Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11750


This item is only available as the following downloads:


Full Text



"**
1
AMO XLV. NUMERO 18.
PARA A CAPITAL E LUGARES 01E NAO SE PAGA PORTE.
Por tivs mezes artiantados.................. C$000
Por seis ditos dem.................... 12000
Por uiu auno idein.................... 24000
Cada numero avulso ..................... 320
SEGUNDA FEIRA 25 DE JANEIRO DE 1869.
PARA DENTRO E PORA DA PROVINCIA.
Por lijes mezes adiautados...........*...... 6*750
Por s Por nove ditos idera................... 20*250
Porumanno...................... 8740U0

Propriedade de Manoel Figu^ira de Faria & Filhos.

Ni A
Os Srs. Gerardo Antonio Alvos & Filhos. no Para; Gor calves & Pinto, no Maranlio; Joaqnim Jos de Oliveira, no Cear; Antonmde Lemos Braga, no Aracaty: JVio
Guimaries Pancada, em Mananguape; Antonio Alexandrino de Lima, na ParahyLa; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penlia; Belarmino dos Sai
em Nazareth; Francino lavares da Costa, em Alagas; Dr. Jos Alaitins Alves, na Baha; e Jos Ribciro Gas
o Mana Julio Chaves. noAssi: Antonio .Marques da Silva, no Natal; Antonio quii
Santos Bblco, em Santo Anio; Domingos Jos da'Costa Braga,
CasnarinlO, no Rio de Janeiro.
PARTE OFFICIAL
Mi ni** criollo Imperio.
Rio de Janeiro, em [i de Janeiro d! 1869. -Illm.
e Kxm. Sr.Parle|) mi V. Esc. em ornte den do
mez liml), sob n. 118, ler declarad > milla a efeicao
:i que se procedeu para juizes e paz, era 7 de se-
tembro, na freguezia de S. Lourencu de Tejucupa-
po, municipio da cidade de Goyannh, porque, como
representen a respectiva cmara municipal e cons-
ta dos actas, liotive entre asomma dos votos e 8
numero das cdulas receidas as segundes diHe-
rencas: de 140 rotos para mais quanto ao l*4s-
trido, de Ti tambora para mais quanlo ao i' e de
t(H) pira iiicims (|iianlu ae.T", as qnacs influan! no
resaltado da eleic...
Ogoverno imperial,noreste fundamento,approva
o acto de V. Exc.
Deas guarde a V. EscPaulino Jos Soares ib
Souza.Sr. presidente da provincia de IVrnam-
buco.
Ro de Janeiro, ora 12 de Janeiro de 1869.Illm.
e Exin. Sr.Km resposta ao ollicio de V. Exc. de
i do mez lindo, no qual coinnumica teramutlla-
doa eMfao a que sr proceleu para reraadores e
juize- de paz em 7deselerabro ultimo na paroehia
de S. Sebastin de Ourieory, declaro a V. Exc. que
0 governo imperial approva o sea arto, vista das
segrales irregularidades auoeonstain das respec-
tivas artas, e que, segundo as djsposicdos da lei.
inquinara de naUidade o processo cleitoraj:
I.* Terera reito parte danr-sa paroehial dous
individuos que na > eslavam quahficados votan-
es;
t? Baver-se fetto a lerceira chamada no raesmo
da em qne tenninou a segunda.
Deas guarde a V. Exe.Paulina Jote Soam de
Souza.St. presidente da provincia dePernam-
buco.
Etio de Janeiro, em l de Janeiro d i 1860.Illm.
Kxm Sr.Km ollicio de i do mez lindo, sol
n. 11< participa V. Kxc. ler declarado millas asdnas
elejeoesa que sr proceden pararcreadores e juizes
de paz, em 27 dr setembro ultimo, na matni da
fn guezia d> Scnhoi Bum Jess dos AlUielos da Fa-
zenda-Grande, municipio da villa de floresta, sen-
do presidida urna pelo I juiz de paz do districto e
aoutra pelo V
Ogoverno imperial, vista das aetasedocumen-
tos que as aroiupauliaram, approva o aelo dr V.
Exc, attendeudo as seguintes raides:
i. Que leudo comparecido para a formaco da
i cora o dito 1" juiz de paz. qne tambera era
i-ieitor, mais I eleitor e I supplente Mmente, estes
dous inrompeteuteiiienle tomaran) assento como
1 ubres da raesma mesa; e nanearan) para com-
pletadla dous ridados.em vez de proeederem pelo
inodoestabetecido no art Io S I" do decreto n. 8
del! de selembro de 1855;
SL* Que nao poda o 4* juiz de paz organizar
11 .......sa, estando constituida aquella e em exer-
eieio sola presidenciado I"
Deus guarde a V. ExcPaulino Jos toares dr
;.Sr. presidente da provincia de Pernam-
Ic.!'-
de Janeiro, em 1$ dejauciro de 1860.Illm.
e Kxm. Sr.Resorveu V. jpc., como participou
ia 'iitirin sob n. 123, de i domez lindo, declarar
valida a eteico a que sr proceden, em 7 de setem-
bro ultimo, para vereadores e iizes de paz na (re-
lia de Kossa Senhora da Eseada, sem embargo
1.1 rrrlamaco contra ella feita. por ter sido presi-
dida pelo r juiz de paz do :)- dUbieto da mesma
fregnezia, Heriqne Bornea do Barros e Silva.
0 loverno imperial approva a dedsao de V. Exc.
porachar-se provada'pela respectiva acta e docu-
m utos que arompanharam:
.' Que. apreseotando-se na occasiao da forma-
can da mesa paroehial um protesto eontraa eleicao
1 se ia proceder, o !' juh de paz do districto
d i matriz irregnlarmente snspandeacora esse pre-
texto os trabamos al que o presidente da provin-
i toni se i'onhecimenlo do dito protesto, em vez
de miiar-se. romo Re eumpria. a faz-lo inserir
na arta sem InterrnpcjSo do processo rieitoral;
2.* Qne entao, estando mudado da parochra n 2
juiz d paz, recusando-se o ;" a tomar a presi-
dencia da asaembia paroehial, nao estando iura-
i litado o i, bem como os do 2o districto. e arlum-
do-sc ausente o l" do .! districto, cempetentemente
tomn aquella presidencia o i- deste;
3 Qne prosegairam os irabsJJue eleitoraes at
sua uliimaeao, observando-sc uxlos os preeeitos
legaes
, '' Que, flnamiente, as aliegagoes unas do refe-
1 i protesto Be achara completamente refutadas no
i-ontra-protesto, qne rom aquelle fui inserido na
i rliva arla.
D us guarde a V. ExcPaulino. Jx Soam dr
Souza.Sr. presidente da provincia dePeruain-
Rio de Janeiro, em r> de jan.;iro de 1809.Illm.
.-Aiii. Sr.l'artieiixm V. Exc. em oflicio sob
ii. 122 de 22 do mea (indo, ter declarado valida a
r.eicao para veiea.Ioivs e juizes de paz. a qne se
procedsu em 7 de setembro ultimo, na matriz da
lieguezia de S. Jos d'Aguar-Preta, presidida pelo
, juiz de paz do districto, e milla oulra que na
mesma oceaeiM se fez na rasa da cmara munici-
pal sol a presidencia do 1 juiz de paz, fundan-
do-se V. Exc. as seguintes raides.
t." Ter o 2 juiz de paz leghranmante assomido
a presidencia daasseml.lia paroehial, nao eompa-
i' mloo Io;
'" .Nao apparecer rrrlamaco contra o processo
cleitoral, que proseguio regularmente al ulti-
mar-se
i." Alui de nao estareni provadas as allegaces
a resentadas |ieln I juiz de paz como motivo* da
deliberacao, que tomn, de fazer a eleicao na casa
da cmara municipal abandonando a matriz, pois
;'ic caiece do valor necessario a justiicacao feita
Sim citacao dos interessados pelo lado contrario,
serem contestadas todas aquellas allegftQes as
i 'irmaces nfHeiaes e especialmente na que pres-
lou o juiz de direito da comarca;
4 Nao se dar motivo justilii-a'.ivo do procedi-
ito do 1 juiz de paz, o qual niio p'odia sem ra-
plausiveis e mediante previo annnncio e com
as solemnidades da lei transferir paraoutro local
a reuniio daassembla paroehial, qnedeveeflec-
tuar-se na igreja matriz como e expn>sjo no
art. 9o da lei n. :i87 de 19 de. agosto de 18i6.
Os fundamentos expostos em que se aiwia o acto
de V. Exc indnzem o governo imperial a conlir-
ma-lo.
Deus guarde a V. ExcPaulino Jos Saresde
Soiiza.Sr. presidente, da provincia de Pernam-
bttoo.
Rio de Janeiro, em 12 de Janeiro de 1869 Illm.
< Kxm. SrAccuso o recehiinento do oflicio sob
ii. IIV de 22 do mez findo, no qual V. Exc parti-
cipa:
1. Ter derlarado valida a eleicao a que se pro-
ceden, em 7 de setembro ultimo, para vereadores e
juizes de paz da freguezia do !>enhor Bom Jess
tos Afflictos do Ex. sob a presidencia do 3o juiz
de paz, e milla que se pretende ter sido feita na
casa da cmara municipal, presidida pelo l* juiz
ile paz;
Havendo o dito 3" jniz de paz assumido legiti-
mmente a presidencia daasembla paroehial por
ter drizado de comparecer o 1* e nao estar jura-
mentado o 2. e nao constando das actas que uo
processo eleitoral se prelerissem as formalidades
requeridas na lei, n lo pocha deixar de conside-
rarse valida a eleicao por elle presidida, sem em-
bargo daallegac.io'iiao provada do Io juiz de paz,
de ler sido vedlda a nitrada da matriz a diversas
pessoas.
A eleicao que se diz feita sob a presidencia do
referido 1 juiz dr pa::. n:io poile subsistir por nao
se provar a necessidade da transferencia do local
da assembla parorhi d. a ipial sse pode effectuar
na trapos>ibilid.'ide de fazer-se a eleicao na matriz,
medanle previo annnncio o observadas as caute-
las do art. 4' da l>l n. 387 de 19 de agosto de
1816.
2." Ter declarado ullas as duas eleices feitas
na freguezia de Sadt'Anna db Sacco, una na ma-
triz soh a presidencia do juiz de paz do 4o anuo.
r a entra, na casa de residencia do parodio, presi-
dida pelo Io juiz de pu.
Fundou-se \'. KXe.j"'
Quanlo I" na razio de nao estar juramentado
o juiz de paz. >ob ciij; presidencia foi feita ;
Quanlo 2a no fai lo de ter realisailo sem mo-
tivo justificado lina do lugar designado pela lei.
O trvenlo imperial sustenta o acto de V. Exc
|K'la legalidade de seus fundamentos.
Deus guarde a WV.kcPaulino Jos Sorirrs de
Sonso.-Sr. presiden) > da provincia de Peruana.-
buco.
Hio de Janeiro. 12 de Janeiro de 1869.Illm. e
Exm. Sr.t'.om sen olicio. soh n. I2.'i de 22 do
raez lindo, mvion-ine V. Exc. as actas c documen-
tos que o levaiain, niio obstante as reclamacoes
contra ellas Mas, a declarar validas aseleirors a
que se proceden, em 7 de setembro, para verea-
dores e juizes de paz uas freguezias de Santo Ama-
ro de Jaboatao e S. I. iureiiro da Malta do munici-
pio dessa capital.
O govenio imperial approva a deliberaeo de V.
Exc. pelas seguidles r.izoes em que se fundn :
Contra a validade i a eleicao da priineira das
referidas freguezias n. o procede a argui^ode ter
sido presidida pido 4" juiz de paz do districto mais
visinho da fregnezia d N. S. do Rosario de Muri-
beca, Manuel Hartiniano Leite, estando provado
qne o l juiz de paz d i paroehia de que se trata,
abaiuloiioii os trahalhi s eleitoraes e retirou-se cora
todos os membros da mesa, sera motivo legitimo,
emhora aliegasse posierionnente receio de violen-
cias, polo qne regular nente e na forma do disp is-
10 as inslruccoes de 28 de junlio de 1849 arts.
4 e b> aasnmio o dito juiz de paz do districto mais
visadlo a presidencia da assembla paroehial, por
nao comparecer nenhltm dos da freguezia. netn dos
mais votados daqurlli districto, e organisou nova
mesa, cora a qual eoncluio-se a eleicao, observa-
das todas as lorinalid; des legaes.
Tanihem niio prrjud ca a eleicao da segunda das
mencionadas freguezia3 o betodeter sido presi-
dida pelo 4" juiz de paz, porque, como est de-
monstrado, nao leudo eomparecido o 1 hora de-
signada pela lei. e acli;.ndo-sc ausente da paroehia
o 2' c impedido o 3o, procedeu aquelle 4o juiz de
paz legalmente toman lo a presidencia dos traba-
Ihos eleitoraes. que >i concliiirain cora toda a re-
gulaiidade.
0 compaivciiiieuto lo Io juiz de paz depois de
organisada a mesa paroehial. nao altera o estado
da qursto, pois que iinmnliatameiile retirou-se e
nao quiz assurau* a d receo dos trabalhos. Nem
imporkt a allegacao de receio de violencias, quan-
do mia o despida de provas. qne deslruanl as n-
frmacoes omciaes prestadas pelas autoridades,
entre as qnaes o juiz de direito da comarca.
I'elos motivos rx|K):tos o governo imperial sus-
tenta o acto de V. Exc. e bem assim a delilieracao
de nio anunira reclamarlo Celta para obler a re-
vogacSo da deeisio do antecessor de V. Exc se-
gundo ,i qual devia prevalecer para a eleicao a di-
visao da freguezia en tres distrietos, e nio a que
lora leita em quatro irla lei provincial de II de
maio ultimo, visto qne. estando organisada a quali-
(Icacao segundo aquella divisio nao se pedia sem
inconvenientes proceder eleicao por outro modo.
Por ser conformo ao disposto no art. 99 da lei j
o :M7 de I! de aposto de 1846. e doutrina do avi-
so n. 244 de 2t de agosto de 1864, manda o go-
verno imperial qtu- seja mantida a declaracao de
V. Exc sohrc a melegibilidade do major Joan Fran-
cisco do Reg Maia. para o cargo de juiz de paz do
I" districto da freguezia de N. S. da Saudr do Poco
da l'anella, verilieado o laclo, que a V. Kxc fbi
communicado. de nao residir no districto.
Deus guarde a V. Exc.Paulino Jos Soares de
Souza.Sr. presiden! Ma provincia de lVrnara-
buco.
Rio de Janeiro. 12 de Janeiro de 1869.Illm. e
Kxm. Sr.O governo imperial approvou a delibe-
rara i tomada por V. Exc. i coraiuunicada em seu
oflicio ii. 120 de 22 do raez fmdo. pela qual, decla-
rando validas por terem sido feitas com regulari-
dad! as (leice- a que se procedeu em 7 de setem-
bro ultimo, para vereadores e juizes de paz as
matrizes das freguezi; s de X. S. da Gonceicao de
Nati retfa e de Sanio Antonio de Tracunhaem. an-
nullou as duplcalas q le se dizem feitas na capella
do engenho AlgiVa de Anta, pertencente 1* das
dilas freguezias, e na capella do engenho Abreus,
pertencente a 2J.
Sao procedente.- as s?guintes razoes em que V.
Exc. ge fundn:
1* Nao seivm reaes s eleices que se diaera fei-
tas as referidas cape las d Alasa de Anta e
Abreus. a vi-la das jnforniacoes obtidas c espe-
cialmente da do juiz de direito "da comarca.
que nao coneorrendo ao acto niio se lhe contou de-
pois o voto, figurando sua assignatura por (tenais,
e sendo esta sem alcance nem consecuencias;
6o. A eleicao da capella do engenho Cnabiraba,
presidida jielo mencionado 1 juiz de paz, niio pude
subsistir, nao s por ter sido feita sem motivo justi-
licado fura do lugar designado pela lei, como |>or
se haver organisado a respectiva mesa quando j
funecionava a cpie regularmente se formara na ina-
triz. o finalmente |r ter servido |Kira a eleicao a
qualilicacao feita no auno de 1867, que liavia sido
annullad.
Deus guarde a V. Exc Paulino Jos Soam dr
Souza.Sr. presidente la provincia de Periiin-
buco.
Rio de Janeiro, em 12 de Janeiro de 1869.Illm.
e Exm. Sr.O governo imperial approva o acto pelo
qual V. Exc, como participou em oflicio soh n. 117
de 22 do niez findo, declarou milla a eleicao, a que
pola raziio de ter-se feilo i 3* chamada dos votan-
tes, como consta da respectiva acta, no mesura dia
8, em que terminara a 2*. violada assim a expivssa
disposicao do art. 48 da lei n. 387 de 19 de agosto
de 1846, e do art. 7 do decreto n. 2621 de 23 dr
agosto de 1860, e ao mesnu tempo ordenou, de ron-
fonuidade com a doutrina dos avisos n. 62 de 21 de
fevereiro de 1833, n. 374 de 11 de setembro de
1860 e otitros, qne visto constituirem as outras
duas freguezias a ntaioria do nunieipio, prevale-
rrsse a eleicao de vereadores nellas feita, rxpedin-
do-sr aoseleitos os competentes diplomas.
Deus guarde a V. ExcPaulino Jos Soares de
Souza.Sr. presidente di provincia de l'ernani-
huco.
Rio de Janeiro, lo de Janeiro de 1869.Illm. e
Exm. Sr.Accuso o recehiinento do oflicio, soh n.
119. de 22 do niez lindo, no qual V. Exc. cnuununi-
ea ter declarado millas as elrirors a que procedeu
em setembro para vereadores e juizes de paz das
duas freguezias de S. Jos do Rio Formse, e de
Nossa Senhora da I'urilicacao e S. Goncalode Una.
0 governo imperial approva o acto de V. Exc.
alera de OUtras razoes em que se fundou. pela de
lerem-se lito as eleices, na priineira das ditas
freguezias, pela qualilicacio de 1863, r na segunda
tela de 1864, havendo qalificaces de anuos pos-
teriores concluidas nos termos da* lei.
E" igualmente approvado o acto peloqtial V.Exc,
a vista das falsilicacoes rei-onhecidas no respectivo
livro e na C(')|ia autenlica remettida a essa presiden-
cia, julgou nuil a qualilicacao feita em 1868na pa-
roehia do Rio Formoso, e inandou que a nojva elei-
cao de vereadores e juize< de pazs e lizesse pela
qualilicacao de 1866, reconhecida legal pela cmara
(los deputados, visto niio ter licado concluida a de
1867, por falta de rennio do conselho municipal,
quedevia conhecer do recurso interposto de deci-
soes da junta pelo baehai.el lvnipio Marques da
Silva.
Deus guarde a V. ExcPaulino Jos Soarvs de
Soza.Sr. presidente da provincia de Pernamhueo.
o ta
epor nao ser admissii'el que se formassem novas
mesas, estando em effectivo trabalho as que regu-
lara enle .-e haviam orf anisado as matrizes.
Deus guarde a V. ErePaulino Jos Soares de
Souza.Sr. presidente da provincia de Pernam-
buCe.
Rio d.- Janeiro, em 12 de Janeiro de 1869. Illm.
e Exm. Sr.Km respos la ao oflicio de V. Exc, sob
n. li't de 22 do mez findo, communico-Ihe que o
governo imperial approva o acto pelo qual V. Exc-
declarou valida a eleicao feita para juizes de paz c
vereadores, em 7 de selembro ultimo, na matriz da
freguezia de Nossa Senhora da Apresentarao do Li-
moeiro, soba presidenciado 4 juiz de paz, e milla
a que appaiver como leita ao mesmo tempo na ca-
pella do engenho Guabiraba, presidida pelo 1 juiz
de paz.
O exanie das actas e documentos por V. Exc en-
\ iaiI js convence de qu :
Io. Legalmente assuraio o dito 4o juiz de paz a
presidencia da assemtla paroehial, por nao ter
comparecido o Io hora designada pela lei, e nem
o 2* e o 3*, apezar de terem sido convidados;
2'. O processo eleito al correu sem irregularida-
de riotavel;
3". A allegar-iodo 1* juiz do paz. no protesto que
aprosentou. de nao ter lodidoexerceralli suasfunc-
Qes por motivo de" violencias, nfw foi provada, e
nao pode ser acreditad i a vista do que consta das
actas e da ciretinistaneia de ter o mesmo juiz de
paz comparecido post :riormente na matriz, com
quanto se reeOBmsse a ornar a presidencia da mesa
paroehial;
4. Nao inlluio na foiraarao da mesa paroehial o
vote incompetente do bacfiarel Jos Mara Freir
Ganieiro, nao comprel endido no numero dos sup-
lentes, porque, lendo sido recebidas 12 cdulas,
apenas bouve um voto divergente;
8>. Nao importa ter c supplente Edgcnio Alves da
Silva a acta da iorina^rio da mona, pois
l.overno lia proviueia.
EXPEDIENTE ASSICNADO PEI.l EXM. SR. CONDE DK B.VK-
PKXDV, PRESIDENTE DA PROVINCIA EM IdMfeTiElRO
DE 1869.
3'sec^o.
N. 49.").Portara ao ins|ector da thesourarfe de
fazeuda.=epois de liquidados, em vista da folha,
relaeao nominal, e prets juntos era duplcala, que
me remetteu o eoniinandantc superior da comarca
de Olinda, com oflicio de *i do corrente, mande V.
S. pagar os vencnentos djs olliciaes e pracas des-
tacadas as fortalezas do Brum c Buraco, bem co-
mo do corneta do 9' batalliao de infantaria Kian-
Cisco Xavier, sendo os dos oflleiacs relativos ao
mez de dezembro ultimo, os das pravas a segunda
quinzena dr mesmo meze os do corneta a contar
do 1" de setembro at 31 do j citado niez de de-
zembro.
N. 496.Dita ao raesmo.Transniittindo a V. S.
as duas inclusas contas em duplcala, que me re-
metteu o superintendente da estrada de ferro do
Recife S. Francisco cora oflicio de 12 do corra-
te, lYcoiiimondo-lhe que cm vistas de taes contas.
mande liquidar e pagar a quantia, que justamente
se dever, proveniente de transportes elfectuados
nos trena da mesma estrada por conta dos ministe-
rios da guerra e marraba, durante o mez de de-
zembro ultimo.
N. 497.=Dita ao mesmo.Autorisandonestada-
ta o engenheiro cncarregadn das obras militares, a
effectuar a desobslruccao Jo encanamento d'agua
para o quartel do de|osito especial de instruecao
pela quantia de 73120 que resta da de I65JS120
em (nc havia sido oread: a despeza ltimamente
autorisada para os reparos do mesmo encanamen-
to : assim o communico a V. S. para seu conheci-
inento e ins convenientes.
N. 498.Dita ao mesmo Inteirado de quanlo
V. S. expoz em seu oflicio de 13 do corrente. soh
n. 20. tenho a dizer em resposta, que de confoimi-
dade com a tabella de 5 de novembro ultimo, pas-
saram os vencimentos do destacamento da cidade
de Nazareth a ser pagos pela thesouraria. provin-
cial e por isso reraetta ao inspector daquella the-
souraria os prets correspondentes a taes vencimon-
tos nos mezes de novembro e dezembro do anno
prximo passado o cujo pagamento, segundo o seu
citado oflicio, foi efeetnado pela collectoria de ren-
das geraes da mesma cidade, afim de que possa o
cofre dessa reparticao ser indemnisado da impor-
tancia dos mencionados prets.
N. 498.Dita ae inspector da thesouraria pro-
vincial.Recommendo a V. S. que em vista dos
prets, qiv lhe forera enviados pela thesouraria de
fazenda, seja o cofre daquella reparticao indemni-
sado da importancia dos vencimentos que pagon a
collectoria de rendas geraes da cidade de Nazareth
relativos aos mezes de novembro e dezembro do
anno passado, e pertenceires aos guardas nacio-
naes all destacados, visto correr o pagamento de
taes vencimentos por essa thesouraria nos termos
da tabella de 5 do citado mez de novembro.
N. 500.Dita ao mesmo.Providencie V S.
para que. em vista das tres inclusas contas, que
me remetteu o superintendente da estrada de ferro
do Recife a S. Francisco, com oflicio de 12 do cor-
rente, seja liquidada e paga a quantia que justa-
mente se dever de transportes dados por conta des-
ta provincia nos trens daquella estrada, durante o
mez de dezembro ultimo.
N. 501.Dita ao mesmo Autoriso V. S. de con-
formidade com a sua informacao de 14 do corren-
te, sob n. 2a, a mandar adiantar ao thesourciro da
reparticao das obras publicas, para isso indicado
pelo respectivo chefe em oflicio de 2 deste mez, n.
3, a quantia de 12:450000, que tera de ser appli-
cada as verbas de despezas com as mesmas obras
publicas feitas por administra^ao designadas no
pedido junto, exceptuando-se a de 600*000 relati-
va a verba eventuaes, sobre a qual se providencia-
r posteriormente.
N. 502Dita ae mesmo.Expeca V. S. suas
ordens para que, depois de liquidados, em vista da
folha, relaeao nominal e r.ret-juntos em dupcata,
que rae remetteu o comm andante superior da co-
marca de Olinda cora oflicio de 5 do corrente. se-
jam pagos os vencimentos do offlcial e pracas des-
tacadas naquella cidade, sendo os do offlcial relati-
vos ao mez de dezembro -11111010 e os das pracas a
2" quinzena do mesmo mez.
N. 503.Dita ao mesmo.Em vista da folha
junta em dupcata, quemo remetteu-o comnan-
dante superior do municipio de Serinlkkm com
3om>io de 10 do corrente. sob.n. 2, mande V. S. li-
uidar e pagar os vencimentos a contar di I" a 29
e novembro do anno prximo passado, d< alferes
Antonio llertino I'ereira det.irvalho, que c Hiiman-
doii o destacamento de guardas nacionaes t aquella
villa.
N'. SOi.-Dita ao mesmo.A Faras *|tomcs.
mande V. S. pagar, depois de liquidados em visla
do |jret junto em duplcala, que me remetteu o
rounnandante superior da comarca de Pidmares
rom oflicio de 3 do corrente os vencimentos rela-
tivo ao mez de novembro ultimo, dos guaras na-
cionaes destacados na villa de llar reros.
N. 805.Dita ao mesmo.Tomando em conside-
rar*) o que requereu cm o 1" de dezembro du an-
no passado o barao do Livramento. empresario do
calcamento desta cidade do Recite. apTOMMando
um attestado Je obra feita em noveiuhro r ntece-
denfn do corienie exercicio de 1868 a 1869 no va-
lor de 26:7545690, e pedindo qne se lhe tefne es-
sa qnanlia e as mais qne se lhe devem do mesnn
exercicio e do anterior de 1867 a 1868 e attenden-
do a informacao por V. S. prestada era oflicio n.
808 de 21 do referido mez de dezembro. da qual
se demonstra que alm daquella quantia a
da provincia para com o supplieante de.
70:8353429. sendo 17:9208210 pertenec!
exercicio de 1867 a 1868, que nao poden) sei
com, a leuda do actual por estar encerrado
le exercicio c 52:915,I9. relativos ao ex
corrente, declaro a V. S. que nos termos _
informacao rde mandar ntisfazer agora ar>
piteante a sobredita quantia de 52:915}21)
verba do 3 do art. 13 da lei do orcamento
te, deixando a de 26:754.4690 para ser paba do
pois qne outros eredores deqnantias menoi -s que
nada ainda receberara tirerera sido embolsados do
que se lhe deve, parcial ou integralmente,
esse iim. remeti a Y. s. o certificado que
venibro. passou a reparticao das obras pi Micas,
ao mencionado arrematante por trabalhos exe-
eutados e a que elle referise em seu requer-
meato.
divida
[es ao
pagos
npiel-
rcicio
Ida sua
sup-
pela
vigen-
Para
ein no-
li. 514.Dita a cmara muuici|ial do Ro For-
moso.Communico a cunara imnicipal da cidade
do Mo Konneso, para seu conliecimento, que se-
guinlo consta de offlrio de 13 do corrente do pro-
visor do bispado o Rvd. Francbeo Jos Tarares da
Gamaforam dadas ascjivenienies ordensaoeoad
jutor que est regendo a matriz da freguezia de S.
tloncalo de Una desse nninicipn, no impedimento
do respectivo parocho, aqu de que hmii a maior
hrevidade possivcl se transpira dai|uelta igreja pa-
ra a capella de Nossa Senhora do Enrmenlo o
Santissimo Sacramento e as sagradas imagen,
visto achar-se a mesma matriz em estado de
ruina.
N. 313.Dita a cmara municipal da villa do
linique.Tendo ja sido recebidas na secretaria
desta presidencia as copias das actas da eleicao de
vereadores o juizes de paz, qne se proceden a 3
il 1 mez corrente as 3 freguezias que roinpoc o
do Buique, enviada
cao e dos documentos annexos, seja di.-|-n>ad.. d
serrieoda dasigaacao para a guerra.
Syilrouio Silvano Nunes Sette Jari |*o\>lo
lugar ijue reipier o supplicaiilc.
Senhiirinha Solera de Aliiiiiiiit-rque tlajiiprll.
outros henleiros de Francisco J.is da Costa Can
pello.Informe o Sr. inspector da tiiesmiraria d-
faznida.
22 -
Antonio Feitosa de Mello Junte os docuraent
ijlie llM'Ilcoiia.
Angelina l'rancisca de Lima. -IiiHine oSr. Dv
ebefe de |iolcia.
Abaixo assignados moradores na Passagem d-
Magdalena.Oppailnnamente se resslver.i subre
pedido dos supplicanles.
Aniaial & Fimo.Informe o Sr. major dirertoi-
do arsenal de guerra.
Joao Vrente dr Turres( Baiidcira.Uequeira ..
ClHO|- '
Joaqnim Marques Yello^t. -Informe novan n'
o Sr. desembargador provedor da Sania 1
Misericordia, em vista do que adega o nnsmnli
Joo I'ereira da Silva.i vista da u 1 rm
nao ha que deferir.
Joo Manoel dr Souza. -Como ie,p,i
'"l1,"n'"..... *lue' enviadas l"l:is raerUvasIasseimWalegislativa provincial" a uu.-iu
esas ,1ar;,rl,laes. cumpre que a cmara munici- nterprc'ar as Iris que alinde,,.
pal dessa villa remeta, quanto antes, a ropa da
acta da apuraco geral que deve ler frito, confor-
me dspoe o art. 103 da lei n. 387 de I! de agosto
de 1846, expedindo na mesma occasiao diplomas
aos eteilos vereadores e juizes de paz, segundo
aquellas acto, sustando no entretanto a sua pesse
at ulterior determinacao desta presidencia, como
se lhe ordenou em portara de 23 do prximo pas-
sadii.
N. 516.-Dita ao presidente da mesa pnrochal
de s. Felfa de Buique. I.uz da Franca Honteiro.
Fico de DOSSe das copias das da eleicao a que se
proceden nessa paroehia a 3 do corrente mez. pa-
ra vereadores e juizes de paz que aiom|ianhram
o onicio da respeetiva mesa, datado de 7 do raes-
mo mez. r assim tambera do que Ymr. rae dirigi
em igual data.
N. 317.Dita ao presidente da mesa paroehial
de Nossa Senhora da Conceicao da Pedra, Jos de
Mello Cavaleanti.Ficu de posse das cpis das
actas da eleicao a que se procedeu nessa paroehia
a 3 do corrente mez para vereadores e juizes de
N. 506.Dita aojehefe da reparticao da* obras; paz. que aeoinpanharaui o oficio da respectiva me-
pubjicas.Remeti a Vine para sua inteligencia,! sa, datado de 7 d mesmo mez.
copia do oflicio que nesta data dirijo ao engenhei- j Igual ao presidente da mesa paroehial de Nossa
ro encarregad_o das obras militares, relativamente ; Senhora da Conceicao de Aguas Bellas. Victorino
a desobstruccao do encanamento qne rondu? agua Jos da Rocha c Souza.
para o quartel do deposito especial de instruccao N. 518.Dita ao director geral da instrnecao
por elle proposta e sobre que essa reparticao n- publica.Respnodendo aos seus oficios de 12 e 24
formou em oficios ns. 436 de 23 de dezembro do
anno passado e 13 de 11 do corrente.
4* seccao.
|t 507.Portara ao director da Faculdade de
Direito.Haja V. Exc. de remetter-ine, rom apos-
sivel hrevidade, as iiifonnacoes circuinstai ciadas
que para cumplimento de ordens imperials soli-
citei de V. Kxc. em meu oflicio de 24 de selembro
ultimo.
X. 508 Dita ao desembargador provedor da
Santa Casa de Misericordia.Rcspoudciido ro ofli-
cio de V. Kxc. de 8 do corrente, sob n. 1.7 22. te-
nho a dizer-llic que nesta data solicito novamen'e
do <*ousul geral do Brasil no reino de Portugal, as
infoniiacoes me Ibes foram exigidas por esti pre-
sidencia, em 4 de. mareo e 14 de maio ultimos, re-
lativajnente a existencia naquelle reino de I erdei-
ros d mesti e de campos Franeiscn Barrote de Me-
nezes.
N. 509.Dita ao juiz de paz mais votado lo dis-
tricto da matriz da freguezia de Jess Mara e Jos
de Paparaca do municipio do Bom Cons Hio.
Accuso a recepcao do oficio datado de 9 d j cor-
rente, era que Vmc, particijiando-me que 10 dia
7 prestara juramento e entrara no exerc ce do
cargo de juiz de paz do 1 anno do distrhto da
Matriz dessa fregnezia, declara que por nao ter o
juiz de paz do quadriennio findo publicado is edi-
taos de convoeaco dos eletores, snpplentes e vo-
tantes panas cleicoes primarias, geraes e espe-
ciaes que ho de fazer-sc no da 31 deste ni'z. to-
mara a deliberacao de publcalos design; ndo o
mesmo da 31 para elfertuarem-se as dita elei-
ees. Em resposta, tenho a dizer-lhc queajprovo
seu acto, por que sua revogaco agora traria
transtorno aos eleitores, snpplentese votantes con-
vocados [tara 37 do mez corrente, o que nao acon-
tecera se Vmc. logo que tomou jiosse do cargo
que presentemente oceupa, bouvjjsse feto 1 con-
voeaco para o dia 7 de fevereiro. guardan lo as-
sim prazo de um mez estabelecido no art. 41 da
lei n. 387 de 19 de agosto de 1846, pois qn< entre
aquelle da e os das eleicocs secundarias, a 2 c 4
de marco havia tempo sufllciento para os novos
eletores podercm votar no collegio clcitora res-
pectivo, nao tendo a minlia portara circulai de 16
de dezembro ultimo outro lira senao acau elar a
hypothese de iinpossibildade absoluta de gu irdar-
se o mencionado prazo, por falta de tempo lara o
comparecimento dos ditos eleitores nos das lesig-
nados para as cleicoes secundarias.
N. 510.Dita a juiz d paz mais votado i o dis-
tricto da Matriz da freguezia de Nossa Senhi ra da
Luz, do municipio de Pao d'Alho.Era resjio ta ao
oflicio que Vmc. dirigio-rae em data de hi ntem,
participando que, por dever estar a igreja Matriz
dessa freguezia oceupada com os preparativos pa-
ra a festa do Orago, que celebra-sc a 2 de feve-
reiro prximo, nao e possivcl effecluar-se alias
cleicoes de eleitores geraes e especiaos, designadas
para 31 do corrente; e pede por isso que i ellas
se proceda na igreja do Rosario que fica d( fronte
da matriz, derlaro-lhe que pode na conforr idade
do art, 96 das instrueelics de 31 de dezembro pr-
ximo lindo transferir para a referida igreja do Ro-
sario a reuniao da assembla paroehial fazendo-o
constar por edtal em additamento ao que liubli-
coii, segundo Vine, refere, e mencionando nac-
ta da formacjao da mesa o motivo que autorisou a
mudanza de lugar para a dita reuniao, como iv-
commenda a ultima parte do citado artigo das ins-
tmecoes novissimas.
N* 511.Dita ao juiz de paz mais votado o dis-
tricto da Matriz da freguezia de S. Gonc-ilo de
Una.Communico a Vmc, para sen conhec men-
t c flns convenientes, que segundo consta do ofli-
cio do provisor do bispado o Rvd. Francisco Jos
Tavaras da Gama, foram expedidas as convenientes
ordens ao coadjutor que est regendo a matriz
dessa freguezia no impedimento do respectivo pa-
rocho, alimde que cam a maior brevidade wssi-
vel se transpira daquella matriz para a capella de
Nossa Senhora do Livramento o Santissimo Sacra-
mento e as sagradas imagens, visto achar-se ; mes-
ma matriz em estado de ruina.
N. 512.Dila a Lucindo Camello de Pessoa de
Siqucira Cavaleanti. presidente interino da dama-
ra municipal da villa de S. Bcnto.Envo a Vine.
para seu conhecimento, e para o fazer presente a
cmara municipal dessa villa, copia da delibera-
cao datada de hoje, pela qual declaro yago o lu-
gar de segundo supplente de iuiz municipal e de
orphaos do seu termo, oceupado pelo major Fran-
cisco Alves Maciel que havia sido nomeado ; 3 de
marco de 1866. Nao constando na secretaria des-
ta presideqcia se- os capitaes Joaquim Altes da
Silva Valen$a, Jos No da Silva Burgos, Pedro
Florentino de Andrade e Jos de Hollanda Valen-
ca, nomeados a 22 de julho do anno prximo An-
do para os lugares de 3, 4", 5o e 6* supplenlles do
mesmo juiz, prestarom juramento dentro-doiprazo
de dous mezes que lhes foi marcado cuirufre que
Vmc, informe com o que occorrer a este respeito.
. 513.Bita a cantara municipal de Ioojiiea
Acensando recelado o oflicio de 7 do. correnfe, em
que a nova cmara municipal da villa do Ipojuca
me participa haver naquella data, prestado jura-
mento e entrado em exercicio de suas fnnecoes,
tnho a dizer que esj>ere que a mesma cara;.ra no
desempenho de suas obrigac/Vs mostr o maior
zelo pelos meluoraaieuios cbj.municipio.
EXTERIOR.
de outubro ultimo sob ns. 364 e 387, tenho a di-
zer-Ihe, que em vista da infonnarao junta jior co-
pia da thesouraria provincial de' 13 do corrente
sob n. 24, formule Vine, nina relacjio das radeiras
que mais urgentemente precisara de movis, pon-
do-a de accordo com a quantia que no presente
exercicio resta para fazer face a essa despeza, e
contemplando nella os movis absoluteracnte in-
dispensaveis, para que possan ser fornecidos a
mais algumas radeiras, devendo tambera organisar
mitra relaeao de todas as escola> da provincia que
precisar de movis, com declaracao das quantias
era que importarao para cada una, aliin de ser
levada em tempo essa necessidade a assembla
provincial para prov-la, especificando em ambas
as relacoes quaes sao os movis e os procos por
que ^ obterao.
GXPKDIK.NTK ASSIGNADO PELO SU. Bit JOAQUUI CORREA
DE An.VUO, SECRETARIO DO COVEUXOEM 16 DE JA-
NEIRO DE 1869.
1J seceo.
N. 519 Oflicio ao Exm. general commandaute
das armas.De ordem deS. Exe. o Sr. presidente
da provincia, declaro a V. Exc, em resposta ao
seu oficio de 15 do corrento sob n. 30, que se
maudou satsfazer o pedido de tardaraento para os
prisioneiros de guerna paraguayos, que veio an-
nexo ao citado oflicio de V. Exc.
2* seccao.
N. 520.Oflicio ao Dr. chefe de polica.De
ordem do Exm. Sr. presidente da provincia, trans-
miti a V. S. o ttulo junio de noiucaeo do cida-
dao Jos Cordeiro dos Santos para o cargo de sub-
delegado do districto de l'anelias. de coiiloimidade
com aproposta deV. S., de boje datada.
N. 521.Dito aocoinmandaute superior de Olin-
da.S. Exc. o Sr. presidente da provincia, manila
declarara V. S., em resposta ao sen oficio de 8
do corrente. que transmuto as thesourariis geral
e provincial para os lins convenientes, as lolhas.
relacoes nominan e prets, que em duplcala vie-
ran] annexas ao seu citado oficio.
N. 522.Dito ao coraraandante superior de Pal-
mares.S. Exc. o Sr. presidente da provincia,
respondendo o oflicio de V. S. datado dc*: do cor-
rente, manda declarar que acaba de autorisar a
thesouraria provincial a pagar a Faras A Gomes
os vencimentos relativos ao mez de novembro ul-
timo, dos guardas nacionaes destacados na villa
de Barreiros, deivandu de fazer outro tanto acerca
dos do mez de julho do anno prximo passado, e
cujo pret se devoive era duplcala, por ja se haver
autorisado esse pagamento em 25 do citado mez
de novembro em virtude de requisicao desse coin-
mando superior, contda era oflicio de 18 de se-
tembro daquelle anno.
N. 523.Dito ao coraraandante superior de Se-
rinhaem.S. Exc. o Sr. presidente da provincia,
muida declarar a V. S., era resposta ao seu oflicio
de 10 do corrente sob n. 2, que a thesouraria pro-
vincial tein ordem para pagar os vencimentos
constantes da folha, que era duplcala veio annexa
ao citado oflicio.
3a seccao.
N. 524.Oflicio ao chefe'da reparticao das obras
publicas.S. Exc. o Sr. presidente da provincia,
manda declarar a V. S. em resposta ao seu oflicio
de 2 do correte sob n. 3, que a thesouraria pro-
vincial tem ordem para entregar ao thesourciro
dessa reparticao as quantias coustautes do pedido
que em duplcala veio annexo ao citado oflicio
com excepgo smente da de 600 5 para eventuaes
sobre que versa posteriormente se providenciar.
4* seccao.
N. 523.Oficio ao superintendente da estrada
de ferro.Pela secretaria do governo se declara ao
Illm. Sr. superintendente da estrada de ferro do
Recife ao S. Francisco, em resposta ao seu oflicio
de 12 do corrente, que nesta data expedio-se or-
dem as thesourarias geral e provincial para ser
paa a importancia das contas que vieram anne-
xas a seu citado oflicio.
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 21 DE JANEIRO
DE 1869.
Abaixo assignados moradores na ra de S.
Francisco desta cidade.Informe o Sr. engenheiro
chefe da reparticao das obras publicas.
Augusto de Sa e Albuquerque.Informe o Sr.
inspector da thesouraria provincial.
Padre Francisco Luiz de Carvalho.Dirija o seu
recurso directamente thesouraria de fazenda.
Francisco Jos Galvao.Informe o Sr. engenhei-
ro fiscal.
Joaquim Antonio Rodrigues.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Tenenle Jos Caetano da Silva vista da infor-
macao, nao ha que deferir jrar parte desta presi-
dencia.
Tenente Jos Caetano da Silva.Inderido.
Jos Polcarpo de Freitas Jnior.Certilique.
Joaquim Elviro Pereira de Magalhaes.Estando
encerrado e em iiquidajio o exercicio de 1867 a
1868, segundo informa Whesourana de faaenda, o
supplieante s poder srpago quando pelo mi-
nisterio da fazenda fcwm votados os necessarios
raeios. **
Jos de Amorim Lima.Satisfaga a exigencia da
thesouraria de fazenda.
Manoel Joaquim da Silva.A vista da lnforma-
A Nato .[rijrntiiia nolicin ter sitio obsequia-
da com diversos documentos encontrados SJ
objectOS deixados por I.opiz em sua fuga.
Entre esses documentos figura lima carta es-
cripia Je Buenos Avies a Lpez e que a m*n*.
folha publieou e oulra do ministro |hu-,uh> coi
Montevideo ao secretario do dictador do l'.iragnav
SO bastante curiosas, e para ellas rtMBM
attenco de nossos leilores : sao as scguiite. ;
CAUTA AO MMIICMM lnl'K/.
Biienos-Avres. 23 de julho de IMfl Fllli
Sr. marerhal presidente D. Francisvn S. I^hk-z.-
Ainda que na duridt de que a prsenle chrn.
s raaos de V. Exe., nao quero nsar di diiigir-
Ihe algumas linhas para parliripar-lhr o qur |. i
aqu occorre de mais uulavrl
A eleiro pre.-idencial j est frita, e ttm
quanlo anda nao se tenba feilo o esrrulinra. j..
nao ha menor duvda de que quem entra em lu-
gar de I). Bartolo D. Domingos Faustino. bre-
que anda nao cbegoii dos Kslados-I mil. ond<-
eslava representando o governo argentino Ape
zar de ser esta eleicao feita |iela frarr > ni opp.>-
sicao ao actual governo. que tinha mr candida*
o Dr. Elizalde, creio que a para .uloftlada sera
mnlando mutaudi a mesma que ale agora leein
seguido os governos desla Ierra, quer pertencaiu
a este quer aquelle partido.
A generalidade er que os priineiros passo-
que der em sua administraeo tSffM no sentido d-
fazer a paz com o governo de V. Exc. e aind*
quando fosse impellido a isso pela opiniio publi*-
que clama pela terminacau da guerra, nao suppo-
uli'i que se d umita pressa ainda mesmo qu>-
ache enllocado em posicio de niio poder fazer ou-
lra colisa e com a agua at ojieseoeo como gnal-
ente se diz ; nao s para nao contrariar por es-
sti mudo a poltica seguida jk'I general Milre. ma>
tamben para nao demonstrar a impossibilidade de
levar adianto a actual guerra, na qual c ofni'
geral que nao encontrar apoio nao s dos gover-
nos das provincias como tambem oVi novo, ponpie
um e outros clamara jiela paz. pois exreprn de
meia dtiza de fornecedores. IikIo o povo. tanto
daqui como do Brasil. pronuBCM-M de mudo ter-
minante no sentido da paz. em vi-la da iinpoten-
cia para a conquista.
A npiniao de paz qne domina o mUbM, **
robustecer mais o incidente que leve minr no Rio
entre o governo imperial e o ministro dt Eftads*-
Dnidos, em conseonencia de ser Befada passapni
t Assumpro ranlionrira americana H ' lo qur sr diz que pedir seus passapnrtes. e o
commandaute da mencionada caulinncira rerebera
ordem de subir sem pedir perniisso a ninguem. I
de deixar-sc ir a pique m tanto hsM erasssne
Esse incidente do ministro ainercaiw. junto
impossibilidade de levar a Mu IWM mmtk de ttm-
quista pelos nieos e mudo que inlentavam. e re
celando os desastres quesonreram nos dias 16 e
18 nos ataques que iniciaran) em Humaita e no
Chaco, enlloca os adiados em posicio de nao |i-
derem continuar a guerra. Tal opiniio de mu
tos anda que um ou outro exaltado sustente v
contrario.
Incluso remello, em retamas, um documento
importante que piihiicou a Tribuna de boje assim
como outro, contend) as ultimas noticias da Euro
pa, jiois que crein que o adiamento da saluda di
Wasn apenas ser momentneo, |M>r i-so lhe ta-
crevo a presente com a asMafi de que seja
conduzida pelo dito vapor, debaix de sobrera^
a Mr. Wasbhurn, e por intermedio do consulado
francez daqui.
t Anteriormente tive occasiao de dirigir outras
a V. Exc, quer |ior este meio quer por outros. a-
quaes espero que tenham chegado as suas nos.
t O revez que soffreram os iniraigos de nossa
nacionalidade no ataque que pretenderam levar a
llumat c Timb, produzio effeito contrario que produzem fartos dessa natureza em poyos v-
ris, pois aqu, longe de exaltar o espirito de p.i
triotisrao, foi recibida a noticia do revez com ale-
i-'iia, e as familias das proprias victimas expres-
sara seu rencor e resentimeiito pela perda que
experimentaram contra o iniciador da guerra ac-
tual e seu princijial sustentculo nesta. D.' Bar
tolo.
A familia do coronel Martnez de Hoz, que
diz-se ter ficado prsioneiro no encontr de 18, no
Chaco, tem andado a procurar cartas de recosa
mendacao para V. Exc. afim de que tenha eonsi-
deracoes e o attenda. Sei que pediram as ditas
recoinmendacoes ao Dr. Torres, Egusquiza e ou-
tros. O coronel Martnez, segundo creio, mosto
exaltado, cora quanto pertenca a urna das tamila-
mais respeitaveis e mais numerosas deste paiz.
Os successos de Corrientes continuam sem
chegar a um accordo e D. Justo parece que, re
ceiando que o envolvam ou que queiram revolver
sua casa, preparase para os recelier, pois diz-s>-
que tem ordenado remtiao de torcas c era Monte-
video faz acquisicao de armas com quanlo tenha o
seu deposito bastante prvido.
t O que mais tem alarmado a D. Justo ter o
governo nacional enviado a Corrientes o general
Hornos e outros ehefes mais.
i 0 capitn general fez fiasco com a sua candi-
datura presidencia, pois s obteve cerca de 26
votos.
Nesta occasiao escrever detalladamente TVi-
mandnre-miri, jkis comquanto nao o tenha visto
ha alguns dias, como costumo, porque tanto por
suas relacoes como por outras circnmstancias
acha-se em eondieSes de pode-lo fazer com mais
seguranea e frequencia, e tambem poder dar-lhe
todas as notician e conhecimento de factos que pos-
sam ser de utilidade V. Exc
ido financeiro, tanto destas repblica-
como do Brasil que esli arruinados, que os im-
possibilita de levar adiante a guerra.
A mediaco offereeida que ver do incluso re-
talho, positiva, e na retirada do ministro ameri
cano du Rio de Janeiro, tambem se diz que tem
parte a recusa da mediacio dos Estados-Unidos
que pandee tora ltimamente otforeeida o gover
imperial.
Da guerra como das operacoes qUe se pro-


.-4

\



mu
ftftfti Jfl afrAAc
Did2de Pernambuco
Segunda
feira 25 de
Janeiro
---------aw
de 1869.
8 013 iX [
jecuuu nada posso comnuinicar-lhe pote disleaei i
em que me aeho, e perqu supponho que nao Ihe
tallarao correspondencias,- mesmo no theatro As
aoontecimentos que o infomiem de tudo.
Com o atine revez que soffrerain nao d.uvidu
que desistisMn da expedicao ao interior da rep-
blica, que parece eslava em projecto.
Como se diz que V. Exc. teni regimentos de
iiulheres para defender- a patria, epois do revez
rar H0890S iniaagos, encane
*il vr-riticir a idei tidadedar pastida emqiiestao, pos-
suindo tanto o coionel Wisner como o Sr. Tisclier
Von Frenenfels nheoimcftto tante de idioma allo-
ma como das coi sas ahV.naas. Quanti a mimiSo
tenho a menor duvida de. que a psate de que tra-
a a caria do Sr. (lould o mesnw coronel Versen,
S|ue por radsa de suas 'sympatliia* pelo Paraguay,
i> preso tanto no Rio de Janeiro como emJBuonos-
Avres. HL
Aprovciw est i occasiao para satidar aY.S,
de
PEENAMJCO.
que solTreram cin Yac
eam-nos alguns amia aqui d fazer espamar que com a mais distn cta considerar,*).
no dito encontr tomaram parte as nossas patricias. A S. S. o Sr. T Luiz Caminos secretorio
c que desse laclo pediam tirar a conclusa* do que Exc o Sr. presid >nte manchal Lupe* .
siocapazes Von < h/ir*, encarregado te negocios de S. M.
Refermio-me ne mais an que communicar o re da Priissia.*
V. Exc. meu amigo Tamandart-Mirt e-me grato
confessar-me de V. Exc. aitoactoso e humilde cria-
doQ. B. L. dfc V. Exc. o amigo de
TamnHare mtri.
, p. s.Nao quero terminar a presente sein fe-
licitar V. Exc, sua pessoa c repblica mtei-
ra pelos triumplios obtidos em frente as trincheiras
de Huniayt e no Chaco contra os inimigo* do nos-
sa patria. ,.. .
Pcrmiaa-me ao mesmo tempo que o Kiiciie
cordiahnente pelo annivecsario de seu fel natali-
cio que amanhaa. assiin como a repblica por
tantas glorias que lite tern dado no curto tempoque
diiiga seus destinos. .
Pero V. Exc mil desculpas pelas Taitas .e
borros'de que esta est cheia, pois recelo nao ter
tempo de copia-la.
(ARTA DO MINISTRO
AO SECRBTAUIO DE
ruissuxo
LOl'EZ.
Montevideo, 8de outubro de 1867 Conimu-
nicou-nie o meu collega britannico, visitando-nie
em minlia casa, que o Sr. Gould tiuha visto o sr.
Von Verseo preso no Paraguay, c por essa razao
fui procurar o Sr. Gould, secretario da legacao n-
Nao o tendo encontrado durante o curio tem-
po que esteve de visita em Montevideo, du -igi-ine a
.He por carta para Buenos-Ayres, rogando-Ine que
meinformasse se o major, o que quasi o mesmo
na hierarchia do exercito prussiano, coronel barao
Versen subdito prussiano, se arhava no Paraguay.
Respondcu-me o cavalheiro (ould da seguinie
inaueira : ,,,.,
Legacao de Inglaterra em Buenos-Ayres, o u.
onlub:o d 1887-Sr. ministro.Posso asse/tirar-
vos que foi com o mais vivo pezar que Uve de re-
tirar-me de Montevideo sera ter tido a honra ue
vr-vos e de oceupar-nos da pessoa que vos re-
reris em vossa caria de 2 desle mez. O individuo
que supponho ser o major Von \ ersen, dissc-me
me conseguir pallar a (-avallo do campo amado
para o do presidente Lpez.nos ltimos das do mej
de iuiho.
Nao se adiando munido de documentos que
provassem sua ideiitidade e o fin que all o leva-
va. lomaram-lhe o cavallo, e retido no quartel
general como prisioneiro, sob pretexto de que tai-
vez seja mu espiad ao servico dos adiados. Entre-
Reg deOliveira. Joaquim Alvino de Moura, Theo-
doro Coolho da Silva, Vicente F. Theotonio de Car-
valho, Antonio Francisco Luis, Raymundj) Ifeures-
tou. e 2 escravos entregar.
Levoumi bordo paraos portes dMtrloo
vapor nacional Tocantins, os seguintes: Paulo
Luiz Augusto Cippi, Laissac Temobon, Francisca
das ('.hagas Cavaleante Pessoa, Antonio S. Gnu,
" -t Corada de N
1 praca do rorpo de polma. Dr. Manuel Piilieiro
de Miranda Osorio. .Nicwtoaio Delfu, FelMpp Nu-
ticni. Jos Rineiro da Fonsefa.Dr. ConstantiiK) JosC
da Silva Braga e i lilho, David (aldeano lirre),
Francisco Jos da O sta Sampavo, Andi Gomes
da Silva. Amaro Barrete de Albnqueri|iie Mara-
nbio. Julio Cesar Paz .Brrelo, Angi-lo de Barde
Bardict. Carlos Augusto C de vascocellos, Ma-
nuel Mara de Moraes, Jos Rulino de Souza Ran-
kI. Amaro de Barros Corra, Vicente Augusto de
[ag'alhaes. e Joa Raposo de Souza.

tauU) bein tratado e Ihe permittido passeai
livremenle pelos arredros do lugar onde esta alo-
jado rom mitras pessoas mais'ou menos coinpro-
mettidas e alguns ofciaes convalescentes.
Apruveite esta occasiao de expressar-vos, Sr.
ministro, minha distincta consideracao.(Assigna-
do) <'.. /-". QmU. .
O Sr. Von Versen era ncmbro, e em razao de
sua eapacidade limite apreciado, do estado-maior
da Prussia, e disnguira-se notavelmente na ulti-
ma guerra allemaa : formava entao parte do esta-
do maior piussiiino. Militar activo e estudioso, pro-
nravaaugnienSr seus conheeimeiitos multaras B
lea a paz con a Alleinanha. liava-se as guerra-
que actualmente ha na Amrica. .
Prenda sua attencao a singulandade da actual
guerra sul-aniericma.'onde un pal relativamente
pequeo se defende com tanta perseveranea e va-
lor contra qtiasi a maior parle do conliuentc sul-
ameri-ano.
Por isso lancava seus olliares para o Paraguay,
rconeebeu o "plano de presenciar essa guerra,
passando-se para o campo paraguayo, para licar
:dli como espectador desla cainpanha militar.
.( Conharendo a eslreita neutrahdade rae a
Pmssia guarda aesta guerra, o coronel \ on \ er-
sen den a sna deniissao na Pnusia para de De-
ntara modo coinpromelter ao sen -overno e ein-
barcou em Bordea para a America do Sal. Pa-
ree ipie e- agentes do Brasil na Europa estavam
mal informados sobra a inteoco venladeia de
Ma vi.i'-'eiu e haviam informado ao governo bra-
sileiro qaeoconmel Venta tentava paasar-ac ae
aeampamento paragnayo como engajado neloa
agentes iiaraguayos na Eorapapaia entrar em
serrira no exercito paraguaM.
Por isso suceden i|ue o cavalheiro Versen
chegado ao Rio de Janeiro foi encerrado pelas au-
toridades do Brasil, e s em consequencia dos es-
forros coiiiuitms das legajee fraaeoza e prussia-
u no Hio eoBsegnJo a aWdadC) iste e. iui-iiie per-
mettido eiiiliarcar mitra n no vapor Irancez, don-
de aha sido tirado pela polica Inasleira.
Tudo iste consta do ultimo relatora do minis-
terio dos negocios eslrangeros do imperio do
Brasil. .
lina grande |tarte dcste documento oicial e
oeeupada pilas notas trocadas entre as legaoSe
lianceza e prussiana de una parta e o ministerio
de negocios estrangeiios de mitra. Nao tendo tal
\ezchegadii;e|uellerelatorio io Paraguay, junto
uoi peridico do Buenos-Ayres que conten mu
extracto da questao Von Venen, tratada nelle ex-
Innatimrnlr a memoria official do governo do
Crasil.
h vre o cavallveiro Versen, pelo unido nien-
eionailii. da prisie do Rio de Janeiro foi para Bue-
nos-A \re> onde encontrn a mesma sorteqne no
Rio. Foi preso por parte do governo argentino poi
suspeta de querer pa>sar-se as Illas paraguayas
para eombaler contra a alliamja. Poivm pouca.-
naataa depois da aeelamaeao do eonsulado da Pras-
sia em Buenos-Avies foi [Kiste em Uherdadosol
mwdicaode sabir da repblica Argentina, pasean-
do para o Chli.
u Parece que entao o coronel Versen, nublar
apaixonadissiiiK) e firme no proposito de presen-
ciar a guerra como expectador lctico na parte pa-
raguaya do theatro da guerra, emnprio a condican
imposta (lelo governo argentino, e apezar dos rigo-
i a d'i invern, de nao conhecer nein o idioma nein
os costumes do paiz foi ao ChilLe voltea do Chii
ao Passo ta Patria, tendo cumplido assim escrupu-
liwaineute a palavra que havia dado de ir ao Cin-
to. Porque, segmido as informales que Icnho, nao
se havia obligado a Doar no Chili nein a nao vol-
tai' repblica Argentina.
indo ao Chili, a confesso que pela coinmunicat;ao
do Sr. Gould vi cuui adiniracao que o coronel \ er-
sen leve iierseveranc, e lo poura coiagem mili-
tar de exeeutar o seu projecto, expoBdo-se a m
ineoininodos. fadigas e privac.Vs exiwndo ate
sua vida para ir dp Passo da Patria ao Paraguay
lo severamente cercado |elos alliados.
a V. S. uao estranhara que vase com sincere
sealinienlo que ao cavalheiro Versen, no Paraguay,
roube pela lercera vez a mesma sorle que ja ha-
via solrido lano iki Rio de Janeiro como em Bue-
nos-.Vyre-, e istn nicamente em razao de suas
pretendidas sympatUas en favor da causa do Pa-
raguay. e.mupiaiUo coni|>iv|ieinla Iwm ipie no l'a-
laguay se eslrauluiMse que m a su paixao pula
M-i'enc'i i mililar o levaste a ama viagem lio audaz
e arriscada.
Ttudo vivido milite lempo uo Paraguay e ro-
%bid>) all omitas provas do hospiulidade, quali-
dade inuniieiile de todo o povo paraguayo, acho-
me inclinado a por em duvida se a nfonuacao esli
fundadi em dad^verdadeiramente exactos e oat
ha neste negocio algum equivoco. Porque lodos o
meus coiiheeiniiiiios sobre este .,miijiio limilain-
se exclusivamente coniniunicaeao do Sr. (ould.
cima atencinada
Mas se exacta ainlbaiacao do Sr. Gould, ro-
go a V. S. que tcnlia a bomlade de apresentar a S.
Exc. n si presidente marceJial Lpez o ineupedi-
dede a a ler ao cavalheiro Versen perintsao pa-
ra ur*ncir a guerra do lado paraguayo como ux-
pectadoi- tctico e comoBubdite e ex-ofllcial de tuna
I"ilenei.i amiga.
Nao oblante, se por qualquer motivo nao fi
possivel acceder ao meo pedido, rogo a V. S. que
tenlia a bondade de |iedir de minha parte a S. Exc
o Sr. presidente do Paraguay que se digne de dar
ordena necessarias para que soja a facilitada ao
ravallieiraVersen a saiiida do Paraguay como;,
iiilnlito ilirtinrto r nrirtjpnaaV dr uiii g^overno el
naco amigos, sabendo eu perli.'iaiiinate .pie cor- j
radn o Paraguay pelo sou lado >ul nh a^ irciuns-
taiicia-M'luaes e semo auxilio desse govern
ra mili diflicil e at iuipossivel ao Sr. Von \
rualisar nina viagem lao, penivel como a do Para-
guay Bolivia, eapeeiajmente para un uropeu
qtt'. como o vavalheiro Versen, se acia ha poucc
t.iiupo na America o nao couliece >0Al nuui c
idioma, nein os costumes do paiz.
Se a inforinacao do Sr. Gould fosae mais mi-
nuciosa, dirigir-me-hia officialineate ao Sr. minis-
tro de relacoes exteriores. mas limitado a um.
eommunijacao lao pouco exleusa, prefer dtrig-
me jii-ssoalmente a V.'S.
i -No icaupamento paraguayo 6er muito fa-
RE^rISTA DIAEIA.
ACTOS 0FF1CIAES.-Por avisos do ministerio
do imperio de 12 e 13 do crtente :
Foram annullada? as seguintes eleicocs feitas
nesta provincia a 7 de setembro do anno passado ;
a da freguezia de S. Lourcnco de Tejticupapo ; a
da parecida de S. Sebastiao do Ouricury ; a que
se fia na casa da cmara municipal da villa de
Agua-Preta ; a eita na cmara municipal da fre-
guezia do Senhor Bom Jess dos Afililos do Hx
da Faxcnda Grande e municipio da viHa de Flo-
resta ; asduplicjtas feitas na capella do engenlio
Alagas (fAntn da freguezia de Nossi Senhorada
Conceijao de Nazareth e da capella do engenta)
Abren da de Santo Antonio de Tracunhaem ; a
feita no engenh) Guarabira do Linioeiro ; a que
se procedeu na freguezia de Nossa Senhora da Glo-
ria do Goit, ordenando que de conformidade com
a do Urina dos avisos n. (i de 21 de fevereiro de
183.1, n. 374 de 11 de setembro de 18G0 c outios.
que visto constitiilrem as nutras duas freguezias a
materia do inur icipio, prevalecesse a eleieao de
vereadores n'ella; feita. expedindo-se aos eleitos os
competentes dipl mas : e tinalmente em aviso de
13, as feitas em S. Jos.- do Ra> Formoso, e Nossa
Senhora da Pu.-ificacao e S. Goncalo de Una, jul-
gando milla a qcalfflcaco feita em 1868 na paro-
chia do Rio Formoso, c "mandando que a nova elei-
eao de vereadores e juizes de paz so zesse pela
qualilicacao de I86C, reconhecida legal iKda cma-
ra dos dpntados, visto uao ter licado concluida a
de 1867, por falt i de reuniao do conselho munici-
pal, que devia cenhecer do recurso interposlo de
oecisoes da junt; pelo bacharel Olvmpio Marques
da Silva.
Foram approvadas : a da freguezia de Nossa Se-
nhora da Escada ; a da matriz de S. Josa d'Agun
Pela ; a da matriz do Senhor Bom Jess dos
AJOletos doEx : as de Santo Amaro de Jaboatao
e S. Lourcnco da Matta ; as das matrizes de Nossa
Senhora da Com eieao de Nazareth c Santo Anto-
nio de Tracunhaem'; e a da ma'riz de Nossa Se
nhora da AprcM nlaeiio do l.imoeiro.
Sob a rubrica Parle Oficial damos a integra
desses actos, ipie sao a anprovacao piona de todas
as deisoes dada- pelo Cxm. Sr.'presidente da pro-
vincia.
FESTEJOS.(ontinuaram no sabbado os festejos
patriticos motivados pelas faustosas noticias do
que foi portador o van:ir IboaafthM, Ilnuveram
passeiatas duran e o da c noile, e illuminou-se a
Cidade ;'is 7 horas da tarde. As fortalezas deratn
tres salvas.
ARRABALDES.Ksses centros de reuniao, na
e-i ieao calmosa, tem tomado activa parte as de-
monstracoes de regosijo |elas ultimas noticias, so-
bresahin'do a Tonv, onde o Sr. Andr de Abren
Porto se tem esmerado em tornar festivos os dias
em que tem aqui i-liegado, ltimamente, boas no-
ticias do theatro da guerra.
LTIMOS FESTEJOS.-Damos em seguida urna
carta que, em dala de liontem, nos dirigiram c pa-
ra a qual chamamos a attencao publica :
f Sis. redactores.Foi sen duvida a sua Rnis-
la, que mais aninou os preparativos que ha tres
mezes se tlzeram para o acabainento da guerra.
As noticias trazidas pelo Tocantins quercm dizer
nada menos do q e a terinina^ao de tres annos de
combates e victorias, c assiin e tempo que Vmes.
leinbrem s coimn'ssoes das ras e bairros da cida-
de que se apreso tem para festejar definitivamente
no ilia em que siiibermos, que foi installado, em
Assumpcao o governo previsorio do Paraguay, no-
va que telemos lalvez pelo francez no dia 30.
Ao seu patri itismo licao animare convidar a
populacao e o go .erno para lao justo regosijo.
O ftto de Janeiro e a Bahia preparam-se de
agora com toda rompa.
Como vem os nossos leitores, e como bemdiz o
autor ila carta, lempo de se cuidar seriamente
no modo mais so emnode festejar as ultimas noti-
cias do theatro d. guerra, que, sem duvida, virao
mui proxjmamen e enebeade um inefavel jubilo o
coraco Pernanibucano, onde se aninham o mais
acrysolado patrio ismo comis dedicado anlor s
livTes instituirle! do Brasil.
Alm dos feste os de iniciativa olflcial, a popula-
cao de Pernainlii eo, e especialmente a do Recife,
que tem sabido s'inpre manter-se na* altura dos
aeonteeimentos, que temenebido de gloria o exer-
cito carinada brasileira ; nao deixar porcerlo de
organisar grande; demonstracoes de regosijo por
um snecesso ipie abre as portas de um novo c ma-
gestoso futuro ao progreses de sna idolatrada pa-
tria.
Assim. pois. en i notas da provincia de Pernam-
buco, convidamos todos qnantos tomam parte as
glorias brasileira: i levaren! o bolo de seu pa-
trio'ismoao altar da patria, adra de que as ulti-
mas a eminentemente faustosas noticias do theatro
da luta sejam fes ejadas de nm unido condigno ;i
trra dos Vieiras e dmaroes.
r.KXSri'A MERECIDA. Tem causado geral
desgosto o procei ment do commandanle do To-
cantins por nao ter icado ao (mirar da barra, ao
menos um signal que desse aviso para torra das
noticias que traca do sul. Esse procedimento
com cffeito censu avel, tanto mais quanto diz-sc ge-
ralmente quea labia c Alagiias mereceram essa
prova de consideracao da parte do referido com-
inandautc.
S. FRANCISO DE IGUAIUVSSCInfoimam-nos
que os religiosos d'aquelle convento facraui doac-
cao S. Exc. RMiia. desse edificio, onde S. Exc
achou agazalho, piando para aquella villa se di-
rigi cui demanda de mclliorar sua sade.
ATERRO DOS IFOGADOSO mo estado desse
lugar, de tanto ti .nsito, reclama alguma providen-
cia einseu favor do Sr. director das obras publi-
cas.
OBRA INTERESSANTE E UTiLAcaba de ser
publicada na pro vinera da Bahia, urna obra, inti-
tuladaRn*a0('nm tratado regnlar e pratieo so-
bre o divorcio, s-ijuHihi o direo synodnt, can-
nico e civil brt'.sileiro contendo o formulario
das acedes respe itivas e notas proveitosas ao as-
sumpt, pelo Dr. Romualdo Antonio de Seixas.
Essa obra, nac s por estar feita magistralmente,
mas at por ser a primnira, i|ue, sobre esse as-
suinplo, se esere'e entre mis, de muita ntilidade
quer aos advogailos, quer aos parochos. qimr em-
lim aos litigantes, jior mais de una razao como
de simples intuir Ao, pois que, em regra, se pode
dizer que anda -e nao sabe, principalmente fra
das grandes captaes, tratar com regularidade, de
causas ecclesiasticas, o que aatisa di
mente, estar a lelacao netrepolitana annullando
feitos, com grande prejirizo das partes.
(t preco ( de, 88 o exemplar.
PHAROL.A 25 do dezembro uitimo devia ter
principiado a f incciouar um novo pharol, para
marcaras rochas dcDouvres, situadas cerca de
16 milbas ao tili. da ilha de-Brelial. .
A luz do novo iharol ser branca o saintliante.
e os eclipses se succederao , cinc* em cinco se-
gnndos, dorando a luz cena de tres segundos. A
altura da torre de 4450 m. cima do nivel das
grandes mares e com a atmosphera clara pode ser
vista a 14 milbas de distancia.
A tone feita de ferro, pintada de branco, ten-
do a altura de 6 m. da rocha cmara da luz ;
sua posieao demora entre 48 i'.' 28" N. e 5 9'
3" O. "
PROTESTOS,- -O eserivo dos protestes Jos Ma-
iauno, esta do semana : a ra de Santo Amaro
n. 20.
LOTERA.A quo se acha venda a93', a
beneficio da igieja de Nossa Senhora do Terco
desta cidade, qu i corre terca-feira, 26 do cor-
da, mas resulta de muitos annos i
apurados nos hospitaes, no gabir
clnica |)trliciil;ir. e
em todas as classes
da molestia.
isconheci-
e estudoa
ele e na
de experierrias feitas
e em todas
CHRONH'A Jl'IHCiARII.
TRIBl^lL DO (OHflP.Rdl -^ a alarma planta ate agora d
M'.TA DA SSSO ADMINISTRATIVA DE 21 DE '
JANEIRO DE 1869.
PRKSIDENCIA DO KXM. SB. DKSEMB.VRGVDOB ASiEUtO
1 11 v> :ISC0 PERBTTI.
s dez linas da raanhaa, reunidosps Srs. depu-
tados Rosa, Basto, Miranda Leal e bario do Cruan-
gy. presente o Sr. desembargador fiscal, S. Exc o
Sr.' presidente abriu a sessao.
Lida, foi approvada a arta da sessao de. 14.
EXI'EDIKNTB :
Offlcio do Exm. Sr. presidente da provincia, fir-
mado a 18 do crrante, exigindo o parecer dcste
tribunal sobre a pretencao da coinmissao da so-
ao bem conhecido ciiimico americano Dr.
Ayer, de Lowell, nos Estados-Unidos, a
Iionra de annunciar ao mundo a descoberta
de om remedio que preenclte o desejailo
(hn.
Ghama-se sua preparac3o o--peitobai!
tes Pea Gonsa de Noniulia^lanocUeHtandeii, -DE cebeias,por ser seu ingrediente prin-
cipal extfstfdo da caasca interiot da cenv
jetra brava, combinando cn as virludtis
mediciiiaes d'outras plantas j muito conhe-
cidas ila medicina.
Um do6 escriptores angos disso: A cas-
ca interofc da crejeira brava til nos ca-
sos de debidade geral, digesljo Iraca, e
especialmente no tratamento de tubrculos
pulmonares.
Portanto, esta grande descobeita nao
ilha do aGaso, uefa das virtudes taaiavilbo-
O que pile a salsaparrilha de
Bristol fazer?
as pbases
COMMERCIO.
Dirija-se esta pergunta esse
bumanidade, o Jayme Wyckoff,
edadeOnfio Beneficente martima.-Resalveo- i raneado morte, como tambem
se que se ouvisse o Sr. desembargador hscal.
Olllcio do presidente e secretario da junta dos
corretores, de lo do corrente, satisfazendo o que
fra exigido por oflicio de li do mesmo mez
Inteirado e archive-se.
Oflicio dos mesmos fmiccionarios, firmado a 18,
apresentando o boletim eommercial da semana
prxima finda.Archive-se.
Foi apresentado o resumo do movimento do
trapiche alfandegadoRamos, relativj ao se-
mestre ultimo, o qual tora entregue na secretaria
no dia 15, conforme a aunotacio feita pelo Sr. Dr.
oflicial maiorA secretaria confira com o antece-
dente.
O Exm. Sr. presidente lirinou o oflicio que diri-
gi ao Dr. juiz especial do c.ommereio mbstituto
em resposta ao que veto cobrindo a relaeao dos
fallidos da anno prximo passado.
O Sr. secretario expedio com sua assignatura
um ollicio ao conservador do comniercio das Alar
gi'ias dando-lhe conheciineuto da rcsolucao lomada
em a prxima paseada sessao.
Distribuiram-se aos Srs. deputados i segamtes
IRrroa coramerciaes:Diario de Thoma/. Fernan-
des da Cunha.dem de Pedro Joaqutm Vianna
de Lima.Copiador e Diario de Silva & Carvalho.
dem idem de Mindello, Oliveira & CCopia-
dor de E. A. Burle & CDiario c copiador de
Thomaz Jos de Oliveira & C Copiador de Sa-
muel Power Johnston 4 CDiario de Pedio Ozo-
rio de Cerqueira & Irmio.dem de Joaquim Sil-
verio Me Souza & (J^-Copiador e Diario de No-
gucira A Medeiros.
O livro de protestos do escrivao Albuqucrque
coutinlia o lutimo protesto por elle registrado sob
n. 1701 em d;Ua de 11) do corrente, e o do escri-
vao Alvos de Brito, l-17 em 20 do mesmo mez.
DESPACHOS.
Requerimenlo de Julio dos Santos Pereira c
Carlos Henri(|ue (ulzlalT, socios da plioto:rapliin
internacional sita ra do Imperador n. :8 pedin-
do o registro do distrato de dita sociedade.Vista
ao Sr. desembargador fiscal
Dito de Ges & Bastos, eslabelecidos com loja
de fazendas a ra do Queimado n. 46 para se Ibes
registrar o distrato social que juntam relativo
retirada do socio ronimanditario Jos Joaquim
Goncalves Bastos que se acha pago de seu capital
e lucros, continuando em vigor para os socios so-
lidarios o contrato existente.Vista ao Sr. desem-
bargador fiscal.
Dito de Thomaz Jos de Oliveira e Joao Mar-
ques de Piho, para tambem registrar-se-lhcs o
contrato social que eelebrarain sob a firma de
Thomaz Jos de Oliveira & CVista ao Sr. flfc-
emliargador fiscal.
Dito de D. Emilia Von Sohsten e Geraldo Abrao
Pedro lira odor a Brandis, para o mesmo liui quan-
to ao contrato de sua sociedade eommercial.
Vista ao Sr. desembargador fiscal.
Dito de Mu Mandes de Araujo, Manoel da Cu-
nha Lobo e ChristovSfl Perraira Campos, regis-
tro tambem de sau contrato social.Vista ao Sr.
leseoiliargador fiscal.
Dito de Joaquim Bernardo dos Reis, cidadao
brasileiro, de idade de 48 annos, estabeleoido nesta
cidade com loja de charutos a' ra larga do Rosa-
rio n. .'10, pediudo sor admitido matricula na
qualidado de comiiierciaute em grosso e a retallio.
Atlestai em abono de seu crdito commerdai
Francisco Aniste iLa Rasa, Jos Joaquim Dias
Fernandos o DomingosAlves Matheus Vista ao
Sr. desembargador fiscal.
Dito de Patn Nash & C, registro da Hornearlo
de Carlos Carueiro Monteiro Santos para seu cai-
xeiro despachante da alfandega.Regislre-se.
Dito de Francisco Jos Goncalves de Siqueira
Jnior, certidao verbo ad verbuin do theor de sua
Hornearlo de caixeiro da casa eoniniorcial de
Francisco Jos Goncalves de Siqueira.Como re-
ipier.
Dito de Marques, Fernandos 4 C, para scjhos
permittir o uso do livro diar.o que- pertencen fir-
ma de Joa i Jos Marques e que se acha cscriptu-
radoat paginas 349.Como requerem.
Dito de Jos Nogueira de Souza e Jiiaquim
Francisco Jos de Medeiros, contrato de sodedade.
Vista ao Sr. desembargador fiscal.
Dito de Vicente Antonio do Espirito Santo, pe
dindo ser reconduzido no lugar de avaliador do
juizo do comniercio.Como requer,
Dito de Jos Mendos de Fre Lis, como procura-
dor da compaa de segurosFeliz Leinbpnca
replicando do despacho do l* do mez prximo
lindo.Vista ao Sr. desembargador fiscal.
Adiados na sesslo na prxima passada e na
anterior :
De Alvaro Prato Noblato em que pede ser no-
meado avaliador do juizo do commercio.
De Jos Mara Seve, pedindo tambem ser ao-
meado avaliador do mesmo juizo.Ambos conli-
nuam adiados.
Rehabilitaclo de Jlo Jos Leite Guinnraes, so-
cio da firma Diogo, Filh i & C.Nao pde aprovei-
tar aosupplicantc a quitacao concedida ao fallid)
JoaoBaptista Tollos, avista dos decretos que cita o
mesmo supplicante, que pagara as custas.
Nada mais houve, e eneerrou-se a sessao I
hora da tarde.
resto de
ao s ar-
resta bele-
cido sade, quando j se acbavti meio de-
vorado pelas escrfulas; Joaquim Me-
gia, de Valparaso, que se estayaj definban-
do com ptbisica escrofulosa; a Jos M.
Gmez da Vera Cruz, que pelo espaco de
i annos padeceu de um cancro no nariz:
Sia. Anta Quiroz, da Havan, desfigurada
por um riieumatismo chronico; Sra. Isi-
dora Aguilera, de Buenos-Ayres, ique tinba
15 ulceras abertas no joelbo direito;
Sra. Dolorez Nendes, de Lima que licou
reduzida nm esqueleto vivo em couse-
qnencia de urna molestia exterior: o todos
attcstatn e certficam, que depqis que os
mdicos mais eminentes pronunciaran! sua
sententenca de morte; a salsaparrilha de
Bristol, nao s os aliviara, mas sim tam-
bem os restabeleeu e lites devolvtu ao mais
completo eslado de sade.
Em cada cidade, povoaco e aldea ila
America Hespanhola, achar-se-hc homens.
mulhercs e meninos que di rao o mesmo.
Acha-se venda as pbarmac as de A.
Caors, J. da Conceicao Bravo C, M.
A. Barbosa, P. Maurer d C. e Bartholo-
meu & C.

PUBLICACOES A PEDIDO.
Srl. redactores.Sempre fui e sou infenso ;'is
lulas jcirnalisticas mxime com individuos, que nao
tendo urna educarlo conveniente para enteuder-se
com cavalheiros que se presain, nao se jiejam de
chafurda ->e em falsidades com tanto que jusfi-
quem os destemperos de suas persiguieres; as-
constante- Mm pois venlio lela ultima vez corroborar < que
ja disse na minha ulterior publicarlo relativamen-
te as troiietias e vechacoes dos meus moradores,
guardas nacionaes e agradecer ao Exm. Sr^ondu
de Iiaeppndy as medidas certeiras que tomorrpara
lenitivar ns soffrimentos dos meus inoradoces. Dei-
xo de resiwinder ao Sr. capitn da 8' companhia do
batalhao de Jaboatao, porque nlo quero, nao posso
e nem desojo discutir com S. S.
Engenho Pintos, 12 de Janeiro de 1869.
Jos Bofino Barbosa da Sika.
PRACA DO RECIFE 23 DE JAfl EIRO
DE 1809.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDE.
Algodlo da Parahyba 1" sorte 139dO por arro-
ba posto a bord (hontem).
Cambio sobre Londres 90 d/v 19 3/4 d. por
1JO0O.
F. J. Silveira
Presidenie.
Leal Seve
Secretario.
BANCO MAUA i C.
Ra do Trapiche n. 34.'
Desconta lettras couimerciaes a taxa con-
vencional. Recebe dinbeiro, a premio con-
vencional, por lettras e em conta corrente.
Confere crditos, saca sobre as priraeiras
pracas do imperio, Rio da Prato e Euro-
pa, e compra cambiaes so'.ire as mesraas
pracas.
Encarrega-se, por commisso, da com-
pra e venda de fondos pblicos e aeces de
companbias, da oobranca de leltras e di-
videndos ou de seu pagamento, e de qual
quer outra operac bancaria.
0 expediente para o publico comecar
s 10 lloras da manlta, e terminar s 4
horas da tarde de todos os dias tjiteis.
ENGLISH BAN
Of Rio de Janeiro iLimited
Desconta lettras da praca U xa a con-
vencionar.
Recebe dinheiro em conta co trente e a
prazo fixo.
Saca vista ou praso sobre as cidades
principaes da Europa, tem agencias na Ba-
ha, Buenos-Ayres, Montevideo, New-York
e New-Orleans, e imitte cartas de crebito,
para os mesmos lugares.
Largo do Pelouriuho n. 7
Caixa Filial do Banco do Brasil
A caixa filial do banco do Brasil em
Pernambuco em liquidaco paga o 30 divi-
dendo das accoes do Banco do Brasil ins-
criptas nesta caixa; a razao de 9s)000por
aeco.
Recife, .6 de Janeiro de 1869
camilla
PASSAGEIROS O vapor nacional Giqui, entra-
do de Fernando de Noronha trouxe seu bordo os
Eeguintes: capital Tibuvcio Hillario da Silva Tava-
vares. sna senhora, 'lilhos menores e escravos,
Antonio Valerio dos Santos Noves. Joaquina Pcrp-
tua de Jess Nevos, alferes Herciilano Daniel da
Silva Loureiro, M pracas de fuzileiros navaes, 10
imperiaes marinlieiros, 17 guardas nacionaes e 2
sentenciados.
0 vapor br tsiletro Curwip** trouxe tambem
seu bordo oetegaflfttea: Joao Gomes Pacheeo,
Joao Macario d; ajveira Borges, Jos da Silva
Loureiro Jnior,. oaquim Ezequiel Barbosa, Hauoel
Tubrculos pulmonares
i
No mundo inteiro talvez nao baja moles-
tia alguma que tenha dado mais serios cui-
dados sciencta medica do que esta. Des-
de o tempo de HypptwratoB tem ella aco-
lado o mundo, e a estatistica mostra que
om nada tem diminuido o nmero das suas
victimas.
Em Pars de todos quo morrera t> 4|4
0|0 sao de tubrculos pulmonares, em fxin-
dres 1 213 0(0, em Bern 49 OjO e tan
New-York 14 5i8 0[0.
Ha seculos que os homens 8cientifioos.:e
philantropos buscim aeciososos um antido-
to que ponha termo aos estragos deate ter-
rvel mal, muitos tem-no pronunciado in-
curavel e abandonado o estado Slle co-
mo improfteuo; porm outros, cxmli*)
ios vastos refsjrsoB- da-ejieta, ceotian-
ram: at qne por fim no seclo XIX coube
TABELLA dos pitacos dos gneros si jeitos a di-
11KITOS DE EXPOBTACAO.SEMAKA DE 18 DE JANEI-
RO A 23 DO MESMO MEZ DE 1869.
Mercaduras: Unidadei.
Alanos.........cento
Aleool ofl espirito de agulden-
te ........" .
Agurdente cachaca.....
dem de canna......
dem genebra.......
dem resillada ou do reino .
Algodao em earoco
dem em rama ou em laa, .
Augico (toros )......
Arroz com casca......
dem descascado ou pilado .
Assucar branco......
dem mascavado......
dem retinado.......
Aceite de amendoim ou ainen-
dobim........,
dem de coco.......
dem de mamona......
Batatas alimenticias. ....
nilba.......'
ca ordinaria, propria para
emliarquc........
"demlina.........
Caf bom........
dem escolha ou reslolho .
lia
Valores.
24500
900
120
HOOO
880
850
24970
124000
604000
14000
24600
44700
urna
64400
U5O0
14800
14400
I4ii00
24SO0
arroiba
. i
dem Uirrado.......lbraj
Qibros......... um
Cal pifia.........airo ia
Cal branca........ |
Carne secca ( xarque ). )
Caiueros........um t
Carvao vegetal.......arrolia
Cavernas de sicupira .... urna
Cera unarella.......arro ia
dem de carnauba em bruto. libra
dem dem em vellas.....
Cevado ( porco )......um
Cha..........libra
Charutos ........ cento
Cocos seceos .......
Colla. .......... libra;
Couros de boi, salgados ... >
dem dem secces.-espichados.
dem idem verdes..... *
dem de cabras cortidos .
dem de oopa.....
Doces seceos .
dem om gotea ou massa.
dem em calda ....
Enxams......
Espanadores griides. ,
dem pequeos ....
Esteirtas para farro, on estiva de
navio.........cento ISW"
dem de carnauba ... urna 160
Estopa nacional ..... arroba OW
Farinha de mandioca .... alqueire. 24-wO
dem de aramia......arroba
Feijaidcqualquer qualidad .
Prechaes ........
Fumo em follia Iwm. -mtmr*
dem om fillia, ordinario ou res-
tolho.........
dem em rote, bom. '
Fumo en. rolo, ordinario ou res-
tolho.........
Cabullas....., .
(omma de mandioca. ....
Ipecacuanha ( raiz ).....
Jacaranda < coui-neiras) .
Lenha em adas......
dem de mangue em toros. .
Linhas o esloios......
Melou nielaco......caada
nm
anoba
una
arrolia
duzia
cento

um
>4000
8*000
10*000
81000
IKHHI
.-4200
iStm
95*00 I
;t40oo
124000
64000
200
14000
240
14000
54000
i; i-)
54000
I24(KK)
900
800
14000
25000
160
, lamento quo bailn com o decreto n. 4181 d
de Maio do anno prximo passado.
Secretaria da tbesonraria de fazonda de Pcrnara-
bHCO, 21 de Janeiro de 1869.
O offleial-maior.
.... Mtu&ti Mamtrli da Silva Costa.
DECLARACOES.
cont 2*800
Milho. ......... arroba
Osses. .........
Pama de carnauba..... molho
Papagaio........ om
Pao Brasil.....*. quintal
dem de jangada...... um
Peehury......... arroba
Podras de amolar. urna
Idem de librar.......
Idem de rebollo. :
Peanas de ema. ...*.. libra
Plawava......... moibo
l'ontas OU cbifres de vaceas e
novilhos........
Planchos de amarello de dous
costados ........ um 204000
dem de lonro....... I040K)
Rain'!....... libra 14000
Sabao........... 1 160
Sal. ,...... alqeuire 400
Salsaparrilha....... arroba 304000
Snalos de eouro branco par 800
Sebo em rama...... arroba 5 4000
Idem em vellas. ...... 74000
Sola em vaqueta .'.... un 44500
Taboas de amarello .... duzia 1405000
dem diversas....... 87 5000
Tapiocas......... arroba 3*000
Tatajuba '........ quintal 25000
Travs -........ una (4000
Untaaa de boi....... cento ."180
Vassouras de piassava ... IO.jOOO
dem de timb...... K50O0
dem de carnauba..... 64400
Vinagre......... caada 800
Alfandega de Pernambuco 16 de Janeiro de 1869.
O 2." cotlferente. Antonio Carlos de Pinito
Btnijes.
i>'aldanle do stereometra. Manoel Antonio
Vitaos Juiwir.
ApprovoAlfandega de Pernambuco 16 de Ja-
neiro de 1869. Petan de Barros.
Conforme.--Joaquim Tertuliano de Medeiros.
PRAGA 1)0 RECIFE
Cll 23 de jANEino M 1869, s 3 horas da tahdk.
II i: % I VI'A MHVM!.
Camih )s.Sobre Londres saeearam os baacee a
19'.. d. por 15 o os parlieulares a 19 3/4, sendo o
valor ilos naques efectuados de 90,000.
Algodao.O de Pernambuco oscolbido c regular
vendeu-so de 125500 a 124800 a arroba, de Macei
posto a bordo a 13*300 a ultima venda, e o da
Parahyba de 13*650 a 13*000.
Ass cvn.Vendeu-se o branco de 44400 a
54200 iHir arroba, o somenos de 35800 a 34900, o
mascavado purgado de 3 i a 35400 e o bruto de
2*590 a i*m>
Awaiidentk.dem ile 25 a 854 por pipi.
Copaos. Os seceos a nalgadns vouderam-se a
255 rs. por libra.
Arroz.O pilado da India vendeu-se a 34500
por arroba.
AzEiTK-Docn.O de Lisboa obteve 35500 eo do
Estreito 34 por galas.
Bacaliio.- Beialhou-se de 204 a 214 a barrica.
Batatas.Venderam-se a 1*200 a arroba.
Boi.aciiimiasdem a 54 por barriquinha.
Caf.idem de 54200 a 64 por arroba.
Cha.dem de 25200 a 25800 por libra.
CervejaHegulou de 4 4500 a 84000 por duzia
de garrafas.
Looca.A ingleza ordinaria vendeu-se com 425
por cento de premio sobre a factura.
Mantkioa.Vendeu-se a ingleza de llOO a
14200 e a franceza a 980 por libra.
Massas.dem a 104 a caixa.
Oleo de limiaca.dem a 2*500 por galio.
Passas.Idem a 74 a caixa.
Qiikij.is.lis llamengos venderam-se de 24000
a 2*100 cada nm.
SabaoVendeu-se o inglez a 170 rs. por libra.
Toc^nho.-Idem o de Lisboa a 154 por arroba.
Vinagre.O de Portugal vendeu-se a 1354
por pipa.
VinhosVendeu-se o de Lisboa a 220* os da
Figueira a 310 e os de outros paizes a 210 a pipa.
Velas.As da eomposioao regularam a 700 rs. o
paco te.
Descontos.O rebate de letras regulou de 8 a
lo pof cento ao anno,.
Fretes.Para Liverpool carregando aqui em
vapor 5/8 d. por libra e S % pelo algodao, e em
navio da vela 12 d. por libra e 5 %; carregando
no Cear, Parahyba e Macei em navio de vola 1/2
d, peto lastro do assucar 20 "/o
Provincia da Fanihyb.1.
Olllm. Sr. Dr. inspectoi do thesouro provincial
manda fazer publico, de ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia, em oflicio de bontein datado,
que tein de eontratar-se a ilhiminaoao publica por
meio de gaz corrente e o abastecimenlo de agua
potavel desta capital as seguimos condic-
eos :
1." A illumiiiacao ser correspondente a 400
eonibusioros, cada um dos quaes dar una luz
equivalente em iutensidade 10 vidas de esperma-
cete, das que consomem 120 gios por hora, o
estar acceso 9 horas iior noule.
2." O abaslecimento de agua ser frito por meio
de eanaiisaeao e chafariz, mediante a vantagem da
venda de agua para o contratante ou companhia
que se organisai'.
3." Os contratos ficarn dependentes ila appro-
varao da aoseiiibla provincial.
Sao. portanto. convidados os.que pretenderem
contratar as mencionadas obras a apresentan m
suas impostas no praso de 40 dias, a contar da
data do presente peante esta repartir*, alim do
seren tomadas devidainonte om consiheraro.
No impedimetO do oflicial da Reeretaria.
Argemiro Lean, Gomes Pessoa.
Pela reeebedoria de rendas internas geraos
se fazpiblico que ueste nm a no da le\ereiro
prximo futuro, que os conlribiiiutos da taxa dos
escravos do oxercicio correnlo de 1868-69, quer
Dioradores as fregumias da cidade, quer as de
fra, leen de paga-la, livre da multa de 6 0/0, e
com ella de mareo em dianto.
Reeebedoria de Pernambuco 8 de Janeiro !e
1869.
O administrador,
___ Manoel Cameiro de Souza Lacerda.
AVISO AOS NAVEGANTES.
Em virtude de ordem do Exm. Sr. presidente da
provincia manda o (llm. Sr. capito de mar e guer-
ra ecapilao do (torio publicar oedital ahaixo trans-
cripto, conforme solicitou S. Exc. o Sr. presidente
da provincia do Para:
Edital.De ordem do Exm. Sr. conselheiro pre-
sidente da provincia se faz- publico que no dia i4
de novembro ultimo foi collorada, as proximida-
des do cotovello do baixo de Braganca ao S. >. E.
da mma da ilha daTijca, o ao S. E. 4. E. danonta
do Curuc om latt. S. 026'9", e long. O. de
Grow 47 54'3", em fundo de 16 bracas arca
lina, a barca Pharol, que para semelhant Affldes-
tinnu o governo imperial, as condieces seguin-
tes:
E' toda construida de ferro, tem 80 pos de com-
primento, 20 de bocea. 10 de por.lal. calando
7.
Eleva-se do centro um mastro no qual irada a
lanlerna que eontem um appai^lho luminoso do
syslhoiiia catoptrico, composto de nove lampa'' -
de balanca rom outros lanos reflectores pratcados
e disposlos om grupos do tro-:.
Este anparolho giratorio, eondaiado em 5'
una revoiucao completa com eclipse de 5" rada
una.
O phoco luminoso eleva-se 30ps cima daunria
de fliiotuaeao. a luz clara e pmle regularmente
ser avisiada na distancia de oito milbas.
O navio que buscar a entrada deste porto logt
que tiver roconbocido a Harra-Pharol a dever
conservar |>or B. B. enavegar ao 8. 0.4. O.; delta
dis'aiite ineia milha, e logo que a tiver pela popa a
igual distancia, navegar ao 8. O., tendo muita.
attencao a inar com que entrar, porque em va-
sante encesta para cima do baixo o a endiente 0>
ateta.
Os rumos de que cima se nata sao magne
ticos.
Secretaria do governo da provincia do Para, i
de Janeiro de 1869.0 secretario interino Joao Un-
gido dos Santos.
Ce-nfere.Antonio Anuos Jacome Pires.
Confer.Salazar.
Capitana do porto de Pernambuco, 16 de Janeiro
de 1869.
o secretarte,
Decio d'Aquino Fonstca.
MOVIMENTO DO PORTO.
Mantel entrados no dia23.
rnando de Noronha40 horas, vapor nacional
Giqui,He 223 toneladas, commandanle Joaquim
FeCuslodio Duarte de Azevedo, equpagem 23, em
lastro: companhia Pemambucana.
Havre 45 dias. barca franceza Veridianna. de 240
lanciadas, capilao Cholous, equipagem 12, carga
fazendas o outros generes; Eduardo Burle
4C.
Sarios stihidos no mesmo dia.
Pollos do norte Vapor nacional Tocantins. com-
mandanle Jos Mara Ferreira Franco, carga
dilTorentes geueros.
CanalEscuna ingleza' AlierfeIJij, rapiUioW. BtaaR)
carga assucar.
('.analllana ingleza ConsUtnce, capilao Glass,
carga assucar.
MacoteBarra ingleza Etlerag, capilao E. Fouck-
ned, em lastro.
Obserraro.
Suspondoii do lam.uo para Parahyba abarca
ingleza Sijraaua, capilao Fenlay, coin O mesmo
lastro que Iroaate da Balda.
Marios entrados no dia 34.
Mamangnape15 horas, vapor brasileiro Curtirte,
de 222 toneladas, commandanle Penna. equipa-
gem 13, caala dilerentes gneros; coiupanbia
Pemambucana.
ObservaiJio.
Nao houve saida al mcio-dia.

O conselho de roiiipras do arsenal de guerra
precisa comprar o seguinte :
84 oovadea de panno azul.
336 varas de brim escuro.
Hi'i ditas de dito blanco.
56 ditas de algodaozinbo.
54 pares de lerna de algodao.
54 liaros de botns.
93 lencos de algodao.
93 pares de meias.
37 sus|iensorios.
28 bonets de panno azul.
28 grvalas de solado lustro.
2 foles grandes para ofllcina de l'errero.
400 mappas para o moviniento diario da enfer-
ma ri a.
20 resmas de prpel almasso liso.
20 ditas de dito pautada
:W) arrobas de chumbo em barra para bailas
20 parea de sapatos de lona.
1 machina para descaro^ar algodao pelo sys-
tema de navalhas.
40 arrobas de plvora grossa para salva.
As pessoas (me se propozerein a umecer ditos
i objeelos, deverao apresentar om carta fechada as
suas propostas, na sala das scsses do consellw em
iH do corrente, s 11 horas da nanha acimipa-
nbadas ditas propostas das eomnetaates amostras.
marcadas com o signal que as mesinas se d-
signe.
Os mappas podeiite ser examinados antes no ar-
senal pelas jiessoas que os pretenderem ibrneecr
para dii oceao das mesmas em suas pi-opostas.
Sala das sessoes eo conselho de compras ilo-
ai i ii d de guerra, 21 de Janeiro de 1869.
F. Baphael de Mello Bego,
Presidente.
Jusr ftaptista de Castro e Silea.
Secretario.
EEITAES.
um
libra
um
34000
74000
74000
64500
440
360
400
580
3*800
44000
1*600
3*500
64500
230
500
204000
24000
34000
4*000
660
270
290
170
380
10*000
1*00
360
520
I4S00
4*000
2*000
De ordem do llim. Sr. inspector da thcsoii-
raria de fazonda desta provincia, sao polo presen-
te convidados os Srs. Manoel Joaquim do Reg
Barros, Cloni- utiuo Jos de Alexandria, Bellarmi-
no Jos uos. Jos da Suva Bandeira, EliasBap
Asta de Oliveira, Jos IV-dna-de Alexandria e Jos
Caetano Madeiro, moradores no termo de lugazei-
ra pata dentro do prazo do noventa dias que Ihe-
(ica marcado a contar deita dato, reeolherem at.
cofre desta to souraria cada um a qnantia de du-
zentos e vinte o cinco mil ris proveniente de mul-
tas que Ibes foram impostas pete Dr. juiz de die
reito presdeme do tribunal do jury do mesmo ter-
mo por falta de comparecimento a segunda ses-
sao do ditu u ibuuai. Findo o prazo sera a cc-bran-
ca das referidas maltas effectuadas executivamen-
te de conformidade com o arl. 3 do rcgul.unento
3ue baixou com o decreto n. 4,181 de 6 de maio
o anuo prximo findo.
Secretaria da thesonraria de Pernambuco, 12 de
Janeiro de 1869.
O ofllcial-maor,
Manoel Matnede dn Si/va Costa.
De ordem do llim. Sr. inspector da tbeson-
raria de fazonda desta provincia, sao pelo presen-
te convidados os Srs. Francisco Alvos dBrite
Antonio Alves de Brito e Simo Baatista Pcdio-i.
moradores no tormo de ingateira, para dentro do
prazo de 90 dias que Ibes (lea marcado a contar
desta data, reeolherem aos cofres da tliesmirari.
cada um a qnantia de7.t*000 rs provenientes de
multas oue Ins foram importas pelo presidente do
tribunal do jury do temi dn Ingazeira por fali.
do comparecimento a 2" sessao do mesmo jury,
segando o termo do resumo das multas que acom-
panhou o oflicio do respectivo juiz de direito de 31
de dezembro prximo passado.
Findo o prazo ser a cobranza cffoetuada execu-
tivamente de conformidade com o ait 3* do regu-
Yice-ronsulado do Per.
O abaixo assignado vice-cunsul da repblica do
Pi'iil, leudo de reinetler a junta de beneficencia do-
ma, o producto da subscripeao aborta a benefi-
cenciados prejadicados com os ltimos terremotos
que destruiram diversas cidades e povoaeScs da-
quelle paiz, deixando milhares de pessoas ontr'ora
abastadas, rednzidas ao maior grao de mendicida-
de; avisa a todos os habitantes desta cidade que
qneiram concorrer para um fim tao caridoso. que
no vire-consulado est aborta a respectiva subs-
cripcao. Jos Jronte Tasto,
^__________________Vice-consnl.
Pela administraban do crrete desta cidade, se
laz publico a quem inioiessar possa, que nao se
demorand1' os vapores da companhia Messagerios
Imperiales neOe porto em sen rogmso do Hio de
Janeiro, o lempo preclu para se fazer a expedir i
das malas com direced a Europa, tem resolvido-
que as malas se fecliein as 6 horas da tarde do dia
anterior ao da chegada dos mesmos vapores.
(kirreio de Pernambuco, 18 de Janeiro de 1869.
O administrador,
____________Domingos dos Pastos Miranda.
Conselho de compras navaes
O conselho no dia 25 do corrente mez promove
a compra, sob as condces do est vio e vista de
propostas recebidas at as II horas da manda
dos seguimos objectos do material da armada: 6
pecas de arribem, 3 ancorles de 2 quintaes, 12
handeiras nacionaes de 4 pannos, 200 alqueires de
cal prela, 8 pecas de cabo do linbo de 1 polegada.
8 pecas de cabo de linho de I 1/2 polegada, 200
caotas. 5,000 estopares, 10 arrobas de ano* do
Rio Grande. 200 lencos de seda preta, 30 pecas de
lona larga da Russia, 20 resmas de liza de esmeril
em panno, 6 arrobas de mialbar. 10 libras de
obreas francezas, SO folhas de papel para mappas.
2 resmas de papel hollanda, 2 pecas de tapete, 20
lira-liihas, 40 Irados ile fero do4/8, 60 grosaa de
torcidas parapliarol, e 8 vidros grand(-s ite patente
de 5 1/2 palmos de comprimento e 4 1/2 de largo
Sala das sesses dn conselho de compras navac
18 de Janeiro de 1860.
O secretario
Alejandre Rodrigue* dos Anjm.
AVISOS MARTIMOS.
Para
O brigne escuna nacional Amelia II, segu ne
llm do corrente mw de Janeiro, anda receba al-
goma carga miuda : trata-so com e consignatario
Joao Francisco da Silva Novaes, ra do Vigario
n. 11.
*

:
tt
\
:



(Jftiario de Pernambuco ~ Sumida. feira 25 de Janeiro de t$$9.


------
COJUPAHHIA
...____ .. DAS
Messageries imperiales.
Os Srs. lieitai tos podoriin examinar as ditas ca-
emjo leiiao.
Terf;-feira 20 do coi rente
No primero andar do sobrado n. 62, ra daJ
Cruz, as H hoias.
ni ii i i
M: o da 30 do torrente mei espera-se dos por
tos d) sul o vapor francoz Xavatre, comnuimlantt-
Masscnet. o mal depois da demora do eostiinii
.ir para Brdeos tocando era Dackar (Gotee)
Lisboa,
Para eondkjoos, frates e paswgens trata-se ni.
agencia na d Commercio a S.
AVISAS DIVERSOS.
K
COMPANH1A PEHNAMBUCANA
BE
Kavegaeo eostfeira por vapor.
Maceio, escalas- e Pencdo.
O vapor Poten-ai, coimnandant
Peroira, seguir para osporlos cima
no da 30 do eorrente as 5 horas da tar-
en. Recebe car^a at o dia 29 as .1 horas da tar-
de, micommondas, passagoiros e dinheiroafrete al}
as 2 horas da tarde do dia da sahida no escriptorio
do Forte do Mattos n. 12.
COMA BIIASILEIRA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at o dia 26 do correte o vapor
Cmzeiro do Sul, commandante
Alcofnrado, o qual depois da de-
mora do rostume seguir para os
) sul.
Desde j reeebi'in-se passageiros e eiigaja-e a
carga ([tie o vapor poder eonduzir, a qual devora
ser embarcada no dia desuachegada. Eneommen-
das e dinlieiro a fete al as duas horas do dia da
sua sahida.
J. t'orrrira Vlllcla
Photographo da casa imperial
premiado em diversas exposi-
qoes.
Na sua pho.ograpliia ra do Cahug n.
18, entrada pelo pateo da matriz tira retra-
tos por todos os systemas photographicos.
Em porcelana Em vidro
Em taco -Em papel
CARTOES DE VISITA A0 ADUZIA.
Os retratos carte-de-visite sao collados
em cartao de luxo bristal ou porcelana,
domados ou lithograpbados, quadrilongos
ou vinhetas para oque existe urna varieda-
de de 12 modelos a escolba de quem se re-
tratar. Para ; s outras especies de retratos
temos caixinlias, passe-par-touls, quadros
e molduras douradas e pretas cassoltas de
ouro e alfincte; simples ecom pedias pre-
ciosas, bavendo nos aliiietes una mimosa
variedade de filitios.
O nosso eslabelecimento pbotograpbico
est sempre em dia com os melhoramentos
eprogressos que na America do Norte, na
u no Rio de Janeiro se consegue
Nao se reeebem como eneommendas seno ob-,
j .tos de peipieno valor e que nao exeedain a duas j Europa
arrobas de peso on 8 palmos cbicos de medieao.! na arte pbotographica, e para alcancarnios
11l"0i,rp,.',:rrd''s,''s lta!^*^9Wembarca- tal fim nunca wupamos despezas nem sa-
crinaos,- de sorte que os nossos numerosos
fieguezes podein ter a certeza de que sem-
pre encontrar;o em nosso.estabelecimento
tudo quanto a arte e a moda ollerecer de
bom no novo e velho mundo aos amantes
dapbotographia.
Provino-so aos Srs. passageiros que suas passa-
genj SO se reeebem na agencia ra da Cruz n. 57,
1J aadaar, escriplorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azcvedo & C.
Para Lisboa
o idigue portuguez Laiu I, eapito Vieira, to
sabir coin muita brevidade, por ter a maior parte
da sua carga prompta; para a Bsageiros, trata-se com Oliveira Filhos A C.,
largo do fjorpo-Santo n. 19, ou cora o referido ca-
phao, na praca do Commercio.
Para o Porto
Segu com a maior brevidade possivel a barca
Amelia de primeira marcha, por ter a maior parte
de sua carga engajada: para o pouco que lhe falla
e passageiros, aos aunes offere excellentes comino-
dos, ti alase com Bailar, Oliveira & C, ra do Viga-
rio B. 10.__________________________
"COMPANIILV PERNAMDUCANA-
DE
TVavogaeo coste! ra por vapor.
Goianna.
O vapor Santamjuape, comman-
danle Mello, seguir para o porto ci-
ma no dia 20 do eorrente a meia
noite. Kecebe caiga, passageiros, eneommen-
das e dinheiro a frete no e*criptorio do Forte do
Mattos n. 12.
Para Lisboa
Segu em poucos dias o brigue portuguez G'oiis-
innte I. por ter grande parte do seu rarregameulo
protnpto ; para o reslanle e passageiros, trata-se
cora Oliveira, Fil'ios A C. largo do Corpo-Santo n.
!'. ou com o capilao na praca do Commercio.
COMFANHIA PERNAMBLC.VNA
DB
\ ;ve.(-iio cos el ra por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mossor,
Araraty, Cear e Acarac.
&<^W O vapor Ipujuca, commandaiito
TAC^ Martins. seguir para os portos aeinia
jjnkMBlmtf. no dia 30 do eorrente as 3 horas da
urde. Kocebe carga at o dia 29 as 3 horas da
tarde, eneommendas, passageiros o dinheiro a
fre.te ate as i horas da tarde do dia da sahida no
escriptorio do Forte do Mattos n. 12.
AO PUBLICO
e ao commercio
Oabaixo assignido faz sciente ao publico e com
espeeialidade ao corpo do commercio, que deixou
de ser caixro los Srs. Jos Goncalves Beltrao &
Irmao. no dia 18 lo eorrente ; e para que nao se
susciten! duvidas sobre a sua reputaran, vem
apretadamente nsponder aquelle annucio publicaran!, para que o publico tiipie sciente que
ha 18 anuos que aqui reside, nunca um annucio
contra elle apparercu.
Recife 23 de Janeiro de 1869.
Jos Dias Branda.
Tendo-se anuunciado por este Diario a ven-
da do engenho M issayba, sito em Jaboalao, prc-
vine-se em lempo a quera so propuzer a cmpra-
lo, que quem o q er vender nao o pode fazer e
nem dispor de ou ros baos, nao s porque ainda
nao sujeitou a invmtario os do casal, desde que
lhe fallecen a priwira inulher, como porque est
sendo judicialmente executado.
O Sr. Tavans da Costa que trabalbou at
pouco lempo em c isa de enradernarao do Sr. Mi-
randa na ra das ruzes, queira apparecer nesla
t\pographia que ?e precisa fallar-lhe.________
Precisa-se alugar um prelo ou preta par*)
andar com taboleiro de fazendas, paga-so bein
na ra do Hospicio n. 6'i.
= Precisa-se de um bom nlHcial de ferreiro que
soja bstanle hbil e bein recommendado do.ullimo
lugar aonde iraballiou : quem esliver neslas con-
Jicoes dirija-se ao escriplorio da cuiprcza do gaz.
roa do Imperador n. 31.
l]io (rande do
Vara o referido pollo saliir infallivelmente at
o da 27 docorrente a barca portugueza Amanda,
! ebe alguina carga a frete pora o que podetra-
i ir--e coin o sen consignatario David Ferreire
Bailar, ra do Brmn n. 92.____________________
COMPAMIIA PERNAMBUCANA
DE
Mavegaco eosteira por vapor.
Aliinanguape.
0 vapor Contripe, cominandante Penna, segui-
r para o polio cima no dia 28 do eorrente as 6
ln.ra- da tarde. Recebe carga desde o da irame-
a i de sua ehegada d'aquelle pono, at as 3
horas da larda do dia 27, eneommendas, passa-
geiros e dinhrtro a frete M a^ 3 horas da tarde
do dia da sabida no escriptorio do Forlc do Ma-
104 m. 12.
DEPURriTlF
LEILOES.
D" uma grande casa com soto da ra da
Ventura n. 15, porto do Lasserre na
Capang* com casas-, sitio murado, cadm-
ba i
Iri. :i-feira 20 de Janeiro.
J.niz Pneeh tem, he renrnr-separa Europa far
leda i per iniervencao rto agente Pinto, desenpre-
dSo aelma mencionado, o qual se torna recom-
lavH por ser' edilleai*o em elios proprios e
rieri i Ja i-i i 11. o leja i ser efleetnado no dia e
bora Mima referMis no escriptorio do menciona-
da agen'e ra da Cruz n. 38.
Da 2 casas terreas.
O agente P.mtual vender em leilao 2 casas ter-
eas sitas ra Mondego ns. 3 c 43, solo forei-
>, as [iiaes sao vendidas per autorisacSo de
uma pessoa que acha-se presentemente na Eu-
retia.
Pars, 3,RuaVivienne, D*
CHABLE MDECIN
ASENFERMIUADAS bESSEXUAES, AS AKFEO
)ES CUTNEAS. F. M.TERAQOESDOSANOUE.
~110 000 curs das imjii ngem
l'iuslutai, herpes, sarna
comixots,acrtmonia,eaU
|'ereoes, viciosas do san-
__jue; fin, e alteracoes
do ung!. (Xik pe vegetal sem mercarlo). Drpn-
ralivas v<-s tomao-se dous per semana, seguindo o tractamenla
P<-i "rnt'i'ii: < en'regadoas mesmas molestias.
~ Este Xarope Citracto d
ferro de CHABLE, cara
immediatamente qualqaer
puraa^ao, relaxacao,
e debilidade, e igual-
mente os flujos e flores brancas das molheres.
Esta injeccao ben gna emprega-se com o Xarepe i*
Curado de Ferio.
Hrniorroiiias. .'ornada que as cura em tres diaa.
POMADA ANTIHERPETICA
Contra: as ajeocoes cutneas t comixott-
PILULAS VE 3ETAES DEPURATIVAS
do D' CbaMe, eida frasco vai eeoaipahado <
b folheto.
PLUS
COPAHU

U)ER!) L8 HOY
ttUfRORET.tantna.
ta.
r i
C7) Jr p, ,1 r re
,*'& de la
f I : -1,1.0 SEL MUUkp
lv r ic '' UMti He in Ttlee
il 0o iiiwos ur\i'il)\* bo-
Ote iur.su Lusjjis tuca
] el ijjor it*jf^Wo posilils.
f
DB JOIAS
C/2
GOMES DE MATTOS IRMOS
tendo feito completa mudanca em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias. com o fim de
dar-lhe maiores proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com espeeialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da note na
RA DO CABUG N. 4
onde enconlrarao um completo sortimento do que ha de mais elegante,
bello e precioso em brilnautes, esmeraldas, rubias e tudo que em obras
de ouro, prta e platina se pode desejar, e
apresentam desde j
para prova do que hilo dito,
A ESTRELLA DO NORTE
seguramente a maior e
a qual com tudo mais
com um riquissimo briihante de tamanho raro e
mais bonita petlra exposta a venda nesta praca,
ser vendido preco razoavel.
Garante-se a qualidade dos bjectos venda.
(I MUSEO DE I JOIAS

.No 'lia 14 do eorronte desapparertu de casa
o ratrinm 4e ndmo Ada. dade 12 annos, mas
ijuc rmratut m.-nos, lovou rostido calca o. j;t-
queta de afgotfio rissdo do azul, sendo a 'jaimeta
Tosida cara, njoe aberta e feixada na frente
por botoes. Nos primeiros dias depois da sahida
de casa, fika encontrado eui Apipueos, Casa Forte,
estacan dos Irllios, na roa da Esperanza ; mni-
to esperto e conversador : i|nem pegar e levar
na ila Imperatriz n. 5, segundo andar, ser bein
gratilieaile. Suppoc-se que esteja recollildo em al-
gtuna casa a servir, pelo ijne protesta-se contra
quetn o liver.
Koga-se ao Sr, Paulino llezerra di- Audrade-
Liirm. ."i' snpplente de subdelegado da Gloria de
Goit, que eompareca na ra da Cruz n. Ji, que
muito se desoja faltar. ___________________
= A pess.ia que se olferco; no Diario de bon'
tcm :t, para calxriro de engenho, se quizer r
para caixeiro de urna casa de negocio |rto desla
(iraca, dirija-se a ra do Livramento n. 4 para
Iratar.
Offerace-se una ama para eozMsir, engonr
mar e fazer bolinhos: a tratar na ra de S. Bom
Jess das Creoulas, preferiudo-si casa do pouea
familia.
Aluga-si- a asa terrea n. 7 na travesea do
Livramento : na ra da Gloria n. 91.
A viuva de Jos Luiz de Azevedo Maia, de
novo roga aos crclores do sen casal que ainda lhe.
nao apresenlaram suas contas, hajaui de o fazer
no prazo de nito dias, atim de seren declaradas no
respectivo inventario, enja entrega farao no seu es
lalwloriinento de macames (iraca do corpo Santo
n. 17.
Rcifc, 23 de Janeiro de 1869.
Na na dos Cofflios n. 28 vende-se flores e.
ramos de cera, assim como acha-se nma pessoa
competentemente habilitada para ensinar a fazer
llores por preco eommodo. a mesma ra ven-
de-se tamben! 1 jarros de marinare proprios para
jardim.
= Da-se dinheiro a juros enj pequeas quan-
lias : na Capnnga, porto do Lasserre n. 30.
isHiftu-fio Ccaren.se
Convido por ordem do IIItu. Sr. presideule piM-
visorio, a todos os socios para assistirem o eui-
po.-snmenlo da directora eflectlva, no dia 27 do
andante, pelas f> horas da tarde, na ra da Ca-
deia n. 48. 2 andar.
Secretaria da sociedade Deneficente 17 de janeij
ro de 1809. secretario,
Alfredo 11. Garra.
SOFFRIMENTOS D'ESTOMAGO. CONSTIPACAO.--
Cur em poucos dis pelo CARvio DI KLLOC em p6 ou era pastilbas.
ENXAQUECAS; NEVRALGIAS. eh affecaes o d*-
sip.ia...- rpidamente pelas PCROLAS D'ETHER (> I' CLtKIAV
ANEMIA, A'PALLIDEZ e os somimentosque necessitimdo
emprego dos ferruginosos sao sempre combatidos com o mellior resultad*
pelas PILULAS DE VALLET. Cada Pilula tem incravado o noiae VALUT.
PO DE ROG. Basta dissolver um frasco d este p em mei*
arrala d'apua para te obtr uma limonada agradavel que purga sem n-
ter clicas.
VINHO DE QUINIUM Ubarraque. K*te vii.lio, um dos
poucos cuja composicao garantida constante, uma das melhores pre-
paracocs de quinino, acm aeco notavel sobre o convalescentes, dando-
Ihes torcas e aprestando & volta a saude. Cura as febres antigs que re-
tUtio ae sulfato de quinino.
MOLESTIAS DA BEXIGA. k maior parte d'estas moles-
tias, cerno as citicas, lombagos, catarros, e todas as dores nervosas em
geral sao curadas pebs PEROLAS de ESSENCIA de thereb :ntina do
Dr. Clertan. 0 professor Trousseau em sea Tratado de tlierapeutica acon-
sclha as para seren tomadas na occasiio do jantar, na dse de 4 i lt.
OLEO DE FIGADO DE BACALHAO DE BERTH. -
Garantido puro e de primeira quaUdade, um dos poucos aprovados pela
Academia de medicina.
AVISO. Todos estes medicamentos foram aprovudrs pela Academia
imperial de medicina de Paris.

Ko-Jtntir:
Baha..
a Parla,
DtTOJCHH.tJ! ;
TutMN.
& et O.
DEPOSITO
U rnEHE, 1, roa Jaeek
Rermaki I Pernambuco. Huma et O.
1 Ceara.....lUnaa et Cu
DOENCAS DO PJGIT
XAROPE D'HYPOPHOSPHITO
A efflcacia d'esu prepararlo est esiabclecida desde 1857, pelos mais celebres mdicos. Desde
enlfio muitas imitaedes tem sido feilas, mas neohuraa poude sustentar a eomuaTaco com o
produoto apresentad* pela nossa caza. Por isso excitamos o publico para que exiga sempre
este xarope com uma bella cor de rosa, nunca branca, c com a ossa assignatura roda do
frasco. .
Sob a sua influencia, a lossc acalma-se.ossuores nocturnos cessSo e o doente volve rpida-
mente sade. 0 seu emprego d tambern os mais bi ilhantcs resultados nos defluxos, catar-
rhos, bronchites, irritafSesdo peo ele.
Deposito em Pernambuco, em casa de Maorer e C*.
Para descaropar algodo
Expsito Universal de 867. Premio nieo.
Estas novas machinas obram sem machucar a sement, sem deixar flear
parcella do tecido, e conservam s libras -too o seu comprimento e toda a
ticidade, fim que tanto desejavam os fabricantes.
0 aquentamenlo do algodo destruido por uma correnteza de ar fri,
pelo ventilador.
Estas machinas apresentam a vantagem de podaem ser reguladas pe is
Ihadores os mais inexperientes. 0 seu pequeo vultime e o sh pouco peso pf*Httem
transporta-las com cavalls, pelos mais.pessimos caaiinhos, e o seumanejoi to f-
cil que um homems pode, sem se cancar, descarocar de 18 a 20 arrobas, e m meni-
no de 8 a 10 arrobas por dia.
Muitos agricultores e negociantes viram funeciunar estas machinas em caa do Sr.
Germano relojoeiro, seu expositor, e apreciaram multo o systema pela facilidade e aper-
feicoado dotrabaUto, porque os fios nao s3o cortados, e deixamos carogos limpos sem ne-
nhma felfra, deixanrlo pfirtmto um beneficio de 20 a 25 por cento sobre as outras ma-1
chinas. A vista destas vantagensj se v que estas machinas sao preferiveis. a aquellas
de serrar, tanto mais que as queixas dos fabricantes e dos negociantiis de Liverpool,
Havre, Hamburgo etc.,. ftteram com que o ministro da agricultura do Brasil prehibisse
o uso das machinas de serrar, que muito deprecia o algodo brauleiro nos
a Europa.
a menor
sua elas-
>roduzida
traba-
INJEGTION BROU
H)Bltarteai, tBiallltI e Preiter*al*a, atuluum.rniu a ui.ico ip-ccu uin nei.n .i., udu.iivu. M
a principae blicas do mundo. ( Eligir a instruccia a asa). (10 sanos de existauea.) Pars, tm ca
do tareotor BBOV. bonletard Msenla. I IB.

mercados
Deposito em Pernambuco,
Sob nma forma lmpida e agradavel, este medica-
mento retine a quina;qoe 6 o tnico por excollcncis.
c o (erro, um dos principaes elementos do saoguc. E'
adoptado pelos mdicos mais distinclos de Paris, para
curar as cores paludas, facilitar desenvolvimento
das meninas e restituir ao corpo os seus principios
alterados o perdidos. Paz rpidamente desapparecer
ai dores d'estomago intoleraveis suseiladas pela ane-
mia ou pela leucorrhca, is quacs as seuhoras esio
tantas vetes sujeitas, rcgularisae facilitaa mensiruacSo,
c receitado com snecesso s enancas paludas, lym-
iliaiicas 00 escrofulosas. Emlim, exeila o appetite,
avorece a digeslo, e convem a todas a* pessoas cajo
sangue est empobrecido pelo trabalho, pelas moles-
tias, as convalescencas longas ou difflceis. Os bon
resultados nunca se fazem esperar.
em cata de BCaurer C.
Este Importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortimento sem igual.
a i
esquina
rna lar^a doe **$* ^r pre?os (pie nenhuma ontra <*** Pde vender* ,Jda ra largad
A vista da qualidade e do preco das joias oada um poder -se-lia convencer a}
Gar ante-se ser tudo
vados.
leL Compra-se ouro, prata e pedra; finas por p*#$os muito ele-j
A leya sst aberta at tte 9 horas da noute,
Rosario.


im

Diario Je Fernamboeo Segunda feira 25 de Janeiro de 1869.
ESTABELECIMENTO EM 1832
Salsaparilha de Brislo!.
LEGITIMA E ORIGINAL
CU FRASCOS OHVNDKS
O BRANDE PU1UFICADOR DO SANGUE!
Esta excellente e admiravel medicina, e
preparada d'unia inaueira a mais scientili-
ca por Chimicos e Droguistas mui doutos e
d'unia instrueco profunda, tendo tido min-
ios annos do experiencia ao par d'uma lon-
ga e laboriosa pratica.
A sua composico no consiste d'um sim-
ple extracto d'um so artigo; mas sim,
composta d'extractos d'um numero de rai-
zes, hervas, cascas, e folhas, possuindo to-
das ellas, sua virtude especial ou poder
em curar as molestias as quaqs teem sede
ou essento, no sangue ou nos humores;
e estes dilTerentes extractos vegetaes, acliam-
se por urna tal forma combinados ponto
de conservaren! em toda a sua forca, o cu-
rativo especial de virtude, que cada um de
per si possue. A raz da planta de Salsa-
parrillia, produzida as Honduras, a que
nos usamos nesta preparado, sendo a qua-
lidade que todos os mdicos mais prezam
e estimam. Na composico da Malsa-
parrilha de ltrlstol entra mais de uO
por cento deste concentrado extracto. Ella
nao encerra em si cousa algmna, que pos-
sa por leve ser perigosa ou injuriosa
saule ; e tanto n'este, como em quasi to-
dos os mais respeitos, ella inteiramente
diversa de todas essas mais preparacoes,
as quaes debaixo do nome de Salsaparri-
Iha, sao accoudicionadas ou postas em gar-
rafas pequeas, sendo receitada em doses
mui diminutas d'uma 'collier i'de feb por
cada vez. Nos pelo contrario engarrafa-
mos a
SALSAPARRKA DE BRISTOL
em frascos grandes, e assiin por este modo,
dividimos coin os consumidores, o grande
proveito e vanlagem alcancado por aquelles
que acondicionain sua preparacao em gar-
rafasjpequenas. Cada um dos frascos da
nossa Nalsaparrilha de Bristol
oonteem a messa ipiantidade igual porrao
contlda naquellas garrafas pequeas, e alm
disso, possue ainda muito mais forca e
virtude medicinal do que aquella, que por
ventura se possa adiar contlda dentro de
seis garrafas de pequeo tamanho. Por-
tante mui natural, que aquelles, que se
acham oceupados em preparar c vender as
suas produccoes, em garrafas pequeas,
murmurem e gritem contra os nossos fias-
cos grandes
Arreuta-se a propriedade denominada
Barra de Sei inliaem no littoral da freguezia
domesmo nime, com muitos foros roce-
ber e muitoscoqueiros a desnudar, tendo-
alm disto, i excellete e rara posit;io de
beira-mar, ( beira-rio, inteiramente apro-J
priada para manter-se ahi quaiquer i -
tabelecimenlo commercial de seceos, e mo-
ldados ; a ti atar ra do Imperador n. 20,
ou ra da Florentina n. 28.
BARTHOLOMEU ft C.
,-
Ama de leite.
Preels-se de urna ama de leite preerindo-se es-
crava,para acabar de criar una menina de 8 me-
xes de idade: na ra da Conceico, na Boa:Vista,
n. 14.
Attcnflo
Antonio Car. os Pereira de Burgos Tonce de Len,
como solicitad mt do foro desta cidade p dos termos
de fra, se em arrega de todas as questoes que fo-
rem suscitada;, perante os tribunaes civeis, Cri-
mea, commur -iaes o ecclesiasticas, prometiendo
continuar a exercer o seu emprego, com a mesma
lealdade, actividade c dedicacao. O annunciante,
pode ainda receber certo numero de casas com-
mereiaes, por contrato annual e bem razoavel. De-^
ve declarar, que costunia dar as contas de despe-'
zas jddlrfaes, lodas datadas, especificadas c com
escrupulosa esactidao, como afllnnam os que tem
sido seus constitnintes. Qnem pois quizer o hon-
rar com sua ce nfianca, dignai-se-ha procura-lo
ra das Trincr eiras no primeiro andar do sobrado
n. 48, junto ao cartorio do Sr. escrivao Molla, para
onde acaba de mudar-se.
Precisa-se de um menino de 12 a ti annos de
idade, que tenlia pratica de venda: na ruado Ran-
gel n. 73, onde dar fiador sua .'mullirla.
CASA DA FORTUNA
Aos 4:000$
Bilhetes garantidos.
A ra do Crespo n. 23 e casas do costume.
Achaiu-se a venda os felizes bilhetes garantidos
da 1* parte da lotera em beneficio da igreja de
Nossa Senhora do Terco do Recite (9.V) que se
extrahir terca feira 26 do corrento inez.
Presos.
Bilhete. '. 4000
Miio.....2000
Quarto.....IjOOO
Einporcao de 100 para cima.
3J900
.
Bil lete.
H( ir).
Quarto. .
. 1750
875
Manoel Marllns Fiuza.
proclamando, que a nossa fcal-
saparrilha de Bristol nao possue a
menor virtude ; porem quao effectivamen-
lesfw elies poatos em silencio, quando indi-
camOB, mi simplesmente referimo-nos para
com essas centenares de certidoes e tes-
temunlios authenticos, por nos recbalos
de todas as classes da sociedade, nos quaes
plenamente attestam o poder curativo e vir-
tudes maravilbons da nossa.
SALSAPARRILHA DE BRISTOL.
A vantagem de termos os nossos pro-
prioi agentes naquclles lugares aonde as
diffepentes caes, drogas, lienas, e plan-
tas de que se compoem as nossas medicinas,
sao prodtizidas, que nos habilita exer-
eer aquello constante cuidado c disvello na
minuciosa escolha; e o que assegura e ga-
rante uniormidade de excellencia.
Em quanto qoe, por outro lado, nos nao
nos poupamos nem dinheiro, nem dili-
gencias ; afim de alcncennos o melhor
e nicamente o melhorde cada um artigo
ou ingiidiente que entra na sua composi-
co ; pois levados e compenetrados da
mais firme e persuasiva confianca; que po-
demos albinamente dizer aos doenles de to-
das as nacoes, e de todos os paizes, que na
ttalsaparrllha de Bristol. possucm
um remedio mais ellicaz e seguro; do que
nenliuin outro, que vos tenlia sido oflere-
cido at boje, e o qual por certo nao hade
mallograr vossas expectativas, na prompta
e cffectiva cura das seguintes enfermidades:
Gymnasio provincial.
O L>r. regedor do gymnasio manda fazer publico
para conliecimeito dos senhores pais de familias o
seguinte :
1 Que no gymnasio provincial de Pernambuco
seensina: primaras letras, lingoa nacional, latim,
francez, inglcz, illemao, grego, arithmetica, alge-
bra, gemetra ( i. igonometra, gcogra|ibia e his-
toria, philosoplia, rhetorica e potica, sciencias
mames,.....-um e desenho, para eujo ensino ha 17
professores catedrticos, 1 substituto e 3 repeti-
dores}
2 Que o eslabelecimento adinitte alumnos de
Ires classes ; pensionistas, que morara effecliva-
inente na casa; meio pensionistas, que entrara as
8 horas da mai haa e retiram-se as 6 horas da
tarde ; e externos que so vo ao eslabelecimento
as luirs das aulas.
3 Que os pemionistas pagara 30 por inez em
trimestres adiamados, e com este prganiento po-
ilein freguentar lodas as auhis (excepto a de m-
sica), e teem casa esiiacosa e arejada, comida boa
o abundante, roupa lavada e engommada, papel,
pinnas e tinta, niedieo e botica.
4o Que os meio-pensionistas pagam I .'i -j KX) por
inez, tanibem em trimestres amantados, e com este
pagamento podem frequenlar todas as aulas (ex-
cepto a da msica), jalitam no"eslabelecimento e
teem papel, pennas e tinta.
3o Que os exte'nos pagam S por mez, do mes-
mo modo, e com este podem frequenlar lodas as
aulas (excepto a de msica).
6 Que os alu inos tjue quizerem freqnentar a
aula de msica pigarao, na mesma coulbrtnidade.
h 8 i>or mez.
7o Que os airamos que forera julgadi.s habilita-
dos para exanie, as diversas aulas corresponden-
tes s de collegki das artes, querendo fazer neste
os seus exames, icrao preferencia para seren cha-
mados logo depois dos alumnos habilitados do
mesmo collegio.
PARA USO INTERNO
PREPARADOS SIMPLES
Xarope de jurubeba garrafa. I;)Q00
Viiilio de jurubeba garrafa. I,W00
Pillas de jurubeba vdro. JfiOO
Tintura de junmeba vidro. [ 640
Extracto lij-dracbolieo de jurubeba. I23i0O
PEPAIIADOB C0MPOST08.
Vinho de jurubeba ferruginoso garrafa 2rS000
Xarope de jurubeba ferruginosp garrafa. 1)>600
Pilulas de jurubeba ferruginosa vidro. 26000
Oleo., de jururxiba vidros. 640
Pomada de jurubeba pote 610
Emplastro de jurubeba libra. 2,$00
PARA USO EXTERNO
, [\j :%. JliURiiii.
*5| Esta planta c hoje reconhwtida como o mais poderoso tnico, como um excel-
lente desobstruentc, e como tal applicada nos engorgitamentos do gado e baco, as
hepatites propriamente ditas, ou ainda complicadas com anazarebas, as inflammacoes
subsequentes as febres intermitentes ol durezas, nos abeessos internos, nos tumores es-
pecialmente do tero e abdomen, nos tumores glandulosos, na anazarch, as hodrope-
zias, erysipellas ; e associada as preparacoes ferruginosas, ainda de grande vantagem
as anemias, cbloroses, faltas de menstruaco, leucorrbeias, desarranjos atnicos do
estomago, debilidade orgnica e pobreza de sangue, etc.
O que lizemos affirmam os mais distinctos mdicos desta cidade!, entre os
quaes podemos citar os llkns. Srs. Dr. Silva Ramos, Aquino Fonseca, Saiiiento, Seve,
Pereira do Carino, Firmo Xavier, Silva etc. Todos elles reconhecem a excellencia deste
poderoso medicamento sobre os demais at hoje conhecidos para todos os casos citados,
tanto.que todos os dias fazem d'elle applicaco.
Apresentando aos mdicos e ao publico emgeral diversos preparados da juru-
beba, tivemos por fim generalisar mais o uso d'este vegetal, fazendo desappareccr a
repugnancia que at boje sentiam os doentes de usar dos preparados empricos d'elle, e
mais das vezes repugnantes a tragarem-se, e que tinham ainda a desvantagem de n5o
ser calculada a (lose conveniente a applicar-se, o que torna muitas vezes improcuo um
medicamento, que poderia produzir ptimos resultados.
Os nossos preparados so forana apresentados depois de havermos conveniente-
mente estudado a jurubeba, fazendo as experiencia; precisas para bem conhecer aspro-
priedades medicamentosas d'esta planta, em suas raizes, folhas, fructas ou bagas, e a
dose conveniente a applicaco, tendo alm disto procurado levar os nossos preparados
ao maior grao de perfeico possivel, para o que no poupamos esforcos, nao nos im-
portando o pouco lucro que possamos tirar.
Por tanto os que se dignarem recorrer aos nossos preparados podem ter a
certeza de que elles olerecem a garanta, de que se pode encontrar, a'prompta e infalli-
vel cura de quaiquer dos solfrimentos, que deixamos innumerados, se forem em tempo
applicados, tejlo alm d'sso, medico eu doente a vantagem de escolher as nossas va-
riadas preparacoes, aquella que melhor lhe podeconvir, j pela fcil applicaco, c j pela
complicaco das molestias, idade, sexo, ou ainda natureza de cada individuo.
As nossas preparacoes ferruginosas sao feitas de forma que se tornam comple-
tamente soluveis nos suecos gstricos, porque procuramos os compostos de ferro que
como taes esto hoje reconhecidos.
Para aquelles que mais minuciosamente queiram conhecer as propiedades da
jurubeba, e saberem a applicaco de nossos preparados, destribuimos gratuitamente
em nosso deposito um folheto, onde tratamos mais extensamente d'esta planta e dos
mesmos preparados.
Deposito ge ral de toilos os preparados
Botica e drogara
3 iRa larga do Rosario3 i.-
Do xarope Vegetal .tmrricauo. cspeclalldadede Bartholomeu <& C.
3i- RiTA LARGADO ROSARIO34
Nao costumamos procurar attestados para acreditar nossos preparados, e dei-
xamos que sua applicaco e os resultados obtidos pelas pessoas que se dignaram acceita-
los, lhesdeem crdito evoga; porque sao semprc os attestados considerados gratuitos,
e delles que lancamo o charlatanismo; mas, nao querendo ofTender as pessoas que
espontneamente nos olfereceram os que abaixo vo transcriptos, os fazeinos publicar,
manifestando-Ibes nossa gratidao'pela attenco, esperando que venham elles corroborar
o conceito, e acceitaco que tem merecido nosso xarope.
Bartholomeu & C.
ATTESTADOS
Illms. Srs. Bartholomeu & C com a mais subida satisfaco que declaro
ser o xarope Americano de urna efflcacia extraordinaria, pois que soffrendo ha dias de
intensa tosse, ponto de nao poder dormir a noite a despeito mesmo de medicamentos
que tomava, a elle recorr e na terceira colher fui alliviado, e de todo me acho hoje res-
tablecido com o uso somente de quasi me frasco: grato, pois,r esse resultado mani-
fest a Vv. Ss. meu reconhecimento.De Vv. Ss. amigo, venerador e obrigado.Ma-
noel Antonio Viegas Jnior.
Sua casa 20 de abril de 1868.
Illms. Srs. Bartholomeu & CPenboradissimo com o favor que me fizeram
de aconselhar o uso do xarope Vegetal Americano, de sua composico, quando me cha-
va bastante doente de urna constipaco, que me tornou completamente rouco e que
trouxe urna forte tosse, e me impossibilitou de cumplir os meus deveres de cantor da
empreza lyrica, vou agradecer-lhes meu completo restabelecimento, que obtive com um
so vidro do mesmo xarope, depois de haver recorrido a muitos tratamentos. Desejarei
que outros como ?r; recorram ao seu xarope para se verem allivados de to terrivel
incommodo, to fatal neste paiz. Com maior consideraco contino a ser de Vv. &s.
ttento, venerador e obrigado.Luiz Cremona.
Recife, 25 de setembro de 1868.
Illms. Sis. Bartholomeu A CO xarope Vegetal Americano que Vv. Ss. teem
exposto venda de toda efficacia para o curativo d'asthma, conforme observei appli-
cando-o a meu filho Joquim, menor de quatro annos; victima d'esse flagello, que at
ento por espado excedente a dous annos havia resistido a outros xaropes de grande
nomeada. Queiram, pois, Vv. Ss. acceitar a expresso altamente sincera de meu reco-
nhecimento ao meritorio servir que lhe prestaram com o indicado xarope, acreditan-
do-me para sempre de Vv. Ss. criado, atiento e obrigado.Americo Netto de Mendonca.
Recife, 2 de outubro de 1868.
DE

DE
COLLEGIO DE SANTO AMARO
Recife, ra do Commercio n. 5.
Este estabeleclmento de educacSo, acha-se a disposilco dos
Illms. r.*. pas de i amulas c a qnem mais possa con \ ir. O Direc-
tor faz seleute, que desde J aeha-se aberta a matricula da aula de
iusdiicco pi imaria, a qual sera aborta em o da 11 do amianto :
bem como as secundarlas, cujos corsos tlveram principio |>elas fe-
ras e devem ser encerradas em marco. As demais timo* lonaro
do da 3 de feverelro em diante, com a regular idade do eost ume.
Ileelfc, 4 de Janeiro de i "?>.
Mudanga de escriptorio
Joaquiui Geranio de Bastos, transferio seu es-
criptorio nara a i ua do Vigario n. 16, primeiro
andar.
Luiz Kmygiio Rodrigues Vianna, advoga na
i-ua do Queimadr n. 24. primeiro andar, onde po-
de ser procurado para os mysteres de sua prolis-
sao das O horas da mauha s i da tarde nos dias
uteis.
= Precisa-se de um eaixeiro que tenha pratiea
de taberna e d tador a sua conduela : na ra
das Cruzes n. i.
Escrfulas,
Cbagas antigs,
Ulceras.
Feridas Ulcen^as.
Tinha,
s>nhilis,ouMal Ve-
nreo
Humores Escrofu-
losos,
Irregularidadesdo
Sexo
Feminino,
Nervosidade,
Debilidade Geral,
Febra e Malignas e
Febre e Sezoes
Biliosas,
Tumores
Abscessos Apostemas,
Erupcoes,
Herpes,
Salsagem
fmpigens,
Lepra, febres intermitientes e remitientes,
hyilropesia e ictericia, etc., etc.
Ontro-sim, achar-se-ha, que para o bom
resultado e perfeito curativo ile todas aquel-
las enfermidades cima apontadas o adian-
tamenlo da cura, grandemente promovi-
do e apressurado; usando s ao mesmo
tempo das nossas mui valiosa pilulas
vegetaes assuearadas de Bristol,
tomadas em doses moderadas em connec-
co ou conjunctanieute com a Salsaparrilha;
.lillas fazem remover e expcllir grandes
Tjuantidades de materias morbficas e hu-
mores viciados que se desprendem e livre-
mente circulam espalhados pelo systema,
isto causado pelo uso da Salsaparrilha; e
por esta forma facilita a volta e o exercicio
normal das operaces funecionaes,
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A, Caors, J. da C. Bravo & C, P. Maurer
4 C, M, A. Barbosa, Bartholomeu C.
Hethodo Castilho.
Secundino Jos de Faria Simoes, professor par-
ticular de inslruc^ao elementar pelo .nelhodo Cas-
tilho, avisa ao respeitavel publico e com es|)eciali-
dade aos pais de aniilia, que est aberta a sua
aula desde o dia ; de Janeiro, na ra da Penha n.
23, i anda", aonde recebe pensionistas por preeo
commodo. O mesmo professor promette muito se
esmerar no adiantamento de seus alumnos. O
mesmo professor abri desde o mesmo dia um
curso de primeiras letras a noite para aquellas pes-
soas que nao poderem frequentar durante o dia.
LOJA
DE
Antonio Jos Rodrigues de Souza, na ra do
Crespo n. i', ou ;m seu sitio do Monteiro, gratifi-
ca a quem capturar o seu escravo Joaquim,
pardo, de idade 35 anuos, natural de Pao d'Alhol
pai-a onde se sujipSe ter fgido por ler sido visto
nesse dia a conversar com pessoa daquelle lugar, i
estatura, secco do corpo e um pouco alto, bigode ti\," S*2.9 mcz^' Pr,;mnse,n cn~
e cabello meio ca apinhado e peuteado, e tem um !^ Jacm (i'um' ^lir-ija-se a ra do Brum nu-
caroco na munhe da mo direita, do qual soffre'
KEL0J0EIR0
DE
VCTOR GRANDIN
N. 40 Ra da Cadeia do Recife N. 40.
O proprietario deste eslabeleci-
mento, premiado com a medalha
da exjiosicao universal de Paris no
anuo de 1835, tem exposto ven-
da em sua loia, um grande sorti-
mento de relogios para algibeira,
'como sejam: de ouro e prata, sen-
do dos nielhores fabricantes, de patentes inglezes,
suissos c horisontaes. Tambcm tem urna grande
quantidade de relogios para parede e que batem ho-
ras, ditos para embarcaeSes e para cima de mesa,
todos estes relogios sao dos mais bonitos modelos.
O mesmo concerta relogios de todas as qualidades
existentes, assiin como tambein concerta chrono-
uielros de algibeira e martimos : recebe sempre
por todos os vapores, um completo sortimento de
correntes e trancelins, sendo tudo do ouro de lei
e de modelos os mais modernos, assim como diver-
sos objectos de bijoutfria dos mais bonitos e moder-
nos gostos.
Urna pessoa de longa pratica no commercio.
ofTerece-se jiara escripturar Ivtos por partidas do-^
liradas, jiodeudo ser jiroeurado na ra do Crespo
n 18, primeiro andar.
Pi-ecisase de urna ama de leite para acabar
PJLULAS, VINHO
E
XAROPE DE JRBEBA.
PREPARADOS PELO PIIARMACICITICO
Joaquina d" Almeida Pinto.
As preparages de jurube ja sao
hoje vantajozamente conhecidas e
preconisadas pelos mais habis m-
dicos, tanto da Europa como do
paiz, pela sua efficacia nos casos
de anemia, chlorosc, hydrcpesia,
obstruccao de abdomen, e tambem
as de menstruaco diicil, cathar- j
ro na bexiga, etc.
Vendem-se em porco e a reta-
lbo, na cidade do Recife, pharma-
cia de seu compositor, ra larga
do Rosario n. 10, junto ao quar-
tel de polica. ,
IJAJUJJL
N. 35RA DO IMPERADORN. 55.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje assz conhecidos para seja necessario
insistir sobre sua superioridade, vanlagens e garantas que oflerecem aos compradme,
qualidades estas incontestaveis, que elles tem definitivamente conquistado sobre todos
os que tem apparecido nesta praca; possuindo um teclado e niachinismo que obedecem
todas as vontades e caprichos das pianistas, sera nunca Gribar, por serem fabricados
de proposito e ter-se feito ltimamente melhoramentos iinportantissimos para o clima
deste paiz; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas e por isso muito agradaveis aos
ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blon-
del, de Paris, socio correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premia-
dos em todas as exposices.
No mesmo eslalielecmento se achara sempre um explcndido e variado sorti-
mento de msicas dos melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos
harmnicos, sendo tudo vendido por precos commodos e razoaveis.
dores rheumaticas, tendo a falla a sertanejo, muito
desean cada.
= Precisa-se de urna ama para eozinhar e fa-
er o mais servico de urna casa : na ra estreila
do Rosario n. 32, i andar.
SEGUROS
MARTIMOS
tONTRAFOCiO.
A Companhia Indemnisadora, estabelecind
nesta praca, toma seguros martimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
em edificios, mercaduras e mobilias: aa
rna do Vigario n. 4, pavimento terreo.
=-- O inspector da alfandega faz publico que o
leio das 25 barricas com p -de pedra maraiore,
aanunciado para hoje, e que por falta de licitan-
ten deixou de ser efectuado, tica transferido para
>exU-feira 22 do corrente.
Aiaikkga d Pernanibuco 20 de janeifo de
i809.
Jote Mauricio Ftrnandet Pereira de Barros.
I: a i no de arlunet ioa. algebra e
geometra.
0 bacharel em direito Casemiro Borges Codinlio
de Assis, eusina estas materias no primeiro andar
da casa n. 17, sita na ra Nova, das 7 iji as 8/2
horas da manha :.os senhores estudantes (pie de-
segam fazer exame no collegio das artes, e das 7
1/2 as 9 da noite aos senhores empregados no com-
mercio.
Real
AVISO
eonipanhla de paquetes
Ingle res a vapor.
Os agentes da real companhia de paquetes in-
glezes a vapor faz>in publico que os director
da mesma, para filitar as communicacd>8 e
Pernambuco, Bahi i. Rio de Janeiro, Monlevid
Buenos-Ayres autMisam urna reducao as passa-
gens para aquelle porto ; d-se tambem bilhe-
tes de ida e volta 'xm prazo de 6 mezes, confor-
me a seguinte tabella rocebidas em papel moeda.
Primeira :Uuse. Ida. Ida e volt*.
De Pernambuco a : Baha. ... 56f 84 i
i Rio de Ja-
neiro. 1124 lt>8
> Montevideo. 2504 375
> Buenos-Ay-
res......270/! 4054
Passajeiros da t Tceira classe pagam utn quar*
lo das ifuantias ai ima mencionadas.
A passagem d'ai|ui at Lisboa da segunda clas-
se fica reduzida de Sf 27 a S 24.
Tambem acham-se reduzidos os fretes do di-
nheiro para Inglai 'rra. Franca e os portos do sol.
Para ulteriores i iiformacfies trata-se na agencia
ra do Trapiche Novo n. 40.
------------------------------------------------------------------------- *~ i
Memorias; do clero per-
nambucano
Quem ti ver a obraMemorias do clero peinain-
bucano, que quine vender ou trocar por urna
oulraMemorias hisloricas da provincia de Per-
namhueo : dirija-se a tarde ao escriptorio do
primeiro andar desta typographia.
Aluga-se o 2o andar e sotao do sobrado da
ra do Ar-agao n. 1, com excellentes commodos
para familia : a tratar no Io andar do sobrado n.
50 da ra larga do Rosario.
Tl
Precisa-se de 2:0004 a juros, pagando-se o pre-
mio que se eonveneionar, e dando-se boa garan-
ta : a pessoa que qui::er fazer e carta fechada na ra das Cruzeaj* 13, com as
iniciaes J. F. M.
--------------r-
Apedido.
l'rooam-se
iis notas do banco do Brasil e das caixas filiaes,
cora descont muit) razoavel : na praca da Inde-
pendencia n. 22.
Antonio Jos Rodrigues de Souza, precisa
'rf' an orvico de casa, de nus
fie 15 annos: a tr4ar com o mesmo na ra de
Crespo k. 15, ou em seu sitio no Monteiro.
Acaba de sabir di- prelo relaeao das unidades
das medidas brasileiras e meiricas, por Jos Anto-
nio Gomes Jnior, obra ao alcance de todas as in-
teligencias, e que se torna indispensavel para o
Dso das medidas do systema mtrico, e veodo-sc
em casa do autor, ra do Destino n. 3, e na typo-
graphia Universal, na do Imperador, a 240 rs.
o exemplsr.
XAROPE DE FEDEGOSO
E' de nma efficacia verdadeira-
mente maravlhosa como calmante
do systema nervoso e applicado
contra a paralsia, astbma, tosse
'"iiMilsa ou coqueluche, tosse re-
cente ou antiga, suffocacoes, ca-
tarrhs bronebicos etc., e em geral
contra todos os soffrmentos das ||
vias respiratorias, o na phytisica jg
pulmonar, sua virtude contra o
ttano ou espasmos, e convulses ^
incontestavel, e ninguem ha que I
a desconheca.
XAROPE
DE
SALSA PARRILHA DO PARA
O
DEPURATIVO DO SANGUE.
Usado as molestias de pelle,
impigens, dores rheumaticas, e
ulceras venreas.
O nico deposito destes midica-
camentos na botica do Pinto, ra
Sarga do Rosario n. 10 junto ao
iuaitel de polica,
RLA LARGA DO ROSARIO \. 37
Este acreditado estabelecimfnto augmenta
de dia em dia quanto possivel para che-
gar ao cume do bem viver.
Alm dos saborosos manjares confeccio-
nados com o melhor asseio, tem bellos apo-
sentos de hospedagem, tanto para urna s
pessoa, como para numerosa familia.
A agua, indispensavel elemento para a
vida e hygiene, temo-la sempre em abun-
dancia para facilitar excellentes banhos.
Ha tambem urna boa bibliotheca e peri-
dicos nacionaes e estrangeiros, piano para
recreio, buhares, etc. etc.
Sendo ociosa quaiquer rocommendacao
para tao acreditado estabelceimento, oniit-
timos mais prembulos, fazendo ver por
fim, que o bom servico, ordem e moralida-
de imperam n'esta casa, como observancia
fiel do regulamento que possue.
Comedorias a la carie.
CIARITERIA E PETIT RESTAIRWT
[Annexos ao Hotel Central, ra estreita do
Rosario n. i A, andar terreo.
Para dar a conhecer a variedade infinita
de charutos de Havana, Baha, Rio, etc. que
existem neste novo estabelecimento pres-
cindimos dos annuncios pomposos que ge-
ralmente se fazem, reduzindo-nos apenas
tres letras que sao tres bbb bom, bonito e
barato. A' vista do genero annnciado po-
de-se julgar de nossa veracidade. Esta casa
gosa tambem das condifes de um cleganfe
e petit restaurant onde se pode ver a es-
pecialidade dos fiambres e salames de Lion
para lanches e at fazer urna boa colado,
juntamente com os pincipaes vinhos do
mercado, sobresahindo entre o bom a pura
e fervente champagne, o mui saboroso he-
no, a primorosa ceneja, o licor espirituoso,
o quanto pede nina mesa. Faz-se noute
sorvetc e variedade de refrescos.
FRANCA-BRASIL
o
MR. MERCIER, alfaiate francez, previne ao respeitavel publico e a seus numerosos freguc-
_ ,_j, tendo transferido sua residencia para a ra do Trapiche n. 7, prin#im andar, ahi encontrarlo
sempre todas as qualidades de l'azendas para trajos de homem, e prepara costumes para montara de
senhora. Faz tambem obras para militares e para criados, para as quaes tem grande sortimento de
botoes simples, com virola e cora de conde, brancos e amarellos. Recebe por todos os vapores os
ultimes figurines para homem, senhoras e meninos.
zes que,
Copeiro.
Precisa-se de um copeiro e urna criada que se-
jam dehgenlese de boas costumes : na ra larga
do Rosario n. 37.
BARATSIMO "
Calcado nacional, na fabrica de Jos Vicente
oodinho 4 C, a ra do Jardim n. 19, avisam aos
tinuam a fabricar cal jado em alta escala, e offe-
recem as melhores cot dicoes, tanto em preco como
em quahdade. Os proprietarios deste estbeleci-
mento chamam a attncao dos senhores consumi-
dores do interior, qus os quizerem honrar com
sua freguezia, especiiieando em seus pedidos a
qualidade e nuraeracMofferecendose pira osen-
tregar bem acondicionados em casa de seus cor-
respondentes aesu prata.
roa do Imperador a 0.
Frederico Maya
iruralo dentista pela corola
de medicina
do lllo de Janeiro.
Tem a honra de participar ao respeitavel publi-
co desta capital e seus suburbios, que tem aberto o
seu gabinete de consultas e operaces dentarias a
ra Dh-eiu D. 12, primeiro andar, onde pode ser
Srocurado todos os dias das 8 horas da mantea as
da tarde. Elle acha-se competentemente habili-
tado para com perfeicio collocar denles artificiaec
por quaiquer dos systmas, e bem assim desempe-
nliar quaiquer outro trabalho concerne nte i sua
preusso. O mesmo, reconheeendo quo nem sem-
pre passivel s senhoras ou criancas sahirem a
proct.'.t o remedio, offerece-se a remover quai-
quer obstculo, declarando que na ddacle se pres-
tar a quaiquer chamado semque issoinflua cousa
ilguraa na commodidade dos oreos de seus traba-
Ihos, e quando para fra defla assim mesmo ser
precedido de um ajuste rasoavel, garantindoelle a
segurancae perfeico de seus ditos traba Jhos? Em
seu gabinete se encontrar constantemente excel-
late pos denti/ricio, elixir e outros nedicamen-
tos odontlgicos : ra Direita n. II, primeiro
andar. _______
Precisa-se de urna ama de leite sem filhos:
aa ru do Vigario n. 5, J andar.
EFFICACIA
DO
XAROPE DE RBANO IODADO
0 Xarope de Rbano iodado de Grimanlt e C\ pharmaeeu lieos de S. A. I. o principe
Napelco, em Paris, preparado com o sueco das plantas anti-escorbulicas caja efficacia
mui popular.
Encerra o iodo como combinacao orgnica, e considerado como o melhor snecedaneo
do oleo de figado de bacalho.
(A rara perfeicio d'este producto anima-nos a dar a conhecer aqni a opiniio de alguns
d'entre os principan mdicos de Paris, qne diariamente o prescrevem.
c 0 Xarope de Rbano iodado um medicamento d'um effeito suave e seguro para a
c medicacSo dos meninos, nao smente snppre e oleo de figado de bacalho, mas ainda faz
c as suas vezes com vantagem.
D' A.' CAZENAVE, medico em chefe do hospital Saint-Louis, em Paris.
t 0 Xarope de Rbano iodado nm medicamento de primeira ordem para o traiamento das
i affecedes lymphalicas e escrofulosas. Muitas vezes, rmpreguei-o com felix xito, em cerlot
c casos de tsica ao sen principio, como snecedaneo do oleo de lindo de bacalho.
Dr A. CUABRIER, anligo chefe de clnica da Faculdade de Paris.
O Xarope de Rbano iodado sempre nos deo excellentes resultados como regenerador
do sangue, e snecedaneo do oleo de figad de bacalho. *
D* A. FAVR0T, autor do Traite da maladies des femmes.
0 Xarope de Rbano iodado nm dos mais poderosos modificadores das constituicoes
lymphalicas. Tenho visto ulceras escrofulosas que nada poda curar, cicalrizarem-se,
* P*C** sua aceto, com promptidio extraordinaria. Tambem, pelo sen uso desapparecem
aa affeccoes tubercnleau dos ossos, nos meninos.
B* GUESNARD, anligo externo dos hotpiiaes de Paris.
0 Xarope de Rabana iodado possue todas as vantagens do oleo de figado de baoalbeo,
sem ter nenbum dos inconvenientes qne aprsenla este ultimo medicamento. >
D' GUIBOUT, medico dos kospitaes. Presidente da Sociedade de medicina de Paris.
0 Xarope de Rbano iodado de Grimanlt e C* eacerra liS por cerno de iodo, na su
composico orgnica anloga que se acha ao aleo de figado de bacalho.
Dr KLETZ1NSKI, professor de chymica, louvado dos tribunaes de Vienna.
Deposito em Pernsmbuco, em casa de 1m C\

PILULAS
.ttffiTO^^-MANGANRsFJ
.BRTNduBUISS ojj
0 traUmento das affeccoes cblorotioas, lymphaticas oo escropaulosas sempre leuiis-
simo, e muras vtaea assas molestias resistem as preparacoes femiginosas emiiarias. Aa
indagacoes feitas pelos professores Hannon de Bratellas, Gensonl e Petreqaia de LyU e
Berzelius e Trousseaa de Paris. tem prvida qea cansa d'aaaa persistencia era a completa i
ausencia do Manganese, elemento que sempre dve-i* aebar a* sangue juncuuneate coas [
o ferro. Estas pilulas supprem, pois, na therapretica nma falta importante, e por este.
motivo ellas tem merecido a approvacao da Academia da Hedecina a u priacipaaa socie-
dades medicas. Deposito em Pemarntrnea, em casa de Mmtm o*.

f


n7








..
.;
Diario de Pemainbuee Segunda feira 25 de Janeiro de 1869.
Grande liquidacHo de miudezas !
Alfonso Moreira Temporal, querendo liquidar as [lindezas existentes om sua
loja na do Queimado n. 35, resolveu aununeiar as mesan s miudezas para que o pu-
blico se certifique do diminuto proco porque as est vendendo, a saber:
Massos cora grampos 23 a 20
Pecas de tranca lisa e caracol a 40
Sabonetes de todos os precos a
80 160 200 e..... 210
Abotoaduras para cohetes a 320
Botoes de loucapara camisas, a 160
Garrafas d'agua Florida (verda-
dera) a........10000
Frascos cora agua de Colonia a
320 e........ 400
Garrafa de tinta roxa a. 800
Caixas com 100 enveloppes a. 300
Mantas de seda para homem a 800
Fita de sarja para enfeite de
vestidos por...... 600
Frascos cora oleo para cabello
a 400 e....... 600
La para bordar, libra. 6,3800
Escovas finas para chapeo a 320J
Ditas para cabello a 320 e 300
Ditas muito finas para falos
por preco nunca visto 400
500 e. "....... 600
Pecas de babadose entre meios
a 600 800 e..... 1000
Gravatas de seda de cor a 320
Ditas pretas a 400 e 500
Bico e renda das ilhas a todo
preco. S a vista faz f .
Pecas de fita de coz com 10 va-
ras a ........ 500
Latas com graxa, duzia a
Coques muito be ns com rede s
a rede val......
Meias para homsns boa fazenda
a 3*600 e ......
Linha de marca, caixa cm 16
novel los ,......
Latas com banlia (familiia), duzia
Frascos com banha a 320 400 e
Botos para punho fazenda boa
a80 e.......
Volla de Aljofro crjusa boa a
Fitas para debrum de vestido a
Caixa com agu ha franceza a
Botoes de ac para coletednziaa
Garto cora alfinetes a .
Caixa com perlnmarias muito
fina. S a ca xa val 105000
123000 .......
Copo com opiati muito fino a
400 'e.......
Meias muito finas para senhora
duzia. ......
Carta* francezas a 200 e .
Dilas portiigue^s a 120 e .
Caixa de linlia do gas branca 50
novellos.......
Frasco com tina a 100 e .
Franja de laa pansapato (peca)
Papel de peso rcuito bom
Sapatos de tranca e outros muitos artigos, que enfadonho seria mencionar.
RUADO QUEMADO N'.
480
13500
13000
240
23200
5, 500
100
160
500
160
120
100
153000
500
50000
240
200
600
106
13000
43O0O
i.)
** CftlMAB
4
loja d'aguia branca
o receptculo das modas e no-
vidades.
A agina branca tom-se feito to conbecida e
acreditada, nao s pelas novidades, variedades, SU-
perioridade e abundancia de seu soriinieuto, corno
pela constante eommodidade de seus precos, e mes-
mo pelo seu assaz e nunca olvidado agrado e since-
ridade.
Essas verdades incontostaveis sao sem duvida
apreciadas pelo bello sexo eni particular, e pelo
respeitsvel publico em geral, e a lano tcm chegado
que esto quasi passando como annexiin ou pro-
verbio, (piando se ve un objeclo de elegancia,
gosto, novidade, et., ele, diz-se logoaquelle ob-
jecto sem duvida foi comprado na loja d'aguia
branca.
Quando no club, nos bailes, ou no salao do
Santa Isabel, urna excellentissima se aprsenla
garbosamente trajando, trazando o moderno cinto
de mui larga lita, lisa, chamalotada, ou escossoza,
as suas admiradoras dizem comsigo aquella lita
oi com|>rada na lojad'aguia branca.
Quando oua cxccllculissiina, nao menos gar-
bosa, mostra o rigor de seu bom gosto na acertada
escolha dos enfeites de. alta novidade que bella-
mente ofnam seu vestido, anda mesmo as rivaes
le sua sympathia confessam queaquellos enfeites
forana da loja d'aguia branca.
Quando n'outra excellentissima, apezar da sin-
geUeta de seu porte agradavel, se vem as bonitas
(uvas de pellica duqueza as suas bellas ami-
gas louvain-lbe o gosto e confessam queaquellas
uvas foram da loja d'aguia branca.
Quando mesmo duas exeellentissimas, antigs
amigas de eoDegOj se encontrnm naipielles loga-
Laglo para calcadas
A (retar na ra do Apollo n. 4, escritorio.
lE \Li.
N. 3 RA DIREITA N. 3
Contiiu'iam a aeltar-se venda as
pilulas eo xarope alcohlico c ethe-
reode veame, conforme a formula
do finado pliarmaceutico Paranhos,
na botica de Francisco Antonio das
Chagas ra Direita n. 3; medica-
mentos estes assas condecidos, o
proficientes a quemsoffre derhe-
matisrao, escrfulas, erysipla, im-
pigens, exostses ou* tumores nos
ossos, amenorrha ou falta do
menstruacao e menstruaco diffi-
cil, etc.
m
mm mm mmmM
= Precisa-se saber se existe nesta proviwia o
Sr. Augusto Jos de Scuza, natural da provinna do
Rio Grande do Sul, e que foi furriel do batalbao de
cacadores n. lo ou 11, e depois fez parte do corno
policial desla provincia : no ecriptorio do Jos
Victorino de Rezende & C na ra da Cadeia n.
82, Io andar, recebe-se as informacocs a respeito
Precisa-se de urna ama
do Queimado n. 5.
Ama
para
cozinltar
na ra
Precisa-se de nina ama para ro;:inhar
na do Livramento n. 24, tereeiro andar ____
na
Quem precisar de duas amas para cozinliar e
eugoiiunar, dirija-sc a ra da Senzala-velba n. 48,
deposito.
Ama,
Precisa-se de urna ama para todo o servico de
urna -asa de urna s pessoa,
tar na ra da Palma n 30.
paga-se bem : a tra-
A viuva, Jilltos e genro do fi-
nado Jos dos Santas Neves con-
vidam aos seus parentes e amigos
para assistircm s missas que, pelo
repouso eterno daquelle sempre
lembrado c chorado esposo, pai e
sogro, mandam celebrar no dia 26
do corrente, primeiro anniversarw
de seu fallecimento, na igreja Or-
dem Terceira de S. Francisco, ds
7 horas da manhda ; e desde jd
agradecem cordialmente d todas
aspessoas que seprestarcm deste
acto religioso. ___________
Precisa-se de nm caixeiro que tenba pratiea
de taberna, que d fiador de sua conducta: ra
das Cruzes n. 24. _i,
orfereee-se um homem para caixeiro de qual-
quer estalielecimento para fra desta praca. dando
fiador a sua conducta : quem precisar annuncie
para ser procurado.
urna a outra os agradaren ebeiros de que usam
cm seus finos lencas, e cada urna das quaes orgu-
lliosaspelo elogio d) acert de sua escolha, e como
(pie querendo por ; i mesnia justificar dizem simul-
tneamente verdade que este cheiro foi compra-
do na loja d'aguia branca.
Anda mais.
Quando bontem os pais afflictos sentiam o rigor
da denticao de seu charo filliinlio, e boje alegres e
satisfeiins peto feliz restabelecimcnto recebem as
visitas dos seus m?lhor amigos, dizem a(pielles
estes, foi Deus que me inspiroupara que compras-
te, como compre i, umdesses virtuosos collares
llover, que se vendem na loja d'aguia branca.
ACiii do multo mais que anda
falta dizer.
Quando em um circulo de circiimspectos carac-
teres se discutir a Aeraeldade de taesdizeres, appa-
recer um outro que queira ainda levemente inter-
romper a discussiio, os primeiros por momento es-
qoecera a cireu nspeccao e Ibes darao um gra-
cioso debique dizei do-Ibesj sabemos que V.
un daquwea que inclina o chapeo de sol ou que
mereca ser designado pela aguia blanca da ra
do Queimado n. 8.
sao tantas as colisas que por
unas escapan! as outras.
J ia esquocendo a aguia branca, mas em tempo
lembrou-se para noticiar, que recebeu urna pe-
quena (juantidade de enfeites para coques e gram-
pos para ditns, tu lo feito de metal com lindos e
agrada veis colorid js, obras estas pela primeira vez
apparecidas. e por tanto inteira novidade.
Tainbem cheganm novamente delicados enfeites
e flores ornadas d* aljofares e vidrilhos, tanto de
palha para coques como para vestidos, e tndo
res^depois dos eumprhnentos de recprocos beijos, i contina a merecer a apreciacao das excellentissi-
ambas ir forca de sua elevada delicadeza, gabam I mas conhecedoras do bom.
IiLstrucco primaria
A abaixo assign;.da competentemente habilitada
recebe, na do A agio n. 5, meninas para o en-
sillo de primearas otras e de costuras : assegura o
melbor iratamento, dedicacio e interesse ]>elas
alunmas. Recebe tambem pensionistas e meias-
pensionistas, tanto dacidade eomo do exterior.
_________Josepl a Augusta de Castro Fonseca.
Precisa-se alugar um moleque, paga-se IV3
rs., que regule lo anuos de idade : na ra do Ca-
bug. n. 2 B,
GRANDE HOTEL
M ORIENTE.
Inaugurou-se este commodo e elegante
vstabelecimento donde os seus frequenta-
dores podero apreciar a especialidade na
ronfeefao dos gneros alimenticios.
As bebidas sao as mais primorosas e re-
commendadas.
A decencia e bom servico primara n'esta
asa no bello gosto oriental.
Mandara-se domicilio comedorias, tanto
avulso, como por assignatura mcnsal. Os
precos sao mdicos e convencionaes.
Ha urna espacosa e bonita sala para o
legante jogo de bilbar.
Ha tambera aposentos commmodos e bem
mobilhados para hospedagem.
Eua larga do Rosario
n. 44.
Fabrica de carros e gelosias.
DE
i1. Poirrer.
9-Rua ilo lii)|)erador-9.
Neste estabelec
grande sortimento
inodenias e de tod
correntes galvanis
assenla-se com bi
dimencoes das fab
por prco rasoavt
miento sempre se encontrara um
deGelozias(Stenesanas) dasmais
is os tamanhos c larguras. cx>m
:nlas e tambem de lila de linlio;
evidade as que forem para dar
ricadas, e concerta-se as mesmas
Urna crioula de 20 anuos, que sane coser, la-
var, engommar e cozinhar, deseja obter a sua li-
berdade, mediante ajuste para pagar em servicos:
quem poder annuncie. _______ ________t
lItTLTIi lifEOLOCICO E GEOtRAPIlICO
per\ambu;a\o.
Tendo o Instituto Archeologico e Geogra-
pbico Peniambucano de celebrar o stimo
auniversario da sua fundaciio no dia 27 do
corrente Janeiro, pela i hora da tarde, no sa-
lo da BibliotUeca Publica Provincial, no con-
vento de Nossa Senhora do Carmo, sao con-
vidados para semelhante effeito em assrabla
geral todos os socios que se acharem no
Recife,efiectivos, honorarios e corres[>on-
dentes.
N5o conhecendo o Instituto a sede das dif-
ferentes asssociaces Iliterarias, scienticas,
artsticas e de beneficencia que existem nes-
ta cidade, tora a honra de convidar pelo
presente edital a cada urna de taes associa-
coes assistir solemnidade do dia 27, ou
a fazer-se ah representar.
E para conhecimento das corporaefles ou
pessoas que tivereiu de ornar a sessao com
a sua palavra authoiisada, aqu se transcre-
ve a ultima parte do art. 28 do regiment
do Instituto:
Se na sala existem socios ou pessoas
outras que desejara 1er algumas memorias
interfssantes, participam-no ao secretario
perpetuo, para este prevenir o presidente,
o qual da a palavra aos autores das memo-
rias ; a leitura de cada urna das quaes nao
pode eslender-se alera de meia hora. Porm
neiihuma memoria ou trabalho podo ser
apresentado e lido em sesso publica, sem
que antes seja subraetlido a urna commissao
de exame para isso nomeada, a qual tem
voto decisivo sobre a conveniencia ou in-
conveniencia da leitura.
Secretaria do Instituto, 18 de Janeiro de
1869.
J. Soares de Azevedo,
secretario perpetuo.
Ama
Precisa-se de una ama para comprar e cozinhar,
Erefer:ndo-se escrava : na ra do Livramento n
, loja.
0 abaixo assignado faz scieute ao jrespeitavd
publico e com especialidade ao corno do eommer
ci, que deu sociedade ao seu caixeiro Jos Fran-
cisco Moreira, em seu estabelecimeuto de fazendas.
desde o Io de Janeiro do corrente anno, Cu-ando t.
dito estabeleciniento gvrando sob a firma de Joa-
quim Silveira de Souza & C. Recife 21 de Janeiro
de 1869.
_______ Jonquim Silveo de Souza.
A NOVA ESPERABA
21= Ra do Qiieiniii(io = 21
L para presentes
P A Nova Esperanza, a ra do Queimado
ill'l IflllUlllS n, 21 lera um varindo sortimento do oh)(-
Cirauuc Bazar, ra Xova ns. O e tos de goslo- piaittasia proprie para pi-
*, de C arnefro % ianua A C. Isentes, sbbresand entre ellos ricas cai.\i-
Acabu de chogar a esuj eatabdfcimeQto uhas de bano cura linas perfu)D^rias, ri s-
grande porco d! machinas para costuras do lureiros de chagrn, agumeiros ile madie
autor Wheeier Wilson, approvadas na ulli-
ma exjwsicao de Paiis, as quaes cozera con
dous pospontos toda a costura, e lera a
vantagera de ser to suave o movimento,
que qualquer enanca de oito annos fcil-
mente trabalha, e pode, com este entivte-
nmento, levar vantagem ao servido diario
de trinta costureiras. A comprehenso
simples, pois em um quarto de hora se ti-
ca senhor do niovimento da machina, ten-
andar do sobrado da na do, do a mesma a propriedade de fazer as se-
guimos costuras: pospontar, abainhar,
franzir, marcar e bordar, como apresentam
os desenhos que acomjyniham-nas. Os pro-
Aluga-se o 3'
Queimado n. 33: a tratar na loja do mesmo.
0 Sr. sargento brigada do corpo de
en-
policia queira vir a esta Tvpographia a
gocio.
Fazem-se lilhs de ceringa para presentes.
com pronuitidao, aceio e pericia: no pateo de S,
Pedro n. fo ^
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro com alguma pratiea
de Tazendas para um estabelecimeuto |x rio desta
praca : a jratar na loja n. 6 da ra do Livrauenio.
Deposito de molhadqs
tio Botelho Jnior, nio pudendo continuar com
seu uegocio pos encommodo de sad, vend o seu
deposito de moldados sito ra da Iuireratriz n.
68, bem afreguezadoi' c para pagamente de .'cus
credores: a tratar no mesmo.
Pede-se iuformagoes se existe neab capital
o Sr. Linz Leite'Guimaraes, lilho de Manoel Lete
Guiuiaraes, no reino de Portugal; no cscriptorio
de Jos Victorino de Rezeude (t C, na na aCa-
deia a. 52,1 andar.
Antonio de Andraolv do Luna avia
blico e especialmente ao respeitavel
coininereio. que admittio para socio de
conunercial eui Goianna a ra do Meio n
sobrinho Luiz .Witonio de Andrade Lu^a, tendo
principio no dia Io de Janeiro de 1809, narazaoso
cial de Ivo Antonio de Andrade Luna & pobrinho.
a ao pu,-
enrpo do
sua ca 27, a seu
|pol
I i'v'
Precisa-se alugar um moleque ou nlesiiio um
preto de maior idade : quem tiver pode vir tralar
no pateo do Terco n. 63.
Fugio no dia 13 de julho de 1868 o eseravo
Domingos, mulato, idade 22 anuos, pouei mais ou
menos, com os signaos seguntes : cor alaranjado.
nariz chato, tem os denles da frente porlres, bem
in|H'rnado, muito regrista e at inlitila-sc por
forro, tem mai no engenho Senaria, frefuezia do
Cabo, e tem parentes no mesmo lugar, engenho
Roto, foi eseravo do rendeiro do engenh^
freguezia do Cabo, Nomeriano Jos d
perola : assim, pois, quem ipiizer fazor um*
linda ofl'erta, dirigir-se Nova Espoi .'tu;;,,
ra do Queimado n. 21.
Para baptisados
A Nova esooranca i la ilo Queimado n
21, tem ricos vositiarios proprios para bap-
tisados, sapatinhos, meias de seda o fio da
Escossia para o mesmo fifi).
Collares anodinos dlcctro-maynttt-
cos contra as conculcles das
crcancas.
Nao resta a menor duvida, de que muito
prietarios do estabeledmento se emane- '-'ollares se vendem por ah intitulados o?
gam de mandar ensiuar n'esta cidade, e: verdaderos de Bojer, e eis porqae mullos
garanten entregar o importe dispendido aoilais fainihas^o creem (comprando-os)
comprador, no caso de nao trabalhar com "O effeito jHomettido,o que s pdem dat.
perfeico amachina vendida, nao leudo, vertaWros; a Nova Eeperanca, porm
porn, soffrido ella alguma avaria. Ha tam-: '" detesta a falsificara.) priacipataumte no
bera no mesmo estabelecimonto macbinas
do autor Grower Bakerj^le trabalho sim-
plesmente mo, e outras cora movimento
dos ps; e mxime todos os pertenees das
mesmas machinas, para vender avulso.
Castelo,
Rarros
quem o pegar leve ao seu senhor Luiz Gomes Si
veira, morador na ramboa do Carmo, frigueziajde
Santo Antonio do Recife, que pagar iW pelo
seu trabalho ; consta que o dito mulato est tra-
bajando as pedreiras de N'azareth do Cabo in-
titulado de forro.
Compra-se urna escrava preta ou c e cor, de
idade de 12 a 16 annos : no largo do Corpo San-
tn. 19.
Rap Gasse e Paulo
Cordeiro
No armazem de Jos Joaqnim Lima llahao, a
ra da Cruz n. 18, tem constantemente suprimen-
o de rap Gasse grosso e tino, e Paulo Cordeiro
ronunum e viajado; nao precisa fazer apologa de
sua cxcellente qualidade, pois ella j de mais
conhecida, assim como o lugar proprio de sua
venda.
FASTIDIAS ASSICADAS^
DO
DR. PATERSON
De blsniutk e magnezla.
Remedio por excellencia para comhaler
a magreza, facilitar a digesto, fortificar o
estomago etc.
DEPOSITO ESPECIAL.
Pharmacia deBaiiholomeud C.
3i------Ra larga do Rosario------3.
Vende-se urna casa terrea, com bstanles
commodos, sita na ra da Estaco, na povoarao dos
Montes, em Una, junto a esteao da estrada de
feTO : a tratar nesta cidade com Virgilio de Castro
Oliveira, travesea da ra do Vigario.
Ama de leite
Precisa-se de urna ama para acabar
urna rrianca de 8 mezes, prefere-se sem
tratar na ra do Amorim n. 43, 2 andar.
de criar
lilho : a
Cczinheiro.
Precisa-se de um bomcozinheiro: em Sanio Ama-
ro, casa do Sr. Manoel Custodio, n. 22. .
Joaquim Jos Gon-
palves Beltrao
RA DO TRAPICHE N. 17, 1. ANDAR.
Sacea por todos os paquetes sobre o Ban-
co do Minho, em Braga, e sobre os segura-
res logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenoa.
Guimaraes.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Viann do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-NovS de FamalicSo.
Laraego.
Lagos.
Covilha.
Vassal (A^alpassos).
Miandella.
Beja.
Barcenos^__________.______________
"- Para amanccer o dia 10 do corrente fugio
do engenho Canabrava, no termo de Itambe o es-
eravo Bernardo, crioulo, de idade 25 Mno8,pou.
eomaisou menos, alto, secco, rosto fecarnade,
pouca barba, fueixo fino, p 'I8. I*!:
ias, fmdo a lata um pooeo dmniM*
bastarte esperto; quera* ptarar efor entre-
gar a neu srahor, o abaixo aartgnftdo, no supradit.)
eafeitao, tereoa recompensa; epede-se o auxi
1m e alteacao da pocia para a captura deste es
cravo, Suspeita-se que elle tenba seguido para .
Recife, aonde foi eseravo de Bemjamia Franklio
da Cunha Torreao.
Escriptorio de advocada
26-Roa lamoa no Rosaiuo26
O advocado Inchafel Ayres do Albuquerqne
Gama tomona abrir o seu* escriptorio na ra lar-
ga do Rosario n. 26, onde pode ser procurado,
qualquer hora, p ra todos os misteres da sua pro-
hsso.
Precisa-se arrendar um sitio grande, at a
distancia de :i leguas desta cidade: a tralar na ra
da Imperatriz n. 26, loja. ^_______
Precisa-se de um trabalhador capaz para
tratar de um pequeo sitio, prefere-se casado: a
tratar na ra Nova n. 19, 1 andar.
No largo do Carmo n. 13, precisa-se do nm
caixeiro com pratiea de taberna.__________
Jos Soares de Azevedo, pro essor de
lingua o litteratura nacional no Gymnasio
Provincial do Recife, tem aberto em sua
casa, ra Bella, n. 37,
Um curso de
Collegio de S. Francisco Xavier
Estabelecido na grande e bem arejada casa
onde esteve o Gymnasio, na ra do Hos-
picio n. 32. dirigido pelos paires da
companhia de Jess.
O reverendo padre director daste colloWio scien
tilica ai pais de seus alumnos edos di mais que
quizerem conliar-lhe a educaran de s us lilbos,
que no dia 3 de fevereiro coinecarao a fuccionar
todas as aulas, acbando-se abortas j as matri-
culas. Reeebem-se meninos de 6 a 12 anos
para serem instruidos as materias pn parlalas
das faculdades do imperio, a saber, pri.ueiras le
tras e lingoa nacional, geograpbia e bis oria, ari-
thiuetica e geometra, inglez, yancez, ((a-se inft>
rior e snperior), latim. da-se iniiina, nu dia e su-
prema, isso a pratiea da prosa e da wesia), e
linalmente humanidades ou a nlroducc;" o rheto-
rica, que comprebende os Halados do e tylo c da
elocuc,aoqucr em prosa <|uer ein poesi: as duas
liugoas latina a nacional. A musua i ara canto-
ria e para todos os iustrumentos de so ira e cor-
das, assim como as lingoas allemaa, ital ano, gre-
ga, ebraica sero ensoadas pedido de
pais.
Quem precisar de unta pessoaj que le
nha pratiea de escripturaeao por partidas
dobradas, que traduz e escreve a: linguas,
Franceza e Ingleza, dando pessoas idneas
por garanta de sua reputaco, queira an-
nunciar por este Diario, oudeixar sua mo-
rada no escriptorio d'esta Bedacc), com as
iniciaos A. R. B.
AVISO
ao Sr. Manoel Jos Marqus Bacalho
allancada mudou-se de minha casa e
do algueis ; nao posso guardar cartai
ca, etc.
Marcelino Jos Lopes.
ALTA NOVIDADE
A
que respeila ao bem estar da bnoanidade,
tez una encommenda directa (lestes collaro-
e garante aos pais de familias, que sao os
.vmladeiros de Royer, que a tanjas creai-
cas tem salvado do ternvel incommodo ne
convulces, assim pois preciso, que w -
nhain a Nova Ksperancaa na do Queimado
o. 21 comprarem o salva vida, para u s
lilhinhos, antes que estes sejain acoininettt-
dos do terrivel mal, quando enlSo ser d-
licil alcancar-se o efffito desejado, embora
sejam empegados os verdadeiros collares
de Boyer.
Aos amantes das cacadas
Commodas boleas proprias para os cala-
dores, vende-se ma do Queimado n. 21,
loja da Nova Esperanca.
Preparo para flores
A Nova Esperanca, ra do Queimado
n. 21, tem um completo sortimento de pa-
paros para llores, como seja papel para/oluas,
dito para petulas, clice, botoes, folhas panno e todos os mais preparos para i -
niar-se um ramo ou grinalda, cura gosto e
derfeicao.
Agua, divina
A Nova Esperanca a ra do Oucimadon.
21 recebeu .nova remessa de vtfdadei a
ama divina.
Para extinguir as sardas e
panno
Recebeu a Nova Esperanca, ra do
Queimado n. 21, leite de rosas, especial
para extinguir sardas e panims.
Para abejar e conservar os dentes, rece>
scuhores
Loja do Pavilo.
GURGURES PARA VESTIDOS A l->0,
O COVADO.
Cbegarain os mais modernos guivuioes |iei|., Nova'lsperaiKa, a ra do Qocimado
para vestidos, sendo de todas as cores, oamo n. 21, o verdadeiro'jioz de rosas e o elixir
lenlifrico e o dehtagico.
Grande liqnidavao
0 proprietario danga e bem conhecida
loja de miudezas denominada iBeija Flor
i ruado Qoeimado'n. 00, querendo acabar
sejam verde, azul, rosa, bismark, petla,
roxo A- tendo ipiasi quatro palmos de lar-
gura e vende-se pelo baratissimo preco
de i$000, cadaoovadd nicamente uo ar-
mazem de Flix Pereira da Silva, na ra da
Imperatriz n. (50.
Bltl.NS PARA CALCA NA LOJA nO l'ASAO.
Vende-se os mais modernos e memores
brins de linho de todas as cores, outros com
listas do lado, garautindo-se serem de linho i (jos
com o sortimento de miudezas que existe,
tem deliberado proceder a urna completa li-
quidacao, para o que chama a attencSode to-
puro e vende-se por precos muito em con-
ta no armazem de Flix Pereira da Silva,
ra da Imperatriz n. 00.
PeCIIINCIIA KM ALGOD0S1M1O A "i-ViOO
A PECA NA LOJA DO PAVAO.
Os objectos sero vendidos por melad
seu valor, apara que o publico, nao supp -
nha, que o presente annuncio nina illus';.
o proprietario da dita loja, olTerece urna p -
quena lista de algumasmiudezes, com os mus
como abaixo se vera;
dos os objectos que estn expostos a venda,
pela razao de se lomar um annuncio muito
., extenso e por consemiencia de enl'adonha Ir -
Fi?22^ L0JA 1)0 WVOA8fl0 tura, por Lsso apenas lemila-se as segumUs:
1 Duzia de miadas de iiuha para
\ende-se superiores pegas de algodaost- tmiBntoSiprecos
nlio cora 20 jardas a 5.^500 a peca, Ran- n3() apres,'lltaildo urna lisia completa deto-
n.
de pechincha, na ra da Imperatriz
armazem de Flix Pereira da Silva.
AS DE2 .MIL YABAS DE CAMBRAIAS l'UAN-
]ue a sua
ist deven-
de lian-
COMPRAS.
= Compra-se una armacao
tratar na ra Direita n. 33.
envidra cada : a
Furto.
Furtaram da na Iar?a do Rosario n. O, prmei-
ro andar, por td > me/, de dezembro e Janeiro cor-
rente, urna magn Gca cruz de brilhantes comprada
ha tres annos poi 590 ; suppoe-se ter sido o fur-
to feito por algun fmulo da casa, por quanto ha-
vendo diversas outras obras tambem do hrilhante
na caixa d*onde f )i ella furtada, somente a cruz
desappareceu, fie indo mesmo urna volta de perolas
a que eslava pre>a : gratittea-se generosamente a
quem a tiver con: prado, e restituir na mesma casa
a Euzebio da Cu r ha Beltrao.
Precisa-se do um moleqne para o servico do-
mestico : na ra ie' Agoas-verdes n. 86, J andar.
ATTENCAO
o
Xa ra estrella do Rosario, sobrado de um an-
dar n, 35, alugari-se ricos vestuarios bordados a
miro e la, novo?, de muito gosto, dminos de seda
e de laa, todos de gosto e bordados de velludo, para
vcader-pe, e faa-sa para qualquer pessoa que quei-
ra mandar fazer i gosto e a carcter de qualquer
figurn, tem um grande sortimento de dminos e
vestuarios de principe, tudo em muito bom estado
para alugar a H cada domin e vestuario, e para
vender por mnitc barato preco, tem rosas para
enfeitar qualquer vestuario proprio para o car-
naval.______
Precisa-se le um reitor que seja trabalhador
e de bm comoortamento : a tralar na ruada
Praia ns. 13 e 11' ________
- Quem pi e. isar de um homem sottuiro que
sabe 1er, escrever e contar- para caixeiro 4c enge-
SflO, anuncie.
s-gua
I.INT.IIA KHANCEZA.
GEOGRAPHIA E HISTO-
RIA.
PHILOSOPHIA.
RETHORICA E POTICA.
Os Sludantes que tiuizei-em frequentar
qualquer d'estas aulas, tanto os que devem
fazer exame em margo prximo, como os
que teem de seguir o curso durante o anno,
podem dirigir-se indicada residencia, de
manha at s 9 horas, e de tarde a qual-
quer hora.
Aluga-se
urna escrava que faz com perfeico todo sorvico
de urna casa de familia : a tratar na ra larga
do Rosario n. 34, botica.
COUPAXIIIA.
Convidarnos os Sis. accionistas da companhia
de seguros martimos e terrestresIndemnisado-
raa reunirem-se em assembla geral no es-
criptorio da mesma companhia pelas 11 horas do
dia 6 do cowente, s tas relativas ao auno prximo lindo e proceder-se
a eleicao dos funecionarios que tem de sorvir no
actual bienuio. Recife 22 de Janeiro de 1869.
Os directores.
Francisco Joao de Ramos.
Henrique Rernardcs de Oliveira.
_____________foio da Silva Regadas._______
C'ozinheicji.
Precisa-se de urna coziuheira : na roa .do Mon-
dego n. 24. ____
Aluga-se o Io andar na ra do Rainjuel n.
Escrava
Precisa-se comprar urna escrava qin saiba en-
gommar e cozinhar c de bOa conducta, quem ti-
ver annuncie ou drija-se a ra do Queimado
n, 69.
Ferros velhos.
Compra-se toda e qualquer porcao, tanto batido
como fundido: no caes Vintc e Dous de Xovembro
n. 24 (armazem). _______
Com muito maior vantagem
Compra o Coraco de Ouro, n. i D, rua do Cabu-
g, moerta-s de omi e prata e pedras preciosas.
Compra-se escravos.
Lino de Faria & C, na rua do Vigario p. 24, es-
criptorio, Io andar, coiiipram escravos de ambos os
sexos, sendo que, inoleques de 14 a 20 anuos e bo-
nitas figuras, sena pagos por muito mais dinheiro
do que em outra qualquer parte.
Ouro e prata
em moeda e em obras inutilisadas, coaipra-se por
bom preco : na praca da Independencia n. 22.
Na praca da Independencia n. 33, loja deou-
rives, compra-se ouro, prata, e pedras prec.iosas,o
tambem se faz qualquer obra de ence mineada,
todo e qualquer concert.
VENDAS.
ATTENCaO
Vende-se urna escrava de naci, expeliente qui-
tandeira e lavdeira, e soffrvel cozinheira : a pes
soa que a pretender dirja-se a rua Augusta nu-
fazer croch.
I Caixa ti'
1 Dita
1 Dita
I Duzia
100 jardas
1 Dita
RS. 0 METRO.
Vende-se inissinias cambeaias francezas
cora os mais delicados padroes, tanto inii-
dos como grados, e com as cores mais no-
vas que tem vindo no mercado pelo hara-
tissimo'preco deoGOrs. o metro; garantnde
que 7 raeD-os do ura vestido para qual-
quer senhora, e que em outra qualquer loja j
nao se encontrar a mesraa fazenda poi qq aija<.
igual preco, e sim s na loja e armazem do
Pavo, rua da Imperatriz n. CO de Flix
Pereira da Silva.
assas inglezas a 440 rso metro
Vende-se urna grande porco de bonitas
eassas inglezas tanto graudas como miudi-
nhas e de cores xaspelo barato preco de
440 rs. ome-o,garentindo-se que 7 metros,
do um vestido para qualquer Sra. s na
loja do Pavo rua da Imperatriz n. O de
Flix Pereira da Silva.
RETALIIOS PARA LUTO NA LOJA DO
PAVO.
Vende-se nina grande quantulade de re-
tamos de chitas e eassas pretas por niveo
muito harato, e quanto maior foi a porcio
que o fregu comprar, mais barato se lhe
vender na ruada imperatriz n. 60 de F-
lix Pereira da Silva.
Poli de chvre a l<*ftOOOoeoado
Vende-se poil de Chvre muito largo com
as melhores e mais modernas cores pelo
harato preco de l*JOOO o covado, na loja e
armazem do Pavao, rua da Imperatriz n. 60
de Flix Pereira da Silva.
linha com .">0 novellos
i .")0
t 10
linha de canileis de
de
Vende-se
um cofre de ferro, grande e bem fornido : a tratar
na rua da Cruz n. 23,1" andar.
Vende-se quatro tolas de 18, 20. oc 30
annos, vndas do matto urna cabra de 30 annos
com habilidades : na rua do Kogo n. 9.________
Vende-se urna taberna sita no bairro de S.
Jos, prbpria para principiante : a tratar na rua
Imperial n. 3t>.___________________________
Vende-se a taberna n. I i da rua dos Copia-
res, bem sortida dos gneros de estiva e alguns da
trra, tudo em pouca monta e em bom ponto de
negocio : a tratar na mesma.
mero 96.
Loja das seis portas em fronte
do Livramento.
Pecas de bretanha de linho com 25 varas,, pro-
prio para camisas e saas de senhora, pelo bara-
tissimo preco de iOf a peca._________________
EIDE-E
um apparador : na roa do Hospicio n. 38, o-fteina
de marcineiro._______________
HARPA
de segunda mo: venda em casa do Sr. Vigoer,
ruado Imperador.
ACABA
de cliegar os sabonetes de
alcatrfto.
Deposito, botica do Pinto, junto ao quarttd de
ptlicia.
Candido Alberto ?
Sodr da Motta travessa
da Madre de Deus n. 14,
tem para vender cimento de Hamburgo, farello da
America, saceos de 120 libras, e recebeu ultima-
mente amostras de papis de cores e domados para
forro de satas e guamicoes, dos gostos mais mo-
dernos e das memores fabricas e Pars, e se
incumbe de fazer quaesquer pedidos d
papaia asediatrte mua pequea coa_Mto.
Fita de la para ilebrum de todas
as cores,a peca?
Dita branca
Dita '
Peca de fita de linho gom 10 varas,
e qeu serve para eos.
Dita eos
Pentes voltiados para menina e se-
nhora.
Ditos muitos finos.
Ditos preto com chapa.
Ditos brancos
Ditos pretos.
Ditos blancosfinofi.
Escovas para dentes a ICO, 210 e
Ditas para cabellos.
Ditas muito linas.
Ditas para roana.
Ditas dita de dita.
Pentes de eouue com fila a I500,
2^000 e &
Pentes para coques I -y0, ,)5()0
:}r>000e
Pega de franja para toalha a pega
com i 4 varas.
Entremeios bordados a peca 600
Tinteiros de porcelana t :>500 2)5
Balaios para meninas de escolla
bonito desenlio 800, 141, IA500
Pea de fita de seda para enfei-
tes de vestidos.
Fita de sarja de todas as cores.
Gravatas pretas a 320 o
Ditas de cores.
Sapatos de tranca e tapete.
Garrafa de agua Florida verda-
ira
de Frasco com extracto em sapati-
os.
nliDilos com leos.
Dito agua de Golonia, piquenos.
Dito, dito de dito de fiever.
Ditos com banha.
Ditos com tnico.
Ditos com oleofilocome.
Ditos com extracto e banha. v
Ditos com extractos diversos
Pao de pomada.
Ditos pequeos de pomada.
CapeHasparanoivas muito finas.
Sabonetes, 120, ;i20e
Ditos transparentes de bolla^OO,
Redes para caneca
Bandeja 900 a
Duzia de botoes de seda para en-
feites de vestido
Porceira de contas.
I6C
500
KI!U
5
300
l|O0
560
2(50
120
900
500
800
500
WO
320
220
400
360
280
900
320
500
2,5500
4000
20600-
Ti 10
20904
20000
10000
10100
500
500
10500
10300
400
400
. 50i)
10000
500
10000
10000
10000
500
500
304OO
500
"
10800
240
80)

nm



*!-
li
Diario de Peruilmco Sanada ieira ."> de
' JDCi
ro de 1869.
AO BAZAR DA MODA
1)E
JOS DE S0UZ4 SOAUES fr C,
Sua Nova n. 50, esquina da na de S. Amaro.
PARA O HOVO AMUO HE 189.
9W2
Novo imrtiyumn ifcT irtiprrf* hkkIu uluxo, reccbidos pelo i iltno vapor vindo Ja Europa.
EspecialsorlimeatoikoWectos para mim >s.
Perfumaras Unas dos pnncipacs autores.
Luvas de pellica Helias. brancas e de coks para homens e senlioras.
Giiapeoziulms de jxilli.t de Haba enfeitados, para senlioras.
Ricas chapelinas para senlioras, rorrosde palUa de Italia pira senhora> e meninas.
Kspccial sortimento do .-utos para senlioras.
Knfciles de justo para senlioras.
Filas de grosdenaple superior di-. Mas as cores e larguras.
Franjas com vidrilbos, brancas, de cures >> pretas.
Goanodes de teto as qualidades para vestidos.
Vestuarios completos para bapsados.
Golinlus e puuhos enfeitados para senlioras.
Coques nolouoa, lisos e enfeitados.
BoraUS deliiae seda, odres claras, moda elopante para senlioras deboni joslo.
Corpinhes de cambraia enfeitados para senlioras.
I'.aclie-nez de la.
Chapeos de sol para bomens e seuboras. *
Flores lina-, sortimento especial.
Plomas elegantes dequadadc superior.
Citos ricos ile paiba<**lta novidade.
Grinaldas de llores finas.
Camisas superiores para liomens.
Cularinlios e punlios.
Bravatas e inanias modernas.
BeagalM de diversas qualidades.
c.iixas araadoseoffiquatro pecas de msica. p
Flores depalha para guarnieses de vest los, botoes, fivelas tacos para enfoites.
Chapeos de pello de seda pretos, forma a ltotsehild. fazenda s aperior para bomens.
Hrrenles de plaqu lino, justos bonitosi.iararelogios.
(Picoletas de bom gosto para as mesillas.
Correales pretas de -bonacba diversos m dolos para rollas.
hjcclos para lulo.
E limites uniros arligos de novidade que i> vistapodem s?r apreciados.
Iixiste continuamente um completo sortimento de miudezas. veade-se por grosso
A COMMOBOS PJItE^OS
BAZAR DA MODA.
\C \rVl\lPf\Q. Sm todas rpartetdo mundo, empregam, com o maior xito,
U& JllrjJ-'l^v/J|> o phospbaio de fcrro solnvel de LERAS, para curar a chlorosis
(cores paludas), as dores do estomago, e a exhanstacao do sangue; com esta preparado, dio
ao corpa o vigor, e s carnes,^ sua firmeza aatural; ftdlitam o esenvoWimento ta"o labo-
i vigor,
rioso da puberdade
Com effeito, ludo, n'eate medicamento, se acha reunido para lhe
gue. O sen amor, m. z,krab, doctor em sciencias, pharmaceutico, p
chymica, inspector da Academia, foi, recentOBtcnle, condecorado da ordem d
rotes; or de
a LegiSo de
0 phosphato de ferro u
nosas, e o scu emprejo I1H
A forma liquida do p
as pilulas; eu considero cu.
e"a relalbu
assegurar o roaior crdito, pois qe catram/aa sua eomposico, os elementos dos ossos e
do sangue. 0 sen autor, M. Lbras,
chymica, inspector da Academia, foi,
Honra, digna ricompeosa dos seus importantes trabalhos
As seguintef aprecifrt.6cs dos mais celebre mdicos ainda vem corroborar e juitificar
lodos esles ti lulos cenfianca publica : .
t Precisa classificar o phosphato de ferro soluvcl entre os ferruginosos que melhor
i convem aos doenf* "'"' orgaos digestivos snpporUm mal as preparaedes de ferro.
s-! < '" \N. pro/iseir na Escola demedina cae phurmacia.
cin quanto a mim, a melhor das preparacoes fflrrugi-
eromptos e seguros resollados. 4
MAN, medico do hospital Saiiite Eugnie.
c forro soluvcl d-lbc urna immensa vanlagem sobre
. umeulo como mu superior s preparacoes iodadas.
AUN'AL, medico de S. M. o Imperador.
Entre todos os ferruginosos, nao conhecemos um s que obre lio prompta c efficazmente
como o phosphato de ferro solare!, e isso, sem cansar o estomago.
BELLOC, BAUME, U1U0T, FOLLET e PREV0ST, mdicos dos hospitaes.
Os effeitos da preparacao de phosphato de ferro soluvel me parecem ser nrai seguros
c e promptos. DEIlOl'T, redactor em chefe do Bullelin Mrapeutique.
Entre todas as preparacoes ferruginosas, o phosphato de ferro soluvel foi a que sempre
< me deo os melhores e mais satisfactorios resallados. GUIBOIT, medico dos kospitae*.
c 0 phosphato de ferro solavel tea, sobretao, a vanlagem de evitar a consiipicao e
convir aos lemperamentos delicados. Dr FAVROT.
Deposito em Pemambuco> em casa de aiaarer C.
m
Pharma laureudo "*$&:
pela Academia
medicina de Pai,
PAST1LHAS
[i DOSESVBIGEST^
deBURINdBUISSON
'*
Medalhado
peld^
Sociedade

fomento. f*J*SS
PREQO CBRENTE DOS CHAPEOS DE SOL
Da fabrica de
ANOEL & C.
Kua Nova n. 23,==Rua do Cabng n. 8
Pernambuco
Gbaptt e seda trancada, Pararon, de 16 hasles, 28 polle^ailas a 1C?>; 26
potlegtctas a l.*i\ e n'i peUegaai a oO(X).
Ditos de seda G. de N. Bara, de aro, de 16 bastes, 28 pollogadas a l:
de 6 iJullegadas a 13$ ; c 2i pullegadas a 12;000.
Ditos de seda G. de N. lisa, de ac, de 12 bastos, 28 pollegadas a 12j; de
ti pollegadas a ll->; c 2 pollegadas a 105000.
Ditos de alpaca, de ac,'de 12 bastes, 28 pollegadas a 6>; e 26 pollegadas
a 5300.
i ^ff CH LACTATO. M SODA E^MAGN
1 Estas Pastilhas constituem o medicamento o mais novo e o mais racinaTpara combaer
todas as affeccoes dai vas digestivas. Ellas contem, com effeito, o acido lctico, um dos
elementos normes da digeslflo, combinado com a magnesia calcinada, cajos bons effeitos
tem sido appreciados por todos os mdicos, e o bi-carbonato de soda, sal que faz a base das
aguas de Vichy e da maior parte das aguas mineraes alcalinas. Este Iripce conjuncto de tres
productos coja cfficacla popular, explica o bom xito que se obtem as gastries, gastralgias,
sahiias de genes, inchacio do etUmago, vmitos depoyt das comidas, iniiguloes, dores
{ i estomago, etc. Deposito em Pernambuco, em casa delKaarer c*.

Por (liizia f;iz-se descont de 15 0[0
Chapeos do sol de panno, de baleia, de 8 hastes, 2i e 26 pollegadas a 32.A
i duzia. (Descont de 10 OJO).
Ditos de panno, de junco, 8 bastes, a 18^000 a duzia, liiptido.
GRANDE LlQUIDAClll
Kara musicas militar
ApproT<;ao
da acadeaii
de medecint
de Pars.
I'hamaccutico
laureado .
da academia
de ntdecina.
As preparares ferruginosas liquidas tem desde muitos annos merecido a approvacSo
especial aos mdicos, porque ellas obrao mais rpido seguramente do que as pilulas, e
sao mais fcilmente toleradas pelos doenles. Os Pos ferro-mngameos possucm a igappre-
ciavel vanlagem de poder offerecer n'um instante urna agua ferruginosa gazeosa, de gosio
agradavel, mais acliva do que as aguas mineraes, e contendo de uihs um elemento prpcioso,
se em
igorar
o Manganese, que sempre se acba no sangue, junctamenle com o ferro. Empregao
todas as molestias que tem por causa o empobrecimento do sangue, assim romo para
os lemperamentos debis e lymphaticos. A cklorose, as Pcrdas brancas, dores d'estimago,
apida-
> cura-
a irregularidade da menstruacao c amenorrha ou suppressao do menstruo, cedem i
mente a seu emprego. Devemos mencionar aqu um fado notare!, isto que os doentc
dos pela agua preparada com esles pos eslao muilo menos expostos a recadas c o que
aqueiles que forlo tratados pelas preparacoes ferruginosas ordinarias.
Deposito em Pernambuco, em casa de Haorer e C".
VERDADEIRAS
Completo sortimento
BAZAR DA MODA
HIA NOVA N. 50, .
Esquina ila ra de Sanio Amaro
20 a 30 por eento nieno9 que em nutra qualqucr parle vendem
JOS DE SOUZA S0AE.ES ft* C.
io mais acreditado autor Guutrot Ainea Paria
RA JSO'WA N. SO
ESQUINA DA RA DE SANTO AMABO.
PILULAS DE BLANCARD
COM IODUHETO DO FERRO INALTRAVEL
APPROVADAS PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARS, ETC.
Possuindo as propriedades do Iodo et do ferro, convem especialmente aas Amccos
escrofulosas, a Tsica no principio,a fraqwzae temperamento e tambemnos cisos de
Falta de con, AMF.NORnnrA.cm que precisareacir sobre o sangue seja para restituir
lhe a sua riqueza e almndcncia normaes, ou para provocar e regular o seu curso peridico.
TV. B. O iodurelo de ferro impuro ou Iterado um medicamento infiel, rf/ (
irritante. Como prova do purera e de autliencidade das *er4eir ri- /^>J^_,rt^7
lulas fe lllnnerl, deye-se exigir no:so aclla le pral rreli e^/'-Z^7^-v
noso lrnin, aiiii reprodiuila, quft *) ""lia na parKV inferior de om
ruiu'o venir. Dcvc-se desconllar das falsilii'acors,
triam-urnii iMm m< pl.nrmrelim.____Pharmaceutico, rws Bonnpnrle, 40, Pari*
USfflPHO

Est aexposico do respeitavel. publico ueste importante estabelecimento um
lindo e completo sortimento de fazendas cbcfadas pelo ultimo vapor da Europa, o que
teios a honra de annunciar aos pais de.famlia, assim como ao bello sexo, a quera o
I nurapho pede sua alteno; graatndd sempre era sua uov.t loja o gosto de fazendas e
nova-; modasc modificado dos presos, para adquirir asvmpubia de quera der a honra
de procorar o Tiiumpho.
Lindas sedas de cores novo gosto a 2.>G00 e 28000 o covado.
Glacez de sedaela apurado gosto para t/)500 o covado.
Llazinhas com listras de seda para 1:5209, 1^000 o covado.
Ditas de lindos padroes para 500, 700,800 e 900 rs. o mido.
Cambraias brancas-de 4.-?000 at 8,?000 a peca.
Ditas de cor novos padrees de 650 e 800 rs. a vara.
Saias de laa cora bonitas barras.
Baloes de 13a c murcelinf e de arcos.
Basquinas de gros-de-naple de 22^000 a 40^000.
flros-de-naples pietos de 25000 a 4*500 o covado.
Ditos ile tullas as cores.
Organdiz branco.
Urilhaotmas brancas e de cores.
trtilhofi e entr-rae%s bordados.
Meiae linas para senhort e para hornera.
Alm deltas fazendas tem um completo sortimento de chias escuras e claras bm-
dapoloes, bramantes, atoalhaflo, toalhas de linho e dealgodo, e outras umitas fazendas
qudse v >i i .ni por precos que s a vista o comprador se poder desengaar que s no
Trinmpho poder comprar bom, e com economa.
PARA HOMENS.
Bonito sortimento de easemiras, brins brancos e de cores camisas de linlio ,c aKo-
ao, clroulas, mantas e gravitas do que ha mais moderno, chap )s de sol de seda e aluaca
ulras militas fazendas me vista se podero agradar, e mamla-se aer qualrnier obra
o> alftuaie pai a o que tem um hbil mestre.. p preco em todo, s encontrara no Tiiumnho .
ua do Queimado n. 7. l I
ir.
Conservadora d sua iiidiyi-
dualidade, amiga do
progresso.
Os labyrinliios da Espemnca
A loja de miudezas da ra do Queimado
n. 35 A, vera api-esentar sua escolhida
freguezia um artigo que at ltoje custava
muito caro, e por feso s chegava para a
classe mais abastada da sociedade.
Toalhas Be labyriatthos
Perfeilamente gases s que se falricam
no paiz por urna decima paite do valor dal-
las viudo a esta hija, apreciar a perfeicao
reunida cconomia, (era sempre ptasivel
isso).
As toalhas-leent um r'txAo de lindo de-
senlio e no centro se le em caracteres maius-
culos a allegorica inscripeo.A' baptisar.
A' passeio.Meus cuidados.Lembran-
ga.Visita.
Ningucm porcerto deixar de ir completar
o enxoval do lindo ilho para fazer economa
de 45 on 205,esses nadas de que se compc
o guarda roupa dos recem-nascidos qna-
si sempre. ieara aos extremosos cuidados
das mis, a cssas a quem e Esperanza se
dirige, para quem desde j dispe-se a dar
amostras e certa est que pelo preco nenhu-
ma deixar de comprar.
Frouhas
A Esperanca, tambem recebeu fronhas no
mesmo gosto das toalhas que vende pelo ba-
rato preco de 3:51000, o que custava 10,51 !
apreciai.e se ligardes importancia aoen-
fortavel da vida, sem duvida comprareis:
neste bello paiz ninguem se faz pobre dis-
pensando 15> ou20>000, com o aoctiio e
l>elteza de que se decora a..habitarlo, s
vezes no que menos pensamos, entretanto,
como diziam nossos maiores, a sepultura' da
vida : ainda s senlioras a quem a Espe-
rance se dirige. Uma senhora cuidadosa
do nada faz a casa.
Ruado Queimado n. 3o A,
v
TASSOIRMOS
Tem para vender em seus armazens, lni de on-
tros, os seguinlcs arligos :
Papel para imprimir.
Perlina azul.
Greve pautado c liso.
Vinlios em caixas de doze garrafas
Bourgogne.
Hcrv.
Marfeira.
Hermitage.
Chamblis. .
-Licor de curaco de Hollanda em caixas de vin-
to e qualro botijinba?.
GESSO
Nos armazens de Tasso Irmaos.
Grades de ferro
para jardins, porteiras ele.
Nos armazens de Tasso Irmaos
C AltHlMIO* DI] I I SUSO
Para senioos de grandes armazens, para remo-
ver barricas mi caixoes d? um para outro, lado pelo
mdico preco de 12000 cada um.
Fanidia de trigo de Trieste
Das melhoras marcas Panonia (verdadeira) Fon-
lana e grande sortimento das melhores marcas de
, larinhas americanas.
! Saceos de farinlia de trigo do
Chile
Todas novas, chegadas ullimamenle nos arma
zens de Tasso Innaos.
Cemento romano
Nos armazens de Tasso Irmaos.
Cemento hydraulico 12$
O melhor para ludo ijue sao obras para agua, co-
mo asseiilamentn de canus de esgolo, algerozes, de-
, psito, tanques d'agua, etc., etc.: em poroSes de
eincoeulo barricas se far reduccao no preco : nos
! mnaeensde Tasso innaos.
Cemento Portlaiul
0 verdaileiro cemento Portland em casa de Tasso
Irmaos.
Grades de ferro, cercas, por-
teiras, etc., etc.
De diflVreni.'s qualidadcs para cercados de ani-
maos, cbiipieiros para galinlias ou jardins : nos ar-
mazens de Tasso Innaos.
Earris com breu
us armazens de Tasso Irmaos.
CANOS DE BAERO
Na ra Nova d.- Santa Rita, na antiga fabrica de
sabao, lia para vender per preco o mais mdico
IKissivel, canos francezes para editieaQoes e esgo-
Uis de toda a quaJidade, superiores a todos os que
aqui tem appareciilo pela sua solidez.
1T,F.<;0S.
1400 por cano grande de 3 e meia pollegadas.
1 -5(MI por dito de i e tres quartos de dita.
I 000 por dito de 2 e um quarlo de dita.
500 r8 por pistoleta de 2 pollegadas.
(j)liivellos. curvase canos de maior grossura. a
vista se tari o [ireco. Compras maiores de 2O0j5
tem 5 por cento de descont por prompto paga-
mento. Pdense ver as amostras nos armazens
B Tasso Innaos.
Tijolos fraucezes
Para ladrilhar casas terreas comasseioc presos
mdicos, muito convenientes e proprios para ladri-
llios de cosiuhas em sobrados, pelo seu asseio e
evitar a passagem de aguas para o andar inferior
e mesmo o engo de fogo, aos precos de 30000a
i-iiOOO o milbeiro: na ra Nova de Santa Hita, na
antinafabrieade saliao, e compras maiores de 1001
LOJADOPASSO.
lina do Crespo n. \, esquo
da i?o Inipej ador.
O-done desteimpelanle e-taheleciraento.
tendo recibido de sba conti, pelo vapor
francez Ejtwmndim-. diversos arligos de alta
novidade prontos para 8 est.i, enmscio de
ue seu e>l:i!>elecinii'iito se acba hem sorti-
i o, principalmente em artigos de moda, pe-
de ao respeitavel publico e em particular
aos seus numerosos freguezes a bondade
de bonra-lo com sua conlianca, garantindo-
Uies sercra bem servidos e por pragM ni-
miamente baratos. Venliam, >ois, todos
comprar novas e lindas fazendas boas e de
alta novjdade, com bem:
Riquissiraos cortes de blonde.
Riquissimos cortes de seda de cores.
Sedas de lindas cores para covados.
Moire-antique azul, verde, branco e pre-
to.
Grosdenaples azul, verde, branco e pre-
to.
Gorguro branco e preto.
Setim branco macau.
Cortes de seda com duas saias.
Cortes de la escosseza com duas saias.
Cortes de 13a c seda, novidades.
Poil de chevre de lindas cores.
Alpacas de cordo lindas cores.
Ditas lisas de todas as cores.
Cortes de vestidos de cambraia bordados.
Saias bordadas para senlioras.
Camisas bordadas .
Fronhas de ljnho com lindos lardados.
Lencos de cambraia de linho bordados.
Chapelinas de palha da Italia.
Ditas de sedas de cores c pretas.
Enfeites para cabera de senhora.
Coques de todas as qualidadea.
basquinas de seda enfeitadas com primor.
Leques de madreperola, mailim, snda-
lo e osso.
Camisas bordadas para homens.
Colchas de algodao e seda para cama.
Ditas de crochet para cama.
Pannos de crochet para cadenas c sof.
Clrapos de sol de seda para senlioras.
Espartilhos para senlioras.
Toalhas de labyrnto.
Lencos de labyrnto.
Fronhas de labyrnto.
Bicos, rendas e grades.
Finissimas cambraias de cores, percales,
las e outros muitos artigos de gosto e no-
vidade.
Loja do Passo ra do Crespo n. 7 A es-
quina da do Imperador.
Para armazens a retalho.
O Campos da ra do Imperad) r u. iH, tem para
vender grande quantidade de medidas de estanto
para lquidos, e de madeira para seceos, pelo sis-
tema mtrico decimal, pelo qual estilo os negocian-
tes a retalho obrigados a vender suas mtjrcadorias,
a contar do 1" de mareo do corrente anno. O ,in-
iiuiiciante avisa e gam'nte ans que de taes medi iieeessitam, que sao estas as mais exactas, por
qnanto sao feitas em Paris, de conformidade o m
o systema cima dito, t segundo opadrao adoptado
pelo governw imperial ; nao acontecendo, porm.
o mesmo com outras que ahi se vendem. (pie sen-
do da mesnia caparidade. ileversilicam de modelle.
viudo offerecer duvidas nao s aos compradores
se CarS por cento de descont por prompto paga- como aos vendedores.
ment. Pod"f4n-se ver as amostras nos armazens
de Tasso Irmaos.
Velas de esparmacete verdadeiras para lan-
ternas de carros: noarmazem de Tasso Innaos.
Vinho do Porto lino superior: no armazem
de Tasso Irmaos.
O melhor cognac Gauttiier Freres : no arma-
zem de Tasso Irmaos.
Esteiras da India
Em casa de Tasso Irmaos vende-se esteiras da
India de, diversos padroes e larguras, por preco
comniodo.
DOENCAS das CRIANCAS
frE GflMAULT C^ PHARlVlACEUTICOS EM PARS
Vondo-sc ou arrenda-se o engerrfio-S.
Gaspar, sito Ha freguezia de Serinhaem, cd-
marca do Rio Formoso, prximo do embar-
que, com grandes partidos de pal, e mas-
sap a roda da moenda, matos c mangues
para madeira necessaria, bom pasto.etc
tratar na ra do Imperador n. 20, ou rua
ila Florentina h. 28.
LOJA DO GALLO VIGILARE
Ra do Crespo n. 7
Maudou vir de sua conta e acaba de re-
ceber pelo ultimo vapor, completo sortiraen-
ot de objectos de novidade e phantasla, os
quaes estao resolvidos a vender [pr preros
nimiamente baratos, para assim animar aos
concurrentes e ao mesmo tempo liar sabida
ao grande deposito que tem: iste ra do
Crespo n. 7, loja do Gallo Vigila tc.
Gollinhas, punlios e camisinha para se-
nhora, fazendas de gosto e novidade.
Finos vestuarios para baptisades, assim
como touquinhas, sapatinhos e nieiasinhas
para o mesmo lim. I
Grande sortimento de bicos c rendas de
croch c de outras militas qualida les.
Superiores caixas com msicas o sera el-
las, leudo o mvessario para costuras, pro-
prias para um delicado mimo.
Finas caixas com teios esemilles para
vol trete.
Agttlhas para machinas de costu *a.
Ditas para croch, sendo de ac, marfim
e outras muitas qualidades, assim como li-
nhas para o mesmo mister.
Finas grinaldas para noivas.
Meias de borracha para quem sjoflYc de
erysipella, assim como meias de laa para
os que so'rem de rheumatismo.
Suspensorios para homem e meunos.
l'inos pentes de tartaruga para coques^
de outras muitas qualidades e para outros
mistures.
Dedaes de madreperola, marfim, osso,
ac, metal, etc., etc.
Superior aama cosmeocome para tingir
cabulios, dando aus meamos a sua cor pri-
mitiva.
Completo sortimento de finas perfumaras
do* ruethores fabricantes, assim como mili-
tas outros objectos que impossf I des-
crever; isto s na ra do Crespo a 7, loja
do Gallo Vigilante.
Collares Royer elctricos magnticos con-
tra as convulstes das criancas e para facili-
tar a dentinco das mesmas, o Galio Vigi-
lante antigo recebedor d'estes protjigiosos
collares e contina a ter sempre grahde de-
posito, i ra do Crespo n. 7.
Macarthy
vi uhlnas delesearocar algodo.
Hoje que est reconheciilo que as machinas de
serrote prcjudicaai e quebrara a libra do algodio,
preciso reeoirar a macliinismo menos aspen,
que produzindo o mesmo servico i|ue aquellas, e
facilidade no trabalbo. nao quebrem a libra da lia,
pan} queessa possa obter-nos nurcados europeos.
a dnwenca que ha entre o algodo desearoeado
por aquellas ineiirionadas machinas, que estao fi-
eando em-desuzo, pelo prejuizo que tem causado,
e o da antiga bolandeira, que nao pode competir
pela morosidad do seu trabalho. E' assim que
oslas machinas se tornam as mais propiias para o
DOMO algoilao. porque ao par da facilidade c
promptido conserva a libra da lia, que limpa por
r lin-
Meius elsticas de borracha.
As melhores e excellentes rmcias elsti-
cas de borracha contra varizes e erysipellas.
Vende-se na
Pharmacia e drogara de
Bartholomeu A C.
.'{ira largado Rosario34
Vinho Flgueira
Vende-se em anroretas de 9 caadas superior
vinho da Figueira, proprio para ea>M parbcola-
res : na ra do Amoriiii n. 58. armazem.
Vemle-se tuna terca parte da casa terrea,
sita na Vellia n. 39 : quem qnizer dirija-s.' a
roa estrellado Rosario n. :!.*. '!" tathr.
Ornamentos de igreja.
Vendem Gregorio Paes do Amaral & C.
a ra do Oespo n. 5, casullas e uma ran-
bella de damasco de seda portyguez per-
feilamente acabados.
PAIililfl.
^e^ldera taralnsm um rquissimo pallin
de damasco de sedi branca prntuguez bor-
dado a ouro fino.
ella, qualilieada na Europa a par da melhor
landeira. valnnio assim entre 10 arrobas 20 O/Ti!
mais do que a laa liinpa [H'la machina de serrote.
Vende-se."
L'ni balcao em bom estado : na na da Cadeia
Estas machinas nao sao novas, pois que ha muito I do Hecife u. 22.
i stao adoptadas nj Egyplo, aonde as de serrote I-
oram inteiram (nte abandonadas, e por isso o alpo-
daodaquella pro li ira, sendo ib qnalidade iln
ila npssanaiincij), obum boje de 10 arrobas 20
o "Ornis do que o nosso : vendem-se a lSOjOOO
nos armazens de Tasso Irmaos.
Sabouetes de alcatrao
Ente medicamento goza em Psris e no mundo inieiro^le nma fam justamente merecida, per
acnw-se intimamente eorabiaado rifMioiodo com o sueco das ptalas ai nscorbuiieas, cuja fflcica
com^mi'^^ ^.""T jf # ^ Miste odo- E' com te motivo qne elle soppre
Xan. gr~0 0]a lJfid0Sl F^0- <** e' ""o m lomen, ieoncoi, fin
crianfM delliuca iSde, !L! 1 SfL 9 u iv:nu M*", rosto, to freqnertea ou
diffl6ao.. Se o Int^5S^srao m'*m0 ""W ^ ettt r*?^1' <***
esjeci.-ib.u. para coZ^Td^'^^tX^ ^^ "*" ""^
Deposito em Prnambueo, m casa de Mmm i r.
CURA DOI3 CALLOS.
SLA
Pomada calttHpeau.
Deposito especial
Pbamaea de Bsrmoloraeo fli-nRua larga do Rosario-------34.
Vende-se urna tatema om soneos fundo?;
bem afreguezadav tanto pafa o mato como para a
Ierra, o alugnel commodo e tem commodos i*ra
pequea familia, a rarao da venda se dir aos nre-
tendentes a tratar na ra Direit n. 80.
CE
^nU)uio Nuues de Castro.
Este acreditado preparado, que 13o boa
acceKafao tan merecido n'esta provincia,
muito se recoramenda para a cura certa
das impiget, sarnas, caspas e tedas as
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pltarmacia de BartJioioninu<* C,
;t'ra lartra do Rosario34.
Manuel Alvos Ferreira 4 C, a ruada
Moeda n. segundo andar tem para vender
superior potassa da Russia era barris e meios
barris e cal de Lisboa da mais nova que ha
nfr-mweado.
Cemento de Fortlaini.
Veade-se no armasen 4o Vicente Ferreira da
Costa & Pilho, na ra da Madre de Dees n. H, em
barris grandes.
Tabellas vermicidas
DK
Antonio iVtmes de Castro.
Vennifugo efficaz e -prcforivcl todos os
conhecdos ja pela certeza de seu resultado,
e j pela fcil applicacao s mancas, quasi
sempre mais afacadas de to terrivel e
muitas vezes fatpl sojlriioenlo.
nico Pharmacia' de BartholomeoC.
31ra larga dp Rosario34
FUNDICAO DO BOWMAN
Ra do Brum n. 59.
Machinas de vapor.
Rodas d'agoa.
Moendas de canna.
Taixos de ferro, batidojfe fundido.
Rodas dentadas, para moer com agoa,
vapor e animaes.
E outros notos objectos, etc. etc., pro-
prios para agricultura.
Chegon ao antfjw deposito de Henry Forster &
C, ra do Imperador, um carreganento de par
de primeh*aqualidade;oqnal se vende em partidas
e a retalho por menos preco do que em outra qual-
qucr parte.
Vendem Augusto F. de Oliveira t C ra do
Comniereio. n. 42.
Na ra de lortas casa n. e>Mnpra-se Jofftaes
ou outro qualqucr papel que esteja limpo, a 44./
anolia.

Proprias para a qua-
resma

A-
(rs-de-napofes para tocios os precos.
Cortes tte excellente gorguro para ves-
tida cora 13 ej49 riiviidus.
Ditos de seda lav*la, ba fizenda e ba-
rata, O..'-
Moir-antique,
Meas basquinas e tarabem as mais sim-
ples e baratas,
ra do Queimado n. 31, loja de fazen-
das de A. M. Rolim &C., aonde tambera eiicontrar completo sortimento de bzepijas
de toda a especie.
YEIDE-^E
Um fandamento completo de official da
guarda nacional todo novo e ent perfeitu
estado : na ra das Cruzes n. 42.
Tintura japoneza
Instantnea para tingir os cabellos e a
barbaba 1<900CT fr*ce.
E' a nica approvada e recanraendada
por ter lido leconhecida superior a todas
as tinturas d'este genero.
A venda em casa de Gustavo Hervelin n.
51. rea da Cadeia n. 5t._____________'
tap Paulo Cordeiro.
Veade-se rap Paulo Cordeiro tino, via-
jado, em latas, meiogrosso evinagrinho,
no deposito cargo de Jo3o Francisco da
Silva Novaes, iva do Vigario n. U. Faz-se
vantagens a quem comprar pon;o, e trca-
seo rap que nao sabir ao agrado dos con-
samidoNe.
^- Vende-se urna canoa grande atera tem
construida, que serve pra_ conduzir tijolos ou ea-
pim : a tratar na ra aa
rundi.
I.i (iloria n. .'i. olaria do
Liquidac,ao de miudezas, ra do Queimado n.
US, tubos ou chamineis para candieiro a gas a
320 rs.
Atteiitfuo.
Vende-se um excedente carro e nata parelha Je
cavallos arreiados, mansos e bons : no Hospicio
numero 2.
Para o carnaval
i ua do Crespo n. 6 tem para vender velludo
de diversas oures nttc- proprio para reupa.de
.pialqtwr^alidado, m t^ae aortaaeoto de
DUtaas.que tadom'miteitor bawtissimo pwy.
Yeitle-se
Ritas pias de marrom* moin Ana*, com Aordeft
Env*adoTteod. Chnstians, ra doGom- m rtevo, qn* podem servir para igeja, ou para,
morcio b. I, mwanmt-se'elfcettvsBieiite^^ partlwilaiy, ^wle-ao por prey nwito coa.
l#aWade9deLviniB<>rdooaj1 Rheno. '**> "-w*

J


wsmsm


*%w
%*
1:>*

.
t
i
Diario de Permuiibuco Segunda feira 25 de Janeiro de 1869.
ADINHEIRONA LOJA E ARMAZEM
no -^,___
Flix Pereira da Silva, successor de Gama
& Silva
0 proprietario, d'estc cstabelcciniento convida ao resptate] publico desta ca-
pibd a vir surtir-se no grande estabelecimento que tem defasendas, tanto da moda cuino
de lei, e as pessoas que negocian em pequea escalla, tanto da praea como do matto-
nesta casa podero fazer os seus sortimento em pequeas e grandes porches, venden-
do-se-lhes pelos precos que se compram as casas inglezas ; assim como as axcellentis,
simas familias, podero mandar buscar as amostras de todas aslazendas, ou mandare-
mos levar em suas casas pelos nossos caixeires, para o que acha-se este estabelecimen-
to iberio constantemente desde as i boras di munhaa s 9 da noute.

O atoalliado do Patito.
Vendc-se superior atoalhado de algodao
coin 8 palmos de largo* adamascado a
*00 a vara; dito de linho fazenda muito
superior a 35200 a vara ; guardanapos de
inho adamascados a,4#50O a duzia e muito
linos a 8->000, e ditos econmicos a 35500
a duzia.
Crochs para cadelras na loja do
Pavo
Chegaram os mais lindos
he ou guarda bautras, propnos para ca-
leiras tanto d'encosto, como do balando e
do guariiirito, e outros corapridos para so-
ta, assim como ditos redondos para mezas
redondas, ditos pequeos para a'mofadas, e
ditos para cubrir prsenles, tendo pequeos
d para cubrir um prato, que se vendem
MADaPOLAO A 3:500.
Vendcm-se pacas de madapolao fino com
12 jardas pelo birato prego de 3:500 a peca,
dito com 21 jardas a 75000, na ra da Im-
[leratriz n.00, ai mazem de Flix Pereira da
Silva.
laslahas
A doze vintn.
A doze vintens.
A doze vintens.
Vendem-se laasinhas de cores muito c-
panos de ero- nitas com desenlos miudinliose grandinbos
rom listadlas e pintas pelo barato preco de
lOris o covado na loja do Pavo, ra da
Imperatrizn. (50, de Feliz Pereira da Silva.
AS CAMBRA1AS DO PAVO
Vendem-se linissimas pecas de cambraias
lizas transparentes tanto inglezas como suis-
sas tendo mais de vara de largura, pelos
Temos noviilade na torra f
Porm ninguem se espante
A cousa nlio e de dar cuidado,
Faz seni| .re a saa admiraco,
Mas nao offende a ninguem,
Agora nao se lembrem de novo incendio no pardieiro,
.Nem que borne explosSo na maxamlHimha,
Nem que o preto Thoraaz fugio da Detenco,
Nem que o vapor ebegoo embandeirado,
Nem que a FRAGATA AMAZONAS virn o S.
Nao se trata disso
a Ser ah/umjuiz (k paz que quer passar o metro no seu subs*
* ututo em cansequenciu de estar abolida a vara '
NAO SE.MIORESTenliam paciencia- Esperem
Nos vamos dizer do que se tratanao com aquellas modos quo loma o eidado
russo, Sr. Antonio liomingues, quando rccoiihece que na mellior boa f.lfaye empurraran)
algum livro sem principio nem immas sim com aquellas maneiras assz delicadas que
sempre se encontram no perfumse niulip da sympathica Aguia-Branca : assim pois
attendam: ^.
Amigos de fartar o estomago agradavelmente venliam ;i ra da Imperatrizolbem '
[>ara a casa que lica em frente ao magnificp,cafolbem..... olbem..... Nao veera ?

por proco muito em couta, na loja c arma- [ precos de ?>000 at 105000 a pega, assim
eratriz n. 00, de como inissimos organdys betico liso que
/em do Pavo ra da Imp
Flix Pereira da Silva.
Fnates para vestido forneos
a (t-to.
Vi 'ndem-sc os mais modernos fuslcs bran-
cos llexiveis com padies de listas e de
serve para vestidas de bailes, por ser muito
Iransparente a 15000, a van, na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. GO, de Flix Pe-
reira da Silva.
FUSTO BRANCO PARA VESTIDOS A 010
Na loja do Pavo vendem-se o's mais mo-
salpicos propnos para vestidos e roupas de demos fustoes brancos de lista e cordo
menino a 010 rs. o covado, na loja e arma- muito encornado mas muito flexivel nro-l'i
/em dn PavSn na di Tmneratri'/n 00 rio '!! ^S V '. Ulo que ha de mais superior C digno de lima casa dessa ordem.
inzn. ou, ce priosparavosliilns.roupoes, perneadores etc. i ~-
Agora digam comigo
0 BOM DEMONIO
Nao se benzam
Oue peior
Flquem bem quicios
Que melhor. ,
Mulher, demonio que importa !
.Mu! e/, demonio bei de amar-te !
0 cordeiro previdente
Una lo <|sciuiado u. 1(0.
Novo e vjuiad/> sortimento de perfumaras
linas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfil
manas, dcima i-OPctraaBata est prvidaa
loja do .rd.'im Previdente, ella acaba de
receber um antro sortimento que se torna
notare! pela vartedadede objectos, superiori-
dade, (|ualidades e commodidades de pre-
gos; assim. pois. o Cordeiro Previdente pede
b espera continuar a merecer a apmegi
do ii'S|ieiLivel publico em geral o de sua
boa freguezia em particular, nao se afae*
(ando elle de sua bem conbecida mansido
e baratera. Em dita loja cncontraro os
apreciadores dobom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray A Laminan.
Dila do Cologne ingleza, americana, fran-
ceza, todas dos melbores e maisacredilados
fabricantes.
Dila balsmica dentrificia.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir oduntalgico para conservago do
asseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e rhei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente,
e outras qualidades.
Msicas
Viiidt'-st; partituras para pianno, e ca
e pianno s, para msicas militares, p<
de operas, e danca, methodo paca ceta
llanto, e ophcfejd, duelos para duas fle-
tas, paradous cirmelos, fantasa para pian-
no, e rebeca, tambera ha ontrn* pecas pata
pianno ;i i e 0 m3os, alguns podaros facer
para pianno s. Na nema lia tamben*
missas para quatro vosea: as pessoai tpto-,
quiserem pudeni compra-las rua do Jsmiui
n. 27 ou a na Nova il 23 fabrica de eh
pos de sol.
Cavallo de sella
Vemlo-sp um ravuliude sella cora indares unnn
lions, novo, unido e bunibi, leiiiJii vindo do Coa.i.
para ver na coeheirado liento Kesptnbril. c [:.-.
iralarna rualarpa Jo Rosario n. 2i. 1" andar.
Vendo-so urna carrosa de rara lio b*terti
grande e nova: na roa Imperial n. 130:
ESCBAVOS FGIDOS,
200$ 400$ de {ralificaeo.
Oralka-fo, segnai* ;i ii-t.-i11<-i:t. a qoein priir
c levar a seu senbor o Dr. Virgilio Carneu*oo>
Canba e Alboqoerque, mondar no angenuo Con-
cordia, da fregnerto da Luz, o esotro Joaqun d>
Sanl'Anna, protode idade ds anuos, hucal, esl-
irua ngnbor, poaln mu pomo NaadMdo a larpi..
niiin- Doaoonoe, nws e ara poaco braneen, dani i
perfeiios, alvos e limados, rabera peqaeaa, ps f
inacs refolares,d1rpostD e esperto para qnafrjnv
Finos extractos inglezes,. amencanos e Z&GE^JttJS! SSZ
Flix Pereira da Silva.
Organdys
Organdybian.o liso, muito fino a 800
rs. a vara ; dito com quadros ou listas, fa-
zenda muito superior a 1 ; lil de linho j
braacc com palminlias, fazenda muito fina a
'iiO rs. a vara.
Cirosdeuaples
Chegou para a loja do Pavo pelo ultimo
varpor um grande sortimento dos melliores
ijrosdenaples pretos e de cores, tendo verde
lambeta, que se vendem mais barato que
em outra qualquer parte.
Leos brancos a IjfiOO a duzia
Vendem-se leos brancos de cambraia de
alffodao a 1-5000 e 2fl ., ditos de linho a
Fullalos muito serio
P.om o Gm de tentar aos borneas a abastecer as suas despensas no MAGNIFICO
ARMAZEM DE MOLIIAB09 esquina da ra da Aurora defronte do sumptuoso Cap fm-
peratriz; o incansave. propri lario desee importante estabelecimento acaba de prove4o
ha de mais superior e digno de nina casa dessa ordem.
Este interessaule estabeleeimento se torna saliente, nao s pela sua oirtirn i locali-
te e roupa para meninos, pelo barato pre- lM ,omo ,0 f()rm()so.....,,;mlJ(Ioi. ,,mI)|t,in;i ;. ;
o de 640 res o covado, iia loja e armazem encantadora maga que se esnelha uasiniasd
e(c
'O
de Flix Pereira da Silva.
SEDAS COM I.ISTINIIAS A 3 >00o o
COVADO
Vendem-so as mais modernas sedas de
listinhas para vest dos, chegadas pelo ultimo
vapor com as cores mais modernas que tem
vindo a este mere ido, pelo barato prego de
3.J rs.* o covado na ra da Imperatriz n.
00 de Flix Pereira da Silva.
Alpacas tarradas
Chegaram pelo ultimo vapor as mais mo-
dernas alpacas lavradas com as mais lindas
cores, que se ve adema tr>000, o covado,
ditas lisas tendo tambem cor de canna a
800 rs, ditas teseladas muito linas a 1:200,
maga que se espelha as aguas do [>ossomeuo Caj>ibaribo, ecomo que desa-
tando o riso para a altaneira Olinda que alm se avista garbosa e gentil repcela da ora es-
peranza de em breve gosaros mais fratos passeiantes que lho sero levados pela nova es-
Irada de ferro que se acha no nase<'doun>.
I j.'i.K) e > rs. a duzia, na loja e armazem! o covado, e outras muitas fazendas de gosto
e moda que se vendem mais barato do
que em outra qualquer parte, no armazem
do Pavo, ra da Imperatriz n. 60. de Flix
Pereira da Silva.
ORGANDYS DE COR
Vendem-se organdys de cores com pa-
drQes miudinhos em assentos brancos e de
cores pelo baratsimo preco de 360 rs, o
covado, linissimas cassas.franeezascom deli-
cadas cores e bonitos desenlio a 30 rs. o
covado e ditas a 300 rs, na ra da Impera-
triz n. 60, armazem de Flix Pereira da
Sii va.
Roupan para homeui
Tendem-se superiores palitts de panno
sobrecasacos forrados de alpaca e de seda,
camisas inglezas u francezas com os peitos
de esguio, ceroulas francezas de linho e al-
godo, meias cruaj inglezas superiores, ca-
misas de flanella e de meia de la, assim
como neste estabelecimento existe um grande
sortimento d$ pannos pretos, e de casemiras
inglezas de cores, e que se manda fazer
qualquer obra a contento dos Srs. fregue-
zes, e, promette-.e-lhes que serao servidos
com a maior proriptid*3o e muito mais ba-
rato do que en outra qualquer parte
na ra da Imperatriz n. 60,de Flix Perei-
ra da Silva.
Cortinados
Para camas e janellas.
Vende-se um grande sortimento dos me-
lliores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se ven-
dem a I2,?000 rs. cada par at 255000 rs,
Uto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
Chitas
Vendem-se as melhores chitas escuras para
casa sendo de cores fixas, pelos baratos
pr :eos de 320 e ,'.60 rs. o covado, ditas
lo Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
CHALES A 2..J0OO.
Veinlini-se chales de merino com boni-
tas barras, pelo baratissimo preco de 2$000
e 23O0 rs., na loja do Pavo ra da Impe-
ratriz n. 60, de Flix Pereira da Silva.
PECHINCIIA A 3:500.
Corles de la 3:500.
Cortes de la a 3:500.
Cortes de la a 3:500.
Lazinhas a 280 ris.
Lazinhas a 280 reis.
LSazinhas a 280 reis.
S o Pavo.
S o Pavo.
S o Pavo.
Vendem-se bonitos cortes de lazinhas
para vestidos com padres modernos tendo
ada um corte 14 covados pelo barato pre-
<;o do 3:500 rs, assim como ditas em pecas
que se vendem a 280 rs. o covado, sendo
graads pechincha na loja e armazem do Pa-
vo ra da Imperatriz n. 60, de Flix Pe-
reira da Silva.
BABADINHOS
Vendem-se inissimos babadinhos, tiras
bordadas e entremeios, mais baratos do que
em outi a qualquer parte, assim como espar-
lilhos dos mais modernos, no armazem de
Flix Pereira da Silva, ra da Imperatriz
n. 60.
Venha toda a populacho do Reeife ver
DEMONIO.
Assim, pois,
e admirar a bella physionomia do BOM
ALTAS NOVIDADES!
ponco caogneiro. devo ler marra as penas c-
oostada aos ps de ferros que lovoo. i'tii swnpradi
ao Sr. ha rao de asarete este compro^o aoSi!
Jos Mii'iH'l tAHemp) que o irnnxe do Rio-Graads
do Norlc c ah o conipioii ao Sr. txpta Frrdcriro.
mandar na villa ds i'a da faro, e o sen jai o
rapilao Fi'inandcs tuni|ir. u-o ao Sr. Manco] TN-
inaz da Silxa morador na villa do Porta AJegre,
sendo o referido epciavonatural doliitz da prVTOt-
eia da Paralaba. paMeneim t \"i.-ijmi primipaiotii
os sonres de lgaseira eui Pajeu (oude tem dsi
seaaeres moros por nenie liareolino e ( n ii
Serra Talhad, cidade de Souza, Sei ra da Marti'
ele. '!(.. a-sim tamlieni [oevine-se a quero. aBCft-
hemler o referido, eseravo que sendo no centro oa
pruviiieia da l'araliyha oenlrepie ao Dr.Jor l'.e
liii|_ de Piguefrcdo na eUavda da Soma, ou ao ta-
pilio Joaquim Saldanba, na (aconda ulofd na
riaeho de Porcos, no caso de nao querer trazer
seu referido senfaor.
PECHINCHAS
Novamente chegadas ao armazem
DO
DE
ALTA
A
NOVIDADE
LOJA DO PAVO
Gurguro de seda
Chegaram pelo ultimo vapor os mais bo-
nitos ginyuroes de seda, propnos para ves-
tidos, sendo lisos e lavradinhos, com muito
lustro, garantindo-se que a fazenda mais j '"i110 nnas ''ancezas sendo claras, com pa-
...>.*. el ti. inn il.k nni-* r> O 1*11 I iii i___ t __ ..1* .1-
linda e de mais phantasia que este anno tem
chegado a este mercado, e vende-se per
preco muito razoavel, na ra da Imperatriz
n. 60, de Flix Pereira da Silva.
Kedas de listas para vestidos
Chegaram as mais modernas sedas lista-
das para vestidos, com as cores mais mo-
dernas que tem vindo ao mercado e ven-
dem-se por preco muito em conta por es-
tarmos mudos prximos da festa, isto na
loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de
Flix Pereira da Silva.
drocs de cassa a 380 e 400 rs, pechincha,
na na da Impcratiz n. 60, armazem de F-
lix Pereira da Silva.
Cirosdeuaples preto
Vende-se um gnnde sortimento dos me-
lbores grosdehaples pretos, tanto lar-
gos como estreitos, sendo de 2.-5000 rs. o
covado at i000 rs. garantindo-se pie
n'este genero ninguem tem melhor fazenda e
qii3 se vende mais barato do que em outra
qualquer parte,'M ra da Imperatriz n. 60,
de Flix Pereira di Silva.
CATAIRHOS
m$
PASTILHAS PE1T0RAES
deSUCCOdeALFACE
E LOURO GE REJO
IRRITACOES
DO PEITO
E' este o mais novo e delicioso conten aie agora condecido. Por isto tem adquirido r-
pidamente a popularidade de que goza. Os medico os mais dislincioi O aoonselho contra
as toua, iefluxm. caiarrho. losset convulsas, calerrho epidmico*, irritafdet do peito. Com
grande erapenhe o prorurfio as mies de familia, assim para ellas como para as enancas, pois
primeiro que ludo inoffnsivo. e as suas propriedades adocantes nao deixio nada a desejar
. Deposito em Pemamwco'ein casa de Murar O*.
xrftt

?-?"-?<
iirm
OPPBESli
CIGARROS INDIANOS
DOCAIVNABIS INDICA
ittttttrrrrt
IDFPOClTIt
IvOIOIDll
TodoH os meas at hoje preconisados cootra a asinina nSo tem sido mais do qu palliatiroa
debsia* de todas as formas, tendo por base a belladona, o rstrimionio ou opio. Rcenles exne- ',
riencias fehas em Allemanha. repeiiflas cm Franya n na Inglaterra, lem provado que o cnamo I
indio de Bengala possue as mais ootaveis propriedades para combatei essa lemivel afTeccSo, f
assim como a tosse nervosa, a insomnia. a tysica aryngea. a ronquiiSo, eitinecio da vta,
e as nevralgias faciaes. E' pois com o apoio da scie neis qneofferecemoi este* cigam, prepara-'
dos coa o extracto de cnamo das Indias, que nos irr. portamos de Bombn*.
Deposito em fernambuco. em casa de Km
>TTTTTTTTTTTT
TTTTTTTTTT
o*.
T* 4-1444..
PAREDES PORTO

Tendo^ios chegado ltimamente fazendas inteiramente novas, convida-
mos por este meioao respeitav.l publico a que nos procure comprar fazendas de
bom gosto e por presos que nao achara em outra qualquer parte.
Atlmirem!
Madapoles finos a 5,^, C>,% ~$ e 8 rs.,
s no armazem do Leo.
Chitas escuras de padres lindos por pre-
co de 320 e 360 rs. o covado.
Cassas de cores com palminhas e com
listas de diversos padrees a 240 e 320 rs.
Lazinhas cinzentas e cor de bonina a
320 o covado.
Chitas claras miudiidias a 320 e 300.
Alpacas pretas e de cores lindas proprias
para vestidos a 680,700 e 800 rs.
Pefas de cambraia transparentes a 4&
5?5 e 6)5. Por este preco admira a todos !
Lencos bordados a 6, 05300 e 12^500.
Ricos e bem escolhidos gostos de bis-
marks para calcas e paletots a 2#500 o
corte.
Tambem tem para acabar pecas de pan-
no de linho, com 27 varas, a 7j e 18$.
Toalhas de linho para rosto a I0# a du-
zia.
Aos Srs. armadores de enterros.
Vendem-se peras de hollanda preto com
40 covados a i-> : na ra da Imperatriz n.
48 e 52, junto a padaria franceza, lija do
Le3o.
Attenco roupas feitas!! no armazem
^Lf ca0s^miras de quadriuhos e lis- d0 Le3o, ra da Imperatriz ns. 48 52.
tas a 25800 e 30.
Corpinhos brancos para senhora a 3<5' c
35200.
Pechincha!
Cortes de cassineta de cores paran raleas e
paletots a 15500.
Cassineta de cores (om um pequeo to-
que de mofo a 400 rs. o covado.
Espartilhos muito finos a 45500, lia e
55500.
Admira!!
Gravatas de seda a 500 rs.
Golinhas bordadas a 500 fs.
L3azinhas a 200 rs.! I
Lazinhas a 200 rs. 11
Lazinhas a 200 rs. 11
Assim coma temos um grande, completo
e variado sortimento de roupas feitas: pa>
letots saceos, sobrecasacos, fraques, jaque-
toes, calcas, colletes, camisas, ceroulas,
chapeos etc., tudo' por precos que admira!
Tem tambem um sortimento de roupas
ordinarias por preco baratissimo.
Acaba de chegar tambem um completo
sortimento de damascos de cores, sendo
azul, amarello e cor de caf etc., que se
vende por preco commodo.
Admira!!
No armazem-do Leao ?
No armazem do Leo!!!
No armazem do Leao 11
No armazem do Leo 111
francezes em frascos simples eenfeitados.
Esscncia imperial do lino c agradavel chei-
ro de violeta..
Oudas concentradas e de cheiros igual-
mente finos e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
con escolhidos rheiros, em frascos de dif-
ferentes tamanhos.
Sabonetas em barras, maiores e menores
pan inaos.
Ditos transparentes, redondos e cm figu-
ras de meninos.
Ditos muito linos em caixinha para barba.
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
I fructas.
Ditas de madeira invernisada contend) li-
nas perfmanos, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bem de perfiiniaris linas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
e boneca.
Especial p de arroz.sem composicode
elieiro, epor issoomaisproprio para crian-
cas.
Opiata ingleza l franceza para dentes.
Pos de ramphora e outras dilferentes
qualidades t;unbiun para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Aiuda mais coques.
Um outro sorlimentos de coques de no-
vos e bonitos moldes com filets de vidrilhos,
i alguns d*elles ornados de flores e fitas,
esto todos expostos apreciacao de quem
os pretenda comprar.
GOLLLNHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e pereicao.
Fiveilas e fitas para cintos.
Bello e variado sortimento de taes objec- annos ll,> i" J" Bonito wnhuwlro de tWf
tos, ficando a boa escoma aogoslo do com- r.f'i1 vendido aesu eUade por temi Jos
No da 30 do mes e Dovcmbro prximo pas-
sailo, fugio do engolillo S. Jcs, do Itrnio do Sor>-
nlicn, a eacrava da ame Henedieta. mufarta, ta
32 annos do idade, rara besigeM, altara regular.
cabello cortado e domos podres, foi escrava de Joa*>
de Barros Araujo, rondeiro do eagenno Mariaona,
levou nm roupao do oliia dar j;i veibo, c um pan-
no da Costa novo : quem a pegar levo-a ao dit*
engonho, ou ao Sr. Manee! Alvos FerreiraAr.
oesta praija, que ser generosamente recoiup<'P-
sado.
Kiigk) do engonlio Soiedado, na comarca f
Porto-Calvo, provincia das Alagas, o eseravo F"-
ippe, r.ibr.t. cabelles e.iraptiilms, de 2i ann idade, pouco mais ou menos, poma barita, ps pe-
queos, nariz regular, ollios grandes, dentes nm
pouco limados c com falla de umna (rente) andar
ligeiro, enjo eseravo foi comprado ao Exm. bar.i
de Nazaretli : pode-se s aotoridades pi liria* t
eapitaes de campo a apprehciisao do niesmo, e !*
va-lo m -ou ieanor no referido enaswbo, ou nac
dado do leoil'e ,10 Sr. Joaquim Rodlteucs TaMMi
de Mello, largo do Carpo-Santo n. I". 1" andar, ffRf
ser generosamente reeonipensado.
100,1000 de aratificacrio
Acha-se i'ngiilo desde o du \ de junlio de iSo*
um mulalinlio cabocok) de nome Jos, de 13 a 14
pudor.
FLORES FINAS
0 que de melhor se pode encontrantes se
genero, sobresahindo os delicados ramos
ominados para coquea.
Para viagein.
Bolsas de topete e carteiras de couro, por
precos commodos.
Chapelinas de palha da Italia mui bem
enfeitadas, e enfeites de flores obra de bom
gosto.
E assim muitos outros objectos que se-
rao presentes a quem se dirigir dito loja
do Cordeiro Previdente a ra do Queimado
n. 16.
ENFEITES DE PALHA PARA VESTIDOS,
CHAPEOS E COQUES.
O Cordeiro Previdente ra do Queima-
do n. 16 acaba de receber um bello sorti-
mento de trancas de palha para enfeites de
vestidos, outras para chapeos, coques etc.
tudo isto est sendo vendido com a sua bem
conbecida commodidade de precos.
ALEM DAQUELLES.
Recebeu outros lindos enfeites de seda
para vestidos ; assim como um variado sor-
timento de galles de laa, babadinhos de
cambraia com bordados de cores, cuja va-
riedade de gostos os tornam recommenda-
[ dos.e apreciados ; compareco pois os pre
tendentes que sero servidos a contento.
TO BEM BECEBEU.
Novo provimento de bicos e rendas de
guepure.
LUVAS DE PELLICA.
De todas as cores tanto para homens
como para senhoras, constantemente achara-
se a venda na loja do Cordeiro Previdente :
ra do Queimado n. 16.
No armazem do Le5, ra da Imperatriz ns. 48 e 52, junto a loja de ourives
e padaria franceza.
Ra de Qiieiniado n...
IUTO PORTO 4
A este estabelecimento chegaram as mais lindas chapelinas de crpe, tule e pa-
Ihinba da Italia, primorosamente enfeitadas.
Baloes reguladores para senhoras c meninas os mais modernos e de varias
Basquinas de seda para senhoras^ que ha de mais gosto, e delicadamente en-
cores.
feitoda
Ricos vestidos de Monde, com manta e capella, para noivas.
Cortinados ele cambraia bordados para camas e janellas, de diversos costos i
qualidades de 15.5 at 800000:
Tapetes alcatifes em peca para forrar salas, gabinetes e corredores.
Camisas inglezas de linho para homem.
Rico* vestirlos d seda pretos- bordados agulha e de cambraia brancos tam-
bem bordados pelo mesmo systema.
Fronhas e taalhas de linh e de esgufo todas bordadas para casamentas.
Sedas deJmdas cores, casimiras de cores as mais modernas, saias de Ra com
barras de cor, chaSos de sol de seda inglezes, espartilhos para senhoras e meninas,
colarinhos de linho pura hornera e grande sortimento de fazendas de todas as qualidades
que se vendem por preces que agradam aos compradores.
Neste estabelecimento continua a receber-se esleirs da Irtta para forrar sal
las de diversas larguras e cores, que vondera-se mais baratas do que em outra qual-
quer parte, por ss chamam a altncj par as -
Este-ds a India para finar salas.
NOVIDADE
A loja de Coelho & Oliveira ra do
QueMMto b. 19, recebeu pelo ultimo vapor
um bello sortimento de baloes de diversos
systemas, os mais aperfeicoados ^que teem
vindo ao mercado, sendo :
Baloes de guipur com tiras chamados
reguladores, ditos de musselina abertos por
ambos os lados, de modo que sendo todos
de um tomanho servem para qualquer se-
nhora, de la de cores, com tiras, e as se-
geintes fazendas : ,
Saias de 13a com bonitos barras.
Chales turcos de seda e la Beatriz de
Tundas.
Fitas de guipur pretos Rocamboly.
Chapeos de sol para senhora, muito lin-
dos.
I.tattluhaM
Sultanes, Poil deChevre, Tricte, dito do
xadrez e outras murtas, entre ellas urna
Especialidade
LSa pura de cores a 360 rs. o covado.
Basquinas a Mara Antonio le.
Cambraias fantazia.
Ditos brancas transparentes e^Victorias.
Colxas adamascadas.
Cobertos chinezas a 20500 rs. e outras
muitos fazendas que torar-se-bia enfedpnho
annunciar.
deeer, demias^ 4awnneede seda, a preo
baratissimo, em porrn '8 relamo : no arma-
zem do vapor francea, ra Nova n. 7.
d-
Mello, nemeiante daquelle logar, ao Sr. Fernanih'
Jos Gorroft, eom loja na ra Direita destt cidatt.
pede-se as autoridades, quer daqui, quer de fon.
que o apreliendam e o entreguen! a feu seaber.
na rea Nova desta cidade no segundo andar da
casa n. ,'iO que aera gratificado.
Fugio no dia 10 do corren te me-, do engt-
nho (juililia, freguezia >!" Serinhaem, o esrravs
enedicto, crioolo, idade .10 e tantos anuos, baixe,
feices miadas, pera e bigode, d.'nle quebrado na
fenle, bem fallante e ladino, montado em um vallo eom cangalha, com os signaes seguintes
alasao, bem feito, est gordo, nao lem estrella na
testa, nem calcado. Foi comprado ha pouco:-
mezes ao Exm. Sr. barao de Nazaretli.
Quem o apprehender e entregar ne-la praca m>
Dr. Joan da Silva Ramos, ou a Gabriel Antonio de
Castro Quintaos, na liavessa do Queimado n, '.i,
e no referido engenho Quiliba seu senlior Di
Jos Eugenio da Silva llamos, Ufi gcniroamenle
recompensado.
Fugio do sitio da SanocaU. em Betieribe, a
18 do cnente, o eseravo Saturnino, mulato (i<*).
cabellos vermelhos, sem barba, estatura meno qu--
regular, fornido, representa .'10 annos, natural d"
sertao, masj est em Beberibe ha muitos annos
carreiro e consta ter rolaciVs no bairro do R
cite : recommenda-se porlanto s autoridader
competentes e pessoas do iflicio. de O capturan "
e levarem a sen senlior em dito sitio, que recere
I>ensar convenientemente.
Contina fgida a escrava Domingas, de cor
cabra, idade 30 a .15 annos, com urna cicatriz v.
fogo em todo o peito do p esquerdo, cabera rapa-
da de poueo, natural do Rio do Peixe, consta
estar aiuasiada na ra Imperial, o que se protesta
eom todo o rigor da lei contra a pessoa que a tem
ncrulta por todos os prejuizos e dainos que pos-
sam acontecer dita escrava : quem della soober
e der parte na ra do Rangol n. 9, ser gralificadi'
e se llie guardar segredo. _______
Fugio o preto crioulo de nome Ro-
dolpho, de idade de 24 annos pouco mais
ou meos, no dia 9 do crvente, vesgo de
ambos os olhos quando affirma para al-
guem, andar gingando, usa cavagnac, levou
vestido calca parda e camisa de chito erv
carnada, andou embarcado em vapores da
eompanhia Pernambucima, quem o pegar
leve-o ao Corredor do Bispo n. 35 casa
de Luiz d'Oliveira Lima.

Attenco.
Fugio hontera o eseravo Julio, de bfi
presenta, nacas Mocambique, de 48 a .SO
annos de idade pouco mais ou menos, alto,
corpulento, rosto comprido, beicos grosso?,
os brancos dos olhos meio arnarellados, os
cabellos e barba pintando de branco, mas
traz as vezesa cara lisa, tem a falla baixa t
grossa, urna cicatriz grande e profunda po
cima da fonte direita bem vizivel, que foi
d'um couce de cavallo. mos regulares, pe*
pequeos, aleijado da perna esquerda na
altura do joelho, pelo que arqueada e
quando anda manqueija, tem tres lallioscto
naco bem salientes entre as sobrancelnw
postos ao comprido ; levou urna trouxinh,)
contendo urna calca de bnm de algodo
riscado e urna carniza de chita : levou ves-
tido carniza de algodo riscado americano,
calca de brim pardo por cima de otitra de
casimira dequadrinhos, chapeo de l'eitro de
copa redonda preto, tndo bastante usade,
foi pegado ha um mezna Varzea. e tal
ja tenlia tomado essa direccao, ou Torre.
Estrada-Nova A e as mais proximidades
destes lugares, foi cscrav do Sr. Jos Bento
da Costo, do engento novo da tilto dpOa-
bo, e.talvez ande por alli.
Cosluma andar trabalhando de enxada ?iu
diversos siUoajfcquelles arrebaldes, arren-
d ser livre...JB,autoridades policiaes e aps
eapitaes de campo roga o abaixo assigna*
a sua captura, q\je os reampensar ;assi
como protesto centra quem lor'.dolt
acoitaii. ReflifeOde Janeiro de 18
SitoiM Antonio todtigm;
.dr-
Mi


'**!$**
^r
*~
8
Diario ile Pernambuco Seguala feira 25 de Janeiro de 1869.

LITOATORA.
merleta cientfica e Industrial.
A scienria e o progresso.l'tilidade da vulgarisa-
rio da cipncia. liumein e a natureza.A
d'rra o o universo.A forma da turra o Fernao
de MagaJhjS. Aristteles advinhou.Morimcn-
; i da rolK-to da Ierra.'Quanto anda o-habitan-
r do Para.Moriatnto M roda i i sol.O;
dias ii 06 anuo?.As cetXQ&W.Mndanea esa
1:900 aliaos.Os outros upados.O votame
da ierra e u voiume do sol.A attracj.As
e -tivllas. Viagi'in no cspaio.
(C/iiiclu.-o.'l
\ estes movunentos lia a accreseenlar
i la nquelleqa3 a fon* satlite que acom-
pjuha o globo terrestre, girando sempre om
toda d'elle, pxxfcu no eixo d'este planeta,
virludr- d'essa attraceao qnc se exerce
entre todos os corpos, que reciproca en-
elles, e se faz segundo leis simples
e immutaveis. Este moviraento do eixo
da tena, que consiste eui pscillaces mais
t ipidas do que as da pereessa >. chamam-
l!i oa astrnomos a notadlo.
Nao s a tena que gira em torno do
. 1, acompanbada do seu satlite: a lu.
Cidros mundos, outros planetas, uns maio-
{,'S do que a trra, a distancias variadas,
acompanhados alguns de satlites, solita-
rios outros, girara perpetuamente e;n roda
do sol, e recebem d'este astro brilhante a
lizeocalor. Cinco planetas eram conhe-
cides liavia multes seculos. quando em 1781
0 celebre Herschel descobrio uno novo pla-
; eta. Os cinco planetas condecidos, seto
contar a ierra, havam sido denominados
rear, Venus, Marte. Jpiter e Saturno;
1 mn nao inte rromper as tradices mytho-
! giras, o novo planeta, receben o poma de
Urano. As irregularidades dos movimen-
I s d'este planeta irregularidades que nao
diziam com as leis eonliecidas dos mo
vanentos dos outros corpos do sysma so-
i ,'. deram por longo tempo assumpto para
\ istos trabalhos dos astrnomos; mas es?
sis mesmas irregularidades foram a causa
mn dos mais notareis descobrimentos
da moderna astronoma, e, de certo, de
urna das mais brilhantes demonstradles que
sepodiam dar da verdade rigorosa das leis
do movimento dos corpos celestes. A in-
uencia do sol e dos planetas condecidos,
nodava corita das irregularidades dos mo-
limentosdc l'rano: una cousa porm as
cevia explicar, cessa causa nao podia ser
: mo a presencade un planeta, arada nao
observado, exerceudu una certa e detor-
. nada ace >. isto tendo ama certa mas-
: i. e achando-se a urna distancia, em liar
r mna com a relaro coiihecida das distan-
cias dos planetas : relaco denominada lei
Bode, a qual consiste em seremos dis-
tocias dos planetas ao sol o dobro, pr-
ximamente, urnas das nutras. Partindo
d'estas consideradles, o formulando hypo-
; sea em harmona com ellas, o Sr. Le
errier predisse aos astrnomos observar
i iros que acbariam um planeta, novo para
clles, n'uma determinada reguo do co. A
i bservaeao confirmou as prevsesdo cele-
bre astrnomo.
A singular sympatha dos astrnomos pe-
; is densos da mytblogia anida aqui se nao
desmentio. O novo planeta receben ono-
me de Neptmjp.
Modernamente o numero de planetas,
descobertos pelos astrnomos, temerescido
com pasmosa rapidez. Entre os dous gran-
des planetas, Marte e Jpiter, encontra-se
orno um verdadeiro annel de pequeos
astros, de asteroides, que a observacao tem
ido successivamente deseobrindo. Este an-
i.el parece destinado a dar aos astrnomos
a satisfecho de descobrireni novos mundos.
Os microcosmos ealisim-se n'aquelles pla-
i.etasinlios, (pie alguns tem supposto seren
i s fragmentos de un grande planeta que
se desliz n'um cataclismo. Urna tal hypo-
t'.iese ao que nos parece, pouco provavel.
No meado do julho ueste atinodois as-
tronomos os Sis. Peten o Watson annun-
ciavam bavercm descoberto o centesimo pe-
queo planeta. No mez seguinte anda um
ii estes observadores descobrio um planeta
dislincto. Logo em 7 de setembro achava
0 Sr. Watson mais um planeta, e a 13 ou-
tro; tres dias depois annunciava o mesmo
observador o encontr do I O planeta. Pelo
(ue se ve o ampo 0 frtil, c a colbeita f-
cil ; vSo porm faltando os nomes mytho-
1 gicos, e os planetas novos devem conten-
tar-se com o seren designados porum nu-
mero.
Para ebegar da terca ao sol seria neces-
sario alinhar I2.0JO globos iguaes a este
planeta, que para nos, que o habitamos,
1*0grande : pois b.'m, se timamos esta
B i" me distan da da Ierra ao s->1 como uai-
daile para medir as distancias dos outros
plan-tas ao sol, adiamos que Urano est 19
vezes. e Neptuno 30 vezes mais longe do
sol do que a Urra. Em kilmetros, a dis-
tancia de Neptuno ao astro que o prende
pela forra da pravitt,;ao, e que llie d luz,
qnasi iucomprehensive!. E' de i.BbO mi-
W\~'-- de kilmetros a Urda recta tirada de
Neptuno ao sol.
Comparando os volu oes dos planetas.
re<-o'ie^-se a ndaa exiguidade da trra.
o volunte d'esh, segundo os clculos de
Eurki-, u;n tri nao e oitmta e tres billies
de ilonvUros cbicos, 'sendo a sua super-
ficie d" .'iO^.O.'O.OK kilmetros quadrados.
Est ii'ini'-iMSsiiode certo sullicieutes para
satisfizcr o orj.ulho do homem. Compare-
mos, coiiriudo, tjtosftts qrantzns com as
dos ,M.sw-is- rizii'hos do systema solar. Satur-
no K(M vezes, e Jpiter 1300vezes maior
do que aterra. So tres dos oito denomi-
nados a mudes iiltw'tax sao mais pequeos
do -i ic a trra Comparado com o volumo
da It-rra o do sol i.384.400 vezes maior!
O que une mis aoswmtros estes astros, o
que >s obliga a giraremem torno do sol?
A forca da gr.i iaco, responde a sciencia.
Exp.'riendas di maior perfeic.i provam
que todas as p uvoes da materia se attra-
hem ninas ;is outras, e que essas attrac-
vlk'i dimiiiuem ;i medida que os corpos se
afasia a uns di s outros, de modo qu.' du-
plicando a disl uicia entre dous corpos a sua
atlracrau matul tica sendo a ipiarta parte
do que era : se a distancia se triplica a
attrai'o tica redu/.ida 4 nona parte (lo que
fora a principio ; e assiin sucoessivamente.
A ali,iii o pois na razo inversa do qua-
drado das distindas. Como ella se exerce
em todas as partculas de cada corpo, deve
necesariamente a altrac-ao crescer c >m a-
inassa- dos conos, isto deve crescer na
razo directa das massas. D'estas leis da
attraccao resulla que um corpo, posto su-
perficie da tena, 6 attrahido por todos os
pontos da inassa d'este globo; como porm
estas aeces sai symetricas em torno da li-
nha. que uuissi o corpo, iost:> superficie
da trra, com o centro (testa, a altracco
tem lugar com-. se todas as breas estives-
sem acumuladas no centro d; trra. Esta
a aitraecao di que resulta o peso dos cor-
itos : este o seu modo de obrar.
Nao tem esta aeco limite no espaco. To-
dos astros a exercem, todos esto sujei-
tos sua inlliK ncia. O sol attrahe a trra
em rirtude da gravitaco, do mesmo modo
que a Ierra attnlie o sol. O (pie maiitem
afaslodos estes dous asiros o m iviaiento
animal da Ierra ein roda do sol. Se ao mo-
vini?nto succoiesse a quietaco, a queda
da lena sobr ) sol seria immediata. Lina-
da attraccao do sol e dos outros asiros, a
tena caminhariu em linha recta no espaco,
em sirlude de iiui movinieno inicial, palo
qual ella resist ;i altracco do sol, e nao
i-ae sobre elle.
I'.' essa forra universal da gravitaco. que
mantem todos os asiros do nosso systema
planetario unidos entre si, apazar dos seus
rpidos raovmi nt >s ; e, ao mesmo tempo,
os conserva como que sujeitos ao sol, que
os domina pela sua grande nnssa, ao passo
que Ibes distribu1 a luz e o calor. Esla
Mrtwkwwtoto pa.*a nos, este vastissimosyste-
Da |nde as distancias sao prodigiosas, me-
didas em dimetros da trra, nao sealo
urna parte quasi impei^ceptivel, seassimse
pode dizer, do espaco indefinido que nos
podemos observar.
A va lctea, -essa estrada luminosa que
as nuiles lmpidas, vemos des.-nhar-se alca-
vez do co estrellado-guando observada
com poderosos telescopios, roconhece-se
ser formada de una prodigiosa (piantidade
de estrellas, perfeitamente distindas unas
das outras. Essas estrellas saosoes. Osen
numero, segundo as avaliacoes de llerscliell
superior a fuirenta milnoes. O sol, esse
astro to brilliaute para nos, apenas um
ponto luminoso, n'essa ilha immensa de
luz. E indul)ita\el que, das estrellas, a mais
prxima da teira nao pode estar a menos
de 00:000 veces a distancia da trra ao
sol: de modo que a luz, apezar de cami-
nhar coma veheidade de 300:000 kilme-
tros por segundo, gasta seguramente tres
anuos para .ctagar at nos. Anda mais
prodigios ha nos espacos celestes; e estes
exceden! totalmente a nossa comprebenso.
Alm d'este largo disco de astros luminosos,
de que faz paro o sol e os seus plaidas,
ha. nos conlins do espaco perceptivel para
nos, outras nmens de soes, outras ilhas lu-
minosas. Sao essas nebnlnses formadas,
come a va lctea, de multidoesde estrellas.
A astronoma conliece boje milhares d'efsas
nebuloses, cuja Ihz s no pode chegar
pois de ter rairjnhado atravez do eapatjo
durante 10:000 si culos pelo menos I
Os planetas e a trra eomelles. alm dos
rnidos e variado:" moviintalos ipie execu-
tam em torno do sol, cainnban com este
astro luminoso atrivez do universo com urna
velocidade prodigiosissima.Para onde vai
o systema solar?Para onde caminh'a a
trra com elle?Para um ponto do co, res-
ponde a observarlo, onde est a conste la-
co de Hercules. N un auno a viagem ci-
t de 2.233 mlhes de kilmetros -Que
mudancas podem sobrevir as cond 08
de equilibrio, ou mesmo as condicoea de
temperatura," mi dida que atravessamos as
regioes do espaco?As vaiiacoes peridi-
cas, dentro mesmo do systema planetario-,
nao tero influencia poderosa sobre as con-
diees piysicas dos planetas, e em especial
da trra, onde vivem tantos seres organisa-
dos, para quem urna mudanca na intensi-
dade do calor e da luz, na forma dos con-
tinentes, na distrihuico dos mares seria
rpidamente Fatal 1
Na face da trra esto escripias, em ca-
racteres indeleveis, as transfetmarbes por-
que este nosso mundo tem passado. Estu-
(la-las, interpreta-las tem sido a longa, nas
grandiosa tarefa da geologa. Combinada
com a geologa a astronoma pode dar-nos
talvez a chronologa do globo terrestre.
Foi essa maravilhosa clironologa que bus-
cn lixar um sabio iuglez, o Sr. James Croll.
(Juerendo dar urna resumida noticia do in-
teressante trbame d'este gelogo, era in-
disjibnsavel expAr, em quadro brevissimo,
as principaes verdades condecidas acerca da
tena, dos seus movimentos, das suas re-
laces com o systema planetario, c das re-
lacbes d'este systema com as myrades de
scs que encliem os espacos celestes.
Era dilieil a empieza, quasi impossvel
mesmo nos eslreil )S limites de um artigo.
Militas vezes foi i ulispeiisavel sacrificar a
rigorosa exactdo scientilica, a brevdade o
a possivel clareza. Fica-nos o receio de
haver estrilmente cansado o leitor; conso-
la-nos a esperanra de I he havermos suscita-
do o desejo de estudar e comiecer as mara-
villas da natureza qua a astronoma nos re-
vela. Indoctl discaiii, umeit tueminhsc pe-
riti.
Jo.O pk Anohvhk Loavo.
(Da America.)
4*, As religiosas dos convente* suppii-
midos pelo art. i", podero entrar em
outros de sua ordena que anda existem,
ou podero ser exclautmda, reclamando
Hespanha.
FOLHETIM
CATHARIMA
POR
Jul
es
Sandeau
IX
Projeetos.
(Continuaco don. 17)
Comecava o bom pastor a inquetar-se
com a ausencia prolongada de sua sobri-
nlia, quando ouvio os passos de Annette e
logo em seguida vio entrar Catharina, to
bella, que, depois de a ter beijado, Qcou
exttico a contempla-la.
Com effeito, o amor e*a felicdade fazam-
llie realcar a belleza com um esplendor ad-
miravel. Em menos de urna hora tinba
ella passado das puerilidades da infancia
vivacidade juvenil. J nao pareca a pe-
quena fada, mas sim urna joven dotada da
gravidade propria de quem nutre a cons-
ciencia da vida. Aquella alma vinba do-
. emente impressionada : do avelludado das
pestaas espargia-se o mais sympathico
brilho; todos os gosos d'aquelle corado
cesplandeciam-lhe no rosto. Sobre tudo
isto nolava-se o quer que fosse da singela
surpreza de Psych quando recebeu o pri-
meiro sculo do deus do Amor.
Como era tarde, Francisco Paty dexou
para o dia seguinte o que tnha a dizer a
Catharina, e esta, conseguindo lvrar-se dos
abracos de Martha,' foi-se fechar no sen
quario, mais enthusiasmada do que o avaro
que aferrolha a porta, dispondo-se a devo-
rar com a vista os seus thesouros.
O seu primeiro acto, quando se achot
s, foi ajoelhar-se e dar grecas a Deus de
todo o coracSo.
Que esperances tinha ella no futuro ?
Amava e sentia-se amada : era quanto
sabia ambicionar.
Urna hora depois, entreva Claudio ni
aldeia, mais sombro do que de costume,
w d'este vez mais serio e resoluto.
Entrou em cisa sc.m parar debaxo da
janella d Cath: ria, como invaravelmentc
praticava. Para chegar ao seu quarto de-
via passar nec3ssariamente pelo dopai ;
alm de que, elle o esperava aneoso.
Logo que o vio, gritou-llie :
. zzzz At que chegaste, vadio! Tens a
fortuna de ter um pa que faz as tuas obri-
gaces em quanto tu andas correntio
tuna Que me dars, mandriam, se den-
tro era um me;: casares com a sobrinha do
nosso abbade '.'
Meu pa,dsse Claudio em tom fir-
me e com aspecto cheio de dignidadepro-
testo formalmente enmprir de ora avante os
meus deveres cam a mais rigorosa exact-
do, portando-me de forma que nao ter
de (iueixar-se de seu filbo. Hei de reger
a escola com '*egidaridade, e, se os meus
discpulos me teem aecusado de distraeces
estou no firme proposito de Ibes dar os
mais edificantes exemplos de applicaco e
assidbidadc. Nao se limitarlo a isto os
meus esforcos para me tornar digno da sua
amisade. Nunca estenderei a minha ino
para lhe pedir a mais insignificante moeda.
Como pouco ; comerei anda menos d'aqui
em diante. Uiarei o fato at ao fio ; an-
darei mesmo descalco, se isso lhe aprou-
ver. Em recompensa da minha submissao
nao lhe peco mais do que urna cousa :
que me permita viver o mais s possivel
e que nunca me falle de casamento.
Dito isto, o rapaz dirigo-se com aspecto
grave para o seu quarto, dxando o pai
to estupefacto como se, revolvendo o en-
xergao, n2o er contrasse o seu thesouro.
. Has de casar-te, patife gritou elle
atravez do tabique.
N5o he de casar-me rplicou
Claudio, despedindo-se.
E eu digo que has de casar-te.
E eu epito que nao me hei de ca-
sar t
Teuho a minha palavra compromet-
tida.
Desembiracar-se-ha do compromisso.
Desherdar-te-bei 1
A RELIGIVO CATUOLICA NA HESPANHA
Sb O GVEKNO PROVISORIO
0 jornal tTnirei's, de Pars, em poucas
palavras compendia os elTeilos da ultima
revoluco hespanholanos seguintes termos:
Expulso dos religiosos dos Mosteiros ;
destruico de grande numero de igrejas:
supprossio de muitas freguezias: ex-
puisao dos Jezuilas do estado no espaco
de tres dias ; suppresso da faculdade
tiieologica as academias ; ocupaco dos
t bens pertecentes aos conventos. Infe-
lizmente os documentos, que vamos agora
publicar, mostram a verdade destas pala-
vras.
L
EXI'll.'SVO DOS RELIGIOSOS DOS MOSTKIIIOS.
A junta superior de .Madrid comee m
com este Decreto :
O governo provisorio propoem como
medida de urgencia e de publica segu-
i ranea, Io, a exti.icco de todas as coin-
munidades c sociedades religiosas resta-
betecidas ou creadas pelos governos pre-
cedentes desile 1835; 2*, a exclaustrar-So
voluntaria nao coirtprehendida na dispo-
sicao sobredida: ~'\ a abolico de todos
os previlegos concedidos as sociedades
religiosas. Madrid i de outubro de
I8G8.assignadoJoaquim Aguirre Prcs.
Seis dias depois o governo provisorio
publicara outro decreto em conlirmaco
do precedente, e contem os nove artigos
seguintes: i, Ficaaisuppiimidos todos
os Mosteiros, conventos, collegios, con-
<( gregaeoes, o mais casas religiosas dos
dois sexos fundados na Pennsula e Ilhas
djacentes desde 29 de julho de 1837
at este dia: 2o, Todos os edificios, im-
movis, rendimentos, direitos ctc> tor-
nam-se propriedade do Estado: 3, Os
religiozos e as religiozas que sahissem
dos Mosteiros ficaram subjustos aos res-
pectivos ordinarios sera nenhum direito
psnsa concedida aos que entraram nos
conventos antes Je 2!) de julho de 1837:
Pois deslenle.
Amaldiroar-te-hei !
E' o mesmodisse Claudio, metten-
do-se pela cama abaixo. Ao menos nao
morrer sem me legar alguma cousa !
O Sr. Noirel desped.o anda algumas in-
crepacoes, que foram morrer cabeceira de
Claudio, sem que este ao menos sefktesse
cargo de responder ao tiroleio paterna!,
at que o thesoureiro, fulo de raiva, resol-
veu metter-se na cama.
No dia seguinte, ao romper da aurora,
j Catharina estava de p> ludo repousava
anda na aldeia e no presbytorio. Vestin-
do-se pressa, sabio de casa sem ruido e
a passos ligeiros dirigo-se ao campo. Vio
o nascer do sol e pareceu-lhe que era a
primeiravez que assistia a tao magnifico
espectculo. Prestou & ouvido ao vago
sussurcp que suba da profundidade do
valle e pareceu-lhe que em a primeira vez
que ouvia aquellas harmonas- da natureza.
Aspirou os aromas que cmanavam dos ar-
voredos e achou-lhes urna suavidade at
alli desconhecida. Ao ver os seas trans-
portes e arrebatameotos drzer-se-hia segu-
ramente que ella era urna flor desabrochada
durante a noute ou pelo menos que n'a-
quella alma acabavam do se revelar sbi-
tamente sensac5es interamente novas.
Assim Eva, acabada de formar pelas
mos de Deus, deveu assocar a sua alraai
A natureza recentemente creada.
Sem talvez o pensar, Catharina chegou
at encruzilhada. onde na vespera, cla-
ridade da la, fizera com urna s palavra a
consagracao da sua vida inteira. Alli as-
sentou-se borda de um fosso, e, como
urna creanca que se debrnca sobre o regito
para ver a sombra, assim ella como que
se debrucou a contemplar no proprio co-
racao a imagem de Rogerio.
Sentia-se demasiadamente feliz para se
suppor merecedora de censura.
Que desconfianca poderia ter de um son-
timento que a ennobrecia aos seus proprios
olhos e exaltava os mais nobres instinctos
do seu ser ? Como deiiaria de suppor
..... u..j..... ^s, ,...,^i
lajncadas lora do Mosteiro sem
nenlmma hora de tempo e o Oo ;
o dol que deram na entrada emreligio:
5", mm es conventos, Mosteiros, Colle-
gios, Congregacoes )! outras casas reli-
giosas, que existirem em conformidad
da lei de 29 de julho de 1837 sero re-
duzidas a melade em cada .urna pro-
vinciaa etc.
O ministro de graga c justica! Antonio
Ilmi >ro Orliz.
Ora, a plebe sectaria executou estes de
cretos da maconeria dominante (|omodo, o
mais selvagem.
Em Radajoz as religiozas do Carme eram
obterem
tempo e o Co\nmissario
cruel as persegua com estas palavras in-
fames 'fuero, fuera] qui n<> fdtiird nm
galn para cada una. lo mismo soy
t soltero e recoger algiimt. A la Calle
t a dar hijo, para la patria t
Eis um breve trecho da suppl
senhoras de Sevilha mandaram ar
ao presidente do governo proviz
qne impedisse as crueldades, que
tiam-se n'aquella cidade cnica
centes e castas esporas de Jezi
t As pessoas de que fallamos e os
teiros em Secilha foram assaltadas violen-
tatnente; ea vista e narracao dos padeci-
mentos, que safreram aquellas
arrancaram abundantes lagrimn\.
ca que as
prezentar
irio, para
commet-
as inno-
Chrislo.
sem inos-
infetfces
Entre
ellas hacia velAas com mais de ctm anuos
de idade, que viram-sc arrancar
l'aquelles
asglos a que tinham direito de ( moderar
como casa propria. Se tal proccliinento 6
justo, se cacnlheiro... Y. Ext. o pode
ver.
As religiozas aneadas de sus anglas, e
os edeflcios habitados por ellas, como po-
dia m servir de obstculos ao pai:??... etc.
Em Segovia, em Erija, em S. Martini d
Unx, en Valenca foram appresentidas sup-
plicas do mesmo theor. A ultima foi /irma-
lla por 17,000 senhoras de Valen ea, cidad
de lOO.(MK) almas ; e o jiresidente Serrano
em Madrid urna deputaco de
madrilenas.que lhe appresentaram
plica com 531 firmas, fullava-lhe c
energa prometiendo maior moderaco para
o futuro.
senderas
um sup-
iin milita
II
DKSTHl'KjiO BE IGIIKJAS
Ciucoenta e sete igrejas, dizwu
is senho-
ras de Sevilha na sobredita supjilica, em
Je nossos
m cujas
que descanco as ciazas sagradas
pais : vincoenla e sete igrajas
fontes baptsmaes tornaram-se chistaos os
ad irava-
bnla e sete
instruidas
com OS
nossos fillios, e dentro das quaes
mos a Deus pacificamente : cinco
igrejas, cujas paredes foram ci
nao com dinheiro do Estado, mai
piedosas esmollas de uossas familias, e .so-
bre as quaes, por consequencia, tos temos
direitos incontestaveis, especialmente aquel
i com o
ncoenta t
una des-
que hade
numero
Memorias,
les direitos, que hoje se proclam;
nome de liberdade de culto.... c
sete igrejas foram condenan a das a
truico inteira, pronta, o violenta,
tornar inevitavel a perda de um
sem numero de objectos darte.
tradices, glorias nacionaes, sentmenlos re-
ligiosos, aspiraces da conscenca, tudo
assaltado e abatido ao mesmo. temoo!
Medidas (leste genero produzen natural-
mente urna indignaco geral, sem iue jwssa
verse urna sombra de bem, que ppssa con-
correr para ulilidade da patria, ou ao mes-
mo triumpho da revoluco.
Porm, em Madrid mesmo o maitello ma-
conicoest agora abatendo a stima igreja
dedicada a S. Millam, e os niMiiesdas arra-
zadas j, ou destinadas a cahir sijo estes :
Santa Mura { a mais anti'ga e monumental)
Santa Cruz, Sao.Gines, Sao MiUd, o Carino
Sao Justo g Pastor, Santa Isabel, Sao dar-
bonezas, el Jesm, las Caiatravis, Santo
Ignacio Caralleiro de Garca, So nlo Anto-
nio do Prado. Olivar.
Hasta dizer que um jornal da nvoluco a
Poltica gritn contra tanta barba idade es-
crevendo em Madrid nos seus mmeros:
A que serviram tantas destruebes?.... a
reunir um conmulo de ruinas. Em verdade
este monumento nao me parece digno da
revoluco, que assim transmute ; s idades
futuras urna cousa que mancha sua memoria.
O Pueblo contou por ventura os templos,
que em Londres ? Tomando e n conta a
dlTereoca da populaco talvez tenda mais,
que Madrid. O mesmo podemosj dizer de
New-York, onde na ra de Rroajiway s-
mente existem l Igrejas. Certa]mente os
Estados-Unidose a Inglaterra s5ojpaizes li-
vres ; porm paizes que entendein. prati-
que tal sentimento lhe vinha do co ?
Assim o acreditava ella, e Un na razo
para isso. Nem sequer lhe yeiq idea o
guardar silencio sobre o caso e musito menos
occulta-lo. Assim, quando o sol, comecou
a subir, ergueu-se'ella para b'coitar tudo
ao lio, mais alegre e resoluta tto que se lhe
fosse mostrar um diamante adiado na es-
trada.
N'esta disposicao ebegou ao pijesbyterio,
mas ao ver o tio passeando pensativo no
jardim, enivo procurou palavras para ex-
primir o que alias lhe parecer t|o fcil de
dizer, e corando, hesitando, balbudando,
apenas teve forca para se lanzar jnos bra-
cos que se abriram para a receber.
Se o bom do pastoi* tivesso. alguma ex-
periencia de paixes. coaapreheaderia ins-
tantnea mep te o que so passava no coraco
da sobrinha, porm ello nunJa onhecera
seno um amor : o amor de Deus. Affeto
s singlas effuses d'aquella alma terna e
affavel, nada suspeitou, e, no acto de Ca-
tharina se lhe lancar consternada nos bra-
cos, nao vio mais do que um impulso da
sua habitual ternura.
Conduzio-a pare debaxo de um carra-
manchlo de lpulo e madreslvas, e, assen-
tando-se ao lado d'ella e pegando-lhe as
raaos, flcou por alguns momentos i contem-
pla-la silenciosamente com ar triste e taci-
turno. Nao dexou de suspetar que o seu
amor j fosse conhecido, Suppo/. o uni-
verso inteiro sabedor da sua elicidade.
Tremendo, nao de susto, mas de alegra,
esperava, sorrindo-se, a sentenra do seu
juz.
Que tnha ella a receiar ? Asuacons-
ciencia achava-se to pura como o co, e,
desde que amava Rogerio, tudo o que ella
anteriormente estimava se lhe tornara mais
caro.
Minha filha, disse afinal o pastor
quando tua mi raorreu, tomei-te n'estes
bracos ; erasentSopequenina, e, consagran-
do-te a Deus, pedi-lhe que te protegesse.
Com effeito, ou as minhas preces foram ou-
vidasou tuja estavas marcada como sello
cao e respeito a liberdade, e nao julgo,
que a religio seja contraria a civilisaro !
A este jornal revolucionario duas cousas
responda o Pensamiento Espagiwl: 1." que
proclamar os principios da revoluco, assim
como a Poltica fez, e qaerer oppor-se as
Conscquencias urna contradivo : 2." que
a revoluco derriba sas igrejas dos Ca-
tholicos.
Km verdade no dia 12 de Novembro o
Sr. Orliz, ministro*iascjlMos maniUvi pu-
blicar no diario o Imparcial de .Madrid
um seudecteto do dia 9, em ijo concedia
licenca aos protestantes para edificar um
templon'aqui'lla cidade. Mas estas conces-
ullr.ijaram em dennzia a conciencia e a
honra nacional; e houve cidade, emque o-
protestantes querendo comocar os aficerees
dos seus templos, foram obligados a fugir
com toda pressa, para se subtrahirem ao
furor popular.
lil
XTCTLSO DOS JKSIITAS
Os decretos geraes contra os religiosas
parecio pouca cousa a respeito da compa-
nhia de Jess, desses valorosos soldados da
f; era necessario um decreto que lhe tor-
nase impossvel a existencia na Hes'panha.
e o decreto nao tardou um momento s :
despe os Jesutas de tudo, e os condeuma
ao ostracismo com as palavras seguintes :
Eu mando a suppress da conipanhia de
Jess na Pennsula e as ilhas djacentes.
Todos os seminarios e collegios della bao
de ser fechados no esparo de tres dias. Para
este lim dar-se-ho onUois particulares s
autoridades das provincias, em que se acham
os ditos cstabelecimentos.
Na oceupaco do temporal se comprehen-
dem todosos bens da oraem, movis con-
movis, edificios, e rendimentos, que serio
eucorporados aos bens da naco, como do
decreto real de i de julho de 1833.
Os memliros da supprimida c impanhia
nao se poderam j mais reunir em comniu
nidadiMiem vestir o habito da ordem. nem
depender dos superiores da eompanbia.qoB
existem dentro ou lora de Hespanha etc. O
ministro da graca e da justica, Antonio Ro-
mero Ortiz.
O proprio Correspondente de Pars de 23
de Outubro se mostrava escandelisado de
um proceeiniento to Ilegal. Aos Jesu-
tas para sahirem de suas casas (diz elle)
julgadas aposentos de siciencia.se concedem
tres das, assim como se houvera de proce-
der com reus de crimes enormes! Que cri-
me commetteram. elles? Onde esto as
provas 1 Onde os processos L? Onde a sen-
tensa de um tribuna! qualquer que seja ?
Debalde levantaran! vos contra o injusto
decreto os Rispos do Placencia, Len, San-
tander. Vi-toiau. Lallahorra e OsnaeoAr-
cebispo de burgos : os Jesutas foram lau-
cados fora. e rerolheram-se em Franca.
IV.
OS BENS DO CLERO HESl'ANHOL.
Opima Nacional, folha irreligiosa
que se publica em Pars, assim desneve o
que fazia o clero na Hespanha. Em quanto
os nobres gaslavam os seus bens em des-
< pezas toacas, o clero secular, os bispos
e os captulos ompregavam os seus red-
ditos, do modo o mais til e mais imbre.
t Urna grande porco dos edificios puWi-
* eos da Hespanha, pontes, fontes, aque-
ductos, hospicios : as calamidades publi-
cas, elles lizeram sempre milito em favor
dos pobres.
O Imparcial de Madrid, com poucas pa-
lavras appjv,.senta todas as riquezas do cle-
ro liespanlkil..
Ein 1850 se contavam 806 conventos de
religiosas, com 12,993 religiosas os rendi-
ineiitosdavam8,990,(i2Oreales poi- amio. lia-
via :2 mosteiros com 719 religiosos ; mas
estas cifras augmentaran! nos ltimos anuos
23,3,S2,H10realesporaimo, custaao estado o
clero hespanbol, que consta de 'M prelados
e umbispo auxiliar, Dees, 431 digna-
tarios e cojiegos de ollicio, 48i conegos d
favor 736 beneficiarios, 3 individuos, que
recebem dotaces maiores, que as estipu-
ladas pela concordata e 2b dotares de ca-
pellanas sobre a cifra marcada pela mesma
concordata. Os poucos acamellados lei
teres nao se admirem de tanto* thezouros
engolidos por padres, frades e religiosos.
Porm a Union l'Ouest, quasi indignada ex-
clama : Se mostrara 12,000 religiosos
qoe sustentavara-socom redditos 8,009,620
reales por anno ; cada urna viva com 092
reales-poranuo, que igualliaiu 181 francos
e 92 centzimos! A isto pois, reduzia-se
a demasiada riqueza das religiosas hespa-
nliolas E o governo para enriquecer o
estado, as priva de rendimentos to copio-
zos. Em urna palavra cada urna religiosa
viva com um cruzadc*por dia I
Por isso o estado longe da enrequicer ca-
uta em maior pobres, e a e$emratii n de
Madrid, de 13 de novembro definiu a era
nova da Hespanha,urna era ie poco trigo
I nachos gorriones (ra'iitos passaros para
comereml.
V
O KI-IsflaPADO HESPAM10L.
Em Beuss, patria m Juan Prim, a junta
decretoii o matrimonio civil, prohibi o di-
nheiro de S. Podro, e as rezas pelo summo
pontfice : aboli as ceoforenciis religiosas
daddade. l-ni qalquer maoifestaco
exleriorde culto. Mais moderada, a junta
de Burcellona contentou-se em mandar ao
hispo d'aquella cidade o seguinte expedien-
te : Esta junta, na reuniSo de hontem(19
de outubro), determinou prohibir os actos
pblicos de culto de todas as religoes : e
disto faz-se sabedor a V. Exc, para que to-
me as medidas convenientes para execuro
da dita resoluco.,
Ora, os bispos hespanhes opposeram
urna firmes a iucrivel aos esforcos da perse-
guico rendida que -sofre a religio catlio-
lica na Hespanha.
O hispo de Cordava, em urna carta de
2 de novembro, declarouao governo provi-
sorio, que as populaces seoppoem vivamen-
te a desperco das religiosas. Lcmbra que
ellas depois do combate de Alcola, em
duas horas aprontaran Mos de linho suffici-
entes a pro ver todos os hosptaes de feridos.
econelue : a cauza da revoluco perdeu
muito na Hespanha por cauza dos decretos
publicados sobre materias ecclesasticas; por
isso atrevo-rae a pedir a revogaco d'aquel-
les decretos, como meio adoptado a resta-
belecer a paz nos conventos e nas popula-
ces.
Com maior energa conclueo vellbisi)>
de Astorga, dizendo, qu-os decretse as teja
do governo provisorio nao podem ter effei-
to retroactivo. Os conventos que existem
necessario respeta-los. A liberdade de
associaco os protege,; impelle o ministre
a deixar inellcazo decreto de 18 de ou-
tubro.
( Cunt nuar-se-ha)
da graca divina. Vi-te crescer como a
acucena. Com a serenidad,; da tua fronte
e a singeleza da tua alma tens feito as-de-
licias da minha habitaco. A tua presenca
mais do que a minha piedade, tem tornado
estes lares agradaveis ao Senhor. Nao te
admires, pois, minha fHha, se te fallo com
tristeza do que deve assegurar a tua felic-
dade. Como poder haver um s da de
felicdade para teu vdho to depois. que tu
deixes esta casa ?
Eu deixa-lo, meu tio ? exclamou
CatharinaQualquer que seja a fdkidade a
que se refere, renuncio a ella cou a con-
dico de o deixar !
Enlo estimas-me ? Es-me verda-
deiramente dedicada ? interrogou Fran-
cisco Paty, mais conmovido dk> que dese-
jra mostrar-se.
Ah meu pa, meu amigo I excla-
mou Catharina, lancando-lhe os bracos ao
pescoco e beijando com seus labios pur-
purinos as alvas cas do virtuoso ancio
Pergunta-rae se o estimo ? Que mal lhe
mereco eu ou o que lhe fiz para me fallar
assim ?
Deus testemunha de que nunca
duvidei do teu araavel o virtuoso coraco;
porm, minha Catharina, tu j n3o s urna
creancinha e o co nSo quer que a tua vida
se extinga sombra d'este presbyterio. Tens
outros gosos a experimentar, outros deve-
res a cumprir. Em summa, visto que vos
amaes, preciso que o byraenou vos una,
meus filhos I
Casamos nos, meu tio ? exclamou
aaequena fada, sontindo subir-lhe todo o
rubor s faces.
Sini, sem duvidarplicou o velho.
Ah t agora eomprehendo o que tan-
tas vezes meu tio tem dito nas suas prati-
eas : que o casamento urna santidado que
nos vem de Deus. Amarmos-nos e unir-
mos-nos face de Deus, dando-nos a mao
para transpor os dias de felicdade e os do
infortunio, sem jamis nos abandonarmos,
tornando tudit commum para vencer os re-
veles ; fortificando-nos no bem, procurando
POUCO DE TUDO.
(Concluso.)
TRIBUNAL DES BOUCHES DUHHONE.
TRES MARIDOS ENVENENADOS POR
SUAS MLLHERES EM MARSELHA.
Acompanhada de Flayol, consultou Joye
para este lhe deitar as cartas e saber
se seria feliz com os seus amores. Joye
aconselhou-a a matar seu marido. Josephi.
na ao principio horrorisou-se da proposta-
mas communcou a sua rne, que a approvou,
e formou tenco de envenenar tambem o seu
marido, e resolveu a filha a executar o cri-
minoso projecto. Em 8 dias o desgraciado
marido suecumbia envenenado.
Flayol aeonselhou Josephina a accender
urna vela a VBto Santissima para a proteger
e nao ser descoberto o seu crime !!!
Sao estes os aecusados :
1. Mara Rosa Ala vena, a Resina, aecu-
sada de ter envenenado seu marido JoSo
Salvago.
2. Mara Autrand Ville, acensada de
ter envenenado seu marido Antonio Ville.
3.a Josephina- Doguet Gabriel, aecusada.
de ter envenenado seu marido Luz Jos Ga-
briel.
i. Francisco Joye, cmplice de todos o*
crimes.
3." Fanny Lamber!, cimiplce dos enve-
nenaraentos de Ville e Saivago.
6. Mara Magdalena Dye.
7. Pautara Flayol, cmplice do envene-
namento de Gabriel.
As tres aecusadas confessaram ter enve-
nenado seus maridos, divergndo apenas
em circumstancias, e na parte que tomaram
os cmplices, os quaes negaram as imputar
cues que Ibes eram feitas-.
O jury recolheu-se sala das delibera'
cj)~, no da 8, urna lu>ra, da manhaa e
voltou s duas horas e meia. Dcu por pro-
vados todos os crimes, coin circumstan-
cias attenuanles, excepto a complicidad!-
de Mara Magdalena Dye e de PalmiraFlayol,
que foram absolvidas:
Mara Ville, Joseplima Gabriel, Fanny
Lambert e Francisco Joye, foram condemna-
dos a trabbaos pblicos perpetuos.
"Maria Salvago, foicondemnada a 20>aimos
de trabalhos pblicos.
juntos o bom e o lielto, o verdadeiro e o
justo ; chegar assinx ao mesmo fim pelo,
mesmo camiuho ; realisando urna uni5o a>
mais estreita e terminando por nos confun-
dirmos noseio da Divindade, de certo o
que pode haver de mais adoravei e divino
sobre a trra I Pormaccrescentou ella
em seguida, desonhando-se-lhe no rosto ao
mesmo tempo toda a andedade da alma
pensa, meu to, que o pai d'ee dar o seu
cbnsentimento ?
Quem nao se julgar feliz- de te cha-
mar sua filha ?respondeu Francisco Paty.
repasstio de ternura e orgnHioQuem le
n3o abrir a porta com alegra, meu anjo ?
Que familia se nao regozjar de te eolloca
nos seus lares domsticos, piedosa e sym-
patbica creatura ?
Seriamente, meu tio; aci-edita que
elle consentir ?
E' negocio concluidodisse, sorrin-
do-se* Francisco Paty.Posto que um pou-
co aferrado s arabicoes do mundo, 6 um
bom homem e que aspira a felicidad de
seu filho. Sabe, pois, que uo s elle con-
sente, mas o proprio que o solicita
Elle, meu to ?
Sim, elle mesmo.
E meu to faz gosto n'isso ?
Eu quero que a minha Catharina rea-
lise o seu destino respondeu o ancQo,
beijando-a na fronteQuero, dxando este
mundo, que fiques apoiada sobre una cora-
cSo dedicado e fiel!
Oh que nobre coracio! exclamou
ella no maior arrebtame uto.
Bem o sei, bem o sei redarguio
Francisco Paty em tom de profunda convic-
c5o. E' um honrado moco que ser ex-
celente marido. Aperar do que diz seu
pai, nao o considero pnrfeito physicamente,
mas por esse motivo n3n me desgosto : tem
quadades essenciaes e o que basta.
'


(Gmlinmr-se-ha.)
Tir. M MARIO-II:i DAS CEVZE8 N,
"^B


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EH3OQMV8P_ZLQQZE INGEST_TIME 2013-09-14T00:02:26Z PACKAGE AA00011611_11750
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES