Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11742


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I


" "' -
t '
I4PMB
HHH^HMb^H
r
.f))P>
X u I
PAPA A CAPITAL E LUGARES ONDE NAO SE PAGA PORTE.
Por tres iw/a's ai] untados..................
Por seis <| i los i(li.'in....................
for um anno dem....................
(WOOO
SOOO
2i;5000
320
SEXTA FEIRA 15- DE JANEIRO DE 1869.

PARA DENTRO E PORA DA PROVINCIA.
Por trt's itmts adiantadns.
Por seis ditos dem.
Por nove ditos idei
Por una anuo. .

(M7BO
20,5250
27;>0OO



Propriedade de Manoel Figueira de Faria & Filhos.


L
SXO \iiti\TKH:
Os Srs. Gerardo Antonio Alvos A- Filhos, no Para; Gonralves- Pinto, no Maranliao: Joaquim Jos de Oliveira, no Ceai; Antonio de Ionios Brapa, no Araraty; J^
Guinaies Pancada, em Wamanguajie: Antonio Alexandrino de I.iinavna Parahvba: Antonio Jos.'- Gomes, na Villa da Pcnha: Hclarniino dos
ein Nazaretli; Krancino lavares da Costa, eiii Alagoas; Dr. Jos Martins AlvAna Balda: e Jos Ruteno
PARTE OFFICIAL.
Ministerio ila iiimim.
Commando era chefc do todas as forras brasiloi-
rasem npwncca-contrn o govcrno do Paraguay,
ju.n ti-l general fin frente Lomba-Valeniiua. (i
de dezembro de 1868.
Illiu. c Exm. Sr.Do boletan do exercito datado
de 19 do corrcnte. que tenho a honra de reraotterl
incluso ver V. Exc. que. emcoiisequcnria do re-
eonnrcimeiitos a que pessoamtcntc proced, julguei
conveniente ordenar que na noite de 17 para 18 ti-
vesse tugar mu moviniento goral de nossas caval-
larias. tanto peto flaneo esquerdo, con pola fren-
te onde se hetava postada a Vanguarda das forjas
inimigas, que me parecen estar com o flaneo dir!
to ao ar e desabrigado.
fina r.ilinima de eavallaria eommandada polo I
brgadeiroJoad Pfcinor-I Menna Barrete semita pela
esqperda, tendo chegado aos hipares denominados
Cptala c Arcana, distante apenas legua e melado
Serr Leao, nao tendo encontrado poreo ronside-
rave! de gado que valosse a pena arrebanhar, mas
tendo deparad > om sen trajelo com ni.iis de d-ia
mil familia- |iaraguayas que, porordem recente-
inenle recehida de Lpez, ahanilona\ain clieia* de
susto e de terror sen- domicilios, procurando in-
ternareiii-sc.
o< esfon.-o? que empregaram o brgadeiro Menn
Barreto o ro evito, poh tpic essas familias, em militas das
quaes forain adiados feridos do combate de'8 c da
batalha de II dn corrente. se tianquillisaratii yol-
tando a gen* lares, por se Bies dizer que uials uo
teraessem qncLopn por alli passasse.
por sin bravura c calina o brgadeiro cintho Ma-
chado Uitteiicourt. conimaiidantc da vanguarda,
que, apesar de doout > e com um vesicatorio iber-
io, tomn parte no tombate se nanteve no seo
posto de honra.
Estando o inimign completamente sitiado na sua
postra) da Lomba atentm. sen poder ter outra
retirada que nao soja pela malta de sua retaguar-
da, que est tambeni rujiada pelas torcas di coro-
nel vasco Alvos, e ni i rend durante ludo o dia e
nonio de 2 o 2.1 cessado o logo de fuzilaria e ar-
tilbaria de nossa parte, nem diminuido a resisten-
cia do inimigo, julguei opporluixt mandar parla-
mento s suai liuias no dia 2i, c un una intima-
cao a Lpez, feita por mim e os generaos Gellv y
Obes e Castro, nos tennis constantes da copia que
tenho a honra de t ausnultir a V. Exc, ipial
responden o dictador pelo modo que Y. Exc. ver
do proprio original, que junto encontrar.
marchemos contra elle, e nesta batalla teremos
ihi'lad i nossas fadigas e privaaBet.
O Deus dos exercitos est comnosco. Eia I
marchemos ao combato que a victoria i certa,
porque o general e amigo que vos guia at boje
uaofoi venido.Mrquez de Ce
Xodia 21, s 2 horas i a madrugada, que prn
cipiou pelo bmnhardeio da esquadra o alaoflos
posicoes inimigas. c coniquanto S'-jam milito In-
completos os dados sobre a forma em que elle leve
lugar, diroi o que se sabe, prompto a rectificar
dopois os eraos em que tver incorrMo.
() ataque fui iniciado a nossa direita, isto con-
tra Angostura, roiupemlo contra ella, repito, 0
fogo da esquadra e mais tarde o da artlliaria de
trra.
Toda a linha paraguaya era, porm. ameai;ada,
e particularmente dou mandes reductos, em que
o inimigo a|K>ia\ a sua direita, e fonuavam a jkis
;o da Lomba Valentina, por
ataque c
acato de
era inlerna
passo que davaiu custava-li ios un
s. E que o fugo dos Piar guayos
para os
.Mas o;
una quali
- lidade : c era combates como o da
So ratar do dia 2". i boceas de logo mndalas
por mim collorar em baterUdesde a vespera rom- Cubarity. Alm desses liva algons pequeos re-
peram enrgico e sutscussivo h MUbardei sobre a duelos no correr da grande trincheira.
forlilicaco.inimiga, titertdo cada bocea de fogo 501 Os tres coi|os brasileiros tomaram posicao for-
tiros. afm de urna quantidade extraordinaria de mando como um semicrculo irregular em frente
foguetes a roBgrcvo, ; da linha paragnaya : todava o ataque serio devia
(is estragos causado- (orara lunitos evisiveis. No ser pnoieiro contra o centro d'olla, alim de o cor-
ito! delle nossas forcas de novo avancaram sobre i tai e abrir passo ao excrcito argentino que li'-ava
8 o terreno inteiramente desti voravel
Mes.
o brasileiro rene a sua m
w nao menos apreciavel. que
Lomba
tina, decibiva.
Foi assim que depois de algumas horas i|e
lo vivo. que pareca, diz-mu alguein,
descargada artuharia e iul'antaria mescla.la
gou nossa columna da Crete trincheirs
guaya, oconsegnio toma-la.
Porm o inimigo fazendo-sc (brte sobre alsegun-
toivas e obrigou os dorsos a retirareui-se.
Avancaram novas columnas hrasileiras, c por
segunda vez a trincheira cahiu em scu |x*dt r ; no
vo avalaucbe de Paraguas os cabe sobre (Ibis, i
mlros chao ada il>! tem anda de ceder.
Hepete-se o facto i"i U'iceira ver, pn
veze acaso nunca so vio igual encariiicaim ato en-
tre assiillantes e assaltados uns para toma ;, e ou-
Iros para reconquistar a ti'iiiclleira.
ez horas durava es.-a peleja h imerica.e milha-
res do combatenles inortos nivelavam quasi o losso
lea
as ii in lieiras, que havain abandonauo duranti' o
bouibardeio, e ganharam muto terreno para a
fronte, desalojando o i limigo, que di panto culmi-
nante da colima om jue se achara desees para o
lado de sua retaguar la.
A posicao em que o inimigo se acha ciii ver-
dade assaz critica, e to violenta que por isso mes-
m > nao piule durar |wr niuitos dias, e tenho ra-
zoes rondadas para c.vr i vista das declaracocs
Para que a columna do brgadeiro Menna Bar-1,l)S V**, 0 todo o que resto a Lpez d.
reto nao podessr ser hosfflisada por qualqncr Wea 2** "* ?.* "I1"1 :,l tal,';1u.01"1,1 ,ia lv't"'a,1:i
i orlada pela divisan de eavallaria de que e eom-
alm, e logo contra a Lomba Valentina, de nudo
a encerrar o inimigo na Angostura de onde nao
escapara um honieni.
Emquuito q exercito brasileiro alacasse por
aqueile lado, o argentino devia faze-lo pelo oppos-
to, o que obrigaria os Paraguayos a sustentar-se
coinduas frentes ooposto?. Como, porm. pela par-
te dos 009808 adiados o ataque serio nao se. pode
realisar, talvez pela difliculdade do terreno, direi.
unnimes que me teetU sido h'itas pelos prisionci- para nao voltar a esto ponto, que do exercito ar-
" gentino s dous batalboes bostilisaram o inimigo.
sendo um de correntnos, ipie se nianteve galbar-
e trincheira com o terreno adyacente,
talhoes estavara desfeilos, e havia al|
nham a|>enas em pe a forca de duas
uns
conq

iao Mara Julio Gliaves, noAss; Antonio Marques di Silva, no Natal; Antonio Joaijtiira
Santos Bnlco, em Santo Antao; DomfnfOi Jos da Costa Braga,
"lasparmho, no Rio de Janeiro.
repidez
a agi-
Valen-
fogo
1 loa S
I ebe-
para-
ili- stias
quarU
us os ba-
e ti-
mliias.
que Lope contra ella expedsseile i.
na decaval
Lomba, ordene!
que uuia outra columna 3eeavallaria, forte de l.oixi
homeos, ao mando do brgadeirobaraii doTrlum-
pho, lomassi' posicao conveniente, interceptando o
eaiiiiidio e conimunicacao de Lomba, resultando
de-si providencia nao ter sido o brgadeiro Menna
Itarreio |m rturbado no cunqirimento de sita missao, ]
tanto na ida, romo na volta.
A fiiva que tew de op'rar nfrente seglo sol
0 c mi mil ilo c m- i nel Vas i Alvo;, levando n-'-
tru para atacar o inimigo da retaguarda para.
a frente, exociau.lo a melle cjroncl com a maior
oeilcia ecostnmala nrarora a; ordena que rece-
'i'i'a. p-nid i era faga Olu'aos duis carpos de ca-
ra.uia iamiga, qtic disparoo apeaas vio approxi-
martrat-fi nosas forcas, e bateado edesfaiendo
completamente o outro corpo s mesjas arma, lor-
ie d 2M h n-as. di; qaatw lii-iram sabr o cim-
p.i rento e tanlosjn irtos, cahin ti em nosw poder
53 prisionelros, inrluind i-se nesta numero offl-
ciaos, que declararan! que apeaas o scu eomman-
daute e um cabo fmain os nicos que escaparam.
Tendo tratado, on dia 12 do corrente ao dia 18
deeondnzir, do Chaco pfera Tilleta, vveres emu-
ntodes d- gnerra. de que turnamos necessidade,
bera c m de remover para os hospitaes fle Palmas
s Huinait o grande numero deferidos quona-
viamos tido nos das b* e lt. havia eu deliberado
marchar de Villeta com o exercito no dia 19. tea-
do-rae, porm, sido isso absolutamente mpossivet,
pida chova copiosa que desde iiii'ia-uoute coniecou
a cahir. e bem assim toda a maoha domesme dia.
forcoso me foi esperar que as aguas fluviaes cor-
ressem, defxando o terreno mais socco. e por isso
s pude marchar s .1 horas da madrugada do dia
21, tendo antes feito publicar e espalhar pelo exer-
cito a ordena do dia que tenho a honra de passar
s mis do V. Eje, que muto mepenborar se
lhe der sua valiosa apjirovaeao.
Dividido o exercito em duas alas, urna dasquaes
foi posta sob o c tramando do brgadeiro Jacintho
Machado Bittoncourt, e outra sobre o do brgadeiro
Jos l.'iiz Menna Barreto. e asabas ellas bem como
as cavallarias de mea enramando em chefc, dei a
ordeni de marcha, tendo una hora antes seguido
una divisao de eavallaria eommandada pelo ha rao
do Triuraph cora o fim de sr dirigir ao Potreiro
Marmor, nico ponto por onde se poderiam retirar
as torcaz de Lpez, e onde s me dizia existirera
depsitos de muniooes.
0 barao do Triumpho deveri i tambera levantar
toil" o gado, que encontraste e tornear pela reta-
guarda a posicao do inimigo.
Dous piquetes avaneados iniraigos foram sor-
prendidos nos pontos "era que se achavaiii obser-
vando nossos inovimentos, sem que delles tivesse
podido escapar urna s tirara.
Ao approximar-m,- da Lomba Valentina, na qual
o inimigo estova fortilicado sobre urna cnllina ele-
vada, tendo campo aberto pelos tres lados, e na
retal-guarda urna ponto de matto que se presta va
sua retirada, mandei que i, brgadeiro Joo Ma-
noel Menna Barreto, testa de urna divisan de ea-
vallaria. de outra de infamara e de algumas boc-
eas de fogo. sahisse pelo nosso flanco direito, alim
de atacar a linha entrineheirsda do inimigo no
ponto do Piquisiri, commissao que foi felizmente
executada, atacando aqueile general essas fortill-
races de flanco, apoderando-se de 32 canhoes de
differentes calibres, matando 680 Paraguayos e
apoderando-se de una quantidade prodigiosa de
muniedes de guerra, que foram initilisadas, de
armamento de differentes qualidades e de algumas
bandeiras. (l inimigo se concentrou em Angostu-
ra, ficando corlada sua communicacito com as for-
ras de Lombas.
Urna outra columna de eavallaria ao mando do
coronel Jos.Vntonio Correa da Cmara sitia aquella
fortilicaeao pelo lado deVIlleta. tendo-se consegui-
do abnr din cta e franca comrnunicarao com Pal-
mas, d'onde partiram as toreas argentinas e orien-
ta* >. bem como abrigada de ir fantara nossa que
alli Piedra eommandada pelo coronel Paranhos, e o
corno de artillara a cavallo ao mando do coronel
Mallet. forcas estas que ehegaraiu j a este acara
pamento sera nenhum inconveniente.
Quando prosegua en para a frente recebi tara
bem a noticia de que o barao do Triumpho havia
penetrado no Potreiro Marmori\ derrotando urna
pequea torca que ah encontrara, e fazendo a im-
p.irlanlissiraa presa de 4,000 cabecas de gado gor-
do e descancado. 300 <> tantas ovelnas, iOO e tantos
cavallos e, afpum armamento.
Entao lhe expedi ordem de dcixar no Potreiro
Marmor o bravo coronel Vasco Alves, testa da*j
brigada queconimanda, seguindo ogadoapprehen-
rlido para Villeta, e vindo o barao du Tnumpho
cora o resto das forcas fazer juneeao com ogrosso
do exercito. o que por elle foi cumprido sem
nenhum estorvo ou erabaraco.
Mandando atacar as posicfcs inimigas s 2 e
meia horas da larde, por ter silo uidispensavcl fa-
zer descancar a tropa c dar-lae algum alimento,
cncontrei n inimigo a mais tenaz resistencia; mas
ao cahir da tarde a brecha eslava praticada em sua
priraeira linha do trincheiras, tendo-as penetrado
nossas forcas. ap wierando-se de H boceas do fogo
e k bandeiras, sendo urna deltas de seda, e perten-
cente ao carpo de rifleiros, escolta de Lpez.
O reconhecimento do terreno interior da fortifi-
cado me fez ver as difflouldades consideraveis a
vencer para que pudesse o ataque continuar. Gran-
des e successivos capes de matto, onde o inimigo
se podia abrigar e emboscar, grande numero de
arraneharaentos em todas as direceoes, formando
estreitas veredas obslrmdas por montos de cada-
veres, tm na vara mpossivet a manobra de nossas
cavallarias e duvidoso o proseguimento do ataque
p ir nossas infantarias durante a nouto.
Mandei, portante, huer alto, e que sermantives-
sem nossas forran as posiijes que oceupavam, o
que foi praticado. distiogiiiodu-se abada urna vez
m tildante o intrpido liarn do Triumpho. que, Te-
ndiendo no ataque de 21 do corrente glorioso, mas
felizmente ligeiro ferinento em um pe, segote para
Villeta atim de alli lr:.lar-se.
Honteni tirado che gado ao meu tonlieeinnrato
noicia de que iini:- furea de 400 a "iOO hoiuens de
eavallaria immiga, nalundo do reducto, nwstrava
intences de dirigir-si' ao Potreiro Marmor, e bu-
ter um cor|M) de eavallaria que de observacao liz
enllocar era nossa exlreina esquerda, expedi im-
ine lulamente as niccssarias ordens ao bravo co-
ronel Vasco .Vives, que na noile de 21 havia arre-
banhado mais seteceiitas -e tantas rezos, para que
slivesse sobre-aviso i euipregasse todos os uieos
de bater a forca ininiga, commissao <|ue aqueile
(lamente, e oulro da legii> (laraguaya. Esto mes
uio den volta ao ver caliir os priraeiros homeos.
Na primeii a parte do da (21) as forcas baisilei-
ras foram sem maior resistencia avancando, e si-
tuaudo-se em pontos convenientes, obrgando as
a va neadas inimigas a relrar-se precipibulamento.
l'ma boa preza lizeram no enllanto, e foi a de
3.000 cabecas de gado, que os Paraguayos tinhaiii
em pasloreo. e que Ibes foi arrebatado pelas nos-
sas cavbanos.
Pelas duas horas da larde foi que o ataque se
forinalisou.
Nossa artlliaria ioinpendo um fogo vivissiino
foi de igual forma resjioudido. Ao nicsiuo teinpo as
columnas de ataque avancavain contra o reducto
paraguayo no centro, e sua priraeira trincheira.
digno e distiiicto oflicial cumprio satisfactoraraen- O iiiinigo defendia-se eom" tenacidade, mas a
te, cahindo com o miior arrojo sobre o iiiinigo, tropas hrasileiras eslavam possuidas de um indisi-
iua!ando-lhe 200 bornear e apri>ionaudo 3o, sendo vel eiithusiasino. Se alguma vez a metralha ah
que declaram estes que a torca a que pertenuiain
linha por liui explorar e desnibaracar a estrada
por onde Lpez pretenda fugir, acci escentoudo
pie para isso eslava j orgauisado un piquete que
i linha de escoltar, e pie a forca batida pelo coro-
nel Vasco Alves havi;. sido escolbida de todos os
corp)s de eavallaria iniuiga.
abalava. ou fazia recuar, alo vollavam logo com
novo ardor, e os batalboes que, por solTrerein
iniiilas pedas se conunoviain. viiiliamoutros subs-
titui-los.
A soberba eavallaria ro-grandense tomara tam-
lient nina parte muito im|tortante, c por vezes con-
seguio approxhnar-sc das trincheiras. tendo lam-
Poriiiera iimduello uiorte. c curapria ve icer.
U general em chele, iusistiudo itesse terri'el ata-
que, mostrava que o general de tempera leroiea
e de larga ex|)eriencia Elle tinha calrubdo que
alia I a tiiiiclieira seria nossa, e qpe se mi ilo de-
via custar essa conquista, ella sgiufeava 0 golpe
derradeim resistencia paraguaya.
A quinto vez que nossos va lentes soldados toma-
ran] a irincheira. tinha-se aposado delles tanto
aidiineuto. tiue i'oieiu vaoo iomiigo empregar os-
forcos sohfennmans para a recobrar.
Nao ora mais a fogo ileeanhoe de inanlaria
que se pelejava, era a baionela. a lanca, a espada,
faca : ,.i preciso que os Paraguayos monressem
o fugissciu, e moireram intiiios mais ilo i|ie fu-
girain.
Um brado de victoria echooQ entao por
exercito : a trincheira paraguaya eom seu^
iIiih's estava em nosso poder, e 2,(HH> cadav
inimigo. armamento, munices, bandeiras, ulida ha
viam salvado os fugitivos."
Uan-nos costado a victoria 3.000 horneas fura
de Bmbate, mas era urna victoria explend
cisiva, linal de urna guerra de tres anuos.
De fado, o que restova a Lpez (que dikem es-
tar elle proprip ferido em una mo ) eranJ alguna
retaiko* de batalboes de nfantariae reguiatos de
eavallaria. Sua uniea torea no extremo ireducto
que o ampara sin algumas dezeuas de canlies, c
sua uica expectativa fugir durante auoite. oo ca-
do itli-'iii'
o MHrem* o paquete ,tevo, preven.r que nao ^t do baro do TriumplK. que era de
ba notoria algraja do heain, da guerra i..,;., das | %m ,,.,_ ^ '(> ^^ a|
|ue (b-ixo referidas; e tanto mais posso certilica-to
qu.inlo as nicas cartas viudas pelo Alvaro Gimes.
que adiaiitou30 lutrasao- maie vapores, vieram a
mim dirigidas: nem se espera Vtpor do Paraguay
antes de dous dias.
O primeiro que vier dir tildo de una vez : ve-
nda elle breve.
mais df*
00.
feridos, e por toda a
lodo 0
W ca-
ires do
da. de-
hir nuil todo scu material de guerra, e seus
MoxTKvmo. 29 i>k ii::zi:.MBi!it de 1868.
O isiez que est a lindar, e que parece assigna-
lado para a terminaeo da guerra do Paraguay.
tem sido urndigo de glorias e louvor para o exer-
cito brasileiro.
A' bora em que entrevo, provavelmente, estar
representado o ultimo acto dessa tragedia que du-
ra ha qnatro aanos. e que tantas oesgracaa tem
causado i nosso continente, especialmente ao
brasil.
O niarquez de Cavias. de|iois de preparar com
paciencia todos os elementos com que (pieria en-
celar a campanha. e-eiivolveii nina actividade e
cuerna, de que seus proprios amigos se teein ad-
mirado, atteitdendo sua idade, e felizmente sua
boa estrella e o aceito de seus planos coroaro
seus esforeos brilhaiilenienle.
Nao se (tude Joscrevcr ludo quanto tem feito o
exercito brasileiro desde o dia 21, principalmente !
lim unta serie nao nlerrompida de combates san-
guinolentos tem conquistado un a um tintos os
fonnidaveis reductos do inimigo: provocando a
admiraco geral pela inlrepdez com que avanca.
com que se sustenta em posicoes criticas, sendo
varrido pela metralha, mas sbindo senipre, ga-
nhando terreno, e expellindo o iiiinigo i'.eiieraes,
ofuciaes o soldados pnrerein dominados por um
frenes de acabar a guerra, on de cahircm abraca-
dos com a baudeira nacional. De parte a piule
eombato-se com desespero, eom tenacidade. rom
herosmo sem igual, crapeuhando-*c neste duello
de morte os combatentcs em disputar a victoria um
ao oulro. Nunca se pclojou assim na America do
Sul, nunca tainbem a victoria foi mais digna, nem
mais preciosa.
Nossa baudeira trmula Iriumphante. aps lana
pin lia, em todos os pontos do resistencia do inimi-
go, iiiesmo as Lombas Valentinas, onde elle tinha
innmeros canhoes de grosso calibre, defendeudo
posicoes dillicilinias de seren assaltadas. Entre-
lanto ellas o foram e todaaartllbaria que as guar-
necalo ficou em nos- > poder.
Defend: anda um reducto daquella lomba, e
uella se aflirnia que eslLopja.
Nao ha delalhes destas operaces gloriosas. 0
marque/, nao da folego ao inimigo, e nao perde
lempo em escrever partos offlciaes. Ultima a sua
grande obra, a sua iunnorredoura campanii. vin-
ghndta a patria de urna maneira de que podemos
que
Villeta est apinbada de
parte sii se ouvem gamMos.
1) corno de saude do exercito e da armada Heut
feito prodigios.
Consta que morreran o coronel Maranhii, o Li-
no de-coronel ty.rte-Heal e Doria, alm de ou-
ln S : e que estn feridos os majles Eneas Gal-
vao. Tauborini, lenle Ewcrton, e major Ga-
ma, etc.
Horren tamben no acampamento de febre. o
Dr. Garramo, prximo parete do barao da l'assa-
giin.
A uariuha tem leito o sen dever cora urna acti-
vidade que a honra. Sem{sua cooperac.o noss-
general em rhefe nao nodorl ter tan a lemjio o-
recursos de que tem carenlo nestes dias de gloria .
mas tambem detrabalhos hercleos.
Acha-se gravemente doente o 1- lente Freirc.
coiiiinandanle do Barroso. Por esta causa deraui
se dgumas nradanoas nos navios.
I) capilo-lenente" Cunta Netlo foi comnianda
aquelloeneouraeado, o capitoode fragata tioHcal-
\e>, alinal. foi noineado para roinuiandar o Coow-
bo: o Io tenante Lopes diCiu/ para a bombar-
deira Pedro Alfonso.
Nao tenho tempo ionio para 'rausmiltr-lhe esta.
noticia.
O anuo de 1869 comeca brlhantemente para
Brasil.
Concluida a guerra, Mrpi a missao gloriosa de
restaurar a torca do naia, e nata ser, por sem du-
vida, o iiciisamento dominante no novo anuo.
Congratulo-me ruin o gove.rno imperial e com i bem de i-cenar, menos por desanimo dos hoinens.
V. Exc. pidos iin|Mirtaute,s successos de que suc- | do que pelo pavor que se apossava dos cavallos ;
ciiitamente acabo da dar cauta; -me suiuuia-
niente agradavel ver uno o plano por mim conce-
bido diante das dillic il lades que euconlrei em Pi-
quisiri, e que levei ao .onheciniento de V. Exc,
lein sido levado exicuco sera que felizmente te-
lilla falhado em una to ib' suas bases, em un s
de seus delalhes.
Aiiima-ine ao terminar este officio bem fundada
esperanca de que a guerra do Paraguay, que ton-
tas pitases e peripeci: s tem ollerecido durante sua
longa marcha, ter talvez de terminar na Lomba
Valentina, em cuja frente me acho, e onde o ini-
migo concentrou todas as forcas de que poda (s-
pi'ir. anda mesmo de invlidos o feridos, nao lhe
sendo possivel recebir de qualquer ponto mais
gente, quando a tivesse, pela posicao a que nossas
manobras 0 teem re*lvido.
Deus guarde V. Exclllin. e Exm. Sr. consc-
Iheiro de estado baria de Muriliba, niinislro e se-
cretario de estado dos negocios da guerra.Mr-
quez de Ca.rias.
ltepartlce da polica.
2' seccao.Secretaria da polica de Pernandtu-
co, 14 de Janeiro de i9.N. fi.tiln, e Exm. Sr.
Tenho a honra de levar ao conhecimento de V.
Exc. que foram bontem recolhidos casa de de-
tenco. segundo consta das participaioes reeebidas
boje nesta repartirn, os seguintes individuos :
A' ordera do subdelegado do Recito, Antonio Jos
de Brito e Joo Jos de Oiivoira, por briga.
A' ordem do de S. Jos, Benedicta Maria dos
Prazeres, para corro cao ; e Paulo, escravo de Jos
Felippe Martins, por ter sido encontrado depois das
9 horas da noite, sem bilhete de seu senhor.
Deus guarde V. iTiii lila e Exm. Sr. conde
de Bac|iendy.0 delegado enearregado do expe-
diente, JoiTo Hircano Alies Maciel.
descargas de anudara e ifantaria ininiga.
Assim se manteve o combate durante quatro Lo-
ras : erara j grandes as pedas do excrcito brasi-
leiro, quando chegou a divisao do brigadeiro Men-
na Barreto a tomar um reducto, e a priraeira
d'iins solifodos era poder dos vencedores.
Se lsse humanamente possivel que os soldados
' de carne eosso, depois de brigarem !!0 horas sem
comere yi dormir. empreheiHlesseiii mi novo
caubate, acao o marquez tera inconnenle orde-
nado o alaqoe liinnal segunda Irincbeiral para-
guaya : mas alm daquella impossibilidadel sobre-
viudo a noite, hotive que suspender em paite, ao
meaos, a oooranao. !
Lago em parte, por qoe toda a noite de 22 para
2'1 nao descontinuou o fogo mesmo de inlfantaria
Contra as posicoes do inimigo, e na manh: do til-
den a- icr orgilho.
trincheira ininiga. Abi cahiram em nosso poder i timo desses das elle tinha-se vigorisad
atguus canhoes. mas a numerosa torca de infanla-
ria que linha defendido essa trincheira, como mo-
vida por una mola, recollicu-se sbita c instant-
neamente segunda trincheira.
Nao o fez, sera embargo, tao rpidamente que
pardease muitos ceios de lioraens. o que junto a
mais de 2,000 borneas que deixou morios ou fli-
dos na mesiua irincheira clevaram sua peda a
2,300 homens ou mais.
No momento de a assaltarami os soldados brasi-
leiros verificaran! que entre os inimigos inortos ou
vivos, havia muitos meninos de 10 e 12 anuos, e
at algumas mulheres.
Nossos valcntes compatriotas tintiam vergo-
uha, diz ama caria do exercito, de disparar suas
armas contra essas de.-ditadas vctimas do despo-
tismo de Lpez, e liraitavam-se a arrancar-lhes as
armas da mao ou a dar-lhes um empurrao que os
lizesse cahir cora anua e tudo, tirando entoo quie-
tos.
0 triumpho aleancado nasas dia foi da maior im-
portancia ; basta dizer, que a linha inmiga lirou
collada em dous traeos, achando-se soladas ao ().
a posicao de Angostura e a L. a da Lomba Valen-
tina, meoDiendo-se a urna e outra a pouca gente
que antes cubra a trincheira e o reducto conquis-
tados.
Abi seriara unas e outras reunidas, e se da Lom-
ba anda podia escapar Lpez com algum resto de
torcas, da Augosiura nao escapara mais um ho-
rnera'.
Outra vantagem importantissima trouxe a victo
por tal
r-se o
EXTERIOR.
mmioR.
forma que era poucas horas devia-se deci
pleito.
Nesle da (2 ti deviam tomar ama partesana no
combate as forcas argentinas, por nao poden m mai-
de extenuadas dezimadas algumas divis>s hra-
sileiras.
Algn.- batalboes nossos, que estavara con essas
lonas, dous ou tres que guarda va ni a estiada do
Chaco j agora intil, e quanto torca houvcsse dis-
ponivel em llumayl tnliam sido chamada i ao ex-
ercito. c esses dous a tres mil brasileiros, a m dos
5.000 argentinos, que de quanto consta o exerci-
to do general Gely, entrando de fresco romtituiam
um reforco excessivo para o que restara ; fazer.
0 vapor Alcaro Gomes que, saliindo das Palmas
no dia 23 tarde, foi que trouxe as ultimas noti-
cias que acabo de dar, deixou a guerra nesta dis-
posieao.
Era Angostura una guarnico de 300 homens
era o que restava, alm de uns 30 canhesl tollos,
ou quasi todos de grosso calibre. A esquadra de
cncouraeadospela parle dorio, e urna oruj|divisan
brasileir pela de trra cerca vara essa posifo, ea
hostil isa va ni por tal maneira que a todo njomento
contava-se cora ve-la cahir em poder nossp.
Alguns navios da esquadra de madeira e varios
transportes estavara de fogo aceso para sullireiiiao
primeiro signa! de que Angostura fose tornada.
A mais de urna legua desseponto, Lpez se j
nao fugio,encerrado no sihi ultimo reducto da
Lomba Valentina, tinha contadas as suas horas de
resistencia, e o marquez tomava providencias para
ria desse dia qual foi a de abrir a comuiunicacSo lhe por no encalco algumas torcas ligeiras de ca-
BIF.NOS-WRF.S, 21 DE DEZKHHRO DK 1868.
E>ta\a destinado o exercito brasileiro a praticar
toctos desses que sao raros ainda para as naroes
mais guerreiras. Combates homricos arma
branca, assallo de trincheiras por cavallarias, em-
lim, batalhas cuja du:*acao nao se conta por horas,
mas por dias. .
Nao, nao ha como uega-lo ; o pelejar furibundo
de que Iheatro o limitado permetro da Villeta a
Angostura nao tem exemplo em guerra alguma
moderna, porque a mesma Uto famosa dos Estados-
Cuidos empallidece, se se tver em conta que l
eram exercitos a su istiluir exercitos, em um cli-
ma ameno, e cercados de coinmoddades, e aqu,
qur de um lado, quir de outro, a mesma tropa
a combater de dia e de noite sem comer, sera dor-
mir, debaixo de um sol de fogo, e com toda a sor-
te de privacoes.
A pagina que vou esbocar ser escripia algum
dia por penna que a far legendaria ; iguaes nao
as possue nenhuma guerra deste continente.
O marquez de Casias no seu proposito de aca-
bar cora o que o inimigo ainda possuisse em tor-
cas, apeaas receben os mais indispensaveis ele-
mentos determinou atacar as duas posicoes para-
guayas da Angostura e Lomba Valentina, ligadas
entre si, como j disse, por urna trincheira com
mais de urna legua d exteiu-ao, que correado pa-
ralice ao arroio da< Palmas, separa va o ejercito
brasileiro do argenno, inutilisando o concurso
dc>te.
No dia 19 um telegramma do marqueza o gene-
ral Gelly 4 Obes, fazendo-o sciente fle ane nessa
manhaa atacara as posicoes inimigas, determin-
ra-lhe que com as fercasdo seu commando araea-
casse o inimigo ornas seriamente que podesse.
Assim pensou faze-lo o general Gelly, segundo
esc rev ao Sr. Mitre ; mas a ehuva que cabio co-
piosamente nessa mauhaa, embaracoa-lhe qual-
quer movimeuto agg -essivo. Tambem o exercito
brasileiro limitou-se a reconhecer o terreno e a
nier occasionalmen e algum fogo de artilliaria
grossa.
Tendo tudo dispost) para terrivel batalha que
se preparava a dar ao inimigo, e que sem duvida
poria termo a guerra o marquez dCaxias deu a
seguinle proclamar), cujo fecho ser histrico,
pelo toque genial que ha n'elle.
t Camaradas I 0 inimigo vencido por nos na
ponte Itoror e no arroio lvaJBL nos espera na
Lomba Valentina com o restlo seu exercito ;
de nosso exercito para o argentino e para seus
proprios depsitos que tinha as Palmas.
Neasa mesma noite, o marquez communicou ao
general Gelly y Obes que tinha carainho aberio
para avaucar cora seu exercito, e mandou tambera
trazer una resea de muniedes, e uns 330 caval-
los excellentes, que havia lo dias estavam demora-
dos nos navios em que tinha ido, a espera desse
momento.
Sendo muitos, mas nao sendo completo o nu-
mero de toctos de bravura platicados nesse dia,
preflro nao nieneioua-los, para nao praticar injus-
lii,a-. Direi apenas que o marquez de Canias teve
por dignos auxiliares os brigadeiror barao ilo
Triumpho e Menna Barreto, cujas divisos foram
as que mais brigaram e as que conquistaram a
victoria.
Toda a noile de 21 para 22 nao se iutorrompeu
o fogo de artlliaria, e tambem de infantera, sendo
evidentemente a dea do marquez que o inimigo nao
tivesse um s momento de descanso, pois, no dia
seguinle pretenda levar-lhe um ataque decisivo.
Tambera as tropas hrasileiras substituiam-se
por divisos, ou brigadas para tomarein algum ali-
mento e breves momentos de descanso, cuidando
lOM de prompliliear seu armamento e munices.
No dia 22, apenas amanlieceu, o fogo rompen
furibundo parte contra Angostura, o mais anda
contra os fortes reductos da Lomba, onde constava
que estava Lpez com o maior numero de forcas
que lhe restavam e um crescido numero de ca-
nhoes em duas trincheiras quasi paralellas.
Sendo, pois, este o centro de. resistencia contra
elledirigio-se um ataque, no meu pensar o mais
forqjidavel da presente guerra.
Sna primeira trincheira tinha o inimigo 43 ca-
nhoes, e uns 2,300 homens de infantera, augmen-
tando-so extraordinariamente a torca dessa posi-
cao pelo faci de ser dominante, como deixa ver seu
nome de lomba, isto colina que se ergue ex-
abrupto sobre um terreno geralmente plano.
Nessa artilhara sendo, como nao podia dcixar
de ser, inferior em numero e em calibre do ini-
migo, fez contra elle desde pela manha um fogo
incensante, mas era a infantera e por algum dos
pontos a eavallaria, que tinham de sustentar o
combate quanto fosse necessario at vejicenpos
urna trincheira artilhada com 45 canhoes e apoia-
da por outra ainda mais poderosa e elevada !
de-se ataque, que, repito, devia ser o mais formi
davel da guerra .paraguaya, nao contando o de
Curupaity, tao mal succeuido.
Pelos dous pontos, que parecian menos inacssi-
veis, avancaram a principio nossas columnas de
vallara, se elle chegasse a cscapr-se.
Nao preciso dizer eu, pois o dizein bastantemen-
te os toctos, que estando as cousas nt sse ponto, a
guerra tocou seu termo. Perseguir a Lpez fugi-
tivo, c levando por escolta um milhar de,homens
sem urganisaco. sera recursos, nao v mais guerra;
ella deu tudo "que podia dar.
No que eu seria intenninavel se quizegse dizer
tudo hoje, na aprecaco da heroicidade do exer-
cito brasileiro. S o mez de dezembro encerra toc-
ios bstanles para urna epopa.
Esse exercito dando no espaco de 16 dias gua-
ira combates ou antes batalhas de 6 a 30 oras de
duracao; esse exercito apenas alimntalo, hmiii
dormir, sem descansar 3 lloras as 24 de rada dia;
esse exercito soffrendo, pelejando, morreado aos
mil liares de homens, mas triumphandoseiapre
ah! esse exercito deve ser o orgulho da sua patria,
e a honra do nome brasileiro at os confias do
mundo.
0 Ilustre general .que o commanda, o venera vel
marquez de Caxias.lhavia tormado em 45 annos de
vida militar urna reputacao de bravura e pericia,
mas nessa campanha de 18 dias elevou-se faina
de Grant, quanto a audacia, de Peliasier. quanto a
incontrastavel energa. O exercitowlo nao pro-
nuncia seu nome sem entbusiasmo: como nao pro-
nuncia-lo a naco brasileir sem admiraco e re-
conhecimento?
Mais alguns das, pouco?, to poucos que acaso
nao excoda ao que conta este mez, e l ir fazer
todo 0 naiz estremecer de jubilo a noticia, inverti-
da era tacto consummado, de estar linda a guerra.
Enffetanto saudemos aos hroes de 6. de 11, de
21 c 22 de dezembro. Itoror, Villeta, Palmas e
Lomba-Valentina, cis quatro cphemerides, e quatro
nomes memora veis a gravar na memoria e no co-
racao do povo brasileiro !
Aos vencedores gloria! mas a esses milbares de
i 11 naos nossos que deram seu sangue c sua vida
combatendo pela bandeira iritperiaT, que i grati-
do da patria nao os olvide!
A tarefa que esta longa carta me impe a im-
tressao que nao podiam deixar de causar-me os
actos que narra va; cansaram-me, e nao me resol-
vo a referir outras noticias tora das da guerra. A
nica que darei, do paz argentino, que a seu pe-
dido (por desiiitelligencia eom o Sr. Sarmiento),de-
E" usa a sua preoecupaco.
Depois descrevera as scenas heroicas que se tem
passado, e reconunendar grajidao e memoria
dos Brasileiros os bravos que se deWnguii am. e os
que cahiram proslados pelo chumbo paraguay.
Antes, porm, destes successos importantes de-
rani-si' dous factos notaveis, que coivni assigna-
lar, e que indicara aeran fundadas as esperaneas
de que a guerra se terminar na Angostura.
lin dolos foi a explorac^o feila pele general
Menna Barreto at jiertu deuerro-Leon, sera en-
contrar resistencia em parte alguma, nem vestigios
de fortilieacoes. avistando apenas algumas peque-
as partidas inimigas que disparavam logo. Teve,
couiLudo. a fortuna de interceptar uinacolmnnade
perlo de i.OOO familias paraguayas, que por ordem
do dictador se inteniavain, levando eomsigo os fe-
ridos do dia 11. e pode convence-las a vollar
Villeta. demonstrando-Ibes que nada mais tinbain
a temer daquelle brbaro.
Ao mesmo tempo o barao do Triumpho, que ti-
nha saludo eom urna torca de eavallaria para apoiar
aqueile reeonheciiiieiilo, se esbarrava eom dous es-
quadroes inimigos, que sahiam em observacao.
Carrega-los e destrocados foi obra de um instaute
para os bravos Bo-Gradeuses. Cm delles nao es-
perou o ataque e fugio vergonhosaraenle. O ou-
tro resisti, foi cortado completamente e pagou
caro a sua audacia, porque s escaparam dellc, o
couiraandante e um inferior. Os nossos tiveram
fura de cmbate 6 a 8 homens.
Estes acontecimontos tiveram lugar antes do dia
19. e estn referidos em um bolelim do exercito.
com que me obsequiaram.
Aqu e em Buenos-Ayres falla-se com eulbusias-
mo ao exercito brasileiro. Nacionaes e estrangei-
ros fazem jusliea aos nossos bravos, que correspon-
deni eonlianc do seu general em ebefe com urna
dedicacao sem'exemplo.
Nao tem bavido temiio nem para pen-ar era
descanso.
Em quatro dias nossos soldlos nao se teem oc-
cupado em outra cousa seuo em bater-se. Quc-
rem completar a prophecia que tontos vezes repe-
tiram em Tuyuty, d que a guerra se terminara
no anno de nm', isto em 68, referindo-se a urna
pei;a deste calibre que alli existia as bubas inimi-
gas, e que os inconunodava muito.
Falta va m. ao sabir o ultimo paquete, poucos dias
para terminar o anno; mas toniiiem fallava-lbes
arrebatar ao inimigo-suas duas nicas posicoes.
Que ellos conclu rao esto tarefa diz-me o cora-
eao e o confirmar o primeiro vapor que des-
cer.
Honra e glora, portento, ao Brasil, que soube
elevar too alto seu nome no Hio da Prata, mos-
trando que nao se pode zombar impunemente de
sua dignidade. Honra e gloria tambem aos bra-
vos que o vingaram, e que merecem as ovacoesda
patria agradecida.
1 de Janeiro, de 1869.
A guerra est acabada! o grito de intima sa-
tisfarn que sa por toda esla cidade, e que ir
echor no Brasil, produzindo mais prazer ainda.
Mil parabens ao imperio; mil feficitaces a este
povo heroico, que tanto apreco, mostrou por sua
honra, lulando com tenacidade por espaco de qua-
tro annos para deaggrava-la!
Escrevodhe esta carta debaixo da improssao de
um enthusiasmo indidual. As ideas se produzem
de tal forma em meu cerebro, que pereebo apenas
um atordoamento, urna confusao que me dfflculta
o registea-las no papel.
Nao quero fazer una descripcao pomposa dos
successos, que nao teria a eloquencia de urna ex-
posicao singla, tal qual se l no boletim que lhe
reraelto. cuja leiltira pon
jubilo.
Ilio de tlnnelro
3 de Janeiro de 1869.
Pelo vapor ingiez Hiiiipaniiiis. entrado bonteni
to itio.da Prata. recebemos tomas de Buenos-ly-
resat 23 e Montevideo 27 do [tassado.
No mesmo dia 17 recebeu-se em Montevideo o
seguinle telegrannna:
Buenos-Ay ros, 27 de dezembro.
No dia 21 foram atacadas a- posicoes avanza-
das de Angostara,
Toiiiarain-se ninas 3.000 cabecas de gado. t>
fogodurou at s6 horas da tarde, havendi mut
mu tandade. Lpez tem omita aromara. Reo-
me;ouologo de artilhara s 9 horas da noite.
coi tinuando sem cessar al o da 22.
Continua o fogo da esquadra e comeca a arti-
lliaria a fazer fogo contra Angostura. Os Pan-
guayos apresentani-se em Cunibarity; o fogo este-
ve vivissiino s 11 horas.
' Diz-se que Angostura foi tomada, e que Lope/
esrapou durante a noile cora 500 homens. er-
se que. val defender-se em outros reductos imme
dialos.
t As forcas argentinas eslo mwssando o riacli
Pienni7ii, onde est Lpez, e vaoataca-lo. To-
dos os outros reductos cahiram em poder dos al
liados.
Cr-se que no dia 23 estar tudo concluido.
As correspondencias alcanzara at 22 s 5 o-
ras da tarde.
As folhas da manhaa de 27 nada dizein a este
i-espeito. como nao podiam dize/; publicara, pc-
rit. as seguintes penas offlciaes:
O general em eliefc do exercito argentino.
< Quartel das Palmas. 19 de dezembro de
I88.
i Ao Sr niinislro da guerra e marraba, leoenle-
coionel D. Martin de tiuinza.
c< Hoje. s 2 '/? da manha. recebi o telegramnu
que junto remetto a V. Exc. Tendo conhecimento
e\ ra-omVial da operaeao a que se refere este avi-
so desde bontem tarde, j tinha dado todas as
onlens convenientes para avancar sobre a linha
iimiga no momento oppnrtuuo"; a copiosa chova
que esta cahindo desde multo cedo dillic ultou, po-
rm, a operaeo projectoda, ao menos por hoje.
i E quanto tenho por agora que rommunica a
V. Exc.
< Deus guarde a V.
Ole*.
:i O Exm. Sr. marquez
neral Gelly y Obes.
!i Preciso amanha, s
Exc-Juan A. Gelly ti
de Caxias ao Exm. g-
ro o marquez que lomou em pessoa a direci^o"'se ao general Gelly y Obes a exoneraco qre pedio
de eorimandante cni chefe do exercito, sendo no-
meado o general Emilio Mitre, que mais homem
de guerra, embora menos administrador que o Sr.
Gelly.
Uuinu hora.Fechando sta carta llina bora
('.orno se ve do referido boletim, sao iniportan-
tissimas as noticias, e o proprio LoUL que nunca
nos persuadimos de agarrar, corre o risco de estar
j em nosso poder.
Na parte offlcial do general Gelly JT 0
governo, diz elle o seguinle que confirma est
peranca:
muito possivel que como complemento
gloriosa jornada e como conclusao deste gnu
que tautos sacrificios custa. Lpez e os seus eaam
em nosso poder ao terminar este dia (27) to o de
amanha.
0 transporte Bonifacio nos irar provavelnienle
esto importante noticia, para fazer de todo desap-
parecer o receto que se tinha da guerra do re-
cursos. ., ,
Nossas perdas, entretanto, teem sido dolorosas.
e calcula-sc em 5,000 homens tora de combate, en-
tre os quaes se nolam feridos e mortos muitos offl-
ciaes, commandantes de divisao, de brigada e de
corpos.
lia batalboes que estao quasi extractos.
G da manba. approxi
mar-rae de Lomba e Angostura alim de atacar por
esle lado essas posieoe.; e por isso convm que
V Kxc. i mesma hora, ou apenas ouvir fogo pnr
esse lado, anieace a linha de Pequisiry. com todo u
eflleacia que lhe soja possivel.
a Estarn da Barranca, 18de dezembro de 180*.
Francisco Jos de Castro Mattos.
V-se daqui que a 19 tudo estava preparado pa-
ra atacar inmediatamente Angostura, tomando-se
assim muito prava vel, ao menos no fundo, quando
nao seja exacta era todas as particularidades, a no-
ticia contida no telegramma de Buenos-Ayres ci-
ma dado. Com effeito segundo todas as cartas que
vimos de Montevideo a noticia tora alli geralmeni-
rerebida como verdadeita.
O que nos parece deprehender que o_marque/,
de Caxias com o exercito que tinha em Villeta ata
cou pelo lado do norte as obras avanzadas de
l.i pez. em quanto as forcas aladas que ha
viam fleado era Palmas, de combraacao com a es-
quadra que bombardeava Angostura, avancavan e
conseguiain |tenetrar na linha ininiga por este la-
do. Lpez entao retirou-se para as buhas interio-
res, os aliiados de Palmas puzeram-se era commu-
niccao com o marquez, e a 23 ou 24 os ulliun -
eniiihcheiramento* paraguayos seriam assaltado-
e sem duvida tomados.
0 que sobretudo parecera estar dizendo este>
toctos que Lpez jogava alli a sua ultima carta
Que a sorte lhe sera adversa podemos confiada
mente esperado.
J estavara publicados os decretos em que o go-
verno de Buenos-Ayres concede ao general Gelly
y Obes a demissao que pedir do commando do
exercito argentino, no Paraguay, e noma para
substituido o general Emilio Mitre, A Nacin Ar-
gentina aconselha a este ultimo que nao aceite.
As folhas do Bio da Prata do agora por ave-
riguado o espingardeamento do Dr. Carreras p ordem de Lpez, e publicara a este respeito as se-
guintes bubas :
0 Dr. Antonio de las Carreras.J ha dia>
tii liamos conhecimento ofticial do espingardea-
Crto causar ineffavel monto do Dr. Carreras, por ordem de Lpez, noti-
cia dada e desmentida tantas vezes.
Emfin est averiguado aqueile tocto, posto
nfeacontocesse na poca que a principio se disse
deuc tem conhecimento a familia, que hoje veste
lulo.
i Agora romprehendemos porque os prisionei
ros Porter Cornelio Bliss e Jorge Fi-edenco Ma<-
terman, entregue aos agentes ingiez e americano,
sahirara do Paraguay com a condicao de nao de-
embarrar nem era Montevideo, nem era Buenos-
A> res, era no Hio de Janeiro, devendo ser con-
duzidos directamente ao seu destino. Lpez pre-
tenda conservar no mysterio c ua duvida os hor-
rorosos enmes recentemente perpetrados. Nao o
conseguio, e sobre elles temos agora os porme-
rilres. .
O Dr. Carreras foi o ultimo dos cmplices que
foi espingardeado, de supportados os mais atrozes
te mentes. Varias vezes rogou a Lpez queem
de humilha-lo e martyrisa-io dsse logo ordem pa-
ra a sua execucao. A seus companheiros de pi i-
sao, entre os quaes se eucontravam Bliss e Mas-
te rman, manifestou elle varias vezes o mesmo *-
A jvi- sejo. possuido do mai acerbo pezar. Lpez, porem










NBMMHMMHBI
.

.6881 3GQlit3W&l 3*8I AlB^l ATXlfcrio de Pernambuco Sexta feira 15 de Janeiro de 1869.
j_

recreiava-se no scu inailyrio, dando por nica rea
poste ao preso que ludo aquillo anda nao bastava
para o fazer |iagar a sua culpa as desgranas d
Paraguay, e que o partido blanco, c a ninguein
mais, devia tornar responsvel pela sa sorte.
i Diz-se (jue Lpez visitou varias vezcs Carre-
ras na prisao, e que n'uina orcasio, arrebatado
de colera, lhe dera una bofetada. Que facanha !
Antes de ser espinganleado,a pouca. distancia
do quartel-gcneral de Lpez, .Carrera* fo alvo d*
maiorcs ultrajes, tema ja presenciado a exacurao
los seus cninpanhciros.
Por portara de i do correte eoncodcu-se licvn-
ca para residir na provincia das Alagos ao alie-
res reformado M.rssiasNumantino de AraujoLiuia.
Foi nonieadvice-coasul da Repblica Argn rt-
na no Maranblo o Sr. major Alvaro Ditertc G^
dinlio.
ifcriajn 1> l|2 da Mita (junado rceomraocou a
canhonada outra ver. vivissiina ; 1 damanhaa do
dia 22 e conl niia ella coui a. mesiny, ialensidade
sein intermet ar um segundo de silencio ; denote
desta hora pouco duru a canhonada de noite, isto
, tornou-sc inais lenta.
. .As foreaa brasileiras appareceram pelas lora-
bas de Cururthaty, onde os iniuigos as espera-
vam par bale-las, e logo rompeu o logo entre
iiiiiav e outi *.
Seria ni ou 8 l|2 da noite do dia SI quandft
o general GeUy leeeoeu una parte ilo marquez de
Caxias, para que lzesse pr*as toreas argentinas
era comniunbacao comas brasileiras; o parece
que amanhaa cedo assim se fara.
e Nao lu vida que ao amanhecer so ver o
campo da batalba semeadoile cadveres.
Esto sendo preparadas n thesouro as apoliees
do impresiono nacional, que devem ser entregues
m respectivos subscriptores ou seus rossionaros
no acto de realizaren! a entrada da ultima pres-
lacao.
A's pessnas que ainda D0 Sama a declararn
de conimiiaieni a possui-las at realisaeo da-
quella entrada, cuuiprc que o faeam quanto ante*
liara que naja teiiqiode proiuptiucarem-se as apo-
lices competentes.
A junta dos correteros elegeu hontem d'entre os
BMM nioinlnos os Srs. : Francisco de Paula Paula-
res, presidente : Francisco Percha da Silva Vidal,
secretario Carlos David, thesoureiro; Carlos M
geon e Guilhenne Tupper. adjuntos.
SS. AA. os Srs. conde e condossa d'F.u chega-
ran da sua viagem s provincias de Minas e S.
Paulo, no dia 1"do enrente, s G e meia lioras da
larde.
Sitas Altezas totnaram na barra do Pirahy un
trem Mnnilll. sendo all recohidos.pelo director da
estrada de ferro e varios empreados.
5
S. M. o Imperador, aeonipanliado de seos sema-
narios, emkircou hontem. no arsenal de mariulia.
na galeota a vapor, e visitn o as\lo dos invlidos
ila p.ttria, na illia do llom Jesns. indo depois a lor-
atela de. S. Joao.
Sua Magcstade rrgressou eram 2 horas da tarde.
Por carta imperial de 2 de Janeiro rorrente M
nouieado secretario do governo da provincia de
SiTgipe o Itarharol Francisco l.niz da Vega.
Por decretos da mesnia data .
Fui uxi.m-rado a scu pedido o bacbarel Cypriauo
de Aliwida Sibriio do cargo de secretario do go-
verno da provincia de Sergipc.
Foi apresentado o padre Joan Ivo da Silva Ro-
datte na igreja parorhial de S. Vicente da eidade
da Formiga da diocese e provincia de Mnas-
C.eraes.
Attendendo ao dstncto eoniportamento que no
ataque de H de dezembro ultimo, contra as forcas
paraguayas, apreseiitou o coronel do i" corpo de
eacadores a cavallo Jos Antonio Correa da Cma-
ra, cowmaiidauU; ti tuu das divisos da rele ida
arma, foi, por decreto de 28-do dito mez. promo-
vido ao posto de Itrkadoiro.
Por decreto* i do corren* thnecdeu-se trans-
l'ereaca para v classe do ahimxartiado do arsenal
ile guerra da curie ao almojarife, da 3' classe Jos
Duaite Nuiles : r para esta classe ao alinoxarile
daquella Joao Antonio da Trindade Jnior.
Por portara de i do rorrente foi nomeado Pedro
Alexandrinn de Parres, para um lugar de prati-
cante da secretaria de estado dos negocios da
guerra.
Por va de Montevideo tomos obsequiados com
tenas do Po-Grande, que alcaiicam a 27 de de-
zembro ultimo.
Havia all datas da capital at 25.
Tinha-se organsado o directorio do partido li
beral. que flcou assim cnmposlo :
Presidente, ronde de Porto-Alegre.
Secretario, Dr. Jos Antonio do Valle Caldre e
Fiao.
Dr. Gaspar Silveira Martins.
Dr. Luiz da Silva Flores.
Dr, Tliemoteo Pereira da Rosa.
Coronel Jos Pinto da Fonseca Guimaraes.
Fumino Antonio de Arante.
Na ausencia dos Drs. Silveira Marthis e Pereira
da Rosa, foram chamados para substituidos os
Dts. Florencio futrios de Abren e Silva e Antonio
Correa deliveira.
Fu nomeado eomraandante superior da guarda
nacional do inunicipu de Pelotas q.coronel Joo
SimSes Lopes.
No dia 21) naufragara na costa do Albardo. 13
leguas distante da cidade do Rio-Grande, a polaca
italiana Due Fratefi, com un enlegmenlo de
viahos e azeite para o Rio da Prata.
A tripolacao salvnu-so toda e o navio conserva-
va-se inten.
A alfandega. de ar curdo com a polica e com o
consulado italiano, tomou todas as providencias
pira garantir os salvados.
Tinliaia eliegado algumas carretas com lia do
c.irregamento do navio hollandez Kitihart, nau-
fragado cm novembro na mesnia costa.
Fallecer no Rio-Grande, deixando hens que
destrlfraira cm varios legados, o Sr. Francisco de
Miranda Ribeiro. natural de Portugal.
O ministerio da marinha aecusou em 16 de dd-
zembro ultimo, o offlcio de 7. em qne S. A. o Sr.
duque de Saxe communica nao ter at essa data
receliido o sold e a gratilicacn que por le lhe
competen! como almirante c vice-presidente do
Conselbo naval, e baver resolvido renunciar, nao
os mencionados yencimentos, mas ainda os que
de futuro lhe tocaren).
nutalha de 2 de dezembro.
Hoje milito cedo comeeon o lximhardeamento
pela esquadra brasileira sobre Angostura, eas for-
cas brasileiras por trra contiunaram o fogo sobre
as trincheiras do inmigo. s Argentinos voitaran
s avaneadas do estero inmiediato ao rtacltn Pi-u-
sur, que tica as cercanas das Lombas de Cu-
rumbaty. At este momento nao se sabe nada de
resultado decisivo, bem que daqui se perceba per-
fitaincnte a canhonada, que, embora mais lenta
que hontem, regulaniierte sustentada. A's li lio-
ras da manha, |kiuco mais ou menes, [laiwo tor-
nar-se mais viva, segundeo estampido da artilha-
ria e o fumo pie daqui se avista porfcitainente ; c
medida que avanea o dia ainda parecen! empe-
nhar-se mais as nossas tropas.
Dir.-se qu a Angostura est tomada pelas for-
cas brasileiras e qne Lpez consegnio romper o
ceno diiiante a noite, assegurando-seque eseapou
coin 6(K) Paraguayos, pinico mais ou iihios, recon-
cenlfando-se irais para as Lombas, onde, segundo
noticias dignas de crdito, tem tres reductos mais
e algiiina artlliaria.
Diz-se que o exercito argentino j est em
comniuuicaco com as forras hrasileiras.
t Sao 3 da tarde e esto carregando municoes
para as levar at onde estao as tropas argentinas
e algumas brasileiras; e diz-se mais que aquellas
forcas estn prximas as brasileiras. Parece (pe
as forcas arge timas passaratn o riacho Piensuni.
Dizem qbe l.o|iez esta all n'um d( dous reductos
que falla lomar, e os otttros j estao em iwder das
nossas forcas, isto dos afliados. Provavelmente
amanhaa se resolver o problema em nosso favor.
O paquete inglez rno, entrado do Rio da Pate
com follias de Buenos-A\ res at 29 e Montevideo 30
do passaao, trouxe iuiportautissiinas noticias do
theatro da guerra.
Em 4 dias de continuo batalhar, os aljnlos fo-
ram siiccessvamente tomando as trnchenos e re-
ductos que loiiiiavaiu as linhas inimgas eslcndi-
das de AngssluraatLomba Valentina, com afren-
te c o flanco esquerdo aiipoLodos em banhados e
e que o mesmo Lpez se havia encerrado, e onde, se
nao fugisse protegido pelas sombras da noite, cabi-
da infallivelmente prisioneiici ou niorto.
A dupla linha de trincheiras da Lomba havia dis-
tado aos brasileros 30 horas de ncessantc comba-
ter, e coioideraveis perdas em niortos e feridos.
Ao mesmo tempo, ponmi.as linhas paraguayas que
os separavam dos argentinos em Palmas, tinhaui
sido varridas c desfrilas. e os "1,000 homens de tro-
pa fresca ipu? formara o exercito destes haviam-se
reunido as nossas valenles mas extenuadas legiOes,
e ao npeto dcstas forjas cotnbin.adas impossivle
era que resiftisse o reducto que ainda se sustinha.
Nao temos ainda conhecimento de todas as par-
ticularidailes de tao heroicos como sanguinolentos
e aturados combates. A cana do uosso correspon-
denU de. Bucnos-Avres, em ontro lugar publicada,
refere quanto a este, respettn bc -nliia naqnella ci-
dade, cooraenapdo como era possivel os dados re-
'olhidos de diversos pontos do extensissimo canqio
le ba'ailia
A UhIo o momento devemos esperar algum va-
por que nos traga minuciosa noticia dos gloriosos
fetos d'armas daquelles ntemoraveis dias: entie-
tanto, alm ib, carU a que nos referimos, tomamos
das folhas do Rio da Prata as correspondencias em
que com mais lucidez se narran) os successos, era-
hura a sua expisico venha ainda um tanto bara-
ihada.
Sobre as batanas de 21 e 22 temos o seguinte :
li itlh.i de -Jl di' dczcubro.
Serian) duas horas da manhaa quando come
eon a canhonada da esquadra brasileira sobre a
Angostura ao amanhecer comecaram as tropas
-ileiras a fazer fogo contra o inimigo, ao mesmo
lempo que o exercito argentino o ia distrahindo
pelo lado dos esteiros immedialos s lombas de
Carunbatj. Alli estiveram combatendo dous ba-
telhSes, o paraguayo e outra de correntinos, desde
s 6 da manhaa at 1 d.*, tarde, ficando li ho-
ds rj*a de combate, dos quaes i morios e
i ai- feridos. Entretanto as tropas brasileiras
iiai'iuu posinles favoraveis principiando um fi
4vo as 2 boras da tarde; toinaram ranas 3,i
c-aljecas de gado : cercaran as forcas inimigas or
lianeira que o mtrechal Lipez esta no centro
dizque o exercito paraguayo faz todo o possisd
pura romper o cerco com > lim de salvar o *le
naierli.il, mas investido pelas forcas br^sileir-
vai dcscanSndo at Angostura, onde nao lhe lleae
i ;tni remedio se nao entregarse por falta de re
cursos.
Tambera se diz que Lpez tem i.itiitissima ar-
'lliaria. e ceitoque a canhonada foi continua
s li ila tarde, hora em que ajrrouxou um pou-
co. Baveudo unj 3,OD0 homons das nossas forjas
tora d-- cixnbate : das do inimigo nao se sobe na-
da ao cerlo.
" Palmas, 22 de dezemln-o. s f da tarde.
Annexas s conesnondencias do theatro da guer-
ra veein assoguhites pecas olliciaes :
Tflnji-tminn. horas da tarde de 21 de de-
zembro.
Exm. Sr. almirante ao chefe Alvim.
S3o o da tarde e o que se sabe o o seguate :
Tomamos 3.000 eheeas de gado! I,oinbas es-
t cercada, tendo licado Lpez dentro ; tem limita
arpillara.
O barSo do tiiumpho pede, Infantera. O mar-
quez est a urna legua de distancia delle.
Contina o bombardeameiilo. A prohibicao de
|)assageni de navios para cima riao se entende
com V. se.
c A' ultima hora manda dizer o visconde do
Henal que o uosso exercito est era Lombas. O
inimign foge para Angostura c c por nos persc-
gUidn.
Proclamnro Camaraftis O inimigo venci-
do por nos na ponte do Itonir e no arroio Ivahy
nos espea na Lomba Valentina como resto do sen
exercito. Marchemos sobre elle J5 com esta batalba
leremos concluido as nossas failigas e jirivacoes.
O Deiis dos exerctos est COmnosco. Eia, mar-
chemos ao combate, que a victoria.ser nossa, por-
que o general e amigo que vos guia Ainda at ho-
je nao foi vencido.Mrquez de Caxias.
Posteriormente temos :
0 vapr Alviro-ijames, que sabio de Palmas no
dia 23 s 2 c mete horas da tarde e acaba de chc-
gar, traz iinportantissimas noticias do theatro da
guerra.
Cunlirma-s? o nosso boletim de hontem que
diza que a divi-o do brigadero Menna Rarreto
tomou a primeira tricheira de Angostura, pedien-
do os Paraguayes 3;i0O homens, dos quaes 2,800
monos.
A batera de Angostura que ainda se conser-
vava em p era apenas defendida por "00 homens
e fra ue toda a duvda que no da 23 ou 24 ha-
va cahido em poder das forcas brasileiras.
(juas ao mesmo lempo que os nossos affiados
praticavam este brilhante feito_ d'armas com as
suas forcas de cavallaria, a posicao inimign chama-
da Lombas, onde Lpez havia concentrado o resto
das suas tropas e que se communicava com An-
gostura por nina trincheira de una legua de ex-
lenco, foi atacada pelo exercito brasileiro s or-
dens do marque?, de GaSias.
Foi una batalba horrenda de 30 horas conse-
cutivas.
0 inimigo linha all W pecas de artilharia que
com a sua metr.ilha vaniam os batalhoes brasi-
leiros.
QuatTO vetes chegaram estes a ocenpar a pri-
meira trincheira e ontras tantas tiveram de ceder
ao mortfero fogo da segunda trincheira para-
guaya.
" A ojiarte ver, os nossos alliados apoderarara-se
da trincheira coi 1 toda a sua artilharia.
As perdas qne haviara soffrido eram enormes.
mas cheios de enlbusiaso jtinham atacado a se-
gunda trincheira que parece seria abandonada
por Lpez, fugindo de noiite para a serra com os
poucos batalhoes qne lhe restara.
O exercito argentino passaudo 0 arroio das
Palmas ia unir-se ao brasileiro no ataque daquella
segunda trincheira, e estas tropas chegando fres-
cas ajudaram a dar s forcas de Lpez o ultimo
golpe.
angostura prestes reuder-se, lomadas as
irincipaes posices do iiiiinigo e toda a sua arti-
llan',!, as cartas que trouxe o Aluno Gomes termi-
nam todas por islas phraseS:
.4 giiriYii ent'iacitbnda!
Louvor e gloria aos nossos valenles alliados,
que sustentan) h.italhas de :>0 horas, perdn) ho-
mens aos niiihar.'s, mas ifao o golpe de raorte
feroz tyrannia de Lpez.
Louvor e gli-ra aos exerctos da civilisacao.
A' ultima hora ehegou Huenos-Ayres o vapor
Portmha, cujas oticias foram transmittidas para
Montevideo pelo seguinte telegramma :
Ruenos-Ayrcs, 29, s 2 da tarde,
t Chegou do i;ereUi o v,i|or Portento.
Traz datas al 23 do correte.
Os Argentinos em numero de 3,000 homens
encoriwrafam-sc ao exercito brasileiro no dia 24.
Achavam-se cm frente do ultimo reducto de
Lpez, cercando-o.
Nao atacam. porque parece iudubitave! que as
forcas de Lpez se entregaro.
Toda a cm* esllvredciuimgosre Iranspor-
tavam-se os ferillos pelo rio.
Emlhn, o rio Irrre e subirao Assumpcao
todos os encouracados e navios do comniercio.
O vapor Vewcziu, que leva a nomeaco do ge-
neral D. Emilio llilre. anda nao tmha chegado
Govs.
7
Entran tHintoni o transpollo S. Jos\ sabido a 27
d Palmas, donde traz as mais gratas o gloriosas
noticias do proseguiniento o quasi conclusao das
nperacoes eomec&dae.
A 24, aGhandivse.I^iezoncenado no eu ultimo
euirinrheiramentonaLonba-ValontiDa, o mnrquez
de Caxias lhe mandou intimar rendicao, parapou-
par intil derraqiunento do sangue.
A intioiaco fr)testa:
Acampamento em frente a Lomba-Valentina,
21 de dezembro ie 1868. s ti horas da inanhn.
A S. Ext. o Sr. inareehal Francisco Solano Lpez,
presidente da re|iublica do Paraguay e general em
chefe do sea exercito.
Os abalxo asonados, generaos em chefe dos
exercitos alliados e representantes armados ])or
seus governos na guerra a que as suas nacoes fo-
ram provocadas por V. Exc. enlendem cumprir
um d ver que a reMjijttntbunianidade e a civili-
>aeo Ibes Bd era nomedeltas a V.
Exc. para que, di Hbuo de l' horas, con-
tadas to momento em qufft presunto uola lhe for
eutreguo, e Scm |ue se suspi-ndam durante ellas
as Inutilidades, deponha a armas, terminando as-
iiNongada lula,
abem os abtQX a.-sigu;ulos qiuuis sao os re-
s de que piule V. Exc. ili>pr hoje, lauto em
forras das lie- armas, como a respeito
lunicoes.
" natural que V. Exc pela sua parte conheca
a forca numericn dos exercitos alliados. seus re-
cursos de todo o genero e facilidade qac sempre
tepi para fazer que sejara elles permamentes.
' 0 Suiguo dcrrajnado na ponte Itoror e no ar-
roio Avahy devi; haver [icrsuaddo a V. Exc, a
poupar s vidas dis seus soldados no da 21 do
corrate, no os toreando a una resistencia intil.
Sobre a cabeca de V. Exc. deve cahir lodo esse
sangue, assim ct nio o que liver de correr ainda,
se V. Exc. julgar que o s"U capricho deve ser su-
perior salvacao lo que resta do povo da repbli-
ca do Paraguay.
Se a ob/linacio cega e Bexplicavef for consi-
derada por Y. Ex:, preferivel a inilhares de vidas
que ainda se podem poupar. os abaixo assignados
responsabilisara a pessoa de V. Exc. perante a re-
publica do Paraguay, as nacoes que ellos repre-
seulam e o mi*ndo civilisado pelo sangue que vai
correr a jorros e pelas desgracas que vio acimen-
tar as qu' j pesara sobre este paz.
< A respoeta de V. Exc. servir de governo aos
abaixo assignados, que a tomaro cuino negativa
se no lim do prazo marcado nao tiverein recebido
qualquer resposla presante mu.Mrquez de
CaxiasJ. .L Grily y ii^-Hem:ifue Castro.
Respondeu Lpez nos segrate* larmos :
. Quartel-general em Pjquisirv, t4 dedeseinbro
de 1868, s 3 horas da tarde.
O marocha I presidente da repblica do Para-
guay devera talvez dispensar-se de dar nina res-
posta escripia a SS. EExcs. os Srs. generaes em.
chefe dos exercitos alliadM na luta rom a naci a
que preside, pelo tom e linguagem desusada e m-
conveiiieule honra militar e a magistratura su-
raiga, emquanto se tomou posicao sobre o flanoo
esquerdo do inimigo.
O rento tas forcas alliadas, que debaixo das m-
nhas etdens tinhain licado no nos) campe, e so-
bro jcxxtcnsa linha que se tem esJado a guardar
ate hoje. ocenpou por minha indicado as posicoes
convencionadas para o ataque.
O Sr. brigadero general D. Henrique Castro e o
[Sr. Bmadeiro Rittencouit furam (jprregadus de,
levar o ai;u|ue pelo centro e o retente das toreas
argentinas em segunda eeliiiiinai ordeu* dos Srs.
coronis l*edro e Arguere o I). L O. Gorduho, de-
baixo do comajando superine do prinieiro, foi en-
earregado de tova-lo pela dirnila,
Ncsea dispoicao deu-se principio ao bombardea-
mento ger#ioire o campo iniiugo, nio podendo
haver disloeeao entre os artilhelros brasileros,
orientaes eargentinos, porque todos euinpi iran
perfeitomenm o seu dever, demonstrando muita
precisan e ronhecimenlos scientiflcos.
Meia hora depois de coraecado o bombardea-
preina, cora que VV. EExes. iulgaram rbegada a iueuiu os Xogos iniraga&alaram-sc complctamcn-
ejiportunidade do tezer-mef* iutiinacriu de de por 115 nio si por effeito do mesmo boi ihardoan)cnto
mo de 12 Iwras, |iara terminar as- como pela misada carga que a i
as armls no termo
siui una luta prolongada, amea^ndo hincar sobre
a mfnha cabeca o sangue j derramado e "que an-
da tem de derramar-sc, se nao rae prestasse de-
positad das armas, responsablisaudo a minlia pes-
soa perante minha patria, as nacoes que VV.
EExcs. representara e o inundo civilisado; com
ludo quero impor-me o dever de fazel-o, rendendo
assim holocausto a esse mesmo sangue generosa-
mente vertido por parte dos raeus e dos que os
combaten), assim como ao sentimentCHje religio.
Iiuinanidade e civilisacao que VV. EExcs. invocara
na sua intiuiaco.
Estes inesinos sentinientos sao precisamente
os que me bao movido ha mais de dous annos para
sobrepr-me a toda descortezia ofncial ^)m qne
tem Sido tratado nesla guerra o exercito da minha
patria.
Proenrava enlao em Yatayti-Cor em urna
conferencia com o Exm. Si. general era chefe dos
exercitos alliados e presidente da repblica Argen-
tina, brigadero general D. Bartholomeu Mitre, a
reconciliaran de quatro estados sol>eranos da Ame-
rica do Si", qui ja tiuhaiii principiado a destruir-
se de urna nianeira notavel, e sera embargo a mi-
nha iniciativa, o mcu afanoso cmpenbo nao encon-
tivm nutra resposta seno o despn'zo o o silencio
por parte dos governos alliados e novas e sangren-
tas bataihas por parte dt- seus representantes ar-
mados, como VV; EExcs. se quallkam.
Desde ento vi mais clara a tendencia da guer-
ra dos alliados sobre a existencia da repblica do
Paraguay, e. deplorando o sangue vertido era ten-
tos annos de lula, entend dever ealar-me,e, pondo
a sorte de minha patria e seus generosos filhos na
raao do Deus das nacoes. combatios seus inimigos
10111 a lealdade conscieneia conl que o tenho fei-
lo, e estou ainda disposto a continuar combatendo
at que esse mesmo Deus e nossas arni.is decidain
da sorte detinitiva da causa.
VV. EExcs. jiilgain dever commuaicar-me o
conheciinento que terados recursos de qne actual-
mente posso dispiir, julgando que eu taiiiliem psso
saber qual a for^a numrica do exercito alliado e
seus recursos, que cresccm de dia era da.
Nao tenho oonhociniento disso ; mas tenhtj a
experiencia de quatro anuos, d- que a torca 1111-
nierica e esaes recursos nunca hnpozeram ab-
negaeo e bravura do soldado paraguayo, que se
bate "com a resolucS do cidailao honrado c do
ehriStSe que quer una sepultura era sua patria
antes duque a verbnmilhada.
VV. EExcs. jatearan) dever reenrdar-ine que
o sangue derramado era itoror e Avahy devena
fer-nie determinado a evitar o que corren no dia
21 do crrente; mas VV. EExcs. esqnecerara-5e.
sein duvda, que esses meamos actos poderiam de
autemao provar quao cerlo o que acabo de pon-
derar sobre a abnegacao de ineus Compatriotas, 0
que cada gotta de sangue que cahe em trra
uhia nova obrigacao contrahda pelos que vivera.
E perante um exemulo semelhante minha pobre
calieca poder curvar-se peante a ameaca tiio
pouc cavalheiresca. pennitta-se-me que diga,
com que VV. EExes. jnlgaraui dever intimar-nie?
VV. EExcs. nao teem o dreito de SCcnsar-me pe-
rante a repblica da Paragiuv, porque dclfeudi-a,
deffendo-a e continuare! a deffendel-a.
Ella me impoe esse dever. e eu me orgnlho de
cumpril-o at ultima extremdade. c dfemais. le-
gando historia meus actos, s a nieu Deus devd
cuntes. E se arada tem de correr sangra, Dens to-
mar cuntas quellc sobre quera pesa a verdadei-
ra responsabiBoade.
Eu pela minha parle estOO atada agora ds-
posto a tratar da conclusao da guerra fobre bases
igualmente honrosas, mas nao estou resolvido a
oiivir urna mtunacao para depor as armas.
Assim n nieu turno, convidando a VV. EExcs.
a tratar da paz. cren cumprir um dever imperioso
para cora a religio, a humanidade e a civilisacao
por um lado, e por ontro o que devo ao brado nni-
sono que acabo de ouvr dos meus generaes, chc-
fes, olliciaes e soldados, aos quaes communiqnei a
intimaco de VV. EExcs., e o que devo tambera
minha propria hontra e ao nieu proprio nome.
Peco a VV. EExcs. desculpem nao citar eu a
data e hora da notiiii-aco, nao a tendo visto,
mas foi receida as mnhas linhas s 7 l|i desta
maulla.
Deus guarde a VV. EExcs. muitos annos.
A SS. EExcs. os Srs. marechal marquez de
Caxias, coronel major 1). Henrique Castro e bri-
gadero general D. Juan A. Gelly \ Obes.
Acampamento na {oraba Cinhbarity. 23 de de-
zembro de 1868.F)ancisro S. i/pez,
Ento namanhiade 23os canboes alliados rom-
pern) vivssirao fogo contia o redacto inimigo,
causaudo-lhe grandes estragos. Fina torea inimi-
ga de 400 homens escomidos tentn romper o cer-
co, talvez era procura do caniinho or onde Lpez
fugisse, mas foi batida e rifhacada.
A 2G rana chuva torrencial pbstou a um assal-
to^ deu-se este, porni, no dia 27, tomando-se to-
da a trincheira e a casa de Lpez que eslava no
centro.
Todo o material que alli havia, setenta e tantas
pecas de artilharia e uns 2,000 prisioneiros calo-
rar em nosso poder. Poucos escaparam, e entre
esses Lpez ; os fugitivos eram, porm. persegui-
dos de porto por entre os bosques, e havia espe-
ranza de apa/iba-Iog.
Era todo o caso licou alli aunimilado o poder
de Lpez, e cora elle se considerava terminada a
guerra. Os navios de madeira snbiam e desciara
livrcmeiite o rio.
Os nicos detalhes que temos sobre estes glorio-
sos feitos ednstam das pecas de frdeter mais ou
menos ollieial que em seguida repjwluzinios :
Sr. brigadeiro general Bartholomeu Mitre.-*
Lombas de Iteibat, acampamento de Lpez, 27 de
dezembro de 1868, s 8 e meia horas da noite.
Querido general.Fio aportado abraco pela victo-
ria que hoje lcancamos. Teve lugar -a operacwi
pela esquerda e o nosso Rivas intciou o alaaue,
que bem depressa se tomou simultane... sendo o
nosso pavilho o primeiro a treranlar na casa de
Lpez, de onde parta a resistencia.
Lpez perdoa todo o scu material, e at as suas
earruagens. A moitandade nao toi pequea, e o
muero de feridos inmenso.
Amanhaa trataremos de acabar con o resto, nao
o tendo leilo at boje, porque isto de pelejar entre
matos o bataihar mais duro que se pode imagi-
nar.
Entre os muitos objeetos tomados, encontra-se a
nossa peca de ac.
A caria de Bedoya o informara, de militas cou-
sas, e outros Hie conteni, incidentes cu cosos.
Nossas tropas porlaram-se cora toda a valenta.
Se nao fosse a peda do vajete corona Romero,
o nosso premizo feria sido insignicanie. pete
nao creio quf-a nossa penla total v alin de cen-
ti tantos.
Nao tenho temjio para mais, pois preciso des-
cansar.
Sempre scu-Juan Andrs Gelij y tibes.
34 de dezembro, s 3 horas da larde. O Mr
secreterio dos rolacoes exteriores ao omarregado
de negocios da repblica, resideato era Montevideo
D. Juan Toiupson. *
Mil fclicitacdes. Ahi vai a parlicipacao que com-
munique ao ministro brasileiro e orint; I.
O general em chefe da exercito argentino.
Campo da batalha sobre a Lomba libate, 27 de
dezembro de 1868. Ao Exm. Sr. ministro da
guerra e marinha, tenente-coronel D. Martin de
Guinza.De conformidade com a minha conunu-
nicao de hontem, o bombardeauento e as opera-
coes annunciadas tiveram lugar hoje. s 4 da ma-
nha.
Urna columna de (oreas brasileiras e argentinas,
commandadas estas pelo general Rvas e todas pe-
lo Sr. marquez de Caxias, se pazenm ei.i marcha
pela esquerda da nossa linha de sitio com o ohjcc-
to de rodear as Lombas em que o inimigo se acha^j
columna da esquer-
da deu sobre os eiitrmrheiramentos do inimigo,
que cedendo ao valor dos soldados da allianca,
abandonou o posto e foi procurar salvacao por ac-
ara* ila nasas de Lpez edos seus ofliclaes, ou en-
tre os matos de Lomba.
Ao mesmo lempo os brigadeiios Castro e Bit
lenroHri pelo centro e os coronis Arg11.ro e Cor-
dilho pela diieita, leudo avancailo, era obediencu
s inhibas ordens, contra as "trincheiras inimigas
cora suas respirtivas columnas, galgaram-as. les-
Iiuindo as obras de defeza do uiinigo e repellin-
do-o onde quer que elle se apreseniteva, e pene-
traran) no entriiichera ment simiiltaiieamenle com
a rolmnna da esquerda, o que deu em resultado
eneoutrareni-se quasao mesmo temiio todas as
columnas, marchando para o ponto objectivo, que
era o quartcl general de Lpez, onde .>e julgava
que elle linha concentrado todas as suas forcas.
inclusive a reserva. Alli eomeeon e sustentou-se
o mais renhido do combale, sendo a bandeira ar-
gentina a primeira que tremulou naquclle re-
cinto.
A perseguicao e a matanca continuou desde en-
to pelos niattos e campos "escabrosos por Isrga
distancia, afe que, tornando-se diflicil avancar, era
consequenea dos obstculos que offerecc o leire-
110. re.-olveu-se mandar pete esquema una forte
columna das tres armas, da qual Mmmu o com-
mando o Sr. general Rivas. atini de impedir a fu-
ga do presidente Lpez com o resto 9o seu exerci-
to pelo potreiro Marmol, nica sabida que lhe res-
ta nos espessos bosques em que se refugiou.
Eis-aqni tudo quanto teve lugar no dia de hoje
al este momento, 3 horas ila tarde.
bem possivel que. para completar este glorio-
sa jornada, e como conclusao desia guerra, que
tantos sacrificios tem tetado, Lpez e os sens
cu ia 111 em nosso poder at o Hu deste dia ou do
de amanhaa.
A perd do inmigo, tanto em homens como em
elementos de guerra, nao pode ser mais conside-
ravel. Hasta ilizer que teve que abandonar toda a
artilharia. o parque, carros, cairelas, equinamente
e at o trera do proprio pnarerhal Lpez e ila sua
familia.
mpossivol determinar nesle momento o nu-
mero do arma ment que 0 inmigo deixoii. bem
como o dos morios e prisioneiros sjis 011 feridos
que se izeram, os quaes ainda se estn tirando
dentro os inattos.
Por parte do exercito argentino as perdas sof-
fridas sao de pouca consideraran, se se alten,ler
ao numero de baixas que teve," porm sao milito
sensiveis por contar-se entre ellas a porte do va-
lente coronel 1). Florencio Romero, eomraandante
do l* de linha, o anal, depois de lutar corno a cor-
po com o audaz inmigo que trouxe Rui sen bata-
nad una carga desesperada, cabio mortaluiente
ferido.
O valente e nuii distincto Sr. general Rivas foi
iniciailor da carga trincheira mirniga. conse-
qoente com a merecida reputecadde |qne gor.a.
Victoriado pelas forcas brasileiras; foi um dos
priineiros que, frente das distinctas tropas que
commandava, perseguio o inimigo ato ao ponto em
que teve lugar a rounio de todos os assaltantes.
Pelos esplendidos resultados do feitd de qne don
cunta nesta partlcipacao, e pela gloria neste dia
conquistada pelo exercito para a He mblica Ar-
gentina, eongratulo-me em felicitar o governo su-
peiior na |iessoa de V. Ec.
Dos guarde a V. Exc. Juan .1. frlly y 06-s.
Lomba Cuinbarity, dezembro 27, ; sote horas
da noute.
Meu distincto general.
Acabo di'chegar da casa de Aqun, onde deixo
acampado o general Mvas com nossos batalhoes e
tres rogimentos de cavallaria ao enramando do co-
ronel Rivero e mais una batera e um batalho de
forcas brasileiras.
O resto da cavallaria em numero d
mens, mandados pelo coronel Alves,
par o passo Yuquity, distante do camp que occii-
pa o general Rivas cerca de duas leguas.
Sabe-se pelo capito Kemandes. ajiu
pez e pelo alteres Duarte, secretario
ambos tomados pela cavallaria brasile
1.200 li3-
"oram oceu-
ii
\yo no mn-
sqnerda -e
entiinchei-
anle de Uh-
Resqun.
ra, cpie L<
pezpasson em Yuquity s III horas'ila nianha.
lavendo abandonado o campo paragu
monto em que a nossa columna da
ompeiihava em llanquear-lhe o campo
rano, e per consegrante antes de principiar o com-
bate.
Lpez c madama Lmch vio a cavallo e os lllh is
era carmagem escoltados jMir cera honens nica-
mente. Os seus ajudantes foram aprisionados por-
que se empenhavam era cubrir a retaguarda de
Lpez na sua fuga precipitada.
Os restos da torca que combaten estao encerra-
dos nos rnattos para onde seiefiigiarain, poisjen
das as \ezes que procurara sabir tem
vista ila cava II;
|iie proni
aria nrasi
ileir.i.
recuado
O general Rivas nao piule ainda clicgar ao seu
destino, o passo Yuquiti, porque a trop 1 esteva I
laq extenuada que todo o enminho tic; iva cobef1
de gente que nao pmlia mais mandiar.
Por este motivo ordenen que a foro acampasse
para churraqnear e reunir a gente que havia Ara-
do atrs, o queja se tinha effectuado minha sa-
bida.
vista ile tudo isto o general desejva saber o
que devia fazer. ikis aereditava que ja nao (Liria
resultado a mu ida a Yuquiti.
Emtodo o caso, esperava suas ordens no pe'"
em ijue se achava actualmente, ordenajndo entre-
tanto ao coronel Alves obsorvasse con);atteuciio as
occiirreuriasilo ponto que occiipava lhe des se
parte, at'nn de aeuilir. se fosse necessario, o que nao
sera diflicil, jiois que a distancia nao chVga a duas
leguas de bom caminlio. '
Pensei commnnicar-lbi' ludo isto yerbalmenle
mas restara ainda algumas operacoes imniediatas
e falta-me o tempo para ir ve-K).
Nossos feridos estao alojados e curados. Sen nu-
mero nao passa de 7 oBetaet e 70 sol lados.
No caso de nao regressar o general Rivas, deso-
jara ipie lhe inandassc vveres para ajfon.
1 aii
Amanhaa mu cedo irei v-lo.I. fias de Be-
doya.
Os suecessos al 26 sao auados no seguinte
boletim do exercito :
Viva a naeo brasileira!
Vlvam. es exercitos alliados !
A's 2 horas da madrugada de 2i do corronte
S. Exc. o Sr. marechal marquez de Caxias mota-
va a cavallo e se encaminhava para os acampa-
mentos do nosso exercito, que devia aquella hora
deixar Villeta e proseguir em sua gloriosa marcha
Dividido em duas alas, cada una das quaes
eontinha forcas das tres armas, commandava nina
deltas o brigadeiro Jos Luiz Menna Rarreto, e mi-
tra o brigadeiro Jacintbo Machado de Bhteneouit,
ambas sob o commando immediato em chefe de S.
Exc. o Sr. mareehl marquez de Caxiss.
Ordera havia sido dada de vespera para que
todo o exercito, deixando as muchilas e bagagens
em Villeta, marchasse com os seus mdhores uni-
formes.
Urna ordem do dia de S. Exc. o Sr. marechal
marquez de Caxias se publicnu entao e se espaHmu
pelo exercito. produzindo nelle o maior enthusis-
mo as expressoes concisas o guerreiras de qno S.
Exc. nella se servio.
lima hora antes de romper o exercito sua mar-
cha seguio o Exm. barao do Triumpho testa de
urna columna de cavallaria forte de 2.630 homens,
com o lim de contornar o inimigo em suas posi-
eoes da Lomba Valentina, explorar opotreiro Mai
mor, arrebanhando todo o gado que alli encoo-
trasse, batendo quesquer partidas con une depa-
raste, e interceptando a communicaci das foress
da tamba Valentina im as da Angostura e Pe-
quveiry, ou quaesquer oMras do intenar.
iflossa vanguarda capturou de sorpreza dou.s
piquetes avaneados do inimigo, que estavain Se
obscrvaci) aof tiossos moviienlos, e dos qi
va onti neholrado, e levar o ataque pelo flanco di* orna s praea nio eseapou para dar de lies conta.
retto destes, por ser o ponte que seeousiderava
mais aeeessjvel para esse um.
Chegada qne toi essa columna a um ponto con-
veniente, teve lugar, depois de urna diversao di-
reita, o desenvolvimento de suas maesas em diver-
sas columnas de ataque parollelas com a linha iui-
Ao chegarmos em frente da extensa linha forti-
ficada do Pequyeiiy orifcnou S..Ex. o Sr. mare-
chal marquez de Caxias que o brigadeiro 0S0
Manoel Menna Barrete testa da divisao de
vallara de scu commando. e apoiada em sufll-
cieute infantaria e artilharia, seguisse pelo uosso
flani'o direito proiu raudo romper a liaba fort .(ca-
da d. 1 l'equxcirv, e batendo sua guarnicao pela
retaguarda.
Feliz e denodadamente executou o .brigadeiro
Joo Manoel Menna Barrote a comraisso que re-
cebera, assaltaniln a'trinche!ra em perito ral. que
) ataron o ninrigo-de flanco e nopa^lalnente,^o-,
maiido-llie trinta caolines de differenles calibres,
liialanidt-lhg ai) luMiuma n fawm.1 WP ttjBfl1'^
prisioneiros, ntreos quaes JfcmrauJ tW fertlos.
rnia quantidade extradrdinaria de plvora, e mu-
nicoes. e bem a-siindc armamento de toda a es-
Cicie e algumas baadeiras,compl*4aram este bel 1
1 feito de armas, do qual se seguirn* ainda as
vantagens abaixo aportadas :
Isolar a Angostura e sua guarnicao, sitiando-a
completamente, e perdeudo de todo sua maorten-
xia, por ioque noeses encouracados ja forcavam
sua passagem, quando o servieu assim o exiga, e
agora nao pode ella embaracar o livre transito, e
nossa loinmunicaco directa" com o porto de Pal-
mas, qucAisde ento ficou aberta.
Bannatub tan brilhante successo se dava na
nossa direite ordenava S. Exc. o Sr.marechal mar-
ae* ile Caxias que nossas forcas avancassem para
a frente alira de se proceder a 11111 reciiiilieciinento
armado sobre o reducto inmigo. em que. elle com
Liqiez sua testa se achava entrincherado na Lom-
ba Valentina.
.Neste momento receben S. Exc. parlicipacao do
Exm. brigadeiro baro do Triumpho de que com
sua coslumada pericia c arrojo havia cumplido
risca as ordens e instruccoes. entrando cora suas
valentes cavallarias 1111 potreiroMarraor, batendo
nina torca pe nelle encontrn, e capturando 3,000
caberas de gado gordo e descancado.
S. Exc. llie detenninou, que deixando alli o in-
trpido coronel Vasco Alves, testa de sua briga-
da, lizesse seguir todo o gado capturado para Vil-
leta, e vesse elle cora o resto das forcas de sua
columna fazer iunecao com a ala do exercito que
segua para a frente.
Era meio-dia quando o inimigo, avistando-nos,
rompen de suas bateras fogo sobre nonas massas,
o qual foi inmediatamente respondido pelos nossos
canhoes, qne S. Exc. mandn asseslar, emquanto
nossa gente descansava e lomava algum alimento.
As .'I horas da larde o toque de ensilhar cavados
e o de chamada ligeira se fez ouvh*pur ordem de
S. Exc. o Sr. general em chefe, c logo aps o de
avancar c carregar.
Tanto os nossos infantes, como os cavalleiro- ri-
valisaram era denodo e coragcui, avancando rpi-
damente sobre as trincheiras inimigas coliocadas
no ponto mais culminante de urna elevada colina,
para dentro das quaes o inimigo se havia recomi-
do, obligado pelo nosso bombardeo, e s (i horas
da tarde, depois da mais pertinaz resistencia do
inimigo, haviara nossas forcas Iransposto o fosso, e
se aeliavain dentro de rana das linhas da trin-
cheira.
Reconheceu-se enlao. que todo oterreno interior
do iiitrincheiramcuto favoreca extraordinariamen-
te o inimigo, que tinha longos c successivos capes
de niatto, dentro dos quaes se ahrigavaiu e embos-
cavara, alera de una grande quantidade de arran-
chainentos em todas as dirercofs, cada um dos
quaes se tornava um baluarte, sendo absolutamen-
te impossivel que nossas cavallarias ptalossem em
terreno tal manobrar.
Ao entrar da noute o lempo, que durante o dia
tora nio, se tornon borrascoso, cahndo copiosa
chava que inundava to'io o terreno por nos oceu-
pado.
O reconheciinento eslava leilo, mas como as
vantagens que se acolheram foram gnmdes, o nos
occupavanios urna linha das forllcac<5cs, entendeu
S. Exc. o Sr. geucr d em chefe, que a todo o rusto
nos deviamos nianter uas posiccs cnmpiistadas.
O Exm. baro do Triumpho recebeu um glorioso,
mas leve feriniento.
O inimigo conheceiiilo por sen lado a importan-
cia dessas |iosieoes. piitrurou diiranto toite a noi-
te, c.sera cessar, rehaM-las, azendo sera a menor
iiilerrupco vivo fogo de luzilaria e artilharia.
Seus esfnrros foram baldados : o intrpido e
calmo brigadeiro Jacintbo Machado Hitteiicourl,
que, apocar de seus grave? sonThnenMt do ligado
e achar-s* com um eanstic aherto, entren em fo-
go, e se honve duianle leda a noite enm tal galhar-
dia e herosmo, que no raiar do dia o inimigo re-
cuava, e mis nao haviamos cedido um s palmo
de terreno.
S. Exc. o Sr. mareehl marquez de Caxias den
ainda durante todo esse da e noile os mais salu-
tares exemplos de abnegacao e de desprezo vida.
S. Exc. se manteve durante toda essa noile de
horrivel recordacao cavallo e as linhas de fogo,
indicando todo o seu exercito como cada um se
deve manter no seu posto de honra.
Entre os trophos decae renhido e duradouro
combate caliiraiu em nos*) poder li canhoes ini-
migos da linha que turnamos, sendo grato ao der-
rite brasileiro o haver retomado a peca de 32.
Withworth, que nos filra arrebatada no combate
de '.i de novembro do anno prximo passado, em
Tiiyuly, e bem assim mais duas das quatro por
elle lomadas no dia 2 de maio de 1866.
Essas duas pecas reunidas a ontras tantas que
tomamos no combate do dia li na |>onte do Itoror,
formam as quatro dw que o inimigo se apoderara
naqneHe dia, e. pois, hoje nenhura tropheo dessa
ordem nosso possue elle em suas linhas.
O coronel Vasco Alves pode ainda na nofte de 21
e durante o fogo mandar afrebanhar mais de sete-
cenlas e tantas razas, que por ordem de Lopes sa-
hiam para Serr Leo.
Asseveram os passado e prisioneiros que nessa
niesma noite sahira para aquello ponto a familia
de Lop.'z, e-bem assim o ministro norte-americano
Mac Manon.
Durante os dias i e :i se passaram de Palmas
para este acampamento as forcas orientaes ao mando
do Exm, general l>stro. 'beii coinoiis argentinas
an mando do Exra. general felly y Olies, a brigada
de intentara nossa- eommantliia pelo coronel An-
tonio da Silva Paranhos lodo o cavpo de artilha-
ria a cavallo ao manilo do coronel Emilio Mailet.
chegando depins os respectivos caolines.
.No dia 23 cbncurdaram s generaes em chef
manter a Lpez urna intimaco. para dentro de 12
horas, e sera inten upeo de ioslilidades. de|xlr as
armas, evitando assim'que contiuuasse un derra-
mamenln mulil de sangue, visto que nao era pos-
sivel que elle se pudesse medir cora as torcas ai-
liadas, que dispunhan de todos os recursos, e
vista aposicao critica em que nossa mautiora o
havia eollocado.
Que em nome da reiigio. ila humanidade e da
civilisacao assim lhe I'alla\uui, cuino generaes al-
liados. respoMsabilisandy-o peanle a repblica do
Paraguay, as naicSes ;dliaJa< e o inundo civilisado.
pelo sansnu' qae ia coitar un msu.de se obstinar
Lpez a resistir, o pelas desgracas que iam accres-
cer s am j ptmntm sobae o Paraguay.
Lpez recebtiu o parlaineniario. e no lim do pra-
zo marcado waiidava sua resposta, que compro-
henda pouco mais on menos os segrales tpi-
cos :
Que talvez se podes.se elle dispensa)- de res-
ponder aos generaes alliados vista da linguagem
altiva e desusada cora que elles llio haviam feito a
iutiiuacio. mas que responda sempre para quci-
xar-se do pouco caso com que havia sido tratado
desde que, em coub'iem.a com o ueral ahlre,
havia olle proposio a |mz.
Que quaesquer que lossem os recursesdoe al-
liados, elle nao desistia de continuar a guerra era
liomcnagem ao sangue paraguayo que correr a
jorros na ponte do lloror e no Avahy.
Que em nome da meante religio, humanidade
e civilisacao elle convidava os generaes alliados a
trataren) da paz em bMM condignas.
Que, finalmente. I>*ndii a inninaco aos sens
generaes, chefes. olliciaes e soldados, todos elles
a una s voz haviara opinado pela wminnaco da
guerra. .
S. Exc. o Sr. general em chele, que baria desde
hontem mandado asseslar 4tt canlioes. f.. ao cla-
rear o dia de boje, romper contra as trincheiras
inimigas horrivel bombardeo, fazendo cada bocea
de fogo 30 tiros, que, reunidos a una quautidade
prodigiosa de logeles a congrve. lhe rausaram
nuiitos a visiveis estragos, ab-iu de grande raorten-
dade.
Em seguida mandou S. Exc. o Sr. matque&de
Caxias que as' duas alas do exercito braa^H
avancassem a oceupar as posicoes de que havram
sahid durante o bombardeio, e a ganharmais
terreno, se para isso opport'inidadc se offerecesse.
As (bi'eas argentinas e orientaes estiveram for-
madas, mas nao tomaran) parte no fogo, que foi
niitriilissimo e consecutivo at 10 horas da ma-
nhaa, avancando nossas tropas alm dos pontos
em que tinnain estado, desalojando o inimigo, e
obiigando-o a metter-se as mates, que existcm
no declive da colina para a retaguarda.
At este momento. .'1 e meia horas da tarde, nos-
linhas se tiioteiam : o inmigo nito tem tido
Dtn so momeftn de rejwuso, o crenca geral que.
qnai.do S. Exc. o Sr. nlarcehal marquez de Caxias
determinar o assalto decisivo, elle ser impectuoso
e irreslstivel, terminan' 1 ahi o que resta de tropa
ao dictador LonaW
Os canhfles lomaibis nwtes quatro diarao ini-
migo sao 46, que, reunidos a 18 que lhe tomamos
na batalha do dia 11, e aos G do combate da pon-
te do Itoror, prefazem a soinuia de 70.
Os prisioneiros e passado dizem que Barrios e
o hispo foram com effeilo fuzdailos. c que igual
sorte ti ve i;i[ii.:{() e lautos desgranados prisin-
brasileros ao comeo** o, atu|ue contra as trin-
cheiras di' Cohiba-Valentina
Mas nos represntenlos a civilisacao e human-
dadar e |>orhMe qne os feridos paraguayos san
iimmente tratedee uns nossos hospilaes de sangue
com desvelo o cari 11 ho e os prisnmiros cura as
regalas qu nossas lea e regiuaraeiitos Ibes eoii-
eodem.
O ministro norte-americano Mac Manon, que
esteva com I-opez as fortilicaees jwr nos ateca-
das e que dellas se retirara na noite desse ataque,
aproveitou o |iarlauientero da miniarn a Lopt;z
para olliciar a 8. Exc. o Si', marechal marquez de
Caxias, dizendo-lhe nao lhe ter sillo anula poi\.l
passar-se para a capital, o queja fazer. e |>edBdo
a S. Exc sua interwnco e bou odelos para lhe
chegareiu s raaos desfiacbos do seu governo \Ar
zidos por um vapor de sua nacao que ebegaria
Crlenles a4 ou fi ilo futuro.
Continuemos a rendir gracas ao Todo Poderoso
por ter protegido mais esta vez a vida de S. Exc.
o Sr. general em chefe, que anda no ataque de
boje barateou sua vida preciosa, como o ultimo seus soldados, vendo cahir em derredor delle as
bombas e balas inimigas, queferiram um sen ca
dante de campo, e o sargento sua ordenancagjsr
hind S. Exc. inclume, como felizmente at ua--u
tem Hlccedidn.
.i i//f/Mfl /(o/vi.Sioifi horas da larde, e acaba
de chegar a noticia dentis mu teiki btiUianle pla-
ticado pelo bravo coronel Vasco Alves e a cavalla-
ria que ciinmianda.
Saliendo S. Exc. o Sr. manchal marquez de Ca-
xias que urna torca de ravailaria iiuuga de itO a
.'iOO homens tentara sabir do reducto dando indi-
cios de pretender bater ura corno de cavallaria
nosso. que eslava eollocado na extrema esqu
com o fin de interceptar a passagem do Potreiro
M rmor, mandou que o coronel Vasco Alves l<>-
matse posicao conveniente para poder bater ess*
forra, que agora se sabe ter sido formada dfl
escomida entre todos os regiment decavalaiia
paraguaya, tendo j lodos que a compunham mais
de nina coiulecoracao.
As 5horas da larde saldo eomefleito essa for^a,
8 u coronel Vasco Alves, carregando uupcti
mente conlia ella, a debandou, leudo-lhe inofiJ
200 homens e feito trinta e tantos prisioneiros, al-
guns dos quaes umiio feridos.
Dizem esses prisioneiros, que ura voz geral no
acampamento de Lpez que elle havia mandad"
orgauisar um piquete de cavallaria, cuja inissan
era aconipanha-lo quando se retrasse, e que i I
ra de que cima fallamos tinha por lim, saturnio
ilo reducto, explorar e desembaracar a estrada.
26 de dezembro. Tendo seguido esta tuanhaa
um parlaiuentario nosso levando s linhas ni oi-
gas a resposta por S. Exc. o Sr. marque/, dad
offieio que receben do ministro norte-amerii
o nmiigo 0 receben, e para confirmar cae
mais seus toros de brbaro e selvagem, fez imn- -
diataraente dar una descaiga de fuzilaria sobre 08
nossos.
Os acontecinienlos do dia 27 sao relatado1
seguinte carta do secretario geral do exercito :
Acampamento era marcha, 27 de dezeinbr, o>
lllm. Sr. capito-lenenie Antonio Pedro Carne-
ro Pereira da Cimba.Ordena S. Exc. o Sr. ma-
rechal marquea de Caxias, que a V. S. remeta
sua correspondencia para S. Exc. o Sr. ministro
ila guerra, a qual lhe ser entregue pelo porte-
flor ; devendo V. S. immediatemente suspender
seguir viagem para 0 Rio de Janeiro, onde logo
que chegiie procurara scm perda de tempo o re-
ferido Sr. ministro, a quem apresentara esta mi-
nha carta, que contui nolaas importantes da
guerra, sobre successos que hoje tiveram logar,
e sao os seguintes :
Ao mane de alvorada marchou S. Exc o Sr.
inarerlial marquez de Caxias a testa de una ro-
luinna composte ile 4,000 homens do exercito bra-
sileiro. e .(KK) do argentino, commandadas pela
general Rivas, edirigio-se rom o lim de flanquear
o inimigo, e ateca-lo pela retaguarda, devendn ser
esse inoviineulo secundado por um ataque na fren-
te, effectuado pelo general Gellv y Obes e briga-
deiro Castro, fazendo parle da tropas por elle
commandadas forcas brasileiras.
Vinte o quatro bocas de fogo, mandadas ; -e.-
tar convenientemente por S. Efe. o Sr. marechal
marquez de Caxias, romperam retaguarda do re-
ducto inmigo nulridissimo bombardeio. lazerc, 1
ca la boca de fogo 100 tiros.
Ao toque de avancar o carregar. niarclioii ga
Ihardainente a columna coinmainlada por S. Exc,
penetrando no reducto, onde o inimigo. que se ha-
via formado, inostrava-ae aterrado, procurando e-
vadir-se para a mata prxima, depois de havii j
aolfrido cousideraveis dauuios e estragos, devidos
so nosso boudiaideio.
As columnas de ataque na fronte ri\ ali>;u aun- n
valor e intrepidez, e o impelo de nossa aj'tilharin,
fazendo ini'essanle fogo, foi tal que chegou com
dous canhoes a penetrar as ludias do entrrnchei-
raniento.
A derrote de inmigo nao poda ser mais oorajde-
a. Todas as bocas de fogo que se achavam no ic-
ducto caliram em nosso poder. Urna quantidade
extraordinaria de gneros alimenticios de toda a
surte, de niuuiijes de guerra, de armamento, grae,-
de porco llegado, formramos trophos do dia de
hoje. que mais biilhantes se torna rara por dellcs fa-
/.eiviu parte toda a bagagein a ti"iis do dictador L-
pez, bem como seu guanla-roupa e trastes de uso :
Fugindo elle a p para ura capao de mato, com es
restos insignificantes do sua* forcas. Estj este
capo. que communica cora o potreiro Marraoi,
to guardado e eslreilamento sitiado, que nao <
possivel cora facilidade poderem esca|)ar-se os que
nelle se achara.
Ainda piule ser que hoje mesmo algum aconte-
cinieiito se verifique, que nos traga a captura pro-
vavel ilc Liqez e de Mine. Lynch.
Os prisioneiros. entre os quaes figur.im mDTos
nIQciacs. e bem assim um medico inglez que cinn
Lupe;', se achava e que para nos se passou. decla-
rara que com q destroc do gni|H) que asti cercad
se pode dizer terminada a guerra, quer Lpez caia
prisioneiro, quer possa evadir-se.
Hoje ou amanta inetendeS. Ex. tambera ara-
bar coin a guarnicao de Auguslura, devendo seguir
logo para a Assutnpc/10.
S. Exc. rae ordena que diga a V. S. que em sen
nome aprsente as mais cdUaes felieilaeoes a S.
Exc. o Sr. ministro ila gucfS. que lera a bondad*
de as Iransruitir ao governo imperial.
No vapor da e.Mpiadra que tem de seguir a 30 do
.oliente otliciar S. Exc. ao governo. nito sohT-
0 que lica relatado, como acerca de qualquer oue
tro suocesso que al l se verifique.
Sou com estima e considerarn de V. S. mito
attento venerador e liado. Fernando Seoaztim
Diataa Motta, coronel secretario geral do rx.'i-
cito.
No lugar competente publicamos cartas dos nos
sos cones|Kiiiitontes cora mteressautes ponnemn- i
sobre os aoontecimentoe que iieam reltedos.
As ultimas datas de Benos-Ayres sao de .it do
passado e as de Montevideo do 1" do crtenle.
Nada reiciem de inferes-e aMm do que acuna
extraamos relativamente a guerra.
No da 10 do rorrente mez lera lugar na eafhe-
dral de Marianna a sagraeo do Exm. bispo da
ikocese do Rio de. Janeiro, o Sr. ,D Pedro Mar
de Lacerda.
8
Pelo vapor Anuos, culrado ante-houtem nou-
te dos portes do sul. reneberaos dates de Porte-
Alegro at :0 de dezembro ultimo, Rio C.rande 1
e Santa Catharina 4 do corrente.
I Tira dispensado a seu pedido do connnando da
fronteira do-Quarahy e Livramento, na provine'
de S. Pedro il" Sul. o coronel reformado Joao Fran-
Meiiiia Marreto, licaudo, interiuameule sub
tuidopelo rommandante superior da guarda na-
cional de S, Borja. Antonio remandes Lima.
A cmara municipal da capital da referida pro-
vincia nomeou comraissfles pan agenciarew nos
mea dtetrictos da cidade os metes precisos pai
festejos rom que deve ser solemnisada a lenn
.jad da guerra com o Paraguay.
i) vapor fnapon'. que sabio do nosso jiorto er
coiumisso ilo governo, chegwi w Bio Gran* no
dia 29 do oassadog largou a JO para lorto-
Mi'gre
' Ja se achava naqueUa cidade a Irlpolacao
barca italiana DueTiateUi, naufragada na A
do Alburia... e bem assim grande parle da carga
, 1 i^Hhcsou) navio.
Santa Catharina nada reforem de
intere- _^___
0 teaBsporte Mamila Das sahe hoje para oRte
da Prata, conduzindo 200 pracas e nnmicoes guerra para o uosso exercito en) operacoes no Pa-
'.


Filleceu hontem, na idade
jor liuilherme Suek
Exa um dos cstrangeiros mais
de 79 auno, o ma-
amigos noBra-


ff!

m

Diario de Pernanibqco Sexta feira 15 de Janeiro de J69.
sil, para onde vcio em
enarco at 1847.
Mi\. toado servido no
**=
I DE PE
DIARIO DE PERNAMBUCO
-----------------
nEcire, I i m /inoro de 1800.
HOSANAS!
Mais Vitorias, mais luminosas c brilhan-
le coreas de glorias conquisten o nosso
Mirihi. para por no altar da patria !
Angostura e Lamba Valentina
pasires do e&eroito aliado!
Ali os nossos. generaos, alio niarquoz de
loria patria
t'Mra novas paginas e inimorredoro i
osso correspondente esorcvtHnos o se-
IfjLstes ujtim
Intel l&)encia*oari! C
i poneafs. quf dah fl
1 mtitulnitn ifreofc
O negrita bi
en aqui una des-
nnB gymnasliea dos Ja-
noljltimo va|)or. e o seu
iivfcer iugloz.
ii& s averiguac5es po-
liciaes em virtud* de uiua represeutaciw por pait
dos japonezes.
O Tacto troe estando o inglez a partir no
Guar para esa, o em *nja eompanhia conduaia
un menino tambora japouea. formo antlios desem-
barcados, por ortem da autoridadc competente.
Xostes dias pie teni decorrido da sabida do
vjtor Guar al a present- data, a fiollcia tem
sao hOje procedido s competentes averigaaScs sobre os
tactos de que so queixaui os Japouozs.
Entretanto o negocio teui assiunido uro. carac-
ai-ia liri hi-nsi- ,er internacional porque o consulado inglez que
hl intervira na que tan, acaba de protestar em favor
do cidado britannico.
iHC, onde os vindouros a.prelienderao quan* Consta que 8. Bxc. cem a sua costumada
to vale o nofte brasitoiro, quanlo pesa na prudenciao tino idmiu>trativo. replicara ao pro-
lialanoa nnvflr batanea umyeisat a ttonra no mpewo aa.B|aIj aflm de ,ubmefter a queMfc ao governo
S>,Mita Cruz imperial, por quem dcver ser decidida semetban-
Felizes oscoraroes qn se ineluiam rom te pendencia.
as glorias do seu paiz; mas, mais elizes W ou5l2cr .1ac j"k,z 8e desave
?niiell ..quino que as conquttam, veilen.lo sen : ^^^ conseguir qnc a eompanhia trahalhasse
sangue, sese precioso .sangue que a patria nesta provincia, remiren ronduzi
recabe na sua pyra para oll'erecer como of-
forenda de paz ao deus dos exercitos !
E* agora, seinduvida, que jase nao po-
de duvidar do fm da guerra: Lpez fgi-
do* desnioralisado completamente; suas
po^coes todas occupadas pelos alliados;
seus exercitos nulilicados pela becatoinbe
?i'imana das balallias, pelas prises
todo o genero de destruicao comi'ativel
com a guerra : dizeal ao mundo, que con-
templa pasmo o valor- das cohortes da al-
linca : hic ttf campus ubi Troja fuit (!)
Ao inesmo- tempo os eclios das margens
do Prata rcpettem extridentes a palavra
mgica que electrisa os coracoes e que
prorrompe de seu amago como urna prece
tildada ao cuVictoria! Victoria!
lis como os exercitos da allianra atiiam
to mundo civilisado as llores dos seus tro-
phos; eis como o mundo civilisado, pas-
mo, contempla esses exercitos, que nao in-
vojain as melliores glorias das mais valentes
cohortes que a America e a Europa contam
em seu gremio.
Lpez, est cercado n um ca pao di-
Kdffi as noticias; (levemos cre-lo. Sim, era
tempo que esse flagello do infeliz povo do
Paraguay cahisse por trra, dando azo que a
libernade imperasse onde apenas existia es-
cripia. Lpez cahir! Seja sua queda
dada entre as mos dos alliados, seja dada
itre os assomos d'essa heroica loucura
que se chama suicidio; ella se realisar, e o
tyranno cahir, como cahem os bravos, com
a espada desembainhada!
Hosanas. sim hosanas, porque j ve-
aos desenhar-se nos horisonles da patria
-as roseas cores que prenuncian] a paz,
era rujo repac), e smente n'elle, podem
povos se ergoer e mandar nnvens de
insenso ao Olimpo do progresso, onde os
ebreiros do futuro trabalham, de mos
dadas com a gloria, para o engrandeci-
mento da liumanidade!
Gloria aos exercitos que cunqtiistam m-
morredoros louros para a sua patria!
(loria aos generaes que levam taes coho-
tos s Victorias !
Gloria aos pai/.es que cnitan taes filhos
itie os seus lilhos dillectos I
Gloria, finalmente, e sobre tudo aoDeus
dos exercitos, que taes victorias concede
iquelles que pugnara pela sua honra, quel-
. es que pelejam com a espada da jus'tjcaem
panno.' f
. mdiiir comsigo o me-
nino, alma da eompanliia reerida, $ob o pretexto
do que tiidia por dever e por mna obrigacao lir-
niada no Japao, d; o apreseniar alli dentro de cer-
to e dt-rennlnado lempo.
Kntivi;iii?o o< Japonezes reclamam a entrega
do seu compatriot menor; que nenhum contrato
tem o ingles para o conduzlr em sua eompanhia ;
o que Analmente esle individuo at aqu, intitula-
do director da eompanhia os tem Iludido em seus
por j nteresses! Veren os pois o rentada de semelhan-
te negocio, segundo a apreeiacao dog_overnojm-
lierial, que de cerlo nao deixara de orientar con-
venientemente a 1 -gacao ingleza, de tenias as oc-
eurreneias. e espe-ialnente do exacto e verdadeiro
fundamento da questao.
t Estas e ontraa comiianhias em resultado aca-
bam mal.
Os buffes perizicnses tambem tiveram mao
fim nesta provincia; porque, alm de llcarem al-
guna a dever a i )eus e ao inundo. Mr. Poppe foi
parar com o costado na cadeia, por empenlios que
aqui flzera, e segundo consta um seu patricio foi
quem Ihe preparou este resultado Felizmente Mr.
Pope pode ultima nenie liviar-se da m situaoao
em que a sua esli illa fatdica o enllocara.
lia poucos di: s o governo provincial mandn
proceder a una diligencia contra uns pretos amo-
caubadns eui uiiKpiilombo; foi encarregado desta
empreza o capilao Antonio d" e Almeida ; mas
com tanta infelici lade. qne tendo-se dividido a
forra que levava (urnas viole pravas de polica e
guarda nacional) para accommetter por diifereiiles
pontos os pretos, estes feriram dous soldados gra-
vemente, um dos quaes logo fallecer; a forca
pois relirou capital, sem poder proseguir na dili-
gencia intentada.
0 commercio contina rom animacao, muito
principalmente com a regularidada que o invern
apresenta. assini enno em virtude das noticias da
guerra.
No mez de no embro do anuo findo, a expor-
ta^ao para o estraigeire foi de rs. 994:51i52 e
para o imperio de rs. 31:4364579, produzindo o
total de rs. 1,025:9o 14699. Pde-se calcular o
termo medio do nuviniento neste anuo de rs. .
12,000:0005000.
t A assorial conmercial acaba de fazer a sua
eleicao. tendo sido nomwtdos :
'Presidente. E. Augusto Costa.
Vice-presiden e, W. Brambcr.
Io secretario. Joao G. da Cunha Costa.
dito. Luiz Autran.
Thesotireiro, iptiinus lieochlehurt.
t Sao esperados a todo os momentos os vapo-
res Aladeira da eompanhia fluvial do Alto Amazo-
nas, e o Pescador, da eompanhia de pesca ria desta
cidade.
' O prneiro saliir de Liverpool para Lisboa,
em principios de leieiobro. o segundo havendo
sabido do Havre, arribara a 22 de novembro.
baha de Moros na Hespanha, d'onde eslava a par-
tir sem o menor iiiconveuienie para esta provin-
cia.
RKCIFE, 15 PE JANE no DE 1869.
NOTICI VS DOS ESTADOS UNIDOS E DO PARA.
Chegoa liouinii dessa |irocedencia o vapor ame-
in i \iiitittiM, trazenJo jornaes de New-Yprk
ate ii do pagado c do Para al 9 do curente.
ESTADOS UNIDOS
A mensagei presidencial chama novamentc
;. alteneao do congresso sobre
e..niiii!i.'i do paiz, resultante da appliracfio de di-
19 lis (pie, em vez de melliorarem o estado
das colisas, prodtuirara, apz tres annos de expe-
riencias, refutados funestos. Viv. observar que,
contra os termo* esplieilis da corSlitnico se nega
a tres estados o direto de seren representados no
esa.
Diz que o projecto de c illocar os brancos do
-. s ib o dominio dos prelos, altera as relacoes
gaveis qu tinham d antes existido n'aqufles
esta 11>. e olma eoopcrac) til das duas raras
oas empresas industriaes. I' na legislaijio quo'd
resoltados ta i funestos deve ser obrigada.
Gastam-se annualmente 100 milhoes de dollars
a manntencao das Ibmis miniares menmbi-
de fazerem execntar leis ipie nao sao necessa-
e que sao inconstituciona.'-.
;t nosso commercio diminue, os nossos inieres-
-> inilustriae- soiTrem. A economa e les sabia-
is nico* remedios para taes iiwibs.
\ sidaeao linaneeira do paiz demonstra elara-
ite a picessidade de se retiran o papel-moeda
la crculafao, e de se prescrever quanto antes
- pagamentos sejara feilos em espi
As receitas totaes provenientes das alfanitjfas e
dive ios iiiid!iienlo> inienios. durante o anuo
que liu a ';!)' milhoes de doHrs e llzeram com qne fos-
sem amorlisados 28 milliix da divida pulilica.
ii. o atina lindo no l: 4e novetibit deisou
ilivid-i augmentada em 35 iniihM.
As r.'celas do anuo ipie li i de (indar 'ciii-30 de
jpnho de I8ti'.> esto avallados em Sil milhoes, e
spezas em 336 milhoes. Porm as despea
aria da guerra nds ltimos tres annos.
i 'rain o al^arisjii i calculado ein 17o luilhoi's.
II e\ :rcil i aclia-se b'))1" Oidijid ai algarisin i
i S:l) 11 b mieiis di toibis a Bwai; poiiii o
listni da guerra jotjra ?rfiosivelfriBino+a
reiluceao da fon;a arma la.
A marinha costa 20i> navios armados com 7,0io
pera:
As dalas, de ene foi portador o vapor inglez
Bmubt, alcanramdo Rio de Jaueiro a 8 e da Ba-
bia a 12 do corren le.
Sob as rubricas Parle Official. Exterior c Interior
vio por extenso as noticias mais importantes, alm
das quaes apenas encontramos as que seguem :
BIO DE JANEIRO.
As noticias con nierciaes da ultima data sao
estas :
Cambio.Lonlres 18 3/- 19 d. a90d/v, no
.lia 5 do crrente ; 18 *>A. 19.19 >/, 19 '/i d. a 90
d/v. boje ; Paris, 350. a 505 rs. por fr. a 90 d/v ;
190 rs. porfr. a 90 d/v, letras indirectas.
Apolices.Emprestimo nacional de.........
a desoiganisacao 30.000:0l)0 a 55 de premio.
Metaos. Soberanos a 12i00 a dinheiro,
123100 c 12250 pagamento e entrega no dia 20
do corrente.
t Gneros diversos. Algodao de S. Paulo a
12/300 e 125 por arroba.
t Incluindo ti ai .sacones regulares em cambio
sobre Londres a Itr 3\ d.. para o papel baucario, e
i 19 '/ e 19 ,'i d., para o particular, effoctnadas
boje, e menos que regulare? sobre Franca a 490.
."OOe 505 rs. por fr. cITeeiuadas boje, sonimam os
saques pelo paquete ingles Danubt:
Sobre Londre ceiva de 360,000 a 18, 18
y, o
il..
? 18 A
18 i 18 Vi,
particular.
pai el baucario ; e a 18 '/ 12 ...
18 /. 19, 19 '/,, e 19 '/i d-, papel
e 927 rs. por M/B.
Sobre Lisboa t Porto regulou o premio da ta-
bella seguinte:
203 a. 198 o visu.
202 a 19" % 30 d/v.
201 a 19fi/o 60 d/v.
200a!95%-a90d/v.
lecliou j nuroado a 910 a 186
Ve*
Inhnsoa apn^oya c.jrdiab n-m.c nnoJUica do ^icarceiiispo, cpwte de S. Salvador, recebemo o
i pie
ootns
Iloje
vista.
ApoJjces.-Neijeciaram-se boje 80 geraes de 6
"/o a 82 f*3 "/o t-divideudo e varios lotes do em-
prestimo nacional de 1868 a 503000 e 53.3000 de
premio.
"Melacs.Os soberanos voinleram-se boje de
123250 a 123500 ;i pnun e a dinheiro, fechndo-
se o mercado a 12;i00. >
Procedente ie I'eriiainbueo chegou. a 7, o
patacho porlujjuez ,Yov{ Surte.
= Saliinm para Pernainliico : a 4 a galera
.Vooa Fvmn II: c a 7 a barca felem, ambas por-
lufneea. '
llAHIA.
Lemos no Jornal :
Do Sr. eonego secretario de S. Exc. Rvma. o
por occasio de se derrduiarem
noticias do theatro dti (riA-ra,
portador o vapor ingfez iurirt
Kiiihauieiamentos, fogn^tis de r,
sicaiy flores, repijues d ios,
todo o mais cortejo-de sigiHil de
l i vos das exjianses do coraeio ]io
tudi so 'i tra eoramemomcio- dos
tes feitos com que os exercitos alliados en-
cerraran! o anno de 1868.
Muitos grupos sakiram em passeiata,
parando em diversos pontos, e dirigtndo-se
todos a palacio, ondo di^rsos cidados ar-
dendo em patriotismo, recilaram varios dis-
cursos e poesas que orain sempre recei-
dos com frenticos vivas, e que iremos pu-
hlicando medida que nos foem cliegando
as m3os. i .,;!
Os grupos contimaiam durante a noute
a fazerem suas passeiataa eom msicas, fo-
guetes e archotes, illuminando-se os esta-
belecimentos pblicos e muitos particulares,
grande numero dos quaes histeou a tapar
deira nacional, (pie era igualmente levada
em triumpho pelos grupos de |que cima
fallamos.
Foi completa a Cesta, porque todos os
bons e leaes coracoes que amam o Brasil,
fossem elles nacionaes ou estrangeiros, tp-
maram parte n'ella, dei.\audo-se expandi-
rem-se suas almas, com o mais vivo ardor,
em eloquentissimas provas'.de amor e respei-
to ao pendo aure-verde e admiracao aos
bravosqpese cobremeom o trplice pendo
da allianca nos campos do Paraguay.
FERIADO.Em signal de regosjo, pelas
gratas noticias da guerra, fecharam-se ao
meio dia as reparticoes publicas.
GY.MNASIO PROVINCIAL.Estao abertas
de boje ao fim do corrente mez asmatricula-
deste instituto, sendo as condices da ress
pectiva inscrpcao a certido de idade, o at-
testado de vaccina e o pagamento do pri-
meiro quartel da penso.
CONTOS BRASILEIROS.Acabamos de
ler esses contos, escriptos por esse jo-
ven talento cearense, que se vela sob o
pseudonymo de Osear Jagoanhars.
Sao, como diz este, ensaios no genero
brasileiro de alguns contos fundados as
tradicoes mais ou menos poticas de nossas
chronicas, e de um ou outro producto de
pura imaginaco, com a lidelidade possi-
vel aos costumes e crencas indgenas, pare-
cendo-nos que n'isto se achc bem o autor,
a quem por certo nao fallece intelligencia
para o desenvolvmento pratico do seu fim.
Nos o felicitamos, e agradecemos-lhe o
exemplar, que nos offertou.
CASA DE CONVERTIDAS.^Esse edi-
ficio de que j tratamos de outra vez, e cu-
ja construccao devida a piedade do Exm.
monsenhor Muniz Tarares, j se acha con-
cluido, e a ponto de ser dado ao fim de
sua generosa e caritativa concepeo.'
Humanitaria, como o por carcter a
imprensa, deve um voto de gratido a S.
Exc. por tal acto; e nos como membros da
raesma imprensa, consagramos-lbe o nosso
nestas palavras da simples noticia, visto
nao precisarmos de encarecimento as aeces
nobres, que em si mesmas j trazem o ger-
men do louvor desenvolvido.
DECIM.V URBANA.Amanba termina o
recebimento do Io semestre do amio linan-
ceiro corrente d'esle imposto sem a multa
de G 0, em que incorrem os contribuintes
>"ao l**m sido feita a indenmisaoao, porque temi
Hit* txipid-a:-.- quautia de 4:0003000 pela
rpijn1 orenpa o desvio, e I avendo re-
cfla,driO003000 nao quiz noiuoar
lianuB parle, -nirar de sor imm isto ins-
mtlp vt7.es : a enr o Sr. Manee! Jos antas que acecitoii a in-
CiiMbencia e ate foi ao lugVifl
Se io tem havido imU-iniussrje pirque o Sr.
Antones, rpie comnoao se lom entendido, nao tem
querido nomear arbitro por entender que nao ob-
tena a avaliacao desojada.
Disto sabe peileiainenteo Sr. Gaspar Guimaracs,
enjo tostoiniinho invocamos.
Nao tem portanto havido recusa de iudemnisa-
eao, que somenie pode ser determinada por arbi-
tros na forma do contrato.
Nein se pode dir.er recusa o nao pagamento do
qne entende o Sr. Antuues que deve receber.
Limilaiuo-nos a esta explicacao para que se nao
acredite o contrario do que a verdade.
Recife, 14 de Janeiro de 1869.
COMMERCIO.
PWACA DO RECIFE 14 DE JANEIRO
DE 1869.
AS 3 I 2 IHUIAS DA TAROR. #
AsMifm- mnscavado purgado 33050 a* arroba
(hoirtem).
Algodio da l'arahvba 1* sorte posto a bordo=
13U0O por airolia, a frete de 3/4 e i 0/0 (hou-
tem).
dem idem 2* sorte posto a bordo f2l800 por
arroba, a rete de 3/4 e 5 0/O(bontem).
Cambio robre Londres 90 d/v 18 7/8 d. por 13
(hontetn).
R J. Silveira
Presidenta.
Leal Sevr
Secretario.
BANCO AUA & C.
Hna do Trapiche n. 34.
Desconta latirs commerciaes a taxa con-
vencional. Recebe dinheiro, a premio con-
vencional, por lettras e em conta corrente.
Coufere crditos, saca sobre as primeiras
pracas do imperio. Rio da Prata e Euro-
pa, e compra cambiaos so'ire as mesmas
pracas.
Enearrega-sc, por commisso, i da com-
pra e venda de fundos pblicos e accoes de
companhias, da oobranca de lettjras e di-
videndos ou de seu pagamento, n de qual
quer outra apenis bateara.
O expediente para o publico comecar
s 10 horas da manha, e terminar s 4
horas da tarde de todos os dias uteis.
ENGLISH BANK .
Of Rio de Janeiro Limited
Desconta lettras da praca taxa a con-
vencional'.
Recebe dinheiro em conta corjrente e a
prazo lixo.
Saca vista ou praso sobre a: cidades
principaes da Europa, tem agencias na Ba-
bia, Ruenos-Ayres, Montevideo, New-York
e New-Orleans, e imilte cartas d< crebito,
para os mesmos lugares.
Largo do Pelourinho n. 7
pendente do assentimento da assembla pro-
vincial o CQuJractO) que para esse Jim for
celebrado.
Secretaria do governo da Parahvba, em
9 de Janeiro de i KM).
Tliomaz de Aquino Mindello.
LEILflES.
OECLARACOES.
ALF.WDEGA.
Rendimenlii do dia 1 a 13 .
WemdodiaH ......
3812:133 4359
!:i77592
que o nao satisfizerem at esse dia.
MAO MORTA.Termina igualmente ama-
nba o recebimento do imposto de o so-
bre as rendas dos bens de corpoiaro de .
mao mora, relativo aquelle s.-mesltv, e ^SS^SS^SS^
as mesmas condices cima notadas a res-
MOVIMEXTO DA AI.FANDKG
Jumes entrados
dem idem
com fazendas
com gneros
Volnmes sahidos com fazendas
dem idem com gneros
Para o Porto
A barca porliigiieza Amelia, de primeira marcha,
acha-se prompta para receber carga a frote e pas-
sageiros, para o que ten excellentes commodos:
trata-se com Bailar Oliveira & C, ra do Vigario
n. 10.
Descarregam boje 13 de Janeiro.
Vapor inglef= l///'/'/'i-~inorfadorias.
Patacho norto-allemaoJacobidem.
Barca trvic&*=Mu$$e de Nantes=\on\.
peito da dcima.
JAGUARIBEE PIIAPAMA. Estes dous
vapores da eompanhia Pernambucana se-
guem boje aquello para Macei e Penedo,
e este para o Acarac e portas intermedios.
As malas sero fechadas no Corrcio s 3
horas da tarde.
JIQUIA'.Por ordem superior, foi trans-
ferida para hoje a saluda (leste vapor, para
Fernando de Noronha.
ASSOCIACAO CEARENSE. Domingo
celebra esta sociedade a sesso magna de
inauguracfio; no palacete do Largo de S.
Pedro.
JAUOATO. A festa de Santo Amaro
. Sobre Franca cerca de frs. 1,330,000 aos ex- foj transferida para 14 de fevereiro prximo,
Ts^obe^urgo^SM B 230,000 a 926 i vendo a bandeira ser levantada no dia .
Ci.ii:-i I*' Az rejiait i I n i d) govcfli) V'i*-ar> Orte} ol
i geralraente siaifefaetorias.
p ii \ia- de oiajai .lgun i en-
a Inglaterra e a Ainericaes|Siakuente^i
lizem respeit i aot direil is dos subditos nalii-
el i- ilh do-ft* Joan e s rorlamacoes, d<
dos (Inis patzes provenientes da ultima
em *n n**j
i-iacea estiuaTuiila pdBilfliildt.
presidente espera poder apresentar ao
sean 11, aiinla nesta legislatura, os protocolos que
i- lin a ost demorada enntenda.
\ questoes eom o Para.may sao i-ofcjecio de
iras investigaojiea por p rte do governo. Fo-
i a re ia las torcas mariniiis para pedirem ex-
o urna reparaivo ao governo do Para-
O ivernn daf Biastn Iwiih RKliibia (inri
''"iiliii ia aiiiuehiisa #n Ed(i- Un'** Q> tw-
11 de i'"i]>iku'M:(i]Batsiiiiuau ul*iam^u\ re--
t;luir a eonGanea at ao momento em que o iiovo
cLis nias Sandwich, peca ello.musmo.para lazer
parte da L'nc.
As uossas relagrics com o Alexico caracleri>am-
por um sentimeflto crescente de nuitua
>es e un-a satisfagSo ao presi-
m o luesum i
.eaii-adijs a algui
sejuunie
i H-ceri euilo qi ste anuo em n uesaiollia 2 de
margo a quinta-t?ira maior e atesta da Anaan-
'-iaefi,. de .N'iwsa Setihura.. por prereito da igreja se
iraifure e>ta para a sejrna-feira seguinte a do-
minga in .Ubis, pe maneoendo porm a obrigacao
ile ouvir niissa, c de absler-se das obras servs
no dia 23 de margo ; e para que o povo possa
euiupi' orna o piroito, mjeua S. Exc. Hvina. o
Sr. areebis|)o.cnd'di- S. Salvador,- que na igreja
Gathedral, em todas as igrejas matrizes do aree-
;'lo. as isrejai M c inventos de religiosos e
religiosas o dos renrfhimenlos, se celebre una
ni> in 6'flWrt kmitii. snt>s da solemne.
E nesta cidadt se cvlebrar tambem a mesma
mima na igreja do Senhor do Romilra, e as ea-
aaJIe IJossa Senhora do ltosarin o dos Mares,
itwadiTorha : d > Senlior dos Afllictos, e
..i,! Vnua do I lio Ntfintllio. da l'reguczia da
ia ; fe qjb SeancJl deamazareth da l're-
gnea do Pilar.
Na noite de 3 do corrente na rna do Grvala,
Ua /reguezia de >ant'Anna, foi prosa Francisca
fcaquiua de Souz .por haver dado nevalhadas em
i^elica Rosa, inlia, que foi rccolhida ao tospi-
tal, oivl o subdi legado da S proceden ao com-
ambio regulara sobre Londres alt Mk!*j|-
iliitflft
natnrn
DINHEIRO. O vapor inglez Danabe
trouxe para a nossa praca as segundes
quantias, para os Sis:
Dr. Ignacio Joaquim de
Souza Leao........ 130:000^(000
.Unorim Irmos....... ISOKKOO-JOOO
Johnsti.n Pater d C.. 32:248(1224
Keller dC........... 16:o00i*mim>
Pereira Carnciro d C... 0:KM00
Carvalho & Nogueira. i:C30-5O0()
Esse vapor levou para a Europa 500
s, em ouro.
O vapor americano Mississipe levou
para o Rio de Janeiro 5:000000.
EM TRANSITO.Para a Bwopa setuirani.
no vapor Mismpe bv passageiros, sendu
um recebido em nosso porto.
TOt'ANTINS. Era este vapor que eslava
annunciado, no Rio de Janeiro, para lazer a
I-segunda >4^md&b| fir aa, wte jb*- iw-
llrigue norte-americanoZHaHtt-Marinba de trigo.
Escuna portiiguoza.ti/ii/alagedo.
Uarca iugleza-*W". of thc WarecarvaQ.
Logar inglez Ciirrinytondnnueates.
Iinportiico.
V,i|mr americano Hissmipe.
de Nev,-Vwrk e Paca, manilestou:
10 caixas e 40 barra banha ole
J. J. finnralves Beltrao.
3 firdns chapi'os : E. A. Rurl
1 caixa tecidos de la; Alves
7 barricas e !) saCCOS cominlnis
F. da Cosa Soares.
1 emb ullio obras de borracha
dos Santos.
1 barrica farinlia : F. R. de '\asconcel-
los.
Vapor brasileiro JaguarWe, vindo do
Penedo e Macei, manifestou:
2Q0 pdpas de amollar, 100 reLolios;
Francisco Goncalvs Torres.
Si .-arras algodao; lleiirique Saraiva.
:t9 ditas, ilitu: Alvaro A. de Almeida.
RECEBEPOMA DE RENDAS IMIilINAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO. !
I'.endiiiiento dodk 1 aU I:279313
dem do dia l'i...... 8094631
viudo
porco;
'&C.
A c.
; Joan
; A L.
CONSn.ADO Pili IV1NC1AL.
Rendimentn doma i i 13 .
fdemdoial*.......
ni"
,10.
INSTRUCCAO PRIMARIA.Ach
fci desde o dia 7 de Janeiro a att
buccao primaria regida pelo prol'essor Joaa
LEILO.Hoje oagenle RernardinoGni-
mares eflreetnara um lefRo deftrmha. ar- *-<'.?*; "^'^MT^
l'.n.nk .1. **4tl ttmid-nhi cinif in Lmom
2:4ta*8'7
Vi: 7 L8*3lll
:.(),->?57
-
lfoz emiHio com pequea favaria nn trapi-
che QiM/ta as 11 lunas. no- .:
. LOTERA.A que se acha venda a 92'.
beneJirio doreeotiwntoac-lynarawn, <[ii corre
hoje.
PASSAG8HI0S.O vapor inglez Dmmhf
entrado dos porlos do siri' troiKe os scgriin-
tes passageiros para esta provincia, alm
Pde G que segu ni para a Europa:D. Ma-
ttia Ameba de Aadrade, Adolplm Al.vuilbra-
igo, Jos Rnrbosa Braga. Dr. Manrique L.
foares da Cmara e Manoei > Carvallu.
$. de-Andrade.
.\miii* entrados na 4 Rio de Janeiro e Rabia -li dias. vapor inglez DTjTiii-
be, de !) toneladas, eomoundanle I. W. Gollies,
equipagfMn i, ejrfa dtUerenes -genero
_ Adinisfli RBwie 4 C. C
nrk [mitos intriiieilios=l ilias,
iitiri i porto 6. vapor amorioano M
2,000 tiiueiladas. eoniniaedante Slocum,
sam 70, carga differentes gneros^
Forster &
Stiia -SjdMfsjliarcQn
rfeda*iSll) I. 4).
a 1>. C. A C C Sinipson,
De ordem do nini. Sr. inspector da Ihesoura-
ria de fazenda desta provincia se faz publico a
quem iuteressar possa, que no dia 15 do corrente
mez comeoarao na referida tliesouraria os paga-
menlos das* peiisue, dii monte pi geral dos servi-
dores do estado, vencidos at o ultimo de deztni-
brn prximo lindo.
Secretaria da tbnmuraria de fazenda do ftr-
iiainbuco, 13 de Janeiro do 1869.
0 oflicial-maior
Manoel mmale da SUrn dala.
Consolli O conelho ni dkH do corrente mez promove
a vista de propostas'recebidas at as 11 lunas da
manha e sob as condices do eat) lo a compra dos
soguintes objectos de material da armada :
6 pecas de arrebem, 3 ancorotes de quintaos
cada um, 1 ancora- de 6 qiiintaes, 12 bandeiras na-
cionaes de 4 pannos, 200 alqueires de cal preta.
50 nares de cliinclas, 200 canelas, 8 pecas de ca-
bo de linli,, de 1 |nllegaila. 8 pecas de cabo do li-
nlio de 1 o ineia poegadas. 5 inilheirosdo estopa-
res, 10 arrobas de graxa do Rio Grande, 200 len-
cos de seda prela. 20 resmas de lixa de esmeril em
panno, 80 lampefies triangulares, 200 folhas de lixa
de vidro em papel, 6 arrobas de mealbar, 10 libras
de obreias fraiieczas, 50 fnlhas de papel para niap-
pas, 2 resmas de papel hollanda, 2 pecas de tapete.
O Irados de ferro de 4 oitavos, 500 libras do tinta
verde, 60 grozas de torcidas para pbarol, 20 lira
linbas e 8 vidros grandes de patente de 5 e meio
palmos de compriniento o 4 e meio de largo.
Sala das sessoes do eonselho de compras navaes
12 de Janeiro de 1869.
O secretario
Alexandre Hodritjues dos n/M.
THATRO
Gymnasio campestre
ASSOCIACAO ARTSTICA
Dowiago i 9 de Janeiro.
Primeira representacao da excedente comedia-
drama em 2 actos exhibida com applauso geral no
theatro Gymnasio do Lisboa, intitulada
iiEiiiAe ,
Do urna nobilia de jacarand
eom lampo d p^flra, 1 beret
de dito e 2 eseravos de ineia
idade.
HOJE
No 1" andar do sobrado n, 62. ra da Cruz as
11 horas.
LEILAO
PEDRO 0 TECELiO
00
A honra do operario.
Toma parte toda a eompanhia.
0 resto do espectculo ser annunciado nos
jornaes de ainanhaa
Os bilhetes aehain-se no lugar do costume.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Mavegaf* eostelra por vapor.
Goianna.
O vapor Mautongiiapc, cominan-
dante Mello, seguir para o porto ci-
ma no dia 16 do corrente as 9 horas
da noite. Recebe carga, passageiros, encommen-
das e dinheiro a frote no escriplorio do Forte do
Maltos n. 12.
De farinha. arroz e milha.
Pelo agente
Roniardino liiiiniarcs.
Por mandado do Illm. Sr. Or. jniz de dircito in-
terino do commercio vender o mesmo agente, poi
conta o risco de quem x-rtencer, a reiiuerimentfi
do Antonio Francisco de Oliveira. capilao do ta-
le nacional iota
407 saceos com farinha de mandioca a variada.
12 ditos com arroz avadado marca A B.
611 ditos com dito dito marra X.
l.'l ditos com milito marca X.
km*:
Se.rlu-frini lo do correntp as 11 horas.
No trapiche Guuha onde se acham ditos gneros.
LEILAO
De movis e una eserava.
A SABE11:
Um rica nobilia de Jacaranda a Luiz XV com
1 sof, 1 mesa oval, 2 consolos com pedia mar-
inore, 4 cadeiras de braeos e 18 de guarnico (du-
ziae ineia), 1 nobilia d aniandlo, 1 cndelabni c
2 serpentinas. 2 eaileira< do balaneo. 12 ditas de
guarnico, 1 apparador, 1 caixa'do tontos para
voltarele e muitos outros objertos.
Una esrrava orioula Cassiana, 22 annos, cosi-
nha e engoinnia.
HOJE.
0 agente Pinto levar a leilanpor conta de quem
perteiieeruiiia escrava, movis e mais obiectos
acuna mencionados existentes no lerrefro andar do
sobrado da ra do Imperador n. 73 por cima d
cartorio do taliellio Almeida.
^^^^ Principiar as 10 hora-.
LEILAO
DE
Fazendas avadadas.
Sabbado 16 de Janeiro as 10 horas
em ponto.
O agente Pinto far leilo por conta c risco d>
quem perlencer de difterentcs fazendas inglezas
avariadas a bordo do vapor inglez Stipphire, exis-
tentes no arniazeni da ra da Cadeia n. 52, onde
so effectuara' o leilo as 10 horas do dia cima
dito.
Para o Porto
Segu com a maior brevdade possivel a barca
Amelia de primeira marcha, por ler a maior parte
de sua carga engajada; para o pouco que lhe falta
e passageiros, aos quaes offere excellentes commo-
dos, trata-se com Bailar, Oliveira & C, ra do Viga-
rio n. 10.
LEILAO
Rio Grande do Su!
Para o referido porio saldr infallivelmente at
o dia 27 docorrentc a barca portugueza Arminda,
recebe algunia carga a rete para o que pode tra-
tar-so com o seu consignatario David' Ferreiru
Dallar, ra do Brum n. 92.
COMPANHIA PEKNA.\1IJI/CANA
DE
Xavegaco costelra por vapor.
Macei e escalas, Penedo e Aracaj.
O vapor, Jatjuaribe, commandante
Monea, seguir para os portos cima
dia 15 do corrente as .'i horas da tarde.
Recebe carga at o dia 14 as :t horas da tanle.
enc un mondas. | lassagei ros o dinheiro arele ale as
2 horas da tarde do dia da sabida no escriplorio do
Forte do Mattos n. I.
Da armapo, utenci-
lios e fazendas
existentes na laja de miudexas n. ra da Ca-
deiaconstituindo a mas>a fallida de Silvestre Pe
rejra da Cunha.
tteguutla-felra IN lo eorretilr
as 1 f horas
NA MENCIONADA COJA.
O agente Bernardino Guimares por mandad,
do Illm. Sr. Dr. juiz de direito interino do com-
inercio vender esses obieetos cuja relacn o ava-
liacao podem ser examinadas no armaiem dos
Sr<. Lopes & Oliveira, depositarios da referida
iiassa.
AVISOS DIVERSOS.
I o de Janeiro
Segu com brevdade para o porto cima ojM-
gnenacional Isabel, tem psrte (losen cairegainen-
to engajado, para o resto (pie lhe falla trara-se
com os consignatarios Antonio Lniz de Oliveira
Azevodo & C. ra da Cruz n. 57, primeirn andar.
Para o orto
Segu sem demora a liarca portugueza .Vero
Silencio, por ter grande parte da sua carga
prompta ; para o resto e passageiros, aos quaes
offerece excejlntes commodos, (rata-se com Oli-
veira, Filhos & C, largo d i Corpo-Santo u. 19, ou
com o capilao na praca do Commercio.
i Para o Porto
Seguir com toda a brevdade. por j !er,|ua-i
todo o sen carregainonto engajado, a mui velleira
barca Vencedora : para o eslo e passageiros. aos
qnaes offerece excellenb- ci.iiiiii.hIos. trata-se oom
Cunha lnnos t C. na da Madre de Deus
n. 34.
' l3a ni
j#l V**
7~.
*

Htm.
nTBtrMMCti
lripalfBaw
demonstra
i do respectivo preaidMCl
"fiiiin.....!
MEVISTA DIARIA.
BJiliaj|rre
,.i hiinti
niunhls
osijo
PUB11CAMES A PEDrttO.
publicago que Ikeram os conmnbores dosl-
r*SOlho de Vidro-^reetsa de rctWefceao. qne
i raniod ar.
Collocou-se porto n vi^ia, stwio ayuelk *rrou*-
bado e.este esaagoades como tu^ui gi^stjn u
iem o collocado na( ua-da Aurora
dea de so cllne gos foi pi
W- Dr. Portella, advocado do -
fovavelmcnte foi poraqoello sentir
Jmisiderada como mais. Ahrmiaaflk^pofa w-
oade que nao. teve o Sr. Antunes scienca da i
riva CUocaalo dos pregos.
Unido.' to 240 tenphtdav rapitao.: *)pni
Santos, eqninagem iL rasga 2,'(40 urtob;
carne; a Ainorim Irmo.
Cape Trwn (nexabo da Boa-tipe
barca infiernhnhet, de INRneladas. ca
Tbomas tfoegae. eqaipapcmi kt, em lasii,.: a
oedeng,
\ os sidtiM wmif.ik, 1
Liverpool Barca luirte-allemaa ffifc,fv' cap^q
C. Kluok, c;u'gaa*yp'ar e algodao.
RiHirandf Jo Xm le Barca m<\pw Fleet
capilao Hcnn- BaohV. caifra rUfferent ene
Itio de JaneiroVap'm- :\uidnK0F^miiss
cnmnundaotc Slocun. carpa1 lTerele*
ros. '' "
nm^nVapuii in*de*^"""c tJotnuiiiidantAa
W. (irites. carga.ltferentes giiaMH sli JL I
fi '1 _._ m
ftiarmhdo e
Para os imu'oados portes prdende seguir com
brevdade o hiato nacional llosa, para, a carga que
llw falla tr4a-9 om JilaPWt, Basfes '".., no
largo do Corpo-Sa8toarsflbmdo andar.
C()MPANto'pJllMS|IBL'aNA
XaTesaco.costera ppr vapor.
Paraliyba. Nalal. Mat-ii, fi^si'f,
Aracaiv, (.ear^Aiarac.
i> vrr\n>r Prrffp'wtil^akommandante
- reunir.'para os portos afama
^ no iiia !> do nrmate as S horas da
tardo. He.-ebeoarga at dia li as :i horas da
tarde, oncommendas. pa^sapoiros e dinheiro a
frete at as 2horas da larde do dia da sabida no
escriplorio do Parte do Mallos h.L
200$ OOS de gpeqfc
Gratilica-se. segundo a distancia, a quem pegar
e lavar a sen senhor o Dr. Virgilio Carnevoda
Cimba e Albtiquerquo. morador no engonbo Con-
cordia, da fregiie/.ia da l.uz. o e>eravo Joaquim do
SanfAnm, preto de idade dntt anuos, bucal, esta
lina regular, porm un pouco espadando e largo,
iilli.'- peipienos. nariz um penco branco. dente-
pertetos, alvos o lian i k. eabecs peqnena, ps e
mi s regulares, dlsposto o esperto pata jmalqaei
sen.ro. taUavagarosa e grasaa w cheia, andar um
pouco cangueiru. deve l,r marea nas peinas en-
costada aos ps de l'.-rros que levou. Pal comprado
ao Sr. baran de Naaaret e este oamprou-a ao s,
Jos Miguel (Allemo) que o tixmxe do Hio-Cran-I,
do Nortee ahi o emnprou ao Sr. capilao l'ie.hrir,,
matador na villa do Pa de ferro, b o sao pai..
capilao Keiiiaiides comprou-o ao Sr. Manoel Tlm
ma/. da Sil xa morador na villa de Porta Alegre
-endo o referido escravo natural do Inga da pro\in-
cia da Parahjba. peflnceu e viajou principaneati
os sertoes de Ingazeira em l'aje (onde tem dou>
senhoies mocos por nonio M-arcono c gamillo.)
Sorra Talluda, cidad" divSouza, Scrra dufalai Mus
etc. etc.. assim tambem previne-so a quem aprou-
honder w retei ido escravo que seiyla nocentrod.i
provincia da l'arahxha oentrfgfie nnDr.Jos Pau-
lin. do rigiieire.lo na i idade de Souza, ou ao ca-
IMto Joaquim Saldanba, na fazanda Mulugii na
riacho de Poicos, no caso de nao querer Irazer ou
sen referido senhor.
Para Lisboa
EEITAES.

ontL
aVrtfin de S. Exc. o Sr. preside]
da priMiqnaa ae Su pablico. para .'un
Liaerit^ m e88(WB, tjHen cairrian
tratnn*n->sR xlo fcirnerirnento d'agua po
J9Kbtt) Jarucci, nociMavsQ prsta sffBSA m-
i-uco das ebras ife*
da 28 de fevereiro pro**>
\-juio. provcalkaa-ae de- que ieiira Oe-
0 briguo pnrtUj
sabir com muita
da su?, carga pi*1
e passageiroaT
largo do Coi
pito, na pra^a *> Gf
--------
\1eir.i. val
a maior parte
" ida lhe falta
Filhos & C.
fer'i
------------------------------------------ -i. -^-----------
IABOATAO
I Hotel da barra
O prnprietario desto estalielecimento sejeatifica
ao rospeitavol publico que o sen hotel esa conve-
nientemente proparado para receber e tiem srrvii
aquellas pessoas que qmzeram pasear dias noapra
sivel Jaboatao. Como se aproxima a l'esl i do glo-
rioso Sanio Amaro, o proprielario desle etebelc-
cinienio espera que as [nysoas que fazoin a festa. o
quequeiram apreciaros excaUeosas banhi s. se di-
rijam a este hotel, visto qne all encentrara) fon-
as coinniodidades preeisas.
Fugio no dia 8 de dezembro prximo passa-
do un escravo de nome Janaarie. pret,.. do cor
fula, ia tem cabellos brancos na rabeca, Ifvou
vestido calca e camisa azul de algodao j usado.
postuma andar com peitoral de couro c apraoai.i-
iloe ps, foi morador em Mamanguape, para hnde
se julga ter ido. por ter alli lilhos : r au-
toridades polciaes ou as pessoas ipic delle tvereni
ronheciroento, o prendam e o levem ni i cu I
poeta n. 10. que sero recompensado*
de Manoel da Silva Mendonca Viaima.
c= l'recisa-se alugar un escravu possanfc qe"
sailia tratH de sitio a tratar u:i ra (de AjhiIIo ii
18,armazeiu de aseurar.
Para Lisboa
Segu em poneos dias o briguo portugnwOMis-
tante I, por le grande parte do seu earregamonto
prompto ; par; o restante o passageiros. trate-se
com Oliveira, lilhos A C largo do Corpo-Santo n.
19, ou com o < a|ttaa|fipraa da Commercio.
|
i
wt
Para o Rio de Janeiro
Sahir com a mxima brevdade possivel o bri-
me nacional Trovador, para carga e eseravos
frete. trata-e rom o* eonsignatarios Mari
ftams A r... m |vr*:a(te 4o andar.
= Procisa-so de un o: t*nt*'i |u
^ taberna e d dad .onducia na ra
das Cru*es n. 4.________________
== Offei' i criado: na ra Bi'li* n. t!
= Pri as,i-e de uinaaiua que saina bem coz-
nhar : no pateo da Kibeita u. 13._______^^___
Aluga.se a rea n. 19 na ra do Tam-
bi da Boa-vista: a tratar na atfandoga cmj o des-
pachante Joan llarlbolomr os da Sin .
= Procisa-se do urna ama para cozinl
mais servico de urna casa : na ra ''
ilo Rasarlo n- M- **&*' _,____
o Mico inionw. ama caa de ftnalii.: a
na ra do Queimado teja n. a.
_L bIhCj


De um escravo.
Cordoiro Siiuoes
por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz de orphaos c a
cquerimento da inventariante do finado Joaquim '
1 rancisco de Alem, far leilo do escravo Grego-
io, idade 20 anuos, bonita figura e proprio para
eguir para o sul. Isto
Sabbado 16 as liberas
em frente a porta do predio que foi a Assocaci
Coininercial largo do (jirpo Santo.



3WBW-
Diario tic Periiambiieo Sexta feira 15 de Janeiro de l^O.
COLLEGIO
DE
smi mmmk.
Ra ^o.Hidspicio n. 22.
Todas as aulas deste collagio que cuiuprdieudeiri
o nsino de prhjtelras IcHras"; das fingirte latina,
franceza e inglcza; de geometra, goographia e
philosophia. estarao niprotervelmchte abenas na
segunda-feira, 11 do uorrente. Alin distas disci-
plinas, havea duas vaes por semana urna aula de
grauniatica pwtoguea e un curso especial para
a pratira da conversaba) franceza, dirigido p(T un
professnr franed _______ ___
O Sr. &fgrnt7 brigada ilo corpo de
poKcia queira vir a esta Typographi*- a ein
gocio._______________
-yClaudio DtrfiiiKmudou o seuescrip-
torio da i na do Imperador para o Caes 2
de Novembro, n. !2, junto ao bilhar dos
arcos.
w
Photographia
O pliotog;ap!io J. Ferreua Villela participa ao
respeitavel nibliro, (pje tendo cliegado do Rio de
Janeiro no lia 7 do pausado, tomn a direceo do
sen eslalieK cimento de phtogrnphia, sito ra do
Cabug n. 8, entrada pelo pateo da matriz, onde
se contina a tirar retratos por todos os systemas
plioiiipraphcos. No mesmo estaboleciiiient.) anda
se continua a tirar retratos em cartao de visita a
flOOO a duzia. Ha tambom una linda tfleccao
de alllnetes de ouro de le rom pedias preciosas.
para a eoll.ic.icao de retrato?.
Trocam-se
as notas do banco do Brasil c das caixas iliaes,
rom descont mito razoavel : na traeca da Inde-
pendencia n. 22. |
O abaixo assignado faz sciente ao respeitave
corpo comnicrcial desta [iraca e ao publico ein ge-
ral, que do 1 de Janeiro correntc toni dado -ocie-
dade aos seas mugas caixeiros Joapiim Vieira de
Mello Pinto e Ji'iio Francisco de Moura, em seu
cstabeleciinent de fcu,end;is roa do Queiniado n.
Ul, sendo a tirina d'or:-. ein diaute Antonio de Mou-
ra Rolim & C compclindo somenteao abaixo as-
signado osar desta at ulterior deliberaran. Reci-
te 5 de Janeiro de 1863.
A. de Moura Rolim.
lUIATfSIMO
Calcado nacional, na fabrica de Jos Vicente
Godinlio & C., ra do Jardini n. 19, avisain aos
sens fregiiezesdesta capital e do interior, que eon-
tnuam a fabricar calcado em alta escala, e olTe-
recem as melhores coilicocs, lauto ein preco 'como
em qualidade. Os propietarios deste cslabeleci-
mento chamain a attencao dos senliores consumi-
dores do interior, que os quizerein honrar com
sua freguezia, especllicando ein seus pedidos a
qualidade e numerara >, olfereecndo-se para os en-
tregar bem acondicoiiados em casa de seus cor-
respondentes nesta prc ca. ____________
Criado.
Na ra do Imperador n. 73, segundo andar, pre-
cisa-se de mu criado lel e bem procedido.
Precisi-se de nina ama que saiba cosinhar
para casa *! boniem solteiro : na ra do Lisra-
inento n. iJ'.
1
VMA
Precisa-se de duas amas, una para ongouuiiar
e otttra pan eozinhar : na ruada Cruzn. 66.
.Aluga-
,-se
Duas easas com bastantes commodos na
Cidadu Nova de Santo Amaro a tratar com
Antonio los (ornes Jnior, em Santo
Amaro.
Ittencao
Aluga-se o segundo andar do sobrado n. :i()
sito a ra da Aurora : aspessoas que o pretende-
rein podem dirigir-se;. ra Relia n. 37, que ah
adiaran com queni tratar._________________
Aluga-se o 1" andar e metade do 2", do so-
brado amarello da ra do Qiieimado n. 31, os quaes
se acham pintados de rovo, e s3o milito proprios
para os senliores advogados : a tratar na loja do
inesmo sobrado. '______
Aluga-se
O ter.t iro andar do sobrado n. 8. na da
Imperatriz: a Iralar com J.S. de M.Reg,
a na do Trapiche-n. 31.
Antonio Jos Rodrigues de Soma, |ireci.-a
alosar un criado papa o servico de casa, de mais
de lo annoe : a tratar com o mesmo na ra do
Crespo n. 15, ou em seu sitio no Monteiro.
Aluga-se uinesci.ivo pardo e moco, milito h-
bil e intelligentc, por 30* mensacs : a tratar na ra
das Trineheiras, n. 50 Io andar.
I
Antonio Carlos Pereira de Burgos Punce de Len
coma soliciador do foro destacidade edw termes
de fra, se (ncarrega de todas as questoes que fo-
rom suscitadas peante os tribunaes eivis, crhnes,
coaimerciats e ecciesiasticos. prometiendo conti-
nuar a exercer o seu emprego eoni a niesma leal-
d.ule, aetividadee dedicacao. O annunciante, pode
ainda receber certo numero de casas conunerciaes,
por contrae! o aun nal e bem rasoavel. Dcvc decla-
rar, que coiluma dar .as cuntas de despezas judi-
eias, todas datadas, especificadas e com escrupu-
losa exactidip, como allirinain os que teem sido seus
constituinte'. Quem.pois, quizer o honrar com sua
confianca. d gnar-se-ba procural-o ra das Trin-
j dichas no primeiro andar do sobrado n. 48. junto
ao eartorio do Sr. escrivao Motta, para onde acaba
de mudar-sc.
Arrenda-se a propriedade denominada
Barra de Serinhaem no liltoral da freguezia
do mesmo nomo, com muitos foros rece-
ber e muiloscoqueiros a desnudar, lendo-
alm disto, a excellentc e rara posico de
beira-mar, e beira-rio, inteiramente apro-
piada para mauler-se ahi qualquer es
tabelecime to commercial de seceos, e mo-
lliados ; a tratar ra do Imperador n. 20,
ou ;i ra da Florentina n. 28.
BARTHOLOMEU ft'C.

PARA USO INTERNO"
PltEl'ABVDOS SIMPLES

Cozinhoira
Na ra de Imperador n. 73, segundo andar, pre-
cisa-se de urna coziuheira.
D-se i. pi oiiik) de un e meio |wr eento sobro
penbores de ouro ou prata, a quautia de 700-5000:
quem quizer annuncie.
I)a-se a quantia de un cont de ris sobre hy-
potheen de c ga : na ra larga do Rosario loja n. 22
se dir.
Ama de leilc.
Xaid|)e de jurulHba garrafa. -IrSOOO
Vinlio de jurubeba garrafa. 14006
Pillas de junilieba \ idro. 1 MIOO
Tintura de jurubeba viilro. (i>
Extracto liydracoolico de jurubeba. Uf>OO
PREPARADOS TOMPOSTOS.
Vinho de jurubeba ferruginoso garrafa. 2-)00O
Xarope de jurubeba ferruginoso garrafa. IJ600
Pirales de junibeha ferruginosa vidro. 2-i)00
Oleo de jurubeba rldrrts. 0i0
Pomada de jurubeba pote. 040
Emplastro de jurubeba libra. 23600
PARA USO FATKRNO
A Jl IIl Itl HA.
Esta planta e hoje rcconecida como o mats poderoso tnico, como um cxcel-
lente desobstmentc, e como tal ap|ilieada nos eugorgitamentos do figado e bago, as
liepatites propriamente ditas, ou amda complicadas com anazarehas, na inflammacoes
subseguientes as febres intermitentes ou durezas, nosabeessos internos, nos tumores es-
iiciialmente do tero e abdomen, nos tumores glandulosos, na anazarcha, as hodrope-
m, ei-jsipellas; e associada as proparacoes fcmiginosas, ainda de grande vantagem
as anemias, cbloroses, faltas de menstruac3o, leuconbeias, desarranjos atnicos do
estomago, deuilidade orgnica e pobreza de sangue, etc.
O que dizemos aflirmam os mars distinctos mdicos desta ciddde, entre os
quaes podemos citar os Illms. Srs. Dr. Silva Ramos, Aquino Fonseca, Sarment, Scve.
Pereira do Carino, Firmo Xavier, Silva etc. Todos elles reconhecem a excelencia d'este
poderoso medicamento sobr osdemais at boje conhecidos para todos os! casos citados,
tanto que todos os das fazem d'elle applicaco.
Aposentando aos mdicos e ao publico emgeral diversos preparados da juru-
beba, tivemos por lim generalisar mais o uso d'este vegetal, fazendo desapparecer a
n^pugnancia (pie at hoje sitiam os doentes de usar dos preparados empricos d'elle, e
mais das vezes repugnantes a tragarcm-se, e que tinham ainda a desvantagem de n5o
ser calculada a dose conveniente a applicar-se, o que torna muitas vezes improficuo um
medicamento, que poderia produzir ptimos resultados.
Os nossos preparados s fcram apresentados depois de havermos conveniente-
menle estudado a jurubeba, fazendo as experiencias precisas paca bem cophecer as pro-
piedades medicamentosas desta planta em suasraizes, folhas, fructas bu bagas, e a
dose con veniente a applicaco, tendo alm d'isto procurado levar os nossos preparados
ao maior grao de perfeico possivel, para o que nao poupamos esforcoS, nao nos im-
portando o pouco lucro (pie possamos tirar.
Por tanto os que se dignarem recorrer aos nossos preparados podem ter a
certeza de qu3 elles oflerecem a garanta, de que se pode encontrar, a prompta e infalli-
velcura de qualquer dos soffrimentos, que deixamos innumerados, se forcm em teinpo
applicados, tendo alm d'sso, medico eu doente a vantagem deescolher nasnossas va-
riadas preparaces, aquella que melhor lbe pode convir, j pela fcil applicico, e j pela
complicacio das molestias, idade, sexo, ou ainda natureza de cada individuo.
As nossas preparacoes ferruginosas sao feitas de forma que se tornam comple-
tamente soluveis nos suecos gstricos, porque procuramos os compostos (Je ferro que
como taes esto boje reconhecidos.
Para aquelles que mais minuciosamente queiram conheeer as propriedades da
Do mi i'opc %'oscf al Americano, especialidad ^i- RA LARGADO ROSARIO-:ji
Nao coslumamos procurar atleslados para acreditar nossos preparados, e dei-
xamos que sua applicaco e os resultados obttdos pelas jiessnas que se dgnaram acceita-
los, lhesdeem crdito evoga; porque ;3o sempi-e os attesladns considerados gratuitos,
e delles que lauca mao o charlatanismo: mas, nao querendo olenaVr as pessoas que
espontneamente nos oll'ereceram os que abaixo vao transiiptos, os fazemos publicar,
inanifestando-lhes nossa gi-alidao pela ttencao, esperando (pie venhant elles corroborar
o concedo, e acceitaeJo (pju tem mere(idoin)sso xarojie.
Barlliolomen & C.
ATTKST.\I>OS
lilms. Srs. Bartholomeu A C. com a mais subida satisfaco qu declaro
ser o xarope Americano de urna efficacia extraordinaria, pois que solTrendo ha dias de
intonsa tosse, ponto de nao podo dormir a noite a despeilO mesmo de medicamentos
que tomava, a elle recorri e na terceira collier fui alliviado, e de todo me acho hoje res-
jtabelecido com o uso somente de quasimeio frasco: grato, pois.f esse resultado mani-
fest a Yv. Ss. meu reconhecimento.- De Vv. Ss. amigo, venerador e obligado.Ma-
noel Antonio Viegas Junioi-.
Sua casa 20 de abril de 1868.
Illms. Srs. Bartholomeu A ('.Penhoradissimo com o favor que me fizeram
de aconsclhar o uso do xai-ope Vegetal Americano, de sua composico, quando me acha-
va bastante doente de urna constipar o, que me tornou completamente rouco e que
trouxe urna forte tosse, e me impossibilitou de cumplir os meus deveres de cantor da
empiv-.a Ivii.a, vou agradecer-lhes meu completo restabelecimento, que obtive com um
s vidro do mesmo xarope, depois de haver recorrido a muitos tralamentos. Desejarei
que outros como cu recorram ao seu >aropo para se ver.-m alliviados de to terrivel
incommodo, tao fatal neste paiz. Com maior consideraco contino a ser de Vv. Ss.
ltenlo, venerador o obrigado. I.uiz (remona.
Recife, 23 de setembro de 1808.
Illms. Srs. Bartholomeu & C.O xarope Vegetal Americano .pie Vv. Ss. teem
exposto venda de toda ellicacia para o curativo d'astlima, conforme observei appli-
cando-o a meu filho Joaquim, menor de piatro anuos: victima d esse llagello, que at
entao por espaco excedente a dous annos havia resistido a outros xaropes de grande
nomeada. (Jueiram, pois, Vv. Ss. aect lar a expressao altamente sincera de meu reco-
nhecimento ao meritorio servico que Ihe prestaram com e indicado xarope. nrieditai;-
do-me para sempre de Vv. Ss. criado, diento e obrigado.Americo Netto de Mendonca.
Recife, 2 deoutubro.de (808.
DE
PE-IMCM
Precisa-se de una ama de leite preferindo-se es-
crava, para acabar de criar nina menina de 8 nie-
zes de idade: na ra da Conreicao, na Roa-Vista,
n. U.
jurubeba, e saherem a applicaco de nossos preparados, destribuimos
em nosso deposito um folheto, onde tratamos mais extensamente d"esla
meemos preparados.
Deposito geral de lodos os preparados
isf lea e drogara
31Ra larga do Rosario34.
gratuitamente
planta e dos
J.
DE
Frederico Maya
Cirurgio lenflsla pela escola
de medicina
do icio de Janeiro.
Tem a honra de participar ao respeitavel publi-
co desta capital e seus suburbios, que tem aberto o
. sea gabinete de consultas e opencoea dentarias a
ra Direita n. 12. primeiro andar." onde pode ser
procurado todos os dias das 8 horas da mant'l a-
:l da tarde. Elle acha-se competentemente habili-
tado para com perfeicoeollocar denles artiliciacs
por qualquer dos svstemas. e bem assim desempe-
nliai1 qualquer outro trabalho concernente a sua
profissao. o mesmo, reconhecendo que nemsem-
pre possivel ssnboras ou criancas sahirem a
proccjf o remedio, ofcrece-so a remover qual-
quer obstculo, declarando que na cidadese pres-
ar a qualquer chamad) semque issoinllua colisa
alguma na commodidade dos preeos de seus traba-
Ilios,e quando para fra dola assim mesmo ser
precedido de um ajuste rasoavel, arantindo elle a
seganmea e perfeico de seus ditos trabalhos. Em
-seu gabinete so encontrar constantemente excel-
lenteps dentifricio, elixir e outros medicamen-
tos odontalgicos : ra Direita n. 12. primeiro
indar.
Ama
Prccisa-sc de urna ama para o servico interno
de una casa de pequea familia: na estrada de
k&i de IJairus, n. 11.
Oflercce-se uina ama para casa de pouca fa-
milia : a trat; r na Roa-Vista, ra Velha, n. 21.
Lembran^a
(AOS MEM.NOS)
Encontra-se no armazein do vapor francez, na
ra Nova n. 7, bellos artigos de phantaa em quin-
qnilhoria, e finos brinquedos milito interessantes
mugidos de novo, propiios de meninas e de meni-
nos, a preeos variaveis e commodos segundo os ob-
jectos.
A companhia dos trilhos urbanos tem acolhido
com bondade os pedidos, que o publico tem fcito, c
confiado ein ( ue mais esta vez acolhcr ainda um
pedido; temblamos a factura de una estacan no
|M)iito de parada da Torre, pois que sendo un dos
pontos da lint a de grande niovimento. impres-
cendivel um abrigo para os passageiros, porque
estando prximo o invern, nao justo que liqucm
expostos ao rigor do lempo.
________ O prejitdiaiilo.
Na ra Nova n. 6, precisa-se de una ama
que cosinlie rerfeitamentc, para poucas pessoas.
profere-se escrava.
COLLEGIO DE SANTO AE1R0
Eecife, ra do Commercio n. 5.
Kste estabelecimento de cdiicaco, acha-se a dlsposico dos
Illms. r.*i. pais de familias e a quem mais possa convir. O Direc-
tor faz sciente, que desde j acha-se aberta a matricula da aula de
instruceo primaria, a qual ser aberta em o da 11 do andante :
bem como as secundarias, cujos cursos Ireram principio pelas fe-
rias e devem ser encerradas em mareo. As demais funcclonaro
do da 3 de fevereiro em diantc. com a rcs;ularidade do costunic.
Recife, 4 de Janeiro de ISttO.
N'. 55RA DO IMPERADORN. 55.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje assz conliccidos para seja necessario
insistir sobre sua superioridade, vantag >ns e garantas que oderecem aos compradores,
(pialidades estas incontestaveis, que ellos lem defluttivamenle conquistado sobto todos
os que tem apparecido nesta prafa; possuindo uin tecladoemachinismo que obedecem
todas as volitados e caprichos das pianistas, seni nunca falhar, por seren fabricados
de proposito e ter-se feilo ltimamente niellioramenlos importautissimos para o clima
deste paiz; quanto as vozes sao melodicjsas e flautadas e por isso muito agradaveis aos
oit\idos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como nado Sr. Blon-
del, de Pars, socio correspondente de .'. Vigues, ein cuja capital foram sempre premia-
dos em todas as exposicoes.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um cxplenddo e variado sorti-
mento de msicas dos melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos
harmnicos, sendo ludo vendido por prtcos commodos e razoaveis.
Desappareceu da ra dos Coelhoe n, 20, o
eabrinha escravo de nome Milbnrges, idade 10 an-
nos, o qual ti ha vindo do cnjtenho Salgado, cu-
rar-sc de mor ledella de cachorro dainnado. Koga-
se usautoridales policiaes e a qualquer pessoa
(pie delle soufcer, se sina dar parte na dita ra
dos Coellios, o i na ra do Apollo n. 8.

Antonio di'. Andra.dv de Luna avisa ao pu-
blico e especialmente ao respeitavel corpo do
commercio. que admittk. para socio de sua casa
counerciaj em (loianna a ra do Meio n. 27, a seu
sobrinho Luiz Antonio de Andrade Luna, tendo
principio no dia 1 de Janeiro de 1869, na razao so-
cial de Ivo Antonio de Andrade Luna & Sobrinho.
Jos Nogueira de Snuza scientitica ao respei-
tavel publico e corpo con mercial que a principiar
do Io do crreme admittio para socio de sen esta-
belecimento ronliccido sob o titulo---Livraria Eco-
omifl a sen antigocaixeiro oSr. Joaquim Fran-
cisco de Medeiros, gvrando o mesmo cstabeleci-
meiMo daquella data "em (liante suba firma Nognei-
ra Medeiros. Recife 8 de Janeiro de 18(i9.
= Precisa-se alugar urna ama para casa de
pouca familia : a tratar na ra ostrera do Rosario
n. 27, 2o andar.
Joaquim Jos Gon-
calves Beltro
RA DO TRAPICHE N. 17, I. ANDAR.
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
co do Minho, em Braga, e sobre os seguin-
tes Jogares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
GuimarSes.
Combra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vea.
Yiaima do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famalico.
Lamego.
Lagos.
Covilhaa.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Beja.
arcellos.
Attenc&o
Precisa-se d) 2:O00 a juros pagan.lo-se o pre-
mio que se couvencionar e dando-se boa garanta:
apiissoa que uiizer fazer este negocio deixe carta
na na das Cruzes n. 12, com as iniciaos I. F. M
Joo Alvjs da Cunda morador em Riaxao da
Bacamarte termo da villa do Inga provincia d..
Paraliyba, faz sciente ao respeitavel publico que
de hoje em dia ite se assignara por Joao Alves da
Cunha Villa Bella por ter encontrado noinc igual.
Recife 12 de Janeiro de 1869.______
= Precisa-si alugar una escrava para cozinhai
e engommar : na ra do Crespo n. 23.
Attencao
Antonio Cari >s Pereira de Burgos Ponce de Len.
como solicitador do foro desta cidade o dos termos
de fra, se ene irroga de todas as questoes que fo-
rem suscitadas perante os tribunaes civeis, tri-
nen, commerciaes e ecclesiasticas, promettendi
continuar a exercer o seu emprego, com a mesma
lealdade, actividade e dedicacao. O annunciante.
pode ainda receber certo numero .de casas com-
merciaes, por contrato annual c bem razoavel. De
ve declarar, que costuma dar as cuntas do despe-
zas judiciaes, xnlas datadas, especificadas e com
escrupulosa exaclidao, como afliimam os que tem
sido seus constituintes. Quem pois quizer o hon-
rar com sua anfianca, dignar-se-ha procurado;,
ra das Trineheiras no primeiro andar do sobrad,
n. 48, junto ao eartorio do Sr. escrivao Molla, pan
onde acaba de mudar-so.
Antonio Jos Rodrigues de Souza, na ra do
Crespo n. 15, ou em seu sitio do Monteiro, gratifi-
ca a quem capturar o seu escravo Joaquim,
pardo, de idade 35 annos, natural de Pao d'Alho.
para onde se suppoe ter fgido por ter sido visto
nesse dia a conversar com pessoa daquclle lugar,
estatura, seceo do corpo ti um pouco alto, bigode
e cabello meio carapinbad) e penteado, e tem um
caroco na miinheca da mao direita, do qual soffre
dores rheumaticas, tendo n falla a sertanejo, muito
-deMancjida.
Precisa-se de urna ama: na ra dos
Copiares (pateo do Terco) n. I, i, sobrado.
= Precisa-se de um eainciro de 14 a 16 annos
le idade. com pratica de taberna, que d flanea a
ana conducta": na ra do Domingos Pires n. 46.
Precisa-se alugar um moleqne, paga-se 14*
r*., que regule Jlo annos d< idade : na ra do Ca-
= Quem qui armazein do sal n. 6, e na ra da Conceicao, poi
preco commodo.
VALOR THERAPEUTICO
DO
XAROPE DE QUINA FERRUGINOSO
DE GRIMSULT E CORP.
Vbarmaeeatieos de I. A. Z. o principe Napolefto, ota Part.
A associacie do ferro e da quina resolveo um dos mais importantes problemas da p^armacia,
e faz eom que se congratulam os mdicos dos relevantes servicos que lhes presta esta pre-
para (o.
Com effeito, ninguem ignora que a quina, em maleira medical, o meihor toniflo qne se
possa empregar, sendo, sobretudo, unido ao Phosphato de ferro, a mais eslimada; das pre-
paracSes ferruginosas, pois que entram na sua composc3o o ferro, elemento do sangue, e o
phosphato, principio dos ossos.
Por isso, jnlgmos que, para os srs mdicos, serSo interessantes as observaefics feitas pelos
seus collcgas, os mais distinctos de Pars:
t Este Xarope produz os mais felzes resultados nos casos de dyspepsa, chlorosis,
amenorrhea, hemorrhagias, lcucorrheas, febrestyphoidas, diabetes, e quando precisa
restabelecer as forcas dos dosntes e restituir ao corpo as forcas alteradas ou perdidas.
ARNAL, medico de S. M. o Imperador.
urna das raras combinacocs que, ao mesmo lempo, satisfazem o medico e o doente. Era
quanto a mim, eu a considero como a mais efficaz preparacio ferruginosa, cujo aso dos
< mais agradaveis para os doenies.
CAZENAVE, medico do hospital Saint-Louis, em Pars.
Com esta preparacio d'uma forma agradavcl, e fcil de digerir, administra-st aos
doentes dois medicamentos importantes.
CIIARRIER, chefe de clnica da Facutdade de Pars.
Eu emprego com o maior exilo o Xarope de Quina ferruginoso, e o considero como
urna das mais felzes innovares, na mateira medical.
CUASSAlti.NAC, cirurgio em chefe do hospital Lariboisiire.
t Este medicamento, sempre bem aceito pelos doentes, deo-me constantemente os mais
vanlajosos resultados.
HERVEZ DE CHEG0IN, membro da Academia de medicina.
i A limpidez d'esta preparacio, o seu gosto agradavel, iscnto de qualquer s^bor de
f ferro, fazem d'ella um medicamento to efficaz como agradavel.
M0N0D, addido a Faculdade de medicina.
Deposito em Pernambuco, em casa de Kaurer e O*.
FKNDICAO IX) BDWMAN
Ba do Brun n. 52
0 propietario participa aos senliores de engenho, qne por falta d'agua ou de
aninaes se acliem inhabilitados para moer sitas cannas, que est promplo a assentar
machinas de vapor, com moendas ou sem ellas, dentro em oilo dias depois de estarem
as pecas no engenhoisto sem precisar de obra almima ou de outra mudan, a de moeu-
das existentes seno a substituto das rodas da almanjaita.
RIA LARGA 1)0 ROSARIO 137
Este acreditado estabeieBnento augmenta
de dia em dia quanto possivel para clie-
gar ao cume do bem vivar.
Alm dos saborosos manjares confeccio-
nados com o melhor asseio, tem bollos apo-
sentos de hospedagem, tanto para urna s
pessoa, como para numerosa familia.
A agua, indispensavel elemento para a
vida e hvgiene, temo-la sempre em abun-
dancia para facilitar excellentes banhos.
Ha tambom urna boa bibliothoca o peri-
dicos nacionacs e estrangeiros, piano para
recreio, buhares, efe. etc.
Sendo ociosa qualquer recommendacao
para to acreditado estabelcemento, omit-
timos mais prembulos, fazendo ver por
fim, que o bom servio/), ordem e moraiida-
de imperam n'esta casa, como observan ia
fiel do regulamento que possue.
Comedorias a la carte.
Procisa-se de nnu ama para cosinhar
Direita n. 6, p -imeiro andar.
na ra
ESCRAVA-
Precisa-se comprar urna escrava de trinta annof
pouco mais ou menos, que saiba engommar e to
zinhar, e que tenha boa conducta: quem tiver di
rija-se a ra do Queimado n. 69, que se dir quei
precisa.______
Zeferino Fernandes da Silva Mana, como ad
ministrador de sua mulher D. Antonia Maria d
Silva Manta, previne pelo presente que pessoa al
puma faca negocio com os bens de Luiz de Frai
. a Belem ; por quanto esses bens esto sugeilos ;
heranca que a mulher do abaixo assignado ten
direito, como herdeira de D. Candida Salustian.
Belem sua irmii.
abaixo assignado laz sciente ao corpo d
commercio dest praca e a quem mais interessai
que do primeiro do correirte tem dado sociedad,
rm seu estabelecimciil de fazendas a ra do Que.
mado n. 18, a s*u caixeiro nteressado Joo Bap
tist dos Guimaraes Peixoto, sendo a firma de or.
em alante Ca valho & Peixoto corapetindo ;.
ambos o uso da firma social.
Recife, 14 de .aneiro de 1869.
' Manoe! Ribeiro de Carvalho.
25OOO.
Paga-se i&MQLO mensaes de aluguel por urna e-
cravo que cosii he bem e tenha bom comporta
ment: amados Pires sobrado n. 87.
Aluga-se o 2* andar do sobrado da ra d.
Rosario da Boa-Vista, n. 83, muito fresco e bonit"
vista: a tratar n; ra das Cruzes, sobrado a. 9, !
andar, das 9 non s ao meio dia.
EFFICACIA
DO
XAROPE DE RBANO IODADO
O Xarope de Rbano iodado de Crimanlt e C*, phirmaceuiicos de S. A. 1. o prncipe
Napko, em Pars, preparado com o sueco das plantas anti-escorbulicu caja efficacia
mu popular.
Encerra o iodo como combinacio orgnica, e considerado como o melhor sncsedsneo
do oleo do figado do bacalho.
A rara pwfeicio d'este produelo anima-nos a dar a conheeer aqu a opiniio de algnns
d entre os principaes mdicos de Pars, que diariamente o prescrevem.
0 Xarope de Rbano iodado nm medicamento d'um effeito nave e seguro para a
medicacao dos meninos, nao smenle sappre o oleo de figado de bacalho, mas ainda faz
u soas vezes eom vantagem.
Dr A. CAZENAVE, medico em chefe do hospital Saint-Louis, em Pars.
0 Xarope de Habano iodado nm medicamento de prmeira ordem para o tratamento das
affeccSes lymphaticas e escrofulosas. Mullas vezes, empreguei-o com feliz xito, em certos
t casos de tsica ao seu principio, como succedaneo do oleo de figado de bacalho.
Dr A. CUARRIER, ontt^e chefe de clmica da Faculdade de Pars.
0 Xarope de Rbano iodado sempre nos dco excellentes resultados como regenerador
do sangue, e succedaneo do oleo de ligad* de bacalho. >
D' A. FAVR0T, autor do Traite des maladies des femmes.
0 Xarope de Rbano iodado um dos mais poderosos modilicadores das constuicoes
t lymphaticas. Tenhe visto ulceras escrofulosas que bada poda curar, cicatrizar.im-so,
gracas a sua accio, com promptidao extraordiaaria. Tambem, pelo seu uso desapparecem
as sffeccoes i uberculosas dos ossos, no* meninos *
V GUSSNARU, amigo externo dos hospitaes de Pars.
0 Xarope de Rbano iodado possue todas as vanugens do oleo de figado de bacalbio,
sem ter nenbum dos inconvenientes que aprsenla esie ultimo medicamento.
Dr GU1B0UT, medico dos hospitaes. Presidente da Sociedad* de median* de Ptvris.
Xarope de Rbano iodado de Grimsult e C encerra liS por cento do lodo, na sna
CHARLTERA E PETIT RESTAIRWT
Aunexos ao Hotel Cenital, ra estreila do
Rosario n. I A, andar teiTeo.
Para dar a conheeer a variedado infinita
de charutos de llavana, Baha, Rio, etc. que
existem ueste novo estabeiecimento pres-
cindimos dos annuncios pomposos que ge-
ralmente se fazem, reduzndo-nos apenas
tres letras que sao tres bbb bom, bonito e
barato. A'-vista do genero arintinciado po-
de-se julgar de nossa vendante. Esta casa
gosa tambem das condicoes de um elegante
e petit restarala onde se pode ver a es-
pecialidade dos fiambres a sikuues de Lion
para lanches e at fazrr una boa colaco,
juntamente com os principaes vinhos do
mercado, sobresahndo entre o bom a pura
o fervente champagne, o mu saboroso Rhe-
no, a primorosa cerveja, o licor espirituoso,
o quanto pede urna mesa. Faz-sc nouto
sorvele e variedade de refrescos.
MUDANCA
DO
IMPERIAL INSTITUTO
DE
NOSSA SENHOMDO BOM CONSELH
Da ra da Aurora n. 52

PARA A
RIJA no
V SG.
O director communica aos pais de seas alumnos, tanto internos como externos, que
transferio o seu collegio para a espacosa casa da ra do Hospicio n. 36, a qual offerece
as melhores proporcoes para commodidade e recreio dos cotlegiaes.
Todas as aulas acham-se abertas desde o dia 7 de Janeiro.
FRANCA-BRASIL
i*
MR. MERCIER, alfaiate francez, previne ao respeitavel publico e a seus numerosos fregue-
ses que, tendo transferido sua residencia para a roa do Trapiche n. 7, primeiro andar, ahi eneontrarao
sempre todas as qualidades de fazendas para trajos de homem, e prepara costunies para montara de
senbora. Faz tambem obras para militares e para criados, para as quaes tem grande soriimento dio
botdes simples, com virola e corda de conde, brancos e amarellos. Recebe por todos os vapores os
ultimo* flgurino* para homem, senhoras e meninos.
INJECCAO VEGETAL
composico orgnica anloga que se acha no oleo de gado de bacalho.
ETZINSKl, profeuor i chymica, louvado dos tribunaes de, Vienn
rKLT
Deposito em Pemamtueo, em casa de
C.
COM
AT
DEbRIMAULT E C^ PHAhMWEUTlCOS EM PARS
0 suocesso d'esta injeceto, preparada com as folhas do Msco do Pero, foi lio rpido, que
ella se toas tornada popular em todos os pases do nmode, para s eura da goeorrbo* e das pwfa-
coes de toda a naturas. B' o nico producto nesu geooro ewa eolrada na Rusia tenba sido
authorixada pelo coaaolbo medico de Sio Petersburgo.
Deposito em Ptrnambue, ora casa de
s


t


*
->-------., ,, ,
Dnno do Pemambaoo Sexta' feira 15 do Jaieiro do 1669.
>>
!
mn A MA1
TEMP
Grande liquidacio de miudezas-
/wimm/t t
- 0 ;ii (nado
240
320
160
15000
00
800
Xffonso Morera Temporal, qnerendo
loja ra do Quimado n. 55, resolveu aiinunciiP
blico se ccrtifqne do diminuto pre>;o porque as
Massos com grampos 25 a .
Pecas do tranca lisa e caracol a
Sabonetes de todos os procos a
80 100 MO e .
Abotoaduras para coetes a
Botes de louca para camisas, a
Garrafas d'agua Florida (verda-
deira) a.......
Fraseos cohi agua do Colonia
320 e........
Garrafa de tinta ro\a a.
Caixas com 100 enveloppes a.
Mantas de seda para hornera a
Fita de sarja para enfeite de
vestidos por. i .
Frascos com oleo para cabello
a 400e.......
La para bordar, libra. .
Escoro finas para chapeo a .
Ditas para cabello a 320 e .
Ditas muito finas para latos
por proco nunca visto 400
500 e........
Pecas de babadose ntremelos
a GOO 800 e .
Gravatas de seda de cor a .
Ditas pro tas a 400 o .
Bico e renda das ilbas a todo
proco. S a vista faz fe .
Pecas de fita de coz com 10 va-
ras a
& Latas com graxtt, duzia a .
40 Coques muito bous com rede s
a rede val......
Metas para hoiueus boa fazenda
a 3r)600 e ..... .
Linda de marca, caixa com 1G
novellos,.....
Latas.com.ijan.lia [famila), duzia
Frascos com lianba a atO&OOe
Botes para punho l'azeuda boa
a 80 e.......
500 Vtka de Aj^jotVg cousa boa a
800: Fitas' pai a debruunle vestido a
| Caixa com agullia franeeza a
00 Dnlt ^ doaropara colote dn/ia a
j Ca taQ tom alfnietes a .
Caixa com perfumaras muito
lina. S a caixa va! 10*000
12000 .......
Copo com opiata muito fino a
400 e .......
Meias muito finas para senliora
duzia........
Caitas franeezas i 200 a .
Ditas portuguezas a 120 e .
.jo Caixa de liaba do gaz branca 80
novellos.......
: Frasco com tinta a KM) e .
1 Franja de la para sapato (peca)
tendo *m tea poder como
opositarlo, prante 5 jitiz municipal la primaraM
Maria, de nacao da Cos-1 _
Ja, de dado de inai:- dg 30 anuos; artntCM que no
da 8 do eohute fuglra de sita casa, no lugar da
Hua-Viai/eui. e lea i ewuijtes: qnasl t-
ios oa caficlios ila cabera sao BrspKos, eostnma
panno cuino fazcm
corno regu-
c de cornejo
i8e esrrophnlasao lado do pescoeo etcm nBB PJjr-
V80 ua uiaisgn saq eou/a por causa de erysluelte.
Ropa, pois,r abaix asignado as respectivas auto-
ridades ou c;.iitaes de ranmo que no caso de lnes
ti'v apreseutada ou capturada dtyoem-se manda-la
entregar em sua casa onde -alelar todas as des-
fH'zas.
Virtntf Antonio do Espirito Snnto.
fXvyfl&gr unta fKsai terrea, (s
iinoc
bastantes
oda*, la na rao. da E- laca* na^tovoacao dos
MoOtr-;, a J'rn. fni#|t estadio da estrada de
Ierro : a iratiiY nes'a ndade cun Virgilio de Castro
Otiveira, travessa da ra do Vigario.
.
isoql
KM
240t
unan
500
GOO
-S800
320
500
600
10000
320
500 Papel de peso muito bom
Sapatos de tranca o uniros muitos artigos, que enladoiiho seria mencionar.
RA DO QEJMADO N. 55
loMXX)
:;.-vooo
2U)
200
GOO
Mil)
I ,$000
4->000
Gymnasio provincial
De ordem do Illm. Sr. Dr. regodor e de ronfor-
niidade cora o que diap&om os arls. 62 e G3 do re-
giment interno, faco saber que desde o lia !"
at o dia :ti do corrente niez estaro abertas a.
matriculas nesta secretaria, desde as S) lloras da
manlia at 1 hora da tarde dos dias litis, deven-
do os pas dos futuros alumnos, ou quem os repre-
sentar, de por as maos do Sr. Dr. regedor : 1"
certidao de idade do matriculando ; 2o certidao ou
attestado de tr sido o niesnio uatriculando vae-
cinado ; :t recibo do importe do primeiro quailel
da penso, paga na thesotuari do Gyumasio.
O mesmo Sr. Dr. regedor manda avisar aos pais.
tutores e curadores dos pensionistas, que saliiram
do estalii'leiimento para passarem as ferias, de que
devein estes recollier-se ao Gymnasio at o dia i
de fevereiro. vspera da abertura do anno lectivo.
- .Ii pena de Dcaram privados de sabir por lempo
de dous nieges, como dispoe o art. 101 do regi-
ment interno.
Secretaria do Gvnmasio Provincial 7 de Janeiro
de 18C9.
(I secretario.
Antonio da Assumpco Cabial.
AVISO
A K\ma. Sra. D. Auna Izaba! Brrelo de
Saboia tem urna caria viuda do Bio de Ja-
neiro, na ra do Sol n. 31 prmeiro andar.
Precisa-se de mu menino de l'ia 1 ti anuos,
para caixeiro : na travessa do Marisco n. 7, l'abii-
a de charuto._______________________________
Precisa-se de umnicnino de 12 a li annosile
idade, que leona pratica de venda : na ra do Han-
gel n. 7.1, onde dan Oador ua conducta.
Xa ruadalmperatri/. n. 18pivparain-se g
bandejas com Indos enleitadas. proprias
para casamentes, bailes etc. podins e to-
da e quaknicr qtutldad de bolo, ganuUin-
" -se o aceeio, |proiuptidrio e preco modic >.
HHIW^ISIIISI61
Festa de Nossa Sonhora do
Monte em Olinda.
O D. abbade de S. Bento, de acord
oa o Sr. commejidador Viraes, a\isa o
respetavef*publieo e de\otos da mesan
Senhora, que lem transferido a festa da mes-
ma excelsa Senhora para o dia 17 do cor-
rente. ___________________________
Jas Victorino de Rezende & c. eontinuam a
vendar farinbade mandioca de superiOE qualidade.
reom-chegaila de Porto-Alegre: a tratar cmsen
esciiptorio. ruadaCadeia, n. 52, primlro andar.
Jos Antonio de Olivcira e Luiz Januario la
Gama declaram que dissolverain ainigaveluiente a
weiedado qrefnban na iabrica de cigarros e
charatos silo na travessa do Queiinado n. 5 sobre
a Qrmade Olivcira & fiama, (cando todo o activo
e passivo do dito estabelecini"! i' s,>bre aresponsa-
bi I idade de Luiz Januario da Gama e o ei-socio
Oliveira seui mais responsabilidade algnma e em-
bolsado de seu capital o lucros, e para constar la-
xemos a presente declaraco em que nos assigna-
DM6. Reeife II de Janeiro de 1809.
Jos Antonio de Oliveira.
Luiz Januario da Gama.
C'ollesio da Couce$5o.
Acbant-se alienas as aulas desle estabelcciuien-
to. sito ra le S. Francisco n. 72, junto a esla-
Oiio dos trilhos urbanos do liedle a pipacoai
.8B8H...
O aiiviigado Dr. Antonio de Vas-
coik-ellos Meuezes de Dnnninond
trausferio o seu cscriptorio para na
do Imperador n. 20, onde pode ser
procurado todos os dias uteis para os
misteres de sua prolissao, das 11
oras da manlia is \ da larde.
- Precisa-se de uin menino de 12 annos para I
caixeii-o de taberna, prefere-se poi tuguez, que d |
Dador asna condu-ta : na ra doFogo n. 20.
Urna pessoa de longa pratica no coi nmercio
fferece-se liaraescripturar Imos jMir partidas do-
Aradas, poniiido ser procurado na ra do Crespo
n 18, priineiro andar.
f] LULAS, VINHO
E
XAROPEDE.JURBEBA.
I'IO.I'AHAOS l'KI-0 PlIAnMACKt TICO
oaquiui d AliueiUa Piuto.
As iirepiraces de jurubba sao
boje vantajozamente coohecidas o
precouisadas. pelos mais b,abeis m-
dicos, tant ^la Europa como do
paiz, pela sna ellicacia nos casos
de anemia, clilorose. Iiydropesia,
obstruido Je alikmen, e tambera
nas de menstruaoo dafltc, eatbar-
ro na bexiga, etc.
Vendera-se em poir-ao e a reta-
lbo, na cdade do Reeife, pliarma-
cia de seu compositor, ra larga
do Rosario n. 10, junto ao fiar-
te! de polica.
XAROPE DE FEDEGOSO
E' de una ellic;tcia verdadoira-
mente maravilbosa como calmante
do systema nervoso e applicado
contra a parali^ia, asllima, tosse
convulsa ou corpieliiclio, tosse re-
ernte ou antiga, sulfocacOes, >'^-
tarrbs bronebic^setc, e em geral
contra todos os soffrmentos das
vas respiratorias, o na phytisica
pulmonar, sua virtude contra o
ttano ou espasmos, o convulsoes
incontestavel,
a desconlieca.
martimos
1'.
COVTKA VOUO
A Companbia Indemnisadora, estabeletjida
nesta praga, toma
navios e seus cari
em edificios, mercadoria
rna do Vigario n. 4, pavimento terreo.
JIIJR/IU lklIURiilililil
(ii'antle liquidacao
') pivpriiia .'i conlu'cida
loja le ntiiide/.i.s Oemininnda Bi'ija Ffr
ruado Quimadon 03, uuerendo acabar
Jo sortimenlo di- miudc/.as que existe,
flt*libcr;dOJ)f'!i-eik'r aiiin.i c.ii|ileta i-
H.iaeao, {Kwa o me rliama a attenco de to-
iifijetts sefab vendidos por metadede
seguros maritimes sobre fllfh S If dCSClTOfar affdrflO se,Mal(,|> el,;,ia 'i11'' o publico, au >i|.p..-
e4neutos e contrafoso *,n,,,, ll^ w!"' fewiuu () ,,^^0 aiinmicio una illusa,
e^amemob tcoiiidiuro Doinin|msA!vMartiPU8 tem para vender ,., I ,- '
adonas e mobilias: na seu escriptorio na ra do Vibrio n. 21. -nperio- |opiopiun o ua tiiid loja. oiiuLd urna pe-
REL0J0EIR0
DE
VCTOR GRANDIN,
N. 40 Ra da Cadeia do Reeife N. 40.
O proprielario desie estabeteei-
mento, premiado com a luedalba
daexposicao universal de Pars no
anuo de 1835, U-m expos'o a.
riptoiio na rna uo vigario n. n. ?u|m;
res machinas para descarocar alodio, de todo
anianhos.
isos
da em sua loja, uin grande nii-
mento de rebigiog para liMHra
'como sejain : de onro e pratafll'ii
do dos melliores CniMwantes, de patentes nglezes.
9Ussos e horisontaes. Tambemtein mu pramle
riSTILtiS ASSllRAIWS
DO
DR. PATERSON
De liisiniith e inajsnezla.
Ri-medio por excellencia para combater
a magreza, facilitar a digeslo, fortificar o
estomago etc.
DKi'osrro UMmJae.
Pbaniiacia deBartlioloineud- C.
34-Ra larga do Rosario -34.
Aos Srs. de eiiicnlio
Ha para veuder una excellente inacbina de dis-
lilaca.i, a ipial se aha cm casa dos Sis. Villaca :
quantidade dereiogiosparaparedeequeUtaTio- lu:i (lu Brum frmdirAo). Para tratar com o sen
ras, dito* para emWriies e par finia de mesa. "Hl," !,;1 'lo ^"o n. 2.1, que lara ne^cio a
parai
todus estes reiogios saudus mais bonitos modelos.
0 mesmo concerta refegios de todas as miallda les
1 existentes, asufai como laiuljem conceda chrono-
metros de alpibeira e martimos : recebe sempre
(torlodnsos vapores, un completo sortimenlo de
correntw e trancelins, sendo ludo de ouro de le
ede modelos os na is modernos, assim como diver-
sos objectos de bijouteria dos mais bonitos e moder-
nos (HWlOS.
Rosaina de Miranda Henriques Teiseia,
professora partieular, declara aos paes dt laniilia-
que de novo Ibc qutaerem confiar as suas fillias,
quo acba-se eom aula aberla no dia 18 do corren-
t, na ra da Roda n. 16, onde continua ; ensinar
a lor, escrever, contar e a grammatica iiacional.
comotambeni costuras cbas e labyrn'.bo fbeio
e passado, a bordar de ouro, de matiz, e de 8beo,
a bordado branco em ponto de prata e de todos os
pontos du la.
*------------- |
Prerisa-se de urna ama para casa eslraupei"
ra, paga-se bem : na ra do lirtini n. 88,:} andar-
sobrado
dinheiro ou a prazo.
e nin^'iiein lia pie
XAROPjE
SALSA
t)E
PARRIMIA
DO PARA

Lagdo para calcadas
A tnlar na ra do Apollo n. i. escriptorio.
l^larTibeacdTitionic^^
Finnina de Souza. D. Kirmiua Maria de Sonsa,
1). Maria Kirmhia de Souza Viaona, e Luiz Kiiin--
dio Rodrigues Vianiia convid.iin as pessoas de sua
aniizade, e da de sen irmao c tio o desembarga-
dor Francisco Joaquini (lomes Ribeiro fallecido no
Rio de Janeiro para assistircm a inissa. pie se
lem de celebrar na matriz da Roa-Vista sexUi-leira
lo lo corrente as 8 horas da mauhaa pelo rapouso
cierno d'aipielle lina lo, e desde j se conl'essam
gratas por l3o piodOMJ obsequio. __
Aluga-se
l'reeisa->e alujar duas pretas escravas ou dous
moloques que sirvam para vender na ra frutas e
ontras causas: a tratar na ra do (jueimado n. .*i7,
loja.
mmm w vlame
N. 3 RL'A DIREITA N. 3
Continam a acbar-se a venda as
pillas e o xaiope alcohlico e elbe-
reode veame, conforme a formula
do finado pbarmaceutico Paranbos,
na Indica de Francisco Antonio das
Chagas roa Direita n.3; medica-
mentos estes asss eonhecidos, e
proficientes a querasoirre derliet-
matismo, escrfulas, erysipla, im-
pigens, exostses ou tumores nos
ossos, amenorrha ou falta de
menstruaco e menstruaeao dilli-
cil, etc.
Luiza Asnee de AndraJe Leal, professora
particular, tem aberto anla para o sexo femenino
na ra Direita n. 87, aonde ensina a ler, cscrever,
conta, grammatica nacional, costuras, bordados,
labyrinthos, cacund e mais habilidades proprias
de urna senhora, os senbores pais de familias que
quizerem conliar-lbe suas lilhas dirijam-se a casa
cima.____________________________________
ATTENCA0
Jos Maria Stxlr da Molta,'e\ticendo de a :-.iui-
10$ annos o cominerco. noqnal tem movido tran-
sacijocs de toda a ordem e importancia, julga por
conveniente fazer publico que nada deve nesta
pra^a ou fura della por titulo de qualquer nalure-
za : ou mesmo a vencer directa ou indirecta, em
mesmo de responsabilidade verbal ou de simples
conlianca d.-positada no crdito com pie se dignam
honra-lo : todava se alguem ha que se considere
>eu credor, nao tem escolha de occasiao |ara se
dirigir ao annunciante, corlo de que ser prompta
e immediatamente satisfeito.
m
Lll
'Wl
i
Nao tendo canip; recido nunero suficiente de
conseuhores da prop iedadecommum=Apipuc
para a rcunio geral ordinaria designada para
honteni, o admiustrrdor convoca de novo a todos
os consenhores a coi iparecerem no domingo se-
guintc. 17 do curren te. pelas 10 horas da manhaa,
na casa de sua residencia, certos de jue a reu-
nao geral se effectu.u com os consenhores que
comparecerein, assim como que nella s se tratar
da eleicao dos membros da aministraeo, approva-
cao de contase cont!-atos da arreinataco das ma-
tas, obras da capella. e rcclamaciio do esc iptura-
rio relativa a rednc ao de seu ordenado, tudo de
confonnidade com o disposto no artigo 18 dos cs-
latutos. Apipueos II de Janeiro de 18ti9.
O administrador,
Joao Francisco do Rogo Maia.
DEPURATIVO DO SANGUE.
Usado nas molestias de pelle,
impigens, dores rheumaticas, e
ulceras venreas.
O nico deposito desles medica-
camentos na botica do Pinto, rita
larga do Rosario n. 10 junto ao
gquartel de polica,
CANA DA FORTIAA
Aos 4:0005
Bilhetes garantidos.
A ra do Crespo n. 3 e casas do costunie.
abaixo assjgnado, leudo vuudido nos setu mui-
to felizcs bilhetes garantidos, mu quarlo n, 3113
com a sorte de :0|i, dous guarios u. lti.'il
e.nii a SOTte de "003. u lacio n. 210 com a
sorte da iii e nutras omitas lonas de lOd,
40 i e 20.5 da lotera pie se acaben-do eurahir a
lienilicio do patrimonio dos orpbos (91) convida
laospossuidores a virem receber seos respeetiaM
jjjgj premios sein os desetu tos das leis na Casa da
" Fortuna ruado Crespon. 23.
Achani-se a venda os da .1 parte da lotera em
beneficio do recolhimenlo le Iguarass (U2.*)
que se extrahir sexl.i-leira 13 do corrente inez.
Piceos.
Rilliete. ". 4000
Meio.....iOOO
Quarto.....i $000
Emporra)) de 100i para cima.
Bhete.....3300
Mcio......i730
Quarto..... 873
Manoel Martins Finza.
Maria Joaquina da Cruz Celestino professo-
ra particular de primoiras letras participa aos
pais de suas alunuias qie abre sua aula no dia
11 do corrente e convida aos pais de familias que
de novo Ihc quizer rondar as suas lilhas o diri-
gir-se a travessa dos Kxpostos n. 18, primeiro
andar.
Associaqo Cearense.
De ordem do Illm. Sr. presidente provi-
zorio, convido aos socios j inscriptos, ebem
como a todos os Cearenses, aqoi rezidentes,
(jue queiram ser socios effectivos, contri-
buintes ou honorarios, i assistircm a sessao
magna de inauguiacao I esta sociedade, que
ter lugar no dia 17 do corrente (domingo)
no palacete do pateo deS. Pedro pelas 11
horas da mauhaa.
De ordem do mesmo Sr. presidente, rogo
a todos os Ceat|nses rezidentes nesta ca-
pital, o obsequio de bonrarem aquello acto
com suas prezencas, anda mesmo que nao
queiram pertenece a sociedade. Reeife 14
de Janeiro de 1809.
Alfredo He arique Garca
Seereterio interino.
= Aluga-se un terceiro andar de um
na ra da Praia e uin segundo no caes do
a Ira iar na ra larga do Rosario n. 18,
andar.
Feilor.
Precis-se deum feitorquo leona pratic;
vico de engolillo: a tratar na ra do Apollo
FEITOR.
Precisa-se de um feiior para sitio pequi
da praca, que seja Irabalhador e capaz;
secco. ilando-se casa propria e boa para li
ipiem convier dirija-se rna Nova n. 10
andar.
Ramos
un eom-
engenho
AHENgAO
Xo dia 3 do actual, ebegou a esta praca
boyo de onze cavallos eom assucar do
Camassary, dos quaes se eslraviou ou uraram
um na occasiao em que se pesava o as; ucar na
ra da Concordia, reflnaco do Sr. Livio tte Souza
e Silva ,\o cavallo allegado lem os seguirles sig-
naos : alla/.ao, tres ps calcados de biane<>, cauda
compridt e frente abertaal ao beico. Gr!tifiea-se
bem ariuem dclle dr noticia : na ra da Cruz n.
27, primeiro andar, escriptorio de Ramos & Tem-
no ral.
Para familias
(mude Bazar, rea \ma n. SO c
'i 2. de arnero \ iauua & C.
Acaba de cliegar a este estabelecimento
graulepoiTaode inacbinas para costuras do
autor Wbeeier Wilson, appruvadas na ulti-
ma exposico de Pars, as quaes cozem com
dous pospontos loda a costura, e tem a
vantagem de ser lo suave o movimento,
ipie qualquer crianca de oto annos fcil-
mente Irabalba, e pi'ide, cora este enttrte-
niniento, levar vantagem ao servico diario
de trila costareiras. A comprehens3o
segundo sjmj>|(>Sj |)0s em lim quarto de hora se li-
ra S'-nlior do movimenlo da machina, ten-
do a mesma a propriedade de l'a/.er as se-
guintes costuras: pospontar, abaJnhar,
ftanzir, marcar e bordar, como apresentam
os desenhos que acompanliara-nas. Os pro-
prietanos do estabelecimento se encarre-
gam de mandar ensinar n'eAa -idade, e
l,^1? garantem entregar o importe dispendido ao
oran a! comprador) no caso de nao traballiar com
irimeiro porfeico a machina vendida, nd tendo,
porin. solidoella algnma avaria. Ha tam-
bera no mesmo estabelecimento machinas
do autor Grower Raker, de liabalho sini-
plesmeute a mao, e otras edm movimento
dosps; e mxime todos os peitences das
raesnias machinas, para vender avulso.
tpiena lista de alguniasniiiide/.e-;. cora os $< us
diminutos precoscomo abaixo se ver;
nao apreseiitaiido tuna lista completa de to-
iJaV us objectos que estn expostos a venda,
lela razao de se tornar mu annuinio i> '
extenso e por coiisequencia de rafaduidia lei-
tra.por isso apenas lemtta-se as seguintes:
I Duzia de miadas de liulia para
fazer croch. 160
I Caixa de linha o HJ BQ novclli s 500
I Dita 50 800
1 Dita 10 300
1 Duzia linlia de .arriteis de
100 jardas :;0
1 Dita de
200 jardas. 14200
Fita de lita parabdnum di' (odas
as cores, a peca. tifo
Hita 1 branca i
Dita |0
l'eca de lila de. liiilincuni 10 varas,
e qi'it serve para cus. 1
Dita cs ."ico
Pentes voltiados para menina c se-
i,! ra.
Ditos muitos finos.
de ser-
1.53.
Um amigo do conselhewo desem-
bargador Firmino Antonio de Sou-
za convida aos que tambem o foram
deste distincto magistrado para
assisttrem a urna missa e memento
que serdo rezados no dia \Sdo cor-
rente pelas 8 horas da manhda na
igreja do convento d:S. Francisco
dista cidade o qu-z sob maneiras
hes agradecer.__ ______.
O hachare! Prancisco Odilon Tavares Lhna
lecclona partir lamiente o francez e geographia no
pateo do Terco n. 33, e ah pode ser procurado por
aquelles que quizerem estudar os mesmos prepa-
ratorios das S as 6 horas da larde. ______
Ama
Na ra da Cadeia do Roci.'e 11. 9, Brecha-se.da
urna ,una, ,
Francisco Anlonio Coelho Jnior, fdho do ex-
proprielario do hotel Francisco, declara ao rwpeU
tavel publico, que se encarrega de trabalhos de
eoxinha assim como, prepara cha para f iianmil-
tos e partidas populares, ou qualquer sociedade
que d sdas partidas mensacs, porque se acha com
habilitares neceas arias para este fim. Tambem
prepara mes para grandes jamares tudo com
aceio c promplidao e tornee* mensalment< come-
dorias para casas 1 aniculares, a fallar na ra Bel-
la n. 2, que encontrar a mesma pessoa para con-
tratar.
Lembranca ao emprezai
ponte da Torro.
O entulho que est acumulado ao entra]
te para aterro, incommoda o transito p
Comento do Portland.
Vende-se no armozem de Trente Ferreira da
Costa A Filan, amada Madre de Dos 11. ii, em
barris grandes.___________________
Eincasa deThend. Clinsliansen, rna doCmii-
nercio n. Id. encontram-se eflectvaniente todas
10 (la as quididades de \inho Ilordeaus, Pourgoane-e do
1 da
da pon-
iblieD,
Itheno.
ManiM'l lvps Fetreira d C, na ruada
Moeda n. 5, segundo andar lem para vender
^seli^narZi^
I.i-boa .la mais nova que ha
dade, |ior tanlo pede-se ao Sr. emprezario le man-
dar espalhar o referido entulho. para evilir algu-
inas ciuedas, que alii se tem dado no escuro.
______________ Um qtie destocan o braco.
barris e cal de
no mercado.
Vende-se urna escrarinha de li anuos, sabe
raier, angommar ecMniMP, e ducia: quem a pretender dirija-so ao boceo do
Marisco sobrado n. 7 primeiro ainjai.
Na ra de Efortas cidS 1. vnipra-se jornaes
o.i nutro qualquer papel que esteja limpo, aa
I arroba.
Diiikeiro a premio
Dase na Capunga, porto do [.acerr n. 30.
Precisa-sede una ama para snico de casa de
punca familia : na roa do Imperador n. I!.
Offerece-se urna porlugueza de boas costu- ,
mes para casa de familia, para costuras o engom- \ T.10innS*5 A lO Tfl^ATtv
mar, esabe bem desenipenhar seu servico com AiHUlUttyOrU UC 10;ZjC/11
perfeico: na rna Nova de Santa Rila q. 7, por J_,_. .. 3n
baixo do sobrado. das avariatas
Chitas largas linas o oowk a 180 e 240, anda
cstio frescas da avaria, por cuja razao lavando li-
cam em perfeilo estado,ebeguem aellas ante- que
se acaban): na loja n. 16 da ra da Madre de
Deas defronte da guarda da alfandega.
Vende-se oito casinhas na ra Imperial, pie
rende inensalmenle i800. sao de pedia e cal: a
tratar na mesma rna n. 247.
Ditos preto com 11
Ditos brancos
Ditos prelos.
Ditos brancos Qnos.
Rseovas paru denles a ICO, 240 e
Ditas para cabellos.
Ditas muito linas.
Dilas para roupa.
Ditas dita de dita.
Pentes re coque enm fila a 1-5300,
26000 e
l'enlespara coques I >-i0, 'OO
:t MMX) e
Peca de franja paratoalha a peca
com ti varas.
Kntrenieios bordados a pera GOO
Tinteiresde porcelana 1-jooo i
Btalos para meninas de escolia
bonito desenlio 800, lo, I-ViOO
Peca de lita de seda paca ente-
les de vestidos.
Fita de sarja de todasafi cotes.
Gravatas pretas a :I20 e
Dilas de cines.
Sapalosde llanca e tapete.
Garrafa le agua Florida verda-
deira
Frasco com exlracloem sapali-
olios.
Ditos com leos.
Dito agua de Colonia, piquem s.
Dito, dito de dito de ever.
Ditos combanlia.
Ditos com tnico.
Ditos c<>m oleo filocome.
Ditos eom exltaeio e banha.
Ditos com extractas di' ei^sos
Pao de pomada.
Ditos pequeos de pomada.
Gapellas para noivas muito finas.
Sabonetes, 120, 320 0
Ditos transparentes de bolla 50,
Redes para cabeca
Bandeja 900 a
Duzia de botoes de se tapara en-
R iies da vestido
Porceirade contas.
:;<;0
:,r )
I
:ko
220
1<0
:;::)
2K0
I
: .m
j '
'..-,., o
Mdl
7' I
2>.'J00
i '
(M [I
I>100
:;i :i
i-.':, I
; i
400
N i
i
liSIJ I
300
lOOO
(:> 0
300
:'. i
so
: i
SCO
i
:ioo
l->8(;0
o
HOO
Criado
Precisa-se de um criado : na ra das Lirangei-
ras n. 29. hotel conuiiercial.
COMPRAS.
Com muito maior vantage n
Compra o Coracao de Ouro, n. 2 D, ra g, moedas de ouro e prata e pedras precii isas.
/ Compram-se ;H) pipas com niel (s o caldo):
a tratar no caes do Ramos n. 24.
OURO E PRATA
Viiiho verde
Compia-se hoje. moedas de p
bras esterlinas e ouro de todas as hualida-
des por maior preco do que era outi a qual-
quer parte, na ra da Cadeia do R
38, loja do azulejo.
Venden) S. T. Ua-sto & Irniaos, a rna da Cadeia
n. 17, barris com superior vinho de Hasto.
Vende-se una mobilia de amareilo uicsi no-
va : a tralar cen o lente Luiz Jeroio mo nas Cin-
co Pontas.
= Compra-se um prcto que saiba tratar de um
sitio : na ra da Cadeia n fl.armazem.
Ferros velhos.
Compra-se toda e qualquer porcao, tanlto batido
como fundido: no caes Vinte e Dous de fi ovembro
n. 24 (armazem).
Antonio Faustino de Castro
Constrnctor de nlensillos typo-
graphfeos de madeir, ferro e
outros meitaes.
LISROA.
Alm dos utensilios typographicos em uso, se-
gundo os mais modernos e perfeitos modelos ap-
provados para o servitjo da imprensa nacional de
Lisboa e de grande numero das typographias de
Portugal e do Brisil, fabrica pequeos prelos de
ierro, em qne se pudem todava fazer impressoes
de formato nao excedente a meia follia de papel
Lcommum." Estes prelos, que foram tambem
adoptados api muitos dos pnneipaes eslabeleci-
nentos do paiz, rvem excellentemente, nao s
para a tiragem di provaa, mas ainda para a im-
pressao de qualquer trabalho, por mala delicado
que seja, por quinto a esse lun se lhes podem
adaptar rama, tyinpano, frasqueta e pontnras,
tendo, para regular a eravacao, o competente re-
ikuro.
Incluindo os accessorios indicados, o preco de
cada preio de 431000 fortes.
O constructor ple #r procurado na imprensa
nacional de lsbi. Estes prelos sao portateis,
iwdem-se coHocar Hobre urna mesa ou blcSo-
Antonio Francisco M:.rtins de Miranda manda
celebrar urnas missas na matriz de S. Jos, pelo
repouso eterno de seu ex-caxeiro Flix Amorm
de Lima, e convida a seus prenles e amigos para
comparecer as G horas da manhaa do dia 15 para
uto uin.
*
Joaquine^ancalves Ferreira, tendo de reti-
rar-se para os suburbios desta cidade a tralar de
su i sade, vt5-se impossibilitado de continuar com
o seu estabeleriiiiento de refnacao sito na ra das
Cinco Ponas n. 61, vende a mesma, na falta ar-
renda-se, contendo a mesma todos os requisitos
necessarios, como bem, raixoes para deposito de
quatro mil arrobas, fogo a moderna le earvio,
deposito d'agua e tanipie para banho, commodos
para caxeiro, separado dos trabalhadores, deposito
de carvao e grande quintal com sabida para o For-
te, casa muito fresca, muito ba localidade para a
venda de retalho, e com especialidade para com-
prar assucar, quem a pretender para compra ou
arrendamento, oflerecendo a casa ser propria, po-
deudo-se assim garantir qualquer negocio de maior
estabilidade, procure na ra da Aurora casa ter-
rea n. 74.
ATTENfAO
o
Quem perdeu hontem um massinho de
sedulas, dando os signaes ceitos procure
n'esta typographia.
Compra-se
urna escrava moca de cor preta, que saiba cozer
e engommar bem, paga-se vantajosameule: na
ra do Vigario n. 10, escriptorio de Balthar, Oli-
veira & C.
JLK.M'OW Di: I,AKYMI*TO.
Chegou aloja do Passorua do Crespn.
ata, li- 71 ura rico e completo sortiinento de ricos
lencos de labvrintbo que se tinbara manda-
do fazer de encommend propria, para se
cile n. i fazer prsenle.
Ouro e prata
em moeda e em obras inutilisadas. comp'a-sepor
bom preco : na prac,a da Independencia n. 22.
Rap Paulo Cordeiro.
Vende-se rape Paulo Cordeiro fino, va-
jado, em latas, meiogrosso evmagrmho,
no deposito a cargo de Joao Francisco da
Silva Novaes, ra do Vigario n. 11. Faz-se
vantagens a quem comprar porcao, e troca-
se o rap que nao saliir ao agrado dos con-
sumidores.__________________________
AGLHAS
para machinas de costura de Grover 4 Baker :
vendem-se na ra da Cadeia do Reeife n- 51, a ii>
a duzia.
Ha prat;a da Independencia n. 33, loja de ou-
rives, couipra-seouro,prata, e pedias preciosas,e
tambem se faz qualquer obra le encommend, e
todo e qualquer concert. ________
OtJROSFRT
Compram-se moedas de prata e ouro de todos
os valores, onro e prata em obras velha?, e pedras
Sreciosas; compra-se bem na rna da Csdeia n. 2,
ebaixo do arco da COnceico, loja de ourives.
Vende-se
um cofre de ferro, grande e bem fornido : a tratar
na ra da Cruz n. 23,4* andar.
Aos danos de coxeiras e forrado-
res de carros.
Na antiga coxeira da ra Nova, que foi do Adol-
pho e hoje de Vieira & C, tem para vender o se-
guinte para forro de carros: panno astil e seda da
mesma cor com sete palmos de largura, galao lar-
go e estrello da mesma cor, bonitos chicotes para
Compra-se um escaler de 20 a 2o palmos de I cabriolet, escovas para lavar cavallos, velas para
comprimento e de 7 a 8 de largura, e maneiro de i carros, latas com graxa para huipar os arreos,
madeiras : quem o tiver annuncie ou dirija-se ao encerados para guarda chuva de carros, vaquetas
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro, bom para tomar to-
ta de una venda, o t pa I se I he faz interesse: a
tratar na praca da Santa Cruz, n. 4.
Ama
Precisa-se de urna ama para andar com um
menino : na ra das Larangeiras n. 29, hotel com-
morcial.
Precisase de urna ama de leile para acabar
de criar urna criarca de 9 mezes, porm sem cri-
1-anca : quera quizer dirija-se ra do Brom no-
mero 69.
escriptorio de. Alfredo & Cunha, por cima do Tra-
piche Dantas._______________________________
= Compram-se apoiiees da divida publica : na
ra do Livrameuto n. 20._____________
Comnram-e escravos corpulentos e sadios
at a idade de 30 annos, e urna mulathiha bonita
figura de 14 a 16 annos : na ra da Cruz n. 57,
primeiro andar.
VENDAS.
AO PUBLICO
Para liquidado
O deposito de carvao do Porto das Canoas da
ra Nova junto a rampa que vai para casa de
detencao, vende carvao a retalho em barricas a
5fi0 rs. levando o comprador cobre ou tcoco feito
Libras terliaa*.
Vendem-sa na ra da Cruz n. 20, armazera
para coberta
para arreios.
de carro e nieios de sola de lustro
Veftde-se um selim inhle m meio uso com
todos os arreios : na ra Direita n. O.
Vi travessa 4a madre de De-
as n. 14.
Armazem de Candido A. Sodr da Multa.
Tem para vender o seguinte:
Cimento de Ilamburgo o melbor ue
possivel para edificaories.
Farello da America saceos Je 120 libras.
Urna armaco de louro e amareilo completa
para venda, com pesos e medidas.
Vende-se
. Duas pias de marmore multo finas, com florSes
em relevo, que pdem servir para igreja, ou para
casas particulares, vende-se por preco muito com-
modo: a ra Nova, escriptorio de Quinteiro &
JAgra, n. 63.
Vende-se mu boi manso
ria da Capunga.
a tratar na pada-
A MU ESPERANQA
21=Rna do Quimado =.21
para presentes
A Nova Esperanza, ra do Quimado
n. 21 tem um variado sortimento de objec-
tos de gosto e phanlasia proprios para pie-
si ules, sobresahmdo entre elles ricas caixi-
nhas de bano cora linas perfumarlas, ees-
tureiros de chagrn, agulheiros de madre
perola : assim, pais, quem quizer fazer urna
linda ollera, dirisir-se Nova Esperanza,
na do Quimado n. 21.
Piara baptisados
A Nova esperanea ixia do Quimado n.
21, lem ricos vestuarios proprios para bap-
tisados, sapatinhos, meias de seda e li" da
Escossia para o mesmo m.
Collares anodinos ellectro-mo eos contra as convuh-es das
crean gas.
Nao resta a menor iluvida, de que muito
eollares se vendan por ah intitulados os
verdadeiros de Royer, e eis porqae muitos
pas de familias nao creera ((oniprando-os)
noeffeilo promeltido,o que s pdem dar,
os verdadeiros ; a Nova Esperanea, porm
(pie detesta a falsilicaco principalmente uo
que respeita ao bem estar da manaaidadt,
fez una encommend directa destes collares
e garante aos pais de familias, que sao es
verdadeiros de Royer, quo a tantas crean
cas tem salvado do terrivel incomiikilo do
convulces", assiaa pois preciso, que ve-
nham a .Nova Esperanea a ra do Quimado
n. 21 comprarem o salva vida, para seus
lillnhs, antes que estes sejam acommetti-
dos do terrivel mal, quaado ento ser di-
flicl alcaufar-se o effeito desejado, embora
sejam empregados os verdadeiros collares
de Royer.
Aos amantes das cacadas
Commodas boleas proprias para os caca-
dores, vende-se ra do Quimado n. 21,
loja da Nova Esperanea.
Preparo para flores
A Nova Esperanea, ra do Quimado
n. 21, tem um completo sor l i ment de pre-
pares para flores, como seja papel para minas,
dito para petulas, clice, botes, folhas rio
panno e todos os mais prepares para tor-
narse um nano ou grinalda, com gosto c
perfeico.
A7^ia divina
A No\a Esperanea a ra do Quimado n.
21 recebeu nova remessa de verdadeira
agua divina.
Para extinguir as sardas e
panno
Recebeu a Nova Esperara; i, ra da
Quimado n. 21, leite de rosas, especial
para extinguir sardas e nannos.
Para abejar e conservar os dentes, i
beua Nova Esperanea, 5 na do Qi
n. 21, o verdadeiro poz de ^s e u elixir
dentifico e o dentalgico.

-4


P"i
H*i
r

G
iario do IVrnaililnUto Srtvi*' fira 15 itlc Janeiro le 1869.
AO BAZAR DA MODA
DK
JOS DE SOliZA SOARES 8r C
Kua Nova n. 50, esquina da na de S. Amaro.
PARA 41 HOYO AMMO lll? i S1>.
Novo snrtiimntodeartifrnsile moda e'luxo, reeebidospelo ultimo vapor viudo da Europa
Especial aorfinrt na ttaUtetos para mimos.
Perfumaras finas dos principaes autores. ,,,
Lavas di1 pellica frescas, brancas e de coros para homons c >enhora.
('hapeiinhos de palha de Italia onfciUidos,para senhoras.
Ricas rttapelina* pan scnhoras. porros di- palha de Italia pura inorase n>.wiaa.
Baada! snrliinenlo de sintos[iara Enfeites de gasto para scnhoras.
Fitas do gn>>den.iple superior de todas as cores e larguras.
Franjas com vjdi ihos. brancas, de cores c pretas. t
tuaniires de todas as quididades para vestidos.
\ i' ri.)linhas e pnnbos enreitados para senhora?.
loqucs modfni' s. lisos c enfcit.ulos.
Bornous de 13a e seda, cures ciaras, moda eldante para seu horas do bono foso.
llorpinhoB decambraia enlejiados para scnhoras.
Cacne-ntt de la.
Chapeos de sol pira honiens o scnhoras.
Flores Anas, sortimento esponja).
Plumas elefantes de qualidade superior.
i'.intos ricos ilepilba. alta novidade.
Grinaldas de llores linas.
Cambas supe ioi'es para honicus.
Coiarinhos e palmos,
Grvalas e mantas modernas.
Henalas de diversas ipialidades.
Caixas grandes comoaatto pegas de msica.
Florea de palha para puarnieovs de vestidos, botos, livela;, lacos para endites.
"Chapeos de pello de soda prelos, forma a Rotscbild, fazonda superior para homens
Corrcntesde pa pi lino, gostos bonitos para relogios.
Cazoletas de bom posto para as mesmas.
Hrrenles pretas de borracha diversos modelos para voMas.
MEDIO
i parte* do mundo, empregara, com o maior xito,
j de ferro soluvel de Leras, para curar a chlorosis
JTa exbaustacSo do saogue; com esta preparacito, do
m firmeza natural; facilitam o desenvolvimento tat> labo-
rioso 'da p&3rdade.- Ooifjeffcito, ludo, n'cste medicamento, se acha reunido para lhe
assegtrrar o maior ereflftoj'pois que cntram, na sua eomposico, os elementos dos ossos e
dp saogue. D sen autor, M. Lera?, doulor em sciencias, pharmaceutico, professor de
chymsa, inapealor a Acud alia foi, recentemente, condecorado da ordem da Lcgian de
Honra, digna recompensa dos seus.importantes trabamos.. .
As seguintes aprcciacScs dos mais celebres mdicos ainda vem corroborar e justificar
lodos estes ttulos cOnfanca publica :
t Precisa classilcar o phosplurto de ferro soluvel entre os ferruginosos que melhor
convern aos doentes cojo* oreaos digestivos snpportam mal as preparaeocs de ferro.
S0UIU'''\ pntfewr va Escola de medicina e de pharmacia.
0 phosphato de ferro mi ..w i
nosas, c oscucmprc|o d o,- n
A frma liquida do nhospi
as ululas; au considero estn.



vnifeuvr va Escola de medicina e de pharmacia.
*. rm quanto a mim, a melhor das preparaedes ferrugi-
eiomptose seguros resultados. >
h \N, medico do hospital Sainte Eugnie.
ro soluvel d-liic urna immensa vaulageiji sobre
m como mui superior s preparares iodatlas.
..SAL, medico ae S. M. o Imperador.
t Snt/e lodos s ferruginosos, nSc cu. ., emos um sd que obro iao prompla c cfficazmente
como o phosplfalo 'de ferro soluvel, e isso, sem Cansar o estomago.
ELI.OC, BAUME, BUJOT, FOLLET t PRV0$t\ medios dos hdtpimes
* Os effeiles da preparacao de phosphato de ferro soluvel me parecem ser mui seguros
t e promptos. BEBOIT, redactor ero chele do BulUtin thrapeutique.
Entre todas as preparaedes ferruginosas, o phosphato de ferro soluvel foi o roe sempre
me deo os melhores e mais satisfcetorios reaultados. GUIBOIT, medico ios hfpitaet.
0 phosphato de ferro soluvel tom, sobretodo, a Yaniagem de critar a onipaeio e
c cooTir aoa temperamentos delicados. D' FA^">
Deposito em Pernambuco, em casa de mmnrtt e C.

Objoetos para lulo.
l mnitos ouiros artigoa de novidade qne s vista podom sor apreciado-.
Existe continuamente um completo soriimento de miudezas, vende-sepor grosso e
A COJOIOIMIS PIREON
NO '
BAZAR DA MODA.
a relalbo
y, '^>/--.-^>./<. \<:{fi. '<*:& > ."-" ':('-.' ''s'fr:
PASTILHAS
[i D0SES1:DIGESTIVAS]
deBURINouBUISSON
MedaHiado;
fela1
Sociedade
de
fomento.]
PREQO CBRENTE DOS CHAPEOS DE SOL
Da fabrico de
M
Ra Nova n. 23,Ra do Cabug n. 8
Pernambuco
Chapeos de seda trancada, Pararon, de 16 bastes, 28 poegadas a IG.->; 20
pollegadas a IoA, o 2i poopdM a H.-JOOO.
Ditos de soda G. de N. Bar,), de ac, de 16 tastes, 28 poegadas a lt :
de 26 pollegadas a 13: e 24 poegadas a i2.5000.
Ditos de seda (i. de N. lisa, de aro, de 12 bastes, 28 pollegadas a 12;>: de
26 pollegadas a II* : e 2V pollegadas a 10$000.
Ditos de alpaca, de aeo, de 12 tiastes, 28 pollegadas a 6->; e 26 pollegadas
a ;. v.ioo.
Por (luzia laz-se descont de 15 0[0
Chapeos de sol d panno, de balota, de 8 liaste, 24 e 20 pollegadas a 3241
a ilii/.ta. (Descont de 10 0|0).
Ditos de panno, de janeo, 8 hastes, a 18->000 i duzia, liquido.
riR \ mTeliqijidacao
DE
Pharmaceutico
, laureado H
pela Academia '
T mStcno de tari**,
^W'-m^ COM LACTATO DE, SODA B MAGNES m
Estas Pastilhai constituem o medicamento o mala novo e o mais racional para eombater
todas as affecc5es das vias digestivas. Ellas eontem, com effeito, o acido lctico, :im dos
elementos nomaes da digestlo, combinado com a magnesia calcinada, cajos bons efleitos
tem sido appreciados por todos os mdicos, t o bi-carbonato de soda, sal qne faz a base daa
I aguas de Vichy e da maior parte das aguas mineraes alcalinas. Este trplice conjuncto de tres
productos cuja efcacla popular, explica o bom xito qne se obtem as gastrites, gastralgias,
sahidas de ga~.es, inchacio do ettomago, vmitos depois das comidas, indigestoes, dores
a"estomago, etc. Deposito em Pernambuco, em casa de Kaarer O*.
Approvasao
da academia
de medecint
dt Parit.
'M^m,
l'haimaciuticu
laureado
da academia
dt medicina.
As preparacSes ferruginosas liquidas tem desde muitos annos mcrocido a approvacSo
especial dos mdicos, porque ellas obrao mais rpido c seguramente do que as pllulas, e
sSo mais fcilmente toleradas pelos doenlos. Os Pos ferro-manganicos possuem a napprc-
ciavel vantagem de poder ollerecer n'um instante urna agua ferruginosa gazcosa, de gosto
asradavel, mais activa do que as aguas mineraes, e conlendo de mais um elemento precioso,
o Manganeso, que sempre su acha iio sangae, junclamcnte com o ferro. Empregad-se em
todas as molestias que tem por causa o cmpohrecimcnto do sangue, assim romo para 'vigorar
os temperamentos debis e ljmpbaiicos. A chlorose, as Perdas brancas, doresd'eslomago,
zirregularidade da menslruacSo c amenorrha ou supprcssSo domenstruo, cedcm|rapida-"|
mente a scu emprego. Devenios mencionar aqu um facto nota\el, isio que os doentes cura-
dos pela agua preparada com estes pus eslo muito menos exposlos a recaidas
aquelles que torio tratados pelas prcpara(5es ferruginosas ordinarias.
Deposito em Pernambuco, em casa de Blaarer e C".
do que
Wfi^&Zr^&t&ZWZ?
r.
. masieas milita
Completo sortimento
NO
BAZAR DA MODA
RA- NOVA N. RO,
Esquina da ra do Sanio Amaro
xO a 30 por oento monos que om oulra qualquer parte vendetn
jos ni: seuzA soases a- c
11 nais acreditado aor Goulrot Antea Paris.
RA MOVA 1T. 50
ESQUINA DA RA DE SANTO AMARO.
VERDADEIRAS
PILULASdeBLANCARD
COH IODURETO DO FERRO INALTRAVEL
APPROVADAS PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARS, ETC.
' Possuindo as propriedades do lodo et do forro, convern especialmente as Affeccos
escrofulosas, a Tsica no principio,a fraquezade temperamento e tambem nos casos de
Falta de cor, amenorrha, em que precisareagir sobre o sangue seja para restituir
lhe a sua riqueza e abundencia normaos, ou para provocar e regular o seu curso peridico.
N. B. 0 iodureto de ferro impuro oo alterado um medicamento infiel, y?f />
irritante. Como prova do pureza e de autliencidade das eMdelr T- /fjfa/t~--/py^
lula* 4lr Illuncar.l, deve-SC exigir nosse el! de pralm rrarlita *&/C&nQZ&&J
nosso iirn, aqui reprodnzida, que se acha na parte inferior de om
rotulo Terde. Ueve-se desconfiar das falaificacos.
Arliara-*e oda harmreta. PluufiMUlico, riitf Bonaparle, 40, Pai|
Conservadora do sua indivi-
dualidado, aniiffa do
LOJA DO GALLO VIGILANTE
Ra do Crespo n. 7
i
tTTEMCAO
tr:

i aexposi^ao do respeitavel poMico oeste imp )itant> estabeleGimeoto um
mpleto sorlimcnlo de fazendas chegadas pelo ulti.oo vapor da Europa, oque
a lionra deaonaoxiar aos pas de familia, assim como ao beUeexo, a quem n
' riiiii.l pode sua aciK rio: u antindo sempro om sua n('va loja ogOstrjdeiitienijs e
ivas lase m niiiiearfiu los presos, pava ailquirir a sym >athia do quem dera honra
ocorar o frianpRO.
"las iic. cores novo gpafo a Sf$600 c SW8009 e cotado.
1 2 de seda i' liia apurado osIo para I vjU o covado.
I.a/ii.ias con tetras de seda para -S^OO. I-SOOO o covado.
Dilas de Indos padrtJ is para 00, 700.800 o 900 rs. .. eovdo.
Cambraias brancas de 4W00 at 8-5IOOO a pera.
Dil 18 re oop novos padioos de GiO e 800 rs. a vara.
Saks de laa oon horiila<: barras.
Baloesde liare murcelina fc-de arcos,
lasqoinasde ^nis-.le-naple de2*-)!000a OSOOO.
Gros-ae#iMplos pro** rl \%j$jQ a vi covado.
Ditos de todas as oon.
OrjaindSi hraMn.
HrlrnRtmaS braocaB < de (mes.
i. partilhos e onire-mcios bordados.
Mi ias lit.as para s<'iihor i e pan lionem.
Um destas fazendas tem uhi oompletp sortimento de (bitas escaras e claras, ma-
in,:iiianii~.;Huili:;!'los, toalbas delinho e tlealgodao, c otras militas fazendas
:,! m por procos que a v>ta.o comprador se poder desengaar que s no
o poder fjOttPpra bom, e tom economa.
PARA HOME.NS.
Bonito sortimento de casemira, brins brancos e de coras, camisas de linho e alf>o-

i ao, .-ir-iiiias, mantas e -.n-avalas do qm-lta mais moderno, chapeos deso de seda 'alpaca,
t outras militas fazendas ijuo ffHa s^odero agradar, e mandarse fiuser qualquer obra
alfniate para.o rjoe ti
i i do Queimado n. 7.
n tita; fazendas ijuo frita se^odera agradar, e inand-se fiuser i|ualqtii
iH'alfaiate parado qut; tem uui habrt istmlrt, p pivco em tudo, s eontram uoTriumpho

progTesso.
Os labyrinthos da Esperanza
A loja de miudezas da ra do Queimado
n. .'{."i A, vem apresntar^ sua escomida
fregueza um artigo que at boje custava
muito caro, e por isso s ebegava para a
classe mais abastada da sociedade.
'B'oahas de SabyriuhoH
Perfeitamenta iguaes s que se fabrioam
no paiz por unta dcima parto do valor d'el-
las viudo a esta loja, apreciar a perfeirao
reunida economa, (tem sempre possivel
i; so).
As loaihaS teem um circul de lindo de-
senlio e no centro se le em caracteres maius-
culos a allegorica inscripc3o.A' baptisar.
A' passeio.Meus cuidados.Lembran-
ca.Visita.
r Ninguem porcerto deixara" d^ifcomputar
o'enxoval do lindo iillio para fazer economa
de lo ou 50;>,esses nadas de que se compoe
o guarda roupa dos reeem-nascidos qua-
si sempre ficam aos extremosos cuidarlos
das mais, a essas a (liiejn e.Esperanca se
dirige, para quem desde jAdiirpe-se a dar
amostras e certa esl que pelo proco nonhu-
ma de i:vara de conqirar.
Fronhas
A Esperanca, tambem vrebeu fronhas no
mesmo gosto das toalliao qfe Vende pido ba-
rato preco de ;i)t)lK), o que enclava 10-> !
apreciaiese ligantes iraportaneia aocon-
fortavel da vida, sem duvida comprareis :
ior precos
iiiniar aos
dar sabida
Mandou ?ir de sua cunta c acaba de re-
cebar pelo ultimo vapor, completo sortimen-
ot de objectos de novidade e pli; nlasia, os
quaes esto resolvidos a vender
nimiamente baratos, para assim ;
concurrentes c ao mesmo lempo
ao grande deposito que tem: istb ruado
Crespo n. 7, loja do (.'alio Vgihnte.
Gollinhas, puiibos c camisinbas para se-
nhora, fazendas degusto enovidide.
Finos vestuarios para baptisad
como touquinlias. sapalinbos e^neiasinhas
para o mesmo fin.
Grande sortimento de bicos e
rendas de
i'io-|i e de nutras militas qualidadi s.
Superiores cai\as ruin msicas e sem el-
las, tendo o necessario para cost tras, pro-
prias para um delicado mimo.
linas caixas com tentos e sem ellos para
vol tarte.
Ai.'iillas para maeliiuas do eoat ira.
Ditas para crocit, sendo de ao, marfim
e outras militas qualidades, assii i como li-
abas para o mesmo mister.
Finas grinaldas "para noivas.
Meias de borracha para quem sotlre de
eiysipelia, assim como meias d; laa para
os' que solrem de rlieiimatismo.
Suspi nsorios pan linmem e n eniuos.
Finos (iciiles m tartar'i.ca para coques ],t
ik outras umitas (ualidades e p.ra antros
Mstane.
Dodaes de madreperpla, marfim, |SS0,
ac, metal, etc., ate.
Superior agua cosmeocome tan tiagir
cabellos, dando aos masmos asa cor pri-
miliv:e
Completo sortimento de finas perfumaras
dos melhores fabricantes, assim c imo mui-
TASSOIRMlOSdi
Tom para vender em seiisannazens/itlcni do mi-
tres, <># sogtiintos artiK'is :
Papel para imprimir.
Perlina azul.
Greve paulado o lisa
Vinlios em caixas de doze garrafas
llourgogno.
Herv.
Madoira.
HermMagf.
Chambas.
Licor do cnracA de Hollanda cm caixas de vin-
loequatro bulijiiihas.
GvSSO
Nos arniazens de Tasso Irmaos.
Grades de ferro
para jardins. norloiras otr.
Nos armazens 4 %ltICIMOS l>l I I ItUO
Para serviros do riunlos armazons. para remo-
vrr barricaa ou ftiiflra de um para oulro, lado pelo
medico prego dt* liOUOoada um.
Farinha de trigo de Trieste
Das melhoras marcas lanonia (vordadoira) Fon-
lana o gran4l sortimento das melhoru mairas de
farinli;is amefieanas.
Saceos de arinlia de trigo do
(Me
Tuila? tan, chojradas ullimamonlo nos arma-
zons de Tasso Innins.
Cemento romano
Nos armazons de Tjisso Irmaos.
Cemento hydraulico 12$
O melhor para Indo que sao obras para agua, eo-
mo assentaraento de canos de eagoto, algerozes, de-
posito, tanques d/agna, etc.. etc.: ero. porches do
eineoentobarricas se far roduccao n proco: nos
armazens de Tasso Irmaus.
Cemento Portlancl
0 vordadoiro comonlo Porlland em casa de'Tasso
I limaos.
Grades de ferro, cercas, por-
taras, etc., etc.
! ililfor.-ntos qiKilidades para coreados do ani-
maos. oliii|noiios para galinliasou jardins: nosar-
| ma/.ons de Tasso Irmaos.
Barris com bren
Nos armazons de Tasso Irmaos.
CANOS DE BABEO
Na na Nova de Sania Hila, na antiga fabrica de
salan, ha para vender por proco o mais mdico
possivel, canos l'rancezes para dilicacoos o esgo-
los de toda a qualidade, superiores a todos os que
aqui tem apparecido i>ela sua solidez.
PIIKIJOS
1 -5100 por cano grande de 3 e meia pollegadas.
lSOO por dito do 2 e tros partos de dita.
I -si too por dito de 2 e mu (piarlo do dila.
500 ron por pistoleta de 2 pollegadas.
Coiovellos, curvase canos de maior grossura, a
vista so far o preco. Compras maiores de 200
tem por cont de descont por proinpto paga-
inento. Pode-se ver as amostras nos armazens
Me Tasso Irmaos.
Tijolos francezes
Para ladrilhar casas terreas comasseioe procos
mdicos, muito convenientes o proprios para ladri-
llios de cosinbas em sobrados, pelo H u asseio e
[evitar apassagem de aguas para o andar inferior
o mesmo o pango de fogo, aos precos de 901000a
'i."iU00 o millieiro : na ra Nova Je Santa Hila, na
amiga fabrica de sabao, e compras maiores de 200$
solar.'i por cont de descont por prompto paga-
j menlo. Podem-se ver as amostras nos armazens
de Tasso Irmaos.
Velas de esparmacele verdadeiras para Isn-
| lernas de carros: noarmazem do Tasso Irmaos.
Vinlio do Porto lino superior: no armazom
de Tasso Irmaos.
O melhor cognac Gautliier Fteres : no arma-
I zoni de Tasso Irmaos.
Esteiras da India
Em casa de Tasso Irmaos vende-so esteiras da
India de diviisos padioos e larguras, por preco
coinmodo.
Tabellas vermicidas
DE
Antonio Nunes-de Castro.
Vennifugo eTkaz e prefer\el todos os
conhecdos j pela certeza de sen resultado,
e j pela fcil applicarao s criancas, quasi
sempre mais atacadas de tiio terrivcl e
militas vezes fatal soffrimento.
nico deposito.
Pharmacia deBartholomeodtC.
:tira larga do Rosario34
lepara afesta.
Fac* e garfas de balanro de 1 boto a
iJVWKi duzia, idein idem de i botoes a 84.
icU'in idem paia sobre meza de 1 botao a
4^500, idt'iu dem de boloes a ."#, todas
em perfeito estado is>im como bandeijas
linas e de diferentes lamaidios. colheres de
metal pciripc, inni para cosiuba, ferro
para fi'isar vestiilos, barias de metal de 20
a 36 polifilas, propras para banho, es-
pingardas ile 2 canos finas, assim como pe-
zos pelo systema mtrico. adoptado ultima-
mente pela cmara municipal, alm de-an-
tros muitos objectos tendentes a ferragens
e miudezas, que se vendem por barato pre-
go, na ra Direita n. 53, loja do Braga.
FUNDICAO DOBOWMAK
Hua do Briim u. 59.
Machinas de vapor.
Rodas d'agoa.
Moendas do ranna.
Taixns de ferro, ba idire fundillo.
Rodas denladas, para moer com agoa,
vapor e aaimaal.
E outros muitos objectos, etc. etc.. pro-
prios para agriniltura.
samm
Chogoii ao antiL'odeposito de llonry Forster ii
(1,-rua do Imperador, um carregamento de
do primeirarpialidadi': oipial s vende em partidas
e a retallio por menos enco do que em oulra tpMd
aoer parlo.
A loja dafnia branca
o receptculo las modas e no-
vidade*.
A aguia branca tem-se feito lao cunhecida
acreditada, nao s pelas novidados. variedades, su
perioridade o abundancia deseo snilimonto. BOt
pela constante commndidailedesees BTMN, mes-
mo |iolo seu assaz e nuuca olvidado agrado e since-
riilidi'.
Essas verdades meonlestaveis o som duvida
aiiroeiadas pelo bello sexo em particular, e pelo
respeitavel publico em geral. e a lauto tem ejMg*d"
pjue estao quasi pasaamto romo aonexi oo aro-
verbio, quando so ve mu olijerto (U' elegancia
gosto, novidade, etc., ele *rfe lopo aipielb' eb-
teeto st ni d-ivida foi mafMli M laja d'r.guia
branca.
(Jnando no club, nos bailes, ou no salao d"
Sania Isabel, urna exccllentissima se aprsenla
garbosamente (rajando, trazondo o moderno cini
de mui larga Ata, lisa, cbanialotaila, on (iraatam,
as anas admiradoras tnem cemsipo ai|uella lila
foi comprada na loja dafnia branca.
Quando oulra exccllentissima, nao mem t par-
boea, mostra o rigor de son bom gesto na acertada
esculla dos enfeites de alta novidade qne befa
minio ornaui sen vestido, ainda mesmo as rivao-
de sua sxmpatliia eonfessamojBeaquellos enfeites
fi rain da loja d'aguia branca.
(Juando ii'oulra excellonlissiina, anclar da sin
eeileza de ^w porA agradavd, se vem as bonitas
lavas de pellica limpieza as snas Iwdlas anu-
irs louvam-lhe o gosto e cenfessam queaquellas
uvas foiam da loja d'aguia branca.
Quaiido iie-smo duas oxei-lleniissimas. anliga-
aniigas de roirgio, so onooniiam naipiellos loga-
ros, depois dos cuiiipriinenlos de recprocos beijo-
ambas ptipforca do sua elevada delicadeza, gafenni
nina a oulra s agradavois cbelros de que nsaru
ini seus linos leos, e cada nina das (paos orgu
IbecaspeJo elogio "do acorto de sua escoma, o con
qne querondo iior si niesnia justificar dheui sfanul
j lanoameiile verdde que esleclieiro foi compra-
do na loja d'aguia branca.
Aluda mais.
Quando bonteni os pais allliclos sontiam o rig..r
da donlicao de sen charo fillu'nlio. e hoje alegres e
salisfeitos pelo feliz rcstabelecimrnto rocebem a*-
visitas dos seus melhor amigos, dizem aquelles a
estes, foi Deus (tic me inspiroupara que compra-
se, como comprei, umdesses virtuosos rollar-
Rover, que se vendem na loja d'aguia branca.
Vni do mullo mais que ainda
faifa dizer.
Quando em un circulo de rirromspectos cara
loros so disentir a veracMade de taes tlizeres, appa-
recer um oulro que (pieira ainda levemente bter-
romper a discussao, (s prhneirus por niomento es-
qnecerao a circuinspoceo e Mies darao um gra-
cioso debiipie d7.endo-llie'sja sabemos que V. .
mu daqueUm que inclina o chapeo de sol ou qn
mereca sor designado pola aguia branca da ruj
do Queimado n. 8.
Mo lautas as cousas que por
unas escapam as outras.
J ia esqiiecendo a aguia branca, mas em lempo
lembroit-se para noticiar, que recebeu urna pe-
quena (plantillado de enfeites para cuques o gran
pos para ditos, ludo feito de metal com lindos .-
agradavois coloridos, (dirs oslas pola primeira vez
apparecidas, e portante inteirn novidade.
Tambem ehegarara eramente delicados enfeii..
e flores ornadas de aljofares e vidrilhos, tanto d-
pallia para coques como para vestidos, e lie!
contina a merecer a apreciaco das excellentissi-
mas conlii'iodoras do bom.
Vencre-sc.
Cm baldo om bom estado : na ra da Cade! i
do Hcoil'e n. 22.

nesle bello miz nmitiem se faz pobre dis- los outros objectos que impoSVfel des-
pensand 5-? ou 20-WO, com o ac'ceo e crever: isto s na roa
a babiLjijjn. sM)p palto Vi raa do CrespO n..7, loja
belleza de ipu; s-, decora. aJjaW^cao, sjdo Gallo Vigilaut
vezes no -pie ni-. .s; },.-iui.us, calreianto,l- Collares Rover electrkosmagnejBCOS oon
como diziam nossos maiores a sepultura da'tra as rxavuties das enancas e tara facili-
vida : ainda s senboras a quem a Espa-ltat1 a dentincao das mesmas. o Callo Vigi-
rana o dirtoo i'^. senijor,, cuidadosa iSi^ e antigo recebedor d'esles prodiaosos
ranga se dirige. Urna
do nada faz a casa. '
Ra do Queimado n. 35 A,
W D
33
-RI ANCAS
XAROPE de RBANO 10DADO
rPADO
;.tc m^diemonto gomi ero Parts e no mundo inteiro id urna lama justamente merecida, por
r-se intimamente combinado nclle o iodo com o sueco das pfanli anliscorbuticas, cuja el'tkacia
i bem coiriiecida.e-nas quaes ja naturalmente existe o iodo. E' coai esto motivo que elle suppre
cot yar.ugenvo Oleo delgados de Bacalbo, que deve, secundo os homsns cientficos, a sua
effiMaa .1 presenes do iodo, t -preciosa no tratamenta das criancas para eombater o lymphatismo,
as bsiruccoes das glndulas de peseoco, e as diversas empees^o rosto, to frequentes as
enancas de pouca idade. Tnico a depurativo ao mesmo teapo, e.la eiftiU o appetite, facilita a
digeaiao, restituc aos tacido a saa iirmeja e vigor naturae. fi' eaia dia recetado pelos aedicoi
espeaali^tas para cOmbater as Tvenu a/feccSes oa pefle. revenauv yvw cucos
Deposito em Pernambuco,em casada Htanr O*.

Vende-se ou arrenda-se o angenho 8.
Gaspar, sito na fregueaia de Serinhem, co-
marca do Rio Formofto, prximo do embar-
que, com grandes partidos de pal, c mas-
ap d roda da moenda, matos e mangues
para madeira necessaria, bom pasto.eb,:
tratar na ra do Imp -rador n. 0, ouiiiia
rta Florentina iu*U. "...
CURA OITCMiM
M
1CK
l'oinadnga
^prlilojespecial
Pnerma di Baritlicflpiae'cj A C.
34-------Ra larga do Rosario--. -fl.
collares e contina a ter sempre grande de-
posito, ra do Crespo n. 7.
Jabonetes do alcatrao
Aaloiiio Nimios de Cuatro.
EJto aaredilario pivparado. qu# tp boa
acceitaco ten merecido n'esta provincia,
muito se rerommenda para a'cura certa
das iaipigons, sarnas, caspa* e todas as
molestias de pelle.
Deposito imici'.
Pharmacia de Bartliolomeu C,
34ra larga do Rosario U.
Httleira serrada.
Vende-se urna poreao de taboas de louro t ama-
rello viiihatiea'em-diverras vitolas, desde lotro at
costados: a tratar a ra da Paz n. fjft
Farinha de mandioca.
Tem para vendar Joamiim Jost (oncal-
ves Beltro, recentemente ctegada de San-
ta Camarina, a Ijordo do patacho portuguez
rabe, fundeado defronte do tiapkhe do
Exm. baro do Livramento e p i a tratar
eom o mesmo na ra do Trapiche n. 47,
oa a bordo do referido navio.
Tintura japoneza
Instantnea para titlglr OS cabellos e ii
barba, a 1^000 o frasco.
K' a nica apprpvada e recommendad.'i
por ter sido reconhecida superior
as tinturas (Peste gpnero.
a toda:.
venda em casa de. Gustavo Hervelin
51. na da (.ali in n. 51.
I:.
ft de
. NOVIDADE
A loja de Coelho Queimado n. t9, receben pelo ultimo vapor
um bello sortimento do bales de diversos
svseiuas, os mais aperfeicoados t'que te.m
viudo ao menado. sendo :
aloes de ^uipiir com tiras chamados
reguladores, ditos de musselina abertos por
ambos os lados, de modo que sendo todos
de mu lamanho servem para qualquer se-
nhoaa, de laa de cores, com tiras, e as se-
guiutes l'a/.endas : v>
Saias de Ha com bonitas barca*,
diales hircos de seda c laa 11
Tendas.
Fitas de guipur pretos Roeamboly.
Chapeos de ol para senhora, muito lin-
dos.
I^Saalnha
Sultanes, Poil deChevre, Tricte, dito i
xadrea e outras mudas, enUe ellas urna
Especialida.dc
L3a pura do cores a litio rs. o covado.
Basquinas a Maria Antoniete.
Camoraias fantazia.
Ditas bra^ias traospareales eJVicterias.
Colxas adamascadas.
Cobertas hiuozas a 2500 rs. c oq^ras
muitas fazendas que tornar-se-lija enfadonho
annunciar.
= Vende-se um buhar com seus iiertcnces ; na
ra do Hcwjrio n. 8
A Perfumara Victoria boje muito procurada
pela flor da aristocracia, e das elegantes, por
causa da fabricacSo superior dos productos des-
tinados aos usas do tourador, e entre os quac3
ella creou urna especialidade em cada artigo.
Os seus novos perfumes, preparados com a
Essencia de Ylangylang, que ella obtem mesmo
as ilhas Phippiuas, pela disiillacSo do Uona
odoratissima, niotcmemnenhuma concurrencia,
no que diz respeito fineza c suavidade do cliciro-
pelo que aconselhAmos ao publico elegante que
peca como perfume para o lenco.
0 EXTRACTO DE YLANGYLANG
0 B0UQUET DE MANILHA
Alcm d'esles dois extractos excepcionaes, que
sSo propriedade exclusiva de sua casa, os Snrt
Rigaud e C-, preparo igualmente, com particu-
lar perfeifao, todos os extractos adoptados pela
moda, e entre os quaes citaremos os seguintes :
Jockey-Club. Violeta. Reseda.
Ess. Bouquet. Mnchalo. Jatmin.
Feno fresco. Mousacline. Magnolia.
Flor dos prados. Rondelelia. Rosa musgoso.
TOLUT1NA ltlUAl
E' urna Agua admiravel para o toilette, cons-
titueella overdadeiro talismn da belleza, e con-
tena a pelle frese, e a lez do roMO branca. E' a
ultima expressio da ciencia. Est por lodos
reconhecida a sua incontesiarel sii|.Teridade
aebre as aguas de Colonia, a agua de Florida e os
Tinagrcs aromticos de maior nomeada.
LEO H POMADA MIHAMI V
xcellentcs pre|rac6es que se podem chamar
0 thesouro do cabello, e qne, comoslas de subs-
tancias tnicas e fortificantes, embcllczo e con-
servSo o cabellq, m mesmo lempo que lhe com-
munico um cbair* saavissimo.
SABAO MIRANDA
Qoem comparar' este sabio com os qe se
vendem por abi, ntcmeBie-reconhecora sape-
nryajido nosso. Este torna a cutis maineeimo
maert, faz orna escoma ahandantc que forma um
?erdadeiro banho de leite, e nada dejxa a deseiar
orno delicadeza de perfume.
BBrVTOMIIVA
PASTA DI\TIIItll
A Denwnna om elixir dent'ricio dos mn
soaves : perfuma e refresca agradavehnenle a
noca, fortifica as geagivas, e preserva os dente*
da carie.
Esta posta dentifricia fez ama verdadeira re-
volucio na Perfumara; acabau para sempre con
s pos e opiatas, que sio mais eu menos acido1
a perigosos. Basta, paasar urna eseova hmida
por cima, para oblar ama mucilagem suave a
nnetnosa que toma oa dentes perfeitamenta
POS ROSADOS
Freservto a pelle do rigor dos ventos e do fro.
ootamunico lhe urna agradare! frescura, e wt-
venem as sardas. Sao aapriores aos pos de arrac
doamWo. Seu periae 6 e^lkieeo,
Zt+toj* ^Ma*c. i cm la n




mm u
.

!
X
Diario le Pernambuco
Sexta foira 15 de Jani'ii
LllJUlUJI
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
v ma aa uiaiBaaTO-8o. w

Flix Pereira da Silva, successor de Gama
& Silva
0 propietariod'esle ost;h:leciiaiito convida ao respeitavel publico desta ca-
pital a vir siirtir-se nu grande estalielecimeiito que tem de fazendas, tanto da moda como
de lei, o as pesdoas que negociara en pequea escalla, tarto da yaca como do matto-
ue.-ta casa poderla fa/.er os Boas sortimeutos em pequeas e grades porces, venden-
do-se-lhes pedos precos que se compraiu ais casas ingleza.-, ; assimeomo as exeellentis,
simas familias, podero mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou mandare-
mos levar em suas casas pelos nossos caixeiros, para o qu> acha-se este estabelecimen-
to aborto coBstantemeiite desde as (> horas da manila is 9 da noute.

O atoalliado do Pavo.
Vende-se superior atoalhado dje algodiq
rom 8 palmos de largura, adamascado a
21200 a vara; dito de liubo fazenda milite
superior a 3Q0 a vara ; guardauapos de
lilio adamascados a i.).'XK> a duzia e muito
tinos a 8>0O0, e ditos ecmioiuicos 3-KiOO
a du/ia.
troches para cadelras na luja lo
Pavo
Cliegaram os mais lindos panos de cro-
ou guarda banlras, projirios para c-
dmicas tanto d'encost, como de bataneo e
de guarnirn, e outros rompridos para so-
la, assiui como ditos redondos para mezas
redolidas, ditos pegenos paraalmofadas, e
.MADAl'LAO A 3:300.
Vendem-se legas de madapoln fino com
12 jardas pelo barato preco de 3:'iCK> a pora.
dito com zi jardas a 7#000, na ra da Im-
peratriz n.GO, armazem de Flix Pereira da
Silva.
A doze vlntens.
A loze viutens.
A iloze vintens.
Vendem-se llasinhas de cores muito bo-
nitas pon deseubos miudinlios e grandinbos
com tistinbas e pintas pelo barato preco de
SOris o covailona loja do Pavo, ra da
Imperalrizn. 60, de Feliz Pereira da Siha.
AS GJIBHAJAS PAVAO
Vendem-se tinissimas pecas de cambraias
Temos novidtKle na Ierra !
Pitrn ranfliiem so espante
A cmwa nao do dar cuidado,
Faz sempre a su i admirarlo,
Mas nao olende a nmguem,
Agora nao se lembrem de im\o incendio no pardieiro,
Nem que bouve cxplosao na maxambomba,
Nem que o preto Tbomaz fugio da Detcnen,
Nem que o lape* ebegou oinliandeirado,
p Nem que a FUCATA AMAZONAS virn o S.
Nao se trata disso
* Srrr ah/mii jniz d mz que fjiior ptutat o nwtro nrj
tituto em coiisequencia de estar abolida a vara ?
NAO SKN1RMIESTenlim paciencia Esperi m
vk vamosdizer do que se trataiiiio com aquellos modos qiir loma
seu sals"
o ciilado
ditos para coluir presentes, tend i|wqiieuosj lizas transparentes tanto inglczas romo suis-
al para cubrir um prnto, que se venden) sas tejido mais de vara de largura, pelos
por preco muito em cont, na loja C arma- precos de 5^000 at 10^000 a peca, assim
sen) do PavaO roa da Imperatriz n. GO, de como h'nissimos organdys branco liso que
Flix Pereira da Silva. s,,''ve paravesi dos do bailes, por ser muito
transparente a 15000, a vara, na loja do
Pavao ra da liiiperatrizn. 00, ile Flix P-
lvica da Sil\a.
ITSTAO BRANCO PARA VESTIDOS-A 810
Faises para vestidos brancos
a 640.
Vendem-se os mais modernos fustoes bran-
cosflexives rom padtesde listas e de
salpkos proprios para vestidos e roupas de
munino a iO rs.' o covado, na loja e arma-
'vm il i Pavao ra da Imperafrizn. 00.de
Flix IVivira da Silva.
Orprantlvs
Orgaady branco liso, muito fino a 800
rs. a,vara; dito com quadros ou listas, fa-
zenda muito superior a !>; fil delinhoj
branco com pahninhas, fazenda muito lina a
640 rs. a \ara.
Urosdenaplcs
Chegou para a loja do Pavao pelo ultimo
varpor um tirando sortimento dos melliores
grosdenaples pretofi e de cores, leudo verde
tambem, qde1 so. vondem mais barato que
en Mitra quaiquer patio.
Lencos blancos a 14196 a duzia
Vendem-se lencos braneoe de cambraia de
Na loja do Pavao veiidom-se os mais mo-
dernos fustoes brancos de lista e cordao
muito encOrpado mas muito flexivel, pro-
prios para vesliilos,roupo.'s, penteadores etc.
etc.,e roupa para meninos, pelo barato pre-
co de CO ris o covado, na loja e armazem
de Flix Pereira da Silva.
SF.IUS'COM MSTINIIAS A 3>OOo o
COVADO
Vendem-se as mais modernas sedas de
listinlias para v< stidos, cliogadas pelo ultimo
vapor com as coros mais modernas que tem
viudo a esto morcado, pelo barato proco de
:{;> rs. o covado na ra da Imperatriz n.
00 de Flix Per Ira da Silva.
Alpacas tarradas
Cliegaram polo ultimo vapor as mais mo-
ileruas alpacas livradas com as mais lindas
coros, que se vmdem a 1;>000. o covado.
ditas lisas tendo tambem cor de caima a
russo, Sr. Antonio Domingues,vpiando reconlioce que na melhor boa t flie orjipurrarain
algum livro sem principio nem fnn mas sim com aquellas maneiras ass/ dolanlas qu'e
compro se encontram no perfumoso ninbo da sympathica Aguia-Branca : as.4impois
attendam: -^
MH A ,% OS*
AmiL'o< ilo farlar o estomago aradavelmerite vonham .i na da Imporalr zolhem
para a (asa que ,a em fenlo ao magnifico cafeoHiem.....' olliem..... Nao voem ?
0 BOM DEMONIO
A (.-a digam couil'o i
-

- Nio so benzam
Oue jx'ior
Fiquom liem quicios
o.iemollior.

Mullir, demonio qt6 importa !
MuII' m.
Fall'iDos muito s4M'io

JTIJL J&TSBOqiC



0 cordeiro previdente
Ina do 4(i;ciniadn n. 1.
Novo o variado sortimento de pejmnaiias
finas, e uniros objectos.
Alm do comploto sortimento de perfu-
maras, de que oir.rtivainente est provida a
loja do Ccrdeiro Providente, ella acaba de
receber um ootio sortimento que setonu
notavel pela \ .uiedade de objectos, superiuri-
dado, qualidades ocommodidades de pie-
ros; assim, pois, o Cordeiro Providente ped
o espera continuar a merecer aapreciaca
do re>[)oita\i-| publico em geral e de sus
boa freguozia em paiticular, nao se ate-
tando elle do sua bem conbocida mansidao
e baratoza. Em dita loja encontrarlo os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira do Murray 6e Laminan.
Dita de Cologne ingleza, americana, l'raii-
c7.a, todas dos melliores e mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentrificia.
Dita de flor de laraugeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservarlo do
asseio da bocea.
Cosuietijiies de superior qualidade e dioi-
cos agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente,
euiltras qualidades.
Finos extractos inglezos, americanos e
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino o agradavel ebei-
ro de violeta.
utras concentradas e de ebeiros igual-
mente linos eagradaveis.
Oleo pliilocome verdadeiro.
Extracto d'uleo de superior
Para aiuiizms a retalio.
O Campos da na do laipen4or n. ib, tem par
ncihIit jnaudc i|iijnl(l.i(lc ib-medidas de estanU-
l'.T.i li(|iii|ns. i< de iii.'idi'ii'a para soroo, pelosa-
lema DMtriOJ dei-inial, ptl" (|lial t|I0 "- MflMaa
tes a retalho otirigadox a wnoer suas merraootHK
a rontar db i" de niami do coitciiIc anno. O u>-
nunrianle avisa e nraate aos qm de tacs medid,
iicccssitani. que sao ttU* i mais exacta?, pt>r
ipianto sao fe i las em l'aiis. de coiilonnidade cm
u s\sieina cima dito, p segando opadrao adtiplab
pelo coverno impera ; nao aeonlerendo, pureiu.
o mosino rom outras (pie ahi se vendem. ipiesen-
do da iiiesma eapaeidade. dev.Tsilieam de mi m i
viudo ofleivi'i'i' dundas nao s w$ compradwe
como aiis vendedores.
VENDE-SE
.Uuia casa terrea nova, na loa-Visln ra di S
i'ioiieal.i. onm 6 qiiaitos. sala bem estucada, ei
fU, quintal miirado eir. \ eiide-se ou penniiU.
se por mitra piopiitilade .1 melliflr olaria llins. em lenle ao lio-pital Pedro ti : a tratar tA-o;
Antonio Cameiio ira Cunta.
Rap Gasse e Paulo
Cordeiro
So armazem de Jos Jpaqoim Lima Boira a
ra da Cruz n. 18; b?m ronstantemente snj
ti de rap Gasse groneo e lino, o l'aulo Cordeiro
ciiiniiiiiin e viajado: in'ui mtxisa bzer apotogia is
sua iai'i lenle unalidade, puifi ella ja du .
eo'iliecida. assim como o lugar piopri" Se HW
venda.
ESCRAVOS FUSISOS.


Com o lim do tentar nos homejis a abastecers suas despensas im MNCNiriCtl
AltMAZKMOE MOLHADOS esi|uina da ra da Aurora detronto do suinpluns4
pi'ialriz: o nransavol propietario dr>se inipoitanle ostaboleciinonto aealia di
do ipn- lia de mais sii|ierior e digno do tuna casa dessa ortlom.
Este interessante ostalK'lecinuurto sol ma saliente, nao s id 1 sua n|i'ina liwali-
daile, como pelo lonnoso o encantador emblema que o assi'r'iiala. Vede-o |>nui isa Ij'iw,
rjue desa-
MHtt c.s-
nova es-
encantadora maga t|ito se ospeiha as aturas do nosso amoiin Itopiaribe, o rumo
lando o riso (tara a altaneira Olinda que alm se avista garbosa o genlil roplirla d;
poronga de em breve gosar os mais tfaaWhptumanM que Iho sorao levados poh
Irada de forro que se ada no nascedooix.

Assim, pois,
Vonba toda a poptdarao do Heeifc \w o admirar a bella BJlysionomid
OEMOMO..
ALTAS NOVIDADES!

algodo a t-> e ') rs., ditos de linho a 00 rs, ditas mescladas muito linas a 1:100,
:.->iOO o 4> rs. a duzia, na loja o armazem
d: Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Flix
I (i. ira da Silva.
CHALES A %m0.
Vendem-se diales de merino rom boni-
tas barras, pelo bara000
e 2300 rs., na loja do Pavo ra da bdpe-
ratria n. 00, de Flix Pereira da Silva.
PECilINCIIA A 3:o00.
Cortos la 3:500.
Cortes de laa a 3:500.
Cortes de la a 3:600.
l,aznbas a 280 ris.
Lazinhas a 280 res.
Lazinlias a 80 res,
s o Pavo.
S o Pavao.
^ S o Pavo.
Vendem-se bonitos cortes de laazinbas
o covado, e outras umitas fazendas de gosto
e moda que se vendem mais barato do
que em outra quaupier paito, no armazem
do Pavao, ra da Imperatriz n. CO. de Flix
Pereira da Silva.
ORGANDYS DE COR .
Vendem-se o "gandys de cores cm pa-
dres miuditdios em assentos brancas e de
ores pelo baratissimo preco de 3G0 rs, o
covado, uissimas cassasfraucezascom deli-
cadas cores e bonitos dcseiibos a 320 r*. o
covado e ditas a 300 rs, na ra da Impera-
triz n. 00, armazem de Flix Pereira da
Silva.
Itoupag para hoaiem
Vendom-se fuperioree. palitts de panno
sobrecasacos forrados de alpaca e do seda,
camisas ingleza-. e franeezas com os peitos
ilo esgtuo, ceroulas franeezas de liubo e al-
godo, meias cruas ingloMS superiores^ ca-
misas de flanell; o de. meia de la, assim
._


PEOHNCHAS
Novamente chegadas ao armazem
i
com oscolliidos dteirus, em frascos de dif-
l'erentestaniaiilios.
Sabortetes em barras, maioivs c menores
para mos.
Ditos transparentes, redondos eem figu-
ras de menino-.
Ditos muito linos em caixinlia para barba.
Cai.xiubas com bonitos sabonetesimitaiulo
finetas.
Ditas de madeira invemisada contendo li-
' ,~ as perfumaras muito proprias tiara pre-
Ditas de papelo igualmente bonitas, tajn-
bem de perfumaris finas.
bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com pode arroz
e boneca.
Especial p de arroz sem composico de
dioico, o por sso o mais proprio para crian-
cas.
Opiata ingleza e franeozapara denles.
Pos de lamphora e outras diffeienle-
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Aluda mais coques.
1000000
Fasto lia guano anuos, penco mais ou menos,*
eni-'eiilio Jns-ara, IregUCZKl de Jahealao, o esna ,>
liliano. eiioulo, idade de ti a ii anuos, uai>i <
-ecco do (uipn. bem parecido, deve le boje alsuiu
qualidade, liarba. olLos vennellios al'muaeadus, o qual eoutla

.
ilo BOM
|i



.
DO
i^I^.%B

!IK
PAREDES PORTO


ledennos ebegado ullimainente fazendas intoiratnente novas, Iconvida-
mos por este moio io respeitavel pidli'i a que nos procure comprar fazendas de
bom goslo o por precos que nao adiara em outra quaiquer parte.
Acli
(ara vestidos com padrocs modernos tendo Jciimonesteestabslecimento existe um grande
cada um corte I i covadts pelo barato pre- sortimento de pannos pretos, e de casemiras
co de 3:000 rs, assim como ditas em pecas I Htgtom decores, e qne se mamla fazer
que so veiMlem a SO rs. o covado, sendo \ ^alipier obra a contento dos Srs. fregue-
grande pechincba na loja e armazem do Pa-1 zos> e promettc-se-Hies que ser servidos
vo ra da Imperatriz n. GO, de Flix Pe-rom a maior pnmptidio e muito mais- ba-
reira da Silva. rato do na ra da Imperatria n. Ojde Flix Perei-
ra da Silva.
Vendem-se linissimos babadinlios, tiras
l> miadas e ntremelos, mais baratos do que
un outra quaiquer parte, assim como espar-
lilluis dos mais modernos, no armazem de
Flix Pereira da Silva, ra da Imperatriz
U. 00.
ALTA

NOVIDADE
LOJA DO PAVAO
Gurguro de seda
Cliegaram pelo ultimo vapor os mais bo-
nitos gurgures de seda, proprios para ves-
i.los. mita lisos elavradhibo&, com rnuo
lustro, ^mvmtiwlo-se que a fazenda mais
linda e de mais pltalrtasia que ostoaano tem
iiejado a este mercado, e vendo-se por
proco muito razoavel, na ra da Imperatriz
n. 00, de Flix Poreira da Sihia.
He*n de lista para vestidos
Cliegiram as mais modernas sedas lisla-
< >iIii.hIoh
Para camas e janellte.'H
Vende-se um grande'sortimento dos me-
lliores o maiores cortinados bordados pro-
lirios para camas e para jaitellas, (pie se ven-
ilom a 12?!000rs. cada par at 25??000 rs,
isto na ra da mperatriz n. 60, do Felrx
l'oivira da Silva.
Chita*
Vendem-se as melliores editas escuras para
c isa sendo *\>' cores lixas, pelos baratos
precos de 30 e 300 ,rs. o covado, ditas
muito linas franr >zas sondo claras, com pa-
ilres decassaa300 e iOOrs. pechindia,
na ra da Imperatriz n. 00, armazem de F-
lix Pereira da Silva.
Grosdenaples preto
Vende-se um grande sortiiuenlo dos me-
lliores grosdenaples pretos, tanto lar-
UlfOlll
Madnpoles finos a RR, 9, 7$ e B0 tf.,
s no armazem do Leo.
Chitas escuras de padres'lindos por pro-
co de -'120 o M(50 rs. o covado.
Cassas de cores com palminlias o rom
lisias de di\ersos padros a i'() o .'I-JO rs.
La/.inlias cinzentas c coi* de bonina a
320 o covado.
Chitas dars miudinbas a 320 o 300.
Alpacas pretas e de cores lindas proprias
para vestidos a 680, 700 e 800 rs.
Poea.s djB cambraia transparentes a 'i>,
.'is e 65. Por esto preco admira a todos!
Cotes de casemiras de quadrinlios o lis-
tas a 25800 e3.f
<:orpinhos brancos para senRora a '

das para vestidos, com as cores mais ino-igos como estreUjs.ieiidt de 2*000 re. o
liornas que (em vindo ao merradu e veo- covado at 4^000 rs. garahtind-&e que
ikUMie por preco muito em corita por os- ueste genero nin^uem.tem mUiur faaemta a
idilios muitos prximos da festa, isto naque se vendemaii barato do que em outra
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 00, da quaiquer parto, na ra da imperaizn. 60,
de Flix Pereira da Silva.
-TT------------------------------!!----------------------~~~---------
Flix Pereira da Silva.
TjttiTttrrtttr
1ITH1
DPPIISiO

5
DOCANNABIS INDICA
^fllMAULTeC? PHABMACBiriCS t PARIS^
SL'FFOCAQt
lODQDIDll

Todos os meios atd hoje preconisados contra a ammi uo tem sido mais do qo palliaTO
deltaixo de todas as forma.", tendo por bfle a belladona, o estramon3 ou opi. Rcenles pe-
T riciicias feilas em Aliemanha, repelidas wn Franca e na Inglaterra, tem provado eme o cnamo i
, indio de Bengal possue a) mais notaveis propiedades para combater essa lemtret anccio,
dos com o extracto de cnamo das indias, qoe nos importamos de Bomoaim.
*i -____ Deposito em Pernambuco, em casa de Manrer t< O".
>lllllllllllXllllU.llllllllW.lM.lllUUJU
TCSSES
CATARRHOS
PASTILHAS PEITORAES
DE SUCCO de ALFACE
LOURO GE REJO
E' este o mais novo e delicioso confeito al agora conbecido. Por isto tem adquirido r-
pidamente popularidade de que goza. Os mdicos os mais distinct )s o (008611190 contra
as tottet, defluxo$, cakurhot, tdsses convulsat, catanhetepidmicos, irritaciet do peito. Com
grande empnhe o procnrSo as mies de familia, assim para ellas como para as enancas, pois
pymeiro que lado inoffensivo, e as suas propiedades adocantes no deixao nada a desejar.
Deposita era Ptrnamkuco* em easa de ataer e 0a.
ntfff&tf;rsc-1g;Z '<>
<' ^:'^c<.'s.{.
Pet'hiiicha!
(Sirtes de cassiucla de cores para caKas e
paletotsa Ii500.
Casineta de cores fom um jiequeno feh
que de Milo a 400 rs. o comado.
Espwiillios muito finoa a 4*o00,. U e azul, amarello e cor de cal
vende por preijo conuuodo.
Admira!!
Lencos bordados a G,-5, 0->."THi e 124500.
Iticos e bem escolbidos gustos de bis-
marks para calcas e paletols a 25OO o
corle.
Tambem tem para acabar pecas de pan-
no di' linho, com 27 varas, a J7S o 18,->.
Toalhas de liubo para rosto a 10$ a du-
zia.
A os Srs. armadores do enierros.
Vendem-se pecas de bollanda pileta com
40 vivados a 35 : na ra da imperatriz n.
48 o o2, junto a padaria franceza, jloja do
Leao.
Attenco roupas, feiUs !! no armazem
do Leao, ra da Imperatriz os 48 |e ->i.
\<>m como temos um grande, completo
o variado sortimento de roupas feius; pa-
letols saceos, sobrecasacos, fraques, jaque-
toes, calcas, colleU's, camisas,
chapeos, etc., tudo por precos que
Tem tambera um sortimento d
ordinarias por proco baratissimo.
Aaba de chegar tfeibem um
sol-tinento de damascos de cores,.
emulas,
admira!
roupas
etc.,
3*300.
Admira!!
ravalas do soda a SfW'rs.
foiliiihasbonladas a 500 rs.
Laazinlias a 200 rs. !
Laazinbas a 00 rs.!! !
Laazinbas a 00 rs. !
?So armazem do Loio, ra ilh"Imperatriz ns. Vi e 5, junto a loj.v de
e padaria'franceza.
ompleto
sendo
que se
No armazem do Lefio !
No armazem do Leao!!!
No armazem du Leao I I
No armazem do Leao ''

'
ourives


i >
>'
i
Rita do Oitt'iinado n. H
i

i-

A este estabelecimento chegaram as mais lmdas'chapelinas de crep, tufe e pa-
Ihinha fia Italia, primorosamente enredadas.
Baloes regaladores para senboca? e meninas, Os mais modernos e d 3 varias
y k "'''
Basquinas de seda para sonbora*. o que ha de mais gosto, e delicadamente efl-
cores.
feitadas.
Ricos vestidos de blondo, conj manta c capellav para noiva.
Cortinados de cambraia bordados pata camas e janellas,, de diversos g)stos e
qualidades de 18^ at 805000.
Tapetes alcatifas em peca para forrar salas, gabinetes o corredores.
Camisas inglczas de linio paraliomem.
>
Ricos vestidos de seda pretos bordados agulha e de cambraia brancas tam-
bem bordados pelo mesmo systoma.
Frinhas e toalhas de linho e de esguio tod|jfcordadas para casamentes.
Sertf'de lindas coros, casimiras de cores asTnais modernas, saias de 15a cora
barras de cor, chaos de sol de seda inglezcs, espartilhos para senboras e meninas,
colarinbos de liuho para homem e grande sortimento de fazendas de todas as qubdades
que se vendem por pircos que agradara aos compradores.
Neste estabelecimento contina a receber-se esteiras da India para forrar sal-
las parte, por isso chamara a attenco para as
Etfeiras do ludia ipara forrar salas.
me estivra na sCada Irabnlliaiido na va ferrv
mmononje de Jouqnim : rosn-?e as antoridatfe*
l>(ilifiacMiu ans i-apitcs d campo qnc>oa*iir
li('iiil:mn' eoiidiuaiii |iielin initeiili(>. un a ra da
lni|icratiiz ii. I'i. Seuduju'a i-stcs se pralfittia
coni lOO, c a(|uelles se indoinnisar de Inda; a?
despicas (|ni' liieraneom a apjiiebtei* do mosimi
i'~ciavo.
Ni i ilia :I0iI;i uiivdH novctnlru pratimoaac-
lado, fiipin do i'iijfciiliu s. jkwe, do tci-iiio e 8cr-
iiliai'in, a ocrava d1 inane Deiicdirta. inulai.i, leu
H asnos de idade. cara bexigosa, altura regakn
cabello corlado e dVirtes nidres, fui esrrava de '! i
de Ilariis Aiaujo. romli-iro du mgeillui Mariamu
Icmiii um i-nii|iao du chita clara ja vellio, 6 ntn pan-
nuda Cu-la novo : i|iii-ni a pesar levo-a ao diu
engenno. ou ao Sr. Mainel Ams Ferrcira* r,.,
ncsia praca, que seifi generosameirte reeorapen-
?ado.
Ffij.no co i'iipcnlio Sofedade, na couiarea de
Purio-Calvo. piii\ liria da.-i AJaffas, o escrato Fv-
lippc, caha. cabellos c;o.i|iiiIris, d i annos ih
iiiailc, pouco mais ou nidios, poura barba, pea pe-
queos, nariz regular. oBios grandes, dentes un
pooro lunados.....un falla do um na (rente, anda
iilii'iro. cujo cscravo l'oi comprado BO EXD. bkTaJ
, de .Niuaivtli : pcdc-?c as autoridades policiacs r
capilaes ilo ranino a apprelienso do mesmo, e > -
va'-lo ao sen srdnor no rele ido engonlm, on na -
dade do Herife ao Sr. Joaipiini Rodrigues Tavanw
de Melle Iaiii do Cai|io-Saiilo D. t", 1" anda]
Um outro sortimentos -de cuques tle no- ser generosamente recompensado.
vos e bonitos moldes com fiiets de vidrilbos, ~17u \#\i\\ At (yna+iiljMMtasi*
e alguns delles ornados de flores efitas, UHI^IMMI (Ki ^>1 UlTlCaCHO
estao todos expostos apreciaco dequem A&a-se fu-ido desde o da I dejimho f.c IMI
ik niotonili comnrar i "m "1",!l,i"11" fahoColfl >' nnine Jos, de 13 ;. <4
' \ V nkw Ronnvnm :mn"s de i',"," v"j" *? I!""iri"'" J'"'"1'" ''' im
GOI.I.IMtAS E PIMOS BOItnADOS. e fo vendido n.sta edade por AntunioJos u.
Oliras de muito gosto e perroicao. >t*-li*>. negoeianie daqueiir lagar, an Sr. FernaiuH
Flvelliis e Otas para cintos. Jos Corra, com loja na ra Direita dota oidade,
p que o aprelieiidain N eiilreeaein a seu senhor,
na nu Nova dcsui cidrfA- no segundo andar rasa n, W qM ser gratlllcado.
Bello c variado sortimento de taes objec-
tos, Picando a boa escolha ao gosto do com-
prador.
FLORES FINAS
0 que de melhor se pude encontrarnos se
genero, sobresabindo os delicados ramos
orvalliados para coques.
rara viaseai.
Bolsas de tapete e carteiras de couro, por
precos commodos.
Chapelinus de palba da Italia mui bem
enfeitadas, e enfeites de flores obra de bom
mm
gosto.
E assim muitos outros objectos que se-
rao prsenlos a quem se dirigir dita loja
do Cordeiro Previdente a ra do Queimado
n. .
LOJA DO PASSO.
II
4 escrava lcrculana
Comprada a Exnia. Sia. I>. Clan Fenton, tn
jaueiro de 1807, uassada a eMiipliira de vonda
-aliio e al hoje nao voltoii. ignorando-se para on-
de se evadi. mulata clara, fel, dade .Ifi a 'f
annos, falta de dentes no queixo superior, sard..*
no rosto. ealieMns um pinico corridos e rhcia do
orpo. Foi esrrava do Sr. Juan Siegues d'Almcida
da ra do Vigajio. e anteriormente do tenante-eu-
rouel Joao de S do engenho Talui. na Parahyba
.la esteve urna vez em Goyanna para ser venWda,
se alpiiein a qui/.er comprar vende-se e se poder
ser apprelieiiilida.ini se indicaren elugar em que
estiver, sendo onconada se dar a gratiOcace
cima : na ra do Hospicio n. j.'i. _________
Fugio no dia 1(1 do coi-rente inez, do en-e-
nho Quiliha. Iregueda de Sernhaem, o esc: i
iJ^'iiedieto, rrioulo. idade ."Wl e tantos annos, baixi.
a do Crespo n. 9 A. esquina
da do Imperador.
0 dono destu importante ailabeliBttitoJS!W^^wlf.1P*'e m*! deaie quebrado na
ufo hmiMn ,U m en... npln *m. tofflfe ljl'm l:ill;u'te e l',m,K m!",,;"1" '"V
vallo rom caugallia. rom os sr tendo receido de sua cauta, pelo vapui
francez Eataemadun\ diversos artigo de alta
novidade proprios pera a festa, econscio de
( ue seu estabelecimento se acha bem sorti-
ilasao. bem feilo, est gOrdO, nao tem estrella n;.
lesta, nem raleado. Ri comprado lia pouoes
inezes ao Kxni. Si1, bario de Baureth.
do, principalmente em artigos de moda, pe-^ ^ U^S&ffiB de
(e ao resjieitavel publico e em particular j (>,ire. Quintaos, na travossa du Queimado v. :<.
aos seus JiHmerosos lieguezes a bondade! e no referido engenho Quilila Seu senhorbr.
debonra-lo com sua coniaaca, garanndo-i Ji;;* togemoda-SilvaIUinos,.serigenerusainenie
Ibes serem lnnii servidos e or nrecos ni- recompensado.------------------------------------
Ibes serem bem sonidos e por precos ni
unamente baratos. Venbam, pois, todos
comprar novas e lindas' fazendas boas e de
alta novidade, com bem:
Riquissimos cortes de blonde.
Riquissitnos cortes de seda de cores.
Sedas de lindas cores para co vados.
Moire-antique azul, verde, branco e pre-
to.
Grosdenaples azul, verde, branco e pre-
to.
Gorgurao branco e preto.
Setim branco macau.
Cortes de seda com duas saias.
Cortes de la escosseza com duas saias.
Cortes do la o seda, novidades.
Poil de chevre de lindas corts.
Alpacas de' cordao lindas cores.
Ditas lisas de todas as cores.
Cortes de vestidos de cambraia bordados.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas bordadas .
Fronhas de linho com lindos bordados.
Lencos de cambraia de linho bordados.
Chapetinas de palha da Italia.
Ditas de sedas de cores e pretas.
Enfeites para caneca de senhora.
Coques de todas as quaUdadcs.
Basquinas de seda eiieitadas com primor.
Loques de madruperola, inarlim, snda-
lo e osso.
Camisas bordadas para boniens.
Colchas de algodo e seda para cama.
Ditas de a-ocbdjfctfra cama.
Pannos dt crochet para cadeiras o sof.
Chapeos de sol de seda para senboras.
Espartilbos para senho
Toalhas de labyrmto.
Lencos de labyrinto.
Fronlias de labyrinto.
Bicos, rendas e grades.
Finissimas cambraias de cores, percales,
las e outros muitos artigos de gosto c no-
vidade.
Loja do Passo ra do Crespo n. 7 A es-
quina da do Imperador.
Existe fgido, desde'o dia 1 deste mez, a es-
orara de noine Domingas, cor cabra, com una "-
caira no peito do pe esquerdo. proveniente, de fo-
co, representa ter de idade .'tu a :i" annos, tilda
du serto Iliu do Peixe, lovou no corno um vestid
cor de rosa e chaile roxo : ipiem a pegar Icve-a
ra do Rangel n. 9, que sera gratificado.
Faz um inezqiie rugi do cnginlio Casna-
vieira, freguezia in.Gkpia. do (iyit^Din e.-crav. d
1). Tliereza Franjjlca, dos Saltos Piulniro |" i
nome Vicente, crrotlo, de ida* *) annos. pom t
mais nu menos, estatura regular, cor preta, ou fula
por estar um poura descorado, muito ladino, con.
marcas de iiesiga* ao rujio, lmeluole barbadi <
pei|iienas>as lerbtis,.-Ms-cosas iua cicaUiz di
sipoadas maisparajjm dos lados, urna pequea
fonda na perna, que tal ve J esteja saa, muito pe-
ralta : quem o appreliender pode dirigir-se ao diU
engenlio. que ser bem rmtmiponaade.
= Ansentou-se de bordo do patacho Garihiilr
o preto Jos, de idade 32 annos, de cor escura, e*
latura regular, olhos pardos, rosto comprMo, bar
liad. naWral dn Gnar; onhwido por Jos Matu-
lo : quem o apprebewkji qiwwa leva-lo a bordo
do mesmo navio, ou no escTiptono de Amorim li
mos para ser graUlicado. *_______
Moleque fgido.
Fugio no dia 3i de dezendtro prximo jiassacbs,
da villa da Eseada, em oeoasiiu da foira. moleqw
Nu, natural du Lomoeiro, de 13 anuos de idade,
cor filia, dentes pertfjtos, ps apalhetados e um*'-
gO grande, pelo que se torna Conheeido. Anu,.
xestido de caaiisa de ctiita escura usada, caJ?a de
brim .pardo eebau de palla de lista preta com iu.
d mesiiia edr, velno. Costuma mudar o nome paja
Manoei e dizer-se forry quando foge. Pag,a-se oe
a quem o levar ao Dr. Jos.5 Antonio Correa da Silva
na esttco da Kscada, wi ao Sr. Bruno Alvaro Bal-
dosa da Siha, ruad Cruz do Recifo n. \'.
Vende-se urna mobilia a Luiz X.V, em estado
perfelto, com algum uso, por proco muito comino-
do. A venda feita por ter apessoa de retirar -se
para fora: a tratar na ra da Praia n. 20. "
Fngkinanoitedo da 10 para l\ do correirte,
do engenboBateteira, freguezia da Estada, o esi
vo preto crioulo, de 44 annos de idade, chamado
.Marcelino, rujo eseravn esteve node|H'sito geral k
o dia 4.'i do pronno passado. e tem os signaos s-
uintes: alto, sefeeo, rosto picado do Insigas, faiu
ie dentes na frente, cr preta e sahio de chapeo dii
Chile, palitoe caira de eastor.camisa de madapoln.
Quemo appretienderleve-o ao dito engenho om
ra da Senzalla Nova n. 38, escriplorio do Sr. Ber-
nardo l'onlual, que ser generosamente recoav
pensado.______________
Atten Fugio no dia 9 docorronle o mulequo den^m*
Vicente, de bonita figura, bem nreiu. que representa
16 annos, nariz chato, ps grandes,cabellos cortado'
e tevou calca e camisa de algodo lisuas e cba >
de bata vell; quem o appreheBder leve-o rn
da Cruz n. 3ti, em casa de seu senlior, qu Uta u <
compensado de seu traballio,
1


^F?

H
(^.io de Pemau^ui-q Sexlu (eir 15 de Juuqiro de 184)9.
UTTERATURA.
".ii
Bietrospecto poltico de 188
{7)o JbrftaJ do Commercio do Rio)
II
AMKKICA SEPTKNTIIIO.VVI. E CKNTIUI. F. REPC-
ni.ir.vsDOPACUino
(Coiitiminco)
0 partido domociata conwoou seus taie-
gados para Nova-Pork, oado, depoif-de
">sivns escrutinios, que1 praeram fra
de abate os aomes mais moderados) c,
I 'irtanto, os monte antipticos opinio
publica > .il"iu..aie. dosignaram por scus
i tndidatos a presideto Horacio Seymour,
a vice-presuenfe Franrk-Balair. horneas
ttremamente dedicados aos interesses do
sal, e (i primeiru antigo governador de No-
u-York.
Confomir os costumes da repblica du-
rante limitas semanas os orgos da impresa,
os mrrtiugs, as proeisses com handeiras
destrailladas, os clubs, osjantors, e at'os
eacOQtros dos partidos as mas com lainen-
tuveis conflictos materiaes, proclamaram
dous nonios, proclamando dous principios
Grant! Seymour!
l'.mtim. a hatalha travou-se o o sen resul-
tado nao mafs duvidoso ; Grant vencen
pelo monos na primeira operarn do escru-
tinio presidencial, Dos trinta e sete esta-
dss da Vnio, trinta e quatro smente de-
\iaiu tomar parta na fcwmacSo do collegio
eleitoral cncarregado de designar o presi-
dente e o vire-presidente : os tres outros,
(i Mississippi, a Virginia Oriental e o Texas,
.o poderam coneorrer a eleico por nao
setenen submettidos at agora asleis de
i ('constriicco. Nos trinta e quatro esta-
dos votantes, Grant como presidente, Col-
fax como rico-presidente venceram, em
vinte e cinco estados, que nomeam du-
zentos e seis eleitores: Seymour e Btair ti-
veram por si nove Estados e oitenta e oito
eleitores.
Nao seja maioria to estrondosa causa de
falsa aprer.iaoo. Alm de todas as oircums-
tancias que dobraram a torca Je infidencia
do partido republicano depois da victoria
do Norte na grande questo social, o partido
demcrata ineorreu em um erro que muito
favorecen a candidatura do general Grant:
em vez de adoptar por candidato um de-
mocrata moderado e tolerante como, por
exemplo, Charse, que nao era ameaoa viva
atirada contra os vencedores de Iticlmiond.
preferiram Seymonr e Ulair, que ambos o
oranS, como exaltados partidarios dos inte-
resses do Si!; assim todos quintos, indif-
ferentes s paixes dos partidos, quizeram
votar imparcialmiite oucom a idea do bem
geral da repblica, e de opposico a novus
embales violentos, e talvez a outra guerra
civil, votaram no general Grant, que offe-
roce garantas de sabia e prudente presi-
dencia.
Entretanto o partido demcrata ainda
bastante forte para poder ultimamente fevar
orno levou, alguus representantes mais ao
coigresso.
Fis o lu^iro presidente (ti o.m'edora -^o
Norte .'u pn.granviii e
simples : mantel a paz e a libeidade.
Simples e modesto, Ilustrado e resoluto,
patriota e honesto, o general Grant ainda,
pela sua moderarn e pela sua rapacidad''.
o homem talvez designado pela Providencia
para, de uccordo com o congresso, levar ao
c:ihi a obra di'iicilinia da completa rcons
truc36 disestml.s abollados em 180!.
E enorues sil) ainda os trabamos qua
esta "bn exige. 0 antagonismo natural
obs'vvado entre os antfgos sonhores c os ari-
tigos Mfcr.ivns, os prn.'iros e implaravel-
mi'ii! norivos elleitos da omncipacjo sbita,
os premiaos dos propietarios, e a miseria
da omitida. > emancipa! > o em grande nu-
il) to preguicosa, negahdo-se ao traballio
assiduo, a disputa de direitos, as desordena
a romper, a necessidado do emprego de
forra militar em nina repblica que nao quer
e nao deve ser militar, a relativa decadencia
material dos estados que foram esclavijis-
tas. os odios que extinguir, os lacos da fa-
milia poltica que reestreitar, realmente
forman) um empenho, una tarefa descom-
munal que somonte o boin sonso, com a
paciencia e a constancia, ou o genio, com as
suas inspirar/jes, podem deseuperihar.
Mas, ou todos se enganam e. tudo engaa,
oua roiil'i'ilerarao Virle-Amrii-ana o o son
coiifresso vo "ter no presidente Grant po-
derosa alavanca parata-) grande obra.
Depois da gigante de Washington campos
tristes se olerecem at ultima repblica
do Pacifico, onde se descanca em puso
sea38 esplendido ao menos tranquillo e es-
l;ev!.
O Mxico pouco aprenden ni adversidade
da guerra Invsora, em que o estrangeiro
viera impr govern i intruso: patriotismo
heroico, admiravel que deeidade emeidade,
de valle em valle, da montauha em mon-
tanba disputon a torra ni, e suas insti-
tuicoes ao prepotente estrangeiro que pro-
teja e provoca aogozo de suas grandezas e
ao imperio Me sua forca. Repblica con-
quistadora,, os stado*-Oard|s Norlo-Ame-
ricanos nao opprimem, nJo guerream oMe-
xico ; caIcqjam,porin, owi asna anarehia,
com a sua provvel dissofuca pfira absorve-
lo no seio immenso da sua collossal sociedade
poltica. Em nomedo mal-chamadu program-
ma de Monroe, j arredou a Franca invasiv-
ra do Mxico invadido; mas com reserva
mental no seu proceder americano, porm
taaibem egosta, ficou prompta e fjisposga a
absorver o Mxico nos dias da dissolucao da
repblica mexicana.
Na America central ha quasi vegetaco
em vez. de vida nos Estados que a compJe
ou allidemorara: oprogressomaterial ape
as sencivel; o ciume e a-hita talhos assumein o carcter ne acofitecf-
mciito poltico importante, e tudo pequeo
diante das grandezas da civilisa^ao e das
conquistas do sceulo.
No Haity e em Cuba ha revoltas que to-
mam o nome de revolutOes, combates e
sangue que nao resolvem problemas, que
nao plaulam ideas, e que mal oceupo a
attenclo do mundo civilisado. Em Cuba ao
monos ha tuna questo transcendente a es-
perar providencias da espada de Alexandre
da revoluco liberal triumpliante na Hespa-
nlia ; os esclavos africanos Ja olharem para
Solano e Prim, e para a constftuinte hospa-
uhola. e o mundo o o seculo a olharem tam-
bem para a Hespaoha, c o Biinzil a olhar
para Ceba,'
Deixando sem menco espacial pequeos
e fracos Estados, onde um anuo de paz
afortunada excepeo, vemos na America do
Sul e banhando-se no Pacifico as suas rep-
blicas, que quasi todas olferecem o msmo
quadro.
Arrancando-se emfim ao dominio e tyran-
ni de Mosquera, os Estados-Unidos daCo-
lumbia nem por isso escaparan) aos desati-
nos da intolerancia poltica,
Mesa, no en-
tender governarem casa alheia. arrastando tado deTolina, den osignal de urna iwo-
iima victima a um tlirono pattulo,essepa- luco que se manteve altanada com suspei-
0 que ha mais animador e lisongeiro para
Grant e para a repblica que esta eleico,
sendo obra de nm partido, nao representa
exclusivismo poltico, ama guerra aos dem-
cratas vencidos, que por isso mesmo nao
inaldizem do candidato vencedor.
Grant conta 17 anuos de idade ; nasceu
em 18 em urna povoaco do Ohio, em
Point-Pliarant; seu pai era negociante, fa-
zendo o commercio de couros; estudou na
escola militar de West-Point; servio na
guerra do Mxico com o general Taylor,
depois em 184G com o general Scott, e tendo
o posto de capito, na California, em 18i;
em 1801 a guerra civil o tirou da sua fa-
zenda de S. Luiz, onde lavrava a ten^a; co-
ronel dos voluntarios na Illinez, comecou a
assignalar-se com as suas prmeiras opera-
eoes no Kentucky e no Teriuessee, e sobre-
ludo pola tomada dos portes Henry e Da-
nelron ; modesto, resoluto e tenaz, engran-
deceu-se na campanha, e revelou-se general
de primeira ordem no ataque de Wickburg,
a formidavel praca dos confederados no
Oeste. Lincoln confiou o commando em
chefe a Grant, que lancando-se contra Ri-
chmond, travou com Lee esse duello ter-
rvel, que poz termo rebellio.
Depois de victoria fao esplendida e qne
(ao popular o tornara, e quando comman-
dava cerca de um milnao de bomens, Grant
empregou-sc logo em dissolver esse exer-
cito, que era a sua forca. Ficando ainda
general em chefe, nao procurou envolver-se
nos negocios pblicos; obedecendo s ordens
de Johnson, mas resistndo s suas excentri-
cidades, foi o simples e fiel executor das
leis, das quaes o congresso era a seus olhos
i) supremo orgo.
FOLHETIM
CATHJlRIMA
Jules Sandeau
fi:iaoccae* eoaTersas amor e
Tlnagnf.
(Continuaco do n. 9)
A presenta de audio alterou o fio da
conversa.
Fallou-sede diversas cousas : da visita
do bispo. cuja recordacSo ainda preoecupa-
va os espiritos, do calor do dia, da secca
fia estaca), da ceifa dos fenos, das espe-
rances das colheitas e do bom aspecto das
trvhas.
Em todos estes assumptos. Rogerio teve
occasio Je fallar com espirito, gra?a e bom
gosto, em quanto que Claudio, de p junto
de Catharina, mudo, immovel, olhava com
indisivel magoa para o vestido elegante do
joven cavalheiro. Claudio soffra, ver-
dada, mas ao menos esta va alli. Todava
como ficou elle quando, abrindo-se a porta
rpidamente, vio seu augusto pai precipi-
tar-se na sala, de punhos cerrados e lvido
do colera I
Aii f tratante, velhaco E' assim que
diriges a escola ?exclamou o tbesoureiro,
agarrand.j-o pela gola do collete.Sao esses,
nustre vadio, os exemplos que das aos
teus discpulos ? E' assim que correspon-
da ccn'fianca que eu e os pas de familia
depositamos em ti ?... Para a escola, mi-
seravel, para a escola Irepeta o pai, em-
purrando-o.
triotismo ^>m medida, que" eneheu de por-
petua gloria os Mexicanos, delira aps seus
triuinphos, desnaturando-so pela amblCao
de chotos multares, o pola inveja de rvaes
pie aspiram ao poder supremo da repu-
hlica, que, convulsa as lulas desenfroadas,
quasi se afoga no singue dos fimos forillos
e morios em revoltas malditas.
O hroe da resistencia nacional, o pre-
sdante que tivera dez. ou vinte capitaos no-
bremente Improvisadas at ncimo das mon-
tanhas, Jurez, o reeleito presidente, to
sereno e altivo na guerra gloriosa, dove ter
chorado, e sentido amesquiniarta sua gran-
deza depois daterrivel o repugnante execu-
Cio de Maximiliano, e da volta plena in-
dependenfcia e vida regular da r 'publica nv-
xicana,
Quantos goiierae-; sg t-5m revoltado?
qu.int is pronunciamentos armados ? quin-
tas tentalivas de assasslnato ou de ata-
que contra a liberdade pessoal de Jurez?..
A revolta em urna Iba, diversas revoltas no
continente, lioruas armadas no interior do
paiz, e porlanto a desorden!, a anarehia
como d antes Em Havana o velho e obsti-
nado conspirador SanfAnna que sonha sem-
pre com o dominio do Mxico, conspira do
accordo coin os seus amigos e com os des-
gostosos, que abundara na repblica, e s-
mente esbarra diante da opposico enrgica
do governo da ilha que o asyla, e que nao
llie permiti preparar o sahirdalli com urna
leva de broqueis contra o governo de sua
patria. Dessa talvez a mais porigosa das
conspiramos, Jurez apanhou as provaseos
fios, e procedeu, como Ihe cumpria, para
gastigar os complicas do velho ambicioso e
conspirador, o quera era ao menos con-
tentaran! as cjndieoes de chefe demcrata.
Em seterabro de. 18138, celebrando a fes-
ta da independencia e da abertura do con-
gresso. Jurez prouuncioii um discurso no-
tavel em que i pplaudio o fado de se achar a
constituico fiinccionando com applicacao
plena em todos os estados da repblica, o
desapparecimento de todos os disturbios in-
teriores, nao restando mais do que um
bando insignificante de descontentes nos es-
tados de Tamauipas que n3o podiam ins-
pirar serios cuidados,
O carcter oficial deste discurso de Ju-
rez nao assegura a perfeita veracidade do
quadro da situico do Mxico, onde anda
era todo o anno de i 868 o dia da sulloca-
cao de urna revolta foi a vespera da erup<;3o
de outra.
Repblica milfadada, ral vezes sangrada
e enfraquecida pelas revolucoese polos mo-
vimentos revoltwos de cem caudilhos, im-
provisados generaos, corre ainda mil perigos
que ameaco a sua independencia as vizi-
nhancas do norte, A audaciosa e robus-
tsima limitroplie, que Ihe rrancou j re-
gies riquissirras, a olha como leao apaixo-
nado, e estende paradla as patas e a fes-
Prado, presidente do Pon, lutou debalda
algili mezes, tentando coi i varia fortuna
esnufar os revolucionarios; estac u dian'a
de .^raijuipa, emquanto seus faimigos de
sbito vtniam outros punto 0 adquiriam
no\-as foterrs; derrotado omlim em porfia-
da pdeja que travou, retirou-se abatido, e
nao adiando apoio em cidide alguraa a que
cliegou, embarcou para o Chile em Janeiro,
indo rece -r na repblica visinha as uiaiores
provas de coasiduracao e sympathia. O
general Cmseco chele dos vencedor.^, pas-
soii a ser o chefi' interino do poder exe
cutivo, e orgauisoii o sen ministerio, con-
saguindo em breve a pacile icao de toda a
repblica.
A canijianlia* constitucional para a oleieo
do presidente a rice-presidentes eleetuou-
se sem perturoacab apezar da disputa per-
tinaz dos partidos, sondo eleilo para o pri-
mairo cargo o corana! Jos Halta, que so
tornara rauito notavel na ultima revoluco,
fiando vice-presidodte Herencio Ceballos.
Na eleico do segundo vice-prasidente ne-
nhum dds candidatos obteve maioria abso-
luta de votos, cuinprindo, pois, ao congres-
so eleger ou preferir um entre os dous mais
votados, que forain Canseco e San Romn.
0 coronel Balta, desde que foi conhecido o
resultado do escrutinio, ofliciou ao chefe
do poder executivo, manifestando o empe-
nho de entregar-se logo ao estudo e conhe-
eimento de todos os negocios da adminis-
traco para raals ajilo se adiar a fazer o
bam do paiz, quando entrasso no exercicio
da suprema magistratura: o general Canse-
co mmediatamente servio aos desejos do
coronel Balta, que ao menos parece anima-
do das melhores inteuces. Sahindo de
urna luta armada e longa aps os sacrificios
da guerra estrangeira, o Per apenas ago-
ra entra em vida normal, que. praza ao
co, nao seja perturbada por novas dis-
sencoas violentas dos partidos.
Finalmente o Chile,.a manos desafortu-
nada das repblicas americanas da raca la-
tina, at cerlo ponto representa o contraste
de suas irmas: tambara na repblica chile-
na ha partidos animados, exigentes e em
vivo antagonismo ; mas ou por mais zoloso
patriotismo, ou por mais tolerancia, raro
tem sido nella o recurso das armas contra
o poder constituido; consequentemente a
prosperidad? moral e material do paiz, a
civilisaco e a riqueza elevara o Chile muito
cima de todas as outras repblicas da lin-
gua hespanhola. A guerra com a antga
Nao ha descripro que sufDcieiiteraente
mostr o quadjjp pavoroso desse fermiito.
que, ainda fatats-iito fin suas consaquen-
cias, detoi as popftlar.r>e ascidade*, vil-
las e aldeas destruidas, deixou os afortu-
nados por escapar ttn s n'dtw jtaregues
aos loriQPiito ila m^rfa.e dafonj' nos Je-
serlos e as montanlias, para ondi fugiram
Marrados,
-
suspei-
tas de apoio e animacao que Ihe vinhao do
governo geral, mas que pode ainda assim
sor vencida. Outros pruntmciamintos per-
turbarama paz interna da repblica, o o es-
pirito do observador estuda e intilmente
procura ideas verdaderamente polticas,
principios definidos que expliquera e atte-
nuem ossas revoltas sinistras que empobre-
cem, alrazo e amaaco e dissolucao urna
confederaC/o que de tantos elementos e ri-
quezas uaturaes dispoa. e que to prospera
poderla mostrar-se. Nao era preciso dizer,
nem ser repetido em rolacao a outra con-
federaco irma, que, resultado destas in-
cessantes perturbacbes da ordem, e de rail
vicios do systema administrativo, a ruina das
linancas aggrava na (olumliia os niales p-
blicos. O novo presidente Gutirrez Ver-
gara mal podar desempenhar o seu man-
dato com prove to do paiz, quando as fac-
coes se djseufream e a miseria do povo as
auxilia.
Os Estados-Unidos de Venezuela passa-
ram ainda nina vez por tremenda e sangui-
nolenta revoluco que mais ou monos fia
gelou todos os estados que a compbe, par
i i. 11 derrocado o governo da Faleon pala sol-
t das armas, o general em chefe dos ejr-
citos da revoluco, D. Jos Tadeo Moragas,
nomeou por decreto os seis ministros do
governo, devendo elles colhoreiu dentro si
um que presidira provisoriamente a admi-
nistrarn, cumprindo aos estados enviar
seus senadores e deputados ao congresso de
1809. Monagas declarou tambem que con-
servara o commando militar at que com-
pleta fosse a pacificaco da repblica. Com
efleilo a guerra civil se proiongou; mas a
resistencia dos generaes amigos de Faleon
desappareceu afogada em sangue : grande
e geral era a miseria no interior dos esta-
dos, onde a rovo uco lavrra com raaior
forca. O general Dallacosta era apontado
como futuro presidente da confederacao.
A repblica do Eqnador viveu vida polti-
ca modesta e tranquilla, bem que una tris-
te eventualidade pudesse ter posto ein ris-
co a ordem publica : o congresso pronun-
ciado em vehemente opposico ao presi-
dente Carrion fez passar urna moro.na qual
o declarou indigno de oceupar a primeira
magistratura que Ihe fra delegada : mas
Garrion em vez de procurar resistir, deu a
sua demisso, e a presidencia passou a
ser exercida pelo vice-presidente Arteta.
A Bolivia dobea-se ao braco forte de Mel-
garejo que, tendo vencido e dispersado
seus rvaes e provado as mais dilficeis'con-
juncturas a sua audacia, bravura e syste-
matica severidade, exeroe tranquillo ou "pelo
menos desassombrado o supremo poder,
obrigando a Bolivia a sujeitar-se ao seu do-
minio dictatorial.
A repblica Peruana tambem ardeu em
guerra civil, triumphando a revoluco que
se arrojara contra o governo: o coronel trras visinhas das suas praias.
ni atrople deixou-lhe recentes fcrdas, que
ainda esto sendo caramente rundas; em
1808 invases teimosas dos indios exigiram o
emprego de forca armada, e,portante, sacri-
ficas de sangue e de tliesouroi, mas ainda
assim o governo chileno emprepende traba-
liios e obras importantes, e potavelmen-
te urna nova liuha frrea que se desdoblar
at aos Andes. Muito mais que em qual-
quer das outras repblicas hispano-ameri-
canas ulgem no Chile as fructos de intelli-
gencias Ilustradas, especialmente em livros
de poesa, de liistoria e do assinmptos poli-
lian. Siga, pois, otihilc a ijrilhaute es-
trada por onde se aiaata, e peja para as
suas irmas da America exeinplp e licSo do
(jue valera, do que podem a lilierdade com
a ordem, o governo sem reacc"es e a op-
posico com tolerancia.
Deixraos para menco final o acontec-
mente mais desasU'oso que experimentram
era 1868 algumas repblicas do Pacifico.
Nao sao somante as revoluciies polticas
que atormentara as naces, e d essas algu-
0 congresso ilo Per aul'-rison o poder
executivo a despender rinanto f*v> po. ni sorcorirb d'esses infeliies: cymiuisses
foram noirmmas pifa levar-Utos plri e aiRi-
lios jiecuraarios, e um dos ministros parti
para Ariqjujpa e mais ridades em ruina-. O
Equailor proceden no mesmo sentido; a
Bolivia presten o seu concurso de fraterni-
daile, e o Chile abri seus cofres: abunda-
ran! as subscripcoes o os donativos: mas
certo que os mais elevados tributos de can-
dado e amor fraternal fleariam de muito abai-
xo das provacoes de tantos infeliz.es, e ape-
nas enxugrara as lagrimas mais amargas,
dando pao que as primeiras semanas ma-
tasse a fome da multido que de sbito se
achara na maior miseria.
Mas o terremoto la se foi: a desgraca foi
grande e os prejuizos foram oiiormissimos;
um desastroso acontecmento que j pr-
tente ao passado: agora para os que erain
ricos e que fieram pauprrimos, para os p-
lices que Bcram na miseria como aquello
ha o recurso da le do Deus, que o dever
de todos os lempos, ha o segredo da ri-
queza, o segredo de bem viver, ha o traba-
Iho.
as Ierras da America s nao ha abun-
dancia para a indolencia, como s nao lia ou
nao haver liberdade para"os povos estra-
gados pela anarehia, ou corrompidos polo
servilismo.
O destino da America est resumido em
duas palavras:Liberdade e opulencia. O
patriotismo e o bom senso dos povos sao
as alavancas desse mal-chamado defino,
que o designio da Providencia.
Rossi e (.asilmi. que nos veridom a msica
? diz res. O hoineai do realejo tendo
aj seu senifouiii niacup-inho que faca ha-
UHlades o wta, lomen phusivel para
todas asJulielas depois do collega trgico.
Boniardim Ribiro, ^ur a meuver foi de
todos os amantes, (tora i^, doTasso>
o qtfe amOu mais intima e verdafletramente ;
dana urna liga au dmo, no seu tempo,
para toeaf realejo e ter un macaquinho que
tecasse pratos, inzasse vels no almofariz,
e descarregasse urna pistola com to de
plvora sacra.'.
0 Bernardim diva eum cortea urna figa
au domo.
TSo ha paizanos bajoirjos, nem militares
lindot que disponliam de tantos recursos
pna namorar, e levaren a agua ao sen
moinho, como os horaens do realejo.
Nao me venham c argumentar com es-
peciosas, ou diplomacias do coracao, por-
que tudo isso sao formulas (ou formas) ve-
Ihas. sdic.i-, e de effeito incerto.
Viva o homem do realejo, que o pro-
typo dos adonis, e o nico (conquistadoi
possivel!
Querem ouvir toda a verdade d'esta mi-
nha asserco ?
Ahi vai era duas palavras historiado
fado mais convincente.
Attenco:
A jerarchia da Dulcinea nSo faz nada ao
caso.
iiKioj ( de ii m homem de rea-
lejo. < imijt iiHoM do trgico
Rossl.
Ha muitos aunos que pergunto a mim
mesmo: Quaes sao os hom/ens mais aptos
para bous namoradores?
Tendo estudado os seguimos tipos, mas
nao opto por algum:
Examinei o soldado da guarda municipal,
quando est de servio no jardim do Pas-
seio Pbuco, a derricar com criada das v-
sinbaacas
Dcaixeiro janota a dirigir finezas de den-
tro do balco menina que Ihe patenteia
que o panno patente grosso de mais para
o proco;
(i andy nos bailes do club, a traduzir
as flores que formara o ramalhete do seu
par, os symbolos do seu amor :
O criado de servir que escrcvc criada
espertalhona que adora por. ..clcalo, oque
nos fins das cartas Ihe poe versos assim :
"
E acredita-rae, The reza.
Que esta to'grande paixao
Ter fim s com certeza
No Alto de S. Joo!

.
Tenho examinado o empregado ptridico a
namorar quando vai para a repartilo, ou
quando volta :
O homem pamto a desfazer-se em finos
mas ao menos s vezes teem aproveilado requebros atraz dos bastidores do theatro
Meu pai!gritou Claudio cora um
gemido surdo.
A um temo signal da sua amiga, Clau-
dio, resignado cciino um cordeiro, de ore-
Iha cabida como um humilde cao, limpou os
olhos com a marga e sahio de raaos nos
bolsos.
Pobre Claudio !disse Catliajina, se-
guindo-o cora a vista.
Sei que verdadeira amiga d'elle
disse Rogerio com certo ciume.
Nem posso deixa*- de o ser, redar-
guio a jovenpois nao se passa um s da
sem que elle me n3o de urna prova de ter-
nura e dedicaco.
Se verdade o que se diz, quem ha-
ver que se nao felicite de ter occasilo de
Ihe dar essas probas ?
Ento o que que se diz ?
Que o Sr. Claudio o seu despo-
sado.
Claudio o meu desposado ? excla-
mou Catharina, s3rrindo-se^Pobre rapaz !
Estas duas ultimas palavras assim pro-
nunciadas foram urna negativa to formal
aos boatos a que Kogerio alluilira, que este
estremeceu de alegra, pareceiiD-lhe Ca-
tharina cada vez mais bella.
i mesmo momento ouvio-se o andar de
\unette, que^piva porta do presbvteri,
e Jj 0. em seguid i entrou Francisco Paty,
qr ieou summamente alegro por ver alli o
joven visconde. Dirigio-se a alie, aperlan-
do-Uie as maos com ternura, o. o resto do
dia passou-se em conversas familiares.
Jantou-so alegremente no terrasso. Nao
obstante os esforfos da boa Martlia, o jan-
tar foi (khico lauto, mas em compensaco
os corachas dos convivas' achavam-se ale-
gres.
Ao por do s>l foram todos dar um
passeio pela margena do Creusa e quaado
Bogerio parti para Bignyj o co esfava
coberto de estrellas.
D'alli por diante nao decorria urna se-
mana em que Rogerio nao viesse palo me-
nos tres vezes ao presbyterio, sem perce-
ber que era vigiado por mestre Robineau,
que espreitava a occasio de se vingar do
joven visconde e da sobrinha do paro-
dio.
Dias depois da chegada de Rogerio ao
castello de Bigny, urna surda iniraisade,
fundada era reciproca antipathia, seestab%-
cera entre o joven visconde e o velho mor-
domo. Fcilmente se comprehender que
o Sr. Robineau nada tiihtf que pudesse
agradar a Rogerio, e, por sua, parte, nao
podia tambem estar satisfeito com a ins-
tallacjio do mancebo.nos dominios onde ha
vinte annos elle gosiva de autoridide- so-
berana. A datar do ornelo em que Ro-
gerio o advertir acerca da maneira porqne
elle tratara a pobre Catharina, a iniraisade
tomara um carcter mais aberto e definid i,
achando-se implicada n'este odio a pequea
virgem, acrescendo a tudo isto que Robi-
neau, tendo protestado odiar curas e coad-
jutores, nada Ihe dava maior prazer do que
vociferar l no seu cantinlio contra alguma
sotaina.
Antes de passarmos adianto',1' j'nlgo daver
transcrever aqui a carta que elle escreveu,
depois de um mez de espionagem, ao con-
de deSougres, em Paris :
Sr. conde.Eu faltara ao meu rigo-
roso dever, se deixasse de dar-lteLponta do
que aqui se passa na sua ausenoa. Se a
sua prxima viada nio pozer termo a estas
cousas, eu pelo menos nao quero a respoo-
sabilidade. Se tivera de Ihe dar parte de
que as suas hordades, maltes e campos es
tavam invadidas por'urn incendio, nao rae
veria mais contrariado do que o estou pelo
golpe terrivel que Ihe vou dar. Se o Sr.
sociedade: ha outras desmedidamente mais
terriveis, e contra as quaes iiip ha poder
humano, nem prudencia de governo.
Um horroroso e tremendo terremoto se
deu no Per o no Equador a 3 e 10 de
agosto, e menos violento, mas a'nda muito
sensivel nos abalos do solo na Bolivia e em
outros pontos.-
No Per e no Equador excedsu s pro-
porcoes do famoso terremoto de Lisboa.
Arica, Arequipa, Iquiqui, Paso, Juan Ca-
nelina, Ibarra e grande numero de povoa-
ces foram totalmente ou em grjande paito
destruidas. O numero das victimas con-
tado por algumas dezanas de mili: b prejui-
zo material uo se pode calcular: dos navios
tendeados nos partos, ou navegando prxi-
mos costa aguns perderani-se e todos
soffrerara muito.
Como que houvera liga dos quatro anti
gos elementos para aquella obra immensa
de destruico e de ruinas: a trra estreme-
cendo em convulses medonhas fazia desabar
as ddades com espantoso ruido, o vento em
desenfreado impulso rugia e euvolvia as
populacoes m atmosphera de p, o fogo
ateou-se em algumas povoacTies, e o mar
em nunca visto embravocimento, despren-
deu-se de suas cadeas, e erescendo enorme
abysmou ilhas, devorou cidades, inundou as
do principe real, as noutes doRossi:
O elegante jweta a querc" seducir o qne
est seduzido;
O saloio moco e guapo de cravo ao can-
to da bocea, sapato de salto de praloleira.
jaqueta de alamares, cairas d poltica, e
junco da India na mo, a diier aquellas
filha do fazendeiro. que o escuta, rindo-so
toda, e tapando a bocea com lenco de as-
soar de metro quadrado. coBtendo o A. ti.
C, marcado n'uaka das pontas com linha
das Caldas, encimada :
Tendo visto o bario, o consetieiro, o
visconde, o conde, o marquez, e at o mi-
nistro de estado honorario apaixonado, aman-
do, espandindi*-se diante de todos os seus
enlevos, con todos os recursos de um co-
rago conqmstador de lei.
Tenho visto tudo, mas por fim de contas,
onde julgam que se.me deparouo melhor
typo para namoradorf
Se as quizesae envolver as sinuosidades
de urna charada, nao Ibes revelaba agora a
descoberta.
Saibaia que ninguera dispe- de tantos
recursos para namorar, para se correspon-
der com a eleita do seu coraco, para il-
ludir a vigilancia da familia, para ludibi iar
qualquer dama, linalmante, como um ho-
mem dos- que tocara realejo pelas ras da
cidado d'esses modestes compatriotas de
conde houvera perdido a sua demanda, se-
ria isso um pequeo desastre comparativa-
mente com a calamidade que Ihe, est im-
minente. O partido clerioaj, esa facfo
terrivel que predomina na Franca, est aqui
representado pelo parocho de S.1 Silvano,
homem intrigante e tanto mais perigoso
quando hypocrita. E' ainda o mesmo Fran-
cisco Paty, de quem V. Exc. deve conservar
alguma lembranca : a idade n'elle s tem
produzido maior desenvolvimento as suas
ms intencocs. v
Este astucioso velho, que julgo perten-
cerCompauhia de Jess, tem sabido,
fote* de estratagemas, faer-sa querido d'es-
ta povoaco, onde exerce a sua influencia,
por quanto, para seus fins, ha vinte annos
que, como urna ave de rapia, paira sobre
os nossos campos; este hypocrita baptisa,
.casa e enterra gratuitamente os seus paro-
chianos 1
Ainda nao disse tudo. Reunindo hy-
pocrisia a immoralidade, tem elle coinsigo
urna suppostasobrnha.l que, sob o pretexto
de pedir para os pobres da freguezia, vai
mendigando de porta em porta, e aproveita-
se dos seus dezoito annos, fresco semblan-
te e elegante figura para ir propagando a
fe. Esta desgracada tem obtido tal successo
do seu comportaraento, que Ihe chamam a
pequea fada.
t Agora vai ver o Sr. conde a mais in-
fame das traices. urdida por um filho de
Loyola. Logo que na aldeia consteu o re-
g'resso do Sr. Rogerio, o astuto Paty, jul-
gando, com razao, que a presa era fcil,
c imecou por Ihe metter cara a supposta
sobrinha, que ousou procura-lo n'este cas-
tello, attrahindo-o incessntemente agora
para casa do to.
Custa-rae, Sr. conde, denunciar um fi-
lho a seu pai, mas os Robineau n3c conhe-
cem seno o seu dever. Mea repeitavel
pai, que era oflicial de justiea, tinha por
divisa o seguinte adagio : Faz o que de-
ves, succeda o que succeder. Sr. conde,
os padres assenhorearam-sa do espirito de
seu filho, 6f se V. Exc. nao vier a tempo,
apoderar-se-hao tambem das suas proprie-
dades. J o castello est costeando os gas-
to* do presbyterio. No dia da festa patro-
nal da parochia, todos os padres d'este
districte, presididos pelo bispo da Limoges
se reuniram na abhadia de S. Silvano, e o
Sr. Rogerio, nao obstante as minhas iiumil-
des observacoes, tomn parte ['aquella or-
gia raonachal, deque V. Exc sem o pre-
sumir, fez as despezas. Deve V. Exc. licar
muito satisfeito, porque os seus vinhos fo-
rana muito apreciados, nao se tendo aHi be-
bido d'elles menos de trezentas garrafas !
t A' sobremesa, o senhor seu filho, que
se afhava assentado junto da pequea fada,
pag#u cavalheirosamente o proco das al vas,
sobrepelizes e sotainas de todos os padres
da diocese. As suastoallias e gtiardanapos j
vierjira em miseravel estado, e estou corte
de ihe falta alguma peca da sua baixella
da ptata. Acrsce, Sr. conde, que, desda
que e Sr. Rogerio anda mettido com a pa-
drada, tudo aqui corre mal, e nao se passa
um dia em que eu nao soffra algum golpe
da espada qne to indiciosamente se diz ter
os copos em Roma e o gurae por toda a
parte.
' Creia, Sr. conde, no seu dedicado Ro-
bineau ; os sfls interesses estio em peri-
go, oilo minado sob os se ainda.isto niotudo. O traieoeiro Paty,
fiel aos principios da invaso clrrical, per-
dendo aa^speranfas de, na vida de V. Exc.
levar o Sr. visconde a despojar-se dos seus
bens, tira partido da supposta sobrinha, que
n'este negocio desompenha as funecoe
sereia da antiguidade, cujo cante attrhia
prfidamente ao la?o os viajantes incautos i
A scena passou-se entre urna criada de
servir quemorava n'um 3.- andar da ra do
Norte, c um d'esses aUeuamdos italianos
que locam o instrumente cylindrico de que
llies tenho faltado, e a chama moinho de moer msica
O homem do realojo, (n'um domingo de
tarde), em companhia do sen macaco, p-
roli na ra do Norte. Vio no 3.' andar
tal criada, o comecou com a mira de tocar
o coracao, a tocar a aria final da Trariata.
A' moca fez-lhe logo o qne quer que fos-
se da impresso amorosa, o sentimentalis-
mo da msica.
Olhadella d'aqui,oUiadellade acola... sor-
riso do italiano, careta da criada... o der-
rifo rebentou rpido, como a rpida decep-
co rbenla era muitos coraces!
O realejo tocou; o macaquinho trabalhou.
e o italiano p a criada namorarain ufa ?
Fina correspondencia por cartas, duas
vezes por semana, se travou entre os.dous
amantes, sem pessoa alguraa atinar na nw-
neira porque ella se fazia; porque o homem
do realejo nao escrevia pelo correio, nem
ia escada entregar as cartas nem as"dava
a nenhuiu senhor gallego para as entregar.
O mesmo succedia cora relaco criada'
As amas sabiam-lhe da escripturaco ac-
tiva, mas por mais qu* diligenciassein, nao
atinavam com a forma de una correspon-
dencia to clara e ao mesmo passo to
clandestina.
Eu que dei com a anisa !!!
Deixem-me ter esta presumpeo. Eu
que dei no cintel
Eu descobri tudo, com o auxilio do ma-
caco. A verdade manda Deus que. se diga.
Por isso agora aqui ponho tudo era pratos
limpos.
A sumintendencia gerat o emrei do
hornera do realejo, eslava montada, e func-
cionava da seguinte fnaa.
Peco a attenco do meu amigo ironselhei-
ro Lessa.
Quando a criada onvia tocar o iostrumen-
to, entregava e recebia carta com toda a cer-
teza.
O homem abancava cora o macaco de-
fronte da sua Beatriz. O macaco teajava
gorro de penacho azul, o vestidinho encar-
nado ttenoiton. Depois do mono dancar
o fazer as habilidades; o dono estrala urna
caima janeHa do l.- andar; o maeaco tre-
pava ate ao 3.-, e a.ssentava-se repimpado
noparapeito da janeHa- onde a criada eslava
a ver o derrico. 4P
O macaco brava o gorro, cortejaraio-a de
dente arreganhado. A criada entSo met-
tia-lhe a oio na algibeira do vestido, e tira-
va... o que tirara ella da algibeira do ma-
caco ?!
As cartas de amores que o homem do
realejo Ihe mandava t!
Oh! progresso!
Oh! finas descoliertas! E como enviava
ella as suas ?
Dentro do chapeo do macaco! f
Isto que labia t
Isto que finura, e finura que prova
que os melhores namoradores sao os ho-
mens dos realejos.
Eu c, juro-Ibes, que quando encontr
por essas ras ak/wm-macacm dcdippo...
lembro-me logo se alguma das minhas le-
toras ter... carta /w comi,.
Luiz de Araujo
e apaixonados. Esta ladina tem manobrad!
as coasas de forma, que o Sr. visconde ea-
hio ceg no laca. N estas dez leguas em
roda nao se falla seno nos amores da so-
brinha do cura com o filho do conde de
Sougres. Os mos regozijam-se, os bous
lastimara: o seu fiel Robineau, sompre de-
dicado honra d'esta casa, limita-se a der-
ramar uoute e dia lagrimas ardentes I Tudo
isto, Sr. conde, mais grave e serio d que
se pode presumir. O Sr. seu filho jo-
ven e dcil ; ama o, cre-se amado. D'aqui
ao casamento a distancia curta. A rapa-
riga desembaracada, gentil e uo Ihe
faltam 'attradivos. Ella e seu filho nao se
largara ura ao outro ; encentram-se a toda
a hora por montes e valles, correado como
(toas rolas atravaz das alamedas. Anda u
aoute passada os vi eu com a* raaus pro-
prios olhos, camrahando ao lado um do ou-
tro, arruinando como dous pombos, suspi-
rando, contemplando a la e acontar as -
trellas no co.
ftpbominavcl Paty fomenta este* des-
variofre, se o deixarem, nao me resta du-
vida de que elle decida o herdeiro do nome
de V. Exc. a conduzir ao hymeneu a pre-
tendida sobrinha.
En denuncio o mal; a V. Exc. compete
applicar-lhe o remedio. Seja qual tor a sua
resoluco, resta-me a consciencia do haver
cumprido o meu dever cora a franqueza e
lealdade com que me tenho havido na ge^
rancia dos seus negocios.
Receba, Sr. conde, os protestes da ele-
vada consideraco com a qual tenho a honra
dj ser de V. Exc. fiel e dedicado servidor
ir Robineau.
Atirada esta bomba, Robineau esfregou
as raaos alegremente, ficando tranquillo na
expectativa da realisacio da sua vinganga.
(CotUinuar-se-haJ
TI P. DO UIARIO-RV kS CIDIES N. 44
"


I
7

-1


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EYJRA9J8S_HJ98R3 INGEST_TIME 2013-09-13T22:06:11Z PACKAGE AA00011611_11742
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES