Anne Jenning, contra cuja
vida attentoo; anda nao pode comparecer
em Worsliig Street, o Sr. Cook. retar os
reos pela segunda vez alim de que a sua
identidade seja mais amplamenle verifica-
da ; em Wauds Worth, o juiz responder a
Rohert Kilsby. reo de tentativa de morte,
que pedio que o mandassem para os seus
juizes, que nao ronsente em mandaJ-o se-
no depois de se Teconhwer o resultado da
ferida : em SouHiwark, o Sr. Burchon pi-o-
fenr seis adiamentos no processo de llenri
Oven, aftd-lord de terema Jorge.
Sao frapientes estas ddongas. Constlttt-
em nutras tantas prses preventivas, njBW
sejam seguidas de urna desprononcia. (pier
de urna coiKkfmnaco.
As sessoes trimestrae* ft/uatef sessions)
tem na su competencia, factos farinosos
(msdereartors) que pela mor parte, toina-
riam entr nos- o earacter de (elidos. Esses
tribunaes, excepto os de Londres, ne
abrem as suas audiencias, como o nome
indica, de tres em tres mezes. V-*' que
a justica l faz-se- e^ierar, e que as prises
preventivas sao l muito mais lorie do-que
nos nossos tribunaes correcdonaes-, qu- se
reimem ao meiww iniTO"vez por semana. Ea-
tretaoto o jiessoal db sei>s reos id dska
de ser imprtenle-: homo 8.398 m>s cm
1866, tt8.509 en #86Sv
Os tribunaes (l distido e o nibunal
centra* criminal (fe- Bondtes, estaliwnr sob
as infracrOes mais graves, sob as tairfes
(treasoit) as felonas- (felony at sobre eertos
delicio* fmsdeneaimr).
Pode-so-dizer que o>tribnuul central Kinc-
ciona en permanencia; maas outros so-se
reunem de-seis em seis- me2f9) e at- tt
algumas dudes de anno en* anno.. 8fe
|)iises rpse prolongam-e narito alen dbs
pie esperaraa-aberturo- das Msas sessfiM
limeatraeft
Que inipi^lam essas-imperfeirVs dizem*
nos. A liberdtide sob' cauci> na% obri-
gatoria na Inglaterra ? O* r<* nao poitem
sempre, reiH'amando-ai. subtrattir-se pit*-
so preventiva?
Esta alIcgBco nao mais oxada qne-
a Titra.
JEntre os inglezes a liberdade- .sjb cauciav
de certo oiMigatori'(wih^m/ww/; emcea*-
tos casos, niasem ounos, apenas faculta-
tiv (dlscntitmary). Fez unk inglez uibi
curioso, trabalho ; dividi em 433. especies
todas as infraccoes punidas peU.lci do seui
paiz-; reconlacouque, se para 4*k) a libe*-
dade sob' raaco olligatoria, apenas ^
cuitativa pasa as outra :t21.
Enganar-sa-hia.' sobre a pradema do*-
juiaes inglews-quemsuppozesso que ellos
empregam excessivamente essa medida.
Pel contrario, usami. della couii discrirjo.
As- estatistcas nos fomeecm ptx>vas iiicon-
testaveis da. sua prudencia. Kntrc as j ta-
sos condemnads nas sessoes trimestraes e
seus tribunaes do jury, isto -por.delidse
crimes, apenas- howe 1,980'em 1866 e
1,321 cm 1866, q|ie nao esverau) ji-
\iamentc presos ("md prebmly in ms-
todyj.
Qpanda a. liberule oboagatoria, o juiz
estuda cora cuidado, antes dbcondenma-o,
o carcter do. fado, as suas- eonsequencias
sociaes e a vantagem que o reo p!'de ter
em subtrahir-se a justira. Se o fac in-
significante- on o reo tem mais interesse em
ficar q^ie em fagir, contente-se eKe com
fianca moderada. Mas se o facto. mais
grave, se a ordem publica exige que a re-
pressao seja effectiva, s* o reo n3i> tem re-
laces de famfia, nem negocios, u que a
sua fortuna lhe perniitta facilmetim um sa-
crificio de dinlieiro, o juiz eleva, a cauco
a um algarismo que, sem poder ser afioor
sado de esageraco, urna giirantia seria
de que. o reo se aprontar jjtando Ior ai-
timado, o executar a'pena ai que fr con-
demnado.
QuwioVi a liberdade facultativa, o juiz
s a concede depois de averiguar bem o
caso. Basta 1er os jornaes inglezes ou acom-
panhar d gran te alguns, dias, ai audiencias.
para recoohecer que elle rf cosa-a-mais vezes
do quoa.autirisn.
Um magistrado do nosso paiz assstia s
audiencias do tribunal Bow Street emraaio
de *862. Teve occnsSo de verificar que,
sobre 10 casos, s tres reos foram postos
em liberdade sobre cau$So, e os outros sete
Oca rain presos preventivamente.
'i juiz Inglez, quando as circumstancias o
exigem, nao deixade resisca razes'mais
cr>!isidera\eis. Citarei o exemplo do juiz
de SUthwark que ii3o consentid'em soltar
Ileiiri ('.ven, land-lord da taverna Jorge,
acensado de violencias, posto que o defen-
sor deste, oSr. Besley, allegue que o seu
cliente dirige um estabelerimento importan-
te, ipie viuvo coni dous filhos, e que a
prisao se se prolongar, ter por consequen-
oia arru'uial-o.
Nao poderei dizer exactamente qual o
numero d prisoes preventivas entre os in-
glezes. As suas pstatisticas omittem urna
elasse importante, mas com certeza nao s<>
inferioros s nossas.
(Coflin far-se-ha. i
POUCODBTUDO.
BlNITA ANCIINET. Este celebre pres-
tidigiladora, que acaba de trabalhar em
Lislia, nasceu em Brdeos, tendo-a se-
gurado na pa pabtismal roa bella se-
bn aragoueza'que lhe deo o seu nome de
Benite. Seu pai, prestidigadior notevel.
foi o seu primeiro professor, educndola
n'ess escola moderna, cabe?; da qual
figura Robert4h>udiii.
Dotada de elizes disposica para esta
arte, nao tardo a apparecer dfcaite 4o pu-
blico, tornando-se notevel pela nnhidade
e elegnncia das sims sortea, ao reesmo *
tempo que pela vivacidade e pHtoresco da
sua linguagem.
Sua primeira estrea verificou-se-eiwMar-
selha, eorrendo dejioi* grande parle da
Franca, e passan*) Balgica, Ilollanda e
Allemanlta, onde al'canro as mais nthttsi-
asticas owaces. Dtelli parti para Weiuiar;
o celebre- pianistaajset-aprestMitou-aicdrte,
onde foi reeebida da. maneira mafc lison-
jeira, sendo apresentada- pelo gro-Auyie
duqueza de Orleans, ew. Eisenach- Na
preseni.ar atesta illustre sonliora, do conde
de Paris, do duqu; avGhartres c dv urna
qaantidade de pessoas de distinccikH. den
pravas do seu teUntli e. lwbilidade, sendo
acoll lida nom o maior ioUressee benevo-
lencia.
Precedidi pela lama de tuo assigiwlados
triumpho >;uas reprcsentaces-no Pr-duelan, omle
mandou construir um thealro para os-seus
exerejciosv N'estc precioso jardim, centro
concorritSo pela boa sociedide parisiense e
pelos est*angeiros mais nofaveis, matleiuoi-
selle Benita souba captivar diariamente- a
attenro dos espectadores, pondo o sello
sua repu5aco.
O publico de Mtadrid teuwia visto- uIh
mmente nas suas-amenas soires de-vari-
edades e confirmou.com o* seus applausos
ojuizo geral, admirando n-'ella, ao mesmo
tempo ojie a variedade da suas sories, a
elegancia-da sua tignra ea. sua vivacidade
de imagmaco revelada por mil attiaetivos
da sua knguagem>
ESPARTERO.Este general responden
nos seguintes tennos carta de ferita-
Co qce seus amigos lhe-dirigiram cobbo
de annual costmie, pe* triumpl. (fe Lu-
chara..
Srs. D. Rsmon Marta.Galalrav^e mais
amigos que assignam a fe/licitaco d- 44 do
coi-rente.Amigos meas de todo vraeu
airelo : muito mo compraz a beaevola
resenlia que em su eloquente- felicita-
cao fazem \\. dos eus servieos l-
benlade da minha patria; que nada lison-
ga. e anima, tanto um. soldado orno a ap-
provac*o e o applauso dos seus concida-
dos, e muito mais qsando estes, sao, como
Vv., intelgentes e constantas defensores
da mesma opinio. Gonhecem Vv. bem os
mcus sentimentos e sabem que no meio da
hesitacao. da polticas hespanbola, perraane-
co firmo sempre sobre a rocha inalteravel
dos meue principios. Soldado da minhi
patria, busquei scinpre, com boa t, a su
vontade- soberana para a servir, e se novas,
faccoes. ousarem desconhene-la, Vv. sabem
muito. bem que ainda teobo corar;ao para
adorarla e braco para defiende-la.
Recebara W, os cuminimentos do.seu.
agradecido amigo Bahkraero Espartero.
Logroo, 22 de deaebro de 1808. >
O
do sua physionomia urna expresso de
seriedadevejo n'essas palavras a aone6ti-
dade c caadura dji tua bella alma. Eu bem
sabia que o meu Rogerio nao deseaapenhara
o papel de um seductor vulgar. Na igno-
rancia em que ests do mundo e da vida,
suppozeste naturalmente que o casamento
consequencia necessaria e forc-ada do
amor. E' assim que se peosa aos vinte
annos. Pelo fado de se amar e suppor-se
amado, falla-se de dispor do nosso desli-
no, como se o futuro se liraitasse a um s
dia. Idade feliz de desojos e aspiraces,
em que se despresa a razo. filba dos annos
e da triste experienda 1
Tenha meu pai a certeza de que tudo
quanto me poderia dizer a tal respeito j
eu o tenho dito comigo mesino. Est to-
mado o meu partido, definida a minha de-
liberadlo, e, seo fado que me estima e que
sempre se oceupon da minha felicidade...
Ajudar-te-hoi a consummar a des-
grana de toda a tua vida, nao assim ?
Obrigado I Ests louco, ogoiio !
Estimo este loucura, meu pai, e in-
sisto n'ella !
Pelo amor de Deus, deixemos-nos
d'essas creancices I Dou-te quinze dias
para meditares. Se dentro d'este tempo
n5o tiveres mudado de resoluco, fallare-
mos de novo sobre o assumpto. Entre-
tanto, Rogerio, peco-te que me deixes gosar
em paz o prazer que experimento achando-
rae comtigo e junio de minha irmaa n'estes
lugares, onde nasci, e quo vejo provavel-
raente pela ultima vez Teu pai, Rogerio,
nao feliz; nunca o foi. Em brevo parti-
rei para acabar os meus dias cm trra es-
trangeira Tem contemplacjo para com o
infeliz exilado ; affaga-lhe a sua ultima feli-
cidade ; nao lhe perturbes os poucos mo-
mentos que-lhe restam para passar no slo
da patria e sob o tecto de seus avs!
A estes palavras, Rogerio ficou surpren-
dido a olhar para o conde, como quem du-
vidava de que fasse elle qu ;ra faltara,
- Meu jai chora f exclamou oe-n/uan
accesso d ternura espontanea.
Sfio as primearas lagrimas qpe- derra-
mo depois da monede tua mi Eu jul
gava de ha muito extincte a sua fonte t Va-
mos, nada de fraqueza accreecentou o
conde, Hrapando os olhosSou torto, devo
se-lo, e, ainda que cansado de soffrer, par-
tirei satisfeito, se antes de me ausentar po-
der realisar o meu ultimo sonho, se me fr
licito, por suprema consolacao, levar comi-
go a corteza da tua ventura!
Dito isto, agarrou-o aflduosamente peto
braco o acompanhou-o a passear pela alame-
da do castellu, espera da hora opportuna
para o apresentar a sua irma e soberana.
A patria nao urna palavra vaa
dizia o conde, apoiando-se no braco do
filho,A influencia da trra natal nao
chimera de poetes. Debalde me esforcarei
por a esquecer. O odio dos raaos, a criti-
ca desabrida dos ignorantes e a infamia
dos calumniadores obrigou-me a deixar
estes lugares, am que, todava, se me
tenham despreodldo do coracSo. A natu-
reza nao responsavel pela per"rsidade
dos homens. Quantas recordad3e\ se des-
pertem sobre os meus passos I... Olha,
foi aqui que passaste os primeiros chas da
tua infancia e n'estes avenidas te v dar as
primeiras passadas. Vi via ento tua mi.
Araavel e extremosa creatura, tao cedo arre-
batada ao meu amor!.. Ah I meu filho,
jucundo vermos-nos reproduzidos era urna
nova familia, porm nada #pbstitue os en-
cantos do lar onde nasceraos, nem da mu-
Iher a quem pela vez primeira demos o
nome de amante o de esposa t Rogerio,
quero que em urna d'estas noutes nos va-
mos ajoelhar sobre o tmulo de tua mal f
(Continuar-se-ha.)
TYr..DOMAa\N-RCAl>A8CRUB9R. -*
-
I
>

.1
l


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E7S2OLSMJ_MQK5YI INGEST_TIME 2013-09-13T23:26:22Z PACKAGE AA00011611_11756
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES