Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11438


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO XLUI. NUMERO 281.
\ 9& O
r.HU ,1 C 1PIT lli B LICIBES 0\E SE NA.U PA
Par Usa.. .1 .1 .t .1 1 t S| 58 ni 3IKI.ISI 1 T tiSOOO
.j. ...... '...i... -. ., an
fiada naera ja valsa .1 .j
i
^^,ffiHUMFIRA 6 DE DEZEMBRO DE 1867.
PABl UG\TUO K FOBA DA MMVINCIA.
tn tres meies adiintadM.. r. [. r, i. .. !. -. > D> ;. ( rr ... W75t
Paratis ditos idem. :............................... 4S450Q
b._ .... aitn. iH.m acia..
Por nev tos idem.........., ,. .. ,. .. .,............
Ph- i* ua idea., ra .. .. ,<.................. .. ..... 70OOO

\29SI!-33 Bill IPUUSaHBISD CD 18K2D1M SI IMBfiJ ffSTOM 2)3 AMA & KIIfclQlt 8193 IPa^aJMilM&a,

...
-
rMi
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO.
Parahyba, o Sr. Amonio Alexandrino deLiina;
Natal, o Sr. Amonio Marques da Silva jAracaty,
oSr. A. de Leraos Braga; Coar, o Sr. Joaquim
*js de liveira ; Para, os Srs. Gerardo Antonio
i Alves & Filhes; Amazonas, o Sr. Jeronrruo da
Costa; Alagoas,o 6r. Franeino Tavares da Cosa;
L'ahia, o Sr. Jos Martius Alves; Rio de Janeiro,
Sr. Jos Ribeiro Gasparinho.
I
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estaeSes da ra frrea at
Agua Preta, todos os das.
Igaarass e Goyauua as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruari,
Altinho, Garanhaos, Buiqne, S. Beato, Bom Con-
seibo, Aguas Bellas e Tacarat, oas tercas-fe/ras.
Pao d'Alho, Nazaretb, Limoeiro, rejo, Pesqaeira,
lagazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa-Vis-
ta, Ourieury, Salgueiro e Ei, na i guaras reirs
[Serinniero, Rio Forraoso, Taraandar, Una, Bar-1 Primeira vara do cive: tercas e sextas ao meio
reros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas! dia.
eiras. I Segunda vara do eivel : quartas e labbade* a
I ocra da tarde.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do comraercio : segundas e quintas
Relaco : tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda: quimas s O horas.
Jalzo do commereio : segundas as ii horas.
Dito de orphos: targas e sextas s 10 boras.
EPHEMERIDES DO MEZ DE DEZEMBRO.
4 Qnartocresc. as 7 h. e29 m. da m.
il La ebeia as Ir h. e 48 m. da m.
18 Quarto miug. aos 42 m. da m.
I 23 La nova as 8 b. e 47 m. da i.
DAS DA SEMANA.
2 Segunda. S. Bibiana v. m., S. Adria ra.
3 Terca. S. Fraociseo Xavier, S. Marina ro.
4 Quana. S. Barbara v. m., S. 0mQDdr.
3 Quinta. S. Pedro Crisologo b., S. Sabas ab.
6 Sexta. S. Nicolao b, S. Geraldo are.
7 Sabbado. S. Ambrosio b. dr. da igr.
8 DomiDgo. A Inmaculada Cooeeicao de Mara.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira s 10 horas e 6 m. da manhaa.
Segunda as iU boras t 30 minutos da tarda.
PARTIDA DOS VAPORES COsTEIROS.
Para o sal at Alagoss a 14 a 30; para o nortt
at a Granja a 13 e 30 de cada mez; para Ftf-
nando nos das 14 dos metes Janeiro, marco, aaii
julho, setembro e novembro.
EXTERIOR.
A qiirsISo italiana.
Acribe que rebenion no3 estados pontificios, e
que a impaciencia irrefjeetida de Ganbaldi preci-
(jitob, tem collocado o governo Iraoeei e o governo
italiano em free nm do ontro, com o direito deam
lado, e do ontro a razo. Em virlude da applica-
\ao itf ral da convencao de stlembro, a Franca ti-
Dha o direito de reclamar a protecao a Italia para
Ruma,e para o papa contra qualquer ataque exter-
no, ou de rncarregar-se ella mesmo dessa protec-
gao oo caso de nao execocio do contrato.
Uin partido activo e influente em Franca tirou
vantagem deste estado da cousas. O papa actaava-
se#xp< sloaos ataques, contra os qoaes se Ibe tiaha
dado garanta. Podia-se desde entlo allegar, com
uaa lgica irrecusavei, on que os italianos eram
iacapazes de satisfazer os seas compromisos, ou
que estavara despostos a nao os terem em conla.
Tanto n'om como n'onlro caso era a' Fraoca a
quam competa o direito de iolervlr. O Imperador
acbava-se livre para poder fazer oqae o rei Vctor
Emmanuel nao poflia pralicar por si mesms. Por
outros termos, poda m?ndar para Roma ama se-
gunda expedicao, e dar anda ama vez urna guar-
nido fraoceza aquella capital. Era este um direi-
to locootesiavel.
Os joraaes fraacezes que lavoreciam o partido
f. r cal insistirn), com orna precisao maito parti-
cular, na letra da convenci e apresentaram fran-
camente o seo dilema com urna lgica que nao da'
motivo a nrm.uma evasiva. A execogo de urna
convencao estipulada pela Franca Qcava ao cuida-
do da Italia ; a infracto do contrato deixavasapor
impotencia ou roa* f, e desde logo Bciva a' Franca
o direito de intervir.
Mas, se a Franca se pode apresentar debaixo des-
ta forma concisa, a razao admitte, em favor da lla-
lla, argumentos maito solido. Apresentando se
nes termos de orna interpreacao muito estricta da
convencao de setembro, a Italia pareca condemoa-
da a' impassibilidade. Nao bavia governo no mun-
do que fosse capaz de impedir constantemente, e
de urna maneira effecliva, a rupcio de bandos in-
surgentes no territorio pontificio atravez de urna
liona de fronteiras t.o extensa e tao accressivel.
O governo do rei Vctor Emmanuel anda menos
o poda do qae qualquer outro. Sabemos etTecli -
va menta as condicoes que implica um bloqueio
desta natureza. Todo o exerciio nao serla sufD-
cente para dar cnmpnroento a esta trela, princi-
palmente em presenta de invasSesdospropnos ita-
lianos. E' verdade que havia um meio para as
tropas reaes de impedir que amurrei(ocbegasse
ao seu extremo. Se nao podiam impedir que os
insurgentes fossera para Roma, podiam ellas mes-
mo dingir-se all. O exercito italiano poda mar-
char sobre a capital, e cobri la desta maneira con-
tra qualquer ataque, assim como a pessoa do sobe-
rano pontfice.
Mas esta maneira de proceder eslava em desac-
cordo com a letra da convencao. Obrigandc-se a
nao permittir nenboma aggresso externa contra os
estados pontificios, o rei de Italia obrigon se a nao
pralicar nenbuma pela sua parte ; e esta claosoh
poda parecer implicar para ele a protiibico de
alravessar a fronleira, mesmo no caso em qae esta
medida livesse por flm prevenir resultados inais
desastrosos.
Mas o governo italiano poda invocar razoes
mais serias em sen proveito. O direilodo governo
fraai ez nao era, no Intertsse da Franga, um direi-
to em que fosse necessario iosisiir rigorosamente.
A convencao de selembro nao era um ajusle defi-
nitivo da desiolelligencla. Era simplemente a
usi't-n-3o de urna questo difflcil por meio de ara
coropremisso provisorio.
Neobum bomem de estado na Europa, e o Impe-
rador menos do que qualquer outro, julgava qae a
questao remana se podesse conservar nesies termos.
A convencao nao fazia mais do que prolongar urna
situado duvidosa, e dava motivo a' arejio dotempo
ou dos acontecimeotos que podiam preparar sua
vemente o caminho para orna catastrophe ioevic-
tavtl. Quando a guarnigo franceza sahio de Ro-
ma, era urna consequencia natural admitlir que os
romanos recobras.-em rsna liberdade, e qae Roma
se tornasse a capital da Italia.
Era esta portan lo ama eventaalldade para que o
governo francez pareca nao estar preparado. No
decurso do tempo, podia porm azer-se cora que a
questo enconlrasse a sua solucao; mas o que nun-
ca foi duvidoso foi que es.-a sologao, debaixo da
sua forma definitiva, e com as reservas convenien-
tes em favor do papa, delxando de dar Roma a
Italia.
Para um observador mparcial parecera qae
havia toda a especie de razdes contra a interven cao
franceza, sem <>ue boavesse ama onica favoravel a
essa inlervencao.
EfTeciivaraeoie, inlervindo a' mo armada em
favor do pipa, .Napoleo destruira todo quanto tem
feilo em favor da llalla, com tantos gastos e com
tanta gloria. Assamlria de novo sobre si um pro-
tectorado, de que ontr'ora se jalgon maito feliz de
se libertar, ab riria finalmente de novo um largo
campo a's ideas revolucionarlas, que sempre tem
tdo por misso combater, e a' derrota das qaaes
deve o tbrono.
Se o cuidado dos negocios da Italia esta' aban-
donado ao governo italiano, a questo romana pode
regularse, e islo sem violentar a opmio popular
o sem alterar a paz da Europa. Se o governo
francez qoer iogenr-se nesses negocios, nloguem
pode calcular as consequencias dessa maneira de
proceder.
A Italia e a Franca lornar-se-blam inimigas, e
'.odas as modificagSes territoriaes de data recente,
'ou previstas n'am futuro prximo, seriara, postas
em questo oo levadas a novos desenvolvlmenios
pela peispectiva de ama guerra. Os francezes do-
vem aiunder maito a' qatstao romana.
A ulnma occapago prolongouse por amitos e
a.-tidiosos annos, por Issoqne adifflcaldade de Ibe
por termo pareca maior anda do que a de a pro-
longar, e finalmente nao cessoa se nao no momen-
to em que se tornou mais difflcil anda conservar-
se do que sabir. Como se ba de absolver, no meio
da sabedoria e da razo, ama poltica qae de novo
se laucarla, de ama maneira maito gratuita, em
seaelbantes embaragos t
Da parte do governo Italiano nao hoave vlolago
voluntara da convengSo de setembro. A conven-
gao deixava a3 consas n'uraa sitoago qae nao po-
dia ser se nao provisoria; mas a erise actual nao
foi precipitada nem por Vctor Emmanuel, nem
pelo Sr. Ratazzi. Toda a Europa previa ja' qae
Roma, o'um ou n'oolro dia, cairia as raaos da Ita-
lia ; mas o governo italiano contentavae de este-
rar, comqaanto esta esperaoga Ibe fosse onerosa.
Quanto a Napoleo III era a costa da paz, e da
prosperldade da Italia que cooservava suspensa a
questo romana, aSm de ameagar a sua liberdade
de acgao.
Mas as relagdes, qoe assim procorava conservar
existiam nicamente por um fio, e o imperador
J js francezes sabia melhor do qae ninguem qae o
fio se havia de qoebrar aflnal, e nao servirla de-
sos para prender a rede de ama obrigago de qoe
apenas se bavia desligado.
Deve ebegar urna poca se j*' nao ebegoo, em
Joaquim R.gerio de liveira ; idem.
Francisco Jos de Sooza ; idem.
idem.
romana ; o primeiro deixa la hla pendente de urna | 5 anno.
maneira, qne lalvez arruinasse o reino da Italia ; Lino Cassiaoo Lima; plenamente,
creasse perigos infinitos a Europa, e uansasse a Sezostris Silvio de Moraes Sarment
propria Franca incalculaveis prejuizos.
Se posslvel ao imperador Impedir nma convul-
sa o immediata, e isto nao parece ser ama impossi-
bilidado; se pode conciliar as exigencias da con-
vengo de setembro, com os Inieresses absolutos
do reino que elle proprio creon, lera" sem duvida que corre quarla-leira 11.
alcangado um xito quelhebavla de fazer a maior i Movimento do hospital de Nossa Senhora
bonra; mas as difflcoldades exlstinam sempre , Lotera.-
a 47.a, a beneficio
-A qu se acha a venda
da matriz do Ourieury,
sem a solugao, e seria orna origem permanente de
alarmes e de perigos anlogos aquelles qoe ha-
vamos acabado do sabir de orna maneira ioexpe-
rada.
(Times.)
PERNAMBUCO
REVISTA DIARIA
Reonio-se beniem o Instituto Arcbeologico e
Geograpbico Pernambocaao, sob a presidencia do
Exra. conselheiro monsenhor Moniz Tavares e com
assislencla dos Srs. Drs. Nasrimento Feitosa, Soa-
res de Azevedo, e dos Srs. padre Lino do Monte
Carmello e major salvador Henrlque.
E' lida e approvada a acta da aniecedente.
O Sr. secretario perpetuo menciona o seguinta
expediente:
Um cfflcio do Sr. Dr. Amaro Joaquim Fcnseca
de Albuquerque, comroouicando nao poder compa-
recer a ses:>.Inleirado.
Oolro do Sr. capilo Marcionilio da Silveira
Llns, agradecendo a sua eleigo de socio corres-
pondente. Inleirada.
O mesmo Sr. secretario perpetoo d coala das
seguinles olleras :
Varios nmeros do Diario de Pernambuco, pelo
consocio Dr. FigueirO?.
Dous nmeros da Opiniao Nacional pela respec-
tiva redaego.
Um folheio irapresso conlendo nm discorso re-
citado as exeqoias do lente Braz Machado Pi-
mentel, pelo Sr. Joo Ferreira Villela > pelo mes-
mo offertado.-Todas estas oflertas sao recebidas
com agrado e mandara-se archivar.
Entra era discnsso os tres qolsllos finaes do
relatorio lido La sesso passada sobre os restos
moraos do Exm. bispo D. Fre Francisco de Lima,
os quaes depois de algamas con>iderag5es sao ap-
provados; deliberndose em seguida que se cffl-
casse ao l\vm. provincial do convenio do Carmo
desta cldade, para qae se sirva de responder, se se
acha de posse dos restos mortaes e mais reliquias
do mesmo Exm. bispo, depositados em orna peque-
a caixa de folha, afim de os conservar na Igreja
do respectivo convento, at que possa o Rvm. prior
do Carmo de Olioda, all preparar o decente jasigo
para onde tem de ser transferidos os restos com a
devida decencia.
*2No baveodo mais nada a tratar levanla-se a
sesso.
De ordem do Sr. Dr. chefe de polica So avi-
sados, em edilal da respectiva secretan, os donos
de ditlerenles e.-cravos recolbdos a casa de D.len-
c'o para retira los d'alli.
Para isto devero requere-lo com a prova do do-
minio legal que tenbam sbreos mesmos esiravos,
cojos nomes so.indicadcs no referido edita!.
Pela tbesouraria provincial sao chamados os
proprietarios de varios predios, situados nos bair-
ros da Boa-visla e Recite, afim de entrarem com a
Importancia da quola de calgamento das ras da
Aurora e Cadela e becco dos Ferreiros, Importan-
cia que deixou de ser-lbe cobrada em tempo com-
petente por achar-se em obras os mesmos predios.
Para lal recolbimento voluntario est marcado o
prazo de 30 dias, passado o qual, Incorrer o roo-
iribuinte omisso na pena do pagamento em dupla
quantia.
Foram designados os proessores da escola
normal Dr. Jorge Dornellas Ribeiro Pessoa e Vi-
cente de Moraes Mello para examinaren) no con-
curso, que tem de proceder-se para escreveotes,
praticantes e conductores da reparligo .-las obras
publicas na segonda-feira prxima.
Examina o primeiro em geometra e o segando
em grammalica da lingua nacional.
Na segaoda-feira 9 do correle, ter lugar a
collago do grao de bacbarel mo direito, pela 1 ho-
ra da tarde, acs alumnos do 3* anoo da Faculdade
de Direito ; sendo esse acto precedido de um Te-
Deum, que mandam elles celebrar na matriz de
Sanio Aolonlo.
A decifragao da charada, bontem publicada,
Ma-ria.
Hontera pelas onze horas da manhaa, estando
o prelo Ignacio, escravo do Sr. Ireoeo Cavalcaot,
coseodo saccas de la, no trapiche Tasso, na roa
do Trapiche, e iodo puchar urna sacca de sobre
urna pilba, cahio-lbe sobre os pellos, eotrando a
aguiba com que cosa cerca de daas pellegadas oo
peito esquerdo. O prelo depois de examloado pelo
Sr. Dr. Cosme, foi remeliido para casa de seu
senhor.
Segundo nos informam, o Sr. Estevao Jorge
Baptista, foi ama das pessoas que bastante traba-
Ihon para a extiocgo do Incendio da ra da Cacea
n. 16. Fazeraos esta declarago, por ter sido seo
nome esqaecido, na noticia qae demos.
Ha inspeegao de sade no da 13 do correle
mez, peraote o commando soperior da guarda na-
cional do Recife.
Foi aberto novo prazo para habilitagao dos
pretendeoles ao proviraenio da cadeira de matbe-
matlcas do Gymnasio provincial.
O novo prazo expira no dia 13 de Janeiro pr-
ximo futuro.
E' esperado a 12 do crreme, procedente da
Europa, o vapor francez Sarvoie da sociedade geral
dos transportes martimos a vapor de paquebotes
francezes.
Foi declarado por S. Exc o presidente da pro-
vincia ao Sr. leoeote-coronel Joo Mariobo Falco
de Albuquerque, nomeado para commandaote do
batalbo n. 47 da guarda nacional do municipio da
Boa-visla, qae recasando o respectivo commaodau-
te superior dar-lbe posse com defer,ment do com-
petente juramento sobre (andamento de qae nao
o mesmo teneoie coronel residente naquelle muni-
cipio, nem all se acha qnalificado, cumpre-lhe
provar a soa residencia oo municipio do sea bata-
lbo e na clrcomscripgo do dislriclo do dito com-
mando soperior, afim de ser lomada ama delibe-
ragao a respeito.
Com addigo da votago dos colleglos de Ca-
brob e Villa-Bella, o seguate o resallado conhe-
cldo do 3 dislriclo :
5* dislrieto.
Vinario Manoel Lopes.........218
Dr. Mergalbo...............203
Dr.Tibartioo ................ 203
Vlgario Burgos................ 294
Dr. Bacellar..................203
Vigario Fraoclsco Pedro.......202
S. Exc. ordenou que o commandaote do ba-
talbo n. 13 da guarda nacional ds Itamb, sup-
lo exercito de ora goveroo regular. Mas entre a lio Antonio Goedes Correa GonJin o competeate
"oceupago de Roma pela Franga, e a oceupagao' Jurameato, deferlndo-lb o agora, urna vez qoe a le
de Roma pela Italia, ba urna differenga maito' -
de 1867.
Existiam 9 borneas e 10 malberes, eotroa ama
molher, evadio-se 2 molberes, existem 9 homens e
9 malberes.Tolal 18.
Advertencia.
Foram visitadas as enfermaras pelo medico do
eslabelecimento o Sr. Dr. Ignacio Firmo Xavier,
nos das seguales: 4,8, 10,12, 13,18,22,26
e 29.
Existem empregaJos no eslabelecimento 8, a
saber : cappello 1, medico 1, regente i, dita i,
barbeiro l.cosinbeiro 1, serventes 2.-
0 mord no de mesa,
A. J. Gomes do Crrelo.
O regente,
Diniz Ignacio P. dos Santos.
RepabtiqXo da policaExtralo das parles
do dia 5 de dezembro de 1867.
Foram recolbdos a' casa de detengo no dia 4
de dezembro:
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, Tra-
jino, escravo de Jos Alves da Silva Gaimares, a
requerimeoto deste ; a ordem do de S. Jos, Ma-
noel Severino de Araojo, para correcgo.
O chefe da 2" secgo
/. G. de Mesauita.
cemitrrio publico.Obituario do dia 4 de
dezembro de 1867.
Jos Manas de liveira, Peraambuco, 23 aooos,
S. Jos; varilas.
Jos da Silva Ferreira, Portugal, 33 aooos, sol-
te i ro, Boa Vista; gangrena.
Luiz, Pernambuco, 23anaos, escravo, S. Jos;
varilas.
Um prvulo eacoatrado morlo Da porta da igreja
do Carmo, Samo Antonio; parto laborioso.
Francisca, Pernambuco, 10 mezas, Recifa; be-
xlgas.
Jos, Pernambuco, 23 aooos, escravo, S. Jos;
coDgesio cerebral
5
Dioraedes, Pernambuco, 13 metes, Rectfe; con-
volsoes.
Jos, Peroambuco, 2 mez:?, Boa-Vista ; espas
mo.
Laorenlino, Pernambuco, 3 aonos, Boa-Vista ;
bexigas.
Jos, Peroambuco, 3 aooos, Sanio Aotooio ; be
xigas. i
Honorato Jos Moateiro, Pernambuco, 22 aooos,
solteiro, Boa-Vita; intente ebrooico.
Jos Antonio de Fanas, Pernambuco, 30 annos,
casado, Recife; pnenmooia.
Anna Mara, Pernambuco, 70 annos, viuva, Reci-
fe ; febre cooiiDoa.
Felicia Alexandrina de Soa, Pernambaco, 40
annos, solieira, Boa-Vista; tuoerealos pulmo-
nares.
Mara Isabel da Molla, Pernambuco, 9 annos,
tubrculos pulmonares.
da pro-
a cam:-
graode, pira que seja possivel
teosao.
calcular-lhe a ex-
no commina pena algutna ao offlcial que exerce o
seo posto sem ter prestado juramento.
Fizeram actos no dia 5 de dezembro na Fa
O ultimo regulara urna vez por todas, a queslo euWade de Direito os segalntes senbores:
CMARA MUflllUPAL DO RECIFE
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS 9 DE OLTU-
BRO DE 1867.
PRESIDENCIA DO SR. PEREIRA S1MES.
Proseles es Srs. Barros Reg, Silva do Brasil,
Gustavo do Reg, Aquino Fonseca, Drs. Miranda,
Pitanga e Samo?, faltando sem causa o Sr. Dr.
Villas Boas; abrise a sesso.
Ffoi lida e approvada a acta da sesso antece-
dente.
Lea-se o segoinle
EXPEDIENTE
Um offlcio circular do Exm. presdeote
viocia, de 1 do correte, recomuieodaodo
ra que, de conformidad cora o art. 7 da lei de 19
de agosto de 1846, d as oecessarias providencias,
afim de que se reonam as jUDias qualificadoras
desle mooicipio oa 3a domioga do raez de Janeiro
prximo futuro, baveodo o maior cuidado para que
se fga regularmente todo o processo da qualifica-
go.Oue se expedissem as necesarias providen-
cias.
Outro do inspector da saude publica Dr. Ignacio
Firmo Xavier, dizendo ler de proceder visita sa-
nitaria as boticas desta cidade, pede a cmara
que so digne ordenar aos fiscaes que o acompa-
nhem.Que se expedisse ordem oeste sentido aos
fiscaes e se commuDicasse ao inspector da saude.
Outro do contador, informando contra o que re-
quereu Ant. ni o Joaquim Salgado, relativamente a'
cusas de que podio pagameoto.Que o advogado
oformasse.
Ontro do engenheiro cordeador, informando so-
bre o qae pede Jos Lucio Lias, no requerimeoto
junio, para fazer moa peqoeoa salgadeira no lugar
da Cabanga, ao p da que ja' existe, perlencente a
Aotooio Moreira de Meodooga, em terreno penen-
ceDle a cmara, sujeilando-se nao ler direito a io-
demoisagao algoma a todo o lempo qoe a mesma
cmara entender dever ser demolida, assigoaodo
am termo para esse flm, cumpre-lhe dizer que
existe junto a' casa qae serve de salgadeira de An-
tonio Moreira de Mendoaga, um pequeo terreno
com Innta palmos de frente e quarenla de tundo,
que pJe ser concedido ao sopplicaote com as con-
dig5es e garantas oecessarias, se a cmara enten-
der fazer este favor ao peticionario.Coocedea-se
a liceoga, assigoando o peticionarlo e soa molher,
ora termo em qoe se sojeitem a demoligo da sal-
gadeira, sem ioderaolsago algaraa quando a cma-
ra assim o exija, obrigaodo-se ao pagameoto de
urna malta de qmtro cornos de ris no caso de op-
posigo.
Outro do mesmo, Informando sobre o que pede o
bacbarel Deodoro Ulpiano Coelbo Cataobo, readei-
ro do sobiado n. 81 sito a' roa do Imperador, para
collocar urna soleira oa porta da entrada do mes-
mo sobrado; diz qne nada tem a oppr aserae-r
Ibanle prelengo, urna vez que o peticionario col-
loque o dita soleira de nivel com a das casas do la-
do do norte. Concedeu-se.
Oolro do mesmo, informando sobre o que pede
D. Clementina Tbeodora da Silva, para levantar
orna sotea em soa casa terrea na roa de Henrlqoe
Dias n. 2, declara que nada tem a oppr a .-erae-
Ibante prelengo.Coocedea-se.
Oairo do mesmo, informando sobre o requeri-
meoto juato do bario do Livramento, que diz ha-
ver tdo liceoga para fazer na roa do Brom dous
rmateos, os qoaes se acham em altura de cornija,
quer em contiouaco da obra levantar sobre os di-
tos armazent sobrados de am andar, cumpre-lhe
declarar que nada tem a oppr a semelbante pre-
tengo. Coocedeo-se.
Outro do mesmo, informando sobre o qae pede
no reqnerlmento jamo Cbrisiiano Krusger, para
cobiir om eaixo em respaldo, e murar um terre-
no na ra do Lima, da fregaezia da Boa-vista, de-
clara nada ter que oppor.Concedeu-se.
Outro do mesmo, informando favoravel mente a
petigo de Feliciano Marques Viaona, arrematante
da obra do aterro, a partir da ra Imperial a' ter-
minar oa Cabanga, o qu;l pede ompraso de ses-
senta diaa para a concloso da dita obra, e que
Ibe seja piga a primeira prestago.A' vista da
informago, coocedea-se o prazo pedido, e man-
doQ-se pagar a primeira prestago.
Outro do mesmo, informando o requeriment' de
EliasBaptisla da Sha, .m qoe pede liceoga para >
proceder a alguos reparos par estragos em diver-:
sas partes da coroija de soas daas casas terreas,'
sitas a'roa dos Ferreiross, na fregaezia aBoa-j
Visla ; diz qoe nada tem qoe oppor.Concedeo-se.
Ootrd do fiscal da fregoezia de Santo Antonio,
informando nao aebar inconveniente em permuta-1
se qne Francisco Porscier, cotloqoe orna peqoeoa
foiji de errelro na casa o. 9, sita a' roa do Impe-'
rador, visto ter a casa as cooveoientes proporgoes
para tal eslabelecimento por ser ue roa a' roa.
A' commlsso de sande.
Oolro do mesmo, informando o reqoerimeoto do
commeodador Thoroaz de Aquino Fonseca, oo goal
pede liceoga para coostroir um cano qoe esgole s
aguas plaviaes que se accumulam no quintal de
sua casa n. II da ra do Raogel, declara que nao
ba inconveoiente em permitilr-se a liceoga pedida,
urna vez que o cano citado esgole someole as
aguas plaviaes. Conceden se no sentido da infor-
mago.
Outro do fiscal da Tregoezia de S. Jos, infor-
mando o requerimeoto de Jos Leo de Mello, de-
clara qae nada tem anppdr qoanto a' primeira
parte, por ter a casa proporgoes para acommodar
o sal sem prejoizo da viziobanga; qoaoto porem a j
segooda, que expr a vtoda polvor-, parece-lhe |
nao ter logar ero vista do ail. 6* das postaras de
13 de joobo de 1833, visto qoe estas posturas Indi-
cara os lugares onde s deve estabelecer casas pa-
ra a vendada mesma plvora eolrelaato que a
casa de que traa o peticionario na ra Imperial,
quanto a primeira parle, concedeu-se, quanto a se-
gunda, nao tem lugar.A commisso nomeada na
ses-.vj nliima para escolber outro terreno oode po-
desse com vanla;em ser construido do pago muni-
cipal, dando coma do seu Irabalbo, apresentou o,
segulote parecer :
i a commlsso encarregada por esta cmara,
de examinar os terrenos silos era a ra da Concor-
dia, e outro no campo das Prineezas, em frente do
palacio da presitucia. e ver qusl dos dous deve
ser preferido pa a eilific^gao do pago da muoici-
paiidade; leodo frito cora madureza o dito exame,
passa expender a sua opiniao a tal respeito.
O terreno da ra da Concordia, emende a com-
misso qoe alm da forma irregular, em extre-
mo acanhado ; e collocar sobr'elle nm edificio co-
mo o do Pago Municipal, seria querer tirar toda a
belleza, elegancia e a nobreza da perspectiva do
mesmo edificio.
Niogoem podtra' contestar que a primeira ba-
ze para bem fazir sebresabir a elegancia de ura
edificio ou de um nicunmeDlo qualquer, o terre-
no era que devem ser collocados, nao : pelo is-
pago, como pela regularidade do mesmo terreno
em relago ao que sobre elle so vai collocar.
Ora, sendo o terreno de que se trata em forma
triangular, e esla mesma a mais irregular que
possivel, pois que al um de seu lados formado
por ama curva reentrante, ca'o qoe collocar
dentro delta om edificio como o qoe esta' delenia-
do para pago da muoicipalidade; seria fazer per-
der a esle toda a elegancia e luda a nobreza da
perspectiva, sobre ludo p -U pequioez do tspago,
qae fazia parecer, qon o edificio haveria sido for-
gadamenta incaerndo den.ro dalle.
Quanto ao terreuo do largo das Prineezas, en-
leade a commisso que esu' uo caso de ser prela-
do pela regularidade, espagn e posigo, urna vez
q'.ie se faca na puma d) bairro de Sanio Antonio,
as alterarois conforme a planta que a commisso
olferece a coosiderag.io da cmara, as qoaes alias
sao de pouca imporiaacia, atlendendo a quadade
e cathegoria da obra.
t A op nio que a commlsso vem de expender,
acredite a cmara, > somente baseada no desejo
que nuire de que o Pago da Muneipalidade da ca-
pital de Pernambuco, seja construido de ura modo
que, satisfazeodo ao publico, d gloria, de prsenle
a corporago qae o mauda coostroir, e hoore de
futuro a que houver de substilui-l>.
No enlamo a cmara deliberara' como melhor
entender.
c Pago da cmara municipal do Recife, 9 de oa-
tubro de 1867. ustavo Jos do llego.Aotooio
Jos da Silva do Brasil.
Posto em discus^o, e oo baveodo quera pedis-
se a palavra foi posto a vutos, e approvado volan-
do contra os Srs. Dr. Miranda, Dr. Pilaoga e Aqui-
no Fooceca.
Em seguida maodoo se officiar a presidencia pe-
diodo a altcragoda planta.
Acbando-se sobre a mesa a planta de que trata
a commisso em seu parecer, a qual indica a par-
le que deve ser alterada, abrindo orna ra que a
partir da de S. Fraocisco, val desemoocar no cam-
po das Prineezas, maodou-se officiar ao Exm. pre-
sidente da provincia, peaindo oo s a alterago
proposta, como da escolha do oovo lerreno.Mao-
dou-se remellar ao advogado para dar o seu pare-
cer. ,
Urna petigo de Manoel Jos da Silva Magalnes,
arrematante do imposto de 100 ris por carga de
farioha e outros legumes veuddos dos mercados
pblicos das freguezias de S. Jos e Boa-Vista, pe-
diodo a cmara que iba pera-ittisse cobrar daqael-
les qae, pela va frrea, trazem o sea genero para
esla cidade; o ciado imposto, como sa fossera el-
les exposios a veoda dos mesmos mercados, allega
para obter essa coocesso, sefli er prejoizo na ar-
rematago qoe fizera, e oo seodo alteDdldo desis-
ten da arrematago feita em 17 de setembro ul-
timo, visto nao ler assigoado aioda o termo de
contrato.
Despacb.ram se as petig5es de Antonio Valen-
tina da Silva Barroca, Aprigio Jos da Silva, Anto-
nio Carlos de Alraeida, administragao do recolhi-
mento da correcgo de Olinda, luchare! Armioio
Coriolano Tavares dos Santos, Aotooio Joaquim
Salgado, Claudio Dubaux, bacharel Celso Tertu-
liano Feroandes Quiol-lla, Feliciano Marques
Vianna, Francisco Aotooio das Chagas, Francisco
Jos de Sam'Anna, Guilberme Augusto de Albay-
de, Jos Lacio Lias, Joo Rufino de Sooza Maga-
ihes, Joo Ferreira Salgado Gaimares, Jos Pe-
dro Giijo de Miranda, Joo Pacheco Alves, Jos
Gordeiro do Reg Pontes, Jos Pedro deSaet'Aooa,
Dr. Joaqoim Jos de Miranda, Joo Soares Beroar-
des, Maximiaoo da Silva Gusmo, Manoel Jos de
Sa Araoo, Maooel Figoeir&a de Faria & Filho?,
Maooel Ferreira Aotones Vlllaga, Maooel Azevedo
d'Andrade, Valdevino Ribeiro da Silva, Zferino
Ferreira Veltoio, e levanla-se a sess3o.
Eu Francisco Canuto da Boa-viagem, secretario
a sobscrevi.
*)eclaro em lempo ter o Sr. Dr. ViHasboas,
commonicado oo poder comparecer a sesso de
qoe traa a presente acia, bavendo engao quando
se disse baver fallado sem causa participada.
Boa-vlagem o declarei.Pereira Sia,5es, pro-pre-
sidente.Reg.Fonceca.Silva do Brasil.Dr.
Villas-boas.Saotos.Fooceca.Dr. Miranda.
JURY DO RECIFE.
SESSAO EM 4 DE DEZEMBRO DE 1867.
Presidencia do Sr. Dr. Joo Antonio de Aravjo
Freilat Henrtques.
Promotor pablleo o Sr. r. Arminio Coriolano Ta-
vares dos Sanios.
Escrivo Joaquim Francisco de Paola Esteves Cle-
mente.
Feita a eharoada as 10 boras da manba compa-
recern) 12 senbores Juradas.
Foram dispensados por doentes.
Joaquim Fellppe da Costa.
Dr. Joaquim de Aqoioo Fonseca.
Francisco Angosto de Araoi).
Capltao Jos HermeuigHdo Lsai Ferreira.
Manoel Eleoterio do Reg Barros.
Foram multados em mais 204 cada om dos ju-
rados j multados na sesso do dia anterior e a ca-
da om dos seguiotes :
Adriano Augusto de Almeida Jordo.
Antonio Jos Dnarte.
Jos Gomes Villar.
Delxam ainda de serem modados por oo se
terem reeolbidas as notificagftes differeotes orados
de diversas freguezias de fora da cidade era coo-
sequencia do qae o juiz addiou a sesso para o se-
guate da pelas 10 boras da raaoba.
Communicados
Keclifi cacao.
No commooicado, qae hoje vem publicado oo
Diario sob o litloFaoforrlces do Massasvejo i
eu que ba inexsctldSe, qoe o cathotico veterano ;
me permtiira' que rectifique. Tambera son velho, i
tambera mllitei oaqoelles bons tempos de verda
deiro patriotismo e de verdaderas crengas, e posso
por isso dizer algoma coosa sobre os soccesos
daqoella poca memoravel de nossa historia po-
ltica.
O eothohco veterano eogancu-se quando disse
qoe o general das massas e seos irmos assenta-
um praga de cadetes por virtude de certo pripi-
legxo.
O faci s exacto cora relago aos Irmos do
general ; houve cora iffaito o (al privilegio ; mas
o general ja' a esse tempo nao eslava aqui ; tinhs
ido preso para a cadeia da Baha por ter commetti-
do o crime de tirada de presos do poJer da justiga
no lugarCasa Forle, lendo sido, por signal, o
juiz qua o coodemoou, o fioado patriota Antoaio
Carlos de Aodrada Machado e Silva.
Tambera certo qae elle ooaca foi cadete; foi
sargento, e oo ebegou a conheeer o teoeoie-coro- l
nel J o Casimiro, que fez amisade com os irmos
quando o Massas ja' aqui nao eslava.
Outro Veterano.
m
Publicares a pedido
Eleico des devotos qae ho de festejar
PSossa Senhora de Rosario do l'ron-
lespicio da fregoezia de Santo Anto-
nio para o anuo de 1868.
Juiza por eleigo
A Exma. Sra. D. Julia, consorte do lilm. Sr. Dr.
Baribolomeu Torqualo de Sjuta e Silva.
Juiz por eleigo
O Illm. Sr. Jo3 Pedro de Souza e Silva.
Jaizas por devogo
As Etraas. Sras. :
Consorte do Illm. Sr. Haonque ot Alves Fer-
reira.
D. Olympia, Blha do Illm. Sr. Maooel Antonio de
Jess Jnior.
Consonado film. Sr. Joaqoim da Costa Maia.
Consorte do Illm. Sr. capito Maooel Lopes Ma-
chado.
Consorte do Illm. Sr. Joaqaira da Silva Costa.
D. Aonuociada, filba do Illm. Sr. Ilenrique Jorge.
Juizes por devogo.
Os lllos. Srs.
Conego Kraocisco Rochael Pereira Drito de Me-
deiros.
Stercometra Manoel Cjelho Cm'.ra.
Negocian!" Maooel Antooto Pereira.
Propneiario Joaquim Dias Farnaodes.
Negociaote Bernardo Cerqueira Costa Mooteiro.
Teoeote Maooel Aotooio Viegas.
Ifeesw retro
Negociante Joaquim Bernardo Res.
Escrivo
Jos da Silva Corre Collares.
Mordoroos.
Joo Teixeira da Rocha.
Joaqoim Soares Neves.
Jerooymo Salgado de Castro Guimres.
Manoel Pereira Magalbes Jnior.
Joo Viegas.
Jos Euzebio Marques Coelbo.
Custodio Longoloho Braga.
Jos Aotooio Ribeiro.
Mordomas
Todas as Exmas. Sras. moradoras oas ras larga
e eslreita do Rosarlo.
Protectores e bemfeitores
Todos os Illrns. Srs. domiciliarios as mencionadas
ras.
Vigario Antonio Marques de Castilha.
Illm. Sr. Tendo a Ilima. cmara municipal re-
solvilo oesla data, ero visu do compromiso em
qoe eslava para com V. S. pelo qoe lhe foi decla-
rado em offlcio desla secretaria de 28 de ootobro
de 1865, e do que dispSe o art. V da le d. 1216
de 28 de juooo do mesmo anoo, reintegroa-lbe o
exerciclo do cargo de fiscal da fregoezia de Santo
Aotooio, qoe deixou quando desta capital parti
para a guerra contra o Paraguay ; assim Ih'o com-
muuieo para soa inlelligeocia, e afim de qae entre
ja' emexercicio do referido cargo, confo-ma acaba
de ser determioado.
Deas guarde a' V. S.
Secretaria da cmara municipal do Recife, 1 de
dezembro de 1867.
Illm. Sr. major Caetano Pinto de Veras, fiscal da
(regaezia de Sanio Antonio.
O secretario,
Francisco Canuto da Boa Viagem.
Aoacahuita Peitoral de Remp.
A academia medica de Berln teve perfei-
tameote razo em sen judicioso julgameoto
em pronunciar o sueco da balsmica Ana-
cahuita Mexicanacomo um especifico posi-
tivo e iofallivel para todas as irritares e in-
lammaces de garganta e dos vasos bron-
chios.
NSo ha nenhum caso de rooquidio, tosse,
catbarro, escoriceo da garganta oa irritacSo
dos bronchios qae possa resistir s suas ad-
miraveis qualidades anli irritantes.
Ella resttue a voz quando perdida ou en-
flaquecida, pelas afiecces ou sonsacos de
asperesa no palato; faz cessar a expectora-
c3o sangunea e impede a accumulacjo de
mucosidades nos orgaos da respirarlo que
partem dos pulmoes.
Inteiramente difieren te na sua composico
de todos os mais peitoraes manufacturados
de fructas adgtriogentes, cascas, raizes, etc.,
o mesmo nao contm neubum acido prussi-
o, opio, ou outros quaesquer ingredientes
venenoso.
Acha-se de venda em casa de A. Caors,
de J. da C. Bravo dr C. e P. Maurcr.

HUMA VIDA SALVA!
Nao temos conhecimento algum de ncnuot
caso que t3o perfeitamente mostr d'unia n*
neira a mais clara e persuasiva o poder da
Scincia Medica sobre a molestia; qual Hoja o
de Antonio Joaquim Prfida, da Baha.
Este bomem infeliz havia mais d'um anno qu
eoffria as dores as mais atrozes e pungen Mi
proveniente de
Tresno
Terriveis dagas Aberas
espaladas por sobre differentes partes de sea
ccrpo, sendo nma das quaes sobro o peito do p
urna funda e maligna chaga, a qual o privar
u andar, cauzanco-ihe as dores as mais agoni-
santes quer de dia quer de noute; continuad*,
monte atormentado por taes afiUc^Des e dores,
e quasi que aborrecido da continuacSo de eim-
ilbante vida, tendo jtosto de parte toda a f e
ennlianca emmedecinae, e na realidade pareca
qu para elle nao lhe restava mais esperanca
algvma; assim pois reaignado esperava con-
paciencia o termo fiaal de sens mutiplicadoa
soffrimentot", eis que milagrosamente por for-
tuna soa lhe receitaro o grande purificado
Jo sangue
A Salsaparrilha
DE BRISTOL
s mediante a sua grande elcacia e excellenci*
elle se achou dentro de pouco tempo, livre da
eu Irremediavel estado de desespero, e a doce
e risonlia esperan ca tornou de novo revlvtr
em seu corarao ; sob a poderoza e benvola in-
fluencia cteste admkavel medicamento, as suaa
;haga8 em breve principiarao assnmir um ca-
rcter favoravel dimlnuindo o aspecto de sua
malignidade. A maesa do snngue e roaia
humores do syatema tornou adquirir urna
pparencia clara e saudavel, s dores ator-
mentadoras d'outro ora o deixarao, e urna doce
3 suave tranquillidade principiou precorrer
codo o eu syatema, restaurando-he a desejada
paz e socego d'espirito; ub chagas urna urna
e forio fechando atrf que finalmente se cica-
trizarSo d'um t">do, e hoje acha-ss perfeita-
mente sao, gosando d'um perJeito estado de
ande, depois de se ter visto privado d'esta
grande gozo durante mais d'um anno. Elle
durante esta sua cura, apocas fez uso de
Desasis garrafas da Oenuina Salsaparrilha
de Bristol, preparada exclusivamente por
LANMAN & KEMP
De NOVA YORK.
Recommenda-se mui particularmente aoa
Doontes d'ambos os sexos, que empreguem
toda a cauU-lla na escolha d'este u '.mirnvel
remedio, afim qne nio obtenhSo outra cora-
poeiao qualquer, que nio seja a Salsaparril-
ha Oenuina de Bristol, pois que todas aa
mais preparacoes e imilaroes d'esta n&turea
^* falsas nao possuindo virtude algum*.

COMMEBCIO.


PRACA DO RECIFE 5 DB DEZEMBRO
DE 1867.
As 3 M boras da tarde.
3 de deiembro
Frete de algodao daqoi para Liverpool 3/1 e o
por ceoto por libra.
Frete de assocar daqoi para o Cioal ioglez45[
por tonelada e 5 0|0
Fretelastro de assocar daqoi para Liverpool
23/ por tonelada e 5 0/0
dem assucar daqoi para o Caosl 43/ por tone-
lada e 5 0/0
dem de algodao do Rio Graode do Norte par Li-
verpool 3|4 d. por libra 5 0/0
Algodo l sorie 8*300, 8*300 e 8*350 por ar-
roba.
Assocar ruascavado purgado (american) 2750
por arroba.
Hoje)
Algodo sorte-8$600 e 8*300 por arroba.
Silvelr,
Presidente.
Mace rio.
Secretario.
EM LIQUIDAQAO
Novo banco de Pernambuco
Os Srs. accionistas podem receber o 3.
dividendo (em raoeda corrente) de 40 o/o do
capital, assim como o 1. de 30 o/o, e o 2.
de 46 o/o, j a nn une i a dos.
Novo banco de Pernambuco
em liquidado
Os possuidores de notas da emisso do
banco queiram quanto antes apresental-as
ao troco.

ALFANDEGA.
Rendimento do da 1 a i .......... 71:813*910
Idemto a 5................ 26:118*683



98:042*392
Wovimenij da alfandeg.
394
7
------661
99
202
------301
Voluroes entrados com taiendas...
c gneros....
Vo!umes sabidos com faxendas..
i i gneros..--
Deicarregam boje 6 de deiembro
Brigne prossianoKo/ipr-farinb ds tro,
Palacbo ingles- JamfJ-bcalh%
Barca io6t9ta;om Galera iogleja-He''-wioiicr-.a0.
Barca IngleaRoyal Br/'(,_il|aia,
Briga logleP*ri->^tm


rjj
9 A
%1ma90*i+*wm*mhnf ~- leiii felr Ieomr.ro ie 1F07.

Jlti WJ-.

?apor leflax-CrfcjfttUmercadorla.
Patacho bolistooM- Barca ioglea-lftnwufc calbao.
RKC&BBOOH1A DE RENDAS INTERNA
GERAES.
fUndimeoto 4o di* WMft f.....<
.Mffl do dial................
CONSULADO PROVINCIAL
Rendimeoto do dia 1 a i....... ,21
Idam do di 3 .............. ._^
15:583*768
, dem dem Vfc-fil.ni !*&. "*
Idear dem n. 8.Irmantads do Santitsima Sacra-
mento de Santo Antonio.
dem dem .' 10. -i lem (de ai.
Iiem dem o! lt.- IJero dem. '......
5:T6S#t06- We Idem d. 18-Bernardo Aires Pionero *ra-j
1:9931424 iros.
-------------dem idem n. JO.Anna Therea do Sacramento.
7:758*630 dem idem o. 21Sabino da Caoba Fragoso.
-------------'dem dem o. 26.Antonio Ferrelra Braga.
de Sanie
M0Y1MEHTO O POETO
Vamos entrados no Ata 3.
Terra-Nova33 das, b?rca ingiera Miranda, de
314 toofladas capito M. Nabo, equipagem 14,
carga 3,840 turnea com bacalbao; i D. I. 4
C C. Sinoco < C.
Terra-Nov36 da, brigne ngle annts Slewart,
189 luneadas, cap la o M. Ventie, equipagem 12,
carga 2,630 barricas com bacalbao a Saunders
Brotheis A C
Terra-Nova- 48 dia;, patacho ingle Jannes, capi-
to D. Evans, eqalpagem 9, carga 2,830 uarncas
com acalhi ; a Jobnstoo Pater & C
Montevideo30 das, brlgoe prassiano Votligntr,
de 184 toneladas, capltio I. O. Ehoke, equipagem
dem dem n. 28.Irmandade das almas
Antonio.
dem idem ir. 30. Joanoa Mara dos Santos le
raes,
dem dem n. 31 -Dr. Antonio Joaqun; de Mo-
raes e Silva.
den) idem n. 34.Man ie I Jos do Amaral.
Ildeo idem n. 38.Tutor de Francisco Goocalves
da Rocha.
Casa terrea n. 50O* mesmos.
dem idem n. S2.Dr. Joo Capislrano Bandeira
de Mello.
dem idem n. 54.-Luir Jos da Costa Amorim.
dem idem n. 56.Jos do Reg Pacheco.
dem idem n. 58. Bariholomeu Francisco de
I Soma.
dem idem n. 60.O mesmo.
dem idem n. 62.Manoel Gomes Viegas.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, 9 de novembro de 1867.
O f-scrivSo,
Pedro Roiitgues de Souza.
Repartidlo das obra* pdica
De ordem do Sr. engenbelro, chefe interino da
SOOET (1NERALE
Transporte mariUmes a vapeur
PAQUEBOTS TRANCIS I <
At o dia II do correte eipera-se da Europa o
vapor Iraneet Savou, o qaal depois da demora do |
costume seguir' para Buenos-Ayres pela Babia, n. _.
Urna mulata moca -bonita fisura.
Um moleque eostnheiro alejado das pernas.
Urna vaeea cota erla de nm mez.
55 roeios de sola, ama achina de coser, nm
Sfliodro para padaria, mu barra (cofre de ferro),
as eartettW'p'iA eseVlptorio, orna secretarla e
ootrns movis novos e asados qae se venderao
slm limites.
BO#E
Pelo agente Martins no armazem da ra do lo*
perador n. 16, aa 11 do dia.
LEL 0
Rio de Janeiro, Santos e Montevideo.
Para condicco-s, fretes e passagens trata se na
agencia ra da Crnt n. 55._______________"
RO
DE J AMBIRO
e en-
maslro, nm maslaro
chamas
Sexta-feira 6 de dezembro as 11 horas en
ponto.
Antonio G. Chieaoo, commandante da galera por
tuauH i hstphtta & Almtra, arribada neste port ,
Pretende seguir eom multa orevidade a barca firV leilao com llcenei do Sr. inspector da alfan-
cDespiqoe II, tem doas tercos de sen earrega- dega, em presenca de nm empregado da mesma
ment a bordo para o resto qae Ibe falta tratase reparlico para o Qm nomeaao, com asslstencia do
eom oe seus consignatarios Antonio Luir de 011- "
i veira At.vedo & C. ra da Crnt o. 57.________
Para Lisboa
val sabir com mnila presteza a bem conheclda
bjrca Mana : para carga trata-s* com os eonsig-
Da casa terrea na Scledade roa de Joo Fernandes
Vieira n. 52, com 5* palmos de frente, 116 de
-tanda, 4 jawlhs-e 1 pirta de trente, 4 salas,
3 a rredores, 7 qnartos, eosinba (ora, teodo
parte do sitio murado, porta*, nata de eapim
e 2 cacimba?.
Terca-feira 10 de dezembro aa 11
boras em ponto.
Por nter veneno do agente Pinto a roa da Cruz
n. 38.
De nm encllente terreno perto
da e da le.
Terga-feira 10 de dezembro.
O ageole Pintojevara' a leiiSo precedida a com-
petente aotorisacio, um eicellenie t'rreno com
20(i palmosutV frenie ni estrada do Manguioho e
3i5 de fondo na da Pa ssgem da Magdalena, a i-
miiarVomo >ilio da capelllnha, assina com 160
palmos de trra com a frente para a Estancia,
, haven i i grande plantario de capim, 2 meia-aguas
Sr. consnl de Portugal, por Intervencia de agente de pedra e eal rnj rendimeot AO COHMERCIO
. Os abaixo signados parllelpam ao respett.rel
corpo do eommercio qae desde o do carrala
mez aeha-se no liqodaci" a sob_JJf"* de Alvos, Homborger A C.
** de dezembro da. 1M7.
Jo- Alvee da Silva Quintarles.
Max Hombnraer. "
AVISO
9, carga 3,482 saceos com farlnha de trigo; a reparticio das obras publicas se lar, pnbllen qne. ittwru *"
Amorim Irmlo. >><> todo concurrido oppositor algam aos lugares
Babis28 da-, samara ferasileira Boitencta, de 94 vagos de conductor desta repartigo, e tendo sido
naiarios Carv.iho & Nogueirar ra de Apollo du-
Plnto e por coala e riscojde quem perteneer de al-
goas paos perlenceotes a dita galera, que foram
substituidos em coose'iuencia do reparo fefto na
mesma ; o leilao sera' effactaado as II boras do
da cima dita no caes da roa do Trapiche em
Trente a AsselacSj Commercial.
toneladas, capito Francisco Jos de Paula, equi-
pagem 8, carga 786 saceos com (arioba de man-
dioca e cutres gneros; a Antonio Luir de Oli-
veira Aievedo Navios sabidos no mesmo dia.
LisboaBngoe portoguei oa /, capito Antonio
F. de O iveira, carga aasucar.
Bnenos-AyresBrigae brasileire Invencivel, cajilSo
Francisco Pedro de Almeida, carga assncar e
agurdente.
julgado inhabilitados os que concjrreram aos la-
gares de praticantes, no da 9 de desembro prxi-
mo viodouro lera' Ingar novo concurso para pre-
enchimento das referidas vagas de conductores e
praticantes.
Os concorrentes erao argidos as materias de
que tratara oe J e 2* do art. 10 do regularoeoto
de 31 de julho de I86, e qae vio abano decla-
radas.
Os requeriremos para inscripgao dos candidatos
BarcelonaBrigue bespanhol Fluvia, capitaj Jaime devero ser apresentados at o dia 7 de dezembro,
BarijK. carga aigodao. o podero ser instruidos com quaesquer documen
Rio da PrataPolaca hespanhola Sorpeza, capito
Jos Fonlaneil-, carga assncar e agurdente.
Rio da PraiaPataebo hollandez hhannes Jaeoba,
capillo S. Ve, ca.ga as Qbse< vacao.
FandeiU no lamaro um brigue brasileiro mais
nao teve ccKmnnicaco cm a ierra.
_ '
.DECLEICOSS.

Iuspe^Cc?ode^aude.
No dia 13 o-, corrente, s II boras da manhia,
bavera' in?pec(o de saude na secretaria do com-
mando superior guara nacional deste munici-
pio para os Srs. ufll;-iaes e guardas que requere-
ram, e que foram deferida suii petir5s, bem co-
mo para o Sr. tenent,-., ronel commandante do : d_.f! r!?!dL8!.n.b?Jl!fl'r.e -e,-ln_.re.-V
tos ou ttulos scieuticos que abonera a eapacidade
I dos mismos candida'-os.
Secretaria das obras publicas 7 de outubro de
1867.
O secretario
Feliciano Rodrlgnes da Silva
Materias do concurso para conductores e prati-
| cantes da repartigio das obras publicas.
Para conductores.
Mathematicfs elementares, algebra aleqnacSes
do 2* (rao, thigonometria. elementos d geomatrla
aoalityca e descrpl va, d'asir(nomia, d'architecta-
ra e de resistencia de materia??, conhecimento
perfeiu djs instrumentos graphicjs e dos trabalhos
-enivellamento e planta, desenbo lineare de aqua
dalla.
Para praticantes.
Lingua nacional e francez, aritbmetica, geome
tria, as dua-e tres dimeosSes, algebra at equa-
. -
Por o

LEIL40
Pretende seguir com a maior brevidade possivel
a barca portugaera Claudma, por ter a maior par-
te do sen carreeampnte enga:ado : para o resto e
passageiros, aos quaes offerece excellenles eom-
modos, trata se c m Cunha I-raaos & C-, a' ra da
Madre da Dos n. 34, ou com o capitn a birdo.
Rio-Gfrande do Sul.
Patacho brasileiro Cnnftao, capito Manoel
Francisco Fernandes, segua com brevidade por
ter parte da c>rga contratada. Para a qne Ibe ca do incendio do_! e z
falla tratase com Mignel Jos Alve?, o. 19, roa da
Cruz. ^^_____
O leilao sera' flciliado as II horas do dia acim
dito em o eseriptorio do mesmo ageole ra da
Cruz n. 38, onde podero os pretendentet Gbier
qaatquer informaba i a respeito.
"luir
fiAtlAMAPnlilQ O ageute Punloal, competeoteraeale aaionsado
uci/fji ivj uua^ vender em leiKo os prdioi seguintes
A 6 DO CRREME 1 cata terrea fita a ra do Hospicii o. 7, aflual
Rabe Scbmetiau i C. (ario leilao por ordem do r^ude raeosalmeote 255, tera os comraolos se-
Sr. cnsul de Htmburgo, por eoola e risco do, guiles: duas grandes sajas, um gabinet-, 4 quar
agente Oli- tos, cosioda fora, quintal morado, tendo 50 pal
lina de S- Miguel.
Para o porto cima segu o patacho portuguez
cJorgeose de primeira marcha, para carga e pas-
sageiros trata-se com o consignatario Joo do Re-
g Lima, roa do Abollo n. 4.
quem perteneer e por iolerveoco do agenl
veira, de diversidad- de (atondas e le, principal-'
mente toglezas porm deterioradas em consequen-
o arma-
zem contiguo dos Srs. Adrin", Castro & C, que
passraem parte para o delles
HOJE
as II horas damanhaa em ponto, em seu arrr.-
zem sita a' ra di Cadeia n. 18.
batalbo n. 23 da Victoria, o bacharel Pedro l( -z.;r
ra Pereira de Araujo B aro, par assiin ter deter-
minado o Exm. Sr. pre-ideote da provincia, em
offlcio ora data de 3 do correte.
Secretaria do com< ando superior da guarda na-
elenal do Reclfe 4 de ivzembro de 1867.
0 1.* secretario,
FU mino Jos de Olivara.
Pela recebe!,ri-i de rencas internas geraes
se faz publico, que n corrente mez de d?zembro
qne os devedores rta< reas 'angad s relativas ao
exerciclo c rreote d I8768, a saber : decima
addtcknal das corpj s de mo morta, sjcieda-,,es cscrlve
des anonyraa< e oatra.-, imposto sobre lujas, casas Is
de descanto etc.. dito si hre casas de movis, rou-
pa etc., (aburados eio pnit estrangeiro e taxa dos
escravos (sendo e-ta al 16 do mesmo raz) tem
de paga-las sem molta, liada que seja, tero i-, pa
ga las cora a mulla de 6porceiitj em virtude da
circular o. 37 do ministerio da fazenda de 30 de
setembro ultimo : outroslm, qne no mesmo mez
devem ser pagos os sjbreditos imp.istos e mais os
segnintes : renda dos pr .ros nacionaes e foroi
de terrenos e de loanohas pertsneeotes ao exerci-
Cio de 1866-1867 etn liqaidacao, seguinlo-se de-
pois a cobrauQ BXecntiva
exercirio.
Secretaria das obras publicas 7 de outubro de
1867.
0 secrelsrio
Feliciana Rodrigues da Silva.
Pela recebedoria de rendas internas geraes
se faz publico que tica marcado o prazo de 30 dias,
cootados da publicaco deste, aos devedjres de di-
zima de chancellarla, averbada em virtude do de-
creto 230 Je 22 de ontnbro de 1842, allm de viren
paga-la ; Ando o referido prazo sero remettidas
a thesonraria de (azenda as relag-oes de todos os
devedores qae teera sido remettidas pelo* dffferen-
'S, relativas a cansas j decididas, para
cobranza executiva.
Recebedoria de Pernamboco, 22 de novembro
de 1867.
Manoel Carneiroe de Souza Licerda.
Plt e-ia secretaria se faz publico, de ordem
do lilm. Sr. Dr. chefe de policia, que a' casa e.
detenco se achara recomidos os eseravjrs abaixo
declarados, cojos senbores sao pelo prsenle avi-a-
dos para rttira-los da dita c^-a, requerendo a sua
entrega mediante documentos comprobatorios do
dominio legal que sobre-os mesmos tiverem.
Faustino, e-crava da F. Siqaeira, R;mo, de D.
quant3 As rendas deste Emilia CoosUnca de Mora^- Ferreira ; J >o, de
Mlgoel Ferreira Pinta ; Jo-, de Manoel Bezerra
Rectbedoria de P-id.ioI.qco, 3 Ja dezembro de : ,je M-.neze
186/.
O administrador,
Mam-1 '". ii. ro de-S^uza Lacarda.
CQdKcli. tHkV
Relaca > das cartas re^i-trarJas existeBtes na admi-
nistrseo do r-rrei > rteta cdade para os s-enho-
resabaixo declarad s :
Alcofor.'ido & Ircnj. Dr. Antrnio Ferreira Mar-
tins Rlbeiro, Dr. Antonio Joaquim Ribas Jaoior,
Antonio Pires Ferreira, Dr. Antonio Ramira da
Si|va, Candido Js CoeJbo de Moura, Francisco
ActoDiofle AlbaquTqueMflIn, Joaqaim Antonio
Correia Negro (F^-roand ), Dr. Jjaquim Lopes
Lobo, Joaqn'ro de S Leitaa, Joo Antonio Gomes
Guimares, Dr. Jo?) Jj- Piulo Jnior, Jos Do-
minpees dos Santo', Jos Ge mano Maogabelra J-
nior, D. Mana Theedora da Vasconcelios Carzals |
(Villa Bella), D. Mariana Ribeiro da Lapa, Mathias
Lopes da Costi Maia, Manoel los Marinbo, Placi-
do de Pinhu Pessoa, Thom Lopes de Senna, Vc-
tor Accloiy Wanderley. j
Por esta subdelegacia se faz publico d,ue se
cha tm deposito um eavallo rugo rodado, grande,
inteiro e bem carnudo, com marcas de sellim no'
espinhafo, cujn cavallo apparecera sem dono no!
ecgenho r ir- com um pedaco de corda ao pesco-
qo : qu-m fjr seu dono comprela, que provando,'
ibe sera' entrfgue.
Subdelenacia flo districto do Peres 4 de dezem-
bro de 1867.
O snbdel' gado,
Jjs Mara de Albnqoerqae Lins.
Izaias, da M'guel J s Alves ; Gul-
Ib'.rme, de Joo Bapilsta do Reeo ; Manoel, de
Jos de loraes Gome Ferreira ; Daonlzlo, de Joo
Joaqulm de Sanl'Anna ; Joo, do Dr. Ernesto da
Silva Tavares ; e Domingos, de Manat Sevenno
de Arruda.
Secretaria da pelcia de Pernambuco 3 de de-
zembro de 1867.
O secretario
Eduardo de Barros Falco de Lacerda.
TFIEATRO
DE
fera 6 de dezembro
EXPF.GTACULO.
Concedido pelo Exoa. Sr. presidente da pru-
viDcia em beneQcio da actriz
JE>INA JOSEPH1NA DA SILVA.
Fiada a oovertora pela orebestra dar' princi-
pio o drama em 3 actos
Fiscalisacao da fregnezia de Sanio
Antonio do Recife.
U abaixo as.-iguado, pelo presente, faz certo a
iodos 08 moradores da treguezia do Santissimo Sa-
ramento de Sanio Antuoo desta cidad, que tem
i esta dala reassuu ido o exercicio de fiscal da mes-
uja freguezia, que bavia deixado temporariamente
, r ter marchado para o campo da guerra, contra
o traidor ao Paraguay Frami-co Solano Lpez, do
w.'l por encommodo de sade se retiron.
Pede pcis aos que i-to Inleressar, qae tenham '
do o curado no quanu dis( oe es arligos da-
. -taras muuicipaes, para que nao eommeitam a
or Infracgao, por qoe o dever de empregado;
. .bllco, Ihe ntanda velar no seu cumprimento, (o
. passa a fazer com toda a restrieco.)
E declara finalmente que contina a rezidir no
uiesmo sobrado que rezidia antes de ir para o Pa- ^
r.-jjaay, da ra de S. Francisco, como qut-m vai
a a roa Bella n. 10, onde pJe ser procurado.
Fiscalisacao ae S. Antonio do Recie, 5 de de-
:.mbro de 1867.
Cartam Pinto de Vtrat.
Suta Casa i Misericordia
do Recife.
. a secretaria da Santa Casa da Misericordia
do li cife sao convidados os sniores proprietarios
dos predios abaixo declarados, cojos terrenos per
ne ram outr'ora ao Sr. Franclsc i Lins Paes Bar-
ro e sua molh-r e t r lies dcados a Santa Casa,
par* que eomparecam a esta secretaria, aflm de
i re ra os foros qoe se acbam a dever, e asslgua-
rero o respectivo term., reconbeeendo a mesma
Sania Casa como senbor da dominio directo de di-
tas tei renos.
Ra o* Roda.
C. -a U rrea n. 11 Antonio Ferreira Braga.
id' oj i lem n. IB J Leopoldo da Silva.
Sobran, o. 17. D. Bfflilia Carolina Madelra Per-
reira.
Ca>a t.rrea n. 19.Capito Martins (morador em
Beberibe)
21.Jjquim Pacheco da Silva.
23.Ad! dio dos Santos Vieira.
23.-Ignacij de Sa' Lopes Fernn-
TBABALP E mm\
Em seguida representar-sea a pedido de mntas
pessoas a comedia em um acto
Os dous infernos,
Finalisara' o e-pecticul > a maito divertida sce-
na cmica
0 mtuto aparvrilhado
pelo Sr. Coelhc em favor a beneficiada.
Principiara' as 8 horas.
O resto dos buhis cbam-se a vnda em casa
da beneiciada ra de Santa Isabel n. 11.
A beneficiada agradece 'es-la ja* aos sens com-
panheirns d'arte, a boa vaotade cora que se pres-
taram a trabalhar em sea favor pelo qae se confes-
sa grata.
AVISOS MAEITIMOS
Segoe com a possivel presteza o veleiro patacho
Kofonfr, por ter a maior parte da carga engajada,
para o que ainda pode admttir : tratase com o
respectiva consignatario Antonio de Almeida Go-
mes, a' ra da Craz n. 23, 1* andar.
Babia
Da armacao, izendas, miulezas e gneros
que fizeram parte da massa fallida de
Azevedo & Flores e existentes na loja da
ra da Cadeia n. 47.
Sabbad- 7 de d^zembrii
O agente Pinto tevira* novamente a leilao a re
querimento do administrador da reerida massa e
por maudado do il!ro. Sr. Dr. julz especial do eom-
mercio, do- objectis cima mencionados exbteu-
Pretende seguir coro brevidade a sumaca Hor-
tencia, por ter parte do seu carregament engaja-
do, para o resto que Ine falta trata-se com os con
sigoatarios Antonio Luiz d? Oliveira Aieveds & C,
roa da Cruz n. 57._______________^_____
les na loja cima mencionad!, aande efL-ctuar
i-nao as 10 boras do dia cima dito.
mos da (undo e cacimba me. ir i.
3 casas terreas sitas no (uni da casa cima
(rendendo cada ara 10 mansaes) cora os catn
modos seguintes : 2 salas, 2 quartos e coslnb,
tendo de largura 20 palmos de frente e 50 de (un-
do e mais 20 palmos de terreno na (rente de eada
urna das casas.
I sobrado na ra de S. Bento n. 0 (era Olioda)
todo reedificada de novo, o qaal tem commodos
mais que suflj'koie para urna numerosa familia e
grande quintal com arvore- (ruenferas.
i quadro com 27 casinias de pedra e cal no
Campo Verde e tendo no centro do quadro urna
grande cacimba e n-is fundos das ditas casas um
canuo para J s; <, as quaes rendem mensa I-
menta I33J.
1 quadro eom 7 casiobas sendo 6 de pedra e cal
e i de naeira. oa raa do Socego (junto a casa
do Sr. Tiburc ) com-xcellente cacimba e mais
100 palmos de terreoo de freota e 100 de funda, as
quaes rende-n mansalmenie 40.
Qointa-feira 12 do correle.
Na armazem do dito agente a' ra da Cruz n.
G 62, andar, as 11 horas.
LEILOES.
i
AVISOS
DIVERSOS.
1JSKM
di:
l":.. escrava preta cr-s'r.h ira e qnitandeira.
De i!0 calxts com srtbSo mftssi.
Sabbad i 7 do correte.
O agente Pestaa fara' leilao para liqatdar e
sem reserva algorra de 120 caixas com sabio
' massa no dia cima mencionado as 11 boras da
uianhaa no Aones.
Cozinhoiro ou ama,
Preciba-se tiesta typo^raphia de um co-
zinheiro ou ama forra ou escrava que saiba
aquelle mister e que compre ao mesmo
tempo.
Desappareeea no dia 28 de novembro do corren-
te anno, do pateo dj LUramenio, nm cavalio roco
pombo, castrado, de idade II a 12 anoos, com o
ferro H no quarto direito, andador balxo, gordo
com urna cangalha e um par de ancoras de ama'
redo pintadas de preto, ainda por iferlr : roga-se
portanto a quem delle dar noticia e o pegar, lva-
lo ao engenho Matlo-Grosso, fregaezia de Jaboatao,
a Jos Jjaquim de Sa' Barrio, ou na ra de Apollo
u. 47, ao s-u correspondente Laurino de Maraes
Pioheiro, qoe sera' recomoen Des.'jvse falur ua ru a> Saudade u. 15,
eom o correspondente ou procurador nesta cidade
lo pmfessor publico de Beilj-Monte Iiidoro M-ri-
oho C-zar.
~ GR IIFICA-SE
a quem captarar e c. ndazir fahrica e sabio n>
Afogato, oo a ra da Amorim n. 41, no Recife, o
escravo Lnlz, pardo, idade 35 anuos, o qaal ja' em
principio deste anna (al preso por (ngido, e de novo
evadase da mesma fabrica, onde Irabalbava, na
madrugada de Dominga ultimo, 24 de novembro ;
caja escrava logia vestmdo a roop* do aso, de al.
godo de listras, co proprio nome, e bem 'ama o do senbor, e trazia
por castigo urna corr-nt- fechada a cintura e no
tarnotello, do qae devera' conservar aa meaos as
manchas.
Atteneo.
6
Para hoje as 7 horas da noite esta' marcada a
sesso de roe-a geral pura a caotinaaco da segun-
da e ultim lisc sso donova carapromisso da c.n-
fraria e-Senho Bam J-sus da Vi a-Sacra da lgreja
da Santa Cruz.
Aliigamas de prego d- iij,
12,}, i" 8& por mez, sita* a' roa do Gazomelro,
ronlrante ao porta lat-ral da fabrica do gaz: a
tratar no mesrro logar.
Preclsa-se da ara caxeiro para taberna deli
a 16 ano i-, com pratica : a tratar na ra do Rosa-
rio n. 58, ero frenie a' ra do Arago.
A ma
Precisare re ama
rapazes solteiros : a'
raulher Idosa para ama de
ra da Praia o. 53.
mnibus para o Cajueiro
Francisco Candido d- Medeir^s, fa seieote so
publica qus no dia 8 do eorreote, manda um das
!-eus mnibus para e hospital porluguez, s dez
boras da manhi, ; ia.'-m 500 rs.
Nossa Suhopa doCarmo
Obilhete intein n. 1751, da loteila que tem de
correr qnwn-ffta 11 d^ carrente, pirtenca a M.
Seonora di Cirmo e o abuza asignado.
_________________J. P. C. F. J_______
Precisase de nm menino cora pratica de ta-
berna : na raa do Fago n. SO.
hospitars de Par.
TH1RMES
Appr*T.-i(in pela facoldnde
de rdlcina. empregnd* nos
k*apl(aes de Parla.
Occupa o primeiro lugar entre as preparaces ferruginosas as mais assimilaveis. O Elixib do D" TOEUSIES empregado diariamente nos hospitaSs de Pars e principalmente no
Htel-Dieu (serv jo da Faculdade de Medicina de Pars). Administra se com o maior xito as doeneas de eonaniup^ae resultantes da pxlianniarao do tangne, chlo-
roitt ou e6ren milidus flores brancas, anemia depois das hemorrhagias, ou durante as convalescencias de febres perniciosas, aflTocaeees.e palpltncots das mul-
heres pojadas. Nao menos cfficaz contra o ruc-h Mismo e obra poderosamente para os homens cujas forcas estam esgotadas pelos trabalhos intellectues, abusos de todos os gneros, etc.
Toina-Ne com a dosis de ama colberlnba depois de cada rcfclcA*.
Deposita (eral na pharmacia, ra Reaumur 43,, e em casa de E. GA.I.LOIS, pharmaceutico do S. M. Imperador, place Vendme 2, em Paras.
Deposita em HSBAHBITCD, P. MAURER i O, e em todas u Pharmaeiai no Brazil.
J
A LEGITIMA
m
GOMPANHIA
BRASILEIRA
DE
Paquetes a vapor
Oes partos do sul esperado
at 6 da 7 de dezembro o vapor
Cruzeiro de Sul, commandante
AI colorado, a qual depois da de-
mora da costme seguir' para
os partos do norte.
Desde ja se recebem passageiros e engaja-se a
carga qne o vapor poder condaiir a qual dever
ser embarcada ne da da saa chegada, eocommen-
das e dioh-iro a frete al ao da da sua sabida as
2 baras. Previne-se aosSrs. passageiros que suas
passageos s se recebem cesta agencia roa da
Cruz n. 57, oritoeiro andar, escnptorlo de Anto-
nio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
na
0 (Mil Pt
PREPARADA MCAME8TE POR
LAMAN & KEJIP,
NOVA YORK.

..
C0NTJM4EPTE
APPARECEM

NOVOS
i
i

TKSTE.TTOVHOS
(OTAMIIV RR.SSLCIHA
Wem idem n.
Mera dm n.
Idem dem n.
des.
Id : dem n. 27.Felir Antonio Alves Macare-
nbas.
Ideis i tem n. 31.Migu-1 Jiaqoim da Costa.
!ii idem n. 33 Bernardo Alves Pinbeiro.
U.'rii dem o. JS.-tittu Francisea da Conceigo
e S'lva.
Sbralo n. 39.Herdeiro* de D. Joaquina Mara
Pereira Vianna.
Ca?a :-rrfa n. 41.Paulo Marqaese Aotouio Fran-
cisco Macota.
dem dem n. 43.Pilbos de Jos Badrlgoes dos
Passos.
Sobrado n. 47. Dr. Bernardo Perer do Carmo
Jnior.
Meo idsm n. 1.Mosteiro de S. Bento.
DE
Paquetes a vapor
Dos portos do norte espera-
do at o dia 10 de dezembro o
Vapor Paran, commandante
a capito de fragata Santa
Rarbara, o qoal depon da de
mora do costme seguir' pira
osportos do sol.
Receben.-se desde j passageiros e engaja-se a
carga qne o vapor poder coaduzir a qaal devera'
ser embarc -.da no dia de sua chegada, encommen-
das e dinbeiro a frete at o dia ra sabida as 9 ho-
ras. Previne-se aos Srs. passageiros qoe soas
passageos s se receben nesta agencia rna da
Crur n. 57, Io andar, escrptorio de Antonia Luir.
de Oliveira Azevedo ^ Q.


EM FAVOR


da leqitima

SAISA PARB1LHA
DC
,!
I
'
DO SANGOS.
Esta excellente e admirave! medicina preparada de urna maneira a mais scien
tfica por ch i micos e droguistas muito doutos e de urna iastrucco profunda, tendo tido \
muitos annos de experiencia.
A SALSA PUItllll IIE itltlSTOL
urna medicina segura e digna de toda a confianga, conhecida e receitada pelos mdicos
os mais sabios e entendidos neste imperio, durante o espaco de tres annos, e nunca falta
em produzir o desejado effeito.
A SALSA PAR1IIIII1 DE IIR1STOI.
Entre as numerosas provas do prande merecimentc da legitima, preparada por
Lanman e Kemp, de Nova York, n5o a mais fraca o facto que tem produzido tantas
imitaces e falsificoces fraudulentas.
I A SAIiS\ PABRIUIi DE BRISTOI..
E' muito natural que aquelles que e acbam oceupados em preparar e vender as
soas misturas em garrafas pequeas murmuren! e gritem contra os frascos grandes, os
quaes contm em i tres vezes mais do extracto puro do que qualquer urna dessas outras
preparares neste mercado.
A S L^lPiKRILiIl DEBRISTOIi
foi estabelecida no auno de 1832.
No anno de 1848 o proprietario adoptou, cm grande sacrificio seD,garrafas maio-
res, senio agora de quariilho, (ififerecendo deste modo aos consumidores urna maior por-
fo de extracto purissimo, como nunca foi offerecido.
A NICA LEGITIMA
DE BRJSTOL.
PREPARADA UHICAI5E2T2 FOR
LAiMAl k KEMP,
NOVA YORK

BRISTOL.
-'--------

Para Lisboa.

Val sabir coto brevidade a barca portoguei
GraUd&o par ter parte da sna carga prompt>; pa-
ra o restante e passageiros tratase com Oliveira
Pidos 4 C, largo do Corpo Santo n. 19 oo coa o
' capltio aa praca.
i


SALSA PARRILH DE BRISTOL
E' PREPARAD! FOR



.
Os doent s deverc ter bem o cuidado
de obterem genuina e nica legitima'
salsa parrilha de Bristol, a qoal preparada
por
LANMAN
DE


NEW-TORK
E KEMP
DE NOVA YORK.
Cautela contra as novas salsas parrilhas de Bistol que
sao perniciosas.
ESCRFULAS
f IB 14. i* AMTICASi
Ulceras
Ftidas ulcerosas
Tumores
Herpes
ErupgPS
.

.

Lepra
Debilidad e geral
Rheumatismo

^alsugem
Febres malignas e beliosos
hmpigens
Febres intermitentes
Nervosidades






S4LS4 I'AKRILIIA m BRISTOL
De Lanman e Kemp
NEW-YOBt
E" A MELHOR
AMIS POR TE
E A MAIS BARATA
' 1SW1
Em frascos grandes,
NIo bastam os elogios para justificar o uso de un remedio, necassarh que. o mesrao, mediante urna experiencia de tantos "annos e o testemunho dos sc'eoticos, techa
adquirido urna extensa e inconte3tavel popularidade. A salsi parritba de Bristol de Lanman e Kemp lem provado a su3 efflcacia pelo curso de 34 annos, e durante o espaco
de 24 annos tem sido receitada pelos primeiros mdicos no imperio do Brazil. Pdeaa outras prepar inspirar a mesma coofiaoca.
Vende-se em Pernambuco em casa de A. Caors, J. da C. Bravo* e P. Maurer AC. v
I


*f
e
eiefM7.
ESPECIAL HOMEOPATHICA
DO


BimTBTaiai'
DOUTOR SABINO 0. L PINHO
RIJA VOVA & 48. f
Nesto importante estabelecimento se acha Posto que, na segunda edicao do The-
todo o que necessario para a pratica da sonro homeop .-Ubico ou Vademe-
Uomeopalhia. cata do liona copat ha, pagina 677, se
Medicamentos em glbulos e em tintaras, ache indicado o meio de osar d'esse preser-
preparados com a mais escrupulosa exacti- vativo, com tudo convtn repiti-lo con al-
dSo por meio de machinas especiaes. guos esclarecimentos mais.
SCarteirasportatei,cootendo os prioeipaes Para urna familia dissolvem-se 20 glo-
medicamentos em glbulos 10^, 200, bulos em urna garrafa com dous tercospunoia,
30i5, 40$, 50l e 60& (conforme a quanti- d'agua pura, vascoleja-se bem, e d-se Sj
dade de tubos. cada pessoa urna colherada pela mannS, on-
Caixas de medicamentos em glbulos e tra ao meio dia e outra a noite, durante ^
em tinturas e 80$, 1000, 120,5 e 1500 tres oa cinco dias consecutivos. Deixam-se
rs., segundo o numero dos vidros e de ta- passar oulros tantos dias sem nada tomar,
bog. lindos os qaaes, repele-se o remedio da
( Estas caixas sao mu uteis aos mdicos, mesma maneira; e assim se continuar
senhores de eugenhos, chefes de grandes em quanto durar a epidemia,
familias, capitaes de navi ,s, e em geral (As creancas alea idade de 3 annos to-
todos que se quizerem dedicar pratica da mar3o o remedio as colberinbas).
homeopathia.) Si a epidemia estiver muito forte, ou, si
Cada tubo avulso cusa.....*. ItJOQO na casa hou?erem bexiguentos, deve o reme-
Cada vidro de meia ooca de tintura. 20000' dio ser tomado todos os dias seminterrup-
Vendem-se glbulos inertes, tubos vasios, co, at que a coasa melbore; depois do
RESTAURsNT A LA CARTE
Entrada geral roa larga 4 Rosarlo a. 37 e para frutillas rna
. estreita do Hosario o 41 A.
Francisco Garrido & Hermano, proprlelarlos "dests grande eslabeleciroento ejm a ebegsda da
Europa do primeiro, tem a pmer de aeieooeiar aos s#&s amigos 6 fr?gueie qm se acba ODlra vet
J> abati a asignado, sob agente da PH01ECTORA' DAS FAWLIAS, assoeiaelo ferasileira da Se-
goro-Motuo sobre fia?, aotorisadi por decreto imperial de 13 de locho de 1864, o gerlda |>lo banco
Ifntul no m'esmo eslabelecimenlo a'ncioso por ver lodos os seo parochianoa, uuio da praca como o *aio e Rnral '"ypohecar(ar de ontras provincias. Os propietarios rern fello lodo o pdsslvel para salhfuer a sua ilustre concor-1 D_es.,a P'orioe 25 e 26 do torrente coja leitora e estndo orienra' a V. S. sobre as vanlagens que tal
reacia. Os hospedes acbaro roda camnxtdidade de grandes salas a asiela Jos quarlos por preeos ra
loavei?.
Ha sala para leitura de joruats nacime* e ostrangeiros, na mesma sala ba om magnifico piano
para recreio.
Come-se a mesa redonda a ta carta e manda-se a domicilios.
Os viobos mais do* do mercado arham-se no estabelecimento.
A oojta ba orv.te e refrescos, cal, cha e chocolata a toda a hora.
Tern de mogno os buhare?, nobres div. rtmenlos dos in e outres jogos. Falla-se hespanhol,
fraocez, italiano e nglei. No etUbehcimento vtudem-te libras sterlioas compram-se on^as bes-
insliluigao offerece as duas grandes opera;5es qae ella lera por flm s creacode apilaes e a crea-
cao de rendas (Art. 2* do reguhmeolo), as quaes poJrm ser effectaadas se(arada ou >imuliaaeamen.e.
A creacio de capital o lem sa pelo augmento prcgressivo do juro que elle produi, saccesslva-
menle rapitalisado, e pela addigao das guatas da baranda correspondente ios capilaea ios contratos, ca-
jos segurados fallecerem antes do sen prazu.
Ascoutritiui{5'deio.,tdas a formaijao de capital ou a de renda, podem ser fallas por ama so
vez (nicas), ou por prestijSes annuaes iguaes (aanuida-les). An. 4.
A segninte tabella ra >stra os resaltadas proraveis que se rttisegnem fatendo entradas anatues
de 100,1000.
Segando esses clcalos aquellos resaltados augmaatam de 20 a 25 por % qaando a entrada,em
vez de annual, feila de urna vez.

$%
vm
.<
. mmm
DE
T
tidros para a preparado das dses, etc. etc.' que volte-se a usa-lo do mo lo ensiuado.
Win
I
mm smioa D4 co\cfiit;o
'Para eduea^So lo sexo masculino
Director Manoel Alves Vianna

mi
O collegio da Gonceic3o, mudado oltimarnente para o bairro de Santo An- )&
tonio, ra de S. Francisco, casa n. 72, contigua eshcjo central dositiilhos ,|v^
10 n8,"a": Nbj urbanos dos Apipocos, contina a funccionar regularmente, recebendoi alum- ^m
Escovas elctricas para tratamento das A garrafa deve ser nova ernuito Demiava-, gw Q()S exterrjpS e internos, tanto para as aulas primarias, como para tddos os ig

respectivos professores pessoas
bem firmado nesta cidade.
moralisadas e de um conoito magistral j -^
O director deste novo collegio contiuuando a emprear toda a solicitare no w
desempenho de sea mandato, espera fazer-se mais digno da confianza com *^
que o v5o honrando os senhores pais de familia, confiarido-Ibe bondosamente ^^
os seus filhos. *^*^
Os estatutos do collegio, assim como o franco iBgresso em todas as saas v

CONSULTORIO HOMEOPATHICO.
l* e pendencias, est?o sempre a disposic3o de quera possa intereasar.
PILLAS de BLANCARD
,ao wduuto m raao waltmavm.
Approradas pela Academia de Medecina da Pariz
MI mii rm. nimban anatcu aa ii-mamae* ,
IimiKOTtSU KOS BOSrrTiis DI nUUfOA, BA IKLOICA, DA BLAWDA.'DA TanML TCJ
Mlf Uwrmu Batas Molas envolvidas 'ama carnada resiao-baltaaric de urna tenuMadc eieessha, ten
itidUioi de lerem Inalteroreis, $em sabor, de un pequeo Totume, e de d eanaaram
orgjs digestivos. Goinndo dai propriedadet da Iodo e do Fibbo ellas eODvea priucl-
palmeote nal affectoes Ckloroticat, KtcrofuUnm*, lubcreutoitu, Caurott, M Imutrrlm,
smtnorrkca, anmia. Me.; cnCra, ellas uffcrecem as pralicos urna medica;a6 du mal enr-
gica! pera modificar as eoosiiiuifoes tymphatiuu, frotas ou d*biUio4at.
N. B. O MnMI da (erro Impura M alterado ata asedlea-
meata infle!, rrianie. Caro prora de aiirna e da agUMoeMada daa
Terartelraa PUaMa de Blaueird, de*e -aa exigir aoaeo acUa> da
prau rracltva a noata Qrioa, aqu reprodotida,qaaacacha na parta
interior da un rolla erde. Dera -a daaoooiar da* taUHcapaU
Aehaa -ae can toda a Friaranaelaa. PariaaiiaHaa, ra ttmtfrit, M. Pmrit.
molestias nervosas, prmeipamente para as da, primeirocom agua qoeote e depots com j **& preparatorios necessarios matricula de qualiuer faculdade, sendo os seus
dores de cabeca. aua fre. (No caso de nao baver garrafa ou &&
Apparelhos Je lavar os olhos no trata- vidro novo, poder servir urna garrara ae vi- ,^
ment d*s ophtalmiss. nha ou de agurdente, cem tanto que seja
Apparelhos de injeccao para o tratamen- muito bem lavada cora aguas quentes e
to de certas molestias das mullieres. frias.)
Cha preto e verde de excelente quali- pra urna s pessoa basta dissolver 6 glo- **^
dade para uso dos enfermos. bulos de vaccina em 2 on^as d'agua, e d'ahi
Vende-se igualmente o Thesouroho- tomar as colheradas como j fleam ind^i-
meopathlco ou %adc ecurn lio c,ias. .. .. c.l
honicopatha (obra mcootestavulmente \M prensa grande dieta. Abstenham-se, ^W#^*AjfW%# *iW&$*$temt4%ffl
indispensavel todas as familias, pela clare- do cha e do caf fortes, do abuso das beb- i
za, cora que ensina a empregar a nova me- das espirituosas, das comidas gordurosas
dicina), preco 205. e muito adubadas Eis aqui apenas o que se
(Era porcoes de 50 exeraplares faz se o exige,
abate de 15 por cento.)
PLUMERA cellnos.
(contra, a mordedura de cobras)
Este medicamento gosa de muito bons
O Dr. Sabino 0. L. Pinho d consultas crditos contra o veneno das cobras e de ou-
toios os dias uteis desde H horas da toa- tros animaes venenosos.
obla at s 2 da tarde. O Dr. Sabino uao tem aieda observago
As visitas aos enfermos sao feitas das 2 pessoal de fado algum que o autorise a
horas em diante ; mas em caso de necessi- affirmar sua eficacia; mas sabendo que no
dade as visitas poderao ser feitas a q. al- Rio de Janeiro e em S. Paulo elle tidoco-
quer hora. mo muito poderoso, mandou-o vir para ex-
Psra que as visitas posam ser regulares perimentar.
cumpre que os d entes ou os seus enfer-, Algumas pessoas do centro d'esta provin-
meiros mandem dar parte do seu estado, ca e da da Parahyba tem escripto ao Dr.
oJos os dias ate o meio dia as molestias Sabino, dizendo ser incontestavel o mrito
agudas; e de 5 em 5 dias as molestias da plumera no tratamento das mordeduras
clironicas. das cobras.
As consultasescriptasso respondidas mais Emprega-se a plumera celinos interna e
ou menos promptamente, segn lo as' externamente, da maneira s guinte:
necesidades da molestia e a distancia em Uso interno Hoscosos menos grates
que se acha odoente, pois que neste caso' dissolve-se urna ou loas g tas de tintara
faz-se preciso indicar de.uma s vez tudo em duas ongas d'agua, e d-se ao mordido
o que convier aa resUbelecimento da sade. urna colberada de hora em hora.
As r-lribair;esserioagas na mesma con- Nos casos mais graves dissovem-se seis
formidade. IgotUs em quatro oncas d'agua pura para
O Dr. Sdbino roga a todas as pessoas, que dar-se urna colherada de meia em meia hora,
costumam consulta-lo por escripia, que or-!de 15 em 15 minutos, e al de 5em 5 mi-
denem aos seus portadores a prompta entre- nulos (segundo aforra do veneno inoculado
ga de suas cartas, visto que, entregando-as'ou intensid-de dos symptomas manifestados.)
como costumam, na accasio de se retiraren) Logo que houver melhora, se espassaro
do ll-cifr-, impossive! responde-las satisfac-! gradualmente os intervallos de urna dsea
torilmente. outra.
Uso externo. A o mesmo tempo que se
d a beber o medicamento, applicam se ex-
ternamente na parte mordida fios de linho
Em qaa-squer epi lemias o Dr. Sabino ou de algodao embebidos em urna dissolu-
faz distribuir gratis s pessoas pobres, no. cao da mesma tintura constante de 10 gottas
seu estabelecimento, os preservativos neces-1 de tintura em 20 colheres grandes d agua,
sarios, dando-Ibes as competentes insiruc-, Esse^ fios se conservarao sempr.e molhados
5es sob e o lagar da mordedura. -
Presentemente reina a epidemia de bexi- O Dr. Sabino receber com reconbecimen-
ga-; mitos j se tem aproveitado com fo- to as commonicaces que se dignarern de fa-
lizes esuli-dos do seu cfTerecment, feito zer-lhe as pessoas que expertmentarem o
do Otaria de Pernambuco; mas necessa-. emprego da plumera celinos.
rio que todos experimenten! esse meio 15o -;
Nota.
Em ausencia do Dr. Sabino acha-se in-j^ambraias largas a .OG e
cambido de resolver quaesquer negocios! a Tapa
elevada 3 dynumisacu. As pessoas, querelativos ao estabeecimento o respetivo ge-, Vende.se carj1|aa transparente com pito
fazem aso d'ella, ou notao accommettidas de, rente,
bexiga-. ou, si o sao, raramente as tem de j
m quadade.
y%



Idadrs. EmS annas Ym ID a mos
Por cabega de 1 crianza de i da a
de i a de 1 a 2
de 1 a de 2 a 3
de 1 a de 3 a 4
de 1 a de 4 a 15
de urna pe?soa de tS a 20
de a a de 20 a 30
de a a de 30 a 40
di a de 0 a 50
i anuo l::u0AU0O -.0004O0
aDDo> 900; 000 3:0001000
86(4000 2:'.''00*000
86i*oiMI 2:H')0*OHO
800*000 2.700*000
866*0(0 2:700*000
860*000 2:70u*000
860*000 2:700*000
9O0A0O0 1:000*000
"TaT----- aaa
Km l.'ian
9T0C0T
7:500*
7:100*
7:100*
7:0006
7 000*
7:100*
7:i0*
7:500*
E u 20 aa En 2: a a
l):0UO*
I7;0J0*
lt:lM)i
15:5004
15:500*
io: Vi);'5
15:6003
I li. OD*
H:0iXV4
47:0004
37:000*
35:000*
34:000*
.11.300*
31:3004
:iv.MK)4
37.00)*
:;o:ooi*
Urna coatnbui(o unir de 2.5004000 ponioalquer numero de qaioqoennios cusa 2:6284900
a saber :
Conlribuicio.......... 2:500*000
C-.mmls.'-ode 5 por (. sobie 2:500*000 125*000 (arl. 62)
Apo'irc........... 1*000
Sello a faz'Qda uaconal...... 2*5i 0

B.
2:628*500
n.<..... a.oso^juu
E mais 1 por ), sobre 5;.TC0*C00 por cad mez decorriio desde o de Julbo da 1865, oa t-
OU do art. 13 do regohment.
A mesma coctfibuigSo 2:628* 00, s^ndo pagas no acto da Ia presUjo as desperas de gesto, e nos annos seguinles a annui-
dade simple^mente.
E ne>te caso a niolta de 1 |, ao nifz conta-se smeate sobre a 1* annaidade, devendo as sa-
guinles realizarse em dtiembro dos annos consecativos.
A creago de rendas opera se dpo dades, quaotias que accumaladas produzam, de certo lempo em dlante. a de.iois aoaaainiMile, sota
renda.
Eesla operago vem en auxilio tambera da >rraago de capltaes, acerca da qaal moitjs eoa>
tribuintes se preiccapam, tmeodo oa> podar contiouar por ura largo prazt o pagt jseoto de anoaida-
des preri Mas tal preoeopaeio, uo difflculdade, desapparece desle que o eooirlbointa puder assegurar,
sem dependencia da sua vi'a, o pagamento das o primelras annoi Jades, e flier iaa.bsm om cooirato
de renda, qoe desde a lQiildaoio do 1* qoioqueuuio prprera, por demais, ao pagaoaeaio das annuida-
desa que est obrigalo o too'ritode capital. ii.m tiT-iio, figure-?, por exeroplo, um contrato de
2:300* para cr-;:c3o de capital por meio de prestacSes annuaes d 100*.
Para satisfazer as primeirasS anonidada* laucara' ocontriliuinie rao de um mel qae nao fa-
Ibe, aioda por soa mor?, que just mente quando o seu brntflciado mais precisa recursos
E para egurar uo futuro as 20 segaiut-s ,-innuida'os instituir um oulro eoolrato de i:-10 j4000
pagavel em 5 aonnidades de 300*. je, permaneceolo constantemente na Ass..ciaQ,io, produzira. des-
de a 1* liquidarlo, qoe ba de ter logar no correr do 6* aooo, e conforme os clculos do Bioco Uaiao,
e o prospcto da Compinhia Tutelar, urna renda annual de 400J, e.jnivalenie ao jadJraplo do valor
da anruidade qoe se torr u para base do contrato de creacao de capital.
O desembolso a tff ctoar sera, pols, n segoiote :
Para o cuulftte de capital de 2:5OOA0e0
I." aoaoidade..........MM4CO0
Commisso de 5 por i. sobre 2.300*000 125JCOO
Apolice...........i. 14000
Sello a fazenda nacional......' ?*5l0
228*500
1", 3.', 4.' e 5.* a,nuidades........; 400*000 628*500

Para o ccBtrato de venda de i:500*C00
ba a despender :
No 1" Anno
l' anonidade. .
Cntiimlsso de 5 por *|,

Apolice.
Sullo a fazenda nacijnal.
sobre 1:500*000
3104000
753000
i*t'0O
1*300
.MEDICAMENTOS PRESERVATIVOS.
il-
Que un elegante -estojo para viagem
CO\TEXUO:


fcil e tSo commodo de se preservdrem e s
saas familias d'essa terrivel molestia.
O preservativo empregado a vaccina
Io20 cadernos de papel b.-auco, pautado, beira dourada, marcado com as iui-
ciaes do comprador.
2o100 envelopes brancos.
3o10.) penas de ac (marca lanca).
4o1 caixa obreias de gomma : 1 caixa obreias de massa.
5oi lioteiro devifiro com tampa d metal
6o1 arieiro idem idem.
7o1 pao de lacre.
8o1 caivete de duas folbas.
9o2 lapis.
102 caetas.
Todos esses objectos reunidos, denlro de urna bonila caixa, f.ita para este flm,
custam apenas
Rs. 6^000
377*300
e nos 1 seguimos a 300*000.........1:200*000
1:577*300
"i 2- 040 JO
Total despendido. .
No co.rer do 6* anno, e d'euto em d ant aonualiiienle, receb-se 400* de renda, do contrato de
1:500*, da qcal se applicau' 1005 para a anauidade do contrato de capital, ficaodo, poruuto, liquida
a quantia de 300* al que aquel e contrato se Bode.
E Ando que seja, ao cabo dos 25 annos, recebe-sr por elle 47:000*000, ("idade de l da a l an-
noj e tem se rtctfcido do rODlratb da n oda a qaanlla de 6:000* liquido* da annuidade de 100* a que
a "iijeiti.u dorante 20 ancos o contrato d capital, o i|o<>, hvre destj onu-\ passa a renda a ser de
400*, e vitalicia, tose c n.-;-rvar empreo capital do 1:500* na Associa{i5o..
Taes sao as crnsidera(8e> e deduegoes queresnltam do estudo quo t=nho Uli sobre a materia,
e que me pareceu devi-r levar ao conbecimentu e V. S. de quem
As pessoas qoe desejrem Inscrever-se sao convidadas a dirigir se ao sr. Narciso Francisco de
Vidal no escritorio da dita associagao ra do Livraraento n. 19, primeiro andar.
immk mm
vi
'
280
Jos Alves Tenorio,
Professor em horoeoyalhia.
IrritaoFu) dos pulmoer. angi-
nas, tosse, escarros de
sangue, crupo ou garro*
tilho, catarro, ou(ida
e todas as innumeravei molestias que affee
%a\o aos o.-gos da respirarlo
DF.APPARECEH
diante a aeco da balsmica e irrev


ANACAHUITA







PE1I0BAL de KEMP.
a*anacalmita mexicana queda o nome es-
pecial este incomparavel remedio, umf
arvor, rv'y -arterfa por muito tempo se
ha usado uti Taoipico para a cara das en-
fermidades aclna mencionadas, foi tam
bem ensaiada e approvada pela academia
medica de Berlim O peitoral AeKemp
um xarope Selicioso inteiramenle livrede
opio, acido liynijyawcfl fH outros ingre-
dientes xuvivns,
A'.vendapa? .irQ3rias de A. Caors Br.
vo A C. i i JWmW & G., em todos o:
. palmus de largura, que facilita fazer se ura
vestido com quairo varas, a i$ e 1^28 vara : na loja e armav.era do Pavo, ra Oa
lmperatriz n 00, de Gama & Silva.
Espartlhos.
Ce. caas a 30 rs.
Yendem-se lioissimas percalas de cr-e*
Pxas, pelo baratissimo preco de 320 rs. o
co ado, por ter um pequeo toque de mo-
fo : na loja e armazem do Pavo, ra da
Imt-eratru n. 60, de Gama e Silva.
Na noite do dia 30 do mez assado forlaram
de nm dus ranchos da estrada mva um burro e
urna burra .burro csstsnho, pequeo, e a bar-
-j riga Dtoiie peltuda ; a burra casiacba escura e de
umanho reg ar, |< r.do no quarto esquerdo um O :
qurm os apprehender tde leva-Ios nesta cidade
do Recite aos Srs. Narciso Irm.s & C., que sera'
recompensado.
Joo. de Siqueira Feru far. publico, que
desapparaceo-tir.e urna lura iceila pilo senhur
lir JaciDlho P..,s ti- i!-. ndetca, de principal
2:030.000 salada ra 54 de feosto de 1866, ven-
cida em 21 de f< ven no do corr nle anno, c pede
ao dito Senhor J..-. 11.; io ijue noo a pagne seno a
elle, protestando pn ceder cnrcinalmenle centra
quem iuer que sr- s ta lel'a. R-cife 3 de dizeo^bro de 1867.
Ama.
Aluga-se a casa n. 17 a' ra do Monieg, as-1 Esparttihos. )Perisa-se de urna ama para cozinhar; na roa
Softe^o,^ um grande sertiraen* de espar- d- "'^' "-------------------------------------
banho salgado, e da se llanca para todos os des-, UlbiS dos mais modernos: na loja e arma-
pejO1 : a tratar da mesma ra d; Mondego, olaria|Zem do Pa\aO, ra da lmperatriz ti. 00, de
n.13. _____ Gama A-Silva.
para o servigo de
Precisase de urna ama
ama casa de familia : oa rna de HorUs
sobrado.
n. 104,
-.
u a-se
Precisase
de um menino do 10 a 12 aojaos que saibi le: pa-
ra caiieiro : na ra do Livramenta n 36.
Antonio da Suva Ramos avisa > lodas as pes-
soas com quem tem relac.5> commerciaes qae o
Sr. Jjao Dt ni iguts Al'ves Morola deiiou de ser
seu cmirj d^.-d^ o dia 30 de novembro.______
Precisa se de urna tugommadeira: na raa
Nova n.25.
ma
Precisa-se alogsr nrra escrava qoe engomme e
connhe,e compr. : na ra de S. Franci.oe n. 54.
Iteuc

_ ., .'. n lerc ro and-r do sjbrado di ra do Ararrim n.
\endem-se os mais bonitos cortes de ana- 37. CUfn gran )e soa,, e commodos va* familia;
Precisa-se de um rapn pqueno cITegado de die, sendo fizenda inteiramenle mo.Ierna, tratar no armazem do mesmo.
novo, ou rom alguma pratica, dando fiador a sua transparente, com bonitas palmas bordadas ;
esta fazenda, que de muia phantasi, ven- i
conduca : no pateo da Ribeira, taberna n. 21.
O abano assigoado compron a casa de blllia
res sita a' roa da Imperatrli n. 69, livre de qual-
quer onus.
Recile, 1" do deiembro de 1867.
Maootl do Nascimento F. da Silva.
"Avisa-se aos senbores naoradores e passado-
res de fasta nos povoados da Passagem d3 Magda-
lena, Caiangi e Varzea, que no dfa 7 do corrente,
as quatr boras da tarde, se ha de acbar no ponto
do costme a' disposieao dos mesmos senhores o.
mnibus Apa, o qual daquelie dia por dianie conl quadros de seda, e yendem-se pelo barato
nuara' a trabalbar na carreira daqaelles povoados preco de 22#00O 0 Crte : naipja e arma-
u<> ^ nos dia* uleis como nos domingos e da* zem 0 paV30. rua ,ia \mH
sanus-:----------------------------------------. |Gama & Silva
Acba-se aosente "^'i* *i>"
de-se pelo baratissimo pre?o de GflkOO o
corte : na loja e aftnazem do Pavo.'-Ria da
lmperatriz n 00, de Gama & Silva.
Ricos corles de u*edina pro-
pio para bulle.
Cbegaram os mais modernos cortes de
medina, sendo urna fazenda-inleiramente
nova e transparente, com lindas palmas e
zem do Pavo, rua da lmperatriz n. 00, de
Gervasia, quetratava
desta cidad a preta fula
de sua liberdad-, iem falta
d: l:ntes na frente, marcas de bexigas bastante
visi veis no rosto, estatura regular, di ve ter ido,
p .ra o serio em compaobia do preto liberto Es -
quiel, que foi escravo do najor Antonio Lolz : ro-
ga se as autoridades policiaca e capitaes de campo
a apprehens3o da me-ma preta.
^PrecUa-se de um criado para o cvico de
urna casa de pequea familia, preferado-se rapa
zioho e escravo na rna So .\mrrlm u. 54.
Doce
e3tjH5ki'Bei*pbarmaceuticos 4o neen. s^gM3a_nioo.
AV
Iff jiDarrrjo*
_ ec*M^-Wda,,,'*'l,1f*.Tia pa-a o
servico de eMi'iwV*^* "tira* nutra que te-
ba leite para criar : na rua do Caboga loji o.'l.
Na rua do r.ol"rn!z n. 8, ha eonstanlem^nte um
grande deposita-de doces em latas e calxoes, pro
prio para negocio e por preeos muito com-
modos. ^
F triaba de uiiadloea
igoal a de Muriheca, lem para vender Joaqulm
I.isGoncaives B.'ltrii, sa: eserlptono rua do
Trapiche D. 17. ;___________________
Albina BaclU d iocha, relo-
joetro e dourador oa praca da In-
dependen- ia o, 12, (ai todo e qual-
qoer concert perteoceote a sua ar-
la por preces mais bara'os dn qti
un oaira nu!quer parte olhando
MSBfleaBtBaejBBaaa^j desempeobe do trabalho e -ti.ia-
cado tambem compra obras d) ur#b praia em
Prrp-:a sa de orna ama para coslcbar
do Livraoeoto o. 14.
Cmbrala, a t rs.
Vendem-se finissimas pecas de cambraia,
branca e transparente, de 31jU0 ate 100 a
pe?a; ditas tapadas muito finas, de 55 at
1* ; ditas suissascom 1 vara-de largura a
8$, 100 e 125; na loja e armazem do Pa-
v5o, rua Silva.
i'ortln.-.d.i para CASSBKti ts.
Vndese um grande sortiaiento dos me-
lbores cortinados bordados, proprics para
camas e jmellas, pelos barat s grecos de
90, 100, 15,k2O0 e 250000 o par; da-
masco de 13a im'tacSo de seJa, com 8 pal
mos de Targn^a, a 40 00 ; 'colchas de cro-
ch ; ditas de fusto brancas e de cor; cro-
chs proprios para cadeiras, sotas, cadeiras
de balanco, para cubrir pr&CDtes, etc. etc,:
na loja e armazem do Pav5o, rua da lmpe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
orle de chita com lO cora-
dos a 30, 30300 e 346) 0.
Vanaavs cortee de chitas fhlncezas, es-
curas e.aitWMP ateefffW flxa^, te tendn 10
covados, a :},SJ0M; ditas w.ra 11 a 30300 ;
ditas com 12-8^3iOO., f'/'pMlinth-i. s

Joaquim Jos Goucalves
Beltrao
aitt DO TH\PICUE S. 17 Io AHMK)
Sacia por todos os paquetes sobre o Bancc
lo Hiubo em Braga, a sobre os gaines loga
se em Portugal.
aber:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Gui maraes-
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Vb m Con Arcos da Val de V,
laana do Caslello.
ffRa:"1-
Villa-Nova de Famolico.
Lamego.
Govilbaa.
Vassal (Valpassos.)
ir-indella. "l4W
Beja.
BarceUos.
;*
"%b
".fet
-
ti ai

sTi4SDdts.T#
AvIu importante.
o. nni'i-cs"verdidlfos xaropes de iypophospbl
t -s s-i la, de cal o de tarro do Dr. Cburchill tra-'
jem a linca quatro teu% repelida desie sabio me-
dico sobre o suhsertato e a marca de fabrica .da
pharmacia Svrann, 12, rua Castigllone, Paris
Acha-.*> i veoda em frascos cuadrados com o no .
ra, do Br. Cuarchill no vidro. Preco 4 francos-e0 t* ?^l|!f'I* a
P.ns: Com insiruocao ^ Rc^ armaw. n.
Botica de Bartholomea & G.
0 Dr. J. Baptsta Casanoya
p ide ser procurado a qaalquer bora, ero su con-
sultnrio homeopathieo, largo da malriz e Sanie
Antonio n. 2.
'WO'tliiiiKi'aflauullri'lo tm -^m'W-i f c Umeflln de ni iSaaltlIU iri nnfTlT^ f'tSt8:1
i*n ahji
Fugio no da 2 do ccrrecie a ciulala Suiana
indo a' Boa-Vi'S'P1, a mndalo de seu senbor,
nao volU-o, tem' (s slgnaes segointes : mulata cla-
ra, caballos cortados, que mostra talhis na cabec*,
cara xata, corpo ebeio, bragas e roios grossa, de-
dos grossns e m: -.1 fe i tus, levuu resudo de lita esco
ra e iiova, chales encarnado com harra de Odres, a
urna pequea Ir.uaa com in-s vi-slidus e urna toa
Iha; enja mulata foi eserav.t So Sr. Vires, re-
commenda-se as autundadr= policiaes e capitaes
de campo que i pegarera levcm-na a seu senhor,
na praca da Independencia, I >)a de chapeos ns. l
a 14 que sera' generosamprile recompensado.
Aiugam-se as.lojas do sobrado n. 3 da roa
daPlores: a'tratar na rua do Imperador o. 83,
1 andar.
___^____.w.~- -. r* "*i
Precisa se de uiu calxolro de 14 a 18 annes
qufl tenha pratica de venda, do armazem das Cin-
co Poma.- n. 71.
ab
Caixelro
rua da
Precisa se de um caixeiro : no C gidor,
lmperatriz n. 19.___________________
A!nga-sDm primeiro amUr na rua da Praia
coa commodos para grande familia : a tratar na
raa Nova n. 2i. _________
Jo.- An!roio~Pe7eira, sublo porlogue?, re-
tira se para Earo:'i.____________________
' Precisa-se do um bom coiinheiro o de dous
criados, lodos para o serico do holtl do Mooleiro:
a tratar na roa do Crespo u. 8, luja dos Srs. An-
Urade & P.ego._________________________^
A o publico.
O abaixo nssigoado, morador na villa de Agua
Prtta faz sciente asaignado urna f Iha de papel un branso para se
preceder urna conciliacp perante o jan de paz de
Qulpap, succede tor-se extraviado dita folha de
papel, e para evitar qaalquer fraule (tura f co o
presente annuneio.
Hafiel Jos Arifin Visnna.

Antonio da Si!va Ramo? manda c-.lebrar missas
ta igreja de S;nla Rila de Cassia sexta-feira 6 do
correnifl por alma de .'na nauca ssas pranteaija
esposa U. Francellna Ermina da Silva Ramo-, pri
melro asaivarsano de seo fallectmento e para tste
acto co_;ida a toridos >eos prenles e amigos a
assisdrem as 0 11 horas da rr.anha, desde ja
Ihes anticipa s~w s.raiTTOt ayratlwimentri'.
t'>fisli martadooidia sexia fea 6 do corrente
paraojtxamis das alnmnas apresentadas rn'a
orolessora puWioa da sevaoda cadeira da B a-
Visla a raa da Gloria n. 18. __
Attencao.
S. 2j p,oa ilo LivrBie-iltj fl 25
Oeposit) do laraaucos e calcad nacional da fa-
brica da rua do Jirdim _. 19, de J*d ViceoioGo-
dioho, tanto no deposita ano na f.onea se sprorap-
lam todas as porcoes de calcado o mais barato
possivel, esta fabrica um todas as machinas pro-
prias para os calcados ja bem acreditados pelo
grande a_roer.> _e reguezes qne daqo se for-
necero. ___________
^ sm M^m
' i_*
W581TIMQS
- Procfsae de ama ama forra "u es1
tral>r a rua da
Novitlade
Alirga-se a ca Cjra-aoldfif plantalloe murado : a tratar na r
da Irapwrb'.riz n. St, Arar. aliin_nff*i
r '.....,1
CONTRA FOGO.
A coirjpanhia lnde_Q8adOf_, estabeloci-
la nesta praca; toma segaros aritimos so-
bre navios e,saus carregarnentos, e contra
tego em edificios, mercadorias'e mobilias:
aa rna do Tigaiiu n. i, pavimento terreo
~8 gttft) contra fogo
Atoolo-Liz it* SlSeira Azevdo & l, aitentas
da camoaobia Fi Ja6B.ro. toa sagur- centra Togo em predi
mercadorlas, era seu escriptno rua da Uox na-
mero ff^- r _____ ^_^^
"^"-#* 'Alg^-e
primeir-aBdsr di sobr 1> di ni* Ht adro Po
riann n. 69 : a trtW na praga ta ladependeacia
- Precisa-se "re urna ama qoe saiba oWnhar Ut^ro^ ieaaaiftsaguros centra fogem predios e
togcmmit irBrreitartrrnte, p^ira casa da porjea fa-
milia : a tratar na rua da Praia a. 12. -
que
a do
----------
na ruai
" Mar*-*......
(jara acabar : na loja e aiia?eu ilo'l'av.iu.iriirill ^ rtU^i. ; atan)i
rua da Impcratm a. O^de Gima & Silva.. m-r *> Pan.
Qop"i ; rr. v,, ., r, i L'.'
Oh (alBiaV, a ^* ale
,ua : ira, d .
,.r,-. a> !* ;- ---------
ihn.4]o4 Char- No roil-gm **
% I criado iBtellg-ate.
I :i
..I .
I Viril
ir.,-:-, il,
itenti
" u .
\. ai ;. I....... i .i-.-..',;*'." la e
luu iw Jt, I "*' "* *&
l 25, I'. aa-*fcai:.t-iro --U
4a -
an a b -n-
IfVt^fa jx^s o
rf iiaa
i ^^i4'fiMSaaj)i))r^*t1^*'ltrSt Vr \x r* '
t.re?Sa-ifcB>t^,at.irM*y'IMm'>'i;-^>. I'...;.U-, i- t*
i ^C f d*.
r tsm j


-T! afc iiImH^* VermDbaM cita
ele 1867.
nov\ nun
I>E
CHAPEOS
MI i
jTHftJ AJ AiTMftH
,1 lili,*!
9
i
1 .O





DE
TODAS A QUALIDADE
DE
Manoel Moreira de Souz-,




ta.




Neste novo estabecimeoto, lem um completo sortimento de
chapeos para homens, seohoras e meninos, Tende-se por precos
razoaveis.
A empreza do gaz desta cidade dcsejando facilitar geralmente o aso do gaz na
casas e estabelecimeotos particulares, oferece desde j as seguiotes vantagens:
1. Urna reduccSo consideravel dos precos dos canos, apparelhos e todos os mate-
riaes precisos para a installacSo desta luz.
2.* O gaz fornecido boje de exirema pureza e nao offender a prata, o bronze
ou outro metal differenle, assim como nenbum damno poier causar as pinturas, quadros.
ornamentos, papel de forro mais delicado que seja, toraando-se ao mesmo tempo tSo san-
'<} davel e mais econmico outra qualquer luz, j conhecida, alinal, evitar tambem a obs-
truccao dos canos e tobos dos apparelhos.
3.* Os apparelhos existentes, como lustres, arandelas, bracos de vidro, de bron-
ze, etc., etc., sao proprios para os senhores que preferem luxo e elegancia, como para
os que necessilam simplicidade e economa.
4.* As pessoas qoe quizerem collocar o gaz em suas casas podem dirigir-se em-
preza, a qoal se encarrega da collocaco de todos os apparelhos, canos, etc., tomando toda
a responsabilidade pelo perfeito cumprimenlo do nwsmo, ou por outra, podem empregar
qualquer maquinista reconhecido pela empreza, sendo o mesmo maquinista responsavel
pelo seu trabalho.
5.* A empreza obriga-se ainda a reparar gratuitamente qualquer falta de luz,
obstrucclo de canos, etc., dewndo o consomidor pagar somente as pecas novas qoe forem
precisas para o mesmo concert; qualquer reclamacao que possa baver, ser dirigida ao
escrijttorio da empreza ra do Imperador n. 3i, aOm de ser logo providenciada.
uum mam
45Km Direitt45
Chega, geate!
Boriepoins Bglezes para nomem a 5.
Duof fraocezes Meta a 5*V
Borieguins para sennora, en/elUdo*, *>.
Ditos para menina, dem a 3V
Sapaides inglezes para harcem a 4J.
Ditos americanos a 300. *% n Lf I
Chinelas do Porn a 14600.
Saptos-tranga para senbora a 1#i80.
Ditos aveludadog, dem, a l280.
Aproveitem emquaBto tempo.
f
mi

J. FERERIRA VILLELA
RETRATISTA
Da casa Imperial do Brasil
Roa do cabng, 18, entrada ptlofpateo da matriz
Retratos por todos os systemas photographicos.
Retratos em vidro.
Retratos em papel.
Retratos em porcelana.
Retratos em talco.
Esles retratos s5o especiaes para se collocarem em alfloetes de peito, cassoletas
Lotes e aneis.
Retratos em cartees de visita.
Retratos em carte-album.
Retratos timbres-poste.
Retratos comees.
Existe sempre um vanadissimo sortimento de caixinhas, passe-par-toots, qua-
dros pretos, molduras douradas, aISnites e cassoletas de ooro fino para a collocacio de
retratos. Vendem-se tambem albuos, stereoscopos, vistas para os mesmos, vistas de di-
versos edificios e pontos desta cidade, apparelhos para photographia, e chimicas para a
mesma arte.
UREA PENNSULA
Fabrica de destilaco e bonificaco
DE
MARQUES & FERREIRA
Kll DO AHOKIH -FOKTE DO MATOS
PERNAMBCO.
Esta fabrica aehando-se montada com todos os necessanos perteaces a ama destilaco e com
materias primas, que entrara na eoofecrio de todos os seas productos de superior qualidade : promp-
tiflea-se a receber toda e qualquer encommeDda e a vender os seus productos por precos nimiamente
reduzdos, osqoaes obtiveram premios nasexposic5esdePcroambuco, Rio de Janeiro e Pars em 1867.
Temos sempre em quantidades genebra, dita de laranja, aoir, agurdente do reino, cognac, ab
elntho, bitter, wermutb, kirche, xaropes para refrescos, primeira e segunda qualidade, licores Gnos e
entre fiaos, tinta para escrever, perfumaras, vinagre, marrasquino, coracSo, espirito de 40*, 38 e 36,
dito de alfazema, limonada gazoza, aguas : flor de laraoj', rosa e ortela pimenta ; orebata de pevide
de melancia e muitos outros genero?, os qoaes se vendera a vontade do comprador, em barri?, cana
das, em gsrrafas com vistosas tarjas. Promptiflcase a condieelonar e enviar qualquer remessa qne
nos seja pedida para toda e qualguer parte, devendo ser os pedidos acompaobados de ordem sobre
ta praja .
1
K:tl -Ra do CabngTU.
Os propietarios deste estabelecimento cfferecem ao respeitavel publico
um esplendido e variado sortimento de jolas de curo ebegadas recentenenle
da Europa, cujos modelos sao novos e de bom gosto como sejam : polseiras
com perolas, rubios, esmeraldas e brilbntes, brincos da mesma ferma, anneis
de {haniasia, proches para retrato, etc, etc boles de coral rosa para peito
de camisa e cacoletas com retractos.
Compra-se e recebe-se em troca ouro, prata e brilhantes pelo seu en-
trinceco valor, assim como moedas cacionaes e estrangeiras. Tambem se en-
cimbem de azer concertos
Agostinho Jos dos Santos G
Qflfti jQgT ,f!Pl aflata r/ftKY afi? D. Senhorioba Germana do Espito-Santo, ten
do aberto no sen sitio do Arraial roas para reta
Ihar a vontade dos compradores, faz ver a todos
que as ras tora sessenta palmos como marca a
cmara e qoe tem de fundos 3!0 palmos, e com
diversos arvoredos de fructo, boa trra e a iV00
o palmo. Assim como tem tambero bons terrenos
do mesmo Arraial, a iJOCO o palmo, com diversas
arvores de fructo e todas carregadas, e com 600
palmos pooco menos de fondo, so nio Acara' pro-
pietario quem nao qcizer. __________________
C0S1MIEIR0
Otterece-se um ptimo cosinbeiro, eseravo ainda
mogo na roa do Trapiche n. 46._______________
Quem quizer alugar o sobrado n. 42, a'
roa da Aurora, dirija se ao escrlptorio n.
4, a' roa do Crespo, que achara' com quem
tratar.
Collegio da Onceiio.
Corso de ferias.
Acba-se a berta a matricula das aulas
preparatorias para os exames de margo
viDdouro.
CASA DA FORTUNA
Aos 5,0000
BILHE1E* GARANTIDOS.
A.' ra do Crespo n. 23 e casas do costdme.
O abaixo a asignado venden nos seus moito fell-
ws bilhetes garantidos da loteria qne se acabou de
extrabir a beneficio das familias dos voluntarios
da patria osaegoiotes premios :
N. 3421 nm meio coro a sorte de 6:0004.
N. 1913 dous quartos com i sorte de 900f.
N. 838 nm .meio com a sorte de 4005.
E outras moitas sones de 100$, 40 e 20$.
Os possuidores podem vir receber aeos respecti-
vos premios seta os descont das leis na casa da
Fcrtuo i ra do Crespo n. 23.
Actiam-se a venda os da a beneficio da matriz
de Ooricury (46') Jque se extrablra' quando fr
annunciado.
reco.
Bilhete.....6*OOe)
Meio......3000
Quinto, i.....1J200
Em porc5o de 1005 para cima.
Bllhete.....81600
Meio......3*750
Quinto.....1*100
Por Manoel liarnos Finta,
Gentil H. Rodrigues de S. uza.
JBoleeiro,
Na Capnnga, porto do Lacerre, casa em qne mora
Jas Duarte das Naves, precisa-se de nm bom bo-
letero, e cuidadoso de suas obrigacoes.
Ama
Precisa se de urna ama para cosinbar
do Apollo n. 14, armaiem.
na roa
mm brazil
Largo do Corpo Santo n. 27
Mr. JoSo Mercje tendu chegao de Pars da
grande eiposigo universal da 1667, faz sciente
ao respeitavel publico e aos seus numerosos fre-
guezes qoe teraum grande sorlimentj ae faieodas
floa, assim como-cortes de c'cas e coiletes de
c coiletes de seda pretos e di edres e de l ; assim
como fazendas proprias para montarla de senbora.
Oulro slm, faz vestuarios para montarlas e recebe
ligunoos iodos os mezes para bomeos sentjoras e
meninos; assim como tem sargelin francez que
vende em peca e a retalbo por pre?o razoavel, e
brios brancos ede cores variadas.
O Dr. A. S, Pereira do Carino (medico)
est morando no sobrado n. 11 da ma da
Imperatriz.
5Y?f
^
^wmAiim
aSIST
es ce 5
t zr -i o
a 'y:
c; 5
3 re
^j Sb w
5 cr
O S
c . c
a -o
- c r~-
oa V. J
*
9
-

I"
S
I
a
a-
I
1
i
M

1
E
s
i
i
-
Di T3 T-
n 2 a o
CJ ir.

r a e
B 3 o
OQ o VI
O Bfa o a -i -1
r^ c_ <-
-o - -5 ce
-i S fia
j. a c_
a c~
-i a
o a>
CK5 o
o a, xa
^3 X 65
o a a
a B C-
3' j. O Q Vi
u ^ VI
ea 9 ai
ti Di
B O. O Vi
n, tA
a D
ts o O.
e> .-i i -i 9 j. o Vi O
U5 O. m B
"|
G. ir. t
re a o
n S 3
03 ir. &3 T3
-i C5 a a o
r> Q.
6= V.
o O
&s 1
-1 D g*
OJ (JO B
p> 01 (Ti E3 O
3 -i
u
li c
a rs
Vi Xf. tt
3 o K
o 5*
5 Vi
o
S o. 5 o c -n
" AO
-Jl
N. 2 largo da matriz de Santo Antonio n. 2.
RETRATOS A OLEO
Temos a honra de pariecipar ao respeitavel publico a volta do Sr. Alberto Hens-
cbel que fui Europa com o duplo flm de se por ao crreme dos mais recentes pro-
gressos da arte photographica e adquerir para o nosso estabelecimento mais um ar-
tista de talento.
O Sr. Alberto foi summamente feliz e conseguio engajar um destincto pintor de
retratos, p
SR. CARLOS ERMESTO PAPF
membro honorario da academia real de pintura da cidade de Dresda, e do qual a reputa-
co bem fundada nos autorisa a erperar produces Dotareis no seo genero de trabalho.
Um progresso immeoso ltimamente ezecatado na photograpbia, um dos mais
importantes consiste n'arte de obler retratos em tamaoho natural, usando directamen
te na grandeza que se desaja, sobre a tela do pintor, o retrato photographado, por meio
de um instrumento especial chamado : cmara solar de augmentacAo.
Por esta forma o talento e o saber de um artista habii maravilhosamente se-
cundado pela precisSo absoluta e infallivel dos contornos e das sombras que ihe pe a
photographia sobre a tela, e ludo se rene assim para se alcanzar o maior grao possivel
de semelbanca incontestavel, ao que d ainda maior realce o sello artstico, que imprime
ao retrato um bello colorido.
Pelo mesmo processo dos podemos reproduzir e pintar oleo, urna vez que se
nos d urna photographia, seja de que tamanho for qualquer retrato de pessoa morta ou
aumente e no tamanho que se dse jar.
As pessoas que quizerem julgar por si mesmas deste novo genero de trabt'bo,
s5o convidadas a nos fazer a honra de visitar a nossa galera, aonde estSu expostosuma
serie destes retratos como amostras.
AMRROTYPOS
Retratos em caixinhas
Para satisfazer a numerosos pedidos de muitos dos nossos freguezes, estamos pre-
parados para fazer retratos neste genero, para osqoaes tambem temos agora um grande
ve ariado numero de ricas e bonitas caixinhas.
tiftb
li.ga-se eocerecidameme a todas as pessoas qoe
contrabiram dbitos na Inja de joias no coracao de
(uro n. 2 B na rna do Cabuga', o favor de em
qoaotoantes vlrem saldrseos dbitos, Uto serc
perca de tempo, pois moito se agradecera\______
Club do Recife<
A partida do mez de Dezembro prximo
vindooro lera lugar na noite do dia 7 do
mesmo mez.
O Secretario
Joaguim Leocadio Viegas.
Precisa-se de orna ama para casa de pouca fami-
lia para cozinhar e ensaboar : a tratar na praca do
Corpo Santo n. 17, terceiro andar.______________
Gratifica se com 5#
A quem capturar o preto da Costa de nome Ja-
ciotho, Idade 38 anoos, estatura poueo meoes de
regular, tem falla de denles, talhos bem visitis
as macas do rosto, e os beijos grossos, pernas fi-
nas etc Fogio em 29 de ootuoro prximo passado,
levando caiga e camisa brancas, chapeo de palba.
A primeira vez qoe fugio intitnlavase forro de na-
qo e empregava-se como servente de pedreiro,
ganhador, etc. Foi visto ba poneos das na cidade
de Olinda, Agua-Fra e Santo Amaro das Salinas,
em ranchos de outros negros da Costa. Rogase,
pcis, as aotoridades puliciaes e a qualquer parti-
cular a captara de dito nefirj a ser entregue a seu
senhor Joio da Silva Leite, a' ra da Cadeia do
Recite n. 10.
HIST0RI4 DE CARLOS
XII
Eei da Suecia
POR VOLTAIRE.
Vende-se esta excedente obra por 14200 em
broebura, na llvraria Econmica ra do Crespo
o. 2.
Na mesma livraria lomara-se assignaturas para
avida de Horacio Nelsooo celebre almirante
apglez a 11 cada exemplar.____________________
Para seu interesse
Aluga-se
para passar a festa ou por nm annr>, urna casa em
Olinda, com excellente vista e mudo fresca, com
tres salas e cinco qoartcs, cozinba fra e bcro
qointal, com terrados adiinte e atraz com acentos
de pedra e cal : a tratar na praja de Pedro II, li-
vraria da Infancia n. 6.
AttencSo.
Pede se aos senhores Francisco de Siqoeira Ca-
valcanti e Manoel de Siqoeira Cavalcanii Fllho o
favor de virem a ra da Imperatriz n. 32, a nego-
ciodeseu interesse.
Padaria
Precisa se de um forneiro que entenda perfeila-
mente deite servido : na ra larga do Rosario
o. 16.
^m m mw*M&
Precisase de urna ama para o servido de
urna casa de pouca familia, prefere se escrava e
paga-se bem : no caes do Ramos, armazem n. 10.
Urna senbora professora publica de Instroe-
$o primarla, por motivos de molestia deseja per-
mutar sna cadeira por ootra nesla cidade do Re-
cife, at a distancia de nma legua, e cfferece por
compeosa^o urna vaotajosatfTerla : quem se pro-
pozer a fazer este negocio, dirija se ao caes do Ra-
mos, armazem d. 10, ou anouncte para ser pro-
corado.
O Dr. Jjaquim Jos de Campos da Costa de
Medeiros e Albuquerqoe mudou o seu escrlptorio
de advocada da casa o. 22 para a casa contigua
d. 24 da ra do Imperador, defronte da re acao,
jury e sala das aodieaeia.
AMA
Aluga-se o 3* andar do sobrado n. 8 a rna
da Imperatriz : a tratar com J. i. de M. Reg, roa
do Trapiche n. 34.
Precisa se de urna ama para servico de casa de
pequea familia : na roa das Cruzes n. 41 A, por-
ta larga.
- O Sr. Jastioo da Silva Cardoso queira
vir nesta typographia negocio urgente.
Na pra^a da Independencia n. 33, toja de
ourives, compra-se ouro, prata e pedras preciosas,
e tambem se faz qualquer obra de eicommenda e
todo e qualquer concert.
luga- 3 orna casa com sitio na Passagem
confronte ao cbafariz acbando-se a casa em per-
feito estado : a tratar na mesma casa.
Trocam se
as nota* do banco do Brasil e das calzas iiaes-
dotn descont moito rasoavel, na praca da lnde,
oendencia n. 22.:
Precisa-se da nm copeiro para urna casa es-
traog eir, preferindose eseravo : a tratar na roa
do Trapiche o. 3.________________________^^
O abaixo assignado faz sciente ao respeitavel
corpo do commerclo que desde o da 21 do cor-
rente, est, para com a' casa comroercial do Sr.
Jos Nones Ribeiro e Silva eslabelecida nesta villa,
desonerado da responsabilidade que linha como
eiizeiro e gerente da referida casa: assomindo o
Sr. Jos Nones Ribeiro e Silva, sobre sua nica
responsabilidade todas as transaccoes faifas pelo
analto a-signado, dorante o tempo que estere a'
sen ser vi jo.
Yilla do Bjnito, 28 de novembro de 1887.
Awr Cppritmo Berma de Helio.
CoHipanhia otiiidade pnblica
A direccao paga o 14* dividendo de S2J por ac-
cao, em seo escriptorio roa da Cadeia n. 41, pri-
meiro andar. Recife 2 de dezembro de 1867.
Os directores
Feliciano Jos Gomes.
____________Tbomaz Fernandea da Cunba.
O es-ritj3 do jury modco o sen cartorio pa-
ra a roa do imperador n. 38, i andar. _____
Jornaes para 1868""
J* M,r',rt* ftanceza assigoam-se lodos os jor.
naes da fcaropa, os Srs. asslgnantes encontraro
amostras dos peridicos e cauofos dos mesmos.
RA DO CRESfQ N. 9.
Offereee-se um rapaz para ealzeiro com bas-
tante pratica de padaria e molhados: na roa do
Rangel n. 9.______________________
No Corredor do Bispo, derroote da casa n. 10
ba para alogar urna txeelleote eserava moito ro-
bu'U e de bi conducta; e na sesma, vendase
ua casa oo Vjradoaro, era Olinda.
ao
ao B
e g
F o
% i ce
*3
a
^
ce ao
Muito se precisa fallar com o padre portugue:
Jos.Bernardino de Paiva que supide-se morar
em Marcarlo, e com o Sr. Jos Loureoco de Me
deiros Muniz que mora nos arrabaldes de Santo es'ravo
Anto : na praca do Corpo Sanio n. 17, pnmeiro
andar.
Desaparecen no correr da noite de 25 do
correte ao poder do aLaixo assignad?, no enge-
nho Cootra-assude, de Jaboalo, o eseravo Jos,
crioolo, com os sigoaes seguintes : bailo, bem
ccnslruldo, rosto largo e nariz chato, ventas toui-
to b ras, un Jo na testa urna cicatriz de purga-
da mais cu menos, lera' de 20 a 21 anuos, nao
se distmguindo no rosto signa! de barba, vesta
camisa de chita encarnada trazendo em tronza
mais r opa. Animado pelo qoe se est passaodo
foi encontrado em Afogodos declarando que vfnha
alistar se no ezercito. Protesta o abaizo 'signa-
do contri quem o fiver aeoutado da mesma ma-
neira que contra qualquer auloridade que sem as
indlspensaveis peqnizas o he nver recebido se isso
se livtr dado, gratifica se a quem o apprehender
levando-oa ra Direila n. 29, spgund.i andar, a
entregar ao Sr. Antonio Pedro de S Brrelo Jn-
nicr. Recife 30 de novembro de 1867.
Jos Marques Carneiro L-2o.
Aioga-se orna escrava ezcellente cesioheira :
na ra das Flores n. 37, 2 andar.
Fundido da Aurora em San-
to Amaro.
Completo sortimento de taixas de f rro
coado, molde raso, ltimamente aprovadas
para o fabrico do assucar.
Hospital PoTtugez de Uenefl-
cencla.
Por autorisago da provedoria do hospital porlu-
goez de bfnehcencia, Dr. Prazedes Pitan?, d
consaltas gratis iodos os das das 7 I, as 9 hu-
ras da maoliaa, nos saines do mesmo hospital, no
sitio do Cajoer).
Eseravo.
No collegio da Conceigo precisi-se alugar um
A Saisaparilha
E A.YEK.
Para n. evira radical de
M3I
Trecisa--Se alngar orna ama forra on escrava,
preferlndo se etta nltima, para o servico de nma
casa de pouca familia, pagase bem : na ra No-
va n. 11.
Alm do grande sortimento das melhores machinas, americanas para descarrocae
algodao, de iO, 12,14,16, 18, 20, 22, 25, 30,35, 40 e 50, neste estabelecimento sr
encontra mais o seguinte:
Azeite de esperraacete propria para machi-
nas de todas as qualidades.
Vapores de torca de 3 a 4 cavallos.
Serras avulsas para machinas.
Manches e todos os mais pertencee para as
mesmas.
Carros de mo para aterro.
Cylindro para padarias.
Debulhadores para milho.
Arados americanas.
Escads de madeiras americanas.
Carrinhos proprios para armazeos.
Moinhos para refoacoes.
dem para milho.
Machinas para cortar capim.
Bombas para regar jardins.
Vaquetas para otbertas de carros.
Camas de ferro sortidas.
Bombas de Japy.
dem americanas.
Ferros a vapor para eogommar.
Vassouras americanas.
Baldes americanos para compras.
Tinas de madira.
Baaioe e cestas de verguinbas.
Guarda comidas.
Peneiras d'arame para padarias e renacoes.
Correntes para almanjarras.
Machados e facoes americanos.
Caias com vidros de todos os tamanhos.
Cannos de chumbo de todas as grossnras.
Folba de cobre idem idem.
dem de latao idem idem.
Folba de Flaodres.
Ferro de todas as qualidades.
Arcos de ferro.
Latas com gaz.
Trens de porcelana para cosinna.
dem estanbados para dita.
Bandeijas finas.
Balancas americanas.
dem rovervaes.
Taixas de cobre.
Estanho em vergainhas.
Folhas de ferro de todas as grossuras.
Correles de ferro sortidas.
Espingardas de todas as qualidadesj
Rewolveis de todos os modellos.
Ferramenta paraooriFes.
dem para tanoeiros.
Mem para wreiros.
Ama.
Prceisa-se de orna para engommar
Trapiche n. 36. 2* andar.
na rui> do
Companhia fidelidade de seguros
martimos e terrestres
establecida no Rio de Janeiro
AGENTES EM PERNAMBCO
Antonio Luiz de Olivetra AicTtdo & C.
competentemente autorisados pela
directora da companhia de seguros
Fidelidade, tomam seguros de na-
vios, mercadorias e predios no seu
escripterio roa da Cruz n. i.
Samuel Power Johnstoa Atompauiii
Rus daSenzala Nova B. 42.
AGENCIA DA
Fundido de .ow Koor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos,
Moendase meias moendas para engesh.
Taixas de ferro coado e batido para en^e-
nho,
Arreiosde carro para nm edoue cavallos
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Michinaspara descarocar algodao.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Hospital parugaez da lea ficesciapm
x Per na ni buco.
Nio se tendo reunido numero legal de socin
para constitoirem assembla geral domingo 1< do
correte, sao novamente convidados por ordsm do
lllm. 8r. provedor todes os Srs. socios a reonirsm
se domingo 8 do correte, s 9 horas da manliaa.
na salla das respectivas sessoes, so sitio deste los
pital, ala de constituida a assembla eral, prece-
derse a elefc2o da junta administrativa, e com-
orisso de eiame de cenias para o anuo de 1866.
Secretaria do hospital portugus de beneficencia
em Pernamboco, 4 de dezembro da 1867.
A. A. B. Santos Prto,
i* se criterio.
Escrfulas, ulceras, chagas, fer-
idas velhas, molestias syphil-
i tic as, e niercuriacs, Enfenni-
dades das inulheics, como re-
tencao, menstro doloroso, ulcer-
acao do tero, e flores brancas.
A KevTalgia, Con vals oes, Erv-
sipelas, Enfermiades Cutneas,
borbulhas, nasudas, etc.
O extracto eompotto de SALSAFARILIIA, confeccin-
ado pelo Dn. AYER, urna combinaco dos melhores depara-
tlves e alterantes conliccUlos medicina; compesto leguado
s lela da sciencin, approrado e receltado polos primeiros
mdicos des Estados Unidos, da America do fM, do Mxico,
das Indias e dos prncipaes Estados da Europa.
A SALSAPARILHA de AYER especialmente cfflcaz na
cura das molestias que tem sua origen na escrfula, na
infecto venrea, no uso excessivo do mercurio ou em qualquer
impureza do Singue.
Entre todos as molestias que adligem o genero humano, nio-
lia urna mais universal e terrivcl do que a escrfula; por el
nao e to destructiva, porem a causa principal de muius en-
fennldodes que nio Ihe silo geralmente attribuidaa.
nma cansa directa da tsica pulmounr do nial do
jado, c estomago, affcctci do cerebro, lllieumatlumo
e affecciet dos Mtm: entro seos symptomas ha os seguintes ;
Falta de apetito, Fraqneza c niolczn em todo corpo; SIo
ebeiro da boca, semblante plido e inehado, s vezes d'uma.
alvura transparente, outras vezes corado e amarillo ao redor
da boca; Digesto fraca e apetito Irregular; Yentre luchada
e evncuaco irregular; Quando ataca os pulmoes urna cor
azulada mostra-sc a roda dos olhos, quando i no estomago-
sao avermelha dos, Nos pessoas de disposiro escrofulosa
apparecem frequentementc ervpcSes naptlle da cabera e outras
partes do corpo ; sao predisponas s afecele dos palmees, do-
figado, dos rio* o dos orgios digestiros e uterino. I'urtanto,
nio sio sement aquelles que p.idecem das formas ulcerosas
e tuberculosas da escrfula que necessitam de proteceo
contra os sena estragos; todos aquelles em cujo sangue existe
o virus latente deste tcrrivel flagello (e as vezes > hereditario),
ests expostos tambem a sofTrer das enfij-midadas que elle
cansa.
Oflereoemos a estas pessoaa um abrigo seguro e um anti-
doto cfflcaz contra esta molestia e suas consequencias, na
Saisaparilha de Ayer
que opera directamente sobre o sangue, purificando n e ex-
pulsando 'kilo a corrupcio e o veneno da molestia: penetm
todas as partea e todos ea oreaos do corpo humano, Ilvrando-
os da sua accao viciada c lnsplrando-lhes novo vigor. E'um
alterante poderosinsimo para a rcnovaeio do sangue, c d ao
corpo ja cnfraquecldo pela doenca forca e energa renovadas
como as da Juventud*.
t TAMBEM O lUr.LHOIl jtXTI-SYFBILlTICO
COXUECIDO ;
tura permanenmentc aa peiores formas de 8YPHILI8 e a*
suas consequencias. Fouc neecssido.le ha de Informar o pub-
lico do incstlmavei valer de um remedio que, como este, livra.
o sangue dessa corrupcio e arrebata a victima das garras de
urna norte lenta e Ignominiosa, porem ineritavel se e mal
nao logo combatido com energa.
Vo pretendoraos promulgar, era queremos que se infira
que este rtniwltv InfaltveT para a cura de todos os padeci-
mentos humanos, o que dizemos t- qne a
Saisaparilha de Ayer
t a wl\or preparacio at hoje desceberta para estas e outra*
molestias anaJogmo, que
mais elieaaee conlieeidos, i
ao puUlco o mellior reau
Intclligencia e pericia medica
. ama combinaoio dos alterantes
, e que temes eonsclenda de oflVrecer
altado qoe i possivel produzir, da
dlca des nossos lempos.
------------- [i
REMEDIO DE AYER PARA SEZES '
InfaliT*! Cabrea intermittente, remittentee,
I'ebree Biliosa* a tareas, mal do flgada, in-
oremenU do baeo, cacnalr. Dir noa
ouridoe a palpite^oaa, quaodo
sao oausadoa pttas
FEBEES INTEBMI1TENTBS, O REMITTENTES.
As npeneees da Dat. Xm sa vendidas em toda* a
Botlea e Drogara* do haperio.
-





.TM1 af>
Jr.roa.fcne. .
de (867.

v

-

JOIAS

3 _____ N. 2 D "^ N.2D,
g^Oj^* CORACAO DE OlJRO. <^fc|
A loja ii. 5 D intitulada Corac,o de Ouro na roa do Caboga, acba-se d'ora em diante offerecen
Jo ao respeitavel publico com especialldade as pesioas que bonram a moda os objectos do ultimo gos
td
da ebras.
O respeitavel publico avallando o dselo qae deve ter o proprletarlo de nm novo estabeleciraen-
lo qtre qner progresso em sen negocie deve chegar immediatamente ao coracao de onro a comprar
aneis com perfeitos brilhaotes, esmeraldas, rubina e perola; verdadeiras em agarras, modernas pek
dimtauto proco de 10*, brincos modernos de onro e coral para menina pelo prego de 3*, maracas de
prtta com cabos de iuarfim e madreperola obra de moderno gosto (o qne o encontrarse no coracao de
cero) voltas de ouro com a competente eruslnha ricamente enfeitada pelo pequeo preco de iz*, Lnn-
fcos de nm trabalho perfeito por um mdico prego, cassoletas, tranealins, poiceiras alneles para re
tratos e cutres modelos todo de alto gosto, aneis proprios para bntar cabello e firma, dito para casa-
mento, no artito roseta tem o Corado de Ouro um completo e bem variado sortimento de diversos
gostos, btuOes para pnnbos com diamaote, rubias e esmeraldas, obra esta importante ja' pelo sen va-
lor ja' por gosto ds desenlio, brincos a forma da delicada moslnha de moga com piogente contando es-
meraldas, rubins, brilhantes, perolas, o gesto t soblime, alfinete para gravata no mesmo gosto, relo-
gios para senhora cravados de pedras preciosas, ditos para hornern, diversas obras de brilbantes de
rato gosto, erosionas de rubios, esmeraldas, perolas e brilbantes, aneis com letras, cacoletas de
crystal o onro descoberta para retrato (a inglesa) brincos de franja, ditos a imperatrize toda e qoal-
q*;r joia, para secoliocar retratos e obras de cabello, e oatros maitos ebjectos que os pretendentes en-
centrarse no Coracao de Ouro que se conserva com toda a araabilidade aos concorrentes deixando-
se Be aqnl mencionar precos de certos objectos porqne (desculpom a maneira de fallar) dizendo-se
preco talex alguem faca mo jotro da obra, por ser to diminuta qnantia a vista do sen valor.
Na tnesma loja compra-se, troca-se onro, prata e pedras preciosas,e umbem recbese concer-
tos, por menos do que em ouira qualquer parte, e dao-se obras a amostra com peobor, conservando-s*
Ccrracao de Onro aberto at as 8 doras da noile.
Qaalqner pessoa qne se dirigir ao Coraeao de Oaro nao se podera' engaar com a casa, poi:
seta se na sna frente nm cora-cSo peddurado pintado de amarello, alem de outro que se nota em u:n
rotulo (isto se adverte em consequencia de terem ja' algamas pessoas engaado com outra casa.


Fedegoso de Pernambuco
A planta, coohecida entre nos sob a de-
nominaco de ftdegose, e no Rio de Janeiro
e pro incias do sal deste imperio pela de
arista de gallo, o tiaridtum utilissimum
oa tiandium elonaa'.um de Schum, e o he-
liotroptum curassadium de Mart., pertence
familia das boragioeas.
O fedegoso e considerado, na therapenti-
ca pernarobucana, como urna das plantas
mais recommeodaveis por suas virtudes cu-
rativas, c appcado interna e externamen-
te, como calmante do systema nervoso, na
paraiysia, asthma, tosse convulsa ou ceque-
loche, tosses recente? e antigs, suffocaces,
catarrnos pulmonares, etc., e em geral con-
tra todos os soffrimentos das vas respirato-
rias; sendo um excelleate unitivo para
aqueles que padecen de phtksica pulmonar.
Sua eficacia contra o ttano ou espasmo
incontestavel, e nioguem ba que a desco-
nheca.
N5o ignorando nos o que acabamos de di-
aer, e esforcaudo-nos por ser-til humanida-
da soffredora, preparamos o ^ue abaixo iedi-
camos, pondo-a disposico des distioctos ae-
dicos, e dos doenles desta e das ootras pro-
vincias deste imperio nossas preparacaes,
que sao:
A JiRUBEB.l
em extraeto alcaotico, emplas-
tro, or, tintara, plalas, ia-
ropp e vuho.
A JURU8EBA urna des substancias me-
dicamantos9cue perteweee ao reino vegeta!
e eniram na casse dos tooicos e desobstru-
entes, sendo empregada com vantagem con-
tra as febres ioiermitents ecompanhadas de
engorgitamento de gado-e baco.
Ella tem sio aplicada com incontestavel
proveito coatra a anenwfi-ouchlorose, hy-
dropesia catiroteo da bexige, e mesmo.para
excitar a menetruafo diflicil, resultante da
mesma aneis ou clilose.
O AKBOBE VHiETAI,
E' muito superior aos xaropes de CrSI-
JIER, e deLACROY. De acitdigesto,^-,
gradare! ao paladar e ao olphato, el?e cara I
radicalmente, sjn mercurio, todas as Qog-
S 5 2 B
o o B
=. O
vj a
I s e
g'
o a
os -
B S
o *
-i n
o e
2. M
B
U [A M
. 05
o. o
O- o
& B
sif|
o s, o s'
" Ss? &
o. S"
i oj S JS"
ro a 2.^
ScTS'a0
lail'S
o E a
s. e a g*
re

Preci-a-fe fallar os Srs. Maecel Joaquim
Loorenoo, G. Antonij da Gra^a Mala, Francisco
'Igr-acjo <5a Nova, Jos jaquim Rarreiro, Jos de
Oliveira Couceico Fioeiredo, J >o Evangelista
da Silva, Custodio ijs Ferreira, Jos da Silva Ro
drlgnes : na ra do t'igario n. 19, 1* andar.
COMPRAS
TUmr arf
qu-era entras panes, compra-se moedas decoro
n prate : na loja de ourives roa do Cabuga' I,
es^atoa da roa large doflesario.
Moecas de ouro.
Nacionaes e estraogeiras assim como libras
esterinas: campram-se na roa do Crespo n. 16,
pnmwro andar._____________________________
Maior vantag^m
O coragSo de onro roa do Caliug n. 2 D, otlere-
ce-se era compra das moedas de ouro e pratg.
A 1C por cwto.
C.i;opra-se a prata oa prac.a da independa cia
IfiS
Cnwa;n--e moedas de ouro nacionaes e estran-
Coes da pelle, impigens, alpo^cas tumores, j(eira,b como patac-Ses dos dhems ooofcos:
ulceras, sarnas degeneradas, escrfulas, es-3emcasadeAdamson,:Eowie & c., corbuta. E' sobre tudo poderoso as toles-<*De'["",<'E- 40-
tias rebaldes ao oercuno ao iodurto de'.
pOUSSM.
Pos vermfugos paraafombr!g*.
Prepararlo a mais segura para a expulsan cora-,
pleta das Umlirigaseoutros verates, sera acarre-
ar os iocoevenientes sue se tem dado com miras
preparaciM Sao 6*> grande acjc vermcva,
.agradaveis zo paladar^ compativeis com tod" as
dades e compleicoes, criando sdmente na quao
tidade.
XAROPt UE SALSAt ARRILHil DO PARArf
oc
Hi.i'tRATite si\r.n;
VSADOS AS MOLESTIAS F. PELLE, IMPIGEXS,'
DORES RIIED1IATICA8 Et'LCERAS VENREAS
PILI I.AS iVTi PEKIOWICAS
Contra asfchivs interniteutes, on sexes
O MLNGU' tem acc-ao directa sobre os
entres nervosos, e por isto faz doreair sem
determinar affluencia de saBgoe no cerebro
como o opio c substancias simples qae delle
seextraliem, pelo que o somno tranquillo
e reparador, calma a tosse n&s bronebites,
e modera es accessos de asthma e de tesse
convulsa.
TODOS ESTES MEOICAMEXTOS SAO FfiETAItADOS
POR
Joaquim d'lmeida Pinto.
PHABMACETI O EM PERVAMBCCO,
Ra larga do Rosario N. 10
julo a* qaarleMe p'-lieia.
Chocolate vermicida
DE
Ac tnnio \anes de Castro.
Desde 1857 que s5o as tabellas vomicidas
applicadas em Portugal, como o remedio
prompto e efficaz para a expulso das lom-
brigas, que 15o graves padecimeotos causam,
e que quasi sempre se suppoe ellas a ori-
gem.
Este virmifugo preferivel a qual^ter
outro pelo seu agradavel paladar e fcil ap-
plicacSo s enancas, as quaes geralmente
sao mais atacadas de semelbante mal.
Deposito especial
34.Ra faga do Rosarnlo34.
EBCienae, issim como patacSes portoguezes e
vespanbes.compram-se com premio : na roa de
Crespo n.'lC. prime aedar.
Compra-se ouro e praia em obeas velbss
na praca da ndepeode=ci2 u ti.
Moedas de prata
LOJA DO GALLO VIGI-
LANTE RA 00 CRES-
PO N. 7.
Os proprietarios deste muito bsm conbe-
do estabeleciment tem a salisfacio de levar
ao conhecimpnto do respeitavel publico que
a'-abam de receber pelo nllimo vapor da Eu-
ropa um grande e variado sortimento de ob-
jectos de inteira nlovidade, dos quaes se li-
mitara a mencionar apenas um pequeo nu-
mero ficando o respe tavel publico na serte-
za de que neste estabelechnento sempre en-
contrarao nm c impleto sortimento de arti-
gos de gosto e inteira novidades como sejam.
Cintos
Os muilos desejados cintos com pontas,
bordados a vedrilho, fazenda 9 muito gosto
e comeleta novidade, respeito a estes cintqs
n3o fazem observarles e sim deixamos a
apreciacod s esclarecidas fregoezas isto s
no Gallo Vigilante oa roa do Crespo n. 7.
Leqnes
Muito lindos leqoes d'osso, madeira, sn-
dalos, e madreperola ; pretos, brancos e de
cores, e muito se toroam recommendavel
pelas bonitas paisagens.
Flores
O melhor que se pode desejar neste arti-
go as qoaes parecem natoraes assim como,
tambem recebemos urna pequea porc5o to-
das pretas e se vendem na loja do.Gallo
Vigilante ra do Crespo n. 7.
Capellas
Mu lindas grinaldas brancas e de cores
aquellas para noivas, e estas para bailes, ca-
samentas e baptisados.
Larras
Luvas de todas as qualidades para se-
nbora, hornern, men as, sendo de algodo,
fio da escocia, seda e pelica muito fresca e
do fabricante Jouvin, parece-nos que nao ba-
ver quem ignore que por todos os vapores
da Europa o Gallo Vigilante, recebe grande
quantidade deste artigo e por isso sempre
tem sortimento a vontade do comprador, e
tambem n5o se valle da falta o seu preco
sempre o mesmo
Pcntes
Muito bonitos penies de tartaruga para
coque e alizar os cabellos, assim como para
arregacar os mesmos e mullas outras quali-
dades.
Escovas
Grande sortimento de escovas, para ronpa,
cabellos, chapeos, dentes e unbas, sendo de
osso, traalo, baleia, marfim e madreperola.
\;>va has
Superiores na/alnas pequeas para bar-
ba sendo cabo de marfim, tartaruga e ou-
tras qualidades-, as quaes o fabricante ga-
rante a boa qnalidade.
Afeotuadaras
Cbegarara as mui lindas guarnices [de
botoes para colle'es fazenda de gosto, assim
como grande sortimento de botoes para pu-
qjos.
Para acabar,
Vtidem-se seccas erm fariDhi de mandioca de
t$oOt a 35; assiai como raccas com leijao por
tiaratis-iimo pr.-jo : no trapirtie Barao do Livra-
mcfKo no Porte de Mattos n. 15.
UVAL SE1I SEGL7\D0
na do itielmadlo n. 4. loja dt
-ludexa.
Jos B
xnno
'orto a .
duas oitvas
cores a .
to superior a
J0<
8(
l*X
50(
48(
W
2X
61
51
3i(
Viras de babado bordado
Carreteis de retroi preto
Parriteis de reteo de tod
Frasees d'agna de Colonia
Frasco de o'eo mallo fleo a
Dutia de tesonras pequeas a.....
frascos d'agna para liropar dentes a .
Redes pretas lisas para segurar calillo a
Duzias de pennas de ac moli fiuas a .
Caitas de linba do gai de 30 novellos a .
'.dem da palitos de seguraaca a .
Carrafas de agu Florida verdideira .
Silabarlos eom estampa para meninos a
Memento da ronpa de lavar a..... fot
Dnzlas de meias Anas para senhora a 400t
Agulhas fraucezas a balSo (papel) a.
Pe^as de filas de lia de todas as cores a SOI
(rozas de botoes de porcelana prateados a 16(
Caixas com alfineites trancezes a 8<
Caixas de 100 envelopes mnito finos a 60(
Resma de papel de peso branco liso a IJOOt
Frasco com superior tinta a..... 1 (
Pares de botes de pnnbo mnlto bonitos 8<
Linbas em carlo de 200 jardas a IW
Caixa de superior linba do gaz com 60
novados ............. 70i
Talberes para meninos a...../>. 24(
Masso com superiores grampos a 31
Bonets para meninos a........1J0CX
Peotes com costa de metal a...... i'"
Realejos para meninos ....... I(k
TTOp
No armazem de fazendas dt
Santos Coelho, ra do Quei
mado n 19.
Bon e barato
Lansinhas Poil de Chvre a U o covado.
Madapolo enfestado a 8 a peca.
Cambraia de cores matisadas finissimas a
800 a vara.
dem brancas transparentes finas de 4$.
o^OOO, 65, Ijf, 8(51 e 9,5ooo a peca com iC
jardas. ,
dem branca tapada de 8<5 e 95 a peci
com 12 jardas.
dem branca franceza muito larga a 9
peca cora 8 varas.
BalSes de 35 e 40 arcos nesgados para
senhoras, a 4(5500.
dem de mursulina nesgados a 55.
dem de crochet a 55.
dem de mursulina para meninas a 35 e
355oo.
Saias bordadas a 55.
Cambraias admascadas psra cortinado a
125 a peca com 2o varas.
dem para forro a 35 a peca com 10 jar-
das.
Cambraia de linbo muito fina de 65 e 95 >
vara.
Madapoles finos de 65, 75, 85, 95,105,
115 e 125 a peca.
Platilha de algod3o superior fazenda par*
saias a 35200 a peca com lo varas.
Cobertas de chitas de ramagem a 256oo.
Lences de hamburgo fino a 25400.
dem de bramante muito fino a 35200.
ARMAZEM
DO
VAPOR FRANCEZ.
Pannos adamascados para cobrir mesa i
45500.
Gnardanapos de linbo adamascados a 4 Meias deoda"TcoYsa parVhnem.
RA NOVA N, 7.
Araba de ebegar de Pars 4 eMe estahelecimen-
to uro grande e eswlbido sortimento de calcado
dos m-lhoie.- fabricantes daquella grande pruga,
asHtn como grande variedade de qomqtillhsrla e
de n .vos brinq- edos para crlaucas, cojos irtigos
se arham expostos a ecolha e vontade dos com-
oradures, como sejam alguos qne passamos a
mencionar.
Ultima moda
Riros chapeofinhos de gosto para seoboras fei-
ios ao capricho de orna grande mosta de Par?.
Boilaas para senhoras
de sf um branco, doraqoe dito, pretas e de ootras
difl.-rentes cores eofeitidas a rigorosa moda.
Botinas para meninas
de umitas qoal dades bem sortldas.
Brincos de onro
de lei a nlllma moda dos Campos Elizios e boole-
vards de Paris, para seoboras e meninas.
Lavas de pellica
do vprdadeiro latineante Jouvin, brancas, pretas e
de outras differentes rres.
Leques
nm eseolbldo sorlimento de leqoes de diversos
gostos e qnalidades.
Perfumarla
finos extractos, banhas, olos, pos de arror, agua
de cologne, agua di -ida e jabonetes.
Espelbos
de differentes tamanhos e gostos para salas, gabi-
netes e pequeos toncadores.
Calxlnhas de costura
de novos modelos ricamente guarnecidas e com
lindas peras de musir.
Delicado presente
bolcinhas e cestinbas de seda e de velludo muito
importantes para braco de meninas passeio.
Chapos de sol de seda
de cores e mnlto i ellos para senhoras e meninas.
Bouquets da exposlco
delicades bouquets de II ros de porcelana com lin-
dos jarros para mesas de salas e santuarios.
Lunetas
de ac, tartaruga e bfalo.
Oculos
de ac, bfalo e de prata doorada.
Ricas bengalas
de canna verdadeira com casino primorosamente
trabalbados em marfim, compradas na exposic.o.
Botinas para hornera
grande sortln ento bem escolbido em Pars.
Botinas para meninos
de mnitos modeles bem sonidos.
Slapatos de tapete
de charlte, de tapete avelludados e di nanga de
Lisboa para hamens, senhoras e meninos.
Botas rnsslanas
Perneiras.
i Mantas de feltro bonitos padroes.
Chicotes fortes compridos.
Ltivas de fio da Escossia.
Cartelrinbas para dinheiro.
Saceos de tapete p. ra viagem.
Malas e boleas sortidas.
Pootciras para charutos e cigarros.
Cbaruteirase cigarreiras de palha.
Caximbis de bonitos modelos.
Grvalas pretas e de cores.
Gordas para violo.
Rngalas para bomens e meninos.
a dnzia.
Atoalhado adamascado com 7 1/2 palmot
de largura a 25 a vara.
dem adamascado de linho com 7 1/2 pal-
mos de largura a 35 a vara.
Algodao enfestado com a mesma iargurs
a 15iooa vara.
Venezianas transparentes para janellas.
Qoadros pequeos para retratos.
Ot.j'i't ? de pbanlasia para toilet.
Abridores de lovas.
Tessnrinbas delicadas para costura.
Caivetes finos com tesourinha.
Finos pentes de marfim para tirar caspas.
; Paies de lindas figuras pequeas de porcelana.
Jarros mni pequeos de porcelana.
dem trancado de algodao a 15600 a vara. Objectos de porcelana para botar banha.
Toalhas alcochoadas de linho lisas a '. Taiheres finos para meninos.
I Objectos de mgica para divertir familia?.
... j Pn&tcgrapblas mgicas.
1 -,:' | Globos de papel para Iluminarlo no campo.
j Guilas de rame para passarinbo.
Casiinhas de vlmes para meninas de escola.
a dnzia.
dem de algodao felpudas a
a duzta,
135 e
Miho em saceos grandes a
3,000 is.
X ra da Madre d Ueus n. 5.
Xo^armaiem de Tasso Ir mos, ra do Am-
rlm-n. 35, tem para vender saccas de milbo novo a
3fi a acca.
?o prata
.tfsedas de onro e prata Baciooaes, -estrangetras
de todos os valores, se comprara na loja de oori-
vesijanioaoare* deN. S. dt Conceicio, roa da
Cadei do Recite., assim como onro e prata a
obras velbas., fechantes e diamantes, -e se paga
bem.
Oompram-se esw^vos
Silvinc Gnllherae de Rarros. compra, rende e
joca effeoUvamentescravos de ambos os sexos
-de todas as idades: a' rna do (operador o. 79,
ereeiro andar.
Keedas tfc oaro e prata.
Compra-se sempre por mala do-que em cetra
qoaiquer parce todas as cualidades de moedas de
onro 6 prata, nacional strangeif a, e tambem s
troeaai redlas dos ban&ss do Brasil e caixas ti-
liaes o> outras f rnvincias; oa roa da Cadeia do
y.ecife c. 28 -luja de azulejo.
Compra-se
por mais cambio preeo do qne em octra qnalfjuer
jiarte moedas oaro e prata nacionaes e e.-tran-
gelras ; Adriano, Castro C, roa da Cadeia o. i&,
At'varo Aognsto de_Alro*Wa, roa do Crespo a. O.
i! OR CNT07~"
% paga pjr prata nacional e estrangeira oa
Joja i ourives no arco da Conceiflo oo Reclfe.
AT FM3UC AOn
Na ra das Cinco Pontas o. i$2 compra-se urna
scrava m-^a qae salba cozinbar e engommar.
Ouro e prata
Comprara se soberanos a i (#500, moedas brasi-
leras a 25000 e prata a 12 por rento : do esenp-
torto de Gon(aio iit Alfonso, ra do Torres n. 18,
janlo ao telegrapto elctrico. _________
Moedas de ouro e prata
So armaxem de Augusto P. de Oliveira & C,
roa do Trapiche n. 42, pagam-se a precos mais ele-
vados do qne oa cerrentes no mercado.
Novas chapelinas
de lina palha da Italia.
A Aguia Branca, a" ra do Quetoiado n. 8, rece-
ben um novo sortinMoio de bonitas chapelinas de
boa palha da Italia, ornadas com delicadas flores, e
como sempre a Agola Branca as vende por presos
commodos. ___________
(Jhegraui tambem
os novoe coques que multo teem agradado pelos
sens bellos de*euhos, e perfeita eiecucSj o'obra.
Assim como igoalmente chegaram bonitos port-
bonquets deorados com cabos de madreperola.
i Agoia Branca, a' roa doQaeima-
do a. 8, vende ;
Fis para acbas de jues de par, delegados e
subdelegados.
B,tas para cavalleiros da Rosa, Christo e Cru-
zeiro.
Venderse
Miibo 0*0 em caceos grano: na rna do Amo-
rta n.56.
Colchas de fusto a 65.
Lencos de cambraia brancos finos a 15800,. cTeixiDbas de msica e reajeijos para meninos.
5 e 255oo a duzia. X^fnL!"^^"."""f V^SS:....
Lencos de cassa fimssimos a 35200 t
3560U a dnzia.
Fil de linho liso a 8oo a vara.
dem com salpicos a looo a var
Grosdenaples preto bom a 158oo, 25
258o o covado.
Morantiqoe preto superior a 258oo o co-
vado.
i.arrinbos de qnatro rodas para conduzir crianza
Bonecas de massa, de cera a de porcelana.
Bercos e camas com cortinados para bonecas.
Cibrtolt-ts e cavallinhos de madeira com machi-
L-mo para meninos de 3 a 8 anuos monlarem
Rices albitas
de velludo e de marroquim para retratos.
Esterescopos
com lindas pbotographlas transparentes.
Estampas
Flanella de todas as cores a 800 rs. 0 CO 'de figuras, paisagens, cidades e de santos.
Attenco.
So es^riptorio de Antonio de Almei da Gome
ra a Cruz n. 23, aadar, vndese : '
Vioho do Porto engarrafado, em caixas de azla.
Sardinbas de Niales, em quarto de lata.
Salaa-uarrilba de ao(are>.
Agua de Florida, em caJiiobas de dozia.
Cal de Lisboa, em barris arqueados de ferro
Um cylisdro novo para padarfa.
Balan^os
Urna pesioa qae ha lempos a esta parte trabalha
em eompanhia de nm dos mais afamados e abaii-
sdos guarda hvros, enearrega-s, mediante nm
ajaste razoavel, de fechar balaocos, e de fazer
quafqner trabalho de escriptaraco, seja porqoe
systema f .r, nao recebeudo paga alguna em quanto
o trabalho nao ettiver prompto, t vontade de $eu
dono : quem precisar procure na ra larga do
Rosario n. 48, I* andar, oa por meio das iniciaes
A. R.
Aluga-se
Urna eiceileote casa no logar do Mootelro com
bom jardim porto do rio Capibarlb*: a tratar oa
roa do Crespo l.ja da e?jnin c. 8.
VENDAS
Vende-se nm bom piano de mugoo de ezo.i-
ientes vozes, tanto para etecoeao' eomo tem a pro-
priedade de fawr bom acompaotiamento para can-
tar : a tratar na ra do Filar, em F6ra de Portas
o. 37.
Veodem-se cadeiras de piobo de tbeouras
amencnas, proprias para estabeleeimentos ; na
rna do Eacaotamento o. 4.
Vende-se nm bol manso, acostumado a Ira-
balbar com carroca on carro : para tratarse na
roa do Pires n. 36.
Mho em saceos grandes a
3,000 rs.
Na rna do Amorim n 45.
Vende-se a casa terrea n. 66 sita a' rna Va-
ina : a tratar na rna do Rosario n. 58, em frente
i' rna do Arago. __________
Vende se a taberna da rna da Cacimba o. 2,
eom frente para a rna do Vigario, mnito afregue-
xada, e eom poneos fundos propria pira nm prin-
cipiante : pijar pa mesma.
Luvas de Jouvin
*- lJ* da Aurora, na roa larga o Rosarlo n.
38, pertenceote a Manoel Jos Lopes & irroo, re-
ceberam luvas de Jouvin branca e ae cures para
homrns e senboras.
Jlilhonovono trapiche do
Cunha
SSaeeos de 20 cuias a 3*200.
Vende t nm bom hol da carroca : na ostra
da nova sitio da viava Villa-seca.
Vende-se nm sitio na pnvoacio da Vanea,
btm planudo e lendo mnitos aivoredos fructiUres,
com casa de vivenda de madeira, multo proprio
para se pasear a fasta, por ur mnlto prximo do
to a ter breve de passar os trilboi de ferro da es-
Irada de Jaboatio ; vende se por preeo muito rom
modo : uau-se rna Direiu n. 8, c a oo mesm i
tti) eoar 1M R 4rl|e( Campailo.
vado.
Tarlatana de todas as cores a 8oo rs, i
vara.
Bramante de linho com 10 palmos de lar-
gura a 255oo a vara.
dem de linho com 5 palmos a i-.co ;
vara.
dem de linho com 3 1/2 palmos a 8oo
vara.
Riquissimos basquins a 255000.
Assim como outras muitas fazendas qot
se vende por menos que em outra qualquer
parte, e d-se amostras de tudo,
Bales de 2o, 25, 3o, 35, 4o e oo arcos
para senhora a 25,255oo, 35, 355co 45 e
55ooo.
Ditos de 25 e 3o arcos com mollas a 55
e65.
Ditos de murculina estreitos a 65.
Espartilhos finos a 65.
Percalias finissimas a 4oo reis o covedo.
Milho novo de Mamanguape
Na roa do Amorlm n. 58.
JOBPUL DAS F1MILI1S.
rublieaca illastrada, artstica, recrea-
tiva, etc.,
ornada de flgurinos, gravuras, pecas de ma?c;,
moldes de vestido, e em geral de todo quanto
concernente 4 trabalbos de senboras. Sabe urna
vez por mez. Assignatura por nmjanoo de jaoeiro
i dezembro 12*000.
Livraria franceza, ra do Crespo e 9.
Loja do pssoTua~do Cres-
po d, 7 A
Grande quantidade de cambraias de or pelo di-
minuto preco de 300 rs. o covado, lia para vesti-
do as mais modernas que ba oo mercado a 500 rs.
o covado e ootras multas fazendas que tudo se
vende por manos do que em ontra Iota : so oa lo-
ja do Pasto._____
Veode-se um offleiaUto e abito da R isa e um
dito de Cbristo por barato preco : na ra Nova
n. 63.
Vende-se a casa terrea n. 61 da roa Velha e
o pequeo sitio da Capnnga, com osa de vivenda
defroote do sitio do Sr. Paulo Jos Gomes : s. tra-
lar na roa Nm loja de ferragens o. 31.
Oleo derieiao
Moldaras donradas
de diversas larguras para qoadros.
Abat-jour
para candlelros e lanternas de piano.
C' sonora mas
grandes e pequeos com 50 ou mais vistas eco-
Ibidas a' vontade, muito pittorescas.
Chicotes para passeio
mnito Gnos de baleia e cabo de marfim.
Realijos
pequeos, de qnatro e seis pecas de mnsica.
Aecordions
e concertinas, o que ba de melhor neste genero.
Para presepes
figuras para ornar presepes, casinhas, animaes,
pastores, e ootros muitos objectos proprios.
Atteocao.
Nao sendo possivel meociooar-se aqni todas as
qoalidades de calcado, nem todos os artigos de
quoquilharlas, e muito menos da grsnde varie-
dade de novos brioquedos; pede-se ao publico nm
paselo_a este estabeleciroento, certo de qoe en-
contrarn bastante paciencia para bem escolberem
o que desejarem comprar, e precos baratissimos
em virtuJe de haver em todos estes artigos grande
quantidade, e terem sido comprados mesmo na
Europa pelo dono do dilu eslabelecimento, arma-
zem do vipor, ra Nova n. 7.
Oleadafara mesa
de mnlto boa quaiidade, novos e bellos padroes: no
armazem do Vapor, ra Nova n. 7.
Luvas de pellica.
Novo sortimento de lovas de pellica de jonvm
branca?, pretas e de ootras bonitas cores para bo-
mens e senboras : no armazem do Vapor, rna Nova
k AGUIA BRANCA
Per conbeeer a inOaencla qne costuras taver
em todos os antxs, por esse lempo, e per ver o
quanto se dt-seovolve e appora-fe o bom f o-to em
Pernambuco, ella joe tem sempre em vistas agra-
dar, e sinceramente bem servir a sua boa fregoe-
zia, antecipoo-se em maodar buscar es differentes
objectos de gosto e fantasa, que agora mesmo aca-
bara de chegar.
Que a loja d'Aguia Branca, com especialidad",
on le primeramente se enecntram qoaesqu-r des-
ses objeetjs de novidide e moda, Isso esta' gerai-
menie recoobecidn; mas ain-ia assim a Aguia lo-
ma corro por dt ver .-cimiilirar ao bello seto, em
particular, e ao respeitavel publico ero geral, sero-
MB que como agora, recebe os Iropc ranles objec-
tos que abaizo menciona, e por mais essa fei el'a
lotoa a liberdade de pedir a alteogo das Eiffi"
apreciadoras do bom, para os novos e bellos orna-
tos que f rriam nm lindo e rieoloillit
Nao eertamenie com urna mal aparada penoa
d'Agul, que bem se [de descrever o bom gosto e
deseropenho ae taes obras, sim, a propna intea-
agencia d'uma ezcelleotisslma, que bem podera'
apreciar o alt grao desses perfeitos objectos, tai-
vez os primeiros que oesse genero tenham vindo
oli nosso Pernambuco.
A Aguia Branca, rara' apenas conhecer os ob-
jectos de qoe se compoem esses novos e bellos or-
natos. Em nm bello cario vem hbilmente arran-
jado, oru moderno cinto de fila de setim en acba-
malotado da largura de 7 a 8 pollegadas, nm bai-
lo leqoe de madreperola, um par de luvas de pel-
lica, ramos de finas fiares para o ceque, peito,
goarnico para as luvas, etc., etc., e finalmente
urna almofadlnba de setim com aromticas pa-ti-
Ibas em p.
Alem disso
Estao em ordem do da as novas e bellas trancas
de fiua palba de Italia, e ootros differentes enfeites
da mesma quaiidade e proprios para vestidos de
l, chapeos de senhoras e meninas, refta soroente
qoe os pretendentes comparecam na loja d'Aguia
Branca na roa do Qoeimaao n. 8.
Diversos objectos
de gosto e novidade, vlados
para a Aguia Branca rna
do (acimade n. 8-
Eofeites de fl res, obras de mnito gosto, a ultima
moda, proprios para bailes, casamentes e pas-
selos, etc., etc.
Meias cbapelioas de diversos moldes, e mni
bem enfeitadas, com veos e sem elles.
Ricas capellas cem veos e sem tiles para noi-
vas.
Outras brancas e edr de rosa para meninas.
Cintos com fivella e fila branca para noivas.
Ootros de pontas e sem ellas, pretos e de cores.
Ootros mui ricos e de variados moldes e gostos
e de diversas cores, com grades de vidrilbos e pio-
gentes.
Para enfeitar vestidos e basqoiaes.
Bonitos bicos de bloode, com vdrilhos e sem
elles.
Bonitas rendas de dito, tambem com vidrilbos e
sem elles.
Trancas pretas de vidrhos, com variedade de
larguras e de moldes os mais novos e bonitos.
Outras de cores tambem com vidrilbos e confor-
me as pretas.
' Ootras de seda com vidrilbos esem elle?, e-de
diversos desenhos, crese larguras.
CordSes preus e de cores, grossos, e fios, com
vidrilbos e sem elles.
As novissimas e bonitas trancas de fin palha de
Italia.
Ramos, lacos, cord5es e outros diversos enfe:-
tes tambem de palba e proprios para vestidos, cha-
peos, etc., etc. ,
BoiSes pretos e de oatras muitas cores, cem
pingentes e sem elles.
Outrcs de palha tambem com piogentes e sem
elles e todos < afeitados com vidrilbos.
Ootros de fusto, brancos e amarello?, e al
mesmo marcas de madeira ovaes para cobnr-se da
cor qae se cjuizer,
Flores.
Um bello e completo sortimento de ramos e de
flores finas, rosas camelias, Alexandrias, ele e
em todas es-as flores se nota o apurado gesto e
perfeita Ira lacio, onde se coobece que nesse gene-
ro nada mais ba a desejar.
Bonecas.
Um novo e bello sortimento de elegantes bone-
cas de p de pedra mol bem vestidas, e exce-
lentes para presentes.
Outras com rosto de cera e igualmente bsnits
mas nao vestidas.
Filas lavradai e lisas, tendo nesta?, de menor
largura at a de quasi um palmo, e propria para
cintos.
Ootras de s la de cores para debruar-se ves-
tido.
Obras de poreebna e p de pedra.
Bonitos jarros, e boqaets feltos de p de pedra,
obras de mnito boro gosto para sallas, e santua-
rios.
Cooxas de p de pedra com fignras dentro,
obras mui bonitas e de go:to.
Eotre essas obra?, iem algnns jarros com pe-
queos defeilos, por isso vendem-se baratamente.
Essencia de rosa, outras concentradas, finos ex-
tractos, e pomadas, etc., etc.
Emquaolo a' perfumarla todos sabem que a
Agnla Branca tero a primasia, adquerida com o
vender con?lantemente fios extractos e de agra-
davels ebeiros, pomadas de finas qualidades e es-
collados odores, agua de Colonia, sempre da me-
lhor, e assim tudo o mais, qne enumerar se torna-
ra eofadonho.
Cnmpre pcls, qne, quem qnizer ser bem servi-
do, se dirija a' loja d'Aguia Branca a' rea do
Quoimad o. 8, que alem do grande sortimento do
bom, achara' iofalllvelmente o qoe se torna sem-
pre precisoagrado e sioeerldade.
S I -2
I i
ais I
T
I
m r
cu tT. a to _
0*0 =1 S
g e>at 8 a.g-0
a "1 9 Ltri w -=' *
iE||!l!fl
ff!|l|Pis
g"" c
03
s!1?p
8ri2 i 9
I -B05SS^2.
5?
-gBa
-m
O a

5'
Vende-se na fabrica da
S caes do Ramos.
iravessa do Carioca n.
Milho em sacos grandes a
3000 rs. o saoco
No caes da AKaudrga, armazem de Tasso Ir-
mies.
Cal de Lisboa em barra a 3*000, assim como
orna porfo a granel a iJiOO o alqaelre 1.' J a'
1/atu na ra da Cadeia n. 2 andar.
Francisco Jos Germann
|RUA N0VA-N. M,
acaba de receber na lindo a magnifico so
timeoto de ocolos, lunetos, binocnloi, do o
timo e mais aparado gosto da Enropa a oct
los de alcance para observarles e.'pai 1
mari timos.
Novidade
para presentes, bonecas ricamente vestidas a rue-
da actual e cabellos amarrado tambem ao oltlmo
gosto o melhor possivel escomidas na exposicio e
chegada? ao armawm do vapor roa Nova n. 7.
a
i
a-
o
2
a*
%
.
Mll'll9 Si
8S
Rlfl *
A

efi
o &
9 1
i
11 f *T5
.- s s
s
Ci.
liquida?o de calcados.
Eu do Imperador n. 32,
Na rna da Seotala rcocbelra ingleza) nm ex-
cedente barro para carro e viagem, a multe novo:
fjaem o pretender dlrija-se *, aeima, cocrtelra.
Coadeeorafles
ebegadas no vapor inglex tSelne, 'a sortimento
na loja de oorives de Jote J. Goncalves Barros 4
C, ina do Cabogi n. I, esquina da roa larga do
r>hbii&
Bonegolos de beierro para homem
Ditos de lustro para bomern.
Ditos de cordavao.
Ditos para seobora enfeitados.
Ditos para meninas.
SapatS*s d beierros-
Boticas brancas pata seobora.
Bnias pequeas para roonuria.
Beu grandes para moauria.
74000
6*000
8*00*
SJ00Q
31000
3*500
5*000
18*000
25*000
Erva mate.
Na praca 4 C| tent n. 17, 1- andar, ba pa
ra vendar eren aak mu ito nova. Calda Lisboa
oltimamaMe cbat*4a.o areco commodo.


^
tarto de Peratakie* eita letra de Dczeaakro de 1867.
H
!
TTT
DO
R. *15YI AL.

1
Para o tratameato e cara rpida e completa das molestias syphiliticas, eris-a
as, rheumatismo, bobas, gota, debilidade do estomago, infiammaces chronicas do ligado
ibaco, dores sciaticas, cephalalgias, nevralgias, ulceras cbronicas, hydropesias, pleuri-
as, gonorrbeas cbxouicas e em ge al todas as molestias em que se teaua em vista a pu-
ificaco do systema sanguneo.
Coalderac5e gerae
A saude um bem ioapreciavel, cuja importaucia e valor s est reservado ao ens
rmo o avalia-k.
incontestavel que o homem oeste mundo constantemente, e por todos os lador
lacado per urna infinidade de agentes morbficos que todos tende, dadas certas e deter-
minadas circunstancias, a alterar o regular ejercicio das funcces orgnicas, resultaobo ]
pesse desequilibrio o que se chamamolestia.
A molestia nlo mais de que a desvirtuado das forcas vitaes, occasiooada,- d,j
(ando as investigacoes e experiencias dos mais abalisado mestres da sciencia, pela depm-;
acio dos humores geraes, consequencia da accSo maligna desses mesmos agentes morae'
icos introduztdos no organismo pelo acto da respirado, pela via digestiva, pelo contacto 1
.inmediato etc. etc. etc.
A sypbilis infelizmente tem sido a partilha da humanidade, e como fra de dvi-!
la que esse terrivel Proteo da medicina urna molestia hereditaria, ella tem sido obser-
vada em todas as idades, e debaiio de todas as suas formas to variadas, enfraquecendo
;onstitnic3es robustas, prodazindo mutilacoes, e cortando ainda em flor da idade vidas
preciosas.
Eliminar da economa esses principios deleterios. e purificar a massa geral do
iumores tem sido desde tempo immemorial o fim constante da medicina, e os purgati-
vos flguram em primeiro lugar para prcencher esse desiieratum ou fim.
O Elixir depurativo do Dr. Sevial parece merecer a preferencia sobre todos: os
nunensos successos obtidos pelo uso deste salutar agenie tanto na Allemanha, como em
granea e Italia, o tornara o companbeiro inseparavel dequasi todos os doentes.
Sendo as melestias, como cima dissemos, devidas s alterapSes dos humores, o
ZUxir depurativa do Dr. Sevial pode ser empregado ventajosamente na syphilis, erisy-
pelas, rheumitismos, bobas, gota, debilidade do estomago, infiammaces chronicas do
jado e bago, dores sciaticas, cephalalgias, nevralgias, ulceras chronicas, hydropesias.
Lourenco Pereira Mend s Gumar3es. lendo de dar balanco em suas lojas de fa-
feorisias, gnorrheas chronicas etc. eem'geral em toda7aTmoles"tias em que se'tenha enda no fim do anno e teDdo mu la fazenda em ser, por isso resolveu fazer urna gran-



mx
PREPARAQOES FRREAS-MASGAHICs
imovitu MU MiUMU B MDlCIflA
DE BURIN D BSSON
. humtutia, guuU ftk kttmia m tttkm k tm
O Atente professor Tmcssbao, o ultime, edtf d* ee Tratado i Thsra-
pmtic* Matma medica, reconhece que ee. hmajuout j'raples slo moitas
VMM inefficaze para corar u molestias qae team por cauta o empobrec ment
do aangae. Maitos mdicos dos mais distinetoe attribuem esse mi o xito a ausencia,
B'eeaM preparacdea, do man gaese, que se aeba no sanpue, como o tetn reconbecido
os ehimicoa oa maia peritos, sempre iamamenw mudo com o ferro. '
K' poia, preatar-senm verdadeiro servico ao* S" atedkoa, cbamar-ee su attenafio
obre as preparacoes segniatea.
1 P fprrP minnaniene <,>Ddo immeaUmenU urna apta, acidilada,
IW .UTO HHUgaDlCOS agradavel, aub.tuifldo com vanugem
economa u aguas miaeraea ferruginosas.
2 Punas e lirope de ietato de ferro e de manganese inal lemeis
conteado eada na cinco centigramos de iodarelo de ferro manganico indicadas
partiealarmeBU naa moleatiu Tymphaticu, escrofulosas, a ou cbamadaa cta-
croaaa a tnberculoaas.
hum e UeUto de ferro e de nese) ffS.S,^
Pilnlu de carbonato frreo manganeo I t&lTi^
alternar satas das preparaoBea di os melhores resaltado*.
O 9 Inria di Boissaa deeejaade obles a adbeslo completa de publico me!s a
crea do valor de suu preparacoes, previas qte eOe as p8o graiaitaaenu a asa
dispoaieio, dirigendo-M;
sf rinsuiut, a sea agente garal, Maarsr t>, pbaraaeaatieea, rae Nora.
0 cordeiro previdente
Na antiga loja de miudezas a ra do Quei-
mado n. 16.
Tendo sempra em vista nao roabar o tempo aos
tea* Iregueies, couo. exiaosos aonuoctos ; mas
Umbem nao quereodo qae os mesmos (regoeies
Ignorem o que e noo tem elle recabido, por Isso
r^uuiiilanwoie o dir': r.hegando asslm ao eo-
obeciujenio ile todo que a lila loja de.:efdeiro
PrevideDte, roa do Queimado n. 18, laeeban o se-
goiote : -
Bonitas o doradoras linas de pellica para meias,
tanto para senburas como para meninas.
Leques de diverso e modernos gostos.
Peutes com enfeites duurados e nao dourados,
para meninas.
Coques simples eenfeltados, moldes Inteiramen-
te novos.
Bom papel em calimbas Uso, panudo doura-
do e timbrado, e outros ujuitos objdos, qoemen-
ciooa-los sena bastante enfadoobo, e que se ven-
de em dita loja de miudezas do Cordelro Previ-
dente, ra do Queimado o. 16.
Nao faltan Aeres,
O Cordeiro Providente a ra do Queimado n. 16
tem constantemente um lindo sortimenlo de fi-
nas e bonitas florea, por iseo qoando alguma na.
bilidosa joven quiser preparar qualqner enfeite de
bello gosto deve logo lembrar se qae ha dita loja

iinimiiiiiinn
Vende-se na pharmacia de P. Masrer 4 C, ra Nova.
pirfoest:
Fabrica e fundiedo de bronz
t outros mttaes, caldeireiro,
laleiro, e funileiro, situada
na Soledad*, la do Prin-
cipe n 3, e com deposito na
ra Nova n 38, da cidade
do Recife
DE
BRAGA &S&MPAI0
Fabricam-se ueste- importante estabeleci-
mento todas as obras concernentes as artes
respectivas como sejam:
Alambiques de todos os taannos em
feitios, os mui acreditados ;aparelhos de
Derosne com as dimencoes delicadas dos
fabricados em Franca.
Fabricam-se avulsas quaesquer pecas des-
aparelb' s, como sejam o dilalador, ratifica-
dor e condensador, oa esquema garapas,
resfriador, serpentinas interiores.
Fabricam-se bombas de todas as dimen-
do Cordeiro Previdente, a ra do Queimado n. 16, ^g e qpalidades, pelo systema francez OU
aao '* paraMlejar os dente i ame"ca<\ PIe8- de P"*o, repuxo, e
O cordeiro previdente a roa do Qoeimado n. 16 0 especiaiidade a estncanos 1 assm -p
receben do bem coobecido fabricante Jnb Gos-, nominadas pelo enorme VOlume de agua
;nell & C ama, ptima qoalidade de pos para den- que absorvem calculada em 100 pipas por
hora, e dasquaes algumas estao j.-romptasa
serem experimentadas.
Existem bombas por este systema, me-
nores, para regar sitios, garantindo-se n3o
s sua dnracaocomo a grande quantidade
de agua que fornecem pelo qne s3o cutis de-
radas boje as primeiras bombas conbecidas.
Todas as mais obras se fabricam \ nta-
te com os cintos modernos do mesmo formato, por I de dos freguezes e a seu capricho,
isso para poder enfeitar-se com gosto qnalquer Existem sempre promptOS no deposito in-
vestido e .ndispensavel comprar-se ditos enfe, Js I dJCjdo fla ^ ^^ ^ nm ^^
*
%
purificaco do systema sanguneo; pois que nma pratica constante tem feitojde liqud*c<\ que ter principio no dia i at o
le ndispensavel nos casos gravissimos para minorar os soffrimentos, pre- Arara, ra da Imperatriz n 56 e 72.
,a cura a conse-
jm vista a
er que elle
parar o doente para medicacoes superiores ; e as menos graves
{uencia do seu uso, convenientemente repelido.
As substancias que entram na composiclo do Elixir depurativo do Dr. Sevia
jertencern todas exclusivamente ao reino vegetal, e grande cathegoria das substan-
;ias depurativas e antisyp-iiliticas; assim, ao passo que este remedio depura o orga-
jtsmo, eliminando os principios nocivos saude, pelo mecanismo natural das evau-
icas alvinas, neutral isa ao mesmo tempo o virus syphilitico quando este virjem.
.em feito erupeo bo exterior debaixe de suas multiplicadas formas; e previne taoi
m os estragos dessa terrivel molestia, quando por venturas ache ella ainda no
sstaoj de encubage, isto sem se ter manifestado sob formas esternas: beneficio
nmeeso, taato mais quanto ueste estado os individuos igaormnicompletamente se es-
to ;ontaminados por este terrivel inimigo.
O sabor agradavel d'este Elixir convem a todos os-^estomegos, a sua accSo so-
)re o tubo intestinal suave e benigna, e de nenhuma forma prodaz molestias medi-
amentosas, como acontece ao purgante dito Le Roy, que na sua qualidade de dras-
ico forte irrita a mucosa intestinal, e consecutivamente a seroza, resultando deste es
ade umitas vezes, hydropesias, que quasi sempre lermioam pela morte (!o doente.
Assim pois esperamos que o uso deste remedio justifique cabalmente as nos-
as jjseveracoes, porque sendo um medicamento tao simples oa sua composico. s
J.-atica tem confirmado sua utilidade.
CJaico deposito em Fcruaubi?. ...
fim do mez, as lojas e armazens da
tes aromatisados com eanfora qae realmente tem
merecido todo eonceito porque nao s alveja per-
fetamente os denles como tambem conserva-os
sempre no melbur estado de perfeicao, assim pois
queiram vir comprar ditos pos na mesma loja
do Cordeiro Providente, rna do Qneimado n. 16
Enfeite com pona.
O Cordeiro Previdente receben um lindo sorii-
mento de enfeites com ponas para vestidos, tanto
de seda como de laa que combinara per fe i lamed"
timento de obras solidas, bem construidas e
Peehiaehn tu chitas a 160 rs.
Vende-se chitas para vestidos a 160 e
200 rs. o covad'\ c*ssas Irancezas a 240
2S0 e 320 ts o covado.
S na Arara, ca.nbr hs a 2.) n eorte.
Vende-se cortes de cambraias de barras
Curtas d laisinhas a 15, lkiOO e SfSOOO
Venie-sa cortes de ISasinh s de cores
para vestidos com 14 covados a 4# 5)5.
Alpacas de listas de teda a 800 rs. o corado.
Vende-se alpacas de lista de seda para
vestidos a 8oo, 52o, 5Co e 5oo rs. o cova-
na mesma loja dt Cordeiro Previdente,
Queimado n. 16.
Chapellnasde seda a preces r.soaveis, como sao alambiques,'
Modernas e bocilas ch*pelinas de seda para se- serpentinas, taxos, passadeiras, repartidei-
nbora receben o Cordeiro Previdente rna do Qoei- ras escumadeiras, COCOS, CandeiaS, e muilOS
^^SUSSfUl&tS[ Prep/ios para engenhos,
cbapelina deve aprecar-se em mandar compra-la Como sejam mancaes de bronze, parafuzos
em dita lija do Cordeiro Providente a ra do para rodas de agoa e OUtTCS.
e listas a -j, 2,5 >U e 3. coi tes de cam- d, orgaodis branco e muito fioo a 13, a
Na botica e drogara
DE
Barthotomeo Companhia.
34-RUA DO ROSARIO LARGA34
NOVO DEPOSITO
DE
MACHINAS
?AM OESCAROCAR ALGODO
Manoel Bento de Oliveira Braga.
53Ra Dlrelta .53



Neste estabelecimento se encontrado a
verdadeiras machinas americanas chegadas ultima-
mente, as quaes sao feitas pelo mais afamado fa-
bricante da America, por isso avisa a todas as pes-
soas que precisarem comprar, de se dirigir a este
estabelecimento que comprar5o das mais perfeitas
neste genero, assim como mais barato do que em
ontra qualqner parte, por isso que se recebe por
conta propria, bem como cannos de chumbo e moi-
nnos para moer milho, e grande sortimento defe-
ragens e miudezas em grosso e a retalho.
Facas de cabo Dranco de meio balanco a i#
a duzia, limas finas de todos os tamanhos propria
de trabalho de &nltnra.
ti raa boi dados a 3 _u, i;>. e 5j$.
Uussuliiias de cores a jQ'i rs. o corado.
Vende-te on.ha;.tinas e mussulinas de
cores para vertidos de seohora a 500 rs. o
covado.
Cbitas fraocias largas a 240 rs. o covado.
Vende-se chias fraacezas largas a 240,
280, 320, e360rs. o covado, percalas fi-
nas a 400 e 500 rs.
Organtlis de quadro de cores a 320-rs.
Vende-se orandis de quadros de cores.
paravestidos a 320, 360 e400 rs. o covado.!
Las finas de lista a 400 rs.
vara.
Laisinhas para reslilos a 200 rs. o corado.
Vende-se lasinhas para vestidos de se-
nhoras oo, 24o, 3?o, e 5oo rs. o covado,
barege de listas a 2o rs. o covado, mos-
sambique com pilmas e listas de seda para
vestidos a 28o rs. o covado.
titules de renda
Vende-se chales de renda mnito pretos
a 4500 e 55, nton las de liuho a 5# e 60.
Reupa feita nacional.
Vende-se palitos de alpaca branca e^de
Vende-se la.intias de lista de cores para cores, proprios para os das de festa a S&'ioo
vestidos a 400, e 500 rs. o covado. e 4$, ditos pret-s a 30, e 40, dem de meia
Madapolo do Arara a 40 cazeinira 3^ooo e 4#, idem de casemira pre-
Vende-se pe? s de madapolo fino e largo ta e da cores a 63, 83, e lo#, calcas de
a 4(5, 5,^, 6, ?f$ 8fi e lOd, a ppca al^o meia casemira a 2^00 e 35, idem de case-
daosiDho em pecas encorpado a 4-5, 5000 mira a Q$, e 81$, colletes de casemira a 30,
i ,5500 1& e 80 a peca. e "
100.

FVBRICi M ClhPt DE SOL
*-.


DE





9I1DAM I FALQUE.
EAe estabelecimento acaba de receber de Paris urna rica colleccao de chapeos
le sj! le sada, de alpaca e de algodo, com armafoes de balea, de ferro e de junco dos
no'hc. s *>sto? e fabricantes, que vende mais barato do que ootro qualqner estabeleci
>, pTir ?erem fazendas viadas directamente.
!gn-!mente tem fazendas de seda, de alpaca, de algod'o e de linho par cobrir
'41., s .'I, ludo de boa qualidade e por preco commodo.
E'Oarrega-se dequal^uer concert, com presteza, seguranca e garanta.
-----------------------
.


" p
-
OIDAfitO DE FAZEjVDAS
Por baratos precos.



Fundiedo d\Aurora en>
Santo Amaro
Completo orllmfoli d laixas batidas e rundi-
das, alambiques d* lodos os 1 .maullos e fundos u>
dMos, moend is de tudos os tamanhos de supario;
qualidade, crivos e boceas 4a ornalha. o q'ua tul'
se vende porcomm"do pre?o.
Lindas muito lindas la a hOO ris
caviide
Vende se na loja uo Airara a' ra do' Crespo n.
20 B.
Cfregou afinal
A poaaila galopean
para cura rapiJ.i < completa 4os callas duros.
VB^E SK NA
Bdtica e dragarla
Bartholomen C.
34Roa larga do Rosario31
Comiccoraccs \
A bem conhecida I ja de jolas da Moreirs &
Duarte, a' ra do Catinga n. 7, anab de receber
porgao di- hallos e oflkUlalos da ordttin da Rosa,
e babttos da de Christo df mffcrenles lamanhos
que veode por pregos mui'ratoavi-is, alm dlsn
continua a lur Oiiin.) semine um complcu soru-
melo de joias dos gostos maTs moderos para as
quaes roata com o eoncurto de seos bons (re-
guezt s.
Vendem-se pequeos albuns de algibeira,
para retratos em miniatura, para 6 e 36 re-
tratos, pelo diminuto preco de I^oo ris
cada um: na ra do Crespo n. A, fabrica
de chapeos de sol.
Rival san segundo.
iua do tfcueittiano u. 4L&.
iuer acabar com as fazeuilas al>ai>*
mencionadas.
Quciram vir v.er o que bom e baraissimo,
Toalbas de labyriolho c.m bico, (azen-
da bm a.............
Carretei.s de liaba com 10U jardas a .
Grvalas pretas e de cores inuiio Suas a
Caixas de oareias de massa muito novas a
enfladores para e*pariilbo de cordao e
fita a...............
'Jarretis de li.nha Alezandre com 400 jar-
das a...............
jabnelos mnito fluos a 60, 160, 2U0 e
Ditus de b'j'i'ii muito finos a 240 s .
Y/iadas de nha frosa para bordar a .
Varas de cordo para espartilho a .
entes volteados para regalar cabello de
meutLas a............
?rascos iln maraca' oleo moite 6ho, a .
Abotoadoras muito Unas para colletes a .
Candes de liuha branca e de cores a .
Libra de ?ra preta superior a.....
seovis par (alo, tunada boa, a .
Varas de franja branca de linho para
toalba a..............
Clisas de palito balo a........
Caixas de palitos de seeuraoc.a sem en-
cbjfre a.............
Spbonets de familia a 100, 160 e ... .
Cartilha de doolrina Chnsta a .
QuaderiijN de papel pequeuo superior a .
Ou/.ia de baralbos francazes superior .
Groza Uo pHsptecos o)0-1*0 superiores .
Coxis -i lelalbo do mesmos.....
Caixas de phcsphorus de velliBa ccult-ndo
500 mllinhas mnito saperinres a .
I Re-mas de papel almaco muilo superior .
I Resmas de papel paulado superior quali-
dade ............... 3*600
l Duzia le roeiis para bomera.....2*0('
Duzas Je inetas cruas muilo superiores 4*0o
Queimado n .16.
CaIXINHAS ENPEITADAS.
Estas muito desejadas caixinbas vasias e encel-
ladas com gosto, que tanta extraccaa tem tido e
que realmente servem para diversos flns, existem
na loja do Cordeiro Providente a ra do Queimado
o. 16 um completo sortimento de ditas caixinhas e
sao vendidas per precos to rasoaveis, que o expe-
rit-ote freguez nao objectara' em compra-las em
dita loja de miudea^ do Cordeiro Previdente a ra
16.
Cavilbas, machos para lemes, pregos de
todos os tamanhos e para o forro de cobre
de navios.
_Aprompta-se todo quanto diz respeito as
obras de lato torneadas e polidas com toda
a perfeic5o.
Vlvulas para tanques de banho, torneiras
de todos os tamanhos e quadades, assim
como todos os ornamentos
do Qaea,a^NnTJ.AS E CHARUT0S i como todos os ornamentos para militares,
O Corcelro'Previdente, ra do Queimado n. 16, Dot5es Para farda parelbos para barretina,
tem um bom sortimento de finas ponteiras para nmeros, espheras, espadas, cornetas, alam-
cbarutos, sendo lisas e com figuras em alto rel- padas turibules, caldeirinhas, uavtas, almo-
farizes, perfumadores.
Obras de folhas de flaodres de todas as
qualidade?, bahs, bacas, bules e outros
, utencilios domsticos.
Lampies para gaz para.engenhos, folha
folhas de cobre e la-
3*001
M
otX
i(
t(>
iut
321
32(
2f
21
320
120|
5*1
20
101'
O
l(X>
4C
6(
320
20
2*no(:
1* i>(
i'
160
2*30T
vo ; e para que os seos freguezes nao se Incoar.-
modem em comprar cbarntos em algumas das lo-;
jas de cbaro'eiros, recebeu tambem um bom sort-
ment de finos charutos do afauado fabricaute
Fuado de Simas; assim, pois, encontraro os
apreciadores um bom sortimento na dita loja do j
Cordeiro Previdente, ra de Queimado n. 16. fl -. .y
Para offertas ao Hospital por-J_e Daares em as,
r t5o, tubos de chumbo para encaDameutos de
cera obra de, lo^as as dimencoes, folhas de zinco, estanho
I em barras e verguinha, lancees e barras de
chumbo, vidros finos psra espelbos, de co-
res, bordados, e opacos, e outros para vi-
dragas, diamantes para cortar vidios, cadi-
| nhos ordinarios e de patente, rea para mol-
A loja d cordelr prevldeote dar, folies para ferreiro, lavatorios com ba-
Rua do Queimado n. 46. cas e jarros, trra podre e oulros rumeros
.Sella acharao os pretendentes om grande e va- olijectos proprio de taes eslabelecimentOS.
riado sormeoto de perfumaras finas, taato ingle-. Sendo todas as obras-inspeccionadas e
I feitas sob a direceo do socio administrador,
, Jos Baptista Braga o qnal se acha de novo
i especialmente incumbido da gerencia de t5o
importante estabelecimente, isso urna ga-
I rantia pela sua longa pratica, que tem os se-
inhores fregnezes de que serao servidos a
.contento, com promptid5oe preco commo-
oresentes i do, pelo que os propiietarios Ihe seroagra-
tngnez.
Bonitas cestinbas com [rucias de
muita perfeicao e bom gosto.
Para cortar moldes e en brulhar fazendas.
Vende-se papel pardo folba grande.
Para lustrar cacados.
Vende-se superior graxa econmica.
Vende-se papel para matar moscas.
zas como fraocezas, seBdo :
Finos extractos para lencos.
Baohas e pomadas para cabello.s.
Oleo philoeome e baboza para dito.
Pos hygienicos para denles.
Uitos caropboradospata ditos.
Opiata iugieza e (raoceza para ditos
Pacotes com pos de arroz.
Vasos de porcelona para ditos.
Sabonetes para mao e barba.
E muitos oulros objectos que serc
do Queimado oecidos.
ao comprador que se dirigir a ra
n. 16, loja do cordeiro previdente.
IS -n 'cijas pequeaas.
Vendem-se na roaidojQueimado n. 16. Jloja.Jdo
cor deirot pre vidente.
Charutos
da acreditada fabrica de Jos Furtado de
Simas.
Vendem-sejna loja;dojeordeiro previdente a roa
0 Queimadogn. 16 ^____
_
Cabiiolet
tlencao
C$&- funceas decores'a 240 rs. o^covado.
zas, superior qualidade, -grande variedade de "padrees, fazenda de
;. ava a 30 rs. o covado.
, ~, ^Oftfi ditas mtyto finas a 100 rs. o

D
covado.
b- 1; litas francezas largas de cores fixas a CO rs. o covado.
as de cores com palnicos eeom fl>resj a 320 rs o covado.
- a 1 limas de sedi a 30 r. o J0vad^.#
O listas imitando poil de Gbvre a.400 x%.\.o covado.
: alpacas de cores de duas larguras com listas b com flores, grande va
.. e gostis inteiramente lindos ffazenda de 4 o covado) a 500 rs.
C res de qaadrinhos e A listas*00. rs* a e-tado. 10!'
f. eapas de merm, bflrdadas'e enfeitad?s enm renda preta. '< que
SfW>ra.homhro de senhoflh 8#, 10,? e m cjda um.
i;.i*!-iLles 3 5,-;-, 63 e 7$ a pea. PfvIVOri
de 4 rodas e l cavallo omito superior, ven1e-s
para tratar na rna d Crespo o. 16, 1* andar, pa-
ra ver-se na c"chelra do Paoliab rm de S. Amaro.
Cansas Quas a 2i0 e 320 rs o civadj, basqui-
na- de > :!.i preta a lo* e a ijt} : na rja do
Crespo n 17. __________
Milho novo de Mam^ngape
, No eaes da Alfaodega armatem d.i Panli Lipes.
Im b;m"cv^ de cabriolet
Vendem s dos orvallos (tordos, bonitos sendo
um com lodos os andares para. sel.a e nutro tam
bem bom de selh>: de cabri.lel; -n Santo Aju-
t ao p la faudigo isberai de. Jjs Jacintho de
('arvalbo.
Vende se urna taberna bem afreeuezada para
a trra com comandos para familia e piucos fun-
dos : a tratar na ra de Saol* Rita n 93.-----------
.*-"'oanGS


ftW
No armue-u d pateado Terco n. 12 v.nJera se
canos de t.iJ.i'i s i.rgura-, vidrados o por vidrar,
por prego razoavel, o methor nete genero.
Machinas de costura
No escript'.rio de l'he. Ju-t, roa d" Vigario n.
9, vi-odem-e exci-llentes machinas de costura, l-
timamente chegadas dos Estidos-Uiidos, por pre-
cos moiio commedos.
'Cns; e 'as baratas
Na ruado Queimado u. 31. loja de A. M. Rolim-
vende se muito boas cassas a 240 e 300 .-, o cova,
do, e laas (do fazenda; a 360 rs.
Vonj^-se um cavajlo baratJ, bom andador :
oa rna do Rangol n. 9.
~~ J0RA&
Chagararn SS Paris no llfroo pn^uete commen-
das de Christo e cruz prlencenles s mesmas,
hbitos de Cruzeiro, da Rosa e de Cnristo, com
suas competentes Olas; vende-se por orejo com-
modo na ra do Cabuga, leja dejjias d. 11, de
Serapbtm 4 Irmao.
GR*NDl BAZAR
RA NOVA N. -0 E 22
ha.'


ni
^mtBmumtm

"lansinho branco com 20 jardas a 4| a peca
ouirasmmta fazeadas .pormeaos do mu *aU LOJA DAS COLUMNAS

ab
para liquidar.!
Pars, 36, Ra Vivienne, D"
CHtfpiliyirrJECiNSPijAL
AS EVFERMIDAllAS DES StXUAES, AS AIKEO
COKS rUTANF.AS KJ ".TKRACOES DO SANOUI.
ftjf^^J^f^WySPS 3000<'rasdiim:itigmt,
Sai "j t5 t'iLt i 13 Wuttu, herpe, tama,
3HSS3 i'imixoei, Ocrvmmia, e aU
P'^^?* ^vCfa '"foe.cieiosoji/iH'inju*.
aHi... i*..JL.jJyJ\jJ| vina, alltr-ifott do mib
j:ie (lampe vagetal .-ni mercurio]. BeparaUtsr
TFceia.no HA.viiun xmiiAft tomao-se dov
j>or seir.ar.a. seguindo j tracumebto Depurativo : '
emiirejsi'i as memas molestias.
igualmente os p.uxu t ftortl
*'onru.i Jas aulheres. Esta injeefao b2nitia fue
ro;a-se com e Jaropa de CiMMDi de Fcrru.
DeaaarreldMi. Pomada que a> cara POMADA ANTIHERPETICA
Contra 1 au affeccoe* cutnea comiso**.
FILULAS VEGETAES DEPURATIVAS
i- V Ciaskie, cada frasco val isesaf akade sa'aa
hftrtr
AVISO AOS SRS. MEjSOOS.

Machinas para descarofar algodo. do mt
llior autor que tem apparecido na Americ?
E' tal a esecuflo do machinismo, qne o ai
godSo sahe quasi t5o perfeitocomo o debo
landeira. Recommenda-se a attenc5o' doi
Srs. agricultores, estas machinas.
I Cara caiarrhoi. toi$*t
I COflKur'i.'.: :rr:l.:(6el
llenen:* -.Vi bron-
c/ii^. e iv-'iut us -tornea
lo peilo, ..' 1 ..'i '" nt*
C- CMABLE C& P*m.jrjq* l".'Mf. .
A venda na pharmacia de P. Maarer f
C, em Pernambnco. 1
m gaz m

Rilo do Snino, 61, PAHUS.
.... MSI
fiua da Imperatriz 11.15.
Vende-se manteiga inglezaflor a 800 e l?ooo.
Sal refinado em pacole de 3 libras a 2oo rs.
Oegoo ao antigo deposito de Henry Porster &
1., ra Jo Imperador, um carregamento de gaz d
jrtmeira qaalidade.o qual se vende em partidas
1 retalho por meos prego do qae em oatr* qna I
uar parte._______
Gesso
para e=tuqfles de casas : nos armazens de Tasso
rmos, caes do Apollo.
Vapores.
Vende-se em casa de Sanaders ^Brothers 4 C
o largo do Corpo Santo n. 11, vapores patente.'
om todos os perteoces proprios para fazer movs:
es on qnatrn machinas para descarocar algod^
Vende se orna BPgrinha com 1i annos de
idade, boaiu agora : na roa do Hospicio,-sobrado
n. 82, com pertao de ferro.
,_.w -
t. ab
MI *
^.
o: 1
*aq Ol'
'^'Ktonio flftrreia M Yascon^llos & e
Ra do Crespo n. 13,
iHlWtw mm ,Mh%' itky\ toqv a tb*-i<.r
od X ewlebiwiwc -
t%ui ca i Mtin n t&d> t* mi .~
'
.trtm M*ai #* i*ba *i
. *?aii v-iW .' P6 de tijolln para lina iar facas a 12o rs. ng 0VO1 O\!
Latas com ,p3o de-I a I $5oo. f n
A>eitonas de Elvas em latas a 800 rs.

ioiv c4> 01H*. avoa tb
}tMIV
^lpista ejuicoalfiors.-
Frutas em saldas sonoras a 5oo .rs. a lata.
FareHo de Lisfeoa marca M. a 4^600 e 4#ooo.
011, V
Caixinhas com massas para sopa a 20ooo.
.\ivameote chegadas botas rossianas neroei,
ras da melhor gnalidade que temos visto : na lola
do vapor roa nova n. 7.
B Bdfifi
.
Liagiicas ettrresmos.
Chegadas nllimamenle das Tlhs na barca Pa-
rary, a vender oa roa da Lingueta n. em latas
d- s seguloteg qualidade? cada nma, eomo sejam :
0r PfrWiCM-
Lingnlcas finas.
Morsellas de sangue.
Torresmos.
Coftslletas de vinha d'alhos.

relie tem hl** Uiriarat t> Wj,fc i^r,.
K/fitui^Bfa' "* '",ra
_^_-;g^>^ krtP^rri.acntavel
V W:s> 1- ..rtt.
-u
46 i! ...->.' t
*
Deposito na pharmacia de F. Manrer
C. em Pernambnco.
J cheitti
Cemento rrrrnno : arma* d Tasso Irmios
no caes de Apollo. ______
_ Vende *e lelhas superior e lijlos oe tois as
qoalidades, rubricado com barro d'agna doce por
attoi;
aio) biim 03*14104 ,3 ji wtviHl i.ii w --4ii) : eeoiti |
oa*i t onsa
Briles e picaeiras de Itojnca.
VfDdaa a' roa do Qaelmado Atevedo & 'rmo,' djs-ftsme t
. I
1alV *
menos lt em milheiro do qae em nutra qnalqner
Iparje^; M^^ge Jos Cameiro da {Caoba rM
hitqoej ,h.
it
k i btl
tgli
drvafl
ktiin,
1 aanei 1
Oca ai
I ItBftfl I





-
I
'*


larle 4c rcriaiibcfo Sexta elra de Dezembro de 1867.
ol-tal
Collares Royer
Ob Anodina elctricos magnticos '
Ocpnnlta acreditado
loja da aguia branca roa do Queimado n. 8
Apregoar anda os prodigiosos effeitos dos
Collares Royer ;i-ao nsinar oo querer
Qtroduzir novidade, porque a fama de sua
efflcacia tetn-se tanto estendido, e os seos
feltzes resoltados a tal altara elevado, qoe
boje rara a pesaoa que por experiencia
propria, ou por intermedio de seus amigos
e parentes, ignere oa desconhe :a as virtu-
des desses sempre- preciavois collares
Royer.
A agaia branca porm si gloria de concor-
rer para um to justo fim, se n3o por on-
ro modo ao menos por ter sempre, e cons-
antemente um completo sortimento desses
collares migneticos, que bem se podem cha-
marsalva vidas das criancas.
Resta anda que os senhores pais de fa-
milia se facam convencer [de que conven)
nao esperar que as criancas sejam atacadas
do mal, e por isso necessario oa conve-
niente que cora antecedencia se deite na
enanca um desses collares para assim estar
ella preservada das convalces e se contar
vre dos rigores da denticlo.
A agaia branca ra do Queimado n. 8
contina a receber por todos os vapores

CM

_
.
55
MOTAS FAZENDAS
LOJA E ARMAZEM
DO


& JraL Ir A
.
Roa da Impera tre b. 60

BE
rita do Crespo m. A, esquina da roa do Imperador
Acaba de ebegar [lo vapor Qmenne, om virtadisslajo sortfraenro de fazendas que diram os
oossos correspoodeotes que foram as meihores, as de mais goslos e novidades qoe encontraran) em
Parta, e por isso muilp recommendamos a apreciaco do respeitavel publico, os seguales artigos qoe
s encontr rio oa luja do Pnsso.
Riqoisslmps cortes de seda de ere, eom lindos
matizes completamente novidade.
Llndissimos vestidos de cambraia branca bordados
com gosto.
Micos basquees, primorosamente bordados, e ulti-
ma moda em Parir.
Riquissimas cbapelioas de sda, palfaa a imitado
e enfeltadas com muito gusto.
Coqoes para senboras, sendo estes de ultima moda
, em Parta.
trancezes a quantidade qne ha contratado e Liodissimas gravatinhas para senboras.
por isso acha-S ella sempre provida dos ver- Lindos colares e voltas de vi trllho e seda, ultima
dadeiros collires Royer eletricos magne-'r.uf^h lD,e,ra0Vidid'- ., k <*.
. Uliannhos, punbos e g'avatlnhas de Cbony, c r-
pida o ividade.
Rlqnissimos leqoes de marflm todos abertos e de
ultimo gosto em Pariz ; assim como de sndalo
madreperola.
ticos.
A Aguia
Branca a rna do Quei-
mado n. 8.
Ineontestave'raente na loja da Agaia Branca
onde os apreciadores do born podem rolhormente
Rlqnissimos vestimentas de eambraias primorosa
mente bordados, coa todos os per teneos para
creancas se baptisar.
Ricos vestoarios de cores todos completos para
meninos de 2 a 4 annos.
Mantas de bloode para ooivas.
Moiriannqoe, grosdenaple e sedas preta, branca
de cores.
Rfqnfssfmo8 cintos, ultima moda.
Ricos enfeites para senboras e meninas.
Liodissimas coapelloas de seda e da palba para
meninas.
Rlqnissimos cortes de fantasa para vestidos de se-
otrora.
Lindos cortes de 13a para vestido, novidade.
Cbapeos de castor a canotier, ultima moda para a
rapasiada em Pariz.
Grande deposito de Invas de Jonvio recbese por
todos os vapores grande sortimento.

GAMi St SILVA.
Tendo os donos de te grande estabelecimento revolvido liquidar a maior parte das
suas fazendas resolveram vender com grandes abatimentos em precos, assim como teem
recebido ltimamente urna grande porc3o de fazendas novas tanto inglezas como francezas,
alemaas e soiss*s, teem destinado venderem na6 mais barat que em outra qualquer parte
afina de apurarem dinbeiro, dando de todas ellas, amostras deixando ficar p nbor, ou
mandam-nas levar em casa das exc*llaatissimas familias pelos sus caixeiros; assim como
as pessoas qae negociam em pequea escalla, oeste estabelecimeDto eompraro pelos mes
mos precos que cimpravam as casas inglezas ; ganband-se apenas o descont.
Ultima moda
Belksebapersfntios de aparado gosto para se-
nboras feitos ao capricho de ama as pnmelras
modistas oe Pars e ebegados ao armmm do va-
por rnaJofaiK^^__________________
E' baratsimo a 500 ris o
.cov&do.
Superiores lias para vestido' rom exeelleotes
padroes a 500 ris o eovado, iproveilem arjtes qrt
se acaben : oa roa do Queimado o. 46, loja de
Guimarae & Bastos.

AKeniao'
a

ae ja p >r tantos e tantas vetes recuubeclda anda
i
agora se faz confirmar com a nota dos preciosos
objectos de gosto e valor qoe a agaia lera a satis-
fagao de patentear e pflr a d,sposigo de qnem os
deseje e possa comprar. Ella principiara pelas rt-,
cas caitas com musir e sem ella, para costura.
Essas caixa* p r sua* perfeig5es, gostos e rique-
zas, se tornam recommeBdaveis para algom im-
portante presente, oa mesmo para qaem teora gos-
to de possoir nma bea obra, porque de certo sao
ellas as de maior valor qoe se eocootram em Per-
oatr.baco, ten lo ama qu* sobresabe a todas as ou-
tra'. A'm distas ha ootros de prego* menores, as-
sim como iuiib-m ba b Ditas calxinhas vazias de
madeira, envernisadas e marchetada?, com fecha-
dura e chave, para costara.
Em leqites o que se pode encostrar Je melhor,
sendo:
Todo de madreperola, bordados, obra de goslo e
valor.
Ootros de madreperola e seda, bonitos desenos.
Ostros de madreperola com b rdados coloridos,
obras de muito gosto, e feralmente apreciadas.
Ootros todos de sndalo.
Ootros de sndalo e seda com bellos desenbos.
Outros todos preto* para loto.
Ootros prfio* com desenos roxos, proprios pa-
ra senheras nuvas..
Outro- de sndalo e faia, firmando qaatro vistas
Outros de sndalo e sndalo e seda, para me-
ninas.
Oatro.s de madeira c papel, obra barata
Guaroic's de fitas, ditas de bonitas
trancas para vestidos
A Aguia Braric* recebeu Divamente nm bello
sortim-M las; assim eonxXaaUas de lindas e moderna^ tran-
cas. Os apreciadores do bom comparecam na loja
da Agnia Branca a roa do Qoeimado 8.
Fiuissiiais uiriss de fio de Escossia para erisBeas.
Veudr.-.-*e na rna do Queimado loja da Aguia
Braura n. 8, oude tambem ha cairas multas de al-
g.".d.v> para crianc'.' de 3 a 12 metes.
Hu (i:i i lavas de fi de Es ossia e seda, para ho-
rneas e senboras.
A Apma Branca a ra do Queimado o. 8, rece-
beu nm bom sortimento tipas luvas de fio de Es-
cossia e seda, tirancas e de cores, borlada-, e lisa,
tanto para h m-ns como para senhoras ; quena as
pretener e irijir-se a dita I ja da Agma Brauca,
eonh -T qne en tal gen ro oo se euc nira me
Ibor, c talvei nem mesmo igual em alguma culra
parte.
Requtfes hraneos on trancinhas papa-flna.
A Aguia Brauc acaba de receber um novo e
bello sorlimeo dessas to proenradas iraocinbas
Isto s na loja do Passo roa do Crespo n. 7 esquina da do Imperador.
GKANIffl NO'
AUGUSTO PORTO i C.
11Ra do Queimado11

cnl,^ i.5eS"
soperrorqoalldade eom nm peqoeno tiqUe de av-
ria pelo barato preci de 4#, cb't.s larga de co-
rfs a 240 rs. o ovado, bnm pardo mu to b m' a
600 r*. a vara : na loja de Antonio Jos dos Reb
& C, a roa do Passeio Pobllco o. por baixo do
Tira* bordadas c Bab idioh*
Qaem quizer fazer boa compra de tiras
bordadas oa babadinhos, achara nm grande
sortimento para escolher e por | reco muito
mais barato do que em outra qualquer parte,
na loja e armazem do Pavao, -ra da Impe-
ratriz n 6o, de Gama 4 Silva.
Fazendas para luto na loja do
PavSo
Baldes a 2>, Z&Soo e 3<$
Vendem-se um grande sortimento de cri-
nolinas oa bal5es de arcos para senbora pelos
baratos precos de H, 2tfooo e U por haver
grande porc5o, na loja e armazem do Pa-
v5o, ra da Imperatriz n. 6o, de Gama A
cassaa-a lio ra. so o pavo.
Vendea-se bonitas casas inglezas de co-
res tlxas pelo barato preco de 240 rs, o co-
Este estabelecimento acaba de recebet e vende por commodojpreco as seguintes g# e'lo|, finissimos sobrecasacos de panno a
Vende-se setim da China com 6 palmos de vado, ditas fraDcezas fazenda muito fina com
largura proprio para vestidos a 25 o covado, padroes listrados e de flotes, assim como com
ISazinhaspretasliBaB.alpacascomlistrabrao- P4lminas miudas proprias para meninos a
ca a l& o covado, cassas brancas com listras 3oo rs. o-covado ou a 5oo rs. a vara: pe-
pretas a 5oo rs. a vara, ditas pretas lisas e chincha na leja e armazem do PavSo rna da
com s ilpicos vara a 56o rs. ditas francezas Imperatriz n. 6o de Gama 4 Silva.
com listras e .ramagens vara a 8oo rs., me- B C T UIN P U h
ri preto, alpacas e princezas, raats barato _. rCuniliLriM
do que era outra qualquer parte, na Jota do -1 de _isbo? e?.3flS a 3,> *S8il* como Dm!,
Pavo, ra da Imperatriz n. 6o! de Gana 4 ?oaCo0, lSS^SISS^'' "" "'
Silva- niT _, Cortea de alpaca a sete patacas.
PALITOS DE PANNO A 65 Veudem se cortes de alpaca escora par vesti-
Vendem-se palitos de panno preto saceos dos pe, baratissimo prego de sano o corte,
a 6f ditos sobrecasacos a lojk caifas de ca-,^!^%'?^ ^rua
semira preta a 60 e 75, d.ta muito Anas a


fazendas Gnas
Vestidos de b ond para noiva com manta e capella.
Ricos vestidos de tambraia branca bordadas i qne ha de melhor.
Cortinados bordados e admascados para camas de 2o$ a 8ok
Dito.s bordados e admascades para janellas de 9$ a 2o5.
Colxas de seda e 15a e seda para cama de noivas.
Basquinas modernas de muito gosto de 2o# a 5oj$-
Toa'hinhas de croch para cadeiras e sofs, e colxas de croch para camas.
Chapelinas de crpe branco, e chapeos de palba da Italia para senbora.
Moir branco e preto, grosdenaple preto e de todas as cores para vestidt s.
Camisas para hornera fraocezns e inglezas de linho, e de algodo.
Goardapisa de crinofine para fazer mais elegantes os v stidos de 15a e de seda
a 32o rs. a vara.
Superiores saias bordadas de linho, camisas e camisinha? bordadas e lengl de
e oodernas'camDraia bardada para senhoras, ricas talas brdalas com muito gosto, e lindos ves-
tuarios para baptizados com o respectivo enxoval.
Las con listra> de seda de varias cores a qoe ha de melhor.
Chapeos brancos de castor e ricos chapeos de sol inglezes para homem.
Malas de diversos tamanhos para via.ens.
Panos finos e casen iras pretas e decores e oulras muitas fazendas que se ven-
dem baratissimo.
Este estabelecimento contina a receber as melhores.
Esteiras e alcatifas para salas,
ilt&aa do ttczcicuadoU
PIU O I! li ISO CLIB


m
t4Si
papa-fina, com diversas e agradaveis molde*, e co- aceonrm Pipq f n Armn! ft- C
mo sempre a AguUBrarea a roa do Queimado o. D' IOJa
8 continua a venlerbarato.
tiollinhas e punhos, manguilos e golliohas, obras
modernas e de gtsto.
A A^nia Br:.ca actiise recentemente provida
de bonitas giliiahas e pooh"s cordados, manguitos
e gollmhas'nmiiem bordados, e todo do melbor
gostj e ultima moda, tendo as gotlinbas e pnnbos
moiu-s, ja enfeltados com Qtas eufladas, e" algumas
pequrr. s ar* meo'Ois. Os pregos apegar de com-
mod.s vaiiam cr>m as dlfererrtes qnaHdad is das
obras. Os prelendeotes comparecam na luja da
Aguia Bran:-a a ra do Queimado n. 8 que serao
servid'? a contento.
ntremelos bordados em peeas grandes.
A Aguia Rra-jca a roa do Qoeimado o. 8 est
vndenlo bonitos ntremelos bordados em pecas
grande de 12 tira", e pelo baratissi.do prego de
J1500 cada peca. A randa extracc.ao que elles
lom lldo cunfirmam os diversos os para que ser-
vera, a- im pols convm que a boa frguem da
Aguia Branca aprovelte essr. boa e barata fazeoda.
VeGde-se om bom plano de mesa de Jaca-
randa em perfelto estado : ns ra da Caraboa do
Carmo n. 20.
Ctiegaram pelo vapor de 27 desteme?, riqoisr-imas sbilas de baile, como se
nsam na Europa, todts entufadas de seda etc. Vieratn s seis, por isso recmmendamos
s exc^llentissimas senhoras para se priverem de um objecto de esmerado gosto e que
julgamos nunca ter vindo ao nosso mercado.
No referido vapor tambem vierarnmni lindos enfeites proprios para o mesmo
baile, assim como luvas de pellica de J uvin, branca? e de cores: a ra do Crespo n.
*




'
WB
N. 64-----Eua da Imperatriz-----N. 64.
Kova loja de miat'ezas e artigo- tle mal^s


M
DE

m

SILVA & NEVES.



.=;

."
^




%^ 'Osproprietarios deste novo estabelecimrto i fierecem ao respeitavel ^*
'j^e) publico desta bella cidade, e do interior um lind e escolhiiio soriimento de
*0J miudezas e artigo? de modas, concorrendo para isto o terera na Europa, pes- w&k
:i soas habilitadas a execotarem suas encommendas no que houver de mais no-
'^< vidade e gosto, e parantem vender pelos precos mais ra^aveis do que em-/^
^
i*-,^
GRANDE BAZAR
ra Nova n. 20 e 22
Machinas pa a costura do autor Wheele
d Wilson, i llegadas ltimamente da Amt
rica; as quaes pode cozer-se com don
pespontns, toda e qualquer fazenda, embi
inbar, frangir, bordar e marcar roupa; tudt
com perfeic5o. S5o to simples, qoe codo-
prehende-se fcilmente a maneira do trab'
lho e a pessoa tendo pratica de coser em tu-
rbinas, pode fazer por da o servico que f>
ciam 3o costureiras.
Chama-se este estabelecimento a atter
f5o do publico, visto que elle se acha coa-
pletamente sortido de objectos de gosto..
como bem leques de madreperola e de sar
dalo, Ovelas, fitas para cinto, cokes perft
maria e etc,
Na ra nova n. 20 e 22. Carneiro Viai-
na &C.


; :f outra qualquer parte apar de maneiras delicadas e sinceras.
^a Acabara de receber pelo vapor ffnncez Guienne, os seguintes bel'os
->'% art'gos de moda e fantasa.
Luvas de Jouvin para senhoras e bomens, de tedas as cores*
:,^M Livros para missa cora capas de madreperola etc.
" Indispens:veis e belgas de to as asqmlidades.
Coques os mais modernos:
Espartilhos collares, e cintos de se.da e vidrilho.
'<*& Rendas de Guipnre, de seda, (blonds) e de algodao, de todas as %%&
:^J qaalidades. |l|j
:;*& Completo sortimento'de trancas, fitas, botoes e guarniges de seda 'g*gt
^g com vidrilho e sem elle, gravztinhas de seda, e mangoiios de lustro bordados '
^^ tudo do ultimo gosto de Paris.
Leques de sndalo aberto do mais aparado trabalho
Agua Florida e tnico orientar de Laman & Kemps.
Ricos enfeites e guarnieres de flores para vestido e cabefa.
Calcado para senhoras e menina?.


m
V- :.! -e por prej coomodo urna machina
nova a vapor, porttil, de torca de. seis cavallj- e
de perfeita cuOstraccSo cnffl toda frragem precisa
para mover varias machinas de aigodo oa oouo
qualquer mistar, e bem assim orna prensa ameri-
cana de eofarar algodao, de systema moderno, e
de muua torca 6 a'guDs tooeis proprios para dep-
sitos. A ver tftar na fabrica da' trvessa da Ca-
rioca n. 2, cava o Ramos.
vm i\o v 4 s
A Aguia Branca a rna do Queimado d.
8 reebeu d'aquella bonitas luvas de pelli-
ca enfeitadas, e j bem coohecidas por luvas
a doqoeza.
Perfumaras as memores e mais escbidas de Labm, Pfver, e-Cou-
0& ^ray, em ricos e elegantes vasos de porcellan^, c^st-iberrata ingleza. !
Meias de algodao, as mais finas e melhores que teem at boje-vindo
$w ao roerca,o' Para senhoras e homens.
Chapeos de palha da Italia, e a imitacSo para meninas.
E um sem numero de artigo, de gost e fantazia que s a vista-
^ podem ser apreciado.




20(5 e 25/J, calcas de case-mira de cor a 7,5 e
85, om grande sortimento de coletas de toda
a qualida e e outras mu as qualidades de
roapas qu se vendem mais barato do que
em outra qualquer parte, na loja e armazem
do Pavio, roa da Imperatriz n 6o, de Ga-
ma & Silva.
As salas do PavSo a :t5 00
Vende-se orna grande porcao das mais bonitas
salas brancas com lindas barras bordadas de co-
res, tendo 4 pannos cada urna, >endo fazenda in
teiramente moderna, pelo barato preco d* 3J50
cada urna sendo fazenda que sempre se venden
por muito mais dinbeiro ; na loja e armazem do
Pavo, na roa da Imj eralriz n. 60, de Gama St
Silva.
CASAQUINHOS DO PAVO A 180, 2o
250 E 3o4
Chegaram o mais modernos casaquinhos
ou jaqoetas de grs preto, ricamente enfei-
tadas sendo nos com cintura e outros soltos
conforme se asa ltimamente e vendem-se
pelos baratos precos de I8, 2o0,250 e 3o0,
na loja e armazem do Pav5o, ra da Impe-
ratriz n. Co, de Gama Silva.
Mol e-anlqice.
Vende-se soperh r moire-awique de cor, com
algam tiqoe de moto, por preco mito barato, para
acab-tr: na luja do Pavaj, ra da Imperatriz n. 68,
de Gddia & Silva.
Cam'sl bs a 8.
Veodem-s? as mais molernas camisinhas com
mangjiil s tanto bordados corro de preguinhas com-
elegantes ponbos e bonitas abe ti adoras pelo bara-
to prego de 3J 00 ; na loja e armazem do Pavao,
ra d. Imperatriz n. 60, de Gama & SHva.
p.cliii:chaem casimiras a i$600 sdo
Pavao.
Vndese urna gradde poreode casimiras supe-
riores eDestadas, sendo escuras e alegres proprias
para caigas, poletots, colotes < ronpas para meni-
nos peto baratis-imo prego de IH00 o eovado ou
a 2J800 o corte de caiga, grande pecbincha na
loja e armazem d Pavo : ra da Imperatriz n. 60,
de i, i a & Silva.
\iuaca intuste* coih o palmos a 28-
S o Pa\ao.
Vende-se alpfc.is d>' qoadros sendo pa-rSes es-
puros proprtos para vestidos tendo 5 pa'mos de
largura que tooilita to.erse um vestidj at com
5 eevados pelo barato precio de 280 rs. o covado,
garaolindo se que fazenda que val muito mais
liihrii-i, portanto pechincba : na loja e arma
"m do Pavo ra da Imperatriz n 60, de Gam?.
6 Silva.
Poupelinas para a festa a 320 rs. o covado.
Veude-se nma grande p-rgao da< mais bonitas
ponpelinas transparentes com palminhas bordadas
a la ou quadriohos a iroit c) de fio de seda, pro
crias para vestidos pelo baratissimo pfego de urna
pMaca o covadJ, grande pechiucha : na loja e
arroi-z^m do Palvao ra da Imperatriz n. 60, de
Gama dt Silva.
Lencos para u?5o na loja do
Pavio a 640, 1-5 e i.-iim.
Veodem-se bonitos leog::s de cassa bordados
prnnrios para mo pelos baratissimos pregos d-'
640, 15 e 1,5601, isio na toja do Pavo roa- da
Imperatriz o. 60, de Gama & Silva.
CORTES DE SEDA,
a 280U0 res na luja do Pavo.
Chegaram os mais modernos cortes de seda de
cor erra elegaotes dsefibos claros eescur -, ten-
do moita (ieoda para nm vestido e vendem-sf
pelo barato prego de 3800 res, por estarmo
muitc proiimos da festa, isto na loja do Pava..
rna da Imperatriz n. 0, de Gama 4 Silva.
Beita;;ha de liiilio
Com 30 jaras a I2J000 res.
S o Pavao.
Vendem-se pegas de superior bertanba de llitii
poro, tendo 3 ) jardas oa 2o varas cada pessa pele
barans-imo prego de 12;000 rus, sendo esta fa-
zenda propria para lenges, camisas, toalbas. etc
isto nt loja do PavaV, rna ta Imperatriz n. 60, d'
Gama & Silva.
Bramte de linho.
Com 20 Jardas a 8-00 res.
Vende se superiores pegas de bramante de linho
pffri pra lenges, tjnlbas, carnizas, etc. tend
20 jardas cada pessa peto harato prego de 85000
res na loja e armazem do Pavo, roa da Impeta-
trit n. O, de 6*ai 4 SH.
SAlAs ECONMICAS,
a 1J00 res.
Vende-se nma grabde pofgSo de satis de c6r
coro benitas barras pelo baratissimo preco de
2,8600 res, oa loja e armazem do Pavao ; roa da
Imperatriz d. 60, de Gama & Suva.
PUNHOS ,-O^GQLl.NHAS.
Pregos vantajosos
n^s miadezas d grande estabeleci-
mento de Sonza Soases k {rnio.
Roa XoTa n. 28.
Vfiidcm em gresso e a retalho.
Linhas novellos, mnito superiores, libras sortldas
a 55200 e 255{KX
a Dita em nvelos, mais inferior a 1*300 e 1*800 c^sL-de orna ^cor S, %%
obrado aovo.
Grande novidade para &
festa
Na loja do pava rea da Imperatriz n
60, de Carra f Silva.
M> dems poopelinas com palminhas
bordadas e quadros, covado a. 400
Mo'ernifsimas lazinbas com pal
mas, salpicos, quadros, listas, etc.
etc., covado, a 400, 500 e........ m
Lindas las eom listas de seda, co-
vado, a 560,..............
Verdideiro poil de Chevreccm listas
modernas, covado, a 800, tje..
Finissimas mnssellnas de cores, co-
vado, a.........................
B"D.ias sedas de cores cent i palmos
de largura, covado, a.............
Grosdenaple atol, roio, lyrio, cinta,
etc. etc., covado, a..............
Moderna cassas com listas largas,
vara, a 6W, 720, 800 e........... **nnn
Modernissimos orgaodys de cor, vara,
Organcy largo, com lista t qoadros,
vara, a........................
Cortes de orgaody com listas brac-
eas e de cores, tendo 8 varas cada
ctrte a.........................
Larinhas de orna s cor mathisadas
covado a.......................
Coi tes de cambraia branca bordada,
tendo nesle genere o mais rico qoe
leu vio!,-, ao mercado..........
Bonili s cortes de sedas cor6 claras a
Buoits cortes de pbantana a.......
Cortes de organdys listados com
varas, a.......................
Fil branco bordaao, sendo de mita
largura, vara, a...............
Bonita fazenda branca para saias,
leodo pregas de om lado e tam-
Lem bordada, vara a 15, 15280 e
Ricas salas bordadas a 6*000, 85 e

800
15Ge
640
25OW
15S00
I5OOO
15000
55060
2551t
2.-5000
iOu<
C5000
6U

., cova-
5 D.ias f'ancezs'moVtVflnas.'Ven'do'de
lisias t flores, vara a 800 rs. eco-
vado a..........................
Modernos ponhos cem golinhas, sen-
do de esgofSo de llnbo, bordada,
brancos e de cores a.............
Modernos manguitos com gollinbas a
Ricos crpinhis de cambraia muito
bem rnlisitados o bordados a 85 c
Saias ecoo'micas e escuras, para
quem fr pas.ar a festa tora a___
15609
105000

Dita para marcar, caixa1 de 16 ditos a 2i0 r
Dita branca em ditas de 10 ditos grandes a 560.
Dita em carros de 100 jardas a 360 r.<. a du7ia-
Dita em carros de 200 jardas a 15200 a duzia.
Dita tm cartoes, bram-a e preta, a 160 rs. a dita.
Rozetas de cores em caixa- de dozia, a 15500 i
dita.
Grampas cero cabega de vidro a 16C rs. a dita.
Agnlheiros pintados a 2i0 rs. a tluzia.
B ides de moedinhas donradas e prateadas, para
ponhip, a 15900 a dnzia de pares.
Ditos de madreperola, para camisa, a 500 rs. a
proza. #
Ditos de osso, para caiga, a 240 rs. a dita.
Caixinnas com soldados de chumbo a 120 rs.
Rspelhos de muldora dourada a 15400 a dozia.
Pentes de lago doorado, para coco, a 65 rs. a
dozia.
Dilos de lagos lisos, para eoc, a 53500 a duzia.
Ditos d.urados, com flores, 5400 a iluza.
Ditos de bfalo, multo bons para alisar, a 2J300
e 25400 a dita.
Dedaes amarlos o praiea! Anos, a 240 rs. a
dita.
Cachetes em calxinhas a 640 rs. a dita.
Ditos em cartoes a 600, e 900 rs. a dita.
Pegas de fita para coz, larga, coa* 10 varas, a
500 rs. a pega.
240
301
15000
2550t
1(5000
25500
*
ealdade
Este e-tabelecimento a rna da Imperatriz n 70,
receba de sna conta por todos os paquetes franee-
zes diversos oljectos da ultima nerta de Pariz
como seja r-ouitos coqnes lisos e enfeitados. Blas
de s?r|a, ditas de seda lisas e bordadas de todas
as larguras e de soperior qoalidade, lindos sapa
tos de roerio, dd casemira e la, toncas de !aa
muito booUos cbapellinho, babadichos e entre-'
meros ce-m lindos bordados, gravatss de seda pre
ta e de cores para h:mem e senboras ; as verda-
deras luvas de Jonvio brancas e de cores rruito
bi Ditas, carleiras de diversos fetios

- e lmannos,
ritas de seda D. 1 V2. P^cas com 8 varas, a 260 ,r,h,,ai "s rooito boa qoalidade, para homm, se-
rs. a dita. nhoras c menines, om lindo sortimento re icos
Cadago branco para cerclas a 563 rs a dozia esparihos, toocaderes ds Jacaranda' de diversos'
de pegas. lamaobos, Qtas de velado, traogss pretas de co-
Laas de todas as edres, para bordar, a 65500 a re> "idos enfeites para vestidos, ciot, de dfver-
Ubra. sas qualidades muito bonitos, tlbons, ab--toadora
Phosphoros de crc, em caixinbas, a 360 rs. a P"" colletes, la p^ra bordar de uperior nuali-
illa dnHo n M o r, R > 4 -I A^.L._*>
"=
dara.
Ditos de pu encerado, sem cheiro, a 360 rs. a
duzia de caixnhas.
ftlot de cera, em caixa; grandes de folha, a
15400 a dozia.
Cartilbas da Dootrioa GUislia a 320 rs.
Obreas de colla, em caixinhas, a 320 o 500 rs.
SboDetes Qnos a 800 e 15 a naita.
F.icas e garpbos C3bo de o.-so, fazenda bja, a
?J500 a duzia. '
Abcluadoras Qnas para coletes, cintos com five-
las de crystal, emolas ,,ntras qualidades, pnlcei
ras de cestas, pentes com pedras para coqnes, en-
feites para cabega, um completo sortimento de per-
fumarias de todas as qualades, colarinhos, can-
deeiros a gaz, f^rragen* de todas as qaalidades etc.
etc. ; a ra N.,va a. 28._____________________
VENDE-SE
Motores americanos para deus cavallos.
Dito dito para qaatro cavallos.
Machina: para descarogar a'godSo de 14, 16
IR, 20 30, 35 e 40 ser ras.
Prengas para enfardar algodo fazendo os sac-
eos com 6 palmos de comprimen! com o peso de
150 e 200 libras, vindas ltimamente da Am'.-ric:
no armazem de Henry FuMer C, oo cae Pe
dn II d. 8 fnoto ai fMbWte PnrtoRuet.
dade, ama inflnidade de bonitos brioqu-d--s"para
crhng-s, as meihcres p-rfumarfas de Lubiro, Piver
e Lcuirai sociedade Hygenica, irommedade de
nbjecti s que deixo de mencionar para nao se tor-
n?r rra-sinte, todo por preges a,uit c* modos,
m.: MMwmm wmw&m&n
H Choeolatr hespanhol
P Vende-se a 800 rs. a libra.
Na ruaNuva n. lie 51 ^
S^| Ra do Cabug numero 1 A. M
me > Miho DOTO
Na ra do Vigario : taberna de Mo S:mo.
Coques


ch- gados ao ar-

Acaba de sabir a luz
B acha-se veada na livrark: fraaceza
roa di creso o, 9
O SEGUNDO 'ASNO
no
ieio::ial nsjUBBfasw
da moda ao ultimo gosto de Pari
maz'-m do vapor, roa Nova o. 7.
A ttengo,
\ende-se a loja de bnilelfo da ra Direila o. W,
coro t'dos os pertences e algumas ubras Jertas: a'
tratar oa roa da Liogoeta n 14,2 ndar.
Escravob ugidts

ou
>
INJECTION BRO
-cHyaWle ipteltwel >rerVMv, itMtiwilWW tam ^u* a
- mi "i 1 (** mm
Yende-se oa Botica Franceza ra Nova a. 25.
imMub *4MUi. Vrttt-m -

ovo e grande deposito de superior carvao de Cardiff na
Babia.
Antonio Comes dos Santos & C, ra Saota Barbara n. 1, estao habilitados a sopprir de
i.-tao 3 m condigdos mais favoraveis qae em oe* o qualquer deposito, a todo* os navios a vapor qu
cerr m naoaeJIe porto. A contratar oasta com Domingos Al ves Matbeus.,|
a I5OOO ris.
Vende-se orna grande' p rc5o de ponbor coa
golinhas de esgnlao de tonho, com os mafs liotfos
; bordada pelo iVarato'preeo'e 15000 o temo, di-
tos bordados de cor a 640 rei-, sendo grande pe
chincha peto prego, oa roa da Imperatriz d. 60 de
V*' POIL DE CHEVRE.
a 560 e 800 reii.
Vendem se as uns, bonitas Inosiahas com fU-
de seca, intituladas poil de chvre pelo baratissi
mo prego de 560 reis o eovado. ditas com as lis-
tas mathisadas a 800 res, assimi eonw om gran
de sortimento das mais b untas e modernas lansi-
nbas que se-vendem pelos precos de 280, 400.
500 e 560 res, bonitas alpacas de seda de orna
s cor a 640 e 800 res, isto na lofa do Pavao,
roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Balees esfoios.
a 2530O
Cbegina os mais modreos balees esgoios sen-
do verdaderamente, americanos e vendem se pelo
barato prego de 25500, oa I ja do Pavo roa das
Imperatriz n. 60, do Gama & Silva.
MEMENTO CURIO
roxTfssuo
Seia folha cm di ateo para esda din
do anuo
O calendarlo do presente anno, signaes do tele-
grapho do lVcife, a augnsn'siroa casa Imperial,
corpo consolar estraogriro, asseciagao Commer
clal Beneflceole, tribunal do oonmercio de Per-
namDuco, juiza especial do commercto, junta de
corretores, bneos, servigo do crrelo, estrada de
ferro doRedfe do S.'Fraoeisco,-> linbas regatares
de naveeagio a wapor, Usbas regula rea de oave-
gagao por navios-de vela do Havre a. Peroambuco,
vapor de reboque, sello proporcional, tabella dos
emolumentos dos t'lbonas do commercto, fegn-
lameoto sobre ineen(iw,^y taboa de camb'o enir-- a loRiai-rra e o Brasil,
quadrodos divisores, qnadro do anno civil, reduc-
gao de pesos e medidas brasileiras com as de di-
versos oaiies. _
Um bonito vo'oiur cacadef nado
pelo mdico preco Aos agricmUores
Sanndersi Bratbers & C. aeanam de receber
de Liverpool vapores do forga fl 8 4 cavallos
com todos os pertences, e mu proprios para faze-
iem mover macbiBas de dtsearogar algedo, pu-
dendo cada vapor trabalbar at' com 140 serras,
tambem .servere para enfardar algodao, oo para
outro qualquer servigo em qoe osam de trabalbar
eom animaos. Ob mestnos tambem tema' venda
ruachinas americanas 9> 36 a 40 senas.
Os protendentes dirijam se ao largo do Corpo-
Santo o. 11.
Nos primeires das do mex de utobro deste
anno fuco do eogenbo Bjrttr, propnedade do
Sr. Silvano Aotrnio Gaio, oa fregu'ia do Bom
Jardiur, o escravo Damasio, preto, de idade e Sf
j a 30 annos, altora regalar, cheio do eorpn, penca
barbn, rosto nm pooco carnudo, emos abultados,
ps malfeitos, aodar banteiro, molera e de falla
moderada-: este escravo fnl comprado ponco das
antes da faga ao Sr. Joao Barbotado Reg e Silva,
da mesma fregoeiia do Bom Jardtm. Recelare qae
elle se aprsenle como voluntario da patria, pele
qoe se previne as respectivas autoridades : quem
:pegar lvelo a sea senbor, no referido eogenbo,
que .-i ra' recompensado. Reeife, 15 de novembro
I
i
,ie 1867.
100^000

"-

'
Pugio oo-dia 25 do correte mez de ontubro, di
cegenho Limoeiro fregoezia da Escada, o escrave
com os seguintes signaes : cabra fosco, alto coa
bom corpo e booiu figura, ara bexigosa, barbi
ppnco serrada, costuma rapar o bigode ea peira
en bel los nm tanto caraplnhados, pueb cambeta
tem os dados grandes dos ps mala compridos.
om poueo gago, eom lgurnas cicauizes velhas d
chicote as costas em orna pa' e em om brage
veitindo camisa de algodao da mita oo algodioxl-
nbo, caiga e paleto! de brlm pardo, cbapo de tae-
la preto, e lava vara de carreiro que e supp5e-s4
-w tdo assentar praga como voluntario : recom
menda se as pessoas eocarregadas do recraiamen
to e as aatoridadfs ooliciaes com espeoislldade ai
d) Rio Formse, Una, Agua Preta, 8. Bento o Por
to Calvo e a oatra qualquer pessoa a app'*iienV
d,dto escravo, e eatrga-lo no to eogenbo, qa
recebera' a graficago cima. O escravo chama-
se'Francisca
r-
RapViaJnda e Pavio Crdclro
A loja do cirdetro prevldente a' rus do Qa>trc*-
di o- S,/recsb',o nova reme^ deesas- ananadB*
de rap1. _________________
- ,Vende-ee~oma baroags de lcaias : a ira-
ar na praga do Corpo Santo o-17.

Puga-sor.-beHU *
Foglo em dias do mes praxwo paf*do,dopodei
-de-Agnstirto Jos deDliveira, em Carparn', o seo
scraivo BoHno, mulato claro, idade 30 anno, seeet
do corpf, peroas finas, olhos om tanto amerteeldeo.
nariz afilado, pouca barba, mottoertea bem tal- >
lante, o-.ettMo a vulenle, gotta de agnardeat a le-
von japona preta > fui encontrado do da 3 do cor-
rela na logar Baulelr, em direcgo a estradali
ferro e suspeita se qoe tenna rdo oneTeer-se como
vc.inrVtar'rdpafa a goma rroga-so ptwaBtaas auto- .
ridade poHciaes a eapitaes d campo a aprebensao
do dito escrave, qoe sera eolregoe a seo senbor 00
a Severino Alves da Silva, em Tromi
J
L nam 1


LITTEMTRA.
de cootentamento e felioidade. Aalva
Djus, e era um ver dadeiro discpulo de J
sus Ghristo. N3j obsiaot ser pobre quao-
ciente esteve empregado em trabalho, por
de mais penoso e afilictivo, que aquelle em
que poderia ler em urna casa de trabalbo,
regularmente, estabelecido c para taes con-
demnados, sojeito a uma grilhet, c corren-
tes, em servico proprio aos condemnados
a gal:
Atteodendo, que sempre foi pratica em
idnticas circumstancias julgar-se cumplida
a seutenca, como se v dos documentos a
fl: attendendo, que o paciente de boa von-
tade, c com conducta exemplar. e obedien-
cia se prestava a todos esses trabalhos for-
jados, na e-peranca, ou presumpc5o, de que
cumpria assim a sentenca de 12 anuos com
trabalho, que ihe foi imposta; attendendo,
finalmente, que o juiz das execucoes nao po-
de alterar as seatenc^s proferidas pelos jui-
zes de direito, presidentes do jary, commu-
tando a pena de pris5o com trabalbo, sim-
ples, com o augmento da sexta parte, por
falla de casa de correcto, como dispe o
artigo 49 do cdigo criminal, altribuic5o
que, compete, smente, aos juizes de direi-
to, no juiy, como bem explicam os avisos
del8dejuobo de 4850, e 24 de maio do
186o ; e se lia qoalquer falta, ou lacuna oes-
sas sentencas, deve-se respetaros fados con-
sumados; podendo smente, o juiz das exe-
cocoes comniutar em dias de prisao simples
com a sexta parte do tempo de trabalho, na
liquidacSo das maltas, quando o reo u3o tem
nietos de paga-la como dispoem os artigos
424 e seguimos do reg. n. 120, de 31 de
Janeiro de 1842, e 15 do de 18 de marco
de I8i9, concedo a ordem de Habeascorpus
requerida, por u3o haver motivo para estar
prezo o paciente Feliciano Fernandos Lima,
e ler cumprido a sentenca tal qual le foi
imposta, e mando se v em paz.
E para qm, se n3o deem outros casos se-
mejantes deve o juiz das execucoes ter por
muito recommendado, que taes condemna-
dos n3o .^ejam empreados em servicos pro-
prios de gales e confundidos com elles. Por
erca do disposto no T do artigo 69 da
lei de 3 de dezembro de 1841, e 8 do
artigo 438 do reg. n. 120 de 81 de Janeiro
de 18i2 recorro desta minha deczao para
o supremo tribunal da relac3o, Maranho, 23
dejuiho de 1867.
Antonio Francisco de Salles.
ACCRDO DA RELACO SOBRE A DEClSAO SUPRA
Accordo emrelaco.Que, sorteados os
jotaes, e exposta a materia destes autos de
processo de Ordem de Ilibias-Corpus, do
pr jvimeolo ao recurso official para reformar,
comorefjrmam a senieoca recorrida, na par-
te em que houve por executada a sentenca
tra;isonta na guia a II 18 v. por quanto, sen-
do a pena do paciente a de 12 annos de pr-
zao com trabalbo, e nao havendo nesla pro-
vincia, nem as outras do districlo desta re-
lac3o casas de pri/o com trabalbo nos ter-
mos do artigo 46 do cdigo criminal, devia
essa pena ser reJuzida priz3o simples com
o augmento da 6* parte do tempo isto ,
14 annos de prizo simples; e o paciente
cao poda ser constrangido soffrer pena
diversa, mormente em face do artigo 33 do
raesmo cdigo. Lei to clara n3o pode ser
preterida nem mesmo pelo principio de equi-
dade de qoe o paciente soffreu pena ainda
maior que a da sentenga que o condemnou.
executor nao tem arbitrio. Converter a
pena do paciente de priz3o simples em ga-
les foi um grande abuso que s produz a
responsabilidade de quem o praticou. O juiz
municipal executor das sentencas n3o deve
tolerar que ootras autoridades, seja qual fr
a sua camegoria, commettam abuso, ou se-
melbanles, as pessoas dos presos que, em
execucSo de tentenca, est3o ordem delle,
juiz municipal; e deve impedir que o carce-
reiro cumpra taes ordens de autoridades di-
versas ; e deve desde j expedir ordens neste
sentido.
NSo compete ao juiz municipal, mero exe-
cutor das sentencas, fazer a convers3o das
mesmas. Cumpre-lbe representar aos jui-
zes de direito respectivos a inexequibilidade
de sentencas, taes como a da guia fl. 18 v.
para qaefacam a conversSo, e mandem guia
exequivel. Mandam, portanto, que o juiz
municipal assim pro eda respeito da dita
guia, e que depois de vir na devida forma,
s'ja o paciente recolbido cadeia para pre-
eDcber em prizo simples o tempo que fal-
ta. Maranho, 29 de outubro de 1867.
Albuquerque M$llo.P.
.1. B. Goncalves Campos.
Alcanforado.
Barros e Vasconcellos.
Justos.
InestSc Jurdica
Vistosesles autos i Dalles ve-se que o I o"aorbM muTdanortioha mS um tE
pacwnto Feliciano Fernanda Lima, foi con.jworo mail0 ma ioso neQh(]m the.
demnado pelo jury da date de Cax.as 12 souro (Io mundo> Tj|lha ouvdo ^
nanos deprnaocom trabalho. em 8 de liar-1 escr laras agrada3 e por a, meio des.
co de 18,5 o veo remett.do *raas cade,-,wuheCitl0 lioha oblid/um JVQ teslamento,
as desta capital, em 18,,, e proya elle, com livr0 eslrictameQte pr,jnibido em seu paiz.
os documeotos de II a n que e te e eons- P tantemente, empregado em trabalhos forCa- -a efBcazfdo Espirito Santo em seu cora-
dos, com gnlbeta, t>. outras vezesaco rea- 3o Mn h Jo "ao conhecimeDlo da sa|.
lado com outro para^r-^^^ vaco que Daos uelle offereco ae gracjato-
qu3 lhe eram determinados, requeren no fim dos. Pr isJ0 0 0V0 leslamenl0 |e tor.
dopr.zjde l annos. a sua soltura, por nou mu C0S9- Todos os dias lia nelle,
soppor ter cumprido a sent.09a, e 1 exem-' d.ahi lirou as l08trocc5es queotornaram
po deputras, em idnticas circumstancias. > 8abio para a 8a|va lft 4
O juiz Jas execocoes negou-lhe a soltura Mas sendo as eSCripturas santas, como j
p r entender, que a pena nao havia sido cum- dissemos> Ul ,Fr0 prFonib)do> Stefjno vio. e
pnda e commutou-a em u annos, em v,sta' obr ado a as;ir ^^ C3lela> para e
do diH>csto no artigo 49 ^ s Jo m se tornasse conhecido.
Mo e, augmentou ma, a sexta parte do tem- Acabada|Qa cea f anlesde se d
po de prizSo a qa tinb sido o paciente con- rem dormir sua8mulber feCQava a ta
d3mnado, pela circunstancia de nao haver (e as jane||as da cas g d s^ f
casa de trabalho que foi o paciente con- D0 ^ boadi h ^ das JJ
demnado o qoe se ve de.sena^despachos; e lirava d'abi o livro em cuja leitura tinbam
resposla a n. 26: Attendendo, que, o pa- acbado aque)|a paz que Mepoja { tendimento. Depois da leitura de alguns ca-
pituls, todos se ajielhavam emquanto elle
diriga a Deus urna fervorosa oracao, dando
grabas pelos bens recebidos, e pedmdo para
si e sua familia as ricas benclos da graca
divina.
Assim passaram-se algans mezes, sem que
fossem suspeitos do grande crime de terem
em sua casa e de lerem a santa palavra de
Deus.
Esta liberda le, porra nao dorou muito
tempo. Os esbirros da inquisico, esse san-
to tribunal da santa madre igreja, eram aler-
tas de mais para que alguem conseguisse
por longo tempo occultar Ihes o hcto de
leu abracado o evangelbo de Nosso Seohor
Jess Cnristo. Por secreto que fosse o lu-
gar onde esconderam seu novo testamento,
foi descoDerto, e sendo o crime de ler este
livro um dos maioras que possivel com-
metter contra os mandamentos da igreja,
pois que quasi sempre se the segoe a here-
sia, Slefano foi logo recolbido priz3o. Fei-
to o processo, Stefano Rizzio foi condemoa-
do a ser queimado vivo, caso que nao
deixasse de ler esse livro tao perigoso, e nao
renunciaste a f em Jess Ghristo como ni-
co salvador, e nico mediador entre Deus e
os homens. Terrivel foi a lula porque o
pobre S.efano passou. A ideia de deixar sua
amada mulher e seu querido fllho encheu seu
coraco da mais viva dr; porm, lembra-
do das plavras de seu Salvador Jess: tTo-
do aquelle que me confessar diante dos ho-
mens, tambem eu o coofessarei diante de
meu pai qoe est nos Cos; e o que me ne-
gar diante dos liomens, tambem eu o nega-
rei diante do meu pai que est nos Cos,
(S. Matt. M. 32, 33) pedio a Deus, e re-
oebeu forca para permaoeeer lid ao Senhor.
Em vio empregou-se todos os meios para
induzi-lo a recontar ; em vfto permittio-se a
sua mulher e seu flho ir ter com elle, como
se v na gravara, para que a vista destes
queridos enfraquecesse a sua resoluto. For-
te, de veras era a tentaco de negar a seu
senhor por amor destes; porm lembrou-
se deslas palavras do evangelbo: O que ama
o pai, ou a mi, ou a mulher, ou os filbos
mais do que a mira, nao dizno de mira
(S. Matt. X: 37, S. Lucas XIV: 26); e
destas outras: Nao temis aos que matam
o corpo, e nao podem matar a alma ; temei
antes porm ao quepo Je tancar no inferno
tanto a alma como o corpo fS. Matt. X: 28 )
e licou rme. Amara muito a sua mulher
e seu liino; porm mais aioda amava a seu
Salvador. A vida nao lhe era desgosiosa, e
sabia que muita felicidade poderia gozar em
sua casinba, se estivesse livre; mas muito
mais desejoso ainda era elle de gozar da
felicidade eterna as moradas celestiaes que
o Senhor Jess linha ido apparelbar no co
p ra todo seu povo; sabia que seria terrivel
morrer queimado, mas sabia tambem que
mais terrivel ainda seria cahir as mos de
Deus vivo se negasse ao Salvador diante dos
homens.
Disse pois a seus carcereiros que estava
prompto para morrer. Poucos dias depois
foi, portanto, lvalo fogueira, urna victi-
ma da crueldade dos homens, e urna teste-
muuba do poder da simples palavra de Deus.
Sellou a sua f com seu sangue, fiel at
morte. Deus tambem se lhe mostrou fiel a
elle. Os maiores tormentos soffreu com pa-
ciencia e resignaco, e, com os olhos filos
no co, e seus labios movendo-se era ora-
c5o por seas algozes, traoquillamente ren-
deu sua alma as m3os de quem a linba re-
cetado. Os que testemunharam sua morte,
s viram queimar o corpo de um fiel disc-
pulo de Jess Christo; a victima porm vio
pela f os cos abertos, e os aojos esperan-
do para levar sua alma com cantos celestes,
e conduzi-la presenca de seu Salvador.
Stefano Rizzio nao tiuba negado a Jess
Cnristo diaate dos homens, e Jess nao o
ter negado diante de seu pai no Co. Elle
de cerlo recebeu a cor&a da vida, e ainda,
com todos os remidos, est ante o throno
de Deus, cantando os louvores de quem es-
t asseotado sobre o throno, e do Cordeiro.
Stefano Rizzio nao era o nico a quem,
pelo crime de heresia, a inquisico, esse
cruel e sanguinario tribunal da igreja roma-
na, condemuou terrivel morte de fogo. S-
mente na Hespanha o_gro-ioquisidor Tor-
quemada no decurso de i4 annos eotregon
mais de 6,000 pessoas couvictas de beresia
fogueira: e om calculo exacto mostra que,
no mesmo paiz 31,912 pessoas foram qaei-
madas desde o anno 1481 at o anno 1808.
Rendamos gracas a Deus porque nio existe
mais este tribunal to cruel, e por que nin-
gem pode obstar a que leamos a palavra de
Deus, e lhe rendamos o culto que* nos pa-
rece mais em conformidade com sua reve-
laco.
n5o foi suenteDafiroTque sua f.railia the pal, e a preponderancia que adqnirirm.lsociacSo franceza de beneficencia e pela as-
consagrava q"ue enchia o coracSo-^e Stefano recolhendo directa ou indirectamente a he- sociac3o de peneficenciari^anadenscs.
ranea das antigs nagistralpraa; Nestas escolas, que^fSo divididas em
A quahdade de consemeiros do poder classes graduadas, ensina-se a leitura, a
taoporal, queos ievou situado de cercar escripta, as qualro operaces e a geogra-
01 novos reis; e de dirigi-los nos ernaios. pbia. Na eicola mediana, onde .' se ad
de governo. I mittido depo s de azer exame sobre estas
A ultima causa, mais poderosa de que bases elementares, ensina-se-: a grammalica
asemee primaras, e que parece ser a sua!ingleza, a composico, a escriptoracao, a
consequensia, foi a fundaco da igreja, no arithmetca, a algebra, a geometra, atri-
secuto de que tratamos. O clero formava gonomelria, a pbyaiea. a chimica, a astro-
4i ~a forPraca hierarebica, oq socie- nomia, a biaturia dos Estados-Uoidos, a po
cabos das outras instituieoes; no meio das o deseoho architectonico e industrial^ a na-
trevas geraes era elle o esclarecido. O vegac5o, e o allemo, o hespanhol e o fran-
poder espiritual, dominando com as suas cez todas as vezes que quinze alumnos as-
doatnnas o pensamento e a vontade de todos sim o pedem.
e achando-se por isso testa da actividade' Como se v, o programma completo.
ratellectual humana, nSo tardn em apode-!
rar-se do poder temporal, e a arrogar-se o' Estes trechos sao tirados do Jornal das
direito de goveroar o mundo. Por outro Familias no romanceto um provinciano la-
lado, a igreja, aproveitdndo-se hbilmente dio
do estado de desordem e de violencia em
que se acbava o poder temporal, tornon-se,
defendenlo os povos contra os reis, a pro-
lectora de uns, e a rival dos outros, viudo
por fira a dominar a todos.
< Estas foram as bases em que, nos esta*
dos nascentes, se fuodou o poder episcopal.
uas outras circumstancias particulares
creara m oulra a I lian ea entre a realeza e o
papado : o perigo a que os papas se acha-
vam expostos por causa dos lombardos, e a
necessidade que o pai de Carlos Magno leve
que o papa lhe sanecionasse o titulo de
rei.
< Aquella notavel allianca foi urna verda-
dera" revoloco poltica : na ordem civil
prevalecea a realesa; e na ordem religiosa,
o papado. Foi assim que se creou ama
nova raca de soberanos.
< Depois dessa poca o poder do clero
augmentou progressivamente. Reunndo-
se em frequentes synodos deu mais unidade
e forca sua accao; e com o papa testa
conseguio exercer ama especie de suprema-
ca, que mudoo a face do mando brbaro,
pelo contrapeso salotar. que oppoz forca
bruta dos conquistadores.
E' do Sr. Dogenes Pessoa esta poesa,
cuja publicacao nos solicita:
SCISMANDO
E' noite. A la, bella entre as estrellas,
Passeia ufana em ailado co,
As flores erguem as carolas bellas
Pediodo a Deus o refrigerio seu
Ca o orvalbo,
E a flor no galbo
Revive ainda;
s de mrali'alma
Nao se acalma
Ador infinda f...
O sol ardente, que emmurchece as- flores-,
Dexa que a larde Ihes d seu freaer.
Se a nuite o mundo cobre de negrores-,
Vem logo o da, que lhe da o alver.
Tudo entristece.
Mas apparece
Depois sorrindo ;
S eu mil dores,
Cheios de horrores.
Vivo carpindo...
Se ouvem negra, que a tristeza inspi,
Enruga a face do sereno co.
Propicio vento para longe atira
Da Duvttrn negra o funreo ved.
E o co sorrindo,
Seu roste-lindo
Rev as- aguas;
S eu deploro,
E triste choro
Inundas maguas t. ....
Se o rio era leiio pedregoso geme,.
Recua e parle, vat no mar dormir,
Se a rola a noite resfriada treme
Vem logo a aurora que a faz sorrir
E n'um momento
Pdssa o tormento
A ser ventura ;
S de noinb'alma
Nao se acalma
Tanta amargara f...
Se ha vento rijo que enfurece os mares,.
Calma propicia vem lhe dar socego;
So o impo pisa divinaes altares,
Vem logo o crete que os adora ceg.
Ai, tudo cbora!
Mas tem aurora
De doce amor;
Ai, tudo alterna ;
S eterna
A minha dr!
A INSTnOCCO PUBLICA NQS ESTADOS-UNIDOS.
Urna das cousas que mais caracterisa 0
povo dos Estados-Unidos, o nteresse que
dedica ao derramamentG da instroeco pu-
blica. Em nenbum paiz do mundo se fazem-
lo grandes sacrificios. O orcamento da
instrueco primaria da provincia de Nova-
York, a qual conta menos de quatro miihSes
de habitantes, excede muito todo o orca-
mento da instrueco em Franca, indurado
as verbas concedidas pelo governo, pelos
departameatos e pelas communas. A des-
peza que se faz para o mesmo servico na
cidade de Nova-York, a qual conta menos
de novecentos mil habitantes, eleva-se a
urna verba qua excede doas vezes tudo o
que se despeado na Blgica pura um fim
idntico. Accresce a isto, qoe de anno para
anno augmentam os crditos votados, en-
grandecem os esforcos e vai-se alargando o
circulo da aegao benfica da instrueco.
Este anno o Board of publie edneation
inaugurou om novo servico, cuja necessida-
de era urgente. Todos os eslabeleeimentos
de instrueco actualmente existentes sao ex
elusivamente destinados infancia. Porm,
chegam todos os dias da Europa milhares
de emigrantes, dos quaes um grande nume
ro nao sabe ler nem escrever. Um nume-
ro ainda maior nao sabe a lingua inglesa.
S3o pela maior parte operarios pobres aos
quaes n3o sobeja t6mpo para de di a ganha-
rem pao para comer. Nao podem, por
tanto frequentar urna escola qualqaer du-
rante o da, ainda quando houvesse escolas
de adultos,
clero : Foi por isso que, generalisando as escolas
t O respeito universal que os papas ns- nolurnas, o Board of edacation abri este
piraram aos povos, durante longa snccesso anno :
de santos pontfices ; ; Urna escola mediana para homens.
< Os ser vicos que elles fizeram aos po-1 Duas escolas para os cidados de cor de
ado voltava de l trabalbo, sTmpre'os vos de Italia, salvando-os do furor dos bar-: ambos os sexos,
achava esperando a sua vinda, e alegres por baros ; Trese esco as para homens.
c Os vastos dominios dos bispos; o que Onze escolas para mulherc.
noturnas
l quaes sao as suas
Eu nao tenho
\m un
O matryr.
Quem ser este pobre bomem a quem nao
se permitte fallar com sua mulher, nem at
acariciar a seu filho, seoo por nma grade
de ferro t3o grossa ? Ser por acaso, algum
malvado, a quem, qaal ama fera, seria peri-
goso deixar em lberdade ? Nada disto I Es-
cutai-me, e ea dr-vos-hei a sua historia.
Ha muitos annos viva em urna pequea
casa que se achava em um dos bairros de Ma-
drid, um artista, com sua molber e filbo.
Ghamava-se Stefano Rizzio. Era pobre, mas
pelo trabalho de suas mos ganhava o que
era suficiente para sosteatar-se. Porm,
embora fosse pobre, estava feliz. Amava a
sua companheira e sea filho, e de noate.
DI POICO DE TUDO.
Poder temporal dos papas no skculo
viii.Seis causas geraes contribuiram prin-
cipalmente para estabelecer o poder
do
poderem distrahi-lo, e gozar da sua compa-
nha. O amor e o contentamente reinavam
nessa humilde casa, e ah derramavam essa
c Os vastos dominios dos bispos; o que
Ibes fez tomar logar entre a gerarchia dos
grandes propietarios, a qaal a sociedade
felicidade qoe muitas vezes se procura em europea por tanto tempo pertencea ;
Onze escolas para muiheres.
Sio ao todo vate e sete escolas
repartidas pelos bairros mais populosos
Alm disso, o Board subsidia largamente
vao nos palacios dos ricos e poderosos. EJ t A sua iQtervenc5o no rgimen raunici- algomas escolas noturnas fundadas pela as-
...Ora diga-me
ideas em poltica ?
Nenbumas, Sr. Esopo.
at hoje pensado em poltica.
Mo 1 Pelo que vejo, V. nao quer ser
cousa alguraa.' Nao pensar em poltica -em
nossa ierra, onde cada mangla um bo-
mem poltico, e cada estudante de prepara
torios um organisador de gabinetes! Nada
V. nao me parece Gavalcante, nem Reg,
nem Barros, nem filbo de ernambuco t
Sr. Esopo, eo confesso a minha igno-
rancia ; mas como Dada entendo de poltica
nao tenho querido oceupar-me com ella.
Pois bem ea voa dar-lbe nma 1c3o so-
bre isso, e depois diga-me a que partido se
inclina, a ver o que posso fazer de V. Olbe
nos temos tres partidos principaes: o libe-
ral, o conservador, e o ligueiro. O liberal
quer a prosperidade das s encas, artes e
industrias, e o engrandeeimento do Brasil,
para que elle oceupe um logar distineto en-
tre as naeoes.
Ent3o, Sr. Esopo ea soa liberal.
Espere l moco. Nao se apresse sem
saber alguma cousa dos outros dous. O
partido conservador qaera fiel observan-
cia das leis, o respeito aotoridade, e o
progresso reflectido da naco.
Nesse caso, eu sou conservador, por
qne sou a favor d'essas ideas.
O velho Sr. Esopo rio-se, tomou nma pi-
lada techando um olho, e tapaodo urna ven-
ta com o dedo po'egar. e continuou :
Falta o partido da liga. Os seus par-
tidistas adopta os principios s3os dos ou-
tros dous, e afastam-se dos exagerados de
om e outro.
E' exactamente como eu entendo, Sr.
Esopo. Mas "permilti-me urna observaco
Se os tres partidos querem amesma cousa,
como que se fazem a guerra.
Ah 1 ah E' precisamente por quere-
ren a mesma c Todos tres querem subir na trazeira do car-
ro do estado, e por isso quando um conse-
guir trepar, os outros dous gritam para a
zel-o descer e dar-lhe lugar. Tirando os
palavroes, que servem de engodo e que to-
dos sao petas, quer que Ibe diga com cla-
reza o que sao os taes partidos ? Pois olhe :
o liberal quer liberalizar os cobres da naco,
em beneficio dos amigos; o conservador
quer conservar os empregos e a gerencia do
p3o de l; e quanto ao partido da liga, o
pooto em que se bifurcara as duas estradas e
onde o sugeito est de observaco para ver
qual d'tllas mais lhe convm seguir. Mas
como V. a um tempo liberal, conserva-
dor e ligueiro, j vejo que nao vai bem por
ah. Vamos a outra cousa: Tem V. geto
para fazer versos ou escreviobar artiguinhos
bonitos em lbum e folhetins?
Nao sei,Sr. Esopo; nunca escrevi para
o publico nem tente fazer versos.
Pois admira 1 Hoje em dia. nao ha
ignorante ou analphabeto que n3o se julgue
no caso de namorar as musas. O tal monte
Parnaso parece que se tem transformado
em cavalbarice, e a fon te Cestalia era bebe-
douro publico I Todos sao poetas I E mais
que o tal offieio de fazedor de versos
as vezes bem bom Eu cooheco alguns que
publicam um artigoinbo em verso e dep 'is
vio para os jornaes fazer elogios ao dito ar-
tigo com as assgnataras de um amigo do
autor, um apreciador do mrito oa tres
estrel/inhas; e d'ahi pouco est3o com re-
putado firmada de um Iliterato de polpa, e
oceupando bons empregos de olliciaes de
secretarias, a Jdados de embaixadas. presi-
dentes de provincias, etc. etc. etc.
O Sr. Esopo continuou ainda algum tem-
po na indagagao dos merecimentos e apti-
des do Sr. Licurgo Angosto Cesar do Re-
g Gavalcante Barros, at que, passada rais
hora, pouco satsfeto do seu e&ame, disse
ao pobre moco:
Pois meo. amigo, avistajdo que acabade
diaer-me, que nao emende de poltica, que
n3o sabe fazer versos, no eserivinhar arti-
gos bonitos para peridicos oa para albaos,
etc. etc, son de parecer, que V. deve limi-
tar as suas arabicoes em obter algum lo-
garanti de praticante do thesouro ou de
caixeiro despachante da alfandega, que s3o
duas repartices que com justira merecem
o nocae de refugium peccatorum. Dado o
caso- de que nem para isso V. tem geto
resta-lbe ent'io um nico recurso: matricu-
le-se na escola de medicina, e qaer estude,
qaer n3o, pode coutar que no fim de 6 an-
oos do-lhe carta branca para V. terminar
os males do prximo, ou curando-os, ou
mandando-os lomar ares oa vida eterna.
ExERCtTO pontificio. A Bevolufo de
Setembro transcreve da Unit Catholica as
seguiates noticias sobre a organisaco e for-
ca do exercito pontificio, as quaes sao dirigi-
das aquelle jornal italiano pelo seu corres-
pondente em Roma:
E' commandame em chefe do exercito
o geoeral Kangler, o qual ao mesmo tem-
po minisiro da guerra do santo padre; tem
s suas ordens os generaos conde de Co or-
len e o marquez Zippi. Um commanda a
primeira divis3o, outro a segunda.
c Os corpos de que se compoe o exercito
s3o:
c 1. Um regiment de iofantaria de li
nha com tres batalhes, cada nm delles de
oito companhias" Os soldados desle regi-
ment sao todos voluntarios dos Estados-
Pontificios, e com ir, andado pelo coronel
Azzanes;
< 2. Um batalbo de cacadores, tambem
de soldados indgenas, composto de dez
grandes companhias, e commandado pelo te-
nente-coronel Georgi;
3." Um regiment de zuavos, de dez
companhias, com mais de 160 homens cada
nma: seu coramandaote o coronel Aller;
4. Um batalhao de carabineros eslran-
geiros, de 10 companhias muito grandes,
commandado pelo tenonte-coronel Jeannerat;
5.# Urna legio franceza de 10 compa-
nhias, commandada pelo coronel conde de
Argy ; irr -
e 6, Urna legi3o de gendarmes de infan-
tara e cavallaria, na forca de mais de 8:000
homens, e que sendo preciso pode fazer o
servico de lmha; commandada pelo coro-
nel Congelist, que se distingui no feito de
armas de Grotta San Stefano, s ordens do
marechal Pinodan;
7. Tres bateras de campanha com pe-
Cos raadas e obuzes do melhor systema.
Sao coraraaodadas pelo teneote-coronel con-!
de Gacini. A estas bateras muito bem
montadas, deve juntarse outra de quatro
obuies de montanba, que lalvez sejam sub-'
slitudas pelas pecas pequeas que chegaram
ha pouco, e destinadas a augmentaren) 03'
meios de ataque e defesa do exercito ponti-'
ficio.
8." Um corpo de engenhei os composto'
por soldados do paiz e commandado pelo I
tenente-Coronel Lona;
9. Finalmente ura corpo de trem de
bagagens, companhias de ambulancias e nm'
batalbo de veteranos, os quaes, sendo pre-1
cso, podem fazer servico da gnarnic3o.
Ha, alm disto, um estado maior general,!
de que fazem parte officiaes do paiz e es-
traDgeiro..
t O armimenlo tambem como o das
melhores tropas da Europa, e os soldados
pontificios devem ter, dentro em pouco, as
novas espingardas que se carregam pela cu-
latra, pois esto entaboladas negociacoes
com urna fabrica americana para a acquisi-
c3o de 8:CO0 espingardas deste systema.
Tanto as bayoelas como os sabres bayone-
tas, eom que estas tropas esto armad is, sao
de escolente constroeco,
DedcacAo. Conta urna folha franceza
que entre os voluntarios pontificaes figura
Sir Garell Tevis, general de brigada do ex-
ercito do norte dos Estados-Unidos, que j-
parlio de Pars para Roma, onde vai alistar-
se como simples soldado.
Sir Caroll Tevis foi alumno da escola mi-
litar de West-Point e fez toda a guerra dos
Estados-Unidos, na qual ganbou o seu posto
de general.
OS VAPORES- ALCOOLICOS E O. SUICIDIO.
Sabe-se que depois de urna alegre ceia, en)
Anteuil (Franca), La Fontaine, Moliere, Cha-
pelle e Racine, impressionados- por negros-
pensamemo, resolvern afogar-se juntos.
J se dirigiam para o Sena, e a Franca ia
talvez ficar sem alguma das snas obras pri-
mas luteranas, se Boileau, pensando um
pouco no caso, nao persnadisse os compa-
nbeiros a dierir para o dia seguinte to
bello divertimento. Eseusado ser dzer que
ao outro dia estavam dissipados os vapores
bachicos, e que os Iliteratos se nao lancaram
ao rio.
Um facto anlogo, diz o Droit, mas cojos
hroes tem menos foma, se passou meia
noite, no porto de S. Paulo. Tres mance-
bos de 20 a 24 anuos, depois de terem be-
bido alegremente at hora adiaotada da noi-
to, sentiram as suas ideas gyrarera em sen-
tido melanclico e dicidirara subtrahir-se s
miserias deste mundo laocando-sc ao Sena.
Partiram ; mas no caminbo nm delles re-
flectio e separou-se surrelfa dos compa-
nheiros. Os outros dois chegaram ao porto-
de S. Paulo.
O prmeiro Paulo B..., den o salto peri-
goso ; o segundo, por nome Aftonso B...
atrou-se tambera agua... mas para sal-
var o camarada; porm, inhbil para nadar
nao o pode conseguir e ambos iam, morrer
inallivelmeoie se dois policas, attrabidos
pelos seas gritos de afflccao, nao consegus
sem nao s tira-Ios vivos da agua, mas cu-
rados da mana do suicidio.
Natureza da influencia da igreja na
civiLiSACo, durante o secblo vHu Lem-
branlo-nos do poder da igreja, no secu-
to VIH, e da alta afluencia qoe exerceu na
Europa, vamos em poucai- palavras dzer
qual foi a natureza dessa influencia na civi-
lisac3o.
Comquanto a igreja negasse o direito de
exame nos fados revelados e quizesse tirar
a lberdade ao pensamento, nao deixou, ape-
zar disso, de ser-ihe favoravel, e de desen-
volv-la. Os seus conailios, onde se proce-
den por deliberado eommum: e os seus-
escriptos coDtra as heresias, em que foi
obrigada a empregar a dscusso, que al-
gumas veaes era lgica e profunda, enireti-
veram e excitaram a actividad humana.
E' tal, na sna essencia, a energa da vida
imellectoai, que, apezar da. doutrina e dos
principios da igraja, em todos os actos p-
blicos a qoe se soccorreu para firmar a sua
influencia, v-se trnsparecer o exercicio da
razao e da lberdade.'
A distioeco do poder espiritual e do po-
der temporal foi prmeiro marcada petos
homens da igreja para se toroarem inde-
pendentes, e para se subtrahirea brutali-
dade dos conquistadores barbaros. Infeliz-
mente essa independencia roo foi depois
respeitada no futuro. Os Sunestos resul-
tados da fuso dos dous poderes ah estao
boje patentes na infeliz Italia.
A separaco dos poderes temporal e espi-
ritual sustenta a independencia do mundo
intellectual geral, e prepara a independencia
do mundo intellectual individual; a indepen-
dencia do pensamento; provocando, alm
de todo, a actividade geral dos espiritt s
para a carreira que offerece a todos aquellos
que forem capazes de a servir: carreira
aberta a todos os talentos e a todas as no-
bres ambices da natureza humana.
Pelo lado ratellectual, a influencia da igre-
ja nao deixou de ser salutar, n'aqueila po-
ca, comquanto imprimisse Europa nm
movimento essencialmente theologico, por-
que pele systema dos seus precetos e dou-
trina era muito superior
aotiguidade conhecra.
a todo quanto a
1864 foi provocada e livremenle assignada
pelo governo italiano; ellaobrigava-o a pro-
teger eficazmente a froateira dos Estados-
Pontificios contra qualquer aggress3o extre-
ma Hoje ninguem pode duvidar de que
n3o foi cumprida esta obrigacSo, e que por
isso estamos no direito de lomar a por as
cousaenc estado em que se acbavam antes
da execucao leal e verdadeira dos nossos
proprios compromissos para a evacuacao
de Roma. A nossa honra impe nos sem
duvida o dever de nao desconhecer as espe-
rancas que o mundo catbolico fundou sobre
o valor de um acto revestido com a nossa
assTgoatara.
Entretanto campre-nos dzer que nao
queremos por forma alguma renovar urna
oceupaco, cuja gravidade, melhor do que
ninguem, avahamos. Nao nos anima pensa-
mento algum hostil contra a Italia. Fiel-
mente conservamos na memoria a lembranca
de todos os lacos que a ella nos uera. Es-
tamos convencidos de que brevemente se
tornar multo firme o espirito de ordem e
de legalidade, nica base possivel para a
sua felicidade e grandeza. Logo que o ter*
ritono pontificio esteja livre e tenha sido
restabelecida a seguraba, est desempe>
nbada a nossa missao e relirar-nos-bemos.
Mas agora devemos chamar a attencSo das
potencias para a recproca sitoacao da Italia
e da santa s* Tendo tanto ioteresse como
nos em fazerem prevalecer na Europa os
principios da ordem e da estabilidade, no
duvidamos de qoe ellas tratem, com desejo
sincero de as resolver, de questes a que,
por causa de um grande numero dos seas
vassallos, se prendem interesses moracs e
religiosos do carcter mais elevado.
Taes s3o, senhor, as consideraos qoe
devereis fazer, e que apreciar, assim o es-
pero, o governo junto do qual estis acredi-
tado.
t Recebei, senhor, a certeza da minha
estima.ALnstier
A poltica da Inglaterra.Corre o beato
de que a Ioglaterra desapprovon officialmen-
te a recente intervenco militar da Franca
em Roma. Um tal acto praticado pelo ga-
binete de S. James iria de perfeito accordo
com todos os actos anteriores da poltica'
brlannica na questo romana. O Foreign
Office havia sempre protestad contra a pri-
meira occupac3o de Roma, sustentando junto
do gabinete das Tulherias os direitos sobe-
ranos do povo romano, pedindo finalmente
que Roma fosse restituida aos romanos, e
que estes tivessem a lberdade de se reani-
rem Italia se assim o cntendessem.
Corre igualmente o boato em Pars de que
a Inglaterra prope, como a uuica soluco
possivel, um plebiscito do povo romano.
O que 6B8TA uma QUERR.Foram lti-
mamente publicadas em Nova-York,, os alga-
rismos exactos das quantias dispeDdidas para
o mantenimento do exercito dos Estados-Uni-
dos, durante os cinco annos de guerra.
Sao officiaes e por isso merecem todo o
GredKo.
E mais ama c3o que ha de contribuir
para se apreciar quanto custa a um povo
essa triste coisa, algumas vezes inevitavel,
muitas vezes injustificavel, as mais das vezes
injusta, desastrosa sempre, a que do o no-
me deguerra.
Annos Voluntarios Exercito regalar
I86.. Dollars 91,tl66lO 6,646:778
4803.. 180,442:683 6,557^)94
1864.. t 220,863:973 6*27.2:222
1865.. 300,738:635 7,902-326
1866.. 248,943:314 10,431:004
1867.. 42,588:932 14,024:492
00
t 1,084,633:949 50 933 916
Franca. O ministro dos negocios es-
trangeiros acaba de dirigir a seguinte circu-
lar aos agentes diplomticos do imperador :
Pars, 25 de outubro de 1867.
c Senhor, n'este momento nao queremos
demorarmo-nos com a numeraco dos sac-
cessivos incidentes qae deram origem e le-
va ram s mais extremas consequencas uma
crise 13o ameicadora para a seguranca da
santa s, como perigosa para os verdaderos
interesses da Italia. Basta considera-la em
conformidade com o nosso direito e com a
nossa honra, e mostrar os deveres que ella
nos impoe.
c A convengo de 15 de setembro de
(No atino de 1867 figura apenas o pr-
meiro semestre).
N3o um vistoso rol de despezar esta pe-
quen totalidade de Ger-ca de 2,700 milhes
de cruzados ?
Estragos da baat ghassepot.A espin-
garda Chassepot foi cuidadosamente estoda-
da quai lo a rapidez, do tiro, ao alcance ea
preciso; mas teve-se em pouca conta exa-
minar os estragos que faz o seu projectil
atravessando a pelle humana. E' verdade
que era um promeoor que inteiwssava pou-
co aos homens qpe ficavam o lado da co-
ro nha.
Mas emfim osdoutores Herid e Sarazin,
de Strasbargo, fizeram experiencias a esse
respeito, n3o em gente viva, porque o amor
scieocia ainda nao inflamou ninguem. a
pomo de se azer fozilar sera ser absoluta-
mente toreado, mas em cadveres; e os re-
sultados sao. na verdade terriveis.
As balas classicas fraocezas, mesmo as
das carabinas dos cacadoces, atravessam os
tecidos com certa bondade; q-iebram natu-
ralmente 08 ossos que encontrara, mas por
um modo moderado, o o seu trajelo uni-
forme em toda a sua e: de entrada e de sahida no corpo tesm o mes-
mo dimetro.
O orificio de entrada da bala Ghassepot
excede muito pouco o calibre da arma; ms
depois de ter entrado nos tecidos, o projectil
pioduz estragos horrorosos ; os ossos sio
esmigalbados e as suas lascas irradiara em
ama extensao consideravel, em quanto que
os msculos v3o tapetar em {arrapos largas
cavernas. Emfim, o orificio do sahida
sete a onze vezes maior do que o dimetro
da bala I E' evidente que, n'essas condiebes,
todo o membro attingido na soa formado
essencial requer amput ico. e que os feri-
meotos do tronco sao quasi necessariamente
mor taes sendo recebidos a carta distancia;
Os japonezes e os pianos.Diz uma fo-
lha franceza que de tudo o que ltimamen-
te viram na Europa os embajadores japc-
nezes, nada os maravilhon tanto como os
pianos, e qae, se se deve crer na indiscrip-
co commetlida por uma pessoa do sea s-
quito, a descripc3o qae elles fizeram do
piano na suacarteira de viagem.'e que figu-
rar em nm relatorio dirigido ao taicoum,
e que de certo ha-de figurar no Monitor
japone2, a seguinte:
Os earopus tirara sons barmonioso de
am animal monstruoso, que se sustenta em
quatro pernas. Assenta-se ao pe d'elle uma
mulher; cocando-lhe a cauda, e batendo-lbe
nos deDtes com os dedos, obnga-o a cantar;
o som da sua voz muito agradavel.
fYPTDOblARlO-RA'DAS ltUZE N. 44
"

I

!
:




'
a

v
I *-.-r li

~


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJZMMMTV0_5QQWX0 INGEST_TIME 2013-09-04T23:36:25Z PACKAGE AA00011611_11438
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES