Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11743


This item is only available as the following downloads:


Full Text
4
aaaWBVBaaal


ANNO XLV. NUMERO II.

j.
PARA A CAPITAL E LUGARES OlfBE Ni^O SE PAGA PORTE.
Por tres mezes ailiar tartos.
Por sois ditos idiMii. .
Por uin anuo klein. .
Oda numero avulso
6.-S000
12000
244000
% s
U
SABBADO 16 DE JANEIRO DE 1869.
PARA DENTRO E FORA DA PROVHCIA.
Por tres mezes adiantados.
Por seis ditos idem. .
Por nove ditos idem .
Por um auno. .'....
60750
200890
270000
PEMAM
4
Propriedade de Manoel Rguera de Faria & Filhos.
TITA
AO tc;i;vri;w:
Os Sr?. Gerardo Antonio Ahes & Filhos. no Para : Goncal
(uimarae Pancada, em Mamanguapp
PARTE OFFICIAl.
C-overno da pi'erlncin.
EU'KIMKNTT. ASSIll VADO l'KI.O i:\M. SR. CO.VDK DI lili -
I'K.ndv. i'iii:side\tk i>\ rnov im:i\. km "J DE J.v-
NKIltO IIR 1809.
i' seceao.
N. 837.Portara aoExm. Sr. general comman-
lante das armas.Pode V. Exc
Aafonfc Marqoe da Silva, no JVatal; Antonio loraun
Domingos Jos da Coila Braira,
de conformidade cora disposto no aviso do mi-
nisterio da marraba do 1 de jullio do anuo prximo
lindo, junt por copia.
X. 2->7.=I)ila ao mesnr>.Pode V. S., ron forme
indica em sen ollicio de lunilein, sob n. 8. retnetter
ao almnxarifado do presidio de Fernando. |ior in-
termeio do coiiunandante do vapor (iqui, da
Gomparihia Pcraambuca ia. a quantia de 16:U0O
i|iie se ft jircrki qiiofte alnioxarifado. para
stippri monto das rcspi'divas despezas. segundi
3*. secre.
N. 171Offleio ao inspector da tliesouraria de
fazenda. o Kxm. Sr. presidenle da provincia man-
da deca ivi r a V. S. para os lias- convenientes que.
segundo parlicipaeao do l)r. jure de direito do Kh>
frmate ile 22 do'mez prximo lindo, nessa d,*rta
reassumio o exercicio do cargo de- promotor puhR-
id daquella comarca o baenarel
Unrrns Wanderlev.
Ufo*
re-
fnformr V. s. se o tabelliao eeserivo do tern
Tacaraftt Manoel Vicente da Cunta Jimio
aprennion a V. S. a carta de uomcacao para
cargos, a qnal j fui pelo mesino senentearii
cebidn.
X. W2.-Dha ao delegado encarregado d Cipe-
diente da poliria.Rcspnndcndo ao ollicio de Vine.
Jos Manoel uV de31 de dezembro ultimo, sob n. H).2t>tt, ti-riio a
dizer-lhe qoe por ora nao possivei atigmcnt(r o
o de 18(58.- Xa noite de 17 para 18do corrente mez or-
deno S. Exc. o Sr. inarecli.il marquez ile Caxias.
Irri-o (aojante, roopa dr loiiu pardo, calcado oV
botnaa, i|ue me parecern de Mili. tracendo um
conceder a exo-1 consta de sen oOtrio, quii lica assim respondido.
neracao que solicita o lente reformado do exer- i X. 258.Dita ao inspector da tbesouraria pro-1
>iio Secnndino Amcs Velloso de Mello do servico: yincial.Recommendo a Y. S.. qnc em vista da
do deposito dos ivrrutas, visto nao permftur o scu I "<*lus:i renta ipie me rcnictteu o clicfo da repart-
esl ido de saude continuar Baquellc servil, Rean- <;'"' das ras publicas cooi oillcio de hnotem. sob
do assim deferido o requerimento do mencionado : '', mando pagar empresa da llumiuacao a gaz
tenenle, ipie voio annexo ao otario de V. Exc. de nesta capital a quantia de l'JS por qne foi con-1
8 do coi -rente sob n. 16. I tratada a eolloeacao de lies lampeos a paz na
X. 238.Dito ao mesmo.Par* cumplimento | P'aca d'annas do qiiartc! do corpo de polica, os
do aviso circular expedido pelo ministerio da guer-, q*cs ja se achara (unc miando desde t\ de do-
ra em3t)de dezembro ) anm prximo passado.!owbm ultimo, segundo consta do mencionado!
junto por copia, faz-se uecessario que me remet- 0J'''-.
ta urna relaijio nominal dos olliciaes militares e > z>'.i.l>ita aoniesmo. Teudo-ine representa-;
empregados civis. que se actieni iesta provincia do Jnse Augusto de Araujo. arrematante de diver-
as finerentes repartieses subordinada* a aquello' sa* oluas publicas desla provincia, que indo a
ministerio, inclnsive fortalezas, colonias militares. "* icpai'licao receber i versas prestarles que se
codi declaraco das datos de suas nomeaeoes. par l1"" *we por trabalbos ja exociitados, e cujos pa-
queo) noioeados. bem cuino das c*)iH.ecorac,Vs qne gamenlos Ibram ordnalos por esta presidencia.
verem obtido. nutro sim. recommendo a"V. Kxc.! nao peder ser embolsado das respectivas (|uan-
a remessa da relacao triiuensal sobre o movimeuto ill;,s-1""' entender a mestaa reparti^ao que o dito
dos referidos euipregadoaj de une trata a ultima arremtame derla previa nenie satisfa/vr a multa
psrte do memo aviso. ; *-' l'.WH03 rs. imposta por esta presidencia por
N. 239 Dita ao mesmoTransmillo a V. Kxc Wla de cum]nimento doeontrato relativo con-
eopia do aviso circular, expedido polo ministerio | Irueyo da ponle sobre o rio Serinliaem ; e alten
X. 273Dito ao mesmo.De ordom do Exm. |numero de jiracas designado para o destacamento
Sr. presidente da provincia communieo a V. S. que, i da Villa Betia. e que |>or isso, iiuando w aiitoiida-
seiiimdo consta de offleio do Dr. secretario do Ins- j es Bojiriars daipiclla localidade Irverem necssi-
i. as
pado desla provincia de 7 do corrente sob n. 57, adftfe pracas para diligencias exlr;u)idinaria
foi provisionado o padre Augusto Franklin Moreira requisitein, os lennos da lei. aos respectivos c
ipio
da guerra em 28 do dezembro do auno prximo
linrt'*. ilim de que remetta mehsalmonto as ivla-
efies de aReracoes em dupiieata dos otiiciaes flec-
dendo tu i dita pelico. recommendo V. S. que
mande eflertoar o pagamento das quantias que so
deve ao siipplieante, deduzindo-se d'ellas a impur-
t'ivos. aggregados a naformados, exigido no mesmo: tela da referida multa, que dever ser conserva-
aviso. i J'1 ,'"' deposito, at que esta presidencia resolva
N. HO.Dita ao inspector do arsenal de mari- j sobre o reqoermento paii na retevaeao apresen-
nlia.Segundo consta de participacao da secreta- lado ha ikiuco pelo ineneonado supplicante.
ria de estado dos negocios da marraba de :tti de >. 200.inta ao chelo da repartirn das obrest
dccmbro ultimo, no dia 28 de nov.-mbro prximo publicas. -Inleirado de quanto Vine, expoc em seu
passado, eomecou a funeeionar o pharol de. ttaco- ollicio de I do corrente, loinin. na provincia do Marariblo. o que communieo ; respos, queapprovoa dotiboraga que tomn, de
a V. S. para seu eonherimento e llns convenientes, encarroar ooogenheire^lo 3' disirietu ti. Augusto
Igual ao capito do porto. i Millel, de ir inspeccionaras obras do 2", visto i
S. i 1. -Delibera-jo. -!> presidente da provin-! acliar-se o respectivo en< enlieiro no goso de licen-
cia allendendi) ao qite requeren Franci.-ca Kosa ea. e nao haver no men.'ionado 3' dislricto obras
dos Santo-; Barros, resobte concedor-llie licenca em execucao.
para ir no presidio de Fernando no vapor, que tem \ 4seccao.
de seguir pira all no dia t do corrente, levando ; N oi. -Oiticio ao Exm. Sr. presidente, da pro-
comsigo os objectos conslantes da relacao junta, I vineia de Goyaz.Em resposla ao offleio de V.
assignada neh secretario to Mverap- K.\i: de 2i de novemhro lindo, tenho a dizer-lhe
da Silva no lugar de vigario encoinniendado da frr
guezia de amelleira, creada pela lei n. 703 de II
de julho de 18C7.
X. 174.- Dito ao mesmo. De ordem de S. Exc.
oSr. presidente da provincia transmiti a V. S. o
incluso offleio da secretaria de oslado dos negocios
da '.i'.enda datado de 2 do corrente.
X. 275.Dito ao chefe da repartieao das obras
publica-.O Exm. Sr. presidente "da provincia
manda declarar a V.'S. em resposla ao seu offleio
de hontem sob n. 7. que a tbesouraria provincial
ten orden para pagar a Aianlia de I! 15Acontan-
te do citado ollicio.
KXt'KDIKNTi: ASSIii.X \DO PKI.O IAM. SCODHDR !
I'KNDV. l'RESIDKNTK DA PBOVINCIA. KM II l*T. JA-
nkiiio DE i809.
lJseccao.
K. 277.Dita ao brigadeiro director interino do
arsenal de guerra. -Em resjwsta ao ollicio que V.
Exc. me dirigi em 9 do corrente. sob n. 8, tenbo
a dizer-lhe. que faca recolher aos armazeiis desse
arsenal os setenta tantos volumes viudos ifci cor-
le no vapor tnatn do Sui. qoe ja se aehan i
bordo de tima lancha.
X. 278.Dita ao brigadeiro Joaqnim
roeibo Kelly.Te
Francisco Baphael de Mello Kego o devido jura-; Ahneida, resofvc coneedcr-lbe 15 dias de lirnea
ment do cargo de director do arsenal de gnerra' com vencim.-ntos. para tratar de sua satide.
desla provincia, para (|ue foi nomeado ir decreto
do 18 de uovembro do anuo prximo passado,
mandantes da guanta nacional, como se derl;-rou '
na portara de 5 de novemhro do anuo passado.
X. 293.DctiheracFKi. -O presidente da pro rtn
cia. de raoformidade com a proposta do Dr. ebefe
de poticia em offleio n. 10,022. de 21 de desea bro
linito, n'solve iRHiM>ar para os lugares dfc 2"j 3".
l%b>e9*snnnlHMc< do subdelegado do Poc (la
l'anella. os eidadaos seguate.-, na ordem en
vao colliM-ados:
Fraarisco Caredro Houteiro.
Manoel Jos ite Paira l'into.
Antonio d.-i Rochn Aertofl i.ins.
Franrfseo Mamede de Ahneida.
FeKpne'Duarte Pereira iunioi
X.ti. Portara.') presidente da provincia.
de coiiformidade com a proposta do Dr. cti.He de II tki corrente.
polica em offlcki n. 1022 de 21 de dezembro th)dn. Alha de evitar que quaiqoe
ivsolve exonerar dos cargos de 2". :t". v c 6 s
Dientes do subdelegado da froguezia do Poco da
nella os chladaos sogointes :
Nicolao Machado Freiie, Jos.- Paclu'co de Qtiei
toga. Joao l.uiz Vctor I.ieiithier e Joao Franr
do Hego Flarros.
X. 29f>. -Dita.O presidente da provincia
que um movimeuto geraPde nessas cavallara li- |.||(, ,,.i' "v "'"
vesse logar pelo flaneo esajnerda das posteto qpe H".' !5a*! ***** "* "" Lo,u* "** ?'
oceupamos. e pela frente, onde se aciiava. postada
a vangoarda das for;as de Lopea; que a S. Exc.
parecer descobertopela sa diieila.
lina eolomna de cavallara ao mando do bri-
gadcii* Joo Manoel Meuna Brrelo seguio pela
es(|iHTdaT tendo chegado a C/ipinl e Areijiu, dis-
lante a|ienas Jegua e meiade rro Len. Nao en-
contrn, easa finca gado em pavcao considnavel a
anvbanhar. um OW lilis de Ra comJMSSo, mas
encontmu durante seu Iraject^para inais de 2.000
familias paraguayas, que per oidem d- Lpez
ab:uidonavaiii espavoi idas seus ibKJtim, procu-
r;uido o interior.
(l brigadeiro Joao Manoel,secundado pelosos
-,,s|o i.....liTiio,e algunas Miras esterfime no bol-
so: ci>i. ajUB veio In-iii pmwrado para hater
comnoscii. u cnlio lnha a Mitoucaode KUtrar-^-
da acrae logoflneeUaestivesM swiiiTnhida: rq
! Iboii-se n noticia de que o dflieiro Ihe ft.-va dtdn
I de presenta |*>r algiim nao tenho dadas- certo-
l para ali:inar i CWM.
Bsto ambos os prisionoiros dnjwaittdds a va-
for Prmitza, sendo tratados com lodo o ravaBasi-
rwno edecadoxapeio ebefe Teese Ahim. w
OS lem sua DWpna mosa. faniefei Irala-s. ti.-
sii ferimento feve, iwabideno ixodireiio. jimo
d;j clavi.ula.
Angostura >' a parte lermiuanle de una coiliiw.
i) inigaileiro mo .Manoel. s'-uiiiiaJo peOs es- .... -......-------...-^- __.. ........, v-
forra, li,.,,, oflicaes.e pracas, VM, cJSr a fu- SadW .E Vaffi ", ZSSS a>
ga precipitada desse nMaes. cenvenct-wuo-os a ,,,,.,. v>Mulnil\ ,,,.,. a /'ul n tut-
voltar a seos lares, e a tranquillisaim-se acerca sen exoreilo. ^
Scienie omarqun d* Caxias da dhpnrirjtn da-
lorcas inimigas. nao s por inlorniaerK'< dos pristo
> i|i-
Pa-
sco
at-
qiraesquer hostilidades de iioS* parte.
Assim o nzeram, sobretudo tendo-IIes asseajH*
rail aouesle brigadeiro que Lopes U;m voltaria
mais ao lugar a tenar-Ibes cuntes por ao lerem
CUBtnddfl as onlens que recehra. Intrf as pes-
SOas d' ali'iimas dessas familias recwnliweu omos-
iiio bsiaadeiro miilOS ferdOS, que pop sua conlis-
sio seube anda sern das victimas du balalha de
torea lese man-
dada por Lopes de Imhu, com o liin de hoslilsar
a colmiins ex|>edieionaiia do brifadaifO Menna
Barrete, ordenen S. Exc. o Sr. narenaal maniuez
de Casias, que una mitra coluuma de cavallara
forte ite 1,000 borneas, ao mando d brigadelre
tu
neiros, como por expfcisacoes foitas, raosVw ama
drogada do dia 21. qun o lempo j liaba m llorado.
atacarcoia todoouosse oxoreue o inuntgo, muito
emboradimtru de suas incheiras, reduelus, notos
e abaiizvs.
Peta l bora da madragada marehava a im).ss..
excrcitepara o tira designado, e as di\isk-s e 2-
de encouiacado.s ao clarear do da se approxima-
vam de Angostura, e abram sobre suas batfjias
un activo boiiibardeaineiilo. que duren potodu o
dia. e tem continuado at lHje cora nada ou nieno-
artividade, segundo as ciMumstonctas de moanenfa'
Diziiu une moa parte do exercito atecou o ecn
bario do Trimnpbo, lomassoposicio tBreepiando tro da foiua, e a oulra lomava a n-tagoaixla d-
o eamukho de Ijmm, para o que segase a cavalla- Lombas-Valentinas leudo em visitenrM i fon-
10 brigadeiro Joaqnim Rodrigues temiendo ,h. que Ihe nipiereu o juiz dedireii. da ria do brigadeiro Menna Belo, a pial eumprio i ,,x,,,,nll. Angostura ikis me .'oor. *> mu'
Dudo prestado nesto data o major comarca de liambe. baeharel Felnto Henrqu de sua imssao sem ler encontrado na ida ou ralla um ,. cumple que, V. Exc, Ihe taca entrega do mesmo
signada pe
t- seceao.
N. 818.l'ortavia ao Di*, befe de polica.De-
vendo no dia 31 do conente inez. procedor-senes-
ta provincia as eleieoes geraes para depulados, i
qne 29 de setembro ultimo foi communieado ao
juizile direito HisbeHo Floreillno Correa de Mello
sua remocao. e foi assigiado o prazo de seis mezes
para apiosontar-se na comarca do Rio l'aralnba
DKSPACHOS DA MIESIDKXOIA IM 1)1 V I3dKJA.XE|Ro
de 1860.
Ahaixo assignados empregados no consulado
arsenal, logo (|ue se apresentar para entrar no ex- provincial. Diriiam-sc a tbesouraria provn-
ercicio do referido cargo.Aproveito a opportum-1 ,..,1
dade para manifestar a V. Exc. o apreco que te- Gandid-. Emigdio Pereira Lobo. -Ao Sr. ei ge-
nho aos serviros por V. Exc. prestados na direc- ,lheiro c|,efe d;l ,.epai-ijr;-,0 ,|;1S 0|as pobUcas para
cao desse eslabelecimenlo nos imucos uias, em que 110, a ,,, eensideracio'
o exerceu por nomeacao desta pqesidencia. 0 mesmo cima.- Ao Rr. engenheiro chefe da
X. 27!).Dita ao director *) arsenal de guerra. |Cpait:cao das obras publicas para tomar em cou-
Loinmunico a V. S. para sua intelhgenea. que j sidercao.
a commissip incumbida, em vrtude do aviso do | i)U;irtl.,' Pereira c CSellado o documento, volte
ministerio da guerra de 21 de fevereiro do anno imerendo.
iroximo paseado, de sevudicar dos abusos e irre-! jacinllia Francisca de Barro- MelloComo requor
pa-sando recibo.
s esperais pura prenchini -nlo das vagas de dous dessa provincia, e qne pilo dito juiz foi acensada |
senadores, recommendo a V. S. que expeca ter- ie"e|!cio da coinmunicacio c declarado aceitar dita
minantes onlens as autoridades policiaes. para que i ivmoc.io em ollicio de '4 .le outubro d i auno pro-
nao intervenham indebitameute nas referidas clei-! ximo passado. Aproveito o ensojo para apresentar
eoes, 8 se conserve a mais completa liberdade de i V. Kxc. meus protestos de estima e consle-
ees, e se conserve a mus completa liberdade de a >. l-.xc. meus notes
voto, providenciando, entretanto, para que se man- raeao.
tenha o socego publico, e se garanta a seguranca X. 2t2.Circular a cmara municipal da cidade
individual. | do ReiMfe.Remeti a cmara municipal da cida-
\. S. advertir a essas autoridades de qne se
tata elfecttva a responsahilidaile das que coinmet-
teiem quaesquer exeessos, ou lallarem por qual-
quer forma ao cumplimento de seus deveres.
X. 219.Circular todos os commandantes su-
periores.Estando designado o dia 31 do corrente
niez, para proceder-se nesta provincia as eleieoes
geraes para deputados e s espeeiaes para preen-
chimeoto das vagas de dous senadores, determino
a V. S. que recommende terminantemente aos
commandantes e olliciaes. que ihe sao subordina-
dos, que nao intervenham indebitamenle nas refe-
ridas eleieoes, dsj|cndo V S. concorrer para que
se guarde a maisanupleta liberdade do voto, se
mantenha o socego publico, e se garanta a segu-
ranca individual nesso districto. adverlindo que se
far electiva a responsabilidade daquelles, que.
serviudo-sc da seos postos. coininettercm quaes-
quer exeessos ou foliaren por qualquer forma ao
cumplimento de seus deveres.
X. 250. Dita ao comnandaote superior de Pao
d'Alho.Mande V. S. dar a guia de mudanca de
que trata o art. Mi do decreto n. LEW de 12 de! sinos
mareo de 1853, ao eapilo Joao de Albuqiierqne|odia31 do corrente miz, o incluso excmplar das
Barros (iuiuiarSes, visto ter ido residir no munici-; instrucoocs expedidas m
ik' do Recife para sua intelligencia, e alim de que
sejam observadas nas p.oximas eleieoes geraes e
especiis designadas para 31 do corrente mes. os
inclusos oxeinplarcs da instruccoes de 31 de ilc-
zembio nado,expedidas pido ministerio do imperio,
contendo as prncipaes | invidencias que entendem
com as mesillas eleiciies. Xo mesmo theor as
demais cmaras.
X. 2li3. -Portrtela cmara municipal da villa
da Escada.Pelo ollicio de 7 docoirenle da cma-
ra municipal da villa da Escada, eleita para o
quadriennin de 1869 a 1872, liquei inteirado de
haver ella tomado nesse dia pone da administracao
municipal, depois de terem os respectivos venado-
res prestado o competente juramento; c espero
que a mesma cmara empregue todo o seu zelo nos
melhoramentos desse municipio. Idntica a c-
mara municipal da villa do Cabo
X. 26i.Circular aos juizes de paz mais volados
dos districtos das matries das lieguezias da pro-
vincia.Remello a Vm. para sua intelligencia c
para que sejam pontuab lente observadas nas pro-
eleiciies geraes e espeeiaes, designadas para
gularidades coinmettidas nesse arsenal, eompoe-se
presentemente do brigadeiro Joaquim Rertgnes
Coelho Kelly, na qualidade de presidenle. do ha- i ,i.(l- prbvcdor da Santa Casa da Misericordia.
charel Olympio Marques da Silva e do pnmeiro es- |jionie j,. Mello.Como requer.
.ripturario da thesouraiia de fazenda, Joaquim[ M.., M.-.y.talena.Como requer.
Pereira Basto na de vogaes. Prudente Tavares de Freilas. \o Sr. Dr. i bel)
X. 280. Dita ao mesmo. Deelarando-me o dp |)0|jri;l .,..., |ovidi-nciar como l'or de direito.
presidente das Alagues ein uffieto de 2 do corren-1 Pal,lno F(>1p Xi-mMouceno. Informe o Sr.
le, haver nessa data expedido ordem para que por > papitaq q purto
conta das rendas daquella provincia, anneadadas hus* Francisca de Lima.Passc-se em relatoito.
na thesouraria desto seja paga a Jos rranci*eo a 14 __
quantia de 300M)W, iraiwrtancia da bandeira de Angelina Francisca de Lima.Informe o Sr. Dr.
seda estampada, que vendeu ao consemo *? com- j delegado encarieirado do expediente da repartieao
pras desse arsenal com destino ao corpa de poli- j;, polica
ira da mesma provincia, assim o communieo a V. j Andr'de Abren Porto.Informe o Sr. insiiejctor
S. para seu contiecimento. e alim de que a faca | ja thesouraria provincial
iian-IMirtar para alii na primeira opporlunidade a i Domingas Francisca' do Nascimento.Informe
disposicao d aquella |residencia. I com urgencia o Sr. coronel conmiandante superior
,)uanto as de hiele que se achara compradas | da uarda Iia(.ona| ,|esll. nmnicipio dando as ne-
peio mesmo eonselbo, segundo consta deofflcio ressari.-s providen-ias para que se cumpraffl as
dessa directora de 26 de novemhro ultimo, sob n. ordens desto presidencia, fazendo substitutri por
J7I, declarou-me a mesma presidencia, que nao outl.os ^ prar;ls ,., ha tanto temi-o estao desla-
havendo crdito, nem anterfeeao para o seu pa- cailas n(1 prj(lio C0II1 prejuzo de seus nte-
so inquete uninigo.
- A torca que teve de operar na trente seguio
sob o coniinando do coronel Vasco Arrea, c foi sa-
bir juslainenle na retaguarda das forras de caval-
lara, que, como j disse, fonnavam a vanguarda
do que resta do exercito de Lpez.
Dous regimenlos de cavallara de 200 homens
cada um fonnavam essa vauguardsu lni dilles
dis|iarou ao avistar nossa columna, e o outro tcou
conipletanii'iite derrotado deOfeitO, pois que cento
e tantos cadveres licaraiii soiuc u caftipo, cahiudo
eui nosso poder 53 prjskneiros, iuehiindo-se nesto
ni ser preciso atacado, por
quanto lica sitiado por torra polo exordio, que Un-
-orla as coeniiuuicaciies com I.oinba>, donde reee-
bia diariamenle o qunltrm necessano para alonen
tar a guarnicao, e pelo rio a esojnadca nie> a deir-
xara passar impunemente, s assim niegldos pela lo-
me se reu-leio. ou se evaiUro sem iiecessilaiUK)>
levar torca Robra suas trine boiras, armadas COU
pecas de caliloe 08 e l.'jU. c termos peda.- de vi-
das, que podemos poupar.
dia 21 mais um da brilbantc para a histo-
ria da actual canipaiih: brigmos por todo o da.
tomamos reductos. Irinrheiras. abalizes. matas, ar-
tilliaria. ei'n lini (ihriginos as torcas
numero ."i olliciaes, que declaran! que o seu com-
niandanle. acompanhado de um cabo, toram os I eoncentrafem-se em Louibas-Valenli
nicos que desse ragimento escaparan!. mariscal; a noite M tempestuosa, e nem assim ee>-
. A fuga ileste coimnaiidanle e a do outro reg- [ Mm roII||i:,, ,,,tiiU,m e continua at ao mi-
mente .; a tibien com queosl'arajjuayos. cercados naento em que escrevo
Joseplia das Seves.-Informe o Sr. desemt|rga- rla nossa cavallara, combatcam, tendo nos ape-j Grandes perdas de vida temos lid,,, e deni,.
nas luto tres soldados f.Tidos. provain a desniora-,.||as jjguntas, que sera) bem sentidas no Bras
immigas a
mi 31 de dezembro lindo,
po de Santo Afllio, segundo allegou em sua peti-
co, e V. S. iiiforinou em offleio de 24 de dezem-
bro ultimo.
N. 251.(arcular lodos os juizes de direito.
Estando designado o dia 31 do corrente niez para
Sroceder-se nesta provincia s eleieoes geraes para
epatados e s espeeiaes para prenchimenlo das
vagas de dous senadores, recommendo a V. S. que.
eooservando-se no districto de sua jursdiccao,
concorra para que ae guarde a mais completa li-
berdade do voio. nao intervenham indebitameute
as autoridades, se mantenha o socego publico e se
garanta a seguranca individ d nessa comarca, li-
cando rerto de que se far elfecliva. a responsabi-
lidade daquella autoridades que coinmellerem
quaesquer exeessos ou faltaren) por qualquer for-
ma ao cumprimento de seus deveres.
Igual mntnlis mulandis aos juizes municipaes.
N. 2o2 Dita ao juiz de direito da comarca de
Kazareth. Remello V. S. a inclusa copia que
em dala de 2 de dezembro ultimo me dirigi o
juiz municipal desse termo, declarando que por
faltos do eserivo do jury eexecueoes criminaes, c
pelo estado de confuso e desarraJijo do respectivo
eartorio, nao Ihe possivei enviar a esta presiden-
cia a guia por elle exigida do preso Severino Ur-
bano, alim de que V. S. informe semelhante res-
peto com o que se offerecer, providenciando, a
ser exacto o que refere o juiz municipal, para que
o mencionado eserirao, dentro do prazo marcado
por V. S., extraa a sohredifa guia. Conven, ou-
trosiin. que V. S. informe se aquelle lugar exer-
cido por serveiituario interino, ou vitalicio, man-
dando no prineiro caso aftlxar os competentes
editae para ser posto em concurso.
3.* seceao.
N. 2o3.Portara ao inspector da thesouraria
de fazenda.Depois de liquidada, em vista da con-
ta junta em dupiieata, a despeza feita com o forne-
cimento d'agua para a guarda do deposito dos pri-
fcioneiros de gnerra paraguayos durante os mezes
de junho a dezembro do ano prximo passado,
mande V. S. pagar a importancia de taes despe-
as ao lente Luiz Jeronvmo Ignacio dos Santos,
rommandante do referido deposito, conforme soli-
cton o Exm. Sr. brigadeiro eommandante das ar-
mas em offleio de hontem, sob n. 15.
N. 25i.Dita ao mesmo.Communieo V. S.
para seu couheeimento, que segundo consto de
aviso do ministerio do imperio de 28 de dezembro
prximo lindo, foi autorisado pelo crdito de
Soccorros pblicosdo exercicio de 1868 a 1869.
o de 1038226. para pagamento do que se e*t a
dever Benedicto Manoel Bezerra de Mello, prove-
niente da gratificaeao, na razao de 100 mensaes
que venceu como cncarregado do tratomento dos
indigentes aceommettidos da varila no termo de
iPo d'Alho no periodo decorrido de 3 de julho a 3
de agosto ultimo.
N. 255.Dita aq mesmo.Tendo nesta dato con-
cedido a exonerarlo que pedio do servico do de-
posito de reinitas o tenente reformado do exercito
Seciindino Alves Velloso de Mello, visto nao per-
mittir o seu estado de satide continuar naquelle
sefvioe ; assim o cornmnnico V. S. para seu co-
nhecimento.
N. 256.Dita ao mesmo Tendo de se recolher
corte o offleial de fazenda de ^. rlasse Antonio
Emilio de Faro informe V. S se elle este quite
para com a taieuda, atim de se Ihe dar transporte
pelo ministerio do imperio, contendo as principan;
providencias, que entendem com as mesmas elei-
eoes.
X. 26oDita ao presidenle da cmara munici-
pal da villa de SerinhmiEm soluco ao offleio
3ue Vmc. dirigio-me e n 7 do corrente. tenho de
eclarar-lhe que, nao podendo haver cieico nas
parochias novamente creadas, onde mo se tiver
procedido a qualilieaco dos volantes, vem produ-
zir elfeitos eleitoraes a creaco dessas parochias,
ou a mudanca de sua divisas, se nao quando o
territorio, em que se deu a alteraco, pertence ao
mesmo collegio eleitora (art. 91 tj 3", e art. 93 das
instruccoes do ministerio do imperio de 31 de de-
zembro do anno prox mo lindo; nao deve a pare-
cida de Gamelleira, enibora cannicamente provi-
da, fazereleicao separata, nem dar eleitores; cum-
pniido aos vetantes della concorrer para as elei-
eoes geraes e especiae:. de 31 deste mez nas paro-
chias, em que foram qi alineados.
N. 266.Dito ao engenheiro fiscal da estrada de.
ferro.Em resposta aos oflicios de 23 de novem-
hro e 28 de dezembro do anno prximo findo, em
que Vmc. representa (entra a rollerta feita |tara
cobranca de imposto de dcima addicional concer-
nente 'a 18 casas pertencentes a essa companuia,
tenho a dizer-Ihe que proceda a tal respeito de
conformidade com os ])areceres da contodoria lis-
cal, e do inspector da thesouraria de fazenda juntos
por copia.
X. 267.- -Dita aos aguates, da compauliia brasei-
ra de Paquetes Vap>rPodem Vmcs. fazer se-
guir para os portos do norte o vajwr Cruzeiro o
Sul, hoje a hora indicada era eu offleio desto
data.
X 268 Deliberacc.0 iiresidente da provin-
cia, allendendo ao que cquereu o professor publico
da cadeira de reatrnorio primaria da Baixa-Verde,
Jeronymo Theotonin i\ Silva Loureiro, e tendo em
vista a informaco do director geral da insti uccao
publica de 17 de derenibro prximo findo, resolve
conceer-lhe tres meses de licenca com ordenado
sraenn?, para tratar de sua satide nesta capital.
EXPEDIENTE ASSIGNADO l'ELO Sfi. DB. JoAolllM CORREA
DE ARAUJO, SECRETA UO DO GOVKRNO, EM 9 DE JA-
NEIRO DE 1869.
Ia seceao.
X 269.Offleio ao inajor Joo Vicente de Brillo
Galvo.De ordem de S. Exc. o Sr. presidenle da
provincia, queira informar, que destino tiveraiu as
duasmil capsulas fnln inantes. oue porV. S. foram
recebidas no arsenal de guerra desla provincia, em
viriude de ordem da presidencia de 7 de julho de
1868.
i seceao.
N. 270.Offleio ao. uiz de direito do Ri-For-
mosoO Exm. Sr. presidente da provincia manda
aecusar o recebimentr do offleio de V. S. de 32 do
mez lindo, em que par icipou ter nessa data reassu-
mido o baeharel Jos Manoel de Barros Vanderley
o exercicio do cargo 3e promotor publico dessa
comarca.
N. 871.Dito ao barharel Joaquim CordJajoCo-
lho Cintra.Pela secr Mara do goveruo sewnniu-
nica ao Sr. hachare, Joaquim Cordeiro Coelho
Cintra, juiz municipal e de orphaos do termo de
Goyanna, que nella se aeha a sua carta imperial de
nomeacao para dito cargo, convindo que ajEoli-
rite.
gamento, offlciara ao Exm. ministro da guerra p -
ra mandar carrega-las a esse arsenal, ou resolver
o ipie parecer mais conveniente.
N. 282.Dita ao inspector do arsenal de mari-
nlia.Inteirado pelo seu offleio de 7 do crreme,
sob n. 1663, de que depois da retirada da thesou-
raria de fazenda a quantia de i7l00, que tinha
sido all recolhida pelo comeiissario da companhia
de aprendizes inarinheiros. provenienle de econo-
mas de taes aprendiies foi por V. S. distribuida a
elles, de conformidade com o aviso da repartieao
da marraba de 14 de uovembro ultimo, com x-
cepeo de dez desses menores que seguiram para
a corte, tenho a dizer em resposla ao citado olli-
cio. que o auloriso a euviar ao eommandante do
corno de imperiaes marinheiros a quantia de 9, a
estes pertencentes.
X. 283.Dita ao eommandante do presidio de
Fernando.E.\|iedindo ordem nesta data para seren
satisfeitos os pedidos do coriselho econmico desse
presidio, que viera m annexos aos oflicios de V. S.
ns. 173 e 176 de 17 de dezembro do anno passa-
do, determino que dora em diante e em casos
idnticos, deven taes requisicoes vir arompanha-
das de um mappa demonstralivo dos objectos da
Mema natureza, ullimainenle fornecdos cora de-
claraco da poca do fornecimento. quantidade
consummida, numero e estado dos que anda exis-
t rom.
X. 281-Dita ao cnsul do Brasil na cidade do
PortoTendo seguido para essa cidade o menor
de nome Jos da Silva Duarte, natural da fregue-
zia de Santo Antonio desta capital com dezoit an-
uos de idade, como se prova com a ceilido in-
clusa, e nao se havendo no respectivo passaporte.
declarado a sua nacionalidade que hrasileiro. a
iiedido do padrinho desse menor, o Rvd. Fr. Joao
llaptisla do Espirito Santo, rogo a V. S., queira
mandar fazer necosarias declaracoes nesse consu-
lado, averbando nellas a dita eertido. Aproveito
opporlunidade para renovar os protestos da mi-
nha perfeit estima e consideraco.
X. 285.Dita ao eonselbo de compras do arse-
nal de guerra.Autoriso o eonselho d compras
do arsenal de guerra, a promover a compra dos
objectos constantes dos pedidos juntos, sob ns. 1
e 2, os quaes sao necessarios para proviinento do
almoxanfado do mesmo arsenal.
X. 286.Delberacao. -O presidenle da provin-
cia, attendendo ao que requeren Joaquim Ro-
drigues Maia de Oliveira, resolve conceder-lhe li-
cenca para ir ao presidio de Fernando no varor
Giipii da companhia Pemambucana. levando os
eneros constantes da relacao junte, assignada pe
resses
Felippe Emilio M. da Costa.Informe o Sr Dr.
director geral da instrueco publica, ouvindo o re-
gidor do Gvnnask).
William nesbares- Sellado orequoriinenlo, lera
o conveniente deslino.
Ignacio Francisco Pereira da Silva.Informe o
Sr. inspector da thesouraria provincial sobr a
nova allegaco do supplicante.
Baeharel Joao Rodrigues Chaves.Como requer.
Luiz Paulino Vieira de Mello.Como requer.
lisaco e terror que doniinam as forras, que res*-
lam de Lpez, nas quaes dizem os prisioiieiros lia-
ver grande numero de recrulas, porque os meno-
res combatotoii rahiran nortee, ou prisioiieiros,
nos dias 6 o 11 do corrente.
Em quanto estes novimentos tiuham lugar, e
S. Exc. o Sr. marocha! marquez de Caxias, testa
da diviso de cavattaria comiiiaiidaila pelo coronel
Correa da Cmara, e de urna forra de infantai ia.
que mandn ficar em distancia, avancou at meta
legua distante da roidencia de I .upe/, em Lomm.
procedendo, era pessoa, a ura minucioso roaowho
cimento sobre esse ixralo e lugares adjaceuliis, e
lieni assim sobre a l'ortiiicaco de Angostura.
O resultado fui dar S. Exc. as convenientes
onlens para um ataque geral e simultaneo sobre as
localidades reconhecidas, no qual deviam tomar
parle lodos os cornos do exeicilo brasileiro, que
urna hora da madrugada de boje se acharan en
formatura e promptos a maritiar. o que nao teve
lugar, poique desde cutoeomecou a eahir copiosa
chova, que at este momento nao tem eessado, o
que impossibilitoii absolutamente a nossa marcha
e manobran
As ordena, todava, contienan em vigor", e
logo que niiihore o tem|to. marcharemos sobre
Lombas e Augost ira, sendo para crer que ah
se dar o ultime golpe nesta grande e prolongada
.lula.
Os feriinentos que reeebcram os generaos vis-
conde do Hei val e Argollo nao tocm offerecido at
Paulino FelippeXepomuceno.Ao eommandante I este momento motivo alguin para inspirar senos
cuidados e duvidar-se de seu prompto restabatoei-
monte,
O estado sanitario do exercito Ixmi, e o es-
pirito de que se aeha possuido, o mellior.
Xesle momentoforcam a Angostura, recebendo
apoma abjunes avarias materiaes dous eaeonra-
cados que S. Kxc. o Sr. inareclial marquez de Ca-
xias mandiua anle-bontein a Palmas alim de con-
duzirem geiaros alimenticios e municoes de guer-
superior da guarda nacional de Olinda para ijifor-
nar se o supplicante guarda do 9o hatalli; o de
infantaria. como allega, se foi recrutado, pi rque
autoridade e quando.
Repart Iifio da polit-J i.
2* seceao.Secretaria da polica de Peina
co. 13 dejaneirode 1869 X. 61.Illm.eExi
nbu-
. Sr.
Tenho a honra de levar ao eonherimento < :c V.
Exc. que foram hontem recolhidos a casa d* de-
tencao, segundo consta das parlicipa^oes rece ndas
hoj nesto repartieao, os seguinles individuos
A'ordem do subdelegado do Recife, Cipriano
Jos Lopes, por offensas a moral publica ; e Hyp-
polito Franoisco do Monte, por briga.
A' ordem do da Boa-Vista. Gypriano. escralvo de
D. Maria Ignacia Pereira. por insultos.
Deus guarde V. ExcIllm. e Exm. Sr. (onde
do Baependy.O chefe de polica, Francisco de
Faria utno$.
EXTERIOR.
VlLLETA, 26 DE DEZEMBRO DE 1868.
Eslava o U'ansporte Jos prensado, ha mu i los
dias. para levar coinmunicaces iuipui Untes para
o governo, e a voz geral era a da concluso da
iuerra: seguir amanhaa, e provavelmenfe nao
svar a grata noticia do nosso dtthleratutii, pois
que o ataque que levamos s forras de Lpez jainda
contina at ao momento em que escrevo a| pre-
sente missiva.
Grande numero de batanees Dcarai ronnteta-
meiite acabados, ou autesjoilos elles nimiamente
dizimados; o 23 ou 1" de voluntarios da Babia so.
teve no dia segunde W pracas en banatura; >
33 entrn eon 80. todos sem excepeo tem pago
um pesado tributo do sangee. Nao ha um ron
mandante de corito onde batalbu que nao esteia
niorto ou feridograve ou levemente. O baraod .
Triumpho veio para Vilieta baleado pop direito
mas i victoria lem sido nossa, e ueste motuento
Lopra est reducido aos seas extremes recursos.
Do dia 21 para ca temos lomado i6 pecas de
artilharia, iuclin'ndo as ooesas quatrode 2 de mai"
de l.aliitte. im de 3 de noveinbro de Wbithworth.
c a contar do dia 6 temos em UOSSO poder 70 pe-
i-i- inimigas. e anda reslam-lhe algumas outri-
alen das de Aagostura : quanta artilbaria havia
no Paragua) f
Recete que tenhamos desde o dia 6at boje fura
de combate 6,000 homens. uo rae sendo por agora
possivei dizer exactamente, por que nao est con
(luido o combate.
O inimigo deixou no campo, no dia 6. em lloro-
n'i. 300 morios e 700 l'erido.-, e no dia II morto*
3,393, prisioiieiros saos 2i3, e f.-ridos 800 : perda
total 6,2i0 : ajiintein-se mais 53 do dia 18.
Igualmente se desconhece a perda do inimigo
uestes ltimos dias, e presurolvel que tanbero
seja extraordinaria, comparando com a nossa, qu-
temo? gando as \ietorias: disse-ine um sargento
paraguayo, que se pasma pare nos, que o camjKi
estiva coberto de cadveres paraguayos de manei-
ra tal que dilllcilmente se poda camnhar sem hM-
pecaiemalgum : que Lpez fazia regressar para
as ti iucheiras os feridos que se podiain arrestar, a-
ciiai.cas de 12 airaos para cima, e os vellios ; te-
nbo encontrado muila gente deste genero ; que u
ministro americano Mac-Mahon se retirara do
acanipamento na inanhaa do dia 22, em um coche
com madama Linch, e o filho Francisco de Lope/
j capitao de um batalbu, e que linhain do para
ra,comnussao que foi salisfactonamenle cumplida ; ^.^j | ,,on ,, ql|P e||c ,iu||a Jo a ^ |usar acom.
|M'lo capitao de trgala Jos da Costa Azevedo, ac-1 pan|ian(i0 ao general Ri arla, ferdo gravemente,
companhando a ehcdade c augmento de desmo- e qu Ja eran nertos touos os generaes de Lope/.
ralisaeo para o inimigo.
Nesta mesma noite. pelas 9 horas, desceran! para
Palmas os encouraca.los Lima Uniros e Silcado.
(tara trazerem niantimentos para o exercito. edzia
otelegrainma hito ao chefe de estado-maior da es-
quadra Torres e Alvim, que era urgente o regres-
so destes navios, e delle dependa a delerminaco
da guerra. >
Xa passagem por Angostura suifreran muito fo-
go,e urna bala esfaliando-se na torre de vante do
Lima Barros, alguns estilhacos passaram entre ella
e a camisa, e produziram a marte instantnea de um
guardio, ferrado dnas outras pracas levemente.
Ao cltegarem era Palmas desevolveu o ebefe
Torres e Alvim a sua eo>lumad,< aiiividadc, e mu-
tos navios reeebiam nosos nianliinentos para o
exercito. como timben rarvao e alguns objectos
para a diviso avancada : traballtou-se incessan-
tcmenle noite e dia, c pelas 6 e meia horas da raa-
e i es lava elle smente, cominandando em pessoa sua
forra; que nao ha hornera alguin em nenlium<
parto da repblica, eaqui se concluira a gucria
por alta de gente para deeza de laipez ; que elle
mandara luzilar na manha de 21 os prisionciro-
existeotes, em numero de 80; que perteneiain ao-
Bra?ileiros, ou aos adiados: que elle tinha sid i
chamado pelo telegrapho para serrico urgente, pi-
rm que em cannnho se resolver a passar-.-e para
ods.
I> -i-.iniiei deste sargento, por trazer arreios d-
montar chapeados de anta, esporas do mesmo ne-
tal com o peso pn.vavel de qtiatro libras, e roanas
de f Tro com um dedo de extensao em cada raio :
se nao vissee as estivesse eximinando cuidadosa-
mente, nao acreditara em tal cousa. e trazia mais
prato amoedada e onro. Nao creio que um sar-
gito paraguayo possa ter tanta riqueza em cam
de fornecimento para o exercito para o lempo de
13 das.
O Uma Barros trazia urna lancha earregada de
mantimeiitos ao costado de BB, e o Sitiado uma
dos os homens nee existentes, a comecnr da idade
de 12 annos e a terminar na vclliice.
A actividade est na ordem do dia, nao se tem
mais dormido sombra dos louros das victorias dos
lo secretario do governo, nao podendo porm ef- dias 6 e 11, e contina-se a incoinmodar o inimigo
fectuar o desembarque dos referidos gneros, sem, em todo o lugar em que elle se aeha; a idea ge-
que por parte do eommandante do mesmo presidio ral e dominante em todo o nosso exercito: -f pre-
Liiiamos com um inimigo obstinado e resplvido' lancha de vapor da esqtiadra. a Jansen Muller, e
a reduxir ruinas todo o seu paiz, e aniquilar to- j algumas oulras embarcacoes miudas.
Em Angostura tizeram sobre elles 37 uros, que
apenas causaram alguns estragos nos inantinieutos,
e um ou outro no material dos navios; so um fe-
rimento mui leveein uma praca do Silvado houve.
se proceda a exame, afim de se verificaK se ha
agurdente ou outra qualquer bebida ospiituosa.
2* seceao.
N. 288.Offleio ao presidente do supremo tri-
bunal de "justica.Participo a V. Exc. para os
fras convenientes, que nesta dato conced ao juiz
de direito da comarca de Itamh Felnto Henrique
de Ahneida, quinze dias de licenca, cora venci-
mentos para tratar-se.
N. 289Portara ao eommandante superior do
Rio Formoso.Expeca V. S. suas ordens para
que uma guarda de honra de um dos coraos da
guarda nacionalsobseu commandosuperioracom-
panhe a procissao de Santo Amaro que tem de
haver nessa cidade no dia da festa do mesmo
santo.
N. 290Dita ao juiz de direito deGoianna.
Deveivo V. S. o edito! junto, que veto annexo ae
seu oflicio de 24 de no^embro ultimo, para que
de conformidade. eom o aviso da ju&tica de 2a de
ouUtbro de 1861. se declare o motivo da vaga, o
nome do ultimo serventuario, e se a vaga se limita
ao offleio de eserivo do jury dessa comarca, ou se
se estende aos que Ihe sao annexos.
X. 291.-Di! ao juiz de curato de Tacarat.
cisa-se por termo a esta lio prolongada gaerra.
atacando e destruindo o inimigo em todos os seus
pontos fortificados, muito embora tenhamos ie la-
mentar perdas sensiveis e derramar muito sangue
brasileiro em beneficio do Brasil, j fatigado de
tantos e tantos sacrificios.
Chegando o nosso exercito a este lugar, cudou o
marquez de Caxia de pn-cncher ai laeunas leixa-
das nelle pelas batalhas dos dias referidos 6 e 11,
promovendo grande numero do ofliciaes. porque a
nossa perda nao proporcional das pravas de
pret, mandando buscar outros batalhOes, qu esta-
vam anda no Chaco, diminnindo a terca de Pal-
mas, sob o commando do eorouel Paranlios e por
esta maneira substitoindo os claros deixauos pelas
balas e metralba, inimigas.
nhaa do dia 19 seguiam agua cima, carregados panha. quando os ofliciaes, e alguns de patentes su-
periores, sao agarrados, e estao vestidos como ver-
daderos farropilhas. sem lerem na bolsa um real
para comprar cousa alguma. por que entre nos os
prisioiieiros lera gosos aos das nafes civilisadas
e creio que a desconfianza, que rae assaltou o es-
pirio. de ser elle ura malfeitor. e tal vez o assas.-i
no do general, conliado aos seus cuidados at Ser-
io l*on. tanibem assaltou o espirito do almirante
visconde de lnbama, [>ois, que o mandn guardar
convenientemente a bordo do eucouracado S)/t (/ fazendo previo inventaro de ludo quanto elle tra-
zia, para saber-se de tudo era occasiao oppor-
tiin i.
Pira que chamara Lpez pelo telegrapho un
sargento que tinha ido cumplir um mandato sen '
A 24 mandn o marquez de Caxias um parla-
mentario ao coinmaudantc geral das torcas uan-
gas em Lombas, intimando a rendico ; 'foi aciiio
o pylamentario, e" hontem respondu Lpez, dizen-
do ^ue elle desejava capitular, mas que a sua gen-
te -e oppunha, e, por tonto, nada poaia fazer, sein-
pre aproveilando a opportundade para dizer que
Irasil nao o tem tratado com a deferencia de
elle era merecedor.
Estiveram por 30 minutos eni frente s bateras
inimigas, isso por estarein demasiadamente carre-
gados.
Eslava dcMgnado este dia pira o ataque geral
s forras immigas; mas nada : fez, por ler cho-
vido muito toda a noite e toda manhaa. cessando
um pouco pela tarde: a causa da demora foi mui
convincente, e s reslava o ap|iarecimentodo bom
lempo para ri-conjwrmosa lula.
Interrogou o marquez de Caxias aos coronis pa-
ragua vos Gonsalez e Serrano, nossos |.risioneiros
do dia 11, corriam differentes boatos ,-, respeito de
taes depoimentos.
Gonsalez um rudc cam|Ktnio, e nJaH._
ce homem de raaos rastrados: mas Serrano IM pepois da respostacontinuou o bombardeament.
go um birbante de grande marca, de um o|Bb| *> 4o pechas nossas sobre o quartel-general de Lo
nquieto, como nao querendo ver as cousas, falen- pez. e pela tarde mandou o marquez de Caxia- nt
do pouco caso deilas; mas esmirilhando-as por
baixo dos eluos; fcra oulr'ora espato de I lllO. *. xniu lliilill.ll>'. ------- --- i 1
Na noite de 17 para 18 despachou emd versas nossas provincias de Matto-Grosso e Rio (.ramie do
\ direccoes, para estudar os terrenos e caiiiinhos,, Sul, e tambera nas repblicas Oriental e Argenti-
forcas' de cavaUaria, e tivemos a vantacem de na, cousa que elle mesmo publicamente declarara
aprisionar 33 pracas inimigas, matar 15 c fazer re- aos nossos ofliciaes, segundme disseram.
gressar aos seas lares para mais de 2,000 familias, Espalhou-se a noticiare que elle llera revela-
gressar aos seas tares para
sem que tivessemos perda alguma na nossa gente;
conforme diz b Boietim, que ajunlo :
Botetm ao exercito
i Acampatueuto m Vilieta, 19 de dc^oajbro de
^nM -
edes importantes ao marquez de Caxias, nao so
tendentes guerra, como a nispeito dos thesouros
do Paraguay, onde se achavam escondidos, etc. etc.:
uo sei at ondei vw-MkladedofacK eneon-
a nossa infantai ia investie a mata que cere.i
aqi'tfila posieao. tendo |ireviamente collocadoa ca
vall.iiia ruis, flancos direito e esquerdo ; ao cliegar
a iifantaria mala, mandou tocar a retirada, e oc
Pa aguajes, reputando verdadeira a retirada, vi-
rara atacar sahindo da mato. Aproveitou o mai -
quade Caxia> a opporlunidade (tara mandar avan-
zar a cavallaria. que cabio sobre o batalho du-
rifrebos e causou-lhe um daino horrveJ
Uni soldada aoso do 11." corpo apossou-se d>
1 wtaadarte ou baudeira de batalho, e a eptregou
(
i ..


^^1

i *!
.ea:

Diario d Pernambuco Sabbado 16 de Janeiro de 1869.
VU)H .
so marqacz de Casia* que inmediatamente ii po i
a-i boa guarda enviando-a tara o almirante vis-
conde de Inhatua. lista bandera c feita de da-
masco de seda, na listra encarnada, e dcsetimliran-
' co e azul as muras las listras, tendo no centro
as armas paraguayas. Na extremidade da _. baste
lia urna lauca e uina macliadinha : a primo ira
bandera de seda que tomamos, e dizem os nsio-
iteiros que era do Latallia) de rifreros, guarda de
honrado Lpez ; as rousss estao mu graves, pei*>
que jbriga a guarda de honra.
As forras argentinfti abrirn caminho nafa a
colina e ja estavam Munidas aomarquei de Ca-
sias. Deu-se, porm, un suceesso desairadasot.
pois, que tendo licado un batalhao eorroteo si-
tiando Angostura. |tor descuido ou negligencia, dei-
xou sahir algumas pracas daquella loi tiUcareui, as
qaacs-cseondondn-se uamata entre 1 almas e a co-
lina, no lugar em que os adiados abnram passa-
geni, estao fazendo trnoelia!. aos transtuintes, ere
que com o fin de roubarr-m a vida e bolsa, e nada
faacm .mando pasa quahpier forea.
uiu incidente desagradavel, que felizmente se
acalm em fuese lempo.
Na iioitt de ti pan 25 passaram alguns Para-
guayos para o Chaco, e ah roubaram, quebraran!
arrafs vinho e mataram a mu franeez, e nado
liiiliaiu >s neste nosso antigo raminbo. aproveitado
liojc smente pelas vivandeiras. Vierain para o
arroio Villeta, e nao |uizerani brincadeira para o
lado do baixo da margen do Chaco, onde se aolia a
eauhoneira Mearas e o aviso Vdippe. Camardo, e
nlguns soldados do exereito, o que indiea tambeni
pilhagein : e eomo nada.se saina ao eerto at ago-
ra, seguiram aguas cima o eneouracado Taaum-
dur ( o monitor Para para ireui ale Santo Anto-
nio, ou M8 ditato, se tur neressario, para exa-
ininu- as margens. prevenir qualqucr passagein. ou
reeonhecer qualquer movimento da parte do ini-
inigo.
Itizcni-me que che-ara hontem de Humaita o va-
por S. Chrislorao rom tropa nossa da que la esla-
va, e mais algnma de rara chegar hoje em ontro
vapor.
Corre geralmonte que Lapa estcoiiipletainoiilo
sitiado, e o sargento disse-me que nao, por quanto
Baria mu 1K.11I0 por onde se portera elle evadir,
logo qup intenle; mas existo a iiniformidadede voz
eral, que a guerra ter o lim aqui, quer Lpez
consiga rugir. 0111 todo o caso sem tropa para olfe-
rerer resistencia em outro prmto, ou fazer guerra
de recursos, quor sueeumba nas ruinas do seu ul-
timo covil.
A inquietaran reina no animo de todos, e todos
auibiriouavaui annunoar para o Brasil pie a guer-
ra esla terminada ; lia porm. 2* horas para cor-
rerem antes da partida do S. Jote, e seruin gran-
de, eontentamento para todos os Brasileiros e allia-
dos, se nosto normo de lampo pudessem laucar
mu post-saiptum nas suas carias deestao termi-
nadas as nossas fadig;.s. a honra naronal singada,
e a civilisaiao comer ra a laucar a sualuz ben-
fica sobro oste solo dominado peto despotismo je-
suitico do mu brbaro. aguardemos a vontade do
Todo o Poderoso, que tem-nos sempre ajudailo e
lieneficiado.
ministro americano pedio permissao para su-
bir acanhoneira Ka usas com despachos importan-
tes de seu governo, e que deve chegar de 4 a 3
sindonro.
Poram chamados os cMrgides de maruiha pa-
ra roadjiVareni seas collegas do exereito nos tra-
balhos de curativo dos feridos, c todos elle* teera
preenohido oxulieant'nMito as SUIS nssocs : a
ordein do dia do almirante visconde de Inhaimia os
.logia com Justina e tambera mosfifa as mudancas
Rindas era aJgus coinmandos, em eoosequencia
de so retiraren) para o Brasil dous briosos nffl-
eiaesj gravemente enfermos: ambos |utam desde o
cornejo da campanha, e particularmente o l" te-
nante Flnsa derxou em Itapir o braco esquordo,
arrebatado por uina bala inimiga, c coniludo tem
sido conocido peloaoverno imperial os seos bonse
valiosos snicos. Algum dia se lembrara Cite da
vola existent: e a saldara condigiu'iie.ilc.
Continueu etntratamento a bordo de eneouraca-
do Brasil 0 marerhal Argollo e o brigadeiru (..ur-
jan, o em torra o visronde do Herval e o barao do
Tritimpho: lodos eaminham regularmente para
um prompto restabelecimonto.
I'ela esqnadra ha grande aetividade, zelo e enj-
,! ol 1. na < descansando os seas cholos em aom-
panbar os esforcos do 1 os6o exerclto para era bre-
ve lempo ier-se.*a conclusao da guerra.
Commandoem chefe da (brea naval do Brasil
cm operacos contra o gorerno do Paraguay.
Bordo do eneouracado wht em (rente i \ di Ha.
S de d '/.omino (fe 1888.Ordena do dia n. W7.
Temi dado parte de docnte o Sr. Io tenenle I.uiz
liabalho Meiiiz Fiusa, por se terem aggravado os
bcus padecimentos, o ser-rae necissarto longo tra-
ianiento, determino que siga para a.corte no pri-
meiro paquete, e ratiGco o elogio que Ibe liz em
eidom do dia n. 91 de 10 do crrente.
Para commandar o eneouracado Barroso, qne
doixa 0 Sr. 1" lente Fiusa. noiiieio o Sr. rapitao-
tenente Francisco I.Coelno lcito, nomeadohonioin
paia o Colmulio, devendo assumir o coinniando
deste vapor o Sr. caplta 1 de fragata Francisco Je-
ronymo Goncalves. Pan commandar o vapor Be-
harwt < nomeado o Sr. capilao de fragata.JoaoJlo-1
Izaac Joaquim CavalcanU........^276
Clomentino h Araujo CavtoMU......274
Ignacio Jos da Silva...........2o0
FER1MEMO GRAVE. Iftforaam-nos qnc la
para as ban las do Behcrihe, ou iiniuediatoes da
estrada que aii couduz, fui ferido gravemente um
individuo por dous outros, que deram varias faca-
das no priweiro, es'adindo-se dpois cavallo.
Convni que se averige este acto, para, no caso
de s*r verd tdeiro, dar-se as providencias necessa-
rias.
CKLHAM!XT0 Aioda se nao eidou de con>-
certar o da rua da Cainba do Carmo, prximo i
das Plores, de que ja nos oeeupamos ditas vezes
nesta Jfer/. FESTrVRiADE.Tem lugar amanha a de Nossa
Sinli.*ra do Monte, em inla.
INADt'BA<:O.A assueiacao cearenselteze-
sete de Janeiro* celebra ainanh, pelas 11 horas do
dls.no palo vio do pateo de S. Pedro, sua sessao
magna de iiaiiguracao.
VAPOR IIRAPAMA Este varor levw para s
portos do n>rte de sua escala, as quauaa ahaixo,
remettidas 1 elos segrales Srs.:
Johnsten Pater & C. :tl):859938 t.eara
. Outro do mesmo, informando sobre o roquer-
nieate eia que Manuel Antonio Santiago Lessa. pro-
prietarw do sol irado n. 96 da rua Augusta, para
fszer ho meiiuo sobrado urna solea cora as diinen-
S*s das postur.is em vigor ; cumprc-lhe diier que
tinento as (mancas, o genio econmico que tasto
assignalou o nome de V. Exc. suio rauiUi cima
dos ttulos que saube adquerir o laborioso .Su////.
Haja vista o concert das flnanc:.s da provincia,
cojos cofres exliauridos c cuja'oheracao des'
o pavimento terreo do dito sobrado tom ii pilmos j rio* etnpenhos, anieaoando mas maorvabilidad"..
de altura, pelo que nada tem que oppr.Gonce- nnnea oouseguiram entibiar-lne 1 animo, que leJ
deu-se. vaptado sempre cima das dillleuldades e eraba-
Outro do mesmo, informando sobre o que pede ( reos nunca soube ter em couta o presento, o
Garramo de Nogoeira
English Bank of Rio
Jos Rmlrigies de Souza
S Leilao & hiuao
J0S0 Perein Moutinho
Ao todo
iT.OOOUW
25:660*030
300*0110
4:000IMN)
(i:000000
98:SW968
Maeo
Natal
BiLHETES OFFEREG1DOS.Numeracao dos bi-
llietes da lotera 93', ollerecidos jielo thesoureiro
das loteras para auxilio das despezas da guerra :
Bilhetes 11 s. 1112 i 1121.
LOTERAA que se acha a venda a 93%
benelicio. da igreja de Nossa Senlioia do Torco
desta eidad!. que corre terca-feira, 2 do coi-
rente.
Sabidos para a Europa no paquete inglez
HiiiiuIh' :enry G. Adams, I,nonio do Mello, viu-
va Cals e rana tranca.
Sabidos para o Aracaty no hiato Nao Inven-
;,; __Vil uaiin t-'inia liima Saltillo d'Almoida
_ ao roqiHsi-Hiient> junto Morara k itraijH, arrewia
laiios da casa n. 3 ila roa do Iivraiento, com
fundos para a do Baiigel, para reedificar a frente
da (lila rasa ni rua do Livramento, faze(|do una
solea em toda a sua largura de rua rua, abrindo
mais una porta na fronte que d para a rua do
Raagcl, por ter es|eo sufHciente, cunipre-llio di-
zer que para a iei*lilcaeo da frente que d para
a rna do Livramonlo.. iwo lia iHeoaveaiente, mas
quanto a frente que dcjta para a rua do Itangel,
tem esta de recuar viole palmos punco mais ou
menos, conforme marca a planta, alim de ficar a
inesuia rua com maior largura, por semel liante
motivo nao so pode emreder a licoiica. Gono-
lii-so de conforniideda com a inforawicao, isto .
reedificando a fenlo da rua doRangel polo alinlia-
mento que marea a planta.
Outro do mesmo, informando sobre o que pede
no requeriment) junto o Dr. Jos Bernardo Gal-
van Aleoorado, para fazer urna solea na casa que
est conslruindo com frente para a rua dos Fer-
reiios, assiin como murar o dito terreno na rua
da Saudade, como mostra o documento junto ; de-
ca);! que nada tem a oppdr a seniefliaute preten-
cao.Coocedcu-se.
Outro do mesmo, informando contra a praenco
de Libanio Gandido Biboiro, para fazer urna solea
no sobrado u. S.'l da rua Nova.Nao tem lugar.
Ontro do mesmo, informando sobre o que pede
no requerimento junto Adpifo Rovf, para lmpar a
frente de sua casa terrea n. 44, sita a estrada dos
AlUictos, fazer cornija, como iulernado na parale,
esipiecando todo o pastait. suaento tow em
mira o futuro constantemente .nwgurado teto
mgico cundi do prestigioso talento de V. Exc.,
que pode haver-lhe grangeado taimigos de ollios
envesgados, ns que nao coBseile mulos.
Tamlx'in do Portugal, tMi rfcw) le tradicocs glo-
riosas, renmanta V. Exc. o iiiipreterito Pmnbal,
cora sua tenaeidade de frrea vontade. quebrando
a relieldia des preconceilos de populares e de 110-
hres, e saneado fazer dominar, como nica vonta-
de, a propria, superior do rei el i do povo.
E ipii' importara as lagrimas, quandu podem
ellas ser convertidas 0111 jierolasj que se engas-
ten! na cora cvica, que circunda a fronte de V.
Exc., toda esplendente da luz do ^ento e de seus l
verdadeiros Iriuniphos !
O caiiiinlio. que tem percorrdr
(fue por domis escabroso, nao
II10 os altos aspiritos ; porque
fardos nnrtsontes, denunciados pe
Cambio sobre Londn* 96 A/v 19 3/1 d. por I i
Desconto=8 O./Oao anno.
F. J. Silveira
Presidente.
Leal Sajre
Secretario.
BANCO MAUAi C.
Ruado Trapleke a. 34.
2 ditas ditos de dito ; a Schapheitlin A C
1 dita iniuiley.as ; a Alvcs dr C.
4 ditas cliapos, uiiud-'zas e tecidos dt1
13a ; a Adriano Uasro A C.
i ditas lyujw b qmihi|iiiiliarius; a Lopes
& Oliveira.
1 ila li'cidttjtili' laa -r a.i),i. Wild.
. t ditas ostorfio, 17 harris vinho; a II.
Traplec m. .f*. Leklen
Descorda k'ttras cxiinmerciaesa tasa con-, kjecebim>hia DE rendas internas GE-
viMM-ionat Recebq dinheiro, a premio eon- uves de peisnambug venoionaf, por lettras e em cunta corntito. Rendimenm dodk l a 14 12:482.8'i:
Ginf.-re crditos, saca sobre as primeiras tem do dia 15...... l:5936.i>;
Euro-
praeas do impeli, Rio da Prata e
pa, e compra cambiaes obre as mesmas
pracas.
Encarrega-se, por commisso, da com-
pra e ve(ia de fundos pblicos e accoes de
confmtas, da oobranca de lettras e di-
videndos o de seu pagamento, c de tmal
V. Exc. anda I quer outra operaco bancaria.
Ule estao fadados
las nusens auri-
ainladas. E que importara os grit is doscoinpassa-
dos das turbas ignaras, descouhei endo todas estas
veii|;ides hoje tw pasmosamente Histricas ?
A alta |tenetra?rM) de V. xc. nao (Mide ter es-
capado, que era todos os tempos, sempre a mino-
ra guveriMHi a soeiedade ; que nunca pode nin-
guem luesuinir, bouvesse o bom lenso escoihido
o seu ciittironisauento 110 soio das nuiiorias.
A douirina plantada por V. Ex\ nao deu de -i
todos os proventos ; mas a sement ja foi atirada
tena, o como esta rica de exuberancias, os
faetos virao um dia. E entau V. Exc, siipoino
O expediente para o publico comecar
s 10 horas da manhaa, e terminar as 4
Loras da tarde de todos os das uteis.
concertar a coberta, fechar duas portas, substi- | po)itilice dos prophelas da nova h do progre>so.
tuiudo-as por jauellas; diz que a frente da dita ca- licario reservados, rom o prose|ytsmo da nova
todas as glorias quo ellas pro-
sa tem 18 palmos de altura, e parecc-llie poder-se
conceder o que pretende o supplieaute. Gonce-
deu-se.
Outro do mesmo, informando sobre o reiiueri-
mento era que Thomaz de Garvallio Soares Bran-
dao Sohriiilio. ai rematante dos concertos da ponte
da estrada do cemterio publico, que diz haver da-
do comer.) aos mesuios concertos, acontecen que
1 depois do desmanchar, e reedificar urna parte do
reniporal, Josino WlMm muro do encost, desmorouou-sc a outra ponte, e
am,^ Jos |tamMWJue- cn(|1 ananl0 ,.stl, ira|)a||,0 ,ie rcoonstruocao nao es-
no seu contrato, todava o
[|uanlo
livesse coinprolmndido
rirrl :l-'il smiiio Fiuza Lima, Sabino d'Alnieida
l'ire.-.
Sabido para o sul no vapor americano Mis-
sissip :Misor JaCfflMS.
PASSAGEIROS.Sahiram para o sul no vapor
Guar : Joio Paulo Te
Mouieiro. Ilocavi (leov
vedo, Antn o de Azevodo Coulinho, Valentini Vi
das Lomos, Mara Augusia Jorge, M. Berlon e sua
sentara, l'aniro da Silva, Luiz da Silva Baplisla
Jnior. I'aulo Africano lisie, Manocl Machado Fa-
gundes, seis imperiaes marinheiros Angelo Jos to eJe pr0ce.la
dos Rois. sal oiciaes de (azoadada 4a claaae, An- ( l. Ionio EmUfc Faro, um sargento do corpo de impe-
riaes inarinlioiros. Joaipiim Domingues M.. Aprigio
Jos da Silva, Jos de Parias Maciel, Themoteo
J.indulpho Stennelli e sua senhora, uilherme
Ba|dista dos Sanios, Francisco Peres, Simn d>'
Ploog, Hanx'iino de Pontos Hartins, Joaquim Soa-
res Barbosa. Elidi Korii'ira Baracho, s'!i^ reclu-
tas de marraba, AareHano Flix da Gniiha Lima.
Rufina Mari;. lierinino dos Anjos, Maria Magdale-
na de Jess, Antonio Bezerra Montenegro. Felippe
Goncalves. Lili/. Garlos deSou/a Barbosa, ScWosecr
Miehol c sua senhora. Pedro Pedreira Sampao e
Iros criados. Antonio Alvcs da Silva. Jarintho Nu-
iles de Mead mea, Francisco de Moraes Sarment.
Manuel Luiz C.oelho. Joaiiuim Francisco da Silva.
Maria .loaqu na da Silva. Francisco Jos Evaristo,
padio Candido Jos Alvos da Silva, i'elin 1 de G-
iro Mascare!.lias. Vicente lie/erra Montenegro, te-
nente-coroiiol los Alvcs Peroira, Jos Alvos de
r.arvallm. Manoel Rodrigues, Manoel Jos do Mas-
cimente, Ma liililo de jesns e um lillio. Heanla
Maria da Gol cojeo, Jos Joaquim dos Sanios.
seil.i e doutrna,
11 lo'.lem de S.
Os Borotoopec sem sempre cuidados lelos 800-
1 tesaofl que os justiliram ; e V. JExe. Mismente
nasceu luz de hoi'OM-opo beniguo. A historia
que, no dizer do principe dus oradores, foi sempre
considerada como doiuinciadira di
> luiuio, areni-
vodo paasado, a verdadeira mesta da vida, ahi
vira lerendo rom o nomo de V. E
los mais pomposos.
De alio para baixo considerando
deve) as rousas peaneeinas deste
supplicante.executou para evitar oceasio di^ fazer a mes(|uiuhoz do taleuto sAa loma
CMARA MUNICIPAL.
l. SESSaO CRDINAItIA EM 2:'i DE NDVGMBltO
roolamaces, e como nao Ibe soja possivel fazer
todo o muro que seno obrigOO por seu coutra-
a um exarae. visto que
pelos estragos que liao loito as aguas nos alicorees
das obras da mencionada ponte, o o estado do ter-
reno adjaconlo nao seja possivel cousa algunia
construir slidamente, e de forma que nossa ter
duraco, sendo com grandes despozas, que pode-
ro ser evitadas, iiuidando-se o local da poni etc.
declara ser exacto (pianto allega o su|iilicanle, e
parece Ibe, 011 vista do exposto, que o mais segu-
ro a econmico construir una outra ponte de
inadeira com esteios no centro, e muros de encos-
t do alseiiari.1 nas e.xtroinidadcs, cuja ponte ter
um sao de sessenla palmos de coinprnento, lar-
gura de trila palmos, o systema mais econmi-
co o mais seguro para a paiz, importa 'sta obra
em 8:1403000. aproveitaudo-se os mateiaes dos
pareddos da ponte primeira
Posto em discusso. o Sr. Dr. Bitanga pede a
palavra, e sondo-lhe concedida, lamenta,miaba
pouco lempo so tivesse feito una ponte iKiquelle
lugar, com a qnal o. rom o oaloamento da estrada
so gastasse mais de 9:0003000. e que agora se ve-
ja a cmara obligada a fazer urna nova |)0Qte ;
fazendo mais outras pondora^oes. concilio sendo
do opiniao que se remetfesse ao Exm. presidente
da provincia o oicamcnto, e se Ihe pedisso appro-
saeao. reinoltendi-se lambem a informucao do en-
goilu.iro. e plaa ete.Reconhoeendo a cmara a
necossidado de ser feita a obra, aisim resolveo.
Outro do mesmo, informando n requerimento do
baoharel loio Paulo Monteiro de Andrade, em
que pede para concertar a sua casa n. O. rua
do Hospicio, fazondo-lhe na lenle um parapeito.
eoUoear canos para esffoto das aguas pluslaes, al-
terar o systema de coUoeacZo (
W. os seus fas-
V. Exc. (como
muido, em que
alga.- s cabi-
Nt> Diario a. 10 de hontciii, Mfa a publirarao
ajieddo, deparei rom una refulacoo. publicaeu
,.......,u que os cousenliores do sitio Oihode Vidro. fJwram
<>, nVnunc n ncccssidde de sor feita a obra, assim resolveo. no Diario a. 8 e 9, o iudepeudente deila se adiar
. h-" *! s iiti* 11 r WrandV Silsi do utro do mesm> "f"'''nando o requerimento do aporrspha.runipre-me. em tud". reluta-la na par-
iJ 1 Z, ;'n lm!,S l'ai'li:"'''1 1" l>;"'10 "** '!' Andrade. em le me rae diz rospeito. l .
Brasil. Dr. Fllanga, Dr. \ ilU-Ho*.. ral ando rom ,,,.,.,.. a sua ,..ls., n. w. a rua Diz a tal rofularo. (pie a ndeuiBisarao nao tem
K-ausa os i,i:i.- sonhoros abrm-se a sess.o. e fe. h- ^ ^ (iui.al).lh(; ,. UM1 parap.-it., sido feita por Z .o ter querido nomoararbi.ro:.
i- ^,'.o,u aiitotutenit. eolloear caaos para escoto das aguas pluviaes, al- o me para esse lim j por paro' da companbia dos
MSBWm terar 0 8vstema de COllocaclo das janellas, e por-[Irilhos uibanos, disso foi iucunbido o Sr. Manoel
i-m. *J ... .V .. .v.ii?. t n,,,.;,!,.,,,.!, min ,;ls cistenfes etc.declara 'que a mencionada ca- : Jos Dantas; assim sera, mas nunca es couseidio-
l .!Sf ffi^^Sm1^lta^tt^, Ib, M *** V** & ^ r''11"' P to <&* ^mia. mm.....udo-a de corto nao
'!;!:!:l^:^^ -,m,,,iria,nvo.un,a,,an,enle,-,,i,p,,,loaeo,npa^ia
....! ... ..11.,.. a.. ___.....1-im.i. Iumeodeu-se.
das ao genio; era que a niediociiiade de servicos
busca rtiuquislar dianteras, em |oura conla te
nha V. Exc. todos esses arrepios levanUidos |r
honiens mu le. sem lei e soin gioy. o rompendo
os einbaiacos do sua. qiusi inve icivel iiHHloslia,
pola primara vez em sua vida fac praca de son
inronloslado nioreoimeiilo dizendi : Tenho as
piranies. parqne as que nutro, sio as
Ierra : nao tenho ambieSes, ixirque son iodo ali-
ne.caro. E eulao vir a voz publica, com o a
Irideiite clangor de suas tubas, px'lainai 0 que
snto einmiiu,o quetodos senieii adiniacoes
por V. Exc.
Ah que de sonbar lamanlios
meco de alegras, qae me assoliei
embarga ni os traeos da pon, qut
enfeixando estes festoes de ores
nao rogeile V. Exc. o tributo tenu
prestado ; 0 fO soberbo e eauf
feude de ileaconneuido regato.
Tal a oblaeo sincera. ilesinterosKida e pura do
Ai'istarcho.
ENGLISH BANK
Of Rio de Janeiro Limited
Uesconta lettras da praca taxa a i;on-
venciortar.
Recebe dinheiro em corita crrante e a
prazo fixo.
Saca vista ou praso sobre as cidades
principies da Europa, tem agencias, na Ba-
ha, Buenos-Ayres, Montevideo, New-York
e New-Oiieans, e imitte cartas de crebito,
para os mesmos lugares.
Largo do Felourinbo n. 7
14:076#5H:;
aNsiir,ADO
Rendimento do dia 1 a I i
era do dia 15 .
PROVINCIAL
59:378**71
li:O791.'i
73:406*18;
MOVIMENTO 00 PORTO.
Rendimento do
dem do da lo
ALFANDEGA.
dala 14 .
384:631,1151
47:381;79:i
431:911*944
MOVIMENTO DA ALFANDEGA.
Volumes entrados
dem dem
com fazendas
cora gneros
Volumes sabidos com fazendas
dem idciu cora gneros
361
475
97
959
-----1056
83
Descanvgain hoje 16 de Janeiro,
damii'iha! Vapor uijlint \luamkrtt>' nwrnadoriin
ira/ores estW-
nulo o animo e
corra iigoia
iseriptas. Oh I,
e pobre a.p! Cantoce.
nao repelle o
Escuna norte-alleinao Comet dem.
ri;:reamgle7,a--Hr. of Ihe Warecarvao.
Lugar nglcz = Carrinijlon dormoiiles.
Barca franeeza=iTai((M le Xuntesvinhos.
lmportav*.
Vapor fauna .Xamne, viudo de lor-
deaux e Lisboa, manifestou :
1 caixa tecidos de la ; a Flix V.
de
NgjBtO entrado no dia 15.
Montevideo 25 das, brigue argentino Votante,
de 280 toneladas, capilfio Jame Riera, equipagent
11, carga 4,000 saceos com farinha de trigo e a-
rello ; a Amortan lrmao.
Marios halos no memn di*.
Rio Grande do Pul -Itrigne nacional itats>Ujeirn.
capitn Finuiun Maria Towrelh, carga asucar
e sal.
Liverpool --Barca maleza Jmnet Gibson, eapo
James Scader, carga algodio.
LisboaBrigue portuguez Soberano., capilao Bu-
gganga, carga assucar e outros ^ueros.
Parallialebrasileiro IMcm. capilao Antonio Vic-
toriano Borges, carga dilferonles gneros.
LisboaPatacho portuguez ^lliama. capilao J. J.
de Souza, caiga assucar c outros gneros.
Aracaty- -Hyate brasileiro 090 lutria,re, capla.
T. Theodoraro de Moura, carga dilTorentos g-
neros.
liba de FernandoVapor nacional Giqui, com
nianilanle Azevedo.
Aracaty e portos iiilennedios -Vqwr biasiloini
Jrt/(/'//V/,coinniaiidaiire Moura, carga dilferon-
les gneros.
Acarac '- partos intermedios -Vapor nacional
Pirapinnu,eonimandante Tonos, carga varios
gneros.
Obmrvcufio.
Fundeou no lamara-j ua barca ingleza, ma
nao teve conununtcacao com a ierra.
EDITAES.
PUBLICACOES A PEDIDO.
por em prae; os talhos do acougue
mes de Parias, o para a bombardeira rearo Mon-, si(|,.n(.ja ,|lie w j
.to nomeio o Sr. I" teneute Manoel Lopes da Crn. n.-l(l i-.p.,,,, ]MiW
Louvo com toda salisiicao aos Si>. Qrs. Carlos
Frederico dos SanSOS Navier de Azevedo, Jos
Marcelino de Mosquita, Jos Cadano da Costa, Luiz
l'ieimua'.ier. Justino do Castro Rebollo. Joaquim
Carvalho Betmmio, Seteriuo Braulio Monteiro,
Eduardo Neumam, Pedro Auiran da Malta Albu-
raerqne, Jos Carlos Mariani. Luiz Carnero da
Rocha, o AtxmstO Barbosa de Oliveira, pelos servi-
lla r
mat;
foram
doii
porque
cmara, sujeilando-sc ipudle augmento, no que lo-1
rain aMendldos, proscndindo-se da praca. na ipial '
ouiilavam BSSS B BOSSOas 01111 nao pequea coneur- j
renca, que srin duvida fara elevar o proco de ca-!
d.n mu; reatMi como um dos concurrentes aos I
mesaos talhos. que S. Exc, os mande por era
praca.
I'osta em discusso. resolvon-se informar a pre-
talbos que alinde o supplicante.
DOMOe em praia pela razao de haver
Libanio Gandido Rilieiro & C., qnoestavamna
que oppor a transferencia para outra casa,
ler o supplieaute Ucenca para vender pols-o-
ra na rua Imperial, e nao influir a pequea dilfo-
uma casa para outra, ambas nas mesmas
nao ciiiiipiisso a priuieira parte do conlrato (por-1 < /.
la 1 e vigiai. i *' j' ..
l)oixeni-se de |>rowlar des|ieilacain>'iilos de |tor- OltitS
Hlenlos de vigias. p nquo e sabido BIlllll.
Miso se nao oanx'lla sem viga. E
bouvesse poriao ovigia, e tivesse
que dizem, lumbrera-^1 que nao esta-
1 dita lisios: ao padro Lipparoni.
2 lutos fructas Seecas; a Tlicmaz F.
B islos.
8 ditas (pteijos, 1 dita calcado, I dila
miudjzas, 1 dita tecidos de algodo. 2dit.'
111 idas, t ditas sattgnesOMS ; a ordem.
1 dita modas; a EJd. & Moraes & C,
2 ditas perfumaras; a A. Lopes Rodri-
ga >s.
1 dita roopa; aAnninio C.
3 ditas chapeos; a Curstiani Irnio,
1 dita miudezas e peifumaiias ; a mada-
ma Leconte.
-1 dita quinquilliarias; a Len Desprer,
1 dita passemanterfa ; a madama Adour.
I dita jiuiumana, 3 ditas joiast 1 dita
reloios : a Lelmiam Entres.
jaias c relogios; a Hyvern.it
i dilas
Nlo e exacto ler 011 exigido 4:000,4000 pela de-
nominada nesga do terreno, e .-o o autor, ou au-
tores da rofutacao citara o lestenmnho do Sr. Gas-
par Guiuarcs, 01 com toda a conlancame louvo
nolle.
O pie corlo, o, que logo que (jheguei da Eu-
ropa e vendo o oslado deplorase! cJm que se ada
o lllm. Sr. Dr.
d
ornamentos para padre; a J.
a Grefotio I'aes do A.
si'das
coiidicoes. Conceden-se.
Outro do mesmo, informando o requerimento de
Jos Lco do Mello. 110 qual jiede para continuar
em son nome o estabeTecimeato de vender plvora; o sitio em quesiao. enteam-me com
em seu arnia/ein de sal rua Imperial casa 11. Jesjtei nardo Calvan Alooloiad >. e issentamus.que
i'Vi cuja licoiiea se aolia em nomo de Antonio Ce- a imlemuisacao opusistiria, em ie imuar o silioua
-liarlo Moreira Dias, visto ter este retirado sua li- Irejite o na linha ,hi nascente a margaudo Irillio.
,11 renca paia OOtTO que nao i o siipi.licanle, paree* I por conta o> respectiva coiupanhia. para esse lim
mandasse entregar aquellos talhos, pois que se su-
jeitasam a pagar o augmento da .i" parte que mes .'
foi posto, accroseeiilando anda, que o peticionario _
esla.il9dis|iosto a anematar os talhos como decla-
ra nao se linha habilitado paraisso.
Outra do Ilr.chefo de polica, Francisco de Paria
eos cirui'gicos qe Com toda a dodicacao, zelo c L,;mos, parlicipando ler assumido em l'J do eor-
buinanidaile arbam de prestar aos nossos cania-
radas do esercito fcidos na katalha de 11 do cor-
rate, e beni assim aos Srs. pliarmaeeutioos Anto-
nio Candido de S Puliente! c Antonio da Cosa
Monea polo mnito qae coadjuvaram ;ios referidos
cii urgios durante 1 lo assetunoso trabalho.
0 Bvd. conego Antonia da luunaculada Concd-
cao do Brasil lambem lousado pela promptido
o caridade com que se presten a dirigir o servico
diettico dos enfermos, lovando-lbo ao mesmo lem-
po ao loito da dor palavrasde exhortacao; e os im-
periaes marinheiros Jos.'; Joto Bento (te Almoila,
Joaquim Francisco Furlado, Pedro Alexandrno, o
grumetes criados Manoel Pedro dos Santos e Ma-
noel Rodrigues Hornera, pelos servicos que presta-
ram como eofermeiros, nos quaes mostraram toda
ftekaf&O.WsCOtde de Inhauma. coraraandante
em cbofe.
PERNJttBUCO.
REVISTA DIARIA.
ELEICES.No dia 1 do correnle procedeu-se
jniz (8 de paz do municipio do
todo o processo eleitoral 1 m
de voleadores e
Bnique. eorrendo
permita paz.
Sahiram eleitos vereadores, eom os votos se-
guiutos, m Srs. :
Antonio Marques de Albuquerque Cavalcanti. 2244
liento Lei.e llenicio Cavalcanti.......21.17
Manoel Carneiro C. de Albiii|uwque Lcenla 2KM
Luiz de Frainta Monteiro.........1713
/.(ferino do lbuquerque H.......1484
Dorindo da Cunha Lima.........1*76
Jos Tavares de Miranda.........HM
A Hsta dos juizes de paz do6 diversos dtsti-icfc*
tacn assim organizada :
Freguezia do huiqw.
lVmeiro dislrieto (raaUiz).
Antonio Marques de Albuquerque Cavalcanti. 307
Joaquim Epiplianio de Mello........306
Joan Hyppolto de Souza..........305
JM'ind da Cunha Lima..........29H
Segundo districto.
Bento Leite Beuicio Cavalcanti. 150
Luiz de Franca Monteiro..........140
Malinas Jos de Lima...........138
Manoel Jnaquim dos Santos Bias......1S0
Toroeiro districto.
Joao Francisco de Cbristo ....
Jos Bezerra de Lima.
rente, o excrciek) do dito cargo, para o qual foi
remos ido por decreto de l do mezpassado; de-
clara que no desempenho do dito cargo o achara a
cmara sempre dis|H>sto a pivstar-lhe a mais fran-
ca e leal co('iperacao em ludo ipie for a bem do
servico publici. o bom assim do particular da nos-
na cmara, ipiom por esla oecasiao aprsenla os
seus protesta de perfeita eslima e distincla cons-
deracao.Que se aecusisse o recohimeuto.
Otlro do Dr. jniz de direito da 1* vara Francis-
co de Assis di Oliveira Maciel. commuiiicando ler
era 18 do cor. ente assumido o exereicio do ines.no
cargo, para o'qual lora romovdo jwr decreto de 8
de agosto ultu.io.luleirada.
Outro do DI', jniz municipal da 1* Uta Paulino
Rwlrigues Fernande? Chaves, participando haver
era 18 do correute. entrada no exereicio de seu
cargo por tei o jniz de direito da Ia vara a quoni
substitua entrado no exereicio do mesmo cargo.
luleirada.
Outro do engenheiro cordeador. informando so-
bre o requerimento de Jos Guilherme k C, no
qual diz que icndo obtido da reparlirao das obras
publicas a permissie pai a fazer um encanameiUo
por canos de barro, que parlindo do seu estabele-
chnento na Ma do Encantamento n. 16, va encon-
trar o cano gei al do esgoto da rua do Apollo, pede
a competente licenca, bem como para concertar a
coberla das ci.sos ns. 16 da rua do Encantamento
que faz ju.ierid com a da cada n. 13; declara
nada ter que oppor.Goneedeu-se.
Ontro do mesmo. informando sobre o que pede
no rcquerimenio junto Jos da Silva Loso, para
demolir as duai frentes de suas casos em caixa
sita rua do Srs o. ,'. cousiru-las com acroleriog,
nnfnrto o disp to nue posturas, requor nova li-
cenca para a contiuuacao desaa obra, visto j a ter
olitido para a t xistenie, diz que nada tom a oppor.
Coacedeu-sc.
(linio do mesmo, informando o requerimento de
Thomaz de Carvalho Soares Brandan Sobrinho, ar-
rematante dos reparos do acougue da Boa-Vista,
para fazer a e .trega ds obras do seu contrato e
recebar a importancia; declara que as obras es-
ta concluidas exeeuladas de conformidade com o
orcamento e o arrematante tem direito ao que re -
>|ii rMandou-sc pagar.
Outro do me.-rao, informando o leq.ierimonto de
Antonio Jos Rodrigues de Souza. proprietario da
casa sita MU do Monteiro da freguezia do Poco.
que pode para fazer nina pequea obra deatvena-
na junto ao pssseio da dita casa, alim de evitar
180 algunia oatastrophe por oecasiao da passagem dos
1701 tiens dos ilhos urbanos, melhoraodonitiilo a dita
lh(^ "oslar este no caso de ser attendido, visto iuo
lempo que h'in na dita casa o referido
negocio. A'o lia que deferir.
Foi approvado um parecer da commifSao de po-
lica, daudo por conferidos os balancetes da reoe- .
la e despeza municipal, apresentados pelo procu- quatm eootoe de rw tallado-.
0 mesmo lllm. Sr. Or., autorisou-ine a medir o
terreno a morar e ajusfar a obra assim o fazen-
do apresentei-lhe u orcanieulo e sendo o lerreno
a murar de duzentas e se.lenta e i tantas bracas,
poiicu mais ou menos a lo:000iuiportavaui esses
rador. e relativos aos mozos de agosto e setembro
ltimos, dando-so quitaoao ao moSBM procura-
dor.
Prestou juramento de cidadao brasileiro, em
vista da d rlidfio da carta de naturalisacao, que
apresentou, Jos Xavier Colho.
Despacbarani-se as poticiies de Antonio Jos Ro-
drigues de S raza, Antonio Ignacio Heitor, Antonio
Moreira Reis, Albino Jos Ferrefra da Cunha (2),
Arcelina Xavier Carnero Rodrigues Campello,
Boniar.lno do Souaa Finio. I>me Jo- Fernan-
dos. Fraga tan Silvana de Farias Jnior, Francis-
ca Mara da Coste Santos, Fidencia Maria da Cos-
a Santos, Ignacio Joaquim Lopes da Suva. Igua-
cio Barrozo di MeU, Jos Guilherme & G, Jos
Luto de Mello. Joio Bapt'ista Fernaades, Joaquim
Jorge de Soma, Joaquim Barboza de Olivo.ira, Jo-
s Feliciano Borges. Jos.' Antonio de Almeida Cu-
nlia, os Pecera de Miranda Cunta, Job Anto-
nio Carpinteiro, eapi/ui Joaquim Carlos ..Vaneo da
Costa, Jos.' Carnero .de Brillo, Joao Bautista .\o-
meriano, Landelino Antonio Ferrera. Libaaiu Can-
dido Ribeiro. Man-el lino Jos GonealVdS da fon lo.
Manoel Martins do (^trvalho, Manuel Ribeiro Ras-
tos, Dr. 'abor Carnero BezeiTa C-avalcante, i>teo-
inede Maria Freir. Thomaz de Carvalho Stares
Hrandao Sobrfno fS), Ticente Josi* de Oliveira, e
levantou-se a se*ao.
Eu, Francisco Canuto da liqaviageui secretario
a suliscrev.Pereira Slmftes pro-presidente. San-
tos, Dr. T. Villas Boas, Dr. Ptanga, Dr. Miranda.
POLTICA interna
l'arlido eoiMervmlor.
( \ PEDIDO)
Manoel F( lix da Rocha Mangueira......1601 passagem entro o passeio e os motaos irilhos, tem
Feux Bezerra de Magalhioii ........100 a dizer que parece'Uie se pode conceder, exeeu-
Fregiwzia da Peden.
Primero districto (matriz).
Francisco Vai Cavalcanti.........495
Jas Luiz de Albuquerqtie.........44*
Jos \icioriauo de Carvaiito Cavalcanti 41t
taado elle a obra de raaneira a nao prejiidicaro
traaso publict, tanto |>ela calcada, como por fra
desta, etc.Quo o supplicante indique qual a obra
que quer fazer.
Outro do me* mo, informando sobre o que pede
A S. EXC. O Sn. BAllAO DE VILLA BKlLt.
Nao o cumprimento de um simples dever de
rortezia. que deseuipenho hoje para ee-m V. Exc.
damkmie s pressas em fazer snbir presenca
de V. Exc: o mea rendimento de preitos e men-
gens por occnso de bdas (estas e boas ontrada*
de novo aairn, cosluiiH'iras nestas cirenmstaucias :
ha de minha parte mais elevada pretenco. que
vai, felizmente, accorde cora as mnnifestcoes de
uina popala^ao inteira. a de Pernamlmc, que
possuidade verdadeira devoco por V. Exc, 011-
cherga no osnacismo de V. Exe. todas as frioHlfl
de moderno Aristide.
Na vida desambicinsa de V. Exe., sem preparo,
se encandeiam uns nos outros os exenmln* mais
notaseis da antiga e moderna historia.
Assim vejo em V. Exc. da historia grera dese-
nliada a hnagem viva de AiMAfc^o sempre jus-
to e calumniado e perseguido ; por isso somente
Auumio llaibosa Cavalcanti........416 no requeriment 1 junto Amonio da Silva Ferrera
Segundo districto.
Aud.' Cavalcanti Arco-vtcde........19.J
Zacaras Barbalho de Maltes........180
Matlias de X'asconceltos Paes Brrelo .... 141
Mantel de Benevide Fateao......
Fregj/ezia drAauas- Mollas.
Primero districto (matriz).
Manoel Carnero C. do Albuquerque Lcenla. 011
Victorino Jos da Rucha e Sonza......SU
Manuel Soares de Albuqnarque Proteo aM
Jos de Mello Cavalcanti..........OS
Segundo otncto.
Deodato Rolamberg de Albuquerque .... 177
Jnior, para levantar urna sota an sua casa ter-
rea n. fci rua da Matriz da BoarVista, eumpre-
lho diier que a munto da dita casa tem t palmos
de altura o nado lia que oppor a pretendi do sup-
I piteante.CoBodeu-se.
Outro do mesmo, informando sobre o que pede
Marcellino Ion Goncalves da Fonte, proprietario
da casa em coa:truceao rua Nova n. 'Mi, que diz
ter obtido licema para fiuer um andar corrido,
re levantar a prx urna r rumpro-llu ditor que nada tem (ru oppor
itaotorwdoosu aoneata) a obea, detaomrmidade
com as posturas Concedou-se.
cuta.
Do ramoso Wiebano, fho da cidade dss aera
portas, em V. Exc. descubro o retrato fiel do o-
cljo Kpaminondat, que nem zombando menta,
e por sso. que se acredita eomo Jora de toda
duvida a praca ossentadit de V. Bfce. cania salda-
do rase no partid liberal, atmnxto ao p da Ier-
ra as bordadoras ureas da farda de general.
exando V. Exc. os ftorescldes vergeis da pito-
roseo Caran, abmdoaand* a rbica d> arado
ji* ompunhar o limo da governo da provincia,
ainda tambera da V. Bxe. mostros em si proprio,
de que nao ficou perdida e sem untadores a ab-
negoS de dtamynwsmdo nemai romana.
No governo pasmoso de Y. Exc, no que per-
A sisla de lal orcamento o lllm. Sr. Dr., rocuou
o disse-me, que apenas da va para tal obra LODO*,
nao sendo possivel, poivm, lisiar o >itio o seda-lo
ao Irausilo publico com tal ipiana. respond ao
lllm. Dr., que lizessem o quo ipii'.ossein de dito
sitio, pois que a sea terapo tarainos valor nossos
dreitos,-e o raeiiio tenho couiiuuado a responder
a ludo quanto se me diz, relativo to que se tem
e est fazendo em dito sitio.
E' o quanto se me ullorece dizer a refutaran
apoerspha.
Recite, 1j de Janeiro de 18g9.
Jos .-iHKrtcs CiHimaraes.
TBKRCLL'IS FILMONARES
1
No mundo inteiro talvez n5o haja moles-
tia alguma que tenlia dado maijs serios cui-
diulos i scieiicia medita do que esta. Desde
0 tempo be Hi|iproiiates tem clia assolado
o mundo, e a estatistiea mostr que em na-
da tem diminuido o numero dak suas victi-
mas. Em l'aris de todos que tuoirem 20
1|4 Ojo sao de tubrculos pulmonares, e:n
Londres 16 i.3 0(0, em Birlim 19 0|0 e
em New-York 14 018 Ojo.
Ha seeulos que es horneas scienlifieos e
philantropos busco anciasos um antidoto
queponha termo aos estragos deste terrivel
mal, muitos tem-o pronunciadu incuiavol e
abandonado o estudodelle como improficuo;
IKjrm outros, confiados nos vastos recursos
da sciencia, continuaram ; at gue por lim
no seculo XIX coube ao bem (xnhecidochi-
mico americanor Dr. 4#er, de I^awell, ios
Estados-Unidos, a lunra de annunciar ao
mundo a descofoerta de um remedio qne
preenche o desecado flm. Cli.ima-se su 1
[ireparaco o Paitoral do revejas, por
ser seu ingrediente principal es trahido d 1
casca interior da cervjeira brava, ximbiiiaiido
com as virtudes medicinaes d'outras plan-
tas j muito conltecida* da nied rina.
Um dos escriptores antigos *se : A.
casca interna da cerejeira lira va til nos
casos de debilidade geral, diges.au liaca, e
especialmente no Ualamento de tubrculos
pulmonares.
Portanto, esta grande descoberta no
iitu do acaso, nem das virtudes oiaravilito-
d, mas resulta e muilos acrntis n estwlos
aparados nos hospjtacs, no gabiaete e na
chuica particular, e de expeitea ;ias mitiUr
ciosas feitas em todas as classes o era toitas
as pitases da molestia.
COMMERCIO.
PRA<;.A DO REOPE 13 BE JA'fEIltO
BC 1869.
AS 3 1 HORAS DA. TARMC
Assnear- mnaetfmdo puntado 3-1650 a arroba
Assucar bruto canal=2*oS0 a arroba.
1 dita
C.
2 dilas roupa e calcado; a Ch. Lecleic.
1 dita miudezas ; a F. Souvage.
2 ditas objectos religiosos ; a irmaa Ma-
gnin.
1 dila ditos ditos ; a inna Cliauseroclie.
2 ditas sedas, cilcado e roujia ; a L. A.
Siqneira.
20 ditas sardinhas: a Joao da Silva Faii.
& lrmao.
1 dita relogios ; a F. J. Germano.
1 dita sedas ; a F. Maestrali.
1 dita sabonetes ; a Bartholomeu C.
2 ditas sanuesuga: a A. Caors.
50 dilas a/eili' deee : a J. Mendibuuie.
1 dita livros; au padre Ignacio F. dos
Sanios.
0 (lilas espelhos, perfumaras, porcela-
nas, chapjs e moras ; a Theodoro Just.
4 ditas tecidos diversos; a Magalhes 4
Irmlo.
.1 ditas ditos ditos ; a Carneiro & Pe
gueira.
2 ditas miudezas : a Jolio da Rocha e
Silva.
7 ditas tecidos de algodo, de la e de
seda, 20 ditas queijos ; a keller A C.
43 ditas ditos ; a Joao Martins de Barros.
lo ditas ditos; a J. J. Goncalves Beltnto.
20 ditas ditos ; a Carvalho, Zenha < C.
2o dilas ditos; a J. M. da Rosa A- Fho.
17 ditas
Basto.
16 ditas
Fiihos.
1G ditas ditos ; a Joao Ignacio da Costa,
18 ditas ditos; a Corga limaos.
15 ditas ditos, 1 dita papel pintado ; a
C. A. Sodr da Motta.
2 ditas roupa e tecidos de algodao ; a
Ferrera A Matheus.
3 ditas quinquilliarias ; a Yaz di Leal.
1. dita obras de ouro e prata; a Gmese
de Mattos & limaos.
1 dita ditas de prata ; a J. R. Tavarcs de
Mello.
4 dita livros ; a Jos Evaristo Beruardes.
3 ditas ditos ; a Joo Walfrcdo de Me-
deiros.
{ dita ditos e jomaos; a Lailhacar C.
2 ditas cliapos; a Manoel Moreira de
Souza.
1 dita sedas; a Monhard, Mettlen de C.
0 ditas fi-uctas ; a Oliveira Fiihos C,
2 ditas roupa e calcado ; a Manoel Alco-
AMfe
1 dita tecidos de algodao; a J. M- l'al-
oieira.
2 ditas ditos dito; a II. Leger.
2 dilas ditos dito c chapeos ; a A.
Burle C.
e miudezas ; a Cmara de
De ordem de S. Iac o Sr. presideuto
da provincia se Caz publico, pan > -iili''-
nento das pessoas, (|iiem 'onsier, qui.
tratando-se do foriieciinento (Tagua potavcl
esla capital por meio de einauaineuto e
clialarizes. recelietn-se nesta secretaria pro-
postas para a coiistnicro das obras res-
pectivas at o dia 28 de fevereiro prximo
viudoiifo, pivvenindo-se de que boira de-
pendente do wsenliineulo da iseemMa pro-
vincial o contracto, que para esse limg for
celebrado.
Secreiaria do govetao a Paraliyba, em
9 le Janeiro de IHti'.l.
Thomaz de equino Mindello.
Do orden do lllm- Sr. inspector da liir.-oura-
Ita de lacinia desla provincia U Cu pulilict para
ooiihooiiiioiilo de oueui itilorossar, que tica de ora
em diante cstabeieeidii como regra qne os ptfa-
tnentos das pensies do monte po gcral dos serv-
doren do estado lento lunar nos difg 12 dos ezoc
de jaiieim. ah il, ji 111 to o otiliiliro de cada uuio 1
quande forem sanafleadoa do dia se^ulnie.
Secreiaria da thesoararia do baeoda de Per-
nainliiico. lo de Janeiro de 18G9.
O ollicial-inaior
Manoel Uumtde ila Silru Cuta.
lie ordem do lllm. Sr. iuiiperlor da thesou-
r;iria de la/.oinla cie.-ta provincia, de |'hi |uo-en-
le convidador os Srs. Manoel leoqnim do Reg
Barros, Clcmenlino los de Aiexandria, BeHMmi-
110 Jos Nuiles. Jos da Silva Bandeira. KliasKap-
tisla de (llivoira, Jos l'edro de Al.-xamli ia I ti
Caetauo Madeirn. ooradores 110 termo de Inpazei-
ra para dentro do praio de noventa das aoelBes
lica marcado a contar desta data. 1ecoll1ere.11 ai
cofre desta Ihesouraria cada 11111.1 quantia do dn-
lenJes e vate a cinco mil neis proveniente de mul-
(as que Ihes 6'iam npo9tU pelo Dr. juiz de die
leitopivsidenledo liiliunal do jury do mesmo tol-
mo por falla do coinparecinienlo a M'inmda se#-
sao do dito tribunal. Findo o prazo sera a cobran-
ca das referidas mullas electuadas executivamen-
le de eniii'ormiilaiie com o arl. :l"/f> rojulanienlo
3110 haixou rom o decreto n. i.IR de de maio
o anno pmximo lindo.
Secreiaria da Ihesonrariade Hi>rnandiucn. l de
Janeiro de 18>.
O oftlcial-maior.
Manoel Mamede da SUrn Costa.
DECLARACOES.
ditos
ditos
a Joaquim Gerardo de
a Vicente F. ta Costa dr
De ordem do lllm. Sr. aorrinr da tlieeoura-
ra de fazenda do-lt piuviuoia w un publico a
i|iiem nleressar posVa, que no dia lo do correnle
11107. eoineoarao na referida tliesouraria os pajra-
meiiUw das poiimTios. do inoiite pi enl dos servi-
dores do estado, sencidos al o ultimo de dezem-
bi'o prximo lindo.
Societaria da thesoiuaria de fazeuda de I'cr-
nambueo. 13 de Janeiro de 1869.
0 oflicial-maior
Mtmoel Mame.de da Mra Casta.
= Pela rerebedoria de rendas intei iiac geraes
se faalptiblico que o note inez o 110 de fevereiro
prximo luiiiio. rae os contribuintes da laxa din
eisoravos do exi-rcicio .-oiTeiUe de 18<8-ei>, pwr
moradores nas fropii'zias da cidade, quer nas de
fra, tecm de pa}ra-la. livre da umita de 6 0% o
com ella de marco em diantc.^
Berebedoria d Pernambafo 8 de Janeiro de
IHtW.
O administrador,
Manoel Carneiro de Souza Larerda.
1 dita flores
Guimares.
1 dita ditas;
maraes.
2 ditas ditas
a Custodio Jos Alvcs Gi-
Silva A Neves.
; a Robe Schmmettw
t dita grvalas
d fi.
ditas miudezas, tecidos de la, de seda
e de algodao ; a Monteiro A lrmao.
7 ditas chapeos, tedua de sede, detlae
de aigoiiliii: a Henrique & Azevedo.
% ditas ditos de algodo e de laa, mar-
roquius, miudezas ; a Linden WeydttMHi
A C.
1 dita tecidos de algodSo; a Mello Lobo
dcC.
Notice is hereby giren that the Hule
liyingthe stoppage at this I'ort ol'the Royal
mail Corapanv Steamers, has been niodiied
so that tlie Paeketsare only required to staj
Sry (C) hours of dayght instead of leveha?
(18) liours, and, sliould they come teane-
hor ott tlie Port as late as 2 *P. m they may
proceed ou liieii- Voyage the same evening
provided the mails, passengers ete have lan-
ded and embarked.
Rritish I'aeket Offlee Pernambuco Janua-
ry 11, ItRtO.
Ry order oH. Ms. Post Offtee agent.
James NoeUEUeott
Clerk to the Paekel Offiee.
Participo que o regulamento da deino-
ra dos vapores da Real Cempanhia tie Sou-
thamptou ueste porto, foi modificada de
forma que de agora em dirnte, os vapores
se looiioraro 8 horas do dia em higar de
12 horas, e se por acaso elk-s torraVarem
no Lamaraoas 2 bocas da tarde partiraona
mesma tarde, se nao hover inooavenieote
em embarcar e desi'mlrcar as mala*, pas-
sageffVis, etc.
Correio britarmico, Pernambuco, 11 de
Janeiro de I8t9.
Py order of Her Mapwtys Poet Oftee
agent.
James Noel-Eleot.
Clerk to the Paekel Offiee.
STnIWSA DA MISEWCORWA DQ
RKOFE.
Pela secretaria de santa casa da mtsericordwi do
Rer.ife do ordem da lllm.i. junta admuistrafWa >e
fax seieute aos prenles das sdnrandM uwg P-
reira, f.la de Maris Rturiqueta de Castro e Atc-
xaadrina Soares, sobriuha da- ioaquiu Atoes No-
nes, que se as nao vierem tirar *> OttWsgiB ira
ellas para o hospital Pedro H, afim de seren em-
pregauas como srvenles, visto que ja teado com-

*^>


.

mmmmm
\mm
Diario de PeriiainbiK'o Sabbatlo J6 de. Janeiro de 1069.
nao
plotado a sua ndnearo no mesmo colh-gio,
podem all continuar.
Secretara .la sania casa da misericordia do Re-
fc 12 e Janeiro de 18.
0 oeerivo,
_____________Ptdivfmlriniese Soui*.
t onnlarlo provincial.
M mena do consulado provincial se far. publi-
co que os 30 das nteis mareados para a eobranca
a bocea do cofre do imposto da dcima urbana, e
e 0,1) sobre a renda dos bens de rail perten-
wne ;i cnrporarrtes de mao mora, correspondente
u) Io semestre do anuo linanceiro de 1868 a 1869,
dndain-se no dia 16 do ntrente mez, e que liean
mjeitos a inulta de 6 0/0 todos aquellos dbitos
pie forran pagos desos de lindos os ditos 30 das.
Mesa do consulado provincial do Pernambnco 9
Jfi Janeiro de 1869.
Antonio Carneiro Machado Ros
Admjnisfrador.
YifrW'onsiilado do Per.
O abaixo assignado vice-consul da repblica do
Per, tendo de remotter a junta de benelicencia de
Mina, o producto da snbseripco aberta a benefi-
cencia |M prejudirado com os nlUmos terremotos
pie destruirn! diversas cidades e povoaces da-
quclle paiz. deixando manares de pessoas outr'nra
ibastadas, reduzidas ao niaior gran de mendirida-
le: avisa a todos os habitantes ilesta cidade trae
qneiram concorrer para uin llm lio caridoso, que
no vice-consulado esta aborta a respectiva snbs-
eripco. Jos locme Tusso,
Vice-consul.
Etna o Porto
j ter nuasi
mui velleira
Segnir con todaa*revidade, por
todo o sen carreta ment engajado, a
barca Vrnretora : para o resto c passageiros, aos
quaes olTere/e nr clientes coratiiodos, trata-se com
unha Irniac* & C, ra da Madre de Deus
n. M.
___
I L, .,
-_
Para Lisboa
Segu em poucos das o brigue portuguez Cons-
tante I, por ter grande parte do seu carregainentn
proinp); para o restante e passageiros, trata-se
eomOlireira, Fillios & C, largo do Corno-Santo n.
19, ou com o capitn na praca do Commercio.
Para o Rio de Janeiro
Sahir com a mxima brevidade possivel o bri-
gne nacional Trovtdor, para carga e escravos
frete, trata-se com os consignatarios Marques,
Barros A (',., na piafado Corpo-Santo n. 6, segun-
do andar.
GRANDE HOTEL
1E BBIEMTE.
DE
THEATRO
Gymnasio campestre
ASSOCIACO ARTSTICA
Domingo 1 3 le jaueiro.
>.i\no i: \.\iti.\no bmrctaoulo em rkuosijo
AOS IIIIIU1ANTKS KKITOS DAS
\nn\s kutrnunm %*
AL LIA DAS
no territorio Parai/imi/o.
Depois d) Sra. D. Jesuina I inais artista- can-
taran
(I tiltil YUHIltL
representar-ae-ha pela prjmrira vez a escllente
comedia-drama em 2 actos exhibida no theatro
Gymnasio de Lisboa, intitulada
PEDRO 0 TECELAO
O
A honra do operario.
Tmna parle toda a coinpanha.
Km seguida a Sra. I). Antonia e os Srs. Macndo,
Santa Rosa e Podro Angosto representaran a inte-
ressante-comedia em 1 acio. deiioniinada
Nao se casem assim.
Terminando o espectculo com o gracioso dan-
to inlitulailci
O meirinlio e a pobre.
Cantado pela Sra. 1). Jesuina e o Sr. i-Ginvani.
Os bilhetes achain-se na casa n. 20 ao largo do
Paraizo e no escriptorio do theatro.
O diwrliini'iil i principiar as 8 horas em ponto.
Paquetes a vapor.
Dos portes do norte esperado
at odia J6 do corrente o vapor
Cruzeiro do StU, commandanle
Aleoforado, o qual depois da de-
mora do costume seguir para os
do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no da de sua chegada. Eneoiumen-
das o dinheire a (rete at as duas horas do da da
sua sahida.
Nao se recebem como encommendas sono ob-
jectos de pe pierio valor e que nao excdanla duas
arrobas de peso on 8 palmos cbicos de medirao.
Tudo que passar dcstes limite* devera ser embarca-
da como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros (pie SMS passa-
gens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57,
Io andaar. escriptorio de Antonio Lua de Oliveira
Azevedo & C.
Ianugiirou-se este commodo e elegante
estanelecriento d'onfle" o? seus frequeuta-
dores poderlo apreciar a especialidad!! na
eonfecc3o dos gneros alimenticios.
As bellidas sao as mais primorosas c re-
commendadas.
A decencia e bom servico primam n esta
casa no bello gosto oriental.
Mandam-sc domicilio comedorias, tanto
avulso, como por asignatura mensal. Os
precos sao mdicos e convencionaes.
Ha urna espacosa e bonita sala para o
elegante jogo de bilbar.
Ha tambem aposentos commmodos o bem
mobilbados para hospedageni.
Ra larga do Rosario
Li.44.
Ao publico
.ibaiao aesignado faz ver ao publico, c com
especialidade ao corpo do coiumefck), iyie se re -
ra para Aracaj a negocio a bem de, sociedad-.
ujie gira nesta |>raea snb a raiui Je Mmaraos \
Silva, e (|m- fie;, eotregue de todfro mfocio, sen
So.-k> Jos Poreira Moldes Gnimait*.
i Beeife, 14 de jaae#> de. 1809.
_______ AntonioTfoniHZ dn Sif-n Sunior.
- Vende-se una escrava criouia d? idade 3>3
anuos, saliendo coziuhar, lavar, e tambem veml I
naroa^; ra doKIarn,6^_________________
Ifs. Vende-se 1 escrava. bonita crnala, insigne
engonunadeira e cozinheira. com um lindo lillii-
libo, C ditas para todo servico anda niesmo o de
engenho, l escravo moco por 700, i negra boa
ipniudeirae que faz todo o servico por 7304 : na
travessa do (".armn. 1.
Alug-a-se
O 1, o 2" e o 3o andares di -mbrado da ra di-
reita n. 88, ltimamente concertado c com bous
commoib* para familia ; a tratar na padaria n. 84,
a inesnia ra.
Atten#lo.
E i)ree80 resposta.
Em vista do anmincio di 8r. lee Maria
Sodr da Motta, puWicado no Mario de bon-
tem, no qual declan qw nada deve ii-'st;i
[iraca, nenrmesmo ianca por escripto ou
verbal, pois, conveniente que declare se
ou no liadnr da casa roa Diroita n. 15
que por consideracao o seu proprieljii io
deixou de acceita-la por escripto.
= Precisa-se saber se existe nesta provincia o
Sr. Augusto Jos de Souza. natural da pro\ incia do
Rio Grande do Sol. e i|ue lo furriel do botalho de
caradores il 10 ou 11, e depois fez parto do corpo
policial desta provincia : no cscriirtorio de Jos
Victorino de Rezende & C na ra da Cadea n.
It. Io andar, reeebe-se as informarles a respeilo.
-
Ama
IVertsa-se de urna ama para comprar e eod-
nhar : na ra da Senzala-vellia n. ll, Io andar
Hoiiicu |>e|as 11 horas do diu mandou-se o mu-
lalinho Jbsi; aa l ua das Cruzes buscar un Diario,
nao voltou ate o prseme, consta que dormir na
ra das Cruzes acoloiado com outros raoleqnes, an-
da hoje ah foi visto. Representa ter !) annos de.
idade. cor alaranjada, olhos grandes c azues, cabel-
los carapinos. falla grossa, levon calca e jaqueta
de algixlao azul, ja rota, e remendado no joelho
cliapi'iisinho de carnanba, ja velho ; quem della
der noticia, ou o pegar leve-o atiaz da matriz da
Boa-vista n 26, qne ser bem recompensado.
Aluga-se urna casa terrea, nova, com muitos
conunodos, com quintal murado e fruteiras. na
Capunga. na das Crinlas ao p ik> sitio n. 53 ; a
tratar na ra do Vigar Iravessa n. 3.1
Alugam-se escravos de amlios os sexos: na
ra do Pires n. 15. sobrado que faz quina para a
ra da Conecieao.
I
Lagdo para <'ul<;atlas
A tratar na rea do Afinan n. i. escriptorio
mmm de iimi
N. 3 RA DIREITA X. :i
Continam a ach;i--se venda as
pilulas c o xaropo alcobolico e ctbe-
reodu veame, conforme a foimula
di finado pharmamitico Paranlios,
M botica de Francisco Antonio das
Chagas ra Direila n. 3 ; medica-
mentos estes asss cotilleados, e
proficientes a quem soffre de ibe-
matismo, escrfulas, erysipla, nu-
pifjens, exostses ou tumores nos
ossos, atnenorrha ou falla de
mcnstruacSo e nieristruacao difli-
cil, etc.
Pede-se informaedel 16 existe nesta capital
deia n. 5, 1" andar.
LEILOES.
AVISOS MARTIMOS.
Paq
ONNSU RRASILEIR V
M
uetes a vapor.
Dos piulo- do sul esperado
at o da 21 do corrente o vapor
Tnrin'Hns, o qual depois da de-
mora do costnme seguir para
os do norte.
Desd ja reebem-se passageiros c engaja-se a
carga que o vapor pndei' conduzir. a qual dever
rv ambareada no da de snacbegada. Kncoinmen-
das e dinheiro a frete at o da da sua saluda as i
horas.
Nio m recebem como encommendas senao'ob-
aetosde pequeo valer eipienaoexcedan a duas
arrobas de peso on 8 palmos cbicos de aaedicao.
Tudo ipii'passar destes iimMes dever ser embar-
cado nomo carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas pasea-
genss se recebem na agenda roada Cruz u.87,
scriptoria de Antonio i.ni/, de Oliveira Azevedo
& C.
Para o Porto
A barca portagueza Amelia, de priraeira marcha,
icha-se prompta para receber carga a frele e pas-
aueiros. para o que leui excellentes coiouindos :
trata-se cun JJaltar Uliveira t C- ruado Vicario
n. 10.
Para o Porto
Segne com amaior brevidade possivel a barca
\meua de primeira marena, por ter a matar pane
na carga engajada para 6 pouco qne loe falta
passageiros, sos qnaes offiere excelleatos comnio-
trala-6e eomBaiiar, Oliveira 4t C., ra do Yiga-
j i i.ii. 10. _____________________
Rio tirando do Sul
Para o referido porto sahir infallivelmente at
i da 2" do corrente a barca portttgneza Armimhi,
roe ibe alguma carga a Grate pan o que pede Ira-
lar-sec.....o sen consignatario Liavid Ferreire
JJallar, ra do liun n. 92.
lo (lo Janeiro
Segu com brevidade para o porto cima o bri-
guenaci mal Isabel, tm parte losen carregamen-
igajado, para o resto que lhe falla trala-se
atarios Antonia l.ui/. de Oliveira
De um escravo.
Cordciro Simios
por mandado do Ilhn. Sr. Dr. juiz de orphaos e a
requerimento da invenlariante do tinado Joaquim
sranciseo de Alem, lar leilo do escravo Grego-
uio, idade 20 annos, bonita figura e propro para
erguir para o sul. tsto
HOJE.
em frente a porta do predio que foi a Assoeiaco
Commereial largo do Corpo Sanio.
LEILAO
DE
Fazendas avariadas.
iioji:
Sabbadi 1G de Janeiro as 10 horas
em ponto.
O agente Pinto far leilo por conta e risco de
quem periencer de uillorentes fazendas inglezas
avagadas a bordo do vapor inglez Sappkire, exis-
tentes no annazem da ra da Cadea n. 52, onde
se eflectuara' o leilo as 10 horas do da cima
dito.
Os abaixo assignados par-
iictpam ao publico fe ao coiniiMT-
cio que a antiga casa oommercial
de seu finado pai, o senhor.Io.s
dos Santos INeves. iea o-vrando
o
sob a firma de Santos Neves &
(!<
jane
iro <
lo
i ruino, desde o 1
corrente anuo.
llecife 15 de Janeiro de 18C9.
Jos dos Santos Ncvcs.
Joaquim dos Sanios Neves,
Aluga.se a casa terrea n. il) na ra do Tam-
bi da Boa-vista : a tratar na allndega com o des-
pachante Joo Bartholomeo oncalves da Silva.
= Fugio no dia 8 do corrente a escrava
da. crioula.de idade 2i anuos, com os sitnaes se-
guimos : bem preta,
olhos porque soffre "
vestido encarnada.
quem a pegar leve' ra Imperial a. 239. ou ao
subdelegado de S. Jos, que ser recompensado.
= Perdeu-se ha ISdias, da Pa-sagam da Mag-
dalena pela Estancia e sitio do Sr. Diibourcq um
mbittado de borracha branca com forro de qua-
drinhos : agradece-se e gratilca->c bem a quem
o aehou e (|ueira levar a ra da Cruz n. 55.
Jos Maria Sodr da Motta, exercendo de a,mui- >''"' tendo camparecido numero sultiiieute de
coiisi-nhores la propriedade commum- Apipuros
para a reuniao feral ordinaria designada para
liontem, o adiuinistradoi- convoca de novo a todos
praca ou fra della por titul de qnalquer nature- os consenliores a comparecercm no domingo se-
za: ou mamo a vencer directa ou indirecla, Den gunto, 17 do crrente, pelas 10 horas da niankaa.
]amli- mesmo de responsabildade verbal ou de simples j na casa ele sua residencia, certos de noca ren-
ie
a
iuiiiiediatamente salisleito.
\'y
Um amiijo do consclhetro dvsem-
baryador Firrnino slntonio de Sou-
= Precisa-se de nina .una para coziuhar e to-
ser o mais servico de urna casa : na ra estreita
do_Rosario n. 32,2o andar.
Precisa-se de urna mulher forra ou escrava,
para o servico interno de nina casa de familia : a
tratar na ra do Qurimado loja n. 8.
V
LEILAO
Da armaco, utenci-
lios e fazendas
existentes na loja demiudezas n. "i ra da Ca-
dea constituindo a maesa fallida de Silvestre Pe-
reir da Cimba.
egunda-feira 18 do corrente
as 11 horas
NA MENCIONADA LOJA.
O agente ernardiii) Guimares por mandado
do lllm. Sr. Dr. juiz de direito inlerino do com-
mercio vender eases obieetos cuja relacao e ava-
liacao podem ser ex: minadas no arnaaein dos
Srs. Lopes A Oliveira, depositarios da referida
massa.
Itc .:$ rai\:i.' rom viilros sor-
(Idos.
Terca-feira 14 do Janeiro ao meio dia.
Na alfandtga armazem G.
O agente Pinto far leilo por cinta e risco de
qnempertencer de i:t caixas marca A C n. ;>39 a
393, com vidros sorttdos descarregados do navio
francez Aiek, o leilo ser eflectuado ao meio dia
do dia cima dito na ; lfandcga armazem n. G.
AVISOS DIVERSOS.
JAlftlATAO
Hotel da barra
O proprietarki desle estabelecimento scientifica
ao respeitaveJ publico que o seu hotel est conve-
nientemente preparado para receber e bem servir
aquellas pessoas que Mizerem passar das noapra-
sivel Jaboatao. Lomo se aproxima a testa do gjo-
AaevedoAaTrua da Cruz n. 7. V.Vinriro"an.i" rioso Santo Amaro,o propriario deste estabele-
emiento espera qne as pessoas (pie lazeni a festa, e
qnequefram apreciaros excellentes banhos, se di-
rijan! a este hotel, visto que all encontrarn todas
i barca porlugiieza NM as cominodidades precisas.
Para o Porto
carga
sena demora
o, |< ir ter grande parte da boj
prompta ; parado.resto e issageiros. aos
ITerece excedentes commodos. Irata-so cc.
veira. Filh > >V C. largo do Corpo-Sante n. 19. ou '
cein o capito na praca do Commercio.
'ivcisa-e alujar um escravo possanie que
com ol- ";i',ia lra,ai' d sil' ;' tratar na ra de Apollo n.
Para Lisboa
O bi'i'ii" portuguez .uin I capitn Vjeira, vai
saWr rom i tiita lirevidadi', par ter a maior patfe
da sin ear.i prompta : para i ipie ainda lhe falla
e passageiros. lrata-.-e com Oliveira Filhos 4 C.
largo do Corpri-Saiilo n. l'J. ou com o referido ca-
na praca do Comn*1
= Precisa-se de un caixeiro que tenha platica
de taberna e d fiador a sua conducta : na ra
das Cruzes n. 24.
= Precisa-se de uuiaama que saiba bem cozi-
nliar no pateo da Hilteira n. t:t
Prcl.-A-se aluga um eseravu para casa familia ; ipiem o tive o quizer alugar pode ir na
do Hospicio u. 49 ou na ra larga do Rosario n.
38. luja, que se afra quem precisa.
Maria Auna Cavalcant liarreto de Souza Leao
convida aos amigos de seu fallecido marido Fran-
cisco Cavalcanli de Souza Leo para assisnrem a
missa do 7" dia que pelo repouso de sua alma tetn
de ser cdebrajdajna larefa da Santa Cruz, as 8
horas da imuilia do dia 19 do corren le.
- Vi>
= liento de Barros Feijo e Tranquelno Candi-
do da Silva Brasil fazem scienle ao respehavcl pu-
blico e especialmente ao corpo do commeicio, que
jiilgam nada dever a esta pi ac do seu estabeleci-
mento que gvrou sob a lirma de Fcij & Silva,
cuja sociedade a.:ha-se de commum accojdo dis-- COnvUtU (IOS que tambem O foram
solvida, desde 31 de dezembro prximo bassado, \Jp_gfp dklinoln main'vfrftdn
licando o dito estabelecimento l,em ea DO lo activo j atMC aiflUO mfHJMI aOOm
P^1""1'"....."-"'io Silva. Heeile 2dejaieirode aSSl'slCm (i lima WttggO C mCmCIO
"^Perdeu:-~no"d!,'li do eorieuie una caileirT i /,/e SCrdo ***d*S NO dU I 8 do C01-
i'eita de papel de Hollanda. coateado
sessenta e tantos mil ris, una le
80^81X1 e varios conhecimentos de dcima de pre-
dios urbanos, pagos nos dias 12 e 13 tambem do
crreme : quem a tiver adiado e quizer restituir
leve-a ao segundo andar do sobrado da ra do Sol,
esmima da ra das Flores, que ser recompen-
sado.
las, obras da capella, c reclamaco do" esciiptura-
ro relativa a redueco de seu ordenado, bido de
conformidade com o disposlo no artigo 18 dos es-
tal utos. Apipucos 11 de Janeiro de 1869.
0 administrador.
_______________Joao Francisco do Reg Maia.
Feiler.
Precs-se de um feitor que tenha ortica de ser-
vicoile engenho: a tratar na ra do Apollo n. 55.
FEITOR.
SV'v'a'id'de rente. Pdas 8 horas h manhOu na
f'ffrcja do convenio de S. Francisco
desta cidade o que sob maneirus
Ihcs agradecer.
Ama.
Precisa-se de urna ama de leite que nao tenha
lllho : a tratar na ruada Praia n. 39, 2o andar.
Allendo!
Francisco Poreira de .VHrelles o sua mulher!).
Maria da Silva Pereira de Meirelles. lando rebe-
bido a infausla noticia do nassaineuto de sen pai e
sogro Manoel Pereira de Meirelles. em Portugal,
rogara as pessoas de sua amisadeo caridoso ob-
sequio de assistirein a missa que pelo eterno des-
canco de sua alma mandan celebrar na igreja de
S. Jos de Riba-mar, lerca-l'eira l'J do corrente as
7 horas da maidiaa
Jos Joaquim Soares, Muia da
Meirelles. Zepherina da Silva
Silva Pereira de
Pavo. Maria Fer-
rara Soares, Itenedicta Ferrara Soares. Auna
Ferreira Soares. Francisco Pereira de UeneUes
Joaquim Ferreira Soares, Augusto Ferreira di
Fugio boje pela manlia a escrava de neme Ge-
nerosa, perteiirento ao Dr. Elias Fredericc de AI-
meida e Alliin[iierque, da Paralivba. a qual teni os
signaos seguintes : cor preta, cabeca peipiena, ca-
liellos carapiuhos, olhos grandes, estatura regular,
dorpo bastante secco. pes um pouco apall tetados,
gesticula limito quando falla, com idade de 16 para
17 annos, muito ladina, lava bem. cozinlia e en-
gomnia. sabio com vestido de chita rxa je chale
azul : quem a prender pode entrega-la ao Dr. Er-
ni'sto de Aquino Fonseca, na rua Nova n 7. 2o
andar, ou ao Sr. Manoel Caldas Brrelo, em Helie-
i-ilie. (pie ser recompensado devidamente.
--- Moje leni lugar as S lloras da noite o levanla-
nento da bandeira da vestUidade d N. s. d i Un-
ceico do Barro, sendo condolida pela innandade
e diversas virgens trajando vesicas candidas, em
versos a inmaculada Conecieao, ao soni da msica
marcial, o prestito sai da casa da juiz o lliin. Sr.
Dr. Santos c todo este brilhante sequilo, e princi-
piar as novenas; quando se acabar o levaiilamen-
to dajiandeira ha ver um espeetaanlo de p-estidi-
ptapio.__________________________
Joaquim BitMii'OG Santos e A ntonio ljerreira
Alberto fazem sciente aorcspoitaval publico e prin-
cipalmente ao corno do commercio. que desjde o l"
de Janeiro estaholecoram una casa de saceos o
molliados nojargo da Penhn n-. 8, gy-ando o mes-
mo estabelecimento daquella data em diante sob a
lirma Sanio, & Ferreira. Jleril'c lo do Janeiro de
18I9.______________________________________
Ao publico
Fugio do abaixo assignado. morador na villa de
Limoeiro. no dia II do coiieule. un sen esCl ivinlio
mualo, de nonie Jo.-. com idade de 11 anuos,
oais on menos, nariz afilado, cabellos eaeados,
olbar imitando a resgo, denles perfeitos,. cuja
Precisa-se de ora feilor para sitio pequeo perto
pal a da praca, me saja trabalhador e capaz paga-se
secco, daiido-se casa propria e boa para inorar:
quem convier dirija-sc rua Nova n. 19 primairo
hadar.
Olferece-se urna porlugueza do boas costn-
mes para casa de familia, para costuras e eiigoni-
mar, esabe bem desempenliar seu servico com
perfeicao : na rua Nova de Santa Rita n."7, por
baixo do sobrado.
O bacharel F'rancisco Odilon Tarares Lima
lecdona particnlannenteo francez e geographia no
pateo do Terco n. 33, e ahi pode ser procurado por
aquelles que quizerem esludar os mesnios prepa-
ratorios das o as 6 horas da tarde.
Ama
Xa rua da Cadea do Recfe n. 9. precisa-se da
una ama para todo servico de una casa de ponce
familia.
Aluga-se
l'ieeisa-.-e alugar duas protas escravas ou daos
Criado
Precisa-se de um criado : na rua das Larange-
ras n. 29, hotel commereial.
O abaixo assignado tendo em seu poder como
depositario, peante o juizo municipal da primeva
vara desta cidade. a pela Maria. de naco da Ces-
ta, de idade de maisde 30 anuos; acontece que no
dia 8 do corrente fugira de sua casa, no lugar da
Boa-Viagem, o lem os signaos seguintes: ajoati to-
das os cabellos da cabera sao blancos, costuma
trazer a cabeca enrolada con panno como fazem
aa pretas de sua naco, de altura c corpo regu-
lares, nao tem denles na frente, soffre de eomeco
de esiTophulasau lado do psecoCO e lem lima per-
na mais grossa que outra por causa de ervsipella.
Itoga. poi-.o abaixo assignado asiespectivas auto-
moleques que sirvan) para vender na rua frutas e ridades ou capitcs de campo que no caso de Ibes
OOll'ns i'iiii.i; n (l'nar nu i-lia >l.\ I lii.miiiilr. TIT ,..-________-J- ...-----J- -i:-------. ------.__l l
a tratar na rua do Queimndo n. 37,
Lorena Alexandrina de Hollanda Chacn de Lo-!: falIa dl,;,am,tli,,. ^vo'a vestido camisa di algo-
tul A \ miinln li Oi>i>Oi1i ilo I JiWAlin f(iii-.,Liil..i %*!* I i i l_ i
dao/.mbo e ceroula do mosm i panno, e chineo de
palha grossa ; suppoe-sc que seguiopara o lecHe:
quem o encontrar s levar a aou dono, ser (onero-
samente recompensado.
Manoel do- Alijos Silva.
rena e Tcente l'eireira de Loreua (ausente) ma-
ridn. liihos. gaaro e irraaos sardialmente agrado-
Cem aludas as pessoas qne ge dignaiam aconipa-
nbar a ultima morada os restos uioitaes da sua
sempre lembrada esposa, mai, sogra e mana 1).
Marcolina Ferreira de Loiena. Soares e de novo
liles rogam o caridoso obsequio de assisliivm a
missa do dia, que pelo repouso da sua alma se
celebrar na igreja de S. Jos de Riba-mar, terca-
feira 19 do corrente as 6 horas da manlia.
Joo Vicente de ToiTOS Bamlcira manda cele-
brar por alma de seu querido pai Amonio Igua
ci de Torres Bandeira, iinni missa na igreja ma-
triz da freguezia de S. Antonio no dia 18 do an-
dante as 8 horas da manlia. e pede' a fseus ami-
go.s queiraiu assistira este acto de caildaile.
CASA DA FOHTEtt
Aos 4:0001
Billietfs garantidos.
na do Crespo n. :i c casas do costtnie.
Acham-se a venda OSfellies bUheteS garantidos
da Ia parte da loteria cm beneficio da igreja de
Nossa Senhora do Terco do Recite (93.*) ao.8 se
extrahir terca-feira 2ii do corrente inez.
Procos.
Bilhete. .... 48000
Helo.....24000
Quarto.....i 000
Em poican de 100 > para cima.
Bilhcie.....3JPKJ0
Meio. .
Quarto
. i7"0
. 873
Maioel Mnrlins Fiu/.a.
Preeisa-e de urna ama para tratar de taina
crianjd de una faniua esrangea: para trutar
na rua do Cajueiin n. I.
Pedido.
O Sr. que ha i dias luiuuu na luja dAguia
Branca s amostras de bccob de tru pur,
e enfeites de seda, Cacao favor das restituir
porque de certo ha mais quem p "ecise
(leilo.
l'm moco que tem pnrtica de escri-
pturacaii por Partidas Debradas, que es-
creve e traduz asliuguas, IVancc/.a emdeza,
ofierece-se para guardjt'livroe do qu. iquer
casa commereial,o d pessnas idneas por
garanta de sua repinarn:, quem pijedsar
queira annunriar. mi deixar sua rtiorada
nesta typOj^ama, com as mioiaea A. R. B.
Compra-so
Pernambnco os. I
0
Diari
2 do
reulo anuo : msla LypograihLa.
i de
cor-
outras cousas
loja.
Collegio da ( onciico.
Achani-se abertas as aulas desle eslabelecimeii-
to, silo rua de S. Francisco n. 72. junio a esla
o dos irillios urbanos do Recite a Apipucos.
U advogado Dr. Antaoio de Vas-
concellos Menezes de Drinuniond
transferio o seu escriptorio para rua
do Imperador n. 20, onde pode ser
procurado todos 06 dias uleis para os
misteres de sua profissao, das 11
horas da manlia s da larde.
Precisa-se de um menino de 12 annos para
caixeiro de taberna, pnlere-.-e portuguez, que d
fiador a sua condu-ta : na rua do Fogo u. 20.
Diiiheiro a premio
Ua-se na Capunga, porto do Lacerre n. 30.
Precisa-se de urna ama para servico de casa de
pouca familia : na rua do hoperador n. 14.

ser presentada ou capturada dignem-se manda-la
entregar em sua casa omle satisfar todas as des-
pozas.
Vicente Antonio do Espirito Santo.
Assooia(jao Cearonso.
Dp ordeni do lllm. Sr. presidente provi-
sorio, convido aos socios j inscriptos, ebem
como a lodosos Cearenses. aqtti rezidentes,
que queiram ser socios effeclivos, contri-
Imintes ou honorarios, asstetirem sessSu
} I magna de inanguraro d esta sociedade, qne
lera lugar no dia 17 do corrente (domingo)
no palacete do pateo de S. Pedro pelas II
oras da manlia.
De ordem do mesmo Sr. presidente, rogo
a todos os Cearenses rezidentes n'esla ca-
pital, o obsequio de lioiiraivn aquello arlo
com suas prezencas, ainda mesmo que nao
queiram pertencer a sociedade. Recife l
de Janeiro de IHl.
Alfredo Heriqne Garca
Secretorio inlerino.


.


IMPERIAL IXSTITI'I'O Di: N.8D0 HM CJ.NSC-
i.iio. m:\ ao hospicio;*. 3C.
Nesle estabelecimento precisa-se de, umajpossoa
que tenha a.- habilitaco,'- precisas para desempe-
nliar o cargo de censor._______________-
Provine-se as pessoas qne concorreran com
a tM* esmola para una missa cantada ao Senlior
tlOm Jess da Cliridaile na isreja de S. Jos de Iti-
ba-mar que tem lugar amanha 17 do crrante as
H horas da manlia.

RUA
ua'-
esquina
Ida rua larga do
i
m a*ba ilnaaqi t m.n i
esquina
WuMB*Mj*l DE! wPM,-m
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortifhento sem ig^ual
vwde por prepos que nenhuma outra casa pede vender. J, Ida rua larga do
A Yvm da qujBLlidde e do preco das joias o$sfa um pder^-ha convencer daveniade.
Garante-se \m tudo d lei Compra-se ouro. prata e pedras finas p * re ir ''.'"
Comp
A loja est aberta, t fts '^MK-ds nout
_ -
:jU O J
L
'-%.


bar ile Pemambuco Sabbado 16 de Janeiro de 1869.
COLLEGIO
\ u' if
Ra do Hospicio 11. 22.
Tudas asaulas deste ci llogio que comprchendcm
o cusiiio do prinieiras lettras; das linguas iatina,
franccza e ingtoca; de peimictria. geographia e
jiliilocopliia, estario imynetorivelmente abertal na
scguudVfeira, ii do corrente. Alm dcstasdisei-
plias, haver duas vezo; par semana nina aula Jo
grauunatica porlugueza e un curso especia] para
a pralica da conversacao franceza, dirigido por um
profoaSOf li aera. -
0 Sr. sargento brigada do corpo de
polica queira vir a e ta Typograprite a en-
godo. ________________
Trocam-se
Prccis^>d4W>fllfcAi*
para rasa de lmnein sol'.eiro
iiiento n. 12.
e saiba cosinhar
na ra do Livra-
ooilfrr
*s notas do banco do Brasil
coin descont inuito razoavel
pendencia n. 42.
e das caixas fitiaes,
na piaca da Iudc-
abaixo assignado fcw. soiente ao respeitave
rorpo comnwreial desta piara e ao publico ein ge-
ral, que do 1 de Janeiro cornailo teni dad" sucie-
dade aos seus antgos eaixeiros Joaquin Vieira de
Mello Pinto e Joio Francisco de Moura, em seu
estabelecimento de faiendas ra do Queiinado n.
N, sendo a tirina d'ora ein diantc Antonio de Mou-
ra Rolim & C, competindo somente ao abaixo as-
losta at ulterior deliberaro. Reei-
signado usar des
le de Janeiro de 1868.
liberaco.
A. de Moura Rolim.
AftTHOLOMIEff'2
Photographia
O plitograplio J. Ferreira Villela participa ao
respeitavel publico, que tendo rasgado do Rio de
Janeiro no dia 7 do pasudo, tomn a direccao do
sea eMabelcciinento de photograpliia, sito ra do
Cabug n. 18, entrada pelo |teo da matriz, onde
se contina a tirar retratos por todos os systeiuas
pkotographicii So mesmo estabelecimento anda
se contina a irar retratos em callao de vista S
JflOfl a duzia. Ha tanibem una linda collecco
de alfinetes de ouro de lei coin pedras preciosas,
para a collocacao de retratos. ^__________

Prccisa-sc >lc duas amas, nina
c outra p:u-a cozinhar : na vira
para engommar
Cruz n. 66.
"
Aluga-s
Duas casas com bastantes commodos na
Ciliado Nova de Santo Amaro a tratar com
Antonio Jos (ames Jnior, em Santo
Amaro.
BARAHS8IM0
Calcado nacional, na fabrica de Jos Vicente
Godinho & C, ra do Jardim n. 19, avisam aos
seus freguezes desta capital e do interior, que con-
tinalo a fabricar calcarlo ein alta escala, c olfe-
rercmas nielhores condicies. tanto empreo como
*jiii qualidade. Us prnp-ictarios deste estabeleci-
mento clianiam a altencao dos senliores consumi-
dores do interior, que os quizerein honrar com
sua freguezia, especificando em seus pedidos a
qualidade e nuineraco, olferecendo-se para os en-
tregar beta acondicionados em casa de seus sor-
respondentes nesta praca.____________________
Criado.
Na ra do Imperador n. 73, segundo andar, pre-
eisa-se de um criado fiel e bein procedido. _____
Arrenda-se a propriedade denominada
Barra de Serinhaem no littoral da freguezia
domesmo mme, com muitos foros rece-
ber e muito.; coqueiros a desfructar, tendo-
alm disto, t excellente e rara posico de
beira-mar, c beira-rio, inteirameute apro-
priada para manter-se ahi qualquer es
tabelecimento coinmercial de seceos, e mo-
Ibados ; a ti atar ra do Imperador n. 20,
ou rita da Florentina n. 28.
PARA USO INTERNO
PREPARADOS SIMPLES
Alnga-se o segundo,anda do sobrado n. 30
sito a ra da Aurora : aspessoas que o pretende-
reni podem dirigir-se a ra Helia n. 37, que ahi
acharan com qucni tratar.___________________._
Aluga-se o 1" andar e metade do 2, do so-
brado amarello da ra do Queiinado n. 31, os qoaes
se acham pintados de novo, c sao milito prop ios
para os senliores advogados : a tratar na luja do
mesmo sobrado.
Antonio Jos Rodrigues de Sema, precisa
atoar um criado para o servico de casa, de mais
de 15 annos : a tratar com o incsino -na ra do
Crespo n. lo, ou em seu sitio no Monteiro._____
Alnga-sciimescravo pardo o inoro, omito ha-
Jiil e intelligente, por 304 inensaes : a tratar na ra
ila^ Tilnilieiras, n. 50 Io andar.________________
rederico Maya
Cinirgio dentista pela escola
lo Rio de Janeiro.
Tema honra de participar as respeitavel publi-
co desta capital e seus suburbios, que tem aberto o
seu gabinete de consultas c operacoes dentarias a
ra Uireita n. 12, primeiro andar, onde pode ser
procurado todos os dias das 8 horas da mantea as
3 da tarde. Elle acha-se competentemente habili-
tado para com perfeicao enllocar dentes artificiaos
por qualquer dos systemas. o bem assim desempe-
nuar qualquer oulro trabalho cniieernente sua
profissao. O mesmo, reconhecendo que nenisem-
pre possivel as senhoras ou enancas sal irem a
proctii .\r o remedio, olTercce-se a renttover qual-
quer obstculo, declarando que na cidade se pies
tara a qualquer chamado semque issoinflua cousa
alguma na commodidade dos procos de seus traba-
hos, c quando para fura dola assim mesmo ser
precedido de um ajuste rasoarel, sarantindo elle a
iegoranea e perfeicao de seu< ditos trabnlhos. Ein
seo gabinete se encontrar constantemente excel-
lente pos dentifricio. elixir e outros nediraineu-
108 odontalgicos : ra ireita n. 12, primeiro
andar.
Cozlnhelra
Na ra do Imperador n. 73, segundo andar, pre-
cisa-se de iimi cozinlieira.
D-sea premio do um e meto por cont sobro
penbores de otro ou prata, aquautia de 700.000:
qnem qnizer anniincie.
Ama de loite.
Precisa-se de una ama de loite proferindo-so es-
cravi,)ara acbar de criar uina menina de 8 mo-
zos de idade: na ra da Conceicao, na Roa-Vista,
n. 14.
Dcsappareceu da ra dos Coelhos n, 20, o
cabritilla oscravo de nomo Milburges, idade 10 an-
nos, o qual duba vindo do engenho Salgado, cu-
rar-so de mordedella de cachorro dainnado. Roga-
se as autoridades policiaes c a qualquer pessoa
3ue delle soubor, se sirva dar parto na dita ra
os Coelhos, ou na ra do Apollo d. 8.
AtteiiC'io
Procisa-sodr 2:000ajuros pagando-se o pre-
mio que se cor voncionar e dando-sc boa garanta:
a pessoa que quizer fazer este negocio dente caria
na ra das Cruzes n. 13, com as iniciaos I. F. M.
Attencno
Antonio Carlos Pereira de Burgos Ponce deLeon,
como solicitad- r do fijro desta cidade e dos termos
de lora, se enenrega de todas as quistos que fo-
rom suscitadas pecante os tribunaes civeis, cri-
mes, commerciaes e ecclesiasticas, promettendo
continuar a exercer o seu euiprcgo, com a inesnia
loaldado. actividade e dodicacao. O annunciante,
pode ainda reci.'ber certo numero de casas com-
merciaes, por contrato annual c bem razoavel. De-
ve declarar, qi c costuma dar as contas de despe-
zar judiciaos. lodas dat.adas, especificadas c com
escrupulosa exictidio, como afJlrniam os que tem
sido seus constituimos. Quem pois quizer o hon-
rar com sua coafianca, dignar-se-ha [irocura-lo
ra das Trinch ?iras no primeiro andar do sobrado
n. 18, junto ao cartorio do Sr. escrivao Mofta, para
onde acaba do mudar-so.
Xarope de jurubeba garrafa. I ->J000
Vinlio de jurubeba garrafa. I^GOO
Pitillas de jiirulieba vidro. 1:^000
Tintura de jumlieba vidro. RiO
Extracto lijdracooiico de jurubeba. 12OO
PUKfARADOS COMPOSTOS.
Vinbo de jurubeba ferruginoso garrafa. 2000
Xarope de jurubeba ferruginoso garrafa, i rjKJOO
Pilulas de jurubeba ferruginosa vidro. 2^000
Oleo de jurubeba vidros. G10
Pomada de jurubeba jiote 610
Emplastro de jorubeba libra. 2->o00 rJ
PARA l'SO externo! OD '
A JURUBEBA. ,
Esta i-lauta e boje reconbecida como o mais poderoso tnico, como um excel-
lenli: desobstrueute, e como tal applicada nos engorgitamentos do figado ba^o, as
hepatites propriamente ditas, ou ainda suplicadas com anazarebas, as inflammacbes
subsequentes as febirs intermitentes ou durezas, nos abeessos internos, nos tumores es-
pecialmente do tero e abdomen, nos tumores glandulosos, na anazareba, ras bodrope-
zias, erysipellas; e associada as preparacoes ferruginosas, ainda de grande vantagem
as ahemias, cbloroses, faltas do menstrua<,ao, leucorrbeias, desarranjos atnicos do
estomago, debidade orgnica e pobreza de sangue, etc.
O que dizemos affirmam os mais distinctos mdicos desta cidade, entre os
quaes podemos citar os Illms. Srs. Dr. Silva Ramos, Aquino Fonseca, Sarment, Seve,
Pereira do Carino, Firmo Xavier, Silva etc. Todos elles reconhecem a cxcellencia deste
poderoso medicamento sobre os demais at boje conhecidos para todos os casos citados,
tanto que todos os dias fazem d'elle applicaco.
Apresentando aos mdicos e ao publico emgeral diversos preparados da juru-
beba, tivemos por fim generalisar mais o uso d'este vegetal, fazendo desapparecer a
repugnancia que at boje sentiam os doentes de usar dos preparados empricos d'elle, e
mais das vezes repugnantes a tragarem-se, e que tinbam ainda a desvantagem de no
ser calculada a dose conveniente a applicar-se, o que toma muita vezes iniprofcuo tnn
medicamento, que pedera produzir ptimos resultados.
Os nossos preparados so foram apresentados depois de bavermos conveniente-
mente estudado a jurubeba, fazenelo as experiencias precisas para bemeonhecer aspro-
priedades medicamentosas desta planta em suasraizes, folbas, fructas ou bagas, c a
dose conveniente a applicaco, temi alm d'isto procurado levar os nossos preparados
ao maior grao de perfeico possivel, para o que nao poupamos esforcos, nao nos im-
portando o pouco lucro que possamos tirar.
Por tanto os que se diguarem recorrer aos nossos preparados podem ter a
certeza de que elles oflerecem a garanta, de que se pode encontrar, a prompta e infalli-
vel cura de qualquer dos solfrimentos, que deixamos innumerados, se forem em tempo
applicados, tendo alm d'sso, medico eu doente a vantagem de escolber as nossas va-
riadas preparacoes, aquella que nielbor lbe pode convir, ja pela fcil applicaco, cjpela
complicaco das molestias, idade, sexo, ou ainda natureza de cada individuo!.
As nossas preparacoes ferruginosas sao feitas deforma que se toraam comple-
tamente soluveis nos suecos gstricos, porque procuramos os compostos de ferro que
como taes esto boje reconbecidos.
Para aquelles que mais minuciosamente queiram conbecer as propiedades da
jurubeba, e saberem a applicaco de nossos preparados, destribuimos gratuitamente
em nosso deposito um folbeto, onde tratamos mais extensamente "esta planta e dos
mesmos preparados.
Deposito geral de todos os preparados
Botica e drogara
3iRa larga do Rosario34.
obligado*.Ma-
Do xarope Vegetal Americano, cspecialldadede Kartholonieu dfc C.
} T r-)4W^A LARGADO ROSARIO--*
Nao cosbrmamoTprflcurar attestados para acreditar nossos preparados, e dei-
xamos que sua applicaco e os resultados obtiilos pelas pewoas ijue se dignaram acceita-
los, Ihesdeem crdito e voga; |>orque sao sempre os attestadus considerados gratuitos,
e delles que laucamo ocliajlatanismo; mas, nao (merend offender as pessoas que
espontneamente nos offveoertm os que abaixo vlio transcriptos, os fazemos publicar,
manifestaiido-lliesiKissu (f^tidoiiela aU<-ucIo, esperando que veuliam elles corroborar
o coacoito, e acouitacJo |ie tem murecillo nosso xarope.
Bartholomcu & C.
ATTKSTADOS
Illms. Srs. Rartbolomeu d- C. com a mais subida saiistaco qu^ declaro
}*er o xarope Americano de una ellicada extraordinaria, pois quo sonrendo lia dias de
intensa tosse, pinito de nao poder dormir a noite a despeito mesmo de medicamentos
que tomava, a elle recorr c islercera colber fui alli\iado, e de lodo me acho boje res-
tabelecido com o uso somente de quasimeio frasco: grato, pois,r esse resultado mani-
l'i'to a Vv. Ss. meu rewnliijciininfot-^-De Vv. Ss. amigo, venerador e
noel Antonio Yiegas Jnior.
Sua casa 20 de abril de 18G8.
Illms. Srs. Bartholomeu & C.Penboradissimo com o favor que me fizeram
de aconselbar o uso do xarope Vegetal Americano, de sua composicao, quando me acha-
va bastante doente de urna constipaco, que me tomou completamente rouco e que
trouxe urna forte tosse, e me impossibilitou de cumplir os meus deveres de cantor da
empieza lyrica. vou agiadecer-llies meu completo restabelecimnli que obtive com um
s vidro do mesmo xarope, depois de haver recorrido a muitos tralamentos. Desejarei
que outros como eu recorram ao seu xarope para se vorcm alliviados de tao tenivc-l
incommodo, to fatal neste paiz. Com maior consideraco contino a ser de Vv. Ss.
atiento, venerador e obligado.Luiz Cremona.
Recife, 2 de setembro de 1808.
Illms. Srs. Bartholomeu & C0 xarope Vegetal Americano que Vv. Ss. |eem
exposto venda de toda eflieacia para o curativo d'asthma, conforme observei appli-
cando-o a meu fillio Joaqim, menor de quatro annos; victima d'esse lagello, que at
cnto por espaco excedente a dims annos havia resistido a outros xaropes de grande
nomeada. Queiram, pois, Vv. Ss. acceitar a expresso altamente sincera de meu reco-
nbecimento ao meritorio servico que lbe prestaram com e indicado xarope, acreditan-
do-me para sempre de Vv. Ss. criado, atiento e obligado.Americo Nctto de Mendonca.
Recife, 2 de outubro de 1868.
DE
DE
J. VIGNES

(AS MENINOS)
Eneontra-so no arinazoni do vapor francoz, na
ra Nova n. 7, bollos artigos do phantazia em quin-
<|uilhoria, cunos hrinquodos inuito mtareaBtmtes
chegados do novo, proprios de meninas e de meni-
nos, a procos variaveis e commodos segundo os ob-
ji><:!o?.
Antonio do Andraolv do Luna avisa ao pu-
blico e especialmente ao respeitavel corpo do
eoimnerom, ipie admittio para socio de sua casa
commercia em Goianna a ra do Meio n. 27, a seu
>obrinho Luiz Antonio do Andrade Luna, tendo
principio no dia 1" do Janeiro do 18G9, na razao so-
cial de Ivo Antonio de Andrade Luna & Sobrinho.
Jos Nogueira de Souza scientilica ao respei-
tavel publico o eorpo coininorcial ipic a principiar
lo Io do corrento admittio para socio do sea osta-
beletmento conhecido soh o tituloLivraria Eco-
jiomica---a seu antigocaixeiro oSr. Joaquin Fran-
cisco de Modoiros, gyraudo o mesmo estabeieei-
monto daquella data em diante suba firma Nogoei-
ra A Modoiros. Hccifo 8 do Janeiro de 1809.
Joaqum Jos Gon-
calves Beltrao
RIJA DO TRAPICHE N. 17, i. ANDAR.
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
co do Minbo, em Braga, e sobre os .seguin-
les logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Guimares.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famalico.
Lamego.
Lagos.
Covillifia.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Beja. .
Barcellos.
Antonio Jos Rodrigues de Soma, na ra do
Crespo n. lo, ou em seu sitio do Monteiro, gratifi-
ca a quem capturar o seu escravo Joaquini,
pardo, de idade 3o annos, natural de Pao d'Alho,
para onde se suppe ter fgido por ter sido visto
nesse dia a conversar com pessoa daqueMe lugar,
estatura, secco do corpo e um pouco alto, bigode
e cabello meio carapinhado e penteado, e tem um
caroco na munheca da mo direita, do qual soffre
dores rheumaticas, tendo a falla a sertanejo, muito
de sean gada.___________________________
Precisa-se de urna ama: na ra dos
Copiares (pateo do Terco) n. 1, i, sobrado.
= Precisa-sede um caixeirode 14 a 16 annos
le idade, com pratica de taberna, que d flanea a
sua conducta : na ra do Domingos Pires n. 4o.
Festa de Nosga Senhora do
Monte eri Olinda.
O D. abbade de S. Bento, de acord I
com o Sr. commendidor Viraes, avisa o
respeitavel publico e devotos da mesma
Senhora, que tem transferido a festa da mes-
ma excelsa Senhora para o.dia 17 do cor-
rente.
CI
Precisa-se comprar urna oscrava do trinta annos
pouco mais ou monos, que saiba ongominar e co-
zinhar, o <|in: tulla boa conducta : quem tivor di-
rija-so a ra dt Queiinado n. (i9, que se dir quem
precisa.
Zeforino Fernandes d.iSilva Manta, como ad-
ministrador de sua niulher D. Antonia Maria da
Silva Manta, pnvine pelo presente que pessoa li-
gnina faca negocio com os bens de Luiz de Fran-
< a Helom ; por quanto esses bens estio sugeitos
horanea que i mulhcr do abaixo assignado tem
direito, como lvrdeira de D. Candida Salustiana
Belem sua irmiia.
O abaixo issignado laz sciente ao corjio do
commercio desla praca e a quem mais interessar,
que do primeir) do corrente tem dado sociedade
om seu estabelecimento de fazendas a ra do Quei-
inado n. 18, a sen caixoiro interessado Joao Bap-
tista dos Guimares Peixoto, sendo a firma de ora
em diante Carvalho & Peixoto competindo a
ambos o uso da firma social.
Recife, 14 de Janeiro de 1869.
Manoet Ribehv de Ciwvalho.
25^000.
Paga-so 2*o(00 mensaes de aluguel por una es-
cravo que eos nhe bem e tenha bom comporta-
monto : na ra los Pires sobrado n. 27.
Aluga-se o 2 andar do sobrado da ra do
Rosario da Roa-Vista, n. ?:t, muito fresco e bonita
vista: a tratar na ra das Cruzes, sobrado n. 9, Io
andar, das 9 linas ao meio dia.
Ama
Precisa-se de urna ama para andar com un
marino : na ra das Laraageiras a. 29, hotel coja-
tuuUL
Gymnasio provincial
De ordein do Illin. Sr. Ur. regedor e de confor-
midade com o que dispoem os arts. 62 e 63 do re-
giment inteinifaco saber que desde o dia 15
al o dia 31 do corrente mez estarlo abertas as
matriculas nesUi secretaria, desde as 9 horas da
maniaa at 1 lura da tarde dos dias uteis, deven-
do os pais dos futuros alumnos, ou quem os repre-
sentar, de por as maos do Sr. Dr. regedor : Io
eertidao de idai.e do matriculando ; 2" certidao ou
attestado de ter sido o mesmo matriculando vac-
cinado ; 3- recibo do importe do primeiro quartel
da pensao, paga na thesoujaria do Gvmnasio.
0 mesmo Sr. Dr. regedor manda avisar aos pais,
tutores e curadores dos pensionistas, que sahiram
do estabelecime ito para passarem as ferias de que
devem estos recilher-se ao Gymnasio at o dia 2
de fevereiro, ve pera da abertura do aimo lectivo,
sob pena de ticarem privados de saliir por tempo
de dous mezes, como dispoe o art. 161 do regi-
ment interno.
Secretaria do Gymnasio Provincial 7 de Janeiro
de 1869.
O secretario.
______________Antonio da Assumpcao Cabral.
COLLEGIO DE SANTO AMARO
Eecife, ra do Commercio n. 5.
Este estabelecimento de ediicaco, acha-se a disposieo dos
Illnis. Srs. pais de familias e a quem maispossa convir. O Direc-
tor faz sciente, que desde j acha-se aberta a matricula da aula de
Instriicco primarla, a qual ser aberta em o da 11 do andante :
bem como as secundarlas, cujos cursos i i veram principio pelas fe-
rias e devciii ser encerradas em marco. As demais fiinccionaro
do dia 3 de fevereiro em diante, com a regularidade do costume.
Itecife, 4 de Janeiro de 1 so.
. LOJA
DE
REL0J0EIR0
DE
VCTOR GRANDIN
40 Ra da Cadeia do Recife N. 40.
O proprietario deste estabeleci-
meuto, premiado com a medalha
daexposicio universal de Pars no
anuo de 1855, tem exposto ven-
da em sua loja, um grande sorti-
mento de relogiospara algiheira,
como sejam : de ouro e prata, sen-
do dos memores fabricantes, de patentes inglezes,
snissos e horisontaes. Tambenitoni una grande
qnantdade do relogios para parede e que batem ho-
ras, ditos para enibarcacoes e para cima de mesa,
todos estos rologios sao dos mais boniUs modelos.
O mesmo concerta relogios de todas as qualidadcs
existentes, assim como tambem concerta chrono-
in'iros do algiheira e maritimos : recebe sempre
por todos os vapores, um completo sortimento de,
curivntos o trancolins, sondo tudo de ouro de lei |
o de modelos os mais modernos, assim comodivor-
s-is objootos ilo bijouteria dos mais bonitos e moder-
nas goslos.
N. 55RA DO IMPERADORN. 58.
Os pianos desla antiga fabrica sao boje assz conhecidos para seja necessai o
insistir sobre sua superioridaile, vaiitagens c garantas que offerecem aos compradores,
qualidadcs esuis incontestaveis, que elles tem definitivamente conquistado sobre todos
os que tem apparecido nesta piaca; possuiudo un teclado e machiiiismo que obedecem
todas as vontades e caprichos das pianistas, sem nunca faliai'. por seiem fabriclos
de pro|iosito I ter-se feilo ltimamente mellioramentos imporlantissimos para o clima
deste paiz; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas e por isso muito agradareis aos
ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se confonne as encommendas, tanto nesta fabrica como nado Sr. Blon-
del, de Pars, socio correspondente de J. Vignes, emcuja capital foram sempre premia-
dos em todas as exposices.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um explendido e variado sorti-
mento de msicas dos melhores autotes da Europa, assim como harmnicos e pianos
harmnicos, sendo tudo vendido por preces commodos e razoaveis.
FND1CA0 DO BOWMAN
Ba do Brun n. 52
0 proprietario participa aos senliores de engenho, que por falta dagua ou de
animaes se acbem inhabilitados para moer suas caimas, que est prompto a assentar
machinas de vapor, com moendas ou sem ellas, dentro em oito dias depois de estarem
as pecas no engenhoisto sem precisar de obra alguma ou de outra mudanca de moen-
das existentes seno a subslituico das rodas da almanjarra.
IPILULAS, VINHO
j E
XAROPE DE JURUBEBA.
I PREPARADOS PELO PHARMAC1H TICO
| oaq iiiii d % Imcida finio.
As preparacoes de jurubeba sao
hoje vantajozamente conhecidas e
preconisadas pelos mais bapeis m-
dicos, tanto da Europa como do
paiz, pela sua elTicacia nojs casos
de anemia, chlorose, bydropesia,
obstrueco de abdomen, e tambem
as de menstruaco dillicil.jcathar-
ro na bexiga, etc.
Vendem-se em porco e a reta-
Iho, na cidade, do Recife, pharma-
cia de seu compositor, ra larga
Uina pessoa de tonga pratica no eoinmoreio
offerece-senaraescriptorar livros por partidas do-
Inailas, podando sor procurado na ra do Crespo
n 18, primeiro andar.
do Rosario n.
tel de polica.
10, junto doquar-
Rl'A LARGA DO ROSARIO 137
Este acreditado estabelecimento augmenta
de dia em dia quanto possivel para che-
gar ao cume do bem viver.
Alm dos saborosos manjares confeccio-
nados com o melhor asseio, tem bellos apo-
sentos de hospedagem, tanto para uina s
pessoa, como para numerosa familia.
CIIARITERIA E PETT RESTALRWT
Annexos ao Hotel Central, ra cstreita do
Rosario n. 4 A, andar terreo.
Para dar a conbecer a variedade infinita
de charutos de Havana, Bahia#Rio. etx. que
existen ueste no\o estabelecimento pres-
cindimos dos annuncios pomposos que ge-
ralmente se fazem, reduzindo-nos apenas
*=> Alnga-se um tarceiro andar de mn sobrado
na roa da Praia o um segundo no caes do Hamos :
a ti aiar na ra larga do Rosario n. 18, segundo
andar.
i
VVISO
AExma. S~a. D. Anna Izabel Brrelo de
Saboia tem urna carta vinda do Rio de Ja-
neiro, na ra do Sol n. 31 primeiro andar.
Precisa-se de um menino de 14 a 16 annos,
para caixeiro: na travessa do Marisco n. 7, fabri-
ca de charuto.
Precisa-se de um menino de 12 a 14 annos de.
idade, que tenha pratica de venda: na ruado Ran-
gol n. 73, onde lar fiador sua conducta.
Na ra c a Imperatriz n. 18 preparam-se
i bandejas ciiii bolos enferaHas, proprias
para ca>anrentos, bailes etc.; podios e to-
da e qualquer qualidade de bolo, garantin-
'iflo-se o acc jo, promptidao c prego mdico.
ATTENCAO
Quem perteu bontem um massinho de
sedulas, dando os signaes certos procure
n esta typognghia.____________________
Precisa-K! alugar ra moleque, paga-se 14|
rs., que regule lennos de idade : otitua doCa-
buga, n. B,
Joaquin ('. iiiralws Ferreira, tendo de reti-
rar-so para os suburbios desta cidade a tratar de
su i sade, v-se iniiossibilitado de continuar com
o seu estabolociineiito de refiuacao sito na ra das
Cinco Puntas n. 61, vende a mesma, na falta ar-
renda-se, contendo a mesma todos os requisitos
necessarios, como bem, caixocs para deposito de
quatro mil arrobas, fogao a moderna de carvao,
deposito d'agua e tanque para banho, commodos
para caxeiro, separado dos trabalhadores, deposito
do carvao e grande quintal com sahida para o >r-
to, casa muito fresca, muito ba localidade para a
venda de retalho, e com especialidade para com-
prar assucar, quem a pretender para compra ou
a rrendamento, offerecendo a casa ser propria, po-
deodq-ae assim garantir qualquer negocio de maior
estabilidade, procure na ra da Aurora casa ter-
rea n. 74.
PreetM-se de una ama do leitc para acabar
de criar una enanca de 9 mezes, porm sem cri-
auca : quem quizer dirija-se ra do Hrum nu-
mero C9.
Pars, 36, Ra Vi viene e, D*
CHABLEMDECIN
ABENFER1IIDADAS DKS8EIUAES, AS AFRO*
CQES COTAWKA3.E AI.TKHACOES DO SANOUI.
OOcurudas irr.pingms
lutuleu, htrpet, anu
comxoei,acrunonia,$ aU
Werfoei, viciotat do MM-
DEPURATIF
^--------- i j, urut, i aktrmeoM
00 tongue. (Atrope vegetal sem mercurio).!
ratitas K|Mm
tomio-H dous por semina, legaindo o tncUmenW
Dtmrattvo : enpreBdons mesmu molesUu.
XaroM eUracto 4*
aeCHABLB. enrt
immedit luiente tptl% aer
PLUS
COPAWU
pitraafao, relaxatao,
* debilidad, a ifnal-
jente o ftuxo$ i Qnrtt brancu das malteraa.
Ponida que aa cara ea t*a diat.
POMADA ANTIHMPCTICA
Caitra: aaa ifieeouovttmtm comixou-
PILULAS VSGBTAE8 DEPURATIVAS
XAROPE DE FEDEGOgO
E' de urna' eflieacia verdadera-
mente raaravilliosa como qalmantc
do systema nervoso e alipu'cado
contra a paralisia, astlimaj, tosse
convulsa ou coqueluche, tdsse re-
cente ou antiga, suffocacoes, ca-
tarrlis broncneos ele, e em geral
contra todos os sofirimenlos das
vias respiratorias, o na pjhytisica
pulmonar, sua virtudfi contra o
ttano ou espasmos, "convulses
incontestavel, e ninguem ha que
a desconheca.
XAROPE
SALSA PARRILHA DO PA|RA
OU
DEPURATHO DO SANGUE.
Usado as molestias de pelle,
impigens, dores rheumaticas, e
ulceras venreas.
O nico deposito destes medica-
camentos na botica do Pinto, ra
llarga do Rosario n. 10 junto ao
tai-tel de polica,
A agua, indispensavel elemento para a tres letras que sao tres bbb bom, bonito e
vida e hygiene, temo-la sempre em abun- barato. A' vista do genero annunciado po-
dancia para facilitar expelientes banhos. de-se julgar de nossa vetacidade. Esta casa
Ha tambem urna boa bibliotheca e perio- gosa tambem das condices de um elegante
dicos nacionaes e estrangeiros, piano^ara e petit restaurant onde se pode ver a es-
recreio, buhares, etc. etc. pecialidade dos fiambres e salames de Lion
Sendo ociosa qualquer recommonilaro para lanches e at fazer urna boa colaco,
para to acreditado estabelecimento, omit- juntamente com 09 principaes vinhos do
timos mais prembulos, fazendo ver por mercado, sobresalanlo entre o bom a pura
fim, que o bom servico, ordem e moralida- e fervente champagne, o mui saboroso Rhe-
de imperam n'esta casa, como observancia no, a primorosa cerveja, o licor espirituoso,
fiel do regulamento que possue. o quanto pede urna mesa. Faz-se noule
Comodonas a la (arte. sorvete e variedade de refrescos.
WwWWmBI^IM
MUDANCA
DO
IMPERIAL INSTITUTO
DE
OSSA SENHORA DO BOM CONSELHOj
Da ra da Aurora n. 52
PARA A
Antonio Faustino de (lastro
Constructor de utensiios typo-
graphicos de ni ad eir, ferro e
outros meaes.
LISROA.
Alm dos utensilios typographicos cm uso, se-
gundo os mais modernos e perfeitos modelos ap-
provados para o servico da imprens i nacional do
Lisboa e do grande numero das tyiiographias de
Portugal e do Brasil, fabrica pequeuos prelos de
ferro, em que se podeni todava fazer imnressoes
de formato nao excedente a meia folha de papel
commum. Estes prelos, que )i foram tamlxni
adoptados em muitos dos principan estabeleci-
mentos do paiz, servem exccllentemente, nao s
para a tiragem de provas, mas ainda para a im-
pressao de qualquer trabalho, por mais delicado
que seja, por quanto a esse um w Ihes podem
adaptar rama, tympano, frasqueta e ponturas,
tendo, para regular a cravaco, o cempetente re-
gistro.
Incluindo os accessorios indicado?, o pre?o de
cada prelo de 4000 fortes.
O constructor pode ser procurado na imprensa
nacional de Lisboa. Estes prelos sao portateis,
podem-se coUocar sobre urna mesa o i balco-
RIJA DO HOSPICIO V. 30.
O director communica aos pais de seus alumnos, tanto internos como externos, que
transferio o seu collegio para a espacosa cisa da ra do Hospicio n. 36, a qual offerece
as memores proporcSes para commodidadf erecreiodos coliegiaes.
Todas as aulas acham-se abertas desde o dia 7 de Janeiro.
FRANCA-RRASIL
MR. MERCIER, alfaiate francez, previne ao respeitavel publico e a seoa numerosos fregue-
zes que, tendo transferido sua residencia para a ua do Trapiche n. 7, primeiro andar, ahi encontrarn
sempre todas as qualidades de fazendas para tra jos de honiem, e prepara costunies para montara de
senhora. Faz tambem obras para militares e para criados, para as quaes tem grande sortimento de
botoes simples, com virola e cora de conde, brincos e amareos. Recebe por todos os vapores os-
ultimos ligurinos para homem, senhoras e meninos.
INJECCAO VEGETAL
com MATICO
eGRIMAULT e C^ p^armaceuticos tM PARS
0 tnoeeuo d'eata injeeoo, preparada com as folbas do Malico do Para, M lio npi^o, qm
ella se tem tomada popular em todos os paizei do mundo, par a ova da gaitrraia e dea naufi
es de toda a naturtaa. I' o nnieo producto neate genero enja eatrada na Masa lena* ai
autorizada pelo comielho medico do Ste Meranmrgo.
Deposito em Ptrnmthco, em osa de nTawit e &.
^f

Ti
4
\
\


COMPRAS.
Com muilo maior vantagem
Compra o Curacao de Ouro, n. 2 I), i na p Cabu-
-i, muidas de ouro e prata e pedias preci
C"iii)rani-st 30 pipas com uicl (so o< caldo) i
a tratar uo caes do Ramos n. 21.
OURO E PMTA
Compra-se hoje, moqdas de prata, li-
bras esterlinas e ouro d? bftos as qualida-
des pr maior preco do que em outra qual-
quer parte, na roa" da Cadeia do Recife n.
3S, loja do azulejo.
= Compra-se um preto que saiba tratar de uin
sitio: na ra da Cadeia n 31,arnuzein.
Perros vellios,
Compra-se toda e qualquer poican, tinto batido
como fundido: no caes Vinte e Dous de Novembro
o. 24 (armazem).
Compra-se
nina cscrava mota de Sr preta, que saiba ro.cr
e cngcnimar bi.-in, paga-se vaiitajosanicnte: na
ra do Vigario n. 10, cscriptorio de Baltliar, OU-
veira & C
Ouro e prata
em inoeda o em obras inulilisailas, compra-se por
bom preco : na praca da Independencia n. 31
Na praca da Independencia n. 3.1, loja de ou-
rives, compr-seouro.prata, e pedias preciosas, e
tambeiii se faz qualquer obra de encommenda, e
todo c qualquer concert.
CraCEFS^TA.
Compiam-se moedas de prata e- ouro de todos
os valores, ouro e prata em obras vellias, e podras
prnaJBMl; compra-se bem na ra da Cadeia n. 2,
debaixo do arco da Conceirao, loja de ourives.
Compra-se um escaler de 20 a 2o palmos de
compriniento o de 7 a 8 de largura, e maneiro de
madeiras: quem o tiver annuncie ou dirija-sc ao
.riptorio de Alfredo & Cunba, por cima do Tra-
piche Dantas.
= Compram-se apolices da divida publica: na
ra do l.ivramento n. 20._______________
. Compram-se escravos corpulentos e sadios
at a idade de 30 annos, e urna mulatinba bonita
figura de ti a 16 anuos : na ra da Cruz n. 57.
prinMiro andar.
Compra-se urna burra (cofre) que seja segu-
ra ; a pessoa que a tirar para vender pode vir tra-
tar no pateo do Terco n. 63.
Compra-se um pianno ingiez que seja mo-
derno ; a pessoa que tiver para vender pode vir
datar no pateo do Terco n. 63.
mmm
a dinheiro na loja e armazem
pvAo
m-ama aa ja?iaa,a3-a. m
DE
Flix Pereira da Silva, successor de Gama
& Silva
0 proprietario deste estabelecimento convida ao respeitavel publico desta ca-
pital a vil- surt -se no grande estabelecimento que tem defazendas, tanto da moda como
de lei, c as pessoas que negociara en pequea escalla, tanto da praca como do matto-
nesta'casa podero fazer os seos sortfmentos em pequeas e grandes porcoes, venden-
do-se-lhes pelos precos que se compram as rasas inglesas ; assimeomo as excellentis,
simas familias, podero mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou mandare-
mos levar em sitas casas pelos nossos caixeiros, para o que acha-se este estabelecirnen-
to aberto constantemente desde s O horas da manha as 9 da nqutc.
MADAPOLAO A 3:300.
Vendem-se pecas de madapolo fino com
12 jardas pelo baralo preco de 3:500 a peca,
dito com 2 i jardas a 7000, na ra da Im-
peratriz n.60, armazem de Flix Pereira da
Silva.
Iaslnhas
A dGze vintens.
A doze vintens.
A doze vintens.
Vendem-se lasinhas de cores mnito itoo-
nitas com desenhos miudinhos e grandihos
com listinhas e pintas pelo barato preco de
-2 Oris o eovado na loja do Pavo, rua da
Imperatriz n. 00, de Feliz Pereira d Silva.
AS CAMBIUIAS DO PAVO
Vendem-se finissimas peras de cambraias
lizas transparentes tanto inglezas como suis-
sas tendo mais de vara de largura, pelos
preces de 5,6000 at 106000 a peca, assim
Taos?novdade na lena <
Ponmi ninguem se espante
A cousa nao de dar cuidado,
Faz sempre a sua admifaco,
Mas nao offende a ninguem,
Agora nao se lembrem de novo incendio no pardieiro,
Nem que houve exploso na maxamboniba,
Ifem que o preto Tliomaz fugio da Detencao,
Nem que o vapor chegou embanderado,
Nem que a FRAGATA AMAZONAS virou o S.
Nao se trata disso

VENDAS.
0 ato.libado do Pavo.
Vende-se supirior atqalhado de algodo
:om 8 palmos de largura, adamascado a
6200 a vara; dilodetfnho fazenda muito
superior a 36200 a vara ; guardanapos de
linho adamascad3S a 4,6500 a duzia e milito
finos a 8,6000, e ditos econmicos a 36500
a duzia.
Crochs para cadclras na loja do
Pavo
Chegaram os mais lindos panos de cro-
ch ou guarda 1 antras, proprios para ca-
deiras tanto d>ncosto, como de bataneo e
de guarnico, e outros compridos para so-
la, assim como ditos redondos para mezas
redondas, ditos 'pequeos para almofadas, e
ditos para cobrir presentes, tendo pequeos
at para cobrir um prato, que se vendein
por preco muito em copla, na loja e arma-
zem do Pavo rua da Imperatriz n. GO, de
Flix Pereira da Silva.
Fustes para vestidos braucos
a i<.
Vendem-se os inais modelaras fustes bran-
cos flexiveis com padrees de listas e de
salpicos proprios para vestidos e roupas de
menino a 040 rs. o eovado, na loja c arma-
t Sera alaumjitiz de paz que quer pausar o mola no sen subs
i tituto em consequencia de estar abolida a vara ?
' NAO SENIIORESTenliaini paciencia- Esperan
Nos vamos dizer do que se tratanfipcoin aquelles modos que toma o cidado
russo, Sr. Antonio Domingues, quando reconhece que na melhor boa f Ihe emparraran
algum livro sem principio nem fiin-|-mas sim com aquellas maneiras assz delicadas que
sempre se encontram no perfumse ninho da sympathica Agua-Branca : assim pois
attendam: .^
CUI.llllO
Amigos de fartar o estomago agradavelmente venham rua da Imperatrizolhem
para a casa que tica em frente ao magnifico cafolliem..... olhem..... Nao veem ?

0 BOIVI DEMONIO
Agora digam comigo:
come linissiinos organdys branco liso (pie
serve para vestidos de bailes, por ser muito
transparente a 16000, a vara, na loja do
Pavo rua da Imperatriz n. 60, de Flix Pe-
reira da Silva.
FSTAO BRANCO PARA VESTIDOS A 640
Na loja do Pavo vendem-se os mais mo-
dernos fustoes brancos de lista e cordo
muilo encrasado mas muito flexivel, pro-
zem do Pavo ro da Iinperatnzn. 60, de, prios pa,.a v3Wos,ronp5eB, perneadores etc.
rara arniazens a retallio.
O Campos da rua do Imperador n. 28, tem para
vender grande neantidade de medidas de ettaimo
para Ifcpidoa, o de madeira pan sei-cos, pelo aya-
lema mtrico dirimal, pao qual esto os negocian-
tes a retalho obricadet a vender Baaa Btaicadorias,
a contar do Io !< marco do lorenle anuo. O an-
nunciante avisa e {raante aos que de lacs medidas
iiciessitam, que sao estas as mais exactas, por
quanto sao feitas em Pars, de conformidade com
o systema cima dito, e si>(iuudo o padro adoptado
pelo governo imperial ; nfw acontecendo, porm,
o mesino com oulras que alii se M'ndein, que sen-
do da mcsiiia capacidad", deveraificam de modullo,
vindo olferecer dnvidas nao s aos compradores
como aos vendedores.
Flix Pereira da Silva.
Organdys
Organdy hranen liso, muilo fino a 800
rs. a vara; dito com quadros ou listas, fa-
zenda muito superior a !>; fil de linho
etc.,e roupa para meninos, pelo barato pre-
co de 640 ris o eovado, na loja e armazem
de Flix Pereira da Silva.
SEDAS COM LISTINHAS A 3 500o O
COVADO
Vendem-se as mais modernas sedas de
Machinas de descansar algodo
Domingos Alves Matli.'iis tem para vender co
seu escriptorio na rua do Vigario n. 21. supej-io-
res machinas para descarocar algodo, de lodos os
amanto.
Aos Srs. to engenho
la para vender urna excelleute machina de dis-
lilaco, a qual se acha em casa dos Sis. Villaca ;
a ra do Hruin il'undic/iol. I'ara tratar com o seu
dono na rua do Hospicio n. a. que far nefioo a
dinheiro ou a prazo. ____
Vende-se nm-boi manso : a tratar na pada-
ria daCapunga. ____
Para familias
Grande Bazar, rua Aova us. feO c
"'. decmetro ViauuaaS: C.
Acaba de ebegar a este estalielecimento
grande porco de machinas para costuras do
autor Wheeicr Wilson, approvadas na ulti-
ma exposico de Paris, as quaes cozem com
lous posponlos toda a costura, e tem a
vantagem de ser tao suave o movimento,
que qualquer crianza de oito anuos fcil-
mente trabalha, e pode, com este entrete-
niincnto, levar vantagem ao servico diario
de trinta c>*tureiras. A comprehenso
simples, pois em um qaarte de hora se fi-
ca senhor do movimento da machina, ten-
do a mesma a propriedade de fazer as se-
guintes costuras: pospontar, ahainhar,
Iranzir, marcar e bordar, como apresentam
os desenhos que acompanham-nas. Os pro-
prietarios do estabelecimento se encatre-
gam de mandar entinar n'esta cidade, e
garantem entregar o importe dispendido ao
comprador, no caso de nao trabalhar com
perfeic5o a machina vendida, nao tendo,
porm, soffrido ella alguma arara. Ha tam-
bem no mesmo estabelecimento machinas
do autor Grower & Baker, de traballio sim-
plesmente mo, e outras com movimento
dos ps; e mxime todos os pertences das
mesmas machinas, para vender avulso.
Por 700*000 vnde-sc urna c.rioula de 40
anuos boa figura, ti baratissiinr.: na rila do Fogo
ii. 9. Na mesma rasa ha outras caravas para
vender-sc, estas com habilidades.
Vendem-se dom silyndros por mdico preco,
em perfeito estado, proprios para padaria; a tratar
no pateo do terco n. 63.____________________
NA
AURORA
A boa pitada de rap na Aurora
A BOA PITADA DE RAP 1\ AURORA
A loja da Aurora
rua larga do Rosario n. 38,
Pertencente a Manoel Lopes A Irmo, re-
cebeu as seguintes, qualidades de rap mui-
to fresco:
Rap gasse grosso, dito gasse fino, dito
Paulo Cordeiro, princeza rocha, dito de dita
viajado; todas estas qualidades cima, e
vindo do Rio de Janeiro, rap princeza fino
da Bahia, dito princeza meio grosso tambem
da Bahia, dito francez muito fresco, dito
Meuron; todas ests qualidades se vendem
tanto em libras como retalho ; assim co-
mo tambem tem bom sortimento de miu-
dezas de qualquer qualidade que se pre-
cisar : quem duvidar v loja da Aurora na
rua larga do Rosario para verificar a verda-
de, onde sempre encontrarao o desemba-
ra?o e bom agrado prempto a despachar
qualquer freguez que queira honrar
estabelecimento.
Manco com paln inhas, fazenda muito lina a .^^ ^ mMMf chega,las pe|0 ultimo
(540 rs. a vara.
rosdenaplcs
Chegou para a loja do Pavo pelo ultimo
vapor com as cores mais modernas que tem
viudo a esle mercado, pelo barato preco de
Mj rs. o eovado na rua da Imperatriz n.
varpor um grande sortimento dos melhores <*>0 de Flix Pereira da Silva.
grosdenaples prelos c de cores, tendo verde
tambem, que se vendem mais barato que
era outra qualquer parte.
Lencos brancos a I 600 a duzia
Vendem-se lent os brancos de camhraia de
algodo a IMOO e 2 rs., ditos de linho a
3f5O0 e 4$ rs. a duzia, na loja e armazem
de Pavo rua da Imperatriz u. 00, de Flix
Pereira da Silva.
CHALES A 2-5000.
Vendem-se chales de merino com boni-
tas barras, pelo haratissiino preco de :)(KK)
e 2oOO rs., na loja do Pavo rua da Impe-
ratriz n. 60, de Flix Pereira da Silva.
PECHIM:1IA A 3:o00.
Corles de la :::300.
Cortes de la a 3:000.
Cortes de la a 3:-*>00.
LSauohaa a 280 ris.
Lazinias a 280 reis.
Lazinhas a 280 reis.
S o Pavo.
S o Pavo.
S o Pavo.
Vendem-se boiitos corles de
para vestidos cu 1 padroes modernos tendo
cada um corte 1 i covados pelo barato pre-
Alp:t<-:ti lavradas
Chegaram pelo ultimo vapor as mais mo-
dernas alpacas javradas com as mais lindas
cores, que se vendem a 1-iOO, o eovado,
ditas lisas tendo tambem cor de caima a
800 rs, ditas mescladas muito finas a 1:200,
0 eovado, e outras muitas fazendas de gosto
e moda que se vendem mais baralo do
1 pie em. outra qualquer parte, no armazem
(lo Pavo, rua da Imperatriz n. 60. de Flix
Pereira da Silva.
ORGANDYS DE COR
Vendem-se organdys de cores com pa-
droes miudinhos em assentos brancos e Ue
corea pelo baraussimo preco de 360 rs, o
invado, finissimas cassasfrancezascom deli-
radas cores c bonitos desenhos a 320 rs. o
eovado e ditas a 300 rs, na rua da Impera-
triz n. 60, armazem de Flix Pereira da
Silva.
Roupas para honieni
Vendem-se superiores palitts do panno
sobrecasacos forrados de alpaca e de seda,
camisas inglezas e fiancezas com os peitos
de esguio, ceroulas francezas de linho e al-
godo, meias croas inglezas superiores, ca-
' misas de flanella e de meia de la, assim
como neste estabelecimento existe um grande
sortimento de pannos pretos, e de casemiras
co de 3:500 rs, assim como ditas em pecas ,lgiezas de cores, e que se manda fazer
que se vendem a 280 rs. o eovado, sendo
grande pechincha na loja c armazem do Pa-
vo rua da Imperatriz n. 60, de Flix Pe-
reira da Silva.
B.ABADINHOS
Vendem-se finsimos babadinhos, liras
bordadas e entreneios, mais baratos do que
em outra qualquer parte, assimeomo espar-
tilhos dos mais modernos, no armazem de
Flix Pereira da Silva, rua da Imperatriz
n. 60.
ALTA

NOVIDADE
LOA DO PAYAO
Gurguro de seda
Chegaram pelo ultimo vapor os mais bo-
nitos gurguifws de seda, proprios para ves-
tidos, sendo lisos e lavradinhos, com muito
lustro, garantindo-se que a fazenda mais
linda e de maispuantasia que esteanno tem
chegado a este nercado, e vende-se por
preco muito razoavel, na rua da Imperatriz
n. 60, de Flix Pereira da Silva.
Sedas de Ilutas para vestidos
Chegaram as mais modernas sedas lista-
das para vestido:?, com as cores mais mo-
dernas que tem rindo ao mercado e ven-
dem-se por preco muito em
tarmos muitas prximos da festa, isto na
loja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de
Flix Pereira da Silva.
Nao se benzam
Que peior
Fiqueni bem quietos
Que melUor.
MJilher, demonio qt importa !
M lher, demonio hei de amar-te !
Fallemos muito serio
Com o fim de tentar aos homens a abastecer as suas despensas do MAGNIFICO
ARMAZEM DE M0LI1AD0S esquina da rua da Aurora defronte do stimptuoso Caf Im-
peratriz; o incansavel proprietario dlesse importante estabelecimento acaba de prove-lo
do que ha de mais superior c digno t|e urna casa densa ordem.
Este mteressante estabelecimento se torna saliente, uos pela sua ptima locaii-
dade, como pelo ormoso e encantador emblema que o assignala.Vede-o formosa Cirre.
encantadora maga que se espelha ras, aguas do nosso ameno Capibaribe, e como que desa-
tando o riso para a altaneira Olinda que alm peranza de em breve gosar os mais jjratos paaseUintes que Ihe scro levados pela nova es-
trada de feri-o que se acha no nascedpuro.
Assim, pois,
Venha toda a populaco do Recife ver
DEMONIO.
e admirar a bella physionomia do BOM
LTS HOVIDaPES!
PECHINCHAS
Novamente chegadas ao annazem
DO
DE
PAREDES PORTO
Tendci-nos chegado ltimamente fazendas ihieiramente novas, convida-
mos por este meio ao respeitavel publico a que nos procure comprar fazendas de
bom gosto e por precos que nao achara em outra qualquer parte,
Admirem Lencos bordados a 6;), 6500 e ]2>00.
Ricos e bem escomidos gostos de bis-
Madapoloes finos a 55, 60, 7-5 e 8 rs., marks para calcas e palelots a 2(5300 o
corte.
qualquer obra a contento dos Srs. fregue-
zes, e promettc-se-lhcs que scro servidos
com a maior promptido e muito mais ba-
rato do que em outra qualquer parte
na rua da Imperatriz n. 60,de Flix Perei-
ra da Silva.
Cortinados
Para camas e janellas.
Vende-se um grande sortimento dos me-
lhores e maces cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se ven-
dem a 12)5000 rs. cada par at 25*5000 rs,
isto na rua da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
Chitas
Vendem-se as melhores chitas escuras para
casa sendo de cores fixas, pelos baratos
precos de 320 e 360 rs. o eovado, ditas
muito finas francezas sendo claras, com pa-
drees de cassa a 360 e 400 rs, pechincha,
na rua da Imperatriz n. 60, annazem de F-
lix Pereira da Silva.
CSrosdenapIes preto
Vende-se um grande sortimento dos me-
lhores grosdenaples pretos, tanto lar-
gos como estreitos, sendo de 2.^000 rs. o
eovado at 4#000 rs. garantindo-se que
conta por es- n'este genero ninguem tem mellior fazenda e
que se vende mais barato do que em outra
qualquer parte, na rua da Imperatriz n. 60,
de Flix Pereira da Silva.
s no armazem do Leo.
Chitas escuras de padres lindos por pre-
CO de 320 e 360 rs. o eovado.
Cassas de cores com palminhas le com
listas de diversos padroes a 240 e 320 rs.
Lazinhas cinzentas e cor de bbnina a
320 o eovado.
Chitas claras miudinhas a 320 e 360.
Alpacas pretas e de cores lindas f roprias
para vestidos a 680, 700 e 800 rs.
Pecas de cambraia transparentes a 4#,
50 e 65. Por este preco admira a todos!
Tambem tem para acabar pecas de pan-
no de linho, com 27 varas, a 7?5 e 18,?.
Toalhas de linho para rosto a 10)5 a du-
zia.
Aos Srs. armadores de onterros.
Vendem-se pecas de hollanda preta com
40 covados a 5 : na rua da Imperalriz n.
48 e 32, junto "a padaria franceza, loja do
Leo.
Attenco roupas feitas !! no armazem
Cortes de casemiras de quadrinhos e lis- do Leo, rua da Imperatriz ns. 48 e 52.
tas a 2800 e 3.
Corpinhos brancos para senhora a 3)$
3>200.
Pechincha!
calcas e
to-
Aos donos de coxeiras e forrado-
res de canos.
Na antiffa coxeira da rua Nova, que foi do Adol-
plio e hoje de Vieir & C, tem para vender o se-
niinte para forro de carros: panno asul e seda da
mesma cor com sete palmos de largura, galo lar-
go e estreito da mesma cor, bonitos chicotes para
cabriolet, escovas ps ra lavar cavallos, velas para
carros, latas com t raxa para limpar os arreios,
encerados para guarda chuva de carro^ vaiiuetas
para coberta de carro e meios de iriNe lustro
para arreios.
Vende-se um selim inhlez em meio uso com
lodos os arreios : na rua Direiu n. SO.
PASTILH4S ASSlClRAins
00
DR. PATERSON
De hisimith e inagnezia.
Remedio por t xcellencia para combater
a magreza, facilitar a digesto, fortificar o
estomago etc.
DEPOSITO ESPECIAL.
Pharmacia de Rartholomeu & C.
34------Rua tarja do Rosario------34.
Veudc-se urna casa terrea, com bastante
cfinmodos, sita na rua da Estacao, na povoaeo dos
Montes, em Una, ji nto a estacao da estrada de
ferro : a .tratar nesta cidade com Virgilio de Castro
Oljveira, travessa da rua do Vigario.
VENE-SE
Urna casa terrea nova, na Boa-Vista rua de S.
Goncalo, com 6 quartos, sala bem estucada, com
gaz, quintal murado etc. Vendc-se ou permuta-
se por outra propriedade, a melhor olaria dos Co-
lhos, em frente ao hospital Pedro II: a tralar com
Antonio Carneiro da Cunha.
Rap Gasse e Paulo
Cordeiro
No armazem de Jos Joaquim Lima Bairio, a
rua da Cruz n. 18, tem constantemente suprimen-
to de rap Gasse grosso c fino, e Paulo Cordeiro
cummum e viajado; nao precisa fazer apologa de
sua excellente qualidade, pois ella j de mais
conheeida, assim como o lugar proprio de sua
venda.
Xai
Cortes de cassineta de cores para
paletots a I 500.
Cassineta de cores com um pequeo
que de mofo a 400 rs. o eovado.
Espartilhos muito finos a 4$300, 5$
5*500.
Admira!!
Gravatas de seda a 500 rs.
Golinhas bordadas a 500 rs.
Lazinhas a 200 rs. 11
Lazinhas a 200 rs. 11
Lazinhas a 200 rs.!'
No armazem do Leo, rua da Imperatriz ns. 48 e
e padaria franceza.
Assim como temos um grande, completo
e variado sortimento de roupas feitas: pa-
letots saceos, sobrecasacos, fraques, jaque-
loes, calcas, cohetes, camisas, ceroulas,
chapeos etc., Rulo por precos que admira!
Tem tambem um sortimento de roupas
ordinarias por preco baratissimo.
Acaba de chegar tambem um completo
sortimento de damascos de cores, sendo
azul, amarello e cor de caf etc., que se
vende por preco commodo.
Admira!!
No armazem do Leo I! I
No armazem do Leo I! I
No armazem do Leo !! I
No armazem do Leo !! I
52, junto a loja de ourives
0 cordeiro previdene
lina do cwf hundo n. fl .
Novo e variado sortimento de [vi
finas, e outi
Alin do completo sortimento d fu-
marias, de" que effccthament mi a a
loja do Cordeiro Providente, ella 1
recebf-r um ontro soiiiiiienio que se ti
notavel pe|a variedVc de objevt
d.ide, qualidades etommodkla [><
eos; assim, pois, o Conl.'inil'ivv.ideri'u-
e espera conlinuar a merecer a.apree*
do respeitavel pubike em geral 1 de mu
boa freguezia em particular, na,, ,-, a
lando elle de roa bem conheeida 1
0 harateza. Em dita loja encontr a,
aiueciadores do born
Agua divina de B. Coudrqt.
IMla verdadefra de MarraydrLaffimi-n.
ita de Cologne in.LiIexa, americana, frar.-
eeza, todas dos inelhoivs e naaacreditados
abricantes.
Dita balsmica dentrificia.
Dita de flor de laran^eii aa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Clixir odontalgtco para conservado do
asseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade, ,;.. -
ros agradaveis. ,
Copos e latas, maiores e menores, oob
pomada lina para cahello.
Frascos com dita japoneza, transparente,
eoutras qualidades.
Finos extractos iii-lezs, aniel i ;: 1 e
liancezes em frascos .-.imples eenfeit;
Kssencia imperial do (moeagradav i 1 -
10 de violeta.
Outras concentiadas edecheiros ipi.-l-
inene finos eayraduvi.is.
(Meo pbilocome verdadeiro.
Lxlracto d oleo de superior qualidade,
com escomidos cheiros, em frascos de ('di-
ferentes tamaitos.
Sabonetes m harras, maiores e menores
para mSos.
Ditos transparentes, redondos eem ii;.--
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixmlta para bai
Caixinhas com bonitos sabonetes imitanuo
fructas.
Ditas de madeira nvernisada contend 1 fi-
nas pe fumarias, multo proprias para pre-
sentes.
Ditas de papeleo igTfaTmentebonitas, tam-
bem de perfumarte linas.
Pollitos vasos de metal coloridos, e le
moldes novos c elegantes,com pdearrux
e lionera.
Kspecial p de airoz sem composicode
cheiro, e por isso o mais proprio para a an-
cas.
Opiata ingleza e franceza para dente-.
Pos dexainphora c outras difiere.
qualidades tainhem para denles.
Tnico oriental de Kemp.
Aluda mais coques.
l'm outro sortimentos de coques de r,o-
vose bonitos moldes com filets de vidrilh
e alguns d'elles ornados de flores eGtes,
esto todos expostos apreciacSo dequem
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E Pt'NHOS BORHADOS.
Obras de muito gosto e perfeifSp.
'iveflas c tas para ciatos.
bello e variado sorlimenlo de taes ohjec-
tos, ficando a boa escolha ao gosto do 1
prador.
FLORES HNAS
O que de'melhor se pode encontrarne- se
genero, sobresahindo os delicados ramos
onalhados para coques.
l'ara virtfieni.
Bolsas de tapete e carteiras de couro, por
- commodos.
Chapeiinas de palha da Italia nmi bem
etifeiladas, e enfeites deflores obra de b n
goslo.
E assim minios outros objectos que
rao presentes a quem se dirigir ; dita loja
do Cordeiro Previdentea rua do Queimaeto
n. IG.
NOVIDADES
Rua do QueiDiado n. H
MISTO PORTO k
A este estabelecimento chegaram as mais lindas chapeiinas de crep, tule e pa-
Ihinha da Italia, primorosamente enfeitadas.
Bales reguladores para senhoras e meninas, os mais modernos e de varias
Basquinas de seda para senhoras, o que ha de mais gosto. e delicadamente en-
cores.
feitadas.
travessa da madre de De-
iis n. 14.
Armazem de Candido A. Sodr da Motta.
Tem para vender o seguinte:
Cimento de Hamburgo o melhor
possivel para edificacies.
Farello da America saceos de 120 libras.
Urna armaco de louro e amarello completa
para venda, com pesos e medidas.
que
Ricos vestidos de blonde, com manta e capella, para noivas.
Cortinados de cambraia bordados para camas e janellas, de diversos gostos e
quabdades de 150 at 80,51000.
Tapetes alcatifas em peca para forrar salas, gabinetes e corredores.
Camisas inglezas de linho para homem.
Ricos vestidos de seda pretos bordados agulha e de cambraia brancos tam-
bem bordados pelo mesmo systema.
Fronhas e toalhas de linho e de sguio todas bordadas para casamentes.
Sedas de lindas cores, casimiras de cores as mais modernas, saias de la com
barras de cor, chapeos de sol de seda inglezes, espartilhos para senhoras e meninas,
colarinhos de linho para homem e frando sortimento de fazendas de todas as qualidades
que se vendem por pre?os que agnidam aos compradores.
Neste estabelecimento contina a receber-se esleirs da India para forrar sa-
las de diversas larguras e cores, quer parte, por isso chamam a attenco para as
Esteiras d% India para forrar salas.
LOJA DO PASSO.
lina do Crespo u. 3 A. esquina
da do Imperador.
0 dono desfe importante estabelecimenl .
leudo recehido de sua conta, pelo va] >l
francez Exftmadun, diversos artigos de a,fa
novidade proprios para a festa. ecooscio de
que seu estabelecimento se acha bem sol -
do, principalmente em rticos de moda, pe-
de ao respeitavel publico e em particular
aos seus numerosos freguezes a bondade
de honra-lo com sua coniianca, garantindo-
Ihes serem bem servidos e por precos ni-
miamente baratos. Venham, pois, todos
comprar novas e lindas fazendas boas c de
alta novidade, cora bem:
Riquissimos cortes de blonde.
Uiquissimos cortes de s%da de cores.
Sedas de lindas cores para covados.
Moire-antique azul, verde, branco e pre-
to.
Grosdenaples azul, verde, branco e pre-
to.
(orguro branco e preto.
Sctim branco macan.
Cortes de seda com duas saias.
Cortes de la escosseza com duas Bfias.
Cortes de la e seda, novidades..
Poil de chevre de lindas cores.
Alpacas de cordo lindas cores.
Ditas lisas de todas as cores.
Cortes de vestidos de cambraia bordados.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas bordadas .
Fronhas de linho com lindos bordados.
Lencos de cambraia de linho bordados.
Chapeiinas de palha da Italia.
Ditas de sedas de cores e pretas.
Knfeites para cabeca de senhora.
Coques de todas as qualidades.
Basquinas de seda enfeitadas com primor.
Leques de madreperola, marim, snda-
lo e osso.
Camisas bordadas para homens.
Colchas de algodo e seda para cama.
Ditas de crochet para cama.
Pannos de crochet para cadeiras e
chapeos de sol de seda para senhoras.
EspartHhos para senhoras.
Toalhas de labyrinto.
Lencos de labyrinto.
Fronhas de labyrinto.
Ricos, rendas e gradi
Finissimas cambraias decores, pe
las e outros muitos artigos d<
vidade.
Loja do Passo rua do Crespo n. 7
quina da do Imperador.

I
m
Vende-se urna mobilia a I.uiz XV, ><
Serfeito, com aljmm uso, por preco muit,
A venda 6 feita por ter a pessoa de retir.
para fora: a tratar na rua da Praia u. 20.


r'iiiinbuco Saljbi AO BAZAR DA MODA
DE
JOS DE SOUZA SOARES'a c.
Ba Nova n. 50, esquina da ra de S. Amaro.
PARA O AOVO A A \ O DE I $09.
Nove sorliiiicn.i do ai il'u ilo moda e laxo, receidos pelo ultmo vapor vindo da Europa
Especialsprtimento deolypcios para inini"-.
Perfumaras finas dos prmcipaes autores.
Lavas de peMiea freir, brancas e de cores para homens c senhoras.
Chaueozinhos de pallia (!> Ilalia enfeilados, para senhoras.
liicas ehapciinas para senhoras gorros da pallia de Italia para seahora meninas.
Especial sortimento de siuios parasenioras.
Enfeites degusto para senhoras. &
Filas de groideaaple superior de todas as cores e largaras.
Franjas rom vidrillios, brancas, de cores e prota*.
Guarnicoes de todas as ipialidadepara vestidos.
Vestuarios completos para baplisaes.
Golinhas e pimhos enfeilados para senhoras.
Coques modernos, lisos e enfeilados.
1 irnous de 13a e seda, cores claras, moda elegante para senhoras debom gi-lo
Gorpinhos de cainiraiu enfeilados para senhoras.
Caelie-nez de l;i.
Ctutposde sol para homens e senhoras.
Flores unas, sorlinienlo esa cial.
Plumas elegantes dequalidado superior.
Cintos ricos depalha, altanovidaoe,
.rinaldas de llores finas.
Camisas superiores para homens.
Coiartahos o puuhos.
Grvalas e mantas modernas.
Bengalas de diversas tpuilidadi,-.
Caas grandes coin tuiatro peca.- de innsica.
Flores depalha para guarnicoes de vestidos, botos, f velas, la{09 paraenfeiles. __
Chapeos de pello de seda pretoa, furnia a Rotschild, fazenda snp'rior. para houieafc
('.orrontes de plai|i lino, goslos!).mitos para re igios.
CafohtM de boju gostepara a- mejana.
Crranles pretas de borracha diversos modelos para voltas.
Objeetos para lato.
E amitosoutrosartigas denovidadequeso vistapodem ser tpreciados.
Existe continnameale un completo sortimento d" niiudezas, vende-se por gfMM
AO UT7r.TrAC *m K*138 Parles do mundo, mpregam, eom o maior erito,
Uo iTllJil/l*^"'^? o phcspbaio de ferro soluvel as Lbras, para eurar a.chJorosis
(corea palias}, as dores do eatomago, c a exhaustaeflo do sangue; com esta preparaco, dio
a corpa o vigor, e s catees, a im firmeza nalurat; faerutam desenvolviraento to labo-
rioso da puberdade. Com effeito, ludo, n'csle medicamento, se cha reunido para Ibe
sssegurar o maior credilo, pois qne cnlram, na sa eomposicao, os elementos dos ossjs e
do sangue. O seu autor, M. Lunas, doutor em scicncias, pliarmaBtico, professor de
chvmica, inspector da Academia, foi, rcccntenicnte, condecorado da ardem da Legilc de
Honra, digna recompensa dos scus importantes trabalhos. f-.
As seguintes ,-preciacoc dos mais celebres mdicos ainda vem corroborar e jusicar
todos estes ttulos A ceofianca publica :
* Precisa classificar o phosphato de ferro soluvel entre os ferruginosos qne melbor
t convera aos doentes cojos oreaos digestivos sopporlam mal ai preparares de '
SOUDFl:N rrofettor na Escola de medicina e de pharmacii
TASSO \MM
Tem para vender em seusarmazeBs,ftl#ii de on-
tros, os seguintes artigos :
Papel para imprimir.
Perlina azul.
Greve pautado e liso.
frSSmf$tm W Vinhosem cita t im Mralas
ferro.
iknrmacia.
: nho
A t'OnnOIMS PBE^OS
BAZAR DA MODA.
PREGO CBRENTE DOS CHAPEOS DE SOL
Da fabrica de .
MANOEL & C.
Eua Nova n. 23,Ra do Gabug n. 8
Pernambuco
O pbosphato de ferro -o .>.-,
nosas, c o seu emprego da o ni.i
f A frma liquida do phopi
as pilulas; eu considero esle
'm quanto a mim, a mclhor das preparacoes ferrugi-
"mplos e Tiros eisultados.
1 \N, medico do Hospital Sainle Eugnie.
ro soluvel d-lhe urna immensa vanlagem sobre
o como mu superior Js preparacoes iodadas.
> ..NAL, medico ae S. M. o Imperador.
c Entre todos os ferruginosos, no cu emos um s<5 que obre 1S0 prompta e efficazmente
como o pbosphato de ferro soluvel, c isto, sem cansar o estomago.
BELLOC, BAliME, ItlGOT, FLLET e PREVOST, wedUosdos hospital*.
Os effeilos da preparacSo de phosphato de ferro soluvel me parecem ser mu.segaros
< e promptos. BEBOliT, redactor cm che fe do bullelin thrapeutique.
i Entre todas as preparacoes ferruginosas, o pbosphato de ferro soluvel foi a que senpre
me dco os melhores c mais satisfactorios resultados. GUIBOUT, medico dos hospaes.
t O phospnato de ferro soluvel tem, sobretodo, a vantagem de evitar a constipacfto e
t convir aos temperamentos delicados. Dr FAVROT.
Deposito cm Prnmiuco, em casa de Maurer e o.
V'.'"V*-'
Pkarmaceutico
1.T-- laureado
pela Academia
d ws
di cia dePirit.
PASTILHAS
lDOSEStDIGESTIVS]
deBURINduBUISSON
Medalhado \
pela'
Sociedade
fie
fomento.
$3B&^'&&qgeOH LACTATO M^SODA E^MAGNE
['! Estas Pa'stilhas constitnem o medicamento o mais nova e o mais racional paTa
todas as affeeooes das yias digestivas. Ellas contem, eom effeito, o acido lctico, nrn dos
elementos nornaes da digesta, combinado com a magnesia calcinada, cajos bons effeitos
tem sido appreciados pop todos os mdicos, e o bi-carbonato de soda, sal qoe faz a base das
aguas de Vicby e da maior parte das aguas mineraes alcalinas. Este trplice conjuncto de tres
productos cuja efficacla popular, explica o bom xito qne se obtem as gastrites, gastralgias
I sahidas de gaies, inehacio do estoma.
I'estomago, etc. Deposito em ~
estomago, vmitos depois das comidas, indigestes,
Pernambuco, em casa de Maurer o O*.
res
Approta(So
da tcademia
de mtdtcina
de Parit.
fc
^s-manS^
i i
PInrtna:eutko
lauread
da academia
Chapeos de seda (raneada, Pararon, de 16 liastes, 28 pollegadas. a
,.|>i.llegadas a 15)5, c 2 pollegadas a Ii?5*>00.
s a

de
Ditos de seda G. de N. liara, de ac, de 10 lias'.es, 28 pollegada-
de 26 pollegadas a 13,-S; c 2 pollegadas a 12000.
Ditos de seda G. de N. lisa, de ac, de 12 liastes, 28 poQegadas a
96 pollegadas a i 1-S; e 24 pollegadas a O.WOO.
Ditos de alpaca, de aeo, de 12 hastes, 28 pollegadas a 6A : e 26 poUeeadas
a JMGOO.
Por duzia faz-se descont de 15 0[)
Chapeos de sol de panno, de baleta, de 8 hastes, 2i e 26 poUcgftdas a i'->
a Inzia. (Descont de 10 0|0).
Ditos ae panno, de junco, 8 hastes, a 18;H)00 a duzia, liquido.
ie mcdeci*a.
As prcparacCes ferruginosas liquidas tem desde mnilos annos merecido a approvacao
especial dos mdicos, porque ellas obrao mais rajsido c seguramente do que as puks, e
sio mais fcilmente toleradas pelos doentes. Os l's ferro-mauganicos possuem a inapprc-
ciavel vantagem de poder offerecer n'um instante urna agua ferruginosa gazeosa, de gosto
agradavcl, mais acliva do que as aguas mineraes, e comendo de mais um elemento precioso,
o Manganese, qiie sempre se acha no sangue, junctamentc com o ferro. Emprego-se em
todas as molestias que tem por causa o empobrccimenio do sangue, assim romo para vigorar
jos temperamentos debis o lymphalicos. A ehlorose, as Pcrdas brancas, dores d'estomago,
a irregularidade a menstruaedo e amenorrha ou suppresro do menstruo, cedem rpida-
mente a seu emprego. Devcmos mencionar aqu um facto notavcl, isto que os doentes cura-
dos pela agua preparada com estes pos cstao muilo menos expostos a recadas do que
aquellos que foro tratados pelas preparacoes ferruginosas ordinarias.
Deposito cm Pernambuco, cm casa de Kanrer e C*.
VERDADEIRAS
LIQMIACVO
DE *
.'ara msicas militares.
Completo sortimento
NO
BAZAR DA MODA
RA NOVAN. 50,
Esquina da ra de Sanio Amaro
20 a 30 por cont menos que em ontra qualquer parte vendem
M M SOUZA SOARES ft
i mais arredilado autor (outrot Ainea Pars.
Kll l'OVA ] 50
ESQUINA DA RA DE SAUTO AMARO.

PILULASnrBLANCARD
COM IODURETO DO FERRO INALTRAVEL
'APPROTADAS PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARS, ETC.
r Possuindo as propriedades do iodo et do ferro, convem especialmente as Aftecccis
escrofulosas, a Tsica no principio,,! fraquezade temperamento e tambemnos casos de
Falta de cor, amekorrhea, em que precisa re agir sobre o sangue seja para restituir
lbe a sua riqueza e ahundencia normaes, ou para provocar e regular o seu curso peridico.
N. D. O ioilamo de ferro impuro on alterado nrn medicamento infiel, y^^^
tiritante. Como prova de pureza e lulas de nianraril, deve-se exigir nosso aeii* 4e prata reaeira t^^toP7Z
noitso Arma, aqu reprodnzida, que se arha na parte inferior de uta
rotulo vorde. Deve-se desconfiar das falsiikacos.
Arhatn-ne m toda* aa pharrareiaa.
Pharmaeeutico, ra Boitaparte, 40, Pars .
Bourgogne.
Hery.
Madoira.
Hermitago.
Chainl'li-.
Licor de e.uraea de llollanda cm eaixa? de vin-
teeqtiatrobolijihas.
GESSO
Nosarmazens de Tassolrmaos.
Grades de ferro
para jardn?, porteiras ele.
Nos arinazens de Tassolrmaos
< \lt IIIMIOS DE I I IIHO
Para servicos de grandes armazens, para remo-
ver barricas on eaixoes de nm para outro, lado pelo
mdico preeodol2O0cadaun).
Farinha de trigo de Trieste
Das melhoras marcas Panonia (verdadeira) Fon-
tana e grande sortimento das memores mareas de
laabas aneerieaaaa.
Saceos de firmlia de trigo do
Ctle
To zen% de Tasso li inaos.
Cemento romano
Xo> armarens de Tasso Irmaos.
Cemento hydraulico 12S
O melbor para ludo que sao obras para agua, ro-
mo assentameuto dr canos de esgoto, atgefows, de-
posito, tanques d'agita. etc.. etc.: em poredes de
cincoeiilo barricas se far i eduecao no proejo: nos
armazejosde Tassolrmaos.
Cemento Porlland
0 verdadeiro cemento Porlland em casa de Tasso
Irmaos.
Grades de ferro, cercas, por-
teiras, etc., etc.
De dferonfes qnaUdades para cercados de au-
Baex. cbiqueiros para galinhasotijardiiis: nosar-
Hmmiw dr Tasso (rdatoe,
Barris com breu
Nos armuen de Tasso Irmaos.
CANOS DE BARBO
-Na ra Nova de Santa Rita, na antiga fabrica de
sabo. ha para vender por preco o mais mdico
possive, canos franeczes para tlilicaeocs eesge-
los de toda a qualidade, superiores a todos os que
aqui lesa appareeido tela sua solides.
PRECOS
14400 por cano grande de 3 e meia pollegadas.
1 i(Mi pof dito de e tres quartos de dita.
\ iOOO por dito de 2 e um quarto de dita.
(>() n'-i- por pistoleta de 2 pollegadas.
I '.oinM-llo*. curvase canos de maior grossura. a
vstase laro preco. Compras maiores de 20u
tem ."> por cento de descont por prompto paga-
mento. Pde-se ver as amostras nos armazens
de Tasso Irmaos.
lijlos francezes
Para ladrilhar casas terreas comasseioe priscos
mdico-, milito convenientes e proprios para lad'ri-
| Ihos de eosinhas em sobrados, pelo ion asseio c
, evitar apassagem de aguas para o andar inferior
lomesmo o perigo de fogo, aos procos de 3040001
'i'iotHMi e inillieiro : na ra Novado Santa Rita, na
| antiga Mriea de anhoo e eompna maiores de 200.
se .n.i B |"'i rento de descont por prompto paga-
mento, l'odcm-se ver as amostras nos armazens
; de Tasso Irmaos.
Velas de esparmacete verdadeiras para lan-
I lernas de carro-: no armazem de Tasso Irmaos.
Yinho do Porto lino superior: no armazem
de Tasso Irmaos.
O melbor cognac Gautbier Freres : noarma-
j zem de Tasso limaos.
Esteiras da India
Em casa de Toase Irmaos vende-se esteiras da
India de diversos padroes e larguras, por prego
AO TRIUMPHO
Est aexpostfSo do respeilavel publico nesta importa ite estabelecimerito om
leto'sortimwitQ de fazendas ebegadas pelo ultimo vapor da Europa, o qui?
3 a honra deaonunciay aos pas de familia, assim como ao beHosexo, i quem o
impho i de su m gai-antindo smpre om sua nova loja o gosto de fazendas e
i v;s modoso modificado dos prppos, para adquirir a>vmpathia f qacm onra
'" procurar o Tiiutnplio. '
Lindas sedas de cores novo gosto a $600 e 2?>8000 o covado.
Gla'w de sedacla apurado gosto para 1-^ijOOorovado.
LSaanhas com listras de seda para 13200, 1^000 o covado.
Ditas de lmdo&$adriQ8 para O, 700,800 e 90(1 r>. o corado.
Cambraias brancas de W000 at 8,-OOO a pera.
Ditas de cor novas pailiVs de GO e 800 rs. a vara.
Saias de laa cnut bonitas barras.
Balesde la e murcelina e de arcos.
Basquinas de ros-e-naple de 22.^000 a iO.-^OOO.
Gros-de-naplespretos de 2j$000.a '/-^OOocovailn.
>; le (odas as coc
Or^andiz branco.
de o res.
-meios bwdadoft.
II -i- Pas parascobora o para liotuem.
izendas tem um completo sortimento de chitas escoras (ciar,'-, >ua-
w m i des, aoalbuJos, toalhas d-linlio c dealgodo, ( outras muiis
ff 'i por pre$os que su a \sta o comprador se poder; dusengas.-.r que s no
ITriump 5 louiprar bom, i omia.
I'AIIA HOMENS.
nonto de caserairas, brias. brancos c de cores, de linl o e algor,
. :,. [jl le^ravata!do.{Hfcunaismoderno,chapos deso d.;?. lu: alpaca,
ida [uc vista strpederao agradar, c inand: -se fazer qualquer abra
liate p:irao<|iie 1-nt umbabil mostr, p preco emitido, so enoontrapAo
Qu i. ido ii. 7.
Conservadora de sua indivi-
dualidade, amiga do
progresso.
Os htbij lint los da JCspvranva
A loja de mindeza da ra do QueitanA
LOJA DI) GALLO VK1ILWTE
Ra do Crespo n. 7
Mandop vir do sua conta e acaba| de re-
cebe/ pero tillimo vapor, complH.i srtimen-
ot de objeclos de novidade e phaBtaaa, os
quaes esto resolvidos a vender por procos
nimiamente baratos, para assim anin ar aos
concurrentes c ao mesmo lempo dar sabida
ao grande deposito que tero: isto ra do
Crespo n. 7, luja do Gallo Vigilante
Gollinbas, punbos e caniisinhas pira se-
cominodo.
PARA A FESTA.
Facas e garfas de bataneo de I boto a
14706 a duzia. iVm dem de 2 botes a 8#,
idem idem para sobre meza de 1 botao a
4$300, idem idem de 2 bnfites a 5(5, todas
em perfelo estado ; assim cuma bandeijas
linas e de dilTeii'iitcs lmanlos, rolberes de
metal priurqte, trera para cusinba, ferro
para frisar-Vestidos, bac'is dv Metal de 20
a 36 polegmlas, proprias pura banho, es-
pingardas de 2 canos tinas, assim como pe-
zos pelo systema mtrico adoptadu ultima-
mente pela cmara munici])al, alm de ou-
icus muiros objeclos tendentes a ferragens
e miudezas, que se vendem por barato pre-
di, na ra Direila n. 53, loja do Braga.
A loja d'agiiia branca
o receptaento da* moda* c no-
Tldadea.
A apuia branca tem-se feito to conbecida e
acreditada, nao s pelas novidade. variedades, sn-
perioridade e abundancia de sea MWtnento, como
pela constante rounnodidade de seus procos, e me?
mo pelo seu assaz e nunca olvidado agrado e since
ridade.
Basas verdades incontetaveis sao sem iavida
apreciiMlas pelo bello sexo om particular, e pelo
resjM'itavel publico em peral, e a tanto tem ebegad
que esto quasl passando como a/tncxim oh pro-
verbio, quando se v um objecto de elepancia,
u'o-tci. novidade. ele., ote di-se |Of -ai|iiel|o eb
jeelo sem duvida foi comprado na loja d'aguia
branca.
Quando no club, nos bailes, ou no sallio la
Sania Isabel, tuna excellcntissima se ppreseata
tai liosamente (rajando, trazendo o moderno cinto
de inui larga lita, lisa, cliamalotada, ou esa sieza
as sn.is adiniratbiras dizetu eemsifO aquella fit;.
foi eemprada na Injad'agitln branca.
Quando otttra excefleiHiswo*, nao me s par
bosa. mostra o ripor de son sen meto na arertada
escoma dM ettfSites de alia novidade que bella-
mente ornam seu vestido, linda inesnio as rivaes
de toa sympathia confessam queaquellos enfeites
tonta da loja d'apuia brania
Quando n'oiilra oxcolleiiiissima, apezar da ?in-
KeBwa de seu porte agradare!, -e mi as aoniluii
luvas de pellica duquea as suas bellas ami-
pas lomain-llie o posio e roafessam que- aqueUas
luvas fornm da loja d'aguia brama.
Quando mesmo duas excelltaiussimas, antigs
amigas de i-ollepio. enrontrain na^OMH loga-
iv-, uepois dos ctiinprinieiitos de reciprocos beijos.
ambas jKir torca de sua elevada delicadeza, gabn,
una a oulra os agradaveis ebeiros de me nwin
em seus finos loncos, c cada una das ipiaes orgti-
iho.-aspolo elogio do acorto de sua escoma, e como
que querendo jior si mesma justiliear dizem simul-
laneanionie verdatle que este cheiro foi compra-
do na loja d'aguia branca.
Ainda iiia.s.
Quando liontem os pais afllirtos sentiam o rigor
da dentlr3o de seu charo fllhinho. e hoje alegres e
saiisfcitos pelo feliz rostabdeoinienti ritrnem a?
visitas dos scus melhor amigos, dizem aquelles a
estes, foi Ueus que me inspiroupara que coninras-
se, como comprei, um dosses virtuosos collarer-
Rover, que se vendem na loja d'aguia branca,
Alm do niuiao mais que ainda
falta dizer.
Qnando em um circulo do circunspectos carnc-
li'i'os se discutir veraeidado de taes ilizeres, appa-
recer un outro que qneira ainda levemente hwer-
romper a discusso, os primeiros per momete c
(|ueeoi:io a oiroomspeceao e Ibes darao nm gra-
cioso debique dizendo-lhes j sabemos que V. o
um daqnolles que inclina o chapeo dfl -ol on qi!'
marela ser designado pela aguia branca da roa
do Qneimado n. 8.
%o tantas as ooitsas qne por
ninas escnam as outras.
J ia osqnoeendo a apuia branca,mas em tempe
lembrou-se para noiiciar, ipie receben umap*
quena quanlidade de enfeites para coques e grarn
pos para ditos, tndo feilo de metal com lindos
agradaveis coloridos, obras estas pela primeira ve
apparecidas. e portanlo inteira novidade.
Tambern ebegaram novamente delirados enMtes
a flores ornadas de aljofares e vidrillios, tanto .1.
palha para coques como para vestidos, e tud.
continta a merecer a apreciaco das emeitraffnM
mas oonlioeodnras do bom.
Votttle-se.
l'm balcao em bom estado : na ra da Cafeto
do- Reeile n. 22.
n. 3o A, vem a|iivs>ntar sua esroihM* nhora, fazodaa de gosto e novidade
fre^mna um artigo que at hoje custava
muito caro, e pm- issq s cbegav;i para a
elasse mais abastada da BOeindiWtP.
ToaShas de ln3yrint!tos
Finos vestuarios para baptisados, assim
como touquinbas, sapatmhos emeiisinhaS
para o mesmo fim.
Grande sortimento de bicns e rendas de
Perfeitamento guaefi s que se fbricam croch e de outras umitas qualidade:'.
t

1 I ^
DIN G AS
XAROPE de RBANO O <
ADO
em Paris e no mundo inteiro ,|e u
liar-w o niamente combinado nclleoiodocomosioc. das planian-a
-o.rtu-cida e as quaes ja natnralmenio existe o iodo. E' come
' Ibtmlbao, que deve, serondo
(ama i'.-iaineote tnerecidav por
ni seorlxincn, cuja efAcacia,
no paiz por urna dcima parte do vtor, d el-
las viudo a esta leja; apreciar a perfielco
reunida i tvi.nomia, (iem sempre possivl
isso).
As tualbas tecm um circulo de lindo de-
senlio c no centro se le em caracteres iinms-
culos a allegorca iitspripcorf+-A' baplisar.
A' passeio.Mcus cuidados/Leml.iran-1 o
Ca.Visita.
Ninguem por corto deixai iteircoiri]delar
riTenxnval do lindo lilbo para-fazer economa
d 15 ou 20;N,esses nadas.de que se compc
o guarda roii|i;i dos nvem-naseidos iptar
si sempre Qcam aos extremosos cuidada!
das milis, a ossas a t|uem e Esperanza se
dirige, para quem desde j dispe-se a dai-
amostras e certa est que pelo precn oenhj
ma deixar de comprar.
Froulias
A Esperanca, inmbcm recebu freqltas no
mesmo gosto das toalha que vende pelo ba-
rato preco de S-sooo. o que custava lDo! .'
aprecia!esc. ligantes importancia aocon-
furtaveWa vida, sem^uvida comprareis:
nefto-bello p;> n i.im so faz pobre rlis-
ando \W> u*)|ft00, com o accejo e
belleza de que se decora a habitagSo", s
i$ no quambos pensamos, entretanto,
como diztam nossos maiores, a sepultura da
villa scBlHf.3 a quem a Vs\w-
ranc-a se dnige.: lina sarffern cuidadosa
do nada faz a casa.
lina do (jueimado n. 35 A,
Superiores caixas com msicas e s
las, tendo o necessario para costuras
i'ni i
prias para um dencado mimo.
Finas caixas com tentos c seWclleg
ni el-
pro-
l'.ira
Vende-se o arrenda-se o engenho S.
(aspar, sito na freguezia de Serinbaem, co-
marca do Rio Formoso, prximo do embar-
que, com grandes partidos de pal, e mas-
Sp roila da moenda, matos e mangues
para madoira necessaria, bom pasto.etc.;
tratar na rita do Imperador n. 20, ou na
da Florentina n. 28.
'.iiHw 5ua hnuera p vigor nituracs. B r- **-----'-
.r.,K.c,.,,; paracombater as diversas ^eocies da peli.
_... ._ r|.....t .m*...**m
eads tis receiudo petos medios
Dpll6sil Pr" Pernawbnco, em .tasa de
Kaarar O1.
CURA DosrcALLos:
PSIK
Pomada galonpcan.
Deposito especial
Pharmacia do Rartholomeo & C.
S4-Ra larga do Rosario------34.'
volt arete.
Agulhas para machinas de costura.
Pitas para atoch, sendo de ai;o, rtarfin
outras militas quadatles, assim como li-
nhas para o mesmo mister.
Finas grinaldas para noivas.
Meias do borradla para quem snfTre de
erysipolla. assim como moias de la t para
os que soil'rom de rhoiimatismo.
Suspensorios para bomeni e meninos.
Finos pentes de tartaruga para cortiles Jo
de outras militas qualidadcs e para litros
msteles.
ltedacs de madreperola, marfim, o>so.
ac, metal) etc., etc.
Superior agua oosmeooome para tmgif
cal^eilos, dando aos niosiiios asna cor pri-
mitiva.
Completo sortimento de finas pi'i'funiarias
dos melboros fabricantes, assim com nim-
ios antros objoetos que mpoesiMeJ des-
crever: isto so na ra do Crespo n. 7, loja
do Gallo Vigilante.
Collares llover elctricos magnticos! con-
tra as convils^f. das crinnras o pata faiili-
lar a dentir.io das mosnvis. o Gallo Vigi-
lante artigo reteiiedor d'esfos proligiosos
(i)l!ares e contina a ter sempre grande de-
posito, ra do Crespo n. 7.
bonetes de alcatrao
DE
Tabellas vermicidas
DE
Antonio Nunes do Castro.
Veirnmigo eiDcaz e preferivel tcxlos os
conbecidos j pola certeza de seu resultado,
e j pela fcil applicacjio s enancas, quasi
sempre mais atacadas de to terrivel e
muitas vezes fatal soffrimento.
nico deposito,
l'liamiacia de Rartholomeo & C.
31rita larga do Rosario31
FlDCiO DOBOWlAN
Kirt (lo Rrssni 11. 53.
Machinas de vapor.
Rodas d'agoa.
Moendas de.canna.
T.iixos de feiro, botidojo rundido.
Rodas dentadas, para moet com Bfoa,
vapor e animaes.
E outros muito: objects; etc. etc., pro-
prios para agricultura.
G4Z m mi
Qiegon ao ai sito de Ueprj Forster &
C, rea do Imperaflor, um carTAgamento de gaz
de primeira qualidade: aqual se vende em partidas
e a re..lito por menos preco do que om ontra fual-
quer parlo.
Tintura japoneza
Instatttanea paraiingir os caliellos e a
barba, a 1-sCKM) o fraseo.
Et a nica apprrrvada e recommendada
por ter sido renmliocida suporior a todas
as tinturas d'esto peero.
A venda em casa de Gustavo Hervelin n.
ol. ra da Cadeia n. 51.
A Perfumara Victoria hoje milito procurada
pela flor da aristocracia, e das elegantes, por
cansa da fabricacSo superior dos productos des-
tinados aos usos do toucador, e entre os quaes
ella creou urna especialidade cm cada artigo.
Os seus novos perfumes, preparados com a
Essencia de Ylangylang, que ella obtem mesme
as ilhas Philippinas, pela distillaco do Uona
odoratissima, nSotemcmnenhuma concurrencia.
no qne diz respeilo i fineza c snavidade do cheiro:
pelo que aconsejamos ao publico elegante qoe
peca como perfume para o lenco.
0 EXTRACTO DE YLANGYLANG
0 BOQUET DE MANILHA
Alm d'eptc? dois extractos excepcionaes, ni
sSo propriedade exclusiva de sua casa, os Snrt
Rigaud e 6', preparap igualmente, com particu-
lar perfeicao, todos os extractos adoptados pela
oda, e entre os quaes citaremos os seguintes :
m
itonip Nunes de Castro. [Tej
NOVIDADE
A loja de Celho A- Oliveira ra do
Quoimado n. 19, receben pelo ultimo vapor
um bello sorlimeulo de baloes de fYerso
systemas, os mais aperfeicoados t'que tecm
vindo 80'mercado, setxto :
Baloes de guipui com tiras chamados
reguiadores, dil is de musseliua abertus OQF
ambos os,lados, fi modo que sendo todos
de um tamanbo servem para qualquer se-
niiora, de laa de cores, eom tiras, e as -
guiles fazejidas :
Saias de laa com bonitas ban'as.
< talos tmeos de seda e la Beatriz de
quaes
Jockey-Club. Violeta.
Ess. miquet. Narcchalc.
Feno fresco. Noussrline.
Flor dos prados, liendelctia.
seguintes
Reseda,
lasmin.
Mannolia.
Rosa musgosa.

AGULHAS
para nchtnas de costura, de Grover & Baker:
ver2*""-e na rua -k Uadeia do Recite n- 51, a
Este acreditado preparado, jrae tiro boa
acceaCao tem merecido n'osla provncia,
muito se recpmo) inda para a cura certa
das impigens, sarnas, caspas o todis as
"molestias de pclle.
Deposito nico,
Pharmacia do Barthoromcu & C,
3 irua larga do Rosario34.
Farinha de iuaudiui:*a.
Tem para vender Joaquim Jt>s GonoA-
ves Beltrao, recentemente chegada de San-
fq Catltarkia, a bonlo do patacho poiiuguez
rabe, fundeado defroote do trapiche do
Exra. barto- do Livranfcito e para tratar
com o mesmo na ruado Trapichen. 17,
ou a bordo-do referido navio.
Fitas de guipur pretos Raianiboly.
Chapos de gol, para seubora, muito lin-
dos.
anes.Poil
Sultanas.Poil deCbevTe, Tricte, dito de
xtidrez e outras muitas, en Ir ellas una
Especiaiitode
L5a pura de cores a 3G0 rs.O qovado.
Basquinas a Mara Antohiote.
Cambraias fantazia.
Ditas brancas transparentes o.^Victoiias.
Colxas adamascadas.
Cobertas chinezas a Si&M. outras
muitas fr7ondns que toniar-so-hia enfidonho
anuunciar.
= Vi mie-se uin Bilhar com seus pertences : na
rta do Hospicio n. 38,
TOC.S TI\ 1 niGAl'D
E' ana Agua admiravcl para o toilette., cons-
titue ella o verdadeiro talismn da belleza, e eon-
era a pelle fresca, e a tez do rosto branca. E'
ultima expressao da scicncia. Est por todos
reconbecida a sua inconicstavel sunerioridade
abre as aguas de Colonia, a agua de Florida e os
vinagres aromalicos do maior nomcada.
V.-----~~m~,--------
OI.FO K PONIDA MIRlKni
Excellenles prejiaravocs que se podem chamar
O thesouro do cabello, e qe, cap; oslas c subs-
tancias toniras e fortificantes, nibc^z e con-
aervSo o cabello, ao me-mo lempo qjie fce com-
munico um cheiro suavissimo.
SARAO UIltVVUA
Qncm comparar este sabio con os que se
vendem por ahi, facilaaente reconhecera i imc
riodade do nosse. Este torna a culis muiissna
macia, faz urna escuma abundante que forma tim
verdadeiro banho de ieite, e nada deixa a desejar
cono delicadeza, de perfume.
DI > ioni\A
FASTA DENTimiCIA
A Denthna nm elixir deniifncio dos roas
suaves : perfuma e refresca agradavelmenio a
boca, fortifica as geagivas, e preserva os denles
da carie.
Esta pasta dentifricia fez nma verdaeira re-
volucao na Perfumara; acabou para seajipre rom
s pos e opiatas, que sio mais eu mcuos cidos
on pengosos. Basta passar nma escova bomid
per cima, para obter urna mucilagem natn
nnctaosa qne torna os denles perfatata
branaoa. _____
' POS ROSADOS
PreaervJoa pelle de rigor dos ventas d fro,
oonmankio-lha ama agradare! freaeora. o **
venenas sardas. Sao superiores aos pa da arrea
o de anitdo. Sen perfume delicioso.
oposito om Penwmbuco, muuitS^
**% *

a.
IBlffl 1


BBiaBl
Diario de Ptu'nambuco Sabbado 16 de Janeiro de 1869.
I
I
?

'

T
Grande liquidado demMHtezaal
Alfonso Moroira Temporal, quercnd" liquidar as i lindezas existentes em sua
luja, ra do (Jueiniuilo n. 55, resolveu aYmunciar as mesm;s miudezas para que o jm-
blico se certifique d diminuto preco porque as esta vndenlo, a saber:
Massos com grampos o a
Picas de tranca lisa e caracol a
Sabonetas de todos os precos a
80 !(S 200 e.....
Nbotoailnras para eolletes a .
oti's de loucapara cmiisas, a
Carrafas (tagua Florida (verda-
deira) a.......
Frascos com anua de Colonia a
:iOe........
iarral'a de tinta rosa a. .
(aixas oom 100 enveloppes a.
Maulas do seda para' homen a
lila da Hija para enfeite de
\estidospoi'......
I rasos coa oleo para cabello
a 400 e .
I,aa para bordar, libra. .
lectivas linas para chapeo a .
hilas paca cabello a .'lO e .
Hilas limito finas para latos
]) ir proco nunca visto 400
500 e. .....
i'.-, asile baliadose entre me ios
a W oo o.....
davalas de seda de cor a .
Ditas pretas a 400 e .
Hico e renda das illias a todo
preco. S a vista faz f .
fila de coz com 10 va-
240
320
400
i?000
20, Latas com grava, duzia a
40 Coques muito bons com rede s
a rede val......
Meias para bomens boa fazenda
a 3600 e ......
Linha (Ve marca,caixa coin 10
novellos.......
Latas com banha (familiia),duzia
Frascos com br nha a 320 400 e
400 Botes para putho fazenda boa
8001 a80e.......
500|Volta de Aljofta cousa boa a
800 Fitas para debrum de vestido a
I Caixa cora agulha franceza a
Rotoes de ac paiu coletc dnzia a
Cartao com alfiletes a .
Caixa com perimarias muito
fina. S a caiva val 10000
li,?00O .......
Copo com opiata muito lino a
400 e.......
Meias muito finas para senbora
duzia........
Caitas fiancezas a 200 e .
Bitas portuguesas a 120 e .
80
Grande liquidado
0 proprielario d'antigfl e bein conlietida
foja de iilindezas denommada tlfeija Flor
i ruado Uiieimade n. 63, quemido acabar
com o Sortiniento de miudezas que existe,
lem deliberado proceder a urna completa li-
quidaco, para o que cliamaa attemao de to-
dos.
Os objectos sero vendidos por metadeuV
seu valor, o para que o publico, nao suppo-
nlia, que o presente annuncio una illuso,
o proprielario da di aloja, offerece una pe-'
4.3000 OTOna lta de algniasnriiKlezes, loniosseus
diminutos precia -cuaw auoixo se ver:
nao apre.sent.-mdo urna lista completa dlo
dos os objectos que estao expostos a venda,
pela razio de se torimr um annuncio muito
exteuso o por consequencia de enfadoiilia lei-
tura, i>or isso apenas lemita-se as seguintes:
1 Duzia de miadas de linlia para
fazer croch.
1 Caixa de linha com 50 novellos
Venden S. T. Baste A IrniSn?, na da Cadeia
n. 17, barril com superior vinbo do Basto.
240
fiOO
300
600
600
8Mfr
320
500
GOO
too
KM)
500
"160
120
100
1*000
320
300
Caixa de linha do gaz branca 30
15/O00
500
3*000
240
200
novellos. ...... 000
Frasco com tinta a 100 e ICO
l-as de fila de coz com 10 va- Franja de 15a parasapato (peca) -iOOO
ras a........ 500 Papel de peso muito bom 4#KX)
Sapatos de liaueaeoulros mudos artigos, que cnfadonlio seria mencionar.
RA DO OEIMADO N. 55
160
30(1
800
500
i
de
para debrum de todas
branca
300
I 200
500
260
120
000
500
Sob una ttrnia lmpida e agradare!, este medica-
mcnio rnne a fitina," qne 6 o tnico por excedencia,
c o ferro, um dos principara elementos do sangue. E'
adoptado pelos mdicos inais distinctos de Pars, para
curar as cores paludas, facilitar o desenvolvimeoto
das meninas c restituir ao corno os scus principios
alterados ou perdidos. F:x rpidamente desapparecer
as dr<-s d'estomago intolcraveis suscitadas pela ane-
mia ou pela leucorrhea, :s quaes as seuhoras esto
tantas vezes sujtilas, regul irisa e facilitaa menstruacio,
e rcccitado com successo s criancas palldas, lvm-
pliaticas ou escrofulosas.. Emfim, excita o appctiie,
favorece a digestao, c con vera a todas as pessoas cujo
sangue est empobrecido pelo tn.balho, pelas moles-
tias, as convalcscencas tongas ou difficeis. Os bons
resultados nunca se fazem esperar.
Deposito cm Pcrnatabuco, em casa de Maurer e O".
400
3Q0
480
;>()('
320
500
TTT

TT

h academia
4t ClIfOM
se Paris
OLULAS
IqQwfEmoa:
beBRINdBUISSoJ?
Tfiarnaceulico
lauread*
la
academia
tratamento das affecgoes chloroticas, lympliacas ou cscrophulosas sempre lenlis-
amo, e muiias vezes essas molestias resistero s preparacoes ferruginosas ordinarias. As
indiigaeocs citas pelos nrofessoros Hannon de BroxeUas, GensonI e Petrctrain de Lv3o e
Berselius e Trousscau de Paris, tcm provado que a causa d'essa persistencia era a completa
ausencia do Manganeso, eleatonto que sempre deve-se acnar no sanaue iunctamente com
o ierro, tstas pilulas supprera, pois, na therapetica orna falt importante, e por este
moiivo ellas lera merecido a approvacao da Academia de Medecina e das principis socie-
dades medicas. Deposito em Pernambuco, em casa de M.urr ., r.
no
XAROPE D'HYPOPHOSPHITO de CAL
A effieacia d'esta preparacSo estestbelecida desde l857, pelos maii, celebres mdicos. Desde
enio muitas mitcoes tem sido foits, mas nenliuma peude sustcniar a comparacio com o
producto apresentada pela, nossa caza. Por isso excitamos o publico para que exiga sempre
este jarope com urna bella cor de rosa, nunca branca, e com a nossa assignatura roda do
Sob a sua infteencia, a tosse acalma-sc, os snores nocturnos cessJo c o doente volve rapida-
ment9 a sade. 0 seu emprego d tambem os mais brilhantcs resultados nos defluxos, catar-
rhos, bronchiles, irritacoesdo peito.etc
Deposito em Pernambuco, em casa de Manrer e C.
I Dita ( SO
1 Dita i <: 10
I Duzia linha de carrltos de
IO0 fardas
I Dita
200 jardas.
Fita de la
as cores, a jiera
Dita "
Dita
Peca .le lita delinliocom 10 varas,
e qe'iserve para eos.
Dita cs
Pentcs voltiados para menina e se-
nbora.
Ditos inuitos finos.
Ditos pretoroin cliapa.
Ditos inaiiios
Dito> prelus.
Dfos nniucos finos.
Escovas para denles a KiO, 240 c
Ditas para caBUos.
Dilas muito finas.
Dilas para ronpa.
Ditas dita de dita.
Pentcs de cotto com fila a 1A500,
-2MM) e
IVntespara kms 1 5(1. 2v*00
:-S(MH)e
Peca de franja paraloalha a peca
com 1 vai a<.
Fiilrenieiosbordailos a peca 600
Tinleiro> de porcelana lr>5(K) 2S
lialaios para meninas de escolla
bonito, desente BD&, f-\ 1^500
I'eca do lita de seda para enf'ri-
tes de vettiAw.
Fila de sarja de (odas as coros.
Gravatas pretas a 320 o
Dilas de cores.
Bapatos'de tranca o tapete.
Garrafa1 de agua Florida verda-
ira <
deFrasco com extracto em sapall-
os.
nliDiios eom leos.
Dito Bguaile Oilonia. ]iiqnenos.
Dito, dito de dito de lirver. 1?000
Ditos com banha. 800
Ditos com Inico. l->000
Ditos com oleofih.come. \MXV\
Dilos comexlcacto e hanh. 1-S000
Ditos com extractos diversos 300
Pao de pomada. 500
Ditos pequeos de [Mimada. ''' 80
(apellas para noivas muito fina^. 3>4O0
Sabonetas, 120, ;20e 500
Dilos transparentes de bolla 500, 1*000
Redes para cabeca 9#0
OaudejaOOOa 1 >800
Dazia de botes do seda para en-
feiles de ve-ti Pmveira de contas. 800
__________
A NOVA ESPERANQA
21=* Htm do QiwMiioHkr^-2]
para premites
A Sio^aEsperanta, ra do Queimado
n. 21 U'iu um\ariado soilimento de objec-
los de gosto e pluniasia proprios para pre-
sentes, ^obresallilldo entre ellos ricas caixi-
nhas de chano com finas perfumarlas, cos-
turaros de chagrn, agullieitos de madre
perola : assm,Dois, quemquizer fazer um? |eo rape^' "
linda olleita, ti dirigir-se Nova lv pe anca, ",
ra do Queimado n. 21.
Para baptisartog
A Nova esporanca ra do Qttcimado n
21, lem ricos vestuarios proprios (ara bap-
tisados, sapntinhos, meias de seda o fio da
Kscossia para o mesmo lim.
(Miares anodinos dlectro-magmti-
co.scon Ira as convulmis das
V'inlio verde
I. Basto A IrinSo?, n
mi iwperfnr vinhodc Bi
Rap Paulo Cordeiro.
Veterse rap Paulo Cordeiro fino, via-
jado, 'em latas, meiogrosso e viaagriiiho,
no deposito a cargo de Jo5o Francisco da
Silva Novaos, ra do Vigario n. 11. Fa;5-se
vantageus a quera comprar porclo, e troca-
ao agrado dos con-
looooo
Liquidacao de fazen-
das avariadas
Chitas largas linas o covado a 180 e 2i0, anda
csto fresca* da avaria, por ija razan lavando li-
cam cm perfeito estado, chegueni aellas antis que
se acabem : na l.ja b. tb da na da Madre de
Deus di'fnnito da guarda da alfandepa.

creatinas
*ao resta a menor duvida, de qu
Yeiide-se
collares se vendem por ahi inliluhdos o
muito
mudos
um cofre da km, grande e bem fornido : a tratar
na ra da En n. 3, i" andar.
ESCRAVOS FGIDOS.
verdadeiros de Royer, c eis porqae
pais de familias nao creehi (comprpido-o)
noefeitopromettidb.fl qiie so pddm dar,
os verdadoiius; a Nova Fsperanca, porm
(|ue detesta a laL-ilicacao principalmente no
d>respcitajbetn oslar da hun.anidade. Xo naIunil d(, Lomoeir0) dp 13annus deida-d
laencoajmeuda directa desles collares cor fula, dentes perfeitos, pes apalhrtados e umbi-
3roleque fgido.
Fteia no ilia :il de dezembro prximo pa&ado,
ila villa da Encada, em occasiio da fuira, o inoleirue
o garante af^pais de familias, que sao osjgo grande, pekf m storna "eonhecido. Anda
\-erdadeiros de Rover, que a tanta.' croan- 'stido ? cai!ii cas tejn savado do terrivel mcoEmodo de ^!^^^d^^^:^^
'oiiMiliues. assim pois e preciso, (pie ve- Manoel e diwr-se forro quando foge. Paga-sebem
300 "liam a Nova Ksper.nica a ra do QUftiniado quem o levar ao Dr. Jos Antonio Correa da Silva
;m n.21 compiarem u salva vida, para seus !^estoc5oto&eaLaaoSr.Brono Alvaro Bar-
m lilhinhos, antes que estes sejam acummetti- '' '<:x,h ^ .1 na da Cruz do Rec.fe n. jo._____
- uii'i na noite do dia 10 para 11 do corren te,
" egueziada Escada, o escra-
annos de idado, chamado i
Marn-lino, cujo strav08t0venodepoBtrj geralat
o dia t'.i do priiNmo passado, e lem os aigiiaes sc-
guintes: alio, aseoa, rusto picado do lx'xipas, falla
de denles na frente, cor pretas saino de chapeo do
Chile, palitoe calca deeastor,eamisad madapolao.
Qiiein o anpreheaderleve-o ao diio enaniboou
320 dos do tnrivel mal, quando entao ser di-1,, "/"","'',';'"^V
, w. i m,.;i ..i .. ir- ii i do engenho Bat.rteira, fn
2#)! fliii Hal. anear-so o effetto desojado, embora vo preto erioulo, le
collares
sejam epqiregados os verdadeiros
de Royer.
Aos iniantes iLus cacadas
Conimodas boleas proprias para os caca
-. .., .s i ,. yuem i iiiiiirii>'iun'i inf-u ao uno eiil'iirio OU a
tolie, ven.lo-se a ra do Oueimado n. 21, ru;i da SenzaUa .Nova n. 38,escriptorio (lo Sr. Ber-
nardo Puntual, que ser generosamente recom-
pensado.
leja da Nova Esperauna.
Preparo para flores
A Nova Fsperanca, ruado Qieimado
'i.>000|ji. 21, lem um complrto soitimentu
]laros para (foros, i.orno soja papel pal
2000 dito para potulas, clice, ic-lcs, Ib
700
2>3O0
2}fM
1*000
I >HKi
500
5(Ki
1 ^00
19S
Attenco.
no e lodos os tuais pivpars |
mar-sc wn ramo ou grinada, com
perfoicao.
Agua divina
A Nova Kspi-i'anca a ra do O'ieimadon.
21 recelK-u moa raUBSSO de vonladeirn
a"ua divina.
Para extinguir as sardas e
panno
Receben a Nova Esperanza, .i Irua do
Oweimdo n. 21, leite d(,' rosas,
para extinguir saldase ntannos.
'I,'!,u'" Fugio no dia 9 docorrente o innlei|iie denonie
ilollias. Vicente, de bonita Ugura, bem pleito t|ue representa
luis Je ""' "nos, nariz chalo, ps grandes,cabellos cortados
la lor- '" 'IV"," calca e camisa de algodao listras e chapeo
. ; d'' bata velho: quem o apprehendcr leve-o ra
-omo e : a rjnu n. :i6. em casa de seu senhor, que ser re-
| compensado de seu trabalho.
MIS i 100$ dv graliteiio.
firatiliea-se. segundo a dislancia. a quem pegar
e levara seu senhor. o Dr. Virgino Carneiroda
Cunha e Albuqrterqne, morador no engenho Con-
cordia, da Iregnezla da Lnz. o escraro Joaquim de
Sani'Amia, pretode idade deSi anuos, bacal, esta-
lena regular, porm um pouro espadaudo'e largo,
olhos pequeos, vives e nm pouco brancos, denles
pe eitos, alvos e limados, eabeca pequea, pos e
'speiial 'naos regulares, disposto e esperto para qnalqaei
100 para extinguir sanias e pannos. I "ES* f"" vagarosa egrossa ou ebeia, andar nm
.Ti. I n. i j _j pouco cangueiro, deve ler marca r.as pernas en-
400 Para alvejar e conservar os denti-s;, rece costada aos ns de ferros que levou. Foi cn.prado
5J0t> bou a Nova Fsperanca, ra do Qll OUMNU* ao Sr. ha rao de Nazaret e este comprou-o ao Sr.
n. 21. o vrnladeiro poz de rosas e b elixir I*1 Miguel i.Mh-mo) que o trouxe do Rio-Craitde
do Nortee ahi o comprouao Sr. eapitao Predenro,
niiador na villa do Pa de ferro, e o seu pai o
capitn Fi'iiiaiiiles coniprou-o ao Sr. Manoel Tilo-
ma/, da Silxa morador na villa de Porta Alegre,
sendo o referido escravo natural do Inga da provin-
cia da l'aiihxlia, peitenceu e viajou principalmente
lenlifrieo e o dental Cemento de Portlaiid.
Vende-se. no armaz>'m tle Vk'enle Penvira da
Gusta A Filho, na i na da .Madiv de Dos n. em
hars grandes.
Kiiic.i>; ilcTli'.jiJ. Uiiislian.-''!!. na iloOnu-
mercia n. 1(5, enconfram-se enectivamente todas
as qnaliilades de rinho BoruVatix, Bourg gnee do
lilieno.
Vende-se
Duas pas de inannoie muito linas, com lloroeti
em relevo, que pdem servir para igreja, ou para
casas particulares, venile-se ior preco "muito rolr-
modo: ru;t .Nova, enrtptorio d Qulntefro ;
| Aga, n. 63.
Manuel Alvos Ferreira A-C., na ruada
Moeda n. f, segundo andar tem para vender
superior putassa da Rtissia em liareis e meios
barris e cal de Lisboa da mais nova que ha
no mercado.
Na ra de lionas casa n. 1. esrnpia-se jornaes
ou outio qualquer papel que esh'ja Iiii|mi. a 4 a
arroba.
Venden Augusb) F. de Oliveira
Conimereio, n. 43.
ra- do
os sertoes de Ingazeira em Paie (onde lem dous
senhores mocos por nome Mareolino o GamilloJ
Serra Talbad, cidade de Souza, Serra doMarlni-
elc. etc., assim tambem previne-se a quera apren-
honder o referido ewravofqfie sendo no centro da
provincia da l'arahyba omtregue aoDr.Jos Paa-
iiin de Figueiredo na cidade de Souza, ou ao ca-
pitn Joaquim Saldanha, na fazonda Mulug ua
riacho de floreos, no caso de nao querer Irazer oo
seu referido senhor.
Fugio no dia 8 de dezembro prximo passa-
do um escravo de nome /anuario, prelo, de cor
fula, ia tem cabellos blancos na caneca, levou
vestido cal?a e camisa azul de algodao j usado,
costuraa andar com peitoral de couro e apracatas
nos ps, foi morador em Mamanguape, para onde
se jnlga ter ido, por ter all filhos : roga-se as au-
loridades polieiaes ou as pessoas que delle (iteren
ronheciinento, o pieudam e o levem ra dai.in-
goeta n. 10, que serao recompensados, ou cm casa
de Manoel da Silva Mcndonca Yianna.
Fugio ha qualro annos, pouco anta > n i)cnrn,ilb
engenho Jussra, fieuutzia de Jab alto, o csrn.fo
L'rbano, ci ionio, idade de ft -3 ;miu#,fcabo
mcco do corno, bem parecido, dave Ser luje airara
barba, olMoi iw*mmm stamndof, qnal i :>r-\
que eslivra na FscuJa irabilhiuido uaviaferrea
como nome de Joaquim s aHlorktadrs
(Milicia, s ou aos capilae. de campo qiieoappii-
liciulain e eondoian aquella "ngenli", en i m*ti
rmperatriz n. 14. Sendoque ess se pjaliflrrT'.i
com 1001 eqaaHen se imkMfwr de fcibfas
despezas qne Baaranconi a appreveasSa-da wri'Ji
escravo. ___ ___________
No dia :t) do mea de novembro proiiu* pau-
sado, fugio do ei^mlm S. fos, do tan de-Sff*-
nhaem. a ese rara de iiouh* Penedieta, uml.Tta, Um
ti annos de idade, cara hexigosa. altara regt.l'i,
cabello cortado e iieitles podr s, foi eseaawa de JCo
de Barros Aranjo, ivndeir > do engenho JtarhTj^
levou nm roupao de chita clara j velho, e um pan-
no da Costa novo : quem a pegar leve-a ao *?>
engento; ou ao Sr. Manoel Alves Ferreira *t,
nesi i praca, que ser genoraMOMBla rfeoaifi-
sado.
Faci do ennenhu Soledade. na eomarrade
Porto-Calvo, provincia das .Maguas, u ercrawjfle-
lippi-. cabra. eaMhM caiapinbos, de 4 annos A
idade, pouco mais ou menos, |Hjuca barba, pes jpa-
ittienos, nariz regular, ollios pandea, deelesum
pouco limados e com falta de um na frente, arrrr
ligeiro, cujo escravo foi comprado ao Kxm. bao
de Nazai eih : pedVse s auloridades fu lieiars a
capites de campo a appn va-k) ao sen senhor no referido engenho, dado do Recite ao Sr. Joatpiiin Rodrigues Tavarra
de Mello, largo do Carpo-Santo n. 17,1* andar, qne
ser generosamente tveompeifstdfe.
T0(T|(J00 de .Talifi(5 Aclia-se fgido desde o dia. 4 de jimho de ISfiB
um niulalinho eahocolo de nome Jos, de 13 a ii
annos de idade, veio do Bonito em ianeim de W.&
e foi vendido nesta cidade |K>r Antoni ft*& t
Mello, negociante daipielle lugar, ao Sr. Fernantto
Jos Correa, con taja na roa Direita dMta cid?<,
|icde-se as auloridades. aner daqui. quer de lira
que o aprehendan! e o enlrogucui a son rcnhnr,
na ra Nova destt cidade no segundo andar *a
casa n, .'0 qne-sera gratificado.
250,000
A cscrava I Terca le na
Comprada a Exma. Sra. I). Clara Pralon, ea
Janeiro de. 18(i7, passada a escnptnra de venda,
sabio e at boje nao vollou, ignorand-' <' para til-
de se evadi. K mulata clara. Na, idade .'16 a 13
annos, falhi de denles no queixo superior, faite
no rosto, i abellos un pouco corriili e rheia *i
rorpo. Foi escra> i do Sr. oao Sbjcs d*Alme>d!i
da ra do Vigario, e anteriormente do tenente-co
lonel Joio de s do engenho Talni. na Parahvha
J esteve nina vez em (,oyaiina para B*T vcv.di*a,
?c ahjem a oui/er eomnrar yeito se e se pooVr
ser aipieheni!ida,ou se indicarem o lugar un i.'T;
esiiver. sendo enconlrada se dar a gratificando
cima: na ra do Hospicio n. 33.
Fugio no dia lo do correlo mez, do enge-
nho Quiiba, freguezia de Serinbcm, o esri "
Benedicto, cnoulo, idade .'(O e lanos ana .' .,
feicoes miudas, para e bigoda, dente quabrado n
(rento, bem fallante e ladino, montado em umea
vallo com cangalha. con, o- signaes pcguiilea:
alasio, bem ledo, esa gordo, nao lem estrella ^
te-ta. nem calcado. Fui nwnpiado ha ptor?s
meces ao Exm. Sr. baro de Na7.uvtb.
Quem o apprehendcr e entregar ne :.. rraca v>
Dr. Joo da Silva Ramos, ou a Gabriel Antonio <3e
Castro Oiiiniaes. na travesa do fjlli niMln i, 3,
* no referido engenho QuMiba tea sentor Vt
Jos Kiu'enio da Silva llamns, vri gen RMaBMM
recompensado.
Existe fgida, desde o dia I darte m, a &
crava de nome Domingas, cor cabra, com nina ci-
catriz nujieilo ilo pd esquerdo, provt nieate de fe
go, repiwi'iila ter de idade M -i'o anuos, fi!?o
do seiiao Hio do Poixe, lenta no a rpo um ve i '
cor de rosa e cliaile ro.vo : OOOM a pafnt erre-aa
ra do Hangel n. 9, que ser yialilic;.! .
Faz um iik7.que fii'jiu do engenho Caana-
rieira, fregosla da Clona do Coiti, nm ercravo V
D. Thereza Franoiaca los Sanloe Pinneiro, pir
nome Vicente, crioulo, de idade 30 anuos, po.. o
mais ou menos, estatura regular, cor preta, cu teta
por estar um pouco desculado, nitiito ladmo, con
mareas de bexigas no rosto, bastante barbado,^
pequeas as liarhas, as cor-tas nina e.iraiiz V.
Bpoada8 malpara um dos lados, urna pcqi
ferida n.11 ri na. que la I vez j i .-teja r-...i. muito fa-
ralla : quem o apprehi'iuler pode diri"r-sfi ao dito
engenho, que ser bem recompensado.
- Ausenion-se de bordo do patacho iuriba'fi
o preto Jos, de idade 33 annos, dr cor escura, es-
tatura regular, olhos pardos, rosto comprklo, bar-
bado, natural do Ceara, ronliecido por Jos Main
lo : quem o anprehender quira lvalo a bordo
do mesmo navio, ou no escriplorio de Aincrim br-
nos para ser gratificado.


DOS PREMIO DA
5.
n>
LISTA GERAL
92

P1RTE DA LOTERU CONCEDIDA POR El PROVINCIAL N. 330, ABENEFICIO DO RECOLHDTNTO DE ICARASS, EXTRAHIDA EM 15 DE JANEIRO DE 1809.

H9. HtKMS. m\ I'RKMS.
I
S
II
23
28
18
a
u
13
S
lifi
K7
76
80
8i
88
09
!I3
97
98
100
f
i
9
13
16
18
31
36
41
43
18
60
61
64
73
74
78
88
88
>:%
*>t
6
9
10
13
21

'.: 335
43
48
:3
o
69
n
78
79
80
83
83
84
M
^86
88
381
3
7
9
18
17
33
2o
32
33
39
43
:;i
&
81
83
8G
89
90
408
W
H
ir
U
35
38
39
11
M
8a 46
411 i
u
4J
\
85
43
4i
m. PREMS. n. I'REMS. .NS. IREMS.'XS. PREMS. XS. PREAIS.j.XS. PREMS. KS.-PREMS.|.\S. PREWS.1XS. PREMS.jNS. PBjlS. 'NS. PREMS.jXS. PREMS.iNS. PREMS.
480
85
58
66
77
80
87
95
501
14
18
19
33
34
35
26
31
34
42
46
48
59
61
62
64
18
71
7o
7(
77
83
84
87
98
808
4
10
19
87
38
38
36
41
4
88-
72
75
81
W
4 687
89
44
201
4*
700*
8*
4*
91
701
2
4
6
11
12
17
19
20
21
28
34
39
42
55
59
61
66
67
72
74
82
87
88
93
99
803
4
15
18
24
31
4
42
48
51
58
58
61
68
88
68
77
88
88
88
M !)01
5
10
11
12
14
23
25
28
38
37
Mi 63
43
48
88
4#
88
57
65
79
84
86
1004
9
22
25
31
30
49
53
55
56
58
60
66
69
70
72
83
87
88
93
94
95
401
9
27
3
33
37
50
53
i 57
88
8*
48
1162
70
76
77
78
85
95
' 97
98
1207
12
24
25
27
39
40
45
63
64
68
69
74
80.
83
86
87
,88
91
82
98
1300
1
7
15
18
47
19
20
38
38
41
49
51
54
88
60
61
68
70
48
408
48
208
48
88
48
1374
75
83
88
97
1404
5
9
17
23
28
27
29
41
42
W
81
53
55
64
65
07
80
8
84
8S
91
93
1302
7
>*/.
10
11
48
16
30
35
38.
43
8
54
68'
62
78
79
83
9ff
W
4.r mu
21
27
33
37
46
47
49
:o
55
43 4832
33
38
39
43
."i I
60
61
67
4
- 58

M
59
70
81
83
89
93
1707
11
81
33
38
38
40
40
47
31
56
87
59
78
80
87
89
90'
93
96
97
P*
1802
4
8
9
I
12
a
F

48
E3
- 86
'.::
94
97
98
-1909
19
20
21
87
35
.38
43
m
m
71
72
74
75
79
89-
91
98
W
2000
t
8
W
36
40
49
48
i 85
20j
48
_
61
64
79
81
83
87
c
94
99
2102
10
33
34
36
37.
41
43
47
57
60
71
79
80
64
84
85
90
93
99-
2206
7
18
31
35
3fl
45
W
m
59
85
88-
60
88
7f
90

1 2306
-I- 7
9
10
11
13
17
18
20
24
31
32
35
44
46
51
M
7<)
71
78
83
84
93
23
24
26
37
49
56
61
3
f 64
* 66
** 78-
73
74-
78
85-
88
89
I 91
98
P 9B
2800
9
6
7
m
43
8
48
Mt
:$ =
48
2028
. 48
2521
23
'i-,
8#
48
30
33
34
39
40
46
55
:;k
59
60
61
66
70
a
2604
5
11
13
14
15
1
38
52
56'
62
94
2703
8
11
16
18
32
34
.
.17
40
41 '
50
52
55
55
60
84
88
48
8*
48
2765
68
70
71
75
80
86
87
93
99
2802
3
4
C
7

20
7
29
32
;38
44
45
49
55
56
60
64
70
72
77
88
86
2905
14
Vi
18
32
3*
3
30
42
8T
58
84
8
75
76
78
48 2984
88
__ 1 93
98
3010
14
19
22
34
37
- 38
41
52
88 68
48 70
71
90
3 KM
-w 11
*- 13
20
27
28
33
38
40
1 46
471
56
~ 08
*- 63
* 68
208!
48
72
84
93
94
97
98
3281
8
12
30
49
*
38
1
62"
jia. iio.
88 3264
48 73
77
80
88
91
94
95
97
- 3300
M 1
88 2
48 4
5
9
, 42
15
9i 18
48 . 21
__ 32
_ 34
, 35
__ 1 3
__ 38
., , 58
__ 71
, . 3 77
rtJh 7K
J . 87
88 90
lOf 93
48 3400
i 1
__ 15
t M
10
4*
\ 25
31
37
43
-P 18
53
85
06
71
72
77
80
-f ***
NS. PREMS.
3485
96
98
3508
21
38
39
31
33
42
59
65
66
68
71
74
78
85
86
91
94
.1603
9
11
12
31
41
42
s
49
.f
54
88
62
70
80
8!
88
87
89
90
91
99
3700
i
5
K>
ft'S. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS'

"
Jl
J-JMO



Diario -
-
UTTERATUM.
Jo
V.
% o Brasil
Mais um motivo de gaudio
A brasilea nacfio;
Venceu o brasileo gladio,
Marcha avante o pavilhao:
Villeta nossa. e Angostura
Nada resisto bravura,
lns lillios de$|e paz:
Lpez e os feros escravos
Fogem aos golpes dos bravos
Olio os buscan nos seas covis.
Mais dous feitos rutaiilcs
ElB nossos fastos de guerra!
ous episodios brilbantes
Pos sanies da patria trra:
Mostra garra e dente a lera,
Mas, si acaso nos espera,
Sangrada Dea no chao :
Km (planto os brasileos martes,
NM vencidos baluartes,
Vao plantar o pavilh".
SolTrcmos I sim! mas que aporta
Si atrancamos victoria.'
Si a fera nao ola morta.
Temos palmas, temos gloria:
Sempv com brio, e pujanea
O fusil, a espada, a lauca
Colhem no campo Iropheus;
E os Osorios e Caxias
lilustram sons voltios (lias,
Dando victoria ao^- seus.
l'c la pouta da bayoneta
Ao rebombo do canliao.
Ora toma-so Villeta,
E adiante A.-sumpcn...
As fieras fogem (cridas
De nossas armas vencidsa.
buscando novo covil!
Loucnra: pois nossos bravos
llo di; a fera e seus escravos
Trazer presos ao Brasil.
Novos hymnos, novos cantos
Domos a nossos soldados,
Que sempre ein combates tantos
Se bao mostrado denodados!
Gloria ao povo que lia sabido,
Tornar o nome lusido,
Do nosso charo paiz:
Da lana retumbe vea,
Para louvar os hroes,
De tantos feilos gentis.
Nesses lomos conquistados,
Por bravos filhos do povo,
Cor tanto sangue regado
Se veja um futuro novo!
Peta uiao da lieroicidade,
0 allar.da liberdade.
Venliam ellos adornar:
E possa o Brasil gigante.
Marchar sempre triumpliante,
Gomo livre. ao seu lugar!

Quem contemplar o Amasaras,
Gigantea correr ao mar
E o PrataCar outras zonas
Nossa grandeza a mostrar
As serrasnuvens rasgando
E o gigantedormitando
Fraco se pode sentir ?
Gomo o cndor abra a aza
E junto do sol me o abrasa,
V seu casto desferir!
0 Sterno fez-te gigante.
Mea lindo e nobre Brasil;
O' nao fiques vacillante
Entregue a marasmo vil :
Crc ein ti! Tens no teu seio
Para sair doste ealeio,
Forcas de mais, lutar!
Olha as estrellas do Norte,
Gomo despresam a morte,
Sempre grandesa a marchar.
Ilastea da liberdade
O nobre, heroico pendi :
Voe da aldea cidade,
V da cidade a naco!
Dos filhos em cada peito
Seja um so pensar acceilo,
Haja somente um querer!
' Ver-te grande, respeitado.
Itico, feliz, estimado,
E sempre, sempre a crescer!
Eia, Sul I patria bella
A" um nobre porvir te lanca!
Inda precisas tutela ?
E's forte, nao 6s crianca!
Altiva contempla os ares,
E sobre trras e mares,
FOLHETIM
VTHVRIVl
POR
Jules Sai idean
VI
Innocentes conversas amor e
rlnganc.i
(ContinuacSo do n. 10)
Se em algum tempo iiouve na trra amo-
res puros e castos, agradaveis a Deus e
dignos at da inveja dos anjos, de certo
eram d'esse numero aquelles que o malva-
do Robineau to grosseiramente acabava de
denunciar colera de seu amo, para o
qual o nome de Francisco Paty j era sufri-
ente motivo de colera.
Vem, pois, a proposito o contar-se aqui
succintamente o que vinte annos antes se
dera entre^ o parodio de S. Silvano e o
castellao d Rigny.
Havia pomo tempo que Francisco Paty
fra para aquelles sitios tomar conta da pa-
rochia. Desde logo eomecou a distinguir-
se poi aaas boas obras, e nao se falla va em
S. Silvano c nos arredores seno da sua
ferwrosa caridae, evanglica tolerancia e
adoraveis virtudes.
N'esta poca a joven condessa de Sou-
gree, ferida.do mal que fuma de a preci-
pitar no tmulo, sena approximar-se ra-
pidamsnto o termo da sua penosa peregri-
naco. Cada dia que passava lhe leva va
uin despojo. Ainda assini, naturalmente
piedos i e aproveitaudo um resto das for-
ras expirantes, ia ella de vez em quando
uvir ndssa igrejada parochia, isto quan-
do seu mai ido eslava ausente, porque o
cjnde, mais implacavel do que o carrasco,
o qual nao recusa os soccorros da rejigio
aos criminosos em caminho para o suppli-
cio, prohibir a sua mulher esta coosolacao
suprema.
da ten pavilha
lid<>,
leus 'braco foi
Tens forte, robusta mao!
io mundo absorb
le! quero hi
O ni'ii passado .-st-i morto,
Meu pon ir val c imeijar!
iveivm ftllios fracos,
Aqo
im belier novo ardoi !
i sol() Perhmbucano,
Desti sol americano,
ItetVln; vida o calor!
i uestes palmares
.. canto- de victoria '
Vejain fastos secutares
One fallara dfl forra c gloria!
AH ifhr o Gnurarapes
Vera i os indios Taraps
Por tena a Uollanila prostar :
C dt-sile enfilo livre e forte,
Hir-se esta tena da morte
E a liberdade adorar!
A liberdade! esse anjo
Cholo de b'rilho c de lu/,
DesciJo com Christo: archaiijo
QiA lem por timbre una cruz!
Hue diz nos potos: Se grande
Ao hornera: Ergue-lp e ande!
Ao fraco Tera ereucj e fe.!
Ao e-craso-- Ri bondadoso,
I", ao lyraunu odioso
Esmaga a fronte com o pe!
i V
Tenliamos f! N'esta era
Nao podo o erro imperar!
Occu ta-se da luz a lera,
Tem a justica um altar !
Den.- sorri-se a cada bravo
Esterille a moao escravo,
tj sul traeos de luz...
Ergu -te. pois, triumpliaiilo
Impeiionobre, gigante
Que leus o nome da cruz!
Mas um motivo de gandi
A brasilea naco!
Venceu o brasileo gladio
Marcha ovante o pavilhao!
Villeti nossa e Angostura!
Nada resiste a bravura
Dos [ihos deste paiz...
Lpez e O feros escravos
Fogei i aos golpes dos bravos
Que os buseam nos seus neis.
de Janeiro de I8'9.
O troca-tintas
mador o falso testemunbo. Alm esore-
ima iiiftAI Ib Mhetc
madBvMeTg, mimo flo^dmar qm
{ara. e delicia d > mortal que o recebe.
Mascara-se de pelo a extreoiidade do,
do mximo da cozinheira que fabrica lenta-
mente o rol das compras, e do estudante
de ralligrapbia que faz riscos na escola...
Em todas as rousas differentes e oppos-
las se aeham dentro de um tinte
CaMear essa,-diversas'jtiiitas, cada urna
das maos (leve -ia ter' Uma cor especial,
confundi-las, remese-las, c tirar d'esse li-
quido nico, de finta le cores tor-
tadas, urna escripia desbotada, gne temap-
parenciasde honesta o laivos do infame, o
que no finido (odas se nao sab nunca
qual seja mais, se inepta. e intil, se pre-
verla,tal o uiister do troc-lintas.
Escreve de gracn em todos os peridicos
em que lhe deixau melter abico dapeuna,
e collnbora mais ou menos era quasi todas
as follias. Os seus lucros nao resultam do
mrito do que escreve, mas sim da impor-
tancia do que se lhe manda escrovei. An-
da quasi sempre assalariado pelo deleito.
Pdc-se chamar-lhe o jornareiro da male-
dicencia. E" o caar por onde se introduz
quem quer realisar una operacao torpe,
que se chama ein Portugal -boba- urna
eousa ;i folha.
Verdaderamente o que elle vem a fazer
nao rscrrrcr, ( bular. ^^
Bola o que so lhe manda: flm elogio ao
talento de urna atriz estpida ou aos xaro-
pes de um envenenador arvorado era boti-
i ,n o; urna calumnia a tuna senhora hones-
ta "(i um insulto ao pretndeme mais pode-
roso de um lugar a (pie se abri concurso.
Pequeo, abjecto, mesquinho, anonymo,
invishel, este ente julga-so preterido por
todo aipielle ijiie compiista para si urna po-
sico e um nome, c considera como um
rouboque se lhe faz a posso de tudo aquil-
lo qiie fo pertenec- a outro. Segundo um
calculo que imaginou, devia de ser para
elle o charuto que tenho nos beicos, o pa-
leto! que comproi, o cha que tomei em pe-
ipieno. a instrucoo que adipiiri, o empre-
o que exerco, a (asaque aluguei, o apel-
lo de mlioque rae deu um amigo, e o sor-
riso com que me rumpriinentou urna mu-
lher. Se me aproximo d'elle percebe effec-
tivainenle. ainda que de um modo indeter-
minado e vago, que lia entre nos ambos um
crime. E elle que (leve arrancar da faca,
ou sou eu que tenho de o calcar aos ps?
Na poltica, Girardin sarrafacal, Carrol
asueiro, opposico a todos os governos,
excepto ao de mu tolo audaz, enfunado no
seu destino como macho liteireiro na sua
colleira de chix-alhes.o qual tolo paga a tres
tostos o palmo a prosa com que o Iraca-tra-
as vai abrindo a pinotes o caminho do ca-
pitolio ao palafreneiro pimpao que o tem
te despresivel ede estotra baixi, ponpie so
n essa penumbra poder fulguiar o morro
morlico da sua individualidado, e s esses
sujeitos poueo pechosos acoitaio as sujas
mos que elle mes estende pai a direita e
para a esquerda com meneos protectores.
Na lingua portugueza o troca-tintas prova
a necessidade da preciosa pa'avra que o
define e explica a existencia de dous ou-
tros qualilicativos (pie em honra sua se fi-
zeram para elle se conservara no voca-
bulario nacional: o de mfardana e e
.pvllia.
Ruma I lio O'Hiji.i
i argo'a.
Ha lypos que so existem em cortos pata* Em critica litteraria abunda na opinio
e para cuja designa^) so ha vocabulo emjdosque enteodem que um escriptor s tem
cei tos idiomas. j boa pota depois de morto e que a canoni-
(Hroca-tiritaseessenciabnenteporluguez'savao do talento, assim como a da viitude,
RefroHpecto poltico le I stH
III
(Do Jornal do Comnwrcio do Ri)
fkpublica Platinas.
Encerramos a nossa revista o anno pas-
sado deixaiido esbocada a largos traaos, no
seguinto quadro, a situaco das Bepublicas
Platinas, as quaes vinculamos o Paraguay :
O Paraguay, repblica platina, pelo
concurso das aguas do seu principal rio,
aniquila-se em una guerra de que tem tildo
a ganbar, sendo, como lia de ser, vencido,
o tudo a perder, se se dsse a hypothe se
inadmissivel de sabir dola vencedor.
t A Confederacao Argentina opulenta-se
com a guerra, porque o ouro com que a
fazemos fica principalmente no seu seio, e
robustecer-se-ha com a victoriaj que cer-
ta, e que a livrar de passar por] formidavel
e profunda rcvolucSo, at ameacadora da
sua integridade.
A Repblica Oriental do Ur iguay guer-
rea a anarchia c os odios das si as proprias
faecues, guerreando o dictador do Paraguay,
e, naturalmente, lgicamente se
do Brasil e no Brasil confia,
porque o imperio americano
approxima
i faz bem,
a primeira
le...
eoar, c um
lea nos equi-
de seclo
la Europa,
lizatrom na
curto pe-
do pro-
,'dades vo
Em nenhuma outra lingua existe palavra
correspondente aquella com que nos repre-
sentamos a iiacionalidado extrema (Peste
individuo.
O troca-tintas nosso como o vilello de
Lafoes,
como o
Cacilhas.
Tal qual o seu nome o est dizendo, esse
liomem vive do tinteiro assim como a ostra
da imruunda babuge da mar vasante.
Ficon no tinteiro a phrase com que os
escritores allndem ao silencio que impor-
ta guardar a rjspeito de cortos assumptos.
O troca-tintas loma conta do que deixou no
tinteiro a prudencia ou a reserva do escrip-
tor. Por tal nodo s diz quanto devia ca-
lar, s cala quanto devia dizer.
Quera o Garrett que a formula /coa no
tinteiro Msubstituirse por esta: fkou na
gazeta.
Hoje effecthament nada fica no tinteiro:
a gazeta diz tido ; o troca-tintas, fazendo-
se jornalisla, embebe-se na borras do tie-
so pode ser decretada depois de dez airaos
deccorridos em cima dos cheiros que deitou
a cova do beato. O mrito de um livro
toiiia-o da sua raridade. Por esta escala
considera-o tanto melbor quanto menos gen-
como o Dacorraho. Aleralejauo, te 0 conbecc, e s absolutamente bom (mari-
de do de todo em lodo muguen o lea. Nisto
nao faz o troca-tintas mais^do que tiraras
ultimas cousequendas dos principios esta-
belecidos por varios doutos padres mestres
de taes casos..
O trocatintas raramente admira porque
lhe escaeeiam os dotes de percepeo e de
sensibilidade. mas quando alguma vez isso
lhe soccede nao o confessa a ninguem.
Esta admiraco que se cala infame. O
escriptor que abafa o grito da sua consci-
encia para esconder o louvor mais pre-
vorso do que a mulher que estrangula o fi-
Iho das suas entranhas para esconder um
rime. Ambos violara as leis sacrosantas
da concepcao, ambos esmagam o sagrado
principio da matei nidade, um no pensamen-
mendoliquido 3 enxuga, como ave nocturna ? ou,l na &**& este para escon-
miaa no ,^,^y,t^ir^ ^-~, der o
em lampada sagrada, os repositorios papa-
centos d'onde fugio alado pela escripia o
divino pensamento.
Ha tinta que Ilumina e tinta que suja.
N'uma tinta molham a peona os pensa-
dores e os postas. N'outra atolara-se as
moscas, empasta-se o p e enfolla-se o bo-
lor. D'aqui, mensageira do amor c da sau-
dade, sai a carta da mai lacrimosa aofill 10
ausente. D*ali rasteja a carta anonyma
mais criminosa que o punhal e mais prfi-
da que o veneno. Cora aquella tinta chan-
cella-se o premio da honra e o galardao
da virtude. Crai est'outra firma o calum-
E' que o cul :o do Deus que veio ao mun-
do para consolar os afilelos e libertar os
escravos nao podia ser agradavel a um
cruel c barbare senhor I
Succedeu que n'um domingo, depois de
missa, a condessa tivesse um deliquio, que
fez com que toda a gente se aceresse
d'ella, tendo final de ser levada para o
presbyterio. E'esde eutao deixou de ser
um mysterio fara todos a maneira pela
qual o marido itratava, epor isso crearam
por aquella jovta e bella infeliz o maorin-
teresse.
Para logo se estabeleceram entre ella e
Francisco Paty sinceras sympathias, fazen-
do-lhe este mudas visitas, j como padre,
j como amigo, gracas ausencia do conde
de Sougres, que se retirar, deixando sua
mulher sob a vigilancia do seu bel Ro-
bineau.
Francisco Paty nao era s um excellente
coragao, era tanbem, como j dissemos,
urna alma terna e potica, um espirito ele-
vado. Nao havia muito tempo que vira
fallecer sua irma, e essa tambem prema-
turamente. Mu tas vezes meditara elle com
tristeza sobre o iestino das mulheres; com-
sigo mesmo devorava amis amarga dr
ao pensar n'essa cohorte de sombras amar-
guradas que passam chorando a sua pere-
grinacao na torn. Amparaado-a com a es-
peranca naJPrt videncia, esfor<;ava-se em
restituir a vm i W j murcha vergando
na baste, e talve.s com a ajuda d'esse or-
inal, o que um tanto attena, aquel-
lo para esconder o bem, o que mais ag-
grava.
No amor o troca-tintas'procede por asse-
dio e por amea^a. Estes meios estratgicos
e insidiosos emprega-os elle ordioariamen-
te nos palcos e nos camarins das actrizes e
das cantoras, as.quaes muitas vezes sacrifi-
cam gloria, pondo os seus encantos no al-
tar da gazetilha apologticatremendo hr>
locausto, tanto mais grato divindade que
o recebe quanto mais nqjento e rcvoltanto
para a sacei-dotisa que o effectua.
Na amizade procura a convivencia de gen-
sentinella interessada que vela pela sua in
dependencia o pela sua iutegrida
Mais um anuo se acaba de es
anno na vida dos povos
vale, pelo menos, a um quarto
da existencia das velbas naces
visto que fazemos nossa aproa
laboriosa experiencia que ellas adquiriran
custa de innuineros e cruentos] sacrificios.
Este anuo nao passou estril para as re-
publicas platinas. Acontecimentos de sum-
ma gravidade se realizaron nest
riodo de tempo, uns indicadore
gresso que aquellas novas soci
tendo, outros, consequi'ncias logjicas do di-
llicil trabalho de organisacao por que pas-
sam para se- constituirem cora solidez.
Pde-se acbar-se nos detalhe?
mam o fundo do quadro, alguns senes que
constristam e afiiigem, mas no todo ha al-
guma eousa consoladora que se destaca com
vigor, que attena aquella dqsagradave!
impresso e faz ter le no porvir
povos.
Ellos raminham sempre na
civilisaco. sera desanimarem cftm os 0111-
baracos que encontrara, nem.desistirein do
pensamento de seren ^grandes
dos na coiiimunho das naces.
Audazes por natureza,.enthusi
nerosos, proseffuem
alisaC'o desta idea,
o lito de todas as suas actes.
E devem ter orgulho do que
no periodo que tera decorrido
sua emancipaco poltica. Nao l
mesmo a nietade. mas nao
muito para povos to novos, que j apre-
sentam aos olhos dos estran>feiri>s impar-
ciaes algumas iiiAtituicfx's que
contrara entre as naces mais adi
Gomecemos pelo Estado Oriental do Uru-
guay, cuja posic/o na embocadura do Prata
lhe d dheito a esta preferencia. Vamos
laucar rpido olhar sobre a existejncia desta
pequea repblica, que tanto nosi interessa
no anno que lindou. Encontrare nos nella
typos de grandes virtudes e d(
crimes, e exemplos que podem
mximo nostas occasioes, e a maior prova da
cultura destas sociedades o da suaca|)
do parasemelliante regimem decoMd
ercicio pacifico dos diroitosdo ciadruj-
Aquella repblica, porm, peta primeira
vez depois do triiimptio da revoltcao, qne.
linha mudado a sua direceo poltica, era
nobremento consultada pelo illustre gene-
ral (pie salvara as nstluiees no campo de
batalha, e que se despenda do poder coni
urna abnegaco 'que o honrava tanto ou mais
A exritaco por consogiiinlo linha cli.-
gado ao seu auge. O partido adverso m.
governo existente trabauava com anlor para
vencer na lula eleitoral, ao mesmo tem o
que traraaya occullamenle para dernfra-lo.
Por outro lado o partido dominante ;-e
havia fraccionado, e com esta imprudente
djvisao Dorante um adversario infatigavel e
ard loso corra os nuiores prtaos. A am-
bicao de alguns jovens de talento que cous-
titutama fraego conservadora do partido co-
lorado e a maldade de alguns eatiililhos do
mesmo lado poltico eram a causa desta de-
ploravel sLisao.
O general Flores, que tnha assumido a
dictadura por una necessidade suprema, e
que havia exorcido com urna benignidade
sem exemplo, procurando recomciliar a fa-
milia oriental, reconheceu em tempo que
seus esforcos focara esteris, e que so con-
seguio animar o partido Mamo e exasperar
a Iraccao dissdonte do seu proprio partido.
Esto resultado o havia desanimado, arreba-
tando-lhe muitas illuses.
Entretanto os seus amigos ntimos porma-
.neciam ies, e a maoria do paiz lhe lazia
justica. Nao obstante o seu proposito fir-
me de nao continuar a governar, anda qu
' tratos a algtjftn, 2 Borios 90
pplicacrio do torn... 1 florn 3(>
i 1
l'or a.outar com varas, 2 Borras 30 hel-
lor.
Por marcar com ferro em braza as cos-
tas, a testa ou as faces, a florins.
Por cortar a lingua, .ou as on-lbas e o na-
riz, florins.
Por expulsar do paiz qualquer pessoa, 1
florn 30 heller.
Tal era 0. proco, das e.xecus, quando
o culpado nao era bastante poderoso OU
rico para obter a absolvico dos seus cri-
mes.
E.\i:CL'CAO.Refere O Jornal de Noti-
cias de Bibandar, que no dia.20 de dezem-
bro fo executado em Bombaim o mussul-
niano Mohamed Ali, por ter assassinado
sua mulher a 21 de julho ultimo. Casados
Ira poucos mezes, diz aquella folha, tudn
indieava que viviam felizes, p at boje se
nao descobrio a verdadeira causa do assas-
sinato. Em vista (Posta rhvumstancia, o
\\try recomniendou embalde o r.'-u cle-
mencia do juta. Muitos amigos do crimi-
noso elevarais tambem presenca do go-
verno urna petico, implorando a commu-
taco da pena e fundando-se em que Moha-
med estava louco. Feito, porm, o exa-
ine de sanidade, achou-se que nao havia
lugar para tal supposiclo, e fo ento fixa.lo
definitivamente o dia da execucao.
As 7 lioras e meia da manha os ofliciaes
do justica turara prisao do condenmado e
lhe fizeram a leitura da stmtenra. Moha-
med quiz saber por quera fra ella lavrada.
que o fra pelo
que for-
daquelles
estrada da
respeita-
ista e ge-
coin confianza na le-
que os embriaga e
es.
|j fizeram
depois da
tudo, nao
obstante
1 Temlo-se-lhe respondido que o tora peto
fosse ele.to presidente da repblica, era ev,- j(li/ jnsj..ju ajm|a .
lente que elle sena elevado a esta alta diy- M;|S ni()|T0 om ,,onra do vern0
....lado ; porque so os exaltados, que cons- llU m [mn (k. Deus ?
titu.an. .una mipercopt.vel ninor.a, ousavam Nfl0 lla> ,.(,sl)0llli,,am. E o carrasco i..-
combater tio legitima cand.dafura. comb.- (ljcu.||lt, y ca|'ni|l|Kl a ,jl)(|,0
nada pelo povo c aceda com cntl.usias.no. Ml)hanie avanrou 'iminnuranu0 uma pre.
porque se cons.deravao seutr.umpbo co.uo,ce em |)irM]ustaimP, qil0 foi ,P|K.tida por
todos os circumstantes, seus correligiona-
rios.
O concurso do povo foi grande. O car-
rasco fez o seu dever, e o cadver depois
iicoiiirou a i;'"';:-;'"l'-;dealgura tempo de exposic^o foi entregue
posicao num movimento .rrellecl.do de os am s ,,,', jus,Pad,V
seU proprio filho, o coronel llores, que se j_____
rosolveuaconstrag-loe obriga-lo a dosis-! JlsTA rNDEMM8ACA0.-Uma fllba da
t.r de seu louvavel proF,s.to, empregando a|l|;J 0 0rgu|ll0sa A|bion; la,,y i.;|vsabetl.
urna prova de reconhecimento dada ao bo-
niera que pelo seu paz tudo sacrificara.
V vontada reoonhecida do general,fyue
s esperava entregar o poder para retirar-
se vida privada, encontrou a primeira op-1'
para taso a torca de linha existente na capi-
tal, sob seu caminando.
(Contina)
POITCO DE TTJDO.
CASAMENTO DE ANOES.-Ila das ce*
lobrou-se na neja de Saint-Ouen, em Ituo,
o Casamento do ano Radhama, clown da
companhia eijueslre e acrobtica do Sr.
Hancy, com uma ana,?, costureira. natural
daquella cidade. A noiva, por un capricho
de natureza, ainda mais pequea que
Radhama que j era muito notavel pela sua
estatura lillipudana.
Radhama tem 20 airaos, sua esposa 24.
A noiva foi conducida igreja por seu
inno, mas como este lhe nao podesse dar
o braco levou-a jxda mao, como uma crean-
ra, at ao altar.
Assistram a este casamento perto di'
2:(X)0 curiosos.
grandes
servi.-
de
guia pobre huinanidade, rerelando de
quanto capaz o odio pohtico, (piando as
sociedades se habituara luta civil e a
constituem sua existencia normal
I.
Estado Oriental.
Aocahirdo anno de 1867 e a Repblica
Oriental se preparava para entrar na vida
constitucional, de que estava afastada, sob
a paternal dictadura do general Flores.
Em tompos ordinarios semprel uma po-
ca critica a da renovacao de poderes nos
estados representativos. as sociedades
democrticas, principalmente a enervesecn-
cia das paixes dos partidarios al tinge o seu
eleste", quw a palavra de Deus, se
mui prximo de lhe fazer recupe-
a vida, quando o conde re-
0 effeito da tempestade que devia
acabar de a murchar e anmquillar.
Em vista do informales do Sr. Robi-
neauvd'essas .nrorm;ices em que, como j
sabetoos, elle e.-a eminente, o Sr. de Sou-
gres, que senq re fra homem de espirito
vangloriava de nunca ter curvado o
joelho ante uma cruz ou haver tirado o clw-
pona presenca. de ura padre, o primeiiu
acto que praticou foi mandar despedir
porta do castello de Bigny o pa/ocho de S.
Silvano, dizendo brutalmente a sua mulher
que nao tolerava que se recebessem na sua
asa apostlos do fanatismo e jesutas hi-
pcritas. A condessa teve de subraettor-sc
a esta ordem e d'ahi era diante Francisco
Paty teve de limitar-se a orar por ella.
Nao passra muito tempo, quando, por
uma noute de invern, feita a leitura do
breviario e mal tendo passado pelo sorano,
foi despertado em sobresalto por violentas
pancadas applicadas porta do presbyterio.
Ergueu-se c vestio-se pressa, cuidando
que algum enfermo reclamara o seu mi-
nisterio : era a condessa que lutava com
morte.
Munindo-se dos sant03 leos e da sagra-
,da hostia, Francisco Paty parti logo mon-
tado no cavallo em que viera o triste men-
sageiro, porque a esse tempo ainda nao
tinba Annetto.
Estava uma noute horrivel. O vento
norte, acompanhado de uma chava gelada,
soprava com incrivel violencia; o co
estava negro. Apenas a la, cortando
as nuvens de longe em longe, mostrava a
face palala reflectindo tristemente sobre a
silenciosa povoacap. As arvores offereciam
ao caminhante um aspecto phantastico. Os
vdoeiros, tiritando em suas pelissas asseti-
nadas, asseraelhavam-se a brancos jihan-
tasmas, e os caminos, com seus ramos
despidos de folhas sussurrando sinistramen-
te, pareciam esqueletos agitados as som-
bras. Ao rugir da tempestade misturava-
se o surdo murmurio das aguas do Crousa.
A taes horas s vela a j lagrimas- e suffoquei os meus solucos, acre-
ditaram-me paciente e resignada: eu mes-
illa me suppuz assira ; mas, prxima ao i peito, ouviado-a e imploraii(K)
passamento, sinto em mira a mocidade e a | tempo a misericcadia divina,
vida despertadas como que a reagirem...
Ah meu amigo, tenho soffrido tanto, tantov
que nem forjas pera sobreviver Timho passade
como urna sombra, as nao posso dizcn
que emmurebeci como a herva dos prados ; de soffrimentos, naV
essa ao-menos seccouaosol eos meus das de acensar por isso.
.ahitamente, produzndo com a sua As veredas eram apenas, praticaveis ; o ca-
vallo, desanimado, recusava avancar.
Francisco Paty orava fervorosamente e
nao sentia fri, nem chava. '
Oh meu Deus, dizia elle per-
mitti que eu chegue a tempo de ajudar a
morrer aquella creatura que me n5o foi da-
do ajudar a viver I
Afioal divisou no horisonte uma luz, pal-
udo reflejo que redobrayao effeito lgubre
da sombra noute.
dor. Era a janella do quarto da condessa
que assim apparecia as trevas, como o
pharol da morte.
Francisco Paty apertou o passo do ca-
vallo e em breve se apeou < entrarla do pa-
tacio, onde o esperava um criado, (pie o
rniroduzo no quarto da agonisante.
O conde, pouco sollicilo do estado de
sua mulher, achava-se ha dous das nacida-
de prxima, e, posto o tivessem ido, chamar,
ainda nao tinha apparecidb.
O quarto onde Francisco Paty acabava
de ser introdazido era allumiado apenas pelo
brazido quasi extincto dtrfofSo 6 pela luz
ba?a de uma lampada. Respiravh-se all o
ambiente espesso e tepido que circunda o
teito dos moribundos.
A condessa, dedada na cama, junto da
qual velava ama criada, estava iramovel e
mais branca, do que as roupas, que a en-
volvan* j como uma mortallia. Os cabel-
los, amontoados sobre o travesseiro, faziam
sobresahir-lhe a alvidez do rosto. Tnha
os bracos cruzados sobre o rosto eacredi-
tar-se-hia que a vida se affastra inteira-
mente d'aquelle corpo inerte, se nao fosse
o abejar dos olhos, completamente abortos
a luzirem naquelle rosio de alabastro.
O pastor, ao entrar no quarto, perguntou
se j tinham chamado o medico, mas a am
signal da condessa a criada afiastou-se logo,
lie ando elle s cora a moribunda.
Meu padre,disse ella coegada
a minha ultima hora ; sinto que a morte
que se approxima K intil o medico.
Prestes a comparecer na presenca ce Deus,
pedi-lhe que viesse para nos occiraarmos
da minha alma.
Oh minha filha, redarga o pas-
tor, assentando-se ao lado d'ellase assira
, seja feita a vontade de Dous, mas a sua
alma ulo carece/de que lhe mostrem o ca-
minho do co.
Engana-se, meu padre txclaraou
a infeliz n'um accesso febril Nao sou o
que se pensa, Porque devore as minhs
OS CARRASCOS HE DARMSTADT.
Como uma amostra dos bons costumes da
idade media, algumas folhas allemaas pu-
blicara a Si'guinte lista dos salarios que os
carrascos de Darmstadt recHiam pelo seu
trabalho, alm das despegas de cama e
meza :
Por coser em agua a fervor um malfei-
tor, 24 florins.
Por esquartejar um homem vivo, 10 llo-
rins 30 kreulzer.
Por decapitar uma pessoa per meio do
alfange. 10 florins*.
Pido trabalho de rodar o corpo. 3 florins.
Por expor depois a cabera na pouta de
uma vara, florins-.
Por cortar um liomem em guateo, 18
florn.
Porenforcar umeriminoso, 10 ov'ms.
Por enterrar o corpo, 1 florn.
Por empala um homem vivo, 12 florins.
Por queimar viva una feiticeira, 11 flo-
rins.
Por esfolar um liomem vivo, I i floris.
Por afogar uma infanticida mettida rrura
saccor conforme a senten^a, 12 florins.
Por atirar ao montura- um suicidado, 10
florins..
Heresford, deniandou perante ostribnnae-
inglezes a companhia do caminho de ferro
do nortee oriente, afim d'obtor reparace-
de dainos o prejuizos causados por os fe-
rinientos que reeel.era na mesma linha for-
rea.
Ao ebegar o trem a Carlisto, e no momen-
to em que acabava de passar, lady Elyza-
beth pedio a um dos guardas que a ajudasse
a descer do wagn era que ia, pois conce-
dam-se 9 minutos de demora. O guarda
estraleu-lhe a mito ; mas n'esse momento
o trem principiou a andar, c a dama veio
ao chao. No dia segrate caldo docnte, e
desde entao nao pode ainda restabelecer-se
completamente.
Antes de terminar o pleito nos ribunae*
a companhia pode ebegar a urna composi-
eao ainigavel com a queixosa. Lady Efiza-
beth Beresford recelieu como comiiensacSo
1:250 libras, ou 525U00 ris.
Por tal proco j vale a pena partir' rana
costella.
ARTE DE FURTAK. Diz o Freiudenbktf
tk. Viemia, (pie o proprirtario de uma C'l-
lecco de feras descolyrru ran engenbos..
ineio de introduzr o contrabando em Fran-
ca. Escondeu relogos de Genebra na pa-
bia da gaiola de un casal de lee*: os guar-
das da affandega francezes jidgaram pruden-
te nao se approxmarem muito deates ara-
naes, e o* relogios chegaram sem (ligo ao
seu desuna
CANAL-I* SUEZ.--Na* abras do canal
de Sm reinagrai.de actividade: actuataiento
o., upain-se alli 17:000 operarios, nao fal-
lando as desbaslacoes que se fazen por
meio de apparelhos nos pequeos bgos
Amargos e nosSerapium e p^meio tfewa-
gons a caminbos de ferro; no Chalaufe os
empresarios t ero empregados- 70-dragas de
extraordinaria forra, que trabaiham de da e
de note. De sorteque de 65 ndllies de me-
tros cbicos que era preciso arrancar para
abrir o canal, nao ha mais que 20 milhoes.
sto menos de lOjmezes de trabalho.
Pode pois contar-se que a inauguracio
solemne do canal se verificar positivamen-
te, como se disse no mez de oulubro de
1869.
Paty, repassado de espanto e compaiso,
all estava com a fronte inclinada sobre o
ao mesmo
nem ura raio de sol os atmeceu ... E
agora qpe torturas que experimento!... Se
a virtude nao passa de ser uma v palavra!
Se aresignacaouma-baixeza e a felicidade
o nico fim a que as creaturas devem attia-
gir !... A felicidade, o amor,a mutua affei-
co, os doces gosos, o cahir da noute i
sombra dos bosques, os. temos protestes
trocados sob um docel de estrellas serenas
e brilbantes... Oh Deus implacavel, se
me tnheis reservado tal sorto, para que
modestis uma alma capaz de todas aquel-
las felicidades ?... Meu padre, tenha com-
paixo de mim ; tranquiliise esto coraco,
livre-me n'esta hora suprema da terrivoi
necessidade que elle experimenta de incre-
par o destino, de Masphemar contra os de-
creto* da Providencia !
Assim fallou tongo tempo com a deliran-
te exaltado de uma alma vida de felicidade
e que, prestes a abandonar a vida, sevolta
desvairada para as saudosas pratas que ve
fugirem-lhe, sera que jamis lhe fosse dado
approximar-se (Pellas.
Arrebatada pelo desespero que a consu-
ma, deixou trasbordar os jorros da amar-
gura que encerrava no peito: tudo o que
at alli oceultra, as magoas que soffrera,
os tratos crueis que experimentara, o longo
martyrio porque passra, tudo narrou con-
torcendo os bracos, e em quanto assim ia
majdizendo de Deus e dos homens. impre-
cando o co e a torra, o vento sibillava
atravez das portas, a chuva fustfgava as
vidracas, os cataventos rangiam sinistra-
mente sobre os varoes de ferro, e Francisco
Quando a joven condessa, extenuadvse
calou, o bom pastar, com voz triste e ma-
guada, exetamou :
Minha filha. se a vida um comoslo
a Deu* que temos
Deus fez o que pode
para que a sua creatura fosse feliz: foi o
liomem que, desconheeeno os beneficios de
Deus, adutterou a obra do Creador. Creio,
com efleito, que a felicidade o fin para
qual a huraanklade tende e deve dirigi-se.
sob pena de nao cumprii a sua niisso.ma-
a preco de muitas provacoes e sodrimen-
tos que ella pode esperar o ingressO' no ca-
minho que a deve alli condtizir. Para sabir
triumphanto dos mil escolaos qne se lhe
deparara, forcoso que eHft tenha, como a
regto, seus martyres, o assim que toda
o que sotfrc, geme e chora, concorre, sera,
o suppor, para esta grande e mvsteriosa
obra da Divindade, Nao se d hoje um
grito de desesperacao ao qual no futuro nao-
corresponda, como echo, um grito de ale-
gra ; uo se derrama hoje ana lagrima da
qual nao deva um dia brotar um gozo. E"
por isso que a dor santificada, porque as.
lagrimas sao abencoadas. A humanidade
filha de Deus ; portante, em voz de amal-
dicoar as suas torturas, tenha reeignaco
para ellas. Mais tarde, do alto da vida
eterna, rcgozijar-se-ha ao contemplar e ou-
vir os cnticos de amor e de liberdade a
subirem om coro da torra para o co I
Assim foi usando de docesHwlavras para
tranquillisar o tumulto d'aquella alma irri-
tada, derramando gota a gota sobre aquello
coracSo dilacerado o balsamo das consola
c5es christas.
(Continuar-se-haj



T1T. DO DMKIO-RM DAS (RIMS R, 41
MimiADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQGPXCMHR_LOSIUP INGEST_TIME 2013-09-14T03:39:22Z PACKAGE AA00011611_11743
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES