<%BANNER%>

Diario de Pernambuco ( Wednesday, January 27, 1869 )

Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/11752

Material Information

Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Wednesday, January 27, 1869

Subjects

Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:11752

Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/11752

Material Information

Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Wednesday, January 27, 1869

Subjects

Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:11752

Full Text
^Hllll
Mi
ANNO XLV. NUMERO 20.
I


l
/ f'

PARA A CAPITAL E LUGARES OlfDE HAO SE PAGA PORTE.
Por tres mezs adiantados.................. 6W00
Por seis ditos idem.................... iOUO
Por um auno idem.................... 24<50OO
DIARIO DE
QUIRTA FElSt 11 DE JANEIRO DE 1869.
PARA DE&TRO E FORA DA PROVINCIA.
( Por 'res mezes untados.................. 66750
' Por seis ditos idem.................... 136,'iOO
Por ove ditos idem................... 20f5>sao
Pc lim anuo...................... 27(J000
Propriedade de Manoel Figueira de Faria & Filhos.

Os Srs. Gerardo Antonio Alvos A Filhos, no Para : G wcal
Guimares Pancada, em Mamangoape
em
PARTE OFTICIAL.
(.orrroo da provincia.
EX?KOICrK ASBRiNADO PELO EXM, SB.OO.XDK DE BAK-
l'KNM.PHKSIDE.NTE DA IT.oVIMa A, EM l'JE JANEIlin
DE 180' I.
i' seceao.
N. 5ffl.=Portiria ao Exm. Sr. brigadeiro, prc-
sidente da commissao do syndicanri-' do arsenal
.de guerra.Em resposta ao oflirio que V. Exc.
dirigio-mi! eoui a data de huntein, declaro-lae que
liea expedida ordnm ao dirertor do arsenal Je
guerra para, na conformidade do me V. Esc. pe-
dio emnome da commissao de svndieancla dos fitt-
los platicados no mesmo arsenal, dorante a geren-
cia do ex-director, ser encerrada a ecripturaco
dos lvros respectivos al dezembro fiado, ere.-
medidos a dita commissao, com talos os papis e
inais documentos necessarios para que ella possa
encelar os seos Irabalhos ; assim como para in-
ventariar ludo o que existe no arsenal, enviando
lambem t.m mappa do que existir, com deriaracao
dos ohjecros que tenham entrado 011 sabido at a
data em que se concluir o inventario. Quanto aos
documentse papis que porventura anda exisiain
em poder dos meinbros da eoinmissao, que ha pon-
eo foram, a s>it pedido, dispensados, pode V. Ble.
solicita-los directamente do hachare! Wenceslao
Garfia Chaves, que servia de secretario da mesma
eoinmissao.
N. 581'Dita ao director do arsenal de guerra
Renvtto V. S. a inclusa copia de un officio
datado de hontem, eai que o general presidente da
commissao de syndicancia dos actos eommettidos
nesse arsenal, durante a administraco de sen an-
Antonio Marqus da Silva, no Natal; Antonio Joaquim
Domingos Jos da Costa Braga,
formando-se com a proposta do Dr. ebeje de poli-
ca en oltico . 8-t de 11 do corrente. resol ve no-
mear Antonio Firmtoo Pereira da Silva. Jos Coe-
llio de Mello, Alexandre Jos de Faria. Paulino Be-
zerra do Andrade I ima e Joao de Souza Costa pa-
ra os lugares de **. -I". 4". S* e 6 supplcntos, do
subdelegado da frerue7.ia da Gloria de Goit.
3'seccao.
N. (07.Portan; ao inspector da thesouraria
de fazenda.De ronformWade com o qu- me soli-
ciioii o Kxm. presi lente da Parabyba em ofllcio
de I ti do corrente sob n. :il. expeca V. S. suas
ordens alim de que seja entregue ao* commandan-
te do primeiro vapor da eompanliia llrasileira ipie
seguir para o norte a importancia do saldo exis-
tente nessa repartirn proveniente dos direitos da-
quella provincia arrecadados nesta.
N. 608.Dita ao mesmo.-Tendn neia data ap-
I rovado o contrato junio por copia que o conselho
de compras navaes fez com diversas pessoas para
proviinento do al moxa rilado do arsenal de niaii-
nha, assim o comn mico a V. S. para sen conhe-
ciinento.
N. 609.=Dita ar mesmo.Recomaiendo a V.
S. que em vista da tulla* junto em duplcala, qne
veio annexa ao otllcio do chele de polica, datado
de hontein e sob n. 14, mande liquidar e pagar a
quantia que se esthor a dever. proveniente do
aluguel correspond nle ao semestre de juiho a
dezembro do anuo prximo paseado, da casa que
serve de quarlel ao destacamento de llamb, e ao
fornccimenlo de luz e agua para o mesmo quartel
durante aquel le sen estire.
N. 610.Ditii ao mesmo.Annuindo ao que so-
heitou o tenenle-coronel commandante do carpo
provisorio de polica em officio de hoje sob n. 28.
recommendo a V. {. me mande adiantar ao al-
feres daquello corpu Mareolino da Costa Raposo, os
le :essor. propde a eonwriencia de lguinas m-di- s.?u* vencimentos a o ullimo de abrilI prximo
das para mdhoramento de seus irabalhos, alim de
que v. Sj, lomando em considerarn a materia do
mesmo ofiieio, proceda na cononnidade da recla-
macSo taita, ni secunda e terceira parte d'elle.
. 985.Dita ao mesmo.Pelo commandante do
corpa provisorio de polica ter de ser reeolhido a
esse arsenal o armamento c corrame constante
da relacao junta por copia, o que Ihe communieo
para os"(tos convenientes.
N. .586".Dita ao conselho de compras navaes.
Approvo a compra que, segundo o termo annexo
por copia ao su otllcio de 18 do corrente. fez o
conselho de compras navaes as diversas pessoas
nYlle declaradas, de differejites objeetos para pro-
\ ment do ahnoxarilado-do arsenal de niaruiha.
N. 58".Deliberajo.O presidente da provin-
cia, attendendo aoqne requeres Andr Avelino de
Mello Galvo, |M)rte1ro do arsenal de inarinba desta
provincia, resqjyti conceder-lhe dous mezes de li-
eenca com ordenado, para tratar de sua saude.
2* SBCeSo.
N. 595.r)fflcio ao presidente do supremo tribu-
nal de ioAifa.Levo ao conbecimento de V. Exi\,
que a 14 do corrente reassumio o bacharel Tristao
le Alenrar Araripe as funecoes de scu cargo
como juiz de dimito especial Ho commercio desta
eapilal.
N. SI6.Polaria ao desembargado!- presidente
interino da relacao.Remctto V. S. a copia junta
do oleio do juiz de direito da comarca do Rio
Formoso datado de 9 do corrente, alim de que haja
de providenciar sobre o pedido que elle faz com
relacao ao processo do reo Jos; Muniz Ferreira.
N. 597.Dila ao Dr. chefe de polica.Ein res-
posta ao ofllcio de V. S. de 18 do corrente. sob n.
83, tenbo a dizer-lbe que a 5 de-te mez seguio
para destacar na villa do Granito o tenente Fran-
cisco Xavier Rodrigues de Miranda, com ordena
de passar para Floresta, para entregar os venci-
mentos do eapilao Joaquioi FerODldM de Azevcdo
e o sold do destacamento sob o cumulando deste
eomposto de 13 praejas, inclusive o sargento, cujo
adianlamento foi feito aleo ultimo de abril vindon-
ro ; indo na uiesina occasio as pracas que de-
vi .ni completar esse destacamento. "Nesla data
marcha o alferes Mareolino da Costa Raposo para
substituir o oapitao Joaquim Fernandos de Araujo,
naquello commando, convindo que V. S. declare ao
zado daquelle termo que requisite do novo
commandante superior os guardas nacionaes de
que trata 0 officio d'elle de 8 de dezembro ullimo,
e qne explique que extravio esse de dinbeirode
que trato no seu dito officio.
S. 598. Dita ao mesmo.O desombargador
provedor da Sania Casa represento que. nao obs-
tante a ordem expedida para que a polica requi-
ste previamente ao respectivo inordoiuo a aamis-
gao de qualquer enfermo no hospital Pedro 11, con-
tinuam os subdelegados e at inspectores de quar-
leira>, a remetier directamente para all enfermos
sem aquella Ibrmalidade, como fez o subdelegado
da freguezia de S. Jos desta cidade nodiazdo
corrente : e pede que de ora em diante so por in-
termedio de V. S. sejam feilas laes remessas. Re-
nommcndo-lhe a expedieao de suas ordens neste
sentido todas as autoridades policiaes desta ca-
pital e Cora della.
N. 399.Dito ao commandante superior de San-
io Anto e Escada Mande V. S. dar a guia de
que trata o art. 43 do decreto n. 1130, de 12 de
marco de 185:1 ao eapilao Joaquim Cordeiro Ribei-
r. Campos, do 2" balalhao de artilharia do Hio-
Formoso e aggregado ao batalhao 23 de infantaria
sob esse commando superior para o municipio do
Bonito, onde segundo allega dito capitao esto ac-
tualmente residindo.
N. tiOO. Dita ao commandante superior do Bo-
nito.XesUi data ordeno ao commandante supe-
rior de Santo Anlao, que d a eapilao Joaquim
Cordeiro Ilibeiro Campos a guia de inudanca de
que trata o art. 43 do decreto n. 1130 de 12 de
mareo de 1853. para esse municipio, onde tem elle
tixado sua residencia, o que communieo a V. S.
para sen conhecimento.
N. COI. Dita ao commandante do corno provi-
sorio de polica.Transmiti a Vmc. para os llovi-
dos lins a deliberacao junta, cin que designo o ca-
pitao Miguel da Foseca Soares e Silva para subs-
tituir o capitao Francisco Borges Leal na presiden-
cia do conselho de investigacao a que tem de res-
ponder o alferes desse corpo Miguel Joaquim do
Reg Barros.
N. 602.Dita ao mesmo.O arsenal de guerra
lem ordem para receber o armamento e corra-
me de'qui! trata o snu officio de 16 do corrente pa-
ra o que concedo a Vine, a autorsaeao pedida
N. 603. Dito ao delegado de polica do_termo
de Caruar.Faca Vmc. constar ao capitao Ma-
noel de Souza Braga, que segundo officio do ins-
pector da thesouraria de fazenda de 14 do crren-
te, apenas resta elle a mesma fazerfHa a quantia
de 238462 a cuj respeito ha redamafid sua
.linda pendente, de deeisao da referida thesouraria.
N. 604 -Deliberacao.O presidente da provin-
cia nomao capitao do corpo de polica Miguel da
I ol-ea Soares e Silva para servir de presidente
do conselho de investigacao a que tem de respon-
der o alferes di mesmo corro Miguel Joaquim do
vinduuro, e abonai-lhc a quantia de 120 como
ajud de cusi de i la c volla, visto ter de seguir
para o termo de Floresta, onde vai substituir no
commando do respectivo destacamento, o capitao
Joaquim Feruande; de Azevedo, que se acha em
p ingo de vida,
N. 611.Dila ao mesmo.Sendo a companbia
Pernambucana creo ora da provincia da quantia de
43:000, proveniente das subvencies de nos-e me.
zes, contados de abril a dezembro do auno prxi-
mo lindo, epertenceiido 13:0005 das prestaces de
abril a juiho ao exercicio passadn; pelo que* nao
pode.ni ser agora sa isfeitas, por estar encerrado o
mesmo exercicio, e nao deverem s-lo com a ren-
da do actual ; mands V. S. pagar sobredita com-
iianbia com a mees-aria brevidade. a quantia de
30:00 das preslaciies de juiho a dezembro. relati-
vas ao presente exercicio em moeda corrente;
visto a iinpossibilida le por aquelle motivo, de de-
ferir-sc favoravelinente o requerimenlo da comna-
nliia em que sujeto.a-se a receber o que se Ihe
d re em apolices nina vez que se elfectuasse o pa-
gamento da totalidaie da souuna de que eredo-
ra. O que declaro a V. S. em rosposta ao seu offi-
cio de 18 do corren e sob n. .12 informando o men-
cionado requerirneuto. ^^ ___ __
N. 612.Dito ao inesino.ExpeWi Tr*8 suas
ordens para que, deaois dp liquidadas em vista do
pret junto em du ilieala, que me remetteu o
commandante super or do municipio de Serinhiem
eoinoHicio de 15 do Brrente sob n. 3. sejam pagos
os vencimentos relativos ao mez de dezembro ul-
timo dos guardas nacionaes destocados naquella
villa.
N. 613.Dila ao mesmo.faileirado de quanto
Y. S. expoz em sua iiformaciio de hontein sob n.
31. tenho adizer que depois de .-atisleita a exigen-
cia, contida no parecer junto por copia do procu-
r;.dor liscal dessa thesouraria, mande pagara Julia
Francisca da Silva (irpha a onanlia de 3:128^160
que se licou a deve a seu fallecido marido An-
tonio FranciscoOrpl ao Jnior, proveniente da pri-
meiraprestocao da obrada ponte da escada, sobre j
o rio Ipojuca'.
N. 614.Dila ao mesmo.TrausmilliD.de por
copia a V. S., em ailditamenloaminha iwriaria do
1" de dezembro ultimo a infonnaeao a qne'se re-
fere o officio da repartico da policia datado de 7
do corrente e sob u. 27, prestada pelo delegado do
termo de Santo Antij) acercadas diarias abonadas
durante o mez de outubrn do anuo prximo pas-
sado, ao preso Jos Zeferiao dos Sanios, recom-
mendo-lhe a expedieao de suas ordens |iara qne,
quando se proceder ;i liipiidacao das despezas fei-
tas com o sustento dis presos pobres rocolhidos a
cadeia daquelle termo no mencionado mez de ou-
tnbro, tenha-se em vsia a citada infonnaeao alim
di que seja pago o que justamente for dvido de
taes despezas.
N. 615.Dila ao mesmo.Haja V. S. de mandar
com a possivel brevida.de, una tabella elassiflcada
Er verbas de ledo oreamento.de todas as quantias
luidadas al o fun d dezembro passado, que nao
foram satisfeitos no exercicio de 1867 a 1868, por
falta de renda, ou por qualquer mitra crcuiustan-
cia, de nianeira que se possa eonlpecer a quanto
monta exactamente a somma, para cujo pagam oito
deve ser pedido o nei essario crdito a assembia le-
gislativa provincial.
4* seceo.
N. 616.Officio ac presidente da provincia da
l\irnli>ba.Salisfazendo o que V. Exc. solicita em
seu officio de 16 do corrente, sob n. 231, ex->eco
nesta data as convenientes ordens, alim de que o
coiiunandante do primeiro vapor da companhia bra-
silera de paquetes que seguir para o norte, receba
da thesouraria de faJenda desla capital, a ser en-
tregue na thesouraria dessa provincia, a importan-
ck. do saldo provenidle da arreeadacao dos direitos
a ella pertencente e que sao aqu cobrados.
N. 617.Dilo ao deseiuhargador provedor da
Santa Gasa de Misericordia.Ao Dr. chefe de poli-
ca recommendo nes a data, que s por seu inter-
medio e com previa requisico do respectivo mor-
domo, sejam remet idos enfermo pan o hospital
Pedro II, como V. Exc. solicilmi em officio n. 1725
de 15 do corrente.
K. 618.Dito aos agentes da companhia brasiiei-
ra de paquetes a vaior.De conformidade com o
que me slicitou o Exm. presidente da Parabyba,
em ofllcio de 16 do cenante, sob n. 231, recomiuen-
dem Vmcs. ao coinmandanle do primeiro vapor que
seguir para o norte, que receba da thesouraria des-
ta capital e eutregue na thesouraria de rendas da-
quella provincia, a importancia do saldo que all
existir, proveniente da arreeadacao do direitos da
mesma provincia.
N. 619.Dito ao administrador do correio.Dece-
b e agradece o exeniplar da carta portal do Brasil,
que Vmc. nie remeCeu com o seu officio de 11 do
corrente.
EXPEDIENTE ASSIGN'A )0 PELO SR. DR. JOAQUIM CARREA
DE ARAUJO, SECRETARIO DO G0VERN0. EM 19 DE JA-
NEIRO DE 1869.
1*seceao.
N. 620.Officio ao coiniiaiidanle do presidio de
Fernando de Noront a.O Exm. Sr. presidente da
provincia, manda declarar a V. S.. que segundo of-
cadeia de Santo Antao, JoV) de Barros Cavalcante,
e nomeado para o substituir em dito lugar, Manoel
Antonio Baptisto Cosme Nunes.
N. 623.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. presidente
da provincia, manda acensar o recebiinento do offi-
cio de V. S. de 15 do corrente, sob n. 66, em que !
eoiiimuniea ter nessa data nomeado Floriano Rodri-
gues do ()'. para o lugar de guarda da rasa de de-
tenca i. vago pido fallecimento de Bernardo da Silva
Guinaraes.
X. 624.Dilo ao mesmo.O ExnvSr. presidiste
da provincia, manda transmetlir a V. S. os ttulos
junios, de nonieacao dos 2, 3* 4, 5o e 6 snpplenles
do subdelegado, do dislriclo da freguezia da Gloria
do Goit. de conformidade com a proposta de V. S.,
em officio n. 83, de 16 do corrente.
X. 625.Dito ao mesmo.De ordem do Exm. Sr.
presidente da provincia, transmittoa V. S. os ttulos
juntos, de nonieacao dos 2-, 3", 4", 5o e 6o supplcn-
les do subdelegado do districto de Goyanna, e os de
lodos do subdelegado de Nossa Senlu.ra do O,
ambos do termo de Goyauna. de conformidade com
a proposta de V. S., m officio n. 77, de 16 do cor-
rente.
N. 626.Dito ao commandante superior de Seri-
nhaem.Xesta dataauterisou-se a thesouraria pro-
vincial a pagar os vencimentos constantes do pret.
que em duplcala veio annexo ao officio de V. S.,
datado de 15 do corrente, e sob n. 3, o qual liea as-
sim respondido de ordem do Exm. Sr. presidente da
provincia.
X. 627.Dito ao Dr. Tristao de Alencar Arari-
pe.O Exm. Sr. presidente da provincia, manda ac-
ensar a rcccpcao do officio de V. S., de 13 do cor-
rente, em que conimuniea ter no dia anterior reas-
sumido as funecoes de seu cargo.
X. 628.iloao juiz de direito do Rio Formoso.
O Exm. Sr. presidente d provincia, manda acensar
o recebiinento do officio de V. S. de 9 do corrente,
relativamente a sessao do jury do Rio Formoso, de
cujo cometido llca inteirado.
N. 629.Dilo ao juiz de direito de* llamb .De
ordem do Exm. Sr. presidente da provincia, trans-
muto a Y. S. a dclibcra^o junta por copia, desta
data, creando um novo distnclo de subdelegado na
freguezia c termo de Itamb, com a denominacao de
Cane, e a numeracrio de 2o, como nella decla-
rado.
X. 630.DUo ao juiz municipal do Cabo.OExm.
Sr. presidente da provincia, manda declarar a Y.
S., que tea inteirado por seu officio de 14 do cor-
rente, em que comnranira ter nessa data reassumi-
do o exercicio de seu cargo.
X. 631.Dito ao juiz municipal de llamb.O
Exm. Sr. presidente da provincia manda declarar
a V. S. qu llca inteirado por seu officio de 13 do
corrente, de haver nessa dato assumido o exercicio
da vara de direito dessa comarca.
X. 632.Dito ao coinmandanle do corpo provi-
sorio de polica. S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia manda declarar a V. S. que nesta dato expi-
di as convenientes ordens a thesouraria provincial
no sentido de seu officio de hoje, sob n. 28, o qual
tica assim respondido.
3." s.vcio.
X. 633Officio ao inspector da thesouraria de
fazenda.O Exm. Sr. presidente da provincia man-
da communicar a V. S. para os convenientes flns
que segundo officio do Dr. chefe de polica de 16 do
corrente, sob n. 72, por portara dessa data foi exo-
nerado Joao Barros Cavalcante, do lugar de carce-
reiro da cada do termo de Santo Antao e nomeado
para o substituir em dito lugar Manoel Antonio
Baptisla Correa Neves.
X. 634.Dito ao mesmo. -0 Exm. Sr. presidente
ua provincia manda declarar a V. S. para os lins
convenientes que a 12 do corrente, reassumio as
funecoes de seu cargo o juiz de direito especial do
commercio Dr. Tristao de Alencar Araripe.
N. 633.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. presiden-
te da provincia manda declarar a V. S. que segun-
do officio do juiz municipal do termo de Itamb
Menelo dos.'santos da Fonseca Lins, de 13 do cor-
rente, nessa data assuinio elle a vara de direito da
comarca no impedimento do respectivo juiz.
X. 636.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. presiden-
te da provincia manda declarar a V. S. paraos lins
convenientes que segundo comnmnicoii o iuiz mu-
nicipal do termo do Cabo em officio de 14 do cor-
rente, nessa data reassumio elle as funecoes de seu
carp.
X. 637.Dito ao inspector da thesouraria pro-
vincial.O Exm. Sr. presidente da provincia man-
da delarar a V. S. que segundo officio do Dr chefe
de policia de 13 do corrente, sob n. .66, nessa dala
fui nomeado Floriano Rodrigues do 0, para o lugar
de guarda da casa de detencao na vaga deixada
pelo fallecimento de Bernardo da Silva Guina-
raes.
N. 638.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. presiden-
te da provincia manda declarar a V. S. para seu
conhecimento c lins convenientes que segundo offi-
cio do Dr. chefe de polic a, n. 75 de 16 do corren-
te, foi nomeado Jos Luis da Costa Wahdcrlcy para
o lugar de guarda da casa de detencao, vago pelo
fallecimento de Ernesto Lins de Albuquerque.
dantos de corpos e seus offlciaes, cheles |de repar-
tieao, miiilos nu'iiibros do honrado erpo coai-
mercial, entrn no salan, e tomando o ugar de
honra, fez dar asiento aos funecionark* que o
acompanharam.
A banda de msica dos educandos artistas lo-
COB ojjwiiuo nacional entrada de S. Eb,c.
Dsyois de alguiis uiomenU. S. Exc. declarou
aoerlos o.v trabamos.
Lcvantando-sc o Sr. Dr. director ger; .1 da ius-
truccao publica, que oceupava uin assintocs-
querda de S. Exc, fez a chamada das dn:
as da escola do bairro de S. Tcente, as
vantaram-se e, guiadas, de sua professoraf
xioiaram-.-e mesa.
S. Exe. levantando-se, e com elle todos os ex-
pectodores, pegn nos dous premios des
e-sa escola, e dirigio-se Sra. prol'esso
termos:
_ Enlrego-vos estas Sincelas olleras qte a pro-
vincia faz aquellas das vossas alumnas qu i inais se
distinguirn! nos exames do anuo proi
sado.
Postes vos, Sra. professora, queni
s aliini-
pjaes le-
appro-
I i nados
a nestes
uno pas-
guiou as
vossas alumnas desde os priineirns rudin entos at
esln. lugar; sede vos quem, coroando os seus es-
tonos escolares, Ibes entregue estas singlas dis-
tiriccao que a provincia agradecida Ibes eonfere.
Vossa satisfacao deve ser grande, igual sem
duvida a einoeao que nesle acto solemne se apo-
dera do espirito tenro de vossas alumnas.
Em nomo da provincia vos agradeco e louvo o
disvello que empregasles na cducaeao destas bel-
las meninas, e vos encarrego tambein em seu no-
mo de abraca-las e dar-Ibes o sculo maternal.
A Sra. D. Libania entregando os premios as
alumnas. as abracan e mes den o sculo em nonie
da provincia ; e, btendo venia de S. Exc, voltou
oreupar o seu lugar, c leu mu bem elaborado
discurso, que mais larde publicaremos.
Finda a leitura do discurso, a banda de msi-
ca tocou una peca. I
OSr. Dr. director geral da instruecaoj publica,
fez a chamada das duas alumnas d escola do
bairro dos Remedios; levantaram-sc ambas, c
guiadas pela sua professora, aproxiniarain-se a
mesa, onde S. Exc. se dirigi Sra. D. Josephina
uos mesinos termos da precedente distribuidlo.
Vollando a seus lugares, a Sra. D. Josephina
leu um discurso que foi devidamente apreciado.
Depois de tocar una peca a banda de msica
dos educandos, foram chamados pelo Sr. Dr. di-
rector geral da instruccao publica os dous discpu-
los premiados da escola do bairro de S. Vicente,
regida pelo reverendo padre Torquato, que os
acompanhoii mesa, onde S. Exc. dirigindo-lhe
um breve discurso noniesmo sentido dos prece-
dentes. 1 lie enlregu os dous premios que passa-
ram n i mesmo acto as mitos dos premiados.
0 reverendo professor leu tambem un dis-
ciii-so. curto, mas bstanle apreciado.
Desempcnhada pela banda de msica dos edu-
candos a peca, foram chamados peloSr. Dr. direc-
tor coral da instruccao publica os discpulos da
esc N particular dirigida pdoSr. Bernal.j
Este senhor veio a mesa acompanhando seus
discpulos, abi S. Exc. diriglo-lhe una allocucao
cheia de animaran e em termos especiaes, porque
0Me senhor. sendo empregado de fazenda, dedca-
se as horas que Ihe sobram do seu emprego, ao
ensino da juventude. O.Sr. ernal nao pratica
isto como dever, mas pelo amor (pie tem s let-
tras ; e nesta provincia anda tao atrasada, a mis-
sao que si mesmo se impoe o Sr. Berna! di-
vina.
S. Exe. agradecendo a este senhor professor o
assignalado servico que assim prestara a mocidade
desta capital, Ihe pedio que recebesse um aperlo | tido votos para juiz de paz nao perlencia ao res-
de mao em nome da provincia reconheeida. pectivo quadro, nem consta ter sido juramentado
A conimoeao do Sr. ernal foi extrema ; ret- previamente, mas ao juiz de paz da freguezia vi-
rou-se ao seu (ugar com seus discpulos, d onde >nha, como dispoe o art. 17 das inslruccoes que
jen um bello discurso, que inais tarde ser lam- baxarain com o decreto n. 1812 de 23 de agosto
Essa deinissao fui dada, em vista do resaltado
da insjiecco a que se man.I u proceder mi corpo
de ijolica por una coiimussao composta do chefe
de seceao da thesouraria de fazenda Adriano Hilar-
te Godinho, do tenente reformado do exercito An-
lonio Pedro Gomes de Castro e do escripturario do
Ihesouro provincial Antonio Jos Vctor de Mdei-
Durante o anno de 1868 o movimonto da ad-
niinislracao do correio da provincia foi de 282,8.39
voluines.'sendo 144,219 receidos el 18,640 re-
mettidos. No mesmo periodo foram recobidas. .
2,353 mallas, e exjiedidas 2,384.
Falleceram : o Dr. Joao Pedro dos Saulos,
deputodo provincial; e o Sr. Antonio Raymuado
Gaspar, euipregadu da secretoria da assembia
da provincia.
Foi suspenso do respectivo exercicio, c man-
dado responsabilisar, o coronel Carlos Jausen Pe-
reira, coiiunandante do batalhao n. 38 da guarda
nacional do Allo-nicariui, por ter posto emba ac -
ao cumplimento de ordens offlciaes, e aconselbar
resistencia s ordens emanadas de autoridades l-
gaos.
Entrara no exercicio a nova cmara muni-
cipal da capital, presidida pelo Dr. Jos da Silva
Maia.
A alfandega renden no anno civil de 1868
1,778:7295349, e de 1 a 19 do corrente re.....
109:7606-2.'.
Xo dia 12 do corrente tomou posse a nova
commissao da praca do commercio, que licou as-
sim organisada:
Jos Moreira da Silva, presidente.
Deltim da Silva Guiniaraes, vico-presidente.
Joaquim Ramos Villar, primeiro secretario,
loso Cesar da Silva Aniaral, segundo dito.
Antonio Jos de Almeida Jnior, thesoureiro.
= O cambio regatara : sobre Londres 19 a 19
}( d., sobre Lisboa 170 por cento.
De 1 a 10 do coi rente vieran) ao mercado da
capital: iitii saccas com algodo, 34 pipas com
agurdente, 683 saceos com
mu arroz, 8!)2 couros seceos.
farinha.
Ficavam a carga os navios: D. Princess..
Sehwtm, F. Drake e Znrak, para Liverpool.
PIAUIIV.
Falleceram: o capitao Anunbal Jos da Silva
Conrado ; e o empregado da companhia de nave-
gacao lluvial Antonio Teixeira tiendes.
Foram suspensos dos cargos de presidente e
de vereador da cmara municipal de Oeiras, o co-
ronel Coriolano Cesar Burlamaque e major Artar-
xerxes Yieira de Sa.
Por portaras da presidencia, de 7 e 14 de
dezembro ultimo, foram annulladas : a eleieao de
veread nes e jiizes de paz da freguezia de Xossa
Senhora da Victoria da cidade de Oeiras, que se
diz ler-se procedido sob a presidencia do primeiro
juiz de paz Jesuino I.uiz da Silva Moura; a de jui-
zes de paz da freguezia de Santo Philomtna, e a
de, vereadores e iuiees de paz da freguezia de Nos-
vi Senhora do U da villa de Valonea, a primeira,
jorque nao foi finta, como devera ser, na igreja
natriz daquella freguezia. mas na eaiNdla de Xos-
sa Senhora da Conceicao, a segunda, porque a
Brina dos eleilores foi substituida, nao pelos in-
mediatos em votos ao juiz de paz, presidente da
mesa parochial, como determina o art. 8 do de-
creto n. 1812 de 23 de agoste de 1856, mas por
um individuo para esse lim convidado pelo juiz de
paz, o que por sua vez convidou a outro, fleando
assim eleilos os dous nienibros da mesa que repre-
seuiaiii a turnia dos eleilores, e a terceira porque
nao competa a presidencia da mesa ao cidadao
Jos Francisco Dantos, que, nao obstante ter ob-
MflfMi da TuiqHiit. Ineficacia prorarel rf<
mao propoito. A Turqua modifica o seu decreto
de exptmOo dos Ih-ego do territorio ottonunu:
Documentos que se publicem e opMo da im-
prenta.
Au.eha.miaIMidtu adoptados pela Austria pira
ttgmr as fronteirus anstro-calarmu. Hesfria-
mento das retacH entre a Austria e a Prussia.
A questao de haden. Preparativos de guerra
da parte da Prussia.
Italia k Roma..4 poltica franceza em relaciio a
Huma nao mudou apezar da entrada para o ija-
Utute franeez do marqmz de Aivatlelte. Des-
ordens na Italia em conseqnencia de se por e>n
aecico o impopular iintmto sobre as moa-
gns.
U:>\:\s\.Hestaljelecida a ordem em'Malaga.
Preprame i partido* para as chitan gernes
Candidato ao throno. Conspiranlo 'carlista em
liarcclmia.
Isclatbhra. Dcsonlens na Irlanda. Tratado
com a China.
Fii.\xg.\.-Discursos pacifims di im/irrailor ao cor-
po legislativo c ao corpo diplomtico pelos etm-
in a tientos do anno noro.
Estados-I sidos.Amnista amplissima concedida
pelo presidente Jolmson. A insuireiroo da ilha
de S. Domingos contra o presidente lluez esta
apazignada. O gocerno dos Hilados-Unidos rui
estaMenr urna estacao nitral na baha de Sa-
ma n
Portugal. Demissao do ministerio. Chamiulu d
marechal Saldtinha. Manifrstardes polticas.
Gramil1 agitacao no reino. Diversa noticias.
conflicto ghkoi-ti uro
Devia no dia 11 do corrente ler-se realisado
em Paris, una reuniao oficiosa dos plenipotencia-
rios das potencias autorisadas para tratar do con-
flicto entre a Grecia e a Turqua, devendo come-
car as sessoes offlciaes da conferencia no dia 12.
A Turqua ceden lixaeao dos einco primeiro:-
godao, .i pipas com ai[ Aoscu ullimiUlim p-a|.a ua^ d., d9cu#sio,i-
t^lmSlde dcrrd6ma?,8W embaSr para se retirar re
I t ttz aiqueii ut M i(;vanta,. j^onsga,, H>\ne qUa|i|uer outro a^-
lo 1856.
Seguir para S. Goncalo, no vapor Conse-
hero Parunagu, o Dr. chefe de policia, afun de
syndiear de um conflicto havido entre o cominau-
bem publicado.
Seguio-se este acto a chamada dos educan-
dos arais premiados, osquaes vioram com o seu
professor mesa receber os respectivos premios.
S. Exc. Ibes dirigi palavras animadoras, fazendo danto superior e o juiz municipal do lermo.
sobresahir a importancia do ensino artstico para o ceau.
progresso material da provincia.
Depois deste acto o Sr. Ricardo leu urna poe-
sa, o Sr. Dr. Canavarro um excellenle discurso.
Re/o Barros, em snbstituicao di capitao Francis- Beta do Dr. chefe de policia, de 15 do corrente, sol
eo Borges Leal, que deu parte de doente, segundo 39. deixou de seguir para esse presidio, por ter
adoecido, o sentenciado Francisco Mallos da Silva.
2* Ser i
X. 621.Officio ac Dr. d licia.O Exm.
Sr. presidente da provincia, repondendo ao officio
infonnou o tenenle-coronel commandante do cor-
po em officio de 15 do corrente sob n. 22.
X. 605 Dito. O presidente da provincia, de
conformidade com a proposta do Dr. chee de po-
licia em officio n. 83 de 16 do corrente; resolve
exonerar, por conveniencia do servico, Severino
Jos dos Res Carvalho, Claudno Pinto da Motta
Nunes, Joao Soares de Albuqueeque Mello, Pauli-
no dos Reis Olivein e Cosme Pinto de Leao, dos
lugares de *, 3, 4, e 6* supplentes do subde-
legado di. freguezia da Gloria do Goit.
X. 606,Dito0 presidente da proviuoia, con-
de V. S. datado de h ntem, e sob n. 94, manda de-
clarar que a tbesou.'aria provincial tem ordem pa-
ra pagar a quantia de 103|200 ris, constante de
seu citado ofllcio.
X. 622Dito ao mesmo.O Exm. Sr! presidente
da provincia, mandil declarar a V. S. que fica intei-
rado por seu officio de 16 do corrente. son n. 72, de
haver sido exonralo ne earcereiry da
DIARIO DE PERNAMBUCO
RECIFE, 27 DE JANEIRO DE 1809.
NOTICLVS DO NORTE DO IMPERIO.
Chegon hontem o vaper Cruzeiro do Sul, trazen-
do datos : do Amazonas at 10, do Para at 16, do
Maranhan at 20, do Cear at 23, do Rio Grande
at 25 e da Parahyba at 26 do corrente :
ama:m>nas
Prestara juramento e tomara posse do cargo
de chefe de polica, o Sr. Dr. Marcos Correia da (Si-
mara Tamarindo.
No dia 26 do passado cliegara Manaes a fln-
tillia de lanchas vapor, destinada navegacao
dos rios da provincia.
Em viageni de exploracao ao rio Branco, se-
guir a lancha vapor Para, levando a seu bordo
os Drs. Coulinho e Lisboa.
As ultimas datas da fronteira da Bolivia, tudo
icava em plena paz.
Em 31 de dezembro ultimo ficaram nos co-
fres geraes e provinciaes as seguintas quantias:
Cofres provinciaes. 49:368*345
geraes. 68:9585329
No dia 1 do corrente houve urna festa littc-
raria, as salas do seminario episcopal; a qual
assim deseripto pelo Calechista :
Hontem, no seminario episcopal, celebrou-se
urna feslividade escolar, que fez despontar nova
era mocidade amazonense,
t Desojando S. Exc. a Sr. presidente Wilkens
de Maltes levantara inslrucgao publica da provin-
cia do abatimento em que ha muitos annos se acha,
fez reunir todas as professoras e professores com
as respectivas alumnas e discpulos para a distri-
buicjio di premios aos que de um e outro sexo,
mais se dislinguram ros exames do anno pas-
sado.
A extensa varanda do seminario achava-se de-
corada com singeleza e &osto.
a Unja commissao eomposto dos Srs. tenente-co-
ronel Jos Coelho de Miranda Leao. major Joao
Marcellino Tavoir Pao Brasil, e alferes Jos Hono-
rato de Mattos Guerrei -o, recebia s professoras
e suas alumnas, professores e seus discpulos, e
todas as pessoas que ali appareciam, e mes desig-
nara os lugares que tinliam de oceupar.
A's 10 horas S. Exc. o Sr. presidente aeompa-
nhado de numeroso cortejo comjosto do comman-
dante das armas, comniaudantc-superior, commsn-
e
o Sr. Dr. Ulysses um outro sobre a liberdade do
ensino. A carencia de tempo nos priva de procu-
rar estes diconos para da-tos i publicidade.
A 1 liora da tarde S. Exc, com as mesmas
formalidades da entrada, retirou-se dando por An-
do o acto.
Esta feslividade tao singella como , tem una
grande importancia inora! : serve para derramar
a eniolucao nos espirites teios da juventude, cuja
educacao lem estado at hoje como que des-
prezad'a.
No 1- de Janeiro de 1852, foi esto provincia
inaugurada, c s 17 anuos depois que a instruc-
cao primaria se funda!
Como tem esta desdtosa provincia sido admi-
nistrada I
PARA.
A cmara municipal da capital nomeou urna
commissao interna, composta dos Drs. Lobato e
Paes, e do Sr. Joao Diogo, para examinar os nego-
cios relativos ao seu archivo.
No anno civil de 1868 rendeu a alfandega da
capital 3,187:30iiS961, sendo :
luiportacao......... 2,035:6135277
Despacho martimo.. 11:72i 1651)
Exportacao......... 959:4435182
Interior'........... 180:5205852
Procedente de Liverpool chegra, a 14, o va-
por Augustne.
De 1 a 16 do crrente rendeu a .alfandega
231:273*490.
Sabio, a 16, para Pernainbuco, a batea fran-
ceza Conste Reger.
Ficavam carga os navios: Cita of Asaph
para Liverpool; Palmeira para o Porto; Unido
para o Porto; Frusly c Unche San para NeW York;
Mara para Pernambuco.
Lemos no Diario de Belm:
Hontem (11) esto capital presanciou um es-
pectculo todo novo e surprendente : era a tripo-
lacao do brigue porluguez Lgero, hontem chega-
do a este porto, que estando prestos a naufragar a
sabida de Lisboa, implorou a proteccao da Virgem
de Naareth, que mais urna vez mostrouo seu po-
der senerando o tempo e trazendo-os em paz e sal-
vamento at este porto. Estes homens rudes, af-
feitos a vida spera e tormentosa do mar davam,
uo recolhimento e devocao com que iraploravam
urna esmola para missas Virgem de Najareth, o
mais esplendido testemunho do quanto viva e
sincera a devocao do homem do mar. que em luto
perpetua com os elementos, tras sempre dianta dos
olhos a sua fraqueza na relacao do infinito, cuja
imageui o ocano.
MARANHAO.
Foram inuito festejadas as noticias do Iheatro da
guerra levadas pelo Cruzeiro do Sul; sahindo a
cmara municipal da capital, acompaiuhada de
grande numero dos seus municipes, em passeki,
elevando entusisticos vivas, que eram corres-
pondidos com verdadeira loucura.
De volta de 8. Luiz Gonzaga chegra o Dr.
chefe de policia, sendo declaradas millas as duas
eleicies feilas em 7 de setembro ultimo, para ve-
readores e juizes de paz, em visto das razJes co-
udas no relatorio dessa auloridade.
Foi exonerado de commandante do corpo de
policia, o major Joao Pedro Ziegler, e nomeado
para o substituir o capillo Guilherme LeopaWo de
Froilas.
As noticias do Iheatro da guerra foram sau-
ladas com verdadeiro phrenezi por toda a popu-
lacho, ha vendo passeiatas. msicas e foguetes.
Pela resolueo provincial de 17 do passado,
foi extincta a mspeceaa do algodo na capital, e_a
collectoria do Aracatv, podendo o dono do algodo
armazeua-lo onde inais Ihe eonvier.
Anda, em virlude do artigo 10 da le provin-
cial n. 46 de 31 do passado, foram supprimidos os
impostes de armazenagem de imporlacao sobre be-
bidas espirituosas, fumo, rap charutos, cigarros e
assuear, e revogadas as leis ns. 625 de 3 de outu-
bro de 1853, 650 do 19 de setembro, 657 de 29 do
mesmo mez, e artigo 10 da de n. 697 de 3 de no-
vembro de 854, 892 de 27 de juiho de 1859 e ar-
tigo 19 da do n. 1095 de 29 de dezembro de 1853,
que concedem iseneoes de direitos de exiiortocao
Para promotor publico do Inhaumas foi no-
meado o Dr. Vicente Cosario Ferreira Gomes.
Tendo sido exonerado, em virtude do artigo
1. da le provincial n. 1249 de i do corrente, de
dir- tor geral da instruccao publica o Sr. Gustavo
Gurgulino de Souza. foi nomeado parasubstilui-lo
o Dr. Domingos Jos Nogueira Jaguar be.
Na lei do orcamento provincial, votada este
anno pela assembia, acna-se marcada a quola de
15:0005000 para a emaucipacrio de creancas do
sexo (eminino.
Suicidra-s", no dia 14 do corrente, o Sr.
Joao Francisco Sampayo, procurador da cmara
municipal da capital, com um tiro de revolver, em
jonsequencia de alcance nos cofres seu carao.
Urna coinuiisso, presidida pelo negociante Joa-
quinda Cunha Frene, proiuovia urna stibscripcao
para embolsar os cofres da quantia desfalcada, e
soccorrer a familia.
Achava-se no porto o hiate de guerra Ro de
Contas, que faz parte da estacao naval.
A alfandega rendeu de 1 a 22 do corrente
3:495*083.
A nova cmara municipal da capital, apenas
enlrou em exercicio, nomeou : medico o Dr. Anto-
nio Mendes da Cruz Guimares, secretario Trajano
Delpbino Barroso, e procurador Zeferino ulervil
da Cruz Guimares; demittindo os que serviam an-
teriormente.
Evadiram-se da cada de Marangnape, no
dia 15 do passado. os criminasos Manoel Pereira e
Florencio Marlins.
A barca portugueza Infla Carolina, que se
achava tandeada no porto, garrou no dia 15 do
corrente, pouco faltando para se perder. A cap
lana do porto prestou os soccorros neeessarios, en~
olios se deve sua salvaco.
1UO GRANDE.
= Nada occorreu, que mereca menco.
PARAHYBA.
Pela presidencia da provincia foram exone-
rados : o administrador do consulado provincial, o
director do coHegio de educandos, e o medico da
enfermara militar ; e nomeados para esses cargos
os senhores : Francisco Jos do Rosario, Dr. An-
tonio de Souza Gouva e Dr. Joaquim da Silva
Coelho.
NOTICIAS DA EUROPA.
Conflicto greco-turco.flraiuoo de urna confe-
rencia dos plenipotenciarios das potencias signa-
tarias do tratado de Pars, nesta capital, sendo
o progrmala os cinco primaros arttgos do ulti
qua
sunipto.
Parece conlirmar-se a noticia de que o repre-
sentante da Grecia assistir s conferencias, leudo
Bellas o direito de fallar, mas sem voto.
A Italia vai de accordo com a Inglaterra as
qaesISes que se devem ventilar na conferencia.
O Times de 6 publica uin artigo en que se apre-
cia a poltica ingleza na questao do Oriente; de-
clara francamente que a Inglaterra nao deve per-
lliar as animosidades religiosas ou nacionaes dos
Grecos, o que hoje j nao estamos em presenta
^os Turcos barbaros de oulros lempos, mas diante
de um governo humano e civilisado, cuja poltica
mudou completamente. Nos circuios polticos de
Londres nao se acredita que a conferencia lureo-
grega produza resultados favoraveis. A restriccao
da Turqua moslra a opinio de que nao pode ser
milito til a reuniao.
A Russia declarou na sua resposla que com un
programla lo restricto a conferencia Ihe parece
pouco apto para obviar s diflieuldades actuaos.
mas que aeeitava o convite para nao servir deobs-
laculo a una re-oluc/m pacilica.
A Gazeta Militar de Yienna diz que a Prussia e
a Russia adherem contra volitado ao projeclo da
conferencia e s com o lim de nao trahirem imine-
dialainenle suas lencocs perante a Europa.
O jornal A Turqua trata a Russia com muito
violencia ; chega a exprobar aquella poten da a
sua adheso a conferencia, e v nesse passo os
mais niachiavelicos projectos; termina por allu-
sSes ameaeadoras que, quando nao deixcm de ser
fundadas, sao pelo menos extemporneas. Parece,
porm, que injusta a accusaeo feita pela Tur-
qua ao governo russo, porqu, apetar de nao se
negar que elle visse com indilTerenca a agitacao da
Grecia, que poucos esforcos fez para desviar o go-
verno helleuic) do caminho que tiilhava. o que
certo que a sua adheso nao se fez esperar, e
ue as tainas russas condeninam o proceder da
recia.
Era esperado em Berln o prncipe de Gorls-
ehakoff, ministro dos cstrangeiros da Russia, para
tratar com o gabinete prusslano sobre s assump-
tos do Oliente.
Correm boatos de una allianca offensiva e de-
ensiva entre a Russia e a Prussia. por interven-
cao do conde de Bismark e do prncipe de Gorts-
chakolT.
O Moniteur que desde o principio do anno per-
deu o seu carcter ofrial, sendo substituido pelo
Diario Oficial do imperio, diz que os plenipoten-
ciarios nao se poem de accordo as conferencias
sobre a questao greco-turca, e diz que a Europa
nao ter interveneo na guerra alero da que cum-
pre a um padrinho em um duello.
_0 Oriente de Vieima publicou tuna proclama-
Qo do coinili central de Alhenas. Este docu-
mento convida o povo a nao enfraquecer, nem per-
der a coragem, e a conduzir-se como hroe ; re-
curre s gloriosas tradicoes dos Thermopyles e de
Marathona.
A resposta do governo grego sobre o incidente do
Eaosis, diz que nao considera a expedieao como
acto de pintara e que se Hobert-Pach julga o
contrario pode-se queixar ante o tribunal do Syra
que proceder depois de haver infonnaeao.
O governo grego vai publicar um memorndum
sobre os acontecimentos de Canda, explicando a
origem da insurreico e as causas que a fermen-
taram. Este memorndum ha de ser submetlido a
conferencia.
O governo grego esta tratando da compra de va-
rios navios ciicouracadosem Inglaterra e nos Esta-
dos-Unidos.
Diz-se que o governo turco vai reunir em um
livro azul que vai. rubricar com toda a brevidade.
os documentos offlciaes que dizem respeito s re-
lacoes da Turqua com a Grecia e aos negocios de
Creta.
Falla-se em mudanca ministerial nn Turqua e
que ser chamado a presidir o novo gabinete o re-
presentante da Porta em Londres Musurus-jiacb,
que partidario de una poltica enrgica.
Ha grande actividade no arsenal. Um transpor
te a vapor parti de Constantinopla para Syra, on-
de esto os navios do vire-almirante Hobbart que
contina de observaco aquelle porto.
Vai reunir-se urna commissao mixta a bordo do
navio de guerra franeez Pmiiin para examinar a
questao do Enosis.
O general russo IgnaliefT slicitou do governo
ottomano a suspensao da expulsao dos gregos s
da interdieco dos portos otlomanos aos navtos
gregos.
Os representantes dasoutras potencias naoapoia-
ram o pedido da Russia mas recommendaram mo-
deracao Turqua.
A Porta respondeu que nao podia suspender a-
medida> de rigor, sem garantas da parte da
Grecia.
A Correspondencia de Smyrna explica a severi-
dade do governo tuno a respeito dos gregos qu-
habitam o imperio, e diz que Tjuasi todos os grego*
sao naturalsados com papis irregulares, ou sao
subditos hellenicos e que todos conspiraram e con-
Iribuiram pormeiodesubscripcSespara alimentar
insurreico cretense.
Entretanto um telegramma de ConstontinopL
participa que o governo ottomano acaba de modifi
car as disposi^oes tomadas em relafto aos gre-
gos.
' Os subditos gregos nascidosem territorio ottoma-
no poderao ficar. Os amigos subidos ottomano>
tero de fazer-se reintegrar na sua primeira oaao-
uauda.de ou partir.

V
_! .


..
mmmm

ees
Diario tle Pernambuco Quarta feira 27 de Janeiro de 1869.
v 'Ji
A modifieacao da medida de expulsa* annuncia-
4a a favor dos subditos gregos oausou una Impres-
o favoravel no corpo diplomtico c na popula-
rao.
A espontaneidade desta deiiberaclo tomada an-
tes da abertura'da conferencia e portante iscota qualquer influencia diplomtica, considerada
como urna garanta das disposicdes conciliadoras e
moderadas da Porta.
liste acto dever sem duvida prodnzir urna ini-
pressao favoravel a lwrau'* sobre os ministros das
potencias chamadas a emittirem asua opiniao acer-
ca do conflicto turco-grego.
O vice-rei do Egvpto depois de permanecer al-
{um lempo estranbo aos aconteeinientos polilieos.
raostra agora o maior calor ein secundar as vistas
da Si.blime-Porta.
O cnsul da Grecia em Alexandria recebeu os
seus passaportes, explicando se esta deliberarlo no
sentido que Ismael espera qne o sultao o-eonsidere
para obter o engrandecimento do Egypto.
ALLEMAMIA.
explicada a noticiada remessa de 80 canhes
Taiados da Russia para a Romana. Haviam che-
yado a Szozakora (Austria) varios carros carrega-
dos de rodas de coche, que foram detdos pela au-
loridade austraca, mas que se lhes permittio que
contiiiuassem o sen caminho logo que as autori-
dades se convenceram de que nao pertenciam a
petrechos de guerra.
Nagua as folhas prussianas a noticia de ter
certo numero de ofliciaes prussianos recebido au-
torisaca de entraren! ao servico da Roumania
cora a facilidade de voltarem ao exercito prus-
siano.
Dizem de Viemia. que as autoridades austracas
andam bastante sobresaltadas com as continuadas
femessas de armas e inunicoes russas que passam
por Warsovia e se dirigem aos principados danu-
biano*.
As medidas tomadas pelo ministro da guerra de
Vienna pan vigiar as fronteiras auslro-valachas
teeiu taiubem por objecto urna oceupacao eventual
destas por mu corpo de exercito no caso de urna
Tublevacao geral.
Gaitas de Vienna fallam dos recoios que inspira
o actual estado das relacoes entre os gabinetes de
Vienna e Derlin ; espera-se a cada momento que
sejaiu respectivamente chamados pelos seus gover-
nos o conde de W'impffer e o bariio de W'erther.
aos quaes se conceder una lieenca Ilimitada.
Julga-se que o gabinete francez iotervir junto do
conde de Bismark e d conde de flest para con-
seguir tranquillbar a animosidade que existe entre
os dous chancelleres.
O Guulois dizque tem liavido negociacoes en-
tre o governo francez e o pnusiano sobre assuinp-
tos do ducado de Badn.
O gabinete das Tulherias tem recordado o trata-
do de Praga que fixou os limites ineridionars gf
nova Prussia. .
O Estandarte diz que a questao hdense nao e
de nalureza tal que attraia a attenrao das poten-
cias nem as prcorcupacoes do publico.
A Gazeta da Cruz publicou um artigo prognos-
tic-andi para o anno de 1869 novidades iinportan-
tes, assim no paiz como no estrangeiro.
Entendo o jornal prussiano que este anno se pro-
nunciar a palavra que deve dominar e promover
o desenvolvimento interior da patria, ai-cresc-cntan-
do que no dia em que se concordar assentar as
inurallias da Alleiuanha, ninguein peder cruzaros
bracos.
Este artigo leu certa gravidado pelo carcter
semi-oflicial da palavris pela passagetn do Meno e annexaeo dos
estado do sul Confederaoao do Norte.
CoiiMdi'.ra-so coma um symptoma de guerra a
lei publicada pelogoverno prussian di-pondo que,
quandi as compras ordinarias decavallos nao bas-
teui para atteuder s aecewidlto do exercito, o
governo ter diivito de tomar os de propriedade
particular.
A guarda do corpo de landwehr vai ser rcorga-
nisada simulo o plano do regulamento prussiano
promulgado no auno passado. A cada uiu dos re-
gimentos da guarda e dos granadeiros da guarda
se junta j um regiment correspondente da
laiidwi'hr. e a cada mu dos regunentos de fuzileiros
da guarda ser aggregado um balalho da reserva
na landwelir da guarda.
Segundo a nava orgauisacao os quadros da
landwc hr da Allemanlia do norte, eoinprehendeio
231 kiUilhes com nuis 13 de reserva.
A latidwvhr tora pois um grande augmento.
O cunde de Bismark dirigi urna carta de felici-
taeao ao presidente do conselho de ministros do
Wurtetnbcrg pela energa com que combate a
mensaizom aute-prussiana que foi appreseutada na
raquea wiutoiiiburgueza.
O principe real (! WOXtemborg alistou-se no
exercito prussiano. O re Guilherme felicitou-o
j> >i esta occasio. O priucipe foi convencido, se-
gundo se allinna pelos ministros wurteniliurguezes
de que era do tea interesse pessoal secundar re-
solutamente o iiioviuento da, Prussia.
O partido ultra-nacional russo mostra-se em
desaffeicio ao czar por consentir na abjuracao de
sua lilla priuce7-i Mara, para se converter ao ca-
tholicismo afuu de ser estipulado consorcio rom
o re da Baviera.
ITALIA E ROMA.
Diz a Gazeta de Turto que o marquez de
JJomievillr. declarou ao cardeal Antoiielli que a
eutrada do marquez de La Valelte para o ministe-
rio francez nao devia ser interpretada em sentido
hostil para o governo pontificio. A poltica do ga-
bhieto das Tuilherias nao inudou de opiuio sobre
a questfio romana.
Assegura-sc que no conselho de ministros da
Franca lia o inellior accordo sobre este a>sumpte.
O Gaulais diz que o nuncio de sua santidade
em Madrid, se encarregou de lbe transinitlir urna
supplica do governo provisorio de IJespanha, pe-
lindo o perdi dos dous desgranados que forran
differentes ponp s de Hespanha. Entre os- presos
encntram-s jiessoas com nomeacoes para altos
cargos firmadq! por I}. Gaj-los. Tamljein m encon-
traram listas le pessoas compromettidas e docu-
mentos de grande importancia.
O armamentc eslava na fronteira. As autorida-
des continuam m avoriguacoes, e espera-sc obter
grandes resultados.
Falla-se ii'um nrojecto de enlace raatrimo-
nial entre o pri icipe das Asturias o urna lillia de
I). Garios. Este contrato com a abdicacio de seus
pais, parece ser a base principal da ailianca reali-
sada entre estes dous ramos da casa de Bourbon.
Assevcra-se ijue chegra a Paris um enviada
hespanhol, encirrigado por D. Maria Christina,
de tratar a respeito do principo das Asturias que,
segando se aflir na o candidato olflcial do gabi-
nete francez. O infante I). Henrique di Bourbon
tem visitado 1). Isabel. O infante D. Carlos recu-
sao chamados a t emonstrar quanto elcaz e
necessario o concurso da representadlo n;icional
p; ra resolver os mais difflceis problemas do go-
verno, conjurar as mais serias dilBculdades, e
reiluzir a condicOes noruiaes as mais etraerdi-
narias situacoes.
Pelo mea governo vos serio apresenUdos os
decretos que em virtude da carta de lei
do 9 de
setembro de 1868 deram nou lumia a varios nilicanle, que uem ao mwiu dixa twn[.o para mu
serviros pblicos. lifeira leitura da correspondencia da Europa, ijue
meu governo submetter ao vosso exarae
as convenientes priostes de lei, rom b lim Je
reorganisar os ouli'os ramos de servico, cuja re-
forma nao foi possivel decretar no breve razo a
que se limitou a a itorisacao.
Igualmente vos serio presentes o ornamento
geral do estado e as propostas de lei destinadas
a raelhorar a sita cao da fazenda nacional, eem
presenca dellas e do estado do thesouro, a nacao
sou-se una i ntrevista offlrial com D. Isabel, sob pelos seus representantes dar um novo docu-
mento de que jamis se recusa aos sacrificios-
que lite sao pedidos, quamle lh'os acoasoUia a
necessklade, c quando vii seguida, como nie-
ceito fundamental ila adiiiinistracao. a mais se-
vera economa na listribuieao dos dinheiros p-
blicos.
Est abeita a sesso.
Nao tendo o irinsterio podido oliter a eMro
do seu candidato, o Sr. Costa Simdes, para presi-
dente do parlamonto,_ e vendo eleitos, na cmara
alta, para a conimisso de resposta falla do thro-
no, os Srs. duque de Loul e Rebello da Silva, on-
posicionistas, resolveu pedir sua demissao, que lne
foi aceita por cl-rei no dia 5; sendo incumhido
de organisar o nove ministerio o Sr. duque de Sal-
danha, ministro portuguez em Roma.
No Porto, (.ounbra e Vizeu houveram nani-
festacoes eifi favor do ministerio demissionario, fa-
zendo-se nessas cidades e em outras merlinas calo-
rosos.
Descobrio-se um alcance de 28 a 30 contos
de ris no cofre do correio de Lisboa, d'ahl sub-
trahidos pelo liel d>> thesoureiro denome Seixas.
Dizia-se que as duques de Montpensier par-
tiriam a 17 ou 18 dicorrcntepara Hespanha.
J se achava publicada a reforma do ensino
publico. Na in^trueco superior foram supprimi-
dos alguns lugares de substitutos e nina cadeira
que esta va vaga. Na secundara foi prohibido aos
professores o ensino particular.
Constava que entre os decretos, levados as-
signatura rega, pelo ministerio demissionario, nos
ltimos das, se aelia um abolindo a escravidao em
todas as possesses; passando os escravos tempo-
rariamente condico de libertos, e devendo ficar
completamente livres dentro de 10 annos.
Foi agraciado com o titulo de bario do S.
Francisco, em duas vidas, o Sr. Francisco Jos Pa-
checo.
A villa de Santarm foi elevad; a cidade, at-
tendendo-sc no respectivo decreto sua remotssi-
ina antiguidade e priinazia, j como colonia mili-
tar a que Julio Cesar den o seu nome, j como ca-
beca de urna das tres grandes eircnmscripcoHsju-
diciaes instituidas pelo imperador Augusto"n.i I,u-
/.tania, j como sdc^ de governo e residencia real
nos primeiros seclos da monarchia portugueza.
Lomos na Conespnntlencia de Portugal:
O Sr. conselhoiro Lisboa, digno ministro do
Brasil em Portugal, obserpiiou os Srs. duques de
M iiilpensior com um suniptuosissiino baile nu pa-
lacio da enibaixada, na noite de quarta-fera 6 do
corrente.
Como os leitoros sabem. entre o Sr. duque de
Montpensier c a casa .imperial do Brasil ha e.-trei-
tissimo parentesco. irmo do duque o principe
de Joinville, marido da princesa D. Francisca, c
seu sobrinho o conde de Eu, marido da princeza
imperial I). Isabel.
Dado o baile ex pressamente aos nobres du-
ques, o Sr. conselheiro Lisboa piix-iirou saber as
pessoas das relacoes de suas altezas em Lisboa
para as convidar. Efectivamente os prncipes en-
contraram-se nos salos da eiubaixada brasileira
com todas as pessoas do seu conhecimeuto. hespa-
nhocs pela maior parle. Esta delicada lemliranca
do Sr. conselheiro Lisboa devia ser nviiti agra-
davel tanto ao duque como infanta sua esposa.
A hora marca la para o baile foi a das 9. Os
Srs. duques de Montpensier nao se llzeram espe-
rar. Acompanhavan;-nos. duas das princezas suas
filhas e duas damas ^aiuaris'as.
Os salees estavam esjilendidos e cheios de con-
vidados. Do conselho de estado achavam-se bs
Srs. Fontes e conde d'Avilla; dos alte* dignatarios
da casa real os Srs. marquez de Souza o coudes da
Taipa. de Ficalbo e da Torre ; da casa de sua ma-
gostado a iraperatriz os Srs. marquez de Rezi.'ndc
e risconde de Almeida ; os ministros de estelo ho-
norarios Casal Ribeiro, Carlos Bento ; os Srs. du-
ques do Palmella, marquezes dp Fronteira. de
Via una ; os Srs. condes de Penael, de Mesqui-
tella, do Rio Maior ; os Srs. viacondea de Meea i
Davis, Breckeui^dige Benjamn, Masn, Slidel, e 0s Srs. conselheiro* farlos Ferreira dos Sanios e
pretexto que d'.ihi se poderia inferir o reconheci-
inciito do partido legitimista da rainha D. Isabel..
Diz-se que o duque de Montpensier tencioriava
sabir de Lisboa a 17 ou 18 de Janeiro, dirigindo-s"
Hespauha se(;undo uns, e a Paris, segundo ou-
tros, por causa de alguinas phrases olleii iva- que
o infante D. Henrique de Bourbon lbe dirigi
n'uma carta publicada pela imprensa
O governo provisorio contina a decretar
diffiTentes medi las tendentes a regolarisar econo-
iiiicaineute os rvieos pblicos.
Os negocios em Cuba nao estao tao favora-
veis como as noticias anteriores mostraram. Tem
havid) reuniei do conselho de ministros sobre
este assutnpto, e parece que se tem deliberado a
expedico de mais forras do exercito.
IV.1.VIKUIU. i
O Times trata largan nto da discussao que tem
havido quanto ao projecto de cedencia deGibraltar
Hespanha, e diz que nenhum paiz as candieles
em que se acha a Inglaterra pensara em deba'.er
a questao de saber se necessario entregar a um
estrangeiro orna forte poscao militar, e anandonar
um to grande tropho legado pela historia por
urna simples diferencia de pretendidas suscep-
tibilidades.
Entende o 'rhttes que para se dar Hespanha
Gibraltar, seria necessario que o governo hespa-
nhol mostrasse que era incapaz de receher aquella
praca, e que esiuido napuelle paiz tudo suspenso e
sendo a admins racao pro\isoria e nao podendo
mesmo prever-s; anda o que se produzra da re-
volufao, claro que seinelhante questo nao pode
ser tratada nesti momento, para que nao haja illu-
sao de um ou outro lado quanto posse daquclle
territorio. Diz ;.nda por fin aquelle jornal ipie a
acqawcjfo daquujla fortaleza por una potencia e
de algima outn pos^esssao pela Inglaterra pode-
ria estabelecer rivalidades, susciUndo ao mes-
mo teuijio prote;tos que lbe parece deveiem evi-
tar-se.
A expediio Abyssinia custou mais de
sete milhiVs e nieio de libras esterlinas.
Lord Clartndon ellurlingliame, embaixador
da China, entenderani-se sobre a base das futuras
relacoes da Ingl; trra com a China, reeonhecendo-
se anecessidade de observar os tratados j exis-
tentes. Lord Clarendon j dirigi urna nota aos
agentes e subditos britannicos na China, couvidan-
do-os a respeitar os costunies e os sentimentos do
povo chinez. O \ essoal da einbaixada chmczacom-
pde se de 39 pessoas entre cbins e americanos ; e
acha-se actualmente em Pars.
Em Cork (Illanda) houve desordens por oc-
casio da nstallacao de O'Sullivan como miire.
Este reeusou prestar juramento raiuba e arvo-
rou urna bandei 'a con ejta luscripco : Deas
salte a Manda!
Na tarde do I1 de Janeiro houve urna procissio.
As tropas estao n armas.
KHANTA.
O discurso do imperador Napoleao na abertura
das cortes pac fleo. O imperador respoadeu ao
corpo legislativo :> De anuo para anno se torna
mais indispensavel o concurso do corpo legislativo
para assegurar Franca a wrdadeira IBerdade
(pie s pode prosperar pelo respeito lei e justo
equilibrio dos poderes pblicos.
As alloeucocs pronunciadas j>eio imperador du-
rante as reeepefiesdo lu de Janeiro mostram. quan-
to ao exterior "una poltica amiga e conciliadora,
e quanto ao interior urna tendencia para desen-
volver una verdideira liberdade.
O nUrnachml diz que nos ltimos conselhos
de ministros se t mi resolvido queslos de sumina
importancia.
Viii-se aggravado limito a enfrmidade do mar-
quez de Moustier, ex-ministro dos negocios estran-
goiros.
IMAUOS-XIDOS.
OprcsidenteJobnson trata de publicar um decreto
de ainnistia antes de largar a presidencia,e que se-
r t ampio que comprendida o penlao a Jelferson
nina, ainda mesmo contando desde o momento em
que o vapor appareceu ao norte? Niguem o dir,
era admissivel semelhante forma de contagem.
Quera conhece as relacoes commerciaes que
prenden n'nni difflcil labvrintho as praeas de Per-
nambuco comas do sul do imperio e as da Europa,
fcilmente comprehender quo prejndifial aos irr-
teresses recprocos dessas praeas demora to insig-
maisse liga da corte.
Alm disso, se o vapor p^recisava das malas jis i
horas da tarde, porque razao expacoii o Sr. cnsul
inglez a recepro na agencia at 4, como se v da
carta infra? Ser vonladede atropeilar o servico,
ou antes o desejo de cobrar certas e determinadas
quanlias porcada carta levadaao agente postaj de
Ixirdo, depois da hora por elle estipulada?
Protestando com o commcrcio e eai seu nome,
contra csse procedimento, reclamamot o estabele-
einiento do antigo rgimen dessa cpmpanhia no
do Recie. re-
; ou, em ul-
oras ultii i.i-
i listante em
so
io, para lr
convenientes
e dar.
tarde, ao Sr.
que diz respeito demora no porto
([imem que estabdecia li hora de i
ima instancia, s insignificantes seis
mente concedidas, contadas, porm, di
que fundear o vapor.
Nisso naoi vai prejuizo nenhum cnipanlua, ao
passo que d mais respiro ao commer '
sua correspondencia, e preparar as
respostas.
Esperamos o remedio de quem o de
Eis a carta, dirigida s 2 horas da
administrador do correio :
Sr. administrador.Eu mandei diter que que-
ra as malas paia a Bahia e Rio de
horas ; porm, como aqui vem umitas
cartas para o Rio, V. S. tem a bondadi-' de mandar
as malas s 4 horas em ponto, en lugar de 2.
Pelo cnsul, James A'. Oltiot.
AUDIENCIAS.As do juizo de pak da fregue-
zia de S. Jos continuam a ser s segu idas e quin-
tas-feiras de cada semana, s 10 horas da ma-
nba, ra de Hortas n. 101.
OLINDA.Amanhaa ter lugar a
ionealo de Amarante, na igreja do
cidade de Onda, com toda a pompa e
nio. Durante a tarde tocara, cu frente!
banda de msica do 9a batalho de
guarda nacional, subindo ao ar diversos
areos taticos.
DINHEIROO vapor Jaguaribe trbuxe as se-
guintes quanlias, para os Srs.:
Tasso Irmos.........
J. JosGoncalves Beltro.. .
Fre Antonio de S. Camillo .
Seixas & Borgcs.......
Antonio da Silva Azevedo. .
esta de S.
Ilomfia da
brilhanus-
da igreja, a
iifautaria da
balees
:000
::000
VOO
400 i
200
tias:
O Cruzeiro do Sul trouxe as seguintesquan-
2:7i
577
Para Pernambuco. . .
a Babia........ ."titOOO
o Rio do Janeiro. . 271:31479i
Desta ultima parcella 265:756i3i
thesouro nacional.
O 1m Plata trouxe 1,000 libias
1.3U-i00 iiloeda forte, em dteheiro do
KM TRANSITO-A bordo do vapor
Pto/rtvieram 145 passageiios. comdcstiioaosportos
do sul do imperio.
GNEROS DE ESTIVA-Para
a nossa inaca
coudenmados a pena de inerte.
Diz-se que sua santidade prometiera ao impera-
dor Napole?.o commutar a pena de morte contra
riquelles dous infelizes, se a sua appellaco ao tri-
bumd superior a confirmar.
Foi muito mal receliida a applkaco do im-
posto soliru as moagens as Italia no principio do
asno.
Houve desordens em diffeientcs pontos da penn-
sula, e principalmente nrs provincias de Reggio,
Bolonha, Parma e de Emilia.
O Si. Cadorna foi encarregado de restabelecer
a ordeiii naquellcs pontos e as ultimas noticias
davam os nimos mais soregados.
As autoridades tem tomado providencias para se
nao fecharen! os moinhos, cujos donos nao querein
fazer tialialhar protestando coutra o imposto sobre
moagens.
Julga-se que este imposto ser a causa da que-
da do ministerio.
O general Menabrea cada vez mais uipopula<,
c julga-se que brevemente ter de largar as redas
do governo, succumliiiido ao peso da opiuio
pnbbca.
Dizeui de. Venca, que tamben ara* houve graves
desordene e demonstrantes contra o impasto, e que
tal era a iiidiguaco contra o. governo italiano que
s<* teem Jado inuitos vivas aos ausiriaeo.-.
O jornal italiano o Movimiento diz que a onier-
inidade de Franeisi'o U de aples urna rocahi-
da da duenca que lbe icou por causa de um enve-
nenamento deque a seudo victima aos laniius
le idadi', e de que nunca foi radicalmente cura-
do; tem sido repetidas vezes t<>rturado pelas ccwr
sequeneias daquella grave eiderinidade.
tollosos que haviam sido incluidos nas preceden-
tes proclainacoes
JelTerson Davis era esparado em Paris acompa-
nhado por sua rnilher, c vai all buscar um reti-
ro para viver com seus lilhos, que deviam alli
clicgar viudos ile Inglaterra.
Dizem de Nova York, que. se acha contratado
a uina companhia, a cuja frente se acha o Sr.
Holcister, o ai re idamente pei|)etuo da bahia de
Saman na ilha de S. Domingos, tendo sido este
arrendamento ramificado em devida fonna pelo
governo dominicno. Logo que os arrendatarios
tenham a iosse da bahia entender-se-ha o go-
verno dos Estados-Unidos con os arrendatarios
para alli estabelecer ama cstacao naval.
A iusurroicao da ilha de S. Domingos contra
o presidente da repblica Baez foi suloeada po-
las forras do governo.
I-OmtGAL.
No dia 2 do corrate teve lugar a abertura do
parlamento, pronunciando el-rei o seguinte ds-
Assev xa o bvternuciuuul que apesar do inuitoi so acontecimento.
que se allinna a respeito du general Cialdini, a sua
viagein Hespanha tove nicamente por lim tratar
da candidatura ilo principe, de Arte ao throiio de
Hespai 1.a; e que tal candidatura nao sao favo-
raveis umitas potencias.
HESPAXHA.
AcJia-se esulielecida a ordem em Malaga. A
cidade voltou au >qu estado uorjnaL fimecioaando
activamente as commissoes militares. O general
Caballero de Bodas mandn por em libei'dade 600
pr-ion,'iros licaudo ajnda 230 que sero julga,-
dos.
Em S!vlha abortou urna revolta em \isla da
aititu, das autovidades e de grando maioria da
popuU^o.
O ministro do reino Sagasta publicou ama cip-
olar aUiibuindo manobras, reaccionarias os
moviineiitos ao porto de Santa Mara, Cadix e Ma-
laga :rliz que o governo natcneiona desarmar a
milicia nem dar um golpe de estado; que o go-
verno entregar intacto as cortes o deposito sagra-
do da soberana nacional; une Ihe entrega tam-
b'in intacta a questao dq candidato ao throno sem vitavel resultado a sitoacao
que collectiva ou individualmente nenhum do^ presentemente no; achamos.
seas memoro? procure influir em fuvqr de pessoa
determinada.
No dia 12 levantou-se o estado de sitio em
Malaga,
nissao de estudanlos entregou ao pre-
eideSB d^Hprno provisorio urna representacao
curso
Dignos pare do reiuo c senhores deputados
da nacao purtugueza : sempre com a maior
satisJacao que vejo reunida em volt* do tlironoa
representacao nacional, e muito principalmente
(piando o negocos do estado demandara a sin-
cera e leal cooptraco dos poderes pblicos, pa-
ra prover de remedio prorapto e elllcaz s difll-
culdades da nossi situaco.
Continuam nalteraveis as nossas relacoes
com as potencias estrangeiras, e tudo nos asse-
gura que estreitados cada vez mais os vnculos
iutcrnaeioiiaes que nos lipain as outras nacoes,
podereinos applicar Uxlos os nossos esforcos e
cuidados ao inel loramente e progresso da nossa
administraco e economia, robnstecendo por urna
crescente oMvlisa;ao a nossa nacionalidade, con-
sagrada |>or tant>s secutes de gloria e indepen-
dencia.
a Em satisfaco do qae dispoe a convencode
17 de maio de 1865, reunio-se era Vienna 'Aus-
tria una conferewia telegraiihiea internacional,
que tendo introdiizido na mesma convencao al-
5urnas inodificaci.es, para seren executadas des-
el'ia Janeiro do correte anno, foram appro-
yadas pelo meu governo e serao submettidas ao
juizo do parlamento na parte* em que carecein
da sanecao legislativa.
Um revea da > nossas armas em urna das pro-
vnolas ultramarinas impz ao governo o dever
de reforcar-llie a guarnico, e tomou necessaiio
decretar ,i creara o de urna forca expedicionaria
destinada aquella provincia. Ser-vos-bio |resen
tos todas as providencias que o meu governo on-
tendeu do ver adoptar era presenca deste laslno-
sua esposa, familia Mendla e Morrogh, Dr. Simas,
medico da real cmara, e muitas outras pessoas da
nossa prmeira sociedade. Concoireram tambera
todos os ministros estiangeiros com suas esposas e
pessoal das legacoes, !s ofliciaes superiores da e.s-
quadra ingleza surta no Tejo, e todo o pessoal do
consulado brasileiro. Os ministros actuaes nao |io-
deram ir portercmtiJo n'cssa noite conselho em
consequoncia da criso ministerial.
O servico do baile foi sumptuosissimo. A Tes-
ta foi em tudo de pompa. A infanta duqueza de
Montpensier entrou em todas as contradancas.
urna senhurade inexcediwlamabilidade.
O baile terminou depois das 4 horas da ma-
nha. >
PERNAMBUCO.
eleicdes.
Acabase de descobrir em Barcelona nma vas-
snma conspiraco carlista com ramificacoes em
Nao tem sid', felizoiento. alterada a pac do
reino. A nacao conbece que no mete dos- graves
embaracos coni que: hitamos, as condiedes essen-
ciaes para que 0:. poderes de estado reinedeiein
os males passado; e acautolem os futuros, sao a
liberdade plenamente assegurada, e a tranquilli-
dade inalteravol no paiz.
l'sando da ai.torisa^o que foi concedida ao
meu governo pela carta de lei de 9 de setenibroj
de 1868, deeretou-se pelos dHTerentes ministerios
a reorganisaco de muites servicos publ^js, ef-
fectuando no seu pessoal e material todas as re-
duevoes. que sen fazer daino ao bom servico,
contribuem para allviar o thesouro de alguns
dos seus enc^rgo^ actuaes.
*.. tfrave astado da fazenda publica. 0 des-
equilibrio entre a receita c a despeza, continua-
do e aggravado durante muites annos successi-
vos, o recurso foicado ao crdito, quasi sempre
en de>vaii!ajosas iondiedes, a multiplica.^ da^
despezas publicas alm dos limites ime lles im-
!!e._0, a_ugn!?nl. (!as .receita, crearam co no ine-
financeira era que
As suas difliculda-
des nao sao todava superiores ao resoluto om-
penho de as venror. A boa ordem na ailraimv-
iracao, a diminuio em todas as despezas que
nao sejara mprt-ivei,.e un sacrificio reparti-
do com rigorosa ustica e igualdade por todos os
cidadaos, poderao roaularUai! a, fazenda publica,
sen) .perturbar a ordem ecQUqmica.. do paiz, nem
interroniper os pr3gressos do seu.desenvolviiiien-
to e civilsaco.
i Dignos pares do reino e senhores deputados
da naao-portdguiza :~B aa presente conjuntu-
ra que a vossa iliustracao e o wsso patriotismo
REVISTA DIARIA.
INSTITUTO ARCHEOLOGICO. hoje a festo
anniversaria desta patritica instituico.
Este acto societario se por um lado soleumisao
dia da installacao do Instituto, |Kr outro represen-
ta a consagracao anniial das glorias da provincia
de Pernambuco, que se adiara alli como que re-
copiladas.
Nessa festa em que todos os seus ftlhos tem nina
parte directa, Pernambuco rev sua historia ib'
valor e niagnanimida le inexcediveis sob as vistas
dos hroes, que a constituiram, e dal infundem
novos brios sua posteridade ; a qual por certo
delles nao desmerece, qner pelo valor nos comba-
tes, quer lela sensatez nos conselhos.
E essa festa o logo sagrado, que assim se tica
aos esforcos de cidadaos distinctos. para que se elle
nao apague dos coraces.
Os membros dessa sociedade scientifica, reunin-
do-se em sok'inne sesso no iba de hoje, dio um
inequvoco testemunlio de seu amor I provincia
de Pernambuco, festejando as glorias de seus an-
tepassadot.
O acto deve ser pomposo, e para elle tem sido
convidadas todas as pessoas de representacao.
quer do mundo oflicia, quer do luterano.
Sobre essa assoracio damos hoje era nossa oi-
tava pagina uu trabatho trae nos remetteraiu, pa-
ra o qual chamamos a publica attencao.
E, para o acto da sesso, chamamos igualmen-
te a conenrrencia dos amantes das glorias de*er-
nambuco, aiin de tonar mais brilhnte essa fes-
ta Iliteraria, onde sen|re se queima o iiisensti do
respeito e do amor ci.ico aos manes dos nossos
primeiros hroes,
REGOSIJO PUBLICO.Na freguezia da Boa-Vis-
ta desta cidade proparam-se raanifestaeoes patrp,
ticas para soleransa^o da esperada noticia da ter-
ninacao da guerra, eonsistihdo taes nianifesta-
edes festivas prineqialmente em batalhoes patri-
ticos de cavallaria e infamara em aeonipanhamen-
to de um carro triumphante, que sahir era iias-
seiata pelas ras da cidade s 6 horas- da tarde
do da em que chegar- o vapor francez a esle
porto.
Os encarregados da direccao de taes festejos
abruamuma inscripeopara o corno de cavallaria
no Caf da Imperatra. e para o de infantera no
Cafe de Paris, onde poderao deixar seus nomt
que se qoizerem alistar, sendo o ponto da a-
nio no pateo de S-. Goncalo as quatro e meia^ko-
ras da tarde do referido dia.
O carro triumphante ser adornado, segundo
nos informara, com os retratos de S. Mr o hnpera-
dor.Marquez de Caxias, visconde de Inhauma, vis-
conde do Herval e bario da Passagem ; e os en-
carregados de taes festejos envidam todos os err-
eos para que eorrespoodam a iiiagnirude do ob-
jecto que elles solemnisam.
REAL COMPANHIA DE SOUTHAMPTON.-rNao
de hoje que nos queixamos da diminuta demora
que, no nosso porto, tem os vapores dessa compa-
nhia, e comuosco todoocommercio;e anda Mato-
res queixa? temos agora, depois da fonna exque-
sita |iorque honteni contou as horas d demora o
commandante do vapor La Piata, que appareendo
ao norte s 10 horas da manliaa, fndeando ;.s 11.
o entregando as malas no correio ao mofo da, pedio
sao para o
sterlinas e
ouro.
ingler. La
as que devia conduzr para o sul do imperio s 2 ..
da tarde na agencia, o qro fez marcar o rechamen- feita pejo desembaraco com qufl se ptonunc
to no correio para 1 e meia. Teriam decOrriio as Nsccu a sna Indignacao de urna occorre
6 horas estipuladas no ultimo annuncio da cempa- que ia se dando, que anda chegou
tronxe o vapor La Plata: 25 caixas qu ijos. a Rosa
& rano, 100 aThomazde Aquino F.& C, 13 a Pa-
tn Nask 4 C, 15 a Corga Irnios. 11 a Joo Igna
co da Costa. 6 a J. M. Palmeira. $3 a Carvalho Ze-
nha & c. iu a Kellor 4 C, 43 a Joai Martins de
Barros, 10 aP. A. Monteiro Jnior, 16 a J. Jos Gon
calves Beltro, 16 a Vicente Ferreira da Costa 3c C .
10 barricas castanhas, 10 barris toucinho a livei-
ra Flhos 4 C.; 7 barris a ordem.
JEROMEEste vapor, da linha dj) Liverpool
para o norte do imperio, devia partir de Lislxia para
o Para, no dia 20 do frrente.
AMAZON.Tendo sahido de Lisboa no dia 9 lo
corrente, nada adianto este vapor, cfcej Rilo hontem
ao nosso porto, s noticias qae recebemos pelo la
Plata.
A' CARGAFicavain os seguntes nivios: Bem-
vindoeBella Fitjueirense para Pernaniuco, ar L'hzu para o Maraiibao,Jf>iWf(aa/.SeHMiW( e 1//-
pnfepara o Para, em Lislioa; Seguratra e JS'oeu
Simpatkia para Pernambuco. Josephiia e Noca
Carolina para o Maranho, Adelaide pira o Para,
no Porto.
SAHIRAM. Para nosso porto: do de Lisboa, a 1,
o brigue Relmpago; e do Porto, a 1, a barca l)e.<-
piqaell.
NAUFRAGIO.A barca ingleza Megg. proceden-
te da Bahia, cora lastro de 1,800 saceos de assucar
naufragou no iba 20 do corrente. na Bs rra Mora,
entre as pintas Verde e da Pajussia, to norte de
Mcete, para onde se diriga a tomar carga, con-
signada aos Srs. Borstehnann & C. daq ella praca.
vapor de guerra Hecife, a capitanis do port o
a alfandega foram promptos em prestar-Ihe os so-
corros deque podam dispdr, mas que e tornaram
inuteis vista da posicao em que se aihava o na-
VU
HIATE BELM.Do norte da barr do Coco, a
15 kilmetros da capital do Cear, pe rdeu-se to-
talmente, no dia 18 do corrente, o hiato desse no-
rae, quia ia oUs nosso porto para o do Para, cora
carreginento de gneros diversos.
A trpolacjo somente escapou, e isso mesmo
por milagro.
JAGUARIBE.Chegou hontem este vapor da
companhia Periiambucana, trazendo-ios jomaos
de Sergipe de 13 do corrente.
Ja se acbavan na capital o presidan le de pro-
laciaeo chefe de polica, de volta de sua va*
geni Laiaugeras e Campo Grande.
CRUZEIRO DO SULTira a mala hoje, as 3
luas da tarde,no correio. esta vajior,piraos [(or-
tos do sul do imperio.
CONVITE. As pessoas que quizerem to-
mar parte nos festejos patriticos que se effectua-
ro no seguinte dia da chegada do vapor que an-
minciar a sua concluso, formando un s corpo
de cavallaria, e cada freguezia representada por
um a p, podeni insciever-se : na freguezia do
Recit, ra da Cruz casa do Sr. Dr. Gom alves Fer-
reira, Santo Antonia ra do Imperador i. 10, Ba-
Vista Caf Emperatriz, S. Jos, ra do fmro casa
do Sr. Mureira de Mendnnca.
FESTA DO CABO.Escrevcin-nos a seguinte,
era 2o do corrente, sobre esta fesvidadje :
Hontem teve aqui Jugar a fcstividjidc do glo-
rioso niartyr S. Sebasto, que todos os] annos por
esse lempo costuma celebrar-se iiesLi \|illa.
a Desta vez o concurso foi immenso, tanto da
pessoas dessa capital amaladas sen duvida pelo
prazer, que lhes inspirara as testas do ranipo, co-
mo de innmeras familias viudas dos engenbos e
varios pontos do interior, movidas pela Ipreconisa-
da pompa que se anuuiiciava nos festejos, e pelos
prazeres c folgancas proprias do terapy, lugar e
occasio.
O* templo, que mu inagestoso ediltoio, esla-
va iiiagiiiliciuui'jUe preparaito e contiuhaein sua
vasta extensu tudo. o que a fesli vMade ha va ai-
ira hido de mais nobre, rico o elegante, coi todas as
classes da nossa sociedade. Foi urna das testas
mais cowoiTidas que se tem tito nesta villa
& orador da testa foi o Exm. monsenhor Pin-
te de Campos, qne pronuneiou um eloquente pa-
negyrico, que estove mi altura do assmiipto, e dei-
xou impresionado todo o auditorio, pela natura-
lidade e espirito com que demonstrou iuiportaa-
tes verdades, que encerra o seu primoroso dis-
curs e pela vehemencia com. que fulminen o vi-
cio em suas diversas especies.
vi ment a muites dos que assistiam aas actos re-
ligiosos, pela imprudencia com que um individuo,
qne aa occasio nao foi coalieoido se travara com
outre na escada do.cdro. Felizmente as autorida-
des c os demais cidadaos cumprii ara seu derer, e a
trovoada sereno.
Cada vez me convenco mais da necessidade",
ha muito sentida, e por vezes enunciada, de pro-
kibir-se ternuanteiuento a urlica da acto* reli-
giosos durante a noute, sahro nos casos em que a
religiao expressainente o exige.
Nao enchergo inconveniente algum em que o
Te-Deum, que o remate das nossas testas, tenha
lugar ainda de dia, de modo que ao calar da nou-
te tudo estoja concluido.
Sera para dosejar nina ordem do nsso pre-
lado diocesano ja tantas vezes invocada ueste sen-
tido ; e ainda una vez imploramos a S. Exc.Rvma.
urna providencia que, prohibiado absolutamente as
festividades nocturnas, evite reunioes nos templos
a hora to inconveniente que tanto facilita a prati-
ca do peeeado como do criine.
. GNEROS DE PROIM'CO DO BRASILEis as
coteeoes das principaes praeas da Europa, s ulti-
mas datas:
Landres, 11 de Janeiro.
O algodao lira procurado, com alca de S/8d. Co-
tainos : Pernambuco 111/2 a 115/8", Cear e Para-
hyki 113/8, Macei e Maianhao 113/4 a 111/2.
O assucar est em espectativa aos preeos de 21/
a 26/6 o bi anco, 22/9 a 23/ o gmenos, e 20/6 a 21/
o maseavado de Pernambuco, Macei e Parahyba.
A borracha do Para vende-sede 1-21/2a 2-3 1/2
segundo a qualidade.
Liverpool, 11 de Janeiro.
Subi o algado 1/4, e tica firme dos preeos de
II 1/8 a 12 d. o de Pernambuco eMaranho. '
A iMirracha baixou i penny.
O assucar est finue.
Ibera, 11 de jamiro
O algodao marcha em alca. O de Pernambuco
procurado a frs. 135 o bom ordinario. *
O cacu do Para veude-se a frs. 70.
A borracha tica desanimada, com baixa.
Os couros salgados verdes de-Pernambuco vem-
dera-se a frs. 56/30, e os seceos a frs. 80.
LOTERA.A que se acha venda a 94", a
beneficio do patrimonio dos orpbos que corre no
dia 6 de fevereiro.
Numeracaa dos bi Hieles da lotera 94' offere-
cidos pelo thesoureiro para auxilio das despezas da
guerra.
Bilhetes ns. 2010 a 2019.
Producto dos bilhetes olerecidos at hoje......
7:494 200.
PASSAGE1ROS. Do vapor brasileiro Onusto
do Sul, viudo dos portos do norte :
Manoel de Moma Rolin. Franciscoi de Paula
Barros, Joo Maria Cavalcanti de Brito, Luiz Anto-
nio Pereira da Silva, Jos Evangelista Caineiro da
unha. Manoel Mara da Cunha, Bernardino Ma-
chado Coelho, Domingos Soriano de Azevedo, Ma-
noel Marques Camacho) Joo Carlos (i.ilsio. Joo
Francisco da Conceico, Joo Baptista de Maga-
Ihes e tira liilio, Jos Marques Guiiiares, Joa-
Suiui Jos de Hollanda, Antonio de Souza Cruz.
os Maria Jordani e sua senhora, Antonio Cardu-
zo Brochado, Francisco Jos Rodrigues, Matlas
Jos Ferreira. Joaqun Jos Fenera. Antonio Joa-
quini dos Saitos. Joaquini Antonio. Antonio Casa-
do S. Mamede, Jos Martins Arcas. Evaristo Jos,
Jorge A. Bgelow e sua senhora, 2 escravos a en-
tregar ao Dr. Jos Vicente Duarle Brandad, tres
reclutas para o exercito, um sentenciado a Fer-
nando, eon duas praeas do polica, um escravo
com urna praca de polica.
Da vapor Jafmribe, vindo do Aracaj o es-
calla :
Malaquias do Lago Guraiares, Dr. Joaquim
Theotonio Soares de Avenar e sua
Maria da (kineeicao, Dr. Tiburcio H. da Silva Ta-
kvares, Jos F. Eslicio, Manoel Araujo Leal, Felp-
I pe da Silva Porto, Francisco Goncalves Torres, An-
tonio Jos Duarte da Silva Braga. Francisco Jos
DuaYte, Mauoel Casemiro 1). Oeoraioa Dejalina V.
Pinhero, IXimingues Jos Pereira de Suiza,
Francisco Jos1 dos Santos Honorato, Aureliano
Augusto de Oliveira, Pincilan P. da Costa. Joo
Henrique Pessa, Felino da Costa Mascarenlias.
D. Alexandiina Maria dos Prazeres, Christovo de
Almeida Moraes, Joaquhn Das de Almeida Costa,
Candida Maria do Livraium'o, cuito praeas, tres
presos c dous escravos a entregar.
Do vapor brasileiro Cruzeiro do Sul. que se-
gueni |iara os portos do sul:
Joo Sebasto da Silva Lisboa e sua senhora.
Candido Celestino Tortea, Augusto F. Monteiro da
Silva, Joo Baptista C. Gomes e sua senhora, Pla-
cido de Souza Garca, Matheus Silveira, Clara Lui-
za de Ultra Martins. Carlos Augusto Peixoto de
Alencar, Manoel (^ardozo, 4 cadetes e 17 praeas do
exercito, Manoel Costainyro, Mathias Rodrhjaes
Ferreira, Paulino de Souza Menezes, coronel Zefe-
iino Gil Peres da Motta, Manoel de Faria Garca,
Anua Ignacia, Argemiuo Lopes da Cunha. Anto-
nio Pereira da Rosa, Francisco Ignacio, 30 escra-
vos a entregar no Rio de Janeiro.
Do vapor inglez La Plata, viudo da Eu-
ropa :
Thomaz Atarte) Bleamire Moody Mii-hele, Tho-
maz Carey, 1). Maria F., Joo Goncalves do Sou-
za Bairio,' Domingos Nunes Bairo. Silverio An-
tones Henriques, Manoel Dias da Silva. Jos An-
tonio de Queiroz, Duncan M. Mrhei, alera de II "i
em transito para os portos do sul.
botn?, que iam e voltaram ao lugar do delicio,
com urna incisao do lado chivito do pes.-oc, >, feita
pelo dedo pote gar do assassino e em volto com a
sua roupa, a cerlidao de seu baptismo, que e-
monsirara ser maior de 17 anuos.
Confessou Jos Menino no primaieo interrogato-
rio que elle e Joaquim Pascoal Corhi, rapu^ram a
intoiu por mandado de Henrique Fich, a quem en-
tran ao '.-.en into Joan Pleh, na jionte do en-
geaho Novo, sendo esto que a eonduzio para o lu-
gar do supplieio e ambos a assassinarara/
A esta declaracao, parti desta cidade como ca-
minlio de defeza para Henrique, a insinuaiao a
Jos Menino para que iinpiitasse ao pai da infeliz
o assassinalo della. dando como razad nao qusret
elle qua a infeliz Antonia casasse com Henrique.
Assim cumprki Joa Menino no segundo inter-
rogatorio, dizendo que raptara a infeliz a mandado
do pai, que este a esperava siwiabo no lugar do
dbete, c que ahi chegada, agarrou-a pelo pesco-
oo, dizendo: Desgranada, eu nao te disse que
nao havias de casar com aquelle allemo f I E
que pedir a Jost1 Menino urna corda; e que este
nao a tendo deu-lhe urna toalha, com a qual o pai
sosinlio enforcou e lha.
Contraditou-se, porm, no tercero interrogatorio
Jo>e Menino, confirmando o prmeiro; isto , que
Henrique e os outros foram os autores do crime e
nao o pai da infeliz.
Ameacaudo Corbi mata!- > na prisao. como sa-
bido, r, pelo que foi este logo carregado de ferro,
continuuu Joso Menino nos quatro posteriores in-
terrogatorios a imputar a morte ao pai da infeliz
Coma matar o pai a filha natural por nao que-
rer que ella easasse com Henrique. quaBdo elle pai
solicitara o casamento e uiandara a seu correspon-
dente que fizesse effeclual-o; como descarregar o
golpe cobarde e horroroso contra a parte Iraca.
licando-lhe a deshonra, c em jiaz Henrique Nao
sera verosmil opie fosse Henrique para nao ruia-
prir o dever de honra a que taute se negou, e que
s por este nieio (icaria livre como ficou 1 Se o
pai foi quera inatou a lilha, para que fin trazia
ella a certido de seu baptismo r
Ne ser verosmil que era para Henrique pro-
var no caso de a nao matar, que sendo ella uak'i
de 17 anuos elle podia se eximir das penas da lei .'
E como assim ter sido o pai que a mandara rap-
tar ? Cuno o pai morando em freguezia mui dis-
tante, atrapalhado como anda est cora a inoageui
do engenho, e donde nao sahiu como notorio, po-
dia matar a Sha? Como o pai sendo aleijado do
luaco esquerdo sem neUe ter torca alguraa. pedia
cora o dedo pollegar dessa mo fazer, no acto do
eiilorcaiiiento, una incisao do lado direite do pes-
oooa da infeliz ? E como com una s mo fazer o
onforcamento cora una tealba sem a outra que nao
tem para o ajudar, visto estar elle s como uizJos
Menino!
O corito da infeliz foi encontrado cora sgnaos vi-
siyeis de ter servido era vida de horroroso pasto di-
ad poneos abutres humanos, por que lira so Iwmeiii
nao seria siifliciente para platicar tanto estrago,
a ponto de deixar-lhe as roupas inferiores com
marcas de dedos esanguentados. Na villa do Cubo
sabido geralmente que a infeliz antes de ser as-
sas-iuada ainda fui sujeita por seus monstruoso^
algozes a essa scena e hediondo servii;o.
Ahi o concurso ou autora de mu pai "nem se ima-
gina !
No entonto j declina Henrique da imputao
feita ao pai da infeliz, e faz propalar que o crinie
s foi platicado por Jos Menino e Corbi para abu-
saren della.
Nao pode, porm, salval-o esto nieio. porque I"
vemos, como diz a vistoria. ser encontrada com a
roupa da infeliz, a certido de seu baphsino, que-
demonstrando ser aquella maior de 17 anno-. -
podia aproveitar a Henrique ; 2" tendo Jos Meu i-
lumilia Rite I ne Uorb conduzido a victima ao lugar do infame
sacrificio, indo elles descalcos, e sendo encontra-
dos, como niencirmaa vistura, rastos de botins de
raais de una pessoa, que iam e vinliam muitas ve-
zes, s se pode achar serem autores destes rastos
os dous inuaos Fichs. para tomar parte em lo hor-
roroso (esirn.
l'm amigo.

COarlESPONDENCIAS.
a Com precisad, clareza e eloquenciai difinio e
demoustrou os deveces do hornera, em suas diver-
sas relacoes, isto , debaixo do poiUo de vista in-
dividual, social e religioso : e com energa c nao
menos eloquencia profligou a corrup^'d de nossos
costuino's deplorou os desacatos coramettidos em
nossos templos e sustentou que o espirito de pro-
lihanacao, que hoje preside e dirige os grandes
ajuntanwuts nas festividades religiosas tendemais
a couvorter essas festividades erapagodes chi-
nezes,do que era mantee a devoca e piedade,
que caracterisavam o espirito religioso de nossos
pais. Condujo por extiginasar o costiine de se
reunirem nesies dias solemnes os jugadores maja
celebresdos municipios vizinhos, e se tra'iarem. du-
rante os actos religiosos em grandes jogoa de pa-
rada, em. que todos porlia procuravam arranca
os olhui uns. dos oups Este golpe do arador Coi
bastante certeiro, pots que isto pura verdade !
Prevalecendo-se da opportunidade i orador.
em urna breve, mas eloqueic allusd aj barbare
criine ltimamente comuiettido em urna pobre ra-
pariga n'um das arrabaldes desta villa ; pintou-
coin o pincel de Raphael uida a hediondez deae
quadro, mostrando quanla dissoliicao moral nao
laVra nos cosimnes de una localidaue, trie thea,-
ti o de acontocimeutos trgicos desta ordem !
0 Rvm, padre Mello foi o pregadnr do Te-
Deum, e coodemnou em termos veheiientes os
desrespeitos praticadis no templo. Honra Iba seja
" "iou
Befa
a por em mo-
Senhores redactores.0 Sr. Dr. Lourenro Bezer-
ra Carneiro da Cunha, eucarregado pelo partido
ci>nservador desta comarca de defender pela im-
prensaos seus uteresses. daudo comeco no Diurio
de 21- do corrente misso, que tomou sobre si.
assentou que nao devia concluir o seu prmeiro
trabalbo sem trazer o meu humilde nome dis-
cussao, fazendo ver que conheeeinlo eu a posicao
falsa, que politicamente aqui oceupo, e protestando
sempre contra a eternidade de un s culto, abri
ltimamente grandes olhos luz do partido con-
servador, unindo-ine elle, e que temi assim en-
trado para o seio de Abraho, vire tornar-me o
imico hejdero de todas as gracas proraettidas.
Julgo do mea dever vir declarar pela imprensa
que e inteirameute falso tudo quanto no mencio-
nado Diario disse o Sr. Dr. Lourenco Ite.rerra
meu respeito, pois que nenhuma ligacao absoluta-
mente, tenbo, como elte pioprk o salte, com o par-
tido conservador, e se falsa a minha posicao poli-
tica nesta comarca, conforme o diz. atiesar disto
eu me considero bem collocado no meu partido, e
me acho com a precisa terca de animo para acom-
panha-lo na adversidade, e hitar, sempre que for
preciso, contra os ineus adversarios pobtn
E ceilo que inantenho aqu relacoes de amisade
cora alguns dos raais importantes conservadores
deste coraarca, mas essas retaedes, que parocera
nao ser do agrada do Sr. Dr. Lourenco Bezerra,
nada teem que ver com a poltica, como podertara
certifica' essM inesmos ciuiservailoivs, se para Lsto
fosse precisa outra prova al ib minlia asseve.
racao.
D jpois do que acabo de fazer publico, julgo des-
necessario qualquer cominsntario acerca da impu-
tacao farsa, que para litis, que nao dimanara certa-
mente das obrigarde* eontrahidas, me fez o Sr. Dr.
L. Bezerra, edos juizos que proposito della julgou
conveniento. emittir meu respeito, dizendo-ha
apenas, quanto a variacoque me quiz atihuirem
|H)fitica. >|ue,anda quando tivesse razoes para isto,
sua senhoriaesse respeito nao pdeatirar a pedra
em iiingiifiu.
Peoo-ihes, senhores redactores, a publicarn
fiestas poucas linhas no seu muito conceituado
Diario.
Nazareth, 24 de Janeiro de 1869.
Joaquim Fnutciim de Helio Caviiicanti
Oleo puro mediriual de Osado
de baealho. de Lannian *
emp.
nades atguma crianca, cuja respiracio diuleil e
arquejante tosse sao provas da presenca ou da ap-
pioxiinaco da phtysica? Se assim e lancainiai
para logo da uielhor preparaco do nico anudlo
rouliei ido, para a molestia que. reeeaes. LVai pi<
fio oleo puro fie ligado de bacallao, de LanniauA
Kemp. Entre o branoo co negro exist' mui pouca
dilferenca, e ambos sao os melhores remedios de
sua classe que se poileiii preparar com os ligados
frescos por raeio do mais approvado processo. A
Sra. Lena del Valle, de Rogla, escreve que a sua
filha de 19 annos de idade se achava reduzida, se-
gundo sua propria praseologia : pelte e ossos^-
iii razo de urna tesse obstinada e continua, suo-
res iiiR-turnos e expectoraco assustailora, porm
que havia sidomilagrosamente curadano es-
paco de dez semanas com este remedio. E o mes-
mo atte-tai lo relativamente a umitas morase yaya-
snhas, que a primeira vista se acha vara jquasi
defunasfoi recebido pelos Srs. Lamnau 4 Kemp.
da Sra. Joanna Vives, de Caracas, da Sra. Gertru-
des Penda, de Buenos-Ayrcs e de outras iiniita>.
Nao resta, pois, duvida alguma, de que o oleo ob-
ligado de bacalho, de I.anuan & Kemp. o pul-
monico o raais poderoso e elllcaz.
AcUa-se venda nas pliarmarias de A.
Caors, J. da Conceico Bravo & C, M
A. Barbosa, P. Maurer & C. e Barlliolc-
meu d C.
0 sangue.
PUBLICAC0E9 A PEDIDO.
Srs. redactores.Insisto na justissiiua defeza in-
cetada de.outra vez.
Ha lempos que no Cabo o allomad Henrique
Pich defforou a infeliz Antonia, que viva antes e
depois do sinlstro cota- todo recato e honestidade
em couipanhia do sua mi e de seu padrasto, por
ser filha natural.
O pai da mfoiia paocurana casal-os, mas Henri,-
que addia> iiulite foge para, o Reeife, par* onda
;ai da infeliz a sea correspondente para
qua. procura Heanqu, faca-u baptizar, corraobos
hanhos, alitn de c.:isar-se.
Ainda, aasiuj, Hemiqua addiA o oasamontp, En-
treteuto vj. ao lobo, saraso de Joaqmm Pascual
Corto, marador ueste lugar, aminads Jos Menino,
e vismho mui prximo da infelit, para raptarein-
uacomo (tonsaguifln(%. e donde Henrique su vaip
ao Recite depois de vulgarisado oassassinato e
sou compromettimento. estando, o pai da infeliz en
diTereate freguezia diRlante muitas teguas, atra-
palhado com a moagem do engenho e donde nao
sabio como notorio.
Foi encontrado o corpo da infeliz como servido
de pasto a abutres. Bastos de pessoas calcadas de
Todos sabem que urna das necessidadts
mais imperiosas da vida conservar o san-
gue iirapo e puro.
' lambem geralmente admiltido que
grande somma dos males que atacam <>
(tomen) provem do estado doenlio do sau-
guu; ou este grande pbulo da vida huma-
na est fraco e recusa preencher as suas
funeces naturaes, ou est cheio de corrt^-
cao e sobrecarregado de humores e vicios,
que por vezes reltenlain na pelte em fniw
de dartros, empingens, botbulhas, nascida:
nao obstante todos reconhecerem, estes fac-
tos, puncos ha que sabem com que facili-
daile si( pude conservar o sangue sempre
puro e limpo.
E' facilimo e est ao alcance de todos.
E' simplesmente preciso tomar o extracto
composlo de^salsaparrilba do Dr. Ayer.
Este grande remedio americano, coro-
posto jielo prmeiro chimico do seculo,
um tnico incomparavel, fortalecendo todos
os orgaos e expulsando do systema toda
qualquer corrupcao.
COMMERCIO.
PHACA DO RECiFE J6 DE JANEIRO
DE 1869.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDf.
Algodao de Pernambuco i' sorte-=13*000 Dor ar-
rolla. "
Algodao da Parahyba ! serte li^OOO por ar-
roba posto a bordo, a frete de , e 5 0/0 por
^^.^a^seccos-SSSss. por libra (hontem
Ca?Kfc?bre L'^re--90 t*U0 (lioutein).
Cambio sobre Portugal 9& d/v 168 o," de pre-
mio (hontejn).
P. J. Silveira
Presidente.
Leal Sove
Secretario.
BANCO AUA i G.
Roa do Trapiche *
Descont iettras co mierciaes a laxa- con-
vencional. Recebe dinheiro, apremio con-
venci al, p ir lettras e em coala correte.
Confere crdito, suca sobre aa pruneiraa
praeas do imperio R * Pra Euro-
pa x e compra caatbiaes so Te as mesmas
praca';.
Eucarrega-se, por (Kinatao, da coa-
pra e venas de fondos pblicos e acc9e de
companliias, da oobranca de lettras e di-
videndos oude seu pagamento, ede qnai
quer outra operacio bancara.



4
I
%
- f




M

Diario de Pernambueo
Qttarta feira 27 de Janeiro de 1869.
8
?
0 expediento para o publico comecar
s 10 horas da manhaa, e terminar s 4
horas da tarde de todos os das uteis.
ENGLISH BANK
Of Rio de Janeiro Limited
Desconta lettras da praca taxa a con-
vencimar.
Recebe dinheiro em conta corrente e a
prazo (Ixo.
Saca \ista nu praso sobro as cMHK
principis da Europa, tem agencias na Ba-
ha, Baenos-Ayres, Montevideo, New-York
e New-Orleans, e imitte cartas de crebito,
para os uiesmos lugares.
Largo do Pelourinho n. 7
Caixa Filial do Banco do Brasil
A caixa filial do banco do Brasil em
Pernambueo em liquidacSo paga o 30 divi-
dendo das aceces do Banco do Brasil ins-
criptas nesta caixa; a razao de 9^000 por
aefo.
ftecil'e, 16 de Janeiro de 1869.
O Entflish Bank of Rio de Janeiro. Limited,
-.ira sobre as seguintes pracas:
Londres.Sobre London Joint Stock Bank.
Pars. Sobre Fould & C.
Ilam'nirgo.Sobre J.Berenberg Gossler A C.
Lisboa e Porto.Sobre Banco de Portugal.
fl.'o do Jani'ii-o.Sobre English Bank of Kio de
ineiro, Limited.
Baha.Sobre ('.. Yaiighan & C.
Para.Sobre Tappenbcck Brambeer & G.
ALFANDEGA.
Rendimento do da 1 a 3 698:6782i
Id-vn.l'dia26....... 51:6384571
7oO::364795
mullas me Ibes foram impostas pelo presidente do
tribunal do jury do torillo de Ingazeira por falta
de cotupareeiim nto a 2* sessao do mesmo jury,
segundo o lennc do resumo das multas que acom-
paaixHi o offlcio do respectivo joiz de direilo de 31
dr deeembro pn ximo passado.
Pind o praio ser a eobranea effectuada execu-
livauente de conforniidade cou o art. :( do regu-
lameto que baixou rom o decreto n. 4181 de
de Maio do ann( prximo passado.
Secretaria da hesouraria de fazenda de Pernam-
bueo, ti de Janeiro de 1869.
O ofHcial-maior,
. Manoel Matnede da Silva Costa.
DECLARACOES.
MOYIMEXTO DA ALFANDEGA.
Totumes entrados com fazendas 3G1
dem idem com gneros 473
-----834
Yol umes sabidos com fazendas 467
dem idem com gneros 279
-----446
Desearregam boje 27 de Janeiro.
Barca francezaVei-idiana mercadorias.
Barca iiigleza= --S'r;jpAa=idem.
Lugar inglez Sars^ntardem.
Lugar inglez=(.' Barca franeeza=.WoK.Mc fe lfttot=vioh08.
Galera p.rtugueza==A*ora Faii=varios gneros.
Brigue inglezBc;7A'/=bacallio.
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 1 a 25 148:1764683
dem do da 26....... 2:6934216
120:8714899
Provincia da Parakyba.
O Ilhn. Sr. Dr. inspector do thesouro provincial
manda faier publico, do ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia, em ofllcio de honk>m datada,
que tem de contr itar-se a illuminacao publica por
meio de gaz corrente o o abastecimento de agua
potavel desta capital sol) as seguintes condic-
joes :
1." A Iluminado ser correspondente a 400
combustores, ca la um dos quaes dar urna luz
equivalente em i itensidade 10 velas de esperma-
cete, das que jonsomem 120 graos por liora, e
estar acceso 9 loras por noute.
2.* 0 abastecir tent de agua ser feito por meio
de eanalisacao e chafariz, mediante a vantagem da
venda de agua para o contratante ou companhia
que se orgaiiisar.
3.' Os contratos ficaro dei)endentes da appro-
vacao da aosembla provincial.
Sao, portanto, convidados os que pretenderem
contratar as mi ucionadas obras a aprsenlarem
suas propostas no praso de 40 das, a contar da
data do presente peanlo esta repartiyao, aliin do
seren tomada < evidamente em consitleracao.
Thesouro provincial da Parahiba. 16 de'janeiro
de 1869.
No impedimento do official da secretaria,
Argemiro teo Gomes Pessoa.
= Pela recebe loria de rendas internas gentes
se faz) publico quj c ueste mez e no de fevereiro
prximo futuro, que os contribuintes da laxa dos
escravos do exen-icio corrente de 1868-69, quer
moradores as fi eguezias da eidade, quer as de
lora, teem de pa} a-la, livre da multa de 6 0/0, e
com ella de mar;o em diante.
Heeebedoria ce Pernambueo 8 de Janeiro de
1869.
O administrador,
Mano ti Carneiro de Souza Lcenla.
MOVIMENTO DO PORTO.
X icios entrados no din 2i.
Penedn e portOS intermedios3 das e 12 horas,
vapor brasileiro Jaguaribe. de 439 toneladas,
commandante Motira, oquipagem 30, carga dif
fcrentes gneros; companhia Pernambu-
cana.
Portes lio norte8 das, vapor nacional Cruzeiro
do Sal. de lili toneladas, roimnandante Alco-
t'orado, e quipagem 58. carga differentes gene-
ros ; A. L. de O. Azevedo & C.
S-uithuipton e pollos intermedios16 dias e 19
horas vapor yiez la Piala, de 1857 toneladas,
commandante A. Hole, etppageni 16'i. carga
fazendas e otitros gneros; Admsou Howire
4 C.
Liverpool por Lisboa 24 das, vapor inglez Ama-
zon. de 329 toneladas, cumuiandaiite Tuttou,
oquipagem 2i. caiga fazendas e outros gneros;
Torunas Jelteries & C.
Torra-Nova29 dias, brigue inglez ferth. de 237
tonelailas, aapitao John lirein. equipagein 10,
carga 3602 barricas com bacalbio; Johnston
Pater & r.
Torra-Nova.'(O dia*. brigue inglez Tetania, de
219 toneladas, capital K. M. Guy. oquipagem 12,
carga 28-33 barricas com bacalho; a Jouhstun
Pater* C
Barcelona78 das, sotana hespanbola Trariata,
de 109 toneladas, capitao Gerardo (tusis, equi-
paaem W, carga vitiho; a Maurv Rnniagucira
Hijo & C.
l'iio de Janeiro22 (Mas. galera portugueza Aora
Varna II. de 838 toneladas, capitao Jos Ribeiro
Kerreira. equipagciiM!, carga farinha de man-
dioca e outros gneros; Cimba Irmo.
Navio sabido no mesnu da.
Aracaty Escuna brasileira Georgiana, capitao
Manfl V. do Amaral. carga differeules gene-
ros.
Liverpool Brigiie inglez nn. capitao Brouse,
carga algodo.
MWnteviiloPatacho americano hYederica, capitao
Damon, carga assncar e agurdente.
io-Gnuidc do Sal Patacho sueco Mara, capitao
I). \V., em lastro.
Rio de Janeiro e BabiaVapor inglez Im Plata.
commandante A. Hole.
M intevidoBarca sueca Otear, capitao J. F. In-
getron. carga acucar e agurdente.
Observarao.
Suspendeu do lamaro para o Rio de Janeiro
: barca ingleza John Bulln. capitao Lendsay, com
:> mesilla cartia ipietroiixi' de^New-Casllo.
Uea pan winu lugar inglez Fo.c Toand. capi-
lo Wrighl, com o wno lastro que trouxe da
Babia.
De ordem do Illm. Sr. inspector da thesoura-
ria de fazenda desta provincia se faz publico para
conheciinento do- interessados, que o tribunal do
thesouro autora m o pagamento de dividas de
exercicios lindos, -ujos credores sao os seguintes :
Jacintlio Pereida do Mego ... . 3364309
Miguel Bernardo Vieira de Amorim 254000
Jos Alves de B.irros..... 184980
Joao Bapsta da latta..... 84*900
Bernardina Amalii da Silva Doria 1074230
Fielden Brothers....... 1684300
D. Mara Gomes loutinho do Ama-
ral ........... 1;20I4968
Secretaria da Jwsouraria de" fazenda de Per-
nambueo 26 de Janeiro de 1869.
O ofBrial-maor,
!tfanoel Mamede da Silva Costa.
AVISOS MARTIMOS.
Para
O brigue escuna nacional Amelia H, segu hq,
fim do corrente muz de Janeiro, anda recebe al-
guma carga miada : trala-se com e consignatario
Joao Francisco d. Silva Novaes, ra do Vigario
n. H..
COMPANHIA PKRNAMBUCAm
\>y,
Xavegavo coa tetra por tapor.
Macei, escalas e Fenedo.
O vapor Potengi, eommaadanle
Perelra, seguir para osporUis cima
no dia 3i) do corrente as 5 horas da tar-
de. Reerbe carga al o dia W as 3 horas da lar:
de, cncommeftdas, passageros e dinheiro a frete ate
as 2 horas da Urde do dia da sahida no escriptorio
do Forte do Mattos d. 12.____________________
Para Lisboa
O brigue portuguez Laia, I, capitao Vieira, vai
sahir com multa brevidade, por ter a maior parte
da sua carga prompla; para a e passageiros, trata-se com Oliveira Filhos & C.,
largo do Corpo-Sanlo n. 19, ou com o referido ca-
pitao, na prac do Comrocrcio.__________
Para o Porto
Segu com a maior brevidade possvel a barca
Amelia de primeira marcha, por ter a maior parte
de sua carga engajada; para o pouco que lhe falta
e passageiros, aos quaes offere excellentes commo-
dos, trata-se com Bailar, Oliveira & C, ra do Viga-
rio n. 10.
Rio Grande do Siil
Para o referido porto sahir infallivelmente at
j dia 27 do corrate a barca portugueza Arminda,
recebe alguma carga a frete para o que podetra-
tar-se com o sen consignatario David Ferreirc
(altar, ra do Brum n. 92.
LEILOES.
Li
De 40 eai\a eom ueljos fla-
inen^o- e lOO isieijos prato.
HOJK.
0 agente Pestaa far leilo por conta e risco de
quem pertencer de 40 cal xas com quejos flamen-
gofl e 100 quejos prato desembarcados hontem, e
sero vendidos em um ou mais lotes: 'boje as 11
horas da mauha no armazcm do Annes defronte
da alfandega. _____
I
J
.Je l&Ocaixase l.OOO qiaartos
cdin passas receatemeate des-
embarcadas.
(JUINTA-FE1RA 28.
O agente Pestaa far leilo por conta e risco de
quem pertencer de 130 caixas e 1,000 quartos
com cxeellentes passas desembarcadas recente-
mente, as quaes serao Tendidas em um ou mais
lotes a vontade dos licitantes no dia cima men-
cionado as 11 horas da manba no arina.'.eiu do
Annes defronto da alfandega.
0 MUSEO DE JOIAS
=as
GOMES DE MATTOS IRMOS
tendo feito completa mudanca em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias. com o fim de
dar-lhe maiores proporcoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da noute na
RA DO CABUGA N. k
ondeencontru*o um completo sortimento do que ha de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubins e tudo que em obras
de. ouro, -prata e platina se pode desejar, e para pro va do que hao dito,
apresentam desde j
A ESTRELLA DO NORTE
riquissimo brilhante de tamanho raro e seguramente a maior e mais bo-
nita pedra exposta a venda nesta praca, a qual como tudo mais ser
vendido preeo razoavel.
Garantfe-se a qualidade dos objectos venda.

I) MUSEO DE JOIAS
LEILO
rOJHlMAIll.t
i) AS
Messajeries imperiales.
At o dia .10 do corrente me/, espera-se dos por-
tos do sul o vapoi francez Navarre, commandante
Massenet, o qual ilepois da demora do eoslume
seguir para Dordos tocando em Dackar (Gore)
e Lisboa,
Para fondicoes, frete* epassagens trata-se na
agencia ra do ('. immercio n. 9.
Paia o Porto
" Segu sem den ora a barca portugueza Nom
Silencio, por ter grande parte da sua carga promp-
ta, para o resto e passageiros aos quaes offerece
excellentes comniulos trata-se com Oliveira Filhos
& C, largo do Corpn Santo n. 19 ou com o capitao
na praca do commercio.
Companhia americana e brasiiei-
ra de paquetes a vapor.
At o dia 1 de fevereiro esperado dos portos
do sul o vapor americano Mistmippi, o qual de-
pois da demora do costun.e seguir para New-
York tocando no Para e S. Tbomaz. Para fretes
e passageus trata se eom os agentes Heury tan-
tos & C, ra do 1 rapiclie n. 8.


EC1TAE5.
r
0 capit'j Manoel Antonio Ribeiro juiz de paz do
priman auno desta freguezia de S. Jos doRc-
ife em virtuje da lei etc.
Facj sabar.- quem iuleresear que as audienci
desta juie^COTtntiam mis mesmos dias, se^runda
l imus-f.;r.is decida semana, as 10 horas da
m iubia em casa e nimba residencia ruS de
l irtas n. 1(H, fw itwspaofla a quatquer Iwrs e
onda fr encontrad >. I'ara constar uiandei fazer
BBente que ser publieado pela imprensa.
Fregu"/.a di- S, Jos d) Reeife 20 de Janeiro
de iww.--E iw ftoncalves de S, eserivlo de
paz o-eserevi.
Antonio Ribeiro.
De ordem -lo m. Sr, inspector da thesou-
raria de fazi'iula desta provincia, sao pelo presen-
te convidados os Srs. Francisco Alves de Brito,
Antonio Alves de Brito e Simao Bopiista Pedresa,
moradores m termo de Ingazeira, para dentro do
fraz.) de 90 dia que Ins tica marcado a contar
des data, recolherem aos cofres da tbesouraria
rada um a quautia de75000 rs provenientes de
COMRANIJIA PERNAMBUNA'
DE
XavKf acao eosteira por rapor-
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara.
caty, Oar, Acarac e Granja.
o vapoa. ptia*, MHimaaojdnte
Martias, segmr*naia 09irto| cima
nouli 30 ao corfente as a horas da
tarde, Rocebe c: rga at o dia 29 as 3 horas da
tarde, encommciaas, passageiros e dinlteiao a
frete at as 5 horas da tarde'9o dia da sabida no
escriptorio do Forte do Mattos n. 12.
TOMPANhSA P8RNAMHLX14NA
n
\ave;t<;"u esteira por vapor.
Mamaflgaape.
O vapor Corurioe. commandante Penna. sesui-
r para o porto a-ma no dia 28 do corrente as G
horas da tarde. Recebe carga desde o da imme-
diatu ao de sua e tegada d'aqnete pono, ata as 37
horas da tarde do da 27, encommonrtas. passa-
geiros e dmholro a fete at as 3 horas da, tarde-
do dia da sahida. ne eseriptoro do Forte do Ma-
tos n. 12. ; ,
De salvados nuticos.
A 28 do corrente.
O agente Oliveira far leilo por conta e risro
de qHem pertencer Sos salvados do patacho Alice,
naufragado na barra do Ass consistindo em
riixaroias, virador, espias, cabos diversos e de la-
borar, barril de alcatro, escada, ancorte, vella-
me quas novo, cabos de rame, moitoes e rader-
naes, lona, mialtiar, sola, fio, pliarocs,aguluas, tin-
ta, botica, correntes finas, 120 bracas de corrente,
ferro e cepo, paos diversos, 1 bote'e 1 lancha, to-
do no melh'ir estado
Quinta-feira 28 dn corrente
as H horas da manhaa em p mto, ao armazem do
barao do Livramento ao caes do Apollo.
AVISOS DIVERSOS.
Perdeu-se
no atierro dos Afogados um sacco contendo 28 pa-
letots de alpaca de cor, por cozer, e urna caixinha
com 112 betfias para os mesmos : quem achou e
quiaer restituir, irija-se ra Augusta n. 72, qnc
se recompensa generosamente. ____
i'nii lagriBia
4JA manhaa 28 aniversario do finado Dr.
Estevo Benidicto Franra, maiKlam sua mai
c padrasta celebrar urna niissa resada na
matriz da Boa-Vista pelo Rvd. vigario da
mesma por alma do tinado, e convidam aos
prenles e amigos do mesmo finado a com-
parecerem neste acto religioso de magoa
e de dor, pelo qual ticarao eternamente
gratos._____________________________
Ainda mais esta. Para amanhecer o dia de
hoje, amarrado por mim emum eajueiro que dista
da casa 50 passadas, furtaram o meu intellifsate,
velho e magro cavallo, castanho andrmo, tendo as
ancas pelladas, e assim do uso de minha montara
todos os dias d'aqti at o largo do Manguinho, sen-
do dest'arte conduzido pelo sitio da casa amarella,
conforme deixou nmhecer-se pelas pisadas no
passar da cerca que nos divide, como beui grane
des e serias difliculdades anuos. A demasiada
conflanca que eu tinha em to bons requisitos de
dito nie cavallo, me pennittra livrar do tralialho
e despezas de noute estribarisa-lo, inganei-ine
materialmente. Sitio do Arraial, 22 do Janeiro de
4869
casa da ramm
Aos 4:000^
Bilhetes garantidos.
I ftia do Crespo n. 23 e casas do costume.
O abaixo assignado tendo vendido nos sous
muto felizes bilhetes garantidos 2 quartos n. 4226
loin a sorte de 4:000a ; 1 quarto n. 2886 com a
garle de 700 e outras muitas sortes de 100, iO
e 203 da lotera que se acabou de exlnhir em
beneficio da igreja de Nossa Scnbora do Terco
(93), convida aos possnidores a virem receber seiis
respectivos prcmios sem os descontos das leis na.
casa da Fortuna ra do Crespo n. 2.1.
Acham-se a venda os da 8* parte da lotera em
beneficio do patrimonio dos orphos (94.') que se
extrahir sabbado C do mez vindouro.
Precos.
Bilhete.....4*000
Meio. .... 2000
Quarto.....1*000
Em porco de 100* para cima.
Bilhete.....3*500
Meio......1*750
Quarto..... 875
Manoel Martlns Fiuza.
O abaixo assignailo participa ao corpo do
commercio, que, desde o dia 2 do corrente mez
deixou de ser caixeiro da loja Fragata Amazonas.
Manoel Pereira Bastos.
Teroiinaciao da guerra.
A eommiso que se incumbi de promover as-
ignaturas para o festejo na ra Nova, nao tendo
obtido quantia, que, ao menos se approximasse a
despeza Breada, declara terminado o seu encargo.
Recife 27 de Janeiro de 1869.
Tbomaz Ferreira de Carvalho.
Tliom Lopes de Sena.
Krederico Cesar Burlamaque.
Manoel Moreira de Souza.
Quem tfver 1:000* que quizer dar a premio
para urna alforria dirija-so a ra das Barraras na
Boa-vista n. 9, a tratar com urna crioula.
RA
CABUGA
1 A ama que se offereee para cosiuhar e en
gommar da ra de S. Bom Jess das Crioula,
i|iieira dizer o numero da casa ende mora ou di-
ligr-se ra d Amorim a. 35,2o andar.
Precisa-se alugar urna prta que seja perita
iosmheira, prefere-se escrava, paga-se bem : na
ra do Crespo n. 8, loja de 4 portas.
Precisa-se de urna amanara casa de pequea
familia: ra do Crespo n. 18segundo andar.
^ Precisa-se de nina pessoa que tenha pralica
de cortar calcado : na fabrica da ra do Jardini
n. 19.
i rMWM WSM UW
ESCRIPTORIO DE AUVOCAfJV
20Ra larga do Rosario2G
O advogado linchare! A y res de
Albuquerque Gama tomou a abrir
o seu escriptorio na roa larga do
Rosario n. 20: onde pode ser pro-
curado, quaU|tier hora, para to-
dos os misteres da sua prolissao.
/l luyase
a padaria sita no pateo da Santa Cruz n. 1, um
inelliores local : quem a pretender dirija-se a
do Sebo n. 8.
do
ra
AVISO
ATTENQAO
Jos Leopoldo Bourgard, roga as pessoas que tem contas atrazadas, em seu esta-
belecimento a ra da Cadeia do Recife n. i, o obsequio de as saldar at o fim
deste mez de Janeiro. .
Os vapores da Companhia Pemambucana de
hojeeui tirante cheiraro na linha do norte regular
c peridicamente at ao porto da Granja e mesmo
mire este e os demais portos do norte da eidade
da Fortaleza, capital da provincia do Cear, car-
regarao elles, visto ter expirado o previlegio ino
para esse lini tinha a Companhia Maranhcns', e
por isso o vapor Ipojuca da Companhia Per-
nainbucana, une segu para o norte no dia 30
do corrente. clicgar at aquelle porto, para onde
recebe carga e passageiros, tanto deste como de
1 outro qnalquer porto da escala : tratase no seo
escriptorio, caes da Companhia Pernainliucana nu-
mero, 12.
Ama
Precisa-se de urna ama para urna
na de Hortas n. 50.
pessoa : na
Da-se sociedade na taberna sita) na ra do
Rosario da Boa-Vista n. 43, a urna pesfeoa que en-
tre com fundos superiores a 1:000* c entregarse
mesma pessoa por balauco. quem quizer diri-
ja->r a mesma taberna, que achara {HBflH I
negocio.
O abaixo assignado tilho do fallecido Jos
Antonio de Azevedo Saitoa, juica que seu pai nao
avia a pessoa alguma; todava se alguem se jul-
gar credor, queira so dirigir a ra da uHjHiratriz
n. 70. Recife, 24 de Janeiro de 1869.
Josu Jtaleruo Azecedo Santos
~ Aluga-se urna negrinha de t2lanaM para
servido de casa: na ra Direita n. 29.
Casa para alugar.
Aluga-se no fim da ra da Aurora urna boa
casa constando de andar terreo, prneiro an-
dar, solea e um mirante na centro, eom comino-
dos para grande familia, achando-se a mesma
rasa toda Iluminada a gaz e com canno de esgoto
eom bom quintal e coeneira : os pretendentes que
desejarem urna boa morada dirijam-se a ra No-
va n. 20, que acharo com quem tratar.
I Aluga-se
Huma casa com bastantes commodos na
cklade Nova de S. Amaro: a tratar com An-
tonio Jos Gomes em S. Amaro, das % horas
da manhi as 8, c das 3 em diantc.
= Na ra da Concordia i. 9, padaria, precisa-
sc de urna ama para casa de familia.
Saqi
ques
Joao do Reg Lima saca sobre Lisboa, na de
Apollo n. 4. escriptorio.
AO PUBLICO
Os abaixo assignado scientiticam ao publico (pie
no dia 20 do corrente acaharam a soci.-dade que
tveram em compras de algodao, sob lirma lintri
& Costa, e iulgam nada dever, todava se alguem
se julgar redor da referida firma queira apre-
sentar sua conta na ra da Madre de Dos n. 4,
armazem, que sendo legal ser paga em eoiitineut-'
Recite S de Janeiro de I8ff9.
Lniz Jos" Pinto da Costa.
Jos Pinto Ribeiro.
Aluga
se
o 2" andar do sobrado da ra do Vigario n. 11 : a
tratar no armazem do mesmo.
esquina
|da ra larga do
Rosario*
ANNEL DE OURO
_____de aro]
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortimento sem igraal,
e vende j-or presos que nenhuma outra casa pode vender.
viita da qualidade e do pre^o das joias cada um pder-se-ha convencer da verdade.
Gkirante^o ser tudo de leL Compra-se ouro, prata e pedras finas por presos mnito ele-
vados.
A toja est alerta at de 9 kon a Boute.
HA
EO
CABUGA
esquina W
da ra larga do
Rosario.
1



-*

Bjpal
Icario de Pemaiibaco Quu*La feira 27 -fle Sameiro de 1&6S.

111
ffjl lIMIM) V|!i IALIj
N. 3 RA PIREITA N. 3
Contiiii'iam a aohar-se venda as
pilulas eo xarope alcohlico e ethe-
reode veame, conforme a formula
do finado pharmaceutico Paranhos,
na botica de Francisco Antonio das
Chagas na DireiU.n.3; medica-
mentos estes asss conhecidos, e
proficientes a quem soffre de rhe-
matismo, escrfulas, erysipla, im-
pigens, exostses oa tumores nos
ossos, menon-ha ou falta de
menstruaco e menstruaco difli-
ci!, etc.
Ama Mefte.
Precisa-se de ama na de leile prefrrmdo-se es-
erava, pura acular de criar nina menina de 8 inc-
zes de idade: inrut-daConceico, na Boa-Vista,
n.ll.
BARmOMEU & d
AttencRo
SEGUROS
MARTIMOS
rovrit.t ioi-o
A Companhia Indemuisadora, estabelecind
esta praca, toma seguros martimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
era edificios, mercadorias e mobiHas: aa
na do Vigario n. 4, pavimento terreo.
= O inspector da alfandega faz publico que o
lelao das 25 barricas com p de pedra marmorc,
annunciado para hoje, e que por falta de licitan-
tes deixou de ser eleetuado, Dea transferido para
sexta-feira 22 do corrente.
Alfandega de Pernambuco 20 de Janeiro de
1869.
Jo*- Mauricio Fernandez Pereira de Barros.
' Aluga-se a casa terrea n. 7 na travessa do
Livrainento : na ra da Gloria n. 9i._________
Precisa-se de um trabalhador capaz para
tratar de um jtequeno sitio, prefere-se casado: a
tratar na ra Nova n. 1!), 1 andar.
Antonio Cario:. Pereira de Burgos Ponce de Len,
como solicitadoi do foro desta cidade e dos. tormos
do fra, se enea Tega de todas as questoes'que fo-
r.'iu suscitadas peante os triuiraues citis, "ri-
mes, coimuerci es e ecclesiaslicas, prometiendo
continuar a exerecro seu emprego, com amesma
lealdade, activid tde e dedicacao. O annunclante,
pode anda recelier certo numero de casas coin-
nierciaes, por contrato anhual ebem razoavel. De-
ve declarar, que costunia dar as contas de deslie-
ras judimos, te las datadas, especificadas e com
escrupulosa exa-tidao, como affirmam os que tem
sido seus constit jintes. Quem pois quizer obon-
rar com sua conflauca, dignar-se-lia procaca-lo
ra das Trinche ras no primeiro andar do sobrado
n. 48, junto ao cartorio do Sr. escrivao Motta, para
onde acaba de i iudar-so.
Aluga-se
i
una eserara que faz com perfeicao todo servico
de nma casa de familia : a tratar na ra larga
do Rosario n. 34, botica. ___________________
Cozinheira.
Prd'isa-se de una cozinheira : na ra do Mon-
ilego n. 24. ____________________
Aluga-se o 1 andar na ra do Rauguel n.
33.___________________________________
AU.
Na ra do Torres n; Ift, 2" andar, precisa-se de
nma ama que cozinlie e engomme para urna pe*
-na.
Precisa-se de um menino de 12 a 14 airaos do
idade, que tenha pratica de venda: na ruado Ran-
go! n. 73, onde c ara fiador sua conducta.
Gymnasio provincial.
O Dr. regedor do gymnasio manda fazer publico
para conliecimei to dos senhores pas de familias o
segrate :
1 Que no gymnasio provincial de Pernambuco
seensina: pmrras letras, lingoa nacional, latim,
francez, inglez, allemao, grego, aritlimetira, alge-
bra, geometra e trigonometra, geographia e his-
toria, philosophia, rhetorica e potica, sciencias
nalu aes, iimsica e desenho, para enjo ensino ha 17
professoros cathtdraticos, 1 suhstitato e 3 repeti-
dores.
2o Que o eslal elecimento admiti alumnos de
tres elasses; pensionistas, que un mu i effectiva-
mente na casa; neio pensionistas, que mi rain as
8 horas da manliaa c retiram-se as 6 horas da
tarde; e externos que so vio ao cstabelecimento
as horas das aulas.
3o Que os pern onistas pagam 30$ por mez cm
trimestres adiant idos, e eom esto prgameiito po-
dem freguentar todas as aulas (excepto a de m-
sica), e teem casa espacosa e arejada, comida boa
e abundante, roujia lavada e engommada, papel,
pennas e tinta, medieo e botica.
4* Que os meio-pensionistas pagam 15'iOOO por
mez, tanibem em trimestres adiantados, e com este
pagamento poden i frequentar todas as aulas (ex-
cepto a de musi i), jantam no cstabelecimento e
teem papel, pennise tinta.
5o Que os extei no&jiagaiii ;> por mez, do mes-
mo modo, e com este podcui frequentar todas as
aulas (excepto a de msica).
6* Que os alun nos que quizerem frequentar a
aula de msica pagaran, namcema couformidade,
4/ por mez.
7* Que os alumnos que forera julgados habilita-
dos para exame, nas diversas aulas corresponden-
tes as do collegio las artes, querendo fazer neste
os seus exames, t;rao preferencia para seren cha-
mados logo depois dos alumnos habilitados do
mesiiiu collegio.
Ama cozinheira.
Na ra do Pires, sibrado n. 27, precisa-se de
nina ama boa cozinheira e de boa conducta,, pa-
ga-se bem.
251000
Paga-se 2.*i i niensaes por una escrava Iwa co-
?aheura e de boa conducta : na ra do Pires, so-
brado n. 27.
Cozinheira
Precisa-se de una boa cozinheira, e prefere-se
esarara : a tratar na Passagein da Magdalena, DO
sitio di i Sr. Christiani.
Ama.
Precisa-se de una ama para o servico interno e
externo de una casa de nina s pessoa : a tratar
na ra do Rangel n. 67, 2 andar.
Ama
Precisa-se de una ama para
una ? pessoa : a tratar na ra
n. 13i, 2" andar.
todo servico de
da Sonzala-vellia
D. Anna Joaquina de Mello Carioca declara
ao publico que delxa de ser seu procarador 6 Sr.
capito Jos Rodrigues de Oliveira Lima. Recife
25 de Janeiro de 1869._____
O Sr. Manoel Pereira Rastos desde o dia 24
de Janeiro corrente deixou de ser caixeiro na loja
da Fragata Amazonas.
Mudanga de escriptorio
Joaquim Geranio de Rastos. transferio seu es-
criptorio para a r a do Vigario n. 16, primeiro
andar._________________________________
= Precisa-se d; um caixeiro que tenha pratica
de taberna e d fi idor a sua conducta : na ra
das Cruzes n. 24.
Hetliodo Castilho.
Secundlo Jos le Faria SimSes, professor par-
icular de instruccao elementar pelo .nethodo 6"as-
;ilho, avisa ao resf eitavel publico c com especiali-
lade aos pais de familia, que est abena a sua
aula desde o dia 7 de Janeiro, na ra da Penha n.
ii, Io andar, aondi recebe pensionistas por preco
cominodo. O mes no professor promette muito se
esmerar no adianlamcnto de seus alumnos. O
mesmo professor abri desde o mesmo dia um
curso de primeiras letras anoitc para aquellas pes-
cas que nao podeem frequentar durante o dia.
_ Aluga-se um bom sobrado na ra Velba n.
lo, com muilos coniniodos para familia, e bastante
fresco, ou todo ou con as lojas em separado, a
prega razoavel : a tratar na ra da Imperan Iz.
toja n. 54.
AMA
Preeisa-se de ama ama para andar com um
menino : na ra das Larangeiras n. 29, hotel com-
mercial.
Cosinheiro
Na cidade nova em Santo Amaro sobrado gran-
de do Sr. Manoel Custodio n. 22, precisa-se de
um cosinheiro honiem ou mulher que seia de boa
conducta.
Quem precisar de urna pessoa que te-
nha pratica de escriptaracSo por partidas
doblada*, que traduz e escreve as linguas,
Francesa e Ingleza, dando pessoas idneas
por garanta de sua reputaco, queira an-
nunciar por este Diario, ou deixar sua mo-
tada no escriptorio desta Redaccao, com as
imciaes A. R.B.
Precisa-'se de urna ama para cozinhar e en-
ronunar para duas pessoas :' a tralar na ra da
Cadeia n. :18, 2" andar.
Antonio Jos Rodrigues de Souza, na ra do
fresno n. lo, ou (m seu sitio do Monteiro. gratiti-
ia a quem cap'urar o sen eseravo Joaquim,
lardo, de idade 3 annos, natural de Pao d'Alho,
iara onde se sup ioe ter fgido por ter sido visto
uesse dia a conversar com pessoa daquclle lugar,
estatura, secco do :or|>o e um pouco alto, bigode
ii cabello meio carapinhado e penteado, e tom um
caroco na munheca da niao direila, do qual solfre
llores rlicumaticas, tendo a falla a sertanejo, omito
lesea n cada.
PARA USO INTERNO
P-nEf.UIADOS SIMPi-E*
Xarope o jumlieba garrafa. 1*000
Vinho de jurubeba garrafa. Jt500
J filulas de jurubeba vidro. I^dOO
Tintura de urulieba vidro. 040
Extracto hydracoolico de jurubeba. !2300
PHKI'AHADOS COMPOSTOS-
Vinho de gurubeba ferruginoso garrafa, 2f5O00
Xarope tie j urubeba ferruginoso garrafa. I iJOOO
Pilulas de jurubeba ferruginosa Vidro. 20000
Oleo de jumlieba vidros. 640
Pomada de jurubeba pote 640
Emplastro de jurubeba libra. 2#a00
PARA USO EXTERNO
A JURUBEBA.
Esta fianta boje reconbecida como o mas poderoso tnico, comojum excel-
lente desobstrnente, e como tal appcada nos engorgitameRtos do figado e baco, nas
hepatites proprtamente ditas, ou anda complicadas com anazarchas, nas inflammacoes
subsequentes as (obras intei-mitentes ou durezas, nos abeessos internos, nos tumores es-
pecialmente do^ ulero e abdomen, nos tumores glandulosos, na anazarcha, nas hodrope-
zas, erysipellas ; e assoclada as preparaedes ferruginosas, anda de grande vantagem
nas anemias, chloroses, faHas de meiistruago, leucorrheias, desarranjos alonicos do
estomago, debilidade orgnica e pobreza de sangue, etc.
0 que dizemos alliaaam os mais distnct06 mdicos desta cidade, entre os
quaes podemos citar os lllms. Srs. Dr. Siha Ramos, Aquno Fonseca, Sarmeito, Seve,
Pereira do Carmo, Firmo Xavier, Silva etc. Todos elles reconliecem a excellercia d'este
poderoso medicamento sobre osdemais at hoje conhecidos para todos os cases citados,
tanto que todos os dias fazem d'elle applicaco.
Apresentando aos mdicos e ao publico emgeral diversos preparados da juru-
beba, tivemos por'fim generalisar mais o uso d'este vegetal, fazendo desap parecer a
repugnancia que at hoje sentiara os doentes de usar dos preparados empiricqs-d'elle, e
mais das vezes repugnantes a tragarem-se, e que tinham anda a desvantagent de nao
ser calculada a dose conveniente a applicar-se, o que torna muitas vezes improfkuo um
medicamento, que podera produzir ptimos resultado.
Os nossos preparados s foram apresentados depois de havermos conveniente-
mente estudado a jurubeba, fazendo as experiencias precisas para bemeonbec^r aspro-
priedade6 medicamentosas desta planta em suasraizes, folbas, fructas ou bigas, e a
dose conveniente a applicaco, tendo alm d'isto procurado levar os nossos preparados
ao maior grao de perfeicSo possivel, para o que nao poupamos estorbos, nac> nos im-
portando o pouco lucro que possamos tirar.
Por tanto os que se dignarem recorrer aos nossos preparados podem ter a
certeza de que elles offerecem a garanta, de que se pode encontrar, a prompta e infalli-
vel cura de qualquer dos sollVimentos, que deixamos innumerados, se forem em tempo
applicados, tendo alm d'sso, medico en doente a vantagem de escolher nas npssas va-
riadas preparaces, aquella que melhor lhe pode convir, j pela fcil applica?o( e j pela
complicarlo das molestias, idade, sexo, ou ainda natureza de cada individuo.
As nossas preparaces ferruginosas sao feitas de forma que se tornam comple-
tamente soluveis nos suecos gstricos, porque procuramos os compostos de ferro que
como taes esto hoje recouhecidos.
Para aquelles que mais minuciosamente queiram conhecer as proprieyades da
jurubeba, e saberem a applicaco de nossos preparados, destribuiraos gratiiitamente
em nosso deposito um folheto, onde tratamos mais extensamente d'esta plan z e dos
raesmos preparados.
Deposito geralde todos os preparados
Botica c drogara
3iRualarga do Rosario34.
dos
= Precisa-se de urna ama para cozinhar e te-
tar o mais servico de nina casa : na ra estreita
Jo Rosario n. di, t andar.
lnsiiio de arlthnietiea, agebra e
geometra.
O hacharel emdircito Gasemiro Borges (odinho
de Assis, ensina eslas materias no primeiro andar
da casa n. 17, sita na ra Nova, das 7 1/2 as 8/2
horas da manha ais senhores estudantes que de-
sejam fazer exame no collegio das artes, e das 7
1'2 as 9 da noite aos senhores empregados no com-
mercio.
AVISO
leal
Ama
Precisa-se de una livre ou escrava para o pouco
servico de una casa de duas pessoas e to somen-
te concernente ao de dentro de casa, inclusive en-
tornillado : a miar na na da Cadeia n. 24, 2o
andar, que faz esquina para o beceo Largo, paga-se
bem e garante-se bom tratamento,
Precisa-se alugar um moleque, paga-se lia
rs., que regule 15 anuos de idade : na rna do Ca-
buga, n. 2 B, ______ _____________
Quem precisar de um homcm solteiro que
sabe ler, escrever e coatar para caixeiro de enge-
uho, aniiuncie.
O Sr. sargento brigada do corpo de
poiicia queira vir a esta Typographia a en-
godo.
Fazem-se lilhs de ceringa para presentes,
com promptidao, aceio e pericia: no pateo de S,
Pedro n. .
Antonio de Andraolv de Luna avisa ao pu-
blico e especialmente ao respeitavel corpo do
eommercio, que admittio para socio de sua casa
eommercial em Goianna a ra do Meio n. 27, a sen
sobrinho Luiz Antonio de Andrade Luna, tendo
rtrincipii no dia l" de Janeiro de 1*69, na razaoso-
<*ial de I vo Antonio de Andrade Luna & Sobrinho.
Collegio de S. Francisco Xavier
Eatabelecido na grande e bem arejada casa
onde esteve o Gymnasio, na na do Hos-
picio n. 32, dirigido pelos padres da
companhia de Jess.
O reverendo padre director daste collegio scien-
iibca aos pas de seus alumnos edos demais ue
raizeresj eonfiar-lhe a educacao de seus filhos,
t|oe no da 3 de fevereiro comecarao a fuccionar
todas as aulas, achando-se bertas i as matri-
nlas. Recebem-se meninos de 6 a 12 annos
3,>ara aeiem instruidos nas materias preparatorias
.Jas faculdades do imperio, a saber, primeiras le-
iras e liagoa nacional, geographia e historia, ari-
thraetica e geometra, inglez, francez, (da-sc infe-'
rior e superior), latim, da-se nfima, media e su-
f rema, isso , a pratica da prosa e da poesa) e
finalmente humanidades ou a ntroduccao rheto-
rica, que coniprebende os tratados do estvlo e da
elocuaoquer em prosa quer em poesa as duas
rngoas latina a nacional. A mnsica para canto-
ra e para todos os iustrumemoa de sopro e cor-
das, assfcn como as lingoas ailetnja, italiano, gre-
gi. ebraica serab ensinadas ptti dos seuhores
faa,
companhia de paquetes
iogleces a vapor.
Os agentes da re; I companhia de paquetes in-
glezes a vapor fazem publico que os directores
da iiiesnia, para facilitar as communicacoes entre
Pernambuco, Baha Hio de Janeiro, Montevideo e
Euenos-Ayrcs aiUo'isam urna reducao nas passa-
gens para aquelles portos ; dase tauibem bilhe-
tes de ida e volta com prazo de 8 niezes. confor-
me a seguinte tabella recebidas em papel moeda.
Primeira ctasse.
De Pernambuco ate Baha. . .
Rio de Ja-
neiro. . H2 I68
Montevideo. 2S0i 3734
Buenos-Ay-
res......270* 40o |
Passageroda ter;eira classe pagam um quar-
lo das quantias cima mencionadas.
A passagem d'aqu at Lisboa da segunda clas-
se (ka reduzida de :t 27 a S 24.
Tambem acham-s reduzidos os fretes de di-
nheiro para Inglateira, Franca e os portos do sul.
Para ulteriores inlormacoes trata-so na agencia
ra do Trapiche No"o n. 40.
COLLEGIO DE SANTO AMARO
Recife, ra do Couiniercio u. 5.
Este cstabeleclineuto de educaeo, acha-se a disposie^o
lllms. jgrs. pais de familias e a quem mais possa convir. O [Direc-
tor faz scicnte, que desde j acha-se aberta a matricula da aisla de
instruccao primaria, a qual ser aberta em o da 11 do andante :
bem como as secuudarlas, cujos cursos tiveram principio pelas fe-
rias e devem ser encerradas em marco. As demais funecionaro
do da 3 de fevereiro em diante, com a regularidade do eojstume.
Ileclfe, 1 de Janeiro de 1S4IO.
LOJA
DE
REL0J0EIR0
DE
VCTOR GRANDIN
N. 40 Ra da Cadeia do Recife N. 40.
O proprictario deste cstabeleci-
mento, premiado com a medalha
da exposicao universal de Pars no
auno de 18oo, tem exposto ven-
da cm sua luja, um grande sorti-
mento de relogiospara algibeira,
'como sejam : de ouroe prata, sen-
do dos mclhores fabricantes, de patentes inglezes,
sussos e horisontaes. Tauibem tem urna grande
quanlidade de relogios para parede e que batem ho-
ras, ditos para embarcacoes e para cima de mesa,
todos estes relogios sao dos mais bonitos modelos.
0 mesmo concerta relogios de todas as qualidades
existentes, assim como tambem concerta chrono-
metros de algibeira e martimos : recebe sempre
por todos os vapores, um completo sortimento de
correles e trancelins, sendo tudo de ouro de lei
e de modelos os mais modernos, assim como diver-
sos objectos de bijouteria dos mais bonitos c moder-
nos gostos.
Trocam-se
as notas do banco do Brasil e das caixas filiaes,
com descont muito razoavel : na praca da Inde-
pendencia n. 22. %
Antonio Jos Rodrigues de Souza, precisa
aligar um criado para o servico de casa, de mais
de li> a%jios : a tratr com o mesmo na ra do
Lrespon. 15, ou em seu sitio no Monteiro.
Urna H'ssoa de longa pratica no eommercio
Hrk jmJ. olferece-se para escripturar rorros por partidas do-
I bradas, podendo ser procurado na ra do Crespo
n 18, primeiro .andar.
Precsase de urna ama de leite para acabar
de criar una crianca de 9 mates, porm sem cri-
anca : quem quizer dirija-se ra do Brum nu-
mero 09.
Memorias do clero per-
nambucano
Quem tiver a obraMemorias do clero peniam
bucano, que quizer vender ou trocar por una
outraMemorias histricas da provincia de Per-
nambuco : dirija-se a tarde ao escriptorio do
primeiro andar desta typograpbja.
ATTENCAO
Na ra estroita do itosario, sobrado de un an-
dar n, 3>, alugam-se ricos vestuarios bordados a
ouro e laa, novos, de muito gosto, dminos de seda
e de laa, todos de gosto ebordados de velludo, para
ver,der-se, e faz-se para qualquer pessoa que quei-
ra mandar fazer a gosto e a carcter de qltalquer
figurino, tem um grande sortimento de domine e
vestuarios de principe, tudo em muito bom estado
para alugar a 2 caca domin e vestuario, e para
vender por muito ba rato prego, tem rosas para
enfeitar qualquer vestuario proprio para o car-
naval.
Precisa-se de un feitor que seja trabalhador
e de bem comportamento : a tratar na ra da
Praia ns. 13 e 15
Roga-se aoS r, Paulino Bezerra de Andrade
Lima, 5o supplente le subdelegado da Gloria de
Goit, que comprela na ra da Cruz n. 34, que
muiio te deseja fallar.
Furto.
Furtaram da ra lai ga do Rosario n. SO, primei-
ro andar, por todo me; dedezembro e Janeiro cor-
rente, urna magninca cruz de brilhantes comanda
ha tres annos por 5904i; suppoe-se ter sido-o fur-
to feito por algara fmulo da casa, por quaiiio ha-
vendo diversas oulras coras tambem de brilhante
na caixa d'onde foi Mfo furtada, somonte l ernz
desajpareceu, Picando .nesmo urna volta de perolas
a que eslava pro* .r^iaca-se generosamente a
quem a ti ver comprado e reNiUlir na meana casa
aEi^iodaCunuafctraoT
Apedido.
Acaba de sabir do prelo relacao das unidades
das medidas brasileiras e mtricas, por Jos Anto-
nio Gomes Jnior, obra ao alcance de todas as in-
telligencias, e que se torna indispensavel para o
uso das medidas do systema mtrico, e vende-se
em casa do autor, ra do Destino n. 3, e na typo-
graphia Universal, ra do Imperador, a 2W rs.
o exemplar.
BABATISSIMO
Calcado nacional, na fabrica de Jos Vicente
Godraho & C, ra do Jardim n. 19, avisam aos
*eus fregueze* desta capital e do interior, que con-
tinuara a fabricar calcado em alta escala, o offe-
recem as melhores condigoes, tanto em preco como
era nualidade. Os proprietarios deste estabeleci-
mento chamam a attencao dos senhores consum
ores do interior, que os quizerem honrar com
sua freguezia, especificando em seus pedidos a
tualidade e numeraeio, offerecendo-se para os en-
tregar bem acondicionados em casa de seus cor-
ro^ondentes oesta praca.
k
Instrucco primaria.
A'abaixo assignada competentemente habilitada
recebe, a ra do Arago n. 5, meninas para o en-
sino de ptinieiras letras e de costuras : assegura o
melhor iratamento, dedicacao e interesse pelas
alumnas. Reeebe tambem pensionistas e meias-
pensionistas, tanto da cidade eomo do exterior.
_________Josepha Augusta de Castro Fonseci.
.tssocfacaW Cearense
Convido por ordem do Ulna. Sr. presidente pro-
visorio, a todos os soeios para assistirem o ra-
possamento da directora effectiva, no dia 27 do
andante, pelas 6 horas da tarde, na rna da Ca-
deia n. 48,2 andar.
Secretara da sociedade Beneucente 17d*iaaei3
ro de 1869.-0 secretario,
_________________Alfredo H. Garca.
= Dase dinheiro a joros em pequeas qoao-
Uas ; na Capunga, porto do Lasserre n. 30.
PILULAS, VINHO]
E
XAROPE DE JURUBEBA.
PREPAR.\DOS PELO PUARMACEt'TICO
oaqulin (I AI incida Pinto.
As preparaces de jurubeba sao
hoje vantajozamente conhecitlas e
preconisadas pelos mais habis m-
dicos, tanto da Europa com( do
paiz, pela sua ellicacia nos cisos
de anemia, chlorose, hydropisia,
obstruc^ao de abdomen, e tamaem
nas de menstruac5o diiUcil, capar-
ro na bexiga, etc.
Vendem-se em porco e a rcta-
lho, na cidade do Recife, pharma-
cia de seu compositor, ra larga
do Rosario n. 10, junto ao quar-
tel de polica.
XAROPE DE FEDEGOSO
E' do urna efficacia verdadera- 2
mente maravilhosa como calmante m
do systema nervoso e applicado js
contra a paralisia, astlima, tosse |g
convulsa ou coqueluche, tosse re- jg
cente ou antiga, sullocares, ca- 8
tarrhs bronchicos etc., e em geral S|
contra todos os solFrimentos das I
vias respiratorias, o na phytisica 9
pulmonar, sua virtude contra o ffi
ttano ou espasmos, c convulses
incontestavel, e uiuguem ha a desconheca. 5
XAROPE
DE
SALSA PARRILHA DO PARA
OU
DEPURATnrO DO SANGUE.
Usado nas molestias de plle,
impigens, dores rheumaticas, e
ulceras venreas.
0 nico deposito destes medica-
camentos na botica do Pinto, ra
tlarga do Rosario n. 10 junto ao
iquartel de polica,
Frederico Maya
Cirurgio dentista pela escola
de medicina
do Rio drlaneiro.
Tema honra de participar ao respeitavel publi-
co desta capital e seus suburbios, que tem aberto o
seu gabinete de consultas e operacoes dentarias a
ra Direita n. ti, primeiro andar, onde pode ser
Srocurado todos os dias das 8 horas da niaot a as
da tarde. Elle acha-se competentemente habili-
tado para com perfeicao collocar dentcs arficiaes
por qualuuer dos systemas, e bem assim desempe-
uhar qualquer outro trabalho concernente sua
proussao. O mesmo, TMonhecendo que mm sem-
pre p.issivel s senhorta ou crianQas sal irem n
proct.ar o remedio, ofierece-se a remover qual-
quer obstculo, declarando que na cidade s i pres-
tar a qualquer chamado sem que isso influ cousa
alguma na commodidade dos oreos de seus traba-
Ihos, e quando para fra della assim mesmo ser
precedido de um ajuste rasoavel, garantindo elle a
*egurancae perfeicao de sens ditos trabalho?. Em
*eu gabinete se encontrar constantemente excel-
lente pos dentifricio, elxir e ontros med amen-
tos odontalgicos : ra Direita n. 12. primeqy
indar__________________________________
= Precia-se de urna ama de late sem 'Sitaos :
na ra ti* Vigario n. 6,3o andar,
Do xarope Vegetal Americano, especlalldade de Bartbolonaeti & c.
34RA LARGADO ROSARIO34
Nao costumamos procurar attestados para acreditar nossos preparados, e dei-
xamos que sua applicaco e as resultados obtidos pelas pessoas que se diguaram acceita-
los, lhes deetn crdito e.voga; porque sao sempre os attestados considerados gratuitos,
e delles que lanraino o charlatanismo; mas, np querendo ofl'ender as pessoas que
espontneamente nos offeteceram os que abaixo ifio transcriptos, os fazemos publicar,
mauifestando-llcs nossa gratido pela attencao, esperando que venham elles corroborar
o conceito, e acccitaco que tem merecido nosso xarope.
Bartholomeu & C.
ATTESTADOS
Utas. Srs. Bartholomeu & C com a mais subida satisfaco (pie declaro
ser o xarope Americano de urna ellicacia extraordinaria, pois que soffrendo ha dias intensa tosse, ponto de nao poder dormir a noite a despeito mesmo de medicamentos
que tomava, a elle recorr e na tereeira colher fui alliviado, e de lodo me acho hoje res-
tabelecido com o uso somente de quasimeio frasco: grato, pois,r esse resultado mani-
fest a Vv. Ss. meu reconhecimento.De Vv. Ss. amigQ, venerador e obrigado.Ma-
noel Antonio Viegas Jnior.
Sua casa 20 de abril de 1868.
llhns. Srs. Bartholomeu 4 C.Penhoradissimo com o favor que me izeram
de aconselhar o uso do xarope Vegetal Americano, de sua composico, quando me acha-
va bastante doente de urna constipado, que me tornou completamente rouco e que
trouxe urna forte tosse, e me impossibilitou de cumplir os meus deveres de cantor da
empreza lyrica, vou agradecer-lhes meu completo restabelecimento, que obtive com um
s vidro do mesmo xarope, depois de haver recorrido a muitos tratamentos. Desejarei
que outros como eu recorram ao seu xarope para se verem alliviados de lo terrivcl
ncommodo, tao fatal neste paiz. Com maior considerado contino a ser de Vv. Ss.
attento, venerador e obrigado.Luiz Cremona.
Recife, 25 de setembro d 1868.
Hlms. Srs. Bartholomeu & C.O xarope Vegetal Americano que Vv. Ss. teem
exposto venda de toda ellicacia para o curativo d'asthina, conforme observei appli-
cando-o a meu filho Joaquim, menor de quatro annos; victima d'sse flagello, que at
ento por espaco excedente a dous annos havia resistido a outros xaropes de grande
nomeada. Queiram, pois, Vv. Ss. acwsitar a expresso altamente sincera de meu reco-
nhecimento ao meritorio servico que lhe prestaran com o indicado xarope, acreditan-
do-me para sempre de Vv. Ss. criado, attento e obrigado.Americo Netto de .Mendonca.
Recife, 2 de outubro de 1868.
DE
DE
J. VIGNES
N. 35RA DO IMPERADOR--N. 5o.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje assz conhecidos para seja necessario
insistir sobre sua superioridade, vantagens e garantas que offerei^m aos compradores,
qualidades estas incontestaveis, que elles tem definitivamente conquistado sobre todos
os que tem apparecido nesta praca; possuindo um tecladoe macliinismo que obedecem
todas as voutades e caprichos das pianistas, sem nunca falhar, por serem fabricados
de proposito e ter-se feito ltimamente melhoramentos importantissimos para o clima
deste paiz; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas e por isso muito agradaves aos
ouvidos dos apreciadores.
Fazein-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como nado Sr. Blon-
del, de Paris, socio correspondente de J. Vignes, emcuja capital foram sempre premia-
dos em todas as exposices.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um explenddo e variado sorti-
mento de msicas dos melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos
harmnicos, sendo tudo vendido por precos commodos e razoaveis.
RQ LARfiA DO ROSARIO 137
Esle acreditado estabelecimento augmenta
de dia em dia quanto possivel para chc-
gar ao eume do bem viver.
Alm dos saborosos manjares confeccio-
nados com o melhor asseio, tem bellos apo-
sentos de hospedagem, tanto para urna s
pessoa, como para numerosa familia.
A agua, indispensavel elemento para a
vida e hygiene, temo-la sempre em abun-
dancia para facilitar excellentes banhos.
Ha tambem nma boa bibliotheca e peri-
dicos nacionaes e estrangeiros, piano para
recreio, buhares, etc. etc.
Sendo ociosa qualquer recommendaco
para to acreditado estabelceimento, omit-
timos mais prembulos, fazendo ver por
fim, que o bom servico, ordem e moralida-
de imperan nesta casa, como observancia
fiel do regulamento que possue.
Comedorias a la ca-te.
CIIARLTERIA E PETIT RESMRANT
Annexos ao Hotel Central, ra estreita do
Rosario n. 4 A, andar terreo.
Para dar a conhecer a variedade infinita
de charutos de Havana, Babia, Rio, etc. que
xistem neste novo estabelecimento pres-
cindimos dos annuncios pomposos que ge-
ralmente se fazem, reduzindo-nos apenas
tres letras que sao tres bbb bom, bonito e
barato. A' vista do genero annunciado po-
de-se julgar de nossa veracidade. Esta casa
gosa tambem das condicoes de um elegante
e pe ti restaura! onde se pode ver a es-
pecialidade dos fiambres e salames de Lion
para lanches e at fazer urna boa eolaco,
juntamente com os principaes vinhos do
mercado, sobresahindo entre o bom a pura
e fervente champagne, o mu saboroso Rhc-
no, a primorosa ceneja, o licor espirituoso,
o quanto pede urna mesa. Faz-se noute
sorvele e variedade de refrescos.
FRANCA-BRASIL
MR. MERCIRR, alfaiate francez, previne ao respeitavel publico e a seus numerosos trege-
les que, tendo transferido sua residencia para a ra do Trapiche n. 7, primeiro andar, ah encontrarlo
sempre todas as qualidades de fazendas para trajos de honiem, e prepara costumes para montara de
senhora. Faz tambem obras para militares epara criados, para as quaes tem grande sortimento de
botos simples, com virola e corda de conde, raucos e ainarellos. Recebe por todos os vapores os
ltimos ligurinos para homem, senhoras o meninos.
'
EFFICACIA
DO
XAROPE DE RBANO IODADO
0 Xarope de Rbano iodado de Grimanlt e O, pharmaceulieos de S. A. I. o prncipe
Napeleo, em Pars, preparado com o sueco das plantas aoli-escorbucu cuja efbcacii
mu popular.
Encerra o iodo como combinacSo orgnica, e considerado como o melhor succedaneo
do oleo de figado de bacalho.
A rara perfeicao d'este producto anima-nos a dar a conhecer aqu a opiniio de alguna
d'eutre os principaes mdicos de Paris, que diariamente o prescrevem.
c 0 Xarope de Rbano iodado um medicamento d'um effeto suave e seguro para a
t medicacao dos meninos, nao smente suppre o oleo de figado de bacalho, mas ainda faz
c as suas vezes eom vantagem.
Dr A. CAZENAVC, medico em chefe do hospital Sainl-Louis, em Paris.
< 0 Xarope de Rbano iodado nm medicamento de primeira ordem para o tratamento das
affecedes lymphaticas e escrofulosas. Muitas vezes, empreguei-o com feliz xito, em cerioi
c casos de tsica ao sen principio, como succedaneo do oleo de figado de bacalho. >
Dr A. CUARR1ER, antige chefe de clnica da t'acnldade de Paris.
0 Xarope de Rbano iodado sempre nos deo excellentes resultados como regenerador
do sangro, e succedaneo do olao de ligad de bacalho.
O* A. PAVR0T, autor do TniU des maladies des femmes.
0 Xarope de Rbano iodado 6 nm dos mais poderosos modificadores das constituicSes
f lymphacas. Tenho visto ulceras escrofulosas que nada poda curar, cicalrizarem-se,
gracas a sna accio, com promptidao extraordinaria. Tambem, pelo seu uso desapparecem
as afleccoes tuberculosas dos osste, nos meninos.
D GUESNARb, amigo externo dos hospilaes de Paris.
c 0 Xarope de Rabana iodado possue todas as vantagens do oleo de ligado de baoalhio,
sem ter nenhum dos inconvenientes que aprsenla este ultimo medicamento. >
D' GU1B0UT, medico dos hospilaes. Presidente da Sociedade de medicina de Paris.
c Xarope de Rbano iodado de Grimault e C* encerra 4i2 por cento de iodo, na sna
composico orgnica anloga que se acha no oleo de figado de bacalho. >
Dr KLETZINSK.1, professor de chymica, louvado dos tribunaes de Vienna.
,r. Deposito em Pernambuco, em casa de Mn C.
LSEA1

JPI LULAS
BIKINduBUISSOn
Pkaruceautt
0 traumeato das affeccoes chlorocaa, ryifiphacas ou escrophulosu sampre lentis-
simo, e muitas vezes essas molestias resiatem s preparaces ferruginosa ordinarias. As
radagaedes feitaa pelos profesHores Rsnnon de BruxeUas, Gensoul e Petrequin de l.yio e
Benelius e Trousseaa de Pars, tem provade qae a causa d'essa persistencia era a completa
ausencia do Manganeso, elemento que sempre deve-se aehar no sangue junctameate eom
O ferro. Estas pilulas supprem, pois, na theraprtica nma falu imporunle, e por esle
motivo ellas tem merecido a approvacio da Academia de Medecina e das principaes socie-
dades medica. Be psito em Pernambuco, em casa de Mmmm O*.
*
lllllllllll





Diario de Peinambuco Quarla feira 27 de Janeiro de 1869.
Aluga-se
ato a graude e exceU
Capunga rua da Ve
te aguns ps de eoqueirt : para i
larga do Rosario n. 3i, botica.
por arrendaiaeato a graude e exeelloule haixa do
capim, sita na Capunga rua da Ventura, naqual
tratar na rua
Ahiga-sc a loja, 1" e 2o andaros do sobrado
n. ;M), sito rua da Aurora : a tratar na rua Bel-
a n. 37, ! andar.
COMPRAS.
= Compra-se urna armaco
tratar na rua Direita n. 33.
envidrarada : a
Com muito maior vantagem
Compra o Coraco de Ouro, n. 2 D, rua do Cabi>
g, moedas de ouro e prata e pedias preciosas.
Compra-se escravos. .
Lino de Faria 4 C, na rua do Vigario n. 2i, es-
eriptorio, Io andar, conipram escravos de ambos os
sexos sendo que. moloques de i i a 20 annos e bo-
nitas Qguras, serao pagos por muito mais dinlmiro
do que em outra qualquer parte.
Ouro e prata
em moeda e em obras inutilisadas, compra-se por
bom preco : na praca da Independencia n. 22.
Na praca da Independencia n. 33, loja de ou-
rives, compra-su ou r, prata, e pedras preciosas, e
tambem se faz qualqiu-r obra de encoinmenda. e
todo e qualquer concert.
Compra-se
tioje libras esterlinas, ouro e prata de todas as
nacaos a per maior preco do qne em outra parte :
ni rua da Gadeia do Recife n. 58, loja de azulejo.
VENDAS.
Msicas
LIQUIDACAO
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZENI
DO ^
hasa )& npaa'iiaiao. w
DE
Flix Pereira da Silva, successor de Gama
& Silva
O proprietario (Teste estabelerimento convida ao respeitavel publico desta ca-
pital a vir surtirle no grande estabeleciraento que tem de fazendas, tanto da moda como
de lei, e as pessoas que negociara em pequea escalla, tanto da praca como do matto-
nesta casa pocero fazer os seus sortimentos em pequeas e grandes porcSes, venden-
do-se-lhes pelos presos que se compram as casas inglezas ; assimcomo as excellentis,
simas familias, poderlo mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou mandare-
mos levar em mas casas pelos nossos caixeiros, para o que acha-se este estabelecimen-
to aberto constantemente desde s 6 horas da manha s 9 da noute.
O aloalhado do Pavo.
Vende-se superior atoalhado de algodo
cem 8 palmos de largura, adamascado a
2&200 a vara; dito de linho fazenda muito
superior a 3#S00 a vara ; guardanapos de
linho adamascados a 500 a duzia e muito
finos a 8*000, e ditos econmicos a 3ij500
a duzia.
Crochs para cade iras ua loja do
Pavo
Chegaram os mais lindos panos de cro-
ch ou guarda bantras, proprios para ca-
deiras tanto d'fncosto, como Ue balanco e
t; outros ronquidos para so-
Yende-se partitaras para pianno, e canto,
e ptanno s, para msicas militares,, pecas de goarnir;5o^..
desperas, e dwca, metkodo para rebecas, f, assim como ditos redondos" para mezas
flatta, e ophdeyd, duelos para doas ilau- redondas, ditos pequeos paraalmofadas, e
tas, paradous cJannetos, fantasa para pan- ditos .para cobiir presentes, tendo pequeos
no, e rebeca, tambem ha ontraspecas para at para cobrir um prato, que se vendem
panno 4 6 mos, alguns pedacos facis por preco muflo em cont, na loja e arma-
Ma pianno so. Na mesma ha tambem
missas para quatro vozes: as pssoas que
quiserempedem compra-las rua do Jasmim
n. 27 ou a rua Nova n. 23 fabrica de cha-
peos de sol.
HMlIAg ASSICAR4D4S
DO
DR. TATERSON
De liismuih e magnezia.
Remedio por excellencia para combater
a magreza, facitoi- a digestao, fortificar o
'biomagoetc.
DEPOTT0 ESPECIAL.
Wiarmacia de Bartholomeu - C.
34------Rua larga do Rosario-------34.
Candido Alberto
"Sodi' da Motta travessa
ih Madre de Deus n. 14,
lein -para vonder amento de Hfinburg i, fareHo da
Amenca, saceos ^ 120 libras, e recebeu ultima-
nionte amostras rano 'lwnos e dasinelliores fabricas de Pars, e se
incumbe de fazer quaesquer pedidos dos iwesnios
papis mediante uma peqnenacoinniissao.
Para familias
rende Bazar, rua .Y o va us. * e
*. de Carne ir o \ auna tV C
aaba de chegar a este estabeleeimeuto
grande porco de machinas para costuras do
autor Wheeier Wilson, approvadas na tti-
ma e.\oosico de iaris, as quaes cozem cem
dous .pospontos toda a costura, e tem a
vantagem de ser 1o suave o movimento,
que qualquer crianca de oko annos fcil-
mente jtrabalha, e pode, com este entrete-
uimenta, levar vantagem ao servieo diario
de trinta costureiras. A cemprehensao
simples, pois em um quarto de liora se li-
ra senhwr do movimento da .machina, ten-
do a mesma a propriedade de fazer as se-
grales costuras: pospontar, abainhar,
i'ranzir, marcar e Iwwdar, como apresentam
os deseniws que acompanhain-aas. Os pro-
prietarios do estalH'lecimento e encarre-
gara de mandar ensinaj- nesta cidade, e
garaojtem entregar o importe dispendido ao
comprador, no caso de nao trabalhar com
perfeko a achina vendida, nao tendo,
porm, soffrido ella alguma avaria. Ha tam-
bem no mesmo estabeleciraento machinas
.do autor Gruwer & Baker, de trabamo sim-
plesOKDtd mo, e outras com movimento
dos ps; e mxime todos os pertences das
mismas machinas, para vender avulso.
MADAPOLO 3:8bO.>
Vendem-se pecas de madapolo fino com
12 jardas pelo barato pre?o de 3:500 a peca,
dito com 24 jardas a 7?K)00, na rua da Im-
peratriz n.60, armazem de Flix Pereira da
Silva.
Uaslnhas
A'doze vintn s.
A doze vnicos.
A drizo vmtens.
Vendem-se 13asinhas de cores muito bo-
nitas com desenlies miudihhos e grandinhos
com listinhas e pintas pelo barato preco de
240 ris o covado na loja do Pavao, rua da
Imperatriz n. 60, de Feliz Pereira da Silva.
AS CAMBRAL\S DO PAVO
Vendem-se' finrssimas pecas de cambraias
lizas transparentes tanto inglezas como suis-
sas tendo mais de vara de largura, pelos
precos de 5,-5000 at 10)5000 a peca, assim
como finissimos organdys branco liso que
serve para vestidos de bailes, por ser muito
transparente a 10OOO, a vara, na loja do
Pavo rua da Imperatriz n. 60, de Flix Pe-
reira da Silva.
FSTAO BRANCO PARA VESTIDOS A 040
Na loja do Pavo vendem-se os mais mo-
dernos fustes mancos de lista e cordo
muito cworpado mas muito flexivel, pro-
prios para vestidos,roupes, penteadores etc.
etc., e.roupa para meninos, pelo barato pre-
Co de 640 ris o covado, na loja e armazem
de FeSx Pereira s. Silva.
SEDAS COMLRTINHAS A 3$00o o
COVADO
Veodem-se as Hiais modernas sedas de
Hstinhas para vestidos, chegadas pelo ultimo
vapor com as cores mais modernas que tem
vindo a" este mercado, pelo barato pief-o de
H rs. o covado na rua da Imperatriz n.
0 de Flix Pereira da Silva.
Alpacas lavradas
Chegaram pelo ultimo vapor as mais mo-
doraas alpacas lavradas com as mais lindas
aires, que se vendem a 1,5000, o covado,
ditas lisas tendo tambem cor de canna a
j 800 rs, ditas mescladas muito finas a 1:200,
a covado, e outras muitas fazendas de gosto
e moda que se vendem mais barato do
qwe em outra qualquer parte, no armazem
do Pavao, rua da Imperatriz n. 60. de Flix
Pereira da Silva.
ORGANDYS DE COR
Vendem-se organdys de cores com pa-
drftea miudinhos em assentos brancos e de
cores pelo baratissimo preco de 360 rs, o
covado, finissimas cassasfrancezascom deli-
cadas cores e bonitos desenhos a 320 rs. o
Temos novidade na torra t
Porm niiiguem se espante
A cousa n5o de dar cuidado,
Faz sempre a sua admiracao,
Mas nao olfende a ninguem,
Agora n3o se lembrem de novo incendio no pardieiro,
Nem que houvc explos3o na maxambomba,
Nem que o jireto Thomaz fugio da Detenco,
Nem que o vapor chegou embandeirado,
Nem que a FRAGATA AMAZONAS virou o S,
Nao se trata disso
Ser abjumjwz de paz que quer passar o metro no seu subs"
t tituto em consoquencia de estar abolida a vara .'
NAO SENHORESTenham pacianciaEsperem
Nos vamos dizer do que se tratan3o com aquelles modos que toma o cidad3o
russo, Sr. Antonio Domingues, quando reoonhece que namelhor lxia f llie empurraram
algum livro sem principio nem fimmas sim com aquellas maneiras assz delicadas que
sempre se encontram no perfumoso ninho da sympathica Aguia-Bi anca : assim pois
attendam: .^
Amigos de fartar o estomago jgradavelmente venham rua da Imperatrizolhem
para a casa que fica em frente ao maguifico cafolhem..... olhem..... N< p v.vm ?
m
0 BOM DEMONIO
...
Agora digam comigo:
Nao se benzam
Que peior
Fiquem bem quietos
Que melhor.

Mulher, demonio que importa f
Mullier, demonio hei de amar-te !
zem fio Pavao ^ua da Imperatriz n. 60, de
Flix Pereira di Silva.
Fwsie* para vestidos forneos
a40.
Vendem-e os mais modernos fustocs bran-
cos flexrveis cem padioes de listas e de
^lpicos proprios para vestidos e reupas de
menino a 640 r;,. o covado, na loja c arma-
zem do Pavao rua da Imperatrizn, 60, de
Flix Pereira da Silva.
Gi'osdenaples
Chegou para a loja do Pavo peo ultimo
varporum grande sortimento dos melhores
grosdenaplesprtose de cores, tendo verde
tambem, que se vendem mais aarato que
em outra qualquer parte.
CHALES A 2-5O00.
Vendtn-se diales de merino' com boni-
tas barras, pelo baratissimo preco de 2,5000
e 2,5500 rs., na loja do Pavo rua da Impe-
ratriz n. 60, de Flix Pereira da Silva.
PECHIiNCIIA A 3:500.
Cortes de la 3:500.
Cortes de la a 3:500.
Corles de la a 3:500.
HWmlmn a 2H0 ris.
Lazinhas a 280 reis.
Mamabas a 280 reis.
S o -Pavo.
S o Pavo.
S o Pavo.
Vendem-se bonitos cortes de lazinhas
para vestidos com padroes modernos leudo
cada um cvn-te 14 covados pelo barato pre-
co de 3:50 rs, issim como ditas em pecas
que se venflem a 289 rs. o covado. sendo 'ovado e ditas a 300 rs, na rua da Impera-
grande pechincha na -laja e armazem do Pa- ,r'z 60, armazem de Flix Pereira da
vo rua da Jupe; atriz n. 60, de Flix Pe- Silva.
Fallemos muito serio
Com o fim de tentar aos bomens a abastecer as suas despensas no MAGNIFICO
ARMAZEM DE MOLHADOS esquina da rua da Aurora defronte do suuptuoso Gaf hn-
peratriz; o incansavel proprietario desse importante eslabelecimento acaba de pruve-lo
do que ha de mais superior c digno de uma casa dessa ordem.
Este iuteressante estabeleciraento se torna saliente, nao s pela sua ptima locali-
dade, como pelo formoso e encantador emblema que o assignala.Vede-o formosa Circe,
encantadora maga que se espelha as aguas do nosso ameno Capibaribc, e como que desa-
tando o riso para a altaneira Ohnda oue alm se avista garbosa e gentil replecta da noca es-
pensnfa de em breve gosaros mai gratos passetanlcs que llie sero levados pela nova es-
Irada de ferro que se acha no nascetouro.
Assim, pois,
Venha toda a populacho do Recife ver e admirar a bella physioomia do BOM
DEMONIO,
P.S
ALTAS NOVIDADES!
reir da Silva.
BABADINHOS
Vendem-se 'finissimos babadinhos, tiras
bordadas cntremelos, mais baratosdoque
em outra^ualquer parte, assim com espar-
Ronpas para houieni
Vendem-se superijres palitts de panno
sobrecasacos forrados de alpaca e de seda,
camisas inglezas e francezas com os peitos
de esguio, ceroulas francezas de linho e al-
PECHEVCHAS
Uovamente chegadas ao armazem
ItO
PAREDES
DE
n. 60.
AfrENQAO
Veode-se una esqravade na^o, excellente qui-
andeira e lavadeira, o soffrivcl cuzinheira : a Des
dirija-se
x>a que.a pretender
mero 96.
pes
a rua Augusta nu-
Taberna
Vende-se a taberna da rua das Cruzes n. 41. o
local nao so e bom para o mesmo eslabeleci ment
orno mesmo para qualquer outro negocio por ser
"ai uma i-ua das principaes ; a tratar na mesma.
-- Vnd.v9e duas solleiras eduas ombreirasde
pedra da Um: ratar no eriptorfo da rua (La
<.nun.ao.
ALTA

NOVIDADE
bo-
Liquilaeo de miudezas. rua do Queimado n-
">5, tubos
:!20rs.
ou banumis para candieiro a gai a
Xa na dot Om'is n. 28 vende-se llores e
ramos de cera, assim como aclia-se uma pessoa
(Competentemente liabilitada para ensinar a faier
flores por preco comniodo. Na mesma rua ven-
de-se tamlx.'m t jarros de marmore proprios para
jardim.
Ba da Cruz n. 68
ha para vender
MEDIDAS e pesos do systema decimal, de tedas
;t qualidades, para lujas, trapiches e tabernas.
Vaquetas envernisadas para
carros.
Vinho de Bordeaux fino em cai-
xas da marca de I. B. & C.
Vinho de chimpagne em caixas
voudaruada Cruz n. 68.
LOJA DO PAVAO
Gur^'urSo de seda
Chegai am pelo ultimo vapor os mais
mitos gurgures tidos, sendo lisos e lavradinhos, com muito
lustro, garantindo-f que a fazenda mais
linda e de maispliantasia que este anno tem
chegado a este mercado, e vende-se por
preco muito razonvel. na rua da Imperatriz^
a. 60, e Flix Pjreira da Silva.
Organdys
Organdy brani liso, muilo fino a 800
rs. a vara; dito com quadros ou listas, fa-
zenda muito superior a 14 ; fil de linho
branco com pahniuhas, fazenda muito lina a
640 rs. a vara.
Lencos bran:os a 1#600 a duzia
Vendem-se lene ds brancos de rambraia de
algodao a i600 e 2,J rs., ditos de linho a
3#S00 e 4^ rs. a Juzia, na loja e armazem
Jo Pavo rua da.Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
Nedas de listas para vestidos
Chegaram as m tis modernas sedas lista-
das para vestidos, com as cores mais mo-
dernas que tem vindo ao mercado e ven-
dem-se por preco muito em conta por es-
tarlos muitos pnximos da festa, isto na
tilhos dos mais modernos, no anna/.em de godo, meias cruas inglezas superiores, ca-
Felix Pereira da Silva, rua da Imperatriz misas de flanella e de meia de la, assim
como nesteestabelecimento existe um glande
sortimento de pannos pretos, e de caseiniras
inglezas de cores, e que se manda fazer
qualquer obra a conlento dos Srs. fr zes, e proaiette-se-lhes que sero servidos
com a maior promplido e muito mais ba-
rato do que em outra qualquer parte
na rua da Imperatriz n. 60,de Flix Perei-
ra da Silva.
Cortinados
Para camas e janeilas.
Vende-se um grande sortimento dos me-
lhores c maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janeilas, que se ven-
dem a 124000 rs. esda par at 234000 rs,
isto na rua da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
Chitas
Vendem-se as melhores chitas escuras para
casa sendo de cores fixas, pelos baratos
precos de 320 e 360 rs. o covado, ditas
Tendo-nos chegado unamente fazendas inteiramente novas,
mos por este meio ao respeitavel p
bom gosto e por precos que nao ac
Admireui!
U rs.,
muito finas francezas sendo claras, com pa-
droes de cassa a 360 e 400 rs, pechincha,
na rua da Imperatriz n. 60, armazem de F-
lix Pereira da Silva.
Crosdenaples preto
Vende-se um grande sortimento dos me-
lhores grosdenaples pretos, tanto lar-
gos como estreitos, sindo de 2-5000 rs. o
covado at 44000 r?. garantindo-se que
n'este genero ninguem tem melhor fazenda e
Madapoles finos a 4, 64, 74 e
s no armazem do Leo.
Chitas escuras de padroes lindos por pre-
co de 320 e 360 rs. o covado.
Cassas de cores com palminhas e com
listas de diversos padroes a 240 e 120 rs.
Lazinhas cinzentas e cor de tonina a
320 o covado.
Chitas claras miudinhas a 320 e 360.
Alpacas pretas e de cores lindas proprias
para vestidos a 680, 700 e 800 rs.
Pecas de cambraia transparentes a 44,
54 e 64. Por este preco admira a todos I
Cortes de casemiras de quadrinhos e lis-
tas a 24800 e34.
Corpibos brancos para senhora
34300.
convida-
liblico a que nos procure comprar fazendas de
ar-em outra qualquer parte.
Lencos bordados a 64, 6-VKK) e'12->500.
Ricos e bem escolhidos gostos de bis-
a 34 e
que se vende mais barato do que em ootra
loja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de qualquer parte, na rua da Imperatriz n 60
Flix Pereira da .ilva. de Flix Pereira da Silva.
Buhares.
Vende-so magnficos buhares #com seus
f>ertences, I gamo com pedras de marfim
2 grandes fiteiros envernisadns e envidra-
'.ados: na i ua da Imqeratriz n. 69.
amigo dos filman-
tes.
Vende-se esta bem a-reditada fabrica de cha-
i-utos, a praso ou a dinheiro por estar o dono
(lente e jer te retirar-se para o malo : a tratar
a mesn, ua traveisa de S. Pedro n, 1.
TCSSES
CATARRH )S
PASTILHAS PEITORAES
Pechincha!
Cortes de cassineta de cores para (calcas e
paletutsa 14500.
Cassineta de cores com um pequen
que de mofo a 400 rs. o covado.
Espaitilhos muito finos a 44500, 54 e
54500.
Admira!!
Gravatas de seda a 500 rs.
Golinhas bordadas a 500 rs.
Lazinhas a 200 rs. 1 t
Lazinhas a 200 rs. 11
4 Lazinhas a 200 rs. I!
marks para calcas e paletots a 24500 o
corte.
Tambem tem para acabar pecas de pan-
no de linho, com 27 varas, a 174 e 184.
Toalhas de linho para rosto a 104 a du-
zia.
Aos Srs. armadores de enterros.
Vendem-se pecas de hollanda preta com
40 covados a 54 : na r,ua da Imp.'ratriz n.
48 e 52, junto a padaria franceza, loja do
Loo.
Attenco roupas feitas I! no armazem
do Leo, rua da Imperatriz ns. 48 e 52.
Assim come temos um grande, completo
e variado psortimento de roupas feitas: pa-
letots saceos, sobrecasacos, fraques, jaque-
toes, calcas, colletes, camisas, ceroulas,
chapeos etc., tudo por presos que admira!
Tem tambem um sortimento de roupas
ordinarias por preco baratissimo.
Acaba de chegar tambem um completo
sortimento de damascos de cores, sendo
azul, amarello e cor de caf etc., que se
vende por preco commodo.
Admira!!
No armazem do Leo f! I
No aimazem do Leo ! !
No armazem do Leo!! f
No armazem do Leo !
0 cordeiro previdente
II ua do QKelin(do n. i t.
Novo e variado sorthnento de perfum;
linas, c antros abiertos.
Alin do completo sdrtifcnto de r
inaiias, de que elfcclivamentc estpro)
loja do Cordeiro Pi^idente, ella .ai-,
receber um outro soiiimonto que se torna
notavel peta variedade deohjeclos, srroei
dado, qualidades e commoa/dades de pt-
eos; assim, pois, o Cordeiro Providente |
e espera continuar a merecer i opreciacSo
do respeitavel publico em geral e de stja
boa freguezia em paiticular.'no se afas-
taralo elle de sua bem conhecida mam
e baratez.!. Km dita loja enconti'ai ;<. es
apreieiadores do bom:
Agua divina de E. Ceudray.
Dita verdadeira de Muiray Laminan.
Dita de Cologne ingleza, americana, h
ceza, todas dos fflettores e mafijcredilaoos
fabricantes.
Dita balsmica denfrili. ia.
Dita de flor de larangeim.
Dita dos Alpes, e vilete para loilet.
Elixir odontalgico para musen ara o
! asseio da bocea.
Cosmetiqnesde superior qaalidade echi i-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, - m
ximada fina para cahello.
Frascos com dita japoneza, trnspan
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americaaos e
francezes em fraseos simples eeafeitadus.
Kssencia imperial o linoeagradaule... ~
ro de vilela.
Outras concentradas e de chebos igual-
mente finos e agradaveis.
Oleo philoconie verdadero.
Extracto d'oleo de superior qaalidade,
eoin escolirulip*cheirus, em fiascos de d -
latentes tainanhos.
Jabonetes vm barras, maiores eme
para mos.
Ditos transparentes, redondos eem figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Caixinlia^i'iiii bonitos iritonetesimitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada couteudo f-
nas perfuma fias, muito proprias para ,
sentes.
Ditas de papeloigualincnleLonilas, tai;-
bem de perfumaiis linas.
Bonitos vasos de melal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, cora pode a. -
e boneea.
Especial p de arroz sem eomposifode
clieiro, e poi-isso o mais pi oprio para cria-
eas.
Opiata ingleza o francezapara dentes.
Pos de campliora e outras dilVerent-s
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Anda nials coques.
Um outro sortimentos de coques de no-
vos e bonitos moldes com filetsde vidrilhos.
e alguns d'eties ornados de flores efita-,
esto todos expstos apreciaeo dequ< m
os pretenda comprar.
GULLIXHAS E PU.MIOS BWDADOS.
Obras de muito posto e perfeico.
FivellaK e Otas para cintos.
Bello e variado sortimento de taes objec-
tos, licando a boa escolha so gosto do coi -
prador.
FLORES FINAS
0 que de melhor se pode enconliaincs -e
genero, sobresabido os delicados raur-s
on alhados para coques.
Paca viagcni.
Bolsas de tapete ecarteiras de
preeos commodos.
Chapelinas de pulha da Italia mui be n
eneitadas, eenfeites de llores obra de tx id
gosto.
E assim muitos outros objectos que s--
rao presentes a quem se dirigir dita toja
do Cordeiro Previdente a rua do Qneima o
n. 1(.
ENFE1TES DE PALIIA PAR.V VESTIDOS,
CHAPEOS E COQUES.
0 Cordeiro Previdente rua do Queim. -
do n. 1G acaba de receber um bello sort-
mento de trancas de palhapara {faites de
vestidos, outras para chapos, coques el'.
tudo isto est sondo vendido cem a sua be l
condecida commodidade de precos
ALEM DAQELLES.
Receben outros lindos enfeites de seda
para vestidos ; assimcomo um variado sor-
timento de galISes de la, babadinhos de
cambraia com bordados do cores, cuja va-
riedade de gostos os tornam recoumiend -
dos e apreciados ; compareco pois osjuv-
tendentcs que sero servidos a contenta
TO BEM RECEBE.
Novo provimento de bicos e rondas .e
guepure.
LVAS DE PELLICA.
De todas as cores tanto para borne
como para senhoras, constantemente achara-
se a venda na loja do Cordeiro Prevident) :
rua do Queimado n. 16.
couro, pi ,
NOVIDADE
de SUCCO DEALFACE
E LOURO GEREJO
IRRITaCOES
PEITO
E' este 0 mais novo e'^elicioso confeitu al agora conhecido. Por isU> tem adquirido r-
pidamente a pop laridade ac que goza. Os mdicos os mais distinctos o aconselhfio contra
as tostos, defluxo., caiarrliot,lus convulsas, caiarrhot epidmicos, irriafOei do peito. Com
grande empenhoo procurio as mfiet\de familia, assim para ellas como para as enancas, pois
primeiro que luda nofiensivo, e afegoas propriedadesadocanies niodeixio nada a desejar.
Deposito em Pernambuco'tm casa de 5a SEFFIClCll
lOBtDIBll
Todo* os me at hoje preconisados contra a asima nio tem sia''mai. do
T " V- r",vw""w wuir a asuma uv lein siuc maj: uO ODe palliatVOS
ti formas, tendo por base a belladona, o estramonio o! opio. R
Franca e na Ingla
propriedades para combater essa tcouvel affeccSo,
-.---------- i Kv("ii nuca L-cuduuua, o estramonio oi> vp iu. ncceni
u teitaaem /llemanha, repelidas em Franca e na Inglaterra, tem priado que o
i Bengala p.sue as mais ootaveis propriedades para combater essa nivel i
un como a tosse nervosa, a insomnia
ocenies eipe-
cioamo
$
cigarros>prepara-
-..ia, a lysica laryngea. a rooqmdo, exiinCfo da vox
doToom au^ a^Z p01* Mm .loio da sciencia queofferecemos estes carroM)reDara
W oom extracto de cnamo das Indias, que n Deposito em Ptrnttmbucc. em casa de Knnr O*.
mu
No armazem do Leao, rua da Imperatriz ns. 48 e 52, junto a loja de ourl* ^s
e padara franceza.
0VDA5ES
Rua do Queimado n. (1
K
A este estabelecimento chegaram as mais hndas chapelinas de crep, tule e pa-
lhinha da Italia, primorosamente enfeiadas.
Bales reguladores para senhoras o meninas, os mais modernos e de varias
cores.
Basquinas de seda para senhoras, o que ha de mais gosto, e delicadamente cn-
feitadas.
Ricos vestidos de blonde, om manta e capella, para navas.
Cortinados de cambraia bordados para camas c ianollas, de diversos gostos e
qualidades de IKeJ at 80,5000.
Tapetes alcatifas em peca para forrar salas, gabinetes e corredores.
Camisas inglezas de linho para homem.
Ricos vestidos de seQa pretos bordados agulha e de cambraia brancos tam-
bem bordados pelo mesmo systema.
Fronhas e toalhas de linho e de esgi io todas bordadas para casamentes.
Sedas de lindas cores, casimiras de cor-tj as mais modernas, saias de 13a com
barras de cor, chapeos de sol de seda ingle, espartilhos para senhoras e meninas,
colarinhos de linho para hornera e grande sortimento de fazendas de lodas as qualidades
que se vendem por preces que agradam aos comprado
Neste estabelecimento contha a receber-se esteiras da India para forrar sal-
las de diversas larguras e cores, que vendem-se mais baratas do que em outra qual-
quer parte, por isso chamara a ltenlo para as
J2stetras da India para forrar salas.
A loja de Coelho Oliveira rua do
Queimado n. 19, recebeu pelo ultimo vai.. r
um bello sortimento de baloes de divers
systemas, os mais aperfeicoados que i
vindo ao mercado, sendo :
Baloes de guipure com tiras chamad, s
reguladores, ditos de musselina abertos por
ambos os lados, de modo que sendo tod ps
de um tamaito servem para qi alqac- se-
nhora, de 13a de cores, com tins, e a- <-,-
geintes fazendas:
Saias de la com bonitas barras.
Chales turcos de seda e la Beali u e
Tundas.
Fitas de guipur pretos Rocamboly.
Chapos de sol para senhora, muilo lia-
dos.
-LSaslaihs
Sultanes, Poil deChe\Te, Tricte, dit. >
xadrez e outras muitas, entre ellas uma
Especialidade
L5a pora de cores a 360 rs. o covado.
Basquinas a Maria Antoniete.
Cambraias fantazia.
l>itas brancas transparentes ejVictori. .
Colxas adamascadas.
Cobertas chnelas a 20300 rs. e ou!
muitas fazendas que tornar-se-hia enfado>
annunciar.
de cera, de
barati'imfj|a
zem do vapor
' sed*, *
3 retalhc
rua Nova n. 7.
pn


^^I
a^^BaVBaiaMaM

o
Diario de Pemambuco Quinta feha 27 tle Janeiro de 1869.
AO BAZAR DA MODA
DE
JOS DE SOUZA SOARES & C.
Una Nova n. 50, esquina da ra, de S. Amaro,
PARA O HOVO AMMO ]E f 809.
Novo sortimento de artigos de moda e luxo, recebidos pelo ulti. no vapor viudo da Europa.
Especial linimento de oWect para minios.
Perfumarias Anas dos prmcipaes autores.
Luvas de pellica frescas, brancas e de cores para homens e senlioras.
ttiapajliakoade palha de Italia enlatados,para senlioras.
Ricas ehapclinas para senhoras, gorros de palha de Italia para senlioras e meninas.
Especial sortimento do sintos para senlioras.
Knfeites de posto (tara senhoras.
Fitas de grosdenaplc superior de todas as cores e larguras.
Franjascoin vidrilhos,brancas, de corese piolas.
("iiirnicoes de todas as qualidades para vestidos.
Vestuarios completos para baptizados.
ilnlinlias e pnnlios ent'citadus para senlioras..
(loques modernos, lisos e eneitados.
Bornous de lia e seda, cores claras, moda eb gante para senlioras debom gosto.
c.oipinbos decambraia enfeitadospara senlioras.
C,ac.he-nez de 15.
Chpemele sol para homens e senhoras.
Flores finas, sortiinentoes|)ecial.
Plumas elegantes de qualidade superior.
Cmtos ricos de palha, alta novidade.
Grinaldas de (lores linas.
tamisas superiores para homens.
Colarinhos e punhos.
Gravatas e mantas modernas.
Bengalas de diversas qualidades.
Caixas grandas com ipiatro pecas de msica.
Flores de palha para guarni"* de vestidos, botoes,livelas,laros para enredes.
(hopos de |>ello de seda pretos, forma a Rotschild, fazenda superior para hornea*.
Correntes de plaqu fino, gostos bonitos para relogios.
Cartlletas de bom gosto para as mermas.
Coi-rentes pretas de burracha diversos modilos para voltas.
Objectos para luto. ... a
K imites ontros artigos de novidade que so vista podem ser prcciados.
Existe continuamente um completo sortimento de miudezas, vende-se por grosso e.a
A COMM0D08 PBE^OS
BAZAR DA MODA.
ea todas as parte do mundo, emaregam, d
1 *"*' "''?'
UO MLDltiUo ofhesphato de ierro solovel.de URS, para curar a chlomsu
feoics nallidas). as dore* do estomago, e a exhuustacao do sangue; com esta preparacSo, dae
umtm**r,-t s arns, a sua firmeza natural; acilitam o desenvolvimente to labo-
rioso da pberas de. Com effciio, ludo, n'rste mdicamente, *e acha reunido para lhe
ssewrar o maio- crdito, pois que entram, na sua composico, os elementos dos ossos e
do nane O sen autor, M. Leras, doulor em sciencias, pharmaceutico, professor de
chymica; ioseeclo- da Academia, foi, recenumcnte, condecorado da ordem da Legiio de
Honra, digna recompensa dos seus importantes irabalhos.
As seguales prciaefles dos mais celebres mdicos anda vem eorreoorar e jtiBcar
todos estes ttulos cenfianca publica :
t Precisa claisilicar o phosphato de ferra soluvel entre os ferruginosos que melhor
convem aos doente -ios ergios digestivos supportam mal as preparacocs de ferro.
>- . e. \\, professor na Escola de medicina e de pharmacia.
*. em quanto a mim, a melhor das preparacees fernfgi-
i O phosphato de fcnii *
nosas, o sau ernprego da '
A trma qtida do p
as pirales; eu considero es.
nromptos eeeguros resultados.
ARAN, medico do hespilal Sainte Engente.
ferro soluvel d-lbc urna immensa vantagem soare
lento (como mui superior ils prcparac5es iodadas. a
AhNAi, medico de S. M. o Imperador.
i Entre todos os ferruginosos, nao amhccesraanm sd que obre tio prompta e efficazmente
como o phosphato de ferro soluvel, e isso, sem cansar o estomago.
BE1.L0C, BAUME, B1G0T, FOLLET e PRVOSI, meduos dos hospitaes.
. ft* ffeitos di preparaco de phospbato de ferro soluvel me parecen ser mui seguros
e promptos. BEBOUT, redactor em chefe do Buetin therapeutxue.
Entre todas at preparacJes ferrogiaosas, o phosphato de ferro soluvel foi a que sempre
me deo os molhorea e mais satisfactorios resultados. GUIBOIJT, mdteo dot hotmut.
c O phoaphato de ferro oluvel tem, sobretudo, a vantagem de evitar a constipac|o
convir aos temperamentos delicados. "' FAVROT.
Deposito em Pernambuco, em casa de Kaurer C.
>.'. -v '< -*V 'Ai' *j "~ '--O' Mr
rctallio
PASTILHAS
h DOSES DIGESTIVAS]
deBURINouBUISSON
n
Medalhado>
rtkwtK
Sociedade f-. -
fomento. J^
Pharmaceuiico '"
laureadtft^
pela Acodenii* f
de<
medicina, de PdrUg _______
r^ f CON LACTATO DE, SODA-. E^MAONkllB
Estas Paslhu constituem o medicamento a mais novo e o mais racional para'eOmliater
toda* as affeccoei das vias digestivas. Ellas contera, com effeito, o acido lctico, um dos
elementos norme s da digatlo, combinado com a magnesia calcinada, cojos bons effeilos
tem sido ap preciad os por tados- os mdicos, a o bicarbonato de soda, sal que faz a base das
agua de Vichy e da maior parte das aguas mineraes alcalinas. Este trplice conjuncto de tres
productos cuja efneaela popular, explica o bom xito eme se ebtem as gastrites, gastralgias,
sahidas de gaus, incka;o do estomago, vomito depois das comidas, indigettfet, dores
itetomaqo, etc. Deposito em Pernambuco, om casa de Maam CV
PREQO CORRENTE DOS CHAPEOS DE SOL
Da fabrica de
MANOE & C.
Eua Nova n. 23,=Rua do Cabug n. 8
Pernambuco
Cliapos de seda trancada, Paragon, de 16 hastes, 28 pnllegadas a 1G$!; 26
pollegadas a 15^, e 24 pullegadas a 14;$000.
Ditos de seda G. de N. Bara, de aro, de 16 hastes, 28 pollegadas a 140;
de 26 p (llegadas a 13S ; e 2 pollegadas a J2#000.
Ditos de seda G. de N. lisa, de ac, de 12 bastes, 28 pollegadas a 12 ; de
26 pollegadas a lit,: e 24 pollegadas a 10*5000.
Ditos de alpaca, de ac, de 12 hastes, 28 pollegadas a 6 ; e 26 pollegadas
3 ."i-viOO.
Por (Uizia faz-se descont de lo 0[0
Chapeos de sol de panno, de baleia, de 8 hastes, 24 e 26 pollegadas a 32$
a duzia. (Descont de 10 0|0).
Ditos de panno, de junco, 8 liaste;, a 18$O00 a cuzta, liquido.
I1RANDE LIQIJIMCO
vg&@&m
Afprovaye
da academii
i ni:cina
di Per.
II
MANg^
Pharmactutko
laureado
da academia
i mtdtcina, I
prepararles lerruginosas liquidas tem desde muitos annos merecido a approv.icSo
al dos mdicos, porque ellas obro mais rpido e seguramente do que as pilulajs, e
As preparaces ferruginosas
special aos mdicos, porque ellas onrao mais rapn
sao mais fcilmente toleradas pelos doenles. Os Pos ferro-marganicos possucm a iaappre-
ciavcl vantagem de poder offerecer n'um instante urna agua ferruginosa gazcosa, de costo
agradavel, mais activa do que as aguas mineraes, e contendo de mais um elemento precioso,
o Manganese, que aempre se acha no sangac, junctaracnie com o ferro. Empreg9o-sej em
todas as molestias que tem por cansa o empebrecimenlo do sangue, assim romo para vigorar
06 temperamento.', debis e tjmphalicos. A chlorose, as Perdas Imancs doresd'estomigo,
a irregularidade da menstruaco c amenorrh/a ou suppresro do menstruo, oedem rpida-
mente a seu ernprego. Devemos mencionar aqu um faci notavel, islo que os doenles dura-
dos cela agua preparada com estes pos cstio muito menos expostes a.recadas do que
aquelles que forao tratados pelas preparares ferruginosas ordinarias.
Deposito em Pernambuco, em casa de Kaurer e C*.
Vi
VERDADEIRAS
fin msicas militares.
Completo sortimento
NO
BAZAR DA MODA
RA NOVA N. 50,
Esquina da ra de Santo Air aro
20 a 30 por centn menos que em outra qualquer parte vendem
JOS DE SOUZA SOARES & C.
d-i mais acreditado autor Goutrot Ainea Pans.
RIJA MOTA M. AO
ESQUINA DA RA DE SANTO AMARO.
AO TEIMPHO
tst a exposico do respeitavel publico neste importinte estabeleciraento um
luido e completo sortimeato do zendas chegadas pelo ultimo vapor Ja Europa, o que
temos a honra deannunciar aos pas de familia, assim como ao heliooxo, aqueni o
Triumpho pede sua attengo; garautindo sempre em sua nova loja o gosto de fazendas e
novas modas e modificado dos precos, para aiquirir asympalhia de qttem dera Uoura
de procurar o Triumpho.
Lindas sedas de cores novo gosto a 2,3600 e 2S8000 o aovado.
Glacez de seda e lia apurado gosto para lJ5O0o covado.
Lazinhas com hstras de seda para *jt00, l00 ocovat.o.
Ditas de lindos padioes para 500, 700,81)0 eOOOrs. o covado.
Cambraias brancas tle yOOfrat 8)^008 a peca.
Ditas de cor novas padroes de 640 e 80 i*s. a vara.
Saias de 13a com bonitas barras.
Bales de Ja e murcelina e de arcos.
Basquinas de gros-de-naple de 22i!<000 a i0-?000.
Oros-de-naples pretos de 2#O0Oa 4?>500 a covado.
Ditos de todas as cores. 0
Organdit branco.
Brihantinas brancas p de cores.
Espaitilhos e entre-meios bordados.
.Mei.is linas para senhora e para homem.
ilnj deslas fazendas tem um completo sortimento de chitas escuras celaras, ma-
lipoles,!amantes,atoalhados, toalhs delinro e dealgodao, e outras umitas fazeoda
que se ?end m por precos que a vista o comprador se podei desengaar que so no
Triumpho poder comprar bom, e com economa.
PARA HOMENS.
Bonito sortimento de casemiras, brins brancos e de cores, camisas de linho e algo-
do, ciroulas, mantas e grvalas d que lia mais moderno, chapeos de sol de seda e alpaca,
e outras muitas lamidas que vista se poderlo gradar, e manda-se fauer quahjuer obra
ie alfaiate para o que tem um hbil mestre, p f*co em tudo, s encontram no Triumpho j
a do Queimado n. 7.
PILULASdeBLANCARD
COH IODURETO DO FERBO INALTCRAVEL
APPROVADAS PEU ACADEMIA DE MEDICINA DE PARS, ETC.
Possuindo as propriedades do lodo et do forro, convem especialmente as AffecCoAs
KCRonitosAS, a Tsica no principio,! [raqueta de temperamento e tambemnos casos de
Falta PE.cR,.AMF.NORnnr.A,em que precisareagir sobre o sangue seja i>ara restituir
lhe a sua riqueza e abundencia normaes, ou para provocare regular o seu eurao period'"'
N. B. 0 iodureto de ferro impuro ou alterado 4 cbi medicamento infiel,
Irritante. Corno prova do pnroza e de aolhenridade das erdeir* Fi-
la. de lilnnrurfl, deve-se exigir noso. !>. 4 prata r-aeMa *y/
no^so Orna, a"ui repfoduzida, que se artia na parle ioierior de um
ratu'o vertir. Dcvo-se droiai Jas falsificacoos.
rl.tm-w'iii tadaa m pharairelan. Pharmactulico, ra Bonaparle, K,^orU^
Irrita ni
La. no>'si
TASSOMAOS
Tem para vender em seas armaiens, alm de ou-
tros, os seguales artigos :
Papel para imprimir.
Perlina azul.
Greve pautado e liao.
Vinhos m caixas de doze garrafas
Bourgogne.
Hery.
Madeira.
Hermftafe.
Cluunblis.
Licor de curado de Hollanda era caixas de vin-
te e quatro botijiuhas.
GESSO
Xosarmazens d Tasso Irmos.
Grades de ferro
para jardins, porteiras etc.
Nos armazens de Tasso Irmaos
c aiitmtmmm de ferro
Para servieps de grandes armazens, para remo-
ver barricas ou raixfies de um para outro, lado jelo
mdico preco de 12000 cada ura.
Firinlia de trigo de Trieste
Das raelhoras marcas Panonia (verdadeira) Fwn-
tana e grande sortimento das memores marcas de
familias americanas.
Saceos de fariiilia de trigo do
(Me
Todas novas, diegadas ltimamente nos arma-
zens de Tasso Irmaos.
Cemento romano
Nos armazens de Tasso Irmaos.
Cemento hyilraulieo 12$
O melnor para tudo que sao obras para agua, co-
mo assentamenlo decanosdeesgoto, algeroees.de-
positD, tanques d'agua, etc., etc.: em porces de
cineoento barricas se far reduc^ao no preco : nos
armazens de Tasso Irmaos.
Cemento Portland
0 verdadetro cemento Portland era casa de Tasso
Irmaos.
Grades de ferro, cercas, por-
teiras, etc., etc.
De dilTerenles qualidades para cercados de ani-
maes. chiqueiros para 'ilinliasou ardins: nos ar-
mazens de Tasso Irmios.
Barris com breu
Xas aruiazeus de Tasso Irmaos.
CANOS DE BARBO
Na ra Nova de Santa Rita, naantiga fabrica de
sabao, lia para vender por preco o mais mdico
possivel. canos francezes para edificacies e esgo-
tos de toda a qualidade, superiores a todos os que
aqu tem apparecido pela sua solidez.
PRECIOS.
l400 por cano grande de 3 e raeia pollegadas.
1^300 por dito de 2 e tres quartos de dita.
15000 por dito de 2 c um quarto de dita.
SOOrispor pistoleta de 2 pollegadas.
Gottivellns, curvas o canos de maior grossura. a
vstase far o preco. Compras maiores de 2004
tem 3 por cento de descont por prompto paga-
mento. Pde-se ver as amostras nos armazens
de Tasso tnnaoa,
lijlos francezes
Para ladrilhar casas terreas comassekie precos
modicis, muito convenientes e proprios para ladri-
Ihos de cosinhas em sobrados, pelo seu asseio e
evitar a passagem de aguas para o andar inferior
e mesmo o perigo de fogo, aos precos de 30000 a
433000 o milliciro : na ra Nova de Santa Rita, na
antiga fabrica de sabo, ecompnis maiores de 200
se far 3 por alto de descont por prompto paga-
mento. Podem-se ver as amostras nos armazens
de Tasso Irmaos.
Velas de esparmacete verdadeiras para lan-
ternas de carros: -noarmazem de Tasso Irmios.
Vinlio do Porto fino superior: no armazem
de Tasso Irmaos.
O melhor cognac Gauthier Freres : no arma-
zem de Tasso Irmaos.
Esteiras da India
Em casa de Tasso Irmaos vende-se esleirs da
India de diversos padroes c larguras, por preco
conimodo.
LOJA DO PASSO.
Ra do Crespo o. 7 .*. esquina
la do Imperador.
O dono, (leste importante estabelecimento.
tendo recebido de sua cotila, pelo vapor
francez Extaemaduie, diversos artigos de alta
novidade pop-ius para a fesl;i. econscio ?
que seu O^Bcleriiiiei'ti se ada bein sorli-
do, fwUrtpalmente em artijos de moda, pe-
de ao respeitavel publico e em particular
aos seu9 numerosos fregueies a bondade
de -honra-to com sua confianca, garantindo-
lues serem bem sonidos e por precos ni-
miamente baratos. Venham, p, todos
comprar novas e lindas fazendas boas e de
alta novidade, com bem:
Riquissimos cortes de blondo.
Riquissimos cortes de seda de cores.
Sedas de lindas cores para covados.
JVIoire-antique azul, verde, braico e pre-
to.
Grosdenaples azul, verde, branco e pre-
to.
Gorguro branco e preto.
Setira branco macau.
Cortes de seda com duas saias.
Cortes de la escosseza com duas saias.
Cortes de la e seda, novidades.
Poil de chevre do lindas cores.
Alpacas de coi do lindas cores.
Ditas lisas de todas as cores.
Cortes de vestidos de cambraia bordados.
Saias bordadas para senlioras.
Camisas bordadas .
Fronbas de ludio com lindos bordados.
Lengos de cambraia de linbo bordados.
Chapelinas de palba da Italia.
Ditas de sedas de cores e pretas.
Enfeites para cabera de senhora.
Coques de todas as qualidades.
Basquinas de seda enfeitadas com primor.
Leques de madreperola, marim, sanda-
lofe osso.
Camisas bordadas para homens.
Colchas de algodao e seda para cama.
Ditas de crocite* para cama.
Pannos de crochet para adeiras e sof.
Cliapos de sol de seda para senhoras.
Esportilhos para senhoras.
Toalhas de labyrinto.
Lencos de labyrinto.
Fronhas de labyrinto.
Bicos, rendas e grades.
Finissimas cambraias de cores, percales,
las e outros-muitos artigos de gosto e no-
vidade.
Loja do Passo ra do Crespo n. 7 A es-
quina da do Imperador.
Conservadora de sua indivi-
dualidade, c amiga do
progresso.
Os labyrint/m da bisperanea
A loja de miudezas da ra do Queimado
n. 33 A, vem apresentar sua escolhida
freguezia um artigo que at hoje custava
muito caro, c por isso s chegava para a
classe m.iis abastada da sociedade.
I'oalhas de lahyriui hos
Perfeitamente iguaos s que se fabricam
no paiz por urna decima parte do valor d'el-
las vindo a esta loja, apreciar a perfeic-o
reunida economa, (nem sempre possivel
isso).
As I toalhas teem tim circulo de lindo de-
senlio e no centro se le em caracteres maius-
ulos a allegoriea iiscrpj$pvr-A' baptisar.
A' passeio.Jttcus cuidados.Lembran-
Qa.Visita.
Ninguem porcerto deixar de ir completar
ofinxovaldolindo lillio,parafazereoonomia
de 15 ou 20,esses nadas deque se compoe
LOJA DO GALLO VHilLWT
Eua do Crespo n. 7
Mndou vir de sua couta e acab de re-
ceber pelo ultimo vapor, completo sortimen-
ot de objectos de novidade e phantisia, os
quaes estao resolvidos a vender por precos
nimiamente baratos, para assim ani nar aos
concurrentes e ao mesmo tempo da' sabida
ao grande deposito que tem: isto ; ra do
Crespo n. 7, loja do Gallo Vigilanti r.
Gollinhas, punhos e camisinhas tara se-
nhora, fazendas de gosto e novidad<.
Finos vestuarios para baptisadosj assim
como touquinhas, sapatinhos e meisinhas
para o mesmo fim.
Grande sortimento de bicos e rendas de
croch e de outras muitas qualidades.
Superiores caixas com msicas e
las, tendo o necessario para costur
prffl para um delicado mimo.
Finas caixas com tentos e sem ell|es para
voltarete.
Agtilhas para machinas de costura
Ditas para croch, sendo de ac, i
e outras muitas qualidades, assim como li-
onas para o mesmo mister.
Finas grinaldas para noivas.
Meias de borracha para quem soffre de
erysipella, assim como meias de laa para
Para armazens a retalko.
0 Campos da ra do Imperador u. 28, tem para
vender grande quantidade de medidas de estanh'
para lquidos, e de madeira para seceos, pelo sys-
tema mtrico decimal, pelo qual esto os negocian-
tes a retalho obrigados a vender suas mercadorias,
a cvntar do Io de marco do corrate anno. O an
nunciante avisa e garante aos que de taes medida-
nec.'ssitani. que so estas as mais exartas, por
ipianto sao feitas em l'aris. de eonformidade cem
o systema cima dito, e segundo o padro adoptado
pelo govenw imperial ; nao aconteeendo, forem,
o mesmo com outras que alii se vendem, que sen-
do da mesma capaeidaile. devenifiram de modeilo.
vindo offerecer duvidas nao s aos compradores
como aos vendedores.
Meias elsticas de borracha.
As melhores e excelentes fraeias elsti-
cas de borraclia contra varizes e orysq)ella.
Vende-se na
Pharmacia e drogara de
Bartholomeu & C.
34ra larga do Rosario>34
Macarthy
sem el-
s, pro-
marfim
DQENCS das icriancas
41VO 10 HADO
>ADO
Este medicimento goza om Par e no mundo in eiro de nma fama justamente merecida,
achar-se intimamente combinado nelle o iodo coro o s iccu das pinnas uascorbatkas Kjai
bem cormccula e as quaes ja naturalmente existe do. K' um e e mNiwm ,tlle
eom vantagem o Oleo de figados de Baeatbo, que at, secunde oa h imena aeiwtifiaas,
efficacia i pres-n^a do iodo. & preciosa ao trtame!o dascrlucas para combalar IrmphatiaaM
asobsirnccoesdaa flandiilas do yeaeofo, e aa dh eraaa erupoiea do resto, Un treqwntea na
enancas de pmea idade. Torneo daountivo ao mesnw teape elle c:citt appetite, faeflht i
digesiio, t resume aos tecidoe a oa firmeza e vigor naniraes. K cada da ret '
especialistas para combatir as diversas affecedes da >elle.
Deposito em Pernambuco, en, casa de
reeettado pelos mediett
o .guarda/raima dos. reoem-uascidos qua- osque soffrem -de rheumatismo.
^j sempre ficam aos extremosos cuidadas
das mus, a essasa quem o Esperanca se
dirige, para quem desde j dispe-se a dar
amostras e certa est que pelo preco ncnliu-
ma deixar de comprar.
Fronbas
A Esperanca, tambem receben fronhas no
mesmo gosto das toalhas que vende pelo ba-
ratopreco fie 3#000, o que custava 10^ I !.
apreciai e se ljgardes importancia ao con-
rortavel da vida, sem dtrvida comprareis :
nogte bullo paiz niaguem se faz pobre dis-
DissandirHlti ouao.ua, com o acceio e
belleza de que se decora a habitarlo, s
vezes no que menos pensamos, entretanto,
como diziam nossos maiores, a sepultura da
vida : anda s senlioras a quem a Espe-
ranza *e dirige. Urna seohora cuidadosa
do nada faz a casa.
Ra do Queimado n. 35 A,
Suspensorios para homem e meninos.
Finos pentes de tartaruga para coques^
de outras muitas qualidades e para outros
misteres.
Dedaes do madreperola, marfim, osso,
ac, metal, etc., etc.
Superior agua cosmeocorae pan tingir
cabellos, dando aos mesmos a sua cor pri-
mitiva.
Completo s.iriiii'iiio de linas perfumaras
dos melhores fabricantes, assim como mui-
tos outros objectos que impossiv^l des-
crever: isto s na ra do Crespo n. 7, loja
do GaHo AUgffante.
Collares Roycr electricos3gneticos con-
tra as convulsoes das criancas e para facili-
tar a dentinco das mesnas, o Gallo Vigi-
lante antigo recebedor d'estes prodigiosas,
coHares e contina a t\sempre grande de-
posita, ra do Crespo n. 7.
Machinas le descaroear algodo.
Hoje que est reconhecido que as machinas do
serrote prejudicam e quebrara a libra do algodo,
preciso roeorrer a machinismo menos spero,
que produzindo o mesmo servicu que aquellas, e
lacihdade no tralialho, nao qnebrem a fibra da la.
para que essa possa obter-nos mercados europeos,
a differenca que ha entre o algodo desearocado
por aquellas mencionadas machinas, que estao li-
cando em desuzo, pelo prejuizo que tem causado,
eo da antiga bolandeira, que nao pode competir
pela morosidade de sen trabalho. E' assim que
estas maridaos so tornara as mais proprias para o
nosso algodan. porque ao par Da facilidade e
Bromptidao i-onserva a libra da lia, quo liinpa por
ella, qualilicad.i na Europa a par da melhor bo-
landeira, valendo assim cutre 10 arrobas 20 0/0
mais do que a la limpa pela machina de serrote.
Estas machinas nao sao novas, pos que ha muito
estao adoptadas no E>pto, aonde as de serrote
foram inteiramonte abandonadas, e box isso o algo-
do daquella pro edencia, sendo da qualidade do
danossa provincia, obtem hoje de 10 an-obas20
0/0 mais do que o nosso : vendera-sc a i50000
nos armazens de Tasso Irmos..
Tabellas vermicidas
DE
Antonio Nunes (ie Castro.
Vermfugo efficaz e prefetivcl todos os
conhecidos j pela certeza de seu resultado,
e j pela fcil applicacao s criancas, quasi
sempre mais atacadas de to terrivel e
muitas vezes fatal soffrfmento.
nico deposito,
Pharmacia de Bartholomeo & C.
34ra larga do Rosario34
Viudo Figueira
Vende-se era ancorlas de 9 caadas superior
vinho da Figueira, proprio para casas particula-
res : na ra do Amorim n. &8. armazem.
Ornamentos de igreja.
Viiidem Gregorio Paes do Amaral - C.
a ra do Crespo n. S, casullas e nina tun-
bella de damasco de seda poftuguez per-
feitamente acabados.
PALLIO.
Vendem tambem um riquissimo palito
de damasco de seda branca portuguez bor-
dado a ouro fino.
Vende-se.
Um lialiao em bom estado : na ra da Cadeia
do Recite n. i
Vendem Augusto 1". de Oliveira & C. ra du
Gommercio, n. 42.
Na ra de Hortas casa n. i, (mpra-se jornaes
ou outro qualquer papel que esteja limpo.'a 4 a
arroba.
FUNDICAO DOBOWMAN
Rita do Ri'iim n. 59.
Machinas de vapor.
Rodas d'agoa.
Moendas de canna.
Taixos de ferro, batidofe fundido.
Rodas dentadas, para moer com agoa
vapor e animan.
E outros muitos objectos, etc. etc., pro-
prios para agricultura.
(az (az m
URA DOS CAIOS.
PBLA
Pomada igaloupean.
beposiio especial
Pharmacia de Oartholoafeo d C.
34yRua lappa do Rosario-----34.
Vende-se urna taberna eom
poares fondos e
bem atreguazada. tanto pj-a o mato tmm para a
! terna, o alugiiel comrriodo e tem commodos para
paqaeria familia, a razao fia venda se dir aos nre-
I tendentes : a tratar na nraTMrpita n. fg>.
Esteiras daTdK"
rA.?& che?aT toja do Alvaro Aagusto de
Almeada C a ra do Ciwpo . , wn mi-
Bteto sortimealo de eateiriis da India para farre fe
sala, de diferentes larguras, e eiceilente nalida-
de, e que se vende por precos razoaveis.
Sa-bonetes del DE
vhoio Nanea de Castro.
Este acreditado preparado, que to boa
acceitfljfo tem merecido n'esta provincia,
muito se recomienda para a cura certa
das impigens, sarnas, caspas e Uxlas as
nTolestteiifc'r.
Dqiosito nico,
rtiarmarrn doBafltmlomea A C,
Jijirua^Uu-ga do Rosario-M.
noel Alves Ferreira A^f>pa'' Moaa*. S, jMgundo andar tem para vender
superior paiassa da Rossia ep barris e meios
barris e>nri de Lisboa da aa novaqie ba
etaadi. ___
Cemento r.hegoa ao nligo deposito de Henry Forster A
P... raa do IaiBtador, um carrrgaraento de gaz
de prBoica e a retalho -por menos j>*co do qoe era outra qual-
(jrm parte.
Proprias para a qua-
resma
A saber:
Grs-de-napoles para todos os precos,
Cortes de excellente gorguro para ves-
tido com 48 e 19 covados,
Ditos de seda hvrada, boa fazenda e ba-
rata,
Moir-antique,
Ricas basquinas e tamben as mais sim-
ples e baratas,
ra do Queimado n. 31, loja de fazen-
das de A. M. Rolim & C, aonde tambem se
encontrar completo sortimento de fazendas
de Uda a especie.
ura apparador
fe marcineiro.
na ra do Hospicio n. 35, oftlcina
Para o carnaval
Na ra do Crespo n. 6 tem para vender velludo
de diversas cores, muito proprio para roupa de
qualquer qualidade, e um grande sortimento de
plumas, que tud se vende por haratissimo preco.
Vende-se quatro erioulas de 18, 20. 26 30
annos, vindas do matto e nma cabra de 30 annos 1 Costa; & Ribo, na ra da Madre
eom baMidades : na ra -lo Pago n. 9. barr* gjwtfes.
VeBdft-te no armazem de Vicente Ferrara da
Te Dos o. 22, om
Tintura japoneza
Instantnea para tingir os cabellos e a
barba, a 4 000 o frasco.
E' a nica approvada e recommendada
por4er ido reconhcida euporior a todas
16 unturas d'ette genero.
A venda em casa de Gustavo Ilervelin n.
tti.raaa Cfdoto. U._____________
Rap Pano Cordeiro.
YfiBde-56 ran. Paule Cord^in *f< via-
(^D, em latas, meie grosso e vinagrmho,
no deposito cajgo de, Jqq franjj^x 4a
Suva Kovaes, ra, Oa Yiganp n. i 1. Fajhee
vantagens a quem eonprar poeeio, e traca-
se o rap que a sahir ae agrado dos con-
sumidores.
Vende-se
Duas pias de marmore muito fin;is, cora florea
em relevo, que podem servir para igreja, ou para
casas iiarticulares, vende-se por preco muito com-
modo: na Nova, eserptorio de Qumteiro A
Agr, n. 63.
toja das seis portas en fonte
do Livraieili.
IVras de bretaoha tle linho com S varas,, pa1-
10 para camisas a saias do senhora, pelo bara-
fracasacteidead. Cbrwioswi.ruadaCem-
mcrcio n. i, eocantra-ae effectivamente todas
asguaJidades de viahe Bitfdeaax, Bourugae* do
Mo
|iieo prey de tOj peca.
Rap GassaTaulo
Cordeiro
armazem de Jos JoatpnLima Bairo, a
ra da Cruz n. 18, tem cona|&aBiente suprimen-
a de rap Gasse grosso e fino, e Paulo wnWao
r^,,i, ido; nao precisa fazer apologa a
ella j de mais
coiihecida, assim con o lagar pronrip de su
'venda.

/


Diario de Pernambuco Quarta feira 27 de Janeiro de 1869.
*
-----------------
I)
Grande liquida(&o de miulezas I
Alfonso Moreira Temporal, quereado liquidar as miqdezas existentes em sua
loja roa do Queimado n. 55, resolvcu annunciar as mesnas nnudezas para que o pu-
blico se certifique do diminuto pwco porque as est vende ido, a saber:
Massoj com grainpus 2a a
l'ecas de tranca lisa e caracol a
Sabonetes de todos os precos a
80 160 200 e.....
Abolladuras para Rolletes a
ItotSesde loiafapara camisas, a
< larrafas d'agua Florida (verda-
dera) a.....
Fraseos com agua de Colonia a
32 e. .......
Garrafa de tinta roxa a. .
Caixas com 00 enveloppes a.
Mantas de seda para homem a
Pita de saria para enfeite de
vestidos por......
Frascos com oleo para cabello
a 400e.......
La para bordar, libra. . .
Escovas finas para cliapo a .
Hitas para cabello a 320 e. .
Ditas muito finas para falos
por proco nunca visto 400
300 e........
Peras de babadose entre meios
600 800 e .....
bravatas de seda de cor a .
hitas pretas a 400 o -. .
Biro e renda das ilbas a todo
preco. S a vista faz f .
Pecas de fila de coz com 10 va-
ras a
20
210
320
100
lcoo
400
800
500
800
600
600
65800
320
500
600
14006
320
5O0
Latas com gr?xa,doziaa 480
Coques muito I tons com rede s
a rede val...... 40800
Meias para hoinens boa fazenda
a 30600 e...... 40000
Linha de man: a, caixa com 16
novellos ,...... 240
Latas com banla (familiia), duzia 2?>200
Frascos com tanha a 320 400 e 500
Botes para pnnho fazenda boa
a 80 e 100
Volta de Aljo re cousa boa a 160
Fitas para delirara de vestido a 500
Caixa com agulba franceza. a 160
Rolcsdeacofara colele dnzia a 120
Cartao cora al metes a 100
Caixa cora perfumaras muito
fina. S a iaxa val 400000
420000 ....... 15r>000
Copo com opita muito fino a
400 e....... aoo
Meias muito fhaspara senhora
duzia. ..... 60000
Carlas francezsis a 200 e 240
Ditas portuguezas a 120 e 200
Caixa de linha do gaz branca 50
novellos.......
Frasco com t.nta a 100 e .
Franja de la pira sapato (peca)
500 Papel de peso muito bom .
Sapatos de tranca e oulros muitos artigos, que enfadonho seria mencionar.
RA DO QUEIMADO N. 55
600
106
1^000
40000
A ** ClMAttf
A aguia iranca tem-sc forte tao conhecida <
^rediada, neo s pelas novidades, variedades, su-
i riDiidade e abundancia de seu surlmcnto, corno
irla constante commodidadc de seus precos, e raes-
mo pelo seu essaz c nunca olvidado agrado e since-
ridade.
BHta verfiados iucontestiveis sao sem duvida
. preciadas pelo bello se em particular, e pelo
i espeta velpcblica en gerai, e a-tanto ten cliegadi
<]ue esto quasi pausando como amicxim ou pro-
verbio, quando te vi um objsr.to de elefanca,
roste, novidnde, etc., etc., drz-se Jogoaquelle ob-
jecto scnt d'".ida foi comprado na loja d'aguia
l'iiiuca.
Quando no club, nos bailes, ou no sallo do
Santa Isabel, una exreientssima se aprsenla
irarbosamente-rajando, trazendo o moderno cinto
de mui larga lita, lisa, cliamalotalia, ou escoseeza,
Jt suas admira loras dizem eomsigo aquella lita
ro comprada na loja d'aguia branca.
Quando ontrr. oxcellentissioia, nao menos par-
h >sa, mostri o rigor de seu bom gosto na acertada
M-iMlia dos eneites de alta novidade que beha-
im'iit ornara seu vestido, aiuda mesmo as rivaes
I nan da loja d'aguia branca.
Quaulo n'outra excelleotssirua, apezar da sin-
M'lleza de seu parle agradavel, se veui as bonitas
(uvasde pellica duqueza as suasbellas ami-
bas louvam-lhe o gesto e confessam queaquellas
tovas furam da loja d'aguia branca.
Quando mesmo ditas excelleiissimas, antigs
;onig?/de#ollegio, se res, depois dos cuiuprimentos de reciprocos baijos,
; nibas por torea de sua elevada delicadeza, gabam
urna a outra os agradaveis c-Ueiros de que usam
em seus unos 1er eos, e cada una das quaes orgu-
lhosaspelo elogie "do acert de sua esculla, e como
que querendo por si niesnia justificar dizem simul-
tneamente v-rdade que este cacho foi compra-
do na Inja d'aguia branca.
Anda mais.
Quando hontein os pais allictos sentiam o rigor
da dentigio de S4-u cliaro ilbinho, e Imje alegres e
satisfeitos pelo leliz restabeteciiucnto recelieui as
visitas dos seus nielhor amigos, dizem aquelles
estes, foiDeu? que me inspoupma que comiiras-
se, como compei, umdesses virtuosos collares
lliiyfi'. que se vendom na loja d'.tguia branca.
Aleiu do niitilo Miis que anda
| fall dlzer.
Quando.an un circulo de circumspectos carac-
teres se discutir.iveracidade de taesdizeres, appa-
rocer um outro inie queira anda'levemente nter-
romper a discussao, os primeiros por momento es-
qoecerao a circumspeccao e lhes darao um gra-
cioso debiqne diz mdo-lbesj sanemos que V,
um da(|uellas quo inclina o cliapo de sol ou mereca ser designado pela aguia ranea da ra
do flta lauli as cousa *|uc por
ninas capaui as outras.
Jia esqueeenlo a aguia branca, mas em tempo
lembron-se pare noticiar, que recebeu urna pe-
quea quantidad) de enfeits para coques e grtm-
pos para ditos, tudo feito de metal eom lindos e
agradaveis coloridos, obras estas pela nineira vez
apparocidas, c p Tambem chegaran novamente delicados enfeites
e flores ornadas le aljofares e vidrilhos, tanto de
pallia para coqi es como para vestidos, e tudo
contina a merec r a apreciaeio das exeatlentissi-
mas conbeeedora: dobom.
A
Loja do Pavao.
GRGUROES FAftA VESTIDOS A I jOOO^
0 COVADO.
Chegaram os mais modernos urpuroes
para vestidos, sendo de todas as cures, como
sejam verde, azul, rosa, bisuiark, jierola,
rxo && tendo quasi quatro palnuis de lar-
gura e vende-se |iolo baratissiiuo ireco
de 1;?000, cadacovado nHcamcnte no ar-
mazem de Flix Fereira da Sirva, na ra da
linperaliiz n. 60.
BniNS PARA CALCA NA I.0JA DO PA\ O.
Vende-se 03 mais modernos e melliores
brins de linliode todas as cores, outros cora
listas do lado, gaianndo-se seiiu de linho
puro e vende-se por piceos muito em ton-
ta no amasen de Flix Peretei da Silva,
ra da Imporalri tu 60.
Peciuncha km \Lr, A PECA NA I.OiA no PAVO.
Vende-se superiores pecas de algodaosi-
nho com 20 jardas a 54300 a peca, gran-
de pecliincha, na ra da Imperad iz n. 60
annazem de Flix l'cieia da Silva.
AS DEZ MIL VAHAS DE (1\.MBH.\L\S FRAN-
Grande liquidaco j
O propiii taiio d'antiga e bem conhecida
loja de nudzas denominada Beija Fln
ra do Qaeimado n. 63, querendo acabar
A Nova Esperanca' iua do Queimadu-C0111 ? sortimontode miudezas que existe.
A NOVA ESPERAIICA
1 =r=Ruu do Queimado = 21
h para presentes
ii. 21 tem um variado sortiraento de objec-
los de gusto e phautasia propvios para pre-
sentes, sobresaliiudo entre elles ricas caixi-
ulias de bano com linas perfumaras, eos-
lureroa de chagrn, agullieiros de madre
[erola : assim, pois, quemquizer fazerun}
linda ollera, dirigir-se Nova Esperauca,
iua do Queimado n. 21.
Para baptisados
A Nova esperanca ra do Queimado n
21, tem ricos vestuarios propries para bap-
lisados, sapatinbos, meias de sed,a e fio da
Ksc.issia para o mesmo lim.
Col/ares anodinos cllectro-nagneti-
cos contra as convulgdea das
vreancas.
Nao resta a menor duvida, de rttte muito
collares se'vendem por ahi intitulados os
verdade-os de Royer, e eis porqbe muitos
pais de familias n5o creen (comprando-os)
noeffeito promettklo.o que s pidem dar,
os verdadeiros ; a Nova Esperama, porm
CEZASS().\A LOJA DO PAVA0A60 que detesta a falsificafo principalmente ni
RS. O METRO. que respeita ao bem estar da humanidade
Vende-se linissimas cambraias francezas
cora os mais delicados padroes. tanto im-
doscomo grados, e com as cores mais no-
vas que tem vindo no mercado pelo bara-
que 7 metros dao um vestido para qual-
quer senhora, e que em outra qualquer loja
nao se encontrar a mesma fazenda por
igual proco, e sim s na loja o annazem do
Pavo, ra da linperatriz n. 60 de Fulix
Pereira da Silva.
Cassasiuglezas a 1IO rs o metro
Vende-se urna grande porcao de bonitas; nmmifPQ flW Olkqdas
ssas inalezas tonto raudas como miudi- Ah (UlldllTO U fez ,uma eocommenda directa dcstt s collares
e garante aos pais de familias, que s3f os
verdadeiros de Royer, que a tantas crean-
fas tem salvado do teir! incottimodo de
tissimopreco de560rs. o metro; garaidmdo convulcoe.s, assijn pois preciso, que ve
nham a Nova Esperanca a ra do Queimado
21 compraren! o salva vida,
n. 2t compraren o salva vida, iara seus
illiinhos, antes que estes sejam ; commetti-
dos do tefrivel mal, quando entilo sera di-
iricil alcaacar-se o effeito desejade, enibora
sejam empregados os veitladeiros collares
de Rover.
cassas inglezas tanto graudu
tilias e de cores lixas pelo barato preco de
110 rs. oinetro,garentindo-se que 7 metros,
dao um vestido para qualquer Sra. s na
loja do Pavo ra da Imperalriz n. 60 de
Flix Pereira da Silva.
RETALHOS PARA LUTO NA LOJA DO
PAVO.
Vende-se urna grande quantiilade de re-
talhos de chitas e cassas pretas por preco
muito barato, e quanto maior for a poi cao
que o fregu comprar, mais barato se Ihe
vender na ruada imperalriz n. 60 de F-
lix Pereira da Silva.
Poli de fhevrc a I OOOo co vaI i
Vende-se-poil de r.hvie muito largo comj
as melbores e mais modernas cores pelo i agua divina,
barato preco de 14000 o covado, na loja e
armazem do Pavao, ra da Imperalriz n. 60
de Flix Pereira da Silva.
Vende-se una evrava de meta dad* u.
cusinha e engoiuma : na ra da (-idi u n. 10.
16(>
sa
. 800
500
aeo
14200
Conmodas boleas proprias para os caca-
doies, vende-se i ra do Queimdo n. 21,
loja da Nova Esperanca.
Preparo para florles
A Nova Esperanca, ra do Queimado
n. 21, tem um completo sortimei;tode pie-
paros para Mores, como seja papel r. ara foas.
ilito para petlas, clice, botes, folhas de
panno e todos os mais preparas] para, for
mar-sc um ramo ou gciualda, com gosto e
derfeicao.
Agua divina
A Nova Esperanca a ra do Qilieimadon.
21 recebeu nova remessa de verdadeira
Illuminaco.
Duaite Pereira & C, tendo recebido pelo
ultimo vapor grande e variado snrtimento
de balos de papel de diversas qualidades.
e do mais moderno gosto, proprios para
illuminaco tanto da cidade como do
campo, assim o fazem constar a seus nune-
rozos frejuezes e ao respeitavei publico,
afim de que com tempo se previnam, visto
como atiento aos ltimos successos da guer-
ra se espera a cada momento a fausta no-
ticia de sua coucluso. A lihuninaco em
bales dispendiosa possivel, osanuunciantes ven- .
dem-os por precos .mui razoaveis, i Al*'- |Ml1
noticias da coucluso).
Vende-se urna taberna sita no Itaino de S.
Jos, pro|iria para principiante : a tratar na riui
Imperial n. 3b.
Vende-se urna aruacode ainardio envernC
saila em boui estado, propria para >;<.ialqucr cas:t
de negocio: a tratar na ra do Vipa'rio n. 21 prj-
meiro andar.
Para extinguir as sardas e
panno
Receban a Nova Esperanca, i ra do
Queimado ti. 21, leite de rosad, especial
para extinguir sardas e pannos.
Para alvejar e conservar os dtnites, rece
beua Nova Esperanca, ma do Queimado
. 21, o verdadeiro poz de rosas e o elixir
dentfrico e o dentalgico.
'I'
de ebegar os sabonejtes de
alcatrao.
Deposilo, lwtica do Pinto, junto aol quaitel de
ilicia.
to ac q
pi:\* is iib:
VXRA
Vende-se em casa de ChakicaRabello,
ra da Cadeia do Recifen. 7.
tem deliberado proceder a urna completa li-
quidaco, para o que chama a attencio de te-
dos.
Os oujectos serao vendidos por melado de
seu valor, epara que o publico, nao suppo-
nha.que o presente annuncio urna illuso.
oproiiriiitarioda dita loja, offerece urna pe-'
quera lista de algunasraiudezes, com os seus
(liminiflos i procoscono abaixo se vera;
ttto apivs.'iitando una lista completa de to-
dos os olijectosque esto expostos a venda,
pela razio de se tornar um annuncio muito
extenso e por consequencia de enfadonha lei-
tura, por isso apenas lemita-se as segundes:
1 Duzia de miadas de linha para
fazer croch.
1 Caixa de linha com 50 novellos
1 Dita 50 t
1 Dita t 10
1 Duzia linha de carriteis de
100 jardas
1 Dita de
200 jardas.
Fita de la para debrum de todas
as cores, a peca.
Dita branca
Dita *
Peca de lita de linho com 10 varas,
e qeuserve para eos.
Dita cs
Pentes voltiados para menina e se-
nhora.
Ditos muitos finos.
Ditos preto com chapa.
Ditos lirai icos
Ditos pretos.
Ditos brancos finos.
Eseovas para dentes a 160, 240 e
Ditas para cabellos.
Ditas muito finas.
Ditas para roupa.
Ditas dila de dita.
Pentes de coque com fita a 14500,
24000 e -
Pentes para coques 1450, 24500
34000 e
Pera de franja paratoalha a peca
com 14 varas.
Entremeios bordados a peca 600
Tinteiros de porcelana 14500 24
Balaios para meninas de escolla
bonito desenlio 800, 1, 14500
Peca de fita de seda para enfei-
tes de vestidos.
Fita de sarja de todas as cores.
Grvalas pretas a 320 e
Ditas de cores.
Sapatos de tranca e tapete.
Garrafa de agua Florida verda-
ira
deFrasco com extracto em sapati-
os.
nliDitos com leos.
Dito agua de Colonia, piquenos.
Dito, dito de dito de fiever.
Ditos com banha.
Ditos com tnico..
Ditos com oleo filocome.
Ditos com extracto e banha.
Ditos com extractos diversos
Pao de pomada.
Ditos pequeos de pomada.
Capetlas para noivas muito finas.
Sabonetes, 120, 320 e
Dilos transparentes de bolla 500,
Redes para cabeca
Bandeja 900 a
Duzia de botes de seda para en-
feites de vestido
Porceira de contas.
Vende-se a taberna n. 1-Vda ra
res, bem surtida dos gneros de estiva]
dos Copia-
e algunsda
- Vende-se una casa torea, com bastantes ,err*>.,udom P0" mon,a em bem ponto de
eommodos, sita na ra da Estaco, na powaco dos negocio a tratar na mesnaa.
Montes, em VJtia, junto a eslacao da estrada de Veade-se umaescrava, cronla,|de 30 aum-s
ferro : a tratar nesta cidade rom VirgrHo de Castro de idade, que lava e eosinha, e que
Olivera, travessada ma do Vigario.
! deira: a tratar na ra do Pilar n. 62.
Ma quitau-
260
120
900
500
300
500
400
320
220
400
360
280
900
320
500
24500
44000
24600
700
24500
24000
14000
14100
500
500
145O0
1(5000
400
.400
500
1,5000
500
14000
14000
14000
500
500
80
34400
500
14000
,300
14800
ESCRAVflS FGIDO?.
200$ 100$ de graliliratfft.
Gratifica-.;c, segundo a distancia, a quin p*gar-
c levar a sea senhor o Di Virjino Canwirn da
Cuiba e Albiiquerque. morador no eirjreaho O.
cordir da freguezia da Luz, o e cravo Jea^oim di-
Sant'Anna, preto de idade dei anuos, bif.al, mt-
n ua regular, mrm um pouco etpadtwdo < lar
olos pequeos, vives e um pasca loafp,.d
perfeites, alvos- limados, rabee.i peque ua, pe>
maos iciriilaies.dis|n erto para qnafnmrr
servieo, falta vagarosa e growa ou clieia, andar em
pouc canpiieiro. deve ler marea na pernap -
eoMadaaospi deferr que levou. Foi compra*-
ao Sr. liarlo de Nazaret e este coniprou-o. ao Sr
Jos.- Mipuil (Allemo) que o troiixe do Rkt-Craiirff
do .Norte e ani o compran ao Sr. capilao Predcrir,
morador na villa do Pan de ferro, e o en p,i
apilan Fernaadn coinprou-o ao Sr. Maoocl Tl-
maz da Silxa morador na villa de Porta AWvv
sendo o referido eacravonatural dolng daprvvi-
cia da Parahyba,pertenceu e viajou pnncipmwHtc
os sertes de Ingazeira n l'aje (ende tem fa:-
senhores mocos por mu Marcelino e Caimito.
Serra Tal bada, cidade de Souza. Seria do Martin"
etc. etc., assim tambem |irevine-sea quem apre-
hender o referido eseravo que snudo no centro da
provincia da Parahyba oentrepue ao Dr. Jos Pan-
lini de Figueiredo na cidade de Souza, ou ao ca-
pillo .loa.mu Saldanlia, na fazenda Mnliipn na
riacho de Porcos, no caso de nao querer traa* o
sen referido senhor.
No dia JO do mez de novembro pru^mo pas-
sado, fugio do engenho S. Jos, do termo de Sen-
nbaem, aescravadenomeliencdicta, mulata, ti n
ii annos de dade, caa bexigo^a, altura regular,
cabello cortado e denti's pcVIres, fin escrava de Jee
de Burros Araujo, rendeiio do engenho Mamuju.
levou um roupao de chita clara ja velbo, e um pan-
no da Costa novo : quem a pegar leve-a ao dih>
engenho, ou m Sr. Manuel Arres ferre'r.'i A i..
Basta praca. que ser generosamente rccompcB-
sado.
Fugio do engenho Soledade, na comarca de
Purto-Cdvo. provincia das Alagoas. o eseravo F-
linpe, cabra, cabellos carapilbos, de 2i anuas d>
iaade, pouco mais ou menos, poma harlia, pspa-
quenos. nariz regular, olhos grandes, lientos nm
pinico limados e com falta da um na frente, andar
ligeiro, cujo eseravo foi comprailo ao Exm. barai'
de Nazareth : pede-se s autoridades Dolientes c
ca|iitaes de campo a apprrhensn. do meum, t le-
vadlo ao seu senhor no referido engenho, ou nac
dade do Reeife ao Sr. Joaquim Rodrigues Tavares
de Mello, largo do Carpo-Santo n. 17,1 andar, mi*
ser generosamente reeompeneada
IOOjOOO (le gtSkicTH^
Acha-se fgido desde o dia 4 de jnnho de 1WM'
um mulatiuho calmelo de nome Jos, de 13 a IK
annos de idade, veio do Bonito em Janeiro de I8PP
e foi vendido nesla cidade por Amonio Jos dt-
Mello, negociante daquclle lugar, ao Sr. Fernando
Jos Correa, com loja na ra Direta desla eidat,
pede-se as animidades, quer daqui. quer de Kra
que o aprebendam e o enlreguem a seu senhot.
na ra Nova desta cidade no segundo andar i
casa n, 50 que ser gratificado.________
Fugio no dia 10 do- crrante mez, do enge-
nho Quiliba, fregnezia de Seriubaem, o NTMMi
Benedicto, crioulo, idade 30 e tantos annos, baila,
fei(;oes miudas, pera e bigode. dente quebrado na
frente, bem fallante e ladino, moneado em um ca-
vallo com cangalha, com os signaos segunti-s
alasao, bem feito, est gordo, nao tem estrella na
testa, nem calcado. Foi comprado ha poucos
raezes ao Exm. Sr. bario de Nazareth.
Qnem o apprehender e entregar nasa praca *<
Dr. Jlo da Silva Ramos, ou a Gabriel Antonia oV
Castro Quintaes, na travesea do Queimado n. :.,
e no referido engenho Quiliba seu senhor Pr
Jos Eugenio da Silva Ramos, ser generosamente
recompensado.
240
800
HARPA
de segunda mao : venda em casa do Sr. Vigner,
ruado Imperador.
Fugio do sitio da Sapucaia, em Beberiba, a
18 do crrante, o eseravo Saturnino, mulato fa$},
cabellos vennelhos, sem barba, estatura meno" pie
regular, fornido, representa 30 annos. c natural t.
sertao, mas j est em Beberibe ha muitos annor .
carreiro- e consla ler relaeoes no hairro do Re-
eife : recommenda-sc portante s autoridad
competentes e pessoas do offlcio, de o caplurarein
e levarem a seu senhor em dito sitio, que reetne-
pensar convenientemente.
Vende-se
um cofre de Ierro, grande e bem fornido : a t atar
na ra da Cruz n. 23, ! andar.
No dia ti do crrante desappareceu de cas
o cabrinha de nome Adao, idade Pz annos,- ma
que representa menos, levou vestido calca e Ja-
queta de algodao riscado de azul, sendo a jaqueta
cosida calca, que aberta e fexada na fran'.c
por botfies.' Nos primeiros dias depois da sahkla
desasa, foi-a encontrado em Apipucos, Casa Forte,
establo dos -ilbos, na ra da Esperanca ; mui-
to esperto e conversador : quem a pegar e levar a
ra ca Imperalriz n. 9, segundo andar, ser De*,
gratificado. Suppoe-se que esteja rcrolbido em >l-
guma casa a servir, pelo que protesta-se contra
quem o tiver.
LISTA GERAL
DOS PREMIOS DA PARTE DA LOTERA CONCEDIDA POR LEI PROVINCIAL N. 472, A BENEFICIi) DA IGRE/A DE N. SENHORA DO TERCO DO REOTE, EXTRAHIDA EM 26 DE JANEIRO DE 1869.


s

I
LITTERATRA.
Instituto Archeologico e Ge^gra-
phico Pernamlmcano.
i
O M>1 domando hojo rom sous raios as
: idas dos montes Guararapes, revela n
npa de (ne a uatuream so revesto, para
asistir como conviva ao*festim da liber-
dade.
Essa figura d k tras na fron-
o brillio ila jnvpi i, tem na
n. i > dire.ila o lbaro o, e na
esquerda um ealix cheio dnmais precioso
i: tar.
a un hymno de saudaeao sua ir-
fi.ii, a religao, e fmda ergaeinlo un brin-
de mandado.
Mis a linguagem mystlea de im* se serve
a Bberdade para commeinovar o duplo
t amplio, que o dia 27 de Janeiro, lembra
ao-, Glhos de Pernambuoo.
Dous scalos ho decortido e a admira-
no do mundo# pelos lieres, que suecum-
I ti Q nossa lucia, em que enipenlion-se a
! neniado e o altar, nao tem diminuido.
F." que os seculos em son perpasssar
c ;:.4ituem um dogma da Imnienagein que
o.i povos rendem aos seus libertadores.
Os hroes d'cssa lucia homrica com a po-
derosa Ilollanda, adormecidos em seus leitos
de pc.dra, sem urna cruz,sera urna inscripcao,
pireciam resentireni-e por terein os seus
candentes quasi esque.-ido que pos-
mi una patril livre e que a primeira
i-'dra do alicerce sobro o qual erigio-se
flvpois o edificio das liberdades brasileiras
f':ra asseotada por ellos; que em sua he-
i lombe gloriosa deram o maior exemplo
to civismo, que produzio as memorandas
datas de 178!). 1817 e 18-22.
A litimnidade em sen eaminhar iueessan-
te.em busca do verdadeiro progresso, vai
o .'ixando em seu caminbo victimas Ilustres
( sempre a reprodcelo de grandes com-
Aumentos, de grandes sacrificios por urna
idea.
F.' que.o patriotismo, como rocliedo de
i| i-' nos fallam as sagradas leudas, so
aguarda o apparecimenlo de algum Moyss
da idea para feri-lo.
II
Pernambuco, que em urna historia sua,
i as paginas dan testemuflho dos mais su-
i mu. s rasgos-fe herosmo, nao devia adiar
para mais tarde u pagamento do urna divi-
da to sagrada, como a que contraliira com
seus libertadores.
Era lempo de honrar a memoria de seus
hroes, proclamando seus feitos, (azoado
sentir as geraros por vir, que aquellos
que tomram parto na cruzada sania que
.s>! le\antou contra o Hollandez s liverain
por guia a cruz o por cousclheiro a liber-
dade.
Fia lempo do espancar por urna vez as
t ovas, que pareoiam envolver-nos.
Constituido o Instituto, soutiram seus
i lembros necessidade de emprehender
um trabalho que servisse para assigna-
lar o primeiro periodo de sua existencia,
( no iiistituiro de tao largos horisontes.
V sua commissao de trabalhos histricos e
archiologieos incumbi a veriicaco da casa
que a tradicio apontava como a daresiden-
(i c fallecimento de Joo Fernandos Vieira,
r>a ra de S. Rento da cidade de Olinda.
Pode aquella commissao depois de afano-
so Irabalhb c aecuzadas pesquisas, certifi-
car ao Instituto em sessao de 29 de selcm-
116 fie flW do que Joo Fernandes Vieira
idira e fallecer na casa a cima mencio-
i.ada, assim como igualmente verificou, que
.. sepll Una que a tradirao designara como a
d;ste hroe era. a da familia Paos Nrrelo.
Desteta to importante duvida, deliberou
o Instituto, que se collocasse urna lapida
commemorativa na frente dessa casa que
.. rvira de residencia c recebera o ultimo
suspiro, daquellc grande hroe.
Aos 12 de agosto de 18153, foi coIlucauV
a lapida, com assestencia da commiss> Jo
i>tituto.
A Europa j nos havia dado r exempi0
Napoleo III apenas inslal^ad n0 posto
, Imperador dos FrancuroSm5adoii assig_
i.alar com i.ma lapa'-1 coininemorativa a
. asa, emque trwr 0 "ber(.0 0 ncroe de Aus_
x i lilz: esse gerl0 eminentemente guerreiro,
ctijo nomo 'jS secuios tomados de admira-
! 5-a> .ido de repetir sempre. Assim tam-
! ;'ni praticou o Instituto, como chefe das
falanges pernambucanas, em lucta com as
cohortes hollandezas.
Ainda nao havia o Instituto assignalado a
casa de residencia^ fatlecimento de Vieira,
qaaodo foi supprida a -idea de ser igual-
mente assignalado o lugar em que existir o
arco do Sr. Bom Jess das Portas, demoli-
do em 1850,emcumplimento da lei provin-
cial n. 252, de 4 de maio desse anno.
Esse arco to commemorado pela historia,
i.ao s por ter sido porla e limite desta ci-
dade pelo lado do norte, como tambem pe-
las fortilicacoes que ao lado d'elle existiram;
foi eflectivamente assignalado com urna la-
pida de pedia marmore, em 31 de agosto
de 1860. Nao para aqui o ardor patritico
do Instituto.
Diversas eram as versos que corran
acerca do forte de S. Jorge.
Escrtpores de nota divergam sobre
IIM
mm
Diario de Pernambuco Qu aria fe ira Z1 de Janeiro de tt69.

ni
forlill-
de 18(17 au-
rmedio de sua incan-
trabalhos
pie o lugar em
ra o forte de S. Jorge 6
lugai
O Instituto
En
llieul
; o tlu-<
precisamente wjnele emq hojeedi-
i Pilai'.
A ba: do Instituto a
provisn do gitvejnador de Peraambuco
> de Suu/a, de 2;i de fovereiro de
ICSi. passada i ni favor do padroeiro e fun-
dador ilaquelli groja Joo do llego Barros.
Foi ne! a Termopyla brasileira
na pliraselle un notavl escriptor portu-
guez. onde se den a facanlia quasi incrivl
do mu puiiliado de liomens tendo por arti-
Ihciia Iros [icias de forro montadas sobre
travos, resistuein a uro oxercito aguerrido
de mais de m slro mil combatcntes, desde
27 de feverciro a *i de marco de 1830.
Nes.-e feito assombroso Vieira escreveu
com*a pona tle seu gladio a .pagina mais
brilianle do sea vda.r fifyfl
A historia eivada de erros, dava lugar a
que se duvidasse dos verdadeiros prodigios,
que o patiioli.uio tem operado nesta por-
fo do mundo de Colombo.
A idea da crear*) de urna sociedade,
que se eonstiti sse o archivo da grande co-
lija de documentos que ja/.iam esparsos e
mantenedora dis tradices gloriosas de Per-
uanibuco, nao tardo em ser realisada.
Todas leconieciam a necessidade da fun-
darlo de urna associaco vizando um fim
seielhante. |o m como orgue-lr e faze-la
attingir mn grao elevado de prosperidade,
sem ter ogovirno a iniciativa?
Eis, o qoe lerguntaram aquellos que,
baldos desse sentimento que sublima o lio-
mem. p que si chama patriotismo, e duvi-
davam da forra ingente do amor da patria.
Sobro o tmulo de nossos hroes existia
atirada pelo pausado nina lava ao presente.
O presente *orrespohdeu nobremente a
proviicaco do i.assado.
A luva loi oiguida por homens eminen-
temente patriotas. espiritOS elevados, cora-
coes generosos que guiados pelo lio que
couduz do passido ao presente, incetavara
una deflicl, porin gloriosa viagem as re-
gios do passado.
Alil, omle ludo era trova, despreso, n-
gratidao. p-uei 'ou reverberante a luz da
verdade.
Esses pouco; homens qaecreram na idea
e contiarain en seus proprios recursos,
quaes foram e que fizeram em prol das
glorias de ivrnambuco ?
Digamo-lo bem alto, para que a posteri-
dade se incuml :i de glorifica-las, esses Jio-
mens forainns Sis. Drs.Joaquim Pires Ma-
chado Poilella. Jos Soaros de Azevedo,
Antonio Welruvio Pinto Bandeira o Accioly
de Vasconcellos Antonio Rangel de Torres
Bandeira e o Sr. major Salvador Henrique
de Aibaquerque
Fundaram a 28 de Janeiro de 1862, a So-
ciedade Aivlieulogioa, que tomou o nome
symbolico it" In.-titulo Archeologico e Geo-
grapbico Peinan bucano.
III
Relevantissmos temsido os serviros pres-
tados a provincia por esta associaco e em
maior escala prest-los-hia, se os poderes
pblicos olliassein para as glorias da patria
e levassem em tonta os estotros que tem
feito o Instituto.
Com dilliculd; des de outro genero tem
luctado esta corporacao como se depre-
hi-iiTli' do >eguiote trexo do relatorio da
commissao de trabalhw histricos, e arche-
ologicos. dando conta de sua bxcurae. ao
arraial novodoBxa Jesas*,
O Instituto odia ne nho ter j feito m lito ri3\s fo quo nao tem
feito: mas a conciencia de esforcos de
seus membrw *n5o tem !Sjo geralmente
tao dediea*1 ,, nrostimosa como cumpria
que fe
cdujbi
^^^^, t*-iii sido st lucientes para o cabal de-
sempenho de sua misso.
Todo.- os Pirnambucanos, que n'ellc se
cmpenliaram conquistaram um altar no co-
racao de cada Drasileiro.
Acabando o Instituto de verificar a ver-
dadera localisaro do forte de S. Jorge vol-
tou suas vistas iara outro ponto luminoso
da historia: convergi seus cuidados para
as ruinas, que se dizia serem da fortaleza
do antigo arraial do Boin Jess, canto das
operarnos do exercito restaurador.
Pode a coram ss3o de trbateos histri-
cas e archelogi "os descobrk preciosas re-
liquias dessa fonnidavel fortifteac^o, como se
ve do seguinte trecho de seu relatorio de
12 de agoslo de 1807.
Todos os seus vestigios, que o decor-
rer de duzentos e vinte um annos nao
tem podido apagar de todo, sao comoum
e os seus recursos alias favor-
celo corno legislativo da provincia
epitaphio gerogliphico, que atiesta a este
< presente de profunda indeferenca, que
liouve noutros lempos, e nesta mesma
torra, que pizunos, urna gcraco heroica
* de Poruamlmanos ; a qual animada, fide-
lidade do altar, do amor da trra natal
t e do ciume de sua liberdade, travou urna
lula titnica cantra a heresia lutherana,
.econtra o dominio batavo; e que esta
grarao pugnmdo pelo aliar e pela pa-
* tria, obrou prodigios de valor, e por fim
vencen, porqce toda a causa santa ejus-
tta vence semp'e, emljora pareja vencida.
FOLHETIM
CATHARIIA
pon
Jules Sandeau
rx
Projeetos.
(ContinuacSo don. 19)
Quando perdi minha m5i, sahira ha
p juco do berco. Cresc tristemente longe
da patria sem que um olhar de meu pai
acarfciasse a minha fronte, sem que me fos-
se dado ouvir dos seus labios urna phrase
affecluosa. Meu pai casou segunda vez e
para.a sua nova familia n5o fui mais do que
um dstranho. Achando-rae em liberdade
no meio d'estes campos, de que apenas con-
servara vaga recordac3o, penseique afina!
experimentava o goso da vida. Os meus
bracos ibriram-se emlouco arrebatamento,
mas nao achei mais do quo o vacuo, e a
bberdade que eu entrevira tao alegremente
servio apenas para me fazer sentir mais
amargamente a insulacao da minha raocida-
de. Foi ento que a encontrei, Catharina, no
momento em que chorava, e das lagrimas
quebroLi > ver renascer par mim urna primavera! Aos
seus primearos sorrisos pareceu-me que a
jaaturezinteira seson-ia para mim! 'essa
vez ti ve-a apenas como urna creanca, ad-
mirei-a como um composto de singelas gra-
cas-dos primeiros das da adolescencia ;
com tudo insen -ivelmeote a sua imagem
coraecou a animar-mu Fsolido ; sem que-
rer, reproduzia-e-me em todos os seres da
creacSo. D'ahi por diante os campos re-
velaram-me mysterios e encantos para mim
desxonhecidos. Nos momentos de medi-
taQo parecia-me ouvir o que o vento dizia
aos bosques, o Creusa s margens, a coto-
via aurora, o rouxinol noute Torna-
mos-nos a encor trar e logo este amor que
se agitava em mim pousou sobre o ente que
o despertara. Como poderia eu impedi-lo
d'isso ?... E aj:ora, que o vi manifestar-se
na sua bocea e que mua julgava faltar
miuha felicidadt, diz,-ffie quo parta para
sempre, falla df nos separamos Se
verdadeiro o seu amor, Calharina, diga-me;
como 6 que podi fallar-me assim ?
' =- Oh I meu amigo, se eu o n50 amo,
nio sci o que se a amar Cont a minha
vida pelos momentos decorridos desde que
o vi pela primeira vea. Nao aaja ent5o
juem era, nem ,J9>* ver,
at aqui a iniio destruidora de mais
5 nao conseguio aind apa-
gal tiieatro de pasadas
glorias, se a eachada do lavrador nao
de lodo desmanchar a forma
obra de torra; de'pre-
imir que em breves annos o tempo faga
desapparecer U'dos esses vestigios, como
o mesmo temp) j os tinha feito esque-
cidos, ao ponto de ser boje urna verda-
ifra descoberta essa especie de ossda
" da antiga fortaleza, que alli'fomos en-
itrar.
Verificada assim a lopographia do arraial
novo do Bom JeiUS, deliberou o Instituto
em 12 da novemt ro ultimo que se erigisso
all una columna de podra marmore o so-
bre ella urna cruz de ferro,
Esse monumento simples, porm verda-
dera expresso da gratido do Instituto
pelos hroes do passado, lembrar ao vian-
dante que descuidoso percorrer esses si-
tios que alli fra descutida de espada em pu-
nho a immensa these da restauracao de
IVruanibueo do dominio hollandez.
Que a torra, quetemsob os pos, recebe-
ra o sangue do muitos pernambucanos (Ilus-
tres que tombarara victimas do estremeci-
do amor que voliram a Deus, a patria e a
liberdade.
IV
Alm d'esses lugares j assignalados
muitas ha ainda por assignalar.
Alguns distantes desta capital demandam
viagens dispendiosas, que a exiguidade dos
recursos do Instituto nao I he permitte rea-
lisa-las.
Nos primeiros tempos da sua instaftico
manteve-se com os productos das contrvlmi-
roes niensii's de seus membros, que mal
chegava para o seu expediente. _*
Era-lhe impossivel dar comec a realisa-
cao do grandioso projecto da creaco de
urna estatua a cada mn dos quatro hroes
da restauracao, Vieira, Negreiros, Camaro
o Henrique Dias.
Forcoso era que os poderes pblicos
viessena ajuda-lo s realisar urna idea de
to patritico alcance, mas infelizmente
assim nao acontecen. O Instituto lutou e
lutou muito com a glacial iidifierenca da
representaco provincial.
A esforcos dos HustradosSrs. Di-s. Gena-
sio llodrigues Campello, Cicero Odom Peri-
grinoda Silva o Francisco de CarvalhoSoa-
res Brando, dignos mombro* do-Instituto,
comassento na assmbla, poderam ellos
obier a.-oncessao de urna lotera pola lei n.
537 de I i de maio de 1863.
Passaram-se dous annos^sem que o Ins-
tituto visse se extrahir urna i>arte ao menos
desta lotera.
Cansado de esperar, deliberou em sesso
do I." de abril ce 180.' que se requeresse
preferencia para a extraccao da 1.a parte
daquella lotera; o que couseguindo fezrc-
collier ao Novo Banco de Pemaihbuco o
seu rendimento hipiido na importancia de
l:02().->000, quanba que pela accumulaco
de juros acha-se elevada a 1:9O5:>320.
At agora nao tem podido o Instituto al-
cartrar a extraccao jiainual de urna parto de
sua lotera.
Em 1800 soliciten o Instituto do corpo
legislativo provincial, urna sobvenco pe-
cuniaria, para occorrer as indispensaveis.
desjtezas com a exploraco de lugares his-
tricos, a impresso de sna Revista, e a or
ganisaeo da secr(>taria e estabelecimento
de sua sede em lugar proprio.
Nao era possivcl continuar elle a funcio-
nar no salaoda biblioteca provincial.
Ell'ectivainento a assmbla concedeu-lhe
a exigua subvencode 1:2005000, pela lei
n. 605 de 31 de maio de 4806.
Ainda nao jiavia recebido o Instituto a
primeira subvenco.j o seu distmeto ex-
thesoureiro o Sr. De. Amaro de Albuquer-
que, tinha feito preparar adiantando as des-
pozas necessarias a sala contigua a biblio-
teca, em que actualmente celebra suas ses-
soes ordinarias ; decorando-a conveniente
mente.
Raiou ento urna aurora precursora de
acontecimentos notaveis na vida do Insti-
tuto.
A actividade se manifeslou logo e 1ra-
balhos serios emprehendeu o Instituto, os
quaes cima deixamos apuntados.
Publicaram-se diversos nmeros de fle-
>:st se um empregado que tivesse sobre sua
guarda o archivo e a biblioteca do Instituto,
que lizesse a escripturaco dos respectivos
livros, necessidade esta ha muito sentida e
lemhrada pelo secretario perpetuo em seu
relatorio de 1806.
Assimviveuo Instituto durante os tros
ltimos annos.
V-se que esta associaco, tendo tao
poucos fundos e despezas obrigatorias a sa-
tisfazos, nao pode emprehender cortos tra-
badlos, que demandam avultados dispen-
dios.
Para os indilfercrites nada ha denotavel
em sua vida de 7 annos, para aquelles que
sabein aquilatar as difliculdades que se an-
tolham a todas as sociedades l Iteraras nes-
ta trra de classico indiferentismo, o Ins-
tituto urna dessas associaces, cujo flores-
cimento torna notavel urna epocha.
Para complemento do despreso da assm-
bla proviveial pelo Instituto, recordemos
ainda um fado.
No anno findo a commissao de orcamen-
to da assmbla deixou-se tomar de um san-
e, todava, senti que a sua alma absorvera
a minha I A sua risonha imagem ficou li-
gada aos meus sentidos, seu nome ouvia-o
eu a todos os momentos echoar no cora-
co I... Ainda entD nao era mais do que
urna creanca. Ao ve-lo, elevou-se-ine a
alma, dilatou-se-me o espirito e compre-
hendi-me capaz de alegra e soffrimento.
Encontrando-o de novo, deixei de perten-
cer a mim mesma. Espera-lo, ve-lo e con-
tinuar depois na espectativa do seu regres-
so, era toda a minha existencia. Nao exis-
tia seno em si, por si e para si, e, com
tudo, ambicionava cada vez mais amor, se
mais eu podera nutrir, para Ihe consagrar I
Diga-me, pois: se isto nao verdadeiro
amor, onde existir elle maior ?
Emquanto a peqaena fada assim failava,
Kogerio contemplara-a com expressSo de
indiziv:! ternura, e, ao ve-lo assim escu-
tando-.iem muda adoracSo, pareceria que
estava recolhendo urna, a urna, como pe-
rolas, no seu coracao, as palavras que ca-
hiam dos labios de t3o amavel creatina.
Entoredarguio elle tristemente
ama-me e reconhece que pode viver sem
mim?
N3o sei, respondeu Catharina
nao posso avahar at onde chegarSo as mi-
aas forcas. Talvez a verdura dos meus
to furor econmico tal, que pretenden ate
no marcar quota oa lei do oreamento vi-
gente, para pagamento da suhvenco vota-
da ao Instituto.
Ponderou-lhe um Ilustrado deputado,
que a subvenco votada fra por ei especial
e que perianto sem a revogaco dessa lei,
nao poda ter lugar a excluso da quota
para seu pagamento.
Reconheceu a commissao a procedencia
dessa reflexo, mas era tal o patritico pro-
lositii iie eeonomisar, que em lagar de
1:200-VJOO marcou quota para o pagamen-
to de 1:0005000.
0 Instituto j recebeu essa quantia e a-
guarda a reunio da assmbla para recla-
mar.
Ao passo que a assmbla, por urna mal
enlendidaeconomia, deixou de consignar no
oreamento verba para o pagamento inte-
gral da subvengo por lei especial concedi-
da-ao Instituto, votou OOiOOSOO para a
Companhia Pernamhucana de Navegai;o
Costeira, que alias estava muito bem aqui-
nhoada com 60:0006000.
Contra essa prodii/alidade da assemblc
muitos de seus membros exguerara-ae, e
com elles toda a imprensa da provincia.
Qucm dir que nao seja o Instituto urna
corporacao que mais do aue nenhuma Mi-
tra neressita da protecco ua provincia, de
cujo passado de immorredoura gloria, a
mantenedora ?
Entretanto, dizemo-lo com dor, a provin-
cia tem-se consei-vado indilferente pelo fu-
turo do Instituto, e portanto pelo de sua
gloria e renome.
Se rn.il tem procedido a assemWa pro-
vincial cora o Instituto, melhor procediinento
nao encontramos da parte da cmara dos
senhores deputados.
Em sessao de 21 de jpneirode 186*4 sob
proposta do incansavef 2; secretario db>Ins-
tituto, o Sr. major Salvador Heririqne- de
Albwpierque, deliberou wta corporaco^pie
se dirigisse um* representarn a assmbla
geral,solicitando delta iMWipromulgacao'de
urna lei, que dedarou- feriado e de festa aa-
cioaa para Pemanbuco o itta 27 de janea,
anniversario de saa iustallaKr do jugo hol-
landez.
Appiwada em sesso db- 14 de aferih
desse mesmo anuo a redacrao' da mansar
geni de iwe lora incumbido oauctor da i ieiai
resolveu o InstitutO'quefose*ellaremetti(fe
asen destino por intermedio- de seu illr*-
trado'Oradorde samlosissiinamemoria, qutt
ento brilhautementa' oecupav* una cadeina-
na cmara qnatrienaii por estai provincia.
Osabio eniambucano sentido -viberar-sc
'lie a fibra do patriotismo, sentio ao mesnuM
tempo a noressidado- de prestar dous ser-
wcos ao Instituto de qgem era- orador e ma
de seus sKstentacule*, e a pra.vintia que
Megera seu.represeatante.
De baldb procurvu o Sr. Dr. Attonio \*-
cente do NascimentoFeitosa, i&aan'e o tea*
po que se demorou naquella cmara obter,
que fosse discutida ^approvada a represett-
tacao que Sie-enviara o Institnt.
O soprgelido db.indifferentismo, con-
taminara coraco dos re pacentantes- do
jiaiz.
O Instituto ha o/antro anos*, que esgera
ver safisfito um de seus maiores anhe-
los.
Se compulsarme* pagina por pagina da
nossa historia, napoderemos encootrarum
feito dr> qual ressambre maior gloria e de
que se pssa ufauar mais o Brasil, deque
o dessa lucta que Pernambuco.abandonado
pela Metropole, entregue a seus proprios
recursos, sustentou por longos annos-con Ira
a aguerrida e {poderosa Ilollanda.
No proprio I de seterabro nao encontra-
mos maior somma de gloria.
Elle nao foi seno. urna consequencia:
demorada embora do 27 de jpneiro de-
1634.
Se os hroes, que denodadamente de-
clararan guerra ao atrevido Ilollandez, UV-
vessem cumprido as ordens emanadas da
corte de Lisboa para que entregassem Per-
nambuco ao brbaro invasor, se nao nos
houvesse dado o exemplo virgem de resistir
ao re para melhor servir ao rei; o Hollandez
sem encontraj bices sua marcha teria de
vastado provincia por provincia, o a impie-
dade lavraria por toda a parte.
O 7 de setembro talvez nao existisse!
A independencia viria finalmente, porque
a liberdade a safra dos'povos.
Porm quem sabe se a conquistaramos
por meio de urna revoluco quasi pacifica,
como a conquistamos ?
Seriamos livres, verdade, porm per-
deramos o que vale mais do que perdra e
liberdade, permanecer escravo; perderamos
a sublime perola engastada no diadema do
Christo, a religio do calvario.
E no entanto um dia que to gratas re-
cordaees lembra ao coraco brasileiro,
contina a passar desapercebido porque nao
approuve cmara dos deputados decreta-lo
feriado e de festa nacional.
Quando a representaco nacional procede
assim, esquecendo os monumentos de nossas
glorias, n3o admira, que se avancem em
relacao a esta provincia verdadeiras here-
sias histricas, como as que ha dous annos
teve occasiao de profligar o actual orador
do Instituto, avanzadas pelo auctor da His-
toria da Fundacao do Imperio e o de urna
memoria sobre a revoluco de 1824, lida no
Instituto Histrico do Brazil () !
Em ambos estes escriptos (que aparte
oros histricos sao de inconteslai'el mrito
Iliterario) observa-se que seus- auctores ti-
veram o intuito de amisquinhar Pernam-
buco.
Para os martyres das gloriosas revoluc es
de J8I7 e 1824, nem umapalavra de admi-
raco por tanto herosmo, por tanta abne-
gaco e amor da patria.
Parece quo a geraco actale a antthese
das de unirs eras, em que so irav.i
i", dissipar muito preconceitos, e prova-
r que a lei que hojo nos rege, na applica-
i.o das penas, d copioso quinh a indul-
gencia, o nao sacrifica no seu modo de pro-
ceder, o interesse da defeza ao interesse da
sociedadade.
Nao hesitarei era indicar a idea de me-
Ihoramento que por acaso me sugtra este
exame, persuadido de que, se n5nfr teme-
raria, ser favoravelmente acollada pelo mi-
nistro ennento que poda assegurar-lhe a
realisac3o.
Comparando a nossa legislacSo com a da
J Mgumte subhme tnndade Deus, patna e ^giaterra que se Ihe dirigem as niai-
ineraade. amargas censuras; tambem eu voa fazer a
Deixe.nos porem passar a epoclia dad- IQl.sma comparac5o.
gtntracao, o onhamos fe que o futuro bis- Deus me defcnda da j,,,^^ ^ ata,ar
talador vira depurar os actos oo crj-sol ^ : as instituicos daquelle grande povo, que
i mpa c.ahdade, e d elles fazer resaltar a eoncila t5 maravillK,samente.o amor e a
gloria que e de Pernambuco e que actual-
mente tanto se esforcam por obscurecer.
V.
Pas palavras mais sobre o anniversario
do Instituto Arclieologieo e Geographico Per-
namhucano e roncluiremos.
Heuni-se boje no salo da bibliotheca pu-
bbt-a provincial esta associaco para celebrar
pratica da liberdade com o respeitoj de saa
constitaico e do seu soberano ; qu* n&>
igoora, como dizia recen*eiaente o ministril-
americano, o Sr. Reverdy Johnson. na festa
dos cutileiros de Shellield1, (pie a sua fiber-
dade urna liberdade limitado pela lei; que;
como escreveu o mais illustne de seus His-
toriadores, une revoluco aos direitos-
prescriptos, o progresso esfabilidade, a
energa da mocidade mages*;>de de urna
antiguidade immemorial.
Nao me poten vedado indagar' se a sua
legjslarao superior nossa, c, pnioeipal-
nwute, so conven aos nossos eos turnes e
haT-ilos.
Ili urna difficuidude [seria na ccwpara-
co (jue emprehendemosv
A onssa legislarw simples, uniforme,
ac-'sswel a todos,
A Franca tem una'le nica desde oM>-
pes at a Mancha, dbsde o Rheno at Py-
raaeos. 9
A Franca substitu' o owtumes geiTs-
e lcaos d suas provincias, cidades, bur-
gos e parecidas, as oadnaors civil e ci i-
minaos de* seus res, ae* (letames de seu &
parlamento^-per cinco- codig que, em1
j cinco mil ariigos notavais por sua conci-
o 7", anniversario de sua fundacao, o o da
re. dez.
S o patriotismo dos membros do Insti-
tuto faria observar-se esse pheitomeno na
historia das associaces litterarias de Per-
Daqtbuov.
O Instituo reverencia a memoria dos be-
roes da restauracao, a eosteridade reve-
renriar dos que ergueram o Instituto.
Aquelles foram hroes pula espada, ates
serao- pida idat
Fecharemos o nosso ai-fijo com a se-
guintes palavras ungidas de patriotismo e
profea'das pelo preclaro e vensrando ando
que sabiamente preside aos destiaos-do lw-
tituto, na sesso. do anniversario do anro
lido:
t SenhoresA. installaco de-urna asso-
ciaco til iriconti'stwelmente um bene-
ficio publicte qpanto mais eltoperdura, ^KSJJrSCS toda-TsiiaTegTs-
mais patntela a, sua uftdade. (H anni- ^.^ cfv| ^^.^ ^^ e as suas
versarlos sao a ronsetpiencia necessaria da
continuiditde respectiva, pde-se dizer ma-
nilostaeo solonuie do-cultDprestadb a idea,
e ao Itemem um ou-muitos quo afonsce-
annos haja de hitar bastante com a morte...
Tenha compaixo de meu velho tio I Com
a sua ausencia nao enfrafluecer o meu
amor, que vivera comigo ate mi iha der-
radeira hora, em que o entfegarei a Deus
to vicoso e puro como o recebi I
Entao, Catharina, nao quer casar-se ?
Nao possivel, Rogerio !
Masdisse o mancebo, ajoelhando-
se-lhe aos ps se eu, tomando as suas
mos as minhas e aqui com a miuha vida
inteira suspensa de um olhar seu, Ihe disser
supplicante : Perante Deus e os homens
quer ser minha mulher ? Diga-roe : nao
acceitar ?
Sua mulher ? Oh meu Deus !
balbuciou a joven na maior affliccao.
Minha mulher ; sim, minha mulher!
repetio Rogerio, cobrindo de aparxonados
beijos as maos de Catharina.
Esta, como o arbusto que verga sob o
peso da chuva, inclinara a fronte sobre a
cabera do mancebo, mas de repeate, er-
guendo-se resoluta, exclamou :
Parta, parta t Para que fazer-me en-
trever urna felicidado para que n5o estou
destinada ? Deus testemunha de que
nunca pensei em tal, de que a minha am-
bicao nao me desvairra a esse ponto, e de
que, araaodo-o, nada exigir, nem mesmo
beram e sealizarami O-animo gasto nao
se lima ao reconheciaento interno das
inreos recbalas,, indicarse por todos os
modos que o entendimentb e o cor.jeao Ihe
suggeroa : o testemunho- da cons>*iencia
tem em si^candef valor: p*)rm nao basta;:
necessiSq* provas exteriotcs para bsipar
duvidas>quo a rf*alevolen';ta.e ama fe-cos-
tuma e*g\?iidrar. Insla:lou-se o instituto
Areheoligico e (ieographko Pernamurano
no dia de Janeiro de I8S2, por sea o dia
mais glorioso de Pernaabiico, o a de
sua restauraco-em 1654.()
Cqpfeafaimos portanto i duplicada obri-
gaco de conmmorar laa.e outro em-as-
semL)lt-a geral. Assim se- lia.cumpridb.
X solemnizada do aonivei'sario da res-
tauracao desta provincia nao deyeria cir-
cumssrever-se a este recinto: nossos avs
nos kaviam ensillado o taodo condigi com
que se celebraaa os prodigios. Elles n3o
regias de processo.
Tao admirareis codficaroes; qjie sao tal-
vez as mais aasembrosas syntbesa que o
t^fmilo humano jamis r-roduziot franquea
ea- a todos-qjuaatos as aerem consul-
tare- Cada qiad acha ahi o seuidlreito e
aprende os seos devores.
Nao to f;c de jMJiiet ^aase na- Hfgisla-
i;> (to Reino \jiwk>.
Vwia segundo as regic--; modifica-se.
cordorme se applitts na Inglaterra propria-
mcatedita, no pai* de all >*,- na-.Esaossia
ou na Irlanda.
Dr.iih'-so emi-i commum comnutn'ltiw/
e emtoi estatuaria (Matute toy.
omp6e-se a fci commum de -costtues
brctSJes, romaies, saxes, ditaamarqueies
e nonoandos. (tonapreliendo nao s- os
costoDaes geraes,-mas tamlemos costii-
me* particulares-a arrias partes do reino,
e at os que o usa introduzio emi certos-tri-
buoaes- e jurisdiegoes. Nunca, foi lei es-
cripia ; porque , acha-se catoda a* par-
te e- nao existe e nenhuma. To uUfficil
de descubrir como as primeirss leis de Ro-
se linitavam a urna/estril theoria,. praj ,espera, para, surgir a lur,.a redacc!
i*.ir:uii. nnr:i nnp :t lien. > w>*si' man. i ora- __.,___ ,__" - i-. i.-.
carain para que a-Nco fosse mais- dura
doura. As lmenagene eram apresentadas
com devoto ervor na primeira das igrejas
da diocesc, % cathednl de Olinda* ento-
ando-se ahi solemne Te-eum, como para
demonstrar que ao Supremo Doador de
todo o beaa devenios dirigir innmeras
gracas. A tropa (Testa cidade para alli
mar-chava recordando que fora ella o ins-
trumento, da Providencia para saeodirmos o
ignominioso jugo estrangeiro. Todas as
deiuais igrejas resoaram e o povo jubiloso
de uui moderno.Appius Claudias. Al-l,
s se revelar aos ministros da justica,.a^Md
coSifium pontipoima, aquellos mesmos-que,
segundo Fortescue e Rlackstone, Ihe hou^-
vecem dado, luiante 20 aimos, os scup
mais assiduos cuidados.
A-lei statuaria, a lei escripte-a lei. vo-
tada pelo parlamento. Essa parte da tegis-
laco tem sido dirigida quasi ao acaso. Nas-
ceo, diz Francis Bacon, da moffliiWta do
momento; regula especies enao-estabelece
principios, demais, falta-lhe clareza; perde-se
nenhioan auctoridade-se recusara.
l lei erinalnftl.
Fingunt creduntque.
I
Estou que o exame publico da nossa lei
criminal e dos ataques de que ella objecr
corra petas ras dando os devidos vivas : em circumlocuoese piconas mes; wapro-
mette o sentido de suas disposkoes.; ambara-
ra e abafa opensamentocom esplicaces ton-
gas e confusas: Emfim, os elementos, que
a constituem sao desde seculos, superpos-
tos*uns aos outros, sem se c^ordenacem, e,
postoque tenha sido objectode renises
que a simplificam e rogularisam. em certas
materias, fica cheia de obscarhlades e im-
previdencias..
Nao cuidis que exagero &. diflkaldades
da legislarlo- ingleza, para afesolver-me dos
erros que- vou= talvez commetter.
Muito ba. ojie o mal tem sido, visto pelos
homens mais eminentes do paiz ; e hoje
mais que- nunca, reconliece-se- o mal e bus-
ca-se dar-lhe remedio.
J em, 1816, Bacon propunha a Jayne 1
que reunisse n'um digesto as disposicoes
da let commum e lizesse a eonsolidac3o dos
estatutos.
Depois da restauracao, de Carlos II, em.
1666, a cmara dos communs nomeou una
commissao a quem encarregou de investir
gar os estatutos antiqnados.
Tentativa da mesma especie foi feita em
1796 ; como a outra nao foi adianto.
No comeco do secuto, Jeremas Bentham,
alaras,i com a originalidade e rudeza do
costume, a lei commum do seu pas. Pro-
cura i-a, exclamava elle, pedi que vel-a mos-
trem, ninguem pode dizer-nos onde est
nem o que . um ente da raeao, urna
facro.... Grande a Diana dos. Epliesos,
diziam os sacerdotes dos templos doEphe-
so.
() Vide o descurso lido pelo actual ora-
dor do Instituto o Sr. Dr. Aprigio Guisaa-
res em sessao da assmbla geral do 27
de Janeiro de 1867.
() O Exm. Sr. conselheiro, presidente
do Instituto menciona a installaco desta as-
sociaco como verificada no dia 27 de Ja-
neiro, entretanto que foi ella installada em
28 daquellc mez sob o titulo de Sociedade
Archeologica. Dopoisresolveram seus mem-
bros chrismal-a com o titulo de Instituto
Archeologico e Geographico Pernambucano
assim como celebrar o seu anniversario em
27 de Janeiro, por ser o dia era que em
1651 assignou-se a capitulado, entrando
Vieira nesta cidade e recebendo das maos
do general Sigismundo as chaves della.
Fazemos essa nota nao para notar enga-
o em que nao poderia cahir o sabio presi-
dente do intituto, ms jusflcarmos o ter-
mos dito no principio de nosso artigo quo a
Sociedade Areheologica foi intallada em 28
de Janeiro de 1862: como se v da acta de
sua installaco impressa nol* numero da
Revista Trimensal do Instituto.
Nao vinha a proposito fazer menco des-
ta circumstancia no discurso, cujo trexo ci-
tamos.
o seu amor I Parta, Rogerio, parta f. Que
Sode haver de commum entre o visconde
e Sougres ea sobrinha de um pobre pa-
rodio de aldeia ?
Catharina,exclamou o mancebo in-
timativaraeule nao ha aqui mais do que
duas creancas que se amam e se conside-
ran! unidas face do co Responda-me
com a franqueza e lealdade proprias do seu
carcter; responda-me como se ambos ti-
vessemos nascido n'um palacio ou sob um
tecto de colmo. Creio que a minha felici-
dade depende exclusivamente de si ; enten-
de que a sua depende igualmente de mim ?
Ah meu amigo, do-se circumstan-
cias que ignoro, mas que se oppoem a tu-
do isso. Lembra-se do que meu tio nos
disse por urna tarde em que passeavamos
beira de um rio ? Eu n3o posso duvidar
da sua sioceridade e creio que me ama o
sulficiente para desejar fazer de mim a com-
panheira dos seus dias. Deus o recompense
por isso mil vezes! Talvez eu naodeixasse
de ser merecedora de tanta felicidade ; mas
repito-Ihe, ha motivos fortes que obstara
sua realisacao, e, sobretudo, o conheci-
mento que tem do carcter de seu pai deve
fazer-lhe compreheader a impossibilidado
que se Ihe depara.
Meu pat alo pode impedwne !
(Continursela).
exclamou resolutamente Rogerio Se elle-
dispoe da sua vontade, tambem eu sou se*
nhor de mim Portanto ainda urna vez
Ihe rog que me responda, fazendo de con-
ta que nao temos por arbitro e senhor dos
nossos destinos mais do que Deus, quo nos
v e ouve n'esta occasiao !
Amo-o sinceranente ! respondeu a
joven.
E ama-rae o sulficiente para me con-
fiar o seu destino ? Apraz-lhe partilhar a
minha sorte feliz ou adversa, tranquilla ou
tormentosa ? Em urna palavra ; quer-me
para marido como eu a ambiciono para mi-
nha mulher ?
Amo-o infinitamente I repetio Ca-
tharina com amis terna intimativa.
Receba, pois, este coraco todo seu,
minha joven e encantadora esposa i ex-
clamou Rogerio, apertaodo, ebrio de ale-
gra, as m3os da pequea fada.
Catlwrina apoiou a cabera no paito do
mancebo, o qual, lancaudo-lhe um olhar
prolector, pareca, cam a aureola da inno-
cencia que Ihe raiava na fronte, um anjo
abrigando a creatina que Deus confiava
sua guarda.
('Continuar-se-ka.)
TI P. DO DIAWO-ltA DAS UUXE R.
i iBia i
m --------------''
*
l
11