Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11749


This item is only available as the following downloads:


Full Text

***
i
-

.
-
-s-
I
ANNO XLV. HUMERO 17. *
I i S
PABA A CAPITAL I LOGARES OSDE NAO SE PAGA PORTE.
Por tros moz's adiantados.
Por seis ditos iileni. .
Por um auno dem. .
Cada numero avulso ,

SABBADO 23 DE JANEIRO DE 1869.
PARA DENTRO E FOBA DA PROVINCIA.
/
. 6i500O %m m* Por tres mezcs adan
. lfMXK ^atlSB By I>or se's ,',os i(,,'nl-
. 24*000 ^^JSJ'^ Por nove ditos dem
, #J20 ^ Por um anno. .
DE PERM
64750
134500
gtfiso
27000
Propriedade de Manoel Rgu^ira de Faria
:\TK*:
sao acjbi
Os Srs. Gerardo Antonio Alvos & Filhos, no Para : (ioiicalvos Pinto, no Maranliao; Joaquim Jos de Oliveia, no Cear; Antoiiio.de Lemos Braga, no Aracafy
Guinuuaos Pancarta, em Mamaiigiiape: Antonio Aiexai.drino de Lima, naParahyba; Antonio Jos Gomes, n*.Villa da IVnha: Belannirio i
em Nazaretli; Francino lavares da Cosa, em Alagas; Dr. Jos Martiia^ws, na Baha; e Jo:
(OS
PARTE OFTTCIAL.
Ministerio da Guerra.
Comuiandneni (tefe de todas as ferias hrasilci-
raa cm operante coutra o gorarno Jo Paraguay.
Oiiarid-generd na Angostara, SO da dozeiuhmde
1868.tiln, o Esta. Sr.O botetiiit da exente
.ltalo de 28 do crrante mea, que ora tenho a
honra da remeter t V. Kxe., a ten aaste. a rana,
que por orden) mnha eeereveu o secretario geni
vio exercte ao comqmudante do vapor s. Jos, eou-
i.'in os snoceasoa lupus] hiiiii Bfoi>tr pnete Angostura, para onde ordenei que viossom
lodos os nossos v:-poras de madeira e transportes.
O nosso exerrt) lem dado lia nove dias provas
nao equivocas de aortaada son a roupa do corno, visto que deixa-
ram anas moxilas e borneas aaa Villeta, todo o ri-
gor da estadio calinosa no Paraguay, no qual o
calor abrasador sempre seguida de chuvas tor-
renciaes.
Aitcndendo a as-tas afies me porei em marcha
luanto antW para Assiunpeo. passando por Vil-
leta, para que o exordio receba seos trens e ba-
gagens.
Dous guarde a Y. ExcIlhn. e Exc. Sr. ronse-
:lieiro de estado Mirlo de Muriliba, ministro e se-
ctario de estado do< negocios da guerra.-Mar-
ridos e do morto, assegurando a V. Exc. que os
commandantes. offlciaes egua'rnictes dos navios moj
quetla thesouraria, informe V.
reiui'tteii eom o seu ofiieo dej
hi.i daquellc vapor.
Hojee com a maior satisfarn que transmiti a qaes ae Caxias.
V. Exc a noticia de se haver rendid', a forlliea- j Copia.X' SS. HEXCS. os Srs. generaos do exer-
,: i l Angostara eom porto do .ooo almas, sen-! eito miado em guerra contra a repblica do Para-
do 1,200 rmbatervs. e o resto inulhera* e enfer- guay.Ilonlem soriam o l\i da larde, um monitor,
que eslava com a esquadra cima das bateras de
Angostura suspenden a ancora e deixon-se seguir
por agua abano a modo de balsa, levando icada
nina bandeira pa.'lamentar: ao appi'oxiinar-se
balera varias vezes se Ihe grtou que dsse fundo.
.' para esse mesini (Un da balera se lhe fez signa)
ori um lenco bronco.
Tamlie.u em un pequeo escaler sahiram dota
jlliciaos para roce icr o parlameni'irio.
Em despeitode ato isto o monitor seguo agua
oval, c j andan :' forca do vapor, quando com
luntiro de plvora secca se lhe intimon que pa-
rasse.
Como nein assii i lizisse caso deste aviso, mas
pelo contrario oicade vapor se vinha pproxi-
manilo inas da batera, (piando o monitor esleslou-
se com ella tivemes de faier-lbe logo com bala, o
e virn do bordo e (ori^iu a seguir aguas
o. is. Os t"o ciininandantes da mesma lurlili-
cac-lo l'neiiles-coioneis Lucs ('.amibo e o Ingle*
Geerge Ttempaon se auaaproiiendoni no numero
cima indieado, o bem assim mais cenia e lautos
offlciaes de diferentes patentas e gndaaeOes.
Este sucresso, que, linnando nosso dominio so-
bre todo o ro Paragoay, facilita nosaaa commnni-
eaedes directas com onaiqner dos punios do liior.il.
bem cuino com a Assiunpcai. o qne Analmente me
e sellar o termo tiesta' guerra (So prolongada.
-e passon pelo modo que vou rebMar a V. Exc.
No boleiim incluso ver V. Exc. pie no dia 8
do eorrentc delibera en, do aeoonlo com o* ge-
neraes alados, mandar ao coHBuadanle da l'orii-
licacte de Angostan, depeis de a hacer complea-
mente cercado, hitimaeio para render-se com as
tur as sob seo eonuaaado, no pratode li horas,
vista dos triampnos que havamos ateancado nos nnlaoc
dias nltiraos. cima.
O mingo, ignoiMiido a derrota < npleto que
Ijope kavia solfrido no redacto, oa liiigiudo igno-
rar, n i quiz recebor o parlamentario, dizendo
i|UC, sendo empreados miutaros do inareehal Lo-
pet, Cajo quariel general eslava limito prximo,
nao podan receber tiuaesnaer oonunonica^ues
ilOS ueoerae; .lis e\eri'ilus allados. dirigir directamente ao mesmo Lope/..
Del desda logo as mais terminante* ordens para
qni. a i romper do da seguinie, fosse Angostara
at \a la por unn c.tlumna qu or;auise, e ;i cuja
testa pan l march#i.
vi ofcai3 i em qne reeontecia en as truche-
ris. e la/.ia lomar posicao s tropas, que tinhain
lo fezer parle da columna de asate, apparO-
pcb bandeira parlamentar as liuhas nimigas, in-
lodus olli-iaes |i:iragua\os portadores de una
ennecie de reclaviacao, ou quetxa acerca do pro-
poMannvse como sempre o teni feilo.
Deus guarde a V. Exe.=Illm. e Exm. Sr. consc-
llieiro barao de Cotegipe, ministro o secretario de
estado dos negocios da marinba.=FtiMfe de lu-
hiimu, commandante cm chele.
Helaran das pranm feridtu a bordo da fragata Li-
ma Barros, par oceutiao do fiirmnwnta da bale-
ra ik Mjoslura, nos dias 10 e 19 do corrate
mes.
Dia 16.Guardian exlranumerario Rodrigues
Gonealves : forimento por estilhaco de ferro na par-
te inferior esquerda do pescoco, penetrando o pul-
mo. com lesao da arteria cartida. Falleceu delle
tres horas depois.
Imperial de terceira classe Pedro Alexandrmo
de Soasa : ferimento simples por eslilhaco de ferro
na ragua superciliar esquerda, interessando so-
mente pello.
Imperial marnheiro Fernando Lopes da Fonccca
que so acnavs em tratameste oeste navio, perten-
cente a guarnico do monitor l'iauhi/: ferimento
simples por estilhaco de ferro na regao dorsal, en-
tre os dous omoplatas.
zeinbto ultimo n. I!I7. o pret brando v
relativos ao iik-z de levertHro di am
& Filhos.

Joo Mara Julio Cliaves, no Ass; Antonio Marques da Silva, no Natal; Antonio Joaquim
Santos fidlcao, em Santo Antio; Domingos Jos da Gosta Braga,
Gasparinho, no Ri de Janeiro.
S. por que
2(1 de de-
nciuientos
o prximo
passado. para 25 praeas do batalho n. 31 de in-
falitarla destacadas na povoaeao de Ag las Bella*.
quando tae< veneimentos jase bavia mrlndado pa-
gar bm 22 de a lu I daquolc auno, em irtiule da
lequisicao de V. S., eonlda em outro clcio de i
do citado mes de abril, sob n. 61.
N. 477.Dita ao juiz de direitoda comarca de
Caruas.Comimmico V. S, que, p >i di-libera
cao desta data, decarei vago, en eonfori lidade dos
avisos ns. 202. de 21 de julhode 1853, o 2;18 de
3 dejuuho de 186:1, o lugar de segundo supplente
do juiz municipal e de orpliaos do t irmo de S.
liento oecupado pido major Francisco \lves Ma-
ciel. por ter aceitado o exercicio, postor ormente
suapossedaquelle cargo, o posto de coiinnandanle
do esi|uadio de cavalluia u. 5 da gua la nacio-
nal, do que V. S. licar sciente e far (onstar ao
referido cidadao.
N. 478.=ta ao juiz numictaal e di Ligado de
Iiolicia do termo de Uuique.Fieo de posse do
oflicio n. 126, datado de 8 do mez con ente, com
Da 19. Imperial de segunda classe Honorio que Vmc. participa naver-se concluido processo
Joaquim do Carino : ferimento simples na regao das novas eleicos do vercadores e jii SOS de paz
um nouco as tres freguezias de que se eompoo t
Prole-tamos enoiyicamentc contra este abuso da
bandeira parlamentar, laucando toda a responsa-
bilidate sobre o co iimandante do monitor, o qual
quiz aproveitar-se lo uso dessa bandeira sem res-
eitar as leis, que ideriam constituir inviolavel.
Rogamos VV. EBxcs. que s,- tiverem de dar
alguma resposla a esta, ilrijam-a s autoridades
no quartel general.
Deus guarde VV. EExcs. -Angostura, 29 de
desoinbro de 1868. Jwijt ThompsonLucas Car-
rillo.
CopiaX SS. IXxe& w Srs. generaos do exer-
uto alliado em guerra contra a repblica do Pa-
raguay.Tomando em cMi-deraeao a mensagem
dosr. marque/, il" Uaxhis nesta inanha, temos re-
Iroulal esquerda. por estilhaco de ferro, um pouco
aejma do mperciho do mesmo laik) ; na palpebra
eorresftondenle e no alto do nariz, interessando so-
monte a pete.
'ordo da fragata Urna Barros, em Villeta no rio
Paraguay. 19 de dezembro de 1868.r. Jos Cut-
iano da Cosa, primeiro cirurgiao.
Commando em cliefe da forca naval do Brasil
em operacoos contra o governodo Paraguay. Bor-
do do encuracado Brasil cm frente a Villeta, 29
de dezenibro de 1868.
Illm. e Exm. Sr.Hontcm s ?! horas e 20 nu-
calo, sem qne se dsse a menor diera
dem publica, mantendo-se em toda sua plenitude a
liberdade do voto, e tendohavido unic miente na
nutriz da villa entre diversas BSSSOas ui a caloro-
sa allercacao, (piando se forma va a mesa parochial,
a qual exigi a sua prosean, e com larecendo,
Vmc. inmediatamente, conseguio que esic inciden-
te nao livesse consequencas. Sciente de tildo isto,
aguardo a recepcao da acia da apura cao geral,
que cuinpre a cmara municipal fazer, < opiwrtu-
namente ordenarei a posse dos novos cli tos. con-
tinnando no entretanto o exercicio dos ve eadores p
sse inuni-
m da or-
nutos da Urde, appar.H-eu sobre a barranca de Jotes de paz do qnadriennio de_ 1865 aJ 868.
Angostura una bandeira branca, e sendu vista pe-! > 479.Dita ao juiz municipal e di orpoaos
las guarnicoes .los eneonracados Sihado, Piauhy j dos termos reunidos de Caruaru e S. Benl >.-t.o.u-
B Grande, que all se acliam em observaran as nmuico a Vmc. para sua intelligeacu ( governo
- deliberacao desta data, deebvel vaga, em
de
i'
ni i
!S
Macicl, por ter acceid) e exiTcid, )ostorior-
guarnoee aqueMe ponto.
ImmediatameHte suspendeu o monitor, e seguio
aguas abaixo ; e ao aproximar-se da batera, fez
cedimcata que os commandantes di Ang.solina at- alsunia duvida sobre a rcspeilavel palavra de VV.
SEkcs., para depoii se entrar em accordiw sobre o
assumplo: e com esse fin enviamos a cinco ofll-
i*iaes que VV. EEx -s. lerao a bondade de permit ir
laterem a nspoccam sob a garanta qne V\. EExcs.
jurara servidos offerecer.
VV.KI'ac-. -Jorge ThompsonLn-
.olvido fazer inspeccionar a posigao tese o Sr. na-1 ie dirigi para o naviu, para o qual acenavam e
radial Lpez oceupava. sem que isto iiiporteein | ehaniavam.
por
mente a sua posse daquelle cargo, o post > de coin-
mandante do esquada > de cavallaria n. da guar-
dia um tiro sem bala e icou tainbcm bandeira par- da nacional.
lamentara na balera de'baixo, largando logo um 8. 480.-Delibei'acao.-0 presidente i a provin-
isiderando que o major raiieisco Alves Ma-
triluii.im ao de um monitor do nossa esquadra,
eorno V. Exc. ver da mesma redaiiiai;aoo:i quei-
xa que. |Mir copia, tenho a honra de passar s
mios de V. Exc.
Uzeado .'ios portadores desse papel que a in-
lagar sobre o fado de que nelle se tralava liara
,. ier repreliender, ou punir qnalqner delinqnentc
centar, qne declarassem elles a seos couunandan-
les que all me aruava disposto a atacar 9 assallar
A;.'; una. se ella se nao rendesse deiilro de seis
h n'.e. que lerniiiia\ain as \ da larde.
Segando irnTuBciou o vira-almirante vi-conde
le iniaumao laclo narrado na coiiiniiiicacao, de
I > a na l'allei, leve lugar por modo todo contra-
rio, sendo a gii.irni'.i i de Angostura que procu-
rara por nieio de bandeira parlamentar approxi-
mar o monitor fazendo-lhe depois rogo. Isto con-
lirmou innha suspeila de que a viuda do parla-
Deiis guante
Carrillo.
mentar innmgo tinha por lim proporcionar meios
A nonuMMO edlender-se o iniutigo a respete do
re '.dieao. _
Duas horas depois de relrarem-se os oflicaes
paraguayos roltanm sendo portadores daeommn-
nieaca >. cuja copia V. Exc. achara tainheui junta,
e la qual vera que o niniigo representado pelos
d ins iiimiaiiilaues da Angostura mostrswa aeso-
0 de vi-rilicar por nieio de nina cuiumssao de
einoo oUiciaes. (pie Lpez tivesse sido denotado, e
mais se nao actum entriucheirado em sen redac-
to i. o i. depondendo do que enlao vissem del-
,i elles -pe a intiiuaeo que boviaiu re-
ce! i i .
Nao Jeseobri i.....mveolente algun em aonuir ao
qi ie solicita va, e pof isso mandei queatraves-
. i os cinco offlciaes todo o nosso acampamen-
to, para que comcca3sem sm napecca i pelas for-
c'-'i'|ieitavtis da tresarm >s que nelle se acha-
v.un, e acoinpanhailos p ir dous de niens ajudantCS
do campo, e escollado por un esqadno de ca-
vallaria, lossem visitar o reducto, o os lug res que
sem ver.
Li l'iraiii; pereorreram o lem 11 dis sangu-
nole i'i, combats d k dias anterior.'-, virain aiu-
di pilhas dfi cadveres dos seos, reeonlieccrain
li ts e piipageo- de Lpez, vstaram 0$ hospi-
taes, vrvm o i 11 > limnao i e goal com que nel-
I'- eren tra'ad os seus patricios e os soldados bra-
sileiros, e vouantn paiccnd i-medispostos a mais
-e ai i baterem por Lpez e sua causa ;
IVdmdo-nie que visto seren quasl i horas da
e leram ainda elles de fazer seus relatnos
a is commandantes da fortaleza, e de empregar os
meios de convencer a guarnicS a render-se, bou-
l ende prologar o prazo att'1 ao romper do
di i de teje ; assim o liz desprezaudo algumas de-
nuncias, e pariieipaeoes que ebeganm ao meo
c n'- 'lu. oiio de que a guarniCjio de Angostura
pretenda aproveitar-se da noiteadm de fugir pa-
ra o Chaco.
Esta manba s -'> tens eslava en testa das
moas para ordenar que rouipesse o temnardeio,
se is ti h iras me nao ebegasse alguma oommuni-
canao. Ella porm nao lardn jielo iivkIo qne V.
E ; ver da copia que. sob n. ."1 pa-so s maos de
V. Exc, e o qual respond de aceonln com os ge-
neraos adiados nos termos da copia n. 4.
A's 11 horas da manha sabia das trindieiras
inimi'-'is inda a san guarnican. tendo testa o-
d'iiis coniniiinlantes, a depondo as armas em 86-
P'iida, c te melhor ordem e crco que com gran-
de regoste.
Urna salva de 21 Uros dada por ama das nosaas
bateririas Hnnoa as muralha- de Anjftstan a
bandeira dos alliados, e a nossa p xse de lio m-
p rante bHincaeio eoni sen- 10 canhees, sendo
V, de 68, 1 de Ido e 1 de pequeo calibre.
Pelicitando V. Exc. e o goveno imperial por
Copia.A.' SS. EExc-. os Srs. generaos do exer-
CtO alliado oui guerra c.nlia a repblica do l'a-
raguav Teudo tomado em muita consideraco a
proposta de VV. EExcs. c tendo consultado com
os Srs. etefes e irfBclaes dcste posto, temos resol-
vdo evacual-o, ciin tanto que o facimos com to-
das as honras da guerra, conservando 'cada um a
graduacao actual, que pssue, seus ajndantes e ca-
marailas, garaliiid^-sc tropa a espoiitaneidadc de
largar suas armas no sitio conveniente, som que
sta eondi ao se os enda aos cheles e offlciaes. os
quaes conservarao as suas. VV. EExcs. garaarao
a completa liberda le a lodos para lomar o destino
que aprouvor a cada am.
Deus guarde S'V. ^EKves. -Angostura, M de
dezembro de 1868.Jorge Tlioinpsnn Lucas Car-
rillo.
escaler com quatro reinadores e tres offlciaes, que ca con:
cieljierdeu o lugar de 2' supplente do jkuz niuni-
cpale de orphos do termo de S. Benti, segundo
'bj i de 1855,
ai ccitado c
bafxo.
Segu-ido o monitor um Hinco mais para
alim de virar aguas cima, logo que se achou en-
tre as duas baleras o escaler roniou para lena
rom toda alorca. e as bateras roinperanl vivo fo-
go sobre o monitor.
ds|Heiu os avisos ns. 202 de 24 de ju
( 2:t de 3 de junho de 186:1. por ter
exi-rcMo posterioriuentea-sua posse do cito cargo
o cos&iando do esqnadrio de cavallar a n. 5 da
guarpnacional, resolv' dechrar, comoeffeetiva
sob n. 80, resolve exonerar por conveniencia do
servim, os eidadaos Felipix1 Paes de (Miveira, Ma-
noel Gomes de Barrros e Silva, Jos Paes Brrelo,
Temistocles Paes de (Miveira, Joaquim Francisco
Borges (Jetea e Flix Velloso da Silvera, dos car-
gos de t; 2, 3* 4o, ?> e 6" supplentos do subdele-
gado de polica do 2" districlo da fregaezia de Ga-
melleira do termo de Serinliem.
N. 492.Dita.O presidente da provincia, con-
loruiando-se rom a proposta dO"Dr. chefe de poli-
ca, que acoinpaiihou o seu offlrio datado de lioje,
sob n. 80, resolv" exonerar, por conveniencia do
servico, os eidadaos Jos Wenceslao Alfonso Ri-
gueira Pereira de Bastos, Jos Pedro Velloso da
Silvera Jnior, e Auicrco Xavier Pereira de Bri-
lo. dos cargos de 2", "i" e 6" supplentes do delega-
do de polica do termo de Serinhem.
X. 493.Dita.0 presidente da provincia, de
conformidade com e proposta do Dr. chefe de po-
lica em offlcio n. 74, de boje datado, resolve con-
ceder ao cidadao Joo Gomes Pereira de Lacena,
a exoneraco por elle pedida do cargo de subde-
gado do dstricto de Panellas.
X. 4940 presidente da provincia, attendendo
ao que em offlcio datado dehontem sob D. 68, pro-
poz o Dr. chefe de polica, acerca da necessdade
para o servico publico da creaeo de mais um
dstricto de subdelegada na fregiiezia de No-sa
Scnhora do Desterro de Itamb, onde actualmente
existem tres districtos de paz, denominados : un
da Matriz, outro de Cartee, e o ultimo de Tiinbau-
ba, delibera, nos termos do art. 7 do ragulainento
n. 120 de 31 de Janeiro de 1842, o seguinte ;
Art. 1." Fica creado mais um districlo de sub-
delegada na freguezia de Nossa Senhora do Des-
terro de Itamb, o qual se formar do territorio
que eonstlue o dstricto de paz j existente, com a
denominaran de Carlea.
Arl. 2," "Os tres districtos de subdelegara, que
ora licam subsstindo nadita freguezia abrangerao
osmesmos territorios que foram assignados aos
districtos de paz e tomarao a nomeracSo de Io'
2" e3. e a denomnaco, o primeiro de dstricto da
Matriz ; o segundo d Carte e o tercero de T'un-
bauba.
EXTERIOR.
le
Cania.A' SS. EExcs. os Srs. f.eorge Thompson
e Lucas Carrillo, commandantes da l'ortilicacao de
Angostura.
Os abaixo assifnado? respondem coinmunica-
c3o dos Srs. Geoi'gC Tllompson e Lucas Carrillo,
hitada te teje, pelo modo seguinte:Que tendo
.ni vista evitar diirramaiurnto intil de sangue
atacando viva loica a fortificarte de Angostura,
nao tiverem os ab xo assignados duvida em pro-
rogar at boje ao romper do dia o prazo de 6 te-
ras, que iioiiiem marcaram para sua rendicio. Que
os abaixo assignados garanlem aos que formara a
guarnieo de Angostura a conservaco das gra-
duaees, que aefjalmente lem, bem como seus
ajndantes c assistentes ; que consentem' em (pieos
elides e offlciaes la guarnico de Angostura pos-
sam conservar BUi s espadas sob palavra de honra
de se nao servrcju dola- hostilmente aos alliados
na presente guerra ; que belmente concedem as
honras de guerra ao- soldados da guarnico de
Angostan, para que sabindo com suas armas as
venhaui depositar no lugar que Ibes fr indicado
pelos abaixo assignados, ou por sua ordem.Jfar-
ijne: de Caxias.JtHM A. Grtllt // tibesHe.nrinne
tasn).Conform?, o coronel /'. S. Dias da Molla.
secretario geral de exercito.
Minialt rio m Jlariuli.1.
NOTIi^AS iiv i:sor\.\.
('.ominando em 'befe da loica naval do Brasil
eui operacoe.-contra o governo do Paraguay. Bor-
do do encuracado Bi'usil, ein frente a Villeta, 22
de dezembro de 1S(>N.
Illm e Exm. Sr Km consecuencia das chuvas
dacrescente do rio Paraguay, tornou-se quasi iin-
piaticavel o cainitbo do Chaco, que ligava os dous
pantos ocupados all pilo noSBO exercito, e por
onde recebia elle o que se lhe folia necessaro.
Havendo neee-.-ioade de vveres e outros objee-
los, riH|uistou-int >. Exe. o Sr. marqiiez de Ca-
xas a descda de nui ou dous encouracados at o
ponto de Palmas, aura de os transporiar; e em
coiiscqueiida detirmiiiei Cossem encarregados des-
se seiui-oii .oa Barro e Sitiado, a cujos coin-
mandantes, os eapities de fragata Jos da Costa
Azevedo u Joaquim Francisco de Abren, dei as
competentes ordens. leudo anies prevenid.) pelo le-
Itgrapho ao chele Alviin. alim de que ludo estves-
se preparado para ser euibreadO logo que all
chegassem esses navios.
No dia 16. pelas H hora da noite, suspenderam
cobrio elle cinco chalanas arrogadas com gente,
desconfiando que o inimigo livesse nutrido a louca
pretencao de tentar abordar o navio.
Deus guartea V. ExcIllm. e Exm. Sr. conse-
Iteiro barao de Cotegijie, ministro e secretario de
estado dos negocios da marinha.Yisconde de ln-
haiinvi, coniniandaute em chefe.
Oorri'uo da proviucla.
KXCKDIENTE ASSICXMK) PKI.0 EXM. SU. CONDE PK B.VK-
l'KNDV, PIIESIDE.XTE DA PROVINCIA, EM 16 li JA-
NEIRO DE 1869.
1' scete.
N. 469.Portaria ao general coniniandantc das
armas.Respondo ao offlcio que V. Exc. me dirigi
em 14 do convite, sob n. 28, dizendo-lhe queja so-
licitei do Exm. Sr. ministro da guerra, aaloosaco
para a despeza precisa, com os roncertos do chafa-
rz da fortaleza do Brum, e convm agiuirdar a dt
c"
sao do governo iiiqierial, depois da qual podera sob n, 80, resolve nomcar para os Jugare
chaudo-se a guarnico do navio em seus pos- j mentteledara, vago o referido lugar dj; 2 sup-
108, logo que fez este a vote rspondeu ao fogo ni- plontsateteM luuulctpal ote urph*. i
migo. seVuindo aguas aeima, Icio fundear no lu N Tl.-D.t.i.-0 presidente dapr je a em-
Raraue havia deixate form:.nd->se com a proposla do Dr. che i> de poli-
O inimiao conseguio acertar no monitor seis ba- da. nnrj aeompanhoa o seu olllcio datad > de hoje.
J vagos de
) 2" dis-
to de Se-
co mencionad
| Joo de Barros Silva.
2' Joao Paes Brrelo.
3" Marlinho Rodrigues da Silva.
t Joaquim da Silva Pinto,
."i" Antonio Maria de Arante.
6" Jos Cartea da Cunha.
482.ila.O presidente da provincia, canfor-
numdo-se com a proposla do Dr. chefe de polica,
que aeompanhoa o sen offlcio datado de boje, sob
n. 80. resolve nomcar para os lugares vagos de
supplentos de delegado de polica do ter no de Se-
rinhem. os eidadaos abaixo mencionados :
1" Manoel de Mosquita Barros Wandci'lcy.
2" Antonio de Carvalho Albuqucrque.
4 Manoel de Barros Accioly Lins.
5" Joao Florentino Cavalcante de Albuqnerque.
6 Goncalo Cavalcante de Albuqnenijue l'chda.
X. 483.'Dita.O presidente da provincia, con-
forinando-se com a proposla do Dr. chefe de po-
"ca, que acompanhou o seu offlcio dtalo de boje,
ij vasos de
ser atlendda a reclamarte do coronel commandan-
te daquella furia leza.
N. 470.Dita ao cnsul geral do Brasil no reino
de Portugal.De conformidade com o que me sol-
cilou o desembargador proVedor da Santa Casa de
Misericordia desta capital, em offlcio de 8 do cor-
rente, sob n. 1,722, sirva-se V. S. de niinstrar-nie
as nformacoes pedidas jmr esta presidencia, em of-
licio de 4 de marco e 14 de maio ltimos, relatva-
meiile a existencia no reino de Portugal, de herdei-
ros do mostr de caim Francisco Barreto de Me-
nezes.
X. 471.Dita ao capilte do porto.Mande V S.
supplenles do subdelegado d1' polica do 1" dstric-
to da freguezia de Gamdleira, do lerui) de Seri-
nliem. os eidadaos abaixo mencionados :
2o Carlos Lenidas do Reg Barios.
3" Antonio da Silva Ribero.
4 Francisco Lins Gonealves Chaves.
8" Manoel de S Cavalcante do Nascinento.
N. 484.Dita.0 presidente da provincia, con-
formando-sc com a propoata do Dr. chefe de poli-
ca, que acompanhou o seu offlcio datado de hoje,
sob ii. 80, resolve nomear para os lugares vates
de supplentos do subdelegado de polica do 2o ds-
tricto da freguezia de Serinliem oscidalos abai-
pr cm liberdade, visto terem sido julgados incapa-! xo mencionados.
zes do servico da armada, como consta do termo 2" Francisco de Paula Lavalcanti a iderlcj.
" Francisco Pedro Cavalcanti l'C-hoa
annexo ao seu offlcio de 11 do corrente, sob n. 6, os
remitas Jos Doiningues de Sant'Anna e Manoel
Joaquim Flores.
X 472.Dita ao engenheiro encarregado das
obras militares.Autoriso Vmc. a effectuar a des-
obslruccao do encanamento d'agua, desde o pateo
4" Joo Manoel de Mesante Barros >N'anderley.
5" Siraeao de (iirvalho Albuqnerque.
6" Flix Jos de Mello Cavalcanti.
X 485.Dita.O presidente da produca, con-
forinando-sc com a proposta do Dr. chele de poli-
do Paraso at o quartel do deposito especial de ins-: ca, que acompanhou o seu offlcio datado de hoje
osla em seu offlcio de 18 de dezembro; sob u. 80, resolve nomear para os lugares vagos
lluiuas de Hiimali. 'i*
dezembro de hs.
Honra ao Brasil! Gloria ao exerci'o e armada
imperial! Prateos ao imperio! E'a hora solem-
ne e augusta da victoria. A guerra loca a seu ter-
mo. E' a primeira vez que pronuncio e escrevo
estas palavras.
No dia 24 o marques ina'idou um parlamentario
a Lpez, ntimando-lhe a rendicio. As 11 hpras
da manha voltou a resposta do dictador, dizendo
que seus satordinadorexigiaM que elle nao se ren-
desse. Enlao comec4u um bombardeameato terri-
vel. As balas rhnviain de [larin > ?** o ;..;...
*: fi gnunles destrocos em nossas lorcas, por
que Lombas Valentinas, una eminencia que lira
a ravalleiro do lugar em que se achavam DOSSas
forras.
Aute-hontcm houve o assalto. Depois de um
combate renhido, que durou pouco lempo, o re-
ducto cabio em nosso poder, mas Lpez escapou-se
com a Miss Lincb [mr ama matta contigua. Fica-
am em nosso poder mais ou menos 1,000 priste-
neiros. Do resto una tana morios e outros
fugirain com Inopes, o marqiiez, apenas soube da
fnga do dictador, mandn persegui-lo pola caval-
laria.
Para inini este o poni mais culminante do
assumplo.
Apenas Lpez fr apanbado est concluida a
guerra.
Voltando a victoria do dia 26. Tomamos pri-
-ionerosinil e tantos horneas, lodos os cantees que
existem no reducto e todas as mullicos, loma-
mos at as criadas, caslicaes de piala ea corren-
Iba do Lpez. Elle fugo (lexando at os caval-
los: levou comsigo 2"H) temeos.
Esta noticia foi aqui rectela com enthu-
siasmo.
O sino da capella da Concei^o. de que na ante-
rior dei noticia. ropiODO alegre e forlemente. e do
eommando das breas e de outros lugares subiram
ao ar inulrs fugeles.
Os ferdos que se achato as enfermaras derra-
inavain lagrimas de prazer. Era a hora em que
os facultativo- passavaui as visitas quando chegoii
a noticia. Mutos doentes se levantaran! de seus
lates e chegaram as portas das enfermaras, ale-
gres e jiiviaes. Foi urna scena que milito me com-
inoveu.
Tal deva ser o resultado da noticia na guarni-
co destas ruinas, porque estavamos em una in-
quidaco indsivel, pelas segumos ralbes.
No da 23 marchara para o acampamento e sitio
de IjOinbas o primeiro de arlilharia, por ordem do
marqiiez de Caxias. que pedir desta guarnico
2,000 honiens pin continuar as operantes em que
se teban empenhado.
No dia inmediato embarcarain os 1,800 temeos
que faltavam para completar o pedido, sendo o 3o
baialho de arlilharia e200homens quetivoram
alta dos hospitaes.
No dia 26 tinte embarcado pan 0mesmo destino
o 5" de cavallaria.
s
-o de tania tu ma. tTinmaivi asseguraido os referidos eneoaracados e. seguiudo ag'uas abai-
a V. Exc. que nao perco de rista o fugitivo Lpez, xo. torearan) as 1 atonas de Angostura : duas lio-
empragaote todos os meios para que possa elle ser ras depois davar fundo em Palmas, tendo soffndo
ci|)f.irado, vistoa desmoiali-aco em que cabio, e vivo fogo. qne Ibes causn pequeas avanas no
Ci i grande que com toda a certeza sei, que apenas malerial.iierdeni o o timo llanos um guardin e
90 horaens o acompauharam em sua fuga, sendo fondo duas piaras leudas Minplesuieiite por esti-
concordes todas aa uiformacoes que me chegam Iliacos de ferro.
de que elle nao pode dspr de mais grupo algun
de forcas para resistir.
Pan que V. Exc. possa fazer idea dos apuros
mi que elle se achou para congregar gente com
que Dosresltisee no reducto, e a basteridadc com
que cuidou de semeihante assnmpto, direi que en-
tre os cadveres encontrados no terreno do com-
bate acnanm-se os de aleijados e feriaos nao en-
linda, e o de mu inenno de III a 12 anuos
No da 19. depois de lerem os ditos navios recebi-
do grande porco de mauliiutiitos para o exercito,
abarrotado de caivte e tomado o que precisavam
pelas 6 horas o 3f) minutos da nanba. forcaram
de novo aguas cima, as referidas bateras, Ira-
zendo o Lima tarros :i" costado nina grande cha-
ta, tambera ca regada. '
Por esta occasiao empregou o nmigo no urna
llanos 29 balas" que lhe causaran! anda avarias
que havia sofirido anteriormente nina amputaco no material, e nr pes-oaI o ferimento leve de urna
no braco esquerdo, e foi obsjgado a conibater com pues
urna espada que ainda ai>rta\a em sua raso di-
re.ia.
Eslou tratando neste momento de mandar vir :
le ipiantidide de nossos ferdos que se acham
aos boa tees de sangue para os remeller para
Humiyt e para o Brasil, os que eanceivni de tra
.ameato mais prolongado, tueado-os ombarca' w
ti Sihado foi I elido por 14 balas, as quaes pro-
duziram somante algumas avarias no material.
Logo que esse i na^ uniram a miin, tra-
tou-se, apezar d i mo tempo c da inuta chuva, de
descarrega-los, i> que ficou concluido no dia 20.
De tudo dando coftta a V. Exc. para seu conhe-
truccao, proposla
do anuo prximo lindo, se a despeza
lhoraucnlo nao exceder da quantia i
porque no caso contrario tente resolvido que, li- xo mencionados
que elle tediado para quando esliver assentada a
nova linba de canos, para abastecimento do palacio ';
do governo, occasiao em que tora de obstruir-sc o
voltio encanameiilo, que conduzagua para o mes-
mo palacio, ein um imnto aqueiu do ramal, que se
ilirige a cavallarica daquelle quartel.
2* scete.
X. 473.Portara ao Dr. chefe de polica.Com-
ni nico V. S. para seu conhecimento e das res-
pectivas autoridades policaes, que, segundo cons-
ta do offlcio de lo do corrente do provisor do bis-
pado. o Rvd. Francisco Jos Tavares da Gama, fo-
rain dadas as convenientes providencias para que
o coadjutor que est regendo a matriz da freguezia
de Una. com a maior brevidade transfira daquella
matriz para a capella de Nossa Senhora do Enr-
menlo o Santissnio Sacramento e as sagradas ima-
gens, visto achar-se a mesma matriz em estado de
ruina.
X 474.Dita ao commandante superior interi-
no do Recife. Expeca V. S. suas ordens para que
eesse o destacamento da passagem da Magdalena,
que nao foi contemplado na tabella, que acompa-
nhou a portara de 5 de novembro do anno Iludo,
sendo os de que ella trata que deverao subsistir.
N. 47?.Dita ao commandante superior da
Boa vista.D V. S. o seu parecer acerca dos ven-
ctmentos constantes dss documentes annexos ao
incluso offlcio do tenente-coronel commandante do
batalho n. 49 de infamara da guarda nacional do
municipio do Ouiieury. e relativas as praeas do
mesmo batalho que estiveram destacadas naqnella
villa sob o commando do tenente honorario do
exercito Benjamim Beltro de Alencar, durante os
metes de fevereiro, marco e abril do anno prxi-
mo passado, advertindo-o de que taes documentos
deviam Jer vmdo por intermedio desse commando
superior.
N. 476.^-Dita ao commandante superior de Ga-
rnteos.Em visla do que exp5c o inspector da
tteseoraria de fazenda no offlcio iunto por copia,
datado de 12 do corrente e sob n. 18, com referen
com esse me- de supplentes do subdelegado de polica do dis-
te 75il2:(iis, nielo da freguezia de Serinliem os enlataos abai-
Este pedido urgente de tropas causara a mquie-
laco a (pie me reliro. Felizmente boje apreseor-
laeao que
la-se o borisonte cAr de rosa.
Hoje. pelas 8 horas da manha, l;ve lugar
nina missa fnebre |)do tenente-coronel 1 rancisco
de Lima e Silva, morto no combate de 11. Man-
doti-a dizer seu irmo o major Joo Manoel de
Lima e Silva..
Foi um acto solemne e augusto. Concoma toda
a offirialidade e as senhoras dos offlciaes brasilei-
ros aqu residentes.
A morle do tenente-coronel Lima e Silva foi ge-
ralmente sentida. Era um distiuclo carcter, um
nobre eavalhemi. E'oterceiro llllio de nina dstiuc-
ta rio-grandense que, de quatro altes que man-
dn para a rampanha, s tem agora um vivo. Os
outros tres morroram nos cmbales, e lodos man-
dando o ultimo suspira para sua mi na hora de
expirar.
E' como disse o Dr. Luiz Alvares, ein nina bella
poesa, que fez derramar lagrimas a quanlos a
ouviram :
Mnha mi!
balbuciou o hroe nvirrendo.
i'tio a iniuiensdade.
1- Henrique Lins de Barros Wanderley
> Antonio Francisco de Albuquerquc Cmara.
3 Rotilo Tolentino de Fgueiredo Lima.
4" Folix Pacheco de Menezes.
?!" Joao Daniasceno Barros.
6 Patricio da Costa Lima.
X 486..Dita.O presidente da provincia, de
roufonnidade com a proposta do Dr. chefe de po-
lica, em offlcio n. 74, de hoje datado, resolve no-
mear para o cargo de subdelegado do districlo de
Pandlas ao cidadao Jos Cordeiro dos Santos.
X 487.Dita.O presidente da provincia, a
vista da nformaco do Dr. chefe de polica em of-
licio datado de hje sob n. 80, resolve declarar sem
elTeito a nomeaco do cidadao Francisco Manoel
de Souza e Oliveira.em data do i de dezembro
do auno prximo lindo, para o cargo de 1 sup-
plente do subdelegado de polica do 1 dstricto da
freguezia de Serinhem. por nao havla aceitado
por motivo de molestia que allegou.
N. 489.Dita.O presidente da provincia, con-! Mmha mai! repetw
forniando-se com a proposta do r. chefe de poli-. E ao oiivido materno vai tremendo
da, que acompanhou o seu offlcio datado de hoie Essa voz de quem foi para a eferanane
sob n. 80, resolve exonerar, por conveniencia do
servico. os eidadaos Joo Pereira Chaves, Francis-
co de' Paula Cavalcanti Lins e Francisco Antonio
Bandeira de Mello Jnior dos cargos te 3", 4" e ?i"
supplentes do subdelegado de polica do 1 dislric-
to da freguezia de Gainelleira, da termo de Seri-
nhem.
X 490.Dita.O presidente da provincia, con-
formando se com a proposta do Dr. ebefe de poli-
ca em offlcio datado de hoje sob n. 78, resolve
conceder ao bacharal Francisco Alves da Silva a
exonerarte que pedio do cargo de subdelegado de
polica do 1 districlo da. freguezia de Gamelleira.
do termo de Serinhem; e nomear para subsl -
tui-lo no dito cargo'orillada: Frailesco Manoel
Wanderley Lins, actual 2 snpplente do rderido
"^^^^121 l^^^S^l^as V^mas (ore-
Para isso mandn ao nosso acam|iaincntonaqnel-
le ponto una cominisso coni|x>sta s tres ofnciae>
e um frade.
Estes omisa arios quando virain qne nsoeoupa-
vamos 0 quartel-general del Supremo, quando vi-
ram em nosso |>oder o poncho rico deLfinez licaram
paludos e trmulos de terror. Voltaratn ao sv-u
acainpainento. No dia i inmediato Angostura reo
deu-se.
O vapor Ciilade de Oliinla desnubarcou liop-
aqui 19?> ferdos, que foram distribuidos pelos doa-
hospitaes .upi existentes, metade para cada
um. Com esta porco de ferdos viudos boje sobem
a 1,4?!8 os que teeni sido condiizidos mis huspitac--
ainblllanfes II. Francisco Anico'u e Ciihule de Otin-
da para a circum-cripco de stde de llnmai
t. Para esle accrescimo de ferdos setein creado
inas enferniarias de cirurga nos dous lM>s|itae-
desta circuniscrnco.
O numeni total de pessoas nelles recotiidas efci-
-a-e a 2,214.
Bspen-se, porm, que etegnea oadoos bospi-
laes ambulintc; boje ou ainanha com mais fe-
rdos.
Entre os ferdos que teeni viudo ronlam-se 8.'
Paraguayos, almda paragua\a de quem ja l'allei.
que combata vestida Oe liiimem. Chaina-seCarmen
Caldoso c acha-se gravemente ferraa por estima-
ros de bomba, porm est mentor.
O ttano tem feito ja algumas victimas. Mas en
geral sao bote as eoinlicoe- das enfermaras, ate
havendo por ora receto nein do t\pho nonocomial
nein da infeceo purulenta.
Por fallar os hospitaes, cabe aqui urna rectfi-
caco em respeito quantia (pie acompanhou ai>
amputado Julio Jos das Chagas. Nao foram so
330 libras, como en disse. foram 360 libras, as
quaes foram entregues pelo Sr. commandante da
polica da edrte ao Sr. tenenle-coronel Cimba Bar-
bosa, director do asxlodeinvalldos. A issoajmi-
larei que a 1? do mez que boje lindoii seguiram
com o mesmo desuno inas 176 libras, prefazendo
o total de 536, que tem sido at agora o producto
recebido [>elo caridoso Dr. Biliae, promotor da
subscripcao a favor do nfelrmiitilado.
Acaba de ebegar o Antelo, trazendo mais
300 a tantos ferdos. Veo todo embandera-
do. Ao passar em fenle de Humail. para |>oder
dar volta no rio alim de vir para seu ancoradro.
ilispertou a maior alegra em nossa gente. A ri-
beira cobrio-se de povo. Subiram ao ar fogitt
U*s. Foi um alvoroco geral. Grande a hora do
triumpho nacional! Solemne o pensamento da
victoria! Ferdos e invallidos se alegraui nos seus
lotea. <>s saos s.'uidam aos vencedores.
Anda urna vez: honra e gloria te exercito e
esqaadra imperial I Parabens ao Imperio do Cra
zciro! Nossas almas atravess un a imraenshlade
para de tenga eongratularmo-nos com os compo-
triotas pela gloria do Brasil. ,
A .guerra val terminar. Dos abencoou nossa
causa. Mais, esposas e dinas, que de (once aeoni-
panhais os manni,.- dn >. omoatiao uu-
rauM qualro anuos, ragosyai-vos. A hora do re
|)ouso vai soar : a lionHa vk'loria. Ciaras a
tino c actividade do general brasileiro. a gucira
esla acabada. Aos marhres, queiles que repon
san finados na trra estrangeira e inimga. una
lagrima de saudade na hora das alegras do Iriiim-
pbo !
Que a brisa da nodo ao b.ifejar-lbes as sepultu-
ras toscas na solidan dosdesrtos Ibes iniinnuie
aosoovidos as saudades e os piamos dos seus!
Que o sol da manha. no momento de surgir no
oriente, lance saos prteelroe ratea sobre a rehra
.pie cobre esses cadveres queridos, exprteindo
um pensamento dos que viveni na patria !
Mas para os vencedores a gratido e as benc.
do paz, os loaros da victoria.
Morios e vivos, sejain todos os que marcharan!
para essa guerra gloriosas reminiscencias da patria
agradecida.
vii.leta.no rio paraoiay, 29 de dezemhiio H 1868
Disse na mnha inissiva de 26 desle mez, qne
seria bem provavd que o transpone do exerete
S. Jos tonase a noticia da queda de Lombas Va-
lentinas, quartel-general de Lpez, e de fado na
note de 26 para 27 baten este a linda plumagem.
e fugio eom seus generaos Basquin e Cvatenos,
vnte a tantos ollicacs e unas cenlo e tantas pra-
eas, segundo mis, e oitocentas, segundo outros ;
El Supremo Lpez, abandonando o seu campo, dei-
xando o seu coche, malas com farda bordada de
general, tintes, etc., e juncado o solo de grande
numen de cadveres em oslado de putrefaeco, e
uiuitos ferdos, scmi-inorlos, porquanto nao tinha
tido tempo de enterrar os morios, nem cuidar dos
ferdos. O nosso bombardeo era constante c con-
tinuado, obligando a ter a sua gente sempre sol-
as armas, noite e da : niulo embora em algnns
dias chaase a cantaros, nein por isso deu-se in-
terrupeo.
Contm algnns prisoncros qaeLopx-z promete-
ra vencer ou morrer com elles em Lombas \ alen-
tinas, entretanto que apretn el gorro, na phrase
hespanhola, sem ceremonia alguina.
Consla-me que na orcasio de fugir fura pre-
s ntido dos nossos, c por elles perseguido, ma-
que conseguir ganhar una mata prxima de
Umbas, a |r da exw-uUira o seu pensamento
levando comsigo os generaos ja ditos, offlciaes .-
algumas praeas em numero milito inferior a 200.
Pode passar-se para os nossos o major Cunha
Mattos. prisioneiro de 3 de novembro em Tnvnty
e coiinnandanle do 4 b..lalho de arlilharia ; tfpor
elle trienios a infausta certeza de que lodos os pri-
sioneiros brasileiros tinbaiu sido fuzilados, depni-
de terem sido previamente siippteiados oqMortu
rados.
Veo mais o medico ingles Stuart e sua familia
o algn- Paraguayos com as delles.
izem-me que boje se examinar a mata, qm-
lem estado cercada, e se ter contecimento do
numero de mortos e ferdos n ella defecados.
cnenlo, junio a est*. por copia, a relaco dos fe-1 cia ao parecer, tambem junio por copia, da conta-
Temos recehidos mutos ferdo. Com elles
cento a tantos Paraguayos, entre os quaes una
nmlber. que est gravemente ferida.
Km outi-a darai mais minuciosas noticias, aspo-
cialmwite sobre o servico dos hospitaes.
Panbent! Parabens ao Brasil! Angostura ran-
,Wu-.. O assalto que d.Miios a 27. e que uei
noticia na de 28. produzio e-se rcM.llado. SGf
como aconteceu. .i.-lM !,,i
S. Exc. oSr. marquez de Caxias mai lara inti-
mar ao coronel paraguayo Lucas l.arnui.. eom-
namlante daquelll fortilicacao. I^^SmUE
at (oreas dt sen commando no p> aso tle /- hoi as.
TtBTL acon,eriou-,,tos,mp,rtncs N^te*
phos por nos alcancados no da 21. Dizem o se-
guinte O coronel remonden que SO daa rospos-
" de que o dictador tinha
formando-se com a proposta do Dr. diere de pon- com oncut>r
cia, que acompauhou seu offlcio d: lado d^ hoje! duelo por no* tomaoo^
Hontein mandn o marquez de Caxias ntimai-
rendicao aos sitiados de Angostura, tendo recebido
do almirante nina carta em que lhe propunha esla
idea, e a pie o marquez d Caxias rspondeu ser
tambem a sua. Ento niandou |wr duas vozes par
lamentarte, que foi rejeitado, lizendo o corntoaav
dante paraguavo nada ter que tratar com os aiuatia-
Pelas 4 horas da tarde icaram em Angosunvi
urna bandeira branca. Por este motivo foi '*
0 monitor Piaakji saber o que \'l'^'nd^Xr^aT-
estavaui convicios de que sena a rendicao, ju.
nronoriam : foi mais una inuciu) por que pasea-
,oI Quando o i.Hinitor se achara entre as toas
Lateras, e se diriga para elle um escalez trinla*,
por qualro praeas com alguns offlciaes, vestidos
de camisas encarnadas c que acenavam com o>
bonets, chamando o monitor, arriaram repentina-
mente a bandeira branca, o escaler guinou para a
Ierra, vogando luda a forca, atracn c desembar-
cou a sua gente, e as bateras abriram fogo sobre
,i navio, que teve de soffrer repentino e inesperado
logo de qualro pec:\> de arlilharia da balera infe-
rior e do duas da'superior, o Tpial nenhun damn<-
produzio no material, aitezar de lerem acertado
oto balas ; e nem lio pouco no possoal, que so li
vemos dius praeas levemente ferida*. Felizmente
o commandante Ralthasar Silveira foi previdente
e nao cousentio (iraca alguma na tolda, aexeepea..
d '.i le. que logo ao primeiro tiro recotteu-se ao seu
postodecomlialeemandouiispoiider com aolm
dade este acto de cortezosa paraguaya. s
ron-ianiemenle iraidores. apezar da experiencia
Ihes mostrar que Ba* leem obtido c.kh a trano
enipregada. Foi vista por este ronimandante um.i
forra na batera de 200 temeos.
I

V
L_HEBlHl_J


<*
i ni 'Tira'iin -
m


i&
MMMi
BBMHlm^MH

M
II
.e38 3Q OfllSHAl 10 8 GGA88I3 D*rio de ffenrambuco Sabbado ^3 de Janeiro de 1869. .f| OflBMU VJl GHHft
-Uh,
fc
Pelas 12 horas da noite chegou borde.**WWMo K^isinioiloftirtlieHtnlke dos trium-
Brasil onde, se acha o almirante,."> ^a P'<>S >r nos tlcanQados no da de Uon-
de ordens i marquez de Cams, cpm .cnnjmum- ^^ jr* v-
eacoes deliberadas do general em chefe. Apenas
soube que se tratova de concluir hoje a explora-
-cao da mata, e se" comecaria a atacar Angostura,
indo nesta mesma hora ordem ao chefe. baraoda
Passagem, no encouracado Baha, ao do encour^^..
cado S/mJo. e aos des monitores iauh>i..jtii
Grande, Vara e Alaatt* pra l.oisjtardeaiei'.i fci-
mediaiamente aquella ponto, que deven* ?jer ata-
cado i>ela artilharia e fmm de-trra aoje peta
manhaa. Ouco a execiic* das orden--,, eespero
pe Miz rcsultadaemprea.
Continua em Santo Aut>*o- o cr.eoufflaj Ta-
mandar c o murtflor Orte,/pie foi .vez di
Part para o din designado, devindo, segas* alguns
outros enceeffacados em bnsea df>s seis vapores
" L.pez e te esfio em ai i
TAo prodtiir ella o devio resultado, scfi! (:s-
rnJ,.^<* .la 4**..,*., ,.a.,^ ,..,., a*** Antonio Carlos de Soun T
sumpcao,
Poi urna farra nossa de cavallaria no enraice de
Lpez. Sem ser do numero dos descrales, recis
qae seje tempo perdido, pois qae elle tcm boas
galas e canaece perfeitamente o seu paiz.
Rio de Janeiro
9 de Janeiro de 1869
S. M. o Imperad"u\ acompanhado de seus sema-
narios, visitn lioiileiii as Alucinas de machinas di
arsenal de inariulia e eia seguida o arsenal d
guerra.
/ Na liitihtio se diia tjiie no caso (te
prodtiir ella o devido resultado, selSS
a fortficac d Angostura atacada por agua
e por trra, pondo-se em pratica lodo o ri-
gor das le* martiies. rj resUM se riowia fwttTiHhWiite.
I' semna ament agridavola S. Exc o
Sr. ma rectal m afufar-z de (alias, mandar
a imane i a rao exaftelto brasileire, qae o Bia-
jof de artiftaia Ernesto Aagasto da Cunta
Mitos, qae ahitafristoMiroem Tuvutjrno
dil 3 de nov Mitbro do tMo prximo pas-
arroi escondaos, e o nosso exeiTt"T! sobre As- -*ido, pode, ".ipiVvrlaTliU'-se' dO JtaniCr? de
Hornera s 8 horas da nianba, no arseaul de
inarinha. embarraran) para o transporte Mmrilki
Dias 400 praeas que vio. Iiumpnmf se aoso
ejercito em penieoos a Paraguay.
Assistto ao embarque S. M. o Imperador, acom-
panhado do seus semanarios e do Sr. ministro da
Mtok
10-
Kuirou hontem de noite- o transporte
Bonifacio eom datos de Angostura at 96
Hroait .11 do passado.
J sabamos tomado ultimo reducti
das Lombas Valentinas onde se aehava o
quart.'!-;Tencnl de Lpez. Este conseguid
scapar-se a toapo, fugiitdo na drecco de
"Serro-Leon, acompanliado de MOBM ho-
mens. mas huras de avatlaria Hw iam no
encalco.
Vencida alli a ultima resistencia. 0 mnr-
quez de Caxias mandou intimar rendieo
CBnii$a6 que amda se aehava solada na
Angostara, na extrema esquerda das hnhas
de"Pikiciri, j anteiinnueiite cortailas. De-
l)ois de por neto de urna commisso para
isso enviaila se haver certificado tfue todo o
ntrinclieiainento das Lombas se aehava em
poder dos alliados, aquella guarnicao, que
ainia eontava uus 1.30!) homens, entregou-
si) (lisirir) na manhaa ile :t(). e de um
extremo a otitro ftcmos senhores daquellas
formidaveis linhas, que tanto sangue pre
ojoso nos custaram.
A esmtadra e o exercito j se apresen-
tavam para subir a Assumpea >.
0 segninte foletim do exercito narra os
acontecimenlos dos dias7 e 28.
x 28 de dezembro de 1868.Ao amohe-
cer de linntem, 27 do corrente, i bocas
de fogo convenientemente assestadas por
ordem de S. Exc. o Sr. marocha! murquez
de Caxias, romperam nutridsimo bomliar-
0 rapitao Praacisco Manoel Cordeiro teneale- f reeeljpu una ordem de Lpez para prote2#|i|L| as, Menarmler'Aaferaio Leftiu daJnha
coronel commandante do
n. .
O capMi Feliciano
romncl cbmlnandante io baulto d
te-coreael commanilaote do baialli&n di
"Omajor h4 do t) AlM^la,. trtlenie^-
batalh d infaatarla f pontos da linha atacado pelas nbssastrops," eir-
^"ncia que llie dee temiw pan tagir.
I o fardamento de parada do mareehal Lo-
i tomado pelos aossos soldados, assim como
tas pecas de uniformes ricos, que daremos
depois relami.
Leia-se o seguate paragrapho de urna carta
irnos Rentes tcaanlfr
fao tee n-
ifantaria
que o inimigo se apoderou com a derrota
de hontem, evadir-se do seu poder oitr
alguns companheiros mais de mfwhihiof
em cujo numero entra o capito do 31 de
voluntarios P*ssoa, chegamlo todos a este
acampamento saos e salvos.
Omajor Cunha Mattos assumio hoje
por ordem de. S. Ex. o commamlo do 4.-
regiment de artttfetra.
A carta "que em seguida publicamos re-
fere as nimilMltajjlian que acompanliarain
a rendicao da derradeira posico paraguaya
ua Angostura.
Angostura, 39 de dezetnliro ti? t/168.
' Para aiinuneiar a reudicao de Angostura de-
vo nafrar o qae se passott o da de lnmtein, de-
pois da minlia t.ltiina mi-siva. Pelas 11 horas da
manhaa uVscia o almirante visconde de Inhama
para Angostura, aliin de coadiiivar pelo rio com o
bario da PassajeOi o ataque deliberado pelo Mr-
quez, e diicriniiaio pai-a toie pelas 7 horas da
manhaa, e rcgresaeu peras i da tarde.
Vo-se mover o exercito, e aproximar-se da
batera iuimiga, l-igo. pela manhaa, o a cada mo-
mento se usjiera >'a sentir o estrondo da artilharia;
roael comMhdmii' hatalhae e iufaMatfa
B- 39.
O/irA.-Oetpilaii loas KaptfsU d* p/.4a tMM>.
tenenteicoronel qoi intaadante eebatalkao deia-
lanlalia n. 90.
O capitn Antoaii Jos* de Brita, majofrajiHtiie
le orddes do ronim iitdd anfi'-riar >1 nuniiripto >
(irania.
F..i recotidiuido o tachare! *,..', AiUomVi de
Artnjo Pthjueira* wrlhfar dspfti muMrtpt 1 **
orphaos do termo de Mag, na provinria do Rio de
Janeiro. _r.
Ponen demlOldos doexPcWo, ntntoreie 'Ja a*.
10 do decreto n. IOS? de T8 de nofeffilrm P lt
os oftlciaes da guarda nacional das seguinles pro-
vincias :
Para.0 coronel eoinmandante superior dos
municipios de Braganca
Hiheiro.
m-nos dtipais se para o autor dg
arcou ni) coilige* erimiMs atoes
toigo: v "~P r- "
l.onnraa meio da tde di sanguo qae o tero
xteilarasirmao Renigitote pavtnUa aais pea
xiriaw tropear brutdnicMe su vellia niai,
quiz dei^lMemoria eterna il sea mine roinmet-
tendo ni erlini's mai* espantosoa rpe se podew
imaginai*; sabe-se posllvamedto por alfuns paa-
sados qae das antes da ataque de Vi'Iota maaitoa
fuzilar duas mnlheres e*TlnT sarerflole, que oom-
mettera o delicio de dar um pouco d'agua a um
uiisioneiro brasileEk> >
^s napias eorre3|)eBdcnteK por veznHndi*
rrfpto as descommimaes dMlculdades qne o etef-
cito brasileiro teve de vencer na sua marcha pelo
Cuaco para ir sabir retaguarda de ViUeta, ope-
j racao a que hoje est reeonhecido devermos o es-
Foran nomeaios vicc-presidentes da provinria
do Rio-firande.do Norte : .1,. Miguel Ribciro Dan
tas^ a., Octaviano Cabral Raposo
4., Pedro de Alcntara Piuheiro
mes Freir:
-Foraai exonerados os
ma provincia : Antonio
Cmara;
Joao Go-
quenosdtrke pessoa. reJi*aM|Mt. exeretto u- LMann'el VaruUa. do Naat atfo.
BS^ft-* ?$* JSfe.Si!? -1!?* e. MedeiieMiato e J|t Theoli
vice-presidentcs da>mes-
lasilio Ribeiro Dantas,
Traianu Lojcadin
Silva.

DIARIO DE PERNAMBUCO
RBHFE, t DE lUBIRO DE 18.
Eis finahoeute torminada a guerra (
J nto ha mas onde achar meio de crear um
embarace vulta triumphante dos exercitos allia-
d#aA tetb de seus paizes.
A aJtiavca triumpnon, e hoje tem a sede em As-
sumpcao, no coracao do Paraguay !
Lpez est ugido, ninguem sabe para onde ;
(i tsneote-eor.iael cunmand.tnie do liatalho a
11, Idm Manuel (VinWro.
tenente-coronel conunandanle do bataido a
35, Francisco da Pliule e Soua.
O teiKBte-eorowel comBUMtdaiHe 4t hntalliik) B,
36, Jos Manuel de Menezes.
d eenente-eon>nl lonwvmdente *? betoUtlnn.
99, Jes HodFijfue Barata.
Fot rttimii*** do eieeeleio o t*PBteieiwisl
commandante do batamio de mlantaria a. da
guarda narioBat na provincia dn Piauhj. JesnH
HW da Mv:i MuHra.
Cfreredet-se retoan :
o major-aJudMK^ de orden4 do comniamio !-
perhir da gmnla aaetanl da capital dn prnvinRia
do Para Fiel SigattrtBgn llonorki Pereii.i Lima, no
posto de tenente-nnmel.
Foi th'i'tarad? sein effeito o decreto <|p 43 de maio
\ i auno proxitRn passado. que nome.w <* emente
coronel eommnndante do batallio de
......""- ^u|n-iiui u '- i.n.ci- .i iimi' nuil- esui rcwmueciuo uevLTiuns o es- ,,,, j, .,,! : ...
e annexo*jB#*Ca*ailafpVn va de que nao se exageraran! essas ifllculdades, "rimes e suas glorias, embora nefastas, ahi licam
i nada se~ouYa7e dascortava-se de longe o I!01,1 "nnwntteate do tatallum .to infamara ti.
iirmatjra. Mil coniecluras ""'" ty
exercito parado em formatara. Mil conjectuf
se lizerain, desejando c.ula um atinar eom a causa
desta immobilidcde, quando pelo meio (lia se teve
conbecimento de que os sitiados tiuliam mandad)
mn parlamentaria ao marquez de Caxias, propen-
do a ivndicao, debaixo de certas condicoes, ao que
foi respondido que se ontregassein ttscrco.
Disseram que desejavaui ver se Lombas-Va-
lentinas csiavaui eiu nosso peder, e foi-lhes conce-
dido este pedido, indo urna couimissii i at l para
cetlflkar-se do desbarato e fuga de Lpez e di
scu exercito. (iiaio sectarios de S. Tliom, s
acreditaram depois que viram tudo abandonado,
os setls compatriota* gemendo feridos o outros SU
estado de cadveres putrefactos; ontao concorda-
ran que se entiegariam hoje |iela nianhaa, pois
que o niajor Tompson, commandante da batera, e
o inajor Lucas Carrilho pretendiam tomar certas
deliberacoes e pr3dispor o animo de seus soldados
Acqiuesceu o marqie de Caxias
uitio Cavalrante. pw-a i* posdi de
cemnel cttiitmandatu siiperior da guarda naoional
dos municipios doBi.iqnee Itorn-llonsdhn. impro-
viwa de Pirnamltiico.
Por decreto do 9 do corrente:
Foi recenluatue o liarli.wl Braulio Candido do
Rege Mendes, no lugar de jHizmnniripalda va-
ra da capital da provincia do Marauhao.
tumaiao agora de nina ftessoa, que de certo nao
pode ser suspetta, a seguinte descrpoio, que en-
eoBtramos aa Tribuna de Buenos-Ayres.
Confesso (pie corniiietli urna levhndade fal-
lande-eesereTendo sobre a guerra di Paraguay
sem conliecer o theatro e:n que esta se desenvol-
vee. Pan poder apreciaras dilIi'mMSides com que
ten de Intar terete a41ktdo. no emtwnhodH le-
var a cilio e-a rnmpnnlla. neeessario visitar o
sea acamiiemento n esttrdar as trinrheiras do ini-
migo, que, mais qw frurteda sciencii,
obra admiravel da namrw.a.
Diante daqueRes sWos mal se eomprehende
que com um numem rednndb de soldados tiwsw-
infls podido eliejrar a< vhmh:eas da A*winpfao.
Anda quarelo o nosse eteTtoto tivesse noilKlo reu-
nir as eondiroes da forca, faltavam-lhe nutras que
duvem enractersar lodo o exercito em guerras
deste'p'wn) a ?oWiWaihf'e a agilMade.
Se a wa soacereseent;* que o territorio em pie
devia eperar-lhe era desconhecido, que elle care-
ca de toda i classe de recursos, pois qwe at- o
alimento dos animaes tinlia (pie ser conduzido Te
Buenos-AyreH, einie-tintM de Mar com mn iniuc-
go conheceilor di terreno que pisava e criado para
esta classe de lulas, en'o poder aprerinr-se no
sett justo valor a grsn'te cnmpanha rujo li:n se
ref tstradas na historia
aosso ver est terminada
irremissivelniOHte
M lut* sanguinolenta em que se debatiam qua-
troestados daAmrica,quao paizes irmaos, lilhos
da mesma me idolatrada.
Das noticia pubfe-adas nj.nitro luaar yen os
aussos leitores (pie o nosso exercito, depois de oc-
cupar aexJeusa liuha quo tinua a cabeca eai Vil-
! letee-apoiava os pesnas Lambas Valentinas, subi
atfi a capital do Paraguay e ahii se estabeteceu. A-
inila vero que, alli chegando, encontrou deserta
a cidade de Assumpi;ao c todos os seus arredores.
e,aimla mais, que nina Mntilha ia segnir at a nos-
sa infeliz irma, a provincia de Matto-Grosso, para
onde se presuma que Lpez rugir acompanhado
do seudesgraijado e fanalisado novo. Anda vaco
itessas aotici.'us que o vulento Triumpho, a li'eat;
de nina forra de cavallaria, marchava na direcciio
das Cordillieiras effl busca tambem de Lo|>ez, que,
segundo oun-as versees, seguir aquelle caminho.
O'exercito alliado s encontrara em seu cami-
nho destroces e desertes; nem viva alma appa-
recia awpteUas regioes, por oude eJIe passava. em
Por d creto d i do eeeroat! hwive Sua Ma;/es-
lade o hiiperad-ir por bem peid>ar Btooese-
guintes :
Emygdio Machado di Silv- ira e sua imilhei Ma-; signacao.'o sea esfornoc a sua constaiicin. lapas,
eonhe 'ediir do Chaco! e seus en^enhosM hornees
aproxima.
Se o exercito alnado nao tivesse realizado ou- I
tra empniza al-n da marcha para Villfta mh ca-18aa marcha tnuinphante. h. o barao do Iriumpbo
minlio que abri no Chaco, esta emprea sement eom a sua destemida cavallaria igualmente ia en-
bastaria pan se recordar eom adrairacao a sua re-
ria Jacinth i. a pena de dous mzes de prisfior imtl-
ta, a que forana rondemnados em gnio de anpeM-
cao pelo teto de Afeito da I* vara rrnhMl' db eftr-
te, porcrime de injurias vertaos.
AMUUVJ Mara Pinto, o tenipo que Ihe falla par
neea e neto de iri<*i
conlrando vastos desertos desde Assumpcao at as
cordiheiras.
Para onde bi LopH i can iL-sappareceu toda
cumplir a pena de ewatro
ao pedido, e ('om Oahalh i e ninto a que foi eoodemnado pelo
iand ci ao almirante vscmde de Iiuiama e ao chefe J*"*VP0'. pi,r <','""e '''' r'ir'.'(l'' esc','";lv')s-
.te seiewia, julgaram' imtros^vi'r'que o enawtto al-
Hade paOJW ope peto retaguarda db Viileta. : o"1" (l"" h-dmava ifUitoi lugares ?
O terreno do Chaeo, movedico, conerto de hor-; Que imp rla saber is^ ? O fitoto real exist;: es-
vas altissimas e de bosques seculares e impendra-1 tamos en AJsumpea i : soai senhores dos cam-
baran da Passagem, para que nao bombardeassein
aquelle ponto al ao da de boje pela manliaa
cedo.
c Yeio um oBiial paraguayo em um pequeo
bote trazor este oflcio a bordo do encouracado
JJafcia.
Regi\ssou (ralmirante para o Broi pelas 7
horas da tarde, toado ido para o Baha pelas 6 na
lancha a vapor Janeen Muer.
Hojejwtnsddnmanha estova j nn Baha em
frente da Angstala, esperando a capilnlacao quan-
do pelas 7 llorase 37 minutos comecou a mover-so
o nosso exercit), ?l> as 10 e nm qwtrto participava
o commandante do monitor Piaulti/ que abandeira
paraguaya da batria esta va arriada, e a gente na
formaliira. depois de praticadas algumas rcreino-
deio contra o reducto do inrmigo na sna re- nas em torno da baudora que foi arriada.
Ugnarda, faaendo cada cauho 100 Bfoe.
S. Ekc o Sr. marcchal marque de
Caxias, tendo mairtiado testa de urna co-
lumna forte de 6,000 homens, dos quaes
i'aziam parte 2,000 argentinos, sob o com-
inando do general Rivas, marchon contor-
MUAdo ai poslfoos inimigas e tomando po-
sifo em sua letaguiaia j m* Oro dn
fu/i I.
Ti'nnin'iiiilo o boml)ardeio, qtn'. nao s
cattsou gr.lndes estragos c mortfrtatle no
inimigo. mas que tambem o ateitou e des-
moraisou por modo extraordinario, orde-
itoii S. Exc. pie a coltmtna soh sen rom-
mando avaiM ass,' snhre o reducto, sriido
este movimeiito simultaneo com o que pela
frente de mesmo reducto fizeramos Exms.
yenora's Celly v Obes e Henrique Castro
tesla de foi-cas de sus nacionalidades, das
quaes tambem faziam parte tropas brazi-
Iciras.
0 assalto foi dado com o maior rmpeto
6 gallianlia, rivalisando em arrojo e rnfre-
pidez as forca> das tres armas que nelle
tomaram parte.
O inimigo, cortado em todas as direo;
roes, deixando o campo coberto de cad a ve-
res, fugio espavorido para a mata qile com-
munica com o potreiro Mai inor, tendo ca-
liido om nosso poder quatorze ranhoes,
nina qtiantidade extraordinaria de gneros
alimenticios de teda a especie, e de bebi-
das akhoolicas em pipas ou garrafas, mul-
ta plvora, muTHcoes de guerra e armamen-
to, e bem assim toda a bagagera, trem,
equipagens, gnanla-roupa e papis de L-
pez, que com madama Lynch, e o general
ftesquin poderam em tempo ganhar a refe-
rida mata acoropanhados de 90 homens,
buscando a direcc3o do Serr LeSO, e seh-
lo vivamente perseguidos por nos'sas forjas
Durante todo o dia de hontem mnitos
grupos de Paraguayos lerldos sos viefSm
jpresentar-se em differentes pontos as
nossas tropas, certificando todos que a guer-
ra est terminsda, porque o que restava
de exercito a Lope* foi ltoutem desfeito e
desbaratado.
- Entre os 8precnlados se contam m
medico inglez William Steart, que servia
no exercito de Lpez como cltefe rto cOr,lo
-de aude, cera a patente de teriftfte-corohel-
e o coronel Cisler, hngaro, que no mes-
w exercito serw de eugenheiro. Este
veio com (oda a win rumiti constatite d
sua senhoia, fllhos e c-feflos.
Acab* de chegar ao d>a'rt\ gfeACTat
paite de mais um triumpho alcancado para
o lado da Angostura, tendo- pasSaSuo
seguinte, como ocia o brigadeiro hio Ma-
iiim'I Menta Baittto.
* Aclindo-se desembarazado o seo flan-
co direito peta victoria de ndssas atttts
sobre o reducto inimigo, julgou aquelle bri-
fadeiro opportuno farr um rcnuneerntento
na extrema e^tetfla da Imha de Pfkyftjry,
ainda oecupada por foras paraguayas.
' Para isso mandn, que urna forca de
infamara Ame tomar posivao perto da 1o-
saudade, e dteimnou ao coronel argentino
Alvares, commandante do regiment S. Mar-
tin, qui; guai-da atruelle naneo, que piwe-
desse hoje ao referido reconhecimento apoia-
do pela nossa lnfantaria.
O coronel Alvares comprehendeu, ej
f.\ de que foi encarregado, depois de mano-
brar com os tiradores, convenientemente
cwregou sobre o inimigo, tomando-lhe tres
(BfaSee, e mafcmdo-lhe as guarnieses em
numero de 20 a 10 hnmen?.
_ S. Exc. de adeordo com os generaos
alliados. deliberou mandar hoje ao tonente-
oronel paraguayo Lucas Carrillo, comman-
dante da fortificcSo de Aftestura, intima-
Ho para com as fbreas d sen commndo
Levautou o almirante no momento de descor-
tinar a bandeira brasilea em Angostura vivasaa
Imperio do Brasil, ao Iin(>erador, ao governo im|)c-
rial, ao exercito e armada, os quaes foram repeti-
dos guinda pelo meio dia passava no encouracado
Baha, formando a guarnicao do navio, e no mo-
mento em que em tena se "da va urna salva c ti
tiros.
Vi a nbateria superior sete pecas de artiHiaria
A es itm. tWpibns une me Dareccram de 30. ena
interior, igual nun-.ero, inchiindo urna de ISO, me parecen ratdi.
r Exeodem a m-l o nnmero de pri< indo alguns (ridos, rreo que do dia 11 em VHte'.
Gomo em Tibiruary, bavia grandes cestaes
entre peca a peca de aratharia, ftissos vx-tensos e
profund-H, para-o lado do rio. mas nada pela parte
de torra, lliimamcmv, prirm. pTCObMSo toar
urna diifeSa por meio de htogea e profurntos tusaos,
onde se poderio ?brigar e defender-se ataque nosso, apara diante deste, uhia porcw de
grossas estacas Aneadas, s quaes se prenda urna
corrente de navio e (guascas) tiras de couro, for-
mando assim utou forte barreira contra a cavalla-
ria e mesmo iufantaria nossa.
a Foi tudo ((nanto parte observar nos poneos
instantes que mcd'inoreinestc semi-derrocado ba-
luarte do fugitivo ,opez.
Se a guerra rao e^t acabada, pelo menos,
sem medo de errar, pde-se dizer que toca sua
ultima phase. A n ivcgaeao do rio Paraguay esta
para nos completamente franca.
Segnjr urna uviso de navios pequeos para
Assimi;ieo. assim como nina forca do nosso exor-
cto. Marcliou paa o Serr Lco o genral Rivas
com urna forca de dous mil homens das iros ar-
mas, deverido tonii.r igual destino o nossa exereito,
agora, que Angostnra doixou de ser am ponto for-
tificado.
O anno novo prximo parece ser mais bonan-
ceso do (me os de 1864 18fi8.
(( .Veste combat! do Lombas Valentinas perfez-
sifo quarto anno da invaswi paraguaya na provin-
cia do Matto-Gross i; l/>pez tem pago mni caro
Ha ordem para subirem para Viileta os navios
de madoira.
Por decretos de 39 de dezembro ultimo eonve-
deu-se:
Ao bacharel Aitoftio flodrignes Montciro de
Ar.evedo a exonei"aeo, ^ue pedio, do lugar de
jaiz municipal e de orphaos do termo da Estrella,
aa provincia do Rio de Janeiro.
Foi removido o juiz municipal e de orphaos ha-
chare! Francisco Manoel tiago Quintanilha, do
termo de Santa Lizia, na provincia de Miitas-Ge-
raes. para o da Estrella, na do Rio de Janeiro,
por assim e have pedido.
Hilario Hamos de (Miveir.i Awlrade. a pena de
um mez de prisao e multa a que f>*i condMltaadb
peto juiz municipal de termo de S. Joo di Princi-
pe, na mesma provim ia. por crime de injurias ver-
baes.
Miguel Rodrigues da SHveira, a pena de dou-*
meses de prfeao e malta, a qne foi condemnadn,
em grao de appellncn, por sentenea dojniz de di-
reito da comarca de VazareH, na provincia da Ba-
ha, c pela referid i crime.
(i mesmo augusto enhorhouve por bem naqnel
la data:
Mandar (pie subsista o imteferimento da petieo
de graca da re Augetica de Giovani. crnideinnda
por sentenea do juiz do direito da i' vara dacWne
pelo referido crime.
lndeferir as petiees de graea dos segnintes
reos:
Nicolao Rodrigues Ferreira. condemnado pelo
juiz de direiui da 1* vara crime da capital do
veis, p#ecfo iaaeetsivel ao lionem. Para poder
abrir um caiiinlio por a(pielles lugares era netes-
saria derrabar as selvas, solidificar o solo, suprimir
os anus, fabricar pontos e lutarcom as endientes
do rio Paraguay, que dcstruiam em poutas horas a
obra de muitns dias.
A solidez das liantes que se linhanj de cons-
truir sobre os arroios exigra inadeiras solidas e apro-
p^. onde tiuitiis bataJhas se feriram, on le tanto
sangite foi derrmalo.
Duvidar da importancia desse especios i aeon-
teciinento ; duvidar da conchiso da guerra; <
niaisdo que iesc8nhec<;* a lgica ihs factos con-
sumados, daserer d; si iivjmu) e ignorar o que
priadas, que nao se eneolram se nao a diias toptoJ ; tem sido essa luta di qualro annos em qae o Bra-
da linha por onde devia passar o caminlio. A coi- j ,\ duccao destos inadeiras teve que fazer-se ao hom-
bro. porque era impossivel int((rnar cabros e ani-
maes naselua virgen.
A obra comer w abatendo o sapad h* o mato na
mantenido rm, epmnveitando seus despojos para
aterrar os lugares movedicos e deprimidos pela ac
ciio das aguas. A una extensode 3 leguas e me1
estenderain o? demolidores gressostroneos, eneben-
dn o>. tatonitotoa com patha, herma trepadeiras e
trra."Para (wn^weu da* p-jntes eitipregaraiu
os troncos de coqueteos
t An enchentes iteriodicas do Paraguay, que dia-
riamente alagavam a nova estrada, dnilicavain o
tralialho, a qw acciescramainda o calor insuppor-
Para, por compra de fardamento a praeas Jo ewr- t^el que reina as margens dos rios, f irtseetos
Por decreto n. 4,311 de 31 do passado foi con-
cedido privilegio a Folippe Jos Alberto Jnniof
*iafa fabricar o artefacto conhecido pelo nome de
bichas da India, sendo o proeesso de sua invencao
e sem exclasao d; productos semejantes de fa-
liricas nacianaes ou estrangeiras, cujo proeesso
seja differeate.
Por decreto n. 4 31 i da mesma dato foi coace-
da |>rivlegio a Benjamim pton, para fabricare
vender no imperio os lijlos eonhoeidos nos Bsla-
do^-Unidos eam o nome de urna-kan bmtdn*
blok. *
i -^
S. M. o Imperada-, aeoatpanhado de seas sema-
narios, embarcando hontem. As 9 boras da manhaa
na galeota a vapor, dirigio-se a armayo, onde vi'
sitou o laborauwic pyrottfeeaiiic de marinha ej
regressou ao meio dia ao arsenal de inariha, d
oude se relirou paia S. Christovo.
Por deereto de 9 de jaaeirp corrate foi nomea-
d > ciivallero da ordem de S. Bento de Aviz o cap'
to Hennenegildo Gimes de Castro e Mello.
Por decreto de 9 do corrente foi nomeado Fran-
eseo de Oiiveira Mello e Silva para o lugar de
thesourero da alfaudega de Pernambuco, fleanrto
sem effeito o decrotu de 84 de Janeiro de 1867, (pie
nomeou o Dr. Jos Roberto de Mores e Silva para
o dilo lugar.
cito.
Domingos Jos da Costa Campara, idwn pelo
jnry do termo de Santa Maria da Boca doMonte.
na provincia de S. Pedro do Sul, por cAbo de
roiroo.
Mirtoel Antonio de Andrade, dem p* juiz di
direito da f5 vara crimiint da crie, porr^me d
Itijrtas verDaes.
Por decretos de -"i do corrente foi comniuUd::
Cni *W-jfl:t:) para a Santa Casa de Misericordia da
ckfde de rffrntign. na provincia do Paran, a
pena de dous motes de prisao imposta ao bacharel
Manoel Eufrasio Correa, prtojnzde direitodaquet-
la comarca, por crime de desobediencia.
13 -
O vapor inglez La Pina encontrn ?" ao N.
da linha abarca pirtiigueza .Inirt Carolta, em
viagein da lita do Fayal paM este porto.
Abarca estova coni agua aberta, sem leine. e
bavia vinte dias goverhada cora unta i^sparrctla :
fraila 7:1 piesageiros, alm da tripotacao.
O eoinmandante do La Plata, reconliecendo ti
diflli'rildaites com me lutava a barca para pnder
sustentar os passageifi, tomov-os a sea Inrdo e
rrotfxe-os para o nosso porto, onde enegaram hon-
tem.'
14
Entrou norftein de Humait o fransporte Gal-
go. As ultimas folh.u de Montevideo sao de 9, e
as noticias dofnetro da guerra cham a 3 do
corrente.
No dia I Urna divisad do nosso exercito oceupou
Assnmpcao, achahdo-n inteiramerite deserta, como
desertas teem sido encontradas todas as povoaijiJes
paraguayas, ciljo habitantes preeem ler-se reti-
rado para a srra, iior ordem de Lpez. Estav.a
tambem fiaquefla cidate parte da CSqnadra, e pte-
parava-se urna expedico para Mato-Grosso. No
dia 3 todo o exefeto se poz em marcha para a
capital do Paraguay, fiCando ha Affgostrtta urna
guarnicao argentina! segando fts folhas platinas.
Di/.em tatanm estas que a cavallaria que perse-
gua Lpez encontrara a pisieao de Serr LeoB
competa-mente abahdonada, teSdo-se o chefe ini-
migo inteTHndo as serranas com a pmica gente
que o segttia. A persejjuicao continOava pela
mesma cotamna di' cavallaria, mas assgorava-^e
qde depois da fuga das Lombas Valentinas nin-
guem mais vira Limez nem se sabia de pomo algnra
em qne tioavessC Paraguayos t;m armas.
AsseveTa-se ainda que entre os papis e mais
objectos tomados a L^iez 110 sen (trtartel-gcfieral
se achou o seu testaraeirto, t(n qurt nomeava Elisa
Lvnch sua hertMra universal, epTtmeirnteitahien-
teiro o ministro ame"ieano Mac Mrtluln, a quem
B'uma rt, igualinente achada, recommendavn
os lilhos, e crim especiatidade Leopoldo, ctfja tenia
idade o atllgia. Mac Mahon, aCCfescentam aS no-
torias referindo-se a derlaraclcs dos prlsiWnffbs,
tioha-se retirado antes do assalto para a stTra.
levando cumsigo os futios de Lopz.
Assegura-se anda que o coronel Thonlpson, coin-
inahdante da Angostura, fontlrmra a nticia de
ter a canhtmelra Ital.ana Afeita recebifio a seu
bordo naquclle porto 81.000 peso*foites dothesou-
ro de Lpez para unta ftasa de Parir.
Taes sao as noticiastte encohtramosas fdlhae,
e caja exaeiidSo nm tocios os Seus detalkes iflipos-
sivel asegtirflr.
O general 1). EmiRO Mitre J ttona astnfnMo o
caminando flo xerCHo argerttlho, reflrattdtHC o
general Geny y Obispara BticItrW-Ajres, ottlfe foi
rerebiflo com limafivacSo difs ien arabios
Minos;no NaciOMl a segainte resenta das Taca-1 Ao cafllta re
nnas de Lpez.; Xavier Bufreto
u Piiblcatnos^tf sgftlda urna ftlapao dos fti- Grande do Su!.'
As noticias sao, pois, taa importantes, n isso
ver. quanU) neltas se cou' 11 positivamente a cou-
elinao da pnerra.
Por isso, do alto desta Iribuna, de onde tantas
vezes temos patenteado as nossag aspraeoes pel
paz, saudamos o paii pela sua volta as bracos des-
sa denza la o querida, em cujo seio ha de elle sem
rtnvida aufcrr todos os beneficios ipie o devem en-
grandecer e abrilhantar-llie o futuro ; e presta-
mos toWMPi a am bravos (pie tantos eto
immarceciveis louros c<)lheram para a sua patria,
derramando o seu precioso sangne nos campos on-
de defenJeram a honra naeinal.
VIVA O BRASIL !
VIVAM OS EXERCITOS ALIJADOS E SECS
que cahemsobfeos homens em nwven-. compactas,
Ws ixhalacd>s d mato: fte entnrpecem a cerebro e
|irodurem'uma especie de embriague*. ,
1 Aperar do calor' da agua, dos inSerjtes da na-
tureza ingrata^do Cuaco, em suma, a obra foi te- j VALENTES E BRAVOS CREPS I
vada a efeitu pelo general Argollo.
A passagem das (Ureas cementa, sofrendo
-111--, emfnanor atratessavam por tal camiann. to-
dos os rigores do esto, que naquMles (fas pesara
com a sna poderosa mnurneia. O exer~rto e as
muninTes precisas para atijgpntacao das tropas
passaram por aquella estradaTpift cediam debaixo
dos ps dos homens e das patas dos mallos que
arrastavam a artilharia de campanha.
Visitamos aqnettes rogares alguns das depois
de ter por alti paSado o tercto brasil Hto, e en-
contramos proras parra altostar as grandes diftl
riililartes de semelnante operitcao. se desvravam Ja linha tragada pelos ettgenheifos,
afogavam-se m Indo c MOrftaSt desesperados, er-
guendo a penas a caftera para atroarj o ar eom
seus mngidos. 0 nwtojtoi mluva coberto de osea-
das e cadveres de animaes, que inliijonavam o
ambiente, j ftW.raipldo pela putrefticcSo dos ve-
getaes arrancados pela-; encharites do fio e peta
enchada do trtiatfiador.
A todas estas contrariedades cumpre ajnntar
as que causavam as chavas n'um sitio onde era
impossivel armar barracas para resguardar-se do
sol, da agua e do abundante sereno qu cahe du-
rante a ffolti
t r> fHnquearneirtfl do etercito de Lorie* foi urna
grande comrepcao militar do marqnez de Caxias.
Os lucios que tlnham de ser empregados para le-
var a effeito tal operacSo devam corresponder
magnftnde do pensamento. O caminho aberto por
Argollo o complemento da idea de Cajttos.
Qnem qulrcr cstudar a guerra dit Paraguay
or. seus grandes detalWs nao devo dr>ixar de osa-
minar esta onra, digna de admiraeSd, qualquer
que seja o lado por que a consideran.
Depois que passVni pelo Cho o eKsmto bra-
sileiro deixando estendidos peta margem esqnerda
do Paragnay os los de um telegrapho,i o silencio
substitnio o" canto do soldado, o ruidd dos fren'
de artilharia, o riacho dos cavallos e 'o mugtth
dos bois.
- ^ o echo do canho que abala osj muros d
Adgttstura sa de tetnos a tempos rto'mais pro
fundo das matas, de onde fogem abastadas niflha
res de aves, qae se aninhavatn nos bfllhos da>
palffleffas c de mitras arvnres seeulafes
O ministro argentino dos negocios eslrltngetrM
D. MaTlatmo Vareta, ttrtta regressado do Para
gtiay a BttehOS-Ayres. Logo depois epalhott-w
}tte elf fenunciava .1 pasta, mas intimamente af
rmava-se qu retirara a rntatela.
De Montevideo Bao ha nada de importancia.
-^lo
S. M. o Imperador, acompanhado dos-as se-
hiartarios, vlsltmt hontera o hospital militar provi-
sorio do Aadarahy, as Olnctaas de ntachinas do
arsenal de marlnha'e o arsenal de guerra.
Por decreto de 19 de agosto do annA prximo
passado, n cnrtformiuanV da dsposiriVS do 81."
do art. 9. datet fW foi reformado o tnatlH-cnronel do l. batalhiio
d infamarla Jos ArtWjftltt da Silva Lapes, visto
adiar-se rrtntnitadn para o scrvlco do exereltn. em
coTtsiinncla de ferrtnenw recebirtn em combate.
Km 14 de jartetro de t89 corfeederam-se s e-
guMtes lrfncas
ti-formato do trcho : PfMiefeco
para residir na provincia do Rio
tos platicados por Lol6z, .
caria de pessoa fidedigna, tetematlha ocular
1 qual extrahfitros (k Ao alers rerorntftdo do terelto, Francisco an-
de?
seus he-
" gusto Ferreira da Stva, oto mezes de lcenca pa-
les atrocs suWessos." Afiumanldade dar o notoe: ra iFi rep^iblica d r^faVuay tratar"" de
que para si eonqiiistou esse despota vulgar gocios.
paragraphos da carta a que nos rfe-
I'or decretos de t do eorreale mez foram trans-
feridos para a 2" casse do cm-po do armada, na
conformidade do an. 7 da lei n. i-,40i, de 13 de
maio de 186i, oeapitao-tenenle Manoel Joaquiude
Castro o Costa e o I" tenente HenrKine Francisco
Caldas.
Por decretos de 9 do corrente:
Foi nomeado para o oommando das armas da
provincia do Amazonas o tenente-eoronel n-adusi-
dc do corpo de ostado-maior de artilharia Joao
Evangelista Nery da Fonseca.
4
Por decretos de 2 do corrente :
Foram Horneados para a guarda nacional das
sfguintes provincias:
Par.= eapitio .os Castao Pnheiro coronel
teoder-se no prazo de 12 boras, vista swr>tioSnm\cpm de Braganca
Eis os
mos :
Viileta, 28 de derettlbro de 1868. -Benigno
Lpez fot fuzlado ; qaando o levatam ao pattfldlo
dn-lgio-se Quiatanilta e dise-lhe: a Amigo, V.
h5o tem clupo ; att tJ otnfe.
O hispo, Barrios, tetmo Lpez, Alien, Caien-
ra, a mnllier lo coronel Martnez conimandante de
Huinayl (Sra, Sfrau), tambem fulados Merce-
des, irma de Eguzquiza e out~a morreram de mi-
seria. Dolores hecalds, jm eunhado de Seguri ti-
veram a mesma corte ; um to da mulher do mes-
mo, fuzado. rda|)illet is os os Borges, Carre-
ras, Rndriiiwz, Lotero, Virasoro, o consa porlu-
guez, a irmi de Maten, o vellio lOrdui, umir-
inao de Uribe e qaatro primos, Ptaggio, dous Su-
sin Fidanza (fuzilado loucol, os Capdeville, Gutier-
res, Lorostiaga (moiio de aoenea) e fuzlados ttdos
os empregados da alfaudega, e Bidailrrc e os sa-
cerdotes Soza e Ortega, etc. etc.
. De todas os presos politcos f escaparam
guintanilla e Maciel, nio sendo isto devido de-
mencia do despota paraguayo, mas urna oasuaK-
dade. O eliefe encarregado da ua guarda tinha
ordem de fuzila-los, e no momento de executa-la
NOTICIAS DO SUL DO IMPERIO.
As datas de que foi portador o vapor Ttirantins,
chegado hontem ao mein dia, alranram do Rio de
Janeiro a 115, da Babia a 20 e de Alagos a 2! do
nirrente. Alm das noticias que danutsVib as ru-
bricas Parte Oficial. E.rterior e Mtrior, s en-
contramos nos joroacs as que soguera
mas-4Jamn&
Lemos no Moro/, do juiz de Fura, de 13 do cor-
rente .
Junto sos pastos da fazenda de Monte-Alegre,
um qtiarto de legua alm de Mathias Itartmsa, es-
trada velha, foi encontrado no dia 7 do crreme o
esqueleto osseo de um ente humano, que os peri-
tos chamados pela polica jnlgaram ser de nm hu-
men) de 2.'i anuos de idade, mais ou menos, e da
raea caucasiana ; e procedt-ndo a e.xame na ossada
vefilicanuii tor sido a inorle produzida por arma
de fogo arrogada com clnunbo grosso e bala,
|tos encontraram-se no crneo e as costdlas al-
guns bagos de chumbo ou signaos de sua passa-
gem.
Os objectos encontrados junto ao esqueleto
cram urna caixa de folha com hundas de masca-
tcaro, um fardo tambem de fazendas, tudo intac-
to, 'apezar de estar a caixa arrombada, e um cha-
piso bastante velho : na caixa notavam-se vinte e
uoiis orificios produzidos por cliumlio grosso e mu
maior produzido por bala, notando-se no etatpo
dous orilieios produzidos por chumbo.
Das indagar "es a que se proceden resnltou
conliecer-sc ser a victima um italiano, mscate, de
nome Juo Caretlo. Qaantn ao criminoso nada se
pode colhei-, visto que Carello era homem de bons
coslumes e nao se he cunheciam inimigos. Com-
ludo a polica prosegue as averiguacoes.
A mesma folha referndo-sc s de Ouro-Pre-
to transci-cve 0 seguinte :
No tsrmo da Piranga fra mortalmente fertdo
de urna bala Jos Pinto de Souza ; o criminoso
evadira-sc.
Fura ferido de urna bala um preto qne capi-
laneava um quilombo as vsiuhaneas da Pormi-
ga; o feriraeuto fra praticado no acto de ser elle
preso.
Xo 6rao-*iogol apparecra no rio ficquitinlio-
nha o cadver do portugnez Augusto Candido da
Cunha, apresentando sete lesoes sobre o crneo e
o pescoco estrangulado.
. .No'Curral de El-Rei, um gnarda nacional
designado matara com um tiro ao commandante
la escolta que o ia prender; este fado dora-seno
dea 2i) do passado.
s. PAULO.
A sessao da assetuMea legislativa provin-
cial tora adiada para o dia I de maw prximo fu-
turo.
Da Llmeira escrevem o Confio Panlttano
noticiando que a ti do mez prximo passado Joa-
qnim Ameno e Lima, morador no Pintial de Ci-
ma, dra sete fieadas em Manoel Lnl* Barbosa. A
antoridade respectiva liavia procedido a anto de
corpo de deHeto, e o detlnquertte foi-a rec-lhido a
cadeia.
L-se no Pindamonhangahertse de 27 do pas-
sado :
Por occasto da medonha trovoada qne solire
*W-de Janeiro de 1841 e n. 32 de 5 de marco
ue 1847, circularos de 21 de junho e de 12 de de-
zembro de 1864, e finalmente a de 16 de novem-
oro de 1866, a vista das quaes fieam solvdas as
duvidas, constante, aosmoala a. 1IK) de 9 de
oulubro ultimo, mt quasta dUposicdes forem
fonfenintehiente entendidas e applicadas. Vis-
conde de Uaborahy.
Hio dotoay, 13 itolmietro de 1869.O vis-
otoMB de ItasVsaiy, prasiUoBte do tribunal do the-
joaro nacioista, declara aos Srs. inspectores das
fteaourarias de tazooda, para a devida intelligcn-
da e execuflto, ue nio podan ser interrompidos
ou alterados os pnuos manados |tara o troco das
notas do tliesoara era rculai;ie, ainda no raso de
nao psssuirem as thesourarias no mez em que ter-
minar o troco seai descanto oa fundos preciso3 pa-
ra elle, poi^Df nesta h\ pnttmse sero recebidas
al o ultimo fia do nsuiia satz as notas que se
aprcsentareiu substituidlo, dando-se aos porta-
dores recibos nominativos das im|iortanrias que
entregaran para seren resgatados com o produc-
to da renda do mez seguinte, ou com os suppri-
mentos do thesouro, que sero requisitados com a
necessaria antecedencia, alim ile que nao se dilh-
caltc o regular andamento da operaco, nem se
sugeitein as parles a deseontos iudevuos.
De igual molo se pratrar sesucceder que
no mez wu i|oc cnnieear a di-lcc-i de 10 por
cento e nos seguintes ainda l'allein fundos para o
troco, declarando-se ento nos recibos qnal a por
ceiilagem do descont e qual o liquido a iudemni-
sar Visiviulr de Itaboraliii.
O cambio regulava : sobre Loiidre* 19'j a
19', dt e sntHX' Pars 490 aHW* ra.
Os soberanos (i vcadiasu-se de Czt7O0a-..
I2MB8 rs. cada um.
As apolices genes de li por cento de 82 a 82
,' por cento, a do empstraio de 18*8 a Si i e
534 rs. de premio.
A altandetsa da ctirte rendeu de 1 a 18 du
corrate 1.0.1,1.27 7 830 rs.
Sabio para lVmambuco, a 13, a barca prus-
siana IWfco.
Estavain a carga |tra Pernainbuco as bar-
cas Carpa e Hnrown.
n.uiu.
Por acto de 18 do correle, foram annulladas,
pela pBBsptoWflta da provincia, as staifOCl para
vereadores ejui/.es de paz, a que se prncedou na"
paroelilas de Sanf Alina da Srrmlia (^ do Sablissi-
ino Coraiao de Jestis do Pedro.
Suicidara-se a 12, o sitaras Antonio de Mal-
tos Telles de Meiiozes. ajudanle de ordens do eom-
mando das armas, enforcando-se em mna coi da
que ainorrou em urna cliavo du-quacto do ipiarlel
general, em que aistuinaiii os olliciaes mndai os
iiiiilonnes.
Para substituir a esse (inicial, no posto de
ajudante de ontens. fui nomeado o tenente refor-
mada do exereito Pedro Pierri de Carvalho.
Falloceu o Kvm. fr.i Manoel de Santa llosa,
religioso franciscano, com 60 annos de idade, n
de habito e 34 de sacerdocio.
A coiiipaiihia de vehculos inaugiirnu, no
dia 16, a sua liuha de mnibus sota*) trillios d>:
Ierro, puchados por animaes.
ItoflMM no Itiaitr.
(( Foram Itomsados os pratatoSMS abaixo de-
clarad t o liseal por parle do yoveriio para -ei -
virem nos exames preparatorios que se i.:n de
prestar na Faeuldade de MediWna :
Lalim.O reverendo cone'io Main-'l dos San-
Uis Paeira .....'everendo padre Tniiliio Tertulia-
no Fiuza.
Kraucz.O iiigenheiro Jas Marcelino Mu-
ren-* Saiupaio e o professor Btestaas Barbosa de
Aranjo.
n Ingle*.Dr. Antonio Fi'aueo da Costa Mei-
rolss e bachard Kirmino Ptoliflim Duartn fffiint
leira.
Pbilosopliia.Dr. Memedi, Csriacn fouianho
8 consellieiro Manoel Ladislao Aianlia Dantas.
Geographia e hisioria. Br. Paisa Antonio
d'Oliveira Bolelb" e Dr. Ludgero dos lniaihtos
Pacheeo.
Arithinelica. eeonietria o algebra Fran-
cisco Barbosa de Aranjo e Antonio Joaqim Ua-
mazin.
Fiscal por parte do governo. Dr. Antonio
Mariano do Bomlim.
O cambio regulava. solire Londres 19 :i -
d., sobre Pars ."510 rs., sobre Hanibiirgo H70 rs.
e sobre Lisboa 210 por ceni.
Saliiram para Pcmautbuco: a 1-1 barca in-
glexa Courer, ; a 14. logre inglez Fo.caouiul,
biigue nanieguense Gaspar Wtd, e hiate brasi-
leiro Sonta i'.ruz.
AL.MAS.
Foram mtluisiasticaiiionte testejadaam Macai,
as ultimas noticias do tlimlro ita gnerra. Hou-
veram passoiatas com mwiea, illmaioacoes, pee-
sias e discursos.
Nada occorreu, que mereca mencao.
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
0 Monitor Campista de 9 extrae do DiSepen-
deute a seguinte noticia :
la tarde de 4 do corrente enforcou-se Ldlza
Mara da Silva Barcelloa, moradora ru3 do Fra-
do. Sr. subdelegado de polica, tendo sito iri-
sado deste suicidio dlrigio-sc casa da infeliz, pe-
las 3 horas da tarde, e ais-la a achou com o bafa-

ra os seus dias. R^ta desgracada era dada ao vi-
cio da embriagaez, e vivia em onHnuada melan-
cola, Qvoi pelo seu estado de indigencia Pro-
cedeu-se .ao competente corpo de delicio e s in-
vestigaedos necesarias. >
16
S. M. o Imperador, acompanhado de seus sema-
narios, chegou ao arsenal de marinha hontem hs
9 horas da manhaa, e embarcando na galeota a
vapor dirifio-sa pasa a Armaeao e depois para a
ilha do Bom-Jesus, de, onde regressou para o re-
ferido arsenal s II 1(2 horas da manhaa. Na
volte para S. Christovo, Sua Magestade visitou o
((arteJ de infamara ao campo da Acdan aeo.
Foi escolhido senador pela provincia de Amazo-
esta cidade cahio na tarde de 22 do eormite dous
raios fenderam, um, urna das torres da igrwja ma-
triz, cansando bastantes estragos na inesina, o o
nutro urna casa particular, sera me ffeesse sentir
funestas Cimseqaencias. Qner um quer ontro nao
caosaram damno em vida algnma.
"ato ac rtNrao.
Por tteemo n. 4W3 de 31 do passado foi abertn.
ao mtaisterlti na taretida, um crdito de.........
6 279:987/274 rs. e aaiorisado o transporte de...
lt:3SSfl4 rs. denmas para ontras verbas do
mesmo ministerio, no ejercicio de 1867 a 1868.
Pelo ministerio da fazenda foram expedidlas
as dlias segnintes circulares :
. fiio de Janeiro, 29 de dezpmbro de 1H68O
vlscoad de Itaboratry, etc.: Declara ao Sr. ins-
pector da theourari de fazenda da provine* de
Goyaz que nio ha drspesico }!guma legislativa,
oa rdelo ftrnressa do goteroo qne prohiba os
empregados ne Tazenda aceitar e exerm- cargos dt(
eleico, como os de vereadores e juiz de pM ; 6
todava Conveniente que os meemos eraitregad
escusem de Bemefliantes cargos, qaundo Helios,
porque nao paderao eXetcer bem com, etlesas
funrcSes dos respectivos empregos. tirapTe, pta^-j
tanto, que o Sr. inspector Observe a este respelto
o qe determinaran!, entre outras, as segnintes
disposicoes: ordens de t3 e 24 de dezenuiro de
,833 e 1 de fevcreh de 1$3S; Avisos n. 284
FESTEJOSAinda hontem a cidade do Becife c
seus arrabaldes vestirain-se de gallas para hataja-
rem ;rs importantes noticias de qne foi portaDr o
vapor 'firmtmx. A|stpntoco dcinonstri4i osen
regosijo rom as habiliiars provas de muor e pa-
triotismo, dando vivas, soltando sigo do ar. atiran-
do (lores, versejando e tscursamlo a proposito, ti-
iainiente empregando linio que o enthuriasin su-
gi"e nessas occasioes. niMitehonveiHurmnacao
nos edilicios MMtan eem feMM particulares, e
sabirain varios bandos ata passeiata com ninsica.
ARTISTAS DRAMTICOS.Yeio honlrniNhi st
do imperio, a bordo do Twnn'iiif, o Sr. Junqiiiin
Augusto Hilieiro de Souza, distincto e primdro ar-
tista dramtico brasfldro, trazendo em sua compa-
nhia grande parte do helenco da empreza drama-
lica do Sr. Uarte Conibra, para a estadio que vai
em breve abrir-se.
Sao os companheiros do Sr. Joaquim Angosto,
os Srs. : Martinho Correa Vasqnes. Eduardo Alva-
res da Silva, Alexandre Primo da Costa. Jos Vic-
torino da Silva Azevedo, e as Sras. Julia Carlota de
V/.evedo e Maria Velluli.
Conliecendo o Sr. Martinho, |>tr termo-lo vislo
trabalhar na corte, folgamos d(^ que a empreza do
Sania babel o conlc em seu gremio. O Si. Marti-
nho artista de talento.
Dos outros ; a rxrepcao do Sr. Joaquim Augusto
e sua senhora, que o nosso publico ja conaece,
iremos dizendo alguma cousa, a medida qne Isrdds
observando o seu trabalho.
No entanto, tendo-se mcumbido, como de tacto o
fez, o Sr. Joaquim Augusto da organisacao da eon-
panhia ; eremos qnp escolheria conipanbciros dig-
nos de s; c portante snpponms que o publico ti-
rar salisl'eilo com a nova companhia.
Sejaiii liem vindos os artistas que vem dar vida
ao nosso Santa Isabel.
FERIMENTO.Hontem pelas 4 horas da tar-
de, ferio com urna lacada Joao da Costa Andiade,
caixeirode urna tabernano pateo do Cara a
Fi-ancisco Cerrea Soares, varaado-lhe o braco di-
reito. O respectivo subdelegado ucucedeu a rom-
lieteule vistoria, niiuidando iei DINHEIHO.O vapor Tocmfins trouxe as se-
guinles quantias :
Para Pernamburo. .......110:963*270
f o Bio Grande do Norte 200*000
o Ceara.......... 9:900AOO
<( o Marauhao........ i->: 130*000
o Para.......... 98:085*420
DIREITO CANNICO.Solire esta materia da-
mos hoje, em nossa otava pagina, um bem elabo-
rado parecer do nosso amigo o Sr, Dr. Antonio de
Menezes Vasconcellos de Drummoud, oni resposta
consiilu que Ihe fui enderecada. Chamamos para
esse imprtame trabalho a attencao dos leitores,
priueipal.......: daqudles que se dedicara ao estud.
do direito ; poruuanto secundo nus iuorinaiii, ba
dous casos na diocese do Pernambuco.
AREMIO PERNAMBUCANO A sessao doro.i-
eolho director, que eslava aaaunciada para Iff-a.
m. foi transferida para segunda-feira 25 do aor-
rente.
HOSPITAL PEDRO HXa ausencia do mordo-
iiio do mez m'ste liospital, o Sr. Vicente de Paula
OIKeii a Villas-Boas, acha-sc'iitcumbido de coace-
der gatas,,para o recolhhucnto inielle estabeteci-
niento, omordomo Sr. Dr. Antonio Marta de Fa-
ria News; o qual pide ser procurado na thesou-
raria previnrial das ftda manhaa as 3 da tarde.
TOCAVttXS.-*ee vapor ara a aoaia, para os
partos do n,tii do iPipe-io, boje as 3 hars da tar-
de a aanMaiPtipad" eeriia
MRATA.-Noesind trbala** do tastu-
to Ari'lieologico, no lugar das oftertas, lea-tB'em
lagar deun sdala de -visite 'laestoiaourna
wdto ae-vmss fouiuiitow. etc. V
LOfERIA.A Me se acha venda M3-, a
beneficio da igfeja de Nossa Seahora do'fferQo
desta cidade, que eorTe leftji-fcitfB, 2 do\por-
rente.
i



'


""WBHHVH

MBB
-s-

ir
Diario fe FmamJ>u(X> Sabkfofo 23 4e iawwo de 1860.
3
-..: ~T~
PASSAGEIROS.Do vapor nacional Timintins.
vinilo dos portos #o *U :
Joaquim Augusto Ribewi de Soza siia**ho- ir
ni, lose Victorino.da Silva Amroac suaaaifcirH.
Eduardo Al\es da Silva o sua fklnm. Hartami'
Corroa Vasqucs, Alexidap jPrmp da Costa, Ma-
noel Cacta.no Ferrelr% Manad aemno fi>rhirn,
Arihur Jci'uiuuio de uiuii Awedv, itenerte Xa-
vier BibeiroPinlioiro. escrivao AQoiso do RegoVi-
lela, Dr. Fejippo de Souia LeSo. e 1 esrravo, Jos
Caetano Frer* e 4 csemvo, Joaquim Cardto de
Aliuoida. Antonio (encalves do Aguiar, 42 ex-pra-
'iisoi uuilhor,chefrdediviaoVHe; o secretario
otra bh Mi-Do sqa seauora D. Elida JiUia'Lu-
peg c 4 criada, Dr. Pedro Francolino Guimaraes e
sua*enli<>ra, t imiaa, 4 flUia menor e7 eseravos,
Mathias Autunio de .Araujo, l Moracho Ferreira fran-
ca Fillio, Yenaneia Amelia da Silva, escravu a
entregar ao conimaudaate das armas, Manoel Joa-
quim TWxeira, Eugenio Jos Nevos de Andrade,
Domingos Ramos de Araujo Pereira, sua senhora
e i filaos wenuiro, ushv da Suva Torres, Tibur-
0 Alws de < '.ar-nUbe. Joaquiu Jom* de Fariae, Au-
touc Fj'aneiseo Maia, Luiz Pereira da Cimba, Joa-
qiriin Jos de Araujo Yasconeellos. Martius da Mot-
ta Mones, Adetino Clandino Doarte, (Mario de li-
veirn Mai.i. Joaquim fia Pousera e Silva. 1*. Ale-
xaadriiu IVreira de Magatbaes, AiiIhuhi Themaz
Pereira, Antonio Fernandos Porto, Braz Candido de
Oliveira, Antonio da Silva Reg. Mareellino Gomes
Coutinho. Joaquim de Azevedo Maia Sohrinho. l)r.
Jor#e Bnwllas thliewo. Antonio Jos Martas.
Boato JxMt^uun d Medetfos, Viivueia Mara do Ro-
sa rio, Manuel Joaijuiiiu de Andj:ade, Frauri seo ,Xa-
vier da Silva Marques, Antonio JuciindJuo de Ve-
reir, fcse Cavalrant de f>iw, e Tliomaz Wil-
kiusoa.
tfegwm para o norte :
Jos Padwi-o de Arago, Mara Jos de Jess, 4
ex-pncas e 4 mullier, Joan Evangelista de Meitc-
zo;. Joo Vicente. l)r. Jeronyffli Cabra! Ranero da
cunara e 1 criado, ox-praeas, Pedro Vclho de
Alhuqiicrquc Maranhao. Manoel do Naseiincnto
Braga e sit.i soniuira, o ex-pracas, Alferes Amo-
nio Jos Xavier Jnior, alferes Sabino Hcnriqncs
da Luz, Januario da Rocha Raposo. Osario Ncpo-
muonno, i ex-pracas, Antonio Mafia Gonrslvrs.
Manoel Jos Pereira'. 4 sentenciad" i e 2 pravas que
o escolta m e Jos da Motta.
Do vapor Mammujimpe. vindo dos portos do
snl;
Antonio Al ves de Cramo Veras, sua senhora.
Boa Migra. urna senhora e escravos. Joaquim
Francisco Winiz, sua umita. 2 Un 3 escravos.
CEMITERIO Pl'BLICObtuario do dia 18 do
crrante :
Luiza, l'crnanibuco, 9 mezes, Boa-Vista ; con-
vulso! '.-.
Joao Baptista de S, Pemaiitbuee. 72 anuos, ca-
sado, Afogado ; b\ pertff>t*ia no enraeo.
Manoel (iregorio do Nascfmento, Pernamhtico, 50
annos, solteini. Boa-Vista ; bydropesia.
Joaquim Jos de Sant'Anna, Pernainbnnn, 6()an-
D09, tolieiro, Santo Antonio ; molestia interior.
Joanna Paula, l'ernanibueo, ;i auno*, solteira,
Boa-Vista : erysipella.
Arcenio Claudio, Pcrnanibuco, 39 annos, sociro,
S. Jos ; paralisia.
49
Joseiiha Joaqnina de Brito, Pernambuco. 60 an-
nos, viuva. Boa-Vista; cerebrite.
Jorge, Africt.42 anuos,Reeife ; erysibila.
Alfredo, l'eiiiainbuco, 1 mez, Reeife ; convul-
s5os.
20
Manoel, frica. 70 anuos, Boa-Vista ; gastrite
clironico.
Mara. Pernambuco, 12 dias, Puco da Panella
espasmo.
Anlonii Maria do Sacramento, Pernambuco 35
annos, Boa-Vista : queiniaduras.
Manoel. Pernambuco, 19 dias, Boa-Visla ; gastro
enleriie.
SHWna. Pernambuco. 14 niezcs, Boa-Vista ;
convulsoe-.
l,conilln, Pernambuco, 18 annos, solteira, Santo
Antonio ; tuderruios puimonares.
Joaquina Thereza de Jess. Pernambuco. 106 an-
ii viuva. Santo Antonio ; velbice.
Joao I.oiirenco de Sant'Anna. Pernambueo, 26
annos, solieira, boa-Vista ; liranchite.
24
Jeronymo, Pernambuco, 40 annos, Ba-Vista ;
anasarca.
Maria, Peinambuco. 3 mezes, Santo Antonio ;
tumor.
' Rosa Alejandrina da Couceicao, Pernambuco,
38 annos, solteira, S. Jos ; tubrculos pulmo-
nares.
Elizbetb Locme. Franca, 43 annos, solteiro, Boa-
Vista ; tiilierculos imlinonares.
Joao Bernardo de Carvalbo Pinto, Portugal, 00
annos, soltriiv,, Boa-Vista ; hepatisacao nos pul-
ise Antonio do Parnizo. Pernambuco, 66 annos,
viuvo, B6a-Via ; pieuuntonotc aguda.
reniessa nesta provincia, apenas o diminuto nn-
MMte 309 |rina*4ras*|d-a oservico da guar-
Eis alii o quilate "*S livianas accusacocs lan-
i e^stpelo(purisdioidi4vi/a<) govern geral e
i ir. conde de Baf |>endy!
Nave^aA>ci.Di^ictoaj|to9iocopposira,
i pode remos bein apropriadamente aizer:o par-
Hilo liberal avanca, o diaba porm quem sabe
> pira onaV.

Jiudim de pnlieie.t Bxn. Sr. presidente da
provincia doiiiin;' do pelo espirito de uiaior eeono-
mia, acaba dejirestar mais um sernco aos cofres
proviriaes, diminnindo a crescida ocsiieza que
se fazia Mil o jar din i de palacio.
Durante o animo prajp'tisfiatti e na adeninis-
tracao do Sr. barao de Villa-Bella orea va senipre
estadespeza na quantia de 12:787\35rispor
anno, sendo que ainda ltimamente no mez de
jullio paffou-ee a levada verba de 1:60000000
rtsl
o Qe doperdieitt!...
o Agora, porm, gracas as nvedidas econmicas
(ornadas ielo Ex i. Sr. cimde de BaepefMly, regola
sentamos ano nmva sulliciente que do 4* de de-
t zembro at 46 de Janeiro |>aguu-se apegas a qnau-
tia de 474^478 ris.
E" cora actos dista qualidade, mostrando ser o
mais zeJosepessfcel peios cofres pndicos. que um
admmstrador cenqnista tegitimaiiHflUe os fros
de econmico, tor ndo-sc assku digne dos niaio-
res elogios.
PUBLICACOES A PEDIDO.
Estatifica curiosa
Quem siuiltaria d.i importancia de tuna empreza
elabelecida eom o fin uaico de fabricar um pur-
-'.'iite par* o uso geral do povo, c rom que voz
de magoa fallam o. egnlntes algarismos do sorni-
in 'uto i- da dor que combatida diariamente por
urna cousa tao iuMgnitkaute como seja una pi-
lula ? !
O Dr. Ayer, de Lowell, nos Estados-Unidos, fa-
brica no seu laboratorio oitenta grozas por dia dss
suas punas cuthart au (tarante todo o anno, sto
, dezaseis vidrinucs por minuto, ou duas dses
por segundo; portanto. mais do 86,000 possoas
toinam estas pi I tila i todos os dias, ou 2,580,000
por mee. Facto este que faz admirar86.000
dimites que buscam nllirio toilos os ias na pericia
medica le um homem!!
Um homem em enjos hombros pesa una res-
pnnsabHidade tai de.e ser sempre, como neste ca-
so de urna intendencia da primeira- ordem o de
ui i carcter elevadiisimo.
dem do dia 22
J 1)
Rend
dem
0.tfi!Dfr41tiMftftL rm
inenjododialal ... 103:4
I MilW JII
Pam Lisboa
^ vlfr%#epW\trie);Y^(i/,. capitao Viejo, vai
sain##ninjiiUt nren'dar", por ter aiun*nr parte
d M afff prona? pan a q*- aind. Ibe bita
fratase Co%t Mtmrt Filhns it C.
>*;Hito n. 49, *b enm referido ca-
;a do Ccrnnerci. _____
j?oro
C0WMERC10.
POLfflCA INTERNA
l'artido conservador.
o LlUMiAL K A
ESTA
PRACA DO REC4FE 22 DE JANEIRO
DE 1869.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDE.
Couros salgados seceos do norte255 rs. por libra.
Frete d algodo de Pernambuco para Liverpool
pelo vapor5/8 d e 5 0/0 por libra.
Dito dito do Cear para Liverpooli/2 d. e 5 0/0
por libra.
Dito dito da Parabvl a para Liverpool1/2 d. c 5
0/0 por libra.
F. J. Silveira
Presidente.
Leal Se ve
Secretario.
BANCO MAUA& C.
Km do Trapiche n. 34.
Descanta lettraconmerciaesa taxa con-
vttKicnal. Recebe dinheiro, apremio con-
vturionai, por letlras e em conta torrente.
Confere crdito i, saca sobre as primeiras
piafas do imperio, Rio da Prata e Euro-
pa, c compra cambiaes solire as mesmas
pairas.
ncarrega-se, por commisso, da com-
pra e venda de luidos pblicos e aeces de
companbias, da 03branca de lettras e di-
videndos ou de seu pagamento, e de qual
quer outra operacao bancaria.
0 expediente para o publico comecar
s 10 horas da nuabSa, e terminar s 4
lloras da tarde de iuuus jo uiao u. u.
MOVIMIENTO DO PORTO:
Navios entrados tn dia 22.
Portos do Sul5 dias e 13 horas vapor
nacional Tocantim,. 7B0 toneladas.
commandante Jos Maria Ferretea Fran-
co, equipagem 52, cappa dttfapentes pff*
eros; a Antonio Um de O. Atcev
AC.
Baha84 horas vapor hrasileiro Potmgi,
de 288 toneladas commalidante Jos Jo*
quim Pereira, equipagem 3erteslro:
Companhia Pemanibucana.
Tamandar, Rio Formoso e Poltif s ^f-
nhas7 horas vapor nacional' Matnan-
guape de 334 t> meladas rxflMnandante
Moflo, equipngem 17 eiu lastro; a Cotn^
panhia lVniambucaoa.
Baliia8 dias barca ingteza Gonrrkr, de
2GI toneladas, t.qjdii Richard BaW,
equipagem 10, em lastro; a Witeon 4
Hette.
Babia7 dia6 lugar inglez Fmv Tottnd, de
314) toneladas ixipitao G. Wiiglil,
eqw'page 9, em !astr de asswar; a?
D. C. & C. D. SnpeoH di C.
Rosario de Santa F33 das patacho por-
tugue/ Maria Barbara de 183 toneladas,
capitSo Gervasio Luctana Telies, eqi|)a-
gem 0 carga 4,300 quintaos ltes|>aaliue6
de canil'; a Johnslon'P'ter & (i.
Sucios sbulos no mesmo dia.
Ri da PrataPolaca hespatihola Metcelia
capitao F. Fabregas carga assucar.
CanalLugar inglez Caz'tquc, capitao De-
cente, carga assucar.
Rio da PrataEscuna dinamarqueza Cezar
capitao C. A. Sorensen, carga assucar.
ara o
SeA* 'edm amaior brevidade possivel a barca
Airao de atMinerra marcha, por ter a maior parte
de saa MTif a er^rajada; para o poueo qop Ihe fidta
e passageiros, aos uuaes olTere excellentes rommo-
flOs, trata-se comBaltar, Oliveira i C, ra do Viga-
ro n. 10.
DECLARACOES.
icc-cosiii ido do Per.
O abaixo assignado vire-eonMil da repblica do
Per, tendo de reinetter a jta do lNHieeneia ie
Cuna, o producto da subserip<;o aborta a benefi-
cencia dos prejudieados coni os ltimos terremotos
que destfnnram diversa' cidades e poroacies da-
quelle naiz, deixando milliares de pessoas utr'ora
abastadas, reduzidas ao maior gno de mendieida-
de ; avisa a todos os habitantes desta cidade que
queiram concorrer para um iin too earidoso, que
no vice-consulado cstii aborta a respectiva subs-
cripcao. Jos Jncome Tasso,
Vice-ooHul.
COMPANHIA PERNAMBCANA
DE
KvK.i^go rH( ii t por vapor.
Goiantia.
O v.tpor Mnmanguape, coniman-
dfcnte Mello, seguir para o porto aci-
. na no da 20 do corrento a meia
noite. Recebe carga, passageiros, eneommen-
das e dfnbeiro a frete no escrptoro do Forte do
Itadtoe R.
Para o Porto
See Um a maior br^vrdade possivel a barca
jortuguoia Amelia, de primeira marcha, por ter
a maior parte da carga engaj*la : para o potoco
(Jire Ihe falta e passageiros, aos qn'aeS rtlterece
eKeeHelKes commodns, trata-s eom Bailar OH
wJWifc C., rna do Vipario n. 10.
ESTRADA DE FERIO
Reeife ao S. Francisco.
AVISO
FESYA pO CABO
Domingo 24 df jarleiro.ile 1869.
Alm deis trens ordinarios de passageiros
haver os secantes especies:
IDA MaNHA TARDE.
. h. m.
meo Pontas 'pwrtMsrt VO
Affogadds 10
Boa Viagem O
Prazeres 10
liba 10
Cabo cbegda) I i
VOLYA
31
56
15
h.
1
1
1
4
1
2
m.
>
22
31
56
15
Para Lisboa
S*gc wn poueoi dias o brigue portugUez Coni-
Kt*te /, j>or ter grande parte do seu earreganiento
prompto ; para o restaale e passageiros, trata-se
rom Oliveira, Filhos & C., largo do Coriw-Santo n.
49, ou rom o raphao na praca do CornniefHo.
COMPANHIA PEKNAMBUCANA
^avesafSo coslelra por vapor.
Pafalwhfl, Natal, faaeao, Mosst^rO,
racaty, Conf e Acaraci.
O vapor Ipofttea, eonmilandante
Martin-, seguir para ob portas cima
no dia 30 do corrate ai "i lloras da
tarde. Recebe carga au o dia 29 as 3 horas da
tarde, enromifirnaa*, passageiros e dinheiro a
ftvte at w Shftra da larde do dia da subida no
eseriptorio do Forte do Maltes n. W.
Pawi
0 btiguc escuna nacional Amelia II, egue no
fun do correte mez de Janeiro, ainda recebe al-
guina carga miuda : trata-se coni o consignatario
Joao Francisco da Silva Novaos, ra do! Vigario
a. 14.

LEILOES.
LEILAO
Pela ailiiiinstracao do crrelo desta cidade, se
faz publico a quem interessar possa, que niio se
demorando os vapores da companhia Messageries
Imperiales neste porto em seu regresso do ltio .le
Janeiro, o tenipo preciso para se IVizcr a expedicao
das malas eom direeejio a Europa, lem resolvdo
que as malas so fccJieui is 6 lunas da tardo do dia
anterior a da .cliegail do* mesmes vapojrs.
Crrelo do Pernambuco, 18 de Jani#u de 1869.
O administrador.
________Dominas dos Pasws llitania.
Pelo correio desta cidaile te faz pnlilioo que
hoja (23) nrelu-r-ite-ba eurw^iondent'ia para o*
portos do norte at 3 horas da Urde cun o pune
simples, e at meia hora depols comporte ddwra-
do. As cartas sujeilasa registro s serao rereMRn
at as 2 lloras, e os jonaaes ate 4 hora da tanto.
WWHWIW
da
M
cacim-
De urna gratule casa eom sotSo da tua
Ventura n. 19, porto do Lasseire
Capnnga rom caa, sitio murado,
ba e arvoredos.
Terc^feira 2(i de Janeiro.
lidia Puech tendu de retirar-se|iara Europa far
leilau por intervenca do agente Pinto, de >eu pre-
dio cima mencionado, o qual se torna recom-
mendavel por ser edifleado em chaos proprios e
perto da Cidade, o leilo ser etTectaado i .o dia c
hora eiia referidos no eseriptorio do menciona-
do agente ra da Cruz n. :W. _____
h.
8
8
8
8
O
V
m.
19
93
6
45
NOUTE
h.
11
11
1
12
12
12
m.
:i0
49
li
23
31
>:.
alio f partida'
Illm
Prazeres
Roa Viagem
Aflbgados
Cinco Ponas (c hega Os bithetes dos trens para o Cabo pode-
ro ser comprados no sabbado 20 do cor-
rente das 10 horas (la Mil*a s 4 da tar-
de na eslaco das Cinco Puntas.
Eseriptorio (h snpwintennencia, Villa do
Cabo, 20 de Janeiro de 1809.
G. O. .Maun,
Superintendente.
Aluga-se
tima esc rava que faz rom porfco todo servico
de una casa de familia : a tratar na ra larga
do Bosario n. 3i, botica.
COMPANHIA
Convidamos os il*. accionistas da companhia
de seguros maritimos e terrestresIndcmnisado-
raa remiirom-se cni asscnmla geral no es-
eriptorio damesma companhia pelas lt horas do
dia 26 do correte, aliui de ser apreciadas as cun-
tas relativas ao anno prximo findo e proceder-so
a eleico dos funecionarios que tem de servir no
actual bienilio. Reeife 22 de Janeiro de 181.
Os directores.
Francisco Joao de Hamos.
Henrique Bernaraes de Oliveira.
Joao da Silva llegadas.
i O/iiilicra.
Precisa-se de urna cozinheira
dego n. 24.
na ra .do Mon-
HEJISA DK ABM VMENTO I'-VRA
rUUVI.NLlA.
No Liberal de 20 se fez una ridicula censura eom
relacao a reiiiossa de 79 caixasdc arniainoiito. con-
dttridas da corte para esta provincia, a bordo do
Cruzeiro do Sul.
Comecavamoa urna conlesta(;ao a esta noticia
quandonos velo as aos o Correio Pernamtouato
dehontem. e uelle deparamos eom una cabal res-
posta sobre o assumpto; que nos apresamos em
transcrever; bem como a importante noticia sodic
a reduceo das lespezas eom o jardim de palacio.
Ja anteriormente haviam sido denunciados ao
publii.....stes desperdicos dos dinheiros pblicos, o
pretexto daquelle jard'im, tao celelue pela montar-
fllt-t MMM de que tanto se oceupou Aggnppa na
Opiiiiin Mm-.ional. ..;' ..._'_.
Nada mai-accre^entaremos ao que diz o Conwo
Pernnm'iiicano. .
<> publico que v por oslse oulrws lacios ajui-
zmdo do grao de moralidade /pie deflinguc os ro-
'i;ictu/e> do Liberal.
t Armamento.Em amor ao restabelecimentti da
. verdaile. e para completa instruccao do respeita-
vol publico, vamos responder a ridicula censura
!( qn fez o peridico Ulurul do lientem, robtirv-
mente a remessa viuda |Aio de Japeiro o va-
por Gruzein o Sul. de 79 caixas de granadiu-
ras de espoleta, eom indeiac ao Exm. Sr. coarte
Baeoendy. ,
E' exacto que dita remessa veio da corte cqm
direcciu para o Exm. presideato desta provincia,
i Sorin preciso saber-se que cada urna dessas
a caixa* au contialia iO grauadeira6 sagundo al-
ie firma o inesiiio peridico, e siiu apena* 14 ou lo,
sendo que algumas conduziaiu o respectivo cor-
i< reamo, nao prefazendo todas o crescido numero
u de :t!trjl armas, e tao smente o de 4,41)0.
< E necessario ainda que o publico saiba, que
deste numero seauiram ;W0 granadeiras para a
ruvincia das Alagoafs. 430 para a da Parahvlw.
a e 450 liara a do Rio Grande do Norte, a requisi-
. cao dos respectivos presidentes, allm de wTV.rom
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
I'K
NGLISH BANK .
O'f Rio de Janeiro Limited
Desconta lettra da praca taxa a con-
vencional-.
Recebe dinheiro em conta corrente e a
ptazo xo.
Saca vista ou praso sobre as cidades
piincipaes da Euiopa, tem agencias na Ba-
bia, Biienos-Ayres, Montevideo, New-York
e New-Orleans, e imilte cartas de crebito,
p ira os mesmos lugares.
Largo do Pelourinho n. 7
Caita Filial do Baneo do Brasil
A caixa fili il do banco do Brasil em
Pernambuco em liquidacao paga o 30 divi-
dendo das accoe:; do Banco do Brasil ins-
criptas nesta caixa; a razo de 9.5000 por
aeco.
Ilecife, 16 de .aneiro de 1809.
I
**xtjM< c IV-nodo.
O vapor Potimji. coinaiaiidaiite
Pereira, seguir .pana os portas acuna
no dia :t(> do correte as .'i horas da tar-
de. Recebe carga at o dia 21 as i horas da tar:
de, encommondae, passafyiw o diidieiro a frete at
as 2 horas da tarde-do dia da saluda uo eseriptorio
do Forte do Mattos n. 12.
' De 2 casas terreas.
0 agente Puntual vender eui lellid 2 cateas ter-
reas sitas rna Mondepo ds. 3 e 43. solo fnrei-
m, as fluaes sao tendidas por antoris^T de
i unu pessoa que acha-se presentemente ha Eu-
OsSr- licitantes poderJo examinar as ditas ca-
sas e concorreretn ao leilo.
Terra-I'eira 2G do corrente
Np primeiro andar do sobrado n. 62, a ra da
Cruz, as 11 hora-'._________^^^
Assoeiaro rerense
Convido |ior ordem do Illm. Sr. presidente pro-
\isorio, a todos os socios pHra assistirem o em-
IMissamento da directora eflectiva, mi dia 27 do
andante, pelas C horas da tarde, na ra da Ca-
deia n. 48, 2" andar.
Secretaria da sociedade Bvneflcente 17 de Janei-
ro de 18139.O secretario,
Alfredo H. Garca.
Prccisa-sc alugar um preto ou preta para
andar eom taboleiro de fazendas, paga-se bm :
na ra do Hospicio n. 64. _______________
Deseja-se tallar eom o Sr. Francisco Xavier
da Silva Guimaraes : na ra da Crui n. 27, pri-
meiro andar.
i. Perrelm Tllela.
Pliolographo da casa imperial
premiado em diversas expos-
c,es.
Na sua plioUigraplM 4 roa o Cabtig n.
W, itrstra pefo pafeo -.femalrtz tira retra-
tos por todo as systeni photographjcos.
Em porcelana Em vi dio
Em talco E panol
CARTEES DE VISITA A 9* A Dl'ZIA.
Os fhfos carte-de-iisite slo collados,
em cartw> de iuxo bristal oe porcelana.
i*oura ou vinhetas para o que Xstc Um varieda-
* fie lt moielo a cscolha de qaem se re-
tratar. Para as nutras especies de relatos
temos caixinhas, passc-par-iouts, qaadros
e moldnras aorada? e pretas cassol^s" de
ouro e alfmeles sit|)es e ma pedrib pre-
CtosaSj havendo nos alnetes urna nfliosa
variedad! de rciuosv
O nosso e^tabeicimento photograpbko1-
est sempre em da eom os nielhorameaGos
e progressos que na America do Norte, oa
Euro|)a txt no Rio ifc' Jatietro se consegt
na arte photographirar, e para alcancarmn
tal ftm nunca' poupamos despezas nem sa-
crificios, de soite que os nossos numerosos
t'reguezes podem ter a certeaa de que sem-
pre eneontr.-r5n em rrosso' esfabewcimento
tudo quanto a arfe e a randa oferecer de
boni uo novo e vellio mundo aos amantes
da photograplia.
= Precisa-se de um bom oflfcial do lerreiro (jue
seja bastante hbil e bem vconunendado da ultimii
lugar aonde traballwu : quem estiver nestas con-
dicoes dirija-sc ao eseriptorio da empreza do gaz,
ruado Imperador n. 31. .
O Sr. Tasares da Costa que trabr.lhou ata-
poueo lempo em casa de onradornacao do Sr. Mi-
randa na ra das Cruzes, queira a^ipariner nesta
typngraphia que se precisa faltar-llie.________
- D. Bwilla von S'l)sten, vkiva de Pi-
dro C. von Sbosteo faz publico que a casa
commercial de que fez part! o seu tinado
niklo.contiuiiat' coinoat aqui sob a fir-
ma de von Soban C. tendo passado a
fazer parte da mesma o Sr. Geraklo AbrSo
Pedro Brender a Ilrandis.
Reeife, 19 de Janeiro de I8G9._________
SEGUROS
martimos
CO\TiM l'OiO.
A Companhia Indenmisadora.estabelccmd
nesta praca, toma seguros martimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
em edificios, mercadorias e mobilias: aa
ra do Vigario n. 4. pavimento terreo.
= O inspector da ali'andega faz publico que o
leilo das >:> barricas eom p de pedra uiarmore,
anmrariado para boje, e qne por falta de licitan-
tes dexou de ser eftectuado, lica transferido para
sext'i-foira 22 do enrente. *
Alfaiidega de Pernambueo 20 de Janeiro de
1869.
Jos Mauricio lermmles Pereira de Barros
AVISOS DIVERSOS.
Bendimento do
dem do dia 22
AI.FANDEGA.
dia la 21 .

*
628:977i7W
|K-.633tiH


IJ62:lilMB4
MOVIMEN'iX) DA ALFANDEGA.
Volumes entrados
Idom dem
un fazondaf
om gneros
Volumes sahidos con faiendas
dem idem eom geaeros
Uii
m
..mi
(ONU MfflEInW
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
ate o dia 26 do corrente o vapor
CruzeiiO do Su', commandante
Alcoforado, u qual depos da de-
mora do cost iimcseguir para os
do sul.
Desde j reeebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor pudor condwir, a qual devor
ser embarcada no da de suachegada. Encommen-
das e dinheiro a frete ate as duas horas do dia da
sua saluda.
Nao se recebem como encommendas sono ob-
jectos de pequeo valor o que nao excedam a duas
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medicao.
Tudo que passar destes limites devora ser embarca-
do como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas pa^^a-
gens si se recebem na agencia ra da Cruz n. 87,
1 andaar, eseriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C._______________________________
COMPANHLV PERNAMBUCANA
DK
vi*ea;i<-o coslelra por vapor.
Mam'anguape.
Kazem-e lUhs de ceiinga para priesentes.
eom proinptW&o. aeeio e pericia: no pateo de S
Pedixi n 26.
AO PUBLICO
e ao roBimerrio
O aboixo aseigMdo faz scien'e ao pnblicb e eom
espocinliilado ao corpo do eoiiinwroio, qne deixou
de ser lynneini dos Sis. Jos Gonnalvee D'ltrao 4
11 nii. no dia 48 do corrento ; o para que nfw se
susciten! diividas sobre a sua reputaejio, vem
aprowulainonte re*pon [.uliliiiaram. para que o piilico fique scifente que
ha 48 annos que aqui reside, nunca um ununcio
contra elle nppareceu.
11: i't'e 23 de Janeiro de 4861).
Jos Dias Branda.
613
<3
par;
(ella
-a os oor[ios policiaese guarda nacional ajuar-
ada, licaado por coiisequenciu de wiiuolbanto
Descarregan hoje 23 de Janeiro.
Vapor inglHZ=A/nf.n6ra=merradorias.
Barca inger.a=Sop_ifto=idein."
lugar inglez=iVarKitw-dem,
lugar inglez=Cirriwf(m= dormentes.
Fataeho howianhol--Ailettevmhw.
fcarca franceza^MuMs*de Natttes*>ke*n
HECEKE01UA DE RENDAS IIWE8tA9
RAES l)E PERNAMBUCO.
F.endimento do dia 1 a 21 .
O vapor Cornripe. commandante Penna, segui-
r para o porto cima no dia 28 do corran as 6
horas da tarde. Recebe carga desde o da iiume-
dato ao de suachegadad'aquelle porto, at as 3
lioras da tarde do da 27, encommendas, passa-
geiros e dinheiro a frete at as 3 horas da tarde
ilo dia da sabida no eseriptorio do Forte do Ma-
tos n. 12. _______ .__________,
Rio Grande do Sul
Para o referido porto sahir nhlHvelinonto at
o dia 27 do corrente a barca portuguesa Armhuta,
recebo algn carga a frete para' qne pode tra-
tar-se cera o seu consignatario Dntid Ferreir*
24 JOV310I Baltar, ra do Brum n. 9k
- Para amanlieeer o dia lt) do eorre
do engenho Canabrava, no termo de Itam
cravo Bernardo, crioulo, de idade 2o ani
le fugio
b, o es-
ts, pou
comaisou menos, alto, meo, rosto descarnado,
pouca barba, qnehto Uno. ps limpos, pernos li-
nas, tendo a la1 la um poueo demorada,! e sendo
bastarte esperto ; quem o capturar efer entre-
gar a seu sonhor, o abaixo assignado, no sapradito
engenho, tora boa recompensa ; o pedu-se o auxi-
lio e attonoao da noticia para a captura deste es-
cravo, Suspeita-se que elle tenha seguidji para o
Recire, aonde loi Oi-ravo do Beinjauun Franklim
da Cunha Torrea. ______ I_______
Temo-se annuncido por este DIano'a tn-
da do engenho Mussayb;v, silo oiu Jaboajtao, pre-
vine-se em lempo a quem so propuzor a, cmpra-
lo, que quem o quer vender nao o pdt fazer e
nem dis|Mir de outros beus, nio s porque anda
naosujet'iua inventario os do casal, djosdo que
Ihe faUeceu a primeira mullier, como porque esta
sendo judicialmente executado._______________
93 da Lerea de
reja
3, 2 Os cinco billwtes da bieria
N. S. du Terco do Reeife us. 3M4,17").'>.
e4i80 pertencem aos Sj. Ricardo Wiltigi, Manoel
tas Martins o Manool Gomes do r'reilas,'todos do
Arari y. c ti jos bilhetes lie un em peder de abaixo
Joao Jos da Cunha (jopes.
Arariy, et
assignado.
AO ANNEL DE OURO
um sortimento sem igual,
Este imputante estabelecimento no seu genero, tem sempre
vende por jrepos que nenhuma outra casa pode vender.
vista la qualidade e do pre rante^e sff tudo de leL Compra-se ouro, prata e pedras finas por presos multo ele-
aberta at as 9 horas da noute
RIA
EO
(MIGA K
esquina
da ra larga do
Rosario.


i!


i mili ii ni
4
Diario de fVWftmfeiHX) Sabbado 23 de Janeiro de 1869.
0 Sr. sargento brigada do corpo de
polica queira vir aesta-Typographia a tn-
gocio.
/roeom-se
as notas do banco do Brasil e das caixas flliaes,
com descont muito razoavel : na praca da Imle-
.pendoneta n. 22. 1 _.
BARAnSSIMO
Calcado nacional, na fabrica de Jos Vicente
Godinno A C, ra do Jardim n. 19, avisam os
seus reguezes desta capital e do interior, que con-
tinuara a fabricar calcado eni alta escala, e olte-
recentas moUwrescondicoes,tantoempreco como
em qualidade. Os proprietarios deste estabele s-
menlo chamam a attencaodos senhores consumi-
dores do interior, que os quizerem honrar com
sua freguezia, especificando em seus pedidos a
qualidade e numerario, offerecendo-se para os (n-
tregar bein acondicionados om casa de seus cor-
respondentes nesta praca.
Antonio Jos Rodrigues de Souza, precsa
alagar um criado para o servico de casa, de miis
de S annos : a tratar com o mesmo na ra do
Cresjto n. 15, on em sen sitio no Monteiro.
Frederico Maya
Clrurglo dentista pela escolla
de medicina
do Rio de Janeiro.
Tem a honra de participar ao respeitavel publi-
co desta capital e seus suburbios, que ten aberto o
seu gabinete de consultas e operacoes dentarias a
roa Direita n. 12, primeiro andar, onde pode ser
procurado todos os dias das 8 horas da mantea as
3 da tarde. Elle acha-sc competentemente habili-
tado para com perfeicao enllocar dentes artificiaos
por quaiquer dos systemas, e bom assim desem*-
nhar quaiquer nutro trabalho concernente sua
profissao. 0 mesmo, reconhecendo que nemsein-
pre possivel as senhoras ou criancas sahircm a
procuiaro remedio, ofterecc-se a remover quai-
quer obstculo, declarando que na cidade se pns-
tar a quaiquer chamado sen) que isso influa cousa
algurna na coininndidade dos preces de ^cus traba-
mos, e quando para fra della assim mesmo ser
precedido de um ajuste rasoavel, garantindo elle a
seguranza e perfeicao de seus ditos trabalhos. En
seu gabinete se encontrar constantemente exccl-
lenteps dentifricio, elixir e outros medicamen-
tos odontalgicos : ra Direita n. 12, primeiro
andar.
Arrenda-se a proprifrhde denominada
Barra de Ser pMem no littoral da freguezia
do mesmo m ne, com muitos fros rece-
ber e maitot coqueiros a deftrhMtar, tendo-
alm disto, :i exxotlente e rara posicSo de
beira-mar, beira-rio, inteiramente apro-
piada para mantease ahi qualcpier es
tabelecimentj commercial de seceos, e mo-
Ihadoe; a tratar 4 na de Imperador a. 80,
ou na da Florentina n. 28.
Ama de (cite.
Prectea-ge <1 i ulna ama de leite preferfndo-sc es-
erara, para acbar de criar urna menina do 8 me-
zes de idade: na ra da Conceicao, na Boa-Vista,
n. 1*.
Attencao
uim Jos Gon-
ves Beltro
Joaq
pal
RA DO TRAPICHE N. 17, i." ANDA.
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
co do Minlto, em Braga, e sobre os seguin-
tes logares em Portugal:
. Lisboa.
Porto.
Valenca.
fiuimaraes.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Viatina rio Caslello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famalieo.
Lamogo.
Lagos.
Covilhaa.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Beja.
Barcellos.
Antonio Carlos Pereira de BurgosPonce de Len,
como solicitad >r do foro desta cidade e dos termos
de fra, se eniarrega de todas as questoes que fo-
rcm suscitada;; peanle os tribunaes civeis, cri-
mes, commer'iaes e ecclesiasticas, promettendo
continuar a exercer o seu emprego, com a mesma
lealdade, actividado e d*edica(o. O annunciante,
pode anda receber certo numero de casas com-
merciaes, por contrato annual e bem razoavel. De-
ve declarar, que costuma dar as contas de despe-
jas judiciaes, todas datadas, especificadas c com
escrupulosa exactidao, como afllrmam os quo tem
sido seus constituintes. Qucm pois quizer o hon-
rar com sua c nflanoa, dignar-se-ha procura-lo a
ra das Trincl eiras no primeiro andar do sobrado
n. 48, jnnto ao cartorio do Sr. escrivo Motla, para
onde acaba de mudar-so.
Precisa-sj de um menino de 12 a 14 annos de
idade, que tenlia pralica de venda: na ra do Ran-
gel n. 73, onde dar fiador sua onducta.
o
PROGRAMMA
no
CASA M FORTUNA
Aos 4:000$
BilLetes garantidos.
ra do Crespo n. 23 e casas do costume.
Achantase a "enda os felizes liilhetes garantidos
da 1* parte da lotera em beneficio da groja de
Nossa Scnhora do Terco do Recifc (9.1.") que se
extrahir terca-feira 20 do corrente mcz.
Procos.
Di hete.....43000
Meio.....2*000
Qiarto.....1/000
Em prea de 100 para cima.
Bilheto. .... 3/500
Mtio......1/750
Quarto..... 87o
_________.________Manoel Martlns Fiuza.
Gymnasio provincial.
O Dr. regedo do gymnasio manda fuer publico
para conhecimento dos senhores pais de familias o
seguinte :
! Que no gjmnasio provincial de Pcrnambuco
se ensina: pnmeiras letras. lingoa nacional, latim,
Irancez. inglez, allemao, grego, arithmetica, alge-
bra, geometra ', trigonometra, geographia e his-
toria, philosophia, rhetorica e potica, sciencias
naturaes, niusc i e desenho, para cujo ensino ha 17
professores cathedratcos, 1 substituto e 3 repeti-
dores,
2" Que o eslabelecimento admitle alumnos de
tres dseos ; pensionistas, que moram effectiva-
mente na casa; me/o pensionistas, que entrain as
8 horas da manhaa c retram-se as 6 horas da
tarde ; c externos que s vo ao eslabelecimento
as horas das aul is.
3- Que os pensin islas pagam 30 por mez em
trimestres adiantos, e coin este prganieiito po-
dran fregnentar i odas as aulas (excepto a de m-
sica), c loen casi esnacosa e arejada, comida boa
cabundante, ro pa lavada e engomniada, papel,
pennas e tinta, medieo e botica.
4o Que os meio-pensionistas pagam lojSOOO por
mez, tambeni em trimestres adiantados, e com este
pagamento podran frequentar todas as aulas (ex-
cepto a do musi'-a), janlain no estabeiecimento e
teein papel, pennas e tinta.
5 Que os externos pagam 5/ por mcz, do mes-
mo modo, e com este podem frequentar todas as
aulas (excepto a de msica).
(i Que os alumnos que quizerem frequentar a
aula de msica pagarlo, na mesma couformidade.
4/ por mez.
BARTHOLOME ft C.
OTL U .bTET'ARA l
PREPAHADOS SIMPLES ,.---!-..... .,
Xarope de jurubeba garrafa. .000
Vinlio de jurubeba garrafa. liWKK)
Pilulas de jurubeba vidro. i 000
Tintura de jurubeba vidro. 40
Extracto hydracoolico de jurubeba. 126500
PltEPAHADOS COMPOSTOS.
Viuho de jurubeba ferruginoso garrafa. 2A0O0
Xarope de jurubeba ferruginoso garrafa. 10600
Pilulas de jurubeba ferruginosa vidro. 2^000
Oleo de jurubeba vidros. 640
Pomada de jurubeba pote 640
Emplastro de jurubeba libra. 24500
PARA USO EXTERNO
. A JURUBEBA.
31 Esta planta boje reeonhecida como o mais poderoso tnico, come um excel-
lente desobstruente, e como tal applicada nos engorgitamentos do figado e baco, as
hepatites propriamente (litas, ou ainda complicadas com anazarchas, as inflammaedes
subsequentes as/bres intermitentes ou durezas, nos abeessos internos, nos tumores es-
pecialmente do Htero e abdomen, nos tumores glandulosos, na anazarcha, as hodrope-
zias, erysipellas ; e associada as preparaeSes ferruginosas, ainda de grande vantagem
as anemias, chloroses, faltas de menstruacSo, leucorrheias, desarranjos atnicos do
estomago, debilidade orgnica e pobreza de sangue, etc.
O que dizemos aflirmam os mais distinctos mdicos desta cidade, entre os
quaes podemos citar os Illms. Srs. Dr. Silva Bamos, Aquino Fonseca, Sarment, Seve,
Pereira do Carmo, Firmo Xavier, Silva etc. Todos elles reconhecem a excellcncia d'este
poderoso medicamento sobre os demais at hoje conhecidos para todos os casos citados,
tanto que todos os dias fazem d'elle applica(jao.
Apresentando aos mdicos e ao publico em geral diversos preparados da juru-
beba, tivemos por fin generalisar mais o uso d'este vegetal, fazendo desapparecer a
repugnancia que at hoje sentiam os doenles de usar dos preparados empricos d'elle, e
mais das vezes repugnantes a tragarem-se, e que tinbam ainda a desvantagem de nao
ser calculada a dose conveniente a applicar-se, o que torna muitas vezes improficuo um
medicamento, que poderia produzir ptimos resultados.
Os nossos preparados s fontm ap'resentados depois de havermos conveniente-
mente estudado a jurubeba, fazendo as experiencias precisas para bem conhcer as pro-
priedades medicamentosas d'esta planta em suas raizes, folbas, fructas ou bagas, e a
dose conveniente a applicaco, tendo alm d'isto procurado levar os nossos preparados
ao maior grao de perfeicao possivel, para o que n5o poupamos esforcs, nlo nos im-
portando o pouco lucro que possamos tirar.
Por tanto os que se dignarem recorrer aos nossos preparados ptdem tera
certeza de que elles offerecem a garanta, de que se pode encontrar, a prompla e infalli-
vel cura de quaiquer dos soffrimentos, que deixamos innumerados, se forem em tempo
applicados, tendo alm d'sso, medico eu doente a vantagem de escolher nasjnossas va-
riadas preparacoes, aquella que melbor lhe podeconvir, j pela fcil applicacq, e j pela
complicaco das molestias, idade, sexo, Ou ainda natureza de cada individuo.
Asnossas preparacoes ferruginosas sao feitas de forma que se tornam comple-
tamente soluveis nos suecos gstricos, porque procuramos oscompostos de ferro que
como taes esto hoje reconhecidos.
Para aquelles que mais minuciosamente queiram conhecer as propriedades da
jurubeba, e saberem a applicaco de nossos preparados, destribuimos gratuitamente
em nosso deposito um folheto, onde tratamos mais extensamente. d'esta phinta e dos
mesmos preparados.
Deposito geral de todos os preparados
Botica e drogara
3iBa larga do Rosario3i.
ns seus exaint*,
mados lopo depo.s
mesmo collegio.
* Pf^f'icia nara serran dia-
dos alumnos iiai;mnans-nb
fesla de N. H. da aidc.
Po^^da Panclla.
Tendo de solemnisar-se tcmdienamente a
fsta da excejsa Seidtora da Saderrar-se
publico que, mediante previa licenca da au
toridade competente, deixatao |de ter luxrar
na matriz da referida freguezia, ese farao
na capella da povoacao do Monteiro, as elei-
! oes populares a que'se lia de proceder inste
mez do Janeiro.
Sabbado 23 do corrente, pelas 7 horas da
noite, liavet o levantamento da bandeira,
saturnio da resideiiia da Exm. juiza, Casa
Forte, conduzida por meninas e acompanha-
da por grande numero de mocas, todas
uniformemente vestidas de branco, soltan-
do-se nessa occasiao varias gyrandolas de &*.* c e um caixeiro que tenha pratica
logeles c sublimo ao ar un magnifico ba- de taberna e d fiador a sua conducta
lo ao desparar um morteiro. 0 acompanha- das Cruzes n. 24.___________
ment ir at perto da estaco do Caldereiro.
COLLEGIO DE SANTO AMARD
lecife, ra do Commercio n. 5.
:.so estabeiecimento de ediicaeo, aeha-se a disposl^o dos
Illius. Mrs. pais de familias e a quem mais possa convir. Direc-
tor faz scieute, que desde j acha-sc aborta a matricula da jaula de
iustrucco primaria, a qual ser afcerta em o da 11 do andante :
fieni como as secundarlas, cujos cursos tiveram principio pelas fe-
rias c derem ser encerradas em marco. As demais fiincclonaro
do dia 3 de fevereiro em diaute. com a regnlaridade do costume.
llecife, 1 de Janeiro de lti9.
Do xarope Vegetal Americano, especlalldade de Bartholomen A C.
31BA LARCA DO ROSARIO34
N3o costumamos proemar atiesados para acreditar nossos preparados, e dei-
xamos que sua applicaco e os resultados obtidos pelas pessoas que se dignaram acceita-
los, lhes deem crdito e voga; porque sao sempre os atlestados considerados gratuitos,
e delles que lancamlo o charlatanismo; mas, nao querendo offender as pessos que
espontneamente nos offerecerain os que idiaixo vo transcriptos, os fazemos publicar,
manifestarido-lhes nossa gratido iela attencao, es|ierando que venham elles corroborar
o conceito, e acceitacao que tem merecido nosso xarope.
Bartholomen & C.
ATTICSTADOS
lllms. Srs. Bartholomeu A C com a mais subida satisfago que declaro
ser o xarope Americano de urna clcacia extraordinaria, pois que suffreodo ha dias de
intensa tosse, a ponto de nao poder dormir a noite a despeito mesmo de medicamentos
que tomava, a elle recorr e na terceira a Iher fui alliviado, e de todo me acbo hoje res-
tabelecido com o uso somente de quasimtio frasco: grato, pois,r esse resultado mani-
fest a Vv. Ss. meu reconhecimento.De Vv. Ss. amigo, venerador e obrigado Ma-
noel Antonio Yiegas Jnior.
Sua casa 20 de abril de 1808.
Illms. Srs. Bartholomeu & C.Penhoradissimo com o .favor que me fizeram
de aconselhar o uso do xarope Vegetal Americano, de sua composico, quando me acha-
va bastante doente de urna constipaco, que me tornou completamente rouco e que
trouxe uma forte tosse, e me impossibilitou de cumprir os meus deveres de cantor da
empreza lynca, vou agradecer-lhes meu completo restabelecimento, que obtive com um
so vidro do mesmo xarope, depois de haver recorrido a muitos tratamentos. Desejarei
que outros como eu recorram ao seu xarope para se verem alliviados de tao terrivel
incommodo, to fatal neste paiz. Com maior considerago contino a ser de Vv. Ss.
attento, venerador e obrigado.Luiz Cremona.
Becife, 25 de setembro de 1868.
Illms. Srs. Bartholomeu & CO xarope Vegetal Americano que Vv. Ss. teem
exposto venda e de toda eBcacia para o curativo dasthma, conforme observei appli-
cando-o a meu filho Joaquim, menor de quatro annos; victima desse flagello, que at
ento por espaco excedente a dous annos havia resistido a outros xaropes de grande
nomeada. Queiram, pois, Vv. Ss. acceitar a expresso altamente sincera de meu reco-
nhecimento ao meritorio servico que lhe prestararn com o indicado xarope, acreditan-
do-me para sempre de Vv. Ss. criado, attento e obrigado.Amerieo Netto de Mendonca.
Becife, 2 deoutubro de 1808.
DE
DE

.1. VIGNES

para seja necessano
aos compradores,
conquistado sobre todos
N. 55BA DO IMPERADORN. 55.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje assz conhecidos
insistir sobre sua superioridade, vantagens c garantas que offerecem
quaudades estas incontestaveis, que elles lem definitivamente conquis
os que tem apparecido nesta praca; possuindo um tecladoemacliinismo que ohedecem
todas as vontades e caprichos das pianistas, sem nunca falhar, por serem fabricados
de proposito e ter-se feito ltimamente melhoramentos importantissimos para o clima
deste paiz; quanto as vozes sao melodiosas e flautadas c por isso muito agradaveis aos
ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como nado Sr. Blon-
del, de Paris, socio correspondente de J. Vignes, emcuja capital foram sempre premia-
dos em todas as exposit;es.
No mesmo estabeiecimento se adiar sempre um explendido e variado sorti-
mento de msicas dos melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos
harmnicos, sendo tudo vendido por procos commodos e razoaveis.
Mudanza de escriptorio
Joaquim Gerardo de Bastos, transferio sen es-
crintoiio para a ra do Vigario n. 6, primeiro
andar.
Luiz Einygdio Rodrigues Vianna, advoga na
ra do QiK'imado n. 2i, priiaeiro andar, onde po-
li ser procurado para os mysteres de sua prolls-
sao das 10 horas la manliaa s 4 da tarde nos dias
uteis.
na ra
ii el liodo Castilho.
milagrosa
Secundiiio Jos de Faria Simoes. professor par-
eular de Instrucjao clemeatar pelo .nethodo as-
iillio, avisa ao respeitavel publico e com especiali-
dade aos pais de 'amilia, que esta aberta a sua
aula desde o dia de Janeiro, na ra da Penha n.
23,1 andar, aonde recebe pensionistas por preco
commodo. O niemoprotessor promette muito se
esmerar no adiar tomento de seus alumnos. O
mesmo professor ibrio desde o mesmo dia un
curso de primeiranletras anoite para aquellas pes-
soas que nao poderem frequentar durante o dia.
jara onde se suppoe ter fgido por ter sido visto
esse dia a convtrsar com pessa daquelle tugar,
statura, secco do corpo -e um pouco alto, bigode
i cabello meio caripinhado e ponteado, e tem um
:aropo na munueca da mao direita, do qual sotfre
dores rheumaticas, leudo a falla a sertanejo, muito
ilescancada.
= Precisa-se de uma ama para cozinhar e fa-
r o mais servico de uma easa : na ra estrella
do Rosario n. 32, 21 andar.
i' seguindo para o Poco entrar na ra da
Mangueira, Quiabo e ra do Rio, e chegan-
do ao atrio da matriz, passar sob um vistoso
e bem Iluminado arco no cimo do^jual se
abrir urna linda assucena de fogo, appare-
cando brilhante. de luz a augusta efflgie da
excelsa Padroeira : para maior brilhautis-
mo deste acto, pede-se aos moradores das
ras por onde lera de passar a bandeira,
que sesiivam Iluminar as frentes de suas
easas.
No dia seguinte comecar a novena, ha-
vendo todas as noites msica militar de pan-
cadara. e outra de orchestra regida pelo
distincto maestro Colas, sendo os versos
antados jicla mesma Exm. Sr.* que a isso
se prestou no auno passado, e com a maior
graciosidade se presta ainda esta vez a fazer
o mesmo obsequio em honra da
Senhora da Sade.
No dia 2 de fevereiro ter lugar a festa
com toda a pompa e explendor devidos
magestade divina, orando ao Evangelho o
lllm. Rvm. Sr. padre Dr. Luiz Ferreira Precisa-se de una ama para cosinhar e engom-
Nobre Pelinca, e noite ao le-Deum o lllm. ',aLparaZ"al(:asi de pouca familia: na ra de
Rvm. Sr. padre Augusto Maria Ferreira "ortasn-1Q4'loja--
Botelho.
Findo o Te-Deum queimar-se-ha um ri-
quissimo e variado fogo de vista, feito por
im hbil artista pTotecbnico. e composto
de diversas figuras allegoricas, tornando-se
uotavel o ataque de um encouracado for-
mklavel fortaleza de Angostura, cabendoafi-
nal a victoria aojgrcdlado pendo auri-ver-
le, que' treraufaff galhardamente na foita-
leza paraguaya, apparecendo nessa oecasio
circumdadade myriadasde luzes a sagrada
effigie da Padroeira.
Os encarregados da festa tem envidado
todos os esforcs para que tamanha solemni-
-lade se fac.a com o possivel brilhantismo, e
esperam a efllcazcoadjuvaco e concurrencia
de todos os devotos da mesma Senhora, que
saber remunerar com larga rao a piedade
dedicacaode que derem provas.
DE
RELOJOEIRO
DE
VCTOR GRANDIN
40 Ra da Cadeia do Recife N. 40.
O proprietario deste estabeieci-
mento, premiado com a medalha
da exjiosicao universal de Paris no
anno de 1855, tem exposto ven-
da em sua loja, um grande sorti-
mento de relogiospara algibeira,
'como sejam : de ouro e prata, sen-
do dos melhores fabricantes, de patentes inglezes,
suissos e horisontaes. Tamban tem una grande
quantidade de relogios para parede e que batein ho-
ras, ditos para embarcacoes e para cima de mesa,
lodos estes relogios sao dos mais bonitos modelos.
O mesmo concerta relogios de todas as quaudades
existentes, assim como tamban concerta chrono-
metros de algibeira e martimos : recebe sempre
por todos os vapores, um completo sortimento de
correntes c trancelins, sendo tudo de ouro de le
e de modelos os mais modernos, assim como diver-
sos objectos de bijouteria dos mais bonitos e moder-
nos gostos.
WK
RTA LARGA DO ROSARIO 137
Este acreditado estabeiecimento augmenta
de dia em dia quanto possivel para che-
gar ao cume do bem viver.
Alm dos saborosos manjares confeccio-
nados com o melbor asseio, tem bellos apo-
sentos de hospedagem, tanto para uma s
pessoa, como para numerosa fariUa
n. agua, iiiulspensavci elemento para a
vida e hygiene, temo-la sempre tm abun-
dancia para facilitar excellentes banhos.
CIIARITERIA E PET1T RESTAIRWT
Annexos ao Hotel Central, ra estreita do-
Rosario n. 4 A, andar terreo.
Para dar a conhecer a variedade infinita,
de charutos de Havana, Babia, Rio, etc. que
existem neste novo eslabelecimento pres-
cindimos dos annuncios pomposos que ge-
ralmente se fa7pm. leiUiaindo aea apenas
(tres letras que sao tres bbb bom, bonito e
barato. A' vista do genero aniuinciado po-
l de-se julgar de nossa veracidade. Esta casa
Antonio Jos Rodrigues de Souza, na ra do i Una pessoa de lonua pratica no coimneicio
Crespo n. lo, ou <*n seu sitio do Monteiro, gratifi- offerecc-sa liara escripturar livros or nartidas do-
tt fm capjurar o seu cscravo Joaquim. Liadas, podcodo ser procurado na ra do Crespo
pardo, de idade 3{. anuos, natural de Pao d'Alho,! n 18, primeiro andar
casos
esia,
ibem
Precisase de uma ama de leite para acabar
de criar urna enanca de 9 necee, porm sem en-
anca : qucm quizer dirija-se ra do Rruin nu-
mero 69.
Ama
i Snsino de arUhmetica, algebra e
Somolola.
O bacharel em di -eito Casemiro Borges Godinho
de Assis, ensina estas materias no primeiro andar
di casa n. 17, sita i a ra Nova, das7 1/ as 8/2
h jras da manhaa aos senhores estudantes que de-
s(^jam fazer exame jo collegio das artes, e das 7
1, J as 9 da noite aos senhores empreados no com-
mercio.
Memorias do clero per-
nambucano
Quem tiver a obraMemorias do clero pemam-
bucano, que quizer vender ou trocar por urna
outraMemoria-: histricas da provincia de l'er-
iiamlinen : dirija-se a tarde ao escriptorio do
primeiro andar desta typographia.
Aluga-se o 2 andar e sotao do sobrado~da
ruado Aragao n. l.com excellentes commodos
para familia : a tratar no Io andar do sobrado n.
iiOdarua larga do Rosario.
AVISO
Os encarregados da festa de Nos*a Se-
nhora da Sade do Poco da Panella decla-
ram que a Exm. Sra. D. Jesuina Montaine
rruem tem de tirar os versos da bandeira
tpedido dos mesmos encarregados, e por
iio ser isso declarado no programma da
festa faz esta declaraco agradecendo
mesma Exma. Senhora a boa vontade com
que se jiresta este acto, pelo que a mesma .
m deOeos lhe saber recompensar com ^ *.
soa divina graca. (^y
Ileal oompanhia de paquetes
iiil os a vapor.
Os agentes da real companhia de paquetes in-
gleies a vapor fazem publico que os directon-s
da mesma, para facilitar as c'ommunicacoes entre
JVraambuco, Babia, Rio de Janeiro, Montevideo e
Buenos-Ayres autorisam uma reduco as passa-
gm% para aquelles portos ; d-se taubem UI tic-
tes de ida evolte com prazo de 6 inezes, oafor-
me a seguinte tabella recebidas em pape! moeda.
Primeira clvsse. Ida. Idaerolta.
De Pemaiubuco at Bahia. ... 56* 84#
> Rio do Ja-
neiro. H2 168|
Montevideo. 250* 375*
Buenos-Ay-
res......270* iOSi
Passageiros da ten eir classe pagam um 'piar-
lo das quantias aciira mencionadas.
A passagem d'aqui at Lisboa da segunda clas-
se tica redurida de 1'ambem acham-se reduzidos os fretes de di-
nb-iro para Inglaterra, Franca e os portos do sul.
Para ulteriores infermaefies trato-se na agencia
na do Trapiche Novo n. 40.
Franscisco Jos Martins da Costa vendeu a
taberna que lhe pertence ao Sr. Antonio da Silva
Netto, na ra Imperial n. 178.
Jos Goncalves Beltro 4 Irm.o fazem ver
ao corpo do commercio que Jos Dias Brandio
deixou de ser seu caixeiro, a contar do da 18 do
corrente.
Preelsa-se
de um menino de 15 a 16 annos, que tenha algu-
rna pratica de caixeiro : no armazem do ateo do
Terco n. 86.
XAROPE DE JURUBEBA.
PREPARADOS PELO PHARMACEtTICO
Joaquina d'Almelda Pinto.
As preparacoes de jurubeba sao
hoje vantajozamente conhecjdas e
preconisadas pelos mais habis m-
dicos, tanto da Europa como do
paiz, pela sua elcacia nos
de anemia, chlorose, hydro
obstrueco de abdomen, e tai
as de menstruaco dificil, a itliar-
ro na bexiga, etc.
Vendem-se em porco e a reta-
lho, na cidade do Recife, pharma-
cia de seu compositor, ra larga
do Rosario n. 10, junto ao cuar-
tel de polica.
XAROPE DE FEDEGOSO!
E' de uma eflcacia verdadera-
mente maravilhosa como calmante
do systema nervoso e appl.cado
contra a paralisia, astbma, tosse
convulsa ou coqueluche, tossj re-
cente ou antiga, suffocacoe;, ca-
tarrhs brunchicos etc., e em .jeral
contra todos os soffrimentos das
vias respiratorias, o na phylisica
pulmonar, sua virtude contra o
ttano ou espasmos, econvuses
incontestavel, e ninguem ha que
a desconheca.
XAROPE
DE
SALSA PARRILHA DO PARA
OU
DEPURATIVO DO SANGUfe.
Usado as molestias de relie,
impigens, dores rheumaticas, e
ulceras venreas.
0 nico deposito destes medica-
camentos na botica do Pinto, ra
larga do Rosario n. 10 junto ao
Iquartel de policia,
Ha tamban urna boa bibliotheca e perio- gosa tambem das condicoes de u
-icos nacionaes e estrangeiros, piano para e petit restaurant onde se pode ver a es-
recrem buhares, ele. etc. pecialidade dos fiambres e salames de Lion
Sendo ociosa quaiquer recommendafio para lanches e at fazer uma boa colaeao,
para tao acreditado estabelceimento, omit- juntamente com os jirincinaes vinhos
timos mais prembulos, fazendo ver por mercado, sobresahindo entre o bom a mira
hm, que o bom servico, ordem e moralida- e fervente champagne, o mui saboroso Rhe-
de imperam nesta casa, como observancia no, a primorosa ceneja, o licor espirituoso,
fiel do regulamento que possue. 0 quanto pede uma mesa. Faz-se uouto
Comedorias a la xa te. son.ete e vaiiedade de refrescos.
FRANCA-BRASIL
o
zesone JSf^E'^^SK P1"0'', rpeitavel publico e a seus numerosos fregue-
f.M.T i transfoir,,do "ua residencia para a ra do Trapiche n. 7, primeiro andar ahi encont.'irn
ZEttMp8 f 2S?!S2 de fazendas P;"-atrajos de homem, e prepa costume Jara mo, taria d
senhora. Faz tambem obras para militares epara criados, para as quaes tein Jrai deZl? fe
m^LTP'eS' Cm V,ri'la e cor,,a de cnnde> branc"s e anarellos. Recebe L todos o? va^ r?s Ss
ltimos inrurinns nar.t immam ..,i,...............:.,.... r"* wuus u apiires os
ltimos figurinos para homem, senhoras e meninos.
i
EFFICACIA
Pre4-isa-se de 2:000i a juros, pa|ando-se o pre-
mio que se convencionar, e dando-se boa garan-
ta: a pessoa que quizer fazer este negocio, deixe
carta fechada na ra das Cruzes n 13 eom as
inkiaes J. F. M.
Apetlido.
Acaba de sabir do pelo relaeao das nnidid.'s
das medidas brasileiras uiieiricas", por Jos enlo-
mo Gomes Jnior, obra ao alcance de todas as in-
digencias, e que se torna indspensa>el para o
um das medidas do sysiema melrieo, e Teode-se
em casa do autor, na do Destino n. 3. e a ivpo-
graplm Upivcrsar, ra do Imperador, a 2i0 rs.
"JMWPIar- _________
Precisa-se de um menino para caixero"da
taberna, que lenha pratica d'ella : a tratar na ra
de S. Jos n. 2.
-- Ricardo Barbo Coperuo, por haver outro
"' nm#, desta data endnale a^ipaa-st
Barboi oueiro. ReeiM.iOdB juneiro
Devofo de Nossa Seniora da
t SUrtide no convento de tanto
Antonio do Recite.
Por ordem do lllm. Sr. irmao juiz sao convide-
dos todos os nossos charissimos irmaos para do-
mingo 24 do corrente pelas 10 horas da manhaa,
comparecerem em nosso consistorio, ajim de pro-
ceder-se eleicao da mesa regedor de 18t
a 1870.
Consistorio da devocao de Nossa Senhofa .la
Sade, 21 de Janeiro de 1869.
0 eserivao,
_________IsaiaS Franeisro de Paula e Sitva.
" Da-fle soeiedade 'uma tabenia muito afre-
gnezada m freguezia de Santo Antonio, a tuna
pessoa que entre com fundos superiores al 1:000j,'
e entrega-se mesma pessoa por bataneo ; qucm
quke falle na roa de Horl.is n, 7, que ahi djrao
quem Hz o efocio.
DO
XAROPE DE RBANO IODADO
0 Xarope de Rbano iodado de Grimanlt e C, pbarmieenticos de S. A. I. o principe
napeielo, em Pans, preparado eom o sneco da plantas an-escorbocas coja emcaeia
mu popular.
Encerra o iodo como combinaco orgnica, e considerado como o melbor succedaneo
do oleo de figado de bacalho.
ji*/*1"* P*^'?*0 'ele producto anima-nos a dar a conhecer aqu a opinilo de ahroni
a entre os principad mdicos de Paris, que diariamente o prescrevem.
0 Xarope de Rbano iodado nm medicamento d'um effeilo suave e se uro pri a
medicaco dos meninos, nao smente snppre o oleo de figado de bacalho, mas tindi fax
t as suas vezes com vantagem. > '
D' A. CAZENAVE, medico em cliefe do hospital Saint-Louis, em Paris.
f 0 Xarope de Rbano iodado nm medicamento de primeira ordem para o tratamento das
t aneccoes lymphaticas e escrofulosas. Muitas vezes, empregnei-o com feliz xito, em cerlos
casos de tsica ao sen principio, como succedaneo do oleo de figado de baealho. >
' \ Dr A. CHARRIER, antige ckefe de clnica da Facilidad* d Paris.
0 laropa de Habano iodado sempre nos deo excellentes resultados como regenerador
do a ua, e succedaneo do oleo de figad de bacalho.
IV A. FAVR0T, autor do Traite da maladies des ftmmes.
de Rbano iodado nm dos mais poderosos modificadores das constituicoes
Tenhe visto ulceras escrofulosas que nada poda curar, cicalrizarem-se,
sua accao, com urompiidio extraordinaria. Tambem, pelo sea uso desapparecem
i tuberculosas dos ossos, nos meninos. >
Dr GUESNARO, amigo externo dos hospilaes de Paris.
de Rabana iodado possue todas as vantagens do oleo de figado de baealho,
nbum dos inconvenientes que aprsenla este ultimo medicamento.
IIIBOUT, medico dos hospilaes. Presidente da Soeiedade de medicina i Paris.
t 0 XaropAde Rbano iodado de Grimanlt e C* encerra 4:2 por cento de iodo, na na
T
0
lymph
iracas
as affi
composico Orgnica anloga que se acba no oleo de figado de bacalho.
Dr KLETZ1NSKI, professor de chymica, louvado
dos tribunaes de Vienna.
Deposito em Permmbtco, em easa de Bfeww c
Oopeiro.

Precisare de uta eopoiiw e uma eriada m* se-
jam deligentes e d bons costijmcs : na ra latra
do Rosario n. 37.
Quem precisar de um homem solliro que
sabe ler, esererer e contar para caixeiro de enge-
nho, annuncie.l
Precisa-se de una ajnapara iodo se-vico de
uma s pessoa : a tratar na ra da Seazvla-nova
n. 127, f andar,_____________________
Precisase de nma ama para cozinhir para
pequeua Camilia: na ra da fnwda n. 17.
,PlSiBf!!Sa3^
beblMNbBIISson
0 tratamento das tfeccue oMorotieaa, lymphacas ou cscrophulosas sempre lends-
sirno, e martas vfzesessas molestias resisiem s preparacoes fcrruginosae erdmarias. As
indagacoea feitas pelolprofessores Hannon de BruxeUas, Gensoul e Petrequia de Lyo e
Berzehus e Trousseaude Pars, tem prq.vhdor a^Jc-a causa d'essa persistencia era a compleU
ausencia do Manganesi, elemento que sempre deve-se achar no sangue juncumenle com
o ferro. Estas pilulas auiprem, pois, na therapclica orna falta importaate, e por este
motivo ellas tem mereddo a approvaco da Academia do Medecina e das principaes socie-
dades medicas. Depoito em Pernambuco, em casa de Kaamr O*.

I



MBaPHMi


Diario de Prumbtta Sabbado 23 de Janeiro de 1869.
5
(Mttr
Grande liquidado de miudezas !
Affonso Morcira Temporal, querendo 'liquidar as miudezas existentes cm sua
toja ra do Queimado n. 55, resolveu ainunciar as me blico se certifique do diminuto preco porcue as est venciendo, a saber:
Massos com grarapos 25 a .
Pecas de tranca lisa e caracol a
Sabonetes de todos os prccos a
80 160 200 e .
Abotoaduras para colletes a .
Botes de louca para camisas, a
Garrafas d'agua Florida (verda-
deira) a.......
Frascos com agua de Cotona a
320 e........
Garrafa de tinta roxa a. .
Caixas com 100 envekippes a.
Mantas de seda para homem a
Fita de sarja para enfeite de
vestidos por......
Frascos com oleo para cabello
a 400 e.......
Lila para bordar, libra. .
Escovas finas para chapeo a .
Ditas para cabello a 320 e .
Ditas milito finas para fatos
por preco nunca visto 400
500 e........
Pecas de babadose entre meios
a 600 800 e .....
Gravatas de seda de cor a .
Ditas pretas a 400 e .
Bico e renda das Ibas a todo
preco. S a vista faz f .
Pecas de fita de coz com 10 va-
ras a .,...., .
20
40
240
320
160
1500)
403
800
500
800
600
600
63800
:I20
500
600
1^000
320
500
500
Latas com grasa, duzia a 480
Coques muitc bons com rede s
a rede val......'. 1-55O0
Meiaspara homens boa fazenda
a 3#600 e...... 4^000
Linha de marca,caixa com 16
novellos....... 240
Latas com ba iba i UUiliiaj.diuia 2*200
Frascos rom tanlia a 320 400e 500
Botoes para punlio fazenda boa
a80e' ...... 100
Volt* de Aljifre cousa boa a 100
Fitas para debrum de vestido a 300
Caixa com aipilha franceza a 160
Botoes de ac para colete dnzia a 120
Cartao com alfinetes a.. 100
Caixa com perfumaras muto
fina. S a caixa val I00000
12*000 .......
Copo com opiata muito fino a
400 e.......
Meias muito finas para senhora
duzia........
Cartas francesas a 200 e .
Ditas portuguezas a 120 e .
Caixa de linha do gaz branca 50
novellos.......
Frasco com linfa a 100 e 166
Franjadela p ara sapato (peca) 1*000
Papel de peso muto bom 4*000
O advogadu Dr, Antonio de Vas-
concellos -Menezes de Druuimond
transferid o mx escriptorio para ra
do Imperador n. 20, onde podo ser
procurado todos os das uteis para c
raisteres de sua proissb, das 1
lloras da manliaa as 4 da tarde.
os
1
E'1 elle.
O JoRo Congo ou loao Fe*U, estando enjaulado
em um segundo aidar da ra Jo Ralgel "odui smt
d*m*?> envida a todos os seus dignos comparsa*
irem-lne assistir para verem a sua desgracia
sOrte. visto nao poder ter o gosto.de pa&sear nci i de
da nem de noite, por a sua consciencia o acensar
de que os seus fetos sao mais negros do que a
mais escura noite.O secretario,
Caranguejo.

Lagdo para calcadas
tratar na ra do Apollo n. 4, escriptorio.
15*D00
500
5^000
240
200
piiiiuniHis nt; in.ii
N. 3 hl'A D1REITA N. 3
Continiam a achar-se renda as
pilulas eo xarope alcohlico e ethe-
reode veame, conforme a formula
do finado pharmaceutico Paranhos.
na botica de Francisco Antonio dw
Chagas ra Direita n. 3; medica-
mentos estos asss conhecidos, e
proficientes a quera soffre de rhe-
matismo, escrfulas, erysipla, im-
pigens, exostses ou tumores nos
ossos, amenorrlfta ou falta de
metistruaco e menstruaco diffi-
I, etc.
Ama
Precisa-sede urna ana para cozinhar : na ra
do Queimado n, 5.
Precisa-se de uuia ana |ra cozinhar
ra do Livramcnto n. 22, terceiro andar.
na
Quem precisar de duas amas para cozinhar e
engonuuar, dirija-se a ra da Seuzala-vellia n. 48.
deposito.
Ama
Precisa-se de una ama para eompr ir e co7.inliar,
l*itflllM lili.. ^ a___x a _______-....
proferindo-se escrava : na
4, loja.
ra do Livrameuto u
- Uwmaz Eadsfortli faz sciente ao pnblieo que
era iodo correte deixou de ser caixeiro do Sf.
Augusto C. de Abreu.
Preefsa-se saber se existe nesla prorincia o
Sr. Augusto Jos de Snuza, natural da provincia do
O abaixo assignado faz sciente ao respeitavet
publico e com especialiuade ao corpo do commer-
cio, que deu sociedade ao su caixeiro Jos Fran-
cisco Moreira, em sen estabelecimento de fazenda?.
desde o l de Janeiro do correte auno, lieao o
dito estabelecimento gyrando sob a nrma de. Joa-
quiniSilveira de Souza & C. Recife 21 de Janeiro
de 1809.
JoMfvim SHrerin de ,4zft
eacadnres n. K) ou 11, e de|oLs fez arle dn torpe
policial desta provincia : no cscriuloriu de Jos
600 Victorino de Rezende & C,. na ra da Cadeia a.
Sapatos de tranca e outros muitos artigos, que enfadonho seria mencionar,
RA D0m.TJ.MAD0 N. 55
beseja saber noticias a mai delbinoc Fer-
Itm Grande do Sttl^e quejm fumeldo JUalaaodej reir da Silva, ae veio de Correrites em compa-
gina de Manoel Francisco, morador era Grapw, lia
12 anuos, e ha 7 anuos que de Grapi veio para
esta udade compaiihia de Augus o Cesarlo :
rarigir-ie a m n* Flores n. 12. "_____
Aluga-so o andar do sobrado da na do
Queiaado n. 33: a tratar na loja do nesmn.
Aluga-seo 1- indar na roa do Ranguell.
1. .
52, Io andar, t^cebe-se as iu
a respeito
Ama.
OAM .5 AG'
PnvrsTr-se de urna ama para lodo o servico de
urna <-Ra de nnia s pessoa, paga-se bera: a tra-
tar na na da Palma n. 50.
i" tJAS il" *"
ft6 ^tlMA6
^4
i loja il'a^iiia \\m\o
'Tw-eptaculo dasauotlas e no-
vldades.
A aguia branca tem-se feito to conbecida e
arreditaih, nao s p-las novidades, variedades, su-
periorida le e abundancia de seu rsortiiueute, como
pela-cjiutante coinroodidade desmis precos, e mes-
mo pelo seu assaz e nunca olvidado agrado-e sinee-
lidade.
Ess.is -verdades hicontestaveis sao sera duvida
apreciadas pelo .odio sexo eui jiarticular, c pelo
reapeitavel publico em peral, e a tanto teni diegado
que estSo >|iiasi pasando como aimexim oa pro-
verbio, quando se v un objecta de eleancia,
osto, notidade, etc.,te, diz-se ktgoai|uete ob-
ecto sea duvida m comprado na loja Taguia
branca.
Quando no cli, nos bailes, oh no sabio do
Sania Isabel, una excelleutisiiici se aprsenla
garbosamente trujando, trazendo o moderno cinto
de mu larga fita, liaa,cbamalutada, ou escoseeza,
as suas aili iradoral dizem comsijw aquella lita
loi eompnUa na lojad'aguia branca.
Quando outra exccllenlissinia, ukv menos gsr-
Imc. li-.-d.i t i i^iii iic nii mu ^t.-t na .i.- rttov
-collia dos enfeites de alta novidade que befla-
mente nrnam seu vestida, ainda niesuio as rivaes
le sua sympathia confesaam queaquellcs enfeitaa
fotam da loja d'aguia brauca.
Ouando n'oatra excellentissima, apezar da sin-
gefleza de sen porte agradavel, se vera js bonitas
linas de pelliea duquesa as suas-bellas ami-
as 'iouvam-llie o gosto e eosessam quoaquellas
luvas foran da l-ja d'aguia branca.
Qutndo mesuM duas exctllentissimas, antigs
amigas de coUegio, se enillioiu naqueltec |o^a<
es, depois dos cuaipnmentos de recprocos beijos,
ambas por forcea de sua elevada delicadeza, gabam
tuna a nutra os agrada-vots cheiros-de-que usam
'in seus linos lencos, e cada una das miaes orgu-
ibosas [n-lii que quuvendo por si inwiua justificar dizem simul-
tneamente verdade que este cheirooicompra-
do na loja d'aguia branca.
kinda nal.
Quando linntein os pais.j.fnietos sentbmorigor
da denticao de seu ebaro lilhinho, e boje alegres e
aatMeHoa pelo leliz restabi'lecimcnto .aecebem as
visitas dos seus melbor amigos, dizem aquelles
estes, foi Oeus que me inspiroupara que compras-
e, como -eouprei, nndesses virtuosos cenares
Rover, que se \t ndeni na loja d'aguia branca.
Alin do niiiilo mais que alada
falta dizer.
Quando em tun circulo de eiicumspeclos carac-
tcn-s se discutir a veraeidade do taesdizeres, appa-
rwer um outro pie qu.-ira ainda levemente inter-
roiitjier i diseus.-ao. os primnos por momento es-
queoerao a ta umspercSo e Ibes darao um gra-
aona defeiue dteendo-lbcsj sabemos que V.
um a.ii|iielles i|ii.- inclina o Cbapo de sol ou que
mereca ser deofiao pela apuia branca da ra
do (Jv 'loado n.
Sao tantas; as cousas que por
uinas 'vr-apan as outras.
J a<'sqeceii(lo-.a aguia branca,mas em tempe
leinbrou-se para imticiar, que recebeu urna pe-
quea quintidadi de enl'eiles para coques e gram-
pos para ditos, tildo eio de met I com lindos e
ag -ida veis coloridos, liras estas pela primeira vez
iipparecidaa, e portanto inteira novidade.
Tainbem eliegaram novamente delicados enfeites
e flores ornadas le aljofares e vidrilhos, tanto de
pailia para eoqi es como para vestidos, e tudo
eoAitina a merecr a aprociacao das exceentissi-
mas conliecedoras do liom.
Precisa-se de um caixuire de 13 a 16 anoos>
e que lenba alguma pratica de taberna: a tratar
na rita Direita dos Afogados n. 38.
Para familias
ftraude Bazar, ra Aova ns. SO c
*, de C'ariiciro Vlanna ii C.
Acaba de chegar a este estaljeleciutento
grandefwrQio de macliinas para costuras Jo
autor Wheeier Wilson, approvudas na ulti-
ma exposico de Paris, as quaes tama com
dous pospontos toda a costura, e tem a
vantagem de ser to suave o mo\ ment,
que qualquer crianza de oito annos fcil-
mente- traballia, e pode, com este ntrate*
mnenlo, levar vantagem ao servico diario
de tiint costureiras. A comprelien rto
simples, pois em um quarto de hora se ti-
ca senhor do movimento da machina, ten-
do a mesma a propriedade de fazor as se-
guntes costuras: pos|iontar, abainhar.
franzir, marcar e bordar,como apiesentam
os desenlios que acompanham-nas. Os pro-
prietarios do estabelecimento se eucaire-
gam de mandar entinar n'esta cidade, e
garantem entregar o importe dispend'nlo ao
comprador, no caso de nao traballiar com
perfeico a machina vendida, no tendo,
porm, soTiidoella alguniaavaria. Ilatam-
bem no mesmo estabelecimento niacliinas
do autor Grower & Baker, de trabalho sim-tfez uma encommenda direda (lestes coHares
plesmente mao, e nutras com niovimento
dos ps; e mxime todos os pertences das
mesmas machinas, para vender avulso.
A ui'iioa, ftl/tos c genio do fi'-
nado Jos dos Sanios Nevcs con-
vidam aos seus parentes e amigos
para asst'sfircm s missas que, pelo
repouso eterno d'aquel'le sempre
tembrado e chorado esporo, pai e
sof/ro, mandara celebrar no dia 26
do corrate, primeiro anniversario
de seu fallecnento, na igreja Or-
dera Terceira de $. Francisco, s
7 horas da man/ida ; c desde jd
agradeccm cordiafmcnte d todas
aspessoas que se prestarem este
acto religioso.
Precisa-se de um
ra do Imperador n. 50.
feitor para mgenlio:
Na ra do Hospicio, sobrado n. 23, junto kis
trilhos urbanos, ha rana escrava para alugar, que
cozinlia, cugouuna c lava. _|_
Aluga-ae a casajerreati" 19 da ra do Tam-
bi, na lloa-vista: a tratar najalfandega com o des-
pachante Joao Bartholomeo Goncalves da Silva.
Alugam-se o Io e 2 andares do sobrado da
ra da Penha n. 29, preco conmiodo : a fallar na
ra Direita n, 93, 2 andar.
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica
de taberna, que d fiador de sna conducta: ra
das Cruzes n. i\. %
Oflerece-sc um hornera para caixeiro de qual-
quer estabelecimento para tura desta praca, dando
fiador a sua conducta: quera precisar aanuncie
para ser procurado.
Urna erionla de 2 annos, (jae sabe coser, la-
var, entornillar e cozinhar, deseja obtor a sua li-
berdade, mediante ajusle para pagar em servieos:
ipieni poder annuncie.
GRANDE HOTEL
DE ORIENTE.
Jnaugurou-se este commodo e elegante
estabelecimento donde os seus frequenta-
dorefl podero apreciar a especialidade na
eonfeceao dos gneros alimenticios.
As bebidas s3o as mais primorosas e re-
coiiiinendadas.
A decencia e bom servico prmam n'esta
casa no bello gosto oriental.
Nandam-se domicilio comedorias, tanto
avulso, como por assignatura mensal. Os
precos sSo mdicos e convencionaes.
la una espacosa e bonita sala para o
'legante jogo de bilhar.
Ha tambem aposentos commmodos e bem
inobilhados para hospedagem.
Ra larga do Rosario
n. 44.
Atteiiciio.
Fngo hontein o escravo Julio, de boa
presenca, naco Motanibitpao, de 48 a 50
anuos de idadepduco mais ou menos, alto,
lOipiJktito, rostocotnprido, beicos grossos,
os brancos dos olhos meio amanillados, os
cabellos e barba pintando de branco, mas
traz as vezes a cara lisa, tem a falla baixa e
gi'ossa, una cicatrtt grande e profunda por
ima da fonte direita bem vizivel, que foi
d'um cotice de cavallo, mos regulares, ps
penenos, aleijado da perna esquerda na
altan do joelho, pelo que arqueada e
quaudo anda man'jueija, tem tres talhos da
naci bem salientes entre as sobrancelhas
postor, ao comprido ; levou uma trouxinha
contendo uma calca de brim de algodo
riscado e uma carniza de chita; levou ves-
tido carniza de algodo riscado americano,
.alca de brim pardo por cima de outra de
casimira dequadriohos, chapeo defeltro de
copa redonda pseto, tudo bastante usado,
foi pegado ha um mez na Varzea, e talvez
ja tenlia tomado essa direc?3o, ou Torre,
stradarNova 6 e as mais proximidades
destes lugares, foi escravo do Sr. Jos Bento
da Costa, do engeiino novo da Villa do Ca.
bo, e talvez ande por alli.
Costama andar traballiando de enxada em
diversos sitios d'aquelles an'ebaldes, duen-
do ser livre. As atitoriades polctaes e aos
capitSes de campo roga o abaixo assignado
a sua captura, que os recompensara; assim
como protesta contra quem o tiver por dolo
acoitado. Recife 20 de Janeiro de 1869.
Silcino Antonio Rodrigue. .
InstrnccAo primaria.
A abaixo assig ada competentemente habilitada
reci.be,rua do .Arago n. i, meninas para o en-
sillo de priineiras letras e de costuras : assegura o
melbor Ualamenti, dedicaeao e interesse pelas
atumuas. Beeebe tambem pensionistas e meias-
ueusioists, tanto da cidade eomo do exterior.
_________JosepiM Anguila de Castro Fotuecn.
Precisa-se a lugar um moleque, paga-se i4
rs., que regule la anuos de idade : na ra do Ca-
bug, n. 2B,
Fabrica de carros e gelosias.
v. i
1K
oirier.
9-Rua do luiperador-9.
Xeste estabele imenlo sempre se encontrar um
grande sorlunenio .l-i;e|,izias(Steuesianas) das mais
modernas e de tod-js os lamanhose larguras, cora
crrenles galvanisadas e lainbeni de fita delinho;
asseuta-se cora bievi.laile as que forera para dar
dimencoes das fabricadas, e concerla-se as mesmas
por preco rasoave.
Cozinheiro.
Precisa-se de um boui cozinheiro: em Sanio Ama-
ro, casa do Sr. Ma ioei Custodio, n. 22.
- Precisa-se d< urna ama forra ou captiva, que
tana cozinhar e eiigommar : na ra da Cruz n.
40, armazein.
Escriptcrio de advocacia
26Riv lama no Rosario26
O advogado baeharel Ayres de Albuqueniue
(jama tornou abrir o seu escritorio na ra lar-
ga do Rosario n. f. onde potle ser procurado, a
iiiiahpier hora, paia ludk us misteres da sua pro-
llssao.
Furto.
Furtaram da ro. larga do Rosario n. 50, primei-
ro andar, por todo mez de dezemhro e Janeiro cor-
rente, uma magnif ca cruz de brilhantes comprada
lia tres anuos por .mi ; suppoe-se ter sido o fur-
to feito por algum aiuulo da casa, por quanto ha-
vendo diversas outias obras tambem de brilhante
na caixa d'onde fo ella furtada, somentc a cruz
dcsappareceu, lieaido mesmo uma volta de perolas
a que eslava pro!: gralifica-se generosamente a
quem a tiver comprado, e restituir na mesma casa
a Euzebio da Cunlia Uctro.
Precisa-se de um moleqne para o servico do-
mestico : na ra de Agoas-verdes n. 86, i andar.
Precisa-se de uma ama de leite sem fillios
na ra do Vigarw n. l>, 3a andar.
Na ra eslrcita do Rosario, sobrado de um an-
dar n, 35; alugam-se rico vestuario* bordados a
ouro e laa, ovos, ie muito goslo, dminos de seda
3 de laa, todos de f oslo e bordados de velludo, para
vender-se, e faz-se para quahpier pessoa que quei-
pa mandar fazer a gosto e a carcter de qnalquer
hgurino,tem um fraudesortimento de dominse
vestuarios de principe, ludo em muito bom estado
para alugar a z i ada domin e vestuario, e para
vender por muito barato preco. tem rosas para
'mfeitar qualquer vestuario proprio para o car-
uval.___________________________..
Precisa-se de mn feitor que seja trablhador
i) de bm compo amen lo : a tratar pa ra da
jPraia m. 13. e i o.
(VSTiTl TO ARCHEOLMICO E (E(GH APHICO
PER.\.lM'C:\X0.
Tendo o Instituto Archeoiogco e Geogra-
pbico Pernambucano de celebrar o stimo
niimiremid d Mua TundttrUo no dia 27 do
corrente Janeiro, pela I hora da tarde, no sa-
15o da Bibliotheca Publica Provincial, no con-
vento de Ndssa Senhora do Carmo, sao con-
vidados para semelhantc effeito em assmbla
geral todos os socios que se acharem no
Recife,eAfectivos, honorarios e correspon-
dentes.
Nao conliecendo o Instituto a sede das dif-
ferentes asssociacties Iliterarias, scientificas,
artsticas e de beneficencia que existem nes-
ta cidade, tem a honra de convidar pelo
presente edita! a cada uma de taes associa-
eflfes assistir solemnidade do da 27, ou
a fazer-se ahi representar.
E para conhecimento das coiporacoes ou
pessoas que tiverem de ornar a sesso com
a sua palavra authorisada, aqui se transcre-
ve a ultima parte do art. 28 do regiment
do Instituto:
Se na sala existem socios ou pessoas
outras que desejam 1er algumas memorias
interessantes, participam-no ao secretario
perpetuo, para este prevenir o presidente,
o qual d a palavra aos autores das memo-
rias ; a letura de cada uma das quaes n3o
pode estender-se alm de meia hora. Porm
nenhuma memoria ou trabalho pode ser
apresentado e lido em sesso publica, sem
que antes seja submettido a uma commisso
de exame para isso nomeada, a qual tem
voto decisivo sobre a conveniencia ou in-
conveniencia da letura.
Secretara do Instituto, 18 de Janeiro de
18G9.
J. Soares de Azevedo,
secretario perpetuo.
Precisa-se de um caixeiro com algnina pratica
de fazendas para um estabelecimento perto desta
praca : a tratar na loja n. 6 da ra do Livramento.
Deposito de mo/hados
Joo Botelho Jnior, nao podendo continuar com
seu negocio por encommodo de sade, vend o seu
deposito de molliados sito ra da Imperatriz n.
68, bem afreguezado, e para pagamento de , credures: a tratar no mesmo.
Pede-se inormacoes se existe nesta capTial
o Sr. Luiz [a'w Guimanies, lilho de Manoel Leite
Guimai es, no reino de Portugal; no escriptorio
de Jos Victorino de Rezende 4 C., na ra da Va-
Mu n. 52,1 andar.
Antonio de Andraolv de Luna avisa ao pu-
blico e especialmente ao respeitavel corpo do
commercio. que admittio para socio de sua casa
eommerrim em Goianna a ra do Meio n. 27, a seu
sobrinho Luiz Antonio de Amb'ade J^una, tendo
principio no dia de Janeiro de 1869, na razao so-
cial de Ivo Antonio de Andrade Luna & Sobrinho.
Rap Gasse e Paulo
Cordeiro
Xo armazem de Ji Joa<|iiim Lima laiao. a
ra da Cruz n. 18, tem constantemente suprimen-
o de rap Glssc grosso e lino, Paulo Oudeiro
coniraum e viajado; nao precisa fazer apologa de
sua exceliente qualidade, pois ella j de mais
conbecida, assim como o lugar proprio de sua
venda.
MSmttti AMCABAfliS
DO
DR. PATERSON
De hismnth e masiiozla.
A NOVA ESPERANCA
21=: Ra <|o Qioiinulo = 21
h para presentes
A Nova Esperanza, ra do Queimado
n. 21 tem um vaiiidn soitimcnto de obji-
(os de goslo e phanttisa proprios para pre-
sentes, sobresahindo entre olios ricas caix-
nhas de bano com finas perfumaras, ros-
lureiros de chagrn, agullieirus de madre
perola : assim, pois, quemquizer fazV unu
inda ollera, dirigir-se .Nova Esperanca,
ra do Queimado n. 21.
Pura baptisados
A Nova esperanca ra do Queimado n
21, tem ricos vestuarios proprios para bap-
lisadus, sapaiinhns, meias de seda e fio na
Escossa para o mesmo lim.
Collares anodinos ellccfro-magnett-
cos contra as convulcdes dos
cr caneas.
No resta a menor duvida, de que minio
collares se venden por ed intiiulados os
verdadeiros de Uoyer, c cs porqae muitos
pas de familias n.o creem (conipraiidc-f
no effeito proiurttdo, o que s pdem dar.
os verdadeiros; a Nova Esperanca, porm
que detesta a lalsilicacao principalmente no
que respeita ao bem estar da nomanidade,
e garante aos pas de familias, que sao os
verdadeiros de Royer, que a taas crean-
cas tem salvado do terrivel incommodo de
convulces, assim pois preciso, que ve-
nham a Nova Esperanca a ra do Queimado
n. 21 compraren! o salva vida, para seus
lilliinhos, antes que estes sejam acommeti.-
dqs doterrivel nial, quando entio ser di-
Ificil alcancar-se o eiteito aesejado, emhora
sejam Bnppagf^oj os verdadeiros collaies
de Royer.
Aos amantes das cacadas
Commodas boleas proprias para os eaca-
dores, vende-so ra do Queimado n. ?!,
loja da Nova Esperanca.
Preparo para flores
A Nova Espoi anea, ruado Queimado
Remedio por excelencia para combater L. ai, tem mu completo sortimento de pre-
nagreza, facilitar adigesto, fortificar o I pares para flores, c orno seia papel parafolhas.
am
estomago etc.
DKPOSITO ESPF.eAl..
Pharmacia de Barttiolonieu A C.
34------Ra larga do Rosario .'I .
Vende-se una casa terrea, cora bastantes
commodos, sila na ra da Estacan, na pVoaro dos
Montes, em Una, junto a estco da tstrada de
ferro : a tratar nesia cidade con Virgilio de Castro
Oliveira, travessa da ra do Vigario.
Precisa-se alugar um moleque oii.mcs.....um
preto de maior idade : quem tiver pode vir tratar
no pateo do Terco n. 6:1.
Fugio no dia 1:1 de julho de 1868 o escravo
Domingos, mulato, idade 22 annos, poiico mais ou
menos, cornos signaes seguimos : cor alaranjado.
nariz chato, tem os denles da frente podres, bem
apernado, muito regrista e at inlitula-se por
(brro, tem mai do eogeuuo Serrara, freguezia do
(abo. e ten'| prenles no mesmo lugar, cnjienho
Bou, di i-ivn .
fregunrfe lo Cabo, Nomeriano Jos de Barros :
quem o pegar leve ao seu senhor Luii Gomes Sil-
veira. morador na ramboa do Carmo, freguezia"de
Santo Antonio do Recife. que pagar 1003 pelo
seu tcahalhu ; consta que o dito mulato est tra-
bajando as pedreiras de Xazareth do Cabo in-
titulado de forro.
COMPRAS.
Ama de leite
Proeisa-se de urna ama para acabar
uma enanca de 8 mezes, prefere-se sem
tratar na ruadlo Amorim n. 43, 2 andar.
de criar
lilho : a
Aluga-se
Compram-se 30 pipas com niel (s o caldo):
a tratar no caes do llamos n. 2i.
= Compra-se ura escravo preto que seja regu-
lar cozinheiro, cuja idade regule de 2 a 30 annos,
cuja compra realisada para a provincia do Rio
Grande do Sul: a tratar no escriptorio de Jos
Victorino de Rezende & C, na ra da Cadeia n.
52, 1andar. __________
= Compra-se uma armaoao envidracada : a
tratar na ra Direita n. 3S.
Escrava
Precisase comprar uma escrava que saiba en-
gommar : cozinhar e de boa conducta, quera ti-
ver annuncie ou dirija-se a ra do Queimado
n, 69.
ALTA NOVIDADE
A
Loja do Pavfio.
GURGL'ROES para VESTIDOS A 1-jOUU.
0 COVADO.
Ehogaram os mais modernos ffurguroes
para vestidos, sendo de todas as cores,como
sejam verde, azul, rosa, bismark, perola,
rxo tendo quasi qualro palmos de lar-
gura vende-se pelo baratissimo preco
de 16000, cadacovado nicamente no ar-
mazem de Flix Pereira da Silva, na ra da
Imperatriz n. CO.
Rhins paha cal(:v au um do pavAO.
Vende-se os mais modernos e melhore
hrins de lindo ele todas acores,ouiiusconi
batas do lado, {laraiitirulo-se seren de linho
puro e vende-se por procos muito em cun-
ta-no armazem de l-'elx Pereira da Silva, i
.. jeja papel pai
!dito para petnV, clice, hotoes, folbas de
panno e todos os mais prepares para for-
in.ir-se. um ramo ou grnalda, com gosto e
derfeico.
Agua divina
A Nova Esperanca a ra do Queimadon.
l receben nova remessa de verdadera
agua divina.
Para extinguir as sardas e
panno
Recebeu a Nova Esperanca, ra do
| Queimado n. 21. leite de rosas, espe< a!
para extinguir sardas e pannos.
Para abejar o conservar os dentes, n o
beua Nova Esperanca, i na do Queimadi
n. 21, o verdadeiro poz de rosas e o elixir
lentifrico e o dentalgico.
Grande liquidado
0 propretario d'antiga e,boa conhec!i'
loja (le 'muilc/as ii--n"i!|iiada Beija Flor-,
ra do Onemiado n. ():{, quereiido a. ;.i i
aun o sortinioiilo \\\> mindezas que exist.
tem deliberada proceder a una completa -
ipiidaeo. pora o une Chama a attencode \ -
dos.
Os objeetos soro vendidos por metadi do
sen valor, e para que o publico, nao suppt-
uha, que o presente annuncto urna iliu'-f,.
o proprietario da dita loja. offerece urna pp-
quena lisia de algumasmiudezes, com os w s
diminutos fprocoscomo abaixo se ?r;
nao apresentaiido una lista completa deti-
dos os objeetos quo eslSo expostos a venda,
! pela razao de
Ferros vellios.
Compra-se toda e qualquer porcao, tanto batido
como fundido: no caes Vinte e Dous de Novembro
n. 24 (armazem).
Compra-se um pianno inglez que seja mo-
derno ; a pessoa que tiver para vender pode vir
tratar no pateo do Terco n. (3.
Com muito maior vantagem
Compra o Coraeao de Ouro, n. 2 D, ra do Cabu-
g. momas de ouro e prata e pedras preciosas.
Compra-se uma burra (cofre) que seja segu-
ra ; a pessoa que a tiver para vender pode vir tra-
tar no paleo do Terco n. 63.
A casa terrea com sotao na ra do Fogo n. 32,
para qualquer eslabelccimento ou moradia: a tra-
jar cora o solicitador Maaool Luiz da Veiga.
O solicitador Manoel Luiz da Veig contina
a morar na ra da Gloria n. 94 ; acceita casas de
partido cora mdico onerario, e seencari'ega de
lalugueis de casas nesta praca, concert, etc. com
uma porcentagem razoavel.
Precisa-se arrendar um sitio grande, atea
distancia de :i leguas desta cidade: a tratar na ra
da Imperatriz n. 26, loja.
Precisa-se de um caixeiro com pratica de
taberna : na ra da Aurora n. SO.
-- Precisa-se de utn trablhador eapaz para
tratar de um pequeo sitio, prefere-se casado : a
tratar na ra Nova n. 19, Io andar.
No largo do Carmo n. 13, precisa-se de um
caixeiro com pratica de taberna.
Jos Soares de Azevedo, proressor de
lingua e litteratura nacional no Gvmnasio
Provincial do Recife, tem aberto em sua
casa, ra Bella, n. 37,
Um curso de
LINGUA FHANCEZA.
GEOGRAPHIA E HISTO-
RIA.
PHILOSOPHIA.
RETHORICA E POTICA.
Os estudantes que quizerem frequentar
qualquer d'estas aulas, tanto os que devem
fazer exame em marco prximo, como os
que teem de.seguir o curso durante o anno,
podem dirigir-se indicada residencia, de
manhaa at s 9 horas, e de tarde a qual-
quer hora.
Compra-se escravos.
Lino de Faria & C, na ra do Vigario n. 24, es-
criptorio, Io andar, comprara escravos de arabos os
sexos, sendo que, moloques de 14 a 20 annos e bo-
nitas liguras. serao pagos por muito mais dinheiro
do que em outra qualquer parte.
Ouro e prata
em moeda e em obras inutilisadas, compra-se por
bonr preco : na praca da Independencia n. 22.
Na praca da Independencia n. 33, loja de ou-
rives, compra-se ouro, prata, e pedras preciosas, e
tambem se fas qualquer obra de encommenda, e
todo e qualquer concert.
OOZIOBFRA.TA.
Compram-se moedas de prata e onro de todos
os valores, ouro e prata era obras velhas, e pedras
preciosas; compra-se bem na ra da Cadeia n. 2,
debaixo do arco da Cuneeicao, loja do ourives.
Compr-se uma negra que saiba cozinhar
engoraiuar : na ra de Santa Rit.-tNova n. 63.
Compra-se uma rotla em bora estado : na
praca da Roa-Vista n. 9, loja.
ra da Imperatriz n. 00.
Pechincha eh ai.(;ouosimio a otiiOO
\ RBCA NA LOJA 1)0 PATO.
Vende-se superiores pecas de alod3osi-
nho com 20 jardas a i^oilO a peca, gran-
de pechincha, na ra da Imperatriz n. CO
armazein de Flix Pereira da Silva.
AS DEZ .MIL VARAS DE CAMRAIAS FUAN-1J .* ?' "'!'"' ?umc7 fT'
CEZVSSNV LOJA no P\vui iam 5*teDS0e)0rconseqwnciadeenfadonliah>
LUJA 1)U I A\ AO A obU (||I., ^ m ^^ ,,.,:,.,.,,, ;1> S|,,|jli(l.. .
, f ~\ Duzia de miadas de linha pai a
cambraias Irancezas fazer croch
com os mais delicados padroes, tanto nii-l i r..va (,, ,,, _,.-,.,
dos como grudos, e com as c.Ves mais no- j S?1 d' "ll,a; m M "ou'1|,,
vas que tem vindo no mercado pelo har-1 j ^j.^ g
lissmo.'preco de iOrs. ometro; garanlindo! ,. ,5. .
que 7 metros do um vestido para qul-ftoo Mu
quer senhora, e que em outra qualquer loja | j Vji. (
nao se 'encontrar a mesma fazenda por
RS. 0 METRO.
Vende-se finissima;
50
lo
cai'iiteis de
16C
300
SMC
300
300
igual preco, e sims na loja e armazein do Fi..,.', ,'*- nn .i,.),.....
l'avao.rua da Imperatriz n. 00 de Flix ^XLf lu
Pereira da Silva. as rores,a p..a.
Cassas iuglezas a 440 rs o metro ,* a"'
Cassas iuglezas a i-I O rs o metro
Vende-se uma grande porco de bonitas
cassas inglezas tanto graudascomo iniudi-
nhas e de cores lixas pelo barato preco de
i40 rs. ometro,gaiTntindo-se que 7 metros,
do um vestido para qualquer Sra. s na
loja do Pavo ra da Imperatriz 11. 00 de
Flix Pereira da Silva.
RETALHOS PARA LUTO NA LOJA DO
PAVO.
Vende-se uma grande quantidade de re-
tamos de chitas e cassas pretas por proco
muito barato, e quanto maior for a'ponTio
que o fregu comprar, mais barato se he
vender na ruada iniperatriz n. 60 de F-
lix Pereira da Silva.
Poli de chvre a 1#000 o rotado
Vende-se poil de Chvre muito largo com
as melhores e mais modernas cores pelo
barato preco de 1#000 o covado, na loja e
armazem do Pav5o, ra d.tImperatriz n. 00
de Flix Pereira da Silva.
de
11 todas
Ao^Srs. de engeiiho
Ha para vender uma exceliente machina de dis-
tilacao. a qual se acba em casa dos Sis. Villaca:
ra do Brum ifuudicio). Para tratar com o sen
dono 11a ra do Hospicio n. 23, que fara negocio a
dinheiro ou a prazo.
Vende-se
VENDAS.
AITENQaO
\ ende-so uma escrava de nacao, exedhente qui-
tandeira e lavadeira, e soffrivel cozinheira : a pes
soa que a pretender dirija-se a ra Augusta nu-
mero 96. ______________^^_______
Ein casa de Theod. Chnstiansen, roa do Com-
mercio n. 16, encontram-se elTectivamente todas
as qualidades de viuno Bordeaux, Bourgogne e do
Rheno.
Para o carnaval
Na ra do Crespo n. 6 tem para vender velludo
de diversas cores, muito proprio para roupa de
qualquer qualidade, e um grande sortimento de
plumas, que tudo se vende por baratissimo preco
Vende-se ma can-oca de cavallc
grande e nova: na ra Imperial n. 136.
Duas pas de marmore muito finas, rom OorSes
em relevo, qu pdem servir para igreja, ou para
casas particulares, vende-se por preco muito com-
modo: ra Nova, escriptorio de Quintiro &
Agr. n. 63.
Vende-se
um cofre de ferro, grande e bem fornido : a tratar
na ra da Cruz n. 23,1 andar.
Vende-se
A taberna sita 110 becco das Camina* 11. I. afro*
Suezada lano na praca como fra della; por seu
ouo ler a familia doente fora da cidade e qa< rar
retirarse, vende-a; boa para qualqu>-r princi-
piaoie. e (em commodos para familia : a tratar na
mesnirr.
IkJVll
de, cera, de massa, de rame e de seda, a [-rosos
barptissiraos, em porcoes c a retamo : uo arma-
zem do vapor francez, ra Nova n. 7.
Vendera-se oito moradas de casas de pi4ra e
bstanla. calna ra Imperial : a tratar ua mesma 1... uu-
aeftttr.
Dita
Dita
Peca de uta delinho com 10 varas,
e qeusene para eos.
Dita cus
Pentes vottiados para menina e se-
nhora.
Ditos muitos linos.
Ditos preto com chapa.
Ditos brancos
Ditos pretos.
Ditos brancos linos.
Escovas para lenles a 100, iO e
Ditas para cabellos.
Ditas muid finas.
Ditas para roupa.
Ditas dita de dila.
Pentes de coque com lita a 1500,
2QQ0e
Pentes para coques l>k). r>300
3->000e
Peca de franja paratoalha a peca
com 1 i varas.
ntremelos bordados a pera 000
Tinteirosdo porcelana l->500 >
Ralaios para meninas de escolla
bonito desenlio 800, l&, 100
Peca de lila de seda paraenfei-
es de vestidos.
Fita de sarja de todas as cores.
(ravatas pretas a 30 c
Ditas de cores.
Sapatos de tranca e tapeto.
Garrafa de agua Florida verda-
ira
de Frasco com extracto eto sapati-
os.
nhDitos com leos.
Dito aguado Colonia, piquenos.
Dito, dito de dito do flexor.
Ditos com nanita.
Ditos com tnico.
Ditos com oleo Alocme.
Ditos com extracto e banha.
Ditos com extractos diversos
Pao de pomada.
Ditos pequeos de pomada.
CapeMas para noivas muito linas.
Sabonetes, lO, 320 e
Ditos transparentes de boilaOO,
Redes para cabera
Bandeja 900 a
Duzia de botes de seda para ,.-
feites de vestido
Poreeia de cant
|f>00
560
itO
1-0
BflQ
.'('0
300
Hl
00
::.'(>
2SD
100
:((
280
900
:;:ii
50
2^00
fcooo
MII
700*
2->300
t*1)
IdOOO
mm
00
SOO
um
t
t
500
I 000
:(.0
MKIO
1,1000
l^iOtl
so
500
1 A'-I't




ifcjfc
hmm
(V
Dkrio 4f Peiiwnbiu-o SM*do 3 ^ J^|o <*> 1369.
AO BAZA15 DA MODA
DE
tf I
JOS DE SOUZA SOABES a C.
Eua Nova n. 50, esquina da ra de S. Amaro.
PARA O \0 VO AMMO III: I &G9.
S< ivo wMimi'iiIo de aWijnadc moda toso, rePetoidos felo llinio-vaaar vindo 4a EnnWpa.
Ktptnml ftnriimeiMMC'tuqr-ri) para mimos.
Verfumarias linas dos principaos autores.
Lavas de iiellirYfr.'scas, brancas c do coros para hnrriens e senhoras.
CtaupooanhM dp palha de llalia entortados, para stmhnra.
Ricas rhapiinds para srihdras. gorros de palha dealalia pan, enaorcate Meninas,
lsfwkd sortimento de stalos para senhoras.
ISnfrttes flCgc^o para snntanras.
Hilas ile iosdtaide superior de todas as cotes Margaras.
'Franjas oom-vidrillios, brancas, de cores e prrta*.
lluarniojtes Y inflas ns pilidailps-para vestidos.
VBMOat* ^completos para haptl-ados.
uolinlias e nimbos entortados para sentaras.
Civfne-s ToJwrnos.'-Hsos e imMtadbs.
Bornous dolauc seda, cores claras, moda eleganteqiara seolitras de bom .gosto.
Corpiihos ttr ambraia enfeitados para sentaras.
;ch iJiapeosde olpaialHimens e seuhoras.
FlmnHiiias,>ortimentn especial.
Vtmnaelpfnt) doqvtalftradr stipertor.
iiatos rica^dapalha. alta novMade.
firnaldas flores tiaas.
Camisas .superiores para tamons.
Golarntas e punjws.
Onrvatas e manta?-inddorfias. ,
f*e^alas>da 1 .aixas:trramkwi'oiu(uMro poBasdoJiHaici.
Fii)r. -s il<;ip*Uia itaratgiwsi^o&ide .vestidos, botfos.'fivelas.lieos paraonfeites.
Chapeos de pello do sftaa pretes", forma-a BotaMM, faiendasiij^riop-para -heMieo*
GwimtesdcplaifUrVUno, {ostosbnmtosparapclogios.
Qatyilrtas debtnn |ntt>wa'as momias.
Coreme* prutas de-borHicliadivrsos -modelos para vortas.
(Mijwt'xs paraJulo.
E motosouteos artigas de novidadeque s YHtapedem ser aproeiades.
Bxislo emirimimeflte meempleto sorftmeiito demiudezas,vende-9epor gNsso e a retalo
A OHflODO lIUE< OS
BAZAR DA MODA.
99 AO reirA aHoda;* partes de njnndo, empregam, eom o maior xito,
f Uo JJl.L-L'l\jUo o phosphalo de ferro soluvel de Lbras, para curar a chlo-osi
w. /a-, paluda), s d$r do estomago, e a exhausta?* do sango*; com esta prprc*o, dio
4r o cor o vigor, e ds carpes, a sua irme* pajaral; Acuitan + desaovolvimetp lio Jabo-
rite da pobenlade. Cok e/Ccito, ludo, Veaj medicamento., se acha reunido para lhe
aseegurar mai )r crdito, pois qae entrara, 4 sua .eomposico, os elementos dos osses e
do sangue. 0 un autor, Ii. Lbras, douior en scencias, paermaeeuiico, profeaser de
chymica, inspector da Academia, oi, recrfitesejite, condecorado da orden da Legito de
Honra, digna reeimpensa dos seus importantes trbateos.
As seguintes^oreciaioes dos mais celebres -awaleoe ada kb eorroborar t jiutificar
todos estes tiuifcenfianca publica : .
Precisa class.ificar o j>hospbato de ferro soluvel entre 05 ferruginosos qne melhor
t convem aos doentes cnjosoi|ios djgeslhos smportam inal as preparuooes de fcn.
SLBElRAN, profetsw na Escola de medicina e d pharmaciM.
11) phosplmto de ferro sdravcl (, em qnanto arnimij a melhor das preparac5es ferrttgi-
m nosas, e o ten emprego di os mais promptos eurosiicuHades. >
ttWAH-, medico iir-kasntldl$Miite Eugie.
c A furnia'liquida do plrospbate fle ferro soluvel d-Hie nw rainensa .vantuem sobre
* as pilulas; eu considero eslemedicamento cono muisuperior a preparauoesiodadasi
f AltNAL, vieiico de S. -t-o Imperador.
< Entre lodos-i* Terroginosos, nSo conhccemOjum sd que obre lo proiupu e efcaim.ente
como o boplwlo de eri ioluvcl. isso, eem cansar o eslpmaco.
JfCLLOC, BAUME, B1C0T,*}LLET< MVOT,-few dos Jmpium.
c Os effeilos c,a preparacSo de phospbalo de "ferro soluvel me parecem -ser mnl seguros
m e promptos. bEliOl T, redactor em che fe do tulletiu thirapeutique.
Entre todas as preparaces -ferruginosas, o phosphato de ferro solavel foi a que aempre
me deo os melhores e mais satisfeclorio6 resultados. GlilDObT, medico de botpitaet.
0 phosphato de ferro soluwl tora, sobretado, -t'-veaugem le -ertiar a-eanstipaew *
obvit Deposito em Pernambuco, m cata de Mamar e O'.
'!&&:*.
Tem para vender em seus armazens, |
tros, os seguintes artigos
Papel para imprimir.
Perlina azul.
Gwve pautado e liso!
Ytohos em cabs de te garrafas
Bourgogne.
Hery.
Maueira.
Hennitage.
Chamblis.
Licor de ouracao de Hollanda eoi lee cuatro botijinnas.
_'.1C1
- I da do Im
deBURINuBUISSON
^*'^*1 SdjJsESP IGESTIVA&
r^* ^'CON UACTATO OE SODA E,MAGNE<
Estas Pastabas constitnem o medicamento o mais nova e o mais racional para com baler
todas-as aieecSos das va lif etlrvu. Mas coatem, com efleito, o acido lctico, un dos
elementos noraaes da digesto, combinado eom a magnesia calcinada, ojos bons ef "eitos
tem sido appreciadoi pov todos a medieos, o bi-carbomuo de soda, sal qae faz a baso das
aguas de Vfchy e da maior, parte-das aguas neraes alcalinas. Este trplice conjuncto de tres r
productos cuja efikacla^ppalar,-piice bom xito que se oblem as tfiurtt, gastralgias "I
takidat degztt, tuehaeo erontajo, vmitot depoit da cernidas, tdtMstoas, 'tirtt'l
estomago, etc. Deposito em Pernambuco, empata de Kaarer c.
PREGO CBRENTE DOS CHAPEOS DE SOL
Da fabrica de
MANOEL & C.
Dabug n. 8
AppretaeSi
da acadeui
de medicina
de Parit.
:W&
iKwnur
PhamactuHco
laureado
da academia
de nedecina.
Ra Nova n. 23,=Hua do
Pernambuco
ntfltf
de
Chapos-de seda trancada, Pararon, de 16 hasles. 28pHegadas
pulhgadas a.l.%>, e ii poHegadas a &QO0.
Ditos de seda G. de N. ara, de a?o, de 10 hates, 28 fVrtJesadas a
de 20 pollegadas a 13 ; e ai pullegadas a l#K>0.
Ditos de seda G. de N. lisa, de ac, de i hasles, 28 pertlegadas a 1*V
20 pollegadas a'H; e>2i pollegadas a 10/>000.
Ditos de alpaca, de ac, tle 12 hastes, 28 pollegadas a Gi>!; e- 26 iiollegadas
';;o00.
Por -diiaia faz-se descont d 15 0|0
Qiapos de sol de mu, de baleia, de 8 hasles, 24 e 26 potewdas a 32>
(DrMOiih. de 10 0|O).
Ditos de paaiio, de junco, 8 hastes, a 180OO a duzia, liijuido.
ferntgjnosas liquidas tem desde muitot annos merecido a approyacSo
especial dos mdicos, porque ellas obrao mais rpido e atjuramentc de qne as pilulas, e
;raclas i r"*
rap
Is PC
a duzia.
As preparac5e:i
do
sao mais fcilmente toleradas< pek-s doentes. Os Pos ferro-manganicos possuem a inaiiprc-
ciavel vantagem de poder offerecer n'um instante urna agua ferruginosa gazeosa, de goslo
agradavel, mais activa do que as aguas mineraes, e contendo de mais um elemento precioso,
o Manganese, qu-3 sempre se achano saqgae, junctamcnle com o ferro. EmpregSo-s* em
ldas as moTestiEs qu tem por causa o empobrecimento dosangue, assim romo para vigorar
os temperamentos debis e lymphaticos. A clilorose, &s Peritas'brancas, dores 'estomago,
a irregularidade da menstrnafo e amenorrha ev suppress-ao do menstruo, eedem 'rpida-
mente a-aen emprege. Devemos mencionar aqnl nm facto nolavcl, isto 6 que os doentes cura-
dos pda agua -preparada com estes pos eslo rauito menos expostos a recadas do que I
aquelles que forao tratados pelas preparaedes ferruginosas ordinarias.
Deposito em Pernambuco, em casa de Maurer e C*.
VERDADEIRAS
'.'ara miuicas militai c>.
Completo sortimento
BAZAR DA MODA
DE
BLANCARD
COM IOBURETO 00 FERRO INALTERVEL
AITltOYAT)AS TOLA ACADEMIA DE MEDICINA OE PARtS, ETC.
Possuindo as proprfedades escrofulosa, a Tjsica no prineipio;Tfraqmeiade temperametoe tambemnos casos de
Falta de cMn, *mf.ne precisaiif.agir sorre o sa.nuue seja para resihluir
-lhe a sua riqeya e almndeneiaf normaes, ou para provocar eTefrliiar oseucurse periotico.
IV. D. O io.iurfio de ferro impure on aftcnulo um meilicamenlo nial,
fcrilaetr. C*m ^nva - uUmihI, dcvc.fp nteir .,*>. 4.rla n-urlica t^'lffl
nosso (!ri'A. a'fni iPriO'iuWil.T, i^nn "En arlia na parto tolbrior de um
ruin u verde. De yo-se Ueaeoiiliar das falsiiiraco>'l.
Arlioiii- .m tail a.phavmrria. Pharmaciulico, ra Bonttparle, 40, Part
y
Nos armazens de Tasso Irnios.
Grades de ferro
para jardins, povteiras ote.
Nos armazens de Tasso Irmaos
< \ ii ii i mos im: ferro
Para servicoe de grandes araiacens, para remo-
ver barricas ou cai3tf*di^ompar*utro,ado4lo
miidico pre^o de i*A00-,ada um.
forinha de trigo de Trieste
Das melhoras Mrra,Pana ( wm-danliiira) Fun-
' tana e grande soHiiuiito.dus iutdliores marcas de
l'.uudus americanas.
Saceos d Jkiiiki de trigo do
Chile
Todas novas, hegadas ltimamente aos aima-
cens de Tasso .Irmaos,
Cemeuto fonwMvo
Nos armazens de Tasto Irmaos.
Ce me uto kjm&M 12$
O melhor para tudo que sao obras para-agna, ro-
mo asscntainento de canes de esgo*), algA'ruaes. uV-
posito, tanques d'agua, etc., etc.: em por^Ses de
cincoento barricas se far reduceao ni i proco : nos
wntazen-i de Tasso Irmaos.
Omeirto Porfan* 1
0 vi-rdadeiro cemento Portland em-easa de fasso
Ino*.
Grades de ferro, cercas, por-
telras, etc., ete.
De differentes ({aalidades para ferrados de ani-
maes, chique-iras para ganhasuujajduis : nos ar-
mazens de Taseo4rniaos.
Barris com breu
Nos armazens de Tasso Irmaos.
i CANOS DE BARRO
Na ra Nova de Sant*HHa, -na antij-n felM-k-a de
sabao, ha para vender por prero o mais -mdico
possivel, canos francezes para edJfieaeoes e esgo-
I tos de teda a qiialictede,superiores a todos os qae
I aqui tem apparecido pela sOa solidez.
PHECOS.
13'tOOporcano grande*de 3 c meia pnllegadas.
1JS00 por dito de e tres quartos de dita.
1 (XM) por dito de 2 e um qnarto de dita.
00 ris por pistoleta de 2 pollegadas.
DotowHos, curvas e ranos de maior grossnra, a
I vista se far o prero. Compras maiores de 2005
| lew 3 per eento oe descont por prompto paga-
mento. PtrV-'se ver as amostras tos armazens
deT;t*solnnaos.
lijlos fvamezes
Para ladriMmr rasas terreas eomaweioe preros
mdicos, mnito convenientes e proprios para latlri-
Hios ^e otcinhas m sobraJos, pelo sru asseio e
evitar apassajwm de amapara-o aml.tr inferior
lemesmo operipodefogo, aos j>reeos de *0W>a
[i*#600 o miHifro : na rna Nova Be SanlaRfta.na
antii:afabricade sabao, e eomfrns maferes de 2WS
se far' por.renio de deseeatopor prmapto paga-
mento. Podern-se ver as Maestras nos armazens
| de Tasso Irmaos.
Velas de esp.irm.vete verdadeiras para lan-
lernas de carros: uoannazcni de Tasso Irmaos.
Viilho do Porto lino superior: no armaaem
de Tasso rmSos.
O melhor cognac Gairthier Freres : no arnia-
zem de Tasso Luaos.
Esteiras-da India
Em casa de Tasso Irmaos wntle-se esteiras da
Imtia de tfm-rsos padroes e lai-guras, por preco
coinmodo.
'
RA NOVA N. 50,
Esquina da ra de Santo Amaro
20 a .10 por cento menos que erii outra qualquer parte vendem
JOS M a
o mais acreditado autor Guutrot Ainea Paris.
RIJA IOTA

& c.
ESQUINA DA RA DE SANTO AMARO.
Rna do Crespo i^. 7
Mandou-vir de sua conta e actlia de re-
LQJA DO PASSO.
Macarthy
o i cener pel ultimo vapor, completo sbitimen-
tOUServadora de SUa illdvi-1ot dc bjectos de noVidaae e phantlasia, os
(juacs estro icsohidos a vender por precfos
nimiamente baratos, para assim animar aos
ATTEMCA $
AO TR



Est a expsito do rospoitavcl publico neste importuito establecimenlo
linda e completo sortimento de fazendas chegadas pelo ultimo vapor da Euroi, o aue
temos a honra deannuaeiar aos pas de familia, assim come ao bello sexo, a queiu o
nrtomphopede suaattenco; gar-antindo sempre em sua nova loja o;gosto deiajendas i-
novas modas e modificaco dos procos, para adquirir a svmpalhia de. quera acra honra
de procurar o Triumpho. '
Lindas sedas de corosimv gosto a i>6(0 e 2.^8000 o covado.
Glacez de seda e taa apunado gosto para loOO o covado.
Laazinhas com listwis do seda para l-^OC', i^OOO o covado
Ditas de lindos padroes para 8M, 700,800 e 900 rs. o i ovado
Cambraias brancas de W000 -at 8#O0 a peca.
Ditas de cor novos padroes de 6W) c600 rs. a vara.
Saias de laa com bonitas barras.
Baldes de laa e murcelina e de arcos.
Basquinas de gros-de-dwple de 29$O00 a 40,5000.
(ros-ile-naples pretos de 2,5000 a 4)?500 o covado. ?
Ditos de todas as cores.
Organdiz branco.
BrilhantiHas branBedeores. :
Esp irtilhos e entre-flaetos Iwtrdadog.
'! utas para seuiora o para bonaem.
Aiftn dstae azeadas'lei m completo sortimento de chitas escuras oLuas ma,
i ipoloes, l)ramante,s, toaihas delinho e dealgodo, e outras muta* fezudas
que se vendem por precos quo s -a vista o comprador se podei' desengaar rme s no
Triu opa i [Melera comprar-bom, o coMeoonmia.
PARA HOWMS.
duftMdade, amiga do
progresso.
Os labyrinlhvs da 'Esperantn
A loja de miudezas da ra do Queimado
n. 35 A, vem apresentar sua escolhida
freguesa um artigo que at. Itoje costara
mudo caro, e por 590 s'lhegava para a
classe mais abastada da sociedade.
Toallas de la4>yruAhos
Pcrfeitiimeiilt igttaes as que se fabricara
no paiz por urna decima parte do valor d'el-
las vindo a esta luja, aiweoar perfeicao
reunida a economia, (nem sempre possivel
isso).
As toaihas teem um circulo aliado de-
senbo e no centro se le.em caracteres maius-
cios.a aUegoficj iiis^ripi^n.A'aptisar.
A' passeio. Mes cuidados.Lembran-
ca.Visita.
Niaguem por certo.deixar de r.conjpletar
o'eaxoval do lindo iUho para.taaer ecoaonia
de 10 0020^,65^5^0435 de que se conapoe
o guarda wmpa /lot; reeem-nascides qua-
si sempre licam ao* estremesos cuidados
das mais, a essas a quem p Esp^raqca se
dirige, para quem desde jdispe-se a dar
amostras e certa est que pelo preco nenhu-
ma deixar de comprar.
FrouJhas
A Esperanca, tambem recebeu fronhas no
mesmo gosto das toaihas que vepde polo ba-
rato preco de 33900, o que custava I0#! !
apreciaiese ligardes importancia -ao.can-
fortavel da vida, setn duvid^i comprareis :
neste teji paiz ninguem se faz pobre (lis-
iara se-
assim
es.
sem c-
es para
concurrentes e ao mesmo lempo da- sabida
ao grattas deposito que tem; isto ; ruado
Crespo n. 7, loja do Gallo Vigilant
Gollinhas, puiihos c camishiJias
ahora, fazendas de gostp e novidad
Rnos vesJaiios para baptisados
como louijoiiilias, sapalinhos e meliasinJias
para o mesmo m.
Grande sortimento de bicos e rehdus de
croch e de outras muitas qualida^
Superiores caixas com msicas e
las, tendo o necessario para costurks, pro-
priS para um delicado mimo.
Finas caixas com teios e sem el
voitarete.
Agulhas para machinas de costura.
Ditas para croch, sendo de aeojinarfini
e outras muitas qualidades, assim qomo li-
uhas para o mesmo mister.
Finas grinaldas para noivas.
Meias de borracha para.quem scffre de
erysipella, assim como meias de la paraj
os que soll'rem de rheumatismo.
Suspensorios para homem e meninos.
Finos pentes de tartaruga para c< ques Ja
de outras muitas qualidades e para outros
misleres.
Dedaes de madrepcrola, marftm, osso,
ac, metal, etc., etc. # 1
Superior agua cosmeeeome par Ungir
cabellos, dando aos jnesinos sua cor pri-
mitiva.
Cmplelo surUmejito de fitas pcrumarias
dos mellk>ies fabriciaih's, astiim eomt mi-
tas uulros oJijeclos que iiitpesawel des-
Nnchinns ele dosearorai' al^oilo.
Huje w-' si.i reeeaaeeiB i\w mS de
serrote |>icj.lHean o quebian a libra do alsrodao.
jMeeJso roeorrer a iuaekiiii*nio menos asaao,
Une. jHoduzmd o niesmo sen ico que iqueNas, e
nWm notrehaHio, naofruehreei a libra dalia,
l>ara-4fui essi possa obter-nos meretulos eurofras.
a dilTerenea que ha entre o algedo AmmomV
l>ur a^uttitaswwneiottndas-maehinas, qne estao fl-
eando ciu desuze, jieJu Bri'jHio que tem eausado,
e o da arftia lirthntleirt, que nao pode competir
uoia-morflsidae de seu trabatho. E' assim que
oslas laaedinaase-tornain as mais proprias para o
nosso ahreila^ |x>rqie ao par da laellidadc e
pmanlMaanMMRorva alti 4a a, que limiia por
ella. eqiKilHIeaitew liuropa a \m- datiiellior lio-
landoim. vabnrtn a*sim entre 10 arrobas 20 0/0
inaisdoqni>alaa'Km|M|ieia marlima de serrote.
Estas machinas um> o novas, pois que hamuito
esto adopiadas no .Kjtyato. aoudo as de serrote
foram inteiramente abandonadas, e por it-so o aleo-
dao da.jelk pro'vedeiieia, sendo da qualidade do-
danossu.|MTwmea, ol.tum teje de *0 amrtwao
0/0 mars *( qne o nosso : Vridem-sc a I30a000
nos armazens de Tasso [fatuo?.
Tabellas vermicidas
m
Antonio Nwiw rfeOasfro.
Vermirago efficaz e preferivel todos os
conlocidos j.peia .ceiloea de aeu resutado,
e j pula fecil applicaco s erianjas, quasi
sempre mais alacadas de tao terrivel e
muitas vezes fatal sufirimenln.
L'tu'vo deposito,
Pharnfacia de DarlhoIomeaC.
____34ra larga do Rosario34
ii. V .4, esquina
da do Imperador.
I Q dono desle importante estabelecimento,
itesdo refluido de ta conta, pelo vapor
-aaCiez iaiUnwi'diu'.e,diversos argos de alta
nuvidade pjoi^o> (tana a festa, econscio de
que seu ,esU.beleciniento su acha Lem sorti-
3o, principiflmeute wn ari.igos.de moda, pe-
de ao respeilavel puldico e em particular
aos seus numerosos fregueses abondade
de bonra-lo com sua conlianca, garantindo-
Jbes seren bem'servidos e-por presos ni-
miamente baratos. Venliam, pois, todos
comprar novas e lindas fazeodas boas e de
alta nuvidade. cun bem:
Riquissimos corlas de blondo.
Biquissimos cortes de seda de cores.
Sedas de lindas cores para ovados.
Moire-aritique azul, verde, branco e pre-
lo.
Grosdenapks azul, verde, braaco e pre-
to.
Gorgurao branco epreto.
Setim branco macau.
Curies de seda rom duas saias.
ules de laa e&cosseza cura duas saias.
Curtes de laa e seda< novidades.
Poil de etivee de lindas cores.
Alpacas de ix>nlio Jindas <-orvs.
litas lisas de todas as cores.
Cortes de vestidos-d ramliraia bordados.
Saias bordadas para seohoras.
Camisas hunlads .
Fronhas de linho.com liados bandados.
Lencos de oauhraia de lioJio bordados.
Chapelinas. de patita da Italia.
Ditas de sedas de-cores epnetos.
Enfeites para cabeca de senhora.
(Jupies te tiMlos as quididades.
Basquinas de seda enfeitadas com primor.
Laques de niadrcperola, mar lint, snda-
lo e osso.
Camisas bordadas para homens.
Colchas de -agodo e seda para cama.
Ditas de-cfediet para rama.
'mhos de crochH-pan cadeiras e sof.
Chapos de eLde seda para senhoras.
Espartilhos para-senlioras.
Toaihas de labyatnto.
Leor/is de labyrintu.
Froaltas de labyrtntu.
Bicos, rendas e grades.
Fismmas cambraias de cores, percales,
las e outros mitos artigos de gosto e no-
viriade.
Ijfija do Passo rua 4o Crespo n. 7 A es-
quina da do Imperador.
Para armazens a retalko.
0 Campos da rna do Lnpetador II. 28. tem para
vender pramle qHantklade de medidas de estanto
para lquidos, e de nutaeira para Meeoe, pelo sys-
tema melrieo decimal, pelo^aial estao os neporian-
tcs a retalho obrigsdh? a ventiei' suas mercadoria",
a contar do 1 de marco do crreme auno. O an-
onadante avisa e rarante aos que de tees medidas
neeessitnm, qiie sao estas asmis exactas, por
qnanto sao ferias em l'aris, de ronformidade com
o systcma cima dito, e scpnndo o padrao adoptado
pelo govcnin imperial ; nao aeontecendo, porm,
o mesmo com ontras que alii se vendem. qne sen-
do da mesma caparfdade, deverstflcam de modello,
vindo offerecer dnvidas nao s aos compradores
cotilo aos vendedores.
Meias elsticas de borracha.
As melhores e excllentes Tmeias elsti-
cas de boiracha ewttravarizese erysipellas.
VfTide-se na
Pharmacia e drogara de
BartlHilomeu A C
'Urua larga do Rosario.14
llnkit Vigueira
Vender en aeorclas de 9 caadas superior
vinhoda Pigueira, proprio para casas particula-
res : na rua do Amorini n. 68. anitazani.
Vende-se iiinac*ia em Tyfif>i. de lijlo, em
clao* pr|ivlns. junto alpreja : a tratar no pateo
do 'Varar/o n. o.
Vende-se urna terca paite da casa terrea,
sita rila Vellia n. OT : guian qnizer diiija-sc a
rua estilita do Rosario n. :r. :t" andar.
Ornamentos de igreja.
Vendem Gregorio "Paes do Amara] d- C.
a rua do Crwpo h. .'>, cnaas o. urna um-
bella de dmtsiw ^de seda poHajraez per-
feitaimnte aetimim.
It JililO.
Nemkni tawaeai um rifssiiuo palliu
de amastm da siaVi -Rvaam fortugez bor-
dadti a tiiiru rii*>.
YencLe-se
tres esclavas eii.ula.s duas mocas e una de meia
idade, todas com habilidades : na rua da Praia
n. 47, primeiro andar.
Veude-se. .
l'm balean em huta eiaUo : na rua da Cadeia
do Recule n. M,
fc Vaade-w imut -prete BKioa. eom habilidades:
a tratar na rua do Araao n. M.
Vendo-se urna canoa nnv
lijlos : na rua Imperial. i7.
que pega 1,500

pensando i 5,5 ou 20#0QQ, com o aocoio ejoi'ever: isto s na rua do Crespo n. 7, leja
'- jdo'X^to Vigilante.
CoHares-Royer eleetrieos magnticos con-
helleza de que se decura a babace. as
,vezes no ^ue jneuos ipensamo, lakiptaiilfi,
comojfeiiun-ooiSttS maio!srtae|iukuiHwla
v^da : aittda s seidtoras a quem a Espe-
raaoa se dirige. Una senhora cuidadosa
do nada faz a casa.
Ba do Queimado n. 33 A,
de alaiale para o que tem um hbil mestre, p preco em tudo. s encouteam no "i rumr
ua do yueituado n. 7.
PENCAS cas ICRICAS
AAKOPEaRAR4f0 10 DADO
obra
>10, __
H
Este
ifliar-
[TTffHHm[
^ t0^?*?**** "do inieiro de nm* fema wslamewe i m
^'^aaote^>ataado^tl|.0oowio.icco das pSiaaaaBMSatoaTSSL^
eom .. xcm o Otee fe gajos de Bcalhotlue deve, ^Z 1pH S&SEFTnL
c,, a oresenca da iodo. gWias. no irameaia di, c^SJamJSS^SSSSli?
ae^mcefa das Klaadvlw de neacaeo, < diversa, e^pX^e TOtTlo eSS2?S
**d pone. ,3ade. tai* inur^o ,0 mmao le.SfeJ*,^ apteuTSBu
tio. resutueao. Ucd a ^rm e vigor wtor.^ edi J^lt^Kto^Xi
para combatar as versas jrffcec&a da IM>ll mewi fM autUoot
rersas affeccaa da telle.
Deposito em Pema*bsm, en ea de
B*.
Vende-se ou airto*a^.genno.
,Uas|wr, sito *a frnmi(inin ltln g(iniihiam,#.^
marca do Rio Fon*** f^cm> do embar-
que, cum standes partidos de pal, e tuai-
sap roda da moepda, mates e manpies
para madeira neeessaria, bohpasto,etc ^
CURA DOS CALLOS.
PRJ.A
Pom ada :>1o upe n.
OflpOfito ppaapiJ
Pharmacia de fiartbolomao d C.
34------Rua larga do esariH.34.
ta as eo^vulsoes das erianeas e^ara-faeHi-
tar a deutinco das mesmas, o .Gaib Vigi-
dante e antigo recebedor d'estes prmdijiiesos
collares e contina a ter-sempre #rai,de dr-
l)silu, rua do Oespo n. 7.
ai
Antonio Nis dpfiaatrp.
Este acreditado pr^arado, qse 10 hoa
acceiUWo Xm gtefeado p'esla provincia,,
muito se recommenda p*ra a cura certa,
das impigens, sarnas, caspas e doila as
molestias de pelle.
Deposito nico,
tS>armaxa de Jtatfholomeu d C\
34rua largado Rosario34.j
FUNDICAO DOBOWMAN
Rua do Bruui 11. 59.
Machinas de vapor.
Rodas d'agoa.
Moendasde caima.
Taixos de ferro, batidofe fundido.
Rodas dentadas, para moer com agoa,
vapor o animaes.
E outros muitos objectos, etc. etc., pro-
prios para agricultura.
m m ui
C3iesu ao auu'gu deposito de Ueary F irstcr &
C, rita do Imperador, .um eai'Ge}(aw<^( de oaz
de m'iwtirai|ualid;ule; omiaUe vi-udo.ojii pai'litli^
> a relaioporrooBosikresoAVWWOttnaqual-
uiuu- .fiarle.
endem Augusto F.
Commercio. n. 42.
C. rua do
Na rua de Hort'as"casa n'. \] empra-se jornacs
ou outro qualquer papel que esteja limpo, a M a
arroba.
Tintura japoneza
Instantnea para tingir barita, a 1&OO0 o frasco.
E' nica appKMrada peoonunendada
for ter eido reenhecila H^eior -A toda.-
<|S tintula dacte fenero.
A vctda *n ca^a de finatavo H^-vin
51. rua da tadelan. 5i.
n.
nm
Proprm para a qua-
resma
A saber I
rfede-uapoJes parn todos s precos,
Cortee de MtMate gorgmo para ves-
lido com M ei aovados.
Ditos de seda 4vwada, bou Awenda e ba-
rata,
Mftfemntiqae,
Icuh basipaous e tambem as mais sim-
tpJes e baratas,
-*ua doiOuoiKHdo n. 31, loja de fazeu-
das ate A. M. Hc*tn c, aonde tarol>em se
eneontrata compialo sontimoitto de faaeadas
de toda a especie.
Manuel M* jNpreka & ('... na na da
lftiuod# 4>.iSqgMi(B>iwlaf Jem para v|ender
]*uperior potas da igssia em Iwi e me ios
I b rris e a -de iaMa da ans nova qae ha
nomeNMW.
Um
0cBento4B Borflanl.
. Veade-se ornaftema eom eoucoe Tnioli
*m arvirnezarla, tanto paro o maVcwno ara a
S^faJfuT, ^"fo** lamiftioflus para V,nde-se u. anmaae de Y*te Ferrir _
aSR-TrSlf dadaea Ar4 aos *. GQ:ta &Filho, naruadalfarc fleHeos n.13, em
(leadeaies a atar na rua Da-etta a. 1. i taris

l"OI'
Rap Paulo Cordeiro.
Venderse rap Paulo Cordeiro fino via-
jado, em totas, mewgresto ewaprinbo,
no deaoto cargo de oSo Fraociseo da
SBva Koyaes, nw do Vijario n. J. Faz-se
atflagens a quem comprar .porcao, e troca-,
se o rap que aao sabir m agrado das eou-
S'imidores.________________
5aTtm 4o'ttorttaii. 4, deposlle de batutas
e corres leni para vender phomhoree de segu-1 eavaltee arreiados.
-nota invenco moderna a 2/800 o eio. 1 1 numero 1
ii:\m:-si:
Um ^rdamonU) completo de olicial da
guarda mwiohal 4ode oow e em peFaito
estado ; a rw-ih Cfwes n. *i.
>ed(ve
utia eaaaa- raate atterta -aei
construida, que serve para cdiuir lijwios ou er.-
a*caui-*ar.ua na Gloria n. 5, olaria do
Liqnidw^o de nrfadenfe, nm do "taahaiie n.
W, Wta au <*** lata arfieira a fu a
flfeotte.
Vnnia nr 11111 encllente carro e urna pan-lhado
man*-*ta : a floajiickt
;
I MBiTfft I
~


sSwalr

mtm
tvtMlM!

MI

Diario de Pernanibuco Sabbado 23 de Junen
ile
1869.

I
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
. ni'-
Flix Pereira da Silva, successor de Gama
& Suva
0 proprietirUi d'osto cstabelecirm*.to convida ao speitavel publico tiesta ea-
pital a vir surtir-se to grande cstabelocimento que tera de fazendas, lauto da moda como
de lei, e as pcssoaa que negociam em pequea escalla, tanto da praca como do matio-
nesta casa poileru facer os seu sortimentos era pequeas e grandes pofcoos, venden-
do-se-lhes pelos presos que se compran as casas inglezas ; assim como as excellentis,
simas familias, podero mandar buscar as a mosteas de todas as fazendas, ou mandaw;-
mos levar em suas casas pelos uossos caixeiros, para o que acha-se este estabelecimen-
lo aborto constantemente desde as 0 horas da manha As 9 da noute.
O atoalhado do Pavao. AlAbAPOLAiJ A 3;oOO.
Vende-se superior atoaihado de algodao ,^^1?" *2^SJ!1!0 Com
com 8 ate* de largura, admaselo a i {* Jar*B ^rato^de ***** a. P**>
24* a rara; m t jardas a <*0Q, na ra da Im-
superior l Ut'iQiS a vara ; guantanaims de
linho adamascados a M50O a dtwia o mnitn
Unos a HciOOO, e ditos econmicos a 80300
a duzia.
Crochs para cadeiras asi loj do
Pavo
Chegaram os inais lindos panos de cro-
ch ou guarda bantras, proprios para ea-
peratriz .00, armazem de Flix Pereira da
Silva.
iu\a.iiihas
A ozc vinleiis.
A tote \ hteos.
A doat vinteus.
Vendem-sc liisHiiihas de cores muito bo-
nitas com deseahos miudhihos e grandmhos
eom listinhas c pintas imjIo barato proco do
Temos nnvidade na trra !
Pdrem nmguera se espante
k tensa nao de dar cbidado,
Faz- sempre a sua admiracie,
Mas n3o ofrende rtilngttem,
Agora nao se lembrem de novo incendio no pardieiro,
Nem que liouve e^oso na maxambomba,
em que o preio Thonnz fugio da Heieneao,
Nem que o vapor chegou mnhandeirado,
Hcm que a F1UGATA AMAZONAS virou o 8.
Nao se trata disso
seu subs"
o ciditd
deiras taifio d'encosto, como de balan co e 210 ris o covsdo na loja do Pavao, ra da
de guarnico, e outros coiupridus para so- imperatriz n. '&), de Feliz Pereira da Silva,
f. assim como ditos redondos para mezas i AS OkMBRAlAS BO PAVO
rafeaste, ditos pequeos para ahnofadas, r Venden**?* lioissimas pecas e uambratas
ditos para cubrir prsenlos, ionio peqiynfis lizas transparentes tanto inglezas como sus-
al para cobrir um prato, que se venden i sas tendo mais de vara de largura, pelos
por preco milito era eouta, na loja e arisa-
zem do Pavo ra da lmpeu*riz n. GO, de
Flix Pereira da Silva.
Fuftldes
precos c a.-jOOO at 10*000 a peca, assim
como fimssimos organdys brtanco hso que
serve para vestidos debaos, por ser muito
transparente a 000, a vara, na teja do
para ""<* MUMMUJ Pavao^uada lH4ora(m.n. O, de Fex Pe-
a B-iO. \me* da Silva.
^ endem-se os wats modernos fasKfes bran-, fuSJ&O BRANX) PAftA VESTIDOS A 040
ero llexiveis com padmes de listas e de N |^a (lo y>.iiv-m venieat-soos maiamo-
satpieos proprios para vestidos e roepas de ,&,.,,,.. fu9tie8 ]MMm& 4e lista e cordao
menino 6 re. o amito, na Wy arma-, mtiii encorpwlo tm mito flexivol, pro-
cem do Pavo ra da Imperatnzn. 60, de | [iI9- [rin tidas^fes, ponteadas etc.
etc., o roiqia para meuitas, pelo baratopre-
Felis Pereira d^ Sil\"a.
drgaoAys
Organdy hranco liso, inuito fino 5 800
ts. a vara; dito com qu^lros m\ listas, fa-
v.enda rnuito MpMWT a MI : filo de linbo
ro'de (>iO ris -inimif. na loja e armazem
te Flix Pea-ira da Silva.
SEUAS COM USTCMIAS A MW&Q o
omwa
Vciuli'in-se as mais modernas-sodas de
Ser alguin jiiiz il&p(iz qiKr/Kerpassar-o metro no
titulo em consequenca de estar abolida a vara ?
NAOSfiNDHES Tenliam pacienciaEspcrom
Nos vamos Jizer dt que se tratanao eom aquellos modas que toma
rflsso, Sr, Am>nio Doirngues, quando reoonheco que na melhor boa f Ibo eo^purraram
algum IhTO sem principio uem fimmas sim com aqorfks maneias assz defiradas que
sempr se iconti am no perfiunoso ninbo da sympatbka Aguia-Branca : assm pois
altendam; .^
Amigos de fartar o osfionuigo agradaveSncute vonlnun ;i ra da mperatriy.olliom
para a rasa qnc fita em freme ao magnifico caftolhem..... othera..... lo ven o ?
O BOIVS DEMONIO
N5o se bonzam
Que peior
a Fiquem bem quietos
Que nelhi'.
Mnlher, demonio que importa !
Mullier, demonio hei de amar-te 1
Agera digwn romigo :
BAfiTTA
rallemos mito serio
'S TiS*** faen"a""""""'; Si" *S ZiZ .ta
^apor com as irofimais modernas qaetem
4-roe <;hegou para a loja do Pavo fk'lo ultimo FW rs. o covado na ra da- ImpwaU-iz a.
varpor um grande siutnento dos melliores ^ de Flix Peroirada Silva.
grosdenaples pintos do exires, teudo veede .Vlpiea* lavradas
tainbem, que se venden) mais barato que, Cliegaram pelo ultimo vapor af.maismo-
em outra qualquer parte. iernas alpacas labiadas com as mais lindas
Lencos branros a i600 a duzia | cores, que se veitdema iijOOO, covado,
Vemleiii-se len^isbrancosde cambraia df'liUB lisas tend tambem cor de canua a
algodao a 1 *0 e > n., ditos de"linho a i ^00 rs, ditas mescladasmuito finas a 1:200,
:v'0)e 4#rs. a duzia, na loja e' armazem > covado, e outi&s militas fazeudasde gusto
do Pavao ra tic ImikTatriz i). 60, de Felk e moda que se \endem mais barato do
Pereira da Sita. que em oulia qtielquor parte, no armazem
CHALES A .->080. |'il[Vli"i il"! Si'v >
Vendcm-se chales de merino com boni- nnrvnvc np rnn
tas barras, pelo baratissimo-prero de OOe!
e 2:>-*>O0 rs., na loja do Pavo ra da Imps-
Ouhas concentradas e declieiros igual-
HHmte linos eagradawi-.
Olen pliileiinne verdadeiro.
Extracta d'oleo de superior qualidade,
coiu esiolhidos ebeiros, em frascos de dif-
fflrenU's tamaubos.
Sabonetes em barras, maiores c menores
para maos.
Hilos traitftarentes, redondos e em figu-
ras iie nemes.
Hitos muito linos omoaixiidia para barba.
Grirhne9M bonitos sabonetes imitando
finetas.
IHUUM DE MOLMAfUS e^juiufl da rm da Aurora defronte JoMpto'so (Mf *r-' m^ m;Ml,'ira inveFlliSiwla **>*& fr
j*r doque-he de mais superior digno de urna casa dessa wlem. >entes.
ttM mtpn'ssam*:<*taMiwmente se torna salive, n. v.^Ofc dailc,coio pelo form^ef'ti'!iiitaoV>romblenKi que o assi;.',ial,-i. encarrtBfeiJi'amagaqtie^efWf>eHiaasagas donos^oatMftnffeptMPMK, e como quedes^
tandoorisopftraaaltaHW Oimtla que-atinsearKag-.uiosa e gMH ropteel iitom ts-
^mnfflde em breve fosar m ma qmotyaf&mtmi1fH Ihe ^i*e levados prt i noawes-
titftde4enx) qv se lw o4wsMbwb;
IOTT-. ii.TTSlT9i-.C
Cffk-o timde tPntwaos'honums a aljusteror as sn.-w desyenss? no M.GNIPICO
0 cordeiro previdente
Kua do ha imudo u. 1
Novo ^.variado soiiimento de perfumariat
linas, uniros objectos.
Alem do completo sortimento de perfu-
marias, de que olleriivamente est prvida a
loja d'iCoideiro Previdente, ella acaba de
receber iuu utro sortimento que se toma
nota*el pdu variedade de objectos, superiori-
dade, qualidades e commodidades de pre-
Cos; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
eespera .ontinuar a merecer a apreciarlo
do rcapeitavel publico em geral e de sua
boa faogmaia em particular, nao se afas-
tando elle de sua bem conbecida mansidJo
e barateza. .Km dita loja encontraro os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
ita verdadeira de Murray d- Lamman.
Dita de Cologne ingleza, ameiicana, tian-
ceza, tedas dos ielltores e maisacreditados
fabricantes.
Dita iKdsamka dentrideia.
ita de llor Dita dos Alpes, e violle para toilet.
Elixir odontalgico para conservaco do
asseio^Ia b Cosmetiques de superior qualidade e cha-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada lina para cabello.
Frascos com ditajaponeza, transparente,
e mitras qualidades.
Finos oxtractos inglezes, americanos e
francezes nfraseos simples e-enfeitados.
Essencia imperial do lino e agradavel ebei-
rodc violeta.

Msicas
Vende partituras pan pianno^c canto,
e pianno s, para, msica*; militares, pecas
de operas, e danca, methodo para rebecas,
flauta, e ophcleyd, duetoa para duas ko
las, paradous claiinetos, i'antaski parapi"-
no, e rebeca, (auitieni ha ontras pecas
pianno i e ( mos, alguns peacos fac h
para pianno s. Na mesma ha tambem
missas para quatro vozes: as pesgoas [<
quiserem poilem comprarlas nta do Ja>mim
h. 27 ou a ra Nova 90 faboca de <*?--
pos de sol.____________^^
Cavallo de sella
Vende-so umeavaJio buas,novu, gordo e bonito, leudo viudo do Cear-i:
pnra ver na eoelieira iki liento Hcspiinliol. e para,
tratar lia rna larga do Rosario n. W, Ia atdur.
ESCRAVOS FUNDOS.
200$ 400$ de graliifafdo.
Gi-iUilica-.se, segundo a djsUnfiia, a qucm pegar
e levara sen sentmr o r. Vinillo arneirudn
Cunta e Albliquerque, morador no eopiHilw Con
rordia, da fre{[u*zra da l.ui, n ceravo Joaquini <'
Sant'Anna, prutode idade dii anuos, lineal, esta-
trua regular, pen'-m um poucoMpanaudo < largo,
olhos pequeos, vives e um poiu-o braiuos, (leiii.-
perfeitos, alvos c Hiiiadon. ralrora potpeua, ps '
maos regnhMHW, servido, frita vagara*1 raya ou cheia, andarntr.
pouc raogaeiro, a*e ler ui;uca nat pomas en-
costada aospes deteiTo quetrou. Fi eomprado
ao Sr. bario de Hutmlt eMocMonron-tO ao Sr
Jos Miguel (Allomo) que o trouxe IW hjo-Grano^
do Nortee alii o coiiqirou ao Sr. rapio Frederico,
iiiih ailor na villa do I'a de lirio, e o sen pal o
capilao Fernandes eoniprou-0 ao Sr. Manuel The
mai da Silxa modof na villa de Porta Al
-cielo o rol'erido eseravo natural dolida da pruvin-
eia da Banlrrtn. pcrteueeu e viajou priuciplcienti
o> si'i-toes do'lugazuira 111 Rajad (onde tem di
senhores luoc/js por uome Marcelino e Caniilh ,)
Sorra Talhada, eida-le di; Souza. Seria doMni
ele. ote., ascini taiuln-ni |ruvine-so a quwa tpren
hender o referido esclavo'que seudo no ceiiiroil.i
pri'vincia da Pnrahyba oeutreine1 ao Dr.Jos Pao
liie de Figueireik na cidado de Souza. i-'.i r.o ea-
pito Joaqnini Saldanlia. na fazonda Mnlneu r..
riaelio de Coreos, no caso ile nao (pu-ici Irazrr ii
seu referido sunlior.
Assim, pois,
Venlia toda a-p^hro do ftwife ver e-'dmrar a blia pbysiononua
ralriz n. O. de Fdix Pereira da Silva.
PFXIKNCIIA A 3:500.
Cortes de ISa 3:500.
Cortes de la a 3300.
Cortea de laa a 3:500.
Lazinbas a 280 ris.
Laazinbas a 28i res.
Lazinhas a 80 reis.
S o Pavo.
feo o Pavo.
S o Pavio.
VendenMW bonitos cortes de laazinlt
para vestidos compadros modernos tendo i como neste estabiecimento existe un-grande
cada um corle 14 covados pelo barato pre-; sortimento depaaospretos, e de.caserairas
co de 3:500 rs, assim como ditas em pecaf. j ngteiw de core*., e que se manda fazer
que se vendem e 280 rs. o covado, sendo i ipialquer obra a contento dos 8rs. fregu*
cande pecliineha na loja e armazem do Pa-1^ e framMt mVbm que sero servidos
\ vira da Silva. 11to do que e.m outra qua4<|ner parte
ITMADINHOS i na ra da hnperatriz n. 00,de Flix Prei-
Vendem-se finisimos babadinhos, tiras ,.a fa silva.
bordadas e entremeios, mais baratos do que! '.^i'tinndos
m outra .|.i;|qer parte, assim como espar- < p^ ramas e i8natns.
olios dos mais modernos, no armazem de| Vemle-se um ,;rande sortimento doa.me-
ALTAS NOraflDES
do mm
s
u
Novamente ehegaas ao armazem
DO
.
Vendem-se ce^andys de cores com pa-
dres miudiiihoe em assentos .brancus ede
cavado, linissims s cassas francezascom del i-1
cadas cores e bonitos dsenhos a 3O rs. o
covado e ditas o 300 rs, na ra da Jmpera-
Iriz n. fii, ami-.em de Flix l-Vieiru da
Silva.
Roupss para honiem
Vendem-sesmierior.es palitts de panno
sobrecasacos lio- ados de alpaca e-de seda,
camisas inglezas e franceaas com os pedos
de esgurao; cerollas francezasde linkoeal-
^odao, unas cwias inglezas saperioes, ca-
misas de flanella e de meia de la, assim
Tead-nos alagado dmamente ffazendas mteirameiite nevas,- eomrida-
aaftpar este meio ao respitavel pabbivj a (tjae nos procure comprar faz^ndas de
bom .g-osto e por presos .que noaaharaom utia qualquer-pae.
Adaisein!
Lencos- bordados a 6,-6aOO e j 12*W0.
de fcis-
IUcos e bem escolbidos ^ostos
Madapoloesfiaosa.&,6, /s e *J ?.,Wks para casas e paletote a
s no armazem do Leo. ):Srle
Cldas escuras de padres lindos,por pre-
ro de 320 e 3dO rs. olivado.
Casras de cores om palminhas e rom
l#tasde diversos p-adroes a 2*0 e Vt} rs.
Lazinbas- ckizentas e cor de boiiina a
320 o.covado.
Chites dars miadtnliaf .a 320 e 300.
Alpacas pretas e de corw lindas pMptU
para vestidos a 680,200 e 800 rs.
Pecas de cambraia transparentes a 4*. e.
15,5 e U- Por este preco a^bnira a todos! Atienco roupas feitas!!
2^seoo
Tambera tem.para acabar i-pecad de pas-
i de linho, com^T varas, a *J 3 183.
Toalbas de linluo para rosto a 104 a du-
ra;.
jstas Srs.arma4oFes eleeil
terrog.
*rendem-se pecas de hollanda preta com
-iO covados a 55 : na ra da Icapbratriz n.
i8.e 52,jmitoa.padaria francfiza,! loja do
no .armazem
F ik Perei.i ,liT nli im mneratrij '.. X Xm ''r "rtimeiwo ao me- CorUss de casemira6 de quadrintios o lis- dn i>n0 rua da Imneratriz ns i e 52.
'' '""' "a S,Ka' m (,a ImPcrjtr,z:llores e maiores cortinados bordados pro-1 tas a um e 3. .^, atSrSTZZ. T.n,ni
ALTA ROVIDAOE
! prios para camas e para janellas, qve se ven-1
jtlftm.a 12J000r.. cada par at 2*5000 r&,
i si) na rua da Imperatriz n. 60, de Flix
LOJA m PAV ,,,,teira da SihaVfcj*
Gorgure de seda _. ,, ...
Ckegaram pelo ulUme vapor os mais bo- endem-se as melboresclutas escuras para
utos uiguroes de seda, proprios para ves- ,,;lsa *l(lo., c,*s f,xa,;' Pelos, bar1a.os
tidos, sondo lisos elavradinbos, com muito i 1'CC< de 320 e %0^s. o covado, ditas
lustro, garaiitindo-se que a fazenda maisniu,t0 finas 'lez3* sendo claras, compa-
linda e de mais pbanUsia .que este anuo tem! ('n>es *? cassa a m e 40G re' e pcclimclia,
ebegadeaesm morcad, e vende-se por i 'a "** *> Imperatriz n. 60, armazem de Fe-
preco muito raaoavel, na a da Imperatriz I'
n. (0, de Flix Pereira da Silva.
Kedasde listas para vestid
Cliearaia as mais modernas sedas lista-
das para vestidos, com as cores mais mo-
dernas que tem viudo ao mercado e ven-
dem-se por preco muito em conta por e&-
tarmos muitos prximos da festa, isto na
loja do PavSo, rua da Imperatriz n. 60, de
Flix Pereira da Silva.
CSrosdcnaple preio
Vende-se um grande sortiaaBSo 'dos me-
I Inore grosdenaples pret06, tanto Jar-
dos como estreios, sende^de OOO rs. o
covado at irMMi rs. uraniido-se que
r 'este genero nii goem tem melhor fazena e
me se vende mais barato do que em otrtra
i nalquer parte, na rua da Imperatriz a. 60,
ce Flix Pereira da Silva.
T6SSES
CAT1RRH0S
PASTILHAS PEHORAES
DE SUCCO deALFACE
E LOURO GEREJO
IRHITCOES
DO PEITO
E' ete o mais noro e delicioso confeiw al agora conheoido. Por slo temadquindo ra-
pidamenic a fopnlaridado de qnc goza. Oa medicoa os mais dislindos o aconseluao contra
as toues, defluxos, catarrhos, tou* convulsas, catarrhos epidmico*, irritacBet lo peito. Lom
grande empnhe o procurfio asmaes de familia, assiim para ellas cono para as enancas, pois
primeiro qne lado Inoffensivo, e as suas propiedades adocanles n lo deixo mu desejar.
, Deposito em Pernambvco* em casa de Haorar O". ___ '
/vf.-ss.J.'^^;,^,
WX*
i
>? a **'
1STII1
rriisiSs
^CIGARROS SNDANOS ii
BOCANNABIS INDIGAI
Todoeos meios V hoje preconiwdos contra a nsUima ao ten k o mais do qne pa)liaths
debaixo de todas as formas, teado \m base a belladona,, o cstramonij ou opio, lieaente aupe- '.
riencias falas em Allemanha, repetidas em Franca e na Inglaterra, H m provado aue o c4narao f
indio de Rngala possue as mais notareis propriidades para eombaier esa* temJyel afeccio, f
da tos1 I
assim como a tosse nervosa, a insomnia, a tysica laryngea, a rouq idSo, extinecto
as neuralgias taciaes. E' pois com o apoio da se eneja dos oom o extracto de cnamo das Indias, que nos importamos do Bombaim.
Ptpwit.em Bernmnbueo, ea caudeMwaw O".
a 2800 e 3.
Corpicdws brancos pora seabora a 3# e
3;00.
Pechiacha 1
Cortes de cassineta de cores paia calca*
paletots a io^OO.
Gassinetade cores com um pequeo lo-J
que de mofo a 400 rs. o covado.
Espartillios muito liaos a kflKfltk. b&
SOO.
Admira!!
Gravatas de mte a fOO rs.
Gotinlias bordadas a 500 rs.
L2azrnhas a 200 rs. 11
LSazinhas a 200 rs.! I
\siim como tomos um grande, completo
e variado sortimento de roupas faltas: pa-
letots saceos, sobrecasacos, fraqMep, jaque-
toes, calcas, cojletes, camisas," ceroulas,
chapos etc., tudo por pregos qm admira!
Tem tambem um sortimento ordinaria* por proco barabssimo.
Acaba de cnegar tambem um completo
: ii'timeiitii de damascos de core, fcendo
azul, amardlo e cor de cafe te, ^e se
vende por proco comiaodo.
A (I ni ira !!
No armazem do LeSo 1!
No armazjm do LeSo I n
No armazem do Leo 111
No armazem do Le3o I!
LSazinhas a 200 rs. !!
Ko amnazem do l.e3o, na da Imperatriz i. *8 e 92, junto a loja del
e padaria franceza.
ounves
NOVIDADES
Rna i% M\Mk n. II
MM PORTO k
A este cstabelecrmento diegaram as mais lindas chapenas de crep, tule e pa-
Ihinba da Italia, primorosanjente enTeitadas.
Baloes reguladores parasenhoras e meninas, os mais modernos e e varias
cores.
Basquinas de seda para senhoras, o qne ha de mais gosto,e delicadamente en-
feitadas.
Ricos vestidos de Monde, com manta e capella, para noivas.
Cortinados de cambraia bordados pirra camas e janellas, de diversos -ostos e
qualidades de 13$ at 80f000.
Tapetes alcatifas em peca para forrar salas, gabinetes e corredores.
Camisas inglezas de linbo para homem.
Ricos vestidos de seda pretos bordados agullia e de cambraia brancos tam-
bem bordados pelo mesmo systema.
Fronbas e toalbas fe finho e de esgtrilo toes bordadas para casamentes.
Sedas de lindas cores, casimiras de cores as mais modernas, saias de 'laa com
barras de cor, chapeos de sol de seda-inglwes, espartilhos para senhoras e meninas,
colarinhos de ludio para homem e grnele sortimento efe fazendas de todas as qualidades
gne se vendem por precos qne agradam aos compradores.
AttenpSo
Vende-se o engenho ifuBsayba, sito em Santo
Anwde Jaboaig, o goal cuuk'jii bastantes rnat-,
Neste '^b^r^i,^^^;^^-^^ da India f^-ftM-^\%^^v^^^^^^
se elianinlHT;.ineme*Mwicado8 por nao sercm
trafcalhadoB h mais 6 *W* uem prena-
dflP.sviM^ a roa Imperaior n i4, a natw
com o Pr. AflbUso de Albuqucrque MeHo.
las de diversas largaras e cores, que vendem-se mais baratas do que em tra quak
qner parte, por isso chamam a attenco para as
Estetrus da India para forrar salas.
Bonitos vasos moldes nevsM e elegantes, com pdeanuz
e lioneca.
'Especial p de arroz sera eomiiosioao de
dieiro, a por isso o mais proprk) (ua crian-
Opiata ii}.'leza a francezpara dentes.
Pr de eamphora e outras dilTerentes
qualidades tambem ira denles.
Inico oriental deKemp.
Aluda mais coques.
Um outro sortimenos d? 4ues. ....no~,
vos e bondos-moldes -"" Idetsde vidn los,
e atoms d'p"':S ornados de llores efitas,
,.sian Mos expostos apreciacd de quera
os pwilenda comprar.
GUJJiNHAS l PxNHOS BORDAIlOS.
Obras de muito goslo e pcieico.
Fivellas e utas para ciutos.
Bello e variado sortimento de taes objec-
tos, ficando a boa esaa aogosto dacum-
FLORES FINAS
O-tme de melhor se pode, encontrames-se
.gener, sobresahindo os delicados ramos
orvifthodos para coques.
Para Tiagein.
Bolsas de tapete e earteiras de- couro, por
prems commcMios.
CSiapenas le -pama da Italia mui bem
enfertadas, e anfeites de flores obra de bom
gosto.
E assim. .muitos outros olijectos que se-
ro presentes a qucm se dirigir dita loja
do Crtieiro Previdente a rua do (ueimario
n. 16. .
ENFEJE& E PALHA PAB.V VESTIDOS,
CHAPEOS E COQUES.
OCoiieiro Previdente rua do Queiraa-
do n. 40 acaba de receber um bello sorti-
mento de trancas de palba para enfeites de
vestidos, outras para chapeos, coques etc.
tudo isto ata sendo vendido com a sua bem
Lconhecida xwnniodidade de precos.
.H.E.M 'AQUELLES.
Recebeu outros lindos enfeites de seda
pai-a vestidos : assim como um variado sor-
timento dti-tv.Uoes de laa, babadinhos de
cambraia coia bordados de cores, cuja va-
riedade de gestos os tornam recommenda-
tendentes qaie sero senidos a contento.
TAO BEM BECEBEU.
fevo provaento de bicos e rendas de
gnepure.
LUVAS DE PELUCA.
Be lodas as res tanto para homens
como-para senboras, constantemente acham-
se a venda na loja do (Cordeiro Previdente :
rua de Queirnvado n. .No ilia :(0 do iin.7. de iioveinliio prximo pas-
sailo, fiipin duengenlio S. Jos, do l'-i nio de Seri-
nliarn!. a osciava di; uijnieBwicdicia, muala, trm
ti asnos de- idade, cara- bixgosa, altura rcpiilsr.
cabello cortado e denles fii'idrr?. foi escrava i'.o l ai
de Barros ATaiijo.-icndeini do CBfenlw Mari
levon ti ni roiipao do chita clara ja ualbo, e um par
im.du Coitfcaom: quwii a. pepar lev.;-., ai; diti
engimlio. mi ao Sr. Mainel Alvrs Fecroira & C,
Dosta praca. que ser geiii-roaim-iik- reeompen-
sado.
F|io do enj;viiliii N
h.rio-Calvo, prorincia das Ala-'a.-. ftscra> >Ff-
lip-..tvitiu. i-afUis car;ipiiiiis. de 24 _:""'*fl
Uladc. pouco uiais ou auno** i>->iu-: '-''';'- P** Pf"
.penos. ii:ii/. regular, albo/ e'Wes. dcJrtesui
pouco limados c eoro, ^ '" ',"' "a ''J1'" ,
liuriro ciiio i-.-vo*oi ooninr.-ulo ao bxn
do Na,win ; Pot'e's*! ils auliiiidaih i I
...y'iuu-'s de campo a ajgiiehUrto do menino, e h
va-1 ao sen sndior no referido engenho, ou oa
dade do Bectfe ao Sr. Jnaqiun Jlodrigucs Tavare;
dft>Mllo, hago do C.:irpo-Sanln 11. I", 1" andar, quf
ser pi'iifrosanii'Hi' recoptuuusado.
101^)00 do xrt Adia-se fgido desde o dia 4. de jtmho de I8i
un niulaliuhii cabofolo da neste Jos, de l'l a 11
annos de idnih'. vciii do lloniln i-iii jaii'1!' d 18
e foi vendido ncsla oidade por Antonin Jos d<'
Mello, negoeiante daqucHc lug;ir, ao Sr. Fernando
Jos Correa, eom loja na na liraila di-la cidado,
^Ip-ku ai autoridades, quer daqui. quni' dR fura
que o apiclicinlaiii e o nin^""- "' i""-,
na rua.Xova dMstt ehMs M sagwido andar da
casa i>,'50 que sera syatifteado. ^^_____
2ll,IKKI
A escrrtva Hfrru/ana
<>>m;>rada a Exma. Sn. P. Clara Centn, erri
Janeiro de 1*67^ passada a oscri|rfura de eoda,
saluo e at uoje i.o voUou, igimrando-.-e pira I D
de se evadi. mulata clara, foia, idade 36 a 38
annos, falta de denles no queixo supenbr, jarda
no Mtto, cahcMos um noiico coi ridos e cheia de
eorpo. Foi esenva do Sr. Jnao Simos d'Almoida
da rua do VigaciO) e anteriornienle do lente-co-
ronel Joao de S do- enfe.-iho Tabii, na l'aralntm
J esleve urna vez em lioyanna para ser vendida.
se lpnem a quir.cr comprar Vene-se o se poder
ser appn estiver. seudo .encontrada se dar a gratilicacac
cima : na rua do Hospicio n. 23.
b^o no dia 10 do corren!)- niez, do eng-'
nho Uuilia, l'regueiia de Scrinliaeni. o estrave
Benedicto, rrioulo. idade 30 e tantos annos. baixo.
feicoes miadas, pera e bigode, dente quebrado na
frMitt,'. bem fallante ladino, montado em um ca-
vallo eom cangalha, com os sujrnaes sepuinlcs
alaso, bem feito, esl genio, nao lom estrella na
testa, nem calcado.. Foi comprado lia pouco*
mezes ao Exm. Sr. barao de .Xazareth.
MSem o a i ip (hender e'entreirar iie*ta praca ao
Dr.-'Juan da Siha -Samos, ou a Gabriel Antonio d"
Castro^uinlaes, na iravessa do Queiniado n, '.
preciados ; compareco pois os we- fSn2 rcfmo ongenho Quiliba seu senhor Di!
m p tacomponsado.____________
Faz um-mez que ftjgio do engenho Can?
vieira. freguezia da Gloria do Guita, um escravo de
D. Thereza francisca dos Santos Pinheiro, por
nome Vicente, crioulo, de idade 30 annos, pouco
mais ou menos, estatura regular,cor prota, ou fula
por estar um pouco descorado, muito ladino, com
marcas de bexigas no rosto, bastante barbado^o
pequeas as barbas, nae cpstas una cicatriz u>.
sipoadas mais para um dos lados, urna pequea
ferida na poma, quefcatarez j esteja saa, muito pe-
ralta : quem o apprehender pode dirigir-se ao dito.
engenho, qne ser bem recompensado.
NOVIDADE
A loja de Coelho ,< Oliveira rua do
Queimado.n. 10, recefeeu pelo ultimo vapor
um bello soriimenio de baloes de diversos
systemas, os jnais i^fieieicpados que teem
vindo ao,mercado, sendo :
Baloes de sjuijuir com tiras chamados
reguladores, ditos de musselina abertos por
ambos os lados, de modo que sendo todos
de um tamanho ervem para qualqaer se-
nhora, de 15a de cores, coa tiras, e as se-
geintes fazendas:
Saias de la com bonitas barras.
Chales tarcos de seda e ISa Beatriz de
Tundas.
Fitas de puipur pretos Rocamboly.
Chapeos de sol para senbora, muito-lin-
dos.
I,;'inslnha
Sultanes, Poil deChevre, Tricte, dito do
xadrez e outras mu i tas. entre ellas ama
Especialidade
La pura de coros a 360 rs. o covado.
Basquinas a Mara Anloniote.
Cambiaias lantazia.
Ditas brancas transparentes e^Victonas.
Cobas adamascadas.
Cobertas..chinelas a W"00 rs. e outras
muitas feendas que tornar-se-hia enfadonjho
annunejar. !.
Fugio do sitio da Supuris, em ii. I i l
18 do corrente, o esefavo Saturnino, mualo ;aca),
caliellos vermemos, seui barba, estatura mono que
regular, fornido, wpnwnnw 38 anuos, natural do
serlao, mas ja csi.em JielieiiUe iu muitos annos :
earn.'im e consta ter rota^Ses no bairro do He^
efe: recominenda-se |iortanto is autoridades
competentes e pessoas do aSarin, de o captutarem
e levarem a seu senhor eui dito sitio, que recom-
pensara convenientemente.
Coutina fgida a escrava Domingas, de cor
cabra, idade 30 a 38 annos, eom urna ricalr de
foco em todo o peilo do-p essjnerdo. caliera rapa-
da du poooo, natural do Rio do Peixe, consta
o.-Jarainasuda uaruaJiupurial, oque se protesta
com lodo o rigor da Jel contra a pessoa qne a n tn
occulta por lodos os prejwzos e damie-s que pos-
sam aoonteeei' ddii crava : quem delia souber
c der jiarle na ma do Bngel n. 9, ser gratificadu
e se lhe guardar segredo.
- Besde odia l.^upteariwo do annoproKime
uuado-qtu) fugio da casa de-neu senhor a escrava
/dyviges, catira, de idade de 8 annos. pouco mate
ou menos, altnra regular, magra, ps jiequen->s,
peiW! Munidos, picada de bengas. caWlo <^nai
pixaun.iiao aa/ia uso deapaRi>lo, a cor > um
pouco macilenta, sem {alta de denles na fronte,
em cada um dos cotovejlos tem um carneo bstan-
le saliente, grttji de agoardente, fuma racbimlx.
multo'falladeii-a, ha noei qne abio pura o cen-
tro, indo pela estrada > Santo Anlao rega-sg a
todas a autoridades, eapities de campo, ou a quem
(le
do goneioimente.'
negar leva-la easa sea enhor,'-'rua da 6a
ela do Reteife n 8, armazem, onde Ser grafica-
crioiHo de nome Ro-
0 preto
e d S4 (tnnos ppoco mais
Fugio
Ipho, do id*
u menos, no dia 9 do eonvnte"'vesRo de
ambos os olhos quatido aflirma para al-
guem, andar gingandO, usa cavafmar, levon
vestido calca pirda e camisa d chita en-
carnada, andou emlni m'tapores da
eompanhia Perwm*ucana, qnem o pegar
live-o ao Correder d lipo n. 33 tasa
de Luiz dX)veiri Urna.


8

Diario de Pernambuco Suhbailo 23 de Janeiro ti.- Ift69.
----------------------------------------------------------------------------------------------------- -----------------------------------------------------------------------------------------------------------
JURISPRUDENCIA.
DIREITO EGCLESIASTICO.
CONSULTA.
* 4 Pergunta-se.
v' as Minas, cpie se deyero offeref
Po/wto dos domii lias sanliflca-
i <-, san da obrlgati irlo propre-
i 'mhora / Jw/*> nfFW**
malquer ingerencia ha fregueria, nuu
, .,' .,,,.//,/ fe celebrar), ou se sao da
o!>rigac.o do Coadjutor pro-parocho, cijo
; i sob sua responsabilidade c regencia da
i -n.'/.ia, c recebe *eus molimientos ?
PtlW.
Segundo o mea fraco parecer o Coadju-
" t'tr pro-parocho obligado a eelebraoo
Musas pro-Populo pelos set fregueses
,/, .1,.; 0 moderno, e insigne Canonista Sr. De
Bornx cm si W xMlento obra Tractatiu de
pt* licSa segunda (de 1867) a pag.
586 depois de traiiscrever aquella Bulla de
Beiiodicto XIV diz, que >la comprehende
^.0 Vrarkn fltralos, qni nempe cune ex-
ercitiim haient, remanente penes alium ha-
bitan' : 2. I tremamos,
qtli, varante parochia, d curam in ea ex-
i d '[Hilantnr: :. Catato* ad nu-
tiim'rtnorikis i* Rtgidares, qui Paro-
chi v.-l Vif-ar titulo curam cxoiTont (Jbi-
deh Ti i ptirticulari q'uoad curatos amovi-
bili's -Vwe lo-isum Rhrra CongregaUtic
Condli in Ostensi29 Januarii !Otin
Tln-v inro tom. !l pag. 12.
ho'oli'ustilutionesJnrisCanonki-^M.
1 5 \C liz U\mbi>mPr efun pag. 573 s considera como causas ca-1 parochal, a qual (como ainda diz M.Itoissonet,
nomcas justas e legitimas-parp ser o iaf o- Uicrwnario dos iecrelosag Sagradas Cons-
cho desobrgado pessoalmente da celebra-1 titaYoes.pag. i 43 terbappli atou de la
rao da \8ssa pro-popula, e poder Relegar Mase) toda pessqftl, coqslne i
essa obrigaco qualquer oujro ferdQte
1. qnamtilHt ahsenHam leginmam J2.*-
/irmitatem ; 3.a obligationem eclebrandi
Missam conven! ualem', onando parochusest
simal cannicas, omnin admiltendtm es.
Gi'wra'im pro regala trai potest sttfficere
causan, quee prudentis ciri judicid rara
lillirhir, etc.
'i.1 E' to restricto e* imperioso esse de-
ver ila eelebracap da Missa pro-populo,
das 'M'tssas pro-Populo peac7iw ^e"- ...............-.
(tiro oribus mis sacticiutu oferre) nos ruto mana a snntsncrificium pro populo of-
.tus festivos, sem estipendio alguna, anda
mesmo qnfl o respectivo Vigario collado,
impossib'ditado de administrar a sua fre-
a, possa celebrar o sancto sacrificio da
Ilaseio esta minha opiniSo as valiosas
cmsidonu-bes seguiutes:
Km prinieiro lugaro Concilio Trident ino
Sss. ~'\ Cap. i etc. determina expreso-
ir -que por precito divino todos os
e anegados do cuidado das almas devjm
ivmhecer suas ovelbas,e olleivcer por ellas
... ilirios etc.Cnm prmtfto divino (Joan
21:15 Act 0:28> mandatuwiU mnibus,
.lihus aiiimarum cura commissa es', ores
utas aanoscere, pro his saaificium offer-
i etc. etc.
Km s qanilo lugar -a Constitiuco Bene-
d ctiua,((W de Benedicto XIV, que, segundo
t.-m-se geralmente dicto --. prora roa nmi-
iros Caones)Camsemper oblatas de 19
.! > agosto de I7il(m> sen Bullariotom 1
pag.222 n. 10312)dirigida aos BispOS da
[i naresolveu terminantemente a questao
'. Tiente nos seguintes termosSacrosan-
i-nn Missoe saerlficiam Pastoribas ani-
? tararn applicare deber pro populo, ipso-
ruffl rue rommissir. id celnti esse divino
pmcepto descendeiu, u Saera Tridmtna
Si/nodo diserte exprimiinr (Sess.23C
le refi .rmat) per tuve- notabika verba i su-
pla citadas). Cum praceptodivino maivkt-
t im sil mnibus, quibus anhuarum* curo
commissa es!, ores saos agnoscere, pro his
fitrificium o/ferre etc.
/;/ quamvis minime defuerint, qui per
i mus vi friclas nterpretationesRUjmfnodi
iligatioaeA asando tsunodo memoratam
de medio tollere, re saltcm extenuare can-
nderint, qutm lumen relata Concilii re bu ,..
'"' clara et perspicua siut; quinqu pre- ttiut
Omgreaa*io, ejusdem Concilit interpretar
prksativ proposita, couskmter eli-
feriv.dirinnn verbum nnntinre. sacramen-
to udmini.'trareVmeW. Trid. Sess. 23
Cap. I Reformat.
Ihhet Kinm unnsquisque Parochu\ sice
dives, ni re ;ianper pro populo sibCcommu-
M thnrtis lominicis, festisqne diebn sacri-
lci"m ferr.
< inesinr Devot cit obratom 1? I
iloi.M'. XC nota (i) invocando a Citada
bulla diz a respeito dessa obrigariotcuen-
tur miiHi's, qni curam habent animanim.
etium >iair; amivibtles. uc temporarii el
reo'ilori'K e c. etc.
Du acconlo de todas wsas respeitaveis
optirioes multa, que o dito Pontfice Bene-
dii-t XIV naquella sua rudicta Bulla
rosando urna multidao de questoes acci-
deiitaes p'ocurou estatuir com to claresa, e fura a disciplina, dedaou que,
os usos imi i moriaes nao deverio prevale
ce contra o preceito divino, assim como de-
cidi, que o mesmo preceito nao concerne
smente io? pastores propriamente ditos, mas
tmbeme extensivo aos reitores un iviveis,
e mesmo aos administradores das paroebias
vagasen) toda a un versalidade do munn ca-
thobco: pm >umma at lixouos casosraros.em
que os curas/jue teem redtlosmais fracospo-
deio ser autorisaikis ;\ transferir o prelien-
cliimento de sua obrigaco, ludo alias sem
d 'ixar de prever e prevenir os pretextos
possiveis, com (pie se podera procurar il-
liulir aquella sua mesma le, etc.
IVscendo a outra ordom de considera-
cT>.'< eumpre observar: 1.a S os Coidjuto-
res pro panchos sao considerados supplen-
tes. vijrio;; dest<'s, quando nomeados pelo
Bisp.i jiiucesano, para regencia das paroebias
no? impedi ieiitosdeles^ciri*iwdwtt! mu-
go dirtnreit quis qui cicem ullerins oblinel
pjiis succedit segue-se logica-
sem estipendio algum, imposto ao que tuer-
ce as funeeoes parorhiaes. sob qualquer
carcter, que seja, qu;os Canonistas ape-
nas excepta o o caso dti quererein os I'aro-
chos pobres, Yiattrifts, oh oh Ecnomos cele-
brar com outra tenco nesses dias festivos
as Missas.medante dito estipeudio.mascom
previa liconga do Bispo, e sol a condirao
expressa de dizerem no decurso da semana
quantas deixaram de dizer n'aquell;s dias,
em que celebraram por aquell'outra tenco,
como insina o citado Devot XC. fsoD a
autordade da supramencionada Bulla i as
seguiutes ptlavrasLicet emm taten Paro-
chis, qui ijravi inopia laboran', cutu Epis-
copi venia frstis iliebus accipere, qmxl pi
aliquo lioniine dutnm est, et pro (aMissam
oferre, infra hebdmada pro populo reta
ilirinarum con fifiant qnam festit dubas
confice re dfbuissent.
E pols s o Parodio interino, de que se
tractt, pobre, si os redditos da reipMtfca
parochia sao insulucientes ou insignificantes,
dever recon-er ao Kxm. e Bvin. Sr. Bis-
po Diocesano para conferir-lbe alguma com-
pensarlo possivel e rasoavel pelo linos da
applcaeo da Missa pro-populo, sem estipen-
dio algum. roo tambem expresso no Con-
cilio Tridentino, Sess. 7 de Reformat. Cap.
7; comquanto forcoso dizer, que isSO nao
se coaduna inteiramente com a nossa orga-
nisacao. cmenos com oque insina oCar-
deal de Lucca,=Diseoiirs n. Mh-=x\. 7V/-
carius non potest petere snpplemnihim con-
grua! ilimiimtrr.
3.* Em verdade admira, que, dada a im-
possbilidade prolongada d'esse Parodio col-
ladonao se tenlia anda nomeado para ad-
ministrar aquella parochiaum vigario en-
commendado.como para taes casos expees-
samente determinado pela Constituidlo dos
Rispados do Brasil, Liv. 3, Tit. 28, n. 533
e 536 et., por verificar-se neste cuso urna
vacancia deiM)ninada==*propria ou fcta=
segundo ensina o erudito BispoConde de
IrajElementos de Direito (eclesistico 1
ll3,em lugar de conservar-se aquelle Coad-
jutor pro Parodio, o qual de ordinario s
golnberente no radisterip&loral, e pro-
cedente de instituida Jviift, %nbora deter-
minada pela le eeclesastic, e ]ior isso mes-
mo nadmissivel de deiegacao, ou substtui-
co, salvo por-grave impedimento/excepto
casa letjitimi impeilimenti tenetur Parodias
Missamhpro ppalo per se ipsuin offerre,
nec potest atinm sacerdoteiUi qui id pros-
tet, siU suhstituereBojhx"ratde pa-
rodi cap^fiproposit0) ?
.' Logo
e especialmenl
obripfaco
conferida ruem rege X I
ioje propna
dita parochia : sendo que elhj talvez por
ess> mesma admnistracao alulira maiores
proventos.
7.a Efectivamente, todos os Canonis-
tas concordam unanimiinenle, que a natu-
reza dessa obrigaco restricti'ament pas-
toral, ou alias que a celebradlo pessoal do
santo sacrificio procede de ser o pastor
constituido omediador;de 9 ia povo para
com Deus, e por consegiiinte q le a interces-
s3o deRe dever sermais agracavela Deus,
mais proficua, efcaz e til ao bem espiritual
do mesmo povo, o fructodo dito sacrificio
poder ser mais copiosoex- o\i>ere operan-
lis, em urna palavra que o ujiesmo pastor
nessa pro-
, com niaior
quer cope-
interpretes (Vos Concilios, seno tambem Bie d uin movimento de rotarlo (o mov-
pela opinijo geraV dis maistxinlio cano- mentd itytnmj seja inclinado ao plano da
nistas, agida poi'mOtivosinaito rjcidiiaes. justos, e de orden superior obrigaco do Coadjutor pro-parocho, que distribui^o da luz e do calor muda conti-
rege a freguozia o um Parocho coHad*' mianate emretacSO a cada ponto do globo.
A inclnaco dos polds varia a cada instan-
te relativamente ao sol. Duas vezes no an-
uo pa*sa ;i tecM por ppsices, em que os
rajado sol fflpm nerpcndicularmente so-
breo equador: n'eltoa occasioes os das e
as iioules sao iguaes em toda a trra, e a
in/. cUega de nm-a outro polo. Fra d'es-
ta> duas pocas, dos dous equinoccios, ora
obeniisplwiio norte, oro sol, alternit-
vamente, recebe mais do que o outro luz e
., .. ...0.^^, _... .
imiwsibilitado (por (pjalqner das causas
HfflilliBx^^eOTriio dis IcwoTa
Missa pro populo, sem alias por sso pode!
exigir estipendio algum do mesmo Paro-
dio, por ser ee nffido \. assim
attendvel, e valioso paca as pioprias ovo-
llias; 2. todo gratuito* pwsta, o inli1-
rento a quem quer mu ell'ectiva, ou proviso-
iluneroulro titulo exarca aquel-
iia,ou ponpialqiieroulro titulo exerea ;i
le ininisteriooii a dita aduiinisTradiopas
ioral:
a despeito mesmo da nao percepdi de e<*- calor. in 20 de marco tem lugar um dos
gra alguma, ou ainda nesuio quando lia ja ros
turne immemorial em contraro, e noobstante
nao acbar-se aquello Parocho em estado tal de
impedimento, que o prohiba de celebrar o
dito santo sacrilicio.
Assim perno, e opino, salvo melhor
juizo.Recife 1 de outiibro de ISfiS."
Dr. Antonio de V..Mniezes de Druminond
LTRA.
e inherente
m
rit, eos quilms animai,..,, (7/7 deman-
i est,non modo Saerificium Mme cec.
are, sed illius etium [ructum propn,.,.in
imcommisso applicare deber, nec illml pro
atis applieiire. aut pro lutjusmodi appHca-
m eieemosymam percifun posse; quod-
mente que os ditos coadjutores prehenenem se nomeiapara impedimentos ejirmnlnut-
todas as fin-eos pirodiiaes, fazeni pie-1 rio, curtos e temporarios,
procurar interessar-se, e pedi
pica occasio mais vivamente
zlo, e fervor do que outro qu;
radar.
8.* S por ser toda pessoal.
a admnistracao da Parochia, aquella obri-
gacoo Parodio collado nunca receben
esmolla pela celebradlo da dita
chal, como agora, sem exercer aquelle mi-
nisterio por mpossibilidade propria, d<
ver supportar esse encargo, que j nao
Ibe era inherente, ou ento dar ao seu
substituto a referida esmolla, que alias i repi-
to) nunca receben, e nem pod-ra recebe/
sem acorrer em simona ? Sera isto
nao s injusto, como at inqio!
Recorrendo-se anda as decisoes havidas
tal respeito observa-se :
i* Que a Sagrada Congregaco dos inter-
pretes do Concilio Tridentino pelas Resolu-
ces de 10 de mao de 1692, e i de feve-
rero de 1(59!), c pelo Decreto de Innocen-
cio XII de 24 de abril deste ultimo auno
(anteriores aquella Bulla de Benedicto XIV),
j baviam tambem dispostoque o referido
encargo era inherente o ministerio pastoral,
nimia que os porochos nada reaehtssem,*ive
haheant congruam, sire non ele.
?. Que a Sagrada Congregago (castri
alb de 18 de julhode 1789) tambem de-
c,|j,)me essa obligaran era / essoal (i todos
ilos igrejas, e de outvascollegiaes.
Revista cientfica e Industrial.
A srfcncia e o progressn. -UlilidaJe da valgatrha-
cTn da ciruela.U hoiiium e a nalureia.A
Ierra e o universo.A fniw da Ierra e Fernn
de Magales.Aristteles adviulioii.-Movinien-
lo da rotaeao da trra. Quantu anda o habitan-
te do Para.Movimento em ruda do sol.Os
dias e os anuos.As estaroe*.MudanfM tu
i:9O0 anuos.^Os nulrus mundos.O roame
da trra 0 roame do sof.A attraceSo.- \-
cstrellas.Viagem no espaco.
(Concluso.
A tena tom movimento d rotaco em
torno de um eixo ideal, que vai de um a
outro polo. Este movimento, que lod >s
rouliecemos, faz-se do occidente, para o ori-
ente e d'aqu resalta omovimento appare.nle
que tem para nos o s l e as estrellas do ori-
ente para o occidente em cada dia. Fcil lie
motimento, millo nos polos
que magia interest, qnum ha- inteUigentindlW -'l;i-
mente as vezes dos Parocbos ellecti-
vos. .ni collados (cit Ferrari mearan paro-
cbialisn. I2ie por isso mesmo propter
"il'-:"i v/oiisao pessoalmente obligados
:,'riolla Missa parochial nos dias
alguma de quem quer
celebrar
festivos, sen esinuui
os curas dos igrejas, e de outi
.jmporahos, na contemida- 3. Que a dos Ritos Sagrados pela Decizao
de do que preeeita o Concilio Tridentino de 27 de fovereiro de 1847, na causa de
Sess. 21, Cap. t de Reformat, Cap 3. X|Butemond na Hollanda)aildftada pela a
de 22 de.julhode 1818 declarpu^ptetssa
'mdecessoribut Nostris Romanis PontifiA .'Dada runda a hypotheso i\. que o
cibus approbata fnerit et jmfirmata nihil Parocho collado impossibditado (por avan-
iam amplias nlli test ruin desiderandnm rada idade, grave, ou mciiravel enlermidade
',,n>rrsr ot rom ampie el i, eidemqae olse-'M'-- aiiQra toda a congrua, e o Coadjutor
netmm illius promptam executionentlvr parocho receba nsbeneses, oblatas (Ou
vestris respective Dioresibtts otnni studi lobmWinff?rtas,fassaes,ps de altar,direi-
-<,,< tki'vmti: ''"' "'' '"'""" ^outS (lliaesquer redittos pa-
Declara! postea lamalas Pontifex, huir, rnduaesetc.devjr esteconsKlerar-ao a*ia
com|ien>ado,por(pieo dito Parodio n'aguelle
( obligationem fieri satis, si ii, qui animar
. r/im fumn o.irrv/!. Misaam ceUbrent
< atiple applicentpro popubin Domini-
< cis aliquo per aum/m diebus festis de
pmceplo (Ibd. ^ (5).
Ferrarino suppleiueiil da sua obra
-. H mumentalPrompta Biblioteca. Cannica
.. "/tilica MuralTheohgica na |ialavra Mis-
sa diz o seguinte citando a Bulla supra de
Uenedicto XIVde 19 desetembro de 174i
etc. Parochi, Vicarii. aliique omnes i miique sint. sire Seculares, re Regulara,
, 'iam speciali est indieiuali mentwm -., sive congruas babean' redditas, gire
oou, et non obstante quacumque consuetudi-
nore, qiin curam aninnram e.rerrent.
neniar applicare Missam pro populo ipso-
rum curas eommum mnibus atebus Festi-
vis, Ucet solum tkprampto quoad onus au-
'.'' ndi sacrum.
Viuda omesino oxiratw Canonista nacila-
obra, e palavraden. 20 a n. 30 assim
'xprime tal respeito, substanciando a
Bulla nos 3, 5, 6,7, 8 etc.
lissa Parochialis applicare debe! pro populo
Non solum Parochu sed etium Vicarii
itatis ad tempus aut alias aiwcilibn.<:
. in obstante defecUt congrua, aut quaUbet
i adrara consitetudine.Quod intelUgere
FOLHETIWI
11II1KIV1
POI-
Jues Sandeau
IX
misero estado vira ser menos aquiahoadu
cun a referida congraai a qual ajienas Ihe
dar para.0 seu parco sustento; ao passo
',oe elle rereber aquellas prestadles, (muito
l'iovaselmente de maior importancia ) coa
que "s respectivos parochianos desdo tem-
pi inroemnrial epr antiquis.sinio uso soc-
coirem aos seus Parodws, como dispe o
Decreto de 30 do julbo de 1790.
:;.' si po-aipiella mesma disposici ex-
pie-aiuenh consagrada no Concilio Tri-
deitino.S.>ss 23 Cap. ios Parochos, os
Ec >uomos,.oa beneficiados, que lerem cura
d'abnassao obligados Ipplicar a Missa
in comrarium, licet immeinorabili pro proanpnlB, Bem estipendio algum nos_ das
/ f i '-------- r---------- 9------ ,
estivi s. i lien como pela dita Coiistiluico d
Benedicto XIV por ser essa obrigaco) toda
pessoal, einierente ao respectivo exercicio
propter offk :nmsuiiiiu citado Sr.Dr. Bouix
Tract. de Paroch. Cap. t Propus VID, com
maiona nao dever elle, quando se adiar
impoibilitado por qualquer das cansas ca-
lii.nicas de administrar a sua parodiia, dar
quem o succeder nesse encargo estipendio
algum, que dis elle mesmo nunca rasaban,
nem tinha direito para exigi-lo de quem
quer que fossele Praxi Parwhia ab-
servnndu pag. 4 et 2(5 etc.
0 citado Sr. Dr. BouixTract. de Paro-
Projecto.
(Continuaco do n. 16)
Na tarde daquelle mjsmo dia e enguan-
to os dous mancebos seguiam ao lado um
do outro o caminho danachre a S. Silva-
no, o lio Noirel e Francisco Paty passeavam
juntos debaixodos grandes castanheiros no
terrasso do presbytero.
0 thesourelro eslava meditabundo : o
,i-tor co.itemplava em religioso xtasis o
sol que se ia ocultando por detraz de urna
i ordilheira de nuvens, que semelhavam as
-.arodes derrocadas deumacidade a arder.
Ora contemple a magnificencia doSe-
,,hor I exdamava-elle na mais devota
xaltacSo, mostrando o bello espectacnlo
une naquelle momento offereciam vista
i. valle, os bosques e encostas resplande-
. entes de luz, miados de purpura e re-
l.ctindo em laminas de ouro.
O thesoureiro meneou a cabeca, como
soa a quem os esplendores do por do
-1| pouoo interessavam. ,
.-= Que tem, amigo Noirel ? Est triste ?
perguntou Francisco Paty, tendo notado
o semillante descontente do seu silencioso
lompanheiro
Com elTcito, o Sr. Noirel estava triste.
thtio dava que pensar a seu pai, e bem
ikisagradavtlmoute. O thesoureiro com-
.ii-ehondera quos o casamento de seu ilho
rom a sobrinha do parocho de S. Silvano
oderia trazer o soeego sua casa e res-
lituir a raz5o a Claudio. Alm d'isso, este
i nnsorcio, como se sabe, fra sempre o
lito das suas clandestinas ambices. Re-
obrigaco era*toda pessoal do Cura, sendo
que s elle poder por mnfiro justo, r legi-
timo comiw'Hi'-la qualquer outro sacerdote.
4." Que a Sagrada Congregaco do Conci-
lio tambem declarou 25 de setembrr de
1847'/' esse deverera mprescriptirel,
anda que lia ja legitimo, aitligo, OU m-sm
i inmemorial rosfun" em contrario: sendo
por isso que o citado Sr. Dr, Botris* Trar-
tatm de Parocho cap. 6." proposit. VI *s
ronira praedictam parocharumper se ipsos
ojferertdi obligationem, nalla mlet consua-
tudo.
"> E^n sijmqi.a 'A Kiievilira de Po IX di
De elerir legrot. (36)
Naquella iypothese, o dito Parocho colla-
do dessa freguezia, assim impessibOttado
por alguma daquellas causas canonieas, alie-
nas teria direito a dous trros da resgecttva
congrua, sendo que o outro ten.-o (leveria
perceber o Vigario encominendado (isto ,
tendo Proviso dos termos do aviso n. 264
de 24 de agosto de 1807, como se ada de-
clarado petos avwos n. 171 de 8 de mimbro
de 1854, e u. 244 de 11 de agosto de 185*,
e tem sidq costume no Imperio, por nao
linvcr diiitta sillo regulada por le a apo-
sentadora dos parocbo; a qual, de pus-
s'agnm <-ja djfer-tarna-se ile inddiirvtd
necessidade e suuuna justica. poi'qiiauu o
Estado deve assegurar-Ilies.como aos demais
funecioaarips rivis, A maneira de letiilniico .
de urna divida pata com ellos conlrah-Acbrar'JMStoalmnte a
na, porhayereA consagrado a maior parte
de sua vida ao servico publico; sendo que
por j se seutirem sem vigor bstanla para
continuar, ou alias por se achaivm j alque-
brados pela idade ou enfermidade, s dese-
jain renunciar as respectivas funches e pro-
curar o repouso e os ineios sufficientes pa-
ra manutenerlo da vida privada: em cujas
crcumstancias bem applicavel o bello pen-
samanto da Assenibla Constituinte da Fran-
ca.// est juste, que dan. Tagr den inr-
mitt's, la patrie riemie au sCOUt'S de edui
qui lui a consatr oes talens. et es (or-
ces, etc.. etc.
t.0 Demais, si o Parodio cMIailo n >
rege a sua parochia, por estar assiiu real,
e cannicamente imposibilitado, e apenas
como simples sacerdot3 pode uzar dessa
sua nobre funeco, celebrando jj santo sa-
crificio da Missa (ad illius sustentationem,
segundo ate S. Thomiz, sabe^l^us com
que dilliculimdepara nao diy.criihperfeicio)
como anda Mr-se, que sobre elle peze
aquella obrigaco de celebrar a dita .Missa
equinoccios; desde esse dia, em consequen-
cia da inclinaco da linha que tine o dous
polos, o bemispheiio norte, voltado ento
para o sol, recebe cada dia mais luz e mais
calor. No polo o dia torna-se permanen-
te. Vo os raios verticaes do sol, cada vez
caindo mais ao norte do equador at ao
da 21 dejunho, poca em que acaba a pri-
mavera. Continua a aceto intensa do sol
no heiiiispherio norte anda at ao outro
equinoccio, que vem nos Rus de setembro:
e ento passam-se, em relaco ao bemis-
phero sul, pbenomenos anlogos aos que
anteriormente se baviam succedido no he-
mspberio norte. Chega a primavera e o
vero para o hemispherio sul. emquanto,
no outro liemspherio, se passa o outono e
o invern.
E' para notar-se, agora aqui, urna cir-
cumstanca com respeito posico da trra
relativamente ao sol, em corresi>oa*encia
com as estares : e que a trra se acha
na parte da sua rbita a mais afastada do
sol na poca correspondente ao verw- no
hemispherio norte; sendo no maior rigor
do invern, pranosos europeus, quemas
perto est a trradosol. tMitra cousa me-
rece ser atindala em relajo s estaces
nos dous bemisplieiios, e vem a sor a dif-
ferenca de grandeza do periodo de estio, -
a desigualdadc na daraco dos- dias e das
notites n'um e n'outro, O periodo de esli
norte seis sete das
ver que este motimento, millo nos
onde termina o eixo da trra, tanto mais ,|() hemisphetie
rpido para cedo lugar do globo, quanto i ma; |0liy0 (i0que o periodo coiresponden-
te do bemispberio sul; e, n'cste, a somuia
maior a sua proximidaile do equador.
Em S. Petersburgo a velocidade de rotaco
de 14 kilmetros por minuto; no equa-
dor ella prximamente de 8 kilmetros.
0 habitante do Para levado, no movi-
mento diurno de rotacto da Ierra, rom
nina vetoeiilade igual de urna bala de
12 kilogramraas impeilida por t Ififogram-
uras de plvora, Benque isso perforbeo
seu repouso. D'este mi ft ment de rota-
co resulta a successo do* dias e das uou-
tes,
Alm d'este movimento. execnta a tem
outro, anda nwis rpido, em torno do sol.
Descreve o globo terrestre nv> um circulo,
mas urna elliine, n*esla viage pek> espa-
co, que se execut;r n'um anuo. A distancia
da tena ao sol, D> j se ve, a mesma
em tod-is as pocas do anuo ; ha urna po-
ca de maior afasiaimento, e outra de maior
aproxmaco, dependente darormado tarta
descrlpla peta torra mu torno d^sol. A
distancia media de 150 milhbes d; kilo-
metros prximamente A dlnerene entre
a maior e menor aprMinacao de- 5 mi-
Ihes de kilmetros. ,V veloridade com que
aterracaminhana sua (bita nao sempre a todos-os
mesma. Mais rpido quando elle, est
mais-prxima do sul. o*movimento dilui-
rme quando a distancia cresce. Pode- a vi'-
gOTijva-se-l!ie com isto a vaidade e aU'- o
sen espirito avarento n'isso antevia vanta-
gen. Bem sabia elle que Catharina ora
pobre e que por morte de seu tio nada
teria i bordar, mas tambem sabia que nao
era sem motivo que ella merecer o epi-
theto ile pequea fada, Alm das quili-
dades le milito arranjada econmica, divi-
savi-strla urna fortuna as habilidosas
mtos, e ftrea de ouvir repetir a Fran-
cisCO Paty que ella duplicava os rendimen-
tos do presbyterio, acabara o velho avaro
por sentir vivo desejo de julgar por expe-
riencia propna, tirando partido de todas
essas circunstancias sob o seu proprio
teoto.
Infelizmente, Francisco Paty a pareca
muito apressado em ceder o thesouro cubi-
cado por Noirel. Nao que lhe repugnasse
essa uno : bem ao Contrario, era ella da
sua volitado ; mas o fado que, sem o
dar a entender, relardava quanto possivel a
poca da sua concluso. Ou por outra :
habituado a ver em Catharina apenas a
creanca, beai comprehendia que'era ella a
alma e vida do presbyterio. Previa vaga-
mente que, urna vez casada, levara coin-
sigo a poesa do lar e os atractivos doms-
ticos ; por sso a todas as xpansoes do
thesoureiro limitava-se a responder: Nos
aremos ; sira, trataremos d'isso. Tal
era, pois, i causa do aspecto sombro e
preoecupado que aquelle tempo apresenla-
va o digno Sr. Noirel passeando com o seu
abbadc debrixo dos castanheiros do adro.
Acho-o triste, vsinhorepeta Fran-
cisco Paty cm tom affectuoso.
Poda estar menos, Sr. abbade re-
plicn Nh"ol com voz lamentavel.
Que o isso, Noirel ? Falle. Faz-me
pena I... Tem algum pezar que eu nao
possa atoni ar-lho i
Pois liem, Sabbade, exdamou o
lastimoso visnhose quer que Ih'o repita,
o ni&u Claudio d-adfcros cuidados I N5o
tem notado como elBnda ltimamente ?
0 desgranado est plido, emmagrece a
olhos vistos e nao parece nem sombra do
que fui
Bem deve sal>er que Claudio nunca
foi gordoredargid Francisco Pat>.Pa-
rece-me que Vine, se allge sem nieto.
Ah senhor,continuoiv o thesoureiro
suspirando de-nwgroquo era aquelle po-
bre corpo torbNMa taisparente : podem
atravez d'elle ver-se as estrellas! Prou-
vesse a Deus ainda assim, que eu nao
tvesse outro m >tivo de desgosto A cir-
cumstancia que se d demeu ilho tor per-
dido a vontade do comer e de beber nao
seria razo bastante para me lastimar, con-
siderando eu, como sempre considere!, a
sobwedade uina das virludes mais agrada-
veisaDeus. Desgraadamente. isso ainda
nao tudo. Claudio nao para na escola.
Ainda esta manha desapparecen sem que
eu podesse saber para onde elle foi. Acres-
ce que ao coro a sua Voz diniinuo de torca
vUivelmento de domingo para domingo,
podendo considerar-se um echo moribundo
do que foi n'outro tempo... Ah .' .--wihor,
se ha no mundo magoa legitima o que se
justifique, por corto a d ora infeliz pai
que, tendo feto todos os sacrificios para a
eilueaco de seu ftlho, naesperanca de que
elle seria a gloria da sua velliico e o orna-
mento da sociedade, v. como eu agora,
esta esperanca perdida e nao colhc seno
fructos amargos nos esteris ramos da ar-
vore ipie durante viole annos regou com o
seu suor!
segundo, istrr. sessenta tetes a veloctade
de urna bala de artilharia.
A linha percorrida peio*gtobO terrestre.
a rbita da torra, nao comeita iiideliuidi-
mente a mes; forma exacta. A ellips,
:i de ramo de^1838/4"^^principa vo/e-rmnmtnT carnnnr-so cm .^rKttomerrj? por
lissimi ttedrinptoris estatuiv rochos e lodos os Curan (Falman esperan ce-
Missas pro-populo
nos dios festivosrideikel celebran' deber
suppressis etiam diebus festis et compth
landos isios- ilie festos s-njipressos esr cons-
tiiuoM Urbani VIII (Universa per Orbem
idilios setetntiris i t 42 i.
Todas essas Decisoes-das Sagrad;* Con-
gregacoes, embora baixassem sobre casos
particulares sto-applicaves a todos bs-outros
somelbantes: ostabeleceram respeito don-
trina, ou regra uniforme, e certa: torna-
ram-se ger.aes, ou exi^quiveis em toda a
Italia; Francas Ifespanha, Portugal, e Blgica
etc., prntoilaa groja univecsal, desdblongo
temj' >: abrogaran! os diversos abusos ;
cotngiram falsas interpretac&es: em urna
[Milavra suppriram poderosamente asfmis-
soes, ou lactinas de direito, que at- ento
occorram.
Recapitulando pois todas as minfea con-
sideraces cima expendidas sobrar a pre-
ientc consulta, entendo- que nao s polo
(loncilio Tridentino, pela: Bulla de Benedicto
XIV, e por numerosas Decisoes ulteriores
das Sagradas Congregadas dos Hilos- e dos
das horas de" dia Inferior ao nmiwm) das
horas de noute, emquanto- twe no norte o
dia domina sobre a noute. Resulta feto de
estar, em cada anuo, o poto septentrional
mais tempo voltado para o sol do que O
polo opposto.
FSte estado nao permanente, mas mu-
davel. Oque acontece boje no liemisplie-
ro norte, mais tarde succeder' no bemis-
pheiio snl. om (onsvquencia d um outro
movimento. que a tem tem.Ea* que con-
siste esse movimento ? Por una exemplo
vulgar fanl fazer ntelle idea. Cm pioa
andar, tem um rapidV movimento de rota-
co, e, emqoanto si; n< lixa b'OW ponto,
emquanto nfio adbrmvce, gira desorc-
vendo curvas- prosimaraente rit rulares:
os a represen'iico grosseira de dosdos
movimentos da torra. Obwrvando. porm.
com a.ttendio o-que succede no pia, efa-
cil notar.que o efco em roda do qaal st*
faz rotaco, eu* vez d se conservan p-r-
peniScular-ao soto) ou nclirwla parao-mae-
mo lado, faz um mnvimento* rolativanento
lentoi de giraco ou bataneo smressivo en
sentid.s*; como se deacrewaso
um ciiie. Tem a torra tamtwtu um movi-
mento anlogo a este : a teiw batanea tew-
li mu lentamente a linha QW une os seas
polos. iiicunaiio-s.mipre (tto^- em
sobre o plano da rbita, o iso da Ierra
romo ojpe prolongis traca un circulo n>
reo estrellado. Ora sendo .--oquaitor un
circuto mximo da torra, iracado a igual
distanciados dous jjOtos, claro |oe a sua
tende alternativamente a aproximar-se ou a posicao? om rolaflUii ao soldcve variar cem
Dizendo i*to, o astuto compadre, cuio
desespero era alias terdadeirt, ti-ou da
algibeira um lenco, com a ajuda do qual
fingi enxugar as lagrimas, que nunca der-
ramara senio lie alegra- ao contemplar o
seu deposito de dinheiro.
Ora vejamosacudi o bom parocho
enternecido.Nao se affiija d'esaa forma.
Enlo er que a paixo que assim ator-
menta o bom do Claudio ?
Se creio, Sr. abbade I Pois o que
podera ser senao esse travesso do amor ?
Ouco-o todas as noutes a 3olucar e s don.
tadas ao travesseiro Basta que elle vis-
lumbre por urna fenda. da porta o.vestido
de sua sobrinha, j nem Deus, nem. os ao-
jos sao capazos de o suster cnWcasa I De
noute, e. quanto v-luz no qfxsrlo. (Pella,
est all como urna arvore na adro da igre-
ja sem se mover... Vou apostar que esta
manha desappareeeu para seguir de longo
os rastos de Anuette oceultando-se por de-
traz das sebes. Ora vea se. isto nao
obra do amor Eu j fui asim durante
uns tres mezes : minha mulher podera
bem informar o queeu li, se Deus me nao
tvesse feto a merc...
N'este ponto o thesoureiro, compreben-
dendo que ta a dizer tolice, suspenden a
palavra e.lovou de aovo o lenco aos olhos.
Pois bem replicn o parocho me-
lanclicamente visto que o amor, quem
o atormenta, foreoso que se casem : bem
deve saber que sao esses os mous dsejos
dehamuito... Minha sobrinha dexo amar
seu fllho...
Pondo de par*- a vaidade paternal,
quero que o Sr. abbade me diga como po-
der ella dexar de o amar ? llavera na
freguozia muitos rapazes coma elle ? Re-
ne ao genio espirituoso e torea de mocidade
um nome honrado, bella educaco e boa
posico social : cantor de coro, mestre-es-
cola e thesoureiro em perspectiva. Apu-
rado um pouco mais Claudio sera um
perfeto cavalheiro, c isso conseguir-se-ha
no momento em que se lhe conceda a fe-
licidade por elle ambicionada.,
Sim,accrescentou Francisco Paty
elle tem um bom coragao e nobre alma ;
conheco que nao terei repugnancia de lhe
confiar o meu nico thesouro no mundo !
Mas diga-me, Jjfoirel, nao pensa, comeu,
que Catharina atada est muito nova para
o matrimonio ?
Muto nova, Sr. abbade Sabe que
o invern passado fez vinte annos que o
senhor veio installar-se n'esta freguezia ?
Vinte annos f exclamo u o parocho
estupefactoEstes vinte annos teem passa-
alastar-se da forma .ciirulat:: |uer iste> di-
zer. que tem havido pocasem que o af.as-
tamento ea aj,To.ximai;o ita tena aos foram diversa do qne >~rt' boje. Estas
muitanras na srcentricidatie da rbita da
tena fazem-se nato lentamente, o temloin
a compensar-se. quando sr-considerauular-
guissimos perioilos de muHos seculos.
Assim como rotara i da-, trra em torno
de urna linha nm\ passa i uto pelo seu centro,
vena terminar nos polos, ou: pontos oodQ
millo esse movimento. deuda a successo
dos dias e das noutes; a&inv revoiuco
auiiual em rodh.do sol .^r-deve a alltiitati-
va, das estaces. K" iucladOi. ao pl.ioda
orba.o eixo da tetra, ena-vez de l!ie ser
perpendicular: desla cutumstaneia resulta
um oonjuucto de fados, dsquaes se pulo
fcilmente ter una idea clara, fazendo gi-
rar em roda de una lu- nina esphecasinna,
de modo que o eixo ei. torno do qual se
do como um. sonho t Cmfesso que me
ni suppnnba to velho Tem razio, meu
amigo, nao ha que Itesitar ; preciso casar
estas (toas creanca^ J nao toroi muto
qne andar n'este numdo o nao dfevo partir
sem>ter assegurado o futan i (Vai minha que-
rida sobrinha. Vfeinho, tenho confianca
emiseu lho ; no.soi se elle possue todos
os dotes, que lhe altrihnc.riw reconheco-lbe
ha muilo boas qnalidados, que serviro de
esteio i fdha de minha irutfia no transito ch
vida. Repito : este casamenta -ine agr-
davel e prcenebe os meus mais sinceros
votos... Masd'onde procede que n'este
momento sinto o eorarao mais propenso
tristeza do (jue alegra ? Que nuer ?
Aquella creanca era para a minha existen-
cia um encanto de-todos os momentos, a
alegra da minha mesa e do meu lar, o sor-
riso (ta minha ventajee, urna benfo sob este
humilde teeto Quando pmso qiu /lo a
verei jfitnto a niim desde amanha at
noute, Noirel.^piando mr lembro d'isso, nao
possj dcrxar do chor.ic I li assim, ac-
crescentou elle, pcrcoilendu em volta d
si detdo olhardentro ni algumxs sema-
nas esta casa ser como o arvoredo sem
ninhos e a gaiola sem passaroe I
Eh meu charo Sr. Paty, exdamou
o thesoureiro com o triumplio na alma e a
dissmulaco no rosto pois nao v que
vivemos aqui porta com porta ? Da sua
janella poder ver a pequea fada bordando
na sacada do sea novo qitnrto e ainda da
extremidade do seu jafdim lhe chegaro
aos ouvidos os seus golMios. Catharina
continuar a paramentar a igreja, como at
aqu, aos domingos o dias festivos. Qaatro
dias cada semana jantatemos em sua casa
-durante o invern pausaremos todas as
noutes, ao canto do seu fogo. Emlim, ar-
ralaremos 3s cousas de forma que o senhor
nem ha de notar que C itharina mudou de
casa. -;
Seja como f<"r. Noirel,disse o velho
pastor, meneando tristemente a cabera
para mim far, sempre grne dfflferenga.
a mtuiHra de [M*#^- do !> da trra,
com o que os astoaoiixis chaipam a prer- *-
so'dos cqninnrcii.*.,. Succe.le pe O mo-
mento exacto do eayuoccio tc marro M
lugar, cm cada anuo, vinte i-uouii antes
da hora em que se*d*n no am* anterior.
Coiitin'Mudo pois aterra a rtuninhar, w
seu eixo nao cessawlo de ter >* imvimcR*>
de bataneo, hade indar <\ix. ao eaboe
12:MX^annos, as condires -fc'- estct'ies
ho de ser interamente erain no cemero 'esso longo perioil. ti"
(jue depende da pnsiejm do s-4.
Ellta O hemiM'lKYK que e-ebia uaiol
sommu.de calor ",tH->ber maMI '
tinha mais cons*leravel HMn 'U ms
invern passani. a dosfrriar um entu-
mis longo. Passadns uvhn*> I2d:s'ni-
los soltar a torra sua primitiva posi-
co om relaco ao sol.
fjnsHmm)
E depdfe; Sr. abblp, qnal ser a
sua alegra baptis.wdo o Rmos de so i
biTiiha, otivmdn urna niahada de-diabreto-
a saltarcm emroda de s>e a puf harem-I h<
petas abas da sotaina i Que loofura ser*
a d'clles pelo Sr. abbaito o qm> mimos *r-
eelierao em recompensa Que dailvas V
dar o senlior. alm das qnr so obriff.li-
rias no anrri liom! Agn urna jaqueta.
amanha urnas cale... Apealo que na-li
Ibes fakat-ii '.... E que qintrn patrijrrha!
nao seriVode os ver a totlos noaft* nssen-
tadosemvolta da sin cadeira, vseutmdn*
sua santa palavra, em (panto a boa Mirthi
vai fiando as miias do 15a para os-pwihos
d'oMes Oh t tspf, nanea a sua felni-
dwle foi to grande f
Anda assim,repetir-, Francisco Pary
para mim far sempre, grande diflerenca!
Mas. i'in i ni. (pie importa ao volho nviro.
prestes a ilesmoronar-se, o ultimo rato ito
sol que odom'a ? Ao carvallw seenlir, pn>-
ximo a ser derribado pela prim-ira venta-
na, qnotlhe importa a tnutinegra cintawto
sobro as suas folbas mnaurchendas t...
Esta decidido,Noirel; dis'ponlia sen fHh>
paja a felicidade que o eper.i. Ante* de
um tuez Claudio ser o maritto de minha
sobrinha !
A estas palavras, o Uiesoure.n* lev* de
se dominar muito para naoa|ieta sen
parocho nos bracos.
Quando se separaram, aindi Claudio o
Catharina n5o havam rgressaik., e poriaM
elles, cada um em sua casa, pozeram-ie a
ra : Francisco Paty triste o pensativa, o
tio Noirel muto impaciente, e calentante j
o que poderiaiu, bem explorados, arodnr.
um anno por outro, os bordados da peone-
ra fada.
(Coutinuar-.x-ha.)
llr.!Wl>IABI0-VaPA8Clll. ^
*


"
j_ im*0

_ .


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJQMVP0GO_SJMQUH INGEST_TIME 2013-09-14T01:59:39Z PACKAGE AA00011611_11749
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES