Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11558


This item is only available as the following downloads:


Full Text
-fia
ANNO XL1V. NUMERO 125

F 11.1 A G41T L LIKAIII M Ni yA*
Per tres ttatet ttaatiirs...............
Per tels ditas Mim ....... .
Per na M** 4 ...... .
Cada umti Muta "...*..,...,.
*2oafc
320
acmwui-i im nmiiiniiw B& tQi&affftM* m
ENCARREGAD03 DA SUBSCRIPCAO.
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima;
Crt'ra o Sr. Anlorlo Marques di Silva; Aracaly,
o Sr. A.de Lentos Braga; Ceara, o Sr. Joaqalm
los da Otiveira; Para, os Srs. Gerardo Aoionlo
Airas ii Pilos; Amazona?, o Sr. Jeronymo*da
Costa; Alagoas, o Sr. Francisco Tavares da Costa;
Babia, oSr. Jos Martin- Alvas; Rio da Janeiro,
Sr. Jos Ribeiro Gasurirobo
SEGUNDA FEIRA 1 DE JINHO DE 1868.
raba bbx-9 rom DA fbovikcia.
ftr tft Mmi iaitadiM........... i .. t3|
ror sfCTl fflIM IflM ,# #, #- ,# -# ## ## tfc t# #- #. ## a# ,. ##
pWsT CH4V ti t '
mv 5 >i, # #

4Mt
t7|00f
V
partida dos estafetas.
O inda,-Cabo. Escada eeslaces da Tra rorrea Id
Anua Preta, lodos os das. /
iguarass s Goyanna as segundas o sellas (oirs
Altito Anio, Grvala Bezerros, Booito, Caroar,
Saonho, Garntanos, Biqoe, S. Bento, Bom Con-
tedlo, Agoas Bellas Taearal, as lergas-reirras,
Pao d'Albo, Nazaretb. Lirrooeiro, Brejo, Pesqoelra,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrot, Boa-Vis-
ta, MarJcary.Salgaeirv e Ex, as ananas feiras
Sertabiem, Ri* Permoso, Ta mandar, B________
roa, Agua Preta Phoesteira, tras quintas feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBNAB DA CAPITAL.
Trlbuoal do comroercie: segoadas e qnlntas.
Relacao: tercas sabhadot as Hr horas.
Fazenda: qaintas W horas.
Joizo do commercio: segundas is ti horas.
Dito de orpbos: tercas e sextas s it> horas.
tmwanmA m waml a wwrw* sito ipmwiBini*\a*8.
qnanas tsabbadef a
flrlMfca *m> de i>|; tercas e sextas ao aeio
11 di. -
Sen-nuda vara do eivel
I aora da larde.
EPHBMSRIDES DO MEZ DE MAIO
5 Loa chala as 4 h.. !m. e 40 r. da m.
13 Qaarto ntag. as 7 a, SI m. 18 s, da m.
20 Loa ns-va as t h., 5? ra. e 45 s. da m.
27 Quario rese, as 2 b., 5J m. e 16'. da ir.
DAS DA SEMANA.
f Seg. Ss. Firmo e Felino rom.
2 Tere. S. Era?rao b. ro., S. Blandina m.
3 Qosrf. 8. Pergentino m, S. Panto v. m.
4 Qoint. S. Francisco Csraeioli, S-. Qnlrino b. m'
5 Spxi. S. Marciano ra., 8. Bomfaeio b. m.
ri S- bb. S. A man rio, S. Paolioa, S. Aiexandre b. m
7 Doro. S. Roberto ab., S. Lieariio. '
pREAsf AR DE HOJt.
Prlmeira as 0 aorta e 30 m. da tarda
Segonda ss 0 horas e 54 minutos da
PARTIDA DOS VAPORES COsTEIROf.
Para o tal at Alagoas a 14 a 30; pan o i
at a Granja a 15 e 30 de cada mea; par Pesv
nando nos das 14 des mexes Janeiro, atarea, ataj*
julho, setambro e novembro.
PARTE OFFIHIAL
Di IIIMIMIV
da forrea naval d Brasil
MINISTERIO
Commando em chele
ero operacoes contra o goveroo do Paraguay, bordo
do vapor Princeza, em Ireote a Curooaity, 4 de
maio de 1868 I lm. e Eira. Sr.Sao 8 horas da
noite, e acabo de recebar o o(Hio, aqni junto por
copia, que me dirigi o chele da diviso bario da
Passagem, dand i conta da operarao determinada e
e'ctuada no Chacj pelas lorcas dos exerettos ai-
liados; o qoe levaudo ao coab^cimento de V. Exc,
me coograiulo cm o governo impen.l por mais
este brilbante leito de nossas armas, em que tomn
parte ama divisio desta esqaadra.
Deas guarde a V. ExcIlim. e Ezm. Sr. coone-
Iheiro Dr. AlTjoso Celso de Assis FigueireJo, mi-
nistro e secretario de estado d;s negocies da ma-
rlnba.Visconde de Inhma, commandante em
ebefe.
Commando da divisao avancada da esqaadra, bor-
do do encoaracade Baha, em frente a ilba Arag,
4 de maio de 1868.lllm. e Eira. Sr.Pa.-s> as
toaos de V. Cxc. as copias das participado. qoe le-
nbn dado a S. Rtc oSr. ma.-echal do exercitO ma;-
qaex de Casias, relativamente a occopaco do Cha-
co pelas forcas adiadas ao dia 2 de maio, facto este
da nossas arma?.
A esta imporunte operacao de vida e morte para
o ioimigo e de honra para nos, r ppnzeram os Para-
guayos a ruis tenaz resistencia. Eibora se tives-
se o ioimigo ittndido sobre o verdadeiro ponto de
desembarque, e Qcasse sem milidade seo fjrtim Ic-
vantado na altara da estrada, onle por vezes tinha-
uos cortado o lio elctrico, assira mesmo a grri-
mas abrigadas em :aminbos cobortos desfecbaritm
sobre nossas mas as de infantaria logo vivo, mas
desconcertado pela metralha dos encouracados.
Por ultimo atropellados pelas primiira coupa-
nbias desembar.alaj, se agglomeraram para o la-
do de IIjran, e em raivosa sanha ceifaram anda
algnmas victimas do 1 batalhSn, a bordo deste en-
cooracado, sendo, porm, logo alogeotados pela
nossa metralha de 150, deixando o ponto janeado
de seus cadveres.
Tjmaram pose do terreo') os nossos batalhoss
de infamara l., 3', 7.*, 8. e 16*, fortlQcando a
frente e a retagoarda com trinebeiras apoiadas no
rio e n'uma lagoa interior, parallela e-ta. Desde
logo esubeleceram abalizas, augmentando a resis-
tencia da forlifleaco, qne ficon inexpagnavel, fl >n-
qaeada por esta divisao.
Assim. a tarde, quando o inimlgo, retornado do
lado do Timb, oosou vir recoohacer essas f jrtifl-
caces, atacando a arma braoca os piquetes avan-
zados, foi castigada sua audacia ; e varndo pela
artilbaria les encooracado3 Tamaniar e Baha do-
sistlo da nova c-ocura.
Tivemos entao a lamentar a morte do bravo im-
perial Jjo da Luz, da guarnido do Tamaniar, e
bem como elle o imperial Maiuede Emygdio Vie'ra,
feri lo pela manbla a bordo do Baha, mostraram-
se dignos da condeccracao com qoe foram ultima-
mente agraciados.
Na tarde do da 2 alcancon a margem do rio a
GQlra ala expedida de Coropaily ao mando do ge-
neral Rivas, e qnal servia de pratico o capitao-
tenente Etcbbarne. Esta torca repellio ama colam-
ua paraguaya, soflrendo algnmas perda?, mas es-
carmentando o inimlgo devidamente.
Pas.-ou-se a noite sem incidente extraordinario, e
na manba de bontem, por conveniencia-do servi-
do, toda a Torca braslleira, engrossada mais cem o
oatalbio 11.* veio fazer janego no ?campamento
Rivas, reeolhendo no camioho algoos arreos de
cavallaria e fogaetes a coogrve, abandonados pe-
los Paraguayo* no fortim por elles evacuado.
No potreiro Timb esta presentemente acampa3o
om batalbo que cerra o passo a algama evaso do
inimigo pelo albardo da margem esqaerda, e as-
segara nossas communicac.5as com o exercito em
Pira-Cu, at ticar esubelecida a aue pretendemos
fundar com a esquadra. Estas disposices assego-
ram a rendiglo da praga sitiada, e com o miior
jubilo que teobo a honra de particpalas a V. Exc.
Deas guarde a V. Etc.lllm. e Exm. Sr. vice-
almirante visconde de Iahama, commandante em
ebefe da esquadra em operaces.Baro da Passa-
gm, ebefe de divisao.
Commando da divisao avancada da esqaadra,
bordo do enconragado Baha, em frente a ilba Ara-
i;, 2 de maio de 1868.lllm. e Exm. Sr.Cum-
pre-me participar a V. Exc. que o traosporte e des-
embarque das forcis do exercito no Cbaco, orde-
- nado por V. Exc. divisao avancada reaison-se
boj, is 7 horas e mela da mash3a.com nteiro brl-
Ibo e fortuna das armas do imperio.
O Inimigo, apercebido e ja guarnecido em val-
lados, rec beu-nos com bem sustentado figo de fu
zilaria, fazeodo-nas algnmas victimas, entre mor-
ios e (ridos da tropa transportada e das tripola
toes. Repeliido, porm, para o lado de Humait
pela metralha dos encouracados Baha, Barroso,
Tamaniar, e dos monitores flto Grande e Para, foi
por ultimo traeldado e poz-se em espavorida faga,
tendo a torca ao.desembarcar encontrado o lerreoo
janeado de cadveres dos Inimigos.
O resto da torga embarcada tomn pos?e do ter-
reno ja com pooca opposieo, e desde logo comeca-
ram a levantar se as forlidearojs de accordo com
at cirenmstancias do momento; e bam que o tiro-
'teto continne activo do lado do Timb, a occopaco
do terreno est segnra e garantida.
Fago seguir os ferios para o estabelecimento, de
cuj) numero e outros detalhes creio que V. Exc.
tera conbecimento pelas participar-oes do comman-
dante da tropa.
Augurando o mais prospero xito em urna ope-
ragiio to bem iniciada, rogo a V. Exc. se digne ad-
mimr minbas rcui respeitosas felfcitages.
Deas guarde a V. Exclllm. e Exm. Sr. reare-
chai de exercito marquez de Caxias, commandante
em ebefe de todas as forgas brasilelras, e interino
dos exercitos alliadcs em operagdes contra o gover-
no do Paraguay.Baro da Passagem, commaadan-
te da divisao.
Commando da divisao avaocada da esqaadra,
bordo do enconragado Baha, em frente a ilba Ara-
r, 3 de maio de 1868.lllm. e Exm. Sr.Sabmet-
tendo, como eompre-me, a eonsilerar) de V. Exc.
a progressiva execaco do plano da occapago do
Cbaco pelas Yorgas alindas, teobo a honra de par-
ticipar que na tarde de bontem apreseotoose na
margem, abaixo da liba Arac, na distancia de orna
miiba deste ponto, a vanguarda da divisao confiada
ao general Rivas.
Ficjo desda logo cortado assim entre as doas
alas da forcraipediciooaria om trogo de Para-
guayos, qoe eoeerroa-se em um pequeo reducto
recoahecido pete nossos exploradores. Fiz seguir
immeliaumantajlous monitores em apoto da torga
argenUna, e tirela communicaco de que no traje-
lo essa torga tinha sorprehendido e derrotado om
destacamento inimigo, tomando-lhe duas pegas de
campaaha, que posteriormente .ficaram empantana-
das.
A' noite recebi no Bahia o nosso 3.a batalhao de
infamara, e (oi esttciMiar junto ao acampamento
argentino, como ponto mais compromeltido. e man-
live-me prompto a reforcar a posigio qae o inimi-
- go preferisse atacar, ao qne nao se atreven.
. Com effalto, a torca ao mando do coronel Barros
Falcio tendo tomado .terreno em lagar de antemo
preparado, levantou rpidamente trinchairas, que
aetbiralinn tarde om tuaKo desesperado io
lado d)Timb, desaoganando o Ioimigo. Doosen-'
ejuracados, banqueando aquellas trlocheiras nos
dous extremos do campo, tur oam-as inexpagnavels
com a prolecco de soa forte artilbarla. As diffi-
culdadeque a posigio Rivas oppooba a efectuar-
se all o desembarque oo meto da serrada e iuex-
trieavel espessnra do bosque converliam-se depols
de occooada em penhor de segoridade, e por isso
vai-se effjctnar a janegio de toda a torga naqoelle
lugar, preferindo tambera pela soa maior proximi-
dade da praga de Humaila, e probabilidade de na-
vegago de lagoas, para pr-aos em contacto com o
rest da esqaadra.
Nesia oceasio remeti para o estabeleclmento os
faridos qae tivemos nos varios liroteio, e reo ;o
hootam feto seguir pelo arroto, a disposigao de
V. Exc, um Paraguayo pastado, boje envi oulres
doas as mesmas cirenmstancias.
Sendo constante qae forga expedicionaria veio
municiada para tres dias, e corApletando-se bo|
esse przo, deixo om eocoaragado no porto costa-
malpara recebar o que V. Exc. jolear conve-
niente enviar, visio nao haver certeza &i quando se
podero estatelacer as seguras communicages com
a esqaadra abaixo de Humada.
Digot-"B V. Exc. aceitar com a benignidade a
un me lera acoslomado. %Hmena2em de meu
profundo respeito e dedicagao.
Uans guarda a V. Exc.Ulm. e Exm. Sr. ma-
recbal do exercito, marques de Caxias, comman-
dante em ebefe de todas as torgas brasileiras e in-
terino dos exercitos amados em oparagas contra
o governo do Paraguay.Baro da Passagem, com-
mandante da divisao.
Commando da divis.io avancada da esquadra,
bordj do encouragado Babia, em frente a ilba Ara-
ga, 4 de maio de 18G3.IHm. e Exm. Sr.Cum
pre-me participar a V. Exc, que na tarde de bon-
tem a forga ao mando do coronel Barros Falcio fez
juaego oo campo Rivas com a ala argentina, ten-
do a divisao ao mea commaado protegido a eva-
cuago do nos:o primeiro campo, e a retaguarda
da marcha, e tendo desembarcado o batalhao 14*
logo na nova poslgo.
A communicago qne trata-se de formar com o
resti da esquadra e a possa do Potrero Timb na
outra margem, fechando rigorosamente a linha do
assedio, creio'que a praga de Humana' tem-de ren-
der-se forgosameote; pelo qoe desde ja' ouso
presentar a V. Exc. mlohasjrespeitosas coogratu-
lagas.
Daos guarde a V. Eic.-Illm. e Exm. Sr. ma-
recbal ie exercito marquez de Caxias, commandan-
te em ebefe de todas as forgas brasileiras, e inte-
rino dos exercitos atliados em operagdas contra o
governo do Paraguay.Baro da Passagem, com-
mindante da divisao.
Commando em ebete da torga naval di Brasil
em operagoas contra o governo do Paraguay, bor
do do vapor Prmceza, em freote a Curupaily, 5 de
maio de 1868.lllm. e Exm. Sr. Apresso me a
levar ao conhecimento de V. Exe., aproveitando o
vapor Ga'na, que vai partir, o telegramma, qae re-
ceben oeste momento,7 boras da manha o general
Argollo, e do qual me dea sciencia; congratulan
do me mais urna vez com o governo imperial pelo
triampho e felicidade de nossas arma3.
Deus goarda a V. ExcI lm. e Exm. Sr. con-
selli-iro Dr.'AffjusoCelso da Assis Figaelredo, mi-
nistro e secretario de estado dos negocios da mari-
nha. Visconde de Iahama, commandante em
chete.
Da eslagao central a estago de Curupaity.Te-
legramma n. 1230 Eim. Sr. chele do estado-
malor comoiuoi-a ao Exm. general Argollo: A'
orna hora da madrugada recebemos noticias do
Cnaco.
O inimigo atacon eom qaatro batalbdes da iafao-
tar a e um regiment de cavallaria a p a nossa
torga all existente, e no logar em que se achava.
Fci completamente derrotado, tendo nos apenas
dous levemente (ridos.
Congratulo-me com V. Etc. por mais este feito
da armas.
Estago de Curupaity, 5 de maio de 1868.
EXTERIOR.
Montevideo, 15 de maio do 186S.
Deve estar abi bem patete o qne escrevi no
dia 10 do crranle pelo transporte Galgo, oir os
ltimos feitos de armas no Chaco, e quam se recor-
dar o qae ea eoto disse, reconhecer QU9 'u' ver'
dico as intormacois qae transmit! para essa
corte, o qae- oem sempre se pode conseguir pela
confuso com qae nos ebegam as noticias, qoer
directamente, quer por va de Buenos-Ayres.
Affirmei ento que estavamos de posse da parte
do Chaco pela qual o ioimigo se communicava
eom IILimalla de modo firme, a nao receiarmo3 ser
desahjados desta importante posigo; mas dei
quarenlena a n.ucia qae grassou com multo crdi-
to, de que nos tioharaos apoderado da batera do
Timb ou Novo EsUbelecimeuta e tomado nella 13
pegas.
Para mostrar a erenga eom qaa ella foi aqu re*
cebida, basta dfzerque ainda bontem, na sua revis-
ta para o exterior, a Tribuna desta capital a repiti
como verdica.
Entretanto nada ba para fundamentar esta
erenga.
As cartas particulares, re(erindo-se ao combale
do dia 4, to glorioso para as armas brasileiras, e
to til para a causa da alliaoga, preveniram que,
derrotados os Paraguayos, nossos bravos os segui-
ran) at dentro de seas eotrincheiramentos; mas
as eommonicagas offlciaes qae ja saturara a lu,
de procedencia argentina, comprovam qoe ficamos
na posigo inexpugnavel que escoltemos, na qual
nos dado sitiar simultneamente as duas pragas,
pondo-as incommunicaves inteiramenta por cansa
do concorso da esquadra. i
Nao posso esquivarme ao prazer de transcrever
aqu estes documentos, qae bs de' 3er lidos com
palpitante interesad pelos Brasileiros.
Nossos soldados cada dia se tomata, se possi-
vel, mais dignos da gratido naeiooal, e de marco
em marco glorioso, conquietam at as ovagoas
de nessos alliados, qae netn sempre lae fheram
jnsliga.
Ooca-se o qoe diz o general Rivas, qae am dos
mais bravos entre es bravos soldados argenti-
nos I Eis a soa parte offlcial e que deve ser oon-
servada como urna das mais bnlban.es paginas da
historia desta guerra. E' datada do Chaco em 5 do
correte.
c Exm.Sr. presidente da Republ ca, brlgadeiro
general D. Barlholomeu Mitre.Meo querido gene-
ral e amigo : a carta qae Ihe es:revl antes de
minba partida para 9 Cbaco ja de va estar em sea
poder; e de accordo a ella vou dar le conta do
qae snceedtn de mais Importante na expedigo.
c Aqu desembarq. ei no dia 30 de abril. Nao
bouve mais difflcuUade a vencer serio a que apre*
senlava o monte espesslmo, baobado em sua maior
parte por grandes pantanos e lagos Impenetraveis,
atravs do qual tinhamos que ebegar ao camioho
donde o inimigo fazia a condaego do gado. De-
pols de dous das de trabalho contir no, marchando
eom o exercito, qae abria diante .e si o camioho,
chegamos prlmetros a ama veredi estreita qoe
toba telegrapbo, que foi cortado; seguimos adian-
to, e ja mal perto do rio encontramos otro caml-
nho largo, e de bom chao com eutro rame elctri-
co, que tambern. cortarnos ^m-' 'A icopa eslava
fatigada, a i descansar, destaque! a primeira le-
gio de voluntarios com os pratieos para qoe explo-
ras sem o terreno. O qae se passoa coas ella nao
nn ocenparei em repetir, poraae relo que ji V.
Exc esta de ludo Informado.
f Logo qae se me incorporen a colamna brasl-
leira ao mando do Sr. eoronel Reg Barros Falcio,
comen irnos a fortificar eom iotrioctieiramelos e
abatites o campo que occapamos, eojt retargaarda
se apoia no rio denominado pela e*qtadra, tendo
na freote ama graole lag&a e dos Haceos iriochei-
ras que principiara no no Paraguay e lerminam na
lagdi da frente. '
< A posigo magoiSca e se pode Bella resistir
a qu-.lquer Damero de Inimigos.
t Occapavaraos esta posigo quando, com o aire-
vimenlo contiecido dos Paraguayos, nos vieram
elles hootem dar ama carga formal, prttendendo
f uer-nos desalojar o terreno; porm, como era na-
tural, no mel de om monte to deaso, onde tanto
.faz 5 como 10 on 2J,000 assaltaote*. em renos de
hora e meta se consegoio a m lis completa iictoria,
repellindo se o inimlgo qoe delxoa em nossis aba
tizos e as trincbelras perto de 400 morios infini-
dade de tendas e maltas prisioneiros, assim como
armamento que se est reco tiendo.
< A victoria perlence aos Brasileiros, porque o
[tanca atreuo que elles guamxem fui o que receben
o assalto, e elles exclusivamente o repelhram.
Para mim a qnestao de Homaita dorara agora ;
mui pouco; pols, qae, segaadt os prisioneiros,
leem provisas para poueos dias.
A fore 1 qae nos atacou, conforme os mismos
prisioneiros, se eompooha de cinco batalhSss e
doos regimeotos de cavallaria que vieram a t,
com a espada e langa em puaho.
Cortada cumpletameaie a communicag 1, pols
oceupo todo ot-rreoo traasitavel, Humaia no po-
dar resistir mais do qne o lempo suffl:lente para
tomar soa guarnleo por meio da tome, sem esca-
par om b jox-m ; porque nao teem para oade ir,
e todo o mais Chaco latransitavel.
< Felicitando a V. Exe. pelo novo triampho da
alliaoga, qae approxima o termo da guerra, me
grato sauda-lo como sempre alTaciuosissImo ami-
go. (Assigoado), J. Rivas.
Em outros offieios que o general Rivas dirigi ao
sea ebefe Gelly y Obes, e qae tambera foram pu-
blicados, se l*m anda os doos segaintes tpicos
nao menos honrosos, oo meaos expressivos:
c Presencial com eotbasiasmo a coragem e bra-
vura das tropas brasileiras que llveram a gloria de
tomar parte no combite da bonttm. >
< Estou muito saii-f-it 1 da conlucu das forgas
brasileiras: sao soldados qae depols qaelmarea
dez magos de cartuxos nao aoin tonara a trincha-
ra, combatem dando vivas. No meto do fogo e
quando en os vicloriava responliam elles com
vivas ao Argentinos e a sea geoeral >
Dlsse-se tambera que o general Rivas allulio em
ama parta ao procedimento da legiio da volunta-
rios e ja eu informe! na minba anterior corres-
pondencia que essa forga nao se tinha portado
bem.
Para bonra das armas argentinas davo declarar
que ella era composta, em sua tetalidade, de mar-
cnanos contratados na E irora pelo general Asea-
buci. Procederam infamemente, eo general Gelly
y Obes Qcou tao indignado, qae em urna severa
ordsm do dia dissolvea o resto da leglto, incorpo-
rando os soldados a diversos batalttes:
Esta ordem do dia diz clarara anta o seguale:
c Coosiderando :
1 1.a Qje am batalhao dos qas compSem este
exercito dea a espadoa ao inimigo, faginlo covar-
demeate parante um numero inferior ao sea, n>s
circunstancias em que se iba hivia confiado a
honrosa misso de explorar a va que devia seguir
o coroo da exercito em operagSas:
t 2. Que a segunda vex qaa a leglo volant-
na se cobre de igoominosa vergonha, etc :
Do mesmo gosto sao mais tres itens em qae o
general argentino toada a soa severa resolugao, e
pelos/dous prlmeiros transcriptos se pola calcular
o desgosto que produzio entro nossos alliados to
vergonzoso proceder.
Sao do dia 9 as ultimas noticias do theatro da
guerra, e apenis olla-, nos aoaaaciam qaa se espa-
rava a todo o momento oatro ataque do inim'go as
forcas qoe ooeopou o Coaco; tendo deseido o ge-
neral Barrios do Tebiqiary com 4,003 homens
para esse fim. Algans passados chegam al aflan-
gar qae o proprio Lpez se ach no Timb para
dirigir as oparagoas, e qua Mma. Lyach, 00 eatre-
taato reaae batalh5ss de malheres pira com ellas
cobrir a liaba do Tebiqaary e defeader a ca-
pital.
Qjanlo a HamaU, epinio geral de qoe poaco
lempo ainda pode resistir, j por estar completa-
mente sitiada, a porque os bom barde] amentos in
cessintes da esqaadra e das liabas do exercito
teem feito enormes estragos no interior da praga,
onde ja' nao existe um so edificio em p.
Nossos soldados da expedlgao do Chaco solTre-
ram dorante os tres pnmeiros dias multas priva
gdes, e livaram qua abrir matos virgaos a' macha-
do para se reuairem, mas ja' estavam contentes e
promptos para novas emprezas, com om entbusias-
mo que impossivel deserever.
A situagio militar, poitanto, sa nio completa-
mente favoraval pararo Brasil, nao pode, comtodo,
ser mais ilsongeira, nem mais esperanzosa. Ma-
Ibor do que esta s a termioago da guerra, e esta
se aproximara' multo com a rendfgo de Humait,
boje inevitavel.
A situago poltica, porm, de nossos alliados,
deploravel qaanto se ple imaginar.
A confederado Argentina esta' em nm cabos, e
profundamente dividid), por causa daelelgo presi-
dencial.
O governador Alsina, segando os telegrammas
boje recebldos, abri bontem o eongresso provin-
cial, pronunciando um discurso inteiramenta hos-
til e provocador para o governo nacional. E' a
lava qae elle atira francamente ao geoeral Mitre, e
ao sea ministro D. Rufino de Ellzalds, e talvez o
programma da separago da provincia de Buenos-
Ayres.
Este discurso causn profunda sensagao as duas
margeos do Prat e conforme os telegrammas a
qae me redro, nelle condemnoa o governador Al-
sina a guerra contra o Paraguay, como iniqaa,
horrorosa, e sem termo digno, e pedio abertamente
a paz.
Conbego perteitamente que o oven governalor
toca nesta corda sensivel para faz-la vibrar de ac-
cordo s soas conveniencias elaltoraes, porque re-
conheee perdida soa candidatura. Entretanto esta
bomba vem fazer explosio em momentos bem cr-
ticos, e pode cansar grandes males.
Parece qne as duas candidaturas qoe afiaal te
vo eocoutrar frente a frente sao ai da Sarmiento
e Urqolza. E' provavel qne os doas oo obteobam
materia absoluta, e sujeita a questo ao eongresso
nacional, esta a decidir' a favor do primeiro. Ur-
quiza, porm, que ja' esta' prompto em seo feudo,
com um exercito armado e orgaoisado, nao te cur-
vara' a tal declso, e montando a cavallo se diri-
gir' a Buenos-Ayres. Teremos immediatemente a
guerra civil, e como prlmeira consecuencia a se-
paragao da provincia de Buenos Ayres.
Entretanto, a situago da proviocia boje indos-
criptivel. Em oeohama deltas ba governo, oem
socego. Os agentes eleiloraes cruzara em diversos
sentidos, partarbando todo, e cada dia tornando
mais difllcil am accordo.
- Qne direi desla pobre repblica 1 Estamos ouira
vez nos sene palores das, e, sinto declara*!*) por
culpado governo-do general Battle, que tem mos-
trado nm exclusivismo que Dio poda deixar de
predaiir o conflicto qae armn Maxj.no Perer.
passado para o Cbaco cem ftrgas, no sabendo se
atira de encontrar-si com El supremo ; qoe esta-
vam ni fortaleza apenas dous batalbde?, ponea
cavallaria e algcjs artilhelros, qoe mal ebegavam
para guarnecer as pegas, algama? das qoaes esia-
vana sem gaarotgo; qae elle diriga 14 pegas ;
qne ea Humana bavla multos prisioneiros, teodo
fallecido muitos enfermos por tattft de mdicos e
da medieameotos. E ama peqoeaa mata onde os inimioos escondiam a
potvora, e ao mesmo tempo a melhor posigo para
.ncendia la. Para esse nm seguio a Aragnaru aguas
ajtaiio e tomn posigo cenveaieote : nada entre-
laoto sa ooDseguio, pprqoe lasa as bombas mais
Ion ge do qae se quena, o qne s observava do alto
de nm mirador do exercito.
Quando a nossa forga passoa no da t, o gene-
ral Victorlao fez tambam passar para o Chaco
em freote a Tay, outra peqoena forra, qae ah
eneootroo alguos paraguayos e bateu os, matando
um official, que suppe so ser o commandante,
aprisionando doas oatros offtei^es e detoito pra-
gas.
Da oosta parte tivemos perda de algumas pragas
e o extravio de doos teoeotes.
Na-te momento (5 boras da tard") acaba de che-'
gar um telegramaa do aarqnez para o general
Argollo, transmilttvel ao almirante; diz, em resu-
mo o sepu 1 o te : .,-
Uije pea unuina fnwm 'i uuj pmaguaj- ue-
clara qje Lpez mandn reunir em um s ponto
tolas as sua- guardas esptlbadas pelo Chaco ; qoe
a e*se poni devia ebegar tambam Birrios bom
3,000 a 4,000 homm?, depois do que se atacara a
nossa gente qoe sa acbava no Chaco. Em conse-
e mesmo de artlbrria. K' natural qne sejaa os
Paraguayos qae tenbam atacado a nossa forga, qae-
esta' prompta para recebe-los.
Dorante toda a noite e hoja at s 10 hora* da
maohaa do cessou o fogo pelo lado superior do
rio. Nao sabemos o qae I, mas percebe-se qaa as-
amos pleiteando ama grande aegio.
O general Argollo conserva-se com 1,000 bomens
em armas, promptos a atirar-se ao Cbaco, te tor
oecessario.
O Ioimigo recoobece qae a partida esta' perdida
para elle se nos deixar na posse tranquilla daqnella
posigo, qae nos entregara'- Humana' com todos os
sens defensores irremissivelraente.
Sinto qas o Galao parta oestes momeos de do-
vida e da incerteza, sen levar ama noticia decisi-
va desta novo falto d'arma>, qae espero rena ma'.-
um florai da gloria a' corda dos nossos bravos.
A estago continua magnifica, o rio baixo e o es-
tado sanitario das nossas torcas nanea fui ma-
Ibor.
A estas cartas accrescentaremos os segniates te-
legrammas :
Estago central a' e-tago de Curopai'.y.
Telegramma n. 91.-0 Exm. Sr. chafe da esta-
do maior commooica ao Exm Sr. geoeral Argol-
lo : S Exc. o Sr. nirqnex manda diier a' V. Exc.
qae, agora rossm acaba de recebar prrteetpa-
maodanleda divisao avagai.'" nossa, loFel'jr'sV
aeha no Cbaco fortificada e trabalbanlo ni abertu-
ra da pcala para reanir-se com os Argentinos.
O ioimigo reslsfo o mais qae pote, porm abss-
donou a posigio, dafxaado muitos morios, entra
ellas deas officiass, sendo am dallas o comman-
quancia desseaviso o marqnez mandn retorgar os |daote, segood) declara am prisioaeiro. Da nossa
Esta caudilln boje se acba em Porongos, mui
perto desta capital, com cerca de doas mil borneas,
e ameaga ataca-la mui brevemente.
Ao general*Carabalr responden altivamente, re-
cusando aaouir as palivras deconciliagac cora que
ste amigo eompaoheiro d'araas quena sedazi-
lo, e ao governo trata elle aluda com mais arro-
gancia.
O geoeral B.ltla sente qoe pisa em um terreno
falso : porqpe o povo e as cmaras apoiaa o can-
dilho qoe sa aprsenla como vingador do partido
colorado on florista, alraigoado pelos conservado-
res, que se apoderara do poder, sem ler coneor-
rldo eom seas esf irgos para a revologo capitanea-
da pelo general Flores. N caoiul, portaoto, ba
adbasSas ardentes a' eaoa da Mximo Prez, e j
a proprta goarda nacional declarou que se conser-
vara neutral na luta : pelo qoe o cha-fe do estado
demitth) varios oflHaei do l e do t batalhSo.
Nestas circo Estancias nao sera' mol difffcil a M-
ximo Prez entrar aqnl, lanto mais se Girbalo e
Goyo Soarez continnarem a escolher pontos estra-
tgicos na campanha, qoaoJo o alvo do candil&o
a capital.
Eis a sitnago tirante em qoe nes deixa este p--
qnete. Por toda a parte perturbago e desordem,
. nenbamt esperanga de melbores dias f
Asseitarae qoe o Dr. Ramlrez/nm dos mais ar.
dsutes cncf^i {a n,r,j )o cnf^rv^Anr. cnh.-tiinjra' a
D. J)s Eilaori, que resignad a pista de estran-
geiros.
Este anoo de 1868 parece qae marcara' nma era
triste para a repblica Oriental!
IWKEROR
RIO DE JANEIRO
16 de maio de 1868.
S M. o Imperador, acompaahado de seas sema-
narias, visitn boatem a ofH:ioa de machia is do
arsenal da marinba, a serrara a vapor, as obras
byfriticas da lina das C b as o monitor Santa
Cathanna, o aviso Femanies Vxeira e o labralo
rio pyrotechoico na Armago.
Hootam nao hoave sassao ni cmara dos dapa-
tadoi por (alta da amara legal.
Por decreto de 8 da correte foi damiltdo Ease-
bio Parelra da O.ivalra, do la/ir di 3..ofD-:ial da
directora garal dos crrelos, por incipacidada e
falta de zelo no ciraorimanto da saas deverej.
No arsenal da mirinha embarcaran) bontan pi-
ra bordo do transporto Bonifacio 21') pragas que
seguam a raunir- S. M. o Imperador, acompaabado da seus sema-
narios e o Sr. ministre di guerra, assistiram ao
embarque e em seguida p;rco:raram o vapor.
Acaba de eolrar o transporte Gifpo sahido da
Curupaity a S do correte. Do Rio da I'mu traz-
os (albas at 10. v.
Ficava occapada pelos alliados a ponta do Cba-
co, defronte de Humait, e esta importante opera-
gao, completando o cerco, devia dir brevemente
em resaltado a que la d'aquella formidavel forta-
leza.
No dia l de maio dais expoligoss, ama argen-
tina partida da Curupaity, e outra braslleira sabi-
da do Tiyi. foram simuluneameote desembarcar
pelo snl e pelo norte 01 refer la ponta do Chaco,
nao tardan lo .1 faiar j-iaeQo. All ea forliScarara,
pondo em debaudadt algumas forgas paraguayas
que guardavam aquella posigo.
Era am golpe mortal para os Paragaiyos qae
prtanlo daveriam fazer algam osforgo desespera-
do para remediar o mal que racabiam, e com ef-
teito am trnsfuga dalles veio revelar que o gene-
ral Barrios com tres ou qaitn mil borneas mar-
chiva a desalojar no3 do Cnaco. Immediatameata
foram reforgadas as nossas tropas, e quando no
dia 4 nos tres mil Paraguayos vieram atacar os
alliados, foram repellidos com graode morlaodaae
e perda de prisioaeires e de armamento.
Nao sao aiada bam coobecidos todos os succer-
sos eotre os quaes sa fatla tambera da lomada do
Timb; os factis capltaes sao, porm, os qae del-
xamos aponlados e em seguida transeravemos
duas cartas era qua se referen iatsressaates por-
menores :
Caropatly 4 de malo de 1868.
Na mlaha ultima carta dissa-lhes que bavla
multas ideas eoeoolradas, sam que se pudesse pre-
ver o qae por tira ser adoptado 00 rejeltido.
No dia 3) do passado, porm, rasolveu-sa passar
3,000 borneas para a pona do Chaco em trente a
Humait, onde bava urna forga paraguaya qaa
passava vivares pira essa fortaleza. Passaram,
com etTeito, 2.0J-0 Brasileiros nos encouragados
cima de Humait e LUDO Argentinos abaixo. Os
Argentinos cora&gaojl^..o seu embarque pira os
vaporas Gualegkaypfesiiente, Mrquez de Ca-
xias a Anirahy as 4 naras da tarde; as 8 3/i da
noite passaram por ui, levando o Presidente a re-
boque urna barcaca com cavallos e o ualeguay
muniges e artilbarla.
Em frente a ilba do (Joro, qaa est cima do
riacho dasta nomo, desambarcaram com ordem da
procurar caminho por onde se encoatrassem com
os jsos e assim flearem em commnaicago, afim
da poderem destruir as torgas paraguayas. A nos
sa gente, desembarcando a' p -qoeoa distancia, en-
contrn a estrada da communicago dos inimigos e
ama torga composta dos bataihas 7 a IS da ani-
mara, om piquete de cavallaria e alguos bomens
da infamara; os nossos bateram-osobrigaado-os a
retirarem-ss em direcgo a Humait. Ura eocoa-
ragado seguio-os pela margem abaixo, mas nao
pode v-los mais por terem-se ellas escondido as
matas.
Os Argentinos, que em numero de 1,100 borneas
procararam abrir camioho na maoba do da l*,
tlaham ja se adiantado legua e maia quando no da
2, as 4 horas da tarde, encontraram um caramno
paraguayo, e abi duas pagas de artilharia valhis e
abandonadas e algnmas canas de igual gos-
to. Acbavam-se ocrapados em eximina-los quan-
do foram cortados pala torg paraguaya que fugia
da nossa.
Alguos dos Argentinos langaram-se aorio, donde
foram salvos por nm eocoaragado qua veio em seu
auxilio; outros entranbaram-se pelo mato. No dia
2 conseguirn! reunir-sa aos nossos, e bontem cha-
gou a communicago de que as duas torgas esta-
vam separadas apenas por nm mato, aira vex do
qual comacavam a abrir camioho.
general G -lly y Obes estava no ponto do des-
embarque, a bordo do vapsr Pavn, desuado para
hospital, e d'ahi, no dia 2, pedio ao general Argollo 1
reforgo para a sua gente. Deusa logo ordena para
que embarcassem nos transportes Leopoldina e
Presidente, os nossos bata'bdas II, 44 e 49, caso
fosse leito o goal ennveocioaado, e segulssem rio
cima. Nada boave, at qaa bontem, ao meio-dia,'
tlveram ordom de desembarcar e de flearem na
barranca promptos para o qne fossa oecessario;
boje, porm, voltaram para seas postas.
No dia 3 passou-se para a divisao do general Oso-
rio nm sargento paraguayo que deualguus esclara-
cimentes. Disse que ledos os das bava exploides
qaa faxiam victimas, em consoqueaeia de ser pe-
qaeno o espago qne occopavam: que nao bavia
logar onde as bombas quer de ierra, qoer d es-
quadra nio chegassem, qae desde o da i do cor-
rente nao recebiam mais mantimentos de paite
al|uroa, e qaa os depsitos dtriam s para tres | embarcar, mas que foi repellida.
metes havando gran le economa; que o eommaa-, tarda chegon o Lynloia da cima, e trouxe noticia
daote di praga era Hermosa (mijori, tendo Allea ;de ter-sa oaiido muito fogo da fasUaria no Cbaco,
oossos com 03 biialhes 1, 3, 7, 8,16 e 18 a seis
boceas de fogo.
O general Victorino telegraphoo, dizenlo qae
chegira a villa do Pilar nm vapor paraguayo car-
regado de tropa, e qae, eacostaalo-se a barranca,
temara desembarca li; mas qaa nm esjaadro de
cagadores a oorigara a reembarcar, continuante,
porm, o vapor a flear atracado. O general Vic-
torino .- teodo em Tayl o monitor Alagos, que
governa mal, apaas o pola mandar at c lio Ver-
gelhoafim de observar os movimaotos do vapor
ioimigo.
Acab da heg*r o L'nioga. O chete Affioso Li-
ma diz qae oave se muita fazilaria e algama ar-
lilharia no Cbaco ; oo sabemos o qaa seja.
Os Argentinos tambam pissaram 1,030 bomens.
Teremos combata dorante a mate t E' bem prova-
vel porque a guerra oestes lugares ama cagada
nocturna da homens.
A re3olugio, qae dizem ter Lopsz, de atacar 03
nossos no Cnaco, Indica qua sua gante de Humil-
la' esta' completamente sitiada.
SSw 7 horas di noote; ouve-se mallo fogo de ar-
tilbaria para a parla superior do rio.
O total das nossas forgis no Cbaco de 3,303
ttemans com artilharia conveniente.
10 horas da nout?.Chaga o Linioya, qae vol-
tara pira a vaozaarda e diz qae o fogo da fazila-
ria comegou s 5 boras e terrniaon as 6 boras da
tarda, bavenlo grandes e continuada; descargas;
dessa'bora em diante o fogo foi se affistaodo, pelo
qae jalgamos que o Inim'go atacou e foi repel-
iido.
Dia 3 as 7 boras da manilla.Ahi vai um.tele-
grammi qae se acaba de recebar.
Ao general Argollo.A' urna bora da madruga
da recabemos noticias do Cbaco. O inimigo atacou
con qmtro batalhoss da Infantaria e um rgimen-
10 da cavallaria a p a nossa torga alli existente, e
oolugiremque se acbava. K,i completamente
derrotado, teodo nos apaaas dous lavameuta (ri-
dos. Coagratulo-me cora V. Etc. por mais este fai-
te da arrais. E-tago de Caropaily, 5 de malo da
1868.
Curupaity, S de maio de 1853.
Lirgou no dia 30 o vapor Vassimon, pelo qual
escrevi, dizendo qaa estavam prora pas as torcas
qua deviara operar no Chaco.
Com effjite, no dia seguate tarda embareou-
sa a tropa em vapores (retados do ministerio da
guerra a em um argentino, e pouco depois das 9
horas da a-oute subiram ellas para sao destino ; a
forga qua deste ponto parti foi teda argentina, ao
mando do coronel Divas.
O vapor Altee abairoon com o Presidente, ao rac-
veram-se os doas, e aquella sufirCu no cdojua ava-
riis considera vais.
A tropa desembarcou sera difDculdade, e pou-
cas boras depois acbou ella um caminho falto pe-
los Paraguayos, pelo qual segnio, avistaodo pou-
co depois os raostros dos navios da divisao avan-
cada.
Mo dia 1 recebemos commaoicagio do exercito
de qaa foram observadas duas explosdes em Hu-
mait', produidas por bombas da esqaadra.
No mesmo dia veio a bordo do Princeza o gene-
ral Gelly y Ooes, e troaxe a noticia da qua as for
gas que desambarcaram no Cbaco ja se haviara en-
contrado com o ioimigo. Activou se nesta oceasio
o bombirdearaento sobre Humait'.
O general Victorino, que se achava no Tayi,
tamhem passoa para o Chico (ignora-se com que
forgij, e leve logo um encontr cora o ioimigo, ao
qual fez quareuu prisioneiros, havendo de nossa
parte seis mortos,sendo doas otciaes.
Ha tambem dous ofJBciaes extravalos. Humait
responde sempre ao fogo, qae correspondido tam-
bam daqai pela bombardeira Porte de Cotmbra, qae
tem dado exoelteales tiros.
No di 3 soabemos por um telegramma do exer-
ro qae aebiva-se definitivamente reunida a forga
qaa bavia desembarcado no Chaco.
Tivemos ento algans pormenores sobre o cho-
que do dia 2. Os Paraguayos iam em corrida, qoasi
dispersos, quando perceberam que nm batalbo ar-
gentino qaa segua na frente ( a legio militar do
bravo Cbarlone ), por am falso alarma, bavia aban-
donado a posigo qae toba tomado. Animados por
este successo voltaram caras, e carregaram com
denodo, fazeodo grande estrago naqualle batalhao.
O valenle Etchbarne, que safvii de guia, vio-se
obrigado a atirar-sa ao rio Paraguay para salvar-
se, e foi recebido por nm dos monitores.
felizmente nossos soldados nao desanimaran] com
este contratempo, e sustentaran a accao com um
denodo beroico, recbassando oulra vex os Para-
guayos.
Passou-se para o acampamento do general vis-
conde d o Herval nm sargento, que declarou s exis-
tirn! em Hornilla dous batalboas, mantimentos
para qaatro mezes, e qas no da era qoe nos pas-
samos gente para o Chaco, o general Alien pisson
tambem cem quatro majores e doas batalhSes. Ac-
crescentoo qoe existe poaca artilharia naqaella for-
taleza, por que quasi toda tem sido levada para o
Tebiqaary.
O i.* corpo do exercito val preparar nma biieria
de 88 eom pegas que Ihe cede a marraba para este
firo, e cerUmente ella ha de prodnzlr graode bre-
cha na praga pelo lado de trra.
Hontem bouve oatro passado para o Timb, o
qual declarou terem-3e reunido tolas as guardas
existentes no Chaco em nm s ponto ; assim como
qae Lopes pretenda mandar 3 ou 4,000 bomens,
soto o commando de Barrios, para atacar a nossa
gente. A' vista desta noticia foi retorcida a nossa
expedigo eom 6 batil&des de infantina e 6 pegas
da campinba.
Com efteiio, parece baver algam (ando de verda-
da na declaragao deste passado, perqne o geoeral
Victorlao participen qae bata ebegado ao Pilar
nm vapor cora tropa iolmiga, qae tentara alli des
A's 6 horas da
!
parte apeis tivemos (ora da combate 40 horneas
entre morios e feri lo*. Coogratnlo-ms com V. Exc
por asta faite. 2 da miio da 1848.
Teegramma__Tivemos ara Paragaayo passado
na Timb, o qual declarou qua era esparado Bar-
rios, qaa descia eom 3 oa 1,00) homens, afim da
bater a nossa torga qua se acha no Cbaco : em con-
siqaeacia desea noticia, S Etc o Sr. marqaez da
Cixias miodoa raforgir a nossa brigada qae alli
sa acha, de sorte qaa tamos alli os bitalbes i*, 3*,
7*, 8', 14* e 16* a 6 pecas de artharii. Tambem
vai ser retornada a forga argentina.
Recebea-se oatro telegramma d> general Victori-
no, noticiando -as um vapor inimigo com tropa
tentiva desembarcar no Pilar, mas foram repelli-
dos por ara esquiarlo de cagadores, qaa os ttnba
obrigado novamanta a embarcar, e que sa achava
o vapor alo
As falbas de Uootevid) publicara os segaintas
telegrammas expedidas da Basaos Ayres, traas-
mittiado noticias do combita da 4, trazidas por nm
vapor all ebegado depois do Galgo :
Buenos Ayes, 8 da maio, i noite.
Os Paraguayos, em numero de 2,3'JO atacaran
os alliados no Chaco: foram repellidos com gran-
des perdis.
Perderam 500 homens. Os Brasileiros tomaran
a balara do Timb com 13 pegas. A fortaleza de
Humait est completamente sitiada : as bomba?
brasileiras flzeram voar dous dspositos da pol/ora
paraguayo--. Una das colama 13 oceupou Timb, .10
pisso que oalra foi quebrar a crrente qae impa-
dia a passagem aos vaporas da esqaadra.
Segundo outra cartis, os Brasileiros apodera-
ram se da batera do Timb, tomlo II pegos e
lateo lo manos pnsloo-Mros. Uaanil acha-se com-
pletamente cercada, e com certeza nao tera mais da
3,000 homeos de guaroig-ao. Os prisioneiros afflr-
mim que conduziam diariamente 18 reas carnea-
das.
Humait (oi bombardeado por varias veze?,
voando nestas oecasides grandes depsitos de pl-
vora. Os Brasileiros mostraran] grande valor na
defezadas posteo ;s qaa Ibes tlaham sido confiadas.
Bueooi-Ayres, 10 da maio, 8 da noite.
No Chaco no dia 4, s 4 1/2 horas da tarde, cin-
co batalhes pataraguayos e dus regimentos de
cavallaria em (orga de 2.500 aticaram os alliados.
O combate foi reobidssimo. A legio militar ar-
gentina (antas Garln-) foi despedagada.
'O combata durou urna bora, retiranic-se os Pa-
raguayos, d3x ralo 430 cadveres e 400 armas de
pedernalra. A esqaadra braslleira daspedagoa-os
qaaodo se retiraram. -
Buenos-Ayres, II da maio, s 9 boras.
Triampho importante qua prepara o termo e
coocluso da guerra.
Humait completamente sitiada e o Chaco ocen-
pado, senda repellidos com perda da 400 mortos,
muitos faridos e prisioneiros, tomndose 500
armas.
Sa tantarem atacar da novo, sero repellidos,
pois 03 alliados eslo mono fortes. Hamaita ren-
der-se ba dentro de poneos dias. A correte ia sor
cortada.
Buenos-Ayres, 11 de .maio de 1868, s 3 boras
da tarde.
Oo Brasileiros tomaram o Novo Eslabeleciment
e 11 pegas de artilbarla eom grande perda. No dia
qaatro deuse urna sanguinolenta balalba. Os Pa-
raguayos atacaram as posigas do Chace, onde es-
tavam reunidos os Argentinos e Brasileiros, mas
foram repellidos com muiUs pardas. Lope e Res-
quin esto em Timb e alli resistem dirigilo pes-
soalmenle as operagdes : 4,003 bomens e mmkeres-
avangam do Tebiquiry coclra os alliados. O com-
mandante Haltoso fot preso.
No Estado Oriental, Peres,, ex-ebefa poljljco da
Mercedes, continua em armas'; bavia, porm;spe-
rangas de persuadir a dep las sem etfjsao da
8angue.
De Buenos-Ayres nao ba noticia de importancia.
- 17
Hontem nao hoave sesso no seaado por falta de
aumero legal.
- 18-
Por cartas imperiaes de 16 do correte, foram
nomeados senadores do imperio pela provincia do
Gear, os Srs. conselbeiro Joaqalm da Saldaaba
arinbo e padre Antonio Pialo da Mradonga.
Foram eondeeorados por servlgos prestados
to Brasil na exposlgao universal de Pars:
Ordem da Rosa.Gra-oraies : os Srs. Miebei
Cbevalier, senador do imperio fraaeet.
F. Le Play, senadar, commlssario geral da expe-
sicAo universal de Pars. ,
Grande dignitirio: Engne Sebnedar, presiden-
te do enrpo legislativo trances.
Dgnilarios: Eilie da Baaumcnt, senador, proles-
sor da zoologa na escola Imperial de Minas.
Cont Jaubert, ex-minislro de Franga.
Commendadores: Barlbier memoro, da commis-
so imperial.
Doaal (Loo), secretarlo da eommsso imperial.
De Cbaucounois, secretario da eommsso do ju-
ry especial.
Daubre (A.) vicepresidente da elasse 40.
Conde da Saint Valuar, chafe do gabinete do Bti-
nistro dos negocios estraogeiros.
Roderlck Marskison, presidente da Real Socia-
dade Geograpbica de Londres.
Omalios de Halloy, presideale do senado da Bl-
gica.
r. H. Blameoean, cavalleiro da crdem da Rota.
Ferdinand Dnls, bibliotheearto de Santa Geno-
veva.
Lastlbondois, conselbeiro de estado.
OfJBciaes : Bagar (G), ensarregado do servigo das
secces estraogeiras e installago do* objectos.
Comenge (E), secretario do jar y especial.
Fouroler fEmile), jurado designado para o Bra-
sil, relator da elasse 41.
Galatore (cavalleiro Felippe), ylca presdante da
elasse 43.


IIFfifVH


-

.8381 m

Bonne
Daal
ao

----------,-------
o de;, relator da classe 40.
dadordo Jornal di Dtbats..
), afete'auxiliar da commis-
T !'" IJT--------
Do 33 dito dito, Joo Francisco, dos Santos e
BaUio Jos da Silva.
Da 35' dito dito, Maaoel Nuces do Nascimeo.;.
Do 37" dftj dito, Jasiob Cypriana da Sifva. e..Joo
Miriobo Prato.
Do 41* dita dito,. Maaoel de Soaia CaulUo e
Maaoel Jos des Res.
Do 43 tto dita,"*larolioo Peraira do Nasci
meato e Anaslleto Dotra Francisco de Gas.
Do 4.* dito dito, Amonto Honiz de Vascon-
celos.
Do 47*. dito dito, Domisgos Jos de Siqneira e
erooyrao Peres."
..Jet Acclimatation. o 49a dito dito, Joaquim Mauricio Hasta e Ma-
Delraas de Pont-Jest (Res), redactor da Rttue noel de Figaeiredo.
Contemporaine. Do 49* dito dito, Exequial do Nascitntnto e
Roalliet (Antoine),idvogido, eropregado no mi- Sonta,
oisterio da casa Imperial. De 30A raeosae?, a Apolioaria Mari dos Sanios,
Banderali (David), engeubeiro no caminho de viava do operario do laboratorio do Garnplnlio, Ma-
), arebitecto-da eommisean. .>
Jote Bebreod, membro auxiliar da commisso.
A de Cloiseaux, mlneralegisu.
Joles Mareood, gelogo.
Creiet, redactor da Prtm- .'
Siebecker (Bdouard), redactar do Lnttum i
ttton.
tondre (Angustio), redactor do Bullelim i la
Jaako te 18G8.
ul Qf[3K.FA .711/ OZZA
Ha, como pelo flagrante desaecori^^H
enir"s-f cidot na me o general Mitre mudara Tir do Par;
argenfioas para mamar a ordem por'
Oa ,p
ex auditor do canse-
ferro do norte.
arUwl.ay (Edouard de),
Ibo de estado.
6ronlt, fabricante.
Henri Scboeider.
Pin, eogeohetro do Creosot.
Mnaioper, secretario do Crease!.
Bomanier, esgenheire, director da offleina da
ArsaWyV'5- ,, .
Pioo, eogeobeiro director das offlainis metalluf-
ieas de St. Cbaumood. ,
Mo.iard, vi ce director da escola de Minas de saint
Eiieone.
Villier?, engenhelro em chefe da corapanftla de
explorado de carvAo de pedra de Saint Ellenne.
MatbieaDesjoyeux, engenhelro da mesma com
paubia.
Henri Vogell, engenheiro do estabalecimeulo me
tillurgico de Uuieu.
Louis Lariei, gelogo.
Da Casse, director do museo de Yannes.
Hermann Scbligeutwart, zologo.
Comte ce Lmur, mineralogista.
Worsaac, conselheiro de estado, director dos
museos da arcbeologia da Dinamarca.
Padre Sacchi, director do observatorio de Roma.
Da Verneuil, presdeme da scciedado Geograpbi-.
ca de Franca.
Adalpbo Bfogoiart, director do Jardim-Botan-
meo.
t. H. Baillon, proessor. de botnica da Escola,
de Medicina, e presidenta da sociediJe Lioeanna
de Pars.
Dr. EJaardo Barau, vice-presideme da saceda-
de de Botnica de Franca.
Dumeril, proessor do Jardim das Plantas.
Dr. Soubeiran, secretario da sociodada de Acci-
matacio.
Quair*ags, secretario geral da sociedade G?o-
grapbica.
Alpboas* de Caniolle, presidente do congresso
da sociedale internacional dos Botnicos.
Albert (E J.)
. tf-inninr E \
23-
rdepotados spprovon bontem o re-
ndir. Dfas da Crnt, pedJB iefarma-
MtS sobre contratos deSpecimeotos
PBvar'etti! de goerra.
ApproToo tambem o pareeer da comurlssio de
poderes soore as eleiedes paroebiaes de iNossa Se-
nbord5oicei?ao do Ribf*fa a Sebastiana e
de S. Joio Baptista de NovxWnrge.
Approvon msfs, em segunda dlscnfso, o pro-
iecto declarando que os lentes das faculdades do
Importo qae coniarem mais de Iriata anoos de ser-
vico serio jubilados, quando rnnelraua, como to-
dos os seos vencimenios, sendo igualmente appro-
vada. a emenda que concede o mesara favor aos
lentes dos corsos preparatorios aonexas s fecal
.*'
noel Ferrelra dos Santos, fallecido em consequen
cia da ferimentos racabldoa por occasiao da expo-
sao que teve logar naquella estabelacimento.
Por decreto de 6 do crreme Gcaram addidos i
secretaria da agricultura, cororhercio e ubras pu-
blicas, na conformidade do decreto n. 4,i6T de 29
de abril uliiao, os conselbsiros directoras Tbomaz
Jos Pinto de Serqueira. U.-rnardo Aususto s-
cenles de Atambuja e Manoel da Cunha Galvo,
o primeiro ocial Marcos Antonio liibe ro Montei-
ro de Barros, os amanuenses Jos PereIra de S e
Francisco Jo^ dos Santos Rodrigues eos continuos
Tito Joaquim da Silva e Joaqum Jos Pinto d
Fonseca
Por decreto da mesma data foi aposentado, com
ordenado por inteiro, visto contar mais de 30 au-
nos, na eonfermidada da regra 1' do art. 28 do
decreto a. 2,748 de 16 de favereiro de ii, e 1
cfBcal da mencionada secretaria Manoel de Al-
meida Vascooceilo.
Por decretos de 13 do corrate foi privado Fran-
cisco Antonio de Sonta Rego, do posfo de oapito
secretario geral do commando superior da guarda
nacional do municipio de Nazarelb da provincia de
Paroambuco, visto nao se ler apresentado Urdsdo
e prompto para o servigo no praxo e na forma da
le.
Foram reformados :
Anguslo Genuino de Albuquarqne Gusmo, ca-
pio de batliio de infanlaiia u. 15 da guarda
aaeion: 1 da provincia de l'ernambcco, no po:to de
major.
O coronel eommandanta superior da guarda na-
cional o rnonicipio da Aii da provincia da l'a
rabyba, bacCarel LuiCavalc^nta de Albuquerque
Burily, do mesmo pos-to.
O coronel ebefe de estado maior do commando
superior da guarda nacioca do uiunicipio de
Aia da provincia da Parabyba, Nuno Guedesde
Miranda II nriqaes, no mesmo posto.
O teoente-corooel ebef de estado maior do com-
.^rf^" UinoU' /K MP.ratario do UlivljMndosuBfrior da suarda nacional js munlcipiosj
Lefebure (L), idem dem dem. de do Norte, Joso da Costo Villar, nov mesmo posto.
Le PJay {AiDeit-i), secretario da divisSo de Bit-1 Foi declarado de neotiom tll-ita o decroto de 21
iaocoort.
Miniar, relator da classe 72.
Wener (J. G ) jurado da classe 43.
Fa.reie (Itaoul), raiactor da Escotilln Ilus-
tr.
Geioiu, director do museo de Dresde.
B. Wairtrhoase-Hiukins, gelogo.
Da Careuac, mambro do Jury iolernicional.
Barbtr,director da fabrica Je Maller Ritior.
Moaaois, secretario geral da sociodada Gjogra-
Ubica.-
Reville, secretario da socielade dos Eugeabeiros
Ciis.
Heuri BerlhauJ.
Delpecb. pbariuaceutico de primeira classe.
Ordem de Chnslo Commeodadr F.
Cavalleiro, L'Abb Cboyer, gelogo.
Por decreto da 13 do crrante foi nomsado Mi-
noel Flix da Aiavedo S para o lugar de thesoa
reiro da tbasourana' de faz^nda da provincia do
Caara*.
Por decroto de 16 do mesmo mea foi concedida
a Cbristovo Santiago de 0!iv<;ira a aerotssao qae
peaio do lugar da seguado eacriptrirlo da tbesoa-
raria da pro^iacii do A : o ,.-.
Em atiencJo aos relavaat-is servidos prestados
na guerra actoal contra o govrno do Paraguay
pelo alteres So 37 carpo da voluntarios da patria,
Jaeintbo Feliciano da Coopico, me foram conce-
didas as honras do po.-to da alfares do exercito, p. r
decreto de 1(5 do crrante.
19 -
Por faita de numaro legal nao hoave hontem
s?sso l o no senado nam na cmara dos depu-
SJCi.
Sua Magestada o Inperador, acompanbado de
de agosto do auno passado, que recoodnzio o ba-
charel Lsureno de Oiive;ra Cabral, no lugar de
Joiz muaicipal e de orphos de Cascavel e Aquiraz, da proviocia do Cear, por
nao ter o mes rao bacharcl ecUado era exerciew
dentro do praoo legal.
Foi removido a seo pedido o juiz municipal e do
orpbos Amero Simdes da Suva Ciim Atio, do
termo de Simio das na provincia ta Sargipe, para
o de Monte Santo, na ta Baha.
Foram recunduxido :
O bacbarel Vidal Far reir de Mcraes Sarment,
no logar de juiz municipal e da orohcs do termo
d Barra do Rio-Grande, na rroviucia da Babia.
O bachareJ Jos Calanlriui da Azevedo, na la-
A. P;cot. gar de juiz municipal e de orpbos do termo do
Chaves, na provincia do Para.
Foram nomeadps :
O bacbarel Manoel Ccelbo Cintra, juiz municipal
e da orubaos do termos reunidos de Cascavel e
Aquiraz, Ba proviocia do Cear-
O capito Domingas Jos da Costa Braga, secre
tario geral do commando superior da guarda na-
cional do mucicipio de Nazaruth, da provincia de
Pcriumbuco.
c roo'-l reformado Remigio Vorissimo d'Avila
Lies, communJaute tup.rio dagUirda nacional do
mun:ciplo de Ara, da proylncjda Parabybi.'
U teueets Maoeel da Fonseca Milanez Snior,
tenenta-coronel ebee' do e.-tado-mior do mesmo
cammuudo soperior e provincia.
Luiz Baierra Augusto da T.iadade, tenenle-:oro
nel, cbale do estado-maior do CJOiiii.ndo superior
da guarda nacional dos municipios da G.~yaniulia
e annexos da proviucia do Rio Grande do Njrte.
O capio Tbomaz Jos de Souza, tenente-corouel
cemmanJacte do batalho de idTsitaria o. 13 da
guarda nacional da mesma provincia.
O lente coronel Antonio Jos das Nives, coro
teiefe de presdeme. A respailo das probabilida-
des das candidaturas todo em incerteza aluda.
-. 6 presidente Mitro e-porata poder rsoair SMia
17 o congresso nacional.
Na Bmda Oriental conlinumrn as coasas na
mesmo estado. Peres a' testa de urna f jrca avalla-
da em 1,500 eavallse 200 Infantes percorn
ros departamsntos. apernado gente e aponer
te dos dinbeiros pblicos que eoeontrava nos co-
fres da arrecadteao, mas que nao eram muitos. O
general Goyo Soares traba sabido de Montevideo e
andava reunindo milicias para bater Prez; anda,
perm, se esptrava que a comanda terminasse sem
derraroaroento de sangue -_j
No Per reinava a mesma aeltaro anda.
11
A cmara dos deputados spprovon bontem o pe*
recer da commissu de poderes relativo ao deereto'
que adiou na provincia do Rio Grande do Sal a
eJeic,o para, denotad jS a' assembi* (eral legislati-
va at a terminacho da guerra, sendo retirada a' or Mari* Paulina F.
emenda a pedido do seu autor. O'copou se em oliimo logar com a discussio do
Occopoo-se depois com a disinsso do seguida t requerimeoto do sr. Felicio dos Santo, soliciaodo
requerimeoto do Sr. Das da Cruz: do ministerio da faienda a representpco da cama-
c Requairo que pela reparti;ao competente se ira mupicipal da Diamantina e todos os docuoieu-
me forne(am os segointes documentos: tos relativo A cobranca do Imposto sobre terrenos
t 1. Copia do contrato Celebrado cora Wilmot & diamantinos da provincia de Minas.
Machado pata o f jroecimento de fardamenlo, equi- f Oraram os S~rs. presidente do conselho, Felicio
pamema e aname para o exercito. dos Santas, e ministro da marinba, fijando a dis-
< 2a. Copia do aviso mandando ao arsenal cele- cussao eucerrada.
brar o coutralo.
< 3. Copla das raormac.5es dada pelos peritos
e autoridades do arsenal, a quem compete a Osea-
liaac.aj para o recebimeuto de taes arilgos.
i 4o. Copia dos avisos que sobra taes objectos
foram remanidos o arsenal.
5*. Copia do aviso que nomeou a commisso
para interj.r pacecer sobra es ariigos do forneci-
mento.
*. Copia dos avisos mandados ao tbesouro
dsdes de direito do Ilecife e 8. Panlo.
Approvoo aioda, depois de oraremos Sr?. minis-
tros dos negocios estrangtiros o da jmtic.a, Piohei-
ro, Morses Costa, AmeTico Brssillense, C. Otton,
Barros Pimental e Macedo, o requerimeoto do Sr.
Pinheiro, pedlndo ao governo copia dos pareceres
da seccao de eslraogeiros do conseibo de estad a
respeiio da questo inle-rnacional suscitada pelo mi-
nistro Italiano nesta corte sobre a entrega da me-
para o ;. : n-m> de taes objectos e d*S ocios
deesa repartico a rcspeiio.
c 7a. Copia do contrato feito com os mesmos for-
cececiores a respailo da 2i,t00 barnacs de hrim.
< 8V Copia da*.icformacSes dadas pelas autori-
dades- Jo arsenal a respailo da proposta para ese
forneclmento.
9. kformaco das motivos por que nao ten
s'do aceitus os born?es, uu tera sido demorada a
sua Fecepco.
c Pe(o mais a copia da acta da sssso de o de
sgosio ao auno prximo passado do cooselo de
compras do arseoal de guerra.
Das
Oraram os rs. ministros da guerra, Das da
Cruz, Souza auirada, Buarque a.J\..i, fleando J ?ue aciuaimenie esta' em freule
a discusso adiada pala bora. cipal.
Palobrine Superior, entrado hontem, recebe-
mos datas do Rio GraoJe do Sul at 7 do cor-
; rente.
A monicipadade daqnella cic'alo trata va da
i constru cao da ponto sobre o arroto Simio, obra
considerada de extrema Importancia para o muoi-
! cipio.
O oajor Fclisberlo Ignacio da Cunha dra na
i cidade de PaUfas na noote de 2 um esplendido
baile ao geue>al cooda de Porlo-Aiegre.
L se na Opima) Publica, falha do Rio Grande:
Chegoo ioalem de Pmto-Alegre, a bordo do
vapor do gu.'rra Apa, S. Exc. o Sr. commandante
das ai ui,..
S. Eac, Ir-go que ebegou e spot algura des-
canso, diri((io-se ao quarlel das triocbeiras e esa-
minou QiijUi'u-aiiMii; o xadraz, arrecadc5as,
enfermarlas, escripturaca, ele, etc., achaado lu-
do na devida ordera e mostranda-se plenamente
satisf-iito.
c Diiii dirigise ao novo hospital de Misericor-
dia a examinar o ai m. zom qae vai ser tomado pa-
ra a rcudanga do deposito dos aitlg03 bellicos,J
prag Muni
Fui apreseniadeto segokit) projecta da rasposta
" i i>jTor.A.cmara' dos depotados onvio com
respeltoso agradecimetOj>as expressS.'s com qua.V.
M. luperial se d goou con.Mderar justo motivada
li.'"ogeiras esperanjas a reuuiao ta assembli
geral.
t Foi tamb?ro por ella recb!d com jabilo s
fausta como uilcica> de haver S. A. a princesa b.
Leopoldina, muito amada riltia de V. M Imperial,
depois que regres-oo da Europa com o duque de
S/.xe, multo presado genro da V. M Imperial, ddo
a' luz uui pnocip, (jaa receben u uoraa da Au-
gusto.
t A tranquillidsde publica, que em todo o impe-
rio so ba mautido sem aliento, f gem auvida um
sigoal evidente do profundo amor do povo a's ins-
Hlui5;s nacime?.
A Qicmra applaode que o Brajll se acha em
paz cora as pnrencias e.-inogciras a prorare calti-
var as suas bois relar5e?.
So a guerra a qna fomos provocadas pela pre-
sidente do Paraguay nao bodn aind?, a cmara
tem motivos para esperar sua breve e nonrosa trrj,
mieaejo. D feitos gloriosos realisados depois. dos
successes annuosiados p;,r V. M. Imperial quanda
eocerrou a uliiiua sess.io l^gis'ativa, qnnes o do
poireiro Ovelh, o do Tayi, a defe.-a de Tuyuy, a va o padre, tendo v Bizarro 'conspirado "eontra"e
S. Exc. pretende rettnr-arf aiuDhoa a -
nha pra Pelota?, allm de ali seguir a parear-
ler as freute.'rag ao tg. Jaguar > o Cbuby.
As datas da capital alcacgavara a o.
O Jornal do Commercio rtfero:
t Na villa de Taquaiy ia se dando um disturbio
popular, segando tiiitm cartas de diversas pessoas
all rcsidames.
t Achava se gravemente enfermo Manoel Ro-
drigues Bizarro, uue ullimameuta havia tomado
parta rnuio directa na polmica cora o vigario do
lugar: foi e-te chamado para uogi-lo.
Ciiegando o Sr. padre l'ialho a' casa do mori-
bundo, *;ia sempre as cartas que faliaro, recoohe-
ceu o e retirou-;e immediatameoia sem adminis-
trar o Sacrair.enio o iofoltando em atlas voza*.
com epilbeoi alfrontasos, o infeliz, que prestes da-
rla a alma a Daos.
Com elTiij, falleceu Manoel Rodrigues Bizar-
ro na dia 8 >iu mez dado, a a 29, sendo o seu ca-
dver conduiiJo a igreja para t;r lugar a encorn
meodaco, acbaudo sa presentes mais de oitenta
pess.as conserva-se a igreja fechada, e o vigpiia
nao qoiz cumprlr o seu dever.
a O icompaabaucnlo seguio para o cemiterio
levando o cadavt-r, e alii ai ti n ordem do parocba
para nao ser enterrado era sagrado, porque alliga
HF
?^
*
3CC
ii M ..
XX
rrar
j J
minp je
m '
RECIPE, 1* DE JUNHO DB 1868.
NOTICIAS'DO^ULDO IMPERIO.
(erial e moral da paiz,: Oras.l inteiro a deseja
empre due fr issocoapative com seus direitos e
dlgoidade.
Seate profundamente o senado ene dio tenna
r. Bridado, alada a gaeitm Sxqa*-lee*os provocados
Cbegoa sabbado flo Ro de* Janeiro e Bania o va- pe|0 presidente da repblica do Paragoay; mas,
P,J iaQC,ez DGuM'lK'Jr"enJo !orQaes d c0?le apreciando eom-Vossa Maculada Imperial os feitos
al 24 e da Rabia at 18 do pmade. gloriosos das fercas .trra mar do i
seus semauarios, visitn bootem a escala militar, nel commaudania superior da guarda nacional
na Praia Vermslha, e depois da ter percorrido to
das as dep:odsacias daqaelle estab:lecimanto, ret
rea se as 11 1/2 oras da manb?.
Por cartas impjriaes de 16 do carrete mez :
Foi nomeado secrotaria do governo da provin-
cia das Aigeas, o bacbarc-l Joaquim do Reg
Barros.
Foi concedida a condecoraban de IBcial da ordem
da Rosa ao subdito portugnez Casimiro de Sa Arau-
jo Lima, por ser vicos prestados a a Brasil, ficando
semeffa'to a carta imperial de 19 deivereiro ul-
timo, pela qaal lora nomeadj cavalleiro da de
Cbrista.
Fu u turalisado cidado brasilelra o da repbli-
ca dos Esiados-oidos da America do Norte, Co-
lnmbos Le Wassoa.
Por decretos da mesma data :
Foram exenerados dos cargos : de presidente da
provincia do Espirito Santa, o bacbarel Francisca
Laite Bilteueourl Sampaio, a seo pedido ; e de se
cretario de governo da provincia das Alagoas,
Brnao Heorique de Almeida Seabra.
Foram nomeados:
Commendador da ordem de Cbrista, reos rele-
vantes e extraordinarios servicos prestados ao es-
tado, d capitao Manael Marques' Ribeiro.
OfBciaes da ordem da Rosa, palos relevantes
servicos prestados em retaceo a' guerra cara o Pa-
raguay, os lenles coronis Jos Caetana Vaz J-
nior e Torquata Teixeira Mande?, da provincia do
Marao e o major honorario do exercito Henri-
que Jos Lazar;.
Cavalleiros da mesma erdem, por igaaes servi-
cos na provincia de Parnambnco, Antonio Luiz de
. livelra Arevedo, e por ter construido um posto de
guarda no morro da Sama Tnereza, nesta corte,
JoSa Ignacio Aleixo.
Poram concedidas as segointes peasSas por ser-
vidas prestados na guerra contra o governo do Pa-
raguay :
De 60,5000 mensaes, reparadamente e sem pre-
juiza do meio sold, a Leoncio Poixelo de Axeveda,
Amonio Peixoto da Azevedo, D.Aooa Peixoto de
Azevedo, Jos Peixnto de Azevedo, D. Gerlrndes
Peixoto da Azevedo, Olbos legtimos do coronel de
cavallana do exercito, Antonio Peixoto de Azevedo,
tendo o sexo masculino direito smente s respec-
tivas pcnsd>s a: i sua maioridade.
De 54J100O mensaes, a D. Marianna Gomes,
viava do capitao do qnarto carpo de caca lores a
cavado e major em commisso Bento Machado
Gosses.
Da 60,5009 mensaes, a D. Joaquina Josepha de
Bilteocoart Res, viava do capitao do qnarto corpo
de voluntarios da patria Joio da Silva Res.
De 185 mensaes D. Justina Arnaude de Fignei-
redo, viuva do alteres de qnarto baiaino de iofan
taris Francisco Antonio Remer.
De 18,5 mensaes, ao alfres do 9 batalbao de
infamara, Joio Leite Ribeiro de Salles.
De 600 rs. diarios, ao sargonto quartel-mestre do
13* corpo de eavallaria da guarda nacional Joo
Manoel Correa, e ao sgoodo sargento do 19* corpo
de voluntarios da patria Emilia de Aives Silva.
De O) rs diarlos aos cabos de esqoadra :
Do 6* batalbao de infamarla, Manoel Ferrelra do
Nasci ment.
Da 16 dito, Jos Amjncio Perelra.
Do 29* corpo de voluntarios da patria, Francisco
Manoel dos Santos.
Da 41" dito dito, Lycnrgo Joaquim da Costa.
lio 48 dito dito, Ramiro Alves da Silva.
Aos anspeeadae :
Do 41 corpo de voluntarios da patria, Lnlt Bap-
tista Gaedes.
Do 42* dita dito, Joo dos Ad|os Bezerra.
Do 45* dita dito, Maaoel Jafio de Jesns.
Ao furriel do 41* dito dita, Gongalo Jos Vleira.
De 400 rs. diarios aos soldados :
Do corpo de pontoneiros, Pedro Ch.
Da 3.* batalbao de artiibaria a p, Jos Ignacio
Sampaio.
Do 4* dito de Infamara, Jos Leandro da Silva.
JJa t6 mo dito, Tertallaao Muslardetre.
Da 8.* ewpo de voluntarios da patria, Manoel do
Nasehneoto.
Do 12a dita dito, Lacidio Mariano da Silva.
Do *3 dito dito, Joio Aotonio Braga.
Do V-> dito dito, Joaquim Aotonio Perelra.
Do 32* dito dito, Hygfno da Costa Ribeiro.
passagm de Humiyta' e tomada do E-nabelecim-n
|o,a repulsa da abordagtm dos encouracados, asoim
como o ataqoe e cccopaco de Curupaiiy e do
granJe parte das Monas iniralgss, confirmando cada
vez mais o valor da uossas Lrgis de mar e trra,
e o dos nossos alllado3, sao prenuncios seguros
dessa grato acontecimenla.
A cmara exulta ao rec&nhecer V. M. Imperial
qae na defesa" da honra oaci. nal urajada pelo
presidente da Paraguay o governo ba silo auxil a-
do pr todos o? Brastiros: o, certa gmlnjpcta de
qae f-ssa auxilio rio cessara' era quauto desof-
(ronta nao for completa, arompaot'.a a y. M. Im;m-
rial nos merecidos epeotnios que rende ao exerciio,
a"
sea p*rccho, perder por isso a qualia.-de de chrls
(o, i; devu o seu cadver ser lulaa como o de
um jadeo.
O povo que ja se Jaolava no cemittario perdeu
da t. Jo a p-cic d.:ii, a obrigou o respeciivo guarda
a dar sepultura aa cidav^r embargado.
So sao exactas td&s essas scenas de sacrilega
pervarsidade da um ministro do altar, nao Lavara
castigo bastante savero para punir o Sr. padre Fia-
iho, que alera desles escanda,uS u-gou-sa aiu4a a
rasar a missa do satlma dia, pelo que a vur-a an-
ouncii-a. aa faina da hoja, para ter lugar nesta ea-
p tal.
O mesmo jarna| accrescenta que a missa qae a
tic dissera
guarda nacional e aos voluntarios; viava mandara celebrar na capital nao
por prohibida do bispo diocasaoa I
do mnoicipio de Tutuya, da provincia do.Ma-
raulio.
Ocapltso Ignaciu Gomes da Almida, tenente-
corone! cammaa'aale do balhao n. o da gu?.rd3
nacional da mesma provincia.
Manoal Carlos Godinho. tenente-coronel com-
mandame do batalbao n. 44 da guarda nacional
d> dita provincia.
O major Padro Cesar Jansen Costa, lenente-coro-
nei ebefa de e.-tado maior da commando >nperlar
da guarda nacional dos municipios do Cod e Co-
roata, da mesma provincia.
Fet-se mered a Maaoe PwdeScoza e Silva da
serventa vitalicia dos offleics de tabellio do ju-
dicial e notas, e escrivo do civel e de orphos ao
termo de Livras, na provincia do Para.
__2>j _
A cmara do3 deputados occapou se hontem com
a discus.-o ro parecer da commisso de poderes
relativo ao decreto que adiou na provincia do Rio
Grande do Sul a eleicao para deputados assem-
bi) geral legislativa al terminaco da gnerra.
Oraram os Srs. C. Oltoni, Cesario Alvina, Anstides
Lobo, Ratisbon?, Lourengo de Albuquerque, Fon-
lenelle e Bezerra, ficando a disenssao encerrada.
Foi off-irecida pelo Sr. C Ottoni a segninte
enenda :
t D se a' conclusad do parecer a forma de urna
resoluto, que, spprovada em nma s discusso,
sera' remetlida ao senado, na forma do regi-
ment.
20
Entrn bontem do Rio da Prala o paquete fran-
cez Aunis com fainas de Buenos-Ayres at 14 e
Montevideo 15 do crreme.
Do tbeatro da goerra temos datas at 10, mas
depois da occupacSo do Chaco pelas forcas ala-
da?, nao se dera mate faeta algum da primeira
importancia. Poneos das bastaram para as tro-
pas se estibeiccerem to seguramente naqnella
nova pssico, que qualquer forga que Lpez mo-
vessa conira ellas seria incapaz de desaloja-las.
Neste ponto sao concordes todas as notieas.
Assim, apenas reproduziramos os segulntes t-
picos de ama correspondencia de Cnrupalfy, data-
da de 9, e publicada as folhas do Rio da Prata :
c As operarlas do Chaco esli momentaBeamen
te paralysadas ; crelo, poru, qae vio lomar in-
cremento dentro de pooco lempo.
Assegora-se que de Timb e Teblqnary vem
reservas: se com effelto vierem serso recbacajlas,
como foi rechacado o ataque do dia 4 e como o se-
rlo qaaotos o immigo nos trooxer em taes condi-
qdes. Assegora-se tambem que Lpez e Resqnin
passaram para o Chaco com o fim da dirigir era
pessoa as operacSss qoa da jaalla lado se desen-
volver. 8a se empenhar em reconquistar a posi-
ao que lbe tomamos ecceooamos vamajosamenle,
iro eonsamir all todo o exorcito paraguayo, con-
centrando a guerra naqnelie ultime ponto e em
pessimas condlcoas psra elle?, pois nem a artiloa-
ria podem irazer.
Como qaer que sej,a lata tomen novo aspec-
to, e desta vez quasi me atrevo a assegurar que o
sea fim nao se ha de deixar esperar multo. Na
fortaleza de Humayta' nao ar ira nada e a guarni-
fio lera' de rendar se a' (orne.
Esta madrugada ouviosa no Chaco nra forte
tiroteio que pz em sobresalto lodo o exercito, sup-
pondo-se por nm momento qae fosse um novo ata-
que de Lpez. Nao foi tal. A deccoberia das tor-
cas do general ttivas velo a's tnos com uns 60 oa
100 Paraguayos, que, segando se assegnrs, trata-
vam de forlicar-se a' sabida do bosque.
Emretanlo contmuava a ler diariameote bom-
bardeada pela esquadra e baleras de ierra a forta-
leza paraguaya, a qae, seguado a Nacin Arginli-
na, o Sr. marqoez do Casias Ja' no da 9 mandn
intimar que se rendesse-a's (oreas alliadas.
A respeiio da elaicAo do presidente para a rep-
blica Argentina aioda se nao poda formar jaizo
segara. Em varias proviuclM bavia grande agita-
(io e mcvimenlo de tropas, a em algumas dista se
mesmo qoe rebellioo.
Em Bueuos-Ayres anrtran-ve no dia 13 as ca -
mares ptovinalaes. Na falla qae Ibes dirigie o go.
veroador Alslna, qae oome s sabido, esta' em di-
vergencia com o general M'.re, fot varias aoeasa
{Oes ae governo naeloaal, escoltreodo para terreno
de opposiQio a gjierra do Paragoay. Cansn it
discurso a'guoa sensago, oo tanto pelo qae va-l.Rangel dos Santos Mal.
S. M. o Imperador, arompanhada da seus sema-
narios, vi/it ju hojiiera as ofScinas de machinas do
arsenal da marinba, o depois emloarcano na ga-
erial airigio-se aos monitores Ceare
alhrina, qt!9 raranrtnon, retirando-se as
tarde.
Por decreto de 14 do correte mex foi nomeado
o ebefe de seccao da contadoria da marinba M -
gael Joaquim Ribeiro de Csrvalho, para o lugar
de ebefe do corpo de oOlciaes de fazends,
-24-
Ilontem nao hoove sesso na cmara dos depu-
tados por falla de nmero-letal.
a' esquadra,
aa pairia.
E' p'ofnndamenta doloroso qae a variols hoa-
vesse causada a' columna expedicionaria da pro-
vincia de Hatlo G-osso perdas Io conaideraveis
qua a Djerarn rriroceder, tendo domis ceifado
grande nameruiha vuTmijootia ci redores. E' looavia agradavel commemorar que a $;tn/u i
retirada dessa col arana fra assignalada pelo brl- | 2 horas da
Ihante feito do Alegre, prova de que aos poucos, i
porm, brlo=os Brr.si-piros iu comhatem naquellaj p^r decreto de 20 do correan foi promovido a
provincia, to digoa de cunsideracao por sua cons- secretario da legaco cm Montevideo, a addido de
u.ncia na adversidad?, sobra em-ledicvao e cc,ra'primei! a classe nos Estados Unidos Bjojaraim
gem o que filia em recursos matentes. Frarjklira Torrea) de Barros.
t A cmara sent tambera que a cholera morbos, | Por decreta da mesma data foi nomeado Luiz
que assolou ha pouc-a Montevideo e a repblica Ar- i Aolouio da Alvarenga silva Penota, adJida da 1*
gemina, haja igualmente arrebatado a'defesa do classo a legagaera Bienes-Ayres.
pavilhao nacional alguns soldados bra.-ilelro?, e
reappareaiJo na capital do Imperio, assim como
era localidades d>a algumas provincias. Ella dirige
aotretauo com V. M. Imp-.rial sua acfo do gra-
gas a' Providencia Divina por ter esse ffagelio sido
em geral de caractar benigno, tornndose era bre-
ve salisfactorio o estado da saurte publica.
O acto do governo oo Brasil, agradecendo, mas
nao aceitando, de accordn com os governos das re-
publicas Argentina e do Uruguay, o novo offereci-
memo da graciosa mediacao dos Estados Unidos
para o restabelecimanto da paz com o Paraguay,
coosultoa per teamente o pundonor das narjes
iada.. '
< A cmara scuba com p-nz-r qae o imperio
celebrou cora a republ ca da Oalivia nm tratado de
auaisade, limites, navegajio, commercio e extra-
diccao. ^^.
Ella se compraz tarabesf^Dm o facto de se
havur asslgoado em Baroe nrc ajuste interpretati-
vo do art. 9 da convengo consolar com a Solssa,
no intuito de por termo a qoalquerdesrccordo que
pudesse occorrer, relativamente a' arreeadacao,
adinrai-tracaa e liquldacio de herangas.
* E' lisongeira a seguranga de que, com o pro-
ducto dos novos imposios, a reeeita do imperio
excede a sua despeza ordioaria. Este facto, que
demonstra ob grandes recursos do paiz, nao lo
davia motivo, a cmara o reconbece, para qae se
possa prescindir da necessarla economa as des-
pezas poblicas, sobretodo quando >s exigencias da
guerra obrigam encargos extraordinarios, para os
qaaes o governo sera' devidamento hauilitado.
< A iouvavel aspiracio do governo de V. M. Im-
perial ao deseovolvimenta da educado e instruc-
gao publica ba de serobjecto do desvelo d cmara.
A reforma da inslitaicio municipal do accordo
com os dictames ja experiencia, a moditlcaco da
lei de eleledes em ordem a assegurar a liberdade
do voto, a uecretacao de ama lei de recratameoto,
e cdigo panal e da processo militar, bem como as
reformas da lei de 3 de dezembro de 1841 e da
guarda nacional, aonstiluem neeessidades publicas
reconbecidas.
t O empenbo que manfesta o governo de V. M.
Imperial em promover a immigracioe dotar o paiz
com os malos de fcil coramunicaco corresponder
a reclamos imperiosos de seo engrandeeimenlo fu-
turo.
A cmara aguarda, ebeia de jonflaoca, a op-
portanidade em qae tem de ser apresentade ao
sea exame a conveniente proposta sobre o elemen-
to servil, objeeto de assiduo estudo do governo.
i Seobor, a'' cmara do3 deputados camprlra' o
sea dever, prestando leal cooperacio ao governo de
V. M. Imperial aa sdopcao das medidas necessarias
para superar as difflcnldades eom que lata fl-BraV
sil, firmando a prosperidade nacional.
i Paco da cmara dos depotados, em 20 de auio
de ISiia -Francisco i Araujo Barros.Amaro
Canora Beierra tvalcanlt.Joo Ftrreira de
Moura
Por decreto de 14 do correte forim reformados
o tenante coronel Glaeomo Raja Gabaglia e o 1*
tenante Maaoel Francisco Correa Leal, sos mes-
mos postos, pereelwndo os respectivos sidos, oa
conformidade do al vara' de 16 de dezemorode 1790.
visto contarem aquella mais de 29 e esle mais d
28 anoos de servleo.
n
Na conformidade das dsposieSes do g i do art.
9 da le n. 448 de 18 de agosto de 185* foi Mtor-
made, por deereto de 20 do correte, o alfares d-
eorpo do estado-maior da seganda ciaise Feliciano
Por decreto? de 16 do correte :
Conceden se ao bacbarel Joio de Albuquerque
Rodrigues a demuso que pedio da lugar de juiz
municipal e da orphos dos termos reunidos da
lmperatriz e Saeta Craz, na provincia do Cear.
Foram reformados:
Andr de AlbuqutrqaeMaranbio, coronel cora-
mandante superior da guarda nacional do munici-
pio de Maraaogaape, da provincia da Parabyba,
no mesmo posto.
O t.-neute coronel commandante do batalbao de
infantaria n. 19 da guarda nacional da proviocia
do Cear, Jos Camiilo Liobares, no posto de co-
ronel.
Joo Ignacio de Almeida, major commaolante
do 2.* esqua lraa da eavallaria da guarda nacional
da provincia do Piauby, no posto de teneate co-
ronel.
Concedea-se a Jos Antonio de Andrada Barra,
capitao reformado da guarda nacional da provin-
cia do Amazonas, melboramento de reforma no
posto de majar.
Foram nomeados:
O hachare I Alexandrlno Leonel Marques Santia-
go, juiz municipal e de orphos dos termos reuni-
dos da lmperatriz e Santa-Cruz, na provincia do
Cear.
O bacbarel Aotonio Rorges da Fonseca Janicr,
juiz municipal e de orpbos do termo de Acarac,
na provincia do Ceafa, ficando sem etfaito o decre-
to de 4 de abril desta auno qae o nomeou para
igual cargo nos termos reunidos de Antonias e
Morretes, oa proviocia do Paraos.
O teoeote Manoel Jos de Carvalbo, capitao et-
rSrgi'o mor do commando superior da guarda na-
cional dos municipios do Cabo e Ipojnca, da pro
vmcla de Pernimbuco.
: Jote Gomes da Silveira, coronel commandante
superior da guarda nacional do municipio de Ma-
maogaape, da provincia da Parahyha.
Joio Baptista de Carvalbo, teoeote coronel cora-
mandante do batalbao de Infantaria a. 30 da guar-
da nacional da mesma provincia.
Francisco Antn o de Liahares Xere, tenante-
coronel eommandant-t do oataloo ae infantaria n'
19 da guarda nacional da provincia do Cear.
O capitn Sancho Ferrelra Gomes, major ajudan-
te de rleos do commando suparior da guarda na-
cional do municipio 4o Sobral, da mesma pro-
vincia.
O lenla coronel Francisco Solano Redrioues-,
coronel commandante soperior 4a guarda naci
nal da municipio 4a Vargem Grande, da proviocia
do Maraobio.
O capitao Jos Candido Leite de Meirelle?, l-
ente-coronel eoaamaadame de hatilho de infan-
taria n. 10 da guarda nacional da mesma pro-
viocin.
Rol transferido para o servleo da reserva, flean-
do agfregada a seccao de batalho n. 4 do mesmo
servirjo, Antonio dos Santos Jaeintbo, capillo ci-
rargiao-mr do commando superior na guarda na-
cional des muoieipfes 4a S. Beato e S. Vicente
Ferrer, da dita provincia.
SoB as rubricas Parl Officiai Exterior e Inte-
rior, acham-se transcriptas por alteara as noticias
mais importantes, alm das quaes s encontramos
nos jornaes mala aa qae segueo.
BIO OA PRATA.
Para complemento das Delicias dasse lado,
damos em seguida ama carta do correspondente
do Jornal do Commrclo, da corte, em Mootevido,
em 10 do pa-sado :
< Sao mu importantes as noticias que nos esli
ebegaedn agora do taeairo da guerra. P,/ iofor-
macoes fidedignas que recehi directamente de Ca-
rapaily, e que akaneam Jfjfekfia 4 do crreme.
posso noticiar que estamos aaVilivamente de possa
dta Chaco, aparte por onde oloimtgn levava
seas faroecimem para Humaita'. Para isso den
se um desembarque om 2,000 Brasileiro?, que
depois foram elevados a 3,000 oa parte soperior
do rio, a..eom 1,203 a 1,400 Argeoiiaos. pelo in-
ferior.
< G uossas soldados, commaodados pelo coro-
nel Barros Falco, rahiram sobre dois batalbas
paraguayos, viudos de Humana' em soccorro, der-
rotramos, matando Ibes muita gente, fazendo-lhas
mnitos feridos e alguos prisioneiros. Mas os deban-
dados vierara cahir sobre meio batalbao argeutioa,
que nao espera va o choque, e o pazeram em com-
pleta debandada.
t O aosso Etchebaroe, que acompauhava os Ar-
gentinos como guia, sal vau-se, nada alo para um
vapor brasileiro que velo da cima em auxilio, tra-
tando o A* de catadores, e o mesrao flzeram o en:
geoheiru polaco que servia no exercito argentino,
e um capitao. Oaiferes porta-baodeira, que tam-
bem se laocou ao rio, raorreu abracado ao symbolo
de sua nacionaiidade. Ha mais de 30 extraviadas,
dos jua-oj anda nao te saba.
i Nao obstaote esle conlratempa sofirido pelos
nossos alhados, que empanou umponco o trlam
pbo, as las forcas expolien Barias conseguiram
logo reopir-se. Al abi afflrmo e garanto. Neste
momento, porm, recebemos telegraramas da Ii e-
nns-Ayres, que, sem declarar a ebegada de algum
vapor que tenba sahido oa dia 6 ou 7, aanaoclam
que na lomamos a batera da Novo Estiben ci-
mento no da 4, uaanlo em aosso pader 13 pegas
da anilharla, depois da ura reubido combale, do
quai a legio militar argentina, eommandada pelo
bravo Charlona, cou faita era padacos, e em qua
os braseiros se portaran heroicamente, na phraso
de Meptiislopheles, que nem sampre multo ama-
vel para uomoosco.
c Por mais lisongeira que seja esta noticia, nao
puoso garaon-fa, como n com os successos do di*
2, se bem que nnnha caria de 3 digi quo ea lodo
o dia a noiie da 4 sa ouvio fogo vivissimo no
Chaco.
Apesar da. todas esas nossas vantagen?, creio
que temos aiada nanita cousa que faz*r. E' verda-
fle que_ Humaii acha sa haja reducida a urna
guraico da nouco mais de mil hameus, e qaa
eiu qualquer da-Us drjs prximos ha da sufcmet-
ler-se; mas L.pez esta' uo Tebiquary, tero uni-
ficado diversos pomoi do rio, e ba do continuar a
disputar apassa do seu territorio passo a pas^o.
t Para calcular a tenacidad -o desta hornera basta
dizer qua, srguudo inf irmoces qtw o'Sfandnrt
raojtta verdadeiras, elle ja tem armadas mais do
400 molbere?, qua se acium eie;citadas oa ma-
neja da espingarda e def^nJem os >ass s daquella
rio.
t tem nossos bravos de soffrar mais o vesama
de se coabaterem com inuineres em lula de ujar-
lol E'oque kltava para mais celebrisor esta ja
to celebre gueira do Paraguay.
< Simo muita que nossos ailiado? techara sido
inleli-es nos das 2 a 4. Ellas s. mus arrojados
do que convra no primeiro momenta de accao;
mas so-encontrara resutanefa s i.', n.o sabara
perserverar na lula.como aeras infames do noria,
que nao causara, aera recuara em um dia iutairo
de combata.
Para que na.se qa^ixassora do qa>a Ibes qae-
riamos roabar tsdaj as glorias, o marquez de Ca-
Xias Fraz tada a expediQ.ro sub as ordens do general
argentina 11 v.;s, raaedaodo nossas forca9 ambara
superiores em numero, sob o comnaodo de ua>
coronel.
c Nossos alllados'tomaram tanto a paito a em
preza que, para provar que nao s a execugo
como o peosameoto u'ella, Ibes pertencia, pabliua-
ram j era todos os jornaes de Bueuos-Ayres, o
Olanu prapa.-to polo eogeaheiro polaco para reduzir
Oumsil?, da moda qua o inimigo. pode saber nes
les das como se deva provenir.
Amia nao acharaos cara a experiencia qoe
temos f&ita com a leviaodade da taes publica-
ioas I
Passaodo aos assuraptos Internos deste p.iz,
devo dizer que a situar;o a mesma qno esboce!
pelo ullirao paquete. Mximo Prez, a' frente da
1,-oU a ,0U0 bomens, conservn-sa tm Coquinho, a
ajeaca approxlmar--a da capitaL Carabailo incor-
pora toncas e sagae a' procura delie. Eutretaoio o
dovo cnefe poltico, o Sr. Al otra, entrou era Marca
des e occapou a ebefatura, .em ijoa-oioguea-Jii-'
dispuusso.
P..r docreto de 3 do crreme o governo deca-
rou reb-lde ao coronal Maxirao Prez, eordenou
sua parseguicao.
Os j rnaes publicaram ao mesmo terapo a ce-
lebre nota que ella dirigi ao presidente Baile, or-
deoandolhe nao soque mudasse o ministerio, co-
mo que escoibasse para ebefe poltico da Mercedes
ara dos sens dous corarais.'a rio.
t as regidas goveroamentaes naa existe a soll-
darledade que fora para desejar oestes momentos
critico., e falla-se era crise mimaterial. At ao
mom-jma qae Iba eseravo sabe-so po^itivnjeota da
renuncia de D. Jos Eltaurl, da pasta de estran-
geiros, por se terem resolvldo que.-io.-s de sua
competencia, sem sua audiencia. o que ss l em
urna publieaco qoe elle acaba da fazer.
A questo baocana foi decidida palo sena'o.
Por 17 votos contra ii prohibile a prolongado
do corso (oreado alm do dia 1 de jaobo prxi-
mo. Esta questo contina a agitar os espiritos;
mas, avista desta deciso, os bancas teeui compra-
do ouro com alto premio para' so prepararem para
a crise.
De jnnbo em diaate as eousas modarao de
face, e o onro tornara' a baixar, sabtndo cora abun-
dancia dos depsitos dos bancos.
No da 5 do crreme apreseotou o mioistro da
Bolivia suas credeacaes ao governo oriental.
c Morrea a viuva do general D. Leandro G-
mez. ^
t Da Coofederacao Argeutioa sao sem grande
ioteresse as poticia?.
t Urqaiza aeba-se ja* de pnsse de sea governo
de Eotre-Rios, e conservan os ministros qoe ser-
viam com o seu antecessor. Nos discursos do es-
lyJo fez multas promessas vagas, mas nao aliadlo a
aeobam dos graves problemas da situacio.
Em Bueuos-Ayres celebroa-se no dia 2 a pri-
meira sesso preparatoria do senado, e foi eleito
presidente desta corporaco o iilustrado D. Valen-
tira Alsiaa.
Sobra eleigSes nao se sabe positivamente
n.d. No interior ludo esta' em ama coofatao a-
comprehenslvel e em ama desorden tnexplicavel.
A Mocin Argentina annunea que em Cordeva,
S. Jnan e eutras provincias triomphoa Elualde, ao
masmo tempo que a Tribuna alarma qoe a victoria
coube a Sarmiento.
Ea j me inclino a crer no triompho de Eli-
zalde.
RIO DI JANEIRO.
Na sesso do senado, do dia 33, foi lida a se-
guate resposta ao descurto da coro :
t Seobor.O senada oavlo com respelto e gra
tidio is palavras cuelas de benevolencia com que
Vossa Magestade Imperial saudoo a reonio da as-
sembla geral; mae despertaro cada ex mais sao
zelo para qae se reallsem as lisongeiraa esperan-
gas da Vossa Magestade Imperial a do paiz, que
boje, mais qoe nunca, exige o concurso de todos os
seas esforcos e patriotismo.
c Foi motivo de grande jabilo para o senado que
a augusta e multo cara alba de Vossa Magestade
I saperia I, ha vendo regreesado da Europa cora S.
A. Real o Sr. duque de Saxe, muri presado genro
de Vossa Magectade Imperial, dsse a' los ne da
6 de dezembro do aaoo passado, nm principe qae
receben o nomo de Augusto. Este tacto, seobor,
que augoentoa a felicidade domes tica'de Vossa
Mage.-tade Imperial, eom a qaal o seaado se coa-
gratis, reorcoa a coaflaoca da nacao na aalsMt-
dade da dynastii do augusto fundador do im
perio.
U seaado recoaaece eom Vosea Magestade
Imperial a Iranquitlidada publica qne se ha man-
tido no imperio 6 devida ao profundo amor qna
vota o povo as institutc,dee qae nos regem : e 44
esperar qae ella se manteaba pela fiel obsrvatela
da canstitnicae das lela, condieio indeaMnavel da
paz interior e da prosperidade publica.
Seobor, a pal com as potencias estraogeiras
de grande vaoiagem para o desenvolvimsnto ma
imperio e
dos nossos allldo*, confia ao valor, oa disciplina
e acertada direeco do oxercit e da esqoadra, e
cid que com taes elementos nao deixaremos de
obter breve e nonrasa terraiuane da guerra.
a O senado reconnece com Vossa Magestade
Imperial que aa desta da hionra nacional, ultra-
jida pelo presidente da repblica do Paraguay, o
governo ba sido auxiliado por lodos os Braseiros,
e o sera* ar a completa terminaco da lua ; e Ihe
grato acompaobar os sentimenlos de Vossa Ma.
gestada Imperial rendando ao exercito, a'esqoadr*,
a' guarda nacional e aos voluntarios da patria es
encomios de que sao dignos. Possa a verdade e a
ju-tiQa das palavras de Vossa Magestade Imperial >
impr silencie s parci*rd'de9 qfjo porvrnlura
perturbara arada o espirito nacional apiesemaodo-o
aos olbos do mundo sem a aoiao, que coostitus e
significa a farra de nm povo.
impressioflon dolorosamente o sealo a re-
corducio dos iofarianles da provincia de Matto-
Grosso,oggravada a lovasao-estrangeira oslas eufar-
midade?, qae tantas vidas ceifaram : e elle lamen-
ta qaa os recursos msieriaes Bao estivessem a p.r
di dedicacio e coragem do reduzido nomere de
liras.l.-ir,.s que combatan! oe sa provincia, lao dig-
na da coo'ideraca como p^rla integrante do im- *
perio, e mas anda por s(ra|cou;taaeu na adversi-
dade.
c Alegrase o senado cora a notlefa de qua o
cbolera-morbns desapprece' ccmpletameta do
exercito, e qae os poucnscasoa qna se daram aa
capital do imperio se nao proaagaram, gracas a'
Divina Providescia, sendo actaalmante satisfetorio
o eladodi sale publica
Ficau inteirado o seaado da qne o governo im-
perial, de accordo com os dos nossos anuda?, n3o
ple aceitar a graciosa mediaeo que o dos Esta-
dos Unidos d novo Ihe offareceu, agradecendo-lhe
seus bons oIScios.
c.Scieute que com a repblica da Bolivia cele-
brou o Imperio ara mudo de amizade, limite?,,
commercio e extradlcgo, a cora a Sujssa um ajus-
te ioterpretalivo do m. 9J da respectiva coaven-
gao consular, o seaado fo'garV qua nesses iropor-
i-.liles actos iniernacionaca tenbam sido con^uita-
doaos legitimo e verddelros imar-sses do Brasil.
i Sera' ura acouleiraenta de granda alcance
para o Imperio que a reeeita publica, com o pro-
ducto dos novos impost s, exceda a despeza ordl-
natia ; prudente e cautelosa, poin, a lecom-
mendaga ale V. M. Imperial era favor da tconc- '
ma, que o senado jalga indeclinav^i, riu s para
ina pudo pos-iacu Sr diminuidos 03 sacrificios 01-
postos a actnalf Jadp, como para prevenir qua no- '
Vus e ma:s onerosos vnb'am pesar sonre a nagao.
O seaado aiiendsra', como lbe compre, ao de-
8envolvimento da edacagio e insiruego publica,
Lam como a' reforma da insiltoijao municipal; o
revendo a Uide eleicoas aceitara' as modircs(oes
qua Ihe parecerem mais eQliazai para garantir a
liberdade do vota, um dos elementos cardeaes do
rgimen constitucional representativo, como tam-
bara devem ser a justija o imparcialidade do3 ge-
virnos em relacao ao exercicio deste importJnta
Jir.'.'.a poltico do eidadao.
t O sen do esia' convencido da vantagem da
nma uova lei de recrutamento, e da reforma das
leis pendes e processo militar, assim como da re-
viso da lei da 3 de dazembro de 1841 e da guar-
da u c o:'.a!.
Sempre preocupado da gravissima reforma
social, qae tem sido objeeto de assiduo estudo do-
governo, e sobre que elle pretende oUerect-r oppor-
luuaraenle nraa proposia, o seuado espera que ues-
te meliudroso assumpto haja a mxima nflexo,
raarebanda os poderes da estala da perfelto accor-
do entre si, e sempre cora opinio nacional, da
qual nao possive prescindir sem expor o paiz a
perlgos extremos e iaoviavels por qualquer me-
dida qua precipite os acoatecimentos.
A emigrarlo que se prendo hoje aquella im-
portanta o delicadsima reforma,oa os meioe do
cammahicaca merecero coosianieraeote e.-pa-
cial soliciioJe do senada, e cool:ouara a ser par
ella considerados como objectos da maior alcance
poltico e econmico.
Seobor I O patriotismo e a dedicaeo tem em
todas as pocas arrostao e vencido as mires
d'Ukuldades e pengas, quando sabem inspirarse
1.0 seutimniio nacional, e camnhr cora passo fir-
ma e vontade deflofdi ; o senado, iici-, lem/ que
sob a paternal sulicuuae de V. M. Imperial e am-
parada pelo palz.eile sobera* corrcspcnJer a con-
fiauga 3a co O, aos deveres de sua consciencia o
aos all s mteresses da nago brasileira.
Sala das ccmmissroe?, 23 de nwio de 1868.
Baro do MuritibaBaro de S.Laurenco.Baro
de iu'ia. *
Foram publicados os decretos n. 4174 e 4175,
reorganlsaudo a secr--tar3 oa marlnha, e alteran-
do algumas disposedas do regulamaola das al-
faedegas.
Por aviso do ministerio da marinba, de 15
;" dojiassado, maadou se adoptar na armada bra-
'." Seira o reg'meuto de slgaaes oara a noote, con-
Wclonaio
Martins.
Acharara-! e no porto do R o de Janeiro ; as
corvetas italianas Etna, com o pavilbo do contra-
almirante Del Carelta, e GicarJo, em viagem
para Montevideo.
Ambarara : as galeras americanas Golden
Hind, com agua aberta, e Cailhoun, por falta de
mantimentos.
Ets s noticias commerciaes da ultima data :
Cambio. laciniado pequen s traosaredes
effectuadas hoja sobre Londres a 17 1/2, 17 5/8,17
3/i, 18 d., papel particular, Qcando o cambio firme
s i as nltimas cotac5as, e sobre Franca aos exire-
mos de.5Ji a 550 rs., sommam os saquea para o
paquete franeez Guienne:
Sobre Londres cerca de 670,000 a 17 i/4
17 }i d. para o papel banca rio, e 17, 17 1/1,17
3/8, 17 #, 17 5/8, 17 3/4 e 18 d. para o part-
aojar.
-Sobre Franca cerca de 1,610000 francos aos
extremos de 5i2 a 552 rs.
< Sobre Hamburgo. nao bonve eclaeoes.
c Sobre Lisboa e Porto vigorou a tabella se-
guidle :
% 198 a 200 /- vista
197 a 199 / a 30 d/v.
196 a 198 -/.... a 60 t/v.
195 a 197 /.- a 90 d/v.
c O algarismo de 670.000 qoe damos cima,
represeniando a somma das traosaegoes em cam-
biaes sobre Londres i licuadas na quinzena, nao
entretaolo a totalidade real dos saques sobre essa
araca pelo tTiitnnc, por isso qne se comprebendem
po mesmo algarismo numerosas revendas, tanto em
papel baacano como particular.
Fizeram-se tambem boje algumas transacees '
sobra Londres a 17 ) d. para o paquete ingles
Oneida, qae deve sabir deste porto no dia 8 de jn-
nbo prtxlfho.
Metaes.Nao bonve vendas.
A plices.-EfTactoaram se boje vendas de 23%
geraes de 6 /. a 87 3/4 %. V.
i AcQes.Veuderam-se b-je 300 da banco do
Brasil a 187*.
Deseemos.A taza no baoco continiis a ser
de 9 "/. e na praca regula, de 7 1/2 a 10 /., oblea-
do fcilmente dinbeiro os firmes de primeira
ordem.
Coegaram, procedeotes de Pernambuco : a
19 o brigue Trovador, com 17 dias; o a 20, o brl-
gue Isabel, cora 14.
s PA0L0.
Foi eleito vigario capitular da diocese, o
Rvm. conego Dr. Joaquim Maaoel Goncalvesd
Andrade.
Fallecer o vigario de Pindamonbsgaba, moa-
seubor Joo Nepomaceno de Assis Salgado.
L-se no Parakyba de GoaratiDgnela :
Recolata-se o Sr. Antonio Lourenco de livel-
ra Barbosa para son casa, aa aoite de 27 do mee
passado, das 9 para ae 10 horas, guando ao ebecar
em frente ao portao do Sr. Jos Soares da silva
tenente Joaquim Gncalves
Jorfe, ua roa Seie de Abril, sabio-Mm. ao eoeoairo
Aotonio Galvo de Franca Buena, armado de orna
garrocha de dous cacos, o qual. sem dar tempe an
aggredldo de ppdr a rxinima reslsajacia a aggres-
sao, e bavendo apenas proferido altas palavras :
agora pago-me, a8carregoabe%tWo, de q>
resuitou ser o Sr. Barbosa offendido por 37 bago
oa chumbo grosso, qne loe peaetratsai na edxa di-
reita.
Ja' das antes boavera entre aquellas indivi-
duos ama attereacio, qne chegera a vas de lana,
raeebendo Bneno do sea contendor nma aeogaiada
ijms ihe quebrara nm dme, am troca 4a orna bo-
fetada qae ma dar.
c pela defeneca fet-ie eorpn da aaMew, sendo a
ofensa considerada 4e carcter grave. Na inter-
rogatorio, a qae no mesmo acto foi aubaaetttao o
Pacienta, declarou este lar observada ama aa occa-
siio do crime acbava-se no por to dalr. Soares,
para o lado de dentro, ootro individuo, que lbe pa-
m^BRtmHwUU
i IIF&tVL 1



Muto < Ptrm*.!
fl,M SfMW^M'frW

feceo Mr Benedicto Galvao de Fraoc Baeno, Ir-
mi 4o ofensor e reaeMe na casa a qae pertei-
ce o referido parti, por eale, perpetrado o crim,
conseguirse evadir i
No lagar ietrtMaado Teletrapho, prximo a
capital, dera-so oo> duplo assassinato qae o Cor-
reto Poaltsta.no na* do ssguiole modo:
Constando awSr. ooselbelro delegado de po
lela desta cpitl qae bata deiappareeldo am io-
oivtdao moradoritmaWffe da cidade denomi-
nado Telegrapho, va estrada Vergoelro, dlrigio-se
para aquello lagar acompnbado pelo Sr, Dr. pro-
m^'lw*co ta****, Br. Los, e rotdaodo. ar-
rofnGar Orna jnelia da casa em qoe moro va o In-
dividuo em qnestarfeMoUMaram aquello boroem a
Existan (pretoa) 387, entrn i,
existem 373.
A saber :
Nacionaea^73, aolheres 6, estrangeiros 31, nro-
Iher i, estratos 62, escravas 3, total 379.
Aliroes! cofres pblicos ... 30J
Movimeoto da enfermara to da 30 de malo de
1868. .;
Tiveraa feaixa:
Jusiioo Jas do Naseimento.
Vicente FerrenVifaf Ufa.
Tiveram-oHa':
Broao da Silva Santos.
Pedro Rodrroes le lima. ./1 >rJ
Paesageiroe do %apcr **ruja*ay Sabido pira
Iw5-Os de Lisboa veoderam'-se e SfOIOO)
m ***t|oaifo patoja a 1 )7#80O.
* raa,-Para Liverpool carregando aqol l I.
Maleo ao aegnod por ifbr* 6% pelo gofio; carregatdo em Maeei
* I d. por libra 8/, oarregando qM W/ 5% pDlo
udV e para o Cana 47/6 /. pelo aasocar.
em sua coi-, o norte
D,r- fe*" Fwreir* Gomos, ana eabora, e Lo>
sahiram 9, quieto, tosse secea e irritante todas
NeBTpnmWo periodo de p
EC
' Aira
dena flJKjJWWWlgJb
vel, em ontros rpida e evidente. No segunde
periodo a tosse aogmeeta-se na freqaeneia
. violeoela, e a expectorado oals abundante ,e
militas veie3 entm pqaenas nodeas de s'Bgo.
u fri, a febre, iusomoia, aaor de noite, sio oaii
notareis, e febre hectica mostra-se elara-
mente. **
O semblante pallido do mauba, e do lardo tor-'
na-se corado.
O terceiro periodo simplesmentf o s
TO uo POMO
a ro-
da mnlber orna raz de mandioca, cansando
(ora do atoro da muiber asstssfnad.
t Por isio e por ouiras etrcornsttBclas snspeita-
se qae f a a malber o pomo da discordia de onde
origioon se aqueife drama sanguinolento. Era ca-
sada, segando iuformam-nos, e, separada do mari-
da viva em compasla do Individuo qae con 81a
fra assassioado.
c NAi s sabe a'inda quera s ja o aqtor do cri-
an. A -'Oilc.a est* em averiguares.
O conserieiru delegado a promotor, em toda a
lard fe ante Ocotero e parle da mantisa de don-
tero, andaram occopados com as diligencias e exa-
mes fnos do lugar do delicio aaisaveriguacSes
,a elle relativos.
Bmiu.
No dia 20 do jiassado leve lugar a renaio dos
accionistas da companhia doTram road do Pa
ftgnsssupara a eleico da commissao Gscal bra-
sileira, que licon assiui composta : Antonio Pran-
eises de Lacerda, Dr?: Abllio Cesar Borgei e Jos
Carlos Mariano.
Para o cargo de auditor foi eielto o Dr. Joaquim
Jeronymo Fe-roandes da Cunta.
" Picava no porto fragata franeeia Circe,
qoe ulilmamenie esteve fondeada no lmarao.
O cambio regulara, sobre Louares 18 3/* a
l 1/2 d.
A alfandega renden de i a 27 do passado...
549:434*785.
orna muiber de cor preta, que viva
pfBtiia, tedTlos fu me-sm cama.
CBaios tamedltarentef os Srs. Bt?. la-jxa, Jjse Viceore l Sft, A. Barreo, Vicente Gon. gradoalmente augmentado.
ebado e Leoaoe, e prcoedendi e?l?s ao eaame dos caifes Perreira, Manoel Antonio Pessoa, na eo) A severidade, a rapidez dos symotomai o o pro-
cadavotaa, v-rifitam qoe foraoa mortus em con- nhora e 4 errados, Jds P AdJo, Joao P. de Castr gresso da molestia dlfferem muito em difforestes
seqoooeta de gl|its profundo-s ao qoe parece fei-1 Medetros o om irmlo, Antonio Ponoilio de Albo casos, e dependem da constituigo da pessoa o do
tos a machado e a faca, sendo "todos dados naca- querqae, Joaom Pranclsca Beietrs, Joao Rlbeire clima, tempo, etc. Em a'guns s marfcba ga-
>ee>, tfolar e em dr*cgo affeornSo. ictis Jublor e om criaSo, Antonio C Cabral, Is- dual, sen dr o com pooca tos-e, acompthado de
Verifkou-se que a amor do erime penetrara mael Cesar Rib^lro, Antonio Perefra da Cunba, diarra, soor, ote., o o doeote ainda nos ltimos
na casa anombando orna jideila da eoainba. Alm Joaqnlm O. PalcSo, Joaqalm Uuarte Campos, Jos dias mostra-se ebeio de coragem o osperanc. Em
da atrocidade do.faci, quem qoer que s?ja o sea Gabriel de M. Pinto, Guiiberme Purcetl, Joao P. de outros, e pela maior parte, a marcha desta terrivel
aotor leve a bafbiridade de iiurodoiir oa vagina, Paiva, Antonio P. Ferreira Lima, oa seniora e 1 molestia rpida e dolorosa e a Iota osrtl eotfo
'criado, Jos G. 9oares Leso, Sabino Bjoco S. a esperanca e o dessspero mosira a sevendade da
Leo CasMic-Branco e om escravo, Praoeiseo T. doen^a e o soffrimento do doenle. '
Pessoa Araojo e dous criado, A S. Pereira da C. Em todos os tres periodos. Bao eonbecemos re-
Silva, Joaquim R. Seara de Mello, Francisco D. medio methor do que o Petoiial de ubmii b
Corrt Cy-ar o ara fino, e X escravos a entregar 1)r. Atsr, se for tomado a lempo, a cara qoasl [
Paesageirot do Vapor francoz Guientu, entra* certa, e mesmo qnando a mone prozima elle rai-
dos dos porios do sal : tifa a dr o allivU o sofTr ment.
J. Chives da Crur, G. C Simpson, /os Mara G. Uxa tosse por mala leve qoe seja perigosa o
Teneira, G-ovanoi venan, Bemardioo Francisco devo ser tratada Immediatamcoie'antes qae tome
da Silva. ausento sobre os polmdes ; leona sempre em casa
Segu.-m para a Europa : i od pouco deste Peitobal de crrejv o siga as di-
Paul Coheo, Francisco Jo-" Regalo Braga o soa recrea qoe acompanbam cada frasco,
senbora, >l,u el George da Silva, W Koller, Gas- Se a ra lesiia esta' ja' rantio adianlada proenra
lavo Worlbemer, Jos Ribelro da Costa Salgado, tomar o Petoiial debalxo da direccao de om me-
Manoel R. da C Salgado, Bernardo Goncalves dos dice entendido. Observando ao mesmo tempo
Sanios, Jo Antonio Bubosa, M. SalomoD, Jolis toda a cautela possive1, qaioto i. dieta o ao
Owiefe. i t Passageirosdo vapor Jagumbt, sabidos para'
os porios do sal
m
PEBKArVIBUCO
J. Pacheco Lana, L. M. C. P. Menezes, A- L. G.
Peixoto, vjgario Joo Jas d.< Araojo o dous escra-
vos, E Lopes de Carvalho, Manoel Norbert C. de
Arbuqaerque,Antinro LoareBco T- Marques, Can-
dido Elias de Amorim Lima, Antonio A. L. Braga,
Dr. Manoel da Silva J. P,-s>oa, Manoel Gomes da
Almeida Botelho, Antonio Ferreira Prado, Jos X.
Lms, J i Francisco C. Marqoes, saa ennhada o i
es rava, Maooel Antonio Surpardo.
aa' U ^^raa'aia
PublicaijSes a pedido
REVISTA DIARIA
Comees hoje a cobraoca a bocea do cofre do3
mpostos provinciae3 da decima urbana, de 5 /
sobre os bens" de mao mona e de 20 % sobre a
coasumo de agurdente, relativa ao segundo se-
mestre do anno Qoaaceiro cadente de 1867 a
1868.
P.;ra este pagamento ba o praiode 30 dias ntsls,
o Bolo ella ba a mulo Jj 6 ,0 em qui incorrem
os coniribuiniss qui delxarem da pagar o im
posto.
O tribunal do commsrcio concidea ao cor-
roctor geral Juhn Gatis doas mezes do prorgaco
da licenca de que gosava.
Oeserivo do* protestos Jos MariaDuesla' de-
semana a ra de Sffeto Amaro n. 20.
A agencia da Protectora das Familias, n'esla
cldado tinia obtido di sufiscriocOes al 30 de abril
do presante aaao 13o:5-o05000.
Durante o met d* m io Sulo.creveram sa os se-
guiutes saohores como socios :
Dr. Felippe de Sooza LeSo.........
Dr. Augusto de Sonta Loo.......
Dr. Pe3ro Praseelpo G-nmaraes___
Dr. Anir Cav3lcanti do Albuqdsr-
que...............................
Dr. Sabfuo fdlegarle L Pinbo......
Dr. Joaquim Jos de Cimpos da Ucs-
t,i de Modalrose AllHiriiiscque....
Dr. Ch isiov.io Xaviar Lo.e........
Dr. Amaro Jiaquiuj Fjuceca de Al-
biiquerqoe......................... 3:000fl00
Christovo di Barros Reg........... G:0 OgODO
Jos He.wiqnes de Salee Abren..... 6:0:,ni)00
Francisco Joaquim Rioeiro de Brilo 3.00>J00.)
Antonio Alves de Carvalho Voras... S:005;>
Tel.-phoro Marques da Silva Jnior. 3:0005<*o
Antooif. Telemieo F. Liros-^erde... 1:8005000
U-nriqua de Lemos Leal Rols....... 1:000|000
40:000500
7:OOi"IS(iOO
3.003,5000
3:0005000
18.00050JO
B:J.!SaJO0O
6:0O05OJ0
ReSPCSTA A OM DOS HERDEirtOS DA FALLECIDA
D. ANNA GETRDDES COBDEIRO CI.NTRA. -
O autor da perganta feila neste Diario
a cerca do inventario dos bens da tinada mn-
lber do sr. Joaquim CoelOo Cintra, deveria
COMMEBCIO.
FRA.CA DO RECIFE30DE MAlO DE 1868.
As3X boras da tardo.
(Hoje)
Algodao de Peroambaeo 1* sort* 16J-000 por
arroba (bontem).
josa d'Aqoino Foosec?,
Presidente.
- Francisco Mmele d*Almeida,
Secretarlo.
ENGLISH BANK
Of Rio de Janeiro Limited
Descoma letras da praca taia a con-
trencionar.
Recebe dinheiro
Nttios enradts no dia 40.
Hio de Janerfo e Baha8 das, vapor francel
Gnwime, do 1:83 todeladag, tfommandante Ai
fo la N i afloipagea 113, oarga difluentes
gneros; a' Tisset Freres.
Liverpool por Ltboa^-11 dias do porto e 17 do
V porto, vapor ingle"! Salaiin, de 3i6 toneladas.
capltao Wright, eqaipigim 36, carga fazen*
das o ootroa gneros ; a' Saoodars Brothers
L.
tiyerpOTl^ lias, barca ingiera Wit of the Teign,
de I5o tonelada, capilao G. Peppell, equlpagem
*/ii, car* diferentes geoena a' Braga Son
Oi L.
Montevideo-33 dias, brlgae bespanhol Hugo, da
195 toneladas, capltao Madorell, equlpagem 10,
carga 4:000 qaiataes bespaohaes de carne : a*
Mamy,Romaguera hj) & C.
Navios sahidos ni mesmo da.
Bordeanx e partos iotarmadlosVapor Irancex
Gmetine, eommandanie A. de la No.
Portos do NorteVapor brasileiro Pirapama, com-
maoiante Torras.
Portoj do SulVapor brasileiro Jaguanbe., com-
mandante Moura.
Canal Escuna fngleza Royal Arch, capilao J.
Smitb, carga as-acar.
MaceloBarca logleta Jirania, capilao W^kJ-
bam, em lastro.
BarcelonaBrigoe bespanhol Maria Rosa, capilao
Caeaio Beltran, carga algodao.
COMPANHIA PERNAtaBUCANA
Navegaco costeiNr f*t yapir.
Goiaona.
O vapor Psrakybn, comman-
danto Mello, seguir' para o
porto cima no dia 6 fe junho,
as 9 boras la noite. Recebe
carga, encommendas, passagel
ros e dinheiro a frele, no escriptcrlo do Forte fo
Matos n. I.________________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
Ravegaco costeira pop ?apep, phia, elementos de arithmetica,
Para Fernando de Noronha. \geographia e historia, apphea-
0 vapor Gtqui, eommandanto, r y"wv%m-
Atevedo, seguir' para o pono!veis a qualquev fimt cujo resul-
ESTaT r..o ca8rgjaanS? H:tado se garante pelo methodo, e
commemas, *X"*ro 5. VS | tUra*, Vho na fallen
10 boras da manha do dia da sabida no escrip-
lorio do Forte do Matos n. f.
Ps de coqueiros
TOO rs, comprando om cento haver algom deav
_______4B-*-BA_Pmm-48
Preeisa-o de ama ama para o servico nter)
no de nma casa o qne saiba engommar, o oatr
P'ra eoziobar o fazer compras, paga te bobo a
tratar no Corredor do Bises n. 23, oa na ra o
Cadela do Recife n. 1, armazero.
Licoes de grammatica na-
cional, principios de callista-
EDITAES.
em conta corrente e a
antes ter indagado das causas que tern mo-'Draso ^q
^i^JSSSLSLSSl inventa'l Saca 'ista ou praso sobre as eit,ades
no doque vir pela mpren a fazer pergun- prlncipaes de Europa^ tem encias Da Ba.
n Ile^fS3LVdeand9aban,Jon^ hia, Buenos-Ayres, Montevideo, New-York
oo descado daparteddquel.es a quem a L New-OrIeans,
le incumbe velar as pessoas e beus dos
Capital subscripto al31 de malo. 843:0005000
Com festino a Europa se?uiram no vapor
{raofez Guiih* 28 pass3geins, sendo 12 tomados
em nosio porto.
Eolre os que emrarcaram na corte acha-se o
Sr. Picot, coproprielario do Jornal do Commercio
fatli
Chegon sahhado de Liverpool c Li>boa o va-
por nglez Sladtn, nafa adfan'-andoem n.'ticiai a's
que recebemos pelo Oneid, por t-rem sabido jun-
tos de Lisboa.
Na sexta felro seguio para a fO"te, no vapor
Pnra, o Rvn. misnocano capochinho frei Egi-
diode Garrezio, a' chamado do commissario geral
de soa orem.
O vapor frafqex Guienne tronxe para a nossa
praca U2:t';3J0a0.
Pira a Europa levoa er-se vapor, dos portos
do so!, 6:0003 om moeda de ouro, 1:636,5800 em
barra e 5:ilo ra moeda de prata.
O vaoor americano Mertmack deviaparlir da
corte no di-i 2G do passado. pelo que deve chegar
boje ao nosso perto
A mala Ja corte, da primeira qoinzena do
mez de jocho, devs vir palo vapor brasileiro Cru
zeira do 8l, qaa estiva annunciado para sahir no
dia Io do correte.
Esteva i'carga no Rio de Janeiro, para o
oosso porto, o patacao bespaohM Joven Ricardo.
A romDanhla lyrica do Sr. Jo? Amat levon
a' scena o Rigoleto, no 23 do pausado.
Acerca de sua execugao diz o Jornal da Balita :
As honras da noito couberatn com jostlga ao
teoor, o Sr. Coy, que cantn melhir, que na Som-
nambnltt, sendo muito applaudldo.
t A Sn. Casa-nova, qne estreou, na polo ser
ainii julgada; em regra as primeiras represnte-
les sao apenas um onsaio gara! :-na ropetigao boje
da opera apreciar-se ha justamente"b sea valor ar-
tstico, sendo de esperar, qae, menos tmida, f'$a
-sobrelevar a sua voz, que garalmento parecen mei
ga, bem Qrme e natural.
A Sra. Casa nova tem, ionegavel reearsos,
que deve ar.iroveita.-los para matisar sea canio das
flores mimosas com que a arte pode adorna-la, e
esses recursos, embora oataraes, escaoam-se, des-
de qoe a cantora sao se po-soo da consciencia de
saa (orea.
Anime se e exalce a sna-voz, que o publico
Ibe fara' justiea.-
O S:% Seoiari a-rradoo, cantando cera todo des-
embaraji, que n hablilla a' dispr de saa sonora
fez de baixo. E' am b >ra artista.
- Do barytooo o Sr. ToorB-ert e da contrallo a
Sra. CasidUni, reservamos-nos para as segoiotes
tepresenta5e8
O senario nio tem merecido atleogSo da em-
preta : irao pode o Sr. Amat desconhecer o qnanto
om seenarfo ooa preparado eoncorre pata ofeliz
xito de nma opera.
Moradores dos Afanados pedem nos qae Ism
bremos aos Sn. da compahia de Baberiba, a ne-
oessi-l-'de de limoarse o chafariz a' aqaella frpgoe
zia, coL. eacaoamento deteriora a agua ao ponto
de torta la insalubre peta grande qoantidade de
ferro qne contera.
Pedem nos a seguinle pnblcacio :
f Vai amanbSa a scena, no tbealro de Santa Isa-
mi, em beaeneio da Sr. D. Carolina Brochado, o
excdeme drama em 3 actos, enllinladoA Gar-
qalhada cajo papel de Andr, qae o mais Im-
portante e diffi:alios3, estro todos, val ser repre-
sentado pelo asigne artista o Sr. Joaqdfti Aognsto,
pal da beneficiada.
< Para os apreciadoras do bello no palco, nao
dalxara' de ser cariosa a confrontado eatre o que
da melbor existe e tem por aqol apparecid, o
qae respaila arte dramtico.
*- Repmjcao oa pouciuExtracto dos panos
4o dia 30-00 tuto de 1868.
#oi roeoltUo a tasa do dotosacao o di* 19 fo
oorrtooa.
^A'oPfooj do tobdelegado do Santo Antonio,
P/asHuca, eseram da Aototio Goneaff es Caslo,
age.
Oebetefa^aacoio,
i- O. e JaVafui/o.
orphaos. Se assim houvesse procedido
ter-se-hia convencido de que a desjeito de
tuij quanto foi erapregado pelos juizes que
nesse feito tem funecionado, em ordem a
fazel-o terminar, jamis o podero conse-
guir em termo breve pela reluctancia do
iveatariante, o prOprio pai dos orphaos 11
Releva, porm, que em honra dus mesmos
juizes se diga que cm relajo aos bens
desse casal situados nos termos da sua ju-
risJigo, nao obstanie a reluctancia do in-
veutariante, faram todos elles descriptos e
avahados no aventario: por esle lado foi
pe filamente acautelado o direito dosor-
pijio?. O que tem occasionado a nao con-
clusao do inventarlo, sao os bens sitaados
nos termos de Serinhaem o Garanhuns, es-
cravos e faz ndas da gado, sendo que na
luta dos juizes com o invenbriante- para
terminacho do inventario, foi o mesmo in-
ventarame por seis vezes langa io desse
cargo, e por outras tantas vezes readmitido
pelos fundamentos que allegou e sempre
e imitte cartas de credita,
para os mesmos lugares.
Largo do Pelonrinho n. 7.
Caixa filial do banco do Brasil em per-
nambueo, 26 de raaio de 1S$8*
Tendo-se extraviado do poder de Jos Perreira
da Suva Junio- (do Maranhao) a ciutea, oo titalo
de posse de tres acco s desta caixa por parre dtk
roesma se f^z publico a quem Interessar pnssa,.qua
se v,i fazer entrega das aeco-s ao referido accio-
nista.
r,NM I4UV i c
El.ua d: Traplc.se a. 3 4.
Desconta lellras commerciaes a taxa con-
vencional. Recebe dinheiro, a premio con-
vencional, por lettras e em conta corrente.
Co-afere crditos, saca sobre as primeiras
prafss do imperio, Rio da Prata e Europa,
e compra cambiaes sobre as mesraas pravas.
En :arrega-se, por cnmmissao,. da compra
e veoda de fundos pblicos e aceoes de com-
panhias, di cobragade lettras e dividendos
Peranie a cmara mooicipal desta cidade es-
tara' em praja nos elas 30 do correte, e 1 3 de
junho proiimo viodouro. para ser arrematada
por quem menor prego offarecer a obra dos con
certos de qoe precisara as doas casas existentes
de um e^outro lado da estrada rtn cemita/ io publi-
co, oreadas na qoaniia da SoOJJOOO, os pretenden-
163 a arremata^o podem a mesma consorrer em
os dias indicados, manilos de flaoga na forma
da le.
Paco da cmara mooicipal do Recife, 27 de maio
de 1E68.
Gastavo Je s do Rogo,
Presidente.
Francisco Canuto da Boaviagem,
Secretario.
BOT
sobre promeca de apresentar em praso bre-ou de sea pagamento, e de qualquer outra
ve a valiacao desses ouiros bens. |opercao bauciria.
A qnalidade do inventariantj, como pai i O ex sediente para o publico comecari as
a quem a le rodea de tantas garantas, e.'iO horas da manha, e terminar s 4 horas
em quem se deve soppor o primeiro in-'da tarde de todos os dias uteis.
teressado por seus filhos. a explici-1 __
ALFANDEGA.
Rendimonto do lia 1 a 29............ 431:200399
dem do dti, 30..............,.... 39:612,J,78
Cao que pode ter o procedimento dos
juizes desonerando-o e readnittiQdo-o por
tantas vezes, o que nao obstante, fique sa-
bendo o perguntador do Diario, que no
dia 25 do corrente antes de vir a imprensa
com a sua perganta, havia o actual juiz,
tomando a providincia de efectivamente
desonerar o inventariare de que se traa,
nomealo pessoa de cuja energa e-pera Volumes sabidos cora farendas.........
que serao avallados os bens Situados nos! com genero .w......
termos de Serinhaem eGarunhun*. e c^n '
seguintemente, que si-r terminado o inven
(ario. Cremos ter respondido como con
vem ao perguntador do Diario,
J. F.
Pela secretaria da cmara municipal desta
cidade se Ui publieo para connecimento dos inte-
ressados qoe as arremataras das obras dos con-
eertos do moro do cemiteno publico e das ca*as
onde habitam ocapellao e sacrl.-to do m-"smo es-
tabeleclmento, annoociadas para o dia 27 do cor-
rente, nao se ellacluaram teo > silo espag^jas pa-
ra odia 3 de junho prximo futuro.
Secretaria da cmara municipal da Recifr, 28 do
maio de 1868.
O secretario
___________Francisco.Canuto da Baavlattem.
Compaahia do Bebe ibe.
O caixa tiesta companhia, ccmmenddor
Traomaz d'Aquino Fonceca acha-se antborsa-
do a papar no seu escriptorio rja do Viga-
rio n. i9 das 10 boras s 3 da tarde o h.
dhiiendo desta companhia, na proporgao de
30LO rs. por cada accao.
Escriptorio da companhia, 27 de maio de
1808.
O secretarb,
Dr. Prxedes Gomes de S. Pitanga.
Pela sobdolepacia do Io i!t-trii"lo da fregu'Zia
Ja Bj-Vista se fs? i u'.lico a qnem iBteressar pos-
sa,'que afi'a em ffepo.'ito um avallo e ama
burra que vagavam d<-!-s ras desta freg'iezia, fem
conductor: qu'ro se achsr coro direito a estes ani-
maes, comparec. nesta subdelegada, que provando
lhes scrao entregues.
JeroLvmo la Fer.-eira.
O conseibo de Comoras do arsenal de guerra
cb'ma a attenca para o annuncio que fez para o
da 4 de junuj viodouro.
Sala do cons-lho de compras do aneial de
gaerra 28 de maio de 1888.
V-iga Pessoa,
P.'c-idsnle.
W.4MIIA 1'ERVtlBtW.U
DB
Savegaco costeira por vapor
Rio Formoso.
O vaoor Parahyba, com-
mandante Mello, seguir' para
o pono acln:a no dia te ju-
nho ae 2 boras da madrugada.
Receba carga encommendas,
passageiros e dinheiro a freie, no escriptorio do
Fort do Mato n. I. _______
1LII4 ME S MIGUEL
Com mnita brevidade segoa o patacho pnrla-
eaei Jorgmse;. anda recebe alguraa carga a frtte
o passageiros, para os qnaes tem bellos commo-
dos : a'tratar com o seu consignatario Joao do
Reg Lima, a' raa do Apollo n. 4.
Para o para
Segae em poucos dias para aqoelle porto com
crga que tiver, e a frete mdico, o patacho lo-
g'er Frei Clarki: a tratar com o sea consignatario
Domingos A ves Maibos, oo sea escriptorio a iaa
do Vigarlo d. 21.
irara Lisboa
Vai sabir com breviiaae o brigoe poriogoei So-
berano, capitao Bogiganga, para carga e passagei-
ros, tratase cora E. R. Ribello, ra do Trapiche
o. i i, cu com o capitao.
~Par."
Segu com brevidade o hiate Lindo Paquete, ca-
pilao e pratico Francisco Ribeiro Bjrros, admitle
anda aiguma carga, para o que se trata cero o
respectivo consignatario Antonio de Almeida Go-
mes, a ra da Cruz n. 23, andar.
Para Lisboa
O palhabole ponuguez A'ooo S. Louren^o, pra-
tense seguir com a possivel presteza. Tem alguma
carga prompU-e para o rosto e passageiros, trata-
se com os consignatarios Toomaz de Aqolno Fon
seca & C.; ra do Vigario n. 19, 1* andar.
IEIL0ES.
Para os veudeibcS
O agente Pastan fara' leliao por conta e risco
de (fcem pertencer de 25 Larris com m?nieiga
ingleza sahIJa da alf.-.nega ha 3 iia?, e sera' ven
dida em lotes ce um s narril no da cima men-
ci-.nadu ?.s 11 horas da maphaa no armazem do
Anues, dc-fron:a da alfandega.
cia total daquelle, nao-have-
r estipendio; a'ra da Con-
eedo n. 12, como em'casa
particulares.
~CABI0l n 34
Ttidcs os negociantes devem comprar por
60000 as
Taboas de cambio
de 15 at 17 7|8 pence por 14000
Livroria f'ranceza
Ra do Crespo n. 9._________
rLLXs
Oharope e vinho ferruginoso
de jurubeba.
Cm pyrophosphato de ferr.
Ch'oros?, Anemia, ecropholas, rachilismo, Blen-
ncrrhagia, leacorrha, f-bres Intermitentes o
amenorrha (raensttuaco dolorosa e irregu-
lar!, etc., etc.
Ha maito, qoe tlnhamosem vista associar o fer-
ro as nossas preparacoes do jurubeba, mas le-
vamos lempo a experimentar qoal a preparacJo
ferruginosa, que rnais conviria ao organismo hu-
mano, vindo por lira a decidir nos pelo pyrophos-
phato de ferro, com o qual podemos preparar o
nossos cbarope e vinho e jurubeba ferrugi-
nosos.
Temos a observar, porm, qne o oso dos med-
camsuios de jurubeba coro o pyrcphosphalo de /rr-
ro DU-.ca pode occaslonar a plpysiea as pessoas
aluda as mai* deiicadi-s, com mnilas vc-zes ten
aconicrido al a pessoas robusia1, que ce bao ser-
viJo do mesmo medicamento (reparado cora oo-
tras sustancias f-rruginos?s, por isso que o pilos-
pboro, ebaixo da forma de pyropbospbato, am
aseiu prophyiatico reconbecido infallivel centra
esta ttirivel adeefao.
As preparacoes de jurubeb3, a qae bavemos as-
sociado o pyropliosphato de ferro, sao mui prove-
losas no tratamento das molestias das senbura.*,
taes corno achlorose, anemia, ele.
E>ias molestias manifeslam-se eom os sympto-
mas segrales : Deseoramento ce--al da pello e
das membranas mucosas, magreza, iochacao das
faces e das ptrnas}exettacao nervosa, histeris-
mo, melancola, debilidad. muscular, cores ne-
vr?.igics, polso mais freguente do que do estado
do sande, calor feb'il, pello secca, a;peiites de-
pravados, vmitos, pr^ao de venlre, ae'n'lroaeo
Moros, irregolar, peuco abundante, d<^corada,
nulla, flores brancas, amenorrhagia e infecun-
dida.
Eote estado espan'osi, alias tSo ordinari'menlfl
recoLhc-cido entre id-- im crescido numero d se-
nhoras, desapparece s com o proient? eso das
prepa-ciJ-s cima.
oico deposito deslas m'-dlcamentos: Pharma-
cia e J. A. Piulo, ra larga do Rosario n. 10, em
Pernambnco.
400:^1311107
Muvimento da alfandega
Volnroes entrados cora fazendas.. ....
comgoaeros.........
28
------28
C6
------642
Defcarregaro hofa, 1 junbo
Barca lnlezaSeraphinampr^adorias.
Pa'.acho araerica' oRath'oel Caneydem.
Barca irgleza WtrAch of fie Fegn dem.
Patacho nacionalAlexmdrina 'tem.
Escuna hollaadezaDankbaarheideidem.
Navios lotados.
Barca franceaM'iigartthWtlkeecarvaodepedra
GERAS
andimento do dial a 29........... 40:647^933
dem dodia 30.................. 3:933*563
44:Si)6J5i6
Os abaixo assignados, tendo sido, na qua-
lidade de operarios da casa em quefunceio- ^^JP-t7*,^?? '-:- ..^r."
nou a caixa filial, conduzidos secretaria de R^^pria dependas ihtera
polica, onde respondern! interrogatorios
pelo facto da ter apparecido um buraco,
feito na parede daquella casa pan a do ban-
co^Iau; vem ante o respeitavel publico de-
clarar : que das averiguacoes procedidas na-
da resultou, que mancbasse as suas repnta-
Qoes, n5o obstante o negociante das minas
desta praca haver dito," que os ladres nlo
eram seno aquelles operarios. Aproveita-
mos a occasiao para agradecr ao Sr. Dr.
delegado as maneiras delicadas com que se
dignou nos tratar no exercicio de seu cargo.
Recife, 29 de maio de 1868.
Desiaerio Pedro de Araujo
Paub Rodrigues Cunha.
Ernp?des chronieas.
Seja qoal for a sua causa, sao de todas as moles-
tias externas, as mais obstinadas e dilli-i de cura.
Os maiores advocados do mercurio a-dmtttera qoe
elles as nao podem snbjogar. O yodo e o blniode
daquelle mineral, como tambero o sollmo enjos
remedios eram at aqu empreados no caralivo
da; erupcSes escropbulosasesyphiliticas, ten sido
Inteirameote abandonados, e ero todas as partes
d jst-i ci.r.tiaente. os mdicos estao hoja curando os
casos mais confirmados e virolentos de erapcoes
cb.ronlc.is da pelle, com a salsa parrilba de Bristol,
a qual opera cbimicamente sobre o sangue e puri-
flea-o. O oso das pilulas assuearadas de Bristol
tomadas conj o netamente eom a salsa parrilha,
grandemente facilita a remocho de todas as erup
cos, borbuus, bortoejas, etc., etc., visto ellas ex-
psllirem para fra do systema todas as materias
corruptas postas em circulaco pela poderosa agen-
cia da salsa parrilba.
Acha-se venda as pharmacias de A.
CaOrs Barbosa, J. da Conceicao Bravo & G ,
M. A. Barbosa, P. Maurer i C. e Banijo-
lomet* G.
CONSULADO PROVINCIAL
BeEdimenio do lia 1 a 29.......... 74:9163807
Idflia 4o dia 3a.................. 3:386#528
783:3035335
cm
!****** "w4n^
Tiberetlt pulmonares.
ii
Os prlncipaes symptoojos da f jrmagao de tubr-
culos nos pulmoes, sio :
Usa tese secea quanda so Urania da monbaa ;
roapiTacao earta, di toco llosa o rpida qnando se (ai
oseteieJo.
fMlidei oxtracrdlaaria, mollera am matalos,
emmagrecimento em todo o cot-po, difficuldade eo
faztresforco. qoer pfaysco qatir mental.
Estes snttmas podem nooUnuar por muito
tempo som angmentar-se o mal ; porm cedo oa
tardo apoaraoerio sianaas do mu profreaoo :
istf sotoroora' sale rpido, aeoiir-se-na fro pelo
oapteftaoo 4d soMhia o lo UNO, sofoMo por fe-
bre. D ah en diaote o doeote passa a fot la-
PRAGA DO RECIFE
30 de maio de 1$68 j 3 horas da tarde.
REVISTA SEUtN-lIa.
Cambios Sacou-se oobre Londres, pelo vapor
francez Gmenne, f 100,000 regulando de 17;,'
a 18/4 d. por 1J1000; sobre Paris de 526 a 530 rs.
or fr.; sobre Hamburgo de 1O0O a 1J0I0 por
U/3; e sobre Lisboa de l Algodao.Veodeu-se o de Peruamboco de
165000 a 18,8000 a arroba, sendo a 16^030 as
ultimas transacgSi; o de Macelo posto a bordo
de 18000 a 19*200; e o da Parahyba tambem
pasto a bordo de 188C0 a tO*0.
Assucr Veodeu se o braoco de 4500 a 5^000
o arroba, o soroenos a 4*000, o roscavado purgado
de 3*100 a 3*500 e o bruto de 2*930 a 3*000.
Agurdente.Vendeu-se a 85*000 a pipa.
Arroz.Vendea-se o pilado da India a 4*000 a
arroba.
,Aikite-doce.Vendeu-se a 4*200 o galao do de
Lisboa.
Bacalho.Bra atacado vendeos 14*000 a
barrica e a renio de 13*000 a 16*000.
Batatas Veode.-am-se a. 2*000 a arroba.
BoLAcmmiAs.dem a 4*600 a barriquiaha.
CAr.Venden -se n> f*T0 a 7*000 a arroba.
Cha.dem de 2*600 a 2*800 a fibra.
Csrveia.A duia.de farrafas veaden-ss le
i*)00 a o*2O0 e a Bass a 8*500.
fARrtiA de Tamo.i de -i'w York retalhou-'e
a 37* 100 a harnea, a Trieste de 38* a 44* e a
Jo Cune a 18* o saceo oom 1001; loando em
deposto llclastve 1,100barricas, viudas la Amerf-
ca, 200 bairicas lo frldleira, 5,900 da segaoda e
600 saceos da lereeira.
LougA.Vndense a inglesa ordinaria com 340
por cerno de premio st*re a fallara.
MiTretoA.-VesHeusoajnglea lo900 1*400
a libra e a francesa a 850 rs.
Emprcza drantica
Ter$a-feira t de junho
BEREFICIO DA ACTRIZ
CAROLINA AUGUSTA BROCHADO-
Representar se-ba o magnifieo drama em 3
actos
A 2 de Jii3?o.
O agente 0:ivcira fara' delictivamente lei'o do
excelli-nte sitio de trras proprfa com linda casa
desde pouco terepo construnla a roodern, senzala
para prelo?, e.-tribar.-s e focheira, jardim, tanque
o Com rratras bemfeitorias, sendo o .-ilio quasi iodo
morado e couteodo var.'edsde de arvredos e bai- formar
xa para capira (que pertincera a Manoel do N. da
Silva Bulos.)
Esta valiosa, como bella p desejavel propriedade,
acha-se situada na estrada rte Saeta Anna, sob n.
16 moderno (mir'cra n. 31), def^nte da estjco
setual dos iriih.is nrbanos ao Chacn, e por Is-o
prxima dos saudaveis hanbos do apraiivel rio
Caplbaribe : a casa tenda ao lado um largo copiar
para recrescao e goto da frescura a>>\u pertra-
nente, gradeado ecc-m p.rto de ferro ^m toda sua
extensao, o que torna muilo animada a isla dos
c;n*laotes Iranseuntes pela eslr.da, sempre ale-
gre e c'omaola para quem tem de frc-qu,-Btar dia-
riamente a cidade e regresar.
A retirada para Ioglsterra do seu proprletario,
privooo das vanlagens de gozar delta, tornada
mala agradavel e cimmoda para moradia perma-
nente de grande familia decente,aps os bueflclos
dipendiu-.os que flr.ra, e os welburaiteaios ulte-
riores da entrada do lugar :
Terca fe.ra 2 de junho
ao mel dia ero p rato, em st;u escriptorio a' ro
da Cadela n. 4, primeiro andsr, por cima do ar-
nr-azem de fazeuds^do S-. Barroca.
Para cg5*raascas ttst cca-area e
juz; e Poxio Calvo.
TerSa os Srs. Alvaro Aagosto da Almeida, Mo-
reira & Duarle, J Jo:qr.:m da Cotia Hala, Reg
& Silva, Frsneco de Albuqurqoe Mello, Jiaqdlm
ue Almeida P'iitn, Domtoges Jo- Marqnos, e;cri-
ves Cjoha, Kerreira, J>i M'rianno, Patcao, la-
bli a'.Almeida e D.-. Alcoforado a pachorra de la-
quero seja.
O papel d? And'sera' representado pelo pri-
meiro ador Joaqnlm Augusto.
N> fim do drama tera' lugar a primeiri repre
sntaco do entre-acto cmico, ornado oe msica
Dar' fira ao espectacu'o a linda comelia em
um acto
A moleira de Marly
Principiara' as 8 horas.
O bilhetes podem sar procurad j era casa da
beneficiada, a' raa Bella n. 29, sobrado.
j tram t i
;a.Veodea-so a f*600
AVISOS MASITIHOS
o galio..
a fibra lo miex, e
Oleo de linhaca.
Sabao.Vendeu-se a 170 rs.
a 260 rs. o do Mediterrneo.
Presuntos.dem a 16*000 a arroba. a
Qubuos.Os flamengos lililBis lu o
cada om.
Toccikho.Vedei-ae o dLtaboa
o arroba.
VmaoRE.O le Portugal veidet-se o
130*000 a pipa. ""

Goapaaliia ainericana e brasileira de
paquetes a vapor.
At o dia 1 de janbo esperado dos portos do
sul o vapor americano Merrimac. o qua'> depois da
demora do costme seguir' para New York to-
cando no Para' e S. Thornar, para freles e passa-
gens trata-se com os agentes Hsnry Porster & C,
roa lo Trapiche n. 8.______m______
GOfllPANHIA PEKNAN1BUCAHA
DE
rtaTeffteo eosteirt por
Pcrrad era treitnra.
O s^or Pitmgi, com-
mondaiie Pereira, segni-
ra' aro o porto cima
no lia 4 de junho as
5 bota da tardo. Recebe
carga al u dia 3 as 3
boraa da tarde, enOoro-
dnheiro afreto at as x
is daiarde do dia da sabida, no escriptorio do
De movis e livros
Quinla-feira 4 do corrente as 10 i2 horss.
Ko avadar terreo e Ia andar
do sobrado da rna da Aurora
acmiero 92.
De am piano de jcaranda', 1 excedente mebilia
de dito, I rica nitsa a chineza, cadeiras de ba-
lang>, ii dguras de porcelana, 6 jarros, esrarra-
eiras porta msica, jarros para deitar Dores,
1 cama de casal. 1 rico saotoario de Jacaranda
1 commoda de dito, eabldes, caMicae.s, salvas,
tloteiro e paliteiro de prata, lanteroas, 1 goar-
. da vetidode riiz de amare lio, 3 guardas ron-
pas de dito para bomem, 1 secretarla, 1 mobilia
>fe amarello, 1 magnifico toucador, 1 costureifa,
lavatorios, estantes, cabides, bidets, ramas de
ferro com lastro de palha, bandeijas, sexto para
roups, quadros com ricas pintoras, quartinbei-
ras, 1 lustre de crystal e diversos com porcela-
na, arandelas, 1 guarda locca de amarello, 1
grande mesa elstica, 1 quarticheirs, 1 apara-
dor, 1 relogio de parede, 20 cadefras de guar-
nido avulsas, meio appareiho de porcelana
branca para jantar, meio dito com frizo doara-
do para cha, garrafas de crystal para vinho,
compoisiras de dito, frocteiras de dito, clices
para vinho e cerveja, copos para agua, 1 rico
aparelho para cb, 1 bandeija e ama salva de
plaqu, 1 estante para livros, 1 mesa para jogo,
sofs de amarello, 1 mappa, 1 banea para adve-
gacia, 1 cadeira para dito, tapetes sorlidos, e
muitos ontros objectos, assim como om grande
e variadosoriimento de livros de direito e lite
raiora.
Tapor.
* *
Lisboa e Porto
A barca portugoeta S. Manoel lt, capilao Pedro
UAosAa, roeebe aaga para Lisboa e Porto, e
'soWr eo brooittll, por ter a maior parte
os pretesdentas pasa o resto
so a Marque. Bar-
**, ftBO^r,e
trario excellentes com
iwas.
fiendissanco
Fabrica de mobili is, carvalhp, scalptx-
do em Ser im.
Agu-ia 16 Praca do oomraereio, (ra do tra*
piche) d escriptorio do Th-od Cbristianstn.
Em caTa to Theod. Ubristianscn, na d,i
Trapiche n. 10, eneoqtra-se tffectivamenle tij,-.
:i- qaalidades de vinho Borieaox, Bjurgogne e do
Rheuo.
Alupp-se a casa n. 5 di raa do C:rs de De-
tenco a beira do no e ao-Q01te do gaz.--metro, ceta
cominoiio para famiHa .- a tratar no mesno lu;ar.
Purtaram m p re de 2(3 deabril dosillo B-
bedur, termo d( lanantiras, provincia da Paraky-
ba, uro cavalln ci ra ;s sigoaes si guales : (dr rus-
^1=^ fovelrrj, f-rro >: um lado A e do oot,o v, um espravo na maoVfquerd, perto ria cairaga. a
semelbanca de uis chifr^-, d- soppor que o ladran
i<-iih3 citado e-te signa1, porm ftmpre Ocars.'a
cicatriz, anda cte meio ; (ulga-se ter sido levado
oara o entro desta provincia, por QGe foi visto per-
to de Pedras de Fogo : roga se a todas as pessoas a
quem for offerecido por venca cu treci o favor de
appreheodir e trate-io oeslr nraca a eocelra do Sr.
Thoojaz Sayne on ao referida sio Bebedor a
dono, qu" ser generosamente recompensado.
Recife 20 de roain de 18G.
s.a
Precisa se alagar urna ama e?crava para c ser-
vico externo e interno de rasa dt familia de do:s
pessoas, psg.ndo-se bm alugnel na caso de agr-
dar; a' tratar na ra da Praia, armaren) o. 63.
As visitas ijse se achato expes-
tasdacaoee esta semana o
a?egiiB--s s
Ffslas de lanteruas (China.)
Sala dos marecbaes no palacio das Tulherias (Pa-
ris.)
Rru'evard dos italianos (Paris.)
Galena circular do palacio da exposicao de 1867.
Aquariam do palacio da expcsico de* 1867.
Eierlor da igreja de S. Pedro em Roma vista de
noite.)
Vista geral de Cartlx (Hespasna.)
Passagem de Curupaity (15 Oa agosto de 1839.)
Vista geral de Rouan (Franja.)
Vista geral de Londres.
Vista da Aihambra em Granada (Hesr?oba.) .
Corrida de touros em Sevilba (HspOnha.)
Cada bilheta de entrada da direito a urna bella
prenda bavendo entre ellas moito de subido valor
e as menores de quasi ignal preco do b Ihete do
admissao.
_______Entrada de cada pessoa (.00 r?.
Letra perdida
Possolndo en abiixo asslgcado nraa letra aceita
O agente Pontual vender' em leilo os objectos Pe'o Sr. Jos Manlniano da Silv, da ooaotu de-
cima descriptos, pertencentes ao Sr. Dr. Manoel
Joaqoi Silveira. por ordem de sen procarador o
Sr. Dr. Joao Jos Ferreira de Agotar, sendo o
producto do leilo para pagamento de seas ere-
dores.
MISOS DlttERSOS.
lu^a-se
a casa terrea da esquina da roa do Padre Fiariaao
n. 41: proprla para qoalqoer
tratar na roa da Cadda n. 4.
esiabeleeimente
brilhante de Pemamboco
acM-se a venia oo Corceo le
* Cabogt.
r*'^" ^^^^ ^"^"^ ^^^B I^^SRJ^I^^V
O maior brill
S scoo-se a ven**
D,mdoC
Trocam se
aa notas Ib bateo 4o Brasil e la calxas flliae
dom descont mit nooMal tt praca dft (Me
oondanda n. SI
rnamboco I
Ooro n. |
HWHrS
dozentos e viaae e deus mil e iaotos ris, Ua
roesma perdida oo rcobada sem traspasso meo, e
como receb boje a importancia o aeoeitante Iho
passel oo recibo com toda clareaa afta de doii-
lisar dita letra no caso de appareeer e algoen
qoe quetra receber dita letra, e para melhor cla-
reza mandei publicar este annuncio.
Recife 29 de maio de 1863.
____________________Julio OoJII.____________
Cimeroplado natural da provlnera da Babia
na lista do lereeiro,anuo actual la Facaldade o
Direito desta cidade, do oaesmo modo que ja' o foi
na do segundo, entretanto que son e me orgalbo
de ser Parabybano, nio devo pols coosenlir qne-
por mais tempo cale en mea espirito semetoanie.
engao. Pego perianto ao Sr. Dr. secretario
msma Facaldade qo, verteado aqoelle ensu.
como fcilmente pode e devo se-lo, provwa que
nio seja elle de aova repruduiido, pelo que Ihe
oerel sobremaoeira grato, assim coceo eos Srs.
; redactores pela proropta pohHellado, Me lhes re-
1 eoraihendo dorna don linhs
Retire 1o junho <
- Ala'-"
tTSMf aj|
atlar,
K.W
a
segando








Al.rL e nwbM <*** telra i de Jambo e
k**
HOTEL LISBONENSE.
II Ra Estreita do Rosario 11
Este noro e modesto estabeleeimento tem sberto to respeitavel publico este tacante e btm orne-
cido botel, que sitaado D'oma posicio inteirameole saudavel e sendo constantemente Mprado pelo.'
toes* lepbyros da tarde, tornase preferivel a qunlquer ouiro. deste genero; as tres coosas mala ne-
eesssrias ao genero racional alimento do corpo, distraccao da alma e socego do e; pirito.
No pavimento terreo, ama casa de pasto das moito pretinas de segunda ordeio ; no prlmelro an
dar, sala da frente, nm excelieote bilbirde mogoo para diverlimento; sala de detrai e um restaurante
da primelra ordem, qnanto ao asselo e tem (eito das eouedoriss, o dilicado modo do pessoal do esta-
beleeimento, promptidio e commodidade, t aos Honres concorrentes dado faier iastica.
Fornece-se comidas para lora, e jamar coro vicrn e frucias na mesa 1*000, a.lmoco dem 1*000; e
todos os das a' no! te encontrarlo sorvete, refrescos, caf- e cha', bons vinbos dos melbores do mercado
Figuelra, do Porto e Bordos.
Boas comidas, bons vinbos, lado ha, devenidos jagos de bilbar e domin, para familias, e para
todos ha logar.
ROB LAFECTIER,
Approvado em Franca, Rassia, Anstria e Blgica. O arrobe vegetal Laf
fecieur e aatorisado, mui superior os xaropes de Cuisioier, de Larrey e de salsa-
parrilha.De fcil digestao, agradavel ao paladar, e ao olfato, elle cora radicalmente
em mercurio, as affeces da pelle, implgens. alporeas, tumores, al.
ceras, sarna degenerada, escorbuto, e os accidentes previndos dos partos,
da idale critica, e da acrimonia hereditaria dos humores.
O arrobe especialmente recommendado contra as doencas syphiliticas recen-
tes, inveteradas ou rebeldes ao mercurio e ao iodoreto de potassio.
Deposito geral do verdadeiro ROB LAFECTER, em casa do Dr. GIRARDAU
DFSAINT-GERVAIS, roa Ricber, 12, Paris.
Depsitos em Pernambuco.P. Maurer A C roa Nova n. 25, e J. M. da
Cre Correa.
KSSEMCIJL CONCENTRADA
DE
CAROBA
Qreparada a'fri por Auguste Caors,
THARMACETICO PELA ESCOLA DE PARS E SISSESSOR KESTA CIDADB
DE
Aiistidos Sials'ct e J. Sanm
K. 22 Ra da Cruz N. 22.
Tratamento puramente vegetal sem mercurio, iodo, ouro, nem outro qualquei
mineral.
Verdadeiro purificador do sangue sem azougue.
Especial para a cura de todas as molestias que tm sua origem na impureza do
angue, como sejam as molestias boubaticas, syphiliticas, escropulosas, darthrosas, qoe
venbam ellas por hereJitariedade, quer sejam adqueridas pelo contacto com pessoas infec
ckmadas dos diversos viros que contaminam o sangoe e os humores.
A caroba um remedio prodigioso, usado desde remotas eras pelos indios
4o Brasil, e passando seu uso de geraco em geraco, boje, um dos remedios, mai-
conhecidos como prprio para combater as molestias mais hediondas, entrando nesse nu-
mero a morpha ou elephantiases, para cejo curativo os nossos sertanejos consideram a
carona como remedio especifico. >
Ha muito tempo entrn a caroba nos formularios como preparado magistra
aob a forma de eleictuario, ainda boje lembrado as pharmacopas com o nome (le sen
celebre autor Joo Atoes Carneiro: n3o ella portanto, remedio novo nem desconhecido,
O ungento de caroba da mesma sorte preconisado desde tempes immemo-
fiaes como o mais apropriado para o cura de.'e uso oubas e ulceras syphiliticas srdidas.
e empregedo com provino ivo dasbeoficua de rimppplicago de muitos ouiros agentes
tberapeuticos enrgicos e dpois quotidiano.t;
Muitos dos nossos atedeos de considerado e entre elles o moito distincto pra-
tico e observador o Sr. Dr. Pedro de Athayde Lobo Moscoso, tem confirmado por meio
de experiencias repetidas, o que diz a fama das benficas propriedades da caroba no
tratamenio das boubas, das diversas formas sob que a aypbilis se apresenta. e muito es-
pecialmente as que tm soa sede na pelle, e poderiamos relatar alguns casos de data muito
moderna observados pelo mesmo Sr. Dr. Moscoso em que a caruba produzio admiraveis
effeitos, depois de inuteis e prolongadas applicacSes de salsaparrilha, mercurio, iodo,
ouro e seos preparados, etc., etc.
Nao era possivel que orna planta to notavel por suas inapreciaveis virtudes
escapasse a perspicacia e nvestigacoes dos mais abalisados praticos eunpeus, que se ap-
piieam com especialidade ao estado e tratamento das molestias syphiliticas e berpeticas, e
para prova ah esto os Srs. Drs. Casanava, Schorfer, Ricord e outros dando as mais li-
fongeiras informacoes sobre as propriedades corativas da caroba e preconisando-a cmo
remedio poderosissimo para o tratamento das erupces cutneas, seccas ou suppurativas,
artbros de toda a qoalidade, eccemas, ulceras de diversas naturezas, tumores osseos, e
ootras muitas molestia^ de natureza syphilitica ou boobaiica.
Por ter-se generasado muito o uso da Essencia da Caroba que eu pre-
taro e pelas instancias de varios mdicos que desejam continuar em soas observaces, de-
berei-me a ter prumpta urna quantidade da mesma essencia, obtida sem a aeco do fogo,
para nao prejudicar as propriedades medicamentosas; e d'ora em diante encontrar-se-ha
ca minha phamacia sempre e em porcao suficiente para todos os pedidos a essencia con-
centrada de caroba, e o ungento da mesma planta, para que nunca faltem aos senhores
mdicos que quizerem experimentar tao precioso agente medicinal.
Recife de Pernambuco, 17 de outubro de 1866.
Aguste CAOns.
Roa da Cruz n. 22.
OMOURODEVENEZA
15ra da Impera triz15.
Alera do maior e mais variado sortimento dos escolbidos gneros directa-
mente recebido pelos ltimos vapores:
Queijos flamencos
Ditos pratos
Ameixas preparadas em latas e caixinhas,
Tu lo pelos cmodos precos como abaixo se v:
Ancoretas com azeitonas a 800 rs,
Caixas com quarenta cartas de traques a 54500.
Latas com-2 libras de pecegs a 800 rs. a lata.
Litas com 2 libras de ostras a 800 rs. a lata.
Frascos com boa conserva a 800 rs. a lata.
Vellas de espermacele a 850 rs. a libra.
Vellas de carnauba e composicao a 410 a libra.
Tapioca do Maraoso a 200 rs. a libra.
Gomma de milbo pagote a 500 rs.
Araruta a 800 rs. a libra.
) Gomma a 200 rs. a libra.
Bolazinbas, biscoitos de n. 1 a 3 a 1, 14600 e 34500 a Uta,
Copos de ctystal para agua a 54 a dazi.
Garrafas de crystal .roprias para vinbo a 65 o par.
Latas com bolaxinbas Principe Alberto a 1*5600 rs.
Mantuiga ingleza flor a 15200, lh00 rs. a libra.
Ditas para tempero a 320 rs. a libra.
Charutos de todas as marcas, que so avista tera*o precos.
Serveja Bi ju em botijas e garrafas, differentes marcas, so avista terao preco.
Vinbos engarrafados de todas as marcas e qualidades.
Vinho Muscatel proprio para as excellentissimas senboras, a 600 rs. a garrafa.
Doce de goiaba em latas e caixoes de differentes tamanbos e qualidades a
15500, 25 e 500 rs.
Figos e passas em caixas, quartas e meias.
Potes com sal refinado a 400 rs.
Mastarda franceza e ingleza a 800 rs. o frasco.
Garrafas com vermente a 15500.
Duzia de cognac a 85000 rs. e garrafa a 800 rs.
Arroz do Maranbo a 45000 a arroba e 140 rs. a libra.
Presunto inglez para fiambre a IJ a libra e o portuguez de barris a 500 rs.
Lili la, macarro e talharim a 560 e 640 rs. a libra.
Tijollo para facas a 160 rs. m
Cal de primeira qualidade a 8$0J e 75000 a arrobi e a libra a 280 e
240 reis.
Sabo massa em caixas para os meus collegas a 220 rs. a libra.
Massa verdadeira; todo o collega que precisar de maior quantidade de cinco
caixas avisar tres dias antes.
Cb temos de todas as qualidades.
Graixa em latas a 15 a duzia e a 120 rs. a lata.
Farello em saccas a 65 e 35300.
Vinagre branco engarrafado a 400 rs. a garrafa.
Latas com marmelada a bOO, 15200 e 15600 rs,
Balaios para compras e costureiras.
Guardas roupas por todos os precos.
N. 2 D.
BIS OURO.
ERNESTO & LEOPOLDO
,n A?^ n* ? D jDtit0,ada Coracao de Ouro na roa do Cabug, acha-se d'ora em dame oferecen-
?. h o pe publico, com especialidade as pessoas qoe honrara a moda, os ohiectos do nltimo gos-
lidexd obras meD0S POr Cen' d qa" em Qlr* 1aaI4oer Parte arantrado-se a qualidade i a so-
0 respeitavel pablteo, avallando o desajo que deve ter o propietarios de nm novo estabelecimen-
...eLU6! 5ES&25 sea ceRci. deve cliegar immediatamente ao coracao de onro a comprar
S, 1P el. .n.'1^1"63' esmeraldas, rabins e pantos, verdadeiras e agarras modernas, peh
ni-Tia o! Mi ^ S"0604 raoderDOS do >>"> e coral para menina pelo preco de 3*, maracas de
E w, af r8m e madrePe"0'3, obr,a ooroj voltas de ouro com a competente cruslnda ricujente enfeitada pelo pequeo preco d
eos ce um trabalho perfeito por um mdico preco, cassoletas, traneelins, puiceiras alflnet
iraios, e outros icodeos tndo de alto gosto; aneis proprios para botar cabello e firma, di
m^.ntn Vn irimr. mov. iA* n^. a_ e\..... L_ r____.r._ i .
FABIliC M CHAPEOS DE SOL
A mais importante do norte do imperio
Roa Nova n. 23.-=PER.NAMBCO=Rua do Cabug n. 8.
Avisam ao respeitavel publico e particularmente aos Srs. legistas e fabricantes de
chapeos de sol, qne a ua fabrica est montada e provida para satisfazer qualqaer pedi-
do que desej^rem fazer-lhe, pelo que tem sempre um completo sortimeotos de obiec-
tos tabficados, assim como um de aviamentos para fabrico dos mesmos.
RELOJOARIA E BIJOUTERIA
49 ra d Cadeia do Recife 49
j E. ALTGIJ^TB bejloucue,
O dono deste estabeleeimento participa a seus freguezes e amigos que
t& mudou sua loja de relojoeiro.da ra Nova n. 50 para a roa da Cadeia do Re-
cite o. 49, aonde se encontraro sempre um grande sortimeDto de relogios
de algibeira de ouro e prata dourada, suissos e inglezes, como tambem de
parede dos memores fabricantes; grande sortimento de obras de ouro para
^ senboras, cadeas, pulseiras, anneis, alfinetes, ele- los melbores costos por
^g preco muito em conta. Na mesma casa fazem-se concertos por preco ra-
PlLULAS de HOGG
flo Pillas nylrimnun d Hogg, com perins mciaicul., contra a aljecc5f$
*uralglcat, iyrpeptteat, ele, nos caaos em que u digestoei sao laboriosai, e i vaei, tn%-
Dose: ama piluls antes e depois de cada coir-Mi.
O alimento nJo senio urna substancia bruta seiu nenhuma virtude nutrimental por sl-mesma
que deixa perecer de inanico aiuelle que n8o digere.
Oro* nica coisa basta para operar a transformado dos alimentos em nutrimentos; esta 4 a
pepsina acidificada. > (0C LUCIEN CORVISART, medico de S. M. o imperador dos Francexea) (1)
S* Plala* de Hogg, eom prpaina unida com o ferro reducida pelo hjdraaeacax
contra as moleitias chronicas, e affecces que d'ellas resultam, flore* brancas, chloroiU, menttruacM
dif/kil, fortificam ot temperamentos debilitados.
Dose : de 2 a & pilulas cada da.
O Ierro, redu/ido pelo liydrogcneo, 6 a mellior das preparaefies ferruginosas. (BC'UCHARDAT.)
Com ajuda da forca eka que contem a pepsina, o alimento* transformam-se em nutrimentos.
PUuia* de Hogg, com pepsina e proto-iodureto frreo inaltcravel, contra as molestia*
turofulotat, lymphalica, e typhililu-as, a tulca, cachexia cklorotleo, e as affecces clnicas tersas
ca economa.
Dote i de 2 a i pilulas cada di.
a A pepena, peKMua unifo com o ferro c o lodo, modifica a aceto excitante d'estes dois preciosa
agentes sobre o estomago das pessoas nervosas ou irritareis. ilemoria apresentada i Ataimti$
tmprial i* medicina de Par*. ,
a plisrmaceuico-cvmico, raa V* Ca*liUoae, t, nico propietario e ireparadaa,
raacos de loo e de 50 pilulas hermticamente tapado*.
Deposito na* principies pharmadas. *
(t) VU as ahxu imitaUias; DftptftU Cai. Eih.i* t*rt m iltmntm o* mtrtamtm.
Vende-se na pharmaaia franceza roa Nora de P. Maorer C
!.* comP^cnle wuslnda ricamente enfeitada pelo pequeo pre$o de 12J," bnu>
netes para ra-
, dito para casa-
memo, o artieo.roseta.-, lem o Gorago de Ouro nm completo e bera variado sortimento de diversos
panos, cutoes psra punhos com diamante, rubfns e esmeraldas, obras estas importantes ja' pelo seu va-
lor ja pelo gosto do desenbo, brincos de forma da delicada maoslnba de moca com pingente contendo
esmeraldas, robms, brilbantes, perolas, o gesto sublime, alfinete para gravata no mesmo gosto, relo-
gios para senbora,-cravados de pedras preciosas, ditos para horaem, diversas obras de brilhantes de
Z?J cruJ9lnns de robms, esmeraldas, perolas e brilbantes, aunis com letras, cacoletas de
-rysiai e onro descoberla para retrato (a ingleza) brincos de franja, ditos a imperatrii toda e qual-
qnor joia, para secoliocar retratos -*---- J- ----
preces talve algoeo faga mo juno da obra, por ser tao diminuta quanlia a vista do seu -
ia. mesra? l0Ja comPra-se, e troca-se ouro, prata e pedras preciosas, e tambem recebe-se concer-
n ?JmsJTn qi'e ?m ?tra 2aal(iuer ParIe 9 da-se obras a amostra com penhor, conservando-se
o Coracao de Onro aberto at as 8 oras da ooile.
nm..* n2'2a!rrpMf.oa aoe se diriir ao Coracao de Ouro nao ~e podera'engaar com casa, pois
r.(-?/v, J a}e um coraCao Pendurado pintado deamarello, a!em de outro que se nota m um
rotu.o (isto se advert em consequencia de terern ja' algumas pessoas engaado com outra ca^a-
HPEOS
DE
A JIOVA FABRICA
DE
Manoel Moreira de Souza
45--Rua r\Iova-43
e mPninofeSfllev!1r?I0n,esUbelec,raenl0 ha oa,1romP|eto sortimento de chapeos- para bomens, senhoras
e meninos, e vendem-se por prejos rasoaveis.
AIUNAUS
16.Ra da Cruz16.
v.1!3 diariamen^neste estabeleeimento um sortimento de doces para cb. P5es-
de-l, bolos inglezes, podios, pastis de differentes qualidades, flambre etc.
Novas conservas e licores, agua de rosas e de flor de lapaageiras,
vinhos novos e mailos ootros generso de molhados
Para S. Joo.
Differentes trabalbos de assucar; amendoas confeitadas e papis para sortes
Recebem-se encommendas de trabalhos proprios de pastelaria para grandes
jamares, bailes, baptisados e casamentos, bavendo para isso enfeijes anlogos, bandejas
com bolinbos tanto de armacSo como sem ellas,pes-de-l e outros bollos differentes en-
eitados sendo o de cor feta com assucar.
O dono deste estabeleeimento tem resolvidp substituir as bandejas as armacSes
de papelSo e folha. por armacoes de assuca.r competentemente decoradas. Tanto nara s
provincia como para fra, ser5o as encommendas bem acondicionadas.
Neste estabeleeimento compra-se pevide de me>ancia (milo)!
para
ABMAZEM
DO
VAPOR FRANCEZ
RA NOVA N. 7.
PERMAMBUCO
Contlooa a ebegar de Parla este esubeleci-
menio bom sortimento de calcado(scolbldo dos me-
lbores fabricantes daquelia grande praca, assim
;omo grande variedade de qolnqnilbaria e de no
vos brioqoedes para crlatiga?, cojos artlgos se
acham expostos a escolba e vootade dos compra-
dores, como sejam os qoe patsamos a mencionar
e ootros muitos os qoaes se vendem com diminu-
tos lucres.
Botinas para senhoras
setim, daraqt.e branco, pretas e de cores.
Bolinas para meninas
dnraqoe braceo, pretas e de ootras ailas cores
Lavas de pellica
brancas, pretas e de lindas cures da moda, Jonvin
verdadeiro, vindas por todos os vapores.
Luyas de seda
brancas, pretas e de ootras cores.
Las de fio da Escossia
moilo boas, brancas e de cores.
Luras de camorra
finas, proprias para montarla.
Obras de onro toa
brincos de onro de iei para senhoras e meninas,
pulseiras, boioes de ponbos e de abertura, tranee-
lins, correnles e chaves de relogios.
Botinas para boniem
lustre, beierro, cordavao, e de outras quali-
dades.
Bolinas para meninos
de diversos modelos e qualidades.
Perfumaras
finos extracto?, banhas, leos, pos de arroz, agua
de cologne, agua florida, sabooele?, etc.
Leques
sndalo, Jacaranda e de outras qualidades.
Chapelinas
para senboras a' ultima moda de Paris.
L'spelhos donrados
de differentes tamanbos, e bons para salas.
litis
de velludo e de marrcqoim para retratos.
Bolsiohas e eeslinbas
de seda e de velludo para meninas a' passeio.
Objectos de phantasia
muito bellos para toilets.
Coques-modernos
dos melbores gostos da uli mi mc-da.
Sapatos de lustro
cem salto, para senhoras e para homens.
Sapatos de borracha
para bornees, senhoras e meninos.
Sapatos de tapee
de multas qualidades de tranga de Lisboa para be-
mens, senboras e meninos.
Sapales de inTerno
bezerro taxiados para homens e meninos.
Botas rossianas
meias bolas, perneiras e meias perneirs.
Chicles
de muitas qualidades para passelos e viagens.
Malas, bolsas e saceos
de todos os tamanbos para viagens.
Meias
para homens, senhoras e meninos.
Pentes
de desembarazar, diios de travessa, dilos
barba, e muito fios de marflm para caspas.
Escoras
para fado, para denles, para cabello e para nnbas.
Bengalas
de muitos modelos para boraeos e meninos.
Confcito franeex
caixinhas com doce confeiudo para presente.
Papel errendado
para enfeitar bandeijas de tolo e de doce. "
Rico presente
importantes bengalas de canoa verdadeira, com os
mais delicados caslOes de marflm.
Lunetas
de tartaruga, de ac e de btalo.
Oculos
de praia dourada, de ac e de bfalo.
Grvalas
de seda mullo boa, pretas e de cores.
Navas carteirinhas
de lindos gestos para dinheiro.
Bonitas pjnteiras
de espuma para fumar-se charutos e cigarros.
Charuleiras
bellas cbaruteiras e cigarreiras de palha.
Cachimbos
de varios modelos, baratos em daifas.
Venezianas
transparentes com paysageos p.ira janellas.
Gaiolas de rame"'
de dlOeren'es modelos para passarobos.
Globos para illumiuaro
lindos gltbos de papel de cores para illnminago.
Abat-jour
para candielros e para laniernas de piano.
Oleados para mesa
de muito boa qualidade e novos padroes.
Molduras douradas
de larguras sertidas para qoadro.
Estampas
de paysagens, cidades, sanios e figuras.
Esterescopos
com inleressantes vistas escomidas.
Aceordeons
e concertinas de todos os tamanbos.
Cosmorimas
com as mais pittorescas vistas da Europa.
Realejos
pequeos e grandes, de quairo e seis pecas de
msica. r *
Jogos
de domic e outros muitos differentes.
Ceslinhas
de palba para meninas de escola.
Argolas de marfim
para facilitar sabir os dentes das criancas
sonreren) incommodos.
Toncas e sapatiobos
de la, multo bem feito?, para crianca.
Carrinhos
de quatro rodas para eoodozir criancas.
Boneeas
de todas as qualidades e tamanbos para meninas,
e outros muitos brinqoedos proprios para criancas
do 1 a 10 anuos.
Altenco
Nao sendo possivel mencionar-se aqui todas as
qualidade de calcado, nem' todos os artlgos de
qoinquilbarias, e muito menos da grande variedade
de novos brinqoedos, pe '.ese ao publico nm passeio
a este estabe ecimento, cerio de que encootraro
bastante paciencia para bem eseolberem o qne de-
sejarem comprar, e precos baralissimos, em virtu-
de debaver em lodos estes artgos grande qaanii
dade. e terem slde comprados mesmo na Europa
pelo dono do dito estabeleeimento, armazem do va-
por fraoeez, ra Nova n 7.
Cartees de visitas a
duzia.
Cant'ma-se a tirar retratos em carlSes
de visita a 90O0 du7ia na Photographu
da casa imperial ra do Gabog n. 18>
sobrado, entrada pelo pateo da matriz.
Anibroljpos.
Inimitaveis ambrotypos, para caixinhas e-
qnadros com o colorido natural, e podendo
ver-se de do js lados.
niooiypos.
Primorosos retratos coloridos em talco
para collocarem-se em alOnetes e cassoletas
de ooro. Ha variedade de alfinetes com ru-
bis, esmeraldas e perolas finas.
Na mesma pbotograpbia encontra-se a
500 rs. cada nm os segoiBtes
Retraeros.
CapitS-tenente
WAURITY
commandante do monitor Alagoas, e beree
da passagem do Homait;
Bar5o da Passagem, chefe Delfim, com-
mandante da diviso que forcon o passo de
Hnmait;
Visconde de Inbauma; .
Mrquez de Caxias;
Dos generaes barao de Porto-Alegre, do
Herval, etc., etc.
Acham-se tambem venda os mesmos
retratos, e muitos outros de generaes e es-
tadistas notareis brasileiros e de principes
estrangeiros na livraria Econmica do Sr.
Nogueira de Souza, ra do Crespo, janto
ao arco de Santo Antonio, e ao mesmo pre-
<;o de 300 rs. cada um retrato.

sem
PAB4 F A MIMAS
Grande Razar, ra Aova n. 20 e 22.
Acaba de ebegar a este estabeleeimento
grande porco de machinas p3ra costuras,
do autor Wbeeier Wilsoo, approvadas na
ultima exposicao de Paris, as qoaes cosem
com dous pospontos toda a costura, e tem a
vantagem de ser tao suave o movimenlo.
que qoalquer crianca de cito ancos f.cil-
mente tataib, e. pode, com este entreteoi-
mento, levar vanUgem ao servico diario de
trinta eos ureiras. A comprebeoso sim-
ples, pois em um quarto de hora se fica se-
nhor do movimeoto da machina, tendo a
mesma a pr.-priedade de fazer as seguintes
costuras: pospontar, embinhar, franzir,
marcar e bordar, como apresentam os dese-
nos que acompanham as Os propieta-
rios do estabeleeimento se encarregam de
mandar ensinar n'ests cidade, e garantem
entregar o importe dispendido ao compra-
dor, no caso de nao trabalbar com perfeicSo
a machina vendida, nao tendo, porm, sof-
frido ella alguma avaria. Ha tambem no
mesmo estabeleeimento machinas do autor
Grower & Baker, de trabalho simplesmente
mo. e outras com movimtnto dos ps ;
e mxime todos os pertences das mesmas
machinas, para pender avnlso.
Joaquim Jos Gocalves"
Beltro
RA DO TRAPICHE N. 17, 1." ANDAR.
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
co do Minho, em Braga, e sobre os segain-
tes logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenga.
Guimares.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Viaona do Castello:
Ponte do Lime.
Villa Real.
Villa-Nova de Famalic5o.
Lamego.
Lagos.
CevilhSa.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Beja.
Barcellos.
Saques
Joaqam Rodrigues Tavares de Mello,
criptono no largo do Corpo Santo n. 17,
bre a praca <*< Lisboa.
com
saca
es-
so-
NORTHERN ASSURANCE ROMPMY EM LONDRES
CAPITAIi. IilBRAS 9.000,000
ATORISADA NESTA PRACA
POR
DECRETO IWPFUfAI
c*dorias\S%5Sus\7nCter^ tdOa,ieg0r08 C0Olra fo *"> Mer
nif J W LATUin x C.
^" 1
Oosinheira.
Precisa se de nma boa cosinhelra para ama ca-
sa estraogeira, prefere-se escrava ; a tratar na raa
da Cadeia n. 18.______________________
Aluga-se urna escrava par o aervIeoTcon:-
pras : na ra do Imperador n. 0.
Xa ra da Cadeia do Recife n 4, segando andar
e por cima do armatem do Sr. Barroca, precisan)
de duas amas, nma que eosinbe bem e engomte
alguma cousa e outra de leite mas qoe nao itnba
filbo.
- a ra da Aurora n. 4.segundo aoir,
MDtlnaa-se a precisar 0 nm cosintieiro, para o
servco de nma pequea familia.
Aloga-se o segundo e tercelro andar do so
|** Imperial: a UUr no rooamo
Favor especial.
Ficar-se-ba muito agradecido pessoa que
fizer o favor de informar a roa Direita n.
45, loja, se existe nesta cidade, provincia,
ou onde, o Sr. Jos Loiz da Silva Guima-
r5es, qne embarcon para o Brasil no pa-
quete Guieimesabido de Lisboa a 29 de
Janeiro ultimo.
LOJA
DR
RBIiO.IOC.IRO
DR
Vctor Grandin
Roa ds Cadeia do Recife N. 40
O propietario deste estabeleei-
mento, premiad eom a medalha
da eiposicio noiversal de Paris
no anno de 1858, tem exporto a
venda em soa toja, nm grande-
sortimento de relogios para algi-
beira como sejam : de ouro e
praia, sendo dos melbores fabricante!, de patea*
tes ingleses, snissos e ortsonfaes.' Tambem ten
ua grande quantidade da relogios cara parede,
e qoe batem boras, ditos para euaUrcacdes e pan
cima ds mesa, todos estes rslsgios Ha dos mais
bonitos model <*. O mesmo concerla relogios de
todas as qiiaiidides eiisteates, assim omw tam-
bem coneeru ohrooosetros da aigibeira e marui-
mos : recebe sempre por tolos oe apures, an
completoi sorHnMtato de correles e iranceHns,
sendo tudo de onre de le e de modelos os mais
oderoos, issia como diversos lacios d< amo.
tem do? mais bonitos e modernos testos.





mm
Blarlu ele reruabie* Sesuda I elra i de Juuho

1868.

^jBlsiiparrUha de Ayer.
Chamamos de novo a attencSo do publi-
co sensato dar este remedio iiieviiavel, co-
nhecido por toda parte pelo nome de ex-
tracto compasto da salsa jar rilba do Dr.
Ay er; este nome foi-lbe dado, nao por se
asalsa seogredin lente principal, mas porr
que este nome geralmente conbecido e d
urna idea clara do medicamento e os seas
osos.
A raz da salsaparrilba dos tpicos co-
nbecida como um dos melhores alterantes
que possnimos, porem os mdicos lodos sa-
bem qoe ha ootros ta"o bons como ella, e
que em combinacSo com a salsa sao nruito
mais efficazes do que qualquer droga pode
ser por si ib ; portaoto, este composto de
sasa, labaca, stillingia, madragora, etc.,
Sossue muito mais poder sobre as eafermi-
ades do que qualquer dessas drogas s.
E' precizo notar que nao urna prepa-
rando secreta, pois a formula de sua prepa-
rac5o tem sido publicada muitas vezes e
submettida s juntas de hygiene publica,
mostrando exactamente as drogas que en
tram na soa composico e o sen modus fa-
ciendi. A grande vantagem de remedios
desta qualidade faciimente percebida ; o
medico sabe exactamente o qoe est recei-
tando e os resultados que se devem espe-
rar, e o doeote sabe o que est lomando, o
que nio acontece com a maior parte dos es-
pecficos que por ahi se apregoam ; no em-
prego de preparares mediemaes como as
que o doutor confecciona, evita-se um sera
numero de males que resultara do uso de
remedios secretos que tem quasi sempre
por base alguma droga per i g osa, cerno seja
mercurio, arsnico, etc.
O extracto composto de salsaparrilba de
Dr. Ayer especialmente elcaz na cura das
molestias que tem sua origera na escrfula,
na iofeccao sypbilitica em todas as suas for-
mas, ulceras, cbagas, mal do ligado, dar-
tbros, empingens, sarna, comicbSes/ tumo-
res, rheumalismo, pstulas, e toda quaii-
dade de erupcoes, ele, e em qualquer im-
pureza do saogoe, pois opera directamente
sobre o saegue e as secrecoes, purificndo-
os e expulsando o veneno, e livrando-os da
accSo viciada inspira-Ibes novo vigor e no-
vas forjas.
SALSAPARRILBA DS AYER
, sem davida, o mais poderoso renovador
do sangne, conhecida a medicina, pois o
nico remedio de que se tem tirado vanta-
gens permanentes no tratamento da syphilis
e escrfula.
De todas as molestias que afligem o ho-
mem, talvez nao baja urna que infunda tan-
to terror, nem urna que seja ta:) inexoravel
e horrorosa nos seus estragos como a sy-
philis, mal SYphiluieo ou raal venreo.
E' piovavel que esta molestia tenha exis-
tido desde os lempo.* mais remotos da his-
toria, entre os judcu, gregos e romanos,
porem alguns autores peosam que foi in-
troduzida na Europa da America depois de
Coiomuo ; porem ba provas positivas do
contrario.
Segundo Valerios, a calvicie e as ulceras
na cara de Tiberiu?, de que falla Tcito, fo-
ram causadas pela syphilis. Ha prova po-
sitiva pue existi 800 aonos pelo menos an-
tes de Colorario.
G. de Salicito diz que existi em Millao
em 1209.
Petrus de Argelato falla della na Bolonha
em 1470, e Ilypocrates e Cleso pem fra
de duvida sua antiguidade ; porem certo
que hoje existe em todo o mundo, e que
mais de um terco do genero humano sofre
della.
E' impossivel achar oulra molestia que
de tal maneira affecte toda a economa e
que pppareca s o homem de tantas maneiras diversas.
A syphilis primaria auito conhecida,
porem a secundaria ou constitucional toma
formas differentes que o primeiro sympto-
ma de ve despertar em todos serios cuida-
dos.
Os symptomas premonitorios mais com-
muns sao: languidez, abatimento moral e
physico, falta de appetite, insomnia, olhos
pesados, dores rheumaticas, particularmen-
te de noute, pallidez, tonteiras de cabera,
magreza, dores nocturnas e s vezes peque-
as erupcoes com febre ; depois vem os
verdadeiros, irritaco na garganta acompa-
nhada de leve febre, dores Das juntas,
queda dos cabellos erupcoes, darlbros, tu-
mores nos ossos, ulceras, manchas na pelle,
dores de cabeca (as dores sypbiliticas sao
menos fortes durante o dia, geralmente co-
mecam a augmentar ao por do sol), surdez,
tumeres malignos, zuido nos ouvidos.
As erupcoes sypbiliticas sao de muitas
especies, como erupcoes escamosas, erup-
coes ulcerosas, erupcoes pustulosas e erup-
CSo na pelle da cabeca fazendo cahir os
cabellos.
Salsaparrilba do Dr. Ayer.
Paia assegurar urna cura permanente es-
te remedio deve ser tomado com regnlari
dade e constancia, bservaado escrupulosa-
mente as ditecces que acompanbam cada
fraseo em portuguez, e ao mesmo lempo
deve-se evitar excessos de todas as quali-
dades.
Care;e tambem especial atteneao o
Pe toral de cereja
Do Dr. Ayer
para cura radical e certa de todas as mo-
lestias do peito e garganta, tosse, consti
paces, bronchite, astxta, defluxos, roa-
quidSo, coqeulocoe angina-e diptieria.
A grande fama que tem grangeado este
remedio devida s admiraveis curas da t-
sica pulmonar, molesia esta to penosa e
fatal em suas coRsequencias, que aquelles
qoe sao atacados dos primeiros symptomas
dvem ser tratados o mais cedo possivel,
e o primeiro remedio que se applica deve
ser efficaz, pois nao ba tempo de fazer ex-
per^ncia. As pessoas atacadas da tsica,
geralmente fazam pouco caso de seu mal,
at que seja tarde para cural-o ; nesta,
mais do que em qualquer outra outra
ciust, tem sua origem o predominio exten-
so e fatal ue urna molestia que mostra os
seus eatragdos com innmers assombrosos
casos na estatistica da mortandade. Por*
UaUo o dever de todo* procurar o alivio
As prepararles do Dr. Ayer s3o prepara*
da con especial alfeoco ao clima dos tro-
pco.etem modiQcaes importantes sobr
as"_rp5o feitas para outrospaizes.
rUnto deve-se noiar edm muito cuida-
paM que n*> haja engao, que os re-
medios do Dr. .Ayeh, pipparadur Par.a
o Brasil, trazan rotulo e directo mi-
nuciosr na lingua pbrtogueza. PorJaqiQ
convem notar com muito cuidado que o ro-
tulo ou eoFolorio de cada frasco \ni 03
T-~Z
frente' 0 nome do Temedto e descripclo do
seu oso na lingua portugneza.
mais certo e mais pforqpto que podem en-
contrar para a cura de quilqoer symptoma
ou principio desta terrivel molestia; bem
como todos os males qoe podem couduzir
a ella, como tosses, resfriados, defluxos,
dor de garganta ede bronchites;-qualquer
rouquidSo deve ser tratada immediatamente.
A experiencia mostra que o peitoral de
cereja do Dr. Ayer c%ra lodos estes padeci-
mentos quasi sem e_cepc3o, e raro o lu-
gar, nos paizes onde couhecido, qoe nao
tenba numerosos exemplos de curas feitas
por elle.
Deve-se recusar todo e qualquer frasco
que for offerecido com rotulo ero inglez o
que nao tenha impresso em ura dos lado
do rotulo o nome dp agente geral para o
imperio do Brasil.
nico deposito roa Direita n, 15.
Vende-se as casas de P. Maurer & C,
M. Alves Barbosa, A. Cahors, Jo5o da Con-
cento Bravo e de Bartholomeo & C. e em to-
das as principaes boticas e drogaras. _
Aluga-se o andar do sobrado n. 63 da roa
das Agaas-Verde, de 25JOO0 mensae?, e a casa
terrea u. 26 da roa do Fui te de 22JOO0 : a tratar
ca ra do Crespo n. 15, escripiorio.
SEGAROS
martimos
E
COSTRA VOG.Ol .
A companhia Indemnisadora, estabelecida
nesta praca, toma segnros martimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
am edificios, mercadorias 6 mobilias: na
ra do Vicario n. 4, pavimento terreo.
fia prara aa luUfpeDJeiicia n. 33, toja i
oorives, compra-se curo, prata e pedras preciosas,
tambero se faz qualquer obra de ancommenda
odo e qualquer concert._________________
hmutl Power JoUnstoo CompanUs
Ra da Senzala Nova n, 42.
AGENCIA DA
F;ind;5otc Low fSoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Mo8ndas e meias moendas para engenno
Taitas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios de carro para ora e doas cavallos.
^elogios de onro patente inglez.
Vrados americanos.
.\chinaspara descarocar algodio.
Motores a ditos.
Vfjchinas de costura.
Aluga- S9
am eicellente escriptorlo coro atoiio aceme
ojodago s: na ra efireita do Rosario 3i;
"^"Precisase ce urna ama para servigo de rna
e casa : no patjo do Twg ". I. laberna._______
Pastilhas americanas
no
DOUTOR PATERSON
Re blsmatha e magnesia.
Remedio soberano para ornbaier azia?, facilitar
a digestao, fortiflear o estotfiipn, carar os soffri-
melos nervosos provenientes de debilidades org-
nicas, etc.
Deposito e?perial
Pharmacia e drograrla de Rjrtholoroeu & C.
34Ra larga do Botarlo34.
Muas e machos
E' esperaba a cada mnmentn a barca francesa
Tsard, a qual couduz 150 mu'as e roaehos de muio
boa rafa, os nretenleote poderao dinglr-se ra
ii Cruz d. 57.
m

Msica
Lecciona-se porsolffjo e a tocar varios
instrumentos, dando-se as licoes das S
horas da larde as 9 da ooite : a tratar na
ra Auaii-ta n. 30.
Urna escrava
Urna senhora pstrangeira precisa de a!nrar orna
ecrava qoe saiba tea coiinhar e eLgoromar e fa
zer o mais servios de casa, paga-se bem e pon
tualroedte, ra da Senzala Yema n. 22 primriro
andar.
fiarusaon especial ho-
meopathtea do Dr. Ka- rf,
^ bino O. I>. Plnho.
Acaba de ebegar cha de primeira sorte
fttjl para oso das pessoas que se tratam ho- $16
a aeGpaiicameute Vende se em pacotes de S
t libra.
B Ra Nova n. 43.
)*L.\Ph$**tW<
de artificio
Da rpuito eooceitoada e aniiga fabrica da viuva
Rutino da estrada d.- J lio de Barros. Como se ap-
proximem os festejidos das de Santo Aotooio, S.
Joao e S. Pedro, avisamos ao respeitavel poblicu
qoe exi-te em nosso estabelecimento om completo
sortiojeoto de pistolas, rodinbas craveiros ect. etc.,
e qun as eocommeodas de laes cbjectos para a oia
fabrica, sao fritas nicamente do armatem da Bola
Amarilla no oltao da secretaria da polica.
Precisa-se de nm cozlcheiro : na roa do Im-
perador n. 73, si-puado andar.
Precisa o de orna tnpommadeira ". na rna
do Imperador d. 73 segundo andar.
PrccUase singar dous moloques na roa da
Ponte VdJia n 2J: a traiar das 6 as 9 horas da
aiaohaa, ou das o da tarde em dame.
Lu'Z Januarlo ta G deixon d3 Rr empre-
gado da casa de Cona & C.*, desde 29 do cor-
tete.
CASA DA F
BILHB1ES GABA.NTIDOS.
A' roa do Caeo 23 E CASAS DOCOSTUM*.
O abaiio asiignad* venden boi saos molto feli-
ces bilhetes garantidos da lotera qoe se acaboo to
extrabir a benecio da Ig'reja de iosia Seobora
do Gnadelupe da cidada de Oiiada, os at|uint8s
premios :
N. 1578 am mel com a orle de 700#Q00.
E ontras muitaslorteaJe 100*, 40# e #.
Os possQdores podem tir receber seos respecti-
vos premios sem o descont das lela oa casa di
Forluo rna do Crespo n. 23..
Acnam-se a venda os da 3a parte da lotera
a beneflcio da ordem terceira do Carmo do Recl-
fe, para fondicle de am hospital (68), qoe se ex-
trablra' quinta-fura 4 de jonho vindouro.
reco.
. Billbete .... 4#008
Mel......2*000
Em porcao de 100* para cima.
Bllbete. 3*600
Helo. ...... 1*750
______________Manoel Martina Pinza.
Sendo qoe algoem se joigue credor de Jos
Das da Silva Gnimaries aprsente soa conia na
loja da roa doLivramenton. 18, para ser confe-
rida.
MU
Joseph Migel e Adolpho Beer, participa ao pa-
blieo e ao commercio, qne dissolveram a sociedade
qoe entre si bavia no Rio-Grande do Norte, ami*
gavelmente no di 16 de malo do correte anno.
Precisa se de nm Portogoex para empregado
de engenho : na roa do Alecrim n. 18, easa com
perto de ferro.
Lavase e engomla se roopa de homem e se-
nhora com peifeico, no corredor do Btspo o. 35 :
na mesroa casa vende-se um xarope especial, parti-
cular para mi le.-tia no peito, e Ir.nha para a que-
da dos cabellos mesmo por molestia ; tambem se
vende orna machina ebegada oliimameote do Bio
de Janeiro para costura, obra molto rica e muito em
conta.
LICOES DE PUNO
Franci:CD Hyglno Pinbelro, tendo es-
tado longos annos na Italia e acbando-
se actualmente nesia provincia, propde-
se a dar lices de piano em casas parti-
culares, por preco mdico : os preten-
demos queiram dirigirse roa das Qaar-
teis, pbarmacia do Illm. Sr. Joaqmm de
Aimeida Pinto, que acnaro com qoem
tratar.
Aviso aos fumantes de
bom gosto
Acaba de chegar ora sorlimento com-
pleto de cbarntos Anos de Havana aos
. presos de 12* a 42*_ a caiziaba do 100:
na ra da Cruz n. 55.
Precisase de orna qoe saiba bem cosinhar aen-
gommar.'seodo morigerada e de boa c ndocta para
casa de familia : na ra da Cadeia do Recte
10.
o.
-, ->::- --.vr-
yrrijMlf laroati^
m
Moedas
de ooro e prata, compram-se por maior prreo qde
em outra parte : na ra do Crespn. 16, 1* andar.
Sempre per ma's do qae em ontra parle,-prata
e curo de todas as qaalidades em moeda : na ra
da Cadeia, leja do azulejo o. 53.
Moedas de ouro.e pr^ta
Paga-se por mais do que em outra qnalqner par-
te : na loja de oorives arco da Cneico e compra
ooro e prata velha e pedras preciosas.
Comprara-se esciavos^
Comprara-se, vendem-se e trocam-se escravos
de ambo* os sexos e de todas as idades : a ra
do Imperador n. 77, i" andar.
Compra-se urna casa terrea que esteja era
bom estado e tenha bastante commedos para fami-
lia, sendo as seguintes ras: Larangeiras, Trin-
Zfilras, Hurtas. Santa Then-za, Caldereiro, Santa
Rita, Direita, Paleo do Paraso e Cruses: ns roa Es-
trena do Rosarlo n. 1 uberna do Pocas, se dir
quem compra^_______^_________________
Com muito maior vantagem
Compra o corceo de ooro n. 2 D, roa do Ca-
boga', moedas de ooro e pr;ta e pedras preciosas.
Ouro e prata
Um moeda e em obras inotilisadas, compra-se
por bem prego : na praca da Independencia n. 22.
Compra-se orna casa nesta cidade qoe nao
exceda de 2:800* : no pateo da Peoha o. 10.
Vcide-se osa leja de fa- |jg
amada Impera- k
triz n. 28
Fr fea dono retirar-
se para a Europa.
Este bello e acreditad) estabeleci-
mtnio, montado n'um dos melhores
locaes, desta ra offerece numerosas
vantagens a quem sa qoizer estable-
cer, porque nao f est bem sorlido
de (azendas, quasi todas ingle;as
e novas como especialmente bem
afregoezado nesta praca e cojo arma
tem, tem todas as commodidades para
se morar dentro do mesmo estabeleci-
ment.
Cassas francezas a 840 rs. a vara
Vende-se cassas francezas muito ti-
nas e de cores lizas chegadas ultima- Z-j^'..
mente de Pars, os padroes'vsao de $p&.
muito aparado gosto e quasi ledos Sg
modinbos e de listras e algnmas al ^%
servem para aliviarem loto : s se Sj*
vende na ra da Imperatriz loja dos ^^
gizis o. 88 a 640 rs. a vara.
Chitas a 200 rs. o ovado.
Vendem-se chitas inglezas, padroes
escoro, que nao desbotam, proprias
para o servico de casa a 200 rs. o
covado.
Percales finas a 440 res o
ovado.
E-tas percales despachadas ultima
mente, sao das mais modernas que ap
parecem, de ricos desenhis e fazenda ^i
ujoUj boa pois sempre se venderam v*:
a 560 rs. e boje em liquidado a 400 v
rs. o covado.
Velluda preto a 6#.
Vende-se velludo preto muito su-
perior a 6* o covado.
Fil de seda a i 5000 o ovado.
Vende-so 616 de seda prata com fio- &&
res, proprlo para veos on basquinas, t,^
fazeoda moito boa a 1*000 o co- ^
vado. ^-%
Chitas francezas a 360 e 400 rs. o ;j*,|
cavado.

**:
^
A NOVA ESPERANQA
21Ra do Qiimad21
Esta nova e elegante loja,coofes?ina-se zgrade-
cida pela concurrencia de seus freguezes e queren.
do dar urna prova de gratidao, Ihes ii ver qu-
iera empregado todos os seos evfcrco?, -. uta de qoe
os obj'tos de soas eocommeodas prlmem rm qua-
lidade, gosto e moda, e lerr.ham os mesrnos fngue
tes em taei objectos, por preco qaefiqaem pisca-
mente (atisfeitos e com bastante dlsposcao d
voliarem I
Ciatos l caslelhnc.
Como slo as cousa t At t pouco, es cintos de
Otas oceupavam a attenco de mola gente 1 Ap-
parecern) fitas de mil cflies e quaiiaad?., fivelas
oa carrancas de entras tantas, erara de direcao ta
manhas, a ponto mesmo de tornarse am perfeito
manyrio para o estomago; nao obstaot, dma-s,
a moda, e durou taolo a tal moa.', qoe ja ia
Chindo no ridiculo, tendo deixado (parece; a u.aior
parle das excedentsimas bastante naseada a res-
peito: quando de novo appareceram es m!m cintos a castellano, sao os verdadeiros cintrs, tei-m
am tecldo o mais delicado possive!, sendo tedus
franjados e $uarnecidos de finas cotilas; Boalmen-
te.vtndo-se osfascicadores cintos acasteiiane, p ne-
cessarlamente con.prase ha : teto na rna do Qoei-
mado n. 21, na Nova E-peranr;a.
Espartilbos.
Finos esparlilbos de todos os tam>nhos, vende-se
p-:r pre^o qoe agrada : na roa do QMondo o. 21,
oa Nova Esperanca.
Sapatos e chaposiabos.
" Modernos cbaposiohose sapatos proprioi psra
batisado, por prec tao cemrr.odo, s na Nova Es-
peranca a roa do Queimado c. zi.
0 t tirios i jogo da paciencia.
A AGUIA CR4[\G
A roa de Quc.itnada n, 8.
Aind agora que chegaram
os lequfs eDCon.nundados pela guia
branca
A f uia branca qoereudo variar o goslo e molde
ja iao conhecld. s us leques, fez sna eocummeod
nesse sentidii e Ulvez por essa arieJae de mol-
des o fabricarte oao os lOdf dar mais cedr, pcr<^
agir que tiles acabara de por saiisfeita com tal demora por Isso que os taes
leques da ene* mmemu trieram to bellos dos dese-
nbos como agradaveis dos moldes, cojos elbfltt.
memos sero dividamente apreciados pelos en:eo-
didus pretendentes. A variedade delles nao con-
siste s nos destnbos e Lrraas colase tambem as
diferentes .qu ssotalo, de sndalo e seda, de osso pollido, de faia,
de eb..oo (psra icto) todos de madreperoia e oa-
dreperola e seda.
Assim, pois. qual sera* a excellenllssima qoe ten-
do mermo cinco leques nao comprara' mais om
destes pora complti-r rreia duila T A duvida esia'
em ell* Ver es es belks leques que acabara de ebe-
gar para a 'oja da aguia branca a ra do Quelma-
do n. 8.
N'ewe completo soriimeolo vieram tambem li-
gues para Gjceilss.
Abuudaucia de enfeles para vesti-
dos,
A Agnia Branca a roa co Qoeimsdo n. 8 eslava
belhmtole prvida de eofeites de differentes qoa-
lidades e gosms pira enfeitar vestidos de senhoras
e roop'nhas de enancas e anda assim eila arana
de receber om jotro novo sortiroento de enfeitts
E' ind'spensavel a compra desteji, porque oai moi elegantes, .fodo frarjas, galoes e Iranias com
( um brloquedo iooocenie, comu lamn-.m oa ; v.drmhos e m u tii-s, e aigous cero pingeotes e
laciencia a qufnj nao tem ou augmenta quando i todis de n.v.-s e a^radave's moldea, e desenbos.
ba; vrnde-se dito brinquedo, na Nova E ra do Queimado n. 21. j fazem a destguitaade dos precos qne ero todo caso
Dclicadc^ports-rionios. f5 cemmoeo cerno g*r mente -rtcDbecido
Vendem-se a 10a do Queimado n. 21, na Nova de todos qoe honram a agma branca ama do Quei-
Pg
?:

Esperanca.
Boiras para viagrm
Avelludadas e de lapetes, veodem se na roa do
Queimado n. 21, na Ron Esperaoca.
Para o mez Uariatino.
Pastilbas de agradavel cneiro, para perfomar-se
malo n.8.
A vista do qce, cessoo a falta
h'rtava soccedf cdo qu caprichosamente se pro-
curava orna bella i uqt Dba para crianza e nao se
ahava, isso ptrqoH anda nao tiBbam chegadoas
encciroeodas peU aeuia branca, agora, pera-.
o covado. ^~a/
Cortes de cass* cem 6 varas de pa- fl^-j
di oes bonitos a 3* |&^
Ilaeta azul, amarella, encarnada i^^
^2 e 'erde mnl boa ,aiena a 70 Is- &d,
sv?/\ covado. c*
?M Camisas da mesma fazenda para 2j&8
Szkl servico a 25 cada orna. <%f&
r^ Jaqneloes de bto mull (ores :-V'r
^9 todas ferradas de bata a 5*C00"ca- Mb
m da om, l <$$
i^S Algodaosioho americano moito en- ^jjjg
os santuarios: vende-se na rua'do Oaeitradc n. 21,; aoe ellas aC3t;CD de h'Ka' Para a dla 'Ja. Ia se
P(de segurameni dUer; raeaou a falta. Resu,
pois qoe os senhons pas de familia se dlrijam a
loja da agnia brocea : a ra do Queimado n. 8,
para as diversas qoaiidtdes fscolbereni a que
melbor Ihes agradar.
O bello soriimenid consta de brollas tooqoinhas
decambni?, fil eptito oe crcebe^e todas moi
bem enfeiladas.
lelas de fio ?t Lscos ia rendadas para
Sentares c meninas
Essas. meias fiuas e de grande ton verjdem se
Nova Esperanca.
Bicos e rendas de croeb.
Tem a Nova Esprauca n* roa do Queimcdo
n. 21, um completo sorlimento destfs bicos e ren-
das, e esiS vendendo por P. P. P.Isto por
pouco prego : isto s oa Nova Espcpanea.
Lahjriillio.
Vende se na ru du Queimado o. 21. na Nova !
Eaperanea.
Latas cim fiaa baaha.
tfb wrpado a peca cem 20 jardas a.....^*S^
mS, 7*ooo. ^
S5r Toalbas de Gaimries, de linho ;^-
f$ poro al*. |; m
^^ Carobrias brancas aniladiohas, ^j^;
^5 Proprias para baptisados, tendo cada wgK,
%/ pega 8 lj2 varas a se vende por 3*800 8^
m
e 5, peehiocha.
Casemiras e roopas
feitas naci- *^
$( naes de differeotes preces e qoali- ffig
SJ2 dades. y^
Tar:8lana muito floa, azul, branca, 3BS
rde e cor de rosa. :>;
ver
Chitas francezas para cobertas dos C
mais ricos deseotvs e panno muIj V-^
superior a 380 e 400 r. o covado.
Objectos de caudieires a gaz.
Lamparloas a gaz qoe se venderam
a -' hoje vendem se a 15600.
Rica* lampadas para igrejas, novo
gosto a 20*.
Bocaes de differentes nomeros e
SMS
m

fflS quaiidades aBCO,S;0 e i*
g&
Concertara se cadieiros a gaz com
solidez e promptido.
Chamins de crystal a 4G0 e 500 <&#
i rts.
SSE Estas chamins de erystal, garan-
*';* 'idas pelos meltores fbticantes ta
&fU Europa, lera vantagem.de resi lirem ^
WS& a uma 'UI ardeole, sera que cora fa-
^ra cilidade se rebentera ; s desta lem-
%t Pera se vendem na roa da Imperatriz,
PJ loja de fazeodas d. 28, a 100 e 500
1 M
m

^, rs. e por duzia tem abatimento de lo f*p
feiv Por ceoto.
Cmbraias brancas
para vestidus, lendo cada uma peca
aniladlohas,

sm
Com
(Juro e prata
Compra se por maior prejo, assim como libras
sterlmas : na ra do Crespo n. 16, andar.
BOLIRIRO
Compra-se ura escravo boru bolieiro e papa se
bem : a traiar com Antocio Clircaco MpreiraTea:-
poral em seu escriptorio a la da Ciqz n. 51.
Cjfcrra-se um sobrado de uro andar, on nraa
casa terrea, as freguesas de S. Jos on da Santo
Antcti', e qoe seja em bja ra : a tut.r na roa
da Cruz n. 8 primeiro andar._________
Precisase comprar um Reviere em bom use;
oe&ta typ-igrapfna se dir quem.
Airenda-se
um sitio em Olinda, com bonitos arvore-
dos, boa agua de beber em uma foote que
nuoca seccoo al boje, grande casa de
morada, com commodos para numerosa
familia. Os arvoredos comprjen>se : de
dendfeseiros, cajaseiras, pitombeiras, coqnei-
ros, maogueiras, cajaeiros, jambeiros, li-
moeiros, limeiras, piQheiras,.figaeitas, ara-
?aceiros, goiabeiras, bananeiras, carjelleks,
acafroeiros, mais de cem ps de larangeiras
de diversas quaiidades, um p de louro e
um de ca o, boa baixa para capim: a tra-
tar n'esta tvDoaraDbia.
ATTEN(1.4ii
C>mpra*se uir.a erammaiisa por Ptrtence : na
ra ta Gloria n. 39.
VENDAS
Precisa se de orna an a para casa de homem
solteiro para cosiobar e eogoiomar: ao pateo da
Ribeira n. i3. _______
Seguro contra bgo
1 Aomio Luiz de Oliveira Azevedo & C., agentes
S companhia Fidelidad*, eslabOieoida no Rio de
nelro, tomara seguros covitra fogo em* predio se
mercadorias, em sao eicrljiforlo roa
mero 87. ,_______________^__-
"^ Joaqoim Mauricio GcoQilves Rosas e sua fa-
milia reUram-se para a Europa.
Vende-se uma carroga de conduzir
generes da alfandega em perfeito estado :
tratar n'esta typograpbia
VeDde-se, fomente na loja o. 12 do Passeio
Pablico, de Ileiiodoro Raogel. o vradelro algodo
da Bjhi?, proprlo para saceos de assncar e roopa
de escravos, pelo baratisslmo preco de 500 ris a
vara._____"________ -
Soberanos
vendem-se em casa de Rab Scbmettau & C, ra
da Cadeia n. 18!_____________________^^
'^TAiSaTveode o estabeietimento da rjia do
Trapiche n1_2r_______ ________
Vende-se a uberm da roa da Senzala Nava
n. 9, com pouco? fondo, proprlo para principian-
te : a tratar na mesma.
cajaK 8 l|2 varas, e se vende por 3500, toH"
91
Venderse uma muala de meia idade, cotioba
o diario de uma casa, engeroraa e lava regular-
mente : a tratar a roa de S. Goucalo n. iO.
Vende se meiafSo de uma sa terrea
assobradada, em muito betp local, e com-
motla para familia, vende-se barato: a pes-
soa que quizer dirija-se esta tiypograpbia,
das 8 oras da'mauhaa s 2 da tarje.
Tintura japoaeza
InslaDlanea para ligir os cabellos e a
barba, a I000 o frasco.
E a nica approvada e recommendada por
ter sido reconhecida superior a todas as tin-
turas d'este genero.
A' venda em casa de Gustavo Herven n.
SI, ra da Cadea n. M. _________
Para S. Joo,
Papel arrendado muito bono para inciur bolos,
ven'e-se batato no armazera do vapor ra Nuva
o. 7.__________________________
_~Vende se doas benitas escravas, orna de 9 e
ontra de 18 annos, assim como um mulatinno de 0
anuos : a tratar ns roa da Fogo sohradirho n. b.
Plvora
Alo^OOO o barril
Ue marcas de superites quaiidades dande-se
^postras : na ra do Vigario n. 31.___________
iialoes de 30 arcos a 1$
Na loja das 6 portas em frente do Livrameptj.
Nos armazens de Tarso Ir-
maos.
Do bem conhrcido fabricante E. Coodray, veo
dse a roa do (Jueimado o. 21 na Nova E-pe- lespcialmetta na leja da agola branca a roa do
ranea. Quemado n. 8, aifim cod cmras ditas de sed,
Cosnioliques. >- P*' eeolicrss o n ninas.
Pequeos e grandes v.ndem se, na ra do Quei- Apa3 86 cI'CO Cl)ftl tas fle CHIH-FCa
mado n. 21 na Nova Esperanca. .,ara espaPii|},f.s
Jerdadc.rasrar.aeeoBcniH-a Yendera-sea.ua do Queimado n.8 loja da aguia
vende-se desta ptima grana,arua do Qoe.mado hrin.. "
D. 11, ca Nova Esperanga.
Coteriuhos mo en os.
Os de roellior prsto, vende-se na ra Jo Queina-
do o. .1 ua Nova Espnaci,a.
Agua-divina.
Esta sgoa de que a Nova Esperan? d urna
igeira idea, o termoUivraaesia revelando boa
Reetisaro para luto
A aguia brenca cao deseja que pissoa alpurna
tenba cccaTio de comprar objectos pa Itrio, &c.~
rm romo Iso :remts>ivel e el.a des-ja servir
a t idos es seu; tons fregueit e em tedos os casos,
por i-so m3Pdro v:r. e acaba de receber bentes
'creeos, brinco-, pulseiras, retas lapidadas, alfc
qos idade Na verdade al onde tole chegar a ^ etrvun para rtbg.os fnmos para
p,-rfe.i-ao dotraba ho chimico Trro nuil rhaf (0.-, BolSe para pooos, abertura e collen-
um thelro exilenle e duiadcr, o preknvel ap de
ntios, itc, Me., e lodo du melhor e mais apuroo
mnitcs exiratos; tidos cemo Bocs, tj., profiucio SfSIP cocfl)rB,e ,, g0fm ie dirigir a roa c
do nem eopbecldo E. Goodraj : q-j-lqoer que .- ja QuelJ(Jo loil da ,-,, brai)Ca D. 8.
a anplieac-io, que se loe 66, ver-?e-ha seos mata-; v r
Pentee de tartaruga
vbosos (rritos, tira perf-iumeute sariss, bcibti
Ihas, impigens, vermeihido^s ou quae.-quer ostras
erupoes di pelle, amacia a mesma lraZend belleza prirniivr. aieda um (Xcellente remedio
para tr de cabega al rafsmo encbaqueca?, tira
rugosidadesfortifica o corpo, Cnalmente, creio,
qoe e.-ta agua, faz do veibo um mego e dtste um
velbo.
Os rci-lbores que ti ir. vinio Cts^e pendro.
A agma branca a uta do Queimado u. 8, rece-
t.ru oioi b"ns pontea re lartaruga, sendo :
Para r'esea.barcar c bellos de senhoras.
Oulros para srgorar ralcllos de meoinas.
Ootros do tfnhrar para barba.
* Vend:m-se na ra do Qu?ma;!o leja da gnta
branca n. 8.
CallJcs lorecdis piar r \ip. cha-
po, fie, ele.
Vendem-se ca ra d: Qmiroado o. 8 leja d'gc.!a
Tem cnstantemente os sbj^clos seguint.-s : unos ^nnca
extratos do diversas quaiidades, verdadeira agoa ,.',' *'__ i
deCologoe, agoa florida, oleo de Philooe, verda- tliCgaram OS llfDlt8 ffM flie
deiro rleo de bab sa (para eznnguir ascafpas)! jka;uia ElMIH'a eiH'OIlHMVid^H
banbas de mullas quaiidades, finos aabomies rren i Ra p^,cos t1T,|i5 a A|0J Bwma |Mfc crnJ
A NOVA ESPRANQA
21 -Ra do Quei na co 21
agra1a\o;s cheiros, pes para deut'-s de moitas
quaiidades, opiata ingleza.agoa dentfrica (para br*r
o rr.o b-'litu d; bocea) sabio de espuma (par* ba-
abar se o resto), escovas do m?rlm, sndalo, Lua-
lo e osso (para os lieote) ditas de bfalo e madeira
para ropa e chapeo; linos pente* para alisar ca
bellos, boas tesouras para ur.has e cosluras, 6no'
racivetes p:ra costura, boa tinta para escrever so,
dita para marcar ropa, tintura de multo boa qua-
lidade para Ucgir os cabelles, tecles de.Urtaropa
para alisar; linas escovas para uobas, vaos e pa- ctH odo e.?5-po fi g)S'fC*sa3
c les cem p-s de arroz, papel de multas quahda-l g.ra pr_C?iat>-CU4c
des, enyel.p-es Doos o ordinanos; nnalmeti-. ora j A Br_faa rM (1fQu(,im3liJ u. 8 rece.
completo orumen.o de mmdezas a roa do Quei- L,f _,", ^tmtu de lia para Dmeos e atnfco-
ail t-* I ras. Agora que immeosidade de pessoas se oeeo-
pam ero loovar o mei Mariano, a melhor ecca-
io que. a Aguia Branca arboo pifta se ctgratii-
peqiif na qQatnkiade de coques, que pela oovtdad
de scu^ ir; nc.Cos, n joisridade de tamaebo, e
forma C jota vs, atado*, tiles geralmentu fgrac'r-
rao, pelo que a Agola Branca mandea repetir oc-
tro Igual ortlmento, qu agora acaba de chegsr .
|as'lm partaota pJera ser frvidas ssechoris
qoa as psneuvam, orna vez quo se dirijam a !c;;
da Aguia Branca a' roa do Queimado u. 8.
RtisS e i;-.a
Hap Paulo Cordeiro
Viaja to e nao viajadj
vende-se ma'to h?.rato
lar cora e;sss pessoa-1, as qu;.fcs cenvem comprar
arua oo Qneimado n. l oa bem Mohecida leja da d jas a ;aa Irszerem J
n\i'i,lnHL- .'i V,,'* I. luir i t-. -i ^ r
roiudezas ra Nova Esperan^.
A tvid, Nova n. 28.
Antonio Pedro de Souza SoareV, venie pelos ba-
raiifsimi s precos :
Caixas cem superiores Heras, 30 ncvelks, a 6i0
ris.
Dozlas de cano;s de linha< pre, a iGJ rs.
Linbas do gaz, caixa; de 40 novel los, a SOftrs.
P. cas de utas de lj para debrom sortidos, a
600 r's.
Grusss de b,'i5>s superisres para camisas, a ou
ris.
Ditas do dil. s de apata, a i<-0 rs.
Ditas de dit> de anata do cores, a 320.
Ditas de ditos oe ac para caica, a 2i0 rs.
Dszias de ditos de mofdicba, rara pendo, a -'.
Muitas quaiidades de botoas para toletes e ca-
sacos.
Gravatas pretas e de cores a 500 ti.
Dozias de pares de meias para h.mera, muitj
boas, a 'i:5.
Datias de baralhos franceses, finris, a !{5C0.
Ditos de ditos portoguezes", a l8(K-.
L.tas com superior baoh, a i'j rs.
VidroS com d-ta dita a 48;i rs.
Verdadeira sgui florida, aarrafa a jitiO.
BsCAVzs par ropa, a 480 rs.
Grande sorllmeoto de esceVas para denie--.
Feotes fios para alisar, lluos, dutii; 3$-M,
Sabooeles, dozias 15
Canas de soldad s de chumbo, ICO rs.
Tinteirose areeires de metal, 1.
Canas de obroias de c. II. caiza, 40 rs.
Dilas do dilas de colla com Beques, a 60 rs.
Grande sorlimento de peonas de 600 a i&.
Tbeso-.-ras de ac de 6 e 7 pollegadas a 65.
E-[H!K'S de moldura don rada, cotia a l500.
G an-Je so-limecto de Canleelros a gaz.
IJtULIkj"
Ncs armazens de Tasso Irmaos.
Rap
Vende se constantemente o mrtio soperior rap
das seguales qaalidades : Pnoceza de Lisboa, fioo
e mel grrsso, Paulo Cordeiro, Commum e Viaja,
do, Rolao Francs, Gasse, fioo e grosso, Meoron-
llno o groia) e Pjinceza da Babia; na praca da In-
dependencia o. 5. ^_____^^^
Ps de coqutiros a 400 rs.
Ps do-sarrta? 11&.
Ps de.sapotisi id.
ootros muitas pe le. fricteiras e ludo per
i moi .o diminuto pr#co f na sitio do Abrfg i oa es-
trada nova de O inda jnnto a ponte des Arrom-
bodas.
Em Goianna
VenJe.-?e uma p'ut de un easa terrea toda de
lijlo e cal', eom cacimba e quintal morado, sita
na roa Direita da cidade de Qiianoa, coja tasa
foi da fallecida D. Manoella : quem a pretender
dirija te a ra do Apollo n. 55, qoe achara com
i qoem tratar.
Atten^ao.
Vende-se lorresmos, murcelos e liqgujcas, u ti-
mmente chfgads da liba de 8. Miguel, oo pata-
cho Georgense : na ra da Madre de Dos o. 36 A,
e em frente a roa do Vigario n. 2 oo recreio com-
mercial.________________________________
Vende-se orna oegra m:ca, boa cosiobeira e
enf immidein : i tratar o ra di MMd c. 19
preservados da humlCar. A Agnia Branca a' ra
do Qoeirnado n. 8, attrndendo ao expetto fim para
qoe sa 'i ditas m:ia?, as vender a "i o par, quan-
o <\Wi valtm moiM mala.
Albus.
Sobre elirs -esnecssano a gnia Brenca dizer
mis alguma coosa, porqoj a otilidade dessas
ti ras esta recoobeeida e apreciada per todos, ella
apenas manda dizer a uves os preiendeetes qae
receben nevo sorlimento do bonitos albons da
diversos tappohjs, continuando a veude-lcs por
precos commodos, isso na l.ji da Aguia Branca a
ra do Qoeimado o. li.
I-erro* para iris i* b*fea4i__8
A ilOla Branca,a' ra do Qjeirr.'do n. 8, rece.
beu novo scilunMiio do f iros Ue dffi>retes gr*fc-
sura?. para frisar babadiobef.
Alta noviade
IVeiU'S para vestidus de seda.
A Aguia br?nea tem recebido e vendido no-
merosa quan'.ldade de eoMtdS de diversas quaii-
dades egflto para vc'ildo?, pttra nada lem na-
neo qae se possa igualar oo mesmo approzimar
jos que agera acaba de receber. Esses eofeites de
aj Djvidade sao de om g'fto elevado, tanto por
su nova e bella eompsisao, qce imita a bm tecl-
do de fl'igrao', c?mo mesmo pea acertada e linda
combinico oos descohos. E les servem exceden-
temente para se enterar cota esmero um bum ves-
tido c.m qoe a Etma. lecha Cb ir a algem baile,
assistir o casamento ef., e lora disso para ter en
feladj om oo rcals vestidos com os qoies deixa
palete o quanio sabe apreciar o bom, abresahio-
do assim o tUvado g-iio. Com es^e cimples der
da Agola Etanca nab so podera' fazer perfeito lea
d^ belleza desses noves rufeit-.s; necessario,.
Ga em lTuVlodw"e^'rVaucnIeelroi' !,,$,,Qr?fr-e!ie3'ej,,E v,"l)? Pnia'J preciados pe-
ar., jlus propnos conmcimentvs e lolelgencia das
Eunas. prtenenies, qus hoorura a leja da Agut
Branca a' rea do Qticimado n. 8.
Para piauo, piano e canto e para flact?, roman-
ce?, cansoneta, pbanlaslas, caprichos, ouverturif,
arlas e cavatinas, bymnos. quadrilhas, valsas! i
polkas etc., etc., publicadas oliiinaroeLt no Rio
deJaoeiro acaba de chegar um eraede sirtlmen-r
a loja de lostromeotos de moslca dj Azevedo, i' \
roa Nova o. II_______________
Vende-se o letreoo de mancha n. HE. en-i
tre a roa das Saodades e a ra da ccotinuifao do
becco dos Ferreiros: a tratar oa ra da Crol n I
8 primeiro andar.
, Vende se o eogeobo Paraizo, da fregoezia do j
f>i>Formoso, Siioado a duas leguas do parto de j
enbarqoe e tres da estaco de (jamelleira : a ira- j
lar o roa da Cruz o. 8 ptimuro andar.
V_ilUADSi_<)
Aoo de Milo
ncs irmaiens de Tisso Irmios.
Alieoeao
D. Galharioa Amelia de Carvalhc, Pa-s do Ao- -
drade, vende em peaoecas sirtes de ierra a parte
de seu sitio denominado da Restira, desmembra-
do pe? estrada nova de Bebeni;'.
A. eitbdaapdo terreno, a ixcelleccla ce sua si-
toac> ip'asivel e pitorisi, a rtvidleidade do pre--
gi. ludo copv'da faser- e a aquisico de una por'
tao >os:epllvel da fuimacio de um prqueno siiia.
A escala dos precos sfru' de oro a ires mil ris
ao palma, ectrespeodtodo terrenos de 3CO i 703
ditas de fundo e cco'oime a soa qutlidaae e f.o-
tl?t.
O eogeohelro AoIoIo Peltelaoo Rodrigues See
esta' encarregado das operai.ojs lendeotes a medi-
qSo e Sem*rcsf?.o de rr.e.-mq terreno, Lem como de
tratar acerca dos precos e venda: pode ser proco-
rs# < das otis em seo sitio na estrada dejoi
de arres, ios dWtrfffls no lecal t5o territorio
em qoeslo. -
Vende-se orna porc3o de lenba paraToafia :
bo sitio dos Peiiiobos, entre Oiodi e Beberibe.
\
J IHB 1


MMI^M^^BMBVM

A-
larlo m PeraauMlamco)
i w
rnaml
-lu
anda letra 1 de unUo de 1868.
/
exposicao
De fazadas pretas proprias para a quaresma, ra da
Imperatriz ns. 66, e 72 de Louremjo Pei\ ira Men-
des Guiraaraes.
vovo
Boa-Vista ra da Imperatriz
LO JA E ABMAZEM DA ARABA
w. s e f .
Tendo reeebilo gracde sortiraeno de faiendas
ova?, qoa est Vdndeodo imito barato; para c
trovar, venham que j se poder ver meibor em
presenga dos fregueses.
Admire.
Vendase trim de Harubargo on liso, para lences
oa loaiua?, eom SO vara, a 8S, 9 e 1QJG00
peca.
Madapolo fino a l>t>00 > a pefa.
Von-le se a pega de madapolo floo a 55, U,
sj e iOo o.
Caita* f; anre as filis a 320 ris.
Vende se editas franeeias om a 320, 360 e 400
rtis o envado, e cbuas niaiisadas finas escuras, a
40 e 00 rls. *
Espart Ihcs a 13000.
Vende-se esparticos para enbras, a 4, Si e
J0O,
L tiros brancos a 2i>0 0 a duiia.
V;Die se leocus branca finos, aduzla a 2J5Q0 e
4, ditos de litara a 15, ditos oe esgnio a 7500
8*000. Tude isto ba. na toja do baraieiro da
Boa Vista, que se chama Arara, roa da Imoeralrlz
ts. 56 a 7.
PARA
os moradores da Boa-Vista
Pecblnchas.
Veode-sa pecas de algoziubo americano, a
3*. 6, 7* e 8C00: na ra da Imperatriz ns. 56
72.
Launhas estampadas a 280 res.
Vende-se laiinbas estampadas para vestidos de
ahora?, a 280, 350 e 400 ris o covado.
Eierlleates baldes para seuhoras a i5600.
Vende-se balSes para senboras e meninas, a
*0O, U, ?500 e 3*. Por este prego s vende
o barateiro da Boa-Vista, leja que se cbama Arara,
a ra da Imperatriz es. 56 e 72.
Ra da Imperatriz
Ns. 5G c 9t.
Vende-se palitosiohos de grosdenapoles preto
osito bem enfeiMdos, proprios para senheras e
afumas, e vendo ss rouilo barato para acabar pelo
prende 17,3,18e 203.
A' Bo.i-Y'isla.
Vtndese orgaedins unos de listras e de flores,
para venidos de seuhoras e meninas, a 640 e 720
f&s a vara.
Cortes de cassimiras a 2e00
Vende-se cortes de cassimiras de edres para
caica, a 1/800, 1f e 2S50O, ditos de cassimira
presa para calc^, a 3, 45 e 5'.
Cuitas para coberlas a S2P ris,
Vende-se chitas ramio Anas para cobertas, a 320
560 e 400 ris, ditas a damascadas finas a 00 rls
o covado.
Brim fina a 1260 o covado.
Vende se bnns fines de cores para caigas, a
13283 13600 a vara, e lila branco muito fino a
56O0, 2 1/280 a vara. S nos bem conhecidos
oja e armera chamados o Arara, que se vende
do isto, a ra da Imperatriz ns. 56 e 72, e mais
a-rato do que em outr qualquer parte.
BWM DA ARARA
eom pequeo toque de mofo a l$)0O
a vara.
Vende-se brim transado pardo muito fino
para calsas e pautotots eom um pequeo
Pao fino preto a 4 $300 eovado.
Vende-se pao preto proprio para calcas,
coletes e palitots 10000, i8(J0, 2)5000,
2,5500, 30, 40 e 50 e covado, ra da Im-
peratriz os. 56 e"72.
CALIFOBMA
DE
Fa zondas baratas
Ra da Imperatriz, loja e arm um da arara, os.
56 e 72.
Attenco
Vendem se basquinas redon-ias de grosdenaples
a i preto para senboras e meninas, lazenda muito rica
i e moderna, pelo barato prego de 183 e 20J cada
orna: naiui da Imperatriz, loja aa arara, os.
56 e 72.
Organdys a 640 rs. a vara.
Vendem-se organdys decores p ra vestidos de
senhora, a 640 e 720 rs. a vara : na na da Impe-
ratriz, loja e arm*tem da arara, ns. 56 c 72.
Grande sortimento de chapeos de sol.
Vendem-se chapeos de sol de alpaca prela pelo
diminuto prego de 33600 e 33*00, para acabar :
na ra da Imperatriz os. 56 e 72.
Chapeos de sol de seda a 60.
Vendem-se chapeos de sol de sda de 8,11 e 16
astes a 63, 83, 103 e 123, fzecdi multo boa, para
liquidar : na ra da Iinperatrii, loja da arara, os.
56 e 72.
Barateiro
Na Boa-Vista
Ra da Imperatriz ns. 56 e 72.
Baldes a 13600.
Vende-se grande sortimento de baloes^e 16, 20,
2o, 30 e 35 arcos pelo barato prego de 13600, 23,
23500 e 33 cada um, balSes on.-.io bem feitos e
bem armados, por este prego s na loja da arara,
ra da Imperatriz ns. 56 e 7/2.
Chapeos
Grande pechincha.
Chapeos de sol seda de 8, 12 e 16 astes
que sempre se venderam por 103,120, 14
e 160000, boje a Arara vende a 60 80,
100 e 120000 cada um, por ser nma gran-
de porcao: isto na ra da Imperatriz loja
da Arara ns. 56 e 72.
Chitas fraiicezas finas a 240 rs.
o covado.
Vende-se orna grande porfo de chitas
francezas em retaihos a 540 rs. o covado.
Lazinbas i GaribaMi a 320 ris.
Vende-se lazinbas flan? a Garibaldi, para vestidos
de senboras, a 320, 3oO e 40.) ris o covado.
Chata finos a 50000.
Vende-se chales de mine fios estampados, a
33 e 63000, e ditos de la a 13.
Cassas finas a 2 iO ris.
Vende se cas-as franfiez;,s fiaas, para vestidos
de senboras, a 240, 280, 32 e 400 ris o co-
vado.
Ainda mais pechincbas
Na roa da Imperatriz loia e armazem da
Arara ns. 56 e 72, de Loi>rcnco Pereira
2?
toque de mofo, affianca-se que logo que MendesGuimarSes.
seja molhado tica lirapo, por este pequeo) Ten-Jo receuido diversis qualidades de fa-
defeito vende-se a 10OCO a vara. fzenias pelo ultimo vapor di Europa de qoo
m rg.tadys fiaos a 240. faz menea j d'ell.is ao respeilavel publico
Vende-se urna porfao de retalbos de or- afim de as vender pelo menor prefo poj-
pndys de cores para vestidos de meninas sivel.
a 2iu rs. o covado. CONVSM VER.
Pmmri Ai-i nAAnol cflit3S a 32 rs- c,)V3do.
xiuupa, iit.i UdUiUUdl. Vende-se chitas francezas muito finas es-
.Xe.n,!le'e P3,itots de aIPaca preta a 30500 coras e claras a 320, 360 e 400 rs. o co-
vado.
Ditos de cores a 45000.
Ditos de panno fino preto a 50, 60, 85 e
100000.
Pallitots de m ia casimira para homem a
350C0 e 4:000.
Paltots de casemira a 60, 80 e 1O0OOC-.
Pallitots de brim para andar em casa a
20 e25500.
Calcas de casemira preta e de cores a 50.
60 f 8 00O.
Coleles de casemira de cores a 300 e
30500.
Chitas incaroadas p3ra coberta a 320.
Vende-so chitas finas adamascadas para
cobertas a 320 o covado. Dita de cores a
30 e 400 rs. o covado.
Mocambique de laa a 400 o covado.
Vende-se mocambique do laa e seda para
vsstiaos de senboras a 400 rs. o covado.
Lanzinha de listas para vestidos a 240 e 280
a covado.
Larz'Dhas estampadas finas a 320,
Vende-se lanzinhas finas para vestidos de
sechora a 320 e 400 rs. o covado.
Castor para calcas a 940 rs. o co-
va da.
Vende-se castor para eal?as de homem a
240 e 280 rs. o covado.
Gangss a 400 rs,
Vende-se gangas para caifas a 360 e 400
o covado.
Pecas de brim a 80ooo rs.
Vende-se pecas de brim liso proprio para
BCes ou toalhas, eom 20 varas a 80,90 e
*0OOO.
Lencos de seda.
Vendem-se lencos de seda de cores a 800
e 10000.
CHAPEOS DO CHI A 50000.
Vende-se chapeos do C*iii para homem e
meninos a 50000 e 60090, fazenda muito
boa.
casJaea de qaadrlnhos a 800 rs.
o covado.
Vende-se =casinetas pretas de quadrinhos
para calcas e palitots a 800 rs. o covado, na
?aa da Imperatriz ns. 56 e 72.
Corles de cassa a 20.
Vende-se cortes de cassa para vestidos a
20, 2500, 30 e 40.
Mciis para senhora a 4ooo a
dnzla.
Vende-se meias para seohora a 40, 50 e
ftj. Ditas para meninas a 10. Ditas para
taneos a 50 e 60.
Anda resta
afcons bales do preco de 10600 e 20o:o,
porque esto se acabando as lojas e arma-
vm da Arara, roa da Imperairiz ns. 56 e
ICE
Lanzinhas em retaihos a 240.
Vende-se urna grande porc) de retaihos
de diversas qualidades de lanzinhas para
vestaos de meninas a 240 rs. o covado.
Carteiras para viagem a 10.
Vende-se urna grande porcjto de carteiras
proprias para quem viaja guardar dinheiro
ou letras e papis de valor, c;ue p lo pre^o
que a Arara vende ninguem deixar de com-
prar ra carteira segura a 10, 10500, 20
e 20500
Grosdenaples pr6to a 40280.
Vende-se gcosdenaples pre.o para vesti-
dos de senhtra a 10280,106(.O, 20, 20500
e 30000 o covado.
Grande novidade.
O proprietario das lojas e armazem da
Arara, ra da Imperatriz n. 56 e 72, teodo
recebido pelo vapor que chegou no dia 5
do correte mez diversas quaiidades de fa-|
zendas entre ellas urna caisa de chapeos de
sol de seda, verdadeiros de para qualida-
de muito superior, sendo a seda muito en-
corpada e armaejio dobrada, que vem a ser
astes de duas canas, os mtlhores chapeos
que tm vindo ao nosso mercado tendo 12
e 16 bastes.
Ninguem deixar de comprar um chapeo
d'estes depois que vir a quakdade e preco
qae 120 e 140000.
D'esta fazenda por este barali-simo preco,
s as lojas da Arara, ra da Imperatriz ns.
56 e 72.
Cassas francezas fiaas a 640-
Vende-se cassas novas para veslilos de
senhora a 640 o covado.
Lanzinhas da quadrinhos a 240 o
o covado.
Vende-se lanzinhas para ves!idos de se-
nhora a 240, 280, 320 e 4(0 rs. o co-
vado.
Chitas para coberta a 320.
Vende-se chitas adamascadas para cober-
tas a 310 o covado.
Casimira preta a 3000 corte.
Vndese cortes de casemira preta para
"calca a 30, 40 e 50000.
Pana preto a l 800 o corado.
Vende-se pao preto para calsas e pali-
tots a 10800, 20, 20500 e 30000 o co-
vado.
PARA ZO INTERNO
PREPARADOS SIMPLES,
Xarope de jarubeba garrafa......... 10ooo
Vinhode !->6oo
Plate de > vidro......... 106oo
Tintura de 64o
Extracto bydratcoolico de jambona 1205oo
PREPARADOS COMPOSTOS.
Vinbo de jurubeba ferruginoso garrafa. 20ooo
' Xarope 106oo
Pillas > tidro... 20ooo
Oleo de jurobeba vidros.... 64o
Pomada de pote...... 64o
Emplastro libra..... 205oo
PARA UZO EXTERNO
A JITRUBEBA.
Esta plantaje boje reconbecida como o mais poderoso tnico, como mn exces
lente desobstruente, e como talapplicada nos engorgilamentos do figado e baco, na-
hepatites propiamente ditas, ou ainda complicadas eom anazarchas, as inflammacea
subsequentes as febres intermitentes ou durezas, nos abeessos internos, nos tumores es-
pecialmente do teroabdomen, nos tumores glandulosos, na anazareba, as hydrope-
zias, erysipellas; e associada as proparaces ferruginosas, ainda de grande vantagen,
oas anemias, chloroses, faltas de menstruac3o, leucorrbeias, desarranjos atnicos do esto-
mago, debilidade orgnicas, e pobreza de sangue, etc.
O que dizeraos affirmara os mais distioctos mdicos desta Gidade, entre os quaes
podem os citar os lllms. Srs, Drs. Silva Ramos, Aquino Fonseca, Sarment. Seve, Pe-
reira do Carmo; Firmo Xavier, Silva etc. Todos elles reconhecem a excellencia' d'este' po-
deroso medicamento sobre os demais at hob ronbecidos para todos os casos citados,
tanto qiae todos os dias fazem d'elle applicac?/.
Apresentando aos medico e ao publico em geral diversos preparados da jara-
beba, ttvemos por firn generalisar mais o uso d'este vegetal, fazendo desapparecer a
repugnancia que at hoje sentiam os doentes de usar dos preparados empricos d'elle, o
mais das vezes repugnantes a tragarem-se, e que tinham ainda a desvaattgem de nao
ser calculada a doss conveniente a applicar-se, o que torna muitas vezes improficuo um
medicamento, que poderia produzir ptimos resultados.
Os nossos prepados s foram apresentados depois de havermos convenientemente
estudado a jurubeba, fazendo as experiencias precisas para bem conhecer as propriedades
medicamentosas d'esta planta era snas raizes, lolhas fructas- oa bagas, e a dose convenien-
ea appcaco, tendoalm d'isto procurado levar os nossos preparados ao raaior grao de
tperfeico possive!, para o que n3o poapamos esforcos, nao nos importando o poaco la-
cro qae possames tirar.
Por tanto os que se dignarem recorrer aos nossos preparados podem ter a certeza
de que elles offerecem a garanta, de que se pode encontrar a prompta e infallivel cara
de qualque dos soffnmentos, que deixamos innamerados, se forem ea tempo applicados
tendo alm d'isso, medico ou doentea vantagem^de escolher as nossas variadas prepa-
races, aquella que melhor Ihe pod9 convir, j pela fcil appcacao, e j pela complicado
das molestias, id ide. sexo, ou ainda nalureza de cada individuo. "
As nossas preparaces ferruginosas s5"feitas do forma qae se tornam completa-
mente soluve-is nos suecos gstricos, porque procuramos os composto de ferro que come
taes esto hoje reconbecidos.
Para aquellos que mais mimiciosarento>queirara corrbecer as propriedades da
jurubeba, e saberem a applicac5o ds nossos preparados, destribuimos gratuitamente
em nosse deposito um folbeto. onde tratamos raais extensamente d'esta planta e dos &<>
aos preparados,
Deposito geral de todos "os preparados
iisofa c drogara
34-Ra larga do Rozario34
Chocolate vermicida
DE
Antonio taes de Castro.
Desde 1857 que sao as tabellas vomicidas
applicadas em Portugal, como o remedio
prompto e efficaz para a expuls"ft das lom-
bi igas, que lo graves padecimento causam,
e qne qaasi &empre se suppoe ellas a ori-
gem.
Esto virmifugo e prefervel a qualquer
outro pelo seo agradavel paladar e fcil ap-
plicacSo s enancas, as quaes, geralmnte
85o mais atacadas de semelhante mal.
Aos agricultores
Saundurs Brathers d C. acanam de recebei
le Liverpool vapores de forja da 3 a 4 cavallos
eom todos os perteces, e mu proprios para faze-
'.i'! mover njacliinas de descarocar algodao, po
endo cada vapor trahalbar at eom 140 serras,
aiubem servera para enlardar algodao, ou para
antro qualquer servico oin que nsam de trabslnar
;om animaos. Os mesmos tambem tm a' venda
oachinas americanas de 35 a 40 serras.
Os pretendemos dirijam-se ao largo do Gorpo-
ianto n. 11.
Baratissimo
Calcado nacional na fabrica de Jos Vicente Go-
dinbo & C, a ra do Jardim n. 19, avlsam aos
seas fregueies desta capital e do interior, que con-
tiDuam a fabricar calcado emola eseala, e offere-
cem as melhores crudicBes, tanto em prego e qua-
lidade : os proprietarlos d'este estabeieeimento
chamam altengo dos senhores consummidores do
interior, que os quizerem honrar cora sua fregu-
na, especitlcando enf seus pedidos a qualidade e
numeraeo, 0fferece3d0.se para os entregar bem
acondicionados em casa de sens correspondentes
n esta praca.
Collares Eoyer
On Anodiaos ekjctricos'magneticos
Keposito acreditado
foja da aguia branca ra do Queimado n. 8
Apregoar ainda os prodigiosos effeilos dos
-ollares Royer j nao ensinar ou quere*
iatroduzir novidades, porque a fama de sua
efflcacia tem-se tanto estendido, e os seus
elrzes resaltados a tal altura elevado, qne
ooje rara a pessoa que por experiencia
ropria, ou por intermedio de seus amigos
3 parentes, ignore oa desconhe;a as virtu-
des desses sempre apreciaveis collases
Royer..
A aguia branca porm se gloria de coneor-
rer para um to justo fim, se nao por on-
ro modo ao menos por ter sempre, e con-
antemente um completo sortimento desses
collares magnticos, que bem se podem cha-
marsalva vidas das crianfas.
Resta ainda que os senhores pais de fa-
mia se facara convencer ,de que conven
lao esperar qae as criancas sejam atacadas
Jo mal, e por isso necessario oa conve-
niente qne eom antecedencia se deite na
enanca um desses collares para assim estar
ella preservada das convnlcSes e se contar
livre dos rigores da denticao.
A agnia branca roa do Qoeimado n. 8
continua a receber por todos os vapores
rancezes a qnantidade que ha contratado e
por isso acba-se ella sempre provida dos ver-
dadeiros collares Royer eletricos
ticos.
0 cfcdeiro prevideiite
Na antiga loja de miodezas a roa do Qoei-
mado n. 16.
Esas antiga e bem conbeclda loja de miadezas a
roa do Qoeimado n. 16, scba-?e receotetnente pr-
vida te muitos e dlffereotei ohjecto de gosto e
novidade, assim eemo esto' igualmente sortida de
todos os artifos que propriameote pertencem a
miudesas^ pelo que o Cordeiro Providente espera
de sua boa e constante fregoezia, a conttnoacio de
sna valiosa protesto, nlo olvidando elle soa iosepa-
ravel mansidio, unto a condescendencia e agrado
de que oso bous pastare*; assim, pois, compate-
cim os velhos e novos freguezes que serio satis
feitos a contento.
Rovos e deligados leqnes
O CorJelro Prevldente, a' roa do Queimado o.
16. recebeu novos e delicados leqnes coja varieda-
de dego:toeqoa4tidesos tornam recommendados
sendo :
Todos de sndalo eom bonitos lavores.
Ootros de sndalo e seda eom lindos desenbos.
Ootros de dito dito enfeitados c^m lant'joulas de
ac e dooradas.
Ontros de osse polifilo imitando marflm e igual-
mente modernos e enfeitads.
Ouiros das qualidades cima cem os memos en-
feites e desenbos para meninas.
Outros pretos para lulo.
Outros Uoilmente de malreperola eom ricos dese-
nbos para noivas.
A visia pois de tio bello e completo sortimento,
da prudencia dos pastores e da mansido do cor-
deiro prevldente a roa do Qneimado n. 16 indis-
pensavelmente qoem se dirigir a dita loja sera' sa-
natatoriamente servido.
Copos e latas eom banha fina e entras
superiores perfamarias.
O cordeiro prevldente a' roa do Queimado n. 16,
acaba de receber um novo sortimento de perfuma-
ras Boas, Inclusive os bem ennhecidos copos e la-
tas eom binha Ana. Especificar os nemes de to-
dos os objectos se tomara enfadonbo o ler esse ex-
tenso cat-ljgo, assim poi- Dea issosopprido eom o
dizer-sn qne qoem quier se prover em boas e no-
vas perfomarias dirija-se a roa do Qoeimado n. 16
loja do cordeiro prevldente.
Tonqnishas de cambraia bordadas e
enfeitadas
Outrae de 016 e e renda tambem bordadas enfei-
tadas.
Ootros a ponto de crochel,
Oairjs de cambraia bordada e a forma de chapeo
sfnho para bapiisados.
Essas bon tas e bem enfeitadas touchinhas ven-
dem-se na ra do Que'mado loja do cordeiro provi-
dente n. 16.
Guarnieres de filas para enfeiles de
vestidos
O cordeiro previdente receben nltimamente no-
vas e lindas guarnicoes de titas para enfeites de
vestidos, consistindo ellas de urna pega larga para
a barra, outra eslreita para o corpo ou basquioa,
e ambas guarnecidas eom nma tranca tecidada
mesma Ota, e oulras eom nma lista de setira no
centro e os lados eom listas imitando cordo, enjo
alto relevo rooiia grasa Ibes da' e melhor apreciara*
a iotelllgencia da pessoa que se dirigir a loja do
cordeiro previdente a roa do Queimado b. 16.
Franjas, galea e trancas para
eueikes de vestidas
O cordeiro previdente recebeu novamente nm
bello e variado sortimento de franjas, trangas e
cales de seda eom vidrilbos, pingantes e sem el-
les e proprios para enfeitar vestidos de senboras,
meninas etc. O apurado gosto dos novos moldes e
a belleza dos desenbos tornam essas obras sotu-
rnamente agradaveis, em quanto que a eommodida-
de dos precos anima o comprador e prover-se sa-
tisfateriamonte em dita loja do cordeiro previdente
a ra do Queimado n. 16.
llico e rendas rfc gnipnre
G^cordeiro previdente a roa do Queimado n. 16,
esta' bem prvido de novos e bonitos bicos e ren-
das de guipare : assim pois coraparecam os pre-
tendentes que sero bem servidos.
Vovos albnns.
O Cordeiro Previdente, ra do Qoeimado n.
16, recaben novo sortimento de lbncs de diversas
tamanhos e segura eocaderoagao, e como de seo
bnvavel costme, vende-os por pregos baratis-
simo?.
Coques novos eom lindos moldes.
O Cordeiro Providente, rna do Qoeimado n.
16, recebeu novos coques, cuj is tamanhos regula-
res, e forma concava tem Ihes dado geral estima,
agradando a todo a novidade dos desenbos. A
quantida3e pequea, e por Isso os pretendentes
dirija--se qnaoto antes dita loja do Cordeiro
Previdente a ra do Qaeimado n. 16.
Finas meias de la para horneas e
senhoras.
Em aporopriado tempo o Cordeiro Previdente
recebeu Qoas rupias de laa para homens e senbo-
ras. E principalmente approprado o lempo, por-
quo milhsres de pessoas freqoentsm orovavelmen-
te o mez Mariano, e a todos convm trazerem os
ps aquecidos eom essas finas meias de laa, e em
attenco a to
se contenta eom
ri ditf s meias a ifi o par, enja verscidade conbe-
cer quera se dirigir a ra do Queimado, loja do
Cordeiro Previdenie n. 16.
Ferros proprios para encrespar baba-
diohos
O Cordeiro Previdente, a' ra do Qnelmndo n.
16, recebeu novamente esses precisos e procurados
ferros para encrespar babadiohos, e como sempre
conlinna a vende los por preeos rasoaveis.
Lealdade
ialvpcntili 70.
O proprietario deste estsbeleclineoto ten a hon-
ra de levar ao condimento de respelttvel paMieo
qne acaba de receber pelo nt*T1Sr Imam-
de e variado sorlimento de mn.lWtor2.
Usas, como sejam : *^ "* "^
Cintos
Keqnisslmos cintos eom pontas sem ellas a-
feitados eom vidrilbos, tanto pretos como te'ae-
res.
Paoboo Ufa
Lindissimos punbos coos gollioba bordodae et>
Sno panno, assim cerno finissimos entremelot 1
babadinbos;
Theafouras
A? perfeltas thesonras de poro ac para untas
eustoras, bem etmfo caivetes de cabo f* marta
e madreperola, garntese a qaalidade.
Pentes
Um grande e variado sortimento de pentes pwa
cor e tambem para alisar, sendo de borracha,
marflm e batato.
E8COV88
Finas escovas para fado, onbas. dentes eabel-
f de todos os tamanhos de varios precos.
Luvas
As verdadeiras lovas de Jonvin a 0o de eseoefa
branca, de cores e pretas.
Perfomarias
Dos roedores perfomistas qne tem parecido
como sejam : Sociedade Hygenlca, Piver, LnWm
Coadrat. eomesliqne grandes e pequeos
Espelhos
Com os melhores vidros qne posslvel te qot-
dro, caiza e tocadores de todos os tamanhos.
Coqnes
Lisos e enfeitads eom muito gosto.
Leer es
Lecres de sndalo de moito boa gosto, os rae-
Ifaores qae tem vindo nesie genero.
Enfeites para vestido
Um grande e variado sortimento tfe fita de sar-
ja e seda lisa e lavradas, tranjas de seda, laa e
algodao de todjs as larguras e outros mntosart-
gos que se tomara' enfadoobo mencion-tos, mu
que sao indi.'pensaveis a formar o perfeito toille
do bello seo._______^^
VajrOres.
Vende-seem casa de Sannders Brothers &
o largo do Corpo Santo b. 11, vapores pat
om todos os pertences proprios para azer m
es on qnatro machinas para deacarocar alg
Jos Germana
|RA NOVA N. 21,
acaba de receber am lindo e ma-gnifico tw
tinento de oculos, lunetos, binculos, do ni
timo e mais apurado gosto da Europa o oeo
los de alcance para observares e par* a
martimos.
yiNdE QUINQUINA
t
Com Malaga e Pyrophosphato da ftmi
Este vinho foi preconizado por toda a empr*DM
medical como sendo o mais poderoso toniaa
emprcgado para curar a Chlorosis, Anemia
Exhanstacao do 8AKOUB. Deposito geral na
Pars, em casa de Larencel, pharmaceati-
roguista, ra dos Lombarda, 4*.
Deosito oa pbarmacia teP. Matnrer
. em Pernambnco.
?eoicnio
Cemento bydrauco da melher qn?'dade par*
edifleagees n'agua, taaqnes, algeroees, asseoiamM-
los de cano?, etc., em barricas grandes, a 12,
Dito commum on romano a 105.
Em porgao superior a S(. barricas se faz ana
Oillerenga no prego conforme a quantidade :
iAAL m mam
magne-
M
"wo e grande deposito de superior canflo de Cardiff na
Bata,
Em casa de Theo. Just, no caes da Alfandega
yema, vendem-se superiores machinas de costura
la acreditada fabrica dos Srs. Planer Brannsdorf &
G. de rsaw-York, por pregos rasoaveis.
Luvas de pellica a 2$
r.iLS'S6.*"1' damPer'riz n. 64, acaba de
receber pelo vapor Ooeida, um completo sortl-
aentoje lajrasje pelllcaje^ores para senhoras
Farinha de mandioca
,Jnet? kV TS"e ,oa(>olm J Gongalves Bel-
1&LmA d,br,|09 AM"^, ondeado defron-
\l htt d E,m' bari, d0 L"amento : a
ratara bordo on n roa do Tranlcha n. 17.
Nos armaren t, Tas O Irnrtmi.
. m GAZ GAZ
Uiegon ao antigo deposito de Heory Forster t
TrUat '"Piador, um carregamento de gaz d
2 ,^,ha flu"*".o qoal se vende em partidas
a retamo por menos Dreco do una em nntr* n.
iner parte.
menos prego do qne em ontr* GMDIS DE FERPO
para jardins, portelras, etc.
aty ^rmaieas de Tasso^rmos
Farinha de mandioca
de Sarjla Catharioa a bordo do palacho hes-
panhol Mfrceditia fundeado na volta do For-
te do Mattos, defronte do trapiche Bar5o do
Bar5o do Livramento.
T
A venda
Snfiffi'a,em p,r* TMdar M1a J^
ftejel 17 ^ "crtpiorio roa do Tra-
4?S!Ieo. C "odos: na roa da Cfoi o.
_. NA
-Botica da roa larga o Rosario-34
BARTHOLOMliU 4 C
Aos Srs* fogueteiros
SaperlorimaUue farra
Dla dtu co.
Mitre NAmOa de f serte.
Enxofre em tobos.
*5ESruffFfLn'* "de
aisr~
{fec HaHMi ds Timo Iraies.
Ka rna do Qnelmado n. 49,
Loja de miodezas de Jos d'Azeredo Haia e Silva,
Apresenta de novo a tedos os seas fre-
guezes os seguintes obiectos e miudezas
bom flm o Cordeiro Previdente tn^AQ nn.n, n ,,:, kn..J,> ""uucue,
um hmitadissimo Incro. e vende- WOsno\Os C multo baratos,
a saber:
Varas debico brancez a 40 rs.
Carretis de linha de 400 jardas, fabri-
cante Alexandre, 200 rs.
Caixas de obreias de massa, 40 rs.
Ditas de ditas de colla. 80 rs.
Carretis de reros preto com duas oi-
tavas, 500 rs.
Duzia de agnlhas para machina 2l00a
Dnzia de linha de 2C0 jardas, propria
para as machinas, 1200.
A libra de pregos francezes de todos os
tamanhos, 240 rs.
Duzia de tesooras ordinarias, 480 rs.
Redes pretas para cabello, fazenda boa,
320 rs.
Grosas de pennas de ac muito boas.
480 rs,
Caixa de linha de gaz com 30 noveHos,
500 rs.
Livros com eslampas para meninos,
320 rs.
Ditos para rol de roopas, 120 rs.
Dazia de m ias para senhora, fazenda
boa, 4#O0O.
Pecas de fita de 13a de todas as cores,
GOO rs.
Grosas de botoes de loo$a lisos, 160 rs.
Caixas de papel amizade muito fino,
700 rs.
Ditas de envelopes contendo 100, 700 rs.
Resmas de papel almasso maito fino,
3,5000.
Pares de botoes para pooho moito aos,
120 rs.
Talheres para meninos, fazenda fina.
240 rs.
Toalbas de labyrinto muito superiores,
gravatas pretas e de cores maito finas.
500 rs.
Carretis de liaba imperial com 100 jar-
das, 30 rs.
Cordfies e fitas proprias para eipartilbos,
00 rs.
Duzis de meias croas moito finas, 6601
Resmas de papel almasso pautado, 44009.
Dazia de baralhos irancezes moito fios,
28C0.
Latas com superior banba franco,
320 rs.
Fraseos om agua para dentes moito fina,
500 rs.
Ditos com oleo do babosa moito
320 rs.
Garrafas com agua florida verdasMra.
*S0.
Machinas para descarocar algodSo, do mt
Ihor autor, que tem apparecido na America'
E' tal a execacao do macbinismo, que o al-
godao sahe qaasi Ufo perfeito como o debo
landeira. Recommenda-se a attenco doi
Srs. agricultores, estas machinas.
Greve lito e
Irruios.
Pafiei de fttmo.
patudo: nos araaitas eTasso
VINHO m porto im
De 1858.
armiiMsde Taaso
-


I
Em barris e ancoretas nos
irados.


1
k
4.


h

f

\

\
I i
l
Marte de PuiurtiM nef uda letra ir de Janho e 1868.
*"
'"
i ii i,.
LOJA DO GALLO VIGI
LflNTE RA DOCRES
PO N. 7.
Os proprietarios deste bem conhecido es-
tabelecimento tem a satisfago de levar ao
conhecimento do respeitavel publico qne ac-
bam de receber pelo ultimo vapor da Euro-
pa om completo sortimento de objecto sde
aparado gosto e de inteira novidade; ,'os
quaes est5o resolvios a vender por pre-
Co* mui razoaveis, como sejam :
Lindos cintos com pootas, bordados ve-
drilhos, fazenda qne nao haver quem con-
teste ser a melhor qne ha neste artigo, isto
6 na loja do Gallo Vigilante, ra do Crespo
0,7.
Leques de madreperola, sndalo, marfim,
madeira e osso, ele, com lindos desenbos.
iuarnlccs de palhas,
Riquissfmas guarniges e trancas de finas
palbas de Italia, com vedrilno, pingentes e
sem elles, outras com botoes da mesma
palta muito proprias para guarnecer vesti-
dos, chapellinas, etc.
Lindas bulsnb3s ou cabases para as me-
ninas trazerem nos bracos, cada qual mais
bonita.
fffesonras.
Finissimas tesouras para unhas, costuras,
cabelleireiros e aifaiates, as quaes garanti-
mos ao comprador a sua boa qualidade.
ftTavaltias.
Superiores navalbas. com cabo de tartaru-
ga e marfim as quaes os fabricantes garan-
ten).
Lnvns.J
Lavas de Jovivin, cmurca e de seda brao*
cas, pretas e de-lindas cores.
Pcntfes.
Grande variedade tanto para coqnes como
para alisar cabellos e a barba, ditos para
arregacar cabellos," sendo de tartaruga e b-
falo com pedrinhas e sem ellas, etc.
Port Ronquis.
Muito lindos port bouquets com cabo de
madrepirola, propriospara ca?amentos, bai-
les etc. etc.
Escovas
Finas escovas para roupa, cabello, chapeos,
nchas, dentes e para Kmpar pentes.
Abofnadrirss
Lindas abofuaduras para rolletes, punhos
e collarinhos.
Perfumarlas
Finas e de todas as qualidades e dos me-
mores perfumistas at o presente conhe-
cidos.
Collares de Royer
Eletncos magnticos, contra as convul-
soes das creaDcas e facilitar a denticao das
mesmas. Ja tao conhecido < s prodigios
destes collares anodinos que nao ha quem
duvide de seus efficases efTeitos, e o Vigilan-
te, sendo recebedor destes collares, tero
sempre grande quantidade-em deposito, isto
so na loja do Gallo Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
11-Ra do QueimadoH
AUGUSTO PORTO* C.
Receberaas os mais superiores vestidos pratos bordados e oatro, sendo todos do metbor
gorgaro.
So per ores sedas preta*, raoretoiiqoe e grosdeoaple para ves ti Jos.
Vestidos de biood par notvido com mantas e capailas rlqolssimas.
Froohas de cambraia de liobo bordadas para cama de ooivado.
Toalh; s de cambraia de. linbo bordadas.
Colzas de seda para cama e ditas de croeb com lindos desenbos.
Cortinados de -ambraia bordados para camas e janellas. < .
Lindas basquinas de seda preta para senhoras. ;,'
Sedas de listas de cores e ditas Bzas molla lindas. -
Tapetes para sof', para camas, e pianos e tapetes peqnenos e para entradas de porta de sala,
alcatifas e tpeles em pecas largas e estrellas dos melbores gostns e qaalidades.
Malas para viagens nos vapores a' Europa superiores saceos pequeos lambam para
Tlagem.
Camisas ingle zas de 1 di o para bomem.
Ricos vestidos bracees de camna bordados a' agolba.
Casemiras pretas e do cor para roopa de bomem, pannos Anos pratos e azaes, bombasinas,
merinos.
Crim de liobo brasco e de cor, cambraia, silecias, organdys brancos e de e6r, las de diversa
qaalidades e muilas que Augusto Porto <& C, vendem por commodos precos para agradar aos-seus
freguezes.
Cootioaam sempre a ter o melbor sortimento de
Esteiras da ludia para forrar salas.

DO
PECHINCHAS
que se liquidam a dinheiro
=
LOJA E ARJIAZEM
bo

.
PA
Roa da Iroperatrix n. 60
nm nuiu u mm

H
SCCESSOR DE
AMA 4t SILVA.
M r 9 f>rPrietarl0 d e*te graDde estabelecimento tem resolvido vender todas as
uas razendas rautto mau baratas com o flm de apurar dinheiro, e diminuir o grande de-
posito que tem das mesmas, dando de todas ellas amostras deixando ficarpenhor assim
romo manda as levar em casa-das excellentissimas familias pelos seus caixeiros, e parti-
pa as pessoas que negociara em pequea escala, que neste estabelecimento enconiraro
Bffl grande sortimento de fazendas de lei como de pbantasia e fe Ibes vender pelos mes-
P precos que cMapram as casas inglezas, ganhando se apenas o descont.
O II de chevre de Pavo a
I 500.
Chegon o poil de chvre de cma s cr
e mesclado proprio para vestidos, que se
i vendem pelo barato prego de 1500 rs, o
covado ditos com listas de seda fazenda mui-
to bonita a 10000 na loja e armazem
granadinos com 10 varas a
50000 rs.
Chegaram os mais modernos vestidos de
organdy, teodo esda um 7 pannos e cada
panno com orna bonita lista, e 3 varas lisas
da mesma fazenda para o corpo, tendo o
competente enfeite para corpo e mangas, e
entro elles muitos c co e listas pretas e vende-se pelo baratissi- polao tafesjub a 8^000 na loja do Paviio.
mo
preco de 54O0O o corle.
As camhriii s li/.ss do Pavo.
Enconlra o respeitavel publico neste es-
tabelecimento, um grande ortimenlo, das
mais unas cambratas brancas, secdo suisfas,
inglezas, tanto tapadas como transparentes,
que se vendem mais barato que em outra
parle, por baver um grande sortimento
ri'este genero.
Vessidos de phactfasla a 5ooo
Sendo pechihcha que se liquida
na loja do PavSo.
Vende-?e nma grande porgo de vestidos
Para o tratamento e cura rpida e completa das molestia syphititicas, ,eris-e-
, rhenmatismo, bobas, gota, debilidade do estomago, inflammaces chrooicas do figade
ibaco, dores sciaticas, cephalalgias, nevralgias, ulceras ebronicas, hydropesias, plenri-
das, gonorrheas chronicas e em ge; al todas as molestias em que setenha em vista, apa-
iScacao do systema sangnineo.
Conslderaeea geraea
A sande um bem inapreciavel, cuja importancia e valor s est reservado ao em
termo o avalia-lo.
incontestavel que o homem neste mundo constantemente, e por todos os lador
itacado por urna nnidade de agentes morbficos que todos tendem, dadas certas e doler- de cambraia"bord'a'doT^o'm li n ras
ainadas circomstancias, a alterar o regular exerciciodas funeces orgnicas, resultaDbo enfeit-'s de cor pelo Laratissimo nreco de
?esse desequilibrio o_ que se chama-mocita. 5$ cada corte, '8tndo fajeada que nunca se
A molestia nao emais do que a desvirtuado das torgas vitaes, occasionada,- d venden por menos de 10a e 12(5000 norm
jtmdo as investigacoes e experiencias dos mais abalisado mestres da sciencia, pela depm-|jqUidam-se por este diminuto preco nara
*ac5q dos humores geraes, consequencra da aegao maligna desses mesmos agentes mora e acabar,
icos Btrodnzidos no organismo pelo acto da respirado, pela via digestiva, pelo contacto
aimediato etc. etc. etc.
A syphilis infelizmente tem sido a partilha da humanidade, e como tora de dnvi-
la qne esse terrivel Proteo da medicina urna molestia hereditaria, ella tem sido obser-
'ada em todas as idades, e debaiio de todas as suas formas to variadas, enfraquecende
onstituicoes robustas, produzindo mntilaces, e cortando ainda em flbr da idade vidas
preciosas.
Eliminar da economa esses principios deleterios. e purificar a massa geral do
tumores tem sido desdo tempo immemorial o fim constante da medicina, e os purgati-
vos figurara, em primeiro lugar para preencher esse desiteratum ou fim.
O Elixir depurativo do Dr. Sevial parece merecer a preferencia sobre todos: os
Camisas de meia a 640 rs. s o Pavao.
Vende-se camisas brancas de meias mui-
Vende-se superior madapolo francez en-
festado sendo mnito boa fazenda e muito
encorpado, tendo 24 jardas cada pega pelo
barato preco de s000, assim como ven-
de-se meias pecas do mesmo com i 2 jardas
a 4^000, grande pecbincha na loja e ar- enfeitadas
mazem do Pavao roa da Imperatriz n. GO.
A; LAAZINHaS DO PaVAO A SCO RS. OCO-
VADO.
Vendera-se as mais bonitas lacsinhas pro-
prias para vestidos sendo padroes muitos
delicados e r-nra 15a, tendo entre ellas todas
as cores, que se vendem pelo barato prego I
de 360 rs, o covaao, na loja e armazem'
do Pavo ra da Imperatriz n. 60.
Algodcslubo CBeslado aa
loja do paTao.
Vende-se superior algodaozioho america-
DO com 7 palmos de largura rroprio para
lences, sendo liso vara a I^.CO e tran-
cado sendo muito enco' pado vara a f 280;
assim como pegas de algodosinho com 20
to finas o sem mangas j-elo baratijsimo pre^, jardas e '> prroca de lorgura, pelo barato
urna ou tima dozia por prego de 700 a pega, na loja e armazem
para ho- (lo Pavao ra da Imperatriz n. 60.
7^000 ; assinreemo me'as escoras
mem por terem um toque de mofo 1^600
a dozia; pecbincha, na loja e armazem do
Pav5o ra da Impera'riz n. 60.
Cortes de cassa a 3fit'C0 na loja
Vende-se cortes de cassa cada um em
i Im
0
No armazem de fazmdas dt
Santos Coelho,ra do Quei
mado n 19.
Bou e barato
Lv.sicba mezclada fazenda iutelrameote nova a
700 rs. o cjvado.
Dita poil de chevre a 900 rs. o cavado.
Basquinas modernas e snperiur fazenda a 30.
Cortes oe organdys branca mnito fina a 9J.
Cambraia tranca transparente tina pecas com
iO jardas a 3, (3, 73, b,l e !?.
Dita dita lapada muito aa a 7^500, 83, 83300
t9fOL0.
Dita Diu diu para forro pe?a com 10 jardas 3.
Dita dita adamascada para cortinados peca com
JO var*si23,
Dita de linhnmoito Gna a 93 a vara.
Raines s iS a 30 reos a 23.
Ditos de 40 e o arcos a 43.
Di'os de murgollna e>nus a 'OO.
Saias bardadas a 43SO.
Pit d iioho com .lpicos 'a 900 a vara.
Dite de dito liso a 700 a vara.
Tariatana de cores a 800 rs. a vara.
Flanella de cores a 900 o covado.
Cindos bareges para vestidos a 700 rs. o covado.
Bramante de linbo com 3 palmos de largara a
13-''0 a vara.
Dita de dito com 10 palmos de largara a 33 a
vara.
Madapslao superior de G, 73, 83, 93, 10, H#
123.
Atoaibado aJam3?cado de slgodao com 7 l\1
palmos de largura a 23 a vara.
Dito dito de Iioho com a mesma largara a 33-
Aigodo entestado proprlo para loa 1 has e len-
jots a 13100 a vara.
Coberta; de chita de ramsgem a 23600.
Celias de fu-to a 63.
Len^es de bamburgo dellnho a 25400.
Ditos.debramante de. Iiutu a 33^00.
Esparthos tinos a 3.
Pannos de l adamaicadC3 p;ra mesa redonda
43500.
Gaardanapos de linbo adamascados a 43,
Toalbas de Iioho alcochoadas a 115 a duzia.
Ditos de algoio felpados a 125 e 143.
Lencos de cambraia branca finos a 13800
23&0, 35200 e 356O0 a dflzla.
Camisas francesas mnito finas a 325 a duzia.
Dita inglezas de linbo a S05 e 603.
ColaflnDos de linho mnito Bnos a 65 a dozia.
Assim como ootras manas fazendas que se
irende por menos que em ootra qualqaer parte, e
da'-se amostras de todo.
mmensos successos obtidos pelo uso deste salatar agente tauto na Allemanha, como em- sea pape', sendo fazenda muito fina o
?ranca e Italia, o tornam c companheiro ioseparavel de qoasi todos os doentes.
Sendo as molestias, como cima dissemos, devidas s alteraces dosiiomores, c
Slixir depurativo do Dr. Sevial pode ser eapregado vantajosamente na syphilis, erisy-
pelas, rheumatismos, bobas, gota, debilidade do estomago, inflammaces chronicas do
igado e bago, dores sciaticas, cephalalgias, nevralgias; ulceras chronicas, hydropesias,
?!enrisias, gonorrheas chronicas etc. e em geral em todas as molestias em que se tenha
im vista a purificacao do systema sanguneo; pois que nma pratica constante tem feito
'or que elle iudispensavel nos casos gravissimos para minorar os soflrimentes, pre-
parar o doente para medicaces superiores; e as menos graves a cura a cense-
raencia do sen uso, convenientemente repetido.
s substancias que entram na compoeico do Elixir depurativo do Dr. Seyia
ertencem todas exclusivamente ao reino vegetal, e grande cathegoria das substan-
as depurativas e anlisyphilicas; assim, ao .pas o que este remedio depura o orga-
iismo, eliminando os priucipios nocivos saude, pelo mecanismo natural das evau-;
i^oes alvinas, neutralisa ao mesmo tempo o virus syphilitico quando este virjem.
;am feito erupcSo ro exterior debaixo de suas multiplicadas formas; e previne tau>
)em bs estragos dessa terrivel molestia, quando por ventura se ache ella' ainda nc
stado de encubado, isto sem se ter manifestado sob formas externas: beneficie
amenso, tanto mais quanto ueste estado os individuos ignoram completamente se e-
0 contaminados por este terrivel inimigo.
O sabor agradavel d'este Elixir convem- a todos os estmagos, a sua accSo sr>
>re o tubo intestinal suave e benigna, e de uenhuma forma produz molestias med-
lamentosas, como acontece ao purgante dito Le Roy, que na sua qualidade de dras-
;ico forte irrita a mucosa intestinal, e consecutivamente a* seroza, resultando deste es
tado, muita3 vezes, hydropesias, que quasi sempre terminam pela morte do doente.
Assim pois esperamos que o uso deste remedio justifique cabalmente as nos-
asseveracSes, porque sendo um medicamento to simples na sua composifo, a
em confirmado sua utilidade. .
Cnico deposito em Pes'nambnc
Kca
Na botica e drogara
DB
Barthotomeo Compcmhia.
ja-
droes mu:to delicados pelo barato preco de
33000 ditos com listas largas e modernas a
46000 o corte ; na loja do Pavao ra da
Imperatriz n. 60.
O aloslhado do Pav5o.
Ven'te-se superior ajochado de algodao
com 8 palmos de largura, adarrascado a
2S20O a vara; dito de linho fazenda muito
superior a 3/200 a vara ; gaardanapos de
linho adamascados a 4500 a duzia e mnito
finos a 80C0, e ditos econmicos a 3,5500
a duzia.
As lazinhas lizas do Pavao a 320 rs.
Vnde-se as mais bonitas e-modernas
lazinbas de amas cor imitacSo de poil
de chevre liso tendo entre ellas as cores
O-ibfaiss de Salpico
Vende-se flnis>imas pessas de Carabraias;
brancas com salpico, fazenda muito fina, cora'
8 varas, pelo 1 aratissimo preco d>' f^lOOOrs. i
nol/'ja do Pavao, ra da Imperatriz no.CO,'
de Flix Pere;ra da-Silra.
taz?yitas para o invern
a 2:5OC0rs, o Corte na Loja do Pavao.
Vede-se supericres casemiras escuras da
de ltu e bastai/te encorpa-?a propria para
Caifas, palii, e coletes, pelo barato preco
de 2:l0rs. o Corte de calca ou 1#400rs.
o Covado, tendo duas larguras; be grande
pecbincha, na Lija e armazem do Pavao ra
da Imperatriz eo.60, de Flix Peieira da
Silva.
lpicas para luto na Lj de Pa*o.
Chfgou hnm bonito Sortimento ^'Alpacas
pretas para luto com listas e lindos lavo? res
brancos, qoe se vendem por muito barato
preco na laja e armazem do Pavo,- roa da
Imperatriz bo. 00. de Flix Pertira da Silva. I
34RA DO ROSARIO LARGA34
NOVAMENTE CHEGADAS
do
AO ARMAZEM
Plvora em latas
AotODio Cesarlo Moretra Das, contina a ven-
der este genero, tanto em latas de libra como de
meia libra e qoartos, eem barril : em seseserip-
lorie a' roa da Cruz o. 50, i* andar.
A' na

de ou ves
luperalris ns. 4 e
e padaria fraicea.
Tendo-nos chegado ltimamente fazendas irteiramente novas, por isso convi-
damos por este meie ao respeitavel pnblico, a qoe nos procure a comprlr fazendas de
bom gosto e por precos que nao achara em outra qualquer parte.
Vende-ge piche ao ,gaz proprio para
asphalto, calafeto de canda,
aasoalhados, assim como para rebocar
cisternas, condactorea d'agaa,
etc., etc., em grosso: ns fabrica do gaz, e
a retalbo, do armazem da Bolla amarella,
travessa do Imperador.
Admire m !
Madapoles finos a H, 6, 7(5 e 8(000 rs.
s no armazem do Le5o.
Chitas escuras de padroes lindos por pre-
co de 30 e 3oO rs. o covado.
Cassasas de cor coro palminbas e com lis-
tas de diversos padrds a 240 e 320 rs.
Lanzinhas ciuzentas e cor de boninas a
320 o covado.
Chitas claras miudinhas a 320 e 360.
Alpacas pretas e de cre lindas proprias
para vestidos a 68a, 700 e 800 rs.
Bramante de linbo proprlo para lences,
superior qualidade, pelo d'mmoto preco de
1,5800,23 e 202CQ a vara. Pecas de algo-
diosinbo superior a 5, 5i500 e 65.
Pecas de cambraia transparentes a 40, 50
o 60. Por este preco admira a todos 1
Cortes de casimiras de-quairinbos e listas
a 20800 e 35000. Corpinhos brancos para
senbora a 30 e 33200.
Cortes de usta"o para coletes claros e es-
curas de padroes lindos a 15000,
- Adnrira ni'
Tambera tem para acabar pecas de panno
de linbo, com 27 varas, a 170 e 180.
Toalhas de linho para rosto a 10 a dozia.
CAMBRAIA PARA CORTINADOS
Pecas de cambraia para cortinados com 18 va-
ras a S$5(M) a pessa : roa da Imperatriz n. 48 e
Si, junto a padaria franreza. loja do Leo.
AOS SRS. ARMADORES DE ENERROS
Vendem peca? de holianda preta com 40 cova-
v a 530OO : na ra da Imperatriz n. 48 e 3i, junto a
p darla franeeza, loa do Leo.
Attencjo roupa fertaf l! no armazem
do LeSo, roa da Imperatriz ns. 48 e 52.
Assim como temos um grande, completo
e variado sortimento de roopas feitas: pa-
litots sacos, sobrecasacos, fraques, jaqaetes,
caigas, coleles, camisas, sertinlas, chapeos,
etc., tudo por preces que admira 1 f
Tem tambem um sortimento do roupas
ordinarias por preco baratissimo.
Acaba de ebegar a este armazem bonito
sortimento de cortinados bordados de ricos
gostos pelo admiravel preco de 1505OO e
150000.
Admira!!!
Gravatas de seda a 500 rs............ \ No armazem do Leo 111
Golinbas bordadas a 511() rs. 1
Lazlofiag a SO r. I
Laaziohas a 200 rs. 1 I
Laazinhas a 260 rs. I I
No armazem do Le3,
rives e padaria franceza,
No armazem do Leo 111
No armazem do LeSo 111
No armazem do LeSo 11!
ra da Imperatriz ns. 48 e 52, junto loja de oo-
nais lindas que vierto ao mercado e ven- 8jRf a- prets do Pavao vara a 40Crs.
dem-se ptlo baratissimo prego de 320 rs.
o covado, assim ctmo ditas matizadas muito
lindas pelo mesme prego, na leja e armasem
do Pavo ra da Imperatriz. n 60.
s niaoguilos com gtlinlias do
pava a \s\\!-a.
Vende-se os mais modernos manguitos
com gollinhas sendo bordado em fina cam-
braia, tapada e transparente, pelo baratis-
simo prego de ltioo o par; assim como se
vende modernos punhos com gollinbas bor-
dadas em esgoio de linho, tanto brancas
como de cores, pelo barato prego de 1,5000
o par, grande pechincha na loja e arma-
zem do Pavo ra da Imperatriz n. 60.
LENCOS BORDADOS PARA MAO NA LOJA
DO.PAVAO A 800, RS. 15000 E 2,3000.
Vende-se os mais delicados lengos borda-
dos para mo pelos baratissimos pregos de
800 rs. l000e 20000; pechincha, na loja
e armazem do Pavo roa da Imperatriz n. 60.
Granadines.de pnantasia para vestidos
a oflO rs. o covado.
Pbrcsram as mais bonitas granadinas transpa-
rentes eom as mais Modas listas de seda de todas
as cores sendo esta nova fazenda mnito propria
pira ve^tides de assisiir a bailes, casamentas etc.,
etc., e vende se pelo barato preco de 500 r. o
covado oa a 7JC0Q o eorte com i covados : na
loja e armazem do Pavao rna da Imperatriz n.
60, de Flix Pereira da S;lva.
Coates a 3500
Vendem-89 chales de merino lisos com franjas
de rt-troz tendo de todas as cor*s peto barato pre-
co de 3A500, pecbincha : na loja*e armaieio do
Fa-vo roa da Imperatriz n. 60, de Flix Pereira
da Silva.
Lescss brancos de cambraia de linho
. a 335O0 a dozia.
Vendem-se superiores lencos de cambraia de
linbo pelo baratissimo pr^co de 3#S00 a dozia,
grande pechiocba : na luja e armazem do Pavo
roa da Imperatrtt n. 60, de Flix P. da Silva.
Leecos broncos a 20 a dozia.
Vendfcm-se lencos brancos de cassa pelo bara-
tissimo preco de 2 a duzia ; na loja do Pavao
rna da Imperatriz n. 60, de Flix Pereira da
Sftva.'
Pechlncha em salas
a 30DOO, 30500 e 40ooo.
' Saias a 30ooo,
Saias a 3#ooo.
Saias a 3|JI5oo.
Saias #305oo.
Saias a 35oo.
Saias a 4#ooo.
Saias a 40ooo. Saias a 4ooo.
Chegaram para a loja do Pavo as me-
lhores saias brancas de cambraia com boni-
tas barras com pregas, tendo altara e roda
muito suffieiente, de um s panno, que se
vendem pelo barato prego de 3|Joo rs. Di-
tas mais fin s a 305oo. Ditas mais finas
com pregas bordadas, qoe se vendem a 40.
E' grande pecbincha, no armazem do Pavo,
roa da Imperatriz n. 60, de Flix Pereira da
Silva.
Cas*?s bordas para cortinados a
9*000 a if m.
Vender finissimas pegas de cassas bor-
dadas propias para cortinados, tendo i5
viras GKh pega, pelo baratissimo preco de
90000, peebtocha na loja do PavSo ro de
Imperatriz n. 60.
Vendem-se cassas pretas lisas sendo mui-
to boa fazenda para vestidos pelo baratissimo
prego de *< O rs. a vara, dita com lavores
esalpicos brancos, sendo fazenda muitu ma-
is fina telo baratissimo prego de 50Prs. a
vara, assim corro Chitas pretas lisas frnce-
zas e com flores br ncas pelo barato prego'
de 300 e 3t0 rs. o cevado, na lija e arma-!
/.em ('o pavo. ra da Imperalris n. 60. de'
Flix Pereira da Siba.
Peehlflcha em madapolo oa loja do Pao a 60,1
70, 83, 9^ e 100000. ,
Vende-so tima grande porgo dos melho-1
res madapoles que tem vindo a este mer-!
cado, pclu barato prego de 60, 1&, 8&, 90
103000, a?sim como ditos muito finos sen-
do pegas de 41 jardas por prego muito ra-
zoavel, na loja e armazem do Pavo ra da
Imperatriz n. 60.
As Lrotinhas do Ptio com 30 jardas' I2000.
Vende-se pegas de bretanha de linbo fino
muito proprias para lenges, camisas, toa-
lhas e saias, tendo 30 jardas cada pega ou 25
varas, pelo b;raissimo prego de 120000 a
pega, por se ter comprado desta fazenda urna
grande porgo, grande pecbincha na loja
do Pavo ra da Imperatriz n. 60.
feckincha cm chapeos de sol de seda
inglezfs com i 6 basteas a 100000.
Na loja do Pavo vendem-se os melbrres cha-
peos de sol de seda inglezes eom 16 basteas, sen-
do us melhores qoe tem vindo ao mercado, pelo
barato prego de !0C00 cada um e sem deleito al
puro, sendo f^jenda qoe nunca se venden por me-
os da tiJOGO a 163?;00 : na leja do Pavo, roa
ca Imperatriz n. 60, de F. Pereira da Silva.
Cortina-ios para camas e ja-
nelas oa loja d PavSo.
^ende-se um grande soriimento dos me-
lbrres cortinados bordados, proprios para
camas e janellas pelos barato- pregos de 100,
150, 200 e 250000 o par; damasco de la
para colchas a imitago de seda com 8 pal-
mos de largura, colchas de croch para ca-
mas de noivos, ditas de fusto, brancas e de
cores, crochrs proprios para sofs e cadei-
ras de balango e para cobrir presentes, isto
na loja e armazem do Pavo ra da Impera-
triz n. 60.
KOVIDAiE -
LOJA DO PASSO,.
Rna do Crespo n A esquina
da do Imperador.
Este eslatelecimento acaba de receber
pelo vapor francez Guienne, riquissimos ar-
tigos para casamentos, bai:es, visitas, ele, os
quaes s?o de alia novid<"de e ultima moda
em Pars, como sejam :
Lindos cortes i'e blonds cemo espellas,
saias de setim e manas.
Riquissimos cortes de seda com lindos
matises.
Cortes de gase de seda, para bailes, visi-
tas, etc.
Corles de tariatana, ultima moda.
Cortes de cambraia branca bordados.
Cortes de barege de seda para bailes.
Grcsdenaples de todas s cores.
Alpaca de cores, tltiraa moda.
Riquissimos barquines, ultima moda.
Lindos chales Gallilo, novidaces.
Riqusimas chapelinas de plha e de seda
com gosto.
Lindissimos enfees para cabeca de se-
nhora.
Ricas camisas bordadas para senboras,
assim como para homem.
Lindos vestuarics de cambraia para bap-
tisados.
BalSes brancos e de cores, co'chas de
crochet, cintos, leques de madreperola, sn-
dalo e osso, percales, cambraias de cores,
esgoioes, madapolo, etc., isto s na loja
do Passo, roa do Crespo n. 7 A.
Toalhas de labyrinto para baptisados,
lengos de dito, e rendas e bieos da ierra,
fronhas de labyrintbo para ca amentos.
Rival sem segundo.
El qtieimando ledn b m o barato para
acabar efazer novo soriimento de miudezas
de todas as qualiddes, podem vir ver o
qoe bom muito barato.
Pares de sapalos de tranca para meni-
nos, 10 rs.
Rico preto para todo o preco.
Pentes volteados para meninas a 320 rs.
Sabonetes muiios fines, a 60 160 200
20 3:0 e 500 rs.
Foros de fil pa a mcolna, a 320 rs.
Tbizooras muito fitas para unhas e cos-
tura, a 560 rs.
Pa^ de sapalos de tranca e tapete mui-
to linos, a 10800.
Frascos grandes cora Unta muito preta
irg'eza. 50i)rs.
Pentes prctos com chapas de metal, a
500 rs.
Varas de franja branca s lioo para toa-
lhas, a 160 rs.
Livros das mSsoes abreviadas, 20 rs.
Botoes para vestidos de todas as cores e
barates.
Escovas para roopa muito finas, 500 rs.
Caitas de alfinetes franetzes muito linos
a 120 rs.
Mseos decontas pretas miudas. a 120 rs.
Frascos deagea colonha muito fina, 500 rs.
Caixas com 6 frseos de cheiro muito
fino, 800 rs.
Ditas eem 12 frascos, 105CO.
Espelbos dourados mnito finos, 15200
Caixas de fosforr.s de seguranga, 20 rs.
Qoadernos de papel pequeo muito bom,
20 rs.
I Navalhas cabo de marfim que se garanto
a qualidade, 25 rs.
Libras de la para bordar fazenda fina,
Caixas de clcheles muito grande que a
vista faz f, 120 rs.
Baralhos fraocezes mnito finos, 2C0 rs.
Carriteis com reiroz de todas as cores a
40 e 80 rs.
Novellos de linba que tem 400 jardas a
80 rs.
Sabonetes inglezes muito finos a 500 e
10 rs.
Papalinas de todas as larguras e todos os
pregos.
Pessas de babadinhos estreitos com 10
varas, a 800 rs.
Retalhos baratos.
Vende-se porgo de retalhos de chitas,
cassas e lanzinhas por prego moito barato :
na loja e armazem do Pavo ra da Impera-
triz n. 60 de Flix Pereira da Silva.
Cassas suissas a HO rs. o covado
'avo.
na loja
Chegaram as mais modernas cassas suissas
com as cores e desechos mais lindos qne
leem vindo ao mercado e vendem-se pelo
barato prego de 360 rs. o covado ou a 600
rs. a vara, assim como ditas verdes, com
delicados desenhos a 800 rs. a vara.
Cassas escos^ezas a 280 rs. o covado,
Vendem-se cassas com desenhos escosse-
zes pelo baratissimo prego. de 280 rs. o co-
vado.
Os tapetes do Pavo a 300000.
Vendem se os mais bonitos tapetes pro-
prios para sof da largura de quatro cadei-
ras, assim como'ditos mais estreitos pro-
prios para portas e jaoellas, que se vendem
mais barato que em ootra qualquer parle.
Pao fresco, ora luvenco
Grande Btiar, roa Nova n. 2022, ebegoo a es-
te estabelecimento machinas para amassar farioba
para pao e bolinbos; e sao de tama vantagem que
nioguem deixara' de comprar, principalmente mo-
rando fora da cidade.
Vinlio tnico nutritivo
DK
QUINA ECACAO
DI
BUGEAUD
Esta nova combinacao rene em ama bebida
ass agradavel e conveniente a todos os organis-
mos, a qoina qoe um medicamento tonteo por
encellencia, e o eico qoe contm principios nu-
tritivos assas reconbcldos.
Elle se emprega com o maior successo. na cora
das plidas cores, soffrlmentos do estomago, perda
de ippetite, dlgestdes dificultosas, menstroaedet
difflceis, etc. etc.
Deposito especial na pharmscia e drogara da
BarinolbooMt & C, roa larga do Rosario n. 3t
S



Diario de Pernambnco -
------^------------- .5 "; "i tu.
f nada felra i de tunho de 1868.
A^lHRIFi CFRU IFyKi\T!V\ in-ijde petes mlicos qim o leS|ratado. toda sidoexploradas por maisde ara scalo, experiencia, qae tem de presidir a wsss
/ftJjiJJlIlLLi \ Uhl\ \U LitiUlOU 1 1 1 l.t % i-nrnmi.ttlMia ru.li.ii lloJ>n.l.i i.a a u CMARA DOS SRS. DEPUTAD)S
SESSA'i EM 18 DE MAIO DE 1868.
H
PREi)SKCIA DO SR. HI.VEIRA LOBO.
(Con//nifo).
Aomeio dia, frita a'namala, veriflca_-3e
haver numero sufliciente e abre-se a ses-
Le a se uMpMr-is actas das ante-
- cedentes. \. \ ,__
O Sr. Iosecretario dtenla doseguite
EXPEDIENTE
Um oflr.io do ministerio di imperio, en-
riando a copii do deorato pelo qual S. M
o Imperador houve por bem declarar, que a
, peaso de 500 r.6;s concelida ao cabo de
esquidra do i natal ti3) d\ iof Hitara, com
o amada Antinio J > e Santa R)sa, fu
concedida aocabo daequadra Antonio J>o
da Santiago.tendo tuvid) equivoco acerca
do sobreo ne. A cooiuiisso de pensas e
ordenados.
Outro d) mesmo ministerio, envan lo a
copia do dec.eto, polo q tal S. M o I ope-
rador houvc por bem elevar a 500 res a
ptnsode 40J rcis diarios eoncaiida a S :-
baslio Constantino pelo decreto de 21 de
jost) do anno lindo.A meama cimmisso.
Outro do mesmo miater >, commuuican-
0 que S. M. o Imperador (ara iuta'rado
ds pessoas quecompoem a mesa desta (ja-
mara no presente miz. Inteirada.
Sele do mes i.o mi listen >, enviando offi-
cosdas presiden i is djs provincias do Cea-
ra, Minas Gares, Miranbo e Bauia, bem
como todos os papis relativos s alegues
primarias das pjrocbias da Tena, Can nJ,
Villa Vio asa. Granja. Iboass, Quiseramo
bim, Pertiro, Villa do Prata, Nossa Seubo-
ra do Nazareth do Mearim e S. Bartholomeu
de Piraj. A coumi-so de poderes.
Cinco do Io secretario do senado, parti-
cipando qne o mesmo sen ido a doptou e
vai dirigir saoceo imperal as resoluges
que autorisam o govern ? a mandar matri-
Liilar os estudautes-An^onio Manoel da Cos-
ta Guimar^s, Esperidio Luciano deJ-Sus,
Francisco Rolngu*. Gumares, Jj5o de
Miranda da Silva Res, Miguel de Oiweira e
in, V-rgilio de Andrade Pe. soa e Valen-
tim Aotoaio da Rocha Bitfanconrl. Intei-
rada.
Oatro do mismo sejretir'o participando
que o senada adoptou e va dirigir sane-
cao imperial a resoluto que autor.sa o go-
verno para c needer isengio de dire.ilos por
trinla annos corap-mliia Aquaria de Santo
Amaro, da provincia da Babia, para que
.possa importar livre de oireitos o material
necessario ao encanamento das aguas e cons-
t:uccao de seus chafar.zes.Inteirada.
Outro do mesmo secretario, participando
que por officio do miuisteno da fazenda,
constou ao senado queS. M. o Imperador
coasente na resolucao da asseraola geral,
q leautorisa o governa a coaceder iseicSo
ua todo e quaijuar direito de iiiapoi tagl
para os objectos qae forem importados pela
:ompanhia orgaoisada nacida Je d> Recife
para a ronslrucga da estrada de ferro de-Si
cladea povoaco de Apipucos Inteirad.
Oatro do mesmo secretario, enviando a
copia autoctica gelo oificial-raaior da se-
cretaria do mesmo sealo, da falla cim
que S. AI. o Imperador eocerrou aprimeira
sessao da dcima terjeira legisl tara. In-
le.rad.).
Qualro dos Srs. ministros da marinha,
jastiea, agricultura e guerra, pedindo dia e
fiera para apresentarem os relatnos das
suas reparticSas.Mirca-se o dia de boje, a
urna ora e tres quarto>< para o piimeiro ;
(toas boras para o segando ; duas horas e
cmqaarta para o terctiro, e duas e meia
para o ulli-no.
Seis reqaerimeotosjtje )qs Laii Campos
do Amaral Fiiho, Paul nft.de liveira e Sou-
za, Antonio Teixetra Peixcto Guimares Ja-
r ior, Manoel Carig Barauna, leronymo
Vaz deCarvalbo eJos Pedro Xivier da
Veiga, pedindo serem matriculados era di-
versas academias do imperio.a commis-
s'o de iostracQlo publica.
Outro do conselbeiro Dr. Pedro Aolran da
Matta Albuquerque. pediodo ser jubdado
como lente da faeuldade de dir to do Re-
cife com todos os s;us vencimentos. A'
conmissloda pea.ojs o ordenados.
Acham-se sobre a masa, e vao a imprimir
para entrar na ordena dos trabalbos, as se-
guimos propostis do governo, convertidas
em projectos de-le pela respectiva eomoais-
sao :
Acommisso de marinha e guerra, a
quena foi presente a proposta do poder exs-
eulvo para a fixacao da forcji naval do impe-
rio no anno Qaanceiro de I8G9 a 137 ), de
parecer que teja a referida proposta con-
vertida no serite projecto de Ici. A con-
raissao re?erva-se para oppnrton imeale dar
as razes justificativas da proposta e minis-
trar cmara as informado3s que Ihe fo-
rem exigidas.
Accrescenta-so proposta:
A afsambli geral legislativa decreta :
Art*. Io, 2oe 3o (cima se acbam na
proposta.)
a Sala das commisses, M de maio de
18(58Cosario AlviaBuarque de Macado
J. B. Madureira.
A commisso de marinha e guerra, a
quem foi presente a proposta do poder exc-
cutivo para a fixacJo das forcas que devem
constituir o exercito no anno Qaanceiro de
1869 a 1870, de parecer que seja a re-
ferida proposta coQFortida no seguinte pro-
jecto de lei, reservando-se a oramissao
para no correr dos debites, ministrar a c-
mara as informai,es que lhe forem exigi-
das.
i Accrescenti-se proposta :
A asserabla geral legislativa decreta :
Art. Io e V (como se ac'iam na pro-
posta.)
Sula das ommissoes, 11 de tcaio de
1368-Buarque de acedo 3. B. Madu-
reira Cesario Alvim.
L se e Oca adiado, por peiir a palavra
c Sr. Teixoira Giimaes.o seguinte pare-
cer :
.a A' commisso do polica mi presente o
requerimenlo documentado d> offlcial da
secretaria'desta cmara, Matroel Augusto
Barbosa di Veiga, qae sa ac!aava com li-
cenca na provincia de Minas Geraes no in-
tervalh da sesslo ultima, o qual cendo
acommettido de rbeumitismo gotoso, nao
pode comparecer no primeiro dia de ses-
sao preparatoria deslc anno, por se acbar
entrevado, como se acaa corroborado pelos
attestados medicas qae jaotoa; e por isso
pede a ata augusta emura mais oito mezes
deiieenca com o seu ordenado e gratifici-
co, para poder conseguir o completo re3-
tabeleeimento de soa sade, como lhe
A comnai-sjode poji:u, aiiendeado ao3 e as da Babia sao da raoeols <'ata: dasorle
motivos allega 1 s, qa'e'obrijjaratn 6 refer- qusem igual extensSo de terreno hi mais
do olial a n3o coaparecar no dia ena qae porcisaprveitafeis nestM do qua naquel-
flndou a saa licenca, pel impossibilidade las. w
em que se acha ,de fazer a viagem deiMinas' A palatra, eontioiian4o> ,ae se le na lei,
ai esta corte, e ao conselha qu> Iba d&o devia traoqaillisar-iw, por isso qaetxclae
os f;'ca!tativos de permanecer por espaco'a creacSode disposfejo nova ea revogacSo
de oito mezes na dita provincia, t mpo na- do decreto citado. Todava, conhectodo as
cessario para aproveit r o uso dos banhos intcncei do inspector da miaba provincia,
sujphuricos de Caldas, de parecer : | apezar de n5o haver na lei disposicao algu-
Io Que se cenceda a llanca por oito ma que expressamente.revogue o decreto de
mezes, coji o ordnalo someote, oara tra-'stembro de 1852. propuzuma emenda que
tirdesuisilenaDrovioiia do Minas Ge- declama terminantemente em vigor tal de- pretendo agora dirigir ao Sr. ministro da,
rae?, a contar de 2 i de abril do corrente! creta. i fMenda. Desde j declaro, para evitar sos-
ana i a a oftial da s ^retara desta cmara, I O Sr. ministro da fazenda teve muita pres- ceptibilidades da illustre maiona, qae n5o
Manoel August) Barbosa da Veiga, que sesa em responder ao insigniflcaflte tpico do jna cen8ara oeste reqaenmenlo.
acba en :arregado de fazer o expediente e a' meu discurso, que dizia respeito lista civil j pareca que a camira nao pJe deixar de'
contabilidad j ; da casa imperial, objeclo a que alias so de approa-lo, vista do estado anormal da gran-1
2 Que emqtnnto durar o sai imped- passagem me refer. Mas era-lha mister ler! da parte da provincia de Minas, qne se dedica
ment, ao olbial que o substituir se abane urna carta de S. M. o Imperador, dirigida a j industria da explorarlo dos diamantes. A
a gratifluacJo qua aquella receia de fazero^. Exc, carta que devia fazer calar os meas' questao nSo interessa nicamente ao muni-
reforiBcs : mas como liberal de outra es--
cala, e como* presidente de ama caara
municipal, nao poso concordar com essa!
duutiiia. Eateodo que as cmaras mere-'
cem maisconsiderac5o, tanto o mereca a1
de Diamantina, quinto presta va am ser vico
ao governo manifestaodo-the os embaragos
serios com que lutava a admioistracao pu-
blici e estado anmalo daquella localidade.
Dirijo-me, portanlo, a esta cmara pe-
dindo-lhe que aprove o requerimento qae
rxpedien'c e a coutabilidade. a contar da
1 di abril prximo passado ;
i 3 Finalmente, que se ofi; e ao gover-
no para dar disso conbecimeuto ao minis
terio da fazenda.
< Paco da cmara dos deputajos, 10 de
mai) de 18i. Francisco de Paula da Sil- J
veira Lobo, presidile Aat'n o da Fon- j
se;a Vuan, i"Secret rio Jos Avclino a emenda,
assomos democrticos. Quanto miaba Cjpj0 ja Diamantina, e qae n3o de peque-
emenda, apenas ponderou qua era de sim- na monta/como bem o comprehender quem
pies redacg5o. J os membroj da commis- notar qne o diamante oceupa Imja o primeiro
s3o me haviam dito amesma c-osa, pedio-1 |0gar na relag3o dos valores da exportado
do-me que a relrasse, visto ser simplesmente 0 paiz. Estas quest5es nio se refeiem so-
Gurtrel do Amaral, 28 secretario.
Lose, julgi-se objecto de deliberarlo, e
a pelido do Sr. Buarque dispensa-se da
impressia, para entrar m ordem dos tra-'cepcSo; mas felizmente existe nos Anmes
Dal m, o projecto com que conclue oseguin- da cmara dos deputados, posso, pois, pro-
interpretativa e estar bem ciara a le.
Nada mais desejava ea. A declaracSo
de S. Exc. fixava o sentido da lei: retirei
e tranquillo relirei-me para a
minha provin.ia.
O discurso de S. Exc. nao foi publicado
no Jornal, o que causoa-me extrema de-
le parecer.
A commissS > de penses e ordenados,
a quem foi presente a petico do Dr. Luiz
de Carvalho Paes de Andrade, ajudante do
inspector da alfandega de Pernambuco, em
que solicita urna licenca de um aono, com
todos os seus vencimentos, pjra tratar de
soa sale onle lhe convier; considerando
<]ue o referido doulor se acba ellectivamenta
enforma, como prova com documentos va-
liosos que juntou sua petico, de pare-
cer que se adopte a seguinte resoluto:
v assemhla geral resolve:
A t. 1." Fica o governo autorisado a
conc;der ao Dr. Luiz de Carva ho Paes de
Andrade, ajudante do inspector da alfande-
ga de Peroambuco, um anuo de eenca com
t)dos os seus vencimentos, para tratar de
suasaJe onde lhe cjnvier
i Art. 2. Ficam revogadas as dispoa-
roas em contrario.
t Sala das cammisses, 13 de maio de
18(58.Cassiano.JooTeixeira.
Lm-sejifgim-se ob]ecto de deliberac,
e v3j a imprimir para entrar na ordem dos
trabalfios, os Begointas pr.jectos:
A assembla geral res'dve:
Ai ligo nico. Fica o governo autorisa-
do a mandar admittir no qaadro edectivo do
exercito, no po>to qne actualmente oceupa,
ao brigadeiro honorario bario do Triampho.
commandante superior da guarda nacional
do Rio Paido, na provincia de-S. Pedrjdo
Rio-Grande do Sul.commandinte geral das
cavallanas doexer ita brazilero em opera-
co'S contra o governo da repblica do Pa-
as disposices em con-
revogadas
var o qae acabei de dizer.
Quanto ao motivo das minhas appreben-
ses, era o seguinte: logo que foiapresea-
tado nesta casa o projecto da comisso de
orcamanto elevando os diversos imposlos,
recebi cartas da Diamantina, em que se me
dizia que o espirito pubaco sobresaltava-se
com a relaco da parte relati a aog terrenos
diam n'.inos, qua o inspector desses terre-
rus assustava ao povo pnnunciando o impos-
to por estas palivras: Ahi vem a bomba
grande, os cinco reis sobre lavras diaman-
tinas ; nlo posso conceder lavra alguma
antes que cheguem os novos impostos.
E na' verdade, as pracas de arrematacoes
forara suspmas.
E' pre iso explicar que o inspector tem
urna porcentigera do producto dasarrema-
taces, e conciliava assim o proprio inters-
se cam o da fazenda publica.
Era natural que eu procurasse explica-
ces; porque o fado de elevar-se o impos-
to de um real a 5 rs. por braga quadrada
importa nada menos do que matar a explo-
radlo diamantina em Minas, ou pelo menos
convertel-a em monopolio dos ricos.
A cmara combrehende quanto pesado
um imposto quintuplicado rpidamente Pa-
ra o thesouro era prejudicial taxar mais
fo temente orna indu.-tria como a da extrac-
clo dos diamantes, em que a percepea do
imposto era j extremamente difficil, em
que a cobraoca dos 5 rs., eutr'ora tentada,
fra domonstrada impraticavel.
IIavia mais urna rao para que se evi-
ta sse a elevaco do imposto, era o cresci-
mento progressivo da renda, como mostrei
A essa considerado prende-se a seguin-
te : os minairos mais pobres, impossibili-
tados de trabalharem como falseadores,
por isso que es districtos a elles concedidos
sao apenas tres, a quas completamente es-
gotados, sem esperanca de obterem novas
concesses di s inspectores, j trabalham
clandestinamente fa:endo urna' especie de
contrabando, permita se me a expressio.
Desde que a imposigo crescer cinco mes
mais, Ki.ur.lraenie esta trabalbo cbndesti
no augmentar-se-ha com grande detrimento
para o tbesouro e para os arrendatarios,
que verlo as suas coacessOes ameacadas de
frequents invases. Infelizmente, como j
disse, essas e outras reflex5es importanti;-
simas e momentosas, bem como varias re-
formas da legislaco, necessarias aos minei
ros, nao merecram a attencSo do nobre
ministro da fazenda. S. Exc. j traiia de
casa a nica resposti que deu ao meu dis-
curso.
O que ea previra acconleceu. Quando
cheguei a Diamantioa eslavam os nimos
sobresiltados pelas ameicas do iospector
dos terrenos diamantinos Foi a lei inter-
prtala no sentido da imposico desfavora-
vel aos mineiros.
V. Exc. e a cmara sabem com que faci-
lidade se altera a tranquilidade publica uos
lugares da mineraco, e que perturbacoes
serias j tem havido por se haver augmen-
tado a raposino, e por outras causas me
nos notaveis.
Como presidenta da cmara municipal
entend mme Ralamente ser do meu rigo-
roso dever reunir aquella corporago, afim
de se pedirem providencias ao governo,
que garantissem a sorte dos mineiros. Reu-
nida a cmara, dirig urna representado ao
governo, mostrando que a interpretado da
lei nao eslava de accordo com as discusses
desta casa, nem de accordo com a boa her-
menutica... Esquecia-rae de urna circums-
t incia importantissima: quando se discuta
aqu a lei dirig me ao nobre ministro com
um collega, e dissemos-lhe: Se V. Exc.
deseja que o diamante seja tributado de
urna maneira coaveniente, estabelecamos o
imposto indirecto, sobre a exportaco por
exemplo.
S. Exc. nessa occasio, atiendendo-me,
disse: E' verdade, o imposto por essa
maneira mais suave, e portanto augmen-
temos o que j existe >
E o imposto foi augmentado de 1(2 0(0
a 1 0|0 sobre a expurtacao do diamante, e
rag-y
trario.
t Sala das se Hornean de Mello.Aristides Lobo.J.
M. de Macado.O. H. de Aquino e Castro.
J. Baptista Pareira.Viriato de Medeiros.
Espiridio E. de Barros Pimentel.
A assemblea geral resolve:
Art. 1. Fica o governo aulorisado para
mandar passar carta de n.toralisagao aos
subditos portuguezes residentes em Pernam-
buco Germano Serrao Arnaud e Francisca
Alves Vianna.
Art. 2. Revogam-sc asdisposigois em
contrario.
Pago da cmara dos deputados, era 16
de maio de 1868. J. Madureira.
OllDEM DO Dl\
O Sr. Felcio dos Santos:Sr. presi lente,
no lodli-simo governo que nos rege (apoia-
dos) doas fados singulares se observan que
nao estosenduvidan^s praticas ordinarias
do systema constitucional representativo.
Ubserva-se em primeiro lugar urna pro-
vincia pagar o imposto sera ter sido repre-
sentada no ramo do corpo legislativo qua tem
a iniciativa dos impostas. O outro fado, mui-
to semelbante a este, o que se observa em
minha provincia actualmente.
Um grande numero de cida la os brazilei-
ros acharase tributados com um imposto
nao volad) pelo corpo legislativo ; imposto
coosideravel, parque c o quintuplo do que
anteriormente exista 1
Os cidados da provincia do Rio-Grande
do Sol vao sem duvda arhar jusiiga na
maioria desta casa coaira a exoluslo dos seus
delegados reprasentago nacional.
Espero que o segando ficto tenha expli-
cago da parte do governo, e desapparega a
anomala que se observa na provincia de Mi-
nas com a cobraoca de um imposto eviden-
temente illegal.
Na sessao passada votamos com extrema
precipitago os graves impostos que pesam
sobro o paiz. (Apoiados.) Era # necessario
qne nessa occasio cada um de nos estvesse
alerta observando, j nao digo os impostos
que tiuhamde recabir conectivamente sobre
lado o paiz, mas ao mecos aquelles que
mais de parto iam onerar mais positivamen-
te os habitantes dos districtos queimmedia-
tamenle representamos.
Por isso competia-ma notar a obscuridade
com que era redigidu o anigo da lei deor-
pamento da re:eita que se referia ao im-
posto sobre terrenos diamantinos. Pouderei
por vezas aos membros da commisso res-
pectiva quanto perigo uavia era vola-lo, c*a- j est em vigor na alfiodoga.
cabido nos termos em que est escriuto, pro-i Esperavamos que nenhum onos hoaves-
curei entender-rae sobre isso com o nobre i se sobre as lavras. Enganei-me, em vez de
ministro da fazenda, mas S. Exc. nao se u:n bem causamos um grande mal; 6ca-
dignou atlender-me, nem oav.r-ma! ram os dous impos, o indirecto dobrado, e
Recorr tribuna e pro;nroi demonstrar o directo qoiatuplicado I
acamara a.g'ravidade do impos'o se a lei| A cmara municipal, em
fosse mal comprebeniida pelo iospector dos(sua representago ao governo, mnifestan-
terrenos diamantinos. i do esperanca de ser attendida, procura-
Dizoart. 23 S 2. t Cvpreco miuimo de! va traoquillisar'o povo. Porm j tem d-
cada braga quadrada de Treno diamantino'carrito mais de oito mezes, e a represen-
inda virgem qae se bouv,- de arremaUr.taelo jaz no thesouro sem resposta, n3o
ser de 10 rs. continuando o de 6 rs. esta- obstante ter-se mostrado ao governo o pe-
bolefido na lei de 28 .de outubro da 1818 rigo imminente de urna perturbago ao so-
para os terrenos, j exalorados que forem ce80 publico,
de novo arrematados. Demorando-se a resposta do governo,
O a, a lei de iS, d3 outubro de 1843 vigo-
ra na ,-rovincia de Minas alterada pelo de-
creto de 6 de seterobro de 1852 o regula-
mento respectivo de 11 de dezembro de
1852, que reduzio a nm real o prego mni-
mo do arrendrmelo annual da cada braga
quadrada. Esse decreto de excepgo refe-
re-:-e somonte s lavras da provincia de Mi
as, continuando a lei em yi||or para a pro-
vincia da Baha. O motivo dessa differenga
quanto diriga
man
menta a urna localidada limitada. Hoja as
explorages diamantinas se estendem a va-
rias provincias : novas descobertas appare-
cem diariamente, e um grande futuro est
reservado ao nosso paiz neste ramo de com-
al er ci;
E depois a provincia da Mioas, enclaosu-
rada como se acha na saa posieo de colonia,
sem vas de commuaicagSo, merece que ao
meuos nao sejam sacrificadas as poucas in-
dustrias a que lbe dado dedicar-se, e cujos
productos sejam de mais fcil exportago.
O Sr. C, Ottoni:Da vas de commonica-
go nao precisa. Bastim-lbe as reformas
polticas do novissimo programma.
O Sr. Felico dos Santos: -Os meas no-
bres collegas, deputados pela mesma pro-
vincia, bem sabem que a nica exportago
do norte daquella provincia a dos diaman-
tes ; a nica que pode supportar as des
pezas de frete e transporte, Mais de dous
tergos de Minas vive desta indastria, porque
o commercio interno por ella nicamente
alimentado. Nos municipios onde nao exis-
ten) lavras diamantinas, plata-se e cria-se
para fornecer vveres grande po^ulago
oceupada na minerago.
Eulendendo com to grandes iatsresses
sacrificados o meu reqnerimenlo, espero
qae merecer o apoio da cmara. Com
particalaridade espero a proteegao do nobre
presidente da casa, que tanto se interessa
pela provincia de Minas, e tanto merece del-
ta. (Mnito bem, mui'.o bem.)
Vem mesa, lido, apoiado, e fica adia-
do por pedir a palavra o Sr. Buarque, o se-
guale requerimento:
Requeiro qae se solicitem do ministe-
rio da fazenda a represeniago da cmara
municipal da Diamantina, e todos os docu-
mentos relativos cobranga do imposto so-
bre terrerros diamantinos da provincia de
Minas, e as providencias que o governo to
mou a esse respeito.
c Sala das sessoes, 16 de maio de 1868.
Felcio dos Santos.
O Sr. Letao da Cunha:Pedi a-palavra,
Sr. presideote, para submetter considera-
go da cmara om projecto de lei interpre-
tando a de 9 de dez rubro de 1830. e antes
de o ler direi apenas duas paltvras, no in-
tuito de odicar-lbe o motivo, aguardndo-
me para justifica-le qnando porventura ve-
nba a ser impugnado.
Sabe V. Exc, Sr. presidente, que entre
os alternados pralicados entre nos contra a
independencia do poder judicial ha essa se-
rie de avisos do execulivo, declarando e at
revogando a legislago do paiz. Pois bem ;
a proposito de explicar-se a lei, que ba peu-
co citei, de 9 da dezembro de 1830, tm si-
do expedidos varios avisos do, ministerio do
imperio, em virtude dos quaes entendetn as
thesourarias de fazenda e os seus procura-
dores liscaes, que as alienages de bens das
ordens regulares nao podem ter lugar sem
que preceda licenga do governo, anda mes-
mo quando urna sentenga do poder judicial
passada em julgado as determine !
Nao preciso demonstrar que semelbante
interpretago da lei de 9 de dezembro, longe
de acbar n'ella apoio, nao o tem seno n'essa
serie de attentados de que, como disse, vic-
tima diariamente o poder judicial. Assim,
est agora mesmo parada em minha provin-
cia urna execugo movida por divida do con-
vento do Carmo, porque nao tem ido a li-
cenga do governo, que por via de embargos
allegou ser necessario o procurador-fiscal
da fazenda.
Reservando-me. como disse, para oppor
tunamente justificar amplameQte o projecto,
passa a le lo :
L-se, julga-se objecto de deliberaao, e
vai a imprimir para entrar na orcem dos
trabalbos o seguinte projecto :
t A assemblea geral resolve:
Art. 1. A dispogo da le de 9 de
dezembro de 1S30 nao comprehende as al-
teragoes de bens das ordens regulares que
tiverem 1 ugar, em vi: tude de sentenga do
poder judicial.
t Art, 2. icam revogadas as dispo-i-
goes em contrario.
t Pago da cmara dos deputados, 16 de
maio de 1868. A. Leilo da Cunha. O.
H. de Aquino e Castro.
O Sr. Vai Pinto: Sr. presidente, voa
offeiecer coosiderago da cmara qma in-
dicaco ; a lerei, e aps, pego permisso a
V. Exc, farei breves rellexas. (L)
Sr. presidente, venho pedir cimara um
voto de sentimento, tributo devido s crazas
heroicas do genial Flores. Venho pedir
que a cmara, o meio de seu lidar parla-
mentar, abra um espago em que espirito
do palriotismo lea as palavras que a Escrip-
tara Santa- consagrou s cinxas de Macba-
bo: como assim morreu este varo Ilus-
tre, que salvara o povo de Israel I Como
assim suecumbio o capito denodado, que
levara. sua patria a liberdade e a civilisa-
0o I
Que o sentimento qae a cmara teoba de
como presidente da cmara municipal diri-
gi-me ao presidente da provincia de Minas
pedindo-lhe qae ioterviesse, afim de que
houvesse ama deciso para negocio 15o me- manifestar nao venha intermeiado do resaibo
lindroso. Nenhuma resposta tive. Nao sei'
se o menosprego com qne sao tratadas
pelo governo liberalissimo de boje as cama-
ras municipaes entra no plano da premedi-
tada reforma das municipalidades.
Ignoro se o procedimento da Gamara de
na legislaco obvio": as lavras de MMM Diamantina reprovado pelos iictanwi da U ;UU
amargo das paixes terrenas; porm sim,
puro, como o cntico do r,ei poeta David,
o laureado, sobre a desgraca de Sioo.
Sr. presidente, nos o vimos no centro
dessa olOcialidade brasileira de quem o poe-
.......... vivis no fogo
rdante das bataihas, como vive
No fogo a Salamandra !
elevand) o estandarte da allianga to alto
quanto a gloria 6 a digoidade o exigiam.
Nos o vimos no centro de nossos acampa-
mentos, em lidar to intimo com os officiaes
e generaes brasileiros, que pareciam vergon-
teas de nm mesmo tronco, os bracos de um
mesmo rio, do qae seres sem liame mar-
chando ao mesmo destino.
Nos o vimos depois testa de sua nago
esubelecendo a poltica que basa-se na mo-
ralidada e na jusiiga.
Nos o vimos depois, martyr do dever-
suecumbir pelo pnnbai do assassino, por ter
no meio de tradiges ensanquentadas ergu,
do o estandarte da humanidade.
Sr. presi lente, nestas pocas da tem-
pestades e commocoes, nao podemos saber
bem, na phrase de Victor Hugo, a quem
devemos lastimar, se aquelles que soecum-
barn, ou aquelles que combatem. Mas
doloroso ver-se cahir um soldado dUtiocto,
i|uebrar-se urna espada fulgurante, desvane-
ce r-se um futuro brilhante.
N5o ser, porm, permitlido a esses que
luctam no meio das paixoes mesquinbas, a
esses que vem-se constantemente rodeados
pelos ciumes. pelas intrigas baixas, algu-
mas vezes dirigir vistas invajosas para a
tumba.
Oh, Sr. presidente, estes que luctam
comprehendem bem a phrase de Luthero
auaodo no cemiierio de YVurms disse: *In-
vides, guia qniscunt! Descansam, e o des-
canso apoz a lucia a luz de Goethe e a
liberdade de Maximiliano I
Nao quero, Sr. presideote, proseguir,
porqua nao venho fazer o elogio do morto,
e sim apenis pedir um voto da sentimento,
cmara que symbolise isto : o Brasil per-
deu no Estado Oriental a sua principal base
de paz e descanso. E serei salisfeito se a
cmara, compenetrando-se de um dever to
olevado, em nome de servigos reaes presta-
dos por esse general, como j urna vez em
nome da civilisago comprebendeu, quando
dirigio-se ao congresso dos Estados-Uoidos
pela" raorte de Liocolo, lance sobre o assas-
sino de to denodado capito a mesma mal-
digo qne Pallas langou sobre o roubador
dos mimos ariisticos de Patentan, a phrase
de Byrcn:que fique eternamente eslalm
immovel sobre o pedestal do desprezo.
Tenho dito. (Muito bem).
Vem mesa e lila a seguinte indica-
gao:
Ldico qui a cmara, reconhecendo os
relevantes servigos prestados causa da al-
lianga pelo general Flores, por intermedio
do governo manifest ao congresso oriental
o profundo pesar que sent pela fatal morte
de to conspicuo varSo.
Sala das sesees, 16 de maio de 1868.
Vaz Pinto.
O Sr. Presidente declara qua a indi-
cago vai s commisses de constiioigao e
poderes e da diplomacia.
O Sr. Felcio dos Santos (pela ordem)
diz que a cmara ouvio o objecto do seu
requerimento; er que a imteria muitis-
simo urgente. TFata-se de imposto illegal
que o povo tem sido obrigado a pagar, e
contina a pagar diariamente. Apems pede
agora informagoes: a discusso ampia pode
estabelecer-se, depois que viarem informa-
goes.
Desejaria que esta negocio tivesse anda-
mento o mais depressa possivel. Por isso
requer urgencia para entrar o requerimento
em discusso quanto antes.
O Sr. OttOQi faz algumas observages.
Acbando-se na sala immediata o senhor
ministro do imperio, reesbido com as
formalidades do estylo, colloca-se esquer-
da do senhor presdante, e ahi procede
leitura do relatorio di repartigao a seu
cargo.
Passanio depois para a direita do senhor
presidente, e ahi toma assento e procede
leitura da proposta seguinte:
Augustos e dignissimos senhores repre
sentantes da nago.Com a legislago vi-
gente a ajada de custo que se abena aos
bispos eleitos maior ou menor, conforme
foi maior ou menor o tempo quj estove vaga
a diocese, sem attender-se em cousa alguma
aos sacrificios qae elles teem de fazer para
entrarem no exercicio de seus elevados car-
gos. E os primeros bispos das dioceses
novamente creadas, que de ordinario sao os
que teem de fazer maiores despezas, nada
percebem como ajada de custo; pois que
esta consiste actualmente na terga parte das
congruas qae se suppem retidas no thesou-
ro desde a data do failee',monto de am, at
posse do oulro bispo.
Este systema de considerar retidas taes
congruas rnenos conforme como da nossa
contabildade publica, e contraria a regra do
art. 11 do decreto n. 41 de 20 de Feverei-
ro de 1840, o qoal determina que s jo an-
nnllados os eredit is conc-didos para qual-
quer exercicio que durante elle nao forem
empregados em pagamento effectivos.
A' vista do exposto, de confi rmidade
com a imperial resolugo de 5 de Julho de
1804, tomada sobre consulta da t.ecgo dos
negocios do imperio do conselho de estado
de ordem de S. M. o Imperador tenho a hon-
ra de apresentar vossa coosiderago a se-
guinte proposta:
-Art. Io, Sero abonadas aos sacerdotes
eleitos e confirmados bispos ajudas de cus-
to divididas em tres partes, a Ia para a
confirraago, a 2* para transportes, e a 3a
para primeiro estbelecimento, nao exceden-
do esta a 3.000,JOOO.
O governo marcar por decreto o modo
de regalar-se a despeza com o transportes
dos bispos.
Art. 2o. Fico revogadas a proviso de
18 de Agosto de 1862 e mais disposices
em contrario.
Palacio to Rio de Janeiro, em 12 de
Maio da 1868. Jos Joaquim Fernandes
Torres.
O Sr. Presidente dedara que a cmara to-
mar ntdevida considerago proposta do
poder executivo.
S. Ex", retira se com a! mlms formali-
dades.
A proposta e o relatorio sao remettidos s
respectivas commisses.
Achando se igualmente na sala immediata .
os Srs. ministros da marinha, dos negocios
eslrangeiros, jostiga, agricultura e guerra,
so'successlvamente introdoxidos com as for-
malidades do estylo, e collocaob-se es-
querda do Sr. pireaideote, api procedem
lei'ura dos relatofios das soas respectivas
reparigois, fiada a qual retro-se comas
mesmas formalidades.
Os relatnos ss remettilos s commis-
ses competentes.
Entra em Ia discosso o prcjacto qne su-
jeita ao imposto da 3 f0 o subsidio dos se-
nadores, dos depatadas e d is membros das
assemblas provincia e 9tr3s respectivas
ajudas de custo por viagem de ida e volta.
O Sr. Z icarias (Presidente do conseibo.
Movimento geni de attengo): Sr. presi -
dente, julguei necessario vir irgoem lads-
cusso emillir, exor o pensamento do go-
verno a respeito do projecto assigoado pe-
los Srs. deputados pela provincia do Rio de
Janeiro Pereira da Silva Lima e Silva.
O projecto dos dous Srs. deputados diz o
segainte:
A assemblea eeral legislativa resolve :
Artigo nico. O subsidio dos senadores,
dos deputados e dos membros das assem-
blas provinciaes, e suas respectivas ajadas
de custo por v?gem de ida e de.volla. es-
t5o sujeitos ao imposto de 3 \ creado.so-
bre todos os vencimentos pelo art. 22. da
lei de 25 de Setembro de 1867, ficando re-
vogada a circular do thesouro de 14 deFe-
vereiro de 1868, que os exceptuou do re-
ferido imposto.
A circular de 14 de Fevereiro a qae o
projecto se refere concebida nos segain-
tes termos. ,
Zacaras de Ges e Vasconcellos, piesi-
denta do tribuoal do thesouro nacional, de-
clara aos Srs. inspectores das tbtsourarias
de fazenda, em craformidade da ordem nes-
ta data dirigida thesouraria do Cear, pa-
ra a devida ioti'ligeneia e execago, qae,
nao sendo considerados empegados pbli-
cos os membros das assemblas provinciaes
nao estn sujeitos ao imposto de 3 |0, crea-
do pela lei n. 1,507 de 26 de Setembro do
anno prximo passado, e subsidio ou diarois
que perc bem, nem as ajudas de costo que
pelas caixai provinciaes se Ibes abonarem
para seu transporte.
V a cmara quaes sao as disposigoes do
projecto que se discute, e por outro lado
qual a circular queelle se propSe revogar.
Se quizesseraos resumir em poucas pala-
vras o pensamento do projecto, e por a;-
sira dizer, escrever-!be, desde j a emenda
bastava recorrermos ao Dirio do Povo, de
ante hontem, o qcal designa assim o projecto
do Sr. Pereira da Silva: Entra boje em
discusso o projecto do Sr. deputado Pereira
da Silva, equiparando os membros do par-
lamento aos demais funecionarios pblicos
para o descont de 3|0 nos respectivos ven-
cimentos.
Urna parte da imprensa do Rio da Janei-
ro, Sr. presidente, tratou de preparar o es-
pirito publico para a apresentagSo e liiumpho
da idia comida no projecto. V. Exc. me
ba de permftttr que eu faga mengo dos mo-
tivos allegados pela imprensa e da conclu-
so a qne ella cheg?.
A imprensa levantan ha pouco um brado
contra a circular de 14 de fevereiro, queso
ltimamente parece haver sido lembrada,
dizendo que a mesma circular teve por fim
estabelecer urna excepgo odiosa, injnsta,
repugnante, indecente; e todo isso, senho-
res, porque declarou isentos do preceito do
art. 22 da lei do orgamet>to vigente os sub-
sidios dos senadores, deputados e membros
das assemblas provinciaes; isto porque
ao passo que o governo promoveu econse-
gmo do corpo legislativo a votago de im-
postos qua attnguem as classesmais pobres,
procura pela circular de que se trata, fazer
urna excepgo em favor do legislador, axcep-
go violenta porque urna exorbitancia da
lei, e om insulto ao corpo legislativo.
O ministro da fazenda, diz a imprensa,
teve dous fins: o 1. captar a benevolenca
dos representantes da nago com os misera-
veis 3|0 dos seus subsidios; o 2o. Sr. pre-
sidente, esquivar-se, por avareza, ao paga-
mento dos 3[0 de seus subsidios como se -
nador.
Estou persuadido de que os nobres mem-
bros da casa que assigaarara este projecto,
nao sao capazes de allegar motivos to por-
pes ; nao, devem ser de ordam elevada os
seus fundamentos.
O Sr. Pereira da Silvar-Ea soa sempre
hornera da jastiea.
O Sr. Presideote do Conselho: Mas, Si.
presidente, soberanamente injusto, apezar
disto, o nobre deputado, porque declara
que apressou-se em apresentar o projecto
em consequencia de pesar sobre o corpo le-
gislativo urna affronta qqe cumpria arredar
de sobre as nossa* cabegas (ligo nossas ca-
begs, porque tambem fago parte do corpo
legislativo). O nobre deputado nao expoz
largamente os moiwos de soa eoovicgao,
reduzi-osa urna ffirmativa: E' umajeno-
minia para o corpo legislativo a caUr,
cumpre revoga-la.

Mas para que tanta azafama ? Eu em bre-
ve palavras mostrarei qoe o projecto do no-
bre depu'ado que desconnace a categora
do parlamento, porque niveila os legislado-
res da naga classe de funcionarios ou em-
pregados pblicos, que n5o Ibes compete.
A concluso da imprensa foi mdfto diver-
sa da concluso do projecto do nobre depu-
tado. ? A imprensa disse: Nos registrare-
mos para conhecmento do paiz as colum-
nas do Diario do Rio de Janeiro os nemes
de todos os deputados e senadores, que,
elevaodo-sei altura da dignidade de repre-
sentantes da naga, repudiem to injurioso
obsequio.
Continuarse-ka.
TYP. DO DIAfUQ-RUA DAS URUZES N. 44

V
M

i mvft
(


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EH2UXMOMU_KLNPB6 INGEST_TIME 2013-09-04T23:46:55Z PACKAGE AA00011611_11558
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES