Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11450


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I


ANNO XLIIL NUMERO 293 *>
ISA A CVi'iriU t; LUiiAMEM OXUR Ski \ kU PAOA POBIE
Pr4iiw _,*,.. ., ., #J ., ,, t # #J fi 4] # v |2)JOOO
j-fflV *' *' > J .*.." umo
Cada oaarejavulse .J ...... ^...... 320
* *i i%



SEXTA FEIRA 20 DE 0EZE51BRO DE 1867.
IMBA Hfc.Tfa K VOHA
Pjt tres mezcs adiantadns.. ....... .
Por seis dites Mea. ................
Pur *ti dim liem.............,. ,. .
Par ubi uno iden..............,. .. .
rso-vintciA.
*r .
*v
647
IW500
29,1250
70000

A2sa!BHA"sa mu i?iiinimiB,ta& sjd istaip^aa1 01 asnino; imtiiQM roa vmh a maros sais PBDsraBAinaas.

iENCARRKGADOS DA SUBSCR1PCAO.
Parahyba, o Sr. Antonio Aleundrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ;Aracaty,
oSr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. Joaqun)
os de Oliveira ; Para, os Srs. Gerardo Antonio
Alves Filhes; Amazonas, o Sr. Jeronymo da
Costa; Alagoas.o Sr. Francino lavares da Costa;
Bahia.o Sr. Jos Martins Alves: Rio de Janeiro,
Sr. Jos RJbeiro Gasparinbo.
PARTIDA DOS BSTAPETAS.
Olinda, Cabo, Escada esiagoes da via frrea at
Agua Preta, lodosos das.
Igaarass e Goycona as segundas e sextas reirs.
Santo Anto, Gravati, Bezerros, Bonito, Caruarii,
Altlnbo, Garantaos, Buique, S. Bento, Bom Con-
selho, Aguas Bellas e Tacarat, as tercas-feiras.
Pao d'Albo, Nazarelb, L:moeiro, Brejo, Pesqueira,
Isgazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa-Vis-j Jnlzo do commercio : segundas as H horas.
la, uricnry,Salgoeiro e Ex, as guaras ferasf Dito de orpbos : tercts a sextas s t horas.
Serinhiem, Rio Pormoso, Tamandar, Una, Bar-1 Prtmeira vara do cirel: tereas e sextas as meio
reros, Agua Preta e PimeMoiras, as quimas/ da.
feiras. Segunda rara do elrsl : qoartas e sabbades a
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAS DA CAPITAlJ ncr* d* Urde-
Tnbunal do commercio : segundas e quintas WHWHHMS DQ MEZ ^ nEZEMBR0
Relago : tercas e sbados s 10 horas. f 4 Quarlo rese, as 7 h. eJ29 n>. da m.
Fa:enda : ou/ntas s O horas. Loa ebeia as 9 b. e 18 m. da ib.
i M Quarlo raing. aos 42 m. da m.
I 25 La nova as 8 b. e 47 m. da i.
DAS DA SEMANA.
1(5 Spgunda. S. Eozebio Verselene b. ro.
17 Tarca. S. Flonano m., S. CoJanteo ro.
18 Qaarta. S. Speridiiio b. c, S. Theollmo m.
19 Quinta. S. Dario m., 3. Pantillo m.
20 Sexo. S. Domingos de Silos ab.
21 Sabbado. S. Tbora ap., S. Temistoeles ro.
Zi Djmiugo. S. Honorato m., S. Flaviano.
PREAMAR DE HOJE.
Priraeira s 9 horas e 18 m. da maabia.
Segasda as 9 horas o 42- minntos da tarde
PARTIDA DOS VAPORES COsTHROS.
Para o sol at Alagoas a 11 e 30; para o non*
at a Granja a 15 e 30 de cada mez; para Par-
nando nos dias 14 dos metes Janeiro, margo, i
julho, setembro e novembro.
EXTERIOR.
juestSo Italiana.
A intengao que o imperador nutre de procurar,
n'uma conferencia europea a solugao dos negocios
de Roma, na oossa opiniao, orna prova de que
ella considera a Italia como definitivamente le ti.
.Nunca julgamis, mesrao no deeorrer da ulnma
crise, que o Imperador pensasse ern destruir a
obra capital do seu reinado, a obra que ha d
nelle oceupar o principal logar; e para justificar
a cooQanca que temos, nao procuraremos ouiro
arpumeot) que nao sej o do interesse psssoal.
Tambera nunca acreditamos n'uma guerra en-
tre a Italia e a Franca; o nosso nico receio era
pelo contrario qae, depois de havermos interferido
para salvar o papa, fjssemos obrigados a intervir
para salvar o re. Compreheode-se qae, diaute
da perspectiva, sempre renovada, desta serie de
inlervengoes, o govern) francez slnta a necessida-
da de fazer partilhir o fardo, e convide as demais
potencias para qua tomn) a sua parte ; mas esta
resolucao s por si um indicio d: urna grande
mudanca na sltuacao.
At agora, desda os ltimos dezolto aooos, o
imperador nao tinha querido admitir neuhuiua
ootra Intervenga) na Italia qae nio fosse a da
Franca. Houve urna occasio em que o govarno
bespaabol leve a veleidade de se envolver ueste
nenocio, e o imperador significou ao embaixador
qae isso seria nm caso de guerra. Era inactiva-
mente necessario que durante um certo espaco a
acoso praponderante na Italia fosse exc usivamen-
te a da Franca. Deixar entnr all, quer a Hispa-
nba quer a Austria, era, n'um ou n'outro ca P'rdsr o frncto de lado quaoto se tioha elto com
as armas e com o dinhairo da Fraoga ; era, em
urna palavra, deixar de-f u r a lulia.
Os amigos mais exparimentados do imperio, co-
mo duque da Persigny, par exemplo, reconbeca-
ram publicamente que nao tinbamus creado a Ita-
lia s com um S.n sentimental, mas qae a havia-
mos leito n'um luteresse francer, e para substituir
a nossa influencia na peninsola a um dominio es-
trangeiro tradicionalmeote inimigo do nosso.
Se pois, a Franca qae hoja convida as de-
mais potencias a tomar parte no regulamento dos
negocios da Italia, porque mudou a posicao ;
porque o governo francaz considera a obra da na-
ciODalldade italiana como devidamente fundada, e
ao abrigo de tolo o ataqne estranho.
A Austria renunclou a todo o dominio da Italia,
e a toda a influencia exclusiva em Roma; parece
roesmo disposta a dar s suas relacoes com Roma
um espirito diverso d'aquelle que teve no passado.
Palo qae loca i Hespanba, nao snppouios queira
renovar o desagrado que deixou, ha anuos, quan-
do reservn os seas direitos cor de aples,
em nome da pragmtica sanegao de 1739. Ja nao
portanto o reino da Italia o de que se trata, mas
ur.icaarnte de Roma.
E pode esta qoesto ser tratada e regalada por
um congresso europea ? Duvidamos. A prlmeira
dilDculdade ser a composlcao desse congresso
Convocar-sa-bia para elle a Ru-sia ? A Russla
nao s scismillca, mas est em gnerra aborta com
floraa. O governo russo dastruiu a concordata que
havia eilo coai a santa s, e renova contra os ca-
rblicos as perseguicoss dos imperadores romanos
contra os ebristaos.
Pala sna parle o papa poz liberalmente fra da
porla do sea gabinete o embaixador da Russia.
Como se ha de pois chamar a Russia para delibe-
rar e estatoir a respeito da sorte do papado?
E chamarse ba all a Ioglaterra 1 Mas as suas
relacOes com o papado, a Inglaterra sempre 1-a-
b?l. Sob a proteceo das leis cvis, eiercem os
calholicos livromente o seu cu to em todo o reino,
mas o governo nao tem nenhuraa relaco offlcial
com Roma, e nao conserva com a grande prosti-
tuida das seta colinas mais do que relacoes clan-
destinas.
O ministerio inglez que propozesse no panameu-
tj para se tomar parte na dotaco do papa, nao
existira vinte e quatro horas; e peb que diz res-
peito aos calholicos de Inglaterra e da Irlanda,
bao de obedecer palavra de ordem do Vaticano.
Entre as potencias protestantes nao ha sena a
prussia da que se pode esperar urna cerl coope-
rado, por isso que a Prussia tem muitos subditos
catlolicos, e conveem-lhe anda moitos mais; e
porque o proprlo rei se inclina para o direlto divi-
ne e tem tantas tendencias piedosas que o tornam
me'nos estranho a Roma do que o sera um rei
Galliciano ; e tantos que anda o anno passado o
lazlam considerar pelo panido ultramontano como
um dos seos sustentculos.
Qualquer parte qna urna potencia hertica to-
masse na maneira por que se devem regularos ne-
gocios do papado, niio seria mais do que urna ano-
mala.
E' portanto veresimll que o congresso S9 trans-
forraasse em conferencia, e que essa conferencia
S3 compozesse smente dos potencias caibolicas, Is-
to por no nomear se nao as principaes, i
Frac.a, Austria e da Hespanba.
Destas tras potencias serla provavalmente neces-
sario descontar a terc.-Ira, a Hespanha; a qual,
como actualmente est governada, havia de obede-
cer cega e absolutamtnte, nao aos mandamenlos
de Dos, mas aos mandamientos da igreja, fazeodo
s o que Roma Ibe dissesse que fizesse.
Urna conferencia, no estado actual, limitarsehia
porlaoto a um accordo da Franga com a Austria, e
esia conferencia ja' teve lugar em Salibourgo e
em Pars.
Ja' em Salilnurgo, os dois imperadores se na-
viam occapado dos negocios da Italia, pelo menos
lauto quanto o flzeram a respeito dos da Alema-
cha; ainda se occoparao delles de dovj em Pa-
" imperador da Austria j' nao quer envolver-
se nos negocios da Italia; nos esforcos que faz
para reorganisar o sea imperio, o maior obstculo
e a mpralente concordata, pela qual ligou as saas
maos a' igreja, e agora s trata de libertarse. Ro-
ma nao pdej' contar com aquello imperio; tor-
noa-se para ella Jos II. uiM.ii. ...
E' por .so que nao vemos a probabilldade de
Nao ba na situaco presente materia a tratar, com
conveDCo esenpta, e em todo o caso, fallara a
parU principal, precisamente aquella sobra que se
leve deliberar.
O papa recusar, toda e qualquer transsecao.
Nanea admittio e nanea admittira' que se ponham
em duvida os direitos qna considera como absolu-
tos e de ama soberana da que faz um dogma.
Tudo quanto se poder fazer ha de faier-se sem
elle, na sua ausencia, como se tem felto ludo ha
n annos. ..
U na sltuaco regalar e para elle
horror d> qua urna silaaco revolucionaria,
isso que pode sempre appellar da revolucao, em-
quanto qoe nm tratado seria urna consagragao dos
actos consummados. ._,..,,
A final raelhor qae assim seji. Mantondo o
direilo da ama maneira absoluta, o papadJ
a' Italia manter igaalraento o sen ; e
a' perseverante recusa da parte da Sania y? en
nao faier eoneesso algnma, que a nacionalizase
italiana deve a sua conclusao.
A siiac.ao tornou se o qae era antes da conven-
ci de setembro. O governo iialiano tinba assumi-
d j urna ratsso superior s snas forcas encarre-
gando-se de cum^rimir e de reprimir todas as ex-
pulses do seotimento nacional.
Deixe-sa o cuidado a' Franja. Kio ha profundos
polticos qae jaigam maito uaiaral que seja a Fraa-
c> da revolucao que defanda o direilo divino ? que
s"j i a patria da libardalo de conscieo^ia que sus-
tente o Syllahtitf o paiz do cdigo civil que prote-
ja o governo tbeoeratlco, n um Napolso que sus-
tenba a bandeira pontificia ?
JuHN Lemoixb.
(Journat des Debis)
meno3
por
seu
prometlea
DIABIO BE FEBNAMBCO
Cbegou hontem o vapor Pyrapama da compaohia
Parnarabocana, dos porlos do noria de sna escala.
Foi portador Je jomaos do Ceara' al II, do Rio
Grande at 16 e da Parabyba al 18 do corrente.
Eis o que delles colhemos.
CKAll.V.
Pelo Dr. chafe de polica foram remanidos,
no dia 7 du correnta, ao Dr. juiz municipal Cunba
Figueiredo, as pecas que devem constituir a base
do processo a' instaurar contra os negociantes Joa-
qnlm Fernandas Dias e Antonio Martins de Castro,
como lotrodoctores de moeda falsa.
Pelo bispo diocesano foi reentregae de suas
fancedes, das qnaes eslava suspenso a' um anno o
padre J.ao Dias Nogneira.
aifandega rendeu de 1 a 10 do correte
22:6i8AGiO.
RIO GIUNOE.
A cmara municipal da capital procedeu, no
dia 15 do corrente, a' apnracao geral dos votos da
elelco para senador.A lista trplice flcou com-
posta assim :
Dr. Amaro Bszerra........... 241 votos
Couelheiro Torres Hjuiem... 223
Dito Galvi.................. 215
A aporaco geral dos votos para daputados
provincia?, pela cmara municipal, deve ter lugar
no dia 24.
Ja' apparaciam no mercado notas falsas de
I000?, da mesraa qualidada das do Caara', Mara-
nho etc.
PARAIIYBA.
Da capital escreva-nos nosso correspondente,
em 18 do corrente :
< Como Ihe noticiamos, leve lugar no dia 8 a
fasta da immaculada Conceico, no convenio dos
franciscanos.
O templo estava simplesmeote decorado e Illa-
minad}, atienta a falta de meios de que hoje dis-
poe o convento.
< A msica foi a dos educandos artfice?, que
nunca sera' musir, por que o professor nao dos
mais peritos na arte.
O Cruzeiro, qne aqni ehegou no dia 10, nada
de novo nos trouxu de Delicias da gnerra, e tica-
rara todos desapuntados; por qae no dia 10 o Gre-
gorio, que como ja' lha dlssemos, tem geito para a
nistoria, propalava por esta capital, que ama jan
gada, vinda d'ahi do Hecife, havia Irazido a noticia
da tomada de Hamaita', pelas forcas brasleirts;
mas qual nao foi o nosso desapontamento, qoando
no outro dia chegoa aqu o paquete do sal, sera
ama noticia de faltos d'armas I O poeta do Vo-
luntario, ja' tinba preparado e escripto urna poesa,
para um improvisa; o p*<*n da Corris, ama
homelia patritica para o Te Dewn do Rosario, o
capellao de Sania lgniz, nm copo d'agaa para as
autoridades policiaes ; at esta sea criado que Ibe
esla' escrevendo agora, tinba preparado os seus
seis foguetes do ar, e duas velas stearioas para o
festejo popular.
i Picamos todos desapuntados; o Co6o Duro,
espumava de ralva, o Cosme perdeu nns autos que
la levar a' audiencia, o Estamsl) teve um ataque
da fogueteiro, o Jote Vicente perdeu as esporas das
bolinas, o frsi Alberto n i mandn repicar o con-
vento do Girino, e al o Joo Firppo, que aqui se
acba tirando retractos, arrelou urna bandeira, que
tinha icado em are mastro.
Todos blasphemam contra a pllheria do Gre-
gorio, que safuu se dizeudo, que tambera tinba ou-
vido dizer. Foi urna v.rdaleira Gregtriad-x, que
acabon por desapontar rauila gente ; o que porm
mais me tem falto rir em ludo isto, q'ie as lera-
brancas do Gregorio, se parecem com elle, qae
uraa especie de Quasimodo, tendo por mil dos seus
peccados, lies beicos, era lugar de doas.
< Abrio-se no da 9 a ultima sessio do jury,
desie amo, e nao tendo comparecido numero le-
gal dejuizes de facto, o juiz de direilo procedan a'
novo sortelo, e adiou a sessao para o dia 11. Nesse
dia, foi declarada aberta a sesso, e comparecen ao
tribunal, o reo Francisco das Naves, destribuidor
do Jornal da Paraliyba, prooonclado no artigo 169
do cdigo. Foi advjgado do reo o estadante do
quarlo aano Carvalbo Cesar, sendo o reo absolvdo.
No dia I i, tinba da responder, a'nivo jolgamentn
Jos Dias, pronunciado no artigo 264 i., e S;
4.% 8.*, 9 o, e 10 do art'go 16 ; e como o juiz de di-
reilo n5o poda servir, visto ja' ter servido no pri
meirojulgamento, passsu a vara ao supplente do
juiz municipal ; mis stibe oque snccedeu T Dos
supplentes, um estava impedido, ouiro suspenso,
outro zangado por qoe fil nomeado em quarlo lu-
gar, ouiro por que nao quera complicacoes e as-
sim por dlaate, foram passando a vara at aos ve-
nadores da cmara. Destes, o presidente deu par-
te de doeote, o imraediato nao poda comparecer,
oolro era le-temunba no processo, outro nao sabia
oceupar o lugar, e assim dos venadores, passou se
aos supplentes, al que fot ter ao Gregorio, que pou-
cos vetos Gbteve har venador, e assim nao houve
sesso no dia 12.
O Gregorio, perm, esta coacto e nao sabe co-
mo ir presidir a sesso; porque, diz elle, que indo
o juiz de direito de becca, ella com) roo da san-
ta casa deve ir de balandrn.
O qae vai aqui escripto, nao se accredila, po-
rm succadea no anno das gracas de 1867, no dia
12 de dezembro na capital d Parabyba do Norte.
A este respeito, gostamos muito da pllheria da um
critico; dizia elle : esla cidide celebre, occasides
bi> qae se precisa de uto advogado, bate-se de porta
em porta, e, oa eslao doentes, ou na ra e nio se
encoutra nm, ficando es reos iodefesos; b je pro-
cura-s um juiz de direilo 6 nao se eocontra para
presidir a sesso.
t V sera commento; porque a eommentar se,
s gritndose; escndalo, releixo, desmorallsacS .
Agora esperemos pelo qua tem de faier o presi-
denta appreciaado este quadro immoral dos horaens
desta trra.
Na nolle de l, esleve aberta a antiga isireja
dos jesutas, e celia esposta a imagem de Santa
Lazia, a devcio do povo.
a msica do Io de gaarias nicionaa, tocou
varias peca do Trovador e walsa Joven Helena. O
raadaraisrao cooccrreu a ir reverenciar a advogaia
contra as molettias dosolhos, eoQzeram com raui-
ta devocio; na realldaae que eu conbego aqu
certos olhinhos que seria urna fatalidade se sof-
fressem alguma molestia. Sao traves?o?, lindos,
negos, seductores, e... nada de enthusiasmo, bas-
ta dizerlbe qae sao olbos de parahybanas.
c Consta por esla cidade, que foi assassioado.
oa villa do CaUl do Rocha o Rvm. vigario Formi-
ga, cujas virtudes e qaalidades eram notoriamente
conhecidas; tanto quo a noticia do assassinato tem
cansado geral sorpreza por aqni.
f Infelizmente as noticias ms sempra se reali-
sam, e dos nada duviilamos porque o nosso serlao
est am canos; nella manda desde o fazendeiro
at o ultimo vaqueiro; a tranqoillidade publica
desapparecea e o cidaclao s se uiga seguro quan-
do est Lera armado, porque hoje o punhal e o ba-
camarla sao meo: com que se decidera as questes
no centro desta .provincia, visto como a justica
praga morta e toda mov la a dlo pelas autorida-
des.'
A ser verdica a morta do vigario Forraig
maito para lamentar, porque ella era am verdadeiro
ministro do Seohor.
A aifandega renden at o dia 13, 10:323|469
e o consulado 8:786X359.
c Eotrirara al esse dia no nosso mercado 2,4&4
saccas com algodo e foram embarcadas na barca
Prestan 3,337 arrobas e 12 libras da algodo ; nj
hrlgoe Viola 10,000 arrobas da assocar ; na barca
Wamor 567 arrobas e 18 libras da algodo. Es-
tn a carga nesta porto as barcas Warrior, Pres'an,
Salteen, brigue Viola e patacho lndustrg. Nao ha
mais nada.
PERNAMBUCO
REVISTA DIARIA
Reanio-se hontem o Iaslitat* Archeolcgico e
Geographico Pernambncano, sob a presiden :ia do
Eim. conselhelro monsenhor Muniz Tavares e com
asslsiencia dos Srs. Drs. Aprigio Gulmares, Soa-
res de Atevedo, Cicero Peregrino, e os Srs. padre
Lino do Monte Carmello e major Salvador Hen-
riqoe.
E' lida e approvada a acta da antecedente.
O Sr. secretario perpetuo menciona o sagointe
expediente :
Utn ofiklo do Sr. Dr. Cesar Angosto Marques
remetiendo am exemplar do Almanack de Lem
blancas Brasileiras, de qne autor o mesmo se-
nhor.loteirado e qoe se archivasse.
Outro de Sr. Feliciano Jos Gomes, agradecendo
a sua elelco de socio correspondente.loteirado.
O mesmo Sr. secretario perpetuo da' conta das
seguales oflertas:
Varios nmeros do Diario de Pernambuco, pelo
consocio Dr. Flgueira.
Um numero da Opiniao Nacional, pela respectiva
redaeco.
As segaintes moedas portugoezas :
Duas da 40 rs., de 1753.
Urna de 20 rs., de 1757.
Urna da 40 rs., de 1781.
Urna da 90 rs., de 1803.
Urna de 40 rs., de 1816.
Urna de 40 rs., de 1826.
Apresentadas pelo Sr. Dr. Aprigio Gattoaraas e
olTeitidas pelo Sr. Joao Tibarcio da Silva Galma-
res.
T"das estas cITirtas sao recebidas com agrado e
mandam-se arebivar.
Vera a mesa ama proposta para socios corres-
pondentes.A' respectiva commisso.
Nao bavando mais nada a tratar levanta-se a
sesso.
Foi incumbido do tratamento dos presos ae-
commetlidos de varila na villa do Limoeiro o Sr.
Antonio Francisco da Canha, mediante a gratifica-
gao de ij.5 diarios.
Aos trabalhadores occapados no servlgo da
demarcago das trras devolutas foi fizada a etape
de 420 rs. por dia.
Hoje do-se as ferias das escolas da instruc-
Sobre commnnleagao do respectivo presiden-
te de nio haver se reunido a cmara municipal do
Boui-Conseibo, determinen o Exm. Sr. presidente
em solugao qae se tiverem sido regularmente con-
vidados os respectivos vareadores e deixado de
comparecer por espaco de lo dias, e a urgencia dos
negocios exigir o sea numero completo como de-
clara o art. 28 da le do 1* de outobro de 1828, e
aviso n. 524, de 14 de novembro de 1861, deve o
presidenta da mesma cmara com o respectivo se-
cretario convocar nos termos do aviso de 23 de ju-
nbo de 1834, os suppient ? deferindo juramento
aos qae ainda o nio prestaran) alim de completar o
numero preciso pra qae possa haver sessio, mul-
tando o mesrao presidente, na forma do citado art.
28 e aviso de II de outobro de 1832, aquelles que,
sera motivo justificado deixarem de comparecer,
ncorrendo tambera na mesma pena, segundo de-
clara o aviso da 2 de julho de 1823, aquella verea-
dor que nao justificar a falta de comparecan-oto,
embora nao lenba prestado juramento, ama vez que
erteja curoprda a disposigao do arl. 16 e nao baja
ella reclamado em tempo, e se Ihe nao tenha dado
a escusa na conformidade do arl. 20 da citada le;
de modo que sa estas providencias nao bastarem
para corapellir os vereadores omlssos ao cumpri-
ment de seas devere?, transmittira' o mesrao pre-
sidente ao juiz de direilo ou ao promotor publico
da comarca urna parta circumstanclada acerca do
procedimeoto dos mesmos vereadores, afim de ler
lugar, ermo determina a portara de 23 de feverei-
ro de 1833, o procedimenlo criminal pela intracgao
do arl. 128 do cdigo criminal.
II ije encerrara se as aulas publicas primarias
de ambos os sexos. A da freguezia de S. Jos, do
Sr. Liberati Tiburtino de Miranda Maciel, estara'
abena das 8 boras da manba s 10 da noite para
quera a quizer visitar.
II .niara pela manba, qnando descia de nm
navio que sabia do porto para a baleeira, qae o
devia conduzir a' trra, o Sr. Arcelino Martins dos
Santos I.'ina, pralico da barra, cabio ao mar por
haver esta se afTistado do navio em conseqnencia
do movimenlo das aguas. Logrando agarrar-se as
borda; da baleeira. julgava-se elle salvo, quando
ao passar orna alvarenga prxima a' baleeira, le-
von esla de encontr ao navio, comprimlndo o Sr.
Arcelino de forma tal que sa acha bastante enfermo
pela pancada que levoo nos rins.
Foram nomeados praiicanies da repartigo
das obras publicas, em vista do resaltado do ulti-
mo concurso, os Srs. Francisco Ameiieo Aragao
Rabello e Manoel da Costa Perera.
Por proposta do Dr. chefe de polica foi jal-
gado vago o lagar de 1* supplente do subdelegado
do 1* dislricto de Maranguape, e nomeado para
elle Jos Victorino Delgado de Mello.
Para alfares da 5' companhia do 8 batalblo
da guarda nacional do Recite, foi nomeado Hercu-
lano da Silveira iiissem.
Ao tenante do 1* batalho de Infamarla da
guarda nacional do Reclfe, Francisco AILnso Fer-
reira, conceden se passagem para o 9* de Olinda,
por estar abl residindo.
Dio-nos esta inormagao que amanhaa
completaremos :
< Hivendo os Srs. Monteiro A Irmao de paear
hontem despachos na aifandega novator de 1:355$,
haviam os mesmos senhores recebldo dos senho-
res Reg & Moura a qnantia de 1:OOOJ qae ao
recebar e parante o testemunbo do referido Sr.
Reg, enlregaram ao ajudante do despachante,
ajuniando-lhe apenas de sua carteira ama nota de
-200$ dolhe.-ouro da ultima estampa, nma amirella
de 10u,5 da caixa filial e os 55 em miadas de 5,3
e menores do tbesonro.
Momentos depois veio ao conhaelmento di- mes-
mos, de que a aifandega havia impugnado 10 notas
de 105 por serem falsas e como essas notas nao
podiarn ser outras seoo as recebidas dos Srs. Re
go & Moura, os Srs. Monteiro A Irmao ainda encon
tram na mesma ra o mesmo que Ihe havia feilo
ha poucos momentos o pagamento, chamara no e
Ihe (azem ver o occorrido, o que foi ainda pelo
dito Sr. R 'go confirmado tado quanto cima lava-
mos dito, apressande-se esse senhor a ir a aifande-
ga faier a mesma declarago.
Reg & Moura declarou, que recebara por era-
prestirao do Sr. CarneiroVianna aqaantia da 1005,
que justamente a somma das notas qae a aifande-
ga considero, [alias; chegado que (o ao eoaheci-
ment do mesmo Sr. Viinna e.-ta noticia, recor
dau se elle de haver recebldo mais entras em ludo
i-'ual a qua se haviam reputado falsas no valor de
230Jpor pagamento ferio por Candide Jos da Con-
ceigo, qae por 3ua vez latonero declanou havsr re-
cebido de Domingos de Si uza Barros; s levando as
ao Sr. Dr. chefe de polica, foram em minucioso
exame declaradas todas falsas.
Ontros faetos vierara aioda em descobrlmento
verdade, de modo que as 6 horas da tarda acha-
vam se na miio da aotoridade 67 cdulas da I0#
que se reputara falsas, e como todos ellas vo
convergir ao mesmo ponto, fcil foi oreeonlieci-
mnito de aoior, que em seguida foi recomido por
ordem do Sr. Dr. chefe de polica a prisi9 conve-
niente. >
v O vapor Pirapama tronxa dos porto? do nor-
te de soa escata, para a nossa praga 41:3345071).
Remetiemnos o seguale selllcilando-se sua
pnbliraco :
o prximo domingo 22 do corrente ter' lo-
gar oa igreja de S. Francisco de Olinda a fistivi-
dade da padroeira do mesmo convento, a Virgem
Nossa Senbora das Neves. O Rvm. gaardifto Fr.
Antonio de S. Gamillo de Lellu nao pnupa esforgos
para qae a solemnidad corresponda a' devacoqne
os fiis coosagram a' Virgera das Neves. O sanus-
simo padre Po IX concedeu indolencia plenaria
a tolas as pessoas qne assistirem a' fest>vldade da
mesma Senbora na Igreja do seu conventa, e e.-ta
mais nm incentivo para que a festa britha no appa-
rato externo como tem de brilhar nos fructos espi-
ritaaes qoe ha de produzr. Ha missi nova canta-
da peh Rvd. capellao da cathedral Matbias Ayres
Delgado. Prega ao Evangelbo o Rvm. vigario do
Recife padre Antcnlo Manoel da Assumpgo, e ao
Tt-Deum subir' a tabana sagrada o Rvm. Jos
Eleves Vianna, bem conhecido nesta cidade e
mesmo no campo, pelos trina:phos e pelos tractos
que obtm como orador sagrado t)das as vezes qae
sobe a' eadeira da verdade.
Casa de detenqao:Movimento do dia 18 do
corrente :
Existiara presos 287, entraram 10, sahiram 4,
exis'.era 293 : a saber, nacionaes 211, malaeres 4,
estrangeiros 37, mulber 1, escravos 39, escrava
1, total 293
Alimentados a costa dos cofres publico? 212.
Movimento da enfermarla do da 19 do corrente
mez:
Tdve baixa :
Narciso Cunea de Mallo.
Tave alia :
Vicenta, escravo do conego Manoel Thomaz de
Oliveira.
Lotera.A que se acha a venda
a 43* a beneficio das familias dos voluntarios
da patria, que corre hoje.
Pasgeros vinlospara esta provincia no va-
por Pirapama :
Dr. Miguel Benevldes Soares de Mello e soa fa-
milia, Joaqaim Luiz Gmgalves Peona, Joo Carlos
de Sooza Santiago, Joaquim Jos da Costa, Ancel-
rao G. da Cooha Raltro, Antonio de Almeida
Gong.alves, Joio Francisco de Oliveira Lima, Jos
Vieira Ja Silva, Dr. Joaqaim Pires Goncatves da
Silva, Celestino Tictorin Svsrov, 'adiodIo Cabl-
eante de Albuquerqae, padre Matbias Aynes Del-
gado, padre Jos Alves da Costa Gadelha, padre
Pedro Beoi, Amonio Marlins Seabra de Mello, Jos
Patrelo da Costa, Dr. Amaro Carneiro Bezerra
Cavalcanie, tala Laport, Vctor Improta, Luiz
Leopoldo Guimaraes Peixoio, Joaquim da Fonseca
Silva. Jos Ferreira Cardoso, Dr. Manoel de B.r-
ros Barreto, Antonio dos Santos Oliveira, Jos L.
de Borja Buarqae e Carlos Agostiobo Golios.
Cbmitemo publico.Obituario do dia 19 de
dezembro de 1867 :
Aona Joaquina do? Prazeres, Pernambuco, 40
annos, solleira, Boa-vista ; hepatite
Alfonso Arlhor de Albuqurqoe Maranhio, Per-
nambaco, 21 annos, solleiro, S. Liurengo ; hepa-
tite.
Mara Amelia Carneiro da Canha, Pernambuco,
30 annos, casada, Boa-vista ; pblysica pulmonar.
Jcao Con), Peroambaco, 17 anos, solleiro, S.
Jos ; pblysica pulmonar.
M>guel Antonio do Nasnimento, Rio Grande do
Norte, 40. aooos, solleiro, Boa-vista ; anemia.
Manoel, PeraamLuco, mela hora, Boa-vista ; con-
vulsoes.
Manoel, Pernambuco, 15 dias, Santo Antonio ;
convulsoes.
Laoriano,Pernambuco, 18 mezes,Santo Antonio;
convulsoes.
Frete de alaodo par LiverpoolJ/J e 5'/. por
libra.
Silveira,
Presidente.
Publicaces a pedido
Agua Florida de flarray e
I.naiuan.
Em virtude das senhoras serem a precio-
sa porcellana do barro humano, por isso
mesrao ellas teem todo o soberano direito
eleigo de toda a especie de elegantes luxu-
rias, que a arte estimulada pela galantera
pode inventar. Entre todas as que perten-
cem ou flguram no toucador nenhuma ha
que possa exceder em aromtica delicadeza
aquella cima mencionada no alto deste pa-
ragrapho. Possuindo urna mimosa e deli
cadissima fragrancia summameote til e agra-
davel em varias formas, quer como aformo-
seadora da compleicao, excellente misturada
com agua como meio agradavel para enxa-
goar a bocea e alvejar os dentes, e finalmen-
te como nm excellente e admiravel meio cu-
rativo em todos os casos de nervosidade,
desmaios, vertigens e ataques estericos, em
si ella merece um nome de materia medica,
assim como em oceupar um lugar indispen-
savel sobre o toucador. Afim de se evitar
o desgosto de se comprar um genero de in-
ferior qualidade, nada mais se precisa fazer
do que pergunlar-se pelaAgua Florida de
Murray & Lanman.
Acha-se de venda em casa de A. Caors
Barbosa, de J. da G. Bravo & C. e de P.
Maurcr & C.
COMERCIO.
PRACA DO RECIFE 19 DE DEZEMBRO
DE 1867.
As3X boras da tarde.
(Hontem)
Algodo da Parahyba 1" sorle 8^500 por arro
ba posto a bordo.
Hoje)
Algodo 1- sorte 8000, 7*900 e 7*300 por ar-
roba.
Algodo 1- sorte da Parahyba 8*600 por arroba
posto a bordo.
A?soear mascavado broto do R;o-Grande do Norte,
3jj000 por arroba posto a bordo.
Freta da algocto para Liverpool3/4 i. por i e
o'
M acedo.
Secretario.
EM LIQUIDADO
Noto banco de Pernambuco
C>5 Srs. accionistas podem receber o 3.
dividendo (em moeda corrente) de 10 o/o do
capital, assim como o l. de 30 o/o, e o 2."
de 40 o/o, j annunciades.
Noy banco de Pernambuco
em liquidacao.
Os possuidores de notas da emisso do
banco queiram quanto aotes apresental-as
ao troco.
A caixa filial do banco do Brasil nesta
cidade troca as suas notas dilaceradas.
ALFANDEGA.
Rendimeato do da 1 a 18.......... 319:114*030
Ideado da 19................ 34:%3*I92
Po'):079*z22
Movimento da aifandega.
Voluraes entrados com fazendas...
c c gneros....
Volmes sabidos com fazendas...
ti< gneros....
474
842
-----1316
10
367
-----487
Deswrregam hoje 20 de dezembro
Rarca inglezaSeraphtn Lugar iog/ezCornucopia dem.
Brigue inglezIsabella Dobsonideat.
Rarca francezaFgarodem.
Barca francezaAdVfcidem.
Polac hespanholaSafovjnbo?.
Patacho hanoverianoTAefci-farinha de trigo.
Vapor inglezSaarfinmercadorias.
Barca inglezaRoderkk Dlon -earvao.
Barca InglezaVftlck o( the Tugn idera.
Barca inglezaMary Hamiltondem.
Barca inglezaWaranAocarvo.
Barca inglezaCronnidem.
Barca suecaSetvri7-ldara.
Brigue francezClaudine & Pnuilem.
Patacho holstense.Waria charque.
Patacho hespanholIndioidem.
Vapor brasileiro Pirapama, vindo da Granja
e portos intermedios, manifestoa :
54 saceos assacar, 30 saccas algodo ; a Bal-
thar & Oliveira.
379 ditas dito; a Prente Yiann & C.
72 ditas din; a Loio Sobrlnbo & C.
30 ditas dito ; a Cbalaca i Ribeiro.
16 d>Us dito ; a Albino, Atnorm & C.
6o ditas dito ; aJ.de Si Leilo Jnior.
300 ditas dito, 10 saceos caf ; a ordem.
73 molhos coarinbos; a A- Aimelda Gomes.
76 conros salgados; a Joio Fernandos Lopes.
12 saceos carnauba: a Viviano da Sjuza Cal-
das.
41 ditos din, 40 saeeas alsodSo ; a G)mes de
Mallos & IrroJo.
13 ditas dito ; a A. V. da Silva Barroca.
42 ditas dito; a Antonio Goncalves de Azevedo.
fil3 ditas dito; a Joio Jos de Carvalbo Moraes
& Irmao.
52 ditas dito, 1 sacco resina de angico; a Luiz
A. Siqueira.
REGEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
GERAES.
Rendimento do dia 1 a 18.......... 66:682*220
dem do dia 19................. 2:895*283
69:377*503
MOVIMENTO DO POETO
A'aros eutradoi no dia 19.
Conhabii4 dias, biate brasileiro Flor do Rio-
Grande, de 42 toneladas, capio Antonio Jjs
da Costa, eqnipaeem 7, carga asquear e milho ;
ao mesrao caplio.
Granja e portos intermedios7 das e 10 Inras do
ultimo porto, vapor brasileiro Pirapami, de 312
toneladas, commandante A. G. Torres, equipa-
aTgem 34, carga dulereles gneros; a' compa*
nhia prnambucana.
Rio de Janeiro18 dias, galera portogaeza JVbpa
Firma //, da 62o toneladas, capilao Antonio Tei-
xeira de Carvalbo, equipagera 18, carga lastro e
alguos gneros; a' Cunba Irmaos & C
Rio de Janeiro-22 dias, brigue portoguez Boa Fe,
de 353 toneladas, capitao M. A. Maia, equipa-
gem 10, carga 5000 arroba; de carne secca e
outros gneros; a' Carvalbo N goeira.
Japomim (em Goianna)5 boras, vapor brasileiro
Parahyba, de 104 toneladas, commandante Mel-
lo, equipagem 19, em lastro; a' companhia per-
nambucana.
Navios sabidos no mesmo aia.
CanalBrigue schlewig holstein Cari, capitSo Pe-
ter Petersen, carga assucar.
CanalBrigue portuguez Relmpago, capitao Jj5o
Epipbanie da Silva, carga assacar.
Observacao.
Saspendeu do lamaro para Borabay, a galera
ngleza Goldin Eagle, capitao Mui:; com a mes-
ma carga qae troaxe de Newport.
EDITAES.
0 Dr. Tristo de Alencar Araripe, official da
imperial Ordem da Roza, e juiz de direi-
to especial do commercio desta cidade do
Recife de Pernanbuco, por S. M. Impe-
rial, etc.
Faco saber pelo presente, qae no dia 13 do mez
de feverei ro do anno prximo viodouro, se hade
arrematar por venia a quem mais der em praca
publica desle juizo, depois da audiencia respectiva
as mercaduras e armaco segoiotes, existentes na
loja do sobrado da ra do Queimado n. 33, arma-
gao, com seus pertences, sendo de madelra de
amarello e louro, avaliada em 250*.
Urna balaoca grande com quatro arrobas de pe-
zo. por 10*.
Urna d>ta com cuchas de cobre, por 8*.
Urna dita peqoeoa por 1*500.
200 libras de pregos por 20*.
44 massos de taxas de bombas por 4*100.
12 pares de dobradicas, por 9S600.
3 ditas grandes de cruz por 4*500.
Um ma-so de taxas doujadas por 500.
Quinie pares de dobradicas de croz, por 3*200.
7 dorias do pares de puebadores da vidro, por
42*000.
4 bandejas pintada? por 4*.
4 duzas e meta de ferrolhos de lato por 9*.
1 porcao do baloss sem valor.
7 duzas de dobradiQas de lalao, por 2:*.
11 (ores de mangae por 2*200.
25 aldabras, por 2*.
1 grosa de argolas de ferro, por 2&
18 panillas de porcelana, por 36*.
24 dilas estanhadas, por 23*800.
5 ditas grandes, por 23*.
1 chaleira, por 2*.
1 fregideJra, por 500.
15 grelhas de ferro, por 3*.
2 ditas de rame, p< r 41 u.
27 ciscadores, por 7*100.
13 ferrolhos, por 2*400.
56 correales para chaves, por 2*600.
3 ped.ii; is de correles de lalao, por I*-
1 par de esporas d'aco, por I*.
4 buihoes de Unta, por 400.
2 pares de roldana, por 4*.
5 duzas de birro?, por G*.
1 roda de rame, por 1*.
12 fexes de latao, por 1*.
9 duzas codeados de lalo, por 13*.
20 dilas feraeas, per 50*.
2i felxaduras de lato, por 17*.
ti cadeados de letras, por 12*.
3 pares de asslbas de lilao, por 1*560.
1 cadeado de fero, por 40u.
1 porcao de palitos para denles, por i*.
15 fexes de trinque, por 3*.
2 duzas de ferro hos n. 15, por 4*.
3 grozas de aigolas, por fi*.
1 porgo de ditos para cortinados, por 2*.
2 grozas de espelbos de lalao, por 4$.
3 grozas escaplo?, por 6*.
3 grozas puebadores, por 12*.
18 cadeados, por 3*600.
3 dnzias de carreleis, por 9*.
13 caneiras de Ibesouras e caivetes, por 6*500.
9 duzas de caivetes, por 18.
4 dazias do tbesouras, por 8*.
1 duzia de navaibas, por i*.
1 duzia de argolas, por 300.
1 duzia fazos, por 6*.
1 estojo para desenbo, por 2*.
26 duzias baralhos de cartas, por 26*.
2 almofaris, por I*
II dazias estribos, por 33*.
19 dazias cadeados de ferro, por 38*.
20 pares de castigaos de lato, por 36*
7 duzias puebadores de poitas, por 14*.
8 sextas, por 4*.
50 duziss de varramas, por 50.
6 ditas ditas de pipa, por 12.
2 libras de seda para sapateiro, por 4*.
9 duzias ferrolbos, por 22*500.
3 duzias aldabras, por 3.
3 dilas dilas, por 9*.
18 ditas ditas de detcanco, por 18*.
6 temo?, por 3*.
21 duzias dobradgas de chapa, por 21*.
400 i ravadores, por 40*.
50 fecbaduras de trinque, por 40*.
3 eozias lapes, por 720.
125 marteletes, por 14*400.
2 duzias ferros de cortar capia), por 12*.
23 escovas, por of,
34 serrotes de d.versos tamaoho?, por 17*.
16 ditos grandes, por 15*200.
1 porcao de pregos de diversas qaalidades, por
30.
16 libras decolla da Baha, por 4*500.
1 porcao de cordas de Imbo, por 10*.
1 porcao de ferro Suiss), por 50*.
1 porgo de facas, dobradices eoulras ferragen?,
ludo por 120*; cuja armaco e mercaduras vao a
praca por eitcucao de Jos Antonio Moreira Dias,
contra Joaquim Jo." d'Arruda. E na falta de lac-
eador que cubra o prego da avaliago, sera' a ar-
rjujaiac.io feta pelo prego da adjudicago com o
abalimtnto da le.
E para que chegue ao conhecimeno de
todos maodei passar o presente que ser pu-
blicado pela imprensa, c alfixado nos luga-
res do cosiume.
Dado e passado nesta cidade do Recife
de Pernambuco, 18 de dezembro de 1807.
Eu Manoel Silvino de Barros Falco, es-
crivo interino a subsertvi.
________Tristo de Alencar Araripe.
O Dr. Trislao de Alencar Araripe, official
da imperial ordem da Rosa, juiz de direi-
to especial do commercio desla cidade do
Hecife de Pernambuco e seo termo, por
S. M. I. e constitucional o Sr. D. Pedro
II, a quem L)jus guarde etc.
Fago saber pelo presente, que no dia 20 d) mez
de fevereiro do anno praximo vindouro, se bada
arrematar por venda a quem mais der em praga
publica desle juizo depois da audiencia respectiva
a decima quarta parle do sobrado de tres andares
n. 33, sito na ra do Queimado, avaliado todo em
16:000*. sendo dita parle do valor de 1:142*837
rs., e urna casa terrea de (aipa, sita no logar do
Barro, freguezia dos Afogados, com 1 porta e 2 ja-
nellas na freut*. 2 salas, 2 quarlo?, cozlnha fora e
qnintal, avahada em 2t0*, as quaes vo a praca
psr execogao de Jos Antonio Moreira Dias, con-
tra Joaquim Jo; de Arruda, e na falta de langa-
dor que cubra o prego da avaliago, sera' a srre-
matago felta pelo prego da adjudicago com o ba-
timento da le.
E para que chegue ao conhecimeno de
todos mandei fazer o presente edital que
sera' afinado nos lugares do cosiume e pu-
blicado pela impreosa.
Dado e passado nesta cidade do Recife da
Pernambuco, aos 18 de desembro de 18G7.
Eu, Manoel Svino de Barros Falco, es-
crivao intirino a subscrevi.
_______Tristo de Alencar Araripe.
O tenente coronel ecio de Aquino Fonseca juiz de
paz do 1* dislricto da fregaezia do Santisslmo
Sacramento do bairro da Boa Vista do termo
da cidade do Recita de Pernambnco em virtude
da lei etc.
Fago saber qae em virtade da lei reglamentar
das eleigoes em vigor, convoco os eleitores e sup-
plentes desta parocbla, abaixo designados para que
comparegam na lerceira dominga do aez de Ja-
neiro do anno futuro (19) no corpo da igreja matriz
desta freguezia as 9 horas da manba, afim de or-
gaaisarse a junta qualiQcadora, qae tem de rever
a qnaliflcago do znno antecedente, dos qae tem
direito de volarem as eleig5es de eleitcres, juizes
de paz e vereadores da cmara municipal, ficando
scientes os eleitores e supplentes, qne soffrero a
multa de 40* a 50*, seno comparecerem ou tend*
comparecido deixarem de assignar a respectiva
acta.
Eleitores.
Tenente-coronel Decio de Aqnfno Fonseca, Dr.
Joaqolm de Oliveira e Souza, Miguel Arcbanjo Min-
dello, empregado publico Jeronymo Jos Ferreira,
emregado publico ManoelLoit Vires, empregado
publico tenente coronel Antonio Carlos de Pinho
Borges, coramendador Thomaz de Aquino Fonsec,
bao da Soledade, empregado publico Joo Aiba-
uazio Botelho, Dr. Caetano Xavier Perelra de Bru-
to, negociante Corbiano de Aquino Fonseca, Dr.
Edoardo do Barros Falco de Lacerdi, tenente-co-
ronel Feliciano Joaquim dos Santos, majar Gustavo
Jos do Reg, engenbeiro Jos Carneiro da Rocha,
empregad) publico Henrlque de Andrade Bredero-
de, conselhelro Dr. Lourengo Trizo de Lonreiro,
empregado publico Dr. Luil de Carvalbo Paes da




-
litarlo *e Tmmmkue* Sexta felra to de Dezembro e.iSST
Aodrade, taneWio Lalt (Ut^MUPortoowre*, es-
crivao Maooplfle Oarvalho Paes de Aodra*>, eom-
mercianle T*omz Gwreti, proorieiarie Tnomai
de Carvalbo Seires Braodio, empregsdo pablico
Joto Pedro de leeus da Malta, artista Rufino Ma-
noel da Crot Cousetro, raajor Maaoet do Nasci-
meato da C i>t\ Monleiro, Dr 'Joaquim Jb' da
Fooseea, escrivo Ploriaoo Correa de Bruto, artista
Francisco Mandes Martin, teuente Francisco de
Paula Sa Peixoto, artista Manool'f rancisco Hinra-
lo, proprielario Jos Antonio Guedes da Triodade,
proprietarlo Antonio Carneiro da Cuoha, padre Al-
bino de Camino L'S>a, eonmerciante Jos Mara
Geraldes. commerclante Joo arii-ta Francisco Antonio de'lleoezes, empregado
publico Antonio Carljs de Lemos Dame, emprega-
do publico Bernardo Jos Martins Pereira, cora
merciante Antonio Basilio dos Santo, artista Fran-
cisco Joaqoim Ramos e Stka, baro do Campo Ver-
de, commerciaote Manoel da Silva Bastos, artista
cSowercantil -per partidas simples e dobradas e 'dem dem n. 60. O roesmo.
suas appticc.oes ao commercio ao tbesooro, tn-1 dem idem n. 61Manoel Gomes Vlegas.
daccaoi:orre*ta das lingaas Inglea e fraoceza oe Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
pelo matos da ultima, principias geraes de feo-ctfe, 9 de novembro de 1867.
grapr.ta e historia da Brasil, algebra at equaeies
da segundo grao e praltca do servido da reparti
em que o empreado estiver servindo.
Secretaria da thesouraria de fazeoda de Per-
nambfo, tai 6 d dezembro de 1867.
Strviodo de oficial maior,
_________" Maooel Jos Pinto._______
Deposlt de lotti-nct de caca-
dore a cavallo.
Teoda-se de contratar o forneciraento dos gne-
ros abatios de-criptos para a aiimeetaco da ca-
vathada do referido deposito ao prximo simeslre
de Janeiro a jonho de 1868, coovida-se aos possni
dores de semelnantes gneros a comparecerem no
respectivo quartel no Campo das Princezas com
Maooel Jos' de"Limos Barros^barVde"Bemflca, as propstis no dia 21 do correte as 11 horas
commercianteSilvinoVieiraOlympio, eommercias- dartnaobaa
le Maooel da Cruz Marlins.
Supplentes.
Dr. Silvioo larqninio Villas-boae. Dr. Antonio
Manoel de Medeiros Parlado, coronel Domingos
Atlooso Nery Ferreira, proprietarlo Flavio Ferreira
Clao, major Manoel dos Sanio* Nunes de Oliveira,
propnetaiio Clonndo Ferreira Cato, tenentecero-
nel Francisco de Miranda Leal Seve, Or: Joo Maria
Seve. Dr. Manoel Joaqoim Silvelra, neg clante Ma-. A ea(nara maDicipal d?su cmade, tendo con
noel Jos da Silva Guimares, Dr. Antonio Mara tratado comprar so cidadio Fraocisco Marlnho de
de Farias Neves, Dr. Aprigio Jnstinano da Silva | Alboqaerqu.- Mello, am terreno simado oo lugar
Guimares, Dr. Beoto Jos da Co>t, proprielario o Arraiai, fregoezia do Poco da fjnella. para nelie
Fraocisco Rafloo Corri de Mello,propiieiario Ma-egUbe|(Cer 0 maiadouro publico da mesma fre-
noel Lulz da Veiga, tenente-ceronel Antonio Car- gQen.1) Vai mandar collocar marcos oos logares
neiro Machado Ros, dse bargador Francisco de' n(ja imitara o citado terreno, o que faz publico
Caplm de planta era arrobas,
Milho em alqneires.
Mel de furo em garrafas.
Farello em libras.
Quartel no Campo das Prloeczas 17 de dezem
bro de 1867.
J. I. M. fiego Mootefro,
Capilao coromsodaote.____
Assis Perei.a Rocba, arl-Ha Jos Joaqoim Ramos
e Silva, Dr. los dos Santos Nones deOieira, ne-
gociante Luiz Jos da Silva Goimares, propriela-
rio Manoel Antonio Texeira de Albuquerque, ar-
tista Nicolao Tulenlino de Carvalho, Dr. Pairo de
Aihayda Lobo Moscoso, artista Alexandre dos San-
tos Barros, proprielario Beoto dos Saotos Ramos,
proprielario Jos Maria Freir Gimeiro, Dr. Joa-
quim Ferreira Chaves, capito Jos Francisco La-
vra Peua, artista tnacl) Rodrigues da Silva Cam-
pos negociante Francisco Joaquim da CostaF.alho
Jnior, major Francisco Marlins Rapos1. Dr. Joac
para conbecimento de qnem inieressar possa.
Paco da cmara municipal do Recife, 5 de de
zembio de 13G7.
Luiz los Pereira SimSes,
Pro presidente.
Francisco C. da Bja-Viagera
Secretario.______
TJEfjE&llAPHO
Martimo do Uecif-*.
Previne se ao publico que do da 1* de Janeiro
Juvencio Ferreira de Aguiar, oegrciaote Joaquim de i5c em diaule funecionara' o novo
Ferreira, negociante Jos M.irnns do sigoa-s qu se acba a' venda na livrar
Goncalves
Rio Jnior, proprielario Jos Pereira Texeira, ne-
gocianlo Jusliao J.s da Saina Campos, artista
Candido Rosalino lavares d Mello, negociante
Francisco Joaquim de Mello Tavares, proprietarlo ~ i,
J.aquim Jos Ferreira da Penha, proprieui to Jo 4uOGlllO .6 C9IH_)riS
Carneiro da Cunha, arlisia Jos Lucio du Carmo,'
de
roteiro de
na fraoceza
gna^s q
oa ra do Cr9spo o. 9.
O admioistrador
Domingos dos Passos Miranda.
na-
artista Mnoel Rodrigues do O', prcprielwioViceo
te de Paul* de Oiiv-ira Villas boas, Dr. Amaro
Joaquim Fooseea de Albnqoerque. despachante
Joaquim Claudio Mooteiro, capito Minoel do as-
cimeoto da Silva Basto?, proprielario Manoel Anto-
nio da Silva Ros, artista Joo dos Santos F. Barros
commerciaote Ucojamtm Viraos Dutra.
E para constir mandei pascar o presente, qne
ser aflisado nes lugares publicas dessa fiegu.-zia
e publicado pela imprensa.
Recita, li de dezeinhro de 1867.
Eu Francisco de Barros Correa, escrivo que o
escrevi.
Decio de Aqmno Funseca.
^-^wr.-ans-.
s.
1* seceo.S:crelaria polica de Percambu
CO, 14 de deze mbro do 1807.
O Dr. chefede policu da proviacii, attendeodo
ao que Ihe requereram os commerciaoles da ra
Direila desla cidade, e lendo rti vista o despidi
proferido pela cmara municipal em urna petico
das mesraos commerciantes, manda que se observe
o seguate :
Fica vedado o transito pela referida roa Direita,
de quaesqoer Vehculos decoodueaj, que partirem
do largo das Cinco Pootas e suas iramediaeSes, cu
eatrarem pela ra Imperial ; os quaes devern se-
guir pela rna das Aguas Verdes, pairo de S. Po-
dro, ra doFogo e Iravessa do Padre, a sabir as
ras do Livramento e djQueimado.
Em sua volta de regresso,seguirio os roesrrms
vehculos pelos referidos lugares.Pedro Fr.u.f
lino Guimares.
Deposito do reerutas
O coDseio econmico do depos-to de recrut s
tendo de con'rar, rom quera melhor condico
apresentar, o fornecinienlo dos gneros alim.-n i-
cos abano mencinalos qae teem da ser distri-
buidos aos guardas naciooaes desigoados e rtsru
tas no semestre a decorrer de jaoeiro a jodbo J-
1868, bera como para a.- di-itas dos doe&tea na en-
fermara aiiiitar, e a lava'smda roapa a cargo ''a
mesma enfermarla, convida por isto aos Sr?. di g i-
fiaotes que 'inizenm so propor, a apresentarem-
a no da 23 do correnta com suas proposias ao
liesmo conselho, que p-ra esse lira se reunir na
secretaria s 11 horas dodiaArro?, assu'sr brin-
co e mascavo, retinado. a?elte-doce, bicalrn ', b>
lachas, cha, caf, carne v.-rde, dita :cca, doce, la-
rinba de mandioca, dita de Maraobo, dita de ara-
ruta, fejao, galliohas, lenha, manleiga iogleza,
fraoceza, ovos, paes de C e 4 eneas, ra,, sal, luu-
cinho, vinagre e vinho do Porto.
Qoartel da SoleJade em Peroambaco, 18 de de-
zembro de 1807.
Froucisco Antonio de S Barreta Juoior,
____ Teneute-jecretario.
CpHs 1!9 de compras navars.
O conselho contrata no da 21 do frrenle mez.,
a 'vista ee propostas recetlas al s 11 h->ras da
roanba e s,ob as condigo^s do estilo, o forncioieo-
to de fejaopreto e Una, pira completo da vve-
res, dieta, e ooiros objectos de consnmmo aos
navios da armada e est beliclmenios re m-.rinha,
no trimestre prximo vlodouro de Janeiro a marco.
Tamb m o consetbo nomesmo da 551 do corre-
te mez, p>r igual forma, promove a compra dos se-
goioies objectos do mateiial da armada : a-co-
retes para baieloes, 400 cravos da pipa sorlidon,
SCO ps de mangueira de sola cravada, plvora
marca torre, 1 vergontpa de piobo de 34 ps de
comprimeoto, 10 pollegadas de grossora no p e
* na pootj, 45 oracas de correle de fem de 1|2
polegada retorcida, 4 arrobas de lioba de barca
fina, 4 ditas de dita grossa, Iz dnzias da laboas de
pinbo de 1 1|2 polegada e 12 ditas de dito de 3
ditas.
Salla das sess5->sdo con-elbo de compras navaes
17 de dezembro de 18Q7.
O secretarlo,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
Pela recebedoria de reodas eternas geraes
se faz publico, qne no o rente mez de dezembro
que os devedores das reo las lanjad.s relativas ao
exereiclo correte de 1867-68, a saber : decima
addicional das corporaedes de mo morta, soeiea-
des aooDymas e oniras, Imposto sobre lojas, casa
de descooto etc., dito sobre casas de movis, rou-
pa etc., latineados em paiz etraogeiro e taxa dos
escravos (seodo e-ta al 16 do mesmo mez) teem
de paga-las sern malta.HInda que seja, lerSo de pa-
ga las com a mulla de 6 porce.ito em virtude da
circular n. 37 do ministerio da fazenda de 30 de
selembro ultimo : outrosim, que oo mesmo mez
devem ser pagos os sobredi! js impostos e mai!> os
segoinles : renda dos proprios naclonaes e foros
de terrenos e de marrabas pertencentes ao exerei-
clo de 1866-1867 em Kquidaco, seguindo-se de-
pols a cobranca executtva quaoto s rendas deste
exercicio.
Recebedoria de Pe mam b neo. 3 de dezembro de
1867.
O admiotetrador,
Maooel Carneiro de Sooza Lscerda.
vaes.
De ordem do con-e'.bo foco pnbHco qne nos ob-
jectos que conlrala-se o foroecimentj no da 21
dn correle raez para completo do da vveres, die-
tas e ouiros objectos de coosumo aos navios da ar-
mada e sUbeleimeotos de marioha, oo trimestre
prximo vindouro da Janeiro a marco, iocluem-se
carne s^cea do RioGrauda do Su', e assocar bran-
co reuado.
In.-pec^o do arsenal de marinha de Peroarabu-
co, 18 de dezembro da 1867.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Aojos.
Pala recebeduna do reodas internas geraes
se faz publica, que dea mrcalo o praso da trinta
das para viram pngar a dizima de chancellara,
averbada as pessoas a baixo mencionadas, odo o
qual se promover' a cobraoca exeeuliva ;
Ur. Aototiij Joaquim Ayres do Nasci-
maulo, curador dos menores Ma-
noel e Ignez..................... 160O3O
Moeda, Medeiros i C, e Manoel Fer-
reira da Medeiros................ 1:446552
Curadores Bscae9 da massa fallida de
Pairo (la Silva Reg............. 2015910
Ernesto A'igusto Mangaba da Silva.. li6Gj'J
Jo Antoio Lopes................ 25,5633
Administradores da raassa falJa do
Joaquim Jos da Silva............ 2112594
Luiz Antonio Vieira e outros....... Il:t0c87
Manee! JoR'jairn do Isro e Albujuer-
que, tutor d menor li h.i de Mane el
Couvi da Souza.........._...... 12295
Ci-tmo Fraocisco de Barros Vv'ander-
ley e outros..................... 533537
Jos Vicente Emery............... 3!4U'>n
Joo de Araujo Cunara.............. 7?IK)0
Joo Laurino Arruuiel.'as Galvao___ 175531
Fooseea & Aorn.................v 12JUOO
Admioislradores da massa fallida de
Amorim, Fragoso, Santos & C..... 5130(10
T,.sso & rmeos.................... 40(JO:i
Armioio Pessoa da Al! rjqoerque...... ir3s-"S46
A cmara municipal desta cnade___ 45743
AdminisJta,d( res oa rxuisa fal.ida Je
Pedro da .Silva l!v i............... 2OO-300O
Os mesmos......................... .iaOiOl
Aulr da Alia Porto............. i4OOt0
Joao da Cunta Res................. 22376
Aot no Jos Santos deSiqueira Caval-
aote........................... 743240
Jo.io Jis Al ves eiiveira.......... 2153^5
D. Mariana Francisca (! Jesu-...... 435093
AotjQio di Barros C>rri........... 1345067
Fraocisco Cvalcaoie da Sooza L-o e
D. Mirla Civalcanle de S uz. Leoo. 2315896
Jos Cesiriode Mello............... 1135370
Dr. Frauci.-co Leila Butencourt Sara-
palo............................ 1085904
Francisco Marques ila Fooseea...... 215593
Vlanoel Gjm's da Cunha............ 7153^2
Francisco C-ivalcante do Son Leo. I33567
Viuvi e berdetros da J;mj lligluo de
H .raudf........................ 1I75VI5
Antonio Jos de Pigii-ire1>........, i9387
Bacharcl Joaqoim Eviro da llcraes
Car val m........................ 8:'5928
D. Mana Ealalu Cavalcanla Wander-
ley...............................
Rea hedera
de 1867.
Han
3050'0
do Pd.oambuco, 18 ce dezetibro
O administrador,
el Carneiro de Souza Lacerda.
O Illa. Sr. inspector da thesouraria de fa-
zenda desta provincia manda fazer publico qne ri-
ca marrado o da 27 de Janeiro prximo vinlooro
para o coneorso a qne se tem de proceder nesta
tbesonrana para preenehimento das vgas de pra-
licantes existentes nesta reparligo. Oeexames
versaro sobre as materias seg ntes; leltora, aoa-
yse grammatlcal eorlhographia.aritbmetica esoas
applicacSes ao commercio com especialidade re-
docao de moedas, pesos e medidas, clculos de
descont,
Santa, Casa do Recife.
Pela secretaria da Saota Caa da Misericordia
do Recife sao coovidados os seoh >res propietarios
dos predios abano declarados, cojos terrenos per
t^oceram outr'ora ao Sr. Fraocisco Los Paes Bar-
reto e sua mulber e por elles doados a Saota Casa,
para que comparecam a esta secretaria, afira de
psgarem os foros que se achara a dever, e asslgna-
rera o respectivo termo, reconbecendo a mesma
Santa Casa como sentior do dominio directo de di-
tos terreos.
Raa da Roda.
Casa terrea n. i l.Antonio Ferreira Braga,
dem idem d. 15.Jos Leopoldo da Silva.
Sobrado n. 17.-D. Emilia Carolioa M-deira Fer-
reira.
Casa terrea n. 19.Capito Martina (morador em
Beberibe)
dem idem o. 21.Joaquim Pacheco da Silva,
dem Idem o. 23.Antooio dos Santos Vieira...
dem idem n. 23.Igoacio de Sa' Loues Fernan-
des.
dem idem o. 27.-Fels Antonio Alves Mascare-
nhas.
dem idem n. 31.Miguel Joaquim da Costa.
Idam Idem o. 33.Bernardo Alves Pioheiro.
dem dem n. 35.Maria Francisca da Conceieo
e Silva.
Maria
Sobrado o. 39.Herdeiros de D. Joaqoioa
Pereira Viaooa.
Casa terrea n. 41.Paulo Marques e Antonio Fran-
cisco Macota.
dem idem n. 43.Filhos de Jos Rodrlgoec dos
Passos.
Sobrado n. 47. Dr. Bernardo Pereira do Carmo
Jnior.
Mera idem n. 4.Mosteiro de S. Bento.
dem idem n. 6.dem idem.
dem idem n. 8.*-rroandade do Santissms Sacra-
mento de Santo Antonio.
dem idem n. 10. -I>m Idem.
llera idem n. I2.-Idem idem.
Wem dem n. 18.Bernardo Alves Pinbeiro e oo-
Iros.
dem idem n. 20.Anna Tbereza do Sacramento.
O escrlvlo.
Pedro Rodrigues de Souza.
THEATRO
DE
mm%
(MPAMIli BIUSILEIM
DE
Paquetes a vapor
, Dos portos do norte esperado
at o da 26 de dezembro o vapor
Cruzeiro do Sul, commandaote
Alcoforado, o qual depois da de-
mora do cosime seguir' para
os portos do sul.
Desde ja se recebem passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder condazlr a qual dever
ser embarcada na da da soa chegada, eoeommen-
das e dinhiro a frete at ao da da sua sabida ae
S horas. Previnese aosSrs. passageiros que suas
passagens s se recebem nesta agencia roa ds
ronnrilitl npla I"ni Mr nrpsl- Crnz D- 57, 0rlmeir" andar, escriptorio de Anlo-
lonceaiao peio isxni. wr. presa mo Lujt de 0liveira Alevedo & c.
lente da provincia a
II di. de rontes.
Seita-feira 20 de dozembro de 1867.
Beneficio i actor Pontea c Mi lilha.
Primeira parte.
A belllsslma comedia-drama ornada de exce-
lente msica
MIGUEL 0 TORHEIRO
exhibida pelas artistas D. Carclina Falco, Cesar de
Lacerda e Peregrino.
Segunda parte.
A interessaote comedia em 2 actos do Exm. Sr.
Mendes Leal Juoior
A afilhadi do barlo
Terceira parte (3pedido.)
A delicada e espirituosa comedia em um acto
Rao ha rumo sem fg.
Quar;a e ultima parte.
A mallo applaudida scena cmica execulada pe-
lo Sr. Fla.iaoo Coelho
O matulo aparvdhado
E:s o dlvertimento que os beneficiados re^peito-
samente olTerecem ao Ilustrado publico desta ca-
pital e certo da sua nunca de-m. mida beoevuleo-
cia,esporam merecer rnesuia proteceo qoe tao- resto e passageiros as quaes tlferpce excellentes
tos outros artistas nelle teem encontrado, pelo que eommodns; traase com Cuoha Irmos & C, a'
desde ja' se coofessam extremo agradecidos. ; ra da Madre os o. 31, oa cora o capito a' bor-
0 actor Pintes tributa ixualnieule um sabido do.
agadeeimento ao Exm. Sr. presidente da provin-
cii pela concessaoque Ihe fez do tbeatro para esta
nolte. Favores desta ordera gravam-se no fundo
do corafo.
Reconhecimento intimo aos meos collegas que
generosamente se prestaram, coadjuvaado ao sen
velho o irmo d'aria.
O resti dos bllheies aeham-si a veoda no escrip-
torio do tbeatro.
ComeQsra' as 8 horas.
Silbado 21 de dfzenibro.
Espectculo extraordinario
C'NCEOIDI PEL EXM. .'R. rnE.-IOENTE DA PROVINCIA
A BEQUSBIlENT; B i ACT U CESAR DE LACERDA,
E I0R E TE FrERKCIDi EM BENEFICIO D>
HOSPITAL PO aTCJUI liZ
DE
PERNAMBUCO.
Primeira parle
A comedia calemb.iurg tai um acto, original
do E'sm. Sr. Duirtedo Sa, ornada de msica do
maestro Caserairo
Uin
SOC1ET GENRALE
DR
Transports maritimes a vapeur
PAQUEBOTS FRANCAIS
Al o da 2i do correte espera-se dos portos do
snl o vapor francez Poiton, commaodante Alnais,
o qual depois da demora do cosime seguir' para
Geoova tocaodo em S. Vicente, Santa Cruz de Te-
nerife, Gibraltar e Marselha.
Para coodicSes, fretes e passagens tratase na
agencia roa da Cruz n. 55.
O
Prelende seguir com a rrnior hrevidade possivel
a barca portogu^za Sejuran^a, por ja' ter dous
tercos do seu carregamento engajados : para o
PARA
Segoe o veleiro hiaie Lirido Paquete, cap'tao c
pratico Fraocisco Ribeiro Barros; para a carga
que Ihe falla traase com o respectivo eoosigoata-
I lo Aotonio de Almeda Gomes, raa da Cruz n. 23,
1* andar.
par de inortes ou a vi-
da de U3i par
Segaada paite
A comodia em um act, paraohraso do Ilustre
acadmico Sr. Guimares Juoior, mancado maes-
tro Coas
Os amores de
leuo
um
Terceira porte
Gande symphoma era sceoa aberl execntda
a grande crctiettra. S^guir-se ha
walsa-concerto do mae-tro AroiiW, canuda pela
Sra. D. Falco. Em seguida
0 Si m AL
noesia pelo Sr. (,. d> Lscerda e por elle compos-
ta expressamento r>ara Per r^cil^.da cesta noite.
C?aa;t3 parte.
Terminara' o fsj mj c itaioaieia em um
acio, imiia^ao lo Rr J. C. a, -, SiQ!os, do rep-jtto-
rio do theatrn normal n'""t"i!nez
UM SGElTO E UMA SENHORA.
Conitgara' as 8 horas.
Em oc'asiaa ptn que e.-t-.ja a siena abena orna
commisso de senbura que rjencvolamente se pres-
laro, ira' reos camarotes agradecer a todas as
petsoas que se dlguaram aceita los.
SeguniSa-fcia 23 de dezembro.
Terceira representacao de
Para Lisboa.
Val sabir com brevidade a barca portngueza
Grattdao por ter parte da sua carga prompta ; pa-
ra o restaote e passageiros tratase com Oliveira
Filhos & C, largo do Corpo Santo n. 19 oa com o
capito na praca.
Babia
Pretende seguir com brevidade a samaca Hor-
teneia, por ter parle do seu carregamento eogaja-
do, para o resto que le (alta trala-se com os con-
signatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.,
ra da Cruz o. 57.
Para Lisboa
S<>gne em piucos dias o bncue portugnez ''ons-
tante l por ter urna grande paite do seu enrrega-
meut > pmmpto ; para o resto e passageiros trati-se
com Filhos r, largo do Corpo *aoto n. 19, oa
com o capuna praca do '"V.mmercio.
S^gne com a possivel presteza o veleiro patacho
Volante, por ter a maior par e da carga engajada,
para o que ainda ple adraitlir : tratase com o
respectivo consL'oaiario Antonio de Almeida Gj
mes, a' ra da Cruz o. 23, Io andar.
lfi)
ei3 JANEIRO
Pretende pgnir com multa brevidade a barca
Despique II, tem dnas tercos de so carnga-
mento a bordo para o resto qne Ihe falta tratase
cora 03 si.-us consignatarios Antonio Luiz de 0i-
vira A-v.;,> & <;. roa d On*-o,S3------
LSILOES.
linats
O espectculo sera' dividido era 10 partes e
programma composto de sortes sorprendentes in-
lelraroeole distmctas dos dous primeiros.
O* bilheles podem ser procurados no hotel de
Enrona com intecedbcia e no dia da representa-
ci no tbeatro cerno de co>tume.
P.iiicipiara' as 8 hora?.
TIItTIO
DE
OLIiVDA
Mil. 2i:^i?ii v\\
A ppdio de grande numero dn pessoas dar'
dnns divertimtntis nrste theatro sendo o primeiro
diUortute do tegundo cojos espectculos lerao
logar
Sabbado 21 e domingo 22
do corrente.
Mr. Herrmano nao determina a distrihnigao de
saas sones para inaicr surprezado publico.
Presos.
Entradas geraes para horoens senbcr;s 25000.
Principiara' as 8 bons.
MISOS MARTIMOS
joros simples e composios, tbeoria 4o
cambios e soas appllcafides.
Os concorreotes devero previamente apresentar \a -s.ablD? di CuDaa ^agoso.
ens requer-mcotos in>lruides de docomeotos que |! \Z |8.-Aotooio Ferreira Braga,
provem idade ctmpleta de dexcito annos, isengao lde lde|m Q' 2S.-Irmandade das almas de Santo
do pena e culpa e bom procedimento, na forma do ipm ,^"' ,n M
art. 3do deereto n. 3,549 de 14 de marco da, ,m? -JoaDOa Maria dos s"'8 Mo-
Secretaria da tbesooraria'de fazenda de Per-!" m^w. 31~Dr* Ant0n, hiqBm de M-
Dkmbnco, em 6 de dezembro de 1867. Umi,Vmn ,,,, *,. .
larvindo de offle.al-ma.or, SiTJ\ 3Jr t o 6 Amn ,
____ _____MaooelJos Pinto. | l"em ^d. d8.-Tutor de Prancisco Goncalves
O Illa, gr. inspector da tbesoararia de fazen- Casa terrea n. 50Os mer-mos.
aa desta provincia manda fazer poblico qoe Oca dem idem n. 52.Dr. Joao
marcado o da 13 de Janeiro prximo vindooro de Mello.
;..T. e.?curso qae 6e teD1 d8 abrir nesta tbewa- dem idem n. 54.-Laiz Jos da Costa Amorim.
A;Mn?n,PreHDcd"n8Dt0 dl g" de tereeiros dem dem n. 5.-Jos do Reg Pacheco.
Ve ?, i, rt, me8m- 0a 8xames wurt so- dem idem n. 58. Bsrlbolomeo Francisco
W u maleria segaintes: tbeoria da escriptara- Sooza.
Capislrano Bandeira
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
E operado dos portos do snl
at o da 22 do corrente o vapor
Guar, com mandante o primeiro
lente Pedro Hyppollto Daarte,
o qual depois da demora do eos-
tumo sHKUiia' para os portos do norte.
Recebem-se desde ja passageiros e engaja-se a
carga que o vapor DOder coodazir a qual devera'
ser embarcada no dia de sua ebegada, eoeommen-
das e dlnheiro a frete at o dia da sabida aa 2
boras. Previne-so aos Srs. passageiros que soas
rassagens s se recebem nesta agencia ra de
Gm;: n. 87, escriptorio de Antonio Luiz de Olivei-
ra Azevedo & C.
CMPANHIA PERNAMBCANA
M
Havegacao eos'eir por Taper.
Rio FormoMj.
S gne no da 21 as 5 boras da
tarde o vapor Mamnngunpe, eom-
mandante Co-i. Ri-eetie carga.
De '> caixas com presuntos ioglezes para
flambre conteodo cada tima 20 presuntos
na armazeni do Sr. Atines.
Por coola e n.-co do quem pertencer e por in-
ervenefio do agente Pmtj.
De am pequpno sillo em chao proprio n) logar da
Capnnga defronte d'i sitio do Sr. Paulo Jos Go-
mes, tendo toa casa de vivenda, arvoredos de
frocl03 o cacmi)a de boa agua de b^ber fdo
cercado de limoelros, nesta cccislao se vender
tres cavallcs gando ora para sella, ontro para
eabriolet e o ultimo para carga.
BOJE
Pelo agente lardos no arraazem da roa do Im-
perador n. 16, as li horas em pinto.
De urna mobilia oa faia cemposta de 6 cadeiras de
guarnicao, duas de balanco, um sof, doos cou-
solos, ama mesa de meio de sala cora tampos de
pedra, ama comraod, duas mesas para cosinha
e ama prat^leira ludo em mo e.-tadj, nm relo-
gio de parede americano.
SS E3 *""" M3
O agente Manius fara' leiio a reqaprimento de
D. Luita Eugenia da As-'impg.ij Ribeiro como
t--ta "-nieira dn* baus de sea casal e por manda-
do do Ulna. Sr. Dr. juiz municipal da primeira va-
r, as 11 boras em pon ti.
AVISOS DIVERSOS.
Arrendase a proprelade denominada Barra
de Senabaem, na fregoezia do mesmo neme* e sea
litoral eom grande extensao, mullos foros a' per-'
ceber e mnitos coqaeiros a desfractar, alm de ser
ptima localidade para qualquer estabelecimento
de fazeoda!, seceos e ominados; a tratar a' rna da
Aurora n. 28, oa a* do laperador n. 431* andar
Ama
Fedegoso de Pernambuoo
A planta, conhecida entre nos sob a de-
nominarlo de ftdegose, e do Rio de Janeiro
e pro incias do sul deste imperio pela de
arista de gallo, o tiaridium utilissimum
'oa tiaridium elonaalutn de Schum, e o he-
liotropium curassadium de Mart., pertence
familia das boragioeas.
O fedegoso considerado, na therapeuti-
ca peroambucana, coreo urna das plantas
ruis recomtnendnveis por sur.s virtudes cu-
1MN rativas, e applicado interna e externamen-
te, eomo calmante do systema nervoso, na
paralysia, asthma, tosse convulsa ou coque-
luche, tosses recente? e antigs, suffocaces,
catarrhos pulmonares, etc., e em geral con-
tra todos os soffrimentos das vas respirato-
rias ; sendo um excellente unitivo para
aquel'es que padecem de phtiica pulmonar.
Soa efiieacia contra o ttano ou espasmo
incoatestavel, e ninguem ha que a desco-
nheca.
N5o ignorando nos o que acabamos de d-
familia. sojeitaodo-se a ir para Apipocos
do Queimado n. 12, 1 andar.
na ra
Preclsa-se de nm caixeiro que tenha bastan-
te pratica da borna : na roa Imperial i>. 171.
Da se a premio com hypwibeca em casa,
1:5005 : na roa da Uoio o. 4___________^^^
Preeisa-se de nma ama forra oa escrava, pa
ra o servifo de orna easa de familia : na roa de
lionas n. 104, sobrado.
Na ra das Ciaco-pomai, casa li, detroato
da matriz de S. Jo, existe urna pessoa com bas-
tantes habilitabas para preparar lodo o genero de
comidas assira eomo tambera encarrega-se de fa-1 zer eesforcando-nos por ser til humanida-
j.p.r niiai de soffredora, preparamos o que abatxo indi-
camos, pondo a disposico dos distirctos m-
dicos, e dos doentcs desta e das outras pro-
zer qualquer
della. _
Isto que pechincha.
Fazendas com toque de a-
varia-
Madapclo de I05 flnoa 6.
Dito de 95 idem:J&.
Algodozinho Oooa 25-
Ditoa 35-
Camisas de 3JI50Oa 1$>.
Gales de 4~ a i$.
Saias de 55a 35.
Toalhas de 15500a 800 r?.
Seroulas de 25300-a 15-OO.
Enfeites para cabrea de 55a 1$.
Chpeos de copa balia de 55'0 -a 45.
Na ra dos Qaarteis n. 22, leja de calgado do
Vianna._____________________________________
Fugio do engenho Plmenta, termo do Cabo,
ha perto de tres mezes, o escravo pardo de notne
Jos, idade 36 anoos, balaote esperto, estatura re-
gular, pouco co.vo, Ma apressado, rosto compri-
ds e descarnado, sem barba, testa um pouco acar-
nerada, tem um talbo no beco de cima, signa!
bem saliente, carreiro, embnaga-se multo, tem
por habito fogir, tem signaesde acoule as nade-
gas, enculca-se de forro, e as;im lem estado no Re-
cife trabalhando em armazem de assocar e tara-
bsm na estrada de ferro; quem -o apprehender di-
rija-se ao seu senhor Manoel Jeronymo Birreiros
Rangel, ni engenbo Pimenti, oa o Sr. Correa &
C, na ra do L'vranientj u. 20, que sera genero-
mente recompensado.
Precisa-se de urna ama de idade para casa
de pouca familia : na ra do Padre Fljriano n. 71,
segundo andar.
Julio Grasjeau faz scienle aus Srs. Chaix &
Gassiem, que a lamentavtl ocurrencia havida na
ra da Florentina, na n i, do lo do corrente, nao
se passoa em seu establecimenio de aguas gazo-
sas, mas tim ni esquina dessa ra, que volta para
o Campo das Princezas; e que, p.-rante, muio
agradece a declarago offensiva que Bzerim [ara o
seu eslab l"Clu enlo.
vincias deste
que s5o:
imperio nossas preparacoes.
Precisase e um c
gel n. 9.
.zmiieiro: na ra :o Itan-
Eicrava fugila
Do atnixo assgnaio morador oa ra da Impe-
ratrizn 2i, desappsreceu em a aJt^ de hontr-m
15, ama escravinha de noroe Lina, cor prtta, ida-
de 14 aTOns, levando vestido de chita rxajadcs-
botado e velbo, e cojos sigoaes mais salientes s i
os se^uiute.s : orelhas mui'.o pequeas ama deltas
rssgada no logar do brinco, vista espantada, urna
m;.r.'a de fogo no meio da testa bastsnte granda a
semelhan?a de pauno : nede pois as autoridades
policlaes a captura da dita escravinha, assira co-
mo aos Srs. capites de campo es quaes se recom-
pensara'; outro sim declara que su.-peila ter sido
e;la sednz'da e fuada por aleuem e levada talvi-z
nara o Bonito, d'oode natural, pelo que rte.-de ja
protesta proceder contra quem qur-r que o lenna
feto com todo o rigor d.is leis criniiuaes. Recife
1G de dezembro de 187.
Leopoldo Ferreira Marlins Ribeiro.
DcsuJ:i-S3 fallar com o Sr. Julio Pires
Ferreira na na das Cruts n. 202. andar,
com urgencia. ____
Quom perdeu um cinto dinjise a ra da
Imperarlz n. 7i, que daaJo .s sjl-s s inlre^a
pagando o importe deste.
i ,'
Para prs;ar a festaou prr anno ama c\=a na
ra do Rio do Poco da Paoella, cora 2 salas, 4
qo?rtos, cacimba lora, dlspen-agrinde, copia na
rtnto o quintal : a tratar corn o sea proprielario
Tasso.


l&Wi
m
De ama escrava, am escravo velho, ama victoria
em muito bom estado, urna mobilla de Jacaran-
da nova com timpo de pedra, urna dita de ama-
relio a Luiz XV, um grande espelbo eom orna
rica moldara doarada, um guarda loop de ama-
relio, orna burra (cutre de ferro), marquezas,
am santuario, diverses relogios de prata e ouro,
correles do mesmo metal e mnitos outros ob-
jectos qae tado se veodera* pelo maior preco.
IIOJE
Pelo ageote Marlins, a' ra do Imperador n. 16,
as liberas do dia.
UiUO
De 2 cabriolets e om excellcnle ca-
vallo para o usno.
Segunda-feira 23 do corrente.
No largo do Corpo Santo, as 11 horas,
peloageute Pontual.
LE ao
O agenta Pona 1 fara' lellSo por caot de qnem
pertencer do segrale : 39 doaias de garrafas com
ci'guac, 10 ditas de ditas vinbo do Rneno, 15 di-
eneomreendas, djneiro a frete e tas da ohapjs de pairu d< arroz e carnauba, 3
passaeeirns a bordo al o dia
sabida : escuptorio no F re do Halos n. 1.
GOMPANHIA PERNAMBCANA
na
da! pianos (iieehiocba), cama* para casal seodo urna
de jieiraoda, dozas de cadeiras de guarnicao.
cadeiras da braco* de palha americanas, 1 bah
de sola, 1 cala para costara, t esuelBu* grandes
corn moldaras, 1 secretaria para viagem, 1 porta
IVnwennrnn rnvtpirn nnr nnnnr ,icor es* Ja ">otao. i mala deviageroi garra-
tyf Goianna. \ro,3 mesas da meiodanala, 1 santuario, 1 mar-
Seioe oo da SI as 9 h ,rai da quezo, 1 marquesa, 2 eommodas, cadeiras avul-
notie o vapor Purakbba, c raman- na, consol', carrnnos para carregar enancas, i
danii Mello. Rrat-tte carga, en- candelabros e mnitos outros objectos.
emmsnda, dioneiro a (rea e Segunria-feira 23 do corrente.
i.asag.-iro* a bordo ata o dia da No sea armazem raa da Cruz o. 62, -primeiro
san i ja : tgui iptorio no Forte do Ma los d. f. i andar, as 13 boras.
ama de lele
Precisa-se de ama ama de leite : a rna
do Cabog n. 61 D, casa de residencia do
3J coronel Ltbo.
Fagio da Capunga a escrava ue Uuine Aoio-
nia, cujos slgnaes sao os segaintes : alta, corpu-
lenta, rosto redondo, olbos pardos, denudara al va
e completa, pescoco alto, anda ura pouco inclraa-
da para a f.-cnte : quera a levar a' iravessa dos
Pires sobrado u. 9, sera' gr.itiflcado.
i\o da 15 de dezembro do corrente anno fj-
gio do eugenho Petiinb o escravo crioolo de ne-
me Antouio, de idade 25 annos, pooco mai; oo me-
nos, estatura regular, ps e ruaos pequeas, bsm
feito, rosto redundo, olbos regulares, pouca baiba
no queizo e preta, cabellos carapiobadus, bem fal-
lante e trabaina de sapateiro, consta que no mes-
rao da embarcou no tren da villa do Cabo, era di-
recQo a esla capital e suppoe se vir alistar-se co-
ra' voluntario; por isso previnese as autoridades
policiaes e aos capujes de campo de o capturar e
entrgalo no engenho Petinba' ao sea senhor
Domiugcs Marlins Pereira Monteiro oa no Recife
em casa dos Srs. Manoel Alves Ferreira & C, na
ra da Moeda n. 5, segando andar, que sera' ge-
nerosamente gratificado. Eageoho Peiimbu' 17 de
dezerxbro de 1867.
Pagase bem a urna ama qae saibTcozinbar
para casa de familia : a tratar na ra da Impera-
triz a il, lc).
Precisa-se de nma ama para casa de mutto p uca
familia : ra larga do Rosarlo n. 31, Io andar.
Alugase o sobrado da roa dos Coelbos n. 10,
e a casa da roa dos Prazeres n. 3b, com commo-
dos para familia.
Precisase de am cosiobelro oo cosiohelra
qae suba cosiohar com limpeza e perfeigo o dia-
rio de orna casa : na raa do Imperador o. 43 se
dlra' quera precisa._______________________^^
Precisa-se de ama mulber para o servico in"
terior d casa de hornera solteiro era compaohia
de urna menina de 4 annos : a ra do Padre Fio-
hado o. 69, sobrado.___________________ _
Precisa-se de urna ama na ra do Barlolo-
mea n. 39. _____________________
No colleglo da Cooceigo preclsa-se de om
cozionetro, de nm servente escravo e de urna cria-
da poi togaeza.
Pro :i-a-sa de ama ama cosinbeira forra oa
captiva ou um cosiobeiro : na ra estrella do Ro-
sario n. 2 A, 'padaria.
Pergunta-se a actual mesa regedora da con-
traria de Stnla Rita de Cass:a, qaando fiz teoco
dar posse a' nova mesa, eleita desde malo do cor-
rente aooo, olto mezes decorridos, pois sabe que
em malo va k ur i tem de se eleger aova mesa e
que tempo lera de fmccioaar e-?i a que alada nao
qaizerara dar po>seT
Q stro meies incomoletos I I I Estara' ssj de
accordo om o corapromisso 7 Sr. juiz elelto col
dado c >m e-ses menin >s; ni) caa aa e>parrella
qae est) arroaalo, pois tado isso plano para nao
poderem conl naar ate........
'____________ O vigia.
A JlJltUBEBA
em extracto alcoolico, emplas-
tro, oleo, olura, pllulas, _a-
rnpe e vioho.
A JURUBEBA urna das substancias me-
dicamentosas (pie perlencem ao reino vegetal
e entram na elasse dos tnicos e desobstru-
entes, sendo etnpregada com vantagem con-
tra asfebres iutermitenles acompanhadas de
engorgilamento de ligado e baco.
Ella tem sido aplicada ern inconttstavel
prove to contra a anemia ou chlorose, hy-
drope>ia catarrlio da bexga, e mesmo para
excitar a menstruaco difficil, resultante da
mesma anemia ou clilose.
o arkobe"\egetal
Es muilo superior aos xaropes de CUISI-
NIER, e deLARROY. De fach digestao, a-
gradavel ao paladar e ao olphal, elle cura
radicalmente, s m m:rcutio, todas as affec-
ces da pelle, impigens, alporcas tumores,
ulceras, sarnas degeneradas, escrfulas, es-
corbuto. E' sobre tudo poderoso as moles-
tias rebeldes ao me-rcur.o e ao iodurc-to de
potassio.
Pos Terraffngos para lombylga.
Preparado arasis segura para a expolso com-
pleta das I jrnbrlgas o oatros verm?, sem acarre-
lar os inconvenientes que se tem dalo com entras
prepararles Sao de grande acjc vermiciva.
agridavdis ao paladar e crjmpativr'is com tof s as
idades e compleicoes, variando sbenlo na quan-
tdade.
XAROPK UE SALSA l'ARRILIIA DO PARA,
ou
D-PVB.1.TIVO DO SALGUE
USADOS AS MOLESTIAS DE PELLE, IMPIGENS,
DORES RHEUMATICAS EULCEItAS VENREAS
Pf-.VIAS XSTt PEKfiOlaCAS
Contra asfebres inkruiileQles, oa sezoes
0 lIULUN'lilT tem accfio directa sobre os
centros nerv isus, e por isio fa dormir sem
determinar affluencia de sangue no cerebro
como o opio e substancias simples quedclle
se extr-'hem, pelo que o somno 6 tranquillo
e reparador, raima a tosse as brouchites,
e modera os accessos de asthma e de tosse
convulsa.
TODOS ESTES MEDICAMENTOS SAO PREPARADOS
POR
Jcaquim d'lmeida Pinto.
PIIAHMACEUTI O EM PERN'aMUUCO.
['ti Idiya do Rosario N. 10
_________ Ja lo] a o qnartclde p licia.
Precisa-se da urna aui.i que sailia cozfnhar e
ngnmmar para cas de familia : na roa da Impe-
i at iz d. 34, 1 andar.
^Mmmm^mM mmmmmM
O Ur. A. S, Pereira do Ca mu (niediC'J
* est morando no sobrado o. li da ra oa
$j Imperalriz.
Aluga-se
para passar a feta on por um ann", nma casa em
linda, coa escellenta vista e mutto fresca, com
tres sslas e cinco quart.s, cozioba fra e bem
[quintil, com terraecs adimie e atr.-.z com acentos
!de pedra e ol : a tratar na prac,a do Pedro II, li-
vrana da Induca n. 6.
A qn^m se rchar por falta de dnas dozias de
pratos pequen js azues e quatro d t.s trevessa e
tima peneira piqnena, por estravio ao portador,
dirjase a'ra dj Pilar o. U3, anJo os seas sig-
nae> compeL-nl-s. ___________^^
Ao commercio
Barbosa & Primos, leudo acabado a sua liquida-
cio, julgam nada dever a' pessoa algurna ; eom
tudo se ha aiguera assislir o direito de eredor de
dKa firma, queira dirigir s i a' prava do Corpa San-
io n. 2
* opeirou
Na rui Jo Tfipica o. 17 prcc;sa-53 de am c:-
p-: iro.
Para prensa de aigodo, oa outro qualqoer nego-
cio, dous armeos us. 5 e 7 n iraws-a do Cario-
ca *, e outro dito na roa da Prala o. 29; a tratar
eom Gmtnermfl s.-tt, rna d< Imp'ratri/. o. 45.
Aluna se uin ca>a eiu AjiIjuC'j> pjr aiuguel
com mudo; a tratar na Boa-Vista, roa do Rosario
n. 36, em frente a' rna do Arago____
Pedido.
AMA
Pede-se ao sabetudo-caixeiro de nm arma-
zem no Recife, o favor de me diz r ae ja' panfleoa
o vinbo caja, i ae promeiteodo-m -> dar urna amos-
tra de lio bello liquido, at agora estou cbasando
do dedo; no eotautj segundo me lo[ormam agor
mesmo, o meu bom amigo liaba bons desejoa da
rae dar urna prova de sua amisade, mas leve a ia-
fellcid de de quaodo monlra sua nova machina
punQcadora e-'u era lagar de vinbo, en anlo bor-
ra : lamento, qnairo vezes lamento to mao etilo
em sua nova laveoso; ao deuoime qae eu tenbo
tanti l oo bom resultado de seus trabilbos, como
a certeza em >r a misa do gallo.
A propositoo vapor inglez ainda Dio veio do
sal; qual sera' o resultado desta demora ? S a
mea amigo me podera' sattsfazer esta pergunta :
pelo seu calclo submarino.
Adeus amigo
O canteo fura pmdes.
Precisa-se de orna ama para o servico da
nma casa comprar, co-inhar; na mesma precisa-
se tamb-m de om criado, a tratar oa raa estreit
do Rosario n. 272 andar.
Aos fumadores de b >m gosto
CHARUTOS DA HMIAIU

Preclsa-se da nma ama livre oa esersva qae i
compre e cosinhe para casa de pequea familia ; a I
Em a Galerii R-creilioa roa da Ira ruru a.
17 se ha lecebido por amostra trs iUrras di su-
perior qualidade da acreditad) fatrici de Manuel
de l- Sala.
Lava-se e engoiuma-ie cora ^rto^ij; oa
Iratar na raa estrena do Rosario a. 3i1" aolT.; raa Imperial n. 193.
--


m
larlo de Pcrnaucbur* Sexta lelra tO de Dezembro de I8AZ.
*FPrdo pela hnUade
de M.illcln, cmprrsido no
haspllara de Parla.
ELIXIR DO Da THERMSS
maprovado pela faculdae
4* Medicina, empread aa*
kaspliuca de Parto.
Occupa o primeiro lugar entre as preparaces ferruginosas as mafs assimilaveis. 0 Elixir do bV THERMEI empregado diariamente nos hospitaSs de Pars e principalmente no
Htel-Dicu (servico da Faculdade de Medicina de Pars). Administra se com o maior xito as doeurai de eonsamprao resultantes da vahanatarAo do tancne, chlo-
rosi ou coren paluda*, (Inores branca*, anemia depois das hemorrhagias, ou durante as coavalescencias de lebres perniciosas, uuoeacaefl.epalpllaeoea das mul-
heres pejadas. Nao menos efflcaz contra o racbltlsmo c obra poderosamente para os homens cujas forjas estam esgotadas pelos trabalhosintellectues, abusos de todos os gneros, etc.
Toum-ne com a dosi de ana colherlaba (lepla de cada refclcwe.
Deposita geral na pnarmacia, ra Reaumur 43,, em casa de E. GALLOIS, pharmaceutico do S. M. Imperador, place Vendme, 2, ean Paria.
Bepaaito ei PEHPlAHBrca, P. MAUHER r O, nm todu ai Phamaciai ao Braxfl.
J
A LEGITIMA
SALSAPARBILHA
DO SALGUE.
Esla excellente e admiravel medicina preparada de urna maneira amis sen
I tfica por chimicos e droguistas muito doutos e de urna instrueco profunda, tendo tido
muitos annos de experiencia.
I
A SALSA PARR1LI1', DE BR1STL
PREPARADA UfflCAMENTE POE
LAMAN & KEMP,
NOVA YOEK.
C0XTIM1BEKTE
APPARECE3
KOVOS
TESTEHITMHOS
EM FAVOR
da legitima
SALSA
urna medicina segura e digna de toda a conGanca, conhecida e receitada pelos mdicos
os mais sabios e entendidos neste imperio, durante o espacs de tres annos, e nunca falta
cm produzir o desojado effeito.
I A SAIiSA PARR1X1IA DE BRISTOL
Entre as numerosas provas do grande mcrecimento da legitima, preparada por
Laoman e Kemp, de Nova York, nao a mais fraca o fado que tem produzido tantas
imitaces e falsificares fraudulentas.
j A SIjSA PARRILHi DE B3STOIi.
E' muito natural que aquelles que se acham oceupados em preparar e vender as
suas misturas em garrafas pequeas murmurem e gritem contra os frascos grandes, os
quaes contm em si tres vezes mais do extracto puro do que qaalquer urna dessas oulras
preparaces nesle mercado.
A S..LSAPaSaEXaiI[iE2^ IIE SKSTtWi
f f"belecida no auno de 183&
No anno do 1848 o propietario aJoptou, c ;a grande sacrificio seu.garrafas mato-
res, sen'o agora de quartilho, oferecenlo deste modo aoscoasamidores uma maior por-
gao de extracto purissimo, como nunca foi offerecido.
A NICA LEGITIMA
DE
SALSA PARR1LHA DE BR1ST0L
E' PUEPAkSAD.1 POR
BRISTOl.
Os doent s, deverao ter bem o cuidado
de obterem genuina e nica legitima
salsa parrillia de Bristol, a qual preparada
por
LANMAN E KEMP
DE NOVA YORK.
DE
NEW-TORK.
Cautela contra as novas salsas parrilhas de Bistol que
sao perniciosas.
A LEGITIMA


PP.EPARADA NICAMENTE POR
LAMAN & KEMP,
NOVA YOEK.
ESCRFULAS
CHACAS ANTICAS
Ulceras
Fcridas ulcerosas
Tumores
Herpes
Erupcoes
Lepra
Debilidade geral
Rheumatismo
Salsugem
Febres malignas e beliosas
kmpigens
Febres intermitentes
Nervosidades
A SALSA PAKRILHA DE BRISTOL
De Lanman e Kemp
NEW-YUKK.
E" A MELIIOR
A MAISFORTE
E A MAIS BARATA
Em frascos grandes,
Nao bastam os elogios para justificar o uso de un remedio, necessario que, o mesmo, mediante umi experiencia de tantos annos e D testemunho dos scientificos, tenha
adquirido uma ext nsa e incontestavel popularidad. A salsi parrilna de Bristol de Lanman e Kemp tem provado a sua efficacia pelo curso de 34 annos, e durante o espago
de 21 annos tem sido receitada pelos primeiros mdicos m imperio do Brazil. Pdem outras preparaces inspirar a mesma confianza.
Vende-sa em Pemambuco em casa de A. Caor?, J. da C. Bravo e P. Maurer & C.
RESTAURAN! A LA CARIE
Entrada geral ra larga do Rosario n. 37 e para familias roa
eslrtiia do Roswio d. 4 A.
Francisco Garrido & Hermano, propietarios drsie grande esiabelecimento, com ebepada da
Europa do p i -ot-iro, tem o prater de anuunciar aos seus amigos e freguez8s, qae se acham outra vez
bo mesmo Pt.ihelecimf'rit.\ ancio.'Oi por ver lodos os seus pare-chunos, lano da prsga orno do malo e
de outras: rovincias. Os propietarios tem Mo todo o possivel para satisfacer a sua Ilustre concur-
rencia. 0b.spedes acbaro tods corurnodidadede grandes salas e asseiados quarios por pregos ra-
20a veis.
Ha sala para leita.-a de jornaes nacicnaes e estrangeiros; na mesma sala ha um magnifico piano
para recreio.
Come se a mesa redonda a la cart9 e manda-se domicilios.
Os viohos mais Bnos do mercado acham se no estabelecimento.
A' noite ha sorvete e refrescos, caf, cha e chocolate a toda a hora.
Tem de mogno os buhares, nobres divertimentos dos res e oulros jojes. Fallase, hespanhol,
france, italiano e inglez. No estabelecimento vendem-se libras sterliuas e compramse ongas
bespanholas.
FILLAS de BLANCARD
,A0 MDUUTO BI miO IHALTIRATEl
ApproTadas pela Academia de Medecina de Parix
anoaaaaii ru eomuo sdicl m ui-mmim
BxmmnmsAi nos bospitas de fra.ica, da blgica, da irlanda, da tcrofia, wc.
Mcncoi* konrttu na Bxpoiicoi* Unherfaii de Netv-York, 1858, 1 i* Par, 185.
EsUi Punta enTolf Mas 'ama eamads rcstno-balsamica de ama lenuidade ctcmIti, tea
iTiDijf a de aerem lnalteraTeii, tem labor, de nm pequeo Totume, e de oai eanurem m
orlos digesthoc Grmelo d proprledadei do Iodo e do Ti:bbo ella i eoota princi-
palmente na* ffeccoes Cklorotica, EicrofuUat, tubercutoMt, Canerotaj, na Uuttrrku,
mnunorrkia, anemia, etc.; eiiGm, ellas offerecem aj pralicos uma medicaca du mala enr-
gicas para modificar u consUiuicoes lympnartau, fraeat oa dtbiCitadu.
JV. B. O iaduret* de ferro Impuro ei Herido ao medica- ^
meato infiel, irritante. Como pro do poreu de lutboncidade du Jlf
ir- adelr PtlnUt de Blaocard, dere -m oxigir aono tFiloe dAfati
prsta reactiva o no$s,qacseacbana parta r/, ll(>
inferior di oa retolo verde. Dte -te desconfiar dio falaiocifMS, T ~"
ArXam -ae en lodaa as Pharsnaeias. PharwuunM*, rita Booart, U. r*rx.
Feior
Preclsa-?e de ura >.ara sino ;
P'i ?, cas to, c jin pouca familia'
Nova d. 17, loja. .__
prefere se purtu-
: trata-se na ra
Preclsa-se de orna ama para eogommar e um
coziciieiro : na ra da Cra: n. 9, terceiro andar.
Dfnhelro
No seript *rio da compauliia pernambucans, no
Foro do MimId. I, ha cm erobrolho, dmhelro,
para os Sr<. Minoel Rodrigues da Si'va & Vnnna.
I
;ci mu CEL4.
Os artiftas plctores na Inglaterra recuzam tra-
balaar na tSTa qua retebeu um. retrato batogra- .
ptiico augmentado pela cmara solar, visto que o
processo pbotographico penrm P^ssa a tela do
pintor, im dj se t.ra^r cjuvjuieat e prprU
para rtCfb^-oretr^t? qt porta-s m-t-n s tott-
nha e augmsBt.i ff^cU-a tioragiila aesr>ia tela.
Perden-se nm reloglo de ouro
patente uisso d. 22129, no pateo
do Carmo: quera o achou qa-rendo
entrega lo a sen dono dirlja-se a
ua estrella do Rosario n. 25 que
ger bem recompensado.
aixeiro
Oflaj-ece-se Hra cattetfo de li a 16 annos de
idade tora pratica da taberna : quera precisar di-
rija-s ao paleo da Riteira n. 17, que acUa com
quem tratar.
Que um elegante estojo para viagem
COSTE XDO :'
l920 cadernos de papel branco, pautado, beira dourada, marcado com as ini-
ciaes do comprador.
2iOO envelopes brancos.
3100 penas de ac (marca lanca).
4i caixa obreias de gomma: 1 caixa obre-ias de massa.
5i tinteiro de vidro com tampa de metal
6i arieiro idem idem.
71 pao de lacre.
81 caivete de duas folhas.
9o2 lapis.
102 canelas.
Todos esses objectos reunidos, dentro de uma bonita caixa, futa para este flm,
custam apenas
Es. 6|000
ummm mmmu
PROTECTORA
. DAS
HHaH5s>
O abaizo asslguado, representante da PROl ECTORA DAS FAMILIAS, assoeiaeSo ferastlelra de
Seguro Mutuo sobre vid*, autorisada por decreto imperial de 13-de jooho de 1864, e gerlda pelo banco
Rnral e Hypctbecarlo da corte, tem a honra de chamar a aiiencao. de V S. para e regularmente, inserido
neste Diario de 25 e 23 o correte coja leitura e estado orientara' a V. S. sobre as vantageni que tal
institoicao oftVece as dnas grandes operacSes que ella tem por flma creacao de capftaes e a crea-
jao de rendas (ArL 2* do regiilamenio), as quaes podem ser iflectuadas separada oo siroulianeamen e.
Acreajo de capital o tem-sa pelo aogmento progressivo-do jaro que elle prodot, soceesslva-
mente capitalisado, e pela addiga j das quotas da heraaca correspondente aos capltaes dos contratos, ca-
jos segurados fallecerem antes do sen prazu.
As contriooi^Ses destinadas a foraiac.o de capital oa a de renda, poden, ser (ellas por urna s
vez (nicas), ou por prestarles annaae iguaes (annuidades). Art. 4.*
A seguinte tabella tu sira os resultados provaveis que se conaeguem (azendo entradas annuaes
de 100,1000.
Segundo esses clenlos aquelles resaltados augmentara de 20 a 2o por u, qaando a entrada,em
vez de aouual, feila ae ama vez.
lUili.
Por caneca de 1 crianca de 1 dia a i anno
de 1 a 2 annos
> de 1
* de 1 i de 2 a 3
> de 1 a de 3 a 4
* de 1 de 4 a 13
do uma pessoa de 13 a 20
de de 20 a 30
de a > de 30 a 40
> de > < de 40 a 50
l.i anuos Iiu II) aunos Km |.i an
1:1004000
9OO0U0
M. t)"
86UAOOO
8603000
860*Di.O
860*000
8605000
900*000
-------1
4.U0O*o:>0
3:000*0C0
2:600*000
2.800*080
2.7O0*('OO
2:700*000
2:700*000
2:700*000
3:00*)00
9:00*
7:500*
7:200*
7:100*
7:0)05
7.000*
7:100*
7:20'J*
7:500*
Em 20 an En 23 an
20:000*
17:0:)0S
lli.OuO*
lo:500*
15:300*
15:400*
15:600*
16.000*
18:000*
47:000*
37:000
35:000*
34:000*.
33:300*
33:300*
34:000*
37:000
.Si):000*
Uma conlnbuigo nica de 2.500000 por qualouer numero de quinqoennios costa 2;6S8*o00
a saber :
ContriboicSo..........
Commlsso de 5 por |. sobre 2:500*000..
Apolice...........
Sello a fazenda nacional......
Bs.
2:500*000
125*000 (art. 62)
1*000
2*51.0
2:628*300
de julho
de 1865, na 'r-
eosla os mesmos
seguintea a anuut-

Preoisi-se de nm crladn Ivt
Criado.
bo esersto: na
ma dj Queiro'alo n. 12, 1 andar.
Wnoei ffirtfrjoaaTd ra do Codorniz n.
4, b?m atregue/.d ; na mosma casa precisa se de
Pars- Ihufmr. de toPkolwepl*. oa, ffl caUeirfcprai,^eni,>
tnbro de ISC^^. ^a _u.asinjirrf-----'-------_. _______
YeMfe-Be ewv fjoain cavado pnra cabriolet,
em Saut Amaron ssaM,a a uaiijao, taberna do
Joto Jiciwho da Gar Preclsa-se da a
de oma-casa de peqoeo* Uaiiki, Jio se olnaudo - Precisavse da ama ama que fac tjdo-o servico
casada peqoMt Umili, nao
o preo; aa ra da Imprauiz *Hk
s)aanaiaiii^tl|ll
I<
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercadorias emobilias:
ua roa do Vigario n. 4, pavimento terreo
Do engenho Penanduba continua a estar fa-
gida ha cerca de um auno a ecrava de nome Sa-
bina ou os signaes seguintes : crenla, baixa,
grrssa, cara redonda e boxigosa, testa batida e
c m orna cicatriz, rSr fula, seios grandes, mos
pequeas e percas arquiadas, reprsenla ttr 25
aonos de idade, ach; va-se grvida quando fugio e
mais al?uns sigoaes que nao se rocorda, consta
que esta'servalo de ama em algaraa casa desta
cidade a titulo de forra pois fui vista ba peucos
das na ribeira de Santo Antonio : quem a apre-
hender leve-a ao referido engenbo ou a' roa do
Ouro n. 10, que. aera recompensado, generosa-
mente.
n.
Compaubia fideliJade de seguros
maritiraos e terrestres -;"
establecida no Rio de Janeiro
AGENTES EM PERtfAMBCCO
Antonio Luiz de Ovcira Azcvcdo i C.
competentemente autorisados pela
directora da companhia de seguros
fidelidade, tomam sagoro* de na
os, mercadorias e predios no sen
criptorio ra da Cruz n--<4*. ? l. -
E mais 1 por '|. sobre 2:500*000 por cada mez decorrido desde o 1
ma do an. 13 do rrgubmenio.
,A raeSTia coutribuicao de 2:500*000, seudo paga ero prestagijes annoaes
2:628*301), s-n-io pagas no acto da 1" preslavio as despezas de geslo, e nos annos
dade simplesmeme.
E neste caso a multa de 1 #|, ao nvz conia-se smente sobre a 1* annnidade, devendo as -
guintes realisar se em dezembro dos annos consecutivos.
A creaco de reodas operase depositando na associaco par uma s vez, ou tambera por annui-
dades, quantias que .ica.rn.tlj.hs projuzam, da ce;to ttmou era diaute, e depois annualmeate, orna
renda.
E esta operacao vera em auzllio tarabem daT tribaintes se preoccaparo, temendo nao poder continuar por ura largo praz> o paga nenio de anaoida-
des precisas para que osjeus beneficiados venliam a alcancar um boiu capital.
Mas lal preccopa(o, ou difJBculdade, desapparece desde que o coniribulnle poder asse-gnrar,
sem dependencia da sua vi-'a, o pagamento d*s 3 primelras aoooidades, e ftrer laabem nm contrato
de renda, qoe desde a liquidarlo do qoinqauoio prover, por demais, ao pajameon das auaada-
desa que est obrigado o coniraio do capital. Com tffeilo, Bgare-se, por exempb, ua contrato de
2:50r>* para crenc.io de capial por meio de prestacoes annuaes de 10(*.
Para sat:s.'azer as primelras S annui ladas lanzara' o contribuinie mo de um mel que nao la-
Ihe, anda p r oa mji. (| ie 6 jasl menso q'ianda o sen bineficiado mais precisa de recursos
E para :eguraf to fuiaraas O seguinl s annoidaies insiituira ura oatro conirato de 1:500*00^
pagavtl em 5 annoidades Je 300*. qoe, permanecen lo con.-Unlemente na Ass do a liquidado, qaa ha de ler lugar uo correr do 0 an). e confjrme os clculos do Binco Unio,
a o prospecto da Comp;.iih:a Tutelar, urna renda aunual de 400*, equivalente ao juaJraplo do valor
da annuidade que se fomua para base do contrato de creajo capital.
O desemb.'Iso a (ff-;ciuar ser, pr.ij, n segoinle :
Para o coatiato de c?pilal de i:5o00>0
M. anBuiaie..........10'^fOO
i Cocnmisso da 3 por sobre 2:3OJ*!J0O 1255000
)Apolice............ 15000
(Sello a fazeeda naciunc!...... 2*5C0
1.' Anco
2.', 3.', 4.' e5.a axnuidades. .
Para o contrato de renda de 1:500*!.CO
ba a despender :
228*51 0
400*010
628*500
No 1* Anno
1'
I Coi
JAp
annnidade..........3 )0*C00
mmisso du 5 por |. sobre 1:500*000
plice...........
(Sello a fazenda nacional......
e nos 4 seguintes a 300*000.
733000
1*000
1JL00
377*300
1:200*000
1:577*300
Total despendido.......2:200*000
No correr do 6* anno, e d'enlao em d ante annualmente, receba-se 400* de rend, do contrato d
1:500*, da qual se applicara' 100* para a annuidada do contrato de capital, ficaado, portante, liquida
a quantia de 300* al que aquel e cootrato se Gnde.
E Bndo que seja, ao eabo dos 25 annos, recebe-se por elle 47:000*000, fidade de 1 dia a l an-
no.) e tem-se recebido do conlrato de renri a nnana rin 6-000* h imrv,, da aonaldade da 100* a qaa
a sujeiiou ooraote 20 annos o contrato de capital, e que, hvre deste onus, passa a renda a ser de
400*, e vitalicia, so se conservar sempre o capital de 1:500* na Associacao.
Tass sao as ernsideracoes e deduccSes qae resoitam do estudo que tenho fe to sobre a materia
e que me parecen dever levar ao conheeimento de V. S. de quem son reverente criado
N. F. DE VIDAL.
As pessoas que desejarem luscrever-se sao convidadas a dirigir se ao no escriptorlo da dita as-
oclajaorui do Livraraento n. 19, primeiro andar.

Vida de Horacio Nelson, por
Forgues.
Sem contestado alguma Nelson recenbecido
como o primeiro almirante do mundo, e se nao ti-
vesse alcanzado as victorias d'Abcukir e de Tra-
faigar, talvez que fosse a Inglaterra vencida por
Napoleao. A sua tenacidade e consclencia do genio
tradozem-se na eloqnenle proclamacao de Trafal-
gar : A Inglaterra e.'pcra que cada um cumpra o
seu dever I E', pois, com razao que os inglezes
idolotram a memoria de Nelscn, e o proclaman:
salvador da sua patria.
Vende se esta obra ioteressante por 1*600 rs. o
exemplar carionado, na llvraria econmica defron-
te do Arco de Santo Antonio, asslro como a histo-
ria de Carlos Xil por Vollalre a 1*200 rs. em bro
chura ; e a historia de Gil Braz a 5* encader-
nada. _________________^___
Oengeubo Oooilo da comarca de Nazareib,
precisa da um fe.tor qaa seja prtuguez, a tralar
com Leal & Irm5o, nj escriptorio do sobrado da
rna da Cadea n. 56.
Na ra dos Guararape n. 64, vene-se urca
prela de 16 anuos.__________________
"Novidade para a festa-
Aluga-se cavallos gordos e .bonitos para o dia
22 (domingo) e das 2i e 25 qnarla-f"ira di de
fasta, a tratar ni artrazem di sl na Boa-Vista.
^amei Pojver Jeansfon & CoaiyaaiiU
- Ra daSenzala Nova n, 42,
AGENCIA DA
FaEdt$5o de lioxv mr,
Machinas a vapor do 4 e 6 cavallos,
Metitas e meias moendas ^para engenho
T nhOj
Arreios do carro para nm edons cavallos.
^elogios de ouropaWflle ivijle?.
Aradps americanos. *'
WtAinaspara descurocar algodjo,
Motores para ditos.
iras
PREPARARES FERREAS-MAH6ASICAS
APPR0VADA8 PELA ACAD8H14 DB MBDICIRA
DE BRIN DU BUISSON
fhriM'.tulico, lirwi it!a icadenia a Bt&iii i Paria
O eminente professor TroSsba, na ultima ed!c3o de sen Tratado di Thera-
pevtica- e Materia medica, reconhece que os ferruginosos simples s3o multas
veze* inefficazes para curar as molestias que teem por ca-'isi o empobrec ment
do sangue. Simios mdicos dos mais dislinctos atlribuem esse m o xito a ausencia,
n'ess.vs preparacScs, do manganese, que se acl>a no sangue, como o tem reconuecida
OS chimicos os mais peritos, sempre intimamente unido com o ferro. '
E' pois, prestar-seum verdadiro servico aos S'" Mdicos, ocnamar-se sua atteaco
sobre as preparaces seguintes.
Io Ps fPPOc minrrtni)ne dando mroe^iatamente nma agua, acidalada,
II 1C1ICU5 BldlIgaUIlltt gazoza, agradavel, aubslituiido com vanUgem
economia as aguas mincraes ferruginosas.
2 Plalas c Xarope de iedareto de ferro e de manganese inalleweis
s conteno cada nma cinco centigramos de iodareto de ferro manganico indicada
partcHlarmeate as molestias Tymphacas, escrofulosas, e as chamadas ac-
erosas e tuberculosas. f
Drses de lclalo de ferro e de manganese
Pilmas de carbonato frreo manganico
bernar tai dnas preparacSec di ee memores resultados.
O P Baria da Buisson desejanda obter a adheaSo completa do publico r.-i-k a
cerca do valor de suas preparaces, previno que cita u poe gratuiaiBeiUe a soa
dispoaiclo, dirigendo-ta;
fa Na ParnJMittao, a sor agente feral, Maarer O, pharmaecntieoa, roa Hova.
JJSJLJaa^aa
^
i"
para a cfclorcsis, a ane-
isia, a leucorrbea, a ame-
norrbea. A i ad.cacao de
TRATAMENTO m CHABLE, de PARS
Medico especial, consuacdea, 36, ra Viviano*
AVISO AOS DOENTES. M ,nede ,odo*" '*" m **
:

13 iq
me escreTem
Fio tra co-
rado, tamei Cu-
beba, Cpihibi
sob tada as
formas em opia-
to, capsalas,
ean le ilos, tanho
ealomago per-
dido e nao estou corado ? Usei e abusci de um graude aumero de injkc^od, fus aretesdeffl
curar em 4 Oas, c estou ainda mais doentes.
m siais so xysxoa
qnc coro radicalmente sea recaliidas, Corrimenio:, Relaxado do canal, Cetarrko i iaxifo,
Perdat leminaet, curando primeira a usa virulenta inflammatoria d'essas doeaus sexaats,
com algums vidros do mea depurativo do sangue para parar essas alTeccoes, cecear n
canal e lhe tornar a dar sua regidez dou para acabar met excellente xarope ao citrat* ra
ferro et miuha injeccao. A cura radical, as senhorm pira es Oaos braacos, ugucja
o mesmo tratamuto. (Vcja-se a noticia ixplicutwa.)
40.000 DOENTES CURADOS
Verdadeiro tratameato dc--irativa do ubcdc. As herpe cu maii tnvetarciu, (Trapeen,
pntrios", atras, choqoi 1 cfccciti venertoi, humores e todas isdoenc-.u e,u alterlo a pama
do sangue to curadas esa pouco terapo por nteu xauofb depurativo bo sanos ateas
BA.NBOI aUMBRAES, BlilliUS PHiULi DEPURATIVAS e Dlioha l'ommlda ajITI-DARTROCA. H
Vtja-4e a auoeira de trataxe. A aotieia qae se da gratis o deposito de dmus aMde-l
meatos. Esse excellente tnUmento aso eoBten mercarUri sua auperioridada a bata ^ittt~ "
rilo ha ama so cata qoe poau codo ei apreseatar lautas atteslacjics da curas.
*?* fatrta. ttnimltinJu 60 iovtor Ckcili $ ter torrenomit**.


mor*
.V
'V

I

57 ra do Imperador 57
Pelo Saladla
l\ec9bea esle eslabeleciment um escollado soriimento de conforlaveis objectos.
...;
U *#
ConfaiLos
Gelei sm copoteiras
Pinh5esem cestinhas
AmeAasem latas
E em calimbas
bvfc
'>
propnos para mimos ; como fe ara: i
n-tlaMacts frescas Ameixas cbris'laUsaJa
! tPeras Marmeilas idem
ttyjldem seccas MarmeladM em qorrtos
Tmaras Amendcas em casca
Figos Qoeijos da sen a da Estrella
E mais uma inflnidade de arligf ^ue o compralor wcdHiert a sen gosto.
r
Mata
i
a>ajfliaaat asta*' *VlBauvn
aW.
.
an"


-

41 *
la rio de pcraaBba Berta felra SO de Dezembro te 1867.
ENINSULAR
RITV
Fabrica de destilaco e bonificado
DB
MARQUES & FERREIRA
DO AIHORIIH--FORTE DO HIATOS
PERNAMBCO.
Esta fabrica achanrJo-se montad, com iodos os necessano perlenees a orna destiladlo e com
materias primas, que entraoi na cooNcgo de todos os seos prodoctos de superior qoalldade : prorop-
ufiea-se a receber toda e qaalqoer encutomenda e a vender os seos productos por precos i
ILLUMINACAO
A GAZ,
redondos, osqaaes obtlveram premios as P!8e* de Per?mbaco :R'0^'n'rViBo comc rt^ ornamentos, papel de forro mais delicado que seja
A empreza do gaz desta cidade desejando facilitar geralmente o uso do gaz na
casas (! estabelecimentos particulares, oferece desde j as seguiDtes vantageos:
i. Urna redcelo consideravel nos pregos dos canos, apparelhos e todos os mate-
riaes precisos para a installaco de.4a luz.
2.* O gaz fornecido boje de extrema pureza e nao offender a prata, o bronze
ou oulro metal differenle, assim como nenhum damno poder causar as pinturas, quadros.
tornando-se ao mesmo tempo t5o sau-
entre finos, tinta psra e'screver,'perfumarlas, Tioagre, marrasquino, corado, espirito de 40*, 38 e
36'
dito de alfatema, limonada Razoza, agoas : flor de'laranja, rosa e ortelaa pimenta ; orebata de pevide
de melaocia e muitos outros gneros, os qnaes se vendem a vuotade do comprador, era barr?, cana-
das, em garrafas com vistosas tarjas. Promptiflca-se a condieelonar e enviar qaalqoer remessa qoe
aos seja pedida para toda e qoalgaer parte, devendo ser os pedidos acompaobados de ordena sobre
tapraca._______________________________________________
ARMAZEM
DO
VAFOR FRANGEZ.
RA NOVA N, 7.
Acaba de etiegar de Pars este estabalecimen-
lo nm grande e escolbido sortimento de calcdo
dos meloo.es fabricantes daquella grande prsca,
assim como grande variedade de quioquilhrla e
de novos brinq edos para crlaocas, cujos artigas
se acham expostos a escolha e vootade dos com-
pradores, c.mo sejam algaas que passamos a
mencionar.
Ultima moda
Ricos chapeojinhos de gesto para senhoras fei-
ws ao capricho de urna grande molista de Paris.
Bolinas para scuhoras
e setim branco, daraqoe dito, pretas e de ontras
difirenos cores eoftit das a rigorosa moda.
Botinas para meninas
fie cuitas qn I i -des bem sortdas.
Briucns de ouro
de lei a ultima moda dos Campos Eiuios e boule-
vards de Paris, para senhoras e menio3s.
Liivas de pellica
do verdadeiro fabricante Jouvin, brancas, pretas e
de ontras difarenies cre.
Leones
om escolbido soriirneuto de leques de diversos
gustos e qaaladcs.
Perfumarla
finos extractos, barhas, oleo?, pos de arror, agua
de coligo-,agua Ocida e 'ab.mtle*.
Espelhos
de difTerentos tamanhos e gustos para salas, gabi-
netes e pequeos toucadores.
CaisEihas de costara
de novos modelos ricamente guarnecidas e com
lindas pegas de msica.
Delicado presetse
bolcichas e ceititihas il sela e de velludo muito
importintps para braco de meninas passeio.
Chapeos de sol de seda
de cores e mono Cellos psra senhoras e meninas.
BStuiquc's d\ esposico
delicades bouquels de 11 ros de porci-iana com lin-
dos jarros para mesas de salas e santuarios.}
Lunetas
de zn, tartaruga e {bfalo.
Oculos
de ac, butilo de prata diorada.
Ricas bengalas
de carina verdadeira com castao primorosamente
;rba!hadr,s em martiro, compradas u* expoatjae.
Cfaieo.'cs para passeio
muilj finos de balea e cabo de marQm.
Oieasio para mesa
de muito bda qualidade, noves e bellos padrSes: no
armaz.'tn do Vapor, ra Nova n. 7.
E'ara toilet
O&jeetos de phsniaMa muito bellos para toilet.
Ce ques
chegados de novo a nltiaa ni'da.
Ricos aiiisss
de velludo e de marroqoim para retratos.
Esterescopos
eom lindas pboir.praphias transparente?.
laainpas
de figuras, palsageos, cidades-e de santo?.
Molduras douradas
de diversas larguras para quadros.
Ahat-jour
para candieiros e linternas de [.iano.
Ctismoraiaas
grandes e pequeos com SO ou mais vistas eco-
Ibidas a' vontad, muito piiiurescas. d
Realijos
pequeos, de qnatro e seis pacas de msica.
Aecordions
e concertinas, o que ha de melhor oeste genero.
Galotas de rame
de rarios precos e taov.nhos para pasarinbo.
Botinas para ItomfDi
granja mitin ento bem escolliido em Paris.
Botinas para meninos
de mnilus modelas bem sonidos.
Zapatos de taprc
de charlte, de tapete avelludados e di tranca
Lisboa para homeos, senhoras e meninos.
Botas russlanas
Pernelras e meias perneras.
Mantas de feltro bonitos padroes.
Chicotes fortes compridos.
I.nvas de ) da Escossia.
Cartelrinbas para dinbeiro.
Saceos do tapete pra viagem.
Malas e boleas sorlidas.
Pooteirss para charutos e cigarros.
Cbaruteirase cigarrelras de pama.
Caximbjs da bonitos modelos.
Grvalas pretas e de cores.
Cordas para violao.
Bengalas para horneas e meninos.
Eseovas para esbelto.
Escovas para dente!.
Pentes de marfim para tirar c-spas.
Pentes de tartaruga de desembarazar.
Abridores de lavas.
Tesoorinhas delicadas para costara.
Caivetes fiaos com tesoorinha.
Meias de fio da E-cossia para bomem.
Veneiianas transparentes para janelias.
Qaadros peqaeoos para retratos.
Pares de lindas figuras peqoeoas de porcelana.
Jarros mu peqaeoos de porcelana.
Objectcs de porcelana para botar banha.
Taiberes finos para meninos.
Objectos de mgica para divertir familias.
PboUgrapbias mgicas.
Giobos de papel para illaminaco no campo.
Castinbas de vimes para meninas de escola.
Geiiinbas de msica e reajeijos para meninos.
Velas a gai para candieiros e candelabros.
Garranos de qoatro rodas para condozir crianj
Boneeas de massa, de cera e de porcelana.
Bereos e camas eom cortinados para boneeas.
Cabriolis e cavailinbos de madelra com machi-
sismo para meninos de 3 a 8 annos moniarem
Para presepea
figuras para ornar presepes, caslnbas, animaes,
pastores, oniros muitos objectos proprios.
Attenclo.
Nio sendo possivel menelooar-se aqu todas as
qoalidades de calcado, nein todos os artigos de
qamqailbarits, e mallo menos da grande vari-
ato de novos brioqoodoi; pede se ao poblico om
pisek) a esn estabelecimento. cario de qoe en-
cooiraro bastante paciencia para bem eseolberem
o m desejarem eomprar, e prceos baralissimos
eo Tinado de haver em lodos es.es artigos grande
qoantdade, e terem sido comprados mesmo na
Borona peto dono do dito esubeiecimento, arma-
aaai 4o ? por, roa Nova n. 7.
O Sr. Justino da Silva Cardoso queira
vir nesta typograpbia negocio urgente.
Na praga da Independencia n. 33, loja de
ourives, compra-se ouro, prata e pedras preciosas
e tambem se faz qaalqoer obra de encommenda i
todo e qualquer concert. ____________
Cnropanhia ntilidade publica
Adireccao paga o ii dividendo de 524 por ac-
igao, em seo escriptorio ra da Cadea o. 4!. pri-
I meiro andar. Recife 2 de dezembro de 1867.
Os directores
Feliciano Jos G ____________Thomaz Fernandas da Cunha.
Jornaes para 1868
Na livraria franceza assignam-se todos osjor
naes da Europa, os Srs. asslgnantes encontraro
amostras dos peridico e catlogos dos mesmos.
RA DO CRESPO N. 9. _
Precisase de urna ama para o servico de
ama casa de poaca familia, prefere se escrava e
paga se bem : no caes do Ramos, armazpm n. 10.
Urna enbora professora publica Oh instroc-
qo primaria, por motivos de molestia deseja per-
mutar sna cadeira por outra nesta cidade do Re-
cite, at a distancia de om legua, e (fferece per
compensarlo urna vanlajo>a( fiarla : quera se pro
pozer a fazer este negocio, dirija se ao caes do Ra-
mos, srmazem n. 10, ou annuncie para ser pro-
carado. ________.______________________
O Dr. iiaquim Jos de Campos da Costa de
Med'iros e Albnqnerque madoa o sea escrlptorio
de adv 'cacia da casa o. 22 para a casa contigua
o. i da ra do Iniperador, defronle da rea^o,
jury e sala das audiencias.___________^^^
Alngaro.se qnatro casas de r.reco de liS,
12,57 11 !> e 8 por mez, sitas a' roa do Gazometro,
confronta ao porto lateral da fabrica do gaz : a
tratar no mesmo logar.____________
Seguro contra fogo
Antrnin Luiz de Oliveira Azevedo C, agentes
ila companhia Firt.ilidade, esiabelecioa no Rio de
Janeiro, tomara segures centra fojto em predios e
mercaderas, i;m stu ecriptorio ra da Cruz a-
mero 57.
Aviso Importante.
Os nicos verdadeiros xaropes de. hypophospht
tos de sida,de cal e de trro do Dr. Cburchill tra
zem a firma qoatro vezes repetida desie sibin me
dico s pharmacia Swano, 12, ra Castigiiooe, Paris
Acba-se a venda era frascos quadrados com o no
me do Dr. Churchill no vidro. Prego 4 francos eOi
Paris : Com insiruccao
Botica de Bartholomea 4 C.
trucho dos canos e tubos dos apparelnos.
3.* Os apparelnos existentes, como lastres, arandelas, bracos de vidro, de bron-
ze, etc., etc., sao proprios para os senhores que preferem luxo e elegancia, como para
os que necessitam simplicidade e economa.
4.* As pessoas que quizerem enllocar o gaz em seas casas podem dirigir-se em-
preza, a qual se encarrega da collocaco de todos os apparelbos, canos, etc., tomando toda
a responsabilidade pelo peifeilo cumprimento "do masmo, ou por outra, podem empregar
qualquer maquinista recoobecido pela empreza, sendo o mesmo maquinista responsavel
pelo seu trabalbo.
5.a A empreza obriga-se ainda a reparar gratuitamente qualquer falta de lnz,
obstruccao de canos, etc., devendo o consumidor pagar somente as pegas novas que forem
precisas para o nesmo concert; qualquer reclamaco que possa haver, ser dirigida ao
escripiorio da empreza ra do Imperador n. 31, aflrn de ser logo providenciada.

NISA -Ra do CafoagX. 3 A
Os propietarios deste estabelecimento offerecem ao respeitavel publico
una explendido e variado sortimento de joias de ouro ebegadas recenterxente
da Europa, cojos modelos sao novos e de bom gosto como sejam : pulseiras
com perolas, rubins, esmeraldas e brilhantes, brincos damesma firma, anneis
de .hantasia, proches para retrato, etc etc., botes de coral rosa para p.ito
de camisa e cacoletas cum retractos.
Compra-se e recbese em troca ouro, prata e brilhantes pelo seu en-
trinceco valor, assim como raoedas nacionaes e estrangeiras. Tambem se en-
cimbem de fazer concertos
Agostiuho Jos dos Santos G
45hua Direita45
Chega, gente!!!
Borzegofns ingleses para bomem a 5.
Ditos francezes dem a 5-
Borzegoins para ssnhora, enfeitados, a i#.
Ditos para menina, dem a 3$.
Sapatdes ingieres para liomem a 4J.
Ditos americanos a 3^500.
Chinelas do Porto a 1*600.
S. Ditos avelodados, idem, a 1*280.
Sapatos francezes de salto a 3*.
Aproveitem eraquasto tempo._________
Qaem quizer alogar o sobrado n. 42, a*
ra da Aorora, dirija se ao escrlptorio n.
4-, a' roa do Crespo, que achara' com qaem
tratar. ______
31 Eua Direita 31
Neste est belecimeoto se acba a' venda om bello
sortimento de rendas e blcos de pontos de cro:b
dos melhores gostos viodo de coala propria, por
isso pode-se vender por prego muito commodo que
em qualquer ootra parte, vendendo se t*nto era
porcoes como a retaibo em pecinba do 10 varas,
das 9 da maohaa as 3 da tarde._____________
Casa alu^ar-se
Alnga se a casa da roa do Gaz, que perteneen a
Irioen Januario de Oliveira, com tooito bens com-
modos para grande familia, quintal muito grande e
murado, com alguns arvoredos e moito fresca : a
ratar a' roa do Apollo n. 47, primeiro andar.
t!
^OUAPHIA AllJif
'i
T

fr-ynillllNlUillIiii'.'
de
0 Dr. J. Baptista Caiaaova
pode ser procurado a qualquer hora era seu con-
ullorlohomeopalhico,largo oa iaii do Gamo
Antonio o. 2.
i\o mesmo consnliorio tem seropre grande sor
timentn de medicamentos de bomeopalhia de We-
bere Catellan, tanto em glbulos como em tintura,
assim como tem um sortimento de ferros de ci
rurgia era caitelias e avulsjs do afanadj Cbar-
rier de Paris. _____________^__
Cuoihraias largas a t$0U e 1^280
a Tara.
Vende-se camb aia transparente cora oito
palmos do largura, que facilita fazer se um
vestido com qualro varas, a l e i#280 a
vara : na loja e armazem do Pavo, ra da
Imperatriz n CO, de Gama & Silva.
Espartlthos.
Vende-se um grande sortimento de espar-
tlths dos mais modernos: na loja e arma-
zem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Aadir a C#C00.
Vendem-se os mais bonitos cortes de ana-
dine, senilo fazeuda inteiramcnle moderna,
transparente, com bonitas palmas bordadas ;
esta fazeuda, que de nanita phantasia, ven-
de-se pelo biratissimo prtc< de 6( 00 o
corte : na loja eaimazem doPavio, ra da
Imperatriz n 00, de Gama & Silva.
Ricos cortes de niediaa pro-
prios para baile.
Chegaram os mais modernos cortes de
medina, seudo urna fazenda ioteiraraente
nova e transparente, com lindas palmas e
quadros de seda, e vendem-se pelo barato
prego de 22($O0O o corte : na loja e arma-
zem do PavSo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Cambraias a 3#dC0 rs.
Vendem-se finissimas pegas de cambraia,
bran-a e transparente, de 35300 ate I0# a
pega; citas tapadas muito finas, de 55 at
iOd ; ditas suissas com 1 vara de largura a
83, 10 e 125; na loja e armazem do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama 6
Silva.
Cortinados para cassmenfos.
Vende se om grande sortimento dos me-
lhores cortinados bordados, proprios para
camas e .mellas, pe- s b ratos precos de
9#, 105, 155, 205 e 255000 o par; da-
masco de 13a imitago de seda, com 8 pal-
mos de largara, a 45'00 ; colchas de cro-
ch ; ditas de fustao brancas e de cor; cro-
chs proprios para cadeiras, sofs, cadeiras
de balango, para cobrir presentes, etc. etc,:
na loja e armazem do Pavo, roa da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva,
Corte de ehita coa lO ova-
do a 35, 35300 e 356CO.
Vende-se cortes de chitas francezas, es-
caras e claras, de cores fixas, e tendo 10
covados, a 35000; ditas com 11 a 35300;
ditas com 12 a 35600. E' pecbincba, so
para acabar: na loja e armazem do Pavao,
roa da imperatriz n. 60, de Gama & Silva,
Percalas a 320 is.
Vendem-se finissimas percalas de cores
fixas, pelo baratissimo preco de 320 rs. o
colado, por ter om pequeo toque de mo-
fo: oa loja e armazem do Pavo, roa da
Imperatriz o. 60, de Gama e Silva.
N. 2 largo da matriz de Santo Antonio n. 2.
RETRATOS A OLEO
Temos a honra de partecipar ao respeitavel publico a volla do Sr. Alberto Hens-
chel que fui Europa com o duplo fim de se por ao corrcnie dos mais recentes pro
greasoa da orto [.hotograrjhica e adquerir para o nosso p.>tal)fi!enmentO mais Um ar
lista de talento.
O Sr. Alberto fui summamente feliz e conseguio engajar um destincto pintor de
retratos, p
SR. CARLOS ERNESTO PAPF
rcembro honorario a academia real de pintura da cidade de Dresda, e do qaal a reputa-
gao bem fundada nos autorisa a erperar produges notaveis no seu genero de trabalho.
Um progresso immenso ltimamente esecniado na photograobia, um dos mais
importantes consiste n'arte de obter retratos em tamaoho natural, usando directamen
te na grandeza que se desaja, sobre a tela do pintor, o retrato pbotograpbado, por meio
de um instrumeato especial chamado : cmara solar de augmentacao.
P. r esta forma o talento e o saber de um artista habii maravilhosamente se-
cundado pela precisao absoluta e infallivel dos contornos e d3s sombras que he pe a
photographia sobre a tela, e tudo se rene assim para se aleangar o maior grao possivel
de semelbanga incontestavel, ao que d ainda maior realce o sello artstico, que imprime
aj retrato um belfo colorido.
Pelo mesmo processo nos podemos reprodozir e pintar oleo, urna vez que se
nos d lima photographia, seja da que tamanho for qualquer retrato de pessoa mora ou
au:ente e no tamanho que se desejar.
As pessoas que quizerem julgarjSr si mesmas deste novo genero detrabaho,
sao convidadas a nos fzer a honra de visitar a nossa galeria, aonde estu expostosuma
serie destes retratos como amostras.
AMRROTYPOS
Retratos em caixinhas
Para satisfazer a numerosos pedidos de muitos dos nossos freguezes, estamos pre-
parados para fazer retratos neste genero, para osquaes tambem temos agora um grande
ve ariado numero de ricas e bonitas caixinhas.
PHOTOGRAPHIA
DA
GASA IVI'ERIIL
RA DO CABUGA N. 18, ENTRADA PELO
PATEO DA MATRIZ.
Acabamos de reetber de Fraoga pelo navio
Sphera :
Liados stereosropos mecnicos de jac randa e
qoe molam 50 vistas por cada ver.
Stertoscop.s simples, Jacaranda e mogno.
Vsias slereoscc picas transparentes e nao trans-
parentes.
Caixinhas enve-rnisadas de acaja para guardar
50 vistas stereosc picas.
Lindos albons encaderoados em chagrn e dou-
rados, para 120 e SOO canijas de visita.
Molduras douradas e passe-par-ti uts para retra-
tos tihoiograbbicos de todos os lamauhes.
Um excedente aparelho para tirar, retratos, o
qual vendemos com todo o necessario rara traba-
Ibar-se em pbr.ugraphia e ambrciypo, e damos as
necesarias direci;des.
Prodoctos rbiinicos para vendermos as quan-
tidades que peiiir-se.
Na mesma crsa
Ha om lindo sortimento de alBnetes de coro
para retratos, nao de gofios muito simples
cerno com fulbagens e cravacoes com perolas
as, riiMns e esmeraldas veradeira?.
ContiBoa-se a lirar retratos por lodosos fyste-
mas phoiograpbicos.
k 9-OO a dazia dacarloes de usila
Chmamcs a altcngao do publico para os n^'soo
retrstos canOes de visita expostos nalivraria Ees
oomica do Sr. Ncgiieira e Souza.
Attencio.
N. 2 p.iia do Livraraeiito N 25
Deposil) do tam?jicos e calcado nacional da fa-
brica da rna do Jardim n. 19, de Jos Vicente Go-
dioho, tanto no deposito eomo na fabrica seaprrmp-
iam todas as porgoes de calcado o mais barato
possivel, esta fabrica tem todas as machinas pro-
prias para os calcados ja b.ra acreditados pe'o
grande numero de freguezes que daqai se for-
necem. ____
Qu?m precisar de orna rea de leite e que
nao teui tiiho, dinj.vse a' ra do y.-gutira n. 18.
XII
Rei da Suecia
p-r
ra
t:00 em
do Cresp?
POS VOLTAIRE.
Venle-se esta excel^nie obra
broebura, na livraria Econmica
o. 2.
Na mesma livraria tomam-se asignaturas para
avida di' Horacio Nelsono celebre almirante
anglez a 15 cada exemplar.
GE0GRAPH1A.
J>aqoim Pires Machado Poriella tem aberto na
casada sua residencia, das 10 as 11 horas da rna*
nhaa, om corso de geographia para os estodantes
qne qolterem se preparar para os exames de
margo.
Adriano, Casiro t C. fazem sciente a todos
os teas amigos e tregeles e pessoas com qoem
tem transaci;oea que se acham provisoriamente es-
tabelecidos a* roa do Trapiche o. W.__________
Da'-se 8005 a premij, cam bypotbeca em
bem de raz de dobmdo valor nesta eldade : a Ira-
lar oa roa da Imperatriz loja o. 28.
Casa para alujar em Olind
Aloga-se a casa de sobrado de om andar e solo
nos (Jnatro Caotos em Olioda, com commodcs pa-
ra familia, pintada de novo, mnlto fresca e excel-
lente vista, tendo a loja urna armago propria pa-
ra qualquer estabelecimento de negocio : a tratar
na praca de Pedro II, livraria da infancia n. 6.
Confe'.tariajdos anans
Ra da Cruz n. 16.
Ha presuLtos, ditos em Sambre, fructas em cal-
da, ditas secas, caj, dito cristalisado ; recbese
oocommendas para casaa entes, bailes e baptisa-
dos, bollos e Pao de l enfeitados.
O abaixo assignado partecipa ao resreitavel
corpo do commercio que nesta data deixoo de fa-
zer parte da sociedade que gyrava nesta pra;a sob
a Orma de Meodanha Machado & C.', fleaodo os
socios Mendanha & Machado a cargo do activo e
passivo e o abaixo assignado livre de qualquer res-
ponsabilidade.
Recife, 17 de dezembro de 1867.
Custodio Jos da Oliveira.
Joaquim Jos Goncalves
BelMo
RA DO TRAPICHE ES. 17 Io ANDAR)
Sacca por todos os paquetes sobre o Banco
lo Mmbo em Braga, e sobre os gaintes Inga-,
se em Portugal,
aber:
Lisboa.
Pcrto.
Valenca.
G ni maraes.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do CorMe.
Arcos de Val de Vx.
Vanos-do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famelleo.
Lamego.
Lagos.
Covilbiia.
Vassal (Valpassos.)
Mirandella.
Beja.
Barcello?.
O abaixo af Antonio de AieveJo Cruz e morador a' ra da
Brum o. 33, convida aos credores do mesmo a
ireai receber a importancia de seus crdito?, ten-
do em vista requerir primeiramente ao cnsul de
Portugal. Recife 17 do dezembro de 1867.
_____Joaqu'Qi Antonio Rodrigues Sobncho.
CASA
Aos b,i
B1LHE1ES GAnA.MlL'03.
A' rca do Crespo n. 23 e casas no costme.
O abaixo :-ssignado venden nos seus muito feli-
zes bilhetesgarautldos da lotera que se aesbon do
extrahir a benebcio das familias dos voluntarios
da patria os siguiles premios:
N. l.)27 dous quintes com a sorte de 5:0(0$.
N. 2359 dous quintos com a sorte de 9O$.
N. 16 tresiiuiuios com a soria de 409,5.
E oulras mullas sones de 1005, 403 e 20$.
Os possuidores podem vir receber eus respecti-
vos premios sem os descontos 'las leis na casa da
Foriun. rna do Crespo n. 23..
Acnam-sea venda os da a beneficio da matriz
de Ouricury i'tS') que se extrahlia' no dia -O dj
corrente.
i'reco.
Eilhete.....6300f)
Meio......;i,50o
Quinto.....i2
Em porgo de 100 para cima.
Blinete.....55o00
Mein......24750
Quinto.....100
______ Manuel Martins Fiuza.
OSr. Francisco Eequiel da Slva~Tenj um
i caria vinda da Europa : na ra do QuirnaJo nu-
mero 4'J.
Farlnha de mandioca
igual a de Miiriheea, tem para vender Joaquim
Jos G..DcalVf. BeltrSo, no seu escrlptorio ra do
Trapiche n. 17.
Fundido da Aurora em San-
to Amaro.
Completo sortimento de taixas de f rro
coado, molde raso, ultimameDte aprovadas
para o fabrico do assucar.
"IOOqOO
No da 12 de ontnbro inoiimo passado desappa-
recen do tng*nho Selle ranihos freguezia da Es-
cada, o escravo de Dome Loii, ldade o0 annosmais
oa menos, criiulo, (Or prela, pouca barba, esia-
lura regolar, om t nio cheio do corpo, veio do ser-
lo do Ceara' e fui comprado no Rtcife ao Sr. Jos
Pedro morador na rna do Imperadjr : roga-se pois
a t idas asaoionaades, capnaes de campo ou a
qualquer pessoa que o possa aprehender levar ao
dito eogenbo Sete-ranchos que reetbera' a gratifl-
cacao de 100$.
A Salsaparilha
DE AYER.
Para a cura radical e
Escrofalas, ulceras, chacos, fer-.
idas vclias, molestias syphil-
iticas, e mercuriaes, Enfenni-
dades das mulheres, como re-
tenfSo, menstro doloroso, ulcer-
acao do utero, c flores brancas".
A Nevralgia, Convulsoes, Ery-
sipelas, EnfennHades Cutancar,
borbulhas, nascidas, etc.
O extracto tomposto do SALSAPARILHA, conrwcion-
ado pelo Di!. AYEK, 0 urna combinne-io dos melhores depura-
tivon c alterantes condecidos medicina; comporto segunda
as leis da adrada, upprorjdo o receitado pelos primeiros
mdicos dos Esfhdos Unidos, da America do Sul, da Mxico,
das Indias e dos principacs Estados da Europa.
A SALSAPARILHA de AYER 6 especialmente e.Hcaz na
cura das molestias que tem sua origem na escrfula, n.i
infecco venrea, no uso excessivo do mercurio ou em qualquer
impureza do Sangue.
Entre todas as molestias que afnlgcm o genero humano, nio
lia urna mais universal c terrivcl do que a escrfula; por a
nao lio destructiva, porem i a causa principal de multas cn-
fermldadcs que nio lhe sao geralmente attribuidas.
E urna causa directa da listen pulmonar do mal da
figado, e estomago, affcecScs do cerebro, Ithettmatlsmo
Alm lo grande sortimento das melhores machinas, americanas para descarrocae
Igodao, de 10,12,14,16,18,20, 22, 23, 30,35, 40 e 60, neste estabelecimento sr
encootra mais o segainte:
PreclM-te d um feiior'pari engento a tal-
tr na rm gggjg do gowrtg o. 18, taberna.
Trocara se
Moleque.
Precitas alocar ota soie^M : a tratar ne btv
ttrwunuauao, roa 4m Crow 3.
as bou* 4o banco to Brasil e das calxas ffllKn
loo *>seonto moito rasoavel, na praca da lodo,
oeodoMUa. ti.
r*reciia- de om feNor )rdneiro para ira
ir t Mifi ; u, roa do Catog* n. 3, 14* d+
mnm
Azeite de espermacete propria para machi-
nas de todas as qualidades.
Vapores de orca do 3 a 4 cayallos.
Serras avalsas para machinas.
MancSese todos os mais pertences para as
mesmas.
Carros de mo para aterro.
Cylindro para padaras.
ebulhe dures para milho.
Arados unericanas.
Escadas de madeiras americanas.
< arrio hos proprios para armazens.
Moiohos para refina^oes.
dem p Machinas para cortar capim.
Bombas para regar jardins.
Vaquetas para cobertas de carros.
Camas de ferro sorlidas.
Bombas de Japy.
dem americanas.
Ferros a vapor para engomnur.
Vassooras americanas.
Baldes americanos para compras.
Tinas de madeira.
BaUaios e cestas de vergumbas.
Guarda coudas.
Peneiras d'rame para padaras e renae5es.
Correotes para almanjarras.
Machados e facoes americanos.
Caixas com vidros de todos os tamanhos.
Cannos de chumbo de todas as grossnras.
Folna de cobre idem idem.
dem de lati idem idem.
Folha de Flaodres.
Ferro de todas as qualidades,
Arcos de ferro.
Latas com gaz.
Trens de porcelana para cosinca.
dem estanhados para dita.
Bandeijas fioas.
Balaocas americanas.
dem rovervaes.
Taixas de cobre.
Estn ho em vergoinnas.
Folbas de (erro de todas as gros&uras.
Correntes de ferro sorlidas.
Espingardas de todas as qualidadesj
Rewolveis de todos os modeUos,
Ferrameota para oorves.
dem para tanoeiros.
dem para ferreiros*
Um mr<(0, eorupl.umt'ote habilitado para se
occopar do eosino oa iHtlrncgo primaria ioelosi-
ve regencia de laCim, e alguma coo.a tambem de
francei, tH^rece-sc em coi trato para algooi eoge
nbo, nela ou em ootra qaalqoer previnca : qoem, e "^"*" &> kim .-entre seos symptomas ha os seguintes;
precisar aODOncie para Ser procurado. Kulta de apetito, Fraqueza e molcza em todo corpo; Mi
ebeiro da toca, samblante pidldo e inchado, s vezes d'uma
alvura transparente, outras vezes corado e amarello no redor
da boca; Digesto frr.ca e apetito irrognlar; Ventre indiada
e evacaacao irregular; Quando ataca os pulmoea urna cOr
azulada moatra-ee a roda dos olhos, quando 6 no estomago
sao avermelha dos, as pessoas de dlsposico cscrorulo';a
apparecem rre partes do corpo ; sao predispitus a, afecclca dos pulmset, do
figado, des riut e dos orgos dlgeath-os e uterinos, roante,
nao sao somente aquelles que padecera das formas ulcerosas*
j e tuberculosas da escrfula que necessitam de proteocaot
contra oa sens estragos; todos aqueUes cm cajo eangue existe
o virus latente deste torrivel flagello (e is veies hereditario),
ests exportes tambem a soflrer das enfirmidadas que He
causa.
Onerecemos a estas pessoas nm abrigo seguro e nm anti-
ooto efflcaz contra esta molestia c suas eonsequencias, na
Salsaparilha de Ayer
que oper directamente sobre o sangne, purificando o e ex-
pulundo delle a corrupcio e o veneno da molestia: penetro,
todas as partes todos es orgaos do oorpo linmano, Urrando-
oa da ma a.cao vkinda o insplrando-llies novo vigor. E'um
alterante poderoaisulmo para a reaovacao do songue, o d ao>
oorpo ja enrraquecido pla doenca forca e energa renovadas
como as da juventud*.
t TAMBEM O MBZ.MOH AXTI-aTPBIZITICQ
CONICIDO;
cora nermanenmente a perores firmas de 8TPHILIS e M
W"B '""' .' ^slds^hadelriforim.r.nX
o o
-j o ce C
lilis
B 1 O
e> a r _
D" 9 9 H
* a
B 5"' o. o
O o
o^s." B
-I oa -a
= 2
2. B -
c!bS.
00 "TS
o o B
tr, C- rt <
CtN fi*
85-
"8 s-a
O! O
S.|9
o g a =i g
oo g o. B
8^
5:3 sr
? ? b F

5.." 3>

~ r^^
en
Chocolate vermicida
DE
A n Ionio Unes de Castro.
Desdo 1857 qoe sin as tabellas romicidas
applicadas em Portugal, como o remedio
prompto e eficaz para a expolsao das lom-
brigas, qoe lio graves padecimeotos caosam,
e que quasi sompre se soppoe ella a ori-
gem.
Este virmifogo preferir! a qoalqoer
outro pelo sea agradavel paladar e fcil ap-
plicacSo as enancas, as qoaes geralmente
lio mais atacadas de wmelbante mal.
94,-bIsm la g
- ~- ncteaaldadu ha de informar puth
SSZSaEfS SS de um """o que. como cstf, vr
?*W* corrupcao e rreba a vlcma das garras do
SS*?,orte le?"l1f 'ewmlniosa, porm inevltmelse e mal
nao logo combatido com energa.
SltSfLZ 6 ,naJ^< para a cura de todos os padect-
laentos humanos, o que dlxemoe e que a *
Salsaparilha de Ayer
faiPKftorprefiaracio ot hoje de.cbrta para estas a outraa
"," analoraa, quo 6 urna combinafao do* altenuuca
^*^ ^*w* onhef dos, e que temos consoienda d ofletcocr
f*. P,""1'0 o melhor resaltado que possivel prodiuir, da
mmmm e perkU medica dM nossos lempos.
REMEDIO DE AYER PARA 8EZK8
lafaliT! au fobrs* iatermitUnUo, romlttonte*,
Febroa BiltVMM liwii, mal do flaranl. ia-
orassunlo t batao, oemsara. coa
WfHll Wt9***ii~. atada li
ao oswausdoa pola
fbbres immmxm, o eemittentes.
i* VoasUdM em todas a

f
% m
.


fiarlo de Fernambne* sexta felra to de Dezeaibro de 1867.
&
> *


V
A^0Mf7

COMPRAS
Maior vantagem
O corado de ooro roa do Cabog n. D, offere-
ce-se em compra das moedas de ouro e prata.
S10EDAS
de ouro e pr ta
Compram-se moedas de ouro naclonaes e estran-
geiras, bem como patacoes dos diversos cunhos :
em easa de Adamson, Howie & C, roa do Trapi-
che-novo o. 40. .
PARA UZO INTERNO
PREPARADOS SIMPLES,
Xarope de jurnheba garrafa......... IiSooo
Vinhode l(56oo
Plalas de vidro......... liJGoo
Tintura de 64o
Extracto hydralcoolico de jurubeba$ 12#5oo
PREPARADOS C0MP0ST0S.
Vinho de jorubeba ferruginoso garrafa. 2 Xarope 4<36oo
Pilulas Tidro... 2^ooo
Oleo de jurubeba vidros.... 64o
Pomada de pote...... 6lo
Emplastro libra..... 2/5uoo
.PARA UZO EXTERNO
mmmmm
Esta plaabj boje reoonhecida como o raais poderoso tnico, -coro nm -exces
lente desobstruente, e como tal applicadi nos enjorgitamestos dogad e baco, na-
hepatites propriamento ditas, ou ainda complicadas com aczarha&, as inflammacoes
subsequenles as febres intermitentes ou durezas, dos abeessos internos, nos tumores es-
pecialmente to tero a abdomen, nos tumores glafidulesos, na anasareba, as bydrope-
:zias, erysipellas; e assocada as preparagoss ferreginosas, ainda de grande yaotageai
as anemias, cloroses, faltas de ntenstruacao, leucorrneias, dcsarranjos atnicos do esto-
mago, debilidade organice e pobreza de sangue, etc.
O que dizemos airraam os raais iainctes raedioss desta-cidade, entre os quaes
podea os citar os lllms. Srs, Brs. Silva Ramos, Aquino Fonseca, Sarment. Seve, Pe-
reir8 do Carmo, Firmo Xavier, Silva etc. Todos -dles reeonbcem a escellencia d'este po-
deroso medicamento sobre os demais t hoi } ronhedos para todos os casos citados,
tanto que todos os das fazem (f elle ap[*ic3gav.
Apresentando sos mdicos e no publico em geral diversos preparados da juru-
beba, tivemos por fim generaiisar mais o uso d'este vegetal, fezendo desappanacer a
repugnancia que al boje sentiam os d&eutes de usar dos preparados empricos d'elie, o
mais das vezes repugnantes a tragareovse, e rae tincan ainda a desva:; Ligera de ne
ser calculada a dose'conveuiente a ap?icar-se, o que torna muitas vezes improiicuo um
medicamento, que.podena produzir ptimos recultsdos.
Os nossos prepados s foram apresentadus depois de havermos convenientemente
estudado a jurubeba, fazendo as experiencias precisas para bem conhecer as proprietades
medicamentosas d'esta planta em suas rsizes, follias fruotcs ou bagas, e a dose convenicn-
ea app'icaco, tendoalm (Uisto procurado levar os nossos preparados ao maior grao de
tperfeicao possivel, para o que nao poupamos esbrcos, cao nos importando o pouco lu-
cro que possames tirar.
Per tanto os que se dignarem recorrer aoc nossos preparados podem ter a cereza
de que elles offerecem a garentia, de que se pode encontrar a prompta e infallivel c^ra
de qualque dos soffnmentos, que dtixamos inauneradus, ce forera em tempe applicaos
endo alm d'iss), medico ou doente a vantagem de escollier as nocsas variadas prepa-
races, aquella que rnelhor !he pode coR^ir, j pela fcil applicacSo, e ja pela complicacSo
das molestias, idide, sexo, ou ainda natureza de cada idmduo.
As iossas preparages ferruginosas sao fcitas ue foraa que se tornara completa-
mente solu-v-eis nos suecos gstricos, porque procuramos os eempostos de ferro que come
taes estac naje rec&hecidos.
Para aquellas que mais minuciosamente qcsiram coneeer as propriedades da
.urubeba, e saberem a applicaco de nossos preparados, distribuimos gratu-temeote
em nosse deposito um oliieb, onde tratarlos mais exie>sameat d'esta platta e do me-
mos preparados.
Deposite geral de todos es preparadas
Itotldea e posarla
34Ra
jrga do RozarioS4
&%w
i%8
J. V1GNES.
N. 55. RIJA B iaSSCRAB0R Me 55.
Cs pianos desta antiga fabrica sao hoje asss conhecidos para que seja necessario Insistir sobra
tas. sEperioridade, vantugens e garantas que offerecem aos compradores, qualidades eslas incontest
tos que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que era apparecido nesta praca ; pos
Btindo un teclado e macbinismo que obedeceai todas as vooudes e capncbos das pianistas, sen
tianca falbar, por seren fabricados de propusito, e ter-se feito ultimamecta melHoramentos Importan-
tsimos para o clima deste paiz; quanto s vozes, sao melodiosas e flautadas, e por isso muito agrada-
Mis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tan:d Be;!a abrica como na do Sr. Blondel, de Pars, soci(
torrespondente de J. Vigne?, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposicoes.
No meen eitabelecimento se achara sempre nm eiplendido e variado sortimento de msicas doa
Inores ancores da Europa, atsim como harmnicos pianos harmnicos, sendo tudo veudid? pe
preces commodGs e razoaveis.
N.2D
N. 2 Di
. Moedas de prata
oacieBaes, assim como paucSes portagnezes e
bcspanhns, compram-se com premio : na ra do
Crespo n. 16, pnme andar.
Compra-fe ouro e praia em obras velbas :
na Draca da Independizla o. ti.
Compram-se escravos
Silvino Gnilherme de Barros, compra, vende e
joca effectivamente escravos de ambos os sexos
-de todas as iJades : a' ra do Imperador n. 79
erceiro andar.

12 POK CENTO.
Se paga por prata nacional e estrangeira : na
leja de ourives no arco da Conceicao oo Reclfe.
Ouro o prata
Compram se soberanos a 11J300, moedas brasi-
leras a 2o,J000 e praia a 12 porcento : no escrip-
lorio de G jnalo Jos Affanso, ra do torres n. 18,
Junto ao telegrapto elctrico.
Moedas de ouro e prata
No armazem de Augusto F. ie Olivelra & C,
ra do Trapicha n. ii, pagam-se a pregos mais ele-
vados do que os correotes no tuercadu.
Attenco.
Precisase comprar nm* canoa decaircira de
tamauho regular e em tom estado : a petsoa que
tiver para vender p no escrif torio da mesma empreza, na roa do Iift-
perador n. 31._______________________________
Cis|)ra-se
por raais prego que em ontra quUser parte moe-
das de oure e prata nacionaes e estrangeiras : na
ra da Cadeiau... toja de Jos Luiz Gongalves
Ferrtrira A C.____________________________________
Compra-s
por.mais prego queem outra qaalquer parle moe-
das de orno e prat nacionaes e estrangeiras : na
rus do Trapiche a Id, armazem de Adrfino, Cas-
tro & C, e ra do Crespo n. 20 loja de Alvaro
AncilMO ip Almeifla.
Joruaes para >eiubmllio ;
C>mpra-e oaToa das Crczes taberna da porta
torga, a 120 fs. c libra.___________________________
Fiata e ouro
Em tncK'da nsga-se bea : ua prv* da Iud*
pendencia d. 2._______________________________
Moedas de osro e prata.
F^rreia Klheus, na ra da Catieia do RecfTe
e. <52, coicpraiu por maior prtgo do que em outra
gcalgner nnr uroe prata,
Moedas de ocroe prata acionaes e estraogeiras
4a lodos os valtjres, se comprara na Joj do oon-
ves jontu 10 arce de osa Senhora da Ccnce^^JS<,,
ra ilaCaeia do Kacife, as^lm como ouro e pra
era obras cias, briltiaaief, diamac'.ts, e ssfa-
gatjm. _________
Compra-se ;asas em os melhorss lugares des-
tao!itade, >fndo enea e>pec!alidade ttrreas : Infir-
ma :-e na ra (Sreila do Rocano n. i6, loja.
Compra-sepa pe diario a S a arroba : La
rna larga do Rocano n. lo.
Ainda se compra nma preti b s. c zinheira e
engocin)adelr3. flfie seja possatte e Boga : na rta
do ltngi;i n. !)___________________________________
GiiU'ra-se'Um Prago ^rsnde d baiaogaque
irva ;:ara pesar algolo e asuc.ir, e quo esiji
em boo3 estado : a iraiar na ra do Vigano n. ^L
Moedas Compra-s sempre por mais do qualquer partn toda* as qublidades de mcedas de
curo e prata nacional e estraoge-ira e larob^m fe
trocara seala< dos banco do Bras;J e canas (Ma^s
de entras provincia?, na ra da CaJeia o Rcifi
0.1)8 loja do azulejo.
Cocpra-53
0.22.
A' 10 j>or cento
a prata, ua prsgi da IndepeBdencia
Moedas de ouro
NaciGoal e eftraageiro, afsim como libras eMer-
icas: c>)^ram-se ca ra do Cre#po n. 10 primeio
jdar.
Vcnde-se o eogenbog- Ga.par sito na fregu-
zia de Seriohaem, comarcado Rio Formoso, cora
excelientes varzeas, malas e mangues, bem como
com embarque mu prolimo ; a'tratar a'rna da
Aurora n. 26, oo a' do Imperador n. 43-1 andar.
liWIB
{PF** COElCiO E OEO.
A loja n. 2 D intitulada CoracSo de CHiro na rna do Cabnga,acba-se d'ora em diante offerecen
Jo ao respeitavel publico com especialldade as pessoas qoe bonram a moda os objectos do ultimo gos
Id I a Paris) per menos 20 por cenio do que em outra qualquer parte, garantiodo-se a qualidade e a so
da ebras.
O respeitavel publico avallando o desejo que deve ter o proprietario de um novo estabeleclmen-
to qne quer progresso em sen negocio deve cnegar immedlatameote ao coraco de ouro a eomprar
aneis com perfeitos brilbanies,esmeraldas, rubius e perola; verdadeiras em agarras, modernas pelt
diminuto prego de iOf, brincos modernos de ouro e coral para menina pelo preco de 3#, maracas de
prata com cabos de marfim e madreperola obra de moderno gosto (o que o eacoatraro do eoracao de
ooro) voltas de ouro com a competente crusinba ricamente enteitada pelo pequeo proco de 12J, brin-
cos tratos e ontros modelos todo de alto gosto, aneis propros para botar cabello e firma, dito para casa-
mento, no rtico roseta tem o Corceo de Ooro um completo e bem variado sortimento de diversos
ostos, baloes para ponhos com diamante, rubios e esmeraldas, obra esta importante ja* pelo sea va-
jr ja' por gosto ds deaenbo, brincos a forma da delicada moslnna de moca com piogente contendo es-
meraldas, rubn?, brilbantes, perolas, o gosto sublime, alflnete para grvala no mesmo gosto, relo-
gios para senhora era vados de podras preciosas, ditos para hornera, diversas obras de brilbantes de
inoiio gosto, crusinhas de rubina, esmeraldas, perolas e brilbantes, aneis com letras, cacoletas a
rystal e ouro descoberta para retrato (a ingleza) brincos de franja, ditos a imperatrise toda e qual-
tuer jola, para secoliocar retratos e obras de cabello, e oatros mallos objectos qae os pretende otes en-
contrara no Coragao de Uoro qae se conserva com tr'i a amabilidad* aos eoncorrentes delxando-
se de aqu mencionar procos de cortos objectos porqr descnlpem a maneira de fallar) dizendo-se
prego talvex alguem faca mi jnizo da obra, por ser ;.j diminuta qoaalia a vista do sea valor.]
Na mesa a loja compra-se, troca-ee ooro, prata e podras preciosas, e tambem recebe-se concer-
los, por menos do qae em outra qualquer parte, e dao-se obras a amostra com pennor, eonservando-M
i Coraco de Ooro aborto at as 8 oras da noiie.
Qualquer pessoa qae se dirigir ao Coragao de Ooro nio se peder' engasar coro a casa, pote
nota se ua sua frente um coraco pendarado pintado de amare I lo, alem de oalro qae se nota em ao
rotlo (isto se adven* em eonseqaenoia de lerem ja' ale amas pessoas enga aado com ostra easa.
INJECTION BROU
.nB^inii
E
PALII4 DE TR4!\CA
l'AHA 1IOHEIVS
A 2,UU rs. Cadum
Na faorica de ehnpeos, na Vova
numero 45
DE
Manoel Moreira de Souza
""Bolsas para cagadas.
At bolsas para cagada, aguia branca receben e
pretende vende-las baratamente, com tanto que os
apreciadores da caca dei'zem Bear nm par a agola
branca da ra do Quemado d. 8.
Caivetes fixos ou ferros para abrir latas.
Vendem se na roa do Queimado I ja da aguia
branca n. 8,
Bons espartilhos.
A agola branca roa do Queimado n. 8, rece-
ben novo soi ti ment de bous espartilbos e como
sempre vende-os por pregos coa modos.__________
Rap Viajado c Paulo Cordelro
A loja do cordelro prevideote a' rna do Queima-
do n. 8, recebeu nova remessa dessas qoalidades
de rap. ______________________________________
Baloes biamcos e de cores para me-
BiDas.
A agoia branca, a' roa do Queimado o. 8, rece-
ben ornas amostras de superiores baldes brancos e
de cores para meninas de difterentes tamanbos, e
como sempre, vende-os por pregos commodos,
visto a boa qualidade.
Vende se a laverna da rna Direita dos A fo-
gados n. AO, com poneos fondos e eemmodos para
familia, propria para principiante; a' tratar na
mesma roa n. 32.
Vndese a taberna da roa Imperial o. 215,
com poneos fondos e moito afregoezada tanto pa/a
a ierra como para o mato : a tratar na roa Direita
dos Afogadoa n. 32._____________________________
Venle ama prela de meia idade, que eoil-
nba perfeilameote e engomma soffrlvel: na rna
Dlrelta n. 43, 2* andar.
Venderse
usa cilindro inglez para padaria : na roa do Impe-
rador n.!._________^______________
Vinho fino engarrafado.
Vende-pe por mdico prego vinho do Porto de
mu i excedente qualidade, em calas de doxe gar-
rafas : noarsMtea de David Taurea Bailar, roa
do BrnHn.ee
LOJA DO GALLO VIGI-
LANTE RA DO CRES-
PO N. 7.
Os proprietarios deste muito bem conhe-
do (stabelecimento tem a satisfac3o de levar
ao conhecimento do respeitavel publico que
acabam de receber pelo ultimo vapor da Eu-
ropa um grande e variado sortimento de ob-
jectos de inteira novidade, dos quaes se li-
mitam a mencionar apenas um pequeo nu-
mero ficando o respe tavel publico na serte-
za de que neste estabelecimento sempre en-
contrado um c impleto sortimento de arti-
gos de gosto e inteira novidades como sejam.
Cintos
Os amitos desejados cintos com pontas,
bordados a vedrilho, fazenda de muito gosto
e completa novidade, respeito a estes cintos
nao fazem observaces e sim deixamos a
apreciaco d-s esclarecidas freguezas isto s
no Gallo Vigilante na ra do Crespo n. 7.
Leques
Muito lindos leques d'osso, madeira, sn-
dalos, e madreperola ; pretos, brancos e de
cores, o muito se tornam recommendavel
pelas bonitas paisagens.
Flores
Q melhor que se pode desejar neste arti-
go ss quaes parecem oaturaes assim como,
terabem recebemos cma pequea porgao to-
das pretas e so veRdem na loja do Callo
Vigilante ra do Crespo d. 7.
Capellas
Mu linJas gnosldas brancas e ik cores
aquellas para noiv3s. e ests para bailes, ca-
samentos e baptisados.
Lavas
Lnv&5 de todas as qoalidades para se-
nhora, homem, meninas, sendo de algodao,
lio da escocia, seda e peiiea muito fresca e
do fabricte Jeuvin, papec'-nos que nao ba-
ver quem ignere que por todos cs vapores
da Europa o (alio Vigilante, recebe grande
quantidade deie artigo e por isso sempre
tem sortimento a vontade do comprador, e
tambem nao so valle da falta o eeu preje
sempre o mesmo.
PCESCS
Muito bonitos pentes de tartaruga pars
coque e alizar os cabellas, assim como para
arreglar os-aemos e rauitas outras quaii-
dados.
Escovas
Grande sortimento de escovas, para ronpa,
cabelles, chapeos, denles e unbae, sendo osso, bfalo, baieia, ma:im e madreperola.
SaTa'fsas
Superiores na/alnas pequeas para bar-
ba sendo cabo de marfim, tartaruga e cu-
tras qoalidades, as quae-s o fabricante ga-
rante a .boa qualidade.
Abotuadnras
Chegarara as rcui lindas gtiarni;cs de
botoes para collees fazeada de gosle, assim
como grande sortimento de butes para pu-
ohos.
Eival sem segundo.
Rna do ^ueStcano a. 49.
Qei* acabar com as fazeadas abah
mencionadas.
Quciram vir ver o qae liom e baratisiirao.
roiiba? de labynntho com bico, fazen-
da boa a .............300(
Cirretei de linba com 100 jardas a 3<
Sravatas pretas e de cores muito finas a 5(
Calas deosreias de massa muito novas a 4(
eafiadres para espartilbo da cordlo e
lita a............... t(
Carreteis de lir.ha Alejandre com 400 jar-
das a ............... me
Sahoneles mnito finos a 60, 160, 200 e 3J(
Ditos de bolla muin finos a 240 e 320
Viadas de linha froxa para bordar a 2(
Varas de cordo para espartiibo a 2('
entes volteados para regagar cabello de
iienuas a............ 320
irascos (1 macaga' oleo muito Obo, a 120
Abotoaduras muito tinas para colletes a BOC
Candes de lmba branca e de cores a 20
Libra de sra preta superior a..... 100
-'.scnva, para (ato, aieuda boa, a SO/0
Varas de franja branca de linbo para
toalba a.............. 100
Caixas de palito balo a........ 4<-
Caixas de palitos de seguranca sem en-
chjfre a............. 60
Sabonetes de familia a 100,160 e ...
Gartilha de doutrina christa a 320
Quadernos de papel pequeo superior a 20
Dona de baralnos fraocezes superior 25000
Grou de pno-pnoros mu lo superiores i (K
Cixas a realho do- mesmos..... 1'.
ilana* de phosphoros de velliBba ccnlendo
500 vellinhas muito superiores a 160
Re-mas de papel almago muito superior 2'00
Resmas de papel pautado superior quali-
dade ................ 36O0
Duzias de meias para hornera..... 2800
Duzias de meias cruas multe superiores 40u(
rival sem mm
ua do Queimado n. 49, loja *
mludezas
DE
Jos Bigodtnno.
Varas de babado bordado do Porto a 20>
Carreteis de retrox preto com doas oitavas
Parnt-is de reteoz de todas as cores a ft
Frasees d'agua de Colonia muito superior a 50>
Frascos de oeo muito fino a...... 60<
Duzla de tesonras pequeas a..... 4S;
Frascos d'agua para limpar dentes a 50)
Redes pretas lisas para segurar cabello a 321
Dnzias de peonas de ac moito finas a fl(
Caixas de lioba do gaz de 30 novellos a 601
dem de palitos de seguranca a 21
Garrafas de agua Florida verdadelra If'M
avilbanos eom estampas para meninos a 32)
Memento da roopa de lavar a..... 101
Duzias de meias finas para seoboraa &J0OI
Agulbas francezas a balao (papel) a 6<
Pegas de fitas de lia de todas as cores a 601
Grozas de botdes de porcelana prateados a 164
Caixas com alfineites trancezea a 8<
Caixas de 160 envelopes muito anos a 601
Resma de papel de peso branco Uso a SfOt
Frasco com superior Unta a..... i C
Pares de botoes de panno mallo bonitos 81
Lianas em earlao de 200 jardas a 10<
Caixa de superior linha do gaz com 50
novados ............ 701
Talheree para meninos a....... 2
Masso eom snperlores grampos a 31
Bonets para meninos n........ 1^001
Pentes com costa de metal a...... 40
Realejos para meninos a...... ? 10*
ATIERO
l\to armazem de fazendas de
Santos Colho, ra do Quei
mado n 19.
Bom e barato
Lansinhis Poil do Chvre a i3 ocovado.
Madapolio enfestado a 8# a peca.
Cambraia de cores matisadas Quissimas
800 a vara.
dem braDcas transparentes Gnas de 4,
5,5000, U, H, 8 e 9r5oco a peca com iC
jardas.
dem branca tapada de 85 e 0(5 a pe?;
com 12 jardas.
dem branca franceza muito larga a 95 s>
peca com 8 varas.
Baloes de 35 e 40 arcos nesgados part
senhoras, a 4#o00.
dem de mursulina nesgados a 5#-
dem de crochet a 55.
dem de mursulina para meninas a 351
355oo.
Saias bordadas a 55.
Cambraias admascadas p^ra cortinado a I
125 a peca cem 2o varas.
dem para forro a 35 a pega com 10 jar-,
das.
Cambraia de linho muito fina de 65 e 95 '*
vara.
Madapoles finos de 65, 75, 85, 95,105,
115 e 125 a peca.
Platilba de algodSo superior fazenda pan
saias a 35200 a peca com lo varas.
Cobertas de chitas de ramagem a 26oo.
Lencoes de hamburgo fino a 25400.
dem de bramante muito fino a 35-00.
Pannos adamascados para cobrir mesa i
45500.
Guardanapos de linho adamascados a 45
a duzia.
Atualhado adamascado com 7 1/2 palmos
ie largura a 25 a vara.
dem adamascado de linho com 7 1/2 pal-
mes de largura a 35 a vara. ,
Algcdo enfestado com a mesma largura
a l5fe>o a vara.
Idsm trancado de algodSo a 15300 a vara.
Toalhas aloochoadas de linho lisas a
a d-uzia.
dem de algodao felpudas a 135 e
a duzta.
Colchas de fusto a 65.
Lencos de cambraia brancos finos a 1530G,
5 e 28oo a duzia.
Lencos de cassa finissiraos a 35200 t
3560, a duzia.
Fil de linho liso a 8oo a vara,
dem com salpicos a I5ooo a var
Grosdenaples preto bom a I58oo, 25
258oo o covado.
Morontiqoe preto superior a 25?uo o ce-
vado.
Flanea da todas as cores a 800 rs. o co-
vado.
Tarlatana de todas as cores a Seo rs, :
vara.
Bramante de linbo com 10 palmos de lar-
gura k ^i-i^o a vera,
dem de linho com 5 palmos a 152oos
ara.
dem de iiuho com 3 1/2 palmos a 800 i
vara.
Itiquissmos basquina a 255000.
Asbiiii como outras militas fazendas que
?e vende por meos que era outra qualquer
parte, e d-se amostras de tudo,
R;i!es de 2o, 25, 3o, 33, 4o e '.',0 arcos
para senhora a 25, 255oo
55000.
Hilos de 25 e3o arcos
e 63.
Ditos de murculina eslreitos a 65.
Espartilhos linos a 6.5.
Percalias finissimas a 4oo reis o covado.
A AGUIA BRANCA
Per conbecer a infloeoela que coitcma baver
em todos os aones, por esse tempo, e p;r ver
quanto se deseovolve e arpara .>e o boro (.oto em
Pernambnco, ella qne tem sempre em vistas agra-
dar, e sinceramente bem servir a sua boa frtgue-
zia, antcclpon-se era aandar buscar cs diferentes
objectos de gosto e (amasia, que agora mesao aca-
bam de chegar.
Qoe a loj-. d'Agoia Branoa, com especialidade,
onde prlmeiranjente se encenfram qoaesiu-r des-
ses objeetjs de novidi.de e moda, Isso sta* geral-
menle recoDbecido; mas ainia assim a Agota to-
ma como por dever sclentificar ao bello >exo, em
particular, e ao respeitavel publico em | ore que como agora, recebe os imperanles objec-
tos que abaixo menciona, e por mais essa itl el a
tema a lilierdade de pedir a altetco das Exm"
apreciadoras do bom, pera os noves e beilos orca-
los qu f-.-rn am um lindo e rico ioll-1.
Nao c ci-rtamcnie com urna mal aparada penna
d'Aguia, que bem se fde de^crever o bom gosto a
desempenho oe taesobr^s, sim, a propria intel-
igencia a'uma excellenii.-sima, que bem pooera'
apreciar o alto grao desses pe fritas objectos, tai-
voz os prlmeiro que nesse geniro lenbam \indo
oli nosso Prrnamtuco.
A Aguia Hranca, fara' apras cr-nhecer os ob-

35,
35500 45 e
com mollas a M
n
-s
M
r,
s
r-
s.
%%%-?.*
=1 S -> =
ai
73
SrJ
Cota superior
Vende-se no esr.riptorlo de nUrin^TiOf de OU-
ftin Aievedo & C, rt 0* "
JCnC^ci
s
~n 3
33
B? &
O 3 U 2 U 13 g o ^
2. < 2. 3 1 C o
5" > E o =r8.?2.B
O < .3 [J r<| U
=-2=r3i:,ES
h3 g 0 a a,
S "? ? 8! O?
M 2. O co a.

o i* 2. 3
-1
_ o
o K

co
C/3 ^~-
o.
o
-1
58
IC
te -o ">
I 2a
_ 65 O
o
ca
o
j-.
-1
O
-
ff> =.
a.
s
35
o
>
M
-1
9
n
a
P
o S1 2."2.
5-2 s% 2
i*
M ft
iflS-o
l-S
oa cg
M 5 S-
y, a ce "
ject' s de que se compoem esses oovos e bellos r-
nalos. Eiu um bellu causo veru hbilmente arran-
jado, um moderno citlo de fita de selim malolado da largura de 7 a 8 pollegadas, om ber
lo leqoe de madreperola, om par de lavas de p.!-
Ilca, ramos de linas flores para o ceque, peito,
guamieao paia isluvas, etc., etc., e tiualmer,:d
urna almjfadioha de selim com romaneas pasll-
Ibas ta p.
Alem disso
Eslao em erdem do da as novas e tel'as trsncas
de ua palba de lialia, e ooiros differentes eDcites
da mesma qualidade e propros para vestidos do
la, cbapus de stnhoras e meninas, reMa : imeota
qoe os pretendenies ecmparecam na loja d'Aguia
Branca na roa do Qutimaoo n. 8.
Di verses objectos
de gosto c novidade, vlnos
para a Aguia Blranca ra
da Queimado n. 8-
Eofeites de dures, ctrss de reo.lo gosto, a nitima
rooda, proirtos para bailes, casamentes e pas-
seios, etc., etc.
Meias cpricas de diversos mcld?, e mu
besi eneiudts, com veos e sem elles.
Ricas capellas cem veos e :tta elles p&ra noi-
vas.
Outras brancas e cor de rosa para meaiim.
Cintos com fiv-clia e lila branoa para n<>iias.
Otilros d^ prDta* e sem ella^, pretos e de corfS.
Uulros mui riro e de variadas mol les e : istos
e de diversas cores, cem grades de vidrilhos e piu-
genle?.
Para enfear vestidos e basqoiDCs.
Bonitos Liccs de blonde, com vidnih^s e ;em
elle?.
tictits rendas de dito, timbera com vidrbos a
sem elle?.
Trancas pretas de vidrilhos, com varledade do
larguras e e moldes os mais uov.js e bonitos.
Ouiras ov cores tambem cora viarilbcs e cjiif-.r-
me as pretas.
Uuiras de sdda com vidrilhos Oetn t",e.\ e !'
diversos deseulio*, canse largura*.
Cri;or= [Ti ti s e de cores, grusses e fico?, c:ci
vi -i r: I hos e em o s.
As novissimas .- !;c:;as trabas de Oes r!ba .;
Italia.
llamos, I? cc., fordoes e onlns /-r- tnM"-
les lam m dii palba e trjpiios paia >\ : ; a-
c ;, f!''., i te.
BoiSs prcos f de o^irs tcuitas ;.ro;, c n
tinc< Bles c sem i M s.
Ouins de -':!,i tamfcrm eom pfngecles"e :oa/
o!i s e lodos : lados ( n Mar. i, -.
O'itros -i [i;-i..o. Liamos e amartlio8, ; -'''.
.i- le madura ;v.-c p,ra c ,.;.. Ja
cor '.ue se qaizer.
Flore?,
Um bello c crmpl to soitimt i tn de r.vnos. <* ;!i
fiares f'-n -. r '".'neia1--, A1. :< .r 'ri-1.--, ,"
em tola-. r res se n la o nra u p -'
P=rl ita .: : ic io, onle se > tliece 'juc :h< g-ui-
ro uaa m^ii i.a u deitjar.
Bonecas.
Va novo e b^-o sortimento de elegai l i -
casdei de pidra mu btm ve.tulas, e tseti-
lobks pira f're.-eots.
Oulras c ro resto de cera e goalaente t oil s
mas nao vestidas.
P'tag lavrada.< e lisa, lendo re.-ta=, de menor
Uruuia u. a ele rjoasi um palmo, o propria p ra
cilos.
Ouiras de fJa de ccres pan dolruar-se ves-
tido.
Cnxas de [ de pedra com figuras fifatro,
obras mni t,. nit s e de go-lo.
Enire essas tb.-a', um aigons jirres ceta i
quenosdtfeilo.', por isso vendem-se baratarptDle,
Obras "e porceluna e j de pedra.
B.nitos jarros, e boquets feilos do p de pedra,
boras de moito born gosio para sallas, e Si.n!ua-
rio?.
Essencia de ros3, oulras concentradas, Ct
tracto*, e porcadas, em., Eraqoanto a' perfumara tod s sabem que a
Ajuia lir;.Dca trm a primasia, aJquenda ci m n
vender ccn>tantementd Bous exiractos e de agia-
daveis cbtiro, p imadas de Unas quadades e o--
colhidos odores, agua de Coioua, i!a me-
lhor, e assim tuo o mais, que enumerar ;o l< sa-
na enfadonfco.
Compre poi, que, quera qnfzcr ser i"m servi-
do, se diiija a' P. ja a'A guia Bracea a' ra do
Qoetmad n 8, qar alera do grande sortim i
som, achara'iDfalllveimpnte o que se torna sem-
pre preciseagrado e siucendade.
Vinho do jffieo-
emsnp?ri;.res qualidade*, p'r pregos commodoi :
em casa de Uaae Scnmottau i ^-, ra da Caua
o. 18.
Champanha
em duas quadades, regular e .Luperlor : em easa
de Rabe Scbmtltau & C.rua da Udo-ia u. 18.
Cognac
o *
s
B -
3 m ce 2L
S 2. S SS
rommom e superior, em casa
de C, ra da Cadeia o. Iu.
eaklade
Este estabelecroento a rna da Imperatnz n. 70,
rejebe de sua conta por todos os paquetes trance-
zes diversos objectos da ultima moda de Pariz,
como seja bonitos coques lisos e eofeitado?, Bia>
de s:r]a, ditas de seda lisas o borladas de toda
as larguras e de superior qualidade, lindos sapa
tos de merino, de caserara e laa, toncas de lia.
muito bonitos cbapellinho*, babadiobos e ntre-
melos com ilodo; bordados, grvalas de seda pre
ta e de cores para bomera e senoras ; as verda-
deiras tovas de Joovin brancas e de cores muito
bonitas, cartelras de diversos fetios e lmannos,
meias de moito boa qualidade, para hornera, se-
nboras e meninos, om lido sortimento de bicos,
espartilhos, mocadores de Jacaranda* de diverso*
tamanbos, filas de velado, trancas pretas e de co-
res, lindos enfeites para vestido, cintos de diver-
sas qnalidadee muito bonitos, albons, abotoadora
para colletes, lia para bordar de superior qoali-
dade, ama infioidade de bonitos bnoqnedos par
crlaocas, as melhores pe fumarlas de Lubim, Pi ver
e Cooaral soeiedade Hygenica, immencidade de
objectos qne deuo de mencionar para nao se tor-
nar massante, lodo por precos moito coa modos.
"TJltima moda
Bellos ebapeoslnnos de apurado gosto para se-
nhoras feilos au capricho de nma das primeiras
modistas de Pars, e chegados ao armazem do vapor
rna Nova n. 7.
V*nde-se ama eserava c^bc, de 11 anuos,
cozion*,engoran, cose a faz dcoe de todas as qaa-
lidades, tudo bero.pcrm ose vende para fora
desla cldade: na roa do Fogo n. 0^____________
de Rabe Schm...a
Siiervy de Londres
superior e regular, em casa de Itabo Scbmllan 4
C, ra da Caitla n. 18.
Linha de novellos
Ja Alejandre e ootn : era casa de Rabe Scbcr-ei-
tan & C, ra da Cadeia o. 18.
Novissimos ou ultimes fins
do homem
Pelo barao de Castello de Paiva, socio r-ffeclivo
da A ad u ;a Real das Sciencias de Li>boa ; obra
mui intoressante a' todo c qualquer christao ; nti-
da impressao i-m papel superior, i volomes gros-
sos em 8* portuuuez, eom 8*8 paginas, por orecj
mdico : na ra do Imperador o. lo defrente ce
S. FraocL-co.
0 C4C4LIOR
Vende-se di
p*f mito Mi
cofre do ferro, obra fraocm,
na roa Ra da Imperatrizn- 19
Para a festa.1
Prepara fiambres, bolos, podios, pastis e ban-
deijas entestadas, para o que desde ja' recebe-s
encommendat, tem sempre para vender manteiga
perfeitaroenie Qor, cba miudioho do melbor qoe ha
no mercado, viohos e corteja de todas as marcas e
qoalidades, qoeijos novo*, figos, passas e infinida-
des da censas que qoe s eom a vista faz f ; as-
sim, pois. espera a benevolencia das Etmas. mais
do familias.
Chocolate nacional,
59 Dentait* Ifova 50
Premiado na exposicie nacional e de Rio de .a-
oeiro, garantido p iro, ma'lo mais scip^rtor qne o
cbocolale hespanbol qoe est se vendendo nsta
praca, vaodese no deposito da rna Nova 50 a
809 rs. a libra, de dez libras para cima a 700 rs-
Saperier viiho do PcrU.
Vende-se no Mcriptnrio de Antonio Lalz de Oli-
velra Atevedo A C, ron da Crtu a. bl, ea calas
dnlSfwnfns.



ILEGVE1


larto de Pernunknc seil Iclra O de Dezemhro de 1867.
11
DO
DR. SEVIAL.
Para o tralamento e cora rpida e completa das molestias sypbiliticas, eriso-
m, rheoinatismo, bobas, gota, debilidade do estomago, infiammacoes chronicas do flgad"
baco, dores sciaticas, cephalalgias, nevralgias, ulceras cbronicas, hydropesias, pleuri-
as, gonorrheas chronicas e em ge al todas as molestias em que seteaha em vista apa-
ricaco do systema sanguneo.
Considerables geracs
A saude um bem iaapreciavel, cuja importancia e valor s est reservado ao ens
roo o avalia-lo.
incontestavel que o hornera nesle mundo constantemente, e por todos os lador
itacadc por urna infinidade de agentes morbficos que todos tendem, dadas certas e deter-
minadas circumstnncias, a alterar o regular exercicio das funcces orgnicas, resultanbo
pssse desequilibrio o que se chamamolestia.
A molestia nao inais do que a desvirtuado das forcas vitaes, occasionada,- d,
prado as investigacoes e experiencias dos mais abalisado mestres da sciencia, pela depm-
acao dos humores geraes, consequencia da acc3o maligua desses mesmos agentes mora e
Seos inlrodi.zidos no organismo pelo acto da respiracao, pela via digestiva, polo contacto
inaueciiato etc. etc. etc.
A syphis infelizmente tem sido a partilha da humanidade, e como fra de duvi-
da que esse terrivel Proteo da medicina urna molestia hereditaria, ella tem sido obser-
ada era tudas as idaJes, e debaixo de todas as suas furmas tao variadas, enfraquecendo
MfiSiituis robustas, produzindo mutilages, e cortando anda em flor da idade vidas
preciosas.
Eiimiiar da economa esses principios deleterios. e purificar a massa geral dos
iuaiores tem sido desde' tempo immemorial o fim constante da medicina, e os purgati-
os figurara em primeiro lugar para preencher esse desileratum ou fim.
O Elixir depurativo do Dr. Sevial parece merecer a preferencia sobre todos: os
mraensos successos obtidos pelo u?o deste salutar agenie tauto na Allemanha, como em
franca e Italia, o tornara o companbeiro inseparavel dequasi todos os doentes.
Sendo as mele.'-tias, como cima dissemos, devidas s alteraces dos humores, o
Elixir depurativo do Dr. Sevial pode serempregado vantajosamente na syphils, erlsy-
aelas, rbeumatismos, bobas, gota, debilidade do estomago, iaflammages chronicas do
gailo e bago, dores sciaticas, cephalalgias, nevralgias. ulceras chronicas, hydropesias,
eorisias, gonorrheas cbronicas etc. e em geral em todas as molestias era que se tenha
&z vista a puriScacao do systema sauguineo; pois que omapralica constante tem feito
nr que eile indispensavel nos casos gravissimos para minorar os soffrimentr s, pre-
parar o dnputc para medicacoes superiores ; e as menos graves a cura a conse-
qaeucia do sen uso, convenientemente repetido.
As substancias que entrara na composicao do Elixir depurativo do Dr. Sevia
acera todas exclusivamente ao reino vegetal, e grande cathegoria das substan-
as depurativas e antisyphiHticas; assim, ao passo que esto remedio depura o orga-
nismo, eliminando os principios nocivos saude, pelo mecanismo natural das evau-
icsmo tempo o virus syphiiitico quando ste virjem.
... no eiteri ir dbhaixe de suas multiplicadas formas; e previne taut
Wta os t ragos dessa terrivel molestia, quando por ventura se ache ella anda no
estado d tncubgcp, i*to: ^sam se ter manifestado sob formas ex lernas: beneficio
use ito u;Sl quljnta ne.-te estado os individuos igneram completamente se os-
ito con por est terrivel inimigo.
O saber agradavel d'este Elixir convem a todos os estmagos, a sua acc3o so-
is*; o uboii te i: suave e beni^a, e de nenhuma forma produz molestias medi-
'.' ao purgante dito Le Roy, que na sua qnalidade de dras-
'-' ; mu intestii I cjgseculivainoijte a seroz.'i, rasaltan lo d^ste es
is vezes, hydropesias, que <4w serepro terminan pela merte -!o doente.
: ; peramos que c rdos lio justifique cabalmeute as nos-
* '- 3>5, porque sendo um medicamento lo simples na sua composicSo, a
.**. ot Ci .miado sua utilidade.
Ualco dcj5,5i> cl?3 Pc:"aaa7}Ki.
Na botica e rogara
DE
Barhotomeo Compankia.
34RA DO ROSARIO LARGA34
I
JL I V
(1,0 DE FAZENDAS
Por )>aratos presos.
C*s?as ,' aneczas de cores a 2i0 rs. o'covado.
Ditas francezas, superior ciualidadc, grande variedade de'padres, fazenda de
vara, a 30 rs. o covado.
Ditas ditas milito finas a 100 rs. o covado.
Superiores chitas francezas largas de cores fixas a 2(50 rs. o covado.
litas do cores com salpicos c cora flores; a 320 rs. o covado.
Ditas com palmas de seda a 320 rs. o co\ado.
Ditas cm listas imitando poil de Chvre a 400 rs.o covado.
Suj eriores alpacas de cores de duas larguras com'listas e com flores, grande va-
Ce de padrees e gost s nteiramente lindos ffazenda de 1S o covado) a 500 rs.
Sedas de cores de quadrinhos e de listas a 800 rs. o covado.
Ricos romeos oucraas de merm, bordadas'e enfetadas cora renda preta, oque
v 2e miis moderno para hombro de senhora a 80, 105 e 12 cada um.
Bons madapoles a 5\ e 7;> a peca.
Ditos a 33.
Superior algodosinbo branco'com 20 jardas a 45 a pega.
Assim corno nutras murta* fazendas por menos do seu valor"para liquidar.1
LOJA DAS COLUMNAS '

DI

iiitonio Correia de Vasconcellcs & C<
Ra do Crespo n. 13.
-
s
B
a

5!
c
a
a
i
i- ^
-- C3
a

: O
- O
eo
c ft
.. :-
~ O
-. - a
a CD
, -
-- s
CB
-
i-- as
~
a.
1 50
s
e.
c
-

c
3
o
o
'T
-:
1
O
as
r.
o
es
B
a.
o
ro
/
te
r-
a
'--.

o
Su
a
D

.i
g^
jr~
o'
~,
T
-3
'
O.
o
-.-
o

te
a.
o
j.
S
C
5
-
-i
O
a,

a
.
~
T-
O
PARA A FESTA.
Lourenco Pereira Mends Guimaraes, tendo de dar balango em snas lojas de fa-
zenda no fim do anno e tendo muita fazenda em ser, por isso resolveu fazer urna gran-
de liquidaco, que ter principio no da i at o fim do mez, as lojas e armazens da
Arara, ra da Imperatriz n. 56 e 72.
Pechiacha em chitas t 160 rs. Cortos da lasinhas a 1,5, JtfiOO e S^OOO
Vende-se chitas para vestidos a 160 e Vende-se cortes de aasinh s de cores
) rs. o covado, cassas Irancezas, a 240; para vestidos com 14 covados a 43 e5#\
Alpacas de listas de seda a 800 rs. o covado.
280 e 320 is. o covado.
S na Arara, eambraias a 23 o eorle.
Vende-se cortes de cambraias de barras
Vende-se alpacas de lista de seda para
vestidos a 8oo, 52o, 5Co e 5oo rs. o cova-
e listas a 23, 2,5-H) e 33, cortes de cam-'do, organdis branco e rauito fino a 13, a
braia bordados a 33:00, 43. e 53.
Mussulinas de cores a 500 rs. o corado.
Vende-se brigantinas e mussulinas de
vara.
Lasinhas para vestilos a 200 rs. o covado.
Vende-se bastabas para vestidos de se-
cores para ve-t.dos de senhora a 500 rs. o nhom foo, 24o, e oo rs. 0 covado>
mu?.', r .. i ta barege de listas a 2So rs. o covado, mos-
VS*FS2Ki^+E^ .sambique cora palmase listas de seda para
>a 24- vetidosa28o rs. o covado.
largas a 240,
280. 30, e 360 rs. o covado, percalas fi.
as a 400 c 5<0 rs.
Orgxndis de qindro de cores a 320-rs.
Vende-se orands de quadros de cores
paravestidos a 320, 360 e400 rs. o covado.
Las linas de lista a 400 rs.
Chales de renda
Vende-se chales de renda mnito pretos
a 43500 e 53, ntonlas de linho a 53 c 03.
Roupa frita nacional.
Vende-se palitos de alpaca branc e de
0 cordeiro providente
Na antiga loja de miadezas a ra do Quei-
mado n. 16.
TeDdo sempre em vista nao roubar o tempo aos
seas (regaezes, com extensos anooocios ; mas
tambem oo querendo qne os mesmos fregaezes
Ipoorem o qoe de novo lera ello recebldo, por Isso
resamidameote e dir': begaodo assim ao co-
obecHnento da todos qae a dita loja do Cordeiro
Previdente, ra do Queimado o. 16, recebea o se-
gainte :
Bonitas e doradoras ligas de pellica para melas,
tamo para senberas como para meninas.
Leques de diversos e modernos gostes.
Penes com enfeites doarados e nao dourados,
para meninas.
Coques simples e enfeltados, moldes Inteiramen-
te novos.
Bora papel em calxinbas liso, pactado donra-
do e timbrado, e ouiros mnitos objectos, qaemen-
ciona-los seria bstanle enfadonbo, e qae se ven-
de em dita loja de miadezas do Cordeiro Provi-
dente, ra do Queimado o. 16.
XSo faitea flores,
O Cordeiro Previdente a roa do Queimado a. 16
lera constantemente nm lindo sortimento de II
as e bonitas florts, por Isso quando algum ha.
bilidosa jovea quizer preparar qualqaer enfeite de
bello gosto deve lego lerabrar se qae ha dita loja
do Cordeiro Previdente, a ra do Queimado n. 16,
nao falm flores.
Para aivejar os denles.
O cordeiro previdente a ra do Queimado n. 16
recebeu do bem coohacido fabricaute Jonh Gos-
nell & C. urna ptima qualidade de pos para den
Vende-se la.-inlias de lista de cores para cores, proprios para os das de festa a 35oo tes aromali"dos cun) c:'n,ora iue realmente tem
siMi.a a *nn o nn ro /.n,^n ,. Ji._5___!L. i :..__*.rL. merecido todo conceltJ porque nao s alveja per-
felamente os denles como tambem conserva-os
sempre no melhur esUdo de perfeico, assim pois
vestidos a 400. e 500 rs. o covado. je 43, ditos pretos a 3.3, e 43. idem de meia
Hadapola do Arara a 43 | cazemira 33ooo e 43, idem de casemira pre-
Vende-se pe? de madapolo lioo e largo ta e da cores a 63, 83, e Io3, calcas de
a 43, 5,3, 63, 73 U e 103, a peca aleo meia casemira a 23?oo e 33, idem de case-
dSosinbe em pecas encorpado a 43,53O09 mira a 63, e 83, cohetes de casemira a 33,
t 3500-73 e 83 a peca.
Ie 335oo.
Ra da Imperatriz n. 15.
33-
B
o
g
O
EA
~-
B3
X
-_
DB
tf
CJ
O
a.
"-^
99
u
t
&
s
I

-,



o
~1
Z3
co
B
r>
B
o
I--
2.
1--
-
Si
f^
P.
_
ea
B
--.
o
-a
(O
o
o
i
re
-
a,
a
o"
o'
o
a
Vende se manteiga ingleza flor a 800 e 13ooo.
Sal refinado em pacote de 3 libras a 2oo rs.
P de tijollo para limjar facas a 12o rs.
Latas com po-de-l a !35oo.
Azeitonas de Elvas em latas a 800 rs.
Al pista e pataco a 16o rs.
Frutas cm caldas seoras a 5oo rs. a lata.
Farello de Lisboa marca M. a 43fioo e 5#ooo.
Caixinhas com massas para sopa a 233oo.
Vende-se urna armacSo de louro envidragada propia para qualquer negocio em
orna principal roa: atratar na ra da Imperatriz n. 13, com Miguel Gomes de Souza
que tem poderes epeciaes.
1WEC0RJLV
Chpqararn de Pars no ultimo paquete comraen-
das de Cbristo e cruz periencenlcs s rnesmas,
hbitos de Cruzeiro, da Rosa e de Coristo, com !
suas competentes titas; vende-se por Drego com-'
modo na ra do Cabuga, loja dejoias'n. 11, de'
Serapbim & Irmao.
Vapores,
VeDde-se em casa de Saunders Brothers d C.
o largo doCorpoSantn. 11, vapores patente
om todos os pertences proprios para fazer mover
es oa quatro machinas para descarocar algodv
Liquidaco de ca (gados.
Eu do Imperador n. 32,
Borzeguios de bezerro para homem.
Ditos de lustro para homem.
Ditos de cordavao.
Ditos para senhora enfeitados.
Ditos para meninas.
Sapat5ts e bezerros.
Botinas brancas pata senhora.
Botas pequeas para montara.
Ditas grandes para moBtaria.
75001'
65000
81000
s&m
3501K
35500
s|ooo
18000
255OOC
f.'ondeeoraccs
A bem conhecida loja de jolas de Mjreira &
Duarte, a' rna do Cal.og n. 7, acaba de receber
poreno de hbitos e fflclalatos da ordem da Rosa
e habito? da de Cbristo de differentes tamaolios
qoe vende por pregos moi razoaveis, alera disso
continua a ter como sempre om completo sorti-
mento de joias dos gostos mals modernos para as
quaes coota com o concurso de suas bens fre-
gaezes.
Fiindicao d'Aurora em
Santo Amaro
Completo sortlmentc de taixas batidas e fundi-
das, alambiques de lodosos tamaohos e fundosd
ditos, mocadas de todos os tamanbos de snperiot
qualidade, cilvos e boceas do fornalba. o qua tudc
se vande por commodo prego.
..... i
Liadas mailo lindas ia a 500 res o
covado
Vende se na loja do Alvaro a' ra do Crespo n.
Chegou afinal
A pomada galopean
para cura rpida e completa dos callos daros.
VENDE SE NA
Botica e
DS
drogara
Bartholomen A. C.
31Roa larga do Rosario34
Cabriolet
de 4 rodas e 1 cavallo muito superior, vende-se
para tratar na ra d) Crespo n. 16, andar, pa-
ra ver-se nacecheira do Paalino ra du S. Amaro.
cacao

Vendem-se pegas de algodaozioho mnito largo
superiur qualidade eom um peqoeno toque de .va-
ria pelo barato preci de i$, cbilas largas de co-
resi a 240 rs. o covado, bnm pardo ir orto bom a
bOO rs. a vara : na leja de Antonio Jos dos Reis
& C, a ra do Passeio Publico n. 6, por baixo do
sobrado novo.
Fio de algiHl da lahTaT
Vende-se no escriptorio de Antonio Luiz de Oli-
veira Azeve io & C, ra da Cruz d. 57.
'ande Il Na rna do Livramento loja do Zjavo Braslleiro
n. 33, vende-se um sortimento de calgado do to
das as qualidades e juntamente um novo sorti-
mento de caodieiros a gaz muito barato para
acabar.
JOML DAS FilILllS.
Public? cao iliu5trada,ariislica, recrea*
ti va, etc.,
ornada de figurlnos, gravoras, pegas de mn'ica,
moldes de vertido, e em gera| de todo qusnto
concernnie trabalbos do senboras. Sabe urna
voz por mez. Asignatura por um anno de Janeiro
a dezembro 12C00.
_Livraria fianceza, roa do Crespo n. 9.
Vende-se urna parte do eagenhoDos Irmaos
cm Apipacos, a tratar a' ra do Imperador n. 43,
Io andar.
Cassas Gaas a 210 e 320 rs. o covado, ba*qui
as de seda preta a i'5 e a 225: na ra do'
Crespo n 17.
E' baratissimo a 500riso
^covado.
Superiores laas para vestidos com excelientes
padrSes a 50.) ruis o eovado, aproveitem antes que
se acabem ; na ra do Queimado n. 46, lola de
Guimaraes & Basjos.
Francisco Jos Sermann
|RUA NOVA N. 21,
acaba de receber um lindo e magnifico so
timento de oculos, lnnetos, binocalos, 3 c
timo e mais apurado gosto da Europa ;c;.
los de alcance para observacoas e par i
martimos.
queirrm vir comprar ditos pos ua mesma lija
do Cordeiro Previdente, roa do Qneimado o. i6
Enfciies com ponas.
Cordeiro Previdente receben um lindo sorti-
mento de enfeites com pontas para vestidos, tanto
de seda como de laa qae combinara pereitamen
te com es cintos modernos do ruesmo formato, por
isso para poder enfetar-su com gosto qualquer
vestido indispensavel comprar-se ditos enfeites
na mesma loja do Cordeiro Previdente, a roa do
Queimado n. 16.
Chapcilnas de seda
Modernas e bonitas chipenas de seda para se-
ntir ra rocebpn o Cordeiro Providente raado Quei-
roa lo n. 16 e por ser pequea a quantidade re-
cabida, quera pretender urna moderna e bonita
chap"lioa devo apregar se em reandar compra-la
em dita leja do Cordeiro Previdente a ra do
Queimado n .16.
CAIXINHAS EXFEITADAS.
Estas muito desejadss caixinhas vasias e enfei-
tadas eoza gosto, quo tanta extraega tem tide c
qae renlmente servera para diversos fias, existen)
;. do Cordeiro Previdente a ra do Queimado
n. 16 om completo sori'mento de ditas caixinhas e
s3j vendidas per pregos to rasoaveis, que o expe-
riente reguez Do objectara' em compra-las em
dita loja de miuriezaa do Cordeiro Previdente a ra
do Queimado n. 16.
PO.NTK.1RA3 E CHARUTOS.
O Cordeiro Previdente, roa do Queimado o. 16,
tem um bom sortimento de Boas ponteiras pura
charuto-, sendo lisas e com Asuras em alto rele-
vo ; o para qui os sea~ frpguezes nao se Incom-
i : em comprar charutos em alguma3 das lo-
jasTde charuteir ;, i : mb'rr) um bom sorti-
mento de Unos c' 'i ffjmado fabricaute
Furtado da Si:., ; ',. uroctrarao os
apreciadores um bom sortimento na dita loja do
Cordeiro Previdente, ra dcQusimado n. 16.
*ara ofertas no taospfital por-
tuguez.
Bonitas costinbas com fructas de cera, obra de
muita perfei(o e bom gosto.
Para cortar moldes e eabrulhar fazendas.
Vende-so papel cardo folba grande.
Para lustrar calcados.
Veo>-se snpericr grasa econmica.
Veude-se papel para matar moscas.
\ leja do cordero previdente
Ra do Queimado n. 16.
Nellaacharoos pretendeotes um grande e va-
riado sortimento de perfumaras Qnas, tanto ingie-
ras como francezas, sendo :
Finos extractos para lencos.
Banhas e pomadas para cabellos.
Oleo philocome e baboza para dito.
Pos bygienicos para dentes.
Ditos camphorados para ditos.
Opiata ingleza e frauceza para ditos.
Pacotes com pos de arroz.
Vasos de porcelona para ditos.
Sabonetes para m.'o e barba.
E muitos outros objectos que sero presentes
ao comprador qae se dirigir a ra do Queimado
n. 16, loja do cordeiro previdente.
Baoiieijas pequeas.
Vendem-se na ruado;Queimado n. 16. Jlojado
cordeirojprevidente.
Charutos
da acreditada fabrica de Jos Furtado de
Simas.
Veodem-sejna lojXdocordeiro'prevideote a roa
do Quemadogn. 16
MIDE BAZAR
RA SOYA N. :0 E 22
Fabrica e fundiedo de bronz
e outros metaos, caldeireiro,
laioeiro, e funileiro, situada
na Soledade, ra do Prin-
cipe H, 3, e com deposito na
ra Nova n 38, da cidade
do Recife
DE
BRAGA SAMPAIO
Fabricam-se neste importante estabeleci-
menlo todas as obras concernentes as artes
respectivas como sejam:
Alambiqnes de todos os tamanbos em
feilios, os mui acreditados aparelbos de
Derosne com as dimeneftes delicadas dos
fabricados em Franca.
Fabricam-se avulsas quaesquer pecas des-
apareaos, como sejam o dilatador, ratifica-
dor e condensador, ou esquenta garapas,
resfriador, serpentinas interiores.
Fabricam-se bombas de todas as dimen-
ces e qoalidades, pelo systema francez ou
americano, simples, de presso, repuxo, e
com especiaiidade a estanca rios! assim -p
nominadas pelo enorme volume de agua
que absorvem calculada em 100 pipas por
bora, e das quaes algumas esto rompasa
serem experimentadas.
Existem bombas por este systema, me-
nores, para regar sitios, garantindo-se nao
s sua duraco como a grande quantidade
de agua que fornecem pelo que s3o cous de-
radas hoje as primeiras bombas conhecidas.
Todas as mais obras se fabricam vonta-
de dos freguezes e a seu capricho.
Existem sempre promptusno deposito in-
dicado na ra Nova n. 38, um completo sor-
timento de obras solidas, bem construidas e
a precos Msoaveis, como sao alambiques,
serpentinas, taxos, passadeiras, repartidei-
ras, escumadeiras, cocos, caodeias, e muitos
outros oteacjlios proprios para engenhos,
como sejam mancaes de bronze, parafuzos
para rodas de agoa e outres.
Cavilhas, machos para lemes, pregos de
todos os tamanbos e para o forro de cobre
de navios,
Apromptt^o tudo.quanto diz respeito as
obras de lato torneadas e polidas com toda
a perfeigo.
Vlvulas para tanques de banbo, torneiras
de todos os tamanhos e qualidades, assim
como todos os ornamentos para militares,
botoes para farda, aparelbos para barretina,
nmeros, espheras, espadas, cornetas, alam-
padas turbulos, caldetrinhas, navetas, almo-
farizes, perfumadores.
Obras de folhas de flaodres de todas as
qnalidade^, bahs, bacas, bules e outros
otencillos domsticos.
Lampies para pz pan engenhos, folha
de flandres emeauas, folhas de cobre ela-
tao, tubos do chambo para encanamentos de
todas as dineogSes, folhas de zinco, estanho
em barras e verguinha, lancees e barras de
chumbo, vidros finos para espelbos, de co-
res, bordados, e opacos, e outros para vi-
dragas, diamantes para cortar vidros, cadi-
nhos ordinarios e de patente, rea para mol-
dar, folies para ferreiro, lavatorios com ba-
cas e jarros, trra podre e outros nmeros
objectos proprio de taes estabelecimentos.
Sendo todas as obras inspeccionadas e
feitas sob a direcc3o do socio administrador,
Jos Baptista Braga o qual se acha de novo
especialmente incumbido da gerencia de to
importante estabelecimente, isso urna ga-
ranta pela sua longa pratica, que tem os se-
nhores freguezes de que serao servaos a
contento, com promptido e preco commo-
do, pelo que os proprietarios lhe sero agra-
decidos.
Faris, 36, Rna Vivienne. D1
GHABIEMDECINSP^IAI
AS EMKEKM1DADAS DES StXUAES, AS AFFKO
fXT\SEAs, e A '.TERACOES DO SANOS.
30.000 curas dis im^in^fnt^
pstulas, herpes, sarni.,
comixofi, acrimonia, i el-
lercoes, viciosas dotangMt\
^ virus, e alUracoct do it.
yu. (Xarope vegetal f vegetar* HAKIIIIM MlNERAl tomac-se d-k.
por smana. segnindo o traclaraenlo Depurativo .-."
en;iir(-t;ado as mesma molestias.
%*%TTCh^I^ EsleXaropeCitraeS.".-
M^i^f-il/,-M de tlIABLE. cura i^..
l^'-$tvf1'WM?-r\i&t 'amentqualquermircijao.
1*1*1 3*1 i 11 relazacao, t deUidaJt,
WBetkirtSi^ri-iixm giialmente os fluxot e "ortt
francas da.- niuiierea. Esta njeccao bocigaa o
rega-sacoa o Xaropo do Cifrado de t'erru.
Bemsri-oida, Tomada que ai cri ea trsa di:*
POMADA ANTIHERPETICA
Contra: as a-fsecoes culaneai i comisan.
PILULAS VEGETAES DEPURATIVAS
'.> w Chalilo, ei fraaco val MMBMkldfl i'ais
AVISO AOS 8R8. MDICOS.
A os agricultores.
Sanndfrs Brathers & C. aeanam de receber
.e Liverpool vapores de forca de 3 a 4 cava Nos
com todos os pertences, e icd proprios para faze-
:f m mever machinas de descarecar algtdao, po-
diendo cada vapor trabalbar at com O serras,
ambe-m servera para enfardar alpodao, oo para
)Utro qoalqoer servigo em qae nsam de trabalbar
:om animaos. Os mesmos tambem tem a' venda
narbirjss americanas de 35 a 40 serras.
Os pr,-tendentes dirijam-se ao largo do Corpo-
anto n. 11.
&liUPpCl
Cal d Lisboa em b^rns a 3, assim como ama
lorcao a tzntiM a 1*100 o alqueire: a trat:r aa
roa da Cadea d. 2, l andar.
Bota russianas, perneiras e msias pernelras no-
vamente chpgadas, da mol or qualidade qne temos
visto, uo armaiera do vapor ra Nova n. 7.
^ovo sortimento de lavas de pellica de Jjuvo,
branca?, prc-tas e de entras bonitas cores para no-
mons e seuhoras; no armazcm do vapor ra Nova
n. 7.
Uazinlias a IGOc 2i0 rs.
Vcndem-so laazlnhas escocezas muito bonitas
pelo baraii>simo preco de 240 rs. o covado ditas
miudiahas para acabar a 1G0 rs. : s na'lfia e
armazem rto.Pavao ra da lmperatnz n. Cu de
Gama & Suva. '
Machinas para descarocar algodo. do mt
Ihor autor que tem apparecido na Americ?
E' tal a execucao do machinisme, que o al
godo sahe quasi tao per feito como o debo
landeira. Reccmmenda-se a attengo doi
Srs. agricultores, estas machinas.
\
l\t

.'
.
-- Per 300* baratissimo ; vende se nina boa
uroenroe93" Preta' aDnS : Da m io Fc8


eara
bxC-
rid^^c^tode superior car?ao do CardilTiia
BaDia.

w*.vs-m SS-i"01 e'' ra" San,a Barfcara n- U esto habilitado scrorir dt
cerrera BaoL*.!e.pqloJ| a coattitax nosla com Domingos Alves Utboos.,
BICOS
[ e Megantes enfeites de palba ramo?, flj
| res, jr.naldas, enfeites para coqaes, U
[ssS2* '30'* a,5 6 bol5e
com vidruho, acaba de receber a lola do
so?, a ra da Imperatriz a. 64, assim
: -orno ri'inissimos intus de setim, vel-
daeRorurao.a Mane Aotoniotto, a
Niperatnz, a Fgaro, linios e os mais
modernos coque de cabello e a Imitacao
e um sera num ro de artigo de rato
Novids.de"

ai. > t.
' '.- i .
fTU|Sled.
4 iOtW kV fifi HI :H $4* MW<
rittMn,:j
?i e,hcabt!los marrado tambero ao ultimo
gosto o melhor possivel escomidas na exposicioe
ebegadas ao armazem do_vapir ra Nova n. 7.
Vende-se o faoi Periquito'e juntamente o car-
( ro com que o. mesmo trabala : tratar na roa
Na loja~de~Joaquim FrE-
cisio Lavra na ra do
Queiniaiio n, 34
Vende-se lazintwsiisas e etimpaas a 280 rs
K i o covado, cambraias finas de cores a 3:0 rs. a va-
M>rt, lftc;>s de >eda de cOr.^s a 400 rj. ca-ta ara,
t, cbiBI, ilgi does, maJapo'G ? o nftras moms fa-
g.zerjdas tado por pregos m.is baraios do que om
j~ | outra qualqaer parte.
Superior pmo dcalg'4 da lialii.
I Vabda se no esrrfptorio de Anlonij Lulz de Ol-
i velraiAzovedo & c, Vna da Groi n. 87.
^ Chegon ao antigo deposito da Honry Forster fi
C, rna do Imperador, um carregamento de gaz de
primen-a qualldade.o qual se vende em partidas
\ retalbo por menos prego do qae era outr* taa'
ier parte.
Novas cliapelinas
de fina palha cliH e untai us docncat
o peiio; basta a-> -'fQ
ttoia rolhe retidea dnste tarop D' Korgct.
'Or. :vittj..a em Paria, rus Wlvieaoa, * A venda na pharmacia de P. Maurer f
e C, em Pernambnco.
rIRDADSlH9,Ef!0!t
dt aieroiaEs-, PocUor-Wlteiii
Ru do Selne, 81, ft. PA11I8.
S
A Aguia Branca, a" rna do Qaeimado d. 8, rece-
bea om novo sortimento de bonitas chapelinas de
fioa palha da Italia, orndssccm delicadas flore* e
cerno sempre a Aguia Branca as vende por precos
cemmodos.
'Oa
Vende te a tabnca da ua da Caeimr.a o. 2
com frente para a ra do Vigario, muito afregae-'
iada, e com procos fondos, propria para nm prin-
cipiante : a tratar na mesma.
\
%. <4> \ *
*-. ?> ^* l*i
CINTOS DE PONTA
Chegaram hontem pelo vapor francez os melbo-
res cintos de ponta com vidrilho e Bvelas do me-
Ihor goslo que tem vindo : vndese na rna do
Cabog leja de mludezasde4 portas n. t A

Para acabar
; :.
tatonU, iwl
Vendem se saceos com farioba de mandioca de
wjuu ae^, asum como saceos com feiio or
baratsimo preca.: no trapfcria fearao do Lvra-
mento no Forte do Matos n. 1.
CIIE(A A TODlSAS"
si:\okas
Rios ba!o-.\< de arcos a 200 ; t
Passo, rus dsGmpo r '
M 4 tt wMt
\
I ,tevT"ffineM^o^ f*- "*'
Pf. S. :
' ~------~,~T~iA-----*"*......
/ <#'?} k-Pj;rk,tfrt-t
a |4 diat ralira.i.-r.o .
Deposito na pbarmacia de P. Manrer
C. em Pernambnco.
.
Vendero-so cadeiras de plobo de ttiescoras
americanas, proprias fara estabelec
roa do Encantara jnto d. 4.
Vndese te Ibas saperijre lijles ae toaaa
qualidades, fabricado cm barro d'ag"a doe'
menos 45 em'milbelro do que em outra qoalf
parte : na elaria di
djs Prazeres d. 38
jx- *._ m**st *ia'<

IIIGIVII


I
Alarle de PernaMbnco Sexto felra tO de Dezembro de 1867.


i "
t

a
Collares Royer
0u Anodinos elctricos magnticos
Deposito acreditado
oja da aguia branca roa do Queimado o. 8
Apregoar anda os prodigiosos effeitos dos
Collares Royer j nao ensinar ou querer
iatroduzir novidades, porque a (ama de sua
efflcacia tem-se tanto estendido, e os seus
felizes resaltados a tal altura elevado, que
hoje rara a pessoa que por experiencia
propria, ou por intermedio de seus amigos
e prenles, ignore ou desconhe;a as virtu-
des desses sempre apreciaveis collares
Royer.
A aguia branca porm se gloria de concor-
rer para um lio justo fim, se nao por ou-
ro modo ao menos por ter sempre, e cons-
antemente um completo sortimento desses
collares magnticos, que bem se podem ctia-
marsalva vidas das criancas.
Resta ainda que os senhores pais de fa-
milia se faram convencer (de que conven
nao esperar que as criancas sejam atacadas
do mal, e por isso necessario ou conve-
niente que cota antecedencia se deite na
crianza um desses collares para assim estar
ella preservada das cnvnlcoes e se contar
livre dos rigores da dentieao.
A aguia branca roa do Queimado n. 8
contina a receber por todos os vapores
francezes a quantidade que ha contratado e
por isso acha-se ella sempre provida dos ver-
daderos collires Royer eletricos magn-
ticos.
A Aguia Branca a ra do Quei-
mado u. 8.
Inconlestavelraente na loja da Aguia Branca
onde os apreciadores do oom podem melborinente
prover-se daquelles objactos de gosto. E de ]a por (amos e tantas vezes recoohecida anda
agora se faz confirmar rom a nota dos preciosos
objectos de gosto e valor qne a agma tem a satis-
lagao de patentear e por a disposigao de qnem os
deseje e possa comprar. Ella principiar pelas ri-
cas caitas ccm msica e sem ella, para costura.
Essas caixas por sua* perfeiges, gostos e rique-
zas, se toroam recommendaveis para algum im
portante presente, ou mesmo para quem tenba gos-
to de possuir nma bella obra, porque de certo sao
ellas as de maior valor que se enccntram em Per-
nambnco, ten lo urna que sobresabe a todas as ou-
tras. Alera deltas ba outr?.s de precos menores, as-
sim como tambera ba bonitas caixiohas vazias de
madeira, envernisadas e marcbetadas, com fecha-
dura e chave, para costura.
Em leques o que se pode encontrar de mcllior,
sendo:
Todo de madreperola, bordados, ;obra de gosto e
valor.
Outros de madreperola e seda, bonitos desenho?.
Oulrosde madreperla com bardados col ridos,
obras de muito gosto, e geralmeote apreciadas.
Oairos todos da sndalo.
Ontros de sndalo e seda com bellos desanos.
Ouiros todos pretor para luto.
Oulros pretos com desenhos roxo?, proprios pa-
ra seoboras viuvas.
Outros da saudulo e faia, formando qnatro vistas
Outros de sndalo e sndalo e seda, para me-
ninas.
Outros de madelra e papel, obra barata,
fiuaruifcs de fitas, ditas de benitas e modernas
traecas para vestidos,
A Aguia Branca receben novamente nru bello
sortimeutodaquellas apreciabas guarnitdi-s de fi-
tas; assim como oulras da lindas e modernas tran-
cas. Os apreciadores do bom comparegam na loja
da Aguia Branca a ra do Queimado n. 8.
Fioissimas recias de lio de Escossia para ensacas.
Veuderu-se na ra do Queimado loja da Aguia
Branca n. 8, on c tambero ha oulras muitas de al-
gndao para criancas de 3 a 12 raezes.
ilui linas luvas de li i de Escossia c seda, para no-
meR$ e scnuoras.
A Acoi3 Branca a rna do Queimado n. 8, recn-
beu u'ii bom sortimento de Gnas luvas de fio de Es-
eossia eseda, brancas e de core?, bordadas e lisa?,
tanto para bmens como para seoboras; quera as
pretender e dirij r-se a (illa Joja da Aguia Branca,
conhecer qne cm tal genero nao se encoaira me
Ibor, e talve nom mesmo igual em alguma omra
parte.
Requifcs brances ontranciuhas papa-fina.
A Aguia Branca acaba de receber um novo e
bello sorilmeito dessas tao procuradas trancinhas
papa-Ara, com diversos e agradaveis molde, % co-
mo sempre a Aguia Branca a ra do Queimado n.
8 continua a venVr barato.
Giaas c puhov, manguitos e goliinltas, obras
modernas e de gosto.
A Aguia Branca acba-se receotemente prvida
de bonitas gjltiohas e ponhos bordados, manguitos
e golliohas trun bem bordadi s, e ludo do meltior
gosti e ultima moda, tendo as gollinhas e punhos
mnitos, ja enfeitados com Utas enfiadas, e alguma?
pequeas para meninas. Os pregos apetar de cm-
enosos variam com as dillerentes qualidadis das
Obras. Os pretendemos comparegam na loja da
Aguia Branca a ra do Queimado n. 8 que sero
servidos a conteni.
Entreactos bordados em pecas graudcs.
A Aguia Branca a ra doyu'-iiDa.l n. 8 est
TODdendn b'in:lo> entremeios bordados em pegas
granas de 12 liras, e pelo baratissimo prego de
3^300 cada peca. A rauda extracyao qun elles
tom udo confirmara os diversos Bns pira que ser-
ven, as-ira pols convm que a boa freguezia da
Aguia Branca aproveie essa boa e barata fazeoda.
Chegram tambem
es nov.-e coques que multo teem agradado pelos
sens bellos detectaos, e perfeita eiecogflo d'oora.
Assim como igualmente ebegaram bonitos port-
bonqueis dourauos core cabos de madreperola.
A Aguia Bronca, a' rna o Queima-
do n. 8, vende ;
Fitas para fachas de jaizes de paz, delegados e
subdelegado?.
Ditas para cavalleiros da Rcsa, Coritto e Cru-
xelro.
L A Aguia Braoca a ra do Queimado n.
8 receben d'aquellas bonitas luvas de pelli-
ca enfeitadas, e j bem coob.ecidas.por luvas
a duqueza.
C






rna do Crespo n. 9 a, esquina da ra do imperador
Acaba de ebegar pelo vapor Qutenne, nm variadissiino sortimento de fazendas que dizam Of,
nossos correspondentes que foram as melbores, as de mais gostos e novidades que eocontraram em
Pariz. e por isso muito recommendamos a apreciago do re.-peitavel publico, os seguintes arligos que
s encontraro na loja do Passo.
Biquissimos cortes de seda de cores, com lindos
matires completamente novidade.
Lindsimos vestidos de eambrala branca bordados
com gosto.
Ricos basqnine?, primorosamente bordados, e ulti-
ma moda em Parir.
Riqoissimas ch-apeliaas de seda, palha a imitagSo
e entenadas com muito gosto.
Coques para senhoras, sendo estes de ultima moda
em Parir.
Llndissimas gravatinhas para senhoras.
Lindos colares e voltas de vi lrilho e seda, ultima
moda e inteira novidade.
Collarlohos, punhos e gravatinhas de Cbuny, com-
pleta novidade.
Rlqnissimos leques de marflm lodos abertos e de
ultimo gosto em Parlz ; assim como de sndalo
madreperola.
Riquisslmos vestimentas de eambrala? primorosa-
mente bordados, com todos os pertences para
creangis se baptisar.
Ricos ve'tosrios de cores, todos completos para
meninos de 2 a 4 annes.
Mantas da bloodepara noivas.
Moirianiiiue, grosdeaaple e sedas preta, branca
e de ce res.
Riqoisslmos cioto?, ultima moda.
Ricos enleites para senhoras e meninas.
Lindissimas chapellnas de seda e da palba para
meninas.
Riquissiaos cortes de fantasa para vestidos de se-
nbors.
Lindos cortes de 15a para vestido, novidade.
Chapeos de castor a canotier, ultima moda para a
rapasiada era Pariz.
Grande dsposito de luvas de Jonvio recebe-se por
todos os vapores grande sortimento.
Casemira?, eambrala?, lia?, roosselina?, precalia?, chitas e urna Innidade da objectos que
deixamos de mencionar por se tornar magante.
Isto s na loja do Passo ra do Crespo n. 7 esquina da do Imperador.
ANDE NO
11Ra do Queimado11
LIQUIDACO
MUITAS fjlzendjls
KA
LOJA E ARMAZEM
DO




f
'

Ra da I n-pea Ir i i
BE
GIMl! A SILVA.
Tendo os donos de. te grande estabelecimento resolvido liquidar a maior parte das
suas fazendas resolveram vender com grandes abatimentos em precos, assim como teem
recebido all mmente urna grande porc5o de fazendas novas tanto inglezas como francezas,
alem3as e suissas, teem destinado venderem-nas mais barato que em outra qualquer parte
afim de apnrarem dinbeiro, dando de todas ellas, amostras deixando ficar p nbor, ou
raandam-nas levar em casa das excellentissimas familias pelos seus eaixeiros; assim como
as pessoas que negociam em pequea escalla, neste estabelecimeDto compraro pelos mes-
mos presos que compravam as casas inglezas; ganhando-se apenas o descont.
Tiras bordada* e Dabadioho
Quem quizer fazer boa compra de tiras
borladas on babadinhos, acbar um grande
sortimento para escolher e por t_reco muito
mais barato do que era outra qualquer parte,
na loja e armazem do PavSo, ra da Impe-
ratriz n 6o, de Gama & Silva.
Fazendas para lnto na loja do
lavo
Baldes a 2, 35oo e U
Vendem-se um grande sortimeuto de cri-
nolinas ou baloes de arcos para seniora pelos
baratos precos de 2(9, 2#ooo e 3 por haver
grande porco, na loja e armazem do Pa-
vio, ra da Imperatriz n. 6o, de Gama &
Cassas a So rs. sO o pavo.
Vendem-se bonitas cassas inglezas de co-
res tlxas pelo barato prego de 2'0 rs, o co-
Vende-se setim da China com 6 palmos de vado, ditas francezas fazenda muito fina com
largura proprio para vestidos a 25 o covado, padres listrados e de flores, assim como com
laziohas pretas lisas, alpacas com slra bran- palminas miur'as proprias psra mcDinos a
ca a 1$ o covado, cassas brancas com listras 3oo rs. o covado ou a 5oo rs. vara : pe-
pretas a 5oo rs. a vara, ditas pretas lisas e chincha na leja e armazem do Pavao ra da
com sdpicos vara a 56o rs. ditas francezas Imperatriz n. 6o de Gama 4 Silva.
com listras e ramagens vara a 8oo rs., me- Cortes de alpaca a sete paacas.
ri preto, alpacas e princezas, mais barato Vtndem se corles de alpaca escura par; vest
do onppm nntra nnalanpr narlp na Ira da os pel bara"s?imo preco de 2J240 o corte,
uo queem omra quaiquer pane, na roja ao grande pechiDcha na |0ja earma7HD do paVaorua
Pavao, ra da Imperatriz n. 6o, de G.ma da imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Silva. nclr-c-antique.
PALITO'S DE PANNO A 6jJ Vende-se superior moire-aniique de ccr, rom
Vendem-se palitos de panno preto saceos. a,i!um ,ciae de mof. P0' Prec muito barato, para
a 6$, ditos sobrecasacos a loa, caigas de ca-1'
fazendas finas
Vestidos de bond para noiva com maDta e apella.
Ricos vestidos de caabraia branca bordadas ( que ha de melbor.
Cortinados bordados e admascados para camas de 2# a 800.
Ditos bordados e admascados para janellas de 9# a 2o#.
Colxas de seda e laa e seda para cama de noivas.
Basquinas modernas de muito gosto de 2o0 a 500.
Toalhinhas de croch para cadeiras e sofs, e colxas de croch para camas.
Chapelinas de crpe branco, e chapeos de palia da Italia para senhora.
Moir branco e preto, grosdenaple preto e de todas as cores para vestidos.
Camisas para hornera francezas e inglezas de linbo, e de algodo.
Goardapisa de crinofine para fazer mais elegantes os v< stidos de 13a e de seda
a 32o rs. a vara.
Superiores saias bordadas de linbo, camisas e camisiuhas bordadas e lenel de
cambraia bordada para senhoras, ricas toalhas bordadas com muitc gosto, e lindos ves-
tuarios para baplisados com o respectivo cnxoval.
Las com listras de seda de varias cores a qoe ba de melbor.
Chapeos brancos de caslor e ricos chapeos de sol inglezes para homem.
Malas de diversos tamanhos para via^eos.
Panos finos e csea iras preas e decores e outras muitas fazendas que se ven-
dem baratissimo.
Este estabelecimento contina a receber as melbores.
Esteiras e alcatifas para salas,
i 1 Ra do Queimadoi 1
m
i
N. 64-----Ra da Imperatriz-N. 64.
Keva loja de miulezas c arliges de modas
DE
SILVA & NEVES.
m
Zm>
m
m
Os proprietaos (leste novo estabeiecimenlj cferecem a? respetavel 4?,
peblico desta bella cidade, e do interior um liado e escolhido sortimento de yp
mkidezas e artigos de modas, concorrendo para isto o terem na Europa, pes-
i^ S?3S habilitadas a executarem suas encomme^das no que houver de mais no- '* ':
m

GRANDE BAZAR
ra Nova n. 20 e 22
Machinas pa a costura do autor Wheele'
ic Wiison, ebegadas ltimamente da Ame-
rica; as quaes pode cozer-se com doui
pespontos, toda e qualquer fazenda, emb'
inbar, frangir, bordar e marcar roupa; tudc
cora perfeicao. S3o tao simples, que coro-
prebende-se fcilmente a maneira do traba*
too e a pessoa tendo pratica de coser em m>-
rbinas. pode fazer por da o servico que b-
eiam 3) costnreiras.
Chama-se este estabelecimento a attei-
(5o do pablico, visto que elle se acha con)'
knletameoie surtido de objectos de gosto,
eovno bem leques de madreperola de sn-
dalo, (tolas, fitas para cinto, cokes perfo
maria e et,
Na ra ova n. 20 e 22. Caraeiro Vian-
na ac.
cm



mis
vt;S


- X vidade e gosto, e garanem vender pelos precos mais rasoaveis do que
:h^ Acabam de receber pelo vapor francez Guiennc, os seguintes beos ^^
^^ artigos de moda e fantasa. |||j
Luvas de Jouvin para senhoras e homens, de tGdas bb cSres. >';;
Livros para raissa com capas ele madreperola etc. t, *;,
Indispensaveis e boleas de to as as qualidades, Ggjj
Coques os majs modernos.
Espartilhos collares, e ciatos de seda e vidrilho. ^t
Rendas de Guipure, de seda, (blonds) e de algodo, de todas as
qaslidades.
Completo sortimento de trancas, Otas, botoes e guarnieses de seda
com vidrilho e-sem elle, gravatinhas de seda, e manguiios de lustro bordados lf
tuo do ultimo gosto de Parte. }^M
Leques de sndalo aberto do mais aparado trabalho Sfig
Agua Florida e tnico orienta! de Lasan & Kemps. @m
Ricos enfeiles e guarnigoes de flores para vestido e cabeca. &m>
Calcada para senhoras e meninas. ffig
Perfumaras as melbores e mais escolhidas de Lubm, Piver, e Cou- @t
lS ^ray m r'.cos e elegantes vasos de poreellana, crysUl eprata ingleza. gljj
Meias de algod3o, as mais finas e melbores que teem at boje vindo ^^
^S ao mercado, para senhoras e horoeos.
1^ Chapeos de palha da Italia, e a imita;ao para raenioas.
> E um sem numero de artigo, de gosto e aotazia que .s a vista
Cg^ podem ser apreciado.
*
semira preta a 60 e 70, d ta muito finas a
Este estabelecimento acaba de receber e vende por commodojpreco as seguintcs 90 e o0, finissimos sobrecasacos de panno a
2o0 e 230, caigas de castmira de cor a 70 e
80, um rande sortimento de coletes de toda
a qualida &e oulras mu i as qualidades de
roupas qu se vendem mais barato do que
em outra qualquer parte, na loja e armazem
!o Pavao, tua da Imperatriz n. 6o, de Ga-
ma Silva.
As salas do Pavao a 3^500.
\Vnde->e urna grande porgao das mais bonitas
saias brancas com lindas barras bordadas de co-
ro?, tpndo 4 pannos cada nma, endo fazenda n-
teiramcote moderna, pelo barato pre\:o da 3.*iO >
cada urna sendo fazenda que Stmpie se venden
iior muito mais dinbeiro ; na lija e armazem do
Pavao, na ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
CaSAQUINHOS DO PAVAO uA m, 2o0
250 E 3o0
Chegaram o m^is modernos casaquinhos
ou jaquetas de grs preto, ricamente enfei-
tadas sendo uos com cintura e outros soltos
conforme se usa ltimamente e vendem-se
pelos baratos precos de i8, 2o0,230 e 3o0,
na loja e armazem do Pavao, ra da Impe-
ratriz n. 6o, de Gama & Silva.
Cara'sinhas a 3#.
Vendem se as mais mo-lernas camisinhas com
mangnitjs tanto bordados como de preeuinhas com
elegantes punhos e bonitas abot adoras pelo bara-
to prego de 3"00 ; na loja e armtem do Pavao,
ra da Imueralriz d. 60, de Gama & Silva.
p(iUO seo
Pavao.
Vrnle-se urna gradde porcao de casimiras supe-
riores entestada*, sendo escuras e alegres preprias
para calcas, poletots, coleles e roupas para meni-
nos pelo baratis-imo prego de i800 o covado ou
a 2800 o corte de caiga, grande pecbmeba n >
loja e armazem do Pvao : ra da Imperatriz n. 60,
de Gama & Silva.
Albaca (uoustro cora o palmos a 2S0-
S o Pavo.
Vende-se alpacas de quadros sendo padroes es-
curos proprios para vestidos tendo 5 palmos de
larpura que facilita fazer-se um vestid j at com
5 c .vados pelo barato prego de ?80 rs. o covado,
garanlindo se que f^zeuda que val mullo mais
aiobelm, portanto pechincba : ns loja e arma-
7>rn do Pavo ra da loiperatriz n 60, d Gama
6 Silva.
Ponplinas para a festa a 320 rs. o covado.
Veude-se urna grjnde prgao das mais bunuas
P'Hi;.''liu!.5 ir;.u-p;ire:ilr-s cum palminbas bordadas
a la ou quadriuhos a imitnaJ de flo de seda, pro-
irlas para vestdos pelo baratissimo prego de urna
pataca o covado, grande pecbmeba : na loja e
armazem do Pavo ra da Imperatriz D. 60, de
Gama & Silva.
CORTES DE SEDA.
a 285000 res na loja do Pavo.
Chegaram os mais modernos cortes de seda de
cor Cira elegantes desenhos claros eescuros, ten-
do murta fazenda para nm vestido e vendem-se
pelo barato prego de 28500 res, por estarme^
muito prximos da fesw, isio na loja do Pavo,
rna da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Bertacha de Hnho
Com 30 jardas a (JOOO res.
S o Pavao.
Vendem-se pegas de superior bertanha da llnbc
puro, teodo 33 jardas ru 2o varas cada pessa pele
baratissimo prego de tS&OOO res, sendo esta fa-
zenda propria para lenges, camisas, toalhas, etc.
Irte na Ion do Pavio, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Bramante de linho.
Com 20 jardas a 8,5 00 res.
Vende-se superiores p.',. s de bramante de linbi
proprio pera lenges, toalbas, carnizas, etc. tend
20 jardas cada pessa pelo barato prego de 8J0O0
res, na loja e armazem do Pavao, roa da Impera-
triz D. 60, de Gama & Silva.
SAlAs ECONMICAS.
a 2,300 res.
Vende-se orna grande porco de salas de cor
rom b< B'tas barras pelo baratissimo prego de
25500 res, na I ja e armazem do Pavao ; ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
PUNHOS COM GOLINHAS.
a 15000 res.
Vende-se orna grande porgao de panbos com
goliobas de esgalo de linbo, com os mais liados
bordados pelo tarlo prego de ljSOOO o teroo, di-
tos bordados de cor a 640 reis, sendo grande pe
rhiorba pelo prego, na roa da imperatriz n. 60 de
Gama & Silva.
POIL DE CHEVRE.
a 860 e 800 res.
Vendis se as mais bonitas laoslnhae com lista*
de seca, intituladas poil de cnvre pelo baratissi
rao preco de 860 reis o covado, ditas eom as lis
las matnisadas a 800 res, a-sim como nm grao
de sortimeolo das mais bonitas e modernas laosl
nba que se vendem pelos precos de 980, 400.
800 e 860 reis, bonitas alpacas de seda de orna
s cor a 640 e 800 res, 1-10 na loja do Pavao,
ra da Imperatriz o. 60, de Gama & Silva.
Baloes erguas.
a 25<00.
Chegaram os mais modernos baloes esgaios sen-
do verdaderamente americanos e vendem-se pelo
barato ureco de 22500, na I ja do Pavo ran das
Imperauis n. 60, de Gama S Silva.
Pechlocha
Cortes de cassa a 30.
Cortes de organdis a 305oo
S o Pav3o.
Veoflem se cortes de cassa cada nm em sen pa-
pel codo padrSes novo?, miudos e grandes a 35,
ditos d organdis com listas, de c> e todos bran
na lija do Pavo, ra da Imperatriz n. 60,
de Gama Si Silva.
Grande novidade para a
festa
Na loja o para roa da Imperatriz d.
60, de 6ama Silva,
Modernas poupelinat ccm palminbas
bordadas e quadros, covado a. 100
Modernsimas laziohas com pal-
mas, salpicos, qoadros, li&tas, etc.
etc., covado, a 400, 00 e........ 860
Lindas las com listas de seda, co-
vado, a 560 e................. .. 800
Verdadeiro poil de Chevrecom lisias
modernas, covado, a 800, <5 e.... 15200
Finissimas mussellnas de cores, co-
vado, a......................... 640
Bonitas sedas de cores ccm 4 palmos
de largura, covado, a............. ;5000
Grosdenaple aznl, rozo, lyrio, cinta,
f te etc., covado, a.............. 158OO
Modernas cassas com listas larcas,
vara, a 640, 720, 800 e........... 15000
Moderoiss irnos crgandys de c r, vara, 1000
Organdy largo, com lista e quadros,
va,...................... 15000
Corles de organdy com lisias bran-
cas e de cores, tendo 8 varas cada
c re a......................... 45060
Lazicbas de nrca s cor matblsadas
covado a....................... 280
Cortes de cambraia branca hordada,
sendo neste genero o mais rico que
tem viudo ao mercado........... 245000
B. nitos corles de sedas cores claras a 2P5GG!)
BnDitos cortes de phantana a....... 105000
Cortes de orgaedys listados com 10
'ara, ....................... ejCGO
Fil branco bordaco, sendo de meia
largura, vara, a.................. 6O
Bonita fazenda branca para saias,
lendtj pr- gas Je um lado e lam-
bem birdada, vara a 15, 15280 o 15C'"0
Ricas saias bordadas a fi000, 85 e 105000
Cassas do orna s cor de Dores, cova-
.do a......... ................. -_,)
Ditas francezas muilo Anas, sendo de
lisias e Ojres, vara a 00 rs. e ce-
vado a.......................... SCO
Modernos penhos ccm jolinhas, sen-
do de esguio de linho, bordadjs,
brsncos e de cores a............. 13*00
Modernos manguitos ccm gollnbas a 5S0O
Bieos corpinhos d-; cambria mnilo
bem enfe tados e bordados a 85 a IfSOQO
Saias econ^miess e escora?, para
quem r passar a festa fra a____ 25500
Papa peitorai
Vend1 se a verdadeira eortma de aramia a 00
rs. a libra e sem-nte d=> cuentro a 400 rs. a garra-
a : na ra Direiia n. 8.
g- 11 H^^j,Ml 11 HJ^'T
Escravos fgidos
uwwpry
F6I0
PEC1II\C11\
4J000
Em cortes de laa
Vendem-se superiores corres de laa matiza'a
com 15 ce vados, pelo barato prego de 45 o corte,
i?to na loja e armazem do pavo, ra da Impera-
triz u. 60, de Gama & Silva. _____________
Precos vantajosos
nsmindezas do grande estabeleci-
mento de S Rna NTnva n. 28.
Vcndcia era gro& e a re Linhasnovelhs, muilo superiores, libras surtidas
a 250O e 25^00. I
Dita em nvelos, mais inferior a 15'C0 e 158C0 1
a dita. x
Dita branca em caixas de 50 novlos a CIO ris Fuglo no dia 25 do coi rente mez fl- tntohro, ck.
Dita para marcar, csisas do 16 ditos a 210 rs. i eng-i.lio Llmoeiro (regoetia ca Escaaa, o
Dita branca era ditas de 10 ditos grandes a S60. c,ru us seguiotes sigoaes : eabra foso, all
Dita em carros de 100 ardas a 360 rs. a duria- bom cjrpj e bunili, Bgura, cara bes'g sa, birbi
Dita em cams do 200 jar.'S a 15200 auzia. poaco serrada, cestuma rapar o b'gode o a peirs
Dita em car t5e?, branca e preta, a ICO rs. a dita, cabellos um uuio carapiohades, poico cau-bas
Bizelas decores em caisa de duzia, a 15i>00 a l,;m ts dCS guindes dos ps mai: 1 rprido?,
dita. Ul pouco ga^'o, ctm ^igumas cicatnr.es vdhas di
Grampas com cabega de vidro a ICO rs. a dita. chicote as costas em orna pa' e eu, nm Lia:-
Agulheiros pntales a 2';0 rs. a duzia. vestindo camisa de a.'godo da m?ta 1 u 1 .';
B. toas de moedinhas deuradas e prateadas, para nho, c-lca e paleto! 0^ bnm pardo,, chapo do r,a-
punhos, a 15000 a duzia de pares. | 'a preto, e lava vara de carreiroquo e e st 1
Ditos de madreperola, para camisa, a 500 rs. a ter ido assentar praga como voluntario : recnm
groza. mendase as pes.-oas eocarregadas do r.crai mea-
Ditos de osso, para caiga, a 2i0 rs. a dita. I to e as autoridades policiaes com e-i
Caixinhas coro soldados de chumbo a 120 rs. | d) Ilio Forcoso, Uoa, A?ua Pret?, S. f! -.; p P r
.Conllnna a anar fgida a p.-tta fula t'e nomo
Benedicta, crionla, idde de 40 aun-', tecd) es
signaos segointes : allura recular, magra, cbelu
r^re, principiando a p otar, dentes limadr?, fell 1
grandes, pernas floas, costumava traitr cica ar-
golinha de ferro em nru dos pi)i.ri< ?, meito ca<
cliimbeira, co.-inT,a ini tular se do f.rra quandj
foge, s por isso dfScozit3.t se que esteja f lia 8X3
pd acoulada em alguma casa: po:t*ijtJ ; le-se a
quem a apprhrnder lev.|a a piiga Ja Boa-v;iJ
n. 17, que sera' jraQcado.
Espelbos de muIHura dourada a 15400 a duzia.
Pentes de lago dourado, para coco, a 65 rs. a
duzia.
Ditos de lagos lisos, para cor, a 55300 a duzia.
Ditos dourados, cora llores, 25400 a duzia.
Ditos de blalo, multo bous para alisar, a 25300
e 25400 a dita.
Dsdaes amarles e prateado?. Gaos, a 240 rs. a
dita.
Clcheles em calxinhas a 640 rs. a dita.
Ditos em carios a 6C0, e 900 rs. a dita.
Pecas de tita para coz, larga, com tO varas, a
500 rs. s pega.
lo Calvo e a outra qm.iquer pessoa a apprrr.easat
do dito escravo, e etir.i,a-lo no da 1 1 ei.br, qw
recebera' a graoagpo cima. O estrave cbatsa
se Francisco.
Paga-se bem.
Fuglo cm das do mes presimo pas-ado do pcdei
de Agostinho Jos de Ov'eira, em Caroaru', o seo
escravo I'atlno, mulato claro, idade 30 ; noi, secos
do corpo, perna- rjoas, olhos nm tanto aocrtn idos
1 nariz afilado, [cuca tai ha, muitu ccr tez o I rn fal-
; lante, metiioo a valente, go.-ia de agcsrdcLle e !&
Filas de sja n. 1 t/i, pegas ccm 8 varas, a 260 too japona preta ; f. i encontrado no c a 3 1 <, t
rs. a dita. rente no lup>r Batateira, erp dirrgio a estrada 1
Cadago branco para cerculas a 60 rs. a duzia ferro e sospeita se que itnha ido oflrrecer-sn como
de pegas.
Las de todas as cores, para bordar, a 65LCO a
libra.
Phosphoros de cera, em caisinhas, a 360 rs. a. a Severino A.v.s da Silva, em Tromfceta.
voluniario pira a guerra : nga-.-e piriauto as auto-
ridade^ policlaes e capites dd campo a :, r l.< n?5c
do dilo escravo, qne ser entregno a seu seoboi 02
duzia.
Ditos de pu encerado, sem cheiro, a 360 rs. a
duzia de caixnbas.
Ditos de cera, em caixas grandes de folha, a
15400 a duzia.
Ortilbas da Dontrfna Chrisia a 320 rs.
Obreas de colla, em caiiinbas, a 320 e 500 rs.
Sabonetes linos a 800 e 15 a duzia.
Fncas e garpbos cabo do osso, fazenda boa, a
25500 a duzia.
Abotoaduras finas para cleles, cintos com five-
las de crystal, e moitas outras qualidades, polcei-
ras de coalas, pentes com pedras para coques, en-
feiles para cabega, um completo sortimento de per-
fumarias de todas as qualMad^s, cclarinbos, can-
deeiros a gaz, ftrragens d* todas as qualidades etc.
etc.: a rna Nova n. 28.
r

SOVO DEPOSITO
DE

MACHINAS
HnA i)ESCAROCAR AJLGODAO
Manoel Bento de Oliveira Braga.
83Rna Dlrelt .53

Nestu estabelecimento se encontrado
verdadeiras machinas americanas chegadas nltima-
mente, as quaes sao feitas pelo mais afamado fa-
bricante da America, por isso avisa a todas as pes-
soas que precisarem comprar, de se dirigir a este
estabelecimento que comprarlo das mais perfeitw
neste genero, assim como mais barato do que em
outra qaalqoer parte, por isso que se recebe por
conta propria, bem como cannos de chumbo e moi-
nhos para moer milbo, e grande sortimento defet-
ragens e miuiezas em grosso e a retalbo.
Facas de cabt>> oranco de meio balanco a 04
a duzia, limas finos de todos ostamabos proprias I rmg^7o"pyraa "ca imperatriz
de trabalbo do escultura. I Gama & Silva.
VENDE-SE
Motores americanos para dous cavallos.
Dito dito para quatro cavallos.
Machinas para descarogar a^godo de 14, 16.
18, 20 30, 35 e 40 serras.
Prengas para enfardar algodao fazendo os sac-
eos com 6 palmos de comprimento com o peso de
150 e 200 libras, vindas ltimamente da Americi
no armazem de Henry Forster 4 C, no caes Pe
dro II o. 2 jnnto ao Gabinete Portuguez-
Acaba de sabir a luz
B acha-se venda na livraria fraeceza
roadoCresp>D,9
O SEGUNDO ANiNO
DO
IE103UL PRRNAHBDtiBO
ou
MEMENTO DIARIO
PADA
1869
CONTUMUO
9eia folha cm brasco para cada dia
doaono
O calendario do presente anno, sigoaes do tele-
grapbo do Recife, a auguslissima casa Imperial,
corpo contalar estrangeiro, associagio Commer-
eial Beneflcenle, tribunal do commercio de Per-
namnaco, juio especial do commercio, janta de
corretores, bancos, servico do crrelo, estrada de
ferro do Recife ao S. Francisco, liabas regulares
de navegago a vapor, Dhas regalares de nave-
gacao por navios de vela do Havre a Pernambuco,
vapor de reboque, sello proporcional, tabella dos
emolumentos dos trlbnnaes do commercio, regu-
lamento sobre incendios, systema mtrico decimal,
laboa de cambio entre a Inglaterra e o Brasil,
quadro dos divisores, qaadro do anno civil, reduc-
gio de pesos e medidas brasileiras com as de di-
versos paizes.
Um bonito Tofotne eacaderoado
pelo mdico prc^o de %$
Pechi ncha
a quem capturar e conduzir a' fabrica di
Afogado, ou a ra do Amorim n. 41, po !!. 1' o
escravo Loiz, pardo, id;de 35annns, o qu^il j^' <-m
principio desteanno fui preso por fogil', e de dovh
evadi se da mesina fabrica, onie trabalhava, na
madrugara de Domingo nliiaio, 24 de novembro;
cojo escravo fugle vetindo a roopa do oso, de al
godo de li>tra.-, eotuma emhreagr-se, negar
proprio neme, e bem como o do seonor, e t'azia
por castigo un>a orrect fechada n ciutuia e ni
tjrnozello, do que devera' conseivar ao mecos s
manchas.
Escravo fgido
Do engenho D .mBm c< marca do Limoelro, fogfrj
na noite do da 3 do correnta mez de dezemro, a
e.-erava crioola de neme Aotoolt, de 20 anns da
idade 'peuco mais cu menos, e com os ?ino.es ss-
guintes: e^tatura regular, cor um pouco fula, ros-
to redondo, denles limados, tlbos vivos e tem g an-
des cicalrizes de rgo pela barriga e peito.-. Fo
comprada nesta cidade a 21 de fevereiro hr-zimo
passado, aos Srs. Nogueira & C, moradoies a' ra
da Cade i a 00 Recife.
Quem a apreender crndtizi-a a seo senhi r no
referido engenb^, ou nesll praga a Onvera t- nhoa
& C% largo do (Jorpo Santo 0.19, que sera' recolB*
penstdo.
50$ de gratificacao.
Contiri a andar fgido desde o da 20 de juiho
do correte anno o escravo Vicente por alenoha
Cangalb, de40soms piuco mais ou reenes, i,a-
co Angola, altura regular, secco ooforpo, pmas
lioas earqu-jada., sendo urna mais do qne rnua
que da' ug r com o andar d r grande h < ;o
com o corpo, rosto comprldo, piuca barba serot-npj
no qoeizo, e tem na sola dos ps slpons cravos
e as nadigas algumas ccntusSes proveniente da
castigos, muito ladino e iotiinla se de forro, le-
vou bastante roupa e asa camisola por cima da
caiga, chapeo de b.ta ou de palba de abas mmto
largas, guarda sol de >e"a j vlho : snppSe se qo
anda nos arn-b- Ides desta cidade, e com ama car-
ta falsa, pelo que 00 iugar Macaco ja' elle fui pre-
so e posto em liberdade, em virtm-e da menciona
da carta. Rec amenda se a captura de dito escra-
vo, dando se a g-anfleagao cima a quem leva-lo a'
roa da Cadeia do Recife n.-27, segundo andar.
Fugio do engenho Barobnrral da fregoezia da
Escada, nm escravo de nome Therii nio, e.'-iatura
regular, cor preta, com urna cicatriz na fronte, ida-
de de 40 aoqos, espadando, criiulo, teodo ama
perca mais corla do qoe a 1 or?, ns ps apalheia-
dos e com arestius e pernas mano Qnag. R ga-se
as autoridades policiaes de aprelienderem no, on
aos capites de campo que o Itvi-m ao abano assig-
nado que sero granflcados.
Jos Perelra de Araujo.
Na loja de calcado do sobrado smarello da roa
da Crnz o. 21 vende a dlnheiro a visia superiores
ees pelo baratissimo prego de 3500 : s na loja e, borzegulns eofeitados e lisos para senhoras, m-ni-
D. 60, de' as e meoiaos, pelo barato prego do 1^500, !#, 3^,
;6 5.
iuo$ de uralificugo
Fugio do eogenho Macanacio frefoeia da Es
cada na n iic de 15 1 ara 16 do correle, o escravo
pardo de orme E'ia, idade de SO ann>s m ueo
mais menos, cabega compnda, cabello^corrldos a
rentes, car coroprida, nariz afilad 1, denles .':),
cbei) do corr'o,ps compridos ecom sarnas al as
canellas, sabio com camisa de a'godSo da ierra,
caiga de riscado e ch'po de roassa ja velno :
qnem o negar leve-o ao referido engeobo on a ra
da Senzala n. 38, que recebera' a grauoaca
cima.




8
Diarlo de Pcrnambeco ~ sexta felra O de Dezembro de 1867.

LITER4T08A.
GESSNER.
.... Tiutm nomtn....................
Caalunies sublunt ferent ai sidera gem.
(Virgilio Ectrg. IX)
Gessoer por corto un dus maiores poe-
tas da Allemanhi. Se os cantos sao como
leones, antes que Chenier fosse o Gessner sao como que um vt atr.vez doqoal mui-
aos franceses. to mal se v as bellezas doquadro; isto
ies>ner, quando toma a frauta pastoril, e qaando nao o obscurece ioteiramente. A-
asseola-s* as frescas e verdejantes margens| chilles Tafias e Xenophonte de Epheso sao
ao Linin e do Limatb, s deixa de ser gran-' fnoj imitidores de Longus; Eumatbius
ue para tornar-se sublime; j nto Gess-'querendo ser o copista, permitta-se-me a
os doces accentos de Poilom;la. tem delles or, mas um cysne que disfere oseu canto expresso doquadro potico de Longus
a meloda e suave molaacoln. Em seus id J- as brancas aguas do Eurotas, | Daplnns e Chlo nao fez mais do ooe um
levada pela sua piedade, vai s mais tristes
prises tsitar os presos; a irma de cari-
dade que confia na Providencia e que em
Amiens, onde a populaco era dizimada
pela epidemia, vai animar es nimos que se
acharara prostrados e abatidos, todas essas
recordaces de hontem sao j legendas do
povo e da officina.
k Qual a razo porque o inleresse que
V. M. se dignou tomar pela formagao da
sociedade, cuja priraeira manifustag) pu-
, ... -- .....i pengos que ameagam a creanga qae se
de frescura, sao traspassados dessa ducura [U-lo, tambera urna produjo sublime sel- reir. Statu?i e sobreludo Silius Italicus dedica ao trabalho das fabricas, e teem fe
graciosa, qae valeu a Hesiodo o sobrenome jada a* genio pode fazer nascer outra de sao roaos imitadores da Iliada eda Eneida ;' para evitar esses pericos, na vontade de v'
deabelba attica o de urna ineffavel harmo- 'goal mrito; urna estatua primor d'arte eiTrissia querendo seguir Homero deo que-M. sempre laopoderosa/aa sua palavra sem-
nia, que por si s bastam para dar-lhe um do geno pode produzir outra de igual bel- da sobre queda; foi em vo na vetdad que pre lo persuasiva,
ligar no que chaman o Pantheon o tem- 'eza e lavar. Nnrnesiancs e Calpunois quizeram disper-| A exposigo verdadeiramente universal
po da gloria. Elles saocbeos de magens,' Assira como Homero fizera Virgilio (o
quo l n alguma cousa da risonha e ndizivel pico) o que segundo Vollaire a sua maior
belleza da |.rimavera sera a pompa de.-luin- gloria, Tdeocrito e Virgilio ( buclico) Oze-
Drante e rida da corte de Luiz XIV. iVelIes J Gessner; mas por isso seus idy.lios
a natureza se ostenta sempre singella c en- .n3 per de m de sua sublimidadc. rvessas
cantadora ; o poeta nao a esquece por mo-coinpcsc5es Gessner quasi sempre igual
mentos; d'ahi esse que de mavioso, de me- ;r aquelles que lle serviram de modelo e s
lanco'ico, e de agradavel que se encontra em'vczes mesmo superior, com quanto em seu
seus idyllios, to puros como as aguas da j 7--^'"or mal recompensadoque urna
Castalia o lo bellos como as louras madei- nticln AoCyclope e C'j/a/AeadeTheo-
xas de Apollo.
A natureza, que, na phrase de Poce,
serapre divinamente brilhatite, luz clara, im-
mutavel e universal, a lulo da vida, forca e
belleza, e a alma do sua poesia.
G-iSsner sempre inspirado pela natureza,
torque a natureza quiz ser a sua musa.
Suas composicoes singelas se re?entem des- amor mais vivo e a paxo tem mais deses-
isper-
tar o idyllio, que como, j disse alguem
dormia sobre as cinzas de Tbeocrito e de
Virgilio ; elle esperava por Longus, Gessner
e Clienier.
(Contina).
EM POUCO DE Tl'DO.
Institico tilisissma.Em Pars, rea-
lisou-se no dia 27 de outubro, no p .lacio da
industria a dostribuicSo das recompensas
terno. mais tocante, (porque nao hei de <]a sociedade de proteceo dos aprendizes e
dzcr ?) mais d'alma que no Salyro de Gess-
ner; lia mesmo mais natural dade ; o can-
to do Cyclope mais mavioso, mais nascido
do corado quo o canto da Salyro ; alio
crito elle Ihe seja inferior; no Cyclope de
Tbeocrito ha mais paxo, ha um amor mais
se bello ideal, que faz o mrito das prodc-
eles gregas. O poeta prefere sempre essa
belleza, quechamarci de espirito (porque a
poesia tem um espirito e um corpo), que
consiste nessa simpiicidade tocante e subli-
me, nessa=candura admiravel e nessa graga
exquisita e inexcedivel, que sao um rever-
bero dos immortacs genios da Grecia, a essa
outra belleza que ct-amarei de corpo, que
consiste na abundancia dos ornatos, as ex-
prossoes espoladas e guindadas e no oso
frequecte de imagens pomposas, a essa bel-
leza, emlim, em que a arte desfigura a na-
tureza ; desta belleza pie-se dizer o que
Godeaa disse da gloria :
Ei ctame a l'eclai du vene,
Hile en a la fragilit....
A musa de Gessner tem alguma cousa de
melanclico e de innocente, que a torna so-
bremaneira sympathca. Gessner nao s
u;n poeta de gosto, tambem um poeta
sentimental dessa doce sensibilidale, que s
podem inspirar o campo e a solidao, onde
se encontra urna candara, urna pureza pri-
mitiva, urna poesia magici, ignoradas as ti-
dales e nos reluzentes sales das cortes sem-
pre sem poesia, porque ah ludo facticio e
artificial, e a poesia a natureza.
S em urna natureza, por assira dizer,
virgem, que o hoaiera dSo tem despido de
suas galas simples, sublimes, desse cuuho
da diviodale, qae o bomern substitue por
duspreziveis ouropcis e affectados adornos,
sernpre embaciadus pelo tacto do homem,
que se pode ser verdadeiramente poetaso-
breludo poeta buclico, que canta esses bo-
inens, que pela candura de seus coracoes
e innocencia de seus costumes tanta aflini-
dade tem com os campos, em que apasceu-
iara os seus rebanhos, com os bosques, que
resoara do doce nome de suas Amaryllis,
com as flores que ornam a fronte e o seio
de suas Galalhas, e que sao colhidas pela
bella Chlo, que as depe na gruta das nyra-
phas, com as fontes e com os prados onde
elles desejam passar toda a sua vida com as
Sycoris.
Como Virgilio sombra das copas das
faiaspalulce..,. sub legmine fagi, Gess-
ner cantava em agreste avena, as margen-
solitarias e floridas do Linth e do Limath.
S ahi no meio desta nalureza, agreste e far-
inosa de si mesma, que se pJe ser Vir-
gilio e Gessner; s ahi 6 que se pJe can-
tar os pastores e as delicias da vida campes-
tre ; e nao no meio dos saloes e no centro
das cidades, que a poesia abandooa procu-
rando os campos, como o fizera Fonlenelle.
A musa de Gessner apparece brilhante
de urna docura, de urna simpiicidade, de
urna melancola terna desses encontros que
trazem inspiraces d'alma, que o fazem o
l'heocriio e o Virgilio da Allemanha, como
ao depois o foi da Franca Andr Chenier, o
nico (1) nesle paiz, que soube dar poesa
(I) Muilo embora Boileau diga que':
Sagris dans i'eglogue enchante les fo-
rets. o tempo lue'tem feito justga ; elle
jaz boje no esquecimento e j alguem (de
cojo nome n3o me record agora) disse que
elle n3o pas?a de um traductor elegante,
FOLHETIM
D. BRINCA DE LANZA
lECORDif.0ES DA CORTE DE FELIPPE II
Romance histrico original
Por E, Feio de Mendoza.
PARTE I
Redempvu por amor
livuo iv
O SENTENCIADO A MORTE.
(Continuacao do n. 292.)
CAPITULO X.I.
A mj de Detts.
Drjnca e o Corsario levantaram-se por
um movimento convulsivo, reconhecendo
Felippell, que, comprehendendo o estado
das suas almas, Ibes disse com um affecto
que empregava mnito poucas vezes:
Sentai-vos, meus amigos, serrtai-70s.
Desdo este momento estis livre, joven, e
agradecei ao nome de vosso pai a liberdade
que vos concedo.
Meu pai I exclamou Fernando com
um acento inexplicavel; com que tenho pai ?
tenho um nome legitimo que usar, seja elle
qual fr I Oh I preseguio com temara,
condu2.i-me j aos bracos de meu pai. Quem
? Onde est ? Como se chama ?
Ento o desconhecido que acompanhava
o re, que era um anci3o trajando um uni-
forme estrangeiro e com o peito coberto de
condecoraces, approximou-se do pirata e
disse-lhe gravemente :
Vosso pai, senhor, nao existe ha j
a'guns annos; mas nao devo fallar diante
desta senhora sem saber se vos pertence.
Quem senhor ?
Um aojo 1 Urna santa! Miaba es-
posa I
Yossa e?posa ?
pero. O Cyclope diz: Ah I preferiras tu
ainda os mares e suas mil vagas ? Se meu
peito hirsuto fere tua vista, eu tenho lenha
de carvalbo e resto de fogo espalbado sob
a cinza; queima mesmo (nido me er doce
de tua mo) queima, se queres meu olho
nico, este olbo que me mais caro que a
vida. O Satyro que n3o obstante ter pa-
rentesco com bode aqui mais fro devendo
sor libidinoso, diz: Ol ninpha nao fifas
durar por mais tempa o meu tormento:
eu quereria antes rebolear-me em urna mou-
ta de urtigas, pre'erria eslir deitado na
arcia ardente, exposto urna h ra i-iteira no
ardor do sol sem beber urna gottadevi-
nho U Anda depois diz o Satyro ao Fau-
no: Eu quero ser despedazado pelas feras
se algum da voltir sua (da ninpha) gruti.
Por cerio que ha mais amor no Cyclope
que r.o S>lyro. Mis tambem 6 preciso no-
lar que o Cyclope nao soffrera a macada,
pela qual passara o Salyro de levar'oma
uoit embaracado nos Oos de urna rede de ca-
ga, atolado na lama, atuitdo pelo coaxar das
ras, apupado pelas nynphas eat chasquea-
do pelo Fauno que o viera arrancar de en-
tre os juncos. Considere cada um o caso e
dir que o Satyro tiraba raro.
Gessner tem alguns (poucos) deffeitos
como Tbeocrito e Virgilio tambem os tem ;
mas sao como espinhos que nao fazem per-
der rosa o valor e a belleza.
Dizia qce Gessner ti vera por modelos The-
ocritos e Virgilio ; pois bem mui grande
o mrito deGess:ier, por quaoto leve de lu-
tar com modelos to cheios de doueura e
dessa nobre simpiicidade, que constitue a
verdadeira belleza na poesia, principalmente
no gecero pastoral dequeo idyllio urna es-
pecie, sem que Ibes fss;e rauitas-vezes infe-
rior, seod" pelo contrario algumas superior.
Que de igual se acha em Theocrito e Virgi-
lio eslas palavras que Gessner poe na boc-
ea do amor, quanlo falla de Chlo: Seu
olhar e seu sorriso sao invectivis como
eu. Sua volupia graciosa fere cerno as fle-
chas de meu carcaz. Ninguem pode ou-
vil-a sem ficar eslasiado; ninguem pJe
vel-a e deixar de amal-a.
O homem tem urna inclinado, que se
vantajosa grande numero de vezes, nao dei-
xa tsmbem algumas de ser prejudicialde
imilsr, de amoldar o que concebe pelo que
j acha feito; donde resulta que quasi sem-
pre o que faz nao passa de um vil esqueleto
do que podara fazer. E' o que vemos.
Raros sao os que de um modelo tirSo outro
mldele ; donde sev que mais fcil pro-
duzir urna obra digna de ser imitada, que
fazer urna mitacHo que emparelhe com o
original, que se.a seu turno original tam-
bem
Por cerlo que sao em grande esca'as os
imitadores que nao passao de traductores e
mas fri de Virgilio. Em vista disto sou
levado a crer que Boileau s dissera aquillo
de Segras relstivamente aos outros poetas
buclicos francezes, de grande parte dos
quaes os nomes neto sequr sobreviveram
sua morte. E' que ainda nao existia Andr
Chenier.
flU.
Sino, senhor, que tem de estranho ?
Ainda que sem nome, envilecido, condem-
nado morte como se lora o mais miseravel
dos criminosos, encoatrei e. negago e redempeo, que nao duvidou com
um nobre herosmo unir a sua sorte mi-
aba. Por ella agradeco de joelhos a vida
que rae concedis, porque nao ha muitos
instantes que o pesar da rainha sorte a fez
delirar e a sua loucara a leria conduzido
morte. Podis, pois, nobre Sciao, fallar
diante della.
- Nesse caso 8 com a vossa permssSo,
i, senhor, re^pondeu o desconhecido.
E minha mai ? perguntou o pirata.
Yossa ri tambem est no co, porque
era ama santa; mas nao vos falta fam lia.
Mas dzei-me, senhor, esses pais que
perdi, e cuja conducta para comgo tenbo
odiado tantas vezes nao tinham um nome ?
Senhor, responden o estrangeiro com
respeito, vossos pais nao foram clpalos por
vos terdes achado s e abandonado, por isso
que ignoravam a vossa sorte.
Que dz6is?
A traico e o crime vos separaram
dos seus bracos quando ainda eris multo
joven... Quanto ao vosso nome, nao sou
eu quem vo-lc deve dizer, mas sim o Ilus-
tre rei D. Felippe II, porque a elle s psr-
tence o declara-Io.
Ent5o o rei altivo, grave e com mages-
toso passo, se adiantou at ao lado de Fer-
nando e cora voz imperiosa Ine disse :
Ajoelhai, joven, porque ides saber o
nome de vosso pai e a genealoga da vossa
familia.
Fernando, admirado, choo de estupefa:-
go, cabio aos ps da rei, o sua esposa ain-
da algnm tanto transtornada e no auge da
admiragao, o imitou cahindo tsmbem do
joelhos junto do miseravel leito.
das creaagas empregadas as fabricas.
Sua magestade a imperatriz dignCH-se
honrar esta ceremonia com a sua presenga
assira como S. A. o principe imperial.
Loga de manhaa era grande a multido
em volta do palacio e hora e meia mais
dti 20:000 pessoas tomaram lugar na gran-
de nave, que eslava decorada como para os
festejos de 1 de julbo.
A'* creangas dos orpheonislas da cidade
de Paris em numero de 1:20), ocoupavam
o ampbi-tbeatro em frente do throno, as-
sira como a msica da guarda de Paris, que
generosamente quiz concorrer para esta
festa. A' direita e esquerda estavam as
deputagoes das escolas e as comrais.oes
protectoras das diversas industrias.
Nos degros dos throno haviam lugares
reservados, para o conseibo da sociedade,
presidido pelo Sr. de Forcade la Hoquette,
ministro da agricultura, commercio e obras
publicas, presidente honorario da socieda-
de; o Sr. Duruy, ministro da instruegao
publica; sua Exc. monseohor o arcebispo
de Paris; e o Sr. Damas, senador, presi-
dente da sociedade.
Foi aberta a sesso por urna exposigo do
duque de Mouchy. secretario geral, e por
um notavel relatorio dos Srs. de Boureuille
e Migneres, conselheircs de estado, vice-
presidentes, que deram conta das obras de
caridade creadas em favor da infancia ope-
rara e das diversas instituigs destinadas
a proteger as creangas empregadas as fa-
bricas.
Depois dos relatnos foram proclamadas
as recompensas no mco de calorosos ap-
plausos das pessoas presentes. Entre as
recompensas figuravam retratos de sua ma-
gestade, do principe imperial, e algumas
bandeiras offerecidas pela imperatriz.
O ministro do reino poz disposigao da
sociedade alguns exemplares, edigao luxuo-
sa, da excedente obra publicada por soa
iniciativa, acerca dos estabelecimentos de
caridade protegidos pela imperatriz.
A' proporgo que se proclamavam os no-
mes cada um dos premiados ia recelaer a
medalha da sociedade.
Depois da distribuyo, o senador Dumas
proferio o seguinte discurso, por vezes in-
terrompido por demonstrages de viva sym-
palhia.
Senhora O aspecto tocante desle po-
vo de creangas que cerca V. M., a commo-
g5o de suas mes, o respeiloso reconheci-
raento dos protectores e dos mestres bem-
fazejes que os acompanham, tudo prova que
esta festa nao um espectculo intil.
* Para provocar as acclamagoes que aco-
Ihem V. M. seriam suflicientes as recorda-
goes que as familias reunidas neste recinto
guardam no fundo do corago, record ages
que bao de passar de geragao para gerago.
A sympathia de V. M. por todas as
dore, a sua ardente caridade por todos os
infortunios, o seu desvelo pelos asylos,
pelas escolas, pelos hospitaes, pelos estabe-
lecimentos penitenciarios, nunca sero cs-
quecidos pelo povo, e o sea reconheciraento
traduz-se era preces que faz ao Altissimo
pela felicidade de V. M., e pela conservago
do principe imperial, alegra e esperanga
da Franca.
A graciosa e nobre soberana que, para
fundar um asylo de orphaos, se priva de
um aderego; a imperatriz Augusta que.
que vai desapparecer apresentou a nossos
olhos o quadro verdadero do traba:ho do
homem considerado no tempo e no espago.
Reuni ella os extremos desde os ensaios
informes do seu genio nascente, manifes-
tndole as primeiras idades do mundo,
ou entre os povos ainda selvagens de nos-
sos das, at aos productos da arle mais de-
licada, da sciencia mais eleva la e da prali-
ca mais segura.
Tornou ella visivel o robusto impulso
dado pelo imperador actividade nacional.
Mostrou ella a Franga superior a to-
das as provagoes, prompla para todas as
lucias, forte para todos os cmbales. Poz
ella em evidencia as operag'S ainda as Ion-
giqoas e mais desenvolvidas do seu commer-
cio, a grande energa da sua industria.
Porm ella recordou ao mesmo tempo
que em Franga 10.000:000 habitantes, mais
da quarta parte da sua popuiagio, se dedi-
cara j aos trabalhos da industria, e que o
numero de creangas desviadas da vida dos
campos para tomarem parte na vida das olfi-
ci
res e vai sempre crescendo.
f Recordou ella que as nages que nos
precederam no caminho da industria, nos
mostram cidades onde a creanga dedicada
muito cedo ao trabalbo, fechada em ofieinas
onde o ar pouco puro, se transforma, para
todo o resto da vida, em machina intelli-
gente, mas deinhada.
Deveriamos animar o desenvolvimento
do trabalho fabril, se o seu progresso desse
em resultado o detinhamento da classe ope-
rara? Consentiramos em pagar o producto
de urna mo de obra aperfeicoada, custa
do enfraqoecimeuto pliysico e moral das
gerages futuras?
Os nossos costames, animados de na-
tural benevolencia, supportariam acaso por
muito tempo esse espectculo desolador?
Nao.
i Em Franga o operario das fabricas nao
um escravo, nem um machina sacrificada,
um cidadao. Logo desde creanga deve
encontrar essas condigoes de existencia em
que o espirito de familia se conserva, em
que o desenvolvimento moral se aperfegoa,
em que o seotimento religioso augmenta, e
que, associando urna alma pura a um corpo
sao, preparam ao paiz defensores robustos,
ao trahalho borneas capazes de acceitarem
as suas necessidades e de comprehenderem
a sua dgnidade.
rene.
A industria nao pode prescindir da sua
coadjuvagao. Como operadoras podiam
ellas reclamar tambem a sua parte das re-
compensas conferidas exposigo universal.
V. M. reservava-lhes a mais lisongeiras de
todas e a mais appetecida, viudo v-las,
acompanhada pelo principe imperial, pelo
seu presado filho, objecto de tantos votos e
de to nobresesperangas.
A augusta presenga de V. M. nesle lujar
pouco evidente do sea reeonhecimento e
do paiz, pelas obras e pelos que se dedi-
cam ao trabalho as fabricas em lo grande
numero, e cujas mos tem protegido a in-
dustria contra os desvos da concorrencia,
que sem duvida anniquilariam a creanga sen
defesa.
t Iaspirar ella ao legislador a firme von-
tade de inlroduzir as nossas leis as dispo-
sices prolectaras da infancia; dar ao ad-
ministrador a autoridade moral necessara
para as fazer respeitar ; excitar nos protec-
tores novo ardor, e nos propietarios de fa-
bricas mais decidida exulacSo ; finalmente,
e mesmo neste momento, ineule no coragao
das creangas e no corago das mes esses
sentimenios de respeito e de piedosa grat-
dao que os enebriava, e que s po leai ex-
pandirle por meio de oragoesao Altissimo,
por tudo quanto caro ao corago de V M.
S. Exc. monsenhor o arcebispo de Paris,
proferiu depois a seguinte allococao, sendo
as. contase agora por centenas de milha- por vezes interrumpido por calorosos ap-
sua mo no hombro do pirata, disse com
voz solemne, accentuada c lenta :
Vosso pai caamava-se Luiz Fernando
de Austria, era rei dos romanos, impera-
dor da Allemanha e rei da Hungra e da
Bohemia, e meu Ilustre to. Vosso irmo
primognito o actual imperador da Alie-
maaha ; vossa irma D. Isabel raioha da
Escocia. A segunda, D. Anna, mnha es-
posa ; e vos, desde muitos seculos, vlndes
de lnhagem real.
Fernando, paludo, assombrado, baxou a
cabega, mas o rei D. Felippe proseguio :
Levantai-vos, D. Carlos Fernando de
Austria, rei da Hungra e da Bohemia, se-
gundo o testamento de vosso pai... levan-
lai-vos.e abragai vosso primo.
Branca, ouviodo estas palavras dea um
grito de assombro e levantou-se.
Quanto quelle qoe de repente acibava
de saber a sua Ilustre origem, esta va to
maravlbado qae nao poda levantar-se do
chao, porque os seas joelhos se dobravam.
Oh t aquella noticia era a justiga de Deas
Nunca se deve abuzar das forgas da
creanga, cajos dedos delicados realisara urna
obra que s elles podem emprehender. As
horas de descanso indspensaveis sua ins-
truegao, ao cumprimento dos seus deveres
religiosos, e vida so ar livre, devem ser-
Ibes concedidas. A iei tera o rigoroso de-
ver de olhar por isto.
Porm a lei nao ter forga se o senti-
mento publico a nao coadjuvar. A industria
caminha sempre; os meios transforraam-se;
as previses da lei seriam baldadas se os
costnmes nao supprissem o seu silencio, as
suas lacunas, os pontos em que nao s3o cla-
ras.
Porm, senhora, a Franga um paiz
repassado de sentimentos nobres; a religio,
a caridade, a rectido fazem, em favor das
creangas empregadas as fabricas, o que a
leinun:a pode fazer I
Quantas obias tocantes teem sido ins-
piradas pela caridade I Quantos fabricantes
humanos e providentes teem adoptado as
suas fabricas expedientes extremamente en
genosos em favor da infaneia ?
Ah, senhpra! Como so sent ainda
maior amor pela Franca quando se desee a
todos estes promenores, em que o espirito
caritativo da nag5o se manifesta por tragos
tao fiis!
a Reuni-los, agrupados ser escrever o
cdigo da providencia e da caridade em pro-
veito das creangas que a siluagu da sua fa-
II lem o maior desejo deestreitar contra o
seu corago o sea perdido e chorado irmo.
Logo que eu explique a V. M. os lances da
sua romntica historia, se persuadir que
q-ianto Ihe succede a para realidade.
Sim, meu primo, accrescentou o mo-
narcha hespanhol, o mesmo sangue corre
pelas nossas veas. O imperador Carlos V,
meu augusto pai, era irmo do vosso. Mi-
nha esposa D. Anna tambem vossa irma.
Assim, pois, fra rancors. Sei que tinhes
alguns motivos para estardes queixoso de
mira, mas esquecei-os como ea esquego a
vossa rebelda. Somos prximos paredes
e espero que seremos amigos. Urna das
ainbas carruageus fos cooduzir j em-
baixada allemo, enuuca se saber que o fu-
turo re da Hungra e da Bohemia o ce-
lebre Corsario Negro. Felippe da Hespa-
nha callar-se-ha por honra da saa familia,
pois> que como primognito do principal
ramo da casa d'Austria o que mais a re-
presenta. Amanha mesmo partiris para
Francfort com lodo o segredo, acompanbado
que premiava o seu arrependimento. Era j do nobre duque de Brademburgo, mas an-
subir ao cumulo da grandeza humaoa desde tes disso vossa irma D. Anna, miaba es-
a desgraga mais horrivel; de urna gelada posa, ter o prazer de vos abragar. Se vos
prisio grandeza de rei; do cadafalso aolacompanha D. Braoca prophetiso-vos muitos
throoi. Nadatinha de estranho. pois, a. desgostos com vosso irmo mais velho, Ro-
sua admiragao, por isso que ha alegras io dulfo ; mas como o casamento se verificou
inesperadas e lo grandes que deixam quem,sem o seu beneplcito e quando ignoraveis
as experimenta to quebrantado como se o nome de vosso pai, completamente
milia obrigaao trabalho retribuido por sa-,Se com os ps toca na trra, com o espirito
imperador tem tornado nota veis todos J JS? 'J?a l ftPura *
os dias do seu reinado por actos em favor ma? nC5?, !2h!m v! er6SSf'
das classes laboriosas. As instituigoes que In^le va[Te Xa Tal o ?nSl?
fuodou e que multiplica daro ao seculo W dustrial ?'nh! ,?' P. das m"
oseu canter na Historia; emancipagao lir^^^^
poltica dooperano accrescentam ellas a sua,trmos m0iu.oEra?Sd2e^iXd?Sa
emancipagao intelectual e moral. caridade, a fim de Droteeer eses manrphnJ
Devia a imperatriz, na sua qualidade e encaminhal-os "So^oTSa J d!
de ma.. tomar mais especialmente sob a sua virtude. Quizeraos dizer isto Dor aue iul-
proteegao as creangas que esta ceremonia gamos justo e til felicitar aquelles que fa-
zem o bem por honrosos motivos, louvar
arada mais aquelles que sabem fazel-o por
motivos melhires -rada e mais desioteres-
sados.
Deve ser, senhora, urna sensivel alegra
para V. M. a festa de hoje, em que estas
verdades austeras, mas fecundas, recebem
a sua expresso publica ; e em que, grandes
e pequeoos, protectores c protegidos, uni-
dos pela elevago dos pensamentos e pela
igualdade dos mais nobres esforgos, do o
espectculo de urna sociedade que avanga
com ardor no caminho do bem, sob os aus-
picios de un governo que procura estimular
a iniciativa pessoal de cada um e todas as
energas de educago: o imperador appel-
lando para todos os homens de boa vontade ;
a imperatriz fallando aos corages pela sua
graga e caridade; o principe real reunindo
sobre a cabega as garantas de um futuro
igual ao presente; de um futuro em que,
sem perder de vista a prosperidade material
da Franga, se saber proteger a sua antiga
repulacao de povo christo.
Depois de algumas palavras de agradec-
ment dirigidas a S. Exc, aos presidentes e
mesa da sociedade, S. M. desceu do throno,
tendo S. A. I. sua direita, e deu orna volta
em roda da nave, acompanhada pelas pes-
soas de sua casa, no meio das creangas que
3II1' estavam reunidas para a ceremonia.
Ne-ta occasiao fui grande o enthosiasmo; e
quando S. M. ebegou a porta da sala oceu-
pada pelos aprendizes, nao Ihe foi possivel
dissimular a commo;a que no seu corago
de me causaram as acclamagoes javens,
espe ialmente dirigidas ao principe imperial.
Quando S. M. voltou para o throno, os
orpheonistas entoaram o coro cajas estro-
phes terminam Vica o imperalor, a que
todas as pessoas presentes responderam
pelas mais enrgicas demonstragoes.
Antes das creangas se retirarem, foi-lhes
distribuida urna refeigo composta de brindes
offerecidos pelos Srs. Vaury, Meoier, Jaequim
e Pamart. O duque de Mouchy leve feliz
idea de mandar distribuir tambem urna re-
feigo pelos aprendizes que, deudos as ca-
sas de convalescenga, nao poderam assistir 3
ceremonia.
Quando saiu do pflaco S. M. foi acompa-
nhada at'i carroagera pelos Srs. ministro-
de agricultura e ministro de rastrncg3o pu-
blica, por monseDhor o arcebispo de Paris,
pelo senador Dumas e pela presidencia da
sociedade.
S. M. dignou-se dizer ao senador Dumas
que muito a penhoravam as boas disposigoes
da ceremonia, felicitando ao mesmo tempo
os membros da presidencia da sociedade, e
mais pessoas que tomaram parte Baquella
festa, pelo seu resultado verdadeiraaiente po-
pular.
Divida pumuca europea.Dinamarca.
A divida publica d'este paiz- elevara-se em
31 de margo de 1805, a 132,110:802 rixi-
dales (o rixidale vale 1)5000 rs. pouco mais
ou menos). Os jurosfiguram no orgamento
de 180(3 a 1867 eom 11.926 340 rixidales.
Hespanba.A divida consolida, em 30 do
novembro de 1866, era de 18.097:603:733
reales de Jvelon, segundo o orcameuto, no
exereicio de 186 a 1866. O servico da
parte da divida que tem juros, figura com
45.821:12 i reales. A nomenclatura dos
diversos elementos da divida hespanhola
urna das- maiores que se conhecem^ Divi-
de-se a divida, como a de Portugal, em
interna e externa. A teldequatro demaio de
1862 aprssentou a divida fluctuante em 740
milhes de reaes. O algarismo alual da
divida nao conhecido, em consequencia da
facutdade concedida ao governo de poder
tirar fundos da caixa de depsitos, que em
31 de agosto de 1865, possuia o capital de
1:428 milfeoes de reales.
Franca.Segundo-o orgamente de 1867
a civida consolidada (capital aproximativo de
12 milhares-e 315.946:79-1 francos) absor-
via para juros: |341.1l;866 frascos. De
1851 para cada divida seguiu o movimento
progressivo que abaixo transcrevemoe.
1851, 5,345.037:360.
1855, 6.1)82:87.7:852.
1859, 8 593:288:155.
1863, 12.088:235:183.
plausos.
Snbora.Os festejos d'este dia teem,
gragas presenga-de V. M um carcter so-
lemne e commovente. E' a soberana que
preside, mas sobretudo a irm de cari-
dade. Por isso o que a Franga vos exprime,
pelas acclamagoes d'esta assembla sympa-
thica, um sentimento mais terno ainda do
qne o respeito, e que nao difiere da piedade
filial.
Estamos reunidos, senhora, a fim de
assignalarraos, at onde as comecemos, as
obras e, em certos casos, as pessoas qu?
parecem proteger com raelnor xito os jo-
veos aprendizes e a popalago juvenil das
fabricas; e sem pretendermos ollerecer
aqaelles que fazem bem urna recompeasa do
-eu mrito, queremos pelo menos, agrade-
cendo-lhes, propo-los incitago d'aquelles
que nao fazem to bem, e anima-los todos
para que fagam ainda melhor.
_ A alta signiicago de um tal apoio nao
pode de escapara pessoa alguma, e todos o
considereram como V. M. o interpretou; em
primeiro lugar como testemunho evi lente do
interesse que a sociejade.toma pelos seus
membros menos favorecidos e particular-
mente pelos jovens aprendizes; depois urna
bomenagem prestada s crengas moraes e
religiosas que iospiram e sustenlam tantas
obras de beneficencia e de caridade, e que
sao o principio elficaz e a honra da nossa ci-
vilisacao.
Sim! A sociedade vale mais do qoe se
diz. Ama e protege os seus Olhos mais des-
herdados; tem por elles a grave e dedicada
solicitude de uro pae, e o terno corago de
urna me. Sem duvida nao quer que elles
descanseni absolutamente nos outros e nao
cuidem do sea proprio destino; mas nunca
se recusa a coadjuvar os que soffrera, so-
bretudo quando o u^o merecem. E' por isto
que, no caso presente, de urna parte olla
anima as obras onde se ensina aos jovens
aprendizes o segredo, nao s de vencerem e
de prepararem a materia, mas tambem o de
se goveroarem segundo as, leis de Deus; e
de outra parte, ella exprime a sua gratido
e dispensa elogios sinceros aos protectores
e aos fabricantes que-poem ao servico d'est'a
idade to digna de interesse o seu temp a, a
sua fortuna, e, mais- ainda, o sea corago e
algumas vezes a sua vida ?
t Esta doulrina de urna respoosabilidade
que nao abdica e de urna solidariedade qse
se mostra e/Tectiva; esta virii e generosa
doutrina floresce ntrenos ;.gragas s cren-
gas-moraes e religiosas que Ihe do origem-
e a alimentam. A sooiedade moderna tem
sem duvida, coma tudo o que d'este
mundo, as suas imporfriges e as suas horas
de desanimo; porm o sentimento moral e-
religioso nunca a abandona. Despresa os
sophistas que querem aprisiooal-a na mate-
ria e no tempo; vai mais alto e mais longe.
{Cotinuar-se-ha.)
pedirei ao santo padre a nullidade do meu
casamento.
Ests louca! exclamou Fernando sor-
rindo com amorosa ternura ; Fernando ou
Fernando de Austria nao ter nunca outra
esposa. O meu casamento foi verificado por
minha livre e expoutanea vontade, e nao
posso desfaze-lo. Ainda quando o annul-
lasse urna bulla pontificia, aecrescentou 00-
breraeute nao podia annullar a minha pa-
lavra, a palavra de nm cavalheiro. Se ao
meu casamento Ihe falta alguma formalida-
de, estou prompto a dar-lh'a, mas nunca
me separarei de ti. Se o povo de que vou
ser rei nao quizer receber-te orno rainhi"?
e le repeir por nao seres princeza de san-
gue, serei s um principe na corte de mea
irmao, e renunciarei minba cora, e se
meu irmo nao tiver comtigo as considera-
ges devidas, eque ninguem mais que tu]me-
rece, viveremos n'um paiz estrangeiro, cmo
pessoas particulares. A posigo que eu ti-
ver tu a desfructars, minha esposa, por
demburgo e principe do sacro-imperio,
vos re:onhego como minba- rainha. Dai-
me a vossa mo, senhora.
Branca offereceu-lh'a e o duque oscu-
lou-a respeitosamente.
Levantai-vos, Ihe disse Branca, Bao
esse o lugar que deve eccupar o portador
de to felizes novas, quo ao mesnao tempo
um nobre cavalheiro.
Fernando abragou o seu nobre prente,
e disse Branca com emogo :
Minba Branca, o duque de Bradem-
burgo foi o primeiro que le tributou nome-
nagem como rsinha e que te reconhecea
como tal. Abraga-o, e quo saiba sempre
que nao ha de considerar-te nunca como
sua soberana, mas sim como saa amiga.
A irma de Lanuza abragou Bradem-
burgo como seu esposo desejava.
Que prazer I exclamou Felippe II.
Vejo, D. Branca, que sois digna de ser
rainha, e muito me alegrarei que o impe-
rador Rodulfo vos tenha como tal, porque
que legtimamente te pertence ; e feliz oul urna disiincta honra quasefaz urna no-
desgragado, rei oa Corsario, sempre hei de bre da minha corte, a urna dama hespa
ser o leu Fernando.
Bem muilo bem t senhor, exclamou
com enlhusiasmo o duque de Bradembur-
go ; nao em vo que corre pelas vossas
veas o sangue de muitos res. Os bunga
ros e bohemios receberao com prazer o re.
bola.
Branca beijon com respeito as mos do
seu velho mooarcha, e este a abragou com
effaso.
Fernando que anda nao estretra a mo
do rei.o abragou tambem naqaelle momento.
passassepor urna grande dr.
Mas Fernando fez por ultimo um esforgo
e poz-se de p.
nullo.
Senhor, disse Branca ao rei,'casando-me
com D, Fernando j maspensei qae algum
Mas, meu Dsus exclamou, que da teria de oceupar um throno, pois nao fa
que ouvi ? isto 6 verdade ? eu filho de res ?(cil que eu tivesse vistas to ioteressadas
eu rei ? jante ura desgragado que ia morrer. O meu
O cavalheiro do uniforme estrangeiro casameato to valido como o de V. M ;
aproxmou-se-lhe ent5o. |noen;anto j sabis, senhor, e provas te-
senhor, Ihe disse com o maior res- nho dado disso, que amo D. Fernando com
peito, eu sou o duque de Brademburgo, 'toda a minha alma; eque se por minha
O rei de Hespanha olhou-os fixameote enviado pelo imperador, meu augusto pa-;caasano ha de poder oceupar o throno
loante um segundo, e logo, apoiando arente, junto do re de Hespaaha. Rodulfo que o co ihe destina, o deisarei livre e
1'J.& o imperador Rodulfo Ihes enva, e es- e os qualro sabiram da prso numa car-
tou certo que nao repelliro esta formosa ruagem de Felippe II, sendo conduzidos ao
dama. O imperador, meu senhor, bom, palacio da embaixada de Allemanha.
e apreciar no que vale a esposa de seuj Obi mudanga de cousas humaoas O
irmo. Porque nao seris rei, senhor ? que havia de sahlr n'uma carreta acompa-
Para que renunciar aos direitos que vos dlnhado por um sacerdote agonisanta para
o vosso nascimento ? Nao, nao, senhor, soffrer urna morte ignominiosa, achava-se
sude rei da Hungra com vossa esposa, pois n'uma rica e ptima carruagem, ao lado do
nao a prmeira senhora particular a quem seu rei, que era seu prximo prente, indo
o amor de um monareba tem sentado no elle mesmo sentar-se n'um throno !
throno. Raioha sois, miaba senhora, pro- (Conlinuar-se-ha.)
seguio dirgmdo-se a Branca com respeito ; *___________K
e eu, Gustavo de Eloccio, du^ue de Dra-, typ.doj iabio-rua.das CRUZEa N*4t


II

.
r


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5R1GIW6S_BWWEN3 INGEST_TIME 2013-09-04T22:14:45Z PACKAGE AA00011611_11450
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES