Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11447


This item is only available as the following downloads:


Full Text
*
r

ANNO XLIII. NUMERO 290-
riav icmni,B lubibes o.kue e ario paca rOMK.;
or tnaaeiuattnuJM... *.............. 64000
Par ms iiUs Me.. .1 .i .j .i _| .... ., #1 ., ., ., ,( 42*000
ft""M,,J"" .' .1 ,1 .4 .1 .1 .1 .! ..,.. SIJOOO
fad* luaerajarals J ..,...* ....,.. S 320
JER PABA I>t.\TKO E VOBA DA MOVICNCI .
Per tres metes adiantades.. ., i. ... ... ,. W7fi#
Pr th dilo dem, i............................... IWfiOO
Fer nev ditos de.............................M ,. seflffiO
Par un une Mea.. SI..............................; 270000
&8a!i<&n4>&i am vwaumn dd Baa&rcpiroiiw a>i mDDia iminmm 10a ixm& & j-ods, sus jpi&i>ipimi&M!1>8

<
>
1KNCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO.
PaTahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ;Aracaty,
o Sr. A. de Leraos Braga; Cear, o Sr. Joaquim
os de Oliveira ; Para, os Srs. Gerardo Amonio
Aires & Filbes ; Amazonas, o Sr. Jeronyrao da
Costa; Alagoas.o Sr. Francino Tavares da Costa;
Baha, o Sr. Jos Martins Aives; Rio de Janeiro,
Sr. Jos Rlbeiro Gasparinbo.
PARTIDA DOS ESTAFETAS. i Serlnaem, Rio Formo, Tamandar, Una, Bar
Olind, Cabo, EseadA estacSes da via frrea at/ reros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
Agua Preta, lodos os das. I elras.
Igoarass e Goyanna nas segundas e sextas felras.j AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL-i
Santo Aoio, Gravan, Bezerros, Bonito, Carnar,I
Altmbo, Garantaos, Buique, S. Bento, Boai Con-/ Tribunal do commereio : segundas e quintas
mino, Aguas Bellas; e Taearatd, as larcas-reirs./ Relagao : tercas e sbados s 10 horas.
Pao d'Albo, Naiaretb, Limoeiro, Brejo, PesqoelraJ Paxenda: quintas s 10 horas.
Iigaieira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa-Vis-I Juizo do commereio : segundas as 11 horas.
ta, Ourieury, Salgueiro e Ex, as guanas /eirasl Dito da orphos : tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do eivel: tercas e sextas ao meio
da.
Segunda vara do ei val : qa&rtas e sabbades a
i acra da tarde.
DAS DA SEMANA.
EPHEMERIDES DO HEZ DE DEZEMBRO.
4 Qoarto rese, as 7 b. e|39 m. da m.
11 Lna cheia as 9 h. e 18 m. da m.
18 Quarto ming. aos 42 m. da m.
25 Loa nova as 8 b. e 47 m. da t
16 Segunda. S. Eozeble V>r.elene b. m.
17 Terq. S. Florlano m., S. Colanccwm.
18 Qoarta. S. Sperldio b. c, S. Theollmo m.
19 Quima. S. Bario m., S. Pantillo ra.
0 Sexo. S. Domingos de Silos ab.
l Sabbado. S. Tbom ap., S. Teroistoeles m.
\ii Djmiogo. S. Honorato m., S. Flaviano.
- PREAMAR DE HOJE.
Primeira s 6 horas e 54 m. da manhia.
Segunda as 7 horas a 18 minutos da tari*.
PARTIDA DOS VAPORES COsTEIROS.
Para o sal at Alagoas a 14 e 30; para o nort-
ate a Granja a 15 e 30 de cada mex; para Fer-
nando nos dias 14 dos metes Janeiro, marco, r~"
julbo, setembro e novembro.
PARTE OFFICIAL
COilMAKDO DAS ARMAS.
A Sra. losnna Mara do E-pinto Santo, casada
coro Antonio da SiJveira, residente na frejuezia de
Santo Antonio do Reclfe, queira comparecer no
qnartel general para d, r esclarecimeotos que sao
necessarios sobre a prisao do sen marido.
Secretaria do coromando das armas em Pernam-
buco, 14 de dezembro de 1867.
Frauctsco Camello Pessoa de Lnetra,
Teoente- coronel secretario.
EXTERIOR.
FRANCA
MlNTA DirLfMATICA DI MINISTRO DOS NEGfCIOS BS-
THANGBIBl'S AO E.NCAKRBG.VDO DE NEGCC1CS DE
Fu>RBNQA.
Paris, 18 de cntobro de 1867.
Senbor.Em preseoca da aggresso dirigida pe-
los bandos revolucionarios centra o territorio pon-
tifl ir, julguei dever hablitar-vos imnaedialamer-e
a fazer conhecer ao Sr. Rabarzl, qoe o goveroo do
imperador se oceupva vivamente da ioefficacia
dos e.-forcos do governo italiaoo para impedir es-
ses ataques, e nota ioter.cao vos dirig o meu te-
legrarama da II do correla mez.
Tambero dei parte ao Sr. Nigra das inquietagoes
da sua mageslade, e n > efecoitei ao mioislro de
Italia, que no caso do gabinete de Floren; se con-
(essar impotente para maoter o re.'peito da conven-
gao de 15 de setembro, cojo artigo priraeiro tem
precisamente por Oro collocar a (rooteira pontifi-
cia ao abrigo de qualquer ataqu, nos vissemos na
quasi necessidade da prestar a proteceo, que fal-
lase a) santo padre.
OSr. Nigoa nao dexoo de iransmiltir estas ob-
servabas para Ploren;* e foi eocarregado de me
diier qoe se empregavam os malores esforco3 na
fronteira dos estados pontificio*, para obstar as ten-
tativas dos bandos de voluntarias que tentavam
atravessa-la.
Mas a extenso dessa liaba, acreseenton elle, as-
sim como a conBguracao do terreno, lornavam es-
ta tarefa quasi impossivel.
O governo do re Vctor Ecmnanuel pensava qoe
no ponto a qne as esusas baviam chpgado, era dif-
ficil sabir da crise actual sera oroa o;cupaco de
territorio romano pelas tropas italianas, e designou
que nos fose commooicada a sua opinio a este
respeilo, ?fim de conbecer as cosas apreciares.
O Sr. Nigra era em todo o caso, convidado a fa-
zer-nos notar os inconvenientes e os perigos qne
resultaran a qual seria na sua opioio a mais pergosa de to-
das as soluedes; e iosislio particularmente em qoe
a convenga de 15 de setembro linba tido por Qm
Liar termo a interveoeio estraogeira.
Posteriormente a esta conversa fez-me Siber o
ministro de llalla, que no pensamento do gabinete
de Florenga, se as tropas italianas devessem cecu-
par o territorio pontificio, seria entendido qoe es-a
medida nao pn jdlcaria de modo algum a questo
da soberana e que bavia razo para se entrar em
nm aecrdo coro a Franja, afim de se assegurar a
independencia do papa.
A Italia ai cenara tambem uro congresso das
potencias, para resolver definitivamente a questo
romana.
Aprsse-me a dar coma desta ntrevista ao im-
perador e aepoia de ier tomado as ordens de sua
mageslade, expoz com oia a franqueza ao Sr. Ni-
gra quaes erara os sentimentos o m nteocSes 4o
gabinete francez.
Comecei por mostrar com satisfaco qoe o go-
veroo italiano considera em tedas as bypotbeses;
a soberania pontificio com urna questao reserva-
da e qoe admita, assim como n:, a necessidade
de assegurar a independencia da santa s. Pela
nossa parte, disse eo, nao descoDbecemos as nume-
rosas e graves difflculdades de que origem o ne-
gocio de Roma, e nao leriamos clj.'cco alguma
em qne essas difflculdades, que interessam em lo
alto grao a todus os povos caiholico?, fojsem exa-
minados por uro congresso das potencias.
Estamos dispostos a empregar toda a no?sa in-
floancla para conseguir essa reuno. Mas Qz no-
tar ao ministro de Italia at que pooto era netes-
sario que tedas >s qnestSe* fleassem intactas al
ao momento ero que a assembla podesse ser con-
vocada.
Serla adrnhsivel qoe as potencias fossetn chama-
das a deliberar sobre as Condicoes polticas da so-
berana e da independencia da santa : quando as
tropas italianas oceupassem o territorio romano, e
emquanlo que o santo padre estivesse errante pelo
muudo, looge dos estados que nma seroelhante
violencia o boovesse necessariameote decidido a
abaoaonar ?
Passando a orna ootra ordem de ideas, lembrei
ao Sr. Mgra, que a retirada das tropas fraocezas
de Roma, lora a ronsequencia da coavencao de 15
de setembro, e da eonapja que o governo do im
peraaor liona na completa e efllcaz execncj das
dierentes clausulas aceitas pela llalla. Assignan-
do essa convenci, entendemos que em todas as
circomstiDcias o governo italiano garanleria o
territorio romano contra orna invaso externa.
Nunca suppuzemos que nao ostivesse as suas for-
ras maoter a ordem no paiz, assim como a legali-
zado e o respeito dos compromissos contrahidos.
Elle mesrao, at agora tem sempre protestado con-
tra urna seioelbanle supposicao.
No Interesse da nossa digoidade, assim como na
da propria Italia, accrescentei eu, nao podemos
pois prestar a nissa combinago qoe testemonba-
ria um esquecimento das eslipulacSes internado-
naes da ambos os lados, assim como dos lagos mo-
raes e das quesloes de honra, que, para nos
pelo menos se ligara a esses campromissos. Va-
me por conseqaencia, na obrigagao de declarar ao
Sr. Nigra que o governo do imperador nao pode-
ra consentir na occopacao de nenbuma parte do
territorio pontificio pelas tropas Italianas e appel-
lando para os sentimentos de amisade e de solida-
riedado qoe uero os dous palies, disse-lbe que
imprasava caos o governo italiano para redobrar
de energa, afim de suspender um movimento, cu-
ja prolongagao se se tolerar, pode tornar-se perigo-
so para a sua propria seguranza.
Nao podemos admittir qoe esta tarefa sej supe-
rior as suas forgas, se nesse seulido se dirigem ex-
clusivamente os seos estoicos o a sua vontide.
Se lr o contrario, tsriam o dever de prevenir o
que as circumstancias exigirern de nos, ehavemos
de prafcar seoo seca semlmento, pelo menos sera
besitagj.
Sao estes os termos no qoe me expressei com o
Sr. Nigra. Nao poda eu deixar no seu espirito
uenhuma dovida quaoto a firma iutengao do go-
verno do imperador de fazer respeitar em todas
as eventualidades, a convengo da lo da setembro,
e tambem n^ste sentido que devta expnmir-vbs,
se, ua oacasio em que recebardes este dospaebo,
a c5;le de Italia nao tiver tomado ainda o partido
de deferir as nossas legitimas ru^amacSos.
Aceitai, etc.Assignado. NonsUer.
DIABIQ BE FEBNAMBCO
DeNew-York, S. Thomaz e Para' chegou bon-
tem o vapormarica.Soui/i Americano. Fui portaiar
do priraeiro at 23 do passado, e do nltimo at 10
do torrente.
ISTADOSUNIB08.
Mr. Ji Oerson D*vig devia comparecer paran-
te o tribunal federal de Ricbmood, no da 25 do
pastado. Seu jaIgamento, pot, so se verificar
no ootono prximo.
_ Foram firmadas pelo presidente Johnson as
eonveogdes postaos eotre os Estados-Unidos, a
Soissa e a Allemaoba do Ni re.
Descobrio se nliimamente orna soblevaco de
negros no Linchburgo, estado de Virginia, cojj
nm era matar ceno onmero de brancos e pretos,
que forana votados pelos conservadores.
Dizia-se qoe a ilha de S. Tboroaz sera' cedi-
da aos Estadoi-Uuidos, medanla sete milhoes de
dollars, e o a^senso da popoiaco.
No dia 8 de ouiubro te ve lugar em Arckan-
pe a entrega ofOcial da America Russa aos Esta-
dos-Unidos.
Represeotaram o governo rosso o capitio Pes-
trschi.il, e o governo americano o general Rous-
seau.
A ceremonia as-im narrada pelo Correto dos
Estados Unidos :
t As 3 horas, as fortalezas e navios da armada
deram urna salva, a som da qual se devia arrelar
a baodeira russa. A realisago, porm, dessa par-
le do programla, nao se realson porque a ban-
delra fiecu presa as cordas, e nao se pdde soltar,
apezar dos grandes esforgos. Depois de porfiada
Iota, era que se empregaram diversos homeos, ar-
reiou-se a bandelra, que foi immediat imente snbs-
liiui.a pela americano.
Os dous representantes apenas disseram as
seguintes palavras :
f Como corr.miss; rio de sna mageslade o impe-
rador da ltus-ia, eu vos entrego o territorio da
America Russa, cedido por sua mageslade aos Es-
lados-Uuldos.
i Comissarlo do governo dos estados eu recebo
e aceito a entrega.
S. TII.--WAZ.
Sobre o desastre de 29 de outubro encontra-
mos o segaiole nos jomaes dos Estados-Unidos :
t No dia 29 do crreme s 8 horas nm forte
vento comegou a soprar do noroeste, e lornou se
as 11 um verdadeiro tufo, qoe lavava tudo ante
si Elle dorou cerca de 4 boras, com tal intensida-
de que fazia voar pelos ares casas e arvores. Na-
vios e vapores de todas as qualiJades e tamanbos
abalroavan-see darooifieavaro se simultneamen-
te, peidendo-se co todo uos, e sofJrendo grandes
avarias oolros. ilutares de familias acham-se sem
pao e sem morada ; ludo esta armiado.
< O capito do pono Steirobery succumbio, vic-
tima de seu zelo pela salvago dos nufragos.
i O vapor Cotombian, cnegado s II horas, sos-
sobrou a's 2, perdendo-se seu carregamen'.o do
valor de dous milbdes de dollirs.
< N'uma lista, aioda iocompleta dos navios vlc
timas do desastre, contam-se as barcas Vetoce, Em
ma. Brue, Bernica, Gazelle, General de Lourneel,
brigue Jacmel, escuna Sylphs e um rebocador, cu-
jo nome se ignora, todoa francezes ; barcas Saruh
Nenman, Aberdeen e Spragve, brlgoe Nelly Grag
Cni e escuna Cinton, americanos.
O total dos navios perdidos divdese assim :
18 inglczes, 9 fraucezes, 10 hespanbes, 8 dina-
marquer.es, 4 hollaudezes, 4 allemes, 1 bremense,
1 moravo e 4 venezuelenses. >
PARA.
Era o seguinte o resultado das elelg5es para
depuiados provinciaes, de toJos os collegios da pro-
vincia, menos o de Marago, que em nada influe :
Ur. Freitas.............................. 381
Dr. Nune?................................. 379
Conego Siqoeira......................... 377
Dr. Canto.............................. 377
Dr. Paes................................ 375
Dr. Brido................................ 373
Dr. Mariano............................. 368
Padre Joo Simplicio..................... 36s
Joao Diogo.............................. 365
Tenente-coronel Magalbes................. 366
Major Bentes............................. 355
Dr. alendes Pereira....................... 353
Dr. Pereira Jnior...........# ............ 334
M.inoel Roque............................ 35i
Dr. Tocantios............................ 355
Maior Pioheiro.......................... 353
Dr. Vleme............................. 353
Dr. Amara).............................. 352
Er. Emilio Dias......................... 332
Dr. Ploto................................ 350
Padre AragSo............................. 346
Coronel Gardoso de Aoirade................ 344
Teneote-eoronel Maximino da Miranda...... 342
Teneote-corooel RaymundoLima........... 339
Hildebrando Lisboa........................ 336
Major Jo^ do O'........................... 330
Tenente coronel Wanzelier................. 330
Padre Vilhena........................... 327
Dr. Marcos................................ 316
Rodrigues......;......................... 271
Naufragara nas Sal,as nm brigue Inglez,
salvando-se apenas a trlpolago. Anda se nao sa-
bia seo nome e procedencia.
Foram incumbidos do alistamento de indivi-
duos para o exercito, os Srs. major Francisco An-
tonio de Sjuza CamisSoe Dr. Lobato.
Ljmos no Diario Grao Para :
O Exm. Rvm. Sr. bispo diocesaoo D. Antonio de
Macedo Costa receben mais urna alta prova de
amisade, respeito e consideragao, na noile de 7 do
correte.
t O collegio de Nossa Senhora da Gloria do qoal
sao instituidoras e directoras as Exmas. Sras. Ben-
jamios, em numero de trila e tantas collegiaes e
guiadas por suas mui dignas directoras, fot saudar
a S. Exc. Rvma. As collegiaes tedas un;formisadas
com as cores da garga e com a grioalda das vr
gens eumpriram urna alia missao que moito honra
ao collegio. _
c Recebidas as Exmas. directoras e collegiaes
cora todo o agrado por S. Eic. Rvraa., a Exma.
collegial D. Elvira Gomes de Mesquita, cora a
maior presenta de espirito e vez muito intelligivel
proniincou a seguate congralolago :
Exm. Rvm. Sr.O collegio de rtossa Senhora
da Gloria, ainda quando nao devesse a V. Etc.
Rvrn. nma grsnde divida de eterna gratldo, pela
consolagio que aprossurado com tama bondade e
candade levou as suas directoras e collegiaes em
22 de Janeiro deste anno, co momento ero qoe
urnas e outras debaliam-se com a rootte pelo el-
feto do veneno e do qoal misericordiosamente fo-
ram salvas pela Providencia, sem duvlda pela3 ro-
gativas de V. Etc. Rvma. ao Altissimo, mais oovi-
das que a de qualquer dellas, nem assim delxarla
de vir, como ora faz, saudar ao sabio e virtuoso
preladu diocesano, oelo seu regresso ao rebanho
qoe I). us Ibe confino.
Enbora a ausencia de V. Eie. Rvma. fasse
curta e necessaria para o brilnaniismo de urna das
maiores festa* da chnstandade, # a intima convic-
gao de que Deus acceitaria as fervorosas oragoes
de uro povo amanto pela constante saude e feliz
viapera de V. Exc. Rvm. em todo o seu transito,
de.de.que se apartoa da sua diocese al voltar a
mesroa, com todo, entre as mais humildes ovelhas
do vosso rebanbo, as directoras e collegiaes de N.
Senhora oa Gloria, sentiam, essa ausencia e alme-
javam a viuda de V. Exc. Rvma.
Acceitai, pos, senhor, as suas congratulagEies
pelo vosso reesso para qua sejam ellas fortifica-
das no camiulio da religio des seus paes, quo as
vessas palavras evanglicas infiltra n'alma com
tanta virtude e ssb'r.
< E romo t.ma flor mimosa a ser depositada aos
pes da Virgen SanHssima da Gloria, padrooira do
eolleglo que representamos, dispensal-nos eom o
vosso cestomado amor e caridade a vossa santa a
paternal benco, qne reverentes e humildes aguar-
damos.
< Finda a eongratulacao ajoelharam-se e rece-
barais cem lodo o amor a sama bengo do qnerldo
pastor, qoe penhoradissirno a cada urna das Etmas.
directoras o collegiaes dirigi palavras mol benig-
nas. Cada urna das mimosas collegiaes ao despe-
dir-so ao collegio eniregoo a S. Exc. nm booqoel.
PEftNAMBUCO
REVISTA DIARIA
Teve lugar, como eslava annoneiado, na noi
le de sabbado, o beneficio do Sr. C. da Lacerda e
da Sra. D. Carolina Falco.
Urna etichenie nas plateas e camarotes, e nma
brilhante roda, coroaram os desejos dos dous dis
tinelos artistas.
A expootaoeidada coro que foi coocerrido o es-
pectculo proven exuberantemente a sympathla e
considera gao que o publico pernarobucano volou
sempre a' este exernplar ca-al artstico.
Os applausos enthusiasticos com qoe foram rece-
bidas as diferentes comedias traduzlram a admira-
gao do publico pela bnlhaute execuco com qu->,
unicameole dous artistas,cooseguem prendero pu-
blico durante.quatro ou cinco horas.
Raalmeole Dada ha mats agradavel do qoe assis-
tir a' essas pequems comedias, que sem desceren)
ao plebelsmo de mo goslo, conservan! as plateas
em constante hilaridad", e Ihe recreia os onvidos
com liados trechos de mnsica, primorosarnenle
cantados tela Sra. D. F.lco. Pode dizer se affita-
mema que foram estes dons artistas que inaugura-
raro semelhanle genero no nosso theatro, genero
inimitavel e tao adaptado ao paladar da boa socle-
dade.
Dense n'este espectculo nm episodio digno de
notar se, pela honra que trouxe para a arle e para
os artistas. Quando terminou a comediamores
de Leao, no meio dos applausos de nma platea en-
thasiasmada, o Sr. C. de Laeerda avangou at ao
proscenio, dirigic-se ao regente da orchestra, o Sr.
Colas, e depois de nma breve allocugo emque ma
nlfestou sna consideragao e amisade por elle,
como artista e como cavalheiro, presenteoo-o eom
um alfiaele de bnlhanles, dlriglndo ao mesmo lem-
po os seos agradecimentos a' todos es prolesaores
da orchestra pela brilhante exeengao da msica
que acaba va de canlar-ie, composla pelo talent so
maestro Colas.
E-u dellcadesa, lae honrosa para quera a prati-
cou, como para quem a receben, foi coreada com
estrondosos applausos.
Parbaos, pois, aos artistas, qoe tao bera o ja-
bera ser.
E' boje o priraeiro espectculo de Mr. Her-
mano. Nelle toma parte sna excellentisiima se-
nhora.
Chamamos a attengi o* laiwres para o pro-
gramma n'oulra awe'pabflc'do.
Arribou hornera do nosso porto, para largar o
segundo piloto por haver partido um braco na via-
gem, a galera ingleza Golden Eajle, qoe la de New
Port para Bjmbay.
A berdo do vapor americano South America,
vieram dos Estados-Uoldos para o sul do imperio
170 emigrantes.
A irmandade da Conceigao dos Militares pro-
ceden domingo eleig.ao da mesa administrativa
do anno de 1868.
Sabiram eleitos: majores Trajano Alipio de Car-
valbo Mendenga, presidente; capilo Leopoldo
Borges Galvao Ucha, vice-presldenle ; Joaquina
Leocadio Viegas, secretario; e Vicente Ferreira da
Porcuncula, thesonreiro.
Sob proposta do Dr. chele de polica foram
nomeados supplemes do subdelegado de S. Vicente,
da comarca de Iiamb : 2* Domingos Gomes de
Souza Bistos, 4 Luiz Guedes Alcoforado, 5 Fran-
cisco Cabral de Mello Cavalcanti, 6* Antonio Joo
de Albuquerque.
A' seu pedido, foi transferido da 4' para a 2*
compaohia do batalbo n. 31 da guarda nacional
do tiuique, o capito Loorecgo Beierra de Albu-
querque Maranbo.
Os Srs. Chaix S Gassier pedem-nos que de-
claremos uo ler sido em sua fabrica de cerveja,
ra da F.orealina, que se den a bayonetada, de que
bontem nos cecupamos; e sim na fabrica de limo-
nadas gazosas existente na mesma roa.
Hoje devem ter logar, na aula publica da
fregnezia da Boa-vista, que regida pe j Sr. Manoel
Roberto de Carvalbo Guimare3, 03 exames dos
alumnos eliodoro Severino de Olvelra Coragem,
Henrlqne Augusto de O.iveira e Silva e Jos Mar-
gal de S'uza.
Tambem farao exame nessa occasilo Joaqoim
Ignacio da Coz Das, Joaquim Candido da Sllvel-
ra, Manoel Joaqulm de Jess, Bernardo Jos de
Aranjo, Antonio Bezerra de Mello, Manoel Felippe
de Souza. habilitados pelo professor do collegio dos
orphaos Henrlque Taylor.
Chamamos a atiengo de quem competir para
o passeio de lage de orna casa terrea nltimamente
reedificada na_rua do Qoeiroado, prxima ao becco
da Congregacio. Nao ha moito que se eoncluip o
calgameoto daqnella roa e que foi dado um nivea-
meoto para os passeios, como pois qne se consen-
te fazer urna parte desles mais elevada que as
outras ?
Escrevem-nos de Carnar, em 8 do cor-
rente :
t Nao sel exprimirlhe o eothusiasmo que de
mim apossou-se ao receber a noticia do Innmpbo
das nossas armas em Tuyoty.
c Na verdade, um grande dia acaba de ser ins-
cripto nas paginas brilhantes dos fastos brasilei
ros; nma victoria estupenda disputada pelos nos-
sos bravos soldados no campo da boora, roostroo a
toda a evidencia que, se somos amantes da paz,
nao trepidamos perante a guerra, qoaado se trata
da vingar os nossos brios injusta e atrozmente ag-
gredidos.
c Hocoait, Curupaity, verdadalros baluartes da
selvageria contra a civilsags, ja nao assombram,
nunca nos atsimbraram.
Sobre as suas ameias brevemente tremulari
radiante o aoriverde estandarte, emblema sagrado
da nossa nacinoalidade.
t Lpez, este tyraouo sem igual, anda mesmo
na miis remol aut'guidade, quando omuodojazla
quasi quo em completa barbaria, est derrocado, o
seu poder vai desapnarecendo a pissos agiganta-
dos, do infeliz, e,forga confessa-lo,valente
Paragoav 1
c Honra e gloria ao exerclto e a armada nacio-
nes! Honra e gloria ao visconda de Porto-A le-
gre, esta oravo dos bravos, o qoal, brago a brago,
lulou com o ebefe audaz, que gue/ia expel-lodos
seus reductos, e que p>gou com a vida a sua teme-
ridade I Hmra e gloria, finalmente, aos denodados
defeosores de Tuyuty I
< Nesre grandioso feito o general nio sobrepu-
jan ao soldado, nem o soldado ao general. Todos
se compenetraran) da magoilode e da jusiiga da
causa que defendan), todos foram beres 1
Que, cjbertos de louros, voltern logo aos pa-
trios lares, sao es meas mais ardeotes votos.
c J aoba-se entre nos o Dr. Buarq.t?, jaiz de di-
reito noraeado para esta comarca.
S. S. multe "tem agradado, e esperamos que
por seas procscUatcs bonosos do Uluslrajio e pro-
bMade, de prudencia e pratica de administrar jn-
"? multo concorrer para o engrandecimeoto
deita cldade qoe resenlia-se, como oolros mullos
termos qoe nio sao cabeca de comarca, da falta de
nma aotoridade superior.
Ccngratolaodo-me, pois, com todos os meot
conterrneos, pelas vantagens qoe nos trouxe a
creago desla comarca, sobe de pooto o meu jubi-
lo, por inslallar se ella sob lio boas auspicios.
Nasta data segoem para a capital 15 recrolas,
qua enva o delegado do termo, (enemeoronel
Quinteiro, o qoal, todas as vezes qoe lem de man-
dar alguraa pequea leva de reerntas, por cansa
da dinlcoldade de apanba-los v-se abarbado com
eropeohos; parque aqu, como em toda a parte, nao
ha recrota que nao leona isen^ao legal.
< Estamos festejando, oa sua capaila, a Vrgeni
da Conceigao, mas as novenas tem sido pouco con-
corridas, e pouco promelte o dia d'amanba, pois
qoe nao ha eothusiasmo, o que devido ao receio
do povo em reunir se.
r No da 15 do corrate forana lilas nis matri
zes da capital os seguales proclamas :
1* deounclago.
Joao Braulio Crrela e Silva, com Theresa Por-
Arla de Jess Jardim.
tiaurentioo Jos da Casia, com Luisa Mara da
Cdnceigo.
Actinio Jos Cardeiro Sirooes, com Amelia da
Silva Campos.
Eduardo Aognsto Ferreira de Moraes, com Fran-
celioa Amelia de Lem t.
Germiro de Souza Mfra, com Guilherrana Far-
reir da Ciut.
Jss M-ihario Santiago, com Lulza Candida Pe-
reira de Brito.
Francisco Jos da Ga>la e Silva, vinva de Isa-
bel Mara de Ollveirae Silva, com Francisca Hooo-
rati da Almeda Soares.
Antonio da Silva Poitigaez, vovo de Maria Ro-
mana, com Maria Clara o. Mello Portugueza, vlu-
v* de Amonio Corroa da Silveira.
Ssh-t 5o Looes Ferreira Guimares, com Rasa-
lina Candida Esleves Alves.
Alfonso Augusta da Cruz Muniz, com Benigna
Leocadia CavalciBte Marques.
Dnarle Antonio de Miranda, com Anua Carolina
de Miranda.
Manoel Jas de Olvelra, eom Ermidia Maria da
Conceicio.
! deouacacao.
Maooel da Cunhi SilJaahj, com Eudocia Emi-
lia da Silva Tavares.
Lacio Cassimiro de Santa Rosa, com Rita Cor-
dolioa de Oliveira.
Vieeole Ferreira da Silva, com Maria Rodrigues
da Assoropgo.
Amonio Jos Pereira, com Rosa Emilia de Me-
deires.
3* denuociago.
Jnac Pereira Guimara--, com Mara Magdalena
do Nascimeto.
J ii da Silva Vidal, quer as mostrar desempe-
dr.
Mtgnet Arcanja da Cruz Muniz, eom Isabel Ma-
ria da Concedi.
Jos Policarpo de Fretas Jnior, com Amelia
Au u-la Alves Cardosn.
Luiz Leopoldo dos Guimares Peixolo, com Ida-
Mooteiro de Queiroz.
Grldino Marcelino Bizerra Vasco.com Guilber-
mioa Carolina Chaves.
Joo Antonio Ramos, com Mariana Josepbina dos
Santos.
Manoel Alexaodrlno Gangalves dos Santos, vo-
vo de Olegaria Mara Gangalves dos Santos, com
Francisca de Assls Rabelo da Luz.
Apollnario Carnelro da Conha, com Maria Emi-
lia Muoiz de Almila.
Lotera.A que se acha a venda
a 48.a, a beneficio da familia dos voluntarios
da patria, que corre sexta feira 20.
ra
I P
I :
I :
l : i :
o
>
te
s
>
i o>
I to
Masculino.
Feminino
>
o
Masculino.
A m 1 1
*
. M 1 1
Feminino.
H
- -a
o >
a
i
I en
i
Masculino.
Feminino.
s
o
Masculino.
Feminino.
si
o
1L I 5 i T *
Masculino.
1 \ i CS
e 1 ~4 1
>*.
. ?* O
CJ O ~ ot
Feminino.
h. TOTAL.
o.

ADVERTENCIA.
Na tolidade dos doeutes exlstem 196 ; sendo, 105
homens, 91 molheres.
Foram visitadas as enfermarlas :
As 6 1|2, 6 1|4, 6 1|2, C, 6 1|4, 6 1[2, 7, pelo Dr.
Ramos.
As 10 i|2,10 1|2,11,10, 10,10 l|2,pelo Dr. Sar-
ment.
Falleceram:
Valentino sauz* de Oliveira, hepatite chronica.
Maria de S. Pedro, bexigas.
Manoel Ferreira, tubrculos pulmonares.
REPABTig.vo da polica__Eztrato das partes
dos dias 15 o 16 de dezembro de 1867.
Foram recolbidos a' casa de detengao no da 14
do correle:
A' ordem do Dr. delegado da capital, Manoel
Ferreira da Paixo, para correccao ; e Jos Mar-
ques Airosa Braga Jnior, para recrota. A" ordem
do subdelegado do Reclfe, William Wood, Inglez, a
retuisico do respectivo cnsul.
- 15 -
A' ordem do subdelegado doReeif>, Nicolao Nis-
chas?, por insultos. A' ordem do de S. J;sp, Jos
Francisco do tsasclmeoto e Joao Baptista do as-
cimento, para correccao.
O chefe da 2 secglo
/. G. de MtsQuita.
Pafs*g?rcs do vapor Inglez Saladtn, entrado
da Europa :
Pereiral C. Wrigbt A. J. C. ele Souza, Mara M.
de Souza, Jas da Souza.
Passageiros do vapor am3r!cano South Ameri-
ca, sabida para o sul :?.",
Augusto Alves GaianKes, C Ntfppe1, Eduardo
Merrefleld, Clemente de Oliveira Mende?, Dr. Lino
CassIaDo de Lima, Dr. Ernesto de Pava Leile, Dr.
Ociaviano Cotrero, Dr. Marcollno-de Moora e Alba-
querqoe, Deocleclano da Rocha Vianna e 2 cria-
dos, 121 emigrantes.
Passageiros da barca brasllelra Thereza, sa-
bida u Bio Grande do snl :
D. JovlBa de Miranda Du'io Souza e 2 menores,
Joo Pedro dos Reis e Joaquira Jos Veras.
emiterio publico.Obituario do dia 14 de
dezembro de 1867 :
Lourengo Justiolano Pereira dos Santos, Pernam-
buco. 49 anoos, casado, Santo Antonio ; asrite.
Mirla Francisca da Ccnceico, Pernamboco, 26 an-
uos, solteira, Bea-Vista ; tobercolos pulmn res.
Manoel It.jieiho Tavares, Portugal. 40 annos, sol-
tero. I! ia-Vista ; tubrculos pulmonares.
Pedro Jos da Fonceea, Pernamboco, 30 annos, sol
leiro, Boa-Vista ; tnbercnlos polmenares.
Marlmlano, Pernamboco, 10 mezes, S. Jas ; den-
tiogao.
Maria, Pernambuco, 2 mezes, Santo Antonio ; con-
vulsoas.
16
Mithias Jas de Araoj i Galm*raes, Portugal, 35
aDnos, solteiro, Boa-Vida ; anemia.
Mara dos Prazeres, Peraambuco, 40 annos, casi-
da, S, Jos ; varillas.
Jj-, Pernambuco, 45 dias, S. Jos ; asthma geral.
Antonio Francisco da Silva, Porlngal, 4 annos, ca-
sado, Santo Antonio ; iolerite, m
Manoel Joto Lourengo Peroambuo, 15 annos, S.
Jos ; bydropesia.
Domiogas Mara da Conceigao, Pernambuco, 33
annos, solteira, Becile ; ttano.
Joo, Pernambuco, 14 mezes, S. Jos ; varilas.
Manoel, Pernambuco, 7 aoaos, Boa-Vista, escravo ;
bexigas.
Maibias, frica, 60 annos, solteiro, escravo, Baa-
vista ; hydrosisia.
Jos Antonio dos Santos Peres, Pernambuco, 42
annos, casado, Recife ; apoplexia cerebral.
Genoveva, Pernarabuco, 4 mezvs, Santo Antonio ;
pblysica.
CiROMCA JUUlGiARIi.
TRIHC.VIL DI BEL.1C.I
SESSAO DE 14 DE DEZEMBRO DE 1867
PRESIDENCIA DO KXM. SR. CONSRLHEIRO SOUZA.
As 10 horas da mannaa, presentes os Srs. desem-
bargadores Santiago. Gitiraaa, Guerra procurador
da cora, Loureogo Santiago, Molla, Assis, Domio-
gues da Silva e Souza Leo, faltando os Srs. desera-
bargadores Almeida Albuquerque, e Ucba Caval-
cania, abrio-se a sessao.
Passados os feilos deram-se os seguintes julga-
mentos:
aggravo de PETiQA). Aggravanle, o vsconde
deSuassuna; aggravado, o jaizo.Relator o Sr.
desembargadur Gitiraia, samados os Srs. desero-
bargadores Souza L-aa e Santiago Daram provi-
meoto.
appkllac.Qes crimes.Appellaote, Francisco Joa-
qun de Ouveira; appellada, a jastlg*.Nollo o
processo. Appeilante, o nromoior; appellado, Flo-
rencio Alves da Silva.Improcedente. Appellanle
ojaitd; appellados, Manoel Jas Games Marinbo e
ootro. Improcedente. Appellante, Francisco
Avila de Mendonga; appellado, o juizo. -Improce-
dente.
appellaqao civel.Appellaote, o visconde de
Suassuoa ; appellado, Alvaro Augusto de Almei-
da. Confirmada a seotenga.
deligencia citiMe.Com vista ao Sr. deserabar-
gador promotor da jastga.Appellaotes, Antonio
Cabocolo e outros; appellada, a instiga.
Assigoou-se dia para julgameatos dos seguintes
(eitos :
appellaqoes civeis.Appellante, Joo Pinches;
appellado, Joao Francisco Ferreira Jaoior. Appel-
laote, Js Olympio Maria de Selxas Borges ^ap-
iada, D. Mana da Conceigao Gimes Marlz. Appel
Unte, D. Clara Theodora" da Fonseca; appellado,
Manoel Jos dos Sanlosl
appellaqao crime.Appellaote, o promotor; ap
pallado, Antonio Conrado de Anuda Ciroara.
PASSAGEH.
Da Sr. desembargador Santiago so Sr. desem-
bargador Gilirana.Appellago crime: app9llaates,
o juizo e Galdioo Jos de Lacena; appellado!, o
juizo e Norberto Jos de Morae.
Do Sr. desembargador Guerra ao Sr. desembar-
gador Loureogo Sautbgo.Appellag5esciveis: ap-
pellame, Mariana da Conceigao Pereira ; appellada,
a viuva de Jas Luiz de Kranga. Appellaote, An-
tonio Jos de Oliveira Castro; appellada, a mulata
Joaona. Appellante, Jas de Amorim Lima; ap-
pellada, Bsrbara Francisca do Reo. Appellante,
Alexandre Waguex; appellado, Jos Ijoacio de
Mondonga. AppellaBtes, Sooza Aadrade 4 C.; ap-
pellado, Joo Baptista Braga.
Do Sr. desembargador Lourengo Santiago ao Sr.
desembargador Almeida Albnqaerque.Appella-
gao crime: appellante, o promotor; appellado, Ma-
ooel de Frellas Nogueira. AppellagSo civel: ap-
pellante, Vasco Marinho da Gama Mello; appellado,
padro Jos Gomes dos Reis.
Ao Sr. desembargador Motta. AppellagSo ci-
vel : appellante, D. Felicidade Maria de Vascon-
celos; appellado, Dr. Aotonio de Carvalho Ra-
poso.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembarga-
dor Assis.Appellago civel: Appellante, Francis-
co Alves Cavaleante; appellada, D. Maria Joaquina
Santiago.
Do Sr. desembargador Assis ao sr. desembarga-
dor Djraingues da Silva.Appellago civel: ap-
pellante, Joaquim Sevenano Nogueira; appellados,
Passo & lrroao.
Do Sr. desembargador Dorongoes da Silva ao Sr.
desembargador Ucboa Cavaleante. Appellagdes
civeis: appellante, Joao de Sooza Guimares; ap-
pellada, a preta Benedicta. Appellante, o promotor
decapellas; appellado, oD. abbade de S. Ben-
lo. Appellante, Ignacio Luiz de Britto Taborda ;
appellada, a fasenda.
DoSr. desembargador Sooza Leao ao Sr. desem-
bargador Saoliago.Appellagdes civeis: appellan
t, Joaquim Jos de Oliveira Apolim; appellado,
Gabriel da Cosa Monteiro. Appellante, monsenhor
Francisco Muir. Tavares; appellado, tenente-coro-
nel Justino Pereira de Farlas.
Encerroc-se a sessao as 1 boras da tarde.
Piiblieacoes a pedido
O Sr. D/. Virgilio Palmeira, depals de ter discu-
tido eom o Sr. Locrengo de Carvalho de Aranjo
Cavalcanti Ypiranga no Diario de Pernambuco de
10 do crreme a questao, que se agita no juizo
municipal da primeira vara desta cldade entre seu
psi o Sr. commendador Miguel Soares Palmeira, e
aquella senhor, sobre a posse do escravo Joo,
quesio essa, que ora pende de decisao do Ilustra-
do tribunal da relsgan, julgoo a proposito em sua
publtcacao feita no Diario de Pernambuco de hoje,
Ueizar de mai o Sr. Lourengo da Carvalho para s
iravar a di-cussocomigo em qaalidada de advoga-
do d" Sr. Lmreoco.
E', pos, de meu dever aceitar a discuss3o a que
roe convida o illustre collega, a quem antes de tudo
agradego a delicadeza com que se dignoa tra-
tarme.
Principia o Sr. Dr. Virgilio dizendo, qne o ag-
gravo que interpnz para a rehgio do despacho,
plo qnnl o Sr. Dr. Jalr mnm^lpil da primeira vsra
dosla cidade mandn entregar ao Sr. commendador
Palmeira o escravo JaSo, nio obstante acharse esta
na posse do Sr. Lonrenco de Carvalho por nm man-
dado de manotengao concedido pelo jniz municipal
do termo do Boro Conseibo, nao lem fundamento
legal, cerno entend, e entendo no 1* do art. 15
do regnlamento de 15 de margo de 1842, porque
sendo de competencia a materia desse en accei-
tei, e reconbeci a jurisdigo do jala da primeira
vara desta cidade, que alias proceden moito legal-
mente despresando aqoelle mandado como um pa-
pel sujo sem formahdade alguna legal, obtido por
metos indignos contra parte nao ouvida, nem ci-
tada, t demais concedido por um to a renten-
ment de seu sobrinho.
O Sr. Dr. Virgilio nao provou nenbnm desses
fados, embora saiba, qoe a' parte qne allega fn-
cuxbe a prova.
Mas, admlttindo por hypothese, qoe esses factos
sejam vtrdadeiros, anda assim nao era por ceilo
o Dr. juiz municipal da primeira vra o competen-
te para tomar conheciroento d'elles. e mandar, eo-
mo mandn, Qcar sem effeito aquella mandado da
manutengan, porquanto sendo nm Juiz de caihego-
ria ignal a' daquelie que assignou dito mandado,
nao poda sem transgredir as leis da organisaco
judiclaria, desfazer um acto, qae s poda ser des-
fetio pelo propio juiz >,Be o pratieon, oo por sea
superior legitimo, mediante o reenrso legal.
Mandando, porm, o Dr. juiz da primeira vara
entregar ao Sr. commendador Palmeira o escravo
de que se trata, nao obstante o referido mandado,
entend, quo o Sr. Lourengo de Carvalho foi ferido
em gen direilo, e por isso aggravel do respectivo
despacho, fuodado no citado g t* do art. 15 do Reg.
de 15 de margo de 1842, qoe, como se v, tem toda
appllcago ao caso verleote, notndose,qoe logo
que o negocio fui snbmetiido ao eonbecimeolo do
Sr. Dr. juiz municipal da primeira vara, reclamei
contra a sua competencia, por petigao, qne se acba
junta aos autos, o qua prova qoe nao acceitei nem
reconheci a jurisdiegao daquelie juiz, como diz o
Sr. Dr. Virgilio.
A qnesio, pois, versando, como veis, nnica-
menti sobre a posse do escravo Joao, e acbando-sa
n lia manutenido o Sr. Lourengo de Carvalbo por
uro mandado de aolhoridade competente, nao veja
rasao para que deixe de ser roaolida al qut pelos
meios legaes e perante o juizo competente o Sr.
commendador Palmeira mostr a llegalidada
d'elU.
Mas, o Sr. Dr. Virgilio, em quem avilas reeonhe-
go as babilitagoes uecessaria* pora discutir conve-
nientemente a materia, coofuade cmpitemente a
que*fio de posse, com a do dominio, como se se
tr,Usse na especie, de saberse quem o verda-
deiro senbor do escravo Joao I
Como dlsse a posse o objecto da questao, e es-
lilo n'ella o Sr. Loorcngo de Carvalho deve ser-
Ibe mintida pelo principio di direito meho est
cndilos possidentes.
A questo de dominio como se v, extempo-
raneana especie; todava sempre dre qne o Sr.
Lourengo de Carvalho mastrou perauta o jaiz mu-
nicipal da 1* vara que o escravo Joo foi doado
causa dotis i sua molher por seas avs matarnos
por esent/t ira particular cinfirmada em testamen-
tono anno de 1852, e se nao ohsiaota o dt> es-
cravo foi vmdido ero 1854 ao Sr. coromendor Pal-
meira, e cooservou-se na sua posse durante 13 an-
nos, foi porque sua molher era menor, e s ha
poneos mezes foi que se casan coro elle.
Quauto a bda f do Sr. commendador Palmeira
na posse, era qua esleve do mesmo escravo duran-
te os dlos 13 annos, nunca pu-la em duvlda, nem
a ponho, porquanto, se bera que nao tenba a honra
de conhecer pe'soalroente o Sr. commendador
Palmeira, todava sei,que um cidado honrado,
digno da respeilo, roas, tambem nao posso admit-
tir, que sem a menor prova, nem mesmo presurop-
go se conteste a ba f do Sr. Lourengo de Car-
valbo e muito menos qoe so qualitiqne de esbulho
fraudulento e criminoso a posse justa e legal, em
que se acba.
Qianto finalmente a garaoti?, que o Sr. com-
mendador Palmeira poda cITerecer por sua fortu-
na e posigao social afim de paler ser-lhe entregue
o escravo em questo para restiujl-lo depois aq
Sr. Lourengo de Carvalho, caso venba a perlencer-
l*ie permuta o Sr. Dr. Virgilio, que Iba diga, qua
o Sr. Lourengo da Carvalho umbem tem urna po-
sigao social por s, e por sua familia, que exarca
influencia legitima na comarca de Garaohuns, a
meios saflkientes para garantir mais do qua o
valor de um escravo.
Julga ter desta maneira respondido a' pubhccqao
do Sr. Dr. Virgilio na parte em que me diz res-
peito.
Recife 16 de dezembro de 1867.
Pedro Affonso de Mello.
Eleico dos jnizes, escriyes e mais
dvlos qae ha de festejar o
glorioso archaojo S, Miguel, pa-
dreeiro da parechia da villa de
fpojaca em o anno de 1868.
Juiz por elelgo
O Illm. Sr. commandaote superior Jos Flix da
Cmara Pimentel.
Juiza por elego
A Exma. Sra. D. Amelia Augusta da Silva Oli-
veira.
Escrivo por eleigo
O Illm. Sr. capi.ao Bernjrdo de Allemao Cys-
nelro.
Escriva por eleigo
A Exma. Sra. D. Francisca da Mesquita Wan-
derley Los, esposa do Iilro. Sr. Jos Antonio W'au-
derley Los.
Jaiz por devogao
O Illm. Sr. capito Permioio Francisco de Panla
Mesquita.
Juiza por devogo
A Exma. Sra. D. Aonunciada Alves d Silva,
viuva do l!lm. Sr. Herculano Alves da Silva.
Escrivo por devogao
O Illm. Sr. capito Francisco Maaoel de Siqueira
Cavaleante.
E'-crlva por devogo
A Exma. Sra. D. Mana das Mer-z Cysneiro
Wanderley, esposa do lllro. Sr. Manoel Cyrillo
Wanderley.
Juizes protectores

.
Os Illros. Sr.
Bario do Livramento.
Commendador Manoel Jos da Costa.
Commendador Jos Pires Ferreira.
Tenente-coronel Franciseo Manoel da Siqoeira.
Proprletario Jos Francisco Accioli Llps.
Capito Jos Maria Cysnelro da Costa Reis.
Capito Miguel Toleotrao Pires Falco.
Dr. Victoriano de S e Albuquerque.
Jnizas protectoras
As Exmas. Sras. :
D. Aona Victoria de Si e Alboqnerque.
D. Genoveva Rosa da Silva, esposa do Illm. Sr.
commendador Ellas Baptista da Silva.
D. Anoa Lns Paes Brrelo, esposa do Illm. Sr.
Francisco Luiz Paes Brrelo.
D. Francisca Felicidade Perpetua Bezerra Ci-
valcante.
u. Ignex Alves da Silva, ess do Illm. Sr. ca-
pito Lourengo Berra Alves da Srlva.
D. Elpidia Eulalia de Salles Abren, esposa do
Illm. Sr. Paulino de Sille Abren.
Esposa do Illm. Sr. capito Hrmino Lanrenfino
de Aodrade."
D. Theresa de Soma Ln5o, esposa do Illm. Sr.
Joaqaim Francisco do Souia Lrjo.



.T38i au
m t
Mario te
Terea fera 19 de Dezembre de S3
i.
Procurador geral
O' thn. Sr. proprieUrio Francisco Antonio do
Oliwirt.
P.rpeQradore
Os Qlms Sr?.:
Or. Francisco Brafcdo Gapaleante de Atbufrrer-
qot.
Wajor Theolomo d Silva Vieira.
Capito Fellppe de Si e Albaquerqoe.
Capitio Joao Carlos Bezerra Cavalcanle.
Prcprietario Antoolo Argeo do Reg Barros.
Ti-nente Antonio dos Santos Pioheiro.
Proprietario Aotonio Emilio da Salles Abren.
Mordoraos
Todos os Ilims. Srs proinetarios e rendeiros de
engenhos, e lavradores.
Frtgatria 4a Ip jaca, 21 de novembro d 1867.
Vigario Fumino Jor *Bwmw i i
Espa

CURM
ntoza e Adiuiravel
DE UMA CHAOA
CANCROSA E ROE"'1
00
rOLYPO W KARIZ.

Urna creada do servir residente era Pernam
buco pertenewite Ex.* Ser". ViscoKnEwa
DE Goianka, foi uttacada d'uma tenivel clia
ga cancrosa e roedoraou Polypo no Nariz.
A mesnia involvia e toinava todo a parte In-
ferior do nar!z, ameacando 1* dlstrulr tanto a
parte caxtUagincBa coino o mesmo oso ; Come-
dn primeiro por appareccr sob o boi<;o bujmn
rior e prte da face, eilendeno-Be por tal
forma e com tul rapidez, qae can pooco amca-
yav* transformar todo o rosto n*uuia enorme
carga viva e asquerooa. Durante todo este
terrivel estado, todos os recursos raedic&ae*
que em taes cazos so osito foriio aliuraJunte-
mente empregailoe, sem que de levo fizesse
parar a inarclu lenta e dialraii'.oru de tilo hor-
rivel enfermdade, e todos os meios e eaforc/M
forSo baldados, e no em tanto o mal crescia eia
que por milagrosa fortuna da inf.-liz estando
as coozas neste ponto, se exjxrimentou pela
Tez primeira a
SALSAPARRILHA
DE BRISTOL.
O effeito prodnzido, qu- que instantneo
por este inestimavel renn.-dio foi Terdaeira-
mente maruvilUoso n wih Igual ; este grande
pnrificador do sar.gue e dos humores do sys
tema, immedialanient'- pz u:n termo i mar-
cha disastroza e fatal da molestia, derramando-
* se e inflltrandivBe atraves dos ti-cidos os mais
delicados do corpo, ex] ellindo ut(! ultima
propriedade ou vestigio virulento da molestia,
t dentro d'um curto espejo de tempo produzio
tuna
Compl
CURA
eta e Radical.
Este Miz quSo admirare! resultado fui obtt
de ajxuus coiu o sjni] li g aso
D'uma
so nuiea Garrafa!
Teste incomparavul e inapruclavel drr-nratorio,
recommendamr^ portanto i todos os I^ieatea
que procurem obter cora o maior cuidado a
nica e rerdadeira Salsaparrillia de Bristol,
nicamente preparada por
IANMAN & KEMP,
c NOVA 'YORK,
na certeza de que, tedas as mais preiiaracfles
Imitativas niio valem -ara covta .
COMMERCIO.
PRACA DO RECIFE 1G DE DEZEMBRO
DE 1867.
As 3 H horas da tarde.
A'COdSo forte8^000 por arroba.
Algodo da Parahyba i" sorte 8S500 por arro-
ta posto a bordo.
Assucar ma.cavado de Macei2590 por arroba
posto a bordo.
Cambio sobre Londres 90 1J00O.
Cambio sebre ParsG0 d|v SGj rs. por fr.
Frete=la>tro de assucar oa Parahyba para Liver-
pool 39| por tonelada e 5 0t0
Frete de algodao da Parahyba para Liverpool7/8
d. por lilra e 3 por cento.
Frete de assucar do Rio Grao Je do Norte para o
__ Canal inglez5'2|6 por tonelada e5 por cento.
Frete de aliiodao do Ceara' para Liverpool3ii d.
por libra e 5 0/0
Svelrs,
Presidente.
Macedo,
Secretario.
EM LIQIDSC&O
Novo banco de Pernambuco
Os Srs. accionistas podem receter o 3.a
dividendo (em raoeJa crrente) de 10 o/o do
capital, assim como o l. de 30 o/o, e o 2."
de 4G o/o, j annunciados.
Novo banco de Pernambuco
em liquida cao.
Os possuidores de notas da emisso do
banco queiram quanlo autes apresental-a
ao troco.
A caixa filial do baoco do Brasil nesta
cidade troca as suas notas dilaceradas.
ALFANDEGA.
Rendimento do lia i a 14.......... 391:516^6=8
dem do ata 16................ 36:58i150
_S:100838
Jovimento da alandega.
\olaroe8 entrados com fazeudas...
' gneros....
V jlnraes sabidos com (azandas...
gneros....
157
247
------404
203
291
------494
Descrre Logar ingiezCornucopia mere.dorlas.
Vapor InglezSaladtnmercadorias.
Escuna prnsuana Esperanzaidem.
Barca fraoceza Adeka,ai.
Barca franceaFgaroidero.
Brigoe inglez-Isobella Dolton-terro.
Barca ingieraRdenck hon carvo.
Barca ingieza- Witch oflhe Teign-iem.
Barca ing/ezaJary H-inai/tonidem.
Barca inglexa-JaronAoidam.
Barca sotcaSevertge id<(D.
Brigae irtncei-Cla*dine & PaulUea.
Barca InglezaCroanarvo.
Patacho 0aaoerianoTAc/i-farinba de trigo.
Patacho bohiewiliara charque.
Brigae oglezRosine CLypoleub-jado.
Importado.
Barca ogleza Crown, vinda de Swinsea, mini-
festoa :
4*9 toneladas carrio; a urden.
t lliaie brasileiro Graciosa, vindo de Maeo c
Maesor, m ioife.-ton :
72 saccas algodo ; a Lnii Antonio Siqaeira.
93 diti dito, 63 cooros salgados, 1 barrica resi-
na, 10 moiiv.s counnhos, Tcaiia peonas, 1 dita
cera amarell, ti saceos carnauba ; a' orden.
2 ditos dita, 6 saccas algodo ; a Ics de Si Lei-
tao Jnior.
Brign inglet habella Dobson, vlndo de Lin
dres, maufsloo :
500 barricas e 60 caixas cerea, 25 ditas agur-
dente, 3 ditas mantiOieotos, 7 ditas e 10 peg;s
roaeblnlsmo, 1 barrica paoellas de plumtaro ; a
ordem.
180 barris c<-menio, 27 barrica? gesso, 15 ditas
lijollos.28 tontladas c.aivo ; a Rabe Scbmmetao
A C *m0^
3 caias moeis; a Rocha ma & Gaimaraes.
425 barris plvora ; a Patn Nash & C
00 ditos dita ; aSaonders Brothers & G.
100 ditos cbnmbo ; ao bario de Bemflca.
2 ditoa seda, 12 ditos salitre, 10 ditos oleo de h-
nhi'M. I caiia acido, 1 [ardo rclbas ; a Caors.
121 barris choaibo, 10 ditos oleo de linbaca, 20
canas phos;ihjros 1 dita livros, 120 feixes (erro ;
a Isidro Bastos de C.
. caixa vicho, 10 barricas erveja ; a A. Da
moni.
5 barris tinta, 1 dito (iiTrbentina, 12 diUs oleo
de linbac; a J M. da Crua Corre i iOO ditos salitre ; a Sl.aw, Hawk.-s & C
3 ditos agnardeo"; a J. A. Tcm.
10 ditos leo de linhac.; a Yon Sosthen & C.
11 Jilos tinta, 20 cirixas chambo; a Parete
Viaona & C.
3 ditos miudezas, 1 pacote amostras; a Ladislao
Jos Ferreira.
1 dito ditas; a B. W. Uayle.
201 canos e 137 barras de ierro ; a' companhia
do Beberibe.
3 barris vinho ; a G. O. Monir.
10 ditos oleo de linaza ; ao Dr. Cosme de Sa'
Pereira.
15 (ardes esteiras ; a Adriano Casiro & C.
2 ditqs esleirs e tapetes; a Carntiro & No-
gaeira.
Galera franceza Adele, vinda do Havre, ma-
nifestou :
1 caisa chapeos, 2 ditas mercearia ; a 1. A PiLlo
Serodio.
1 dita livros; a Jo.- Barbosa de Mello.
4 ditas calQado ; a Arantes & Lyra.
1 dita dito-, a Christovo F. Campos.
4 ditas pianos, 1 oiu cjmesiiveis; a J. Vignes.
1 dita porcelana; a J. A. Pereira & Sjbrinho.
1 dita un piano; a P. Oiilermam.
3 ditas vi iros 1 dita e 3 barricas porcelana ; a
Duarte Pereira A C.
1 caixa dita ; a Luiz de Moraes mes Ferreira.
1 dita roupa ; ao consol Iraocez.
4 ditas insiruuienis de msica, t dita tabaco, 1
dita marroquim ; a A. Roberto A Filhos.
3 ditas perfumaras e modas; a Silva.& Cardoso.
3 ditas movis, 1 ditas oleadas em iu 11> ju:n-;
a l -nn juo A. Azevedo.
2 ditas tetidos de la, 1 dita camas; a Ch. Le
elere.
2 ditas carro e perteuces; a Francisco Maraede
de Aimeida.
2 ditas conros ; a D. Alvos Malheos.
12 ditas vidros, i9 ditas porcelana, 1 dita con-
ros, 1 dita calcado; a Beruel.
1 dita diversas mercadorias; a Shaw Haikes
4 C.
11 ditas (rodas em calda ; a Sch(Tt-r & C.
30 barris e 30 meios manteiga ; a A. F. de Oli-
veira & C.
12 ditos viobo ; a J. L. Bjurgard.
30 barris e 30 meios manteiga ; a Manoel Duar-
te Rodrigues.
10 barris e 30 meios dita; a Antmio A. Gomes.
12 barris e 3 caixas vinho; a J. Meadiboore.
3 ditas objectos para escnptjrio, 1 dita papel ;
a Lailhacar & .
2 ditas pianos; a Vogflejr.
1 dita rame ; a A. J. d Costa e Silva,
190 barris ceaeoto ; ao barj do Livramento.
1 eaixa uteosilios para chapelleiro; a Domingos
Jos Ferreira.
220 fardos papel, 500 paneiros batatas, 445 bar-
ris e Ci3 meios iDant-igi; a llssel Freres.
8 calzas dr.gas; a Graciano da Crol Martins.
1 dila chceos; a J. de Souza Mai* & C.
1 dila miudezas ; a Gnimaraes & Freitas.
1 dita qoinjuilnanas, 9 ditas obras de (erro; a
F. Dobarry.
2 ditas chapeos e coures; a Tb. Jn>t.
I dita tecidos de aig dao; a A. Cesar de Abru.
1 dita papel paulado ; a Joao W. du Medeiros.
1 dita cale-ido; a Aotoolo Rodrigues Pinto.
3 ditas mercearia; a Jo Luiz Goncalves fer-
reira & C
1 dita tecidos de la, a Guimaraes & Luz.
5 dilase 4 barricas drogas; a Jos de Ab u
Ribeiro.
19 caixas armas, Otas etc; a Lopes & uHveira.
15 ditas quioquilbaria; a Mmttiro & Irra'.
2 ditas espeihos, 2 ditas tecidos oe laa, 1 dila
oleados, 1 dita conros, 1 dila vrdros, 7 ditas obras
de ferro, 10 ditas e ii drdos papel, 8 barris tinta ;
a Alves rbmburser & O
1 caixa porcelana ; a J. M. da Cruz Corti.
2 ditas chicotes; a Vaz & Leal.
6 ditas miadezas; a D. P. WilJ.
i i ditas tecidos diversos; a Ferreira & Mathens.
2 ditas fitas de seda ; a Ladislao J- Ferreira.
2 ditas chapeos e tecidos de algodao; a Alnano
Castro & C,
24 ditas e 1 fardo tecidos diversos; a Keller
&C.
16 caix&s tecidos diversos; a M nhard, M-tler
& C.
5 ditas chapeos e oleados; a Chrisiiini & Irmao.
5 ditas e 6 birricas drogas; a A. Caors.
1 fardo e 13 caixas mercadoiiis diversas; a
Carvalho Ncgneira.
2 ditas perfumaras, 2 ditas ihta, 1 dita Dore,
1 dita tabaco, 2 ditas viaros, 2 citas marceara, 4
diU quinquilleras; a Antonio da Silva Faria.
31 ditas e 3 barris drogas e vidros; a P. Maurer
&C
i barril vinho, 1 caixa amostras, 2 ditas chapeos;
a Lehmano-freres.
4 ditas tabaco, 2 ditas papis; a Joaqaim Ber-
nardo dos Res.
I dita chapeos de sol, 1 dita tecidos de algodao-,
a Joao F. Lopes.
II ditas armamento; a Von Sho.'ten & C.
4 ditas tecidos de algodao e de laa; a Scbapbei-
Ibin & C.
1 dita diversas mercaderas; a H. Wilmer.
6 ditas ditas e perfumaras; a Mello Lobj & C.
4 ditas tecidus diversos, 1 dita qainquilharias; a
Magalbes & Irmo
25 barris rmuisiga, 2 caixas papel, 1 dila vidrrs.
1 dila perfumaras, 1 dita tecidos de la, 2 ditas
ijuiDiiui.il,rus; a ordem,
3 ditas armacoes para chapeos de sol, 1 dita ca-
chimbos, 1 dita piano, 3 dius trovis; a Manuel
& C.
1 dita espada*, 10 ditas tecidos de algodo e do
lioho, 1 dita mercearia, 1 diUcjures; a Lindeo
Weydcman & L
2 ditas artigos de viagem, 2 ditas fitas de seda,
3 ditas perfumaras, 3 ditas armas, 3 ditas lavas,
1 dita quinqoilbarlas; a Oito Bohres.
3 ditas papel e crytaes, 2 ditas miadezas, 2 di-
tas vidros, 2 ditas perfumarla, 4 dilas couros ; a
Isidoro Bastos & C.
1 dila ama bomba, 4 fardos rolbas; a H. Leiden-
BECEBEDORJA DE RENDAS INTERNAS
GERAES.
Rendimento do da 1 a 14.......... 55:086^398
dem do dia. 16................. 5:918(938
L 61:005*336
fo 766 toneladas, apftfo I. Mair, equlpagem
23, carga carvao ^ V ordem.
Rio de Janeiro27 dias, polaca hespanhola India,
ie 304 te ociarlas, rapilo Juan Pa, eqaipagem
13. em lastro ; a' ordem.
Bai
irrelona-O dias, patacho bespaohol Safo, de Fraooisco de Paula Ramos, Aotoolo
180 lonel?.das, capitao D. Pedro Arimoo, equipa- Miranda, Joo Baptista da SUva, Lo
gein 12. carga vmbo a Ribe Schmettao & C bnqacrque Mtllo.
los Lina, Aotcnio Teixeira Pexoto, Joaqaim Fe-
lppe 4a Costa, Aodr Xavier Vianna, Antonio Jos
Pestaa, Sdbioo Jas de Almelda, Alexandre Ame-
rico de Caldas Padilba, pdro Antonio Manoel da
Assuropco, Luiz Eloy de Miranda Dallo, Luiz
Reinaldo da
Lourenco de Al-
Rio ce Janeiro27 das, polaca hespanhola Viage
ro, de 304 toneladas, canitio Jos Curell. equt-
pau*m 12, em la-tro ; a' ordena.
New -York p->r S. Tlioraaz e Para1- 23 dias do pri-
meiro porto e 6 do segn lo, vapor americano
Sonih America, de 2085 t 'Heladas, commandan-
te Ketklepaogb, eqoipagem 75. carga difieren-
tes gneros ; a Henry Forster & C.
Montevideo40 das, patacho hanoveriano Tfte/is,
de 134 toneladas, capito Oiteo, eqaipagem 8,
carga 3,458 saceos com farinha de trigo ; a Pe-
reira Carnelro & C.
MontvidJ-33 dias, patacho hespanhul JnJio, de
17D toneladas, capitio Pgs, eqoipagem 13,'car-
ga 3,550 quintaes besfanb.'s de carne; a'Tas-
so Irmo.
Navios saludos no mesmo aia.
Rio Grande do SulBarca brasiitira Therea, ca-
pilo Jos Auiooij Marques, carga assucar e
ooi ros gneros.
Rio de Janeiro e BahaVapor americano Sou'.h
America, nommaodanle Teuklepaogb.
EDITAES.
Sopplente?.
Jof Pedro das Neves, Dr. Manoel Francisco
Teixeira, Estevo Jorge Baptista, Manoel Estanis-
lao da Cosa, Aoastacio Jos da Costa, Joo Mar-
ques Correa, Caudido ArTooea Morelra, Jos de
Aquioo Fouseca, Jos M.njues da Costa Soares,
Manoel Francisco Marques, Aotsoio Rulioo de Au-
drade Luna, Manoel Joe Baptista, Antonio Gomes
Miranda L^al. Jos S Leitio Jnior, Herculano
Jos Rodrigues Pioheiro, Alexandre Rodrigues
tos Aojos Francisco Ignacio Pialo, Aatonio H-n-
riqoes Mafra, Javiniaoo Fernandos da Silva Man-
ta, Bruno Alvaro Barbou da Silva, Pedro Barral
da Cota Soares, Come Jos'dos sanios Callado,
Aasuslo Feruandesaa Silva Manta.
E para contar mande! passar o presente que
sera' afiliado nos lugares mais publico desta fre-
goezia e publicado pela imprensa.
Fregu"zia de S. Fr. Pedro Goocalves da cidade
do Rec fe, 14 de dezembro de 1867.
Eo I.jqocooco da Cuaba Goyanoa, scrivao e es-
crevi.
_______Lu Antonio Goocalves Peana.
O Dr. Anselmo Francisco Perettl, commeodador
da imperial ordem da Rosa e da de Consto, oes-
en.bargador e presideote do tribunal do com-
mercio da provincia de Pernambuco, por S. M.
o Imperador a ijur.ru Deus guarde etc.
Fas saber aos que a presente virem, que o tri-
bunal do commercio da provincia de Pernambuco
osaudo da jurisdiccao que lhe confere o 5o do
art. 6" do decreto o. 1,597 da 1 de maio d 1855,
resolveu organisar em sesso de 3 do correte, a
| tabella qoecom esta baixa em substituicaoda qoe o
mesmo tribunal orgaaisou em 6 de julho de 1863,
a qual por sua exiguidade e pouca clareza tem
mostrado nao poder salisfazer as exigencias do
commercio.
Tabella :
Art. 1. Aos curadores flseaes das falleocias ca-
be a eommissu de um a tres por cento das som-
ioas, que arrecadarem, conforme a Importancia
das mesmas.
Art. 2. Aos depositarios cabe a commissao de
ineu a om por ceolo sobre a importancia da ava-
llac3o dada em e^nformidade do art. 815 do codi-
este effeito pela chefaiura de polica. Para o re- go commercial, aos bens de qaalquer natureza que
suln.!o do exame foi prsenle aos examioadores^ejam coofiadoi a sua guarda e deposito, com ex-
orna nutra nota de igual serie e assiguatuia sob clusio dos bens de raz a respeito d. s quaes Ihes
n. 44323, voda do cofre da thesonraria. j cabe igual commissao dos renaimentos aparados,
Depois de procederem os examinadores diversas bem como do seo producto, se torem vendidos, ca-
c imparacoes entre as duas referida olas, cima | beodo Ibes ontro sim a mesma commissao do pro-
mencionada', roconheceram ser efetivaroente (al-.ducto das dividas, que se apararem e Ibes fr en-
sa a de n. 10o9i, mandada apreseutar pela chafa-1 trege, e aalmeuie dos beas de domioio, sendo
De ordem do Illm. Sr. inspector da thesoora
ria de fazenda de Pernambuco, se la; publico o ter-
mo la exame abaixo traoscriplo
Thesourarla da fazeoda de Pernambuco, 12 de
dezembro de 1867.
Servindo de (.Olcial-maior,
Manoel Jos P.oto.
Termo de exame feito na ihes uraria de fazenda
do Para em u : a nota de I0C0 reis, cor bran-
ca da 1 serie.
Aos 19 sitas do mez de novembro de 1867, por
ordem, do Illm. Sr. inspector da thesouraria de
fazenda da provincia do Para reonlram se na sala
da secretaria da rresma thesonraria es emprega-
di s abaixo assigeados, para o im de emitlirem o
sen parecer acerca da validarte en falsidade de
orna nota do thesouro do valor de dez mil res,!
cor branca, 1* serto; snb n. 10092 e a assignatura
de Jos Cona de Sa C >elho, a qual f.. enviada para
lora le polica, pelas razoes seguintes, nao s era
r-iaiji i a essa, como as de, sua chapa ou serle. O
p.pel das alsas, com qoanio S(ffrivel, com ludo
mediante um pouco de atteBQao deixa conbecer
sua iuferioridade com o das verdadeiras, sendo
ne.-ta as letras d'agua menes claras do que
n'aquellas.
A curva do S da palavra seria as falsas mais
oa do que as verdadeiras e o ponto sobre o i da
mesma palavra nao existe as falsas que os seus
introductores proiuram substituir a bico de penna,
como se conclae da nota a que se refere este
exame.
O poil? e- da nr.la as verdadeiras quadriloogo e as falsas
redondo, este nm dos signaes mais saliente a
coobeeer-se a falsidade, ao primeiro golpe de vi ta
Das da serie de qae se trata.
O o ao alto da terceira linha do mesmo N, as
falsas omito menor do que ns verdadeiras. No
emblema, entre otitras, exislem qoatro pontos
[ura cnuhecer-se a falsidade. As tres pedras sel-
tas por baixo do emblema do lado do talao nao
existen as falsas o navio que se vo ao alto e a
un lado da 6gura, sendo bem visivel as verda-
deira?, pouco se disliocuim as falsas e anda
oestas as que nao liverem orna vista prespicaz,
com o auxilio do microscopio letXo qae (altt na
pupa do navio o algarismo 10 e a Qammola. no
mastro gran le ; a saia do manto oa tnica, com
que se veste a Sgora, as verdadeiras nao priva
distinguir-se perfeilamente o deliaeado das oer-
nas e o joelho da que lera curvada, o que as fal-
sas nao se patent> com precisan ; a cruz do fl >-
rrti sotre cuja junta tem a Sgura orna das maos
em des.-a.oci, sendo as verdadeiras bem visivel e
perfeilamente acabada, as falsas nao Miste.
O a'garlsmo 10 que Sea cima da eabtoa da fi-
u'iira ua tarja ou lila que corre ao longo da nota
e bem a^sim o me.-ma algarismo na igual tarja
por baixo com tinta bastante preta as verda-
deiras e as falsas menos preta, pouco mais
carregada que a cor ciosenta. As qu*tro_finas li-
onas oas duas refer las tarjas ou filas sao corri-
das com grande certeza de modo que apresentam
avista bem destacadas as tarjas; as falsas, po-
rem, esto ou parecem mais ligadas, tanto assim
qua nao se descobre ao primeiro golpe de vista,
cono as verdadeiras, o claro dj papel eulre as
lionas e as tarjas.
E purque (ossem ju'gadjs sufflcienles os poolos
mencionados a coohecer se as Bitas falsas, anda
que ou'ros cora o sonlo do microscopio podessem
ser apresentados. resolveram os examinadores dar
o trabaiho por concluidos, lavrando se o presente
termo em que. se as.-igaaro para o entregaren) em
seguida ao Illm. Sr. inspector com as notas, que
serviram de base ao exame. O segundo escrlptn-
rario Antrao Beroardino J->rge Sjbrinho__O fiel
do Ihescureiro Domingos 'Oiiveira Gomes.
Conforme,
Servindo de ffl ial maior,
Manoel J >s Pioto.
esta ultima commissao paga pelo rerebedor.
Art. 3.* Aos administradores cabe a commissao
de 3 a 5 por cento das quanllas que li juntan m
por venda de mercaduras, e por cobraneas de di-
vidas, realzadas Integralmente on por transaegao
competeblemente autorisada, com exclasao do di-
nhejro qne receberem dos depositarios.
Art. 4." No caso de concordata em qne nao ha
admiaistraco a commisse dos caradores flseaes
de 1 a 3 por ceolo, e a dos depositarlos de meio a
om por ceuto deve' ser paga pelo concordatario
sem prejuizo dos credores.
Tribunal do commercio de Peroambaco, 3 de
dezembro de 1867.
Eu Jos Marcelino da Rosa, secretario a snbs-
crevi e assignei.=A. P. Peretti.-Rasa.-Basto-
Miranda Leal.Sa' Leito.
Registrada e impressa, remeltam-se exemplares
ao Dr. jniz de direito especial do commercio e aos
juizes municipaes e do commercio do dlstricto do
tribunal.
Tribunal do commercio da provincia de Per-
nambuco, l de dezembro de 1867.
Anselmo Francisco Peretti.
!'-----!"-5*
.DECLARARES.
1* secgo.Secretaria da polica de Pernambu-
co. 14 de dezembro de 1867.
O Dr. ebefede polica da provincia, attendendo
ao qae lhe reqaereram os commereiantes da roa
Direiia desta cidade, e teodo em vi-ta o despacho
proferido pela cmara municipal em ama petico
I s mesmos commereiantes, manda qae se observe
o seguinte :
Fica vedado o tr.-nsito pela referida roa Direita,
de quaesqner vehculos de condocSo, que partlrem
do Urgo das Cinco Ponas e suas mmediacoe*, oa
eotrarem pela ra Imperial ; os quaes devero se-
guir pela ra das Aguas Verdes, pateo de S. Pe-
dro, roa do Fugo e travessa do Padre, a sabir oas
ras do Livramento e doQueimado.
Em sua volta de regresso, seguir os mesmos
vehculos pelus referidos lugares.Pedro Franco-
lino Guimaraes.
Qoarta fera la ao correte, Onda a audien-
cia do Dr. jaiz municipal da 2* vara ser arrema-
tada por veoda a casa o. 8 do paleo da P.oba, a
re juenmenlo do te-tamenteiro do tenente-coronel
Caetano Alberto Pereira Cavalcaotl, para cumpri-
meoio de legados pos, enjo escripto fchava-se em
poder do porteiro do juizo.
M0YIME1VTO 1)0 POETO
Novio sabido no da 14.
Rio de JaneiroBarca ponogaeza D($?ique II, ca-
pilo Carvalho, carga asnear e ooiros gneros.
Navios entrados no dia 15.
Havre-31 dias, barca tranceza Adele, de 372 tone-
ladas, capuao Rob'rt, eqaipagem 15, carga diffd-
rentes mercadorias; a Ti-"set frere.
Navios tutrndoi no dia 16.
Liverpool por LisboaSi das do primeiro porto e
17 do segundo, vapor Inglet Saladtn, de 346 to-
neladas, capitao James Hijres, equipagem 24,
carga fazendas e oatros gneros; a Saoaders
Brelera & a
Babia-18 dias, barca logleza Thistle, de 850 to-
neladas, capitoo A. Me. Pnail, equipagem 19,
em lastro ; a Johoston Pater C.
Baha8 dias, lagar Inglex Circusran, de 20 tone-
ladas, capitn John Amy, eqaipagem 8, em las-
tro ; a Saoaders Brothers & C
Macelo2 das barca iogleza Greterion, de 238
toneladas, capuao H-mry Coobms, eqaipagem 10,
em lastro; a'ordem.
No para3 dias, galera iogleza Golden EaaU
O Dr. Tristao de Alencar Arar i pe, official da
imperial ordem da Rosa e juiz especial do
commercio, nesta cidade do Recife de
Peroambuco por S. M. I. etc. etc.
Fajo saber aos qne o presente ediial virem e
di le not ca liverem, que por este juizo e-pecial
do commercio, pendem uns anlos de execogo de
sentenca por mandado execuliva de Andrade &
Reg, contra Francisco Xavier Carneiro da Cunha
Miranda.
E endose feito peohora em dinheiro perteocen-
te ao execatado, fdra pelo solicitador Joo Caetano
de Abru procurador dos exequentes, feito o re-
qnenmento do seguinte aothcamento :
Apuo do nascimenlo de Nosso Senhor Jesos
Chrsto de mil oito eentos e sessenti e seto, aos
doze das dn mez de dezembro do dito anno, na ci-
dade do Recife, ero publica audiencia que aos fel-
tos e parles dava o Dr. juiz de direilo especial do
eommercio, Tristao de Aiencar Araripe, nella pelo
solicitador Je;: o Caetano de Abru, procarador que
mostroo ser 'os exeqoentes Andrade i Reg, tora
acensada a penhora frita em dinheiro perlencente
ao execotado Francisco Xavier Carneiro da Cunha
Miranda, e reqaereu quo Gcassem assign.dos seis
das a' mesma peohora, e dez aos credores lacer-
tos, passaodo-se os respectivos editaes; o qne ou-
vido pelo juiz bonve a penbora por feia e secuaa
dos os seis, e os dez dias asslgoados a dila penho-
ra e aos credores incertos, e o mais por diferido
na forma reqoerlda; do que flz o presente eltrabi-
do do proiorollo das audiencias, a que juntei o
mandado e tormo de penbora e prcenraco bastan-
te dos exeqoentes queseguem :Eu Manoel Mara
Rodrigues do Nascimenio, escrlvio, o sobscrevi.
Por torga do meo despacho eescrivo, fiz passar
o presente ediial, pelo qual cbams cito e bel por
intimados os credores lacertos do dito execotado,
para que comparecam nesle juizo dentro do dito
prazo, afino de allegaren) o qae rtJr de jaslica.
E para que ebegne ao coohecimento de todos
maodei passar o presente, qae sera' publicado pela
impreusa e affixado no lugar do c> slume.
Recife, 14 de dezembro de 1867.
Eu Secondiao E.iodoro oa Cataba escrevente ja-
raraeaudo, o escrevl.
Ei M.iuoel Mara Rodrigues do Nascimenio, es-
crevo, o sobscrevi.
Tristao de Alencar Araript.
Luiz Antonio G>ocaives Peun, juiz mais votado d*
freguezia oe S. Fr. Pedro Guocalves da cidad6
do Recife, ele.
Faco saber aos Srs. eleitores e supplentes abaixo
declarados, qne em irtode da lei das eleicSes e
mais lispourdes em vigor, qne devero compare-
cer no da 19 de jaoeiro prximo futuro no corpo
da matriz desla freguezia pelas 9 boras da roa-
nba, para o a de se organisar a joola qoaliflca
dora, qne lem de rever a qoaliflcaco do correte
anno ; ficaodo ecieLt-s os Srs. eleitores e soppleo-
tes que serio nin'tados aqnelles qae falurem na
quantia de 409 a 80.
Eleitores.
Joh Raymondo da Natividade Saldanha, Loi-
Antocio G lucaves Penna, Joao Gomes de Oliveira
Antonio Jof Silva do Brasil, Manoel da Silva Meo
doea Vianna, Armioio Pessoa de Albuquerque,
Ionocenciii Xivier Vunna. Hermenegildo Aotonio
Barbozade Aimeida, Felisberlo Ignacio de Oliveira,
Manoei da bilva Neves, Antonio TQeodaro dos San-
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
Pela secretaria da Sania Casa da Misericordia
do Reeife sao convidados os senhores proprietarios
dos predios abano declarados, cojos terrenos per
tenceram ootr'cra ao Sr. Francisco Lias Paes Bar-
reto e sua mulber e por tiles doados a Santa Casa,
para que comparecam a esta secretaria, afim de
pagarem os foros que se acbam a dever, e assigaa-
rem o respectivo termo, reconbecendo a mesma
Santa Casa como seuuor do dominio directo de di-
tos terrenos.
Roa da Roda.
Caja terrea o. 11 Antonio Ferreira Braga.
dem idem n. 15.Jos Leopoldo da Silva.
Sobrado n. 17.-D. Emilia Carolina Madeira Fer-
reira.
Casa terrea n. 19.Capltio Martins (morador em
Beberibe)
Idem idno o. 21.Joaquim Pacheco da Silva.
dem Idem n. 23.Antonio dos Santos Vieira.
dem idem n. 25.Ignacio de Sa' Lopes Fernan-
des.
dem idem n. 27.Flix Antonio Alves Mascare-
nbas.
dem idem n. 31.Miguel Joaquim da Costa.
Idem idem n. 33.Bernardo Alves Pinbeiro.
dem idem n. 35.Mara Francisca da Conceico
e Silva.
Sobrado n. 39.Herdelros de D. Joaquina Mara
Pereira Vianna.
Casa terrea n. 41.Paulo Marques e Aotonio Fran-
cisco Maeota.
dem idem n. 43.Fiibos de Jos Rodrigues dos
Passos.
Sobrado n. 47. Dr. Bernardo Pereira do Carmo
Jnior.
dem idem n. 4.rMosteiro de S. Benio.
dem idem n. 6.dem idem.
dem idem n. 8.Irmandade do Santissime Sacra-
mento da Santo Antonio.
dem idem n. 10. -dem idem.
dem idem n. 12.-Idem idem.
dem Idem n. 18.Bernardo Alves Pinbeiro e ou-
iros.
dem idem n. 20.Auna Tbereza do Sacramento.
dem Idem o. i% Sabino da Cunha Fragoso.
dem dem o. 26.Antonio Ferreira Braga.
dem idem n. 28.Irmandade das almas de Santo
Antonio.
dem idem b. 30. Juanna Mara dos Santos Mo
raes.
dem idem n. 32.Dr. Antonio Joaquim de Mo-
raes e Silva.
dem idem o. 34.Manoel Jos do Amaral.
Ildem idem o. 38.Tutor de Francisco Goncalves
da Rocha.
Casa terrea n. 50Os mesmos.
dem idem a. 51Dr. Joao Casistrano Bandeira
de Mello.
dem dem i. fii.-Luiz Jos da Costa Amorim.
dem idem U..56.Jos do Reg Pacheco.
dem idem n. #8. Barlbolomen Francisco
Sooza.
dem idem n. 60.O mesmo.
dem idea b. 62.Manoel Gomes Viegas.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, 0 de novembro de 1867.
O escrivao,
____________Pedro Rodrigues de Souza.
Terca-feira 17 do correte mes Onda a au-
diencia do Sr. Dr. juiz municipal da primeira va-
ra i m de ir a praca por vtida daas escravas
crenlas por execucao qae move 6. Joaqoa Marta
Maciel eooira sea marido Francisco Jos Duarte
Camargo.
Santa Casa da Misericorda
do Recife,
Alllma.junta administrativa da Santa Casa ds
Misericordia do Recre manda fazer publico qui
na sala de suas sessoes, no dia 20 do correle pe-
las 4 horas da tarde tem de ser arrematada; ga
quem mais vantagens offereeer pelo lempo de om
a tres anoos as rendas dos predios em seguida
declarados:
EsUbelecimeatos 4e caridade.
Roa do Padre Fioriano.
Casa terrea n. 17.......1864000
Casa terrea n. 45.......1823O0
Ra larga do Rosario.
Terceiro andar do sobrado n. 24 301JOOO
Roa da Gloria.
Casa terrea n. 25........ 19J000
PatrimfD'.o de orpkos.
Ra do Yrgario.
Primeiro andar do sobrado o. 27 181 000
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 99.......2560O0
Idem n. 94......... 2015000
dem n. 108......... 20l000
3ilio n. 5 no Fr.rno da Cal. 4O#fXX
As arrematarles se.ro eitas pelo tempo de ua.
a tres aonos, devendo os licitantes virem acom-
panbados de seas fiadores ou munidos de cartas
desles.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia de
Recife 28 de novemhro de 1857.
O escrivao,
________________Pedro Rodrigues de Soma.
Pela recebedoria de rendas internas geraes
se faz publico, que no crrenle mez de dezembro
que os devedores das rendas laoQad^s relativas ao
exereicio correte de J86768, a saber : decima
addicional das corporacoes de mo mora, socieda-
des auonymas e ootras, imposto sobre lojas, casas
de descont etc., dito sobre casas de movis, rou-
pa etc., fabricados em paiz estraogero e laxa dos
escravos (sendo esta al 16 do mesmo n>"z) leem
de paga-las sem molta.lfinda qae seja, tero de pa-
ga las com a multa de 6 por cento em virtude da
circular n. 37 do ministerio da fazenda de 30 de
selembro ultimo : outrosim, que no mesmo mez
devem ser pagos os sibreditos imposlos e mais os
seguintes : renda dos propros naciooaes e foros
de terrenos e d raarinhas pertenceotes ao exerei-
cio de 1866-1887\ em liqoidaco, segulndo-se de-
pois a cobrauc execuliva quanto s rendas deste
exereicio.
Recebedoria de Peroambaco, 3 de dezembro de
18G7.
O administrador,
Manoel Carneiro de Sooza Lacerda.
Tendo-se pro'ongado a molestia di 8ra. D. Cie-
lia nao posslvel ter Ingar o esn. etieulo annun-
ciado nos progrmnm. O b neflsiadr pede des-
culpa ao respeilavel piWleo desta (alta involna-
tana.
MR. HURltvIVW
Tem a bonra de annonviar ao publico Pernam-
bncano, qne de passagem para Europa, resolve a
pedido de oro grande numen de amigos dar ni-
camente dous sotries, lomando parte uestes tra-
bamos
M."< HEMtH.l^N
cantora da grande opera-de New Y>ik
A primeira representarlo lera' lugar na terca-
fera 17 do corrente mez, e sera' dividida em tres
partes.
O programa de prestidigtaos, sera' cdmpostJ
de dez sortes completamente n,vas inventadas por
Mr. Uermaaa e execuladas sem ?pareiho.
Primeira parle
Cinco sortes de preslidigitaco.
15 minutos de inlervalle.
Segunda parte
Grande cavatina De Beatriz di Tenia do mus-
tro Bellini e a Wats do Crispina e la Conare do
maestre Reccl, calladas pjr 5imc Hermano.
Terceira parte
Cinco sones novas de presliJigitacIo.
Seguoila
.
re)rcsr-;.l;<};?
Programma completamente difl reate do pri-
meiro.
Camarotes de ordem 125000
Ditos de 2' 15*000
Ditos de 3- 8A000
Dius de 4 41000
Cadtiras.....3*000
Plalas....... 1*500
Varandas...... so
Os bilhetes podernsT procurados com antece-
dencia no hotel d'Kuropa e no dia da reprsenla-
gao no tbeatro como de costume.
AVISOS MAB1TIM0S
O Illm. Sr. inspector da tbtsouraria de fa-
zenda desla provincia manda fazer publico que 6-
ca marcado o dia 21 de Janeiro prximo viodonro
para o coneurso a que se tem de proceder nesta
thesouraria para preenchimento das vagas de pra-
(icactes existentes nesta reparticao. Cs exames
versaro sobre as materias segu ntes: leltura, ana-
lyse graramatlcal e orthographia, arithmetica e suas
appltca;es ao commercio com especialidade re-
dacao de moedas, pesos e medidas, calclos de
descont, juros simples e composlos, tbecria de
cambios e snas appItcacSes.
Os concurrentes deverao previamente apresentar
seus requertmentus instruidos de documentos que
provem idade completa de dexoito annos, isenco
de pena e culpa e bom procedimento, na forma do
art. 3* do decreto o. 2,549 de 14 de marco de
1860.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco, em 6 de dezembro de 1867.
Servindo de offkialmaior,
Mantel Jos Pinto.
Pela administracao Jdo crrelo desta cidade se
faz pobllco que em virtude da coovencao postal
celebrada pelos governos brasileiro e francez. se-
roespedidas malas para Europa no dia lo do
corrente mez pelo vapor ioglez Sisne.
As cartas sero recebidas at doas boras antes
da qae for marcada para a sabida do vapsr; e os
ornaes at tres horas antes.
Administracao do correio de Pernambuco 10 de
dezembro de 1867.
O administrador,
________________Domingos do3 Passcs Miranda
Santa Casa de Misericordia
do Eecife.
Perantea Illrca. junta administrativa da Saeta
Casa de Misericordia do Recife na sala de suas
sessoes pelas 4 horas da tarde do dia 19 do cr-
renle, se b i de arrematar pela renda annoa! de
100* os sitios reunidos ns. 15 e 18 no lugar das
Salinas, com casa de morada, viveiro e arvores
fructipberas, os quaes sitios boje lhe pertencem
por accao de commissu que intentara contra os
herdelros do emphyteole Miguel Ferreira de Mel-
lo : as condlgoes sero declaradas no acto da ar-
rematado.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife, 14 de dezembro de 1867.
O escrivao,
Pedro Rodrigues da Som.
Santa Casa de Misericordia
do Recife.
A Illma. junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife, na sala de suas sessoes pe-
las 4 horas da tarde do dia 19 do correte, recebe
propostas para o fornecimeolo de carnes verdes
que bouverem de precisaros estabelecimentospos
a seu cargo no trimestre de Janeiro a marco vin-
dooro.
Secretaria da Sania Casa de Misericordia do Re-
cife, 14 de dezembro de 1867.
O es:rivo.
_______________Pedro Rodrigues de Sonra
A cmara municipal desta cidade, lendo de
proceder em o dia 15 do corrente a apuraco geral
dos votos para membros da assemhla provincial,
convida de conformidade com o 12 do art. 1* do
decreto n. 842 de 19 de setembro de 1855, e art.
52 do decreto n. 2621 de 22 de agosto de 1860, aos
eleitores dos coilegios que compdem o primeiro dis-
trlcto, a comparecerem no mencionado dia para o
um de assistirem a apuraco.
Paco da cmara municipal do Recife, 11 de de-
zembro de 1867.
Luiz Jos Pereira SimSes,
Pro presidente.
Francisco C. da Boa-Viagem
Secretario.
SOMPANHIJI PERNAMBUCANA
DE
SJavegago costeira por vapor.
Rio Forrnoso.
No da 15 do corrente as 2
horas d- manba seguir' para
o porto cima o vapor Maman-
ijunpe, commandante Costa. Re
cebera carga, encommendas, pas-
sageirus o diuheiro a frete : escriptorio no Forte
do Matos n. 1.
C0V1PANHIA PERNAMBUCANA
DB
Ravegaco cosieira por vapor.
Goiaooa.
O vapor Parahyba, comroaa-
dante Mello, seguir' para o por-
to cima boje li de dezembro as
10 horas da noite. Recebe car-
ga, psssageiros e dinheiro a fre-
ir no F >ri di Matos n. 1.
COVIPAfiHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
E' e-per:do dos portos do sul
at o da 22 do crrente o vapor
Guar, commandante o primeiro
tenente Pedro riyppolito Duarte,
o qual depois da demora do cos-
tme segn a' para os porlos do norte.
Recebem-se desde ja passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzr a qaal Severa'
ser embarcada no dia de saacbegada, encommen-
d-.s e dinheiro a frete at o dia da sinida as 2
horas. Previoa-se aos rs. passageiros que suas
passagens s se recebem nesta agencia rm de
Grnz n. 57, escriptorio de Antoaio Luiz de Olivei-
ra AzeveJo A C. _________
OIHHtt BtUSUHtU
DE
Paquetes a vapor
Dos portos do norte esperado
ato o da 6 de dezembro o vapor
j/TT^w Cruzar do Sul, comraaodanto
Alcoforado, o qual depois da de-
HUS3? mora do costume seguir' para
os pmos do sul.
Desde ja se recebem passageiros e engaja-se a
carga qae o vapor poler conduzir a qual dever
ser embarcada ne da da sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete al ao u da soa sabida as
2 horas. Previoe-se a*Srs. passageiros qm suas
pa-sagens s sa recebem nesta ageocia ra ds
Cru"'. o. 57, primeiro solar, escriptorio de Anto-
nio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
MBA
TELGRAPflO
Hariliiuodo Recif>i
Previne se ao publico qae do da 1* de Janeiro
de 1868 em diante fanecionara' o novo roleiro de
signis que se acha a' venda na livr&na (rancea
na roa do Crespo n. 9.
O administrador
Domingos dos Passos Miranda.
THEATRO
S, ISABEL.
Quarta-feira 18 de dezembro.
RECITA CONCEDIDA PELO EXM. SR PRE-IDEN-
TE DA PROVINCIA EM FAVOR DO ACTOR
JORDANI
Representar-se-ba o mguitico drama original
do Sr. Cesar de Lacerda
CYNISMO, SEPTICISMO
E CRENQA.
Em segnida a Sr.* D. Falco cantara' a aria do 3*
acto da
FAVORITA
mostea de Docizeli.
Pela nliima vez e a pedido de malas
Segoe o veleiro hale Lindo Paquete, cap'tao c
pratlco Francisco Ribeiro Barros; p>ra a carga
que lhe falla trata se com o respectivo eoosgoata-
n'o Aotonio de Aimeida Gomes, ra da Cruz n. 23,
! andar.
Para Lisboa.
Vai sihir com brevidade a barca portogneza
Uratidao por ter parle a saa carga prompta ; pa-
ra o re.-uu'.o e passageiros tratase com Oliveira
Filho- C, largo do Corpo Santo a. 19 oa com o
capilo na praca.
f-
IO
Pretende seguir rom a maior brevidade possivei
a barca porlogaeza Claudtna, por ter a maior par-
le do sea carregamente engaado : para o resto e
passageiros, aos quaes offerece eicellentes com-
modos, trata se Coro Cunha I.-maos & C, a' roa da
Madre de Daos n. 34, oa com o capito a bordo.
Sgne com a possivei presteza o veleiro patacho
Volante, por ter a maior pare da carga engajada,
para o que anda pode admittir : traa se com o
respectivo consignatario Aotonio de Aimeida Go-
mes, a' roa da Cruz n. 23,1* andar.
M
DE JANEIRO
Pretende seguir com muita brevidade a barca
Despique II, tero dous tercos de sea carrega-
menlo a bordo para o resto qae lhe falta tratase
com os seas consignatarios Antonio Lniz de Oli-
veira Azevedo & C. roa da Cruz n. 57.
Babia
Pretende seguir com brevidade a sumaca fiV-
tencia, por ter parle do sea carregameolo engaja-
do, para o resto qne Ibe (alta trata-se com os con-
signatarios Antonio Lniz de Oliveira Azevedo & C,
ra da Craz n. 57.
LEILOES.
Importan te leilo
De fazendas, chapeos e ca'cados (objectos
salvados do incendio do armazem da fa-
zeodas dos Srs. Adriano Castro & C.
UVJC
b^w^^9"0 Terca-feira 17de dezembmas 40h.-
O malulo aparvlhado
ir, ivuruia, Liucia ae uam-rmour e >
AS COMIOCOES
ras em pooio.
O agente Pinto (ara* leilo com assUtencia do,
Termina o espectculo com a muito applaadkla agentes das compaobias seguradoras e por coala
comedia ornada de modos nmeros de msica e risco de quem pertencer das fazendas, chapeos,
tirados das operas Traviata, Bae de mascaras, calcados e mais objectos salvados do iacwdio do
Trovador, Norma, Lucia de Lanwmour e Maebbel armazem do sobrado da roa da Cadela o. 16 e
j exi.-i-ntJs no armazem novo do largo aa compa-
: ahia (oos fundos do armaz-m de fazendas da Srs.
1 Johostoii Pater A C.) as 10 boras em posto do dia
ComecaFa' as 8 horas. i cima dito no referido, ajauem.
J
i

r-
(I
fi
x
T


.
Mario de PernaMbueo ~ Tcn& felra II 4*. Dczemoro de (997.
cbDe ac superior,
A 18 do correte.
0 agente Oliveira fara* leilo a reqoerimenlo dos
curadores flscaes da mas? fallida de N. O. Bieber
& U, (acce$ore% a por mandado do Illm. Sr.
Dr. juiz espt-clal do commercio dasta clCade, de
50 cachetes de ac sob marca B O, existentes os
alfandega onde pjdara ser previamente exami-
nados :
Qoarta-feira 18 do correte
ao meio da em ponto, no logar contiguo a arca-
da da mesrna alfandega.
LliO
Do armazem de molhados sito no pateo da
Penlia o. 6.
Qjnt-fcira 19 do corrale.
O agente Pestaa levara' opamente a leilo e
sem reserva de prego o armaxem de molbados
senJo arrselo, gu, gneros e todos os mals per-
tenses existentes no mesmo armazem o qaal se
acha sonido cora os melbores gneros deste mer-
cado e a osa sita em um dos melh res lugares
para qualquer principiante garanti lo-se a casa e
os gneros serio vendidos e mals perteoces no da
cima mencionado as II horas da raanha.
Alugtvge um moleque.
Precisa se da aoi moleque para servico de h;le4
na na das r,araag LGIL&O
De 5 caixss com presuntos ioglezes para
fiambre contemlo cada urna 20 presuntos
Quinta fetra 19 de deiembro as 10 horas em ponto
no armizem do Sr. Atines.
Por conta e risco de quera perlencer e por in-
Urveocao do agente Pinto.
AVISOS DIVERSOS.
Arrenda se a proprielade denominada Barra
de Seriohaem, na freguezia do mesmo nome e sea
litoral com grande extendi, ronitos foros a' per-
cebere muios coqaeiros a de.fructar, alm de ser
ptlma localidade para qaalqner estabelecimento
de fazeodas, seceos e malbados; a tratar a' rna da
Aurora n. 26, oa a' do laperador n. 431* andar
Precisase de orna ama forra on eserava pa-
n o servico de ama casa d familia : a tratar na
ua da Hortas n. 104, sobrado._______________ i
"TlTEL liMl" i
Tendo en com a'gomas ootras pessoas pasado
o da de dominsjo era Aplpaco, no Hotel Unio,
(iw occasiao de apreciar e gozar das delicias qae
nos pode proporcionar a vida do campo. Toio
aquella que caneado dos trabalbos e fadigas da.
cidade, procura respirar um arpuro e saudavel, e'
passar um da bailo e agradavel.no poda por cer-!
lo encontrar meibor tratameolo do qae no Hitel
Uoio, cujo dono incaosavel em prodigalisar aos
seos concurrentes o melhor tratamento possivel, j
apresentando-lhes un bia e variada coziuha, e j
esmerando-se no acelo e maoeiras delicadas Es-;
crevendo estas poucas linhas s tive em vista dizer
a verdade, e indicar ao publico onde pdese por
diminuto pr.p passar om da agrad&vd at mes-'
mo cora familias.
O amigo da verdade._____
Nos alnixo assignados, pa'sageiros no hiate
nacional Graciosa, de Pernamboco para Alacio e'
Mossor, peahorados pelo bom tratamento, boa
maneira e acolbimeoto qae nos prodigalisou du-
rante a vigem o Sr. Manoel Caelano da Costa, ca-
plto do mesmo hiate, veem p r este meio agrade-
cer Iba taes obsequios, como larabem asseverar Ihe
gratidio e sincera estima. Macioe Mossor 17 de
aovembro de 1867.
Antonio da Silva Leite.
Jos Antonio de Aibuqnerque.
Francisco Becerra de Sonza.
Joo Antooio do Couto Cartacho.
Jos Lourenco Goocalves Caboclo
Jos Alexaodre Mara.
Francisco Ferreira Araojo Birreto
Caldino Ferreira Araojo Brrelo
fiemvenuto Goncalves da Costa.
Antonio Saldanba de Souza.
Manoel da Costa.
Jos Ferreira Araujo Barreto.
Jos Silvestre Ferreira.
Aluga se o ssbrado da rna dos Coelbos o. 10,
9 a casa da rna dos Prazeres n. 3b, cora commo-
ds para familia. ________
~AT rJB5kTCAO
O abanto jsrigoado daclara pelo presente que
nao se respcnsat>us_ por objoctos comprados em
seu nomo, sem qne tenn biiaeie escripto assig-
aaJo por si. liedle 16 de dezennro 44,1867.
Eleodoro de Aquino Fonseca.
Paga se bera a urna ama que saiba cozinhar
para casa de familia : a tratar na ra da Impera-
triz n 4i, lija. _____
H| Companhia fidelicade de seguros
martimos e terrestres
*_> establecida no Rio de Janeiro
AGENTES EM PERNAMBCCO vjp
Antonio Luiz de Oliveira zevedo k C. >_5
| competentemente autorisados pela m
directora da companhia de seguros S
||| Fidelidade, tomam segoros de na- gg
ip vios, mereadorias e predios no seu H
j&f escriptorio roa da Cruz n. l. |S
wmmmm mm mmwmmm
loo$ de gralificago
Fogio do engenho .Macanacio freguezia da Es-
cada na noiie de 13 para -16 do corrente, o escravo
pardo de neme Eoa, idade de 20 annos poueo
mais menos, cabeca comprida, cabellos corrido e
rente?, cara comprida, nariz afilado, dentes saos,
cheio do corpo, ps comprldo3 e com sarnas at as,
mellas, sanio com camisa de a'godo da trra,;
caiga de riscado o chapeo do massa j velho : i
quem o pgar leve-o ao referido engeabo oa a ra
da Senzala n. 38, que recebera' a gratiicagao
ar.im.__________ ___________ I
Precisase de urna ama para engtmmar e;
fazer eotros servidos decaia, menos a cozinha : na
ra Nova n. 2J'.
Attenco
Presisa-se fle cm amassador: na padaria da rna
dos Pires b. 4.
irande aimazem de tin-
B tas medicamentos etc.
B Roa do Imperador n, 22.
Prodnctos. chimicos e pharma-
ceuticos os mais empregados em
medicina.
Tintas para todo o genero de pin-
tara e para tinturaria.
Productos industriaos e tintas
para flores, como botes de flores
e modelos em gesso para imitar
fructas e passaros com o compe-
tente desenho.
Pro iuctos chimicos e indnstriaes
para photographia, tinturaria, pin-
tura, pyrotecnia etc.
Montada em grande escala e sup-
pr'ide directamente de Paris, Lon-
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa
pode offerecer productos de plena
confianza e satisfazir qualqner en-
eommenda a grosso trato e a reta-
lho e por preco commodo.
Precisa se de om caixeiro que euleuda da
taberna e que d conhecimento de sea conducta':
taberna da rna da Concordia travessa do Poelnbo
o. 33.___________________________________
Protectora das familias
ASSOCIACO BRASILEIflA DE SEGURO MUTUO SO-
, RE A VIDA.
Pelo presente se previoe notamente aos
senbores contribuid tes dos contractos abaixo
enumera los, que ainda d3o pagram as se-
gundas annuidades de que Ihes compre sa-
tis faze-l as al a o da 31 de dezembro do
correte anno de 1867, sob pena de cada-
cidade, imposta pelo artigo ti do regula-
mento. ^
E se letnbra aos; senbores contribuintes
das liquidagoes de 1871 e 1872 de qae de-
i vem pagar, aquelles a 3a, e estes a i1 e 2*
annuidades dos seus contractos at ao refe-
\ rido dia 31 de dezembro de 1867, sob pena
; de s Ibes serem recebidas de enio em
diante, com as multas correspondentes.
Nmeros 6d 67, 188, 189, 190, 191,
192, 238, 239, 317, 378, 390, 391. 454,
I 467, 4G8, 473, 474, 478, 479, 480, 496,
541, 5i2, 574, 57>, 57r?, 577,590, 667,
068, 670, 671, 672. 685, 686,687,688,
689, 690, 8u6, 807, 847, 848,849,850,
851, 855, 856, c57, 858, 862, 863, 864,
' 865, 866, 867, 868, 869, 870, 957, 958.
871, 872, 873, 891, 895, 912, 913,956,
972, 973, 974, 1043, 1044, 1016, 1047,
1104, 1105. Rio de Janeiro, 13 de novem-
bro de 18o7. Jos Justioiano Rodrigues.
Fedegoso de Pernambuco
A planta, conhecila entre nos sob a de-
nominacSo de ftdegoso, e no Rio de Janeiro
e pro incias do sul deste imperio pela de
arista de gallo, o tiaridmm utilissimuw
ou tiandium elonqalum de Scbum, e o he-
liotropium curassadium de Mart., pertence
familia das boragineas.
O fedegoso considerado, na tberapeuti-
ca pernambocana, (mo orna das plantas
mais recommendaveis por suas virtudes cu-
rativas, e applicado interna e externamen-
te, como calmante do systema nervoso, na
paralysia, aslbma, tosse convulsa ou coque-
luche, tosses recente:1 e antigs, suffocaces,
catarrbos pulmonares, etc., e em geral con-
tra lodos os soflriiner tos das vas respirato-
rias ; sendo um excellente unitivo para
aqueles quepadecem de phtmca pulmonar.
Sua eficacia contra o ttano ou espasmo
incontestavel, e ninguem ha que a desco-
nbeca.
N5o ignorando nos o que acabamos de di-
zer, e esforcando-nos por ser til humanida-
de soflredora, preparamos o que abaixo indi-
camos, pondo a disposicao dos distinctos m-
dicos, e dos doentes desta e das ootras pro-
vincias deste imperio nossas preparacoes,
que sao:
A JUBBEBA
en extracto alcoolleo, emplas-
tro, oleo, tintura, plalas, xa-
rope e vlaho.
A JURUBCBA urna das substancias me-
dicamentosas que pertencem ao reino vegetal
e eniram na classe dos tnicos e desobstra-
entes, sendo empregada com vantagem con-
tra asfebres intermitentes acompanhadas de
engorgitamento de ligado e baco.
Ella tetn sido aplicada com incontestavel
proveito contra a anemia ou chlorose, hy-
dropesia catarrho da bexiga, e mesmo para
excitar a menstruaco difficil, resultante da
mesma anemia ou enlose.
0 ARROBE VEGETAL
E' muito superior aos xaropes de CUISI-
NIER, e de LARROY. De fas'ndigesto, a-
gradavel ao paladar e ao olphalo, elle cura
radicalmente, sem mercurio, todas as alec-
55es da palle., impigens, alpo^cas tumores,
ulceras, sarnas degeneradas, escrfulas, es-
corbuto. E' sobre tudo poderoso as moles-
tias rebeldes ao mercurio e ao ioduroto ?
potassia.
Ps Yermlfugos para lombrlgas.
Preparacao a mais segura para a expnlso com-
pleta das Ijmbrigas e outros vermes, sem acarre-
lar os inconvenientes que se tem dado com outras
preparares. Sao de grande accac vermiciva,
agradavais ao paladar e compativeis com tol s as
idades e complelcdes, variando soliente na qoan-
tidade.
XAROPE E SALSA P ARRILHA DO PARA,
ou
DEPIRVTIVO DO SAXCUE
USADOS AS MOLSTIAS DE PELLE, IMPIGENS,
DORES RHEMATICAS EULCERAS VENREAS
PILVLAS A\TI PERIDICAS
Contra as febres intermitentes, oa sezoes
O MULUNGU' tem accao directa sobre os
centros nervasos, e por isto faz dormir sem
determinar affluencia de sangue no cerebro
como o opio e substancias simples qae delle
se extrabem, pelo que o somoo tranquillo
e reparador, calma a tosse as bronchiles,
e modera os accessos de asthma e de tosse
convulsa.
TODOS ESTES MEDICAMENTOS SAO PREPARADOS
POB
Jcaquim d'lmeida Ptnto.
PHARMACEUTI .0 EM PERVAMBUCO.
Ra larga do Rosario N. 10
Juttojao qnartelde p liria.
Precisa-so de un caixeiro para bilhar f na
ra da Iraoeratrizn. 3!.
Precisa-se de urna ama que saiba cozinhar e
engommar para casa de familia.' na roa da Impe-
ratriz n. 3&, 1 andar.
O abaixo assfgnado, representantes da PROTECTORA DAS FAMILIAS, assoeiaro brasileira da
SegnroMuiuo sobre vid, autorizada por decreto imperial de 13 de jnn&ode 1864, e gerlda pelo banco
Rural e Hypotbecarlo da corte, lera a honra de chamar a atiencio dr V S. para o regulamento, inserido
ueste Diario de 35 e 26 do correcta cuja leitura e estudo orientara' a V. S. sobre as vantagens que lal
instituicao ofdrece as daas grandes operaedes que ella tem por flms creaco de capitaes e a crea-
cao de rends (Art. 2* do regolamento), as quaes poden ser effectuadas separada oa simultaneamen e.
Acreucode capital o tem-se pelo augmento progressivo do juro que elle prodnz, suceessiva-
mente capltalisado, e pela addicio das quotas da beranca correspondente aos capitaes dos contratos, ca-
jos segurados fallecerem antes do seo prazu.
As contribnicoes destiaadas a-formagao de capital oo a de renda, podem ser feitas por ama s
vei(aoicas), on por prestacCes annuaes igu^es (aBouidades). Art. 4.
A >eg jiote tabella m tra os resaltados provaveis que se conseguem fazendo entradas annuaes
de 100*000.
Segando esses clenlos aquellos resaltados augmantam de 20 a 23 por (., quando a entrada, em
vez deaonua), feila de orna vez.
ClttttDE

D'ora em dante podem ser enviados pelos pa-
quetes a vapor da Real Companhia Britannica, para
quasi todas as parles do mnndo; cartas, joroaes,
livros, amostras de mereadorias, etc., pagndose
previamente neste consolado o respectivo frete em
dinbeiro on por meio de sellos do correio britni-
co. Para o reino de Portugal smenie podem ser
pagos de ante-mo, as cartas sendo o porte qnatro
pennies por cada qaarto de onca (daas oitavas) em
dinheiro esterlino oa sea valer.
Tambem se conceden ordens para dinbeiro, nao
exeedendo de 10 libras esterlinas cada urna, so-
bre qualquer dos priucipaes correios da Groa
Rretauba e Irlanda mediante ama commissap con-
forme a tabella segainte. Estas orden3 podem ser
pagas em soberanos oa o sea valor em moeda
c rrente deste imperio.
ORDENS PARA DINHEIRO.
... |Scb. l'Pen.
Para as qo.intias.nao exeedendo 2| o I 9
> de 2 at 5 | 1 | 6
de 5 at 7 | 2 3
i de 7 at 10 | 3 | O
Consulado britannleo sm Pernamboco, 12 de
dezembro de 1867.
i Beutinck W. Doyk,
Consol de S. M. B e agente do correia biuoaico.
Idadrs.
Por cabeca de 1 crianca de 1 da a 1 anno
> de 1 > de 1 a 3 annos
i de 1 > de 2 a 3 >
i de 1 i de 3 a 4 >
de 1 > de 4 a 15 >
> de orna pessoa de 15 a 20
de > de 20 s 30 >
* ds i > de 30 a 40 >
> de de 40 a 50
w
Embaimos tm 10 aunes Em I lian E n 21) au Em 2a an
1:1001000
90df0l)0
861 OM
86OJ0OQ
860*000
860*0; 0
86'">*0O0
860*000
900*000
41(100*0.'0
3:000*0(0
2:!'00*00o
2.8O0*0H0
2:700*000
2:700*000
2:7004000
2:70040*0
3:0004000
9:000*
7:W0*
7:100*
7:100*
7:0J0
7:0011*
7:100*
7:200*
7:500*
K:0"JO*
17:030*
16:I>O*
15:5)04
15:500*
15:100*
15:600*
16. OJO*
(8:000*
47:000*
37:0004
35:000,*
3i:000
33:300*
33:300*
34:000*
37.000*
50:000*
_ RESTAURANT A LA CARTE
tnirada geral rna larga do Rosara n. 37 e para familias rot
estrtita do Rosario n. { .1
f-.-.F"nei/C0 Garrido & Hermano, propietarios deste grande etabeletmeoto, con a- ebegda fa
auropa do p Ijieiro, tem o prazer de annnnclar aos seos amigos e fregoezes, qoe se acbam outra vez
no rr.e-.mo estabelecimento, anclosos por ver todos os seus parorhiioo?, tanto da prc e,mo dmalo e
de ootras provincias. Os proprfetarfos tem feito todo e p-ssive para nrhsfwer a saa illostre eoncar-
reocia. Ui bospedes acharo todi commodldade de grandes salas e asselados qnarlos por preco ra-
H* ?a,a para lei,ara ei"s naclonaese estratrgeiros; na mesma sala ha um magnifico plano
P Come se a mesa redonda a la carte e manda-se domicilios.
Oa vlDbos mals finos do mercado acham se no estabelecimento.
A nolie ba sorvete e refrescos, caf, cha e chocolate a leda a hora.
tm -mf!8 mBQ0 os buhares, nobres divertimentos dos res e outros jogos. Pallase bespanhol
nesnCe'h {la e 'D8'82, No estabelecimento vendem-se libras sterlinas e compram-se oncas

Urna (ontribuigo nniea de 2:500*000 por qualquer numere de qnioqnennios costa 2:628*500
a saber :
Contribuicao.......... 2:5004000
Commlsso de 5 por *i. sobre 2:5004000.. 1254000 (art. 62)
Apolice........... 14000
Sello a fazenda nacional...... 2*5( O
Rs..... 2:628*500
E mals 1 por % sobre 2:500*CO0 por cada mez decorrido desde o ae Jolho de 1865, na for-
ma do art. 13 do regohmento.
A mesma con.tribuicao de 2:500*000, sendo paga en prestaos asnales custa os mesmos
2:628*500, sendo pagas no acto da 1* prestigio as despezas de geslo, e nos annos seguinics a annui-
dade slmplesmente.
E oeste caso a malla de 1 *|. ao mez conla-se somenie sobre a 1* annaidade, devendo as se-
guales realisar se em dezembro dos annos consecutivos.
A creaco de reodas operase depositando na associaeo por orna s vez, ou tambera por annui-
dades, quanlias qae accamaladas produzam, de certo tempo em diante, e depois annaalmente, urna
renda.
E esta operacSo vem em auxilio tambem da f irmacao de capitaes, acerca da qaal mitosacon
tribuales se preoccopam, lemendo nao poder continnar por nm larga prazi o pag neoto da aouida-
des precisas para qne os seas beneficiados venbam a aleancar nm bom capital.
Mas tal preocupacao, ou difflcadade, desapparece desde que o cootribuinte poder assegurar,
sem dependencia da sua vi -'a, o pagamento das 5 prlmeiras annoidades, e tizer tambem ara contrato
de renda, qne desde a liquidacao do 1* qninqaenmo prpveri, por demais, ao pagamento das annuida-
des a que est obrigado o contrato de capital. Com enalto, tlgore-se, por exemplo, om contrato de
2:500* para creaco de capital por meio de prestaces annuaes de 100*.
Para satisfazer as primeiras5 annuidadas laucara' o contribuale mi de nm mefo qae nao fa-
Ihe, ainda por sna morte, qae jost mente quando o sea beneficiado mais precisa de recursos
E para egurar no fuioro as 20 segointes annuidades instituir om ootro contrato de lr5O0*O0O
pagavel em 5 annuidades de 3004, que, permanecendo constantemente na Assoeiagao, produzira. des-
de a 1' liquidacao, qae tu de ter logar no correr do 6* anno, n conforme os calclos do Banco Uoio,
e o prospecto da CompaDhia Tutelar, ama renda anoaal de 400*, e juivahnte ao cuadruplo do valor
da annuidade que se tomn para base do contrato de creacao de capital.
O desembolso a effecioar sera, poli, o seguate :
Para o contrato de capital de 2:500*000
l.* ansnidade..........10 *i 00
Commisso de 5 por *L sobre 2:500*000 125*000
Apolice............ 1*000
Sello a fazenda nacional....... 2*510
2', 3.', 4.* eS.* a?naidades. .
218*500
400*000 628*500
Para c cobtrato de renda de 1:500*000
ba a despender ;
!l> annuidade.......... 3.10*600
Commlsso de 5 por H, sobre 1:5004000 75*000
Apolice............ I*ti0i)
Sello a fazenda nacional....... 1*500
e nos i seguintes a 300*C00.
377*500
1:300*000
1:577*300
Total despendido. .....2 2 0*0 X)
No co rer do 6* anno, e d'enio era d ante annualmeolo, recebs-se 400* de renda, do contrato dt
1:500*, da qual se appiicara' 100* para a annuidade do contrato de capital, ficaado, perianto, liquida
a qaantia de 300* al qne aquel e cootrato se Onde.
E Bndo qae seja, ao cabo dos 25 annos, recebe-se por elle 47:000*000, ("idade de l dia a l an
uoj e tem-se recebldo do contrato de renda a qaantia de 6:000* lquidos da aooaidade de 1004 a que
a sujeitou dnrante 20 annos o contrato de capital, e que, hvre deste onus passa a renda a ser de
400*, e vitalicia, se se conservar sempre o capital de 1:500* na Associaeo.
Taes fo as considerarles e deduccSes qoe resurrarn do estudo rrue tenho feto sobre a materia
e que me parecea dever levar ao conbeeimento de V. S. de quem sou reverente criado
N. F. E VIDAL.
As pessoas que desejarem loscrever-se sao convidadas a dirigirse ao no escriptorio da dita as-
clacSo ra do L'.mmento n. 19, prmelro andar.
a > ; '
PREPARigOES FERBE1S-BAI61HIGS
APPROVADAS PILA ACAPHMIA DB MBOICMi
DE BURIN DU BUISSON
fkusacufks, lumit t^Ia Icademia it BtAciaa U firil
2"
O mnente professor Trossbao, na ultima edigJo de sen tratado d$ Thera-
peuttea l Materia medica, reconhece que os ferruginosos simples slo mutas
ve::ei inefficazes para curar u molestias qne tcem por causa o empobrec ment
do sangue. Muitos mdicos dos mais distinctos attrbucm esse mi o xito a ausencia,
n essas preparac5es, do manganese, que se acha no sangue, como o tem recouiecido
os chimicos os mais peritos, sempre Intimamente unido com o frro.
E pou, prestar-seum verdadrim servico aos Sr" Sledicos, o cliamar-se sua _tteac3o
sobre u preparacoes seguintes.
' PS fprrP naimaiiua d*n IW 1C11GUS lUdgdllIt aZ0Mt agradavel, substumdo com vantagem
economa as gnu minerae* ferruginosas.
Fillas c Xarope de iodnreto frferro e de manganese nalteravels
eontendo cada nma cinco centigramos'deiedareto de ferro manganico ndicsd.-.o
particularmente as molestias Iympnaticas, eacrofalosas, e as chamadas caa-
erosas e tuberculosas. %
Bracees de Iaetato de ferro e it manganese rweludM- v*6*"*
Punas de carbonato frreo manganeo
Juntar tu duas preparacBes di os melbores reralUdos.
O P Bsrn dn Buissen desejando obter a adheslo completa da publico mzlz t
cerca do valor de suas preparares, previne om elle u pos fratniumenta a saa
dispoticlo, airigendo-s*;
N* Pirntnbuco, a ten agenta geral, Mavar*r' Cta, pnaraaceaeos, ra ffoTa.
1
4
para a cblorosls, a aae-
ssia, a leucorrbea, a ame-
norrbea. A indieacio e
TRATAMENTO mu- CHA BLE, m PARS
Medico ewpeclal, corntultacoe** 3. Vlvlenn r
AVISO AOS DOENTES. LtS_U_V'",tlIM m snoit ""* *e
Nao Ktoa co-
rado, tomei Cn-
beba,' Copahiba
sob toda as
formas em opia-
to, capsulas,
coafeitas, Unho
o eatsmigo per-
duio e uo esiou curado? L'se e abusci de um grande numero de mmkcc-OH, tus pretaaaea
corar em 4 das, c eitou ainda mais doentes.
DA MAIS 20 ANNOS
cuf coro radicalmente sern recahidas, Corrmentos, Relaxando do canal, Cntewrlo i* tteig;
Pedas.leminaet, curando primeira t causa Tirulenta inflammatoria d'essas dorabas sexoaes,
com algiims vidros do meu depcrativo do sangb, para parar essas tffecepes, seccar o
canal e lhe tornar a dar saa regida don para acabar meu excellente sirope ao citrato
rcRO et mmha imjeccao. A cura radical, as SE.-raomas para os lusos araacoa, aenem
o uiesmo trataJMBto. [Veja-se a noticia explicativa.)
40.000 DOENTES CURADOS
Verdadeiro tratamento depurativa do Mague. As kerpet as mais tnvstaradas, emtpttes,
pruridot, virus, chagas a/feepies venreas, humores, e todas asdeeocas as attero t parata
do tango sao cundas tm poueo tempo por mea xarofb dpcaativo o aairatns mea
bamhos MimaRAsa, minhas pilclas dipeaati>a e miiiha Pommoia ANTI-BAaTaoSA.
Veja-se a maueira de tratar-ee. A noticia rae se ds gratis no deposite de meas BMdtea-
mtotoi. Esse exeellenU trataaento nao coate mercurul* ua mperloridsde kass unaerili
ns* ba ama so cata qoe posas como ea asreseatar Una lUrsUcoes de curas,
o !fs Paris. tvnmsltapivs ao iotUer Ckabls $ ** cerrespondtneias.
i
Yende-se na Botica Franceza rna Nora n. 25.
57 ra do Imperador 57
Pelo Oliutla receben
Uvas.
Fructas christanzadas.
Capsulas de licor, confeitadas em formato de ameodoas, noies,^ uvas, morangos.
Delicado prezeute pela novidade, e caprichoso gosto das caiiinhas.


AMHR TERREO .
17 Ra da Imperatriz 17
PROIEIRO ESPETACJLO DE SUA CLASSE
ldos os das das 4 horas da tarde em diante
Com as priBCipaes vistas das cidades de todas as partes do mundo, batalhas, mo-
numentos celebres e tudo o que ha de mais interesante n'este genero.
Convencido de que o respeitavel publico concorrer a apreciar todas as collecoes de
vistas estas serao variadas todas as segundas feiras.
p., AOS SRS. CHEFES DE FAMILIA
r-oaerao sem escrpulo algum concorrerem ou visitar esta (manos galewa por so
acnar com todo aceio, dignidade e moralidade.
Cada bilhete de entrada d direito urna bella prenda, havendo entre ellas muitas
ae subido valor e as menores de quasi igual preco do bilhete de admisso.
Entrada de cada pessoa 500 rs.
K. t. A abertura sera anunciada por esta ola.
Que um elegante estojo para viagem
COSTEADO:
Io20 cadernos de papel branco, pautado, beira douraJa, marcado comas in-
ciaes do comprador.
2o100 envelopes brancos.
3o100 penas de ac (marca Ianca).
4oi caixa obreias de gomma : i caixa obreias de massa.
5o \ tinteiro de vlro com tampa d. metal
6o1 arieiro dem idem.
7*i pao de lacre. *
8o1 caivete de duas folhas.
9-2 lapis;
102 canelas.
Todos esses objectos reunidos, dentro de urna bonita caixa, Lita para este fim,
custam apenas
Rs. 6|000
im&m mmM
iwwii mmmmuts
O Dr. A. S, Pereira do Carmo (medico) SJg
a est morando no sobrado a. 12 da roa da _B
S Imperatriz.
Alu
a-se
para pappar a fe.>ta ou per um annf, urna casa em
linda, com excellente vista e muito fresca, com
tres salas e cinco qnartcs, cozinha fra e bom
qointal, com lerracos adiante e airaz com acentos
de pedia e cal : a traiar na praja de Pedro II, 1-
vraria da Infancia o. 6.
Trocam se
as notas do banco do Brasil e das caixas filiaes-
Jom descont muito rasoavel, na praja da lnde,
cendencia n. 22.
Ama.
Preci?a-so de nma ama para engommar : trata-
se a' roa da Cadeia do Recif9, S'b.ado d. 3i.
Precisa-se de um copeiro para urna casa es-
tranireira, preferindo-.se escravo : a tratar na ra
da Cadeia n. 18.
'oofe'.taria dos anans
Ra la Crii/ n. 16.
Ha presnos, ditos em fiambre, fructas em cal-
da, ditas secas, caj, dito cristalisado ; recbese
enenramendas para casan tnt-s, bailes e bapl.-a-
dos, bollos e Pao de 16 enfeilados.
Casa para alu^Fem Olind
Alaga-se a casa de sobrado de nm andar e soto
nos Quatro Cantos em Ollnda, com commodos pa-
ra familia, pintada de novo, mnito fresca e excel-
lente vista, lendo a leja nma armaco propria pa-
ra qualqu-.-r estabelecimento de negocio : a tratar
na praca de Pedro II, livrarla da infancia n. 6.
Precisa-se de um caixeiro : no largo da San-
ta Cruz d. i, padaria.
-
Precisa-sede urna ama para o servico inter*
ode duas ptssoas : a tratar na roa de S. GodcsIo
numero 2o.
BOA GBATIFICiCiO.
No da 13 o corrente desapparereu o moleque
Candido com ilo?e ebapeos do Cnyle qoe do pateo
do Livramento condoza para casa de seu seBhor,
cujo moleque tem 10 annos de idade, pouco mais
oa meno?, e os seguintes slgnaes : cor fula, rosto
largo, qneixo fin, cabeca cbata, cabelles carapi-
nbos, um peuco grosso do corpo, e levou vendo
calca e camisa de rlscado azul e chapeo do Chyle.
Este moleque foi escravo do Sr. Manoel Jjaquim
da Silva Cruvellos, da freguezia de Taquaretinen,
e aqui venoido por sua ordem pelos Srs. MicdJI -,
Oliveira & C. ao abaixo assignado. Sappondo que
tenba sido desencaminado por alguem, roga-se as
autoridades policlaes e a qualqner particular a cap
tura de dito moleque, e desde ja' protesta o abaixo
assignado contra quem o houver acontado : quem
o apprebender podtra' conduzi lo a' ra Augusta
n. 26, que sera' bem gratificado.
Geraldo Laurintloo de Slqueira Yarejaj.
Etcrava fugUa
Do abaixo assignado morador na ra da Impe-
ratriz u 20, desapparecea em a noile de honlem
15, urna escravinba de nome Lina, cor preta, Ida-
de 11 annos, levando vestido de chita rxa ja des-
botado e velho, e cojos tgnaes mais salientes sao
os seguintes : orelhas mnito pequeas urna dellas
rasgada no lugar do brinco, vista espantada, urna
marea de fogo no meio da testa bastante grande a
semelbanca de panno : pede pofs s anioridades
policlaes a captura da dita escravinba, assim co-
mo aos Srs. capitaes de tampo es quaes se recom-
pensara' ; oolro sim, declara quo suspeita tez sido
ella sednzida e furtada por alguem e levada talvex
para o Bonilo, d'onde nalofal, pelo que desde }
protesta proceder contra quem quer que o tenha
feito com todo o rigor das lefc crimlaaes. Recite
16 de dezembro de 1867.
LtopoMo Ferieira Mirlios Wbelro.
Aviso.
Acba-se justa c. contratada a casa
roa d-i Santa Rta n. 9 : quem .-julgir
gomdireito a* dua casa, annuncie por
dias a coniar deste.
Rcife, 13 de dezembro de 1867.
D. P. Wild, administrador da mass*
fallida d'Azevedo & Flores, roga a todos o8
Srs. credores de lhe apresentarem seus ti"
tulos de crdito, afim d'os poder classificar
de conformidade com o disposto no art-
859 do cod. do commercio.
Do ergenho Penandoba continua a estar fj-
gida ha cerca de um anno a eicrava de nome Sa-
bina com os signaes seguintes : crloola. baixa,
gressa, cara redonda e bexigosa, testa batida c
c:>m uma cicatriz, rr fula, seios giandes, mas
pequeas e percas rquiadks, repre.-enia l<-r 2
acnos de idade, ach: va-se grvida quando fagio e
mais alpuns sigoaes qoe nao se record*, consta
qoe esta' servindode ama em algntua casa desta
cidade a titulo de furra pois foi vista ba pouco.
das na ribeira de Santo AnUsio : quem a apre
bender leve a ao referido engenho ou a' rna dj
Ouro n. 10, que ser recompensado generosa-
mente.
Pieparttorios para os exa-
mes de morco,
Curso le liogu* franceza.
de geogratthli e historia.
de >'i!Mosopliin.
de retliorica e poet'ca.
Jos Soares de Azevedo, professor de
lingua e Literatura nacional no gymnasio
provincial de l'ern mbuco, tem aberto em
sua casa, ra Bella n. 37, um curso especial
de cada urna das materias aciovt indicadas,
para os estudiantes que se propoem a fazer
exame em marco no collegio drs artes.
Dirijam-se residencia mencionada, de
manbaa at as 9 horas e de tarde a qualquer
hora. ^______________________
Precisa se de dous trab3lhadores de padaria:
na ra do Raug:l n. 9.
Precisa-se de um (eltor e jardineiropara tra
lar de um sitio : na ruado Cabug d. 3, loja de
oorives.
Samuel Power Johuston tompanhit
Ra da Senzala Nova n. 42.
AGENCIA DA
FnndcSode Low Hoer.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos,
Moendas e meias moendas para engenho.
Trisas de ferro coado e batido para enge-
nho.

Arreios de carro para om e dous cavallos.
lelogios de ouro palent.inglez.
arados americanos.
Machinas para descarojar algodo.
Molorespara ditos. .
Michinas de costura.
MARTIMOS


. Ifl a': "".- ". '
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabeteci-
da nesta praca, toma segaros martimos so
bre navios e seus carregamentos, e contra
i fogo em edi'icios, iaercadorias e mobilias:
loa rna do Vigario n. 4. paviment terrao


.-
.

'


."'W.'
Diario de pernambneo Terca letra 19 c Dczcmbro de 1867.
*
UREA PENINSULAR ILLUMINACAO

Fabrica de destilaco e bonificado
DE
MARQUES & FERRE1RA
BA DO AMOUIM-- FORTE UO HIATOS
PERNAMBCO.
Esta fabrica acbando-se montada com lodos os necesarios penences a ama destIUcjo e com
materias primas, qoe entrara na contacto de todos os seos productos de superior qoalldade : promp-
uflca-se a recebar toda e qualquer encommenda e a vender os seus productos por prays nimiamente
AGAZ.
A empreza do gaz desla cidade desojando facilitar geralmente o oso do gaz na
casas e estabelecimetos particulares, offerece desde j as seguintes vantagens:
i." Urna redcelo consideravel nos precos dos canos, apparelbos e todos os mate-
riaes pr*cisos para a installaco dei-u luz.
2.* O gaz fornecido boje de extrema pureza e nSo offender a prata, o bronze
ou outro metal difireme, assim como nenbum damno poder causar s pinturas, quadros.
entre fiaos, tinta para escrever, perfumarlas, vinagre, marrasquino, coracao, espirito de 40*, 38 e 36\
dito de alfaieraa, limonada gaioia, aguas: flor de laranja, rosa e ortelaa pimenta ; orebata de pevide
de melancia e muitos ouiros gneros, os quaes se vendem a vontade do comprador, em Larris, caa-
das em garrafas com vistosas tarjas. Promptifica-se a condicclocar e i enviar qualquer remessa que
nos'seja pedida para toda e qualjuer parte, devendo ser os pedidos acompanoados de ordem sobre
la praca. .
O Sr. Justioo da Silva Cardoso queira
vir nesta typograpbia negocio urgente.
ARMAZEM
DO
VAPOR FRANCEZ.
RA NOVA N, 7.
Acaba de ebegar de Pars este estabelecimen-
to um grande e escolhido sorlimento de calcado
dos melbores fabricantes daqoella grande praca,
assim como grande variedade de quinquilbaria e
de novos brinq edos para enancas, cujos artigos
se acham expostos a escolha e vontade dos com-
pradores, e:mo sejam aiguos que passamos a
mencionar.
Ultima moda
Ricos chapeosiobos de gosto para senhoras ei-
ios ao capricho de urna grande modista de Paris.
Botinas para senhoras
de setim braoco, duraque dito, pretas e de outras
diflerenies cores eufdt das a rigorosa moda.
Botinas p:ra meninas
demnitas qaslidades bem surtidas.
Brincos de ostro
de lei a oliima moda dos Campos Eiiiios e boule-
vards de Paris, para senhoras e meninas.
1.iivas de pellica
do verdadeiro tabricante Jouvin, brancas, pretas e
de outras dirJercnles rres.
Leques .
om eseolbido sortinrnto de leques de diversos
gestos e qualiades.
Perfumarla
finos extractos, baohas, ole 'S, pos de arror, agua
de cologne.agua fl. 'ida e 'abnete?.
Espetaos
de diflerentes tamanhos e gostos para salas, gabi-
netes e pequeos loucadores.
Cai-iuhas de cestera
de novos modelos ricamente guarnecidas e com
liadas pecas de msica.
Delicado presente
bolcinhas ecestibhas de seda e de velludo muito
impelanles para braco de meninas passeio.
Chapeas de sol de seda
de cores e mono bellos para senhoras e_meninas.
Bouqucts da exposico
delicaks bouqurls de fl,res de porcelana com in-
dos jarros para mesas de salas e sactuarios.|
I,nucas
de ac.o, tartaruga e (bfalo.
Oculos
de aro, butilo e de prata d 'tirada.
Ricas bengalas
decanna verdadeira com ca>iao primorosamente
irabalbados eoi marOm, cmpralas na posic,3e.
Chicotes para passeio
n0!) finos de balea e cabo de luarBm.
Oleado para mesa
de muito boa qualidade, novos e helios padrCes: no
armaiem do Vapor, ra Nova n. 7.
Para toilet
otjectos de phantasa muito helios para teilet.
Ciques
chegados de novo a ultima moda.
Ricos albitas
de velludo e de marn quim para retratos.
Esterescopos
com lindas pnotoiraph'as transparentes.
Estampas
de figura?, paisanos, cidade e de santos.
molduras douradas
de diversas laiguras para quadros.
Abat-jour
para candiclros e linternas de piano.
Cosinoramas
grandes e pequeos cora 30 ou mais vistas 6C0-
lbidas a' ventad-, mono piuorescas. 1
Reaiijos
pequeos, de qualro e seis pecas de msica.
Aecordiocs
e concertinas, o que ha de melhor oeste genera
Catlas de rame
de varios precos e tatnanhos para passarinbo.
Bolinas para bomem
grande sortin ento htm escolhido em Paris.
Botinas para meninos
de muilos modeles bpm sortidos.
apatos de tapste
de charlte, de tapete avelludados e i tranca
Lisboa para homens senhoras e meninos.
Botas russlanas
Perneiras e meias reme.ras.
Mantas de feltro bonitos padres.
Chicotes fortes compridos.
Luvas de ti) ra Escossia.
Cartelrinhss para dinheiro.
Saceos de tapete p*ra viagem.
Malas e bolgas sortidas.
Ponteiras para charutos e cigarros.
Charuteirase cigarreiras de palba.
Calimb is de bonitos modelos.
Gravatas relas e de cores.
Gordas para violan.
Bengalas para bomens e meninos.
Escovaspara cabello.
Escovas para denles.
Pentes de marfim para tirar r-spas.
Pentes de tartaruga de desembarazar.
Abridores de lavas.
Tesonriohas delicadas para costura.
Caivetes finos cora lesoorinba.
Meias de fio da Escossia para bomem.
Venezianas transparentes para janeilas.
Quadros pequeos para retratos.
Pares de lindas figuras pequeas de porcelana.
Jarros tnoi pequeos de porcelana.
Objectos de porcelana para botar banha.
Taiberes finos para meninos.
Objectos de mgica para divertir familias.
Pbotcgrapbtas mgicas.
Globos de papel para illominagao no campo.
Castinbas de vimes para meninas de escola.
Ceixiabas de msica e reajeijos para meninos.
Velas a gaz para candieiros e candelabros.
Carnudos de qoatro rodas para condualr crianza
Bonecas de massa, de cera e de porcelana.
Bercos e camas con cortinados para bonecas.
Cabriolis e cavallinbos de maeira com machi-
nismo para meninos de 3 a 8 annos monurem
Para presrpe*
goras para ornar presepe?, casinbas, animaes,
pastores, e cairos muitos objectos proprios.
Attenco.
yia sendo posivel mencionarse aqoi todas as
cjnalidades de calcado, era lodos os artigos de
qnioquilbarias, e multo menos da grande varie-
dade de novos brioqaedos; pede se ao publico om
passeio a este estabelecimeoto, certo de que en-
contraran bstanle paciencia para bem escolberem
o qoe desejarem comprar, e precos baratissimos
em virtnde de tuver em todos es:es artigos grande
qoantidade, e terem sido comprado mesmo* na
Europa pelo doao do dito estabelecimento, arma-
iem do v.por, ra Nova n. 7.
Aloga-se ara -itio na Capnnga nova cora 2
salas e 7 qoarto*, orna coebeira, orna balxa de ea-
pim, basuote arvoredo : quera o pretender di-
rija-s a roa da Imperatrii n. 60.
Na pra^a da Independencia n. 33, loja de
oorives, compra-se ouro, prata e pedras preciosas,
e tambem se fax qualquer obra de eacommenda i
todo e qualquer concert. ________
Companhia ulilidaile pblica
A direcelo paga o t4* dividendo de o- por ac-
I^ao, em seo escriptorio ra da Cadea n. 4!. prl-
metro andar. Recite de dezembro de 1867.
Os directores
Feliciano Jos Gvme?.
___________Thomax Fernandes da Conha.
Jornaes para 1868
Na livraria francea assignara-se todos osjor
naes da Europa, os Srs. asignantes encontraro
amostras dos peridicos e catlogos dos mtsmos.
RA DO CBESPO N. 9. _
Precisase de ama ana para o servio de
orna casa de ponca familia, prefere se escrava e
pagase bem : no caes do Ramos, armaiem n. 10.
Be
Urna senbora professora publica de lostroe-
ro primaria, por motivos de molestia deseja per-
mutar sua cadeira por outra nesta cidade do Re-
cife, al a distancia de t>ma legua, e t Derece por
compensado urna vaniajosacnVria : quem se pro-
poier a faier este negocio, dirija so ao caes do Ra-
mos, arraazem n. 10, ou aonuucie para ser pro-
corado. ___________________________
~^T o Dr. Jjaquim Jos de Campos da Costa de
Medjiros e Albuqoerque mudou o seu escriptorio
de advjcacia da casa n. __ para a casa coBti^ua
n. 24 da ra do Imperador, defronte da re aco,
jury e sala das audiencias. _____
Aluganvse quatro cssas de prego de l,
125, l(\5 e 8 per mei, sitas a' ra do Gazomelro,
confronte ao perto lateral da fabrica do gaz: a
tratar no mesmo lugar.____________________
Seguro contra fogo
Antonio Lolz de Oliveira Azevedo & C, agentes
da companhia Fidelidade, estabeleciaa no Rio de
Janeiro, tomara seguros centra fogo em predios e
mercaduras, em seo escriptorio ra da Cruz no-
mero 57.
MOLESTIAS 00 PEITO
Aviso Importante.
Os nicos verdadeiros xaropes de hypophospbl-
tos de suda, de cal e de ferro do Dr. Cborcbill tra-
zera a firma qaatro vezes repetida desre sabjo me
dico sobre o subscripto e a marca de fabrica i
pharinacia Svracn, 12, ra Castiglione, Paris
Acha-se a venda em frascos quadrados com o no
me do Dr. Churchill no vidro. Preco 4 francos e0'
Paris : Com icstruc^o
Botica de Uartholomea & C.
0 Dr. J. Baptista Ca^anova
pode ser procurado a qualquer bora em seu
argo
da matriz de
con
Santo
salterio hom"0(;albico,
Antonio n. 2.
iso mesmo consultorio tem sempre grande sor
timento de medicamentos de riome:'pathia de We-
bere Catellan, Unto em glbulos como em tintura,
assim como tem um sortimento de ferros de ci
rurgia em cartelras e avuls do afarrado. Char-
rier de Paris. _______^__________
Cambraias largas a 10 e ij280
a Tara.
Vendc-se catxbi aia transparente cota oito
palmus de largura, que facilita fazer-se um
vestido com quatro varas, a 15 e !^_80 a
vara: na loja e armazetn o Pavo, ra da
Imperatriz o 60, de Gama & Silva.
Esparttlhog.
Vende-se um grande sortimento de espar-
tilhcs dos mais modernos : Da loja e arma-
zem do Pavo, ra da Imperatriz n. 00, de
Gama & Silva.
Auadlne a 6-5COO.
Vendem-se os mais botutos cortes de ana-
dine, sendo fazetida inteiramenle moderna,
transparente, com bonitas palmas bordadas;
esta fazettda, que de milita puantasia, ven-
de-se pelo baratsimo preco de 65(00 o
corte : na loja e arraazem do Pavo, ra da
Imperatriz d 60, de Gama & Silva.
Ricos cortes de medlna pro-
prios para baile.
Chegararn os mais modernos corles de
medina, sendo urna fazenda inteiramente
nova e transparente, com lindas palmas e
quadros de seda, e vendem-se pelo barato
prego de 225O0O o corte : na loja e arma-
zem do Pavo, ra da Imperatriz o. 60, de
Gama 4 Silva.
Cambralas a 3#5C0 rs.
Vendem-se finissimas pecas de cambraia,
branca e transparente, de 30500 ate 105 a
per;a; ditas tapadas muito finas, de 55 al
105 ; ditas suissas com 1 vara de largara a
85,105 e 125 ; na loja e armazem do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama vi-
Silva.
cortinados para casamentes.
Vndese um grande sortimento dos me-
lbores cortinados bordados, proprios para
camas e janeilas, pelos baratos precos de
90, 105, 155, 205 e 255000 o par; da-
masco de 13a imitarlo de seda, com 8 pal-
mos de arguya, a 45-00 ; colchas de cro-
ch ; ditas de usto brancas e de cor; cro-
chs proprios para cadeiras, sofs, cadeiras
de balanco, para cobrir presentes, etc. etc,:
na loja e armazem do Pavo, ra da Impe-
ratriz n. 60, do Gama & Silva.
Cortes de chita com O cora-
dos a 35, 35300 e 35610.
Vende-se cortes de chitas francezas, es-
curas e claras, de cores lixas, e tendn 10
covados, a 35000; ditas com li a 35300 ;
ditas com 12 a 35600. E' pechincha, s
para acabar: na loja e armazem do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Percalas a 320 rs.
Vendem-se lioissiraas percalas de cores
fixas, pelo baratissimo preco de 320 rs. o
colado, por ter um pequeo toque de mo-
fo : na loja e armazem do Pavo, ra da
Imperatriz n. 60, de Gama e Silva.
Precisa-so de om feitot para engenta : a fal-
tar na raa esueiU do Rosarlo n. i8, taberna.
PrecUa-se de orna ama ptra comprar e cozi-
nbar: na traversa de Juao Patriota, segando
andar.
r*ol'Wo^m^ P^e' le forro mais delicado qe seja, tornaado-sj, mesmo tempo.Uto sau-
elntbo bilier wermolb, kirebe, xaropes para refrescos, primeira e segunda qualidade, licores Anos e davel e mais econmico a OUlra qualquer loz, j COnhecida, aunal, evitara tmbem a ODS-
trueco dos canos e tubos dos apparelhos.
3.a Os apparelhos existentes, como lastres, arandelas, bracos de vidro, de bron-
ze, etc., etc., sao proprios para os senhores que preferem luxo e elegancia, como para
os que necessitam simplicidade e economa.
4.* As pessoas que quizerem collocar o gaz em saas casas podem dirigir-se em-
preza, a qaal se encarrega da collocacSo de todos os apparelhos, canos, etc., tomando toda
a responsabilidade pelo perfeilo cumprimento do masmo, ou por outra, podem empregar
qualquer maquinista reconhecido pela empreza, sendo o mesmo maquinista responsavel
pelo seu trabalho.
5. A empreza obriga-se anda a reparar gratuitamente qualquer falta de loz,
obstrueco de canos, etc., devendo o consumidor pagar somente as pecas novas qne forem
precisas para o mesmo concert; qualquer reclamaco que possa baver, ser dirigida ao
escriptorio da empreza ra do Imperador n. 31, afim de ser logo providenciada.
I
45na Direita45
Chega, gente!!!
Borzegoins ingleses para bomem a 5.
Ditos franceies dem a li-
Borxeguins para senbora, enfeitados, a ty.
Ditos para menina, dem a 3.
SapatSes inglezes para homem a 4f.
Ditos americanos a 3J5O0.
Chinelas do Porto a 1600.
SSaptos-lranca para senbora a i$lSO.
Ditos aveludados, idem, a 1,8280.
Sapatos francezes de salto a 30.
Aproveltem emquanto tempo._____^^^^
Quem qoizer alogar o sobrado n. 42, a'
roa da Aurora, dirija se ao escriptorio n.
4, a' roa do Crespo, que achara' com quem
tratar. ______
"31 Ra Direita 31
Neste esl belecimento se acba a' venda om bello
sortimento de rendas e blcos de pontos de croeb
dos melbores gostos viodo de conta propria, por
isso pde-se vender por preco muito commodo qne
em qnalqoer outra parte, vendendo-se tanto em
porgues como a retaibo em pecinba de 10 varas,
das 9 da manhaa as 3 da tarde.
I
W. S A -Ra do Cannglf. A
Os proprietaros deste estabelecimento offerecem ao respeiUvel publico
um explendido e variado sortimento de joias de ouro chegadas recenten ente
da Europa, cujos modelos s5o novos e de bom gosto como sejam: putseiras
com perolas, rubios, esmeraldas e brilbantes, brincos da mesma firma, anneis
de phaniasia, proches para retrato, etc, etc., botes de coral rosa para p;ito
de camisa e escoletas com retractos.
Compra-se e recbese em troca ouro, prala e brilhantes pelo seu en-
trinceco valor, assim como moedas nacionaes e estrangeiras. Tambem se en-
cembem de fazer concertos
Agostinlio Jos4os Santos # C.
>e__L ___>_nb_$ _S__4____4t_?__i ____S^__m3'
f1W tSSr ^&o XSStr _Bu ^So t9Bw "csso
Casa alugar-se
Aloga se a casa da rna do Gaz, qne pertencen a
Irinen Janoario de Oliveira, com moito bons eom-
modos para grande familia, quintal mnilo grande e
mnrado.com aiguos arvoedos e moiio fresca : a
ratar a' ra do Apollo n. 47, prlmeiro andar.
Preclsi-se de urna ama qoe compre e cozinhe
para cas. de moli ponea familia : a tratar na rna
estreiU do Rosarlo n. 3i, primeiro andar.
_ Preolsa-se de urna estaote e de om guarda
looca usados : quem os liver e qoizer vender an-
nuncie para ser procurado oa dirija-se ao pateo
doCarmo o. 9, andar.
Da'-se 8.05 a premio, com hypotbeca em
bem de raz de dobrado valor nesta cidade : a tra-
tar na ra da Imperatriz toja n. 28.
GEOGRAPHIA.
Joaqoim Pires Machado Ponella tem aberto na
casada se residencia, das 10 as 11 horas da ma-
nhaa, uro corso de geographla para os estudanes
que quizerem se preparar para os exames de
marco. _________^___________________
Adriano, Castro C. fazem sciente a todos
os seos amigos e fregaezes e pessoas com *qaem
tem transacfoes que se acbam provisoriamente es-
tabelecidos a' ra do Trapichen. 16.
luga-se
Urna casa terrea o.'~19 na roa do Tambi :
tratar no Corredor do Bispo defroate da de n. 12,
Dinheiro
sobre bypothoca em predios em bom estado, e as
principies ras desta cidade, da-se at a quanlia
de dez on doze cornos de ris: na roa Nova,ioia n.
Msedira'.
Precisa se dj um bomem para tomar coola
de orna taberna por balanco dando flanea a soa
co o duela : a ira lar na traversa de S. Jos n. 23;
na meima tambeni se precisa de nm (menino qne
leoba praUca 4e liberna,
U3I1TI _I.81___
N. 2 largo da matriz de Santo Antonio n. 2.
RETRATOS A OLEO
Temos a honra de partecipar ao respeitavel publico a volla do Sr. Alberto Hens-
cbel que fui Europa com o duplo fim de se por ao correte dos mais recentes pro-
gressos da arte photographica e adqoerir para o nosso estabelecimento mais um ar-
tista de talento.
O Sr. Alberto foi summamente feliz e conseguio engajar um destincto pintor de
retratos, p
SR. ARI_OS ERNESTO PAPF
demoro honorario i academia real de pintura da cidade de Dresda, e do qual a reputa-
co bem fundada nos autorisa a erperar producoes oolaveis no seu genero de trabalho.
Um progresso immenso ltimamente executado na photograpbia, um dos mais
importantes consiste n'arte de obier retratos em tamaoho natural, fixando directamen
te na grandeza que se desaja, sobre a tela do pintor, o retrato pbotographado, por meio
de um instrumento especial chamado : cmara solar de augmentaco.
Pt r esta forma o talento e o saber de um artista habii maravilhosamente se-
cundado pela preciso absoluta e infallivel dos contornos e das sombras que ihe pe a
photograpbia sobre a tela, e tudo se rene assim para se alcanzar o maior grao possivel
de semelhanca incontestavel, ao que d -inda maior realce o sello artstico, que imprime
ao retrato um bello colorido.
Pelo mesmo processo nos podemos reproduzir e pintar oleo, urna vez que se
nos d urna photograpbia, seja de que tamanbo for qualquer retrato de pessoa morta ou
ausente e no tamanho que se desejar.
As pessoas que quizerem julgar por si mesmas deste novo genero de traba'ho,
s5o convidadas a nos fazer a honra de visitar a nossa galera, aoude estu expostosuma
serie destes retrato como amostras.
AMBROTYPOS
Retratos em caixinhas
Para satisfazer a numerosos pedidos de muitos dos nossos fregoezes, estamos pre-
parados para fazer retratos neste genero, para os quaes tambem temos agora um grande
ve ariado numero de ricas e bonitas caixinhas.
PHOTOGRaPHIa
DA
f tSt IMPERIAL
RA DO CABUGA N. 18, ENTRADA PELO
PATEO DA MATRIZ.
Acabamos de receber de Fraora pelo navio
Sphera :
Lidos stereoscopos mecnicos de Jacaranda e
que moolam 50 vistas por cada vez.
Stereoscopos simples, Jacaranda e mogno.
Vistas stereoscopicas transparentes e nao trans-
parentes.
Caiziobas envernisadas de aeajn para guardar
50 vistas stereoscopicas.
Lindos albnns encadernados em chagrn e don-
rados, para 120 e .00 caries de visita.
Molduras douradas e patse-par-ieots para retra-
tos photograpbicos de todos os lamanbes.
Um ezcellente aparelbo para tirar retratos, o
qual vendemos com todo o necessario para iraba-
Ibar-se em photograpbia e ambrolypo, e damos as
necessarias dlrecc.de!.
Productos cbimicos para vendermos as qoan-
lidades que pedir-se.
Na mesma casa
Ha ora lindo sortimento de alfinetes de ooro
para retratos, nao s de gostos muito simples
como com folbagens e cravac.oes com perolas fi
as, rubins t esmeraldas veraadeiras.
Continua-se a tirar retratos por todos os syste-
mas photographicos.
A 9il)0 a dazia decartoes de visita
Chamamos a attenr;ao do publico para os nossoo
retratos candes de visita expostos oa livraria Ees ,
oomiea do Sr. Nogueira de Souza.
Precisa-se de urna ama para lavar e engommar,
na ra do Trapichen. .162*andar.
Na ra de Cabug loja n. 3, precisase de om
bom feitor para tratar de borta e Jardim.
Joaquim Jos Gon^alves
Beltro
RA DO TRAPICHE N. 17 4 ANDAR)
Sacca por todos os paqnetes sobre o Banco
do Minbo em Braga, sobre o* gaintes loga-
se em Portugal.
aber:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Guimares.
Colmbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conie.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famellcio.
Lamego.
Lagos.
Covilba.
Vasgal (Valpassos.)
Mirandella.
Beja.
Barcellos.
CASA DA FORTUNA
Aos 5,000$
se for-
Atten$io.
N. 2 i Roa do Livi'araet'lo R. 2i
Deposito de tamancos e calcado nacional da fa-
brica da ra do Jardim n. 19, de Jos Vicente Go-
dioho, lano no deposito eomo na latinea seapromp-
lam todas as porcoes de calcado o mais barato
possivel, esta fabrica tem todas as machinas pro
prias para os calcados ja bem
grande numero de fregaezes qoe daqui
neeem.________________________________-
No collegio da CoDceigo precisa-6e de um
cozinheiro, de om servente escravo e de urna cria-
da poitugueza.________________=_
HISTORIA DE CASLOS
XII
Rei da Suecia
FOR VOLTAIRE.
Vende-se esta excellenle obra por 15200 em
broebura, na livraria Econmica ra do Crespo maro 40
o. 2.
Na mesma livraria tomam-se asslgoaturas para
avida do Horacio Nelsono celebre almirante
aoglez a 15 cada exemplar.
Farfolla de mnndJoe-
ro! a de Muribeca, tem para vender Joaqnlm
Jo.- Goncalves lidirao, no seu escriptorio ra do
Trapiche o. 17.
BILHE1ES GARANTIDOS.
A' rda do Crespo n. 23 e casas do costme.
O abaizo assignado venden nos seus muito feli-
zes bilbetes garantidos da lotera que se acabou de
exirahir a benebcio das familias dos voluntarios
da patria ossegaiotes premios:
N. 1527 dous quintos com a sorle de 5:0005-
N. -359 dous timlos com a sorle de 9005.
N. 16 iresquiuios com a sorte de 4005.
E outras multas sones de 1005, 405 e -05.
Os possoidores podem vir receber eus respecti-
9 vos premios >eio os descootos las leis na casa da
[Fortuo; ra do Crespo n. 23..
Acnam-se a veoda os da a beoefklo da matriz
de O.ricnry (4S'J que se extrahlra" no dia 20 do
correte.
freco.
Bilbete.....65000
Mel......35000
Quinto.....15-00
Em porco de 100? para cima.
Rmete.....55500
Meio......25750
Quinto.....15100
Manoel Martin* Fiuza.
OSr. Francisco Eiequiel da Silva tem urna
carta vinda da Europa : na ra do Queimado nu-
Fundic&o da Aurora em San-
to Amaro.
Completo sortimento de taixas de f rro
coado, molde raso, ltimamente aprovadas
para o fabrico do assucar.
\*m ^^ m wm%
tu
a
o
M
9 ^. 2
Alm do grande sortimento das melbores machinas, americanas para descarrocae
algodo, de 10, li, U, 16,18,20, 2_, 25, 30,35, 40 e 50, neste estabelecimento sr
encootra mais o seguinte:
Azeite de espermacete propria para machi-
nas de todas as qualidades.
Vapores de forca de 3 a 4 cavalloe.
Sorras avulsas para machinas.
Mnchese todos os mais pertences para as
mesmas.
Carros de mo para aterro.
Cylindro para padarias.
Debulhadores para milho.
Arados americanas.
Esc a das de madeiras americanas.
Carrinhos proprios para armazent.
Moinhos para refnacoes.
dem para m Machinas para cortar capim.
Bombas para regar jardins.
Vaquetas para cobertas de carrol,
Camas de ferro sortidas.
Bombas de Japy.
dem americanas.
Ferros a vapor para engommar.
Vassouras americanas.
Baldes americanos para compras.
Tinas de madeira.
Ballaios e cestas de vergeinbas,
Guarda comidas.
Peneiras d'rame para padarias e refiaces.
Correotes para almanjarras.
Machados e facoes americano?:
Caixas com vidros de todos os tamanhos.
Cannos de chambo de todas as gr.ssoras.
Folha de cobre idem idem.
dem de latao idem idem.
Folba de Flandres.
Ferro de todas as qualidades,
Arcos de ferro.
Latas com gaz.
Trens de porcelana para costaba.
dem estanhados para dita.
Bandeijas finas.
Bataneas americanas.
dem rovervaes.
Taixas de cobre.
Estanho em verguinhas.
Folbas de ferro de todas as grossoras.
Correntes de ferro sortidas.
Espingardas de todas as qualidadesj
Rewolveis de todos os modelios.
Ferramenta para oorives.
dem para tanoeiros.
Mem para ferreiros.
3
M-ltii
S s S 5
cu 5 8 o.^3
5 a b v
B
Q.-3
O S, O
O
B
cu cu
o
O a
< a _
O- 00
O
0 $L S1-3
O
O. p
_ cj
en
2.
2."2t
> 9-s?5
5-3 f fl
" B &* _
If2_f
E.SJSS-o
T B F *
__CU' *
f S ES
'"" 'iJ-
r_...-TI;
,;> crt
i -, -1 m
A Salsaparifha
r>E A.YER.
3?ara a cura radical de
Chocolate vermicida
DE
Escrfulas, ulceras, chagas.fer-
idas velhas, molestias syphil-
iticas, e merenriaes, Enfermi-
dades das mulheres, como ie-
tc-.icao. menstro doloroso, ulcer-
acao do otero, e Sores branca;.
A Nevralgia, Convulsoes, Ery-
sipelas, Enfermidades Cutneas,
bortnlhas, nascidas, etc. i
O extrelo composto de SALSAPAKILHA, confeccion-
ado pelo Dn. AYER, urna comblnacio dos mclhores depura-
tivo e alterantes conhecidos medicina; c! compesto fegundo
s leis da Bcicncia, npprovado c receitado pelos primeiros
mdicos dos Estados Unido?, da America do Sul, do Mxico,
das Indias e dos princlpnes listados da Europa.
A SALSAPAKILHA de AYEB 6 especialmente cfficaz r.i
cura das molestias que tem sua origem na escrfula, na
infeceo venrea, no uso excessivo do mercurio ou em qualquer
Impureza do Sangue.
Entre todas a9 raelestlas que affligem o genero humano, nio
ha urna mais universal c terrivel do que a escrfula ; por si
tito 6 to destructiva, porem a causa principal de muitas en-
fermidades que nio Ihe so geraJniente attrihuidus.
urna causa directa da tsica pulmonar do mal da
figado, e estomago, affeesoea do cerebro, Itlieumatlsmo
e affeeific* dos Mus: cutre seos svmptomas ha os seguintes;
Falta de apetito, Fraqueza c moleza em todo corpo; Mi
cheiro da boca, semblante plido e luchado, is vezes d'uiua
alvura transparente, outras vezes corado o amarcllo no redor'
da boca; DIgestao fraca c apetito Irregular; Yentrc inchado
e evacuaro irregular; Quaudo ataca os pulmoes urna cor
azulada mostra-se a roda dos olhos, qaando no estomago
sao avermellia dos, Kas pessess de di.posico escrofulosa
apparecem frequentemente eritpeoes va pdlc da cabeea e outraa
partes do corpo ; sao predispostas i* atfeccDet dos pulmoes, do
Jlgado, des rins e dos orgos digestivos e uterinos. Portanto,
nao sao somonte aquellcs que padecem das formas ulcerosas
e tuberculosas da escrfula que necessitam de proteo;",
contra os sena estragos ; todos aquellcs em rtijo sangue existo
o virus latente deste terrivel flagello (o as vezes hereditario),
tstao expostos tambem a soflKr das ennrmidadas que elle
causa.
Oflereeemos a estas pessoas um abrigo seguro e um anti-
doto efhcu3 contra esta molestia e suas oonsequenctas, na
Salsaparilba de Ayer
que opera directamente sobre o santruc, purlflcando-a e ex-
pulsando delle a corrupoo e_o veneno da molestia: penetra.
Antonio Kbbcs de Castro.
Desde 1857 que s5o as tabellas vomicidas
applicadas em Portugal, como o remedio,.
__. ._._______i-- j._ i-, todas as partes c todos es orgaos do corpo humano, llvrando-
prOmptO 6 elCaZ para a eXpUlSaO UaS 10m- i os da sua accio viciada c Inspirandolhcs novo rigor. E'um
hrioie nnA l5n rrrivefi narlprilTIAntn Cansam operante poderosissimo nara a reaovaco do sangue, e di ao
DI lgaS, que laO graves patiecinieuius idusaui, _,__ enrrnquecldo pea doenja forca c energa renovadas
eque qoasi sempre se snppoe ellas a ori- comoasdajuventude.
gem. ^ TAXBEX O MEZBOIC AJfTI-arPBZLITICO-
Este virmifago prefer vel a qualquer cokhecido
outro pelo sea agradavel paladar e fcil ap- Pfrm"*"mcnt "".." ^.- w_ o r r suas eonsequencHS. Pouca neeessidnde ha de informar o pub.
plicacao as enancas, as qoaes geraimente ^J2juej;L?""LlaI0-.deumr5nic'llo.?"e,TOB8c?t*,"T!*
as
s5o mais atacadas de semelbante mal.
Deposito especial
34.Ra_laga do Hoaaralo34.
Precisa se de om meniuo pequeDO pcrtogaei
par ealxeiro dos alilmos chegados : na roa das
Crines n. 41.
Carulia Laopoldloa Cavalcaou uaarte muito
igradece a loaos os amigos de sea finido marido
fedro Claadioo Daarte, o obsequio de assistirem
ao sea enterro e acompaoharem o sen corpo at o
semitono publico, e de novo os convida para a
roissa a memento qae oo da 18 do correte pelas
S bons da oaobla maoda celebrar oa igreja do
espirito Santo, aKradeeendo eternamente mais es-
pruva de relean e canda 'o.
crwmmmtmBMmmmmmmBmmmm
AMA
N roa de 8. Francisco fi.
orna amaiara pone familia.
54, precisas* de
o sangue dessa eorrup;ao e arrebola a victima daa garras de
urna morte lenta e Ignominiosa, porm Incvltarel se e mal
nao logo combatido com entrgiu.
Nao pretendemos promulgar, nem queremos qne se infira
que este remedio InfallvcT para a cura de todos ot padecl-
mentos humanos, o que dlzemos que a
4
Salsaparilha de Ayer
a vulhor preparaoo at heje desceberta para estas e outra
molestias anlogas, que urna combinado dos alterantes
mala efttoazes condecidos, e que temes conscicncla de onercoc-r
ao publico o melhor resultado que 4 possivel producir, da
IntclligeBCia e pericia medica des nossos lempos,
REMEDIO DE AYER PARA SEZES
Infalival su febres intermittentes, remitteat,
Febres Biliosaa e teroia, m* cremento do bo$o, oesoeira. Dor nos
ouvidoa a palpitafea, qvutado K>
io causado petas y
PEBRES DITERM1TTEXTES, OU RE1HTTENTE8,
{

Ai preparatSe de De. Atbr lio vetttVu todal >
t*tiv*Dro/fltii* do taperio,


4
t
Miarlo de Fernanbuco Tere* fetra i 9 t Dezembro e 4867.
^OL0Mf7



Club doRecife.
Nio se tendo reunido ouraero gundente de so-
cios para cooslitalr-se aisembla geral, a direcQao
resolveu maular convidar novameole os Srs. so-
cios efectivos a comparecerem no respectivo sa-
li as 6 boras da Urde do da 18 do correte,
aQm de se resolver acereade medidas urgente s, e
que amito interessam a* sociedade ; certos de que
se deliberara sobre ellas com os socios que compa-
recerem, seja qual fr o seo noarro.
O secretarlo,
Jjqaim Leocadio Vlegas.
Aitbrria.
Ritla Mara de Jess, faz ver ao respeitavel pu-
blico que soa cria Doroihoa, ulna de sua escrava
Delfioa torra, e como tal nao pode ser vendida
m praca publica por execuc.&o que ba contra
Francisco Jos Daarte Camarco, e protesta a an-
nonciante a nulificar til venda se caso reatisar-se.
O Sr. Jos Ferreira de Leaios lera" a bonda-
ae apparecer do armazem |da ribeira do peixe a
negocio, visto Iguorar-se sua moradia.


PARA UZO INTERNO
PREPARADOS SIMPLES,


.
Xarope de jurnbeba garrafa.....*.... l5ooo
Vinhode l6co
Plalas de vidro......... 1 j>c o
Tintura de 64o
Extracto hydralcoolico de jarubeba 3 2&oio
PREPARADOS COMPOSTOS.
Vinbo de jarubeba ferruginoso garrafa. 2ooo
Xarope liJOoo
Pillas > vidro... 24k>oo
Oleo de jarubeba vidros.... 64o
Pomada de pote...... 64o
Emplastro > libra. .... 25oo
PARA UZO EXTERNO

A JttJRUBEBA.*
Esta plantaje hoje reconhecida como o mais poderosa tnico, como um xcei
.ente dcsobstraente, e como tal applicada nos engorgitamantos dofigado e naco, na-
bepatites propriamente ditas, ou ainda complicadas com p^nazarchas, oas infliamac5e
subsecuentes as febres iniermitentes ou darezas, nos abcossos internos, nos tumores es-
pecialmente do tero e abdomen, nos tumores glandulosos, ea anazarcha, as bydrope-
zias, erysipellas; e associada as preparares ferruginosas, anda'e grande vantagesn
as tntemias, chloroses, faltas de menstruaco, leuoorrheias, desarraigos atnicos do esto-
mago, debilidade orgnicas, e pobreza de singue, etc.
O que dizemos affiratam os matsiistiactes medicas desta oidade, entre os qwaes
coem os citar os Ulnas. Srs, Drs. Silva Ramos, Aquino Fonseca, Sarment. Seve, Pe-
reira do Canao, Firmo Xavier, Silva etc. Todos elles reeenhecemfl excellencia d'este po-
deroso medicamento sobre os demais at ho conheoios para todos os casos cltedos,
santo que todosos dias fezem d'etle applicacS''.
Apresentando aos mdicos e ao publico era gersl diversos preparados da jura-
beba, ttvemos por flm generalisar mais o uso d'este vegetal, tazendo esapparecer a
repugnancia qae at hoje sentiam os mais das vezes repugnantes a tragarem-se, c que tinbam aintfa a desvaatagem de nc
ser calculada a dose conveniente a applicar-ee, o que torna muitas vezes improfioao um
medicimento, que podena producir ptimos resultados.
Os nossos prepados s foram apresentados depois de haverraos ceavenientemente
estallado a jurubeba, fazendo as experiencias precisas para bem conhecer as propiedades
medicamentosas d esta plante em suas raizes, folbas frectas ou bagas, e a dose convenien-
ea applicacSo, tendo alm d'isto procurado llevar os ncssos preparados ao maior grao de
tperfeicao possivel, para o que nao poupamos esfor^os, nao n3 importeado o pouco lu-
cro que possames tirar.
Per tanto os qae se dignarcra recorrer aos noseos preparados podara ter a certeza
de que elles offerecem a gsrantia, de qualque dos saffnmeotos, que deixamos inoumeraos, se forem em tempo applicados
tendo alm d'isso, medico ou doecte a vanttgem de escolber as nossas variadas prepa-
rsces, aquella que melher Ihe pede convir, j pela fcil applicQo, e ja .pela complicago
das molestias, idide, seis, ou atada natureza de cada individuo.
As nossas prepareces ferruginosas -sao feitas de forma que se ternam completa-
mente soiuveis nes suecos gastrices, porque procaramos os co&potos de ferro qua como
ues esto hoje reconbecidos.
Para aquelles qua mais minuciosamente queiram conliecer as propiedades da
jcmbeba, e saberem a applicaco de noesos preparados, de* tribuimos gratucmente
"en nosse deposite um fo&eto, onda tratamos mais extensamente d'esta planta e doc a??.*
uros preparados,
Defosite gral de todos os preparados
Itetfdea c rogarla
34Ra larga o Rozaric34


'DE
J. VIGNES.
M. 55. RUI DO ESPES?.ADOR W. 55.
Os pianc-6sta actiga fabrica sao boje asss conhecidos para que seja necessaro insi&ir sobre
ana soperioridao, vaatusens e garantas que otTerecem ao compradoras, qualidades estas incontesta
veis que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; pos
aoindo um teclado e macbinismo que obedecer todas ae vontades e caprichos das piani&as, sem
enea falbar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feiw altimameata melaoramentos importan-
asimos para o clima deste paiz ; quaato s vozes, s3 melodiosas e flautadas, e por isso muito agrada-
Mis aes ouvidoe dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto aesta fabrica cosi na do Sr. BlnndeL, de Pars, socic
ccrrspondente de J. Vignes, eai cuja capital foram serapre premiados em todas as exposicSes.
Nomesmo estabeiecimento se achara sempre um esplendido e variado sortimonto de ra sicas doa
Stores amores da Earopa, assira como harmonices e pianos baroonicos, sendo tudo Tendido por
precos commodoi e razoaveis.
N. 2 D ^ N...2 D,
$/** CORJlCJLO 15E OUBO. -jftf^
A loja n. 2 D intitulada Coracao de Ouro na roa do Cabug, acba-se d'ora em diaote offerecen
jo ao respeitavel publico com especialldade as pesioas que honrara a moda os objectos do ultimo go>
io Ja Pars) per meaos 20 por cenio do que em ooira qualquer parte, garanundo-se a qualidade e a so
da obras.
O respeitavel pnblieo avallando o desejo que deve ter o propietario de um novo estabelecimen-
ic qoe qner progresso em sea negocio deve ebegar inmediatamente ao coracao de ouro a comprar
MHH eom perfeitos brilbantes, esmeraldas, rubios e perola; verdadeiras em agarras, modernas pek
diminuto preco de 10J1, brincos modernos de ouro e coral para menina pelo preco de 33, maracas de
prata eos cabos de marfim e madreperola obra de moderno gosto (o que o encontrarlo no coracao de
ooro) volus de ouro com a competente crusinba ricamente enfeitada pelo pequeo preco de 12X, brin-
fs de um trabalho perfeito por um mdico preco, cassoletas, trnealins, polceiras alnnetes para re
tratos e octros modelos tudo de alto gosto, aneis proprios para butar cabello e firma, dito para casa-
mento, no rtico roseta tem o Coracao de Ouro nm completo e bem variado sortimento de diversos
goetos, butoes para punbos com diamante, rubios e esmeraldas, obra esta importante ja' pelo sea va-
lor ja' por gosto d desenbo, brincos a forma da delicada moslnna de moca com piogente contendo es-
meraldas, rubcs, brilbantes, perolas, o gesto sublime, alnete para gravata no mesmo gosto, relo-
fios para senbora era vados de pedras preciosas, ditos para horneo, diversas obras de brilbantes de
muito gosto, crnsiobas de rubios, esmeraldas, perolas e brilbantes, aneis eom letras, cacoletas de
trystal e ouro descobertt para retrato (a iagleza) brincos de franja, ditos a imperatrize toda e qnal-
quer jola, para secolocar retratos e obras de cabello, e outros mullos objectos que os preteodeotes en-
conlraro no Coracao de Ouro que se conserva com toda a amabilidade aos coocorrentes deixando-
se e aqu mencionar precos de certos objectos porque {desculpem a manefra de fallar) ditendo-se
I-reeo talvez alguem faca mo juizo da obra, por ser Uo diminuta quactia a vista do sen valor.)
Na mesma loja compra-se, troca-se onro, prata e pedras preciosas, e tarobem recebe-se coneer-
109, por menos do que em ontra qualquer parte, e dao-se obras a amostra eom penbor, conservando-s*
Coracao de Ouro aberto at as 8 oras da noile.
Qualquer pessoa que se dirigir ao Corsead de Ouro nao se podera' engaar com a casa, pois
nota se ua soa frente nm coracao peodnrado pintado de araareHo, alem de outro qae se nota em nm
rota (isto se adverte em eonseqoeocia de terem ja' algumas pessoas engaado eom outra casa.
INJECTION BRO
MMBM
Precisa se de urna ama que saiba eosinbar e en-
gemmar : a tratar na roa do Queimado n. 75.
COMPRAS
Maior vantagem
O coracao de ouro roa do Cabug n.2 D, offore-
ee-se em compra das moedas de ouro e prata.
HOEDAS
de ouro e pr ta
Compram-! moedas de onro naclonaes e estran-
geiras, bem como patacoes dos diversos cunhos :
em casa de Adamson, Hovrte & C, ra do Trapi-
che-novo o. VO.
Moedas de prata
cacienaes, assim cerno patacoes portuguezes e
rrespanKies, compraoi-se eom premio : na ra do
Crespo n. 16, prime andar.
Comprase euro e praia em obras velhas :
na nraca da Independencia a. fll_____________
Oompram-sc escravos
Silvino Gmlberrae de Barros,compra, vente e
joca effectivamente escravos de ambos os sexos
-de todas as idades : a' roa do Imperador n. 79,
rceiro andar.
12 POR CKNTO.
Se paca por prata naclosal e estraogeira : na
loja de curives no arco da Coocei;o no P.ecf^.
Ouro e prata
Comprara se soberanos a 11X309, moedas brasi-
leras a 235000 e prata a 12 porcento : no escrip-
torio 4e Googato Jas Aonso, rn do loTres o. 18,
jante ao telegrap*:o elctrico.
Moedas cte ouro e prata
7*j armazem de Augosto T. de Olfveira &C,
roa do Trapiche n. "42, pagara-fe a preoos mais ele-
var' js do que os correntes uo mercado.
itencao
Precisa se comprar urna cani e carreira de
tcjiaubo regular ttver para vender pCde dirtgir-se a'-ra de Gaz.ou
co escrit torlc d mesma empreza, na ra dem
paradora. 31. /
Compra-se "
por mais prec.c que em octra qualquer parte moe-
das de oura e.praia naciooaes e estrangeiras na
tua da Cadeian... loja de Jos Luiz Gonoalves
Ferreira & C._____________________________
C*Hrpra-se
por mais prer;o qae ero outra qoelqoer parte -moe-
das de onro e prata nacionaes e estrangeiras : na
ra do Trapiche o. 10, armazem de Adriano, Cas-
tro 4 C, e w do Crespo n. 20 loja de Alvaro
Augusto de A'.ueida.
C jruprc-se orna pequea casa terrea em qual-
quer na das qualro [resuenas desta cidade,;f.refe
rindo se uas-freguezias de Santo Aoloaio eS. Jos:
&' ra dos Gcararapes o. 18, sobrade.
PreeiM-se de urna estante, e de nm guara
iouca usados ; quem os liver e qoirer vendet, an-
:i;ucie para ser procurado, ou dinja-soao paleo do
Carmo o- 9. seanndo andar.
Compra-e urna casa i-i r-a em boro eslado,
3 qae seu prec/i nao exee a tratar na ra Nova n.l.
Joruae3 para embrullio
Compra-se na ra das Cruces iiberoa da .porta
lerga, a 140 rs.'a libra. ______________^_
Prata e ouro
ESffl rro'da. naga-se bem : na praga da Inde-
pocdencia n. 2.
Compra-so uta jogo de garaeo em boro esta-
do : na ra estreila Oo Rosario u. 43,1 andar.
Moedas de ouro e prata.
Ferreira & Matb<>u?,ua ra da Caeia.do Reeife
d. 6i,ompram por maior prego dj que em outra
qualquer parte.
Ouro e prata.
Moedas de ouro e prata naciooaes e estrangeiras
de lodos os valores, se comprara na loja de ouri-
ves junto so arco de Nossa Senhora da Cooceigao,
ra daCadeia do Recite, asslm como ouro e prata
em obras velas, brilbantes, diamantes, e se pa
gabera.
VENDAS
Veade-se o eogenho S. Gaspar sito na fregu-
ta de Seriobem, eomarca do Rio Formoso, com
eicellenles varzeas, matas e mangues, bem como
com embarque mu prximo ; a' tratar a' ra da
Aurora n. 26, ou a' do Imperador n. 43-1 andar.
arjrwata .Ituim.

i*M<
I %UI
mmm
l)E
PALH4DETR4P
JPARA MOMEAS
A 2,000 rs. cadaum
Xa fanrica de chnpeos. ra Aova
nuiscro 4&
DE
Manoel Moreira de Souza
fioisas para cagadas.
At bolsas para cafada, aguia branca receben e
pretende vende-las baratamente, com tanto que os
apreciadores da caca deixero Bear om par a aguia
branca da ra do Qof imado n. 8.
Caivetes fixos ou ferros para abrir latas.
Vendem-se na ra do Quelmado leja da agola
branca n. 8,
Bons esparthos.
A agola branca roa do Qaeimado n. 8,
beo novo sor tmenlo de bons espartilbos e
sempre veode-os por precos commodos,
Bilbar.
Vende-re o estabeiecimento de buhar sito na roa
da Imperalriz o. 3, tendo mais urna armaco en-
veroisada.
rece
como
Vende se om escravo excellente eopeiro e
cozioheiro : a tratar na ra de Agoas-verdes no-
mero 102.
Por 300 baratiwimo ; vende-fe orna boa
qnitandeira, preta, de fiO aooos : na roa do Fogo
numero 9.______________________________
CIW A TOIHS AS
SFMIOIMS
Ricos bali* de arcos a 2^000 : na loja do
Passo, roa i* Crespo o. 7 A.
LOJA DO GALLO VIGI-
LANTE RA DO CRES-
PO N. 7.
Os propietarios deste muito bem coche-
do estabelecimeuto tem a satisfacao de levar
ao cenhecimento do respeitavel publico que
acabam de receber pelo ultimo yapor da Eu
ropa om grande e variado sortimento de ob-
jectos de inteira aovidade, dos quaes se 1-
mitam a raenciouar apenas um pequeo nu-
mero ficando o respe tavel publico na serte-
za de que neste estabelecimeuto sempre en-
contraran um c impleto sortimento de arti-
gas de gosto e inteira no vida Jes como sejam.
Cintos
Os muitos desojados cintos com pontas,
bordados a vedrilho, fazenda de muilo gosto
e completa novidade, respeito a estes cintos
Dio fazem observacoes e sim deixamos a
preciacSo das esclarecidas freguezas isio s
no Gallo Vigilante na rea do Crespo n. 7.
Lcqnes
Muito lindos leques d'osso, madetra, sn-
dalos, e nradreperote ; pretos, brancose def
cores, e muito se toroam recomnjendaw.
pelas bonitas paisagens.
Plores
0 melbor que se pode desejtr neste arti-
go as quaes parecem naterats assim como,
tambem recebsmo?. urna pequea porcSo to-
das pretas e e vendem ca loja do Gallo
Viilante roe do Crespo u. 7.
CapeBxs
Mu lindas grinaldas trancas e <3e cores
aquellas para noi vas, o-estas para bailes, ca-
lamentos baptisados.
Luvas de todas as qualidades para se-
nhora, feomem, meninas, sendo de algodSo,
fio da escocia, sedaepelica muito fresca-e
do fabricante Jouvin, parece-nos que nao ba-
ver qaem ignore qse por todss os vapores
da Ecropa o Gallo Vigilante, recebe gr?r>de
quantidade deste -artigo e por isso sempre
tem cortimento a vntade de comprador, e
'tambsm n3o se valle da falta o seu pro^o
sembr o mesmo.
Pentes
Muito bonitos gentes de tartaruga -para
coqte e aliwr os-cabellos, assim come para
arrcgacar os mesaos e rauilas outras qnali-
da^es.
Esc o vas
^Grande sortimento de esevas, para>roupa,
cabellos, chapees, dentes e unbas, sendo de
oseo, bfalo, baleia, marfim e madreperola.
Ra va ha
Superiores Da/alhas pequeas para bar-
b sendo cabo ds marbm, tartaruga e ou-
tres qualidades, -as quaes -o fabricaste ga-
rante a boa qualidade.
A 1x3 tu duras
Chegaram as rxui lindas guarnieres de
bo3es para coile'cs fazenda -de gosto, assim
como grande eortimento de totees pera pu-
tkuu
Rival sam segando.
Ena do igueiinano n. 4L9.
Qaer acabar com as fazeadas akaix
meucisnadas.
Queiram vir ver o qoe bom e fcaratissimo.
Toalbas de labyrmtbo com bico, faren-
di l-a a............. 300<
Carrelek: de lioba com *90 jardas a 3(
Gravatas preus e de cores moito Bsas a 0(
Caizas rkobreias de massa muito novzs a 4(
enQadores para espartilo de cordio a
fila a............... t
Carreteis de liaba Alexandre eom 400 jar-
das a ............... Of
Sabonetes moito finos a 60, 160, 200 e 32(
(Mos de bolla mnito finos a 240 e 320
diadas de lioha froxa para bordar a 2(
Varas de cordao para espartilbo a 20
entes volteados para regacar cabello de
meninas a ........... 320
Frascos de macaca' oleo muito fino, a 120
Aboloadcras muito finas para colleies a 50f>
Gandes de linha branca e de cores a i(
Libra de rea preta superior a..... Of
Sscovas par (ato, fazenda boa, a 50C
Varas de franja branca de liobo para
toalha a.............. 100
Caizas de palito balao a........ 40
Caizas de palitos de segoranca sem en-
chofre a............. C(
S Carlilha de doutrioa cbnsia a 3::(
Quaderoos de papel pequeo superior a 20
Dozia de baralhos (rancezes superior 2(O0
Groza de ptiospboros. mano superiores i O
C.ix-.s a retalbo do- mesraos..... 1
Caizas de phosphoros de velliaba ccctecdo
500 vellinbas muito superiores a 160
Resmas de papel almaco muito superior 2^500
Resmas de papel paulado superior quali-
dade ............... 3J600
Duiias de meias para borneo..... 2jh(
Duzlas de rielas croas moile superiores 4 j0u(
RIVAL SEU SEGUNDO
ua do Qtieluiado n. 49, loja de
rnindezas
ATTEN^O
Vo armazem de fazenda* dt
Santos Coelho, ra do Quei
madon 19.
Bom e barato
Lansinhas Poil de Chvre a 14 ocovado.
Madapolo enfestado a 8$ a peca.
Cambraia de cores matisadas nissimas s
800 a vara.
dem brancas transparentes finas de 4A,
54000, 6,5,75, 85 e 9#ooc a peca com iC
jardas.
dem branca tapada de 85 e 9 cora 42 jardas.
dem branca franceza muito larga a 9$ *
peca com 8 varas.
Bales de 35 e 40 arcos nesgados pan
senhoras, a 45500.
dem de mursulina nesgados a 55*
dem de crochet a 55.
dem de mursulina para meninas a 351
355oo.
Saias bordadas a 55.
Cambraias admascadas para cortinado
125 a peca com 2o varas.
dem para forro a 35 a peca com 10 jar-
das.
Cambraia de linho muito fina de 65 e 95 *
vara.
Madapoles finos de 65, 75, 84, 95, i05,
115 e 12#a peca.
Platilha de algodSo superior feaenda para
saias a 35200 a peca com,!* varas.
Cobertas de chitas de ramagem a 2s6oo.
Lent;es de hamburgo fino a 25400.
dem de bramante moito fino a 35200.
Pannos adamascados para cobrir mesa i
45300.
Guardanapos de linho adamascados a. 4
a duzia.
Atualhao adamascado com 7 1/2 palmoi
de largura a 25 a vara.
dem adamascado de linho com 11/2 pal-
mos de largura a 35 a vara.
AgodSo enfesado com a mesma larguri
a 15* a vara,
dem trancado de algoso a 15600 a vara.
Toalhas aknchoadas e linho lisa?, a li
a dem de algodo topadas a ttf e 14
adoza.
Colchas de fustao 65-
Lencos de cambraia twaacos Setos a 15800,
25 e 25&>o a dazku
Lenccs de cassa fimssimbs a 352001
3560u a duzia.
Fil de linho uso a 8oc a Tara.
dem com sdicos a 1$b* a var
Grosdenaples ^reto bom a 158oo, 5
258 o covade.
Worantique prelo superior a 258 o co-
vado.
Fianella de -todas as cores a 800 rs. o co-
vario.
Tariataaa vera.
Bramante gara a 25&>o a vara.
dem de linho com 5 palmos a l^oa
vara.
dem de linho com 3 1/2 palmos a Seo ;
wa.
Riquissiaaes basquins a 255000.
Assim como outras muitas fazendas qn*
se vende por menos que em oura qualquer
'i parte, e d-se amostr:is do tudo,
Balees te 2o, 25, 3o, 35, 4c e 5'o arco?
.para senhora a 2, 255oo, 35, 35'5oo 45 t
a5ooo.
Ditos de 25 e 3o arcos com mollas a 5
efid.
iiiios de murculina estreitos s 65.
Esparthos ioos a 65.
Percalias inissimas a 4oo reis coTado.
A A6UIA BRANCA
Per cenhacer a influencia qoe eosliiraa baver
em todos os annrs, pjr es9e lenpaL e pi r ver i
quanto se deseovolve e appora te o tora polo em
Pernambaco, ella me tem sf mpre em viMs agra-
dar, e Sinceramente bem servir a soa toa fregu-
xia, anieclpoo-se em mandar boscar os difJereuies
objectos de gosto e (amasia, que agora nidrio aca-
bam de cliegar.
Qoe a loja d'.Agola Bracea, rom sspecialidade,
onde primeramente se enetniram qoaesqur des-
ses object >s de novidide e moda, kso esta" geral-
menie reconbecido; mas amia as?im a Af.o'a to-
ma como por dever fdentiflear ao bello sexo, hd
particular, e ao respeitavel publico em (eral, sem-
ore qne coreo agora, recebe os imputantes objec-
tos que abaiio menciona, e par mais essa vez ella
toma a liberdade de pedir a alierjcao das Eso'
apreciadnras do bem, para os noves e btos orna-
tos qoe fjricam nm lindo e r'co toiiM.
Nao cor la mente com urna mal aparada penna
d'A^uia, que bem se tole descrever o bem g^sio e
deseropeotio ae (aes obras, siro, a ptci.ria inttl-
agencia djuma exccllenti.>sirca, quo bem podera'
apreciar o alto grc desses pe(eites objectos, tal-
vez os primeiros que nesse genero tenbam \iodo
oli nosso Pernactuco.
A Aguia Branca, fara' apenas conherer os cb.
jecUs de que se coropSem esst-s noves e helle's or-
oatos. Eiu om bello cartso vem babilmenie arraa-
jado, om moderno cinto de fila de setim co ada-
! malolado da largura de 'i a 8 pollegadas, nm bei-
j lo lequo de madreperola, om par de lovas de pe-
lies, ramos de Dnas flores para o cequ?, peilo,
|RuarniQao para asluvas, eu., ele, e finalmente
I urna aimofadlnba de selim comarcmalicas pasli-
Ihasem .
Alem disso
Est.- em ordem do da as novas e teas lrao?as
de dua palba de Italia, e ouiros d;l7ereoies enfelies
di mesma qualidade e propias para vestidos de
las, cbapos de senhoras e meninas, refta smenla
que os preiendenles cemparecara na ioja a'Afiuia
Branca na roa do Qneimaoo n. 8.
Diversos objectos
de gosto c novidade, tiados
para a Agnia Branca a ra
do iwelmado ib. 8-
EsfeUes de flores, obras de muito gosto, a ultima
moda, proprios para bailes, casa-mentes e pas-
selos, etc., etc.
Muas chtpelinas de diversos moldes, e mu
bem enfeitadas. com veos e sem elles.
Ricas ctpellas cem veos e sem elles para nM-
vas.
Odtras brancas e cor de rosa para meninas.
C''.os com flvella e tila branca para ooivas.
Oatr's de pontas e sem e?:as, pretos e de core?.
Oti'.ros rcui rico? e de variados moldes e gastos
e d> diversas cores, com grades de vidrilhos e pin-
gentes.
ara efilar vertidos c ussqines.
Bonos bicos de tlcmde, com vidriihos e seci
elle?.
Bonitas rendas defrio, tambera com vidrilhos e
sem elles.
Trancas pretas de-vidnlhos, com vsriedade de
largoras eos moldes-os mais uovos e bonos.
Ouiras ilecotcstaabc-m com vidrilbcs e confor-
me as pi-etas.
Ouiras ele sJa am vidrilhos osem elle?, e d.'
diversos Corditas prelc-s-eoecores, grossos e Seo?, cera
vidrilhos s^tti s.
As Dovissimas e boniias trancas de Cea r>tfjfc
baila.
Ramos. Iacos,eordoes e oulrs diverses .-;.'.-
tes laccbofli pos, rtc, 'i;-.
BjtDes pretos e de ouiras moius cores, cem
pine<;uies e sem elles.
Ootrts de iiilha lambem cem piegeces e sem
elles e ledos rr.feitadjs cem vidrilhos.
Outros flV foslao, branco^ o amarello
Q
b

'j.
>

5 s


" 5 ? "
-fgf S.s?-37aS
2. < <.. <* o "I
T > o o- VSi.WS

t .. 3 &
e propria par^
eres para detroar-se ves-

O ^
c o
DE
Jos Bigodtnno.
Varas de babado bordado do Porto a J
Carreteis de retroz preto com duas oitavas
Parriteis de reteoz de todas as cores a *
Frascos d'agoa de Colonia muito superior a 50-
Fraseos de o'eo moito Quo a...... 60*
Duzia de tesooras pequeas a..... 43-'
Frascos d'agna para liropar denles a SO:
Redes pretas lisas para segurar cabello a S2
Dozias de penoas de ac moito Anas a tX
Caizas de lioha do gaz de 30 noveilos a 60
dem de palitos de seguranca a %
Garrafas de agoa Florida verdadelra 1 J'Xn
Svllabarlos eom estampas para meninos a 3$
Memento da roopa de lavar a..... 101
Dozias de meias finas para senhora a IpM
Agolbas francezas a balo (papel) a 5*
Pe?as de fitas de lia de todas as cores a 50(
Grozas de botdes de porcelana prateados a 16
Calas com alfloeltes Iraocezes a 8'
Caizas de 100 envelopes moito finos a 60
Resma de papel de peso branoo liso a ifQOL
Frasco com superior tinta a..... i (
pares de botdes de ponho moito bonitos 8*
Lianas em cario de 100 jardas a 10
Caiza de superior linba do gas com 50
noveilos............. 70
Talberes para meninos a....... 5V
Ifasso eom superiores grampos a 3
Bonets para meninos a........ iJOOt
Pentes com costa de metal a...... 40
Realejos para meninos a....... ior
Cola superior
Venda-ge no es^rlptorlo de Antonio Luit de Oli-
veira AseYedo & C, roa da Croa n. 57.
_ "a 3 S E

s-gi6
SE"3
as O
o
c
-i
C1
C3
M
o


co B
.
fi,2ftBa,2-
a s i s m
E-j C f> a o _
?"- ??S9 -
a o"
T3 ">
=-r,-
n
ce
3
o.
_ a> o
n W <5
8 --5
6 O "
O w tt
5 2.=S.
i a>
C
O
a
co
S ff-C-
X
a o
>
33
O
o
u
s
S.S3S-
8 5 -,*< a
B-
O w i-
^^p
s*
n
i
Lealdade
Este eMabelecimento a rna da Imperatriz n. 70,
recebe de sna conta por todos os paquetes france-
zes diversos objectos da ultima moda de Pariz,
como seja booitis coques lisos e enrollados, filas
de s?r]a, ditas de seda lisas e bnrjadac de todas
as larguras e de superior qualidade, lindos sapa
tos de merino, de casemlra e la, tincas de la,
mnito bonitos chapellinho?. b-badichos e ntre-
melos com Modos bordados, grvalas de seda pre
ta e de cores para hornera e seoboras; as verda-
deiras lovas de Joovio brancas e de cores muito
b.Ditas, carteiras de diversos fedos e lmannos,
meias de moito boa qoalidade, para bomem, se
nhoras e meninos, om liodo sortimento de bicos,
espartilbos, mocadores de Jacaranda' de diversos
lamaohos, fitas de velodo, trancas pretas e de co-
res, lindos eofelies para vestidos, cintos dd diver-
sas qualidades muito buoitos, alboos, aboloadura-
para colletes, lia para bordar de superior quali-
dade, orna iofioidade de bonitos brinqoedos par
enancas, as meihores perfumarlas de Lobim, Plver
e Coadral sociedade Hfgenica, immencidade de
objectos qoe deixo de mencionar para cao se tor-
ear massanie, todo por precos muito coo.modos.
, e ale:
mesmouinrasde madcira ovaes para cebnr-so J'
cor que se qtizer.
Flore-?,
Um bello e completo snmmento de ramos e *e
Aires fina-, rosas camelia?, Alcxan.Jrla-i, etc, t
em lonas essas O.res sela o aparado gH.ti
perlea miiacac, un le se cc.tiV:ce que oesse gene-
ro iiso'a isas ti a dse jar.
Bonecs.
lm nevo e bella sorlimeoto to elegaolrs b'ne-
asdejo de pedra n.ui btm vetlldas, e ttcel-
lenles psra presentes.
Ouins c mis ca? "'filias.
Fitas lavradas e lisas, tendo cestas, de menor
largura tic a t!e qoasi um palmo,
cintos.
Ouira;- d3 :CJi de
tido.
Cozas e!a p de pedra com figuras dentro,
ibras mu bmiUs e dr gj>io.
Ectra e-.-as tL'as, (em a'j.-cn.-- jarres erm pe-
qnenos defeilo.1, por isso vendem-se barsiarrecte.
Obras f!c poreehna e p de pedra.
B.oitos jirro, e boqotls feltos do p de p.-.'ra,
boras de muito bom gesio para sallas, e santua-
rios.
I ssencia de rosa, oolras ce.nceclradas, fio s ci
tractos, e romadas, cii'., etc.
Emqaaoto a' perfumara lodes sabem qae r>
Acuia Branca km a priraasia, adquenta r
vender co.-iantemezite n.js extractos e de igra-
itaveiscneiros, pernadas de finas qualidades --
colhidos odores a^ua do Cotona, senitre Ja me-
loor, e assim tudo o mais, jue enumerar se lea-
ra erifaJo.o.
Compre p-is, qoe, qoem quizer ser bem serv'-
do, se diiiji a', leja fl'Aguia B.auca a' rta do
Qjelmad i n 8, qn-> ,iem do grande sortimento d i
bem, achara'infalllvelmenie o que se torna ssm-
pre precisoagrado e siocerldade.
Irritado dospulmoer. ingi-
as, tosse, escarros de
sangue, crupo ou garro-
tilho, catarro, rouquidao
e_ todas as inuameravei molestias que alec-
lo aos orpos t!a respiraijo
1GS.%PPARI3CK!H
ediante a accao da balsmica e irrev
Ultima moda
Bellos chapeoslohos de aparado gosto para se-
oboras feitos ao capricho de ama das prlmeiras.
modistas de Paris, e ebegados ao armazem do vapor
roa Nova n. 7.__________________
^"Veode"-Si orna escrava ebr, de J7 anoos,
cozlnbi, eogomma, cose e faz dece de todas as qoa
lldades, todo bm, porn s se vende para fra
desta cidade: na roa do Fogn. 0.
^ Veode-se a taberna da roa do IUnje! o. 41 :
a tratar na mesma.
PEITORAL de KEMP,
aianacaliuita mexicana que da o nome es-
pecial este incomparavel remedio, um*
arvore, cuja madeira por muito lempo se
ha usado no Tampico para a cara das r>
tenuidades cima mencionadas. Foi taro-
bem ensaiada e approvada pola academia
medica de Berlim. O peitoral de Kemp
om xarope delicioso inteiramenle livre de
opio, acido hydrocyanico e outros ingre-
dientes ncivos.
A' venda as drogaras de A. Gaors, Bn>-
vo i C. e 1'. Maurer C, e em todos o
estabelecimentospharmaceQcs do imperio
Novidade
para prsenle?, bmecas rica mente vestidas a mo-
da actual e cabellos amarrado tambera ao ultimo
gosto o melbor possivel escoltadas na exposic&e
chagadas ao armazem dj vapor roa Kjva n. 7.
Brdes'e picadeifas de Ipojucn.
Vendem a' roa do Q jelmado Azevedo & Irmie*



larlo 4c Pernaiakac* Terca letra 11 de Dcxembro da ,867,
DO
DR. SEVIAL*
Para o tratamento e cora rpida e completa das molestias syphiliticas, eris-o-
x rkaamatismo, bobas, gota, debilidade do estomago, infiammacoes chroDicas do figado
tet, dores sciaticas, cephalalgias, nevralgias, ulceras chronicas, hydropesias, pieuri-
aas. jorrbeas cbronicas e em ge al todas as molestias em que seteuha em vista apa-
nfia^odo systema sanguneo.
ConstderaeSes gerae
A saude um bem inapreciavel, cuja importancia e valor s est reservado ao ena
moe avalia-lo.
incontestavel qoe o homem oeste mundo constantemente, e por todos os lador
timada por urna infinidade de agentes morbiflcos que todos tendem, dadas certas e deter-
at&feas circumstancias, a alterar *o regular exercicio das funccSes orgnicas, resultanbo
pess* desequilibrio o que se cbamamolestia.
A molestia n5o mais de que a desvirtuado das torcas vitaes, occasionada,- d,
podo as investigacocs e experiencias dos mais abalisado mestres da sciencia, pela depra-
?afio dos humores geraes, consequencia da aceito maligna desses mesmos agentes mora e
tas iatroduzdos no organismo pelo acto da respiragao, pela vi a digestiva, pelo contacto
Mediato etc. etc. etc.
A sypbilis infelizmente tem sido a partilha da humanidade, e como fra de duvi-
i que esse terrivel Proteo da medicina urna molestia hereditaria, ella tem do obser-
ki em todas as idades. e debaixo de todas as suas formas to variadas, enfraquecendo
a>jSii;'j:4")s robustas, produzindo mutilacBes, e cortando ainda em flor da idade vidas
preciosas.
Eliminar da economa esses principios deleterios. e purificar a massa geral dos
manirs tem sido desde tempo immemorial o fim constante da medicina, o os purgati-
es figuram em primeiro lugar para preencher esse iesiteratum ou fim.
O Elixir depurativo do Dr. Se vial parece merecer a preferencia sobre todos: oe
JMMMOS successos obtidos pelo uso deste salutar agenie tanto na AUemanha, como em
siSa e talia, o tornam o companheiro inseparavel dequasi todos os doentes.
Seudo as melestias, como cima dissemos, devidaa s alterares dos humores, o
$zi? depurativo do Dr. Sevial pode ser einpregado vantajosaraente na syphms, erisy-
fes, rbeumatismos, bobas, gota, debidade do estomago, Bflammaces chronicas do
3do e baco, dores sciaticas, cephalalgias, nevralgias, ulceras chronicas, bydropesias,
jlnrisiaSj gonorrheas chronicas etc. e em geral em todas as molestias em que se tenha
m vista a purificafo do systema sanguneo; pois que urna pratica constante tem feito
er t]u? etle iirJispensavel nos casos gravissimos para minorar os sofirimeotos, pre-
parar t> doeote para medicaces superiores ; e as menos graves a cura a coase-
^Hcia do seu uso, convenientemente repetido.
As substancias que entram na composicao do Elixir depurativo do Dr. Savia
jertfiucoai todas exclusivamente ao reino vegetal, e grande cathegoria das substan-
cias depurativas e antisypbililicas; assim, ao passo que este remedio depura o orga-
ss, elimioando os principios nocivos saude, pelo mecanismo natural das evau-
*y&s ahinas, neutrallsa ao mesmo tempo o virus syphilitico qoando este virjem.
'Ha feito erupcao no exterior debaixo de suas multiplicadas formas; e previne taui
*sa os estragos dessa terrivel molestia, quando por ventura se ache ella ainda no
atado de encubapao, isto sem se ter manifestado sob formas externas: beneficio
Matase* tamo mais quanto oeste estado os individuos igncram completamente se es-
te tiEtaminados por este terrivel inimigo.
O sabor agradave! d'este Elixir convem a todos os estmagos, a sua accSo so-
are a tubo intestinal 6 suave e benigna, e de nenhuma forma produz molestias medi-
MMbJomj, como acontece ao purgante dito Le Roy, que na sua qualidade de dras-
4fj> ferie irrita a mucosa intestinal, e consecutivamente a seroza, resultando deste es
3rfS0A smilas vezas, bydropesias, que qoasi serapre terminam pela morte do doente.
Assimpois esperamos que o uso deste remedio justifique cabalmente as nos-
as asseveracoes, porque sendo um medicamento to simples na sua coraposi$o, a
jrika tem confirmado sua ulilidade.
nico deposito era Pernambeco
Na botica e drogara
DE
Barthotomeo Companhia.
34-RUA DO ROSARIO LARGA34
DE FAZEJDAS
I
Por baratos presos.
Cassas francezas de cores a 240 rs. o"covado.
Ditas franc zas, superior aualidade, grande variedade de'padres, fazenda de
v".v rs. a vara, a 320 rs. ocovado.
Ditas ditas mnito finas a KO rs. o covado.
Superiores Caitas francezas largas de cores fixas a 260 rs. ocovado.
Lindas !as de cores cora salpicos e com flores? a 320 rs. ocovado.
Hitas com palmas de seda a 320 rs. o co\ado.
Ditas com listas im:t:indo poil de Chvre a 400 rs.Jo covado.
Superiores alpacas de cores de duas larguras com"listas e com flores, grande va-
h de padrees e gost s inteirameme lindos (fazenda de l& o covado) a 500 rs.
Seda;, de cores de quadriobos e de linas a 800 rs. o covado.
Ricos n mtios ou capas de merm, bordadas'e enfeitadas com renda preta, o que
mais mo lern para hombro de senhora a 83, 10$ e 12# cada um.
Boas madapoles a 5}, G5 e Ib' a peca.
Ditos a H.
Superior algodaosinho bram-o^com 20 jardas a 4 5 a peca.
Assim com.. oulrasumitas fazeodas por meaos do seu valor'para liquidarJ
LOJA DAS COLUMNAS

Da
-_'._S
IE
>nio Crrela de Vasconcellos & C<
Roa do Crespo n. 13.
o
c
-l
n
ee
B
9
o
-a
i
a:
es. sr
3 5=
o
-
-::

>
-A
O
'/;
c-
a
a
c-
B
2,
S'
-.-i
5
o
T=
O

5
i
v
.
S
>

o

^
L-^J

i
co
o
3
5
O.
es
'5'

2
(D
a
o
3
-i
03
O.
03
a>
*2-
DI
-O
C
ro
%
a.
o
ji
B
2

o.
o
"3
O
5
o
Ul
-9
CU
a
e
a.
.-
t
o
a

O
^1
a
y.
c
c
Cft
TI

i

a 3
C o p.
c^. - c
a Vi "O a
cu a. 2
o. a s
a co s
m co cu o
a> o
O a.
B> C/l
O o
fi ?i "1
-1 s r*
s l3 5
a CU
C3
o re
"i o
cu
o.
cu ct>
co co
3 O 09
a O
5 co
o O.
es ce
o> o
' ct> a
cu s
co
PARA A FESTA.
Loureneo Pereira Mend s Guiraaraes, tendo de dar balanco era suas lojas de a-
znda no fim do anno e tendo muita fazenda em ser, por isso resolveu fazer urna gran-
de liquidacSo, que ter principio no dia i at o flm do mez, as lojas e armazens da
Arara, ra da Imperatriz n. 56 e 72.
Per hincha m hitas a i 60 rs.
Vende-se chitas para vestidos a i60 e
200 rs. o covaiV, cassas Iranceza, a 240
260 e 320 [s. o covado.
Si na Arara, eambr.us a 2J o corte.
Vende-se cortes de cambraias de barras
e listas a2i, 2,5 M) e U, cortes de cam-'do, organdis branca e mujtffino
braia Itordados a 300, 4,J. e a$.
Mussuliuas de cores a 50!) rs. o cavad.
Venle-te n.har.tinas e musulinas de
Curts d UJsinhas a i&, i,^00 e o.->0G0
Vende-se cortes de lasinh s de cores
para vestidos com 14 covados a 4# e 5l.
Alpacas de listas de seda a 800 rs. o corado.
Vende-se alpacas de lista de seda para
vestidos a 8oo, 52o, 5Co e 5oo rs. o cova-
vara.
Lasiohas tara vestidos a 200 rs. o corado.
barego de listas a 2o rs. o covado, mos-
covado.
Chitas franefias larjjas a 540 rs. cavado.
Vende-se chitas francezas largas a 240,
280, 30, e 360 rs. o covado, percalas fi-
nas a 400 e 500 rs.
Onjaadh de quadro de cores a 320 rs.
Vende-se organdis de quadros de cores
paravestidos a320, 360 e400 rs. ocovado.
Us inas de lista a 400 rs.
Vende-se lasinbas de lista de cores para
vestidos a 400. e 500 rs. o covado.
ladapol de Arara a 4
sambique com pilmas e listas de seda para
vestidos a 28o rs. o covado.
Chales de renda
Vende-se chales de renda mnito pretos
a 4500 e 5$, reton Jas de linho a 5$ e 6.
Ronpa feita nacional.
Vende-se palitos de alpaca branca e de
cores, proprios para os das de festa a 3<95oo
e 40, ditos pretos a 30, e 40, dem de meia
cazemira 3#5*oo e 40, idem de casemira pre-
Vende-se pee de madapo!5o fino e largo ta e da cores a 60, 80, e lo0, calcas de
a 40, 5,0, 60, 70 80 e 100, a peca aiRo
dSosinho em pecas encorpadoa 40, 5AO00
(0500 70 o 80 a peca.
meia casemira a 20?oo e 30, iiletu de case
mira a 60, e 80, cohetes de casemira a 30,
! e 305oo.
0M0UR0D
ua da Imperatriz n. 15.

Vende se auteiga ingleza flor a 800 e *fooe.
Sil refinado em pacote de 3 libras a 2oors.
P de tijollo para limaar tacas a 12o rs.
Latas com po-de-l a 105oo.
Azeitonas de Elvas em latas a 800 rs.
Alpista e painco a 16o rs.
Frutas em caldas seoras a 5oo rs. a lata.
Farello de Lisboa marca M. a 406oo e 30ooo.
Caixinhas com massas para sopa a 205oo.
Vende-se urna armado de louro envidragada propia para qualqoer negocio em
urna principal ra: atratar na ra da Imperatriz n. 15, com Miguel Gomes de Souza
que tem poderes e?peciaes.
CONDECORACOES \Fundkao dAurora em
Santo Amaro
Chegaram de Paris no ultimo piqueta eomraen
das de Christo e croz perleoceoles s mesmas,'
habilos de CruiPlro, da Rosa e de Cbristo, com
suas competentes Olas; vende-se por prego eom
modo cu ra do Cabugi,
Serapbim i Irmao.
toja dejoias 0. II, de
Vande-se um bom plano de mesa de jaca-
randa em perfeito estado : na roa da Camboa do
Carmo n. 20.
Vapores.
Vende-se em casa de Sannders iBrotfcers 4 C.
o largo do Gorpo Santo n. 11, vapores patentes
om todoj os pertences proprios para faxer movw
"s ou cuatro machina* Dar descarocar aieidi-
Fazendat barallsslmas
A' RA DOUEIMADON.31
Loja de A. M. Rulim.
Cassas moito boas o covado a 240 e 280.
Corles de ditas com 10 varas a 3500.
Ditos de carobraia de salpicos braneos e
de edres (fazenda que sempre se ven-
feo i 71) por 33O0.
Lana de iistras e de palminbas o covado
3:0 e 400 rs.
TariataDas de cores vara 5C0 rs.
Ctiles de merino estampados a 4.
Alternos de alpaca i r de ganga a 43.
Ditos de barego a i~>.
Completo sortlmento de taixas batidas e fund-
' I das, alambiques de todos os tamaitos e fundos d
ditos, moendis de todos os tamanbos de superior
qualidade, crlvos e boceas de fornalha. o que tad
se vende por eommodo prego.
Lindas mailo lindas la a oOO res o
eovada
Vende se na loja do Alvaro a' ra do Crespo n.
20 B.________________________
Chegou afinal
A pomada galopean
para cura rpida e completa dos callos daros.
VBNDB SB NA.
Botica e drogara
ni
Harfholomen A C.
34Ra Urja do Rosario34
Cabriolet
de 4 redas e I cavallo muito superior, vende-se
para tratar na ra do Crespo n. 16, andar, pa-
ra ver-se na coebeira do Paulino roa de S. Amaro.
encao

Liquidacao de calcados.
Eu do Imperador n. 32,
Bonegcins de bezerro para bomem. 7*000
Ditos de lustro para bomem. 6*000
Ditos de cordavo. MOOO
Ditos para seDbora enfeitados. o* 01
Ditos psra meninas. 3*000
SapalOt.i de bezerros. 3*800
lotinas brancas pai a senhora. 5*000
Bolas pequeas para montara. i8000
Ditas grandes para moBtaria. 25*CO0
Condecoraces
A bem conhecida toja de jolas de Moreira 4
Du-rte, a' ra do Cabng n. 7, acaba de receber
porgao >le babitos e officlalatos da ordem da Rosa,
e hbitos da de Cbristo de diferentes tamanhos
qoe vende por pregos. mu razoaveis, alm disso
continua a ter como sempre um completo sorti-
ment de joias dos gostos mais modernos para as
quaes cunta com o concurso de seos bons fre-
guezts. ^^^^^
Aenco
Vend;mse pegas de algodaozlnbo mnito largo
superior qualidade com ora pequeo toque de ava-
ria pelo barato prrg de 4*, chitas largas de co-
res a 240 rs. o covado, brim pardo rtuto bora a
600 rs. vara : na loja de Antonio Jos dos Reis
* O, a ra do Passeio Publico n. 6, por baixo do
aliado novo.
Rap Viajada e Paulo Cordeiro
A loja do cordeiro providente a' roa-do Queima-
d> n. 8, reesbeu nova remessa dessas qoalidades
de rap.
Grande UquiJa?ao
Na roa do Livramento loja do Zaavo Brasileiro
n. 33, vende-se um sorlimento de calgao de to
das as qoalidades e juntamente um novo sorti
ment de candieiros a'gaz muito barato
acabar.
Cassas finas a 2i0e 320 rs.
as de seda preta a lo* e a
Crespo n 17.
e covado, basqo-
22* : na raa do
E' baratissimo a 500riso-
aovado.
Superiores laas para vestido? rom excellentes
padrees a 50'J ris o covado, aproveitem antes que
se acabem ; na roa do Queimado n. 46, loja de
Gaimaraes & Basjos.
Jos ttermann
|RUA NOVA N. 21,
acaba de receber nm lindo e magniSco to
timento de oculos, lunetos, binculos, do o
timo e mais apurado gosto da Europa e' oct
los de alcance para obserracoes e par i
martimos.______________________
Continna-se a vender banha entra a queda
dos cabellos como aqu nao ha outra igual, pelos
bons resultados qne delta se tem tirado, assim como
o remedio viodo do sertao para (odas as molestias
do peito, bronqoites, phtysicas e asmas, no Corre-
dor do bispo n. 15. Na mesma casa faz-se de en-
commenda bollos e pastis de porco para a festa,
crsese ecorta-se vestidos de noivasesenioras por
muito cmodo prego ; tambem se vende urna cabri-
ntia muito boa leiieira.
para
Hoto e grande d6posito de superior* caryo de Cardiffna
Babia.
Antonio Comes dos Santos & C, roa Santa Barbara n. !, esto habilitados snnnrir da
CTM;') m condigoe, mais hvonveis que em onnoqualqner deposito, a todos os navios a vapor oui
cerna naoueJie porto. A contratar nesta com Domingos Aires Matheas,j H
m JOBM DAS FAWLLiS.
rablicco i!Iu8tra(!a,artisca, recrea-
Uva, ele,
ornada de figurines, gravoras, pegas de mosics,
moldes de vestido, e em geral de todo quanto
concernente a trabalhos de senhoras. Sahe urna
vez por mez. Asslgnatura por um;anno de Janeiro
dezembro 12*000.
Livraria franceza ra do Crespo n. 9.
Vende-se urna parte do engenho DooTlrmaos
em Apipucos, a tratar a' roa do Imperador n. 43,
i* andar.
A os agricultores,
Sannders Bratbers & C. acabara de receber
de Liverpool vapores de orga de 3 a 4 cavallos
com todos os perlaeces, e moi proprios para faze-
tem movr machinas de descarogar algedio, po-
dendo cada vapor trabalhar al com 140 serras,
tarabem servera para enfardar aigodao, oa para
outro qnalquer servigo em qne usam de trabalhar
com animaes. Os mesmos tambem tm a' venda
machinas americanas de 35 a 40 serras.
Os proiendentes. djriiam-se ao largo do Corpo-
Saoton. II.
Botas russianas, perneiras e meias perneiras no-
vamonte ebegadas, da melhor qualidade que temos
visto, no armazem do vapor roa Nova n. 7.
0 cordeiro providente
Na antiga loja de miudezas a-roa do Quei-
mado n. 16.
Tendo sempre em vista nlo roubar o tempo aos
seos freguezes, com: extensos annuncios ; mas
tambem nao quereudo que os mesmos fregnezes
Ignorem o qne de novo tem elle recebldo, por isso
resumidamente o dita': ebegando assim ao co-
nbecimento de todos que a dita loja do Cordeiro
Providente, roa do Qaeimado n. 16, receben o se-
grate :
Bonitas e doradoras ligas de pellica para meias,
tanto para senboras como para meninas.
Leques de diverso* e modernos gofios.
Pentes com enfeitea denrados e nao doorados,
para meninas.
Coques simples eenfeitados, molde* Inteiramen-
le novos.
Bom papel em caixlnbas Uso, pautado donra
do e timbrado, e ootros moi tos objoctos, qne men-
ciona-los seria bastante enfadonbo, e que se ven-
de em dita loja de miudezas do Cordeiro Previ
denle, ra do Queimado n. 10.
X5 o falcana O orea,
O Cordeiro Providente a roa do Qaeimado a. 16
tem constantemente um lindo sor tmenlo de fi
as e bonitas flores, por isso qoando algom ba.
bilidosa joven quizer preparar qoalqoer enfeite de
bello gosto deve logo lembrar se que ba dita loja
do Cordeiro Providente, a raa do Queimado n. 16,
nao faltam flores.
Para aire jar es dente.
O cordeiro previdente a roa do Queimado n. 16
recebeu do bem coohecido fabricante Joan Gos-
nell & C. ama ptima qualidade de pos para den-
tes aromatisados com canfora qoe realmente tem
merecido todo conceito porque nao s alveja per-
feitameote os denles como tambera conserva-os
sempre no melbor estado de perfeigo, assim pois
qneiram vir comprar ditos pos na mesma loja
do Cordeiro Previdente, roa do Qaeimado o. 16
Enfeites com ponas.
O Cordeiro Previdente receben nm lindo sortl-
mento de enfeites com pontas para vestidos, tanto
de seda como de la que combinara pertitaten-
te com os cintos modernos do mesmo formato, por
isso para poder enfeilar-se com gosto qnalquer
vestido indispensavel comprarse ditos enfeites
na mesma loja do Cordeiro Previdente, a roa do
Queimado n. 16.
Chapellnas de seda
Modernas e bonitas cbapelinas de seda para se-
nhora recebeu o Cordeiro Previdente roa do Qaei-
mado n. 16 e por ser pequea a qoanlidade re-
cebida, quem pretender urna moderna e bonita
chapelioa deve aprecar-se em mandar compra-la
em dita loja do Cordeiro Previdente a roa do
Queimado n .16.
CA1XINHAS ENFEITADAS.
Estas muito desejadas caixinbas vasias e enfei-
tadas com gosto, qoe tanta extraccaa tem tido e
que realmente servera. para diversos Qns, existem
na loja do Cordeiro Previdente a roa do Qaeimado
o. 16 um completo sormento de ditas caixinbas e
sao vendidas por pregos to rasoaveis, que o expe-
rieote fregoez nao objectara' em compra-las em
diu loja de miudezas do Cordeiro Previdente a raa
do Queimado n. 16.
PONTEIRAS E CHARUTOS.
O Cordeiro Previdente, roa do Qaeimado n. 16,
tem um bom sortimento de Boas pooleiras para
charuto?, sendo lisas e com figuras em alto rele-
vo ; e para qoe os seos fregnezes cao se incorc-
modem em comprar ebarntos em algnmas das lo-
jas de charoteiros, receben tambem um bom sorti-
melo de finos charutos do afamado fabricante
Furlado de Simas; assim, pois, enconlraro os
apreciadores um bom sortimento na dita loja do
Cordeiro Previdente, roa de Qaeimado n. 16.
Para ollera no boopital por-
tugus.
Bonitas cestinhas com (rocas de cera, obra de
muita perfeigo e bom gosto.
Para cortar moldes e en brulhar fazendas.
Vende-se papel pardo folba grande.
Para lustrar calcados.
Vende-se superior graxa econmica.
Vende-se papel para matar moscas.
A loja do cordeiro prerldente
Ra do Queimado n. 16.
Nella acharo os pretendemos nm grande e va-
riado sortimento de perfumarlas finas, tanto ingle-
as como francezas, sendo :
Finos extractos para lencos.
Banbas e pomadas para cabellos.
Oio pbilocome e baboza para dito.
Pos bygienicos para denles.
Ditos camphorados para ditos.
Opiata ingleza e fraoceza para ditos.
Paco tes com pos de arroz.
vasos de porcelona para ditos.
Sabonetes para mi e barba.
E moitos ouiros objectos que sero presentes
ao comprador que se dirigir a roa do Queimado
n. 16, loja do cordeiro previdente.
Baoileijas pequeaas.
Vendem-se na rnadoQaeimado o. 16. Ioja*.do
cordeirojprevidente.
Charutos
da acreditada fabrica de ^Jos Furtado d
aimas.
Vendem-sejoa loja,docordeiro;previdente a roa
do Queimado^n. 16
GR&NDE BAZAR
RA NOVA N. iO E 22
Machinas para descarocar algodSo. do mt
Ihor antor que tem apparecido na Amrica
E' tal a execoefc) do machinismo, que o al-
god5o sahe quasi to perfeito como o de bu
landeira. Recommenda-se a attenejo do
Srs. agricultores, estas machinas.
m GAZ GAZ
Chegon ao antigo deposito de Henry Forster d
C, roa do Imperador, nm carregamento de gaz di
primeira qualidade.o qual se vende em partidas
retalho por meuos preso do que em oatr* qaa
;ner parte.
Novo sortimento de luvas de pellica de Joavin,
brancas, pretas e de oulras bonitas cores para ho-
mens e &enhoras; no armazem do vapor ra Nova
n.7.
ri PECHINCHA
Cal de Lisboa ein barris a 3, assim como urna
porgao a granel a 1*100 o alquelre: a tratar na
roa da Cadeia n. 2,1* andar.
900,000 r.
Vende-se a casa terrea n. 91 do pateo da Paz nos
Aogados, chaos proprios, reparada de novo e pro-
pria para taberna, ou casa de negocio : a tratar na
roa do Queimado n. 18.
Laziahas a 160 e 240 rs.
Vendem-se laziahas escocezas mnito bonitas
pelo baratissimo prego de 240 rs. o covado, ditas
miudinhas para acabar a 160 rs. : s na loja e
armazem do Pavo ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Novas cbapelinas
de lina palha da Italia.
A Aguia Branca, a' roa do Queimado o. 8, rece-
ben nm novo sortimento de bonitas cbapelinas de
I tina palha da Italia, ornadas com delicadas flores, e
' como sempre a Aguia Branca as vende por pregos
commodos.
Vende se a laberoa da ra da Cacimba n. 5,
com frente para a ra do Vigario, moilo aregne-
zada, e com poneos fondos, propria para om prin-
cipiante .* a tratar na mesma.
CINTOS DE PONTA
Chegaram bootem pelo vapor francez os melbo-
res cintos de ponta eom vidrilho e fi velas do me-
lhor gosto qoe tem vindo : vende-se na roa do
Cabuga loja de miudezas de 4 portas o. 1 a.
Fabrica e fundado Ve bronz
e outros metaos, caldeireiro,
l&\oeiro, e funileiro, situada
na $oledader rt^a do Prin-
cipe n. 3, e com deposito na
ra Nova n 39fa cidade
do Recife
BRAGA &SJMPAI0
Fabrifam-se oeste importante estabeleci-
meoto todas as obras- concernentes as artes
respectivas como sejam:
Alambiques de todos os tamanbos em
feitios, ,os mui acreditados aparelbos de
Derosne com as dimences delicadas dos
fabricados em Franca.
Fabricam-se avulsas quaesquer pecas des-
apareaos, como sejam o dilatador, ratiGea-
dor e condensador, ou esquenta garapas,
resfriador, serpentinas interiores.
Fabricam-se bombas de todas as dimen-
ces e qoalidades, pelo systema francez ou
americano, simples, de pressSo, repuxo, e
com especiaiidade a estanca rios assim -p
nominadas pelo enorme volume de agua
que absorvem calculada em 100 pipas por
hora, e das quaes algumas esto promptas a
serem experimentadas.
Existem bombas por este systema, me-
nores, para regar sitios, garantindo-se n3o
s sua duracSo como a grande quantidade
de agua que fornecem pelo que s3o cons de-
radas boje as primeiras bombas conhecidas.
Todas as mais obras se fabricam vonta-
de dos freguezes e a seu capricho.
Existem sempre promptos no deposito in-
dicado na roa Nova n. 38, um completo sor-
timento de obras solidas, bem construidas e
a presos rasoaveis, como sao alambiques,
serpentinas, taxo3, passadeiras, repartidet-
ras, escumadeiras, cocos, candeias, e muitos
outros utencilios preprios para engenhos,
como sejam mancaes de bronze, parafuzos
para rodas de agua e outres.
Cavhas, machos para lemes, pregos de
todos os tamanhos e para o forro de cobre
de navios.
Aprompta-se tudo quanto diz respeito as
obras de lato torneadas e polidas com toda
a perfeicSo.
Vlvulas para tanques de banho, torneiras
de todos os tamanhos e qualidades, assim
como todos os ornamentos para militares,
botoes para farda, aparelbos para barretina,
nmeros, espheras, espadas, cornetas, alam-
padas turbulos, caldeirinhas, navetas, almo-
farizes, perfumadores.
Obras de folbas de (landres de todas as
qualidades, babs, bacas, bules e outros
utencilios domsticos.
Lampies para gaz para engenhos, folha
de flandres em caixas, folbas de cobre e la-
ti, tubos de chumbo para encanstenlos de
todas as dimenges, folbas de zinco, estanho
em barras e verguinha, lances e barras de
chumbo, vidros finos para espelhos, de co-
res, bordados, e opacos, e outros para vi-
dragas, diamantes para cortar vidros, cadi-
nhos ordinarios e de patente, rea para mol-
dar, folies para ferreiro, lavatorios com ba-
cas e jarros, trra podre e outros nmeros
objectos proprio de taes estabeleclmenlos.
Sendo todas as obras inspeccionadas e
feitas sob a direcc3o do soeio administrador,
Jos Baptista Braga o qual se acba de novo
especialmente incumbido da gerencia de to
importante estabelecimente, isso urna ga-
ranta pela sua longa pratica, que tem os se-
nhores freguezes de que ser5o servidos a
contento, com promptidSo e preco commo-
dq, pelo que os propietarios lhe sero agra-
decidos.
Parte, 36, Roa Vivlenne. L
GHABtEMCDECiNSDEri
AS EMUIMIADAS DES SE*Si *S AFFIO
C01S rXTANF.AS_E_*1ERACOES:DO SANGUS.
~ 30,000 cura tt impingmn,
piutulai, ktrpei. iam,
comixoc*, acrimonia, t m
lerfOM,vicioiM dosanguti
utnif, t altera;oe$ do san
gue- (Xarope vegetal sm mercurio). Bepurat.?..-
Tf(Hr. Biaiiot MIXtlIAES toniio-ae dov
por semana, segoindo o Iradamente Depurativo : "
empreado as mesmas molestia*.
Este XaropeCHraea'5--:'";
de CI1ABLE, cura U_c. _
lamente qualquerpuroc jas,
relaxacao, e debilidade, t
igualmente os luxoi e flore*
hrancas das muIhert-s. Esta iojeccao benigaa *
trega-se eos o Xarope de Cilraelo de Ferru.
Hcmriold*, Femada qne as con tres dlaa,
POMADA ANTIHERPETICA
Costra: as afleccoes cutnea* < corn-sou.
PILULAS VEGETAES DEPURATIVAS
e w Chobte, cada frasco val setos;:aao it'tm
HM*.
AVfSO AOS SRS. MDICOS.
CdrA catarrhot, tottn
coqueluche* irrw:\'e*
uervoms sa das bren
chio-i t todas as doencat
*^U do peito; hasta ao lente
Una coitiC i'-li'ica d^ttte xarop IV KttRGCT.
Dr. 7iAUM em Part, ra Wlwiw, S.
A renda na pbarmacia de P. Manrer i
AtteucSo.
Veode-?e nm boi para carroca muito manso e
grande cor azeito e bem feilo : a tratar no depo-
sito do paleo do Carmo n. 47.
Vende-ae ama escrava perfeita engomma
deira ocoiinheira e mais arraojos de ama casa de
familia : a tratar oa praga da Boa-Yisla 0.5.
Para acabar
Veodem se saceos com farioba de mandioca de
2|500 a6, assim como saceos com feiiio por
baratissimo prega : no trapiche bario do Llvra-
meoto no Porte do Matos n. 15.
SEDAS
Sao chegadas modernas sedas em cortes
e padroes moi lindos: loja do Alvaro na
Ido Crespo o. 2o B.
0fc-F.URAT.lF
lu^SANG
cSpahu
5M"?p^
e C, em Pernambuco.
VERDABEIRO LE RO
de IIS.1SBET, Doteur-Mtadn
Ru da Sslns,
tm cada garrafa, ral, entre a roifci e i pmel azul
que lera a meu inle, um rotulo imprr.o t ?-
rsUocom sino UrxiAi. m> sevanne ai- y7 JV. B. itmtU
<7.* ------r-*
^Z<
710
TZZZ
DOCTt-MOECIN
PHARMACIEN
bndo-s:um! tttr
d.- M -1 rjnros se-
fcftParis.fi-'.Usal
I 80 u dt 'i,
tmiimo,;oxa-Jt
do akatiiwV-r do
suier ittaala.
Deposito na pharmacia deP.Maureri
C. em Pernambuco.
Teodem-se cadeiras de pinbo de Ihescara
americanas, proprlas para eslabeleclmentos ; aa
roa do Encantamento n. 4.
r
Venda-M tenas superior e
qualidade?, fabricado eom barro
cenos 41 em milhelro do qoe em
parle : tu *laria de Jas Caiatir
in Praxeres n. 38.
Km aa totas
aS*t> doce i
atra qoal,
*4 r.Jt
'V-
T^/1
.
>**! rf


MMHMi
BiarU rernambnco Tcr^a lelra l de Dezembro de 1867.
1


v
Collares Royer
Oa Anodinos eleetricos magnetices
Deposito acreditado
toja da agoia branca roar do Queimaclo n. 8
Apregoar a$Dda os prodigiosos effeitos dos
CoHares Royer j ato ensinar ou querer
iatroduzir uovidades, porque a amadesua
efflcacia tem-se tanto estendido, e os seus
felaes resultados a tal altura elevado, que
hoje rara a pessoa que por experiencia
propria, ou por intermedio de seus amigo?
e prenles, ignore oo descoahe:a as virtu-
des desses sempre apreciavais collares
Royer.
A aguia branca poria s a gloria de concor-
rer para um t3o justo Sm, se n5o por ou-
ro modo ao menos por ter sempre, e cons-
antemente um completo sortimento desses
collares magneticoa, que bem se podem cha-
marsalva vidas das criancas.
Resta anda que os senhores pas de fa-
milia se facam convencer (de que conven:
nao esperar que as criaocas sejam atacadas
do mal, e por isso necessario oo conve-
niente que coin antecedencia se deite na
crianza um desses collares para assim estar
ella preservada das convolcoes e se contar
livre dos rigores da dentifo.
A aguia branca ra do Queimado n. 8
contina a receber por todos os vapores
francezes a quantidade que ba contratado e
por isso acha-se ella sempre provida dos ver-
daderos colhres Royer eletricos magne
ticos.
A Aguia Branca a ra do Qnel-
ni.ulo ti. 8.
Ineonteslavelmaole na laja da Aguia Branca
onde os apreciadores do oom podem meibormente
prover-se daquelles objectos de gosto. E-sa verda-
de ja por tantos e tantas vezes reconhecida anda
2ora se fu confirmar cora a nota dos preciosos
objectos de gesto e valor qne a aguia tero a satis-
fago de patentear e por a disposigao de qnem os
deseje e possa comprar. Ella principiara pelas ri-
cas eaixas com mosica e sem ella, para costura.
Essas caitas por sua< uerfeigoes, gostos e rique-
zas, se tornam recommendaveis para algom ira
portante presunta, on mesmo para quem tanha gos-
to de possoir urna bella obra, porque de certo sao
ellas as de maior valor que se enecntram em Per-
nambnco, tenio ama que sobresane a todas as cu-
tras. Alera destas ha outras de pregos menores, as-
sim como tamben! ba bonitas caizinhas vjzias de
madeira^enveroisadas e marebetadas, com (echa-
dura e chave, para costura.
Em loques o que se pode encontrar de merhor,
seado:
Todo de madreperola, bordados, obra de gosto e
valor.
Oatros de madreperola e seda, bonitos desenhos.
Oalrosde madreperola com b;rdados col r i dos,
obras de muito gosto, e geralmente apreciadas.
Oatros todos de sndalo.
Oatros de sndalo e >e Ja com bellos desechos.
Oalros todos pretos para luto.
Outros pretos com desenhos roxos, proprios pa-
ra senhoras viavas.
Oatros de sndalo e faia, formando qnatro vistas
Oatros de sndalo e sndalo e seda, para me-
ninas.
Oatros de madelra e papel, obra barata.
Guarnices de lilas, ditas de bonitas e modernas
trancas para vestidos,
A Aguia Branca receben novamente um bello
sartimento daquellas apreciadas guarnieSes de fi-
las; assim como outras de lindas e modernas tran-
cas. Os apreciadores do bom comparecam na leja
da Agoia Branca a ra do Qaeimado n. 8.
Fiaissiinis ineias de fio de Eseossia para enancas.
Vendem-se na rna do Queimado loja da Aguia
Branca n. 8. oude tambero lia outras rauitas de al-
godo para criancas de 3 a 12 mezes.
Hu finas lavas de li > de Escossia e seda, para ho-
rneas e senhoras.
A Agoia Branca a roa do Queimado n. 8, rece-
beu ora bom sortimento de finas lavas de fio de Es-
cossia e seda, brancas 6 de cores, bordadas e lisas,
tanto para bomens como para senhoras; quero as
pretender e dirijir-se a dita loja da Aguia Brauca,
conbecer qne era tal genero nao se enconira me
lhor, e talvet aem mesmo igual em alguma outra
parte.
Requifes brancas ou trancinhas papa-lina.
A Agoia Branca acaba de receber nm novo p
bello sortimeoto dessas to procuradas trancinhas
papa-fina, com diversos e agradaveis moldes, e co-
mo sempre a Aguia Branca a raa do Queimado n.
8 continua a vender barato.
Gollnhas e puuhos, manguitos e goliinhas, obras
modernas e de gosto.
A Aguia Branca acha-se recentemeote prvida
de bonitas goliinhas e punhos bordados, manguitos
6 goliinhas tambem bordados, e ta gosto e oltima moda, tendo as goliinhas e pannos
rouilos, ja eoeitados corg filas enfiadas, e algumas
pequeas para meninas. Os pregos apetar de com-
modos variara com as differeotes qualidados das
obras. Os pretendentes coroparegam na loja da
Agaia Branca a ra do Qaeimado n. 8 que sero
servidos a contento.
ntremelos bordados em pecas grandes.
A Aguia Branca a raa do Qaeimado o. 8 est
tendeado bonitos entremeios bordados em pecas
grandes de 12 tira, e pelo baratissimo prego de
2,5300 cada peca. A grande extraegao que elles
tem tido confirmara os diversos fins para que ser-
vem, as'im pols convm que a boa freguezia da
Agaia Branca aproveite essa boa e barata fazenda.
Ciiegram tambem
os novoe coqnes que roolto teem agradado pelos
sens bellos desenhos, e perfeita execocSo d'obra.
Assim como igualmente ebegaram booitos port-
bouquets douraos com cabos de madreperola.
A Aguia Branca, a' roa do Qaeima-
do b. 8, vende ;
Fitas para fachas de joizes de paz, delegados e
subdelegados.
Ditas para cavalleiros da Rosa, Cbristo e Cru-
zeiro.
L< VAS NOVAS
A Agoia Branca a ra do Queimado n.
8 receben d'aquellas bonitas luvas de pelli-
ca feitadas, e j bem coohecidas.por luvas
a doqueza.

GG
LIQUIDACAO
MUITAS FAZEWDAS
KA
LOJA E ARMAZEM
5*-
rua do Crespo n. 9 A, esquina da rua do Imperador
Acaba de chegar pelo vapor Guienne, um variadsimo sorlimento de fazendas que d'uem os
".osso3 correspondentes que foram as melbores, as de mais gostos e oovidades que encontraram em
Pariz, e por isso muito recommendamos a apreciaco do respeltavel publico, os seguales artigjs que
s encontraro na loja do Passo.
Riquissimos corles do seda de cores, com lindos
matizes completamente novidade.
Lindissimos vestidos de carobraia branca bordados
eom gosto.
Ricos basquinas, primorosamente bordados, e ulti-
ma moda ero Parir.
Riquissiraas cbapelinas. de seda, palha a imilaco
e enfulladas com muito gosto.
Coques para senhoras, sendo estes de ultima moda
em Pariz.
Lindissiraas gravatinhs para senhoras.
Lindos colares e vollas de vi Irilho e seda, ultima
moda e inleira novidade.
Collarlnhos, punhos e ravatiuhas de Cbuny, c tri-
pleta novidade.
Riquissimos leques de marflm todos abertos e de
ultimo gosto em Pariz ; assim como de sndalo
madreperola.

Riquissimos vestimentas de eambralas primorosa-
mente bordados, com lodos os poruees para
creaogas se baptlsar.
Ricos vestuarios de cores, todos completos para
meninos de 3 a 4 anuos.
Mantas de blonde para noivas.
Hoirfantiqne, grosdenaple e sedas prela, branca
e de cores.
Riquissimos cintos, nllima moda.
Ricos enfeites para senhoras e meninas.
Lindissimas cbapelinas de seda e d palha para
meninas.
Riquissimos cortes de fantasa para vestidos de se-
nhora.
Liados corles de lia para vestido, novidade.
Chapeos de castor a canotier, ultima moda para a
rapaslada era Pariz.
Grande deposito de luvas de Jonvin recbese por
todos os vapores grande sortimento.
Casemlras, cambraia, las, mosselinas, precalia?, chitas e
deixamos de mencionar por se tornar macante.
ama
Influidade de
objectos que
Isto s na loja do Passo ra do Crespo n. 7 esquina da do Imperador.
GRANDE NOV
Silva.
PALITO'S DE PANNO A 60
Vendem-se palitos de panno preto saceos
a 6f$, ditos sobrecasacos a lo, calcas de ca-
setnira preta a 6.-j e 7,->, d ta muilo Anas a
Este eslabelecimento acaba de receber e vende por commodojpreco as segnintes 9$ e Ofj, finissimos sobrecasaecs de panno a
AUGUSTO PORTO 4 C.
11Ra do Queimado11

n.


Rna da Imperatrii
DE
QAMAl SILVA.
Tendo os donos de-te grande estabelecimento resolvido liquidar a maior parte das
suas fazendas resolveram vender com grandes abatimentos em presos, assim como teem
recebido ltimamente urna grande porreo de fazendas novas tanto Dglezas como francezas,
alem5as e suissss, teem destinado venderem-nas mais barato que em outra qualqner parte
aflm de 8purarem dinbeiro, dando de todas ellas, amostras deisando Bear p' nhor, on
mandam-nas levsr em casa das excellentissimas familias pelos seus caixeiros ; assim como
as pessoas que negociara em pequea escalla, oeste estabelecimento comprarlo pelos mes-
mos pregos quo compravam as casas inglezas ; ganbando-se apenas o descont.
Tiras bordadas e Babadlnhos
Qaem quizer fazer boa compra de tiras
bordadas oo babadinhos, achara um grande
sortimento para escolher e por (.reg muito
mais barato do que em outra qualquer parte,
na loja e armazem do Pav3o, ra da Impe-
ratriz n 6o, de Gama & Silva.
Fazendas para luto na loja do
Pavo
u iloes a U, 305oo e 30
Vendem-se um grande sortimento de cri-
nolinas ou baloes de arcos para senbora pelos
baratos pregos de 20, 205oo e 30 por haver
grande porgo, na loja e armazem do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 6o, de Gama &
Cassas a Uor. s o pavo.
Vendem-se bonitas cassas inglezas de c-
| res llxas pelo barato prego de 240 rs, o co-
Vende-se setim da Cbina com 6 palmos de vado, ditas francezas fazenda muito fina com
largura proprio para vestidos a 20 o covado, padroes listrados e de flores, assim como com
lazinhas pretas lisas, alpscas com lisira bran- palminas miur'as proprias psra meninos a
ca a 10 o covado, cassas brancas com listras 3oo rs. o covado ou a 5oo rs. a vara: pe-
pretas a 5oo rs. a vara, ditas pretas Usas e chincha na loja e armazem do Pavo ra da
com s ilpicos vara a 56o rs. ditas francezas Imperatriz n. 6o de Gama & Silva,
com listras e ramagens vara a 8uo rs., me- C'ores de alpaca a sete patacas.
ri pretO, alpacas e princezas, mais barato: Vendem se corles de alpaca escora pan vest
do que em outra qoalquer parte, na loja do f fp/, baratissimo preco de s*hci o corte,
PavL rna /raimr.Arair7 n fin no r,L A. !ra.nda Pecbln:ha "a loja e armaem do Pavo ra
Fa\ao, ra da imperatriz n. OO, de Gama & da Imperatriz n. CO, de Gama & Silva.
fazendas finas:
Vestidos de b;0nd para noiva com manta e capella.
Ricos vestidos de cambraia branca bordadas i que ha de melhor.
Cortinados bordados e admascados para camas de 2o0 a 8o0.
Ditos bordados e admascados para janellas de 90 a 2o0.
Colxas de seda e la e seda para cama de noivas.
Basquinas modernas de muito gosto de 2o0 a 5o0.
Toalhinhas de croch para cadeiras e sofs, e colxas de croch para camas.
Cbapelinas de crpe branco, e chapeos de palha da Italia para senbora.
Moir branco e preto, grosdenaple preto e de todas as cores para vestidos.
Camisas para horaem francezas e inglezas de linho, e de algodo.
Goardapisa de crioofine para fazer mais eiegar.tes os vt stidos de ISa e de seda
a 32o rs. a vara.
Superiores saias bordadas de linho, camisas e camislnbas bordadas e lengl de
cambraia bordada para senhoras, ricas toalhas bordadas com muito gosto, e lindos ves-
tuarios para baptisados com o respectivo enxoval.
Las com listras de seda de varias cores a qne ha de melbor.
Chapeos brancos de castor, e ricos chapeos de sol ioglezes para homem.
Malas de diversos tamanhos para via^ens.
Panos finos e casen iras pretas e decores e outras muitas fazendas que se ven-
dem baratissimo.
Este estabelecimento contina a receber as melbores.
Esteiras e alcatifas para salas
11Raa do Qacioiado11
IC

N. 64-----Eua da Imperatriz-----N. 64.
Xova loja de miadezas e artigas de modas
DE
SILVA & NEVES.

vi- ^S ProPrJelaros deste novo estabelecimento tflerecem ao respeitavcl l
fflg poblico desta bella cidade, e do interior um lindo e escolhido sorlimento de |g
'>U miudezas e artigos de modas, concorrendo para isto o terem na Europa, pes- ^^
i* !, s?as ^abultadas a executarem suas encommendas no que houver de mais no- S^
*2fe vdado e gosto, e garanem vender pelos pregos mais rasoaveis do que em
?& outra qualquer parte apar de maneiras delicadas e sinceras.
^U Acabara de receber pelo vapor francez Gueme, os seguintes bel'os
gS art'gos do moda e fantasa.
mi Luvas de Jouvin para senhoras e homens, de todas as c6res.
':>$ Livros para missa com capas de madreperola etc.
S Indispensaveis e bolgas de to as as qualidades.
~ii Espartilhos, collares, e cintos de seda e vidrilho.
Rendas de Guipure, de seda, (tlonds) e de algodo, de te-das as f'gj
qualidades.
Completo sorlimento de trangas, fitas, botoes e guarniges de seda
com vidrilho e sem elle, gravatinhas de seda, e manguitos de lustro bordados
tudo do ultimo gosto de Paris.
Leques de sndalo aberto do mais aperado trabalho
Agua Florida e tnico oriental de Laman & Kemps.
Ricos enfeites e guaruiges de flores para vestido e cabeca.
Calgadd para senhoras e meninas.
Perfumaras as melbores e mais escolhidas de Lubm, Piver, e Cou-
dray, em ricos e elegantes vasos de porcellana, crystal e prata mgleza.
Meias de algodo, as mais finas e melhores que teem at hoje vindo te
ao mercado, para senhoras e homens. ^|
Chapeos de palha da Italia, e a imitago para meDinas. |^
E um sem numero de artigo, de gosto e fautazia que s a vista 3|||
S podem ser apreciado.
j 2o0 e 250, caigas de casemira de cor a 70 e
180, um grande sortimento de col tes de toda
a qualida.'e e outras mui'as qualidades de
roupas qu' se vendem mais barato do que
em outra qualquer parte, na loja e armazem
do Pavo, i ua da Imperatriz a. 6o, de Ga-
ma & Silva.
As salas do Pavo a 3.OO.
Vende-ss nma grande porcao das mais bonitas
saias brancas com lindas barras bordadas de co-
res, tendo 4 pannos cada urna, sendo fazenda in
teiramente moderna, pelo barato preco de 3050 >
cada urna sendo fazenda que sempre se venden
por mnito mais dinheiro ; na k-ja e armazem do
Pavao, tu ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
CASAQU1NH0S DO PAVAO fcA 180, 2o0
250 E 3o0
Chegaram o mais modernos casaquinhos
ou jaquetas de grs preto, ricamente enfei-
tadas sendo uns com cintura e outros soltos
conforme se osa ltimamente e vendem-se
pelos baratos precos de I8, 2o0,250 e 3o0,
na loja e armaz. m do Pavo, roa da Impe-
ratriz n. 6o, de Gama & Silva.
cam'siczuas a 3$.
Vendem-se as mais modernas camisinbas com
manguitos tanto bordados como de preguinhas com
elegantes punhos e bonitas abot adoras pelo bara-
to preco de 3'!00 ; na loja e aramem do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
pechitiebaem casimiras a 10600 sao
Pavo.
Vende-se ama gradde porcao de casimiras supe-
riores entestadas, sendo escuras e alegres proprias
para ealcas, poletots, coletes e ronpas para meni-
nos pelo baratissimo prego de i800 o covado oo
a 2800 o corte de calca, grande pecbiucba n
loja e armazem do Pavo : ra da Imperatriz o. 60,
de Gama & Silva.
Alpaca moDslro com 5 palmos a 280.
S o Pavo.
Vende-se alpacas de qua iros sendo padroes es-
cures proprios para vestidos tendo 5 palmos de
largura qne facilita fazer-se um vestid j at com
1 eovados pelo barato preco de 580 js. o covado,
garantindo se que fazenda que val muito mais
oiobelm, portaoto pechincba : na loja e arma-
zem do Pavo ra da Imperatriz n 60, de Gama
& Silva.
Poupelinas para a festa a 320 rs. o covado.
Veude-se urna gnnde perco das mais bonitas
poopelioas transparentes com palmlnhas bordadas
a la ou quadnnbos a imitacao de o de seda, pro-
trias para vestidos pelo baratissimo prego de nma
pataca o covado, grande pecbmcha : oa loja
Hclre antlqne.
Vende-se superior moire-antiqne de cor, com
algnra loqne de mofo, por prego mnito barato, para
acabar: na lija do Pavao, rna da Imperatriz n. 60,
de Gama Si Silva.
PECKHl
4#<00
Em corles de la
Vendem-se supmores cortes de ISa matlza'a
com 15 ci vados, pelo barato prego de 45 o corte,
isto oa loja e aimazem do pavo, ra da Impera-
triz n. 60, de Gama & Silva.________________
Presos vantajosos
s miudezas do grande cstabeleci-
mentode S'.oza Soares & [i-mo.
Ra Xova u. 28.
Veadem em grosso e a retalho.
Liohas oovellos, muito superiores, libras sorlidas
a i, 200 e 2500.
Dita em nvelos, mais iof-.ricr a 10300 e 10800
a dita.
Dita branca em caitas de 50 nvelos a 640 ris
Dita para marcar, caitas de 16 ditos a 2i0 rs.
Dita branca em ditas de 10 ditos grandes a 560.
Dita em carros de 100 jardas a 360 rs. a duna
Grande novidade para a
fesfa
Na loja do paiia roa Impcrafrii
60, de Gatea Silv?,
Modernas poopelinis eom palmiches
bordad* e qnadros. covado a. .
Moderni5sima lziobas rom pal-
mas, salpicos, qoadros, lisias, ele.
etc., covado, a 4C0, 00 e........
Lindas las ecm hUtt de seda, co-
vado, a 5C0e....t...............
Verdsdelro peil de Cbntcccm tintas
moderna?, covado, a 800, 10 e.v.
FinisM'mas moselinas de cores, co-
vado, a.........................
Bonitas sedas de ccres ecm 4 palmes
de largur?, covado.a.............
Grosdenaple a;.nl, roxo, lyrlo, cinza,
etc. etc., covado, a..............
Modernas cascas com listas largas,
vara.a 640, 7*J, 800e...........
Moderoissimo* crgandys de i Or, vara,
Organrty largo, com lisia e qudics,
vara, a.......................
Cortes de organdy com listas bran-
cas e de cores, teodo 8 \ars cada,
c rte .'........................
Liaziobas de orna s cor matb.'sadas
covado i,...............;......
Coi les de cambraia branca bordarla,
stndo neste gfnero o mais rico que
t(m vio Jo ao mi-rcado...........
B' nitr-g cortes de sedas ror^s claras a
B'.nitos corles de phanlatia i.......
Cortes de organdys lisiados eom l
vara% a..................... .
Fil branco bordaoo, senco de meia
largura, vara, a. ...............
Btuia fazenda branca psra sas,
tendo prtgas de um lado e tam-
U-bb bordada, vara a 1^, 1?80 e
Ricas saias bardadas a 600l, 80 e
Cassas de orna s cor de Boros, cuta-
do a......... .................
Ditas francezas muilo finas, sendo de
listes e Lres, vara a 500 rs. e co-
vado a........................
Modernos pochos ecm golirhas, rpn-
do de esguo de "lobo, bordad*,
brancos e de cores a.............
Modernos manguitos com goliinhas a
Ricos eojrpicbog de cambraia poo
bem enfeitados e bordados a 83 e
Saias ecommicf.s e escoras, piro
quem fr passar a ftsla fraa___
m
80)
ijao
640
SAO)
IjUW
24#iro
2S5WX)
I0t>0
fjOOO
610
uan
O0WJO
240
(1000
100000
20300
Fl'GfO
Con'lnua a andar fgida a prfta fula c'e tr>tne
Benedicta, crioula, idade de 40 anuos tend os
slgnaes segoinies : altura regalar, magr, cabello
r-ro, principiando a pintar^ dcniei Jlirad s, pellos
grande?, pernas Unas, coslumava traz r utr.a ar-
golinha de ferro em um dos pannos, muilo ea-
chimbeira, costuma inmolar se de firr^ quando
foge, s por isso desconfa se que estej f lia aaa
ou acontada em algnma ca-a : po toi pede se a
quem a aprehender leva la a praca da Bja visla
n. 17, qna sfra' gratifleado.
Vende-sa a taberna do
13 : a tratar na roa di Praia
papo
n. l.
do Carra:. o.
awMMim t" t "tMv--figacff3a
Escravos fgidos
100^000
Fugio no riia 25 dj crreme mr>z de ootobro, c
engenho Limoeiro fregnezia da EscaiJa, o ecravc
ecm os segointfs signaes : ezbra bisco, alto cor
bom corp e buoiu figura, cara bex'g^sa, barl
pouco serrada, costun,a rapar o bgjde e s peira
cabellos um tanto carapinbados, pouco cambeta
tem os dedos grandes dis ps niab con,prido&,
Dita em carros de 200 jardas a 10200 a dozia. I a,n PUCo 6a8- cora ^'gumas cicalrtzes veloas di
Dita em carlSe?, branca e prela, a ICO rs. a dita.', chicote as costas em nma pa' e em um braco
Rozetas de cores em canas de dozia, a 10500 a '"lindo camisa de a'g do da ro: ta ou algodiot-
GRANDE BAZAR
ra Nova n. 20 e 22
Machinas pa a costura do autor Wheele--
i Wilson, ebegadas ltimamente da Ame-
rica; as qoaes pode cozer-se com dou
pespoutos, tuda e qualquer fazenda, emba-
iahar, frangir, bordar e marcar roupa; tud(
com perfeico. S3o to simples, qne com*
prehende-se fcilmente a maneira do trato'
lho e a pessoa tendo pratica de coser em m>-
rbioas, pode fazer por da o servido que &
ciam 30 costoreiras.
Gbama-se i este estabelecimento a attei-
(So do publico, isto qne elle se acha com-
pletamente snrtido de objectos de gostt,
como bem leques de madreperola e de sac-
dalo, fivela, fitas para cinto, cokes perfp
maria e etc,
Na rna nova n. 20 e 22. Carneiro Via
oa C.
NOVO DEPOSITO

DE
MACHINAS
?i\ i)iSCAROCAR ALGODO
Manoel Bento de Oliveira Braga,
53Ra Dlrelta .53
Neste stabelecimento se encontrarSo a
verdadeiras macuinas americanas ebegadas ltima-
mente, as qnaes sao feitas pelo mais afamado fa-
bricante da America, por isso avisa a todas as pes-
soas qne precis;irem comprar, de se dirigir a este
estabelecimento que comprarlo das mais perfeitas
neste genero, assim como mais barato do qne em
outra qualquer parte, por isso que se recebe por
con ta propria, bem como eannos de chumbo e moi-
nhos para moer milbo, e grande sortimento de fer-
ragens e mindevas em grosso e a retalho.
Facas de cabo branco de meio bataneo a 4#
a duza. limas finas e todos os tamaiibos oroorias
de trabalho de ef.caltnrf. *^
armazem do Pavo ra da Imptratnz D. 60, de
Gama & Silva.
CORTES DE SEDA,
a 280000 res na loja do Pavo.
Cbegaram os mais modernos cortes de seda de
cor cim elegantes desenbos claros e esc uros, leo
do muita fazenda para um vestido e vendem-se
pelo barato preco de 280000 res, por estarnos
muito prximos da festa, isto na loja do Pavo,
roa da Imperatriz o. CO, de Gama & Silva.
Bertanha de lioho
Com 30 jardas a 120000 reis.
S o Pavao.
Vendem-se pegas de superior bertanha de linnr.
puro, tendo 3J jardas ou 25 varas cada pessa peit
baratissimo prego de ISfOOO re?, sendo esta fa-
zenda propria para lences, camisas, toalbas, etc.
Isto na loia do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Bramante de linho.
Com 20 jardas a 80 00 res.
Vende se superiores pecas de bramante de linbo
proprio para lences, toalbas, carnizas, etc. tendo
20 jardas cada pessa pelo barato prego de 80000
reis, na loja e armazem do Pavo, ra da Impera-
triz n. 60, de Gama & Silva.
S.Al As ECONMICAS.
a 2,500 reis.
Vende-se nma grande porgo de saias de cor
eom ailas barras pelo baratissimo prego de
20500 res, na loja e armazem do Pavo ; ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
PUNHOS COM GOUiNHAS.
a 10000 reis.
Ven gohnbas de esgntao de linbo, com os mais lindo;
bordados pelo barato prego de 10000 o temo, di-
tos bordados de cor a 640 reis, sendo grande pe
chincba pelo prego, na roa da Imperatriz n. 60 de
Gama & Silva.
' POIL DE CBEVRE.
a 660 e 800 reis.
Vendem se as mais bonitas lanslnhas com listar
de seda, intituladas poil de cbvre pelo baratissi-
mo prego de 560 reis o eovado, ditas eom as lis-
tas maihisadas a 800 reis, assim como um grao-
de sortimento das mais benitas e modernas lansl-
nbas qoe se vendem pelos precos de 280, 400,
500 e 560 reis, bonias alpacas de seda de orna
so cor a 640 e 800 reis, isio na loja do Pavo,
roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Baldes opios.
a 20500.
Chegaram os mais modernos balSes esguios sen-
do vepladelramente americanos e vendem-se pelo
barato prego e 20800, oa loja do Pavio roa das
Imperatriz o. 60, de Gama Silva.
I'ccbiocha
Cortes de cassa a 2-3.
Cortes de organdis a 3|5o
S o Pavo.
Vendem-se cortes de cassa cada nm em sen pa-
pel sendo padroes novos, miodos e grandes a 30,
ditas de orgindls com lisias de cor e todos bran
dita.
Grampas com cabeca de vidro a ICO rs. a dita.
Agnlbeiros pintados a 210 r;. a duzia.
Bt ides de moedinbas deliradas e prateadas, para
panbos, a 10000 a duzia de pares.
Ditos de madreperola, para eamiea, a 500 rs. a
grasa.
Ditos de osso, para caiga, a 2i0 rs. a dita.
Caixinbas com soldados de chumbo a 120 rs.
Espelbos de muldura dourada a 10400 a duzia.
Feotes de lago donrado, para coco, a 60 rs. a
duzia.
Ditos de lagos lisos, para ecc, a 5S3C0 a duzia.
Ditos doorados, com llores, 20400 a duzia.
Ditos de bfalo, multo bous para alisar, a 20300
e 20400 a dita.
Dedaes amarelos e prateado?, Anos, a 240 rs. a
dita.
Clcheles em calxiobss a 640 rs. a dita.
Ditos em cart5es a 600, e 900 rs. a dita.
Pegas de Gta para coz, larga, com 10 varas, a
500 rs. a pega.
Fitas de seda o. 1 '/2, pegas com 8 varas, a 260
rs. a dila.
Cadago branco para cercu!as a 560 rs a duzia
de pegas.
Las de todas as cores, para bordar, a 60500 a
libra.
Phosphoros de cera, em caixinhas, a 360 rs. a
duzia.
Ditos de pu encerado, sem ebeire, a 360 rs. a
duzia de caixinbas.
Ditos de cera, em caixas grandes de folha, a
10400 a duzia.
Carlilbas da Doctrina Chrisiaa s 320 rs.
Obreas de colla, em caixinhs, a 320 e 500 rs.
Sabonetes finos a 800 e 10 a duzia.
Facas e garpbos cabo de osso, fazenda boa, a
20500 a duiia.
Abotuaduras finas para coletes, cintos com five-
las de cry.-tai, e muitas outras qualidades, polca-
ras de coalas, penles com pedras para coques, en-
feites para cabega, um completo sortimento de per-
fumarias de todas as qualidades, colariobos, can-
deeiros a gaz, forragens de todas as qualidades etc.
etc.; a ra Nova n. 28. ______
VENDE-SE
Motores americanos para dous cavallos.
Dito dito para qaatro cavallos.
Machinas para descarogar algodo de 14, 16.
18,20. 30, 33 e 40 sorras.
Prengas para enfardar algodo fazendo os sac-
eos com 6 palmos de comprimento com o peso de
150 e 200 libras, viadas ltimamente da Americi
no armazem de Henry Forster & C, no cae Pe
dro H d. 2 junto ao Gabinete Pcrtuguez.
nho, etica e paleto! fle brlm parde. chap'1 de i ae-
ta preto, e Uva vara de carrtiroque e >ppoe-;
ter ido assentar praga como voluntario : recom
menda se as pessoas encarregadas do r rrelman-
lo e as autoridades polieiaes com es[r-ri.>.|idade ai
d) Rio Formoso, Una, Agua Preta, S. 1i ao e Por-
to Cslvo e a outra qualquer pessoa a app-thtnsc
do dito escravo, e enirega-Io no dito engenbo, qui
recebera' a graiificago cima. O escravo chama-
se Francisco.
Paga-se^bem.
Foglo em das do mes prximo pas-ado do poder
de Agostinho Jos de Oliveira, em Caroaro', o seo
escravo Rufino, mulato claro, idade 3G anuos, seccr
do cor;. pernas linas, olhcs nm lauto amertreido*.
nariz afilado, pouca barba, muito corte?, e t.m fal-
lante, metiido a valente, gosia de agurdente e te-
vou japona preta ; foi encontrado no da 3 do cor-
rete no lugar Batteira, em dircrgo a estrada li
ferro e suspeila-se que tenha ido effiTicer-se como
volnntario para a guerra : rogare piTtacto as auto-
ridades polieiaes e capiles d* campo a a n-htnsJc
do dito escravo, que ser entregue a seo sotiho: en
a Siverino Aives da Silva, em Troiibtta. .
GRiflFTA-SE
a qutn capturar e conduzir a'-fabrica de sabao no
Afogado, oo a ra do Amoriro d. 41, no Recite, o
escravo Loiz, pardo, idade 3a annos, o qual ja' em
principio de&te annj foi preso por fgido, e de novo
evaoio se da mesma fabrica, onde iratalbava, oa
madrugada de Domingo nltiipo, 24 de njverrbro;
cuj escravo fogio vestindo a roupa do uso, de al.
godo de listras, costuma embreagar-?e, negar o
proprio nome, e bem remo o do senbor, e tiazla
por cast'go nma corn nt-.- fechada c cintura e so
lornotello, do que devera' conseivar ao menos as
manchas._______________________________
Escravo fgido
Do engenho Dumfim comarea do Limoelro, fogio
na ooite do d>a 3 do corrate mez do dezembro, a
escrava crioula de nome Antonia, de SO annos de
idade 'pouco mais ou menos, e ecm os slgnaes se-
guintes : estatura regular, cor um poacj ful?, ros-
to redondo, dentes limados, olhos vivos e tem g- an-
dt-s cicatnzes de figo pela barriga e peilos. Fui
comprada nesta cidade a 21 de fevereiro prximo
passado, aos Srs. Nogueira & C, mora lores a' roa
da Cadea ao Recife.
Quem a aprehender cenduz-a a scu senbor no
referido engenho, ou nc-fla praca a Oliveira Filhos
& C-, largo do Corpo Santo d. 10, que sera' recem-
peDsade.
Acaba de sahir a luz
B acha-se venda na livraria franceza
rua O
SEGUNDO
DO
AISNO
lElOItlAL PERUAIBCCASO
ou
MEMENTO DSfclO
PARA
1868
CO.\TU\DO
Seia folha em braaeo para cada da
do anco
O calendario do presente anno, signaes do tele-
grapbo do Recife, a augoslissima casa imperial,
corpo consular estrangetro, associagao Commer-
cial fieneficente, tribunal do eommercio de Per-
oamnneo, joizo especial do eommercio, jaota de
correlores, bneos, servigo do crrelo, estrada de
ferro da Recife ao S. Francisco, bobas regulares
de navegagao a vapor, linbas regulares de nave-
gago por navios de vela do Havre a Peroamboco,
vaper de reboque, sello proporcional, tabella dos
emolumentos dos tribuoaes do eommercio, rega-
lamedio sobre incendios, systema mtrica decimal,
taboa de cambio entre a Inglaterra e o Brasil,
quadro dos divisores, quadro do nno civil, redor.-
cao de pesos e medidas brasileiras com as de di-
versos paizes.
um bonito volnnecacadernado
pelo mdico prego de 9$.
Pechincba
Na loja de calcado do sobrado amsrello da roa
dt Crox o. 21 vende a dinbeiro a vista superiores
ees peb baratissimo prego de 30800 : s na loja borzegoins enfeltados e lisos para **D'J?!ra!lPpJl'
armazem do Pavo roa da Imperatrlx d. UO, de^as e meninos, pelo barato prego de i06W,z#, t,
Gama & Silva.
4*6 50.
50^ de gratific?.cao.
Contina a andar fgido desde o dia SOdejulbo
do correte anno o escravo Vicente per f leunha
Cangalha, de 40 annos pouco mais oo menos, na-
i,-j Angola, altura regolar, j>ecco do errpo, pernas
finas e arqueadas, sendo nma mais do que entra
que da' ingar com o andar dar grande balange
c.m o corpo, rosto cemprldo, penca barba sement
no qceixo, e tem na sola dos ps ;-Iguns cravos
e as nadigas algumas ce niusoes proveniente de
castigos, muito ladmo e intitula se de forro, le-
vou bstanle roupa e usa camisola per cima di
caiga, chapeo de bta eu de palba de abas muito
largas, guarda sol de .>eJa j velho: soppde-se que
aoda dos arreb^ldes desta cidade, e com nma car-
ta falsa, pelo que no lugar Macaco ja' elle fui pre-
so e posto era liberdade, em vir'.ire da menciona-
da caria. Reeottmenda se a captnra de dito escra-
vo, dando se a graiificagao cima a quem leva-lo a'
roa da Cadeia do Recife o. 27, segundo andar.
Gratifica se com 5'$
A qnem capturar o preto da Costa de nome Ja-
cintho, Idade 38 anoos, estatura pooeo menos de
regalar, tem falta de dentes, talhos bem visivefc
as maguas do rosto, e os beigos grossos, pernas 6-
nas etc. Fogio em 29 de oolubro prximo passado,
levando caiga e camisa brancas, chapeo de palha.
A primeira vez que fogio intitula va-se ferro de na-
ci e empregava-se como servente de pedreira,
ganhador, etc Foi visto ba poucos das na cidade
deOlinda.Agua-Fria e Santo Amaro das Salinas,
em ranches de outros negros da Cesta. Roga-se,
p is, as autoridades polieiaes e a qualquer parti-
cular a captura de dito negro s ser entregue a sea
seabor Joio da Silva Leile, a' raa ca Cadeia do
Betife n. 10. ____________ ,_
Fogio do engenbo Bamborral da (reguezia la
Escada, nm escravo de nome Theoi. nio, estafara
regular. rcV preta, eom orna cicatriz na fronte, ida-
de de 40 annos, espadando, emulo, tt-odo ama
perna mais enru do que a ootrs, es ps apalbela-
dos e com arestlns e pernas mono finas. Roga-se
s autoridades polieiaes de aprebenderem-no, oa
aos capltaes de campo qne o levem ao abaixo assig-
nado que wro grsliflcados.
Jos Pereira de Ariup.

i
'


Diario de Pcrnamtaico Terca ffelra 19 de Dczcmbr* de 1867.
UfTEMTRA.
OH PIUCO 01 TODO.
Cvclone. Um famoso cyclone assolou o
sul di Cbina, na noite de 8 para 9 de setem-
bro sendo Hoa^kor.g e Canto os lugares
onde a leropestade causou os maiores estra-
gos.
Pelas oito boras da noite de domingo (8)
comecou a ser rpida a desuda d s b3rome-'
trus em Hongkong, e sem deixar a menor.
fluvid sobre o temporal que pelas onze ho-
ras rug i medocio na Bahia e na cidade, fa-
zendo nesia destrozos consideraveis, e na-
qnella avarns enormes e grande numero de
victimas. i
.0 temporal principiou no quadrante NO,
saltando depois sbitamente ao SO, conser-
vando o vento durante ciaco horas a mesma
in'eosidad, e so acalmando no quadrante
SE, pela madrugada do dia 9.
Aminima baromtrica, no auge da tempes-:
trie, fui de 7*0.,u
Galcula-se que o centro do grande cy clone;
pnssou ao NE, de Hongkong, a curta disIan-
cia.
Forana a pique na Baha, a escuna ameri-
cana F.agle, da qual seju'ga ter perecido'
toda a guarnicot e a barc bespaulu la Mi-'
n ra, ebegada na larde do dia 8 de Manilba. I
A gi arni^o deste navio fci salva, com ex-
cepta) apenas de um marinheiro, por um
escaler de um gunboata americano, arreiado
,v> mar as peiores circurastancias do lempo,
I ?ra se irem salvar aquellas vidas em perigo,
leudo sido o soccorro pedido por um bomem
de cor do navio, que a nado levara a noticia
a bordo do vaso de guerra americano.
lisies actos de beroismo e dedica cao s3o
sempra lunrosos para quem os pratica, e
nurmente quaodo io fe;tos com tamauho
risco de vida.
A's pr?ias de Kowloon foram eccalhar as
ojcuqss Alexandra, e Marta, e as barcas
Ornar l'asha. Cantn e FortuJe.
A canhoneira portugueza Camdei, havia
poucos das sabido do plano inclinado onde
esteve reparando a machina, viu-se quasi
perdida, poim fui salva pela pericia di$ seus
offlciaes, nao lendo soffr ido na lucia em que
t.omou parle activa, mais do queaperda de
nin dos seus esc leres.
Cm trra os cs'ragos foram tambem con-
deraveis; tolo o litoral chamado a Praa licou
arroioado, e cm alguns pomos c.mpleta-
mente destruido; abatendo um glande nu
mero de casas em cousirueco, a'.guraas at
;;os alicortes. As ras e ladeiras, td-naram-se
istransilaveis nao so pelas grossas enxurra-
das, mas aio la pe -s troncos de arvores que
;;s aguas arraslavjm na sua furiosa queda.
O e-pect3Culo da Babia de Hongkong, Da
mal ugada de segunda-feira (9) era o mais
triste e desolad r. Aqu e al, por toda a
superficie das aguas st- viam vestigios dos
'le^rvaramentos e das grossas a vanas que
feralmente s ffreram os navios naquellas
i-inco boras boiriveis do tutSo. As casas de
K'/wloou, em ruina completa, ten Jo mesmo
desapparecido a'gumas sem deixar vestigio,
apresentavam um negro aspecto, parecendo
antes baverem silo destruidas por um grande
incendio, do que por um temeroso golpe de
vento!
Os eeitos do tufo em Canto foram tam-
bera terriveis, solreado muito os barcos chi-
nrs e os tancar, s que enebiam aquellerio, de
que veio a mote para muda gente.
A aceito do cyc'one extendeu-se ainda a
mais de 80 mil "as para o norte de Hongkong.
A crvela ingleza Pearl, saida na manha
daquelle dia para Y< kobaota. voliou arribada
pela madrugada de segunda-feira, tendo per-
dido o panno, e os escaleres.
O navio de guerra britnico vio pela costa
mu tos juncos virados e desmastreados, e
poude salvar 30 desgranados chinas nufra-
gos.
O brigue prussiano Gloria, as barcas di-
namarqupza Vadera Minie, e hamburgaeza
' ) ana Olio, que entraram arribadas em
ungkong no dia 11, mais ou monos des-
mastreadase com graves avarias, soffreram
o cyc'one, quasi mesma hora de H.-ngkong,
em ,0 a CO milhas de distancia.
O navio Aurora, entrado no dia 12 em
Hongkong deu noticia de ter apanhado do
mar no canal de Lema um malaio que disse
perteEcer guarnico de urna barca siamesa
que de Hongkong sidra para Amoi no dia 4,
e que se afundra na noite de 8 perto da Pe
dru Branca. Julga-se que o navio perdido
fora abarca ay-Ngnau.
Tambem chegaram a Hongkong alguns
nufragos da barca iugleza Maravi, que se
perdea na noite do tufo a 40 milhas de
distancia da colonia visiuha.
Finalmente o vapor inglez Tatwan, que
saiu de Hongkong no dia 11 para Amoi,
voltou aquelie porto no dia 12conluzindo
os passageiros e tripulantes do vapor inglez
Gen/tai que fui a pique no dia 8 junto a
Pona Cbelang. Os nufragos toran salvos
nos botes, e estiveram em trra, cele rece-
beram dos mandaiins protecco e bom trato
Apesar das mas circunstancias era que se
achara o G'.nkai, quando foi abandonado, os
piratas n3o deixaram de o abordar, luciando
ontre*is:bie quaes seriam os pimeirosa
raelher roubar. O navio porem, afundin-
do-se levou consigo 70 a 80 dos ladroes!
Em M.Hsau havia mais felicidade. Depois
de um calor intenso, durante o dia de do-
mingo, o vento principiou a soprar regular-
mente da N. para NNO. pelas 5 boras da
tarde, e {. qoando refresccu pelas 8 horas
da noite, que se fez no porto o s'goal de
prevenco aos navios.
A's nove horas rondou o vento a o ste
com aguaceiros pesados, e girando para o sol
firmou-se com imeosidade no quadrante SO,
onde se conservou, dando recalmes depois
da meia noite, eabonancando pela madru-
gada no quadrante SE. A mnima barom-
trica fii de 7iGm s nove horas da nuile,
marcaco era qua o barmetro estacionoo
at raea noite, subindo depois rpidamente.
No porto interior apenas dois ou tres barcos
chinas encalharam, por mal amarrados, na ex-
tremidado de Patane; Da roda, os navios gar-
raram alguma coisa, e na cidade o nnico es-
trago que houve. foi abater um pequeo ca-
ramancbao no jardim publico!
Os jornaes de Shanghai d5o noticia de
um grande tufo nos mares do Japo no dia
31 de agosto. Parece que o vapor Shoetj-
leen, se fierdeu com tudo e todos os que
estavam a bordo.
AnNIVERSAMO DE QIA GRANDE BATAI.HA.
Celebrou-se ha dias no iostiluto dos guar-
as o anniversario da batalha de Inkermann.
Iluuve jantar a que assistirjm os. offlciaes in-
fetioreseos soldados da brigada dos guar-
das que tomaram parle na batalha, e que es-
tavam reunidos em numero de ons 160 ofQ-
ciaes inferii res e soldados que ainda eslao
addidos aos corpos de granadeiros dos col-
dstreams e fuzileiros.
Entre os offlciaes presmtes vam-se: S.
A. serenissima o principe Eduardo de Saxe-
Weimar, oronel; sir Carlos Rusell, lente
coronel; o tenente coronel C ive: o tenente
coronel Yerschoyle eo visconde Hingcbing-
broke ; dos granadeiros da guarda, o coro-
nel Feilding, o tenenie coronel Le Conteur,
o tenente coronel Filz Roy, e o tenenie co-
ronel Soymour; do corpo dos coldstreams
da guarda, o oronel Hepbrun, o tenente co-
ronel Aitehison, o lente coronel Gordnn, o
ttneate coronel Neville; do corpo do3 fuzi-
leiros eseccezes da guarda.
Um travo dos mais interessantes deste jan-
tar foi que alguns dos offlciaes presentes ser-
viram os soldados.
Ao dessert o Sr. Mac Blanc, sargento
ajudante, presidente, levantou-se e disse:
Oflkiaes. offlciaes inferiores e sollados
da brigada dos guardastenho omaior pra-
zer em tomar a palavra em vosso nome. O
brinde que vou propr deve ser recebido
com acclamago por todos os subditos de S.
M., mas mais prticulnrmente ainda pelos
guardas : Bebo saude da rainha.
O brinde foi recebido c >m grande enthu-
sasmo, e foi seguido de tres salvas de ap-
plausos, em honr de S. M.
Foram tambem propostos brindes em hon-
ra do principe e da princeza de Galles e do
resto da familia real.
O presidente disse ento:
t Vou agora propr um brinde de solda-
do, e tenho a certeza de que o ides acolher
com alegra: A' saude de S. A. R. o du-
que de Cambridge e dos offlciaes da brigada
dos guardas. Recordar-vos-heis todos da
vinbeta do Puncheda sua divisa; sabem
divertr-se, mas tambem bater-se.
Este brinde fii acolhido com o maior en-
tusiasmo. Depois tomou a palavra o coro-
nel Feldicg:
Sargento ajudante, Mac Blanc, offlciaes
iof-riores e soldados.Tenho a maior satis
faco, na auseacia de S. A. real o duque de
Cambridge, em vos agradecer o brinde em
quo comprebendestes os offlciaes da brigada
dos guardas. O modo porque o brinde foi
recebido faz-me ver que apreciastes perfeita-
mente os meus esforcos para vos offerecer
o festpjo o'este dia. Pela minha parle posso
dizer com toda a franqueza que julgo de mais
recompensados os meus esforcos pela salis-
faco qua sinto ao ver-vos aqu reunidos ; se-
gundo a amiga e verdadeira mxima, ha pra-
zer com a recordacao as provas porque se
passoii. Ha treze annos lutavamos nos ao
lado uns dos outros nos (laucos das collinas
de Inkermann; e treze annos formam um
tao largo periodo na vida de um soldado in-
glez, que se nao tinha j a esperanca de ver
aqui boje um tao grande numero de velera-
nos de Inkermann. Estou encantado de os
ver n'este logar. Napoleo disse urna vez
que o soldado inglez nao tinha conscencia
de urna derrota. Nao creio que at hojeal-
guem tenha razoes para por em duvida essa
asserco.
a A bala'ha de que hoje celebramos o 13
anniversario, d outro exemplo de tonaci-
dade da infantera ing!eza. Creio firmemen-
te que a infantera ing!e?a era o nico cor-
po ere tropas do mundo capaz de assim re-
sistir contra torcas muito superiores, que
FOLHETIi
com tanto vigor a atacaram. Seria fra de
pO)poNtu deinorar-me mais en lonvores
b'igada a que. pertenco. Tinha a honra de
servir cora ella ifessa occasio; porm seja-
me permittido citar dons ou tres factos que
demonstram a energa dos guardas n'esse
dia. Tive a infelicidade de ser ferido logo'
no comeco da accSo. Fui transportado para'
a retaguarda por um fuileiro escocez cha- i
mado Bishop, e por um bomem dos col-1
dtreans, que me levaram dos cape tes at
que encontramos urna maca. Ped que m'a
cedessera, o que fizeram, com a condicSo
di) qae depois fo.-se reconduzida para a 4*
columna de batalna.
Como era natural, nao poda responsa-
bilisar-mo por sso; porem Bishop disse;
Oca isso a mu cuidado ; e pariimos. o
camioho, Bishop foi ferido por urna bala,
que Ibe atravessou um braco. Apezar d'isso
quiz cumprir o que tinha promettido, e le-
ven a maca ao ?0. regiment, que estava
B'i 1.a columna de batalha. Quanio a mim,
ac ir da vanguarda para o campo, devia ver
necessariamente alguns soldados da nossa
brigada que se deixassem flear para tras,
se alguns assim livessem procedido. Quao-
do chegnei s primeiras barracas de campa-
nba vi electivamente dous|homens, que dif-
Goilmente se moviam, mas reconheci que
erara feridos da ambulancia, N3o vi n'esse,
da um so bomem que ficasse retaguarda
dos seus companberos de armas.
Considerando a felicidade com que os
homens, n'essa manh3a nebulosa, evjtaram o
perigo no meio de um nevoeiro que por ve-
ze; nao permittia, comodeveis recordar-nos,
que se visse a dez passos de distancia, con-
sidero esta circunstancia como um facto de
que devemos ufanar-nos. Ha ainda outro fac-
i de que me record com orgulho, Da mi-
nha qualidade de membrodo corpo de guar-
das, e que citare! pela simples razao de que
nao talvez conhecido por todos vos: que
(u.indo os francezes vieraui ajudar-DOS na
msior forca deaccSo, o general mandou pe-
dir especialmente a lord Ragln que as suas
tropas fossem appoiadas pelas tropas ingle-
zas do corpo de guardas. Quanto ctlebra-
co d'esle anniversario, nao di-ve suppor-se
que sejaes os convidados da commisso do
instituto dos guardas : sao os offlciaes da
brigada dos guardas que vos prepararan)
esta festejo, e da sua parte vos faco este aco-
lbimento, congratulando-me pela vossa pre-
serva n'este lugar.
A festa durou at hora muito allantada
da n )ite.
Catiiedhal catlica em nova-york.V5o
continuar activamente em Nova-York as obras
da catbedral catholica da Quinta Avenida,
edificio que vira a ser o mais grandioso de
toda a America. Para isso convencionaram
todos os catbolicos de Nova York em dar
um, mensalmente a quanlia de pouco mais
ou menos 200 rs. da nossa moeda ; e como
se calcula que ba nadiocese mais de quinhen-
tos rail catbolicos, resulta que acontribuic5o
mensal, no ser inferior a duzentos contos
de res.
Luctadoues INCGNITOS.Continuam filos
todos os olhos do mundo parizieose nos ho-
meos mascarados que combatem no circo de
gyranastica da ra de Lepelletier. Um apre-
sents-se de cabeca coberta com um paDno
preto; outro cobre-se com veludo encarnado.
Am bos se esmerara tanto em conser 'ar-se des-
corhecidos que cada vez excitam mais a en-
ri sidade publica. Ha quem diga que sao
joroalistas, actores dramticos, marinheiros,
nobres do antigo rgimen e offlciaes de sa-
phis; mas o que est averiguado que at
agora nSo se tem podido averiguar nada.
O hornera do panno preto tem urna torca
de punhos capaz de derribar um palacio, ou
urna situacao poltica das mais Armes. O do
panno vermelho tem um corpanzil que bumi-
Iha os espectadores, porque todos sao uns
tisi;os e enfezados comparando-os com elle.
Quando luctam um com o outro, comprehen-
de-se a utilidade e a vantagem do principio
da nao tervenco.
Os abyssinianos. Os abyssinianos, con-
tra os quaes se prepara urna expedigo in-
gleza, sao de estatura regular, bello ca-
bello, bonitos denles, olhos meigos, ps
grandes, a cabeca bera formada, a soa cr
porm preta ; usam urna especie de capa
meito curta que Ibe cobre os hombros e o
peito ; trazem lodos urna pequea imagem
da virgem ao redor de seus pescocos, e nos
brcos diversas cruzes esignaes, bem como
alguns nomes de prenles-fallecidos. Jul-
gara urna offeusa sua crenca, o comer
com um musulmano, e ISo grande, que
necessario ser depois novamente baptisadol
Todas as casas na Abyssinia, diz o Cr-
relo < os dois mundos, esto sempre aber-
tas, menos quando dormem ou comem os
seus donos; o gado, c5es, carneiros, etc.
dormem e comem nos mesmos aposentos
quo elles, e sao as vezes ainda mais esti-
mados os caes, que as pessoas da mesma
familia. Seniam-se todos juntos mesa
segundo a sua autoridade Da casa, e os
BM
D. BRiNADE LiNZA
RECOSBlfijffS DA CORTE DE FELil>?8 II
Romance histrico oiigioal
Por E, Feio de Mendoza.
PARTE 1
e*3eaiP9i*> pr amor
LIVEO IV
O SENTENCIADO A UOETE.
(.Continuago do n. 289.)
CAPITULO Yin.
TraicAo para os traidores.
Tolos os rebgios da nobre cidade de
Madrid indicavam as dez horas da noule de
28 dejulho de 1579.
A princeza de Eboti e Antonio Prez,
ignorando a temprale qae tinham sobre
suas cabecas, estavam aquella hora sentados
a urna mesa sutopluosamente coberta de
manares e vinhos preciosos.
A princeza traja va um vestido de seda
branca, muito decotado, e a sua physiono-
raia revelava a maior satisfaco, Ferez,
com o vestuario em desalinho, mas cheio
de elegancia, eocostava um dos bracos ao
sof em que estava D. Aana, e olhava a
com -morosa embriaguez.
Cs dais amantes julgavam-sa j seguros
e felizes. Todos os seus iomigos tinham
sido venckbs, e at os seus amigos, aquel-
los que podiam fazer-lhes sombra, se ha-
viam retirado da corle, deixand-lhes lvre
criados s depois de seus amos comerem,
e que o poden fazer.
A idade regola nelleso'e cincoenta ases-1
senta annos, nao excedendo quasi nonca'
aos sessenta; reinara sempre naquellas ter-'
ras diversas epidemias que devastara as
popn'acSes, alera de continuas rixas e guer-
ras constantemente.
A cadeia Mii.i.BANK.A cadeia Mibmk,
a roaii r de Inglaterra, e oceupada ni-
camente por sentenciados. No anno de
1868, diz o Times, 2,061 presos alliestive-
ram e 473 presas, tora 231 individuos de
ambos as sexos, dolidos provisoriamente
all.
Durante o mesmo anno, 121 acab ram as
suas senteocas. 2 suicidaram-se e 10 fal-
lecern! de doenca; das 473 mulheres,
258 vieram das difTerentes cadeias das co-
marcas, 32 acabaram as suas sentencas e 2
fallecerara.
Os castigos inflingidos, foram : um preso
acoutado, 165 a pao e agua, as celias, e
421 a pao e agua, mas smente de* um a
tres dias. Duas mulheres foram acontadas,
89 ligadas e 20 a pao o agua.
A despeza desta cadeia subi a 36:052 li-
bras ou 162:2345003.
Os gados repartidos pelos presos, foram,
3,293 libras ou 14:6085500 ; e pelas pre-
sas foram 322 libras, ou 1:1445000.
A CATASTROPHE DA ILHA D8 TRTOLA.
Parece que a natureza est caprichando em
desencadear todas as suas grandes coleras
sobre os mares das Anlilhas. Nao data de
muitos dias a noticia de um terrivel furaco
em S. Thoraaz ; muito recenta a da sub-
raerso da lha de Trtola ; agora annuncia-
se nm cyclone era Porto Rico 1
Adlamidade que cahio sobre urna das
possesses inglezas daquellas qne a ima-
gioacao mal pode abranger. A ilha de Tr-
tola foi enaulida pelo mar com a sua popu-
aco de perto de 10,0DO almas. Aioda
nao ha pormenores de t5o horroroso desas-
tre, mas nenhuma narraco clrcumstanciada
augmentar o horror que inspira a simples
noticia dada pelo telegrapbo. Imagine-se
urna destruirlo a que nao pode escapar
nada, urna ilha inteira que desapparece no
abysrno como um navio que vai a pique !
E' provavel que a ca'aslrophe fosse re-
pentina, porque o continente visinho das
Antilbas sujeito a violentas commocoes.
Trtola era a mais importante das ilhas do
grupo conhecido pelo nome de Virgin
lslands ; tinha de comprimento dezeseis
milhas e da largura duas. Era urna massa
montanhosa, cujo ponto mais alto eslava a
1,600 ps cima do nivel do mar. Havia
duzentos annos que pertencia aos inglezes.
Caheiro honrado. Um negociante de
Londres annonciou nos peridicos que pre-
cisava de um caixeiro honrado que seso-
geitasse a estar preso durante treze ou qua-
torze horas por dia com o servico da sua
casa. No dia seguinte apresentou-se um
pretndeme.
Vocemec acha que pode estar preso
tanto lempo cada dia ?
Oh, sem duvida nenhuma -- res-
pondeu o pretndeme com um sorriso de
inneffa-el canduraEu j estive sete annos
na cadeia.
Relocio hydradlico. Esteve na exposi-
cao universal, e breve se vai ver as fontes
publicas dos mercados de Pars um notavel
relogio bydraulico, invenco do padre Em-
briaco, addido ao observatorio de Minerva,
em Roma.
O apparelho, diz o Diario dos Debales,
to simples e ao mesmo tempo to invaria-
vel, que ser um verdadeiro regulador para
o bairro. Nesse relogio o motor a agua.
Introduzida em um pequeo resemtorio ou
baca, onde conservada era nivel constante,
cae pornma abertura de alguns milmetros,
o cae de pequea altura em um barqninho
dividido em dous repartimeotos iguaes, sol-
dados em ngulo recto ao eixo da baste que
rauve o pndulo. Logo que o pndulo per-
de a posico vertical e comeea a oscilar, o
barquinho apresenta successivamente os seus
dous repartimenlos debaixo do oriQcio do
reservatorio, de sorte que quando um se
abaixa pela carga da agua, o outro levan-
la-se.
Esta alternativa gera o movm?nto que per-
peta a cscillaco do pndulo, e este, por seu
turno, regula a velocidade do movimento.
Ao mesmo tempo, a agua que sie a cada os-
cillaco do pndulo cae em outro barquinho
e o faz oscillar isochronicamente cem o pn-
dulo. Esle segundo barquinho, por meio
de urna alavanca soldada no seu eixo, trans-
mute o movimento primeira roda, que in-
dica os segundos; desta roda o movimento
6 transmittido oulra que d os minutos, e
emfim que indica as horas.
A transmisso do movimento faz-se sem
engrenagem, por meio de simples alavancas.
IIVDnOPHOBlA INTERMITTENrE ? Postoque
o segrate caso nao seja dos mais facis de
crer, e muito menos de explicar, diz a Gn-| Ti-miltos de pars. No da 20 de no-
zea Medica, pois e contrario a tudo quanto vembro efam j0|gados em Pars no tribunal
at agora se sabe dos resultados coustante- correccional do Sena, Carlos Jlo Flix Hen-
raente fataes da raiva canina transmillida ao ECC; engenbeiro civil, Pedro Felippe Adria-
bomem, aqu o reprodzcaos por conta do ^ Desmazeao, criado de casa de pasto, Ga-
Detroit Free Press, que e quera o afianga. briol Robinet, estudanle e Luiz Carlos Lau-
James Bay foi mordido, ha desesew annos, rent> homem de leUrM accasaa08 de resis-
por um cao damnaio, ^m que disw Ibe re-, tenaa m ageDle8 da forca publica; de n-
sultasscm grandes mcmmouus ale o da em jDnas e violencias praticadas contra estes, e
que fez um anno que elle fra mordido. Sentio entao alguns symptomas da terrivel tie grjt03 sediciosos,
molestia, que logo assumiram as proporgas Este processo leve origem as manifesta-
do ma>s terrivel ataque ; por seis semanas c-,es do povo de Paris contra a intervenco
andou maniaco furioso sem esperanca al- franceza na Italia a favor do noder temporal
guma de cura ; porm urna coaslituico de 0 papa,
ferro e urna amentac3o industriosamente n0 dia de finados agglomerou-se grande
dirigida arraocaram-o das portas da morte, multdao jumo do tmulo do general Gode-
e, finalmente, resiabeleceu-se, j froy Cavaignac, no cemiterio Montmartre ;
Continuou no seu medo de vida at o se-0 commissario de policia fez intimar tres ve'
gundo anniversario, qoando foi de novo ata- zos a geQte qoe se achava reunida para que
cado, porm menos mensamente do que a' se dispersasse, mandando empregar a torca
primeira vez. A 26 de junho- de cada anno' se 03 grupos d5o se dissolvessem. Os agen-
tinha elle um ataque de hydrophobia, o ul- lej ja polica cumpriram estas ordens, hou-
timo dos quaes foi ba urna semana em San-| ve resistencia da parte de alguns dos cir-
dwich, onde elle trabalhava de oleiro. Sen-'cumlante-:, e alguns gritaram : t Viva Ga-
lio os symptomas usuaes de manha, e pe- ribaldi viva Cavaignac, fra a polica, fra
dio a alguns amigos que o amarrassem, afira os espies 1
de evitar quaiquer offensa pessoal. Assus-| os acensados foram presos*Beste conflicto
tados por semelhante propost?, recusa ram- e remetlidos ao poder judicial.
se todos a p-lo em pratica, e elle conti- j As testemuohas de aceusaco foram cinco
nuou no seu trabalho todo o dia at a meia j agentes de rolicia.
noite, hora usual de o deixar. Robinet e Laurent foram conlemnados
Algum tempo depois foi encontrado ma- revelia, o primeiro em tres mezes de priso
niaco-fonoso. e de tai sorte se aterraram os por ter resistido a um agente da torca pu-
seus amigos ao v-lo, que nenhum ousou blica, e hav-lo injuriado e maltratado eom
offensas corporaes ; o segundo em um mez
de priso por injurias verbaes dirigidas aos
agentes da autoridade no exercicio das suas
funeces.
Hense foi tambem condemnado em um
mez de priso como este ultimo.
Desmazeao foi condemnado em 15 dias de
prisHo e 16 francos de multa, por tjr le-
vantado gritos sediciosos.
r<
l
na
o campo, como succedia com o duque de
Alba e cera o raarquez de Velez.
Cousa alguma, pois, perturbava a felici-
dade dos dous favoritos. Naquea mesma
coute Ant .nio Prez, que estivera despa-
chando cora o re at s nove horas, ou\ io
deste phrases lisoDgeiras e expresses af-
fectuosas.
Sabes, Anna, dizia Prez princeza
com o acento da mais aPa salistago, sabes
que minha rma eo marquez nos fizeram;
urna pasjagem bem celebre ? A menina
hypocrita enganou-nos e o cavalheiro zom-
bou de dj. Bah 1 pouco me importa que
por fim se tenha casado com Lanuza. Que(
demonio 1 nao era fcil desuni-los. Que i
amor to romntico I
Deixa-os seguir o seu destino, res-
ponded Eboli com impassiblidade. Para
te fallar com franqueza nao o sinto, porque
j estava incoram"dada com to enfadonho
negocio. A menina chorando sempre, La-
nuza revolvendo a corte para buscar em-
penhos, e par ultimo, a sua orguihosa ir-
maa ameacarido... Ah mas bem me te-
nho vingado delta... O seu amante mor-
rer no patbulo.
Corpo de Deus 1 quo proesa realsa-
mos 1
A princeza dlou a rir, e Antonio Prez
ratou-a.
E dU3-rne, Anna, prosegoio o secre-
tario do es'ado, cao sentes que Jo3o de La-
nuza se casasse com Constanca T
A princeza encolheu desdenhosamente os
hombros e respondeu a Prez com altiva
meza:
chegar-se-lhe para perto. Durante o ata-
que soffreu amiudadas convulsoes, cujo ef-
fei'o deprimente foi tal que no decurso da
noite adormeceu. Na manha seguinte acba-
va-se no seu estado ordina io, mas em ex-
tremo abatido pelos soffrimentos.
A POLTICA JLCADA PELOS ALGARlSMOS.
O distiucto jornalista francez Emilio Girar-
din acaba de escrever um notavel artigo, no
jornal Libert, em que aprecia por meio de
algarismos a situacao poltica da Franca.
Em 1847, diz elle, durante a mnnharcbia
de 1830, o exercito francez constava de se-
te contingentes annuaes de 80:000 recrutas;
totalidades560:000 homens.
Em 1851, no tempo da repblica de
1818, o exercito francez era egualmente
composto de sete contingentes annuaes de
80:000 recrutas; totilidade560:003 ho-
mens.
Em 1867, sob o imperio de 185*, o ej-
rcito francez compe-se de sete comngen-
tes annuaes -lO0:OUO recrutas; totalidade
700:000 borneas.
Ditferenca para; mais:440:000' homens.
A pezar d'este'augmeoto de 1-50:000 ho-
mens, o algsrismo actual nao julgado sufi-
ciente.
Trata-se de elevar a duracao no servico de
sete a nove annos.
Se a bondado da arvore deve ser juigada
pelo sabor dos seus- fructos, qoe juizo se de-
ver formar da poliii a que, a pz quinze
annos de reinado, conseguiu, nao tornar o
servico militar mais suave, mas sim trna-
lo mais pesado n'uma proporco to consi-
deravel ?
Afim de desculpar o imperio, pretender-
se-la acaso fazer recstr sobre a Prussia es-
tado que em junho de 1866 nao contava
mais de 49 milhes de habitantes, a repson-
sabilidade d'este accrescimo do servico mi-
litar.
Seria esta [urna raso detestavel, porque
dara logar seguinte resposta. Era vez de
consentir que a Prussia alargasse as suas
fronteiras, cumpria pe'o contraro, obstar
a esse eograndecimeno, se elle importava
para a Franca umsa.riScio de homens e de
dinbeiro to p sado, tao excessivo e ruinoso.
Urna boa e hbil poltica tena alcancado
um resu lado absolutamente contrario, islo
a dimiouico do tempo do servico militar
e a redueco do algarismo dos contingen-
tes annuaes.
Os algarismos do debito publico nao sao
meos conclude.tes daque os algarismos do
debito militar, conclu Emilio da Girardin.
A lei de 24;d'agosldel793 tinhafixadon
algarismo da divida inscripta em 174,716:000
francos; algarismo que, reduzido terca
parte, tinha baixado a 40,216:000 francos,
e que monta actualmente a 408.952:035
francos de juros, representando um capital
de 13,026.510.613 francos.
De um octavel estodo estatistico publi-
cado esta semana pelo Sr. Raoul Boudon
sob este titulo : a Verdade sobre- a situacao
econmica e finaneeira da Europa, resulta
que se devem lancar a debito do primeiro
imperio ; da Restauraco de 115, da mo-
narchia de 1830j da segunda repblica edo
segundo imperio as segumes creacoes de
ttulos do estado.
Primeiro imperio., fr. 101.890:604 dej>.
Restauraco de 1815 &832:37
Monarchia de 1835. 4.194:311
Repblica de 1848. 42.551:189
Segundo imperio... 440.052:947
Estes algarismos nao precisam d&com-
mentarios.
Farias muito bem e nao me recor-
dar aquello capricho de croanca ridicula,
pois te repito que com prazer me vejo livre
de urna cousa to fastidiosa. E sobre tudo
muito tem que soflrer com a desgraca de
sua irmla Branca.
Gosa, no seu soffrimento.
Gso.
Ah I isso porque ainda o amas.
Nao sejas creanca, Antonio. A mu-
lher as minhas condices nao pode sentir
urna verdadeira paixo por mancebos im-
berbes como Joo de Lanuza. Alm disso
nao nos combnavamos... Elle era todo
alma, todo espirito, e eu...
Seja assim, respondeu Prez, domi-
nado como sempre pelo influxo ir resista vel
que sobre elle exercia a princeza; pensemos
em nos, Anna. Todos me apoquentam. A
malf.dala quest5o Escobedo vi tomando
cada vez cores mais sombras, e nao sei em
que vira a parar. S sou feliz durante os
momentos qoe passo a teu lado, porque
entao me esqueep da minha fatal e pouco
segura posico.
Pois que, nao te amo eu tambem ?
Sim, Anna, sim.
E que podes receiar amando-te tanto ?
Ah I
Quem ple fazer-te damno? Qaem
se atrever a desgoslar-te ?
Todos, exclaraou Prez com desalent;
os noores, o povo, a familia de E-cobedo ;
e para maior desgraca mioha, ha alguns
das que tenho uns presentimentos to tris-
tes... Anna, cunfesso-l'o, nao so cobarde,
mas tenho medo d'esse incomprehensivel e
sombro monarcha, e estou decidido a re-
tirar me para Inglaterra com as minhas ri-
quezas.
Tu ?. ..
Sim. Qae posso esperar aqu?...
O re tem cada dia urna disposico de ani-
mo mais difflcil de contentar e...
Velho impertinente I exclaraou col-
rica a princeza. Asseguro-te que cada dia
o aborrego mais.
Calla-te por Deus, Anna, disso Anto-
nio assustado, levando a soa mo aos labios
da dama; se alguem te ouvisse.. estava-
inos perdidos.
A princeza sollou urna gargalhada e res-
pondeu :
Vamos, 9sta noule ests insuportavel
com os leus re'ceios. Porque nao s fran-
co como eu ? Dize, nao te alegraras com
a morte do re ? E' elle quem nos incom-
moda e aborrece em tudo. Qua felizes se-
riamos sem a sua odiosa presenca!
E perguntas-me tu se desejo a sua
morte ? Nao sabes quanto a odeiam os meus
zelos ? Oh Anna,.. Auna... como nao
ei de detestar o que o estorvo da nossa
felicidade ? E ter sempre de estar com re-
ceios, enganando-o... Se houvessequem
o raatasse sem me compro nelter, dar-lhe-
hia metade da minha fortuna..,
Ante este horrivel pensamento, que em
honra da verdade nao oceupra seriamente
a iraagioaco da princeza, esta ^estremecei
t e cerrou os olhos.
| Calla-te, nao me digas isso, exclaraou
;por"fiir; ha ideas do inferno, e essa urna..
5o, nao, fallemos de oalra coasa.
Estatistica.Vamos publicar alguns da-
dos estatist'cos de origem offlcial, relativa-
mente ao numero de barcos a vapor de que
se compite a marinha mercante da Grn-
Bretanha.
No da 4o de janriro 'de 4867, tinha a
Gran Bretanha 2:836 vapores da lotafo de
1,270:240 toneladas, inclundo. o espaco oc-
cupado pelas machinas; sao 481 barcos e
410,000 toneladas mais do qoe em Janeiro
de I8G6.
Nao deixa de ser urna cousa curiosa saber-
se quaes sao os materaes empregados na
construccao desta esquada:
Navios de ferro......... 4,896
de ferro e ac.... 4
de ac........ 28
de madeira...... 877
de raadeira e ferro 31
Total 2,836
V se que o systema mixto de construc-
cao, que achou em Fracca tantos partida-
rios, nao gosa de crdito algum na Inglater-
ra ; a exerencia provou sem duvida os* in-
convenientes que tinha. Os tres quintes ap-
proximadamente dos barcos a vapor sao
construidos com ferro; todava a madeira
contina a ser empregada n'uma propoceo
considerave!.
Os barcos de rodas continuara a ser os
ma numerosos; contam-se 4,561; sao
1,238 as de hlice ; os de mais sao barcos
construidos segundo systemas excepcionaes;
ha ara barco a vapor que ao mesmo tempo-
munido de hlice e de rodas, 6 tem urna
dupla hlice; as machinas de 2 funecionam
sobre a coberta; finalmente um barco mo-
vido por urna machina hydraulica. que por
ora s- mui pouco conbeekia, que demanda-
grandes aperfeicoamentos, mas que, segan-
d) a opinio dos homeo3 entendidos, est
destinada a produzir urna verdadeira revo-
lucao na navegaco, por sso que um nao
nao necessitaria em tai caso de encheF de
carvao urna Darte dos seas flancos.
o omento sobre o qual navega forntoer-
lhe-hia gratuitamente e-em quantidade inex-
gotarel a materia destinada a crear & torca
motriz-.
Era 1866 foram laucados ao mar na.In-
glaterra, um barco a vapor de 3,368- tone-
ladas, e seis de 20C0 a 2,578. Un* destos-
iera urna machina de 550 caval'os da torca,
outro possue urna de 500, e tres so-mo-
vidos vor machinas da 400 cavallos.
Dos 2,8'16 barcos avapor, 721 pertencera
ao porto de Londres 424 a Liverpool e 263
a Glasgow.
FORCAS MILITARES DA ALLEMAUH.ft M3-
mero de batalboes de que pode hoje dispor
a Confederado prussiaua do norte sobe a
700; isto 368 de linha, 118 de reserva e
214 de landwehr. Tem havido, pas, des-
de 1860, um augmento de 412 batalboes as
torgas militares da Prussia. Se quelles, 704
batalhoes se ajuntarem os 108 da Bavieri,
os 40 de Wurtemberg e os 36 de de Ba-
dn, resulta um total de 884 natates ou
mais de um milbo de h&meLS.
Sim, sim, fallemos, responden o se-
cretario, paludo como a morte, fallemos
de dos. Decidido como estou a refugiar-me
era Inglaterra, vera comigo, Anna.
Nao, isso urna loucora, porque da-
ra lugar a que a curte inteira se risse de
mim e me despresasse. Tem valor e con
fianca em mira, querido Amonio, e nao re-
corras a essa fgida at ao ultimo extremo.
Entao pode ser que te siga.
Ah I Pode ser I Nada mais T
Quaudo se verifique, veremos. Vejo
que o medo te aprsenla vises, e...
Mas que ruido este ? exclamou An-
tonio levantando-se.
A princeza levaotou-se assustada, porque
ouvia ruido de armas as casas prximas;
e Antonio Prez, sempre com o receto de
ser preso, empalidecen e retirou-se para
o fundo do gabinete.
Oh sao soldados ~> Que se passa
aqui, meu Deus 1
Quem entra na minha casa deste rao
do ? exclamou a princeza levantando or-
posteiro da porta que dava passagem para
as casas exteriores.
Mas ao mesmo tempo recuou, bem como
Antonio Prez, porque entre a porta appa-
recju Santoyo com D. Hugo de Moneada, o
primo de Branca, e doze ou quatorze guar-
das deCislella.
D. Hugo olhou altivamente a princeza, O
mandou entrar no gabinete o seu tenenie e
tres soldados.
Depois dirigio-se a D. Anna.
. Sois vos Sra, D. Anna de Mendosa e
de Cerda, princeza viuva de Eboli, duyaeza
de Pastana e condessa de Melito f
Sim, soueu. Que queris ?
- E vos, accroscentou o inflexivel D.
Hugo, dirigindo-se a Antonio Prez, sois o
Sr. D. Antonio Prez, secretario de S. M. o
mui poderoso Sr. D. Felippe H ?
Sou, mas vos nao me conheceis. D.
Hugo?
Neste momento, nao ; sou um offi-
cial de S. M. disposto a cumprir as ordens
que acaba de me entregar.
Ordens ? exclamaram a um tempo a
princeza e Antonio Prez.
Ordens terminantes e severas, que
tem por fim por em boa seguran. as vos-
sa s pessoas.
Presos Quem sois vos, gritou a
princeza paluda d ira, quem sois vos para
prender D. Anna de Mend za ?
Um leal soldado de S. M. Eis aqu
a ordem.
E apresenloo assombrada princeza e ao
attotiito Antonio Prez urna tolha de papel
com a assignaturdorei e o sello real em
cera encarnada,, que poucas pahuas con-
tinua. .
Com a soa leitora o secretario perdeu
todo o seu valor vendo-se perdido, e a prin-
ceza, apezar do seu orgulho, cabio tambem
anniquilada sobre o sof.
(Continuar-se-ha.)
<





4 l
\
TYP. DO DIARIO-RUA DAS CRUZES XUk
\


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EKMI4IXHQ_GGHQP5 INGEST_TIME 2013-09-05T02:46:49Z PACKAGE AA00011611_11447
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES