Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11504


This item is only available as the following downloads:


Full Text
MH
1-j*

...j. ;;a'i
->*1
I'


I

>

ANNO XL1V. NUMERO 46
P.4R.1 A UP1TAL E LI6ABKS 0!lt| SB >.lO PACA FOBIV,
E
P.ir re* ianjos a Jumados
Por eis /'tos Mea ..
Por un auno dem .,
Cada Damero jtuso .,;


,
.
i

6O0O
126000
24lO0
320
TEft^A FEIRA 25 DE FEVEREIRO DE 1868.
*AA DKNTBO E FOB > UHtA.
Per tT ftfcs i4lafitalM/- ... r. .. r, ." .- ,
Per seis di (i ifem V1 ,..................
Por nove ditos idtfe ... ......
Per na uno idea Si .. .., ,.

.. .. ..
- .i .. .. .. ..
.. .. ..

t
*>
W7M
41,5501
100250
174000
tvo/Utm m pi&BAuBiraQ dd iB



ENCARREGADOS DA SUBSCRirgAO.
Parahyba, o Sr. Antonio Aleandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marque? da Silva; Aracaty,
o Sr. A. de Limos Braga ; Oar, o Sr. Joaquim
Jos de Oliveira; Para, os Srs. Garardo Antonio
Al tes d Fllbos; Amuonas, o Sr. Jeronymo da
Costa; Alagoa, o Sr. Frao isco Tavares da Cosa ;
Baha, o Sr. Jos llartinr Aivas; Rio de Janeiro,
Sr. Jos Ribeiro Gasvarinfco
Partida dos estafetas.
Oiinda, Cabo. Escada e estacos da vi frrea al
Agua Preta, lodos os das.
fguarass s Goyanna as segundas e sextas Cairas
Santo Anlo, Grvala Bezerros, Bonito, Carnar
Altinbo, Garaobon?, Biqne, S. Bento, Bom Coa-
sel oo, Aguas Bellas Tacaran, as tercas felrra?
Pao d'Alho, Nazarelb, Limoeiro, Brejo, Pesqoelra'
IogJieira, Flores, Villa Bel/a, Cafcrob, Boa-Vis-
ta, Murlcury, Salguis e Ex, as guaras feiras
Serlobaem, Rio Formoso, Tamandar, Una Barrei-
res, Agua Preta e Pimenleiras, as quintas feiras.
AUDIENCIAS DOS TRiBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relacao: tercas e sabbados s 10horas.
Fazenda : qnintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s i i horas.
Dito de orpbos: tercas e sextas s 10 boras.
Primeira vara do civei: tercas e sextas ao mel
dia.
Sej anda vara do el val : qoartai esabbadei a
1 ora da tarde.
EPHEMERIDES DO MEZ DE FEVEREIRO
1 Qaarto rese, as 3 h.. 23 m. 26 s. da t.
8 La ebeia as 6 h., 42 m. e 50 .. da m.
1 Qaarto ming. as 6 h.. 24 m. e 13 s. da m.
23 La nova as 11 b., 28 m. e 1 s. da m.
DAS DA SEMANA.
24 Seg. S. Mathla?, ap S. Sergio ro.
25 Tere. Ss. Clandino e Dioscoro, mm.
26. Qoart. daCinza.) S. Torqotoare., S. Nstor.
27 Qumt. S. Leandro, are. de Sevilha.
28 Sext. S. Roroo ab.. S. Agostioho.
29 Sab. S. Romo ab, S. Thrmaz de Cora.
1 Doro. S. Adrio m., S. Rozendo ro., S. AlbiBo.
PREArfAR DE BOJE.
Primera as 2 oras e 54 m. da->tard.
Segunda as 3 horas 18 minutos da manbaa.
PARTIDA DOS VAPORES COsTEUM.
Para o snl at Alagoas a 14 30; para o norw
at a Granja a 15 e 30 de cada mez; para Wm*
Dando nos dias 14 dos mezas Janeiro, marco, i
julbo, seterobro e noveoibro.
PARTE GFFKIAL
commandaotes, e era observancia a' ordem de S.
Exc. o Sr. presidente da pr. vincia.
(Assignado) Cortolano Velloso da Silveira.
MINISTERIO n\ Cit'ERRA.
Illm. e Exm. Sr. conselbeiro Jjfto Lastosa da
Canha Paranagn.O inimigo continua occopan-
di soas antigs posicoes: os pascados que nos
ebegam diariamente sao concordes em narrar as
miserias producidas pela tome de que est sendo
victima o exercito paraguayo e os damoos conside-
raveis qoe ltimamente tem recebido do bombar-
deio da esqoadn e do que ordenei ha poucos dias
que Ibe fosse feilo de nossa vanguarda, onde se
assestaram canboes de 32 Witbwjrlh e de 12 a La
Hitte.
Algns tiros se teem feto coro multa precisan, e
delles resultoa que, incendiando-se mais de um
deposito de plvora e p'etrechos b-llicos, que o ini-
migo tinha em saas trineheira?, algomas erplosoes
se dessem ese inutilisassem canee.- de armamen-
to e corrame?, perlencentes a dons corpos na-
qnelle ponto estacionados, arrebentaodo ao mes-
mo lempo urna grande porro de granadas de
mo.
Hontem foi encontrado no caminho ent-e Tuyo-
(y e este acampamento om grande pacote fechado
e lacrado coro direceo ao exercito argentino;
conduzido ao general Gely y Obes, e por elle abor-
to, vio-se que condona urna grande porco de roa-
Difestos ou proelamacoes.e bem assim cartas dirigi-
das a todos os ebefes argentinos contando o mesmo
papel.
A iovencao estupida, porque, como V. Exc.
ver, d-se por ponto de partida a tndo qoanto se
screveo a mora do general Bartholomeu Mitre
e Isto se diz para o exereito argentino, que melbtr
do que nlngoem sabe que o mesmo general esta'
felizmente vivo e talvez a esta hora na capital da
repblica.
O que este papel roostra : 1*, que o assedio
que Lopes esta* sirendo serio e estreito, tanto
que a facilidad*, que anteriormente elle tinba de
reeeber noticias acabou, proviodo dabi tomar a
morte do vicepresidente D. Marcos Paz pela do ge-
neral U. Bartholomeu Mitre; 2*, o estado crilico
de /raqueta e carencia de todos os recursos em
que Lpez se acha, tendo preclso de recorrer as
intrigas miseraveis que nesse papel se revela, na
esperan ja de obter um resultado, qualqnerqoe elle
seja, que o possa favorecer.
Diz-se no exercito argentino que o autor da se-
melhaue obr* um facinora natural da Confede-
rarlo, qoe, eondemnado a morte por crime ne-
fandos, pola evadir-se das cades de Buenos-Ay
res e passar-se para o inimigo.
Ha poucos dias recebi noticia| telgrapbica de
aue o inimigo se mova pelo lado do Chaco, procu-
rando talvez incommodar a forca que alli te-
mos, e qoe garante as communicaces com a es-
quadra.
Immediatamente ordenei qae ama brigada das
tres armas seguis.-e sea perda de lempo para o
Cbaco, afino de re forca r os pontos que occopa-
mos.
Jjoobe, porm, lego spot, qoe esse movimento do
inimigo se havia limitado aamaeiplora^o quem
do ro do Ouro, praiieada por forca muito insigni-
ficante, e que logo bavia contramarebado trocando
apenas alguns tiros com as avancadas brasi-
leras.
Logo qoe ebeguem ao theatro da gaerra os con-
tingentes com qua cont, segoirei para o Cbaco,
atlm de examinar por mim mesmo aquella localida-
4e o terrenos adjacentes.
Felto isto, nao me demorar.i em provar ao go-
verno imperial e a V. Etc. que o nico meu dese-
jo eoobjeelodes cuidados que mo assaltamde dia
e de noite terminar quanto antes esta guerra, qoe
lo prolongada vai, e que tantos sacrificios nos tem
cufiado.
Mo posso deixar de aproveitar a opportonidade
para reiterar a V. Exc. os protestos da alta coosi-
deraco e perfaita estima com qua son de V. Exc,
amigo e collega.Marquex de Caxias.Toyo Cu.
23 de Janeiro de 1868.
Palacio do governo da provincia de Matto-Gros-
so, em Coyaba', 16 de dezembro de 1167.Illm. e
Exm. Sr. ministro da guerra.Passo a dar coota
a V. Exc. do que tem occorrido da dala de minbas
ultimas communicaces at o presente.
A varila esta' quasi exmela aqu, e da tor-
ga que velo de Miranda apenas morrea nm ho-
rnero.
Comrouniqaoi a V. Eic. que havia ordenado que
os qae nao fossem vaccinados estacionas?em a le-
pa emeia da cidade, em ama chcara a' margem
do rio Coxip, e que fora gratuitamente posta a
mlnha disposicao pelo commendador Henriqoe Jos
Vieira; assim se fez, e felizmente a medida pre-
dozio effeito ; todos elles teem sido preservados at
ftoje.
As torcas em operacSes a' estao fardadas e ar-
madas ; conlinoam com a organisago com que
vleram ; sen pessoal, tanto de offlciaes como de
pracas excelleote.
Estoo apromptaodo bateras fluctuantes, que pos-
sano funecionar contra o inimigo de cima dos pan-
anaes; opponunamente enviarei a V. Exc. os da-
se nbos.
O vapor destinado ao Araguaya ja' ebegou cera
todas as saas pertencas ao lagar em que tem de
ser armado; continuo a esperar que essa via de
communicaco sera' aberta em margo. Ja' segui-
rn] os operarios para mntalo ofJQciai e guarni-
<;o para sea servido. Desta vez tenbo esperanga
de qae as contrariedades qae teem-me impedido
na cinco annos de levar isto a effeito nao o impe-
dirlo.
Urna parada vinda de Cornmba' annaocia-me
<^oe o rio continua oceupado por vapores inimi-
go?. O? espas so viram doas vapores, mas
provavel que os Paraguayos -leobam qualro nessa
estacan, dous en Coramba', om rondando desde
Coronaba' al Albnquerqae, ouiro fazendo servico
entre Alboqaerquee Coimbra.
A persistencia do inimigo em occopar estes pon-
tos, o emprego de qaatro navios, numero conside-
ravel para elle, qoe t tem doze, da' a medida da
importancia qae liga a oceopaco. Parecem ter
mudado de tctica ; em Coromba' dizemos espas
aae nao ba gente; creio eu que, recotrbecendo el-
les a impotencia de nossa marinba, assentaram de
retorcer a sua no presuposto de que, guardado o
rio, estao senoores da margem direita, anda que
xjo tenbam em trra poslos fortes.
Nada mais se roe offereee levar ao alto coBhecl-
mento de V. Exc, de quera sou com a maior con-
siderado e respailo, de V. Exc. atiento servo
e amigo obrlgado.-Dr. Jos Vieira Couto de Ma-
Ijalbes.
i i.....I
COMMANDO SUPERIOR DE SERINHEM
Qairtti do commtndo superior da gnarda nacio-
nal de Serinbiem, fm 17 de fevereiro de 1868.
Faco saber aes Iteres Manoel da Rocha Cayal-
eante Lins, do baUlbo n. 42, Jos Irines da Sil-
va Santos e Pedro Velloso de Albaqoerqoe, do ba-
talbo n. 43 da gnarda nacional deste municipio,
as'im como a' todos aqbeiles que poderem e qoi-
lerem fazer ebegar ao coobeciment dos referidos
offlciaes, qne sao chamados a* comparecer neste
quartel dentro do prazo de 30 dias, contados da
data do presente edital; e senas o flxerem sera'
nomeado o conseibo de investigaco par, nos ter-
decret0 n. 3535 de M de novembro de
1865, verificar a ausencia por elles eororaettid,
conforme as participares offleiats dos respectivos
EXTERIOR.
.Montevideo
de fcvmiro de 4868.
Sabe o Aiin desta vez antes do dia marcado
para suas panidas deste porto, porque precisa en-
trar no dique imperial e fazer alguns reparos no
fundo. Como Ibe escrevi pelo Arno no dia 28 do
mez flodo, limitase mlnha tarefa presentemente a
noticiar os factos occorridos nesta novena.que bem
poucos foram, qoer polticos, quer militares.
Confesso que ma vejo seropr em apuros nestas
occasiSes, de escassez de noticias, e que desejo por
todos es motivos, e mesmo para ter materia, qoe
tenham cornejo quanlo antes as operacoes qua se
esli estodando e combinando no thsairo da
gaerra.
Fol-se o general Mitre, que gostava de guardar
na gaveta seus plano?, at qae amadoreeessem,
iembrando-se como poeta qae do preceito bora-
cano.
O nosso marquez ja mostron ser mais expedito
uestas cnosa?, e agora qne se vio livre daquelle
pedagogo, parece que nao quer continuar a vege-
tar em Tuyu-Cu onde presentemente todo mo-
vimento e accao.
Os negociantes baasileiros que cercavam o ex-
ercito receberam ama ordera pereroploria para
descamparem em qaatro dias, se nao qoizerem ser
incorporados as Oleiras dos eombateotes.
Tomada esta deliberaco, S. Exc. parti no dia
31 para o Cbaco, aflm de encontrarse com o al-
mirante, e consta ja ter combinado com elle a su-
bida de urna divlso de navios encouracados, com-
osla do Baha, commandaote Costa; Barrea,
commandanta Silveira da Moda, e doi tres monito-
res ltimamente expedidos dessa curte, qoe devem
pirmeiro transpdr Coropaity.
Nao se sabe alada se estes naviosforcarao opas-
a de dia ou de noite, mas ba toda a cootlanca no
xito da operacao, e o reslo da esqoadra senle nao
poder partiibar a gloria de que aqoelles vasos se
vao cobrlr.
Os commandantes designados esto mui satlsfei-
tos, e nos qoe teem de asslstir inp'ssiveis a esta
beroiea tnlativa nota-se a tristeza natural em ho-
roens de senlimentos nobres e elevados em orna
conjuactara tal.
Esperase apenas o crescimento das aguas para
que o almirante faca o signal da partida, qae sera'
reeebldo com entbusiasmo, e no Tayi nao menor
a exaltaco de nossns bravos do exercito, qae con-
tara com anxiedade os momentos, e nao tirara os
olhos da parte inferior do rio, pela qaal devera sur-
gir os bravos da esqoadra qoe Ibes vo dar ara
apeno de roo, e fechar o circulo de ferro que ha
de esmagar Hjmait.
Conta-se infallivelmente com a victoria ; porque
tod>s as circomstancis pro e contra teem sido cal-
colada, e a somma daqaellas excede muito a
destas.
A grandeza dos resoltados justifica a grandeza
do sacrificio a qoe se exp5< esta parte da nossa es-
qoadra. Se ella vencer a eropreza, o Brasil con-
quistar, alm das vantagens materiaes um gran-
de irinmpho moral, que tara emmadecer todos os
seas inimigos e detractores.
Se suecumbir na tarefa, isao cinco navios de
menos, e quinhentos hroes de mais para (Ilus-
trar o ja IHosire martyrologlo desta guerra. Tal
perda, s;oslvel em todos os sentidos, nem com-
prometi o resto da esqoadra, qua anda apresen-
tara em linba de combata oito eoconracados, nem
influir desastradamente na terminacae da guerra.
Ser ama destas provas qae concorrem sempre
para exaltar os bros da naco, e para identifica la
mais com a cansa da saa boora e digoidade oftan-
dida, e anda impone.
Ja os novos preparativos que se observan) as
torcas de mar e trra caosam aqai e em Baeoos-
Ayres ama favoravel diver.-o nos espiritos, e creio
que o mesmo vai sacceder ah, onde elles se acham
mui extraviados e parecem seguir urna fatal direc-
cao. Calculo qae ioflaenea immensa nao prodnzi-
r a noticia do pnmeiro exilo, da primeira vic-
toria I
Agora todos podem entreter-se em conjecturar
qnal ser o plano de combate, e mol agradavel
collecar-se, ao menos de longe, na poslQo de om
general em chefe e de om almirante, e sappdr que
se commanda um grande exercito e ama grande
esquadra.
E' mais innocente esta distraerlo do qoe crear
males imaginarios ou seguir a corrate dos espe-
culadores polticos, que querem torvar as agaas
para pescar em rio remoto, e que sempre conse-
guem Iludir os bomens de boa f.
Vencida Humaita, e dominando o exereito allia-
do todo o Paraguay at ao Tabiqoary, isto quasi
metade do terrilerio da repblica, a questao tica
c> llorada em terreno mol diverso do qoe se acha
agora, e eniao nao serio para desprezar qoaesqoer
tentativas generosas que apparececam para dar
orna solocio honrosa a' guerra.
Fallei no rio Tebiquary, qne talvez va' tornar-
se o novo theatro das operacoes da gaerra, e nao
acbo tora de proposito fazer desde ja ama Ugeira
desenpeo.
Este rio despeja saas aguas no Paraguay, amas
doze leguas cima da villa do Pilar, por duas em-
bocaduras, orna septentrional de 400 a 500 roe-
tros, com nm canal de 100 metros de largo, e ou-
iro com a largara de 80( metros, confundindo se
com a abertura de ama lagoa. Sua origem cba se
ptrto de Vi'la-Rica, qae como se sabe, o princi-
pal arsenal de gaerra e deposito de trem bellico da
repblica.
Depois de reeeber as aguas do Tebiqoarymirlm,
e de outros afflaentes mais pobre?, atravessa este
importante rio campos mol feriis e mui povoados,
e sendo navegavel por embarcaos-s de 4 at 5 pal-
mos d'agoa de calado em orna grande parte do au-
no al altura daqoella vil a, coostitae o caminbo
mais fcil e seguro em qoasi todas as eslac5es pa-
ra os productos da regio central.
Como ponto estratgico lem sempre elle servido
de divisa, de respeito par? os balhgerantes que se
encontrara em soas margen?, e mais de urna vez
salvoo a capital. Hoje, porm, nao ter tanta im-
portancia desde que nossa marinba de guerra do-
minar suas embocaduras, e esieoder-si ao norte
deltas.
Lpez recelar sempre, na parte superior do rio,
o desembarque de orna forca nossa, qae o pode
colloear em critica siiuacao, mettendo-o entre doas
fogos, e nao Ibe delxando ostro recorso seno o de
enternar-se.
Transposto este obstculo a gaerra perda a sua
importtbcia, e ba de concluirse com muita gloria
pzra o Brasil, embora por algom tempo.
Factos locaes dignos de occopar a attencao ex-
terna, sao poneos.
A cholera lera diminuido consideravelraenle,
tanto na capital, coma nos arrabaldes ; e quanto
basta para animar esta povoacio.
Ja o porto da capital fel aberto desde o dia 1 do
corrente, as communicacoes com a campanha, e
deste modo recomecari o movimento commercial,
qae eslava aniquilado.
O general Flores acaba de expedir aa documen-
to qne maito o honra, pois que nelle rtela a sua
abnegacao e patriotismo.
Este docomento orna circular convidando todos
os ebefes polticos para qoe se demittam at ao dia
1 deste mez, aflm de qoe seo snecessor oo supremo
governo do palz nao encontr nenbnm obstculo
para organisar a administrado da repblica.
O proprio Stglo, qoe sempre fez opposicao sisada
mas renhida ao general, ero artigo de fundo pu-
blicado aote hontem diz o segnlnte, que muito
glorioso para a administrarn que se floalisa :
< A dicladora na Repblica Oriental nm no-
nos qoalqoer com qoe se desigaoo um governo
provisorio, nome talvez mal escolhido ; porque nao
lem applicaco de qualiriade algnma durante o
tempo da actual administrado, senco no sentido de
ter fello progredir o palz ao ponto em que nunca
ebegaram os governos anteriores qoe se cbamavam
constitocionaes. >
Quaodo um opposicionisla de convicc5e?, como
o Sr. Perreira y Artigas, prononcia-se deste modo,
porque realmente os servicos foram lo eviden-
tes qoe nao ha roeio de nega-los. Porj'isso nacio-
naes e estrangeiros desejara ver o general conti-
nuar no posto que tanto honrou e do qua I consia
que quer descer, ainda que seja eleito, para voltar
vida privada.
Na repblica vizinba ba muita exaltacjo com a
proximldade da elelcao presidencial, e ainda nao
se pode prever qoal ser o candidato qnetriurophe.
Liberdade de veto nao mais do que a txpres-
so de urna coosa muito desejavel, mas qae alli,
como aqai, como no Brasil, e em todos os paites
representativos, s serve para eneobrir ooa grn-
de mentira, nao se tornando jamis orna realldade.
lineos-Aires, 5 de feereiro de 1868.
Anticipando o Aunis de nove oo dex das a soa
partida, e daodo-se aqai muito poaca poblicidade
(talvez por economa) aosannuncios sobre sahida
dos paquete?, tomoo-me de Improviso a noticia de
que elle parta bootem, sendo lacerto que boje
bouvesse alcance. Por isto, e porque menos de
urna semana o periodo de tempo que tenbo a his-
toriar, serei muito lacnico nesta correspondencia.
Nao nos podemos agora qaeixar da falla de no
ticias regalares do theatro da gaerra : temo-las
duas ou tres vezes por semana, tal a abundancia
dos vapores, e como entre outros correspondentes
das gazetas argentinas conta-se Tourhuron, que
escreve da por dia, e acaso hora por bora cartas
para a Tribuna, nao bacomo ignorar coosa algn-
ma do que oceorre no exercito alliado.
Sbese o que se faz, e tambem oque se nao faz,
o que se diz, o qoe se adivioba, o qoe cada qoal
fantasa, tudo com extrema prolixidade, e bordado
de commentarios.
Qoem qoizer, pois, tomar como historia as pgi-
nas de romance, alias escripias com talento, des-
ses correspondentes, exp5e-se a affogar-se nos de-
lalhes, e por vezes a formar juizo errneo do que
succede no theatro da guerra.
Hoja mesmo succede, qoe depois da sabida do
paqoete ioglez, tero ja apparecido seis oo sete cor-
respondencias de Tourhuron, e de todas ellas
difflcil eilrahir a actualidade da guerra. Previno-o
para qne se nao estranbe a diversldade de aprecia-
;5es entre o que dalle se transcrever abi, e o que
en mandar dzer.
Iocontestavelmenle a entrada do marquez de
Caxias para o comroaodo em chafa reaoimou a es-
peranza da que a guerra vai ter om impulso enr-
gico.
Uoamoltiplicidade de providencias qoer milita-
re11, qoer administrativas, e qoe fdra eofadonbo
mencionar, lem poslo os exercitos adiados em p
de aejao, e de aeco geral t vigorosa.
Assim lio positiva oo acampamento a creoca
4p qoe vai prompto haver grandes felios de ar-
mas, qoe ba fortes apostas, abraogeods algomas
a immediata lerminaco da gaerra.
Qaal porm, a natureza das operacoas qae
devem ser realizadas ? E' abi qua entra a di-
vergencia faodando-se cada um em Indicios di-
versos.
Diz-se qae se dar' om assalto, para o qaal no
Cerrito preparam-se ja oitoceotas oo mil escadas
de mao, alm de outros objectos proprios dessa
operacao de gaerra.
Diz-se ao mesmo tempo quo um c:rpo de exer-
cito avancara' ao interior do paz, e para tal flm
que a artilbaria de campanha tem se promptiflea-
do, e qae se exigi dos fornecedores de vveres
grande copia delles, e muitos transportes ligeiros.
Dix-se ainda que o plano adoptado completar
o assedio de Humaita', para cuja flm a esquadra
vai tentar a passagem de algn? encouracados, ou
affrontando as casamatas paraguayas em pleno dia
ou a favor de algoma noite borrascosa ver se con-
segu deslisar-se aguas aciroa.
NSo posso dizr quem estara' no terreno da ver-
dade, nem seria impossivel qoe lodos errassero, ve-
rificaodo-se precisamente o qae ninguera tinha
adivinbado : mas lera de duvida qae causa mul-
to serla vai apparecer.
Ainda mesmo tora dos preparativo?, ba sempre
em um exercito certa iotuicao dos grandes sneces-
sos qoe se approximam.como ha na natureza o pre-
nuncio das borrascas, e at no individno e de lor-
ies sensaces.
Coosa estranha : a previsao de nma grande ba-
talha, cojo xito ninguera pode assegorar, e na
qnal cada prac.a do exercito tem immensos peri-
gos a correr, produz ama alegria-e conforto uni-
versal I
Nos actaaes momentos nao ootra a siloico
moral dos exercitos alliados, e em varias cartas,
que teobo vista, acbo congratularon porque afl
nal vamos brigar I
Entre as muitas disposicoes qne indicam a vi-
zinhanga de lurtes operaedes de guerra, devo ci-
tar a do exercito arrancar de si a grande e em-
barazosa excrescencia do commercio ; e como se
lera* em lembranga, foi a qae preceden de poucos
das a marcha do exercito em jalbo.
Agora foi a nda com maior dureza estabelecida
a providencia como se a sitoacau fosse mais exi-
geote. Determioou-se que todo o individuo brasi-
lero perteoceote ao commercio era obrlgado a
entrar para as fileiras, e aquella qae nao qaizesse
devena com todo qoanto possoisse despejar o
acampamento.
E' tora de duvida qne nao ficara' am s, e em
procisso de retorno abi vem para Tuyuly ou Pas-
so da Patria aquella cidade ambulante de lojas,
armazen?, armarlnbos, botis, padarias, bnlhares
e al casas de oorives e joalbeiros I O exercito fi-
cara' nao s muilo mais leve, mas cora carcter de
maior vigor; Acara' < mais exereito I
Antes de passar adiante direi qoe no dia 31 de
Janeiro o marquez de Caxias verlcou a sua via-
gem esquadra encouragada.
Pareee-me ter dito na miaba, carta anterior, qoe
esta digressao nao s era Incommoda, mas envol-
va bastante perigo, sobre todo sabeodo qoe o mar-
quez dispensa quanto possivel grande squito,
fazendo-se s acompanbar dos seos ajudantes de
ordeos e piquete.
Nao vai isso muito de aceordocom a cauttlosa
timidez da semlidaie que lo graciosamente o
Anglo Brazilian Times attribue ao marquez de Ca-
xias, e que se fosse conhecida no exercito nao dei-
xaria de causar estupefacto.
Na verdade, se de algoma coosa parece S. Exc.
(azer gala, de inabalavel energa, de javenil in-
trepidez, e nao parece que quem tanto arrisca a
soa propria pessoa possa ter cautelosa timidez com
as dos coiros. Emflm, sao novidades que nos de-
viam chegar da corle, e ebegar em inglez para se
explicar o contraste qae fazem com os factos diur-
nos, maliiplices notorios a 50,000 pessoas no mes-
mo theatro da gaerra.
Nao preciso en ponderar a influencia qne a ida tambero nm bravo, tendo asen lado varios chefes
>l em ebefe-a' esquadra pode ter as ope- j peritos, qoe Ihe prestaro o auxilio de sua expe-
raedes de guerra.
Sabe-;e qoe pero tedos aceitara como incootro-
versa a ioipossibllidade da esquadra forcar a pas-
sagem de Homaita'.
No nosso exercito e no elemento mais enthu-
siasta da mesma esqoadra ha dnvldas a este res-
pcilo. Quanlo ans nossos alliados, o general Mitre
diz a quem quer onvir, que as rajoes apresentadas
pelo vice-alroirante para nao tentar a operacao sao
poras considersces moraes, sero nda de pratieo
oo de scienilflco.
nencia, contendo-o se fosse necessario, em alguma
tentativa arrojada e perigosa.
PirecH que nao s no exercito alliado que os
generaes se movem : no do inimigo ltimamente
observou-se a sabida de alguem, que se presume
ser o proprio Lpez.
Em um dos ltimos dias do mez vin se (de Tayi)
sabir da fortifieaco paraguaya de Laureles, um
personagero, acompanbado de numeroso sqo-to, e
embarcando, ir saltar na margem direita do rio,
ao passo Timt. Pelo seo trajo ledo branco, cha-
Esta opiniao do general em chefe argentino ha : Po de palha, e pela Bgora, assim como pelos sig-
de ser a da historia qne entre nossos alliados se | na6? de respeito que todos Ibe preslavaro, scredi-
louse que era, como cima disse, a pessoa de Lo-
escrever da guerra do Paraguay, e r,or certo na
muilo lisongeira para a nossa marinba, moito
mais se se lite pozer ao lado o heroico arrojo do
almirante Dorteamericsno Farragut diante das ba-
teras de N*vr Orleaos.
O marquez de Caxias vai porunto estodar sobre
o terreno e oovmdo alm do vice-almirante os di-
verse- ebefes da esquadra o fado da imgosslbili-
dade.
Se n5o Ibe parecer inconiestavel, en creio poder
afflrmar qoe tomar sua conta ordenar a opera-
cao. No caso contrario ver al onde, e de qoe | soliera da digressao.
forma pode a esqoadra prestar o seo concorso as
operac'g do exercito, e far coa o vice-almiran
te as cr.mbinaco^s necessarlas.
Alm de tode a presenea do general em ehef*
na esqoadra ba de sobrexcitar o enthusiasmo de
suas tripotagdes. A olucialldade joven, como os
provectos veteranos, tendo rebebido untos premios
de servicos em poslos e coedeearacB)?, resentem
vivissimo deseje de jaMiOear a muniticencia do go-
verno para eom a esquadra.
Todo Iste tai qie se tnha dado Ida do mar-
qnez esquadra grande importancia : tanto qae
tendose ella annnnclado cora anticiparlo os ni-
mos se impacientavara por ver qae se la demoran-
do dias e da?, como se o general era chefe pudes-
se sabir do acampamento sera adlanlar monas pro-
videncias para a operacao qua combioasse com o
almirante.
Na ausencia do marqaez flaa eom e comraaodo
ero chefe o general O.-orio, e se bom os ineommo-
dos de s'fe tiram a esta vleme cabo da gaerra
ama parle de saa actividade, o grande encargo
qae Ihe foi confiado obriga lo-h i aos mais heroicos
sacrifle'os para o desempeobar cabalmente.
Tinha-se dito qae o marqaez aproveitana saa
passagem por Toyoty para d spedir se do visconde
de Porlo-Alegre, que se retira, accrescentando al-
gnns qoe o marqaez procurara fazer Ibe mudar
de resoloeao.
Direi francamente qoe a segunda parle a para
nim Inverosmil : pode a retirada do visconde nao
ser agradavel ao marqnez, roas nao creio qou se
eropeBhe em fat lo desistir della.
Sempre lem sido pralica do narqo e eo qoe o digo, que cenheco o carcter e a vi-
da militar de S. Exc, ba i ancossempre, digo.
lem sido soa pralica nao rogar a pessoa alguma
para qoe o acompanbe e coadjove. O que faz,
tiro, apreciar realmente os servicos de cada aro,
e creio qae melhor do que ninguera no imperio
pode dar teitemonho disso o visconde de Porto
Alegre, a quem elle lo alio le vantou na brevissi-
roa e fcil campanba de Casero*.
Ora bem, desle a sua ebegada o marquez roa
nifrfstou este pensament que repito as suas mes-
mas palavras : Se o visconde quizer ajudar me
bei de estimar muito ; se, porm, quizer retirarse
nao bel de chorar. >
A sen lempo referi o bom accordo dos dous ge-
neraes depois urna multiplicidade de incidentes o
ter por vntura enfraquecido.
O visconde tem de envolta cora qaalidades mai-
to distinctas e cavalbeirosas alguns defeitos bem
saliente?: um delles dalia se levar por insidiosas
soggesldes alheias.
Qae coasas o fariam acreditar os ntimos amigos
qae da corte Ibe dav.m noticias e conselhos? Que
arabices de soccessio legitima no comraaodo em
ebefe tero despertado em S. Exc. 7 .
Nao o sei, nem investigo, contentando-mecom
dizer qae a atmospbera do quartel-general do !
corpo de exercito eslava satnrada da m voolade
para cora o marqoez de Caxias.
Acezar disto os dous generaes leriam continuado
a entenderse com benvola corlezia, se nao fosse
o incidente da sorpreza de Toyoty em 3 de novem-
bro. O marquez prestando alio elogio bravura
e serenidade do visconde nao poda esconder o tac-
to da sorpreza, e d'abi certo azedome as relacoes
de ambos, qae tomoa logo por pretexto a m dia-
tribolcio da encomios a offlciaes, etc.
Para mim a retirada do visconde nao teve ontra
causa e mais digo, ella j era necessaria, como
necessario Indo qae eovolve conveniencia.
Receio parecer qoe estoo lisoogeaodo o poder
qne fl'.a, e atacando o poder qae eahe, duendo
qoe o exercito ganba eom a retirada do visconde ;
portanto direi qoe quem gaaha S. Exc.
Bravo militar como o qoe mais fr, rgido sus-
tentador da disciplina, de oraa probidada immacu-
lavel, o visconde tem as principaes virtudes de
om general mas a soa maneira de servir deve en-
volver gravlsslmos defeitos, porque de outro modo
nao se explica a soa iaapopularidade no exercito
qae cotnmaBdava.
Nao ba talvez om chefe de certa Importancia
qoe nao esiivesse aborrecido de servir sob soas
ordeos, e bascando mel de sabir de sea lado.
Seos mais ntimos amigos ha muita qae o foram
deixaodo para ir pedir servico oo 1.* corpo do
exercilo.
Bis, porm, ama crcorastaocia mais grave : o
visconde tinha perdido a confianca das torcas qae
eommaidava qoanto ao acert de soas posices
militares : reconbecfamo valenle, incito valente,
mas s Isso. Ora, se ba coosa em que a iofallibl-
lidade do ebefe deve ser mais um dogma, mais do
qae om dogma, orna iotuicao ; um exereito.
Tempo era, pois, de que S. Exc. se afastasse;
elle aos 62 anuos de Idade ainda forte e vigoroso
para ter occasiao de prestar saa patria graodes
servicos; hoje o qae faria seria gastar-se.
Sobsliiolde o visconde de Porto Alegre pelo ma-
rechal Argollo, cuja bravura nao Ihe inferior, e
cujas babilitaces estratgicas Ihe sao superiores,
o commando do 2. corpo de exercito ganba.
A opinlo a este respeito unnime at entre
nossos alliados. Eis como a tal respeito se expri-
me nma correspondencia argentina:
i O general Argollo por soa coragem e perseve-
ranea tem as qoalidades de um verdadeiro hornera
de gaerra. E' fri nos perigos, doro as fadigas,
firme no commando, e lio teimoso qoe conta se
dalla esta anedocta caracterstica. (A da fazer
applicar a horootipalhia a um soldado morto de
cholera, e depois applicar-lb'a elle mesmo)
t Assim, pois, se para alguus Brasileiros Tayi
gaoba com a trasladado de Argollo para Tuyuly,
este nao perde grande coosa com ir Porto Alegre
descaosar da saas fadigas. Ninguera Ihe contesta-
r qae om bravo, porm a historia o5o tallan
da soa pericia. Argollo,TBo grado seas globali-
nhos homaiopaibicos, e soas excentricidades varo-
nis nao deixar quietos os Paraguayos, que exis-
ten) pooco?, n'aqualia liana, nem deixar desco-
cerlo dorante a noite metade do caminho, de I
para ToyuCa. .
O visconde deseen do Passo da Patria, a bor-
do do vapor Daimun, de commercio, por nao acef
lar transporte de guerra, e consia que seguir-
immediatamente para o Rio Grande.
Flndarei com a substilulcSo de comraanoos di-
zendo qae as torcas de Tayi flearam a cargo do
marecbal Victorino J- Carneiro Mqolairo, que
pez, a que, embora muito de longe, se tinha debai
xo dos olho?.
O canbo Wiihworlh de Tayi poda ler-lhe en-
valo alguma bomba, porm o marechal Argollo
nao qoiz espantar a caga, para melhcr assegorar o
tiro em outra occasiao. O qoe tez foi mandar om
oficial era um escaler ehegar o mais perto que
podesse das posicSes inimigas, e elleqcero dando
as ioformaedes sobre o trajar e figura da persona-
gera confirmou a crenc* de que era Lpez a per-
Nada mais se f-z ah do que apanhar mnito sol, e
onvir dos labios de S. Exc. algomas palavras de
agradeeimento.
A reuoio dos suburbios comea asados com
couro.
Fci publicada a resposia do Dr. Alsina carta
do general Mure s)bre candidaturas, e ama replica
desle ; sao dous escriptos bem largados, parecen-
do-me a mim qoe na caria do general ba muito
mais ideas, porm na do Dr. Alsina ba mais ver-
dade de senlimentos.
Aqu acha se o conselheiro Amaral, qae hoj
ou amanhaa apresemara' soas credenciaes. O Sr.
Brlio parte imroediatamente.
O cholera-morbus vai extingnindo-se, mas
ainda faz vctimas nolavels. Fallecen bootem o
Dr. Dias Gomes, redactor do Ntcional.
De Monitvideo, refiro-me aos jornaes para
as pracas noticias qoo ba. O porto abrio-se no
dia 1*.
INTERIOR

Ina elle para vcltar ou para safarse de Humai-
ta T Eis um ponto ainda nao averiguado, porque
se os prisioneiros e passados de datas posteriores
certificara acbar-se Lpez em Passo-Pot, nada
prova i ebefes Ihes dzem, nada mais e nada menos.
Em operacoes de guerra o ordinario sao os II-
roteios, e por vezes as cantonada?. O marquez
tendo verificado que o canhao Whilhwjrlb dava
muito bom resnltado, mandn levar para Tuyu-
Cu outros da mesma especie, o qoe nao se faz
sem muito irabalho pelas difflcoldades do caminbo.
Mas logo qoe orna batera de qaatro oo seis pegas
deste calibre estiver fonecionando, nao creio que
os Paraguayos tenbam muito- momentos de des-
canso, nem o valhoconto de Passo-Poc esta' livre
de algoma insolencia. Qoem sabe se prevendo-a
nao foi qae Lpez se resolven a tomar ares pelo
Cbaco T
Diversas tentativas tem feito o Inimigo de noite,
para sorprender guarda? nossas, oo matar senil-
aellas avancadas ; como, porm, ba em todas as
nossas linhas immensa vigilancia, foram sempre
rechazados, levando talvez alguns feridos.
Do oosso I ido qoe se praticou milito recnte-
me te ama operacao, qoe se nao foi em grande es-
cala, servio de pleno desforco de lodo quanto os
Paraguayos teem teilo, oo temado fazer com as
oossas guardas.
Na DCfte do dia 31 um corpo de cavallaria rlo-
grandense, era numero de 260 pracas, e sob o com
mando do tenente coronel Hyppolito Ribeiro, foi
embosear-se n'oma peqoena mata, prxima a* linba
paraguay). Ao amaobecer, 12 borneo? desta for-
ca adiacUr m se al ao roeio das guardas oimi-
gas, provocando as ao combate. Immediatamente
urna torca de cavallaria paraguaya de uos 80 bo-
mens accoroelteo a partida braslleira, qae ora pa-
reca fugir, ora dava freate ao inimigo, e vinha
obra elle. Urnas vezes dispersando-se, ootras con-
etntrando-se, j sobre sua direita, j sobre sua
esquerda, fingi lio perfeilamenle achar-se des-
acempanhada da qualquer proteceo, qne a forca
ioiraiga nao obstante toda a desconfianza dos Pa-
raguayos decidio-se a avancar sobre nossos doze
bravos campo fra. Um qaarto de legua teriam
andado, e haviam deiado a' retaguarda a noss
torga emboscada, quando esta apparecenlo carre-
gou Impetuosamente os Paraguayos, matando e
aprisionando o maior numero der.es. S escapa-
ran) os qae fugirara sem brigar, e alguns que
deixando-se cabir em trra esconeram-se na fo-
Ibagem.
Picaram do inimigo sobre n caipo do cmbale
32 morios inclusive tres offlciaes, e trooxerara-se
ao nosso campo dous offlciaes e 14 soldados prisio-
neiros, varios delles feridos. Da forca brasileira
huvt apenas dous ou tres feridos.
Das lionas inimigas via-se perfeitamente, assim
como das nossa?, este combate e a derrota dos Pa-
raguayos, mas a nica proteegao que Ibes deram
.o disparar varios tiros dearlilbaria.
No exercito foi moito applaudido este feito de
armas, sobretudo pela habilidade com que foi pre-
parado e levado a tdeito. Fazer sabir a cavallaria
paraguaya da sombra de seus canhoes para vir eo
contrarse com a riograndense, tao difflcil como
cham?r o coelho fra da sua toca para affroolar o
lebreo, que sabe o aguarda.
A islo limitam-se as noticias do theatro da gaer-
ra, e v-seqae tendo ja ero si alguma importancia,
envolvero promessas de fados moito consequentes,
que terei cuidado de commualcar por lodos os va-
pores.
Nao obstante t a cautelosa timidez da seoilida-
de > qae pelo Rio de Janeiro emprestase ao mar-
qaez, nao s no exercito, mas em Rueoos-Ayre?, e
ainda em Mmtevido ntrese orna especian va an
ciosa do que breve apparecer, desejando que seja
cousa mailo acertada, mas recejando se que algu-
ma tentativa por demals arrojada do general em
chefe brasileiro possa trazer prejuizo ao prompto
flm da guerra.
Posto que faco referencia ao escripto do Anglo
Brasilian Times, direi que aqui tem as redaecas
andado a procurar esse artigo, mas aiguns Brasi-
leiros qoe o leem negaram o.
Da Contederagio Argentina a aniea noticia a
dar qoe, como eo tioba sopposto, a re.voluc.oo de
Santa F val-se resolvendo em tormenta de vero.
Aluda o exercito revolucionario nao trocou nma
bala com as torcas do governo, que alia? bem pro-
curara alcanza lo ; e em qu nlo Uto succede, os
pobres gauchos, illndidos, vo abandonando aos
centos as fileiras de Patricio Rodrguez e coronel
Nelson. Calcula-se que ellas nao coniarao hoje
mais de 700 homen?, e que antes de urna a duas
semaoas nao tero 50.
O governador Orono tendo de novo lomado conta
da admiaistracao da provincia, e conservando sua
sede de governo no Rosario, adopta orna politica
eooeiliadora, modaodo as autoridades qae podes
sera inspirar desconfianza aos partidarios da revo-
luco sobre perseguicoes, etc. Eotre ootras foi
exonerado de ebefe de polica do Rosario o Dr.
Roiz Moreno, sendo nomeado fiscal dos Bancos.
Urna sabstilaitao qae parece tera' lugar, sem
qoe se Ibe explique a cansa ; a do Dr. Pie,
commissionado nacloDal, pelo Dr. Costa, ministro
da iostica e culto, o qoal ja parti ba tres dias.
Como, .porm, bavia graodes qoeixas dos revo-
lucionarios contra o Dr. Pi^o, eu percebo que
mandaodo-o substituir pelo Dr. Costa procora-se
que aquelles aceitero com maior eonflanfa a am-
nista, voltando logo para sua casas.
Das provincias do interior nao ha novidade al-
goma.
Nesta capital houve no doroiogo (2) tres mte-
finas, um promovido pelo Club Libertad, qae tinha
por objecto proclamar a candidatura popolar do
presideule, mas ao qoal se atlribaia o peosamento
de fazer urna manifestacao contra o ministro Dr.
Elizalde, e ainda contra o general Mitre. Em res-
posia os amigos destes senbores promovern) en-
tras duas reunies, urna na frente da casa do ge-
neral, para o protegerem no caso de aggravo, e
outra de militares em um ponto dos suburbios.
6 neeting do club do progresso teve amas 1,200
pessoas, Inclusive uma terca parte de estrangeiros,
e limitou-se a proclamar a candidatura do Sr. Sar-
miento, nao sem que alio protestassem os amigos
do governador Alsina.
Quanto a' casa do gentf Mitre, clenle! bayer
300 pessoas, qaasl lodas da melhor classft social.
Rio de Janeiro.
9 de fe rr re ro de I8G8.
Eolroo hontem dos polos do sol o vapor Ge-
rente, com data? de Parto-Alegre at 31 do passa-
do. Rio-Grande 3 e Santa C.marina 5 do correare-
Tinba regrestado da sua viagem ao sal da pro-
vincia de S. Pedro o Dr. Homem de Mello, presi-
dente da mesma provincia.
Yollaram tambera da excors&o qoe fizeram s
fronleiras o commandaote das armas general Bit-
t?oeouri, e o coronel Pederneiras.
Partir para a colonia de S. Loureogo o baria
de Kalden aflm de eonbeeer das qoeixas dos colo-
nos e formar om relaforio qae habilite a presiden-
cia a resolver as qoesias que os Irazem em ag-
lelo.
Para o mesmo destino segoiram do Rio-Grande
no dia 30 de jaoeiro o delegado de polica, juic
municipal e o escrivo do judicial para fazerem a
demarcaco dos terrenos dos colonos. Foram
acompanbados per orna forca policial.
No dia 18 do pastado, em um dos matos da Sa-
pncaia, 1* dlstricto de S. Leopoldo, foi encontrado
morlo eom doas facadas om individuo de nome
Joo Francisco Teixeira. Ignorava-se ainda quem
f jsse o anior do criroe.
A 15 fallecer na Cachoeira o Dr. em medicina
Jos Pereira da Silva Goulart.
L se no Rto-Gronlense:
t Pomos obsequiados com cartas da divlso do
benemrito general Portinbo, da 7 do crreme.
Na vespera tinbam sido apreseniados aquella
general dous Correnlinos fgidos da Assumpgao,
e que tinbam atravessado o rio n'oma jangada,
entregando se s avancadas daquella divisSo qua
guarnecem a costa.
t Cootam elles qae era em Assampco, nem
no interior todoba forca alguma de considerado ;
qoe tioham reunido criaocas de 10 e 12 anos para
formaren) o eampo entrlncheirado do Tobiquary,
e qoe por ultimo fallara se em organisar corpos
de malheres, sem qn estas moslrem tanta repug-
nancia c mo poderla pensarse.
< Quanto ao mais, que j sao ellas quasi as ni-
cas que cuidan da lavoora, e sobre qoem descae-
c a alimentaco publica ; sendo por ootra parte
muila a escassez de mantimentos e anda roaicr a
de fazendas.
A diviso conserva-se no mesmo p de apri-
morada inslrocco e disciplina, dando o mais apu-
rad; exemplo de constancia no inglorioso servigo
a qne parece eternamente condemnada.
i Onde, porem, nos levaro estas conlemporba-
coesda gaerra ?
Quem ser o verdadelro vencedor, se o Para-
guay realisar o singular annuncio cora que nos
araea-ia 7 Terao nossos valeotes de ensaognentar >
espada em sangue feminino ? t a victoria sobre
laes contrarios ser dlgoa do pavilbo aort-
verde ?
A caixa filial do baoce do Brasil oo Rio-Graode
tinha cessado as saas operacoes baacanas, e es-
trado em liqoidacao, qae foi encarregada ao pre-
sidente tenenle coronel Porfirio Ferreira Nunes e
guarda-livros capillo Rodrigo Jos de Abreu.
Pela commissao de jolgamento sobre o transpor-
te de emigrantes presidida pelo inspector da al-
fandega daquella cidade, foi eondemnado o capito
Lutch, da escona naufragada Eitea, ao pagamento-
da multa de 5 por cento do prego das passageos
dos 63 colonos queixosos do mo Iraiamento qaa
receberam a bordo daquelle navio.
Publicava-se na capital da provincia om novo
peridico poltico. Iliterario e commercial, com o
titulo Opiniao Publica, redigido pelo Sr. Antonia
Moreira Cesar.
De Sania enharina nao ha noticia de importan-
cia
Tinham segaido para o sol os transportes Galgo,
Presidente e S. Jos e a eanhoneira Araguary.
Por decretos do 8 de fevereiro correte foram
concedidas as seguintes pentoes por servidos pres-
tados na guerra :
A D. Helena da Cimba Palmar Tavares, viuva
do capitao do 12* corpo provi-orio de cavallaria da
guarda nacional Antonio Palmar Tavares, morto
em combate, 05 mensaes.
A. D. Josepba Pnllm-sna Rubim, viuva do capi-
to do 11 batalho de infantaria Aotonlo Rnbio.
f llecido em conseqneneia de molestia adquirida
em campanha, 305 mensaes, sem prejuizo do meto-
soldo qoe Ihe competir.
A D. Alexandiina de Jesos Ferreira, viuvada
teoeaie em commissao do 22 corpo de cavallaria
da guarda naciooal da provincia do Rio-Grande da
Sol, Mauricio de Jess Ferreira, fallecido de mo-
lestia adque-ida em campanha, 425 mensaes.
A D. Aana Carolina 6odloho, viuva do capito
do 30* carpo de voluutarios da patria Joaquim Ig-
nacio Godinbo, fallecido em conseqoeocla de mo-
lestia adquirida em campanba, 605 mensaes.
A D. tafraasioa candida Soares de Caldas, viu-
va do lente do 22 corpo de voluotarios da patria.
Vasco Martios Caldas, fallecido era coo-equencu
de molestia adquerida em campanba, 42)000 men-
saes.
A D. Aooa Ladanilta da Silva, viuva do major
do 17*corpo de voluntarios da patria Vicente Fer-
reira da Silva, fallecido em consequeocia de mo-
lestias adquiridas em campanha, 845 mensaes.
A D. Josephina das Trevas Lima, vlova do t-
tente do 46* corpo de voluntarios da patria Inno-
ceneio da Costa Lima, fallecido em Tuyuly, 425
mensaes.
A D. Marcelina Fortado de Mendonga, viava do
capito da guarda nacional da provincia dei Per-
nambnco Francisco de Oliveira Cabral, 605000
mensaes.
A D. Gerlrndes Baptista Fernandes Lima, viava
do mestre de msica do 10* batalho de infantaria
Bellarmlno Daarte de Lima, falleeMo em conse-
qoeocia de fenmentos recebldos em combate
285200 mensaes.
Ao soldado do V batalha de infantarta Ray-
mundo Robert) do Nascimento, ferido em coabate,
400 r?. diarios. 4
Por cartas imperiaes da mesma data :
Foram nalorall alos os cidados da repblica
dos Estados Unidos da America do Norte Joba
Alexaader Dann e Josepb Abel Roassel.
Foram nomeados cavalleiros da Rosa : .
O snbdito inglex Charles Samnel Benson, e o
portuguet capitao Antonio Augusto de Lo.



^m
as*


MMrtft de PefMban Ter^a letra & i Fevereiro de 1868.

Em alienga aos relevantes servias prestado sabido de Montevideo a 6, nada flauta as daltts
na guerra actual contra o govem doParagoay, do Auna ; tocn, porm., era Santa Camarina, don-
pelos individuos abano mencionados, Ibe forana de iraz noticias at 10, roas sera nteres.
concedidas por decreto de 8 do correte, as Aon
ras dos posto taimares tambera abnxa desigoa-
das.
De capItSo : aos capillas do 3i" eorpo de vo'on-
Urios da patria, Jo- Uaria de Saol'Aona Matos, e
do 43 corpo dito, icio Capislano Fernandes.
De teoente : ao teoeote do W corpo dito, Valen
tim los da Kocba Galvo.
Na conf. rmidade das disposlcoes do I* do art.
9* da le o. 6'48 de 18 de agosto de 1832, (oi refor-
mado por decreto de 8 do crrenla, o capito do
12* batalhao de infamarla Jalo Carlos Alvares
Hort, visto soffrer molestia incoravel, no o torna
incapaz de continuar no seTVrco.
Per decretos de 8 do correte :
Concedeu-se ao baeharel Jacinteo Pereira do Re-
g a deroisssao que pedio do legar de juiz rouoiet-
al da da 2* vara do termo da capital da provincia
de Pe mam boro.
Foram comeados :
O bachjrel Agosroho de Garvalbo Das L*raa
juii municipal de orptos dos termos reunidos
de laperoa, Ga.yi< e Samaron, ua provincia daBa
Ola.
O bacharel Armioio Coriolaoo Ta vares dos San
tos juiz municipal da vera do termo da capital
4a provincia de Pernambuco.
ios Francisco de Sarapalo tenente coronel cora-
mandante <)o baialrrSo o. 17 da guarda nacional da
provincia do Calta.
Foi reformado no m?=mo posto o tenente coro-
Bel c jobbiandante do eaiaibo o. 1? da guarda na
cional da proviada do ra, Francisco Ferreira
da Silva Jnior.
10
Pelo transporte -babel sinido do Ctinu a 30 de
Janeiro e entrado feoul-'ai recebemas falhas do Rio
da fruta al 4 do crreme.
As uotlcias do rheatra da guerra sao no sentido
denour-se gran.le mavimeuto nos exerc tos ailia-
dos, bavendo tedos es indicios de se e-tir prepa-
rando urna operago imprtanlo.
Nao se sabin b ?ra qual eila seria, diiendo mis
^ttoee tratav de urna exnedigao Assoropgaa, e
aires qua se la atacar Kumait: parece porm
que effacnvtaeuie alguaia cousa se projectava leu-
lar contra o Qiiadn latero inrmigc.
O Echo de Corrientes da-:
. Nao recebemos uoiicia slguraa de transcen-
-deacia. Diz se quo o Sr. i:.--:ru-x de Casias man-
dou alistar as fargas do eterclto todos os cora-
merclaules bratileiros del'syu-Cu, Tuyaijf flia-
pit.
c Parece qoe esta medida foi tmala por causa
de urna expadigo que ca brevemente deve s*hir,
eomposia de IO.OOj bomens, e que se dirigir a
Assumiglo para interceittr as commuuicw'Sjs des
la cirtade cora Humalt*.
Hi quera seja de parecer que dentro de pon-
eos das se dar 2 ffamaia um as-alto decisivo.
Um telegramma aaooncia que os ailiados eva-
cuaran as posiges de T.yi e potreiro Ovelba. A
ser istj verdadd, neo Iba achamos oulra explica-
{o se nao estarem-se concentrando as forcis para
assallar as triacheiras ioimigas.
Accrescenla ss anda que os ailiados nreiideram
em fiapir um cspio inglez.
V ua carta qoe recabemos da esquadra, datada
da 30 do passaao, diz que sa fallava omito em irem
OS encouragados pequeuos tentar a passagem de
Humalia ao mesraa lampo que operassem as fargas
de t-rra.
Acreatava-se, porm, que Loper j se tinha pas-
sado para o acampamento da Tebiquary. O bom-
bardameos da esquadra contra Passo Pocu' era
efflcaz, trazendo os Paraguayas em constante mov-
memo. O inimigo raras vezes responda.
O 31.* (J-tiihao de voluntarios, polica da corte,
liona passa-Jo para o Chaco, e suppuobase que ira
para all um reforco de 1,000 bomens, infantina e
eavaliaria, com 6 pegas ue carapanoa.
Urna partioa de 50 paraguayos de eavaliaria aira-
res-ara o riaciio do Oaro, e eucomraado um p<-
?|ueta uosso mura-lhe um hoinem, reiirBdo-se
nmediatame.nte aotrs de poder ser alcangada.
tira o nico.movimeulo que por all tiuha feilo o
inimigo, que alias pareca estar bem fortificado de-
ronto de Humail.
Diz se que o visconde de Porti-Alegre se retira-
ra por eufenuo, sendo substituido pelo general Ar-
gollo nocommando do 2.4 corpo de exercito.
Na provincia argentiua de Santa F os negocios
acbavam-se no mesrao estado. Eoj snbsiitpiQao ao
Dr. Pico fui para all enviado o ministro Eduardo
Costa, como commi^sario nacional.
Na provincia de Tucumju diz-se agora que re-
beniou mais urna re.voluco que deilou abaiau o go-
rerno, por ter querido o general Taboada Impr a
candidatura de Elizaide.
O meeting convocada em Ba?nos-Ayras pelo ctob
Liberdade para o da 2 eelebrouse sem grave per-
tarbacao da traoqoill dade publica, apezar de al-
gaos grupos desordenados terem percorrido as ras
com mostras de querer atacar a casa do presidente
Mitre.
O club argentino, poru, a pretexto de orna con-
tra-demonstracio, tinha convocado os seus adbu
rentes para se reunirem em tomo dqaella casa e
os doas partidos contiveram se mutuamente em
respailo. Mitre pr^nuocloo um discurso dizeodo
que saberia manter a oa aatorlda'ie.
O club Liberdade limilou-se, pois, a discutir as
candidaturas a futura presidencia, obUndo Sar-
miento a maloria de vuios e seguindo-se Alsina
como immediato.
O da 3 foi declarado feriado por ser o anoiversa-
r;o da qoda de Rosas.
O cnolera-murbus decnava rpidamente em
Bueuos-Ayres. No dia 3 at s 2 horas da larde
nao se dea nm s caso. Em Moutevidj tambem a
epidemia la seosivelmeote a menos.
Do P chagado de diante de Arequipa, oepjis de urna per-
da de m-.is de 1,001) horneas, se embarcara para
Lma, deixando lodo o sul da repblica em poder
dos revoltosos. Dieia-so que elle entregara a pre
sldeocla ao general La Pauerta.
No Cni e nada oec^rrera de importancia, recela-
ra-se purm que cahiudo o general Prado, rompes-
se o Per o tratado de alliaoc* contra a Hespaoba.
Sna magestade o Imperador, acomoaohado dos
sens semanarios, vteitou hootera as offleinas de ma-
chinas do arseual de marlnna, a corveta Vital d:
Oliveira, os monitores em coosiruoco na iiha das
Cobras, o dique imperial a o qonatel do baiallo
naval.
O vapor Guapote tinba seguido p
tarde de 9. v
o sol na
on em rarlaj chcaras desmoronen o principio soai dos lofellres Francisco Carwlba nwwiiirto aoonta nn.ui k, .,i. ..=..-.-1
da moralbad. cmara municipal, ae divide o rio l Pernan des, lo,- Marian dos Sam, Sa f P corrlgir es animal seml-
da estrada, na Boa-visia, levando oa forca dis nwlRibairo e as dos menores Jo" S- Multico '
alteogio 4o Sr. Dr.
cuja poli-
e desean-
For aerTeto de ri de Terereiro correte : po" do desmoronameoto existe a volta do tio de- coro toda a nr
u omea(l0 flBeial da ordea da Rosa, Joaqnim nominado Branco, que, recebeodo as aguas do al- ero iO guard:
J s Novaes da Silva Goimarie, em attencao a re- lo da Gavia, para Ir desaguar na Lf fia, pode, era djsIco do sul
aervlcos prosudos eat relacio a guerra sna passagem, -
s arromar
levantes
acta
Por cartas imperiaes da mesma dala:
Foram oaturalisados os cidados da repblica
des Estados-Unidos da America do Norte, Alberto
Gallaban Carr. John Washington Kiyes e o subiito
llaliaco Lalz Rappallo, alteres de commissao no 16*
baialhode infantera.
Por decretos de
ram mered :
Ua mulo da bario de Canana, o tenante
roal Beroardino Hcdrtgaes d Areltar.
Na conformidade das disposigSis do Io do art.
9* da le n. (8 de agosto de i8o'2, foi reformado
por decrete de 12 do crreme o majnr do corpo de
estado-malor de artilnaria Joao da: Gama Lobo
Bemes.
Em attengao aos relevantes tervleoj prstalos
m geerra actual contra ogovarno do Paraguay
pelo alfares do 43* carp de volnn'tirios da patria
Juvencio Barbosa N^oeira, Itie foram concedidas
as honras do pesio de alfares do eteretto, por de-
creto de 12 do correte.
14
Por decreto de 8 do crreme :
Fora nomeado:
O bacharel AntonnJ)-o Rodrigeos de Siquetra.
juiz municipal e de orptos do tet-aa de Broias.oa.cjrdia Victoriano Ferreira Meode
provincu ^eS. Paulo.
apaas ts granies pedras de sna consirncco, o qne
coovm ^oantj antes reparar, aflm se que "
qne estragada a estrada real, porgue nesse m
Ponto do desmoronameoto existe a volt do tio de- coro toda a urgencia, flzesse de aciPr o Rio C Camo\<'oe S-S: M0 efqaecera.
' naPiAn>. n ,. i Apesar de recoBhecerraos as difDeuldades
uaes flerao a dis- cora que Iota actualmente a empreza do gai para
abastecr > cidade de luz, nao oes podemos exbi
respectiva direegao qne o ser-
ralha que a sostena, preja*caado assim o pobl% [ btaDw'BoTd'rswobrwi otsot V $* ",on,,io. PaAb,,c "i* sendo mal fai-
co o os particulares. > | fai, h uim .,""."."_.""..oail len '*. Nl vrdade nao s se nota falla de aceio em
Sr. deserabirgador Assis, sortiados os Srs. desem-
bargadores Santiago e Aimeida Albuqoerque.-De-
ram provimeoto.
appbllacSks civeis.Appeilaote, Jasd'Amorlm
LuaaJ ppeliada, D. Barbosa Francisco do Re-
Ro.-Cenlirmada a senteoea. Appeliante. Maooel
Msar-Falcan; ap9el[,do, Aotooio Leito Vielra de
m*i fcDespresados os embargos. Appeliante, a
V.cJ a. cu' -* M'sericordla; ppellado, Candido
Jos da iilva Gaimaraes.ConBrmada a senien-
Cn./Pn >,nle' !fBe'*co Alves Cavalcante ; ap-
pellada, D. Mana Joaquina Santiago.-Despresados
Commoolcam nos da secretaria de polica qoe o
negociante allemao Zsrerdoll
hootem 00 hotel Beonet.
nm revolver qoe contra
tatira os assalio que por ventora nroiondam n _i,. --" ce u,. ... o -v.=. peuau*. v. nana Joaquina Saoao -Dasnresados
Indios effectuar. P preteodam os mQi,os combusiores, mas tambera o accendimento os embargos. Appelliute, Luiz P0eCb aDrellade
. Anrofeitando a M(,d> .Mt____,.,. -......i!5.,8l "'WineDie kilo, em ouirnto delrt-! jjio PmeiMi Oih.n>.-p,1rlB 'orS
memo do publico, depols das I* e as vexes das g(?. Appeliante, r. Maaoel do r'J, Barros Son-
oras da ooole. Ouiroslm parece nos Irregolar
os aeceodedores aOaguem os combnstores a
I meia nonte, e multas vezes antes dessa hora. Que-
la Leao; appeliado Fraoci d,.-Conflrmada a setenca. Appellaoies, berdeiros
de Thomaz de Aqaioa Foo.-cca Jnior ; appellado,
offlc.aes sobre o faci exposto, se acham DubUca-' .Zn ^"-V direc:iodaquella empreza nao 0 commendad^r Lhoraaz d'Aqalno Fonseca.-Man-
das no Ingar compleme P 1Mbadura irregularidades que levamos dito, e, daram a urna dellg,-ncia. Appeliante, Maaoei Bar-
E'de esperar qne as providencias tomadas I ^?"^nelXl^^Men^0 qM
tranquilisem a pspnracSo do Rio-Negro, qus-----'
co
Maru w?f,k, l d ** e^min J-a0 k(Jae"e 'eoiavel succasso deve estar, com razo. K ~ E? c<"J"qo ti! i 5)L sobresanada e receiosa. benbe de comegar as obras da nava lioha da en
Da lew de tttafczo cavalreiro da casa imperial,
yrEr.SSiMl N'C0-^--^Anuqu^ rantK^^alS^^de^p^
Foam'r ados cavai.iros da ordem d, Rosa, I estr.^lffi <$& R8SUS
attengao .os relevantes servaos prestados a' ria. V 'alha
em
harnaaioado oa pruviocia de Mato-Grsso, o los-
roctir da tbesourana de fazeoda Raymuodo Jjo
Sos Res, o o prov.-dor d santi casa da Misen-
Foram oeitimotadas:
No mitmoo do art 237 3% combinado cora o
art 216 do cdigo erlmioai, a pena de i meses tfa
orisao e-rcnlta correspondente' metada do tmp\
que por rime de Injurias iieprensas foi, ere grao
da appttlago, raiposla ao Dr. Martim Leocadio
GT0eiro, pelo jais de dire.to da 2* vara criminal
da corte.
Era gflls perpetuas, qiw devera' sercoraprida
na liba de Fernanda de Koronha, a p*e de adela
imposta ao reo escravo Francellioo. pelo jury do
termo da Paiabyba, da proviocia de S. Paulo.
Em gales perpetoasa peoa de raerte Imposta ao
reo escrave Pedro, pelo jury do tera.o oe A- asa'
da provincia de Minas Geraes.
i'-r decreto de 29 da Janeiro fai creado no mu-
nicipio da Telha, da provincia do Ceara', mais nm
bata ho de infao'.aria cora seis companbus e a
desigualo de 4i' do servigo acttro.
_ ------
Poroecrei. de 8 do crrante:
Furam reforaaados cem o sold por intero, na
confermidade do arL 3* do decreto de 11 de dezem
Oro da 1815, es iroperiaes mannbeiros Deodato
L'iii Francisco Monteiro, da clssse a Franci^ow
Pinto de Siquwa, da 2', pr-r sa lerem invalidado,
aqoplle tm con.bale e ete tm acto de servieo.
Concederam se ao Dr. Oclacilio Anstides Cmara
as hooras.de 2* cirorglo do corpo de sanie di ar-
mada, ero attengao aos relevantes servigos presti-
dos em relago a' guerra actual; e f ji levantada
ao 2* tenante Fredenco Guilherrae de Souza Ser-
rano a clausula com qoe foi promovido por decre-
to da 20 do ja lio ultimo qualle posto, visto ter sa
tisfaito ascoodiepes exigidas pelean. 1*0 do regu-
laroento do 1 de maio de 1858.
Por decrete de 10, tambera do crrante raez.
Foram reformados:
O capito lente Francisco Duarte da Costa Vi
dal cem a graduagao de capito de ragat e o sol-
d por loleirc daquelle poste, na contalmidade da>
alvara' delude dezembro de 1790, visto foffrer
molestias inenraveis que o tornara incapaz do ser-
vigo.; e os 1" lenles Rufino Lnlz lavares e Jor-
ce Salurnioo de Manezes, na conformidade d> art
ft" da le n. C45 de 31 de julho de 1832, percebeo-
do aquella atee ama e e*le Love vigsimas quin
las parles do respectivo sold.
De urna caria fs:ripia da cidade da Paz a 22 d-
dezemnro exirabimos o se-oiote :
As nosas relagdVs Int-roacii/naes com a Bol
va acham-se no meinor p. Eila, que, ainda en
aneiro deste amo. se mosirava nossa desafe.goa
nos
Devenios contar qae os habitaot.es do Rio-Ne-
gro darao a atiandade os auxilios qae Iha pnde-
rem presiar, secundando assim es esforcos empre-
gados pela admlni^trago no intuito da restele-
cer asegnrmcaindividoal-naqaelta toealilade. .
8. PAULO.
Tendo tomado asseopj na asseraWa provin-
cial o Dr. Tilo Augusto Pereira de Manos, fai no-
o Dr. Lun Carlos
I da R CB5,)ui de direuo da capital.
ESPIRITA SANTO.
Continoava com erapaoo o levaotamento de
forcas para a guerra. O presidente da provincia
ordenoj que pelo cummaodo super.or do centro
Foi nomeado cmlieiro da ordom de Christo, em
attengao aos servig.is prasiados ero relagao a Oer
ra com o Paragaay, o coreuel Maooel Ignacio do
Cauto e Silva.
Furam concedidas as seguimos pensoes por ser- meado Wiefa de polica imeriao o"Dr*
viQ-is pre-tados na guerra:
A Magdatroa de Oliveira Carvallx,--viova do 2
raactHQUrta da armada Jjo Itidero de Maraes,
i-;; auuuaes.
A->s iojper aes mariaheiros da 1 elasse Deola-
to Luiz Francisca Uoetciro, a da 3 elasse J e se lizes^a"urna nova ticnacSo
Nepomoceno, ravalidos era cmbale, 1U* ananaes | T.uba sido nomeado director da thesouraria
F^i el^ada a 31 oa .., J. a Prov"lC,al r. ^ Mallo Carvalho.
ro eievaaa a 3ioz-JU annuaes a pensao de
603 res diarlos conoadida por decreio da 13 de |
!">
Por portarla de 8 do crreme feram suspensos
do exerctclo de si.astoncgSes, at elterior delibe
,C?":0nnmeiro e3ur,t>larario do esonro Carlos
Jos do Rosario a o sejundo dito ABfaoia Serciu
Fernandes da Costa.
- 1S ~
Entroa hoatem do Rio da Prataccm falbas de
Buenos Ayres al 3 e M .otavid) 6 do correte, o
paquete francez Autus, que antieiporj a sna viagem
por carecer de fazer aqal afguos repares.
Cbegam al ao I." do correle as noticias do ibea-
tro da gnarra.-oode o eeercito pareca continuara
reputir-se oa vespera da acoatecimentos iapor-
tanies. r
No da 31 o Sr. mirqoea de Caxla?, ctregano
por a guos das o coramando ao baro do Herval.
sabio d, Tofa-Co, pwa visitar a esqoadra, sendo
omoiao geral qoe ta conferenciar cora o vice-almi
raote e de ais chefes sobre a possibilldade de Tor-
ear o passo de Humail ou outro qaalqoer modo
de secundar amesma esquadra os raavimenlos do
-exarcito.
O Wsconda de Pono Alegre ratiron-ee effaeiiva-
ente, senlo o eommando do 2. corpa do exorcito I
n Tuyuti confiado ao marochal Areoilo. qua a|
sen tomo foi sobsUtoido peo mareehal Victorino
*e Caroelro Monieiro no coanoando d /oreas de
ran^P0biCaS,l0PrataDSo'na"D0"'Cl a iOS-
fonancia As camars orientaea deviam abrir-s
*m Montevideo a 15 do corr ota orir->e
flridL5KMC0,,Sel,,elIJ J',aqa,0B T0maz i0 A"-]
ral foi recebldo em audiencia soleme pe o preai
ente M.tre para apreseatar as suas credesciaes
orne ministro plealpotancwrio em roissio espec-al
xa Repblica Argeoiiaa, profanndo-ge cesta ceca-
aiao os discursos do esiylo.
da e partidisla da marechal Lpez, rospiraodo-
assim rios recelos, e: ta' hoja uos-a amiga, e, r..
deferencia a nos, tambera da Coofederagj A'geo
tina, nossa alliada.
t Lpez nao recebe, poi?, daqui o menor apoi-
moral nem mtenal. Jjo Saa (Laog^-Secca), qu
tinha viudo do Chile cora tenco da ir ajuda I..
mediante a prolecgao do g-neral Melgarejo, c
quera coatava, esta" vigiado de perla em tiuqui-a
ca, dende nao so movra'; e Varella, o devastado
de Salta, acaba de ser desarmado, coai todos o-
seu< infanes satelliies, na fronteira boliviana, a ra
temado convenientemente.
Este facto, alias muito significativa, prai:cad
na ausencia de agenle diplomaio da Couf-der.-
go, que o nao lera aqoi, pz termo a' guerra e v.
que a atormeotava.
As ideas do gaverao e (j pevo sao, poruut
outras a nosso respailo.
Di-to acabaras de ter msis ama prova ine-
ccsavel 00 festejo de 2 do correte. Foi o primen
que se fez aqu, e ulvez em todo o Pacifico la/u
bem, pelo anutversano natalicio do Cete de nm
monarebia.
t Nao poda ser ans esplendida, n?m mais cor*
corrido. Cavalhriros a senhoras, todos coucori -
rara gostosos ao convita nosso muistro. Es t,
depois de ostantarera, oa cataedral, as suas med
res galas, enchcrara-lhe a cas3 de ricos cuides >
visita e raroalhetes da OOres. Niuguera faliou a
T Diim.
a O presidente da repblica deraorou a sua vi
gem ao interior para asslstir a ella e visitar dei-oi
o ruiaistro tnsilairo, da gra-cruz do Cruztir .
cora lodo o mioisttrioe um luiida estado-noalor
Tambera o vistaram todas as oorporaedas elis
religiosas, e todos os bomens decentes desta cidad..
t O enthu-iasmo fai geral e sincero. Teroiioo
o festeja, durante o qual a nossa baodeira flactuon
a parda boliviaoa, por um sarao ora casa Ai noss<
.ministro, que duron at a' madrugada de 3.
Resta agora que s&ibamos aprovnitar to feli-
mudaoc?. C-mo fai rpida e aleaogida na epoc;-
mais critica para o Brasil, de temer que nao lh-
demos grande importancia, deixando qua a< cau-
sas tornem ao sen amigo esudo. S ra' isiqdr
grande otilidade para o Chile e a Part, qua na-
Dudara ra evitar aquelia mudanga oeo tem coos-
guido modifica-la, apezar das mais activas diliieu
cas contra nos.
aoril de 1867, ao sargento Arsenio Oalcarpia Vel-
loso da Silveira. visto lar se v.-riflcado que elle
ja era slferes quando recebeu os fanmeotos em
coosequencia dos quaes Iha foi tena ajue la roer. .
Por carias ir.penaes da mesma data :
Foram naturali-a^los a subdito portugus Alfre-
do Jos Garca, e o belga Camillo de Grote.
Por decreto de 15 do c rrenta se deterraiaon
qoo os individuos acs qaaos se teiu concedido, por
decreto da diirareoles datas, boora de postos mi-
litares do exarcito, a aquellas a qaera para o fu-
turo houver ds Conceder Igual graga em Jlanceo
jos relevantes s.rv.gos prestados oa guerra ac-
tual conira o governo do Paraguay, sejaio cansi-
lerado* olQ-iaes b> noranos do mesmo exercil>,
podendo como taes usar dos corapelemes distraen
vos.
Por decreto tambera da i?, e em aliengio aos
relevantes servicos prestados oa guerra actual palo
alfares da guarda nacional da provtocia do Para-
n, Cbrisiiano Piau, e pela 2 lente de corarais
sao da balara da voluntario aliemaas, .duido ao
f regimenio de artuharia a cavado, Carlos Sch ibb,
Ihes foram coodetdas as honras da poslo da al-
fares do exerclo.
Por decreta de 12 do cmale :
Fui recouduzdo o bacharel JaroQymj Martin
da Aimeida Juaiar, 00 lugar de jjiz municipal e
de orpbos dos termos reunids de Iiaborahy e
Santo Antonio de Si, da provincia da Ra de Ja-
neiro.
Foram Horneados :
tachare! Rufino Caeiho da Silva, ]qu nauni-
ci^al e de orpbos do termo da Oiiuda, na pre-
fnela de Parnambaco.
bacaarel Alexaadre Cclesiioo F.roandes Pi-
uhero, juiz municipal e de arpbios do termo da
Vigosa, oa provincia do Cear.
O bacharel Raymundo Mandes de Carva'uo, juiz
municipal e da orphaos dos termes reunidos de
Valenga e Marvo, na provincia do .Piauay.
Nouo Rabello Lins e Silva, capiio cir'urglao-
nr do eommando superior da guarJa naciooal do
municipio da assembla, provincia das Alagas.
O majar Jx Gt raes da Silva, lente-coronal
mraiadante do batalho de infontana n. 23 d^
uarda nacional da proviaeia de Paruarabaco.
ro reformado:
Coocedeu-se a Prancfsco de Vasconcallos Meo-
Dorante o mea de jaoairo entraran), 00 por-
lo da capital da provincia, 1,393 embarcages e
sahiram 1,353.
Depois de pequea demora no porto, segnio
para Toulon, a fragata transporle franceza fea,
montando 4 pegas e com 189 pragas de guar-
uigo.
Inuilmente segnio para G-nova o vapor ita-
liano Clementina, cou Inziodo 328 passageiros de
Moalevid.
Faeceu o amigo coramerciante Jos Macha-
do (uimares
S. Exc. Rvroa. o Sr. arceb'spo eontinnava a
eatir melboras em saus padecimentos.
Foi nomeado, e ja tinha tomado posse do car-
go da director da casa de potada cora trabalho, o
Dr. CatSj-Guerrelro de Castro.
Na concurso a qoe se proceden ni thesen-
raria de fazeuda, para preenchimeoto d ts logares
de i,'uarda-mr eajudaateda alfandega, ioram o as
slcados : eua i* Ingar o Sr. Ja- Gancaives Mar-
tlns e era 2o Jas P rfirio de Si.
No dia 22 devrn eomegar as sossSes pre-
paratorias da assembla provincial.
O cambio regulava : s bre Ltndres 15 7i8 a
16 d.; sobre Paris 600 rs., sobre Hamburgo 10 5
e sobre Portugal 230 0|().
A a'fandega reodeu al 20 do correte......
396:68#S39.
Lemoi na Diario :
< A ti de agosto do a o na pas-ado falle- u na
arnial de Calles, municipio de Minas do Ro de
Comas, D. Alexandrina Pereira de Mallos, cora 126
anoos da idade. e aj o ultima instante goson de
todas as suas facuidades e perfeito juizo.
< D. Alexandrina era mai da escrivo de or-
phaos desta cida-la (Bihia) Jos Olympio Gomes
'.e Souia, que ja deva contar cem annos, nao sen-
dj este o lillio mais valbo e siva o terceiro, nico
que exista da dez que creau. >
comega
esnamento, fica interrompldo o traosilode vahiea-
bosa da Silva ; appellado, Feliciano Joaqnim dos
Santos.De>pra-adcs os embargos.
APPELugoEs crjmks.Appeliante, LoiAitooio
da Silva; appenad, Jaaqaint Mara da Coocei-
gao.Improcedente. Aopeilaje, Vasca Marinbo
I) na extenso do cercado do eogaoho Dous Ir- da Gama Mello; sppei.al, padre Jos Gomes dos
ntios ao aguda do Prata.
Nos rtias 26 a 29 do passado foram encontra-
dos os segototes navios :
A galera franceza Minerva, era viagem do Havre
para Montevida, com 3't ds. oa I l. NS'eloog.
O 26 -
Escuoa l romese lauca, de L:verpool para a
Babia, cora 40 rts. na ral N 10 1 loop. O 26"
o dia 5 do corrente farara encontrados
igualmeote os srgointe? navios :
A barca inglea ipston, em viaBem de Fal-
mnth para Poiot de Gallo?, com 32 ds. na lat. N 3
e long. So
A galera americana Horario Harries, de Sunder-
lan-1 para Polnt de Galles, eem 42 ds.
A barca prnssiana Zutgen, de Copenhague para
Amen, cara 40 ds. na lat. N i' e long. 25*
A barca ineleza Delatora, deSwansea paca '.a-
qtrraho, con 34 ds., a 36 mhas S e Ion?. O 36* 6*.
O hrigoe francez WelUer, de New Pon, para
Hra Kar, com 37 d?. na lat. S i e 8' e long. O
2 5* 33'.
C forle temporal qasbomem a' tarde cahio sobr-^
a nossa cidade e baha cansn consideraveis e.-tra
gos era diversos pontos da corle e era Nitheroby
Por emquanto sabemos dos seguales :
No Aterrada abalea o barracaa que servia de
oeposito e offlema de repar.-s dos carros da estra-
da de ferro de Tejuca. Na ra direita e na pra
ea Ooze de Juoho foram arrancadas diversas ar-
^rel fl,,aodo ontras completamente esgalhadas.
fc.D Nitberohy forara tambera arrancadas alnuma.-
das arvores que bordara o caes, e subroerKio.se
parle da ponte de S. Oommgi s, partenceote a*
companhia Perry, e tal era a violencia do vagalb.
all favamado pela ventana, que a flociuaote fa.
arrojada sobre a ponte Bxa. Sossobraram ci8c
calraias urna das quaes segua cora plvora para
a liba do Bom-Jasus, oolra eslava carregada rfe
carvo pertenceole a' estr.da de ferro de D. Pedr
II. ootra contmba pene ajgado, e duas r-eeebiam
mqoella occasiao genert-g do trapiche do Cleto.
Virou-se lambem ara grande bote ca regado de ba-
calho.
F-iizroente no raeao de lautos eslragos nao nos
coasta que beuvesse a perda de urna vida oa aro
desasir qualquer.
S. M. o Imperador acompantado de seas sema-
nanos, viMtoa hootem o hospital itar provisorio
em Aodarahy, onde demoroo-se das 7 as 9 > ho-
ras da maabia. Pereorreu o eslabeieciiaento n
eumMHQ todas as obras qoe ai'A eslao em anda-
mento.
doaga, capito reformada da guirda nacional da
pro.iucia das Alagas, raelhorameato^Ia reforma
ao posto de major.
Teve passagem :
O bacnr.*l Pedro B;zerra Pereira de Arauo
Balirao, teueote-coroiiel commaodanti da baub.
da lufantana n. 23 da guarda nacional d> pro'iu
c da Paroararuc para a reserva, ficaado agre
gal 1 ao batalhio n. 5 da masrao servigo.
Foi designado o estado-maiar da coraraaulo su-
perior da piovncia das AlagOi?, para a e'le ser
agg.-egado ocapMoquartel-raestre da gnard na-
cional dos muaicipios das Ahgfias a S. Mtgael, da
raesma provincia, Antonia Francisca Leite
Ilontem de maohaa fai encontrado, janto ao
ca;s novo do haspita! da Misericordia, na praia
da saota Lizia, u ca.!av.-r Ce ora hornero, branca,
conerio co>u ama porgo de trra.
Procedendo o sub elegado do l distrcto de S
Ja a corpa de delicio, VorirJcoa se ter havido as-
-ssinato, estando o cadver cora os intestinos da
fa-a, e tendo seis ferimentos cora instrumento cor
unte e perfjran:e, senda uro d-lles no pescogo.
iravessando-o de ura a outro la lo,
Observon-se que a orelna dir la liaha faro para
arttola, e noton-sa no braga umbem direlto a po-
tura da ama mulher feila a agulha, com tinta
azul, e Lea asslru a data1861.
Das avanguagoas at agora faitas pela palela
resulta que o assassiaado era italiano, chamava-se
Vtcole, resida ra de D. Manad, e costamava
pernoitar em urna casa a ra da Urugaayao.
Forara eacobtrados nos balsos de seus vestidoe
um reh-gto, dmhalro brasileiro, urna libra ester
Una, e algoraas moeijas italianas.
Acbam-se postos em custodia seis individuos
estrangeiros sobre os quaes pesam algumas sus-
oeilas. A polica continia as iadagag5es.
pe^^ssvibuco
DIARIO DE PERNAMBUCO
Poram hootem (angadas pelo mar a praia da D
Moel cerca de fOO notas e 5*000 do ibesooro*
ja redimas a ordagos. Doas qua nos foram mos-
tradas seo da tV serle da 5.a e^lamp. cujo .eco-
nlroent 1 ja eomegoo e lera os ns. 51,871 e SI 872.
O papel asslra como o deseoho em caral perfet;
mostrando terem sido fabricad ts com chapa bem tra-
balbada. j
A aporebeosae destas notas af/eita pelo Inspec-
tor do 5. quarleiro da freguezia de S. Jos. Hu
io Jo, Fragoso, oqu-l tendoas encontrado em
poder de aiguos moleques tauou Ih'as e as remel-
len ao suhleipgado respectivo!
wsmaTcta,* lndaga5fl<,s 80bre a Procfldencia das
13
Do Bio d? Praia entrn o transarte Presidente,]
Em remonerego dos servigos prestados pelo Sr.
M'neel F.-aneisro Perro, commaodante do traos-
ooria Pruidenlt, faram-lae concedidas por deercio
da 23 de Janeiro limo, as honras do poslo da 1"
leaenie da armada.
Alera dos estragos qoe bontem noticiamos, cao-
m Dlo foracao da larde de aote hoatem, saba
moa mais dos segnintes : oanfragaram tres barco,
ora carregado de madoj a, .,oe vinha de M^car
KtZS?Paqae,a' per,eocoie ao 835
rLrtn '?-,: 9 0,D "0 Sr" neme-coronel Ca-
margo eMe ulnmo v.oha d Igoass. Tamteu
Oas GoijMraea, tripolaate de urna catraia une es-
lava airaead a m nav,o revendo S oaoe
siaa era ue ia apaohar nm caba qua mi" al r
do navio para marrar refaiida catraia
lo nao appareceu mais.
rara
Opre-
Aearca do tnfo da madrngada d.quaa meimn
da, escrevea>-aos era tU da hoatem :
Noiardim Botaniee o temporal rio dia 13 do
corrate ptia Danliaa, alera dos eslragos que cau-
Daraos hoj-, .-Ob as rubrica fcirf O/Rcial, Ex-
tntore Interior, as not cus do api do imprno, de
que foi ponedor o vapor francei Bgurgcgne, cha-
ado no demlugo.
Alera dessa* ah publicad?, encontramos mais
s que seguero, nos jornaes qne recebemos.
CBTB.
Seguodo o Diario dj Pota, corra acbarem-
s : reroovrdos para Londres o nosso ministro ero
Paris o Sr. Arauio e para Paris O'BfSSO minitr,.
0"S Estados Unidos c Sr. Gancaives de Magalfcies,
e n rnaado para ste oltimo cargo o Sr. Fortunato
de Brlto ; flcando ragas as lega$5es do Rio da Pra-
ia e de Li t o.
Tendo de seguir para a provincia da Minas
Geraes, a tratar de sna ssde, o Sr. senador Fir
raioo Rodrigues da Silva foi obsequiado por seus
amigos com ura lauto jantar.
Dapjis dessa retirada, diz o Diario do Poco,
a redaegao do Correto Mercantil fai confiada aos
Srs. Ferreira Vianna, Sayio Lobato e Maooel
de Qiialroz Malioso Ribelro.
Era cansequencia de estado do caubfo, alga-
mas crsas coromfrciaes estraogeiras resolveram
suspender as vendas, quer a praio e qaer a di
nbeiro.
A'nn3 gneros alimenticios sobiam de prego
xtraordinarlamente, sendo eotre ellas a farloha
de irigo, qoe obtinha j 4 e 432 a barrica.
Corra que o Sr. Br. E^plridio Eloy da Bar-
ros Pimental pedir sna deroissip, de presidente
da prunela do Rio de Janeiro.
Tendo a casa de moeda Ja" prompta graode
qoanirlade de nov moela de obre, espersva-se
qua "entro era ponco fosse ella emlttido em circn-
ia A aifiodega renden de 1 a 15 do oorreote
Par
portngueza
As arcOca do Bmco de Brasil
1844 a 183*
As apoiices de 6 por ceato erara coladas a
84 l|2 por cento.
parnA.
Da Dezmwe de ezembre Iranserevamos o
sega 1 me :
P^r cnrnmuoicsgao do subdelegado do Rio-Ne-
gro, transm'llida a g. Exc. o Sr. presidenta da pro-
viocia pe. Sr. Dr. ebefe de polica era dala de 19
do correte, le*e Exe !ooheeimemo do nasas- _
lacar de-1 endemoniado,
r* Pernamboco aablo, 00 dia II, a barca
za Silva.
vendiam-se de
REVISTA DIARIA
O carnaval do carrente aano, tal qual tem
corrid) em relago a mascarada, bera mostra que
esse innocente e jocosa passalempo val cahindo em
desfilada pelo plano Inclinado do pouco caso al
precipitar sa no aby^mo do marasmo. Cora tffeito
poneos mancaras persarraram as ruis anta bontem
e h.intem, e, oa paqueoo numero desses, fazia no-
Urse pela sua quaii a s^uerosida le urna parte relati-
va nema enorme de individuo, que, looge de com-
orebenderem as follas caroaviies?as, int^odem que
fazem funr cubrindo o rosto erra uro trapo pinta-
da e entienda ura velho palitot abotoado por orna
grande bolacha, e, dessa modo vellido e co^rendo
a baodclras despregadas ou cadeneando o passo
pela ausencia de espirito, qne seu primeiro ca
racta.Mco, eofasti?m qaaotos tara o desprazer
de v-los nessa doudpjar sem graga pelos labyrio-
ihos da tolice.
O que porm vai t.lvez sorprehender quelles
que de bda f tomam anda parte nesses divert
roemos d o saberera qne, na sua mxima parte, os
mascaras desta anoo tem sido escravos, que, con-
tra as ordons da polica e posturas muoicipaes,
sco.ndeai os tomos macerados pelas cruezas de
-ua Infeliz vida sb um fiagmaoto de panno, para
desmcararera mais vontade o espirito abatido e
quig eMoi(liMcado pe o seu viver agreste no meio
da commjnbSo dos hmeos.
Em compensagao, se as gostosas folias dos omi-
nos,pterrets, etc. etc.vao cabindo de inancao.vai
sarclndo das^navens do passado o ante hygieoico
folguedo do entrado cora lado o seu sequilo de laoas
et reliqua.
Assim que o sempre festejado e querido deas
das loucuras e do prazar.o immorredouro Momo,foi
este aona binante ma'tratado pelas cascodas e
proverbiaes limas decheiro, e lera a o seo tndtfec
tivel oorplriho encadeiado pelas correntes despti-
cas do Capibaribe as argolas medicas de urna
tremenda constipsgao.
Em contraposigSo d)s franerzes qoe, Aepof* de
ama phrase de espirito, dizeraaprs mus le deh>-
gt, os amantes do malho carnavalesco exclamm
oos naroximrs da suprema afagrlaagua e mais
ngm\ -; veaha embnra depols a cooslipagSi-, a
dfliai5o e o renmathismo, orosta-los n um leita de
dr^s e leva los as lea peraocas do tomle I
E assim carainha a humaoidade repelindo boje o
que acaricia va hontem a estrellando hoja nos bra-
cos a eabeg de Meduta que hornera repara como
hed nda,como Ind'gaa de si!
N*ro por iso nos accobardaremos; compete-n"s
trabalbar pela morali-agio dos cosiuroes, e, na
oossa trela, estamos dispostos a oo nos desviar-
mos ama nba se quer do caminbo recto p-..rque
nos dirigimos aa foco de luz, de onde mana o da
para a intelligenela para a gloria e para o es-
pirito.
E ningnem p^r certo dir qne pregamos no
deserto, nao; cada animo em qne se arraiga a
corivicgo da verdade que enunciamos um aties
lado imponante qne ganhamos e que me pode e
deve servir de arma oas novas pelejas.
Acbamos ponco digno de ara povo dtale de
orna cena llustragao, acb.mos que salta fora das
raas da moral os divertimenlos taes come o entru-
do molhado, qae s sabe primar pelos estragos
obysicos qoe fazem nos corpos, ejpelas ulceras
coro que bornfam os espirito*.
_E este carnaval tem sido de veras molhado, e
nao nos consta "que se teobana tomado medidas co-
hercltivas do abqjn que ah vai 1
Ao menos 8ea-nis a cobsclencia de termos cum-
pndo com os noss)s deveres pregando em lempo
nma cruzada conira a agua, etc. ect. como naeios
de divertimeoto no eotrudo.
Da todo o qoe temos presenciado no actual car-
nv|, j0 qne temos reffaclldo sobre elle, apenas
p demos tirar pau Irlst coneqnncia : rs das
gordos o enUudvao emmagrecertio A Ihos vistos,
e Deus quetra que vao cheguem, na phrase de um
espirituoso poeta, d exetncia do carnavalt
Hootem den-se o terceiro baile no Santa Isa-
bel. Carao as das anteriores, e especialmente
no segundo (doming-). beave crescldo numero da
mascara-; mas llmadisima qnanlidade do espiri-
to ganoo se oaquella ceBtro de prazere?.
Hja lera lugar o ultimo baile, e da crer qoe
por mais su razSo seja elle mais concorrida lin-
da, se poss.vel, do qae o de domingo, cm qoe
raoilas ternillas foram ver no lurbilhao das dangas
a danzadores como que um simulacro do fluxo e
rafJuxn do mar.
Informara noss que lomen, no Cabo, um
ranleqoe escravo de escrivo quera a todo transe
dar um caobo urna menioa branca, na levada que
da agua para eagaobo Garai sendo ne.-ta opera-.
inierrompido
No dia segnlnte foi lambem encontrada a
galera ingiera Plorence Ntghtenzale, com 37 dias
de viagem d L'verpo-1 para Valparalzo, na lat. S
2* e long. U>
Naqninla-feira devem comegar as sessSes
preparatorias da a-ssembla provincial.
O^s qualro avisos a' vapor, qne ltimamente
estlveram em nosso porta, depais d pequea dn-
mora na Bahia, seguirara para a cflrle ua dia 20
do correte.
A' esforcos do delegado da Gryanna. foi
preso Ma>>ofl| Barbalho, rorao Implicado no assas-
sinato de Maioei Floractiao da Silva, ooenganho
Diamante.
No da 1 do correte estando a menor Jose-
phina a' aargem do rio Capitarlhe-merim, do rlfs-
iricto de lia nb, receben a r.vga da nm tlrn,
qua se snproa casoal, no joelho esquerdo, oqna'
Iba cansn ferimento leve.
Nodistricta de Goysnnlnha. Joao Fidelis da
Cunha den um tiro em Rila de t|, qoe matn a
(inmediatamente. O assassino foi preso.
O invern eomegoo hoDtem pela rralruzada,
com todo o sea cortejo de trovos, re'ampagos r
chuva, cahindo esta, com aiguns iofarvallo, al
depols de meio da.
Nao se tenlo podida reunir bonlera o inti-
lutados advntalos, fica transferida dita reoniao
para o da 26 do correle a' urna bora da larde a>
raMa do jury.
Lotera.A qae se acba a venda
a 55.' a beneficio da Santa Casa de Miseri-
cordia, que corre sexia-feira 28.
No da 23 do eorreote forara lid as as ma-
zes da capital os seguimos proclamas :
! denunciagao.
Jas Ferreira da Silva, com Paula Ananias dos
Sant s.
Joao de D'iis Caroeiro da Silva, cora Fabiana
Francisca A t raso.
Olegario Jos de Soaza, com Aotoola Jeronyma
de Oliveira.
Antonio Francisco de As is, com Pao la do E
pino Sanfo d8 Arauio Gondlm.
Joao Ferreira Manas Ribeiro, com Mara do
Carmo Ribeiro da Silva.
Franeellno Olympio Pereira de Oliveira, cem
Francisca da Gusta Reg Lima.
Anlunio Pedro de Mello, cora Mara Estrella
Adelioa.
Francisco da Costa Arroda e M-jIIo, viuvo de
fgoach Maru dos Prazeres Arruda, quer mostrar-
se livra.
Viccote Ferreira da Silva Leal, com Aotonia Ma-
ra de Jezus.
2' denunciagao.
Joao Gnalberto de (Jamlao, cora Mana Amelia
de Barros.
Francisco Xavier Affonso de Carvalbo, cem Ma-
ra Teixeira Franco Fislbo.
Henrique Gybsao, cora Therza de Plnho Bor-
ges.
Manoel Joaquim de Saot'Aoaa, com Camarina
Francelina de Sena.
3" denuocaco.
Jaaqoira Welloiio, cem Mana Fraacisea dos Pra-
zeres.
Capito Francisco Faustino de Brilo, com Fran-
cisca Margarida de Olivrira Moora.
Solomao Guaiberto da Cmara Guerra, com Ja-
aooa M-ria do Espirito santo.
Mareeiiina Gragaives Rasa, cara Alexandrina
alaria de Vtiraoda Lias.
Austrcliano Caroeiro Leo, com Jasepha Maria
Rodrigues Campillo.
Casa de detenqao. Movlmento do dia 23
de fevereiro da 1868.
Exi.-iiam '*i, enirarara o, sahiram 3, exi>tero
34i.
A saber :
Naciooaes 243, molberes5, estraDgeiros 40, mu-
lher I, escravos 53, escravas 2, total 314.
Alimentados a cusa dos catres provinclaes 246
Moviuaeuto da enfermara do dia 24 ao cor-
rente.
Teve sita :
Lino Jos de Moura.
REPAnrigAO da polica.Extracto das partes
do da 22 de fevereiro de 1868.
Foram recolbidos a' casa de detencao no da 21
do cornnte :
A' ordem do subdelegado do Racife, Mana Ceci-
'Ja ^ hnqaerqae, por in^nlt-as; a' ordera do de
S^. Jas, Elias R >dngues Ferre'ra, para correegao;
a' ordem do da Pogo, Francisca Elias Moreira dos
Santos, tambem para correcgSo.
Foram recalbids a' casa de deleogo no dia 23
do crreme :
A' ordem do sobdelagado d Santo Antonio, Jo
s, escravo do Dr. v Benla da Cunha K'guere-
do, a" requr rmenlo de.-t ; a' ordem do de S. Jis,
Felppe Marques dos Prazeres, para correegao, e
Francisco Ignacio de Paula, preso em grane,
por crime de ferimentos e cffaasas-pbysicas.
Pela raesisa repa Ugo foram remetudos os se
guiotes reciotas:
Para o exerclo...............J
Para o arsenal de marinha (menores). 2
Reis.-espreaados os embargos,, Appellaota, An-
tonia O.utasCondi; ai.Drilada^a Justiga.Impro-
cedente. Apyellaoles, Dr. Galdraa Ferreira Gomes
e outros; appellado, Aioulo Gdngalves Ferrei-
ra.Ao carador geral. ,
iiaheas coni'os. C-iacaJea-H ordem a Henrique
Lsferyi para a ou 2'i do carrete as 11 ho.-as da
manhia.
delioencia citiiiB Com vlsu ao Sr. dcssmbar-
gador promotor da jusiig.,.Appeliante, Mara
Iguacia da Ciuceigo-, appeliada, a jusllga. Ap-
pclUte, o jallo; appelUdo, M-gael Simplicio doe
Aojos. Appeliante, o|u>zu; appellado, Joaquim
Alves da Cooha. Appellaot*, Domingos Josa da
Silva Luna; appeliada, a justiga. Appeliante, o
juizo; appellado, Manoel T> toaz de Aquieo. Ap-
pellame, Manool Jo da Figaeirlo ; appetlada, a
juanea. Appeilanta, Francisca Ignacio de Ara'o-
Im ; appellada, a ja-liga. Appeliante, Maooel
Mana do liombm; appellada, a justig-. Appe||n.
te, o juizo; appellado, J^s Riymuudo do Nasci-
menw.
PASSAGEH.
Do Sr. desembarcar Saniisga ao Sr. desem-
bargadtr Gitirana.Appellagia cjvel: appellan'e
a viuva de Paulino da Silva Mdelo ; appellada. a'
Santa Lasa de Misericordia.
Do Sr. desembarga ler Guiraoa ao Sr. de-sambar-
gador GuerraAppailago c.vel: appelianle, Joao
Aodre Teixeira Maudes; appellado, J.ao Mrnae-
lista do Espinto-Saoto.
Do Se. desembargador Goarra ao Sr. desembar-
gador Lourengo Sauti-B,..-.Appel|3g5esciveis: ap-
pellaote, Joao Andr Teixeira Mandes; appeliados,
Benjaraira Pello Nogueira e outros. Appeliante,
J.ao Salvador da Cruz;appallado, Demiogos Fran-
cisco a Costa Romeo.
Do Sr. desunbargdar Lourengo Santiago ao Sr.
desembargador Aimeida Aibuquerque.Appella-
gfles civeis: appellaoies, tv* uaite Raogel e ou-
tros ; appellado, Coiumrio P, reir de Moraes. Ap-
peliante, J -ao Simphn mo Aff.raso de Mello; appel-
lado, bacharel Maooel Firmino de Mello.
a Do Sr. desembargador Aimeida Albnquerque ao
Sr. daserob^rga,i.,r Molla.Appellacao crime : ap-
peilantH J as Fraoci.-co di Salles; apoelldo, Li-
borlo Jos Cabial. Apf.ellagoes civeis': appelian-
tes.^s Inroeiros do c.mroendador Manoel Plguel-
roa Ja Faria ; appellada, a fazeuda. Appeliante,
fc-iuvirges por stu curador; appellado, Jos da
Mallos Hangt-I.
Do Sr. desembargador Domingoes da Silva ao Sr
de.-erabargador choa Cavalcante. AppellagOes
nveis: appeliante, Jos Maria Ramos Gurjo; ap-
pellado, Heiiodoro d Aqomo Fonsera. Appeliante,
o couameodador Antonio Francisco Ptreira; appel-
lados,.Francisco Xavier Pessoa de Aitraqoerooe e
oa mmher. Appellacao crime : appeliante, o jui-
appeilados, Kranciseo Gomes e outros.
hora e meia da tarde encerreu-Be a
co
A urna
se8.-o
Commuuicados


O ebefe ds 2* seegao
/ G. de Mesqua.
entrados aute-hontem no vapor
Pa8!3geros
Bourgogne :
J o de Miranda Ribeiro, Prospar
R-rad da Faru Brrelo, A. C. Pereira
Ponce de Len.
Passag-iro entrado no patacho nacional Bom
Jess:Jos Teixeira Fernandes de Aimeida.
Pa'issieer,
de Burgos
CHRONICA IUOIGIARIA.
TRIBI'X.tL IA RELAJAD.
SRSSAO EMDS FEVEnEIRO DE l868.
Presideoei* de Exm. Sr. con-elhei o Souza.
As 10 horas da maonaa, presentas os Srs. desem-
barsadora\anliago, Gilirana, Guerra procurad, r
da corda, Lnrengo Saniiajio, Aimeida Albuquerque,
Multa, Assis a Duminguns da Silva, faltando os Srs.
de-embargadores Ucbda Cavalcame e Souza Leo,
abdose a sessao.
Passados os fallos deram-se os segoinles juli.'a-
neo io<:
AGoaAVoe de PcrigAO.Aggravante, D. Hort^n
eia Auna Aves Ferreira ;'aearav^do, n juizo.Re
lator o Sr. desembargador Guiraoa. sr rilados os
Srs- desembargadores Aimeoa Alnuqaerque e Do-
miagues da SilvaNeflarara pr.ivimenlo. Aggra
vaote, Luiz.JosliuianodtiSoosa U..rba; aggravedo.
ejoizo.Relator o Sr. de.-embargador Guerra sr*'
c.> inierrompido por algoem qoe aalvou a pobre' Hados 08SM.dasaiaradure Dojiiagaes da Silva
cnaofa da alroola feila saa pudicicia por ease aCinrana.t-Nan i maram conhecimento
n ?miS J*"!,el,,,M Pe'M "elvareas o Joaar de- endemoniado, qne gosa ali, ao qua paraca, da ira- i cabta tbstuunhavbl. Aggravante Jos Luir
oomioado PasiVJ-Ruim daquelle Jslrieto, oas pM-Imooldades. E dleua-oos qae nSa appareeen oa da Cosa Gomes; aggravado, o Jniw -SEtor I
A PROPOSITO DO CfiniSTAO VELrtO.
Aa lermcs os eserlptos industriosos do ChristSo
Velho contrarios coovlcgas que nntrlmos era
materia de relig'ao, sntimonos com effeito seria-
mente abalados pela belleza de soas expressd?,
pela ioiiraativa impopante das ciiagoVs com assaltava ao seu conteador, pelos seas barllsdos
raciocinios e finalmente por qu, revestido da ex-
periencia, frncto natural da velhice, vamos em
suas asseveragS's a coherencia de proceder, ama-
dnreclda pelos annos.
Aturda-nos o frentico applaoso da poneos es-
pinlos exaltados que da prompta se apaixooam
por tudo que h maravilhoso, ou que, revestido das
galis, e ouropeis da novidudo, poda centrarlar a
qne exista de mals-'-rio, de mais amigo a mages-
toon.
O paladn ganhon tarreno, e ja comegava a sa-
borear o frailados sens arriscadas (enlames, quan-
do Korgero do zVono de Pernambuco os artigos
PoiEMICA RHHH08A.
A' proporgao que e*tes se adiantavam fngiam es-
pancadas as tremas do erro, substituidas pelos res-
plandeciles ralos da verdadeira loz.
Nao tomaremos a carga rep3iir aqoi, era un
simples artigo de jornal, as variadas cootradigdes,
as Msas, a o que mais alelvosas cilagdes do
CAnarfo Velho.
Sua ma fe em materia doutrinal, sua incoheren-
cia com seu prnprio modo da pensar de eutr'ora,
cousas So de qoe h<>j angaem davdi, depois da
leltura dos artigos, pul) icados neste Otario.
O Exm. Sr. eonega Poto da Campos deve nfa-
oar*se de ter I vado da vencida ao seu rootendor r
a o que mais do lar disipado essas Cavas d lm-
Ddade burlesca que Ui passavam desapercebidar
mente.
Por ventura ersra ellas tio despreslvels qne por
si nroprias sa desvaneciera 1 mil vezes nao.
Nao seremos amis injustos para com o Ckrts-
tao Veiho : seus escript s fascinantes, embora con-
teoham, enc-'rrem a pefonha do erro ; oioguera
lh coniesiar o Insido a* cansla.
E a si d, entendemos que o Exm. Sr. eooegobem
merecen o aprtg.i da lodcs aqueifaa que pr-ferern
permanecer a suabia frondosa da arvore secular
das crengas de nossos pas ao atravessar desvaira-
do os calmosos araaes da impiadade sem jamis
enenntrarem > suspirado oasis onde possam mitigar
a abraradora sle.
F.ilgamos do it presenciado aquellas mesos
qa mais se baviara fascinado celos comradielorios
e falsos argumentos do Christao Velho, recooaae-
rero hoja o precipite apoo em qae qaasi s de*
penram.
V'mos, por tanto, vender o mais solemne tesle-
monho dos par^bens que ha rerebido o filustre an-
I r dos artigosPo.'emica Religiosa, da passoas
que nao costomavara ir a sua casa, e oos dizera le-
lo feilo, Impellidas plodaver emque se rec rahecen)
de manifestar Ine qua se acharo des>llu Udn< pela
Miar de seus iHu-tradrs escriptos em que ir^nsloi
urna omina no vulgar de roohecimenl s oa ma-
teria, e iocontestavel trlumpho no cerlame a que
foi provocado.
Enrurrarocs embora as iras do ChristSo Velho
eumpriremos e;te dever de darnins an publico tes-
temunho do que soubemns ;~ E se por hora n.^s cohibimos ihMssignar o nos-
so obscuro noaie. nao seoo porque do seu tem
fallo rr.yterio o citada-ChotstS Velho,-Ao con-
trario saberia este qne.Ti
"* O rente.
Recife, 24 de fevereiro de 1868.
Pultlicacfles a pedido

#
Protectora das familias
Os senhores de engenhos oa de rosfs pessoa re-f-
d-i.tesfora da cipilal que qniz-rem hi*t lguro se-
guro n'esia associago, podero esrrever orna carta
especial a seu c rrespuodeoe n'esta cidade, auio-
rismdo a ella a eff-rtnar o seguro en seguros, de-
clarando na autor sagan o nome da p.ssoaou ppg.
oas qne qoizerpm segurar, data fugar donosa*
n-nto de iad un dos secnradn, e a quatUia an-
noal que qui'.i-rem despender por cada >.gu o.
As da mais farmaliti es que devero segair-sa
sero explicarlas verbalmente aos respectivos s*ohc-
'es orre-pondenles, entregando a elles o refinla.
menrn da a^s risgSo. B
Um seguro de capital : 2d0,jn00 pnr au-
no, por 23 armos, com facoldade de piider
hqmdar piar qiiiiiqobnios, itnporlaro as
despezns dfgestao. porcada seguro, e quess
paaam a visia 25'0'0.
Da tema forma que o precedeote sendo
de 1005000 por anno eOKOQ.
Da aiesma forma qne o pre;edenle seodo
de 5 0^0 por anno 65K O,
Eslas tres quantiai de despezas de gestad eslo
Ma 1
i
v


. -,
Mr
"<
-*. !!

eonormidade coa o
das itspezas
Pernamboco u. 19 tu do Livra-
Matte pnuuKfte
COMMERCIO.
f**^* i# ******* IW.
Agencia de
melo.
Os callos dos ps
hoLm nn. A?.' soffr"nen"> 1 esta' sojeito o
eicr,u. h" "8SCer aos deds d<>' & *****
Zfnif"" eria W-'aa algozes dos ps ?
1,1 ? q2e upp m esta -ffrlmeoio, cansado por
jai molestia, oenboma felieldade pode acbar o
larra; aera -
a>nderonado_.
seos na cidade, no campo; de iodo, e aloda man-
to da am rendez vous de amor, onde elle sao pede
l i Dola brigacSes suas, das qnaes o resultado
3ria aaaiisfaco de sms ambicSes, on o soceorro
a's saaa precisos I PerJe a tranjuillidade de es-
pinte; pols qoe debaixo sempre da influencia fatal
desse ma!, nao soiba, u'no peas mais do qoe. des-
ea baragaf se des.-a dor I
Nao tea mal atus ami^o tiesto mondo, porque
essa influencia continua do dr atroz dos callos lera
ama lofluencia directa sobre o carcter do hornea)
a faz do mais dcil, do mais amamal e paciente'
om tyraooo cruel, om ero, oro bornea insoppor-
Uvr| para lodos que o rodeiaro I Quautos viocu-
los e relac&es de amisade nao devem soa quebra a
este mal, qoe se cao pret se nao depois que se
sent soa cruel loflu-oda I Sera' precia qoe en
d proras do que acabo do avaocar ? llavera' al
gera,.qoe ao meos uro* vea era soa vida nao te-
nna recebido a confidencia de orna molber?
Pois bem; lerobra me mim ter conbecido nma
crealara, a qu Dos Ihe tinha prodigallsado tudo
para ser feliz oe-ie mundo : bellea, espirito ri-
que:a; nada faltavs a ste anjo de Deus ; entretan-
to, nm da eo achel-a banhada em lagTimas; ped-
Ihe cora instancia para dizer-roe a cansa da soa
tristeza e de seo soflVimeou: meo marido disue-
ne ella, nao meami roais.eu bem o sei...'.Sem-
pra da mao humor ao p de mim, ella me tyram-
nisa, rail) me, a pela mais peqoena cousa eocolc-
riss-se tanto qoe me faz sofJrer martyrios Elle
detesta me, bem o a)e ; pjrm tudo Isto a'da se-
na se smente sobre mim s posasse sua colera n
seus caprichos.....pnrm uosso Olhiobo. ane
tambera soppsria os effeos de seo raneor a de seo
K. Mia1h'p,;"-o! Di,eS eHe 1e nera '"
va a Mlar-lhe, h-je zaoja-:e a pont,
ter I Ob t antes a raorte
ca I
E a pobre seDhora acompaoboa com yentfdas la.
grimas seos tristes lamento*. -enaas ia
Intente! saber a cansa iesta rondanca de carcter
de sea marido, qo* eu conliaoia lio aflavei e bon-
PRAgA DO RECIFE U DE PEVEREIRO
DE 1868.
Aj3X borasdatarda.
(fleje)
Assucar oaecavado porgado 3*600 e 3$7i0 a
.- .*?#.&!&"&-*...
KH.to.alMM.1 FM. *,>,,! ^ UwpM| ,_
fabetra Jooior, D. Mari; Leo-1 r/,Un,,,-------------------------
Barro, D. Mariana Ribera da W^MPANlA PEUNA.MBUCANA
m
I ac
a-
tro-20/ por tonelada (saiSbado)
Jos de Aqoino Fonseca
Prasidente.
rrancfsco Maraede de Almeida
Secretario
nr lN^LIF BANK
W Kio de Janeiro Limited
Jjgwm. ,, d, prac, UM a co.
pr Dio."'""61 Cm ""'M
Saca i vista ou praso sobre as cMades
narda Nogueira ae
goes, Maooel da Silva Mendonca__________
Josjxcci it ar8eiaf de aafinija^
Inn Pn. f qD9 a c'3,nnfssa3 de perito eza
anMA ; 'A'orm ewrmloada, wgclament:
,t *Wvl9 a 13f4de5dofJereirod
B3i, o casco, maehioa, eaMeiras, apparelbo, mas
ireacao, veame, amarras e aocoras do vapor Piu >
'JPona da coupanhia pernambuflana de nivefa
?ao costelra, acboo todos ssses objeelos em estado
o poder o vapo/ navtgar.
a^peccao do arsenal de marinha da Pero?min-
eo, 2 de fcvereiro de 186S.
O iBpector
H. A. Barbosa de Almeida.
M
cosleira
abyba, Natal, Maco, Aracaty, Cear
Acaric.
dal?lVaT(3r PiraPama< c-romn
nte Torres, seguir' para os
Portos cima oo ova 29 do cor-
rente as 5 horas da larde. Recebe
iinhf?* al. d,a 28' ecommeodas,
Mauao. ,. rdo'no es"'Ptorfo do Forre do
est mn, T" Pere,ra -0 Car,Do (medico7| f
FroperDaSDd0 D0 "ado da Silva 1* -
plenos poderes
Becife, 13 de fevereirn de 1868.
Os melhores mdicos do
vaiz recettam a salsa pam-
Iha do Dr. ^r Para toda a
qualidade t mol^ia que
veem de impureza no SM'
gue.
cosiKHeiao
THEATRO
DE
s l'ara o prio.
D. ft). OU
-y Corpo Samo
*^piuo o Pr?a_do_CororoercK>.
Se.ne,Iafa. li<' nuo (IFSqT
Aoior.m Iriat* ',.f J.*J.r*Ur n ewsnpterio de
pela ccadocta
Vista n. 27.
se uma muiber
casa de /aruilia, e respoDsbilisa-se
a tratar na ra da Matriz da Boa-
hia,
e
Orleans, ^^ de ^^
para os mesmos lugares.
Largo do Pelourinho n. 7.
QUW............... if:876M3o
dem do
366:3313J6
ponto de Iba ba-
qie semelbinte existeu-
Movlmento da airandet?
Volomes entrados Maj tmmSST
* com ganaros....
Volomes sabidos com fazendas...
* com gneros....
-----14
17
149
------166
f0,^iWfteMmi,4S
Empieza drawtiei.
firaade baile mascarado
Parisiense
UOJiS
O grande salao de-Dinsa-qoe eomprebende
oda a sala e cana do theatro, aeba-se slidamen-
te construido, affiancando a mas completa seg-
Sera' illnrainade a glorao o mals esplndida-
mente qoe fdr possivel.
O salo a:taa-se ricamente ornado com qnadros,
[ epe!hos, vasos com flores, etc., etc. sem que para
este Hra se teoha poopado despeza alpuroa.
A banda de mosica do baialho de goarda
naciooal deste monleipia, sob a dlrecco de sea
d slincto mestre qoe Um de ruacetonar nos ti
pieDdidos bailes aciaa meocioaados, a qoa| tocar
eomo iniroducco do baile nma peca de harmoni
qoe aara eomeco ao movimento, seguludo se a !
qoadnlha denominada
A SURPREZA.
A? pecas qne tem ue ser tocadas durante as 4
ooites dos bailes, sao novas e escolhida?.
Para dar flraao baile a binda de msica tocar
o graude
a tratar no
riu da Cruz n. 3.
v. Para Lisboa
* oawm e cap,tao na praca do commercio.
Ama
Preeisa-se aluar orna ama forra oo escrava
rni ae Francisco o. 54.
ca familia
Porto
LOJA
DE
laLOJOfilRO
Ara a de le le
Precisase de orna ama de leite a tra
Trocara se
as notas do banco do Brasil e das cal, filian
om descont cuito rasoavel na nracT d i^T
oandencia n. 2i. v lnfl*
*M^j*Ii09omJ>nmi* sabircema P
pilao.
^Ma-^TEr5SKS
IL:0S.
GALLOrEINFERNAL .
Coro BMnn de campas, sinos, exirepidos
bombos de tro vao.
h^.'n.PrOVOgue:lh8 oraa P"sao, censnre^olIlendimentoodiA^,G'MB^
bastante, e.s aqoi q que elle me responden : dem TSL JU liii.......... 3*:RS7|03i
.........responden .
Tendes razao, n^o techo o direiio de fer sop-
poriar aqoeiles qoe merodeiam os etilos de meus
Efii10 e ,0P*ncU, qoe algom teropo
medommam, eo ffro, amigo, uro mal horrvel
que exagera com razSea a ndos deseoohecias e
para mim espantosas.
Se entro era minba casa, mioha mnlher laoca-se
a ttim, e abraca me : esta emorao ouir'ora a'gra-
davel, o seo p tao delicado que toca oo meo, invo-
IODiariamecte....qo3 aogmeoto de aflucao nao
para mim....se ella pede-me paia acompanha-ia a
oui passeio, ao theatro, sao novos motivos de cret
edeiiluiO'8:pj|sqoe eu nao possol... Se meu
filbinho, em id, chega se uara
seos gestos e soas caricias I
E qoerei* s^b^r a
tactos desgsto?, de lentos sollrimentus; em iim"
de tolo e?ld desespero?.... gao os callos I !... .'
ea* o defeoda, meo amigo, de sem?lbacte mar-
22? an!e?a paMB ,ue Di rouba logo, qoe a
vida c^m tal icriuenio. H
dem do du n.
Rendimeato do dial
CONSULADO PROVINCIAL
e ro-
No salo baver nma pessoa perfeitamenle ha-
bibtadipara formar os pares e dirigir as quadri-
loas, anm de evitar confuioes.
A entrada e sabida para os mascaras e cppec-
j>.o53*080 f adores pela porta da frente do iheatro.
40-sftSliT ,a^e5"'DloriPara modados bilbetes a direi
l"#l 14 tadoedtfkioor.de eftara* illumiuado.
dem do di 4 ....... W'5P31*
Uil................ 3:619764
136:881^107
mim, abtrrece roe
cau; de tantas miserias, de
Rio de
A'awe entrndi no din J3
AoiiuZn,,,;. uoelada*. commsndant>
as pessoas qoe se gu zer.m prevenir de catrn
rotes poem mandar soas encorameodas no ecriD
torio do theatro.
PRECOS.
Camarotes de 2> ordero. com i entradas
Ditas de 3" dita, com 4 dias. .
Entradas.........'
Senhorae mascaradas gratis.
iO&M
8*0
2*1-09
M.
AtteiicSw
rcao
Consta qce aigeern espera no prximo va-
por do su! a approracao de nma proposla
para realisar-se a permuta da casa cita na
rua do Queimado n. 52, esquina do paleo
do Liv-amento, pertencente a ordem de S.
Beoto; mas certos do zcio e dedicaco do
excellsatissimo senfior dom abbsde aos in-
teresses.eogrndecimento da me^ma ordem,
confiamos nao conc uir semeihaole trans-
aefao. visto como existem em seu poder
outras de rauito maior vantagem para a or-
2^, estado, entre as quaes urna de
40:0000 em apolices do governo, outra
de dous sobrados que renddm 3:O0OOuO
annuaes, e qualquer das demais de superior
valor a de que solicitou-se a approvaco do
miiistro qus tudo ignora.
Um que sabe,
Ppn^, A'awo jaAi no mesmo du
Salbado 29 de fevereiro de 1S68
21 recita da assignatnra.
Prlmeira representaco do maSaiSco drama em
5actos e 7quidros de Anlc.et Boorgols e Demerv
O LOUCO POR AMOR.
O programla era' annuociao com
De orna porco de cjrne do Ceara' e
Sop2eu!:Djc?a'e;io^po,,u d tBns
portagnez Joanuim francisco da Silva Coe.no
n .., Q"*-reira 26 do correte.
n... as.ii horas da maoha. b
. LEILAO
um. hr. Dr. joiz espacial do commercio de doos
rnolHMes sendo um de llamos e o ootro de H
os (uaes serSo veed.dos pelo raaior preco. '
n r .- ""Wra 26 do crreme.
anra n t lg:T ,ifawsM d0 arseDa'
goerra o... as 11 boras da manbaa.
Viclor Grandin
\ 40 RDa da Cadeia do Recife K, 40
O proprieUrlo dete estabrtecl-
roento, premiado com a medalba
oa expnsicio universal de Paris
ns aono de 1855, tero eipoito a
enda ero sua leja, oro graade
seitimento de reiogios para algi-
beira como sejam : de ooro e
pra a, sendo dos melhores fabricantes, de patea
tes iDglezes, toissos e orisontaes. Tambero tem
o.oa grande quanlidade de reiogios para parede
e qoe hatero boras, ditos para embarcares e a?n
bonitos raodel e, o roesmo concern reiogios de
odas as qualldades existentes, assiro eoroo ta
mo^ ZTa """reros de algibeira e raanti-
ZLi "eebe,.MBP"r Por telos os vapores, uro
completo sortimeoto de crranles e tranceln
sendo tudo de ooro de le a de modelo "S
modernos,assim emo diversos obj.ctos de biTo
terla dos mais bonitos e mudemos gosto^. J
h ~ Prec'sa-se de orna ama que lave a erigemme
Ir,^q-Ue5a'baservira rces;,> Preferindo!epr-
loguera : quero estiver oestes casos dirlia-se
rua esireita do Rosario n. H, hotel. J
- Na
MSfl, DA FORTUNA
Aos 4,000,
BILHEIES GARANTIDOS.
A HUA DO CBESPO N. 3 CASAS DOCOCTCirt
. ."!?'.' ss'*na',0 "eodeu nos seus rooito feul
anart, Vb.eB.e-.C,. d" famllias dos vrtanUrlE
iu cn ?s ?fPnioles Premios :
??sldoa* (,aiolos n a 3"e da 4:0001.
i. -na um meio rom a tnri^ rf in\a
meio c n a sorle de 700J.
-
tmwiBoli sones de 100J, 404 e K.
Os Possntdores podem v,r receber .eos reeecti-
vos premios sem os descontos das eis
Fortunr a rna do Crespo n. 23
Acbam-se a venda os da
15
na casa da
parte da lotera
srawasr^-MB
freco.
Bilbete. .
Meio.....
Qolnlo. .'
Em porcao de i00,)
Bilbete.....
Meio.....[
Quinto. .

6J0O0
3301)0
14200
para cima.
SiSOO
um
14100
Man"rt Martics Fioza.

I
rua do Banbolomeo n. 51, alogam-se
vestuarios para o carnaval pr barato prefo.
,r" AIK?-fe Dm sitio parto desia praca asrtm
Trfu^VTT ?0 cnree* ,ara fcitor- que lera
Poetas 9^013?0" : a "*' a rua das' Cinco
A; ~
brado.
uga-ge a ioja do n. 27 a' rua V,iha
DO S0-
m roa do Imperador o. 73, 2 andar, precisa-
s* de orna criada para engommar em
ca familia.
ca:a da poo-
cia
mmandanle
!>!, j i ^ios entrados no Ha 24
aotecedeo-
As pssseas qoe qnizorem camarotes e cadeiras I
podem de>de ja mandar suas encorara-odas ao
escripiono do theatro.
CURSO SOTURNO
DE
L1N6UA FRANCEZA
I.
Se>-
jrfiV. e Am.-. da Ord
Pelo presente sao convidados lodos os Jrs.- 'da
sociedade Segredo e Amor da Ordam a compre-
'S a */ ",fI vini"' na casa de soas
a outro; a
^'f.-^aoN.S.G^r,1;^^
Urpeiro, eqoipagera 0, carga ,
Bdrtbomeo Le tironeo.
"e~83 das'MDOcrae/Qense M'*'. le MI tone.
10, car-
a ala-
lT.rrrtM V* S"'>",0$ no mfSm d,<*-
ItunrL Pr,OS "''ermadios -Vapor francer
Buorgogne, c.ramandante.Roose. P '
VrSXszrfln,e?,M-hia,e brasi,eiro *>
para as pessoas do commercio, que dse-!dl^'a'dodiDr.2j1!izd0dfln!SD'8 "'^
jam fallar e escrever esia lingua :
fbito pon
*c Soares de Azredo
dopols da aa-
e orphaos. vao a
das 8 as 9 liaras da noite
___Dirigir-se rua Pella d. 37.
Precisa-se arrendsr um siolwnrprop7fco>s
para grandes plantacSes, se agradar ao pretenden-
e nao se dunda dar algaro diobeiro a visU : a
retama roa de S. Goncalo n. 36.
aos.'ntcs
pracaje yenda tres eaaa de laloa, no Geqoi,
SSSTJP"**1""* doflQad Alui;
DSGIBiCOES.
J^"BijjJ3mg
Signe em ppeos das o paihabole Jovm Arlhur,,
tem quasl tolo o carrtgamento enguado para o "~ "'"a-se a casa n. 71
resto que Ihe falta ir8;a-se com os coD?iuaiarlos ,ar na rua d0 ^abugi n. 7
Antonio Luiz de oveira Azevedo C: rua da ''
bruz n. 57 pnmeiro andar.
'ajSfSS'HS'Sissa
Pnftn TJr 7 '', f8Tere"-o de*ts aneo, fIIRl0 o
Porto oe uoararapes o escravo Manoel, que cost
rna aecrescentar Maooel Sen,ioo, er.ooto^S
mua a falla, altora menos que regular nnneT
urs, peroas ora tsuto yrosss, pisa Du? LJL
s&saKsrLrivsSS:
! "^ '"alo mSwSi t
nbiha e Mamaegoape alim de ser garantida T,
Jiropriedade e >, Srs. eaplte. de caro ""
oOOf se tegarem o dito seu vscravo e o
rem em Guararapes oo cidade do Raial
preeiradores e socios,.- oesta praca
ve.ra K.ibos A C que alera de
nhecido.
________ Fabncio G^Pedrcza
Arreada se aro peqoeoo sitio woT
de moradla e cacimba de
ber, muito em cunta, ca
ra : trata se com o Dr. Amito
manhaa al as 9 horas e de tar.i
CrioU'i
i libree
cntrega-
a sens
aos Srs. OU-
Je pagar sera' reco-
boa casa
excelleMe agua de be-
Cii'unga rua da Venta-
> rua Vrtha, de
.,ounanK:slnC31.ogaru:d^d" 3""",,Sn-
a qualquer hora do dij.
0.45,
rua Velha
andar.
a trr
VERTIGEN?.
Urna das causas maiscommuns de verti-
gens e sem duvida o desarranjo do appare-
iho digestivo e moletias gastro-biliosas, e
para evitar os alaqcej deve-se conservar o
estomago em estado de perfeita saude, para
que as secrecois gstricas sejam neturae3 e
regulares.
Em muitos paizes coslume tomar regu-
larmente ama. pilla depois de jantar para
facilitar a digeslao, e para isso nao conhece-
mos cousa m.lhor do que as plalas catr-
ticas do Dr. Ayer.
E' o mellior meio de evitar os ataques d
vertigeos. l
Coaselho de compras oavacs.
ao trimeg-
anao, e bem co-
Agna de Florida de Hsrray e
aLanuaan.
ma.s flaoa perfumes I aportad jsd A 4anba
Franca e Inglaterra. ES.sa saa popular.ia^n,'
se dev.ra- .auto atlriba.r a' cau da soa compara
t va b>rateza, m sirn > s neote a' mu irtno-
a*ca snperioridade. QM nado da roe-ma eibil-i a fragranci aa llj.es a's
mais oJorifrs e drticalas do (repico. O sen de-
liioso e deleitavel ar-ma, tao fresco h refrige-
rante qasl aqaelle qu.i diraioa e se diflunde dos
miroosos botiJes de rosas e-.oargldo? e cirregados
pelo matutino orvalho d'aquelle palz. cuj rica e
picante attnosphera josUnesto celebrada unto
pelo poeta como pelo historiador. Aioda mais, o
seu aroma nao sa evapora ou se d-svanec aat-s
palo contrario, elle parece imu'r se e entraar-
se C3da ve roais as dabras do lenco, cono hiuvesse Incorporado era cada urna Abra de sea
delicado tecido.
Diisol'ida o'agiia,*)rni-sa nma alrairavel pre-
paragao, para eaxgoax a bocea, aerviudo de pre-
gervativo aos dentetv-> as gengiva'a, dando um ex-
callente e aromatied go-to ao paladar depois da se
havar lmalo, e a o mesmo tompoAara admlra-
I meio para suavisar a irnia;o da pella depois
Y se baver feito a barba. 1
de
a^aees,abe,cc,ro,n,osrmrohr
re de abril a junho do correte
mo promove canjuntamente, por n
compra dos segrales electos d-, mal-rial d? a'r-
roada : 5 aocoretas para bneloe-, 0 barrlsd-
Lorapee-seodito foracciment de vveres rlA
Sn*w*sr* cojsan"T' Sol:'
rroa do Maraubao, azeita doco de Li lh ? a,sQcar branca refinado, aletria baei-
inio, bolacha, holachlobi americana caf ero
Kio de Janeiro
Para o Rio de Janeiro pretendo sahir com a roa-
xim. brevuade po>sivel a b>rca aicional Joven
Palmara : para carga trata se com os coosignata-
Marques, farros & C, no largo do
Santo o. 6, 2* andar.
Corpo-
Navegactio
rapor.
uniuJrAM
DE
costeir* per
Rio Formoso.
O vapor Mamanguape,
com mandan te Co.ta, se-
guir' para o porto ci-
ma no da 25 do o-rmie
as 11 horas da manhea.
Reeebe carj>a, psssagei-
ro=, eiicornoiendas e di-
UMeiro a Irete oo esenptorio do Forte do Hatos
PAHA
Empigens e
TOME A
dar tros
/ye.
Precisase de urna ama qua ccslnhe perfeita-
ZTl\ PSra PC3S pesso'-5- e "De eogorome tara
bem alguma cnu-a : na rua da Cadeia
cirxa do armazero do Sr. Barroca.
o. 4, por
Marcelino J,,s da Cm, Valent^. Bernardo Jos
?Mva.Va?Du- b,mrt* doEspiritoSantoda
Goatli Valeaje, Manoel da Silva Ferreira. D. Jjse-
Pha An-xaodrlna da Silva Ferreira e Claodiaoo da
hi va B-(ro, aifradecem cordialmento a todos os
seas amigos e prenles e mais poisoas que assisii-
rara ao funeral feit. ni igrej do Carmo por sua
presada esposa, nnra. fllln, mtiada e irmaa, D. Se-
rafioa da Silva R-go V.leole, fillecida no dia 21
du corrate roer, e de novo nguo as aesmas pes-
soas o ob* quio de asslst.r as missas que teem de
na.-m",?* TS2f- Mtla rtJ ^ SeQ
nhaa *h*ta *7 as 6 '/i boras da ma-
"" lillllliMHHHIllumillSJlMdMllJMbiaJUMU
P.'eclsa-se da nm rorteq^a para caa \ut>
a"' i)a rui do Crespa n. 13, '
Chayes
Roga-se a quera livrr adiado um mol o de cha-
0 Tribuno
Cootinaa esta publicacao,
a-lo com regularidade.
A upreusa poltica
esperando agora fa-
loj 1.
IfSiA B8ASILE.M
d:
Paquetes a vapor
E' espendo dos p'ortos do norte
at o'dia 28 de fevereiro o vapor
Guar, commandanle o prlaeirc
tenente Pedro Hyppolilo Duart,
o qoal depois da demora do eos-
turne segoira' para os portos do sol.
Recebam-se desde ja passageiros e engaja-se a
Sala das sesoes do conselho de comn-a n.va0a Carga iue vapor Dodt,r coa,,0^" qaal deTera'
i de feveretro de 1868 coraP'as navaes, ser embarcada no diado soachegada, encomm-D-
lira ti rlnfmlvn n !< i ):_ M^ __
Precisase arrendar nm sitio as segn
iradas: Joio de Pa.ros, Joo Femare Vmr"
ManguiDho, Soledade, Caminho Novo
a tratar na roa do Trapiche n. 18.
Ama de leite.
e E-tancia;
Alujase um boto silfo" peno da cidado p
Su? ffl'-"S adU[illd0^ a Talar na r'oa
treitao. 12. m TaDnla Coraraarciai;"e i
a roa
. lyp^raphia Co
ruadon.ocel n. 2. Ioja de ibarnio?.
as.
d) Rosa-
Procisa se da uraa ama da leite : n rui
eerra,dofn-4'2'aa,,ar',,(,rciina d^
ero do Sr. Barroca.
daCv
arma-
Collcsw (le Sania Geaoma
Antonio Marques ce Amorim ten. a honra do
eeslareo abertas ,13 matrieolas das a a las do eol-
lelo,oe pretende aaUbalr.oa rna d. Hospicio
p;-,J'S(,bo.t,,ol dSama Genoveva p-ra
edpcjcao primaria e ercnodarla do sexo miscu-
lino 0esde Ja/ offereee di,, eatabeleekbewo ,
pe.-soas que ojuxarem digno de sua coaflanca.
..^reCiS>'M <,, u'!'a raolh"r D^a o ?ervic>da ca- '
sa da hornera soltrtro na rua do B,ngel?P. 3
- Alug-a-sa nma escrava de excelleole c mdae
'* que faz os servio,, da ama casa de f.nSliVl
Preeisa-se alogar nma am forra 00 eaptlva
que compre, cos.uhe e eDrfnfne para casa de mi,'
i peSoa : n^jrM^Crui n. 13, pnmeiro and"
v nXafn uLV'Utl dt LW'.'was sierioTs
"nagre de L'>l3i e aramia.
21
a
Isabel
iVAL
O secretario
_AIandre Rodrigups dos Aojos.
do Recife
Facilidad de W re i lo
Secret.r.a da ftendade. de ireito
24 de fevereiro de 1868.
O secretario,
__________Joi'c- Hmorio B. dejl-nn^q.
CcrTelo geali "
Ralaeaodis carian reciura las viadas do su! po
vapor francez Borgonha, para o, Srs. abano de-
clarados:
Dr.Armioio Corirlauo Tavares di? Santos. Dr.'
Antonio Farrein J]lrtms RicMro. Dr. Cosmo de
Sa Pare.ra (JO), D.mingo. J.iS de Ci tro e Silva,
- Ernesto Feliciano da Silva Tivares, D. Frau-
des e dinheiro a frete at o dia da sabida as 2
horas. Prevme-se aos Srs. passageiros qne suss
passagens s se recebero nesta agencia roa da
Groz n. S7, cscripu-rio de Antonio Loiz de Oliva-
ra Azevedo & C.
HPfiHHIA PEBN&MBUCANA
Mr.
DS
vr. Joaqun) Jos da Girados da Gistro Madeiros e
navegacao costeirapor vapor.
Partos 5o sol at Penedo.
Ovaier i'oJenoi, romman-
danie Perelra, wgoe para es
.portos do sol de Ua escala
at Penedo no da 29 do eor-
rente pelas S horas da larrte;
Reeebe carga at o dia 28
passigeiros, encommendas o dioiielro a frete at
as 2 hars da tarde do da da sabida : escrirlorlo
Fortedo Mates o. 1.
Para aiiha de S.MigueT"
e com rouita brevidade a escuna portugoeza
Ohveira, para o resto da carga e passageiros, para
Na roa de Santa Isabel n. 7, alugam
a 5CSraS draDS' etr- **' para ba,
le como para_passeh^e_por todo o prego.
- Preeisa-se de urna ama para coxinbar pcoi-
praje layar para peqoena familia : nara "a
Gadela n. 13, segundo andar.
A
co)
O ur. G. A. Raposo da Ca'aara (m>*?3
. tem abertoe.seu esenptorio na rua da
Cadeia n. SS! andar, onde pode ser }
procurado das 9 boras da m'anhaa a's 3
da larde.
ocao
0
Procisa-e do nma casa na Capnnga, qoe tenba
enmmud. s para grande familia : a tratar "na roa
Vtlba u. li. ______ ___^^
O SR. SCHLOSSER
Precisase
de nm trabajador forro 00 escravo psra om sitio
perto desta praga : a tratar na rua da Santa Cruz
n. 0. ____
Aiboquerque, J >a,uim" AugusTo "WtatMdW 'ff^T m r"?10 da "T e "as,,eln,"pra -"Precisase de om criado boro'To'p'elro'Tbo.
ou assigoado D.de aos seos ami^o? e aos
do fallecido seo lio Juquiro Francisco da Silva
Coelbo para assistirera a ro.ssa i, 7 dia quinta
Le,'.r,ac V0 Cjr/"Dt D"ifircJ' d0 Espirito Santoi
pelas O boras da manha.
Antn-ii
- Alosa-se 00 compra se agradando ora mole-
qne de li a 14 aones :-quera tiver dlriii-se a rua
do Trapiche o. 3, ndar.
Franci SABSA PAKRILHA do Ayer nao
remedio secreto, por isso podo ser e re-
ceitada por medios consciencio:os, que nao
podem receitar remedios, coja composicao
desconhecida.
FiU
m
Attencao.
Precisase alogar
der : a rua Velha n.
escravas,
93.
proprias para ten-
- l)e=*ppreceo a 18
dadedeOhndaParaa-e^rblirS,,i0da'f
o menino de 9 a 10
CHEROPEDISTA
Di CASA IM>KBI*L DO RAS1L,
pode ser consultado por pouco tempo em
Pernambuco, no hotel

do
UNIVERSO
Trapiche. Recife
SALAO NUMERO 1.
- do Recife
. anuos de idsde, de cor branca
cabellos loor, coro sardas no reato e nma marca
, Dabarriea\rl,ama-8e francisco Brederc-
des de Aodrade e boro conbetdo por Sioh a
vestido de calca branca, jaqnelale ca.eolraTpru
bcuet preto e enfeitado e chaoo de sel reio con
barra azol: quero delle souk-r leve o a ra do
Brom_em eaa do Sr._Jos Perelra da Cosa.
- O Dr. JoqimTritio de Sooa (medico)~re-
s.de a roa Velha d. 27. onde pode ser procurado.
a ICiOi.
Ba ocs.is.lao.
Josepb A. A. Van Halle, fabricante bordador de
S. H. o Imperador do Brasil, da es pella imperial
do I.mde Jmelro, fabricante de ornamentos da
tgreja d.. Cspitolo patriarcal da L; 1, ele ete
Chegando do Rio da Praia e do Rio da Janeiro
Mendoso s-euir fcr.-vemenla para Pernaroboee"
Paa eN.w-Yo.k, t-m a tarara da (.f,r.er a'*
fgrejas e a's ordens religiosas o confrarias d
grande capital, uro maamflte aorUmento d-oraa-
mentos sacro-, bordados a onro e nrata tna, im-
porlantes bandeiras di Sanlissima Viro-m do Ro-
jarhe da Iroroaeulada Coocei{8o, ini-irameBle
bordarlas a ouro e praia fi a sobre velludo e da-
masco azul, bem como cutres militas -prnamectos
completos, os mais ballos q< um apiareciJo na
America, e que obtlvera.-n os priraeis premios
naa grandes ezPesi5as ca i- Paris c Bel-
i.S8 C,m confl5c53S mui vantajosa. e grande
facllidadd ni pagamento. s
rua da cadeia n. 52, sobrado,
para ;---------
Molestias syphilitioas
TOXE A
J/atVa^airiMa e/e J>/b
ye.
[S?53E-33
CALLO!!
Z^^S^^^'^^X^^"^^^ s ~ps',end0 se"bwco D0 dermo *~"' **-
!. Pela compressa eiertda porum calcado eslreit e printipalmente por om corlo
g0aes e quebrados: o continuo afreto to'^wtoMm^ soore clcenlos poute-agoos, des-
Aiguruas peaaoas que sodrem rewrrem "ua,a mJh. deC barba ou tZtSS SSX&Si 7*Zff&fS ""*' '"""^ ">"* "e fetii!-
, f POREM QUAES OS RESULTADOS f*
do W em ^XZZulm^l^TT^T^m% KS'otl"3 a"?? e br0la raZeS "m,'isabn,Dda,1<:U'' mKm'* *-- los depois
.r o,callos doixau, de doer por mofto to^pn'; 1 hco,'^AoKXI"ffiZilSXS?ilZV^Z'l^lmi*-far causar **""^
cedo, com grande desgosto das pessoa* que as sopoortam aoDaracero rom oPn ,'"Hli q e ce8a,ao a wrnar-se inertes, 6 que permanecerao ass m, poroue tarde ou
descripcao peder sobrer, e Ls Kf ser Z^ *^^^^K^ D~ e lJt$. d&
rara curar radicalmete um callo necessario extrahir-lhe a raiz
O SR. SCHLOSSER
AUTOR
DE VARIAS OPEAS SOBItE AS KFMMDAPM DOS PBS,
pode ser consultado em Pernambuco no hotel
do
UNIVERSO
Trapiche, Recite
SALAO NUMERO 2.






BlarU le pMMw* Ter*a lelir* t* de Feverelro de 4868.
ILLTJMINACAO
A GAZ.
A empreza do gaz desta cidade desejando facilitar geralmenle o oso do gaz na
casas e estabelecimeutos particulares, oEferoce desde j as seguimos vanlagens:
l. Urna redaccao consideravel nos procos dos canos, apearemos e tolos os mate-
riaes precisos para a installacSo desta luz,
2.* O gaz fornecido hoje de extrema pureza e nao offender a prata, o bronze
uontro metal difireme, assim coma nenbum damno poder causar s pinturas, quadros.
oniamentos, papel de forro mais delicado qqe seja, toraaodo-se ao mesmo tempo tao sau-
davel e mais econmico outra qualqoer luz, j coDhecida, anal, evitar tambem a obs-
truccSo dos canos e tubos dos apparelbos.
3.a Os apparelbos existentes, como lustres, arandelas, bracos de vidro, de nron-
xe, etc., etc., sao proprios para os senbores que preferem luxo e elegancia, como para
os que necessitam simplicidade e economia. ,
4.4 As pessoas que quizerem cullocar o gaz em suas casas podem dingir-se a em-
preza, a qual se encarrega responsabilidade pelo perfeilo cumprimenlo do masmo, ou por outra, podem empregar
qualquer maquinista reconhecido pela empreza, sendo o mesmo maquinista responsave;.
pelo sea trabalho. ,
5. A empreza obrga-se ainda a reparar gratuitamente qualqer falt ae oz,
obstruccSo de canos, etc., devendo o consumidor pagar somente as pecas novas que forem
precisas para o mesmo concert; qaalquer reclamaco que possa baver, ser dirigida ao
escriptorio da empreza ra do Imperador n. 31, afina de ser logo providenciada.
Por causa de engrandecimento
JT. BLUUf
Fabricante de ornamentos de igrelas
Prevloe ao respeitavel pnhlico que inudou o seo eslatielecimeato, ootr'ora ra do Imperador D.
23 oara a raa da Imperatriz n. 3.
Precisando de algum lempo para os grandes trbalo*, que esta hiendo e logo qoe o sea hoto
estabelecimento esleja convenientemente adornado aonanciara por mel da imprensa os .artigos de
sna fabrica cesta provincia, assim como os reeebidos da soa fabrica em Paris.
Perfume IneitluguIreF,
para o lenco,'teieador e banhe.
GRANDE LIQIDAQftO
EAZ
URO DE VENEZA
15 ra da Imperatriz 15.
Attendendo s urgentissimas- necessidades em que se acba o imperio da Santa
Cruz de mandar forcas para o sol, o Mouro da Veneza, patriota como acaba de offe-
recer-se como voluntario da patria, 'alna de nao passar pelo dissabor de ser arbitraria-
mente disignado para o servico da guerra, como esses guardas nacionaes rebeldes, e por
*3|issotendo elle de seguir brevemente para o Paraguay, approveita o ensejo de se despe-
dir dosseus numerosos amigos e freguezes, e ao mesmo tempo para Ibes hmbrar que
es'a a eccasiao mais favoravel de tedas as pessoas sorlirem suas dispensa?, pois a mo-
dicidade dos precos dos gneros existentes no armazem do Mouro de Veneza convida a
todos fazerem o mais brante e ptimo sortimento dos gneros abaixo mencionad! s.
Admirem todos os precos seguintes, cheguem, vej5o e comprem, e depois con-
fessem que s urna rpida retirada, poderia ser a causa dos seguintes gneros senm
Os oroorietarios deste estabelecimento offerecem ao respeitavel publico
nm esplendido e variado sortimento de joias de coro ebegaoas recentemente
da Europa, cujos modelos sao novos e de bom gosto como sejam: pulseiras
com perolas, rubios, esmeraldas e brilhantes, brincos da mesma ferma, anneis
de phantasia, proebes para retrato, etc, etc., botoes de coral rosa para peito
de camisa e cacoles com retractos.
Compra-se e recebe-se em troca ouro, prata e brilhantes pelo seu en-
trinceco valor, assim como moedas nacionaes e estrangeiras. Tambem se en-
cumbem de fazer concertos
Agostinho Jos dos Santos C.
ARMAZEM
VAPOR FRANCEZ.
RA NOVA N, 7.
Continua a ebegar de Paris a esteestabeleclmen-
o bom sorlimenio de calgado escolhido dos melno-
ies fabricantes daqaella grande praca, assim co-
mo grande variedade de quinqullhiria e de no-
vos biinqcedos para crlaocas, cojos artigos ie
1 acbam expostos a escolha e vontade dos compra-
I dores, como sejam os que passamos a mencionar
e oolros muitos. i
Botinas para senhoras
le setim branco, doraqne dito, pretas e de ontras
diferentes cores eoftiUdas a rigorosa moda.
Botinas para meninas
la omitas qualidades bf m sortldas.
Brincos de ouro
ie lei a nllitna moda dos Campos Elizios e boule-
rards de Paris, pava senhoras e meninas.
Lavas de pellica
io verdadeiro fabricante Joqvd, brancas, pretas e
le ontras differenles cores.
Leques
am eseolbido sorlimento de leqaes de diversos
tostos e qaalidades.
Ultimo gosto
Ricos chapeosinhos de goslo para senhoras fei
os ao capricho de urna grande modista de Paris.
Perfumarla
Unos extractos, banhas, olos, pos de arroz, agua
le cologne, agua fk *ida e sabonetes.
Uspelhos
mu afamada
AGltt DI FLORIDA
DE
MURRAY & LANMAN
E' o mais delicado e mimoso e ao mesmo
tempo o miis estavel de todos-os perfumes,
e encerra em si, no seu maior auge de ex-
celencia, o proprio aroma das verdadeiras
(lores, quando ainda na sua florescencia e
fragrancia natural. Como um meio seguro
e rpido allivio contra as dores de cabeca,
nervosidade, debilidade, desmaios, flatos,
assim como contra todas as formas ordina-
rios de acidentes bystericos; de summa
efficacia e nao tem outro que o iguale.
Igualmente, quando destemperada com agua
torna se um dentrificio o mais agradavel e
excellente, dando aos dentes, aquella alvura
e aperolada apparecia to altamente apre-
j tcada e desejada pelas senhoras.
' Como um remedio contra o mo hlito da
bocea, depois de diluida em agua, sum-
' mmente excellente, faz remover e neutrali-
vendidos por estes precos, a saber:
A
Azeitonas d'Elvas em latas de 2 garrafas a 8C0 rs.
c


Chocolate de differentes marcas, e qualidadeff a 600, 800 e ItJCOO rs. a lata.


F
1 libra a 500 rs.
Mascaras \ do-as duras, sadias e de urna linda cor en-
ebegadas em grande quanlidade de mascaras de' carnada. QuantO a delicadeza, riqueza e
rame, de cera, de seda, dminos, narix com oca-1 permanencia o seu fragrant aroma, ella
C0LLEG10 DE SANTO AMAR'!
R. 5
Recife, raa
Fundado em
di Trapiche R. o,
o auno de 1865;
Director, o professor Jos Francisco Ribeiro de
Souza.
O director do collegio de Santo Amaro, no intnito de montar sen eslabelecimerito
convenientemente, acaba de fa*r acquislgao do excellente edificio era que achava-se lo-
calisada a-Sociedade Club do Rpcife,sita a' roa do Trapiche n. o, para onde mudou
sea colleeio. A edueiQo e ttistrucQuo baseada no oovo s-ystema especial de premios
e puoicoes, sendo totalraenle abolido o casgo manual. Comino!
-*-.....------ achando-se o eslabelecimen- ^^
Liogua

Cbnllnoa a receber como al @@
pencionitas, meios pendonistas e externas; achando-se o e.Mabelecimen- ^|
to preparado com todo o asseio e commodo?, e prvido de um eseolbido pesseal de pro- ^j
fessores, qoe leccionarao as sesaint-s disciplinas : _
iDStrucco elemenur Rwh. rra e potica. Escripturacao mercantil
latina Geographia e blsl.ria Ma-ici vocal e intlracctclal
Franceza Geometra Dezenlio
Ineleza Pbilcsophi Dansa
A abertura da aula elementar tira' upar no da 7 de Janeiro e as demais do da >;;\v;.
3 de fevereim em diaole. A D>pe d > mesmo, estio a dlsposicao dos inieressados. Ouiro sim, o director iem creado un a ^
cadeira de dezenho ann
ramento ej^jn rtaior i
O direcl> r empregara uo'> o auiucu o cuiuuu 11.,.!....-. -. ,
tratamento e adlant^raenlo de seus alumnos, cumo tambem, na boa crdem e regulanda- g
de de ea esisbelerimecto.
Frutas Portuguezas em latas de
Figos verdes lata a 500 rs.
Farinha de milho.
Latas com pera, e pecegos d 2 libras a 700 rs.
Latas com pao de l, a i600 rs.
m
Mantega Iogleza a 50O, 800 e I000, dita de tempero, a 310 rs. a libra.
s
Senouras lata por 500 rs.
Sal refinado pote 200 rs.
T
Tljolo para limpar facas a 100 rs. cada um,
Toucinho nglez a 400 rs. a libra.
V
Vinagre branco 300 a garrafa e a 530 rs. o litro, e muitos outros genero?, que
deixa o Mouro de Veneza de especificar por se tornar enfadonho, tendo o devido sor-
timento para satisfazer a seus freguezes; e asseverar que
Quer o pobre, quer o rico
Que em seu armazem entrar.
Nao deixar vez alguma
De comestiveis comprar?
los e barbas.
Caiilnhas de costura
de novos modelos ricamente guarnecidas e com
lindas pegas de msica.
Delicado presente
bolcmhas ecesliQhas de seda e de velludo mnito
importamos para braco de meloas passeio.
Chapeos de sol de seda
de cores e muito bellos para senhoras e_meninas.
Ilouquets d exposico
delicados booquets de flures de porcelana com lin-
dos jarros para mesas de salas e santuano!.|
Lunetas
le ac, tartaruga e |bufalo.
Ocnlos
de ac, bfalo e de prata dourada.
Ricas bengalas
de canoa verdadeira com casiao primorosamente tnempira* p n nelle n
irabalbados em marflm, compradas na exposicac.; Coes Ingueiras e
Chicotes para passeio,
por certo no tem igual; e a sua superion-
dade sem rival. Ella igualmente torna-sa
um meio mui excellente, para fazer remo-
ver de sobre a pelle do rosto, toda a quali-
dade de brotoejas^ ebulligoes, sardas, pan-
nos, manchas, impingens e espinos. Quan-
do se queira servir d'ella como remedio
para fazer desapparecer qaalquer destes des-
Gguramentos, e que tanto desfeiam as lindas
feicoes do bello sexo ; devera-se usa-la em
um e-tado de dilluigo, destemperando-a em
um pouco d'agua; porm no trat&mento
de qualqer urna espinha, usar-se ha d'ella
pura em toda a sua forca. Finalmente como
um admiravel meio de communicar s fei-
isposicao dos inieressados. Uoiro sim, o a-recior iem creauo un a gs^,
mexa a anla elemenlar, sern que por ese importante e uul melbo- ^g
indeninisc:*o. thvS
regara' tedr. o affinco e cuidado nso s, na parte relativa ao bom v^,
&-&
' _L-m v*^.Cl: viJ r. J.'
"g
a a cr O
0 E3 GO
0 5
-1 c
a ^3 -
i 1 8

>
n
O a ^3
0 -1 S.
a O
- lo

B ~ O T3 -i u B 0
tx co
O a -i
O. -1 O, Ti
s a -1 0
f^ "
ti a c
M ti O.
e CJ
-1 rs c
0 ro -1
M 0
0 rj3 O T3
C-- B C3 CB
C? C~
O O
i M
0 9
& R u
CD c-
s 0 0
es rji
-n r; B
r. 0 C-
S TI 0 O ca a
-5 B
O. C e>
0 c 0
3 ca 3
a a 0
0 O
O a.
69 co
O 0
a, a 5
W3 B
fe CB a
"i g 0
09
w a.
D> CB
ce CB "1 CB
B O 00
g O
5 ca
0 O,
e CB
0. ct>
N. 2 D
CORCEO DE
ERNESTO & LEOPOLDO
A lojan. 2 D inlitolada Corago de Oaro na ra do Cabog, acha-se d'ora em diante orlerecen-
do ao respeitavel publico, com especialidade as pessoas qae honram a moda, os objectos do ultimo gos-
to de Paris per menos 20 por eealo do que em ouira qualqer parte, garantindo-se a qualiaaae e a so-
lidez da* obras. i~i,Qn
O respeiuvel publico, avaliando o desejo que deve ter os propietarios de um novo estaDe.ecimen-
10 nue qner progresso em seu negocie, deve chegar immediatamente ao corarao de ouro a comprar
ane'iscom perfeitos brilhantes, esmeraldas, rabiLS e perolas, verdadeiras eai agarras modernas, peu
diminuto preco de 10#, brincos modernos de ouro e coral para menina pelo preco de 3#, maracas ae
prata com cabos de rearQm e madreperola, obra de moderno g03to (o que encontrarao no coracao ae
ouro) voltas de ouro com a competente cruslnba ricamente enfeitada pelo pequeo preco de L#, brin-
cos de um trabalho pereito por um mdico preco, cassoletas, traueelins, pulcoiras albnetes para re-
tratos, e outros modeles tudo de alto gosto ; neis proprios para botar cabello e firma, dito para casa-
mento. No artieo rcseas tem o Coraco de Ouro um completo e bem variado sortimento de diversos
gostos, butSes para puchos com diamante, rubins e esmeraldas, obras estas importantes ja pelo seu va-
lor ja" -pelo gosto do desecho, brincos de forma da delicada mosinha do mr^a com pingente comeado
esmeraldas, rubins, brilbantes, perolas, o gesto sublime, alfinete para grvala no mesmo gosto, relo-
gfos para senhora cravados de pedras preciosas, ditos para homem, diversas obras de brilhantes de
iuuio gosto, crusinbas de rubins, esmeraldas, perolas e brilhantes, aoneis com letras, cazoletas de
rrystal e ouro descoberta para retrato (a iegleza) trincos de franja, citos a imperatriz toda e qual-
qer jola, para se colocar relratos e otras de cabello, e ootros muitos ebjectos que os pretendientes en-
contrarao no Corceo de (Joro que se conserva com toda a amabiiidade aos concurrentes detxandc-
se de aqu meneicn; r precos ae certos objectos porque (desculpem a maneira de fallar) dizendo-se os
preges talvez algutni faca n:o jaizo da obra, por ser to diminuta qnantia a vista do seu valor.
Ka mesma leja cempra-se, e treca-se ouro, prata e pedras preciosas,e tambem recebe-se concer-
les, por menos do que cm ouira qualqer parte, e dao-se obras a atocstra com penhor, conservando-se
o Corago de Ouro alerto at as 8 horas da noite.
Qnalquer pesio que se dirigir ao Ccrago de Caro nao fe podera' engaar cero a casa, pois
ola se ua sua frene um coragao pecdorado piolado deamarello, alera de outro que se nota en um
roalo (isto se adveric em consecuencia de le tic ja' algunas pessoas engaado com entra casa- |
HOTEL
C0NFEIT4BU DOS ANAMZES.
16,Ra da Cruz16.
Ha diariamente neste estabeleeimento um sortimento de doces para cha.
de-16 bolos Dglezes, podios, pastis de differentes qualidades, fiambre etc.
Novas conservas e licores, apa de rosas e de flor
de laranja em garrafas.
TRABALHOS DE ASSUGAR.
Paes-
Assncar candi.
Fructas seccas e crystalisadas.
Ditas em calda.
r Pastilhas de assucar de differentes quali-
dades.
Amendoas confeitadas.
Papis finos com estalo para sortes.
Bombons.
Xaropes de diversas qualidades.
Candi la dos.
Pastilbas de caf com leite.
Bombom fondant.
Pastilhas de rosa e limao.
Ditas do Hortelaa pimenta.
Recebem-se encommendas de trabalhos proprios de pastelana para grandes
jasures, bailes, baptisados e casameotos, bavende para isso nfenes anlogos, bandejas
eom bolinhos tanto de armag5o como sem ellas, pies-de-l e otros bollos diferentes en-
feitados sendo o de cor feta com assucar. ...
O dono deste estabelecimento tem resolvido substituir as bandejas as armaces
de papelao e folha. por armacQes de assnca.r competentemente decoradas. Tanto para a
provincia como para fra, serao as encommendas bem acondicionadas.
Neste estabelecimento compra-se pevide de melaneia (milo).
BESTAURANT A LA CARTE
Entrada geral raa larga do Rosatio n. 37 e para familias roa
estreta do Rosario n. 4 A.
Francisco Garrido 4 Hermano, propietarios deste grande estabelecimento, tem feito tode o
pcssivel para satisfazer a sua illo-tre Goncorrencia. Os hospedes acbaro toda commodidade de gran
deB salas e asseiados quartos por pregos rasoaveis.
Ha sala para leitara dejornaes oacloaassa estrangeiros; na mesma sala na nm magnifico piano
para recreio.
Cmese a mesa redonda a la carte e manda-se i domicilios.
Os vlnhos mais Anos do mercado acbam se no estabelecimeoto.
A' nolte ha sorvete e refrescos, caf, cha* e ehocolate a toda a hora e magnficos buhares a
mogno para diverlimeoto.
rjaaito finos de baleia e cabo de marfim.
Oleado para mesa
le mnito boa qualidade, noves e bellos padroes: e
muito barato de nma pega para eima.
Para tollet
objectos de phantasia muito bellos para tollet.
Crqnes,
chegados de novo a ultima moda.
Ricos albuns
de velludo e de marroquim para retratos.
Esterescopos
jora lindas pbotographias transparentes.
Estamg>as
le figuras, paisagens, cidades e de santos.
Slolduras douradas
le diversas largaras para quadros. ,
Abat-jonr
para candielros e laniernas de piano.
Cosmoramas
grandes e pequeos cora 30 ou mais vista* e:cc-
Ibidas a' ventad, muito pittorescas.
Realijos
pequeos, de quatro e seis pegas de musicr.
Aecordlocs
i concertinas, o que ha de melhor neste genero.
Ciaiolas de arante
le varios preeos e tamanhos para passarinho.
BotSoas para hornera
grande sortin ento bem escolhido em Paris.
Botiaas para meninos
le muitos modelas bem sonidos.
Sapafos de tapete
le charlle, de tapete avelludados e dj tranga de
Lisboa para humen*, senhoras e meninos.
Botas rttssianas
Pemeiras e meias perneiras.
Mantas de fe.ltro bonitos padr5es.
Chicotes fortes compridos.
Lavas de fio da Escosia.
Cartelrinhss para dinheiro.
Saceos de tapete p. n viagem.
Malas e bolgas surtidas.
Ponleiras para charutos e cigarro.
Charoteiras e cigsrrelras de paiha.
|Caximb)S de bonitos modelos.
Grvalas pretas e da cores.
Cordas para violo.
Bengalas para homens e meninos.
Escovaspara cabello.
Escovas paca denles.
Pentes de marfim para tirar caspas.
Pentes de tartaruga de desembaragar.
Abridores de lavas,
resourinbas delicadas para costura.
Caivetes finos com tesoarinha.
Meias de fio da Escossia para homem.
Venezianas transparentes para janellas.
Qaadros pequeos para retratos.
Pares de lindas figuras peqneoas de porcelana.
Jarros mui pequeos de porcelana.
Objectos de porcelana para botar banha.
Taiberes fios para meninos.
Objectos de mgica para divertir familias.
Photcgraphias rnagijeas.
Globos de papel para illaminagao ne campo.
Casimbas de vimes para meninas de escola.
Coixihas de msica e reajeijos para meninos.
Velas a gaz para candieiros e candelabros.
Carrinhos de qnatro rodas para conduzir crianga
Bonecas de massa, de cera e de porcelana.
Bergos e camas com cortioados para bonecas.
Cabriolis e cavallinhos de roadeira com macrf
nismo para meninos de 3 a 8 annos montaren)
Para retratos
calxilhos para colar-se retratos, os qaaes sao mul-
to baratos de ama duz para cima.
Attenco.
Nao sendo possivel menclooar-se aqoi todas as
jaalidades de calgado, nem todos os artigos de
laioquilbanas, e multo menos da gr;nde varie-
dade de novos brinqaedos; pedese ao publico nm
passeio a este estabelecimento, certo de que en-
contrarao bastante paciencia para bem escolberem
3 que desejarem comprar, e precos baratissimos
tm virtude de baver em todos estes artigos grande
iiaantidade, e terem sido comprados mesmo na
Europa pelo doao do aito estabelecimento, arma-
wm do vipor, roa Nova n. 7.
e de urna transparente alvura, dando-lhe
urna linda cor de rosa : pira um tal fim,
ella leva a palma a todos os perfumes quo
se teem inventado at hoje, e existe em
plena soberana sem rival. Bem entendido
tudo isto se refere nicamente Agua
de Florida de .Unrray <&. i-an-
man.
As imitacoes que se teem feito na Franca,
Allemaoba, assim como em muitas oulras
partes: sao inteiraaiente inuttis e iovalio-
sas; portanto recommenda se mui especial-
mente s senhoras, que tenham toda a prc-
cau^o e cuidado, de quando compraren),
estejam certas que compram.
A OBNOIHA
AttV DE FLORIDA
DE LANMAN
preparada somete pelos umecs
pruprielarios
KEMP
A qual
i
!f
PABA'
O rheumatismo
TOME A
K.7a< er.
Seguro contra tbgo
Antonio Lolz de Oliveira Azevedo & C, agentes
da compaobia Fidelidad?, estabeleclda no Rio de
Janeiro, tomam seguros contra fogo em predios e
mercaduras, em sea escriptorio raa da Crox Da-
mero 57.
Precisa.% de orna pessa que teoba babilita-
edes para recebtr dividas fra da praca, e qae se-
ja entendida no (uro, qaerendo lomar conta de al-
goas ttulos de d.vidas para cobrar ao sol de.-n
provincia e.Macei: irija-se a tratar com Tasso
Irmos a ra do Amorim o. 35, adverando qae
oso se entrara' em ajaste sem qae tenba flanga
idnea. __________^_______
Msnoe! Alves Ferrelra & C, ne roa da Moe-
da d. 5 segando andar, iem para vender mu'to su-
perior vioho verde de Basto em barrls de quinto,
caixas com ama duza de garrafas de vlnbo do
Porto superior e barrlslnbos com 900 sardinhas de
espala mnito superior.
Este novo peridico de Lisboa, orgao ante os
poderes publteos de Portugal des mteresses portu-
guezes no Brasil, sabio no da 30 de Janeiro, e
esperado aqu todos os das pelo vapor da carreira
de Liverpool, qae de vi a seguir de Lisboa no dia
31 do mesmo mez.
Sao seus redactores priocipaes os tres ministros
de eslado honorarios, os senbores :
Mendes Leal. -
Antonio de Serpa.
Jos Silvestre Ribeiro.
Coota mais a redaegio os senbores ;
D. G. Nogueira Soare?, alto fanecioaario do mi-
nisterio dos negocios estrangeiros de Portugal.
J. J. Rodrigues de Freltas, lente de escola poly-
techina do Porto, e redactor em chefe do Commer-
co do Porto. .
J se t a importancia qae o novo jornal na de
vir a ter.
Convidamos a colonia porlogueza a concorrer
eom as soas assignatnras para um peridico qae
ha de honrar o nome portaguez.
Cusa i} furtes por anno. Os portes sao por
con la da empreza.
AssiRsa-se na ageBda da Amne* roa do Cres-
po n. 5, livraria do Sr. Jos Nogaeira de Souza.
Msica
Lecciona-se por solfejo e a tocar varios
instrumentos, dando-se as ligdes das 5
horas da tarde as 9 da noite : a tratar na
rna Augusta n. 30.
Consia que alguem espera no proxirn j vapor
do snl a approvago de orna proposta para reali-
sar-se a permuta da casa sita na rna do Queimado
o. z, esquina do pateo do Livramento, perteoceo-
le a ordem de S. Bento ; mas certos do telo e dedi-
cacao do Exm. Sr. D. ahbade aos iateresses e en-
grandecimento da mesma ordem, confiamos nio
concloira' semelbante transaegao, visto como exis-
ten) em sea poder ontras de muito maior vaota-
gem para a ordem e para o estado, enlre as quaes
ama de 4( :000000em apolices do governo, outra
de doos sobrados qae reodem 3:000000 annoaes,
e qnalqner das demais de superior valor a de qoe
soltciton-se a approvago do ministro qae tudo
igoora.
hta qae sabe.
Roga-se ao Sr. Joaqulm Ribeiro de Aguiar
Montrrolos, o obsequio de appareeer na roa dos
Pires n. 15, a negocio da hypoiheca lena na casa
da roa de Sania Rita o. 88.
25-Ra do Livramento-25
Depisitode Umaccos e calcados nacionaes da
fabrica da ra do Jardim d. 19 de J<-s Vicente
G'jdinho, tsnto no deposito corro na fabrica sa
apromptaro t^das as porgoes de calgados mais ba-
rato po.-!riel ; esta fabrica tem todas as machinas
propras para os calgados j-i bem acreditados pelo
grande numero do fregnezee que daqui se fene-
ce m________________________;________
Ayers sanapariha cures
all kinds of erupLions, pim-
ple!, blotches, bous, tumors>
ulctrs% sores, etc_____
A quem precisar
Off-rece-se urna fressoa nabililada para lecclonar
dentro cu fra esta eidade primeiras ieltras, lin-
gua nacional, aiithmeiica at proDOigoes, francez e
msica com applicagao a varios instrumentos :
quem precisar pode dirigir-se *' raa da Cadeia do
Recife o. 29, qae achara' com qaem tratar.
Urbain d'Angles, subdito francez, re-
tira-se para a Europa.________________
Precisa-se de urna criada para coziobar, en-
gommar e lavar, para casa estraDgeira : na ra do
Trapiche o. 8, segando andar.________________
Alog~se um molalo copeiro e cozinheiro :
na ra o Imperador p.50-____________
&Mk
Precisa-se de orna de boa coodocta, p?ra o ser-
vigo de doas pessoas: na ra d'Aguas Verdes n.
70, 2o andar.
Escravo
Na padarla da roa Direlta n. 8i, precisase ala-
gar ora escravo Moda pne n5o entenda rto servigj
J. Ferrelra Villel, pholographo da casa impe-
rial e premiado as das Ultimas exposigdes de
1866, continua a tirar refatos por todos ossys-
lemas photographicos na sua amiga (fagina a raa
do Cabog n. 18, tnirada pelo pateo da matriz
CARTOSS DE VISITA
sem o menor retoque de lapls ou de nanKin a *
a duzia. .. ,.
Grande sortimento de caixiobas, qaadros, cas-
soletas e alflneles de ouro para retratos.
Cbama se a atlengaodo publico paraos retratos
:.j..t,( rahe OS do 5r. J0S6
etpostes no sala de cortar cabellos
Ricardo Coelho e na livraria do
Souza.
Sr. Ncgaeira ae
se
Rorra-se amlaavelroete a' pesso, que digoe-
TntreSr m Sr'* seEu.ntes sea dono na roa
e^tre. ta"do R "o. 35 segando andar: o t> to-
roo do diccionario das scienclas pb.losopb.cas, as
ronfi^ncias por Lamartine, em francez, e o reaa-
mo Sa Kdo Sr. Barbe em porlugoez, compen-
dio de pbilosopbla pelo Sr. Bard, e o corso de
P>vchologia por Garnier, 05 quaes livros foram
levados Pl mesma pessoa da raa do Viga-
rio n. J6 segando andar, no dia 19 do cor-
rete, s S horas da larde, sem qne esiivesse em
casa pessoa a qcem pertencem taes livros ; se
oao for assim, declarar-se-ba o nome por extenso
da espirituosa pessoa.
0 Mouro de Veneza
Precisa-se de am caixeiro com ortica.
Alosase ama famosa
interno de casa de familia :
n. 50.
escrava para servico
na rna do Imperador
.




ilarl* de Pernambaco Trea felra 15 *e Fevereiro de 868.
*
'
MEMORIAL
PARA 1S8
conlendo o Calendario do anuo, meia folha cm branco para cada da,
novos sig-naes do telegrapho, etc. Obra ndispensave! aos ad oga
dos, negociantes, etc., etc.
28000






PROTECTORA
DAS
ASSOCI AC ISKANlIiEIll V
DE
SEGURO MUTUO SOBRE A
APPROVADA
POR
Decreto do Coverno Imperial de 13 de dunbo de
E GER1DA PELO
BANCO RURAL E HYPOTHECARIO
DO
Na ra Direita d. 68, olicioa de on-
rives, compra-se ouro e prata e relogioSj
velhos de todas as qoalidades.____________
Na praca da Independencia n. 33, loja de
ourives, compra-se ouro, prata e pedras preciosas,
tambera se faz qualqaer obra de eacommenda e
odo e qualquer concert.
Peitorl de cereja do Dr.
Ayer.
i PARA molestia do peito.
VI D \ PaRA oflammaco da garganta.
PARA tosse e defluxo.
PARA angina, croup, coqueluche.
PARA asthma e broncbile.
PARA dor de garganta.
PARA tisica pulmonar. _
1864
Boaventura Goncalves R0-1
Pinto de Maga-
1*1 E JAiVEIM**
Commisso Fiscal.
Veador, Jos Joaqum de Lima e Silva So-
brinbo.
Comraeudador, Jeronymo Jos de Mes-
quita.
o risco de morte ser calculado pela tabella de Moritferraod (art. 39 do regalamento):
TABULA
de mortalidade de Montferrand, calculada para
nfiscimentos.
Gommendador,
que.
Com neodador, Guilberrae
Ihaes.
Precisa-se de orna ama para
railia : na ra da Cadeia n. 21.
easa de pouca fa-.
],000
SOBREVIVEN SODREVI- SOBREVI
SOaREVI VESTES SOBtEVlVE.NTEs S0BREV1VE.NTKS TES VEMTES VENTES
pe s as m "3 < % o i 03 2 0 5 i 2 "3 i i m i B % i s I "3 V b c S aS aa m C m
h loor. 100o !8 631 661 36 529 56=.' bk 418 437 72 198 200 90 8 f\
823 817 IU Gi 651 J7 524 551 55 410 427 73 181 83 91 6 6|
2 770 79o >; 624 651 38 51 548 56 fcOl *i 74 161 165 M 4 4'
4 741 76 21 6IS ri. 39 511 541 u 3<)i! 08 75 147 148 '): 3 3
i 72: 746 _': 608 640 M 509 537 58 381! 398 76 130 i;ti 94 ? s
.1 707 733 23 COI 635 V- 504 529 59 374 381 77 15 Hfi 9,f 1 l!
t) 696 722 24 39 i 62!' 1: 499 523 IJtl 3^4' 376 78 101 101 'ti 0 0
687 7.1 2o 86 623 I 494 517 61 353' 364 T 88 89
ti 679 705 1K 530 617 44 48-< 5ld ij 3.0 351 80 76 77
i 9 673 69a 2/ 574 612 t 4S2 503 sa 327 337 81 65 66
10 667 691 <8 589 6 6 w 47o 497 'i'i 314! 322 8: 54 55
II 602 689 9 561 601 47 4' 1 4H6 (MI 3i 0] 308 8 41 45
IS 658 68:> 30 559 59 4s 463 483 1)6 286 393 84 35 36
13 654 681 li 551 590 49 450 476 '7 272 378 86 28 t
U 651 678 32 530 583 -r 449 469 8K 258 563 8- 22 23
lo 647 674 33 545 678 51 442 481 i) 243 248 87 17 18
li. 6 4.'1 670 3'. 51(1 572 52 43o 454 Ti; 229 232 88 73 14
IV 639 66 5 3.1 538 S6fl .i 42 4451 71 214 216 89 1C 10
COMPRAS
Grammaliea portogueza
decima primeira eJicco
venda na
Ltvraria franceza.
Roa do Crespo n. 9.
Superior vicho do Porto.
Vende-se no escriplorio de Antonio Lolz|de 011
velra Azevedo & C, roa da Croz n. 57, m calxas
de 12 garrafas.
Fariiiha de mandioca
Conforme a qoalidade, vende-se por differentes
precos, mas razoaveis, para acabar : procurar no
trapiche do Cunha, ao Forte do Mallos.
Almanack de Gotlia
para 1868,
a venda na
Ltvraria franceza
Raa do Crespo n. 9.
Vapores.
Vende-se em casa de Saaeders .Brothers C
o largo do Corpo Santo e. II, vapores patente;
om todos os pertences proprios para fazer mover
es on qiutro machinas para descarosar algoda

Compra-se
por mais prego qoe em outra qualqaer parle rooe-
das de ouro e prata nacionaes e estrangelras : da
roa do Trapiche n. 16, armazem de Adriano, Cas.
tro & C, e ra do Crespo n. 20 loja de Alvaro
Augusto de Alrr.eida.
Compra-se por maior preco
que em outra qualqaer parle inciertas de ouro e
prata nacionaes e srangeiras : a' ra do Trapi-
che n. 16, armazem de Adriano, Castro & C, e
ruado Crespo n. 20 I! loja de Alvaro Augusto de
Alraeida.
Compra-se urna casinha: tratar
la typographia.
nes
compra-se
Sempre por mais do qpa era outra parte, prata
e ouro e todas i>s qaalidades em moeda : na rna
i;a Gadcia loja de azul' j) u 58.
Prata e
Em moeda Dsgase bem
pendencia n. 22.
ouro
: na prara da nde-
Compra-se ouro e praia em
na Draca da teependeEcia 22.
oras vellias
Multo
maior vantagem
Corapr? e CCRACO DS ODRO d. 2, ra do Ca-
buga', raocias de ouro e [.raa.
Ouro
Esclarecimentos.
O gar de sobrevivencia, que eua a-socis^ao ostabeleceu sab a idea fecunda de rmtuali-
dade, uta unirato pelo qual a assecacao se obrisa, mediante ama quaoiia que ella recebe por urna
s vez, ou wm ureslacoes annua^s, a entregar ao conlrtbuinle aessa somma, cu a qoem elle designar
come bt*e&ctuilo ova capiUI, oa urna renda, au fim do prao o conlrato, se o segurado, de livre esco-
Iba do canhtbumle, viver al ealo.
< obJ3cio. pois, da aesociaco e a creagao da capitr.es, e t de rendas; por meio de contri-
bnigoes eitas de urna vez, ou em presiacSes aonoae (art. 2o do regulaniento.)
O capital da associagao iliim.taOoo forma se das c^ntribuieSop, ao qne o Banco apenas
depo-ttano at qae dentro de qoinze ls-tmprorogaceis as convcria nicamente em apolices da D;Vida
Publica.HacionaI de 6 por cento farls. 6* 31.;
As operacoes, de principio a lim, esio sojeitas ao exarae e verificagao dacommisso fiscal,
conjpcs'.e actualmente dos costrihoinles cima comeados. (Art. Io% 2o e arts. 57 e 70)
Os contratos de sebero fazem^e por um a vate e cinco anuos, e podem rescindirse em to-
dos on-eoi algatn, ou alguusdos quioqoeanios inteiwiedios ao prazo final. (Arts. 18 e 19.)
Aotes, porm, tireac tara r.uecluir estequmquennlo. Os contratos pems edectuar-sedebauodas segoinies coBlces :
1:' C. in risco de apital e lucres.
2."Cvm risco decaoital t.
3.a Com risco de lacros s.
Aslilerentes candKoes sobre-que assenlaai os contrates indicara e distlngaem as difieren-
es seriedades a que os oeo'.nbuiats pertencem.
Feroadas assira as sociedades, cno numero de contribuales Ilimitado, sao BPttM em com-
mnm es capltoes, par* seroai di.inouUos, no m 4o prazo dos rospecvos coolratos, lelos beneficia-
dos oos segaros vivwem at enlo ; sendo a divUao dos qaiohees feita era proprco do vaUr de
cada-contrato, de sua durajao, e do risce de morle 4o retpecuvo-wcoro
Os-lucros do cootraio crescem com o risce sobre que asseniara ; assin
Os-d* primeira oadicao, alea do aogmerto do capital, ala coroposucao do.jsro, tem dicei-
o a^uota da part.lba do cantal e lucres dos contratos, cojos segurjs falleceram antes d poca^as
liqtwiacO-'S^se'jItilda*. y ^
Os d Sigonda eecdicio, alm da qoella roesma vrba da capitalisacao da eotradas e dos
seos.-jores, lea direito a falleeerem. "
Eos da terceir eondicao, alera daquella verija, a Iodaas-condicoes c^mmom, lem direito a
qootedos lucros (los raptUes uo) dos.coniratos cejos segurados-falleeerem.
A appicaco 'i a^tal e lucro cesultante per lencera' a pe te determinar; ^odendo elle^, m toda a duragao do eonirato sabsiliBir o benelioado.ou beoeticiados'
por ko de usa declarafao, que a associaco averbara' na apolice,eu mesmo neo essa (ormalidadei
por aio da esoriptura puofica, ou disposi^o testaoe&aria,
Tambew livre ao eeoinbuiute-ispor de todo, ou s de paoe do bsoecio ; assira como Ibe
perniuldo-coacede-lo uletvaoeote, ou s6 por uso frucio.
Se o valor da cjatrtbai<;o se dever realfsar jjor preslac39s aonaaes, e e contrilitole por
morte, oa poroatra causa, asoo poder orificar ou completar, 'lieKe ao propri^ beneficiado, oa a
Os coolratos de segaros da especie Indicada coavm especialmente :
A qoem^aerdoUr ou fllha ou rondar nm patrimonio, oa uio pnocipio te estabeleeiaenlo
41 om fil'bo, aOlnado, oa ouiru individuo qualqaer, a queo se quena beceflciar
A quera guiter livrar erecralameato um filoo4.oa idade em qeo pal'oa a di, delle re-
Ose nuis.;
A aera q-aer 'rear par-a o futnro em capital oa tima renda, temeodo que a de que toza,
qaando vigoroso, nao chtgue quaodo a vilbece, oa a eofr-rnudad", nao Ibe ermntir adqairi la.
Qualqaer dos fias apontados pode ser conseguido, aioda pelas pessoas menes protegidas da
fortuna; pwaae basu para isso coasignar arailmente ama juaatia em rUcao aos raeius pecunia-
rios de qoe dispem.
Avaltem pois as ebefes de familias nuuierosa, q oqimnps aproveita applicsr sass econo-
mas a sociedades fundadas sob semelhaoies bases, quando a experiencia tem emoastrado em com-
panhtas anlogas qnonma Imposico annoal de 400 prortnz :
Coropra-se moedasbrasileiras e libras estnlinas
cem tiom premio : sa ra Nova loja rrancera nu-
mero o. li. _^_
Moedas de ouro e prata
P&ga-se por mais do qo-j emoaira qnalquer par-
te : na loja de onrives arco da Congeico e compra
<)aTa e prata vcihi e podras preciosas.
Idades.
0 cabeca de 1 eriaoca de 1 dia a 1 aono
de i de 1 a 2 anuos
de 1 de 2 a 3
de I > de 3 a 4 >
de 1 i de i a 15 >
de ama pessoa de 15 a 20
de > de 20 a 30
de > de 30 a 40
de de 40 50

>
Eraanuos,im lo aunos
l:t00400i)
900/010
8614000
86041HIO
8604000
8604010
86O4OOO
8604000
9004000

4:000401,0
3:0004000
2:900400o
2.8 040 2:7004000
2:7004000
2:7004000
2:700401.0
3:0004000
Lniljau
"97toT
7:5004
7:2004
7:1004
7:0i0a
7.00(14
7:1004
7:2004
7:5004
Em 20 an Em 28 an
20:0004
17:0004
16:((,04
io:6004
15:5004
15:4004
15:6004
16:0004
18:0004
47:0004
37:0O0
35:0005
34:0004
33:5004
33:30041
34:0004
37:00041
50:0004
oot mis preco que em ontra qualquer parte moe.
das de ooro e prata nacloBaes e estrungeiras : na
ru& da Cadeia o. 13, loja de Jos Loiz Cincafces
Fc-rreira A C_____________________
Gpraai-8e esclavos
Compram-se,vendem-se e trocm-se escravos
de ambos oa seros e de-todas as idades : a roa
do emperador o. 77, 1 aods r.
deooro e prata,-compram-se por maior preeo qoe
era outra parte;-na ra-de Crespo a. t6-l* andar
Compra-se dous escravos que eotendam at_
guma cousa do-swvieo de canoeiro, oa qoe teohag
andado em barcada, e tanHiera compra-se um dito
que s ja regular cosioheiro ; a tratar na ra do
Brumo. 741 andar.
idade proprios pira o eervico de rua; qoem
os tiver dirija-s* rui do Caldeireiro o.
& 'S que se dir ottem compra.
Comprase oa arrenda-se terreno proprio pa
ra criaQo de sado, sao sendo distante da praca
mais do qe tres a qualro leguas: na Praca do
Commercio a. 10 1 an lar.
Ka ra Direita n. 30 '
Coopra-se diuhelro de cobre a 4 por cento de
cambio.
C'jmpra se ara teqneoo sitio ou orna caa
com bora quintal e prefere-se ama ou ontra cusa
para o lado da Soledade oa Mondego : a tratar oa
roa da Imperatrii d. 39, andar.
VNDlS
Vende-Be um carneiro muito manso e
gordo, habituado a carregar criangas, bas-
tante grande: na roa das Cruzes n. 20, se-
gundo andar.
Vaesouras do Porto a 3^000
a duzia.
Vende-se a' roa do Imperador armazem de Fran-
cisco Jos Leite.
Tagua branca
A raa do Qucimado n, 8.
Por suas incessantei encommendas iem ultima-
mente recebido variado sbrtimento de differentes
oljectcs, sembr de gosto e ultimas modas.
Ella porra usando da franqueza com que sem-
pre se lem distinguido, cenfessa que, os precos ac-
tuaes nao podem ser to commodos coilo a' lem-
pos eraro, verdade essa que todos resorbecem e
experimentara em quaiquer genero que desejam
corjprar ; aiola assiro, ella levada por seas t-nn-
clpios de barateiro, contina a flo em rel?cao as
actoaes clrcamstancias.. Ao menos era compensa-
gao das pequeas alteraces que ha em alguos
pregos, supre a belleza e boa qualidade des tbjec-
tos sega i otes :
Bonitas guarnieres pretas para basquinas e ves-
tidos.
Grande e variado sorlimenlo de trancas pre'as
d vrdrilhiis cora pingenas e sera elles.
Ootro dito de ditas brancas ccnfrrme as prelss.
Outro.dito de dit3s de cores tambera com vidri-
Ihos, fendo com pingentes e sem elles.
Oulro bello sortunento de eals e enfeites de
taa, direitos e recortados, com vidrilhos e sem el-
les, e tocos de novos e lindos desenhos.
Oulro sortiraento de bc-tSes pretos e de cores,
todos enfeitados cora vidrilho?, e alguns com pin-
gentes, noiando-se entre elles o bom gosto dos mol-
des inicuamente novos e aqu nunca vistos.
Bonitos e uiodernss pentes donrados.
Bonitos pentes de tartaruga obras, modernas e
de aparado go.'to.
Ootros ditcs Igualmente bem feito?, para desem-
baracar.
Oairo3 tmbem d8 tartsroga para tirar bichos.
E bem a-sim muitos outros objectos qae sero
presentes ao comprador.
Albuns.
A Aguia Branca a rui do Qaeimado n. 8 acaba
de receber ama nova collecco de albons para 24
a 200 retratos. Nesse sortimeoto vierato alguos
que per suas perfeicSes, riquezas e bom gosto se
tornam notaveis e merecedores de serem possoidos
por quem possa, esaiba apreciar to bellas obras.
A proposito de Alhuos
A Agola Branca tambem recebeu urna pequea
qnaniidade de retratos notaveis, cojos caracteres
sao os" segnietes :
Feailia imperial franceza.
iKei e raiufea de Portugal.
Imperador e imperatnz da China.
Lamartine e Alexaodre Domas.
Vctor Hago, e Tbie?.
Washington, J hosoo e Lincoln.
Tambem recebe u
Graade e variado sortimenio de vistas para ste-
reosceposl as quaes por suas novidades sero apre-
ciada* pelos apaixooados de to bello eotretimento
Comparecam, pois, os preleadenles qss sero
bem servidos, na ra do Queimado loja da Aguio
Branca o. 8.
(,jm>8 e Iaaseom snpefior Iiaolia
A Aguia Braaca a ra do Quejando n. 8 rece-
bou de aovo om completo sorumento de perfuma-
rlas finas, vindo em dito soriiraeoto os copo?, lats
e vasos de porcelana dourada coma bem conheci-
da e apreciada baoba fina.
Extractes linos de agradavels ebeiros
par)ieaees
Vasos com p de arroz e piocel.
Dito cem dito sem place.'.
Placis sollos para ditos.
Bonitas caixinbas Invernisadas, contendo dnas
perfumarlas para presentes.
Ootros de papello, purera mni bem arranjadas
para o mesmo ti d.
Ootras de vidro, igoalmente bonitas.
Extracto de quinquina para a boca, e deotes.
Elixir odootalgico para o rr.e.-me.
Agua dentifrice.
Banha Japooeza e transparente.
E assim as demais perfumaras de primeira
qualidade sempre encontradas ;ern dita loja da
Agoia Branca a roa do Qoraado n. 8.
Francisco Jos Germann
|RUA NOVA N. 2i,
acaba de receber om lindo e m^gnico ic
timento de oculos, lunetos, binocoloi, do v
timo e mais apurado gosto da Europa a oc
los de alcance para observarles e par
maritimo8.
Vende-se
asphalto,
piche oo gaz proprio para
enlafetos de caudas,
assoalhatlos, assim como para rebocar
cisternas, coBductO'cs d'agu;),
etc., etc., em grosso : ns fabrica do gaz, e
a retalho, no armazem da Bolla amarlla,
travessa do Imperador.
Botas russianas, peroeiris e roehs pt-rn ira; nc-
varaeote ebegadas, da melhr.r qoalidade ("e temos
visto, uo armazem do vapor ra Nova u. 7.
Novo sortimento de lavas de pellica de Joavin,
brancas, pretas e de ouiras bonitas cores para b
ruens e seuhoras; no armazem do vapor ra
o. 7.
Taberna
Vende se urna armacao cm bom loca! na f'egn-
zia de Santo Antonio : a tratar oa rja Direita
n. 72.
Vende-e e
uro br?.Q) de balauca grande, duas conchas e qua-
lro .> d* peso?, todo em bom estado : quera pre-
cisar dirlla-se a rui rfo Kange! n. \.____________
Vende-se
ama armacao muito em coota, proprla para qnal-
quer negocio : quera preteader dirija-se a ra Di-
reita n. 57._________________________________
fltoleque venda
Na ra do Livramenio n. 14 vende-se por 9004
um exceiletile moleqoinho de 12 annos._________
"Para o carnaval
Vendem-=e dons riqoissimos vestuarios por pre-
cos commodos : em casa co aifaiateCamillo, a rus
da Cror.
Vende-se um
Fagem
bonita roaltinho
~ ser'.o com
15 ou 1G aunos de idade; e com elegante fignra
moito proprio para pageai ou co&eiro ou para ou-
tro qualqujr servido : quera o preteader comprar
dirija-se a loja do Pavio ra da Irnperairiz n. 6),
de F. Pere.ira da Silva.
Vende-se.
Em casa de F. Pereira da Silva raa da Im
peralriz n. GQ.
Superior cera de carnauba.
' Saceos com goman de mandioca.
Sucho de pescada para eola. _______
SJTOS
CES-
PO N. 7.
Osproprietarios dc-ste l>em conbecido es-
tabelecirxento tem a sati.-f.icao de levar ao
ccnhciruerito do respeitavel peblico que aea-
b^m de receber pelo ultimo vapor da Euro-
pa om completo sormen'.o de cbjeelo sde
apurado gosto e de inteira novidade: [os
quaes estao resolvidos a vender por piu-
cos mu i razoaveis, como sejam :
Lindos cintos com pontas, bordados ve-
drilh is, fa.enda que nao llavera quem con-
teste ser a melho que ha oeste artigo, isto
? na lo,a do Uallo Vigilante, ra do"Gres,o
n. 7.
Leques de raadreperola, sndalo, marfim,
madeira e oss>, etc., com lindos desenhos.
[iiartafcOes de paihas,
Riquissimasguarnicoes e trancas de finar,
palhas de Italia, cu vedrilho, pingentes e
sem elle-, e nutras com botoes da mesnea
palha muito proprias para guarnecer vesti-
dos, chapellinas, etc.
Lindas bolsinbas ou cabses para as me-
ninas (razerem nos bracos, cada qual mais
bonita.
Tesoqras.
Finissimas teouras para unhas, cocturs;*,.
cabeileiieiros e a'fai.'itc", as quaes g ranli-
y"^ mos ao comprador a sna boa quaiidae.
Nh va Ibas.
Supeiiores oavalbas com cabo detartars,
ga e mariu as quaes os abrcantes garan-
ten).
I. ib vas. |
Lavas de Joavin, camurca ede sedabrn-,
cas, pretas e de lindas cores.
Pentes.
Grande variedade tanto para ceqoes eoao
para alisar cabellos e a barba, ditos para
arregacar cabellos, sendo de larlaroga e bo-
falo com pedriobas e sem ellas, etc.
Port Etonquets.
Muito lindos port bnuquets com cabo de
mairepirola, proprio* para ca amentos, bul-
les etc. etc.
Escov.is
Finas escovas pararoupa, cabello, chapeos,
uchas, denles e para limpar pentes.
Aboinadurrs
Lindas aboluaduras para cohetes, ponhos
e collarinhos.
Perfumarlas
Finas e de todas as qualidades e dos me-
Ihores perfumistas at o presente conhe-
cidos.
Collares c Royer
Eletncos magnticos, contra as convul-
soes das creanfas e facilitar a dentigao das
mesmas. Ja tao conhecido '(s prodigios
destes collares anodinos que nao ha quem
duvide de seus eticases efeitos, e o Vigilan-
te, sendo recebedor desles collares, tem
sempre grande quantidade em deposito, isto
s na loja do Gallo Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Vende-se oa permula sea ">sse e bemfeitorias
de tres sities no Arraial na vislu n2Ca 00 cemiie
rio do Poco com casas de talpa e instantes arvo-
redos de hoa qualidade como larangel'5- j*1QBl'
ras, maogaeiras, cajueros e moilas onlra.' 'rac'
leira?, e alera disso com bastante terreno desta-
pado e apropriado para plantac5es de orlalice e
capim por ler om riacho permanente de mu lo
boa agua de bebtr e capacidide al para susten-
tarse algoraas vacca de leite : a tratar no corre-
dor do fllspo n. 9.
Barra mos, pipas e tocis para de-
posito de me! etc.
Vende-se porcao de cascos asios" no armazem
do Cae? do Capibaribe, jooto a casa do Sr. Rampk
prxima ? roa da Ponte Velh3. Para ver, das 10
as 11 horas da manba no referido armazem.
Chocolate vermicida
VENDE-SE-
Saceos eom fariuha de mandioca nimio supe-
rior, chegadas no di 9 do correte pelo vapor
vapor Guar, do Rio de Janeiro, assim como sac-
'.os com fetjo branco do Porto, anda em moito
k, estado pelo barato preco de i o sacco : no
tranlch o bar5 do L'mmeD,0> Fo,te do Maltoi
n. 15. "" ______________________________
^7ende-se
DE
Km vi,u dos resultados que se acabm oe mencionar, uo oa nluguera, por pequeuos qoe
im seus recursos, que nao possa aspi'ar a um futuro m-lbor e subir alguns degraos na escada
_ A ecoaamia nao a moeda reeeiosameole escondida pelo avaro, qae permanaes Inalteravel
eno se Ihe |unta ouira moeda j debafxo da forma do seguro sobre a vida, a economa o grao de
wigo que deponiado ea boa trra nasee, creso* produx oa (tpjga orna iofloidade de triog qae a
saa -m te estende e muitpjiea al o Infinito.
Agencia de Pcruarabuco n. t raa do Limmeuto
X F. DE VIDAL
a Soo rs,
Vende-se maotefra iogleza flor a 800 rs. a libra
no Progresso do pateo do Carmo n. 9
ATffBH Vende-fe am moleqne peja, bonita flgnra.de 19
annos, of&cial de sapatelro e que sapa engoromar
roopa. caiar, piolar e eoteode de servco de co-
peiro e de ludo o mais concernente ao domestico
e grave de orna casa: na roa de 8, Goocalo nu-
mero 20.
Attenc&o
Vende-se urna expeliente vacca de leite
Ponte de Uchoa, filio da viuva Carrol!.
na
mwm
globos de vidro muito bjoitos de diversos tama-
nbo, tatito para oindieins de gaz carbooico como
de gaz liquido, e cbamios pira caodieiros de gai
llqoldo. per pncos mai< baratos do qae em oalra
qualquer parle : na roa da lmperatrii n. 6, loia de
longa.
Milho novo'emsaceasg.des a 3500 nos
arrasrens d* T-sso IrmSoe, cas da alfandega e
rm do Atnoiim b. 35. "
Aiitoiiio .\bnes de Castro,
Desde 1857 que so as tabellas vomicidas
applicadas em Portugal, como o remedio
prompto e efflcaz para a expnlslo das lom-
brigas, que to graves padecimentos caosam,
e que qoasi sempre se suppe ellas 2 ori-
gen).
Este virmifugo preferivel a qualquer
oulro pelo sea .\gradave paladar e fcil ap-
pIicaf5o s enancas, as qoaes geralmente
s5o mais atacadas de semelbaDte mal.
Vende-se um alambique com tolos seus per-
tHce?, com muito ponco oso d-se em conla : na
roa da Cruz escriplorio n. 81.
Na ra larga do Rosarlo n. 33. prlmeiro anar
delronte do bolel Trovador, tem para alugar do
minos de velado e de seda de cores e brincas
e gosto Chinas, tambera se vendem os mesmos
Vende-se urna collecco-do Diario de Per-
nambuco, encaleruada, 183, 864 e 180?: na
raa do (.'aboga' 18.
-. k.i 1 'Ho poesiute propra para
orna balacea iogleza m. >0 qnafqaer estabeleci-
LrannTm^a?cronou' ssimeomo saceos
.? t? bom estado, 00 ooiro qnalr
vastos proprios para ensacar cer. -*H
qoer ohjecto : na ra do Vigirio n. i. ""..
Colla superior
Vende-se no escriplorio de Antonio Laix de Ol-'
veira Aztverlo & C. : roa da Croz n. 57._______
Borzagulos Iranceies de couro de lustre a
6 : na ra do Imperador n. 31_______________
Vndese orna casa com 6 janellas de fren-
te, 3 salas e 7 qoarl<>*. cosinba e diversos ps de
frncteiras, na Pedra Molle, em Ierras do engenta)
D ras Irmos : a tratar oa praca da Boa vista Da-
mero 9
liba de 8. Miguel"
Latas com sarxissas e carne de porco excelente
petisco por ccmroodo preco de 2S80 e 352.0
0 meuro de Veneza
Rna da Irnperairiz o. 55.
Cbegon daa libas
Morcilbas, lingaicas e torresmos.
Vende-se. Da rna do Vigarion. 11 e na raa da
Madre de Dees d. 36, afflanga-sea excelleme qua-
lidade-e por prtco commodo.
Vende se om excellentelogeo de ferro ame-
ricano e om pouco oso : raa do Cabug, 18.



k?v
tarto 4c PMDMrte Ter

Grande liquidaco
XI
Loarenco Per ira Meades Quimares, tendo dado batan-
eo em sua loja de fazendas ra da lmperatriz n.
72 e 56, fez um grande abatimento de suas fazen-
das para poder liquidar eom mais breyidade.
Vende-se cassas francezis a 2i0, 2S0 e
S20 rs. o covado.
Ditas francezas largas a 240, 280, 320
400 rs. o covado.
Ditas inglesas a 160 e 200 rs. o covado. j
Lasinhas para vest los a 240 rs. o
COVflO.
Vende-se lasiahas para vestidos a 240,
280, 32.) e 400 rs. o covaJo.
Alpacas de cores co:u flores para vestidos
de soobora a 500, 880, 720 e 800 rs. o
covado.
Roupa fcila nacional.
Vende-se pditots do alpaca pretos e de
cores a 305OQ e 4 $000.
Ditos pretos de panno a 5#, 6$ e 8;J, di-
tos de meh casemira a 33500 e 4$, calcas
de casemira a 53 o 3, coletos de casemira
a 33 e 33500.
liadapol a 4 0)
Vende-se pcas de raadapolao fino a 43,
53, 83, 73, 83, e 103.
Pecas de algodosinho a 43000, 53, 03 e
73000.
PecMnch? a 83500.
Veiidem-se pegas de algodo de marca F
em 24 jardas, que sSo ": varas, a 83503.
Dito mmio encorpado para toalhas de pada-
ria por ser muito lro a 93000 a pega.
Dito mais estrato a 63 e "3 a peca.
Csmbraias lisas a 43.
Vende-se cambraias lisas peca a 43, 53, 63
e73030.
Brira p rdo a 5-50.
Venle-so brira pardo com toque de mofo
500, 603 e 700
Brioi liranco do linho a 13280.
Venddvse hrim da lmho para caigas a
13280. ffi.)()e23.
Chales de fil de linho H800.
Vsnde se chales le fiJ de linho a 43500
e 53000, hretanha de linho 5? e 63,
Mocambiqne com palmas de seda a 400.
Vender musamliiqoe com palmas de
leda para vestidos de senhora a 40) o co-
tado, pbaotasia com listas de seda a 13 e
80.) o Covado, s m li j 1 da Arara, mussu-
linas de eores para vestidos de senhora,
roopa de meninos a 500 o covado, braman-
te de linho, breiauha de linho, brim do co-
res para caigas e oulras militas -fazendas
que mas logo aonuaciaremos que boje nao
o fazernus por falta de tempo.
Cortes de brim para diga a 1 >.
Vende-s-e tortea de bricn de cores para
caiga a !,i#4eOe25.
Aviso importarle
O propietario das lojas do Arara da-ra
da Im eratriz n. 50 e 72 declara ao respei-
tarel publico e seos fregaezes qne encom-
Biendou un grande sortimento de dminos
de todas as qualidades e vestuarios a carac-|
ier para as pessoss ajflogostam de divertir-
' pelo carnaval, pois toJos estes artigosf
le en estar promptos do fin (fiante e qne espera qoe o? seos fregnezes
hoirem com as suas frequencias aitn de
ibas comprar bemfuitos vestuarios ou alaga-
rom, p'iis o que so afianca grande qunnti-
dade q:ie existe para se escolber, trido de
bora goslo e prego mais barato possivel:
ra da ftaperatrz ns. 56 e 72.
Chitas p^ra cobeitas a 280.
Vende-se chitas p3ra coberlas a 280, 320
e 3G0 o c >.a 'o.
Lataiinltas a 80.
Brilhanlinas de cores a 590.
Vende-se brilhanlinas de cores para ves-
tidos de senhoras e roupinhas para meninos
a 500 o covado, ditas brancas a 500.
Organiis braoco a 1,000.
Vende-se organdiz branco muito Ooo para
vestidos de senboras alia vara.
Alpacas adamascadas a 720.
Vende-se alpacas adamascadas para vesti-
dos da senhoras e meninas a 720 e 800.
Cortes de ganga a 1400.
Lijuida-se cortes de ganga para calcas
de bomem a 13400 e 13600 o corte.
Briu i o pa a calsas a 1400.
Vende-se brim muito fino de cores para
caigas de bomem, roupa de meninos a 13400
e 13600 a vara, dita branca de linho para
13280, 13400 e 13000 a vara.
['i o il liuholizoa 720.
Vende-se fil de linbo liso a 720 a vara,
dito de palminhas a 900 e 80 a vara.
Gastares para calsas a 200-
Vende-se castores para caigas de bomem
e de meninos a 2oo e 24o o covado, brim
de cores para caigas a 32o e 4oo rs. o co-
vado, ganga de cores a 38o e 4oo rs.
Po.il e chevre a 80O
Liquida-se esta nova fazenda para vesti-
dos de senhoras e meninas por nome poil
de chevre a 800 9oo e 13 o covado.
Bereja de listas a 246.
Vende-se bereja de listas para vestidos
de senhoras a 24o o covado, e ootros mui-
tos artigos que se deixa de mencionar por
falla de lempo, o que brevemente se annun-
ciar para' melhorar o preco las fazendas.
Chitas escaras a 320
Vende-se chitas francezas finas escuras a
32o 360 e 4oo rs.
lgidas de lista e 200 o covado*
Vende-se algodo de lista proprio para
roupa de escravos a 2oo reis o covado.
La preta a 500
Vende-se lasinba preta para luto a 460
e 5oo o covado, alpaca preta a 5oo, 64o,
800 e 13 o colado, moriat.tique a 13? dito
a 23.
Coberlan de bita a 2000.
Vende-se c .beitas de chita a 23 e 235oo,
ditas de damasco a 4oo-> rs.
.igo.'.o easl'esiado a 1#00.
Vende-se algodoes enfestado para lenges
e toalhas a 13 a vara, dito pintado a !32ao
a vara.
Alpacas de cores a 64o.
Vende-se alpacas de cores para vestidos
de senboras a (54o e 72o rs. o covado.
Corles de gazineta a 13ooo.
Vende-se c ules de gazineta para caiga a
13, !2ooe 134oo.
Ca-gas de meia casemira a 33ooo.
Vende-se caigas de meia casemira de co-
ras para bomeos a 33, palitots de panno
preto a 53 e 63, caigas de cazemira bna a
53 e 63.
NOVIDADE.
Vende-se urna armecao propria para qual-
quer negocio.
Las escossesas a 2"o
Vende-se laas escossesas de quadros para
vestidos de scnioras e de meninas a 28o e
32u o covado.
Lengos de seda a 7oo.
Vende-se lengos de seda de flores a 800
a 400 e 440 o covado.
Mcias para hornera a 300.1.
Vende se meias para hornp.m a 43, 53, e
para senhora a 05. 53 e 330(0 a duzia.
Orgaody do cores a 43000.
VeLde-so organdy de cores para vestidos
d^ senhora e meninos a 400 e 500 rs. o
covajo.
PARA .CARNAVAL
Ao respeitavel poblteo me cabe a toora
de offerecer um gratffi sortimento de dmi-
nos e vestnarios carcter de diversas qua-
lidades p.ra os amad res dcste importante
divertimento, pois o propietario d este es-
tabelecirnento promette vender os seas d-
minos e vestuarios mas barato do que em
outra qualqoer parte, i&Q para que todos
possam di\ertisse nos dijs 23, 24 e 25 do
crreme, sendo com pouco diniieir.
Espartilhos a 5*000.
Vende-se ricos espartilhos para seniorasa
63 e 63000. ,
CONVEM LER.
Vende-se dminos de paeas de coros
43- Ditos de lia de cores a 43. Ditos de
cambraia de cores a 33- Ditos damadapolo
a 33 e 43. Ditos de la de listas de seda a
63 e 83. Ditos de pul de chevre muito ri-
cos 83 e 103. Ditos de alpaca adamascadas
a 63 o 83. Ditos de cambeaja branca muito
fina a 43, 53 e 63. Ditos de verboiinas
de cores a 6$, 83 e iO3O0J. Ditos de cam-
braia bordada, a &3, 93 e 103000. Ditos!
de ganga de cores a 3 e 43000, e outros
de muitas qualidades que n5o se pode men-
cionar.
Vfstaarios a carcter 4$0ft0.
Vende-se vestuarios a carcter de diversas
qualidades a 4, 53,83, 03 103, 20^, 253 e
3030J0,
PARA ALUGAR.
Aluga se dminos das qu lidades cima
menciona las pelo prego de 23,43, 5*3000 e
6300.'), sendo que quem comprar grande
porcao ter abatimsnt.
Vestuarios carcter.
Alop-se vistuarios carcter de muitas
qualidades pelo prego se.'uinie-_>3, 43, 53
e ( 000: a qnem comprar porgo faz se
tas de seda a 13 e 8u0rs. o covado, ditas
finas a 5t>0 o covado.
Cortes de casemira a 2 Vende-se cortes de casemira de cores a
23, 33 e 43. ditos de casemira preta para
caigas e 33, 43, 53, 63 e 83.
Sedas de cores a 14L.
Vende-se sedas de cores fixas a 13400,
13600 e 23 o covado, grosdenaple preto a
13R00, 23 23500, ditos de tedas as cores
a 23 o covado,
Basquios pretos a 143-
Vende-se basquinas pretas de grosdena-
ple a 143, 163 e 203.
Bramante de algodo e linho, brim de
linbo pardo e branco, e oulras muitas fa-
zendas que se torna enfadonho mencionar-
Ihe e muitas qu-didades que avista do com-
prador vera' como a Arara vende barato.
Cascmiras a 23000,
Vende-se cortes de casemira para caiga a
23 e 33000,
Cortes de casemira preta para caifa a 33,
33500 e 43.
Liquidar de cortes de cal-
brala a 23U00.
Liquidago de cortes de cambraia com
arras de cores a 23, 23500 e 33000.
Grande sortimento de gro^denaples preto
moreamique preto, casemira e panos pretos
para o quaresma.
f&rosdenaplcs preto a 130C0
o covado.
Vende-se grosdenaples preto a 13200,
13400, 13600, 138t'0, 23000, 23500. 33
35500 o covado. Moreantique preto a 23500
33 e 33500 o covado. Pao preto para cal-
as e palitots a 13600, 23, 23500, 33, 43
m 53. Casemira preta a 1 jO, 23, 23500
e 33OOO o covado. Cortes de casemira preta
enfestada a 33, 33500, 43, G000 0 830O0
o corte de caiga.
jsass?*.
, PARA- UZO INTERNO
PRBMfcRAOOS SIMPLK,
Xarope de jurubebaS-garrafa......... 13ooo
Vinhode **>6o
Pdulasde vidro......... **?o
Tintura de 64
Extracto hydralcoolico dejorubeba 1235oo
PREPARAOOS C>MPOSTOS.
Vinho do jorubeba ferruginoso garrafa. 23ooo
Xarope *36oo
Pilulas vidro... 23ooo
Oleo de jurobeba vidros.... 64o
Pomada de pote...... 64o
Emplastro libra..... 235oo
PARA UZO EXTERNO
A JUAIIBEBA.
Esta planta' hoje reconhecida como o mais poderoso tnico, como nm excei
lente desobstruente, e como tal applicada dos engorgitamentos do figado e bago, na-
hepatites propriamente ditas, ou ainda complicadas com anazarchas, as inGammagSes
subsequentes as febres intermitentes ou durezas, nos abeessos internos, nos tumores es-
pecialmente do tero e abdomen, nos tumores glandulosos, 11a anazarcha, as hydrope-
zias, erysipellas; e associada as preparares ferruginosas, ainda de grande vantagem
as anemias, chloroses, faltas de menstruacSo, leucorrneias, desarranjos atnicos do esto-
mago, debilidade orgnicas, e pobreza de sangue, etc.
O que dizemos affirmam os mais distinctos mdicos desta Gidade, entre os quaes
podemos citar os lllms. Srs, Drs. Silva Ramos, Aquino Fonseca, Sarment, Seve, Pe-
reira do Carmo, Firmo Xavier, Silva etc. Todos elles reconhecem a excellencia d'este po-
deroso medicamento sobre os demais at hoh ronhecidos para todos os casos citados,
tanto que lodos os dias fazem d'elle applicacSr.
Apresentando aos mdicos e ao publico em geral diversos preparados da joro-
beba, tivemos por fim generalisar mais o uso d'este vegetal, fazendo desapparecer a
repugnancia que at hoje sentiam os doentes do usar dos preparados empricos d'elle, o
mais das vetea repugnantes a tragarem-se, e que tinhara ainda a desvantagem de nao
ser calculada a dose conveniente a applicar-se, o que torna muitas vezes improlicuo nm
medicamento, que podena produzir ptimos resultados.
Os nossos prepados s foram apresentados depois de haverraos convenientemente
estudado a jurubeba, fazendo as experiencias precisas para bem conhecer as propriedades
medicamentosas d'esta planta em suas raizes, folhas fructas ou bagas, e a dose convenien*
ea applicagao, teudoalm d'isto procurado levar os nossos preparados ao maior grao de
tperfeigo possivel, para o que nao poupamos esforgos, nao nos importando o pouco lu-
cro que possames tirar.
. Por tanto os que se dignarem recorrer aos nossos preparados podem ter a certeza
de que elles offerecem a garanta, de que se pode encontrar a prompta e infalbvol cura
le qualque dos solfnmentos, que doixamos nnumerados, se forem em tempo applicados
tendo alm d'isso, medico ou doente a vantagem de escolber as nossas variadas prepa-
rages, aquella que melhor Ibe pode convir, j pela fcil applicagao, e j pela complicago
tas molestias, idade, sexo, ou ainda natureza de cada individuo.
As nossas preparagoes ferruginosas sao feitas de forma que se tornm completa-
mente soluveis nos suecos gstricos, porque procuramos os compostos de ferro que como
taes estao hoje reconbecidos.
Para aquelles que mais minuciosamente queiram conhecer as propriedades da
jurubeba, e saberem a applicagao de nossos preparados, destribuimos gratuitamente
em nosso deposito um folheto, onde tratamos mais extensamente d'esta planta e dos a><"
nos preparados,
Deposite geral de todos es preparados
Botica e drogara
34Ra larga do Rozario34
0 cordeiro previdente
Na antiga loja de mindexas a roa do QneW I
nudo n. 16.
Tendo sempre em vista nao roabar o tempo tos
seos Iregaeies, com exiMsos anooncios ; toas
tambera nao querendo qne os meamos tragaeies
ignorem o que de ao*o tem elle receido, por isso
resumidamente o dir': ebegando sssim aoco-
nbecimento de todos qoa a dita loja do Cerdelro
Previdente, roa do Queimado n. 18, recebea o se-
guan :
Bonitas e doradoras ligas de pellica para meias,
tanto para senboras como para meninas.
Leqnes do diversos e modernos gostos.
Feotes com enfeites doarados e nao donrados,
pra meninas.
Coques simples eentenados,moldes inleiramen-
te novos.
Bom papel em caltiofcas liso, pantado doran-
do e timbrado, e outros muitos objoctos, que men-
cioaa-los seria bastante entadonbo, e que se ven-
de-emdila loja de miudezas do Cordeiro Previ-
dente. ra do Queimado n. 16.
Milo faltan flores,
O Cordeiro Previdente a roa do Queimado n. 16
tem constantemente um lindo sortimento de i
as e bonitas flores, por isso quaodo algum ba.
biiidoia jovea quier preparar qaalqner enteite de
bllo Rosto d'eve logo lembrar se que ba dita loja
do Cordeiro Previdente, a roa do Queimado n. 16,
nao (alum flores.
Para alvejar os denles.
O cordeiro previdente a ra do Queimado n. 16
recebeu do bdm coobecido fabricante Jonb Gos-
| nell & C. urna ptima qualidade de pos para den-
otes aromatisados com canfora que realmente tem
merecido todo couceito porque nao s alveja per-
leramente os dentes como tambera conserva-os
sempre no raelbor estado de perfei^o, assim pois
queiram vir comprar ditos pos na mesma loja
do Cordeiro Previdente, roa do Qneimado n. 16
Chape!inas de seda
Mojamas e bonitas chapelinas de seda para se-
nhora recebea o Cordeiro Previdente roa do Quei-
mado n. 16 e per ser pequea a quanlidade re-
cebida, quero pretender orna moderna e bonita
cbapelina deve aprecar-se em mandar compra-la
em dita loja do Cordeiro Providente a roa do
Queimado o .16.
PONTEIRAS E CHARUTOS.
O Cordeiro Prevideote, roa do Qoeimado n. 16,
tem um bom sortimento de Qoas ponteiras para
charutos, sendo lisas e com figuras em alto rele-
vo ; e para que os seos fregnezes nao se incom-
modem em comprar charutos em algumas das lo-
jas de cbarutelros, recebea tambera um bom sorti-
mento de1 fios charotos do afamado fabricante
furtado de Simas ; assim, pois, encontrarlo os
apreciadores um bom sortimento na dita loja do
Cordeiro Prevideote, roa de Qoeimado n. 16.
A I0J4 do cordeiro previdente
Ra do Queimado u. 16.
iSellaacharocs preteodentes um grande e va-
riado sortimeuto de perfumaras unas, tanto ingle-
sas como francezas, sendo:
Pinos extractos para lencos.
Banhas e pomadas para cabellos.
Oleo pbilocome e baboza para dito.
Pos bygienicos para denles.
Ditos camphorados para ditos.
Opiata ingleza e franceza para ditos.
Pacotes com pos de arroz.
Vasos de porcelona para ditos.
Sahoneies para mo e barba.
E muitos outros objectos qoe sero presentes
ao comprador que se dirigir a ra do Queimado
n. 16, loja do cordeiro previdente.
B .11 "cijas pequeaas.
Vendem-se na rua^Qoeimado n. 16. loja do
cordeiro; providente.
Charetos
da acreditada fabrica de Jos Furtado de
Simas.
Vendera-se na loja^do^cordeiro'.providente a ra
do Qoeimado n. 16
Boa tinta para escrever-se.
O Cordeiro Previdente, ra do Qoeimado n. 16,
acaba de receber nao pequea quanlidade de boa
tinta d!!n blark), que sendo tao conhecida como
nao necessano explicadas a tal respeito, roas
lembwm-se todos que a melhor tinta que existe no
mercado vende se na loja do Cordeiro Providente,
ra do Queimado n. 16.
Port relogios
Um lindo sortimento de port relogios ataba de
ebegar ao Cordeiro Previdente, ra do Queimado
n. 16.
Trangas de onro com pingentes.
O Cordeiro Previdente, ra do Qoeimado n. 16,
recebeu ura lindo sortimento de trancas de onro
com vidrilhos e sera elles, para enfeites de vesti-
dos e se esta' vendeodo, por preces bastante m-
dico;.

L
IChegca ao antigo deposito de Henry Forster &
]., ra do Imperador, um carregamento de gaz di
primeira qualiade,o qoal se vende em partidas
, i relaiho por meaos preco do que em outr qusl
iwr parte.
Manoel Moreira de Souza
RA NOVA N. 45.

Neste novo estabelecimento ha nm completo sortimento de chapeos para homerj, senhorss e
meninos e vende-se por menos preco do que em outra qualqoer parte.
Superior pnnno de algodo da Baha
Vende se no scriptorio de Antonio 'Lolz de Ol-
veira Azev6do C, roa da Crnz n. 57.
Mascaras
Novo scrlimenlo de mascaras de raassa, de ara-,
me, de cera e de seda, dminos nariz cora oculus '
e barbas, ludo be'm sonido e novameuto chega '
ds ao armazcm do vapor roa Nwa o. 7, e ven
deo-se rouito era conta de orna duzia para cima.
O que noTb a 5.&000.
Vende-se pegas de madapoISo fino de 24
jardas a 50, 60, 70, 80, 90 e 100000, ra
da lmperatriz ns. 56 e 72.
Arara est liquidando
chitas miadas a 160 e 200 rs. o-covado,
cassas miudas a.240 o covado.
G<-ande peehiucha.
e 60000 d3S P3fa Sfcu'0ra a Um' W>
Lans brancas finas a 500 rs
abatimento noneco, ra ftifiZ *^!^^&^SSS
56 e 72, loja e armazem da Arara, | 560, 720 e 800 o covado. '
1
fl
de che^ar os sabonetes de
alcatrao
O oso destes sabenctes tem apresentado os mais
benficos effeltos contra as impigens, pannos, sar-
nas, tinha, caspa, comlcb5es, e todas as demais
molestias de pelh.
Vende-se
M BOTICA E DKOfiUUi
DE
Bartholemen ft C
34Bna larga do Hosario34
Nova inventflo de bombas,
na ra Nova n. 30.
ts- Chegoa um sortimento de bombas,
as melhores qne aqui tem vindo, por tirar
agua sera nioguem tocar.
Encanamento para agua, na
ra Nova n. 30.
tsy Fazem-se e concerta-se melhor e mais
barato do que outic qualquer por ter objec-
tos vindos da Europa de conta propria.
Cnegou afnal
A pomada galopean
para cora rpida e completa dos callos daros.
IVENDltfl NA
Botica e drogara
n
Bartholemen A C.
3MRoa larga do Rosario24
Pi de algodo da Bahia
Vende-se no scriptorio de Antonio Lola do Oil-
vetra Axevedo 4C, ra da Cruz n. 7.
Yo armazem de fazendas dt
Santos Coelho, ra do Quei
mado n 19.
Bom e barato
Cortes de orgaody branca muito fina com 10 jar-
das a 05.
Cambraia branca muito una, peca com 10 jardas
aSS, 6$, 75,85 e 95.
Dita brinca lapada, pecas le 12 jardas a G3, 85
Dita soissa fina com 8 varas, a peca por 85.
Dita adamascada paia cortinado, pega com 20
varas a i:$.
Dita para forro, peca com 10 jardas a 3.
Dita da cores liaas a S00 rs. o covado.
Dita de cores muito fluas, a 700 rs. a vara.
Hita de Moho, tnoito Boa a 93 a vara.
BalSes de 23 e 30 arcos a 25 e 2550.
Ditos de 40 e 50 diios, oespados a 45.
Ditos de musselida a 455C0.
Ditos de dita, esquios a 55.
Ditos de crochet a 45300.
Ditos de mo-selina, oara mininas a 35.
Saias bordadas a 4:,o! 0.
Fil de liob> com salpicos a 900 rg. a vara.
Dito de linho liso a 720 rs. a vara.
Grosdenaple preto, bom, a 158U0, 2tf e 25800 o
covado.
Moriantiqoe soperior a 2800 o covado.
Tarlatana de todas as cores a 800 rs. a vara.
Fianella de eflres a 800 rs. o covado.
Bramante de linho com 5 palmos do largara
1*200 a vara.
Maadapoloes fiaos a 6, 7J, 85, 95,105 o 125 a
peca.
Platilha de algodo, soperior fazenda para saias,
pega com 10 varas a 3#200.
Atoalhado adamascado de linbo com 7 \ palmos
de largura a 35 a vara.
Dito dito de algodo a 25000 a vara.
Algodoenfestado com a mesma largara a 13100
a vara.
Cuberas de chita de ramagem a 25600.
Colzas de fustao a 55300.
LeucSes de hamborgo de linho a 25400.
Ditos de bramante a 3550O.
E-pirtilhos fios a 30.
Panos de la adamascados para cobrlr mezas a
45500.
Gaardaoapos de linbo adamascados a i a doiia.
Toalhas de linbo, lisas e alcocboadas a 115000 a
dozla.
Ditas de algolo felpadas a 135000 a Anzia.
Lencos de cambraia finos de 15800, 25, 25500,
35200 e 35600 a duzia.
Assim como ontras maitas faieodas qoe se ven-
de por menos que em outra qaalqoer parte, e da-
te amostras de todo.
BAZAR
RA NOVA N. 0 E 22
Fabrica e fundado de bronz
e outros metaes* caldeireiro,
laioeiro, e fun'ileiio, situada
na Soedade, ra ta Prin-
cipe n. 3, e cow deposito rw
ra Nova n 38, da cidacje
do Recife,
DE
BRAGA SAMPAIO
Fabrigam-se neste importante estabeleci-
mento todas as obras cooceraeates as artes
respectivas como sejam:
Alambique? de todos os tamanbos em
feilios, os mui acreditados aparelbos de
Derosne com as dimerices delicadas do*
fabricados em Fraila.
Fabricam-se avulsas quaesqner pecas des-
aparelbos, como sejam o dilatador, ratiiea-
dor e condensador, ou esqneata garapas,
resriador, serpentinas interiores.
Fabricam-se bombas de todas as dimen-
C5es e qualidades, pelo syslema rancez od
americano, simples, de presso, repoxo, e
com especialidade a estncanos! assim -j>
nominadas pelo enorme volme de.agua
que absorvem calculada em 400 pipas por
bora, e das quaes algumas estao promptas a
serem experimentadas.
Existem bombas por este systema, me-
nores, para regar sitios, garantindo-se n5p
s sua duraedo como a grande quanlidade
de agua que fornecem pelo que sSo conside-
radas boje as primeiras bombas cosbecidas.
Todas as mais obras se fabricara vonta-
de dos fregnezes e a sen capricho.
Existem sempre promptos no deposito in-
dicado na roa Nova n. 38, um completo sor-
timento de obras solidas, bem construidas e
a.precos rasoaveis, como sao alambiques,
serpentinas, taxos, pa&sadeiras,- repartidei-
ras, escumadeiras, cocos, candeias, e muitos
outros utencilios preprios para engenhos,
como sejam mancaes do bronze, parafuzos
para rodas de agua e ontres.
Cavilhas, machos para lemes, pregos de
todos os tamanbos e para o forro de cobre
de navios.
Aprompta-se tudo quanlo diz respeito as
obras delatan torneadas e polidas com toda
a perfeicao.
Vlvulas para tanques de banho, torneiras
de todos os tamanbos e qualidades, assim
como todos os ornamentos para militares,
botoes para farda, aparelbos para barretina,
nmeros, espheras, espadas, cornetas, alam-
padas turbulos, caldeirinhas, navetas, almo-
farizes, perfumadores.
Obras de folhas de (landres de todas as
qualidades, bahs, bacas, bules e outros
utencilios domsticos.
LampitJes para gaz para engenhos, folha
de flandres em caixas, folhas de cobre e la-
tao, tubos de chumbo para encanamentos de
todas as dimences, folhas de zinco, estaoho
em barras e verguinha, lancs e barras de-
chumbo, vidros finos pira espelbos, deco-
res, bordados, e opacos, e outros para vi-
dra?as, diamantes para cortar vidros, cadi-
nhos ordinarios e de patente, rea para mol-
dar, folies para ferreiro, lavatorios com ba-
cas e jarros, trra podre e outros nmeros
objectos proprio de taes estabelecimentos.
Sendo todas as obras inspeccionadas e
feitas sob a direccao do socio administrador,
Jos Baptisla Braga o qual se acha de novo
especialmente incumbido da gerencia de t3o
importante estabelecimente, isso urna ga-
ranta pela sua longa pralica, que tem os se-
nhores reguezes de que serao servioos a
contento, com promptid5o e preco commo-
do, pelo que os propietarios lhe serao agra-
decidos.
VINdQINgUINA
FERRUGlNEUXdeMBITIER
Cora Malaga e Pyrophosphuto de ferro.
Este vinho foi preconizado por toda a emprenM
medical como sendo o mais poderoso tnico
empregado para curar a CiiLonosis. Anemia
Exhanstaqao do sangue. Deposito geral em
Paris, em casa de Lauuencel, pliarmaceutiw-
droeniMa. na dos Lomhards, 44.
Machinas para descaro?ar algodo, do mt
Ihor antor que tem apparecido na Americ?-
E' tal a execucSo do machinismo, que o al-
godo sabe quasi tao perfeito como o de bu
landeira. Recomcienda-se a attencSo do
Srs. agricultores, estas machinas.
m C e >-:
'.B"C
a
o i"
o o B "-S
s
a> 2.
5
&i|gg_
Q, "1 O Q,*0
g g" M
S a f v
B^-. CD
CB O. O
CU o
ion e
qcgEi
2.M B
-T3 w B
e.S'B o.*
o efi o a^*a
5"- S
je c co n ~,
1"8||1
B u' -;
..-SS&
B
es
TERDDEIRO LE ROT
i fisntBiT, Dotteur-tUJidn
Rut d* Selno, 61, A PARS.
-;-
lm ctda garrafa, ral, entra t rolha s o papel iznl
que lera o meu (ioete, um rotulo luipreuo em i.ss-
rtUscen io ImUias. bb C3ts,o raHsi.
It.B. r-trntU
teni! >-scumt 'tlfi
it ICO traeros a-
brsParir.celttftl
60 diat de (.,
omaiir^o^oia-M
b&baUmeufrecf
autor imtalo.*
Deoslto na pnarmacia
C. em PeRnarobnco.
de P. laarer d
MOLESTIAS DO PE1T0
Aviso Importante.
Os nicos verdadeiros xaropes de hypophosphl-
tos de soda, de cal e de ferro do Dr. Churcbill tra-
zera a Arma qaatro vetes repetida desie sabio m
dico sobre o subscripto e a nares de fabrica da
Pharmacia Swaan, 12, roa Castignone, Pars
Acba-se a venda em frascos qoadrados com o no
me do Dr. Cborchill no vidro. Preco 4 francos eOi
Paris : Com instruccao!
Joaquira Ju? Goncalces Bellro tem para
vender no sea scriptorio na rna do Trapiche
Brim de algodo da Babia, mallo proprio para
roopa de escravo.
Fio de alpodo 4a Baha.
Panno de algodo da fabrica do Illm. Sr. com-
mendador Pedroso.
Vinho do Porto, era caixas de orna dozla.
Dito do dito em barris de dcimo.
Machinas para decarocar aleodo.
Teros de Jacaranda'. ^^^^^^
Livraria encyelopedica
Cbeuaram a' livraria e^cyfl,1Peoic de Jos
Parbosa de Mello, roa da >oi n. S, as WKuioles
obras do Dr. Chernovl: Formulario oo Guta me-
dica, qnecontni a descriprn de todos os medi-
camentos. Setma edicao l volme de 838 pagi-
Ba?, com 494flearas no testo, eocadernsdo. Pro-
co 6. Diccionario de medicina popular em qoe
se descrevem os symptornas, as cansas e o trat -
ment das molestias n'oma liDRnaeem accoromo-
dada a' iniellieennia das pflssnas e'tranhas a tele,
cia medica. Tercnra ediqao, 3 volumps com 231
niaras no teiio encaderoado. Prego 80g.
Para o ornaval
Mascaras e vestuarios.
Sortimento de mascaras de diversai qualidades
e vestoarios de diversos feitios: armazem n. 60,
I roa da Cadeia do Recita.


.

fi


aaam.
-

*
1
tarto 4e r.rB..b0 Tc Mr. *5

Collares Royer
tu Anoilisas elctricos magnetieos
i>cp*slt acreditado
ttjafla agira branca raa do Queirnafo n. 8
25?-ll Sffi!,.rJ?ria ererelrc i
sua
SE Jf?taDt0 esteQjido'e os seas
S a r UUad0S a ta] a,tura etow*>. 1
GO
propria, ou por intermedio de seus amigos
b prenles, ignore oa desconfen as virtu-
aa* desses sempre apreciareis collares
A agna branca porm sa gloria de concor-
rer para um to justo fim, se nao por oa-
ro modo ao menos por ter sempre, e cons-
antemente um completo sortimento desses
collares magnticos, que bem se podem cha-
marsalva vidas das crianeas. '
Resta ainda que os senhores pais de fa-
milia se facam convencer (de que convem
nao esperar que as crianeas sejam atacadas
do mal, e por tsso necessario ou conve-
niente que com antecedencia se deite na
enanca um desses coliares para assim estar
ella preservada das conv.dcoes e se contar
uve dos rigores da denticao.
Aaguia branca ra do Queimado o. 8
continua a rochar nn- ,,...____ c

PBCHINCHAS
raa principiar o aano de 1868
Wk
lo/a e armazem
DO ^.
roa do Crespo a. f a, ea quina da roa do Imperador
.^'..'.??? Pe.' '?or <. Qm variadissimo sonlmeWo de fazendas qae dizam os
s de mais goslos e novldites qae encontraran] em
rfi.
Boa da Imperalrii b. GO
mu mmLU um
Vinfco inico nutritivo
QUINA E CACAO
M
BGEAUD
E?ia nova corobipatao rema en, urna bbida
ifsas agradavel e rcov.nir-niH a ledo* os orgaois-
a quina qoe um medi 'ameuto tooiro por
que contera prinripios nu-
SUGCESSOR DE
nossos correspondeotes qae oram as memores, as
mSuT* Cor.f9S d9 sedi df> cores,- rom lindos
malues completamente novidade.
LlcmSXVeSt'd0S Cambra,a branca bordados
mmas szvrosmm,s b0tidos> e *
Dfeltadas com muito oslo'.
moda
K? r&Ceh^ P0r lo(Jos os vapores I CXpaPH,raSeDb0ras'8ead0<,,esilelta
dadeiroa co.res Ruyer eletricos maoe-r Td.a,.einIeira ***-
' pKtSfi?"e eravaliDbas de Cbon*ccm-
ticos.
Novas
chapelinas
de finapalada ftaa.
A Agula Branca, a* roa do Quelmado o 8
neo om novo sortimento de bonitas
. rece-
cnapelinas de
flua paiba da Iial.a, ornadas com deiicdaY orVo
12ZTa A8Uia BraDCa as vende 5m5S
RaaPyaud9 e pano Cordel
Riqnlssimos leqaes de marBm
uiiimo gosto em Pariz
madreperola.
abertos e de
assim como de sndalo
Riqaissimos vestimentas,de eambrafas primorosa-
mente bordados, com todos os pertencos par
creancas se baptisar.
Ricos vestoarios de core, todos cofjpietQS para
mentbos de 2 a 4 annos.
Mantas de blondo para noivas.
Moirianlque, grosdenaple sedas preta, branca
e de cores.
Riqusimos cintos, nlmi moda.
Ricos enfeites para senhoras e meninas.
Lin.iissiraas cbapellnas de seda e da pama para
meninas.
Riqnisslmos cortes de fantasa para vestidos de se-
nhora.
Lindos corles de 13a para vestido, novidade.
Chapeos de castor a canotier, ultima moda para a
rapasiada em Pariz.
Grande deposito de luvas de Jonvin recebe-se por
lodos os vapores grande sortimento.
o Sr. Ar^X^ amigavelmo~ntV;Wsocedado q
PO
^Anl8ardanQCh0rder0 PrevdeD rnarto Queima-
dIrap. DVa rem65Sa deS5as 'Saudades
Presos vantajosos
as miudezas do fcraode estabeleci-
ment de Sonzasoarft&irmo.
Riaa Xova n. 28.
Veadena em grosso e a relallio.
*^Stt^^ ,DDDidade d* **** *
Isto s na toja do Passo roa do Crespo n. 7 esqoina da do Imperador.

Tira bordadas e Raliadinhos
Uanm quizer fazer boa compra de tiras
Doroadas oo banadinbos, achara om grande
sortimento para escolber e por ..reco muito
mais Carato do que em outra qualqner parte
na loja e armazem do PavSo, ra da Imne-
ratriz 6o, v
Fazeodas para luto na loja do
ParSo
vende-se setim da China com 6 palmos de
largura proprio para vestidos a 25 o covado
lazinhas.pretas lisas, alpacas com listra bran-
ca a W o covado, cassas brancas com listras
pretas a 5oo rs. a vara, ditas pretas lisas e
com snlpicos vara a 56o rs. ditas francezas
com listras e ramagens vara a 8oo rs., me-
rino preto, alpacas e princezas, mais barato
do queem outra qoalqucr parte, na loja do
Pavo, raa da Imperatriz n. 6o, de F. P.
daSilva.

AUGUSTO PORTO & C.
ll-Rna do Queimado-11
Dua em nvelos, mai inferior a iSoOO e 11800 que Pjem verificar vindo ver as pessoas que quizer alcatifo- ou esteirar seus saioes. ^fiTfiesin-,D.h^,e.boni,?s. ^^ars pelo bara-
Vesiidos de blond com manta, ramo e capella para coiva
dem de gorgurao bordad; s pretos para a quaresma.
dem de cambraia branca bordados superiores.
Basqnines de seda para senhora gosto moderno de 180 a 50,5.
Colxas de seda, ditas de 15a e seda para camas de noivas.
dem de croxe e toalhiuhas de crceb para caileiras
dem de fustao brancas e de cores de 50 a 10,3.
Conloados bordados e adamascados para cama de 20,8 a 705
dem bordados e adamascados para janella de 9 a 205
Tapetes grandes e pequeos para sof e portas
z ^Sfr?mi? Pa -brir mesas, guardanapos grandes
Ihas para mi5o de linho e de algodao, atcalliado franco e pardo, pannos'finos ortos e
azues, casemiras pretas e de cores, tudo por mdicos precos. P
Chapenas modernas para senhora de palha e de crep.
Camisas de hoho e dealgodo inglezas e francez?s par homem
a dita.
Dita branca em caixas de 50 nvelos a 640 ris
uita para marcar, caixas de 16 ditos a 210 ti
Dita branca em ditas de 10 ditos (rrandes a 560
Dita era carros de 100 jardas a 360 rs. a do;ia-
n 2,ear*s dh 20jardS a t$- a dDZa-
Rnll, '^' branca e Preta'a m a lita.
dita 3 6m aiIa5 d9 d2ia' a ,50 a
Grampas com cabca de vidro a 160 rs. a dita.
Agolbeiros pmlados a 240 rs. a duzia.
Boiaes de moediobas donradas e prateadas. para
pannos, a 14900 a duiia de pares. P
Ditos de maaceperola, para camisa, a 500 rs. a
roza.
Dlios de osso, para caiga, a 210 r?. a dita.
Utmohas cora soldados de chumbo a 120 rs
Kspelbos de mnl-Iura deurada a UiOO a duria.
Pentes de lago dourado, para coco, a 6 rs. a
Ditos de lacos liso?, para coco, a oSOO a dozia.
Ditos dourados, com flores, SfiiOa duza.
e SS) dbiua,0i mUU bDS para allsar' a **300
Dedaes amarlos e prateado?, finos, a 240 rs. a
Colcbetes em caixinbas a 6iO rs. a dita.
Ditos em cartoes a 600, e 900 rs. a dita.
Pecas de fita para coz, larga, com 10 varas, a
ow rs. a peca. '
Fitas de seda n. i i/j, pegas com 8 varas, a 260
rs. a dita. '
Cadago branco para eeroalas a 560 rs. a dazia
de pegas.
Las de todas as cores, para bordar, a4*100 a
Pbosphoros de cera, em caixinhas, a 300 rs. a
duza.
Ditos de pao encerado, sem chelro, a 360 rs. a
dazia de caixinbas.
ii?naS lecra> em ca'*as grandes de folba, a
1*400 a duza. '
C^rtilbas da Dooirina Cbrfsfia a 320 rs.
Obreas de colla, em caisiobas, a 320 e 500 rs.
Sabonetes finos a 800 e IJ a duzia.
as *arPnos cabo da osso, fazenda boa, a
#500 a duzia. *
Abutuadnras finas para coleles, cintos com five-
ias de crystal, e mofeas ootras qoalidades, palcei-
ras de cocas, pentes com pedu* para coques en-
feites para cabega, um completo sortimento de per-
fumaras de todas as quali-iades. colariohos, can-
deeiros a gaz ferragens de todas as qualidades etc.
ele ; a ra Nova n. 28.
8SST0RI4 m CAttli
Xil
Eei da Suecia
POR VOLTAIRE.
Vende-se esta exeellente obra por 14TK) em
brochara, aa llvraria Econmica roa do Crespo

Cnmlsiohas a 3.
Vendemse as mais n>o1eroas catDisinh?s com
, --------,........-,. i.-.-uno.-, ouiiiuauuiiis peiu oara-
j to prego de 3*100 ; na loja e armazem do Pavo,
rua da Imrerairiz u. 60,
Pechicba em casimiras a ij600 so o
Pavao.
Vende-se ama gradde porcao de casimiras supe-


e pequeos, toa-
PECIIINCHA
Em cortes de la
Vendem-se supriores corles de laa matizada
com 15 c vados, pelo barato prego de 45 o corte,
isto na loja e armazem do pavo, ra da Impera-
triz n. 60,
Cambraias largas a .000 e f280
a vara.
Vende-se cambraia transparente com oito
palmos de largura, que facilita fazerse um
vestido com quatro varas, a \& e l280 a
vara : Da loja e armazem do Pavo. ra da
Imperatriz n 60,
Ksparllbn*.
Vende-?e um grande sortimento de espar-
tilhos dos mais modernos: na loja e arma-
zem do Pavao, ra da Imperatriz n. 60,
Cortinados para cassmen'os.
Vndese om grande sortimento dos me-
lbores cortinados bordados, proprios para
camas e janella?, pelos bratpg pregos de
90, 105, 155, 205 e 235000 o par; da-
masco de la imitadlo de sea, com 8 pal-
mos de largura, a 45 00 ; colchas-de cro-
ch ; ditas de fustao brancas e de cor: cro-
mos
excedencia, e o eac*
iritivos astas reconhecido.
Elle ?e eoBnrega cem o roalor sopcpsso na cara
das pandas cores, K.ffcrBrMw do eM, mago, perda
dK:"e, elf 5l" C,fflC'"i,?> -I**
Bar5Senlg;^:S,R,S^^
O CXMiHEKGIO
Vtnde-se orna taverna bem ar^.uezads, tsnto
para a [.raga, como para n a,u-, e cem proco?
modos e ledos is Rfoc ros e os frieoces em om
estado exceileDle; quero prneoder n\nn te a" iua
" A-ernm p. 2, que achara' ctm quera tratar.
Vende-se, arreada se~ou pern.uila se cm
Brande sitio junio a inoiio brns ierrenes, emolas aituiefructiferaa
cerno sejfrr, larfog^irat, jaqoeiras, lirreiras ce.
qo^m o pretender dirjase a" rna D rtira n. 2 i"
sndr, das dez toras ao meio da.
Venne.->e era grosso e
nos do que era <>ntra qaalqoer
ifriil de daiia feiii, nm barro
NT.* A*
por roe
rte. ma-
i'Ce, cW
branca e pr.la, arela to fips r, Cimenio,
barro, mos travessas. ensarnis, caihres
e rlpas: Da roa
do sol d. 26.
da Concordia -'-rmazem li^
mmmmmmmm.'.
IJeiueii
Cimento hydranco da me'hrr qnrlidade pajra
edifi. agoes n'apna.iaiqnes. aiPrroes, assen)amgn.
tos de cano?, etc., ero barricas gnnees, a i2,
Duo ccmmom ou romano a le*.
km porgo super or a >' barrieai so fa;. nma
d ITr-renca no riego eopj rme a quaotidade :
Nos armazens de Tarso Ir-
maos.
Nos armazens de Tasso Irmos.
GBDS DSFi
para jardius, pnrleiras, etc.
Ksai'mazensos
riores enfesladas, sendo escuras e alegres preprias cns proprios para cadeiras, sofs, Cadeiras
!"":c?-'.?.7e!0ls'cnle,es .e *P*f pa" meni-'de balanco, para cobrir presentes, etc. etc,:
loja e armazem do Pavo : roda iLeVaiNz n 60 ralm D' 60> i r,beJ,1Dl" a tasa '
mm*mfm "*. Graude pechincha d8 &o!rM -*
denaples pretos
PNHOS COM GOLINHAS.
a 13000 reis.
tabriul t.
Vende-se om da quatro rola prr preco cm-
- lo armazem Co c.vs do Cap.ba-
ilo Sr. Raai|k, das 10 as 11 bo-
Vende-se
' i
Moir branco e preto, sedas pretas superiores para v
f iSS.de erS3S CreS' rgand,S 6 CambraaS alinea, e dfirS" lUSeT
Saias, toalbas e lencol de linho ricamente bordados.
rticos taK&E PD.deS e Pequenas> chaPjsd sol inglezes emuitos ontros
artigos todos vendidos por baratos precos, pois s se deseja agradar e aparar dinheiro.
i iRaa do tuelmado-ti
2U?M l,wf."* "m-se assi,rnatnras para
a-vida de Horacio Nelson-o celebre almirante
angiez a U cada exempiar. *I"Trpf
Lealdade
Bu da IirtBtratriz n. 70.
O proprietariQ desie estabelecimeuto tem a hon-
ra deJevar aocontiecimeotodorepeltavel publiej
que acaba de re-eber pelo ultimo vapor om rao-
de e variad.) sortimento de rticos de costo e fan-
4asias, como sejam :
Cstos
eqols3imos eiotos coro pontas e eem ella=. en-
enadoi com vidrilbos, umo preloj oomo de co-
Ponaos
yodissimos pnnbos com golliobas bordadas em
&a aSS'm Cim aamimos remelos e
Thesouras
As perfeitas Ihesoaras de puro 150 para uobag e
cnsturts, bem como caivetes de cabo fia marm
e madreperola, garante-se a qaalidade.
Peotes
Uro graole e variado sortimento de peotes para
U?bfe? para allSar' seoJ de oorracba,
marnm e bofalo.
< Escovs
Finas eseovas para f4cto, unbas. denles e cabel-
lo a tdos os lmannos e de varios precos.
Luvas
As verdadeiras lavas de Joovin e o de escocia
branca, de cores e preus.
' Perfumaras
Dos roedores perfumistas que lera apparecido
como sejjm : Sociedade fly^eoica, Piver, Lubim
Cuadril, eomestiqae craad^s e pequeos.
Eepelbos
Com os memores .viur.is que possivel, de qaa-
, aixa locadores d tolos os tamanbos.
Coques
ttsos eeneitados coro muito goslo.
Le ces
thnt?e* de "oalo do muito bom goslo, os me-
more qQe ten, vir)do nesle Keneru
_ Eofeitis para vestido
fa Jtl e *ria<-' *ortlroeoio de tila de ssr-
5o4od, Kf B laVfadas> ,r,n5a^ a se"- '*
one^it ndinoV3 tadoobo menc.ona-los, mas.
SbeltoJJo e" aurmr P"Wto ollle

N. 64------Eua da Imperatriz------N. 64.
Kova loja de miudezas e arigos de modas
DE
SILVA & NEVES.

as

nr.Ki: ?s.prwPHel*.r!08a deste novo estabelecimento oSerecem ao respeitavel
K?.l?? a ,C,dade e d0 nlerior m lind0 e escolhido sortimeito de
SSbLSSS 6 mdas' cnco"to Para isto o terem na Europa, pes-
r SSrS? a execularem suas encommendas no que houver de mais no-
nntrfn, ,f e ?ran'en!.vender PeIos Prefs mais rasoai-eis do que em
^jj| outra qualquer parte apar de maneiras delicadas e sinceras $L
anigos VS! pe,vapor rancez Guieme>os seuiDtes be,los m
Luvas de Jouvin para senhoras e homens, de todas as cores. f
Livros para missa com capas de madreperola etc.
Indispensaveis e boleas de todas as qualidades.
Coques os mais modernos.
Espartilhos collares, e cintos de seda e vidrilho.
qnalidadeRs?daS GQPDre' de S6da' (b'DdS) 6 de algd3' de ,odas f
PM -a SSJf^0 so,!"timento de trancas, fitas, botoes e gaarnicSes de seda W
com vidrilbo e sem elle gravatinhas de seda, e maagniios de lustro bordados M
tuuo do ultimo gosto de Paris. uu h
Leqoes de sndalo aberto do mais apurado trabalbo jf
Agua Florida e tnico oriental de Laman & Kemps. 9
Kicos enfeites e gnarnicoes de flores para vestido e cabeca. >2
Calcado para senhoras e meninas.
Perfumaras as melhores e mais escolhidas de Lubm, Piver, e Coa-
dray, em ricos e elegantes vasos de porcellana, crystal e prata iogleza
Meias de algodo, as mais finas e melhores que teem at hoie vindo
ao mercado, para sejihoras e homeos.
Chapeos de palha da Italia, e a mitacSo para meninas.
E um sem numero de artigo, de gosto e fantazia que s a vista QjK
podem ser apreciado. *>a
'^l^t'l^^^Iat^V'i^^^M'^*i't"L':- vi*ifaiii ...-o Z
nma graude percao de puchos cora
golinbas de esguiao de liolio, coro os mais lindos
bordados pelo barato pre?o de 1*000 o temo, di-
I tos bordados de cor a 640 reis, sendo grande pe
chincha pelo prego, na roa da imperatriz n. 60.
Baies esgaios.
_. a 25500.
Lbpgararo os mais modernos balSes esguios sen-
do verdadeiramente americanos o vendem-se pelo
barato preco de 2*500, na loja do Pavo roa ras
Imperatriz o. 60
Cassas a 13o rs. s o pavo.
Vendem-se bonitas cassas inglezas de co-
res ixas pelo Larato preco de 240 rs, o co-
vado^ ditas francezas fazenda muito fina com
padrees listrados e de flores, assim como com
palminas miadas proprias para meninos a
3co rs. o covado ou a 5oo rs. a vara : pe-
chincha na leja e armazem do Pav5o ra da
Imperatriz n. 6o
Nafas a setefpatacas.
Vendem-se bonitas saias econmicas de
cor, pelo barato preco de 25240 rs. poden-
do estas saias servir at para vestidos, fa-
^^ zendo-se lhe corpo de outra qualquer fazen-
da difireme; pechincha, na loja e arma-
zem do PavSo, rna da Imperatriz n. 60.
Baies a 20, 305oo e 30
Vendem-se um grande sortimento de cri-
nolinas oo balees de arcos para senhora pelos
baratos precos de 20, 2(5oo e 30 por haver
grande porcao, na loja armazem do Pa-
v5o, ra da Imperatriz n. 6o,
L2nzinbas de cor a 240 e 300 rs.
Vendem-se lanzinhas maiisadas, padrSes
modernos e muito bonitas pelo barato preco
de 240 e 300 rs.
CSravatas a 400
rs. .
Vendem-se gravatinhas pretas estreitas
da moda pelo haratissimo preco de 400 rs.
cada urna, assim como um grande sortimen-
to de cores lisas e bordadas, por barato
preco.
Chales de renda.
Vendem-se superiores chales pretos de
renda, pelo barato prego de 3500 rs. cada
om, assim como ditos de guipare fazen-
da muito superior a 10 e 120000, e um
bonito sortimento de capas e retondas.
Os mquinhos do Pavo a 16.000
Cbegoa uro elegante sortimento dos maia mo-
dernos e mais bem enfeitados caiaqainbos de
grosdenapls preto sendo com sinlora e sem ella.e
oulros a imllaco de jaqnetiDhas e vendem-se pe-
los baratos pre?os de 16$, 2dJ, 25* e 305 : na
loj.e armazem do Pavo roa da Imperairix n, (JO,
de F. Pertira da Silva.
Vi-ndem-se bonitas sedas de cores para
vestidos, teudo largura de chita franceza que
facilita fazer-se um bom vestido com i O ou
121 co vados, teudo entre ellas alpumas pro-
prias para luto, pelo barato prego de 20 o
covado, assim o.mo sedas lizas de todas as
cores per precos mais commodos qoe em
outra qualquer parte.
Panno preto a 10600 e 20000.
Vende-se panno preto superior rom seis
palmos de largura proprio para paletots e
calcas pelos baratissimos precos de 10600 e
20060 o covado, grande pechincha.
Meias baratas, duzia 20ooo rs.
Vendem-se dozias de meias de cor escora
sendo meias de muito mais dinheiro porm
liquidam-se a 20, por ter algum toque de
mefo; ditas inglezas cruas muito encorpa-
as a 50 a duzia.
A os agricultores.
Saanders Brafhers & C. acaram de recebe
de Liverpool vapores de fe rea d.- 3 a 4 cavalioa
cero todos os pertences, e mu proprios para aze-
i<-m movfr machinas dendo eada vapor irahaihar al rom 140 senas,
tambero serveiu para enfardar Mftfldio, ou para
ouiro rinal.juer servico ero qoe ns.ro de trabalbar
coro aniroaes. Os meamos tambero to, a* venda
machinas americanas <1e 3o a 40 serrss.
Os prcieorienies dirijamse ao iareo do Coipo-
Santon. ti.
na loja do Pavo.
Grosdeoaples 1(5280
Grosdenaples a 10800
UrosdeDaples a 20000
Grosdenaples a 20200
Grosdenaples a 20500
Grosdenaples a 20800
Grosdenaples a 30000
Grosdenaples a 30200
Grosdenaples a 30500
Neste grande estabekcimento enconlra o
respeitavel publico um avultado sortimento
dos melhores grosdenaples pretos tanto
Isrs rtrellos' q"ise wa?m mm J-^2sRS?sSi ars
mais barato do que em outra qualquer parte rna da lapeairiz n. 60, ce Fd.-i Pereira 'A
em rasao de se ter feto urna grande com-,Sl,va-
- Vende-fe o encenlio uroe:ro. sito na fregu-
na de Serinhero, moente i- eoneote, c< ro safra ob
sem ella, arha-se demarrndo, d ou- t-rn limio-c-
uroa casa terrea na Soledad n. 19 : nma crbeira
na ra da Paz n. I, e oro sillo co Cordeiro
mo n.
Itio
l(
a ua-
pra antes qoe augmentassem os direitos na
alfandega, assim como um bonito sortimento
de moireantiques pretos, sedas lavradas e
de todas as fazeudas proprias para a qua-
resma e lulo, dandu-se de todas, amostras, t"a"r no'pateo'tiYcr
!i? aBIe l6V3 em C3Sa d3S eX.Cellenlis- Vende.Se"o sm-drir^eTsa^o Rem
simas familias, pelos caixeiros, na loja ear- l,DfreBiadoa Afogados7Do e>tadoafifi
mazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60 se acdit'QOe,D preu>r>drr emenda se om o sea
GRANDE PFPHTNrTTA We'jp. M roa de S Franr.seo desta ridade
em lavrslnbas na loja do Pavo.
Vendem se as mais modernas e moito bonitas lan-
sinhas de nma s cor, tendo enlre ellas cores moo
delicadas pelo baiat > preco de covado.
Ditas de cores dilFerenles com palminhia e
i listas, covado.......
Dilas roaUsadas mnilo lindas, covad. .
Duas listadas idem, covado.....
Ditas transparentes com lisias de seda, co-
vado.
J60
400
320
500
como quera vai para a ra Bella, Sbtrado n. iO.
Escravos lugidus
I
>
1*1-
a qnem cajturar e conduzir a* fatrica de sabio D
Afijado, ou a rna do Aroorfrn o. 41, co Recite a
I e.-cravo Luiz, pardo, idade 35 annos, o qual ja' e'a
\ principio deste anno foi pres por fgido, e de mr?*
^t, i.(Payro ni fimu muriufU
AroTd2E pala Academia de Mesdedna de Paria
ifuMiiwr!Tb 'Y irsA.;*. o ua^sic*., ou irvunax, rtmgmk,erej
Mnumt tMra rntt Bj-vnifoit i"r< de Mam- Yerk, , PnU, til.
Imm nata Momias u'araa eaaiMa rtaoo-taliara'.r ama triiQtdaiM cxeesSta, ta
vaaiatap d rerts ukrMerareu, faibr, itc m pequwu> Tolume, c de o* anariv M
arga tifeunoi-----Geaik da pxoprledd ro toso e do Fwae; tu coarta pristtt-
|MAMM na* 3so tMUtioat, Escrofutotct, tvbtmlctat, Cantrtitt, m tm*trrku,
mtn^rrtte, anemia, eK.; lira. <*: nffjecaB tos pnrtlco ama licati da* auS aur'
i aar.3icHliacr m etrj;ii.V>a II- B. O Itamtl *i ifii l.|Wra om inerado um oictjea-
* WUI. IfTltiBI*. Cao* prr.Y SV> parr a rte u'.hwldide *M
Vrlmtlrm nial a* nsuesrrt, > ejlfl aou* cw
VMUwtmtOv* t ootiSrma.aSM tr.Miuuiis.queiricbau oara
"aia- da ap rtu(# tnM, Ot <. ^xecaar w ?ede-se
aeocje.radara,dolm;er.d3rn.i7,coa1c,rro,|
Yeade-se oa panaaiia.de P. Maarer 4 c-rna Nova
VESTIDOS A 40OCO.
Vendem-se bonitos cories de vestidos de
cambraia tranca com lindas barras bordadas
a 4^000, ditos mais finos com as brras bor-
dadas a cor a 50, 60 e 80000, ditos de fan-
tatia com lidas barras e enfeites de seda a
0 e IO#0O0.
Sa muito lindas a Dovas'poupelinas
qoe cliepir-m para a toja do Pa-
vao a 500 rs. o cavada.
Verudtm-ae as mais lindas poupelinas cnegadas
celo Bliiiui) vapor, seodo transparentes e-eoeitadas
com quadnnhos miudiobos e co.d as cores mais
modernas como sejam : magenta, solferino, verde,
Jyiio.rxo, aiol, canoa rc-sa etc. ele., garantindo
se q*p neflie genero o que tem vindo de mais
moderno ao aereado, para vestidos t roupas de
tnaocaa e veodem-se pelo baratiasimo pre$o de oOO
ris o covado, noicamente na Toja e armazem do
Pavio, rna |d Imperatrii n. 60;,de F. Pereira da
J Sirva.
Bonitas alpacas na loja do Pavo.
Vndese um elegante sortimento das mais lin-
das alpacas de cores lavradas para vestidos a 15
o covado, dilas mais a......12^0
Ditas de Ocrlnhas a 500 rs. e 660
Ditas lisas de todas as cores a 640 e 800
na loja e armaiem de Pavo, ra da Imperatriz n.
60, de Flix Pereira da Silva.
Poil de Chvre na loja do Pavo.
Vende seomaismoderoopoiideChvre largo.de
orna s cor, sendo mais lustroso qae a mesma se
da, pelo preco de.......2^000
Dilo mais abaixo, porem com a cores
mallo lindas, covado. ..... 13100
Dito eom lista-i de teda a860 rs.e. JJOOO
na loja do Pavo, ra da Imperatriz c. 60, de F-
lix Pereira da Silva.
Alpaca monstro, covado a 280 rs.
Vendem-se alpacas m< nstroescuras p >ra vestidos,
lendo 5 palmos de largura, qne facilita fazer-se
om vestido com 8 c.vadjs, a 280 rs. oo a 2*1240 o
corte, na loja do Pvo, ra da Imperairiz n. 60,
de Flix Per. ii.i da Silva.
Gangas para calcas a 400 rs. o covado.
Vendem-se superiores ganga francezas moito
ene- rpad3 para clr,a e paliiols, pelo barato pre-
co de 400 rs. o covado, superiores tirios de IidUu
pardos, trancados e lisos, assim como ditos de co-
res, bzeoda rouUo superior, na loja e armaiem
do Pavgo, ra da Imperatriz n. 60, de Feliv Perel
ra da Silva.
Chitas pretas a 160 rs. o ovado.
Vende-se chita preta inglea lisa a 160 rs. o co-
vado oo a pessa por 6, com 38 covado, ditas com
palmii bas, meihor fazenda, a 20t rs. o covado uu
a pega por 7J500, dua frauceza, largas, a 360 rs.
o covado, musselmas pretas a 406 rs. o covado, oa
loja e armazem do Pavo, ra da Imperatriz o. 60,
de Francisco Pereira da Silva.
Fazendas para luto na loja o Pavo.
Vende-se superior seiim da Chioa, teudo nma
fazenda loda de la e sem lustro, cum 6 ponos de
largura, qne facilita fazer-se om vestido apenag
com 6 covaiios a 200 rs......2*VHjO
Soperior bomnatma com 4 palmos a
U600e..........laOO
Superior canino sm lustro, eovado l%0
Laosiobas lisas, ovado 400 e ... 500
Cassas preaa NM8 eom sa'piccs e com
listas, vara a 600, 560 e 640 e 800
llosselinas pri-ia-, covado..... 400
outras mollas f^/eoda proprias para inlo, na loja e
armazem do Pavo, ua ra da Imperatriz o. 60, de
Felil Pereira da Silva.
Novfsdt) em chales a 60000.
Veodem-se m mais modernos e mais'bonitos
chales Izabel, sendo de ama s cor, com lindas
reodas da mesma fazeoda, goarnectdas com booi
tas comas de aijofres, geoda oeste artigo o mais
moderno o'ie fm vindo e vende se pe barato
prec i de 6J900, noir-smente na loja do Pavao, roa
da Imperaniz n CO, de Peni P.reirj da Silva.
Chales de merm a 20000.
Vende-se h>.rotos chales de ment af 2J00O,
2JS00, 4' 00,52'lOe e 6t>09, na toja e armxzeo
do Pavio, na rea da Imperairix n.j0O, [de Flix
Pereira da Silva.
proprio Borne, e bem como o do senbor, o trazla
por casligo urna corrente fechada o cintura e no
tornotello, do qoe devera' conservar ao menos ai
mauebas.
Escravo fngido
Acba-se fgido desde o dia 19 do roez prxima
passado o escravo do abatxo assignado de nomn
Joaqoiro, lendo os signaos segninles : idj.de S5 an-
nos pooco mais oo menos, cor verroeiha, btcc
grande, olhos grandes e amortecidos, bat o, ca-
beca peqoena, cahehos carapiobos, dtrmioboco,
estatura regalar, seeco do corpo oo antes niagre>
bum co.-ioheiro, cose de altatate, tero o toroi.zelo
de om dos ps nastanie grosso de rbeumaiismo^
ps grandes e largos, bstanle ladino e asioc oso a
se loiiiola forro. H< toda certera de qoe esteja
oo Recife, onde ja esteve fgido o auno passado :
recommeoda-se pois as autoridades poiiciaes e ea*
pies de campo a captara e eolrega a seo senbof
o me ou aos Illms. Srs. Dr Jos Bernardo Gahao Af-
cuforado, oo Ca'deireiro, e ao c&puao Flix Fran-
n.-co de Suurx Magalhes no largo do Paraizo n.
26. Igoaras.- 7 de ferereiro de 1868.
Jos Tenelra da Mo'ia Cavalcaotl.
J 50i00
Fngio no dia 55 do correte mez de entnbro, da
engeoho Lirooeiro, freguezia da Escada o escravo
Francisco, cum os seguiotes slgoaes : catira, por*-
co alto, coro boro corpo, bonita flgor, cara bex-
gi sa, barba p. uto serrada, ccitnma raepar o bl-
gode e a pelra, cabellos om taolo eirapfobadoq|
um ponco gago, cim Jlgumas s/rsIrires velhas da
chicote as rusias, n'uma p e n'um braco, levoi
r. misa de aleodio da mata, calca e palelot de briol
pardo, cbapo de baeu prelo, leva vaia de car-
relro. qoe e fnponbo ter ido sentar otaca como
voluntarlo ; foi eocontrado no brejo de Fugunde.,
segolodo por Carirl. Recommenda se as pessoaa
encarregadas do recroiameoto, e as Tmtoridade
nniiclaes, com especulidade as do Rio Forroosjj
oa, Agna Preta. >. Beoto e Porto Calvo, e a on-
ira qoalqoer pessoa a apprebenco do dito esrra-
vi., Ir eDirega-i" no referido engenbo, qne gratit-
ca se om 1,1(^000
150^000
Prloa dou eserares fagidns.
Fog>o do engeono Sete Ranchas, no ou 16 de H-
*ere ro deste anno. o cabra Luir Ignacio, aliara
regolar, ebeio do corpo, exmalmado, olhoa prqua-
nos, nariz ahilado, rara bexigosa, peroas gru.sat>(
bem feilo re ps, anda meio corcuoda, cali.los 6n
negro m*s meio solios, anda com es i s um tanta
par dentro, falla gross ; tem om caiomoo oa pa5
esqaerda, nenies limados, e chama se Luir, mas
tratar per I>narin, que pode andar de u.me ; le-
v. u tortadas 3 raleas de brlm par r, S paletos e 3
camisas, milpa esta do senhor e qa pode trora-la
por lhe Arar grande. Rnga-se, pois, a todo* os ca-
(iiies de cariii' > ou qualquer peaaoa qoe o potsa
aprehender, levar no dito engenbo Sete Ranchos,
qne receben.* "3ii 00.
O cabra de>t enffenho santo com orn cavalto la-
zao com cargalha ; o dito eicravo foi comprada
nesta praca ao Sr. Ant.nio Josa Vieira n- Ssoaa.
1 IU8lL



i
*>t4WE**YW I

Diarlo de Peraambneo Terct letra *e FeTerelro de 1868.
LITTERaTRA.
delicadez* e fez nm gracioso cumprimento. Al ento, ainda supporiava os meas roa- desta vez *ara me esmagar; eu fecho os
k IMITE E' U 10YSKLHE1R.V
SEGUIDA PARTB
OSr. Chrinol
Memorias de um sapo.
I
Eslava pois transformado, enrj sa,iO...
O Sr. Clarinetli desapparecera pelo tecto,
ft eu fijara ni meh do quarto da Sra. Ca-
miniche. Tinin o desesperon'alroa ..Nao
me lembro j de todas as Je.emiades que
fiz. .. ; andava s para um e outro lado a
procurar um canto onde me esconder.
Todava, entre rauias outr*s cousas, lera-
bro-me ainda, q e entremoiava as m'iuliis
lamenttgoes coin estas palavras: Abomina-
r j !... sapo, eu I... eu que fui homem
rtela annos, soo agora sipo para o resto
dos raeus dias !
Clannelti, meu senhor, tem piedade do
tai: oseravo... liberta-me, edar-te-hei sa-
tisfagoes .. Ldierti-me, que eu promet-
i, assiitir sem pesar, ao leu casamento com
a Sra. Cimimcbe. Liberta-rae que eudoo-
\z a minlia fortuna,
Tem pieiadedemim... tem pieladede
mim!... Ha! foi por minha culpa, mi-
nha grande culpa, minha mxima culpa !
Que necessidade tiaha eu de le insultar
C arineiti.' que necessidaile tinha eu d* te
esbofeteer, Clarinetli que necessidade,
tir.ha eu... Mais valera que os diabos do
inferno de que tu s re, Clarineiti me
tivessera eaipilido, e-folado, queinaado !
Clarinetli I Clarinetli Clarmetii III
E proseguindo asim as minas ladainhas
de sapo, audava pa a um e ou ro lado, pro
curando um canto onde me esconder.
Depois, mudando o curso s minhas ideas
maUizia o co por me ter dido a vida...
O' meu pai! .. minha mi f... podi-
vos eu por ventura a existencia ?...
Porque nao me tirasles deste mundo,
quando* eu era ainda pequenote, se tinha to
pouco espirito ? O' dia, em que nasci, so
maldit > I... O' Dus que me de te a vida,
se maldito I... O' progenitores que me
educasies. malditos!.... malditos!....
malditos I...
E proseguindo assim as minbas mildi-
c?s c!c sapo, andavapara um e outro lado,
procoraudo um canto onde me escouder.
II
Tinha finalmente conseguido meiter-me
debaixo de urna commoda, quando entra-
vam a Sra. Catniniche e o Sr. Clarinetli.
A Sra. Camiuiche, aproxiraouse do leito
e vendo-o sein ninguem, deu um grito de
sorpreza.
Onde est elle?... perguotou.
Nao e>t longe, de certo, disse rindo
o Sr. Clarinetli, ainda ha cinco minutos aqu
estava comigo...
Cinco minutos!... pensei eu, car-
rasco !...
Que vejo ?... exclamm atterrada a
Sra, Caminiche.
E\ na verdade, espantoso t...
Espantos, sm disse eu comigo. O meu
falo a andar sosinbo !... E* incrivel !.. .
A Sra. Caminiche atirou-se atterrada para
cima de urna cadeira. OSr. Clarineiti r
a baodeiras despregadas.
O meu fate... anda va, como se en esti-
vesse dentro delle... As calcas em p, e
por um phenomeno que foge minha coro-
prehensao, o collete, o casaco e o chapeo,
oceupavam por cima delUs a posigo que to-
mariam, se estivessem no meu corpo.
A Sra Caminiche ergueu-se, e depois de
ter observado o phenomeno, disse tomando
4J .Drago ao Sr. Clarinetli :
EntSo el'e tomou-se invisivel ?..
Parece, respondeu Clarinetli.
Mas porque nao o lambem o falo ?.
-- Porque isso estar talvez cima do
seu poder.
Quando o meu fatochegon em frente da
Sra. Caminiche, parou por si mesmo. A
manga direila do casaco ergueu-se altura
do chap, t;rou-o como faria a minha
mo, depois. o conjuncto inclinou-se com
O Sr. C arineiti aproxiinou-se en>li, para les. coa um esforgo de resignado. Agora,
receber a mes-na honra, mas cora grande j nao ba para mim somno nein descanco,..
espanto seu (talvez apparente), a manga do sempre, sempre, sempre ella!
casaco poz o chapeo na primeira posigo, e Urnas vezes, via-a pintando no avlete,
o meu falo virou-lhe as costas. a deliciosa pa.sagem que se descobria da
- E' pouco delicado, disse elle. sua janella. ootras, ia-a a sornr no espe-
Senhor, tornou a Sra. Caminiche di- Iho a urnas fecoes que agora me endoide-
rigittdo-se ao meu falo, nao me explicar o ciara...
que isso quer dizer ?... I Oh o soffnmento I... Ha instantes quan-
fato m reosla, parou junto do Hito do se sodre, em que se duvida de ludo...
O
a todo o com-
e de um sallo, e^endeu-se
rmenlo em cima delle.
O Sr. CUrinetti conlinuava a rir. Depois
dirigio-se caaa, agarrou n'uma aba do
casaco e disse :
Vamo a ver se responde.
A Sra. Clarineiti deu nm grito.
O casac), sem offerecer resistencia, ficara
nasmSos do senhor Clarinetli.
O diabo .. o diabo !... o diabo !
e a Sra. Cammiche fugio gritando.
Quanlo ficou s :Aqui.*-apo disse o
olbjs
VI
Hea heu I quem :'
do nm salto na poltrona.
__ Sim, senhor I disse meu irmo rin-
do ; vejo que empregaste bem o lempo.
Dornres como um bemaventurado, e o teu
criado lambem.
Levei cinco minutos a esfregar os olhos,
Doia-me a cabeca liorrivelmente.
Enio, Domingos! dizia entretanto
t Se nao ba mais desgracas a'amentar rua completamente o theatro da
porque felizmente a ofiema incendiada es- e Londres.
1 tava solada dos outros edificios da fabrica
gritei en dan- da plvora.
ranha,
Jt.
Miseria.A fome, que desoa grande
numero de regies da Europa, e que se
Sabe-se, pelos jornaes d'aqaella capital,
que j se comecou a reconstruir o mesmo
thcairo, e que se empregam lodos os es-
forgoj para fazer d'esse noro edificio um
dos mais bellos da Europa no seu gene-
faz sentir cruelmente na Argelia, estende ro. o orcamento d'esta bra eleva-se
igualmente os seus estragos regencia de 250:000 libras esterlinas (1:125 contos).
Tunis. As obras vo ter grande impulso, e, 89
Um ccrrespondenle esc rev ao peridico ni0 bouver algum obstculo imprevisto, o
umao, 'K^a: u... CUi.c..iu A Italia que no dia 7 de Janeiro s em Tu- novo iheatro poler ser inaugurado em fins
razo toda a minha imaginago. Tornei-me' meu irmo ao criado, acorda. e traz cadei- n.s se contaram2iO pessoas moras de fome. d? margo ce 1869.
IC o h,M Eu olhava para elle pasmado. I seus filhos do 5 a 6 annos por algnns *n- As mlher:s nos estams-unidos.Urna
Meu irmo, conlinuou elle, vem ah tens. CapitSes de navios maltezes teem estatislica recentemente publicada nos Es-
a sra. Caminiche; prepara-te para a rece-(comprado alguns para os levarem a Malta. lados-Unidos menciona cincoenta profiss5es
ber, e para lhe dar parte das tuas nteuges O Novo Mucdo nao se acha lio pouco em que esl5o empregadas mulheres.
imbcil a forga de soffrer.
N3o, dizia eu cjmigo, nao ha Deus I por-
que se algoin existe, havia de consentir que
fnsse mudado em sapo, eo, feito a sua ima-
gem e semelhangj, como rae diziam l no
mundo?
S um existe, bem pou:o poder tem, vis-
to deixar que o genio do mal fabrique sa-
pos com as saas creaturas
E nao ser tudo vicio, no reino dos bo-
mens ?.. Quantas vezes vi eu a virtude ro-
Italiano. Depressa, che wot .
A esta ordem. dei nm sallo do meo es-'jar-se aos pes do vicio para alcangar um pe-
conlrijo e fui-lhe cahiraos ps, sviprcante, dago de pao 9
Clarinetli abri a janella. Dava para o
jardim. Depois, veio ter comigo, pegou-
uma perna. e sem mais feroja de
a seu respeito.
\ Sra. Camioiche entrou.
Bem vinda seja, minha senhora ; e,
me faz a honra de vir a minha casa,
do corago que nao saia della 13o
me por urna perna
processo atirou-me para cima de urna moita
de buxo
Eu nao morri.
Nada tem a vida lo dura como um sapo.
III
Pelos meus calculus, haveriam onze ou
doze annos que fora metamorphoseado. Ha-
bilava um buraco feito por mim, junto da
moita sob e que cahira.
N'uma bella manha, n5o sei j de que
dia, de um dia de vero, aveaturei-me a
sabir de minha casa.
A dr s, me prenlera al enlo nos
meus aposentos, e por isso quando vi a luz do
sol experimente! urna impresso agradavel.
Esiendi-me sombra de urna fulha de cou-
ve, e as recordagoes da minha vida, vieram
arraucar-me am irgos prantos.
Oa I dizia eu, que prazer lo suave sen-
tira, se fose aioda homem, divagando nes-
te formoso jardim .
E no meu desalent dirigio-me ao sol e
exclaraava como o poeta Lamartine :
Oan qoe Idi airs soo d6m! qoe la looiere est poret
Tu regoes en valn qaeur sur loute la oatore,
O soleil I Et des cieox, od too :har esl port,
Tu lui verses la vle, el la fecoDdil.
FOLHETIM
D. BRANCA DE LANDZA
RECORDARES DA CORTE DE FELIPPE II
Kotuancc histrico erigiaal
Por E* Faio de Mendoza.
m PARTE I
Rcdemp^o por amor
LIVKO IV
0 SENTENCIADO k MORTE.
CAPITULO XIII.
(Continuago do d. 295.)
Algumas cartas.
Vamos concluir a primeira parte deste
" iivro com algumas cartas em virtude das
qnaes ficarao inleirados completamente os
nossos leitores do resoltado de todos os
successos que temos referido.
Feito assim descamaremos para continuar
o nosso trabalho, ao qual falta ainda bastan-
te, pois suppomos que os nossos leitores
desejaro vivamente conbecer o fim de todos
os personagens com quem fizeram conheci
ment.
Dito isto como advertencia eis aqu as
citadas cartas :
PRIMEII!A CARTA
De Branca a seu pai D. Joo de Lanuza
Meu querido pai e respeitavel senhor.
Comego esta carta pedindo-vos perdi por
?os nao ter escripto ha muito tempo, e
sobretodo por ter dado a minha mo de
esposa a. D. Fernando de aples, heje por
soa boa estrella e pela misericordia de
Deus, irmo de s. M. I. Rodulfo II, e rei
eleito da Hungra e da Bohemia, a coja ca-
pital nos dirigimos para a celebraco das
ceremonias officiaes da coroaCo e juramen-
to de meu esposo.
c J sabis, pai e senhor, por meo querido
Joo, as raras aventuras do nosso encontr
com o Corsario Negro e o meu amor por
esse homem to estranbo, bom e nobre no
meio da sua infamante prefisso. J sabis
tambem a historia do Corsario Negro e aa
cansas qne o impelliram a rebellar-se con-
tra o seo rei e senhor, levantando bandeira
inimiga e persegaindu os soldados de Felip-
pe II para se viugar delle. Tambem sabis
do triumpho qoe as minhas reflexoes obti-
veram sobre o animo do Corsario, e a pro-
messa que me fez, logo comprida, de aban-
donar o seu mo caminho e conquistar
um Dome honrado nos campos da batalha.
Qnaod la voix du ra*iin vi^ot reveiller l'aorore,
L'lodien re proslero, el beoie e i'dore;
E( moi, quaDd le mel, deses feux bieotaisants
Raoiloe par deerr raes membros lauRuissant,
II me semble q'nn Dieu, dao> les raiyens de flames
En echantiaLt mun sein, penetra daos moa ame!....
Eslava neste ponto, quando ao p de mim
ouvi um sussnrro...
Apesar de sapo, tinha amor a vida. E,
pensando bem, ia a retirar-me com toda a
pressa, quando me senli preso a trra por
um presontimento singular...
Para ver melhor o qu'e me vinha distra-
hir da minha meditago, affasteime um pou-
co da conve. Fatalidade ainda nao tinha
dado dous passos, quando sent um Clafrio
horrivel.
Estive quasi a ser esmagado pelo p da
Sra. Caminiche; porque era ella .. ella!...
mas j lo velba.,.
Quando me vio, pOx-se a gritar como se
fosse levada pelo diabo.
Passado o primero susto, deitou a fugir,
e eu voltei a passos vagarosos, para o meu
triste buraco.
O Clarinetli! Clarinetli! Clarinetli I!/...
disse eu entao, como no dia em que muda-
ra de forma, s feliz, porque estaes vinga-
do S eliz. porque eu sou desgragado,
s feliz, porque causei horror a Sra. Cami-
niche.
Clarinetlil Clarineiti! Clarinetli!!!..,
IV
Neste capitulo, principia para mim, nma
nova serie de desventuras.
E beber o calix d'amargura al s lezes.
Desde o dia em que vi a Sra. Caminiche,
nao pude pensar em mais nada .. Infeliz sa-
po !... choraba .. cborava noile e dia.
A idea que mais me atr. va va, era que
podia ter sido feliz no monio, se, assim co-
mo recusei, tivesse aceitado a mo da Sra.
Caminiche.
Havia de, naturalmente, ser pai de fami-
lia, dizia eu. quem" sabe ?... talvez Deus
me dsse filhos...
Perjuro, desleal que fui l... E esperei.
para me arrepender, que os espinhos do sof-
frimento, me viessem avivar a lembranga...
es erei ? Oh! ainda que Gque sapo at a
morte, nunca os meus remorsos estaro a al-
tura da minha infamia l
Filaos, meu Deus! que orgnlho me da-
riam Quanto os teria amado I
Um dia tinha eu sabido do meu buraco,
c como um philo&opbo da antiguidade, sn-
dava passeiando e scismando nao sei j em
que questo de metapbisica (porque, per-
guiito eu, o que pode ser um sapo que vite
s, sempre s, por es^ago de mais de cem
annos, senc um philosopho ou meaphisi-
coT) Passeiava pois a mais de vinte passos
do buraco, quando ao voltar por delraz de
um canteiro de cenouras, vi, nao muilo lon-
ge. urna creanga.
Teria dez a doze annos; bem feita. O
rosto, cercado por uns anneis de cabellos
castanbos, denotava urna certa forga de von-
lade, misturada de melancola.
Qoa iio mais o examinava, mais me pare-
ca ter visto aquellas teiges n'onira qual-
quer parte.
A m meihanga pbysica nma cousa dina
de admirago!...
Depois de se me terem esclarecido um
pouco mais as ideas, deslisou-me dos olhos
urna lagrima; apertou-se-me o corago...
acabara de reconhecer as feigoes da Sra. Ca-
miniche.
Como, Deus! castigaraes tu ro dia de
juizo, se infliges destes sopplicios na tr-
ra !...
Creanga!... Nao poder eu fallar-te I...
Nao poder eu contar-te os soffrmentos que
exderimento ao ver-te l... Nao poder eu per-
guntar-te quem teu pai I...
O' Clarinetli! Ciarinetti! Clarinetti!
Clarinetli!.,. gritou a voz de outra
creanga, que eu a principio nao vira. Onde
estaes ?
Aqai, respondeu o rapazinho.
la perdendo os sentidos. A creanga foi a
correr para quem o chamava.
V
Havia meia hora que eu estava a sombra
da minha couve favorita, quando:
Maldigo! Estou perdido! murmu-
ra afflcto,
O jardineiro, com um golpe de poda,
havia cortado a couve.
Se a) menos se contentasse em cortar o
legume, v; mas vio-me, e com um pontap
atirou-me a dez passos de distancia.
Gr aras te sejam dadas, meu Dos t
disse eu entao do intimo d'alma; livras-me
emhm desla vida em que tanto soffri.
Tinha a espinha dorsal quebrada.
O jardineiro vio-me anda com um olho
aberto, aproximou-se, ergue outra vez o p,
ja que
pego-lhe
depressav
_- Como, senhor!?... interromperam ao
mesmo tempo a Sra. Camioiche e meu ir-
mo. _
__ Isto quer dizer, meu irmao, que a
noile boa conselheira; e que, no ponto em
que estamos, minha senhora, serei comple-
tamente feliz se V. Exc. trocar o seu nome
pelo de Sra. Demetrius Chopart.
O Novo Mucdo nao se
sent d'esse aconte, cuja recordago'mar- Ha em Nova-York 2i,7l oc_
cara com um sello lgubre a historia do m- CUpadas em estabelecimentos industriaes e
verno de I867I8b8 iem pbadelphia 30,633. O numero de
O Heraldo de Nova-}ork, da nestes ter- mulleres empregadas em artes e officios
mos, o grito de alerta : est, relativamente aos homens, na propor-
Tresjmilhoes de homens no sul a ponto q3o de 37 por an0 em Nova-York e 45
de morrer de fome e tresentos mil traba- na Philadelpbia.
lbadores sem trabalho nos Estados do Norte. Nos estabelecimentos commercaes e em
tal e, em duas palavras, o balango da mise- todos os trabalhos para qoe nao necessa-
qne
ra forga phisica, sao a Imittidas as mulhe-
res.
Em alguns estados da Unio moto
o exercito inglez da Abyssmia, & M_pellaes^ frequent encontrar urna mulber vesUda de
homem, conduzindo um carro. E' urna das
ra nos Estados-Unidos.
Elles la' sk entenoem. Acompanham
K33
purifi ando com seo sangue, derramado em
defeza da f do Crucificado, todos os seus
passaios crimes e mos actos.
t Pois bem, meu querido pae, a minha
alma impressLnavel e enthusiastba nao po-
de permanecer indifferente aos attraclivos
daquelle homem myslerioso, que em verda-
de tinha mais de cavalheiro que de bandi-
do, e nao ignoraes qua to amei, se bem
lhe nao dsse esperangas at que me con-
venc do seu profondo c verdadeiro arrepen-
dimento.
Quando isto se deu, quando j nao po-
dia duvidar qoe Fernando de aples (no-
me que o santo padre lhe concedeu quan-
to o absolveu dos seus peccados) tinha as
suas veias o sangue de hroes, offereci-lhe
solemnemente o meu amor, sem lhe occnl-
tar, comtudo, que era preciso solicitar e
obter a vossa permisso e beneplcito.
Mas urna intriga odiosa, devia ao odio
que lhe tinha o rei D. Filippe II, o levou
engaado a Madrid, onde foi preso, jal-
gado e sentenciado morte, sem que po-
dessem valer-lhe nem os mritos obtidos
em defeza da religio catholica ao lado do
duque de Guise, nem a influencia do rei de
Franca, nem a do mesmo padre santo. O
desgragado ia, pois, a morrer, e a morrer
quando a misericordia de Dens o tinha fei-
to comprehender -a felicidade que resulta
da virtude, Iluminando a sua alma com os
mais pnros resplendoi es.
t Fernando, no entanto, resignou-se com
DI POLCO DE TUDO
A doutrina oe nomos, Jou nal des
Dbats acaba de publicar o seguate:
Aquillo a que se d o nome de doutriaa
de Monroe, isto o principio de que a
America deve pertencer exclusivamente aos
Americanos, vai de dia para dia ganhando
mais profundas raizes na repblica trans-
atlntica. Vimos, ha pouco, o governo dos
Estados-Unidos restar por dinheiro a parte
do continente americano que pertencia
Russa, vimc-lo depois resgatar do mesmo
modo duas illias que pertenciam Dinamar-
ca ; vemos agora surgir de novo o projecto
tantas vezes veotillado, de comprar Hes-
p.inha as suas melhores c donias das Anli-
Ihas, a ilha de Cuba e a de Porto Rico.
c Ignoramos at que ponto sao exactas
as informages dos jornaes norte-americanos;
porm, em todo o caso, indicara que se
acham entaboladas negociares entre os dois
governos de Hespanba e dos Estados-Unidos
por intermedio de M. Hall, ministro-ameri-
cano em Madrid, para a compra das duas
ilhas, pelo prego de 150.000:000 de duros.
Indicam-se at as pocas do pagamento, o
qual effrctuar-se-na da segninte forma:,...
50.000:000 de duros no acto da sesso;
outros 50.000:000 ao cabo de um anno, e
o resto no praso de seis anuos.
La poca afflrma, todava, qoe inexacto
o que a este respeito se l no citado jornal
francez.
Exploso.=0 Messager de Toulonse,
(Franga), d os seguintes pormenores acer-
ca de urna exploso que leve lugar no dia
15 de dezembro, na fabrica imperial da pl-
vora :
Hontem de manha, quando a nossa
folha para o p.elo. espalhou-se um sinistro
boato por toda a cidade; dizia-se que tinha
saltado a fabrica da plvora, e que esta ca-
tastrophe tinha feito um grande numero de
victimas.
t Nao podendo obter de prompto infor-
mages exactas e temendo assustar os nossos
leitores com urna narrago exaggerada, re-
servamo-nos para fallar boje d'este triste
successo.
Effectivamente, pouco depois das 6 ho-
ras da manha, a officina da Irituragao bi-
naria fez exploso, e dos seis operarios que
nessa occasio alli eslavam, tres licaram fe-
ridos e queimados gravemente, e um quarto
morreu debaixo das ruinas. A officina da
triturago foi completamente destruida pela
exploso e pelo incendio.
Pelo inquerito a que se procedeu sa-
be-se que a causa deste triste aconlecimento
deve ser attribuida a urna inammago es-
pontanea do carvo.
3 di igreja anglicana, 1 da presbyteriana
escesseza, e dous da catholica romana.
Todos vi vem em santa paz e fraterni-
dade.
INC INVENIENTES DA POPUL^MADE. O
Morning Herald coota que n'uma recepgo
publica feita ao general americano Sberidan
em Chieage, aquePe militar feliz teve de
abragar qainhentas criangis do sexo femi-
nino pertencentes as escolas publicas.
Isto fez lemtrar orna circunstancia relati-
va ao presidente Lincoln, o qual tambem
foi muitis vezes viclima do inconveniente
da popularidade. Era elle mu robusto e
gozava de boa saude ; e todava, depois de
assistir certas reunies, onde se va obriga-
do a dar mais de 8:000 shakehands mo-
da americana, capazes de deslocarem um
braco, succedeu-lbe sentir-se cncommodado.
Naufragio. No dia 19 de Janeiro per-
d u-se as costas de Inglaterra o paquete
dos Estados-Unidos, chamado Chicago; s
tripolago e os passageiros salvaram se, ma,
nao o carregamento que, s em dinheiroa
constava de U6:,.00 libras stertinas.
dote que a religio dera" ao preso para o
auxiliar naquelles dias de provago, e sen-
do testemunhas o carcereiro e sua mnlber.
Cousa alguma, pois, falta ao meu casamen
to alm da vossa bengo que humildemente
vos pego, e que Do dovido me enviareis
quando lerdes esta carta.
Agora bem, senhor. No mesmo dia
em que devia ser tirado da priso para o
conduzirem ao oratorio, quer dizer, tres
dia antes da sua morte, quando julgavamos
que tudo terminara, a divina Providencia
com a sua bondade e justiga dispoz as
censas de outro modo e aos seus insonda-
veis juizos mandara morte qoe se affis-
tasse. Naqnelle dia, senhor, o rei D. Filip-
pe II entrou na priso de D. Fernando, onde
eu me achara, acompanbado de um estran-
geiroj ancio. O rei disse a meu esposo
que estava livre... livre! Julgae, meu pae
da nossa surpreza. Livre quando ia subir
ao cadafalso.
Filippe II disse a meu esposo que o
cvalhoiro que o aompanhava era o dnque
de Brademburgo, favorito do Imperadorda
Allemanha Rodulfo U, e, abracando- o, de-
clarou-o livre, por que era seu primo c^mo
filho natural de seu tio D. Fernando havido
com urna dama hespanhola chamada D.
Ignez de Haro. O cavalheiro que acompa
nhava S. M. ratificon tudo isto, nos cootou
porque -meu esposo fra abandonado por
seu lllustre pae, e porque sendo filho de
imperadores e descendente de reis. vivera
As salinas da PBussiA.De um mappa
publicado pela repartigo central do Zollve-
rein, relativamente produego do sa>, du-
rante o anno de 1865, resulla que a Prussia
explora as suas antigs provincias 3 salinas,
em que oceupa 417 trabalbadores, os quaes
extrahem 2.371:3)3 quiotaes de sal, do valor
de 1.266:613 thalers.
as novas provincias funecionam 19 salinas
com 743 trabalbadores, e forneciam......
1.006:927 quiotaes de sal escuro e de sal
cinzento do valor de 5:263 thalers.
Todas as minas reunidas foroeceram....
5.165:028 quintaes de sal, do valor de. .
2.242:489 thalers.
A produego elevou-se em todo o Zollve-
rein a 9.140:371 quintaes, do valor de....
4.252:743 thalers.
As salinas eram em numero de 93, em
pregando 4:855 trabalbadores.
Anedotas.Vendo um recem-casado que
sua esposa bocejava diante d'elle com fre-
qoencia, lhe perguntou se acaso se efas-
tiava ?
Nao, meu querido, respondeu ella:
porm, tu e eu, em consequencia do amor
que nos une, nao formamos mais do que
urna s pessoa, e eu morro de fastio quando
estou .
Perguntando um rei a urna dama, de
quem estiva namorado, qual era a porta
por oude devia entrar para ir ter ao seu
quarto, lhe respondeu ella:
Senhor, a porta da igreja.
Theatbo da ranha.Demos noticia, em
opportuna occasio, do incendio que des-
P^
oceupages mais incompativeis com a ira-
quezi da mulher, e comtud) desempen-
bam-n'.i satisfactoriamente e sem que attra-
ia a altengo de ninguem.
O cathecismo.Tendo um cura d'Alda
encontrado um dos seos paroebianos que
nunca ia igreja, apezar de ter mais de ses-
senta annos, perguniou-lhe se nao lia o offi-
cio divino em soa casa.
Quem eu respondeu o rustico, como
quer Vmc. que eu o leia, se eu nao sei o
a bc.J
Aposto, diz o cora, que tu nao sabes
qoera te creou.
E' verdade que me nao lembra, accres-
centou elle; e isto fallar-lhe com toda -
franqueza.
Passando naquella occasio nma,
enanca, oh pequeo gritou o cura, dize-
me quem te creou ?
Foi Deus, respondeu o rapaz.
Euto na vergonhoso, acrescentou o
eccleMastico, que urna crianca de cinco an-
nos saiba dizer quem o creou, quando um
homem de tua idade [ignora t
Ora, isso nao admira, Sr.jpadre, replicn
o camponez, pois elle ainda bontem nas-
ceu, para ssim dizer, e eu j c estoo ha
muito tempo como Vmc. sabe.
e descendente de reis,
a sua sorte, e eu qne o amava, e eu qoe obscuro, sem nomee quasi sem fortuna,
via aproximar-se pouco a poaco omomen-l Descnlpae-me, senhor, nao poder re
to terrivel, en que em vo recorrer firir-vos agora a peregrina ao mesmo tempo
princeza de Eboli, a Antonio Prez, rai-! que triste historia do nascimento deFernan-
nba, ao proprio monarcha implorando per- do, mas eu vol-a contarei algum dia e en-
do, sem conseguir, eu que o via prximo to veris qual a grandeza da misericordia
a cahir no abysmo da duvida e a renegar de Deus para com os qoe deveras a respei-
de Dens, eu que o mava tanto, perdo, meu tam e amam.
pae, dei lhe a minha mo em presenga d'um i < Agora, meu pae, o meo maior desejo se-
sacerdote, com o fim de suavisar os seus ria ter voado aos vossos bragos, mas a desgra-
ultimos momentos, para lhe dar ahjnns dias ga, que j sabereis, succedida a minba me
de felicidade, para concluir a minha obra de vossa nobre esposa, me obriga a ir a seu la-
redempge, sacrificando a minha vida intei- do, devendo, logo que receba a bengo pa-
ra as aras da paixo que fizera nascer em
meu peito aquelle desgragado.
t Algum dia, muito prximo sem duvida,
vos referirei com todos os seus pormenores
o meu casamento e as causas que o motiva-
ran!, e rogo-vos, pae e senhor, que al en-
lo nao jolgueis a minha conducta com nma
severidade que me parece nao ter mere-
cido.
c Verificon-se o meu casamento na mes.
ma priso, deitsndo-nos a beogo o gacer-
terna, partir para Buda com meu esposo
Feitas que sejam as ceremonias da coroa-
go, nos apressaremos, meu esposo e eo, a
voar a vossos bracos, se s nao poderdes
deixar por alguns mezes o governo de Ara-
go, que com tanto applanso e gloria da mi-
nba familia esempenhaes.
c Hoje mesmo sanos de Madrid. D. Fi-
lippe II para oceultar que seo primo D.
Fernando de Austria o tio conhecido Cor-
sario Negro, que fra sentenciado a morrer
estrangulado pela mo do verdugo, fez cor-
rer a voz de que se lhe escapara da priso
em companhia do seu carcereiro, o qual com
sua mulher, foi affastado de Madrid com
urna boa somma para que guarde segredo e
seja feliz o resto da sua vida.
O publico acreditou na fuga e no mo
ment em qoe vosescrevo, na embaixada
alema, oogo as rozes da populago, qoe
murmura contra o Corsario, cuja astucia
lhe tirou o praser de o ver morrer na praga
Nao carego de vos dizer que meu esposo
nao inspira suspeitas, e que ninguem, abso-
lutamente ninguum, imaginou nem er que
D. Fernando de Austria seja o antigo Cor-
sario Negro.
Bendita seja a misericordia de Deus,
que de tal modo deixa brilbar a sua justiga!
Adeus, meu pae, perdoae-me e bem di-
zei o meu cu.-amento, nica circunstancia
qoe me falta para ser verdadeiramete feliz.
Nao demoris esta satisfago vossa (ilha,
qne vos respeila e ama=Cranca de Lanuza.
SEGUNDA CARTA
De D. Felippe II a Fernando.
Meu querido primo D. Fernando.Co-
mo desejais, tudo est j prompto para
vossa viagem, e nomeada a pequea comi-
tiva que necessitareis no camnbo.
Sinto nao poder dar-vos um ultimo
abrago por causa da maldita gotla qoe muito
me tem apouquentado, e porque os nego-
cios do reino me trazem sempre oceupado.
Recebeipo emtanto, com esta carta que vos
envi pelo meu particular SaDtoyo, a minba
bengo e as minbas despedidas, e queira
Deus conduzir-vos em bem vossa nova pa-
tria e dar-vos no vosso futuro governo o
acert de que carecis. Queira a sua divina
clemencia iliuminar sempre o vosso corago
e a vojsa razo ; esta para que vos nao apar-
tis da justiga, e aquella para que amis, co-
mo fiel e filho do papa, a religio catholica
em que nascestes, para que nunca vos dei-
xeis arrastar ao inferno pelas novas heresias,
e para que fundis no corago dessa Alle-
manha um solido baluarte da f catholica,
to ccmbaiida n'aquelles povos pelos impos
calvinistas.
< Dai um abrago em meu nome na nossa
nobre e bella esposa D. Branca de Lanuza,
cuja belleza corre a par da sua virtude, e
dizei-lhe que a muila justiga a vingou dos
seus ioimigos, pois que a princeza de Eboli,
D. Anna de Mendoza, vivera o tempo que
Deus lhe dr de vida na fortaleza de Pinto;
o Sr. Antonio Prez est preso na sua casi
por em qaanto, e o duque de Alba, aguar

DlFFEnENgA ENTRE UMA SENHORA E UMA
pndula.Perguntando madame de....
a Volteire que differenga havia entre urna
senhora e urna pndula ?
Esta, respondeu elle: urna pndula indica
as horas, e a vossa prenga as fiz esquecer.
Imprensa dirigida por mulheres.Prin*
cipiu a formar-se em Rouen, no anno de
1834, urna grande imprensa, a qual tem a
particularidade de nella trabalharem mu-
lheres e raparigas da cidade, pertencentes a
familias f operarios.O sexo omioino
desiinou-se a esta oceupago com os estu-
dos especiaes de leitura, escripia e-fram-
matica, que se ensinam a mesma officina :
e urna experiencia de seis mezes provou
que resultava a vantagem de nm trabalho
bem feito e econmico. As mulheres, pe-
los seus babitos sedentarios, convm peifei-
tameote ao mecbanismo da imprensa: e es-
ta descoberta promette augmentar este ramo
de industria, que certamente ser de gran-
de utilidade para os habitantes de Rouen
0 discreto.Certo individuo levava a
am ponto tal a sua discripgo, qne diiia a
um dos seus amigos: quando consagro o
meu affecto a urna senhora, fago-o de mo-
do que el'a o nao perceba.
de todo o seu valimento, foi desterrado para
as soas propiedades na Andaluzia.
t Recebei, meu primo, a minha bengo,
e dai me parte da vossa chegada a Franc-
fort, fazendo presente a vosso irmo, meu
primo, os meus desejos pela sua prosperi-
dade e gloria. Vosso, Felippe,rei da Hespa-
nha. >
TEBCEIRA CARTA
De Ma'ia a Branca.
Convenio das ursulina* de Madrid.
c Minba boa senhora.Com a alma tran-
zida de penna e a consciencia perturbada,
pego-vos humildemente perdo pela traigo
lo iniqua com que paguei as vossas bonda-
des. Quizera ter perdido a vida antes da
a praticar, mas dei ouvidos ao espirito, e
pequei. minha boa senhora, pequei.
e Perdoai-me, sois boa e nao querereis
fazer-me soffrer o peso do vosso resenli-
raenlo, porque estou arrependida sincera-
mente, e o Rvd. padre reitor dessa sania
casa disse-me que se nao me perdoardes,
Deus nao me perdoar tambem.
Eu nao sabia, verdade, que podia fa-
zer-vos tanto damno, entregando aos vossos
inimigos as C3rtas que poisuieis do Corsario
Negro e do Sr. Antonio Prez, e nao sabia
to pouco que a Sra. princeza de Eboli e o
Sr. duque de Alba as preleodiam para se
vingarem de vos, fazendo morrer n'um cada-
falso o Corsario Negro. Eoganaram-me, se-
nhora, pretextando que, depois de realisa-
rem orna brincadeira innocente, m'as devol-
veran) intactas; e, para o conseguirem, fin-
gi amar-me um escudeiro do duque de Al-
ba a quem eu, pobre de mim I dei ouvidos,
crendo nos seus falsos protestos.
Amei-o, minha boa senbore, e quan-
do o miseravel conheceu que eu nao lhe po-
dia recusar cousa alguma, quando compre-
bendeu que o amava mais que a minha vida,
disse-me que se lhe entregasse as vossas car-
tas, seu amo, o Sr. dnque, nos protegera,
e que, seno, nao podia casar comigo, por-
que eram aquellas cartas o prego que o du-
que punba ao sen consentimento.
Louca, transtornada, dei ouvidos e cr-
dito aos seus protestos. O meu amor ce-
goo-me. Esqueci ingratamente todos os
vossos beneficios. Esqueci tambem qoe de-
via a vida ao corsario Negro, e, roubando-
vos as cartas, dei com ellas entregando-as ao
meu falso amante, eterna sepultura vossa
felicidade e ao meu reponso. Julgo castigo
e Deus I
c Quando soobe todo o damno que fizera,
a desesperaco apoderou-se de mim. Rcco-
nheci a enormidade da minba falta e a este-
rilidade do meu sacrificio, pois que o meu
amante me desprezou zmbando de mim in-
dignamente, e I uca de dr e de ira, me
apresentei ao senhor rei D. Philppe II e lhe
descobri, para me vingar dos vossos inimi-
gos, as relages que existiam entre o Sr.
Antonio Prez e a princeza.
t Ah Ah senhora... o rei ir r i too-se
tanto quando o soube, que por momentos
acredilei queme ia mandar matar; mas"ac-
ceitou as minbas provas, e, convencido da
falsidade de D. Anna de Mendoza, a mandou
prender juntamente com o Sr. Antonio P-
rez. A julgar pela sua cholera e pela seve-
ridade da sua justiga, muito possivel que
essas duas pessoas, cmplices e autores do
meu debelo, nao tornem a ver a luz do sol,
apezar das suas riquezas e da sua elevada
posigo.
# A minha vinganga estava satisfeita, mas
tinha descoberto ao rei que sabia dos seus
amores com a princeca de Eboli, e condem-
nava-me a viver n'um convento, viudo logo
do pago para aqui.
A pena nao equivalente ao delicio,
porque eu, cheia de dr e angustiada, j re-
solver recolher-me a um claustro para ex-
piar na soledade o meu indigno proceder,
mas en vos prometi, minha boa senhora,
expiar o meu delicio, castigndome eu
mesma, afim de alcagar de Deus o perdo
que boje julgo necessario para a minha tran-
quilhdade.
Dai-me lambem o vosso, senhora; e,
se ainda tempo, se a inflexivel sentecca
ainda se nao cumprio e vivo o vosso
amante, supplicai-lhe que m'o envi tambem
e me perde a sua morte.
t Oh I que horrivel ter causado a mor-
te de urna pesoa, e de urna pessoa que ne-
nhum damno nos fez! ___
Alliviai com o vosso perdo o peso da
minha consciencia e rega. por esta infeliz,
que morrer no claustro, esqueqda de todos,
rogando a Deus pela vossa felicidade e pela
felicidade da vossa querida famiha.-Maria..
P s- Bemdiio seja o poder de Dos
A' ultima hora que fui ioformada de que o
Corsario Negro conseguir escapar-se da pri-
so O meu delicto, pois, j nao cansar a
sua morte, e talvez dentro de algum tempo
sejais ditosa a seu lado. .
< Bemdita seja a sna clemencia,Mara.
(Continuarst-ka.)
"TYP. DO lAlU0-RUA.tM8atZES 44

l
(1

I



i'
X .
'

.

i

h


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EFX9FQX1Y_BLOGQ3 INGEST_TIME 2013-09-05T01:39:33Z PACKAGE AA00011611_11504
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES