Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11433


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO XJLIII. NUMERO 276.
.:% b *


PlllA CIPITlIi E LLtt VBE* ONDE SE HAO PASA POBXE.
Por.traiaem fla-ntados.,. ]. ......... i" W000
Por seis Utos Un.. .1 .1 0 *"1 .1 .1 :.l ..1 d S 12{XrX
Per uji uno Idea.. .T .1 a .3 O .1 -l 3 !*3 ra T5 en a 240OO
.* *.hm SABBADO 30 DE NOVEMBRO DE 1867.

CtJa naaerejavalst
320
tfcfl

PIBA DENHO E FOBA DA PBOV1NCIA.
Per tres me res diantados.. r, r. r t. < :. 1. !
Per seis ditos idem. '.: ..
Por nev di tes idea.....
Ptr un anno idea., m

(f
.
"
i" nr >.
i J0 f.

W75#
18,5500
20,5250
870000
AS8il"MIA<81 Km IPUIMHVU) H BSfMIPIMlW 1 BUlIHOar MtTSaiDlL IDB M A miLWS 8113 IPIQlP&illQMIIIDS
lENCARREGADOS DA SUBSCRIPgAO.
Parahyba, o Sr. Amonio Aleandrino de Lima;
Natal, o Sr. Amonio Marques da Silva ;Aracaiy,
oSr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. Joaqoim
os de Oliveira ; Para, os Srs. Gerardo Antonio
Aires 4 Filhes ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da
Costa; Alagoas.o Sr. Franrino Tavares da Cosa;
Bahia, o Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro,
Sr. Jos Ribeiro Gasparlnho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Eseada e estacSes da va frrea at
Agua Preta, lodos os das".
Igaarass e Goyanna as segundas e soxtas felras.
Santo Antao, Grvala, Beierros, Bonito, Caruar,
Altiobo, Garanhuus, Buiue, S. Bento, Bom Con-
seibo, Aguas Bellas e Tacarat, as tercas-feiras.
Pao d'Albo, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Iagazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa-Vis-
ta, Ouricury.Salgueiro e Ex, as quartas reiras
Serlofciem, Rio Formoso, Tamaodar, Una, Bar Prfaeifa vara do civel: tercas e sextas ao mel
reros, Agua Preta e Pimeolalras, as qainlas da.
/mras' B I Segunda vara do civel : quanas e sabbades a
reiras' i cera da tarde.
AUDIENCIAS DOS TRIBNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commereio : sofaldas e quintas
Relami : tercas e sbados s 10 horas.
Faienda: quintas s O horas.
Jui/c do commereio : segundas as i oras.
Dito de orpoos : torcu a sextas s i doras.
EPHBMEHIDES DO MEZ DE NOVEMBRO.
4 Qoartocrese. as It b. e 35 m. da m.
11 La eheia as 10 b. e 17 ro. da t.
(8 Quarto ming. as 2 h. li m. da t.
36 La nova as 2 b. e 19 m. d m.
DAS DA SEMANA.
25 Segunda. S. enharina v. m., S. Mercurio m.
26 Ti-rga. S. Pedro AI- 27 Quaria. S. Margarida de Saboia v., S. Acacio m
28 Quinta. S. Jac.b da Marra f. S. Sostbenes b.
29 Sexta. S. Saturnino m S. Ilinmioata v.
30 Sibbado. S. Andr ap., S. Troyano p.
1 DomlDgo. S. Nanfcom pro!., S. Eloy b.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 5 boras e 18 m. da manha.
Segunda as 5 horas s 42 minutos da tarda.
PARTIDA DOS VAPORES COsTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o nort
at a Granja a lo e 30 de cada mex; para Far-
nando nosdias 14 dos mezes janoiro, marco, maie
julho, setembro e novembro.
PARTE OFFICIaL
CORUNDO DAS MUS.
1 teriaes bao de tirar deploravels conseqaencias pa-
ra a opposic.ao, como se aqulllo fosse urna opposi-
go, ou desse disparate se podesse concluir cousa
! alguma se nao o roo gosto e pouco julio dos pro-
' tognnbtas aquella (arcada.
E' pena que n'um pan llvre depois de to longo
Cuartel general do cemmando das armas de Per-' lyroc.oio das insi.iaices que mireija, se fagaui
* .. lan man ama jinda rtn rtir-iitn de reunia
nambueo, na ti Jale do Recite, 2S de novembro
de 1867.
ORDEM DO DA N. 397.
lo mao caso ainda do diraito de reunio.proeuran-
o se desacreditar accintemente urna coosa boa.
Ao meos bom seria que estes destemperos servs-
sem de lico aos ociosos que se prestam a servir
O brieadeiro commaudanie das armas tem a sa- de comparsas de taes entremezes polticos.
"huver. As 1
se atreverem a to-
tisfacYo"de fazer pnblico que o Sr.Dr.em medicina; Apenas b> je ( er. As lavoura
Joo'Ferreira da Silva, iendo sido convidado para ; atraiadas; os propietarios sem ..
substituir o Sr. Dr. Pedro de Alhayde Lobo Mos mar operarios, e a tome a perseguir os traoaina-
coso no lugar de vogal da junta militar de sade,' dores.
acquiesceu sem hesitado e de rooito boa vontade a \ No Alemtejo a r.rise ]) se manifestoa muuo
semelbante convite, llsongeando-se pela escolha e grave. ___.omai,ijr t
per ter occasiio de, na guadra actual, prestar mais O governo para de algom mtdo remediar este
este servigo, confjrme declaroa ein offlcio de hon-, mal, mandn aetivar os trabalhos de estraaa!
tem datado.
O mesmo brigadeiro determina, que na manbaa
do da 3 de derembro vindouro se passe revista ge-
ral de mostra em seos respectivos quartes aos de-
nicipaes. Entretanto, ba grande mor.osldade neste
ludo, e a caUmidade manifesta se j em grande
Huje chegon a Lisboa em comboy especial,
Dositos e ompanhias de operirios do arsenal de depois das 5 boras da tarde su alteza a senbora
I infanta D. Isabel Maria. S. M. el-rei o Sr. D. Luiz
6 111! foi espera la a' estaeao. S. A. regressa de Roma,
guerra desta provincia, pela ordem seguinte
As 6 horas a* corapanhia de operarios; s
ao deposito especial de nstruegao ; s 7 ao depo-
sito de prisioneiros de guerra paraguayos ; e s .
ao de recrutas.
(Assignado) -Joao,Mim Jos Gongnlvfs Fontes.
Conforwe.Emiliano Ernesto de Mello Tambo-
rn, tenente aj adame de ordens encarregado do
detalbe.
EXTERIOR.
t'ORRi:MPO\DE\CI.l DI dia-
rio DE PERXAUBVCO.
LISBOA. _/
12 de no\ mh ro.
Em presengados graves successos que uestes l-
timos quinze das se tem passado junto a capital
do orbe catbolico, omito se preoccopavam com a
attitude qua tomaria o governo de Portugal, princi-
palmente depois qne Ibe foi commonicada a circu-
lar do marquez de Moustler. Este documento di-
plomtico tioba so por fim cbamar a attengo das
potencias para o estado da Italia, e o governo por-
tuguez parece que se limitou a dar-se por intelra-
do. A Gazrta e a Recolugo, orgos do gabinete
de Lisboa assim o do a entender, em quanto pelo
Times, Libei t e Nazione se v claramente que o
gabinete portuguez se declarou neutral, abitndo-
se de qualquer intervengo neste negocio.
Aliual inaognroo-se a celebre commisso fi-
nanceira, depois de nomeada ba algons mezes. O
duque de Loul presidio aos trabalhos, e orna sub-
commisso de que fazem parte os Srs. Repello da
Silva, conde de Castro e conde de Cabral (Jos Ber-
nardo da Silva Cabra!) foi eleito para apreseotar
o plano de trabalhos. Comegou logo a espalharse
o boato de que o nobre "duque ia prppor a vincula-
q\j da trra, desfazeddo-se assim, com a mira no
augmento do imposto ama medida altamente libe-
ral e conforme 0$ raals saos principios da economa
e que o propriu duque votara na cmara alta. Nin-
gnem todava aeredilou no boato, espalbado talve:
por motivos de davidosa lealdade.
Nao falta qaem diga que na segaiole legislatura
(em 1869) bavera' talvez projectos Importantes, que
sejam apresentados por um futuro ministerio ao
exame e resolugo parlamentar, pois ninguem acre-
dita que na prxima sesso legislativa possa apre-
senlar-se urna nica proposta de lei nascida dos
trabalhos da grande commisso.
O Jornal do Commereio de hojefaz diversas con
sideragoes acerca do synherio nanceiro e refor-
mista.
Pensa aquella folha que os trabalhos da commis-
so talvez sejam distribuidos em tres captulos
principaes : o primeiro, relativo ao estado actual
da divida publica nos seus differentes modos de
ser ; o segn Jo quanto as receitas do thesouro ; o
lerceiro bu lmente, com respeito as despezas ago-
ra realisadas nos varios servicos da nago. Aquel-
le jornal depois de lamentar o estado de obscur:-
dade em qur se encontra talo quinto respeita a
divida publica, declara que da commisso nao se
podem esperar resultados, mas que seria ntil se
porventura desenredasse a nossa complicada esta-
tlsiica fiuancelra. Quanto a reforma dos servigos
nao espera consa positiva.
A representado dos odustiiaes e operarios
portuenses contra o tratado de commereio com a
Prussia contm 2,100 assignaturas. Diz-se que
ser apresentada ao governo pelo Sr. Fradesso da
Silveira.
AfBrma-se que no Gremio Industrial (de Lisboa)
se resolver que os industriaos portuguezes se abs-
tenbam de concorrer a qualquer exposigo inter-
nacional. O gremio pedir' ao governo qae em-
pregue em fomentar a Industria nacional oque gas-
ta em exposigo. Naqnella associagao vio abrir-se
conferencias sobre sociedades de crdito.
Diz-se que esta desfeito o contrato com a com-
panbla de caminbo de ferro de sueste, porque os
portadores das obrigagSes daquella empreza nao
conseguirn) no mercado de Londres aquillo a que
se obrigaram.
A este respeito accrescenta boje um jornal de
Lisboa o seguinte:
a Parece qae o Sr. Corvo (ministro das obras
publicas) s assignava o contrato da compra do
caminbo de ferro, dado o caso do agentes da com-
panhia consegolrem qne os capitalistas ioglezes
quizessem negociar com o governo a somma de
bonds n^cessaria para realisar o emprestimo de
3,700 cootos, e resgatar todos os snoprimenlos fal-
to* pelos estrangeiros sobre penhor da inscrip-
goes.
A praga de Londres nao se mostrou
transaegao, segundo se deprebende
eias.
No domingo 10, appareceram todas
forradas de vastos avisos, convocando
um meeting ao Cassino Lisbonense, onde se disen-
tira osysiema de administragoe outras cou-
sas mats. O convite era dirigido pela redaego da
Ver dade.
Parece que s a segunda parte do programma
que foi cumprlda.
Perto de 50J pessoas alli forana para ouvir os
debates entre o Sr. Figueiredo Guimares e os seus
antagonistas.
Quena la estove diz qne nao passon tudo aqulllo
de urna comedia das mals ridiculas. Presidia um
fabricante de sedas.
O Sr. Figueiredo qnii fallar, mas abafaram-ihe a
voz com pateada.
Outro individuo qae tinba sido sen intimo, nm
Sr. Ferreira de Campos, tomn a palavra e dirigi
ao sea amigo consocio nma violenta objurgatoria.
AccasoQ-o de estar vendido ao governo, e disse-lbe
oatras amabilidades deste calibre.
Algnns ontros individuos qaizeram tambam fal-
lar, mas a pateada 6 os assobios nao deixaram ou-
vir coosa algama.
Assim termiooo aquelle miseravel espectculo,
dado por certa gente em norae da opposigo, para
descrdito dos que nelle tomaramajarte. E' cim
estas msDifesiac5 diga-se a verdade, que folgam os governamentaes.
Cumpre advertir, porm, qne a gente seria nao
s cria nos conviantes nem se expunba a intromet-
-r-se naqaella maca, em que os profetas e apost-
las do ebamadoPartido florestalse cu&rirana
de recprocos vituperios e de qne as taitas minis--
tendo vindo por Franga e Haspanba em caminho
de ferro.
No paquete da carreira transatlntica que sai
amanbla para os portos do Brasil devem ebegar a
Lisboa os Srs. conde e condessa de Pars.
Amanha ou depois deve chegar a Lisboa o mar-
qoez de Salamanca.
Celebraram-se no da 11 em S. Vicente de
Fora as exequias por alma do Sr. D Pedro V, de
saudosa memoria. Grande concorrencia de cor-
poragSes, escolas, asylos. etc. Fe, a guarda de hon-
ra o regiment de infamara n. 10.
Na capella da escola normal em Marvilia tam-
bem nesse da se celebrou missa pelo eterno des-
cansado do mallogrado principe. Todos os anuos
se tem alli feito aquella piedosa commemoracao.
Chegaram a Lisboa, vindos de Frang, Mr.
Argaud, antigo director do crdito raovel portu-
guez e Mr. Daily, advogado dos accionistas fran-
cezes.
Veem encarregados de nrtssSes differentes, mas
ambos tendentes a resolver antigs pendencias que
o dizem respeito a companbia do crdito movel.
As sentinellas para o palacio de soa magesta-
de a Imperatriz viava, vo agora do qaartal do re-
giment de Infamara segundo. Sua magestade
imperial dispensou a guarda.
Falleceu o digno secretario do tribunal de
contas, o Sr. Caetano Fraocueo Pereira Gircez.
Da-se que vai ser supprimido o lugar.
Foi destruido pelas chamnm, ha poucos das
o palacio do duque de Loal, na travessa do Tbo-
rel ao Campo de Santa Anna.
O sea illostre propnetaro estava residindo em
Belm. O predio nao estava seguro. Perdeu-se
nm requissimo orgo qoe S. Exc. tinba mandado
vtr para a canetla de sen palacio de Vlalooga
Tem soa sina os palacios da casa no principio
deste secuto Sool. No largo da Graga ainda boje
se veem as ruinas d'outro que rdea.
o dia 8 voltou do cruzeiro na c sta a es-
quadra Ingleza composta dos navios Bellerophon.
Minotauro, Achules, Warrior, Lord Clydt, Lord
Warden, Pallas e Helicn.
0 marinbeiros conforme o costme, tem dado
qoe fazer a polica pelos excessos e embriaguez a
que g. ramente se entregan) qoando vem com li
cenga a trra.
Falleceu do flm do mez passado, em Leg* da
Palmeira, na provincia de Mioho, o conde da Ar-
rochella.
Nascera a 9 de agoslo de 1799.
Resolven o baro de Castalio de Paiva pedir
a municipalidad-i do Porto qne abra nmasobscrip-
gao para elevar no campo da Regeneragan daquel-
a cidade urna columna de granito, commemoran-
do o dia 24 de agosto de 1820, dia da resolugo,
que dea a primeira constijuigo a Portugal.
i
favoravel a
destas noli-
as esquinas
o povo para
PERNAMBUCO
REVISTA DIARIA
Acha-3s substitulndo ao Sr. Dr. Moscoso no
logar de vogal da junta militar de sade desta
provincia, o Sr. Dr. Joo Ferreira da Silva.
Para coadjuvar as despezas da guerra flze-
ram donativo de 5 por ceoto de seas vencimentos
os professores pblicos de instrocgo primaria Ge-
miniano Joaqnim de Miranda, Rodrigo Lobo de
Miranda, Manoel Roberto de Carvalho Guimares,
D. Sophia Guilbermina de Mello, D. Cosma Joaqui-
na de Lima Nuues e D. Maria Salom de Siqueira
Varejo.
Reunem-se boje os correctores desta praga,
aQm de procederem a eleigo da jaula, que deve
funecionar no futuro anno.
Segundo commanicago dp tbeatro da guer-
ra, de grande trancendeocia a tomada do Tayi,
por qne esse lagar ponto estratgico ; e a sua oc-
copago corta as communicago-s de Humayt com
nco, d'onde Lpez tira todos os seus re-
cursos.
Corra a noticia da lomada do Pac, a qnal a con-
firmarse d em resaltado estreiiar-se cada vez
mais o cerco, devendo Lpez pooco resistir.
Da mesma procedencia dizem-nos em data de
8 do crreme :
A noticia do combale de Tayuty boa pelo la-
do dos Paraguayos nio lerem conseguido o que
queran), islo ,arralar o acampamento e degolar
toda a nsia gente, para ao depois virem a (tapi-
ro, Pass-, da Faina, e talvez corlar a reclagaarda
da torga de Calas.
c E' boa s por esse lado, mas vergoobosa pela
imprevideocla n:ssa; pois.se esta nao fosse, pode
riamos K-!os apaohado a todos. Mas, emum, sem-
pre importante este feito, qae traduz ama formlda-
vel coca que elles levaramem paga do airevimento.
c O 4* balalbo de arti-baria al esta dala se nao
sabe dalle; oos qaerem qae fosse sorprendido, on-
tros todo morto, por y e oas tnnebeiras acbavam-
se muitos estendidos.
c Com effeito, a trtncbeira onde estava aqnelle
balalbo era a mais posta.
c A esquadra apannoa orna garrafa pelo rio Pa-
raguay abalxo, e nella bavia em nma tira de pa-
pel esta noticia : Lpez parte opressadamente para
Assumpc&o por motivos mu imperiosos.
t Ha qaem nistoqaeira ver urna sablevago alli.
Para o exercito pariem 20 mdicos, lamben)
poneos mais sao el les.
A Espiranca, de Corrientes, diz qne all espe-
rava-se a cada momento o contingente de Cordova-
sob o commando de Ayala, que seguir immediata-
mente para o exercito aim de eogrossar as fllelras
argentinas.
O professor pubiiec Alexandre Magno Pelxo-
to de Alencar foi transferido da cadeira de Cabro-
b para a da Cacboeira do Roberto.
Para reger interinamente a cadeira de ins-
trocgo primaria de Cabrob, foi nomeado Henn-
qne Benedicto Correa do Vasooncetlos.
Do I* de dezembro em dlaate as partidas
dos trens dos trllbos ursinos sarao reguladas pela
forma qae val transcripta) na tabella qae boje pu-
blicamos.
Se ebegar heje o vapor frasees do sol, des-
tfi'juiremos o n&sao nnasto-fe segaada-feiri.
Fizeram aelo na faculdade da diraito no di
28, os Srs. segnintes :
5* anno.
Joaqnim Pereira da Silva Lobo; plenamente.
Antonio Joaqnim Ribas Jnior ; ideo.
Lisia dos estudantes da francs, chamados a
exame no da 26 do corrente :
Plenamente....... 3
Simplesmente..... 7
Repr ovados...... t
Total ~
dem no mesmo dia, segunda turma.
Plenamente....... *
Simplesmente..... A
Reprovado*....... 4
Total fS
Lista dos estudantes de pnilosopbia chamados
a exame no da 16 do crreme :
Plenamente....... 6
Simplesmenle..
Reprovados.....
Total i* .
Lista dos estojantes de geographia chamados
a exame no da 26 do correla :
Plenamente...... i
Simplesmente-----
Reprovados...... S
Total H
Em varias occasies temos (aliado oesta Re-
vista dos vexames a* qoe se acha sojeita nossa pe-
pulago por caosa da falU de cuidado dos langado-
res pblicos dos imposto*, qne do logar a qoe a
faienda leve o exeentlvo a' pessoas qae ja deixa-
ram de possuir oo nanea possmram os bens sobre
qoe versam os imposlos qne Ibe sao cobrados.
Novamente vimos clamar contra esse veame, e
serve-oes de base para Isso, o qw <* afirma o
Sr. Francisco Mariobo de Albaqotrqoe, em alga-
mas liabas qoe nos dirigi.
Esse seobor tendo sido intimado em IM para
pagar o Imposto de capim da 63 a'84, deeahio da
respectiva aegio, porque provoo qoe nanea pos-
suio terrenos e planiagao de capias, nem nunca nt-
gocioo com tal genero. Agora Krvamaate tVH cita-
do o referido senhor para pagar o mesmo imposto
de 65 a1 66.
Do que provem esses engaos qoe se nao limi-
tan) ao Sr. Albuqaerqae? Sea dovida dos lacea-
dores que nao iodagam cem precisio qnaes os pro-
prietanos dos bens sobre qne faaem a collecu.
Mas esses langadores esto incluidos no ari. 50, J$
3 da lei n. 511 de 18 de junbo de 1861qne im-
poa urna multa ao empreado qoe concorre para
que seja ajolzado o conlrlbolnte qoe mestra nada
dever. E porque se nao pe em execago esse arti-
go de lei ?
Compre s autoridades respectivas selndicarem
desses tactos qne se repetem qnasl diariamente e
providenciar de modo a' qoe nio se; vexado qnem
nada dever a' faienda publica. *
Os logogripbos, bontem publicados em nossa
8" pagioa, sao : Camarote, Delegado, Porooolo e
Maraca. As respostas as pergonias enigmticas
sao : La-cato, Re barba, Hera-cho, Berna-nuvmn,
Madre perola, Ma lera, Analista, Uorum, Fronte-
fia, Mo rato e Adqut nr.
Domingo encela a companbia pernambucau*
as viagens entre esta cidade e a de Goyanna, por
meio de seus vapores. Nesta viagem val o Para-
hyba.
A mala fechaseho|es 2 horas da tarde, na ad
ministrago do correio.
Acabam de ebegar da corle, para a fabrica
de cbapos de sol a' ra do Crespo o. 4, algo as
exemplares d'oma lytbographia, apreseoiando as
posiges que occopam oa belligeranles no Para-
guay, feila pelo capito de eogenheiros Conrado
de Niemeyer. Vende se a i000 cada exemplar.
O seguinte soneto foi recitado pelo Sr. Salles
Guimares, na noite do sen beneficio no Santa Isa-
bel, ae Sr. Duarte Coimbra, empresario daquelle
tbeatro :
O valiente guerreiro abre co'a espada
Sangunea senda qne o eondnz gloria,
Abre o sabio as paginas da historia,
Nome eterno co'a penna sublimada.
Luterla.A que se acha venda
47.'^ a benecio da matriz do Ouricury,
que correr quaodo se annuociar.
Chamamos a attengo dos leitores para a no-
va tabella dus trilb^s prbanos do Recite aos Appl-
puco% qae val publicaJ 1 em outro lugar deste
Diario, a qual tem de regular do 1* de dezembro
em diante.
RbpabtiqIo. da pouciA.--Eitrato da parte
do dia 29 de novembro de 1867.
Foram rfccolhides a* casa de detengo no dia 28
do correle :
A' ordem do Ulm. Sr. Dr. ebete de polica, Joo
Pereira de M tilo, como pronunciado em crime de
furto de cavallo, no termo de Garaobans; Maooel
Baturil.Appellante exicutado o vigarlo Amo-
nio TOomaz Teixelra Galvo, appellado exequente
Antonio de Castro Larangaira.Joiies os Srs. Gui-
mares, Accioli, Basto e Miranda Leal.Anuul-
lou-se o processo de fls. 83 v. em diaule.
Victoria.Appellante autor Antonio Jos Alva-
res, appellado reo Antonio Pert-ira da Silva.Jui-
zes os Srs. Guimares, Accioli, Basto e Miranda
Leal.Annullado o processo de Os. 19 v, em
I diante.
Embargante Jos Antonio Brito Bastos, embar-
gado o coronel Domingos Aflonso Nery Ferreira.
Olhe, raen charo, vaidades, todos tem e a provin-
cia em que estamos nao lo grande que se nao
saiba, o qae nella se passa, e qua nos nio conhe-
gamos uns aos outros.
Grandes todos desejam ser. e algnns com menos
tolisse do qae o amavel collega, que mostra pelo
cavaco que da', estar despeitado por nio ter sido
naturalmente', contemplado a mais tempo com al-
guma badalhoca, das muitas que os governos pre-
sentes tem derramado por este mundo, sem essas
viagens de longo curso em que os seus aotepassa-
dos, cobertos de armaduras, biam em trras lan-
Appellaate Francisco de Paula Cavalcante, appel- giquns com inxmavel valor e o mai r desentcress,
lado Manoel Marlins Fernandes.Appellante Sa
vador de Siqueira Cavalcante, appellado Sebaslio
de Carvalbn da Cunha Albuquerque.Appellante
Joaqulm de Parias para .-r apresentado ao triba- \ Francisco das Chagas cavalcante de Albuquerque,
Taima tambem da cmica morada
Ao templo sobe da mmorttl memoria;
E tu, alcangars josia victoria,
D'essa furia da Inveja arrebatada.
O nobre entbnsiasmo qoe te langa
De Tnalia a segoir o sao preeeilo,
E' griga qoe do co tu'alna alcanga.
Esta testa cedeste em meo proveito,
Por lo alto favor, grata lembranga,
Hei de campa levar dentro do peito.
de
No cathalogo inglez perante a exposigo
Pars, colbemos o seguinte sobre o algodio :
c Antes da gnerra civil dos Estados-Unido), a
Inglaterra recebia deste paiz a maior parle das ma-
terias primas empregadas nesta industria (do al-
godo).
< O termo medio da importago total do algo-lo
bruto dos cioco aunos de 1856 a 1860 montn a
1,129 milboes de libras por anno 35,181,250 ar-
robas, o que estava por ceno moito longe de pre
fazer a metade da produego e do coosora total.
c S a Inglaterra possula eoto 2,887 fabricas
de fiar, pondo em movimento 30 milboes e nielo
de tusos e 400,000 teares dando qoe faser a 451,569
operarlos dos dous sexos.
Era eoto o bello tempo para os estados me-
rldiooaes da grande repblica americana.
< Os Estados-Unidos exportavam (1860)........
5,387,032 balas do peso de 200 kilogrammas cada
ornasetenta e qoatro milbSss oitoeesrtos e vinte
mil arrobas IIque se avalava em carea de mil
milhes de francos ou cem mil cootos de reia.
No principio da guerra da Amerita o tribunal
do commereio de Manchester tomn medidas acti-
vas para animar a callara do algodo em d ver-
sas partes do globo, e varias regidas, particular-
mente as indias ingieras, o Egyplo, o Brasil ou-
tros estados da America do Sol e mesmo a China e
o Japo augmentaran) consideravelmeote a saa
cultura de algodo e contribuiram para abasleeer
os mercados inglezes durante os annes.de 1861 a
1865.
Os tres paizes que orneeeram a malor quan
nal da relaeao; e Joo, escravo de Miguel Soares
Palmeira, a' requerimento deste.
O ebefe da 2a secgo
/. G. de Mesouita.
Casa di DiTENgo:Movimento do dia 28 de
correte :
Exlstiam presos 280, entraram 3, sahio 1,
exis em 282: a saber, nacionaes 195, molheres 5,
estrangeiros 36, mulber 1, escravos 44, escrava
I,total 282.
Alimentados a casta dos cofres pblicos 214.
Movimento da enfermarla do da 29 do corrente
mez:
Teve baixa :
Pedro Rodrigues de Lyra.
Teve alta:
Bened cto E. J. Rodrigos Lima.
Passageiros do vapor braslleiro Mamanguape,
vindos do Rie Formoso :
Jos Machado e Joao Francisco Ramos de
arantes.
Passagelro do vapor inglez Seine sahd) para os
pertos do snl :Joo Caocio Pereira Soares.
Passageiros do biaie brasileiro Sergipano,
sabido pira a ilha de Feromdo :J. P. Lins e 1
fllho, Maooel Jos da Silva unes, Jos Cortea,
Manoel Baptista Barbara.
Passageiros sabidos no h i ate brasileiro So-
brlense para o Aracaty : Ernesto Mootour, Joo
Agostioho de S Pereira, Jos Ribeiro Pessoa e 2
criados, Adolpbo Pazels.
Cmiiterio publico.Obituario do dia 28 de
da novembro de 1867 :
Vicente Ferreira da Silva, Pernambaco, 46 an-
uos, casado, S. Jos ; tubrculos pulmonares.
Tbeodora Francisca de Almeida, Peroambuco, 13
aonos, easada, Santo Antonio; caurrho pul-
monar.
Umbelioa Rosa de Figneiredo, Pernambnco, 45
annos, vlova, Santo Antonia; tubrculos palmo-
nares.
Francisca Maria da ConcelgSo, Pernambaco, 40
anno?, vinva, S. Jos ; bexlgas.
anoel, Pernambaco, 7 annos, S. Jos ; bexigas.
Francisca, Pernambuco, 7 mezes, Boa-Vista ; con-
vulsdes.
29
Maaoei, P-rnamboco, 20dias, Reclfe ; bexigas.
Samnel, Pernambuco, 6 mezes, eseravo, Boa vista
apbus na bocea.
Ano, Pernambuco, 58 annos, escrava, Boa-vista ;
schlrro no otero.
Manoel Joaqoim de Flgaeiredo Seabra, Pernamba-
co, 40 annos, viov.o Pogo ; |ihysica pulmonar:
Francisco Bcaveotnra de Mello, Pernambuco, 62
annos, viuvo.lBoa-vista; anazarca.
Joo, Pernambuco, 4 anuos, S. Jos ; cmara de
sangne.
CKBOMCV JLDIClARli.
TBIRIWL DO COSIUIEBCIO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 28 Dh.
NOVEMBRO DE 1867.
PRESIDENCIA DO KXM. SR. DESEMBARGADOS
ANSELMO FRANCISCO PERBTTI.
As dez boras da manha, estando presentes os
Srs. depotados Rosa, Basto, Miraoda Leal e sup
pente S LeilSo, foi por S. Exc. o Sr. presidente
aberta a sesso.
Lida, foi approvada a acta da sesso antece-
dente.
EXPEDIENTE.
Offlcio do Dr. secretario da presidencia de 25 do
corrente, convidando, de ordem de S. Exc o Sr.
presidente d provincia, ao Exm. Sr. presidente e
mals membros deste tribunal a assistlrem o corte-
jo do da 2 de dezembro prximo vindooro s 5
horas da larde.Ioteirado.
Offlcio do agente de lellSes Francisco Antonio
Puntual Jnior, firmado tambem de 25 do corre-
le, eommunicando, que por ha ver cessado o moti-
vo pelo qoil oblivera licanga para deixar o exer
elcio de seu offlcio, assnmira nessa data o mesmo
exercicio, cessando o do seu preposto Jos Mar-
ques dos Santos Agolar; ptlo qoe solicitava a exo-
cerago do sobredito Marques, fazendo-se as an-
notages do estylo.Fa;am-se as notas compe-
tentes.
Aos Srs. deputados foram distribuidos doas Ii-
vro< diarlos, nm de Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo A- C, e oatro de Jos Fernandes Gomes & C.
DESPACHOS.
Aotos de rehabilitago do commerciante fallido
Maaoei Alves Guerra.Vistos estes aotos etc.
Attendendo qae o impetrante tendo fallido sob sua
firma, feito com seos credores concordata, que
foi legalmente homologada, e tendo o concordata-
rio a satisfeilo como mostrara os docuirentos jun-
tos, o tribunal concede ao imptrame a rehabilita-
cao requerida, e o jolga apto para continuar a
commerciar, cessando desta forma a probibigao do
I 4. do artigo 2. do cdigo commercial.Passe-
se carta de rebabilitaco ao mesmo impetrante e
pagoe as cusas.Tribunal etc.
Sammario ex-offlcio contra Joo Ignacio Avila,
admioistrador do' trapicheAvilasito no largo
da AssemDia n. 25.Adiado para a 1.* sesso,
sendo convidado o Sr. desembargador fiscal para
assls.ir o jolgamento.
Nada mus bavendo a tratar-se, o Exm. Sr.
presidente enoerroo a sesso s 11 boras e meia
do dia.
appellado Manoel Alves Ferreira.Adiados a pedi-
do dos Srs. depotados.
PASSAGBM.
Do Sr. desembargador Res e Silva ao Sr. de-
sembargador Accioli :Embargantes os curadores
flseaes da massa fallida de Pedro da Silva Reg,
embargado Joaqulm de Sonza Fetreir.
DISTRIBUYES.
Ao S-. desembargador Accioli: appellantes Ra-
b Scbmelan & O, appellados os administradores
da massa fallida de Amorim, Fragoso, Santos & C.
Aa Sr. desembargador Reis e Silva : appellante
Joaqoim Luiz Vieira, appellados os administrado-
res da massa fallida o* Aoorlm, Fragosa, Santos
&C.
Ao Sr. desembargador Silva Guimares : appel-
lante Manoel Silveira de Freitas, appellado Manoel
Ignacio da Silva Teixeira.
AGGBAVOS.
Juizo especial.Aggravante a directora da Cal-
a Filial do Banco do Brasil nesta cidade, aggra-
vada D. Anna Mara Muniz-Aggravante Angelo
Romeiro Pinbeiro, aggravado Maooel Garrido.
O Exm. Sr. presideote deo provmeoto.
Jaixe especial Aggravante Manoel Joaqoim
Baptsla, aggravado o Dr. Joaqoim Jos de Cam-
pas da Costa de Medeiros e Albuquerque.
O Exm. Sr. presideote joroa saspeigio e foram
os aotos apresentados ao Sr. desembargador Silva
Guimares.
Nada mais houve e encerrou-se a sesso a
ama hora e nm quarto da tarde.
derramar seu sangut pelas glorias da patria.
Bravos do floreio 1 I..........
Bravissimo, Sr. commuoicante I I......
Venba a pinga na enfuza, e viva a S-a. Maria.
Descance, men amigo, que na primeira tornada,
vossa merc pega,baro das Raiatas.
Um portuguez sem aspiraces.
COMMEBGIO.
t_E!ff
Correspondencias
Srs. redactores.Acabamos de lr em sen con-
eeitnado Diario de boje a poblicago de iniciago
com qne se sahio o Correio dos Dous Mundos, es-
criptoem Lisboa pela primeira vez em o dia 7 do
presente mez.
Contra taes ideas protestamos enrgicamente e
at mesmo as declaramos de mao gosto e por do-
mis injustas; tanto mais quanto, tendo ellas sido
expedidas d'aqni para Lisboa em principios do
anno prximo pi.-sado r'maio oujunho) foram ellas
cabalmente all contastadas por um nosso compa-
triota aqui residente, conforme se v do Diario de
Noticias a. 516 de 28 de setembro do mesmo
anno.
Nao julgando a algam de nossos compatriotas ca-
pazos de taoio, eremos e s podemos aiinbur tan-
tas calumnias a despeilos polticos, com o sen-
tido unieo na descoDceiluagao da situagao de eo-
to ; pelo qoe, concluimos, declaraodo, que mais
admiramos a improcedencia de aceitago sem cri-
terio, do que a malevolencia do pensamento reser-
vado que as formulan.
Com a publicidade do presente protesto, moito
obrigados Ibe sero os de VV. SS- veneradores e
criados.
Jos Joaqoim de Fara Machado.
Jos Atevedo de Aodrade.
Guilberme Augusto Rodrigues Selle.
M. J. da Rocha.
Gaspar Antonio Vieira Guimares.
Jos da Silva L-yo.
Manoel da Silva Santos.
Antonio Gongalves de Azevedo.
Maooel Ribeiro de Carvalho.
Exlrahido do Diario de Noticias n. 516, publica'
do em 28 de setembro de 1866.
o Com prazer publicamos as segnintes liabas
< qae nos escreve o Sr... acreditado negociante
f de Pernambaco.
E' attestado insuspeito de que b exigeragSo
c as noticias acerca do estado dos nossos irmos
alli residentes.
t Pernambuco, 13 de setembro de 1860. -.Nao
ba aqu a menor novidade a commnoicar-lbe. O
t soeego publico nao pode ser maior. Os offlciaes
dos dous vapores portuguezes surtos neste por-
t to, Jolgo que esto satlsfeitissimos com o bom
t acobiraento qoe teem tido dos oaciooaes, A of-
c Qcialidade do balalbo da guarda nacional da
c Boa Vista dea am baile no dia 7 de setembro,
< no qoarlel das Cinco Poetas, oode se acharam
os offlciaes portogaezes, que foram magnifica-
mente tratados, e victoriados com phrenesi, por-
tanto ja v que, o que Ihe disse pelo paquete
t passado sobre o bom joizo qae formo dos Per-
c nambacanos nao foi sem razo. >
Fubicacoes a pedido
PRACA DO REC1FE 29 DE NOVEMBRO
DE 1867.
As3X horas da tarde.
(Hontem)
Assncar mascavado bruto do Rio Grande do Nor-
te 2850 por arroba posto a bordo.
dem idem da Parabyba2J680 por arroba posto
a bordo.
Algodo da Parabyba 1* sorte 94 e 84800 por
arroba pasto a bordo,
ldarn 2* sorte dito84 e 74803 por arroba posto a
bordo.
Fretelastro de assacar da Parabyba para Liver-
pool i'-ii por tonelada e 5 0/0
llem de algodo idem idem 3i4 d. por libra e
5 0/0
Hoje)
Algodo 1" sorte84500 por arroba.
Assacar mascavado porgado (americano) 2475")
por arroba.
dem idem bruto24600 e 24650 por arroba.
Cambio sobre Londres 90 d/v 20 3(4 20 7/8
e 21 d. por 140OO.
Cambio sobre Hamborgo90 d|v 855 rs. per ra. b.
Cambio sobre Portugal60 d/v 146 0/0
idem idem90 d/v pagavel em soberanos21 i/4
d, por I4O0O.
Frete de algodo daqui para Liverpool 5/8 d. e
5 por cento
dem de assucar do Rio Grande do Norte para
Canal-42/6 e 5 %
Silveira,
Presidente.
Macedo,
Secretario.
Engli-h" Bnk
OF
Rio de lanclro, Limited
DESGONTA letras da pra^a de praio car-
io a 8[0 e de prazo maior a taxa a conven-
cionar.
RECEBE dinheiro em conta correle e a
prazo fixo.
SACA vista ou prazo sobre as cidades
priocipaes de Europa tem agencias na Babia,
Buenos-Ayres, Montevideo Newyork, Ne-
va-Orleans e emule cartas de crdito para os
mesmos lagares.
7 Lirgo do Pelourinbo 7.
EM LIQIDAQ&0
Novo banco de Pernambuco
Os Srs. accionistas podem receber o 3.'
dividendo (em moeda corrente) de 10 0/0 do
capital, assim como o i. de 30 00, e o 2.'
de 46 0/0, j annunciados.
Novo banco de Pernambuco
em liquida$o
Os possaidores de notas da emisso do
banco queiram quanto antes apresental-as
ao troco. |
ALFANDEGA.
Rendimento do da 1 a 28........ 616:8894905
Idem do da 29................ 15:3184513
632:2084418
Mjviment > da alfandega.
Volomes sabidos com fazendas...
i c t gneros....
46
361
------407
SESSAO JUDICIAR1A
Mlrbow da
libras.
14
tidade foram as Indias inglesas, e o Egypto eo
Brasil.
t A importago de algodio broto em Inglaterra
em 1865 foi de:
MilhSes da
arrobas.
India ingleza................. 446
Estados-Unidos, eompreben-
dendo as libas Bahamas e o
Mlico....................
Egypto.. .................
Brasil............ ............
China.........................
Littoral do Mediterrneo......
Outros paisas........*.........
Total.........................
ou am pouco mais de 30 1/i milhSes de arrrobas.
Nnmaracao do3 bilbelesda lotera 47', ollera
190 6
177 51*
55 1 i/10
36 i 1/8
XI 9/(1
41 1 1/2
W8
cidos pelo thesooreiro das loteras, para as degf. vio. Filbos
tas da guerra, bilheiee ns. 235 a 244.
Os bU&etw tee produzido 014100.
EM 28 DE NOVEMBRO DE
1867.
fBBSIDBNCIA DO EXM. SB. DBSBMBABQADOB
A. t. PIBKTTI.
Secretario, Julio Guimares.
A's oaza boras e meia da manha declarou-se
aberta a sesso estando reunidos os Srs. desem-
cargadores Silva Guimares, Res e Silva e Ac-
cioli, deputados Rosa, Basto, Miranda Leal e sop-
plen'te Sa Leito.
Lida, foi approvada a aeta da precedeote sesso.
Foi ap'esentado o Jornnf do Rectfe n. 269 de 21
do corrente, enviado pela respectiva redaeco ao
Eim. Sr. presdeme, no qoal foram publicados os
avisos do mioisterlo da Justica n. 233 de 21 de
agosto de 1855 e de 12 de margo do corrente an-
1 dos quaes se v que, aos escrlves s devem
j contados 400 reis pelas certidoes mencionadas
no artigo 104 do regiment de custas e nao mil
reis.
ACORDAO ASSIGNADO.
Proferido a 21 do correnteAppellantes os ca-
ladores fiscaes da massa fallida de Pedro da Silva
ig, sapallada D. Marlanna, viuva Zinotti.
luuuiuirros.
ioiao especial.Embarcante antor appellante
Joaqalm igaach Ribeiro Janior, embargados reos
appellados os administradores da massa fallida de
Instruccao publica primaria.
Regiment interno para as escolas publicas
de inslrucc3o primaria desta provincia,
organisado em virlude do 7o do art. 3o
da lei n. 369 de 14 de mam de 1855, e
approvado pela presidencia da piovincia.
em 23 de agosto de 1859.
ART. 24.
as escolas publicas sero feriados, alem dos
domiogos e das santos de guarda, os de festivida-
de nacional designados por le, os de lato publico
declarados pelo govenu, os de carnaval desde se-
gunda at quarta-feira de cinza, os que decorrem
de domingo de Ramos a doralozo de Paschoa, o da
2 de novembro, E 03 QUE VAO DE 8 DE DE-
ZEMBRO A 6 DE JANEIRO.
& CJulaes Reis e Siiva, Accioli,
slo e Miranda Leal.Despresaraawe os embax-
ksendo voto vaaciJft o Sr. Minada Leal.
Muito se deseja saber e pergonta se a esse es
crupuloso Sr., que parece ter proenracio geral,
tomando a si direitos que Ihe nio competen) e as
signndose A'guns Portuguezes,o seguinte :
Primeiro, quaes foram os portoguezes que assig-
naram a subscripeo para a compra de urna casa
que se tinba de onerecer a nao sei quem, e se em
aigam desses que a assigoaram nao andara o es-
pirito de vaidade, pela promessa que se Ibe fe da
puoficdcao de seas nomes; assim come, se algnns
dos qae prometieran) assignar nao pozeram por
condieco, o obter se-lhes nma bixa para afardia?
Segando, qaem o correspondente nesta provin-
cia, do tal jornalCorreio da Europa^
Terceiro, qaem foi o maganao que recommendou
para a redaeco 00 proprietario daquelle jornal,
.as descomposturas que nelle sahirara centra os fl-
Ihos do paiz, por cansa de nma publicaco feita no
Maraohio r
Se se dignar responder-nos dr-lhe-bemos em
segnida algons eonselbos, que multo Ihe servirao
para a futura eolleco que naturalmente ba de es-
tar colligindo desses nomes rtspeitaveis, qae por
suas virtudes e afortiori foram involvidos com o
desse algaem, a quem nio coohacemos o qae tanta
gana merecea do estimavel CJliega.
Desorregam boje 30 de novembro
Mapor Inglez Crhysoletemercadorias.
Galera Inglezaflermi'onecarvo.
Barca inglezaReyal BrideHaca.
Brlgue inglezPara -idem.
ImportacSo.
Vapor inglez Seine, vindo de Soutbampton a
Lisboa, maoifestoQ o seguinte :
2i caizas queijos; a Johoston Pater & C.
90 ditas ditos, 1 dita dmbeiro ; a Thomaz de
Aquino Fonseca & C.
2 ditas pannos e coaros ; a Luiz de Moraes Go-
mes Ferreira.
1 dita queijos, 1 embrulho amostras a E. Fen-
ton.
1 eaixa livros; ao Bank of Rio de Janeiro.
2 ditas saogoesogas ; a J s Antonio Pinto Sa-
rodio.
1 dita vidros; a A. Caors.
1 dito jornaes; a A. M. da C So; res.
2 ditas vinbos e doces; a Henriqoe Btroardes
de Oliveira.
8 ditas (metas e conserva;, 2 barricas nozes; a
Jos Correa Braga & C.
1 caia livros ; a Joo W. de Medeiros.
1 dita tecdos de seda ; a Manoel Jos de Sonsa.
4 ditas vinho ; a Prente Vianna & C.
45 ditas qoeijos ; a Tasso Irmos.
I dita dinheiro de ooro ; a Maibous Austio & C
1 dita livros; a J. de Vascoocellos.
1 dita joias ; a Lehonann freres.
1 dita ditas; a Hvnvern .t & C
1 dita mercadorias diversas; a J. J. Goncalves
Beltro.
2 ditas objectos de oso ; a H. Brood.
1 dita mindetas ; a Vaz & Leal.
1 dita mercadorias diversas ; a E. Tarpin.
1 dita ditas ; a Aires Hamburger & C.
1 dita ditas ; a' Irmia Lerat.
2 ditas ditas; a Linden Ileydman & C.
5 ditas ditas ; a Magalbes & Irmao.
1 dita ditas ; a Carneiro & Nogoera.
2 ditas d;tas; a K-iller & U
7 ditas ditas ; a Lopes & Oliveira.
3 ditas ditas; a Monteiro & Irmo.
2 ditas ditas ; a Silva & Cardoso.
1-dita ditas; a D. P. Wild & C
1 dita ditas; a Ferreira & C.
3 ditas ditas; a Adriano Castro 4 C.
1 dita ditas ; a Feliz de Canlalice. v
1 dita' ditas ; a Rabe Schm-ua i C.



]_ UEGfVEL _}
(_ MUTIMBO l


Mri 4e Wm*mhme+ Nabbasj* JO de \vembr de 1867.

_' '*'''"
r
1 dita mercearia ; a J. L. G?iWes Ferrei-
ra C.
i diu calcado ; a Arantes & Lyra.
7 ditas qoeijos ; a J.H. Palmeira.
2 dita* ditos; a Bailar & OlWeira.
110 ditas prorisoes ; a Isidoro Bastos & C.
2 ditas livros; a Lailbacar & C
53 ditas qoeijos; a M. P. Corga Jnior.
30 ditas ditos, 1 dita tectdos diversos ; a A. Do-
moni
15 ditas qoeijos; a' ordem.
12 ditas ditos ; a J. J. Castro Moora.
1 dita sangoesugas, 1 dita mercaduras diversas,
Sobrado n. 47. Dr. Bernardo Pereira do Carmo
. Jnior.
Idea idem o. 4.Mosteiro de S. Benio.
dem dem o. 6.dem idem.
dem Idem d. 8.Irmandade do Santissime Sacra-
mentado Santa Antonio,
dem idem n. 10. -dem idem.
Ideai idem n. 12.dem idem.
dem Idem n. 18.Bernardo Alves Pinheiro e ou-
iros.
dem idem n. 20.Anna Tbereza do Sacramento,
dem idem n. 24.Sabino da Canha Fragoso.
dem idem n. 26.Antonio Perreira Braga.
1 embrclho amostras; a Domingos Alves Matheos. dem idem n. 28.Irmandade das almas de Santo
1 dito ditas, 13 calas qoeijos ; a Marques Bar- Antonio,
ros & C
1 dita e 1 embrulho tecid diversos; a A. C
de Abreo.
i dita ditos, 1 embrulho amostras; a Joo P.
Lopes.
5 caixas modas; a madama 11. Adoar.
i embrulho amostras : a Joo A. de Araajo
&C
1 dito ditas ; a A. V. da Silva Barroca.
1 dito ditas : a A. Henscbel & C.
i dito ditas; a Moohard, Metter & C.
1 dito ditas; a Scbafheitlin & C
1 dito dIUs ; a H. Wilmer.
RECEBEDURIA DE RENDAS INiERNA'-
GERAES.
Rendimento do dia 1 a 28........ 35:0183639
dem dodia29................. 910*301
COMPANHIA
=
^v
35:92839 iO
CONSULADO PROVINCIAL
Rendimento do dia 1 a 28.
dem do dia 29........
69:2113419
2:483*684
71:6953103
MOVIMENTO ]J0 POETO
Navio entrado no dia 29.
Liverpool por Lisboa- 21 das do Io porto e 16
do 2*, vapor ioglet Chrysolite, eqoipagem 24,
carga faif ndas e ootros geaeros; a Thomaz
JeOerles & C.
" Navios sahidos no nvsmo da.
Rio de Jaoeiro e BabiaVapor braseiro Guar,
commandante o Io tenente P. H Daarte.
Liverpool pela Parahyba Brigue inglez Fila,
cap'to Anderson ; em lastro.
Hampton Roads Patacbo ioglez Harp, capitao
Angel; carga assacar.
.- *!'
.DECLARAOS.
Companhia do Beberibe
A directora desta corupaDhia faz sciente
aos senhoics accionistas, que o caixa desla
companhia c mmendador Thomaz de Aq*ji-
no I onceca, est autorisado a pagar o 39
dividendo de suas accoes na proporgSo de
3:>o00 cada ama, no sea escriptorio da ra
do Vigario n. i9, das 10 horas da manh
3 da tard e.
Escriptorio da companhia, 18 de novem-
bro de l8.7.
O secretario
Dr. Prxedes Gomes de Souzt P.tange,
Antonio.
Idem Idem n. 30. Joaooa Mara dos Santos Mo
raes.
dem idem n. 32.Dr. Antonio Joaqoim de Mo
raes e Silva,
dem idem n. 34.Manuel Jos do Amaral.
Hdem idem n. 38.Tutor de Francisco Goncalves |
da Rocha.
Casa terrea n. 50__Os mesmos.
dem idem n. 52.Dr. Joo Capislrano Bandeira
de Mello,
dem idem n. 54.Loii Jos da Costa Amorim.
dem idem n. 56.Jos do Reg Pacheco.
dem idem n. 58. Bartholomeu Francisco de
Sonza.
dem idem n. 60.O mesmo.
dem idem n. 62.Manoel Gomes Viegas.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cite, 9 de novembro de 1867.
O escrivao,
________Pedro Rodrigues de Souza.
Coosellio de compras uavaes.
O conseibo contrata no dia 5 de dezembro do
corrente anoo, avista de propostas reeebidas al as
11 horas da maoha, e sob as coodic5esdo estylo,
o fornecimento aos navios da armada e estabele-
cimentos de marinha, no trimestre de jaoeiro a
marco prximo vindouro, do segrate :
Vveres, dietas e outros.
Objetos de consamo.
Arror do Maranhao, agurdenle de 20 graos, as-
sacar braoco grosso, aletria, ararota, assacar
branco refinado, azeite doce de Lisboa, bolacha,
bacalho, bolacbioha americana, carnauba em ve-
la, cha byssoo, cevadinha, eme secca do Rio
Grande do Sal. caf em grao, carne verde, farinha
de mandioca da trra, feijao. galinha?, lenha, man
telga ingleza, matle, manteiga franeza, pao, sal,
sabao, toucinho de Lisboa, tapioca, tjlo de alve-
aaria grossa, vinho de Liahoa, velas stearinas e
vtoagre de Lisboa.
Sala das sessSes do conseiho de compras navaes
26 de novembro de 1867.
Alexandre Rodrigues dos Aojos
Secratario.
BRASILERA
DI
Paquete a vapor
Dos portos do sal upando
at o dia 7 de ~1nimfciin aaor
Cruzeiro do Suf, commandante
Alcoforado, o qual depsis da de-
mora do costme seguir' para
os portos do norte.
Desde ja se recebem passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder coadozir a qual dever
ser embarcada no da da soa chegada, encomraen-
das e dinheiro a hete at ao dia da soa sabida as
2 horas. Previne-se aosSrs. passageiros qoe soas
passageDs s se recebem nesla agencia roa da
Croz o. 57, primeiro aodar, escriptorio de Anto-
nio Lniz de Oliveira Azevedo & c.
mmii rnilmim
DE
Xa vega cao costeira por vapor.
Parahiba, Natal, Maco, Mossor, Aracaty,
Ceara' e Acarac.
Segne no dia 30 do
correte as 5 horas da
tarde o vapor Pirrpama,
coaimandante Torres. Re-
cebe carga al o dia 29
as 2 horas; eocommen-
das, dinheiro a freie e
passageiros al as 2 oras do di da sabida : es-
criptorio oo Forte do Male* n. 1.
OTIMIli BVSiLEIA
DE
Paquetes a vapor
No dia 4 de dezembro, depois de Suda a au-
diencia do Illrr. Sr. Dr. juiz municipal da 2* vara,
ba de ser arrematada por venda por ser a ultima
prga, a casa n 8 do rale.? .rja Penha, chaos prc-
prios, cujo escripto acha-se eup podnr do porteiro
dojuizo, evai a' praca aVeqoerimeato do testa-
menteiro do teaente-c^ronel Caetano Alberto Tei-
s-ira Cavalcanti para cumprimeuto de legados
pos.
Dos porlos do norte espera-
do at o dia 10 de dezembro o
vapor Paran, rommandante
o capillo de fragata Santa
Barbara, o qoal depois da de
mora do costme seguir' pira
osportos do sul.
Recebem-se desde j passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder condozir a qual devera'
ser embarcada no dia de saa chegada, encomraeo-
das e dinhelro a frete at o dia da sahida as 2 ho-
ras. Previne-se aos Srs. passageiros que soas
passagens s se recebem oesta agencia roa da
Cruz n. 57, aodar, escriptorio de Antonio Loiz
de Oliveira Azevedo A C.___________________
SOMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegaco costeira por vapor.
Macei e escalas e PeDedo.
Segu no da 30 do correte as
5 horas da tarde o vapor Poteng,
commandante Pereira. Becebe
carga at o dia 29 as 2 horas,
encommendas, dinheiro a frete e
passageiros at as 2 horas do dia da sabida : es-
criptc rio no Forte do Matos o. 1.
i
LEILOES.
LEILAO
iioji;
O agente Pestaa fara' leilao de urna escrava
parda vida do sarto do Ico s beodo coser bem e
com perbicio, cosioba e eogomma poooo vendi-
da por preclsao, o leilao sera' feito. na ea fui da Ataociacio Commercial oo largo do Corpo
Santo as 11 horas da maohaa do dia cima.
mm
Da arnaco, geaeros, gaz e mais per
lences da taberna sita a roa da
Haigaeira r 2.
u agente Martina fara' leilao competentemente
anthorisado da armaeio, gneros, caz e perteoces
da taberna acim em ura oo mas lotes a vootade
dos compradores, a qoal se acha moito afregae
zada
Terca fera 3 de dezembro.
As 11 boras do dia oa mesma taberna, o halan-
Co pode ser examinado em mao do mesmo agente
a rna do Imperador n. 16.
Jxiste nesta typographla um carta do Sr.
Jeronymo Ucboa Cavalcanti para Ihe ser eoiregoe,
que deii Dominga Martias- de Barro Mooteiro.'
De i20 saceos com
nian-
Terca-feira 3 de dezembro.
O agente Pestaa fara' leilao por conta de quem
perteocer de cerca de 120 saceos com farloba de
mandioca em om oamais lotes : oo da 3 de de-
zembro as 11 horas oa porta do Aunes.

Santo Amaro.
Tendo de serem arrematados os coneertos ne-
eessarios
LISBOA
Jauta de corretores
De conl un: j.de com o art. 2 do regiment
interno, s i envidados es senhores corretores a
se reaniren: n i da 30 do crreme, as 2 horas da
tarde, no li gar do costume, para a eleifo da nova
junta que t- u 'f fonccionar no anoo de 1868.
Sala das -'s da junta dos corretores 26 de
novembro 1867.
J. da Crnz MaceJo
Secretario.
Consulado provincial
Pela me3 do consulado provincial se faz publi-
co que no da 3 fe dezembro vlndooro se prioci-
piam a cenar f 30 das otis marcados para a
cobranza bocu do cofre dos impostes da decima
dos predios orbao s das freuezias desta cidade,
dos Afogd. ; al Giqui, e do Poco da Tanslla al
a povoaca dos Apipucos, e de 5 0/0 sobre os beo>
de raiz pen ^cenes a' corpcr*t8is de mao mona
relativa a 1 semestre do anuo Goaoceiro de 1867
a 1868, fi ando -uj^itos a mulla de 6 0/0 os con-
tribuintes qos lagarera depois de Gndar os ditos
30 dias.
Mesado c n-olalo provincial de Pernambaco 26
de novembro Je 18u7.
Franc- o Amyotbas deCarvalho Mcnra.
Pela receh'. :*' na de reodas Dterons erae.;
se faz publico qoe tica marcado o prazo de 30 dias,
contados da pub':caco deste, aos devedores de di-
zima de chancellara, averbada em virtade do de-
creto 230 de 22 de outobro de 1842, am de virem
paga-la ; fiado o referido prazo sero remettidas
a tbesonraria de fazenda as rela^o^s de t 1 -s os
devedores qoe teem sidoremetUdas pelos differen-
tes escrlvaes, relativas a cansas ja decididas, para
se proceder t cobranza executiva.
Becebedoria de Pernambuco, 22 de novembro
de 186/.
Manoel Carneiroe de Souza Lacerda.
Santa Casa da Misericorda
do Recife,
Aillma.janta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife manda fazer publico qat
na sala de soas sessoes, no dia 5 do viudooro pe-
las 4 horas da tarde tem de ser arrematada: a
quem mais vantagens offereeer pelo tempo de om
a tres annos as readas dos predios em seguida
declarados:
Eslabelecimenlos de caridade.
Ra do Padre Floriano.
Casa terrea n. i7.......I86000
Casa terrea n. ii>.......182*500
Ra larga do Rosario.
Terceiro andar do sobrado n. 24 301O0
Ra da Gloria.
Casa terrea n. 23........i9:000
PatrimADio de orphos.
Roa do Vigario.
Primeiro andar do sobrado n. 27 181000
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 99.......256JO00
dem n. 94.........2015000
dem n. 108......... 201(1000
Sitio n. S no Forno da Cal. 150*00;
As arrematares serao fe "I las pelo tempo denm
a tres annos, devendo os licitantes vlrem acom-
panhados de seas fiadores oa manidos de cartas
destes.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife 28 de novembro de 1867.
O escrivao,
Pedro Rodrigues de Sooza.
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
Pela secretaria da Santa Casa da Misericordia
do Recife sao convidados os senhores proprielar ios
dos predios abano declarados, cojos terrenos per
teneeram ootr'ora ao Sr. Fraoclseo Lios Paes Bar-
reto e soa molher e por tiles doados a Santa Casa,
para qoe comparecen a esta secretaria, afina de
pagarem os frot que se acbam a dever, e asslgna-
rem o respectivj termo, reeonhecendo a mesma
Santa Casa como senhor do dominio directo de di-
tos terrenos.
Roa da Roda.
Casa terrea n. 11 Antonio Perreira Braga,
dem idem n. 15.Jos Leopoldo da Silva.
Sobrado n. 17.-D. Emilia Carolina Madelra Per-
reira.
Casa terrea n. 19.Capfto Martins (morador em
Beberibe)
Idem idem n. 21.Joaqaim Pacheco da Silva,
dem Idem o. 23.Antonio dos Santos Vieira.
dem idem o. 2o.Ignacio de Sa' Lopes Fernan-
dos,
dem idem n. 27.Flix Antonio Alves Mascare-
nbas.
dem idem n. 31.Miguel Jiaqaim da Costa,
dem idem n. 33.Bernardo Alves Pinheiro.
dem idem n. 38.Marta Prancisca da ConceiQao
e Silva.
Sobrado n. 39.HerdeJros de D. Joaquina aria
Pereira Vianna.
Casa terrea b. 41.Paulo Marques e Antonio Fran-
cisco Macota.
idem idem a. 43.-Pilbos de Jos Rodrigues dos
i 1SS08.
i-Jem Idea n. 45.-Manoel Joaqaim Baptlst.
PE JANEIRO
Pretende segnir com multa brevidade a barca
Despiqu II, tem deas tercos de sea carrega-
mento a bordo para o resto qae Ihe falta trala-se
com os seos coosignalanos Antonio Luiz de Oli-
ve ira Azevedo & C. ra da Cruz n. 57.
Achando-se com a maior parle de sea carrega-
mt-Lt i prompt i o biale portuguei Pensamenlo, se-
guir'em paucos dias para c r-erido porto:
no quartel de Santo Amaro, destinado qera pretender embarcar o re^to dirjase a ra
recopcao dos immigrantes, coovida-se aos pretn-:do Vigario o. iO, a Bailar & Oliveira.
denles a no dia 26 de dezembro prximo pelas 11
horas da manhia, apreseotarem na thesouraria de
fazenda soas popo-tas em carta fecaada. O orna-
mento da quam. v. de 1:"ojoO() acha se na ra dos
Pires o. 41, casa de residencia do abaixo.
Recife 2o de novembro de 1867. engenheiro,
Chryssolito Ferreira de Castro Chaves^_________
Arrematacao
Sabbado 30 do crrente.
Depois da anuencia do Mm. Sr. Dr. juiz muni-
cipal da segunda vara, val a' praca de venda por
execucao do fcaro de Bemfica contra Angelo l\o-
neiro Pinheiro, 2 bilnares de mogoo avahados por
4(0, com todos o* seas perteuces, 1 ecretaria era
bom estado por T6&, 1 mesa grande para jaotar
por 20#, 4 guardas-|jm;a psqueuos seoJo 2 de ja
caraoda e 2 pintados de pretos por 60$, lo cade-
ras de palilnba em ino estado por M$, 1 sof de
amarello osado por 105, 1 dito pequeo com o eo-
eosto quebrado p >r 55, 1 contlo de amarello cora
lampo de pedia e com um graode espelbo osado
por 305, 1 mesa grande de amarello em bom es-
lado por 405, 1 cabide de amarillo para chapeo
por 85, 1 relogio de cima de mesa pjr 15'5, 19
qaadros por 385-
A arrematado sera' feita no primeiro andar do
sobrado n. 44 da ra larga do Rosario, hotel Tro-
vador, depois da referida audiencia do dia 30.
AVISOS DIVERSOS.
PEDIDO
Tendo de celebrar-se a benito de qtiatro
sinos da igreja matriz de S. Jos do Recife,
domingo Io de dezembro s 4 boras da tar-
de, convida-se a todas as corporaces reli-
giosas desta cidade para se dignarem orde-
nar qoe, n'essa occasiSo (que ser annun-
ciada por gyrandolas de fogo do ar), repi-
quem os sinos de suas igrejas, para maior
briibantismo de semelhaote acto,
A igreja mairiz de S. Jos retribuir com
igual favor, todas as vezes que se fizer mis-
ter.
D. Man* Carlula Kuiinguos Alves agradece cor-
dialmente as pessoas que fl/.eram a honra de
acompanhar ao Crmilerio publico os restos mor-
laes de seo presado filbo Manoel Jos Rodrigues
Alves e de novo coovida os mesmos e mais pa-
reles do finado, para assistirem a missa do sti-
mo dia, que pela alma do mesmo nnnda rezar na
malrir do Corpo Santo as 6 boras da manba do
da 30.
Para o
O palhabote Garibaldi:
mao.
t'ear
a tratar com
Tasso Ir-
i-ara Lisboa
va sabir* com muita presteza a bem conheclda
b>rca lana : para carga trata-- cora os consig-
natarios Camino & Nogueira, ra de Apollo nu-
mero 20.
Pretende seguir com a maior.brevidade possivel
barca portugueza Claudma, por ler a maior par-
le do sea carreeamente enga;ado : para o resto e
passageiros, aos quaes offerece encllenles com-
modos, trata se com Cunha Lmos ^ (>., a' ra da
Madre de Dos n. 34, ou com o capito a bordo.
THEATRO
DE
EMPUEZ A--COIMBRA
Segunda-feira 2 de de:embro.
Espectculo em grande gala para
solemmsar o feliz natalicio de s. m. o
Imperador o Su. D. Pedro I!.
Logo que o Enm. Sr. barao de Villa Bella moito
digno presidente da provincia se dignar appare-
cer na tribuna, a orchestra tocara' om pequeo
entre acto, flodo o qoal a Sr. D. Carolioa Falco I
cantar secundada pelos artistas dramticos
0 HYNINO NACIONAL
Em seguida representar-s-na pela primeira
vez o drama em 4 actos, original braseiro, com-
posico do Illm. Sr. Victoriano P*lbares
m DRAMA DO 8ECIL0
Denomioaco dos actos.
!.Oaro e amor.
2.Obrado dlab".
3.* Loz no abysmo.
4.*Desgraga aben^oada.
PERSONAGENS.
Bare de Flores......O Sr. Tbomaz.
Jorge de Agoiar.....> Macedo.
Julio de Oliveira..... > Peregrino.
Mauricio de Souza. Lisboa.
Ignacio.......>i Telxeira.
D. Mara.......a Sr.' D. Antonia.
D. Olimpia......> > Julia.
Magdalena...... Jesnina.
Io convidado......O Sr. Emiliano.
2* dito........ti Barrete
3* dito.......> > Guimares
Commandante da forca.
Um criado......> Santa Rosa.
Antonio, criado.....> > Stqoelra.
Soldada* de poiicia.
poca actaalidade.
A empreza tendo de fazer representar pzra
maior oleraoidde desse dia, om drama novo,
original braseiro, preferio entre outros de que
di'puoha, o drama do disuado Iliterato o Sr.
Victoriano Palbares, nio s pelo merecimento do
drama em si mesmo como tambera pelas qualida-
des do autor, e por ser elle Olho dtsta provincia,
que sempre vida de apreciar merecimento real
de seus Albos prestar-lhe-ba por certo o acolhi-
mento de qae elle credor.
Os bilbeles ac am se desde ja' a' venda no es-
criptorio do tbeatro.
Rio-Grande do Sul.
Patacho bras leiro Cordiao, capitao Manoel
Francisco Fernaodes, segu, com brevidade por
ter parle da cvrga contiatada. Para a qoe Ihe
falla tratase com Miguel Jote Alves, n. 19, rna da
Cruz.
liba de S Miguel.
Para o porto cima segee o patacbo portuguez
tJorgeose> de primeira marcha, para carga e pas-
sageiros trata-se com o consignatario Joo do Re-
g Lima, ra do Apollo n. 4.
Para a Baha
Hiae Dous Irmaos : a tratar com Tasso Irrno,
ou Sr. Quintal no trapiche do algodo.__________
~compTnhia~pIrnambucana
DE
\avegacfio costeira per vapor.
Goianna.
No dia 1 de novembro se-
gu para o porto cima o va-
por Parahyba, commandante
Mello. Recebe carga, encono-
menda e diobeiro a (rete:
escriptorio uo Forte do Ma-
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
ftavegace costeira por vapor.
Rio Formse
O vapor Uamanguope, com-
mandante Costa, segoe para o
porto cima Indicado no dia Ia de
^
O abaixo assignado, carador fiscal das massas
fallidas de Silva & Olivelra e Joaqoim Luis Ribei
ro da Silva, conslando-lhe qae algaem auda rece-
bendo dividas de ditas massas, protesta preceder
com todo o rigor da le contra quem ti ver abusa-
do da boa f dos devedores as ditas massas ; e a
estes avisa para eue nao pagoem debito algum
sob pena de o fazerem ootra vez.
Recife 27 de novembro de 1867.
Francisco Guedes de Arao)">.
Preelsa-se de ama ama Da roa de Saou Tbe-
reza d. 16, para comprar e cosinhar para duas
pessoas. ________
/?
ma.
Preclsa-se de orcn ama para cozinhar
do Livramento n 14.
na ra
Francisco Gil de Sooza Teixeira e Antonio
Pereira de Sampaio, fazem sciente ao respettavel
publico, e com esoecialidade ao corpo do commer-
cio que no dia ISdeoutuhro prximo pausado, dis-
solveram amigavelmente. a sociedade que linham
na cocheira da roa das Flores n. 35, que gyi ava
sob a firma social de Teixeira & Sampaio, por te-
rem vendido dito eslabelecimento ao Sr. Francisco
Torres da Costa, retirando cada om dos socios
pago e satisfello dos seus fondos, depois de have-
rem pago todo o pas-ivo de dita sociedade, sendo
que por isso nada devem oesta praca e nem fra
della, corapetindo a cobranea das dividas activas
exclnsivamente ao socio Sampaio, como nico com-
petente para tal iim por assim lerem ambos con-
venclonado.
Alu#a-se
para passar a festa oo por um anno, ama casa em
Olioda, com excelleote vista e moito fresca, com
tres salas e cioco qaarl s, cozioba fra e bom
quintal, com terracos adunte e atraz com acentos
de pedra e cal : a tratar oa praca de Pedro II, li-
vraria da Infancia n. 6^______________________
Aluguel
Aloga-se no caf commercial om escravo oa
forro para todo o servjco : a tratar no mesmo ca-
f, no largo do Cocpo-Santo d. 9.______________
Dinheiro a premio
Dase a p emio 1:0005 oa 2:0004 com garanta
de oaro oo bhlbaotes, ou hypotbeca em orna rasa:
quem precisar dlrija-se a toja de relojoeiro defron-
ie do boceo do Rosario, que dir' quem da'.
Precisase alagar orna ama qae salba bem
cozinhar e sirva para ir as compras : na roa da
Imperatriz n. 34, 1* andar._______________
Um moco habilitado para ser ajodante de
nm guarda livros de orna casa commercial, tendo
mnilo boa letra e escrev^ndo com orthographia e
sendo perito em cootabiUdade deseja empregar-se
em um escriptorio, se offerece quatqaer garanta
sobre soa conducta : quem precisar pode se din-
dezembro a meia noite. Recebe gir a ra estrena do Rosario n. 10, das 10 boras
, carga, encommenda e diobeiro a
frete at o dia 30 do correle e passageiros a bor-
do at a hora da sabida.
Para.
Segoe com brevidade o patacbo nacional Volan-
te por ler grande parte da carga engajada ; para
a qne ainda pode admitiir trata se com o respecti-
vo consignatario Antonio de Almeida Gomes, .a
ra da Croz o. 23, 1* andar.
da manba as 3 da tarde, 1* andar.
Ulub Pernambucano.
O baile do aaniversario de instailaclo tera
iogar no dia 1 de dezembro prximo fu-
turo.
Racife 20 de novembro de 1867.
P, J. Layne.
____________________Emprezario.
Ainda dase algom dinheiro a joro sobre hy'
potbeca : a tratar na ra do Padre Floriane o. 71'
Criada,
Precisase de orna criada llvre para eogomorar
e servir orna senhora : na ra da Cadeia n. 57.
O aballo assignado declara ao corpo do com-
mercio e a todos em garal qoe o Sr. Mathias d-e
Azevedo Villarouco deixou de ser o gaarda livros
e procurador de soa easa. Recife 28 de novem-
bro de 1867.
____________ Joo de Siqoeira Farra o.______
Aluga-se ama casa com sitio oa Passagem
confronte ao cbafariz acbaodo-se a easa em per-
feito estado : a tratar oa mesma casa.
Precisase
de urna ama a' roa de Aguas Vt-rdes n. 70, pri-
meiro andar, que cosinhe e compre.
Declaro que perd urna letra de 754$ sendo
devedor o Sr. Prodeocio de Ollveira Pimeotel e o
aviso para qae nao pague a pessoa algoroa e sim
ao aoaunciaole, dita letra j esta' vencida.
Alexandrino de Figaeirrdo Lima.
Appareceu no da 26 do correte em ca.-a de
Joo da Costa a' roa Imperial o. 108, om preto de
oome Pedro, qoe diz ser escravo de am Sr. Case-
miro do eogenbo Contendas, pedindo para qae o
comprasseo que o annanciaoH declara que nao
se respoosabilisa de forma alguma pelo mencio-
nado escravo. Recife 29 de novembro de 1867.
Ama
Precisa se de ama ama para cosinhar
do Apollo n. 14, armazem.
na roa
Aluga-se o primeiro aodar da casa da roa
Nova n. 68 : a tratar na mesma.
Precisa-se de urna ama para cosinhar para
tres pessoas: na praca da Sania Cruz n. 12, ta
berna.
CASA DA FORTUNA
Aos 5,000$
BILHE1ES GARANTIDOS.
A' ra do Crespo n. 23 e casas do costme.
O abaixo assigoado venden nos seus maito feli-
zes bilhelos garantidos da lotera que se acaboo de
extrabir a beneficio das familias dos voluntarios
da patria os seguate? premios :
N. 3421 um meio com a sorte de 5:0( OJ.
N. 1913 dous quart s cora a sorte d- 9U0#.
N. 838 am meio com a .-orte de 40J5.
E outras muitas sortes de 100, 40 e 20.
Os possuidores podem vir receber seus respecti-
vos premios sem os descontos -las leis na casa da
Fortun ra do Crespo n. 23..
Acham-se a venda os da a beneficio da
de Ooricory (46*) que se extrahlra' quando for
annanciado.
Preco.
Bilhete.....63000
Meio......33000
Quinto.....13200
Em porco de iOOl para cima.
Bilhete.....53300
Meio......23750
Quinto.....13100
Por Manoel Martins Fiuza.
Gentil II. Rodrignes de Scoza.
Ama
Precisa-se alagar orna eserava para oozlnbar e
engommar : na roa de S. Francisco n. 54, para
pequea familia.
Fundido d Aurora em San-
to Amaro.
Completo sortimento di taixas de f rro
coado molde raso, ltimamente aprovadas
para o fabrico do assucar.
HopltarPorii^iii-de KeneC
eemela.
Por autor.sacao da provedorta do hospital porlu-
gaez de benehcencia, Dr. Prxedes Pitaoea. d
consultas gratis lodos os dias das 7 1,2 as 9 ho-
ras da manhaa, nos saldes do mesmo hospital no
sitio do Cajueiro. '
A instruccao publica
NO BRASIL
Pelo ceoselheiro
Dr. los Liberato Barroso.
Acaba de chegar esta obra e vende se na hvra-
ria economiea defroote do arco d) Santo Antonio.
Cartas
Na companhia peraambucana ba cartas para os*
seguintes senhores:
Dr. Antonio Vieira Caldas.
Dr. Raymuudo Braulio Pires Lima.
Carolino de Lima Santos.
Dr. Ernesli de C. Pires Lima.
Lizardo Beroardido da Rocha.
Prtcisa-se de um rapaz para caixeiro, prefs-
re se pertuguez no pateo do Terco n. 141.
Preci;a-se de
zo n. 30.
urna ama : no patoo do Parai-
Ama.
Precisa-se de urna ama que saiba cozinhar e en-
gommar para casa de pouca Lmia : na rna da
Cruz n. 8, i4 andar.
Cmiioua-se a rdalhar o sitio da estrada :
Joo de Barros, esquina do bceo do Espiubeiro,
ficando com Juas ras de nascente a poente e duas
de sal a n Me, formando quadros conforme as
posturas municipae--. Os terreos ficam com 160
a 180 palmos de fuodo, e moito proerios para
moradia, visto a salubrtdade do lugar, e code io>
preterivelmente devo ser urna da? estagSas da es-
trada de ferro de Olioda, que segundo o contrato
deve dentro de 10 mezes estar em Olinda e Bebe-
ribe.
Querendo-se maitr commoiidade pede-se Bear
com terreno de ra ra, formando assim ur.i
matriz fundo de 360 palmos, que d pira bellos jardios e
' algumas arvores fructferas.
Para facillidade de pessoas oceupadas, todos es
domingos das 6 as 10 boras da maoha estar ali
a planta pira uuem quizer escolher a localidade e
o numero de palmos.
A8UA FLORIDA
MBBAY & LANMAN
A agua florida de Murray & uanmai;.;
libada como um artigo de perfume, nst
tem podido ser igualada pelas preparacei
as mais custosas: conserva sea aroma, co-
mo se formasse parte da prenda a que el!>
se appiica.
Para que o juiz de direito da
comarca de Mamauguape
veja e providencie.
Tendo sido processado o bacharel Jos Joaquim
de S e Benevides, peraote o imito digoo juiz de
direito da comarca de Mamaoguape, peles rii: <
previstos nos art. 129 Io, 2 e 6o, e 142 e lia
do cdigo criminal, e per lerem sido esses croies
commetlldos com as circumstancias aggrvantes
do art. 16 4o, 6" e 10 do mesmo cdigo, consta-
nos que ese processo fora rtmeitido para o bacha-
rel Benevides responder aos importantes pontos de
accusac.o no prazo de quinze dias, no entretanto,
que ha muilo mai.r prazo decorrido e sem respon-
der I I......
Espero qae o moito digao juiz do direito cao
consentir' por mais tempo stmelbanle aboso, e
que activt! o processo emb;ra ex oflkio como ,
p,.ra que a le, que fui clcala a ps pelo bacharel
Benevides, seja desaggravada sabiamente por S. S. Sua eficacia to delicada, como elegat-
?n/;,fe,,f''lesc-^arai?ui,V,or'Q a proteccao do Exm. Sr. Or. Felisardj, cnohadodo amnpQ_n(j ,,, *.,. J1 i
juiz de direito, porm pode ficar certo o Dr. B, ne- emPreaJa ar^gO de toucador, quet
vides que en darel publicidade a qualquer cjuza Q0 uso do banho, OU como suavisador di
tendele ao referido processo para o publico e o I peile, depois que se tenha feito a barba;
j para limpar as gengivas ou aromatisar c
balito.
D suavidade, brilho e elasticidade ai
compleicoes, depois de se haver lavado; al-
via a irritacao de erupces ordinarias; fa:
iesapprecer o desagradavel aspecto doi
pannos, das sardas, do rosto, rugas e toda i
casta de ebulicoes, e d vigor e frescura
parle onde quer que se applique. Sua efi-
ciencia e elegancia sao igualmente infalli-
veis nos casos em que seja preciso applica-
la como estimulante e antisptico, nos con-
cursos e assemblas numerosas, as loca-
lidades infeccionadas, na alcova de um en-
fermo, assim como um antidoto exceUes-
te para os desmaios causados por cansaco
ou suffocacSo. Preparada nicamente por
Lanman & Kemp, Nova York, e a venda por
Gaors 4 Barbosa.
Jo5o da C. Bravo & C.
A' venda as drogaras de A. Caors, Bra-
vo *Sc C. e P. Maurer & C, e em todos ot
estabelecimentospbannaceuticos do imperic
Escravo fgidom
Na manba do dia 27 da oove.mbro fogio do po-
der de Mximo Jos de Audrade o seo escravo
Athanazio, idade de 10 aonos, cabra, olbos regula-
res, nariz basiante chato, bocea moito rasgada,
beicos grossos, com orelba esquerda furada, bra-
cos e pernas jjrossas, a gagueja ao simples fallar,
levoo vestido camisa de riscado francez de cor
parda com listras brancas, calca de bnm de lona
parda, um tanto comprlda, amarrada com cordo
oa cintura, bastante ladino mmto esperlo ; foi
comprado netta cidade ao Sr. Joao Ferreira dos
Saotos Jnior, remessa qae Ihe fizeram de Sobral,
donde se diz ser oatur.-l o dito escravo : roga-se a
qoem o apprebender leva lo ao sea referido se-
obor, morador na ra da Cruz do bairro do Recife
n. 41,qae gratificara' generosamente ; da mesma
sorta qae protesta contra quem o livor sedozido
ou acontado, com todas as peoM da le. ______
Mna
Precisa-se alagar urna ama forra oa escrava
para cozinhar para casa de ponca familia : a tra-
tar na roa do Raogei n. 10, 2* aodar.
Precisare da qnantia de 1:*003 a premie,
pagndose os jaros de 1 1/2 por cento ao mez :
qoem tiver anouncie para ser procurado.
mundo inteiro, Mcarera setenta da Justina oa iojas-
ti?a que se fizer, (hei de tocar o clarn.) e a sua
influencia oo ser to grande que ebegue ao
C NSPICUO TRIBUNAL DA RELAQAO.
Recife, 23 de novembro de 1867.
Jcs Gomes Villar.
WW.
Companhia de seguros RiaritioiGS uti-
lidade pobliea
A direccao de conformidade com os estatutos
arts. 41 e 42, coovida aos senhores accionistas pa-
ra se rennirem em assembla geral no dia 30 do
corronte ao meio dia, em seo escriptorio na ra
da Cadeia n. 12.
Recife 26 de novembro de 1867.
Os directores
Feliciaoo J>s Gomes.
Thomaz Feroandes da Cunha.
Sitio para alug.ir
Aluga-se por prego eommodo um sitio em Bem-
fica na margem do Capibarib?, e porto para a
estrada contiguo ao do Sr. Christiaoi : a tratar
oa ra da Cadeia do Recife n. 4.
Club do Recife,
A partida do mez de Dezembro
vindouro lera lugar na noite do
mesmo mez.
O Secretario
Juarjuim Leocadio Viegas.
Atteu#o.
X. 25 Boa do Livrameeto |\ 25
Deposito de tamaucos e calcado nacional da fa-
brica da rna do Jardim o. 19, de Jos Viente Go-
dinbo, tanlono deposito eomo na fabrica seapromp
tam todas as porgues de calcado o mais barato
possivel, esta fabrica tem todas as machinas pro
prias para os calgados ja bem acreditados pelo
grande namero .de fregaezes qoe daqai se for-
necem._________________
Para seu interesse
Moito se precisa fallar com, o padre jiortogoez
Jos BeroardiBO de Paiva que sappJK.Js- morar
em Marcacio, e eom o Sr. Jos Loureogu de Me
deiros Muniz que mora nos arrabaldes de Santo
Arrio : na praca do Corpo Santo n. 17, primeiro
andar.
prximo
dia 7 do
Tabella da companhia dos trilhos urbanos, dos dias uteis do mez de dezembro.

IDA.
AVISOS MARTIMOS

l*n
a
americana e brasileira it
paquetes a vapor.
Al o dia 2 de dezembro esperado dos portos
do sol o vapor americano Norih America, o qoal
depois da demora do costme seguir' para New-
York, lecaodo do Par' e S. Tbomaz para frutes'e
passageos trata-se com os agentes Heory Fotter
A C, ra do Trapiche o. 8.
Becife.................
Ra da Aurora........
Rna dos Pires.........,
Soledade..............,
Camiobo Novo.........
Maoguinho............
S.Jos................
Torre.................
Ponte de Ucttoa........
Jaqaeira.................
Parsameirlm.............
Sant'Anna...............
Casa Forte...............
Caldereiro...............
Monteiro......m iwsm 1M
Poru d'Agaa.......,.'
Aplpocos.................
_____________________________________________________________^
Para IsboaT
Val? sabir com brevidade a barca portognezs
Gratuito por ter parte da saa carga prompu ; pa-
ra o remante e passageiros tratase com Ollveira
Filbos & C lirgo do Corpo Santo n. 19 oa eom o
] capitao praca.
MANH.4
6.IB
6.16
6.18
8.20
6.32
6.24
6.26
6.29
6.30
6.33
6.40
6.i2
6.4
0.46
ts
6.S5
7.20
7.33
7.25
7.27
7.30
7.32
7.33
7.37
7.40
7.42
7.45
7.47
7.50
7.52
7.55
7.57
8.0
8.15
8.18
8.20
8.2z
8.25
8.27
8.30
8.32
8.35
8.37
8.40
8.42
8.45
8.47
8.50
8.53
8.56
TARDE.
3.0
3.2
3.4
3.10
3.14
3.16
3.18
3.20
3.22
3.24
3.26
330
3.30 4.20
3.33 4.23
3.35 4.25
3.37 4.37
3.40 4.30
3.42 4.33
3.45 4.35
3.47 4.37
3.5X1 . 4-40
3.52 4.43
3.55 4.45
3.57 4.47
3.58 4.50
40 4.52
4.3 4.55
4-6 4.57
4.10 50]
S 10
S.13
5.15
5.17
5.20
5.22
5.25
5.27
5.30
5.32
5.35
5.37
5.40
.42
.45
5.47
5 50
6.0
6.3
6.5
6.7
6.10
6.12
6.15
6.17
6.20
6.23
6.25
6.27
6.30
6.32
6.35
6.37
6.40
8.0
8.3
8.5
8.7
8.10
8,12
8-15
8.17
8.30
8 23
8.25
8 37
8-30
8.32
8.35
8.37
8 40
9.0
9.3
9.5
9.7
9.10
9.12
9.16
9.17
9.90
9.23
9.25
9.97
9.30
9.3
9.35
9 37
9.40
VOLTA.
\pipoco?.............
Porta d'Agaa.........
Mooteiro...............
Caldereiro....,........
Casa Forte...........
^nt'Anna.............
Parnameirim..........
Jaqaeira...............
Ponte de Ueha.......
Torre...............
Jo..............
Vlangoinbo............
Caminho Novo.........
soledade..............
rlua dos Pires.........
Roa da Aurora.......
Recife.......,......,.
MANHAA.


TARDE.
6.15 7.20 8.13 9.1o 3.40 4.20 3.15 6.0 8.0 9.0
6.i; 7.22 8.17 9.17 4.22 3.17 6.3 !:1 . 9.3
6. SO 7.2o L 8.20 9.20 4.25 3.20 6.5 9-5
6.2o 7.30 ' 8 25 9.25 4 30 3.25 6.10 8.10 9.10
6.28 7.33 8.28 9.28 4.32 3.27 6.14 8.14 9.14
6.JO 7.38 8.32 9 32 4.33 5.30 6.(8 8.18 9.18
b.33 7.42 8.37 9.3' 3.55 4.40 9 32 6.23 8.23 9.33
6.3b 7.44 8.4" 9.40 4.45 5.33 6.25 8.3S 9.25
*.jy 7.46 8.4. 9.42 4.47 3.37 6.27 8.27 9.27
6.40 7.48 8.44 9.44 4.49 3,38 6.39 8.29 9.29
6.42 7.50 8.46 9.46 4.50 3.40 6.30 8.31) 9.30
6.4t 7.5* 8.48 9 48 I 4.52 3.41 6.32 8.32 9.32
b.4b 7.54 8.50 9.50 i 4.54 5.43 6.34 8.14 9.34
6.49 7.56 ' i.m 9.52 4.5 3.45 6.35 8.35 9.35
6.51 7.58 8.54 9.54 4.57 3.47 6.37 a. 37 9.37
6.53 7.59 8.56 9.561 4.7 4.58 5.49 6.38 8.38 9.38
6.55 8.0 9.0 10.0 | 4.(0 5.0 5.30 6.40 8.40 9.40
Domingos e dias santos.
" -
HANMA.
Do Recife para Apipncos.
"- Api pucos para o Recife!
.TAftM.
3.0| 4.0| 4.01 8.0] 5.0j 6.0| 7.0t C.Ol 7.0j 8.01 8.0 9.0


9.0

i__mmuin "i


aflato BmmmmwmmmammmK
^IHHBil

AGUA BRANC4
Per conhecer a influancta ana tostama baver
em todos os anuos, pjr esse lempo, e per ver o
quinto se desenvulve e appura-se o bora gosto etn
Pernamfaaeo, ella as tena sempre em vistas agra-
dar, e sinceramente bem servir a su boa fregae-
i>, anteclpou-?e em mandar bascar os diferentes
objectos de gosto e (amasia, que agora mesmo aca-
ba m da ebegar.
Que a loja d'Agula Branca, eom eapecialidade,
OB*ot>rimeirm*Bt9 se octntrim quaesqu-r des-
ees objecUs de oovidide moda, iso esta' geni-
mente recoobecido; mas ainla asstm a Agaia to-
ma como por dever identificar ao bello sexo, em
parwular, e ao respeiuvel publico era geral, s.m-
pre qne como agora, recebe os importantes bjec-
tjs que abalxo meoetona, e por mals essa ver ella
loma a liberdade de pedir a atteoeio das Exm"
apreciadoras da tona para oj no vos e bellos orna-
tos qoe formam mliodo-e rieoioillet
(Nao eertamente com ama mal aparada peona
i'Aguia, qoe bem se ^ Je descrever o bom gosto e
lesempenho de taes obras, sino, a propria iatel-
agencia d'uma excellentissim, que bem peder'
apreciar o alto grao desses perfeitos objectos, tai-
vez os primeiros qoe nesse genero leona m vindo
ol nosso Peroambnco.
A Agola Branca, fara' apenas conhecer os ob-
jectos de qoe se compdem esses novos e bellos or-
natos. Em nm bello cartso vem hbilmente arran-
jado, nm moderno cinto de fila de setim en acba
malotado da largara da 7 a 8 pollegadas, ura bel
lo leqoe de madreperola, am par de luvas de pel-
lica, ramos de Anas Odres para o coque, peito,
sroarnicio para as lavas, etc., etc., e Analmente
urna almofadinba de setim com aromticas pastl-
Ihas en p.
Alem disso
Est em ordena do da-as aovas bellas randas de
tina palha de Italia, e outros differentes enfeites da
mesma qaalidade e proprios para vestidos de laas,
cbapus de senboras e meninas, resta somenie qoe
os pretendeotes comparecam na loja d'Agaia Bran-
ca na raa do Qneimano n. 8.
Diversos objectos
de gosto e norldade, vlndos
para a Agu i Branca raa
do (iiehuatlo n. 8-
Enfeites de flores, obras de mono gosto, a ultima
iiiod.i, proprios para bailes, casamentos e pas-
selos, etc^ etc.
M-ias ehapelinas de diversos moldes, e mu
be.fl tnfeltadas, com vds e sem ellas.
Ricas capellas com veos e sem elles para nul-
vas.
Outras brancas e cor de rosa para meninas.
Cintos com flvella e flta branca para noivas.
Onlros de pomas o sem ellas, pretos e de cores.
Outros mui ricos e de variados moldes e gustos
e de diversas cores, com grades de vidrilbos e pin-
gentes.
Para enfeitar vestidos e basquines,
Benitos bicos de bloade, com vidrilbos e sem
He?.
Bunitas rendas de dito, tambem com vidrilbos e
sem elles.
Trn;as pretas de vidrilbos, com varfedade de
{arcaras e de moldes os mais novos e bonitos.
Outras de cores tambem com vidrilbos e confor-
me as pretas.
Unirs de seda com vidrilbos e sem elles, e de
diversos desenbos, crese larguras.
Aorddes pretcs e de cores, grossos e fios, com
vidrilbos e sem elles.
As oovissimas e bonitas trancas de fina palba de
Italia.
Ramos, lacos, cordoes e outros diversos enfe>-
(es tambem de palba e proprios para vestidos, cha-
peos, etc., ele.
B tOes pretos e de outras maitas core?, com
pinteles e sem elles.
Ojir'.s de palba tambem com piogentes e sem
elles e todos enfeitados com vidrilbos.
Outros de rosti, brancos e amarellos, e al
mesmo marras de madeira ovaes para cobrir-se da
cor >iue se quitar.
Flores.
Ura bello e completo sortimento de ramos e de
dures finas, rosas camelias, Alexandrias, ele e
em ti las essas flores se nota o aparado gost > e
perfrita imitacao, onde se eonbece que nesse gene-
ro nada mais ha a desejar.
mum tMBATG)
4-Rna Direila45
Chega, gente IV.
Boriegoios ingleses para bomem a 5
Ditos trnceles dem a Si.
Borzeguins para seobcr, enfeitados, a i*.
Ditos para menina, idos 34.
Sapatoes ioglexes para betoem a 41.
Ditos americanos 3#500.
Cbiaefas do Porto a 1*600.
Sapitas-tranca para seubora a #180.
Ditos aveladados, idea, a I280.
Aproveitem emqoaeto lempo.
ARMAZEM
DO
VAPOR FRANCEZ.
Boneeas.
Ura novo e bello sortimeato de elegantes bone-
eas de de pedra mal bem vestidas, e excel-
lenies para presentes.
Outras com rosto de cera e igualmente bsmiUs
mas nao vestidas.
Pilas lavradas e lisas, tendo nestas, de menor
largura at a de qoasi nm palmo, e propria para
ciot os.
Outras de sola de cores para debruar-se ves-
tido.
Obras de porcelioa e p ^e pedra.
B.oitts jarros, e boqaets f jilos de p de pedra,
obras de muito bom gosto para sallas, e santua-
rio.
Conxas de p de pedra com figuras dentro,
obras mui b nitas e de gosto.
Catre e.-.-as obra?, tem alguns jarros com pe-
queos defeitis, por isso vendem-se baratamente.
Essenela d* rosa, outras concentradas, finos ex-
tractos o ponidas, etc., etc.
Euiquant) a' perfamaria todos sabem qoe a
Apuia l!ra;i-a tem a primasia, adquerida com o
vender c n-untemeot-s Anos extractos e de agr-
daveis ebeiros, pinjadas de finas qaalidades e e*-
colhido* odores, agua de Colonia, sempre da me-
Ibor, e assim tu Jo o mais, qoe enumerar se torna-
ra eofaloobo.
Cumpre poli, qae, qaera quiser ser bem servi-
do, se dirija a' loja d'Aguia Branca a' rna do
<}jelmad u. 8, qae alem do grande sortimento do
bom, achara' infallivelmente o qae se torna sem-
pre precisoagrado e sinceridade.
.6 =
en o
2.
5
H
e 5'
as B __---.
ooB"
s _
r O
"J 2
o B o
cr o 2
- o>
09
es
o 3
ri o 3
B S
o
i -
~~. ~
as
-. c
8i:f|
o v> c as-a
v 5f v 3 o

o r- o> as JS'
Ifffi
o 2 2
- s
o.
%?g. M
h m
B
5
N
?!?
SaKKB^l M.M ataBaatalMaH
JWBw-arB MI MWItfglCT
O Dr. A. Duarte, medico, modou-se |
S para a roa do Seve, oade continua no
X exerrldodesaaproflsslo.
m
RtiA. NOVA JI\ 7.
Acaba de ebegar de Pars i este estabelecimen-
to am grande a escoIbiJc se. timanto de caljadb
dos raelboies fabricantes daqaella grande praca,
assim como grande variedade de quinquilharia e
de novos biinq edos para crlaogas, cujos artlgos
se achara expostos a escolha e vontade dos com-
pradores, e:mo sejara alguns qae passamos a
mencionar.
Ultima moda
Ricos cbapeosiuboa de gosto para senboras lef-
ios ao capricho de urna grande modista de Pars.
Botlaas para senboras
de setim braoco, dnraqne dito, pretas a de outras
diflereotes cores enfeudas a rigorosa moda.
Botinas para meninas
de maltas qaalidades bem sortldas.
Brseos de onro
de lei a ultima moda dos Campos Elizios e boale-
vards de Pars, para seoboras e meninas.
Lavas de pellica
do verdadeiro fabricante Joavio, brancas, pretas e
de outras diferentes cores.
Leqnes
ora esealbido sortimettto de leqnes de diversos
gostos e qualiJades.
Perfamaria
finos extractos, banhas, olis pos de arroz, agua
de cologoe, agua fle -ida e abnete?.
Espelhos
de difterentes tamanbos e gostos para salas, gabi-
netes e peqneaos toacadores.
Caltlahas de costara
de novos modelos ricamente guarnecidas e com
liadas pegas de musir.
Bellcado presente
bolcinhas ecestlBhas de seda e de vellulo mntto
importantes para braco de menioas passeio.
chapeos de sol de seda
de cores e muito bellos para senboras e meninas.
Bouqnets da exposIeSo
delicados bouquets de flores de porcelana com lin-
dos jarros para mesas de salas e santuarios.
Lunetas
de ac, tartaruga e bfalo.
Ocnlos
da ago, bufilo e de prata doarada.
Ricas beugalas
de canoa verdadeira com casto primorosamente
trabalbados em marfim, compradas na exposicao.
Botinas para hornean
grande sortln ento bem escolhldo em Pars.
Botinas para meninos
de muitos modelas bem sonidos.
Sapatos de tapete
de charlte, de tapete avellulados e d 3 tranca de
Lisboa para horneas, senhoras e meninos.
Botas rnsslanas
Perneiras.
Mantas de feltro bonitos padras.
Chicotes fortes .compridos.
Lavas de fi j da Escossla.
Cartelrinbas para dinbeiro.
Saceos de tapttd p..r:i viagem.
Malas e bolgas surtidas.
Pootcir.-s para charutos e cigarros.
Cbaruteiras e cigarreiras de palha.
Caximbis de bonitos modelos.
Grvalas pretas e de cores.
Cordas para violo.
BeDgalas para bomens e meninos.
Meias de fio da Escossia para hornera.
Venezianas transparentes para janellas.
Qnadros pequeos para retratos.
Objetos de phautasia para toilel.
Abridores de lavas.
Tesonrinhas delicadas para costura.
Caivetes fiaos cora tesourinha.
Picos pentes de marfim para tirar caspas.
Pares de lindas figuras pequeas de porcelana.
Jarros mui peqaenos de porcelana.
Objectcs de porcelana para botar banha.
Taiberes finos para meninos.
Objectos de mgica para divertir familias.
PhoKgraphias mgicas.
Globos de papel para Iluminar, no campo.
Gaiolas de rame para passarinbo.
Casimbas de vlmes para meninas de escola.
Ceixiobas de msica e reajeijos para meninos.
Velas a gaz para candieiros e candelabros.
Carrinhos de quatro rodas para condazlr crianja
Boneeas de massa, de cera e de porcelana.
Bercos e camas com cortinados para boneeas.
Cabriolis e cavallnbos de madeira com machi-
nisme para meninos de 3 a 8 annos montaren)
Ricos albans
de velludo e de marroquim para retratos.
Esterescopos
com lindas pbolograpblas transparentes.
Estampas
de figuras, paisagens, cidades e de santos.
Roldaras douradas
de diversas largaras para quadros.
Abat-jour
para candieiros e lanternas de piano.
Cosmoramas
grandes e pequeos coro SO ou mais vistas escc-
Ibidas a' vrot -dj, ranito piltorescas.
Chicotes para passeio
muilo finos de baleia e cabo de marfim.
Realijos
pequeos, de quatro e seis pagas de msica.
Aecordlons
e concertinas, o qae ba de melbor neste genero.
Para presepes
figuras para ornar presepes, casinbas, animaes,
pastores, e outros muitos objectos proprios.
Attengao.
Nao sendo posslvel mencionar-se aqoi todas ae
qaalidades de calcado, nem todos os artigas de
quinquilleras, e multo menos da grande varie-
dade de novos brinqoedos | pede-se ao publico nm
psselo a este estabeieciroento, certo de qae en-
contraran bastante paciencia para bem escolberem
o que desejarem comprar, e prego baratissimos
em virtude de baver em todos estes artlgos grande
qnantidade, e terem sido comprados mesmo na
Europa pelo dono do dito estabeleeimento, arma-
se m do vipor, rna Nova n. 7.
do .VJrriicina, rmprr(>da aoa
boopllara de rrl.
ELIXIR DO DB THERMES fc--^
,:u1P." ynmtmlu^T entre as preparacoaii ferruginosas aa mais assimaveis. O Elix do IV THEKHF9 6 empregado diariamente nos hospi tais de Pars e principalmente no
Htel-Dieu (aemeo di1 Faculdade da Medicina de Pans). Administn ae cara a maior xito as doenca* de eoanunipcaat resultantes da rxli.tu.lurAo do anfie, lato-
rosta ou eore pallida nuare* branca*, anemia tepois das hemorrhagias, ou durante as convalescencias de tebres perniciosas, aulToeacoa. e palpltaeas das mtd-
heres pejedas. Nao menos eficaz contra o rnrtiltWmo c obra poderosamente para os homens cujas foroas astam esgoUdaa pelos trabalhosiatellectuaes, abusos de todosoa geaaroa, ate
ste easaa a aoxiiae aaw caihtr|nMK depala de eada rofrleaa.
Bepaaito eral na pharmacia, roa Reaumur 43 a em casa de E. GALLOIS, pharmaceutico do S. M. Imperador, place Vendme, 2, em Paria.
......-____________*> PEBMAHBIICO, P. MA.TJRER n O, e em todas as Pharmacias so Broft.

J
A LEGITIMA
SMSAPAillM
GRI1
DE BRISTOL.
P&EPABADi ICAMEKTE POR
IANJIAN k KEJIP,
NOVA YORK
COMIMAHEME
APPARECER
NOVOS
Ti:STEMUXIIOS
EM FAVOR
da legitima
SALSA FAM1LHA
DE
BRISTOL.
Os doent.s deverao ter bem o cuidado
de obterem genuina e nica legitima
salsa parrilba de Bristol, a qual preparada
por
LANMAN KEMP
DE \OVA YORK.
DO SANGUE.
EsU excellente e admiravel medicina preparada de urna maoeira a mais scien-
tifica por chimicos e droguistas muito doatos e de urna instruego profunda, tendo tido
muitos annos de experiencia.
A SALSA PARRILHa DE BRISTOL
urna medicina segura e digna de toda a confianca, conhecida e receitada pelos mdicos
os mais sabios e enteodidos neste imperio, durante o espaco de tres annos, e nunca falta
em produiir o desojado effeito. ^
A SAIiSA PARRILIIA DE BRISTOL
Entre as numerosas provas do grande merecimento da legitima, preparada por
LaDman e Kemp, de Nova York, nao a mais fraca o fado que tem produzido tantas
imitacoes e falsificares fraudulentas.
A SALSA PARRILHA DE BRISTOL.
E' muito natural que aquelles que se acham ocenpados em preparar e vender as
soas misturas em garrafas pequeas murmnrem e gritem contra os frascos grandes, os
quaes contm em >i tres vezes mais do extracto puro do qne qnalquer urna dessas outras
preparacoes neste mercado.
A SALSA PAURIIiHil BE BRISTOL
fui estabelecida no anno de 1832.
No anno de 1848 o proprietario adoptou, com grande sacrificio seu,garrafas raaio-
res, senJo agora de quarlilho, ofereceDdo deste modo aosconsumidores urna maior por-
c3o de extracto porissimo, como nunca fot offerecido.
A NICA LEGITIMA
SALSA PARRILHA DE BRISTOL
ir PREPARADA PAR
A LEGITIMA
SALaAPARSILHA
DE
NEW-YORK

DE BRISTOL
PREPARADA NICAMESTE POR
LANMAN k KEMP,
NOVA YOEK
ESCRFULAS
C HAGAS AMTICfAS
Ulceras
Feridas ulcerosas
Tumores
Herpes
Erupces
Lepra
Debidade gtral
Rheumatismo
Salsugem
Febres malignas e beliosas
tmpigens
Febret intermitentes
Nervosidades
A SALSA PARRILHA 3 BilSTOL
De Lanman e Kemp
NEW-YORt
E' A MELHOR
A MAISFORTE
E A MAIS BARATA
Cauteliv contra as novas salsas parras de Bistol .que
sao perniciosas.
Nao bastam os elogios para justificar o nso de u n remedio, neeessario que, o mesmo, mediante umi expariencia de tantos.'annos e o testemunho dos scientifleos tenba
adquirido urna extensa e incontestavel popuiaridade. A salsa parrilba de Bristol de Linroan e Kemp tem provaJo a sua efficacia "pelo curso de 31 annos e durante o'esDaco
de 24 anuos tem sido receitada pelos primeiros mdicos n> imperio do Brazil. Pdero outras preparacoes inspirar a mesma confianga. '
Em frascos grandes,
Vende-se em Pernambuco em casa de A. Caor, i. da C. Bravo e P. Maurer G.
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companhi Indemnisadora, estabeleci-
da nesta praca, toma segaros martimos so-
bre navios e seas carregamentos, e contra
togo em edificios, mercadorias e mobilias:
na raa do Vagado a. 4, pavimento terree
Precisa-se de ama ama. para tod; o seryieo de
M casa 4a aaoosaa raaiHia e prncipalmeaie pa-
ra eashiaare angmnaiw, prefefiada-e preU ea-
efan 5 a tratar am Fon aa Porta* raa 4o Pita*
a. 43, V andar.
.Companbia idelidade de segaros
martimos e terrestres
establecida no Rio de Janeiro
AGENTES EM PERNAMBUCO
Atow Loii da Olifeira AteTt* 4 G.
.competentemente aatorisados pela
directora da companbia de segaros
Fidelidade, tomam segaros de na-
vios, mercadorias e predios no .sea.
escriptorio ra da Cruz n. 1.
^^^
Fraetsa-se da orna ama para aasa da ponea fami-
lia para coiiohar a embar : a tratar oa praca do
Gorpo Saot a. i7, toreeiro andar.
Ama
Preeisa-39 de orna ama para coiinhar e _
mar pra homam tollaifo : oa roa do Ligamento
Fedegoso de Pernambuco
A planta, conhecida entre nos sob a de-
nominagao de fedegoso, e no Rio de Janeiro
e pro incias do sul deste imperio pela de
orista de gallo, ojiaridtum utilissimum
ou tiaridium elonaaium de Schum, e o he-
liotropium curassadium de Mart., pertence
familia das boragineas.
O fedegoso considerado, na therapeuti-
ca pernambucana, como urna das plantas
mais recommendaveis por suas virtudes, cu-
rativas, e applicado interna e externamen-
te, como calmante do systema nervoso, na
paralysia, asthma, tosse convulsa ou ceque-
luche, tosses recentes e^antigas, suffocaces,
catarrhos pulmonares, etc., e em geral con-
tra todos os soffrimentos das vas respirato-
rias ; sendo nm excellente Unitivo para
aqueles que padecem de phtisica pulmonar.
Sua effica%ra contra o ttano oa espasmo
incontestavel, e nioguem ba que a desco-
nbeca.
.Nao ignorando nos o qne acabamos de di-
zer, e esforcando-nos por ser til a humanida-
de soffredora, preparamos o qae abaixo indi-
camos, pondo a disposicao dos distinctos m-
dicos, e dos doentes desta e das oatras pro-
vincias deste imperio nossas preparares,
que slo:
A JLRIJIIEHA
em extracto alcoolico, emplas-
tro, oleo, tintura, plalas, xa-
rope e ?Itiho.
A JURUBEBA urna das substancias me-
dicamentosas qae pertencem ao reino vegetal
e entrare na classe dos tnicos e desobstrn-
entes, sendo empregada com vantagem con-
tra as febres intermitentes acompanhadas de
engorgitamento de figado e baco.
Ella tem sido aplicada com incontestavel
proveito contra a anemia ou chlorose, by-
dropesia catarrbo da bexiga, e mesmo pan
excitar a menstrnacao difficil, resaltante da
mesma anemia oa cblose.
O ARROBE VEGETAL
E' muito superior aos xaropes de CUISI-
NIER, e deLARROY. De fcil digestao, a-
gradavel ao paladar e ao olpnato, elle cura
radicalmente, sem mercwio, todas as affec-
c5es da pelle, impigeos, alporcas tamores,
ulceras, sarnas degeneradas, escrfulas, es-
corbuto. E' sobre tudo poderoso as moles-
tias rebeldes ao mercario e ao iodureto V
potassi.
Pos vermfugo para lombrlgat.
Prepara^o a mals segora para a xpolsio com-
pleta das JaeBijriaa oatroe vermes, tan acarra
ur os iocnoTMieaes qoe e tasa daaa aam oatMS
prepara?5e. Sao de iiaada aec^c, WitmirtW
agradareis ao paladar a compUveis com tod s as
idades e complelcSes, variando smente aa qnas-
Udade. ~
| X.\ROPE DE SALSA P ARRILHA DO PARA,
oo
II'.ll3tVTI VO DO S1\G1JR
USADOS AS MOLESTIAS DE PELLE, IMPIGENS,
DORES BHECMATICAS EULCERAS VENREAS
PILITL.VS A VTI PERIDICAS
Contra as febres intermitentes, on seides
atin^'i m Qti&mvi
O MULUNlU' tem accao directa sobre os
centros nervosos, e por isto faz dormir sem
determinar aTluencia de sangue no cerebro
como o opio e substancias simples qae delle
se extrahem, pelo que o somno tranquillo
e reparador, calma a tosse as bronchites,
e modera os accessos de astbma e de tosse
convalsa.
TODOS ESTES MEDICAMENTOS SAO PREPARADOS
POR
. Joaquim d'lmeida Pinto.
PHAHMACEUTI10 EM PERNAMBUCO,
Ra larga do Rosario N. 10
Jn to ao qnartelde p licia.
PARA O BULE 1)0 GLIB
Cbegaram pelo vapor de 27 deste mez, riquisstmas sabidas de baile, como se
usam na Europa, todos estufadas de seda etc. Vieram s seis, por isso rec.mmendamos
s excelleotissimas senhoras para se proverem de um objecto de esmerado gosto e que
julgamos nunca ter vindo ao nosso mercado.
No referido vapor tambem vierammni Jindos enfeites proprios para o mesmo
baile, assim como luvas de pellica de Junvin, brancas e de cores: ra do Crespo n,
5, loja de Gregorio Paes do Ama.nl & C.
Ama
1 Precisa-se de orna ama para lodo o servico de
una casa de pequea familia, e principalmente
para cosiobar e engomiuar ; preferindo-se preta es-
! crava : a tratar em Pora de Portas roa do Pilar n. I Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
143, segando andar. Moendas e meias moandas
Samoel Power Jotmston &uompankU
Ra da Senzala Nova n. 42.
AflK.NCIA DA
Fandleo de Low Soer.
Oleado para mesa
j de multo boa qaalidade, novos e bellos padrees: no
atmazem do Vapor, rna Nova n. 7.
para engenno.
T,uxas de ferro coado e batidopara enge-
nho.
Preparatorios pura os exa-
mes de marf^),
Curso de llngua franceza.
de geographla e historia.
de phllvsophla.
de rethorlca e potica.
Jos Soares de Azevedo, professor de
lingua e [literatura nacional no gymnasio
provincial de Perntmbuco, tem aberto em
sua casa, roa Bella n. 37, nm corso especial
de cada urna das materias cima indicadas,
para os estucantes que se propem a fazer
exame em marco no collegio das artes.
Dirijam-se resideecia mencionada, de
manbaa at s 9 horas e de tarde a qnalquer
bora.
Novo
Arreios de carro para am e doas cavallos.
Luvas de pellica. Relogios de ouro patente inglez.
sortimento de lavas de pellica de joqtid arados americanos.

Chocolate vermicida
DB
Antonio Kanes de Castro.
Desde 1857 que sao as tabellas homicidas
applicadas em Portugal, como o remedio
prompto e efficaz para a expulsao das lom-
bi igas, qne tao graves padecimeotos caasam,
e que qoasi sempre se sappoe ellas a ori-
gem.
Este virmifago preferivel a qualquer
nutro pelo sen agradavel paladar e fcil ap-
plicafo s criancas, as quaes geralmente
sao mais atacadas de semelhante mal.
Deposito especial
34.Ra laga do Rosafio34.
Balancos
Urna pessoa qae ba lempo* a esta par'e trabaiha
em eompanhla de am dos mais afamados e abali-
sidos guardahvrot, enearrega-se, mediante um
ajaste ratoavel, de (echar bataams, a Oa fmr
qaafqner trabalbo de eseriptaraeao, seja porqae
sytema fcr, iWto ntJmi paga alam* mu fM*f
o trabalSo nao etttver prompto, t a vontade de un
dono : qaem precisar procure na roa larga do
Rosarlo n. 48, i
A.B.
brancas, pretas e de oatras bonitas cores para no- Machinas nara AR-arnpar al -en. e senboras : oo armem do Vapor, raa Nova | Eores p?ra dUos. ?
Machinas de costura.
Joaquim Jos Gongalves
BelMo
RU4 DO TRAPICHE N. .7 Io ANDAR)
Sacca por todos os paquetes sobra o Bancc
lo Minho em Braga, sobre os gaintes Inga
se em Portugal,
aber:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Gaimaraes-
Conatos.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conrf.e.
Arcos de Vai de Vx.
Vianna do Castalio.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famallcao.
Lamego.
Lagos.
Covilbia.
Vassal (Valpassos.)
SHranffetti.
Beja.
Barcellos.




VaaOaaa
na roa do naofet a. 9.
ODr. ATS, Pereira do Carmo (medico,
est morando no sobrado n. la da raa da
Imperatriz.
HISTORIA DE CARLOS
XII
Sti.da Suecia
PORVOLTAIRE.
Vende-se esta, exoetlente obra por 1**00 em
Ito barato, toa andador:
Na asaM.Uvraria toaaaoMa assataaiaraa ora
aoa a* Horacia Nalaoaa oatabre ahllWH
angloi a 1* eada eiemplar.
Grande aimazem de tn-L
tas medicamentos etc. |
Rna do Imperador n, 22.
Productos chimicos o pharma- Wk
ceticos os mais empregados em
medicina.
Tintas para todo o genero de pin-
tura e para tinturara.
Productos indostriaes o tintas
para flores, como botos do flores
e modelos em gesso para imitar
frustas e passaros com o compe-
tente desenho.
Productos chimicos eiadnatriaes
para photographia, tinloraria, pis-
tura, pyretecnia etc.
Montado em grande escala e sup-
pride directamente de Paria, Lon-
dres, Hamburgo, Anvers e Lisooa
pode ofierecer productos de plena
confianca e satisfaser qnalquer en-
eommenda a grosso trato 3 a reta-
lho e por preco commodo.
iniimii
O Dr. J. Baptista Caatmova
pode ser procurado a qualqaar bora, em leu con-
sultorio bomeopattuco, largo da matrix de Sanie
Antonio n. 1. ^W
Mamcomo umaaa striMHQt.) > 4#o*. 4, j.
t rtia eia eariaUas valsj 'V, 'i^ttoi 'l.



.
IL


MHMHMB
-.
30 de NtTenhr* e 1867.
#d
NOVA FABRIC4
*s'
DE
S
CHAPEOS
DE
TODAS A QUALIDADE
DE
JSsS'
Manoel Moreira deSouzn,
RUA NOVA -=
V 45.
Mr iumuii
Neste novo estabecimeoto, tem om completo sortimeDto de
chapeos para homens, seoboras e meninos, vende-se por presos
razoaveis.
rw><^tfs>irix}
ILLUMINACAO
t=ia2
*.


J. FERERIRA VILLELA
RETRATISTA
Da casa Imperial do Brasil
Ra do cabnga. 18, entrada pelojpateo da matriz
Retratos por todos os systemas photographicos.
Retratos em vidro.
Retratos em papel.
Retratos em porcelana.
Retratos em talco.
Esles retratos sao especiaes para se collocarem em alfinetes de peito, cassoletas
botoes e aneis.
Retratos em cartoes de visita.
Retratos em carte-album.
Retratos timbres-poste.
Retratos comees.
Existe sempre nra vanadissimo sortimento de caixinhas, passe-par-toots, qua-
dros pretos, molduras douradas, alfinites e cassoletas de ouro fino para a eollocac5o de
retratos. Vendem-se tambem albuos, stereoscopos, vistas para os mesmos, vistas de di-
versos edificios e pontos desta cidade, apparelhos para photographia, e chimicas para a
nesma arte.

UREA
Fabrica de destilaco e bonificado
DE
MARQUES A FERREIRA
n DO AHIORIMFORTE DO HIATOS
PERNAMBCO.
Ena fabrica acbando-se montada com todos os necessanos pertences a urna destilado e cote
ateras primas, que entrara na confeegao de todos os seas productos de soperior qualidade : promp-
ttflea-se a receber toda e qualquer encommenda e a vender os seas productos por pregns nimiamente
redolidos, os quaes obliveram premios as exposigoes dePeroarnbaco, 1 ti o de Janeiro e Pars em 1867.
Temos sempre em qoantidades geottbra, dita de laraoja, aniz, agurdente do reino, cognac, ab
erfltbo, biiter, wermnth, kirebe, xaropes para refrescos, primeira e seguoda qaalidade, licores finos e
entre finos, tima para escrever, perfumaras, vinagre, marrasquino, corjgao, espirito de 40*, 38 e 36%
dito de alfatema, limonada gazoza, aguas : flor da laraoj, rosa 9 rlela pimenta ; orebata de pevide
de melaocia e muitos ootros genero?, os quaes se vendem a vontade do comprador, em barr?, caBa
das, era garrafas cora vistosas tarjas. Promptifica-se a condieelonar e enviar qualquer remessa que
os seja pedida para toda e qualquer parte, deveodo ser os pedidos acompanhados de ordem sobre
la pri;i .
O. TJ ~rr
o 3 CO
-I SU a r- o
CJ 3 3 Z 3* "2 o t!
B I O W5 S" 3
a BG 'J3 en
o <- O o g ?O as
-1 o -1
O 5a C7 ^3 -a o
B -i O O a a -
c '-T. O . en T3 Bb
^^^ J rrr BJ
3* -i P! -J i. ? o rt
-i o A c
o so kv -1 O
a i;- a B)
O D > a> B
CD o S O. O o BB
o =- 3
CD T> f J s o
a O 5" V. g b
c O w 2. o 0
- a ^ r" H 5
o o o L 1 M O-, s. 3
o" ^ . r. o
-4 ^bi 1 3 * H
CD - * f- o O
a i S d
a 3 gil o" o 2-3
s o a- ^^" ^ a. -i CD O
a 09
5 M ct
a U3
65 2 3 o
a "i o O
2 B VJ
B o Cu
8 o CD
D 5 09 Di O s
5 __p
A empreza do gaz desta cidade desejando facilitar geralmenle o uso do gaz
as casas e estabelecimentos particulares, offerece desde j as segoiotes vantagens:
I. Urna red6xc3o consideravel nos precos dos canos, apparelhos e todos os mate-
riaes pr> cfos para a installac2o desta luz.
2.a 0 gaz fornecido hoje de extrema pureza e n5o offender a prata, o bronze
ou outro metal difireme, assim como oenhum damuo poder causar s pinturas, quadros.
ornamentos, papel de forro mais delicado qoe seja, tornando-se ao mesmo tempo t5o sau-
davel e mais econmico outra qualquer loz, j conheeida, Anal, evitar tambem a obs-
trueco dos canos e tobos dos apparelhos.
3.* Os apparelhos existentes, como lustres, arandelas, bracos de vidro, de bron-
ze, etc., etc., s3o proprios para os senhores que preferem luxo e elegancia, como para
os que necessitam simplicidade e economa.
4.* As pessoas qoe quizerem collocar o gaz em soas casas podem dirigir-se em-
preza, a qoal se encarrega dacollocacSo de todos os apparelhos, canos, etc., tomando toda
a responsabilidade pelo perfeilo comprimento do mosmo, ou por outaa, podem empregar
qoalqaer maquinista reconhecido pela empreza, sendo o mesmo maquinista responsavel
pelo seu trabalho.
5.* A empreza obriga-se ainda a reparar gratuitamente qualquer falta de loz,
obstrucj3o de canos, etc., devendo o consumidor pagar somente as pecas novas que forem
precisas para o mesmo concert; qualquer reclamacSo qoe possa baver, ser dirigida ao
escriptorio da empreza ra do Imperador n. 31, aQm de ser logo providenciada.
Feitor.
Precisa-se de um feitor' qae seja capaz e boro
trabalbador para um sitio pequeo perlo da praga.
D-se casa propri e boa para morar cora sua fa-
milia, dentro do sitio; para tratar, roa Nova n. 19,
i* andar.
Precisa-se de vina ama para lavar e engommar
alguroa ronpa : a tratar na roa da Cadeia do Re-
cite n. 34, 2* andar. _________
Precisa se de ama cosinh-irs, livre 00 escra-
va : na ra da Imperatriz n. 63.


I
Sil! -Ra do CabugM. S A
Agostinho Jos dos Santos # &
Acaba de chegar a este estabelecimento um esplendido sortimento de
joias do ultimo gosto, perfeico artstica e modellos enteiramente novos; como
seguem: aderecos com ruhjm, esmeraldas e peroias finas, pulceiras, broches
para retrato, anneis, botoes de punbo, brincos e cassoletas com letras, etc..
etc., etc. Salvas de prata do Porto, faqueiros, paliteiros, cliz de mesa c
fructeiras, cujos precos s5o incompetiveis, pois que os propretarios desta casa,
recebendo seos artigos directamente da Europa, podem servir vantajosamenta
aos seos freguezes. Compram-se brilbantes, podras finas, ouro e prata, page
se bem, tambem se incumbem de fazer concertos.
^^SBAPHIA AU^
Precisa se de ama ama para engommar : na roa
do Trapiche n. 36, segando andar.
Ahiga-se
COMPRAS
A
Moedas de oare
nacional e estraogtiro, assim como libras sttrli-
nas : compram-se oa roa do Crespo o. 16, primei-
ro andar.
__
Moedas de ouro.
Nacionaes e estrangetras assim eomo libras
esterlinas: campram-se na roa do Crespo n. 16,
primeiro andar.
Cempram-se
com premio meadas de onro e de prata'naclenaes
e estrangeira : na roa da Cadeia do Recife n. 16
armazem de Adrlaoo. Castro & C.
Frata

O terceiro andar do sobrado da roa do Amarira,
n. 37, coro grande sotao e commodos para familia :
a tratar no armazem do mesmo.
D. Senhorinba Germana do Espito-Santo, ten
do aberto no sea sitio do Arraial roas para reta
Ibar a vontade dos compradores, fai ver a todos
que as ras tem sessenia palmos como marca a
cmara e qoe tem de fondos 3:0 palmos, e com
diversos aivoredos de tracto, boa trra e a 14500
o palmo. Assim como tero tambero bons terrenos
no mesmo Arraial, a i30(0 o palmo, com diversas
arvores de fruclo e todas carrejadas, e com 600
palmos poaco menos de fundo, s nao Acara' pro-
prietario quera nao quizer.__________________
Ao grande panorama na ra da Impe-
ratriz n. 86
Antonio Lzaro, ebegado a pouco nesta cidade, e
tendo colocado na ra da Imperatriz o. 86 om
elegante panorama com umitas e ricas vistas de
todos os pajzes da Europa e America, representan-
do ao natural perfeitamente.
Nao se tendo o mesmo senhor paspado a des-
petas e trabalho para esta obra, alim de ficar com
aceio e digno ds merecer a atten^o deste illas ira-
do pnblico pernambncaoo.
Abertura boje as 6 horas da ta de, entrada por
cada pessoa f 00 rs., sendo esies applicados a urna
sorte de bilbele que Ibes pJe sabir albura objecto
que tem o mesmo estabelecimento.
Xa ruado Padre Floriano n. 34 precisa-se
de ama ama para servir a duas pessoas.
0 abaixo assignado, em protesto ao aonun-
cio que a santa casa da misericordia de.-ta cidade
fez inserir nos Diunos ns. 27 e 273 de 20 e 27
do corrente, declara qne nada deve a raesma San
ta easa, visto ermo o terreno qoe deita a frente
para a roa da Roda o quintal da casa n. 10 na
ra dos Patos, cuj) dominio directo comproa a
Antonio Maria Ramos e sua muiber berdeiros do
finado Exm, marqoez do Recif?.
Recife 28 de novembro de 1867.
Manoel Joaquim Daptista.
Compra-se naeional oa estrangeira com maior
premio de qae em outra qualquer parte : na fra-
ga da Independencia n.,22._________________
Maior vantagem
O cor*$io de ouro roa do Cabog n.2 D, ofere-
ce-se em compra das moedas de ouro e prata.
Negro para sitio.
Compra se om negro sizodo, sem relos, e bom
trabalbador para servicode sitio; na roa Nova n.
19, 1 andar._____________________________
A 1C por rento.
Compra-se a prata na praga da Independe ci
MOEDAS
de ouro e pr ta
Ccmpram-se moedas de ooro nacionaes eestran-
geiras, bem como patacoes dos diversos canbos :
era casa de Adamson, Howie & C, roa do Trapi-
che-novo n. 40.
cia
Comprase urna mobilia de mogoo oa Jaca-
randa, moderna em bom estado : a roa do Livra-
roeoto o. 33, loja do Zuavo.
Ttoedas de prata
nacienaes, assim como patacoes portaguezes e
hespanhes, compram-se eom premio : na roa do
Crespo n. 16, prime andar.
Compra-se ooro e praia em obras velbas :
na [Taca da Independencia a. 22.
MHk
Trecis^'e alagar orna ama forra oo escrava,
preferlndo se esta oltima, para o servieo de nma
casa de p^nca familia, paga-se bem : na roa No-
nn.ll.
Precisa-se de orna ama para o servieo de
nma casa de ponea familia, prefere-se escrava e
paga te bem : no caes do Ramos, armazem n. 10
Urna senbora professora poblica de loslroe-
?io primarla, por motivos de molestia deseja per-
motar sua cadeira por outra nesta cidade do Re-
eile, at a distancia de ama legua, e offerece por
oompeosago ama tartajosa o ffertt : quera se pro-
pozer a fazer este negocio, dirija se ao caes do Ra-
mos, armazem n. 10, ou annoncie para ser pro-
curado. ________________^_____
~^~ O Dr. Joaqolm Jos de Campos da Costa de
Hedeiros e Albaqaerqne madoa o sea escriptorio
de advocada da casa o. 22 para a casa contigua
n. 24 da roa do Imperador, defronte da re acio,
jary e sala das aodieocias.
Toga-se o 3* andar do sobrado o. 8 i roa
da Imperatriz : a tratar com J. i. de M. Reg, roa
do Trapiche n. 34. .
" D-se viole mil reis mensaes pelo alogoel de
una preta qae cozinhe e eosahds eom perfeicio
para tres pessoas : na roa do Rangel n. 9.
Precisase da l:008Jl a premio de 1 1|2 por
eento, eom seguran? em om* parte de nm enga-
nbo perlo desta cidade : qaem qalzer faztr til ne-
gecio, deixe carta na roa das Cruzes n. 13, com as
iniciaes I. F. C.
Junta de corretores
De conformldade com o ait. 2* do regiment In-
terno, sao convidados os senhores corretores a se
reonlrem no da 30 do corrente, as 2 horas da tar-
de, no logar do costme, para a eleigo da nova
juma, que tem de fonecionar no auno de 1868.
Sala das sessdes da junta dos correteres 26 de
novembro de 1867.
O secretario
J. da Cruz Macedo-
AMA
Precisa se de ama ama para servieo de casa de
pequea ramilla : na roa das Cruzes n. 41 A, por-
ta larga.
Geometra
Trocam se
as notas do banco do Brwil e das calas Qliaes-
dooa dueonlo muito rasoavel, na praca da Inde,
OMdeneia o. 22.;
ilieiti sum
N. 2 largo da matriz de Santo Antonio n.2.
RETRATOS A OLEO
Temos a honra de panecipar ao respeitavel publico a volta do Sr. Alberto Hens-
chel que foi Europa com o duplo fim de se por ao correle dos mais recentes pro-
gressos da arte photographica e adquerir para o nosso estabelecimento mais um ar-
tista de talento.
O Sr. Alberto fciisummamente feliz e conseguio eogajar um destincto pintor de
retratos, p
Sil. CIARLOS ERNESTO PAPF
reembro honorario da academia real de pintura da cidade de Dresda, e do qoal a reputa-
do bem fundada nos autorisa a erperar producoes notaveis no seu genero de trabalbo.
Um progresso immenso ltimamente execulado na photograpbia, um dos mais
importantes consiste n'arte de obter retratos em tamaobo natural, usando directamen
te na grandeza que se desaja, sobre a tela do pintor, o retrato pbotographado, por meio
de um instrumento especial chamado : cmara solar de augmentado.
Per esta forma o talento e o saber de um artista habii maravillosamente se-
cundado pela precis5o absoluta e infallivel dos contornos e das sombras que ihe pe a
photographia sobre a tela, e tudo se rene assim para se alcanzar o maior grao possivel
de semelbanca incontestavel, ao que d ainda maior realce o sello artstico, qoe imprime
ao retrato um bello colorido.
Pelo mesmo processo nos podemos reproduzir e pintar oleo, urna vez qae se
nos d urna photographia, seja de que tamanbo for qualquer retrato de pessoa morta ou
ament e no tamanho que se dse jar.
As pessoas que quizerem julgar por si mesmas deste novo genero de traba'ho,
s5o convidadas a nos fazer a honra de visitar a nossa galera, aonde estu expostosuma
serie destes retratos como amostras.
AMBROTYPOS
Retratos em caixinhas
Para satisfazer a numerosos pedidos de muitos dos nossos fregaezes, estamos pre-
parados para fazer retratos neste genero, para os quaes tambem temos agora um grande
ve ariado numero de ricas e bonitas caixinhas.
Pre'elia-se de urna ama, na ra Nova de San-
ta Rita M3.___________________________
Precisa-se de tres trabajadores de pada-
ria para o Rio Grande do norte eirata-se na roa
larga do Rosario a. 46 padaria.______________
C0S1M1KIR0
Clterece-se um ptimo cosinheiro, escravo ainda
mego na roa do Trapicho n. 16.
rmaudade de Santa Cicilia do cemen-
to do Carra.
Sao convidados por ordem da mesa refredora i
todos os irmos para compareceris a mesa geral
oo da 28 pelas i2 boras, para encorporados t le-
gerem a nova mesa qae tera de fonecionar no an-
no de 1868.
- O recretario
______________Joao Manoel Ferreira._______
Luiza Candida Soares, portugueza, com sua
Qlba menor vai a Europa.
Ouro e prata
Moedas de ouro e prata nacionaes, estrangeiras
de tedos os valores, se compraro na loja de oori-
ves unto ao arco de N. S. da Conceijao, roa da
Cadeia do Recife, assim como ooro e praia em
obras velbas, brilbantes e diamantes, e se paga
bem.
Compram-sc escravos
Silvino Guilherrae de Barros, compra, vende a
joca effectivamente escravos de ambos os sexos
-de todas as idades : a' roa do Imperador n. 79,
erceiro andar.
Moedas de ouro e jirala.
Comprase sempre por mais do que em retra
qualquer parte todas as qualidades de moedas de
ouro e prata, nacional e estrangeira, e tambem se
trocam sedlas dos bancos do Brasil e caixas 0-
liaes de ontras provincias; na ra da Cadeia do
Recife d. 58 loja de azulejo.
Compra se urna preta que cozinhe e engom-
me cora perfejejo : oa ra do Rangel n. 9.
Compra-se o Jornal do Recife n. 172,
de 29 de julho do corrente anno ; nesta
typographia.
VENDAS
Precisa-se alug r um prelo e ama preta es-
cravos para eotrfgar pao oa roa e todo mais ser-
vido da casa, paga-se bem : a traur ua padaria
de S Dio Amaro atraz da fundidlo.
Qnem quizer alugar o sobrado o. 42, a'
roa da Aurora, dirija se ao escriptorio n.
4, a' ra do Crespo, que achara'com quem
tratar.
l*B~**ft
Collegio da Ooceico.
Curso de ferias.
Acha-se a berta a matricula das aulas
preparat,ras para os exames de mar;o
vindouro.
N.65
Attenc-ilo.
Na roa do Livrameoto, loja do Zuavo Braseiro
n. 33, tem para vender um compiti sortimento de
candieiros a gaz modernos.
Alera do grande sortimento das melhores machinas, americanas para descarrocae
algodSo, de 10, 12,14,16, 18, 20, 22, 25, 30, 35, 40 e 50, ueste estabelecimento sr
encontra mais o seguinte:
O padre Franeisc j Joao de Azevedo, aotorisade
pela directora da instruegao poblica, propde-se
leecionar pelas ferias em sua casa oo caes do Ra-
mos b. 4, a come(ar de dezembro, arithmetica, al-
gebra e geometra unto aos qae se preparara para
exames da facnldade como aos qne se dedican a
ootros mistares.
Aloga-se a casa terrea sita a' ra do Gazo-
metro, confronte ao porto lateral da fabrica ; tem
commodos para peinena familia, a de prego de
144 por m'1 tratar ao mesmo logar.
0 Sr. Justino da Silva Cardoso queira
vir nesta typographia negocio urgente.
Na pracx da lodepeodencia n. 33, loja de
ouri ves, compra-se onro, prata a podras preciosas,
a tambem sa faz qualquer obra da encommenda dTmT.
todo e qnalqoer concert. ^B
Precisa-se de urna ama pira comprar na roa
a eotjibar; a tratar no neceo do Marisco n. 7,1*
andar. .iiwt#i* Azeite de espermacete propria para machi-
nas de todas as qualidades.
Vapores de forca de 3 a 4 cavallos.
Serras avulsas para machinas.
MancSes e todos os mais perteoces para as
mesmas.
Carros de mo para aterro.
Cylindro para padarias.
Debulhcdores para milho.
Arados americanas.
Escadas de madeiras americanas.
Carrinhos proprios para armazem.
Moinhos para reflnacSes.
dem para milho.
Machinas para cortar capim.
Bombas para regar jardins.
Vaquetas para cobertas da carros,
Camas de ferro sortidas.
Bombas de Japy.
dem americanas.
Ferros a vapor para engommar.
Vassouras americanas.
americanos para compras.
Tinas de madeira. '
Ballaios e cestas do verguiohas.
Guarda comidas. c m w*

pv -^"
i Ni
Penetras d'arame para padarias e refinaces.
Correotes para almaujarras.
Machados e facoes americanos.
Caixas com vidros de todos os '.amarraos.
Cannos de chumbo de todas as grossuras.
Folba de cobre dem idem.
dem de lati idem idem.
Folba de Flandres.
Ferro de todas as qualidades,
Arcos de ferro.
Utas com gaz.
Trens de porcelana para cosinba.
dem estanbados para dita.
Bandeijas finas.
Bataneas americanas.
dem rovervaes.
Taixas de cobre.
Estanho em verguinhas.
Folbas de ferro de todas as grossuras.
Corren tes de ferro sortidas.
Espingardas de todas as quadadesj
Revolvis de todos os modellos.
Ferramenta para oorives.
dem para tanoeiros.
dem para ferreiros.
Programma da festa de Jfossa Scnhora
da Cooccico do an o do Recife.
No dia 29 do corrente pelas 6 horas da tarde, di-
versas girndolas de fogo do ar aonunciaro a po-
pulaci.) desta cidade, que ser basteado o estan-
darte da exeelsa Si-uhora, depois de percorrer em
procissaosolemne, sabiododa casa da juizaa Exma.
Sra. O. Joanoa .M -.ra Simoes Barbosa, as mas da
Cadeia, Cruz, largo erua da Associago Commercial,
Corpo Santo, Vlgario e travessa e Cadeia acom-
panbada da banda marcial do 1.a baialbo de in-
fantaria, regida pelo seu raae-tro que tocar as me-
lhores pe(as de sea repertorio ; que para isso a
commis>o eocarregada da festa convida a todos os
devotos que quizerem honrar em acorapanbar esle
brilhante soqaito, qae fiado dar-se-ha comego as
novenas, sendo aonunciado pela ascenso de um
hala i, e nos dias das mesmas novenas, a mesma
banda marcial reara as pegas qae para isso tem
escolbido.
Ao meio dia de 7 de dezembro prximo futuro,
grande numere de girndolas de fogo do ar aonun
ciar as vesperas do grande dia, que pelas 6 horas
da tarde tero comeco tocando as duas bandas mar-
ciaes, do !. de artilbaria e 1. de infartara as me-
Ibores pegas de seo repertorio, concloindo com a
ascenso de dous magnficos balo s.
A madrugada do dia 8, ama salva real far lera-
brar o annlversario do grande da do dogma da
immaculada Cooceigao, tocando antes e depois da
celebrado da mis-a resada as duas bandas mar-
ciaes e ootras de sociedades particulares qoe para
isso obsequiosamente se prestam.
Entrando as 11 horas a festa a grande orchestre
regida pelo maestro o Rvm. padre Primo, orando
no Evaogelho o Rvm. vigario desta fregoezia, j
bem coobecido pela sua eloqueocia sagrad?, ter-
minando a fesla com ama salva real a ascenso de
om bello balo.
As 4 boras da larde comegarao as mesmas ban-
das marclaes a executarem as novas pegas qoe
para isso tem destinado subiodo nessa occasio
diversos baldes.
As 6 boras, outra salva real aononciar a en-
trada da ladaioba terminando com a entrega da
bandeira da mesma excelsa Senbora, a Exroa.jaia
futura, queimando-se depois o excellente fogo de
artificio qae para isso se tem preparado.
A commfssao encarregada da festa desde ji agr
dece a todos os devotos, e pede aos moradores da
roa da Cadeia para illomloarem as frentes de soas
casas, para abrilbantarem a solemmdade do acto
desde o da das novenas a coocloso da Testa.
Recife 27 da novea bro de 1867.
Manoel da Conba Reis.
Franeiseo Antonio M. Dorio.
Thomai F. da Cania Jnior.
Vende-se fiado e a vontade
do comprador.
O estabelecimento da raa Nova n. 65, onde exis-
te oro bilhar moderno e se fabrica e vende sorve-
[ te, assim como todos os movis, loogas e otenci-
i lias existentes de uro inventario : tratase no lar-
go do Paraizo n. 24. '
RapfPiincipe AlbeifoT
Chegou este rap e vende se em botes de
qu ra, na loja da ra do Crespo n. 5 de
Gregorio Paos do Amaral & C.
nmu iMe
Largo do Corpo Santo n. 27
Mr. JoSo Mergie tendo chegado de Pars da
grande exposigao universal de 1867, faz sciente
ao respeiiavel publico e aos seos numerosos fre-
guezes que leroum grande sortimento ae fa:endas
Unas, assim como cortes de caigas e coiletes de
c.semira e costuraes inti-irlcos e ricos corles de
coiletes de se
como fazendas proprias para moolaria de sennora.
Outro un, faz vestuarios para montarlas e recebe
figunnos todos os mezes para homens sennoras e
raenioos; assim como tem sargelin francez que
vende era pega e a retalbo por prego raz:avel, a
hrins brancos o de cores variadas.
A.. A V. PI1IOTEL
Com loja de relojiieiro na roa Direita
numero 139.
Recebe toda qualidade de relogios e caixas de
msica para concertar, seja qual for sea estado,
doara qualquer obra, garaote a soa boa execogac,
como prova com seus numerosos freguezes e af-
nanga ser por menos 20 a 40 por ceolo do que
em outra parle ; pede as pessoas qoe tem concer-
tos ja' a' tempo a bondade de ir busca-Ios pois do
contrario marcara' dia e asara' do direito qae a
|ei ibe concede.
MSSAD08
Precisa-se de om amassador
selra : na rna dos Pires n. 42.
para mostr mas-
HOSPITAL
Portnpez de BeoeGcencla en Per-
na mbuco-
De ordem do IIIm. Sr. provedor, a em compri-
mento do qoe determina o art. 18 dos estatutos qoe
regem esla associago, convido todos os nossos so-
cios para se rennirera domingo i* de dezembro
prximo fotnro, as 9 boras da manbaa, na casa das
respecUvas ssssoes, oo sitio deste hospital, aflm de
constitoida a assembla geral, procader-se a elai-
gao da junta administrativa par o fotnro auno de
1868.
Secretaria do Hospital Portoguez de Beneficen-
cia aja Pernambnco 26 da aovambro da 1067.
mnaiTij ob ati A. A. dotJaMaa PorM
! sereurlo. *f
Vende-se ama flauta e om peqoeno metbo-
do para a mesma, todo em bom estado, e por com-
modismo prego; i traur na rna das Crozes
0.39._________________________________j
BOTAS
Novameoie ebegadas botas russianas a pernei-
ras da melhor qaalidade que temos visto : na loja
do vapor roa wa n. 7.
Vende se telhas superior e lijlos de todas as
qualidades, fabricado com barro d agua doce por
ccenos 4 em milhelro do qne em outra qualquer
parle : na ciara de Jos Caroeiro da Cuoba roa
dos Prazeres o. 38.
Lingiicas eUrresmos.
Chegadas ltimamente das linas na harea Pa-
rary, a vender na roa da Lingueu o. i, em Utas
d s segaiotes qualidades cada orna, como sejam :
Chourigas.
Liogolgas finas.
Morsellas da sangue.
Torresmos.
Costelletas de vioha d'albos.
Vende se ama raaoa qoe oarrega tre* mil
tijolos de alveoarias grossas r a traur na roa ds
Gloria nomaro 49.
"Brides o licaiiras de loojiea.
Vende a' rna do QaaUaado Aievedo A Irmo,
Vndese majnna com 12 aonos da
Idade, bonita figora : a ron do Hospicio, sobrado
o. 8i, com por lio de ftrro.
Vende-se ama taberna m ni poroado d-
tanu desu eidade 1 11 lego, qoal fu maJto
oagoelo por ser bem eoHoeada: ^aa ereteadar
dirjase a rna AugusU a. 114.
-r

s. .


MI
Mari* de rernasatmco wabbado so de ,-orembro de 1867.
*

Collares Royer
Oa Aaodiios elctricos magaelicos
Deposito acreditado
Loja di gaia branca ra do Queimado d 8
Apregoar anda os prodigiosos effeitos dos
Collares Royer j nao ensinar ou querer
iatroduzir noridades, porque a fama de sua
efflcacia tem-se tanto estendido, e os seus
fehzes resaltados a tal altara elevado, qae
hoje rara a pessoa qae por experiencia
proprii, ou por intermedio de seas amigos
e prenles, ignore ou desconhe;a as virtu-
des desses sempre apreciareis collares
Royer.
A aguia branca porm sa gloriado concor-
rer para um t5o justo fim, se n5o por ou-
ro modo ao menos por ter sempre, e cons-
antemente um completo sortimento desses
collares magnticos, que bem se podem cha-
marsalva vidas das criangas.
Resta aiuda que os senbores pas de fa-
milia se fajam convencer (de que convem
nao esperar que as criancas sejam atacadas
do mal, e por isso necessario ou conve-
niente qae com antecedencia se deite na
criaoc-J um desses collares para assim estar
ella preservada das convaleces e se contar
livre dos rigores da denticSo.
A aguia branca ra do Queimado n. 8
contina a receber por todos os vapores
mQ 06

I- UQUIDACAO


'
LOJA E AUMAZEM
1)0




Coques para senhoras, sendo estes de ultima moda
, s r---- em Parir.
rrancezes a quanUdade que ha contratado e, Liodissimas gravatinhas para senhoras.
por isso acha-se ella sempre provida dos ver- i Lindos colares e voltas de vi trilbo e seda, ultima
dadeiros coluros Royer eletricos magne-' r.T^J iD,eirahD0Vida(,e- u
Collarlnhos, pannos e gravatinhas de Chony, c; tri-
pleta novidade.
Riqnissimos leques de marflm todos abertos e de
roa do Crespo n. 1 A, esquina da roa do Imperador
Acaba de chegar pelo vapor Gutenne, um variadsimo sortimento de fazendas que dizam os
nossos correspondentes qoe forsm as roelhores, -as de mais postos e novidades que encontraram em
Pariz. e por isso muito recomroendaroos a apreeiaco do respaitavel publico, os seguales arligos que
so encontraro na luja do Passo.
Riquisslmos eortes de seda de core?, com lindos
matizes completamente novidade.
Lindissimos vestidos de cambraia branca bordados
com gosto.
Ricos basquees, primorosamente bordados, e ulti-
ma moda em Parii.
Riqoissimas cbaptlioas de seda, palha a imilacao
e entenadas com muito gosto.
ticos.
A Aguia Branca a rna do Quei-
mado n. 8.
Ineontestavelmente na loja da Aguia Branca
onde os apreciadores do bom podem melhormente
prover-se daqoelles objectos de gosto. Essa verda-
de ja por tantos e tantas vezes reconbecida anda
agora se faz confirmar com a nota dos preciosos
objectos de gosto e valor que a aguia tem a satis-
facao de patentear e por a disposico de quem os
deseje e possa comprar. Ella principiar pelas ri-
cas canas com msica e sem ella, para costura,
fissas caixas por sua* perfeiedes, gostos e rique-
zas, se tornam reeommendaveis para algom im-
portante presente, oa mesmo para quem tenha gos-
to de possuir urna beila obra, porque de certo sao
ellas as de roaior valor que se encentran) em Per-
nambueo, lea Jo ama que sobresabe a todas as ou-
tras. Alm destas ha outrs de presos menores, as-
sim como tambem ha bonitas caixlnhas vazias de
madeira, envernisadas e marchetadas, com fecha-
dura e chave, para costura.
Em leques o qae se pode encentrar de melhor,
sendo:
Todo de madreperola, bordados, obra de gosto e
valor.
Oatros de madreperola a seda, bonitos desenhos.
Outrosde madreperola cora birdados coloridos,
obras de muito gosto, e geralmente apreciadas.
Oatros todos de saodalo.
Outros de sndalo e seda com bellos desenhos.
Outros todos pretos para luto.
Outros pretos com desenhos roxos, proprios pa-
ra senhoras viuvas.
Oatros de sndalo e faia, formando quatro vistas.
Outros de sndalo e sndalo e seda, para me-
ninas.
Oatros de madeira e papel, obra barata.
Riquisslmos vestimentas de cambraias primorosa-
mente bordados, com todos os pertences para
creancas se baptisar.
Ricos vestuarios de cores, todos completos para
meninos de 2 a 4 annos.
Mantas de biode para noivas.
Moiriantique, grosdenaple e sedas preta, branca
e de cor as.
Riquisslmos cintos, oltima moda.
Ricos enfeites para senhoras e meninas.
Lindissimas cbapelinas de seda e da palha para
meninas.
Riquisslmos corles de fanlasia para vestidos de se-
nhor.
Lindos cortes de 13a para vestido, novidade.
Chapeos de castor a canotier, ultima moda para a
rapasiada em Pariz.
oltimo gosto em Parlz ; as>m como de sndalo Grande deposito de luvas de Jouvin recebe-se por
madreperola. I todos os vapores grande sortimento.
Casemiras, cambraias, las, musselinas, precalias, chitas e nma Inflnidade de objectos qne
deiamos de mencionar por se tornar magante.
Isto s na loja do Passo ra do Crespo n. 7 esquina da do Imperador.
AUGUSTO PORTO i C.
IIRa do Queimado11
Roa da Iirperatrii n. 60
BE
CMI1 Tendo os donos de te grande estabelecimento resolvido liquidar a malor parte-das
suas fazendas resolveram vender com grandes abalimenlos em precos, assim como teem
recehido ltimamente urna grande porc5o de fazendas novas tanto inglezas como francezas,
alem5as e suiss-s, teem destinado venderemnas mais barato que em outra qualquer parte
afim deapnrarem dinheiro, dando de todas ellas, amostras deixando Icar ptnhor, ou
mandam-nas levar em casa das excellentissimas familias pelos seus caixeiros; assim como
as pessoas que negociam em pequea escalla, neste estabelecimento comprarJo pelos mes-
mos precos que compravam as casas inglezas; ganhando-se apenas o descont.
Tiras bordadas e Babadlahos
Quem quizer fazer boa compra de tiras
bordadas oa babadinhos, achara um grande
sortimento para escolher e por freco muito
mais barato do qae em outra qualquer parte,
na loja e armazem do Pav3o, ra da Impe-
ratriz n 6o, de Gama & Silva.
Fazendas para lato na loja do
Pari
Baloes a 2, 35oo e 3
Vendem-se um grande sortimento de cri-
nolinas ou baloes de arcos para senhora pelos
baratos precos de U, 2(oo e 30 por haver
grande porcao, na loja e armazem do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 6o, de Gama d
Cassas a to rs. sO o pavio.
Vendem-se bonitas cassas inglezas de co-
res l xas pelo barato preco de 240 re, o co-
Vende-se setim da China com 6 palmos de vado, ditas francezas fazenda muito fina com
largura proprio para vestidos a 25 o covado, padroes listrados e de flores, assim como com
15azinhas,pretas lisas, alpacas com listrabran- palminas miudas proprias para meninos a
ca a 1(5 o covado, cassas brancas com listras 3oo rs. o covado ou a 5oo rs. "a vara : pe-
pretas a 5oo rs. a vara, ditas pretas lisas e chiDcha na leja e armazem do Pavao ra da
com salpico* vara a 56o rs. ditas francezas Imperatriz n. 6o de Gama & Silva,
com listras e ramagens vara a 8oo rs., me-:
ri preto, alpacas e princezas, mais barato
do qae em outra qaalquer parte, na leja do
Pavao, ra da Imperatriz n. 6o, de Gama &
Silva.
PALITO'S DE PANNO A 60
PECHINCHA
Cal de Li.-b a era b-rns a 35, assim como urna
porcao a granel a 1403 o alqueire : a trat.r na
ra da Cadeia n. 2, i andar.
Cortes de alpaca a sete patacas.
Vendem se cortes de alpaca escara par vest-
a
semira preta a 60 e 70, d'ta muito finas a
Este estabelecimento acaba de receber e vende por commodojpreco as seguintes 90 e lo0, finissimos sobrecasacos de panno a
2o0 e 250, calcas de casemira de cor a 70 e
Vendem-se palitos de panno preto saceos dos Pel batissimo preco de 23210 o corte,
grande pecblocha na loja e armazem d '
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
, ditos sobrecasacos lo0, calcas de ca- K,?i!.p.!?!'.,.D?J?*.,0Jie """i! Pvo ua
fazendas finas
Vestidos de biond para noiva com manta e capella.
Ricos vestidos de cambraia branc bordadas i que ha de melhor.
Cortinados bordados e admascados para camas de 2o0 a 8o0.
Ditos bordados e admascados para janellas de 90 a 2o0.
Colxas de seda e lita e seda para cama de noivas.
Basquinas modernas de muito gosto de 2o0 a 5o0.
Toalhinhas de croch para cadeiras e sofs, e colxas de croch para camas.
Chapelinas de crpe branco, e chapeos de palha da Italia para senhora.
Moir branco e preto, grosdenaple preto e de todas as cores para vestidos.
Camisas para homem francezas e inglezas de lioho, e de algodo.
Goardapisa de crinoflne para azer mais elegantes os ti stidos de 15a e de seda
a 32o rs: a vara.
Superiores saias bordadas de linho, camisas e camisinhas bordadas e lencl de
Guaruicoes de fitas, ditas de bonas e modernas cam?ra,a bordada para senhoras, ricas toalhas bordadas com muito gosto, e lindos ves-
tuarios para baptisados com o respectivo enxoval.
L5as com listras de seda de varias cores a que ha de melhor.
Chapeos brancos de castor, e ricos chapeos de sol inglezes para homem.
Malas de diversos tamanhos para viagens.
Panos finos e casen iras pretas e decores e oulras muitas fazendas que se ven-
dem baralissimo.
Este estabelecimento contina a receber as melhores.
Esteiras e alcatifas para salas.
IIRna do Qaelinadoii
trancas para vestidos
A Aguia Rranca receben novamente uiu bello
sortimento daquellas apreciadas guarnicoes de fi-
tas; assim como ontras de lindas e modemas trau-
mas. Os apreciadores do bom comparecam na leja
da Aguia Branca a ra do Qoeimado n. 8.
Fi -issimis mcias de to de Eseossia para criancas.
Vendem-se na ra do Queimado loja da Aguia
Branca u. 8, onde tambem ha outras muitas de al-
godo para crianzas de 3 a 12 mezes.
Uui unas lavas de lia de Eseossia e seda, para ho-
iu'-iis e senhoras.
A Aguia Branca a ra do Queimado n. 8, rece-
beu am bom sortimento de Anas luvas de lio de Es-
eossia e seda, brancas o de cores, bordadas e lisas,
tanto para homens como para senhoras; quem as
pretenier e dirijir-se a dita luja da Agina Braoca,
conhecer que em tal genero nao se ene.->ntra me
Ihor, e talvez era mesmo igual em alguma outra
parte.
Requifes brancos oa traHcinhas papa-fina.
A Aguia Branca acaba de receber um novo e
bello sorllmeato dessas to procoradas trancinhas
papa-Ana, com diversos e agradaveis molde?, e co-
mo sempre a Aguia Branca a ra do Queimado n.
8 continua a vender barato.
Golliobas e punhos, maiigiHos e golnha?, obras
modernas e de gosto.
A Aguia Branca acba-se recenlemeote provida
de bonitas gullioha> e puuhos bordados, muoyuito.s
e golliobas tambera bordades, e ludo do melhor
gosto e ultima moda, tendo as gollinhas e punhos
muilo?, ja enfeitados com fitas enliadas, e alguraas
pequenss para meninas. Os precos apezar de com-
modos vaiiam com as dilfereotes qualidados das
obras. Os pretendentes comparecam na loja da
Aguia Branca a ra do Queimado n. 8 que serao
servidos a contento.
Entremetas hordados em pecas grandes.
A Aguia Branca a ra do Queimado o. 8 est
vendendo bonitos entremeios bordados em pecas
grandes de 12 lira*, e pelo baralissimo preco de
i'vo'OO cada peca. A grande extrac;o quo ellos
tara tido confirmara os diversos flus para que ser-
vem, asura poisconvm que a boa frrgueiia da
Aguia Branca aproveilc essa boa e barata fazenda.
Vende-se um bom piano de mesa de Jaca-
randa em perfeito estado : ca ra da Gamboa do
Carme n. 20.
GRANDE BAZAR
ra Nova n. 20 e 22
Machinas pa-a costara do autor Wheelw
de Wilson, chegadas ltimamente da Ame*
rica; as qoaes pode cozer-se com doui
pespontos, toda e qaalquer fazenda, emba
inhar, frangir, bordar e marcar roupa; tudt
com perfeic5o- S5o tSo simples, qae com-
prehende-se fcilmente a maneira do traba*
i.o e a pessoa tendo pratica de coser em ma-
rtinas, pode fazer por dia o servico qae b-
ciam 30 costureiras.
Cbama-se 4 este estabelecimento a atteo-
cao do publico, visto que elle se acha con}'
pletamente sortido de objectos de gosto,
como bem leques de madreperola e de sl-
dalo, fivelas, fitas para ciato, cokes perfo
maria e etc,
Na ra nova n. 20 e 22. Carneiro Viai
na &C.
Vende-se por prega commodo urna machina
nova a vapor, porttil, do forca de seis cavallos e
do perfeita constroegio com toda ferragem precisa
para mover vanas macbioaa de algodo oa ontro
qualqner mister, e bem assim orna prensa ameri-
cana de enfardar algodo, de systema moderno, e
de molla forja e a'gu rraeis proprios para depo-
sito. A ver tratar na fabrica da travessa do Ca-
rioca n.;':, caes do Ramo?.
--------------.
PREPARADAA FRI
F'ARINHV
4 8^800 Vsd-se farinbt d mandioca pelo barato preco
i iMuncld:: a fu i4re de Deu s. 5.
POR
. AUGUSTE CAORS
Pharmaceutico pela escola de Paris e successor cesta cidade
DE
Aristide Saisset e J. Soura
22.-----Rna da Crtaz-----22.
M>oBtn>-ir- fc
Tratamento puramente vegatal sem mercurio, iodo, ouro, nem ontro qualqu6
nineral.
Verdadeiro purificador do sangue sem azougue.
- Especial para a cora de todas as molestias que tem sua origem na impureza do
sangue, como sejam as molestias boubaticas, syphiliticas, escrophulosas, darthrosas, qaer
venham ellas por hereditariedade, quer sejam adqueridas pelo contacto com pessoas in-
feccionadas dos diversos viras que contaminam o sangue e os humores.
A caroba um remedio prodigioso, [usado desde remotas eras pelos indio
do Brasil, e passando seu aso de geracao em geraco, hoje um dos remedios mais co-
nhecidoscomo proprio para combater as molestias mais hediondas, entrando nesse nume.
ro a mor.pha ou elephantiases, para cujo curativo os nossos sertanejos considerara a
caroba como remedio especifico.
A maito ttrapo entrou a caroba nos formularios como preparado magistral
sob a forma de eleictuario, ainda hoje lembrado as pharmacopas com o nome de seu
celebre autor Joao Atves Carueiro : nao ella portanto remedio novo nem desconhecido.
O ungento de caroba da mesraa sorle preconisado desde tempos immemo-
riaes como o mais apropriado para o curativo das boubas e ulceras syphiliticas srdidas,
e empregado com proveito depois de improficua applicaco de muitos outros ageates
therapeuticos enrgicos e de aso quotidiano.
Muitos dos nossos mdicos de consideraejio e entre elles o muito distincto pratico
e observador o Sr. Dr. Pedro d'Atbayde Lobo Moscoso, tem confirmado por meio de ex-
periencias repetidas, o que diz a fama das benficas propiedades da caroba no trata
ment das boubas, das diversas formas sob que a sypbilis se aprsenla e maito especial-
mente as que teem sua sede na pelle, e podertamos relatar alguns casos de data muito
moderna obsarvados pelo mesmo Sr. Dr. Moscozo em que a caroba produzio admiraveis
efieitos, depois de innteis e prolongadas applicacoes de sal&aparrilha, mecurio, iodo, ou-
ro e seus preparados, etc., etc.
Nao era possivel que orna planta to notavel por suas inappreciaveis virtudes es-
capaste a perspicacia e investigacoes dos mais abalisados praticos europeos, qae se ap-
plicam com especial! dade ao estado e tratamento das molestias syphiliticas e herpeiicas
e para prova ahi es jo os Srs. Drs. Casenave, Schurfer, Ricord e outros dando as mai
lisongeiras ioformaces sobre as propriedades curativas da caroba e preconisando-a com'
remedio poderosissimo para o tratamento das erupces cutneas, seccas ou suppuravas
dartbros de todas a qualidade, eccemas, ulceras de diverras naturezas, tumores, osseot
e outras muitas molestias de natureza syphilitica ou boubatica.
Por ter-se generalisado maito o uso da esseoela da caroba qae ea pre-
paro e pelas instancias de varios mdicos que desejam continuar em suas observaedes,
deliberei-me a ter prompia urna quantidade da mesma essencia, obtida sem a aeco do
ogo, para nao prejudicar as propriedades medicamento$as; e d'ora em diante encon-
trar-se-ha na minha pbarmacia sempre e em porco suffeieote para todos os pedidos a
bSSCNClA CONCENTRADA De CAROBA, e o ungento da mesma plcnta para que nao-
faUem aos Srs. mdicos qae qaizerem esperimentar t'o precioso agenle.medicinal.
Rect'fe de Pernambuco, 17 de outubro de 1866.
Auoostk Caom.
Erva mate.
Na praea do Ccrpo Santo o. 17, 1* andar, ha pa
ra Tender erva mate muito aova. Cal de Lisboa
ltimamente ebegada, por preco commodo.
Cabriolet
de 4 rodas e 1 cavallo moito soperior, vende-se
para tratar na roa do Crespo n. 16, 1* andar, pa-
ra ver-se na cochelra do Paulino roa de S. Amaro.
Vende so um bom escraTo carabina e para
ledo ser vi o : u roa do Imperador o. 10.
Aos agricultores
Saunders 3r at be rs & C. aeanam de receber
de Liverpool vapores de forca de 3 a 4 cavallos
oom todos os pertences, e mu proprios para laze-
iem mover machinas de descarocar algedao, po-
dando cada vapor irabalbar al com iiO serras,
tambem servern para enfardar algodo, oa para
ontro qoalqour servico em qna nsam de irabalbar
com animaos. Os mesos tambem tm a' venda
machinas americanas de 35 a 46 serras.
O* prt>teud<>ntM d*ri)am-se ac largo do Corpo-
Saalo n. 11.
8&, um grande sortimento de coletos de toda
a qualida e e outras muidas qualidades de
roapas qu" se vendem mais barato do que
em outra qualquer parte, na loja e armazem
do Pav5o, ua da Imperatriz n. 6o, de Ga-
ma & Silva.
As salas do Pavao a 3#500.
Vende-se urna grande porco das mais bonitas
saias brancas com lindas barras bordadas de co-
res, tendo-4 pannos cada urna, sendo faienda in-
teiramente moderna, pelo barato prego de 3550)
cada urna sendo fazenda que sempre se venden
por multo mais dinheiro; na loja e armazem do
Pavao, na ra da imperatriz u. 60, de Gama de
Silva.
CASAQUINH DO PAVO kA 180, 2o0
250 E 300
Chegaram o mais modernos casaquinhos
ou jaquetas de grs preto, ricamente enfei-
tadas sendo uos com cintura e outros soltos
conforme se usa ltimamente e vendem-se
pelos baratos precos de 180,2o0,250 e 3o0,
na loja e armazem do Pavao, roa da Impe-
ratriz n. 6o, de Gama & Silva.
.noire-antique.
Vende-se superior moire-aniique de cor, com
algnm u que de mofo, p-ir prego muito barato, para
acabar: oa I ja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60,
de Gama & Silva.
Caoilsiahas a 3#.
Vendem-se as mais modernas camisinhas com
manguitos tanto bordados como do pregoinhas cora
elegantes puchos e benitas abe t adoras pelo bara-
to prego de 3f 00 ; oa loja e armazem do Pavao,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
I chincha pin casimiras a loGOO so o
Pavao.
Vende-se urna gradde porcao de casimiras supe-
riores entestadas, sendo escuras e alegres proprias
para caigas, poletots, coleles e ronpas para meni-
nos pelo baralissimo prego de 1800 o covado ou
a 2J800 o corlo de calca, grande pechracha na
loja armazem do Pavo : ruada Imperatriz o. 60,
de Gama & Silva.
Alpaca moustro com o palmos a 280-
S o Pavo.
Vende-se lpicas de quadros sendo padi5es es-
coros propri ^s para vestidos tetdo S palmos de
largura que facilita fazer-se um vesudj at ruin
8 covados pelo barato prego de 280 rs. o covado,
garantindo se que fazenda que val muito mais
dinheiro, portanto pechincha : n loja e arma-
zem do Pavo ra da lirperatriz u 60, de Gama
4 Silva.
Poupelioas para a festa a 320 rs. o covado.
Vende-se nma grande p^rgo das mais bonitas
ponpelinas transparentes co palminhas bordadas
a la ou quadrinhos a imitlgio de tio de seda, pro-
fras para vestidos pelo baratisslrao prego de orna
pataca o covado, grande pechmcba : na loja e
arraazera do Pavo ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Leocos para niao na loja do
FavoaGiO, 10 e 10600.
Vendem-se bonitos leogos de cassa bordados
proprios para mo pelos baratissimos pregos de
O O, 1 e l60>, isto na loja do Pavo ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
CORTES DE SEDA,
a 28&O0O Fes oa loja do Pavo.
Chegaram os mais modernos cortes de seda de
cor cora elegantes desenhos claros e oscuros, ten-
do moita fazenda para nm vestido e vendem-se
pelo barato prego de 280O0 reis, por estar mos
muito prximos da fesla, isto na loja do Pavo,
rna da Imperatriz n. 60, de Gam & Silva.
Bertaoba de lioho
Com 30 jardas a 12,5000 reis.
S o Pavao.
Vendem-se pecas de soperior bertanba de llnno
pnro, tendo 30 jardas ou 25 varas cada pessa pele
baralissimo prego de 129000 res, sendo esta fa-
zenda propria para lences, camisas, toalbas, etc.
Isto na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Bramante de lioho.
Com 20 jardas a 85,00 res.
Vende se superiores pegas de bramante de linhc
proprio para leeges, toalbas, carnizas, etc. tendo.
20 jardas cada pessa peio barato prego de 85000
reis, na loja e armazem do Pavo, ra da Impera-
trix n. 60, de Gama & Silva.
SAIAS ECONMICAS.
a 2,300 res.
Vende-se nma grande porgo de saias de cor
com benitas barras pelo baralissimo prego de
25500 res, na loja e armazem do Pava} ; ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
PUNHOS COM GOLINHAS.
a 15000 reis.
Vende-se orna grande porco de punhos com
goliohas de esgolo de lioho, com os mais lindo;
bordados pelo barato prego de 15000 o temo, di-
tos bordados de cor a 610 reis, sendo glande pe
chincha pelo prego, na ra da Imperatriz o. 60 de
Sama & Silva.
POIL DE CHEVRE.
a 560 e 800 reis.
Vendem se as mais bonitas laosianas com listas
de seca, intituladas poil de cbvre pelo baralissi-
mo prego de 560 reis o covado, ditas cuta as lis-
tas maihisadas a 800 reis, assim como um grao-
de sortimento das mais bonitas e modernas lansl
nbas qne se vendem pelos precos de 280, 400,
500 e 560 reis, bonitas alpacas de seda de ama
sfl cftr a 640 e 800 reis, isto na loja do Pava,
rna da Imperatriz o. 00, de Gama & Silva.
Balees esguios. -
a S5500.
Chegaram os mais modernos balSea esgnbs sen-
do verdaderamente americanos e vendem-se peto
barato preco de 25500, na lija do Pavo roa das
Imperalrix 0. 60, de Gama & Silva.
Precos vantajosos
as mindezas do grande estabeleci-
mento de Sonza Soares & [rniao.
Rna Nova n. 28.
Venden en gresso e a retalho.
Linbas novellos, muito superiores, libras sortidas
a 252OO e 25500.
Dita em nvelos, mais inferior a 15500 e 15800
a dita.
Dita branca em caixas de 50 nvelos a 640 ris
Dita para marcar, caixas de 16 ditos a 240 rs.
Dita braoca em ditas de 10 ditos grandes a 560.
Dia em carros de 100 ardas a 3G0 rs. a do7ia-
Dita em carros de 200 jardas a 15200 a duzia.
Dita em cartSes, branca e preta, a 160 rs. a dita.
Rozetas de cores em caixas de duzia, a 1J500 a
dita.
Grampas com cabeca de vidro a 160 rs. a dita.
Agulbeiros pintados a 20 rs. a duzia.
B: tSes de moedinhas douradas e prateadas, para
pnnbos, a 15900 a duzia de pares.
Ditos de madreperola, para eamis, a 50) rs. a
groza.
Ditos de osso, para caiga, a 240 rs. a dita.
Caixinbas com soldados de rbumbo a 120 rs.
Espi-lhos de muldura dourada a 15400 a duaia.
Pentas de lago doorado, para coco, a 65 rs. a
duzia.
Ditos de lagos lisos, para coco, a 5,5500 a duzia.
Ditos dourados, cora flores, 25400 a duzia.
Ditos de blalo, multo bons para alisar, a 25300
e -C i o J a dita.
Dsdaes amarelos e prateados, finos, a 240 rs. a
dita.
Clcheles em caixinhas a 640 rs. a dita.
Ditos em car toes a 600, e 900 rs. a dita.
Pegas de uta para coz, larga, .com 10 varas, a
00 rs. a pega.
Fitas de seda n. 1 V2. pecas com 8 varas, a 260
rs. a dita. ,
Cadago branco para ceroulas a ECO rs. a duzia
de pegas.
Las de todas as cores, para bordar, a 65500 a
libra.
Phosphoros de cr.% em calxinda?, a 360 rs. a
duzia.
Ultima moda
Belkschapeoskibos de apurado gosto para se-
nhoras f nos ao capricho de urna das pnmeira3
modistas oe Par.'s achegados ao armazem do va-
por roa N, va 0. 7,
E' baratissimo a OOris.o
covado.
Superiores lias para vfsiidos rom excelientes
padie8 a 50o ris o covado, aproveitem antes que
se ac..bem ; na roa do Queimado n. 46,jioja de
Guimaraes & Basjos.
Attenco
Vendem-se pegas de algodaozinho meito largo
superior qualidade com um pequeo t que de ava-
ria pelo barato pr-g> de 45, chitas largas de co-
res a 240 rs. o covado, brim pardo rrn to bom a
600 rs. a vara : na loja de Antonio Jos dos Reis
& C, a ra do Passeio Publico u. 6, por baixo do
sobrado dqvq.
Grande novidade para n
festa
Na loja do Pavo roa da Imperatris d,
60, de Gaira 4 Silva,
Modernas poupelinas com palmrahas
bordadas e quadros, covado a. .
Modernsimas lazinhas coro pal-
mas, salpicos, quadr. s, li;tas, etc.
etc., c. vado, a 400, 00 e........
Lindas las com listas de seda, co-
vadoj a 560 e....................
Verdadeiro puil de Cbevre com lisias
modernas, covado, a 800, 15 e___
Finissimas mus.-ellnas de c vado, a.........................
Bunitas sedas de cores cem 4 palmos
de largura, covado, a.............
Grosdenaple azul, roxo, lyrio, cinza,
etc. etc., covado, a..............
Modernas cassas com listas largas.
vara, a 610, 720. 800 e...........
Modernissimos organdys de cor, vara,
Organdy largo, com lista e quadros,
vara, a........................
Cortes de organdy com listas bran-
cas e de cores, tendo 8 varas cada
corte a..._......................
LSazinbas d urna s cor maihisadas
covado a.......................
Cortes de cambraia branca bordada,
sendo neste genero o mais rico que
tem vio Jo ao mercado...........
Boniti s cortes de sedas cores claras a
Bonitos cortes de phantai la a.......
Cortes de or?;andys listados com 10
varas, a.......................
Fil branco bjrdaoo, sendo de meia
largura, vara, a..................
Bonita fazenda branca para saias,
tendo pregas de um lado e tam-
bem bordada, vara a 15, 15280 e
Ricas saias 'cardadas a 65000, 85 e
Cassas de urna t cor du flores, cova-
do a..........................
Ditas francp?as muilo finas, sendo de
listas e 0;res, vara a 500 rs. e co-
vadoa..........................
Modernos punhos cm gulmhas, seo-
do de es-uo de lioho, bordados,
brancos e de cores a.............
Mjdernos manguitos com gollinhas a
Ricos cerpinhos de cambraia moito
bem enfo'tados e bordados a 85 e
Saias econ* micas e escoras, para
quem Or passar a festa ra a___
400
560
S00
152C0
640
25000
15S00
15000
15000
15C0O
45000
280
2550CO
S-0000
105C0O
65000
640
UfiCO
105000
240
30*3
1-5000
*5Jtt>
15000
25300
ealdade
Este estabelecim?nto a rna da Imperatr z n. 70,
recebe de sua ennta por lodos os paquetes frunce-
zes diversos objectos da ultima aoda de Pariz,
como seja nocit is coques lisos e eofeitados, fitas
de sarja, ditas de seda lisas < borladas d todas
as larguras e de superior qualidade, lindas sapa-
tos de merino, de casemira e ia, toncas .le lia,
muito bonitos chapellinno?, babadinhos e ntre-
melos com lindos bordados, gravatas de seda ra-
li e de cores para homem e senhoras; as verda-
deras luvas de Jouvin brancas e de cores mu't">
benitas, cartelrifs de diversos fetios e ramanno?,
meias de muilo boa qualidade, para norn-ro, se-
nhoras e meninos, ora lindo sorlimccto de tice?,
esparlilhos, tuuradores da Jacaranda' de iv.--
taraanhos, filas o"e veludo, traog;-s pretas e de co-
res, lindos enfeites para vestidos cintos da divtr-
| sas qualidades muito bonita, alnos, ab. Laderas
para colletes, laa p'.ra bordar de superior qaali-
I dade, urna inflnidade de bonitos brinqnedos par
Ditos de pu encerado, sem cheiro, a 3o0 rs. a criaDca!) a* melhores perfumarlas de Lubiro, Piver
izia ao caixranas. e Ccudrai sociedade Hygenica, imroencidade da
ra. em caixas grandes de folha, a objectos que dtixo de m,-nciouar para nao se tw-
nir massant", '.udo por pregosmnito coa modos.
Yapares.
Vende-seem casa de Sanuders Brcthers & C.
o largo do Corpo Santo n. II, vapores patentes
om todos os pertcnces proprios para faxer mov%r
es ou quatro machinas par,* descar&gar a!godo
Attengdo.
Na ra da Senzala Nova n. 22, se acba a venda
; nm grande e variado sortimento da esteiras ene-
(gadas do Aracaty, por prego razoavel : quem pre-
tender dlrija-se a mesma.
1 lu mmm wasnmmM*
].-} Chocolate bespanbel
i Vesde-se a 800 rs. a libra, y*
Na ruaNuva n. 11 e 51
1SS Rua do Cabrjg numero 1 A.
URiii mmmmMM
15'i00 a duzia.
Car Ulnas da Doutrina Cbrislia a 320 rs.
Obreas de colla, em caixinhas, a 310 e 500 rs.
Sbonetes Anos a 800 e 15 a duzia.
Facas e garphos cabo de osso, fazenda boa, a
25500 a dozia.
Ab>maduras Boas para coletes, cintos cora Ava-
las oe crystal, e muitas outras qualidades, puicci-
tas de coGtas, penies com pedrs para coques, en-
feites para cabega, um completo sortimento de per-
fumarias de lodas as qualiJadrs, eolariohos, can-
deeiros a gaz, ferragens de lodas as qualidades etc.
etc.; a ra Nova n. 28.______________________
VENDE-SE
Motores americanos para doas cavallos.
Dito dito para quatro cavallos.
Machinas para descarocar algodo de 14, 16.
18,20 30, 38 e 40 serras.
Prencas para enfardar algodo fazendo os sac-
eos com 6 palmos de comprimento com o peso de
150 e 200 libras, viudas nltimamente da America
no armazem de Henry Forster & C, no caes Pe-
dro II d. 2 junto ao Gabinete Portuguez.
A ESMERALDA
5 liua da Imperatriz
A' moda I moda I qae tempe
Da festa o genio nos diz :
Ide ver coosas mui bellas
Na rna da Imperatriz.
Ide, e ao passardes s portas
Ao nomero cinco attendei;
E' all qne assiste o genio,
E' alli qoe o gosto le.
Tem lavas de varias cores,
Do aflamado Joavim;
Tem ricos cintos e flores,
Fitas liadas e setim ;
Eofeites de varios gostos,
Cbapelinas e toacados,
Tem vestidos muito simples,
E tambem os tem bordados,
Tranca?, ligas, Mees, franjas,
Pente, leqaes e cordoes,
Gaze de seda, bom crpe,
Blonds ricos e baloes ;
Tem aderecos de flores,
Entremeios e babados,
Pelerinas e mnganos,
Costames p'ra baptisados.
All, nada falta a moda,
T mindetas encerra ;
De Pars ao centro Ide,
Fregueses da minha trra.


! Je Ter eoasas mui bellas,
Da festa o genio nos diz ;
Ao numero cinco attendei,
Na roa da imperatriz.
Esmeralda.
J ckegoi
Cemento romano : 00 armaxem de Tasso irmaoi
00 caes de Apollo.
Pechincha
Vendem-se pequeos albons de algibeira,
para retratos em mioiatora, para 6 e 36 re-
tratos, pelo diminuto prego de I o ris
cada um: na ra do Crespo o. 4, fabrica
de chapeos de sol.
E' muito barato
a 500 rs a vara oa 360 rs eovadt.
Um lindo sorlim> nto de cambraias francesas d-
ceres que cu-lavam 8UO rs vendem Gregorio F.
do Amaral & C por aqoelles precos : na sua loja
da roa do Crespo o. 5 Tambem oeste estabeleo
menlo se vendem cbitas de bonitos desanos e co-
res fizas a 260, 280, 300 e 320 o covado, r,-m co-
mo esperam receber pelo vapor qae devi cDegar a
29 deste mez ricos corlea da seda do mais apara-
do gosto, poli de cbevre liso e ontro smoitos arti-
gos de novidade.
A 18800.
Vendem se, na fabrica da roa do Crespo
n. 4, muito bous chapeos de sol de paoot-
nno, com armado de ac, pelo diminuto
preco de mil e oitocentos lis, per se Mr
grande quantidade. A' elles, antes que se
acabem I Li______
Attenco,
Vende-se a leja de fonilelro a roa Direita a. OB.
com todos os perieoces e algomas obras helas; a'
tratar la rna da Ungoett 14, andar.
0 barateiro v Mar ao
publico.
Chitas largas, cores asearas a claras ale linean
Sieobos e cores fizas a 260 rs. o eovaa, risca4-
qs franeexes a SiO rs. o covado, aadapolao Snn
oom 24 Jarda a pessa por 35*00, Ha ana* flan
elepbante per 75 a pessa de 24 Jardas larg aS-
goaoainno a pessa por 45, dan se amostras coa
pechor; na Ioji do barateiro roa da Madre d
Deas n. M oa 29, defronte da gurda da altan-
degs.
!!


I^H
la rio 4c lernam.bne abbailo 30 4c Xoveaibro de 1897.
Ra da Imperatriz n. 15.
Vende te niaDteiga ingleza flor a 800 e Ifjooa.
Sal refinado em paco te de 3 libras a 2oo rs.
Po de tijollo para limpar facas a i2o rs.
Latas cora pSo-de-l a .Hoo.
Azeitenas de Elvas em latas a 800 rs.
Alpista e painco a 16o rs.
Frotas em caldas seoras a 5oo rs. a lata.
Farello de Lisboa marca M. a i,-56oo e 3ooo.
Caixinbas com massas para sopa a 25"'00.
Vende-se urna armac3o de louro envidracada propia para qualquer negocio em

CMII HU 'lll|>Mllfl 'a
lllllllll
IVtWXLtJ MI I
[ 'iul ainaft mi t 'OMfiMnutj y
! w-opuaSut 'fjtaodtip
m oirouinrait J aad tg Mb atusad 'ssflflvuadsjd im p jort f tun
t &&m 09\\<\ai o? n[daio9 oataqpi a'jaiqo opoitwap aossina Vi 40
fopuiMN iMoqptK 10 fp NftHiwbid nnp mu nuei-i
t^SS5W I wutDni wuq oj?ooqjw ,p muy j
* 'twopojsqin maja
-s tvpuntq ta e 'tnopnjwow fwnt*u'i ttriiem na 9iasuuiB3ijJd
npntpai oJiusSoim ojjj sp ojinpr p toanutno^ nono ten vpra opwiao
DO
DR. SEVIAL.
Para o tratamento e cara rpida e completa das molestias syphiliticas, eris-9-
as, rheomatismo, bobas, gota, debilidade do estomago, infiammaces chronieas do figado
1 baco, dores sciaticas, cepbalalgias, nevralgias, ulceras cbronicas, hydropesias, |rieuri-
uas, gonorrheas chronieas e em ge al todas as molestias em que seteno em vista apa-
ificacao do systema sanguneo.
tonslderaccs geraes
A saude um bem inapreciavel, coja importancia e valor s est reservado ao ens
termo o ayalia-lq. oma princpal ra: atratar na ra da Impeatriz n. 5, com Miguel Gomes de Souza
E mcontestavel que o bomem neste mundo e constantemente, e por todo* o* laoor ^m r><>9ntl e*peciaes.
tacado por ama iufinidade de agentes morbficos que todos tendem, dadas certas e deter- ,4
niadas circumstancias, a alterar o regular exercicio das funccoes orgnicas, resoltanbo
?esse desequilibrio o que se chamamolestia.
A molestia nao mais de que a desyirtuaco das forcas vitaes, occasionada,- d,
fundo as investigaces e experiencias dos mais abalisado mestres da sciencia, pela depm-
'afo dos humores geraes, consequencia da accao maligna desses mesmos agentes mora e
Seos introduzdos no organismo pelo acto da respira rao, pela va digestiva, pelo contacto
immediato etc. etc. etc.
A sypb.ilis infelizmente tem sido a partilha da humanidade, e como fra de duvi-
4a que esse terrivel Proteo da medicina urna molestia hereditaria, ella tem sido obser-
rada em todas as idades, e debaixo de todas as suas formas to variadas, enfraquecendo
onstituicoes robustas, produzindo mutilacSes, e cortando anda em flor da idade vidas
preciosas.
Eliminar da economa esses principios deleterios, e purificar a massa geral dos
anmores tem sido desde tempo immemorial o fim constante da medicina, e os purgati-
vos figuram em primeiro lugar para preencher esse dsiteratum ou fim.
O Elixir depurativo do Dr. Sevial parece merecer a preferencia sobre todos: os
inmensos successos obtidos pelo aso deste salutar agenie tanto na Allemanha, como em
Franca e Italia, o tornara o companheiro inseparavel de quasi todos os doentes.
Sendo as melestias, como cima dissemos, devidas s alteracoes dos humores, o
Elixir depurativo do Dr. Sevial pode ser empregado vanidosamente na syphilis, erisy-
pelas, rheumatismos, bobas, gota, debilidade do estomago, iBammacSes chronieas do
agado e baco, dores sciaticas, cepbalalgias, nevralgias, ulceras cbronicas, hydropesias,
pleurisias, gonorrheas chronieas etc. e em geral em todas as molestias em qne se tenha
em vista a purificaco do systema sanguneo; pois que nma pratica constante tem feito
ver que elle indispensavel nos casos gravssimos para m'morar os soffrimentos, pre-
parar o doente para medicacoes superiores ; e as menos graves a cura 6 a conse-
quencia do sea aso, convenientemente repetido.
As substancias que entraa na composic5o do Elixir depurativo do Dr. Sevia
perencem todas exclusivamente ao reino vegetal, e grande cathegoria das sabstan-
:ias depurativas e antisyphiliticas; assim, ao passo que este remedio depara o orga-
nismo, eliminando os principios nocivos saude, pelo mecanismo natural das eyau-
teftes alvinas, neutralisa ao mesmo tempo o viras syphilitico quando este virjem.
,em feito erupcao no exterior dtbaixo de suas multiplicadas formas; e previne taui
jem os estragos dessa terrivel molestia, quando por ventara se ache ella atotft no
StaJo de encubac&e, isto 6, sem se ter manifestado sob formas externas: beneficio
nmenso, tanto mais quanto neste estado os individuos igneram completamente'^ e*-]
o contaminados por este terrivel inimigo.
O sabor agradavel d'este Elixir convem a todos os estmagos, a saa accJO 80-
jre o tubo intestinal suave e benigna, e de nenhuma forma produz molestias medir
wnmtosas, como acontece ao purgante dito Le Roy, que na sua qualidade de dras-
uco forte irrita a mucosa intestinal, e consecutivamente a seroza, resultando deste es
ado, muitas vezes, hydropesias, que qaasi sempre terminam pela morte do doente.
Assim pois esperamos que o uso deste remedio justifique cabalmente as nos-
as asseveracoes, porque sendo um medicamento to simples na sua composico. a
pratica tem confirmado sua utilidade.
nico deposito em Pe mamb. .
Sp.UJ9p{ mWl 9p 9 0JJ3J 9p 0]3JnpOj 9p W\ 3 SS[D|j j
mouijrujo
mjr.nA moa opwm ttsoai9njJ9j nusaim stn3* n ttaoaoM
1
lplBp int tuia aiUMitiipatami opatp WlHlUiUI jytfJatfj WJ 0 \
tiu 1 nSas q5ejBdajd n uqot
aj oli 4Wn qo o 'ootpsjT Mtg ot o Jiajbs oiwptpi u M-itmid imi ,j
( *ojmj o ai03 opiun aiuaiuEUijim ajdut 'soiuad tnrui so tooimrqa so
pppaqnooj \m\ 0 ouioo 'onuts ou qai m jnb 'tt9uv6vmu op 'wQtJtdajd ks.o
'vpostnv v oiixa o ym jssa manquui sounnsip siiui aopnorprai soimpf -n3ow op
oiuau:pDjqoduia O siis JOd uiaa] anb su's|Oui n jbjivj jd saziagjaai mu
tirnin o? idtt/W sosouiSnjjaj so aab waqaooM 'vnpwt bjjjkji njwi
-vjtyi rp opv]Di as ap o|Jpa iuiij[n tu 'Qirassaoai aossajoid jaaaiuw o


Na botica e drogara
*J f natfn tf naavH| ^* ptuu| 'mpumim
Nossiaa na Ninna aa
Tiiisiasn aa rinzaioi mu rravAOH Sf3IST91TII-ST3HH3J S30THTd3M
mmmwm*
Vende-se na pharmacia de P. Maarer i,C, ra Nova.
FAZENDAS DAS LOJAS E ARMAZEM DA
DE
Barthotomeo Companhia.
34RA DO ROSARIO LARGA34,
80V0 DEPOSITO
DE

MACHINAS
PiA DESCAROCAR ALGODO
Manoel Bento de Oliveira Braga,
53Roa Dlrclta b.53
Neste estabelecimeuto se encontrarlo a
verdadeiras machinas americanas chegadas ltima-
mente, as quaes sao feitas pelo mais afamado fa-
bricante da America, por isso avisa a todas as pes-
soas que precisarem comprar, de se dirigir a este
estabelecimento que comprar3o das mais perfeitas
neste genero, assim como mais barato do que em
outra qualquer parte, por isso que se recebe por
conta propria, bem como cannos de chumbo e moi-
nhos para moer milho, e grande sortimento de fer-
ljj!y ragens e^miudezas em grosso e a retalho.

Facas de cabo Dranco de meio balaneo a \ft
1 a duzia, limas finas de todos os lamanbos proprias
& de trabalho de escultura.
mm
FVBRICI m CHAPOS DG SOL
DE
91A I A HA FAIiOLE.
Este estabelecimento acaba de receber de Pars urna rica colleccao de chapeos
de sol de seda, de alpaca e de algodo, com armaces de balea, de ferro e de jonco dos
melhores gastos e fabricantes, que vende mais barato do que ootro qualquer estabeleci
memo, por seren fazendas vin las directamente.
Igualmente tem fazendas de seda, de alpaca, de algodio e de buho para cobrir
chpeos de sol, tudo de boa qualidade e por preco commodo.
Eocarrega-se de qualquer concert, com presteza, seguranca e garanta.
GRANDE




QllDA(!AtO DE FAZENDAS
Por baratos precos.
fe, m
Casas fc-ancezas de cores.' a 240 rs. ocovado.
Ditas francesas, superior qualidade, grande varledade^de padrSes, fazenda de
o rs. a vira, a 320 rs. ocovado.
Ditas ditas muitofinas a 400rs. ocovado.
Sa" [es chitas fraocezas largas de coresfixas a 260rs. ocovado.
LiiIjs Ipas de cores com lpicos e com flores a 320 rs. o covado.
Ditas com palmas de seda a 320 rs. o covado.
Ditas :jm lista? imitando poil de Chvre a 400 rs. o covado.
Superiores alpacas de cores de duas larguras com listas e com flores, grande va-
ne*.' de ti- p-,dr5e8 e gostos inteiramente lindos (Tazenda de 1J o covado) a 500rs.
Seda- Je cores de quadrinhos e de listas a 800 rs. o covado.
Ric
ha de#ma .j
Boas adapo
Di 33. _______m->
Supe: r algodosinbo branco con 20 jardas a ifi a peca.
A ::: :omo oolrasmoitas fezendas por menos do seo valor para liquidar.'
LOJA DAS COLUMNAS
Antonio Oorreia d#iVasconcelos &
Ra do Credo n. 13.
jps i
Tendo o proprietario destes doas estabe-
lecmentos resolvido liquidar grande parte |
Alpacas de lista a 000 rs. o covado.
Vende-se alpacas de listas e de flores
de suas fazendas por isso" resolveu por em li-1 proprias para vestidos de senhoras a 5oo,
quidaco para vender mais barato do que [ 600 e JCo rs. o covado: ra da Imperatriz
em outra parte. I lojas da Arara ns. 56 e 72.
Chitas 160 o covado. 'Casemira com pequeo toque de mofo a 1$
Vende-se ditas em retalhos a 160 rs. o Vende-se casemira para caigas e p lilot.
covado, ditas em peca a 200 rs. o covado : com pequeo toque de mofo a | o covado:
cassa franeeza a 24o, 28o rs. o covado: ra ra da Imperatriz lojas da Arara ns. 56 e 72.
da Imperatriz lojas da Arara ns. 56 e 72.,
Laazinhas da Arara 24o o covado. Rntntfl fAfn napinnl
Vende-se lasinhas para vestidos 24o, ^0UP8 Ieiia "
28o, 32o, o covado : ra da Imperatru lojas Venae-so paltnts de panno a 53, 6&
da Arara ns 56 e 72. 8 e 100 ; palitots de casimira de cores a
Madapolo a 45 a peca. 6S 80, e lojj, palitots de meiacasimra a
Vende-se pecas demadapolSo a 4i5.5)>.diio 35eoe|, caigas de casimira a 5, 6J e
muito fino6, 7j, 80, 90, Io0: ra da Ira-, 70, ditas pretas 50, 60, 70 e 80, ditas de
peratriz lojas earmazemda Arara ns.56e 72. meia casimira a 20ooo 30 e 305oo coletes
Cortes de carnbraias de barras a 20. <3e casemira a 30, 305oo seroulas a 10,
de casemira a 30,
if^^yft!7JaadaImperatri'lojaS da acreditada fabrica de Jos
da Arara ns. 56 e 72. smas
Algodo enfestado a 10 -
Vende-se cortes de carnbraias de bonitas
barras a 20, 205oo e 30ooo.
Ditos de cambraia bordadas brancos e de
cores a 40, 405oo e 50: ra da Imperatriz
lojas da Arara, ns. 56 e 72.
Arara vende algodSo a peca 30. Imperatriz lojas e armazem da Arara ns. 56
Vende-se peca de algodSo a 30, 40, 50, e 72.
60, 70, 80; ra da Imperatriz ns. 56 e 72. j Cortes de la de 14 covados
Riscado francez de listas a 36o rs. o covado. | Vende-se cortes de laa de 14 covados a
Vende-se riscado francez de listas para. 30, 40 e 50: ra da Imperatriz lojas da Ara-
vestidos a 36o e 4oo rs: ra da Imperatriz. ra os 56 e 72.
lojas da Arara, ns. 56 e 72. Ricas saias borda las a 303o.
Ditas franeeza a 24o rs. o covado. Vende-se ricas saias bordadas para senho-
Vende-se chitas francezas finas a24o, 28o, ra a 305oo, 50,60 e 70, bales de arcos a
32o e 4oo rs. o covado: ra da Imperatriz 20,20ijoo, 30 e 305oo: ra da Imperatriz
lojas e armazem da Arara ns. 56 e 72. I lojas da Arara, ns. 56 72.
O cordeiro providente
Jito antigai#'d toiudezas a nra do Quei-
mado n. 16.
Vraa seopn em vnta oo roobir o teajpo sos
seo tregete!, eom exteosos annaaeios ; ms
larabera alo Ipnorem o-qoe de novo tem elle recebido, por Isso
resamidaaM^lBe dir': cheftndo assim ao eo-
nhei-imeoto de fedos ijue a dita loja o Cordetro
Prevideite, roa do Queimado a. 16, receben o se-
guinle ;
Bonitas e tiradoras ligas de pellica para bu,
tanto para senhoras como para neuiuas.
Leqoes de diversos e modernos goales.
Peale* com enfeites doaradus e nao dourades,
para meninas.
Coques simples enfriados, moldes Inteiramen-
te novos.
Bom papel em caixinhas liso, paulado donra
do e timbrado, e outros moitos objectos, qne men
ciona-los seria bastante enfadonbo, e qae se ven -
de em dita loja de mindezas do Cordeiro Previ
dente, roa do Queimado o. 16.
Xo faltam llores,
O Cordeiro Providente a roa de Qoeioado a. 16
tem constantemente om lindo sortimento de ti
as e bonitas flores, por isso qoando algam* ha.
bllidosa joven quizer preparar qualquer entelle de
bello gosto deve logo lentbrar se qne ba dita leja
do Cordeiro Providente, a roa do Qnetmado n. 16,
nao faltam flores.
Para alvejar os deutes.
O cordeiro providente a roa do Qaeimado n. 16
recebeu do bem conbecido fabricante Jonb Gos-
nell & C. nma ptima qualidade de pos para den
tes aromatisados com canfora que realmente tem
merecido todo cenceito porque nao s alveja per-
(eitamente os denles como tambem conserva-os
sempre no melbor estado de perfeico, assim pois
quelram vir comprar ditos pos na mesma loja
do Cordeiro Providente, ra do Qnetmado n. 16
jEnfeltes cora ponas.
U Cordeiro Providente receben um lindo sorti-
mento de enfeites com ponas para vestidos, tanto
de seda como de la que combinara perfe llamen
te com os cintos modernos do mesmo formato, por
isso para poer enfeitar-se com gosto qualquer
vestido indispensavel comprar-se ditos enfeites
na mesma loja do Cordeiro Providente, a ra do
Qneimado n. 16.
Chapellnas de seda
Modernas e bonitas cbapelinas de seda para se-
nhora recebeu o Cordeiro Providente ra do Quei-
nado n. 16 e por ser pequea a qnantidade re-
cetada, qaem pretender ama moderna e bonita
chapelioa deve apresarse em mandar compra-la
em dita loja do Cordeiro Providente a ra do
Queimado n.16.
CAIXINHAS ENFEITADAS.
Estas muito desejadas caixinbas vasias e enfei-
ladas com gosto, que tanta exlraccaa tem tido e
que realmente servem para diversos os, existem
na loja do Cordeiro Providente a roa do Queimado
0. 16 um completo sortimento de ditas caixinhas e
sao vendidas por precos to rasoaveis, que o expe-
dente rreguez nao objeciara' em compra-las em
dita loja de mindezaa do Cordeiro Previdenle a roa
do Queimado n. 16.
PONTEIRAS E CHARUTOS.
O Cordeiro Previdenle, rna do Queimado n. 16,
tem um tom sortimento de Boas ponteiras para
charotos, sendo lisas e com figuras em alto rele-
vo ; o para que os seos freguezes nao se Incom-
inodem em comprar charutos em algumas das lo-
jas de cbaruleiros, receben tambem um bom sorti-
mento de finos charutos do afamado (abricaote
Fuado de Simas -, assim, pois, encontrarlo os
apreciadores um bom sortimento na dita loja do
Cordeiro Previdenle, ra de Queimado n. 16.
Para offertas ao hospital por-
tngnez.
Bonitas cestinbas com fructas de cera, obra de
moita perfeico e bom gosto.
Para cortar moldes e en brulhar fazendas.
Vende-se papel pardo faina grande.
Para lustrar calcados.
Vende-se superior graxa econmica.
Vende-se papel para matar moscas.
A loja do cordeiro prevldente
Ra do Qaeimado n. 16.
Nella acliaroos pretendentes um grande e va-
riado sortimento de perfumaras finas, tanto ingle-
sas como francezas, sendo:
Finos extractos para lencos.
Baobas e pomadas para cabellos.
io pbilocome e baboza para dito.
Pos hygienicos para denles.
Ditos camphorados para ditos.
Opiata ingleza e franeeza para ditos.
Pacoles com pos de arroz.
vasos de porcelona para ditos.
Saboneies para mo e barba.
E muitos outros objectos que sero presentes
ao comprador que se dirigir a ra do Queimado
n. 16, loja do cordeiro providente.
Bamieijas pequen;-s.
Vendem-se na rnJdo2Qaeimado n. 16. |loja|do
cordeiro[previdente.
Charotos
Furtado de
ai la
Fabrica e [undico de bronz
e outros mttaes, caldeirtirg,
lalotiro, t funiiro, situada
na Soledadc, ra do Prin-
cipe n 3, e com deposito na
ra Nova n 38 da cidade
do Recifc
DE
BRAGA SAMPAIO
Fabricam-sp oeste importante
ment todas as obras contenientes
respectivas como sejam:
Alambiques de todos os tamanbos en
feitios, os mui acreditados aparelbos de
Derosne com as dimences delicadas dos
fabricados em Franca.
Fabr icam-se a valsas quaesquer ;
aparelbos, como sejam o dilatador,
dor e condensador, oa esqaenta
resfriador, serpentinas interiores.
Fabricam-se bombas de todas as
ces e qualidades, pelo systema
americano, simples, de pressao, repaso, e
com especial idade eitancanm ? muim if
nominadas pelo enorme rolme de agua
que absorvem calculada em 100 pipas por
bora, e das quaes algumas estSo r romptas a
serem experimentadas.
Existem bombas por este systema, me-
nores, para regar sitios, garaatindo-se
s saa daracSo como a grande 1
de agua que fornecem pelo que sao
radas hnje as prime iras bombas
Todas as mais obras se fabricam i voata-
de dos freguezes e a seu capricho.
Existem sempre prom pos 00 deposito o-
dicado na roa Nova n. 38, om completo sor-
timento de obras solidas, bem construidas s
a precos rasoaveis, como sao alambiosss,
serpentinas, taxos, passadeiras, reparttfm-
ras, escumadeiras, cocos, caodeias, e mohos
outros utenc'lios preprios para rmaibaS,
como sejam mancaes de bronie, paraoass
para rodas de agua e cutres.
Cavilhas, machos para lemes, pregue de
todos os tamanbos e para o farro de cobre
de navios.
Aprompta-se ludo quanto diz respailo as
obras de lati torneadas e polidas com toda
a perleiro.
Vlvulas para tanques de baobo, tornaras
de todos os tamanhos e qualidades, asaos
como todos os ornamentos para militares,
botoes para farda, aparelbos para barretina,
nmeros, espberas, espadas, cornetas, alam-
padas turibules, caldeirinbas, navetas, almo-
farizes, perfumadores.
Obras de folhas de (landres de todas as
qualidades, bahs, bacas, bules e oofjos
utencilios domsticos.
Lampies para gaz para engenhos, fama
tle flandres em caixas, folbas de cobre e la-
to, tubos de chumbo para eocanamentoe ds
todas as dimences, folbas de zinco, estaabo
em barras e verguinha, lancees e barras de
chambo, vidros finos para esperaos, de co-
res, bordados, e opacos, e outros para ri-
dra^as, diamantes para cortar vidros, eadt-
nhos ordinarios e de patente, rea para mol-
dar, folies para ferreiro, lavatorios com ba-
cas e jarros, trra podre e outros icuraeros
o! jectos proprio de taes eslabelecimentos.
Sendo todas as obras inspeccionadas e
feitas sob a direceo do socio a Iministrador,
Jos Baptista Braga o qual se acha de novo
especialmente incumbido da gerencia de tao
importante estabelecimente, isso urna ga-
ranta pela sua longa pratica, qae tem os se-
nhores freguezes de qae sero servido a
contento, com prnmplidaoe preco commo-
do, pelo qne os proprietarios Ibe serio agra-
decidos.
a vara. Vendem-se]na loja'.dojcordeiro previdente a rna
Algodo enfestado para lengoes e toalbas.do Queimadogn. 16_______________________
l 5 dito transado I^28o avara: ruada; PRlNnf"* RA7HR
RA NOVA N. 4IH
Fundigo dAurora em
Santo Amaro
Completo sortimento de taixas batidas e fund
das, alambiques de todos os tnjannos e fundos di
ditos, moendas de todos os tamaubos de superior
qualidade, crivos e boceas de fornalba. o qae lud<
se vende por commodo preco.
Liadas maito liadas la i a oO res o
cavado
Vende se na loja ao Alvaro a' ra do Crespo n.
20 B.
Chegou afinal
A pomada galopean
para cara rpida e completa dos callos duros.
VBNDB SI NA
Botica e drogara
DR
Bartholouten A C.
34Roa larga do Rosarla34
;e cores ae qaaarmnos e ae usas a u rs. o covado.
r neos ou capas de merino, bordadas e enfeitadas com renda preta, [o qae
: no para hombro de senhora a 8d, 100 e 125 cada um.
sisdpolfies a 5*, U e U a peca.
Vende-se urna barcada de 15 caias : a ira-
ar na praca do Corpo Santo 17.
londecoracdes
A bem conhecida loja de iolas de Morera di
Duarie, a' roa do Caboga n. 7, acaba de receber
porgao de babitos eofflclalatos da ordem da Rosa,
babitos da de Cbristo de differeotes umanbos
que vende por precos mui rasoaveis, alm di.*se
continna a ter como sempre om completo sorti-
mento de joias dos gostos mais modernos pira as
quaes coala com o concorso de seos boos fre-
guezts.
Livros de direito.
Vendea-se importantes livros da direito, e pra-
tica do processo, em bom estado, e por eommodo
preco, aa encaderncao aeademioa, a' roa do lm-
parador n. 71.
UV4S NOVAS
A Aguia Branca a ra do Queimado 0.
8 receben d'aquellas bonitas luvas de pelli-
ca enfeitadas, e j bem eoobecidas por luyas
a duqueza.
rsri -IOS'
-7 Ven"le-se saceos com (arlaba de mandioca
de 2#800 a 5J, assim cono taceos com feijio, por
baraUssiao preco, no trapiche Bario do Uvramesv
to so Fcrte do futios a. i.
1 ni 'b^p "i"c>a niqtftxxwOT
.0 ,lK)i-t aittad (
* 6 a. i> .et) f .0 ^illawsal 1
Kival sem segundo.
Ra do d|ueluiano a. 49.
iwr acabar com as fazendas aban*
mencionadas.
Queiram vir ver o que e bom e baralissime.
Toalbas de labvnntbo com bico, fazen-
da boa a ............. 30(H
Garreteis de liuba com 100 jardas a 3(
bravatas pretas e de cores muito finas a '0(
Caixas de obreias do massa muito novas a &(
enfladores para epartilho da cordao e
fita a .... T....... t
Urreteis de linha Alexandre com iOO jar-
das a ............... JOC
Sabonetes muito finos a 60, 160, 200 e 32(<
Ditos de bolla moito finos a 20 9 32(
Viadas de linha frea para bordar a 2(
Varas de cordao para espartilno a 2(>
entes volteados para regacar cabello de
meninas a............ 320
Frascos de macaca' oleo omite Oso, a 120
Abotoaduras muito finas para colletes a 50f
Candes de linba branca e de cores a 20
Libra de ara preta superior a..... 100
Escovas para fato, faienda boa, a 50C
Varas de franja branca de linho para
loalhaa.............. 100
Caixas de palito balao a........ 4(-
Caixas de palitos de segaranga sem en-
chofre a.............
Sbonetes de familia a 100,160 e ... .
Cartilba de doutrina cbrista a 3Ki
Quaderoo* de papel pequeo soporior a 20
Dotia de baralbos fraocezes superior UOOO
Groza de phospboros maito superiores IJl'.OC
Caixas a retalbo do* mesmos..... If
Caixas de phospboros de velllnba contendo
800 velliubas muito superiores a 160
Resmas de papel almaco muito superior 2J50I
Resmas de papel panudo superior quali-
dade ............... 3*000
Dunas de meias para bomem..... 2*800
Duztas de metas croas malte superiores 4*0ut
Faris, 36, Rna Vrvlenno. j>
CHABLEmcecinspecia.
AS E.NKhHMIDAKAS DES SKXUAtS, S URfr
50ES rUT\>F.AS. E A .TERACOfS DO S1!GC3.
lO.OOt earn iiimfmtfmt^
pstula, itrpts. ww.
cnmixoet. aertnumtm. t *t-
'/f ott.ric ifrttln uufmn
mnm, 1 n!i,r*f*t 4 m-
ye (Xaro|K vegetal m*twi*\. >> mCtt^
'Mo kaxho ni:nN m '3.
por sermna >c^iiin<1o o tra^uxeat* D-v wf :
err 'ren lo a. mtinOm.
^.'WH! Km IatMCaMe i
.r CABI.F.. eara i^^-c .
I "u, e Jci:e>/,
'' 'rK^nle 03tttTr** jlflrm
^at.cat das mulherei. Esta iajeew kcnigni r*.
.f.-e coa o Xarops da Cilracu d$ ttrrw.
nwi'iMai, Pomada qu aa cara a traja ate
POMADA ANTIHERPETICA
Contra 1 bis alfte(09$ cutan** 0 crnmtmam.
PILULAS VEGETAES DEPURATlVAt
Va Chabto. cada fresca tal abata
Machinas para descarocar algodo, do me
Ihor autor que tem apparecido na America
C tal a execucSo do m cliioismo, que o a)
godao sahe quasi lao perfeito como o de bo
laodeira. Recommenda-se a atteogao doi
Srs. agricultores, estas machinas.
Jornaes para 1868
Xa livraria Franseza assignam-se
todos os jornaes da Europa ; os Srs. assig-
nautes encootrarao amostras dos peridicos,
e catlogos dos mesmos.
RA DO CRESPO N. 9.
m CAZ GAZ
Chegou ao antigo deposito de Henry Forsler C, rna do Imperador, um carregamento de gaz d
primeira qualidade.o qnal se vende em partidas
i retalbo por menos preco do qae em oatr* qaal
raer parte.
AVISO AOS SRS. MEDICC3.
|Tf^KB l'are ruvaai. ."-
' -5' r^-1 ,:,,'1"r -. m
^ara^b^a^rt ******** *** **' "" -
. j t
'O f" r
Ulna wllir nli.l.a dratr laropc D" Kinws*
Dr CHASat.at eo< S%Hi. rm ni- --
A venda na pharmacia de P. Maurer
e C, em Pernambuco.
YRDADEaO LS
de aieaiKI, l>ocUir-*lj*.t.,
Ru d Saina, 51, a\ P*il.<.
Fazendas baratas
17
17
e ga
Canos
No armazem do pateo do Terco n. 12 vendem-se
canos de todas as largura?, vidrades por vidrar,
porpraco razoavej, o melbor neste genero.
Machina de costura
lo escriptorlo de Tneo. Ju>t, roa do yigarlo n.
9, vendem-se expelientes machinas de costara, l-
timamente chegadas dos Estados -Un 1 o?, por pre-
coi mnitacooHBodc,
oqv.^ ya a -.oiq O
*.a otaaS
rna do ^oelaaado
Loja do Carlos.
Cambrai brancas Boas eom ara pequeo sajo
de mofo a 5JJ a pessa.
Lanzlnhas mesclada?, padroes noves e chiques
a 600 res e covado.
Carnbraias de cores, padroes miudinbos
lantes a 500 res a vara.
Brms finos de llnho, cores mui boas, por serem
escuras a 1* a vara.
Cintos de seda e setim, bordados caprichosa-
mente a vidrilho a S*.
Ditos para 2*500 i i*. ___
Colchas brancas alcocboadas, fazenda inteira-
mente moderna a aossos olhos a 8*.
BaliSes de arcos para senbora e meninas a 21.
Ditos de mossulio* com 3 arcos a 4*509.
Salas com barra, para serem usadas por cima
dos baldes a 4*.
Leaeos e Igao para mao de leafrora- a 2*500 I I________
para estuques de casas : nos araateas de Tasso
Irarfos, eaa de Apolle.

m
a arff, ai. rain t rcih*< ..
aa Ira e mm ainctr, um rtmntm laai |i i mm i na
laxt* laiaiu am 6va
tu*- oit-aHM
rallo eom e
tTJu^-
DOCTER
.V!__J^>-'^ ataPan. .--j't
PKANMACIEN
Deposito na pharmacia 4eP.
C em Pernambuco.
.;;4 .1 t^il^.a
CASTRO NUNES
Qrammatica nadooal
iswr
Livnri ifrnctia.
ij oUi*>i olea ojt4K a* aiam
TW atK 0*0 t rr>af t*
:,


larla de rernambuco sabbado SO d Xorenbre de 4867.

_ N.2D -m N.2D,
0^^ CURACA DE OH IIO. ^j^\
i }0i*.a ? D *n,ltnW Coracio Je Ooro na roa do Cabqg, acha-sa d'ora em diante offerecen
,1???f -Pi' P">leom especialldade as pessoas qae bonram a moda os objeclos do ultimo gos
m f* rans)per menos 20 por cerno do qae em outra qaalqoer parte, garantindose a qualidade ea so
O respeitavel publico avallando o desejo qae deve ter o propietario de am novo estabeleclmen-
io qae qaer nrogresso em sea negocie deve cnegar imrcediatamente ao coracao de ooro a comprar
aoets com peieitos brilbantes, esmeraldas, rubins e perola; verdadeiras em agarras, modernas pelt
dimiouto preco de 10*, brincos modernos de onro coral para menraa palo preco de 3*, maracas de
prata com cabos de mar Uro e madreperla obra de moderno gesto (o qae o eacoatraro no coracao da
onro) voltas de ouro com a competente crnsinba ricamente afeitada pelo pequeo preco de 12 J, brin-
cos deom trabalbo perfeito por am modicc prego, cassoletas, tranealins, palcelras alneles para re
tratos e outros modelos todo da alto gosto, aaeis proprios para botar cabello e firma, dito para casa-
mento, no rtico rsela tem o Corceo de Ouro am completo a bem variado sortimento de diversos
gostos, butdes para panhos com diamante, rabias e esmeraldas, obra esta importante ja' pelo sea va-
lor ja' por gosto ds desecho, brincos a forma da delicada moslnba de moca com piogente contendo es-
meraldas, rubins, brilbantes, perolas, o gesto sublime, alfinete para grvala no mesmo gosto, relo-
gios para senbora cravados de podras preciosas, ditos para horneen, diversas obras de brilhantes de
noito gosto, crusinhas de rubios, esmeraldas, perolas e brilbantes, aneis. com letras, cae -letas de
erystal e onro descocera para retrato (a ingiera) brincos de franja, ditos a iraperatrire toda e qaal-
qoer jola, para secolocar retratos e obras da cabello, e outros maitos ebjectos qae os pretendentes en-
contrarlo no Coracao de Ooro qae se conserva com toda a amabilidade aos concorrentes deixando-
se de aqnl mencionar precos de certos objectos porque (desculpem a maneira de fallar) direndo-se
proco talvez alguam faca mi juno da obra, por ser tao diminuta quantia a vista do sea valor.
Na mesma luja compra-se, troca-se ouro, pratae pedras preciosas,e tambem recbese concer-
tos, por menos do qae em oatra qaalqoer parte, e dao-se obras a amostra com peonor, conservando-s
Coracao de Onro aberto at as 8 horas da noile.
Qaalquer pessoa que se dirigir ao Coracao de Ooro nao se podera* engaar com a casa, poit
nota se na sua frente nm coracao pendurado pintado de araarello, alem de ontro que se nota em um
rotlo (isto se adverte em conseqneocia de terem ja' algamas pessoas engaado com outra casa.
i i
No armazem de fazendas dt
Santos Cotillo, ra do Quei
madon 19.

barata*
Lansiohas Poil de Chvre a i# o covado.
Madapolo enfestado a 8 a peca.
Cambraia de cores matisadas finissimas
800 a vara.
dem brancas transparentes finas de 44
?*000, U, U, 80 e 9tfooo a peca com iC
jardas.
dem branca, tapada de 80 e 90 a jwgs
com i 2 jardas.
dem branca franceza muto larga a 90 a
peca com 8 varas.
, Baloes de 35 e 40 arcos nesgados para
senhoras. a 40500.
dem de mursulina nesgados a 50.
dem de crochet a 50.
do estbeiecimento tem "ai satisfacio de" levar! ^ "salina para meninas a 30 e
ao ccDbecimento do respeitavel pnblicftqne ??' ,
a -abam de receber pelo uhimo vapor da En-' *a,as cordadas- a 50.
ropa om grande e variado sortimento de ob-' JQ^mi>ram admascadas para cortinado a
jectos de inteira novidade, dos quaes se li-l ,V P6^ m 2o varas,
mitam a mencionar apenas um pequeo na-! d dem Para fwT0 a 3# Peca com 10 li-
mero ficando o respe tavel publico na serte- a* .. ., p '. =
za de qae neste estbeiecimento sempre en-1 var,mbraia de lmho muit0 fina de 6 e 9<* 8
contraro um ompleto sortimento de arti-l : i nH m n. nK ,n.
gos de gosto e inteira novidades como sejam.'. Madapoloes finos de 60, 70, 80, 90,100,
Cintos ,''o e 120 a peca.
Os muitos desejados cintos com ponas, 10,Plal,'ha J al8oa5 s"Peror fazenda para
bordados a vedrilbo, fazenda de maito gosto;8aias W a Peca > varas,
e comeleta novidade. fniiti a MtMrJntns Roerlas de-chitas de ramagem a
LOJA 00 GALLO VIGI
LANTE RA DO CRES
PO N. 7.
Os proprietarios desle moito bem c-whe-
5

N. 64-----Ra da Imperatriz-----N. 64.
w ramagem a 206oo
Lences de bamburgo fino a 20400.
dem de bramante muito fino a 30200.
Pannos adamascados para cobrir mesa
40500.
Guardanapos de linho adamascados a kf>
a duzia.
Atualhado adamascado com 7 1/2 palmoi
de largara a 20 a vara.
dem adamascado de linbo com 7 1/2 pal-

.Tova Ioja de miudezas e arligos de modas
DE

SILVA & NEVES.
uHB5
Os proprietarios deste novo estbeiecimento eflerecem ao respeitavel &\,
publico desta bella cidade, e do interior um lind i e escolhido sortimento de (fl|
miudezas e artigos de modas, concorrendo para bto o terem na Europa, pes- ir #
soas habilitadas a executarem suas encommendas no que liouver de mais no- **}
vidade e gosto, e garanem vender pelos precos mais rasoaveis do que em ^jj
outra qualquer parte apar de maneiras delicadas e sinceras. !?:
Acabam de receber pelo vapor francez Guienne, os seguinles bcl'os )^S>
artigos de moda e fantasa. ggg
Luvas de Jouvin para senhoras e homens, de todas as cores. 0?
Livros para missa com capas de madreperola etc. ^|
Indispensaveis e bolgas de to 'as as qualidades. ^p
Coques os mais modernos. >^:\
Espartilhos collares, e cintos de seda e vidrilbo. '^fi
Rendas de Guipure, de seda, (blonds) e de algodo, de todas as ^
qualidades. ^p
Completo sortimento de trancas, fitas, botes e guarnicoes de seda
com vidrilbo e sem elle, gravatinbas de seda, e manguiios de lustro bordados fr*:|
tudo do ultimo gosto de Paris.
Leques de sndalo aberto do mais apurado trabalbo
Agua Florida e tnico oriental de Laman Kemps.
Ricos eofeites e guarnicoes do flores para vestido e caneca.
Calcado para senhoras e men as.
Perfumaras as melbores e mais escolhidas de Lubm, Piver, e Cou-
dray, em ricos e elegantes vasos de porcellana, crystal e prata iogleza.
Meias de algodo, as mais finas e melbores que teem at boje viado |
ao mercado, para.senhoras e bomens. 5^
Chapeos de palba da Italia, e a mitaco para meninas. v^,
E um sem numero de artigo, de gosto e tataia que s a vista |5^
podem ser apreciado.
e completa novidade, respeito a estes cintos
n5o fazem observarles e sim deixamos a
apreciaco d s esclarecidas fregaezas isto s
no Gallo Vigilante na ra do Crespo n. 7.
Leqaes
Muito lindos leques d'osso, madeira, sn-
dalos, e madreperola ; pretos, brancos e de
cores, e muito se tornam recommendavel I
pelas bonitas paisagens.
Flores
O melhor que se pode desejar nesle arti- mosde largura a 30 a vara,
go as quaes parecem nataraes assim como,i Algodo enfestado com a mesma larguri
tambem recebemos orna pequea porcao to-, a rX a vara-
das pretas e se vendem na loia do Gallo i?em traQCado de algodo a 10SOOa vara.
Vigilante ra do Crespo n 7 I Talbas alcocboadas de linho lisas a 110
< apellas iad,?a-i
Mu lindas grinaldas brancas e de cores ,1(lem de a'godo felpudas a 130 e 140
aquellas para noivas, e estas para bailes, ca- a duzfa .
samentos e baptisados. Colchas de fustao a 60.
Lavas I Lencos de cambraia brancos finos a 10800,
Luvas de todas as qualidades para se- 2^e 2#*0*a duzia.
nhora, homem, mennas, sendo de algodo, Lencos de cassa fimssimos a 30200 t
o da escocia, seda e pelica muito fresca e 3<% a dazia'
do fabricante Jouvin, parec-'-nos que nao ha- Fl1" de ,D0 'iso a 8o a vara-

ver quem ignore que por todos os vapores
da Europa o Gallo Vigilante, recebe grande
quantidade deste artigo e por isso sempre
tem sortimento a vontade do comprador, e
tambem nao se valle da falla o seu preco
sempre o mesmo.
Pendes
Muito bonitos pentes de tartaruga para
coque e alizar os cabellos, assim como para i
arregacar os mesmos e muilas outras quali-;
dades.
Kseovas
Grande sortimento de escovas, para roupa,
cabellos, chapeos, deotes e unbas, sendo de:
osso, bfalo, baleia, marfim e madreperola.
Xara-kas
dem com salpicos a 10ooo a var
Grosdenaples preto bom a 108oo, 20
25800 o covado.
Mrarjtiqoe preto superior a 208oo o c-
vado.
Flanella de todas as cores a 800 rs. o co-
vado.
Tarlatana de todas as cores a 800 rs, 1
vara.
Bramante de linho com 10 palmos de lar-
gura a 205oo a vara.
dem de linho com 5 palmos a I5-J00 j
*ara.
dem de linbo com 3 1/2 palmos a 8001
vara.
Riquissimos basquins a 250000.
Superiores na alnas pequeas para bar-! Assim como outras muitas fazendas que
ba sendo cabo de marfim, tartaruga e-ou- |se veDde Ror menos que em outra qualque*
tras qualidades, as quaes o fabricante ga-1 Pari^.e da"se a>Botras de tudo,
rante a boa qaalidade.
Abottiadnras
Chegaram as mu lindas guarnicoes de
botoes para colle'es fazenda de gosto, assim
como grande sortimento de botoes para pa-
nhos.
Afeados
Veodem se por prej > coram do circo casas tfr
reas oa ra de S. Miguel n^. 24, 27, 43, 47 e 82,
qoatro ditas na ra deirat da P*i u<. 24. 26. 28 e
30 : a tratar na ra do Queimado n. 18.
Bales de 2o, 25, 3o, 35, 4o e 5o arcos
para seuhora a 2, 2f?ooo, 30, 305oo 40 e
50ooo.
Ditos de 25 e 3o arcos com moHas a 50
e60.
Pitos de murculina estreitos a 60.
Espartilhos finos a 60.
Percalias finissimas a 4oo res o covado.
RapYljad e Paulo Cordelro
A Ioja do cordelro provider te a' rna do Quelrra-
d ) n. 8, reeebeu nova remes.'a dessas qaalidades
de rap.
RIVAL SEN SET.IRBO
wa do Qneimado a. 4, Ioja
miudezas
DE
Jos Bigodtnho
Varas de babado bordado do Porto a .
Carreteis de retroi prelo com doas oiuvas
Parriteis de reteoz de todas as cores a .
Fraoes d'agaa de Colonia muito soperior
Frascoa de o'eo maito flno a......
Darla de tesoaras pequeas a.....
Fraseos d'agua para llmpar denles a .
Redas pretas lisas para segurar cabello a
Dazias de pennas de ago maito finas a .
Caixas de linba do gaz de 30 novel'os a .
dem de palitos de segoranca a .
Garrafas de agaa Florida verdsdelra .
Silabarios com estampas para meninos a
Memento da' roapa de lavar a.....
Dazias de meias finas para seohoraa .
Agalhas francezas a bailo (papel) a .
Pecas de fitas de laa de todas as cores a
Grozas de bot5es de porcelana prateados a
Caixas com alfineltes trancezes a .
Caixas de 100 envelopes muito Bnos a .
Resma de papel de peso branco liso a .
Frasco com soperior tinta a.....
Pares de bot5es de ponlio maito bonitos
Llnhas em carlao de 200 jardas a .
Caixa de superior linba do gaz com 50
novt los.............
Talberes para meninos a ....!. '.
Masso com superiores graropes a .
Bonets para meninos a........(joot
Pentes com costa de metal a...... 40
Realejos para meninos a....... iui
i hH*
i I
Liquidando de cafados.
Bu do Imperador n. 32,
JOl

5tK
601
48<
501
3
6(
60(
2<
Uoo
3*
101
6<
m
Si
601
UHV
l I
81
t(V
70
24-
3'
Borzegnins de bezerro para bemem.
Ditos de lastro para borneo).
Ditos de cordavio.
Ditos para senbora eoeitadcs.
Ditos para meninas.
Sapatds de bezerros.
Botinas brancas pata senbora.
Botaa peqnenas para montara.
Ditas grandes para montara.
w fERA DE CAIJUlll
Ra da Madre deDtus'ii. 5.
Venda-se cera de carnauba mais
em outra qaalquer parto, e bea q
i m i
EscraypB ^5dM
d
O
O
K to m = C
.Bu
n
Nos primeire* dias do mn da ti
anne fagio do engenbo BomOs, r*'|rtii#- do
Sr. Silvano Antonio Galio, la Innata toLi
Jardn, o eseravo Damasio, preto, de iJ^Jn ; >
a 30 annos, allora regalar, chelo do i rp<-, pea
barba, rosto um pocco carnudo, oifi>-> boloaim,
pea malditos, andar bantrir, Bolero a de fa .
moderada : este eseravo foi comprado tuoeo dfcs
antes da foca ao Sr. Joan Barbczado R*a Jflva.
da mesma freguezia do B. m Jardn R^ceis-stfK
elle se aprsente como volonuriv d. patria, pala
qae se previne as respectivas aat ndati : qoa
pegarleve-oaseo senbor, no rt*frrid<> <>cfa*o,
que sera' recompensado. Reeife, 13 e oovenjtro
de 18H7,
. m 5 ^
-i a.

a?
co X"o
o l o o o- a>
53" B*Q.a? =

D.O
f?l
gefffIllB:
o- ^a
g-5.3-8." -
O)
'o 3 a. i -a 5 c
o. i? es
as *

Ci a> ?" 6 -i
BQ-&P s- s SE.
O 2 B8. -i
"So
c
Francisco Jos Germ'
CRUA NOVA N. 21,
acaba de receber um lindo e ma^uitlco ii
timento de oculos, lunetos, binocaloa, o .
limo e mais apurado gosto da Europa e oc
los de alcance para observares e pa?s
maritiinos.
Vende-se
Fazerdo-se todo o negocio cem a taberna do pa-
leo da Peoba.n. 6, a prazo ou a dmheiro, com aba-
timento vantajoso na armacao e gneros exi.-tentes:
trata-se no mesmo armazem.
O'eo dericiso
Vende-se oleo de ricino em !atas de 30 libras
na ra da Cadeia-velba n. i, no 1 e i' andares
1000000
Fagio no da 25 do correte m*t d cut-jfcro, *
engenbo Limoeiro fregoeiia da Ecada, o e-erav
com os segointes signaes : cabra tosco, ahto roa
bom coTpo e boniu Dgora, cara t--*. :-., kfc
j pouco serrada,costuma rapar obfod pm
cabellos om tanto carapinbades, pouco cambeta
i (em os dedos grandes dos pos aais cnrarUc.
uro pooeo gago, com .Igomas eieafriz-- fftm *i
chicote as costas em urna pa' e tm am ferafr
vestindo camisa de a'godo da mata oa itfarfiet-
nbo, cilca e paleto! de brim pardo, chapeo Ja'a*-
ta prelo, e l< ter ido asentar pra;a como voloatario : r?ia>
menda se as pesseas enrarregadas do reerntaiM
. to e as autoridades poiiciaes com e^peri ar
d) Rio Formoso, Una, Agua PreU, S. lento ?
. lo Calvo e a ootra qualquer pessoa a ar? eaf
; do dito eseravo, e entrega-lo so dito T,gaa, :n*
recebera' a gratificacao cima. O eseravo caaau-
sej^rancisco^_____________
Paga-se bem.
Fugio em dias do mes proaimo bm ^ Jo de aadar
de Agostinho Jos de Oliveira, tai Cmaro' o e
eseravo Rufino, mulato claro, ida* 36 toar, ntt'
do corpo, pernas Boas, olUs om u&io aaorfr'<-M>-<
nariz afila Jo, pouca barba, muito auto* e besa at-
lante, mettido a valecle, gesto de aguardenu e to-
vou japona preta ; f i encontrado ao d.a 3 do cer-
r ole no lagar BaUteira, nt> dineeo a estrada-!
(erro e sospeita se qae leoba ido off-r-rer-^e clbm
voluntario para a goerra : r ga--e rr:;atoas aolo-
ridades poiiciaes e espilies d campo a preha-:
do dito eseravo, qo? st: entrgn a -: #eanor ca
a Severico AIvs da sllva. o. T.-oclU.
50000 de g atiflrao.
Na nolte de 20 do corr*tite m--r, :'..-,. |
s as mal inttnrionad-s, preoip.irudnr-o'.e o>tni
raai cinco laoptoes na ra da Pa.im r-j aa m
Praia ij Caldtrtiro, prpried,^ i ratareai Je
illuminacao a gaz esta eidac*.?. A r t iica<;lj
cima sera' dad a qailqoer pe
inicio, que prssa docebrir ponir
laes abusos, assim como para o luit. : .tit: ar
se-ha a ludo aqutlle que der p.rte .. -t
ICIOS.
Escriptorio da empreza, ra do Im, ir o. 1t
Fugio ro dia 6 do crreme rr ? escrar.
Vicente, natural de Pianr, de raai d .W innr?
alto, magro, cestuma andar coro a ea ea r >
at os joalbf, e de aplcalas ; portact> r.ia-se a
autoridades policiae? e capites -\ c. p
aprehenda e leve a sua senbora na roa >! Un
dego n. 61, qae sera' generosamente reffntopea
sado.
GR4TIFirA-SE "
a qnem capturar e conduiir a' f.brlca '
Afogado, cu a' roa do Amorim n. 41, o aVeMt, o
eseravo Lu?, pardo, idade 33 aooo-, o quai ja' ea
principio de.-1-* aono foi preso por f.;;ido, e de
novo evadi so da mesma fabrica, ol' ;r*ba:b.i
va, na madrugada de domingo ul'iro i, Je no
uerobro ; cajo eseravo fugio vestindo a ropa o
oso, de algodo de lislras, esstnma embreagar-s^
negar o prop io nome, e bem como o dj seun. r o
Iratia por ca.-tigo urna Crrente Lcbada r.. akav
e co tornoielli, do qae davera' ccHs-rvar H n
nos as manchas.


46:
DOS PREMIOS DA 5J. PARTE DA LOTERA CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 74S, A BENEFICIO DAS FAMILIAS DOS VOLUNTARIOS DA PATRIA, EXTRAHIDA EM 29 DE NOVESIBRO DE 867.
.NS. PREMS.iKS. PMRES.XS. PREMS. NS. PREMS. XS. PREMS. NS. PREMS.
10
18
29
30
33
37
38
41
44
46
49
SO
51
63
68
71
73
75
78
82
86
0
91
94
97
104
14
22
27
28
2
37
48
47
67
60
3
71
72
73
74
76
79
80
81
82
86
89
93
99
903
4
io*
20,5
8*
103
6*

m\
20S
9
12
18
20
22
26
31
32
34
40
42
4 i
45
47
50
51
35
58
65
72
76
79
83
86
88
91
93
Di
95
300
1
5
9
10
13
19
22
31
32
36
. 3
41
V,
47
50
< W
3
63
8
70
77

10*
..6*
10*
6#
-

382
88
97
401
10
11
14
15
25
28
30
47
49
50
55
56
58
59
66
71
73
80
82
86
87
i 89
96
97
98
509
10
16
19
26
28
30
31
34
35
36
37
43
fti
47
50
51
52
57
61
,66,
71
77
65
4.
10*
6*
581
82
83
84
83
89
94
601
5
H
9
H
13
16
23
34
36
37
47
48
30
33
59
64
65
68
69
70
71
72-
; so
81
82
86
90
95
98
99
704
10
12
,90
,44
.
.32
37
41
42
'49
30
54
63
1003
*
ir*

756
61
62
67
72
78
81
82
83
86
89
92
97
802
4
9
14
15
18
22
23
.25
29
3
45
60
51
57
70
73
81
82
86
90
97
909
11
12
.17
22
-t8
,49
2
34
.-35
37
41
W
44
19
55
57
4003
63
&
403
63
43
63
958
62
63
65
69
74
75
92
93
1003
12
13
14
16
19
21
25
26
33
36
40
49
56
4
68
70
,74
78
79
.'81
.2
83
86
95
98
107
8
16
ao
21
22
24
30
36
43
48
, 50
52
57
63.
67
69
103
63
1003
63
NS. PREMS.INS. PREMS.
63
1170
73
76
'81
84
85
87
88
89
90
92
95
97
1205
9
11
13
14
26
28
32
33
45
47
50
56
59
67
, 73
" 74
84
85
90
1300
1
3
9
11
13
16
. 24
31
32
33
41
-43
.45
55
57
59
69
70
203
403
63
1373
78
94
97
98
99
1401
6
9
11
14
17
18
22
35
40
41
42
44
65
67
73
77
79
,81
I 82
85
88
98
99
1502
6
7
9
14
17
19
26
31
32
42
49
53
33
57
61
65
67
70
76
78
79
NS. PREMS. NS. PREMS. 1X8. PREMS. NS. PREMS.INS. PREMS. INS. PREMS ,NS. PREMS.INS. PREMS.INS. PREMS.INS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
1381
84
105 91
63 96
99
1611
20
24
27
29
30
44
47
58
65
69
71
77
79
61
89
93
94
98
99
- 1702
3
5
20
103 ' 23
63 28
33
37
_ 38
- 42
46
59
_ 60
_ 61
64
71
78
79
61
_ 84
66
._ 92
' 3
(900
1
- 9
63
1818
21
22
27
32
16
;5
63
67
69
79
81
83
89
1901
7
13
24
31
40
44
53
55
67
71
W
m
83
88
i di.
1*7
-{007
11
65
103
63
103
<#
40*
403
H
,i_
26*
'-*
15
25
29
31
33
37
46
' 47
49
51
: W
54
' 5T
3003
2080
83
20*
6*
fO*
3
'60 J
67
70
- 74
90
93
93
99
2100
2
9
14
15
21
23
28
*J
30
39
43
46
48
55
57
60
64
71
75
i 79
80
89
3
2201
3
7
17
19
20
. 22
23
14
26
28
29
-31
34
'39
M
43
44
50
51
63
40*
6*
6* 2255
57
58
61
70
77
86
93
95
7
99
2302
18
30
33
35
38
42
43
45
49
30
51
52
54
62
64
66
70
74
80
82
87
88
93
2400
6
7
10
11
12
14
18
19
22
24
26
80
34
41
43
46
20*
65 2449
51
52
oi
55
56
57
58
59
63
67
71
75
77
78
80
85
6*
90
91
94
2509
18
2*
34
54
61
62
67
68
69
73
74
77
80
81
82
87
88
91
93
97
99
2600
t
41
M<
21
' m
30
-J 37
- 38
203
*
10*
63
-
i
63
205
63
203
63
103
63
1031 87
2644
51
52
57
60
61
64
74
78
79
81
87
93
97
98
2704
10
13
17
20
21
27
30
35
39
41
45
47
57
61
64
66
67
68
69
70
71
73
81
- 86
68
16* 0*
6* W
--HO
- 5
ao*
t*
-' *-
2822
23
26
30
32
41
47
48
86
58
65
73
82
87
90
91
92
96
98
2906
7
9
11
15
18
19
20
<
7
40
16
16
( , 23
"" 86
" 32
37
T" 40
46
49
50
51
60
64
65
67
73
74
--- 65
92
M "99
3004
8
> 6
9
7
100*
W3
103
403
6*
T!
-
6*J.3018
19
22
23
24
26
36
61
65
67
73
76
78
81
87
97
99
3100
2
3
7
9
10
11
13
15
19
21
23
24
31
32
35
47
49
50
52
65
62
63
77
m
83
86
90
92
93
06
07
63
15
17
20
31
32
35
37
41
48
49
54
55
C7
:
74
75
7C
79
3
91
94
93
97
99
TT
(U
1OA3S01
105
65
1003
3413
20
21
29
:12
41
42
49
50
51
52
54
59
61
66
G9
71
72
75
77
80
81
85
87


403
>*
~840i
6*3365
- 66
5:0003. 79
63 82
! 83
85
87
91
94
95
97
3603
10
15
22
29
39
42
47
51
H
65
N
69
70
74
77
80
81
87
86
95
98
3702
4
6
8
12
13
20
33
39
40
50
51
58
63
68
77
80
6,5
20*
63
T
203
63
3788 (*
92
93
40*
63
3805
6
9
10
13
19
i
31

M
31
53
54
56
69
71
72
81
83
84
103 89
6* 3904
6
9
10
H
12
33
35
36
38
39
40
43
45
46
49
50
53
62
70
7t
74
77
85
88
91
n
W3
63
_
_


8
Diario de Pcrnarabaco abbado SO de Xovembro de 1867.
LITERiTOai.
CU POLCO DE TUDO.
RArdEiiu.=Adtono pertence classedos
vadios parisienses, que vagueiam pelas ras
da capital desde as seis horas da rnanhSa
al a meia nonte, occupando-se pouco a pen-
sar onde liio de dormir, o que bao de co-
mer e como se b8o de vestir, deixam ao
acaso o cuidado d'estas minudencias. co Jos k dj C0Q-caJer 0 ierren0 etie fac
A principal, ou antes a nica occupagao |llar 03 lraba!lios eassitn lerminoo
da sua existencia, 6 o passeio. monia.
Nj se contentara em correr lodos os lu- _
gares pblicos, mas dedicam-se especialmen- Beijos caro3.N'um dos ltimos dias an-
te a examinar com toda a attenc/io aslojis dava um provnciaoo em companhia de sua
e as fazendas que estas teem em exposicSo, mulber a visitar a exposicjSo universal de
e ecpreitam sorrateiros a ausencia ou presen- Paris.
ca dos listas para, to momento opportuno,! Haviam paralo diante do panorama do
estenderem o brago para um armario aberto istbiao de Suez, e embashacados coateaipla-
r> dimiouirem a ac uimulago das mercado- v.im ambos dous esphinges que parece guar-
rias, que as torne menos vistosas j darem a entrada do istbmo.
O crepsculo c a occasiSo que estes pru-; De repente urna joven elegante e bem pa-
dentes philosophos escolbem com pretVren- decida angou os bracos ao grosso pescogo
cia para executarem os seus planos. |do provinciano e pespegou-ltie um beijo as
Ameiestia d-se bem com o silencia e coradas f ees, exclamando com o maior coh-
com a obscorid de. j tenlamento :
Ao anoitecer, Antonio parou dhntc do On meu primo ; at que alfim te en-
mostrador de urna luja de comestiveis. jcontro !
Depois de verificar com grande satisfago: Depois, como adverlindo o seu erro, a jo-
que.os candieiros de gaz que alumiavam a ren de>fez-se em desculpas, e fugio rapida-
loja, nao estavam ainda accesos, langou urna mente corrida dascena em que t3o triste
fregimentos da guarda. Recebidos pelo ge- a offerecer dez^ quinze dollars por da i drz elle, o sulphureto de polasso se acha prietario cabe ferido por urna apoplexia.
neral commandanie da fortaleza de Josepbs- tanto assim, que sen propretorio pode rea- em contacto $w o ar, transforma-se em Q jando ebegou um medico esta va mor to.
tadt e pelo seu estado maior, dirigiram-so Usar em dei annos urna fortana superior a sulphureto de potaba ; porm, qaando est De modo que o sobrinho, nico, hardeiro.1
ao monumento, o qual foi benzdo por um 3 mthes de francos. comido em urna trra bumida (em urna mi- tomou conu da casa do lio defunlo depois
eapello militar, cujo discurso trouxe a me-' Foi n'este hotel que teve lugar, em 1856, na) com o acido carbnico, reagem um so- dis formalidades de uso..'
moria osofficiaes cados oo campo de com-'entre a famosa Lola-Mmtes e o editor do bre o otitro, produzindo-se ent3o snb cubo- Um principe pobre.O principe de Mona-
bate e ntreos outros os do general de Hil-1 Ballarat-Times, urna scena que fez gran- nato de potassa com desenvolvimento de hy- co visitou ltimamente a expsito de Paris,
ler e do principe de Hoheozollern. O Sr. de escndalo na cidade de Malburne. Oedi-jdrogenio snlphnrado. Este gaz um ve- eera ali o alvo da curiosidade pnblica por
de Alvenslabeo dirigi depois os seus agr- tor do jornal em questd" o Sr. Sckamp, ti-'neno violento que mata a 1|800; asphyxia um incidente singular,
decimentos ao capel lo eao general austria- Dha, n'om artigo malvolo, atajado o ca- instantneamente os primeiros que o respi- Emqaanto outros principes prenderam a
co, pelo obsequio que o imperador Francis- racler da impetuosa actriz. N'esta mesma rara, quando se revolvem as trras que o atteugo dos parizieoses pela osientago do
'lefaci- noite, na o:casi5o em que o publicista en- contem. E' esto gaz, que, como lodos seu fausto, o principe de Monaco toruou-se
a cere- trava na sala de jamar do 6 Hutel dos Esta- sabem, causa a asphyxia repentina as la- notavel pela sua prresa.
dos-Unidos, para tomar a sua refero, Lola- trinas. Aconteceu ao principe um desastre na sua
Montes deu-lhe no rosto com um chicote:: earroagem, que elle mandou reparar. Cus-
o Sr. Sckamp retribue-lbe oatrevimento com. Mulherksmedicas. Umjovem ebegado tou a obra uns 35 francoi e o carpinteiro
urna bengala, em seguida os adversarios pe-' recentemente de Nova-York refere que nos indo receber a conta n3o Um fez paga, talvez
garam a brago. e talvez Lola-Monte fizesse primeiros dias de residencia n'aquella ci- porque o principe liaba a sua dotacSo atra-
cahir o seu contendor, se muitas pessoas que dade se sentio com urna indisposico, que. sacia.
assistiam aosuccasso, passada a primeira im-j poda ser grave, e mandou logo chamar um' O carpinteiro cbamou o principe pre-
prssSo, nao interviessera para os separar, medico. Qual no foi a sua sorpreza ven-Jsenca do juiz de paz de Nice, e o principe
Esteaciode aggresso excitou na cidade,'do entrar, no fim de um quarto de hora, foi condemnado a pagar a conta ao carp'ra-
avor de Lola-Montes, um eothusiasmo urna linda joven que llie tomou o pulso, e,! teiro: mis debalde, porque a nao recebeu.
vista de olhos pelos appetitosos artigos que
estavam expstos, e apezar do lusco e fusco,
descortinan dis indamente urna suceulenta
Grapa la de peixe e um presunto de fiambre,
"rtisticamente enfeitado, que descaucivam
em companhia de mil oatras cousas exqoisi-
papel representara.
O provinciano, depois de receber tao ines-
peradas caricias, fl;ou immovel, estupefacto,
respirando o ambiente perfumado qae sua
supposta e formosa prima havia deixado, em
tanto que sua esposa resmuogava afumas
tas n'uma molle cama de aparas de papel. phrases em desabono da descarada, como
ella lhe cbamava.
Passado algum tempo o marido hia a pu-
char do relogio para ver as horas que eram
e soltou um grito de surpreza. O relogio e
a corrente haviam desapparecido. O abraco
e os be'jos estavam pagos.
Antonio, que era prestigiador consumma-
do, empalmou hbilmente aempada sem que
nieguen! dsse por isso, e arremessou-a na
funda algibeira do seu pa'ett, e hia fazer a
mesma operacjSo ao presunto, quando ao es-
tandera mo dea um grande grito ; um ob-
jecto de cor escura, e que se agita va de um
lado para o outro por entre os comestiveis,
agarrou de repente o pulso de Antonio, aper-
tando-lbe com tanta forca como se fosse
com daas torquezas.
O objecto em questo nao era outra cousa
mais do que urna lagosta anda viva, que es-
tava no mostrador espera de ser cosida.
Avisado pelo grito de dr de Antonio, o
lojista acadio, livroa a victima das garras do
crustceo para o entregar polica que se
eocarregou de easinar a este gastrnomo o
modo de satisfazer a sua paixa j com mais
delicadesa.
A Intei igencia do sapo.Um mestre de
escbola de hchelsdorf observou durante mui-
tos annos um :aso particular da iotelligen-
cia de um sapo. Este animal. Uta til ao
agricultor peio consumo que faz dos insec-
tos p ssue tambem urna predilecto particu-
lar pelas abeltias e pelo mel.
Ha dez ou doze annos, o mestre de esc'io-
la notara, urna bella manba, diante da sua
colmi, um grande sapo pardacento oceu-
pado em devorar as abelbas; pegou de urna
vara e lancou-o para longe. No da seguin-
te, um sapo eslava aioda diante da colma.
Lembrou-se eutao o mestre de eschola qaa
podia bem ser o sapo da vespera ; para as-
segurar-se apanhou-o e atou-lhe n'ura dos
ps urna liuha azul, e mando-o alirar n'um
riacho distante.
Djus dias depois, o sapo estava outra vez
dame da colmi. Eolio fe-lo transportar
minio distante : dous dias depois, o animal
havia achado o camnho da colma atravs
dos campos e dos prados.
O mestre de eschola levou-o desta vez a
urna distancia de muitas leguas.
Cerca de outo dias depois, o sapo estava
anda diante da colma oceupado em devo-
rar asabelhas.
Cessou enlao de encbota-lo tanto mais
porque notou que o animal s devorava as
abell) is doentes.
Esta obsemejo durou mnitos annos.
Inacgurago. Verificou-se m Austria no
da 14 de outubro a inaugurarlo do monu-
mento levantado no campo do batalha a Koe-
nigraetz. Consiste em um pedestal de pe-
dra da altura de dez ps; tem em cima um
leao de bronze a dormir; est collocado a
tresentos passos da igreja de Chlum, pouco
mais ou menos no sitio d'onde Denedek di
rigia os movimentos do exercito austraco.
Entre a ig'eja e o monumento jazem mais
de 1:000 prussianos.
Assistiram ceremonia o tenente general
de Alvensleben e perto de 25 officiaes dos
iiMntaM
FOIHETIM
m AMORES DE POETA
POR
D. MARA IMAM VZ DE CUtVALHO.
IX
(Continuaco do n. 273.)
Era em Roma. N'uma casa elegante,
situada n'uma das ras mais frequentadas da
velha cidade dos Cesares. Dentro de um
gabinete primorosamente adornado com to-
das as maravilhas do luso, estava nm ho-
de urna
Metralhadora belga.Falla-se muito
de urna metralnadora construida em Liege.
As pecas de artilheria de bra$o, como lhe
chama o Sr. Glaxton, seu inventor, consis-
ten) em um jogo de oito tubos de 25 milli-
metros de dimetros, montado em urna vara
de ferro, e com um movimeoto indepeoden-
te de rotaco. Ha dous tubos diimetral-
mente oppostos que atiram alternativamente
com urna rapidez de 80 a 100 tiros por mi
uto. Quando esto muito aquecido, da-se
ao jogo um oitavo de volla, e apreseotam-
se outros dous tubos diante das culatras que
encerrara o mecanismo, e* assim suc ;essiva-
mente at que, depois de se haver atirado
om os oito tubos, se desmontam e se subs-
tituem em trinta segundos por um jogo de
sobrecelleote. Em quanto se sustenta o fo-
go com o segundo jogo de tubos, lava-se e
arrefece se o primeiro para fazel-o funcio
nar de novo, e assim por diante. Um tuoo
langa bullas a 2:500 metros, urna metra-
Iba especial a 800 e 1:00.' metros, e a me-
tralba ordinaria a 350 e 400 metros.
A pega abrigada por folh .s de ferro, de
maneira que os artilbeiros se acbam prote-
gidos contra o fogo do inimigo. Montada
no seu apparelho, e com 500 cartuchos, pesa
pouco mais ou menos 360 kilogrammas.
As OREI.HAS DO PADEIRO.O SUlt30 Ach-
mat II, atravessando um dia as ras de Stam-
bul, na companhia do seu gran-vizir, vio
porta de um padeiro o dono do estabdeci-
mento com urna cara muito contorcioada. O
pobre diabo, cujas m3os estavam atadas para
as costas, tinha urna das orelbas pregada em
um cepo.
Que fez aquelle homem ? perguntou o
sultao.
Venda com pesos falsificados.
Quem elle ?
E' o foroecedor do serralho.
Pois este o meu padeiro ? tornou
Achmet; nesse caso preguem-lhe tambem a
outra orelha.
E foi feita a vontade do sultao.
Um estal.wadeiro feliz.Acha-se em Pa"
ris nma celebridade industrial de Australia-
o Sr. Jack Dyckson. Foi o que fuodou em
Malbourne o hotel dos Estados-Unidos, im-
menso recolhimento de viajantes, feito pelo
modelo do hotel S. Nicolau de Nova-York, o
qual contm mil quartos. O hotel do Sr. Jack,
estabelecido n'uma epocha em que s se
conheciam pessimas estalagens, obteve ex-
traordinario successo: muitas vezes foram
postos quartos em arrematago, por causa
dos pretendentes, e houve-os que chegaram
poeta ; que se os seas olhos podessem mo
ver-se, fascinaran) com a mesma expresso
peculiar que fascioava em Mara.
Era por assim dizer, a parte immaterial
da sua belleza, que a donzella tinha de
commam com o retrato. Dir-se-hii que para
o artista fra a imagem de Mara a visao ins-
pirativa, que elle encontrara na sua sacra
peregrinado pelas espheras do ideal, antes
de gravar na tela o typo de ama mulher
querida /
Nao era urna semelhaoga ; era um rellexo
e urna iostiuctiva recordarlo.
Sobre a mesa, em desordem, havia pa-
pis, que pela irregnlaridade das linhas es-
criptas, bemmostravam serem versos; en-
completamente americano.
A's dez boras offereceram urna serenata,
ella apresent>u-se janlla com) urna raiaha
e dirigi um discurso multido.
No dia seguinte noate, quando Lola-
Montes appareceu no Iheatro Victoria, onde
representava, o publico, a poder de demons-
trages d'applauso, esteve a ponto de demo-
lir a casa.
A actriz, deixmdo ent5o o seu papel por
um instante, approximou-se do proscenio e
disse ao publico:
Agradego-vos as vossas demoostragoes
de amisade; com magoa que me vejo for-
cada a fallar anda no Sr. S kamo ; mas nao
minba a culpa, porque.no seu jonul d'es-
ta manhaa renova as injurias que me dirigi,
e contioi a atacar a minba reputarlo.
c Posto que eu nao passe de mulher, of-
fereci-lhe o bater-me com elle pistola. Pois
bem; quem o acreditara? recusou. (Fre-
nticos applausos.) Novameote vos agradego
meas amigos
Este ultimo rasgo descreve perfeitamente
Lola-Montes, mas o que tambem descreve o
carcter americano, que o dono do holel
dobrou immediatamente os pregos da mesa
redonda, e annunciou em todos os jornaes,
mesmo no Baliarat Times, que Lola-Mon-
tes asistir.a todos os dias ao jamar.
A multido correa ao hotel dos Estados-
Unidos e o Sr. Dyekson ganhou cem mil
francos n'ama semana.
Este estalajadeiro feliz anda boje em Paris
entretendo as suas boras vagas, e dissipando
os seas milaes; quit examinar por si mes-
mo a civilisaclo franceza; mas cre-se que
nlo ficar muito tempo inactivo, porque j
pedio autorisagSo repblica de S. Marti-
nbo para ali fundar um estabelecimento.
O jornalismo do mundo.M. Matin pu-
blicou ltimamente na Libert, diario de Pa-
ris, um iateressante calculo a respeito do jor-
naliimo em lodo o mundo. Segundo os da-
dos por elle colhidos, pode calcular-se a to-
talidade dos jornaes do globo em 12:500,
assim repartidos: na Europa 7:009, na Ame-
rica 5:000, ni Asa, frica e Oceania, 500.
Se para estas pu licagoes se admitUo co-
mo termo medio de periodicidade o inter-
val-lo de quatro dias, isto que sabem luz
urnas por ontras de quatro em quatro dias,
segue-se qae se publicam diariamente mais
de 3:003 jornaes ou escriptos peridicos,
os qaaes, suppondo-lbes ama tiragem me-
dia de 2:0(Xi smente, o que nao exagera-
do, e nao os contando por mais do que duas
folhas, derramam ao todo quotidianamente
pelo globo nada mais nem meaos do que 12"
milbes de folhas.
ASPHTXIA PELOS GAZES RESLTA-VTES DA
combustAo da plvora. Em urna galera
subterrnea dezesete sapadores, ocupados
em trabalbos de escola, Coram sbitamente
involvidos pelos gazes prevenientes da ex-
ploso de urna mina, e cahiram inmediata-
mente asphyxiados ; aconteceu o mesmo a
um official e a outros quatpo-sapadores, que
correram a auxiJia-k>s. Apezar do perigo,
coDseguio-se relira-los todos ao cabo de um
quarto de hora, e restitui-lo vida. An-
da que estes accidentes nao sejam raros nos
trabalbos de escola, comtudo-os mediros mp-
mlitares sao oaw'ssos em menciona-lcs nos
seu3 escriptos, segundo die a Tribu** Me-
dcale, assim como as obras de chimica
apenas se trata dos per'tgos que resultam
dos gazes produaidos pela deflagraco da
plvora e da asphyxia rpida, que pode se-
guir-se-lhes. Segando Le Beurier, a otoxi-
caglo seria devida s traasformages- por que-
passa o sulphureto de potassio. Quando-
\ _____________
para bem escatar a respirago e estudar os
symptomas do mal, encoslou a sua encanta-
dora cabega no peito descoberto do enfer-
mo Imagine se a situagSo deste sentimento
no seo rosto s socegas que lbe causavam os
perfumados cabellos de lady. Inlerrogou-o
como o mais velho doutor e pre9creveu-lhe
remedios to efficazes, que oo dia seguinte
pode o enfermo ir agredecer que lhe dra
sade.
Convidado para um baile, pouco tempo
dapois encontrou o mancebo no salo ao
seu medico com os bracos ns e vestido de-
cotado, gosando dos prazeres do baile. De
repente entra urna senhora pedindo om me-
dico, poique no salo immediato cahira um
cavalbeiro com um ataque cerebral. A Sra.
Kaen (assim se chamava a discipula de Ga-
leno) abandonou, correndo, o seu compa-
nbeiro de danca; sangrou o paciente, pro-
digalisou-lbe os maiores cuididos, mandon-o
levar para casa, e do fim de meia hora tol-
ln para comegar a sua interrompida eon-
tradanga.
Trplice casamento.Teve ha ponto lu-
gar na repartgo administrativa de um dos
bairros de Paris, segundo o que refere o
Jornal do Havre, urna ceremonia que ra-
ras vezes se apresentar; tratava-se de om
trplice casamento; tres irmos esposavam
no mesmo dia tres raparigas irm3as. Ei
como aquelle jornal conta que se prepara-
ram as cousas para este desenlace, ou antes
para estes tres enlaces :
Ha alguns mezes G., o irmo mais velbo,
empaquetador como os outros, foi a urna
tasa do arrabalde de S. Martinho, por causa
de urna encommenda concerneote sua pro-
fissao; eoconlraudo ah D., a mais ralba
das tres irmaas, agradou-se deil, e passa-
do algum tempo pedio-a em casamento e foi
acceito. Apreientou-se ento osrtro- irnwo,
que do mesmo modo se tornou o noivo da
segunda irmaa, e finalmente o terceiro levo
de assalto o corag3o da mais nova. Cbega-
das as coosas a este pomo, foi forzoso pa-
rar porque nao havia mais irmasr e pena
foi, porquaoto ficram anda tres irmos G.,
que se ver3o na necessrdade de prover de
e.-posas em outra parte
Os tres casamentos tiveram, pois, lugar
ao mesmo tempo ; os i;o\us vestianv todos
do mesmo modo, e depois das perguntas
do aso e de ama peqpena allocugo do
maire, os tres pares pronunciavam o sim
solemne, partmdo em seguida alegremente
a festejar, no tradicional jamar de boda, as
esperangas da numerosa posteridade de pri-
mos e primas, que prcmette esta tsiplice
no i Se-,
Moiwe de .\p a.vaento Ha dias^diz a
PtiArie, um propietario de Paris foi sor-
prendido cOm a-visita de'um prenlo que
tinha n'um departamento do Meiodia. E's
tu* Gustavo ? sclama o proprietario*. que
muito tonbecido pela sua avareza. Que
veos fazer a Pars-, oode preciso oaro aos
punhados para viver ? Q-ae m ocasio es-
colheste t Obedrgo le da gravitago
das cinco partes do mundo meu Uo.
E a lei daeonservaejto, observaste-a?
Ora... Desgragado I exclama- o lio cada vez
mais colrico, como-has de arraojarreasae
comida ?'
Muito bem, bem t:o, escolho proviso-
riamente a sua casa, tomamos luger sua
mesa, eu, minba mulher...
Ida mulher tambem !
... M'inha filha..
Tua filha!:
... E a criada, v
A esta enumerag3o de convida* o pro-
0 atrevimento do villao foi castigado, e o
principe mandou-o sair dos estados de Mo-
naco.
Eis-aqui um principe lgico: o calote me-
dra em Monaco. Feliz estado, onde o so-
berano nao pode pagar 65300 res.
Se todos os principes fossem t3o pobres,
mais ricos seriam os povos.
Naufragds no mez de sei'emb -to.Das
publcages feitas recentemente pela admi-
nistragao do Dureau-Veritas deprehende-se
que o numero de navios perdidos totalmen-
te durante o mez de setembro passado, ele-
vou--e a 135, sendo: 71 navios inglezes, 20
americanos, 13 francezes, 10 prussianos e
21 de differentes baodeiras.
O numero de vapores perdidos, na mes-
me epocha, limitou-se a 3 ; o de navios con-
demnados, subi a 13, e o dos navios que
se sappde perdidos (casco e carga) por falta
de noticias, a 8.
Navios perdidos desde 1 de janei-
ro a 3i de agosto...... 1:850
Accrescentando os que se perde-
ram no mez de setembro. .
rico de Lonlres, publica em um dos s^j
ltimos nmeros, urna caricatura que lio
deixou de causar urna certa impresso. Um
peridico hespanbol referindo-se a ella, at
diz: el lpiz l dibujante ka fmsf el dedo
en la llaga. Vejamos onde que c hpis
pez o seu dedo!A cariettora representa
um personagem com as guias do bgafc
cuida losamente torcidas, pretendiendo i
r Njpoleao III; esle, tem o soberano pm-
lifice suspenso por unr fio sobre om abys-
mo, e vojta est orna grande porco de
bolleos, com camisolas vermeibas, gritaada:
deixe-o cahir de xe-o cahir! deixe-o cahir!
i O personagem responde: Nao, porque se o
deixasse cahir de repente fazia maita boina,
quero deixa-lo e3corregar.
Na bolsa de Pars appareceu tambem um
destes dias nma caricatura que prodozio
muito eleito. Representava orna tnbnea :
em um prato estava Garibaldi, no entro o
Sr. de Bismarck e do meio o imperador
Napoleo fazendo grandes esfo^gos para
conservar o equilibrio. A polica Lzi.i dili-
gencias para descobrir o autor da carica-
tura.
Testemcnho de gratidai? -A cidade de
Arezzo acaba de offerecer ao pr.ocipe Car-
los III, de Monaco, urna medalla de oiro,
em testemunho da sua gratido pelo gene-
roso auxilio dispensado por sua alteza
commisso artstica encarrefada do levantar
om monumento ao roonge Gaido, ventor
das notas de msica.
Fruir/ros da usrRPA^Ao.Acaba tfer ser
resolvida a questao relativa i posse arwn-
priedades do re do Hanover, situtdas n
Inglaterra. O rendimento das mesmas. que
importa em 2,700:000^000, sert traosferr-
do ao re da Prossia, porque o tratado a
1714, celebrado por oieaefto da subida ao
tbrono de Inglaterra do eettor do Hanover,
e-tipnla que aquelle rendimento dever per-
tencer aquelle qae cingisse a eora do Ha-
nover. .
135
Ha om total de 1:985
navios perdidos totalmente desde 1
de Janeiro a 30 de setembro de
1867.
No me3mo periodo em 1867, nau-
fragaran........ 2:054
Differenga d-i naufragios para me-
nas em 1867......
G9
A Condesm danner.Acaba de fallecer
condessa Danner, esposa morgaoatica do de-
fuocto re da Dinamarca, Frederieo VI. Lui-
za Christna Rasmussen nascra em i8\ir
fra mestra de meninas em Nuruega e diz
se que atriz durante algum tempo n'um tea-
tro de Paris. Foi depois disto que- Frede-
rieo, ent5o prindpe real, a> vio pela primei-
ra vez em Copenhague, n'um armasem de
modas.
Acclamadorei em 1848, deu-lhe cttulo
de baroneza, depois o de csndessa Danner,
e esposouHi publicamente na igreja de Fre-
deriksburgo, a 7 de abril de 1850:
A condessa Danner era urna mulher de
intelligencia e de corag3o ; gozava de gran-
de populardade na Dinamarca e mais de
urna vez tevsparte as ovacefeitas ao re.
i
cavallete,
mem deitado n'um sof, defronte
mesa chea de livros e papis.
Era Jayme.
Ao p da janella, sobre om
Via-se urna tela quasi acabada.
E om retrato de mulher, pallida, trans-
parente, de olhos zoes e cabellos doarades,
que parecem envolve-la as longas pregas
da um sudario.
E' urna madona como as qae deviam pas-
sar em luminoso cortejo por diante do ins-
pirado olhar de Raphael, as sagradas horas
d6s seus xtasis! E' um corpo da trra
com urna expressSo do co 1
Todosiurariam, ao veressa loara cabega
de anjo, que nada havia. mais diverso que
ella do rosto de Maria. '.
N'uma a ladea branca das filbas do norte
eos seus loaros cabellos, eos seas olhos
de saphyra; n'oolra a pallidez qne revela
intima ardencia, e as ondas de escaros ca-
bellos, e o negro olhar, que atea incendios;
e com tudo quem podesse contar-se no pe-
queo numero de observadores, qae n3o
s olham, mas que tambem vem, havia de
forosamente descortinar na ideal figura do
quadro. no sei que lembrangas de Mara de
Mascarenhas.
Sentira a creatara feliz ou infeliz, que
tosse dotada desta especie de dupla vista,
que se a pintura fallasse, havia de ter os
cestos e o sorriso da desditosa amante do
tre elles, estava um collocado de maneira,
que revelava ter-se o mancebo interrumpido
na acg3o de o escrever.
Ha geralmente no rosto de um verdadeiro
poeta, na actualidade da inspirag3o, urna ex-
citadlo quasi febril, que delicia, mas que
tambem pange; a alma parece desprender-se
do seu envoltorio terrestre e vagar suave-
mente em ondas de ether, o poeta deixa de
pertencer a3 mando, e os seus olhos, al-
lumiados por outra laz, se revelam, naas e
patentes, as etaroas reges da verdade I
Mas para a mystenosa transfigurag3o se
operar, preciso que a poesia nao seja om
jogo do espirito, seno um santo impulso do
corag3o ; os versos de Jayme n3o manavam
portanto dessa fonte sempre lmpida e para;
o rosto do poeta exprima o fastio no sea
mais snbido grao, em quanto os olhos lhe
seguiam as espiraos de tumo exhaladas pelo
seo cacimbo oriental.
Depois de alguns momentos de completa
immobilidade, levantou-se Jayms repentina-
mente e comecou a passear pelo quarto,
acariciando a espago com a mito delicada, o
assedado bieode
pois desta grande massada que se chama
vida.
D'ahi a pedago, murmarou outra vez :
todo isto que me rodeia bello e grande....
mas que importa se em mim a saciedade
ve;n logo ao p da satisfacg5a !.. .. Pensar
qae j me enfastiei do co da mioha ttaa t...
Palavra d* honra para um homem raorrer
desesperado I...
E, depois de urna curta pausa exclamou
soltando um longo suspiro, como remate
monologo interior :Nem eu sei como pude
esquecer-te 1...
A quem se diriga elle?... Sabe-o s
Deus !
Ou fosse porque a imagem que elle aca-
bava de evocar o absorvesse todo em apra-
sivel contemplagSo, ou fosse porqae as lem-
brangas daquelle instante tivessem tanta do-
gara que elle receiasse prodigalisa-las, o
certo que se calou, e que o passeio se lbe
tornoo mais sereno.
Pouco depois cahio outra vez sobre o so
f, e mcirmurou baixinho :
Vea escrever ao Augusta, elle ao me-
nos ente ide-me I
Augusto era om amigo da infancia de
Jayme, poeta como elle talvez cora menos
arrojos de phantasia, mas com muito maior
instabilidade de sentimentos. Jayme acos
tumra-se a confiar-lbe desde o collegio
todas as peripecias da sua vida exterior, e
tolos os exaltados sonbos da sua imagoa-
gao, e Ufo exactas e coloridas lhe eram as
descripces, que Augusto conhecia o seu
amigo talvez melhor que elle proprio 1
Como a carta de Jayme mostra melhor,
que nos o podamos fazer, o estado da sua
alma, tomamos a liberdade de apresenta-la
ao leitor:
Gabinete de napoleAohi^k-Ittusttapfo
ftftUtar, folha franceza, publica alguns por-
menores curiosos sobre o gabinete de Na*
poieo HI as Tulherias : o imperador tom
querido sempre conservar n'elle certos ol-
jectos que lhe recordara os seus-das mos)
de modo qne o primeiromovel que se ve a
entrada do aposento, qae 'pequeo, qua-^
drado, e recebe a luz por urna janella que
d sobre o jardim, urna estante de caoba
sera- vidracas, que coatm os Hvros que
foram- em ontro tempo fiis corapanbeiros
das suas penas.. Alguns-cachimbos de es-
puma do mar adornara os intervallos entre
outras estantes de caoba com embutidos de-j
cobre, assim como alguns-quadros de prego
e alguns retratos* Mas aquellos-cachimbos
est3o alli porque a medicina prohibe final-
mente o seu uso ao soberano.
A mesa para escrever, collocacte perto da
janella, est carregada de livros e feixes de
papis. Faz-lhe companhia urna- cadeiraJ,
de-espaldar de couro, e mais tres ou quatro
cadeiras completara a mobilia desea sala on-
da-se elaborara os destinos da Frang.
Qualquer ministro tem.um gabinete c:m.
mais laxo.
Garicatura.O Pmch, peridico saiy-
RiOtEZA w: productos.O valor das
hinas exportadas de Inglaterra dorante os
oito mezes deste anno, findos em 31 de
agosto, e evou-se a libras 3,306c8*7 a sa-
ber : machina de vapor, libras $,223:!3;
machinas de outra especie, libras-,........
1,982:232.
ImportacAo notavei..A importancia to-
tal do trigo recebido pela Inglaterra- duraMe
nove mezes oeste anno, calculada em li-
bras 17,000:000.
A Hossia ministrar 41 0 0 da qu-ntidade
importada ; 25 o/o* a Prossia; os fetados-
Unidos 8 o/o ; a Turqua e o Egyp 2
0/0, a Franca 2 1^2, a Dinamarca $ e 13
0/0 os outros estado.
A qoantidade de farnna impor&da no
mesmo periodo subi libras 2,3O(k0uO.
Merecel.Recebemos, diz o Jornal io
Commercio de Lisboa, o segomte despacho
particular:
< Paris 6 noite.Corre o boato o-qae
esta manha o imperador Plapole receben
urna affectuosissima carta' do papa, agrada
cendo-lhe o valioso auxilio qae lbe presloo,
cenferindo-lhe o titulo tickri*titni$simo, t
que nsavam oo-antigos res de Fraoca. e co>
cedendo setenta annos e setenta quarenteoo
de indulgencias a elle e ao seo exercito. -
Ha oito dias, meo Augusto, a tua per-
te respoo- tengo
tedio o meio do agitado passeio. ; desse entao, nao me responsamliso pela
' Santo Deus, disse por fim em tom amabilidade das expresses com que cias-
mais alto, damnada sina a minba Creio sifiaria a toa intelligencia.
une me het de vir a enfastiar no panizo, se t Duvidares do meu amor por Emma
por ventara estoa destinado a ir para la, de-! Dizeres-meque havia mais vaidade queoa-
sea espesso e asseaaao DiRoae negro. |
Escapava-lhe s vezes urna exclamarlo de gonta pareceu-me absurda ; se te
\in nn meio do agitado passeio. desse ento, nao me responsabili
tra cansa na paixSo mais desenfilada da mi-
nba vida 1.1......
* Concorda qae era desesperante seme-
lhante novidade, porqae devoras foi novk
pade para mim,. e a prova que fiquei pas
mado ao recebe-la, e que o aao sabia antes
de- lu m'c dizeres.
< E' adxniravel a rapidez, com que a gente
muda de Llas, de crancas> de affeiges e de
esperanzas I:.. In lecifravel euygma o
homem,. meu charo I
Tenho como certo qae na sinto- o que
senta ha pouco tempo ; mais nada; o-rosto
aioda para mim livro fechado.
Emma urna formosissim i mutfaer ;
tem espirito ; espirita de mais, ira ju-
ra-lo!
c Quando ella sacode lentamente os an-
neis loaros. Otando em mim os saos olnos
da cor do co, acho-Jhe encantos que nao
sei explicar-te 1 Mas na mulher qae se
ama para toda a vida, a formosura parte
absolutamente secundara ; depois eu nao
goslo de mulberes espirituosas; o espirito
no sexo femenino um acido corrosivo que
perverte o sentimento.
Ai da mulher que nao reina pelo cora-
gao, a quem nunca sactam os ridos, trium-
phos da vida le I
t Tu conheces a extravagancia das mi-
nbas pbaotasias; quando vi Emma, achei-a
bella, mas procure-lhe debalde l dentro
a alma que esle corpo admiravel me pro-
mettia. Crea-la ao sopro potente do meu
amor, tornar-me o Pygmali3o de nova Ga-
latho, eis a empresa difficil que o meu es-
tulto orgulho me suggerio; e quando eu co-
mecei a perceber que nada conseguira,
acha va j um nfio sei que de picante naquelle
meu idolo de pedra.
c Talvez o amor proprio substituisse em
mim a paixo; nSosei; sei s que lhe per-
boje por lagos difficeis de desatar;
ella" tem o estupido capricho de domar-me,
e j agora tal o cansago a que a minha al-
ma gasta suecumbe, qa provavel que
mesmo contra vontade me leve domesticado
I at ao ollar.
1 LfojIARirK) DE-NOVE MU1H0MS.Foi
era Zeffersville no Estado de Indiana (Esta-
dos Uaidos da America) Ht/.mer Brown, ac-
cusado de polygamia.
I lo taer Browa conta 53 -annos de idede,
casou nev vezes e tem vivas ledas as aove
mulberes. Depois de casar viva tres metes
pouco mais ou menos cana cada consorte,
appropriava-se de que pedia das fortunes,
que el "ras possuiam e desapparecia, mudaade
de residencia para procurar nova esposa.
CAFrA.iiosPEDAEM.Foi ukimamento jal-
gada urna causa muito curiosa no 3" jugado
de Madrid. 0>3utos t otase j 575 feitas.
O'objecto do litigio era nasa accao inten-
tada pela dona de urna hospedara contra-
nm mancebo que esteve hospedado em sua
casa.
A autora pedia I>563:S39>reaes por 1.330
dias de hospedagem, quasi quatro ar.aos, i
razac-de reaes 1,107 poaco mais ou meaos
por dia.
O juiz da 1 instancia julgoo imprecadente-
a acjio, desattendendo o-pedido em vista da
evidente m f da autbora.
A credra appellou da.sentenra da. 1* ins-
tancia.

\
c Se Emma nao tivesse tido esta idea ar-
rojada, talvez eu a amasse ainla muito;
mas as mulberes sao lo doodas! Depois
o casamento II... O casamento o sonho,
a mana deltas todas; por muito superiores
que sejamv naufragara, tolas no mesmo ca-
chpo!
O casamento o seo titulo a sua con-
decoraco, o seo diploma de premiadas!
Ora, pelo mesmo motivo que ellas o dese-
jam, eocaro-o en. com terror! Tenho cala-
fros s de me lembrar qae bei de passar
por estas forcas candnas da vida social E
admitndo mesmo todas as vantagens desta
instuigo moral e religiosa, o que innega-
vel, oque nem todos os philosophos socia-
listas empregados na propagarlo das suas
ideas seo capazes de me contestar, qae
a vida conjugal Do se passa a fazer espi-
rito, onica oceupaejo em que nos temos
levado estes quatro mexes de corte assidoa ;
ora, entre nos n3o pode haver mais nenbom
ponto de contacto.
Bem sei o qae a esta hora ta dizes ;
percebo d'aqai as toas rasoaveis objeccas;
mas que queres to ? Nos qae temos pou-
qussimos meios de resistir a orna mulher,
sobre lado quando" lhe temos dito o que eu
digo a Emma noate e dia; e depois esta a
suprema raz3o, meu Augusto, estou canga-
do!... Cangado de viver, de amar, de
querer sem conseguir nunca I Estou canea-
do de procurar a felicidade sem acba-la, e
de fugir-lbe depois de a achar; estoa cao-
gando desta feroz tempestado de desejos,
de asplrages, de phrenesis em qae ea te-
nho consumido a existencia, desde o dia em
que o inferno me accendeo aqu deatro ama
fogueira, que arde sempre, e que niogoem
ainda me apagn, nem poder apagar I...
c Emma tem a pretendo de original;
urna das suasgragas 6 a admirac3o pelo ta-
lento. Foi esta, diz ella, o que a attrahio
para mim
e Eu nao a creio oeste ponto. O sao
bello de conveogSo qne ella aprende a
admirar com os outros ; nanea x vi sensi-
vel a urna grande obra de Deas. I
< Vou contar-te ama cousa; no ootro da
pedio-ma a minha elegante dot, qne lbe
fizesse um quadro, o meo ideal de bailesa
sobre aterra.
c A urna mulber branca e toasa que nos
pede o typo da bellesa femenina, que reme-
dio ba seno dar-lh'o braoco e oro tam-
bem. Abi est o qae ea fiz. Mas, ade-
vinba-me l esta contradiejo : desde qne
principiei o quadro, qae tentei tornar o
mais parecido possive com ella, lembro-me
constantemente de... Mara... De Maria
sim. Tem escreer-Ibe nome, pa eeeu-
me um sacrilegio; mas a ti, amigo, nao
devo eu esconder neohom pensamema- ia-
tim).
t Tu bem n'o sabes, Augusto; oeste
meu borboletear ocessaote de amor para
outro amor, nesti minba basca nanea sa-
ciada de prazeres estranhos, ha om caminbo
todo azul e ooro, em que ea gslo de re-
pousar o pensameoto affadigado !
c Se nao fosse Emma, e devo coa pejo
confessa-lo, se nao fosse a minha fatal vai-
dade qae as vezes mo grado mea ase ar-
rasta e me cega, creio qne era Mara a
nica mulher qae poda tornar-me feliz.
t Ha quatro mezes, que procorava fugir
s lembrangas deste amor, que para mim
s3o um remorso. Ha de haver ama semana,
estava eu no formoso terraco do palacio de
Emma ; sob um co espleodissimo, e en-
volvida no luminoso manto da rainba das
noutes, sargia aos ateos olhos a velha t
potica Roma.


(Co-Unuar-te-ka.)
" TYP. D0EHAR10-KUA DAS CfiU 3. U
V


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ED652KKS5_556DM0 INGEST_TIME 2013-09-05T00:19:10Z PACKAGE AA00011611_11433
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES