Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11755


This item is only available as the following downloads:


Full Text


i 1 ITII
ni Tin i i unlii
IMB
',->
r

ANNO ILV. NUIHERO 23.
edfi tb oaisnflC 08
H
' I
\

\
I
i
I
V
I
i1
PARA A CAPITAL E LUGARES OffllE MAO SE FAGA PORTE.
Vov tres isezes abantados. aaiti
Jur sois ditos folem. ... ..... ..... *wu<>
-JAr iim anuo dem............ '* ll>unm
<>iam,meroavuiso............[ ] .' .' ; 24$*
i -'
Ol*
SABBADO 3 B JANEIRO DE 1869.
PARA DENTRO; E TORA DA PROVINCIA.
Por tres meses adjuntados..... Julill
Por seis*ditos dem...... .............
!>nr nove iliinc iitam.............
Por nove ditos idero
Por urfi anno
W750
13*800
206250
276000.
Propriedade de Manoel Figueira de Faria & Flhos.
Os Sis. Oanlo Antonio Alves A- Fillios. no Para:
Guiniarats Pancada, ein
\- .PARTEOITICIAL.
i.iMfnio da provincia.
' [EDIBNTK \Ssl.;.Y\l>o l'KI.O KXM.SI!. CONOK BE MR-
PKMIV, I'IIKSIOK.M K D.V I'KIIVIXTU |>t; KRKAMl}*
m 2 M jaxkiimi itt: 18!l.
3" seceo.
N. "Xl.-Portara ao ins|>o.-tor da thesouraria
fazenda.- Evpora V. S. snaS orden?, para que.
____i______L
> Araenly: Je lo Maria Julio Chaves, no Ass: Antonio MtonM da Sha nn nm.i *.-
armio dos Sa** Bul* e* SaU Anto; XSJfjffi(^bSL^ AntD' ****
ose Ribeno (fasparmlio, no Rio de Janeiro. g '
por isso proceder-se i apuraran peral l.s votos da ]al,r cun os Hedores esm.pkiit.'s. liara orga-
para vereadores do piadri.-niiin d,. isti ., 1871 tusar nova mesa na casa da cmara, eul. lazer 011-
scpundo as eleieoetf-qiieapprove, feilas uas malri- ira eietrm. apresenlando uet sentido iterante uoi
peca diplomas, lano ios seh- cidadaos niais vota-
dos taro vereadores. iOto aos jotero de paz clei-
tos ; enviando ao nien ioiiado presidente interino
.m vista da e..nia junla ein dnpheata. que Me re- 'da cmara municipal de S. liento a aela da sobre- pos Kciroira de Maeedo, formuio-se a mesa e fa-
dulo-
lataos que reunireiii a, maioria de votos para va
(adores, eassmi tambem a os cidadaos eleil m jue
z.-sde paz dos disriciys dessas |tarochias.
Esta di-lideracaolira de|ieadcate da apio-
df> poverno imperial
siiliineida.
epe
eujo
JUK
approvarao,
i-onUeeiiiiciii
12. 0"<' na panx-hia de Quipaiw proc< ilera-s- a
eleirao na respectiva matriz, no da 7 de s'leinbro,
i nresidencia do competente ju de paz,Doniin-
ii o inspertltli do arsenal ie inarinlia eoni
(fflek) d 20 do eoireiUi'. sol n. l./'i. s,.j,i ;,ipU'l-
I arsenal ereditado pola i|uanlia de :(88."i|.
tfae dispfendeu rom a pintara o opcefta de qne
precisava a forre di pharol da barra do porto
esta capital, oh ajoaes mam oreados mu 7isioo
< aeliain-si' aotoiisaih-s pelo aviso do minisloriu
dita apnraeao rerl, p; ra que elle detira jurainen-
to a todos, de lonna ipie possam enlrar quanto an-
tes no exereieio dos Mipeotvae carpos. Oque
eonitiiunico cantara municipal de Garanltuns
para sua inteiligencia e exeeucio, devendo aecu-
sar o icceliimi'iito des a porlaria. e dar parte de
bave-ta ciuii|irido. en^ iando-nie copia aullientica
ia inarinha de 17 de deieJiibro ultimo, e ordcuijda menciooada apurae.io ."Tal.
thesonro nacional rt. ."<8 de 28 do citado inez
Je dezembro.
N. T.'ii. Ili'a ao mesmo.Transmiti a V. S.
i M9 sen coaliecintouto o Bw eonvenientw copia
do oflicio que nesi.i d,,t;i dirijo ao director da
compagina de Bcbeiibe relatvamen'e a taita de
a.'iia do cltafariz da fortaleza do lliuii!. aceres-
c .litando que acabo de autorisar a dispender-sr
a ipianlia iieeessaii.i mal o aliasteeiiiieiilo d'aflW
iuili-peujavcl aipiella fortaleza ate que se restalie-
i i .'. rfgularii!;ide do misino chafariz.
N. 7"".Dita ao inesnm. trnsmltte :> V. Si
a fblha e prel jiintos em duplic.ata. aflu de que
mande liquidar {tapar a Joronymo Peretra M;i-
nuoua Evaristo Alendes da (anha Azevedo,
nforine solicil tu o coDiiandanic siyielor inte-
rino da coiiiaica fio llrejo e:n ofli-io do 1" do cor-
rente. "^ vencinienton relativos ao inez de dezem-
bi. ultimo, di oltieial e placas destacadas na-
ella villa, n.i' obstante estarcui os recibo^ pw-
-: dos ao the.-oiireiro da lliesouraria provincial.
DtasqtlO essa '-aba pode ser sanada, passando RO-
TOS recilms a pWsa qofl recbdK taas venci-
:. utos.
N. 7.'i:i.Hila ao luosino. Autora V. S. em
vista de sua iiiform.rrao de 2ii do rorrete, sol
ii. :tl. a remetter a rollecinia de Garnnlnms por
iiiienncilio do b.ieharcl Jos da Costa Durado, e
liante as necesaarias cautellas fiscaes. u qua-
l. de :t;l|lil 1090, que solicilou o jiliz de dil'eito
daquella comarca era offlcio de 0 dste inez. para
pagamento do destacamento existente em Aguas
Bellas, no irimeitre do outubni a deieinbro flo
arito |)|oniii.i p.issado.
N. 7-")7. Dita ao mesnii).Ein vista da infer-
na .e.v. de V. S. n. :(7 de n do correntej maqdei
nesta data eflectuar o concert retnomo do
boeiro da offirina do arsenal de pniorra para a de
reneire pela qnaiuia oreada de O9690. o que
a V. 8. eomnmnico para sen conhefimento e una
convenientes.
8. 758.Dita an Inspector da lliesouraria pro-
>'!.cial.Dcp .is de liquidados, no vista do pret
junto em duplicaia ipie me reiifiteii u comma.n-
laate superior do municipio le SerioJiaem rom
ofl to de JO do corrate, sob n. ,"i. mande V. S.
i agar os vencimientos relativos a segunda milnze-
11 do nicz de dozembro ttano, dos guardas na-
icnaes desiae.id is na aovoacao de fiameMeka.
S. 759.Dita ao niesmo.--Declaro a V. S. para
- -o coiilieciiueiiio e i'ms convenientes, que nesta
da a approvei o contrato, que Segimdo consta de
. i rio do chele da repartieao das obras publicas
datado (le bontera, sob n. 8. celebren o nga-
nbeiro Henriquc Augusto Millet como arroma-
la) te da ponte do 16" lauco da estrada to sul
para tazer, mediante a quaana de nosnno mm
sravaeio de sessenta metros de extensao lotiO"
de profuudidade media coin m na bocea e i em
baixo. a qual toina-se necessaria para o novo
Jeit i do rio Massangana, no ponto em que se est
eonstriiiudo a inciicionada ponte.
>': 'J'"l)il:i ao niesmo.No reqiiei intento dos
eserives, solicitador e oiliciaes da blenda pro-
vincial. JoSe Vicente de Torres Bandeira, Antonio
Ji deOliveira Miranda. Joao Firmmo Correa de
Araiijo. Izidomda Costa Rocha e Nicolao Vieira
da Silva, sobre que versa a sua inl'oi niaeao de '.I
do frrente n. It, laneei o segainte despacho :
! |UCfiun a a.-sembla legislativa |irovincial, a
n compete interpretar as lea a qne alludem.
0 i ue declaro a V. S. para seu conhecimenio. e
afli i de que sobt'esteja em qualquer restiiuicao.
xcepcao da que .leve lazer o mencionado SOB-
.-! doraos termos de sua citada baformaeao.
X. 761.Dita lo-niesmo.Dos prets et ilupli-
cata que viera aanexos a sen tfflkio de 19 do
corrente, sob n :i. tirando vencimentos pan o
des aeamento de guardas nadonaes existente na
, iacio de Pao rerroa contar do Io de Deverei-
ro at 10 de marco do anno prximo passado, do-
volvo somante o que diz respeito ao citado inez
marco, aum de qne nos termos do parecer da
contadoria dessa Iheaonraria a que se refere o seu
i? -dicto offlcio, que Mea assim respondido, man-
de proeesaar a (piantia correspondente a esse
pret, para ser papa quaiiilo a assciulila lepislati-
va provincial volar o niressario crdito, visto per-
t leer ao exereieio ja encerrado de 1867 a 1868.
Quanto ao ontro pret vai ser devolvido ao com-
mandante superior da comarca de Garanhims.
pois que a sua importancia, segundo constado
mencionado offido Ibi satisfeita a Francisco Pe-
r'ira de Mendonca & C.
N. 7ti.Dita ao ehefe da repartieao das obras
pKl.bcas.Inteirado [telo ollicio que Vine, me di-
ripn hontem. sob n. 28, de, ha ver o engenheiro
Hennque Augusto Millet. contratado coin o arre-
matante da ponte do 16" lanco da estrada do sul,
1 'liante a quantia de 2iH)4(O0 nina escavacao de
6* metros de extensao e 1060 de profuudidade
i I a. COH ti" na bocea e i em baixo, a qual faz-
ae precisa para o novo leito do rio Massangana no
ponto em qne se (.st eonstruindo a mencionada
teiilid adizer em resposta ao citado offlcio
que approvo esse contrato.
4"seceo..
X- 763.Portara ao director da companhia de
Bebenbe.Contino a receber reclamacoes contra
afa.tadapua do chafariz da fortaleza do Brum,
que hontem neuhtima absolutamente den, e hoje
ape ias den tres baldes, privando assim os empre-
gados *
nen>
mo <;aniello Pesaos de Si
idete interino da cmara
zendo-se coin repularidade as chanvadas. o que (lera
em roMiltado reeolbenm-se uraa 4026 cdulas
para vereadores. e 2016 para juizes de paz dos di-
versos dislrictosda parocliia,deixando de compare-
cer 222 voltiles, cujos nomes se mencionan! na
acta respectiva, e concluimlorse a apuracao das c-
dulas no dia 10. dissol\era-sea mesa:
Assim:
Considerando que tendn daado de comparecer
na matriz da villa de S. Beato, no dia 7 de setem-
EVPKDIKNTP. ASSIUXADO PKL ) Sil. DB. JOAQCIM d)ltEA
DE AHAUJO, SF.i:HET.VR(o DO U.IVKUMIEM tm JA
NKJ110.DE 1869.
1* seccao.
em ronsoqiiencia dos fundaiuenlos Hulla expend- ] Ids, apezar de convidados pelo novo all reunido,
dos, declaro! validas aii ebSCes do vereadores e i lepalnteiite proceder o jui/.de paz do ;i" dis
K. 760.Dita a lan
quei/a (ivaltanti, un
niuu.cipal da villa de S. liento. -Rcmetto a Vine, a bro, hora api asada na lei. o juiz de paz niais v.i-
melusa copia da delibe aeao tiesta data, pela anal : lado do 1" districlo e os S6U8 iimnedialo^ SbstitU.-
em Coiiseiiuencia dos rtilitlainantna ..U-> i
d .
juizes de paz. a que se proceden a 7 de setemhro
do auno passado. as natrizes das parocliias de
Nossa Seabora da Coaceicao do Quipap e Senhor
Itom Jess dos Alllictos da villa do S. liento, e
millas as que nesta nlti na paroebia se llzeram na
cmara sob a presidencia do juiz de paz miis vo-
lado do primaba distrit lo, BDr Francisco Alves
Maeiei. k porqne, Retunda Vme. referi em al-
puns offlcios dirigidos a esta presidencia ha im-
possiiiilidade absoluta ce reunir vereadores do ac-
tual quadriennio em
juiz de paz do ;t" dislricto.
I'loreiicio das Xeves Cauello. oceupando a prosf-
deiicia da nesa |iar.iclM,il, na falla de ulros, (Ul>
o pfiejeediaoL como dispoe o aviso do miuisteiii'do
imperio., de 16 de uovetnbro do anuo prximo pas-
sado. e procedendo fonuifcao da mesa pana-liial
na Corma do decreto n. 1812, de 2:1 de agosto de
1856, e mais disposieoes em vigor.
Considerando que, apresentaudo-se ao i o juiz de paz mais votado do 1" dislricto. Francis-
co Abes Maeiel, e sendo-lhe ofl'erecida a presiden-
cia da mesa, recusara acceita-la. retirando-se e
nao an-
iiiniero legal pan formar
ainara, e assim proced.-r-se a aova apuracao ge- ind depois fwer outra eleirao em
i al dos votos para os do uitim., quadriennio : nesta ; minciado mvhmei. not i tu
data r.....eto cantara municipal da villa de G;<-
ranhuns c|)ias das acias das apartoSes parciaes
e por ed
Considerando que a chamada
dos votantes ua
1860
de
l. "\ 76^f'fflcio ao inspector do arsenal d> roa-
Tmiia..s. Exc. o Sr. presidente da provincia man-
eta declarar a V. S. em.res|)osta a seu ollicio de 20
do corrente, sob n. 1CG5, que transmittio tiesou-
rana de fazenda, parxo tlm indicado do citaio of-
ncio, a canta ein duplcala, que veta a elle ai uexa.
2" seccao.
. 70.Offlcio ao coinmandaule superior de Se-
rinliaein.A'esta dala transmiltio-su a tlesoi.raria
provincial, fiara os lins'conveuieates. o pret em dtt-
l'ocata, que veio anne.xo ao offlcio de V. S. de 20
to corrente. sob n. 5, o qual tica assim Kespomlido
de ordem do Ejuu. Sr, prusideuli da provincia.
A. 771.Dito ao coinmandaute superior do Bre-
jo.-Aestii data amorisou-se a thesoiuaria tie fa-
zenda a pagar Jen iivino Pereita Marios, ou a
Evaristo Hendesda CtmhaAvodo. a importmeia
dos vencimentos, caucantes da fei? e pret que
ein duplica!:, v.ieain a nucios ao ollicio de V. S.
datado do l- do crtente mez, o qual lica ; ssim
respondido ik- ovtlcm do Extu. Sr. presideuto da
provincia.
EXJ-EDIE.NTK ASSIgXaOo PELO EXAL. SU. CONDE DE BAE-
PENDY, PBKSIDEXTE DA PBOVBCIA, EM 2l Di JA-
NEIKO UE 1869.
se acl.a o titulo pelo qual foi S. S. removido do
leroio de Gumita para o de Itonito. eonvindo nn,-
o sobeite-. '
3 7;T~D!l" H" baclact Wviao Loites de Bar-
i-rrmre TVVT.Pela- secretaria to enverno se com-
munica ao Sr. baeharel Liwno (jipes de Barros e
Niva que nella se aeha o (tuto pelo qual foi S. S.
nomeado juiz municipal tlotermotto Ex. eonvindo
que o solicite.
4 "seccao.
OtHa-o sint, delerinin;
o mesnio brigadeiro qn.
X- 78b.Otlicioao agente -fiscal da provincia da
i araftyba Communici. a-V. S, de ordem do Exm.
sr. j>residente da provincia-que os agentes da com-
Panota Brasileua tie paquetes, tem ordem para
iransportar no vapor TbMMttat os objectos men-
cionados em seu ollicio desta data.
sus|Hfita de haver praticado os vicios argida!
OpreMdente.da piovtn- eamara municipal;
X. 767.Deliberat-ap.
ia. a quein foram prsenles as coplas da acta t!a enviadas
apitmeao geral para vereadores feita pela cmara
municipal da vilfa auno prximo passado. das parciaes das eleicf.es '. ,|h<
para juizes de paz e vereadores. a que se procedeu '
peta
aliento o fado de leieni sido
a esta presidencia em 12 de setemboQ
copias extrahidas do livro das actas, antes
_ 2' seccao.
n. 772.Portara aoDr. chele de pulira. Cons-
tando de ollicio do Dr. promotor publico desta ca-
pital, de 7 do concille, que para o presidio de Fer-
nando de Xoronha foram remetlidosalguns senten-
ciados ilircctanienlc para essa repartieao. son ser
aconipanliado* das respectivas puias, reiuetto aV.
!>. a roncan geral dos sentenciados que all estn
nossas eircuiiLsUiueias para que V. S. iidorme a
respeito o qne constar.
\. 773.Dita ao niesmo.Segundo aviso do mi-
iiis'enoda justica.de 12 do corrente, nao pode ,.f-
fectuar-se a des|)ezade;l:30li9fiOein quefei oread a
a compra e concerlos de movis para a ivparlicao
a cargo de V. S. por nao ter sido eojiteiiipldjia
quota concedida na vigente lei do orcaniento para
os insieres das differentes re.ar!icoes de polica. I se i
o qu ttfe Commuflfcn para sen cohecimcnto. :" 'lazend,
N. 771. -Dita ai uniuandanti) superior interino
do KriM. Exfti'ca V. S, n> convenientes ordens
pai a que no dia 2'7 do corrente. em que o Instituto
lemhno (Archeolopico celebra soleinac *o*sao pelo anniver-
s de ser sariode sua installacao,ataja ;u>uiein da em flren-
a mesma cmara, e antes de tereui sido te do edificio do iiwsnierhsiituto, una guanltt de
astas cautelosamente transcriptas as
..~ .v .,,.- i.,iiut->. pnvaiiuo assim os einpre-
ta gniuTiicio da mesma fortaleza de um ge-
t de pnmeira necessidade, que alias essa com-
panra se obrigoa a fornecer em quantidade deter-
niniida no reMeetivo contrato. Consta-meque
essa falla provein de fechar-se noite o registro
rrox uno a referida fortaleza. Como qner que seia
eiimpre qne a companhia providencie inmediata-
mente sobre semelhante falta, alim de que ella nao
continu, certo de que nao ter dreito a receber
prestado alpina dos cofres pblicos relativa ao
- Indito chafinz, em quanto este se conservar
no estado cima declarado, porque neste sentido
espdi as convenientes ordens.
>. 764 Dita ao director geral da instruccao
publica.Pelo seu offlcio de 21 do corrente, sob
n. li, tico inteirado de nao se achar abana a aula
de instrueco primaria do sexo mascolino da |to-
vaa^ao de Apipneos, por nao ter sido ainda paufl.
vel encontrar all casa para ano cstaltelecimento ;
e re,-minuendo a Vmc. que faca empregar todas as
debf encas precisas, aim de que se obtenha urna
casa que sirva a referida aula.
N. 765Dita eamara municipal da villa de
Car inhuns.Tendo-me declarado o presidente in-
terino da cmara municipal da villa de S. Bento.
Lucindo Camello Pessoa de Siqueira Cavalcanti.
em offlcio dirigido a esta presidencia, que havia
impossibilidade absoluta de reunir vereadores om
numero legal para formar cantara; o nao podendo
das actas da eleicao
orencio das Noves
amara municipal coin
anuo passado, ivcebi-
mez corrente, sao conllrniadas em sua
integra pelo iierfetm acenrdo. em que se acliam
con as quao niesmo juiz enviara; e que o fado
allegado e niio provado, da achar-se o livro raspa-
do e emendado deve |r bem fundadas piesuuip-
edes attribuir-se. nao a quein toni.ua a cautela
inencionada da Iranscrpcao em livro de notas,
mas aquellos, a quem pelo contrario a falsilicacao
ulcressava, parecendo que para a platica ueste
niesmo fado immoral foi que, apesar de reiteradas
ordens desta presidencia, a cmara municipal de-
morn as copias que devia ter remettido. e qne s
agen envin an olcio ante-datado;
Considerando que illegalmente proceder o juiz
de paz Francisco Alves Maeiel. indo formar una
segunda mesa e fazer outra eleicao na casa da
cmara, recusando-so a presidira'mesa, que.func-
cionava namatrz, quaudo podia consignar as
actas as irregularidades, que porventura se deasen
no trocesso eleitoral, para serem opportunamente
decididas pelo poder competente, e que. proceden-
do de tal modo, mostrara que nao tinba conlianca
no resultado da eleicao a favor da parcialidade de
que se constituir rgao, e [tela qual tomou urna
parte tao pronunciada e apaixonada. como se evi-
dencia das declaracoes por elle feitas;
Considerando que da acta da formacan da segun-
da mesa se v o atropello, com que se proceden, dei-
xando de declarar-se os nomes dos eleitores e sup-
plentes, que compareceram, o numero de cdulas
recebidas, e os votos obtidos pelos eleitos para a
inesma mesa, e que na da terecira chamada nao
consta que se recebessem ciniulas para a eleicao
do .1 distrido, falla que igualmente se nota na
acta especial da amtracao dos votos, o que ludo
confirma a suspeita de ser lieticia semelhante
eleicao;
Considerando que nenliuma prova se apresentou
das allegadas coaeao e violencias praticadas pelas
autoridades policiaes, que inapadaffia ao juiz de
paz referido de comparecer all a hora aprasada na
lei. e de formar a mesa parochial, o que torna
evidente que outro fra o motivo que determinara
o mesmo juiz de paz a faltar a esse dever, prepa-
rando assim pretextos para invalidar a expressao
da minora dos votantes, que presuma ser hostil
sua parcialidade;
Considerando que o presidente da cmara muni-
cipal Francisco Ignacio Paiva. e o vereador initne-
diato, que era o referido jtiz de paz Francisco
Alves Maeiel, empregaram tod js os saetea de obstar
a que as actas destas eleicoes i hegassem ao conhe-
cimento do governo em tempo de poder elle exa-
mina-las, e resolver como fosse dedireito antes da
epocha estabelecida para a po*se dos novos verea-
dowi e juizes de paz, recusando receber as reite-
radas ordens que se lhes expediram a tal respeito,
como consta dos documentos, que foram presentes
i esta presidencia, e que levaram a suspen-
demos por deliberacao de 11 do dezembro, para
serem responsabilisados era juizo competente; pro-
cedimento que tambem tiveram os demais verea-
dores, pelo que foram igualmente suspensos por
delibci-acao de 31 do dito mez; o que tudo prova
que at ento nao eslava taita a apuracao geral,
que ora se aprsente com dala de 9 de ontubro,
acompanhada de offlcio de 12 de setemhro assigna-
do pela cmara,. e deum outro de 14 do mesmo
mez, com assignatnra apenas do mencionado Fran-
cisco Alves Maeiel;
Considerando ainda que a respeito da eleicao de
juizes de paz dessa parochiaj foi por esta'presi-
dencia reconhecida a validade, mandando por por-
toria de 15 do corrente mez empossar os cidadaos
eleitos, emvisia das actas existentes na secre-
taria ;
Considerando finalmente, que, quanto a eleicao
da parochia de Quipap nao itpparece rcclamaijao
alguma, e que, examinadas as snas actas, dellas
nao conste irregularidade, que a nullifique, nao
podendo ter influencia no resultado da mesma
eleicao a falte que se note tie dez cdulas para
juizes de paz:
Resol ve, usando da attribuicao que Ihe confere
o artigo 118 da lei n. 387 de 19 de agosto de 1816,
., declarar validas as eleicoes feitas para iuizes de
tr unV1!? *'"'" '"' dra ?CU1,a(la ama- Paz e Vl'iea destacamento e grande numero de moftndo, as matrizes de Nossa, Senliora da Con-
e do Senhor Bom Jess dos Af-
Benixt, e rmlla a eleicao presi-
I>az Francisco Alvos Ataciel. na
"cavji cmara a do outubro, ordena que, pro-
le a nova apuracao geral pelas actas das
DESPACHO DA NMDBU* DO DA 28 DE JANEIRO DE
. Major Antonio Feitosa do Mello.Voltc ao Sr.
inspector da tliesoia-;u-i;i.- de fazomla coin os docu-
nienios annexos.
Angelina Francisca de Lima.Prove que ca-
sada com o sentenciad do Ojue trata.
Antonio Gomes Xetlo.Informe com urgencia
o Sr. engenheiro chefe th repartieao das obras
publicas.
CaoUno DelQnu Monldro de Cirvalho.Nao ha
que delerir, porque, segundo as inlorinacoes pres-
tadas pelas competentes autoridades, nao consta
que o siqiplicante fosse multado.
. Tenente-eoronel Cinrinato Velloso da Silveira.
A vista do que Inflama o cominandaute supe-
rior, conceda a lioenea pedida.
Dnarte Pereira & <:.Inionnc o Sr. coronel com-
inandante superior interino actual da guarda na-
cional deste municipio vista do documento apre-
sentado pelas supplicantes.
EJpnlio Koso dos SantosInforme o Sr. cun-
mandante superior interino.
Ficldun Brotliers.Dirija-so a thesouraria pro-
vincial.
Gervasio Piros Ferreira.Prove-o que allega.
Ignacio Francisco Pereira da Silva.pporluna-
mente ser attendido.
Baeharel Joo Alvares Pereira 'de Lira.Infor-
me o Sr. inspector da thesouiaria de fazenda.
Joaquim Antonio Rodrigues.(kmceda-se a
prorogaco requerida at o ultimo de fevereiro
vlndotiro.
"a ..anba do dia 1^ ^e fev^re o ndoroTna^-
tes do arsenal de guerra e deoosTtos iIuHl:
Mate pyovincia, pela ocien, sc.M.bd e, fi K
tZ^J**!*-* 5meia a'deS,
rutas, e s 7
Wn*fflBW Bmitum h'rnrsto ,/,. Mello Tamln,
' "VJ ,s Kr,>? ? I*ra Parauavos.
Kepard^o da poli vi.
...*ar ao conlK'cinienlo de V. Exc. (,Ue ,
consta ,la partlcjpacoes recebidas E?2
|arl..;ao. foram |,im.ln r,,,,|lj(los ^asa de
U-ncao os seguinles individuas

n
-.guinles individuos
A ordem do subdelegado de
Monte Pereira de Vascoiicel|>
dem, e Mana da Conceica
todia.
honra di-
que, segundo
re-
de-
Cao,
S Jos... Joao do
at sepunda or-
para licar em cus-
A ort-iii .h. do Peres, tfaaoel Jraanaja de Sou-
za.co.no suspeito de ser escrav,, ,, deze. ,
Beus guarde a V. Exc.-lflm. e Exm. Sr cond.-
de Baependv presidente da provincial)
de polica, fraila* Farkt J>mo/t
chefe
Jos de Amoriin Lima.-Junto peticao a que
refere o supplicante, informe a thesouraria de
Cementes as ditas eleicois. verlicoii
1.* One a paroebia "da villa de S. Bento appare-
cein actas di duas eleico.s. urna oa igreja matriz.
presidida pelo :t juiz de paz do 3 distijcto (Ca-
nhotinho). Florencio das Nev- Camello. e%0ra na
casa di cmara sob a presidencia (lo juiz de paz
mais volado do I" dislricto (matriz), major Fran-
cisco Alves Maeiel ;
3". Quedas actas da eleicao da matriz consta que "
no dia 7 de setemhro, nao" compareceiido na res-
liectiva igreja iienhum dt-3 jttizw de paz do 1 dis-
lricto, a hora estabelecida, neiii se prestando elles
a comparecer, apezar de serem convidados pelo
poro alli reunido, oceup; ra a presidencia da mesa
parochial o 3" juiz de paj do 3 districlo. Florencio
das Noves Camello, o quil passra desde logo, na
conformidade do decreto n. 1812 de i\ de RgOBtO
de 1856. e mais disposieoes em vigor, a formar a
man parochial por BteiRHo do- eleitores e supten-
les, que seapreseiilarain
3". Que ao meio dia. enmparecendo na matriz o
juiz ia paz mais volado do lu districlo, Francisco
Alves Maeiel. acoiiipanha lo de um grupo de povo,
quando ja se achava eleila e organisada a mesa
parochial, e se Uvrara a re-pediva acU. ra-lhe
offerecida a presidencia da dita mesa, nos termos
do | '> das instrucgoeJt 28ilejunliode 1849, que
elle recusara acivilar, n mpendo com o seu grupo
em vociferaeoes contra a mesma mesa o as autori-
dades constituidas, procurando assim perturbara
ordem, o que nao coiiseguiido jiela prudencia e
enerpia das mesmas autoridades e mais cidadaos
alli reunidos, retirou-seom o referido pruno;
4. Que, restahelecido > seoago na matriz, con-
cluira-sc e assipnara-sea acta da lormacao da me-
sa, eprocedera-se a jteim .-ira chamada dos votan-
tes pela qualilicaco do auno de 1860, em virlude
da deeiso desta presidencia, dalada de 22 de agos-
to do anno prximo passado, tendo lugar a se-
gunda chamada no dia 8 de setemhro, e a terceira
e ultima no dia seguinle (19) pelas 9 horas da ma-
nlifta, sendo de vespera annnnciada nos termos do
art. 48 da lei n. 387 de 1! dcagostode 1846:
5. Que recolhera-sc urna 1,539 cdulas para
vereadores e igual numero para juizes de paz, sen-
do do 1 dislricto (matriz) 1,203. do 2 (Jupv) 67, e
do 3o (Canhotinho) 269. deixando de comparecer
57 volantes, cujos nomes se inencionain na respec-
tiva acta;
6. Que feita a apuracao das cdulas, tanto para
vereadores como para juizes de paz. e laviada a
competente acta, dissolvci a-se a mesa parochial, no
da H de seteinbro, sem que Ihe fosse apresentado
protesto ou reclamacao;
7a. Quedas actas da eleicao que se dizeila na
casa da cmara, consta qt e abi se reunirn) no dia
7 de setembro, sem declaiar-se a hora, 28 eleitores
e 24 sopetales soba piesideneJa do juiz de paz
mais votado do Io districb Trancisco Alves Maeiel.
e que com esses eleitores e stipplentes. cujos no-
mes tambem se nao declara, se proceder a loma-
cao de urna mesa parocl la!, sem mencionar-se o
numero de cdulas entregues por cada tima das
turmas, nena os votos aparados :
8o. Que a acta da forma.-o da mesa foi escripia
por pessoa. que niio era o eserivao de paz, sem
constar da mesma acta qu aquello prestasse jura-
mento para servirde eserivao ad hoc. accrescendo
ter sido nicamente assipiada por 40 eleitores e
snpplentes. nao incluido nesse numero o presiden-
te, uando o numero desfes eleitores e stqtplentes
foi de 52, conforme nella ;-o declara :
9. Que procedera-se s chamadas dos votantes
pela copia de urna qualifi -acao. que se achava em
poder do presidente da misa, recolhendo-se urna
2.263 cdulas para varead tres, 1.000 para juizes de
taz do 1 districlo, 1,263 para os do 2o dislricto.
nao mencionando haver-st recebido cdulas para a
eleicao de juizes de paz do 3 disfricto, ao pas90 que
se declara ter apenas deixado de concorrer a elei-
cao 91 votantes;
10. Que, procedendo-se apuracao das cdulas
recebidas, tanto para vereitdores como para juizes
de paz, dissolvera-sc a mesa no dia lOde setembro;
1L Que a mesa allega ia acta da 3" chamada,
honra de qtiatqner dos arpo* ila guanta nacional
do seu coniniando superior interino.
N. 775.Circular aos juizes de direito do Recite.
Oliuda. Doiiito. FioK's. Kio l'oi inoso, Goxaima, Ga-
lanlioiis. Palmares.Pao d'Allio. Nazaret'h, Limtei-
ro. iea vate, iearxtt, Sanio Anto e Hi ojo.Ex-
peci V. S. as suas ordens para que sejam rem-'tt-
das ao juiz nuinieipal da Ia vara desta capital, as
D. Lauriana Candida Rosado Drummond.In-
forme o Sr. desembargador provedor da Santa
Casa de Misericordia.
Baeharel Luiz da Silva Gusmo.Informe o Sr.
Dr. juiz de direito da i* vara.
Manoel Luiz de Barros.Entregue-sc mediante
recibo.
Manoel de Barros Brrelo.A' vista das infor-
inacoes, concedo a prorogaco requerida.
Manoel Martins Pires.Informe oSr. desembar-
gador provedor da Santa Casa do Misericordia.
Manoel Francisco de Arruda.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria provincial.
Maria Magdalena da Assumpcao.Informe o Sr.
DIARIO MPERiVflMBUCO
IIECJFE, .10 DE UlOaO DE 1869.
guias dos sentenciados constantes da relacao jun-1 commandante superior interino.
ta por opia, que eoslein a lempos no presidio de I Miguel Laurcntino de Siqueira Varejao.Infor-
heroaiulo de Noronha sem ellas, procedendo nal me o Sr. inspector da thesouraria provincial,
forma da lei, segundo recominendado pelo aviso ; Baeharel Tibureio Ra\ mundo da Silva Tavares
Como reqtter.
, quando e ;istia a de 18t. pela qual
leve befar a eleicao da can da cmara, e que
vista diste estado de com is, tomara o juiz de paz
lrranci!*o Alves Maeiel. a. lolibera^ao de relirar-'o
eloiedes das matrizes se epe^a diplomas aos 7 ci-
do ministerio da justica. de 3 de dezembro ultimo,
contra quem tiver sido culpado dessa omisso,
N. 776Dita ao juiz municipal da 1* vara tlesla
cidade.Informe V. S. procedendo as necessajrias
averigtiacoes, seos sentenciados constantes da re-
lacao junta por copia, e que se acliam no presidio
de Fernando de Noronlia, foram para alli renielti-
doscom as respectivas guias.
3' seccao.
N. 778.Portara ao inspector da thesouraria de
fazenda.Declaro a V. S. para seu conhecimoiito
I e alim deque o faca constar a quem competir,
q......Exm. Sr. ministril da fazenda parlicipou em
aviso de 13 do corrente, haver resolvido que 6 4"
esetipturario da alfandega desta capital Ern;sto
Augusto de Athayde, que se aeha addido a da ci-
dade do Rio Grande do Sul, regresse para o seu
lugar.
4a seccao.
, N. 779.Porlaria ao nijor Antonio Marques de
Albiiquerque Cavaieante presidente eleito da c-
mara municipal do (Bufante, do quadrieunio|.de
1869 1872.Remello a Vmc. para seu conhtci-
mento a inclusa copia da portara desta dala ex-
Sedida cmara municipal dessa villa de Buii|ue,
eelarando validas as nova- eleicoes de vereado-
res e juizes de paz. a que no mesmo municipio se
procedeu em 3 do correle mez e ordenando fue
expeoa diplomas aos 7 cidadaos mais votados para
vereadores. conforme a apuracao geral por ella
feita em 14 do mesmo mez, c' aos juizes de paz
eleitos, segundo as actas paiochiacs, convidando
todos a prestar juramento, alim de que quanto an-
tes entrom em exereieio dos respectivos cargos.
Podendo acontecer que a cmara se nao rena pa-
ra cumprir esse dever, rcmetto tambem a Vmc. co-
pia da nimba portara circular de 16 de dezembro
do anno passado, pela qual Vmc. se devora guiar
naquelle caso, tendo presentes as relacoes. juntas
dos cidadaos votados para vereadores e juizes de
paz do quadriennio de 1869 1872, extrahidas das
referidas actas.
N. 780.Dita a cmara municipal da villa do
Buijue.Foram-me presentes com offlcio da c-
mara municipal da villa do Buique datamos de 14
do corrente, as copias authenticas da acta da apu-
rac;io geral dos votos para vereadores, effeotuada
na mesma data, e das parciaes das parochias de
S. Kelix. Nossa Sanhora da Conoeicao da Pedia e
Xossa Sen hora da Conccieao de Aguas-Bellas, as
novas eleicoes do vereadores e juizes de paz, que
tiveram lugar a 3 do dito mez. Nao encontrando
irregularidade as referidas actas, e sendo impro-
cedentes as allegacoes feitas em os mencionados
oflkios contra as ditas eleicoes. resolv approva-las
nos termos do art. 118 da lei n. 387 de 19 de agos-
to de 1846, pelo que, compre a cmara expe lir
diplomas aos 7 cidadaos mais votados para verea-
dores, conforme a sobredita apuracao geral; e
bem assim aosjiUaes de paz eleitos, segundo as
acias parochacs, convidando todos a prestar jura-
mento, alim de ojquanto antes entrem no exer-
eieio dos respectrtp cargos.
N. 781.Dita aos agentes da companhia Brasi-
lera de paquetes a vapor.Podem Vmcs. tazer
seguir para os portos do norte o vapor Tocantins
hpie hora indicada em seu offlcio de hontem.
N. 782.Dita aos mesmos.Os Sis. agentes da
companhia Brasileira do paquetes mandeui trans-
portar para a provincia da Parahyba no vapor J>
mnlins a entregar ao presidente da mesma tres
pegas de esleirs da India, tres rolos com oteado
largo o dotts do estreito, urna bomba e bom per-
tences.e urna bandeira brasileira, qne sao par alli
remettidas pelo agente fiscal dquclla provincia,
onde ser paga a despeza do transporte.
EXPEDIENTE ASSICNADO PELO SR. DR. J0\0.IM CORREA
DE ARAIJO, SECRETARIO DO COVERJtO, EU 23 DE
ja.neiiio ni: 1869.
2." seceo.
X. 783.Offlcio ao baeharel Franciso d( Oliveira Maeiel.Pela, secretaria do governo, I
se communica ao Sr. baeharel Francisco de Assis
de Ohveira Maeiel que nella se aeha o titulo pelo
qual foi S. S. removido da comarca do Aracjty
para a 1- vara df direito desta capital, eonvindo
que o solicite.
X. 7WDibj ao baeharel Jos Rodrigues do
Pasan,Pela, secretaria do governo se commurJca
ao Sr, toj-harel Jos Rodrigues do Passo que nella
Victorino Domignes Alves Maia.Junto pe-
ticao a que se refere o supplicante, informe a the-
souraria de fazenda.
i oiihii.iikIo das armas.
o VIlTEL-liEM-llAL DO COMMANDO DAS ARMAS DE PE11-
NAMBICO. 29 DE JA.NEIUO DE 1869.
Ordem do din n. 481.
0 brigadeiro commandante das armas faz pu-
blico para conhecimenio da guarnirlo e llovidos
effeitos :
1." Que a presidencia communicou em offlcio de
31 de dezembro ultimo, que por decreto do 18 de
novenibro do auno Rudo, foi o Sr. coronel do corpo
de estado-maior de segunda classe Jos Maria Ilde-
fonso lacome da Veiga Pessoa e Mello exonerado
do lugar de director do arsenal de guerra deste
provincia, sendo nomeado para substitui-lo. o Sr.
major do corpo de estado-maior deprimeira classe
Francisco Raphael de Mello Rogo.
Conimunicou-me, outro sin, que por porteras
de 19 do referido mez de dezembro foram transfe-
ridos do conunaiido da fortaleza do Brum para o
do deposito dos remitas o Sr. tenente-coronel do
corpo de estado-maior de segunda classe, Jos Lu-
cas Soarcs Raposo da Cmara, e deste deposito
para a fortaleza de Pao Amarello o Sr. tenente-
coronel graduado reformado Jos Antonio Pinto ; e
nomeado para o commando da fortaleza do Brum o
Sr. coronel Jos Maria Ildefonso Jacome da Veiga
Pessoa e Mello.
Ao Sr. tenente-coronel Jos Lucas o brigadeiro
coiniiiandante das armas agradece os bous sorvi-
cos que prestou no commando da fortaleza do
Brtim, e ao Sr. tenente-coronel Pinto louva o zelo.
dedicaco o interesso com que se* houve no do de-
posito dos recrutas.
2." Que achando-se ausente desta provincia o
Sr. major Mello Bego, a presidencia nomeou na
data de 2 do corrente mez, para oceupar o lugar
de director do arsenal do guerra, o Exm. Sr. bri-
gadeiro reformado do exercito Joaquim Rodrigues
Coelho Kelly, que communicou haver na inesma
data sido inipos -ado daquclle cargo.
3." Que a 4 deste mez assumio o nominando da
fortaleza do Brum o Sr. coronel Jos Maria Ilde-
fonso Jacome da Veiga Pessoa e Mello, e do depo-
sito dos recrutas o Sr. tenente-coronel Jos Lucas
Soares Raposo da Cmara.
4 Que segundo communicou o commandante
da fortaleza de Itamarac em offlcio do 1 do cor-
rente, a 23 de dezembro lindo o Sr. eapello da
mesma fortaleza, padre Joo Vicente Gucdes Pa-
checo, entrou no gozo de njiinze das de licenca,
conferida por portara da presidencia daquella
data, para tratar de seu particular iateresse.
5." Que a 5 deste mez assumio a commando da
fortaleza de Pao AmaretlD o Sr. tenente-coronel
Jos Antonio Pinto.
6> Que apresenlaram-fe neste quarlel-general,
vindos da corte no vapor Cruzeiro do Sul, o Sr.
tenente do 1 batalho de infamara Francisco Ig-
nacio Manoel de Lima, a 10 do corrente, alim de
aguardar deeiso do governo sobre a inspeccao por
que passon, callo Sr. major Francisco Raphael
de Mello Reg, que na mesma data entrou no exer-
eieio do cargo de director do arsenal de guerra
desta provincia.
7." Que por autorisaeo da presidencia expressa
em offlcio de 9 do corrente mez, conceden a 11 a
dispensa que pedio do sorvico do deposito dos re-
crutas o Sr. tenente reformado do exercito Secua-
dino Ayres Velloso de Mello, em consequencia de
seu mito estado do sade.
8. Que a presidencia communicou em offlcio de
8 do corrente ler nomeado por deliberacao de 2, o
Exm. Sr. brigadeiro reformado Joaquim Rodrigues
Coelho Kelly, presidente da commissao incumbida
de syndicar'dos abusos e irregularidades commet-
tidas no arsenal de guerra.
9.' Finalmente, que a 27 soguiram para a corte
no vapor Cruzeiro do. Sul, os Srs. tenente-coronel
do. corpo de enganbeiros Sebastio Jos Basilio
Pvrrho, e major honorario do exercito Joo Vicente
de Brito Galvio, osle com permisso da pcsidencia,
exarada era offlcio do 26, e aquello por se achar
desempiegado e ser ah o quartel dos offlciaes de
seu corpo.
ELEICOES.
Amanhia o .lia deWgnado previamente pelo po-
ner competente, para nelle ter hipar o livro exerei-
eio do (reiio do voto, por parte dejse poder, graa
de sobre lodos, que se chama poro.
E'amanhia queo cidado. usando do direito do
Noto, deve desipnar aquellos emquem deposita sua
'o.umca aa escolla dos reprwentateas deparo.
Ono.-M, pac., fundamental, eonsatrrando BM-
lo_a. 101. o meio de ser cnsulUida a ventad.-
soberana da naca,., nos aos en. que o exige a sal
roco do estado, de,, a coroi un, escudo de hron-
ze, de encontr ao qual quebrani-se M |all,,ls ,,.
pugnadores de ideas, que nao assentam no corara,-
do povo.
O. povo, por sua vez, no pleno exereieio do mai.
sapeado dos seus direilos deve mostrar-*,; na altu-
ra da i-onuKtniei. que jurn, eseolhendo para elei-
tores harneas, que sejam eapazes de mandar ao
parLunento brasileiro earaderes sisudos, cidadaos
illustrados |Mtr seus conbecimentos e virtudes ci
ricas, e, sobre ludo, cavalheiros que, com o ghdii.
constitucional em panno, defendam mais vitee^
mteresses do povo, lauta- vozes jopados i.npruden-
toinenle na arena parlan.ei.iar. e otoron o paiz
atea dos mais illust.vs. pata eonfeceao de leis
sabias, (bis muro dimane a felici.lade do povo.
Pelo art. lo da eonstilui.odo inqterio, onde ven*
espechcadas as atrihuicoes da assembla, fcil-
mente se deprehendo piala responsabilidad., qu.
pesa sobre o eleilor. na escolha dos representanie-
do povo; e consequentemenle. qual a maaomiiM
hdade do cidado que concorre para a infelicidad.-
de sua patria, volando em mos eleitores, em ho-
mens mcapazes de discernir o falso do verdadeir,.
amigo do povo e da prosperidado de sen pata, pan.
enva-loa cmara temporaria.
E* no seio da assembla du re|.resenlantes da
naca,., uist.iuiciu. meramente democrtica que te
agitem as mais pravos quesfoes de rida oudemorte
de um povo constitucional; ahi, portanto, que c
.ovo deve dizer aos ministros da corda, pelos labios
dos seus mandatarios, essas verdades que s vezes
abalara eprosiampor Ierre os depositarios do po-
der execulivo, que entre nos lende fonnidavelmen-
te ainvadir os otitids poderes pblicos, fazendoassim
sobresahir o espirito da eonstituieaoe do governc
monarcliico representativo, onde o poder legisla-
tivo, que o mais intimo do povo, deve imperar
para que o paiz pros|tcre,epara que o equilibrio dos
elementos soeiaes se maittenha firme e sem que-
bra de sua independencia correlativa.
E', pois, de summa imjtortancia que os cidadaos.
compenetrados da sua inmensa responsabilidadc e
eonscios da coragem cvica e llustraeo qne de-
vem ornar as peeaoas de seus representantes, sai-
bam escolher por si, e somonte por si, aquelles qne
devem eleger os dejiutados a nova legislatura qui-
se abre este ajino, sem se deixaieni dominar pele
lan.itisniopoliiico, fonte, sem duvida, demuitos dos
males de que tem sido victima o Brasil.
E', pois, mysterque urna eoncorram todos os
cidadaos no poso de seus direilos polticos aflniV
que dola saia a legitima expressao da v.iatado so-
berana do povo, iiu 11 de que o poder legislativo se-
ja com efeilo una delegaeo da naco, e nao urna
ustuparao, cerno tantas vezes tem sido entre nos.
0-dia om que o povo usa d# direito do vol por
sem llovida, um grande dia. mas ratto maior >
aquello era que esse direito plenaaiento exerci
do. com criterio e discernimento, e sem o jugo das
paixovs polticas, que, do ordinario, transviam "
curso natural des-,- rio do perolae que se chama-
opinio publica.
}> esta, e soment olla, quera tem o direito. d
a|Hiniar candidatos represealaco nacional, as-
sim como ella quein teta o direito e devo desig-
nar os eleitores do paroebia. Tudo que sabir fura
disto pouco so prende s platicas consiitucionaes
e portanto afasia da legitimidade a eleicao dos
representanlos do povo, que, por isso mesmo, se
rao antes Fopiesenlantes de facedes publicas, niai-
ou menos exaltadas, do que depositarios do podei
legislativo.
A proposito, tal vez logo digamos duas palavra-
sobre os candidatos, c provaveis deputados, por
esta, provincia. Por ora contentamo-nos em con
vidar o povo usar com solterania do seu direito
de voto, escollunulo eleitores dignos de si e capa-
zos de mandar ao parlamento brasileiro caracte-
res nobres o cidadaos probos e Ilustrados, qu-
curem seriamente dos nleresses do paiz.
A urna I



>.db

2
.638! 3G'uai3Bl
Qflit JN*** *e Prnami>uco SaMaado 30 de'Janeiro de 1869.
--------------------------------------------___ -y > < --------------------
.H OflJS IJI NM
PEMAMBDCO.
REVISTA DIAEIA.
1MP0ST0S PROVINCL\ES.Segunda-feipa -co-
mer a cortar o prazo dos uinta- das uteistpara
o recebimenlo bocea do cofre de todos os-impos-
tos pruvinciaes To prosenjeajtao fuiajioeiro de: 18^
* 1869, cuja arrecad0o pruviaaal. .
Twraaioado este ptajo, neorrem na muta de S
por cont os contrihifil, que nao-satisfo-orein a
sua quota dentro d'elle.
DBXAKAGAO A TEMrU^sencairgados do
atejos pblicos na frejpiea da B^a-vtsta, e dos
ntaes ja demos una noticia i\aita Revista, commu-
nicaai-nos, que-.no caer* triiioiphaule no appare-f
n'm Jamben) os estratos do viscontle de Itaparica
i'aiarechal Arjrofto) o. dofcarao doTriumpho(bri-
gndetro Andrade Xeves) por nao libes ter sido pos-
si vel deseobrir nesta cidade retratos uestes dous
bravos, cujos serviros relevantissintss sao por to-
ta apreciados na extensa') do respectivo mrito.
TERPSICHORE.Esta sociedade dar urna par-
tida, que se prepara com esplendor, em signal de
jubilo pelo acabaiuento da guerra, dous das de-
ps que aqui ehegar o vapor conduiindo lio gra-
ta noticia, que esperaiaos vira boje uo paquete
francez.
OAXANGAmanhia eelebra-se na igrejinha
desse arrabalde a fesu de S. Benedicto, tendo hoje
lugar as 7 horas da tarde o basteaiuento da ban-
ilcira.
IIOM LIVRO.Acaba de cliegar a livraria des
Srs. Laillarar &C o Ajadaniedo aimliista brasdei-
.o, livro de neeessidiafl para o commercio, que,
com o seu auxilio diminue o trabalho e poupa o
tempo que le roubam as operaeaes de calculo
para a regularisaco dos cambios entre as pracas
5o Brasil e as dos oulros paires que oais irans-
aeces tem com ellas.
O autor desse boin livro, o Sr. Theodoro Nniou,
ex-euipregado do London & Brasiliam Bank, em
urna introduccao diz : 0 fin desta pequea obra e
poupar tempo e trabalho, evita-Hilo longos clculos
para estaMerer os rateios indirectos de cambios
entre o Hrasil, Londres, Pars, Hamburgo e Lisboa,
e de expor vista o eJtacto cambia arbitrado, pre-
ciso. -
Jesse nrimeiro paragrapho da introduccao con-
tm-se claramente o llm eme se destina a obra,
que inais se adapta anda ao eoimnercio, por estar
escripia nas lingoas portuguesa e ingleza. A nosso
ver e esse um bom livro, que deve ser til ao
commercio.
SAyiOENCOSTRADOA galera ingleza rfer-
mimu; chegada honloni de Liverpool, fallou com a
barca americana Eira Hartn, na lat. S. i 118 e
Ion. O. de Greenwich :H 20' que ia de New-Port
para California, com 38 dias de viageni. Tudo ia
bera bordo.
ESPECTCULOSegunda fe i i a prxima a com-
panhia dramtica do Sr. Coiiubra dar um espec-
tculo cm beneficio das familias dos voluntarios
da patria desta provincia. O programa ser publi-
cado no dia do espectculo.
IA1U0 DE PEHXAMBl'BO.Se cliegar o vapo/
francez, boje, do sul o tremer importantes noti-
cias, como se espera ; daremos bolel'mi, fazendo
alm diso imprimir o Diario de segunda-feira,
hoje mesmo noite, para ser entregue amanha
pea maiilia.
LOTERA.A que se acha venda a 94, ;.
beneticio do patrimonio tos orpliaos, que corre no
dia de fevereiro.
JflrdimJc (*., *e*stro do seu contracto do socieda-
*>.Vt**e8ir desembargador liscal.
Dito de Fram isco de Paula Mindello, Rodrigo
Lopes de ONveira c Joao Raptista da Cruz, idem
de seu distracto social.Vista o Sr. desembaffa-
dpr tjscaj. ....
DiU) de Alva o Augusto de Almeida, Francisco
da Silva Cardos b e Henrqe Leite Pcreira Jardn),
idem de seu distracto social soba firma.de Jardim
& CVista aojir. dese^arsa-lur fiscal. -
DiK de Manos! Nuaesda Fqnoeca a Emilio Pe-
reira.de Abreu, idem de seu contracto social.i
Vista aoSr. *E!eiukirgador fiscal.
Bilp de Luk Pnecb, api'esantaiido registro a
procurar;*) por elle urmaila dando podares a sua
mulhr'Mrav.ei sua ausencia vwider a sua casa
-e sitio ra ia Ventuta, administra r e at ven-
der o seu ewabeleeiiiieBto onmercialRefis-
tre-s*.
Dito de Jos Antonio 4e Almeida Guimarae e
Jos Antonio d< Almeida Novaes, registro de seu
contracto de sociedade.Visto ao Sr. desenibarga-
dor fiscal.
Dito de Joaquim Ferreira de S e Jos da Costo
Maia, idem de neo distracto social VisU ao Sr.
desembargador fiscal
Dito de Bentc, Reis & C, idem de seu contracto
de sociedade.Vista ao Sr. desembargador liseal.
Dito de Manuel Pereira Hamos e Jos da Costo
Maia, idem de ieu contracto de sociedade.Vista
ao Sr. desemba rgador fiscal.
Com informa;*) ao Sr. desembargador fiscal:
De Thomaz J>s de Oliveira e Joao Marques de
Pinho, contracto de sociedade.Registre-sc.
De Jos Nogueira de Souza c Joaquim francis-
co de Medeiros. idem.Regislre-se.
De Joao Mondes de Araujo, Manoel da Cunba
I^)bo e Chrysiovio Ferreira Campos, contracto
tamben de s'ocedade.=--Registre-9e.
. De. D. Emita Vou Sbosfein e Gemido Abri Pe-
dro Breuder a Braudis. contrato de sociedade.
Rogislre-se.
DeBento de Barros Fejo e lranquilmo Candido
da Silva Brasil, distracto da firma social Feij 4
Silva.Regsln-se.
De Joaquim Lernardo dos Reis, carta de matri-
cula de comme ciante.Como equer.
Coatinuam Idiados os requerimentos :
De Jos Mari i Seve, pedindo o lugar de avalia-
ilor do juizo do eoimnercio.
De Alvaro Psulo Nbblato, idem.
A l hora e l|4 encerrou-se a st^ssao por nao
bter mais a djspachar.
tar ao eleitorado da provincia urna listo de
candidatos.
I lilil \\l DO COlMIBRriO.
ACTA DA 8ESSAO ADMINISTRATIVA DF. 28 DE
JANEIRO DE 81W.
TOESIDFJflV DO EXM. SU. ESEMIIAHG.VUOR ANSELMO
FRANCISCO PERETTI.
s dez horas da inaiilia. reunidos os Sis. depu-
tados llosa. Miranda Leal e barSo de C.ruan?y, fal-
tando por encommodado o Sr. deputado Basto, co-
mo do oflicio qu dirigi boje a secretaria, o Kxm.
Sr. presktente abrin a sessao.
Lid, foi approv.ida a acia da sessao de 21.
EXPEDIENTE '.
OUlcio do sccremio do tribunal do commercio
da capital do imperio, de i do correte, cobrindo
a rclaco dos comiiierciaiites alli matriculados nos
mezesde novembro e dwemliro do auno prximo
lindo.Accuse-se a recepeo.
oaicio do conservador do comn ercio Hara-
n>ba com data de 23 do correle, respondendo o
que consta va sobre Filippe Estrella que alli se de-
nomina agente de leiloes.O tribunal resolve ou-
vir ao Sr. de->'iiibargador liscal sobre o eontendo
de dito ofilcio.
o.licin doprosUepte a secretorio da junta dos
corretores, firmado de 25 do presente, aposentan-
do o bolelim coinmercial da semana prxima lin-
da.Ao archivo.
OJleio do r. Prxedes domes de Souza Pitan-
ga, secretario da companhia de Beberibe, datado
de 23, em resposta ao oflicio de 22. ao qual satis-
Caxia remiltendo um exemplar do ultimo relatorio
le dita companhia.AOHse-Mt
Oflicio do agente do Englisk Bank of Rio de Ja-
neiroLimitednesta cidade, firmado tamboni de
23, dando os esclarecimentos pedidos por ofilcio
de 21Accuse-se, agradeoendo-->'.
Ofllcios (2) de Joiinstou Pater A C. firmado de
23 do correte, respoudendo ao de 22, dizendo
que as companhias Queen Insurance e a coin-
mercial Union Assurance de Londres nao tem
agencias, e nem caixas liliaes nesta cidade.Ac-
cuse-se.
Offlcio de A. Dumoiit, firmado de 22, res|>ondeii-
do nao ser agente do Liverpool & London & Glalie
Insurance Company, pelo ijue nada BOSS informar
i respeito.Accusc-se.
Oflicio de Saunders Rrothers & C. de 26 do cor-
rente, respondendo que a companhia de seguros
contra fugo denominadaAllianca, deixou de
ter agencia nesta provincia, conforme coinniuni-
caram a recebedoria das rendas genos internas.
Accuse-se.
O Sr.Dr. offlcial-maior apresentou a relac.ao dos
individuos que sao fiadores e abonadores dos cor-
retiires e agentes de leiles desta praca, afim de
rever-se.O tribunal resolveu que se scienlilica-
se aos correctores Mosquita, jjara substituir a pri-
meira testemunha de abonacao por estar fallida;
Silveira a segunda testemunha por ter fallecido,
suhindo o termo de (anca para ser examinado a
respeito do fiador; Macedo que tamben) subis.se o
termo de flanea ipie prestou para o mesmo lim
Mamede a segunda testemunha por estar ausente
ha mais de um auno, e quanto a Goncalo com os
documentos hoje aposentados fica substituido a
segundo fiador e a segunda testemunha.
O mesmo Sr. Dr. ollicial-maior apresentou tain
bein o resultado das coiifrontacocs leitas dos lti-
mos balaucetes com os anlenofinente aprcenta-
dos pelos diversos trapicheiros e administradores
de sMMHM do depoito. O tribunal deliboroii
que su ouvisse ao admiislrador do armazem al-
fandegado do caes do Apollo n. 61 e do do trapi-
piche Ramos sobre as emissoes enconlividas nos
inappa ltimamente aprosentadus, cotizados cimii
os anteriores ; nao Mveadeode a duvida quanto a
Antonio Lopes Rodrigues, por ser substituto de
Manoel Al ves Guerra & Filuo com annueneia d-
lo tribunal.
Aos Srs. deputado* foram distribuidos os se-
guhites livros : copiadores (2) de Luis Riheiro da
i".iinha A Sohr'mho, copiador de Tasso Irmaos, da
ro de saludas do ageuta de leiloes Francisco Igna-
tio Pinto, diaria e copiador de Joao Walfredo de
Medeiros, diario de Joao Pedro do Mello, dito de
Miguel (ornes da Silva, copiador de Francisco Pe-
reira de Mendonca & C.
Visto o livro do registro da correspondencia of-
ficial, aeliou-se regularmente escripturado at
a, 37.
Vistas os dos protestos de letras reconheeeu-se
ter sido sob n. 1702 em 27 do correte, o ultimo
protesto feito pelo esciivo Albuuuerque, e_i6i
em 26, o qae lavrara o escrivao Alvos le Brito.
Foi lido pelo Exm. Sr. presidente o relatorio
se trabalhos annuo, >{ue tem do ser enviado ao
Kxm. 8r. ennsetheiro ministro e secretaiio de es-
tado dos negocios da justiga. sendo dito relatorio
h'ito na secretaria d- sie tribunal.
DESPACHOS.
Meipierimento de Jos DaasiOfMM de Sanipav i e
Emilio Pereira de Abreu, para se Ibes registrar o
u distrato de sociedade. Sellado coinpeleute-
me te o distrato, volte a peticao.
Dito de Antonio da Costa Parias e Jos Noguei-
ra, |>ara lantoem registrai -el I es o seu distiuto
-weial.Visto ao Sr. desembargad >r fiscal.
Dita de Goncalo li^ Alfonso corretor peral des-
u pra^a, offetecend^> para serem arenivados es
docanieiitos, que presenta, dos qnaes consto lia-
ver competentemente substituido o seu fudor l)r.
Lu.z Filippe ile Souza Lelo polo Dr. Bento Jos d.i
iiw.a e a testemunha de abonajSo Jos dos Santos
Heves, por Jos de S LeitSo Jnnior. Como re-
quer, fazend.i-se as notas competentes.
Dito de Antonio Gomes de Oliveira e Suva e
Francisco da Silva Cardoso, suceessores da firma
POLTICA INTERNA
Par l Ido conservador.
liREMIO PERNAMDUCAN0.
O Sr. Dr. J. B. Galvo Alcoforado encaminhou
ao secretario djconsellio director a seguinte recto-
Diaeio proposito da [iublicac/10 dos traballios da
ultima sessao:
film. Sr. Sao fariareclainaco alguina acerca
da acta lo G rmio do partido conservador publi-
cado hoje, si snieiite contivesse a omissao dos
motivos que illeguei para sustentar a'proposta,
entretanto que se indicaram os motivos contra
i ella allegado;; de boa mente o atlribuoao resu-
mo que se fiz na acta do que se passou, e que
nao (lermitte desenvolvimento, e nada exijo
respeito.
Sao posso. porni. deixar de reclamar acerca
do esqpecinionto que houv em ser mencionada
a niinlia terema proposta de seren consultadas
as juntas paiocbiaes acerca dos c.'.ndidatos,para
que ento fossem adoptados.
Espero de sua lealdade que faca este addita-
ment como secretario do Gremio, ou que nian-
de publicar esta reclamaeSo, si a julgar conve-
niente.
Adoptando o ultimo alvitre proposto pelo autor
da reclamacao, como o meio de fa/.er patentes com
a mxima lidelidade as vistas que a inspiraram, o
secretario do Iremio julga de seu dever aiuntar
algumas lig.-ir: s observacoes que deveiu satisfazer
o honrado meinio do cnsellio director. Nao o
tara, entretanto, seo protestar que, na publicaco
que se refere o Sr. Dr. Alcoforado, nao esteve a
intencaode qualquer omissao, c que, si alguma ahi
se nota, deve ser somonte atlribuida deleito deme-
inoria, sendo desusado e at inipraticavel que u#i
resumo consagre todos os incidentes e inovimentos
de urna qualquer discussao.
Eis aqui o quse escreveu com relacao segunda
proposta offereeida pelo Sr. Dr. Alcoforado:
Pedindo e obtendo de novo a palavra,
propoz ) mesmo Sr. Dr. Aleoforado que a
lista organisada pelo conselho director se
OQDipotesse de 18 nonies, aetreseendo assbn
um candidato para cada um dos districtos
em que se divide a pr ivincia, afim de que
" por este modo se mantivesse aos eleitores a
t liberdade de voto.
i Discutida a proposta, foi regeitada por 17
contra 2 votos, sendo defendido c sustenta-
do na discussao o peusauenlo de que a
iudicacao feita pelo conselho director, nao
i excluiido a lierdade de escolha por parie
dos eleit res, e nem revelando a intencio
de Ibes |>or embarai^v, nao tintn sinao a
autoridade de um conselho motivado pela
necessiihde de attender s circumstancias
do partido e pela aprociacao dos servicos
prestados causa de suas' ideas, rceonhe-
cendo-s lora do circulo dos candidatos
proposK s muilos outros nomes dignos de
serem olTerecidos ao suffragio eleito-
ral.
Pareeendo-nos ser o fundamento da medida
proposta deix ir ao corpo eleitoral a liberdade da
escolha entre < s candidatos que Ihe fossem olTere-
cidos cm numero superior aos que podetu ser elei-
tos, deixou-se bem expressa esta razo nas pala
vras que llcarr iranseriptas, nao cabendo em nm
relatorio da se.-sao trasladar todos os desenvolvi-
inetitos que o ; ssumpto podesse ter motivado.
Mas, urna vez que o Sr. Dr. Alcoforado eutende
ver urna omis o neste modo de dizer, vamos ao
encontr dosseus desejos para declarar que, tanto
quanto a nossa memoria nos pode neste momento
ajudar, nos presente que o Sr. Dr. Alcoforadj
accrescentou < m apoio de sna idea que, nao ha-
vendo receio e que a opposicao podesse ganhar o
pleito, era de bom aviso que se evitasse a designa-
Qao de candid dos como contraria liberdade de
escolha que eonvinha deixar ao corpo eleitoral.
Esta reftcxOo, ampliada no correr da discussao
com a profisc encia. que o Sr. Dr. Alcoforado sabe
lever todos os assumptos de que trata, foi impu-
gnada pelos ft ndamentos de que a mdicaem dos
candidatos, estando nos estylos da organisacao do
partidn em cii culos que se mantem em inmediata
e effectiva cor,vspondencia de pensamento, estova
milito longe de tolher a plena liberdade de escolha,
nao tendo sino a autoridade moral de un conse-
lho prudentemente motivado, cuja aceiiaeao o con-
selho director esperava da disciplina do partido e
de sua confianza no centro que o representa, l'ou-
derou-se anda que o alvitre proposto pelo honra-
do membro pedera ter o inconveniente de animar
hitas no seio do partido, excitar desproveitosas
rivalidades, e dar occasiao ao empreo de meios
condemoaveis em pura perda da solldaridade
poltica que deve distinguir todo partido politieo.
Satisfeito q lanto esta parte de sua reclamaca >,
sentimos nao poder fazer o mesmeq-.ianto aquel-
la eraqno oSr. Dr. Alcoforado pretende havor sido,
omittida nina terceira proposta.
Correndo a discussao da segitoda indicacao, o
Sr. Dr. Alcofi rado deixou cafnr a idea de serem
consultadas av Juntas Porochiaes sobre os candida-
tos propr o corno eleitoral ao que se lhe res-
ponden que, alm de nao Iiaver tempo, nao eslava
em uso faz-li, encm tinha sido tentada em idn-
ticas oceaside, aioda mesur na eleico ultima de
vereadores e juizes de paz.
EsU idi'a n;io a formulou o Sr. Dr. Alcoforado
como propuse, e nem, conseguinteroente, resabio
sobre ella vot ico. Foi agitada incidentemente na
discussao da segunda nroposta, e &ipeto culpa
do autor da reclamacao si, teado a intencio de
ufferece-la ai eonselho como medida, aconselbada
pelas eonven encas do partido de que digno o
importante i wnibro, pao lhe den a lnna de urna
niocao afim de que podesse ser sugeitada dis-
cussao e votar, ao.
Por osle w do acudindo exigencia, que nos foi
dirigida pelo Sr. Dr. Alcoforado, eremos ter corres-
pondido ao apiello que faz lealdade, pela qual
procuramos cam rauito desveladasollicitudo pautar
o nosso proeed meato.
Confiando por sua vez na lealdade de todos os
merobros da escola poltica que lera a honra de
representar, o coasejBO director esjwra de todas
as Juntai qw, accordes *om o seu ponsaineuto.
espaijquem u> los os motivos de divisiio que podem
ilidades, aceitando a mdjcacM di
conselho cornt o fructo de ltenla refloxo sobre os
legtimos iott resses do numeroso pn nido de qne
orglo.
Nao foi outi o o pensamento que iiwpirou o cun-
selbo director do Grmio Ptrnambucam ao sugei-
0 conselho direcior da junto conservadora da
fregaeziade Santo Antonio offerece consieu;ae
dos votantes da uusma frsguezia asjistis abmxo
3ue fonecciouou para a prxima elei^ao de sena-
ores c deputados.
ELKITOl.ES DK SRNADORK-.
I Antonio'Au*8lo da Fuaseca.
t Capitn August) ''ejar Pereira de Mendonea.
3 Autonfo Jos Ridrigues de Souza.
4 Benjaniim Enp>to Pereira da Silva.
5 Padre Cluislovo de BoMnda CMalcmU.
6 Capitao Daniel Cesar Rapos.
7 Descndtargador Francisco Domingue: dk Silva.
8 r. FeUppe de Figuera Faria. I
9 Francisco Rodr|iucs da Silva.
10 TabellQ Francijco Baptista de Almeida.
11 tonaira) Jos da Rosa.
12 Capitao Hvpolito Jos Roberto.
13 Jos Iaurnlino de Azevedo4 ,
14 Negociante Jos Flix dos Sanios.
IB Jos Jacintho da Silva. v
16 Dr. Joaquim de Aquino Fonseca.
17 Tenente Joaquiri Manoel de Castro Santos.
18 Joaquim Ugolino da Silva Fragozo.
19 Jos Miguel de Lyra. ib/
20 Jos Vidal de Negreiros.
21 Joaquim da Fonseca e Silva.
22 Joaquim Severiauo Jogueira.
23 Joao Pereira d silveira.
24 Julio Cesar Pereira da Rocha.
2a Luiz de Franca Lins de Albuquerque.
26 Luiz Jos de Franca Carioca.
27 Manoel Francisco de Oliveira.
28 lote RilMiiro Simoes.
29 Manoel Joaquim Mnniz Baranda.
30 Marcolinn Henriijue de Figueiredo .
31 Dr. Manoel Jos da Silva Neiva.
32 Manoel Jos da Motta.
33 Manoel Adriano de Souza.
34 Manoel Luiz Goncalves.
33 Major Salvador Henriquc d'Albuquerque.
36 Thomaz Jos da Costa e S.
37 Thom Lopes de Sena.
38 Theotonio Jos de Souza.
hXEITORBS DE DEPITAIX>
1 Dr. Antonio DonngosPinto Jnior.
2 Augusto Xavier de Souza Fonseca.
3 Albino do Reg Machado.
4 Angelo Custodio Rodrigues Franca.
5 Antonio Bernardo Quinteiro.
C Basilio Luiz Colho.
7 Cactano Jos Mendes.
8 Emilio A. do Bego Cazuntbi.
9 Dr. Esnesto de Aquino Fonseca. _
10 Flix Francisco de Souza Magalhes.
II Francisco Ribero da Silva.
12 Gapilo Francisco Antonio de AssisGoes.
13 Dr. Francisco I/'opoldino deGusmo Lobo.
14 Francisco da Suva Reg.
15 Flix Jos da Cmara Pimentcl.
16 Francolino Augusto de H. Chacn.
17 Alfcros Firmino Francisco de Brito.
18 Germano Pinto de Magalhes.
19 Dr. Ignacio Joaquim de Souza eo.
20 Joaquim Francisco de Torres Glbulo.
21 Jos Candido de Souza Castro.
22 Jos do Rogo Pacheco.
23 Joao Henriques da Silva.
24 Jos da Cruz Santos.
25 Joao Manoel de Siquera.
26 Joao Goncalves ferreira da Silva.
27 Jos Luciano Cabral.
28 Capitao Joao da C. SoaresGumaracr.
29 Dr. Manoel do Nascimento Machado Porlella.
30 Dr. Diguel de Figueiroa Faria.
31 Miguel Luci de Albuquerque Mello.
32 Capitao Manoel Joaquim Machado.
33 Manoel Goncalves Agr.
34 Dr. Olympio Marques da Silva.
35 Padre Raphael Antonio Coelho.
36 Rufino Basilino da S Iva Seara.
:I7 Virgilio Jos da Motta.
38 Vicente Ferreira daPorcuncula.
PUBLICACOES A PEDIDO.
HYMNO
Dedicado ao invicto general, ve-
nerando patriota, o illustre e
3enetnerito marque/ do Ca-
vias.
A espada fulga
De un or vo na ino,
Pulsara eri seu peito
Leal corarlo.
Invicto Casias
Itra-il.'o fanal.
\va ite victoiia !
Soldado iinmortal!
Ao peito que a honra
Constante afagara
A patria zelosa,
Sua honra entregara.
Invicto Caxias, etc.
No braco potente
Que a inoite vibrava
A patria anhelante
Os olhos fitava.
Invicto Caxias, etc.
Troava o janho
A bala gema;
No embate cruento
O ferro tinia.
Invicto Caxias, etc.
Espesso negruine
Nos-ares rola va;
Horrivel fragor
O solo uLulava.
Invicto Caxias, etc.
Desfei(a a tormenta,
No campo, altaneiro,
06 bravos apontam
0 bravo pruneiro !
Invicto Caxias, etc.
Hosanna! da gloria
O anjo eiitoou !
0 nore guerrero
\ patria salvou I
Invicto Caxias, etc.
Ao publico.
No Diario de Pernainbuco de 12 *o correnle vetn
estampada urna i-arta noticiosa da capital desta
provincia, em qne seu malicioso autor, descendo
at ao doesto, arguio de falso e grosseiramente ao
Dr.juizde direto interino desta comarca, referin-
do-se aos acontec nentos da ultima sessao do jury
no termo de Goianninha.
Nao lu duvida que por scmelhanle modo e sys-
tema de ailulterar-se prfidamente a verdade, se
adestrara os libellislas no genero de esgrima pouco
coiniiiuui aos espritus cultivajos I
Assim que conclue o nssivjsta um ios trechos
de suas insidiosas noticias declarando ; que an-
da tinha umitas historias a relatar con) relacao ao
assumpto do suas arguiQOes. AjuJze o publico
sensato que grito de merecimento t da valor po-
dem ter aecusaces e censuras de semelhante qui-
late 1
Quera neste mundo, procurando cumplir religio-
samente eom seu'< deveres, se jujear sent do
mo effeito do delirio e das paix5es ?!
Disso ainda o missivista :entrou em julga-
t'iento um sngeito pronunciado era crimo de feri-
mentos graves, e no libello aecusatorio ou na de-
f-za procuram classiflcar o crirae como ferunentos
leves, mas o jury sent attender a dasifcacao do
crirae absolve-o, o promotor appellou, o juiz de
direito, nao obstiinte appellai;ao mandou p5-lo
en liberdade.
Ha em todo esst desconcertado periodo um ver-
dadeiromisiiforio, aue na verdade demepstra viva-
mente o demerito da censura, e a falsidtde da his-
toria relatada. No libello aecusatorio nrocura-se
oh-.;ti falso. Nao oensou bem o insigne missivista no que
escreveu, faltou ineptamente verdade.
E ne.n tao pouco n >nve tal absolwc^fk
Huuve, sira, perempean daaccao, urna vez que
tendo sido o crirae rtossifteado no art. ^05 do Cod.
Crim. pelas respailas de jury, eousidenwdo os fe-
rimentos leves, decabio i accao para o tjt. 201 do
citado Cdigo.
Alli temos a prova do que dssemos Illm. Sr.
Dr. juiz de diroite interino da comarca.En obe-
diencia a portara supra de V. S., vm informar o
que de- mea Tartorio, e de mim exige, que o
seguale "entre os processos eriines, que no
trrranal de jnry deste termo ltimamente foram
jngados na segunda sessao do jury asta villa, foi,
submctlido a julgamento um de farinientos graves
emqueera reo Qypriano Jos Soares. que por de-
cisaodp coastfio do jury de sentejjisc reconlie-
ceu faumentos.levi's, ein vista dooueeSr. Br.
juiz de dirdbioterino da coiarea laudiaao B-
zerra Cavaloaol, lavrou s|ia lentenea julgando pe-
rempto a accio, e mandando pr era liberdada $
inenciouittlu reo, na sessao de 27 de novembro,o
no dia 4 de dezeuibro deste lOjesmo aono o Dr. pro-
motor publico da mesilla enmarca appellou da
decisao panto tribunal da relacao de ilistricto.
E' o qao de mei i e;irtorio* coasta, e informo
por f do nen oflicio.
> Villa de Coianninha, 26 de dezenibro de 1868.
-41 fiscri^o do jury.Joaqnim Jty da {osla
Temos por tatito, que a noticia registrada* pelo*f
insigne missivista neiihum ar de verdade e crite-
rio encerra : menos na parte em que o aecusado
foi logo posto em liberdade.
Sim ; seo missivista com argumentos e dispusi-
eses de les propocesse-se a censurar a inmedia-
to execucao da decisao do jury, no caso figurado,
nenliuiiia reclamac^o se lhe loria a fazer, e so-
monte procuraramos saber, se o referido ac :u-
sado devia ou nao ser logo posto em liberdade.
Quanto a nos, respondemos afflrmativamente,
por quanto entendemos, que a decisao proferida
pela digno presidente do jury de Goianninha, teve
sem duvida por fundamento o disposto |nos arti-
go .271 do cdigo do proresso ; 380 do regula-
monto de 31 de Janeiro de 1842; avisos de 4 de fe-
vereiro de 183o, e de 5 de agosto de 1853.
Se livesse havido absolvico, neste caso proce-
dera a censura levantada pelo injusto autor da
missiva de que se trata, visto como sabido, que
nos crimes inatianesveis nao sao os reos sollos em
quanto a sentenca absolutoria nao passa em jul-
gado.
Se a jurisprudencia em contrario protesta con-
tra o que fica eseripto em retacan a deci > i snpra-
fallada, jiennanecertiiios em nossa opinio em
quanto nao fnrmos juridicanwnte convencidos do
contrario.
Foram julgados seis dos reos do proresso cami-
sa-preta, e nao quatro, comodisse o missivista : se
os demais reos do mesOM proeesso nao entraram
em julgamento, accuse-se por esta falta ao verla-
deiro culpado; e para que nesta parto nao se ar-
remessam as settas a qnem justamente devem
ferir?...
O insigne correspondente do Dtark, e de quem
se trata, parece de numero daiuelles que se tem
identificado com a causa dos oa|misas-pretas.
adiando que na comarca de S. Jos nada fizeram
esses individuos, e que sao uns santos hoinens !
D'ahi as imprecairoes e na vontade contra o Dr.
juiz municipal dos termos da mesma comarca, e
por isso seja increpado at pelos trapalhos a qne
procedeu na ultima sessao do jury na villa de
Goianninha.
Systema infernal dos que procuram sob as som-
bras da corrupeao de eostumes e depravaco de
espirito, manchar o caract -r publico dos que nao
sabem transigir com o orino por maiores que se-
jam os apuros a que as circumstancias os collo-
quem.
Nao se aecuse vagamente como os terturlas, que
acossados aqui e alli nao trepidam na carreira de
sens desvarios ; e o caso que nao descreen) do
mrito ficticio de seus triumphos iuglorios...
Maldita praga dos mendigos da t is da verdade,
que nunca crt-em na justica dos actos alheios,
com tonto que dem pasto danniado a seus ins
tinctos, e conservera intactos interessos torpes
que devera deshonrar urna geraciio inteira I
Escrevemos estos palavras sem applicacao. v a
carapuca a quem tocar.
Desprenda-se o oontemporanco a quem nos te-
mos referido, da pareralidade que o caga, e do de-
monio da intriga gratnito o bruUl emque tanto
se revolvein os espiritos nesta boa torra, que ha
de fazer justica aos actos do magisliado, a quem
injustamente procuren doestar.
0 cruento desejo de acreditor-se nas historias
improvisadas pela infernal maledicencia, e a ina-
nia de ver erros em tudo. conspurcando-sc a ver-
dade dos acontorintenlos os mais pblicos e au-
tnticamente ilemonstrados. prejudica por certo o
senso critico do impudente missivista. eoarrasta a
mais de urna falsidade em suas biliosas aprecia-
eoes. [
Felizmente, em quanto algum furioso immigo
da verdade e da justica pnicura inslitamente des-
lustrar os netos niaisineoiruplveis, le at gli>rio-
es do actual e digno juiz de direito interino des-
ia comarca Dr. Clandiano Bezerra Cavalcanli. a
historia de seu distiiicto e moralisado magisterio
registra acontecimeiitos, quo inipoem inteiro si-
lencio aos zoilos apaixonados. que ralados de sa-
tnica inveja, se irritam a cada momento contra os
mais sagrados deveres do corar* tn hnmanol
Aguardaremos as historias que nos faHon o
illustre missivista, e promottemos acompanha-lo
em todo o seu itinerario.
ValeDezembro 28, na comarca de S. Jos de
Mipib de 1868.
Justtts.
A cada mu o que seu.
Acha-so nesta capital, a chamado de S. Exc. o
Sr. presidente da provincia, vndo da ilha de Fer-
nando, o capitao Tiuureio Hylario da Silva Tava-
res, moco digne de todos os elogios i tossivoi* pela
sua piobdade ; militar honrado,
pravas do imperid, Rio da PrU Euro-
pa, e compra cambiaes so!ire as mesmas
pracas.
Encarrega-s.e, por comraissao, da com-
pra e venda de fundos pblicos e accSes de
campanillas, da oobranfa de lettra e di-
videndos ou de seu pagamento, e de aual
Ijiiei' outra jrco naneara.
0 expediente para o publieo comecar
s 10 horas da anlia, 'e torminar
horas da-tarde de todos os dias otis.
asi
umpi'id )i- de
seus deveres, zeloso, ser sera duvida acolhido e
considerado por S. Exc, que bem sabe apreciar
o verdadeiro mrito.
Com bastante piazer vimos urna publicaco no
Jornal do Recife, de 28 do corrento | doCensor
pois que lhe faz a devida justica. E se exacto que
o chamado de S. Exc. o Sr. presidente da provin-
cia, importa indagar do* negocios daquella ilha,
reconhecer que o capitao Tinurcio a garanta
da mesma por que tem sabido com toJa pericia, re-
gidez o boas maneiras, manter a boa ordem, e
conquistar a estima daquello novo. Assim folgare-
mos de v-lo de vulto seu lugar inuiquillo o sa-
tisfeito.
0 Justas.
ENGLISH BANK
Of Rio de Janeiro Limited
Desconta lettras da praca taxa a con-
vencionaf.
Kecebe dinheiro em conta crtente e a
praxo fixo.
Saca vista ou praso sobre as cidades
principaes da Europa, tem agencias na Ba-
ha, Buenos-Ayres, Montevideo, New-York
e New-Orleans, e imitte cartas de crebito,
para os mesmos lugares.
Largo do Pelourinho n. 7
Caixa Filial do Banco do BrsiT
A caixa filial do banco do Brasil em
jernambuco em liquidago paga o 30 divi-
dendo das accoes do Banco do Brasil ins-
criptas nesta caixa; a razo de 9)5000 por
aeco.
Recife, 16 de Janeiro de 1869.
O English Bank of Rio de Janeiro, Limited,
saca sobre as seguintes pracas:
Londres.Sobre London Joinl Stock Bank.
Paris. Sobre Fould A C.
Hamburgo.Sobre J. Berenberg Oosslcr t C.
Lisboa e Porto.Sobre Banco de Portugal.
Rio do Janeiro.Sobre English Bank of Hio de
aneiro, Limited.
Babia.Sobre C. Vaughan t C.
Para.Sobre Tappenbeck Brambeer k C.
ALFANDEGA.
Rendimento do dala 28 841: Idem do dia 29....... 67:3i6il89
898:: I 253
MOVIMENTO DA ALFANDEGA.
Volumes entrados
dem idem
com fazendas
>oni gneros
Volumes sabidos com fazendas
Idem dem com gneros
3ii
473
232
NO
----- 8.S2
797
Descarregam boj 'M de Janeiro.
Barra franceza Vertdiana mercadorias.
Patacho americano.-lafaio=-<-mercadorias.
Vapor ingjezAmazon -dem.
Barca ingleza=-Sapp/o-idem.
Patacho norte-allemaoApolloidem.
Brigue inglezBertha= bacalho.
Eeuna inglezaEugle Wing -bacalho.
Brigue inglezTitaniadem.
Brigue inglezAVcn-ia -farinha de trigo.
RECEBEtHUA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PEHNAMBiCO
Rendimento do dia la 28 38:101 223
dem do dia 29...... 836i55
38:101223
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia i a 28
Idem do dia 29
!28:8:t6:<;:>
5:754352
134:5904917
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no dia 29.
Para30 das, hiate nacional Aurelia II, de 206
tonelada-, capitao Fraueisco Ribeiro do Barros,
equpagem 9, carga bren e outros gneros ; a
Joao Francisco da Silva Novaos.
I.i\i'i|Kiol37 das, galera ingleza Hermione, de
383 toneladas, capilo John Grugory. uqifipn-
Kein 16, carga earvao ; a J. C. A C, C. binip-
son A C.
Terra Nova17 dgaa, patacho iugluz Ixuiidre, de
117 toBtodas. capitao (1 Carn, equipagotn 8,
carga 1,825 barricas eotn bacallao : a Johns-
tou Paler A C. Seguio para os portos do sul.
Harber Grace25 dias, brigue inglez W. \V. Lord,
le 199 toneladas, capitn M. Me. Leode, equi-
pagem 8, carga 3,350 barricas com bacalho ;
a Saunders Brothers A C. Seguio para os portos
do sul.
Torra Nova29 dias, brigue inglez Alexanira, de
225 toneladas, capitao T. Davis, e^uipagoiu 10.
carga 3,201) barricas com bacalho; a Saunders
Brothers A G.
Habor Grace27 dias, brigue inglez Margare!
Bedleij, de 178 toneladas, capitao George Har-
tory, equipagem 9, carga 2,200 barricas com
bacalho : a Saunders Brolhers A C.
Ubseroaco.
Suspendeu do lamarao para os portos do sul o
brigue inglez Rrooking, capitao Cresa, com a mes-
ma carga quo trouxe de Taita Nova.
ECITAES.
Na acta do gremio do partid conservador
publicada no Diario de 2o do eorrente escapou,
provavelmente pela concisao com que sempre
layrada a acta de todos os corpos col lectivos, a
ci'reumstancia de haver eu proposto tambera que
fossem consultadas as juntas para ento serem
adoptados os candidatos.
Neste mesmo dia me eucontrei eom o Sr. Dr.
Joao Alfredo, e lhe fallei nisto, dizeido ter-lhe es-
cripte urna carta neste sentido para que se Azesse
o addrtamento ou se publicasse dita carta.
Respondeu-me que ora verdade ter eu fallado
nisto, mas nao como proposta, e insistindo eu con-
dujo por dizer que mandara publicar minha car-
ta apenas a recebesse.
Como porra nao tinha sido publicada essa car-
ta, o que aitribuo a immediata partida daqueHe
senhor para (oyanna, faeo ppr mim a publioaeio
qae tenho alidido
Recife, 29 de Janeiro de 1869.
Jos fernardo G. Alcoforado.
ERRATA.
Na puMcacao sobre o assassinato na villa do
Cabo, feita no dia 27 do correnle neste Diario, sob
a assigiiatura de i.' amigo, na wtiraa elimina
da segunda-pagina linha nena, onde se l ao seu
irmaoMa-se entregoueseu imao.
COMMERCIO.
PIUCA DO RECIFE 29 DE JANEIRO
DE 1869.
AS 3 1/2 lloR.VS DA TAIUHS.
Algodio do Pernaubuco 1* sorte^HJSOQ por ar-
roba (houte ii c hoje).
Algodau da Parahyba 1* sorte 154350 por ar-
roba posto a bordo (hontom).
Algudo do Rio Grande do mirle15*000 por ar-
roba posto a burdo, a frote de 7fo e 5 0/0
Algodao do Macei 1* sorte = 15(KW por arroba
posto a burdo, a froto de 7/8 e 5 0/0
Dito de dito 2* sorte14*300 por arroba porto a
bordo, a frote de 7/8 o 8 0/0
P. J. Silveira
Presidente.
Leal Stsv<
Secretar*.
BANCO AUA & G.
Hila do Trapiche a. 34,
Descorita lettras co aercaes a taxa con-
vencioaaL Hecebe ahmo, a pretrio ao-
vOTcional, p r lettras e era conta correrle.
Confere crditos, saca sobre as primeiras
O inspector da alfandega faz publico que
no dia 3 de fevereiro viud.nno, deiwis do mino
da, e a porta da mesma repartieo, serio levadas
a hasta publica, llvre de direitos ao arrematante,
80 pecas de madeira velha. extrahida das obras
da ponle, e que se acham juntas ao trapiche do
algodao, avahadas em JOOOOO.
Alfandega de l"ernainbuco 29 de Janeiro de
I8H9.Jos Mauricio Ferreira Pereira de Barros.
De ordoiu .lo lllm. Sr, iuspector da thesou-
raria de fazenda desta provincia, sao pido presen-
te convidados os Srs. Francisco Alvos de Unto.
Antonio Al ves de Brito e Siman Baplista Ped esa,
moradores no termo de Ingazeira, para dentro do
prazo de 90 dias que Ihes fica marcado a contar
desta data, recolherem aos cofres da thesouraria
caila um a quantia de.754000 rs provenientes de
multas oue lies foram impo-tas pelo presidente do
tribunal do jury do termo de Ingazeira por falta
de compareeimento a 2" sosso do mesmo jury,
segundo o termo do resumo das inultas que aeoin-
panhoo o offlcio do respectivo juiz de direto de 3!
de dezembro prximo passado.
Findo o prazo ser a eobranea effectuada execu-
tivamonte de conformidade cora o art. 3o do regu-
'amento que baixou com o decret n. 4181 de
de Maio do anno prximo passado.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernara-
bneo, 21 de Janeiro de 1869.
0 oftlcial-mainr,
Manoel Mamede da Silra Costa.
Provincia da Parahyba.
O Illm. Sr. Dr. inspector do thesouiu provincial
manda fazer publico, de ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia, emollicode limiten datado,
que toin di' contralar-se a illuuiinacao publica por
meio de gaz correuto e o abastociuento de agua
polavel desta capital sob as seguintes condic-
cocs :
i.* A Iluininacao sera correspondente a 400
combustores, cada um dos niiaes dar urna luz
equivalente em intensidad.' 10 velas deesperma-
cete, as que consomem 120 graos por hora, e
estar acceso 9 horas por noute.
Ia O abasteciineuto de agua ser feito por meio
de canalsacao e chafariz, medianto a vanlagem da
M nda de agua para o contraanle ou companhia
que se orgauisar.
3." Os contratos ficarao dependentes da appro-
vacao da aosombla provincial.
Sao, portanto. convidados os que preleoderem
contratar as nuacionadas obras a apresentarein
suas proposias no praso de 40 dias, a contar da
data do presente peante esto reparticao, afim de
serem tomadas devidamente era considoraco.
Tlie'omo provincial da PuratLa. 16 de Janeiro
do 186.
No impedimento do officiaj da .secretaria,
.{gemiro Uo Gomes Pessoa.
inspector da alfandega faz publico,
que achando-se aa mercadorias comidas
nos voluraes abaixo mencionados para con-
suma) nos termos do capitulo0.-, titulo 3*.
do regtslanwnto de 40 de seterabro dn
1860, os seus donos ou consignatarios de-
u'tao despaclia-las no praso de 30 dias sob
pena de lindo elle serem vendidas por sua
conta, sera que lhes fique compotindo ai-
lepar contra, os eOottos d 'esta venda.
. ArauuKift n. .
I barrica marca JAS n. 52 vindo de Li-
verpool na esoma inclea Zomtt entrad*
etnlO de abril de 18415, ignora-se oconte-
do e eensignicae.
1 caixa marca J. Licio Marques sem nu-
moro viuda de Lisboa no bri^ie portuguez
iklla Figuerws, entrado em 8 de junlio de
186, idem, idem.
{ dita marca AJSP sem numero viudo da
ilha de 8. Miguel no patacho portuguez
Erna entrado em 29 de novembro de I80C
idem idem.
. i dita marca L n. 3 vinda do Porto na
barca portugueza Seguranra, entrada em
l( de dezembro de I8C7, dem idem.
3 barricas marca diamante C ns. I a 30 com
gesso, viudas de Londres no brigue sueco
Victoria, entrado em i8- de fevereiro de
1868aRabeSchmettau AC.
1 caixa marca FC sem numero com livros
brochados vinda de Lisboa no brigue por-
tuguez Soberano, entrado em 15 de main
ao dito anno de 1808, Antonio da Costa
Figueiredo.
I dita mana Antonio Joaquim Soares sem
numero vinda da ilha de S. Miguel uo pa-
tacho porliiguez Georgense, entrado em lf
de maio do dito anno, ignora-se o contedo
e consignarn.
Armazem n. t.
1 caixa marca L A D n. tt02 vinda do Ha-
vre na barca franceza Fgaro, entrada em
0 de maio de 1807 idem idem.
1250 caixas marra J P & (' sem i minero
com sabo, vindas de Liverpool na barca
inglesa Seraphina, entrada em 8 de junho
de 1808, a J. Pater 4 C.
400 ditas marca J P& C sem numero
com dito, vindas de Liverpool na dida
barca o consignada aos mesmos J. Pater 4 C.
1 caixa marca N F sem numero com gra-
vatas vinda do Rio de Janeiro no vapor
francez Extrenuulure, entrado em 29 de
juuho do dito annno, a Nova Freres.
20 fardos ns. 1002 a 1081 marca T J
com papel vindo do Havre na barca franco/-!
Rio Grande entrada em i de julho do dito
anno, a Tasso halos.
21 caixas marca diamante I) J R ns. 31a
50, 07 com conservas viudas de Londres no
brigue inglez Comodore, entrado em 29
de setembro idem a Jos Francisco dr
Paula Ramos.
Aimazem n. 5.
1 embrulho marca Augusto Valine. 686
vindo do sul no vapor nacional Tocanlin.
entrado em 22 de julho de 18G7, ignora-;-.-
o contedo, e consignacao.
1 caixa marca A. A. X. L. Macedo sem
numero viuda de Soulliainploii no vapor
inglez Oneida, entrado em*27 de desembro,
idem.
1 embrulho marca R C n. 2il vindo de
Marseilh no vapor Pkardie entrado em 1
de fevereiro de 1808, idem.
1 dito marca A. F. de Jess- sem nume-
ro vindo do sul no vapor nacional Cruzei-
ro do Sul, entradn em 9 de marco do dito
annno, idem.
1 caixa marca P. (',. da Fonceca halos,
sem numero, vinda do sul no vapor nacio-
nal Guar, entrado em 29 de abril idem
idem.
1 embrulho marca Theodoro Freres
n. ":i3com livros, vindo de Southampton
no vapor inglez Oneida. entrado em 27 de
maio idem ; a Joao Leo Fress.
1 caixa marca C F C n. 31 vinda di*
Marseilh no vapor francez Piranlie, entrado
em 3 de junho idem; a Pereira Carneiro,
idem.
1 dita marca Antonio de Souza Leo n.
071 viuda do sul no vapor nacional Cru-
zeiro da Sul, entrado em 27 de julho idem
idem
I gaeca marca bario do Crato, sem nu-
mero, vindo do sul no vapor nacional Pa-
ran, entrado em 8 de agosto idem, idem.
1 caixa .marca V. L. Miranda, sem no-
mero vinda do norte no dito vapor, entra-
do em 28 do dito mez e anno de 1808,
idem.
Alfandega de Pernambuco 2 de Janeiro
de 1809.
Jos Mauricio Fernandez P, de Barros.
i

O Dr. Tristao de Alencar Aiaripe, oficial
da imperial ordem da Rosa, c juiz de die
reito especial do commercio n'esta cidad-
do Recife de Pernamhuco por SnfcMlgOH
tade Imperial, etc.
Faco saber aos que o presente edital vi-
rem e d'elle noticia livereni, que uo dia I.
de fevereiro de 1809 se ha de arrematar
por venda a quem inais der, em praca pu-
blica deste juizo, o seguinte:
Urna casa de tai|a no lugar do Monleiro,
no becro do Owiabo, com 50 palmos do
comprimento e 45 de largo, duas salas n-
frente sendo urna grande e urna pequea,'
quatro quartos, sala atraz, dHpaMa e co/.i-
nha, urna cosinha no fundo que sene para
estribara, edificada em terreno reodeiro,
tema o sitio arvores de fructos, estando
em aborto, precisando a casa de bstanles
concertos, avahada po-- 250J, a qual lora
penhorada por i'xecucSo de Joviniauo Fer-
nandos da Silva Maula, contra Zeferiuo Fer-
nandos da Silva Manta. K nao havendo
lancador que cubra o proco da avaliacao, a
arrematacao ser feita pelo preco da adju-
dicaco, na forma da lei.
E para que chegue ao conhecimento di
todos mandei fazer o presente edital que
ser afixado nos lugares do costurae e pu-
blicado pela imprensa.
Hecile, 20 de novembro de 1808.
Eu Manoel Mara Rodrigues do Nasci-
mento, escriv3o, o suhsnwi.
Tristao de Alencar Araripe.
O Dr. Francisco d'Assis Oliveira Maciel.
cavalheiro da Ordem de Christo e juiz
de direito da Ia vara criminal desta co-
marca do Recite |wr S. M. Imperador
a quem Deus guarde, ele.
Fago saber que achando-se vago um dos
oficios de labcllto de notas desta cidad.
pelo fallecimento do nervenluario Joao Bap-
tista de S, o qual oflicio foi criado pelo do-
natario Duarte Coelho, convido felo prsen-
lo a i'uom piontendraditoollicioaapreseuUr
neste juizo no prazo de sessenta das a con-
tar da data desie, soa petif8o datad e as-
signada pelo pretndeme ou seu procura-
dor e acompanhada do certidio de idade,
p, t|||a corrida, exame de sullkiencia e mais-
documentos que entender convenientes.
senda todos d.:vidatoeute sellados na con-
formidade do decreto n. 817 do 30 de
alfosio de 1851.
B para que chegue a noticia todos man-
dei passar o presento edital que sera pu-
i

A
V
.
;
l'i
I
?


I -
?
blicido pela iruprensa c aflixado nos luga-
res do costme.
Dado e pasado nesta cidade de Recife
aos 26 de Janeiro de 1869.
Eu Joaquiri Francisco de Paula Esteles
Clemente, escrivo o subscrevi.
Fruncs d'Assis Oliveira Matiel.
ITT
= I*i;la receSedorin de rendas internas geraes
as fazfpiiblicu que neste mez e no de fevereiro
prximo futuro, qnc os contribuimos da laxa dos
escravos do exerciqio jrrente de 1868-69, quer
moradores as freguezias da cidade, quer as de
fra, tacna de paga-la, livre da multa de 6 0/0, e
oiii e!fci de marco em date.
Rerebedoria de Pernambuco 8 de Janeiro de
1869.
O administrador,
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
Pela ailiiwuisl aCyo do ourreio desta cidade, se
laz publico a tjiu ni.ioleressar possa, que nao se
demorando otvawrM da coiripanhia Messageries
Imperiales ueste lorto.em seu regresso do Rio de
Janeiro, o tempo predso para se fzer a expedioao
das malas cota direccio a Europa, tera resolvido
que as malas se leonem s C huras da tarde do dia
anterior ao da chigada dos mesm* vapores.
Crtelo di Pefirambuco, 18 de Janeiro de 1869.
O administrador.
Dimingos dos Passos Miranda.
fflEATR
Gymnasio campestre
ASSOCIAgAO AIITISTICA
Sahfoado 3<> de Janeiro de i sun
Rqpresentar-se- na a interessante comedia em 1
acto ornada de m isica Intitulada
O brigue escuna naoianl Jtorffo- Ju% aegnc lo.
iim da correal^ mez guina raiga mtifln: traase rom' o eomntario
Joao*aWsV-4l;fel Wva, ft*a doWtflno
lili vi
cojipashia.
DAS
Tribu ua 1 do comuiercio.
Per esta ?eerctaria se faz publico que fleam re-
gistrados :
O contrato de soeiedade de Francisco de Olivei-
ra Franco e Jos Victorino de Souza, estabeleci-
dos nesta cidade coin taberna, sol a tirina de
Oliveira A Souza. e o capital de ;i:;i69615 sen-
do du sucio Franco 2:1936I5 nos fundos do es-
lahelecimento e do socio Souza 1:300000 em
moeda,
O contrato de soeiedade de Antonio Jos da Cos-
ta e Silv;i. I.uiz Jos da Costa e Silva e Antonio
Moreira de Mandn;a. estabelecidoa nesta cidade
oiii rasa de cominoreio de niportacao de fazen-
las, miudezas e ferragens. sob a firma de Costa
friuaos A C.. e o capital de 40:0003000. para o
qual entran, a primeiro e terreiro com lo:000
en da un, eo segundo com 10:000000.
O contrato de soeiedade de Joaquim Francisco
da Silva Jnnior. Jos Francisco Lima e Martinho
Lopes dos Res, estabeleeidos nesta cidade com
osa ile comuiercio de gneros de estiva, sol a fir-
ma de Lima, Silva & C, eo capital de 30:000
forne-ido por todos en partes iguaes.
O distrato da soeiedade de Antonio Comes di
tjjsta Leite. e Joaquim Manoel Lo|ies da Silva, que
f-7ron nesta dado sol a firma de Leite 4 Silva,
eujo passivo icou liquidado, e o estabeleeimento
a cargo do ex-socio Silva.
A oscrptora de dote feito por Joaquim Jos de
Oliveira e su a miilher D. Francisca Joaquina de
Oliveira e .leronymo Joaquini Fiuza de Oliveira,
oa a condicao de nao entrarem em cominunhao
os bens adqueridas na constancia do matrimonio,
inclusive os doados.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco, 27 de Janeiro di' 1869.
O ofiicial-maior.
Julio Guitnaraes.
Consulado proiincial
Pela mesa do consulado provincial se faz pu-
blico que no dia primeiro de fevereiro vindou-
ro, se principia a contar os 30 dias uteis mar-
cados para a cobranca dos impostas abaixo de-
clarados do exercicio' corren te de 1868 a 1869,
ticando sugeitos a multa de 6 por cento todos os
contribuintes que pagarem seus dbitos depois de
lindo os ditos :I0 dias, imposto de 4 por cento
sobre os eslabeleciu enlos romntoreiaes fra da
cidade, typographias. coebeiras, bolequins, h-.teis,
casas de pasto, cavallerices. e fabricas ; de oito
por cento sobre consultorios mdicos e cirurgi-
*'os, eseriptorios e cartorioa; de 20 pnr cento so-
bre e a relalbo, armazens de recolher ou depsitos,
prensas ou armazens de algodao; de 40 por con-
t sobre os armazens ou trapiches alfandegados;
30000 por casas de modas, por corrector ou in-
eoJeador de escravos, de 1001000 por casa de
Tender rmipn frita, de eettm e obras de maree-
naria feitas em paiz cslrangeiro, por agente dfe
leilao, corrector coniniercial e por casa de coni-
ira o i venia de escravos; de lOjOOO |>or casa
e bilbar. WOSOOO por conipanliias anonymas e
agencias; de 3Oi00O por escravos empiegados
ni servico de alvarenga; de 1 por cent:) por to-
nelada, de alvarenga, de "> por oeoto sobre o ca-
pim de planta, de 8JOQ0 por escravo ganhador,
e por lote, savriro. cairaia e balceiras, de l
por cavado de alugucl, de 5 por cento por ca-
vallo particular, e o de carros, carracas e mni-
bus, e taiiibein o primeiro semestre do imposto
de N por cento do consumo de agurdente.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco,
28 de Janeiro de 1869.
O administrador
Anin o Carneiro Machado Ros.
De ordem do Illm. Sr. inspector da thesoura-
ria de fazenda desta provincia se faz publico para
omite Tinento dos tatnreSMM, que o tribunal do
thesouro autnriseu o pagamento de dividas de
excrcicios lindos, cujos credores sao os seguintes
A VOLTA A SISSA.
Tomam parte a; Sras. D. Jesuina, D. Jaquiua e
os Srs, Pedro Augusto, Pedro Montan!, SHra, Emi-
liano, Serian. Herrique e Dt-Giovani.
Segue-se a repi esentacao da uiuitu applaudida
comedia-drama ei i 2 actos denominada
pi:mioo ti;c i:i.Mi
ou
A honra do operario
Toma parte tod; a companhia.
Terminara' o espectculo com o gracioso duelo
O meirinho e a pobre
cantado pela Sra. X Jesnina e o Sr. Di-Giovani.
AVISO ESPECIAL.
Para maior coirujodidade das familias que hon-
ram este theatn, a direci-ao julgou prudente
mandar fazer consideravel alteracao nos camaro-
tes, os quaes se ai ham agora muito mais espa-
QOSOS.
Os hHieles exist-m na casa n. 90 ao largo do
Paraizo e no escritorio do theatro, pelos precos
seguintes :
Camarote com 6 e itradas para familia. 105000
Di i o com ti ntralas para homens. 124000
Cadeira............ 2000
Platea............. lOOO
O espectculo comecar as 8 horas.
Messageries imperiales.
At o dia 30 do correntemozespera-se dopr-
los do sul o vapor francez Suraire, commandante
Massenet, o. qual depois da demora do costume
seguir para Bordeo;; tocando fin Dackar (Gore)
e Lisboa,
Para condicoes, frotes passagen*' trata-se na
agencia ra do Cominereio a, t. .
Para o Porto
Segu com a maior brevidade pos*ivel a barca
Amelia de primeira marcha, por lev a maior parte
de sua carga engajada; para o ptmeo qnc II le falta
e passageiros, abs unes nflere eycellentes eommo-
dos, trata-so com Bailar, Oliveira 4 G., ra do Viga-
rio n. 10.
AVISOS MAGUIMOS.
COMPANHIA PERNAMBUGANA
DE
MaTegaco costeira por vapor.
Porto 'de Gallinhas, Rio Formoso e
Tamandar.
m*.?\y O '-apor Mamanguape, comman-
y/L*l ^antc Me"0' seguir para os portosaci-
^yilf na nidia 31 do curenle a meia
noite. Recebe carga, passageiros, encommen-
das e dinheiro a frt te no escriptorio do Forte do
Mattos n. 12.
Pai
Para o indicado porto segu em poneos dias o
palhabotc Rozita, por ter a maior parte da carga
e para o resto que lhe falta trata-se coin o con-
signatario Joaqun Jos- Goncalves Beltro, ra
lo Trapiche n. 17. ______
compaa pernambicana"
BE
Xavegaca costeira por vapor.
Macei, escalas e Pencdo.
O vapor Polengi, commandante
Pereiri, seguir para os portas cima
no dia 30 docorrente as 5 horas da tar-
de. Recebe carga ;.t o dia 29 as 3 horas da tar-
de, encommenilas. passageiros e dinheiro a frete at
as 2 horas da tarde do dia da sabida no escriptorio
do Forte do Mattos n. 12.
Para Lisboa.
Jaciotlio Pereida do" Reg .... 3363309
Miguel Bernardo Vieira de Amorim 23.8000
lo-- Aires de Barros..... 183980
Joao flaplista da Matta..... o4900
Bernardina Amalia da Silva Doria 107250
Fielden Brothers....... 1683300
1). Maria Gomes Cmitinho do Ama-
ral ........... 1;2013968
Secretaria da thesonraria de fazenda de Pe -
mnib'.ico 26 de Janeiro de 1869.
O ofllcial-maior,
Manoel Mamede da Silva Costa.
Subdelegada de pulida da freguezta de S.
Antonio do Recife 27 d* Janeiro de
18).
I'oi e-la subdelegara se faz publiee qiir se
asna depositado una qitautia em dinheiro que fbi
aehada em una das mas de-la freguezia. quem a
tiver perldoq'ie:ia a;uvseutar-se que dando os
signaos cortos Un- sera eitKgtiA
Antonio Homiitfns Pinto,
Subdelegado.
Fisfjdisaco da freguezia dtfBoa-
Via 28 dt Janeiro de 1869
Por esta liscalisacao se faz publico a quem in-
eressir. que se aclia em deposito um cavallocas-
tanlio. magro, o qual fui apprehcndklo em Ponte
da l'ckj) fazendo distnu'ces : quem se julgar
oni ilireilo ao mosao. cmpaivca nesta llscahsa-
*;ao. que safisiazendo o disposto no art. 16 do til.
11 das posturas municipaes de 30 de junho de 4849
lhe sera entregue.
_______________Jeronymo Jos Ferroira.
- Vce-eonsakula do Per.
O awixo assignado vice-consul da repblica do
Per, leudo de remetter a junta de beneficencia de
Cima, o producto da subseripgo aborta a benefi-
cencia dos prejudicados com os ltimos terremotos
que destruiraiii diversas cidades e povoac^es da-
qnelle paiz, deixando njllhares de pessoas outr'ora
aJaastadas, reduzidas ao maior grao de mendicida-
de; avisa a todos ou habitantes desta cidade que
queiram concorrer para um fin tao caridoso, que
no vira-eunsHlado-estaberta a respectiva snbs-
cripcao. t$ Jacomt. Tamo,
Vice-consul.
Segu com mniti brevidade a barra portugueza
iJratido. tom graude |iarte da sua carga promp-
la ; para o queainla lhe falta o passageiros, tra-
la-sn com Oliveira Filhos & C, largo do Corpo San-
io n. 19,oii com o capito na praca do commercio.
Para Lisboa
Val sahir com m lila presteza o brigne portuguez
Constante II por tir grande parto do seu carrega-
mento prompto : para o restanH e passageiros,
trata-se cora Olive: ra, Filhos & ('.., largo do Corpo
Santo n. 19, ou con o cajiitao na praca do com-
mercio.
Companhia americana e brasilei-
ra de paquetes a vapor.
At o dia Io de vereiro esperado dos partos
do sul o vapor americano Misaitiipj, o qual de-
pois da demora do costun.e seguir paca New-
York tacando no Para e S. Thomaz. Para frees
e passagens trala-se com os agentes Henry Fors-
ter & C., ra do Tiapiehe n. 8.
COMPANHIA. PERNAMRia.NA
M
.\avegaeao steira por vapor-
Parabyba, Nato., Maeo, Muasor, Aia.
caly, CearA, Aearac. e Granja.
0 Aapor Ipojuen, eonunandante
Martin?, seguir para osportos acipa
nadia 30 do enrrente as hmas. 'da
tarde. Recebe carga at o di 29 as 3 horas-da
tarde, encmmen rete at as 2 hora da larde do dia da aliida no
escriptorio do Por o do Mattos n. 12.
Para o Porto
Segu sem dem( n a barca portogwwa' .Vrtio
HfcNCw. por ter gr inde parta dfc sua earga pronip-
a, par o resto e passageiros aos quaes offeiwe
ixeeliente eonunodus-traB-se com Oliveira Fllis
C. largo do Corpo Santa n. 19 ou en>o aapitKo
aa prara do commercio.
Para Lisboa
O brigue portugie? tota 1, capltio Vteira, ai
abir com milita b "evldade. por ter a maior parte
la sua carga prompta; para a que anda lhe faO
^passageiros, If8la-e- eomOHvera Pilbos & C.
largo do Gorpo-Santo i. 1*. on com o referido ett-
pitao, na pra?a do Commercio.
LEILOES.
De too saeco eom utillio.
110JE 9.
O agente Pestaa far leilao por conla e risco
de quem pertencer de 400 saceos com millio de
9upeiior qualidade desembarclido ltimamente
ser vendido boje pelas 11 horas da manba no
armazem do Aies delronte da alandesta.
LEILAO
De urna loja de tartrngueiro
sita ra das TTiueheiras nu-
mero 1.
O agente Puntual vender a luja cima com to-
das as mercadorias e utencilios perlencentes a
mesma. assim como um torno proprio para ouri
ves on trlarugnejro, sendo n'iim on em diversos
lotes, a vontade dos licitantes pudendo os mesmos
ipie quinaron dirigir-se a ra da Cruz n. 62, Io
andar, para ver o ualancu e dirigir ae leilao.
iio.ii;
Que dever ter lugar as 11 horas na meSraa
loja.
AVISOS DIVERSOS.
Vice-consulado de Espaa ten
Pernambuco.
En virtud de lo dispuesto eu el arl. 10,
| 3, de la convencin consular celebrada
entre los gobiernos de Brasil y Espaa en
9 de febrero dt 1863, el infrascrito vice-
cnsul de Espaa en esta provincia, hace
publico que en el dia 20 del que cursa fal-
leci el subdito espaol Jos Felippe Mar-
lins.
El vice-consul de EspaaJuan Ihisnn.
Pernambuco a 27 de Janeiro de 4869-
TRILIIOS URBANOS
DO
Recife a Apipucos.
No dia 2 de fevereiro prximo haverfio
trens especiaes de hora em hora desde as
seis da manba meia noute, do Recife ao
Caldeireiro, e dahi Apipucos.
S recebem e destapa passageiros nos
pontos inteimedi.'ii'iiis os trens que partirem
do Recife. s 6, 7, 8 e 9 horas da manba,
e 3, 5,-7 e 9 da tarde, e de volta do
Caldeireiro os de 7, 8, 9 e 10 da manba,
e 2, 4, 6, 8, lo 6 o ultimo da tarde.
Os bilhetes de ida e volta para esse dia
sero especiaes e vendidos as estaces do
Recife e Caldeireiro.
Pede-se As pessoas que tiverem outros
billietes queiram troca-los as estaces men-
cionadas pelos especiaes, que sao os que
tnicamente se recebem nos trens.
Escriptorio da empresa dos trilhos urba-
nos do Recife Apipncfis, 29 de Janeiro de
1809.
W. Rawlinson.
(rente.
Pede-se encarecidamente as pessoas eme se
quizerem inscrever como assignantcs para o mez
de fevereiro prximo futuro, o facam al o fin do
corrente.
Para poupar o irabalho da declaracao mensa),
aqueiles que quizerem assignar por mais de um
mez, podem isto mesino declarar na occasiao de
inscrever-se aflm de se lhe passar mensalmente o
competente bilhele.
Escriptorio da empreza 26 dejaneiro de 1869.
W. Rawlinson,
Gerente.
Ama
Precisa-se de urna ama para cozmhar o com-
prar para rapazes solteiros : na na do Crespa n.
2, livraria.
Offereee-sc um cozinheiro : quem quizr
falle m ra das Cruzes n. 41 A. taberna.
O abaixo assignado, capito da barca
franceza Augustin, de presente oeste porto,
agradece sumraaraenti; ao Sr. capito da
galera portugueza Soni Fama 2.*, o soc-
eorro queprestou ao suu navio, uo dia 28
do corrente.
Ferrafdy.
Precisa-se no hotel nacional, na roa da Cruz
n. 1, de "urna engommadeira.
RUA
0 MUSEO OE
-S-.__a_^_

CZ5
GOMES DE MATTOS IRHIftOS
tendo feito completa mudanza em sea antigo e
acreditado estabelecimento de joias. com o fim de
dar-lhe maiores propor(joes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecer em pessoalmente I ^g
das 6 horas da manha s 9 da noute na | pt^
RA DO CABUGA N. 4
mide eucontrro um completo sortimfnto do que ha de mais elegante,
bello e precioso em brilhante% esmeraldas, rtibius e tudo que em obras
de ouro, pruta e platina se pode desejar, e para prova do que bao dito,
apresentam desde j
A ESTRELLA DO NORTE
riquissimo brijlhante de tamanho raro e seguramente a maior e mais bo-
nita pedra eposta a venda nesta praca, a qual como tudo mais ser
vendido pretjo razoavel.
Garante-se a qualidade dos objectos venda.
M

DE JOIAS
casa da tmm
Aos 4:000$
Bilhetes garantidos.
ra do Crespo n. 23 e casas do costume.
0 abaixo assignado tendo vendido nos seus
muito felizes bilbetes garantidos 2 quartos n. 4246
eom a'sorte de 4:0005 ; 1 quarlo n. 2888 eom a
sor te de 700 e outras muilas sortes-de 100, 40*
e 20 da lotera que se acabou de extraliir ero
benecio da gruja de Nossa Seubora de Terco
(93), convida aos possuidores a vireiu rei-eber seus
respectivos premios sem og descontos das leis na
casa da Fortuna ra do Crespo n. 43.
Acbam-se a venda os da 8' parte da lotera em
benecio do patrimonio dos onioB (ft4.*) que se
extrabir sabbado 6 do mez vindouro.
Presos.
Bilbete.....4*000
Meio.....25000
Quarlo.....1*000
Em porfi de 100* para cima.
Billiete.....3*300
Meio......1*750
Uuarto..... 87o
Manoel MartliK Finca.
AVISO
Os vapores da Companhia Pernambucana d
hoje em diante cbegarn na linha do norte regular
e peridicamente at ao porto da Granja, c mesmo-
entre este e os dentis pdPlM do norte da cidade
da Portalea, capital da provincia do Cetra, car-
rtjgarao ellos, visto ter expirado o itrevilegio qne
para esse Iim tinlia a Companhia Maran.'iense, e
por isso o vapor Ipnjnca da Companhia Per-
nambucana, que seguo para o norte no dia 30
do corrente, chegac ate" aquelle porto, para onde
recebo carga e passageiros, tanta desle como de
outro qualqucr porto d. escala : trata-se no sen
escriptiirio. caes da Companhia Pernambucana nu-
mero 11
Preeisa-se de um hometn paia tomar con-
la de um sitio e tralar da vareas, se liv.-r fami-
lia sera preferido: na ra do Imperador n. 71.
Io andar das 10 horas da manba s duas da
tarde. %
Anu
Precisa-se t una ama para coziubar naraa
do Cres|io n. 40 B.
a provincia das Akigoas precisa-se de nm
eaixeiro : a pesMa (faompnpam dirija-se a na
.Nova n. 6.
INJEGCAO VEGETAL
coiw MATICO
de GRIMAULT eC* rharmaceuticos em PARS
0 successo d'esia injeceo, preparada com as folhas do lauco do Per, foi tao rpida, qne
ella se ten tornada popular em todos os paizes do mundo, para a ira da gonorrhea e das par ja-
edes de toda a naiureza. E' o nico prodncio nesie genero cuja entrada na Rassia tenha sido
authorizada pelo conselho medico de Sao Peiersburgo.
Deposito em f,ernambut, em casa de Mum O*.
HOSPHATOdeFERRO
[de LERAS dodtor em sciencias.
Debaixo da forma d'um liquido sem sal'r.
anlogo a urna agua mineral, esie medica-
mento rune os elementos que consiituem
os ossos e o sangue. E' o mais raeional dos
ferruginosos; por esla razo o adoptrao
os mais eminentes mdicos ilo mundo in-
leiro. Convem muito s meninas de temperamenio delicado, cajo desenvolvimenio tardio,
s senhoras que padece d'eslas dores d'eslomago intoleraveis, causadas pela chlorose,
anemia, meiisiruaco ou leucorrha, s criancas d'uma coaipleicaa paluda e delicada, e a
todas, as pessoas que lera o sangue empobrecido pelas doengas. Efficacia, rapidez d'acv'o,
cura peria. sem cousiipsoao e ventre nem accio sobre os denles, taes sto as raides qac
imperio para que os senhores medios o preserevSo aos seus doentes.
Deposito em Pernambuco, em ca: a de wtmmtr O*.
Precisa-se alugar urna prela para vender na
na. sendo diligente e o preco razoavel : dirija-se
a ra do Padre Flariano n. (10. I andar.
Desde o dia 4 de seiembro do anno pitsimo
aaaaado, qae fngia da casa de sen senin.r, a er-
I cra\a duviges, cabra. deMade 3'i .mnos, pouro
I mais on menas, altura rejrular, magra, p peque-
i no, neitos sumidas picada de bexigaa, fabelios qua-
s pichaim, nao fazia uso de separal-os; a cor
un punco niacileuta, sem falta de denles ua fren-
te: e:n cada un dos cotovellos teiu um carona
bastante saliente, gosla de aguardante, fuma ca-
| chiiidio, muito kUadota. Ha awtlaia que subi
para o centro, indo pela estrada de S. Antao. B i-
ga-se toilas as antorMsdes, capiaes A campo
ou a quem a pegar leval-a a casa do son sem\or.
i i na da Cadeia do Recite n. 8. animen^ on.b-
ser gratilieado generosamente.______________
= Aluga-se um segundo andar na ra du Ro-
sario da Boa-vista n. '-'t, o urna rasa terrea na na
Velha n. 69 I Halar na ra das CrtttdS, sobrado
n. 9, Io andar. ________ -______
O professor de latim, abaiso assignado, Ci
Miente ao publico que se a-ha aberta a niatriruki
de sua aula, e que o exercicio da mesma terco-
meep no dia 3 de fevereiro: qoesj se quizur oaa-
tricular, dirija-se ao sobrado n. 3, sito no largo di
i ribeira.
Manoel Francisco Coet lio.
Precisa-se de urna a a para comprar, eon-
I n ha r e en goi ni i lar : no becco da Bomban. 2, pri-
meiro ailar.
Alugam-se duas casas na Capuuga, ra di
I Amizade n. 17 c 41, tendo a de u. 41 muito bo^
I commodos : a tratar na ru da Imperatriz n. 74.
B
esquina
da roa larga do
Bosario.
ANNEL DE OURO
RUI
EO
Este importante estabelecimento no sen genero, tem sempre um sortimenta sem igual, esquina
e vende por presos que nenhuma outra casa pode Tender. ^ rua i^g^ Q\
vista da qualidade e do pre^o das joias cada um pder-se-ha convencer daverdade. ^ '
Garante-se ser tudo de lei Compra-se onro, prata e pedras finas por pre*jos nraito ele- Rosario,
vados,
A tep est afe^ a* fts 9 horas da nonto.
t5aS25a5H5H5H5a5H5 1*EE5 H5 B5H5H5H5H5H5H5a5TB5H5S5i3S


Diar SEGUROS
MARTIMOS
I J)laracrto
D. Ansa -3oa(juin de Mello. Carioca, de-
clara ao polilieo ;que deba de ser seu pro-
curador *r. tapito Jos Bodrios de
j OliveitgtaYna. Mlccifc 28dejai)i-iro de 4869.
BARTHOLOMEU ftU
55|000
COSTRA FOGO.
A Companhia Indemnisadora, estabetorind
uesla praca, toma seguros martimos robre
navios e seus carregametvtos e contra fogo
em edificios, ereadorias t mobilias: a
ruadoVijjarion. i^avinuMtfoJerjceo.____
'~"rYec"isa- tratar de um poqueuo sitio, prefero-se casado ; a
tratar na ma Nova n. 19, 1 andar.____________
cozlaheira.
Precisa-se de uuia conbeira : na ra do Mon-
de n. i4. ____________
%iu:i cozlnhslra.
9a ma-do Pires, stbrado n. 27, precisase de
nina ama boa -.uzinheira e de boa aiducla, pa-
itarse b'iii.

Paga-se 25m*nsnes por urna escrava boa co-
ziujujra tileio* -conducta : narini do PItos, so-
Cosinhero
Na cidade nova ein Sanio Amaro sobrado gran-
de do'Sr. Manon! Custodio n. ii, precisa-se de
uniAAflhih'eiru homem ou mulher que seja de boa
conduela.
Quem precisar de urna pessoe que te-
nha pratica de eseripturaco por partidas
obradas, ipie traduz e escreve as linguas,
Francza e bigleza, dando pessoas idneas
por garanta de sua reputaeo, queira an-
nunciar por este Diario, ou deixar sua mo-
rada no escriptorio desta RedaceJk), com a<
inicR.R.
No pateo do-Carino n. 3
nm preto para lodo o servico.
pndM*se alagar

Engonmiadeira,
Precisa-se teitamente : a tratar na rua da Cruz n. 17. segun-
do andar._________________________
A dias que se ausentou da casa de seu senhor o
.srravu Cielo, emulo, natural da cidade da Babia.
ptimo otlicial de sapaleiro, e trabnlhava na loia
do Si. Mximo los _e Andrade, sita na un
Cruz, sabe ler e r-rever, e intitula-se forro, anda
cateado, lem um oflio iais pequeo do que o ou-
tro,'tem a cabera eomprida, testa batida, o pesc-
lo com diversas* ricatrizesjirovenientce de escrfu-
las. n_ tanto baixoc reforrailo do enrpo : quem
O apprehender levo-o a casa n. 1. da rua Imperial
a seu senbor Aprimo Jos da Silva, ou no largo do
Panizo n. 26, cas lo capito Flix Francisru de
Souza Majralhaes, que :er recompensado genero-
smente._______________________________
Criado
Precisa-se de um criado : na rua do Imperador
u. 73. 2 andar. _________________________
C'oziuheira
Precisa-se de. una criada cozinlieira ; na rua
ilo Imperador n. 73, 2" andar.
De ordem do Ilhn. Sr. presidente da
soriedade Liberal l'iiio Benet/icunte, con-
vido a todos os sosias, para no da 3 as
10 horas do da, se reuniran em assem-
Meageral.
Salla das secejoes da sociedade Liberal
Iniao Renelicente 27 de Janeiro de 18G!).
O i secretario,
Joaqnim Xavier Coelho Rittencourt.
illV0i.\II0
bacaarft! J. Frankjip da S. Tavpra]
46 Jiim iln imperador-46
> Q Io andar. f
i:ukiio J> :i il /couietrla.
O bacbare' cm direita Casemiro Rorge.s Gndtnho
de Assis, cusina oran material no primeiro andar,
da casa aAl, ti na rua Nova, das 7:1 i as /i
horas da maiihaa aos senhores esiudnnlcs que dv-
sejain fazer e\an e no coljegio das artes, e das 7
i/2 as 9 da floite aos senhores enuregadus nocom-
ineivjo.
iJ
9 ODX

PAR.. IJSO INTERNO
P'CKPARWDOS S1MPL--S
Xarope de jurulijba garra*. : 1*000*
Vinlio _e jurubeba garrafa." I ><'00
pihilae He jgrulmba vidro. I >'>O0
Tintura Ettnkto lSS^facooBco doj_i-ufe-ia. -lfjit)
PIIKPAR.VOS COMWWTOS.
Vinho de jrmriwba ferruginoso garrafa. 2;>000
Xaiope 'tle JiUbeba frruginoso garrafa. 1S600
i'ihilas to juTObefia terrugkiosa vklro. _^0O0
Oleo de jurubeba vidros. fiW)
Pomada 4e jurubeba pote 640
ii>it\rl ft -Emplasto de jfcrubeba libra. *300
<>h lyil V iABA uso EXTERNO
A: llRIBEBl.
Esta planta e bojo reconhei ida ximo o mais poderoso tnico, como um excel-
0 i
Do xarope Vegetal Auicrlcano. espeelalidade de ISnrthoIooieu di C.
34-HUA LARGADO ROSARIO34
>i xamofi/ju.' mi applicacao e os resultados obtidos pelas-pessoas pie &, dlgWam acceita-
kw, Um* dona.' oredito e vwprr porqwe sao sempre os attestados considerados gratuitos,
e delles qp lauca mo o charlatanismo; mas, nao (pierendo oflender as pessoas que
espontneamente nos olei eceram os que abaixo v'o transcriptos, os fazemos publicar,
Mwdfestaado-thes r^isna gratido pela atterirfio, esperando que venham eMes corroborar
o conceilo^e accelfacao que tem nnM-ecdonosso xaropc.
Barlholomeu C.
ATTF.STADOS
Illms. Srs. Bartholoineu & C com a mais subida satisfaco que declaro
ser o xaropc Anwweaa de urna eflicacia extraordinaria, pois que soffrendo ha dias de
intensa losse, jxiolo do nao poder dormir a noite a despeito nie'smo de medicamentos
que tomava. a elle recorr e na terceira colher fui alliviado, e de todo me acho hoje res-
tabelecido cont'O uso somente de quasi meio frasco: grato, ix>is,' esse resultado mani-
fest a Vv. Ss. met recophcimento.De Yv. Ss. amigo, venerador e obrigado.Ma-
noel Antonio Viegas Jnior.
Sua casa 20 de abril de 1808.
Illms. Srs. Bartholomeu A CPenhoradissimo com o favor que me fizeram
, m-TTn/-k------------- Lente deSbst,u,.'"tt'e, wmolal jpijUcada nos eugarg.tamentos do Ogado e bac^, as de aconse|h!1. 0 us0 (Io xa|. )e v ,tal Ami,.ioailo> de sua compos,o, q,ando me acha-
\IT1 \ ^P31'1"3 Pinamente drtas, ou anda rompl.cadas com anazarchas, as mflammacues| va bastant(1 (,,10nt(, (,0 mal C(msgtipaca0t qne ne tornou SSStm&to ronco e que
t\ X \iS\) subsequentes as febrea mt rmitontw ou du.^ta* mm abasos mternes nos tumores es- ^M ^ ,npcJsi>ili tou decumprr os meus deveres de cantor da
i :L V 1\J\J pecialmente do uleroe abdomeu,notumores glandulusos, na anaiarcba, as hodrope- .mnpftfa a Vi., 9('^wpr.iho1, mn mmni0n rJ.,iX.te i ahth enm nm
Real fiiaipaiilii;! de paquetes
inglezes a vapor.
Os agentes da real companhia de paquetes in-
({lozes a vapor fnzeni publico (pie os directores
tes de ida evolt.i com prazo de 6 mea, confor-
me a seguate tJx;lla receidas em pa|)el uioedo.
Pnmelrn taut. Ida. lila e volta.
De Pernambuco at Babia. 36$ 8 5
Rio de Ja-
neiro. 112 168$
.5 Montevideo. 20j> i'/Sf
i) Buenos-Av-
ies......270| 4(6|
Passageirss da terceira classe pagam um qttar-
to das q'iiantkis icima meocionatlas.
Apassagom d'i(|u al Lisboa da segunda clas-
se Oca reduzida de SP 27 a Q ii.
Tambem achain-se redolidos os fretes de di-
nheiro para Ing1 aterra, Franca e os portos do sul.
Para ulteriores informarnos trata-se na agencia
rua do Trapiche Novo n. 40.
subsequentes
pecialmente do tero e abdomeu, no* tumores glandulosos, na anaiarcba, as hodrope-
zas,erysipellas; c assoefada as preparaefies ferruginosas, anda de grande vantagem
as anemias, cbloroses, faltas de nijmstFuaro, leucorrbeias, desarranjos atnicos do
estomago, debilidade orgnica e ^obKia de sangue, etc.
O que dizemos aflirmam os mais distinctos mdicos desta cidade, 'entre os
da mesma, para fac.litir as commumeaeoes entre & podemos citar os Illms. Srs. Dr. Silva Ramos, Aquino Fonseca, Sarniento, Seve,
SSSS^^ni^^Ta^!.! Pereira do Carino, Fnno Xavier, Silva etc. Todos elles reconbecem a excellertcia d'este
gens paa'aqueiies portos; d-se tambera bjljie- poderoso meilicamertto obre os demais at hoje conhecidos para todos os casas citados,
tanto que todos os dias fazem d'elle applicacao.
Apresentando aos mdicos'e ao puldico emgeral diversos preparados da juru-
beba, tivemos por fim generalisar mais o uso d'este vegetal, fazendo desapparecer a
repugnancia que at hoje sentiam os doentes de usar dos. preparados empricos d'elle, e
i mais das vezes repugnantes a tragarem-se, e que tinham ainda a desvantagem de nao
I ser calculada a dose conveniente a applicar-sc, o que torna muitas vezes imprpflcuo um
medicamento, que portera produzir ptimos resultados.
Os nossos preparados s. foram apresentados depois de havemaos conveniente-
mente estudado a jurubeba, fazedo as experiencias precisas para bemeonheder aspro-
priedades medicamentosas desta planta em suasraizes, folbas, finetas ou bagas, e a
dose conveniente a applicacao, tendo alm d'isto procurado levar os nossos preparados
ao maior grao de perfeifSo possivel, para o que nao poupamos esforcos, nao nos im-
portando o pouco lucro que possamos tirar.
Por tanto os que se dignaiem recorrer aos nossos preparados podem ter a
certeza de que elles offerecem a garanta, de que se pode encontrar, a prompta e infalli-
velcura de qualquer dos soffrimentos, que deixamos innumerados, se forem em lempo
Ipplicados, tendo alm d'sso, medico eu doentc a vantagem de escolher as jossas va-
riadas preparaces, aqulla quemelhorlhe pode convir, j pela fcil applicagao, e j pela
complicaco das molestias, idade, sexo, ou ainda natureza de cada individuo.
Trocam-se
as notas do kanc) do Brasil e das caixas filiaes,
com descont imito raioavel : na praca da lado-
pendencia n. 22.
Antonio Jos Rodrigues de Souza, precisa
alugar um criado para o servico de casa, de mais
de lo annos : a ratar com o "mesmo na rua do
Crespo n. 15, ou em seu sitio no Monteiro.
i
iTTENC/VO
Na rua estreita do Bosario, sobrado de um an-
dar n. .'15, alugam-se ricos vestuarios bordados a
onro e laa, novo?,.de muito gosto, dminos de seda
e de laa, todos de gosto c bordados de velludo, para
vender-se. e faz-se para qualquer pessoa que quei-
ra mandar fazer t gosto e a carcter de qualquer
figurino, tem um grande sorlimento de dminos e
vestuarios de pri eipe. tudo em muito bom estado
para alugar a 2 cada domin e vestuario, e para
vender por milito Itacate preep, tem rosas para
O abaixo aaKoada tea jauto e eoairatado! eofeitorTlaJgija: vestuario proprio para o car-
om o Sr. Joaqnim da Silva Lopes a compra de sua "
taberna da ruado Uosjico n.":iO, livre e desem-
barcada de dividas e de todo e qualipier onus :
a pessoa que se julgar eom dii'Qito a mesan, coin-
|iare.-a para ser attendido, isto no praso de tres
dias. lindo este nao se atienden a reclamacao al-
gnma.
Antonio Marlins Saldanha.
Fai-'in-se lilbos de
e.nn promptido, aeeio e
Pedro n. 2(1.
cerioga para presentes,
pericia: no paleo de S,
Collegio k S. Francisco Xavier
fistabelecido na grande e bem arejada casa
onde es'eve o Gymnasio, na rua do Hos-
picio n. 32j dirigido pelos padres da
companhia de Jess.
O reverendo padre director daste collegio scien-
lica aos pas de seus alumnos e dos domis que
quizerem cmitiar-lbe a edneacie de seus lilbos,
que no dia f de fevereiro comcarao a fuccionai1
todas as aulas, achando-se abeVtas j as matri-
culas. uRecebem-se meninos de 6 a 12 annos
para seren instruidos as materias preparatorias
las facilidades do imperio, a saber, priineiras le-
tras e lingoa nacional, geograpbia e historia, ari-
thmetica e geometra, inglez, francez, (da-se infe-
rior e superior), latim. da-se intima, media e 80-
prema, isso a |>tatica da prosa e da poesa), c
iiuatniente hamaMades ou a introduccao rheto-
i ca, trae rompreliende os tratados do estylo e da
otoeneaoquer em prosa querem poesa as doas
Jingoas latina a nacional. A msica para cantu-
ra e pera todos os instrumentos de sopro c cor-
olas, assim como as liagoas allema, italiano, gre-
ga, ehraksa serio ensinadas pedido dosseuhores
pan. ___
Joaquim Jos Gon-
calves Beltro
UUA DO TRAPICHE N. 17, I. ANDAR.
Sacca por todos os papetes sobre o Ran-
eo do Minho, em Braga.' e sobre os seguin-
tes logares om Porlugal:
Lisboa.
Porto.
Valenga.
Guimares.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
ViUa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famaicao.
Lamego.
Lagos.
Covillia.
Vassal (Vaipassos).
'Mirandella.
Beja.
Barccllos.______________________
S'a otaria do Fuudao precisa-se de dous tra-
oaihadores de grades para lijlos e telhas, e um
caeoeiro, paga-se com ganerosdade : a tratar
na mesjnji^^______________________________
A pessoa que annunciou querer ser caixei-
ro de engenho dirija-searua Bireita n, 106, que
se dir quem precisa
O Sr. sargento brigada do corpo de
polica queira vir a esta Typographia a en-
godo.
Roga-se aoS r, Paulino Bezerra de Andrade
Lima, o supplente de subdelegado da Gloria de
Goit, que comprela na rua da Cruz n. 3i, que
muito se desoja f; llar.
Furto.
Furtaram da n a larga do Rosario n. .'0. primei-
ro andar, por tod i niez de dezembro e Janeiro cor-
rente, urna magn Oca cruz de brlhantes comprada
lia tres aunos poi 590a ; suppoe-se ter sido o fur-
to feito por algn fmulo da casa, por quanto ha-
vendo diversas ou Iras obras tambem de brlbante
na caxa donde I >i ella furlida, somonte a mu
desappareceu, lcmido niesnio urna volta de perolas
a que eslava pleta: i?raiifica-se generosamente a
quem a (i ver comprado, e restituir na mesma casa
a Kuzebio da Ciuilia Beltrao.
grThdFhoTel
i ORIENTE.
Inaugurou-se. este commodo e elegante
estabelecimento donde os seus frequenla-
dores podero apreciar a especalidade na
confeccao dos ^eneros alimenticios.
As bebidas sao as mais primorosas e rc-
commendadas.
A decencia e bom servico primam n'esta
casa no bello gosto oriental.
Mandam-se domicilio comedorias, tanto
avulso, como por assignatura mensa!. Os
procos sao mdicos e convencionaes.
Ha urna espa;osa e bonita sala para o
elegante jogo d; buhar. .
Ha tambem aposentos commmodos e bem
mobilhados par hospedagem.
Rua lar ja do Rosario
______n. 44. ___
Ama de leitc.
Precisa-se de una ama de leite preferindo-se es-
erava, para acabar de criar urna menina de 8 me-
i;es de idade: na rua daConceicao, na Boa-Vista,
n. 14.
l'recisa-se alugar um moleque, paga-se 14 i
i-s., que regule 15 annos de idade : na rua do Ca-
imga, n. 2 B,
trouxc urna forte tosse, e me impossibilitou de cumprir os meus deveres de cantor da
empreza lyrica, vou agradecer-lhes meu completo restabelecimento, que obtive com um
s vidro do mesmo xarope, depois de haver recorrido a muitos tratamentos. Desejarei
que outros .-orno eu recorram ao seu xarope para se verana alliviados de to terrivel
incommodo, lio fatal neste paiz. Com maior consideracao continuo a ser de Vv. Ss.
attento, venerador a obrigado.Luiz Cremona.
Recil'e, o de setembro de I8G8.
Illms. Srs. Bartholomeu & C.O xarope Vegetal Americano que Vv. Ss. teem
exposto venda de toda eflicacia para o curativo d'asthina. conforme observei appli-
cando-o a meu filho Joaquim, menor de quatro annos: victima d'esse flagello, que at
ento por espsfo excedente a dous annos havia resistido a outros tarops de grande
nomeada. Oueiram, pois, Vv. Ss. acceitar a expressao altamente sincera de meu reco-
nhecimento ao meritorio servico que Ihe prestaram com o indicado xarope, acreditan-
do-me para sempre de Vv. Ss. criado, attento e obrigado.Americo Netto de Mendonc,a.
Recite, de outubro de 18G8.
" ?aiaja
DE
.1.
DE
n
T"T.O
N. 56RUA DO IMPERADORN. 55.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje assz conhecidos para seja necessan'o
\snossas preparaces ferruginosas sao feitas deforma queso tornam comple-1 insistir sobre sua superioridade, vantagens e garantas que offerecem aos compradores,
lamente soluveis nos suecos gstricos, porque procuramos oscompostos de ferro quelqualidades estas ineontestoveis, que elles tem definitivamente conquistado sobre todos
como taes esto boje reconbecidos. < 'os n,ie tom aupan-iido nesta praca; possuindo um tecladoemachinismo que obedecem
aprichos das pianistas, sem nunca falhar, por seren fabricados
mmente melboramentos imporlantissimos para o cuma
Para aquelles que mais minuciosamente queiram conhecer as propriedades da todas as voutades e caprichos
eba, csaberema applicacao de nossos pnparados, destribuimos gratuitamente de proposito e U-i-se feito ultinu
osso deposito um folheto, onde tratamos mais extensamente d'esta planta e dos deste paiz; quanto s vozes sao
jurube
em nosso deposito
mesmos pre^iarados.
De|Kisto gcral de tocios os preparados
Botica e drogara
3i Rua larga do Rosario3'.
COLLEGIO DE SANTO AMARO
Heeife, rua do Commercio n. 5.
lc cstabeleeluieato de ednca?o, acha-se a disposi^o dos
liluis. .<*-*. pas de familias e a quem nialspossa convir. Direc-
tor faz scieute, que desde j acha-.se aberta a matricula da aula de
instrueco primarla, a qual ser aberta em o da 11 do andante :
bem como as secundarias, cu jos cursos tiveram principio pelas fe-
rias e devem ser encerradas em marco. As demais funcefonaro
do dia 3 de fevereiro em diante, com a regularidade do cos muc
Reclfe. 4 de Janeiro de s.
LOJA
DE
REL0J0EIR0
DE
VCTOR GRANDliN
O Rua da Cadeia do Recife N. 40.
O proprietario deste estabeleci-
niflnto, preniiaJo eom a nicdalha
daexposica) universal de Pars no
auno de 1855, lem exposto ven-
da em sua toja, um grande sorti-
nicnti) de relogiospara aliribeira,
'como sejam : de ouro e prata, sen-
do (tus meihoree bbrieaates, de patentes ngezes,
guisaos e borisonttes. Tambem tem urna grande
quantidade de raloeios para pande e pie batem ho-
ras.-^litus para embarcacocs e para cima de mesa,
t.idos estes relogios sao dos mais bonitos modelos.
O mesmo oncerta relogios de todas as qualidades
existentes, assim como tambem concerta chrono-
metros de algibeira c martimos : recebe sempre
por lodos os vapores, um completo sortmento le
correles e (raaceiins, sendo ludo de ouro de lei
ede modelos os mais modernos, assim como diver-
sos objectos de bij nitoria dos mais bonitos e moder-
nos gustos.
Urna pessoa de tonga praticano couunercio
oflerece-a jiara escriptorar Uvros por partidas dd-
bradas, pedendo ser procurado na rua do Crespo
n; 18, primeiro andar.
Tjl
Furtaram honten da estagao das Cinco Ponas
ite os Prazeres, ui a carteira de algibeira. con-
endo os seguintes obiectos : um fica do banco
nglez do valor de :ib e tantos mil ris, alciim
nais de diversas qiantia, 140 e tantos mil ri*
m dinheiro, urna* demissorias, e passaporte para
Lisboa, tudo pertr.Reente ao aliaixo assignado-
roga-se a iralieia e a todo particular de apprehen-
der s levar ao muo, no escrtptorio de Albino
ose Ferreira da (unha, no largo de S Pedro.
i|tte ser gratificad i generosamente.
Da-se a juro i sob lrypotheca em predios, a
,.uantiade2:300 : quem "quizer entenda-se com
() ajudante dosoliciudor ea,)ita) Flix Magaraaes,
(.ue dir quem ou anniincie por este Diario.
Aluga-se
por arrendamento a grande e excelleote baixa de
capim, siu na Capunga rua da Ventura, na qual
lem alguns ps de coqueiros : para tratar na rua
larga do Rosario n. 3i,Jbotica.
Aluga-se a loja, Io e 2o andares do sobrado
n. 30, sito rua da Aorpra : a tratar na rua Bel-
ta 37, 1* andar.________________.
(|uem preeisar de um bomem chegado ha
ponco do norte para administrador de engenho
tendo grande pratisa do novo sistema de fazer
assnear. como se uca as libas de Cuba, e en-
ieode tambem de assentar vapor, ou para traba-
mu o mesmo : pode ser procurado na tra-
da Lingueta n. ou na rua do Brum n.
brica de calderciro dos Srs. Villana &
l'rocisa-se comprar ou alugar alguus es-,
eravos para o servico de armazeu) de assucar ;
oa rua de Apollo a. 14.
O^iilhete ir teiro n. 2t3 8, parte
da lotera concedida por lei provincial n.
744 do patrimoiio dos orphSos de Per-
nambuco, pertence a Francisco Ferreira de
Mendonca, rezidente no Para.
Ama
BARATISSBO
^ Calcad.) nacional, na fabrica de Jos Vicente
(jodinho >-1;., rua do Jardim n. 19, avisam aos
tinuam a fabricar calcado em alta escala, e offe-
recem as melhorescondicoes. tanto em preeo como
em qualidade. Os proprictarios deste estabeleci-
mento ehamam a attencaodos senhores consumi-
dores do interior, que os quizerem bonr.tr com
qualidade e nnmeracao, olTer tregar bem ai'oudicionados cm casa de seus cor-
respondentes mista praca.
A ama que s otTerece para cosinhar e en-
gommar da rua de S. Bom Jess das Crioula,
queira dizer o numero da casa onde mora ou dis
rigir-se rua do Amorim n. 3^>, 2 andar.
O Sr. Joao Marlins da Luz, oftlcial de
ferreiro, qneira pagar ao fiador da casa em que
morou, na rua da Alegra, 4 mezes e 27 dias, a
quantia de 693660 de :? mezes e 27 dias que ficou
Jevendo nroprietaria, a qual j se acha paga pelo
mesmo fiador.
Lagedo para calcadas
A tratar na rua do Apollo 4, escriptorio.
Aluga-se
Huma casa com bastantes commodos na
cidade Nova de 8. Amaro: a tratar com An-
tonio Jos Gomes em S. Amaro, das a horas
da manli as 8, e das 3 em ruante.
IPILIMS, Vi^ilO
XAROPE DE JURUBEBA.
PREPARADOS PELO PllARMAREUTICO
Joaquini TAIincida Pinto.
As preparaces de jurubeba sao
hoje vantajozamente conhec das c
preconisadas pelos mais habis me-,
dicos, tanto da Europa como do
paiz, pela sua ellicacia nos casos
de anemia, chlorose, hydrcpesia,
obstrueco de abdomen, e tambem
as de menstruacao difGcil, epthar-
ro na bexiga, etc.
Vendcm-sc em porco e a rela-
Iho, na cidade do Recife, phanna-
cia de seu compositor, rua larga
do Rosario n. 10, junto ao quar-
tcl de polica.
X \R0PE DE FEDF.GOSO
E' de una eflicacia verdadeua-
nii'nte maravilliosa como calmant.'
do systema nervoso e applicado
contra a paralisia, asthma, tosse
convulsa ou coqueluche, tosse re-
cente ou antiga, BU&ocsc&s s, ca-
tarrhs bronchicos etc., e em geral
contra todos os soffrimento das
vias respiratorias, o na phytisica
pulmonar, sua virtudc contra o
ttano ou espasmos, e convulsoes
incontestavel, e ninguem hi que
a desconlieca.
DR
SALSA PARRILHA DO PARA
00
DEPURATIVO DO SANGUE.
Usado as molestias de pello.
impigens, dores rheumaticas, e
ulceras venreas.
O nico deposito destes medica-
carne utos na botica do Pinto ma
larga do Rosario n. 10 junto ao
jquartel de polica,
melodiosas e flautadas e por isso muito agradaveis aos
ouvidos dos apreciadores.
Fasem-se coaforme as encommendas, tanto nesta fabrica como nado Sr. -Rlon-
dcl, de Pars, socio correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premia-
dos em todas as exposices.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um esplendido e variado sort-
mento de msicas dos melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos
harmnicos, sendo tudo vendido por precos commodos e razoaveis.
RLA LARGA DO ROSARIO l V
Este acreditado estabelecimento augmenta
de dia em dia quanto possivel para che-
gar ao aune do bem vi ver.
CIIARITERIA E PETIT RESTALRAXT
Annexos ao Hotel Central, rita estreita Rosario n. 4 A, andar terreo.
Para dar a conhecer a variedade infinita
Alm dos saborosos manjares confeccio- de charutos de Ilavana. Rabia, Rio, etc. que
nados com o melhur asseio,tem bellos apo- existem nesle novo estabelecimento pn --
sentos de hospedagem, tanto para una s cindimos dos annuncios pomposos que ge-
pessoa. como para numerosa familia. ramente se fazem, reduzindo-nos apenas
A agua, indispeiisavel elemento para a (res letras que sao tres bbb bom, bonito e
vida e liygieae. temo-la sempre em aban- barato. A' vista do genero annunciado po-
dancia para facilitar excedentes banhos. de-se julgar de nossa veracidade. Esta casa
Ha tambem urna boa bbliotheca e perio- gosa tambem das enndices de um elegante
dicos racionaos e estrangeiros, piano para e petil restauran! onde se pode ver a es-
recreio, buhares, etc. etc. pecialidade dos fiambres e Batanes de Lion
Sendo ociosa qualquer rccommendaco para lanches e at fazer urna boa colacSO,
para to acreditado estabelceimento, omit- juntamente com os prncipaes vinlios do
timos mais prembulos, fazendo ver por mercado, sobresahindo entre o bom a pina
fim, que o bom servico, ordem e moralida- e fervenle champagne, o mni saboroso Rhe-
de iinperam n'esta casa, como observancia no, a primorosa ceneja, o licor espirituoso,
fiel do regulamento que possue. o quanto pede urna mesa. Faz-se a noute
Comedorias a la carte. sorvete c variedade de refrescos.
^^lTrllIl^^glfl^^Elfi^^B1^5
EFFICACIA
DO
XAROPE DE RBANO I0DAD0
0 Xarope de Rbano iodado de Grimanlt e C*, nbarmaeenticos de S. A. I. o principe
Napoleo, em Pars, preparado com o sueco das planas auti-escorbuticas cuja eflicacia
mui popular.
Encerra o iodo como combinacSo orgnica, e considerado como o melhor succedaneo
do oleo de gado de bacal ho.
A rara perfeicao d'este producto anima-nos a dar a conhecer aqui a opiniio de alguns
d'entre os prncipaes mdicos de Pars, que diariamente o prescrevem.
0 Xarope de Rbano iodado nm medicamento d'um effeilo suave e seguro para a
mediracao dos meninos, nao smente soppre o oleo de ligado de bacalhio, mas ainda faz
as suas vezes eom vantagem.
Dr A. CAZENAVE, medico em chefe do hospital Sainl-Louis, em Paris.
0 Xarope de Rbano iodado um medicamento de primeira ordem para o iratamento das
c afleccoes lymphaiicas e escrofulosas. Muias vezes, empreguci-o com feliz xito, em certos
i caso* de tilica ao sen principio, como snecedaneo do oleo de figailo de haeallio.
Dr A. CHARR1ER, antiyu chefe de cltnica da t'aculdade de Paris.
0 Xarope de Rbano iodado sempre nos deo excedentes resultados como regenerador
do sangue, e succedaneo do oleo de ligad de bacalho.
0r A. FAVROT, auior do Traite de* maladies des femmes.
0 Xarope de Rbano iodado um dos mais poderosos modificadores das consiituicoei
lymphacas. Tenbo visto ulceras escrofulosas que nada poda curar, cicatrizarem-se,
< grecas a sua aeeio, com promptido extraordinaria. Tambem, pelo seu uso desapparecem
< as affeccSes tuberculosas dos ossos, nos meninos >
Dr GUESNARb, antigo externo dos hospitaes de Paris. ,
0 Xarope de Rbano iodado possue todas as vauagens do oleo de ligado de bactlbio,
t sem ter nenhum dos inconvenientes que aprsenla este ultimo medicamento.
Dr GUIBOUT, medico dos hospitaes. Presdeme da Sociedade de medicina de Paris.
c 9 Xarope de Rbano iodado de Gnmault e C* encerra i |2 por cerno de iodo, as sua
i composicio orgnica anloga que se acha no oleo de ligado de bacal bao.
Dr KLETZIiN'SkI, professor de chymica, louvado dos tribunaes de Vienna.
Deposito em Pernambuco, em casa de Mmrer O*.
Na rua do Queiniado n. 46, loja, precisa-se alu-
jar nina ama osera va para cozinhar e comprar,
jjaga-se bom alugu r:
Casa para alagar.
Aluga-se no lini da rua da Aurora urna boa
rasa constando di andar terreo, primeiro an-
dar, solea e uinniiiiiii' no centro, com commo-
dos para grande familia, achando-se a memas
cusa toda iilaminadi a caz e com canno de esotog
com bom quintal e coeneira : os pretendenfesque
desejarem urna boa morada dirijam-se a rua No-
va n. 20. qua aehario rom quem tratar.
Precisa-se alagar urna negrmha tie 12 a 14
annos de idade para andar eom urna creanca Je
auno e meto; na ru da Imperatriz n. 15, i an-
dar.
Quem precisar de um menino de 14 a 15 an-
nos de idade para caixero de qualquer estabele-
cimento exceptuando taberna dirija-se rua Di-
reita n. 79, loja.
Aluga-se
ESCBPTORIO DE ADVOCACIA
Rua larga do Rosario20
2t-
m*serava^uea.'.c da urna caca de faetilia ; a, tratar na rua larga i
d) Roanos,, boiiea. .
O advogado bacharel Ayres de
Alnuquerque Gama tornou a abrir
o seu escriptorio na rua larga do
Rosario n. 26: onde pode ser pro-
curado, qualquer hora, para to-
| dos os misteres da sua prossao.
m*
Frederico Maya
Clrwrgio dentista pela escela
de medicina
do IIlo de Janeiro.
Tem a honra de participar ao respeitavel publi-
co dsta capital e seus suburbios, que tem aberto o
cu gabinete de consultas e operacoes dontarias a
rua Oireita n. 12, primeiro andar, onde pode ser
Srocurado todos os dias das 8 horas da man) la a?
da tarde. Elle acha-se competentemente habili-
tado para com perfeicao coUocar dentos artfieiae?
porquakiaerdos systemas, e bem assim desempe-
nhar qualquer outrp trabalho concernente sua
profissao. O mesmo, reconhecendo que era sem-
pre p.slvelsenhoras ou enancas fahirem a
procbu.h'o remedio, offerece-se a remover qual-
[uer obstculo, declarando que na cidade se pres-
tar a qualqoer chamado sem que issoinflua cousa
alguma na commodraade dos presos de seus traba-
lbo9,equandopara fra della assim mismo ser
precedido de um ajuste rasoavel, garantindo elle a
igurancae perfeicao deeus ditos traba!tos. En^
jeu gabinete se encontrar constantemente excel-
leote pos dentifrieio, elixir e.outros medicamen-
tos odontalgieos : rua Direita n. 12. primeiiv
andar._________.__________^
No sitio n. t da Passagem, vend-se urna
eserava de mea idade.
FRANCA-RRASIL
MR. MERGER, alfaiale francez, previne ao respeitavel p'ublieo e a seus numerosos fregn:-
zes que,tendo transferido sua residencia para a rua do Trapiche n. 7, primeiro andar, ah encontrarlo
sempre todas as qualidades de fazendas para trajos de homem, e prepara cosninies para montara d
senhora. Faz tambem obras para militares epara criados, para as quaes tem grande sorlimento de
i otdes simplos, eom virola e coroa de conde, brancoe e amarellos. Recebe por todos os vapores os
ltimos laurinos para homem, senhora e meninos.
y ii i ii ii
a a
lttma(ls
a aeaftaia
tt aWecna
i tais
fILULAS
debUHINduBIIISson
111111 \i I
rWsaceutict
lireit
4
aottaia
0 -atamente das affeecfieschloroticu, lymphacas ou escrophulosas 4 sempre lentis-
swno, e miitM vnn essas molestias resistem as preparaces trrrugieaai ordinarias. As
indagaedes feita pelos professores Hannon di BruxeUas, Geusool e Hetreqnin de Lyio e
Beraelius e Treuaseau de Paris. tem prvido que a ctusa d'esaa persistencia era a completa
ausencia do Manganese. elemento que sempre deve-se acbar no ^ane^l^ jnnciameate com
o ferro. Estas pillas sopprem, pois, na therapetica ana falta imporunte. e por este
motivo ellas tem ereekfo a approvacio da Academia de Medecina e das prncipaes socie-
dades medicas, Deposito em Vernamouce, em casa le Mwet T.




r"

aV
ni
A

jniiii

r


Diario de Pernainbueo SaUbado 30 de Janeiro de 1^69.
5
/
/
'
T
Graude Bqiiidatfto de miudezas !
Alfonso Moreira Temporal, querendo liquidar :s miudezas existentes em sua
toja roo do Queimado n. 5o, rosolveu anrtonciar as me ;mas miudezas para que o pu-
blico se certitiquetle diminuto preco porque as est vendendo, a sabor:
Massos com grampos 25 a .
Pecas de tranca lisa e caracol a
Sabonetes de todos os preces a
80 160 200 e.....
Abotoaduras para colletes a .
Botos de louca para camisas, a
Garrafas d'agua Florida (verda-
deira) a.......
Frascos com agua de Colonia a
30e........
Garrafa de tinta roxa a. .
Caixas com 100 enveloppes a.-
Mantas de seda para homem a
Fita de sarja para enfeite do
vestidos por. .
Frascos com oleo para cabello
a 4O0e.......
La para bordar, libra. .
Escovas linas para cliapo a .
Ditas para cabello a "20 e .
Ditas muito finas para fatos
por preco nunca visto 400
500 e........
Pecas de babados e entre meios
a 600 800 o .....
Grvalas de seda de cor a .
Ditas pretas a 400 e .
Bico e renda das ilbas a todo
preco. So a vista faz f .
Pecas de fita de coz com 10 va-
ras a ....... .
20
40
240
:J20
160
14060
400
800
500
800
(tOO
600
64000
:J20
500
600
Latas com graxa, duzia a
Coques muito bons com rede so
a rede val......
Meias para h omens boa fazenda
a 3S600 e ......
Linha de marca,caixa com 16
novellos ,......
Latasom bar lia (familiia), duzia
Frasdos.com banhaa 320 400 ej
Uotoes para runho fazenda boa
a 80 c ....... .
Volta de Aljjfrfi cousa boa a
Fitas para de bru de. vestido a
Cauta com agulha franceza a
Botos de ac para colete dnzia a
Carto com ilfinetes a .
Caixa com perfumaras muito
fina. S a caixa val 10A000
12,MXX).......
Copo com op ata muito fino a
400 c.......
480
l/>500
4*000
240
I.2,?200
500
160
160
500
160
120
100
150000
500
Meias muito finas para senbora
duzia.........54060
Na ra eslreita cisa-se de una ama para comprar, coziuhar e en-
tornillar para duas pescas.
Feitor
Precisase com urgercia de um feitor que en-
lnda bem de jardim : a tratar to Reellh, travessa
da Madre de Dos n. 16. ___ .
Qiiem precisar do un diado para fazer todo
o s^uco de una casa, pode procura-lo na ruado
Imperador u. 70, i" andar.
Ama.
jema
I'recisa-sc de urna ama para coznhir e com-
prar, preferinde-je escrava : na ra do Livraineu-
ti n. 4. luja.
14000 Cartas francezas a 200 e *. 240
;j20 Ditas portuguezas a 120 e 200
500 *'a'xa delinbadoga*branca 50
novellos....... 600
Frasco com inta a 100 e 106
Franja de la para sapato (peca) 1AO00
500 Papel de pese muito bom 4-5000
Sapatos de tranca o outros muitos artigos, que enfadonho seria mencionar.
RA DO QUEIMADO N. 55
Aluga-se um molequede 10 a 1 auno para
servico externo de urna casa : a tratar na ra
da Imperatriz, loja n. 13A,_________________
O Sr. Antonio Francisco Duarte que ira appa-
recer na ra Direita n. 38, a negocio de seu inte-
rggse, ________________l
Votando defesa do pai da infeliz Antonia,
dellorada e assassinada no Cabo, adicionamos que
o ex-delegado Antonio Pedro Ferrcira Lima por
esqueciinento deixuu de mencionar as partici-
paco es : 1' ter encontrado o corpo da iiifeliz es-
tm'gado por hediondo servico ; f ter achado entre
as roanas da infeliz a certdao de seu baptismo ;
3o ter Jos Menino declarado, que- logo que a in-
feliz desapparecera de casa, sua mai dirigira-se
Corby e llic rogara entregasse-lhe sua filna, ou
Ihc dlsscsse se eslava em poder de Henrique,
d'onde vem a certeza mai contra Corby c Hen
rique, a nao estar vulgarsado que aquello era q
medianeiro deste para semclhante rapta V5-se
benf que essa omissilo milito favorece r. Heri-
qaee aseos cmplices para sua soltura, como
ja pretendeu o ox-delegado. De nnssa [arte di'
zemos que Jos Menino perow o mesan, ex-de-
legado estava com o semblante risouho, r na em
choro, (piando diss ao pai da infeliz 4** elto
Iota quem a mandara raptar, e elle-pai que a
assassignra por um amigo.
t Jos Soares de'Azevedo, pro'essor de
lmgua e lilteratura nacional no Gymaasio
Provincial doHtcjfo, tem: abtrlo em sua
casa, ra Belfa, n. 37,
Um curso de
LINGl'A FIUNCF./.A.
GF.QGBAPI1IA E HISTO-
IUA.
PHILOSOPHIA.
RETHORICA E POKTICA.
Os estudantes que quizerem frequentar
qualquer d'estas aulas, tanto os que devem
fazer exame em marco prximo, como os
que teem de seguir o curso durante o anuo,
podem dirigir-se indicada residencia, de
manha at s 9 horas, e de tarde a qual-
quer hora.
COMPRAS.
Compra-se moa armaran emidrarada : a
tratar na ra Direita n. 35.
Illuminaco.
HL'A DO CRESPO Y 16.
Duarte Pereira & C, temi uvebido pok)
ultimo vapor grande e tarjado, sortimento
de haloesdfe panel dedhersas qualidados,
e do niais moderno oslo, proprios para
illuminaco tanto da ctate eximo to
campo, assim o fazem constar a seus' nme-
rozos freguezes e ao fespeflavel publico.
alini do que com lempo se previnain, visto
Su
A W
A aguia branca teta-so feito lio eonheeida e
acreditada, nao s pelas novidades, variedades, su-
perioridade e abundancia de seu sortimento, como
pela constante commodidade de seus preces, e mes-
no pelo seu assaz e nutra olvidado agrado e since-
cidade.
Essas verdades neontestawis sao sem duvida
apreciadas pelo bello sexo em particular, c pelo
espeitavel publico em geral, e a lano tem chegado
pie esto quasi passando como annexim ou pro-
. erbio, (piando se ve um objeclo de elegancia,
rosto, novidade, etc., etc., diz-se logo--aquelle ob-
jecto Bem d-ivida foi comprado na loja d'aguia
branca.
Ouando no club, nos bailes, ou DO salo do
Santa Isabel, urna excellentisshna se aprsenla
garbosamente trajando, traz.'iido o moderno cinto
de mui larga lita, lisa, ehamalotada, ou escosaeza,
aa soas admiradoras dizem eomsigo aquella lila
fbi comprada na loja d'aguia branca.
Quando oulra execBentissiflia, nao menos gar-
hoa, mostra o rigor de seu bomgosto na acortada
coma dos enfeitbs de alta novidade que bella-
mente ornam seu vestido, ainda mesnio asrvaes
de sua sympathia confessam queaquellos enfeites
ioram d loja d'aguia branca.
Quando n'outra excellentissima, apear da sin-
-elleza de seu porte agradave!, se vem as bonitas
luraa v. pellica duqueza as suas bellas ami-
,.is loBvam-lhe o goito e eoafessam queaquellas
'ivas l'c rain da toja d'agoia branca.
Quando mesmo duas oxctllenlissima-. anUgai
amigas de collegio, se cncontram naipielles loga-
res, depois dos euiupiinieutus de reciprocos beijos.
.onbas por l'orca de sua elevada delicadeza, gabam
urna a oulra os agradaveis ebeiros de que usam
em seus finos lencos, e cada una das quaes orgu-
lliosaspelo elogio do acert de sua cscolha, e como
que qnerendo por si mesma jnsiifiear dizem simul-
laneaiucnte vtrdade que este cheiro foi compra-
do na loja d'aguia branca.
.liada mai*.
Quando hnntem os pata afilelos sentiam o rigor
da denticio de seu ebaro lilbinlio, e boje alegres e
satisfeilos pelo f diz reslabelccimcnto recebem as
visitas dos seus melhor aniigos, dizem aquellos
estes, foi Deus i|i e me inspiroupara que compras-
ve, como cornpi "i, um desses virtuosos collares
Hoyer, que so vendem na loja d'aguia branca.
Ani do milito mui* que aluda
falla dizer.
Quando em um circulo de circumspeetos carac-
iiics se diseutlra reracidade de taes dizeres, appa-
recer nm nutro que queira anda levemente nter-
romper a diseossao, os primeiros por momento es-
qnecero a circt nispcccao e Ibes darao um gra-
cioso ili-liiqnc diie ido-Ibes sabemos que V.
um daquelles que inclina o chapeo de sol ou que
mereca ser designado pela aguia branca da ra
do Queimado n. 8.
Nao tantas as colisas que por
ninas eveapam as ontras.
J;i a esquecendo a aguia branca, mas em tempo
lembrou-se para noticiar, que recebeu urna pe-
quena quantidade de enfeites para coques e gram-
pos jiara ditos, ti do feito de metal com lindos e
agradaveis colorii os, obras calas pela primeira vez
appareeidas, e perianto nteira novidade.
I lll.lllilH
Aos 500 pares de brincos.
Chegou e vende-se no Coraco
d'Ouro, ra do Cabug, brincos de
maosinbas com urna franja penden-
te a um rico desenlio o ouro de
lei, pelo pequeo preco de 15-51000
cada par. baratissimo.
20,000
De gratificaco.
Quem acliou na entrada do Parnamerim
um embrullio pequeo, contendo 4 caixi
nlias com botos de punho e duas com
de camisa, tudo de ouro, que cahira d'um
passageiro que vinha de Appipucos no
trem de 8 horas da manha, no valor de
lo(i>, querendo ter a bondade de entiegar
ao cliefo da estaci) do porto do Capim re-
cbela 20-> de gratificaco.
Com muito maior vantagem
.Compra o Coraco de Ouro, n. 2 D, ra do Cabu-
ga, moedas de ouro e prata e pedras irecio-as.
Compra-se escravos.
Lino de Faria & C, na ra do Vigario n. 24, es-
criptorio, I andar, comprapi escrave* de ambos os
sexos, sendo que, molecpies- de 14 a 20 aimos e bo-
nitas figuras, serao pagos por muito niais dinbeiro
duque em outra qualquer parte.
Ouro e prata
ero moeda e em obras inutlisadas, compra^w por
bom preco na piara da Independencia n. t.
Na praja da Independencia n. :tU, loja deou-
nves, conipra-scouro.piafa, e pedras preciosas,e
lambem te fax qaalqdcr Obra de enconuneada, e
todo e qualquer copcerto.
Compra-se-
jote libras esterlinas, ouro e prata de todas as
nacoes
n ra
e por maior preco do que
da Cadeia do Recite n. 58,
em outra parte :
ya de azulejo.
VENDAS.
'<
Vende-e urna das principaes tabernas aqu
nesta cidade na exlremadoure de Santo Antonio
a S. Jos, muito bem afreguezada para a trra, c
pela sua boa loealidade' nao pode ser o niellior
possivel, e agradar ao comprador, c i motivo do
proprietario disfazer-se da dita eui virtude de
retirar-se para Europa a tratar de negocios ten-
dentes a sua patria : qualquer pessoa que dfsejar
fazer negocio, dirga-se a ra da Madre de Dos
armazem n. 'Ifi, que adiar coni quem tratar .
dir-se-ba qual o estabeJecimento.
como atiento aos ltimos succe*sosda guer-
ra se espera a cada momento a fausta no-
ticia d sua concluso. S iltuminaiTn) em
bales de papel alm de ser linda menos
dispendiosa possivel, osaiimiiuiantes venr
dem-os por precos mui ra/oaveis, i \t
noticias da concluso).
Vende-se una casa terrea, com bastantes
commodos, sita na ra da Estacan, na povoaco dos
Montes, em Una, junto a estacan da estrada de
ferro : a tratar nesta cidade coni Virgilio de CaAre
Oliveira, travessa da ra do Vigario.
PASTILIAS ASSIRADAS-
DO
DR. PATERSON
De bisinnth e inaguezia.
Remedio por excellencia para combalcr
a magreza, facilitar a digestao, fortificar o
estomago etc.
DEPOSITO ESPECIAL.
Phannacia doRailholomeiiA C.
34------Ra larga do Rosario------31.
Vende-se
Duas pas de inarmore inuiln linas, com floros
em relevo, que poden servir para igieja, ou para
easas particulares, vende-se por preco muito rom-
modo : ra Nova, cscripiorio de CJuinteiro &
Agr, n. 03.
Loja das seis portas em fronte
do Ligamento.
Pecas de hretanha de lindo
prio para camisas e saias de
tissimo precio de lOj a peca
c mu 2"> varas, pro-
si ahora, pelo bara-
Buhares.
Vende-se magnficos buhares com seus
pertences, 1 gamo com pedras de marm
a 2 grundes fiteiros envernisados e envidra-
Cados: na ra da Imqeralriz n. G9.
Prccisa-se alagar em um dos arrabaldes pr-
ximos cidade, um sitio, cuja casa nao lique
face da estrada. Ouein liver algum neslas condi-
Soes. pode dirigir-se a ra do Apollo n. io ou a
o Ouro n. 30, que adiar com qm-ni liatai*
Precisa-se de una criada
Visla n. 24.
na praca da Boa-
Preeisa-se de urna escrava que saina cozi-
nbar, ciigominar e fazer compras : a Halar na ra
do Cadeia do-fiocife, n. l. amanera.
os 8 mil globos
de papel de cores chegados para illumina-
co dos festejos, proco muito em conta
e ainda mais sendo em duzia: no armazem
do Vapor Fraucez ra Nova n. 7.
Protectora das familias
Em cumprimenfo do prevenido no artigo 2!) do
regulanieuto, se convida a todos os senbores con-
tribuimos desla associacio, que inda nao tiverem
apivsentado as cerlidoi's de idade dos segurados,
liara que facam entrega dellas na ra do Ijvra-
niento n. 19, 1 andar, alim de ser expedidas o
mais breve possivel para a inspectora geral do
Rio de Janeiro. As certidSee devora ser selladas e
Tainbem cliegai am novamente delicados enfeites reconbecidas por labelOao. Recife lo de Janeiro
Farinha de Mandioca.
No trapiche da companhia, largo do
Corpo Santo, ha farinha de mandioca de
Porto Alegre, ensaccada e de qualidade muito
especial. A bordo do brigue Xornia ha
para vender farinha de mandioca de Santa
Catharina, fresca e de boa qualidade qui-
se vende a prego commodo; a tratar no es-
criptorio de Amorim Irmao, ra da Cruz
n. 3.
Sap Gasse e Paulo
Cordeiro
No armazem de Jos Joaquini Lima Bairao, a
ra da Cruz n. 18, tem constantemente suprimen-
lo de rap Gasse groa e lino, o Paulo Cordein
commum e viajado; nao precisa l'a.-i- aoologia de
sua excellenle qualidade. pois ella ja de mai-
conbecida, assim como o logar propr de sua
venda.
ATCEICaO
Vende-se urna escrava de ncao, excelfenle qui-
tandeira e lavadeira, e solfrivel ooiraheiRi : a pes
sua que a pretender dirija-se a ra Augusta nu-
mero 86.
ACAB \
\ iuho Figueira
Vende-se em ancoretas de 9 caadas superior
vmho da Figuira, proprio para casas partculfe-
res : na ra do Amorim n. 38. armazem.'
Vende-se.
Um balco em bom estado : na ra da Cadeia
do Recife n. 22.
Vende-se dous eavallos, sendo um delles pro-
prio para carroca e nutro para rabriolet e una
crnica em bom estado, tudo por preco commodo :
a tratar na Soledade ra da Conquista junto a
casa do Sr. Anlunes, das 8 horas as 9 da ma-
nha.
-.----_-
e flores"ornadas de aljofares c vidrilbos, tanto de
pama para coques como para vestidos, e tudo
continua a merecer a apreciarlo das excellentissi-
mas conheceduras do bom.
uiLi\miif uvill
Para descarocar algodao
Kxpiisinlo Iniversal de 1867. Premio nico.
Estas novas machinas obram sem machucar a sement, sem deixar flear a menor
parcella do tecido, e conservam s libras todo o seu comr. cimento c toda a sua elas-
licidade, ini (|ue tanto desejavam os fabricantes.
O aquentamoiito do algodo destruido por urna corrmteza de ar fri, produzida
pelo ventilador.
Estas machinas apresentam a vantagem de podaran lr reguladas pelos traba-
hadores os mais inexperientcs. O seu pequeo volunte e o seu pouco peso peimittem
iranspoi1a-las com eavallos, pelos mais pessimos caminhos, e o seu manejo to f-
cil que um homem s pode, sem se cancar, descarocar de l a 20arrobas, e um meni-
no de 8 a 10 arrobas por dia.
Muitos agricultores e negociantes viram funecionar oslas machinas em casa do Sr.
Cermano relojoeiro, seu expositor, eaprecaram muito o syslemapela facilidade e aper-
teicoado dotrabalho, porque os fios nao sao cortados, e deixatnos carocos limpos sem ne-
iliuina felpa, (tesando portanto um beneficio de 20 a T.i po' ceuta sobro as outras ma-
chinas. A visla deslas vantagens, ja se ve que estas machinas sao preferiveis aquellas
de serrar, tanto mais que as queixas dos fabricantes o dos negociantes de Liverpool,
Havre, Hamburgo etc., fizeram com que o ministro da agricultura do Brasil prohibisse
o uso das machinas de serrar, que muito deprecia o algodao brasileiro nos mercados
da Europa.
de 1869.O representante.
X. P. de Vidal.
miaiii-
Monte Pi Popular
bucano.
De ordem do Sr. director scienlilico ao eonselho
administrativo, que a sessao marcada para o dia
> d fevereiro foi transferida para o dia ') do nes-
mo em ramo de ser dia santificado.
Secretaria do Monte Rd Popular Pernambucano
28 de Janeiro de 1869.
O Io secretario.
.'iilin Cesar P. da Hucha.
AMA
Precisa-se alagar urna ama para o servico in-
terno de urna casa de pequea familia : na ra do
l.ivramenlo n. 2i, :i" andar.
Precisa-se
DO
BRASIL E PORTUGAL
Situado em um dos bairros mais centraes de Paris, se ido as immediacoes dos
(irincipaes thoalros e outros muitos divertimentos, e assim d;s estacSesdos caminhos de
ferro pira todos os pontos da Europa, acabado de ser inLeiramente renovado, nao se
tendo poupadoo seu novo proprietario a despezas para seu completo embellesamento e
aceio, t3rna-sc portanto ventajosamente recommendavel aos senbores brasileirose por-
tuguezes, a onde encontrado sempre aquella convivencia dt sejada em paiz estranho,
por ser constantemente frequentado por seus compatriotas. O tratamento superior a
todo o elogio, mesa redonda, ou a carta, ou servida nos apizentos; habitacoes conve-
nientemente despostas para familias, e quartos para urna s pessoa, o servico feito
com a precisa regularidade: os precos muito rasoaveis eao alcance tambem d'aquellas
pessoas que se queiram limitar.
Ga jinete de leitura com os principaes jomaes dos dous paizes, salao de recepto e
de msica, etc. etc. Todas estas vantagens podem ser appli adas igualmente aos senho-
res passageiros das repblicas do Prata, porque alm da somelhanca dalingua, al i en-
contrara o muitos senhores bespanhocs, por quem tambem esta casa bastante fre-
quentada.
de um menino de 13 a 14 annos de idade, Brasi-
leiro, (pie tenha ou nao pratiea de taberna : a
tratar na ra dos Pescadores n. 43.
Jos Pinto de Magalhaes com estabelecimen-
to de carros fnebres uo largo do Paraizo, roga a
seus devedores o especial obsequio de Ihe pagar o
que M acham devendo. Nao e com historias ou
promessas que o annuneiante ha de pagar a quem
deve, e sustentar o cosleio forte de seu estabelqi-
mento. Sejain tao bons, quaulo furam bem ser-
vidos.
I. Ferreira Vlllela.
Photo^apho. da casa imperial
premiado ein diversas exposi-
t;des.
Na Sua pholgrapbia ra do Cabug n.
18, entrada pelo pateo da matriz tira retra-
tos por todos os systemas photographcos.
Em porcelana Em vidro .
Em talco Em papel
CAKTES DE VISITA A H 4 DZIA.
Os retratos carte-de-vsite sao collatlos
em carto de luxo .bristal ou porcelana,
domados ou lithographados, quadrilongos
ou vinhelas para o que existe urna varieda-
de de 12 modelos a escolha de quem se re-
tratar. Para as outras especies de retratos
temos caixinhas, passe-par-touts, quadros
e molduras douradas e pretas cassoltas de
ouro e alfinctes simples e com pedras pre-
ciosas, havendo nos alfinetes urna mimosa
variedade de feitios.
O nosso estabel'jcimento photbgrapbico
est sempre em dia com os melhoramentos
eprogressos que na" America do Norte, na
Europa ou no Rio de Janeiro se consegue
na arte plwtographica, e para alcancarmos
tal im nunca poupamos despezas nem ?a-
criflcios, de sorte que os nossos numerosos
freguezes podem ter a certeza de que sem-
pre encontrarlo em nosso estabelecimento
tudo quanto a arte e a moda offerecer de
bom no novo e velho mundo aos amantes
da photograpla.
Vende-se por neeessidade urna negrinlia
com todas as habilidades : a tratar na ra do Pa-
dre Floriano n. 71. Na mesma casa d-se algum
dinheiro a juro.________
Vende-se por preco razoavel 1 sof, I par~de
consolos, 6 cadeiras e 1 cabide, tudo com uso : no
pateo do Terco n. 29, loja.
Bomba
Vende-se urna
eom pouco uso :
12, loja.
bomba de japy para cacimba,
na ra da Imperalriz numero
de cliegar os sabonetes de
ilcarrio.
Deposito, botica do Pinto, junio ao quarlel de
polica.
Vende-se
nm cofre de Ierro, Brande e bem fornido
na ra da Cruz n. 23, Io andar.
a tratar
Para familias
Graude Bazar, ra \ova m*. SO e
99, do c arneiro i fanua *1 c .
Acaba.de chegar a este estabelecimento
grande porcao do machinas para costuras do
autor Wheeier Wilson, approvadas na ulti-
ma cxposic5o de Paris, as quaes cozem com
dous pospontos toda a costura, c tem a
vantagem de ser to suave o movimento,
que qualquer crianca de oito annos fcil-
mente trabalha, e pode, com este entrete-
nimento, levar vantagem ao servico diario
de trinta costureiras. A comprehenso
simples, pois em um quarto de hora se fi-
ca senhor do movimento da machina, ten-
do a mesma a propriedade de fazer as se-
guintes costuras: pospontar, abainbar.
franzir, marcar e bordar, como apresentam
os dosenhosque acompanham-nas. Os pro-
prietarios do estabelecimento se encarre-
gam de mandar ensinar nesta cidade, e
garantem entregar o importe dispendido ao
comprador, no caso de nao traba Ihar com
perfeico a machina vendida, nao tendo,
porem, soffrido ella alguma avaria. Ha tam-
bem no mesmo estabelecimento machinas
do autor Grower & Baker, de traballio sim-
plesmente mo, e outras com movimento
dos ps; e mxime todos os pertences das
mesmas machinas, para vender avulso.
Temporal
Liquidacao de miudezas, ra do Queimado n.
H$, tubos ou chamineis para candieiro a gaz a
3Ors.
Vende-se duas crioulas peritas cozinhei-
ras e urna cabra de 30 annos. com habilidades :
na ra do Fogo n. 9. ___________
= Vende-se urna prela de 20 annos de idade,
bonita ligura, sem achaques e nem vicio al-
gum, boa lavadeira, principio de cozinhar e cn-
gominado : a fallar na ra das Aguas-Verdes
n. 90.
Venden-se seis sacada de pedia de Lis-
boa : na ra do Queimado n. 29 se dir quem
vende.
Vende-se urna preta de nieia idade
tar na ra da Imperalriz n. 55.
a tra-
Vendem-se 3 eseravas recolliidas crioulaf,
bonitas figuras, de ptima conducta, sao perfeita-
no engommado, na costura, e insignes cozinheiras,
idade 18 a 2'i annos, 2 ditas de idade ) a 4 an-
nos, muito robustas, sem vicios, para todo o ser-
vico, i dita de meia idade por 4001: ra travessa
do Carmoi. 1.
Vende-se
urna boa armacao de kiuro
reita dos Abgados a t.
CRINOLINAS OU BAL ES A 2*500 Si Ny
ARMAZEM 1)0 IMVO.
Baloes 2->500.
Crinolinas 2*300.
Baldes .'i(M).
Crinolinas ;i 2->.'00.
Bales 2500.
Crinolinas 2*500.
Vende-se os mais moderos baloes ou
crinolinas americanas, muito bem feites, sen-
do todas de modelo esguios, pelo' barato
preco de igtiQQ cada una, nicamente na
loja e armazem do Pato de Flix Perwra
da Silva, ra da Imperatriz n. 60.
GROSDENAPOLESPRETO A QUATRO
PATACAS SO O PAVAO.
Vende-se grosdenapolos pelo do boa
qualidade pelo barato proco d> 1^880 o6-
vado, s na loja o armazem do PavSo, ra
da Imperatriz n. 00 de Feliz Bereira da
Silva.
CAMBE VIACOM SALPICO A 5I000APECA.
Vende-se pecas de cambraia branca com
salpcos, sendo neste genero o melhor que
tem vindoao mercado, tendn 8 c meia va-
ras, polo barato proco de 5*000, pechincha
na loja c armazem do Pavo, uia da Impe-
ratriz n.00 de Flix Pereira da Silva.
CAMBRAIA BRANCA A 3-sOO.
Vende-se pecas de cambraia branca
transparente, com 8 e meia varas pelo ba-
Graiido litiuidnco
0 propriciario (faniiga elieni cunlienda
loja de iiiiinl. minada ;| na do Queimado n. ii:!. quereiido acabar
com, .i s.iriiiivntoiii miu.lezas que existe,
tem deliberado proceder a una coniplcUi I.-
uuidai.-o, para p qije cf|anaa atleatrwdeto-
Os (ibjecius serilo vosdidae por oaetadede
sen Vilnr. B'part que o puMi.-n. nao nha, que o prsenle annuncio urna illui
o proprietario da diUiloja, offerece una pe-
(juena lisia de algumasmiude/es, com os m us
diminuios [procoscomo abaiso so ver;
nao apresenfcmdo urna lista Completa de to-
dos os objectosqu eslao expatos a venda,
pola razan .le se tornar um annorjcio muito
extenso e por c.mseqn.Micia de enladonha lei-
tura.por isso apenas lemila-se as seguinUs:
1 Duzia de miadas de linha pai a
(azeraroeb.
I Caixa de linha com 50 novellos
1 Dita 50 t
I Dita c -|0
1 Duzia linha de cartiteis de
100 jardas
I Dita ( de
200 jardas.
Fila de la para debrum de todas
I as cores, a peca.
Dita branca
Dita
Peca de lita de linlio com 10 varas,
e qeu servo para eos.
Dita a < c
Pentes volliados para menina e se-
nbora.
Ditos muitos finos.
Ditos preto com chapa.
Ditos brancus
Ditos pretos.
Ditos brancos finos.
Escovas para dentes a 100, 240 c
Ditas para cabellos.
Ditas muito finas.
Ditas para roupa.
Ditas (lila de (lila.
Pentes de coque com fila a I *500,
SOOO o
Pentes para coques 1*50, 2*500
3*000e
Peca de franja para toallia a peca
com I i varas.
Entremeiosbordados a pecaQOO
Tinteiros de poraeJana 1*500 24
Balaioa para meninas de escolla
bonito desenlio 800. I*, l-vilKI
JVca de lila de seda para enfei-
tes de vestidos.
Fila de sarja de todas as cores.
Grvalas pretas a oiO e
Hilas de cores.
Sapatos do tranca 6 tapeto.
Carrafa de agua Florida vorda-
ira
del'rascocom extracto em sapall-
os.
uhDitOS com leos.
Dito aguado Colonia, pjqaeaos.
Dito, dito de dito deliever.
Ditos com b.tnlia".
Ditos com Inico.
Ditos com oleo lilocome.
Ditos com extracto o banlia.
Ditos com extractos diversos
Pao de pomada.
Ditos pequeos de pomada.
Capollas para noivas muito linas.
Sabonetes, 120, 320 e
Ditos transparentes de bolla.Mo.
Redes para cabera
Bandeja 900 a
Duzia de botdes de seda para en-
feites de vestido 240
Porcoirade conlas. 8uu
ICC
im
800
900
3(K)
1*200
B00
200
120
900
500
300
V00
320
220
400
360
280
900
320
500
24S00
i/jOO
2*000
700
2A5O0
24000
1*000
1*100
300
500
l*5CK)
li|300
100
400
BOO
1*000
500
14000
i-joo
500
;,i h i
80
3.-5400
500
I 000
300
I
ALTA NOVIDADE
A #
Loja do Pavfio,
GURGCRES PARA VESTIDOS A .
(i coyUdo.
Cbegaram os mais modernos gurguiOes
para vestidos, sendo de todas as cores,como
sejain verde, a/.ul, rosa, bismark, perola,
roso di A tendo quasi uuatro palmos de lar-
gura o vende-se pdo bacalissinio prec i
de 1*000, cadacovado nicamente no ar-
mazem de Flix Pereira da Silva, na roa da
Imperalriz n. 00.
IiiNS PARA e\i..:\ NA KMA no P\\AU.
Vende-se os mais modernos e meiboivs
rato preco do 8*500 ditas muito linas tanto fi-S** ^ <*. o^oscoin
listas do lado, garantuido-se seren de buho
puro e vende-se por precos inuilo em con-
tapadas comotransparentes 1*500, 5-sooo,
6*500, 7*000 e 8-siKH), assim como organ-
d muito fino tardo fizo, como de listas e
quadros na loja e armazem do Pavo na
da Imperalriz n. 00 de Flix Pereira da
Silva.
ALPACAS LAVBADAS pARA Ll'CTO.
Vende-se na loja do Pavo. as i
ta no armazem de Flix Pereira da Silva, a
ra da Imperatriz n. 00.
Pkciii.m-.u.v Ai.r.ooosi.Mio A 5*500
A PECA .NA LOJA DO PAVO.
Vende-so stipoiiores pocas do algodaosi-
nho com 20 jardas a 5*500 a poca, gran-
60
Silva.
-4
Vaquetas enverni.sadas para
carros.
Vinho de Bordeaux fino oin cai-
xas da marca de I. j8. & C.
Vinho de champagne em eaixas
venda ra da Cruz n. 68.
I)
Proprias para a qua-
resma
A saber: .
Grs-de-napoles para todos os precos.
Cortes de cxcellente gorgurSo para ves-
tido com 18 e 19 covados,
Ditos de seda lavrada, boa fazenda e ba-
rata,
Moire-antique,
Ricas basquinas e tambem as mais sim-
ples e baratas,
A ra do Queimado n. 31, loja de fazen-
das de A. M. Rolim & C, aonde tambem se
encontrar completo sortimento de fazendas
de toda a especie.
Vende-se urna taberna sita no bairro de S.
Jos, propriapara principiante : a tratar na ra
Imperial n. 36. ^______________
Na ra de Hurtas casa n. I, c.impra-se jnrnaes
uu outro qaalaaer papel que esteja limpo, a 41 a
arroba.
a tratar na roa Di-
- Na ra dos Coelbos o. i8 vendem-se llores e
ramos de cera, assim como acha-s.3 urna pe
competentemente habilitada para ensinar fazer as
ditas flores por pico commodo. Na mesma roa
vendem-se 4 jarros de marmore proprios para
I jardim.
RAN-
A500
US. 0 METRO.
Vende-se linissimas cairdiraias Ira
com os mais delicadospadroes, tanto mui-
dos como gnudos, e con as cores mais no-
vas que leni viudo no mercado pelo bara-
tsimo proco defiOOra. o metro; garantindo
que 7 metros dio um vestido para qual-
quer senbora, o ipie em oulra qualquer loja
nao se encontrar a mesma fazenda por
igual proco, o sim s na loja e annazem do
Pavo, ra da ImpTatiiz n. 00 de Fcx
Pereira da silva.
C'assas inglezaus a 440 rs o metro
Vende-se una grande porrao de bonitas
cassas nglezas tanto graudasoeanO miodi-
niiis e de coros lixas polo barato preco de
440 rs. omelro.garHntindo-se que 7 metros,
dan um vestido para qualquer Sra. s na
loja do Pavao ra da Imperatriz n. 00 de
Flix Pereira da Silva.
RETALHOS PARA LUTO NA LOJA DO
PAVAO.
Vende-so una grande quantidade de rc-
talhos do chitas e cassas pretas por preco
muito barato, e quanto maior for a*porcao
que o fregu comprar, mais barato se lhe
vender na ruada imperatriz n. 60 de F-
lix Pereira da Silva.
Polldechvre a iOOOo corado
Vende-se poil de Cbre milito largo o
as melhores e mais modernas cores peio
barato preco de 1,5000 o ovado, na loj
armazem do PavSo. ra da Imperatrii n. 00
do Flix Pereira da Silva.
amigo dos fuman-
tes.
Vende-se osla bem acreibta^MM t cha-
rutos, a prao ou a dioMm
(lente ter do para o mato : a tr
na mesma, na travessa de >. Pedro n. t.
1.





Diario de Peruanibuco Shbwlo 30 de Janeiro de 1869.
A0 BAZAR DA MODA
DE
JOS DE SOUZA SOARES.fr C.
Ra Nova n. 50, esquina da ra de S. Amaro.
PARA O OVO A'V\0 IIH 1 H9.
Novo aortimeatode artigo de moda eluxo. receidos pelo ultimo vapor rindo da Europa.
Especial < >rliinentodeohjectos para mimes.
Perfumaras linas dos pnneipaes autores.
tuvas de pellica frescas, brancas ede cores para homens c senhoras.
Chapenzinhos de palha do Italia enfeitados,para senhoras.
Ricas ihapelinas para senhoras, gorrosde patita de Italia para senhoras e menina?.
Especial sortinientu de sintospara senhoras.
Enfeites de gosto para senhoras.
Fitas de gm-denaple superior do todas as cores e larguras.
Franjas rom vidrillins, brancas, do cores e pretas.
Guarnicoes de todas as quadades para vestidos.
Vestuarios Completos pa^a baptizados.
(inlinlias e punhos onl'eitados para senhoras.
Co(|ues modernos, lisos o enfeitados.
bornous de lia e seda, edita chiras, modaelegante para snior s de bom gusto.
Corpinhos de caiubraia enfeitado9para senhoras.
Cachc-nez de.la.
Chapeos de sol para homens e senhoras.
Flores linas, sortiniento especial.
Ptimas otegantos dequalidade superior.
Cintos ricos de palha. alta novidade.
Grmaldas de llores linas.
Camisas superiores para homens.
Colarinhos o punhos.
Gravatas e mantas modernas.
Bengalas de diversas traalMades.
Caicas grandes rom quatro pecas de msica.
Flores de palha para guamiees de vestidos, botoes, flvelas, la;os para enfeites.
Chapos de pello de seda pretos, forma a Rotschild, fazenda superior para homens.
Crrenles de plaqu lino, gustos bonitos para relogios.
Ccetelas de bom gostopara as mesmas.
Curenles pelas de borracha diversas modelos para voltas.
bjectos para luto.
E nuiitos outros arligos de novidade qne s vista podem ser ipreciados.
Existe continuamente un completo sortimento de miudezas, ve:ide>se por grosso o] a retamo
a eoitroionos pre^o
BAZAR DA MODA.
*iSa^^^ T\SS0 l|{\l 0S
AC HaT17nTr,A "* toda as portea do mundo, empregam, con
U3 JUE/l/IVV/O o phosphato de ferro soluvel de Lbras, pira "en
o maior xito,
pin curar a chlorosis
(cores paludas), a? dores do estomago, e a rxhaustaclo do sangue; com esta preparacSo, dio
ao corpa o vigor, e s caries, a toa firmeza natural; facilitan o desenvolvimento Uto labo-
rioso da puberdade. Com effeiio, tudo, n'este medicamento, aa acha reunido para lhe
aisegurar a maior crdito, pois que entram, na sua composico, es elementos dos ossos e
do sangue. 0 seu autor, M. Leras, doutor em sciencias, pharmacemico, profesaor de
chymica, inspector da Academia, foi, recentcmente, condecorado da erdem da Legilo de
Honra, digna reeempensa dos seos importantes trabalhos.
Aa segnintes apreeiacSos dos mais celebres mdicos ainda vem corroborar e justificar
lodos estes ttulos i cenlianca publica :
t Precisa classificar o phosphato de ferro soluvel entre os ferruginosos ene rae hor
t convem sos do?ntes COJOS orges digestivos supportam mal as preparac5es de ferro. -
SOUBEIIIAN, professor a Escola de medicina e de pkarmacia.
0 phosphato de ferro soluvel em quanto a mim, a mclhor das preparacees ferrtigi-
nasas, eoscu wnprego d os mais promptos e seguros resultados.
ARAN, medico do hospital Sainle Eugenio.
a A forma liquida do phosphato de forro soluvel d-lhe urna immensa vantagem sobre
as pilulas; cu considero este medicamento oomo mu suiierior s preparaedes iodadas.
jfRNAL, medico de S. M. o Imperador.
Entro lodos es ferruginosos, nSo conhecemos um sd que obre tao prompta e efficazmote
eomo o phosphato de ferro soluvel, e isso, sem cansar o estomago.
11ELL0C, BMJHK, WCOT, FOLLET e PIIVOST, mdicos dos hospitaes.
i Os effeitos da preparacao de phosphato de ferro soluvel me parecem ser mui seguros
c e promptos. BEItOUJ, redactor em clicfe do bullelin tlirapeutivw.
t Entre todas as preparacSes ferruginosas, o phosphato de ferro soluvel foi a qne sempre
t me deo os melhores c mais satisfactorios resultados. GUIBOIT, medico iot hospitaet.
0 phosphato de ferro soluvel tem, sobretudo, a vantagem de evitar a constipar*:) e
< eauvir aos temperamentos delicados. Dr FAVROT.
Deposito em Pernambuco, era casa de Maurcr a O*.
LOJA DO PASSO.

Tem para vender em seus armazens, alm de oo- n"> lo_Cres|i o. I A. esquina
tros, os seguintes artigos :
Papel para imprimir.
Perlina azul.
Greve pautado e liso.
Hnlios em caixas de doze garrafas
Bourgogne.
Hery.
adelfa.
Hermitage.
Chamblis.
Licor de cnraeo de Hollanda em raixas de vin-
[< e quatro botijinhas.
GESSO
Nos armazens de Tasso Irmaos
Pharmactutico
laureado
pela Acadtta
V
I tnodicwa do Pam
PSTLHAS
[i DOSESt DIGESTIVASl
oeBURINuBUISSON
Medalhado
pela "(
Sociedad
fomento.
PRECO CORRENTE DOS CHAPEOS DE SOL
Da fabrica de
MANOEUC.
Rua Nova n. 23,Ra do Catinga n. 8
Pernambuco
Chapeos de seda trancada, Paragon, de 16 hastes, 28 pollegadas a 16? : 26
plegadas a 13?>. c 24 pollegadas a li->000.
Ditos de seda G. de'N. Bara, de aro. de 16 hasles. 28 pellegadas a 14->;
de 26 pollegadas a 13^ : e 24 pollegadas a 12,-50O.
Ditos 'de seda G. de N. lisa, de ac, de 12 hastes, 28 pollegadas a 12* ; de
26 pollegadas a H# ; e 2i pollegadas a 10,-X)00.
Ditos de alpaca, de ac, de 12 hastes, 28 pollegadis a 6 ; e 20 pollegadas
CON LACTATO DCjSODA E MAGNESfA\
Estas Pastaba* rastnem o medicamento sais novo e o mais racional pm'etfmbater
todas as affecedes das tos digestivas. Ellas contem, com efftto, o acido lacteo, um dos
elementos noraaes da digestio, combinado cora a magnesia calcinada, cujoabona efTeitos
tem sido apprecisdoa por iodos os adieos, a o bicarbonato de soda, sal que faz a base das
aguas de Vichy ecla amor parte das aguas inertes alcalinas. Este tripliee conjuncto de tres
Approtacao
a academia
4* wudecin*
de Paris.
PharmceuHco
laureado
da academia
di nedtcina.
a $#500.
a duzia.
Por duzia faz-se descont de 15 0[0
Chapaos de sol de panno, debaleia, de 8 hastes, 24 e 26 pollegadas
(i)csconto de 10 0|0).
Ditos de panno, de junco, 8 hastes, a 18000 a duzia, liquido.
As preparacSes ferruginosas liquidas tem desde muitos annos merecido a approvacJo
especial dos medhos, porque ellas obro mais rpido e seguramente do que as pilulas, e
sao mais fcilmente toleradas pelos doentes. Os Pus ferro-manganicos possuem a inappre-
ciavel vantagem de poder offerecer n'um instante urna agua ferruginosa gazeosa, de gdsto
agradare!, mais activa do que as aguas mineraes, e contendo de mais um elemento precioso,
o Manganese, que sempre su acha no sangue, junctamente com o ferro. Emprcgao-selem
todas as molestias que tem por causa o empobrecimento do sangue, assim como para vigdrar
os temperamentos debis e lymphaticos. A chlorose, as Perdas brancas, dores a"estomago,
a irregularidade da tnenstruacSo c amenorrhia ou supprescao do menstruo, cedem rapi la-
mente a seu emprego. Devcmos mencionar aqu um faci notavel, isto 6 que os doentes cura-
dos pela agua preparada com estes pos esto muito menos expostos a recadas do
aquelles que forao .retados pelas prcparacc.es ferruginosas ordinarias.
Deposito em Pernambuco, em casa de Manre* e c*.
me
m^&5&&$&*5&c
'a*ze
m
VEREADEIRAS
Para msicas miniares.
Completo sortimento
BAZAR DA MODA
, RA NOVA N. 50.
Esquina da ra de Santo Amaro
0 a no por cento menos que em oulra qualquer parte vendem
JOS DE SOUZA SOARES ft C.
f mais acreditado nulor Goutrot Ainea Paris.
RA IOTA 1. .*
ESQUINA DA RA DE SANTO AMARO.
PILULASdeBLANCARD
COM IOOURETO 00 FERRO INALTCRAVEL
APPROVAOAS PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARLS, ETC.
Posstiindo as pmnriedades do lodo el do ferro, convem especialmente as AffeccoJIs
KsronnTLOSAS, a Trama no principio,a fraqvexado temperamento etamliemnos casos de
Falta pe cor. AViKNomuiFA.em que precisareagir sobre o sangue seja para restitiir
lhe a sita riqueza e almndencia normaes, ou para1 provocare regular o seu curso periodlio.
IV. B. O iodurelo ile ferro impuro en alterado um medicamento infiel, >^/ r\
IrritinlP. Como prova di pnreza e de aullienridade das rrddriraii Pi- yfjfc. m *-4
de lllanranl, deve-se S*%ir nos^o ai-Hi le prata rrartiva *ysr&77%2/Z('.
jso Orr>-a, a^tii reproilnziila, n;na le ana na parte inferior de um ^- t__f*fCZ
rulu'o crilo. I)evr-se desronliur da falaificacoet. *'
Acham-xc mi todas mn pharmrelaa.___P/iarmac*uti(H>, rua Bonaparte, 40, Part
irritan
tV luan
Bk. no
5k'
AO TRIUMPHO
l.M.t a expostcao do respettavcl publico neste importante estabelecimeuto um
tindo e completo sortimento de fazendas cliegadas pelo ultimo vapor da Europa, o que
temos a honra de annuneiar aos pas de familia, assim como ao bello sexo, a quem o
Tnumplio i-de suaattenco; garantindo sempre em sita nova loja ogoslo de fazendas e
novas modas e modiicacao dos precos, para adquirir a svmpathia de quem der a lionra
itt procurar o Triumpho.
Lindas sedas de cores novo gusto a 2->600 e 2^8000 o covado.
Glacez de seda e la apurado gosto para I $300 o covado.
Uaziohas com listtas de seda para l$00, 1,9000 o covado.
Ditas de lindos padres para ?J00, 700,800 e 900 re. o co.ado.
Cambraias brancas de 4^000 at 831000 a peca.
Ditas de cor novus padrOes de 640 e 800 rs. a vara.
Saias de la com bonitas barras.
Balies de la e murcelina e de arcos.
Basquinas de gros-de-naple de 22^000 a 405000.
r.ros-do-napies pretos de 2-?000 a 4500 o covado.
Ditos de todas as cores.
OrgandtE branco.
Rrilhantinas brancas e de cores.
K-partilliOB e entremeios bordados.
Metas linas para seohoa. e para homem.
Alm destas fazendas tem um completo sortimento de chitas escuras e claras ma-
j^poles, bramantes, atoalhados, toalhas delinho e dealgodSo, e outras muitas fazendas
que se vendem por precos que s a vista o comprador se peder desengaar que s no
Irkimpho poder comprar bom, e com economa.
PARA HOMENS.
Bonito sortimento de casemiras, brins brancos e de cores, camisas de linho c abo-
do, ciniiil; i, mantas egravatis do que lia mais moderno, chapeos deso de seda e alpaca
t outras muitas fazendas que vista se podero agradar, e manda-so fazer qualquer obra
d alfaiate para o que tem um hbil nestre, p preco em tudo, s encontram no Triumpho ,
Conservadora de sua indivi-
dualidade, amiga do
propxesso.
Os lahyrinthos da Espcranca
A loja de miudezas da rua do Qpeimado
n. 35 A, vem aprestntar
freguezia um artigo que at boje custava
mudo caro, e por isso s chegava para a
elasse mais abastada ila sociedade.
Toalhas de laf>ya>lutIios
Perfeitamente iguaes s que se fabricam
no paiz por urna decima parte do valor dal-
las vindo a esta toja, apreciar a parfeieo
reunida economa, (nem sempre possivtl
isso).
As toalhas teem um circulo de lindo de-
senlio e no centro se le em caracteres maius-
culos a allegorica inseripeo.A' baptisar.
A' passeio.Meus cuidados.Lembran-
Ca.Visita.
Ninguem pnreerto deixar de ir completar
o enxoval do lindo lllio para fazer economa
a do Queimado n. 7.
de 15 ou 20,esses nadas de que se compoe
o goarda roirpa dos recem-nascidos qaa-
si sempre ficam os exhemosos cuidailos
das mais, a essas a quem e Esperanza se
dirige, para quem desde j dispe-se a dar
amostras e certa est (me pelo preco nenlm-
raa deixar de comprar.
Fromhas
A Esperanca, tambem recebeu fronhas no
mesmo gosto das toalliits que vende pelo ba-
rato preco de 3#000, o que custava 10$ I !
apreciai e se ligardes importancia aocon-
fortavel da vida, sem dtrvida comprareis :
LOJA 1)9 GALLO VIGILWTE
Eua do Crespo n. 7
Maudou
ceber
ot de
quaes esto resolvidos a vender por precos
nimiamente baratos, para assim animar aos
concurrentes e ao mesmo tempo dar sabida
ao grande deposito que tem: isto i rita do
Crespo n. 7, loja do Gallo Vigilante.
Gollinhas, punhos e camisinhas para se-
a sua escolhida, liora. fazendas de gosto e novidade.
Tinos vesluatios tara baptisados, assim
como touquinhas, sapatinhos e meiasinhas
para o mesmo tim.
Grande sortimento de bicos e rendas de
croch e de ouiras muitas cualidades.
Superoivs i-aixas com msicas e sem el-
las, tendo o ni'iessario pan costuras, pro-
prias jiara um delicado mimo.
Finas caixas com tentos e sem elles para
voltarete..
Agulhas para machinas de costura.'
Ditas para croch, sendo de ac, nfiarfm
e outras muitas quadades, assim como li-
nhas para o mesmo mister.
Finas grinaldas para noivas.
Meias (le borracha para quem sofire de
erysipella, assim como meias de l;i para
os que soffrem de rhetmiatismo.
Suspensorios para homem e meninos.
Finos pentes de tartaruga para coques^
Grades de ferro
para jardn?, porteiras etc.
Nos armazens de Tasso Irmaos
c % es it 1*110* ii: ii:it ito
Para servidos de praHiles armazens. para remo-
ver barricas 011 caixdes de um para outro, lado pelo
mdico preco de 13*000 cada um.
Farinlia de trigo de Trieste
Das melhoras marcas Panonia (verdadeira) Pon-
tana e prande sortimento das melhores marras de
farinhas americanas.
Saceos de larinha de trigo do
Chile
Todas novas, chejradas ltimamente no? arma-
wns ie Tasso Irmaos.
Ceuien Nos armazens de Tasso Irmilos.
Cemento hydraulieo 12$
O raelbor para rudo- (pie sao obras para apna, exi-
lio assentamento de canos de espoto, alperozes, de-
losito, tampies d'agua, etc., etc.: em porefies de
incenlo barricas se far reduecjio 110 pceo : nos
iTinazensde Tasso Irmaos.
Cemento Portland
O verdadeiro cemento Portland em casa de Tasso
nnios.
irades de ferro, cercas, por-
teiras, etc., etc.
De dilTerentes qualidades para cercados de ani-
I maes, chiipieiros liara galiohason jardins: nosar-
mazens de Tasso Irmaos.
Barris com breu
Nos armazens de Tasso Irmaos.
CANOS DE BARRO
Na rua Nova de Santa Rita, naantiga fabrica de
sabio, ha para vender por preco o mais mdico
possivel, canos franeezes para edificares e esgo-
tos de toda a ipialidade, superiores a todos os que
aqui tem apparecido pela sua solidez.
PHECOS
liOO por cano grande de 3 e meia pollegadas.
lOO por dito de 2 e res quartos de dita.
t(HX) por dito de 2 e um quarto de dita.
oOO ris por pistoleta de 2 pollegadas.
c.otovollos,cunase canos de maior grossura,a
vstase far o preco. Compras maiores de 2005
tem o por cento de descont por prompto papa-
inento. Pikle-se ver as amostras nos armazens
I de Tasso Irmaos.
Tijolos francezes
Para ladrilhar casas terreas comasseioe precos
I mdicos, muito convenientes e proprios para ladii-
1 Ihus de cosinhas em sobrados, pelo sru asseio e
evita* apassagem de aguas para o andar inferior
e mesmo o perigo de fogo, aos precos de 30000a
; ioOOO o millieiro : na rua Nova de Santa Rita, na
antiga fabriea de sabao, e eompraa maiores de 200
se far o por cento de descont por prompto paga-
. ment. Poilom-se ver as amostras nos armazens
de Tasso Irmaos.
Velas de esparmacete verdaderas para lan-
lernas de carros: noarmazem de Tasso Irmaos.
Vinho do Porto lino superior : no armazcm
de Tasso Irmaos.
O mclhor eognac Gauthier Freres: no arma-
zem de Tasso Irmaos.
Esteiras da India
Em casa de Tasso Irmaos vende-se esteiras da
India de diversos padroes e larguras, por prceo
eommodo.
Macarthy
Haehinas de dcscarocni- alsodo.
de outras muitas qnalidades e para quiros
misteres.
Dedaes de mailn perola, marfim, osso,
ac, metal, etc., etc.
Superior agua cosmeocome paraltingir
cabellos, dando aos mesmos a sua cejr pri-
mitiva.
Completo sortimento de finas perfumaras
dos' melhore6 fabricantes, assim coma mui-
iieste bello paiz aingwn se faz pobre dis-' h>s outros objectos que impossivel des-
pensando 15d ou 0^000, com o acceio e crever: isto s na rua do r
belleza de que se decora a haltac3o, s
vezes no que menos pensamos, entretanto,
como diziam nossos maiores, a sepultura da
vida : ainda s senhoras a quem a Espe-
ranca se dirige. Urna seahora cuidadosa
do nada faz a casa.
Rua do Queimado n. 3o A,
Bsgaaaaea
Vende-se a WO rs o p: no armazem n. 32ldo Caes Vinte e Dous de Su-
v iiitiro junii) ao esenptono do ir. cfaudin Dubeai.
EPIDEMIAS
eprferma. : eMIers feote imaaeMa, pett, typho, etc. Bevem eritar-se aV fa-
tTcacoes as quaes sao a autor parte das lm mal prepatadaa, leudo por km
ma nocirs do ,* ute. Depotito em Pari^ L. -Wt^lliTuS
Em aie-Jaaelro. Dwomchte; B. Tesdorpf.
CURA DOS GALLOS.
PRLA
romada galonpeau.
Deposito especial
Pharmacia de Bartliolomeo A C.
34------Rua larga do Rosario------34.
Vende-se urna tabora 1 com poucos fundse
bem afreguezada, tanto para o mato como pata a
trra, o aluguel commodr e tem comraodos nara
pequea fannha, a razio da venda ?e dir aos r.r-
te>dentes : a tratar na rua Direita n. .VI
PanaadMua. Umrtr.
Esteiras da India
Acaba de chegar loja Almeida & C. a roa de Cr po ti. m fi, ora oos-
pinte aertinenlo de eateiras da I ada aaravfatm de
sala, de differentes larguras, e excellenta ajtaakla-
ae, e rpre se rende por nreiw raw*veis.
Crespo n. 7^ajoja
do Gallo Vigilante.
Collares Royer elctricos magnticos con-
tra as convulses das criancas e para '"acili-
tar a dentinco das mesmas, o Gallo Vigi-
lante antigo recebedor d'estes prodigiosos
collares e contina a ter sempre grande de-
posito, i roa do Crespo n. 7.
8aboiietes de alcatrao
DE
Antonio Nnnes de Castro.
Este acreditado preparlo, que tSo boa
acceitacSo tem merecido n'esta provincia,
muito se recommenda para a cura certa
das impigens, sarnas, caspas e todas as
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu & C,
34rua larga do Rosario34.
para que essa posaa obler-nos mercados europeos,
a differenea que ha entre o algedao deseaeado
|ior aquellas mencionadas macliinas, que cstao ti-
rando em de-uzo, pelo prejuizo me tem causado,
e o da antiga bolandeira, que nao pode competir
pela morosidade de sen nabalIk.. B* assim que
estas machinas se tornam as mais pi-oprias para o
nosso alflodio, porquo ao par da acilidade c
promptidwi conierva a libra da lia, que linpa por
ella, e quaRcada na Europa a par damelhpr bo-
landeira, vaieado assim entre lu arrobas 20 0 u
mais do que a lia limpa pela uiaeMna de serrote.
Estas machinas nao sao novas, pon que ha muito
estio adoptadas no Egypto, aonde as de serrote
fiiram inteiramente abandonadas, e por bao o algo-
dio daquella aiwedancja, aaode aa qnalidade dn
a nossa provincia, obtem hoje de io arrobas 20
0,0 mais do que o nosso : veadem-SO a l."0^0O0
nos armazens de Tasso Irmaos.
Tabellas vermicidas
M
Antonio Nanee de Castre.
Vermifugo efficaz e preferivi.-l tbdos os
conhecidos j pela certeza de sea resultado,
e j pela fcil applicaro s criancas, quasi
sempre mais atacadas de 13o terrivel e
muitas vezes fatal soffrimento.
nico depositu.
Pharmacia de BartholomeodC.
34rua larga do Rosario34
da do Imperador.
O dono deste importante rstabelecimento,
tendo recebdo d> Ma corta pelo vapor
francez Extaemmhire. diversos artigos de alta
novidade propios-pata a festa. cconsc de
que seu estweteeiBieiitP se orba bm gorti-
do, principalmente em artigos de moda, pe-
de ao respeitavel publico, e em particular
aos seus numerosos fregoezes abondade
d honra-lo com sua conlianca, garanthido-
thes serem bem servidos e por preews ni-
miamente baratos. Yenham, pois, Mu
comprar novas e lindas fazendas boas e de
alta novidade, com bem:
Riquissimos cortes de blonde.
Riquissimos cortes do seda de cores.
Sedas de lindas cores para covados.
Moire-antique azul, verde, branco e prc-
U.
Grosdenapks azul, verde, branco e pre-
to.
Gorguro branco e preto.
Sctim branco macau.
Cortes de seda com duas saias.
Cortes de lia escosseza eom duas saias.
Cortes de la e seda, novidades.
Poil de chevre de lindas cores.
Alpacas de eordao lindas cores.
Ditas lisas de todas as cores-.
Cortes de vestidos de cambraia bordados.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas bordadas .
Fronhas de linho com lindos bordados.
Lencos de cambraia de linho bordados.
Chapelinas de palha da Italia.
Ditas de sedas de cores e pretas.
Enfeites para cabera de senhora.
Coques de todas as quadades.
Basquinas de seda enfeitadas com primor.
Leques de madreperola, marfim, sanda-
lofe osso.
Camisas bordadas para homens.
Colchas de algodo e seda para cama.
Ditas de croehet para cama.
Pannos de crochet para cadeiras e sof.
Chapeos de sol de seda para senhoras.
Espartilhos para senhoras.
Toalhas de.labyrinto.
Lencos de abyrinto.
Fronhas de abyrinto.
Bicos, rendas e grades.
Finissimas cambraias de cores, percales,
las e outros muitos artigos de gost e no-
vidade.
Loja do Passo rua do Crespo n. 7 A es-
quina da do Imperador.
Tara armazens a retalha
O Campos da rua do Imperador 11. 28. tem para
vender grande quaatidade de medidas de estanto
para lquidos, e de madeira para seceos, pelo aya-
tema mtrico decimal, pelo qnal estao os negocian-
tes a relalho obrigados a vender suas oiercadoriaa,
a contar do 1" de mareo da .corrente auno. O an-
nnneiante avisa e jaranteaos que de taes medidas
neeessit.-mi. que san estas as mais exactas, por
quanto sao l'eitas em Pars, de conformidade eom
o systema cima dito, e segundo o padrao adoptado
pelo povenirt imperial ; nao aeontecendo, porni.
o mesmo com outras qne ah so vendem, que sen-
do da mesma capacidade, deversifieam de modello.
vindo otTerecer duvidas nao s aos compradores
como aos vendedores.
Meias elsticas de borracha.
As melhores e cxcellentes 'meias elsti-
cas de borracha contra varizese erysipella.s.
Vende-se na
Pharmacia e drogara de
Bartholomeu d C.
34rua larga do Rosario34
Taberna
aberna da rua das C
jom para o mesmo (
eomo mesmo para tmalquer entro negocio por ser
cm ""'"' rua ih+ pnneipaes : a Halar na iiiesma
Vende-se a taberna da rua das Cruzes n. 41, a
local nao s bom para o mesmo estabeteeinaanfci
A HOU ESPERANCA
21=Rua do Queiniado = 2l
t para presentes
A Nova Esperanca, ;i rua do (Jueimado
n. 21 tem um variado sortimento de objec-
tos de gosto e phantasia proprios para pre-
sentes, sobresahindo entre elles ricas cai\i-
nhas de bano com finas perfumaras, ees-
lureiros de chagrn, agulheiros de madre
perola : assim, pois. queBtqoizer fazer um?
linda ollera, dirigir-se Nova EspersneA
rua do QuetmdO n. 21.
Para baptisados
A Nova esperanca rua do Queimado n
21, tem ricos vestuarios proprios para bap-
tisados, sapatinhos, meias de seda e fio da
Bseossia para o mesmo lini.
Collares anodinos c.llectro-mayneti-
cos con Ira as convulccs das
FUNDICAO DOBOWMAN
Rna do Brum n. 59.
Machinas de vapor.
Rodas d'agpa.
Moendas de canna.
Taixos de ferro, batidife fundido.
Bodas dentadas, para moer com agoa,
vapor c animaes.
E outros muitos objectos, etc. etc., pro-
prios para agricultura.
IWMM
Che$ou ao antigo deposito de Henry Forster *
C,., rua do Imperador, um earregaraento de gaz
de primeiraqualidade;oqual se vende em partida.-:
e a relalho por menos preco do que em ontra qnal-
qner parte.
Tintura japoneza
Instantnea para tingir -os cabellos e a
barba, a IdOOO o frasco.
\: a nica approvada e recommendada
por ter sido reconhecida superior a todas
as tinturas d'este genero.
A venda em casa de Gustavo Hcrvclin n.
51. rua da Cadeian. 54.
Manuel Al ves Ferreira A C, na ruada
Moeda n. 5, segundo andar te para vender
superior potassa da Russia em barris e ir eios
barrase al de Lisboa da mais Aova qu3 ha
no iaaread<.
Vende-se
demento de Porthmd."
urna escrara, crioiila, de 30 annos Vende-se no armazem de Vicente Ferreia da
^Z&^^V* ^JaV2t"inadr,Wre de DM,.P" 2'effl
Eap Paulo Cordeiro.
Vende-se rap Paulo Cordeiro fino, via-
jado, em latas, meiogrosso evinagrinbo,
no deposito cargo de Joo Francisco da
Silva Novaes, rua da Vigario n. 11. Faz-se
vantagens a quem comprar porc5o, e troca-
se o rap que nao sabir ao adrado dos con-
sumidores.
Eiu casa e Tleod. (lristiaafieq, rua do Com-
mercio n. 16, cntooiram-se eflectivamenk todas
as quadades de vinho Bordeaux Bourgogne e do
ere ancas.
Nao resta a menor duvida, de me muito
collares se vendem por ah intiluldos OS
verdadeiros de Royer, e eis porqae muitos
pais de familias nao eraen (comprando-os)
noeffeito promettido.o que s pdem dar.
os verdadeiros; a Nova Esperanca, porm
que detesta a falsificacao principalmente no
que respeita ao bem estar da humanidade.
fez una encommenda directa desfles collares
e garante aos pais de familias, que sao es
verdadeiros de Royer, que a tantas crean-
Cas tem salvado do terrivel incommodo de
convulcoes, assim pois preciso,, que ve-
nham a Nova Esperanca a rua do Queimado
n. 21 comprarem e salva vida, para sew
lilhinlios, antes que estes sejam acommetti-
dos do terrivel mal, (mando ento ser di-
llicil afcancar-se o efleu desejado, emliora
sejam empregados os verdadeiros collares
de Royer.
Aos amantes das cacadas
Commodas boleas proprias para os caca-
dores, vende-se rua do Queimado n. 21,
loja da Nova Esperanca.
Preparo para flores
A Nova Esperanca, i rua do Queimada
n. -M. ton um completo sortimento de pre-
paros para flores, como seja papel parafolhas
tnto para -petulas, clice, botoes, folhas de
panno e todos os mais preparos para for-
mar-se um ramo ou grinalda, com coste e
derfeicao.
Agua divina
A Nova Esperaaca a rua do Quaimadu n.
21 receben nota remessa de verdadeira
agua divina.
Para extinguir as sardas e
rua
osi
panno
Heeebeu a Nova Esperanca,
Queimado n. W, leite de rosas,
para oxtmgnir sardas, e pannos.
Para arvefar e eortserrar os-derrtes, rece,
bou a Nova Esperanca, rua do Queimado
n. 21, o verdadeiro poz de rosas e o eKxir
ientifiieo e o dentalgico.
^-
lj
*\


!

<
-
i
\

, *
^^^B
)
Diario de Pernambuco Sabbado 30 de Janeiro de 1869.
GRANDE LIQUIDACAO
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
Flix Pereira da Silva, successor de Gama
& Silva
O ninrietario (Teste estabelecimento convida ao re ipeitavel publico desta ca-
Dital a vir surtUe no grande estabelecnento que tem de fazendas, tanto da moda cerno-
de leu e as pessoas que negociara era pequea escalla, tanto da praca como do matto-
nesla casa podero .azer os seus sorUmentos em pequeas e grandes porcoes, venden-
do-se-lhes pelos precos que se comprara as casas inglezas ; assim corao as excellent.s,
simas familias, nodero mandar bascar as amostras de todas as lazendas, ou mandare-
mos levar em suas casas pelos ossos caixeiros, para o que acha-se este estabelecimen-
to aborto constantemente desde s t horas da raaid>aa s n d.-, noute.
0 aloalhado do Pavio. MADAPOLAO 3:o00 .>
iu a j -^isr. Vendem-se j>e< as de madapolao tino com
Vende-se superior atoallwdo de algodao { hs .Q ^-ato proco de 3:300 a peca,
com 8 palmos de largura, adamascado a,d(t wm iard!S aV?>000, na ra datoi-
SgMO a vaca; dito de Unfco faaunda muito | al|.jz n m a,,na*em ,ie Folix Pereira da
superior a 35200 a vara ; guardanapos de ^
ludio adamascados a t#3G0 a duzia e Mito
linos a 8 $000, e ditos econmicos a 3$00
a ducia.
Crwchs para caelraa na loja do
Pavo
Ghegaram os mais lindos panos de cro-
ch -ou guarda batfbras, proprios pwa ca-
leiras tanto d'encosto, como de bataneo e
8e guarnico, c ottros corapridos para so-
f, assim como Altos redondos para mezas
.edondas, ditos pequeos para almeladas, e
'utos para cobr-ir "presentes, tendo'pequenos
at para cubrir ;sin prato, que se vendem
par proco moito era conta, na lr$a c arma-
>ein do Pava roa da Imperatrie tO, de
i-Yli\ Pereira da Silva.
Fiistf* para vestidos feraneos
a4.
Vendea-se os maisraodeniotfBSties bran-
Lttsiakas
A doze vintn*.
A doze vintens.
A doze y feos.
Vendem-se lSasinhas de otras moito bo-
nitas cora desod os miudinhos e grandinhos
com Ktmaas e pintas pelo barato preco de
iOcis > covado na loja do Pavao, ra da
Imperatriz a. 00, de Feliz Pereira da Silva.
AS CAMBRAIAS DO PAVAO
Vendem-se linissimas pecas de cambraias
MB transparentes tanto inglesas como suis-
sas tendo mais de vara de lai-gura, pelos
precos de 3*000 at 0?>(M0 a peca, assim
como ftuisimos jrgandys branco liso que
MMW pana vestidos de bailes, por ser multo
transparente a i 5000, a vara, na loja do
tafo na da Iut]ieratrw'.. 00, de Flix IV-
i reir do Silva.
FUSTO BRANC) PABA VESTIDOS A 640
os flexrveis n-im padrees de listas c de] ?a foja do Pa15o vendem-se os mais ino-
xemdo'Pavnrua da Irapertrizn. 60, de
Flix Pereira a Sflva.
rosdenapferc
CiUjira para a loja do Pavn pelo ultimo
varptti uin-girande sortiraeAo dos melliores
grostenaples pretos e de cores, tendo verde
futinm. que se venden mais barato que
em outra quadquer parte.
CHALES^ *W.
Vendem-se chales de merino cora boni-
tas barras, pelo baratisshooipreco de i$M)0
> 2.-J500 i-s., na loja do Pavo ra da leape-
'a:iz n. 60, IK<;ilI.\CHA A 9S00.
Corles de la 3:300.
Gorfes de laa a 3.-S00.
Cortes La/.inlws-a 280 ris.
ESaciBoas a 80 reis.
Laazinlias aJSO reis.
Sjj o ['av.
S o Pavo.
S o Pavo.
0 cordeiro previdente j Ana da Cruz n. 68
Temos novidade na ten-a I
Poii'in n-tiguem se espante
\ cousa nao de dar cuidado,
Faz sempre a sua idmirato,
Mas noollVnde aningtiem,
Agora nao se lembrem de aovo incendio no pnrdieiro,
Nn que liouve exptosi fla maxamboraba,
>"em que o pto l*boBiaz fupio da Detmco,
Nem Nem que a FRAGATA AMAZONAS virn o S.
Nao se trata disso
Ser algum /niz th> faz que quer pausar o metro no sen subs
tituto em consequencia de estar abolida a \ara ?
NAO SENHOUESTenhan pacienciaEsperem
5s vamos dizer do que se trata'nao com aquellcs modos que toma o mladao
msso, Sr. Antonio Domingues, quando recoiwco que na melbor boa f lhe emparraran
algum livro sem principio nem fimmas sim com aquellas maneiras assz delica(|as que;
^mpresecncontran no perfnmoso ninlio da sympatliica Aguia-Brauca : assim, pois
attendam:
para
Ra do tnrlaiado o. f.
Nu\u ovjuiado sortimento de perfumaras
finas, e outros objedtos.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, deque HTcetivamente est prvida a
loja do Cordeiro Inevidente, ella acaba de
receber om outro sortimento que se torna
I notavel pela vaiiedade de objectos, superiori-
Idade, qnalidades e commodidades de pro-
cos; assim, pois, oCodeiroPrevidente pede
e es^ra continuar amerecw a apreciar
do re-;p.>ifavel publico em geral e de soi
boa Treguezia em particular, nao se afas-
tando elle de sua bem conhecida mansidao
c barateza. Em dita loja encontrarlo os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dite verdadeira de Murray de Lamman.
Dita de Colopne ingleza, americana, fran-
cera, todas dos melliores e maisacredilados
fabricantes.
Dita balsmica dentrificia.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontelgico para conservaco do
; asseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e ebei-
ros agradaveis.
Amigos de fartar n s1nago agrattavtelmente venliam ra da Impcratn/.-^-olhem i (-0JWS e iataS) luaires e menores, com
;i casa que tica em fronV ao magnifico Frascos com dita japoneza, transparente,
contras qnalidades.
Finos extractos oglezes, americanos e
francenes em frascos simples e enfeitados.
Kssencia inqwrial do fino e agradavel cliei-
ro de violeta.
Outras coua'ntradas e de cheiros igual-
mente finos agradaveis.
Oleo pbloeome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
cora escullidos cheiros, em frascos de dif-
'erentes taannos.
Sabooetes em barras, maiores e menores
para mitos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras do meninos.
Ditos muito finos em caixinlia para barba.
Gantiuliascom bonitos sbemeles imitando
IVactes.
Ditas de madeira invemsada contend) i-
ka *ff# vwotder
/WBDIIMS |HVUl|l*ystema dn'iiMd,'4a t**n
as i|iialidades, para fpjs, irajidi tnbtnia^
V
Vendeni Auosto F. di' Oliveira & C. iuw>
Conimercio, n. 42.
FU6IC0S.
CID
Agora 4gm WttgB
0 BOM DEMONIO
Nao se benzam
Que .pcior
- Fiquem bem quietos
> Oue mellior.
Mullier, daaonio que importa !
Mulher, demonio hei de amar-te!
Escravo fgido
Ausentou-se pela segunda vez de bordo
do patacho CaribaLdi o preto Jos, idade J~
annos, rAr escura, estatura regular, oHm<-<
jiardos, rosto enniprido. barbado, natura
do Cear, conhecido por Jorf Mattnlo ;
quem o apprehender queira leva-lo bordo
do mesmo navio, ou no escriptorio
Amorim Innaos para ser gralilicado.
te
FalleiiKW limito serio
lOm. .7TSLT9.C
Com ftinde tentar aos bomens abastecers suas despensas no M\ AMAZEM lE MOLIIADGS esquina da ra da Aurora defroule o sinaiptaoM (tifitfm- jit0 propras ,)ara pic-
salpicos propphs para vestidos e roupas de demos fustoes branotss de lista e cordao pa^triz; o incansavel prflprietario desse importante estabelecimento ;uxma *. lffw'>,0'J^ns
menino a 640 rs. o covado, aloja e arma- moito encorpado mas muito flextvd, pro- l-fte^uebadetnais superior e digno de wat asa dessaordem. tas de papelo igualmente bonitas, tam-
priosnaia\estid'.s,ronpoes,penteadoresetc. | Este interessanteestebeiecimento se torna saliente, nao s.i j*ela sua ftima.
lvdi-
etc.,e roupa para menmos, pelo borato pre-
co de iO ris < cjfvarlo, na loja e armazem
je^Rlix Pereira da "Silva,
SEDAS COM LiSTINHAS A 3*00o o
{VADO
A*i)dem-se as ais modernas sedas de
listabas para vistios, .hegadas vapor com as cores mais modernas que tem
viirlo a .este mercado, pelo barato preco de
:i rs. o covado imi ra da Imperatriz n.
IM de Flix Pertira da Silva.
tf paras lavradas
Chegaram polo ultimo vapor as mais mo-
! (lernas alpacas fcwradas com 6 mais lindas
e&res, que se vndem a lt?0ft8, o covado,
{ditas lisas tettd) tambem cor de canna a
Hbt rs, ditas imfcdadas muito tinas a 1:200,
o ovado, o out'as mutas fazendas de gosto
e moda que se vendem mat barato, de
qae em outra qoalquer parte, no armazem
da Pavao, ra da Imperatriz n. 00. de Felk
Pereira da Silva.
ORtiANDYS DE (Mt
Vendem-se organdys de cores com pa-
ltes miudinho*; era assentos trancos e de
eres pelo bantfissimo preco de 3G0 rs, e
ovado, luiissios cassasfranoezascom deli-
ORdas cores e bonitos deseuhos a 320 rs. e
ovado e ditas si 300 rs, na na da Impera-
dade, como pelo formoso-e encantador emblema-que o assignaia.Ve*le-n fcrmo;*aCiree,
UBcantafloraaiaga que sefespelba as agnasde nosso ameno Gapftaribe, e oomo que^desa-
tando o riso para a altaoeira (Hinda qae alm se avista garbosa e gentil wplocta da ima es-
p mu cu deem breve gesar os mais gratos passeiantet que the aro levados pela -awa es-
trada le fTo que se ada no nasoedearo.
Assim. pois,
Vcnba toda .mpopulaco do Recll'e ver e admirar a "beHa tftysfeaonpfet tio B69I
DEMONIO,
ALTAS OVIDADESI
Veudeni-*e bouitos cortes de IRaziakas
(Mim vestidos com pairoes modernos tendo
ada uin cosie 14 cavados pelo barato ore-
jo de 3:500 rs, assim como ditas em pecas
me se vendem a 280 rs. o covado, sendo
gVando pecniacha na kp e armazem do Pa- -taa n. 00, anmaem de Belk Pereira da-
vo ra da'imperatriz o. ^0, cea da Sib, Ronpra* para homeiii
BABADI.NHOS Vendem-se superiores palHts de panno
Vendem-se fiuissimos babainbos, tira6 scfcrecasac.os ferrados de alpaca e de seda,
tardadas e entremeios, mais baratos do que camisas inglezae e francezas eom os peitos
.m outra qualguer parte, aseim como espar- de esguio, ceronias francezas de* linboeal-
tilbos dos mais modernos, iw armazem de godo, meias creas inglezas superiores, ca-
Felix Pereira a Silva, ma ta Imperatriz!-misas de flanella e de meia de laa, assim
como neste estabetecimento existe um grande
n. 00.
ALTA
A
NOVIDADE
LWA DO PAVAO
Gurguro de seda
Cbegaram pola ultimo vapor os mais bo-
aitos urguresde seda, proprios para ves-
dos, sendo lisos e lavradinlios, com muito
lustro, garanlintli>-se que a faeanda mais
iiula e de mais pbantasia que este anno tem
Legado a este mercado, e vende-se por
preco muito razoavel, na ra da imperatriz
n. ttO, de Flix Pereira da Silva.
Orgaiulys
Or;!indy branco uso, muito fiuo a 00
rs. a vara; dito com quadros ou listas, fa-
wnda muito superior a i# ; fil de bnhi
branca com palminhas, fazenda muito tiaa a
Leiicos brancos a 4)4000 a duzia
Vendem-se lencos brancos de cambraia di
a^odio a l)5k00 e 2 rs., ditos de liuho ,
^OO e 4-5 rs. a duzia, na loja e arniaze
do Patio ra da Imperatriz n. 60, de Fel
Pereira da Silva.
tteda de Untas para vestidos
Ohegarara as mais modernas sedas lista-
das pira vestidos, cora as eres mais mo-
derna; que tem vindo ao mercado e ven-
dem-fo por preco muito em conta por es-
taaos muitos prximos da festa, isto na
laja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, di
Flix Pereira da Silva.
PECHINCHAS
Hovaiaente cl&gadas ao armazem
DO
DE
PAREDES PORTO.
Tendo-nos chegado ltimamente faaendas mtoiramente novas, coida-
Kis por oste meio ao respeitawi publ a que aos procure comprar Cazendas de
bom gosto o por preces que n*j adiar n outra pialquer parte-
Ailutisein
"Madapofes finos a -W, 6?). 14 e H x-,
m no armazem do Leo.
Cintas escaras de padses Undos por pi
sortimento de pannos pretos, e de casemiras q9 je 320 e-360 rs. o covado.
iiif;lezas de cores, e que se manda fazer
tjuslquer obra n contento dos 9n. fregue-
zec, e promette-se-lhcs que seio servidos
etm a maior pron^Hido e muito mais ba-
rto do que em outra quabpser parte
na roa da Imperatriz n. 60,de FeiLx Perei-
ra fia Silva.
'Cortinados
Para camas ;janoUas.
Voede-se ui i grande sortimento -dos rae-
llwres e maioies cortinados bordados pro-
prios para cara is e para janellas, que se ven-
dem a iflOOC rs. cada par at olflO rs,
isto ua^'ua d i Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira a Siha.
Chitas
Vendem-se c s melliores chitas escuraspara
casa sendo de cores fixas, pelos baratos
precos de 320 e 360 rs. o covado, dlas
muito finas fnmeezas sendo claras, compa-
droes de assa a 360 e 400 rs, pechincba,
na ra da Imperatriz n. 60, annazem de F-
lix Pereira da Silva.
Ciro(denaples preto
Vende-se uia grande sortimento dos me-
ntores grosdenapies pretos, tanto lar-
gos como estieitos, sendo de 2000 rs. o
covado at iSOOO rs. garantindo-se que
n*C6te genero inguera tem mentor fazenda e
que se vende nais barato do que em outra
qualquor part.na ra da Imperatriz n. 60,
de Flix Perera da Silva.
mmww&5ffl&i$8ti&
PASTILHAS IPEITORA
CATIRRHOS
:-i
sueco dealfac;
E LOURQ GEREJ
IRRITACOES
DO PEITO
E' esu o mais novo e dei.cioao .ouleiiu ie uijura ooniiecido. Por UlO ten adquiria ra-
pidanwnw a jn^ulandad* de uue goza. 0 nedkM os nu* dirtiuoio o aconulbto mira
as louex. defluxoi. courrhot. tw convulsa, caUtrrhmepidemia, imlafes do vtxlt. Cora
randeemiM-iihoopronirioaamiesde familit, assim para ella como uaraas crianzas, pois
primeiro qae io Deposito en t'ernamhuco?e.m Cassas de cores rom palminbas e com
stas de diversos padree a 40 e 320 j-s.
Laazinbas . 330 o covado.
Guitas claras aniudinhas a 320 e.360.
alpacas pretas e de core* lindas f roprias
para vestidos a*80, 700 e 800 rs.
Pecas de cambraia transpaientes a >,
31 e ~4#. Poi- este preco admira a todos !
Cortes de casemiras de quadriobor e lis-
tas a 3*800 e 33.
Coipnbos braucos para senbora a $ e
3*200.
Fechncha!
Corlee de cassineta de cores para calcase
paletotsa i #300.
Cassineta de cores com um pequeo to-
que de mofo a 400 re. o covado.
Espartilhos muito finos a 4*300, 3* e
3*300.
Admira!!
Grvalas de seda a 300 rs.
Colinlias bordadas a 300 rs.
I.i.'i/inlias jr 200 rs. t !
I.a/.inlias a 300 rs.!!
I.;u/.ubaft a 200 rs.!!
.Lencos bordados a 6, 6300 o 2#i00.
(Ricos e bem escoJhidos gosto > (le bis-
marks para calcas e paletots a 3,m00 o
corte.
Tambem tan fan acabar pecas de pao-
no de bnho, com? vaias, a 17^1 e iSS.
Tuatas do linbj para osto a 10* a du-
zia.
Aos Sea. armadores d etiterros.
Vendem-se pecas de bollanda preta com
iO covados a 3* : na ra da m leratriz n.
48 e 32, junto a padaria francezai, loja do
Mfe.
ittencSo i roupas fettas I i n< armazem
do J>'u, ra da linp^'iti iz ns. 8 e 32.
Assim como temos um grande, completo
e variado sortimento de roupas eitas: pa-
letote saecos, aobrecasacos, fraqi es, jaque-
toes, caicas, colletes, camisas, ceroulas,
chapos etc., todo por precos qi le admira!
Tem tambera um sortimento i de roupas
ordinarias por preco baratsimo.
Acaba de ebegar tambera umi completo
sortimento de damascos de co^es, sendo
azul, araarello e cor de caf etej, que se
vende por preco cmmodo.
j Admira!!
No armazem do LeSo 11
No armazem do Leo!!!
No armazam do Lefio I! 1
No armazem do Leo II! .
bem de per'umaris finas.
ralos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com po de arroz
e-bone'a.
Especial p de arroz sem composi;ode
ebeiro, e por isso o mais proprio para crian-
Opiata ingleza e francezapara denles.
Pos de camphora e outras difierentes
cualidades tambem para denles.
Tnico oriental deKemp.
Aluda iiiaif* eoques.
Um outro sortimentos de coques de ne-
vos e bonitos mobles com fitetsde vidrilhos.
alguiis dVlles ornados de flores e fitas,
Safo todos expostos apreciaco de quem
os i)retenda comprar.
tiOLUNHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e ix'rfeiQo.
Fuellas e Utas para cintos.
Bello e variado sortimento de taes objec-
tos, fieando a boa escolba ao gosto do com-
prador.
FLORES FINAS
O que demelhor sepdeencontrarnes se
genero, sobresahindo os delicados ramos
enalbados para coques.
Para viageaa.
Bolsas de tapete e carteiras de couro, por
precos commodos.
Chapelinas de palba da Italia mui bem
enfeitadas, e enfeites de flores obra de bom
g06tO.
E assim mui tos outros objectos que se-
ro presentes a quem se dirigir dita loja
do Cordeiro Previdente a ra do Queimado
n. 46.
ENFEITES DE PALIIA PARA VESTIDOS,
CHAPEOS E COQUES.
O Cordeiro Previdente ra do Queima-
do i. 16 acaba de receber um bello sorti-
mento de trancas de palha para enfeites de
vestidos, outras para chapeos, coques etc.
tudo iste est sendo vendido com a sua bem
conhecida coramodidade de precos.
ALEM D'AQUELLES.
Receben outros lindos enfeites de seda
para vestidos ; assim como um variado sor-
timento de gal loes de la, babadinbos de
cambraia com bordados de cores, cuja va-
riedade de gostos os tornam recommenda-
dos e apreciados ; compareci pois os pre-
tendentes que sero senjdos a' contento.
TO BEM BECEBEU.
Novo provimento de bicos e rendas de
guepure.
LUVAS DE PELLICA.
De todas as cores tanto para homen-
como para senboras, constantemente achara-
se a veda na loja do Cordeiro Previdente :
ra do Queimado n. 10.
250,000
A cscrava Herculann
Comprada a Exma. Sra. D. Clara Fenton cm o
neiro de 1867. passada a escripura de venda, n
liio e at hoio nac> vollou, ignorando-?e para ouo-
M evadi, fe" niuiaUi elara. Itia, idade 36 a :*
auno, falla de denfcs o queixo superior, andas
no rosto, cabellos um pomo corrido*, e dieta tic
i-orpo. Fo psrrava do Sr. Jnao SiinSes de Ahw -
do da ra do Vigario, e antcrkirmenle do tmeBKr
coronel Joao de S, .lo enp-ntio Tab, na Paraby-
ba. Jestove urna 88 em (joyanaa para ?er ver-
dida : se alguoni a qnizer comprar veade-M^e-'c
poder?erappreliendida,ou se inlicamn o bagar
em que estiver, sendo -encontrada, se dar a grs-
tilicagao cima, na ra to Hotpido B.3.
200$ 400S de fptiiafr.
Gratilica-e. segundo a distancia, a quem pegar
eletar a seu sentar o Dr. vlrgin" ':arneiroc'a
Cunta e Albuquerque, morador no fULCiibo Cor,-
oudia, da treguezia da Luz, o eecravo Joaqun te
Sanf Anua, |ivtode idado de 14 anuos, bu?al, esta-
trua regular, puivm uin punco espadando c larg<'.
olhas pequeos, vives e um poueo brancos, dento*
perfeitos, alvos e limados, cabera pequea, dcs e
inaos regulares, disposto e esperto para qnalqwr
sen ic.i. alla vgMOM e grosa ou cheia, andar ni
pomo cangneiro, dora ler uiartvi nae |m rnas r,-
costada aosps de ferro que levou. Foi comprad'
ao Sr. barao de Nazaret e este eomprou-a ao Sr
Jos Miguel (Allemo) que o trouxe 00 Pie-Grande
do Norte e ahi o eomprou ao Sr. capitao Prcderipo,
mol ador na villa do Pa de ferro, e o seu paio
capitao Fernand.s coni|irou-o ao Sr. Manuel Tbc-
mai da Silxa morador na villa de Porta Alegre,
sendo o referido oseravonatural dblng da provin-
cia .la r:uali\ba. peitcnceu e viajen piii:cpalmele
os serliies de Ingazeira em Paje (. nde lera dou*
sentares mocos mr nomo Marcolino e (Emilio,)
Berra TaUad, eidade de Sonza, Ser .a do Marti--
etc. etc.. assim tambem previne-sea quem apren-
bender o referido esemo que sendo no oei.irod*
provincia da Paralaba o entregue ao Dr. Jos Pai.
lin- do t-'igueirodo na eidade de Sonza, ou ao en-
pilo Jcaquim S.ildanha, na fazenda Muliv r.s
riacho de Porros, no caso de nao qneter irazr M
seu referido senhor.
No dia 30 do niez de DVembro prximo pau-
sado, fugio do engenta S. Jos, do termo de Serv
nheni. a ecrava de nome-Benedicta, mulata, teio
(ti anuos de idade, cara beaigosa, altura regular.
cabello cortado e tientes noves, fo cscrava de Jo3"
de Barros Araujo, rendeiro nVi engenta Marianos,
levou om ronpo de chita clara jvelbo, e um pan-
no da Costa novo : quem a pegar leve-a ao dte
engenta, ou ao Sr. Manuel Alvos Ferreira & f.
i Leao, i t, jmito a loja de ourives J^dQ
NOVIDADE
A loja do Coellio 4 Oliveira ra do
Quenado r. M), recebeu pelo ultimo vapor
um belfo sortimento de bales de diversos
stemas, os raais aperfeicoados, que teem
e padaria franceza.
^.????????
I
rttttTttttt
11TII1
OPPlESSiO
(T CIGARROS INDIANO
poCANNABl INDITA]
..GRIMAUlTiC'PMRVACUriGCS^PAPJi
\;
sirnciyld
ii mu*
t
I
r
Todos os roeiM at hoje preconm.los coma a astiuna nao le a sido mais do qno pallinlWOB
.lehaixo de todas as formas, leudo por base a belladona, o atranomo ou opio. RoDiopo- '
inducas leitasem Allemanl, repetidas em Praiija na (aglaierra, tem proado que o caitamo T
indio de Bengala possue as mais ootaveis pio|riedades para u mnaler esaa lemivel afTei^lo,
lsim romo a io*e nrrvoM, a insomnia. a ivsiw laryngea a rwtqoidia, exiinecio da v<,
3 ai nevralgias facie*. E' pois eem o apoio la aciwvis queofe' oeenaoaesia cigarro^ prtipara-
ios com o extracto de cnamo das Indias, que nos importamos d* Bombaia.
l Depocilo em ftrnambteo, en cava de Ka mw T. ^
i 1C|.444^44.44^44.44.44.4.444.^^4>44-4.^4.4JL4.4-4.4>4>4.4.4.4.1 i
NOVIDADES
# Roa do Qoeimado n. f I
iiiiisTii rii 11;,
A este estabelecimento cbegaram as mais lindas chapelinas de crep, tule c pa-
lmaba da Italia, primorosamente enfeitadas.
Bal5es regaladores para senhoras e meninas, os mais modernos de varias
cores.
Basquinas de seda para senlioras, o que ba de mais gosto, e delicadamente en-
feitadas.
Ricos vestidos de blonde, com manta e capaila, para noivas.
Cortinados de cambraia bordados para camas e janellas, de diversos gostos e
quaudades de 15d at mmo. -
Tapetes alcatifas era peca pitra mirar salas, gabinetes e corredores,
Camisas inglezas de liuho para humera.
Ricos vestidos do seda prelo bordados i agulha c de cambraia bonos tam-
bem bordados pelo mesmo systema.
Fronha e toallas de linho-e de esguiio todas bordadas para casamentos.
Sedas de lindas core,, casimiras de cores as mais modernas, saias de laa com
barras de cor, cnapos de so! de seda inglezes, espartilhos para senhoras e meninas,
colarinhos do liuho para bomem e guande sortimento de fazendas de todas a.' quaudades
que se vendem por preces quu agradara aos wrnpradores.
Neste estahelecimento conmja a. receber-se esteiras da India para forrar sal-
las de diversas larguras e.-cores, que vendeon* mais barata* do que em oulra quel-
quer parte, por isso chamam a aUe#icao para M
Esteiras da India para forrar salas.
Baloes de ^uipur com tiras chamados
regutadores, ditos de musselina abertos por
ambos os lados, de modo que sendo todos
de um tamaidio servem para qualquer sc-
uhora, da la de cores, com tiras, e as se-
geintes fazendas:
Saias de la com bonitas barras.
Chales tarcos do seda e lia Beatriz de
Tundas.
Fitas de guipur pretos Rocamboly,
Chapeos de sol para senliora, muito lin
dos.
I.tiaslnhn
Sultanes, Poil deChovre, Tricte, dito 8e
xadrez e outras mudas, entre ellas urna
Especi&Lihtde
Lia pura de cores a 3(50 rs. o covado.
Basquiuas a Mara Autouiete.
Cambraias fantazia.
Ditas blancas transparentes e^Yictofias.
Colxas adamascadas.
Cobrta4 ctiiiww a 2 muitas fazendas que tornar-so-hia enfadonho
annnnciar.
nesta praca,
sado.
que ser generosamente recompen-
Fugio do engenho Soicdade, na ermarea de
Porto-Calvo, provincia das .Magnas. ocscravoFe-
lippo. cabra, cabellos carapinhos, de 4 anuos de
idade, pouco mais ou menos, pouca barba, pos pe-
queos, nariz regular, olhos grande?, denles um
iKHieo limados e com falla de um na fenle, andr.r
igeiro, cujo escravo foi comprado ao Es ni. bario
de aaaredl: pode-se s anloridados p. liciaes e
capitaes de eani|>o a p|Hehensao do niesmo, o le-
va-I.) ao seu senhor no referido engenta, on nac
dadedoBecife ao Sr. Joaquim Rodripues Tavaro
de Mello, largo do Car|io-Sanlo n. M, i- andar, m?o
sera generosamente recompensado.
IOOiJU de gratficaclo
Aeli-se fgido desde o dia 4 de junbo de 18o>
um mulalinho eatacoio de nome Jos, do |:t a ti
annos di' idade, velo do Bonito em janeirogjc 18fif-
e foi vendido nesta eidade por Antonio Jos do
Mello, negociante daqnelle lugar, ao Sr. Fernande
Jos Oirroa, com loja na na lliroita desta ciliado,
pede-so as autoridades, quer ila.pii. quer de f.'iri
que o aprehendam e o entreguom a son senhor,
na rua Nova desta eidade no segundo andar da
casa ti, 30 que sera gratificado.
Fugio no dia 10 do torrente mes, do enge-
nho Ouiliba. treguezia de Serinhem, o oscrave
Benedicto, erioulo, idade 30 o tantos annos, haixi.
feiiaVs milicias, pera e bigode, dente quebrado ns
frente, bem fallante c ladino, montado em um ea-
vallo com cangaltia, com os signaos seguimos
alasao, bem feitn, est gordo, nao tom estrella sa
lesta, nem cateado. Foi comprado ba poneos
mezes ao Exjn. Sr. barao de Xazareth.
Quem o apprehender e entregat nesta prac^a ao
Dr. Joao da Silva Ramos, ou a Gabriel Antonio da
Castro Quintaos, na travessa do Queimado n, ).
e no referido ongenbo Quiliba son senhor D.'.
Jos Eugenio da Silva Ramos, ser generosamente
recompensado.
Fugio do sil da Sapueaia, em Beberifc
18 do correte, o escravo Saturnino, mulato (ac
cabellos venneitas, sem barba, estatura mono q
regular, fornido, representa .'10 a*mos, c natural i"
serto, mas j Mi em Beberibe ha mu i tos annos
carreiro e consta ter relacoes no bairro do Hp
eife: roconunenda-se portanto as autoridad.
competentes o pessoas do offieio, de o capturaren!
e levaran a seu sentar em dito sita, que reeonv-
pensar convenientemente.
Futiio a 15 do correiilo mez do Janeiro, v
escravo de nome Felippe, cabra eom 2."i anuos do
idade, mu rmiieo alio, si*raneeMtts pretas o. m
raas. oahioaOBtaeoado, quanoW anda p-
xa duro- e eom paMO largo*, tetu una marca *>
caustico dolado diroito sobro o ligado, levou ca
ca de lin* de quadrinhos pretos. tamisa de ma
dapolao, cliajio preto de lata redondo, este esera
vo eostumava a ganhar na rua conduzindo gene
fus de urna venda da rua Direita para a yslaco
das Cinco Pontas, natural do lujiar Canliotinta,
da enmarca de S. Itenlo desta provincia, fot
comprado ao Sr. J. Alvos de Mello, morador no
mesmo lugar, presume-se que o mesmo esera\*i
continua a pandar na itia, munido de um biltet
falso iiMeurande sentar; pedu-se aos Srs. cap
ao-s de campo o mais autoridades policiaos a cap-
tura do dito escravo o lova-lo ao sen senhor Joo
Pereira de Miranda Cunha, morador em Sb#i.
Amaro, sobrado crande do gr. Mapoel Cusiod
n, 88, que se graJjuif ara genorusamcn'e.______
(riFao asagnado r50i"Ui"da a 4,iHi,5*
do seu ewravo do nomo Joaquim, mulato, rugido
dq seu sitioi f i) Monleii p
eirp, comprado aos seus *h
mis as Sr. Wo C.m;al03 da Silva, Vicente Ca-
vateanii do Afliuqueif|Oe e: Alexandre (ionios daj
Silva, nenia eidade, por intermedio do seus pro
curadores na pessoa do Sr Maneel Franci-fo Cu-
valciuili, todos de I'p d'Alta e por intervenan dp
Sr. Santos (corree^ir de eseravite). cujo escraw D
'amtaat natnral de fo d'Alta lem os disiiom
pouco alto, bigode, cabello um pupeo carapinha^
o pen'oado, falta de dea'es, moa Inflamiuaeae m-
cruada najnnt da mao esquerda, falta a eortaaa-
jo, muito desanenda e mansa : levou ojoti-aado
madapolao e rseadn do atgotla', e ralcaa de. bri
pardo. 0 abaixo assignado n 'j'ta a
ranipra de-te seu escravo lonas M^^Bra('e4
orna oneamegadas da captara escra-
voe, nao s iwlas venas ddados, vlUas a |a.yo>
ido cera, de masra, de rame e de seda, a procos
baratisslmoo, *m por^oea e a retalho : no arma,
lem do vapor firaneei, raa Hova n. 7.
dos, mo pelo m\v\ para onde podo ier wmto
BMniette hem ira'i! "H,H-1"
S^uTd'elleder noticia c
euescrlptprio n rua do Cratpoo.Id a as
lo no MM'eiro.
_i






lili III IIM
3 Sabbado 30 c(e Janeiro 869.

UTTERATURA.
,-
Instituto Arclieolgico Geogra-
phieo rornamtHieaiio.
^CStfO J|\C9U ANMVHkSARIA
NF.mtf
vjda a raca es prisaftiros senbores, e pos-
sudores de tido este territorio.
Niegaera i;rnora que na descolierta do
km 27 w ja- 1{';,s'1 os se,,;''abitantes permanvam di-
Ivdidos mis dos outros at pela diversida-
Dteurso dn Exm. conielheiro monenhor\^,^^^'^ a trrlw commu-
Mhuz Tarares. ,'ld^'' h "f". P**/ havia porem
a telas uiiiii mina euerreira e mais rin-
de, bit-las. e aproveitar. Este trabalho O sen attorncij-geml que. por ser con-
somunte anhelo de ag- selheiro da oro, n> daixa de conservar
mente de tes'.runfio, provaria que nao af- a sin proltsso (te advocado, n ,
hura extaicta esta parte a considerarlo de- confundido cornos nossos nmbro do
Senhores.Quandu pula primera ve>
tive a honra de faltar fteste*recinto. aludindo
ao trabalho da nossa empresa, nao besitei
em asseverar que o campo j arrotear era
vasto, e milito vasto. Nao julguei ento
1 ecessario demonstrar essa prop isicao, en-
reguci-a ao bom senso daquelles, que rae
iiivain. lojt' ajimtarei algumas palavras
em confirma cao.
Coi 11 justo criterio os nossos maiores deno-
minavam a Americanovo mundo. Nao foi
mo por ser ella separada do antigo por
enorme espaco de mares intermedios, quan-
to por comprehender una trra de maravi- de j
enln
preliondedorq denominada Tupinarab que
bave ido este adida a sua preponderancia
sobiv as riirn nvi Julias. conseguir ptrUl-
meute que fosse mal usual osen idioma.
Fui ueste (pie os misionarios csrreveram
as suas pidduicoes luteranas. Verter em
lodos os outros seria trabalho desmensura-
do, que nao comporta va a fadiga insensan-
te das misses.
O que entre nos se passou a este respei-
to. leve logar por todas as partes (Inconti-
nente americano. Os apostlos eram por
alii quasi todos da magnissiiea companhia
nu?n
imite:
ministerio publici 1 n limites estreitoi
ti'melle o$>oder de af>r em movimonto a
aceite publica. S pode informar d recta-
mente, cx-o/fieio. casos de traico, assassi-
cas de lugares despezas de process# nao I tabfes da Inglaterra e do paiz de Giles (7) Sl.lin IK)
pode, aioda sem autorisapo, arromlnr as
p irlas da casa onde o criminoso se luja re- infernante, flo)
os emprahendem, ou os abandonan!, ou!
transigemfiom os criminosos. (|tn resgatam
as suas culpas por meio de composicoes
voluntaria*. Que poderiam imaginar me-
Ihor.accrescente-elle, se quizessem favore-
cer impunidade e animar ocrime?
Nao parara ahi as lanunlacoes; acho-as
Pode, aioda- 1 autora; rromlnr a u^rX't^^^T^^'
1 ai 10 pono anster una pena afllictiva 011
liiriiiiiiil.t /'i V\
r*^-^*!L s* -3a>* ==': <
sus. 0 aelo d'aquellcs sanios bomens
Uiosa extensao. eapresentar aspecto, coisas, mudase arreferia: obedientes aregraqu.
i-liomens singularmente diversos de tudo o proiessavam, io conhecam dillinildades
que. al ento se conhecia, que essa deno-
inaeo nobilissima obteve o consenso ce-
m.
Sob o ponto de vista arclieologico.no i|ue
V\7. i-espeito a monumentos, s no Mxico,
ePer, onde a civilisacSo comerava apro-
givdir. que s:1 [xideria occup'ar a atten-
i.ao do liomem estudioso, c niuito mais an-
da ahi haveria a estudar. se o zelo religio-
so mal entendido de conquistadores vidos,
( ignorantes nao ostivesse subvertido: no
n-sto do.contineiitf, e ilhas, divisavain-se
mas cabanaa dispersas, raras conjunctas.
Os sagrados arvoredos eram preferidos pa-
ca teclos de abrigo populacao j mui cres-
cida. O Brasil esteva nesta ultima cathe-
que nao supen ssem, nem contrariedades,
que os deiessi'in. Kstou convencido que
se nao fosseni 13o Diquamento extinctas.
aquellas mesm.is linguas. que at eiitiio nao
tinliam sido reduzidas a svstema, hoje o
ptBni iamos. Na dos Mexicanos. Perua-
nos, (iiaraniz. 'Ihinezes. e ontra.s ainda ex-
isteb verses eilnaave.
K notorio qae em 1801 o director da
iNpo-ra[>liia imperial de Franca apresenfou
tro do reino, que tem na sua rflparticao a
administracao da justica, pode no caso em
que se trate de fados menos graves, inti-
mar-lhes que abram investigacBjs- ou qae
acompanhem as (pie foram comecadnit pela
parte 011 pelo accusailor voluntario. Mas
c mo nao usa quasi nunca desa prerogati-
va, a aceodos o'li iaes di coma nJo se
applica, a fallar a verdade., seuS ao., fac-
los especiaes que acabo de indicar. Para
os outros a lei abandona a aecusaco pes-
soa que soffieu rom o crim, ou aos cida
daos a quem ella autorisa, todos como
conservadores da paz (coruenaloris mis)
a dirigir a investigico de todo o acto at-
tentatorio seguranca publica. Se a par-
te ouos acensados voluntarios niio exercem
essa faculdade, o fado, a menos que geja
flagrante ou nao p.)ssa ser iBMBediataniente
julgado pelo raigistrado de polica, llctsem
repnss3o: nenlium furff.cionirio temo po-"
der de recolher as provas delle, de as ;ipre-
sentar ao juiz e de requerer a punir} do
acto criminoso^ (i)
Acaso ser preciso apentai1 os baste ef-
leitos de;e systema?
i'ara os neutralisar, ufo ha- preeaores
que o jutz nao tome.
I m dia expedir ordein de' comnareci-
fugiado, e procedej- & nvetiga* 's proprias On.jrido.D fa'etd aeren o carvtei- de
parafaze-lo descobrir. Entre nos. seme- -
litante
d
cdigo
mirarn constante pelas leis do'sen paiz,
assusta-se com este djreito exorbitante.,]
Talvez fosse bim, di/ el I que o.- c ei--
tebles igaorassem commamente os seus
poaeres, cojisidl'iaudo-se a. especie de lio-
ii3iis que ordinariamente oceupa esses em-
pregos (8).
Todava einjireliendeiidi 1 se ahi esca\ai;es,
eneeoteam-se alguns utensilios domsticos,
wutros que serviram para a pesca, e caca,
iudos instrumentos de aggresso,e d"feza.
usa ou outro esqueleto entre rochedos, e os-
eadas no interior das casernas, o que jamis
deve ser desatteudido para se poder formar
um juizo menos errado da ndole, e costu-
.11,'S das racas.
A inva-ao hollandeza nesta provincia deu
'ugar a varias obras de fortiticacoes indis
pensaveis para a residencia. Os campos,
o.nde ellas ergueram-se coliriram-iios ento
li immensa gloria, e desgraciadamente ser-
viram ao dep.ils para o sen sepulrbro nao
la idTiq do hornera, e s pela forra do
teOlpO, e da vegetaco. ajudado pelo des-
uido da conservado.
I'arece icrivel! Ja nem ao menos pn-
ta-se precisar com fundamento o respecti-
vo local. Graoas ao Instituto est nodoa
ai-se apagando: urna commisso tirada do
ni >,'i.i. animada de louvaveis desejos, j
nao poaco.ba descabello do que pertencia
a rr;:! novo, e prosegue no descobri-
mento do velho ainda inais escondido. As
deseo'.11 ti as feiUs servem para reanimar o
espirito nacional, e tornar sempre esplen-
dioo o nome Pernamltucano.
O archeologo porm nao se circumscreve
a materia, ao palpavel; interna-se no invi-
ivel, entra no exame, e investga(,o das
linguas, usos, e costumes das naces j
idas. Actualmente poneos entre nos de-
leitam-se com este genero de litteratura : a
icrilidade costuma dizer sem reflexao
Os nossos aborigones esto quasi exlinc-
tos: o que nos importam os idiomas em
que se expriman! ? A ethnographia para
riles seteocia inutil.
Por nossa fortuna bem diversamente pen-
savam os zelosos missionarios, que corre-
ram intrpidos a derramar o thesouro das
gracas do christianismo a muliido de inlieis
desconheddos. Os infatigaveis jesutas re-
conheram (como deviami que sem estado
profundo da linguagem dos seus neopbitos
baldados seriam os esforgos para os reunir
em una s grei; e foi por este motivo que
Ues mais se distinguram, e mais abun-
dantes fructos colheram do seu arduo tra-
i.idiio.
Nao contentes de terem aprendido o que
em tal genero se podia saber, nao s ver-
tern! no idioma daquelles desgracados as
principis oraces da santa igreja, como
formaran! una grammatica, e um diciona-
rio, do qual se serviram para o crismo,
consolando assim ao pobre indio Alexo Min-
go, que no excesso de sua amargura ex-
clamavaObi Porque notenho eu estufo,
que falla (quera dizr o papel) para fazer
chegar ao longe a minba voz?
Mas onde, encontram-se boje esses the-
souros ? Em que prero se Ibes avaha ?
Apenas achar-se-ha um ou outro entre nos
com dilliculdade, e at sem o valor devido;
nao se sabe apreciado Deleixo vergo-
nboso Desidia censuravel! Quaudo por
infortunio j nao existissem essas fontes,
onde podessemos saciar a sede intelectual,
deveriamos ir procura-las, trabalhar por
ao snmrno pouti ice Po VII amarad domi- ment contra a parte cuja ausencia liie tira
Bical tradiizjda em varjjts linguas dos sel-o direito de punir ou processar (a mmmws
vag.-n; amoriraiiis. NaqueHaoi-casiovio-se againsl llf prweattor to complet km to
em Pars um m; imscripto no-idioma iihinez comr formar to prmcute.)
trahallm de um s misionario) o qunl com- De outr.i vez. o juiz, para constranger a
prebeiKlia o gein-ss, os evangebrs. os
hymnos de todo oaimo. e um catfiecismo.
Alera disio (lesiinguia-se urna grammatica
d'aquelle mesme idioma, e um diccionario,
que os compilad.M-es do jornal franeea Mer-
curio nao tveraii difficuldade em aimuiciar
parte a nao fugir ao processo, obiga-ladia
a azer-se representa* Se eFU falta* 3
palavra dada, perderla cauco pecuniaria
que iioiver fi.'ifo. I'sta medida, que o di-
reito inglez chama recotjnizciHce, dura e
inconmioda parai todos os autores de pro-
ga escala da soltura provisoria -.'
Neste ponto as censuras tornain-se mais
vivas e numerosas. Accusam a noss 1 lei
de excessivo rigor. Censuram aos que a
applicam o deixarem-se dirigir por ms
prevenco -s : dizem que sao desapiadados
com as pessoas denunciadas justica.
IV
A liberdade individual para o liomem
urna das cousas mais* preciosas.
!,",'..!n'.,a" ,,!''n' e 0*Bf,.,eto "I" seu ?iM,e- eysso. E'-ti principalmente para todtos os
rktodaos i\w pdem ser d rana dos a outro
local por motivo de negocios,- para os ca-
pitVs de navios que esto a> ponto de ir
para o seu porto do curiegaraento; para
os esfra.ageiros que ircidentalmete vio
Inglateiii. Por isso, pelo ins?il> de fie ir
sujeite a- condicoes taes, umita gente, se
abstem d<3 denunciar o delicio e ateo cri-
me de quo foi victima^ (j
Se o ,iloi- do processo mo deposite a
cauco pecuniaria ou nao aprsente fiado-
10 quantoo dicc'onario da academia fraa-
ceza.
igorosamonte nao se pode suppor que
eran) ri.-;is todas essas linguas, antes deve-
se confi'ssnr que eram pobres. As linguas
foram instituidas tara a expresso de povas
que as fallara. ! vim se os Ainrii anos a excepeSo dos qm-
v.viain nas cortes do Mxico, e do Per,
a condieSo da v:da, que passavam, o es-
caseo atunero dOMas necesidades o tam-
bem a tempera Moderada de seus ammos.
Inglaterra anda nao tem ministerio
pblic, nao perqu, lite desconh ; 1 a uti-
lidade. Mais prudente e sabia, pnicuia con-
ciliar essa nstluirao com a s 11 organisago
judiciaria e pi-la em relarj com a sin
itituififo p Juica.
Emquanlo o nao faz, a aeco privada baj-
ea supprir a aeco publica.
Teiu-se cuifitiluido associa;o)S de todo
o genero: socidade para prevenir a cor-
rupeo da mocidade : socidade pira sus-
pender a publicar 1 de gravara/ e livros
obscenos; socidade para denunciar os er-
ras di classe medica; socidade para in-
vestigar a falsificarlo dos pipis plublicos e
dos outros valores de crdito; sociedad;
para perseguir os furtos de cavalms. Ni >
acabara mais se as tivesse de mencionar
todas. Segundo um documento (5) citado
n'u.na obra quo tenho vista, lia trinta a;i-
nos j ellas subiam a mais quinhentas.
Cada urna desss associaces tra>alha,ni
sua direceo para conservar a paz do reino
(servare pacem) entregando aos tribuna;s
os aiitoi'es dos c rmese dos delicOs, cuja
reprselo a s mesma impo.
Almals9o, .15 grandescidades, taes como
Liverpool, Mancliester e outras inalis, crea-
ram agentes especiaes encarregadoi de per-
seguir os autores de criiuos comaiet idos em
seu territorio. ,
Neutralisam ess varias ssocknes, at
talo ponto nos lugres onde existan, em
Londres, as dades'que acabo de indicar,
os dcpli.raveis elfeitosresultantes di au~-i-
cia da irte publica. .>#as nos- condados, al nmtal-o, seiio tiver utro ineiode n-
onrle por assim dizer n3cas ha absol itam.'nv I pedir-He a vaso. Qlmndo o erhne rg>
te, o interesse geral s garintiiR [ido in- llagrante, cesse o dever, mas o dlreite per-
leresse privada, a que se subordi*. sste, e;> prkSiyiftde efletuar-se por suv-
Uesieitenjososescrupu<>se as liesitaces [files suspeila. A dill'erenca, accresceula
d'J inglezes: mos nao peneemos ch apro-1 fttackstone coiw o seu flegnw nacionel. que
fiiSinlrS1? Ci" rel:d-' u '!b 'lll"i' '' *'qnente, em Franca nao se pode ser
et lenes nrilnr'50 P2 'ga ''J'm,T Presosenao em virtude de um-facto consum-
> prevenbvas f Nao usa ella em lar- mao e q(l;iI(i(:ado aime ou delicio. Na I-
glaterra p'Vle-s sel-o por suspeita de mt
proceder 011 de m inteofo. Naquellepaiz
quando una pessoa presa como suspeite.
o juiz pode ordenar ou ipr^ .Tin-esente uth
cauco pecuniaria ou fiadores (|ue respondk-
por elle. Pode reclamar essa flanea da-
quelles que ameaco matar, ferir, incendiar,
dos que fi-equenli as casas de m fama
com mulberes dem vida, dos que levan-
e da seguranca de todos e li? cada um
a lei suprema dos estados, foi preciso re*
signar-se a Cl>ntkH, debaixo de certas coo-
dici's. a agentes subalternos da authrid.*de
emfin. de tixla a pessoa qin-
pussa ser razoavelmente considerada como
nao tendo boa repntacao. (I7>
s aqnelle a quem o juiz ordena qn-
poucas seriam as cousas que lln's occor-
ressem a exprim'.
Alas nem por isso deixam ellas de ter
alguma bella propredade. seguido allir-
mim os que as tem estudado. Em prava
aprsentela entre ostros exi-mpls o que se
passou com u Inri idor Arnoid. Este mse-
ravel havendn re ehido dos Inglezes a pa-
ga que costuma dar-se a traico. desespe-
rado i-esolveu piocurar refugio entre os
Mlvagens. Por acaso eneontra no cami-
nbo um dos j Mencionados Ilhinezes, e
Ihe pergunta se en sua tribu recebia-se al-
gmn <' Ihe:-Todos os Inmens,- que habitam as
nossas florestas, dos os que passam os
qi saos lagos, sao livros : qualquer estran-
geiro admittdo ntre mis immediata-
mnte rontado cono um dos nossos guer-
reiros. um guerreiro nao pode serescravo:
nem mesmo eu o sou apeser de ser o che-
fe. e o menos lisie de lodosResposte
enrgica em poucas palavras, licfio severa
para cerlos cliefe-. que se dizem civilisa-
Dopoueo que lei desenvolvido, poder-
deduzr qu'. nao perde o seu lempo
res solvaveis, parece-que ojjaiz autorisado
a te-lo preso at o (5a do julgamento-.
Dr-vos-laei que li nesta occa6iao niuma
das folhas publicas mais acreditadas A In-
,!laterra.
Tinha ido 111 ilfeitor furtado ao capito
iS' um navio russo a bolsa e o- lenco ; la-
Jraoe roubadp van preseuc; do iiims-
trado. O primeico obiem a lilcrdade sob
caii.-o. O segundo 7 advertido de que'a
audiencia tone lugar (billa dua* semanas;
6 intimado a achar-se 1.1 mediante urna re-
co&zance de-cen libras. Recusa dada,
porque se a dyr vira a needafla, visto estar
o navio presta a partir para CWssa. A'
vista, da reei**; o juiz conserva-o>preso, o
dia indicado, o- ladrao ik> comparecen; e
perea portado a raucot quan>oao caj>-
to, s' se vio- livre depois' dfe doas sen-
as de przo. (-)
Comprehemle-se que j se tenba.reconhe-
ciub na Inglaterra lodos os inconvenientes
deste systeaa- de legislacaui
pnar-nos um rgimen que edles reprovara
em> seu principio'e cm seus resultados.
Vemos outro Gousas qae imitar-Ibes?'
Dizia* lord C!iatamr O hoiaem mais-po-
bre desafia, no seii'como, todas as lonas
Ida cor* Pode ser fraquissiim a cabana;
pode tremer-lhe o tecto: pode ntrar-llioo
vento pefes vigas desunidas; pode entrar-
Ihe a tempestade e a clima : mao o rei (6;
fnglaterro nio pode l entrar. Todo o se;
poder noousaria transporasoleiraidaquel-
la cabana arruinada.
Estas patevras s~t*> cheias de um lobre e
legitimo orgulho.
Mas nao sio menos- verdadeiras para a
Franca do que para a Inglaterra.
oilomicHio-do cidadlo fiancez -igual-
mente um asvlo inviolavel. Ningwmi l
pode entrar se urna auterisacSo lo-mal
da tei.
E* priiicip'> oonstiticional, garant to por
uma.sancco'p^nal c-naantido gorosmenle
porseutencas>-(i do-tribunal de caajaco.
A aossa lei criminat nio o icspwita senos
que a>da Inglaterra.
L\ como era Francajcertoswnagstsados,
o juis de par nos condados, o-juiz dfe po-
lica em-! Londresj podem entrar oa bermit-
tir entrar no (loinicilio^da um ridadm.
Aim.disso; cada uw.dos 19/308 cons-
do a presentan lianra de bom prorier, e
se. cono dn prueil'a vez. nao o feer,
reintegiiidi) na c.sa de coitcc?3o, r pde
assim, auno p;.a auno. fifar preso-at o
(iin dos anos dias. E' isto, cora a agjjra-
vante da encarcerat-fto, ama especie de vi-
filaiicia ptirpelua, a proposito de um sut*-
eita ou d m nteftro.
As va!:iagensde:0- systema-, diz uirces-
criptor fraiwz.so demasiado evidentes pura
(fw seja neeessaro apontal-as. Seguwfii
eflb, a legislarn inglez* realisa ;?dmiravel-
mente este alopensanicario de Montesipiieo:
m estados moderados, arn bom legislad 1
preftire prevenir os calmes a pimil-os*
appUsa-semaiH-adar costumes que ainfluv
' gil' "O'plicii.s. -
nao se pdlv amxnliar as partes now matar
o criminoso; 9-i
Nao se :c.*odte estas ilas sa*> ape-
nas- urna recurdiirrwjudicial;?. Aobei ap-
plicaro delhwn'unr+statutoii'S. M. arai-
nlia Yictoria. 110)
Legislaco i?ie tanto permitte as perseas
priva-tas, poutu deve roonsar n que sSote*
vestidas dq carcter poMico: par isso a m-
tbridasa'd coasMbte nlez assaz extensa.
Pode prender, arrumbar as portas como
Blacksone j noa-disse: pode, orno n*s
repete (im estatuto rerente (\9% prendt
sea maulado, nos no raso em <|tie o de-
(CoK>(mmar;te-g0
POTTCO DE XDO.
(4).tMtavo>vetatorioida commisso e de-
vassa sobre Iei crtaiinal, arta i* lord
FOLHETIM
CATjH1IMA
roR
Jules Sandeau
x
O que se pansava em Parla.
(Continuaco do n. 22)
Em nato, na aldeia de S. Silvano, Ro-
gelio estivera dispondo do seu corac,5o, da
sua mo e do seu futuro, em Paris o con-
de de Sougres dispunha ao mesmo tempo
dos destinos de seu filho. Esse homem,
que na presente lenda de aldeia desempe-
nha o papel do lobo que Rvarol ambicio-
nara as poesas pastoris de Florian, nao
linba abnal tanto de lobo como de rapoza.
Para melbor dizer: participava dos dous
gneros, com a diflerenca de que, emquan-
to rapaz, predominaran! n'elle os instinctos
d'aquelle, e, depois de velho, as raanhas
d'esta, o que dava em resultado n'aquelle
ser um singular composto de docilidade e
rudeza, de brulalidade e astucia. Aban-
donado aos instinctos naturaes, manifesta-
va-se o lobo ; voltando luta dos insteres-
ses, tinhainos a rapoza, mas a rapoza no
mais subido grao de finura.
E' natural que nao esquecessemos a era-
preza a que o conde se propunha na sua
digress5o a Paris. Desenfreado gastador
na mocidade, dissipra a fortuna de qae
um dia tinha de dar coates a seu filho. Che-
gra esse tempo. Se Rogerio nada ainda
reclamara, podia de um momento para ou-Jra-se depois jovial e expansivo, e, impelli-
v lei crlniiual.
F'tii'jttnt cmlim'qne.
III
{Cihilinaacaoj
O que se passa na Inglaterra 11S0 cou-
sa que nos auimea dissolver essa inslilui-
co.
Os inglezes tem poueo mais ou menos o
rgimen que querem substituir ao nosso.
tro faze-lo. Alm de que, o conde tinha o
maior empenho tm se ver livre do filho.
Ao mesmo tempo 1 Sra. Rarnajon disputa-
va a propredade de Bigny a seu charo
irmo, o qual de a muito lhe devia quan-
tias consideraveis de dinheiro. As pri-
meiras consideraces sobre esta situaco, o
lobo arreganhara es (lentes, porm de re-
pente a rapoza palpitou-lhe a resoluco de
todas as difiiculdai.es por meio de um casa-
mento entre Rogelio e Malvina, sua prima.
Portento o conde c e Sougres fra a Paris
no firme proposito de ultimar da melhor
forma este grande negocio, o qual impor-
tava para elle nada menos do que saldar,
com o valor de nm dominio litigioso, todo
o seu debito para com a Sra. Barnajon,
sua irmaa, c para com seu filho.
Posto o p em Paris, o primeiro acto
que pralicou foi entender-se com o seu
procurador, e consultar os advogados e
jurisprudentes mais consummados da corte.
Foram todos concordes em que o conde
de Sougres tinha tantas probabilidades
para ganhar como para perder a demanda.
Foi o que lhe bastou ouvir. Com as con-
sultas no bolso, assignadas por nomes fa-
mosos, apresentou-se emeasa da Sra. Bar-
najon, que o nao ^sperava, e ficou mais
surprendida do qie satisfeita. A entrevis-
ta comecou por una frieza glacial ; gracas,
porm, astucia do conde, o gelo acabou
por se fundir. De meslre lobo nao havia
alli um s vistan" bre; restava apenas a
comadre rapoza, qje para desempenho da
sua sublime missc esgotra at O ultimo
recur
Serio e concentndo ao principio, torn-
'!|Ut,
em nave casos sobre dez,. as-partes* nao
querendo incorrer nos embararos, mutlan-
se-lia
aquelle (pie se dedica ao exame das varias! ao roubo, declarava ao parlamento
linguas em que se correspondiam os Brasi-
leros antes da malfadada conquista. Oh !
de quaulos nomes proprios destes mesnvas
linguas est enriquecido o vocabulario de
que usamos. A esta provincia ainda coube
por sorlo denomii aco indigna, cujo signi-
ficado, ou dervac o tal vez bem poucos co-
nhecaui: mas paree-uie que ao menos todos
sabem que ella tem no co um padroeiro, o
qual ser mais glorificado, se na trra con-
se varmossemmai cha esse bello nomo, com
que os prmeiros ingenuos habitadores ha
secutes a baptizaram. Assim pamente crea.
Est aberta a s.'sso. .-
No s-Mi tratado de Urgqnisuci. judian* j Brougham a lord LuiJburst acerca 4a po-
na. Bentham, atlaca-o coiiko arior do cos-
Umii'.
Roberto I'eel. apresentendo na sesso de
IK, a consoiidaco dos estatutos, relat vos
(1) Entre mu tos outros exemplos que
eu poderia citar, copio estes dous doexcel-
lenterolheto publicadoen\t8e2npido Sr. Er-
nesto Bertraud, ento juiz de devassa em
Paris; receutemente, dous tickets fleavv,
que foram presos por furto de um relogio,
foram absorvidos por mo o roubado de~
ciaron que nao quera dar queixa* (S01+
tkwark Cnurt. (Alguns dias depoi*,"Outros
escaparara condemncao por que o qu&t-
xoso moriera antes da audiencia.
(2) Times, 2 i- de Janeiro de 1808.
(3) A recognizance de frequente uo ?
Nao 0 creio. Mas nao posso dizer em tpie
proporco o juiz i-ecorro a esse meio t por-
que se a mencionara, as estadsticas publi-
cadas pelo governo inglez, acba-se ahi con-
fundida n'um s algarismo (12,927 e 1866)
com a obediencia exigida das testemunlias
e as cauees impostas aos reos (erdered to
tpid sureiies or to cter in reconizance).
Judicial Statistics. Engkmd (mi Walles,
part. I, plice, criminal procedings, jwi-
sons.
do at ao enternecimento, chegou a derra-
mar algumas lagrimas. Disse que sabira
expressamente da mais remota Altemanha
para ver se era possivel por termo s des-
iutelligencias em que se achavam ka longos
annos. Fallou de sen filho como quem
muto o estimava e das afleicoes de familia
como quem era mui dado a ellas.
A Sra. Barnajon, ouvndo-o, julgava ver
realisado o adagio que di que o diabo, por
velho, se fez ermita. Muda assim, foi-se
acaut dando e dzendo-lhe que nao eslava
disposta a prescindir 'dos seus direitos.
0 conde redarguio-lhe que nao era o
seu lim perturbar a sua primeira entrevis-
ta com velhas questes de interesses ; que
tinliam muito tempo para tratar d'isio;
que, por sua parte, eslava dispostb a todos
os sacrificios c a nao recuar ante qualquer
dilliculdade para chegar a um accordo rom
sua irma. S lhe pedia tregoas para don-
tro de algum tempo ella conhecer bera o
seu carcter.
A Sra. Barnajon coacedeu-lhe de bom
grado essas tregoas, o d'ahi em diante o
Sr. de Sougres viven na intimidade de sua
irma e sua sobrinha, observando-as reser-
vadamente e estudand o carcter d'esta,
que eHe deixra ainda no berco, e o queHa, que nao va hn vinte annos, inves-
tigando, sem o mostrar, as suas tendencias
e ambires, nao s social como domestica-
mente, hilo perdendo urna nica occasio
de dizer e fazer tudo que lisongeasse as
fraquezas de espirito da mli, excitando as
tendencias aristocrticas da menina Malvina
Barnajon,
Foi no meio d'estes tramas e investiga-
res que elle recebeu a carta na qual B,<>bi-
llcto aatamettdsoeni-su* presenta, mas
tamben pardenuneia,1 per simple*)-suspei-
ta. anda no grando nuniprotfdas coutraven-
rws da anMa. (AJLGA MONffittNTAL. ^-Um exwntrico
>e tal oj podei dsses agentes pelicia: |ez fcmbrou-e de fin naufrago, e se
Migleza.otojoiz naa^udo diar de aar lili-f dirigiul a mhc> ou redM#M de-alguns
yrnaeS) (porque mais de on deu a noticia 1
li ia crimiuitit relatorio da coinmisso da
camafa dos tords,encaregatado exame do
bil de refoiHa. da teicrimiaal. O-Times
de U. de abril de tW7. leatea astim um
ariigo acerca da ocgamsacl* do processo c" a(7s"ouxSdad5os. () As ol^s
criminal: -A neceawdade tfc nm ivHiistenu [t:5 nl> stendem >*,.,,.dekode prsio se
IMiblico tert sido (*ade mtato tenujMi reco- I3o aos ^eios a -ecciouees, que sa^cam-
DtKeida.pelos.junstat deste paiz. Para uui metten ou foram, eommtites. ai;e-
iiitado.
Eflfectvawente, este pode dar or&in de
[ riso contra qualquer pessea em yft te-
lbajurisifiwiio, em razode-i|aalqae.rkifrac-
c.aorepriraiita pela fot penaUpar meeea.gra-
ve quesejai(t2)
EmFran^ apesw do que se diz, a Id
imo to-fiicil.
Ordena,.verdade.- que oecidados pren-
do os-r*s> sorprendidos ca execuco de
laucrimei.oinperseguidos pd*clamo pu-
liBco em virtude de um tarto desea aotu-
11 r.\; 111;.- a lei inpteza. tk os autixisa a
iiecorrcr alviclencia (13!)
Quanta aa> agentes da pi lacia e aos ou-
tros depositarios da forra pubtica. a nansa
Irgislaco nao se ratMtrou itcnos reservada
1 seu resaaite. O'codigo v paacaSSO cri-
minal fax-Uie as mesmas iecumiueuteres
e3trangeira ha o caso de perguraj- se o
processo a a. puiacao dos erraes em preo.
topado seriamente os legisladores da lnT
glaterra. Acontece milita vez qae no jury
um individuo .levado ao banco dos rose
vai-se embora tivremenle por que nao ha
advogao que o sas menos importantes, ha lugar de rer
que ura grandsimo numero dtllas fica. n-
pune.por naopodera.roubadij perder lem-
po a correr atraz do relogio e-do dmbeiro,
e a pollcia nao poder tratai: de factor em
que nao honve testemunhas. Um jssassi-
nato nao ficaria teo. frequeatemente sondo
mysterio, se houvosse um. promolo ; (pro-
cecutor) prompto para aproveitar es indi-
cios.
(5) Ffrst report of tke commsstbttccs ou
constahuluiy. (arce: Mtermaier.
(6) Constituico 2 fumaria, anno VIII.
art. *; cod. pen. ail. tfU: seirtencas de
13 de noveuibro de *8i2.17 de novemhso
de *860.
neau lhe denunciava as castas affeiceade
Rogorio e de Cathai-ina. O conde de Sou-
gres nao tinha a menor dea de Catbarina,
que ao tempo da sua partida de Bigny era
apenas nascida, Quanto ao parocbo de S.
Silvano, mui bem, se lerabrava d'elte, ten-
do ainda presente a noute em que no quar-
to de sua mulher moribunda curvara a ca-
becae vergra os joelos a uta gesto do
sacerdote : sabia que tinha n'elle um juiz,
e por isso o seu odio para eom elle nao
["perder de intensidade. Ao nome de Fran-
cisco Paty o lobo pulou do raiva, como se
La bala do cacador se lhe bou vera introdu-
cido' na pelle, mas enganar-nos-hemos sup-
pondo que a sua raiva redobroa pelo fado
ios amoies de Rogerio e Catharina. Ao
contrario, a rapoza regozijou-se por isso e
lambeu osbeicos. Atravez das esagera-
ges da carta do mordomo nao vio elle
mais do que urna ligaco sem maior alcan-
ce, a qual rompera a todo o tempo que
isso lhe conviesse, e, como jamis encarara
a paixo seno pelo lado material e vulgar,
4a mesma forma que nunca comprehendora
as sublimidades do coraco humano, bem
longe de lhe dar cuidado tal noticia, escre-
veu a Robineau, dzendo-lhe que deixasse
correr as coasas at onde ellas podssem
ir. Nada o satisfazia mais do que vingar-se
do tio na sobrinha, sorrindo-lhe sobre tudo
a idea de que fosse seu filho o instrunento
d'essa vinganca. Para melhor attirgirao
seu fim, o conde prolongou a sua estada
em Paris, reservando-se chegar a Bigny na
occasiao opportana para se regozijar com
as torturas, porque obrigaria a passar o
abbade e a sobrinha.
Nao deixoa, pTs, de empregar todos os
iilium'cxt tem (dk'eito do matar 011 de
arromlxar as -portas.
A lei francesa t#rnntte,6 verdadera cel-
los nrenostos da aotoridade publica, que a
InglaUMira nao conliece,; procuvatlar im-
perial e aos oficiaes de polica, auxiliares
desee magistrado, mandar prendar os cri-
minosos, mas nao pdela usar deste direito
(7)s Judicial estatisticR, 1866, .ar!. 1. p-
lice and constabtil#r#i.
(8^-Blackstone, Livno I, cap. 1K
tcontouvihc um imaginado uaufragit -de um
nppaato vapor americano, que laptisou
oom o nomeSfoarjp bamtew, e o posa.va-
j>r de Alexandria para New-York : accres-
centandeique I22Lpessoas Aaviam parecido.
rscapausb 4(5, c-m rujo nuaiero elle se. con-
tava. ^ navio qp os sahwa os tinto ds-
(9ibarca.il 1 em BOiOnha.
O jornal l'allttuil Gaztto, dizque seme-
Ihante noticia ai perfeo hoax, jiorqtn
in Lloyd's nao oasta qt.f lenha existid1
vipor algum coa- aquef nome> assim
como se sabe gie de Atexandria rapar
lira, o tal suppostft vapor.
Felizmente v^se que h falso tes afeente-
cSotenMuha desgrana.
E para notar o gosto -.ue expetimentiMi
i>ko da altivr.Atliion eiaiventar una .puta
maaumental, e fue foi acreditada per or-
ibes sisados.
PN.lNNCBPfTE E |~M BOM PAOWS.
I fe anuos appareceran assasainados em
Franca um marido e mulher. Ttofas as
suspeitas reairam eut um pobro- Ruberto
Dubois. Os tribmiaes condeamaran-n'o a
[sao perpetua e havia quatro. anaos que
elle cumpria a sent 11ra.
Atormentado agoa. pela conseiencia, o
issassino deniinciourse junte.!* e Duboi^
mi solto^ Emquano o verdadeko crimi-
noso se nao denuaeiou s na pessoa sabia
',9) Blaclvstune, Li. IV, cap, XXI-
(10) DispSe esta tei que : Todo o in- ? segredb. Esta pessoa era um sacerdote.
glc pode em.caso de flagrante delieto, pren-
der e fazei prender por pessoas de sua
casa ou por outias pessoas e deter, at
>|tie possa entrejal-e a um constable, todo
a individuo. culpado,ainda por simples ite-
ticto. 2i 3-, Vht. rcg., cr-f^ XVII. sec. 7.
(II) Vid. rifi cap. XVH, sec. 51,61.55.
(12> Blackstone, Lv. IV, cap. XXI.
(13) Cod. do proc. crira., art. 106.
(l\). Cod. do proc, trim.,art. 106.
moios de alimentar ai paixao do filho por
Gathariua, e, quando lhe pareceu ser che-
gadaa opportunidadie, n'um dia ora. que se.
acliava junto de sua irma e sobrinha, dis-
se-lbes, sorrindo^
Conhecem a historia de dous exerci-
tos que, prximos a balercnvse, aproveita-
rara algumas horas de tregoas para se visi-
taren! e fazerom reciprocamente as honras
do acampamento ? Dar-se-hia entre nos
um caso anlogo, se, depois de me have-
rem receido com tao benvola hospilali-
dade, se dignassem vir a Bigny passar o
resto da estac5o. Nao sei como possara
recusar. Paris, com este calor c poeirada,
est insupportayel, a nao ser para quem
por seus negocios lhe impossivcl d'aqui
sabir. Toda a aristocracia est no campo.
Itevem tomar o exeinplo. Nao tem por
ventura sua disposicao bosques, trras,
lamedas e um palacio de campo ? Alli en-
contrar rainha irma deliciosas recorda-
rnos da sua infancia e a rainha encantadora
sobrinha percorrer as nossas inontanlias,
que lhe ho de deparar perspectivas de
c uninoverem urna alma potica como a sua.
Nao devem esquecer que as suas presencas
enchero de alegra o amavel Rogerio, que
fez expressamente a sua viagem para Ibes
ser apresentado, mas que, em razo da fa-
diga da jornada com que se resentio a sua
dbil compleco. nao pode deixar de alli
ficar, e, visto que lhe diflicil vir a Paris,
sentir infinito prazer em as ver alli. E'
urna amavel creanca, que minha irma mui-
to ha de apreciar e a quem rainha sobrinha
estimar como um irmSo. Alm de qne,
justo ao menos que minha sobrinha conhe-
irmo te Dubois. O segredo ouviu-o en-,
iiorilissTo sem o rojitidente saber a quem st
oonfessara. O padre Dubois minea revelen
o -segredo e sea irmo padeca iunoceate.
(to) Cod. do proc. crin., art. 40.
(16) Cod. do proc. crun., art. 91.
(17) Blackstone, Liv. III, cap. XXJY.
(18) Valentn Smitb : Do tribunal' de jm-
Ikia na I/tglaterrm,
cia os dominios e o castello de nossos glo-
aosos antepassados.
A estas palavras de castello dos antepas-
sados, Malvina crou de alegra. A Sra.
Barnajon oppoz alguma resistencia, porm
o conde mostrou-se por tal forma insistente
e Malviua supplicante, que aquella tevo de
ceder. Deliberou-se a digresso, com a
clausula, porm, de no regresso recome-
carem as hoswraades, como se tal aconle-
cimento nao tivesse occorrido.
O conde de Sougres expedio immedia-
tamente as suas ordons a Robineau fazen-
do preparar tudo para a recepcao. d'ostas
damas. Primeiro Uvera a idea de nada
alterar na antiga residencia, porm estudan-
do os gestos de sua irma e sobrinha, com-
prehendeu que predominava n'cllas o san-
gue Barnajon, o por isso dificultosamente
se identificanam com a poesa de paredes
velhas. Eram ellas d'aquellas mulheres
enthusiastas pelos palacios em ruinas, por
abobadas quebradas, torres cngidas por
eras, com a condicao, porm, de ah en-
contrarem macios tapetes e todas as mais
commodidades do conforto o elegancia.
N'uina das noutes em que Rogerio re-
gressava da aldeia de S. Silvano, onde pas-
sra o dia, paran consternado Uosdegrw
do porto. Vira a dous passos d'elle, no
pateo, urna carriragem de posta acabada de
desatrellar, e lancando a vista para as ja-
nellas do castello, surprenderam-no as lu-
zos que briluavam ah'avez dos vidros.
(Coutimar-sc-ka.)
ffrTWMm^~9VkIA8CICZESN, >

l----------
i
\
y
V
. .,_ ^,.,lrcl.v. in>,M- ,1 1CI UU
dejulho de 1865, tem elle a liberdade de
expedir um mandado de" coinpareciraeiito
tan 1 o nos m^ocios crimteaes como nos pro-
Cdssos cojTeccionaas. .Mas -lbe prohibido
eipetiira mandado de corapaVealmento de-
baixo d1' vara no caso em que o ficto nao
iconstitua nem um crime, nem um delieto
-a 1 nossa leg.slaco wtts zelosa qne1,,,,. j,,,,,,,.., (,,n ,,,, J pris^0- (10)
f



-
M


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EKHPGPCMB_U9W9J0 INGEST_TIME 2013-09-14T04:37:56Z PACKAGE AA00011611_11755
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES