Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11443


This item is only available as the following downloads:


Full Text
"*>
*p
\
ANNO XLIII. NUMERO 286
Per traa tom i4Bidi.,. .............
P-i #J(NJ.. .1 .1 .J ., .. .... ., ., .4 .. .. ..
p* *m UJ. a.. ., ., #i ., ., ., .j #| .j.:.!. .
fe* Maw.jirai .j ...... ^..............
*dospR
6,5000
lOOO
24*000
2 ^
f


>
/
*
BtfNTA FEIRA 12 DE DEZEMBRO DE 1867.
TAMA UKXTUO FUMA A PBOli^CIA.
Per tres adiantaa'ei.. f. i. .. ,. ..... ..
Par mi dito* idea. .......,...... .. ., ,, ., tm mm jr j-j
Ftr MTe ditw Mi...........,. ...................(
Par ob annt idea.. ;? .. .. ., .. .. ,. ,, ,. ,. ,. ,, .. ,, # ##
A3aQBi\8a mu ipmiiOAmiBii mi latauiPMiiro aa mnDiHi OT&iiiimiwv idi vsmt & muDoSa mis ipai>iP!Maj!ii!&ai>8
754
11^500
20*250
270000

JENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO.
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ; Aracatr ,
oSr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. Joaqaim
os de *Mveira ; Para, os Srs. Gerardo Antonio
Alves & Pilbes ; Amazonas, o Sr. Jeronyrao da
Costa; Alagons.o Sr. Francino lavares da Costa;
Babia, o Sr. Jos Martins Alves: Rio de Janeiro,
r. Jos Rlbeiro Gasparinbo.
partida dos s^tapbtas.
Olinda, Cabo, Escala estagdes da vi frrea at
Agua Preta, todos os das.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas reirs.
Santo Anto, Gravati, Bezerros, Bonito, Caraard,
Altiobo, Garanhuus, Buique, S. Beoto, Bom Con-
selho, Aguas bellas e Tacaratrj, as tercas-fejras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqoeir,
Isgazeira, Flore, Villa Bella, Cabrob, Boa-Vis-
ta, Uuricury, Salgueiro e Ex, oas guaras feiras
Serfnbaeri, Rio Formoso, Tamaodar, Una, Bar
reros, Agua Preta e Pimonteiras, aos quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNABS DA CAPITAL.
Tribunal do commereio: segundas e qnaia*
Relami: tercas e sbado* a lo horas.
Fazenda: quintas s f0 horas.
Julio do commerc/o ; segundas as 11 horas.
Dito de orphios ; terca* tulas i 10 horas.
Primeira vara do ci va i: tercas sextas ao neio
da.
Segunda vara do ci vl : quartas e sabbades a
1 acra da tarde.
EPHEMERIDES DO HEZ DE DEZEMBRO.
4 Quarlo erase, as 7 h. '29 m. da
I La cbeia as 9 h. e 18 m. da m.
18 Quarto miog. aos 42 ro. da m.
53 La nova as 8 b. e 47 m. da t.
DAS DA SEMANA.
9 Segonda. Ss. Gorgonia v. e Leocadia v. ro.
10 Terca. Ss. Mulehiades p. m. Eulalia v. ro.
11 Quarta. Ss. Damazo p. ro. e Franco confesa.
12 Quinta. Ss. Efinacho, Mercurio e Justino mm.
13 Sexta. Ss. Eustracio, Auihioco e Oresies rom.
14 Sabbado. Ss. Agoello, Pompeo e Druso mm.
15 Dominga S Albina m., S. Ceciliano m.
PREAMAR DE HOJE.
| Primeira s 2 horas e 54 m. da tarde.
[Segunda as 3 horas 18 minutos da manha.
PARTIDA DOS VAPOBES COsTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 30; para o norte
at a Granja a 15 e 30 de cada mex; para Fer-
nando nos dias 14 dos metes Janeiro, marco, i
julho, setembro e novembro.
MABIO DE PERNAMBUCO
Dos porto do norte do imperio chegon hortera o
vapor Paran, trazendo jornaes do Par' al 2, do
Maranho li 4, do Ceara' at 7, do Rio-Grande
al 9 e da Parahyba at 10 do correte.
PARA.
Comegco, do dia 24 do passado, a eleicao
para depulados provinciaes. O resollado dos cotle-
gios da capital, Viga, Igarap-toiry, Camela, Ca-
cboeira e Ciolra era :
Dr.Freltas................... 254
Dr. Nones................... 250
Conego Siqueira............. 248
Dr.CantSo.................. 248
Dr.Paes..................... 246
Dr. Bricio................... 243
Dr. Mariano.................. 240
Padre Joo Simplicio.......... 240
JoioDi'go................... 238
Tenente coronel Magalbes.... 237
ildebrando Lisboa........... 234
Dr. Pereira Jnior............ 229
Major Bentes................. 229
Padre Arago............... 228
Dr. Mondes Pereira........... 2i7
Dr Vleme................. 227
Dr. baral................. 226
Dr. .oeanlins............... 225
Manoel Roque............... 225
Major Jos do O*............. 124
Dr. Pinto.................... 222
Teente-coronel R. Lima...... 21
Teoeote-coronel M. de Miranda 218
Coronel Cardeso de Andrade.. 217
Padre Vilbena............... 215
Dr. Emilio Dias............... 213
Tenente coronel Wanzeller___ 206
Dr. Marcos................. 191
Rodrigues.................. 186
Dr. Camlllo................... 102
A corveta Niclheroy sabio para o Rio de Jar
oelro no da 30 do passado.
aiaiianhao.
As noticias do tbeatroda guerra levadas pelo
Paran prodoziram grande entbosiasmo na popu-
laco. Hoaveram msicas, logeles e feriado as
repartieses.
Tiiiham apparecido na praea multas sedulas
falsas de lOOoO. A polica nada id Je descobrir
al a sabida do vapor.
A alfandega renden no niel de novembro..
$0:581,5090.
A sociedade humanitaria Primeiro de Dezem-
Iro inaogurou nesse da o sen hospital. A' esse
respeito diz o Publicador :
< A abertura do hospital desla sociedade foi ex-
plendida. Ao acto da inaugurado esliveram pre-
sentes as priocipaes autoridades da cidade, desde o
Eira. Sr. presidente da provincia, e innmeros ca
valbeiros e senboras. Neste acto e durante todo o
dia fci observado religiosamente o programma do
festejo previamente publicado.
c A' tarde a concurrencia ao leilao da sociedade
foi animadsima, sendo lal que era difikil ter-se
cm lugar do saloonde eram os oLjectos vendidos.
Desles bouve alguos que foram nuis de dez vezes
arremalidos, por serem sempre tlerecidos socie-
dade pelos cavalheiros que os arremalavaro, tanta
era a animaba?, e to grande o desejo de auxiliar-
se a sociedade na sua raissao de caridade, que
vista do bom arraDjo da cisa, e dos estorbos dos
que tomaram si esla tartfa, parece que ha de ser
a roais proficua. >
Era conhecido o resoltado dos collegios de
Barra do Corda e Casias, pertenceoles ao segundo
districto eleitoral, para depulsdos provinciaes. Os
mais volados eram : Drs. Segismundo Antonio
Goncalves, Antooio J. de Mattos Pereira, Augusto
Colin da Silva Res, Joao Pedro dos Santos eSeve-
rino Dias Carneiro, padre Joao Joaquim Guimares,
coronel L. Pereira do Laeo, tenenles-corontls Car-
los Jansen Pereira, Jos V. de S. Coelho, Marcolino
j. Brando e Manoel J. M.I,capitao Joo da Motta
Ferreira, Raymuodo Marcelino Nuoes H-lfort,
Francisco Augusto Pereira de Maitos, Joaquim Ma-
ra Serra Sobrinbo.
O cambio regulava : sobre Londres 21 1/2
i., sobre Paris450 rs., e sobre Portugal 14o /
O navio, que ncticiamos haver-se perdido as
praias do Mairy, foi a barca ineleza Northern
Cronn, que ia de New Port para o Maranho.
D'uroa carta escripia de Bacurituba, districto
da S. ViCeale Ferrer, iranscrevemos o seguiote
trecho: Esqueciame dizerlhe que os (odios
bravios destruiram completamente um numeroso
troco de escravos fgidos, que acessados na nossa
provincia proenrivam refugio as maltas d i Para.
O celebre faccinora Joaquim Calisto, qu< capitanea-
ba os fgidos, foi urna das primeras victimas. Pou-
cos escaparara. E.-ta Dctlcia foi-nos dada por qua-
tro escravos do Francisco Romem, de Guarapiran
pa, que faziam parte do bando destruido, e que
procuravam a casa do senhor. Eram cinco, mas
uro, que bavia recebidouma laqoarada na barriga,
xnomo depois de cinco dias de viagem. Ja v que
as diligencias vao produzindo alguns beneficios : a
morte do Calisto llvrou estas paragens de urna
enea, que derramava o terror, e trazia todos assos-
tados. Era um bomem perverso ; Deus se amer-
ce de sua alma. >
piAiiiy.
Nos collegios de Marvo, Independencia, Picos,
Oeiras e Joromenba foram mais votados para de-
potados provinciaes : Dr. Souza Lima, Elu.) Mar-
tins, Constantino M ,-ura, Firmioo Martins e Jos
Lustosa, baro de Pirabim, padres A. C. Macedo,
Claro de Carvalho, J. M. da Rocha, J. Dias de Fre-
tas, Simpliciano Barbosa, J. de A-aojo Costa, Justi-
no Moora, Firroino Santos, J A. Leite Pereira, A.
Leoncio, J. J. Avelino, G. de Araojo Costa, Coriola-
no Burlamaqui, Lima e Castro, A. A. de Norohba,
A. de 11.llanda, A. Burlamaqui, David Caldas.
ceara'.
Tambera na capital desta provincia houve gran-
de regosijo pela ebegada das noticias do theatro da
guerra.
Toraoo posse do cargo de chefe de polica,
do dia 27 do passado, o Dr. Joo Florentino Meira
de Vasconcellos.
Encerraram-se no dia 29 os trabalhos extra-
ordinarios da assembla provincial.
Teudo appareeldo no mercado porreo de se-
dlas falsas de 103, que foram dadas pjr urna casa
commercial da capital, o Dr. ebefe de potieia pro-
ceden a' pesquizas que deram em resultado o se-
guiote :
Hjnlem (! de dezembro ao anoitecer) o Dr.
ebefe de poiicia M ira de Vasconcellos, tendo tido
denuncia, de que os negociantes desla cidade Cas-
tro, Souza & Das baviam passado, em pagamentos,
nma porco de sedulas falsas de dez mil res da
nova estampa, dirigio-se ao estabelecimento dos
indiciados, e abi procedendo a conveniente busca
eocootrou nma porciio das ditas cdulas falsas,
que elles dizem lerem Ibe sido remettidas do Ma-
ranho. i
f O Sr. Dr. ebefe de polica prosegne as inda-
gacSes convenientes psra verificar o crlme de in-
trodcelo de sedulas falsas na circularlo.
No domingo fez recolher a' priso os neg-
ciautes Joaquim Fernandas Dias e Antonio Martins
de Castro, socios da Arma commercial de Castro,
Souza & Das.
t Hoatem (3) nlerrogoa o socio Aolonio Martins
de Caslro.
t As respostas deste em perfeita harmona cem
as do ootro socio Dias, ja' Interrogado na nolie de
sabbado, pouca luz derrama sobre a Introducgo.
< Ambos confessam, que receberam dinheiros
do Maraohao, e que entre as notas vieram as de"
dez mil ris falsas, que elles nao cenheciam, e de-
ram em pagamento com a mesroa boa f com que j
receberam.
t Consta nos qne o Sr. Dr. chefe de polica man-
dra nm agente ao Maranho em orna jangada que
d'aqui parti antts de hontem a' norte, a lira de por
a polica d'aqoi d aecrdo com a de c, e poder-
se assim mais facllmect* descobrir-se a verdade.
Lemos no Pedro 11:
t Hontem (28) recebeu o Sr. Dr. Ribeiro o ca-
dver de urna chanca do sexo femioino, recem-nas-
cida do periodo de 8 a 9 mezes, tendo de extraor-
dinarioum nnico olbo no centro no lugar onde
devia estar o nariz, que esla' aosente, e represen-
tado por urna sa'lencia redonda de urna pollegada
de comprimento, e aberto no centro partindo da
parte soperior e contigoa ao dito olbo etc.
t Consta-nos que so estara' exposto ao publico
no domingo seguiote a boras que esliver abertn o
museo do Dr. Ribeiro, que alero de ontras rarlda-
dades conta mais esta que podemos chamar aber-
rado da natoreza.i
c II miera (30J na catbedrai conferio o Eira.
Mspo diocesano ordeos de pre-t yiero aos semina-
ristas segoinles desie bispado :
t Jos Mara Conde, capital ; Manoel A'exandre
da Costa, Ico; Rayraundo Firmino Pioheiro e Ma-
noel Silvestre Ferreira, Boa-Vista;' Manoel Lima
de Araujo e Germano Anienor de raujo, Saboei-
ro; Antonio Alejandrino de Alencar, Assar;
Jos de Souza Rezerra, S. Malheis ; Pedro Alves
de Araojo e Thonr Alves .'de Carvalho, Tena ;
Francisco Ignacio da Cosa Meodes, Boa-Viagem ;
e Salviano Pinto Brando, Sobral. ,
c Dobispadode Pernambuco os segnintes :
c Joo Candido de Souza e' Silva, Assu', Rio
Grande do Norte ; Mathias Ayres Delgado, S. Cos-
me e Damio, Pernamboco ; Manoel Joo Gomes,
O.nda, idem ; Cbristovo do Reg Borros, Una,
dem ; Jos Alves da Costa Gadeiba, Cajazeiras,
Parsbyt.a ; Jos Joaquim de Franca, Rio do Pelxe,
idem ; Joaquim Alves Machado, Patos, dem; Sa-
turnino de Jesns Bezrra, Panc, idem ; Tertulia-
no Jos dos Sanios Patory, Penedo, Alagoas ; e
Ftoriano de Queiroz Coitinho, Porto Calvo, dem.
c No da 14 do correte foi apanhado na praia
de Almofal, dez leguas aqnem da barra de Aca-
rar, nm frasco hermticamente Techado,' dentro
do qoal encoDtrararo urna peqoena folba de papel
escripia lapis, de todos os lados, ero loglez.
Nao tendo no lugar quera enteDdesse ioglez,
ob amigo remetteonos oesenpto cuja tradcelo
damos em segoida aos nossos tenores.
Nao sbeme s se exacta a noticiada furiosa
tempestide, que ah se diz ter occorrido em S.
Thorosz no dia 29 de outubro, causando amitos
estragos ero trra e no porto.
< O que rerlo qne o frasco lancado ao mar
no cabo de S. Roqua no dia 12 e apanhado na Al-
mofala dous das depois, a 14 fez una viagem omi-
to rpida.
t Eis a Iradorco :
c NovKmbro 12 de 1867.
t Do cabo de S. Roque a bordo do vapor Norte
Amenca, rapito Timrrermao. Sahlmos de Nsw-
Yoik em 23 de outubro e ebegamos a S. Tnomaz
a 30 do mesmo mez, encontrando casas armia-
das e destruidas, vapores ioglezes, franceres e ou-
tros muitos vasos a costa na praia e submergidos
no purto, cansaUo por m furlo occorrido no
dia anterior aode noss chegada a esse porto. At
a noite do dia 30 tinbarase enterrado 170 cerpos
achados na praia : se tivessemos partido de New-
York no dia marcado para a sahida (22) provavel-
mente teriamos chegado a s. Tbomaz a 29 e pro-
vavelmente tambem teriamos sido um dos naufra-
gados. Cousa eslraoha I nos deviamos agradecer
que a Providencia tenba nos impedido de ebegar
neta ternvel dia.
A' norteen rcguelao Nosso Senhor e dirig-
Ihe gracas pela preservagao de nossas vidas.
< Oh I como sombro e medoobo e>te mundo
(fiando nos separamos daqoelles a quero amamos I
Mas no co ha repouso para os inflize3 e os ami-
gos perdidos all se encontrara.
Nocu, eu nao posso deixar de lembrar-me
do dia em que mioha orgulbosa alma deixsr a
t-rra, porque essas fras tempestades de outubro
nao poderam aparlar-me de meus companheiros.
c Nunca mudanca alguma de tempo abalou mi-
nba f oh 1 Senhor, porque tens sido sempre ml
nha guarda e nma defeza segura para miro.
Vamos para o Rio de Janeiro esper>ndo che-
gar all em 29 de novembro de 1867.
E-ta maoba estamos em vista do cabo de S.
Roque, Brasil.
Chegamos na cidade do Para' em 7 de no-
vembro em companbia do vapor Guiimq Star sa-
bido no dia seguiote as 3 boras da manba. Antes
de chegar ao Rio temos doas escalas a fazer urna
em Pernambucoontra na Hihia.
i Islo escriplo por Joo Garca Falbo, natural
do Pico nma das ilbas dos Acores, naiceu no dia
de Dtil do anno de 1838, foi creado e educado na
escola publica na cidade do Fayal sobos cuidados
de seo to Amonio Garca Fiaibo que foi goveroa-
dor na Angola no anno de 1830, e commetteu sui-
cidio no anno de 1855 do Fayal em sua resi-
dencia.
i Eu deixei sua companbiaem Janeiro da 1853
emigrei para es Estados^Uuidos no navio Nimroi
carregado para New-Yoik. Logo depois de mloha
ebegada eu fui para Rocbester Misspooco mais
ou menos doze mimas de Nova-Redford. Viv all
com Eugenia L. Haskell para trabalbar na sua fa-
zenda e ganbar mnba edncago ingleza: fui a es-
cola nos invernos de 1853 a 1854, na priroei'a
parte do anno da 1854 en deixei Eugenia Hiskell
e foi viver cora jeo lio Dr. Joseph Hiskell e foi
para a es-ola no Invern de 1855 na academia da
Rocbester, sendo meo mestre Charles P. Rugg e
a Sra. Rugg, ambos da Nova Uimpsbire. Eu na-
turalisei-me cidado dos EstadosUnldos na cidade
de Boston a 29 de maio de 1867 com o nome de
Jobn G. Wood.
Comecaram as chuvas no centro da provin-
cia, principalmente em Lavras e Cariri.
Foi nomeado director da instrueco publica
0 Dr. Jos Julio de Alboquerque Barros.
A' bordo do Pirapama seguir, em visita ao
Acarac e Granja, o Exm. presidente da provincia*
acompanbado do seo ajadaote de ordeos e cfilciai
de gabinete, e de eogeDhelro Jos Pompeo.
A alfaodega rendea no mez de novoafero
173:5745337, sendo : W
Importarlo 111:3605574.
Despacho martimo 7985138.
ExporUQo 60:6285826.
Interior 6845664.
Do 1* de Janeiro a 30 de novqmbro vieram
ao mercado da capital 34,338 saccas de algodo.
RIO-GRANDE.
Palo vapor Paran S. Exc. o Sr. Dr. Gusta-
vo de S remeneo para a corte viole e doas pra
cas com destino ao tbeatro da guerra, entre volun-
tarias e recrutas do exercilo e armada e guardas
nacionaes designados.
Comecavam a prodpzlr satisfactorios resultados
as vantagens concedidas ltimamente pelos minis
terios da guerra e marinha aos individuos que se
apresentarem voluntariamente para o serviyo das
armas e aos sobreditos guardas que acadirem de
prompto a' designaco.
No dra 24 do mez passado celebroo-se na
matriz da capital a feslivdade de Nossa Senhora
da Apresenta'go, padroeira da freguezia. A' tarde
houve procisso, que foi acompaobada pelas prio-
cipaes autoridades da provincia.
No dia 28 a presideoeia flzera segoir para a
comarca da S. Jos o Dr. ebefe de polica, com
trinta e quairo pracis, que forana reonlr-se as cin-
cenla e duas qoe all ja' se acbavam a' disposico
do delegado capito Foco e do subdelegado tenente
Moreia, aquella commandante e este ollicial da
companhia de polica. Deram logar a' esja viagem
do mencionado chefe, boatos atterradores que eir-
colavam a respeito dos criminosos de morte, qoe,
com seos seqoaxes, teem na sopracilada comarca
praticado aiteotados contra a seguranza Individual
e de propriedade.
Pelas olllmas providencias dadas, entre as
qoaes figura a de [carera destacadas mais viole
pracas, esperase ver brevemente restabelecido o
socego da localldade.
A assembla provincial delxara de rennir-se
este anno em sessao ordinaria. A' excepto de dois
membros, todos os mais sio de poltica opposta
dominante.
No dia 24, devia ter-se procedido em toda i
provincia a' eleicao dos membros da futura legisla-
tora. O resollado da rmoio dos collegios at eo-
lio conhecidos, dava maioiia de votos aos candi-
datos pregressistas.
Constava qne os novos eleitos seriam convoca-
dos extraordinariamente no comeco do anno vin-
donro para confeccionar as leis annoaes.
Odia 2 do correte, aniversario natalicio
de S. M. o Imperador, (ora sotemnisado com o cor-,
tej) a' efflgie do mesmo angosto senhor, e com
nm baile qoe teve logar no coro da repartico da
polica, promovido por varios cldados importantes
da capital.
OSr. Dr.Gostavo de S tsiciooava empre-
bender a desobstroeco do rio Cururu', na comar-
ca de S. Jos, aQm de baver 'cuidada de trans-
porte dos producios agrcolas do fertiilssimo valle
do Copi, para outros portas pela barra de Estenio
Ribeiro, que commooicam com o dito Tio.
Esta obra, juntamente com a desobitroc;o
do rio Cearminm, a qoal esta' qoasi concluida
sob a direceo do engenbeiro que S. Exc. fizera
vir da curte, constituir' nm dos mais importantes
melboramentos da provincia.
PARAHYBA
Nosso correspondente nos escreve em 10 do
crreme :
O dia 2 aniversario de S. M. o Imperador
passou por aqoi qoasi qoe desappercebido ; ape-
nas orna goarda de honra e cortejo a effegia do
monarcha foi o qoe por aqoi bouve, apesar de ler
o Timado desde as 6 horas da manba arvorado
na vara do telegrapho, ama bandeira eslarrapada,
cor de folha secca.
Parece qne o entbnslasmo pelas festis nacio-
naes yai arrefeceodo por aqu, mas o qoe quer,
lito nao poda deixar de ser assim.
< Como Ibe noticiamos, em oulra occasilo, nao
se reallsoo no da 2 a mudanca do thesooro pro-
viDcial, para o nosso edificio, que aioda nao est
completamente prompto, e qoe nao se pode dizer
quando estar.
Tomn posse da fregoezia de N. S. das Naves
o novo vigario, para ella nomeiado. Dens per
milta qne elle comprebenda os seos deveres como
parocho, core de snas ovelbas, e nao se envolva
em poltica, porque nao ba nada de peor do que
um vigario poltico.
Principiaran] as novenas da ConceicSo no
convento de S. Francisco. O templo esta' decora-
do com simplicidade ; mas com gosto, a msica
dos educandos arffices. O templo, coja construe-
cao, corre por aqoi a verso ter sido bollandeza,
nao o tal, e sim portuguesa de 1719.
i Imagine orna obra prima em om monumento,
tal o convento de S. Francisco. Esta* collocado
ao norte da cidade, em freate s roa Direita.
t Comees por nm extenso atrio de pedra da
cantara, e val lindar na fachada ou frente externa
do templo, qne assenta em arcadas, e eleva se al
nma grande altura ende trida o frontespiclo, todo
circulado de altos relevos abertos em pedra.
No interior, todo o trabalbo e om primor d'ar-
te. O tecto piolado com mo'to gosto represen-
tando os diversos mysterios de S. Francisco ; e a
pintura apezar de secular conserva anda tanta
frescura, orno se fosse feita ha pouco. A obra
de talha a mais bem trabalhada qoe temos visto,
e noque diz respeito no trabalho dos altares la-
teraes e da capella-mr, nao pode baver nada
mais bello. A arte e o bom gosto deram as roaos
nesse trabalho gigante, e em qualqoer parte en-
contra se um primor digno de ser analysado pe-
los entendedores. Eotretaolo, esse bello templo,
cora seos floroes, arabescos, coloranas, flores, cha-
rubins, quadros importantes e tanta obra prima
esta' ameagando coroplela ruina. Percorremo-lo |
quasi todo, e nao podemos deixar de lastimar o
abandono e Indiferentismo com que sao tratadas
as consas do nosso paiz, principalmente as consas
religiosas.
Para o da 9 do corrente, foi convocaba a ul-
tima sessao do jury, nesta capital, e o sea resul-
tado sera' a eotrada de om ou doos processos,
apezar da cadeia estar ebeias de reos; mas que
dormem a espera da conclnso dos processos
que nunca se acabara, porque os jozes monici-
paes d'aqoi, quando se trata de concluir proces-
sos, adoecem gravemente e passam a vara aos
soppleote?.
t Foi demittido o secretario do colleglo dos edu-
candos. Dizem nos qoe merecidamente, oulros
que nao. O que podemos affiancar que o de-
mittido, pal de numerosa familia.
< as aulas de instrneco publica primarla
desta cidade, tem sido examinados alguns alum-
nos, e al aqu nao consta qne tenba bavido re
provaco alguma. O numero dos examinados tem
sido peqoenos e dizem qne raaos os exames, e
nem podiam deixar de ser assim ; porque o pos-
soal do magisterio, com mal poocas excepQSes,
o peior possivel.
< Os plaotadores de algodio estao bem mal si-
tisfeito por cansa da baixa, qoe elle tem tido, e
os plantadores de caooa satlsfeitissimos pela alta
do assucar.
< A alfandega desta cidade rendea no mez de
novembro 21:9505202, e o consalado 9:4465485.
Esto a carga no porto as barcas inglazas Warrior
e Presin.


Pelo vapor francs Savcie, da linha de Marselba
ebegado hontem, recebemos jornaes de 21 e 22 do
passado, posteriores s noticias da Europa qoe re-
cebemos por va de Lisboa, e aote-bontem publi-
camos.
O dlscorso, pronunciado por S. M. Napo-
leo III, no dia 17, Da abertura do parlamento,
assim concebido:
t Srs. senadores e deputados.-A necessidade
de reatar o estado Interrompido de leis importan-
tes, lavaram-me a coovocar-vos mais cJo do que
costume. Alm de que recentes acontec memos
fizeram-rae sentir o desejo de ceroar-me de vossas
lozas e apalo.
f Desde que vos retirastes, vagas suspeitas vie-
ram perturbar o espirito publico na Europa, e res-
tringir por toda a parte o movimeato industrial, e
as traosactdes commerclaes.
c Apezar das declararas do meo governo, que
o3o alteroa sua altitude pacifica, espalhoa se a
idea de que todas asmodifleacoes no rgimen in-
terior da Allemanba deviam promover conflictos
t Este estado de duvida nao poda darar por
muito tempo. Foi neeessario aceitar francamente
as modaocas bavidas alm do Rbeno, e proclamar
qoe emqoaoto nossos loteresses e digoidade cao
foram ameacados, nao Interviremos as mudancis
operadas pelo voto das popolacoes.
f As inquieiajfjes manifestadas, difUcilmente se
explcito n'oma quadra em qoe a Franca offerece
ao mondo o mais imponente espectacnlo de eon-
ciliaeao a de paz.
A exBoslco universal, onde se reonirara
quasi todos os soberaoos da Earopa, e onde esli-
veram os representantes das classes indostriaes de
todos os jornaes. apertou os lagos de confralernl-
dade entre as nacoes.
Ella desappareceu, mas delxoo pegadas no-
Uveis na nossa pocba; porqaaoto se depois de
se baver osieniado magestosa, s teve om brllbo
momentneo, ella destrua par sempre ora passa-
do de preconceitos e da erros, eotraves do traba-
lho e da intelllgencia, barreiras entre os diferen-
tes povos e as ditlereoles classes, odios ioaltera-
vels.
Estes penhores incoles lavis de concordia
nao oos dispensara de procurar melhorar as insti-
tlicSts militares da Franca.
E' dever imperioso para o governo proseguir,
Independentemente das circunstancias, no adian-
tamento de todos os elementos que fazem a forca
do paiz, e para nos urna necessidade aperfeicoar
neesa organisago militar, nossas armas e ma-
rinha.
e O projecto de le apresentado ao corpo legisla-
tivo divida entre todos o eidados o encargo do
recrolamento. Este systema parecen rauno abso-
luto, e posteriores factos vieram confirmar tssa
opiniao.
Desde entao, re3olvi submett-ir esta alta qnes-
to a novos estudos ; porque crelo qoe devemos
aprofoodar com todo o coidado esse difflcil pro-
blema, qoe diz respeito loteresses tao considera-
veis e opposios.
O meo governo vos propora' algumas modiQ-
cacdds le de 1832, no sentido de alcancar o m
qoe sempre ti ve em vista, reduzir o servico oa
paz e aogmenta-lo na gaarra.
Examioai-as, bem como a orgaoisacio da goar-
da oaciooal amovivel, sob a impressae do patriti-
co pen-m nt,, de qoe quaoto mais feries frraos,
mas daradoara sera' a paz.
< Essa paz qoe todos nos queremos conservar,
pareoeo perturbada por om momento, pelas agi-
Uroes revolucionarias, qoe, preparadas s claras,
ameacavam os estados pontificios. Nao sendo cora-
prida a cooveogode 15 de setembro, foi obriga
do a enviar de novo musas tropas para Roma, c
proteger o podar da santa s, rep -lirado os inva-
sores,
Nossa conducta nada tinha de hostil & uotdade
e independencia da Italia ; e essa naca o, sorpren-
dida por om momento, ootardou em comprebeD-
der os perigos qoe essas manifestares revolucio
narias faziam correr dos principios moaarchicos e
a ordem eoropi.
Acha-se hoja quasi que restabelecida a crlem
nos estados do papa, e podemos desde ja calcular
a poca da volta de oossas tropas.
i Emqoaoto nao for substituida por am acto In-
ternacional, a convenci de setembro existe em
p. lateressando Europa inteira as boas relacoe.-
entre a sania sea Italia, propozemos s poten-
cias regolarisarem-se essas relacojs em orna coa-
ferenela, para prevenir novas complicagOes.
< O meo governo occopon-se da questao do
Oriente, que se acba de presente sem mo carc-
ter, pelo espirito conciliador das potencias. Se al-
galias divergencias qoanto aos roeios de ebegar-
se pacificarlo de Creta appareceram entre ellas,
ufano-me de consmoocar-vos qoe estao todas de
accordo sobre os doos pontos principaes: a ma-
nutengo da integndade do imperio otlomaoo e a
melhora da sorte dos christos.
A polilica estrangera permita que dedique-
mos toda a nossa alinelo aos melboramentos in-
terno'.
t Desde vossa ultima sessao, o snffragio uoiver-
sal fui chamado elegir um tergo dos membros
dos cooselbos gerae-. As elaiges, feitas cora cal-
ma e iodepeodeocia, patenlearara por toda a parle
o bom espirito das populagdes.
i A viagem que ti com a iraperatriz a' este e
ao oorte da Franga, deu lugar maoifestagoes de
sympalhia, que muito me peoboraram. Pude por
mira mesmo, mais urna vez, conbecer que nada
tem podido abalar a coorianga que o povo tem em
mira e os lagos que o prendera a' mioha dyra-
nastia.
Por mnba parte, esf irgo-me sem cessar em
satisfazer seos votos. Sendo a coocluso dos ca-
minos viccioaes reclamada pelas classes agrco-
las, das quaes sois Ilustres representantes, era de
ju.-.lica e da gralido altene-la ; e para isso um
vasto esludo prepara a solugo, q-o>a vos permilli-
r, de accordo com o meu governo, assegurar o
bom exilo dessa graotle medida.
f A siluagiouo Isenta de cerlos embaragos.
O movimeoto industrial e commercial enfraqueceu
por toda a Europa, em consequencia de apprehen-
soes, que o bom accordo que reina entre as poten-
cias tara' desaparecer.
A colbeita nao foi boa. A caresta era inevl-
tavel; mas o llvra comnercio pode por si s as-
segurar a proviso e regolarlsar os pregos.
c Apezar de causas diversas impedirem as re-
certas de alcaogar o calculo do orgameoto, as pro-
videncias das leis fioaoceiras nao sarao modifica-
das, e de esperar qoe brevemeote se trate de es-
tucar os meios de dimiDor os impostos.
c Esla sessao deve ser priocipalmeole emprega-
da oa discossSo das leis qoe por miDha ioicitiva
vos foram apresi nadas em Janeiro ultimo ; por-
quanto o tempo decorrido era nada allerou miabas
convicgOes sobre a utilidade dessas reformas.
c Sera dovida o exerciclo dessas novas liberda-
des expe os espiritos excilages perigosas; mas
esparo qoe o bom seoso do paiz, o progresso dos
costomes pblicos, a constancia da represso, a
energa eaaotoridade do peder torna-las ho im-
poteoles.
c Prosigamos, pois, oa obra qae emprehendemos
jootos, ha quioze annos; manter cima das con-
troversias e das palxoes hostis nossas leis funda-
mentes sanceionadas pelo snffragio universal, e
desenvolver nossas institalcSes liberaes sem enfra-
querer o principio da aotorldade.
t Nao deixerao; de espalbar o bem estar dos
povos, pela prompta cooclaso de nossas vas da
commonicagao ; de multiplicar os meios de ins-
trueco ; de tornar a justiga menos dispendiosa
pela simplificago dos processos ; ede tomar todas
as medidas que podara tornar prospera a sorte do
maor numero.
c Se, como eu, estaes convencidos de qae este
o caminho do verdadeiro progresso e da civilisa-
go, continuemos a marchar nesta accordo de vis-
ta e de sen tmenlo, que ama preciosa garanta do
bem publico.
Coolo que adoptareis as leis qoe vos foram
sabmettldas, porque ellas devem contribuir para o
augmeoto da riqueza do paiz. Por miaba parte, fi-
cal certos, manterel alto e firrae o poder que me
foi confiado, porqaaoto os obstculos oa as resis-
tencias injustas em nada abalaro mioha coragera
e mloha f oo futuro.Napolkao.
Essa discurso prodazlo profunda impresso nos
povos, e para os governos da Earopa foi elle ama
prova da alta poltica do operador.
Foram eleitos secretarios no corpo legislativo
Mrs. Mcge, de Conegliano, de Guilloatel, de Laval-
let, Bournat e Martel.
O governo apresentoa ao corpo legislativo nm
projecto de lei sobre o exercilo. Elle prolonga a
durigiio do servigo a' nove annos em tempo de
paz ; determina qoe os soldados licenciados pode-
rao casar-se dentro dos dous ltimos annos do ser-
vigo ; qoe a sutatituigo cantonal e pessoass sao
permitidas; e qae a doragao do servigo da guar-
da movel sera' de cinco anuos.
_Na cmara dos lord, ero Inglaterra, na dis
cossao da respostaao discurso da corda, lord Rus-
sell approvou ler o governo convocado o parla-
mento, para tratar dos negocios da Abysslnia. Lord
Ikogton desapprovon a occnpaeio francesa em
Roma. Lord Derty protestou euntra a classifiea-
go dos Fenians como prisiooeiros polticos.
Apezar disso a resposla prssoo.
O mioistro da justiga da Austria declaroo
cantara dos deootados qoe as leis relativas a' abo
ligio da pena dos ferros e da sospeoso das per
segnigoes jadiciarlas foram sanceionadas.
K'brisli-Pacb foi convidado pelo sullao da
Turqua para faxer parte do canselho da ministros.
REVISTA DIARIA
Nao se acbando orgaoisado o batalho n. 5 de
reserva da goarda oaciooal de Santo Anto, a pre-
sidencia da provincia rosolveq nomear para ella :
Taoeote qcartel-mestie, o al fe res porta estandar-
te Francisco Jo- da Costa Germano ; alteres por-
ta estandarte Bellarmino dos Santos Bolco Jnnior.
1." companhia.Tenente Jos Esperidiao Xavier
de Lima.
2.' dita.Alferes Antonio Marques Evangelista e
Manoel Tbomaz de Alboqaerqoe.
3.* ditaCapito o teoeote Antonio Ludgeroda
Silva Costa;
4." dita.Tenente Antonio Torqoato de Almeida,
alferes Manoel Vicente de Ltma.
iloje deve reonir-se a aesa geral da contra-
ria do Seobor Jesns da Via-sacra, erecta na igreja
d Santa Cruz, para a continuago da segunda dis-
casslo do novo compiomlsso.
Tira a mala hnje, as 3 boras da tarde, para
os portos do sol, o vapor Paran.
Eis o balango e movimeoto da estrada de
ferro do Recife S. Francisco no mez de novembro
prximo passado.
RECEITA.
Trafego de passageiros............ 19:1275760
Dito de mercadorias............... 35:577520
Arroateoagem.................... 2065330
Transporte por conta do governo.... 7625520
Renda do tilegrapho elctrico....... 3095620
Dita nao classificada.............. 9D5800
Multas......................... 1005000
Total. 55:1835250
DKSPEZA.
Conservago da va permanente..... 7:8985251
Tracgo......................... 10:1775471
Trafego de passageiros............. 2:799535o"
Dito de mercadorias............... 3:6425700
Reparos de carres e waggjs....... 1:3695414
Uespezas de escriptorio............. 4:0675527
Ditas de telegrapho elctrico........ 52ri5tX)
^fferenga de cambio.............. 10:1585053
40:6405053
Abatendo-se a verba dilt-renga de
cambios contra a qual protestam os
commissarios do Roverno......... 10:1385734
Total. 30:4815319
A despeza sera a d flerenga de cambios 47, 33
Oo da receita, com a d:ff;renga da cambios 72-
3J Ojo da receita.
O numero da passageiros transportados no refei
rido mez foi da 13:100 i|2 das tres classes di-
versas.
Foram igualmente transportados no mesmo pe-
riodo : 2:438 voiomes de paageo*. pesaQdo 2:867
arrobas; 243:021 1|2 arrobas e 784 toneladas de
mercadorias; 1 carroga ; a 313 aolmaes diversos.
as mercadorias acbara-se corapre:endidas :
2:356 arrobas de algodao em 434 saccas, e.......
183:940 1|2 arrobas da assocar em 36:297 saceos.
v'os aoimaes estao comprebeodidos 317 cavallos
e caes.
A' bordo do vapor francez Swoie, vieram
hontem de Marselba 39 passageiros para o nosso
porto e 725 era transito para os do sol.
O vapor brasileiro Paran trouxe dos portes
do oorte do imperio 32:6215000 para a nossa pra-
ga, e 174:7405927 para as do sol.
Com destioo ao exercilo a armad vieram
nesse vapor 213 pragas entra guardas nacionaes,
voluntarios e recruias, e mais 35 libertos.
Acbam-se ja' ordeaados de presbytero o? oito
seminaristas, qoe d'aqui seguiram com dimissjras
para o bispado do Ceara'. Quatro chegaram no
vapor de hontem, e sao os Srs.: Miooel Joo Go-
mas, Floriaoo de Qoeiroz Couiiobo, Cbristovo do
Reg Barros, e Tertuliano Jos dos Santos Patury;
dous seguiram do Ceara' para a Parahyba d'oode
sao naturaes e sao ns Srs.: Joaquim Alves Macha-
do e Saturnino de Jess Bezerra ; e doos final '.len-
te vieram o> vapor da compaobia Pernambacaoa e
sao os Srs.: Jos Alves da Costa Gadeiba e Mathias
Ayres Delgado.
Foi deparado ao Sr. tenente coronel Sataroioo
Jos da Silva, que a aceltago posterior da patente
da guarda oaciooal iilida a nomeagao anterior de
supplente do juizo municipal, equivalendo tal fado
a um. renuncia do ultimo cargo, segundo o foi de-
terminado no aviso n. 202 da 24 d julbo da 1865.
Em observaDda de ordem imperial, acaba
de ser de oovo exigido dos joizes raunicipaes e de
orphos a remessa da meninos desvalidos on or-
pbos para acompanhia de aprendizes marraheiros.
Na Esperanza, de Corrientes, l se o segmn-
te, extractado de orna correspondencia de Tuyu-
Cn :
u marqoez de Csxias foi ho]e a Tuyuty, d'oode
aloda nao regressoo ; e boje jostameote passoo-se
om lente paraguayo, o qual entre ontras cousas
communica, que Lopes ja Ibes ilnba dado ordem
de ir acampar em Toyoty em om prximo comba-
te, que devemos ter.
Ha forgas de Lopes desde hontem, a vista de
Toyoty, fra da trioebeira.
Tayi esta' completimeote fortificado com 12
pegas de artilbaria e om total de 12,000 bomeos, e
terminadas as bateras, fez se a salva do esty'o.
Tem sido de reparar a todos quantos all vio
a actividade e o talento desenvolvidos pelo general
Menna Brrelo, as posifQes de defeza establecidas
em Tayi; como na planeagao de obstculos, de que
ba rodeado o Potrero Obella e soas immediages,
toroando-o nma fortificagao inexpagoavel.
c OSr. Mallos, correspondente da Nacin Ar>
gentina encontrn no 25 de Maio om crescido mas-
so da correspondencia cfficial entre Lpez eo com-
mandante Garca, ebefe da diviso naval, e qae
morrea naqoelle vapor em combate, coja importan-
cia se comprebende, e verificar-se-ha pela publi-
cado.
t Esse masso passnuo elle s m3os do marqoez
de Caxias, por Intermedio do chefe do estado-
maor.
Dentro tm pouco a batera de Tayi sera' re-
forjada com ama pega de 68, que trabalhava-se
por tirar de bordo do 25 de Maio, bem como toda a
demais artilbaria.
'iO sitia oin fado consamado.
c O fina da guerra esta', pois, moi preximo ; e
menos dorara' ella si, como o afflrma o passado, o
tyranno lties ha aonaaciado novo ataque, onde os
agoarda on fim meos desesperado que o morre-
rem de foma dentro do seo qoadrilatero.
< Foi permiltldo pla presidenaia ao tabeUiao a
escrivo do civel ecrime nomeado para o termo da
S. C-uto, o Sr. Federalino Antonio da Silva Lemos,
o entrar em exerclcio sem dependencia da apre-
sentago do respectivo ltalo ; par o qoe Ihe foi
marcado o prazo de tres mezes.
Chamamos a attengao do Sr. director da re-
partigo das obras publicas para o pessiao estado
em que se acha a estrada de Baberibe. Segundo
oos informa pessoa iosuspeia, esta' em completo
abandono aquella va de coramooicago, tendo alo-
leiros de areia de chegar ao eixo das rodas. Fax-
se, pois, misler qae o Sr. director das obras pu-
blicas d providencias no sentido de remediar se-
melbante mal.
as nooeagoes, hontem poblicadas, do bata-
lho n. 55 de guardas nacionaes do municipio da
Agaa Preta, deram-se alguns eogaoos, qae boje
rectificamos :
Para tenente da segunda companhia Joo Luiz
Paes Birreto, lase Joo Lins Paes Brrelo.
Para capito da terceira companhia Victorino do
Nascimento Accioli, lda-se > ictorio do Nascimento-
Accioll Lins.
Para alfares da qoarta companhia Joo T. da
Silvelra Sena, lo--se Joo Timado da Silveira
Lessa.
Teve logar na segonda feira prxima passa-
da o concurso para pralicantes e conductores da
repartico das obras publicas, appresentando-s
para os prlmeiros 6 e para os segundos 1 con-
currente. Foram apenas approvados 5 para prafl-
cantes.
Lotera.A qne se acha a venda
a 48.a, a beneficio da famia dos voluntarios
da patria, que corre sexta feira 20
Nnmerago dos bilheles da lotera 48*, offe-
recidos pelo tbesooreiro das loteras para auxilio
das despezas da guerra :
Bilbetes ns. 1136 a 1145.
REPARTigAo da policaEstrato da parta
do dia II de dezembro de 1867.
Foram recol bids a' casa de deteoglo no dia 10
de dezembro :
A' ordem do subdelegado de S. Jos, Mara Feli-
cia do Espiilo Santo e Manoel Vicente de Macab,
para correero ; a' ordtm do da Boa-Vista, Pedro
Francisco Xivier, para correegao ; a' ordem da do
Pogo, Manoel Franklin Santiago, por effeosas pby-
slcas ; a' ordem do dos Afigados, Joaquim Bap-
tista Ferreira, romo cmplice do crime pre-
visto nos arts. 199 e 200 do cdigo criminal.
O chefe da 2 secgio
J. G. de ilcs'iuita.
O vapor Siifoic, procedente da Europa, lauta
a sen bordo 42 passageiros.
Seguem para oral:Dr. Joaqalm Por eir da
Silva Lobo e 1 escravo
Cemitemo publico.Obituario do dia 11 da
dezembro de 1867 :
Jos Beato da Costa, Pernamboco, 62 annos, casa-
do, Boa-Vista; apoplexia fulminante.
los, Pernambuco. 90 ancos, s. J -.4 ; dcoyotoris.
Fraocisco, Pernamboco, 5 mezes, Recife ; bexigas.
Geruues, Ptroambuco, 36 annos, escrava, Boa-
Vista bexigas.
Miria Thesdora da Aonunclago, Pernamboco, 60
annos, viuva, S. Jos ; tubrculos.
Joo de Araojo da Matta, Pcroambuco, 30 annos.
solteiro, Boa-Visia ; g>siro intente.
Valentiuo da Silva Oliveira, Parahyba, solteiro.
Boa Vista; bepate.
Joaquina Mara da Conceigo, Pernamboco, 9S an-
nos, casad3, Boa Vista ; gangrena.
Joo, Pernambuco, 3 anno?, Recite, anararea.
Mara, Pernambuco, 3 aoao-, S. Jos ; baxigas.
i ssm-m** i i
ClilOMCA JtDiCIAltU.
TlilBL-.VlL IA KELAC.IO
SESSAO DE 10 DE DEZEMBRO DE 1867
PRKSIDBNCIA DO EX.M. SR. CONSELHEIRO SOUZA.
As 10 twras da mannaa, presentes os Srs. desem-
bargadores Santiago, Gitirana, Guerra procurador
da corda, Almeida Albuqoerqua, Loureogo Samiago,
Assis, Domingues da Silva e Souza Leo. faltando
os Srs. desembargadores Molla, e Ucba Cavalcante,
abrio-se a sessao.
Passados os feitos deram-se os segointes jura-
mentos:
agoravo de PETig.v).Aggravante, Joo Soares
da Fonseca Velloso; aggravado, o juizo.Relator
o Sr. desembargador Lourengo Saniiego, sortiados
os Srs. desembargadores Almeida Albuquerqoe e
Guerra.Negaran) provimeDto.
APPELLAgAO crimb.Appellante, n promotor; ap-
peludo, JosFrminoTeixeia Cavalcaole.Irapro-
deceote.
APPELLAgAO civel.Appellante, Sebastio Xavier
Correa; appellad, Aooa Aotonia de Jess.Nollo
por iocompeteocia da aego.
bausas Corpus.Negarara soltura requerida por
Germano Lopes Frazo.
Assigooa-se da para jolgamentos dos seguates
feitos :
appellaqoes cRiMES.Appellante o juzo; appel-
laio, Jjaqutm Alves Lima Verde. Appellante, Fran-
cisco Avila da Mendonga; appelhdo, o joizo. Ap-
pellante, o juizo; appellado, Jovino Jos dos San-
tos.
APPELLAgiES civeis.Appellaote, Joaqaim Jos
de Oliveira Apolim ; appellado, Maooel da Costa
Monteiro. Appellante, o consol portngoez; appel-
lado, Antonio Alves de Miranda Gaimares. Ap-
pellaote, D. Aona Tereza do Jess; appellado,
Jos Martins da Silva. Appellante, Mara Joaquina
dos Santos Abren ; appellado, Manoel Flix da Ol-
veira e Silva. Appellante, Jos Paulino Houholtz;
appellado, Joo Antooio do Amaral.
PASSAGE.
Do Sr. desembargador Santiago ao Sr. desem-
bargador GitiranaAppellagSes crimes : appellan-
te, Francisco Joaquim de Oliveira; appellada, a
justiga. Appellaote, o promotor; appellado, flo-
reado Alves da Silva. Appellaote, o joizo; appel-
lado, Maooel Jos Gomes Marrado.
Do Sr. desembarga ler Gi tirana ao Sr. dessmbar-
gador Guerra. Appollago c.vel : appellante, D.
Fellcidade Mara da Vasconcellos; appellado, Dr.
Antooio de Carvalho Raposo.
Ao Sr. desembargador Loareogo Santiago.Ap-
pellago crima: appellante, Jos Vicente de
Sant'Anna; appellada, a justiga.
Do Sr. desembargador -Lourengo Santiago ao Sr.
desembargador Almeida Albuqaerqoe.Appella-
g5es civeis: appellaote, Lo!s Paech; appellado,
Joo Fraocisco Omero. Appellaote, a Sauta Can
de Misericordia; appellado, Candido Jos da Silva
Gaimares. Appellagao crime : appellante, Jos6
Vicente de Sant'Anna; appellada, a justiga.
Do Sr. desembargador Almeida Albuquerqoe ao
Sr. desembargador Motta.Appellagao crlme : ap-
pellaote, o joiio; appellado, Aoiooio carador do
Arroda Cmara.
Do Sr. desembargador Assis ao Sr. desembarga-
dor Domingues da Silva.AppellagSes civeis: ap-
pellante, D. Joaqoioa Maria Cavalcante Butelbo;
appellado, Fraocisco Affoosootelho. Appellante,
o promotor de capailas; appellado, o D. abbade de
S. Beoto.
Oo Sr. desembargador Domiogaes da Silva ao Sr.
desembargador Ucboa Cavalcaole.Appellagao ci-
vel : appellaote, Feliciaoo Cavalcante da Cuaba
Reg; appellado, Victoriano Jos de Mello.
A ama hora e meia da tarde eocerroa-e a
sessao.


.raai au oaai a m s: juuai /i/^kh.*.
QalaU feira it ic Deiembr 4c 1867.
OHLWT/ .111f / 07/^
JIMY DO REClfi&
SESSAO Btf U DE DEZEMBRO DE 1867.
rrdiicia a Si*. Dr. Joao Antn* de Arau<
Freitat Henrtqves.
Promotor publico o Sr. i>r. Armiolo Cor tolano Ta
Tires dos Santos.
Escrivo Joaqu'm Fraocisco de Panla Esleves Cle-
mente.
FefU a chamada as 10 horas da manha compa
receram 33 senbores Junde*.
Foram dispensadas por doentes os Srs.:
Antonio Ignacio do Reg Medetros.
Dr. Aopu-iu Carneiro Mooieiro da Silva Santos.
Dr. Jos Francisco de Paula Carrol de Araoj i.
Dr. Antonia Vasconcelos Meoezes de Drammond.
Thomai de Carvalbo Sores Braodo.
Justino Pereira de Faria.
Foram moliados era mais 204 cada um dos ju-
rados ]a multados na sessao do dia anterior e a ca-
da um des segrales :
Antalo de Sa Albuquerque.
Mariano de Sa e Albuquerque.
Corm-I Antonio Pedro.deSa Birreto.
Visconde de Camaragibe.
Dr. Manoel Fraocisco Teixeira.
Senda insuficiente o numero de 33 orados para
haver sessao, foram serteados da qaalificago na
orna especial 15 cdulas para completar o numero
de 48 jorados e saniram sorteados os seguintes se-
nhores :
Antonio Camello Pessoa de Laeerda.
Dr. Ijtoacio Firmo X>vier.
Aodr ue Abreu Porto,
br. Francisco Auguro da QosU.
Floreocio Domiogues da Silva.
Francisco Jos Raposo.
Antonio Jaquiro ie 0;vera Badoetn.
Caetano Silveira do Amaral.
Augusto Ribeiro de Lima Chalaba.
Joo H>rmeoeeil1o Borges Dinil.
Joo Alhsnasio B .telho.
Adriano Xavier Pereira de Brito.
N. B. de Mello.
Luii Antonio G-ragalve Peona.
Godofredu H.-nriqoes de Miranda.
Concluido o sorteio maodou proceder as notln
cac5s passando mandad I que foram entregues
aos ofE^iaes de jasiiga e levantnu a sessao addiaa
do-se para o dia seguinte as 10 horas da manha.
"fubiicacoes "pedido
Multen, removam, demittam os professores ; ar-
me-se mesmo a (brea, dgate que tsto convenien-
te ; mas nao de a autoridad a triste eipeetaculo
de faltar a verdade porque o exemplo de oralida-
de deve partir de cima.
Recife, 11 de den mbro de 1867.
Simsitcic da Cruz Ribeiro.
Srs. Redactores ().Ha poneos das li oa Revis-
ta Diana a noticia (le que Jos Feliciano da Silva
havia sido espantado pelo te Dente Emilio Pereira
de Araoj > e alteres Feliz Pereira de Arauj >. O
tacto narrado como o foi, nao exacto.
Jjf Feliciano da Silva, soldado do batalhao n.
2o da guarda nacional activa, tora designado para
LO se no n. 253 de Diario de Pernambueo de 4 do
corrente o seguate :
o Sr. Ambrollo Leitio da Conha, enteodeo
qae para seos flus era preciso privar-me do re-
t corso a Imprensa. Valeoda-se da sua posigo e
t ioSueocia, e auxiliado pela Sociedade PjrtnRue-
za de BeneflOBaeia, cGOsegnio lr-me urna mor
t daca na logar da lula que contra meas Albos se
debate, etc., etc.
E?la pubucaco asignada pelo Sr. Antonio
Ricardo de Carvalho Peona, desta cidade e tem a
data de 19 de outubro prximo passad >.
No indicado Bonvro do mesmo Dtirio appare-
ce tambera publicado o qoe se segu :
Annuncio e convite.-Scientes is abaixo assia
t nados oe que na Sociedade Portuguesa _de Be-
n-fi"encia se sub;creveu a q'iantia de oito con-
t tos de ris e delibernu que essa quaolla fosse
empregada contemenlimentc pira serem aecu-
i sados de tentativa de morte e metliics na ca-
dea os quiltro brasileiros que demm urna turra
t de rergniho no sen compatriota Fernando Marta
da Cun'a.avisatn ao* suusenptores dos ditos
od cunto* de ri?, i|ue bajam de mandar rece-
ber sera demora qualqu-r quallia que a aigum
delles porventtira esieja devendo praso a ca a
roDttercial brasileira matriculada de Penna &
c Filhos. cujo Taso renuncian! os abaixo assig-
nados. >
Este annuncio e conv-.le tem a roesma dan do
artig> anterior, a-as asslgnalo pelos Srs. Penna
Fihos.
lijualmeat- se le no n. 233 do mesmo Diario o
segumte topicj: e quem disu se incumbi foi
un Paraeose por dioheiro da urna sobseripcio
fetta i-ntre os membros da Ssciedale Pjrluguea
ds Beneficencia I
Cumpre laaibem iqal notar-se que taes aecusa-
c5es vero reproduzcas nos es. 130,13t, 13 e 133
d-j Pata, j 'rnal d j Maranho.
A' vista dos citados artipos, os a^alxo asigna-
dos membros da directora da Siciedade Portupue-
za Bneficente, Gcarara perplexos e raaravilhid. nao so pela materia em tat-s arbgos contida, como
pela calumniosa imputacao qoe gratuita e im i cre-
cidamente s lanija sibre urna socledade inteira.
Ana tbio a.Kigaaiioi representantes dessa as
godteio compete pois dar um solemne e pubt-co
desmentido a esse agpregado de Intandadas recri
DfOB(5es, por ellas entenderem que a nao ser urna
excessiva leviaodade, a mi' t, o calculado pro-
po-ito de derramar a sizinia, que leva o alvo cri-
minoso d^ desconceltuir urna associagSo que teude
s pratira dos fins humanitarios qie a carida>e
reecmtnen'la e que seusestalatos determinaro, sem
bgerir se nessas qu?slSes individuaes cojo jul^a
meoto esta' adjudicado desde o seu principio ao
tribunal da opmio publica
Os abaixo assignados raembro* da directora da
Scciedade Poriufoe:a BeoeBivnte declarara que
sao u talmente falsas as arimieds comidas bos >e-
feridos artigos, e pedem ao Sr. Antonio Ricardo de
Carvalbo Penna e aos Srs. Penna & Fuhos, autores
e nicos solidarios dessas pobitcaQOs, que cooM
derem e t..mem e^ta declarago como a completa e
cabal de>trif.ao de quantj to Injustamente pro-
clamaram.
Pa 21 de novembro de 18G7.
Joaquim Francisco Feroandes, presidente.
Francisco Llborio Fernandos, vicepresidente.
Rernardo Ferreira de Oliveira, 1* secretarioJos
de Castro Freitas, 2o dito.Flix Jjs Pereira, tbe-
soi.reiro.Joo Evangelista Moreira, procurador.
Foi mal'ado em oOj pela directora geral da ibs-
troegao publica, por ter deixade, segundo diz a
portara, de dar aula no dia 9 do corrente. To
revoltaote falsidade, nao devo deixar passar sem
contestaga", visto como devo zelar minba repuiaQao
de pr.fessor publico, a qual prezo taoto como a pro-
pria vida. E nuuca cabulei, porque prefiro antes
a dec coosolac.ao do cumprlmenlo do dever, do
que m-.-ia dozia de fa tas, para andar adulando
afim de >erero relevadas.
Nisto (uermiltae-me a falta de modestia) tnho
ocgulbo ; ihi e?lo todos os directores e delegados
com quem tenho servido, que o digam : que o di-
gam tambem os pas de meus alunos I
Anda o aono passado sendo accommettido de
cmaras de sangoe, < eslive com a aula Cebada
urna semana, em quaolo o mal me nao permitlia
levantar; logo que me pude por em p, maodei
postar urna cama na esrola, e ah deitado diriga
meus alumno?, fado pelo qual raereci ser louvado
pelo director geni de eolio, o honrado Sr. Dr. Sil-
vino que delle teve ciencia. Se eu doente, nao
cabulo, qoanto mais estando de saude I
Has deiiemos d parte isto, que nada val para o
Sr. Dr. Fratkiin Tavora, que mostranlo-se alias
to pesqmsador de meus pa sos, ignora que eu at
no domingo oceupei-me com os meus alumnos de
exame.
Entremos na questao da multa.
Tjdos os aoaos qo< bro, ea ocenpo-me exclusivamente com os alumnos
que teem de fazer eiame, licenciando os demais
at o Qllimo dia lective, quando ento comparecem
todos, para assistir aos exame* e receber os
cooseihos e advertencias que oeste dia costamo fa-
zer.
Me parece qoe assim procedeodo, Dio falto aos
meas deveres, quaado me dedico com mais afinco
nos poneos ltimos dias d< anno qoeltes meninos
que teem de deixar a escola. ste aono o
mesmo.
Entretanto o Sr. director geral, que nunca visi-
tn archa escola, apreseoloo-se Bella bo da 9 do
correle pelas 11 horas do dia, e abi me empo-
trando oceupado com a dicaria dos examinandos
em numero de 10, perguntou-me pelos oniros e
respoodeodo eu que os bavia licenciado, ou dado
ferias, molloa me immediatamenle, sem dar tempo
a rei'xo alguma.
Hjniem vi no Jornaf da Recife a portara da di-
rectora, declarando que o fez por ter ea deixado
de dar aula no referido dia 9.
Jl se vio, senbores redactores, ma:or faisidade TI
Pols o director geral da iostruccao publica, qae vi-
sitn elle ojesmo a encola,acbano a auUaberU.e eu
na sala decentemente vestido'poderla dizer, que oao
dei aula oe-se dia, anda mesmo quando apenas
encontrasse om oq dous alomos 71 Decida o pu-
blico illostrado e teosato, para cojo jalgamenW ap-
pello.
Felizmeote ea posso provar o qae levo dito, nao
s com os pais de meus alumnos que frequeota-
raro a aola nesse dia, como com o Sr. pro
fessor Juao J is Roingue* qae se acbava presente
por ter ido procurar me para asslguar o termo de
exame de seos alomaos, dos qaaes ful exami-
nador.
Por abi se avalie dos demais actos da directora.
levar om oficio do teoente Emilio Pereira de A-
raujo, ao sea respectivo teneote-crrooel Manoel
Goncalves Pereira Lima. A essa loiioncao justa e
legal, oppdi-se o soldado Silva com exprestoes des-
respe t >sas e crTansIvas ao carcter de sen supe-
rior, ue novo e a viva voz, diripio-se pessealmente
o tenente Emilio ao soldado de soa companhia Fe-
liciano da Silva, e ordenando-lbe que cnmprlsse
saas ordens, este reeocladlndo em suas expres5es,
ous.iu armar se com urna pistola e faca, acompa-
nhado de om sea irmo tambem armado de faca.
Cbegando as coasas a esse ponto, ordenou o l-
ente Exilio a patiulba que o acampanbava, que
prendesse a Feliciano, eeste opponlo se aordera
legal de om seo superior, fui do acto da priso
contundido apenas na cabe? por um dos soldados.
Cumpre mais dizer que a 2* inlimago ao soldado
Fe'iciano fui ere.consequen it da ordem expressa
e term-nante do tenente cort n-l do batalhio n. 25,
donde se collige, cjmo exacto, que o suldado Fe-
liciano nao era inspector legalmeote constiludo.
Queiram, Srs. Redactores, imprimir estas linhas
de pessoas qoe foi (.le-encial ao tacto que narra,
que multo, satisfaro Vs. Ss. ao direiio e a ver-
dade.
E-cada, 9 de dezembro de 67
Um testemunho do occonidu.
A mesa regedora da ordem terceira de S.
Francisco acaba de praticar ura acto digno de ser
levado ao conhecimenlo do publico, fazendo reco-
Iher ao seu hospital urna irma, que com quant >
recebesse a beneficencia que coutlnna d*r aos seus
irmo*, audava e-m -lando por casas particulares,
o qoe the eoostou por informs^SS.
Este acto de raridade na leria sido realisado,
se nao fuste co3djovado pelo delegado do primeiro
dstricto, a quem sem duvida muito lhe deve agra-
decei a mesa regedora, visto que aquella irma
nao quera recolher-se ao hospital por lhe convir
a vida em que se ochava de esmolar o pao da ca-
ndaJe, qumlo em seu hospital uada lhe falta.
2 ditas Dlodezas ; a Gulmarlw & Luz.
fku tecidos de aigtdic, Idna amoMras.o
ditas looas e vidros. 13 ditcs conservas; a or-
dtm. *aC
2 ditas etber; a A. Retsffcel & G-
I ditas acido, 5 ditas jmrstias, 8" ditas miade-
zas, 3 ditas jopee, 1 dita tea, 1 dita vidros, 1 di
ta meias, 1 dita livro*, 1 fardo baibaBte, 1 dito
brim ; a Otlo B. hres & G
64 ca IX3i vithc, 2 oitas movis, 3 ditas conser-
vas ; a Rabe Si ti meta o & C
30 rolos estelr?8, 1 raiza rrolduras, 1 dita pape-
lio ; a LiodD Wrvdmiin j C
1 dita caxirobes, 1 d'a quaMiihis, 9 ditas di-
versas mercaoorias; a I.a'd isTao lu o" Fer reir"."
500 barras de ferro; a Isidoro Batios & C
3 fardos rolhas, 12 bairls cevada; a H. Lel-
1 caixa livros ; a A. Srb ffer & C-
48 barris potassa ; a Olivelra Filhcs & C.
2 calas tecidos de ilgodo. 1 dita ditos de li
oho, 2 ditas miodezss; a P. P.-Wild & C.
RECBHED0R1A UE REiNDAb liNielllAS
GERAES.
Sendimeotodo dia 1 a 10......... 36:fi05J667
dem do dia 11................. 2:534*385
39MC05032
ferro batid* eaUnhadc, pesando 14 libras,valor da
Itlra300rs.
Armizem n. 7.
1 fardo marca JP sem numero, contendo 32 pe-
da coa de panno de algodo asadas pesando 64 li-
bras, valor do quintal 3.
Armazem n. 1 \).
I cala marca >' & C, sem numero, conteni
O Iiirn. Sr. inspector da tbeaoorarta de fa-
zenda desta provincia manda fazer publico qoe ti-
ca mareado o dia -27 de Janeiro proilmo viodooro
para o ceoenrso a qoe se lem de proceder nesta
thesonraria para preenchimento das vagas de pra-
licaotes etisteotes nesu repartigo. Os exames
versaro sobre as materias segu'nles: leltura, ana-
CONSLADO PROVINCIAL
Recdimento do da 1 a 10....... 38:5i9* 168
dem do di 11.............. 7.802*032
46:3313220
MOYIMEMTO 110 POETO
126 dozlss de caivetes de ama lamina com cabo ] roastreacio, veame, amarras^ e ancoras do vapor
demadslra para marlobelro, valor da dazia i*.
Abandonadas pelos direitos.
1 barril marca IFACn. 138, contendo 96 medi-
das de vinho de cidra avallada a 6C0 rs. a medida.
Alfandega de Pernambueo 11 de dezembro de
t7.
O escripturano,
Entychio Mondln Pestaa._______
Dr. Tristo de Aleocar Aranpe, ollcial da
imperial ordem da Rosa, e juiz de direito
especial do commercio, nesta cidade do
Recife capital da provincia de Pernambu :o
Iuspec^ilo do arsenal de
*maiiaha
Faz se pnblico qoe a commissio de peritos exa-
minando, da forma determinada no regolamento
anaexo ao decreto o. 1,32i, de S de fevereiro de
1834, o^ casco,_machina, c,ld^i[^.'P^r.eJ^0;1 ly grammacal roV^ra^ra^Tub^eHcrsas
apphcagdes ao commercio com esperialidade re-
diicao de moedas, pesos e medidas, ealeolos de
descont, juros simples e compostos, tbeoria de
cambios e suas appllcacdes.
Os concurrentes devero previamente apresentar
saos reqoerimeotos instruidos de documentos qae
provem idade completa de dezoilo annos, isens&o
de pena e colpa e bom procedimeoto, na forma do
I art. 3 do decreto n. 2,549 de 14 de marjo de
i 1860.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambueo, em 6 de dezembro de 1867. .
Servindo de efielat-maior,
Manoel Jos Pinto.
COMMEBCIO.
PtlACA DO RECIFE 11 DE DEZEMBRO
DE 1867.
As 3 % horas da tarde.
AlfodSo 1* sons8500 por arroba.
Assacar do Rio Grande do N^rte2*800 por arro-
ba posto a bordo.
Cambio sobre Portugal90 d|v. 149 0/0
Frete de assacar para Liverpool30/ por tonela-
da e 5 0/0
Silveira,
Presidente.
Macedo,
Secretario.
EM LIQlDfiC&O
Noto banco de Pernambueo
Os Srs. accionistas pcd.m receber o 3
dividendo (em ceoeda corrente) de 10 o/o do
capital, assim como o 1." de 30 o/o, e o 2.
de 40 o/o, j annunciados.
Novo banco de Peraainbuco
em liquida0o
Os possoidores de notas da emisso do
banco queiram quanto antes apresental-as
ao troco.
yatios entrades no da 11.
Para e p irlos oterroedios10 das, vapor brasilei-
ro Paran, de 850 toneladas, commandaote de -
fragua Santa B.rbar, eqolpa^m 63, cartfa dif- 'O-a, c m algn, a voredo
feriles geaefos; a' Antonio Luiz de Olivelra b, estando dio sino p^
Azevedo A C.
Genova, Mars-ille, Gb.-ltar e S. Vicente24 das,
do porta, 0 du uliimo, vapT france'. Savoie,
de 150) tonelada?, cimraindapt Rom, equipa-
gem 86, carga varios genero; a' Kuler,
Nnvto saludo no mesmo dia.
Ruems-Ayres e portos interinedi.sVapor francez
Savoie, commandaote R jux.
Rio da Prata-Polaca bespanhola /tnfoniea, cap
to Antonio Pa. carga assncar e agurdente.
BabiaEscuna baslleira Gcortjeana, capito Ma
noel Fraokiin do Amaral, carga differentes g-
neros
Canal Brigua inglez Jumes Slewart, capitao M.
Keuzie, carga assucar.
E DTT A ES.
Deus guarde, e c.
Fajo saber aos qae o presente edital virera e
delle noticia liverem, que no dia 20 de fevereiro
do anno prximo futuro, se ba de arrematar por
venda a qaem mais der em prap publica de-te
Juizc.
Urna casa terrea sita na ra Direlta com n. 108,
com urna porta e urna jaoella de frente, duas salas
e dous quarlos, coslnha fra, peqneno quintal mu-
ra lo com cacimba, avadada por dous contos de ris.
Una essa terrea oa travessa dos Martyrios com
o n. I, com ama porta e ama jaoella de trente,
duas pequeas salas e daos qutfto?, cosinbi fra,
pequeao quintal, avaliadi em um cont e qaatro
ceutos mil ris.
Um sitio no lugar da Vanea com nmi casa de
laipacobert de lelbas, teoio duas janellas e ama
porta de frente, ires silas e qaatro quarto3, cosinha
arvoredos de fructos, com eacim-
rte cercado e parte em
abert", avahado em um cont de ris.
As quaes foram penhoradas por execucSo de Jo
de Azevedo Mtu e Silva, doira Fraocisco Ramos
Maia e outros.
E oo bavendo lancador que eubra o prego das
avaliac5js a ariemtago sera' feila p lo da adjea-
cao na forma da le.
ts para que chegue ao conhecimeato de tolos
maodei fazer o prosete edital, qae sera' pablici-
do pela impreasa e affindo nos lagares do cos-
tme.
Recife, 10 de dezembro de 1867,Ea Secundioo
Eliodoro da Conha, escreveou jaramentado o es-
crevi.
Eu Manoel Mirla R)drigaes do Nascimento, es-
criv", subsccevi.
Trislao il Alencar Araripe.
Potengi da compaobia peroambacana de navega
eao costeira, achoa lodos esses ob]ectos em estado
e poder o vapor navegar.
Iospeccao do arsenal de marinha de Pernambueo
Udedezemtrode le 67.
O Inspector,
_______________H. A. Barbosa de Aimeida.
Inspeccio do arsenal de
marinha
Faz-se publico que a commisso de peritos, exa-
minindo, na forma determinada no regalaraeoto'.
5 de fevereiro de 0 Ulm. Sr. inyector da thesouraria de fazen-
da desta provincia manda fazer publico qoe fica
mastreacSo, velames, amarras e ancoras do va- marcado o dia 13 de Janeiro prximo viodooro
para o conenrso qne se lera de abrir nesta thesou-
^^S.Ts!*n T/m 6a m' ^."^oibK* epeiras, appare.h
tttucional o Senhor D. Pedro II, a quem mi4Slre3c9 elaraes. amarras e ancoras do
va-
por lpojiica, da coinpaohia peroambocaoa de
navegajo costeira, achoa todos esses objectos em
estadu de poder o vapor navegar.
Iospec(odo arsenal de manuba de Peruambo-
co 10 de dezembro de 1867.
II. A. Birbis? de Aimeida
Iospector. ____
raria para preenchimento das vagas de-terceiros
escrlpturarios da raesma. Os exames versaro so-
bre as materias seguintes : theoria da escriptura-
Qo merractil por partidas simples e dobradas e
saas applicacoes ao commercio e ao thesooro, tra-
dueco correcta das linguas logleza e fraoeeza oa
pelo menos da ultima, principies geraes de geo-
! graphia e historia do Brasil, algebra at eqoacoes
Notice,
Letters, NWspapers, Book pareis, Samples of do s-gondo grao errtica do servijo da reparll{o
Merchaodise, Patterns, .te, may ouw be sent by
tb.' B-itish Mail Pa k-ts to meariy all pars of trie
Worid, and can be prepaid at Ibis OCQce either id namboco, ta 6 d
money or by meaos of uf Britisb Postage Stamps. |
Ltters onlg can be prepald for lhe Kiogdora
of Portugal. Tne British sea-rtes oo 1-uers for
Portugal, is f.ur Peace for eacb quarler of aod
ounce (twe oitava ).
Money Orden?.
Are also issued at ibis coosuiate on any of the
em qoe o empregado estiver servindo.
Secretaria da thesjuraria de fazenda de Per-
ALFANDEGA.
ftendimento do da 1 a 10..........
ideado dia i l...............
2o3.068'o
30:149*446
483:217*900
30
33
P
si
at
p
tu
S
5
a
sil
6.
a a
"-5
D
<
s d
i. 3
~3
9i
1 S*i
<
s d
3. 0.
No Single.
dezembro de 1867.
Strvindo de offlcial maior,
Manoel Jos Pinto.
Fiscalisaco ta fregaezia de S. Jos a
de deierabrode 1867.
Pelo presente fago publico a todos que tem es-
tabelecmeotos de molbados, padanas, tojas de fa-
. zendas, miadezas, calcados, barbeiro e marcinei-
principal Pot 0:llces in Greai Bntaio aud Ir- ; rjaj C0Crieiras e offleinas de toda e qualquer nalu-
land ai th Mi.-.y/ n rate of c murs-ion.______' reIa n^.ta fregoezia que era vista do que disj3 o
art. 5H I e i das posturas addlcionaes de 10 de
novembro de 18o5, devem todos os dias at 7 ho-
ras da manha mandarem varrer suas testadas em
frente seus estabeleclmentcs at o meio da roa so
boover do lado "pposio igual obrigaco, alias toda
largora delta, e fizer condozir os lixos para os
lugares determinados por esta fiscalisaco assim
irrigarem nos dias de sol logo qae varrerem.
Os iniractores do presente artigo soffrero a
multa de 5* que sera' duplicada oa reincidencia.
O Bssal snpplente em ezercicio,
'ayuiouu tur uuey urjers u,ay ue maje joaquim Cavalcauti de Hjllanda Albujuerque
tber io Sjvereigos or tber equivaleot in lhe Pa- _^---------_-----^_,------,--------,
per Money of lhe Empire, at lhe current rate of Cantil \jaSa a MlSeriCOra
Ezchange.
!2S
u32
i_ < 3
.Vjviment) da alfindga.
Volumes entrados com fazendas...
gneros...
Ifi
?.4l
------525
Voiurnes sabidos eom fazendas..
ice gneros...
2H9
6''J
------88
Descsrrecam boje 12 de dezembro
Luir ing'z Cornucopia a-rcdorias.
B.irca portii^-ueza -Si'juranca-iUai.
Brigue portugu-zLu ///"dem.
Escuna prussiaoaEsperam;idem.
.Jatacho prus~ianoE'-isefarinha de trigo.
Bngoe Ingl-zRozne Clattpote taboado.
Barca inglezaRudesick honcarvo.
Birca iagfezaSS'iry Hilmeton'.eto.
Patacho iugloz Jameshacalbao,
Barca inglezaWitch of the Teiqn -carvo:
Patacho holistenseJ/ana charque.
Importado.
Bngue ioglez iris, violo de NrW Castles, mani-
festm o segrjinte:
381 toneladas carvio; a B. W. Doyle.
= Vapor francez Suroie, viudo de Marselha e
Gnovf, manifestou o segumte :
8 caizas absynthio, 8 ditas vermonlh, 4 ditas ca-
rabao, 1 dita licores, 1 dita vidros, 1 barril kirek ;
a baix & Gassier.
t caixas tecidos de la e algodo; a Lopes &
Ol v> ira.
1 dita ditos, 10 ditas ditos de algodo, 2 ditas se-
das, 1 emnniibo roup, 1 dito e 1 sacco amostras;
a Keller & II
1 caiza pelletera, 1 dita calcada, 1 dita teclos
de la e seda, 2 ditas seda, 2 ditas Invas e perfu-
maras, 1 dita duas o papel; z Linden Weydmann
& C.
i ditas couros, 1 dita cartoes, 1 dita calcado, 1
dita pannos; a Monbard, Meiler & C.
80 ditas figos; a F. Ferrare & Filbo.
4 duas pentes de chifre, z ditas tecidos diversos,
z ditas passemarla ; a ordem.
1 dita mereearia ; a Mad. Adour.
1 dita conservas; ao cnsul fraocez.
1 dita livros; ao Dr. Baarqae.
400 ditas massas; a E A. Burle & C.
Vapor Lr.isile.ro Paron, vtndo do Para' e
portos intermedios, mamfe-tou o seguate :
Eacommendao.
1 volame; s Felppe Duarte Pereira Filho.
1 dito; ao Dr. Herculaoo de Souza Bandeira.
1 dto; a Manoel Joaquim Guedes Alcoforado
Janior.
1 dito; a Mieael Jos Alves.
t dit j; a Marques, Barros & C.
1 dito; a J. Ryder & C.
1 dito; a Oliveira F'ihos & C.
1 gaiola; a Josepba F. Ri^ueira de Scaza.
1 roda de ferro; a Manoel joaquim Lobato-
Escuna prussiaoa Esperance, viuda de Ham-
burgo, maoirestoa o segaote :
3 volomes movis; a C. Tresse.
1 caiza charolo, 9 ditas diversas fazeodas, 2 di-
tas coaros; a Jo- Francisco de Paula Ramos.
1 dita presuntas, 8 osrricas legames; a Mater-
us L"oz.
4caixas vidro3 edrogas; a Bartboloma & C
1 dita mindezas, 1 dita armnicos, 1 barrica fer-
ragens j a Vaz & Leal.
50 garrames cevadinba, 31 calas stearioas,
12 frasqueiras genebra; a Francisco Guedes de
Araajo.
2 volomes obras de vime, 4 calas miadezas, 15
barris cerveja; a J. L. Boargard.
10 fardos papel, 2 canas vidros; a Joo da Sil-
va Faria Si Irmo.
50 eaias stearioas, 1 dita amostras, 100 fras-
queras genebra, 452taboss: a Jos Marta Pal-
meira.
20 barris alcatro; a M. J. Ramos e Silva &
Genro.
2 calas far.endas de la, 7 ditas ditos de algo-
do, 4 ditas mindezas, 1 dita ferrageos, 1 dita pe
leteria, 3 ditas tecidos de liohn, 4 embrolbos
amostras; a Maabard, Metler S C.
18 ealxas movis, 1 dita bisemos; a J J.Goa-
falves Balirc.
1 diu miadezas, 2 ditas pelletera, 1 dita e 2
barricas ferrageos; a Parete Vianna & C.
29 caixas movis, 10 ditas sleanna ; a Rocha Li-
ma 4 Goimaies.___________________________|
(*) A noticia, u' qoe se refere este artigo, oi-nos
transm'-ttida {tela secretaria da polica, e o resu-
mo da panlcf|c3o offlcial.
A reiaccao.
O cidadso Antonio Angosto da Fonseca, joiz de paz
.do segundo aono da fr>euezia do 8. S. do bairro
de Santo Amonio da cidade do Recife, em vrta-
de da le, etc.
No impedimento do joiz de paz do primeiro anno,
faco saber qoe, em virinde da lei regulamentar das
elei^oss e mais dlspostoos em vigor, cenvoco os
eleitores e supplentes desta paroebia, que vo
abaixo designados por seos nomes, para que com-
parefam na terceira dominga do n ez de Janeiro
prozimo futuro (dia 19), no c>rpo da igreja matriz
desla frrguezia, pelas nove horas da manha, afim
de organtsar-se a junta qualiflcadora, que tem de
rever a qualifcac,o do fnoo antecedente que lem
direito de votar as elelcSes de eliitores, jutzes de
paz e vereadores da cmara municipal, Arando
scientes is referidos eleitores e soppleot--s abixo
declaradus, que si ffrerao a mofla de 40 a 50* se
nao com:-arenerem, ou tendo omparecido deia-
rem de assignar a respectiva acta.
Eleitores.
Joo B-rnardo de Siquei^a, Jos Francisco Car-
neiro, Ann nio los da Costa R'bMro, Deodoro Ui-
piano Coelho Catanh-i, Jos Flix de Brito Macedo,
Genuino Jos da Rosa, Joaqu'm ^alv dM Siqueira Cavalcaoti, Antonio Jo; Alves Ferrei-
ra, Francisco Amonio de Brito. Antonio R?ngel de
Torres Bmdeira, LuU de Franca Sooto, Frandseo
de Souza Reg Monteiro, Flix Antoalo Alves Mas-
careoha?, Emilio Americaoo do Reg Casumba, Ma-
noel Antonio de Alcntara, MiDoel Ailooio Viesas,
Antonio Augusto da Fonseca, .Luis Pereira de Pa-
rias, Jeronyino Emiliano de hiraad* Castro, Jos
Francisco de Paula, Manoel do Nascimenio dos
Santo-, Jeronyno Vilella de Castro Tavares, J 3o
da Cuoha Soares Gulmarfl^s, Jiaqoira Manoel de
Castro Santos, Fiauciscoda Silva H-p.", Jo' Bar-
bosa de Miranda Santiago, Jos Ribeiro de Vascon
cellos, Jjo Bipti ta da Silva Prxedes, Precisen"
Xavier Pereira do Brito, J >s Mara de Alencar,
Pedro Mariyr de S >uz, Jos Miria Aecioli, Pedro
Manoel da Cnneelcio, Laurindo de Pau'a Alves Li-
ma, Jos da Fonseca e Silva, Balbino Jos de Ao
drade, Felii Fraocuco de Souza Magalbes.
Sappl entes.
Manoel Antonio Pereira, Domingas Suriano Car-
dim, Severiano Jos de Moora, Jos Jiaquim da
Silva Mendonfi, baltJose Pereira Sim5e, Joaquim
Aoicnio Carneiro, Firmino Jos de Onveira, Jorge
OorneMas Ribeiro Pessoa, J .o da Silva Ramrs, Ao-
tonio Victit-t do Nascimento Feitosa, Ignacio Firmo
Xavier, Antonio Borges da Silveira Libo, Antonio
Jos Alves de Brito, Jorge Ridrigues Machado, Joa-
iuim de Albuquerque e Mello, Domingos Nunes
Ferreira, Francisco Antooio de Magalhes Bastos,
Hermino Ferreira da Silva. Ianocencio Rodrigues
de Miranda, J o Luiz de Carvalho, Jos Das Al-
ves do Quintal, Mi.'iiel Candido de Med-iros Piolo,
Joo Alves do Quintal, Silverio Joaquim Martins
dos Santos, MaDuel Antonio de Jess Jnior, Claa
dio do Reg Lima, Lodgero Fr:>neiseo de Assis,
Paulino Onofre Nunes, Roflno da Costa Pinto, Joo
do Reg Pacheco, Joaquim Manoel da Silva Mondes-,
Joo Fra'ikliu da Silveira Tavora, Sil ino Guilher-
me de Barros, Toom Joaquim Mascarenhas Ramos,
Joo da Silveira Borges Tavora, Joaquim da Silva
Reeo.
E para con-tar mandei fazer o presente, afJDxa-lo
nos lugares mais pblicos desta fregoezia e publi
ca lo pala imprenta.
Recife, 7 de novembro de 1867.
Eu Joaquim da Silva Reg, escrivo que o fiz e
escrevl, do que dou fe.
Aotonio Augusto da Fooseea.
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, offiial da
imperial Ordem da Rosa, e juiz especial
do commercio nesta cidade do Recife de
Pemambuco e seu termo por Sua Mages-
tade Imperial e Constitucional o Sr. D.
Pedro II. a que Deus Guarde, etc.
Fago saber aos que o prsenle edital virem e
delle noticia liverem, qoe no dia 20 de fevereiro
do anno prximo focturo, se ba de arrematar por
venda em praca publica deste joizo, om sobrado
de doas andares e solo sito oo caes do Ramos
com o numero 32 fregoezia de Saoto Aotooi'1,
tendo no primeiro andar duas salas e seis quarlos
e cosinha fora, no segando andar tambem duas
salas e seis quartos e no soto urna sala c cosinha;
no pavimenio terreo oceupado por ama prensa de
algodo quintal morado e cacimba meietra, ava-
hado por 8:0001000, o qoal foi peohorado por
execogo de Milis Latham & C. contra a viuva e
berdtiros de Jos-Hygioo de Miranda. E nao ba-
vendo laocador que cabra o prego da avaliacio a
arrematado ser fella pelo prego da adjudicado
na forma da lei.
E para qae chegue ao conhecimento de
todos mandei passar o presente que ser
publicado pela imprensa, e affixado no lu-
gar do costume.
Recife, lo de dezembro de (867.
Eu Secundioo Eliodoro da Cunha, escre-
vente juramentado o escrevi.
Eu Manoel Alaria Rodrigues do Nasci-
mento, escrivo o subscrevi.
Tristo de Alencar Araripe.
.DECLEIQOIS.
A cmara municipal desta cidade, tendo con-
tratado comprar ao cidado Francisco Marloho de
Albuquerque Mello, um terreno situado no lo-
gar do Arraial, Freguem do Pogo da Panella-
para nelle stobelecer n maladouro pnblico da mes-
ma fregoezia, vai mandar collocar marcos nos lu-
gires onde limita o citado terreno; o que faz pu-
blico para conhecimento de quem Interessar possa.
Pago da cmara municipal do Recife, 5 de de-
zembro de 1867.-Luiz los Perora SimSes, pro-
presidente.Francisco Canuto da Boa-viagem, se-
cretarlo.____________________________
Fiscalisaro de S. Antonio do Recife 10 de
dezembro de 867-
0 abaixo assijtnado pede ?. todos os moradores
da fregoezia de S. Aotonio desta cidade e a quem
iateressar poesa que teuham muito 'ero lembranga
osarligos das poturas mnnicipaes e principal-
mente os que fez tranccrever nos Diarios ns. 102
e 126 do anno de 1865, para que nao oigam que
ignorara as suas disposig5es e por issu lhe sea
imposta as penas das suas infrac^SiS. Recife 10
de dezembro de 1867.
O fiscal,
Caetano Pinto de Veras.
Fiscalisagao da freguezia de Santo Antonio
do Recifd 10 de dezembro de 1867.
O abiixo assignado faz certo a quem lhe tenba
desapparecido dous carneiros que dando os signaes
certos dos mesmos carneiros lhe sero entregues.
O fiscal,
Caetino Piulo de Veras.
De ordem do Ilm. Sr. inspector da thesou
rana de fazenda desla provincia sao convidadas as
pessoas a-alxo mencionadas para at o flm de Ja-
neiro prximo vindouro, viren prestar cuntas das
difierentes quantias pelas quaes se acbam debita-
das nesta repartigo, a sab- r :
Capilo Joaquim Ricirdo M.ntelro. 100JOO.
Tenente Goiiherme Ferreira de Alean-
tara............20DJOOO
dem Manoel de Carvalho Paes de Ao-
dra Alfares Jo- (rino da Silva Santos. 10(900
dem Joaquim de Carvalho Cavaleantl
Juotor.....i.......1:0004000
Fortunato da Silva Neves......z000J
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambueo em 7 de dezembro de 1867.
Servindo de bfli:ial maior,
__________________Manoel Jos Pinlo.
Na sexta feira 13 do corrente fiada a audiencia
do Sr. Dr. juiz municipal da 1* vara, tem de ir a
praga por venda ama escrava, por execogo que
move D. Joaooa Mara Maclel cootra sea marido
Fraocisco Jos Daarle Caooaraga.
Brllth Consulate.
Pernambueo 12 de dezemher de 1867.
Beotluc k. W. Doyle.
H. B Ms. Cnsul & Bntisi P^' k*t ae-nte.
Aviso
L'ora em diante podem ser enviados peles pa-
quetis a vapor da real companhia britnica para
qoasi todas as parles domando: Carta", jvoaes,
livres e amostras de mtrcadorlas etc., pagando-se
previamente neste consulado o resppciivo frete em
dioheiro ou por meio de sellos do Correto Britao-
nico. Para o reino de Portunl someote podem
ser pagos di ante-mo, as cartas sendo o poru
quitro pennles por cada quarto de noga (las ci
lavas) em dinbeiro slerliuo oa sea valor.
Tambem se coacedera ordens para rtinheiro, nao
excedendo da dez libras eslerlioas cada orna, sobre
qualquer'dis priocipaes crrelos da Gra Bretaoha
e Irlanda mediante orna commisso conforme a
tabiasegainte. E-tas ordsos devem ser pajas
em soberanos, ou o seo valor em moeda correle
deste imperio.
Ordens para dinhcvo.
De ordem do Illm. Sr. iospector se faz pu-
blico qae no da li do correle, depois do meto
dia serio levadas a basta publica, livre de direitos
as segalntes mercaduras comprebendidas as dis-
posicoes do cap. 6* tit. 3* do regoiameoto de 19 de
selembio de 1860
Armazem o. 5.
1 embrulbo sem numero marca JOC, Doyli,
contendo dos vidriobos com amostras, sem valor.
1 caixa n. 512, marca JV, contendo folbas avai-
sas lyiograpbadas pesando 62 libras, valor da li-
bra f.
i caixa n. 6i3, marca P. do J. do Recife comea-
do folbetos brochado?, pesando 8 libras, valor da
libra 1.
1 caixa o. 38, marca M&C contendo armages
de ferro para chapeos de sol, pesando 46J libras,
valor da libra ?00 rs.
Na sala da abertura.
6 frigideiras, 1 etcomadeira, i coco todo de
Conselho de C(mpras na-
vaes
O cooselho eoolrata no dia li do corrente mez,
sob as condic5)s do estylo e a vista de propostas
recebidas at as 11 horas di manha, o foroeci-
rceoto, no trimestre prximo viodooro de Janeiro
a margo, dos seguintes objeclos de fardamento.
Para apreodizes artfices.
Booets do nnlforine, ditos do servico, blusas de
brim brance, ditas le algodo azul, caiga de algo-
do azul, camisas de algodozinho, cobertores de
la, colcoas de algodo, eolebdes de he ho cheios de
palha, fronhas de algodaozinho, fardetas de panno
azul, lengos de seda preta para gravatas, sapaides,
-accos de guardar roopa, e travestiros de liobo
ebeios de palha.
Para imperiaes marioheiros e apreodizes ditos.
Booets de panno azul, camisas de brim brinco,
caiga de algodo azul, camisas de algodo aza', cai-
gas de panno azul, camisas de brim branco, farde-
tas de panno azul, leogos de seda preta para gra-
vatas, sapatSes e saceos de lona de marlnba-
hem.
Para f jzileiros navaes.
Booets de chapa e palla, calcas de brim branco,
ditas de algodo azul, camisas de brim branco, cal-
gas de paooo, fardas da orina branco, grvalas de
cooro de lustre, polainas de paooo prelo, sapatoes,
e sobrecasacos de panno azul.
Tambem o cooselho no mestto dia 14 Jo corre-
te mez e por igual forma, c>otraia o foroeeimenio
de cimento at jaoho do anno prximo vindouro
para as obras do porto, e pr^move a compra dos
segoiotes objoctos do material da armada : 800
agulhas de looa e brim, 5 aocoretes para bateloas,
i5 bragas de correte de ferro de mela polegad..
refurgada, 4 pegas de cato de lioho de nma pole-
gada, 4 pegas de cabo de linbo da daas poiegadas,
4 pegas de esbo de linho de daas e meia poiegadas
4 pegas de cabo de linbo de tres poiegadas, 4 $
de liaba de barca Boa, 4 ditas de Hnba de barca
grossa, 10 doctas de lapis, 6 ditas de limas chatas
de 6 a 12 poiegadas, 6 ditas de ditas triangulares
de fi a 12 ditas, 6 ditas de dilas mela cana de 6 a
12 poiegadas, 200 ps de mangoeira de sola era-
vada, plvora marca Torre, 1 pega de tapete, 1,500
libras de tima braoca de zioco, 1 vergootea de pi-
nno de 34 ps de comprimeoto de 10 poiegadas de
grossnra no p e 8 na poma e 200 vidros de vidra-
ga de 23 3i poiegadas de comprimeoto e 16 1,2 de
lareo.
Sala das sessSes do cooselbo de compras navaes,
11 de dezembro de 1867.
O secretario,
~- Alexandre Rodrigues dos Aojos.
Para as qnanilas nao exceno ? 2
dem d 2 al 5.....
I 1uj de 3 at 7.....
dem de 7 al 10. .
Consulado Omaunico. Pernambueo, 12
bro de 1867.Beuznfc W. Doyle, coo-^ol
Britaoniia e agente do eorreio bntaonico.
Sch. P-n.
0 9
1 6
2 3
3 0
de ootu-
de S. M.
mmm e.
Pela admiinsiracuido coireiodesia cidade s
faz publico que em virlude da convengo postal
celebrada pelos governos brasileiro e fraacez,^ se-
ro espedidas realas pira Europa no dia li5 do
corrente mez pelo vapor ioglez iSisne.
As carias sero recebidas at duas horas antes
di que for marcada para a sabida do vapor; e os
ornaes al tres horas ames.
Adxinistrago dezesibro de 1867.
O adminislrad>r,
D miegos (tos Passrs Miranda
COUIIEI BUL
RelagSo das cartas registradas existenles na
adminisiracao do eorreio desta cidade
para os senbores abaixo declarados:
D. Adelaide Emilia da Silveira Lobo, Antonio
Joaquim dos Santos, Candido Jos Coelho de Mon-
ra, Francisco Ribeiro P. Guiraa aes (i), Joaquim
Augusto Ferreira Jacobina, Joaquim Antonio Cr-
rela Negro (Fernando), Dr. Jos Bernardo G Al
coforado, Dr. Jos Cardoso da Cunha, Jos da Cos-
ta Oliveira Mello, Jo Germano Mangabeira J-
nior, Jos M^ue! Barbosa Ramx, Jos Moreira da
Silva, Jo.- Pereira dos Sanios. Jos Ricardo Gomes
de Carvilbo (Santo Aula"), Dr Jas Soriano de
Sonta, Luiz Francisco do Espirito Santo, Manoel
Jos Pereira Marinho, Dr. Manoel do Nascimento
Machado Porlella, Placido de Pinbo Pessoa, D.
Rita da Malta Maciel.
Inspecco exaude.
No dia 13 do correte, as 11 horas da manha,
havera'inspecgo de saode na secretaria do com-
maodo superior da guarda nacional de.-te munici-
pio para os Srs. offlciaes e guardas que reqaere-
ram, e qae foram deferidas suas peligS^s, bem co-
mo para o Sr. tpneote-eorooel commaodante do
batalhao n. 23 da Victoria, o bacbarel Pedro Rdier-
ra Pereira de Aranjo B^llro, por assim ter deter-
minado o Exm. Sr. presMeote da proviacia, em
offleio om data de 3 do correte.
Secretarla do commando superior da guarda na-
cional do Racife 4 de dezembro de 867.
O secretario,
_________________Fjrmtiio Jos de Olitetra.
Correio Geral
RelacSo das cartas registradas existentes oa
admioistraco do corren desla cidade, pa-
ra os Srs. abaixo declarados:
Tenente Antooio Jr.q ilra dos Santos, Joaquim
Antonio Corre N-gro (Fernando), J s Pereira
dos Santos, Luz Fraocisco do Espirito Santo, Pla-
cido de P'nbo Pessoa, D. R 11 da Mola Maciel.
Correio &ral
Relacjo das cartas registradas, vindas do
norte pelo vapor Paran, para os Srs.
abaixo declarad s:
Andrade & Reg, Agostiobo Jos de Ohveira, A.
Googalves de Azevedo. Antonio Joaquim de Mello,
Atoaio de Huara Rom, Crlos Eioardo Ridel,
E. Trives & C (Italia), Fraocisco Igaacfo Pinto.
Dr. Jos JjIIo de Alouqaerqoe Barro?, Dr. Jos
JoaqMk Tavares BalLrt, J s Nogoeira da Costa
Soarelftlaooel Cordeiro Birata, Pedro K. da Silva
Rio., D. Rosimonda R salina da Paz.
gaMiio) mu-
Relago das carias registradas existentes na admi-
nisirago do eorreio de'ta cidade para os senbo-
res abaixo declarados :
Alcoforado dt Irmo, Dr. Aatenio Ferreira Mar-
tins Ribeiro, Dr. Antonio Joaquim Ribas Jnior,
Antenio Piros Ferreira, Dr. Amonio Ramiro da
Si,va, Candido J s Coelbo de Maura, Fraocisco
Ai lolo de Alboquerque Mello, Joaquim Antonio
Correia Negro (Feroaodo), Dr. Joaquim Lopes
Lobo, Joaquim no Sa Leiio, Joo Antonio Gomes
Guimares, Dr. Joao Jos Ploto Juoior, Jos Do-
do Recife.
Pela secretaria da Santa Casa da Misericordia
do Recife sao convidados os senhores proprietarios
dos predios abano declarados, cujos terrenos per-
tenceram oulr'ora ao Sr. Francisco Lins Paes lar-
relo e sua mulh -r e por tiles uuados a Santa Casa,
para que comparegam a esta secretaria, afim de
pagarem os foros que se aeham a dever, e assigua-
rem o respectivo termo, reconbecendo a mesma
Santa Casa como senhor do dominio directo de di-
tos terrenos.
Ra da Roda.
Casa terrea o. 11 Antonio Ferreira Braga.
dem i lera n. 15.J >s Leopoldo da Silva.
Sobrado n. i7.-D. Emilia Carolina Madeira Fer-
reira.
Casa urrea o. 19. Capitao Martios (morador em
Beberibe)
dem idem o. 21.Joaquim Pacheco da Silva,
dem idem n. 23.Aotunio dos Santos Vieira.
dem idem o. 23. Ignacio da Sa' Lopes Fernan-
des.
dem dem o. 27. Flix Antonio Alves Mascare-
nhas.
dem idem n. 31.Miguel Joaquim da Costa.
Idem dem n. 33.Bernardo Alves Pioheiro.
Idem dem o. 33.Maria Fraocisca da Cooceigo
e Silva.
Sobrado n. 39.H;rdstros de D. Joaquioa Maria
Pereira Vianna.
Casa tema n. 41.Paulo Marques e Antonio Fran-
cisco Macota.
IJemidemn. 43.-Filbos de Jos Rodrigues dos
Passos.
Sobrado o. 47. Dr. Bernardo Pereira do Carmo
Jnior.
dem idem n. 4.Mosteiro de S. Rento.
dem idem o. 6.dem idem.
dem idem n. 8.Irmandade doSanlissime Sacra-
mento de Santo Antonio.
Idem idem o. 10. -dem idtm.
llera idem n. 12.-dem idem.
dem Idem o. 18.Bernardo Alves Pinbeiro e ca-
iros,
idem idem o. 20.Aona Thereza do Sacramento,
dem dem o. 2iSabino da Cunha Fragoso.
dem dem o. 26.-Antooio Ferreira Braga,
dem ideo) n. 23.Irmandade das almas de Saoto
Antooio.
Idem idem o. 30. Joanna Maria dos Santos Mu-
raes,
dem idem o. 32.-Dr. Antonio Joaquim de Mo-
raes e Silva,
dem idem n. 3i.Manoel Jos do Amaral.
Udem idem n. 38.Tutor de Francisco Goncalves
da Rocba.
Casa terrea n. 50Os mesmos.
1 em idem n. 52.Dr. Joo Capislrano Bandeira
de Mello.
dem dem o. 54.Luiz Jos da Costa Amorim.
dem idem o. 56.Jos do Reg Pacheco,
dem idem n. 58. Bartbolomeu Francisco de
Souza.
idem idem o. 60.O mesmo.
Idem idem o. 62.Manoel Gomes Viegas.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, 9 de novembro de 1867.
O escrivo,
PJro Rodiigues de Soma.
SANTA CASADA MISERICORDIA DO
RECIFE.
A Ilima. unta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife, oa sala de suas sessdes, as
4 horas da tarde do dia 12 do correle recebe pro-
postas para o foroecimeoto dos geoeros qae bou-
verem de coosamir nos mezes de Janeiro a margo
os eblabelecimentcs pos a sea cargo. -
Esubeleciraeoto de caridade.
Manteiga franceu, libra.
Caf ero grao, idem.
Cb prelo, idem.
Cb bysson, dem.
Assucar refaado pria eir sorte, idem.
A-sucar retinado de segunda sorte, idem.
Assucar de torro, idem.
Armz do Maraobo, idem.
Toocloho de Lisboa, idem.
Bacaibo, idem.
Pnixe fresco, Idem.
Tapioca, idem.
Aletna, idem.
Carne secca, idem.
Sabo amarillo, idem.
Fumo do Rio, idem.
Vellas de carnauba, idem
Vellas de espermacete, idem.
Vinho de Lisboa, garrafa.
Vinho branco, idem.
Vinagre de Lisbea, idem.
Azette doce, dem.
Azeii* de carrapato, idem.
Farloha de mandioca, alqaeires aovo.
Fejo molalinbo, idem.
Ceblas, cento.
Farello, sacco.
Agurdente branca, garrafa.
Batatas, arroba.
Sal, alqueires.
Leona em acbas, cento.
Carne verde, libra.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, 7 de dezembro de 1867.O escrio, Pedro
Rodrigues de Souza.
Slta Casa de Miseri Ordia do ReCife niineoes dos Santos Jos Ge mano Maogabelra Ja

A Ilima. junta admioistrrliva da Sania Casa de
Misericordia do Recife recebe propostas qoima-
fera IS do corrente, na sala das suas sessdes,
para fornecimento de pao e bolatas o.uj precisa-
rem nos meses de Janeiro a marco de 1868, os es-
tabalecimenius pos a sea cargo tanto desta cidade
como da de Olinda.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife, 9 de dezembro de 1867.
O escrivo,
Pedro Rodrigues de Souza. "
ntor, D. Mana Tneodor oe Vasconcellos Cariats
(Villa Bella), D. Mariana Ribeiro da Lapa, Malhias
Lopes da Costa Maia, Manoel Jos Marinho, Placi-
do de Pinhe Pessoa, Thom Lopes de Seona, Vc-
tor Accioiy Waoderley. ________
O procurador fiscal da faieoda nacional con-
vida as pessoas qoe receberam apolices do novo
banco de Peroamnuco, para comparecer a secgo
do contencioso da thesouraria de fazenda afim de
qae asslgoem os respectivos termos de transferen-
cia e possam receber os joros devtdos.
SANTA CASA DA MISERICORDIA DO
RECIFE.
A Ilima. jaoia administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Reeife contrata, com quem cor me-
nos prego flier, o fornecimento de medicamentos
de que precisar a botioa do hospital Pedro II nos
mezes de Janeiro a marco de 1868, para o qae rece-
be propostas na sala de soas sesees pelas 4 horas
da urde do dia 12 do corrente.
Medicamentos.
Baoba, libra.
Salsa parriiha contosa, dem.
Bismutb, idem.
Assacar candi, idem.
Gomma arbica, idem.
Olea de ameodoas, idem.
Oleo de ameodoas paro Ioglez, Ideo.
Emplastro confortativo, idea.


Man
Url o de rermambneo Quista felra 19 Je Dezenabro de 1867.
t-f
idem.
>tt
F gado de enxofre, dem
Mas? caustica, dem.
Agua raz, idfro.
lodoreto de potassio, dem.
Lobrit;aeiro, idem.
Raz de alttia, idem.
Parici aria, idem.
Rllz de esparto, idem.
Sementes de lioho oteiras,
Sementes em p, idem.
Mostarda intelra, Idem.
Losoa, dem.
Raspa* de reao, idem.
Camphor, idem.
Macella, idem.
Goman de baiata, idem.
Fie- de enxofre, idem.
Cevada, idm.
Rosas, idea.
Suiphato de soda, Idem.
Gramuoa corlada, idem.
Alecrim, idem. .
Alfazema, idem.
Caroba, Idem.
Tilba, idem.
Mana, Idem.
Flores de malva, Idem.
Amoniaco-liquido, garrafa.
Oleo de rleinn, Idem. s
abarraque franeez, idem
A|?oa logleza de Lisboa, idem.
Le roy vomitorio, idem. .
Le roy purgante, idem.
P de Hog*r, frasco.
Pastilhas de Kemp, vidro.
Xarope de Forget, idem.
Xarope de Ponta de spargo, idem.
Plalas de Vole, idem.
Magnesia Ileurys, idem.
Xarope peitoral ioglez, idem.
Oleo de vermfugo, dem.
O eo de ligado de bacaliu'o, idem.
Plalas de AUssoo?, idirn.
Secretaria da Santa Cas da Misericordia do Re
ci(e, 7 de dezembro de 1867.O eserivao, Pedro
Rodrigues de Sooza.
Pela
C0MPAN11IA PERNAMBCANA
DI
Navegaci cwteira pr rapar.
Macei e escalas Penedo e Aracaju*.
Segu oo dia 14 4o
correala as 5 boraa da
tarde o vapor Poltngi,
cummandantePereira H> -
cebe carga al o dia 13
De 300 caixas com pastas de Rerri.
Hoja as iO horas es ponto,
O agente Pestaa fara* leilio por conta e risco
de qoem perteaeer de 300 calas -com as verda-
deras maesas de Nerri desemleartldas itsu
mana as qoaes serio vendidas- Aoje om oo
horas; etommeo"- <"'*''" "" ,raPicbe 00 b"* *?1hl'lunl0a.
10 horas em ponto por causa de entro leilao qw
o agente (em as 11 horas.

meadas, dinbeiro a frete
e passageiros ate ni hora do dia da sabida; es-
criptorlo ao Forte de Matos n. 1.___________
GOMPAIHII PERNAMBCANA
DK
Navegacdo costura por vapor.
Parahiba, Natal, Maco, Aracaty,
Ceara e Acarac.
Segu para os porlos cima no
dia i'i do corrate as S horas da
tarde o vapor Ipojuca, commao-
daute Martin*. Recebe carga at
o dia 13 as 2 horas da larde, pas-
sageiros, eneommendas e diEbeiro a frete at as
2 boraa da tarde do dia da sabida: escriptorio no
Forte do Matos n. I.
COJIiP \IBm V
DAS
Messageries Imperiales
recebedoria de
e faz pnblico, que do correte roez de dezembro
que os devedores das reas laucad
exercicio correte de 1867-68, a saber : decima
addiciooal das corporales da mo mora, socieda-
des anonymas e outras, imposto sobre lojas, casas
de descanto etc.. dito sobre casas de movis, ron-
pa etc., fabiicades em paU estraogeiro e laxa dos
scravos (sendo esu at 16 do mesmo mez) teem
de paga-las sem molta.lflnde qae seja, lerao de pa-
ga" las cem a mulla de 6 porceuto em virtode da
circular d. 37 do ministerio da fazenda de 30 de
setembro ultimo : enlrosim, qne ne mesmo mez
devem ser pagos os sobreditos inopostos e mais os
seguintes : renda dos prrprlos nacionaes e foros
de Krreoos e d marinhas pertencentes ao exerci-
cio de 18C6-1867 em liquidado, segoiodo-se de-
pois a cobrang executiva quanto as rendas desle
exercicio.
Recebedoria de Pernambaco, 3 de dezembro de
1867.
O administrador,
Maooel Carneiro de Souza Lscerda.
THEATRO
DE
At o da 14 do crrente mez epsra-se da Eu-
ropa o vapor francet Estramadure, o qaal depois
---------------------------- da demora do costme seguir' para Babia e Rio
rendas internas geraes e janer0- *
i Para condicoes, fretes e p'ssagens trata-se na
0 agencia roa do Trapiche o. 9.
Sabbado 14 de dezembro
Espectculo Ijricc-dramalic
COS ALTOHISACAO BO EXM. SR PRE IDENTE DA
PROVINCIA EM BENEFICIO DOS ARTISTAS
D Carolina Falca e C. de Lacerda,
Primeira parte
A comedia em nm acto, tradcelo do Sr. J. C.
(tas Sanios
DEPOIS 1)0 Bill
Seguoda parle
0 cmbate cb Riachue-o
grande symphonia conopoita pelo maestro Car Jim,
do Rio Grande do Sul, e por elle ofierecila ao ar-
tista U. de Lacerda.
Seguir-e-ha
s:euatomiea executada pe>o Sr. C. a Licerda
Terceira parte
A comedia em ura acto, iroitao do Sr. Gairaa-
r"ie< Jnior, ornada da msica escripia expressa-
mente pelo maestro Colas
Os am/res de um leo
Quaita parta
Grnode symphonia pela urcbeslra. Seguir-se ha
a graudc- wj'sa de concert do maestro Arditti,
cantada pola Sra. D. Falco
COMPANHIfl PERNAMBCANA
DE
flavegacao cos eir por vapor.
Rio Formse
Segas no du 11 de cor rento
as 10 horas da manhaa o vanor
Mamanguap?, commandanle Cos-
_ la. Recebe carga al as 3 horas
*tfS 5? do dia 10; eneommendas, di
nheiro a frete, passageiro3 a bordo al o da da
sabida : escriptorio co Forle do Malos n. 1.______
Porto
Pretende seguir com a maior brevidade possivel
a barca portagueza Clandma, por ter a maior par-
te do seu carreeamenle engajado : para o resto e
passageiros, aos qoaes offerece excellentes com-
modos, trata se om Conna Irmaos & C, a' ros da
Madre de Dsos o. 34, ou com o capitao a bordo.
preciase
de
Na raa de S. Francisco i. 5i,
ama ama para poaca familia.
os aba xo assigoados declaran ao res pella-
vel corno do eommereio qae nesta dala compra-
ra ao Sr. Mrtiraian d Silva a sua taberna sita
na ra de Apollo o. 39, llvra e desembaracada de
qoalquer onas. Rehile 9 de dezembro de 1897.;
Fraoaisco Gomas de A mor i m i Irmlo.
Frecs-se de om fellor e jardoeim para tra'
lar de om sitio : oa ra do Caboga o. 3, ioja de
orives.
De 10 cainascom ceblas marca AftBC.
HOJE
O ageote Pestaa fara' leilao de 10 caixas com
ceblas era mo estado por conta e risco de quem
pertencer e chegadas de Ll.-boa nesla semana, e
serio vendidas boje as 10 i|l horas do Annes.
De duas carrocas, aro cavallo e ara bat
Sabbado 14 do correte.
Em irente da coebeira do Sr. Claudio Dabeux,
as 12 horas, pelo agente Puntual.
HHaBJ&
AVISOS DIVERSOS^
Preclsa-se de om sacerdote para Ir dixer as
missas de Natal no mallo : a tratar na roa da lm
perador n. 30.
Ama de lene.
Precisa se de ama de I ti te, a roa do M
Cibog n. 61 D., easa de residencia do !
I coronel Labo.
Preeisa-se alogar om preto para andar com
orna calxa de mintezas : na ra da Imperalriz n.
64, Ioja de mludeza^________________________
OSr. Fraoctsco~Eeqaiel da Silv tem ama
cana viuda da Europa : na ra do Queimado nu-
mero 40.
O abaixo assignado, representantes da PROTECTORA DAS FAMILIAS, assoeiacao brasllelra de>
Seguro Motuo sobre vid, aotorisada por decrettr imperial de 13 de jnnbo de 1861, e gerlda pelo banco
Rural e Hjpolhecarlo da corle, tem a honra de chamar aatteoco de V 9. carao regfilaaewa, inserido
oeste Diario de 25 e 26 do corrente coja leitora e estado'orientara' a V. S. sobre as varrtagens que tal
iostitai(o offerece as duas grandes operaefas que ella tero por finoa ereacio de capitaes e a crea-
Cao de rendas (Art. 2* do regulamento), as qoaes podea ser effectoadas separada oo simultaneamen e.
Aereacaode capital o tem-se pelo aogmento erogresjivo do joro qae elle prodaz, successlva-
mente capitalisado, e pela addigo das quilas da berauc correspondente aos capMaes dos contratos, cu-
jos segurados fallecerem antes do seu prazu.
As contribaiccws destinadas a formagao de capital oa a de renda, podern ser fellas por urna so
vez (nicas), oo por presuedes annaaes iguae? (aBOuidades). Art. 4.
A seguinte tabella ni islra os resultados provaveis qae se consegaem fazendo entradas annaes
de 1005000.
Segundo esses clenlos aquelles resultados augmentan) de 20 a 25 por % quaodo a entrada, em
vez de ano u al, fe i la de orna vez. >
CASA DA FORTUNA
Aos 5,000^
:
BILHE1ES GARANTIDOS.
A' ra do Chispo n. 23 e ca3as do costme.
O abaixo assignado veodeu nos seos moilo feli-
zes bilbetes garantidos da lotera que se acabou de
extrahir a benecio das familias dos voluntarios
da Mirla osst-gointes premios :
>. 1527 doos quartos com a sorte de S-.OOOf.
N. 2359 doos guarios cem a sorte d 9J0JI.
N. 16 tresqoarios com a sorte de iOOJ.
E outras moitas sones de Hit)*, 4G e tOf.
Os possaidores podem vir receber *eus respecti-
vos premios sem os descontos "as leis oa easa da
Fortun. ma do Crespo n. 23
Actiam-se a venda o da a heoeftalo da matriz
Idadrs.
Por cabera de 1 crianza de 1 da a 1 anno
> de 1 a de 1 a 2 anno?
de 1 do 2 a 3
del > de 3 a 4
de 1 de 4 a 15 >
> de ama pe > de > de 20 a 30 >
> de i de 30 a 40
i de > de 40 50
Erbannos,m lOaunos
1:100400o
900? 000
86' ,0)0
8604000
8604000
86040(0
86040f0
860401)0
9004000
4:00040uO
3:0003000
2:9004000
2:8801000
2.7OC40OO
2:7004000
2:7004000
2:70040(0
3:0001000
Lih lo ai>
9:0003
7-.5004V
7:2004
7:1004
7:0004
7.0004
7:1004
7:200*
7:5004
n 20 an la 2 a n
20:0004
17:0004
16:(><^)4
18:600*
15:5004
15:400*
15:6034
I6.0.W4
18:000*
47:000*
37:0004
33:0004
34.0003
33:3004
33:300*
34:100*
37.0004
50:000*
Maooel Rodrijroes da SHvs, loaquim Domia- : ,je Ojricary (i8M qae se extrahlra' oo dl 20 do
gues da Costae Antonio Joaioirn B. Vianna agrade- eorrenle>
Segu com a possivel presteza o veleiro patacho
Volanlt, por ter a maior par:e da carga engajada,
para o que amia pode admittir : trati-se com o
respectivo consignatario Antonio da Almeida Go-
mes, a' ra da Cruz n. 23, 1 aadar.
Para Lisboa
val sahir com moila presteza a bem conheclda
birca Mana : para carga trata-si com os consig-
natarios Carvalho & Nogueira, ra de Apollo ca-
mero 20.
1*E J AH2ISIO
Pretende segmr com multa brevidade a barca
iDespique H, tem dous tergos de saa carrega-
ment> a bordo para o resto qoe Ihe falla tratase
com os seus consignatarios Antonio Luiz de Ol
veira Az^vedo cem a todas as pessoas qae se dlgnaram assistir aos
alumossaffragios de seu presado amigo e socio An-
tonio Jos B. Vlanna, e de novo as convida a as-
sistirejn as missas qoe se tem de celebrar na or-
dem terceira do Carino, is 7 horas do dia 14 do
corrente.

r C(J0.
Bilhete.....6006
Meio......34000
Quinto.....14200
Em porteo de i00? para cima.
Rmete.....54500
Meio......24750
Quinto.....14100
Por Manoel Mantos Fioza.
Gntil II. Rodrieoes de Sota.
A'roa Nova
saiba cosinbar.
Ama
n. CO precisa-se da ami ama que
de gr^tifica$tto.
Contin a andar fgido de"de o da 20dejulho
do correte auno o escravo Vicenta por alcunba
Caogalha, de 40 anuos pouco mais ou menos, na-
o Angola, altura regular, secco docorpo, pernas
floas e arqueadas, sendo urna mais do qae ootra
que da' |ugar com o andar dar grande balsero
cjm o corpo, rosto comprldo, poaca barba rnente
no qaeixo, e tem na sola dos ps algons cravos
e as nadigas algomas contu:5e3 proveniente de
astigos, maito ladmo e iotliula se de forro, le-
vou Dastante roupa e usa camisola por cima da
caiga, chapeo de bata en de palha de abas maito
largas, guarda sol de seda ji velho : suppoese qde
aodi nos arrebldes desta cidade, e com urna car-
ta falsa, pelo que no lugar Macaco ja' elle foi pre-,
so e posto em liberdade, em virtu^e da menciona-
da carta. Rec .rrtoenda se a captara de dito escra-
vo, dando se a-gratificacao cima a qoem leva-lo a'
ra da Cadeia duRecife o. 27, segundo andar.
Ibar: a tratar na ra da lmperatnz n._3_1_ | regiJ|a; (.f pretS( com uma ccatriI Da trca[e ,,.
Quem precisar de ama ama para coziohar, e e 40 anno?, espadauio, crnulo, tndo uma
dinja-se a ra de Agoas-verde?, oito de S. Pedro peroa maJ8 cotia do que a outra, os ps apalheia-
n. 14. : dos e com areslios e peruas muito unas. Roga-se
aprehenerem-no, ou
Aluga-se
Casa para pnuca familia, cim soii, caiala e
pintada da [,;<:oe boa vi-t-, defronte da matriz
do Poco ; tral'Se n* IrMdssa > Remsiio no sitio
que tem r&xcalbeira.
Na ra N-jva u. 63 se dir' qoem aiu^ U'ua
boa cssa terrea na ra de S. Rento em Olioda, to-
da reedillcada de novo, mnito prnoria para quem
qner pausar a testa por flcar maito perlo do naoho,
tem 4 qaarlos. 2 salas o <*o Uma coutribuico onica de 2.500*000 porqualqaer numero de qainqaeooios casta 2:628*500
saber :
Contribuirlo..........
Gcrorolsso de 5 por '|. sobie 2:500*000 .
Apolice...........
Sello a fazenda nacional. .....
2:5004000
125*000 (art. 62)
14000
2*510
'
R*.
2:6284500
1* de julbo
de 1865, tn for-
E mais 1 por *|. sobre 2:500*000 por cada mez decorrldo desde e
ma do art. 13 do regubrnento.
A roesma coLtribuigo de 2:500*000, seado paga em preslar5es aejases casta os mesmos
2:628* 00, s-ndo pagas no acto da 1* preslayao as despezas do geslao, e nos annos seguales a annai-
dade slmplesmeote.
E neste caso a malta de 1 *|. ao nuz conta-se fomente sobre a 1* anaaidade, devendo as se-
guintes realisar se em dezembro dos annos consecutivos.
A creaco de rendas operase depositando na associaejio pir nraa s vez, ou tambera por anna-
a des, quanlias que accamuladas produzam, de ceno tempo era dianle, e depois annualoiente, orna
nda.
Eesta operaoo vera em auxilio tambera da firmado de capitaes, acerca da qoal mateos eon-
triiuinles se preoceupam, temeodo nao poder continuar por om largo prazc o paganealo de animida-
des precisas para que os" seas beneficiados veahara a alcanzar um bom capital.
Mas lal preocupado, 00 difOculdade, desapparece desde que o contribunto poder assegurar,
sem dependencia da sua na, o pagamento das 5 primelras aaouidades, e Q/.er taabem um contrato
de renda, qoe desde a liquidado do 1* qainquennio prover, por demais, ao pagaraeoto das annuida-
des a que est obrigado o contrato de capital. Com fffeito, figrele, por exempb, am contrato de
2:500* para creadlo de capital por meio de prestares annuaes de lOO*.
Para satisfazer as primeiraso annuidadas laogara' ocontribuinie mo de nm mel qae nao fa-
Ihe, anda por sua morte, que jusl mente quaodo o soa beoefkiado mais precisa de recursos
E para segurar no futuro as 20 seguintes aonoidades instituir um ontro contrato de 1:500*90
pagavel em 5 annuid>des de 300*. jue, permanecendo constantemente na Assi.claQio, produzir. tbs-
de a 1* liquidajao, qae ha de ter lugar no correr do 6* auno, e conforme os clculos do Banco Bnio
e o prospecto oa Comp^nbia Tut-lar, uma reod anDual de 4003, equivalente ao jaadroplo do falor
da annuidade que se tomn para base rio contrato de creajo de capital.
O desembolso a effecluar sera, pcls, o seguinle :
Para o contrato de capnal de 2:5004000
ri.' inouidade..........10**100
ommisso de 5 por i. sobro 2:S0*C00 12o5lX)0
Apolice............ tOOO
Sello a fazenda nacional....... 2*5.0
Babia
Pretende seguir com brevidade a samaea Hir-
leticia, por ter parte do sea carregamento engaja-
do, para o resto que Ine falta trata-se com os con-
signatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & u,
ra da Cruz n. 57.
O
I?
Quinta pato
A cf.mdia rm um acto (scenas de viagem) do
repertorio dn iheatro normal de Lisbo
M SUGEiTO E UMA SEHHOa
Sextt parto
A comed em um acto, imitago do Sr. Dr.
Paul. Midoji e do repertorio do distincio actor
porlogoez Tilurda
AMOR LONDRN i
Cjmegara' asSboras.
rti^j*! nMunnami
LILOES.
mw
;fiscs martimos
S0C1ET GENRALE
DE
Transporte maritimes a vapeur
PAQUEBOTS PRAXCAIS
Al o dia 12 do corrente espera-se da Europa o
vapor fraocez. Savote, o qaal depois da demora do
cosame seguir' para Baeocs-Ayres pela Babia,
Rio de Janeiro, Santos e Montevideo.
Para condiceos, fretese passagens tratase na
agencia ra da Cruz n.55.
0 agente. Puntual, competentemente antorisado
veniraem leilioos predio* seguintes :
1 cafa terrea sita a ra do Hospicio o. 7, a qual
rende raecsalmente 255, e tem os commoJos se-
guintes : duas grardes salas, am gabinete, 4 quar-
tos, cosioha fora, qointal murado, tendo 50 pal-
mos de fundo e eacimba meeira.
3 casas terreas sitas no fundo da casa cima
(rendendo cada una 10* mansaes) cora os com-
moJos seguintes : 2 salas, 2 quartos e cosinha,
! tendo de Ijrgura 20 palmo3 de frente e 50 de fun-
do e mais 20 palmos de terreno na frente de cada
urna das casas.
1 sobrado na ra de S. Beato n. 40 (em Onda)
todo reedificado de novo, o qaal lm commodos
mais qae suffl:ienle para ama numerosa familia e
grande quintal com arvore* fructferas.
1 quadro com 27 casinbas de pedra e cal no
Campo Verde e tendo no centro do nuadro orna
grande cacimba e nos fondos das ditas casas um
canno para despejos, as quaes rendem meosal-
mete i 3o*.
1 qaadro eom 7 casinbas sendo 6 de pedra e esl
e 1 de'waaeira. na roa do Socego (junto a casa
do Sr. Tiburcic) com excedente cacimba e mais
100 palmos de terreno de frente e 100 de fundo, as
quaes rondem mensalmente 40*.
No armazem do dito ageute a' roa da Cruz d.
62, andar, as 11 horas.
Qj.im so jiilg>r habilitado em poriugU'Z, la-
tim e fraocez, e quizer fra daqu', ero om c-oge-
obo, eosinar meninos, quelra apparecer a* roa da
Saudade o. 13, que eocootrara' _c>m_qoem tratar.
Aluga-se
para passar a fesla umi casa em Olioda : quem
precisar dirij- se ao Pas'eio Publico o. 12
No collegio da Cooceijao preclsa-se de um
cozinheiro, de um servente escravo e de uma cria-
da poilogueza.
geograpTi^
Joaquim Pires Machado Portella tem aberto oa
casa da sua residencia, das 10 as 11 horas da ma-
nhaa, ura curso de geographla para os rsiudantes
que quizerem se preparar para os exames de
margo-
Pergunta se aos Srs. administradores da
massa filuda de Lima IrmSos i C, qual a raio
porque oso lem f-ilo o dividendo ?
O agiota.
Adriaon, Castro & C. fazem selento a lodo*
os seas amigos e fregaez6s e pessoas com qoem
tem transacco'S que se acham provisonameoie es-
tabelecid >s a' ra do Trapiche o. 16.
as autoridades pollciaes de
aos capitaes de campo que o levem ao abaixo assig
nado qoe serio gra ti tirados.
Jos Pereira de Arauj >.
Irmandide de N. Senhora da
Conceicao dos Militare\
Pelo presente sao convidados o-i irmaos desta ve-
nrivel irraanlade. para cooiparecerem no consis
torio no domingo 15 do corrente, pela? 9 horas da
mniihaa, para lomar posse o novo presidente e pro-
ceder-se a eleiQao da n^va mesa regedors, em ob-
servancia do compromiso que rege a irmandade,
M. G. Victoriano de Borba
Secretario.
1.* Anno.<
2 3.", 4.* e o." asnoidades.
258*5f0
400*u)O
628*500
Para o centrato de renda de i:5C0*CCO
ha a despender :
l'annuidade.......... 300*000
Conimisso de 5 por "i. sobre 1:500*000 75*Oi!0
Apol.ce............ J*'-KI
..... l*L0O
No !
i Apolice.
(Sollo a fazenda nacional.
3774500
e nos 4 spguiotes a 300*C00.........1:2003000
1:577*5C0
m
Precijase de uma ama para lavar e engomroar,
na ra do Trapiche o. 362*aodar.____________
Na ra de Cabog Ioja 0. 3, preclsa-se de um
bom feitor para tratar de borla e jardim.
!^5
jLjIIi
iGrande aimazem de tin-1
tas medicamentos etc.
Ra do Imperador a, 22.
Productos chimicos e pbarma-
mais empregados
Total despendido. ... 2 2"0*000
No co rer do 6* auno, e d'onto om d ante annualmente, recebo-se 4>05 de renda, do contrato de
1:500*, da qual se appiieara' 100* para a anouidade do cmlralo de capital, licando, portanto, liquida
a qaanlia de 300* at que aquel e co .'trato se flode.
E findo qae seja, ao cabo dos 25 anuos, recebe-se por ello 47:G00*"00, fidide de I dia a l an-
oc) e lemse recebido djo contrato de reda a qaautia de 6:000* lquidos da auouidade de 100* a qft
a sujeikio durante 20 annos o cutral> de capital, e que, hvra deste ono, passa a renda a ser da
400*, e vitalicia, so se ejoservar seoopre o capital do 1:500* oa Assoeiacao.
Taes o as ctosideragoes e deduegoes que resoltam do estado que tenbo feto sobre a materia
e que me pareceu dev.T levar ao conbeeimenlo de V. S. do quem sou reverente criado
N. F. E VIDAL.
As pessoas qna desejarem Inscrever-se sao convidadas a dirigirse ao no escriptorio da dita as-
soeiacao rua do Livrameon n. 10, prlmeiro andar.
Doce
Caixelro
Precisa-se de um mogo para caixeiro
tel peroambucar.o, ra das Cruzcs n. 39.
no ho-
mk
Para Lisboa.
Vai sahir com brevidade a barca portngaeza
tratido por ter parte da sua carga prompta ; pa-
ra o restante e passageiros tratase com Oliveira
Filbos & C, largo do Corpo Santo n. 19 *u com o
captao na praga.
DI taberna cita no pateo da Penba n. 6.
BOJE
O agente Pestaa legalmente antorisado fara'
leilao por conta e risco de qoem pertencer da ar-
magao, gaz, gneros existentes na taberna sita n
pateo da Peona o. 6, a qual sera' vendida em um
ou mais lotes no dia cima mencionado as 11 ho
ras da manba.
Precisa se de uma ama qae compre, cozinhe e
engoraran para casa de pouca familia : a tratar na
ra estreila do Rosario n. 34,1* andar. ____
Joaquim Jos Goncalves
BelMo
RADOTSAPIililB IU7 40
i
1
piquetes
sobre os
ANDAR), a
sobre o Banoe 55r,
guintss luga I fjt\
1

roiHViNiiv n\
DE
Savegaco costeira por vapor.
Transferencia.
Em conseqaencla do pa-
qacte Ing'ez s sabir do Rio
de Janeiro no dia 10 do cor-
rente e nao podeodo chegar a
este porto se nao depois do
dia 14, ficam traasfendas as
sahidas dos vapores Ipojuca e Potengt para as 5
horas da tarde do dia em qae chegar o referido
naoaete, aflm de qae as malas de que fr elle por-
tador para as provincias do norte e sal, possam
seguir por esses vapores com a mxima brevidade:
escriptorio no Forte do Matos o

I.
e brasileira de
Companliia aiflericaaa
paquetes a vapor.
Al o dia 18 do corrente esperado de *ew-
York por S. Tboraaz e Para' o vapor americano
South America, o qual depois da demora do coslu
me seguir' para os porlos do sul, para fretes
passageos trata-se com os agentes Henry
& C, roa do Trapicas o. 8.
e
Forster
De predios;
0 agente Pooloal competentemente antorisado
vender em leilio, o predios seguintes :
1 casa terrea n. 168 na roa Imperial.
12 dras meia-aguas na Iravessa da ra Impe-
rial de ns.l a 23.
1 terreno na roa do Socego n. 63, o qual tem
30 palmos de frente e cento e tantos de fundo,
tndo no dito terreno duas casas meia-aguas que
rendem annualmente 122*.
IB O JE
No seu armazem a' ra da Craz n. 62, prlmeiro
andar, as 11 horas.
LELO
De presuntos e carne do
sertao.
O agente Pinto fara' letlo por conta e risco de
qaem perleacer de 40 presuntos iaglezes para
fiambre e do cerca de 70 arrobas de carne do ser-
tao ltimamente ebegada no vapor lvojuca e exis-
tente no trapicho da companhia Peroambneaoa,
onde se eHectuari o leilao as 10 oras do dia ci-
ma dilo.
Sacca por todos os
lo Mnho em Braga, e
se ero Portugal,
aber:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Gol maraes.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
VilU do Conde.
Arcos de Val de Vx.
Vianna do Castelio.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famelicao.
Lamego.
Lagos.
Covilhaa.
Vassal (Valpassos.)
Mirandella.
Reja.
Barcellos.
Arrenda se a proprledade denominada Barra
de Sertnbaem, na (reguezia do mesmo nomee sea
litoral com grande extenso, mullos foros a' per-
ceber e muios eoqueiros a desfructar, alera de ser
ptima localidade para qualquer estabelecimento
de fazeudas, seceos e raalbados; a tratar a' ra da
Aororzi n. 26, ou a'-do Imperador 0^43-1 andar
Vicente Licitlo da Costa Capel!o, solicita-
dor em todos os juizos e tribunaes do distrino da
relaco de Pernambuco, mudou sua residencia pa-
ra a ra Augusta n. 3, onde pode ser procurado,
on no seu escriptorio a' ra do Imperador n. 24.
AVISO.
Bern?rdlno da Silva Costa, socio liqnidslarlo da
extincta firma Campos & Sobnnho, jolga nada de-
ver, relativo a mesma, oar por conta de livro,
qur per ttulos de qualquer natureza, mas se por
acaso alguem se jolgar creder apresente-se para
ser incontinente pago.
ceucos os mais
medicina.
Tintas para todo ogenero de pin-
tura e para tintararia.
Productos industriaes e tintas
para flores, como botoes de flores
e modelos em gesso para imitar
fructas e passaros com o compe-
tente desenbe.
Productos chimicos e industriaes
para photographia, tinluraria, pin-
tura, pyrotecnia etc.
Montado em grande escala e sup-
prid directamente de Paris, Lon-
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa
pode offerecer productos de plena
conanca e satisfaz.* qualquer en-
eommenda a grosso trato e a reta-
lho e por prego commodo.
ma
Precisa-se de ama ama para corinhar e comprar jfa ra do (id^rniz n. 8, ha constantemente um
para urna pesoa : na raa larga do Rosario n. 31, grande deposito de doces era latas e calxSes, pro-
l* andar._________________ __ l'ri Para negocio e por prejos
Alcga-se a casa terrea na Iravessa d s Pires c os.
n. 7, con commodos para graude familia, muito
(resca, tendo a vantagem de ter anua do Frala e
gaz : a tratar na ru> oa Seozala Nova n. 30.
mullo com-
! f
Precisa-se d?
Ama
i .. .- o lerceiro anflsr do sobrado da raa do Amorim n
uma ama que saina eosuhar e en-" ; ,9 soi5q co:ninodoJ pari bmilit. a
gommar perfoitam-ntii para casa de pouca lamilla : ,.',.'' *1._, ^ >0-mn
na rna de Santa Rila n. 25. andar. tratarno >rmazgm_do rae^m^-------------------------
TJBJLEOR A PMD
Slaritimodo Rccf-
P/evioe se ao publico que do da Io de Janeiro
de 1808 ('mvdiaule uucciooara' o novo roteiro dn
sigpa-s que se acha a' venda ua livrirta frauceza
na ra do Crespo n. 9.
O administrador
Domiogos dos Passos Miranda.
inhdro
sobre liypotboca era predios em bom estado, e as
I necipaes ras desta cidade, da-se at a quanna
i de dez on doze contos de res: ua roa Nova.loj u.
29 se dir'.
precaBcao
Manee! do NMscimeuto Forreira da Sil'a agente
de conlucQo de gneros da esta^ao de Cinco Pon-
as para o Recifa debilxo da irroa de iVascimeuo
Silva & C declara que nao o compralor.de um
estabelecimento de bilhares da ra da Imperatrit
n. 69 como consta de um aonuccio publicado uo
Diario de Pernambuco os. 282 e 283 de 7 e 9 do
corrente feita por pessoa de isual nomo e para
evitar dovidas (atoras desta data em diante s se
assigna Manoel do Nascimenlo Silva. Rcile 9 de
dezembro de 1867.
((feilai ia dos anans
Raa da-Cruz n. 16.
Ha presntitos, ditos em fiambre, (rucias em cal
da, ditas secas, caj, dito crlstaihndo > recebe se
eneommendas para casaneutoe, bailes e baptisa-
dos, bollos e Pao de 16 enfeilados.
Cliocolate vermicida

DE
Club do Recife*
Em virlude de deberaQo da directo I
do Club do Recife, convido a todos os so- j
cios eflectivos do mesmo Club a comparece- .
rem no respectivo salo sseis boros e meia JSJ* ^0
da tarde do da 13 do corrente mez, alim; Concordia n. 59.__________
de que reunidos em assernbla geral resol-1 Cnia pardinh^ qoe ose, engomma e iava se
vam acerca de algumas medidas urgenlissi-' oflereca para ama com t3nto qu^ a casa teoha
mas que sero submettidas considera(;3o uma at Jnas pessoas : qa^m a pretender dirja-se
da mesma assemola geral, e muito inters- a ra*_^_^^-\ _
cosinhar fl
na rna da
sam sociedade.
O Secretario
Joaquim Leocadio Viegas.
Cosiahelre
Precisa se de om eosioh iro : na rna das
rangeiras n, 14, hotel Juventode.
La-
0 Dr. A. S, Pereira do Carrao (medico)
esl morando no sobrado n. 12 da roa da
Imperatriz.
m
Aluga-so
para passar a testa oo por um aoon, orna casa em
Oliuda, com ex ce I leu le vista e muito fresca, com
tres salas e cinco qusrt s, cozioba fra e bom
qointal, com terraccsadhnte e atraz com acentos
de pedra e cal : a tratar na praga de Pedro II, li-
naria da Infancia n. .
Preparatorios para os exa-
mes de morco,
Cus de lingna fraoceza.
tic gvoga't j>5il'i c historia.
-7- de pSitltiSophia.
de rethorica e poet^ea.
Jos Soares de Azevedo, proessor de
lingua e Literatura nacijnal no gymnasio
provincial de Pern rabuco, tem aberto em
sua casa, ra Bella n. 37, um curso especial
de cada uma das materias acitni indicadas,
as notas do banco do Brasil e das caixas flliaes- para os estucantes que se propem a fazer
Jora descont muito rasoavel, na Braja da lude, exame em Diarco no collegio das artes.
pendencia n. 22.J_______________________ | Dirijain-se residencia jnenciooada. de
A|nga se uma casa no principio da Poote de manhSa at s 9 horas e de tarde a qual^oer
Uchoa" a margeno do rio, com viveiro e baixa de [ bora.
capim : a tratar na ra do Vigario n. 31.
O abaixo assignado avisa ao publico e especial-
mente ao respettavel cerpo do commercio, que
Antonio NHnes de Castro.
Desde 1857 que s3o as tabellas vomicidas
applicadas em Portugal, como o remedio
prompto e eficaz para a expulso das lom-: tem aaigavemen'te diss.lvidcr a sociedade que'ti
btigas, que 150 graves padecimeotOS causam.nha em sua taberna a ra DireWa n. 4*1 cora
auasi tempre Se SUppa eas On- Bernardino Uves Ferreira que girsvi sobrear-
ma de FigueliK & Ferreira, ticaado a caigo do
abaixo assignado loUo activo e passvo da mesma
easa. ,rr fffflH
Recife, 10 d dezembro'de IR67.
Thomaz Je FigHiV'em.

e que
gem.
9&te virmifugo preferivel a qualquer
outro pelo seu agradavel paladar e fcil ap-
plicac3o s-cancas, as quaes geralmente
sao mais atacadas de seailbante mal*
i Deposito especial
(34.Ra laga do Rosara!o34.
_
Ama de leite-.
Precisa-se de nma ama de leite : na rna
Cruws taberna da pfU larga, paga- bem.
da;
iaEuei Power Joaustoa ttioapwta
Ra da Senzala Nova n, 42.
A.6BMGIA DA
Fiaidleio de Maw Bo>r.
Michinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moonda3 e meias moendas para engenlw.
Tatas de farro, coado e batido para enge-
nho,
Arreios fc carro par^ nm edons eavifioi.
Saldgios'de our^p%tnte inglez.
Atados amcricaiios.
Miikiiaspara desear o jar algftdfo. ,U1
Motoras para ditos.
Machinas de costura.
I Vttfi 1


+t

tarto M p?riiaa.ft>* ^ Qu.it. ti felra It t Dezemfer* e iSdt.
UREA PENINSULAR
Fafirica de destilaco e bonificado
B
MARQUES & FERREIRA
RCA IDO AHORlUf--FORTE DO HIATOS
PERNAMBUCO.
Esta fabrica aebandose mootadi cota lodos os necessanos perteaees a orna destiladlo e eon
materias primas, que entrara di eoofcccio de todos os seas producios de superior qualidade : protnp-
tiflca-se a receber toda e qualquer encommenda e a vender os seos producios por presos nimiamente
redondos, os ooaes c bilveraro premios as esposados de Pernambuco, Rio de Janeiro e Pars em 1867.',,.
Temos sempre em animidades genebra, dita de laraoja, ante, agurdente do reino, cogaae, ab- ornamentos, papel de forro mais delicado qoe seja, tornanOO-se ao mesmo tempo 15o san-
clniho, bitter, wermotb, kircbe, laropes para refrescos, primeira e segunda qualidade, licores floos e avel 6 mais ecoooniico oulra qualquer luz, j conhecida, afinal, evitar tambem a obs-
A GAZ
A empreza do gaz desta cidade desejando facilitar geralmente o uso do gaz na
casas e estabelecimentos particulares, offerece desde j as seguintes vantageus:
1." Uma redoccao consideravel nos precos dos canos, apparelhos e todos os mate-
naes precisos para a installacao desta luz.
2.4 O gaz fornecido boje de extrema pureza e nao offender a prata, o bronze
oo outro metal difireme, assim como nenhom damno poder causar as pinturas, quadros.
entre finos, tinta para eserever, perfumarlas, vinagre, marrasquino, coraco, espirito de 40*, 38a e 36
dito de alfaiema, limonada (azota, aguas : flor de laraoja, rosa e ortela pimenta ; o rebata de pevid
de melaocia e moitos ontros genero?, os Mees ce vendem a vontade do comprador, em barris, cana-
da?, em garrafas com vistosas tarjas. Prompliflca-ae a eondieelonar e i enviar qualquer remessa que
os seja pedida para toda e qaalqaer parte, devendo ser os pedidos acompanbados de ordem sobre
tapraga.__________________________________________________________________^^
O Sr. Jostioo da Silva Cardoso qneira
vir nesta typographia negocio urgente.
ARMAZEM
DO
VAPOR FRANCEZ.
BA NOVA N 7.
Acaba de chegar de Pars este estabetecimen-
to un grande e escolbido sortiraen'.o de calcado
dos melbo.-es fabricantes daqoeJIa grande praca,
assim como grande variedade de qoioqoilbarla e
de novos brinq' edos para crlaocas, cojos artlgos
se acham expostos a ftscolha e vontade dos com-
pradores, e:mo sejam algaos que passamos a
mencionar.
Ultima moda
Ricos cbapeosiohos de gosto para senboras fri-
tos ao capricho de uma grande modista de Pars.
Botinas para senlioras
e setim branco, duraqoe dito, preUs e de entras
differeotes cores eoftit.das a rigorosa moda.
Botinas para meninas
de multas qualidades bem sortldas.
Brincos de onro
de le a ultima moda dos Campos Elizios e boule-
vards de Paris, para seoboras e meninas.
Lavas de pellica
do verdadeiro latineante Jouvin, brancas, prelas e
e ootras diffsrentes cores.
Leqnes
era eseolbido sortimento de leqo.es de diversos
gosles e qoalidades.
Perfnmarla
finos extractos, baohas, olos, pos de arror, agua
de cologoe, agua (1. "Ida e jabonetes.
Espetaos
de differeotes tamanhos e gostos para salas, gabi-
netes e pequeos mocadores.
Calillabas de costnra
de novos modelos ricamente guarnecidas e com
lindas pecas de msica.
Delicado presente
bolcinhas ecestlebas de seda e de velludo muito
importantes para braco de meninas passeio.
Chapeos de sol de seda
de cores e muito cellos para senhoras e meninas.
Bouquets d exposlco
delicadts booquets de fl.res de'porcelana com lin-
dos jarros para mesas de salas e actuarios.j
Lunetas
de ac, tartaruga e (bfalo.
Ocnlos
de ac, bfalo e de prata doorada.
Ricas bengalas
de canoa verdadeira com caMo primorosamente
ttabalnados em marfim, compradas na exposi?o.
Chicotes para passeio
muito Qnos de haleia e cabo de marfim.
Oleado para mesa
de muito boa qualidade, novos e bellos padrues: no
armazem do Vapor, ra Nova n. 7.
Para ioilet
o'jectes de phantasia muito helios para teilet.
Crques
chegados de novo a oltirca muda.
Rices albuns
de velludo e de marrnquim para retratos.
Esterescopos
com lindas pbotngraphias trasparentes.
Estampas
de figura?, paisageos, cidades e de santo?.
Molduras douradas
de diversas larguras para quadros.
Abat-jonr
para candielros e lamernos de piano.
C<> sujo ramas
grandes e pequeos cora 50 ou mals vistas esco-
lbidas a' vontade, muito pittorescas. a
Healljos
pequeos, de qualro e seis ecas de msica.
Aecordions
e concertinas, o que ba de roelbor oeste genero.
Galotas de rame
de varios precos e tamanbos para passarinbo.
Botinas para homem
grande surti ento bem escolbido em Paris.
Botinas para meninos
de muitos modelas bem sonidos.
Mapatos de tapete
de charlte, de tapete avelludados e da tranca de
Lisboa para iomeos, senboras e meninos.
Botas riissianas
Perneiras e meias peroe/as.
Mantas de feltro bonitos padroes.
Chicotes lories comandos.
Lavas de fio da Escossla.
Carteirinhas para diubeiro.
Saceos de tapete p.-.ra viagem.
31 .las e boleas sortldas.
Pooteiras para charutos e cigarros.
Charuteiras e cigarrelras de palta.
Caximb n de bonitos modelos.
Grvalas relas e da cores.
Cordas para violao.
Bengalas para bomens e meninos.
Eseovas para cabello.
Escovas para dentes.
Pentet de marfim para tirar r/spas.
Pt>nt?s de tartaruga de desembarazar.
Abridores de losas.
Tesoorlnhas delicadas par costura.
Caivetes finos com tesoorinha.
Meias de fio da Esoossia para homem.
Venecianas transparentes para janellas.
Quadros pequeos para retratos.
Pares de lindas figuras pequeas de porcelana.
Jarros mu pequeos de porcelana.
Objectos de porcelana para botar banba.
Tameres finos para meninos.
Objectos de mgica para diverr familias.
Ph< tfgrapbias mgicas.
Globos de papel para illnminacao no campo.
Castinhas de vimes para meninas de escola.
Ceixiebas de msica e reajeijos para meninos.
Velas a gax para candielros e candelabros.
Carnanos de qoatro rodas para coodoxlr crianza
Booecas de massa, de cera e de porcelana.
Bercos e camas com cortinados para booecas.
Cabriofets e cavalliobos de madeira com machi-
nismo para meninos de 3 a 8 anuos momarem
Para presepes
figuras para ornar prnsepes, casiabas, anfmaes,
pastores, e outros muitos objectos proprios.
Attencao.
Nao sendo posivrl mencionarle aqoi todas as
(realidades de calcado, era todos os artlgos de
ffuioquilnarias, e moito menos da grande varie-
dade de novos brinqnedos; pede se ao publico um
passeio a este estabelecimento, eerto de que en-
cootrarSo bastante paciencia para bem escolberem
o eue desejarem eomprar, e preco baratsimos
em vrrtode de baver *m todos esiea artigos grande
qnaatldade, e lerem aleo comprados mesmo na
Europa pelo dono do alta estabelecimento, arma-
icm do v .por, roa Nova a. 7.
Aluga-e um slu'o na Capunga nova~cooi S
salas e 7 qoarios, urna oebetra, orna balxa de ea-
plm, baunta arvoreo : qaai o pretender di-
nj*-se a roa da Imperairu o. 60,
isi praca da Independencia n. 33, loja df
ourives, compra-se ouro, prata e pedras preciosas
e tara bem se fax qualquer obra de encommenda i
todo e qualquer concert.
Comnautiia ntilidade publica
AdireccSo paga o la* dividendo de 52& por ac-
| ca, em seo escritorio roa da Cadea n. 4*. prl-
I meiro andar. Recife 2 de dezembro de 8b7.
Os directores
Feliciano Jos Gomes.
Thomat Fernandes da Conha.
Jornaes para 1868
Na livraria francera assignam-se todos osjor
naes da Europa, os Srs. assignantes encontrarlo
amostras dos peridicos e catlogos dos mesmos.
HITA DO CRESPO N. 9. _
Precisase de uma ama para o ser vico de
uma casa de ponca familia, prefere se escrava e
paga-te bem : no caes do Ramos, armaren n. 10.
Uma eiibcra professora publica de mstruc-
(ao.primarla, por motivos de molestia deseja per-
mutar sua cadeira por ootra nesla cfdade do Re-
cite, at a distancia de nma legua, e offerece por
compensacao uma vantajosaofferta : qaem se pro
pozer a fazer este negocio, dirija se ao caes do Ra-
mos, armazem n. 10, ou annuncie para ser pro-
corado._______________________________
O Dr. Jcaquim Jos de Campos da Costa de
Medeiros e Albuquerque mudou o seu escrlptorio
de advjcacia da casa n. 22 para a casa contigna
n. 24 da ra do Imperador, defronte da re aco,
jury e sala das audiencias.
Aingam-se quatro casas de preco de 14,
Ii&, l( 5 e 8. por mez, sitas a' ra do Gazometro,
confronte ao porto lateral da fabrica do gaz : a
tratar no mesmo lugar. ________
Precisase de uma ama forra ou escrava que
seja boa cosinheira : a tratar a roa da Cadea do
Recife armazem n. 8.
Seguro contra bgo
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, agentes
da compaobia Fidelidade, estabelecida no Rio de
Janeiro, lomam seguros contra fogo em predios e
mercaderas, em seu escriplorio roa da Croz no-
mero 57.
MOLESTIAS 1)0 PEITO
Aviso Importante.
Os nicos verdadeiros xaropes de hypophosphl
tos de soda, de cal e de ferro do Dr. Cburcbill tra
zem a firma quatro vezes repetida deste sabio me
dico sobre o subscripto e a marca de fabrica da
pbarmaca Svrann, 12, ra Castiglione, Paris
Acba-se a venda em frascos quadrados com o no
me do Dr. Cburchill no vidro. Prego 4 francos eOi
Paris : Com instrueco
Botica de Bartbolomea & C.
0 Dr. J. Baptista Casanova
pode ser procurado a qualquer hora em seu con-
sultorio homeopatbico, largo da matriz de Sanie
Antonio n. 2.
no mesmo consultorio tem sempre grande sor
timento de medicamentos de bomeopatbia de We-
bere Catellan, tanto em glbulos como em tintura,
assim como tem um sortimento de ferros de cl-
rurgia em carteiras e avulsos do afanado, Cbar-
rier de Paris.______________^______
Cambra i as largas a UU e i $280
a Tara.
Vende-se cambraia trasparente com oito
palmos de largura, que facilita fazer-se um
vestido com quatro varas, a 1$ e t#280 a
vara : na loja e armazem do Pavao, roa da
Imperatriz n 60, de Gama A Silva.
Espartllhos.
Vende-se om grande sortimento de espar-
tilhos dos mais modernos : na loja e arma-
zem do Pavao, ra da Imperatriz d. 60, de
Gama & Silva.
Anadino a CjiCOO.
Vendem-se os mais boDitos cortes de ana-
dino, sendo fazenda inteiramente moderna,
transparente, com bonias palmas bordadas ;
esta fazeuda, que de milita pnantasia, ven-
de-se pelo baralissimo preco de 6$( 00 o
corte : na loja e armazem do PavSo, roa da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Ricos curies de medlna pro-
prlos para baile.
Cbegaram os mais modernos cortes de
medina, sendo uma fazenda inteiramente
nova e transparente, com lindas palmas e
quadros de seda, e vendem-se pelo barato
preco de 22)5000 o corte : na loja e arma-
zem do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Cambralas a 363C0 rs.
Vendem-se finisstraas pecas de cambraia,
branca e transparente, de 35500 ate lOjj a
peca; ditas tapadas muito finas, de 55 at
103 ; ditas suissas com 1 vara de largara a
84,105 e !2iJ; na loja e armazem do Pa-
vao, roa da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Cortinados para casamentas.
Vende-se nm grande sortimento dos me-
lbores cortinados bordados, proprios para
camas e janellas, pelos baratos precos de
95, 105, 155, 205 e 255000 o par; da-
masco de 13a imitacao de seda, com 8 pal-
mos de largura, a 45 00 ; colchas de cro-
ch ; ditas de fusiao brancas e de cor; cro-
chs proprios para cadeiras, sofs, cadeiras
de bataneo, para cobrir presentes, etc. etc.:
na loja e armazem do Pavao, ra da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Cortes de chita con iO cora-
dos a 35, 35300 e 3-56CO.
Vende-se cortes de chitas francezas, es-
curas e claras, de cores lisas, e ten do 10
covados, a 35000; ditas com 11 a 35300;
ditas com 12 a 35600. pecbiocha, so
para acabar: na loja e armazem do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Percalas a 320 rs.
Vendem-se fioissimas percalas de cores
fias, pelo baratissimo preco de 320 rs. o
covado, por ter um pequeo toque de mo-
fo : na loja e armazem do Pavao, ra da
Imperatriz n. 60, de Gama e Silva.
truccSo dos canos e tubos dos ap'parlhos.
3. Os apparelhos existentes, como lustres, arandelas, bracos de vidro, de bron-
ze, etc., etc., sao proprios para os senhores que preferem luso e elegancia, como para
os que necessitam simplicidade e economa.
4.a As pessoas qoe quizerem collocar o gaz em suas casas podem dirigir-se em-
preza, a qual se encarrega da collocacJo de todos os apparelhos, canos, etc., tomando toda
a responsabilidade pelo perfeito cumprimento do mosmo, ou por outra, podem empregar
qualquer maquinista reconbecido pela empreza, sendo o mesmo maquinista responsavel
pelo seu trabalho.
5.a A empreza obriga-se ainda a reparar gratuitamente qualquer falta de luz,
obstruccSo de canos, etc., devendo o consumidor pagar somente as pecas novas que forem
precisas para o mesmo concert; qualquer retlamaco que possa haver, ser dirigida ao
escriptorio da empreza ra do Imperador n. 31, alim de ser logo providenciada.
45hoa Direila45 -
Chefa, gente!!!
Borzeguins inglezes para borneo a 5
Ditos fraoeezes dem a 5^.
Borzeguins para senhora, enfeitados, a #
Ditos para menina, dem a .14.
SapatSes inglezes para homem a 4.
Ditos americanos a 35500.
.Chinelas do Porto a 15600.
saptos-lranca para senhora a 15280.
Ditos aveludados, dem, a 14280.
Aproveilem emquaBto tempo._____^^__
COMPRAS
Qaem qaizer alugar o sobrado n. 42, a
ra da Aurora, dirija se ao escrlptorio n.
4, a' roa do Crespo, que achara' com qaem
tratar.
H: S A -Ra do CabalaW. S A
Os propietarios deste estabelecimento offerecem ao respeitavel publico
um explendido e variado sortimento de joias de ouro ebegadas recenten ente
da Europa, cojos modelos sao novos e de bom gosto como sejam: pulseiras
com perolas, rubios, esmeraldas e brilhante?, brincos da me.-ma ferma, anneis
de phantasia, proches para retrato, ele, etc., boles de coral rosa para pilo
de camisa e cacoletas com retractos.
Compra-se e recebe-se em troca ouro, prata e brilhantes pelo seu en-
trinceco valor, assim como moedas nacionaes e estrangeiras. lambem se cn-
cumbem de fazer concertos
Agostinho Jos dos Santos $ C
adquerir para o nosso estabelecimento mais um ar-
feliz e conseguio engajar um destincto pintor de
N. 2 largo da matriz de Santo Antonio n. 2.
RETRATOS A OLEO
Temos a honra de partecipar ao respeitavel publico a volta do Sr. Alberto Hens-
cbel que foi Europa com o duplo fim de se por ao correte dos mais recentes pro-
gressos da arte photographica
lisia de talento.
O Sr. Alberto foi summamente
retratos, p
SR. CARLOS ERMESTO FAPF
membro honorario i' a academia real de pintura da cidade de Dresda, e do qual a reputa-
do bem fundada nos aotorisa a erperar produces notaveis no seu genero de trabalho.
Um progresso immeoso ltimamente execulado na pbotograDhia, um dos mais
importantes consiste n'arte de obier retratos em tamanho natural, usando directamen
te na grandeza que se desaja, sobre a tela do pintor, o retrato photographado, por meio
de um inslrumeato especial chamado : cmara solar de augmenta cao.
Pir esta forma o talento e o saber de um artista habii maravillosamente se-
cundado pela preciso absoluta e infallivel dos contornos e das sombras que ihe pe a
photographia sobre a tela, e ludo se rene assim para se alcancar o maior grao possivel
de semelhanca incontestavel, ao que d aioda maior real;e o sello artstico, que imprime
ao retrato um bello colorido.
Pelo mesmo processo nos podemos reproduzir e pintar oleo, uma vez qoe se
dos d uma photographia, seja de que tamanho for qualquer retrato de pessoa mora ou
ausente e no tamanho que se desejar.
As pessoas que quizerem julgar por si mesmas deste novo genero de trabalho,
s3o convidadas a nos fazer a honra de visitar a nossa galera, aonde estu expostosuma
serie destes retratos como amostras.
AMRROTYPOS
Retratos em caixinhas
Para satisfazer a numerosos pedidos de muitos dos nossos freguezes, estamos pre-
parados para fazer retratos neste genero, para os quaes tambem temos agora um grande
ve ariado numero de ricas e bonitas caixinhas.
Precisa-se de uma ama que teoha
muito e bom leite epaga-se bem: tratase
roa da Cadeia do Recife n. 34 das 9 horas
s 4 da larde.______________________
Gratifica se com 50$
A quem capturar o preto da Costa de nome Ja-
ciotho, Idade 38 anoos, estatura poueo meoes de
regular, ten falta de dentes, talhos bem vlslveis
as macas do rosto, e os beicos grotsos, pernas li-
nas etc. Fogio em 29 de ootnbro prximo passado,
levando calca e camisa brancas, cbapo de palba.
A primeira vez qo fogio intltnlava-se forro de na-
ci e empregava-se como servente de pedreiro,
ganhador, etc. Foi visto ba poneos das na cidade
de Ouda, Agua-Fia e Santo Amaro das Salinas,
em ranchos de outros negros da Costa. Rogase,
piis, as autoridades puliciaes e a qualquer parti-
cular a captura de dito negro a ser entregue a seu
senhor Joio da Silva Leite, a' raa da Cadeia do
Recife n. 10.
Para seu interesse
Muito se precisa fallar com o padre nortoguez
Jos Bernardino de Paiva qoe snppde-ss morar
em Marcajao, e com o Sr. Jos Lourenco de Me-
deiros Muoiz que mora nos arrabaldes de Santo
Anto : na prac,a do Corpo Santo n. 17, primeiro
andar.
Ama.
Precisase de uma ama forra ou escrava para
coMobar em casa de pequea familia : na esquina
da roa da Madre de Dos n. 45._____________
31 Ra Direita 31
Neste est beleclmenlo se acba a' venda om bello
sortimento de reodas e blcos de pontos de croch
dos melhores gostos vindo de conta propria, por
Isso pde-se vender por prego muito commodo que
em qualquer outra parte, vendendose Unto ero
poredes como a /etalho em pecinba de 10 varas,
das 9da mauha as 3 da larde.
Casa a alugar-se
Alaga-se a casa da roa do Gaz, que perlenceu a
Irineu Janoario de Oliveira, com muito bons com-
modos para grande familia, quintal muito grande e
murado, com alguns arvo dos e moito fresca : a
ratar a' ra do Apollo n. 47, primeiro andar.
Chegaram
No vapor Seine, para o Cysne, a rna da Impera-
triz n 64, um lindo e escolbido sortimento de
chapelinas de palba de Italia, arroz e fll de seda,
ricamente enfeitados para senhora, bem como om
variado sortimento de chapeos de feltro, castor,
seda, lioho e lia para bomens, proprios para a
presente estajo. _________________
Feitor
Precisase de nm feitor para um pequeo sitio
peno da pra^a, quer-se pessoa capaz e bom trana-
Ibador, dase casa propria e boa para morar com
sua familia : tratase o ra Nova a. 19, primeiro
andar.
Maior vantagem
O coracio de ouro rna do Cabag n.i D, oSere-
ce-se em compra das moedas de onro e prata.
MOEDAS
de ouro e pr a
Compram-se moedas de ouro nacionaes e estran-
geiras, bem como pataeoes dos diversos cnnbos :
em casa de Adamson, Howle & C., rna ao Trapi-
ebe-novo n. 40.___________
Moedas de prata
nacienaes, assim como pataeoes portuguezes 0
bespanbes, compram-se eom premio : na ra do
Crespo a. 18. prime andar._________
Compra-se ouro e praa em obras velhas":
na nraca da Independencia o. W.
Compram-sc escravos
Sil vino Guilherme de Barros, compra, vende t
joca efectivamente escravos de ambos os sexos
de todas at idades : a' raa do Imperador n. 79,
erceiro andar.___________________
ti POR CENTO.
Se paga por prata nacional e estrangeira : as
loja de oorives no arco da Conceicao no Recife.
Ouro e prata
Compram-se soberanos a 114500, moedas brasi-
leras a 25,5000 e prata a 12 por eento : no escrip-
torio de Goocaio Jos Alfonso, roa do Torres n. 18,
jumo ao telegrapbo elctrico.
Moedas de ouro e prata
No armazem de Aognsto F. de Oliveira & C,
roa do Trapiche n. 42, pagam-se a precos mais ele-
vados do que os eerrentes no mercado.
Compra-se uma preta moca, boa cosinheira e
engommadelra:'na rna do Raogei n. 9.________
Compra-se
Moedas de prata por maior prego qne em outra
parte: na roa Kova n. 31.__________________
Attengom
Precisa se eomprar uma canda de car reir de
tamanho regular e em bom estado : a pessoa que
tiver para vender pode dingir-se a' ra de Gaz, ou
no escri| torio da mesma empreza, na roa do Im-
perador o. 3L______________
Justino Crrela Villares, mcTador-aro
da Peona n. 3, 3 andar, compra escravos do sexo
masculino, paga bem, negocio decedido.
ra-se
por mais prego que em utra qulqaer parte moe-
das de onro e prata nacionaes e estrangeiras : na
ra da Cadeia n... loja de Jos Luiz Goncalves
Ferreira & C.
Compra-se
per mais prego que em outra qualquer parte moe-
das de ouro e prata nacionaes e estrangeiras : na
roa do Trapiche n. 16, armazem de Adriano, Cas-
iro A C, e ra do Crespo n. 20 loja de Alvaro
Augusto de Almeida.
Cjmpra-se uma pequea casa terrea em qual-
quer roa das qaatro fregueiias desta cidade, prefe-
riDdo-se as fregaezias de Santo Antonio e S. Jos:
a' roa dos Guararapes a. 18, sobrado.
VENDAS
Vende-se o engenho S. Gaspar sito na fregue-
zia de Serinbaem, comarca do Rio Formoso, eom
excedentes varzeas, matas e mangues, bem como
com embarque mu prximo ; a' tratar a' ra da
Aurora n. 26, 00 a' do Imperador n. 431* andar.
PHOTOGRAPHIA
DA
CASA IMPERIAL
RA DO CABCGA N. 18, ENTRADA PELO
PATEO DA MATRIZ.
Acabamos de receber de Franca pelo navio
Sphet'a:
Lindos stereoscopos mecnicos de Jacaranda e
qoe montam 50 vistas por cada vez.
Stereoscopos simples, Jacaranda e mogno.
Vistas stereoscopicas transparentes e nao trans- i
prenles.
Caixiohas envernisadas de acaj para guardar
oO vistas stereoscopicas.
Liodos albuns encadernados em chagrn e doo-
rados, para 120 e 00 candes de visita.
Molduras dourae'as e passe-par-teuts para retra-
tos uhotographicos de todos os tamanhes.
Um excellente aparelho para tirar* retratos, o
qual vendemos com todo o necessario para traba-
Ihar-se em photographia e ambrctypo, e damos as
necessarias direcc.des.
Productos chimicos para vendermes as quan-
tidades que pedlr-se.
Na mesma casa
Ha nm lindo sortimento de alOnetes de onro
para retratos, nao s de goslos moito simples
cuno com folbageos e cravacoes com perolas
na-, robins t esmeraldas veroadeiras.
Contiaua-se a tirar retratos por todos os sy-te-
mas pbotograpbicos.
A 9 OOO a dazia de cartees de visita
Chamamos a atlengao do publico para os nossoo
retratos carioe. de visita expostos na livraria Ees,
nomica do Sr. Nogueira de Souza.______^^
DE
PALUi DE TR4NC34
PARA IIOJIE\*
A 2,000 rs, cadaum
Xa fanrica de chapeos, nia.\ov.i
un sacro 45
DE
Manoel Moreira de Souza
Ultima moda
Bellos chapeosiohos de aparado gasto para se-
nboras feitos ao capricho de ama das pnmeiras
modistas de Paris, e chegados ao armazem da vapor
ra Nova n. 7.
Sitio
Alm do grande sortimento das melhores machinas, americanas para descarrocae
algodao, de 10,12,14,16, 18,20, 22, 25, 30,35, 40 e 50, neste estabelecimento sr
encontra mais o seguinte:
Bom negocio
Precisa se alagar um piano moderno nio sendo
caro o alogoel: a talar na roa do Cabag loja do
eoragao e onroj >^________
PrecUa-se de nm feitor para engenho i a fal-
lar o roa wtffita do Rotarlo p. 18, taberna.
Azeite de espermacete propria para machi-
nas de todas as qualidades.
Vapores de forca de 3 a 4 cavallos.
Serras avulsas para madrinas.
Mances e todos os mais pertences para as
mesmas.
Carros de mao para aterro.
Cylindro para padarias.
Debnlhadores para milho.
Arados americanas.
Escadas de madeiras americanas.
Carriohos proprios para armazent.
Moiohos para refinac5es.
dem para milho.
Machinas para cortar capim.
Bombas para regar jardins.
Vaquetas para c*bertas de carros,
Camas de ferro sortidas.
Bombas de Japy.
dem americanas.
Ferros a rapor para engommar.
Vassooras americanas.
Baldes americanos para compras.
Tinas de madeira.
Ballaios e cestas de verguinbas.
Guarda comidas.
Peneiras d'rame para padarias e refinaedes.
Correntes para almanjarras.
Alachados e facbes americanos.
Caixas com vidros de todos os tamanhos.
Cannos de chumbo de todas as grossoras.
Folba de cobre idem idem.
dem de lato idem idem.
Folba de Flaodres.
Ferro de todas as qoalidades,
Arcos de ferro.
Latas com gaz. ____
Trens de porcelana para cosinha.
dem estanhados para dita.
Bandeijas nas.
Balanzas americanas.
dem rovervae8.
Taixas de cobre.
Estanbo em fergninbas.
FoUias de ferro do todas as grossorat.
Correles de ferro sortidas.
Espingardas de todas as qoalidades^
Revolvis de todos os modellos.
Ferrameota para ourives.
dem para Unoeiros.
dem para erreiros.
Precisase de um caixelro que tenha pratica
de taberna e qne d Sador a sua conducta : na
Soledade junto ao palacio episcopal.
Attencao.
R. 2) Boa do Livramento N 25
Deposito de tamancos e calcado nacional da fa-
brica da roa do Jardlm n. 19, de Jos Vicente Go-
dinho, tanto no deposito eomo na fabrica seapromp-
tam todas as porgoes de calcado o mais barato
possivel, esta fabrica tem todas as machinas pro
prias para os caigados ja bem acreditados pelo
grande numero ;de freguexes qne daqoi se for-
neeem.__________________^^^^^^^^^^
HISTORIA M GARLOS
XII
Re da Suecia
FOR VOLTAIRB.
Vende-se esta excedente obra por
brocbora, oa livraria Econmica roa
o. 1
Na mesma livraria tomam-se asslgoataras para
aIda de Horacio Nelsono celebre almirante
angle a l j cadn exemplar.
Sitio para alagar
Aloga-se por prego commodo om sitio em Berna-
ca, contiguo ao do Sr. Cbristlaoi, defronte do rio
Capibarlbe, e portao para a estrada: a tratar na
ra da Cadea o. 4.
1*200 em
do Crespo
Vende-se nm sitio na e-irada do encameos
na fregaezia do Pogo.o qual Oca junto a estrada de
ferro; a tratar ao mesmo lugar na venda, ou oo
largo da Assembia n. 3.
Conlinua-se a vender banba c oir a queda
dos cabellos como aqoi nao ba ootra igual, pelos
bons resultados que della se tem tirado, assim como
o remedio vindo do sertao para todas as molestias
do peito, brooqoites, phtysicas e asmas, no Corre-
dor do bispo n. 15. Na mesma casa faz-se de en-
commenda bollos e pastis de porco para a fasta,
eese-se e corta-se vestidos de noivas e senboras por
muito cmodo prgo ; tambem se vende uma cabri-
noa muito boa leiteira. ^^^^^
As Pilulas Catharticas
DE A.YEK.
O purgante mais efecaz at hoj conherdo.
wu/'///
y"
Farloba de mandioca
igual a de Maniaca, tem para vender Joaqnlm
Jos Gi>ogalves Beltro, no sea escrlptorio raa do
Trapicbe n. 17.
Albino Baptliu da Rocha, relo-
joeiro e doorador na praga da In-
dependencia n. 12, fax lodo e qual-
quer concert perteoceote a soa ar-
te por pregos mals barates do qoe
em ootra qoalqoer parte olhando
'o desempenbo do trabalho e aflao-
gado ; tambem compra obras da ouro e prata em
segunda mao.
Fundido da Aurora em San-
to Amaro.
Completo sortimento de taixas de f rro
coado, molde raso, ltimamente aprovadas
para o fabrico do assucar.____________
Precfsa-se'alaga'roma ama forra on captiva
para easalta familia, e qoe tenba babilidade : a
iraiaroa roa do Pires oa Calza d'Agaa n. 60.
Ktas pilulas sao puramente veg-
itacs, nao feudo ua eua compo-
S9O nciu mrreurio ucm oulro
ingrchlieule mineral; 6o Inno-
centes para as crluncaa e petsoas
mala delli-ada,, ao mesmo tempo
que, eompostas como so de rvg't-
toes mu fortes, sao bastante acti-
van c elicues pora as pessoas taaid
robusta...
Estu pUuIas catliartieas purgo c puiilico todo gj-stema
humano sem mercurio.
Xo se tem poupado trabalho ncm despeza para lerar estas
pilulas a um gnia de perfeccao tal, qno nada delxa a desejar;
sao o resultado de annos de estudo laboriosos e constantes.
Para alcancar tedas as rantagens que resalto de aso de cathar-
cos, tcin-se cMabiiuido somente as vlrtudt curativa* dus
plantas que eao empregadas na eaofeccao das pilulas. Sua
eomposino tul que as informidades que esli ao alcance
de sua aeco, Toros vezes podem resist i las on evad las.
Saos propiedades penetrantes explorao penetro, puriBcao c
lio vigor d todos as portea de organismo humano; po corrigcm
a sua accio viciada c faz recuperar a sao vitolidude. Uma daa
conseqaendos de-tos proprlcddes que o doente, abatido de
dr e debiUdadc pliysica, admirase de encontrar, tao depressa,
sen saude e energa recuperadas por mel i! um remedio Uo
(imples e njrradavcl.
As molestia que estio ao seo alcance sao.
Prxlo de ceir Reumatismo, Dr da cabe-a, A Srtralgia,
EaxaqucM, IntUgetUo e mal do estomago, HmorrIuUhs,
PADECDENT03 DO FI04D0,
Pebre gatro-k-patioa, Gaitrite, afeepe* BUiotai LomtHfar,
ErgtffOa, Hydrap'ta, urde:, ceguira parelat, t Paralgsia.
So alnuHak e Mantal de Saude do Dr. Arer, qu, te puNlca
todos os anuos paradistrlbolcio gratuito, eneontra-so um tra-
Jido sobre oa cJverOk daeacos que estao ao alca de
ILEMEDIOS PKQANTK3.
Actut-M cd l.-das as Boticos e Drogara* do Imperio.
O Peitoral de Cereja
X>E AYEB,
r.l&A A PBOJIrTA CtWA DA
Anin, de Oonatipac.-^a, TOKM, lUuquldio Xntu.
eriza, Brc nobitc, Tiaic* primarla, Tuberouloa
polmoaarea, e todaa a ""'ttti do
Ieito, aaaiaa como para aliviar
oa ethiooa declarado.
Ai prcparaoM do Dr. Aru aio vcadida aw prUeaMH
trogariae c boUcae do Imperio, ^^

.


larf ie Periwbiei IHMB felflf I*W*lliftMP rtfl867.
-#
Collares Royer
Oa Anodinos elctricos magueticos
Deposito acreditado
toja da agaia branca raa do Queimado o. 6
Apregoar anda os prodigiosos effeilos dos
Collares Royer ja nao ensinar oa querer
iatroduzir novidades, porque a (ama de sua
efflcacia tem-se tanto estendido, e os seus
felues resaltados a tal altara elevado, que
boje rara a pessoa que por experiencia
propria, ou por intermedio de mus amigo?
e parentes, ignore ou desconheja as virtu-
des desses sempre apreciareis collares
Royer.
A aguia branca porm sa gloria de concor-
rer para una 13o justo flra, se no por on-
ro modo ao menos por ter sempre, e cons-
antemente um completo sortimento desses
collares magnticos, que bem se podem cha-
marsalva vidas das criancas.
Resta ainda que os senbores pais de fa-
milia se facam convencer (de que convem
nao esperar que as criancas sejam atacadas
do mal, e por isso necessario ou conve-
niente que com antecedencia se deite na
crian?a um desses cellares para assim estar
ella preservada das convaleces e se contar
livre des rigores da denticio.
A aguia braaca ra do Queimado n. 8
continua a receber por todos os vapores
francezes a quandade que ha contratado e
Sor isso acha-se ella sempre provida dos ver-
adeires collares Royer eletricos magn-
ticos.
A Agola Uranca a raa do Quei-
mado b. 8.
Incon:estavelraenta na loja da Agaia Branca
onde os apreciadores do ora podem melhormenle
prover-se daquelles objectos de posto. Essa verda-
de ja por tantos e Untas rezes reconbecida ainda
agora se faz confirmar com a nota dos preciosos
objectos de gosto e valor qae a agoia tea a satis-
faco de patentear e por a disposigio de quem os
deseje e possa comprar. Ella principiar pelas ri-
cas caixas com masica e sem ella, para costura.
Essas canas por sua perfeiedes, gostos e rlqae
zas, se tornam recommendaveis para algum im-
portante presente, oa mesmo para quera tenha gos
to de possair orna bella obra, porque de certa sao
ellas as de maior valor que se encentrara em Per-
nambnco, ten lo ama que sobresabe a todas as oa-
tras. Alm destas ba outras de pregos menores, as-
sim como tambera ba bonitas caiziotias vaziss de
madeira, enveroisadas e marchetadas, com fecha-
dura e ebave, para costura.
Ejb leques qae se pode encontrar de melbor,
senda:
Todo de madreperola, bordados, (obra de gosto e
valor.
Ootros de madreperola e seda, bonitos desenbos.
Oatros de madreperola com b rdados coloridos,
obras de mnito gosto, e geraimente apreciadas.
Oatros todos de sndalo.
Oatros de sndalo e seda com bellos desenbos.
Ootros todos pretos para lato.
Ootros (.roas com desenbos rozo?, proprios pa-
ra senboras viuvas.
Ootros de sndalo e faia, formando qaatro vistas
Oatros de sndalo e sndalo e seda, para me-
ninas.
Oatros de madeira e papel, obra tacita.
Guaranaes de fitas, ditas de bonitas e modernas
trancas para vestidos,
A Agaia Branca receben novaraeote am bello
ssrtlmento daqaellas apreciadas guarnieres de fi-
ta!; assim como oatras de liadas e modernas tran-
cas. Os apreciadores do bom comparegam na loja
da Agaia Branca a raa do Queimado n. 8.
Fisissinus meias de lio de Eseossia para criancas.
Vendem-se oa roa do Queimado luja da Aguia
Branca n. 8, oode tambera ba oulras omitas de al
godo para criancas de 3 a 12 mezes.
Mu finas Uvas de fia de Eseossia e seda, para bo
mease senboras.
A Aguia Braaca a raa do Queimado n. 8, rece-
be u aro bom sortimento de finas luvas de lio de Es-
eossia e seda, brancas e de cores, bordadas e lisas,
tanto para bomens como para seohoras; qaem as
pretender e dirijT-se a dita loja da Agaia Braoca,
coohecera que em tal genero nao se encentra me
Ibor, e lalve aera mesmo igual em alguma outra
parte.
Requtfcs brancas oa trancinbas papa-fias.
A Aguia Branca acaba de receber um novo e
bello sortlraeato dessas to procoradas traocinhas
papa-fina, com diversos e agradavels moldes, e co-
mo sempre a Aguia Braoca a ra do Queimado n.
8 continua a vender barato
Golliabas e pnnbos, manguitos o goliinlias, obras
modernas e de gesto.
A Aguia Braaca acba-se recntenteme provida
de bonitas golliohas e puados oordados, mauguitos
a golliohas tambem bordad s, e todo do melbor
gGsto e oltima moda, teodo as golliohas e puntios
maims, ja enfeitados com fitas eufiadas, e algumas
pequeas para meninas. Os precos apetar de com-
modos variam com as dilereotes qualidados das
obras. Os pretenderes compareeam na loja da
Aguia Branca a ra do Queimado n. 8 que sero
servidos a cooteoto.
Eatremeios bordadas em pecas grandes.
A Aguia Braaca a ra do yueimado n. 8 est
vendendo bonitos entremeios bordados em pecas
grandes de 12 tiras, e pelo baratissimo prego de
2*5'00 cada pega. A grande extraegao que elles
tara tido confirmara os diversos fios para qoe ser-
ven, as-im pols convm qae a boa fregueiia da
Aguia Branca aproveito essa boa c barata faienda.
Chegrain tambein
os novoe coques que multo teem agradado pelos
sens bellos deseuhos, e perfeita execugSo d'obra.
Assim como igoalmeote chegararo bouitos port-
bonquets doarados cora canos de madreperola.
A Ag"ia Branca, a' roa doQucwna-
do n. 8, vende ;
Fitas para fachas de juizes de paz, delegados e
subdelegados.
Ditas para cavalleiros da Rosa, Cbristo e Cru-
zeiro.
1/ VAS N0V4S
A Aguia Braoca a ra do Queimado n.
8 receben d'aquellas bonitas luvas de pelli-
ca enfeitadas, e j bem coohecidas^por luvas
a duqueza.____________________
GRANDE BAZAR
ra Nova n. 20 e 22
Machinas para costura do autor Wbeeie
t Wilson, chegadas ltimamente da Ame-
rica ; oas qoaes pode cozer-se com doui
pespontos, toda e qualquer fazeoda, emb>-
iabar, frangir, bordar e marcar roopa; tudt
com perfeicSo. S3o to simples, que con-
irehende-se fcilmente a maueira do traba*
bo e a pessoa tendo pratica de coser em ma-
rtinas, pode fazer por da o ser vico qoe f>'
ciam 30 costureiras.
Cbama-se este estabelecimento a attetv
c5o do publico, visto que elle se acha com-
pletamente sortido de objectos de gosto,
como bem leques de madreperola e de sn-
dalo, fivelas. Cus para cinto, cokes perfp-
mariaeetc,
Na roa nova n. SO e S. Carnelrori
MAC.
QO
raa do Crespo n. V A, esquina da ra do Imperador
Acaba de chegir pelo vapor Gutenne, ura varadisslmo sortimento de fazendas qno dizem os
nossos correspondectes qne foran as melbores, as de mais gostos o novidades que encontraran) oa>
Parir, o por isso mnito recommendaroos a apreciagao do respeitavel publico, os seguales artigos que
s encentrarlo na loja do Passo.
Riquisslmos cortes da seda de core?, com lindos
matizes completamente novidade.
Lindissimos vestidos de cambra! branca bordados
com gosto.
Ricos basquines, primorosamente bordados, o ulti-
ma moda em Parir.
Rlqolssimas cbapeltuas de seda, palha imilagio
e enfeitadas com mnito gosto.
Coque? para senderas, sendo estes de ultima moda
em Pariz.
Llndissimas gravatinhas para seoheras.
Lindos colares e voltas de vilrilno e seda, ultima
moda e Inteira novidade.
Collarfnbos, pnnbos o gravatinhas de Cbuny, cen-
fela novidade.
Rlqoissimos leques de marflm todos abertos e de
nltlmo fosto em Parlz ; assim como de sndalo
madreperola.
Riquisslmos vestimentas de eambraias primorosa-
mente bordados, com todos os pertences para
ereangas se baptlsar.
Ricos vestuarios de core', todos completes para
meiaos de 2 a 4 anuos.
Mantas de blonde para noivas.
MoirUnlique, grosdenaple e sedas preta, branca
e de cores.
Riquisslmos cintos, ultima mola.
Ricos eDfeiles para seohoras e meninas.
Lindissimas chapelincs de seda e de palha para
meninas.
Rlqoissimos cortes de fantasa para vestidos de se-
-nhora.
Lindos cortes de lia para vestido, novidade.
Chapeos de castor a canotier, ultima moda para
rapastada em Pariz.
Grande deposito de lavas de Jouvin recbese por
todos os vapores grande sortimento.
Casemlras, eambraias, lias, mnsselinas, precalias, chitas o ama Infinidade de objectos qoe
deizaees de mencionar por se tornar magante.
Islo s na loja do Passo raa do Crespo n. 7 esquina da do Imperador.
GRANDE NOVIDADE
AUGUSTO PORTO & C.
11Ra do Queimado11
Este estabelecimento acaba de receber e vende por commodojpreco as seguales
faxendas finas:
Vestidos de b.ond para noiva com manta e capel la.
Ricos vestidos de cambraia branca bordadas o que ha de melbor.
Cortinados bordados e admascados para camas de ioo a 8o*.
Ditos bordados e admascados para janellas de 9# a 2o&.
Colxas de seda e laa e seda para cama de noivas.
Basquinas modernas de muito gosto de 2o a 5o.
Toalhinbas de croch para cadetras e sofs, e colxas de croch para camas.
Cbapelinas de crpe branco, e chapeos de patba da Italia para senbora.
Moir branco e preto, grosdenaple preto e de todas as cores para vestidos.
Camisas para homem francezas e inglezas de liobo, e de algodo.
Goardapisa de crinofine para fazer mais elegantes os vi stidos de 15a e de seda
a 32o rs. a vara.
Superiores satas bordadas de Hubo, camisas e camiemhas bordadas e lengi de
cambraia bordada para senboras, ricas toalhas bordadas com muito gosto, e lindos ves-
tuarios para baptisados eom o respectivo enxoval.
Las com listras de seda de varias coi es a qae ha de melbor.
Chapeos braocos de castor, e ricos chapeos de sol inglezes para homem.
Malas de diversos tamaohos para via^ens.
Panos fines e csea iras pretase decores e outras maitas fazendas que se veo-
dem baratissimo.
Este estabelecimento contina a receber as malhores.
Esteiras e alcatifas para salas,
11Raa do Queimado11
LIQUIDADO
1H1T4S VAEEXOA
HA
LOJA E ARUAZEaf


pifie
Rna di a> pera trie n. 60



Raa da Itrpcratrii a.
GAMA' Tendo os donos de; te grande'estabelecimento resolvido liquidar a maior parte das
suas fazendas resolveram vender com grandes abalimentos em precos, assim como teem
recebido ltimamente urna grande porreo de fazendas novas tanto inglezas como francezas,
alem3as e suissas, teem destinado venderemnas mais barato que em outra qualquer parte
afim deapurarem dinbeiro, dando de todas ellas, amostras deixando ficar p< nbor, ou
mandam-nas levar em casa das excellentissimas familias pelos seus caixeiros; assim como
as pessoas que negociam em pequea escalla, neste estabelecimento compraro pelos mes
mos precos que compravam as casas inglezas; ganhando-se apenas o descont.
Tiras bordadas e Babadlnhos
Qaem quizer fazer boa compra de tiras
bordadas ou babadinbos, achara um grande
sortimento para escolher e por (reco muito
mais barato do que em outra qualquer parte,
na loja e armazem do Pav5o, ra da Impe-
ratriz n 6o, de Gama & Silva.
Fazendas para loto na loja do
^ Pavo
VendPse setim da China com 6 palmos de
Baldes a 25, 35oo e 3
Vendem-se um grande sortimento de cri-
nolinas ou baloes de arcos para senbora pelos
baratos precos de $, 2#ooo e 30 por haver
grande porcao, na loja e armazem do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 6o, de Gama d-
Cassas a 4o r*. s o pavo.
Vendem-se bonitas ca.-sas inglezas de co-
res Hxas pelo barato preco de 240 rs, o co-
vado, ditas francezas fazenda muito fina com
PECHINCHA
N. 64------Eua da ImperatrizN. 64.
Kova loja de miadezas e arligos de modas
DE
M
0TSES
SU;
%
SILVA & NEVES.
Os propietarios deste novo estabelecimeclo efierecem ao respeitavel &&&
pnblico tiesta bella cidade, e do interior um lindo e escolhido sortimento de (g||j{
miudezas e artigos de modas, concorrendo para isto o terem na Eurooa, pes- &*%*
soas habilitadas a executarem suas encommendas no que houver de mais no- ^;i
vidade e gosto, e garanem vender pelos precos mais rasoaveis do que em ^^
outra qualquer parte apar de maneiras delicadas e sinceras.
Acabam de receber pelo vapor francez Guienne, os seguintes bellos
artigos de moda e fantasa.
Luvas de Jouvin para senboras e bomens, de todas as cores.
Livros para missa com capas de madreperola etc. -M.
Indispensaveis e bolgas de to as as qualidades. -vMV
Coques os mais modernos. Hjg
Espartilhos. collares, e cintos de seda e vidrilho. ^%
Rendas de Guipure, de seda, (blonds) e de algodo, de todas as ^&
qualidades. ggg
Completo sortimento de trancas, filas, botoes e guarnieres de seda
com vidrilho e sem elle, gravatinhas de seda, e manguitos de lastro bordados
tudo do ultimo gosto de Paris.
Leques de sndalo aberto do mais apurado trabalho
Agua Florida e tnico oriental de Laman & Kemps.
Ricos enfeites e guarnices de flores para vestido e cabepa.
Calcado para senhoras e meninas.
Perfumaras as melbores e mais escolhidas de Lubm, Piver, e Cou-
dray, em ricos e elegantes vasos de porcellan3, crysUl eprala irgleza.
Meias de algodo, as mais finas e melbores que teem at boje viudo Qjgs
ao mercado, para senhoras e bomens. pja
Chapeos de palha da Italia, e a milaco para meninas. ^**
E ura sem numero de artigo, de gosto e fantazia que so a vista f^
podem ser apreciado. ^^
m
aovo DEPOSITO
DE
MACHINAS
f i)ESCABOCAR ALGODO
Manoal Bento de Oliveira Braga,
53Raa Dlrelta .53
Neste estabelecimento se encontrarao a
verdadeiras machinas americanas chegadas ltima-
mente, as qoaes sao feitas pelo mais afamado fa'
bricante da America, por isso avisa a todas as pes-
soas que precisaren! comprar, de se dirigir a este
estabelecimento que compraro das mais perfeitas
neste genero, assim como mais barato do ene en
outra qualquer parte, por isso qne se recebe por
eonta propria, bem como cannos de chambo e moi-
nhos para moer milho, e grande sortimento de fer*
ragens e miudezas em grosso e a retaibo.
Faeas de cabo branco de meio balanco a <#
a dozia, limas finas de todos os tamaobos proprias
de trabalho de escoltara.
largura proprio para vestidos a 2<5 o covado, padrees listrados e de flores, assim. como com
lazinhas.pretas lisas, alpacas com listra bran- palminas miudas proprias para meninos a
ca a t covado, cassas brancas com listras 3oo rs. o covado ou a 5oo rs. a vara: pe-
pretas a 5oo rs. a vara, ditas pretas Usas e chincha na leja e armazem do Pavo ra da
com salpcos vara a 56o rs. ditas francezas Imperatriz n. 6o de Gama A Silva.
com listras e ramagens vara a 8oo rs., me-
rino preto, alpacas e princezas, mais barato
do qoeem outra qualquer parle, na leja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 6o, de Gama 4
Silva.
PALITO'S DE PANNO A 60
Vendem-se palitos de panno preto saceos
a 60, ditos sobrecasacos a lo0, calcas de ca-
seinira preta a 65 e 7,5, d ta muito finas a
9(5 e loa, finissimos sobrecasacos de panno a
2o<5 e 250, calcas de casemira de cor a 70 e
80, um grande sortimento de colotes detoda
a qualidaie e outras muas qualidades de
roupas que se venden mais barato do que
em outra qualquer parte, na loja e armazem
do Pavo, ma da Imperatriz n. 6o, de Ga-
ma & Silva.
As salas do Pavo a 3#500.
Vende-se orna grande porcao das mais bonitas
salas brancas com lindas barras bordadas de co-
res, lende 4 pannos cada orna, sendo fazenda in
tetramente moderna, pelo barato preco de :-5"0 :
cada Lita sendo fazenda que sempre se venden
por m jilo mais dioheiro ; na loja e armazem do
Pavo, na rna da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
CASAQUINHOS DO PAVAO [A 180, 200
250 E 3o0
Cbegaram o mais modernos casaquinhos
ou jaquetas de grs preto, ricamente enfei-
tadas sendo uos com cintura e outros soltos
conforme se usa ltimamente e vendem-se
pelos baratos precos de 18, 2o0,250 e 3o0,
na loja e armazem do Pavo, ra da Impe-
ratriz n. 6o, de Gama & Silva.
Hoire-antiquc.
Vende-se superior motre-antique de cor, com
algom toque de mofo, por preco muito barato, pata
acabar: na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60,
de Gama & Silva.
< amistabas a 3.
Vendem-se as mais modernas camisinbas com
manguitos tanto bordados como de pregoinhis com
elegantes pannos e bonitas abolladuras pelo bara-
to preco de ,i> 00 ; na loja e armazem do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Pichincha em casimiras a GO s o
Pavo.
Vende-se ama graddo porcao de casimiras supe-
riores entestadas, sendo escaras e alegres proprias
para caigas, poletots, coletes e roupas para meni-
nos pelo baratsimo prego de 15800 o covado ou
a 2S00 o corte de caiga, graDde pechincha na
loja e armazem do Pavo : ra da Imperatriz n. 60,
de Gama & Silva.
Alpaca uionstro com 5 palmos a 280-
S o Pavo.
Vende-se alpacas de quadros sendo padiQes es-
caros proprios para vestidos tendo o palmos de
largura que facilita faier-se um vestid} at com
8 cevados pelo barato prego de ?80 rs. o covado,
garantindo-se qae fazenda que val muito mais
diohelM, portaoto pichincha : na loja e arma
rem do Pavo ra da Imperatriz a. 60, de Gama
& Silva.
Poupenas para a festa a 320 rs. o covado.
Veude-se urna grande pergao das roats bonitas
ponpelinas transparentes com palmrnbas bordadas
a la oa qaadrinhos a imitaco de So de seda, pro-
prias para vestidos pelo baratissimo prego de ama
pataca o covado, grande pecbmeba : na loja e
armazem do Pavo ra da Imptratriz d. 60, de
Gama & Silva.
Leucos para mo na loja do
Pavo a 610, 10 e 10600.
Vendem-se bonitos lencos de cassa bordados
proprios para mo ,pelos baratsimos pregos de
640, i e i609, isto na loja do Pavo ra da
Imperatriz o. 60, de Gama & Silva.
CORTES DE SEDA,
a 28*000 res na loja do Pavo.
Cbegaram os mais modernos cortes de seda dt
cr com elegantes desenbos claros e escaros, ten
do maita fazenda para nro vestido e vendem-st
pelo barato prego de 28O res, por estarmo;
mnito prximos da festa, isto na loja do Pavio,
roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Bcrtaoha de lindo
Com 30 jardas a 12*000 res.
S O Pavao.
Vendem-se pegas de superior bertanha de llnbt
paro, tendo 39 jardas na 2o varas cada pessa pelt
baratissimo prego de 12$000 res, sendo esta fa-
zenda propria para leoges, camisas, toalbas, etc.
iste na loja do Pavo, roa da Imperatriz n. 60, t
Gama & Silva.
Bramante de linbo.
Com 20 jardas a 8*, 00 res.
Vende se superiores pegas de bramante de linhc
proprio para leoge?, toalbas, carnizas, etc. tend
20 jardas cada pessa pelo barato prego de 8*000
res, na loja e armazem do Pavio, raa da Impera-
tiiz n. 60, de Gama & Silva.
SAIAs ECONMICAS.
a ym ret.
Vndese ndla grande porgo de salas de eftr
com benitas barras pelo baratissimo prego de
3*500 res, na loja e armazem do Pavo ; ra da
Imperatriz n. 60, de Gama PNH03 COU GOLINHAS. .
a 1*000 res.
Vende-se orna grande porcao de pachos eom
golinhas de esgulo de linbo, com os mais liado
bordados pelo barato prego de 1*000 o terco, di-
tos bordados de cor a 640 riis, sendo grande pe
chincha pelo prego, na roa da Imperatriz n. 60 de
Gana & Silva. '
POIL DE CHEVRE.
a 860 e 800 res.
Vendein se as mais bonitas laosianas com listas
de seda, inmoladas poil de ebvre pelo baratissi
mo prego de 560 res o covado, ditas com as lis-
tas roathisadas a 800 res, assim cono um grao-
de sortimento das mais benitas e modernas lanst-
nbas qae te vendeos pelos precos de 280, 400,
500 e 560 res, bonitas alpacas de seda de oros
s e6Y a 640 e 8# res, uto na loja do Pavao,
roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Bailes esftflios.
a 1*500.
Cbegaram pe mais moderos baloes esguios toa-
do verdaderamente americanos e vendem-se pelo
borato prego de 1*800, na l ja do Pavio roa das
Imperatriz n. 60, de Gema i Suva.
Cal de Lisboa em b>rns a 3*, assim como orna
porgo a granel a 1*400 o alqueire : a Iraur oa
ra da Cadela n. 2, 1* andar.
Cortes de alpaca a siete patacas.
Veodem se curies de alpaca escura par; vesti-
dos pelo baratissimo prego de 2*240 o corte,
grande pechincha na loja e armazem do Pavo raa
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Presos vantajosos
lias mindezas do grande estabeleci-
mento de Suza Soares [imo.
Ra Nova n. 28.
Vendein em grosso e a retalho.
Linhas novellos, muito superiores, libras sortidas
a 2*200 e 2*500.
Dita em nvelos, mais inferior a l*o00 e !-*00
a dita.
Dita branca em caixas de 50 nvelos a 640 ris
Dita para marcar, caixas de 16 ditos a 240 rs.
Dita braoca em ditas de 10 ditos grandes a 5G0.
Dita em carros de 100 ardas a 360 rs. a doria-
Dita em carros de 200 jardas a 1*200 a dozia.
Dita em cartoes, branca e preta, a 160 rs. a dita.
Rozetas de cores em caixas de duzia, a 150 a
dita.
Grampas com cabega de vidro a 160 rs. a dita.
Agnlheiros piolados a 210 rs. a duzia.
Botoes de moedinhas d( uradas e prateadas, para
pnnbos, a 1*900 a duzia de pares.
Ditos de madreperola, para camisa, a o'OO rs. a
groza.
Ditos de osso, para caiga, a 2i0 rs. a dita.
Caixiobas com soldados de chumbo a 120 rs.
Epelbos de muldura dourada a 1*400 a duzia.
Pentes de lago dourado, para coco, a 6* rs. a
dozia.
Ditos de lagos lisos, para coco, a 5500 a duzia.
Ditos durado?, com flores, 2*400 a duzia.
Ditos de blalo, mullo bous para alisar, a 2*300
e 2*400 a dita.
Dedaes amareios e prateador, Bcos, a 240 rs. a
dita.
Clcheles em caixiobas a 640 rs. a dita.
Ditos em carloes a 000, e 900 rs. a dita.
Pegas de lila para coz, larga, com 10 varas, a
500 rs. a pega.
fitas de seda n. 1 / pegas com 8 vara?, a 260
rs. a dila.
Cadago branco para crcalas a 563 rs a duzia
de pegas.
Las de todas as cores, para bordar, a 6*300 a
libra.
Phospboros de cera, em caixinhas, a 360 rs. a
duzia.
Ditos de pa encerado, sem ebeiro. a 360 rs. a
duzia de caixobas.
Ditos de cera, em caitas gra.ndss de folha, a
1*400 a duzia.
Cartilhas da Duatrioa Christa a 320 rs.
brelas de eolia, em caixinhas, a 320 e 500 rs.
Sabonetes rios a 800 e i* a duzia.
Facas e garphos cabo e osso, fazenda boa, a
2*00 a duzia.
Abotuaduras Anas para coleles, cintos com Uve-
las de crystal, e mullas oatras qualidades, puicei-
ras de comas, pentes com pedrsj para coques, en-
feites para cabega, um completo soriimeoto de per-
fumarias de todas as qualiJades, celarlohos. can-
deeiros a gar, i-rrageos de todas as qualidades etc.
ele. ; a roa N\va n. 28.
VENDE-SE
Motores americanos para dous cavaos.
Dito dito para quatro cavados.
Machinas para descarogar a'godo de 14, 16.
18,20 30, 35 e 40 serras.
Prengas para enfardar algodo fazendo os sac-
eos com 6 palmos de comprimecto com o peso dt
150 e 200 libras, viadas ltimamente da AmeriCi
no armazem de Henry Forsler A C, no cao Pe
dro H n. 2 junio ao Gabinete Portugus.
Acaba de sabir a luz
Eacha-sea venda na livrariafraaceza
rnado(]respio49
O SEGUNDO ANNO
no
I
ou
leia
MEMENTO DIARIO
PARA
1SOS
COSTEXDO
folha cm braHco para cada da
do auno
O calendario do presente anno, sigoaes do tele-
grapho do Reclfe, a anguslissima casa Imperial,
eorpo con-ular estrangeiro, associagao Commer-
cial Benefleente, tribunal do commercio de Per-
oamouco, juizs especial do commercio, junta de
corretores, bneos, servigo do crrelo, estrada de
ferro de Rrcife ao S. Franeisco, Dalias reguhres
de navegago a vapor, linbas regulares de nave-
carao por navios de vela do Havre a Pernamboco,
vapor de reboque, sello proporcional, tabella dos
emolomeotos dos tiibonaes do commercio, regn-
lamenlo sobre incendios, sysiema metreo decimal,
taboa de cambio entre a Inglaterra e o Brasil,
quadro dos divisores, quadro do anno civil, reduc-
eo de pesos e medidas brasileiras eom as de di-
versos paizes.
Um bonito volunte cncadernado
pelooaodieo preco de 9$.
A os agricultores
Saunders Bratbers & C aeaoam de receber
de Liverpool vapores de forga de 3 a 4 cavallos
eom lodos os pertences,- o moi proprios para faze-
tem mover machinas de descarogar alg-do, po-
dendo cada vapor trabalhar at com 140 serras,
tambem servera para enfardar algodo, oo para
outro qoalqoer servigo em qoe osam de trabalhar
eom animaos. Os mes mos tambero tffl a' venda
machinas americanas de 35 a 40 serras.
Os preteodentes dinjam-se ao largo do Corpo-
Saotoq.lt. ________________
Rap Ttajads e Paolo jortfeiro
A Iota do cordelro prndente a' rudo Qoelma-
de rap.
Vende-se om cavallo [melado ripee, Buito
aovo, andador osito: na roa do Ranfoi a. 9.
Grande novidade para a
festa
Na loja do f avio rna dt imperatriz n
60, de Garra Silva.
Modernas ponpelinas cem palmnbas
bordadas e qoadros, covado a. 400
Modernsimas laziubas cem pal-
mas, ftiplcos, qoadres, littas, etc.
ele, covado, a 400, 00 e........ fo
Lindas lias com listas de seda, eo-
vado ai60e.................... 800
verdadtlio poli de Cbtvreecm lisias
modernas, covado, a 800, I* e.... 13210
rimaf.lmas musielluas de cires, co-
_ vad*. ......................... 640
Bonitas stdas de cores cim 4 palmos
de largor, covado.a............. MOQO
Grosdenaple azul, 10x0, Ijrrio, clnra,
ttc. tte, covado, a.............. j *S00
Modernas cas>as coro listas Urgs,
vara, a 640, 720, 800 e........... i00O
Moderoisumos or^aodys de rr, vara, llCOu
Organdy largo, com libia e quadres,
ra,a........................ i*CC0
Cortes de organdy com listas bran-
cas e de coies, tendo 8 taras cada
cute a......................... 4f00
Uaziobas de urna s edr matbisadas
covado a....................... 2S0
Cortes de cambraia braoca bordad?,
sendo oeste genero o mais rico qne
tem vinJo ao mercado........... *-J0
llontii s cortes de sedas cores claras a 8f*0U0
B.'nitos crtes de phaotaria a....... 10*C60
Coitos de orgaotys listados com 10
wra, a....................... 6*00
Fil branco bordaao, sendo de nieta
largura, vara, a.................. 640 1
Bonita fazenda branca para saias,
tendo r-rtgas de nm lado e i.m-
bem birdada, vara a I*. I*i80 e Ii'iO
Ricas saias btrdadas a A00(>, 8* e 1(>*(.U0
Cassas de ama s cor de flores, cova-
do a.......................... 240
Ditas fraoceras rrnito fins. sendo de
lisias e flores, vara a 300 rs. e co-
vadoa............... .......... 300.
Modernos poorios c do de es^uiao Moho, bordados,
brancos e de cores a............. !*C0O-
Modernos manguitos erm gollinhas a 2*iOO'
Hicos coroiohos de cambraia mito
bem enfeitados e bordados a 8* e l(*0CO
Saias ecom mic&s e escoras, para
qaem (jr passar a fesla fra a^^^_______2*500
Para acabar,
Vendem-se seccas com farioha de mandioca de
*300 a 5*; assim como accas con fe'jao per
baratissimo prego : no irspiche Bato do Livra-
ment no Forte do M.ittos n. 15.
LOJA DO GALLO V!G
LAKTE RA DO GRES
N. 7.
Os proprietarios desle muito bem conhe-
ilo estabelecimento tem a satit>fac3o de levar
ao coDhfciaiento do respeitavel publico qoe
acabam de receber pelo ultimo vapor da Eu-
ropa om grande e variado sortimento de ob-
jectos de inteira novidade, dos quaes se li-
mitam a rnenciouar apenas um pequeno nu-
mero fleaedo o respe tavel publico na sertt-
za de que neste estabelecimento sempre en-
contrarao um c impleto sortimento de arti-
gos de gosto e inteira novidades como sejam.
Ciatos
Os muios desejados cintos com pontas,
bordados a vedrilbo, fazenda de muito gosto
e completa novidade, respeito a estes ciatos
nao fazem observagoes e sita deixatuos a
apreciacod s esclarecidas freguezas isio s
no Gallo Vigilante na ra do Urespo n. 7.
Loquea
Muito lindos lequts d'osso, madeira, sn-
dalos, e madreperola ; pretos, brancos e de
cores, e muito se tornam recommendavel
pelas bonitas paisagens.
Florea
O melbor que se pode desojar neste arti-
go as quaes parecem naluracs assim comp,
tambem recebemos urna pequea porgo to-
das pretas e so vender na loja do Gailo
Vigilante ra do Crespo n. 7.
Capellas
Mu lindas grnaldas brancas e de cores
aquellas para ooivas, e estas para bailes, ca-
samentas e baptisados.
Luvas
Luvas de todas as qualidades para se-
nhora, homem, men as, sendo de algodo,
So da escocia, seda e pelica muito fresca e
do fabricante Jouvin, parece-nos que nao ba-
ver quem ignore que por todos os vapores
da Europa o Gallo Vigilante, recebe grande
quantidade desle artigo e por isso stmpre
tem Bormeoto a vontade do comprador, e
tambem nao se valle da falta o sea prego
sempre o mesmo.
Feotes
Muito bonitos penies de tartaruga para
coque e alizsros cabellos, assim como para
arregagar os mesmos e moitas outras quali-
dades.
Escoras
Grande sortimento de escovas, pararonpa,
cabellos, chapeos, deotes e unhas, sendo de
osso, bfalo, balda, marlim e madreperola.
\ava has
Superiores na/alhas pequeas para bar-
ba sendo cabo de marfim, tartaruga e oit-
ras qualidades, as quaes o fabricante ga-
rante a boa qualidade.'
Abotuaduras
Cbegaram *as mui lindas guarnices de
botoes para colleles fazeoda de gosto, assim
como grande sortimento de botoes para pn-
nbos. _________^__
Vende-se
orna morada de casa terrea com commodos, era
bom estado, oa roa Direila o. 62, amas mei-;gnas
oa travessa da estrada do Remedio, am canas ie
respaldo para grande casa, todo circulado deja-
neilas, portao e quintal ao lado e ja' com ootros
amitos ccmmcdos oa melbor posigo qne postt-
vel, por ler tres frentes, tendo para roa S Migues,
estrada do Remedio e Pirsnga, seodo todos oa pr>
voagao dos Afogados, cede-se por pregos commo-
dos : ooem pretender falle ao sacbrislo ia Igreja
de N. S. da Pat qae dir* qaem os vende.
Venderse
Milbo tuvo em saceos grandes: na roa le Ama-
rla) n. 56.






Brides aicieirai de Ipjeea.
Veadem a' roa do Queimado Aaevedo 4 Irma,
>-


^L^Jr

MiMMMHH
ww*%toxmm*WkH\ jrtnii '"'ThlMfcirrTitfuftj'0"


DB. SEVIAL.
Para o tratamento e cara rpida e completa das molestia syphiliticas, er's-8'
jft ifceamatismo, bobas, gota, debilidade do estomago, nfiammac5eschronicaa do Mftdp
* ba$t>, dores sciacas, cephalalgias, nevralgias, ulceras cbronicas, hydropesiaa, pleuri-
*&> sojiorrbeas chronicas e em ge al todas as molestias em que seteaha em vista apo
r*ta^ do systema sanguneo.
Considera c5es geraes
A sande um bem inapreciarel, cuja importancia e valor s est reservado ao ens
*r*u>o avalia-lo. .
incontestavel que o homem neste mundo constantemente, e por todos os laaor
xado por urna innidade de agentes morbficos que lodos tendem, dadas certas e deter-
ioradas circomstancias, a alterar o regular exercicio das uncces orgnicas, resultanbo
esse desequilibrio o que se chamamolestia.
A molestia nao mais do que a desvirtuaco das torcas vitaes, occasionada,- d,
pendo as in?estigac5es e experiencias dos mais abaliaado mestres da scieacia, pela depm-
af3o dos humores geraes, consequeneia da accao maligna desses meamos agentes mora e
ta introduzdos no organismo pelo acto da respiracSo, pela via digestiva, pelo contacto
-tt&ediato etc. etc. etc.
A sypilis infelizmente tem sido a partilba da hamanidade, e como fra de duvi-
la que esse terrivel Proteo da medicina urna molestia hereditaria, ella tem sido obser-
vada em todas as idaies, e debaixo de todas as suas formas to variadas, enfraquecendo
estituicoes robustas, produzindo mutilares, e cortando ainda em flor da idade vidas
anee josas.
Eliminar da economa esses principios deleteriou, e purificar a massa geral dos
saores tem sidu desde terapo immemorial o fim constante da medicina, e os purgati-
vas Sguram em primeiro lugar para preencher esse desileralum ou fim.
m mk A FESTA.
Lourenjo Pereira Mend s Guimarles, tendo de dar bjlanco era soas tojai
zeoda noflm do anoo.e tendo muita fazenda ra ser, por isso reolveu fazer na
Tojas de fa-
zenda do Jim do anoo.e tendo muita fazenda em ser, por isso reolveu fazer orna gran-
de liqaidaco, que ter principio no dii i at o fim do mez, as tojas e armazens da
Ai ara, ra da Imperatriz n. 50 e 72.
, Corto di IaSsinhas a 1-5, i >:00 t a;)O0O
Vende-se cortes de lasinh s
Pecbiuha rm chitas a ICO rs.
Vende-sa chitas para vestidos a 160 e !' Vende-se cortes de tasinh s de cnres
20O rs. o covado, cassas Irancezas, a 240 para vestidos com 1 i covados aije 50.
280 e 320 is. o covado.
S. ni Arar, cambraias a 2) t corte.
Vende-ae cortes de cambraias de barras
e listas a 25, 2,5'K) e U, cortes de cam-1
hrai bordados a 35c.OO, 40. e 50.
lus.suiioas de cores a Oi rs. eovadoj
Veode-re or.llantinas e mussunas de,
Alpacas do listas de seda a 800 rs. e corado.
- Vende-se alpacas de lista de seda para
vestidos a 8oo. 52o, 5f o e 'ico rs. o cova-
do, organdis branco e muito fino a 10, a
vara.
Lisinhas panmlHos
a 200 rs. o corado.
Vende-se lasihas para vestidos de se-
co es para ve4.dos de senhora a 500 rs. o nhora8 .00< 2*o, 32o, e 4oo rs. o covado,
r.., .n jbaregc de listas a 2io rs. o covado, mos-
2.31 !, T 2i ?' emi!\n samNae com pilmas e listas de seda para
Vende-se ch.ias francezas largas a 240, esUd^ a 2?0 rs. 0 covado#
280, 320 e 360 rs. o covado, percalas fi-
nas a 400 e 500 ri.
Onjnn.j de qir.dro de cores a 320-rs.
Vndese organdis de quadros decores
paravestMos a 320, 360 e400 rs. o covado.
Las unas de lista a 400 rs.
Chiles de renda
Vende-se chales de renda moito pretos
a 4A300 e 50, rotondas de linbo a 50 e 60.
Roapa feita nacional.
Vende-se palitos de alpaca branca e de
Vende-se laainhas de lisia de cores para cores, proprios para os dias de festa a 305oo
vestidos a 400. e 500 rs. o covado. e 40, ditos pretos a 30, e 40, idem de meia
Hadapolo do Arara a 40 cazemira 303oo e 40, idem de casemira pre-
Vende-se pee de madapolao fino e largo: ta e do cores a 60, 83, e lo0, calcas de
a 40, 5,0, 60, 70 80 e 100, a pee a aljjo meia casemira a 209oo e 30, idem de case-
O Elixir depurativo do Dr. Sevial parece merecer a preferencia sobre todos: os JKB8OS0S successos obtidos pelo uso deste salutar agenie tauto na Allemanha, como em
branca e Italia, o rornam o companheiro inseparavel de quasi todos os doentes.
Sendo as melestia?, como cima dissemos, devidas s alteraces dos humores, o
5Xaf> depurativo do Dr. Sevial pode ser empregado vantajosamente na syphilis, erisy-
attas, rheumatismos, bobas, gota, debidade do estomago, inflammages chronicas do
^do e bajo, dores stfaticas, cephalalgias, nevralgias, ulceras chronicas, hydropesias,
tearisias, gonorrheas chronicas etc. e em geral em todas as molestias era qne se tenha
m vista a purificaco do systema sanguneo; pois que orna pratica constante tem feito
er que elle indispensavel nos casos gravissimes para minorar os soffrimentos, pre-
pnw o diente para medicales superiores ; e as menos graves a cura a conse-
pracia do seu uso, cfinvenientemente repetido.
As substancias que entram na composicao do Elixir depurativo do Dr. Sevia
p^rienfem todas exclusivamente ao reino vegetal, e grande cathegoria das substan-
ias Supurativas e an'.isyphililicas; assitn, ao passo que este remedio depura o orga-
sbo, eliminando os principios nocivos saude, pelo mecanismo natural das evau-
i|k6 alvinas, neutralisa ao mesmo tempo o virus syphilitico quando este virjem.
asa falto erupcao no exterior debaixo de suas multiplicadas formas; e previne taui
*hs os estragos dessa terrivel molestia, quindo por ventura se ache ella ainda no
Slado & encubaco, isto 6, sem se ter manifestado sob formas externas: beneficio
K&enso, ta-ito mais quanto neste estado os individuos igneram completamente se es-
s contaminados por este terrivel inimigo.
O sabor agradavel d'este Elixir coavem a todos os estmagos, a sua acc3o so-
>ti o tubo intestinal suave e benigna, e de nenhuma forma produz molestias medi-
i&&?v.!-osas, como acontece ao purgante dito Le Roy, que na sua qoalidade de dras-
iet> forte irrita a mucosa intestinal, e consecutivamente a seroza, resultando deste es
&}, muitas vezos, hydropesias, que quasi sempre terminam pela morte do doente.
Assim pois esperamos que o uso deste remedio justifique cabalmente as nos-
fis 3-ss.r eracoes, porque sendo um medicamento to simples na sua composicao, a
mtiea tem confirmado sua ulilidade.
nico deposSo ca Pcrnambnc^
Na botica e drogara
DE
Barhotomeo Coinpanhia.
3-RUA DO ROSARIO LARGA34
jw DE FAZPD
Por baratos precos.
Cassas francezas de cores a 240 rs. o'covado.
Ditas franc zis, superior qualidade, grande variedade de'padroes, fazenda de
&&?:. a vara, a 340 rs. o covado.
Ditas ditas mnito fnas a 4< 0 ;s. o covado.
Superiores cnitas francezas largas de cores flxas a 60 rs. o covado.
Ululas tar; de cores com salpicos e com fi irjs!1 a 3 rs. o covado.
Ditas com palmas Ditas com listas imitando poil-de Chvre a 400 rs.7o covado.
Superiores alpacas de cores de daas larguras cora listas e com flores, grande va-
r.cJ .de de padrfies e gost >s inteiramnte lindos ffazenda de 10 o covado) a 500 rs.
Sedas de cures de quadrinhos e de lillas a 800 rs. o covado.
Ricos r meos oa capas de merm, bo-dadas" ent'eitadas com renda preta, [o que
ttt de mais motlvrn i para hombro de senhora a 80, 10$ e 120 cada um.
Boas mar) sa S, 60 e 70 a peja.
Ditos a 'i>.
Supi ri ir algodSosinho branco'com 20 Jardas a 40 a peca.
Assim comj oolrasmuitas fazendas por menos do seu valor para liquidar.'
LOJA DAS COLUMNAS
DI
Antonio Correia de Vasconcellos & &
Ra do Crespn. 13.
e 0}>.
60500 14 e 80 a peca
MOV FABMGA



jSs
DE



DE

TODAS A QUALIDADE
*&

DE
Manoel Moro ira deSouz\
K. 4*. -= HUA NOVA =- M. 45.
Neste novo estabecimento, tem usa compieto sortimento de
chapeos para horneas, senhoras e meninos, vende-se por precos
S
Si
VflfKf
Kua da Imperatriz n. 15.

Vndese roantega"mglezaflor a 800 e Ijfooe.
Sal refinado era pacote de 3 libras a 2oo rs.
P de tijollo para limpar facas a 12o rs.
Latas com po-de-l a 10oo.
Azeitonas de Elvas em latas a 800 rs.
Alpista e painco a 16o rs.
Frutas era caldas sonoras a 5oo rs. a lata.
Farello de Lisboa marca M. a 406oo e 5?ooo.
Caixinhas com massas para sopa a 20coo.
Vende-se urna armacao de louro envidracada propia para qualquer negocio em
urna principal ra: atratar na ra da Lnparatriz o. 15, com Miguel Gomes de Souza
que tem poderes especiaes.
1 ffl
g s ce ?!
0 COI
0 m
0
S CB 3
TS O
0 CJ
tu 0 C3
O
^ Cfi a>
-* -o
-^
* n>
s "3 w
- =!
i >
- 5 W
6 O

0. -3 o
c - CD
ri O
-3 c-a

q "O C
c 0 XA B 0
so
O O c < co
O. "1 -a
CD
,-. M 1 0
-1 0 H
BQ ~z a.
CO
1 aa P5
O ce -t
tg 0
0 ' t3
0 a>
O g ce
n
12 u-
es b" C5 0
0
ZJ. co
c- P 23
tu C3 --
3 O. O
O 'J
m en
cu C ^
Ct> O O.
ce -^ 0
CB c/a a
0. as B
C6 Cu en a B
n Cf
tn 13
3 ce %
,0^ 0' 0. S9 en 0
co N^ -i
"J 9 *3".
9 05> 5
O. ce
Ct> -1 0
CJ
-
CA "i
e/i P-
0
OQ
Ci
B
0 0.
0 ce
09 ce 0 a
0 0
en
mm
KS
Chegarara de Pars no ultimo paquete corrmen-
das de Christo e craz perieocenles s mesma.,
hbitos de Crozeiro, da Rosa e de Cnri.'-to, cora
suas competeotes Blas; veDde-se por preco cora-
modo oa rna do Cabug, toja de jotas "o. 11, de
Serspb.ua & Irmao.
Veode-se um bom pfano de mesa de jaca-
rauda em perleito estado : na ra da Gamboa do
Carmo o. 20.
Vapores,
Vende-seem casa de Sanrders \ Brothers & C
o largo do Gorpo Saato n. 11, vapores patete}
om todos os pertences proprios para fazer mover
es oa quatro machinas para descarocar alRodr
Vende-se om pequeo sitio da Caponga, com
casa de viwenda defroote do sitio do Sr. Paulo Jos
Gomes: a tratar na ra Nova loja de ferragens
n. 31.
J Fazeada baratisslmas p
A' RUADOUUEIMADON.31
Loja de A. M. Rolira.
8 Cassas muito boas o covado a 240 e 280. Jg5
>.< Cortes de ditas com 10 varas a o00. Mj
~A Hits de cambraia de salpico brancas e |
^ de cores (fazenda que sempre se ven- SI
|| dea a 73) por 3J3U0. igfi
S Lans de listras e de palroinbas o covado ^J
lS( 3C0 e 400 rs. Wi
fei T.irlaianas de cores vara SCO rs. '?..'
~ Cuales de merino" estampados a 4$.
3 Alberns de a'paca edr de ganga a 4J5. Si
d Ditos de barege a 3j.
Liquida^ao de calgados.
Eu do Imperador n. 32,
Fundico dAurora em
Santo Amaro
Completo sortimentc de taxas batidas e fua.
das, alambiques de todos es tamaitos e fundos di
ditos, moendis de todos os tamanhos de superior
qualidade, crives e buecas da fornalha. o que tud'
se vende por comoiodo pre^o.
i
Lidas inuilo lidas ia t a 5U0 res o
covado
Vende se na leja o Alvaro a' ra do Crespo o.
20 B. _____________________
Ctiegou afinal
A pomada galopean
para cura rpida e completa dos callos duros.
VENDE SB NA
Botica e drogara
DB
Bartholonaeu & C
34Rna larga do Rosario34
0 cordeiro providente
Na antiga loja de minaezas a ra do Quei-
mado n. 16.
Tendo sempre em vi.ua nao roabar o tempo tos
seos reguezes, com extensos aonnnuos ; mas
tamben nao querUdo qae os mesmo freguezes
Ignorem o que de novo lera He recebldo, por liso
resorjHdamente o dir': cnegaodo assim ao eo-
nhecimento de todos qae a dita loja do Cerdeiro
Providente, roa do Qoeimado d. 16, receben o se-
gulnle :
Bonitas e dnradoras ligas de pellica para metas,
tanto para senhoras come para meninas.
Leqaes de diversos e modernos gostos.
Peotes com enfeiles dourados e nao dourados,
para meninas.
Coqnes simples e enfeltados, moldes Inteiramen-
te novos.
Bom papel em calxiDbas liso, pautado doura-
do e timbrado, e outros moiios objectos, que men-
clona-los seria bastante enfadonbo, e que se ven-
de em dita loja de miadezas do Cordeiro Provi-
dente, roa do Queimado n. 16.
X faltan flores,
O Cordeiro Presidente a rna do Queimado n. 16
tem constantemente nm lindo sortimento de fi-
nas e bonitas flores, por isso quando algnma ha.
bllidosa joven quizer preparar qualquer enfeite de
bello gosto deve logo lembrar se qne ba dita loja
do Cordeiro Providente, a rna do Queimado n. 16,
nao fallara flores.
Para alvejar os dente.
O cordeiro previdente a rna do Queimado o. 16
recebeu do bem coabecido fabricante Jonb Gos-
nell & C. ama ptima qoalidade de pos para den-
tes aromatizados com cantora qne realmente tem
merecido todo concelto porqne nao s alveja per-
feitamente os denles como tambem conserva-os
sempre no roelbor estado de pereicao, assim pois
qaeiram vir comprar ditos pos na mesma loja
do Cordeiro Previdente, roa do Qoeimado n. 16
jEnfeites com pontas.
Cordeiro Previdente recebeo nm lindo sorti-
mento de enfeiles com ponas para vestidos, tanto
de seda como de laa que combinara perlcitamen-
te com os cintos modernos do mesmo formato, por
isso para poder enfeitar-se com gosto qualquer
vestido indispensavel comprarse ditos enfeites
na mesma lo)a do Cordeiro Prevideote, a roa do
Queimado n. 16.
Chapellnas de seda
Modernas e bonitas chapelinas de seda para se-
nhora receben o Cordeiro Prevideote roa do Quei-
mado n. 16 e por ser pequea a quanlidade re-
cebida, quera pretender urna moderna e bonita
chapelioa deve aprecar-se em mandar compra-la
ern'dita loja do Grdeiro Providente a raa do
Queimado n .16.
caixinhas enfeitadas.
Estas muito desojadas caixinhas vasias e enfei-
tadas com gosto, que tanta eitraccia tem tido e
qae realmente serven) para diversos fin?, existem
na loja do Corde.ro Previdente a rna do Q^imado obrars {3 torneadYs'e podas" "com toda
o. 16 um completo sortimento de ditas caixinhas e rjerfeC50 p ^^
Vlvulas para tanques de banho, torneiras
de todos os tamanhos e quadades, assim
como todos os ornamentos para militares,
botes para farda, aparelhos para barretina,
nmeros, espberas, espadas, cornetas, alam-
padas turibules, caldeirinhas, aavtas, almo-
farizes, perfumadores.
Obras de folhas de flandres de todas as
quadades, bahs, bacas, bules e ontros
utencilios domsticos.
Lampies para gaz para engenhos, folha
de flandres em caixas, folhas de cobre e la-
to, tubos de chumbo para encaDamentos de
todas as dimenc5es, folhas de zinco, estanho
em barras e verguioha, lancees e barras de
chumbo, vidros finos pira espelhos, de co-
res, bordados, e opacos, e oulros para vi-
dragas, diamantes para cortar vidros, cadi-
nhos ordinarios e de patente, rea para mol-
dar, folies para ferreiro, lavatorios com ba-
cas e jarros, trra podre e outros nmeros
objectos proprio de taes eslabelecimentos.
Sendo todas as obras inspeccionadas e
feitas sob a direefao do socio administrador,
Jos Baptista Braga o qnal se acha' de novo
especialmente incumbido da gerencia de t5o
imporiante estabelecimente, isso nma ga-
rants pela sua longa pratica, que tem os se-
nhores freguezes de que sero servidos a
contento, com promptid5o e preco commo-
do, pelo que os propietarios lhe serUo agra-
decidos.
Fabrica c fundico de bronz
e outros metaes, caldeireiro,
laioeiro, e funileirOy situada
na Soledade, ra do Priii'
cipe n. 3, t com deposito na
ra Nova n 38, da cidade
do Recif
DE
BRAGA &SAMPAI0
Fabricam-se neste importante estabeleci-
mento todas as obras concernentes as vtes
respectivas como sejam:
Alambiques de todos os tamanhos em
feitios, os moi acreditados aparelhos de
Derosne com as dimengoes delicadas dos
fabricados em Franca.
Fabricam-se avulsas quaesquer pecas des-
aparelhos, como sejam o dilatador, ratifica-
dor e condensador, oa esquema garapas,
resfriador, serpentinas interiores.
Fabricam-se bombas de todas as dimen-
COes e qnalidades, pelo systema francez oa
americano, simples, de press3o, repnxo, e
com especiaiidade a estncanos 1 assim-p
nominadas pelo enorme volme de agua
que absorvem calculada em 100 pipas por
hora, e das quaes algumas est3o promptas a
serem experimentadas.
Existem bombas por este systema, me-
nores, para regar sitios, garantindo-se n3o
s sua duraco como a grande qnantidade
de agua que fornecem pelo que sao conside-
radas boje as primeiras bombas conbecidas.
Todas asmis obras se fabricam vonta-
de dos freguezes e a sen capricho.
Existem sempre promptosno deposito in-
dicado na raa Nova n. 38, um comptetosor-
timeoto de obras solidas, bem construidas e
a precos nsoaveis, como sao alambiques,
serpentinas, taxos, passadeiras, repartidei-
ras, escomadras, ccos, candeias, e amitos
outros ntencilios proprios para engenhos,
como sejam mancaes de bronze, parafuzos
para rodas de agua e outres.
Cavilbas, machos para lemes, pregos de
todos os tamanhos e para o forro de cobre
de navios.
Aprompta-se tudo quanto diz respeito as
Cabriolet
de 4 rodas e 1 cavallo moito soperior, vende-se
para tratar na ra do Crespo n. 16, 1* andar, pa-
ra ver-s8 na ccebeira do Paulino rna de S. Amaro.
Cassas finas a 210 e 320 rs.
as de seda preta a 13$ e a
Grespo n 17.
o covado, basqot-
22 : na ra do
Borzeguins de bezerro para bomem. Ditos de lustro para bomem. Ditos de cordavo. Ditos para seDbora enlejiados. Ditos para meninas. Sapat5fs de bezerros. Botinas brancas pata senbora. Botas peqoen?s para montara. Ditas grandes para montarla. 70 Erra mate.
"Soto e grande deposito de superior carvo de Cardiffna
Babia.
Antonio Corer-s dos Santos & C,rna Sama Barbara n. 1, es!5o barjitados snpprlr de
ttm.o,/) m coudtoaa mais favoraveis.-qnd^m ontlJ qnalqwr deposito, a todos os navios a vapor que
cerrera aac/uelie porto. A ccmiMt atss. com Domingos Alves Ma!hus.,
Na praga do Corpo Santo n. 17, 1 andar, ha pa
ra vender erva mate matto nova. Cal de Lisboa
nitirrament chegada, por preco commodo.
Condecoraedes
A bem conhecida loja de jolas de Moreira 4
Duarte, a' ra do Cahng n. 7, acaba de receber
porcao de hbitos e officialatos da ordem da Bosa,
e babit da de Cbristo de diMerentes tamaobos
que vende por pregos mol razoavels, alm dlsso
confine a a ter como sempre nm completo sorti-
mento de joias dos gostos mais modernos para as
quaes tonta com o concurso de seas bens fre-
guezes.
Attenco
o
Vendem-se pegas de algodozlnho muito largo
superfer qoalidade coro om pequeo teqae de ava-
ra pelo barato preg de 45, chitas largas de co-
res a 240 rs. o covado, bnm pardo ron to bom a
600 rs. a vara : na loja de Antonio Jos dos Reli
4 C, a roa do Passeio Publico n. 6. por baixo di
sobrado novo.
Vende-se om cabriolet *.m arrefos compe-
tentes, tado era bom estado, e ignalaienle nm ex-
celente cavallo para o mesmo, e.rjue tambem sel-
ve para sella : qoem precisar tffrlja-se a ra do
Imperador "
Urde, qae
Milhonovode Mamanguape
No caes da Alfandega armazem do Paula Lopes
E' baratissimo a 500riso
covado.
Superiores lias para vtstido-> roro excellentes
padrSes a 50 ris o covado,"aproveilem antes qae
se acabem ; na raa do Queimado n. 46, loja de
Gaimaraes t Basjos.
Milho no70 de Mamanguape
Na roa do Amorlm n. 58.
JOBJhlTDAS FiHILLlS."
Publicaco illostrada, artstica, recrea-
tiva, etc.,
ornada de figurines, gravaras, pegas de mnMca,
moldes de vestido, e era geral de tudo qu.mto
concernente trabalhos de senhoras. Sahe ama
vez por mez. Assignatura por omianno de Janeiro
dezembro 125000
Livraria franceza, ra do Crespo n. 9.
Vendem se tres bols e duas carrogas novas e
nm carro da alfandega, Ba raa do Atalbo, e jau-
tamente ama coxeira para os ditos bois, tambem
nova : a tratar cem o propietario Francisco Jus
da Fonseca no mesmo" legar.
Vende-se a taberna do pateo do Carmo n.
13 : a tratar na roa da Praia n. 16.
Feijao a 2,000 osacco
Vende-se na raa da Cruz n. 36.
sao vendidas per pregos to rasoaveis, qne o expe-
rieule trege; nao objeelara' em compra-las em
dita loja de miudezai do Cordeiro Previdente a raa
do Queimado n. 16.
PONTEIRAS E CHARUTOS.
O Cordeiro Previdente, rna do Qoeimado n. 16,
tem um bom sortimento de Roa ponteiras para
charutos, sendo lisas e com figuras em alto rele-
vo ; e para que os seas freguezes nao se Incom-
modero em comprar charutos em algaraas das lo-
jas de cbarateiros, recebeu tambem um bom sorti-
mento de fiaos charutos do afamado fabricante
Furtado de Simas; assim, pois, enconlrarao os
apreciadores um bom sortimento na dita loja do
Cordeiro Previdente, rna de Queimado n. 16.
Para offertas ao Hospital por-
tnguz.
Bonitas cestinhas com fructas de cera, obra de
moita perfeigao e bom gosto.
Para cortar moldes e eo brulhar fazendas.
Vende-se papel pardo folha grande.
Para lustrar calgados.
Veode-se soperior graxa econmica.
Vende-se papel para matar moscas.
A loja do cordeiro previdente
Ra do Queimado o. 16.
flella achario os pretendentes om grande e va-
riado sortimento ae perfumaras finas, tanto ingle-
zas como francezas, seBdo :
Finos extractos para lengos.
Baobas e pomadas para cabellos.
__ Oleo pbiloceme e baboza para dito.
' Pos hygienicos para denles.
Ditos camphoradospara ditos.
Opiata ingleza e franceza para ditos.
Pacotes com pos de arroz.
Vasos de porcelona para ditos.
Sribom tes para mao e barba.
E muilos outros objectos que serao presentes
ao comprador qno se dirigir a ra do Queimado
u. 16, loja do Cordeiro previdente.
Ban'eijas pepenas.
Vendem-se na ruado]Queimado n. 16. Jlojado
cordeirotprevidente.
Cliamtos
da acreditada fabrica de Jos Furtado de
Simas.
Vendem-sejoa loja'.do^cordeiro"prevident9 a rna
do Queimadogn. 16________^^^
RA NOVA N. .0 E 22
Machinas para descarocar algoda"o. do m
Ihor aotor que tem apparecido na America
E' tal a execucao do machinismo, .que o a!-
godio sahe quasi tao perfeito como o de bo
landeira. Recommenda-se a attencSo do
Srs. agricultores, estas machinas.
. mmm
Chegoa ao antigo deposito de Flenry Forster A
Si, roa do Imperador, um carregamenta de gaz di
primeira qaalidade.o qaal se vende em partidas
t relalbo por meos prego do qae em oatr* qaal
jaer parte.
Paris, 36, Raa Viirieima, D-
*?sa
Novas chapelinas
de fina palha da Italia.
A Ag'.iia Branca, a' raa do Queimado n. 8, rece-
ben om novo sortimento de bonita chapelinas de
fina palba da Italia, ornadas com delicadas flores, e
como sempre a Aguia Branca as vende por pregos
commodos. w
AS OFKIIMIUADAS DES SEXUAKS, AS AFFIO
OF.S CUTNEAS. KA '.TEBAgOES DO SANGUB.
30.000 curas dti impingan,
pstulas, herpes, sarnt.,
comixoes, acrimonia, e i-
lerc,oes,viciosas dosanyut;
virus, t o I eracoes do *am
gne iXarope ve^vlal *m mercurio). BrpnrNUvar
vr.GKtmrM BAMIS HIl\i liAte tomao-M do
por aemsna. egutodo o tractamento Depurativo.- A
empregado as mc-mas molestias.
Este XaropeCitrttr
^ de C1IABLE. cura i:J;Cii>
KM tameateciutlquerr^uroficaa,
i I idasacao, t debilidad), i
rJt igualinente os fiuxos fiorn
trancas das Diulheres. Esu injeccao benigna g>
?raga-ss com o Xarope do Cilracto de Ferro.
ti=3rroid. Pomada que ts cara em trt* diaa.
POMADA ANTIHERPET1CA
Costra: dis ajftccots cutneas t cornisn.
PILULAS VEGETAES DEPURATIVAS
(-: if csms, eads frssso vsi auoxpahate '
btalo.
AVISO AGS SRS. MDICOS.
Cara eatarrhos, wtiet
coqueluches, irru^rm
nervosa* i'tt dos brm-
eiot e icdus as domens
lo pH: l.-1;i ao iloar.U
urna colhe nhilra dc-lr xaru|ic D' "orset.
Dr. CRABIB em Parii. ma TUInufi, M-
A venda na pharmacia de P. Maurer t
e C, em Pernambuco.
RD1DE18A LE
O
de BlOtSRSXT, Dacii'iT-Kii--'ia
Ra d Soino, 8t, e\ PA.niS.
fergTjjmgb-aiiattiEiga u iBinmis i .....inacasagr?
es
K' peclilncba]
Vendem-se cambraias organdis fazenda muito
boa padt ts delicados proprios para a (esta pelo
barato prego de 320 rs. o covado, ebeguem antes
que se acabe mo Passeio Publico n. 6.
SEDAS
S30:Chegadas modernas sedas em cortes
t> c*iAo
Ti i *
Je Uimstn
* n. as, das 9 bons da maubaa as 2 da e padroes mui lindos: loja do Airar ra -m~AS!:s\05^?!^ ,^Tr!Lh ?T lml? BDD05 4*em milero d*.i
le acbara' com qoem tratar. 1 do Crespo n. 2o B. ,?.& lr*l4r rua d0 rmPerador D- fy. parte : na" alarla U Jos Ca
*M andar. UJSPmeps.. 38.
Vende-se a taberna da rua da Cacimba o. *,
com frente para a rua do Vigario, muito afregoe-
zada, e com poneos fondos, propria para om prin-
cipiante : a tratar na mesma.
Vende-se nm sitio na povoagao da Varzea,
bem plantado e tendo muilos arroredos fructferos,
com casa de vivenda de madetra, mallo proprio
para se passar a festa, por flear moito prximo do
rio e ter breve de passar os trilhes de ferro da es-
trada de Jahoatao ; vende-se por prego muito com-
modo : trata-se na roa Direita n. 8, ta no mesmo
sitio com Jos RcdMgues Campello.
pech\
4<100
Em cortes de laa
Vendem-se superiores cortes de la matzate
com 15 ce vados, pelo barato prego de 4* o corte,
isto na loja e armaiem do pavao, raa da Impera-
triz d. 60, dejiama& Silva.
Vende-se urna parle do engenho Dons Irmaos
Im CJt E>rr.-,h, Til, f7:trs To|!i < f.rt ,.-b!
;o Irtt otocii ,nr!r, -m ^.
rUt ecaa Ssi^to :> ua *o otn- M /eA--ier.
K. B.~ B%-
tendivcftiissiflCrs
/ r^OZC^ty^ VtPO trineo* mk
krql*3r,aUv*l |
SO Ji! it 1:0, I
M Kuxlna.fan-M I
PHARMAClEfl J di>it.-r*cdI.
Balar itu
Deposito na pharmacia deP.Manreri
C. em Pernambuco
Yecdem-se cadeiras de pinho de thestnras
americanas, proprlas para eslabelecimenlos: na
rna do Eucaniamento n. 4
Vende se telhas soperior e lijlos ae tonas as
qualidade?, fabricado com barro d'agna doce or
menos 4J em milheiro do que em outra qualqner
Vrnelro da Canta ju
. ti OlAi !'
I

avi itav *b WsWs\Wi
JD tt M


m
asfe
liarte de Pcr.ai.buc* Quinta tcl.a It de Dczcmbr. 4c JM7.

!

s >
<5
N.2D "^ N. 2 Dj
y& CORAGlO DE OURO. ^fe^
A loja n. 2 D intitulada Corado de Ooro na roa do Cabuga, acha-se d'ora em diante oflerecen
Jo ao respeitavel publico com especialldade as pessoas qoe booram a moda os objectos do ultimo gos
id 'a Pars) per menos 20 por cento do qae em outrt qualquer parte, garantindo-se a qoalidade e a so
da obras.
O respeitavel publico avallando o desejo qne deve ter o propietario de nm novo estabelecimen-
to qae qaer progresso em sea negocie deve chegar inmediatamente ao coracSo de ouro a comprar
aneisoom perfeitos brilbantes, esme.aldas, rabise perola; verdadeiras em agarras, modernas pek
diminuto prego de 105, brincos modernos de ouro e coral para menina pelo preco de 35, maracas de
prata com cabos de marflm e madreperola obra de moderno posto (o qne o encontrarao no coracao de
ouro) voltas de ouro com a competente crusinba ricamente enfeitada pelo pequeo proco de 125, brin-
cos de nm trabalho perfelto por nm mdico preco, cassoletas, tranealins, pulceiras alfioetes para re
tratos e oatros modelos tndo de alto gosto, anels proprios para botar cabello e firma, dito para casa-
mento, no artigo roseta tem o Coracao de Ouro nm completo 6 bem variado sortimento de diversos
goslos, batees para punbos com diamante, rabias e esmeraldas, obra est Importante ja' pelo sen va-
lor ja' por gosto ds deseo to, brincos a forma da delicada moslnba de moca com piogente contendo es-
meraldas, rabins, brilbantes, perolas, o gosto sublime, alfinete para gravata no mesrao gosto, relo-
gios para senhora cravados de podras preciosas, ditos para hornera,'diversas obras de brilhantes de
caito gosto, erosionas de rubios, esmeraldas, perolas e brilhantes, aneis com letras, cachetas de
rrystal e ouro descoberta para retrato (a inglesa) brincos de franja, ditos a imperatrize toda e qual-
quer jola, para secoljocar retratos e obras de cabello, e oatros muitos objectos qae os pretendemos en-
contrarao no Coracao de Uuro qae so conserva com toda a araabilidade aos concorrentes delxando-
se de aqnl mencionar precos de certos objectos porque (desculpem a maneira de fallar) dizendo-se
preco talvez algnem faca mi jmzo da obra, por ser tao diminuta quantia a vista do sea valor.
Na mesma loja compra-se, troca-seouro, prata e podras preciosas,e tambem recbese concer-
los. por menos do qae em oatra qaalqaer parte, e diosa obras a amostra com penhor, conservando-ss
Coracao de Ouro abertc at as 8 oras da noile.
Qaalqaer pessoa qae se dirigir ao CoracSo de Ouro nlo se podera' engaar com a casa, poi;
nota se na sna frente um coracao pendnrado pintado de amarello, alem de oatro qae se nota em cm
rotulo (fsto se adverte em consequencia de tcrem ja' algamas pessoas engaado com oatra casa.
RIVAL SOI SEGU
na do Qucimado a. 4, loja de
miudezas
DE
Jos Bigodinho.
Varas de babado bordado do Porto a 50
Carreteis de retro: preto com daas oitavas
Parriteis de reteoz de todas as cores a 8<
Frasees d'agna de Colonia m ulto superior a 50
Frascos de o'eo muito fino a...... COI
Darla de tesouras p -quenas a..... 48<
Frascos d'agua para lirapar denles a 50!
Redes pretas lisas para segurar cabello a ZA
Dazizs de pennasde ac muito finas a 6<
Caixas de linba do gaz de 30 novellos a 60s
dem de palitos de seguranca a 21
Garrafas de agua Florida verdideira i30<
Syllabarlos eom estampas para meninos i 39
Memento da roopa de lavar a..... 101
Dnzias de meias finas para seobra a 45001
Agulbas fraucezas a balo (papel) a r
Pecas de fitas de 15a de todas as cores a 50>
Grozas de boloes de porcelana prateados a 16<
Caitas com alfineites trancezes a 81
Caixas de 100 envelopes mnito finos a 6X
Resma de papel de peso braoco liso a 2#0CX
Frasco com superior tinta a..... 1 I
Pares de bot5es de pnnbo mnlto bonitos 8f
Linbas em eario de 200 jardas a lOt
Caixa de superior linba do gaz com 50
nove,les ............. 70t
Talberes para meninos a....... 241
Masso eom superiores grampos a 3(
Bonets para meninos a........ If00<
Pentes com costa de metal a...... 40
Realejos para meninos a....... lOt
caldadc
Este e?labelecroemo a rna da roperatriz n 70,
recebe de saa conta por todos os paquetes franca-
zes diversos oljectos da ultima noda de Pariz,
como seja bonitos coques lisos e enfeitado?, fitas
de s?rja, ditas de teda lisas e barJadas de todas
as largaras e de superior qoalidade, lindos sapa
tos de merino, de casemira e la, toucas de la,
muito bonitos cbapellinho?, babadiubes e ntre-
melos com llcdos bordados, grvalas de seda pre
ta e de cores para homem e senboras ; as verda-
deiras lavas de Joovin brancas e de cores muito
b nitas, cartelras de diversos felios e tamaitos,
roelas de mnito boa qoalidade, para hem.-m, se-
nhoras e meninos, nm lindo sortimento de bicos,
esparlilbos, mocadores ds Jacaranda' de diversos
lamanbos, fitas de veludo, iranias prelas e de co-
res, lindos enfeites para vestidos, cintos de diver-
sas qoslidades muito bon tos, albuos, abetoaduras
para rolletes, la p;.ra bordar de superior qoali-
dade, orna infiodade de bonitos brioqaedos para
crlancas, as melhores perfumarlas de Lubim, Ptver
e Ccadrai soeiedade Hygeoica, immencidade de
objectos qoe deixo de mencionar para nao se tor-
Br massante, ludo por precos moilo coa modos.
Botarassianas, peroeiras e meias peroeiras no-
vamente chegadas, da m-llior qnalidade visto, no armaiem do vapor ra Nova n. 7.
LUV1S
Novo sortimento de luvas de pellica de Jouvin,
trancas, pretas e de ootras booitas cures para le-
meos e senboras; no armazem do vapor ra Nova
n.7.___________________________________
Vndese urna casa acabada de novo com '>
quartos, 1 sala, cosinba f ra, nm bom terraco.
agua no mesmo terreno para banho e muito perto
do rio Beberibe, ama excedente vista, faz esqnina
da estrada que vai do Carcunda por onde tem de
passar a estrada de ferro : a pessoa qae a preten-
der dirija-se a ra do Negueira n. 11.
Francisco Jos Germann
|RUA NOVA N. 21,
acaba de receber am lindo e magnifico to
tiiaento de oculos, lnnetcs, binculos, da u
timo e mais aparado gosto da Europa e oc
los de alcance para observares e par
martimos.
Novifcde
para presente?, bonecas ricamente vestidas a mo-
da actual e cabellos amarrado tambem ao ulilmo
gosta o melbor possivel escribidas na eipos'Co e
chegadas ao armazem do vapor roa Nova o. 7.
Grande" Ilquliaco
Na ra do Livramentn |nja do Zuavo Brasileiro
. n. 33, vende-se um sortimento de calcado de to
das as qoalidades e jumamente nm novo soiti
: ment de candieiros a gaz muito barato para
acabar.
Vende se urna ngrinha de i a 5 annos mu-
I to linda : na ra do Imperador o. 45, 3 andar.
ATTEiNCiO
No armazem de fazendas de
Santos Coelho, ra do Quei
mado n 19.
Bom e barato
Laosinhas Poil de Chvre a l& o covado.
Madapolao enfestado a 8)5 a peca.
Gambraia de cores matisadas finissimas >
800 a vara.
dem brancas transparentes finas de l&,
55000,60, 70, 80 e 9Jooo a peca com C
jardas.
dem branca tapada de 8/1 e 90 a pee*
com i 2 jardas.
dem branca franceza muito larga a 95
peca com 8 varas.
Baloes de 35 e 40 arcos nesgados par*
senhoras, a 45500.
dem de mursulina nesgados a 55.
dem de crochet a 50.
Idem de mursulina para meninas a 3S t
355oo.
Saias bordadas a 55.
Cambraias admascadas para cortinado
125 a peca com 2o varas.
dem para forro a 35 a peca com iO jar-
das.
Gambraia de linho muito fina de 65 e 95 >
vara.
MadapolSes finos de 65, 75, 85, W> i 05,
115 e 125 a peca.
Platilha de algodao superior fazenda para
saias a 35200 a peca com lo varas.
Cobertas de chitas de ramagem a 256oo.
Lences de bamburgo fino a 25400.
dem de bramante muito fino a 35200. '
Pannos adamascados para cobrir mesa
45500. i
Gnardanapos de linho adamascados a.45
a duzia. >
Atualhado adamascado com 7 1/2 palmos
de largara a 25 a vara.
dem adamascado de linho com 7 1/2 pal-
mos de largura a 35 a vara.
Algodao enfestado com a mesma largura
a 151ooa vara.
dem trancado de algodSo a 15600 a vara.
Toalhas alcochoadas de linho lisas a li(5
a duzia.
dem de algodao felpudas a 134/ e 145
a duzia,
Colchas de-fut2o a 65.
Lencos de cambraiabraneos finos a 15800,
5 e 255oo a duzia.
Lencos de cassa finissimos a 35200 t
3560o a duzia.
Fil de linho liso a 8oo a vara.
dem cem salpicos a U'ooo var >
Grosdenaples preto bom a l58oo, 25
28oo o covado.
Morantiqoe preto superior a 258oo o co-'
vado.
Flanlla de todas as cores a 800 rs. o co-
vado.
Tarlatana de todas as cores a 8oo rs, a |
vara.
Bramante de linho com 10 palmos de lar-
gara a 255oo a vara.
dem de linho cem 5 palmos a 152oo a
vara.
dem de linho com 3 1/2 palmos a 800 a
vara.
Riquissimos basquins a 255000.
Assim como outras multas fazendas qne
se vende por menos que em ouira qualquer
parte, e d-se amostras de tudo,
Baloes de 2o, 25, 3o, 35, 4o e 5o arcos
para senhtra a 2,2^000, 35, 355oo 45 e
55ooo.
Ditos de 25 e 3o arcos com mollas a 55
e 65-
Ditos de murculina estreitcs a 65.
Espaitilbcs finos a 65-
Percalias finissimas a 4oo reis o covado.
Familia para oimac
No trapiche do Conba roa da Moeda, ven-
de se farinaa de mamiinra propria para sustento
de animaes >2je :>-..0 por sacro.
4 AfiUlA BRANCA
Per conbecer a influencia que costoma baver
em todos os anuos, por ease lempo, per ver j
quanto te desenvolve e appurase o bom* gosto em
Peraambnco, ella qe tem sempre em vistas agra-
dar, e sinceramente bem servir a sna boa fregne-
zia, ani4cipou-se em mandar buscar es diQereotes
objectos de gosto e fantasa, que agora mesmo aca-
bara de ebegar.
Qoe a loja d'Agoia Branca, com especialidad,
oade pr meiramenle se encmtram qoaesqner des-
ses object js de novidade e moda, isso esta' feral-
mente recoobecido; mas amia assim a Aguia to-
ma como por dever selentifiear ao bello sexo, em
particular, e ao respeitavel publico em geral, sem-
pre qoe como agora, recebe os imprtanles objec-
tos qne abaixo meociona, e por mais essa vez elia
toma a llberdadB de pedir a attenjio das Exro"
apreciadoras do bom. para os novos e bellos orna-
tos que formara om lindo e rico toill-1.
Nao etrlamente com ama mal aparada peona
d Agula, qae bem se pode descrever o bom gosto e
desempenho oe taes obras, sim, a propria niel-
agencia d'uma excellentissima, que bem podera'
apreciar o alto grao desses perfeitos objectos, tai-
vez os primeiros qae nesse genero teobam viudo
oli nosso Pernambuco.
A Aguia Branca, fara' apenas conhecer os ob-
jectos de que se coropSem esses novos e bel les o*
natos. Ero om bello cart"o vero hbilmente arran-
jado, nm moderno cinto de fita de setim en acna
maloudo da largura de 7 a 8 pollegadas, om bel
lo leqoe de madreperola, um par de lavas de pel-
lica, ramos de linas Odres para o ceqoe, peilo,
guarnic.io para as Invas, etc., etc., e finalmente
urna alraofadinba de setim com aromticas pasti
loas em p.
1 Alem feo
E-io emordem do da as novas e bellas trincas
de Moa palba de Italia, e ooiros differeoles tneiies
da mesma qoalidade e proprios para vestidos de
l?,' cnaj us de senhoras e meninas, refla somente
qoe os pretendentes cempare^am aa loja d'Agoia
Branca na roa do Qneimaoo n. 8.
Diversos objectos
de gosto c novldudc, vlado
para a Agula Branca ra
do QueEmado n. 8-
Eofeites de fljrts, obras de muito gosto, a ultima
moda, proprios para bailes, casamentes e pas-
seios, etc., ele.
Meias ciiapthnas de diversos moldes, e mi
bm'cnfeitadas. cora veos e sem elles.
Ricas capellas cem veos e stm tiles para nol-
vas.
Oafras brancas e c6r de rosa para meninas.
Cintos com QveJIa e fita branca para ncivas.
Oatros de poiit j e sem ellas, preto? e de cores.
Oulros mui rico- e de variados moldes e goslos
e de diversas cores, cora grades de vidrilhos e po-
gentes.
Para cofeitar volidos e basquines.
B-.ntos bicos de blonde, com vidrilhos e sem
elles.
Benitas rendas de dito, tambem com vidrilbos e
sem elles.
Trsncas pretas de vidrilhos, com varledade de
largaras e de moldes os mais novos e bonitos.
Outras de coros tambem com vidrilhos e defor-
me as pietas.
Outras de seda Boa vidrilhos esem elle?, e de
diversos desenhos, cortse larguras.
Cirddes prelts e de cures, grossos e finos, com
vidrilbos e sem elles.
As novsimas e bonitas trancas de fina palba de
Italia.
Ramos, lacos, corddes e oatros diversos enfe'-
tes umbem de palba e propiios pata vestidos, cha-
peos, etc., etc.
BotSes pretos e de ootras muitas cores, cem
pingentes e sem elles.
Outr..s de palba tambem eom piogentes e sem
elles e todos (afeitados cem vidrilbos.
Outros de fastao, brancos e amarellos, e at
mesmo marcas de madeira ovaes para ccbrlr-se da
cor que se quizer.
Obras de porcehia e p it pedra.
Bonitos Jarros, e boquets feilos de p de pedra,
boras de muito bom gosto para sallas, e ssntua-
rios.
Esseneia de rosa, outras concentradas, fios ex-
tractos, e pomadas, etc., etc.
Emquanto a' promarla todos sabem que a
Agula Branca tem a primasia, adquerida com o
vender constantemente fios extractos e de agr- V^kT
davels cbelros, pomadas de finas qualidades e es-
colhidos odores, agua de Colonia, sempre da me-
lbor, e assim lude o mais, que enumerar se torna-
ra enfadonho.
Compre pois, qoe, qoem quizer ser bem servi-
do, se dirija a' leja d'Aguia Branca a' roa do
Quelmadj n. 8, que alem do grande sortimento do
bom, acbara' lofallivelmente o que se torna sem-
pre precisoagrado e sinceridade.
incita
Na loja de calcado do aofcrad) amarello da ros.
da Croz o. 21 vende a dinjneiro a ata sopenorw
borzegolns enfeitados e Utos para rentinras, mem-
dis e meninos, pelo barato preco de l,JoOO. ih, 3|,
Escravos fgidos
Flore
s.
Um bello e completo sortimento de ramos e de
flores finas, rosas camelias, Alexandrias, etc e
em todas es'-as flores se nota o apurarlo gesto e
perfeiia milacao, onde se cenbece que nesse gene-
ro nada mais ba a desejar.
Bonecas.
Um novo e bello sortimento de elegantes bone-
cas de [ de pedra mu bem vestidas, e txcel-
lentes para presentes.
Ouiras com rosto de cera e igualmente benitas
mas nao vestidas.
Fitas lavradas e lisas, tendo neslas, de menor
largara at a de quasi am palmo, e propria para
cintos.
Outras de <5Ja de cores para debruar-se ves
tido.
Conxa; de p de pedra com figuras dentro,
obra mui L nu-.s e de gosto.
Entre e.-*as obras, tem algons jarros com pe-
qoenos defeitos, por isso vendem-se baratamente.
O O S
P rA -
O c
o 2 <
. a> m ce u
mt rs _


- 2 2
BS2.I-
rt> =T3
a'fc
^5:8 I
a w 2 1 (to
g 1 r? 2., m j e a
0.0
oa o ft
S'2! 8* a 8 1 2
cr a a s
3 CB-g
JkHi
Sr. Silvano
J.irdim,
ce
2*
s
3
en
5=5
o
3
3
3
3 -&?>
o."2 ~
W o g
a. ? r- h s-
c
?
o
-1

B2S.5
PJQ.O =
glsl
IIP
"- a
B So.
c *
2, O ^

> Z. 9-
a,
o as
CE
5

S
5T 3.2.
SCB O
O.
o

3
fe


O
8
ct>
3
9
O
?!
" n
E.co
ii
s
B ft m
I 5- O
B S = 3
I233&
B a
2 m a, r-
0 S 2 SS
CE
Nos prlmelres dias do mez de r-ntobro desa
tugio do eogenbo Borafim, prnpriedade
00 Aotmio Gaio, na Irtfueii do Boa
. o escrayo Damaso, preto, de idade !e M
a 30 annos, altara regular, chelo do corpn, poma
barba, rosto um ponto camodo, oaos abetoate,
ps malfeitos, andar baozeiro, molero e de falla
moderada : este escravo loi comprado poucos dias
antes da fuga ao Sr. Joao Barbozado Reg e Silva,
da mesma freguezia do Bom Jardlm Recetare qtse
elle se aprsente como voluntario da pama, peto
que se previne as respectivas autoridades : que
: pegar leve-o asen senn&r, no referido engenbo,
que sera'recompensado. Recife, l" le Covembro
de 18ii7.___________________________________
Escraua fgida
Acba se fogida desde o da 35 de novembro a
eferava Izjdora, crioula, idade 30 annos, bem fal-
lante, alt?, e bem parecida, denles limados, tea
urna cicatriz em ora braco proveolenle de urna
facada, olhos pequeros e muito vivos, costoma
andar pelas estradas a comprar (tocias nos sitio,
lavon vestido e rtale preto, coslr.ma illndir as pes-
stas qoe Ibe pergonUm, que anda patjando seraa-
oa : quem a capturar levt a seu seohor SebastIJo
. Marques do Naicimeoto, na loja de lonca da roa '
ida Imperalriz n. 6, que sera' generosamente ro-
.compensado.
100$000
*f
.ce
Q>
Kival sem segundo.
Ra do Quelmauo n. 49.
(Inet* acabar com as fazendas abain
mecionadas.
Queiram vir ver o qne e bom e baratissimt,
Toalhas de labynntho com bico, fazen-
da boa a............. 3WH
Carreteis de linba com 100 jardas a 30
Grvalas pretas e de cores muito finas a 5(M
Caixas de osreias de massa muito novas a 4t
ennadores para espartilho de cordo e
fita a............ t(
Carreteis de linha Alejandre com 400 jar-
das a ............... W>
Jabonetes muito finos a 60, 160, 200 e 32(
Ditos de bolla muito finos a 240 e 3K
Viadas de linba lua para bordar a 2(
Varas de cordo para espartilho a 20
entes volteados para regalar cabello de
meniras a............ 320
Frascos de macaca' o'eo moits Abo, a 120
ibotoadnras muito finas para colletes a SOt
CarlSes de linha branca e de cores a .
Libra de ara preta supsnor a..... 10('
m
para
scovas para (ato, fazeuda boa, a
Varas de franja branca de linbo .
toalba a.............. 1
Caixas de palito balio a........
Caixas de palitos de seguranca sem en-
cbofre a............. 6t
S-bonetes de familia a 100,160 e 24('
Cartilba de doutrina christa a 32(
Quadernos de papel pequeo superior a 2C
Doria de baralbos francezes superior 2500(
Groza de pbosphoros muito superiores If 0(
C'-xss a retalbo do- mesmos..... 1'
Caixas de phospboros de vellieha centendo
BCOvellinhas mnito superiores a ... 16C
Re- mas de papel almajo moilo superior 230(
Resmas de papel pautado superior qoali-
dade ............... 3*600
Duzias de meias para bomem..... 2800
Duzias de meias cruas mallo soperiores 40Y<
Milho novo
Na ra do Vigario : taberna de Joo Simao.
Fngio no dia 23 do corrente mez ) outubro, do
epgenho Limoeiro fregoezia da Escada, o escravo
cera os seguales sjgnaes : cabra fusco, alia con
bom corpo e bonita figura, cara bexig isa, Larb*
pooco serrada,costoma rapar o bgtde e a peira
cabellos uro tanto carapinbados, pouco cambeta
tem os dedos grandes dos ps mais compridot,
um pouco gago, cem : Igumas cicatrizes Ve.lbas
chicote as costas em urna pa' e em uro bracc
vestinJo camisa de a'g ilo da ir, '.i oa aigodiozi-
nlio, ealca e paletot de bnm pardo, chapeo de re-
la preto, e lva vara de carreiroque e suppoe-sa
ter ido assentar praca como voluntario : recom-
menda se as pessoas encarregadas do recrutame-
to e as sntordadfs pollciaes com especislidade a
d > Rio Formoso, Una, Agua Preta, S. Beoto e Por-
to Calvo e a oolra qualquer pessoa a atiprebeiisr
do dito escravo, e euirtga-lo no dito ecgenh qo
recebera' a gratificado cima. O escravo ctiama-
se Francisco.
Paga-se bem.
Fuglr, em dias do mes prximo pas-ado do noder
de Agoslinho Jos de Oliveira, em Caruaio', o sea
escravo Rulino, mulato claro, idade 30 annos, secca
do corp", pernas Qnas, olhos nm lano amortecidos
nariz afilado, pooca barba, multo cortcz e l.em fil-
iante, mettido a valente, gesta de agurdente e le-
vou japona preta ; f 1 encontrado no dia 3 do cor-
rente no lugar Baiateira, em d;r. re.. a eslradaU
ferro snspeita-se que tenha ido (ffreer-se como
voluntario para a guerra : rega-se p< rtaoto as auto-
ridades policiaes e capilaes j campo a a^nieu-o
do dito escravo, que ser entregn a seu .-euiiorflu
a Stverino Aives da Silva, em TromLtia.
""GRATIFCASE-
a quem capturar e conduzir a' fat rica de sbo no
Alegado, 00 a ra do Amorim n. 41, no Renl*, o
escravo Lniz, pardo, idade 35 annos, o qoal ja' era
principio deste anno foi preso por fgido, e de novo
evadi se da mesma fabrica, ende trabalrava, na
madrugada de Domingo ollimo, 24 de n>vetr.bro;
cojo escravo logis vestindo a roupa do uso.de 1.-I.
gnoo do listras, costuma embreac,ar-se, negar o
proprio 11 me, e bem cerno o do senhor, e tiaila
por eastigo ama corrent- fechada na cintura e no
t roo'elln, do que devera' conservar ao menos as
mauchas. ____________
Escravo fgido
Do engeoho Bmflm marca do Limoeiro, fuglo
na ocite do dia 3 do (Jrrente mez de duembro, a
esrrava erioola de nome Antonia, de 50 annos de
idade pouco mais cu menos, e com es signes se-
gnintes : estatura regalar, cor um pouco fula, ros-
10 redondo, denles limados, olnosvivse lera g-i9-
des cicatrizas de frgo pela barriga e peitos. Poi
comprada nesta cidade a 21 de fevereiro prximo
passado, aos Srs. Nogoeira & C, moradores a' ra
da Cadeia flo Recife.
Qoem a aprehender condizi-a a seu senhor no
referido eogenho, ou nesta praca a Olive-ira Filhoi
& C-, largo do Corpo Santo n. 19, que 9era' recom-
pensado.




GERAL
c
3!
DOS PREMIOS DA 9. PARTE DA LOTERA CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 402, A BENEFICIO DA MATRIZ DE OURIGURY, EXTRAHIDA EM ii DE DEZEMBRO DE 1867.
NS. PRKMS. RS, PMRES. NS. PREMS. NS. PREMS.lNS. PREMS. N'S. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS
B. PRKMS. nts. r
4 65 163
305! 67
6 65 69
7 76
8 77
5 78
1S 87
13 91
16 W05 98
18 65 203
20 6
85 11
28 16
29 18
33 19
36 - 24
38 30
42 - 31
43 33
46 40
63 42
15 _ 47
7 64
68 67
70 70
94 71
70 74
81 7
83 86
84 87
87 8R
90 90
94 91
98 93
100 95
7 96
10 97
17 300
20 16
18
6 105 26
39 65 28
33 .2S1
as 3S
44 35
48 38
fi 39
M 42
X 43
56 47
88 1 49
61 50
m
1005
356 65 611 65 828
61 13 29
62 - 14 30
70 105 15 31
74 65 20 34
77 41 36
79 42 38
84 44 39
86 105 45 40
96 65 46 41
97 _ 47 43
99 50 44
400 _ 54 105 50
4 205 56 65 58
16 65 79 59
18 80 67
2? _ 90 76
30 __ 96 79
47 _ 712 ^ 81
49 _ 15 _ 85
50 18 _ 88
53 M 23 __ 90
57 ^M 27 mmm 93
59 28 ' 97
60 30 901
67 - 41 3
79 105 45 -r 7
95 65 46 8
99 49 12
505 ^^ 61 15
12 _ 67 20
14 ^^ 68 25
19 ^ 73 26
30 _^ 74 32
33 |Ml 75 35
38 aw 76 205 38
50 __ 77 5 39
54 m^ 81 44
58 , 86 49
59 .. 87 51
61 x 88 57
62 ... 92 20J 60
65 m 95 1 64
71 6J 98 - 77
85 801 _
91 ^i. 3 81
95 i _ 82
96 _ 13 O 83
00 10J 19 4 t 89
i 64 20 Vi
2 21 92
8 24 . 97
65
205
105
65
998
1000
1
i
10
16
19
20
24
M
27
32
33
31
35
38
49
52
56
58
74
75
78
80
85
88
93
1103
4
16
19
22
29
37
44
48
49
50
51
53
54
55
56
71
74
- 75
77
79
81
85
87
95

105
65
1005
65
105
65
1204
6
8
11
12
13
17
25
26
27
31
32
34
35
38
46
52
39
62
76
79
89
93
95
98
1300
2
3
16
21
22
25
27
30
32
33
36
37
39
41
42
44
61
63
64
71
76
83
85
86
- 90 -
1393
97
99
1403
5
13
i::
17
24
25
31
32
33
4i
50
58
76
80
86
88
90
94
98
1504
6
12
13
14
16
23
25
27
29
32
35
36
38
40
44
46
47
63
66
77
79
82
83
84
87
93
99
1601
105
;i;0005
105
65
1602
9
li
18
17
26
30
31
34
37
41
42
47
48
52
53
61
62
70
71
72
77
78
80
81
1700
7
27
30
32
33
37
41
46
51
53
55
66
67
72
74
75
81
85
87
88
93
96
97
99
1804
8
NS. PREMS.
1810 65
14 -
24
26 -
34 -
40
45 J
47 -
48 -
49 _
51
55
59
60 -
65 -
68
82
83
87
88
90
96
1902
4
V -
7
11
14
27
35
38
40
44
50
52
55
61
62
67
74
75
77
83
84
85
87
88
2006
13
14
18
- 28
NS. PREMS. NS. PREMS.lNS. PBEMS.
65
105
65
105
65
205
M
205
405
2031
32
33
39
41
51
52
59
71
72
76
85
87
98
2103
9
12
13
14
20
25
35
47
48
50
53
55
62
64
71
73
76
78
79
80
82
92
94
2202
17
23
31
32
36
37
41
44
47
48
49
50
54
65 2257
59
63
75
76
77
80
84
93
98
2309
11
16
19
1D05
65
105
65
105
65
21
22
24
26
28
30
34
36
37
40
49
56
59
64
66
76
77
81
85
2402
3
12
13
14
25
26
27
30
32
39
45
46
47
49
52
55
62
63
65'2468
70
72
74
75
78
81
85
86
88
93
98
2510
15
25
27
32
34
37
41
4o
49
52
53
56
69
72
73
74
79
81
82
85
88
90
91
92
95
97
98
2608
16
NS. PREMS (NS. PREMS.
65
9005
65
105
65
405
65
65
2651
56
61
65
67
74
79
87
88
93
2701
2
4
5
7
11
19
24
32
36
38
43
44
47
50
51
58
60
62
65
69
70
71
75
76
82
85
86
89
96
99
2802
11
25 13
31 _ 14
37 105 15
42 65 23
43 29
44 30
47 205 36
48 65 38
50 1005
65,284i
51
57
62
66
67
71
73
75
76
86
89
99
2901
4
10
11
17
22
23
25
37
39
42
44
47
51
65
66
69
72
75
78
83
94
95
96
97
3000
3
03
05
4
5
6
7
15
16
17
28
33
37
NS. PREMS.
-105
65
205
3038
49
52
53
54
55
64
66
69
72
75
81
83
88
91
95
96
97
99
3101
5
7
14
.15
22
25
28
'29
31
33
34
36
41
47
55
68
72
75
77
78
89
95
3204
7
9
10
17
18
19
25
27
1005
65
NS. PREMS.
105
65
105
65
3229
34
36
46
48
j'i
56
59
61
62
67
69
72
73
74
75
76
70
82
88
93
95
98
3300
9
11
13
18
26
27
28
30
37
41
50
53
54
56
61
68
70
72
74
78
82
87
92
3403
6
11
23
65
NS. PREMS.NS. PREMS.
405
65
3425
26
39
40
48
4y
53
54
57
58
66
80
86
92
96
3502
6
12
13
18
19
21
23
28
30
32
33
37
41
51
62
70
75
76
84
85
86
90
92
93
95
20 3623
205
65 3602
6
8
11
14
17
18
21
22
28
29
39
35
43
46
48
50
:,:]
56
59
02
76
77
79
81
83
84
105 94
65,3701
NS. PREMS.
05
4
11
15
21
2i
25
29
30
36
37
43
48
52
58
60
62
64
08
69
70
75
76
77
86
88
89
91
95
3796
3800
3
14
16
2i
25
i'.)
37
41
50
54
58
62
68
70
77
78
88
97
99
3901
3
105
65
9
7
14
16
17
18
19
20
.27
28
35
42
44
52
54
55
57
59
67
68
70
71-
76
81
89
92
96
97
105
65


205
65

405
65
*0#


s
Diaria de rernambaco dulata leu* 1 de Dezejabre de 1867.
LlTTERiTaA.
1 Testamento a a fallar do Letifico, era | 'Padre nosso que estte no cea.....iderer conhar da nova de bronze ama som-i O decreto, pdrm de 20 de Novembro do
Jlo, dos os apostlos._ e em signas sabe* un coma. Andrao|a? 0 Ptfllipa maraferior a 3.0O0.-0O0.J. correle anno, art. 5." declara qoe as nova
que o scalo XIX possa dar dos livros sa-
grados.'
O ponto philosophico mais transcendente
WL RA DOS R1DIUL0S.
I
AS BEATAS (*)
La vo ellas, l vo ellas, l vao ellas!
Aliitude evanglica, oihar de serapbim,
momos do princeza e porte de martyres
cnristaas.
Qaereis c-mliec la ? We ao Ihealro.
N'mna frisa, u'um elegante camarote de se- Pl as beatas anstocr ittcas e a immortali-
goda ordem, com o leve binculo a wir^dade di alma.
quise, preso negligentemente nos dedinhos Conheci um i a quera o marido censurava
enluvadus, a face pendida -estvlo delvrios constantemente a< ideas philosophicas.
ao caair da tarde o ollar e'ulre o palco N am be.lo da em meio de acerba ccn-
e a platea, um sarriso medroso, am leque ,0Qda. olla voltou-se para o esposo, com o
de sndalo, um corpete decotado, urna rosa olhar inania de Sap lio e os tmidos labios
paluda na transa negra. Ei-la. E' urna da e.oquenc.a .rr tada.
beata ; mas uma beata aristocrtica: s vai' O senhor forca-me a qaeimar os meas
a fastas de tribuna, como ao tbeatro em ea- ""os e uo entanto nelles que eu descu-
marote de segunda ordem. |bro ?rande segredo da transmigracao das
V-la-heis bella muitas vezes, dessa alou-: a'^as.
rada belleza do norte com ons toques senti- u mando que nunca pretender ser phi-
meataes como nos bustos flameogos; umjwsopbo. cmdou qne o descompunham-----
pouco de Rembrandt e um pouco de Eva :| ^hora l esses termos !
mais se houter- t- mpo para tanta cou>." casou-te. Ah I Ah t Ah! Aida beide ver
Por feliddade d a parsitas ?olbos; desembargados?, ve-' pedindo-me ama esmola. Santificado
readorw e inspectores de qoarteirSo ; ho seja o voseo nome; ven'ia nos o vosso ro-
meos pacatos circamspectos, que mais no...Hein? Qoe disseste, menina?
apreciara a quolidiana tarrada e a chavena 9eeun3oposso acertar com esta go-
da sei
a garridice e a arte.
Corral do tbeatro ao salo de baile.
c jai a-ia-eis aiiuia.
Qjem aquella menina?
A juiilo um arijo I
Mas como se chama ?
Chama-se..... chama-se..... nao
como se chama, nao.
E' ella sim I Walsaodd com uma syl-
p'iide. uma nuvem, orna creaturinha de Pra-
dier I Paluda como o marmore, pallida co-
mo o ara >r, pallid como a loucura !
Dir-se-hia que aquelie corpo estala e par-
te-se no torbilbo das valsas fascinadoras!
Como ella flaxivel I Que e'astcdade fe-
lina I Que adejar rapiio I Que seductora
cabega I Cae sobre o trmulo hombro do
par, como a cabega d'um passaro ferido es-
bliando os ltimos gorgeios de saa divina
presta.
Ella para, a orchestra para, o ar contor-
na se em roda de seu corpo, e as asas do
..' j:; perfumado pairam frenticamente so-
bre am seio voluptuosamente mysterioso.
Essa a beat i elegante ; sae d'um Te-
De'um e corre aos sal5es d'um club ; perfu-
mada ainda de incens e de oraces, va a
merguibar-se na myrrba das salas e na ver-
tigem das diucas que arrebatam.
Ha urna simples differenga entre a beata
aristocrtica e a beata elegante. A pri
meira nao deixa a tribuna e s procura a tri
luna em occasiao de grandes s jlemnidades;
a segunda oxpe-se eternamente no corpo
Sim! prosegnio ella adiantmdo om
da igreja. Para que nega lo? Srj mos fran-
cos. A beata elegante uma astata pesca-
dora de sorrisos e olhares.
EMae, porem, ndifferente a pesca as
turvas aguas d'um baile, tu as lmpidas
ondas em que treme a alma em face de
D2us. A igreja um sagrado theatro pira
ellas.
Doalon, quem o regente da orches-
tra no Carmo ?
Tu vaes ?
Responde, anda ; quem ?
E' o Colas, parece-me.
Que bello I Joanna, aprompta o meu
vestido de cambraia enfeitado. Vou pagar
a miiiha promessa hoje. O Colas tocar a'
gura pedacioho da Traviata, gente ?
E quando o feiticeiro p das mascaradas
nyades pousa no burnido estribo do carro,
j por sua alma inquieta atravessam todos
es symptomas da esperanca e do amor. Que
amor ? Aquelle amor que a mythologia re-
presenta cahido das loucas eatranhas de Ve-
nus e a que a estatuaria empresta um car-
caz e uma profuso de envenenadas sellas!
O carro estava porta da igreja onde os
elegante devotos (*'), armados de pince-nez
e luvas de Jouvio, esperam-n'as cora a sof-
fregaidSo dos nau'ragos da Medusa,
Elas descem da calec: deixam por ves-
tigio uma onda de maoios aroma, e depois
de atacar o curioso batalhao com a batera
inveacivel de varios olbos azues, pretos, ver-
des ou cambiantes, mergulham na molle do
puvo, como perolas no fundo do ocano.
O que se passa n'e?se espirito voltil e
felii.eiro durante a festividade nao sei eu ; o
que posso no entanto a>segurar:vos que
nem o menor vislumbre de f ou regiSo as
sorprende sequer.
Alii tendes o que eu chamobeatas ele-
gantes,
Poslscriptttm : As beatas elegantes nao
sain livros de horas ou oraces quaesquer.
Substiiuiram as lloras Mariannas pelo.le-
qu e o rosario aotigo pela chapelina de se-
da Que cor polilica seguiro ? Ligueiras
talvez I
E' mister por desde ja em catalogo todas
as especies al hoje conhecidas dessas se-
ductoras pragas que infestara as nossas
tgrejas e pregara contra a immoralidade dos
nossostheatros.
Ha quatro especies de beatas:
As Beatas Aristocrticas.
As Beatas Elegantes.
As Beatas Burguezas.
As Beatas Plebeias.
As primeiras encontrara-se as tribunas
em alguos dias de solemne festividade; as
segundas junto ao altar-mr em todas as fes-
tas e Te-Deum; as terceiras no centro da
igreja, cobertas com o maior lenco que e
dado creatnra humana descobrir na trra ;
as ultimas encontrara-se principalmente as
sacristas. '
As beatas aristocrticas sao por natureza
dogmticas. Fazem a sua critica sobre as
obras de Renn, e apreciara a questao dos
Srs. Pinto de Campos e Abreu e Lima.
Czda palavra sua possue o enrgico tim-
bre da persuaso e do tnnmpho. No jan-
tar, no almogo, mesa do cha, procuram a
todo o transe provar os milagros do Velho
En- pa$so. Descubr finalmente pela meterap-
sycose que no seu corp<\ Sr Tavares, habita
a alma de um cao perdigueiro morlo a dois
mil annos!
No da segointe divorcaram-se.
O autor predilecto dessa classe de mulhe-
res Barbe. A razio simplicissima.
Quasi todas s3o mis de familia e tm um
filho que estudante de preparatorios. Ora
o Barbe um compendio que todos possuem
quando aspiram a aiguma cousa.
Hueve uma beata aristocrtica t5o apai-
xonada por Barbe que quera por forca dei-
xar-llie toda a sua foduna em testamento.
Ao que se oppuzerara o marido e uns
sete fillios j taludos.
Cumpre notar que as beatas aristocrticas
reservam-se uma bibliotbeoa da livros de
missa, em varias encadernaces e formatos
para certos e determinados dias de festa.
Vanitas vanitatitm!
A' essas duas especies seguem-se as duas
ultimas e importantes classes de beatas
burguezas e beatas plebas.
As beatas burguezas s3o de todas as que
mais se approximam seriedade do typo
que procurara representar.
Cobertas com o seu proverbial lengo, olbos
baixos e a constante ora o nos labios, ellas
apenas arriscara um on ontro furtivo olhar
sobre as roassas compactas do sexo contra-
rio, que se agrupara em freote de todos os
altares e tribunas.
Qu'-ndo entrara as igrejas ha um movi-
mento geral. Gastam ama meia hora pelo
menos para arranjarera pooso para si e para
a familia, que se compe quasi sempre
de tres ou quatro meninos que gritara, duas
negrnhas que dormem e uma escrava negra
e velha que reza em alta voz, incommodan-
do os vzinbos.
A docilidade de carcter d'essas senhoras
revela-se pelos belisces e apertuchos que
do nos pequeos e as criouliohas, que
quaoto mais belscadas e apenadas sao tanto
mais grilam, cboram ou apontam rindo para
os altares.
Essas senhoras de cada vez qce olbam
para os circumuantes acbam um conhecido
a quem compriraeniara com um enorme sor-
riso.
No momento em que o pregador aponta
no pulpito ellas voltara-se ruidosamente, par-
tindo a rigidez de uma meia duzia de saias,
cojo ruido assemelba-se ao rufo longiquo de
tambores em mirche-marche.
Quem prega, D. Chicota?
Nao sei. Quem Mariannioba?
Uma donzella carregada de plumas e v-
drilhos, dobra para responder um corpo que
parece ser todo feito de barbatanas, e satis-
faz a pergunta com varios sibillos:
-- Parece-me que o padre *.
Ah f elle mesmo. Est mais gordo,
b^nza-te Deus I J chorei muito por cansa
daquelle homem f
Como ?! pergunta a donzelb alvoro-
cada.
N'um sermo de lagrimas, rainha fi1-
Iba. Foi na sexta feira santa do annoralra-
zado.
Prega muito bem, volve oatra, Tem
do ao theatro, D. Maria ?
Nao. Repare, olhe, olhe para aqueste
vestido encarnado. Que cousa feia I Casusa,
nao fagas baralbo que apanhas I Que boni-
ta imagem a d'aqelle seahor na cruz, BH
Chicla !?
E' verdade. Menino! lira a mo do
Essas golas sao dos diabos... Seja
feita a tossa oonlade assim na Ierra como
no cu.... Homero, sabes que mais ? Ea alo
empr'eto o chale Maria do O'! Nada !
aque.ile demonio n5o ti-m boa venta, n3o I
Nao nos deixeis cahir em tentaeo...Qom l
se fai o padre oosso pela agua abaixo !
E assim por diante.
Das Igrejas para casa, de casa para
clubs e divert mentas publico*,n'um giro
eterno e vertiginoso,vivem essas malheres
tartufos, cuja cast dade consiste em calca-
rem sob os ps raivosos o>:escravo, o pobre,
o innocente, abajado o corag3o e abrindo
era face da dor albeia os olhos seceo e fros,
d'ode minutos antes, em face do altar, dei-
xaram cahir cabishaxas ama torrente de la-
grimas hypocritas I
Ah I se vos fossels religiosas se vos fus-
seis sensiveis I se vos fosses malheres I
Mas no, baHug maonequins 1 eu poaco
acredito em vossos piedosos olhares, n'esses
raios avelludados que s3o lio divinamente
profanos na luxuosa albmospbera dos sa-
I5es Iluminados l Abi! sim I No baile que
sois santas deveras!
Teralnemos o primeiro retrato d'esta ga-
lera.
L yem ellas I O sino, s tres horas da
madrugada chama os fiis missa.
No tarda a romper a orchstra ; a igreja
est carregada de flores e cirios... Ellas ahi
vera 1
Vai se qneimar am bello fogo de artiicio
em honra de tal santo milagroso.. s3o ho-
ras... L vem ellas, l vern ellas, l vem
ellas!
Gn:maraes Jcniob.
watt......^i
(*) O autor desta, bagatella litte(aria tem
o grande e desgostosa prazer de declarar
aos criticas, analyticos a minuciosos de to-
das as litteraturas, que ha pouco tempo leu-
do ama obra do Sr. Gastave Droz, escriptor
francez, sob o titolo Monsieur, Uadame et
Beb, reconhectu que o citado escriptor,
n'um dos captulos da obra citada, enuneira
ideas quasi idenlicas s que foram emitlidas
as Beatas. Esta declaragao tem dous
fins: em primeiro lugar evitar alguma mor-
dedura de vespajitteraria, que grite em no-
nariz :
O que se segu s3o algons belisces os-
eos furtivos. O pobre Casas o maartyr
da festa.
Devoltapara easa resmungim. endiabra-
damente.
Mulher ao marido :Que tal estece o
Te Deumt Aposto que nemdeste importan-
cia, hein ? Esses bomens I
Marido mulher: Estoo snando em bi-
cas, senhora. Isto de igrejas o diabo !
Mulher (bezende-se) Credo! Virgem da
benta hora I
Marido.Est bom, eu disse mal, disse
mal... Mas s no inferno !
Mulher.Credo I credo 1 (ao menino que
d n'um cao que passa). Ah I Casusa!
Tive vontade de mat.r este diabrete na
igreja! Olhe que nao esteve um minuto
quieto!
Cazuza (comsigo)En tenho l medo de
vocl
A ultima classe, a das beatas plebas
digna tambera de mengo honrosa.
As beatas plebas pertencem escoria, ao
p da sociedade femenina. A admiltir-se
o sensato raciocinio do Dr. Tholosan, essas
mulheres participam da natureza de doos
irracionaesa gralha e o bezouro: zum-
bem quando rezam e clamam qoando fal-
lan).
Conhecem todos os padres, frailes, sacbris-
t3es, meninos de coro, muzicos, cantores,
todos os generes que esto em contacto
com as evoluges da igreja.
Uma beata d'essas vale por duas mulhe-
res ordinarias.
Queris conhece'-as ? Ide s igrejas; des-
de a sachristia at o aliar mor encontrareis
uma calcada movediga de taes crea turas.
Semana dnancelra.
(Continnafo.)
II
No meio dos soffrimentos resaltantes da
escassez e do agio, o povo aguardava a adop-
g3o de uma medida que evitasse a reproduc-
g3o desses males e facilitasse as transaeges.
Nao bastava que fisse um palliativo : era
urgente uma disposigSo que regu'asse o pre-
sente e alcangasse o futuro.
Na opimo mni competente do fallecido
conselheiro Candido Baptista de Oiiveira, a
snbstituig3o da moeda de cobre circulante
por outra de novo cucho, tornou-se indis-
pensavel desde a fixagSo do padrSo mone-
tario no anno de 1816; pjrquanto, repre-
sentando a libra de cobre amoedado o valor
nominal de 640 rs., corresponda-lbe o valor
real de-fH6 rs., computado pelopadr3o mo-
netario estabelecido no anno de 1833, quan
do pelo padran da lei de 1846 (de 45 por
oitava de ouro_) o valor real da libra de
cobre paro equivalente a 825 rs.; admittida
a relagSo entre os valores do ouro e do co-
bre puro, na razo de 640 para om resoltan-
do desta circums aera a singular anomala
de ser presentemente a moeda de cobre mais
forte dj que a de ooro, na razo de 2&%
prximamente.
Mas outras considerages anda se pren-
dero, a esta do dstincto economista brasileiro
e se destinara naesma eonclusao.
Segundo o relatorio da fazenda de 1860,
as moedas de cobre que actualmente circu-
lan) s3o dos seguintes valores e pesos:
de 40 res com 1 onca.
de 20 4 oitavas.
delO > 2
Calculado o valor da materia prima- pelo
prego do- mercado de 8C0 rs. por cada libra,
verifica-se qoe r> intrnseco valor da 1* des-
tas moedas de 50- rs., o da 2a 25 F3., e
o da 3* 12 i|2 ra,r do que se v, como j
ponderamos, que- ha lucro da-parte de- seus
possuidores em cooverte-las em qualqcer on-
tro uso.
Edoexame qae-se-fez era 50 moedas de
4G res resultou conbecimento de qae-es-
sas rooedasvariam infinitamente no seu* peso,
havendo-algumas gue passavam mais de-on-
ga, grande parte de 7 oitavas- e 3 graos at
7 oitavas e 68 gos, e outras de 6 oitavas
e 54 graos.
Assim, pois.a groseira confecgor a va-
riedade do peso, o valor legal inferior ao do
mercado, a sua dSsrordaQCia com o pairao
monetario da lei de H de seembro del846,
circumstancias estas que acompanham a ac-
tual moeda de cobre, conswavam para que
suasabstitaigao-sefizesse-sem demora : ac-
cresceado qu-a o s facto e ter cessado a
sua conhagem em 1-832, ba 35 aonce^devia
fazer com que fosse ella, como insiifficien-
te para as necessidades deom paiz qae nesse
periodo de tirapo vio augmentarse a sua
E oeste ponto cabe, em juslificagao desta
oosso alvitre, repetir orna observagao que fui
j feita por um estadista europeu, e vem a
ser, que om facto constante na Earopa qoe,
pela fundigao e emisslo de ama nova moeda
commoda, aceada e satisfazendo a toaos os
preceitos que regera esta importaste materia,
a nova circolagSo augmenta consileravel-
mente.
A Franca, qneem 1852operou arefandi-
g3o sobre 38,ooo:ooo francos, tinhf em 18 4
em circolacSo 75,000:000 francos. A Ingla-
terra, que comegoa a refundir em 1859, j
do!>roa o Yalor nominal da circalag3o: o mes-
mo aconteceu na Blgica e no emtanto a nova
lei monetaria data apenas de 1860. Final-
mente a Italia que ainda operava (1854) a
refundig3o da velha moeda de cobre, ainda
n3o havia acabada a operagSo e j o pedido
da nova moeda era tal que n3o era possivel
satisfaze-lo com um valor nominal equivalen-
te ao que existia anteriormente.
Devemos portanto esperar que o mesmo
acontega no Brasil.
Todava, apezar de sjrmos desta opinio,
estaraos bem longe de pensar que se deva
exagerar a cunhagem da nova moeda; por-
quanto, como s bido, a quaatidade de moe-
da de troca de qae em regra oecessita um
paiz, mesmo exten o epavoado, limitada:
sao moedas que circulara continuamente e
que de ordinario se nlo enthesouraou guar-
da. Mais no interior do Brasi1, principal-
mente, estas evoluges se nJopodendo effec-
tuar por cmquanto to rpidamente como em
alguns paizes da Europa, e como mesmo
oesta corte, por causa das difficuldades de
communicages e ara longo trato de territo
rio, ser conveniente n3j restingir e antes
ampliar um pouco a cunhagem.
Reconocidos assim os grandes defeitos da
moeda de cobre circulante, e arbitrada appro-
xiraadaraente a quantidade de moeda de troco
precisa para a circulaglo actual do Brasil,
cumpria ver o melhor modo de substituil-a.
III.
Diversas quesles graves havia a conside-
rar na substituto : a Ia, e a mais difficil
de todas, era a escolha da liga; a 2*, a da
divis3o dos v dores da nova moeda: a 3, a
fixaco do limite em que se a poda dar ou
receber em pagamento.
Todas estas questes foram resolv jas pelo
decreto to satisfatoriamente quaoto era pos-
sivel, vista dos termos das autorisages
dadas ao governo as leis- de 22 de agosto
de 1860 art. 3 e lei de ?& de selembro do
correte anno art. 38.
N3o tendo essas leis designado a liga em
que devia ser feita a nova motrda, tinba o Sr.
ministro da fazenda de escolher entre a qae
fosse confeccionada com a base efe nik-el e a
de bronze segando a lei franceza; visto co-ao
6'tavam lodos accordes em rejeitar o cobre
de que se comps a que actualmente temo
e que tambera foi abandonado por todas as
nages que uestes ltimos annos teem- re-
fundido a sua moeda auxiliar inferior,
Preferio part'dhara opn>i5o da commissSo
de 1862, e seguir o exemptoda Franca e da
Inglaterra ; pois qae essa liga, como j" foi
ponderado, o He rece as seguioles vantageca:
1.a Agrande difBculdade, lentdo e dis-
pendio da operago para imita-la por vi 1 dos
processos da galvano-plastia, como to fcil-
mente acontece com o cobre puro.
2.a Exigir o empreo de machinas de
grande forca e dificultar deste ruado a fil-
sificagSo.
3.*Prestar-se aos mais delicados desenhos,
e fornecer uma moeda que resiste muito s
alterages que o atlrito o contacto do ar h-
mido produzem fcilmente sobre o cobre.
E comquanto algons noten defeitos Resta
liga, como teem na*is ou menos quasi todas
as outras, a sua aceitagSo tea- o apoio das
pessoas a I lamente- competentes que- forma-
ran o parecer de abril de 1862, a que nos
temos referido, e oeaemplo das duas ren-
das nages; en3o era prudente- prescindir
de autoridades to justamente recomraeoda-
veis para preferir ionovages qae podiam ser
prejodiciaes.
Entretanto o- governo* portugus, em um-
projeclo que submetteoe corles, manifestte
prefereacia por uma liga compesta de 90-
partes de cobre, 5 de esnaoho e 5 de ziocor
qua no seu entender, dar a mais bella e
peffeita de qnantas ha na Europa..
Adoptada a liga quo deve servir para a-
nc*a moeda, era de mister deterrainar os va-
lones das moedas que se teem de-cunhar.
O decreto preferio de-20 ris ede 10 ris
A eos turnado como se acha o povo s moe-
das de 40 ris, dever causar-lhe alguma es-
tranhesa a ciceulago de moedas dsquelles va-
lores.
Mas, bem, considerada a qaestSo, parece
aos ser de toda a nti'idade a rasolugao to-
mada.
Seodo daqnelles valores, ella ir sem da-
.vida favorecer as classes pebres da sociedade.
moedas de bronze serio dadas e recebidas em
pagamento at a quaatia smente de 200 rs.,
valor da mnima moeda de prata.
Este limite nao exagerado, 0 isso por
duas razos qae nos parecen fundamentaos,
Durante a marcha do exercilo de Toya-
tj. ao ponto em que nos acharaos, ea sem-
pre os vi caminbando p e descaigo, ora
sobre om terreno coberto de carnadas de
gelo, ora sapportando os rdanles raos de
um sol abrasador. Um combate se trava
tem de entrar as min.mas transaeges e detiplicaln, pois ben**>$ eSi vEL
circular por todas as classes da sociedade. beafazejos e li ldS^m^!^mZ
r um l.mite nne n?o facilite a in- mos. sempre ebeiu d ^ondad^?^ dogu
bem, proenrai
aris sei
irodoegao da moeda falsa"; e quanio esta ap- .~ semp"re' dignes ^eresTntantes6 Z SSa
parega, a d.fiiculdade de fazel-a circolar pro- Santa Itligio. "Pre5enlabws de fNossa
porcione autoridade os meios e occasios <
da reprimir o crme na forma da lei: a 2a tes
que ai] convem eipellir do mercado as imitadores e ai
Ncuvor e gloria, a tSo dignos sacerdo-
seu procedimenlo tenha moitos
eu exemplo o na-
moedis pequeas de "prata, principalmente a ero dos"verda"deir7s1ev'us dVSnV'1
de 200 rs., e, ao contrario, deve-se combinar, Ah I accrescentaremos boj, se os aovemos
osystemamoa9t.r.odemado que ellas se do Brasil olhassem chb attencTZll
cons;rvem na crcuIagSo, como de evidente eJucag3o do clero e dssem aos bisos ole-
E este systema e recordado, enlre, ievitas;ferVorosos e dedicados n3o estaara
outros economistas, por M.chel ChevaHer, que (l cumprindo a mis$3o santa de que estao
AfauKa.aaD?^STr^ t8rmO..... vestidos ? Se em lugar de recearemaia-
a8eSleDpsordrrHe!'. en recc-m- nuencia do clero, consentissem que elle
mendant aax receveurs des diniers publica'
de donner l'exemple da la severit envers
le billn de contrebande, et en mullipliant
suffisamment les moiodres pieces de monnai
limites i'usa ge du billn de cuivre ou de
bronze, d y a lieu de croire que la conlre-
f igon serait rendue extremememt diffioile.
Com as poucas consderage3 que acaba-
mos de prodnzr e que nao desenvolveremos
mais para nao fatigar o leitor, parece-nos
ter suficientemente demonstrado a impor-
tancia do servigo que acaba de prestar ao
paiz S. Ex. o Sr. conselheiro Z icarias com a
expedigo do decreto de 20 de Novembro.
mandando cuoliar urna nova moeda de troco.
(Do Diario do Rio)
populago e dasenvolver-se a sua industria e Cconcorrendo. para baratear-se os gneros de
commercio. Por isso, a sua escassez difV'
cultava as pequeas transacres diarias dos-
consumidores e o pagamento dos salarios as
oflicinas; o etas difficuldades cresceram
nestes ltimos mezes com agio em grande
[parte creado pela avidez da especulagfo.
Nao entretanto possivel a priori deter-
minar a quantidade de moeda de troco que
o paiz. comporta on, de que pode carecer;
nem tao pouco a qae actuakmente existe em
circulag3o.
Em 1830 era estimada sua existencia era
18,000:0000, sendo 3,000:0004 de moeda
falsa. Em 1831 em 2O,O0J:0O0iSt, compu-
tando-se em 5,000:0005 a .falsificada. Em
1832 cessou o cu rabo e nao ha documentos
que certifiquem a quaatidade resgalada ou
pangada.
Alguns, invocando a autoridade de J. B.
Say e outros economistas que entendem qoe
a quantidade de moeda de cobre deve ser
igual ao numero de individous na razo de 2
francos por cabegapensam que no nosso
paiz seria sofficienle uma emissao de cerca
de 2,800:0000.
Outros, como o autor do projeclo de 1858,
inclinam-se para o computo de 4,030:000$.
A lei de 26 de setembro do crreme an-
no, art 38, concede ao governo um crdito
de 2,000:0005 para occerrer is despezas do
fabrico da de bronze, e substitoigo da de
cobro.
As beatas plebas sSo de ndole irritante, Nada ha, pois, de seguro nesses arbtra-
me do plagio; em segundo e ultimo, paten- apimenlada, raivosa, barulhenta, ntrigaate mentos, nem pode haver, desde qde faltara
e revolucionarla. I dados positivos e exactos sobre a quantidade
Possuem quasi todas por fardamento de' de moeda de cobre actualmente existente na
tear abertamente a ufana de que se acha
possuido o autor dasrlteaias.por pensar
com juizo sarcasticamente idetico ao do
espirituoso, verdadeiro e illmtrado folheti-
nista francez.
Recife, Io de dezembro de 1867.
batalhao, a assombrdsa e phantastica manti-
lba.
Quando esto emeasa sem lerem# que fa-
zer movem os dedos sobre o rosario e a
(**) Classe de que me oceuparei breve-bocci n'uma oracSo, quasi sempre assim con-
menle. Tambera, sao bons! jcebida:
circu!ac5o, e sobre.a populago do imperio;
e quando tivessemos esses esclarecimentos
de uma maneira completa, ainda assim de-
ver-se-hia marchar cojn toda a prudencia.
Suppondo que devem haver 2,000:0000
] de moada de cobre, parece-nos qae se n3o
pequeo eonsumo
Por eoquaoto convimos que ella nao pro.-
duzr esse effeito eca escala tao grande como
para desejar: mas tambera, forgoso re-
conbecer que a moeda que se trata de cunhar
vai ter ama longa duragao; e deesperar que,
concluida a guerra do Paraguay, voltando o
paiz ao seu estado normal e progredindo,o
movimento geral das pequeas transagoes se
multiplicar consideravolmente, trasendo ao
mesmo tempo a abundancia e a prosperi-
dade: e nessas condiges nos approximare-
mos d^s pr'mcipaes paizas da Europa ondeo
commercio a retalbo offerece ao consamo
poblico gneros que poden ser comprados
com as mioimas moedas.
As legislages modernas dos paizes mais
cultos e prsperos da Europa nos offerecem
exemplos semelhaotes.
Assim, a leifrancexa de 8 de Maio de
1852, admitte moedas de bronze de 10, 5, 2
e I cntimo. A lei sarda de 1859 e a belga
de 1860 coosagram tambem uma grande di-
visao. E o projeclo de lei portugueza segulo
o mes no systema indo mesmo alm do de-
creto brasileiro de 20 de Novembro, admit-
tindo moedas 20,10 5, 2 ris e de 1 rea
Re-tava por ultimo fixar o limite da somma
que se deve receber e dar dessa moeda em
pagamento.
A nossa antga lei de 3 de.Ontubro de 1833,
art. 5., estabeleceu que ninguem seria obri-
gado a receber em moeda de esbre, tanto
nos pagamentes legaes, como em quaesquer
outras transaeges seno at aquantia de
10000.
A lei de 22 de Agosto de 1860, art. 3,
determinou que s seriara obrigatorios os
pagamentos na nova moeda at o valor da
mnima de prata, a qual seria de 500 rs.,
logo que o governo desmonetisasse a de
200 rs*,-. para o que ficava autorisado.
DI POUCO DE TODO.
Chuonica do jornal apostlo. Por
tres aonos de tormentos, pri va,oes e en-
commodos de toda sorte, conserva uma
desoladora guerra fra do imperio, longe
da familia milhares de irmaos nossos, uni-
dos todos em om s pensamentoa defeza
da patria. Com elles quaotas esperangas
perdidas, quantas apprebenses, quantos
sacrificios ? Quantas lagrimas derramadas
de longe pela viuva, pelo orphSo, pelo ami-
go? Melles toda nossa dedicagio, toda
nossa eonfianga, porque cada um que par-
ta demos urna porgSo do sagrado amor da
patria, que alema o homem, fortifica o ci-
dadSo, e disperta o herosmo. Hroes tem
sido todos elles; dedicaga a tem lido todos,
porque todos- tem sustentado os bros e
honra do Brasil.
Mas todo esse herosmo teria soffrido a
aego corrosiva do tempo ; teria feto des-
apparecer, ou pelo aseaos teria enfraqoec-
d, se um sentwento vivificador; se oseo-
tiraento religioso nao tivesse sido cossian-
temeote companbeiro daxpjeiles nossos bra-
vos. O sentimera*) religioso de um pero
o lago que o estrella, que c prende fami-
lia, e qoe Ihe d o amor da patria ; ssm
elle o que seria pois daquelles nossos irmos
cuja abnegag3o tem ebegado ao herosmo ?
Por nos qae ficamos- na patria querida,
no lar domestico, podemos avahar. Por
esse indilferentsmo por tudo e por todos,
rjue nos cesca e mata por que o* goso dos
prazeres, a satisfag3o dos- desejos sendo
nosso nico 8m, tem qoasi extinguido esse
sentimento, esse sagrado fogo da religi3o,
que deve arder no coragao do hornera. Nos
somos testerauobas irrefragaveis do- quanto
serve a religio nos destinos do homem,
porque nesse despreso a qae a votamos,
nesse indifferenMsmo cora que a cultimamos
estao reflectidos* os males que sofremos, o
atraso-de nossas eousas e a desmoralisagio
e corrupgo quo invadi tudo Aqpelles
nossos irmos em trra estrangeira es&riam
exanges como rrs, se a religiSo santa, em
que foanos creados, nao os snimasse, a-nao
'fosse sua pratica o alent daqpellas horas
kle horror e amargura porque tem pas-
sado.
Nao ioventamos-nem to pouco exagera-
mos : lados sabem< o movimento religioso
que ha no nosso esercito ; a devogo e pie-
dade dca^nossos irmos no levan lamento de
templos, onde or,am e onda seconsolam.
Os servigos dos peucos sacerdotes qie-poi
l ailara sao relevantes e to relevantes,
que tem merecido elogios daquelles que nao
acharo otilidade am partes. Elles por l
andam doutrinanJa, consolando e animando
os dedicados soldidos> que osamame-res-
peitara..
Fallar em Fr. Fidelis rAvola, em Fr.
Salvador Maria da aples, nos padres bra-
sileircs Serafim Gongahas dos Passos Mi-
randa,. Fortunato Jos de Souza, pronun-
ciar Domes que tem conquistado amor e
veneragao do nosso exerailo por nmadedi-
cago evanglica.
Falle e a nosso lugar a testemuefaa ocular
o observador sincero, aquelle que tendo
presenciado em grao to alto tantas virtudes
que nao podo guardar silencia e assim se
exprime :
Aproveito a opportunidade para render
preito e homenagem a quatro vultos subli-
mes por sua humildade e exeraplo deifican
te, a quatro sacerdotes da rehgio de Jess
Christo que acompanham nosso exercito
desde qae entrou em operagos de guerra,
e nao cessam dia e noite de adquirir ttulos
ao respeilo e admirado geraes. Eu me re-
faro aos reverendos capochinhos Fr. Fidelis
de A vola, Salvador Maria de aples, e os
reverendos, padres brasileiros Serafim Gon-
galves dos Passos Miranda, e Fortunato Jos
de Souza. Em Tuyuty eu os vi sempre no
exercicio dos deveres de seu sacerdocio e
na pratica de todas as virtudes chnstas.
Promovendo o levantamento de templos
para glorificar o Senhor, eu os vi rainas ve-
zes trabalhaado como simples operario. Du
raate o flatrello terrivel do cholera, eu os
vi como aaleriormente na epidemia dos ty-
phose febres perniciosas, n3o desamparar
um momento os hospitaes e ambulancias
para dirigir palavras de conforto a >s afflic-
tos moribundos, e em pregar o resto do
tempo ajadaado os enfermos era lado quan-
to a natureza deste emprego tem de mais
duro e penivel. Os soldados esto habitua-
dos a olba-los como seus amigos e compa-
nheiros, porque no dia de jubilo elles esto
habituados a ve-Ios a seu lado, cheios de
alegra e compartilhando seas sentimentos;
no dia da provag3o e do martyrio, seus
olhos se tem acosturaado a ver estes vultos
a sen lado, igualmente como aojos manda-
dos pela misericordia de Deas, para mino-
rar seos padecimeritos.
cumprisse seas dereres entre o povo, como
n5o andaramos melhor e mais seguros ?
As palavras do religioso correspondente
prop-era.nl dte ou cel.es de bidnd'argent %^J^i^Zi^S^
!l3ia,?rLa.!:eSJe.rr.e:r.,e_Qtr!JeSl,us **A*Mo do Corroo MerZntft. queoraraet
leriamos falta grave, n3o as transcrevendo ;
eilas: t Vamos destacar ontro quadro
desta magnifica galera de herosmo brasi-
leiro oflerecida ao poblico pelo nosso cor-
respondente da Tayu-Cu, o Ilustre alferes
de voluntarios, promovido saccessivamente a
general pelos leitores do Mercantil. Tal
o ment de seu talento de narragSo, a viva-
cidade de sea estylo. o fulgor de soas ima-
gens, o enthusiasmo de sea coracao pelas
grandes coasas, a sympathia despertada por
dotes t"o eminentes no coragSo do leitor.
N3o sobresahem nesse quadro vultos de
guerreiros Ilustres que a poder de valor e
coragem conquistaram a victoria, mas sacer-
dotes do catholicismo, dessa milicia vene-
randa que conforta as almas no seio das
pnvagues e aligeira o peso da dr pelas a'
solages in;ffaveis de nossa Santa ReligBo.
Ante o espectculo das dedicages su-
blimes da caridade evanglica em prol de
nossos concidad3os prasa a Daos se arre-
pendam de suas injustigas os espiritos fri-
volos e volterianos que nesta enre, n3o ha
muito tempo, por desenfado das cousas
mundanas, eatrelinham o tempo dirigindo
motejos e zombarbs aos peregrinos do catho-
licismo chamados a nossa patria ea desem-
penho de seus deveres.
Nos, que nao receiamos neste- paiz o
fanatismo religioso, mas o fraaiismodaim-
piedade, nos apressamos a render o catto de
nossa admiraeo aos dignos sacerdotes, cujos
servigos so Deas dado recompensar co-
mo merecen?,.
Nos, como iornalista ealbolico, como sa-
cerdote brasileiro, agradecemos em aose
daquelles nosso a irmos sacerdotes, e en-
viawos um abrajo sincero pela justiga qaa
Ibes faz a Ilustrada e catbofica redaego do-
Correio Mercantil, e sobre lodo pelo ser-
vigo iiue presta ao Brasil ceadjovando-nos
na defeza e sastenta$3o da Religio Cal bo-
bea.
Deus em sua misericordia reparta com
ella as g7agas, quecostuma distribuir pelos
L'que tonM-B peito a divulgarlo e defeza
'de sua doatrina.
Muito bem diz a illastrada redaegao que
temos mais que temer o -'fanatismo da
impiedade, do que oaoatlsmo religioso
rermente qoando por iafelicidade a impie-
dade transpira nesses projectos, eom que
megos inexporientes e mesmo vemos scep-
ticos- as nossas cmaras, titulo de pro-
gresso, querem brindar a nago.
Varaos terminar esta chronica qce-ja.vai
por demais longa, offerendo mais una qua-
dro, qoe honra ao religioso general- em
chefe-de nosso exercilo e ao sea apostlo :
depoi-j do ataqae de 3 de novembro-,. es-
tando reuiiidosos paraguayos, que ticham
ficado prisioneiros, e com elles Fr. Fideles
de Avala, o apostlo de oosso exercito,. veio
o Exia. general- Mrquez de Casias visita-
Ios e aessa occasaao disse-lhes.Meus filbos
se qoiserdes ficar commsco, ficai, seris
nossos irmaos; se n3o quizardes, part alli
est Ilumaii: no exijo qae me respondis
nesta momento, dou-vos plena liberade:
declara o ao padre mestre Fr. Fidelis-que
de ejnianga, e sahio immediatamente.
Ento o venerando capuchinho fallen, aos
paraguayos com tal ungo, com tal forja de
convicao, que Ucpossivel era resistir.
t Ero nome da Santa Virgem, disse Fr.
Fidelis, vos pego- que pensis no mal que
fazeis; no te.-.des torcas, estis aniquilados;
qualquer resistencia intproficua, e-a obs-
tinago que apresentardes ser at crimino-
sa. As muralbas de lumaii se;3o em
brevaescaladas ea vosa* sorte ficar deci-
dida----- Ero nome de nossa Mi Icimacu
lada considerai e decid.
Nem um de tantos prisioneiros quie partir;
ante* todos dec'araram. preferir fiar com-
oosco. Coaiom( lera os nossos loitores o
effdiio do seatimeulo religioso, admirando
as palay as de caridade. do nosso nclito ge-
neral, e a forga, energa e coovicco com
que era nome da Sanlissima Virgem fallou
vi. Fidelis* esse aportlo que a Providen-
cia Divina destinou para fortificar na fe e
consolar na adversidade aos nossos irmos
benemritos, qoe formara nosso exercito om
operages ao Paraguay.
Monumento a kamOes.Costn o mona-
ment erigido na capital ao nosso primeiro
pico aquantia de41 9270151 ris a sa-
ber :
Costo do monumento, pago a Vistor Bas-
tos, conforme a escriptura lavrada 38:8000
gasto as solemnidades da collocagae pedra
e inauguracSo, gratificages, ele. 2:5110451
custo da gravura, arabos, cunhagem e me-
dalha de prata e cobre, etc. 6150 moeda
Carie.
A receitafoi de 41:9310265 ris, moeda
forte.
CATHHORAL CATOOLICA KM NOVA-YORK.
Vo continuar activamente em Nova-York
as obras da cathedral catholica da Quinta
Avenida, odiado'que vira a ser o mais
grandioso de toda a America. Para isso
conveajionaram todos os catholicos de Nova
York em dar cada um, meosalmente a qnan-
tia de pouco mais ou menos 200 ris da
nossa moeda ; e como se calcla que ha
na diocese mais, de qoinhentos mil catholi-
cos, resulta que a contribuigo mensal, nSo
ser inferior a cem contos de ris,

TYP. DO DIARIO-RUA DASICRUZES N. tt

S
*

V
1 C


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EW2FJ4R5W_B9SFUQ INGEST_TIME 2013-09-05T01:44:20Z PACKAGE AA00011611_11443
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES