Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11439


This item is only available as the following downloads:


Full Text


VMHBHMMa
IPi^HH

V
ANNO XLUI. NUMERO 282.
.TMi riJx> Y


.
i>
Jfcr J/*awzMj|*ude.,. ^ '
Por seis ditos idea.. .1 ti 2j
IXBI M MA FA6A PMTK.
I .1
1
V
1.1
.i -.1 .i r.i
Per na aaat Mea.. .1 .1 i .1 .1 1 3 5J O fEH flf s
tila nraerejavalje .1 ...... ..... J ...
v .
r .
24000
320
il8Wnl3fUJ
>4|i &*m*9* *** *
SABBADO 7 DE DEZEMBRO DE 1867.
1
tres miu dBUdo
ditos Mea.
Por nove ditos idea...
A DENTRO B
.. rv r.- i. t.
i* ........
a rnovorc i.

c, '.
Por aune ie... ra.....
LiiJfJfJPJBaw

ta.
.
.. ..



15500
20*250
27*000
.

DD 133aa?!Da2* IDI miiHDJ VQAVIOI^ 3>3 VIK1A VQUIo^S* 8SY2 ^DIPMlffMIIDS*
i
(ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada a esa goes da Ta forrea at
Parahyb, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;l Agua Preta, todos os dtes.
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ;Araeaty,l Igaarassu e i.oyanoa as segaodas o sextas felras.
oSr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. Joaquim Santo Anto, Gravat, Bererros, Bonito, Caraar,
os de Oliveira : Para, os Srs. Gerardo Antonio Altinho, Garntaos, Buiqae, S. Beoto, Bom Con-
Alves & Filhes Amazonas, o Sr. Jeronvmo da seibo, Aguas Bellas e Tacaratti, as tercas-feiras.
Costa- Alaffoas Sr Frantino Tavares da Costa; Pao d'Albo, Nazaretb, Limoolro, Brejo, Pesqaeira,
Blhia, o Sr. Jos Martins Alves; Rio do Janeiro,! lagazeira, Flores Villa Bella, Cabrobo, Boa-Vis-'
Sr. Jos Rbiro Gasparinbo.
Sarlahaem, Rio Pormoso, Tamandar, Una, Bar Pri"ieira vara do evel: tercas e seitas ao meio|
reros, Agua Preta a Pimeoterras, ota q jintasj da.
felras. I Segnnda Tara do cive) : qnartai o sabbades a
AUDIENCIAS DOS TRIBNAES DA CAPITAlJ Cr* da tarde- _
Tribunal do eommereio: segundas e quintas EPHEMERIBE9 DO MEZ DE MIEMBRO.
Relajo : tercas e sbados is 10 horas. I 4 Qaarto cresc. as 7 h. oJ29 m. da m.
Fazenda : quintas As 10 horas. I 11 Loa cbeia as 9 h. e 18 m. da m.
Ja izo do cora mere/'o ; segundas as {1 horas. 118 Qoarlo ming. aos 42 ra. da m.
j ta, Oaneury.Salgoeiro e jsxu, as quartas /iras I Dito de orpbos : torea* o senas s 10 horas. J 23 La nova as 8 b. e 47 t. da t.
DAS DA SEMANA.
2 Segunda. 8. BtolanA v. ro., S. Adria m.
3 Ter^a. S. Francisco Xavier, S. Magfna ro.
4 Qoana. S. Barbara t. ro., S. Osroande.
* QoiDla. S. Pedro Crisoi'opo b., S. Sabas ab.
6 Sena. 8. Nicolao b., S. Geraldo are.
7 Sabbado. 8. Ambrosio b. dr. da igr.
8 Domingo. A Inmaculada Cooeeico de Mara.
PREAMAR DE BOJE.
[ Primeira as 10 boras e 6 m. da manhia.
[Segunda as 10 horas o 30 minios da tar*.

PARTIDA DOS VAPORES COsTEIROS.

Para o sul at Alagoas a 14 o 30; para o non*
at a Granja a 15 e 30 de cada mez; para Por- -
nando nos das 14 dos mezes jamiro, marco, nato
jnlho, setembro o novembro.
EXTERIOR.

para ellas a attenco do Ilustrado Sr.
fazenda, agora que, armado da aoto-
corpo legislativo dte cuidar de refor-
RUSftlA.
circular dirigida pelo principe de gorts-
chakoff.aos reprbsbntantb* do imperio
moscovita wo e-trangeiro.
S. Petersburgo, 18 de oulubro.
Conbecels qoal tem sido a marcha do governo
imperial nos nejroeos do Oriente; sabis qoe, des-
de o anno de 1860, tem elle chamado a attentao da
Porta a das grandes potencias para nma aiiuagao
gravldade.
Effectivamente, por nm lado os povos chnstos,
vendo a accao conectiva das grandes potencias,
como sua nica garanta, paralysada pBla taita de
accordo, perdiam pooco a poaco a esperanca de
poder melborar a soa sorte, assim como a conQan-
ca no apoio da Europa.
Por outro lado, as aspiragSss eram excitadas no
nuisalto grao peras doutriuas que viam triumphar
n'outras partes, e pelos (actos consamados nos pai
zes visinhos.
Esta dupla crtente, que opera sobre aqaelies
povos, devia tornar mais penosa a sua posigao e
mais difflcil a sna resigoa$o. ManifesiagSas par-
ciaes na Syria, no Lbano, na Servia, Bosnia, Her-
zegovina, Montenegro e flaalmente era Cindia, vie-
ram confirmar as nossas previsSes e attestar a im-
minencia de nma crise que se aggravra generall-
sando-se.
Todava as nossas advertencias (ram intrac-
tuosas.
Quaodo ltimamente a sablevagao d; Canda re-
velou o progresso desta sitoafao, o gabinete impe-
rial reiteron os sens estorbos junto do governo e
das grandes potencias.
Diriglo-se aos gabinetes o convite para se dos
nnirem, afim de exhortar a Porta a nao deixar en-
grandecer aquella insnrreiQio, qoe poda ter a sua
influencia em lodo o Oriento christao, e lornar-se
a primeira centelba de nm incendio geral.
Precedendo urna explosao por mel de sabias
concessoes s queixas dos Candiotas, por meio de
tima satisfago equitativa aos pedidos dos servios,
c finalmente por meio de reformas serias, que as-
sc-gurassem aos subditos chrisiaos do solio condi-
^oes de existencia toleraveis, era permitlido espe-
rar urna tranquilidad de espirito qoe reservasse
ao teropo, ao progresso das ideas e ao desenvolv-
tenlo dos inleresses a solugo pacifica das diOQcul-
dados sociaes e polticas da questo do Oriente.
Nao obstante as nossas Instancias, cou incom-
pleto o accordo dos gabinetes -, a sua linguagem
nao produzio sobre o governo torco a inpresso
desejada. Proseguio elle nos rigores de ama repres-
so que nao tem feto senao tornar a lacla roals r-
deme, as paixoes mais vivas, mais difflceis as
transaccoes, e os seas ensalos parciaes de eoncilia-
gao, felios a oltima hora, perderam a opportunida-
de e a efficacia.
Neitasconjuncturas, o governo imperial nlo se
ffisioa do caminbo que havia adoptado desde a
origen). Estava-lbe tragado pslas vistas que presi-
diara poltica do nosso augusto amo, pelas tradi-
Coes da Russia, assim como pelos seus ioteresses
de potencia limitropbe e de grande potencia euro-
pea, solidaria na tranquilida Je do Orienta e na ma-
nuiencao da paz geral.
Na sua opioio, se havia ainla algoma probabi-
lidade de prevnir as complica(d3S imminentes por
meio de conselbos dirigidos ao goveruo turco, essa
trela per|encia exclusivamente Europa, inter-
p:ndo a soa autoridade collectiva entre as partes
em Iota, e fallando com firmeza urna lioguagem
unnime.
Se estava perdida esta probabilidad?, e a crise
era inevitavel, o dever e o interesse de todos era
circnmscrev la, afistando toda a Intervengo, e
impedir assim qoe chegasse <% comprometter a paz
geral.
Foi-se isto qoe o gabinete imperial propoz em
data de 16 de novembro de 1866.
Tendo algumas das grandes potencia adherido
a eslas ideas, foi preenchida a primeira parle deste
programma.
E' conheeido o resoltado. As diligencias instan
tes e reiteradas do gabinete imperial e dos gover-
nos que a elle sa associaram malograramse diante
das resologSes da Porta. Os estorbos pessoaes de
persuasao tentados pelo nosso augusto amo, por oc-
aslo da misso de Fuad pacha a Livodia, nao II-
veram melhor xito.
Desde ento julgou o governo imperial que s
ihe restava enmprir a segunda parte da tarefa re-
servadas as potencias.
Fui este o fim da declaragao qoe propoz, e que,
com algumas pequeas alterares de redacQo sug-
geridas pelo gabinete das Tulberias, e aceitas pelos
gabinetes de Berln e de Florenga, foi recentemen
te entregue Porta pelos seas representantes em
Constantinopla.
Transmitlindo-vos ocioso o texto desse docu-
mento, julgo necessaria precisar o sentido que Ibe
ligamos.
O nosso angosto amo procara desligar-se da res-
ponsabilidade de orna sltuacao, eojos perigos S. M.
Imperial prev, leudo empregado todos os meios
para conjralos.
Trata de impedir qoe rivalldade polticas nao li-
gusro as complicagoas ja lo graves da qaeslo de
Oriente, as qoe compreheode a suacao prseme
da Europa.
Todava ease principio nao poderla implicar a
indifferenca. E' por isso, mas nao mais do qoe os
gabinetes que se juotaram a n-, que nao poderia-
mos renunciar missao generosa que a sua con-
sciencla pode impdr is grandes potencias no mo-
melo em que a buminidade appella para a sua f.
E' por isso tambera qoe, affastando toda a occa-
sio isolada qoe aggravasse as actuaes complica-
res-do Oriente, o gabinete imperial estar sempre
prorapto a concorrer para um accordo europeu que
teoba por fim resolver e?sas complicacOes. Tem a
(irme coovcqo de qoe um tal aecordo nao pode-
rla ter por flm senao ama obra de eqaidade, digna
das potencias ebristas, e conforma com os inleres-
ses geries da paz e da civllisago, peraote os
quaes devem desvanecer se todas as rivalidades
polticas, e todas as vistas exclusivas.
E' neste sentido qoe devereis exprimir-vos pe-
rante o governo, junio ac qual eslaes acreditado.
(Assignado) Gorttchakoff.
da chamar
ministro da
rsaco do
malas.
Taes estados slo ridos. Dalle nos oecapando
nSo temos a pretencao de que nos lelam com inte-
resse. Assnmpto exiranbo i poltica, e que ape-
nas pode intoressar aos encarregados da admlnis-
.tracao, fra da lula dos partidos, sem o estimu-
lante dos doestos que mutuamente se jogam, Mu-
Ibe aquello al/raciro que arrasta os espirltos para
as discossdes da imprensa diaria.
Convencidos, porm, da importancia da materia;
de que urge estadar a marcha de taes repartidas
no intuito de melbora-las; de qoe mnlto couvm
methodsar o seu pessimo rgimen interno e reflac-
tir sobre o seu pessoal, analysanlo-o com criterio,
nao n js forraremos ao pequeo trabalbo qoe era-
prebendemos, posto estejamos convencidos do li-
mitado aprcp que de ordinario merecem seme-
Ibantes emprezas.
Algumas reformas, certo, nellas se leem ope-
rado ; mas os regulamenios ('como saccede com o
actualmente era vigor, qua apenas dala dos fias de
1860) em breve se acbam alterados por differenles
decretos regnlamentares, o que faz crer qoe, no
objecto de que se trata, estamos longe de nos ap-
proxlmarmos da parfactibilidade, e que, portanto, occasio da primeira re'preseotaco do drama-m
da 2* parte da 1* eondicio do contrato celebrado
cem os empreiteiros.
Termina boje o prazo para a Inseripco dos
concurrentes ao provlmento dos lugares vagos de
conductores e praticantes das obras publicas.
O concurso lera' logar na seguoda-feira.
No processo de habiiitacao para o magisterio
primario do sexo feminino a qoe se sobmetteram
oestes nliimos das, foram approvadas as Sras. D.
Candida de Menezes Drammoad da Cuaba, I). Ca-
milla do Carmo Torres, u. Tude Guedes de Mello,
D. atbarina Leopoldina de Castro Araojo Ramos,
D. Alexaodrina Moreira Res o D. Joanoa Cesar de
Saota Isabel.
Nesso exame de habilltagao boave daas senhoras
que sao fjram julgadas com sufflciencia para oen-
sino.
Amanbia deve reonlr-se a irmandade de N.
S. da Conceico, da igreja da Coogrega(ao, para o
Qo de eleger a nova mesa regedora do lutoro
anno.
A reaniio lera' logar as 9 boros do da no res-
pectivo consistorio, tendo para isto sido convocados
os Irmaos.
Damos em segnlda as poesas recitadas no
theatro de Santa Isabel, no dia 2 do crreme, por
moit.) nos resta anda a esludar. Por Iguaes alte-
rares ba passado o sea pessoal ; mas tem por
ventara, como devera a mais rigorosa jostica pre-
sidido a taes reformas ? Entre os culpados alcan-
zados pela espada josticeira do ministro predispos-
to a fulminar os prevaricadores, nao firam por
acaso envolvidos Innocentes, alguns dos quaes vic-
timas das intrigas da propria improbidade tantas
vezes resguardada sombra do mais escandaloso
patronato ? Est na consciencia do publico sensato
desta capital o que occorrra depofs de nm rigoro-
so inquerito na reforma de 1862, bem como a illa-
cao moral qoe se poderla tirar de outros act u pos-
teriores do governo em assumptos aiuaneiros.
Aqqel.es que, errneamente apreciados em sua
conduela, sao victimas da injosiiga do Sr. minis-
tro titilas vezes Iludido, soffrem sem dovida o
mal mzterial, nao pequeo, que lhes resalta do
iraosiorno da carreira ; da demisso, na maioria
dos casos acompannada do sacrificio do pao da fa-
milia, pols fra de duvida que a classe dos em-
pregados pblicos entre nos a mais desajudada
da fortuna.
O mal moral, porm, se expedicao do acto os
acommetle, cedo se desvanece, porque a probida-
de cotio a luz que na) se ple esconder para
qoem a en:ara de perto; o proprio commercio ho-
nesto o primeiro a fazer-lbes justi;a, e a opioio
publica fulmina o acto violento, como atlenlalorio
drama do secuto,do Sr. Victoriano Palhares.
1.* A' Victoriano Palhares.
Eu te sado, amigo, Irmio no sentimeoto ;
E er que d'alma sabe a minba saurfacao.
Eu sinto como ta tambero neste momento
Pular-me de prazer no peito o coracao.
No lempo em que o desdem e a glida indifferenca
Maiam no despontar tao altas vocaedes,
Consola onvir a voz da multldo immensa
O talento coroar, ao sol das ovagoes 1
Qaem sabe o qoe dever, jostra elealdade,
Quem sabe distinguir na ierra o qoe do cu,
Ha de acolber-te alegre, e al (aobre vaidade 1 )
Vaidoso se ostentar, saodando o genio tea I
E agora qoe sondaste o modo por que o povo
Sabe o loaro enramar na fronte ao vencedor,
Deves em ancia arder por nm triumpbo novo.
Hoje empenbado est, o povo ten credor I
Trabalha, lata, vence I embora a enrtavida
Mais perto o tarmo encostre ao peso do lidar;
Os sonhos do porviressa Israel querida
S nos sorrl na menta aps moito lutar I
E se a densa-da gloria acolbe-te na scena,
de um dos mais sagrados direllos do cidadao,a Se boje desees da scena em marcha triumphal,
reputaco individual.
Ja que tratamos das repartieres de arreeadaco
que jogam com o commercio, tao argidas de no-
civas, como empacadoras do desenvolvimento des-
te, por escrlptores alias disliactos, seja-nos licito,
ao menos incidentalmenie demonstra/ sua utihia-
ie, o que (aremos no segnfnte capitulo.
(Diario do Rto.)
INTERIOR
Estados administrativos.
ALF ANDIGAS.
I
Dedicando estas lineas s reflaxoes qoe denomi
naremos estudos administrativos, e fazendo-as sur
gir i iaz da publietdade, nio temos por certo, a
idea de mostrar erudito no assumpto de qoe nos
oceupamos: o recoonecimento, aotes de todo, da
zns-a insuficiencia nos arredaria por sem duvida
de samelhante fataidade. Filbos de ama naci II-
vre, onde cada nm pode manifestar sea pensamen-
to, aioda roesmo em mtenos menos graves, tal
circomstancia nos animoo a dar este passo.
O objecto nao ftil. Tratamos dasalfande-
as do Imperio, repartieres flseaes de subid
mporiaocia como foates prtoeipaes da renda do
estado, at aqni tao mal esladadas pelos goveroos
do palz; e ootro slm, o regnlamento qae as rege
e dajlegislaco respectiva, dos bices qae a prati-
ca tem apresentado na t/ua execugao, com o flm
REVISTA DIARIA
A solemnidada Tda collago do grao de bacba-
rel em direlto, aos alumnos do 5* anno da nossa
faculdade, deve sor s 9 boras da manbaa, sendo
meia hora depois do meio dia o Te-Deum.
Se cbegat,Me o vapor Cruzeiro do Sul, dos
portosdo sul do Imperio, desiribairemos amanhia
o nosso numero de segunda-felra.
As pessoas que desejarem enviar objectos, de
prodcelo da provincia, a exposicao martima i
ternacional di Havre, deverso dirigirse ao Sr. Max
Homburger e Alves Homburger & C, roa da
Cruz.
Encerraram-se no dia 20 do mez passado as
antas do collegio S. Bernardo no correle anno,
devendo recomecar no dia 10 de Janeiro prximo.
Dos alumnos qoe freqnentaram-as, 11 flzeram
exames perante a commissio da faculdade de di-
reito, e foram apprevados. Es seos nomes:
Francez.
Antonio Galdioo de Araojo Conba, Joo Joaquim
Mandes da Rocha, Jos Gancalvcs Ferreira e-Silva,
Joio Cavalcante de Mallo Atedo, Henriqae Mar-
ques Lins, Honorio Hermeto Correia de Brilo, Jos
de Barros Albuquerqae Lias, Eduardo Jayme Go-
mes da Cruz, Jeronymo Materno Pereira de Carva-
llo, Joo Marinbo Carneiro de Albuqaerqae.
/notes
Beoigao Marinbo Lins Sicupira, Emiliano Gomes
de Andrade e Silva.
Latim.
Jet de Barros Albuquerqae Lias, Jos Carrllbo
de Revoredo Barros, Henriqae Marques Lios,
Eduardo Jayme Gomes da.Cruz, Carlos Alberto dos
Santos Valenca, Manuel Quiotiliano da Silva, Epa-
minoodas Bandeira de Mello, Haorique de Albayde
Lobo Moscoso, Jeronymo Maierno Pereira de Car-
valbo, Joo Marinbo Carneiro de Albaquerqae.
Geometra.
Emiliano Gomes de Andrade e Silva, Haooel
Florentino de Aibuqaerqael Montenegro, Mano-I
Tobas do Reg e Aiboqaerque, Jos Zeferino de
MendoDQ Upada, Eustaquio Garca Brrelo, Felip-
pe Domingos de Souza Leao, Manoel Qointiliano da
Silva, Fiel Vieira Torres Grangeiro, Francisco da
Silva Saldanba, Delmiro da Silva Saldanha, Livioo
Angosto de Holiaoda Chacn, Francisco Bezerra
Cavalcante de Albnqaerqae, Joaquim Xavier Mi-
randa Cont, Manoel Maria Marques Maris, Anto-
nio Peregrino Cavalcante de Albuquerque.
PMlosophia.
Jos Lomelino de Menezes Vaseooeellos de
Drommond, Manoel Ferreira da Silva, Manoel
Quiotiliano da Silva, Tnomaz de Gosmo Wander-
ley, Ambrosio Cavalcante de Gusmao Lyra, Emi-
liano Gomes de Andrade e Silva, Antenio Elias de
Agaiar, Vicente Antonia do Espirito Santo, Benig-
no Marinbo Lins Sicupira, Jos Pereira Maia,
Francisco da Silva Saldanha, Ganesio Augusto Fer-
reira Lustosa, Fiel Vieira de Torres Grangeiro,
Jos Ferreira Nobre Formiga, Manoel Maria Mar-
ques Maris.
Geopra/iaia.
Manoel Joaquim do Reg, Laiz Eugenio de A-
raojo Piabelro, Manoel Ruymondo de Araojo Pi-
nhelro, Hanorio Herraeto Correia de Brilo, Luiz
Jos de Franca Oliveira, Antonio Agripino de Gus-
mao, Antonio Elias de Agolar, Vicente Antonio do
Espirito Santo, Eneas de Arroxellas Galvao.
Rhelorica.
Carlos Fredereo da Costa Ferreira, Ambrosio
Cavalcante da Gusmao Lyra, Manoel Joaqolm do
Reg, Benigno Marinbo Lins Sicupira, Jos Zeferi-
no de Meodonga Ucboa, Vicenta Antonio do Espi
rito Sanio, Antonio Gomen Leal Loyo, Raymando
de Souza Bandeira, Antonio de Soasa Bandeira,
Honorio Hermeto Correia de Brito.
Alguns destes alumnos concluiram vantajosa
mente os estudos preparatorios, e matrlcolar-se-
hao na (acaldado de direito.
Fof nomes'lo para reger interinamente a c-
deira de Cabrobo o Sr. Heoriqoe Benedicto Correa
de Vasco nce I los.
Foi ordenado a cmara* municipal desta ci-
dade, que fizesse eflectivo a empreza dos trilhos
urbanos desta ridadade a Apipacos o primeiro pa-
gamento, na Importancia le 4:5004000, noi termos
Nao abandones, nao, a grandiosa arena.
Onde .Aiencar sers, sers Mendes Leal I
1* Ao distincto poeta Victoriano Plkares.
J que foste mais alto qae urna estrella,
J qae da gloria carregasie a cruz,
Despedaza ten ser n'essa procella
Que em vez de pretldao, prorompo em los t
Anda :geroe, soloca, enche o infinito 1
Morre abi d'esse jubito do amor
Qae faz na commogao soltar-se ora grito,
E ionio de prazer, zombar da dor.
Algoma consa de sublime e novo
Passa se aqu n'este mbito lazent,
Sem ser s oas arterias d'esle povo
Que bora por ti levanta-se tremente
E disputa entre si, qoal sem segundo
Orna-te a fronte de laareis brilbaoles :
E' ludo feito om sabioo mais profundo
N'uma s seosacao Id'essas que os Dao
que os Daates
D'essas qae os genios como la dispertara,
Dassas qoe o cedro inspira ao vlajor,
Dessas qae bem ao coracao acertara
E dio ao pombo as azas do coador !
III



A' nossos citaos Wvldos se estampa
Qoadro soberbohomricas viges !
Deas talvez a acender a eterna lampa,
E o mondo a rebentar de inspiracoes I
A immeosidade paira n'este instante
Toda em bruno e esplendor e toda em gala
Era nossa esseocta plida e oHegaote
Como quem qaer fallar, mas qae nao falla t
Tu assim o quizeste Iassim ciogiste
De lea triumpbo a aurola radejaole I
Es agora urna aurora Ium ser qae existe
Como entre pygmeos am ser gigante 1
A sina dos eleitos portentosos
N'esse tbrono de honra te assenlon ;
Na bacebaoal divina d'esses goss,
A laja de ooro am aojo te oflertoo. :
Bebe, pois, do absinto qae embriaga
Da peona no banquete dos AOtbeos,
J qae dos maados le arrojaste a' vaga.
Ja' que s coaviva dos festius de Deas I
Joao Candido.
Fizeram aelos oo dia 6 do dezembro na la-
caldade de direito os segaiotes, estadanies:
9a anno.
Ernest a de Paiva Leile, plenamente.
Laiz Ferreira Maciel Pioheiro, dem.
Caodido Pioto Lobo, dem.
Bemvlodo Gargel do Amaral, dem.
Em data de 5 de novembro oltimo, sob pro'
posta do respectivo vjgario, foi noqeado coadjoctor
da freguezia da Taqaara, na Parabyba.o padre Ma-
noel Jos do Nascimenio.
Para a villa do Cabo foi nomeado coadjactor,
em dala de 9 do passado, o Rvd. Antonio da Conba
Barbosa.
Para o mesmo cargo, o na mesraa data (oi
nomeado o Rvd. Manoel de Souza Ferrar, para a
freguezia de Sorra Talhada, desta provincia.
Era data da 13 do mesmo mez foi nomeado
para igual cargo, na freguezia de Ipioca, provin-
cia das Alagoas, o padre Manoel Tavares de Souza.
Igualmente em 15 do mesmo mez, foi nomea-
do o Rvd. Francisco Freir do Carmo, para a fre-
guezia de Taquariliuga, donde W vigario encom-
mendado.
Para a fregaezla de Santa Anna de Alagoa
Nova, na Parahyba foi nomeado para igoal cargo,
em 23 do referido mez, o padre Saotino Maciel de
Athayde.
Em dala de 26 de novembro fiado, foi no-
meado coadjuctor de Serinhiem o Rvd. fre Ignacio
de Santa mbelina Medelros,
Em data de 27 do referido mez, e para goal
cargo na fregaezla de Iiamb, foi nomeado o padre
Manoel Jos de Oliveira Rogo.
Foi renovada em 30 do referido mez, a pro-
visio de coadjoctor do padre Joaquim Jos do Fa-
rias, para a fregaezla dos Afogados.
Por provlsSo do 4 do correlo, foi nomeado
coadjuctor da freguezia da Loz, o Rvd. Antelo Es-
taaislo Ooriquo de Vasconeelloe.
O Sr. Dr. vigario capitular conceden dimiso-
rias para o bispado do Ceara' ao ordenando Jos
Joaquim da Rocba, natural das Alagoas.
Nao se tendo reunido, domingo passado, nu-
mero sofliciente de socios do Hospital fortuguez
e Beneficencia, tem logar amanbia a eleicao da
nova junta administrativa para o anno de 1868, no
edificio do estabelecimenlo.
Hoje da" o Club do Rui(e a soa partida do
correle mez.
Dorante todo o lempo da expos(o excelen-
tes relacoas se bao travado entre os cmmissarios
do Brasil e os dos outros palzes, relajas ntes de-
bal zo de mais de om ponto de vista.
Em Franca, grabas as retardes pessoaes qae j
existan! eoire o presidente da comroisso do Bra-
sil e personagens que como Miguel Chevalier, sao
lio notaveis oas ciencias como na poltica, moitas
portas bao sido ateras.
O ministro das obras publicas se den pressa a
aotorisar o Sr. Lagos a visitar os princlpaes dep-
sitos e eflkinas das obras publicas e os camiooos
de ferro nio inaugurados.
O Sr. Continho travoo com a soeledade de geo-
graphia relaces qae nao cessaram com a expo-
sicao.
O Sr. Bolbdes Ribeiro foi recebido as grandes
officinas de cooslmcco do Sr. Gouin.
O Sr. GjDcalves Manas pode reunir a respeito
das escolas agrcolas documentos preciosos, de qae
elle saber ioielligentemente otilisar-se.
O Sr. Miguel da Silva visitn os eslabelecimeu-
los do Creozol, mooido de ama carta de recom-
mendacao do 8r. Schnelder, presidente do corpo
legislativo e dono dessas consideraveis offl^inas,
que sao urna das glorias da Franca : o joven enge-
nbeiro brasileiro foi ao mesmo lempo esludar as
fabricas de a$o do Sr. Doriau e as dos Srs. La Pe-
(in e Gandet; emfim, o Sr. Miguel da Silva leve a
insigne honra de ser convidado pelo director da
escola das Minas para asslsiir a ama excorso di-
rigida pelos Srs. Elias de Bjauraont e Chacour-
tais.
Foi o nico engeoheiro estrangeiro convidado
para esta explorarlo cientfica ; e alguns das de-
pois, recebia elle o diploma de memoro da soeleda-
de geolgica e asslsiia a escursSes nos arredores
de Pars, empreneodidas sob a direccao do con-
gresso internacional dos gelogos.
As sessSes deste congresso encerraram-se com
om banqoeie em que o Sr. Miguel da Silva era o
nico engenheiro americano.
E ludo isto Bao sera' proveilosa ao Brasil ?
Nao se leria elle (ornado assim mais conheeido e
nao ficaria sondo por conseguale mais bem apre-
ciado?
O Brasil deve multiplicar os lagos qoe o fren
dem a Europa; e nossos jovens compatriotas era-
pregados na commisso brasileira bao mu iotelli-
genlemente desempernado a sua trela.
O pessoal dos enfermos, educandos e empre-
gados existentes nos eslabeleciraentos a' cargo da
Santa Casa de Misericordia do Recife no mez de
novembro fot o segrate :
-. Hospital Pedro II.
Eofsrmos.T................. 167
Mendigos....................
189
Empreados.................. 18
Serveutes..................... 16
Filhos de enfermas que fali ice-
ram......................... 8
Hospital dos Lazaros.
Enfermos.................... 18
Empregados................... 6
Serventes...................... 2
Hospicio de alienados.
Enfermos.................... 7*
Empregados.....i............. 12
Casa dos expostos.
Edacandas do estabeleeimeato. 102
Em creacao fra do > ..81
Empregados.................... 11
Servente....................... i
Collegio dos orphos.
Edacandos................... 67
Empregados.................... 9
Servente............*........... 1
Collegio das orphaas.
Educan das................... 114
Empregados................... 12
Serventes..................... 2
Recapitularlo :
Enfermos.................... 281
Educandos...................290
Empregados................... 82
Amas....................... 81
Serventes..................... 28
Total..............762
Lotera.A que se acha a venda e
a 47.*, a beneficio da matriz do Ooricury,
que corre qaarla-feira 11.
Passageiros do vapor brasileiro Parahyba,
vlndos de Japomim (em Goyanna) :
Mauoel Hanrlques da Silva e Francisco de SaHos
Guimaraes da Cuaba.
Rkparticao da polica. Extralo da pa rto
do da 6 de dezembro de 1867.
Foram recolbidas a' casa de detenjo no dia o
de dezembro:
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, An-
tonio, Jos, Podro e Jaelotho, escravos de Oliveira
& Filbo, para correceo. A' ordem do subdelega-
do de Santo Antonio, Auna oo Corbiniaoa, escrava
de Laiz Candido de Arauj >, por faglda. A' ordem
do de S. Jos, Manoel Vicente Macab, para cor-
reego.
O chefe da 2* seccao
/. G. de Mesouita.
Casa de detencao:Movimenlo do dia 3 de
correte :
Existiam presos 289, entraran) 10, sahirao 4,
exisiem 29o: a saber, oaelonaes 202, mulneres 5,
estrangelros 36, mulber 1, escravos 47, escravas
4, total 216.
Alimentados a costa dos cofres pblicos 216.
Movimento da enfermarla do da 6 do correte
mdz:
Tiveram alta:
Pelro Jos Rodrgaos.
Jos Fraocisco dos Aojos.
Joaquim Jos de Sam'Anna.
cEMiTEtiio publico.Obituario do dia 6 de
dezembro de 1867.
Angela, Pernambaco, 5 mezes, Santo Antonio;
tumor. p
Juliana Maria da Concelcio, Airica, 64 annos,
casada, S. Jos ; bxigas.
Laariano Jos da Silva, Alagoas, 26 annos, casa-
do, Santo Amonio, (casa de deteogao); varilas.
Joao, Prnambaeo, 1 mez, S. Jos ; varilas.
Tbeotonio Fraocisco Johlor, Pernambaco, 36 an-
nos solteiro, Boa-vista ; tubrculos pulmonares.
p'rancisca Amaocla Rodrigues Costa, Pernambu-
co, 32 anuos, qasada, S. Joijfc: tohejculos f^Q,
Daros, sa li
dor fiseal, o Exm. Sr. presidente abnn a sessao.
Lida, foi approvada a acta da sessao antece-
dente.
IIPBDIENTE.
O Sr. Br. offiefal maior da seeretaria deste tri-
bu nal apresenton o offlcio qae Ihe fora dirigido
pelo secretario do Insirilo dos advogados brasilei-
ros, de 21 de novembro ultimo, remetiendo om
exemplar da revista do mesmo nsiiloto ltima-
mente publicada.Accuse-se.
Aos Srs. dspotados foram distrlboidos os livros :
Copiador de Luiz Jos da Costa Amorim & C.
dem de Gomes de Mallos di Irmos, e mais don*,
perteoceates a Patn Nak & C
DESPACHOS.
Reqoeriraenlo de John Gatis, corretor geral des-
ta praca, pedlndo nm anuo de prorogac&a da II-
CHD$a com qae se acha fora do imperio tratando
de sua saide, visto como dita licenca se ha fioali-
sado continuando anda os seas sotTrimentos como
prova com o attestado, que junta.Visla ao Sr.
desembargador fiscal.
Cora informado do mesmo seohor.
De Severiano de Squeira Cavalcante e Joaquim
Ignacio Pessoa de Siqaeira Cavalcante registro de
sea contrato de sociedade.Reglstre-se.
Tabella substitutiva da actual, com a qoal con-
corou i'n tolum o Sr. desembargador fiscal de-
pois de algumas considerajSas do Exm. Sr. presi-
dente, poi o mesmo.Exm Sr. a votaco o !. arti-
go que fot approvado, o 2. foi approvado com al-
gumas alierases propostas pelo mesmo Exm. Sr.
presidente, o 3.* foi approvado, o 4.' tambera foi
approvado sendo todos unnimemente, raandou se
pasisr a limpo.
Nada mais havendo a tratar-se, o Exm. Sr.
presidente eacerrou a sessao s 11 horas e meia
do dia.
SESSAO JUDIGIARIA EM 5 DE DEZiMflRO DE
1867.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADO
A. F. PERBTT1.
Secrfano, Julio Gumaraes.
A's onze horas e meia da maoha declaroo-se
aberta a sessao estando reunidos os Srs. desem-
bargadores Silva Guimares, Res e Silva, e Ac-
cioli, deputados Rosa, Basto, Miranda Leal e sap-
pente Sa Leito.
Lid a, foi approvada a acta da sessao antece-
dente.
ACORDAOS ASSIGNADOS.
Proferido na sessao de 28 do mex passado
Appellanle o vigario Antonio Thomaz Teixeira
Galvao, appellado Antonio de Castro Larangeira.
Proferido na oilima sessao.
Olinda.
Ctnrent de Nossa Senhora dns iVeves.
santissimo padre Pi IX, pelas soas lettras-
apostolicas datada do dia 30 de agosto de 1867, a .
lodo os fiis de ambos os sexos qoe verdadera-
mente, conlrlctos e dispostos cora os sacramentos .
da penitencia e da sagrada commootiao, visitaren
a igreja do convento de S. Francisco, desde as- pri-
meiras vesperas at ao por do sol do dia .-m que
se celebra a fesiividade da Senhora das Neves, e
abi dirigirem a Dos pas rogativas pela concordia
dos principes ebristos, eiiirpacao oss beresias, a
eialtaeao da santa madre igreja, cooeede indulgen-
cas pieoarla e remisso de todos os-seus pecca-
dos.
Uatro sim, a todos os fiis qae, ao menos cora
coragio contricto, visliarem a esta igreja n. dia da
mesina fesiividade, recitando as oracoes cima
mencionada, relaxa soa santidade sete aooes, a
outras lautas qoarentenal, de qaaesquer peniten-
cias a quem estiverem obrigadas; as qnaes e cada
ama das referidas indulgencias, remis5es de pee-
cados, e relaxa(5es de penitencias,, podem ser
appHeadas por modo de suffragios pelas almas-do
porga torio-
Finalmente, declara sna santldade que as referi-
das letlras s tero vigor por espaoi de det
aonos.

Ciiaraua
Os ralos do sol me formara1
En posso ser boa ou roa2
Conceito
Eotre todos qae ea conheeo
Como o (eu oairo nao ba.
Licio gratuita de letlicim
InDnmeros estados de molestia permittem que
os pacientes Irasitem pelaj roas; senlo-lbes de
grave iacommodo e multas vezes nocivo o estarem
sentado por moitas boras; cor tamo qaem nao
sabe, aprenda, qae quem fas.exercicio nao da pro-
vaj*de que pode prestar-se ao servido do jury : e>
desle modo boro ter em maior considerado os
atieslados dos facultativos.
Vm medico.
Illm. Sr. Tendo a Illa, cmara municipal ra-
solvido testa dala, em visla do compromissoemqao
eslava para com V.S. pelo que lbe foi declarado em
offlcio desta secretaria de 28 de ontobro de 1865,
e do que dlspds o art. 4* da le n. lili de 28 do
Embargante Francisco das Cbagai Cavalcante i nabo do mesmo anno.reintegrar-lheo exccrcltodo
de Albuquerqae, embargado Maooel Alves Fer- cargo de fiscal da Iregueiia de Santo Antonio, que
deixou quando desta capltl parti para > guerra
coolra o Paraguay ; assim Ih'o coaamuaico para
sua loteligeacia, e afim de qae entre j em exer-
cicio do referido cargo, conforme acaba e ser de
termioado.
Deas gaarde a' V. S.
Secrtaria da cmara municipal do Recifa, 4 de
dezembro de 1867.
Illm. Sr. major Caetano Pinto de Veras, fiscal da
freguezia de Santo Antonio.
Francisco Canuto da Boa Viadem.
reir.
JLGAMENTOS.
Juizo especial do commercio. Embargante
Tbeodoro Cbristiaosen, embargados Paln Nash &
CJuizes os Srs. Reis e Silva, Accioli, Miranda
Leal e S Lello.Despresaram-se os embargo;.
Juizo especial.Embargos de nnllidade do jul-
gado do tribunal.Embargante execntado Jos
Antonio Brilo Bastos, embargado exeqoenle o co-
ronel Domiogos Affooso Nery Ferreira.Joizes os
Srs. Reta o Silva, Accioli, Basto e Miranda Lu.
Julgaram provados os embargos com o vol do
Exm. Sr. presidente, sendo voios vencidos os Srs.
Reis e Silva e Accioli.
Serinhem.Appeliante Franeiscojle Paula Ca-
valcaole de Albuqaerqae, appellado slaaoel Mir-
Uns Fernandos.Juizes os Srs. Reis e Silva, Ac-
cioli, Basto e Miranda Leal Foi confirmada a
seotenca appellada, volando o Sr. RU e Silva pe-
la reforma e o Sr. Miranda Leal pila confirmado
smeate na parle que trata de 630$ WO.
Juizo especial.Embargos da nullldade do jal-
eado deste tribunal.Embargantes os administra-
dores da massa fallida de Pedro da Silva Reg,
embargado Joaquim de Souza Ferreira.Joizes os
Srs. Reis e Silva, Accioli, Ro3a e Miraoda LeaL-
Despresaram-se os embargof.
App6llante Salvador de Siqaeira Cavalcante, ap-
pellado Sebastio de Carvalbo da Cunba Albaqaer
qae.Appeliante Joaquim Ignacio de Mendooca,
appellado Joo pinta de Lemos Jnior.Adiados a
pedido dos Srs, deputados.
O Sr. desembargador Silva Guimares, em vir-
tade da suspeico anteriormente jurada pelo Exm.
Sr. presidente, assignoa o dia de b ja para o Jal-
gamento do feito eotre parles, embargante o pa-
dre Antonio Jos Pinto, embargado o baro de Ja-
ragu.E procedeodo se o sorteio na forma da
le, adiou se o jaigamento a pedido de am dos
Srs. deputados.
PASSAGEM.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
gador Silva Guimares: appellantes Rabe Scb-
metan di (1, appellados os administradores da
massa fallida de Amorim, Fragoso, Santos & C
DISTBIBUICAO.
Ao Sr. desembargador Silva Gaimaraes: appel-
lantes os administradores da massa fallida de
Amorim, Fragoso, Santos & C, appellado Joo da
Cunba Wanderhy.
AGCRAVOS.
Juizo especial.Aggravante o Dr. Joaquim Jos
de Campos, aggravado Manoel Joaquim Baplisla,
administrador da massa fallida de Amaro GoDcal-
ves dos Santos.
O Sr. desembargador Silva Gaimaraes dea pro-
vimento.
Juizo especial.Aggravantes Gaimaraes & Li-
ma, aggravado Gabriel Antonio.
O Exm. Sr. presidente dea provimento.
Nada mais bouve e encarroa-se a sessao a
urna hora e meia da tarde.
COMMERCIO.
Londou & Braslllan Bauk, Li-
mited.
Capital do banco 15.0C0 ace5as
c. S 100..................
AcQSisemittidas 13.000.......
Capital pago a S 43 por acc5e.*.
BALANCO DA CA1XA FILIAL EM PERNAMBUCO
E 31 DE NOVEMBRO DE 1867.
ACTIVO.
Letras descontadas...........
Crditos sobre diversos outros
bancos e ca xas Bllaes....... 1,503:05286O
Calxa era moeda corrente...... 2o:o38$370
13.333:333330
ll,5S3:555|5o0
5,200:000*000
960:8715100
CKR0MC.4 JUDICIARI4.
THIIH V VI. DO OOHH1BRCIO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 5 DE
- DEZEMBRO DE 1867.
rRBSIDlUCl*, DO IM. SS. DKSI1IBARGADOR
ANSELMO FRANCISCO PERBTTI.
As dez boras da manhia, estando prsenles os
Srs. deputados Rosa, Basto, Miranda Leal o sap-
otete Si LelUo, ttm asoin t Sr. Imtirg*
O governo Imperial aeaba de agraciar com o ha-
bito de cavalle.ro de Cbristo ao Sr. Antonio Jos
Doarte Coimbra, caja dedicarlo pela causa publi-
ca tea,-se tornado dlgoa de toda a considerado do
governo, qae sempre justiceiro o agraaecldo sabe
remunerar o mrito, onde qur qae elle appa-
reoa.
Na crise por qae posa actualmente o paiz, o Sr.
Coimbra a' frente da empreza do theatro de Sania
Isabel, ba mostrado clara e dslnetameate de qae
modo se semeia o auxilio o o beneficio, nao s as
urgencias do estado, como neeesstdade dos parti-
culares, e abi esli a sociedade auxiliadora das fa-
milias dos voluntarios da patria, as Exmas. viovas
do tenento coronel Joo Paulo e major Pedro Affoo-
so, e alguns corpos do voluntarios, aos quaes che-
goo a proteccao valiosa da dedicaco do digno em-
prtzario do Santa Isabel. Desle modo se ba orna
insignia honorfica qoe symbollse verdaderamente
um titulo de mrito e de gloria, por ceno o ha-
bito de Cbristo, que a roo do governo imperial se
digoou prender ao pello do homem honesto, dedi-
cado Oiridoso, qae, sem alardes da oslemacao,
sabe eomo o Si. Coimbra, pdr em pratlca a pri-
meira das vrlades hamanas.
Loowres, pois, ao governo Imperial qae da ^
aece DE rtR" tta r*C0IDtw*s* "^^ -'
dos seus melbores filhos; is o Sr. Coimbra qae
continu no caminbo em qae at hoje tem pisado,
porque om dia lora' a suprema rentara do poder
descansar a' sombra das melbores grabas do gover-
no, e das melbores heneaos do Deas.
fls. 2,689:462*530
PAssrvo.
Capital f'omecido pela caixa ma-
triz.......................
Depsitos....................
Crditos diversos, outros bancos
e calas filiaos.............
Rs.
888:888890
873:733*110
926:838*520
2,689:462*530
S. E. e O.
Pernambuco, 6 de dezembro da 1867.
Theodore Simn,
Accouotant.
PRAGA DO RECIFE 6 DE DEZEMBRO
DE 1867.
As3K boras da tarde.
fHontem)
Assncar mascavado purgado2*800 per arroba,
Assacar mascavado purgado (americano) 2*750
por arroba.
Assucar mascavado broto2*600 por arroba
Cambio sobre Londres 90 d/v 20 3|4 d. por
1*000.
Descont de letras at 3 mezes10 0,0 ao anno.
iHoje)
Cambio sobre Londres 90 d/v 20 3(4 d.
1*000.

por


Silvelra,
Presidente.
Macedo,
Secretario.
EM LIQUIDAQSO
Novo banco de Pernambuco
Os Srs. accionistas podem receber o 3.
dividendo (em moeda correte) de 10 o/o do
capital., assim como o 1. de 30 o/o, e o 2.
de 46 o/o, j annunciados.
Nova banco de Pernambuco
em liquidado
Os possuidores de notas da emisao do
banco qaeiram quanto antes apresental-as
ao troco.
ALFANDEGA.
Rendiniento do dia 1 a 5.......... 98:042*593
dem do dU6................ 39:946*998
137:989*591
m
143
o
*


Movimento daallandega.
v"J.fl(o3S Mitrados com fazendas...
"", o f aeros,,,,
Veamos sabidosoom fazondas.: *
leeros....... ^
Deasarrogam hoje 7 de dezembro
Brigne prnsslano KoM^iir-farioha de irgo.
Galera Inglea-Jfermioiie-carvao.
Barca InglezaBoyal Bridoidom.
Barca ingleza IFite of tht Tnon-polvcra.
Patacho boliuoose-Moiacharque.












,T3oi ni oiaissan aa.t.<
***
Dezembro ic 1M7.
O1 'T T '
-.-----r.-----r
1
'-'
----------. .;---!-----------
[nportaeSo. I n'*7> dl "i de s- Francisco, cnmo qa
- Brigue briiilelro Infeliz, vlndo da Babia, ma- fr ra Bella n^ 10, onde pode ser pro
tal
nifestoo .
40 pipas aaia-s 300 eaiaiabaa nassaa, 16 cal.
io.'s charutos, 1 dilo ama mesa, 11 ditas e 40}
fardos panno de algodio, 16 saceus flo, 10 ditos co-
la, 700 barricas feriaba de trigo, 12 cadeira, 2
ditas de bracos, 2 ditas de bataneo, 1 aof: 1 con-
sol o, 1 mesa redonda ; a ordem.
60 tardos panno de algodio ; a Antonio Loit
de Olfveira Aievedo.
80 ditos dito; a morlm Irao.
25 barris e 50 meos ditos anleiga ; a M. J.
CroAC
10 cascos aieite de palwelra, 3 caixas charutos;
a Domingos Alves Maiheos.
2 ditas ditos ; a F. Heoroley.
2 ditas ditos ; a Hanoel Jos de Araojo.
6 ditas ditos a I. J. Goncalves Beltro.
6 tardos foma ; a loaqoim da Silva Cosa.
isos Mimaos
PisMiisafio da S. Antonio do Recifc, 5 do >-
reabre 4. 186".
Caetano finio de Viras.
Tribunal do commerelo.
Na secretaria do tribunal do commercio ficam
registrados:
O contrato do sociedade de Vicente Beierra Ir jn.
tenegro e Jlo Francisco da Silva Vlaona, est Abe.
lecidos Da cidade de Macelo, eom casa de ierri.
gans, e o capital de 30:671*015 em dividas 0 es
tabelecimento, fcrnecido ^elo socio Hontanar ^a, tob
a Qrma de Montenegro & Vanos.
O distrato da sociedade de Antonio Mag ihses da
Silva e Jos* M^galhe da Silva Porto, f solfead?
a firma de Magslhies da Silva Irmaos, p^ morif>
do socio Silva Porto, estando encarreg *j,, a*4ini-
dacio o socio sobrevivente Antonio V ,irriej.
Teoalr.lo de Joao Lui- Farreln. Lr. a Ylr- *Z\l^ *X2*2Z pel> Bsh'4'
SOCIET GENRALE

Transports maritimes a vapeur
PAQUEBOTS FRANgAIS
At o dia 12 do correte espera-se da Europa o
- ;,:,:.
lAPERN&MBUCftNA
DE
Navegando costeira por vapor.
Pirahtoa*, Natal, Maco, Aracaty,
- Ceara e Acarac.
Segae para 01 porto* acioaa no
dia 11 do corrente as 8 horas da
tarde o vapor Ipojuca, commun-
daote Martios. Recabe rarca at
o dia 13 as 2 horas da larde, pas
meadas e dlnheiro a (rete at as
. e do dia da sabida : escri: torio no
Forte do Malos n. 1.
Na roa dos Gaararapes o. 18, obrado de um
andar, vende-se um sof, ama mesa de meio de
sala, doas consolos e daas cadelras de balaoco,
eageiros,
2 horas da
Azevedo & Flores e existentes na loja da
ra da Cadeia o. 47. .
OaffB
O agente Pinto levara* novamente a leilao a re
qaerfmeoto do administrador da referida massa e
por mandado do illm. Sr. Dr. jala especial do com-
naarcio, dos objectos adma naencioaades eiisteo-
les na loja cima mencionada, aonda effecloara o
ItHao as 10 boras do dia cima dito.
mm
120 calina
sabio Masa.
vapor trances Btate, o qaal depois da demora do tuj de ama/ello e em bom estado.
Sumaca braslleira Bortencta, rinda da Babia i glnh} preire ae oiiver, estabelec' ,s ae;U adade
maoifestcn o segainte con casa de taberna, sob a firrr e j00 L0|t ^
1 cana lencos a Keller & C Virginio, e o capital de 10:663 ^agoy^ para 0 qaa|
10 ditas macbinismo, 8 ditas acatos a uo- cn|ra 0 S0C|0 j^q j,,^ com 6 .-ooj, consistentes
minees Alves Matbeas. na rmacio, oteocilios, generf/s, dinbelro e dividas
1 dita phres, 6 ditas cbaralos, s dls,_00* do estabelecimenlo.
Rio de Janeiro, Santos e Montevideo.
Para condieces, retes e passageos trata-se na
agencia roa da Croi n. 55.
oratorios e imagens, 1 dita chapeo ocn"''
ditas e 86 Tardos panno de algodao, 200 moihos
plassab, 8 pipas e 5 barris biabo, 785 saceos U-
rinba de mandioca ; a ordem.
3'fardos fumo ; a Joaqun) Bernardo a > Hets.
7 ets charutos : a J. J Goncalves Be.trSo.
5 fardos fomo ; a Jos Antonio Pereira.
O distrato da sociedade de, Vaaoel Jos de Souia,
Boaventora Atevedo de Asdrade a Joaqaim da
Silva Castro, dissolveodo a arma de Souza Aodra-
de & C, por ter Qndado o praao de saa duracao,
fieando a cargo da rova Orna de Soma Aodrade
& C. o activo e passivo da exlincta sociedade.
O contrato de Manoe 1 tose de Sonta, Sevenno
Patacho ingles Sarna, viudo de Terra nova, 3,,^,,^ de Andrade e, Joa^ulro da SilTa CasUo, es
manlfestoa o segainte .
15C0 barricas bacalbo ; a Jonnston pater & L
4330 ditas dito ; a Saonder* Broters G.
tabelecidos aesu cidade sob a firma de Sju, Ao-
drade 4 C, com estabelcimento de fatenda?, e o
sin
anno para despejos, as qaaes rendem mensa!-
mente i 35^.
1 qaadro eom 7 casinhas sendo 6 de podra e cal
e 1 dejmadeira. na roa do Socego janlo a casa
do-Sr. T^urclo) com exceliente caefaiba e mais
100 palmos de terreno de frente e 100 de fondo, as
qaaes rendeo mensalmente 40J>.
Qalou-feira U comit.
m i.aI2?'m,'i1di, a* roa da Crar n.
oz, i aaiar, as u horas.
AVISOS DIVERSOS.
M
-Bro. SitaVE Stnoart, vido de Terra 'SSS VSLT 2 borS- *F,~**!* passaairos ^
,va, ma'uifestou p seguate : ___,_ __ |7*2reo?o KmU^l^, '^' S>V^^a^L^^J^.^>^\.n\
1616 barricas1 tacalbo ; a Saaaders Brotersj
& c
1015 ditas di^o^ a Jobiston I*** C. ^ Cos( esUbe|tciaos na caplta
viuda de Terra Nova, ^rma de Franejsca Coe|no da ,
Barca inglesa Miranda,
60
maDifestoa .
3,840 barricas baealho, 12 caius pene ; a O.
C. & G. C. Simpstn & C.
Brigae prossi.uo Yolligner, viudo de Lisboa,
manifestoa;
3,482 saceos farinha de trtgo ; a Amorim djrr- |
Patacho bolteinex Mano, vindo de Montevi-
deo, mantfestoa "
3,846 (juiotaes hespaohoes carne de xarqae,
COtros seceos ; a Pereira Garneiro & C.
_ Barca ingieta W#c\>f the Tagne, vioda de
Greenork, manifestoa:
114 toneladas carvio de podra, 103 barris pl-
vora ; i ordem.
1298 fcarricas cervejf, a Saonders Brothers
o p
10 oeixas obras de f-*rro ; a S. P. Jobnsiton 4 C
3 fardos estepa: a Simpson Brood & G
RECBBEUUR1A DE RENDAS IttTBttNA'
CERA ES.
Rendiaiento o dia l5.......... 7:758630
dem dodia6................. 3M80366
000*
O contrato de Francisco Coelbo da Fanseea,
'Francisco Goe.bo da Fooseca Jnior e Alberto Jis
do Ceara, sob a
Fooseca, Filbo di G,
COMPANHIA BKAS1LEIRA
M
Paquete a vapor
Dos portos d sol esperado
at o da 7 de dezembro o vapor
Cruzeiro do Sul, comrnandante
Alcoforado, o qnal depois da de-
mora do eostame seguir' para'
os-iros-^oe. 1
Desde j se recebem passageiros e epgaja-se a'
carga que o vapor poder condiuir a qaal dever!
ser embarcada n da da saa chegada, eacommen-
| das e diubiro a frete at ao da da sua sabida as
ana
roa da
Cros o. 57, primeiro andar, esenptorio de Anto-
nio Luis de Oiiveira Aievedo A G
I5E JT rVEIBIO
Pretende seguir com multa brevidade a barca
Despique 0, lera doas tercos de sea carrega-
mento a bordo para o resto que Ihe falta tratase
com os seos consignatarios Antonio Luir, de Ol-
?eifa Azevedo & C. ra da Crnt n. 57.
rara Lisboa
val sabrr com malta presteza a bem coobeclda
birea Uan : para carga trata-se com os consig-
natarios Carvaibo & Nogaetra, roa de Apollo na-
mero 20.
CONSn.AOO PROVINCIAL
Recdimeato do du
dem j Ji. 6 ..
S
15:584,5785
7:5i7650
3:103*433
MOYMITO 1)0 POETO
Ntivi<-c -mirados no da 6.
labia12 di>, ngoe brasileiro -infeliz, de 26o
lon^ladas, c .>i:. Jos Maria dos Saot.is, equi-
pagem 13, raiga 700 barricas cora fariuha de
trigo eoutros p oros ; a Amonio IrmSo.
Babia12 dias, brigue Inglez Mary Svott, de 244
toneladas, eaprtio William Gelchnt, equipagem
10, em la-tro a Wilson He.
GreenorkBarca ingleza Wetch of the Teign, de
255 tonelada-, rapito G. Ppperell, eqaipagem
10, carga ICO larris com plvora, carv.io e ou-
tros gfoeros; a Saonders Brothers & C.
New-Ca?tle50 das, trigue inglez Iris, de 237 t -
nelada, capito David Patterson, eqaipagem H,
carga carvo; a! ordem. Veio receber ordeus.
Japomim (em G >i-.n:i) 10 boras, vapor baaslleiro
Parah'jba, d 104 1 neladas, commandante Mtl-
lo, equipagern l'J, era lastro ; a' compauhia per-
nambucaua.
Otservagao.
Fandeou n lamarSo urna barca ioglea, mas
nao teve com:njcic.:jaocom a trra.
.DECLARARES.
Inspecc-Ho demande.
No dia 13 au correle, as 11 horas da manhaa,
bavera' inspeceo de saude na secretaria do com-
mando superior da guarda nacional desle- munici-
pio para ( Sr.-. ofBciaes e guardas que requere-
ram, e que foram deferidas suas pencos, bem eb
no pata o Sr. tenente-corooei commandante do
batalhc n. 23 da Victoria, o bacharel Pedro Beser-
ra Pereira de Araujo B?ltr3o, por assirn ter deter-
minado o Exm. Sr. presidente da provincia, em
cfficio com daia de 3 do corrente.
Secretaria do ermmando superior da guarda na-
cional Jo Recite 4 de dezembro de 1867.
O I.* secretario,
_______________Firmtno Jos de Oiiveira.
Pela recebedoria de rendas internas geraes
se faz pnbco, qne no corrente mez de dezembro
qoe os devedores das reas lancad.s relativas ao
exercicij correte de 186768, a saber : decima
addicinal das corporaces de mo mora, socieda-
des aoonymas e outras, imposto sobre lojas, casas
de descunto etc.. oito sobre casas de movis, roa-
pa etc., fabiicados em paiz estrangeiro e taxa dos
escravos (*endu esta at 16 do mesmo mei) teem
de paga-!as sera malta/finda que seja, terso de pa-
ga las com a malta de 6 porceoto em virlode da
circular n. 37 do ministerio da fazenda de 30 de
setembro ultimo : outrosim, que no mesmo mez
devem ser pagos os sjbredilus imposs e mais os
segnintes : renda dos proprios naeionaes e foro
de tfrrenos e de raarmbas pertencentes ao exerci-
cio de 18C6-I867 em liqnidaco, segaindo-se de-
pois a cehrao^ execotiva quaoto as rendas desle
exercicio.
Recebedoria de Pernamboco, 3 de dezembro de
1867.
O administrador,
Manoel Garneiro de Sooza Lacerda.
com estabelecimeolo de mercadonas estranieiras,
gneros do pas e coaimi-so-s de qaalqaer aata-
reza, e o capital de 15i:O.h5 fornecido pelo pri-
meiro socio em fazendas, gneros e letras a
vencer.
O contrato de Aodr Luiz Delooehe e Pedro Bru-
no Saopiquet, establecidos nesta cidade sob a Ar-
ma de Deloacbe & Saopiquet, com fabricas de rbo
coiate e marcenarla, e o capital de 25:047*, para
o qaal entra o socio Delouche com 19 647*, valor
da fabrica, fieando porm o mesmo De'oucbe res-
ponsavel pelo dehito de 18:200*970, e o socio Sao-
piquet (' m 5:400* em diobeiro.
Secretaria, 30 de novembro de 1867.
O offlmi-malor,
_____________Julio Guimaraes.
Pela mesma secretaria se faz publico qne em
22 do correte foram registrados a carta imperial
de aut Tisagao e os estatotos da compaohla de se-
garos Nortbero Assurance & V., >ju- foram publi-
cados no Jornal do Rtcife, de eooformidade com o
qoe dispSe o | ^ do art. 13 do decreto o. 2,711 de
19 de dezembro de 1860.
10:938*996 O .>fB>l maior,
Julio Guimaraes.
Tribunal do commerelo.
Nesta data f >i admittid a' matricula o Sr. Beato
Joaquim de Medeiros, c&mmerciante portuguez,es-
tablecido com casa de coma relo em eros.-o e a
retalho, em Jaragu, provincia das Alagas.
Na mesma data 6ca registrada a escriptora de
contrato ante-nupcial celebrado entra Francisco
Eognio Muniz e D. Antonia Francisca Wanderley
Lins, com a condigao de Bao entrarera em c mmn
uhiio os bens de ambos, qu r os adquiridos antes
' vjo Secretarla, 6 de dezembro de 1867.
official-malor,
____________________Julio GuiattrSes.
O Illm. Sr. inspector da tbesouraria de fa-
zenda desta provincia manda fazer publico que ti-
ca marcado o da 27 de Janeiro prximo vlndonro
para o concurso a que se lera de proceder nesta
tbesouraria para preenchimento das vagas de pra-
ticaites existentes nesta reparticSo. Os exames
versarlo sobre as materias segu!otes : leltora, aoa-
lyse grammatteal e ortnographia, arithmetica e snas
applcagoes ao commercio com especialidade re-
doc?.o de iRoedas, pesos e medidas, clculos de
descont, jaros simples e compostos, tbecria de
cambios e soas appllcagfies.
Os concurrentes devero previamente apresentar
seas requenmeotos instruidos de documentos qne
provena idade completa de dezoito annns, iseogo
de pena e colpa e bom procdimeato, na forma do
art. 3o do decreto n. 2,349 de 14 de margo de
1860.
Secretaria da tbesouraria de fazenda de Per-
nambuco, em 6 de dezembro de 1867.
Servir.do de official-maior,
Manuel Jos Pinto.
O Illm. Sr.Inspector da tbesouraria de fazen
da d'-sta provincia manda fazer publico que fica
marcado o dia 13 de Janeiro prximo viodouro
para o concurso que se tem de abrir nesta thesou
raria para preenchimento das vagas de terceiros
escrlp'.urarios da raesma. Os exames versaro so-
bre as materias segrales : thecria da escriptura-
cao mercantil por partidas simples e dobradas e
suas applieacSes ao commercio e ao tbesouro, tn-
duccao correcta das linguas ingleza e franceza 00
pelo menos da altir/a, principios geraes de geo-
grathia e historia do Brasil, algebra at equacSes
do segundo grao e pratica do servico da repartlgo
em qoe o empregado tstiver servinco.
Secretaria da tbesouraria de fazeeda de Per-
cair-boco, em 6 de d'.ztmbro de 1867.
S'.rvindo de offlwal maior,
Man el Jos Pinto.
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
ceiPAseA
Por o

DB
Paquetes a vapor
Dos portos do norte espera-
Pretende seguir com a maior brevidade possivel
a barea portngaeza Clautna, por ter a maior par-
te do seo carrosamente engajado : para o resto e
passageiros, aos qaaes olferece excelleotes com-
modos, trata se cjm Caaba Irmaos <& G., a' ma da
Madre de Dos n. 34, oq aom o capitio a bordo.
Rio-Gfrande do Sul.
O escrvo da irmandade de Nossa Senho-
ra da Conceifao da igreja da CongregacSo.
para cumprir o artigo 48 do compromisso
da mesma irmandade, avisa aos irmaos da
O agente Pestaa fara1 leilao para liquidar e
sem reserva alguma de 120 caixas eom sabo
massa no dia cima mencionado as 11 horas da
manhaa no Aunes.___________
Da casa terrea na Soledade roa de Joao Feraandes' mesma irmandade para reiiDrem-se no con-
vieira n. Si cora 58 palmos de frente 116 d' gisiorio da referida igreja no domingo 8 do
tundo, 4 janalUs e 1 porta de frente, 4 salas, P(,rrt>nt mfiJ 4, nnv hnra<5 rln rlia riara n
2c parte do sitio morado, porto, baixa de capim meza 8eral eleperem a nova mesa que tem
e 2 cacimbas. de funecionar no futuro aano de 1868.
Terca-feira 10 de dezembro as 11 --------s:-----------1tt~zK l
Furtaram do Club Pernanabncano
horas em pooto.
n.38.



De um xcelleate terrenu perto
da e:da1e.
Terfa-feira 10 de dezembro.
O agente Pinto levara' a leilSo precedida a com-
petente autorisaeSo, um exceliente terreno com
; 200 palmos de frente na estrada do Mangulnho e
! 325 de fundo na da Pa sagem da Magdalena, a 1-
. I mitar com o sitio da capelilnha, assim como 160
do at odia 10 de dezembro o prS^Vrnand" ^romR^^-fftao,i',tmi cora a freD,e para Estancia.
v,nr VarA ,a.i- i rraQcisco reroanaes, segu com brevidade por hvflnio oranda nlantapSndfl <>.inim ; m.ii.n
P..r intervengo do agente Pinto a roa da Cruz nina escada de thesoura com pingos de cal,
quem a restituir ou der noticia a onde so
acha ser gratificado.
Photogr, phia artstica'ame-
ricana.
osp9rtos do sol.
P>ecebem-se desde
vapor Paran, comrnandante
o capitao de fragata Santa
Barbara, o qoal depois da de
mora do costume seguir' para
j passageiros e eogaa-se a
ter parte da orga contratada. Para a
filia trata-se com Miguel Jos Alves, n. 19,'roa da
Crar. ______
Illia de S- Miguel.
Para o porto cima segu o patacho portuguez
Pr 1 haven 11 grande plantado de canira, 2 meia-aguas
91 de pedra e cal co 1 rendimento i* 600,5 annoaes.
carga que o vapor poder conduzir a qoal devora' I jorgense de primelra mareha, para carga e pas
ser embarcada no dia de saa chegada, encomraen-
das e dinhelro a frete at o dia da sahida as 2 ho-
ras. Previne-se aos Srs. passageiros qoe suas
passagens s se recebem nesia agencia roa da
Cruz n. 57, andar, escriptorio de Aotonio Luiz
de Oiiveira Azevedo & C
Val
Para Lisboa.
sabir com brevidade a barca
sageiros trata-se com o consignatario Joao do ne-
g Lima, roa do Apollo n. 4.
Segu com a possivel presteza o veleiro patacho
Volante, por ter aaaior par e da carga engajada,
raUdao por ter parte da saa carga probpU ; pa- rP"""liqvUfl,a^!*n,^de a*,n,U-tr : ,r*""M "*
ra o restante e passageiros trata se com Oiiveira sPpcl>vocoBs,goalar.o AoIob.o
Fil-hs C, largo do Corpo Santo n. 19 ou com o
O leilao sera' efl:ctaado as 11 horas do dia cima
dito em o escriptorio do mesmo agente roa da
Cruz o. 38, onde poderao os prelendentes oblar
qoalqoer informacaj a respeito.
capitao na praca.
fcQftriUQj QMI-
l'.elac.i u..s cartas registradas existentes na adnii-
nistracu do correio de-ta cidade para os cubo-
res ana 1x0 declarados :
Alcoforado & Irmao, Dr. Aatooio Ferreira Mar-
tios Ribeirc, Dr. Antonio Joaqom Ribas Jnior,
Antonio Pues Ferreira, Br. Antonio Ramiro da
Si,va, Candido J.s Coelbo de Moura, Francisco
'.tolo de AlboqnerqoaMello, Joaquim Aatooio
< irreia Ntgrio (Peroaodi), Dr. Joaquim Lopes
I, bao, Joaqaim da S Leito, Joao Antonio Gomes
1. maraes, Dr. Joao Jos Pinto Juni.r, Jos Dot
1. ngoes dos Santos, Jos Ge mano Maogahelra Ju-
i >t, D. Mana Ttieodora de Vasconcellos Carxals
(Villa Bella), D. Mariana Ribeiro da Lapa, Halhias
L-^es-da Costa Mata, Maooei Jos Manobo, Placi-
do de Pinhj Pessoa.Thom Lopes de Senna, Vic-
tjr Accioiy Wanderley.
Por esUsubdelejiaeia se faz publico qoe se
aeha em deposito nm ravalio rujo rodado, grande,
int-iro e bem carnujo, eom marcas de seiiim no
esp'abaco, cujo eavallo appartcera sam dono no
en.Loobo Peres com o^n pedaco de corda ao pesco-
co : qaem fjr sea doao compares, que provando.
ibe sera* entregue.
Subdelegada do districto do Peres 4 de dzero-
bro de 1867.
O subdelegado,
Jos Maria de. Alboqoerqoe Lias.
Fiscalisaeo da fregsna de~San1o
Antonio do Recife.
u abalxo assigoado, pelo presente, faz certo a
lo Jos os m radores da Iregaezla do Saotlssimo Sa-
cramento de Santo Antonio desta cidade, que lera
nesta data reassuo Ido o exercicio de fiscal da me;-
i.a ff.eguezia, qoe bavia deixado temporariamente
por ter marchado para o campo da guerra, cootra
o traidor 4o Paraguay Francisco Solano Lpez, do
qual por eacommodo de anide se retirou.
Pede neis aos qoe isto interesar, qae teoham
todo o cunado 00 quanto dlsvde os artlgos das
postura municipaes, para que ao cammatum a
men r Inrraccao, por qoe o derer de empregado
panuco, Ihe manda telar ao aea cnmprimeato, qu" patsa a fater com tsda a restrieelor)
E declara fioajoseala aua contina *axidir do
mesmo sobrado qoe rezidia antes de Ir para o Pa-
GOMPANIIIA PERNAMBGANA
DE
\avegaco costeira por vapor.
Macei e escaias Penedo e Aracaju'.
Segu no dia 14 do
corrente as 5 toras da
tarde o vapor Potcngi,
comrnandante Pereira Re-
cebe carga at o dia 13
as 2 boras; encommeo-
mendas, dinheiro a frete
e pa^geims at a 2 horas do dia da sabida -, es-
criptorio no Forte do Matos n. 1.
de Alraeida Go-
mes, a' roa da Cruz a. 23, 1* andar.
Bahia
Pretende segofr com brevidade a sumaca JJor-
lencia, por ter parte do sea carregamenlo engaja-
do, para o resto qoe Ihe falta trata-se cora os con-
signatarios Antonio Luiz.de Oiiveira Azevedo & C,
roa da Cruz n. 57.
LEILOES.
LEILAO
Da armada, fazeadas, miulezas e gneros
que fizeram parte da massa fallida de
0 agente Pontual, competentemente autorisado
ven jera em leilioos predio segointes :
1 casa terrea sita a ra do Hospicio n. 7, a qaal
i rende mensalmente 25$, e tem os co-nmodos se-
| guintes : duas grandes salas, um gabinete, 4 quar-
1 tos, cosinba tora, quintal murado, teodo SO pal-
I mos de faodo e cacimba meeirs.
3 casas terreas sitas no fondo da rasa cima
(rendendo cada ana iOi mausans) com os om-
inlos seguintes : 2 salas, 2 qoartos e cosieba,
tendj de largura 20 palmos de frente 50 de fu-
do e mais 20 palmos de terreno na frente de cada
'.orea das casas.
1 sobrado na roa de S Bonn n. 40 (em Olinda)
todo reediQ-ado de aovo, o qual t-m commodos
' mais que snfflciente para urna numerosa familia e
grande quintal com arvore< fructferas.
i qaadro oom 27 casinhas de pedra e cal no
Campo Verde e tendo no ceotro do qaadro urna
grande cacimba e u < fundos das ditas casas ora
Br do 'mperadt>r n 38.
Leo Ciiapen, participa a todas as pes-
soas de sua amisade, bem como a todos os
seos conhrcidos, e mais pessoas qoe teem
retratos em seu poder, que de boje em
diaate pode ser procurado na ra do Impe-
rador ds. 38 e 40.
Na fabrica de viobos naciooaes da roa das
Cinco-Postas, comprase as segoiotes fractas, a
saber: caj, janipapo eabacaxi; seodo todas ellas
maduras nos ps : as pessoas qae liverern estas
fractas para veoder, dinja-se a mesma ra
defronte daestaco n. 144. Na mesma casa ven-
de-se os vialios das ditas fractai pelos segnintes
oreos:
Urna pipa d vinho de caj............. 2504000
Um barril de dito de,dito, sendo quinto.. 334000
Urna duzii de garrafas com seus rotlos. 104000
Urna cana 11 do dito de dito............ 44000
Urna dalia de garrafas de dito de janipapo 144030
Urna garrafa da dito de dito........... 1*500
Urna ozia de garrafas de dito de abacaxi 244000
Urna garrafa de dito de dito........... 24300
Sendo todos estes vinhos propnes para uso das
comidas saudaveis por saa oalureza, de presu-
mir que todas as pessoas qoe flzerem uso delles.se
convecerao das vanUgeos que date resultar, por
nao couter vicio algura eom saceede com maior
parte desle que abuada no oosso commercio, e
tanto mais quaodo ja foram examinados e premia-
dos p de 1866.
Sitio para alagar
Alttga-se por prreo commodo ora sitio em Henifi-
ca, contiguo ao do Sr. Chrlstlaoi, defronte do rio
Capibaribe, e portao para a estrada: a tratar na
ra da Cadeia 0. 4.
Prec'sa se de um criado ou de um escravo: a
fallar na segunda casa antes fie ebegar ao ultimo
lampe.o da ra u'Aurora.
de -Medicina, empresa do no
hospltaes de Paria.
Approado pela facnldade
de medicina, empreenda na
kaspIUtea de Parla.
ELIXIR DO Da
Occupa o primaba lugar entre es prepararles ferruginosas as mais assimilaveis. O Elixir do aV TIIEKHES empregado dinriamente nos hospitas de Pars e principalmente ao
Htel-Dieu (servigo da Faculdade de Medicina de Pars). Administra se com o maior xito as doenc;is de eonsuaaiprtto resultantes da cxkaasiatfao da aangae, chlo
rois ou e6reN_palliIs. flores branca*, anemia depois das hemorrhagias, ou durante as convalescencias de Tebres perniciosas, uiT<>caeos.epalpitaeoa) aas mul-
heres pojadas. Nao menos eficaz contra o raililtismn o obra poderosamente para os homens cujas forcas estam esgotadas pelos trabalhos intellectues, abusos de todos os gneros, etc.
Tonia-ae cana a doala de ama collierlnna depala de cada reiVIcaa.
Deposito geral na pharmacia, ra Reaumur 43 e em casa de E. GALLOIS, pharmaceutico do S. M. Imperador, place Vendme, 2, em Paria.
Bcpaalto em PEBHAHBVCO, P. MAURER w O, e em toda as Pharmacias no Braxil.
A LEGITIMA
MIS1PA1IL1
Pela secretaria da Santa C^a da Misericordia
do Recife sao convidados os senhores-propietarios
dos predios abalxo declarados, eojos terrenos per
tenceram ootr'ora ao Sr. Francisco Lins Paes Bar-
reto e sua rnalher e por elles dcados a Santa Casa,
para que omparecam a esia secretaria, afim de
psgarem os foros que se achara a dever, e assigna-
rem o respectivo -termo> reconhecendo a mesma
Santa Casa como seobor do dominio directo de di-
tos terrenos.
Roa da Roda.
Casa terrea n. il.~Antonia Ferreira Braga,
dem idem n. 15 J>s Leopoldo da Silva.
Sobrado n. 17. -D. Emrila Carolina Madeira Fer-
reira.
Casa terrea n. 19.Caplto Martins (morador em
Beberibe)
dem idem o. 21.Joaquim Pacheco da Silva,
dem Idem n. 53.Antonio dos Santos Viefra.
dem idem n. 25.Ignacio de Sa' Lopes Feraan-
des.
dem idem n. 27.Flix Antonio Alves Mascare
nbas.
dem idem n. 31.Miguel Joaquim da Costa.
Id*m idem n. 33.Bernardo Alves Plnbefro.
ldum dem o. 33.Maria Francisca da Cjnceico
e Silva.
Sobrado n. 39.H^rdeiros de D. Joaquina Maria
Pereira Vianoa.
Casa terrea n. 41.Paulo Marques e Antonio Fran-
j cisco Macota.
dem idem n. 43.-Filbos de Jos Rodrlgnes dos
Passos.
Sobrado o. 47. Dr. Bernardo Pereira do Carmo
Jnior,
dem idem n. 4.Mosteiro de S. Beoto.
dem Idem o. 6.dem idem.
dem idem n. 8.Irmandade do Santlssime Sacra-
mento de Santo Antonio.
Tdeavldero o. 10. -dem idem.
dem iem n. 12.-Mem idem.
dem Id-m B. 18.Bernardo Alves Pinbeiro e b-
itos.
id>m idem n. !0.Anna Tbereza do SacrameaK).
dem'Idem o. !*Sabino da Cuaba Fragoso.
ITem idem n. 2(5.Antonio Perreira Braga.
Idem idem n. 28.Irmandade das almas de Santo
Antonio.
ld> m idem n. 36. Joanna Maria dos Santos Mo
raes.
Idem i4em a. 32.-Dr. Antonio Joaquim de Ma-
raw Silva,
dem idem n. 34:Manoel Jos do Amaral.
Ildem ideo n. 38.Tutor de Francisco Goncalves
da Rocha.
Casa terrea b. 50,^-0*, mwmos.
dem idem a. SIDr. Jo*o Capistrano Bandelra
de Mello,
dem Id -ra B. 4.-Lniz Jos da Costa Amorim
dem Idem 0. W.Jos do Reg Pacheco.
dem idem n. 88. -* Barlholmeu Franelsco de
Sooza.
Idem idem n. 60.--0 mesmo.
dem idem'ni 62.Manoel Gomes Vlegas.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, 9 de novumbro"Je ifloV.
O escrivao,
Pfro Rodrigues it Sttua.
0
P1ICM

DO SAKGUE.
DE BRISTOL.
Esta exceliente e admiravel medicim preparada de ama marjeira a mais scien
tiGca por chimicose droguistas moito doctos e de urna instrucao profunda, tendo tido
muitos annos de experieacia.
i

,

A SALSA PAP.KILh DE BIUSTL
ama medicina segura e digna de toda a confianca, conbecida e receifada pelos mediros
os mais sabios e entendidos neste itoperb, durante o espado de tres annos, e nunca falta
em produzir o desojado effeito.

A SALSA PAllMLIIA DE BRISTOI.
PREPARADA MCAMENTE POR
LAMAN & KflIF,
NOVA YORK. A SAIiSA PARRIOIA 13 Ola*


*
Entre as nnmerosas pravas do prande rxcreeimeritc da legitima, prepsrada por
Laoman e Kemp, de Nova York, nao a mais fraca o facto que tem producido tan as
imitacoes e falsificarles fraadoentas.

C^TIMIIMEIWE

APPAalECEM
E' muito natoral qae aquelles que se acbam occopados em preparar e vender as
sais mistaras em- garrafas pequeas murmurem e griten! contra os frascos grandes, os'
quaes contm em si tres vezes mais do extracto puro do qoe qualquer ama dessas outras
preparacoes neste meroado.
DE BRISTOL.
PREPARABA USKAMHTE POR
LAAMANaiKEMP,
NOVA YORK.



NOVOS


TESTEUniXnOS


I
tio'do extracto purissimo, como nanea foi offerecide

da legitima
SALSA PABWIHA


BRISTOL

ajajaaaaaaaa^
Os dotintes devera* ter bem o cuidado
de obterem a gemina e nica legitima
salsa parrilba de Bristol, a qual preparada
Por ./;
LANMAN E KEMP
A SALSA PIRRILUi BE BRISTOJL
bfoi estabelecida no anno de 1832.
No anno de 1848 o proprietario adoptou, com granie saerfficio seo.garrafas maio-
rei, sendo agora de qaarlo, offereceDda deste modu aos con$omdores urna maior por-

A NICA LEGITIMA



E'
SALSA PARRiLHA DE BRISTOL
PREPARADA POR



11
DB
-
NEW-YORK,
Cautela contraas no^as salsas parriliuis deBi
VA l.

s^lo peKiuciosas.
Nao bastam os elogios para justificar o ufo de,aa remedio, ae^cassario que, o raesmo,. mediante urna experiec
oi- a
iej
ESCRFULAS
CHACEAS ARTIGAS
Ulceras
F trida a ulcerosas
Tumores
Herpes
Erupces
Lepra
Debtdade geral
fheumatismo

i
.
..'JB' -
Salsugem
i
F&res mtdigitas ebelt'osas
tmpigens
Ftbres intermitente*
Xervotidades
k SMjSA fAUKILHA MitlHIvi
DeLanman eKcmp
NIW-YOML
E'AMBLHOR
A MAIS FORTE
E A alaS BARATA

.Em frascos grandes,
. enca de tanis'aunos e o tetemanbo dos scieotificos, t^sba
adquirido urna wt-tima. e incontestavel popularidade. A.slaa parrijba de Bristol ue-Lininaa e Kemp tem protadu a sua eificaoia pelo curso de 34 annos, e durante e eapaco
de 34 aaaoa lea aida racaad patos priroeiros mdicos no impeo do fipaal, i>8d3naiotraspreparac5es^n*pirar a mesma wnSaoca.
Vende-se em Pernambuco em casa de A. Caors, i. da G. Bravo e P. Maurer A C.
| ILEGlVH 1

A


a
-------

ESPECIAL HOMEOPATHICA


00
OOUTOR SABINO 0. L. PIHHO
HITA \OVl >. aW.
RE5TAUR&HT A LA CARTE
Entrada gcral rdttJargrdo B** 37
eatrefta _*il*-arla_. 4
e para familias rna
A.
Francisco Garrid ^Hefrnac-, prjprieiahos desin pande -estabelecimeoto com a cbegida da
Europa do primeiro, lem y prazer de unuucur aos ens amigos a tr*^aeie, quo se cha outra vez
no mesmo esiabelecimeuto abcioso por ver todos os seos parocbianos, tauto da praga como do aato e
de outra tirovinci as. Os propn-rari tem eito iodo o posivel pari satlvfazer a sua Ilustre eoncor-
* *- a t r-_ raoeia. Os hospedes adiarao loiacivmmodidaae de grandes salase assehaJr qaUrts por precos ra-
Nesta importante esUbelecimento se acba Posto que, na segunda edicto do Tne-, umis.
todo O que O necessaFlO para a pratica da souro homeopathlco on Vademe- Ha.saJapara leitorade-joroies nacionaese estrangeiros.na mesma sala ba um magifiw piano
bmeotHthia. cuara do homcopatba, pagina 677, se, Pn recreio. d ...
Medicamentos em glbulos e em tratom, ache indicado o _e**de usar d'esae preer- rf^XS^^t^^^^^
preparados com a mais escrupulosa exacti- vativo, com tudo conven repiti-Io com al- A Bolle b% ggrvete 0 refrescos; caf, cha e chocolate a toda a hora.
dO por _eiu de machinas especiaes. guns esclareCimentOS maiS. Tem de' mogno os bilhares, cobres e-ivtrtimeDtpis dosreis e ouM* jogos. Fat|a-se Ivtspanhol,
SCarteirasportatei-, conten*) os principias Para urna famiiia dissolvem-se 20 glo- Iranee, ,uiiaao e inglez.
medicamentos em glbulos 105, 20*. bulos em urna garrafa-oa dous f^a.P*
30)5, 403, 505 e w, [conforme a quanti-, d*agua puta, vascoleja-se bem, e d-se a; ^
-dade e tubos. cada pessoa urna colherada pela manna", ou-
Caixa de medicamentos m glbulos e tra ao -meio dia e outra a noite, durante
de &0# 100,5, 120)5 e 150)9 tres oa cinco dias consecutivos. Deixam-se
o estabelt cimento veudm-se libras slerli'nas e coopram-se oncas bes-
CONSULTORIO HOMEOPATHIGO.
que volte-se a usa-lo do molo ensiuado.
A garrafa deveser nova emoito beta l
da, urimeirocom agua quente e depois com
em tintaras-------_,------
rs secundo o numero dos vidros e de tu- passar outros tantos das sem nada tomar,
bJs, ,udos os quaes, repete-se o remedia da
(Estas cakaS s5o mol uteis aos mdicos, mesma maneira ; e assim se continuar
enflores de engenhos, chefes de grandes em quanto durar a epidemia.
familifs, capules de navios, eem geral (As creaBcas at a dade de 3 anaos to-
tolos que se quizerem dedicar pratica da | marao o remedio as colberrabas).
aomeopatbta.) Si a epidemia estiver muito forte, ou, si
Cada tubo avulso custa.......IdOWnacasihooverem bexiguentos, deve o reme-
Cada vidro de meia 005a de tintura. 25000 dio ser tomado todos os dias sem interrup-
Vendem-se glbulos inertes, tubos vastos, $0, at que a cousa memore; depois do
vidros para a preparacSo das dses, etc. etc.
Escovas elctricas para tratamento das
molestias nervosas, principalmente para as
clores de cabe5a.
Apparelhos de lavar os olhos no trata-
ment dis opbtalmias.
Apparelhos de injeceo para o tratamen-
to de certas molestias das mulheres.
Cha preto e verde de exellente quali-
dade para uso dos enfermos.
Veude-e igualmente o Thesooro tao-
meopathieo ou Vadc-meciim do
homeo]a indispensavel todas as familias, pela clare-
za, com q ie ensina a empregar a nova me-
dicina), prero 20^.
(Em p<#$Bes de 80 exemplares faz se o
abate de 15 por cento.)
-
I
k
O aballo asslgojtdjp. representan* dtf)ROtECl0rM DAS FAMILIAS, assoeiaelo brasllelra da
Segaro-valno sobre vid, aatonsada por decreto irr.perial d 13 dejonbo de ,864, c gerlda pelo banco
Kural H/PoMwcarto da corta, tem a bonra de chantar a aiieoco de V S. oara o regolameato, inserido
neste Dtart^'1 de 25 e 26 d correle coja leilora e estado orieosra a V. S. sobre as ra^ageos qoe tal
institoico oiferece as dnas.granfes oper?6>s que ella lem por flma creaciode capiues e a crea-
cao de renda (Art. 2* do regolamento), as quaea poden sor ejecutadas separada os simaltaneamen.e.
A creag' de capital o tem-se pelo augmente progressivo do jaro qoe elle prodar, aoccesslva-
mente rapltalisado, e pela addi;ao das quotas da beraaoa correspoadeMe aos capilaes do contratos, ca-
jos segorados fallor.f rea soles do seo praie.
As contribni(oe de-tlwdas a lormago de capital ou a de renda, poden ser feitas por orna s
vet (qnieas), oo por prest*c5d5 annbae igaaes (naouidaes). Af t. 4.'
A.segofnte tabella ra tstra os resultados provaveisqae -*e consegue (atondo entradas aunaes
delOOjOOO.
Segundo esses calclos aqneiles resaltados aagmentao de 30 a 35 por 1% qaando a entrada, em
vez de anoaal, feita de ama vez.

A garrafa deveser nova emoito beta lava- &
_, primeirocom agua quente e d-epois com ^^ ^
agua fria. (No caso de o5o haver garrafa ou (i^ respectivos professores pessoas
vidro novo, poder servir urna garrafa de vi- ^ bem firmaJ(> ne8ta ci^e.
l\0SS4 SEINH04D4 t
Para ediitavio do sexo inasfnllno
Director Manoel AWes Vianna
O collegio da Conceicjo, mudado ltimamente para o bairro de Santo Aa-
tonio, ra de S. Francisco, casa n. 72, contigua eshejo central dos trilhos
urbanos dos Apipucos, conoa a funecionar regularmente, recebendo alum-
i ^^5 preparatorios necessarios matricula de qualquer faculdade, sendo os seus &&
1 ^r&-:> ^____..-a!-..-.. t. f .^ t^ ., .-,- r,t* i\ r nrn 11 (?-1 rl T l> i\ .Ir. n *** >Ani>^!lA mimolrll IS -1
ffi
moralisadas e de um concito magistral j
0 director deste novo^ollegio contiuuando a empregar toda a solicitude no
$|?| desempenho de seu mandato, espera fazer-se mais digno da conflanca com SjjSj
^^ qoe o v5o honrando os senhores pais de familia, conflando-lhe bondosamente p^
lade.
Por cabeca de 1 criaaea da I 01a a i anuo
d 1 a 2 anoos
oe 2 a 3
de 3 a 4
de 4 a 15
ima pessoa de 15 a 20 >
de 20 a 30
> de 30 a 40
1 de 40 a 50
Ka 5 anuos
1:100*000
r 900{l)00
86* IX m
861*000
860000
860*0 0
860*0u0j
8605000
Emilia*
9:000*
7:o(J0*
7:200*
ftOjOdO 7:0001
7.0011*
7:00*
7:100*
7:500*
Jim l asnos
4:0005000
3:000*001
2:UO0500if
2:800*000
2:700*000
2:700*000
2:700*000
90OA00O: 3:0OOToD0
a'20aalai3ai
20:000*
f 7:000*
16:0 15:5-104
15.5004
15:400*
15:600*
16:0i 1(>*
!S:0ti0>
47:000*
37:000*
33:000*
34.0004
33:300*
31:300*
3%:OO0f
37.0004
50:0004
a saber
Urna cootribuico nica do 2.500*000 por qualquer numere de quinqoeonios cusa 2:628*500
ConlrinuiQo........ .
Connnlsfo de 5 por 'i.sobre 2:500*000 .
Apolu*......... .
Sello a fazenda nacional. .
Rs.
2:500*30
125*090 (art. 62)
1*000
2*5X0-
2:628,150$
E mais 1 por |. sobre 2:300*C00 por cada mez decorrMo desde o 1* de jslbo* de 1865, na tor-
i&
s
os seus filhos.
Os estatutos do collegio, assim como o franco ngresso
em todas as soas
ide pendencias, estao sempre a dispositjao de quera possa interessar.

oho ou de agurdente, com tanto qoe seja
muito bem lavada com aguas quentes e
fras.)
Para urna s pessoa basta dissolver 6 gl-
bulos de vacuna em 2 oncas d'agua, e d'abi
tomar as colheradas como j ficam indi-
Nao pre;isa grande dieta. Abstenbam-se ^^l^S^fefel M$. l##W|ip|S* W
do cha e do caf fortes, do abuso das bebi-\ ^to!Mm9W.WWm*W1iMqm ^"^H^WW^^I^^S^W p
das espirituosas, das comidas gordurosas t
e muito adubadas Eis aqui apenas o que w
exige.
;*^. ma do art. 13 do reguumento.
PLUMERA CEL1N0S.
(C0NTKA A MORDEDURA DE COBRAS)
Este medioamento gosa de muito bons
O Dr. Sabino 0. L. Pinho d consultas crditos contra o veneno das cobras e de ou-
As visitas aos enfermos s3o feitas das2 pessoal de facto algum que o autonse a
horas em (fiante ; mas em caso de neeessi-' afirmar soa eficacia; mas sabendo que no
dade as vi tas poderSo ser feitas a qual- Rio de Janeiro e em S. Paulo elle tidoco-
quer hora.
Para que as visitas possam ser regulares
mo muito poderoso, manduu-o vir para ex-
perimentar.
cumpre que os d mentes ou os seus enfer- Algumas pessoas do centro d'esta provm-
meiros mandem dar parte do seu estado, cia e da daParahyba tem escripto ao Dr.
todos os dias al o meio dia as molestias Sabino, dizendo ser incontestavel o mrito
a^udns; e de 5 em 5 dias as molestias da plumera no tratamento das mordeduras
ebronicas.
As consultasescriptasso respondidas mais
das cobras.
Emprega-se a plumera celinos interna e
menos prnmptamente, segn lo as externamente, da maneira s guinte :
necesidades da molestia e a distancia em Uso interno Nos casos menos graves
queseacha odoente, pois que neste caso dissolve-se urna ou duas g tas de tintura
faz-se preciso indicar de urna s vez ludo em duas oncas d'agua, e d-se ao mordido
o qoe convicr ao restabelecimento da sade. urna colberada de hora em hora.
As reiribuiges sero pagas na mesma con-
formidade.
O Dr. Sabino roga a todas as pessoas, que
Nos casos mais graves dissovem-se seis
gotlas em quatro onfas d'agua pura para
dar-se urna colberada oe meia em meia hora.
costumam consultado por escripia, que or-'de 15 em 15 minutes, e at de 5 em b mi-
dencm aos s^us portadores a prompta eutre- utos (segundo aforca do veneno inoculado
gadesuas cartas, visto que, eniregando-as ou intensidade dos symptomas manifestados.)
do R:-cife, mpossivel responde-las satisfac- gradualmente os intervallos de urna dse a
ULULAS de BLANCARD
MBixTo n ru naiTnavax
Approvadas pela Academia de Medecina de Paria
AfTOaJKAI imo NHUO UKU M U-MtOll MO
|nmnnnuluios nosn-us de ntmgk, da hlica, da iulauda, na td>via, rrc.
Jffa*eww ntu Expotifoii Vnittrfait t Nta-York, 1853, ttPmr, 1151.
Estu Pflato eBTolrtda> 'aini carnada reslno-b TUUf em de seren taalterareb, m tabor, de am pequeo toluote, e de d c*nrtai m
orjjs dliestitot. Goiando dai propriedadea do Iodo e dolEaio; ella coaita princi-
palmente as aOeccoes Cklorotictu, Bttrofuto$ai, tulerruloitu, CancrsM*, na Utuarrhm,
amtnerrkta, anemia, etc.; enflr, ellas offereeen at pnlleos urna medicacio dn mala
;icaa para modificar u coutltaifoes tjmph+ihai, fretmt va debilitada.
N. P O iodun.1 ferro Impar* o aluno* um edica-
mento infiel, irritante. Com* prora d pureza de iQlhmddade dai
reradelrat Ptlula* de BlaneiM, dee -te exigir nota* aeila ata
srala reactiva t nossi irm, aqui reprodujida,queieaehsna parta
inferior da na roalo verte. Dt* -ta datoonfiar daa hUiactala.
Aekana -ae eaa todla a* PUnrmaela. narOMMvalka, raa Beu+parU, M. ferii
A mesma coLlribuico do 2:500*000, seodo pag*a em preslar;5es anouaes cusa os aaesmos
2:628* 00, s-ndo pa^as uo acto da 1" prestaco as despezas-de Besto, e nos anne. seguate a acnai-
dade slmple$meote.
B neste caso a multa de 1 i. ao mez coota-se so mente sobre a 1* aonoida guintes realifarse em dezembro dos anuos consecutivos.
A creaco de reodas opera se depositando oa associacrw por urna s vez, oo lambern por aaiBui-
dades, qnantias que accumuladas prodczam, de cexto lempo 8 aliante, e oepois auraaraesMo. orna
renda.
E esta operaco vem em,auxilio tambera da firroacio de eapUaes, acerca da qoal muitw eon-
triboinies be precccopaai, t'-m-nd oo poder continuar por am Urg<) prazt o paga ueuto de anuoida-
dcs precias para que os seu beneficiados venbam a aicaDear um bom capital.
Mas tal pretcupaeao, ou diCBculdade, desparece desde que o contribuinte poder s*egarar,
sem depodeDcia da sua vi4a, o pagamento das 5 primeiras acnujlale?, e Q'.er tattbem um coolrato
de renda, qoe de-Je a liquidaca i do 1* quinquenio prover, por demais, ao pagamento das aoouida-
des a que esl obrlgado o coDtrato de capital. Com endito, ligare ^!,, por exemplo, nm eonlralo da
2:500* para ereacao de capital por mel de prestatoes aonoaes de 100*.
Para satisfazer as primeiras 5 anouidadas lanzara' o contriliainte mo do um mel qoe nao ra-
lbe, anda por sna marte, quo just mente quando o seu beneficiado raai* precisa de recorsos
E para egurar no futuro as 20 seguimos ancuidades instituir um ooiro contrato de l:9MfOM
pagavel em 5 aouoidades de 300*, 'jue, permaoecendo conslanlemente na A.-Sociacio, prodaxira. des-
de a 1' liquidaco, qoe ba de ler logar no correr do 6* auno, e cJDlorme oscilemos do Banco Uoiao,
e o prospecto da Compsnhia Tutelar, urna rend auuual de 400*, equivalente ao jualroplo do Valor
da anDUidade que se toa u para base do contrato de creajo de capital.
O desedibulso a i ITcCtuar ser, pola, o segolnte :
Para o coDtralo de capital de 2:o00*l0
l. aunuidaJe..........K*r00
Commisso de 5 por'[. sobre 2:500*000 125301)
toriamente.
MEDICAMENTOS PRESERVATIVOS.
outra.
Uso externo. Ao mesmo tempo que se
d a beber o medicamento, applicam-se ex-
ternamente na parte mordida fios de linho
ou de algoilio embebidos em urna dissolu-
Em quasquer epidemias o Dr. Sabino
faz distribuir gratis s pessoas pobres, D0 cao da mesma tintura constante de 101 gottas
seu estabelecimenio. os preservativos neces- de tintura em 20 colheres grandes dagua
sari^s, dando-lhes as competentes ins'.ruc- Esse^ fios se conservarao sempre molhados
sobre o lugar da mordedura.
oes
Presentemente reina a epidemia de bexi
O Dr. Sabino receber com reconbecimen-
ca tnuitos i se lem aproveitado com fe- to as commnnicacoes que se dignaren, iie la-
zes resultados do seu oSerecimento, feitc zer-lhe as pessoas que expenmentarem o
no Diario d Permmbneo; mas necessa- emprego da plumera celinos.
rio que todos experimentem esse meio tan J -
fcil e tao commodo de se preservarem e s ta.
suas familias d'essa terrivel molestia. Era ausencia do Dr. Sabino acha-se n-
0 preservativo erapregado a vaccina 'cambido de resolver quaesquer negocios
c'eva'la ;? azem uso d'ella, ou nao sao accommettidas de rente.
si o sSo, raramente as tem de Jos Alves Tenorio,
bexiga=, ou,
ui qunlidade.
Professor em homeopathia.
IKUil illlllUlllll
Que um elegante estojo para viagem
COSTESUO:
Io20 cadernos de papel branco, pautado, beira dourada, marcado com as ini-
ciaes dn comprador.
2o100 envelopes brancos.
3o100 penas de ac (marca lanfa).
4o1 caixa obreias de goinma: 1 caixa dbreias de masa.
5oi tinteiro de vidro com lampa de metal
6o1 arieiro idem idem.
7o1 pao de lacre.
8o1 caivete de duas filhas.
9o2 lapis.
102 canelas.
Todos esses objectos reunidos, dentro de urna bonita caixs, f.ita para este im,
custam apenas
Es. 6|000
Ifl Auno.
^Apolice............ 11*000
2*300
(Sello a fazenda nacional.
2.*. 3.*, 4.* e 5.* as.nuidade?. .
Para o eonlralo de renda de 1:50P*COO
ba a despender :
annuiJade.
issio de o por {, sobre 1:500*000
No 1* Auno
Lannu
Com m isa
Apolice.
(Sello a fazeuda nacional.
228*960
400*000
3)0*000
75*000
1*000
1*500
68*50 377*500
e nos i seguintes a 300*000.........1:200*600
1:577*500
Total dfsp.ndido.....i.VOiOM
No correr do 6 auno, e d'eniao em d'anti annualmento, recebe-se 400* de renda, do contrato da
1:500*, da qual se appticara' 100* pnra a annuidade do contrato de capital, ficaudo, por tanto, liquida
a quaniia de 300* at que aquel e contrato se fiode.
E Ando que seja, ao cabo dos 25 annos, recebe-se por JIe 47:000*^00, (lide de 1 dia a 1 au-
no^ e terose recebido do contrato de renda a qoantia de 6:000* liquido-, da anunldad-' de 100* a que
a >ujet(,u durante 20 anees o coniratj de capiial, e que, hvre deste ona=, passa a renda a ser de
400*, e vitalicia, se sec;nservar sempre o capital de 1:500* na AociacSo.
Taas .-ao a^ tinsideragoes e deduccSes que resnltam do estndo que tenho fet-> sobre a materia,
e que me parecen dever levar ao conbecimento de V. S. de quem sou reverente criado
N. F. DE VIDAL.
As pessoas que desejarem luscrever-se sao convidadas a dirigirse ao no escriptorio da dita as-
soclacao ra do Livramento o. 19, primeiro andar.
mmm
',*>
Precisase de ama ama para o servico de
urna casa de familia : Da ra de Hartos n. 104,
sobrado.________________________________
i Precisa-se de nm rapaz pequeo chegado de
novo, ou com alguma pratica, dando fiador a sna
1 conduca : no p**teo da Ribelra, taberna n. 21.
g:,,...'._
X>__
HAY & LANMAN
A agua florida de Blurray olhada como um artigo de perfume, n<
tem podido ser igualada pelas preparapei
as mais custosas: conserva seu aroma, co-
mo se formasse parte da prenda a qHe ella
se applica.
Sua efGcacia tao delicada, como elegan
tes sao seus multiplicados usos, qur sej
empregada como artigo de toucador, qu'
no uso do banho, ou como suavisador d;
pelle, depois que se tenha feito a barba
j para limpar as gengivas oa aromatisar (
hlito.
D suavidade, brilWr*e elasticidade ai
compleices, depois de se haver lavado; al
livia a irritacSo de erupces ordinarias; fa;
desapparecer o desagradavel aspecto doi
pannos, das sardas, do rosto, rugas e todas
casta de ebuliges, e d vigor e frescura
parte onde querque se applique. Sua efi-
ciencia e elegancia sao igualmente infalli-
veis nos casos em que seja preciso applica-
la como estimulante e antisptico, nos coD'
cursos e assemblas numerosas, as loca
lidades infeccionadas, na alcova de um en
fermo, assiia como um antidoto excellen
te para os desmaios causados por.onsaG
ou suHcac5o. Preparada nicamente por
Lanma & Kemp-, Nova Yorfc, e a-venda po:
Caors & Barbosa.
, Joo da G. Bravo 4 C ,
A' venda nns drogaras de A. Caors, Br<-
vo^C.e P. Manrer*c, e etn "WtfOs o_
estabelecimentospharmaceuticos do itnp<;r;
O abano assiguado comprou a casa de bilba
res sita a' ra da Imperatrz o. 69, livre de qual-
quer onuc.
Recite, Io d-i dezembro de 1867.
Mannel do Nascimento F. da Silva.
Avisase aes senbores moradores e pissado
res de Ual nos povoados da Passagem da Magda-
lena, Caxanga e Varzea, que no dia 7 do corrente,
as quatro horas da tarde, se ba de acbar no ponto
do cosime a' disposicAo dos mesmos senhores o
omeibus Apa, o qual dnqoelle dia por diante cont
nuara' a tratralhar na carreira daqoelles povoados
nao s nos das uteis como nos domingos e dias
sant.s. _______^^_________
' Acba-se ausente desta cidade a preta tola
Gervasla, qoe tratava de sua liberdade, tem falta
de denles na frente, marcas de bexigas bastante
visiveis no rosto, estatura regular, deve ter ido
para o serto em eompanhia do preto liberto Exe-
quiel, que foi escravo do major Antonio Lnlz : ro-
ga .-e as autoridades policiaes e capitaes de campo
a apprehensao da mesma preta.
Precisase de um criado para o seivico de
ama casa de peqnena familia, preferlndo-se rapa-
zinho e eseravo : na ra do Amerim o. 84.
____-------^=r-------------------------------
jj\jce
Na roa do Codorniz n. 8. ha constantemente nm
fraude deposito de doces em latas e calxoas, pro-
prio para negocio e por prcos moito com-
modos._______________________
Fariuha de mandioea
igual a de Muriheca, tem para vender Jaaquim
Jos Goncalves Beltrlo, no sea escrlptono r
Trapiche n. 17.______ __ ________
Albino BapHsta da Rocha, relo-
joelro e dourador na praca da in-
dependencia n, 12, fax todo e qual-
quer concert perleneente a soa ar
le por precos mais baratos do qne
em outra qualquer parte olbando
desempenho do irabalho e aflan-
cado ; fambem compra otras segunda meo. '
"i i "
aMtiailSI 6
o primeiro andar do sobFado da ra do padro Fio
rlan n. 69 : a tratar na praca da Independencia
0. S ._________________
Aluga-se
Preri-a-se taller ao Srs. Manoel Jiaqu*m
Lourencn, G. Axirmio da Gra?a Mala, F.rBcist>
Ignacio da-Nt;, Jos Juagla* Barelm, _w o-
Oliveira :ootr->Fiuir*lo, S-A-i _i)eii>U
da Silva, Cuar#iJ*f*Ferreira, JosAda Silva ft
drigues : na ra.i do Vigarw n. 19s f-aadar.

Ciimbraias largas a .000 e 1^280
a vara,
Vende-se cambraia transparente com oito
palmos de largura, que facilita fazer se um
vestido com quatro varas, a 4-5 e 15280 a
vara : na toja e armazem do Pavao, roa da
Imperatriz n 00, de Gama 3c Silva.
Esparttlhos.
Vende-se um grande sorlimento de espar-
tilbis dos mais modernos: na loja e arma-
zem do Pavao, ra da Imperatriz d. 00, de
Gama & Silva.
_nad!oe a 6C00.
Vendeai-se os mais boitos cortes de ana-
dine, sendo fazenda inteiramenle moderna,
transparente, com bonitas pahuas bordadas;
esta fazenda, que de muilaphsntasia, ven-
de-se pelo baratissimo preco de 6^100 o
corte: na loja e armazem do Pavao, ra da
Imperatriz n 60, de Gama & Silva.
Rucos corles de _tedlaa pro-
prlos para baile.
Cbegaram os mais modernos cortes de
medina, sendo urna fazenda inteiraraente
nova e transparent, com lindas palmas e
quadros de seda, e vendem-se pelo barato
preco de 22i$000 o corte : na loja e arma-
zem do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Cambraias a 3(5300 rs.
Vendem-se flnissimas pegas de cambraia,
branca e transparente, de 3fjo00 ate 100 a
pega; ditas tapadas muito finas. Je 5^1 al
10(5; ditas suissas com 1 vara de largura a
83,,i0i5 e 125 ; na loja e armazem do Pa
vo', ra da'Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Cortinados para casswea'.os. ,
Vndese um grande sortimento do me-,
lhores cortinados bordados, proprios para
camas e janellas, pelos b ratos jrecos de
iO(J, 155, 20,5 e 254000 o par; da-1
masco de 15a iraitaejo de seda, com 8 pal
mos de largura, a 4r."0 ; colchas de cro-
ch ; ditas de fust5o brancas e de c6r; cro-
chs proprios para cadeiras, sofs, cadiras
de balanco, pira cobrir presentes, tic', etc,:
na loja e armazem do Pavo, ra da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Corte; de cUta- tO tsvt-
deaa U, 34300 e 3,>6iO.
Vende-se cortes de chitas franetsas, es-
curas u claras, de edres. fuas, ai leudo 10
covados, a 35OO; ditas cora i I ai3#H>o :
ditas com 12 a 35600. pr>tiaacfiaaM_l
para acabar: na loja e ara7em do l'avao
Percalas a 320 rs.
Vendeai-se uissimas percatas de cures
fixas, polo baratsimo preco de 320 rs. o
colado, por ter um pequeo toque de mo-
fo : na loja e armazem do Pavo, ra da
Imperatriz n. 60, de Gama e Silva.
"Ama"
Precisare de lima ama para cozinhar ; na ra
do Livramenlo o. 14.________________ _____
Jos Antonio Pereira, subdito porlagoez, re-'
lira se para Europa. _______________
Precisa-se de um bom Cuzinheiro a de dous
criados, lodos para o servico do hotel do Monteiro:
a tratar na roa do Crespo n. 8, loja dos Srs. An-
drade & P.ego._______________________
Attencao.
S. 23 pa-dolivraiiie'.to R 25
Deposito de tamancos a cajeado nacional la fa-
brica da ra do Jardim o. 10, d. jj Vicente G>
dnho.taolo no deposito romo na faDrica sesprorap
tam todas as porcoes de calado o mais bapto
possivel, esta fabrica tem todas as machinas pro
prias para os calcados ja bem acreditados pe.
grande numero ,de freguezes qne daqul se for-
necem.
Dinhtiro
sobre hypothoca em predios em bom estado, e oas
principaes ras desia cidade, da-se at a quaniia
de dez on doze contos de ris: na roa Nova,loj* o.
2>J se dir'.
Acha-se fuodi>do no lamaro de Pernambu-
co o brigue inglej Iris, rapitio Pateroo, vlndo de
Sni-lU cem carregm:'nu de carvo de pedra, e
oas.bnto quera seja sea consignatario nesle
porto, pele a qualqaer pe^so que tenna instrac-
(8es a seu respeito, de aonOneiar por esta tolha oa
procurar o eapitao em o armazem de WiduW Ray-
monl & C, ra do Trapiche n. 1.
O Sr. Francisco Exeqoiel da Silva tem orna
caria viuda da Europa na ra do Queluiado nu-
mero 40.
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabeleei-
o lerceiro andar do sobrado da rna do Amorfra n. flffnros maritimns *-.
37. com grao'e soto e comraodos para familia; a nesta praca, toma seguros martimos s
bre navios e seu carregamentos, e contrs
fogo em edificios, mercadorias e mobilias;
aa ma do Vigario n. 4, pavimento terree
A pjsso que precisa de 150^000, dirija-se a?
Forte do Mallos n. 19, trapiche, que se dir
quem d.
tralar no arroar.em do mesmo.
Joaquim Jos Goncalves
BelMo
_U/1J)0 TRAPiCHB K. 17 Io ARDA1)
Sacca por todos os paquetes sobre o Bancc
lo MieI'.o em Braga, sobra os gaintes tuga-
se em Portugal,
aber:
Lisboa.
Porto.
Valonea.
Guimares-
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conrte.
Arcos de Val de Vs.
Vianna do Castello.



Ponte do Lima.
Villa-Nova de Famelleio.
Lamego.
Lagos.
Covilbaa. _
Vassal (Valpassos.)
Mirandella.
Beja.
Darcellos.
u:
_
MOLESTIAS DO PEITO
Avisa Importa ate.
Os aicos verd^deiros xaropes de hypopbosphl
tos de sod, do cate de ferro do Dr. Oharchlfl tra-
zem a firma qnatrovem repetida desie sabio me
dico sobre o subscripto e a maroa de fabrica da
pharmacia Svrann, 12, rui Ca-tiglione, Pars-
Acha-se a venda en-iVaso< aadrados com 0 no-
me do Dr. Cnurchill no vidr r Preja 4 francos eOi
Pars : Cira instrucoao
Botica de Inri l jnaa de C.
,0~Dr7XWpti ta Casanova
ter hora em sea eon-
Pirjj da matriz de Sanie
pode ser procura I *
snltorio h .ra-op.th
Amonio o. _
.v i me.:no.*a,kd*> i tem sempre fr-nto sor-
|t>>nen'. ->" '" de noaeoDaHaia de We-
ttmr. at>l nnvi l-nVSS -Tiiu^nto K ferro de el-
'Iror.iii* '-'n cait-ias e auisj4 tu, afttaado. Char-
ra da Imperatriz n.. 60,. do Ga_a & Silwlruic dal'v.

PHOTOGSAPHIA

DA
UStllrtMtL
RA DO CABCGA N. (8, ENTRA OA PELO
PATEO DA MATRIZ.
Acabamos de receber de Franja pelo navio
Sphera:
Lindos slereoscopos mecaoicos de Jacaranda e
que montara oU vistas por cada vez.
Slereoscopos simples, Jacaranda e mogno.
Vistas Mereoscopioas transparentes e nao trans-
parentes.
Caixiohas envernisadas de acaj para guardar
SO vista? slereoscopica.
Lindos aibuns encaderuados em cbagrm e dou-
rados, para 120 e 203 carmes de visita.
Moiaaras doura4as e pasSe-par-too t para retra
tos obotograpblcos de todos os tamanbes.
Um en elltnte aparelfeo para tirar retratos,, o
qual vendemos com todo o necessario para traba-
ibar-se em photograptaia e ambrotypo, e damos as
necessarias dlrecc5es.
Producws chimios para vender mos as quao-
tidades que pedir-se.
Na mesma casa
Ha nm liado sorlimento de alBuetss de oaro,
para retratos, nao s de go.-tos muito simples,
como com folbagens e cravacoes cora per olas Q
as, robins e esmeraldas verdadeiras.
Coniinua-se a tirar retratos por todos os sysle-
mas pbotoRrphlcrjs. .
A 9O00 dmia d.cari > visita
Chamaran a attn*M**J>u>Iic0 ',sr "s "T"
retratas catifie- :'n' '-''
nmrt do M ->
- Ali'C 'S^latar^ 2
da ro <\ <>' ""-1'-' -'iroV) ,.-.r
oma fmilu : qn-m'i |.>ettr*r flriji s,-. a. estrad
Real .'o Mmguiobo n. 7, .jue *di adiara cim qiern
trater.
O abanto assltinado pedo aos Srs. Abren _
Vera qne n3o paguem nma Itra da enjantia de
200000 rs. de sen aceite a vencer em 8 de Janei-
ro, pois qne, sendo aceita em 8 de novembro, sem
duvida (vi subtrahida por nao ter chegado at esta
data ao poder do mesm, e fim por elle ser firma-
da como sacador, nem dado ordem a' pessoa alga-
ma para usar delta. Recite 6 de dezembre de
1867.
Speridio Barbosa da Silva.
Feitor
Precisa-se de nm feitor pan nm pequeo sitio
peno da praca, qoer-se p"S jador, da-se casa prrpria e bv para morar com
sua familia : trata-se n ra Njvh a. 19, primeiro
a ndar.___________;______;___________________
Fiscalisaco da fr guezia de s. Jos a
de dezem'isode 1867,
Pelo presentaneo poblioo a tolos que tem es-
tabelecimeotos de mornados,, p. 'arias, lujas de fa-
zendas, miudeias, calcailos.iarbciro e marcinei-
ria, cocheiras e offlcln^s de toda e qualquer natu-
reza ne ta freguezia que em vlfta do que dispcl o
an. o 8S i e i d postara* adiciona de 10 de
novemblo de 1885, d*Vem l("\e< o= dias at 7 ho-
ras da mantisa mandarem varre.- soas testadas em
frente seu? estabelecimentos at o meio da rna se
bouver do lado opposto iguil obrigaco, alias toda
largara della. 8.fer coodutir os lixospara os
lugares determinados por esta fiscalisaco assim
irrigaren! nosdlas de u>\ I go que.varrerera. _
Os iniractore do pres ratfi artigo sy-rcro a
aulta de 5& que sdra' duplicada na reincidencia.
O fiscal supplenie em eierdcii,
joaquim Civalcaotl de Hiil.nli AlbOioerque.
Pr.el.-a-se de duas ireas sendo ama para o
serviM-'de casa de punca familia e ontr que te-
nha leit para criar : na ra do Cabng loj. n. i
___
.------
FfJGI

Conlinoa a andar fnglda a preta '*
Benedicta, crloula, idide de 40 e lilo arwoe,
tendo os slgoaes, se^lnie: altura regalar ma-
gra, oabello ralp principenlo a pwtar, deoie li-
mada, pellos grandes peraas finas coslamava
trazer urna arg-'linba '" rrrn ern ara dos punhos
mullo 'aTimMR, costama tnlitoar se de forra
noando foge e p r isso descoa.se qo ".leja
Wiaamaot ai-nniadaern MT-ina ra^a : portinto
peda ay|nm -1"-- -i atartlimi-
vi.-ta u. 17, quesera' tr 'i '>.
J^Wi'f_H I_N_bi__r "' **
cli kuflia M.' WntlW'Br arTTi TttT di **.
variad, s^l .V A *M I f UM*.
v.,i jr i,., KA *mW ,>^S*.l!>-*Ba
pitrel.: d. Iiiu.
ll llt-Hfl 1




sm fd
NrMBtaM DabMrf 4e EKztmhro de
4867.
UREA PENINSULAR

FaMca de destilado e bonificado
DB
MARQUES &
BA DO nonifl -FORTE IIO SIXTOS
. ,,,,, PERNAMBUCO-
3THW Li ft
Itfrarl ; /m

'
A empreza do gaz desta cidade desejando facilitar geratmente o oso do gaz na
casas i estabeleciraaotos particalares, offerece desde j as seguiotes vantagens:
1. Urna redaccao msideravel nos presos dos canos, apparelhos e todos os mate-
naes precisos para a lostallacao desta luz.
O gaz fornecido boje de extrema pureza e nao offender a prata, o bronze
2"


,o wS? tSmmiSSS nJ? ; ,tt de lmDJa'ialz' n^Sm^fiSfS^ lll?lT;JZt!0T T" delicad0 qDe seja' to*e o mesmo lempo lio san*
2SAr^^ < ^^SSSTS&iS1 ^a|q^'"'i^hecida,aflnal, evitar tmbem a obs-
, truocao dos canos e tubos dos apparelhos.
nos sea pedida para toda e qaaljoer parte, devendo ser os
la praca
pedidas acompanhados de ordem sobre

ARMAZEM
AMA
Precisase de ama ama para servido de casa de
pequea familia : na roa das Crnzes n. l A, por-
U larga._______________________________
Q-Sr. Justino da Silva Cardoso qoeira
vir nesta typographia negocio argente.
DO
de
YAPOR FRANCEZ.
HTJA IOVA N, 7.
Aeaba de chegar de Pars este estafeelecimen-
to ura grande e eseolbido sortimento de calcado
dos meioores fabricantes daqnella grande praca,
assim como grande variedade de qainqallbarla e
de novos brinq -edos para crlancas, cnjos artigos
se acfcam e-xposiss a escolba e vostade dos com-
pradores, c.-rao sejam algans qee passamos a
mencionar.
Ultima moda
Ricos chapeosinhos de gosto para senboras fei-
tos o capricho de ama grande modista de Pars.
Botinas para senboras
de setim branco, dnraqoe dito, pretas e de ontras
drflereotes cores eofeittdas a rigorosa moda.
Botinas para meninas
de mnitas qaalidades bem .sortidas.
Brseos de onro
de lei a nliima moda dos Campos Elizios e boule-
vards de Paris, para senboras e meninas.
Luvas de pellica
do verdadeiro fabricante Jouvio, brancas, pretas e
de ontras diTerenies cores.
Leqnes
om eseolbido sortimento de leqnes de diversos
gestos e qaalidades.
Perfumarla
finos eitractos, banhas, leos, pos de arroz, agaa
de coiogoe, agua fli -ida e saboneta?.
spelhos
de drfferentes tamanbos e gostos para salas, gabi-
netes e peqnenos toncadores.
Caixlnhas de costara
de novos modelos ricamente guarnecidas e com
lindas pecas de musir.
Delicado presente
bolciohas ecestiBhas de sedae de velludo maito
importantes para braco de meninas passeio.
Chapos de sol de seda
de cores e multo bellos para senboras e meninas.
Bouquets da exposleSo
delicads bouquets de flores de porcelana com lin-
dos jarros para mesas de salas e santuarios.'
Lunetas
de ac, tartaruga e |bufalo.
Oenlos
de ac, bfalo e de prata dourada.
Ritas bengalas
de canoa verdadeira com casto primorosamente
trabaihados em marflro, compradas na eiposico.
Botinas para hornean
grande sonta ento bem eseolbido em Paris.
Botinas para meninos
de muios modelss bem sonidos.
Zapatos de tapete
de charlte, de tapete avelludados e da tranca
Lisbja para homens, seohoras e meninos.
Botas rnsslanas
Perneiras.
Mantas de feltro bonitos padrSes.
Chicotes fortes compridos.
Luvas de fio da Bscossia.
Cartelrinhss para dinheiro.
Saceos da tapete p.-.ra viagem.
Malas e boleas sortidas.
Pontrirss para charutos e cigarro?.
Cbaroteiras e cigarrelras de palba.
Caximbjs de bonitos modelos.
Grvalas pretas e de cores.
Gordas para violo.
Bengalas para homens e meninos.
Meias de o da Escossia para hornera.
Venezianas transparentes para janellas.
Quadros pequeos para retratos.
Objectos de pbantasia para loilet.
Abridores de lavas.
Tesonrinhas delicadas para costara.
Caivetes Anos com tesourinha.
Finos pentes de martim para tirar caspas.
Pares de lindas figuras pequeas de porcelana.
Jarros mui pequeos de porcelana.
Objecics de porcelana para botar banba.
Taiberes linos para meninos.
Objectos de mgica para divertir familia?.
Pnttrgrspblas mgicas.
Globos de papel para illuminaco no campo.
Gaiolas de rame para passarinbo.
Caslinbas de vlmes para meninas de escola.
Ceixiobas de msica e reajeijos para meninos.
Velas a gaz para candieiros e candelabros.
Carrinbos de qoatro rodas para condnzir enanca
Bonecas de massa, de cera e de porcelana.
Be^os e camas com cortinados para bonecas.
Cabriolis e cavallinbos de madeira com machi-
nismo para meninos de 3 a 8 annos montarem
Rices aibnns
de velludo e de marroquim para retratos.
Esterescopos
cera lindas pbotograpbias transparentes.
Estampas
de figura?, paisagens, cidades e de santos.
Molduras douradas
de diversas larguras para quadros.
Abat-Jour
para candieiros e lanternas de piano.
t o sm ora ni as
grandes e pequeos com 30 oo mais vistas esco-
Ibidas a' vontad", muito pittorescas.
Chicotes, para passeio
muito finos de balea e eabo de marfim.
Realijos
pequeos, de qnatro e seis pecas de msica.
Aecordlans
e concertina?, o que ba de melbor neste genero.
Para presepes
figuras para ornar presepes, caslnbas, anlmaes,
pastores, e ontros multes objectos proprios.
AttencSo.
Nao sendo possivel menclonar-se aqni todas as
qnalidades de calcado, nem todos os artigos de
qoinquilbarlas, e muito menos da grande varie-
dade de novos bnnquedos; pede-se ao publico nm
psselo a este estabeleciroento, ceno de que en-
contrarlo bastante paciencia para bem escolberero
o que desejarem comprar, e precos baratsimos
em virtude de baver em todos estes artigos grande
quantidade, e lerem sido comprados mesmo na
Europa pelo dono do airo estabelecimento, arma-
zem do vipor, ra Nova n. 7.
Oleado para mesa
de mnlto boa qualidade, novos e bellos padrdes: no
vmaiem do Vapor, rna Nora d. 7.
Latas de pellica.
Noto sortimento de lavas de pellica de joavio
branca?, pretas e de ontras booilas cores para bo-
qmd* a senboras : do armazem do Vapor, roa Nova
n. 7.
Na praca da Independencia n. 33, loja de
I oanves, compra-se onro, prata e podras preciosas,
e tambera se faz qualquer obra de acommenda e
lodo e qualquer concert.
Companhia utilidade publica
Adireccao paga o 14 dividendo de Si} por ac-
cao, em seo escriptorio ra da Cadea n. 4!, pri-
mereo andar. Becife 2 de dezembro de 1867.
Os directores
Feliciano Jos Gi mes.
________ Thoroaz Fernandes da Cunba.
O escrivio do jory mudoa o seu cartorio pa-
ra ^ rna do Imperador n. 38, 1* andar.
Jornaes para 1868"
Na livraria franceza assignam-se lodos os jor-
naes da Europa, os Srs. assignantes encontraro
amostras dos peridicos e catlogos dos mesmos.
RA DO CRESPO N. 9.
Offerece-se om rapaz para caixeiro com bas-
tante pratica de padaria e molbados : na ra do
Bangel n. 9.
No Corredor do Bispo, defroote da casa n. 10
ha para alugar urna excellente escrava maito ro-
busta e de boa conducta; e na mesma, yende-se
ama casa no Varadouro, era Olinda.
Precisase de urna ama para o servico de
orna casa de ponca familia, prefere se escrava e
pagase bem : no caes do Bamo?, armazem n. 10.
_ Urna senhora professora publica de Instrue-
cao primarla, por motivos de molestia deseja per-
motar sua cadeira por ontra nesta cldade do Be-
cife, at a distancia de nma legua, e elferece por
coropensaco nma vantajosaofferta : qnem se pro
pozer a fazer este negocio, dirija se ao caes do Ra-
mos, armazem n. 10, ou annuncie para ser pro-
carado.______________
O Dr. Joaquim Jos de Campos da Costa de
Mediiros e Albuqnerque muden o sea escriptorio
de advocada da casa n. 22 para a casa contigua
n. 24 da ra do Imperador, defronte da re ayo,
jnry e sala d?s audiencias._______
Aluga-se o 3 andar do sobradq 8 roa
da Imperatriz : a tratar com J. I. de M. Reg, ra
do Trapiche o. 34.
apparelhos.
3. Os apparelhos existentes, como lustres, arandelas, bracos de vidro, de bron-
ze, etc., etc., sao proprios para os senhores que preferem luxo e elegancia, como nara
os que necessitam siroplickiade e economa.
4.a As pessoas qoe qoizerem collocar o gaz em snas casas podem dirigir-se em-
preza, a qoa se encarrega da collocacSo de todos os apparelhos, canos, etc., tomando toda
a responsabilidade peloperfeito cumprimeDto do masiao, ou por outra, podem empregar
qualquer maquinista reoonhecido pela empreza, sendo o mesmo maquinista responsavel
pelo seu trabalho.
I* A empreza obriga-se ainda a reparar gratuitamente qualquer falta de luz,
obstruccio de canos, ele., devendo o consumidor pagar somente as pecas novas que forem
precisas para o mesmo concert; qualquer reclamaco que possa haver, ser dirigida ao
escriptorio da empresa ra do Imperador n. 31, afim de ser logo providenciada.
Os propietarios deste estabelecimento cfferecem ao respeilavel publico
um esplendido e variado sortimento de joias de curo ebegadas recenten ente
da Europa, cojos modelos sao novos e de bom gosto como sejat: pulseiras
com perolas, rubins, esmeraldas e brilhantes, brincos dame$mafcrma, anneis
de j.hantasia, proches para retrato, etc, etc., botoes de coral rosa para peito
de camisa e cacoletas com retractos.
Compra-te e recebe-se em troca ouro, prala e brilbantes pelo seu en-
trinceco valor, assim como moedas cacionaes e estrangeiras. Tambem se en-
cembem de fazer concertos


:
Agostdnho Jos dos Santos $ C.

4^-Koa reita45
Chega, gente!!?
B^rzegnins inglezes para bomem a 5$.
Ditos francezes dem a W.
Borzeguins para senhora, eofeitados, a if.
Ditos t>ara menina, dem a i&.
sa pal oes inglezes para bomem a 4$.
Ditos americanos a 34600. (\ f) > sChinelas do Porto a 1*600.
Saptos-tranca para senhora a 1*280.
Ditos avelodados, dem, a 1*180.
A pro venera emquaalo lempo. ^^_^^____
D. Senborioha Germana do Espito-Santo, ten
do aberto no sea sitio do Arraial ras para reta
Ihar a vontade dos compradores, faz *r a todos
que as ras tem sestemn palmos como marca a
cmara e qoe lem de fundos 320 palmos, e com
diversos arvoredos de frncto, boa Ierra e a 1*500
o palmo. Assim como tem tambem bons terrenos
no mesmo Arraial, a 1*0(0 o palmo, com diversas
arvores de froeto a todas earregadas, e com 600
palmos pooeo menos de tundo, s nao Acara' pro-
prietario qnem nao qclzer. __________

C0S1M1EIR0
OBerece-se nm ptimo cosiobeiro, eseravo ainda
moco na roa do Trapiche n. 46.
Quem qaizer alogar o sobrado n. 42, a'
roa da Aorora, dirija se ao escriptorio n.
4, a' roa do Crespo, que achara' com quem
tratar.
Illllll-liISill
Collegio da Coneeicao.
{9 Corso de ferias.
Acba-se a berta a matricnla das aulas g*
I preparatorias para os exames de margo Sg
SH vindouro. tt
t?
FRANCA & RAZIE
Largo do Corpo Santo n. 27
Mr. JoSo Mercie teodu ch^gaito de Paris da
grande eipcsico universal de 1667, (az sciente
ao respeltavel publico e aos seus numerosos fre-
guezes qoe tem ura grande sortimento ae faiendas
fina?, assim como cortes de caigas e colletes de
CtSemira e costames inteirifos e ricos cortes de
colletes de seda pretos e de cores e de la ; assim
como fazendas proprlas para montarla de senhora.
Ouiro sin, (az ve.'tuanos para montarlas e recebe
urinos todos os mezes para homens, senboras e
meninos; assim como tem sargelln francez que
vende em peca e a retalbo por prego razoavel, e
bros brancos e de cores variadas.
CASA DI FORTUNA
Aos 5,000$
BILHfflES GARAiTlDOS.
n 2.CBOP0 N< 23 K ^^ W> GOSTUMF,
. ^,.'SS,eaado vendeo nos S80S ">>o feli-
^5!f tes5*raS"dos da lotera qoe se aeanon de
eitrabir a benecio das familias dos TolanUrios
da patria os seguiotes premios : no
m ^i?i 2? me'0 com a "f'6 e 5dW0*.
N. 1913 dos qnartos om a sorte de 900*.
N. 838 nm meio com a sorte de 400*
E ontras moitas sones de 100*, 40* e 20*
Os possuidores podem vir reeeber seos respecti-
vos premios sem os descontos das leis na casa da
Fort m rna do Crespo n. 23..
Acnam-se a venda os da a beneflelo da matriz
de Ooricury (47-) que se extrablra' no dia 11 do
correte.
ireco.
Bilbete..... 6*06
Helo...... 3*000
Quinto. .... 1*200
Em porcao de 100$ para cima.
Bilbete.....5*500
Mel......2*750
Quinto.....1*100
Por Maooel Martins Fiuza.
___________Gentil H. Rodrigoes de Scoza.
JBoleeiro,
Na Capnnga, porto do Lacerre, casa em qoe mora
Jes Duarte das Neves, precisa-se de nm bom bo-
leeiro, e cuidadoso de snas obrigagdes.
Ama
Precisa se de ama ama para eosinhar : na ma
do Apollo n. 14, armazem.
|K O Dr. A. S, Pereira do Carmo (medico) jttj
i est morando no sobrado a. 12 da roa da i!;
0 Imperatriz. m
S^
Trocam se
ts notas do banco do Brasil e das calas Sliaes-
dom descont muito rasoavel, na praca da Inde,
oendencia n. 22.
Precisa-se de um copeiro para urna casa *s
trangeira, preferindo se escravo : a tratar na ra
do Trapiche n. 3.
O abaizo assignadn f.i sciente ao resneitavel
corpo do commercio que desde o da 21 do cor-
rente, est, para coro casa commercial do Sr.
Jos Nunes Ribeiro e Silva eslabelecida nesta villa,
desooerado da respoBsabilidade qae tinha como
ciizeiro e gerente da referida casa : assomindo o
Sr. Jts Nunes Ribeiro e Silva, sobre sua nica
responsabilidade todas as transacgdes feitas pelo
abaizo assignado, duranie o lempo que esteve a'
seu servico.
Villa do Benito, 28 de novembro de 1867.
Jos Cypriono Bezerra de Helio.
AO COMMERCIO
Os abaizo assignados participara ao respelt vel
corpo do commercio qne desde o 1* do correte
mez acha-se em liquidacao a sua casa commercial
sob a iirma de Alves, Homborger & C.
Recife 5 de dezembro de 1867.
Jos Alves da Silva Gnimares.
Max Homborger.
Deseja-se fallar na ra da Saudade n. 15
com o correspondente on procurador nesta cidade"
do professor publico de Bello-Monte Izidoro Mari
nbo Cezar.
12*. ir* e 8* por mez, sitas a' roa do Gazomeiro,
confronte ao porto lateral da fabrica do gaz : a
tratar no mesmo lugar.
Precisa-se de nm caixeiro para taberna de 14
a 16 annos, com pratica : a tratar na roa do Rosa-
rio n. 58. ero frente a' roa do Aragao.
Ama
Precisare de ama roolber Idosa para ama de
rapazes solteiros : a" roa da Praia n. 53.
mnibus para o Cajueiro
Francisco Candido de Medeiros, faz seiente ao
publico que no dia 8 do corrente, manda nm dts
seus omnibns para o bcspal pottnguez, s dez
horas da manha, passagera 500 r?.
Precisase de om meorao com pratica de
berna : na roa do Fogo n. 20.
N. 2 largo da matriz de Santo Antonio n. 2.
RETRATOS A OLEO
Temos a honra de partecipar ao respeilavel publico a volta do Sr. Alberto Hens-
cbel que foi Europa com o duplo flm de se por ao corrente dos mais recentes pro-
gressos da arte photographica e adqnerir para o nosso estabelecimento mais um ar-
tista de talento.
O Sr. Alberto foi summamente feliz e conseguio engaiar um destincto pintor de
retratos, p *
fc SR. fMULOS ERNESTO PAPF
reembro honorario da academia real de pintura da cidade de Dresda, e do qual a reputa-
gao bem fundada nos autorisa a erperar prodocoes notaveis no seu genero de trabalho.
Um progresso immenso ltimamente executado na photographia, nm dos mais
importantes consiste n'arte de obter retratos em tamaoho natural, fixando directamen
te na grandeza que se desaja, sobre a tela do pintor, o retrato photographado. por meio
de um instrumento especial chamado : cmara solar de aogmentaco.
Ptr esta forma o talento e o saber de um artista habii maravillosamente se-
cundado pela precisSo absoluta e infallivel dos contornos e das sombras que ihe poe a
photographia sobre a tela, e todo se rene assim para se alcangar o maior grao possivel
de semelbanca incontestavel, ao que d ainda maior realce o sello artstico, que imprime
ao retrato um bello colorido.
Pelo mesmo processo dos podemos reprodnzir e pintar oleo, urna vez que se
nos d orna photographia, seja de que timanho for qualquer retrato de pessoa morta on
aumente e no tamanbo que se desejar.
As pessoas que quizerem julgar por si mesmas deste novo genero de traba'bo,
sao convidadas a nos fczer a honra de visitar a nossa galera, aonde estSu expostosuma
serie destes retratos como amostras.
AMRROTYPOS
Retratos em caixinhas
Para satisfazer a numerosos pedidos de muitos dos nossos freguezes, estamos pre-
parados para fazer retratos neste genero, para osquaes tambem temos agora um grande
ve aado numero de ricas e bonitas caixinhas.
Precisa-se de nma ama para casa de pouca fami-
lia para cozinhar e ensaboar : a tratar na praca do
Corpo Santo o. 17, terceiro andar.
Gratifica se com 5o$
A qnem capturar o preto da Costa de ame Ja-
cintbo, idade 38 annos, eslatora poueo menos de
regolar, tem falta de dentes, talhos bem vislveis
as magias do rosto, e os beigos grotsos, pernas fi-
nas etc Fogio em 29 de ootubro prximo passado,
levando caiga e camisa brancas, chapee de palba.
A primeira vez que fogio intitulava-se forro de na-
go e empregava-se como servente de pedreiro,
gaohador, etc. Foi visto ha poocos das na cijade
de Olinda, Agua Fra e Santo Amaro das Salinas,
em ranchos de outros negros da Costa. Roga se,
pcls, as autoridades puliciaes e a qualquer parti-
cular a captura de dito negro a ser entregue a seu
senhor Joao da Silva Leite, a' ra da Cadeia do
Recife n. 10.____________________________
HISTORIA DE CARLOS
XII
Rei da Suecia
POR VOLTAIRE.
Vende-se esta excellente obra por
brochura, na livraria Econmica ra
n. 2.
Na mesma livraria tomam-se assfgoatnras para
avida de Horacio Nelsono celebre almirante
anglez a <* cada exemplar.
Rc-ga-se encerecidamente a todas as pessoas qae
contrahiram dbitos na loja de joias no coracao de
ouro n. 2 B oa ra do Cabuga', o favor de em
qoaoto antes vlrem saldar seas debito, isto seco
perca de lempo, pois muito se agradecer*.
Club do Becife;
A partida do mez de Dezembro prximo
vindouro ter lugar na noe do dia 7 do
mesmo mez.
O Secretario
___________Joaquim Leocadio Viegas.
Aluga-se
para passar a festa oa por om anno, orna casa en>
Olinda, com excellente vista e moito fresca, com
tres salas e cinco quartcg, cozioba fra e bom
quintal, com terragos adente e atraz com acentos
de pedra e cal -. a tratar na praga de Pedro II -
vrana da Infancia n. 6.
Atiendo.
Pede se aos senhores Francisco de Slqueira Ca-
valcanti e Manoel de Siqueira Cavalcanli Fllho o
avor da virem a ra da Imperatriz n. 32,
co de seu iuteresse.
a neg-
Padaria
Precisase de om loroeiro que entenda perfeita-
roente deste servigo : na ra larga do Rosario
n. 16.
Para seu interesse
Mnito se precisa fallar com o padre portuguez
Jos Bernardino de Paiva qoe snppSe-ss morar
em Marcagao, e com o Sr. Jos Loarengo de Me-
deiros Maniz qae mora nos arrabaldes de
Anto : na praga do Corpo Santo n. 17, primeiro
andar.____________
Desapareeeu no correr da noite de 2o~do
corrente uo poder do alaizo assignado, no enge-
nho Contra-assnde, de Jaboatao, o escrava Jos,
crioulo, com os sigcaes seguintes : balxo, bem
construido, rosto largo e nariz chato, ventas mui-
to abenas, tendo na testa nma cicatriz de polltga-
da mais cu menos, tera' de 20 a 21 annos, nao
se distinguindo no rosto signal de barba, vesta
camisa de chita encarnada irazendo em tronza
mais r. opa. Aoimado pelo qoe se est passando
foi encontrado em Afogodos declaraodo qoe vioha
alistarse no exercito. Protesta o abaixo assigna-
do contri, qaem o tiver acontado da mesma ma-
neira que contra qualquer auloridade qae sem as
indispensaveis pesquizas o boaver recebido se Isso
se tivtr dado, gratifica se a quem o apprebender
levando-o a roa Direita n. 29, segundo andar, a
entregar ao Sr. Antonio Pedro de S Brrelo Ju-
nar. Recife 30 de novembro de 1867.
Jos Marques Carneiro Leo.
Aloga-se urna escrava excellente ccsinhelra
na roa das Flores n. 37, 2o andar.
Fundido da Aurora em San-
to Amaro.
Completo sortimento de taxas de f rro
coado, molde raso, ltimamente aprovadas
para o fabrico do assucar.
Hospital Forfogaez de Henefi-
e ene la.
Por autorisagao da provedoria do hospital porlu-
guez de beneUceneia, Dr. Prxedes Pitanga. d
consaltas gratis todos os dias das 7 i|2 as 9-ho-
ras da roaohaa, nos aloes do mesmo hospital, no
sillo do Cajueiro.
Escravo.
No collegio da Conceigao precisi-se alagar um
Sanio 2!^
1*200 em
do Crespo
A Salsaparilha
AYER.
cura radical de
Ama
Precisase alogar nma escrava que engorme e
cozmbe, e compre : na roa de S. Francisco n. 54.
Aiogam-se as lujas do sobrado o. 3-da roa
das Flores: a' tratar na ra do Imperador n. 83
! andar. '
Precisase de ama ama forra oa escrava qoe
seja boa coslnbeira : a tratar a rna da Cadeia do
Recife armazem n. 8.
Novidade
Aluga-se a casa da rna do Jasmim na Boa-vista
ora quintil plantado e morado: a tratar na roa
da Imperatriz n. 56, Arara. ______^^
Qoem precisar ?e boma escrava e bom es-
cravo para todo servico, sendo aquella para casa
de familia, e este mogo de 20 annos : derija-se a
roa atraz da matriz da Boa Vista o. 26, 1*. a
dar.
MM
Trecisa se a|0gar ama ama forra oa escrava,
preferindo se esta ultima, para o servigo de nma
casa de ponca familia, paga-se bem : na rna
va n. 11.
Preei
Trapiche
Eacrofulii, ulceras, eaagu.&r.
ida velhas, molestias sypbil-
itiau, e merouriaes, Enfnni-
dades das molheres, como ia-
teneSo, menstro oloroso, ulcer-
a^ao da otero, e flores brancas-.
A Nevralgia, Convalides, Eri-
sipelas, Eatermidades Cutneas,
borbulhas, nascidas. etc.
0 trinado eotnposto de SAISAPARILITA, confc-oclon-
ado pelo Dr. AYER, urna combinado dos melliores depars-
tivon e alterantes conbecidos medicina; composto egund
as le. da (ciencia, approvado c receltado pelos priraeiros
mdicos dos Estados unidos, da America do Snl, do Mxico
das Indias e dos princlpae Estados da Europa. '
A SALSAPARILHA de AYER especialmente efficaz r.a
rara das molestias que (em sua origem na cero/W, na
ineccao venrea, no uso excessiro do mercurio on em qualuucr
impureza do Singue.
I Entre todas as molestias que affligcm o genero hnmano, nio
1 ? T." T" aoive"ua e tenlvei *> V" t*s*W; por si
_ o Uo destructira, porem c a causa prlnci>al de muitas en-
j fermldades qae nao lhe sao geralmente attribuidas.
1 urna causa dlrecU da tsica pulmonar da
mnl do
Ama.
eeisa-se de nma para engoramar : na ra do C"J'J """""f"' ***** cerebro, WhmummtlmmZ
iebe n. 36. V andar. eo^f***rf<,*fii,'-el't)ssyn,ptonia.haos8eguintee;
! -Falta de apetito, Fraqneza e mole em todo corpo: Mo
| cbe.ro da boca, semblante plido e inehado, s vezes d'uma
; alrura transparente, ontras vezes corado e amarcllo no redor
. da boca; DlgcsUo traca e apetito lrrepilar; Vcntrc incliado
; e eraeaaeio irregular! Quando ataca os pulmoes urna cOr
azulada mostra-se a roda dos ollios, quando i no estomaga
sao avermelha dos, as pessoas de disposlcao escrorulofa
appareccm fret^ntemente eruppfs na ptlle da cabcea e ontras
partes do carpo; sao predlspdstas s afee^tei dos jwmaes, do
figado, dos Hu e dos orgos digestiros e aterlnos. Portanto,
nao sao somante aqnelles que padecem das formas ulcerosa
..,* Ifoereuloia da escrfula que necesaUam de proterva
na- \ tt^z:^^^^^t^:-zs
esto expostos tambem a soflrer das enflrmidadas que ell
Companbia fdelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Janeiro
AGENTES EM PERNAMBUCO
Antonio Luii de (Hiveira Azevede k C
competentemente autorisados pela
directora da companhia de seguros
.i^AAimiKailfl "ftioanto das mejores machinas, americanas para descarrocae
Azeite de espermacete propria para machi-
nas de todas as qualidades.
No collegio da Conceico
criado intelligeote.
precisa-fe de om
Seguro contra fogo
Antonio Loiz de Oliveira Azevedo & C, agentes
da companhia Fidelidale, estabelecida do Bio de
Janeiro, lomara seguros contra fogo em predios e
mereadorlas, em sea escriptorio raa da Cruz nu-
mero 57.
Maito attencao
Coques
Na roa
l re la n. 2
guins de bzerro
ehegaem freguezes, antes
baraleiro esta' qaelmando.
Precisa se
Mova n. 25.
do Livramnto, loja de calcado da es
.tero nm completo sortimento de borze-
ancez para homens a 4000 :
qae se aeabero, pois o
de orna engommadeira
oa roa
Caixeiro
4a moda ao ultimo go-T*.P,rls cD*gafosao ar- \ coTc&^JK tf ^JuSt
mwem do vapor, roa Nova n. 7. .'roa Nova n. 24. *
Vapores de forca de 3 a 4 cavallos.
Serras avulsas para machinas.
Mancaos e todos os mais pertences para as
mesmas.
Carros de mao para aterro.
Cyllndro para padarias.
Debulhadores para milho.
Arados americanas.
Escadas de maderas americanas.
Carrinhos proprios para armazeoi.
Moinhos para refinafdes.
dem para milho.
Machinas para cortar capim.
Bombas para regar jardins.
Vaquetas para cebertas de carros.
Camas de ferro sortidas.
Bombas de Japy.
dem americanas.
Ferros a ?apor para eogommar.
Vassouras americanas.
Baldes americanos para compras.
Tinas de madeira.
BaUaios e cestas de ver^tohas.
Guarda comidas.
Penetras d'arame para padarias e refinacoes.
Correntes para almanjarras.
Machados e facoes americanos.
Caixas com vidros de todos os tamanbos.
Catinos de ebumbo de todas as grossnras.
Folha de cobre idem dem,
dem de lati idem idem.
Polha de Ftondree.
Ferro de todas as qaalidades,
Arcos de ferro.
Latas com gaz.
Trena de porcelana para cosinha.
dem estanhados para dita.
Bandeijas finas,
j Balaceas americanas,
dem rovervaes.
Taixas de cobre.
Estanho em verguinhas.
Folba8 de ferro de todas as grossuras.
Correntes de ferro sortidas.
Espingardas de todas as qaalidades.l
Rewolveia de todos os modeUos.
FerrameBU paraoorives.
dem para tanoeiros.
Mem para ferreiros.
vios, mercadorias e predios no seu i
escriptorio roa da Cruz n. 1.
mmmmmm mm mmmmm
Samuel Power Jolmston & tompanhi
. Bna da Senzala Nova n. 42.
AOBNCIA DA
Fandi?$ode Low Moor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Tanas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios de carro para nm e dous cavallos.
fteogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costara.
Hospital porlBgncz de beoeficeieia em
Pena moneo.
Nio se tendo reunido somero legal de soeks
para constitolrem assembla geral domingo i do
corrate, sio novaroente convidados por ordem do
Illm. Sr. provedor todes os Srs. socios a reonirem
M domingo 8 do corrente, s 9 horas da manha,
it^i"? rMPe"lTf M"8. "o io deste hos-
pital, a Ara de consumida a assembla geral, proce-
derse a elecio da junta administrativa, e com-
mittao de exame de eoniai para o anuo da 1868.
. D*ttr,l4 "f'1*1 Po'toiue de beneficencia
em Pernaabuco, 4 da dezembro de 1807.
.4, A. B. Semtot Krto,
i* m emane.
, OOerecemos a estas pessoas um abrigo senro e um anti.
, doto efflcaz contra esU molestia e snas eonsequVndas, n
SalMparilha de Ayer
os^sopera directamente sobre o aangue, purifleando-a e r>r
pulsando dclle a compaao e o veneno 'da molesSai Hta
^aspartes, todos aa orgao. do corpo humano? li^aSoV
os da sua aceso virl.-,da o Inspirando-lheVnovo or E^
SSStf l?^"*1 P~ a renovado do sanlne edu
SSiTiT^S* docn'a t e ene^a^orla.
* TAMBEX O UELHOn XII-STPaaiTICO
OONBBCIDO i
D^irta.W'0 e.sfrebata a victima das garras de
snam togo combatido com energa.
a.ia ^^2S?,0? Pr?"'v1,r' "em "erraos qoe se ladra
SSiSfhnm*0 fnf,JH,el Pn a cra de tods as padec
mentos humano, o que dlzemos que a *
Salsaparilha de Ayer
ii menor prenaracio at baje desoaberU para estas a eatn*
moiesHaa anlogas, qne ama combinacao dos alterantes
ais eBoazes eonkeeldos, o qae tomes conseienda da afArceer
R Puf,"^.0 mo|bOT resaltado qae passivel pradiulr, da
i e pericia medloa das nessos tempes-.
REMEDIO DE AYER PAR SEZtjgg
IafaliveJ aaa robras intermittentM, reaaiMentee,
Fobrea Biliosas tacaa, mal do flada, la.
ncamauto do baco, oecuaira. Der nos
ouvidoa e palpita;, quando
sao causados palta
t
PEBRES INTERMnTENTES, O REITrNTES.
As prspanc < Ba. Ateb sao verdldo. asa ksjW m
BotloM Drogarisa ac Imperio,
:'


:


.T39f l (rttt^nl 9h t vhtd4n* s>*ma.n*t>l b> OHll
tarto de rei-aaibae* -CKahbado Dezcmbro de i&67.
. i
alia
spr-

N. 2D,
n. 2 d ;
COKACAO DE OlTRO.
~
A loja o. I D intitulada Cortcio de Ooro na roa do Cabog, acha-se d'ora em diante offerecan
Jo ao respeitavel publico com especialldade as pssoas que honrara a moda os objectos do ultimo gof
Id 'a Pars) per meos 20 por cento do que em outra qualquer parle, garantindo-se a qualidade e a so
da obras.
O respeitavel publico avallando o desejo que doro ter o proprietario de um novo estabatoclmen-
W que quer progresso em sea negocio deve chegar immediatamente ao coracao de ouro a comprai
aneis cea pereitos brilhaales, esmeraldas, rubios e perola; verdadeiras em agarras, modernas pel<
diminuto prego de 10*, brincos modernos de ouro e coral para menina pelo preoo de 3*. maracas di
prata com cabos de marSm e madreperoia obra de moderno gosto (o que o encontrarlo no coracao d
oot) voltas de ouro com a competente crnslna ricamente entenada pelo pequeo preco de 124, brin-
cos de um trabalbo perfeito por um mdico preoo, cassoleus, traaealins, palceiras altiaetes para re
tratos e ontros modelos tudo de alto gosto, aneis proprios para butar cabello e Qrma, dito para casa-
mento, no rtico roseta tem o Coracao de Ouro nm completo e bem variado sortimento de diversos
gostos, bulSes para punbos com diamante, rubins e esmeraldas, obra esta importante ja' pelo seu va-
lor ja' por gosto ds desenbo, brincos a forma da delicada moslnba de moca com piogente contando es-
meraldas rubins, brilbantes, perolas, o gasto 6 sublime, alflnete para grvala no mesmo gosto, relo-
gios pan senbora cravados de podras preciosas, ditos para hornea, diversas obras de brilbantes de
muito (esto, crusinbas de rubins, esmeraldas, perolas e brilbantes, aneis com letras, eacoletas de
erystal e ouro descoberta para retrato (a inglesa) brincos de franja, ditos a imperatrize toda e qual-
qaer joia, para secol ocar retratos e obras de cabello, e oatros muitos ebjectos que os pretendentes en-
contrario no Coracao de Ouro qoe se conserva com toda a amabilidade aos concorrentes deixando-
se do aqnl mencionar preoos de cortos objectos porque (desculpem a maneira de fallar) dizendo-se
LOJA 00 GALLO VIGI
LANTE RA DO CRES
PO N. 7.
Quilas de meias finas para seuhora a
Agulhas francezas a balo (papel) a .
Pecas de Otas de laa de todas as cores a
roas de botoes de porcelana prateados a
Uias com alOneites trancezes a .
f-aixas de iOO envelopes moito Unos a .
esma de papel de peso branco liso a .
US propnetarios destemuito bem conhe- frasco com superior ti ata a.....
Pares de botSes de punbo multo bonitos
Linbas em cartao de 200 jardas
liIYAL SEI SEGUNDO
ua do ttieltaaiio o. 4, loja dt
aludeza*
D
Jos Bigodtnho.
Varas de babado bordado do Porto a JOt
Carreteis de relroz preto com duas oitvas
Parriteis de reteoz de todas as corea .
Frasees d'agua de Colonia muito superior a
Frascos de o'eo muito fino a......
Duna de tesouras pequeas a .
Frascos d'agua para lirapar denles a .
Redes pretas lisas para segurar caballo a
uuziis de peonas de ac multo Anas a .
-aias de Haba do gaz de 30 noveHos a .
dem de palitos de segaranca a .
Garrafas de agua Florida vrdadeira .
silabarlos com estampas para meninos a
Memento da roopa de lavar a..... (a
8t
501
501
48t
501
3:*

*
l*J0t
321
Rival sem segundo.
Una do QuclmaDo a. 4.
Qoer acabar com as fazendas abain
mencionadas.
Qaeiram vir rcr o que e bom e baratsima,
roalbas de labynntho com bico, faien-
3*00(
A AfilIA BtWiA
3(
5(K
4(
1(1
NO
do estabeecimento tem a satisfago de levar
ao conhecimento do respeitavel publico que
arabam de receber pelo ultimo vapor da Eu-
ropa um grande e variado sortimento de ob-
jectos de inteira novidade, dos quaes se li-
mitam a mencionar apenas um pequeo nu-
mero ficando o respe tavel publico na serte-
za de que neste estabeecimento sempre en-
preco talve alguem faca mo juizo da obra, por sac tab diminuta quantw a vista do sea valor. centrar 3o nm c unpleto sortimento de arti-
Na mesma loja compra-se, troca-so ouro, prata e podras preciosas, e tambem recbese coneer- gos de gosto e inteira novidades como seiam.
tos, por menos do que em outra qualquer parte, e do-se obras a amostra eom penbor, conservan Jo-si
< Coracao de Ouro aborto at as 8 horas da noile.
Qualquer pessoa que se dirigir ao Coracao de Oaro nao se podera* engaar com a casa, poi
nota se ua sua frente um coracao peodorado pintado de amanillo, alem de outro que se nota em urr
rotulo (isto se adverte em consequencia de terem ja' algamas pessoas engaado com oatra casa.

Fedegoso de Pernambuco
A planta, conbecida entre nos sob a de-
nominacSo de ftdegoso, e no Rio de Janeiro
e pro incias do sul deste imperio pela de
arista de gallo, o tiaridtum utilissimim
on tiandium elonaatum de Scbum, e o he-
liotropium cura&sadium de Mart., pertence
familia das boragineas.
O fedegoso considerado, na tberapeuti-
ca peroambucana, como urna das plantas
mais recommendaveis por suas virtudes cu-
rativas, e applicado interna e externamen-
te, como calmante do systema nervoso, na
paralysia, asibma, tosse convulsa ou coque-
luche, tosses recente? e antigs, suffocaces,
catarrnos pulmonares, etc., e em geral con-
tra todos os so (Tr i meo tos das vias respirato-
rias ; sendo nm excelleate unitivo para
aqueles quepadecem de phtiiica pulmonar.
Sua eficacia contra o ttano ou espasmo
incoatestavel, e ningnem ha que a deseo-
nheca.
Nao ignorando nos o que acabamos de di-
zer, e esforjando-nos por ser til humaoida-
de soffredora, preparamos o que abaixo indi-
camos, pondo a disposico dos distinctos m-
dicos, e dos doentes desta e das outras pro-
vincias deste imperio nossas preparaees,
que sao:
A JURlJBGB/1
em extracto alcoollco, emplas-
tro, oleo, tintara, plalas, xa-
ripe e viuho.
A JURUBEBA urna das substancias me-
dicamentosas que periencem ao reino vegeta!
e eniram na classe dos tnicos e desobstru-
entes, sendo empregada com vantagem con-
tra as febres intermitentes acompanbadas de
engorgitamento de figado e ba^o.
Ella tem sido aplicada com incontestavel
proveito contra a anemia ou chlorose, by-
dropesia catarrho da bexiga, e mesmo para
excitar a menstruaejo difficil, resultante da
mesma anemia ou chlose.
i,
2.
v
"2
li
o 3
8
Sa
H
5"
o. ^ x:
B sJ g
5 =
B B n
B'Sg.5

B a 2.
SB3
9 2-fj
03 CA 0
B ...
o o. es
o
3
-1
" a
CM fi>
s
Srs-5-
oq .
O
D.S'L
O ce o a*T3
iU&sf
g a o "2,
Isiil
o o s ->
D a
S o s
E.SS-

co
Anda nao se alugou a casa da ra Augusta
o. 90, com commodos para urna grande familia :
quem pretender dirija-se a raa do Vigario n.
COMPRAS
|aior preeo
que em ootras partes, compra-ie moedas de ouro
prata : na ioja de ourives ra do Cabuga' n. i,
esquina da roa larga do Rosario.
Moedas de ouro.
Nacionaes e estrangeiras assim como libras
esterlinas : campram-se na ra do Crespo n. 16,
primeiro andar.
0 ARROBE VEGETAL
E' muito superior aos xaropes de CUISI-
NIER, e deLARROY. De fac digesto, a-
gradavel ao paladar e ao olphato, elle cura
radicalmente, sem mercurio, todas as affec-
Ces da pelle, impigens, alpo^cas umores,
ulceras, sarnas degeneradas, escrfulas, es-
corbuto. E" sobre tudo poderoso as moles-
tias rebeldes ao mercurio e ao iodureto de
potante.
POs vermfugos para lombrlgas.
Preparado a mais segara par a expulso com-
pleta das lombrlgas e ontros vermes, sem acarre
lar os inconvenientes que se tem dado eom outra;.
prepara$5es Sao de grande acele vermiciva,
agradavais ao paladar e compativeis com toJ s as
idades e compleigSes, variando smente na qoao-
lidade.
XAROPE DE SALSA PARRILHA DO PARA,
ou
DEPURATIVO DO S.l.VGl'E
USADOS AS MOLESTIAS DE PELLE, IMPIGE.VS,
DORES RHEUMATICAS EULCERAS VENREAS
PILVLAS A.VTI PERIDICAS
Contra as febres intermitentes, oa sezes
2AH13 1D2 WNlNtoM
O MULUNGU' tem ac^So directa sobre os
centros nerv(7sos, e por isto faz dormir sem
determinar affluencia de sangue no cerebro
como o opio e substancias simples que delle
se extrahem. pelo que o somno tranquillo
e reparador, calma a tosse as bronchites,
e modera os accessos de asthma e de tosse
convulsa.
TODOS ESTES MEDICAMENTOS SAO PRErAItADOS
POR
Jcaguim d'lmeida Pinto.
PHARMACETi;0 EM PERNAMBUCO. -
Ra larga do Rosario N. 10
Junto ao qnartelde p licia.
Chocolate vermicida
DE
Antonio \anes de Castro.
Desde 1857 que sao as tabellas romicidas
applicadas em Portugal, como o remedio
prompto e efficax para a expuls5o das lom-
brigas, que to graves padecimeotos causara,
e qoe quasi sempre se snppoe ellas a ori-
gen).
Este virmifogo preferivel a qualquer
outro pelo sea agradavel paladar e fcil ap-
pcacSo s enancas, as quaes geralmente
ta mais atacadas de semelbaote mal.
Deposito especial
34.Ra laga do Rosa rolo34.
Maior vantagem
O corsgao de ouro ruado Cabug n.2 D, ou\-re-
ce-se em compra das moedas de ouro e prata.
A 1C por cento.
Comprase a prata na prac. da Independe cia
o. ti.
MOEDAS
de ouro e pr ta
Ccmpram-se moedas de ouro nacionaes e estran-
geiras, bem como patacoes dos diversos conhos :
em casa de Adamson, Howie & C., rna do Trapi-
ebe-nova n. 40. ____________
Moedas de prata
nacionaes, assim como pataeSes portupuezes e
tiespanboes, compram-se com premio : na ra do
Crespo n. 16, prime andar.
Compra-se ouro e praia em obras ve.'bas :
ua praca da Iodependeccia a 22.
Cintos
Os muitos desojados cintos conf pontas,
bordados a vedrilho, fazenda de muito gosto
e completa novidade, respeito a estes cintos
n5o fazem observares e sim deixamos a
apreciado d s esclarecidas fregnezas isio so
no Gallo Vigilante na ra do Crespo n. 7.
Leqnes
Muito lindos leques d'osso, madeira, sn-
dalos, e madreperoia ; pretos, brancos e de
cores, e muito se tornam recommendavel
pelas bonitas paisagens.
Flores
0 melhor que se pode desejar neste arti-
go as quaes parecem naturaes assim como,
tambem recebemos urna pequea porg5o to-
das pretas e so vendem na loja do Gallo
Vigilante ra do Crespo n. 7.
Capellas
Mu lindas grinaldas brancas e de cores
aquellas para noivas, e estas para bailes, ca-
samentes e baptisados.
Lnvas
Lavas de todas as qnalidades para se-
Dhora, homem, mennas, sendo de algodSo,
fio da escocia, seda e pelica muito fresca e
do fabricante Jouvin, parece-nos que nao la-
ver quem ignore que por todos os vapores
da Europa o Gallo Vigilante, recebe grande
quantidade deste artigo e por isso sempre
tem sortimento a vontade do comprador, e
tambem nao se valle da falla o sea preco
sempre o mesmo.
Pentes
Muito bonitos pentes de tartaruga para
coque e azaros cabellos, assim como para
arregacar es mesmos e rauitas outras quali-
dades.
Escoras
Grande sortimento de escovas, para roupa,
cabellos, chapeos, dentes e unbas, sendo de
osso, bfalo, baleia, marfim e madreperoia.
-\;tva has
Superiores na/alhas pequeas para bar-
ba sendo cabo de marfim, tartaruga e ou-
tras qualidades, as quaes o fabricante ga-
rante a boa qualidade.
Abotnadnras
Chegaram as aui lindas guarnigoes fde
botSes para colle'es fazenda de gosto, assim
como grande sortimento de botoes para pu-
nbos.
Para acabar,
Vendem-se seccas com faritha de mandioca de
25500 a 55; assim como :accas com feijao por
naraiissiroo preco : no trapiche Bar5o do Livra-
roeoto no Forte do Mallos o. 13.
Milho em saceos grandes~
3,000 is.
Xa tua da Madre de Ueus n. 5.
151XK
K
501
164
81
60(
2jr>o<
l (
81
101
,--------a .
Uixa de superior linha do gaz eom 50
noveilos ............. 701
Talberes para meninos a....... SW
Masso eom superiores grampos a 3(
Bonets para meninos a........ ilOOi
Pentes com costa de metal a...... 40(
Realejos para meninos a....... tot
Ouro
Balancos
Urna pessoa qae ha lempos a esta parte trabalha
em eompaobla de nm dos mais afamad s e abali-
sidos guarda heros, encarrega-se, mediante nm
ajuste raioavel, de ecbar balancos, e de faier
qnafqoer trabamo de eseripturacio, seja porque
sysiema tor, nao recebeudo paga alguma em quanto
o trabalko nao etUvtr promplo, e A vontade de te*
a i l,0e7,oprec,,ar procure na ra larga do
Hosario n. 48, andar, oo por meio das iniciaes
A. L
Padaria
Preeiu-se de doas traballudores qae emendara
perfciuntme deste servljo: oa rna larga do Rosa-
no a. M.
e prata
Moedas de ouro e prata nacionaes, estrangeiras
de ledos os valores, se comprara na loja de ouii-
ves junto ao arco de N. S. da Conceico, ra da
Cadeia do Recite, assim como ouro e prata un
obras velbas, briibantes e diamantes, o se paga
bem.
Compram-sc escravos
Silvino Guilbermo de .Barros, compra, vende e
joca effectivamente escravos de ambos os sexof
de todas as idades : a* ra do Imperador n. 79,
erceiro andar.
oedas de oaro e prata.
Compra se sempre por mais do que em entra
qualqoer parte todas as qualidades de moedas de
ooro e prata. nacional e estrangeira, e tambem se
trucara sedulas dos bancos do Brasil e calas fl-
llaes de outras provincias; na ra da Cadeia do
ecife n. 58 loja de azulejo.
_ 1 rP0R~CEJTO
Se paga por prata nacional e estrangeira : na
If'ja de ourives no arco da Couceijao oo Reclfe.
" AXTBUCAO.
Na ra das Cinco Pontas n. t>2 compra-se urna
escrava moca que saiba coziohar e engommar.
Ouro e prata
Comprara se soberanos a 11*500, moedas brasi-
leras a 2350O0 e prata a 12 por cento : no escrip-
torto de Guocaio Jjs Affonso, ra do Torres n. 18,
junto ao lelegrapto elctrico.
Moedas de ouro e prata
No armazem de Augusto P. de Oliveira & C.,
roa do Trapiche n. 42, pagam-se a procos mais ele-
vados do que os carreles no mercado.
No armazem de Tasm IrmSos, roa do Amo-
rlm n. 35, lera para vender saccas de milbo novo a
5 a sacca.
Novas chapelinas
de fina palha da Italia.
A Aguia Branca, a' rua.do Queimado o. 8, rece-
ben um novo sortimento de bonita cbapelinas de
Una palba da Italia, ornadas com delicadas flores, e
como sempre a Aguia Branca as vende por precos
commodos.
AUenco.
o
No escriptorio de Actinio de Almei da Gome3
roa da Cruz n. 23, andar, vndese :
Vinbo do Porto engarrafado, em caitas de duzla.
Sardinhas de Nante?, em quarto de lata.
Salsa-pirriiha de Santaie n.
Agua de Florida, em calimbas de duzia.
Cal de Lisboa, em barris arqueados de ferro.
Um cyijqdrc novo para padaria.
Vende-se um boui piano de mpgoo de eicel-
lentes vozes, tanto para eiecueo como tem a pro-
priedade de fazer bom aeompaobameoto para can-
tar : a tratar na ra do Pilar, em Fra de Portas
n. 37.
^~
Vndese
Miiho novo em saceos grandes: na roa do Amo-
rim n.36. ______
Vende-se nm bol manso, acoslumado a tra-
balbar com carroga oo carro : para tratar-se na
roa do Pires n. 36.
ATTENCO
No armazem de fazendas dt
SantusCoelho,rua do Quei-
mado n 19.
Bem e barato
Lansinhas Poil de Chvre a i& o covado.
MadapolSo enfestado a 8 a peca.
Cambraia de cores matisadas finissimas a
800 a vara.
dem brancas transparentes finas de 4.
=55000, 60,70, 80 e 9fooo a peca com iC
jardas.
dem branca tapada de 80 e 90 a pe
com 12 jardas.
dem branca franceza muito larga a 90 a
peca com 8 varas.
Bales de 35 e 40 arcos nesgados para
senhoras, a 40500.
dem de nyirsulina nesgados a 50.
dem de crochet a 50.
dem de mursnlina para meninas a 30 e
35oo.
Saias bordadas a 50.
Cambraias admascadas para cortinado a
120 a peca com 2o varas.
dem para forro a 30 a peca com 10 jar-
das.
Cambraia de linbo muito fina de 60 e 90 i
vara.
Madapoles finos de 60, 70, 80, 90,100,
110 e 120 a peca.
Platilha de algodSo superior fazenda par,
saias a 30200 a peca com lo varas.
Cobertas de chitas de ramagem a 206oo.
Lences de hamburgo fino a 20400.
dem de bramante muito fino a 30200.
Pannos adamascados para cobrir mesa a
40500.
Guardanapos de linho adamascados a 40
a dnzia.
Atualhado adamascado com 7 1/2 palmoi
de largura a 20 a vara.
dem adamascado de linho com 7 1/2 pal-
mos de largura a 30 a vara.
AlgodSo enfestado com a mesma largura
a 10loo a vara.
dem trancado de algodSo a 10600 a vara.
Toalhas alcochoadas de linho lisas a li
a duzia.
dem de algod5o felpudas a 130 e 14
a duzia.
Colchas de fustao a 60.
Lencos de cambraia brancos finos a 10800,
20 e 205oo a duzia.
Lencos de cassa finissimos a 30200 t
3060o a dnzia.
Fil de linho liso a 8oo a vara.
dem com salpicos a 10ooo a var
Grosdenaples preto bom a 108oc, 20
208oo o covado.
Moreantique preto superior a 208oc o co-
vado.
Flanelia de todas as cores a 800 rs. o co-
vado.
Tarlatana de todas as cores a 8oo rs, i
vara.
Bramante de linho com 10 palmos de lar-
gura a 205oo a vara.
dem de linho com 5 palmos a 102oo
ara.
dem de linho com 3 1/2 palmos a 8oo
vara.
Riquissimos basquins a 250000.
Assim como outras muitas fazendas qu
se vende por menos que em outra qualquer
parte, e d-se amostras de tudo,
Bales de 2e, 25, 3o, 35, 4o e oo arcos
para senhora a 20,205oo, 30, 30ooo 40 e
J0OOO.
Ditos de 25 e 3o arcos com mollas a 50
e60.
Ditos de murculina estreitos a 60.
Espartilhos finos a 60.
Percalias finissimas a 4oo reis o covado.
da boa a
Carreteis de liaba com 100 jardas a .
Gravatas pretas e de cores moito Onas a
C?iias de oSreias de massa muito novas a
ecuadores para sparlilbo de cordao e
lita a...............
Carreteis de linba Alexandre com 400 jar-
das a ...............
Jabonetes muito Tinos a 60, 160, 200 e
Ditos de bolla muito fios a 240 e .
Viadas de linha froxa para bordar a .
Varas de cordao para espartiibo a .
entes volteados para regacar cabello de
mnitas ............
Frascos de macaca' oleo muite fiao, a .
ibotoadoras muito Boas para coileles a .
Candes de liuha branca e de core? a .
Libra de ara preta superior a.....
">c. vas par* (alo, fatenda boa, a .
Varas de franja branca de linho para
inalbji a..............
Ciixas de palito bailo a........
Canas de palitos de seguranza sem en-
chjfro a.............
Sobonetes de familia a 100, 160 e .
Caiiilba de doutrina chn.-iaa a .
QuaJernos de papel pequeo superior a .
Duzia de baralhos francezes snperior .
Groza de phospboros muito superiores .
C-.'Xs a relalbo dos mesmos.....
Caitas de phospboros de vellinha contedo
500 veliiobas muito superiores a .
^ roas de papel almaco muito superior .
liornas de papel pautado superior quali-
dade ...............
razias de meias para bomem.....280(
Duzlas de meias cruas muito superiores 40OuC
Condecoraces
A bem conhecida loja de jolas de Moreira (
Duarte, a* roa do Cabug n. 7, acaba de receber
porco de habitseofflclalatos da ordem da Rosa,
e hbitos da de Cbriste de diferentes tamanbos
que vende por preQos moi razoaveis, alera disso
continua a ter como sempre um completo sorti-
mento de joias dos gostos mais modernos para as
quaes conta com o concurso de seus bous Ire-
guezes.
20
21
32(1
120
500
20
100
600
100
i(-
60
240
320
20
23001
10 OO
if
t60
3*600
Pechincha
Vendem-se pequeos albuns de algibeira,
para retratos em miniatura, para 6 e 36 re-
tratos, -pelo diminuto preco de 102oo ris
cada nm: na raa do Crespo n. 4, fabrica
de chapeos de sol.
Fundigo dAurora em
Santo Amaro.
Completo sortimento de taixas batidas e fonm
das, alambiques de todos os lamanboa e fundos d
ditos, raoendas de todos os tamanhos de superior
qualidade, crlvos e boceas da fornalba, o que tudc
se vende por commodo preco.
Lidas muilo lindas ia a 500 ris o
covado.
Vede-se na loja do Alvaro a' ra do Crespo n.
20 B.
. Chegou afinal
A pomada galopean
para cura rpida e completa dos callos duros.
VBNDK SE NA
Botica e drogara
DB
Rartholomen sfr. C.
34Raa larga do Rosario34
Cabriolet
de 4 rodas e 1 cavallo muito superior, vende-se
para tratar na roa do Crespo n. 16, andar, pa-
ra ver-se na cochelra do Paulino ra de S. Amaro.

tteoco.
Cassas finas a 210 e 320 rs.
as de seda preta a 16? e a
Crespo n 17.
o covado, basqol-
22 : na roa do
Milho novo de Mamanguape
.No caes da Alfandega armazem do Paula Lopes.
E' baratissimo a 500 ris o
Por etnheeer a influencia que eosluma haver
em todss os aonos, per esto lempo, e p quanto se deseovoive e appora-;e o bom go/to em
Pernamhaco, ella que tem sempre era vistas agra-
dar, e sinceramente bem servir a sua boa fregne-
zia, auiecipou-se em rr andar buscar es diuereoles
objectos de gosio e fantasa, qoe agora mesao aca-
bara de chegar.
Que a loja d'Agoia Branca, com especialidade,
cnae prlmeiramente se enc( airara qoaesquer des-
ses objecus de novidi.de e moda, Isso esta' geral-
raenie reeooberido; mas aima assim a Aguia to-
?.fB0 por dtTer ?clentiBear ao bello sexo, em
_ pariicuiar, e ao respeitavel publico em geral, sem-
; Pre eor, reetbeos Impertiles otjec-
los qoe abano menciona, e por mais es5a vez ela
loma a liberdade de pedir a aletelo das Exo."
apreciadoras do bem, para os novos e bellos orna-
tos que furmam um lido e rico icill-1
Nao cerlamenle com nma mal aparada peona
d'Aguia, que bem se fde deserever o bom goste e
desempenbo de taes obras, sim, a propria inlel-
agencia d'uma excelleotisslma, que bem podera'
apreciar o alto grao desses perfeitos objectos, tai-
vea os primeiros que nasse genero tenbam viudo
ol nosso Pernambuco.
A Aguia Branca, fara' apenas conbecer os ob-
jectes de qne se eompdem esses novos e bellos r-
nalos. Em ora bello cartao vem hbilmente arran-
jado, um moderno cinto de Ota de sttim cu acba-
malotado da largura de 7 a 8 pollegadas, um bel-
lo leque de madreperoia, nm par de luvas de pel-
lica, ramos de tinas Adres para o ceque, peito,
guarmeao para as luvas, etc., etc., e flnalmenlo
urna almoradinba de selim com aromticas patti-
Ibas em po.
Alem disso
Esiao em ordem do dia as novas e bellas iranias
de fiua palba de Italia, e ooiros diflerentes enfeiles
da mesma qualidade e proprios para vestidos de
las, cbapos de senhoras e meninas, resta somenie
que os pretenderes coroparegam na loja 'Aguia
Branca na roa do Qoeimado n. 8.
Diversos objectos
de gosto c novidade, vindos
para a .tgula Branca rna
da qoeimado n. 8-
Enfeites de fltres, obras de muito gosto, a nltima
moda, proprios para bailes, casamentes e pas-
selos, etc., ele.
Meias cbapelinas de diversos moldes, e mui
bem enfeitadis, cora veos o sem elles.
Ricas capellas cem veos e nm elles para noi-
r,Qn.rn.8.bran",,e cLde rosa PJra meBlnis.
Cintos com flvella e fita branca para ncivas.
o ros de pontas e sem ellas, pretos e de cores.
Uutros mu ricos e de variados moldes e gostos
e de diversas cores, com grades de vidrilbos e pin-
gente?. *
Para enfeitar vestidos e basooiDes,
Bon-tos biccs de blonde, com vidrilbos e sm
elles.
BoaiUi rendas de dito, tambem com vidrilbos e
sem elles.
Trancas pretas de vidrilbos, com variedade de
larguras e de moldes os mais novos e bonitos.
Outras de cores tambem com vidrilbos e confor-
me as pretas.
Uutras de seda com vidrilbos e sem elle?, e da
diversos desenho?, corts o larguras.
CorfOes pretos e de cores, grossos e finos, com
vidrilbos e sem elles.
As novissimas e bonitas trancas de fina palba de
llalla*
Ramos, lacos, cordoes e ontros diversos enrol-
les tambera de palba e proprios para vestidos, cha-
peos, etc., etc. '
Boides pretos e de outras muitas core?, com
pingeutes e sem elles.
Outrcs de palba tambera cora piogentes e sem
elles e todos enfeitados com vidrilbos.
Oulros de fuslao, brancos e amarellos, e at
mesmo marcas de madeira ovaes para cobnr-39 da
cor que se quizer.
Flores.
Um bello e completo sortimento de ramos e de
flores finas, rosas camelias, Alexandria, ele, e
em todas es-as flores se nota o apurado gosto e
perfeita inMagao, onde se conbece qoe nesse gene-
ro nada mais ba a desejar.
Bonecas.
Um novo e bello sortimento de elegantes bono-
cas de p de pedra mu bem vestidas, e excel-
entes para presentes.
Outras cora rosto de cera e igualmente b.nils
mas nao vestidas.
Pilas lavradas e lisas, leudo nesta, de mecor "
largura al a de quasi nm palmo, e propria para
cilos.
Outras de soda de cores
(ido.
cora excelieote.i
covado.
Superiores las para vestido^
para debruar-se ves-
Obras de porcehaa e p de pedra.
Bonitos jarros, e boquels feitos de p de pedra,
obras de muito bom gosto para salla?, e santua-
rios.
Conxas de p de pedra com figuras dentro,
obras mu benitas e de gosto.
Entre essas ebra?, tem alguos jarros com pe-
se acalem ; na ra do Queimado n. 46, loja de
Cid maraes Bastos?
Chocolate he$panbol
Vende-se a 800 rs. a libra.
Na ra Nova n. 11 e 51
Ra do Cabug numero 1 A.
VENDAS
Milho em saceos grandes a
3,000 r.s.
Na rna do Amorim n. 45.__________________
Vende-se a casalTrea o. 66 sita a' ra Ve-
Iha: a tratar na rna do Rosario n. 58, em frente
a' roa do Ara gao.______________
Vende se a taberna da roa da Cacimba o. 2,
com frente para a roa do Vigario, muito afregoe-
zada, e cora poucos fondo?, propria para ou) prin-
cipiante : a tratar n mesma._________________
Vend! se nm sitio na povoaco da Vanea,
bem plantado e tendo mallos arvoredos fructferos,
eom casa 4o menda de madeira, multo proprio
para se passar a festa, por Ocar muito prximo do
rio e ter breve do passar os trilbcs de ferro da es-
trada de Jaboalao ; vende-se por prego moito com-
modo : trata-se na ra Direita n. 8, oa no mesmo
sitio com Jos Rcdrlgues Csmpello.____________
Vendem-se cadelras de pioho de theseuras
americana?, proprias para esiabeiecimelos : oa
roa oo locaotaaeoto n. k
Luvas de Jouvin
A loja da Aurora, os ra larga do Rosario u
sa, pertenceote a Maooel Joti Lopes & Irmo, re-
ceberam lavas de Jouvin branca e de cret oara
homens e senhoras. F
Millionovono trapiche do
Cunha
Saceos de 20 cuias a 3*200. .
Vende se um bom boi de carraca
da nova sitio da vluva Villa-seca.
na estra
Fazenda oaratlaslmaa
A* RA DO UUEIMADO N. 31
Loja de A. M. Rulim.
Cassas moito boas o covado a 240 e 60
Cortes de ditas com 10 varas a J300.
Ditos de cambraia de salpicos brancos e
de core? (fazenda que sempre se veo-
dea a li) por 3*300.
Lans de lislras e de palminhas o covado
350 e 400 rs.
Tarlaianas de cores vara 5(0 rs.
Chales de merino estampados a 4*1.
Alberns de alpaca cor de ganga a 4X.
Ditos de baregs a 3*.
Milho novo de Mamanguape
Xa roa do Amor im n. 68.
JllliM DAS FAMILIAS.
Publicaco illastrada.artisca, recrea-
tiva, etc.,
ornada de flgurloos, gravaras, pecas de mu'ic
moldes de vestido, e em geral de lado quanto
concernente a trabalhos de senhoras. Sahe urna
vez por mez. Asshzoatura por umlaooo de ian-irn
dezembro 12*000 '
Livraria_franceza,_rua do Crespo n. 9.
Milho em saceos grandes a
3000 rs. o sacco
No caes da Alfandega, armaiem de Tasso Ir-
mios.
Milho novo
Na rna do Vigario : taberna de Joo Simo.
Vende-se por prece commodo^omalnachTa
nova a vapor, porttil, de torca de seis cavallos e
de perfeita construeco com toda ferragem precisa
para mover varias machinas de algodo oo ootro
qualquer mister, e bem assim urna prensa ameri-
cana de enfardar algodao, de systema moderno, e
de muita forja e a'gnns toneis proprios para depo-
sito?. A ver e tratar na fabrica da travessa do Ca-
neca p. 2, caes do Ramos.
CO!\DECOR40ES
Chegaram de Paris no nltimo paquete commen-
das de Cbristo e cruz periencentes s mesma
hbitos de Cruzeiro, da Rosa e de Cbristo, com
saas conipetentes fitas ; vende-se por preco com
Jissencia de rosa, outras concentradas, finos ex-
iracios, e pomadas, etc., etc.
Emquanto a' perfumara todos sabem que a
Aguja Branca tem a prlmasia, adquerida com o
vender constantemente Anos extractos e de acra-
225 cne'ro. Pomadas de finas qualidades eT es-
comidos odores, agua de Colonia, sempre da me-
lhor, e assim tudo o mal?, que enumerar se torna-
ra enfadonbo.
Compre pois, que, quem quizer ser bem servi-
do, se dirija loja d'Aguia Branca a* rna do
Uuelmad^ n. 8, que alem do grande sortimento do
oom, achara iofallivelmente o que se torna sem-
pre precisoagrado e siucerldade.
d
n
o


Q- A "O 2

H
ai
es m
B
2. a>
I modo na rna do Cabog,
Seraphr & Ir mao.
loja de joias o. 11, de
Vende-se um bom piano de mesa de Jaca-
randa em perfeito estado: na rna da Camboa do
Carmo o. 20.
PECNi
Cal de Lisboa em barris a 3*0110, assim como
ama porcio a granel a 1*400 o aiqaeire I!! I a'
raiar ua roa da Cadeia n. 2 f andar.
Ni roa Veiha n. 43 primeiro andar, vende-se
as .egoioles obras, em bom estado:
Opera Vergilll Maronis em 3 voIooms. ... 4*000
Ovilisatlon em francez (Querol) em 4 dem 7*0(10
VValderk (Dirtlto Remano) era portuguez. 3*000
Diccionario elemeaur, gre|c francez... 5*030
Carne do
serifo
Cbegada pelo Ipcjucat: vende te moito barato,
do trapiche da compaobia peroambueaoi, no For-
te do Manos: a tratar oa raa larga dj Rosario
numero 24.
Vende se nma peqoeoa taberna na liba dos Ra
tos n. 40. ccnfronUBdo aponte da Aorora, cem
multo poosos fondos e bem afreguezad, propria
para principiante, pois a casa barata e tem com-
modo#.
Francisco Jos Qermanii
|RUA NOVA N. 2, -v.
acaba de receber nm lindo e magnifico 10
timeoto de oculos, lunetos, binculo!, do d
timo e mais apurado gosto da Europa a oo
los de alcance para observares e. par <
martimos._________________________
Novidade
para presentes, bonecas ricamente vestidas a mo-
da actual e eabellos amarrado tambem ao ultimo
gosto o melhor posstvel escolbidas na exposigao e
ebegadas ao armazem do vapor raa'Nova n. 7.
Vende-se
Na roa da Senzala feoebeira ingiera) nm ex-
celente burro para earro e tiagem, e malta novo:
quera o'pretender dirija-se a mesma cochelra.
Condecoraces
ebeflaias oo vapor Ingles Selne, nm sortimento
oa loja de oarives de Jos J. Goncalves Barros di
C, roa de Cabog n. 1, esquina da raa larga do
Rosario.
Vende-se um peqaeoo sitio da Caponga, com
casa de v, venda defroote do sitio do Sr. Panto Jos
S .M
' f a| S. 2 3:3
ln|".lSfIl
S zLo o 9 fi ar s
i? 5ft|
B5
UW
o. o
B 5
cr
i 5. B 5 5 q.31a
fa*
m w
"0

ca
a
3
21
*sa8"li.iF
^5
&>
Gome'
o. 31.
a tratar m roa Nova
lo]a de ferragens
Liquidado de calcados.
Bu do Imperador n. 32,
Bortegnins de bezerro para bomem.
Ditos de lustro para homem.
Ditos de cor Javo.
Ditos para senhora enfeiUdos.
Ditos para meninas.
SapaU5s de bezerros.
Botinas brancas paia senbora.
BoUs peqoeoas para monuria.
Ditas grandes para montarla.
7*0M
6*000
8*000
5*000
3*000
3*SGO
5*000
(8*000
!5*0O0
Erva mate,
Na praa do Corpo Saolo n. 17, 1* andar, ba na
ra Tender ervs mal* muito nova. Cal de Lisboa
allinumeau cbegada, por preon cemmodo.


Piarlo te Pernanteae* sabbatlo 9 de Dezembro de 4867.

M

BU *
DO
DR. S1W1AL..
Para o tratamento e cara rpida e completa das molestias syphiliticas, ers
as, rheumatismo, bobas, gota, debilidade do estomago, inBwnmates ebrooicas do ligado
i baco, dores sciaticas, cepbalalgias, nevralgias, ulceras ebronicas, hydropesias, pionn-
uas, gouorrheas chronicas e em ge al todas as molestias em qae setenha em vista apn-
neaco do systema sangaineo.
ton sideral es geracs
A sande um bem inapreciavel, cuja importancia e valor s est reservado ao ens
armto a?alia-lo. ,
incontestavel qae o homem neste mando constantemente, e por todos os iaaor
atacado por ama infinidade de agentes morbficos que todos tendea, dadas cerus e jjojj^-
adnadas cirenmstancias, a alterar o regular exercicio das funeces orgnicas, resutianoo
MS86 desequilibrio o que se cbamamolestia. .
A molestia nao mais de que a desvirtuacao das torcas vitaes, occasionaaa,- q,
fundo as iuvestigaces e experiencias dos mais abalisado mestres da sciencia, pela depm-
*ac5o dos tiumores geraes, consequencia da acolo maligna desses mesmos agentes mora e
Seos introducidos no organismo pelo acto da reepiraco, pela via digestiva, pelo contacto
immediato etc. etc. etc. .
A syphilis infelizmente tem sido a partilha da humanidade, e como rara de duvi-
da qne esse terrivel Proteo da medicina urna molestia hereditaria, eHa tem sido obser-
Tada cm todas as idades, e debaixo de todas as suas formas tao variadas, enfraquecendo
isiituicoes robustas, produzindo mutilae5es, e cortando ainda em 6r da idade vidas
preciosas. .
Eliminar da economa esses principios deletenos, e purificar a massa geral dos
tumores tem sido desde lempo immemorial o fim constante da medicina, e os purgati-
vos fituram em primeiro lugar para preencher esse desiteraium ou fim.
O Elixir depurativo do Dr. Sevial parece merecer a preferencia sobre todos: os
inmensos successos obtidos pelo oso deste salutar agenie tanto na Allemanha, como em
Franca e Italia, o toraam o companheiro inseparavel de qoasi todos os doentes.
Sendo as melestias, como cima dissemos, devidas s alteraces dos humores, o
Eliteir depurativo do Dr. Sevial pode serempregado vantajosamente na syphilis, ersy-
peias, rheumatismos, b6bas, gota, debilidade do estomago, iBflammages chronicas do
k'ado e baco, dores sciaticas, cepbalalgias, nevralgias, ulceras chronicas, bydropesias,
pleoHsi, gonorrbeas chronicas etc. e em geral em todas as molestias em que se tenha
ilumine
'PREPARARES FERREAS-IARGAH1CAS
AffROVIDU tU 4CADBHA M attMCUfa
DE BRIN D BUISSON
tkmxutkt, \mtuh tU iultm k latea* t* h
TI"
O nlnente profetaor Taeosmrj, na ultima tfrMm Tn** fmtum t Malaria aW, rtconhece que os ferrtpatoee* am*t a mutas
lee nefficaee para corar a* molestias qae teem a-caiua- empobrec meato
do Bengne. Uuitoi mdicos doa mais distioctos atlribaeaB esse m o eiito a ausencia,
n'esea* preparacoe, do a*atioatMe, que se aeha no saogite, como Miera reconbocida ^
os ekimicos os mais peritos, sempre intimamente unid co O forro.
I' ion, preitar-aemn verdadairo ervco sos S~ Medios, chamar* na atleaco
tobrt u preparacoes seguales.
! Ffo ferreos manganicos ^XS^TSJSU^1^^
otonomia as aftaa mineraes ferruginosa.
2 PiMas e Xarof e de iedareto de ferro e de maBganese inaltemeis
oeateodo cada ama. cinco eentirramos de iadttreto de ferro mangan ico iodicadu
" particularmente as molestias lymphatieai, eierofolosu, e as clamada* c*5
rosas tuberculosas. v
! Bnges de latUto de ferro e e mmanese ] ^t,^
t Pulas de carbonato frreo aangaiico | tzZT&rz
iUraar satas daas prsparacoea di os melhores rmludos.
O teria di Baissoa desejaado oblar a adneslo completa de publica awdica a
cerca do valor de saas preparacoes, prava qta aQa aa p6a frataitament* a sna
dUposiclo, dirigendo-*e;
No Ptrnsmhm, a sai agenta geral, Msarw O*, pbajmacwtieea, na Rana.

iiiiiiiii irr
Vende-se na pharmacia de P. Maorer A.C., ra Nova.
0 cordeiro providente
Na antiga loja de miudezas- a roa do Quei-
mado n. 46.
Tendo sempra em vista nioronbar o lempo aos
seas Iregueies con exieo^os annoocios ; mas
tambera nao qaerenJo qae os- masaros (regneies
Igoorem o qae de novo leal eHe recebldo, por Isso
resomidHnjiQia;,. dir': ch^gaado asaim ao co-
nbfcitLeulo dd lodos que a dita loja do Cordeiro
Previdente, roa do Quelmado n. 16, recebetr*ea-
goinie :
Bonitas e doradoras ligas de pellica para meta;,
tanto para senboras como para meninas.
Leqaes de dfVersos e modernos geslos.
Penles cem eufeiles dourados e nao donrados,
para meninas.
Coques simples eenfeltados, moldes iteiramen-
le novos.
Boro papel em caliiobas Uso, pautado doura
do e timbrado, e oalros niuilos objectos, qae men
clona-tos seria bastante entadonho, e que se ven-
de em dita, toja de miudezas do Cordeiro Previ-
dente, ra do Qaeimado n. 16.
Nao faltan Aeres,
O Cordeiro Previdente a roa do Qaeimado a. 16
tem constantemente um lindo sortimento de 0
naa e bonitas flores, por isso quando algum ba.
bllidosa joven quiter preparar qualqoer enteite de
bello (tost deve logo lembrar se qoe ba dita loja

FESTA.
picardas, gonorrueas curonicas etc. e em gei m vista a purificaco do systema sanguneo; pois que urna pratica constante tem feto de I qu.daCao mjjfijpg n
rer qu3 c'!e indispensavel nos casos gravissimos para minorar os soffr.mentos, pre- Arara, ra da imperatriz n 50 e 72.
Lourenco Pereira Mend s GaimariSes, tendo de dar balaoco em suas lojas de fa-
zenda no fim do anno e tendo moita fazenda em ser, por isso resolveu fazer urna gran-
dia i at o fim do mez, as lojas e armazens da
qu
parar o
pertencej tolas exclusivamente ao reino vegetal, e grande cathegona das sobslan
as depurativas e antisyphiliticas; assim, ao passo que este remedio depura o osga-
aismo, viiiuinando os principios nocivos saude, pelo mecanismo nataral das eyau-
afes alvinas, neutrasa ao mesmo tempo o virus sypbilitico qaando este virjem.
tem feilo erapCSo bo exterior debaixo de suas multiplicadas formas; e previne.taui
Htm os estrago dessa terrivel molestia, quaodo por ventura se acbe: ella ainda no
es'ado de cncubaga, isto sem se ter manifestado sob formas externas beneficio
aamenso, ta o mais quanto neste estado os individuos ignoram completamente se es-
to contaminados por este terrivel inimigo.
O sabor agradavel d'este Elixir convem a todos os estmagos,-a sua acc3o so-
ore o tubo intestinal 6 suave e benigna, e de nenhuma forma produz molestias tnedi-
innentosas, como acontece ao purgante dito Le Roy, que na sua qualidade' de drs-
tico forte irrita a mucosa intestinal, e consecutivamente a seroza, resaltando d^ste es
ado, maitas vezes, hydropesias, que qaasi sempre terminam pela morte to doente.
Assim pois esperamos que o uso deste remedio justifique cabalmente as nos-
psseveracoes, porque sendo um medicamento tao simples na sua composicao, a
ortica em confirmado sua ulilidade.
nico deposito em Pernambn
Na botica e drogara
DE
Barthotomeo Companhia.
3*RA DO ROSARIO LARGA34____________________________
GRANDE
LIGl!IDA(ao DE FAZE.NDAS
Por liaratos presos.
Cassas francezas de cores] a 240 rs. o'covado.
Ditas franc zas, superior qaalidade, -grande variedade de'padres, fazenda de
"(A) rs. a vara, a 320 rs. ocovado*.
Ditas ditas tnnito finas a 400 rs. o covado.
Saderiores c las francezas largas de cores fixas a 260 rs. ocovado.
Lio ias IS-s ile cores cora salpicos c com floresj a 320 rs. o covado.
D' : com palmas de seda a 320 rs. o covado.
Dit.s c(m hstas imitandopoil de Chvre a 400 rs.Jo covado.
Superiores a'pncasde cores de daas larguras com listas e com flores, grande va-
ad de d( pidrres e gost;s inteiramente lindos ^fazenda de i& o covado) a 500 rs.
Sedan de cores de quadrinhos e de listas a 800 rs. o covado.
Ricos n diws oa cipas de merm, bo:dadaspe enfeitadas com renda preta, [o que
a de mai :;o! n i para hombro de senbora a 8$, 10$ e 125 cada um.
B: Ditos a U-
Superi r algodSonho branco com 20 jardas a 45 a peca.
JaSSim como ou'.ras muitas fazenias por menos do sea valoreara liquidar/
LOJA DAS COLUMNAS
DI
Antonio Correia de Vasconcellos & C
Ra do Crespn. 13,
dispensavel nos casos gravis:
doente para medicaces superiores; e as menos graves a cura a conse- PecWacha em chitas a 160 rs. Cortos da laisinfcas a 4, J^SW> e S^OflO
quencia do sea aso, convenientemente repetido. Vende-se chitas para vestidos a 160 e Vende-se cortes de lasinh s, de cores
As substancias que entram na composicao do Elixir tfepurattvo do Dr. Sevia (20o rs. o covado, cassas Iranceza?, a 240-- para vestidos com 14 covados a 4fl e 5.
280 e 320 is. o covado. I Alpacas de listas de seda a 800 rs. o covado.
S oa Arara, cambra a 2# o corte. Vende-se alpacas de lista de seda para
Vende-se cortes de cambraias de barras vestidos a 8oo, 52o, 5Co e 5oo rs. o cova-
e listas a 25, 2,5 >0 e 30, coi tes de cam- do, organdis branco e muito fino a 1;>, a
braia bordados a 3JS00. 40. e 50. vara.
Mussulinas de cores a SfP rs. a eaiado. LaSsiahas paravestidos a 200 rs. o covado.
Vende-se or.llantinas e mussulinas de Vende-se lasinhas para vestidos de se-
cores para venidos de senhora a 500 rs. o _horas oo, 2o, 3?o, e 5oo rs. o covado,
covado. barege de listas a 2io rs. o covado, mos-
Cbitas fraaceas Unjas a 240 rs. e covado. sambque com pilmas e listas de seda para
Vende-se chias francezas largas a 240, estdos a 28o rs. o covado.
280, 320, e 360 rs. o covado, percalas fi-
nas a 400 e 500 ts.
Organdis de quadro de cores a 320 rs.
Vndese organdis de quadros de cores
paravestiJos a 320, 360 e400 rs. o covado.
Las Coas de lista a 100 rs.
Chales de renda
Vende-se cbles de renda mnito^pretos
a 4500 e 53, re ton Jas de linbo a 55 e 60.
Reupa feita nacional.
Vende-se palitos de alpaca branca e de
Vende-se la>inas de lisia de cores para ores, proprios para os das de festa a 30ooo
vestidos a 400, e 500 rs. o covado. !e 40, ditos pretos a 30, e 40, dem de meta
Uadapolau do Arara a 40 cazemira 305oo e 40, idem de casemira pre-
Vende-se pee s de madapolo fino e largo ta e da cores a 60, 83, e lo0, caifas de
a 40, 5,0, 60, )0 80 e 100, a peca al o meta casemira a 20?oo e 30, dem de case-
dSosinho em pecas encorpado a 40, 5?000 mira a 60, e 80, colletes de casemira a &,
t'0500 70 e 80 a peca.

NOVA FABMCA

DE

S
m
CHAPEOS
m
DE
TODAS A QALIDADE
DE
:m

Manoel Moreira de Souz \
45. _== BA XOVA = X. 4*.
Neste novo estabecimeoto, tem um completo sortimento de
chapeos para homens, senlioras e meninos, vende-se por precos
mi
do Cordeiro Previdente, a roa do Qaeimado n. 16,
io (aliara florea.
Para alvejar os denle.
O cordeiro previdente a roa do Qaeimado n. 16
recebeu do beai coobecido fabricante Jonb Gos-
I nell & C. ama ptima qoalidade de pos para den
'tes aromatisados com eanfora qoe realmente tem
eoereeido todo conceito porqoe nao s alveja per-
feitamente os dentes como tambera conserva-os
sempre no melbor estado de perfeicao, assim pois
queiram vir comprar ditos pos na mesma loja
do Cordeiro Previdente, roa do Qneimado o. lo
Enfeltes com ponas.
O Cordeiro Previdente receben om lindo sorti-
mento da enfeite* com ponas para vestidos, tanto
de seda como de laa qae combinara pereitamen
te cora os cintos modernoa do mesmo formato, por
isso para poder enfeitar-se com gosto qualqoer
vestido indispensavel comprar-se ditos enfeites
na mesma loja dt Curdeiro Prevideote, a na do
Qaeimado n. 16.
Chapellnae de seda
Modernas e bocitas chapelinas de seda para se-
nhora receben o Cordeiro Previdente roa do Qaei-
mado n. 16 e por ser pequea a qoantidade re-
cebida, quera prelendor urna moderna e bonita
cbapelioa deve apregar se em mandar compra-la
em dita loja do Cordeiro Previdente a ra do
Queimado n .16.
CaIXINHAS ENFEITADAS.
E-las muito desojadas caiiinhas vasias e enfei-
tadas com gosto, qoe tanta exiraccaa tem tido e
qud realmente servem para diversos ns, existem
na loja do Cordeiro Providente a roa do Qaeimado
o. 16 om completo sortimento de ditas caixinhas e
sao vendidas por pregos to rasoaveis, qae o expe-
riente fregaei nao objectara' em compra-las em
dita loja de miodezas do Cordeiro Providente a ra
do Qaeimado n. 16. _
PONTEIRAS E CHARUTOS.
O Cordeiro Previdente, roa do Qaeimado n. 16,
tem om bom sortimento de fioas ponleiras para
chamtos, sendo lisas e com figuras em alto rele-
vo ; e para qoe os seos fregaeies nao se Inconi-
roodeifj em comprar charutos em algomas das lo-
jas de cbarutelros, recebeu lambem um bom sorti-
mento de finos charutos do afamado fabricaote
Furtado de Simas ; assim, pois, encontrarlo os
apreciadores um bom sortimento na dita loja do
Cordeiro Prevideoie, roa de Qaeimado n. 16.
Para offerta no hospital por-
tngnez.
Bonitas cestinbas com froctas de cera, obra de
muita perfeicao e bom gosto.
Para corlar moldes e en,brulhar fazendas.
Vndese papel pardo folha grande.
Para lastrar calcados.
Vende-se superior graxa econmica.
Vende-se papel para matar moscas.
A lJa do cordeiro previdente
Ra do Queimado n. 16.
Nellaacharoos pretendentes om grande e va-
riado sortimento de perfumaras finas, tanto ingle-
zas como fianceas, sendo :
Finos extractos para lencos.
Banbas e pomadas para cabellos.
Oleo philocoma e baboza para dito.
Pos bygienicos para denles.
Ditos campborados para ditos.
Opiata ingleza e franceza para ditos.
Pacoles com pos de arroz.
vasos de porcelona para ditos.
Saboneies para man e barca.
E moitos outros objectos que serao presentes
Fabrica e fundiedo de bronz
e outros metaes, caldeireiro,
Utioeiro, e funileiro, situada
na Soledad*, iua do Prin-
cipe, n. 3, c com deposito na
ra Nova n 38; rftt cidade
do Recife
.'-DE
BRAGA SfiMPAlO
Fabriram-se neste importante estabeleci-
mento todas as obras concernentes as artes
respectivas como sejam:
Alambiques de todos os tamanhos em
feitios, os moi acreditados aparelnos de
Derosne com as dimencoes delicadas dos
fabricados em Franca.
Fabricam-se avulsas qnaesqoer peces des-
aparelrws, como sejam o dilatador, ratifica-
dor e condensador, oa esquenta garapas,
resfriador, serpentinas interiores.
Fabricam-se bombas de todas as dimen-
X-

n
h

-
2

as
3
o


5 te i
CU o en o
~~
3_
O
o'
p.
o m "2
.-. tB
c N

5 -i
. ZJ-
-a


CD
re

E

s
s .
s

ande
ao comprador quo se "dirigir a ra do Qaeimado
o. 16, loja do cordeiro providente.
lan eijas pequeas.
Vendem-se na roaJdo^Qaeimado n. 16. loja^do
cordeiro{previdente.
Charutos
da acreditada fabrica de Jos Furtado de
Simas.
Vendem-sejna loja'.doicordeiro previdente a roa
W5& do Queimado2n. 16
GRaNDE BAZAR
RA NOVA N. -0 E 22
c5es e quadades, pelo systema francez oa
americano, simples, de pressSo, repuxo, e
com especiaiidade a estanca rioi 1 assim -p
nominadas pelo enorme volme de agua
que absorvem calculada em 100 pipas por
hora, e das quaes algumas estao prosapias a
serem experimentadas.
Existem bombas por este systema, me-
nores, para regar sitios, garantindo-se nao
s sua duraco como a grande quandade
de agua que fornecem pelo qae s5o cons de-
radas hoje as primeiras bombas conbecidas.
Todas as mais obras-se fabricam vonta-
de dos freguezes e a sea capricho.
Existem sempre promptos no deposito in-
dicado na ra Nova n. 38, um completo sor-
timento de obras soIidasbem construidas e
a precoz rasoaveis, como sao alambiques,
serpentinas, laxos, passadeiras, repartide-
ras, escumadeitas, cocos, candeias, e muitos
outros ulencilios preprios para engenhos,
como sejam mancaes de bronze, parafozos
para rodas de agua e outres.
Cavilbas, machos para lemes, pregos de
todos os tamanbos e para o forro de cobre
de navios.
Aprompta-se ludo quanto diz respeito as
obras de lato lomeadas e polidas com toda
a perfeicao.
Vlvulas para tanques de banho, torneiras
de todos os tamanhos e qualidades, assim
como todos os ornamentos para mitares,
botes para farda, aparelbos para barretina,
nmeros, espberas, espadas, cornetas, alam-
padas turibulas, caldelrinhas, navetas, almo-
farizes, perfumadores.
Obras de folhas de flandres de todas as
qualidades, bahs, bacas, bules e outros
ulencilios domsticos.
Lampies para gaz para engenhos, folha
de flandres em caixas, folhas de cobre e la-
to, tubos de chumbo para eocanamentos de
todas as dimenges, folhas de zinco, estanho
em barras e verguinha, lancees e barras de
chumbo, vidros finos p;ra espelhos, de co-
res, bordados, e opacos, e outros para vi-
dragas, diamantes para cortar vidros, cadi-
nhos ordinarios e de patente, rea para mol-
ir, folies para ferreiro, lavatorios com ba-
cas e jarros, trra podre e oulros icumeros
objectos proprio de taes eslabelecimentos.
Sendo todas as obras inspeccionadas e
feitas sob a direcgo do socio administrador,
Jos Baptista Braga o qual se acha de novo
especialmente incumbido da gerencia de to
importante estabelecimente, isso urna ga-
ranta pela sua longa pratica, que tem os se-
nhores freguezes de qoe sero servidjs a
contento, com promplidoe prego commo-
do, pelo que os proprielarios lhe sero agra-
decidos.
Eua da lmperatriz n. 15.

Vende-se manteiga ingleza flor a 800 e !$ede.
Sal refinado em pacote de 3 libras a 2oo rs.
P de tijollo para limpar facas a i2o rs.
Latas com po-de-l a l#5oo.
Azeitonas de Elvas em latas a 800 rs.
Al pista e paincp a 16o rs.
Frutas em caldas sonoras a 000 rs. a lata.
Farello de Lisboa marca M. a 4^Coo e 5ooe.





Caixinhas com massas para sopa a 20ooo.
Vende-se urna armago de louro envidragada propia para qualqiier negocio
orna principal ra: atratar na ra da Impe atriz n. 15, com Miguel Comes de Souza
que tem poderes especiaes.


TiiATAMENTO Mr OJIADLE, o PAR;
S<-.> osj_-e!al, cuwnllni-ik, 3, ru iri-wl^nn
OS UCliltO. dobles
;yi. y.^r -t <
:. n que ili tnitos os paizt oro jramle DDier cr'j
'iif escrcveiri :
' '^.^'^ ;; "do, to;rri Cu I
Q ifj i bj mJ |a ^a t beb, Copa** jf
" fcnoasesi pii-''
Machinas para descarogar algodao. do mt
em Ihor autor que tem apparecido na Americ?
E' tal a execugo do machinismo, que o al-
godao sabe quasi to perfeito como o de bo
landeira. Recommenda-se a attenco do
Srs. agricultores, estas machinas.
GAZ G4IAZ
Cbegon ao antigo deposito de Ilenry Forstei
C, ra do Imperador, uui carregamento de ga:i it
primeira qualidade.o qual se vende em partidas
i retalho or menos prego do que em outr qna
iner parte.
Pars, 36, Rna Vivfenne, D"
CHABtE MDEtNS^CAL
BAS K.NFi:K*UI>AI>,iS DES SI-XIAES, as AVVEO
ClITANKAS. F A ..TEBXtOES DO SAKCUX.
*" aO.000 curas da* impingms,
iiwttita, herpes, um*,
eomixDc 1, acrimonia, *-
lerfoei. Dictla* do sangutj
ina; ueracoe i'o wi*
i"-c Xaro|ie ve#-ul ."ra mercHrio). cpu.-atic"
PCs*e BlMios mineiuii lomno-se dov
por semsT.a. seguidlo o Iractamento De^uraiitJO; "
mpresado n^.^ inesir.S' molestian.
KTflM'!!;'. 5 sw XaropeCilrte*!
!.. niARL, curis..: ::
jalquorjmi jujai',
j aladUgau, debilidade,
i;ualoieote o* fluxot t florm
''m.co das aiiiihercs. K-la injeccao beniju *
irefa-sacon o 2a:opt de Ciliado de Ferro.
BcaiarraMaii, Pomada que ai cara US tril dial,
POMADA ANT1HEBPETICA
Ct'Mra : naa ifccQtt ciaaaeas comixtH.
PILULAS VEGETAES DEPURATIVAt
:-, O' Cfeabto, c;* (raau vi tcsoBjaiiliD de Mi
fc*ata-
AVISO AOS SHS. ME3IC0B.
rjr^-'^p^KX^^.-^BRMB^iji caUtrTkc* lotfl
-l>It,gw/ii.ii imiufin
rkkrviuas tus dfi bron-
fl*:n lodat 11 lotnft
*..*lpt 1 ->. DfTocE.
r.r. iiti.r. em V. ros Vlvlran- r*
A venda na pharmacia de P. Ranrer f
e C, em Pernambuco.
.1 i
mm
nr.
to, capsulas
confritM, ttnhn
BmTmsStBSmBKSSl^^ monago
. iio esteu carado? L'.nc abesej carar em 4 dial, e etiou anda miis ,lnp|Ks.
HA IAIS O ANW09
cae. caro radiralmeute lar recahidas, Corrimintae, He\axa[e Jo canal, C*t*rrltt 4
Periai temnaei, curwido pimoira a cans virulenta iiidainmatorU d'essas iorotl sciar
cvm algmns viilros do mcn ok-cbatio no samocb, para parir ttsar innVcws, acerar
<-;mal e lhe tarnar a dar sua resid:', don para acabar meu exccllcnie *n'* citato i>.. .
esfo et oiiha injeccao. K cura rauca!, as idibobci para a laxo krae, eoani;|
o nmm tnimmto. [Veja-te a milicia explicativo.)
40.000 DOENTES CURADOS
ferM'eirn traUmisto deuirtivo do. saugae. Ai herpe: ai tnait mvtaaradzi *rr*pi<
prwidoi virm. chagat affecQOee MHro*, bamoivi, e toda aa dcnca q allerlo a psre-
'n tafiaoe !<> curadas em (xiuco Itai^o por mea xabopb eeiT! w avcit 'n
ii-.M-i i.sisKAitB. miuhas pilOLai csporatiyaa a ulnaa Ptmmmdt ara-KiaTi<>i>
- Veja-as a raaiicira de tratar**. A noticia, ape se da gratis na dpsito > aw a-
tui n -'lana lniaaaantT -^^ coDteal Bercorv^ sua snprTlorirt*'e Ua casaccio* i
i. ha ni so caa qnr poaaa osi ta p?ns*ntar tamal -.HratacOta i era.

mu. as-+sitlUu6H A> *V>Mar Chcbla a gor torreitimdixnoi.
v^^ ai-.J
Antonio f^^^H
if o m e,o
i i .uta' i ,fl 8 jwD o* *
i JIM Oiioai aVUa 1 1*fca ai
&y superior carvUo 4e Cardiffna
Babia.
1, rna Santa Barbara n. i, estao habilitado! a snpprir de
-. em outo qoalqner deposito, a todo* os navio a vapor qna
. ..-.ritar nesta com Domingos Alm "
INJECTIONBRO
ni a vurt
***>>!! J.U*** m ar^an*ai_- t -
m. iMih. M a mv* tW i.Ja
aa anaaaw *. asaataaaai aaajaMa, al*.
Yende-ge na Botica Franceza roa Nov a. 25.
*A ~. I
iw ;'.
im v

i addJUT*. Vi-ue-ai
|-fas*,aai**i
Vapores.
Vende-se em casa deSaoaders '.Brotners & C.
o largo do Corpo Santo b. lt, vapores patente.*
cm tedoa os pertences proprios para fazer mover
es ou qnatro machinas para descarogar algodat
Nvamente ebegadas botas rosslanas e pernei-
ras da melbor qaalidade que temos visto : na loja
do vapor roa iv'ova n. 7.
Lingal'as t terresmos.
Cbegadas oltinta'meQte das libas na barca Pa-
rary, a vender na ra da Lingneta n. 1, em latas
ds segointes qualidades cada ama, como sejam :
Coooricjs.
, Ling.ulcas Qnas.
Monellas de sangoe.
Torre moa.
Costelleus do viaha d'alboa.
i Bri4es icadeiras de Ipojaca."
Vendem a' rna do Qaeimado Arevedo d Ir:no,
lm bom cava!lo do cabrielet
Vendem se dous cavallos gordos bonitos sendo
Hatead:-, pj.r.ifa, '/. raice a r .u. \
qur I omi-u '!', nr..
ralcaaa e :-ai lo 1-. tm. a cni i
r '---------t*~
PKArWftMjfly *
Deposito oa pharKia deP.naartf i
C. em Peroamboco.
Vende se orna taberna bera alrecueada para
a trra com commodos para familia 6 poneos fun-
dos : a tratar aa ra de Sano Rita n 93.
_ Vndese lelbas superiore lijlos oe looaaas
nm com lodos os andares para sella e ootro tam''qnaHJade, fabricado com barro d'agna doa or
bem bom de sellae de cabriolet; em Santo Ama-,auj*a4Ve*U*r d* lio da tCauba roa
j
>(4 0O
UCUi VVUI UV 3171 ( O Utl lilVl lt>ir* CIU OalUlU -AUia" MaaUWaa- mW -"-* ro ao p da fandiclo taberna de Jos JacintUo de parte : na alaria j. ica*C*rae
Carvalho, d Praieres d. mi
- w .- c '
3*1 .ny
II
8 : ?wilaaui**d*<
M
i -
T
'tiiqoi^ .'M^nuat
(.a;ni 1 un
meep '^-batf'.i
>t)cv|iax (naa :
4f




<


HI*>V>I "*
fc C aii-4dcA
r
de rcrmambuce BaJifcU ate Pea-fibra *e 1867.
j--------

-
Oollares Royer
Ob Anadiis elctrica agaaUcM
Deposito acreditado
dja da aguia branca roa do Queimado o. 8
Apregoar ainda os prodigiosos effeitos dos
Collares Royer ja nao ensinar ou querer
iatrodazir uoridades, porque a fama de sua
efScacia tem-se tanto esteodido, e os seos
felizes resaltados a tal altura elevado, qoe
boje rara a pessoa que por experiencia
propria, ou por intermedio de seus amigos
e prenles, ignore ou desconhe;a as virtu-
des desses sempre apreciaveis collares
Royer.
A aguia branca porm sa gloria de concor-
rer para um 13o. justo fim, se nao por ou-
ro modo ao menos por ter sempre, e cons-
antemente um completo sortimento desses
collares magnticos, que bem se podem cha-
marsalva vidas das enancas.
Resta ainda que os senbores pais de fa-
milia se facam convencer |de que convem
nao esperar que as criancas sejam atacadas
do mal, e por isso necessario ou conve-
niente que com antecedencia se deite na
crianca um desses collares para assim estar
ella preservada das convaleces e se contar
livre des rigores da den ti cao.
A aguia branca ra do Queimado n. 8
contiaa a receber por todos os vapores
francezes a
por isso acha-se ella sempre provida dos ver-
daderos collares Royer eletricos magn-
ticos.
A Aguia Branca a roa do incl-
inado a. 8.
Incontestavelmente na loja da Agora Branca
onde os apreciadores do bom podem melbormente
prover-se daqoelles objecios de goslo. E^sa verda-
de ja por laolos e tantas vezes reeonbecida ainda
agora se faz confirmar com a nota dos preciosos
objectos de gosto e valor qoe a aguia tem a satis-
fago de patentear e por a disposigao de qoem os
deseje e possa comprar. Ella principiara pelas ri-
cas eaixas com msica e sem ella, para costura.
Essas eaixas por sna perfeig<5es, goslos e rlque-
xas, se tornam recommendaveis para algum im
portante presente, ou mesmo para qoem tenha gos-
to de pojsnir nroa bel'a obra, porqne de certo sao
ellas as de maior valor que se encentrara em Per-
namboco, ten lo urna que sobresahe a todas as on-
tras. Alera destas ba outrs de precos menores, as-
sim como tambem ba b mitas caixnnas vazias de
madeira, envernisadas e marebetadas, com fecha-
dor e chave, para costura.
Em lequcs o qae se pode encontrar de melhor,
senda:
Todo de madreperola, bordados, |obra de gosto e
valor.
Oatros de madreperola e seda, bonitos deseohos.
Oatrosde madreperola com bardados colTldos,
obras de muito gosto, e g 'ramente apreciadas.
Oatros todos de saadalo.
Oalros de sndalo e eda com bellos desenhos.
Outros lodos preto; para loto.
Outros pretos com desenhos roxos, proprios pa-
ra senboras viavas.
Oalros de saodalo e faia.formanlo quatro vistas.
Outros de sndalo e sndalo e seda, para me-
ntas?.
-


roa do Crespo n. I A, esquina da ra do imperador
Acaba de chegar pelo vapor Guunne, nm variadissimo sortimento de fazendas que dizemes
nossos correspondentes que foram as melhores, as de mais gostos e novidades que enecntraram ein
Pariz, e por isso moito reeommendamos a apreciagao do respeitavel publico, os segnlntes arlrgos qoe
s6 encontrado na loja do Passo.
Riqnisslmos cortes de seda de cores, com lindos
matues completamente novidade.
Lindsimos vestidos de eambraia branca bordados
com gosto.
Ricos basquines, primorosamente bordados, e ulti-
ma moda em Pari.
Riqnissimas cbapelinas de seda, pama a imitareo
e enfeltadas com moito gosto.
Coques para seohoras, sendo estes de ultima moda
em Pariz.
quantidade que ba contratado e Lindsimas gravatlohas para senboras.
Lindos colares e voltas de vi-Irilno e seda, ultima
moda e Inteira novidade.
Collarlnbos, ponbos e gravatinbas de Cbuny, cm-
plela novidade.
Rlqoissimos leqoes de marBro todos abortos e de
nliimo gosto em Pariz ; assim como de sndalo
madreperola.
Riqnisslmos vestimentas de cambraias primorosa-
mente bordados, com todos es pertenees para
ereancas se baptlsar.
Ricos vestuarios de cores, todos completos para
meninos de 2 a 4 anuos. ,
Mantas de blonde para noivas.
Moirlantiqoe, grosdenaple e sedas preta, branca
e de cores.
Riqnisslmos cintos, ultima moda.
Ricos eofeites para senboras e meninas.
Lindissimas cbapelinas de seda e da palha para
meninas.
Riqnissimos cortes de fantasa para vestidos de se-
o hora.
Lindos cortes de lia para vestido, novidade.
Chapeos de castor a canotier, ultima moda para a
rapasiada em Pariz. *
Grande deposito de lavas de Jonvin recbese por
todos os vapores grande sortimento.
Casimiras, cambraias, Mas, musselina?, precalia?, chitas e nma fnfJuidade de objectos qne
deixamos de mencionar por se tornar masante.
Isto s na loja do Passo ra do Crespo n. 7 esquina da do Imperador.
MUITAS FAZEDJLS
KA
LOJA E ARMAZEM
DO
P





Roa da Irpperalriz i.
CAMA* SILVA.
Tendo os donos dft>te grande estabetemento resolvido liquidar a maior parte das
suas fazendas resolveram vender com grandes abatiuientos em precos, assim como teem
recebido ltimamente urna grande porco de Cazendas novas tanto inglezas como francezas,
alentas e suissas, teem destinado venrJerem as mais barato que em outra qualquer parte
afim deapnrarem dinbeiro, dando de todas Mas, amostras deixando ficar pinbor, oo
raandam-nas levar em casa dasexeellentissimas familias pelos seus caixeiros; assim como
as pessoas que negociam em pequea escalla, neste estabelecimento comprarlo pelos mes-
mos presos que compravam as casas inglezas i gaabando-se apenas o descont.
Vira* bordadas e isabainhos
Qaem quizer fazer boa compra de tiras
bordadas oo babadinbos, achara um grande
sortimento para esoower e por preco moito
mais barato do que em outra qualquer parte,
na loja e armazem do Pav5o, ra da Impe-
ra triz n 6o, de Gama & Suva.
Fazendas para luto na loja do
Paro
Vende-se se ti m da China com 6 palmos de
Baldes a 20, 355oo e 30
Vendem-se um grande sortimento de cri-
nolinas ou baloes de arcos para senhora pelos
baratos precos de 20, 2#ooo e 30 por ha ver
grande porco, na loja e armazem do Pa-
vao, ra da Imperatriz n. 6o, de Gama &
lassas a *4o ra. so o pava o.
Vendem-se bonitas cassas inglezas de co-
res (xas pelo barato preco de 240 rs, o co-
vado, ditas francezas fazenda muito fina com
Ultima moda
Betlcscbapecsinhos de apurado gosto para ?
nhoras feitos ae capricho: de orna das priroeir .--
modistas de Paria e clisados ao armaxem do va-
por roaNova n. 7,
A f tendi
Vendem-se pegas de slgocSozioho moito 1t;->
superior qoalidade tim um peqaeno tcqwi de s i.
ria pelo barato pregj de i$, chitas largss de .
res a 40 rs. o covado, bnm pardo r o Id boov 4.
600 rs. a vara : na loja de Antonio Jos dos K-(
& C, a roa do Passeio Publico n. 6, por haixo 4i
sobrado novo. _______________________
Grande novidade para a
fvsfa
Na loja do pava rn la Tmperalrk n.
60, de Gaita i Sifta.
poopeh'na.' c m ralminbas

largura proprio para vestidos a U o covado,, padroeslistrados e de flores, assim como com
laziobas pretas lisas, alpacas com listra bran- pa'minas miudas proprias para meninos a
ca a l| covado, cassas brancas com listras 3o rs- o covado ou a 5oo rs. vara : pe-
pretas a 5oo rs. a vara, ditas pretas lisas e chincha na leja e armazem do Pavo roa da
com snlpicos-vara a 56o rs. ditas francezas Imperatriz n. 6o de Gama 4 Silva
ANIIE m
AUGUSTO PORTO 4 C.
11Ra do Queimado11
com listras e ramagens vara a 800 rs., me-
rino preto, alpacas e princesas, mais barato
PECHINCHA
Cal de Lisboa em barns a 3, assim como orna
Este estabelecimento acaba de receber e veo le por commodofprece as segointes 9$ e lo, finissimos sobrecasacos de panno a
do queem outra qualquer parte, na loja do porco a graoe, a 1J400 0 aiqQeire. a lratir na
Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Goma & | roa da Cadeia n. -1, Ia andar.
Silva.
PALITO'S DE PANNO A 65
Vendem-se palitos de panno preto saceos
a 6^, ditos sobrecasacos a io#, calcas de ca-
semira preta a 65 e 70, dita moito finas a
fazendas Unas:
Vestidos de b.ood para noiva com manta* e capella.
Ricos vestidos de eambraia branca bordadas 1 que ha de melhor.
Cortinados bordados e admascados para camas de 2o5 a 8o#.
Ditos bordados e admascados para janellas de 95 a 2o5.
Colxas de seda e laa e seda para cama de noivas.
Basquinas modernas de muito gosto de 2o5 a 5o5.
Toaihinhas de croch para cadeiras e sofs, e colxas de croch para camas.
Cliapelinas de crpe branco, e chapeos de palha da Italia para senbora.
Moir branco e preto, grosdenaple preto e de todas as cores para vestidos.
Camisas para homem franeezas e inglezas de linho, e de algodo.
Goardapisa de crinogne para fazer mais elegantes os v> stidos de 15a e de seda
:2o rs. a vara.
Superiores saias bordadas de linho, camisas e camisinhas bordadas e lencl de
Oatros d'm;*elrl?PP/,'^r?l" .^.^^ eambraia bordada para senioras, ricas toahas bordadas com muito gosto, e lindos ves-
Guaraco-a ********* dems ^^ para baplisSdos ^ 0 respectiv() mxw^
Laas com listras de seda de varas cores a que ha de melhor.
Chapeos brancos de castor e ricos peos de sol inglezes para homem.
Malas de diversos lmannos para viagens.
Panos finos e caseuiras pretas e decores e ostras muitas fazendas qne seweo-
dem baratissimo.
Este estabelecimento contina a receber as melhores.
Esteiras e alcatifas para salas,
iiRoa do Qaelmado11
trancas para vestidos
A Aguia Rranca receben novament" aru bello
srtlm-nto daqaellas apreciadas guarnits de 0-
tasjasim como outras de lindas e inodnuas tran-
cas. Os apreciadora do bom rnmp*rei;.-im ua luja
da Aguia Branca a ra do Qaeimado n. 8.
F'misimisiaeias de lio de Esrossia para crianeas.
Veodem-se na ra do Qaeimado loja da Aguia
Branca n. 8, oode lambem ba outras muitas dtfctl-
godo para criancas de 3 a t2 mezes.
Hui finas lavas de ti i de Esrossia e seda, para ho-
rneas e senuoras.
A Aguia Branpa a ra do Queimado n. 8, rece-
ben om bom sortimento do finas luvas de fio de Es-
cossia e seda, brancas e de cores, bordadas e lisas,
tanto para bomens como para seohoras; qaem as
preteo-1r e dirijT-se a dita luja da Aguia Branca,
conhdcen que ein tal genero nao se eucontra m
ibor, e ulvei nem mesmo igual em alguma ontra
parte.
Requifes braacos ou {ranciabas papa-fina.
A Aguia Branca acaba de receber um novo e
bello sorilmeato dessas lo procuradas traocinbas
papa-flna, cora diversos e agradaveis moldes, e co-
mo sempre a Aguia Branca a ra do Queimado n.
8 continua a vender barato.
Gallinhas e pnnbos, manguites e golabas, obras
modernas c de gosto.
A Apaia Branca acba-se receoteroente provi.la
de bonitas gollinhas e puobos bordad.)?, mauguitos
e gollinhas uaibera bordadas, e luJo do iiu-lnor
gostj e ultima moda, tendo as golliubas e pnnbos
mutos, ja enfeitados com Atas enriadas, e algumas
peqaenas para meninas. Os presos ape/.ar de com-
modos variam com as d>flerenl-s quali.lad ,s das
obras. Os pretentntes compa egsm na loja da
Aguia Branca a na do Queimado n. 8 que sero
servidos a contento.
Entremetes bordados em pecas grandes.
A Aguia Branca a roa doOo^ima-lo n. 8 est
vendendo bonitos ntremelos burilados em pecas
grandes de 12 tiras, e pelo Laratissimo prego de
25500 cada pega. A grande esiracgao qaa elles
tam tido conflrrnam os diversos flos para que ser-
vem, as im pols convm que a boa fregueiia da
Agaia Branca aproveite essa boa e barau fazenda.
Chegram tambem
os novoe c^qnes qae moito teem agradado plos
sens bellos de'enhos. e perfetta execngSo tfobra.
Assim como ignalmeote ebegaram bonitcs port-
cosquis douraaus eom cabos de madreperola.
A Agta Branca, a' ra doQnciaa-
don. 8, veotle :
Fitas p3ra facbs de juizes de p-i, delegados e
subdelegados. .
Ditas para cavalleiros da Rosa, Chri'to e Cru-
zeiro.
L VIS T
A Aguia Branca a wia do Queimado n.
8 recebeu d*aquella- bonitas luvas de pelli-
ca eofeitadas, e j bem eonheeidas por luvas
a diqoeza. _____________________j
cortes de alpaca a sete patacas.
Vendem se cortes de alpaca escora pan vesti-
dos pelo baratissimo prego de 52iO o corte,
grande pecbincha na loja e armazem do Pavo ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.__________

m
;; -
N. 64-----Ra da Imperatriz-----N. 64.
Kova leja de miafozas e artigos de modas
DE

SILVA & MEVES.
m

0&
| Os preprieurios deste novo estabelecimento oflerecem ao resptatel ^'
W.2 pnblico desta bella cidade, e do interior um lindo e escolhidosoriimenio de (>
%4$ miudezas e artigos de modas, concorrpndo para isto o terem na Eurooa, pee- ^
- no
que em
M3
SU
si
m
&-*:
soas habilitadas a executarem suas encommendas no que houver de mais no- |^
vidade e gosto, e parantera vender pelos precos mais rasoaveis
outra qualquer parte apar de maneiras delicadas e sinceras.
Acabam de recerer pelo vapor fancez Guienne, os seguales bellos
art;gos de moda e fantasa.
Luvag de Jouvin para senhoras e homens, de todas as coles.
Livros pan missa com capas de madreperola etc.
Indispenssveis e boleas de to as as qualidades.
Coques os nrais modernos.
Espartilhos. collares, e cintos de seda e vidrilho.
Rendas de Guipure, de seda, (llonds) e de algod2o, de todas as |^;
qualidades.
Completo sortimento de trancas, fitas, botes e guamrce9 de seda

+ ifudiiuducB. > A!S
<|^ Completo sortimento de trancas, fitas, botes e guarargoes de seda pf,
l+ff cem vidrilho e sem elle, gravatinfcas de seda, e mangniios de lustro bordados W^
2^ ludo do ultimo gosto de Paris. /*^
i*'* Leques de sndalo aberto do mais apurado trabalho dray,
Agua Florida e tnico oriental de Laman & Kemps.
Ricos eofeites e guarnieses de flores para vestido e cabeca.
Calcado para senhoras e menina?.

^?;
Perfumaras as melhores e mais escocidas de Lubm, Piver, e Goo- Qfes
em ricos e elegantes vasos de porcellana, crystal e prata inglea.
Meias de algodo, as mais finas e melhores que teem at hoje viudo
ao mercado, para senhoras e homens.
Chapeos de palha da Italia, e a imitaglo para meninas.
E um sem numero de artigo, de gosto e fantazia que s
podem ser apreciado.
!

GRANDE BAZAR
rua Nova n. 20 e 22
.Machinas pa^a costura do autor Wheele
AWiUen, chegadas ltimamente daAmt
rica; oas qoaes pode cozer-se com doui
pespontos, toda a qualquer fazenda, emb
inhar, frangir, bordar e marcar roupa; tud<
com perfeicSo. S3o t3o simples, que com-
irehende-se fcilmente a maneira do trab'
ho e a pessoa tendo pratica de coser em m>-
rbinas, pode fazer por da o servico que >
ciam 30 costoreiras.
Chama-se i, este estabelecimento a att*
C^o do publico, visto que elle se acba com
pletamente sortido de objectos de goste
como bem leques de madreperola e de sl-
dalo, fivelas, fitas para cinto, eokes perfo1
maria e etc,
Wa rua nova n. 20 e 22. Carneiro Vi*
na d

NOVO DEPOSITO



j 2o3 e 25, calcas de casemira de cor a 71 e
$&, um grande sortimento de col tes de toda
a qualidaie e outras mu as qualidades de
roupas qu se vendem "mais barato do que
em outra qualquer parte, na loja e armazem
do Pavo, rua da Imperatriz a. 6o, de Ga-
ma & Silva.
As salas do Pavo a SfiOO.
Veode-se orna grande porgo das mais bonitas
saias brancas com lindas barras bordadas de co-
r.-.-, tendo 4 pannos cada ama, sendo fazenda lo-
teiramente moderna, pelo carato prego de 3#50 '
cada orna sendo fazenda que sempre se vendeu
por muito mais dinheiro ; na loja e armazem do
Pavao, na rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
CASAQUINHOS DO PAVO A m, 2o0
250 E 3o
Chegaram o mais modernos casaquinhos
ou jaquetas de grs preto,. ricamente enfei-
tadas sendo uos com cintura e outros soltos
conforme se usa ltimamente e vendem-se
pelosbaratos precos de 185,2o& 250 e 3o0,
na loja e armazem do Pav5o, roa da Impe-
ratriz n. 6o, de Gama & Silva.
Mci rc-aatlqae.
Vende-se superior moire-antique de cor, com
alpom toqne de mofo, por prego moito barato, para
! acabar : na loja oo -Pvao, rua da Imperatriz o. 06,
de Gama & Silva.
Cauansiohas a Sff.
Vendem se as mais moieroas camisinhas com
manguitos tanto bordados corno de pre<;uiobas com
errantes pnohos e 'bonitas abolladuras pelo bara-
to prego de 'i 108:; na loja e armazem do Pavao,
rua da Imperatriz o. 60, de Gama & Silva.
Prt&Clia etn casimiras a 1^600 s o
Pavao.
Veude-se urna gr&dde porco da casimiras supe-
riores entestadas, seido escuras e alegres proprias
para caigas, poletot, colotes e roopas para meni-
nos nelo baratsimo prego de l$800 o covado oo
a 2800 o corte de alga, rande pechncha na
loja e armazem do Pavao : rua da imperatriz o. t>0,
de Gama & Silva.
Alpaca inonstf'A-eom 5 pisios a 280-
S o Pavao.
Veode-se lpicas de quadros sendo padrSes es-
coros oroprios para vestidos tenfin 5 palmos de
largura que facilita fa.-er-se um vestida at com
8 eovadas pelo barato prego de ?60 rs. o covado,
garantiado se que fazenda que val muito mais
ioheirn, perianto pschiniia : Cf loja e arma-
z^m do favo rua da Imperatriz n 0, de Gama
& Silva.
Poupeliaas para a feta a 320 rs. o covado.
Veode-se nma grande pf.rgao das mais bonitas
poupeliHis ir;.n-pareni( s onm palmiohas bordadas
a la on qaadrinhos a iiaituao de fio de ssda, pro-
vnas para vestidos peto baratissimo prego de nma
; .Le o c-ivado, grande pechincba : na loja e
armazem do Pavo rua da Iuiperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Leudos para isiao na loja do
S'avo a G40., l e 1M00.
Vendem-se bonitos longos de cassa bordados
proprios para mo pelos bartissimos pregos de
640, l& e l60f>, isto na loja do Pavo rua da
Imp6calriz n. 66, de Gama i Silva.
CORTES DE SEDA.
a 280O0 res na loja do Pavo.
Chegaram os mais modernos cortes do seda df
cor ceta elegantes desenbos claros e escaros, ten-
do onHa fazenda para om vestido e vendem-st
pelo barato prego de 28Qd) res, por starnu
muito pfsi|D0S d* fest:i> lsl na 'Ja do Pavc,
roa da Imperatriz n. 0, de Gama 4 Silva.
Bertasba de linho
Com 30 jardas a 12,5000 res.
S Pavao.
Vendem-se pegas de superior bertanba de llnbc
paro, tendo 30 ardas oh 2o varas eada pessa pele
baratissimo pwgo de I29Q00 res, sendo esta fa-
zenda propria para lenges, camisas, loaltias. etc
iste na loja do Pavo, rna da Imperatriz 80, de
Gaau. & Silva.
BxaiQle it linho.
Com 20 jardas a 8*800 res.
Vende-se superiores pegas de bramante de linho
proprio para ieeges, toalhas, eamizas, etc. tendp
20 jarda* cada pessa pelo barato prego de 8*000
reis, na leja e armazem do Pavo, rua da Impera-
triz n. 60, de Gama & Silva.
SAIAS ECONOMICA8.
a 2,500 res.
Vepde-se ama grande porgo de salas de cor
com b'-nitas barras pelo baratissimo prego de
,5600 res, na loja a armazem do Pavo ; rua da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Presos vantajosos
as miudezas do grande estabeleci-
mento de Sonza Soares h irmo.
Rna Xava n. 28.
Veodera em grosso e a retalho.
Linhasnoveiis, muito superiores, libras sortidas
a 2*200 e 2s00.
Dita em nvelos, mais inferior a io00 e 1*800
a dita.
Dita branca em eaixas de 50 nvelos a 6&0 reis
Dita para marcar, caisas de 16 ditos a 240 rs.
Dita branca em ditas de 10 ditos grandes a 560.
Dita em carros de 100 ardas a 3G0 rs. a dozia*
Dita em carros de 200 jardas a 1*200 a dnzia.
Dita em candes, branca e preta, a 160 rs. a dita.
Rozetas de edres em canas de dozia, a 1*500 a
dita.
Grampas com cabeca de vidro a 160 rs. a dita.
Agnlbeiros pintados a 240 rs. a dazia.
U 'Oes de moedinhas douradas e prateadas, para
pnnbos, a 1*900 a dnzia de pares.
Ditos de madreperola, para camisa, a 500 rs. a
groza.
Ditos de osso, para caiga, a 240 rs. a dita.
Caixiohas com soldados de cbnmbo a 120 rs.
Espelbos de muldnra donrada a 1*400 a duzia.
Pentes de lago dourado, para coco, a 6* rs. a
dazia.
Ditos de lagos lisos, para coco, a 5*500 a dozia.
Ditos doorados, com Dores, 2*400 a dazia.
Ditos de bulal \ multo bous para alisar, a 2*300
o 2*400 a dita.
Dedaes amareios e prateado?, finos, a 240 rs. a
dita.
Culcbetes em calxinbas a 640 rs. a dita.
Ditos em caitoes a 600, e 900 rs. a dita.
Pegas de fita para coz, larga, com 10 varas, a j
500 rs. a pega.
Fitas de sJa n. 1 Va peg com 8 varas, a 260
rs. a dita.
Cadago branco para cerclas a 560 rs. a dozia
de pegas.
Las de todas as cores, para bordar, a 6*"00 a
libra.
Phosphoros de cera, em caixiohas, a 360 rs. a
doria.
Ditos de pan encerado, sem cheiro, a 360 rs. a
dozia de calimbas.
iitos de cera, em eaixas grandes de folh?, a
1*400 a duzia.
Carlilhas da D.iutrina Chrisiaa a 310 rs.
Obreas de colla, em caixinhas, a 320 e 500 rs.
Sabonetes Unos a 800 e 1* a duzia.
Facas e garphos cabo de osso, fazenda b < a
2*500 a du,,:a.
Aboluaduras finas para coleles, cintos cem (ve-
las de eryst.l, e mallas outras qualidades, poleet-
ras de costas, pentes com pedras para coquis, en-
feites para ctbeca, om completo sortimento de per-
fumarias de todas as qualidades, colarinhos, can-
deeiros a gaz, forragens de todas as qualidades etc.
eto.: a rua Kova n. 28.
Modernas
bordadas e quartros. covado a.
Modernsimas laairtha. din pal-
mas, saipicos, qi^ir- >. ihlMj ele.
etc., covade, a 400, 0i' e.....
Lindas la' com list..s di- seds. co-
vado, a 560 e................ ..
Verdideiro poil de Ct n- u n li.-;s
modernas, covadi., a WW, 1* -..
Finissimas musells de c re>, r.o-
vado, a.........,..............
Bunitas sedas de cem ti rr. 4 ;. t s
de largura, ccvailo. a......,......
Grosdenaple aznl, rozo, iy, oi;a,
etc. etc., covado, a..............
Modernas cassa cit>, I ;,s Ui:s,
vara, a 6i0, 72'). 800 e..........
ModeiDissiraos orgaio.ys h 0 i
Organdy largo, com Ipta t-iiqidrvr,
vsra, a.......................
Corles de organi.'j rom li>fs> '-.-
cas e de cores, hndo 8 m tx.6
corte a.........................
Laziobas de nma s covado a.......................
Cortes de eambraia braoc dkpa,
sendo neste genero orna : :. qtie
tem vn.1oac mere."-!').........
BoniUs cortes de spda i:; :>s,
Bonitos cortes do banla: .......
Cortes de organfy- I-!h-. :,-: tu
vara, a......................
Fil branco bordar.o, sendo mtiu
largura, vara, a..............
Bonita fazenda branca par
tendo pregas de-t:m lado r lam-
ben bordada, var* a I*, IJRfl o
Ricas saias burdada- a tiC'OO,! e
Cassa- de urna f car iv fi.rts, cuva-
do a..........................
Ditas franceras mullo Boas, stndo de
listas e Dores, vara a 500 rs. e co-
vadoa..........................
Modernos pnnhos cem ^-'linbas, sen-
do de esgoiao d- linbo, brdados,
brancos e de cores a.............
Modernos mangoitos cem g.timbas a
Ricos corpiobos d eambraia moito
bem enfeitados e bordada a 8*
Saias econmicas e escuras, par;.
qoem fr passar a festa fra a___

Este estabelecimonir a 'na da Bpprrai
recebe de sna cr.nta por lodos os p;^
zes diversos objectos da ultima n i '
como seja bonitos c^quti lisos e en''!
de sarja, ditas de seda lisas e barJad
as larguras e de superior qoalidade
los de merino, de wsemira e laa, i"
moito bonitos chapeliiijhcs, bab.
meios com lindos botdados, grav;.:
la e de cores para !i mem e senil i -
deiras luvas te loovm brancas e
binitas, cartelras tr divenes fes'if-
meias de muito boa quahdade, pata
nboras e meninos, nm lionn sonn i .
esparlilbos, toncadcirs de jacar.-: ..'
taannos, fitas de v ludo, tracg s r
res, lindos enfeitas para vestid
sas qn2lidades muii. bin'tos, j.1
para colletes, laa p ra bordar flt
dade, urna icQuih!..- de bonilos !
crlangas, as meihri s p rfumar'. :.
e Ccnaral soeiedal Hysenica, i
objectos que deixo d mencionar \ <
aar massante, ludo por precos mu.
Escravos ius:id(>
leo
Uii
(49
2*COJ
1*SOO
UDflO
1U0J
1*000
5*069
2S0
]( '.VO
Mywoa
e*coo
, no
1*15.-0
mm
41
; c'
.-. i
*i i

: ~o.
BC-
Pariz,
vas
Luda
-:.pa-
ITid,
n Ire-
'a re-
- v.rda-
raail
.Bh. ,
i, te
t'iCCS,
rso-
de ce
' civer
. ras
i QuaN-
: s par.
. Plvc
'le d-
: i
-.-
^k\A i)ESCAROCAR ALGODO
Manoel Bento de Oliveira Braga.
^ <*

33ltna Irrita .53

.
Neste estabelecimento se encontrarSo a
verdadeiras machinas americanas chegadas nhim; -
mente, as quaes s5o feitas pelo mais afamado fa-
bricante da ^me^ica, por isso avisa a todas as pes-
soas que precisgrem comprar, de se dirigir a este
estabelecimento que comprarlo das mais perfeitaa
neste genero, assim como mais barato do qtweni
outra qualquer parte, por is.?o que se recebe por
conta propria, bem como eannos de chumbo e moi-
,nhps para moer milho, e jjrande sortimento de fe-
ragens e miudezas em grosso e a retalho.
Facas de cabo branco de meio bahnso a W
a dazia. limas finas de todos ostamanbos proprias
de trabalho de escultura.
VENDE-SE
Motores americanos para dons cavallos.
Dito dito para quatro cavallos.
Machinas para descarogar algodo de 14, 16,
18, 20. 30, 35 e 40 serras.
Prengas para enfardar algodo fazendo os sac-
eos com 6 palmos de comprimento com o peso de
150 e 200 libras, viadas ltimamente da America
no armazem de L'enry Forster & C, no casa Pe-
dro II o. 2 jnnto ao (Jabinete Portngaez.
Nos primeirrs iias do m?z de i o r. d '.
anno fugij do eqgobo Bomavpr ,jii
Sr. Silvano Act'n;o aiii, na frsj. '. C
lardim, o escravo Damasio, preto, tft ldfc i i
a 30 aunes, alien r cular, chelo do e r> ;: .-
barba, ro:-to um poi.. carjudo, olh- ..
ps malfeitos, andar tabzeiro, il .
moderada : este esetavo foi compra.' I ouc
anles da foa a" Sr. J .rio Barbczado Reg Si
da mesma fregr ia o B m Jardim. II i
eile se apresutt coreo voluntario da p.;ic... i
qne se previne v respectivas antorid ,.
pegar leve-o fen senhor, no referido i
qoe spra'recon :ti.ado. Rccift, 15 ''e r rtrxl
de 1867.
Acaba de sahir a luz
Z cha-sea venda na Hvrariafraaceza
roa do Cresp n,0
O SEGUNDO ANNO
DO

ou
MEMENTO DIARIO



a 15000 reis.
Vende-se nma grande porco de puchos com
golinnas de esgoiao de linbo, com os mais llodof
bordados pelo tralo prego de iJMOQ o terno, di-
tos bordados de cor 640 reis, sendo grande pe
chincha pelo prego, na roa da Imperatriz n. 60 de
Gama & Silva.
K)IL DE CHEVRE.
a 560 e 800 reis.
Vendem sea mais bonitas laosianas com lisias
de seda, intituladas poil de chvre pelo baratissi
mo prego de 560 reis o covado, ditas com as lis-
tas malhisadas a 800 res, assim coi om gran-
de sortimento das mais benitas e modernas lansl-
ntias qne se vendem pelos precos de 280, 400,
300 e 560 reis, bonitas alpacas de seda de nma
so cor a 640 e 800 reis, isto na roja do Paveo,
roa da Imperatriz o. 60, de Gama & Silva.
Baloes esgaios.
2J300.
Cbegaratn os mais moderos baldes esgnios sen-
do verdadeiramente americanos e vendem-se pelo
barato prego de 25500, oa I. ja do Pivo roa das
Imperatriz a. O, de Gama & Silva.
FABA
18GS
CONTEMDO
Eeia fdlhaem braaeo para cada dia
da aneo
O calendario do presente anno, signaes do tele-
grapho do Recite, a aogostissima casa Imperial,
corpo consolar estranfeiro, associagao Comroer-
cial BeneBcente, inbonal do crame re io de Per-
oamBaco, juizo especial do commercio, junta de
corretores, bancos, servigo do crrelo, estrada de
ferro de Recife ao S. Francisco, nbas regulares
da navegago a vapor, nbas regalares de nave-
gago por navios de vela do Havre a Pernamboco,
vapor de reboque, sello proporcional, tabella dos
emolumentos dos trlbunaes do commercio, reg-
lamento sobre incendios, systema mtrico decimal,
taboa de cambio entre a Inglaterra e o Brasil,
quadrodol divisores, qoadro do anno civil, redne-
gao de pesos e medidas brasil airas com as de di-
versos palies.
Um bonito ToTume encade ruado
Pcttf odlco, preyo d**$'
Aos agricultores
Saunders Bralbers & C. acaDam de recebei
de Liverpool vapores de torca de 3 a & cavallos
com todos os pertenees, e mni proprios para fate-
m mover machinas da descarogar slgedio, po-
dando eada vapor trabaloar at com 140 sorras,
tambem serven para enfardar algodo, on para
ouiro qualquer servigo em que osam de tiabalhar
com animaes. Os mesaos umbem tm a' venda
machinas americaoas.de 35 t iO ierras.
Os protendentes dirijam-se ao largo do Corpo-
Santo n. 11. _________, ,
Rap Viajad e Pl Cortelr
A loja do cordelro providente a' rna do Qnelm-
d u. 8, receben nova remessa dessas qualidades
de rap._______________________ -
- Vede-se urna barcaga de 15 calzas: a tri-
ar na praga do Corpo Santo n. 17.
10I000
Fugio no dia _-j do eorreiite mez 'le fll .
engenho Lim en ', guezla da cacada, i esers
com os spgom' -sr a es : cabra k, n1;.-.-, ;>
bom corpo e b.. i. tlgan, cara bexig barb
pouco serrada,c,:.... raparp.b.gode la pein
cabellosom tanto ., -todo?, |
tem os dedos graO'e> .; s pos rn^is
nm pouco gago, c.m Igumas eieatnz*
chicote as costas em urna pa' e em
vestindo camis-i de a g do da man
nbo, caiga e p..!-:tDt de brim pardo, c
ta preto, e leva vara de carreiro q:i
ter ido asientar praga como volar:,
mondase as pessoas eco-anegadas
to e as autoridades policiaes com o ,
d) Rio Formoso, Un?, Agua Preta,.
to Calvo ea ontra miarqoer pe?1 -...
do dito escravo, t en:re;;!.!; b< m ;fj -:,!>, r .
recebera'a gratifiea^ao aciaga, i fcbte_...
: prid-
1 =has i
-*>:


.
se Fraocisco.
Pr.prG.-se
__j
Faglo em das d_- mes pr> lirr .-. s.!o d: poder
de Agostinho Jos de Oliveira, i rh Cnriiarn', o sec
escravo RnrJno, molto claro, id rr
do corpo, pernas floas, ribos nn trfcio amorlti loi
nariz afilado, pouca tarba, mut r. .. r t:.
Unte, roettido a .valente.gosia liatdei \e e e
voo japona prela ; f i pncontrT" i 3 ir cor
rente no logar Bawieira, en c-i St o.irada I
ferro e sospeita-se qm? teoba id; (THr-fcr-se tomt
volnnlario para a guerra : regace p.-rtaijo as.ato-
rldades policiaes e C3pies da e?mpc s ai rel. n-o
do dito escravo, que ser enir i n senh r oh
a Severino Alves da Silva, tti Trcrrbeta.

-
k'..
Fogio no dia J do tbrrr'nie' a rielaa Sorana'
indo a' Bba-Vragenv aman. a swhor.
nao voltoo, tem es signaes segrin: s : n u'aa.ej.
ra,cabellos cortados,,que mosus ,i>;h3s,ca,cjf)ec^.
cara zata, corpo cheio, br.r n ; c" sas, dp-
dos grossos e malfeitr, Ivoq .;_
rae nova, chales encarna'lo o Cdres, e
nma peqaeoa tranza cm vs l f'*^ e UQ i-l{**-
Iba; cuja mulata foiesirr* Vira., re-
commeoda-se as autoridades ., ,., e capmjs
de campo qoe a pegarem I efoHrfr.
na praga da Indtpeadencia, .|sns.l1
e 14 qoe sera' generosamen: ecqi*wad .
5 M

qnem ca, tarar e rondo. U ne
Afogado, oo a"!rit do Amor
escravo Lola, pardoi idade .'o
principio d^steanp.j f.ii pr>
evadio-s da mesma (abr{ra.
madrogaa d Bo_iFP|to ttfti'-
cojo escrav fagia viseaido a
godo de listras, co:tama e
proprio Borne, beJn.jCcmx .
por castigo urna cortent- I
tomozeil, (o qoe dewra'
manchas.
Vir-
us o
qui; .r tm
i.K as
1
MWM >*
'"hada r e c
cOi.f!v:r a: n -ujs'is
| 6lm 1


' m<
8
Diarlo e Pernambuco Aabbado 9 de Dezembro de 1867.

LITTER4T0R4.
fronte melanclica, qae n3o sahisse
com o bolo da caridade e consolo.
Galkria dos bispos bras'i.eiros, elaborada
e offerecda ao instituto histomco e
geogrfico do rio he janeiro no anno
de 186i pelo padre lino do monte
cahmello luna, socio do mesmo in5ti-
TL'TO.
(Continuago do d. 70.)
Provincia do Rio Grande do Sul.
I). Feliciano Jos Rodrigues Prates.
Nao pode jorm,
no Prates, proseguir, como tanto anbfUva,
na carreira de seo infatigavel zelo pastoral,
porque orna Tata! e terri?el enfermidade o
assallra, e temara o maior incremento,
quanto era a gravidade do morbo, at que
no dia 27 de maio de 1833 seis annos pre-
ciosos do di i da sua sagrago, pelas nove
horas da manha, o Exm, Sr. bispo D. Fe-
liciano Jos Rodrigues Prates, entregara
cheio de invejtivel resgmgo sua alma ao
leudo o governo imperial pleno conhe- supremocreaJir.
cimento de que .litatado e extenso como era a Dopulago da capital do Rio Grande do
o bispado do Rio de Janeiro, o respectivo Sul, logo que recebeu a infausta noticia do
diocesano nao poda ministrar safliciente-passamento do seu prelado, deu as provas
mente o pasto espirilud mullido dos ha- mais irrefragaveis de pungente saudade, de
Litantes da provincia do Rio Grande do Sul, dr acerba e de profundo respeito e aca-
os quaes constituiam urna boa parte da lamento qoe consagrava ainda aos restos in-
grey confiada sua paternal direcgo, e nem nanimados do varo apostlico, fazendo que
providenciar acerca das dependencias eccle- fosse embalsamado o corpo do primeiro
siasiicas, apezar mesmo da sua solicitude, e bispo daqaella diocese.
da mais activa vigilancia, tratou de criar na a cathedral do Rio Grande gaardi res
provincia do Rio Grande do sul, urna dio-jpeitosamente este corpo to venerando, sen-
cese independente da do Rio de Jaaeiro; e (do qoe o corceo que se exlrahira na ope-
effectivamecte verificou-se pelo decreto de rago do embalsamento, fra conveniente-
27 de agosto de 18 i7. | mente depositado em um vidro ebeio de
Confirmada a criagao do bispado do Rio urna preparacSo chimica e fexado em urna
Grande do Sul, pela bolla Adoses pas- caixa de folba, se collocara debaixo do arco
cendas- do SS. padre Pi IX, datadas de' da capella-mr da igreja cathedral.
17 de m.3o de 1848, Sua Magestade o Im-
perador o Sr. D. Pedro II fez nomeacJSo na
alegre med car-se nlo volton Pernambuco por que
foi trasladado para o bispado de Elvas, no
o Sr. bispo D. Felicia- du 21 de feverro do anno seguintt. No
deseropenho das funegoes eplscopaes termi-
nou seos'dias a 30 de maio de 1796. (1)
Provincia de Mtto Grom.
D. Francisco Ferreira de Azevedo.
Sendo j bem dilatado o bispado do Rio
de Janeiro, aojo diocesano nao s nao poda
ministrar soffi ientemente o pasto espiritual
t A estacSo de.Pentzing, situada nao lon-
ge da estrada riMfoa commonica com Scho-
enbrunn eslava, sem embargo de ser muito
cedo ainda, ebeia de pessoas da melbor so-
ciedade, que acclamaram cordealmeote o im-
perador quanio elle parti para Franca, es-
pecialmente por verem o imperador e o seu
squito irajando paizana.
u Vem a proposito citar um incidente cu-
rioso que se deu na conferencia de Salzbur-
pessoa do padre Feliciano Jos Podngues
Prates, para bispo da nova diocese.
Nascido na freguezia da Aldeia dos Anjos
termo da capital de Porto-Alegre a 13 de
julho de 1781 contava o padre Felieuno por
sous progenitores a Joo Nepomoceno de
'. irvalho e D. Mara Leocadia da Costa
Prates.
Come;ou os seus estudos primarios na
mesjia freeuezia dos Anjos, sub a inspecQo
e solicitude do vigario geral Thom Luiz
de Souza, e foi seguir no Rio de Janeiro, o
curso theologico aonde se distingui, j por
seu comportimento exemplar, e j por
nina assiduidade iavejavel que elle votava
aos livros.
Sua vo:ac"o o chamava para, o sacerdo-
cio, e elle levou a effeito esse desojo, p>r
que preparou-se convenientemente e rece-
beu as ordens sacras na corte do Rio de
Janeiro das mos do bispo de Angola D.
Joaqum Maria Miscareohas no dia 23 de
julho de 1804.
Como sacerdote dedicou-se ao servico de
seu ministerio, aceitando um lugar de ca-
pello do exercito servio em differentes
corpos militares aonie nouve occasio de
ostentar elle um valor marcial, verdadera-
mente evanglico. Na campaoha do Uru-
guay, o padre Feliciano Prates, prestou os
mais relevantes servigos religio e ao es-
tajo ; a religio ganhando para o co cen-
tenartfs de almas transviadas do caminho da
salvaco, as quaes exhalavam o ultimo sus-
piro ao estridor dos combates; ao estado,
fazend) pelas suas reiteradas admoestaces e
saodaveis cooselhos, que os filhos de Marte
alistados as milicias brasileiras, se acoro-
goassem cada vsz mais e deffendessem com
dcaodo a causa nobre da sua Naci. No
meio do frenes 1 ouco das paixes guerrei-
ras, o piir Fdciano Prates, derramava a
consolago aos ccrabatentes, e implorava as
heneaos do co, onde tinha fixo seu pensa-
menio. A medalaa da campanha do sul,
que ornava o seu peto, era o signal mais
evidente de seus relevantes servicos no cam-
po marcial.
Depois destas fadigas, foi confiado sua
sooitude o curato da freguezia da Encru-
sihada, fonecoes que gloriosamente desem-
penhara.
Nao forana olvidados pela munificencia
imperial, os grandiosos servicos pregados
pelo zeloso ministro da re'igo da Cruz por
que o soberano rooaareda, abrindo o Cufre
das gracas c&ndecorou o padre Feliciano
Jos Rodrigues Prates, com os hbitos de
c:\alleiro das ordens de Chrislo e Rosa.
Pnseguiao padre Feliciano na sua mis-
sao desempernando os deveres parochiaes
quando, no meio desses labores a qoe tanto
so consagrava, em prol dos fiis, a delibera-
Cao dos altos poderes do estado veio, como
setta ferir-lhe o corceo, e arrancar-lhe en-
tre lagrimas e suspiros, aquellas fadigas, e
coafhr-lhe msso mais nobre, lugar emi-
nente na gerarchia da igreja.
Nomeado por tanto bispo da diocese do
Pi Grande do Sul, por carta imperial de
de maio de 1851, e confirmado por letras
multido de habitantes que viviam disper-' go. No da da chegada do imperador Napo-
sos por lugares to remotos como tambem leo, o Imperador Francisco Jos, vendo o
providenciar as suas dependencias ecclesias-' seu augaslo hospede e as pessoas de sui co-
ticas, aioda que sua solictale evanglica mitiva vestidos paizana, deu ordem aos seus
fosse activa; instancias do rei D. Jo5o VI ajudanles de campo para que se vestssem
o santissimo padre Benedicto XIV por sua'do mesmo modo ; pela sua parte, oimpe-
bullaCandor lucis wlernw, de 6 de de- rador dosfrancezes, tendo notado que o im-
zembrd de 1746, dividi o territorio da' perador de Austria e as pessoas de suaco-
diocese do Rio de Janeiro em cinco partes,' mitiva se apresentaram com os seos unifor-
creanJo os bispados de S. Paulo, deMarian- mes militares, recommendou as pessoas qoe
na, e doas preiasias de Goyaz e Cuiab, en-
13o pertencentes capitana de Matto Grosso.
Instituida assim a prelasia de Goyaz nao
teve ella o prazer de po3suir os dois primei-
ros prelados que lhe foram destinados por
que os padres Vicente Alexandre de Tovar e
Antonio Rodrigues de Agoiar, ambos sagra-
dos bispos, ambos tiveram igual sorte de
fallecerem em viagem com destino aquella
prelasia!
Vaga por tanto a Prelazia de Goyaz foi
a 18 de Outubro de 1818 promovido nella
o adre Francisco Ferreira d'Azevedo pres-
btero secular, e natural da .cidade de
Ci'yab.
Sendo parocho da freguezia deS. Antonio,
de Casserub Villa de Macac, povoacSo do
Rio de Janeiro, recebeo pelas suas virtudes,
bellas qualidades, e mais predicados, que or-
navam a nomeiaca i de bispo titular de Milia-
por em 17 de Dezembro de 1811.
Sendo porm escolbido pelo soberano
Monarcba no referido dia 18 de Outubro
de 1818 para prelado da igreja de Goyaz, e
confirmado pela Santa S, e S. S. Padre Pi
7* lhe dera o ttulo de Bispo de Castoria
mudando o de Meliapor, que n5o pode ve-
rificar-se.
Becebida a devida sagraco, tomoa elle
posse de prelado de Goyaz por seu procu-
rador no dia 29 de Agosto de 1819.
Chegando nesse mesmo anno na soa pre-
lazia, comecoo a desempenhar as funeces
do episcopado com o maior zelo, dedicacao
e caridade de verdadeiro pastor, convergin-
qua lhe
asss
apostlicas do SS. padre Po IX, datadas de
26 de setembro do mesmo anno, recebeu o
Sr. bispo D. Feliciano Jos Rodrigues Pra-
tes, a sagrago do episcopado no dia 27 de
maio de 1832, na capella imperial do Rio
de Janeiro e ministrada pelo Sr. bispo ca-
pello-mr D. Manoel do Monte Rodrigues
de Araujo.
Da corle segaio o novo prelado para a
soa diocese, nella fez soa entrada solemne, e
tomou conta da cadeira episcopal rio gran-
ense no dia 3 de julho de 1853-
Sendo o Sr. D. Feliciano, o primeiro pre-
lado da nova diocese, immenso foi o jubilo
da populaco em receber o antistete sagrado
como tambem immansas foram as difficulda-
des, que fclle eocontrou, para n5o s pre
parara sua cathedral, como de criar o se-
m nario, para difundr a educado moral e
scientifica nos aspirantes ao sacerdocio.
A primeira palavra, que o novo prelado,
dirigi a grey rio grandense, foi um desses
pensamenlos generosos, grandes e fecundos;
foi pedir aquella docese o seu poderoso au-
xilio para a fundado de um seminario epis-
copal.
Coraquanlo recebesse o novo bispo de
seus diocesanos a mais completa adhes3o a
cssa idea t5o proficua, todava n3o lhe cou-
be a gloria de laucar se quer a primeira pe-
dri desse monumento ecelesiaslico, que,
destinado instruccSo do clero, constitua
tambem a felicidade do povo, e o brilho da
religio.
Entretanto, teve o prazer de deixar algu-
iuas p'antas cultivadas, sacerdotes honestos,
que de suas mos receberam a unci sagra-
da e se dedicam fervorosamente ao culto dos
alta-es. .
Na misso episcopal, foi o Sr. D. Feliciano
o pai carinhoso do clero rio grandense, o
prelado extremoso no bem espiritual de
suas ovelhas Soa palavra autorisada ensi-
nava a bondade, a paciencia e a dedicago.
Elle sabia governar antepondo mais as ligues
do proprio exemplo do qoe o precei'.o da
autoridade de que se achava revestido. Era
o pai de familia dos orphos, dos jovens,
dos desvalidos, que a elle se prendiam pelos
lagos do respeito, do amor e da veneragao.
O paco episcopal era o cemisho certo
aonde a miseria achava unitivo. Ah nao
entrava urna face em lagrimas, nem urna
Provincia de Minas Geraes.
D. Er. Francisco d'Assumpgo Brito.
A ordem dos eremitas de Santo Agosti-
nho em Portugal, teve o regosijo de ver
sabir dos seus claustros, um religioso or-
nado dos mais bellos predicados, para oc-
cupar o episcopado ; e foi D. Frei Francisco
d'Assumpgo Brito, natural da provincia
de Minas, bispo de Marianna,
Tendo seguido para Lisboa, afira de re-
ceber urna educago litteraria mais regular,
por sua propria vocago solicitou o en-
gresso na ordem dos eremitas de Santo
Agostinho, aonde professou o seu instituto.
Gosando na sua religio a fama de urna
reputago illibada, o re D, Jos o elegeu
bispo da diocese de Pernarabuco, vaga pelo
fallecimento deD. Francisco Xaier Aranha.
Confirmado no episcopado por bullas do
SS. padre Clemente 14 datadas de 15 mar-
go de 1772 e recebida a devida sagraco e
tomou posse de SHa diocese, por seu pro-
curador o conego Manoel Garca Velho do
Amaral, no dia ii de dezembro do mesmo
anno.
Nao tiveram, porm, as ovelhas da dio-
cese pernambucana o prazer de ver o seu
pastor sagrado, porque fora elle trasladado
para governar a greja arcbipiscopal de Goa
no dia 22 do mesmo mez e anno.
Recebendo o paleo a 30 de Janeiro de
1774, sabio de Lisboa e toi tomar conta
do arc?bispado, aonde aparcentou o seu re-
banbo com amabilidade e caricia, at o dia
lde Janeiro de 1783, em que por motivos
alias poderosos foi coagido a resignar a
diocese, e voltar Lisboa, aonde terminou
a existenca.
D. Frei Dogo de Jesos Jardim.
A diocese de Pernambuco possnio por es-
paco de 8 annos um prelado bemfazejo, ca-
ritativo e extremoso no bem espiritual de
suas ovelhas, e foi D. Dogo de Jess Jar-
dim, dcimo primeiro bispo que sentou^se
na cadeira episc -pal de PernamboCo.
Nasceu D Diogo de Jess Jariim, na
cidade de Sabara da provincia de Minas Ge-
raes bispado de Marianna I Em Portugal
recebeu o habo da ordem de S. Jeronymo
e professou a regra desta religio.
O bom nome que ahi gosava, a austeri-
dade de sua vida, apureza de seas costo-
mes, apar de outras virtudes que possuia,
deram Ligar a que a rainha D. Mara I o
nomeasse no dia 11 de maio 178i, bispo
de Pernambuco.
Empetrou da curia romana, as letras de
sua confirmaco as quaes foram expedidas
pelo pontfice Po VI datadas de 14 de fe-
vereiro de 1785, pelas quaes fora confir-
mado legitimo Antistete da mesraa diocese.
Na capella real de Bemposta recebeu D.
Diogo a devida sagraco no dia 17 de abril
do mesmo anno. Tomou posse do bispado
uo dia 22 de agost i de 1786, por seu pro-
curador o Deo Manoel de Araujo Goudin,
e chegou a sua diocese no dia Io de dezem-
bro do mesme anno.
Logo que tomou conta da mitra foi logo
seu primeiro cuidado recommendar pela sua
pastoral, o bom rgimen das freguezias, BM POCCO DE TCDO.
prescrevendo regras, nao s concernente ao O imperador d'austria em pariz.O M-
coito divino, seu esplendor, e decencia de- morial diplomatiqtte, faz a seguinte descrip-
vida, como tambem ao clero, prohibindo cao da viagem erecepgo do imperador de
abusos e ordenando corto e determinado|Aastria em Franca:
do suas vistas no augmento do culto divino
e no bem espiritual "das ovelhas,
fram pela providencia confiadas.
Julgando o santo padre Leo XII
conveniente abem da igreja e proveito dos
fiis extinguir a prelazia de Goyaz e eleva-
la bispado, por sua bula expedida 15 de
Julho de 1827 que comeca=so//ec7a ca-
tholicoe gregis, lhe conferio esta calbegoria,
e passou a bispo de Castoria, que a regia
como seu legitimo prelado, a ser conserva-
do recebendo [ento a nomeiaco de bispo
da diocese de Goyaz, no anno de 1843, pelo
Imperador o Sr. D. Pedro II, e conformado
pelo pontfice Gregorio XVI
Recebeo da munificencia imperial a com-
menda da ordem de Cbristo.
Nao obstante o estado de cegueira. que
infelizmeule chegra, seo zelo nunca seria
arrefecido ; seus cuidados eram constantes
em promover o bem de soa igreja e a feli-
cidade de suas ovelhas, e a instruego dos
aspirantes ao sacerdocio, tanto que no anno
de 1850, o incanfvel prelado dirigir ao
goverao imperial urna representaco em
que solicitara a creaglo de duas cadeiras,
sendo usaa de theologia moral e ontra de-
historia eclesistica.
No servigo de saa diocese, amado- de suas
ovelhas e sentido de todos, sabio- o Ilustre
bispo da regio dos vivos, no dia 12 de
agosto de 1854; em idade nonagenaria,
contando- 35 annos de prelado, e depois
bispo da igreja de Goyaz. (1)
O Rotetro dt> bispado do Brasil, obra es-
cripta pelo Sr. vigario Carlos Augusto Pei-
soto de Alencar, e publ cada no Cear no
atipo de 1864, tratando do bispado de Goayz,
diz que o bispo D. Francisco Ferreira d'Aze-
vedo fra Portuguez, e que nada se sabe do.
dia de sua nomeaga, preconisaco e sagra
Cao.
(Continuar-se-ha.)
dislinctvo em seus hbitos ecclesiasticos.
Abri no dia 15 de junho de 1787, visi-
ta episcopal na cidade de Olinda, e nessa
occasio fizera a mesma recommendago de
tudo quanto hava consignado na sua pasto-
ral exhortando aos fiis o cumprimento dos
deveres religiosos. Em outra pastoral or-
denara, que no dia da SS. Trindade, de
todos os annos se Gzesse na cathedral de
Olinda e matrizes respectivas a solemnidade
da reuovaco dos votos do baptismo conce-
dendo indulgencia as pessoas que assistissem
o acto.
No anno de 1792 a provincia de Per-
nambuco soffreo os terriveis eileitos de urna
grande secca. Saus habitantes lembraram-
se de fazer urna procisso de penitencia
afim de que, unidas as preces e rogativas
que anteriormente hauam dirigido a Deus,
este Senhor se amerciasse do estado afflic-
tivo da populaco. Para isto se dirigiram
ao diocesano, pedindo-lhe sua intervengo
e liceaga. porm esta Ibes foi negada, pela
resposta do piedoso prelado, qual foi ou-
vida com sorpresa : entretanto, que as pa-
lavras proferidas pelo virtuoso prelado,
alm de terem o cunho da verdade, servi-
ram para commover, e estimular os fiis
pratlca das virtudes. Foi esta a soa res-
A pontualidade a delicadeza dos so-
beranos. De accordo com este principio,
to conforme com os hbitos do imperador
Francisco Jos, S. M acompanhado pelos
aechiduqnes Carlos Luiz e Luiz Victor, seus
irmos, assim como pelos ajudanles de cam-
po e de ordens da sua comitiva, sahio do
real palacio de Schoenbrnn no dia 21 do cor-
rente, s nove horas e meia da manha, diri-
gindo se, em carruagens do paco, para a es-
tago do caminho do ferro de Pentzing, pr-
ximo da residencia imperial.
-1 No interior da estaco eslavam reuni-
dos obaro de Beust, chanceller do imperio;
o conde Andrassy, presidente do conselho
dos ministros hngaros; o duque de Gra
mont, embaixador da Franca; o conde de
Bellegard, ajudante de campo de S. M. apos-
tlica, e que exerce as funeces de estribei-
ro mor na viagem imperial.
t O principe Metternich partir na ves-
pera, noute, para Strasburgo, afim d'alli
receber o seu soberano, segundo a etiqueta
diplomtica, i testa do pessoal da sua em-
balsada, na occasio em que S. M. atraves-
sasse a fronleira franceza.
o acompanhavam que de futuro se apresen
tassem tambem com os seus respectivos uni-
formes. No jantar do dia seguinte, os offi-
ciaes da casa do imperador Francisco Jos
appareceram vestidos paizana. em quanto
que as pessoas qoe acompanham o impera-
dor Napoleo tinham os seus uniformes mi-
litares. O affan com que os dous sobera-
nos quizeram praticar um acto de reciproca
delicadeza causou u i a confuso, que provo-
cou depois a hilaridade de SS. MM.edas
pessoas de sua comitiva.
Alm dos wagons destinados para o ser
vico pessoal do imperador Francisco Jos,
bavia mais dez pertencentes ao comboio im-
perial, de qoe o Sr. de Keiseler, director do
caminho de ferro de Elizabetbbalm, tomou
a direceo. O imperador convidou o duque
de Gramonte, o baro de Beust e o coode
Andrassy para tomarem'lugar, com os dous
archiduques, no salo reservado para S. M.
No wagn mais prximo do salo imperial
iam o general conde de Bellegard, ajulante
de campo general de S. M.; o baro de Hor-
nsteen, mordomo-mr da corte do archidu-
que Carlos Luiz ; e nos outros, os ajudan-
les de ordens do imperador, o tenente-coro-
nel principe de Liechlenstein, o major ba-
ro de Fejervary, o major conde Paar e o
capito do estado maior conde Uxhull. Alm
d'estes ajudanles de ordens foram designa-
dos para acompanharem o imperador, du-
rante a viagem, o coronel conde Spazary do
regiment de hussaros hngaros, n. 13, e o
capito Cesar Walzel do regiment de io-
fanteria n. 33. O coronel cavalleiro de Beelt
e os dous empregados, Srs. Falkner e Fe-
sarz, representar) a chancellara militar do
imperador, O baro de Kotz, tenente-co-
ronel do regiment dos drages n. 8, exer-
ce as funeces de ajudaote de campo do ar-
chiduque Lui Vctor.
O gabinete particular de S. M. conta na
comiliva tresfuoccionarios superiores; a sa-
ber : conselheiro d'estado cavalheiro Braao,
o conselheiro ulico bario de Genoite, e o
conselheiro do-governo cavalheiro de Pacli-
ner. Alm destes, os empregados da corte:
o Sr. de Raymeod, secretarios o Sr. Mayr,
thesoureiro da orle, empregado da cootabi-
lidade de viagem ; o Dr. Bielka, medico par-
ticular de S. M.; um inspector de coziahas;
o- mordomo e um criado de Tjuarto.
Obarodeleast vai aorapaobado pelo
cavalheiro de Hoffmao, ebefe do seu minis-
terio, tendo a calbegoria de chefe de seceo
da cnarjcellaria do imperador ; pelo conse-
lheiro ulico barao Altenburgo e por dous
empregados auxiliares do mesmo ministerio^
t Depois de todos estes personagens- to-
marem lugar no eomboio, deu-se o signal: de
partid as dez boras precisas* no meio das
acclamages repetidas do pavo que se reu-
ni oas vizinhangas da estagao.de Pentzing e
em teda a lnha ferrea.
Em todas as- estaces por onde passava
o comboio imperial as popalaccs corriam
pressurosas a saadar os aagustos viajantes..
A's cinco horas da tarde entrou o com-
boio na estago de Salzburgo, que urna das
ruaiores da Alemanha ; all, na sala principal
ricamente adornada, foi servido o jamar para
9 imperador e para as pessoas admittidas
sna mesa- O resto da comitiva tomolugar
em outra sala.
Urna bor depois o eomboio seguio via-
gem e, sem parar, chegou s dez horas da
noute a Monieb onde o principe Adalberto
foi estago receber o imperador, que com-
primentou em nome do rei da Baviera. O
conde de TrantmansdoFfS, ministro da Aus-
tria junto da corte da Baviera, com o pessoal
da soa legago, foi tambem apresentar as
soas homanagens a S. M. imperial.
Meia hora depois o comboio continuon
a viagem, passando successivaraente duran-
te a noute por Augsburgo, tm, Stuigard e
Carlsrub, para s parar s sete boras da
manha na estago de Oos (estago don le
parte o entroncamento para Baden-Badeo,
que fica a pequea distancia), onde o gran-
duque reinante de Badn fei pessoalmente
comprimentar S. M., e annunciar-lhe a che-
gada immediata do rei da Prussia, seu au-
gusto sogro, que quera ter o prazer de com-
primentar o imperador Francisco Jos na
sua passagem por aquello ponto.
ff verdade que os peridicos de Berlina
j de anlemo haviam fallado desta visila,
porm como a corte de Vienna nao recebra
aviso ofli :ial, havia duvida sbrese o rei Gui
(1) A provincia de Minas apresenta ainda
um filho, que assnmio ao fastigio do episco-
posta a verdadera penitencia a emenda pado e foi o Sr. D. Joo Antonio dos Santos,
da vida e a refjrma dos coslumesordenoa' clrigo secular natural de Minas Geraes, dou-
ento o piedoso hispo que os sacerdotes na' tor em Caones pela Unversidade Romana.
celebrago da missa recitassem a oraco ad Nomeado bispo da dioceze de Diamantina,
petendum pluviam, e que se fizessem pre- bo dia 12 de margo de 1863, foi confirmado
ees publicas.
Foi na verdade, D. Diogo de Jesos
pelo SS. padre Pi IX em consistorio de 30
Jar- de setembro do mesmo anno; e recebeo
dira um prelado em extremo bemfazejo e sagraco do episcopado na cidade de Diaman-
caridoso amante de seas ovelhas. Os po- tina, sede do bispado, pelo Sr. bispo de Ma-
bres e desvalidos achavam nelle o consolo e rianna D. Antonio Ferreira Vicoso. Nomeado
alivio aos seus males. pelo Sr. D. Pedro II para bispo do Rio de
Avoltadas esmolas reparti com a casa Janeiro, renuncia preferindo sua sede de
dos expostos e o hospital dos lazaros, nao Diamantina, da capital da corte.
pequeas doagoes fizera sua cathedral, ao (1) E' bem presumivel que as obras re-
recolbimento da cidade do Recife e igreja cernemente escripias devana estar expurga-
de S. Pedro de Olinda. das desses erros, que se encontrara em al-
A casa de Deas, o culto religioso e o bem' gumas das antigs, por sso qae o lempo
espiritual de suas ovelhas eram estes os ob
je tos de seu maior cuidado, zelo e solici-
tude.
Sahindo, com Hcenga, de sua diocese para
Lisboa do dia 16 de maio de 1793, afim de prlo.
vai esclarecendo a verdade dos fados: o
contrario, porm, as vezes acontece, por-
que encontraro erros e inexactides bem
palpaveis nessas ltimamente sabidas do
Inerme realisaria o seu projecto, tanto mais
porque as relaces cordiaes que anteriormen-
te existiam entre o rei da Prussia e o impe-
rador de Austria grande alieragiio haviam
soffrido em consequencia da ultima guerra
da Alemanha. Desde essa poca fra inter-
rompida a correspondencia entre os dous
monarebas. O rei Guilberme foi quem deu
0 primeiro passo para urna reconciliaco, fac-
i sele qoe muito agradou a Francisco Jos;
por isso a conferencia dos dous priocipes
foi extremamente cordial. Depois de con-
versaren? durante um quarto de hora, SS.
MM. abragaram-se com alecto, e depois se-
pararam-se moi amigavelmente. Quando o
rei da Prussia voltava para Baden-Badeo, o
imperador da Aastria, os archiduques e as
pessoas da sua comitiva almogavam na esta-
Cao de Oos, onde tudo se achava disposto para
este lino, por ordem de S. A. real o grao-
duque de Badn.
< Eram outo boras e um quarto quando
o comboio imperial, depois de atravessar a
ponte Kehl, se diriga para a grande estaco
de Strasburgo luxuosamente adornada, para
a recepeo do augusto hospede de Franca.
Na plantaforma, que commonica com a esta-
co estavam formadas tropas de infantera e
de catadores a p, com as respectiva ban-
das marciaes e bandeiras na frente. Na sa-
la de espera de 1* classe, transformada em
1 sala de recepeo, estavam reunidos, para es-
perarem o imperador Francisco Jos, o prin-
cipe de Metiernich com o pessoal da sua
embaixada, e os offlciaes da corte das Tu-
lherias, designados para ficarem ao servico
v
do imperador e dos archiduques durante a
sua estada em Franca, a saber :
c O principe de la Moscovra, senador ge-
neral de diviso, ajudante de campo do im-
perador, moDteiro-mrda casa imperial ;
c O conde Davillier Regnaod de Saint Jean
d'Angli, primeiro estribeiro;
O conde de Reayneval, camarista;
O Sr. de Launston, capito de cavalla-
ra, ajudante de ordens, addido ao servico
de sua magestade;
Os Srs. Seguin de la Salle, capito de
infantaria, o de Crny, capito do estado
maior, ajudantes de ordens, addidos ao ser-
vico de suas altezas imperiaes os archiduques
Carlos Luiz e Luiz Victor.
A's outo horas e meia apenas os clarios
dos oradores, que estaam de vedeta, an-
nunciaram a chegada do comboio imperial,'
as bandas marciaes comeraram a tocar o
bymno nacional austraco (D.us conserve o
nosso imperador Francisco Jos, ele.)
< As pessoas que cima citamos, a;sim
como o general Dueros, commandanie da di-i
viso militar, o prefeito do Baixo Rheno, e
8 maire de Strasburgo, todos de grande uni-
forme, dirigiram-se para o embarcadouro,'
afim de receberem o imperador d'Austria
quando elle sahisse do wagn.
Depois do principe de Metternich apresen-
tar a S. M. primeiramente os officiaes do
imperador Napoleo, especialmente addidos
pessoa de S. M. apostlica desde a sua
chegada a Strasburgo e depois as autorida-
des civis e militares, o imperador e os ar-
chiduques conversaram durante alguns mo-
mentos na sala de recepeo com as pessoas
apresentadas; depois dirigiram-se para o
bufete da estaco, onde um exoellente almoco
os esperava. Na sala maior urna mesa de
quarenta talheres estava reservada para o
imperador, que convidou lodos os officiaes e
autoridades francezas para alli tomarem lu-
gar. Para as pessoas da comitiva liama em
outra sala urna mesa de sessenta talberes.
Como correr o boato de que o impera-
dor de Aostria se demorara em Stransbur-
go, afim de visitar a celebre cathedral, o po-
vo correu logo estago para ver o ilus-
tre hospede do imperador Napoleo ; porm
como o comboio levava j mais de urna ho-
ra de atrazo, sobretodo por causa da demo-
ra imprevista na estago de Oos, S. M. apos-
tlica teve de renunciar ao deaejo de admi-
rar o soberbo monumento, prometiendo po-
rm que o visitara quando regressasse de
Pars. Pora vedada ao publico a entrada Da
estago, de modo que a popolago- de Stras-
burgo foi collocar-se aos lados- da vi* ferrea,
afim de saudar o imperador Francisco Jos
na sua passagem, quando-o comboio, s no-
ve horas e meia, seguio com toda a celerida-
de para Nancy, onde chegou ao meio dia.
a A antiga capital de Lorena estava ador-
nada como em dia de festa. Viam-se ban-
deiras em todas as casas, e as ras- por
onde devia passar o cortejo imperial, para
ir da estago at a antiga residencia do re
Estaaislo, oesupada ho)e pelo roarechal
commandanie, levantavam-se muitos tro-
phce e escudos- de armas com as bandeiras
da Austria e Franca A grande praa, que
fica em frente do palacio do rei Estaoislau,
offerecia urna vista admiravel. O pakcio foi
agora mobilado de novo a custa da lista ci-
vil de Napoleo l Os aposentos destina-
dos para o imperador ficaram de urna ele-
gancia e riqueza deslumbrantes.
t Por urna attengao particular do impera-
dor Mapoleo foicollocado no quarto-de dor-
mir de Francisco Jos um grande retrato
de Carioi V, duque de Lorena, que com as
suas tropas tantocontribuio para que os Po-
lacos-,, commaodados por Sobiski,. repellis-
sem os Turcos e os obrigissem a levantar o
cerco de Vienna. Ao lado do quarto de
S. M".. estava o baro de Beust, e na sala
opposta os quartos destioados aa archidu-
ques, irmos do imperador ; o segundo an-
dar estava osenpado pelo principe de Met
ternich, o croque de Gramont e mais pes-
soas da comitiva de Sv M. e archiduques.
* Desde a estago do caminho de ferro
at ao palacio lormavam ala* tres regimear
tos- de lioha com as respectivas bandas mar-
ciaes e bandeiras na frente. Ao descer do
wagn o imperado? da Austria ouvio os is-
swsos pronunciados pelo general de Arrol-
les de Paladines, pelo baro de Buquet,. de-
putado do corpo legislativo e maire da- ci-
dade de Nancy, os quaes em nome da, popa-
lago de Lorena mostraram a S. M. conser-
var aiada bem vivas as lembrangas que os
duques de Lorena, seus antepassados, dei-
xaram no paiz, manifestando a alegra destas
povoagos ao saudar n'aquelle dia um dos
mais illustres descendentes desia nobre fa-
milia.
t O imperador respondeu qae reconhecia
profundamento estas provas de sympatbia
dadas sua dynastia, e pedio ao maire para
ser o inlerprte dos seus sentimentos junto
dos habitantes da Lorena. S. M. mostrou-
se bastante coramovdo pelo affecluoso aco-
lbimenlo que lhe fizerara.
t Doze carroagens da corte, precedidas
por batedores com a libr imperial, e escol-
tadas por dous esquadres de ca vallara,
couduziram o imperador Francisco Jos e a
sua comitiva ao palacio do rei Estanislau,
no meio de urna immensa muitido que con-
coma a velo passar e que lbe davaentu-
sisticos e prolongados vivas. A carrua-
gem, na qual iam S M. e os archiduques,
era precedida e seguida por urna guarda de
honra pertencente ao corpo dos guias da
guarda imperial.
c O imperador e os archiduques apenas
se demoraran) no palacio do rei Estanislau
e tempo necessario para vestirem o unifor-
me militar ; porque, por nm sentimento de
santo respeito pelos seas antepassados, Fran-
co Jos quiz visitar o jazigo dos duques de
Lorena com o seu uniforme de marechal.
S. M. e os seus irmos foram primeiramente
ao museu existente no antigo palacio ducal,
onde a escada de honra notavel, porque
nao tem degros, por isso qoe os duques
de Lorena costamavam ir a cavallo at a
grande sala dos cervos, onde eram dados
os banquetes e todos os festejos. Depois
de attentamente examinar os objectos relati-
vos a esta poca, o imperador foi igreja
denominada dos Franciscanos, onde se
acham os tomlos dos antigos duques re-
unidos na capella rotonda, entrada da
qual se v a seguate inser peo, que muito
impressionou os augustos viajantes:
Passant I
Arrte et admire son ses ambeaux
Dans ees ducs de Lorraine
Aulant des hros;
Dans les duchesess aulant de femmes forte ;
Dans leurs enfants
Aulant dt punces ns pour le trne
Plus dignes encor du del.
c Terminada esta piedosa visita S. M.
t : =r
voltou ao palacio, e depois de se vistir a
paisano foi ento visitar a igreja de Nossa
SeDhora do Bom Soccorro, onde eslo o
mausoleo do rei Estanislau e o monumento
que contm o coraco de Maria Leczinska,
sua filba, mulher de Luit XV, rei de Franca.
As sete horas da noite o Imperador
reuniu a sua meza as autoridades civis e mi-
Ihares de Nancy, e por convite da munici-
palidade foi s 8 boras casa da cmara,
onde um magnfico concert para o qual
haviam sido distribuido 2:000 convites,
foi magistralmeote execotado. O aspecto
da sala brihantemente illuminada, e onde
se achava reunida a melbor sociedade lo-
rena, era dislombrante. Quando entrou
na sala e quando se retiroo, o imperador
foi vctorado com o maior enthosiasmo.
S, M. disse ao maire de Nan :y. Sr. Buquet,
que muito o lisongera aquella brilhante re-
cepeo, pediu-lhe que fizesse saber aos ha-
bitantes da cidade qoe nunca se esquecer
da sua cordial hospitalidade.
Quando voltou para o palacio, o impe-
rador teve occasio de admirar a magnifica
illuminago da cidade, e sobretodo a da pra-
ca Estanislom, toda illun&ioada a bales ve-
nezianos.
Para poder chegar a Pars as tres boras
da tarde foi necessario que o comboro im-
perial partisse na quarta-feira de manha
antes das sele horas, tanto mais porque S.
M. apostlica devia demorar-se em Meaux,
para all deixar o incgnito, e juntamente
com as pessoas do seu squito vestir o uni-
forme official. O imperador apresentou-se
ento com o uniforme de marecbal austraco,
e os archiduques seus irmos com o de ge-
neraes de brigada.
A's tres horas precisas o comboio im-
perial chegava a Paris e entrava na estaco
do boulevard de Strasburgo. A' entrada da
e>laco estavam postidos, com mosica e ban-
deiras na frente, dois regiment de infan-
tera de linba, que formavam alas. No inte-
rior da estaco estavam formados em linba
de balalha, direta, um batalho de caca-
dores a p e esquerda um batalho de ati-
radores (voliigeurs) da guarda imperial.
A sala de espera da i* classe fra con-
vertida em $s\at de recepeo elegantemente
adornada com a* bandeiras francezas e aus-
tracas, e entre eslas as armas des doaspai-
zes.
Muito antes das duas boras j as rri-
bunar reservadas para as pessoas qse ti-
nam btetes estavam cheias de senhoras,
em quanto que todas as mais pessoas se a-
prossavam a tomar logar as galeras supe-
riores do interior (ib estago. A' sa'a da>
espera efegavam successivamsnte as nota-
bilidades austracas qne actualmente se a-
cham en> Paris, eatrando naste numero
principalmente: o conde Appouy, embai-
xador de Austria era Loodres; o principe
Sapicha, marechal da dieta da Sal itzia: o
conde Edmundo ZicLy vice-presidente da
commisso austraca na exposigao universal,
acompanhado de muitos magnates hunga-
rce> trajando todos os seus ricoa- uniformes;,
o general baro Langgenau, antigo ministro
de Austria em Hannover, o baro James de
Rot6cbild. cnsul geral de Auslria em Pars;,
o aitgraf de Salm membro da cmara alta ;
o Sr.fe ZeMnke, maire da cidade de Vien-
na ;. e muitos ofkiaes- do estado maior aus-
traco de diversas armas. Todas-as pessoas
que cima mencionamos estavam com os-
seus grandes uniformes.
t. A's doas boras e meia chegou. o princi-
pe de Metter-nich, qae no dia anterior viera
das suas propriedades na Bohemia ; dava o
braco princeza o conde de Mulinen, con-
seheiro de embaixada e encarregado de m>
gocios da Austria,.
* Pooco depois chegaram os membras-
do gabinete-trance?-;, o marechalCanrobert,
commandante em chefe do exercito de Pais;
e o general Mellinet, commandante em- chefe
da guarda na>ionul, ambos acompanhados
pelos seas ajudantes de campo;. o general!
Fleury, estribeira-mr do imperador dos
Francezas; o prefeito do Sena e o prefeko
de polieia.
A'S tres horas menos um quai-to os cla-
rins anounciaram a chegada de S M. o im-
perador Napoleo, sendo precedido pelo
principe Mapoleo que chegou alguus mo-
mentos antes.
Sua magestade, depois de conversar na
sala de espesa com a princeza de Metter-
nich, dirigio-se para a platafraa da estago,
por isso que os claxins annunciavam que se
aproximava o comboy que conduzia os au-
gustos hospedes.
c Apenas o comboy parou, o imperador
Francisco Jos desceu e abragou alectaosa-
mente o. imperador dos Francezes. Neste
momento a banda militar tocou o bymno na-
cional austraco, que foi correspondido por
urna acclamago geral de todas as pessoas
presentes e das tropas, qae davam vivas ao
imperador da Austria e ao imperador Napo-
leo.
c Suas magestades demoraram-se ons dez
minutos na plataforma da estaco, onde Na-
poleo III apresentou successivamenle sua
magestade apostlica os seos ministros o
marechal Canrobert, o general Mellinet e os
prefeitos do Sena. Preced.dos destes dois
ltimos fraccionarios e no meio das accla-
mages do povo os dois soberanos dirigi-
ram-se para a sala de espera, e deste ponto
para a porta principal da estago, onde esta-
vam as carruagens do pago que deviam con-
duzi-los, assim como s pessoas da sua co-
mitiva, para o palacio de Elyseu, onde sua
magestade a imperatriz e o principe impe-
rial esperavam os augustos viajantes.
O cortejo imperial, escoltado por dois
esquadres de carabineiros, compunha-se
de dez carroagens do paco, na primeira das
quaes iam os dois imperadores, Napoleo III
esjuerda de Francisco Jos, e no segundo
lugar o general Fieury e o general duque
de Montebello; na segunda carroagem os
dois archiduques no lugar de honra, e no
segundo lugar o conde de Bellegarde e o
baro de Hornstoin.
c as outras carroagens iam o chanceller
da Austria, o presidente do ministerio hn-
garo, o principe de Meternich e os outros
personagens da comitiva, segando a soa ca-
tbegoria.
t O poto reunido em todos os pontos
por onde devia passar o cortejo, desde a es-
tago de Strasburgo e em toda a lioha des
boulevards, saudava os Rastres hospedes
da Franca com as suas sympathicas aclama-
ces. Foi incontestavelmenie o aco'himento
mais caloroso que umoberano estrangeiro
tem recebido da populaco parisiense; e S.
M. apostlica pode, com justa razo ufanar-
se, porque e bem sabido que o povo francez
nao prodigo de taes demonstraces.
TYP. DO DIARIO-RUA DAS CROZES N. U
*



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJZ6S5J2R_N52ZTM INGEST_TIME 2013-09-04T23:53:11Z PACKAGE AA00011611_11439
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES