Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( sobekcm )
newspaper   ( marcgt )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11400


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO XLIII. NUMER 243.
P.1H.1 A CAPIVAC E LC'CArtE OXOB HE NAO PACA POTE,
Por fres mezes ad/antado.,. |. ........... 60000
Porms ditos ideo.. .1 .i .1 .i .1 .1 .., il .iflrii'ffl ... 12*000
Por ia ana* Moa.. .1 1 .i 1 .1 .1 .1 .1 J| m ,-j ,.i s s 24*000
Cada a laero aralso .]..'.]:.......2 S 320
TERCA FEIRA 22 DE OUTUBRO DE 1867.
PIBA DEXTBO B VOSA DI PROVINCIA.
Per tres meze adiantado.. t. i., r. :. .. ,. i. ,. ?. i, ,, i; ..,
Par seis dito* iden. i?;............................ ..,
Por note ditos dem.........., .. .......,............
Por ib uno idea., r .. .. ., ,, ,, ., ,, ., .. .. ., ,. .. .. ..
6*750
IW8O0
20*250*
27*000
i88!i<&BiV>8i im iPianAunBUiD m ioimipvqiikd di ihidi mtirimiD m juma & ikukds, eiva tomibmikds.
IENGARREGADOS DA SUBSCRIPQAO.
Parauyba, o Sr. Antonio Alexandrino deLima;J
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ;Aracaty,
oSr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. Joaqun)
os da Jliveira Para, os Srs. Gerardo Antonio
Aires <& Filhes; Amazonas, o Sr. Jeronymo da
Costa; Alagoas.o Sr. Fraorino lavares da Costa;
Babia, o Sr. Jos Hartins Alves; Rio de Janeiro,
Sr. Jos TUbeiro Gasparinbo. |
i PARTIDA DOS ESTAFETAS. | Serinhera, Rio Pormoso, Tamaodar, Una, Bar
I Olinda, Cabo, Escada e estacoes da. via frrea at I reiros. Agua Preta a Pimentc iras, as quintas
meto
Agua frea, todos os das." I /airas.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras. | AUDIENCIAS DOS TPJBUNAE i DA CAPITAL.'!
Santo Aniao, Grvala, Bezerros, Bonito, Caraaru, I
Altiobo, Garanbans, Baiqae, S. Bento, Bom Con-1 Tribunal do commercio : sgomas e quintas
selho, Aguas Bellas e Tacaratd, nas tercas-feiras. I Belago : tercas e sbados s 10 horas.
Pao d'Albo, Nazarelb, Limoeiro, Breio, Pesqnelra, I Fazenda : qa/otas s "O horas.
lagazeira, Plores, Villa Bella, Cabrob. Boa-Vis-1 Joiio do commercio : segundas as 11 horas.
ta, Ourieury,Saigaoro o Gx, nas quanas feiras I Dito de orphos: torgas a sextas %a 10 horas.
Primeira vara do cirei: tercas e sextas ao
dia. *
Segunda vara do eival : quartas e sabbades a
1 acra da tarde.
EPHEMKRIDES DO HEZ DE OUTUBRO.
&.QuaUer**,c. as 3 h. e 23 ro. da |. i
43 Laa ceia as 10 h. e M m. da m.
21 Quarto ming. aos 17 ra. da m.
27 La nova as 10 b. e 11 m. a m.
'
DAS DA SEMANA.
21 Seguada. S. Dacio m., S. Ciliola.
22 Ter^a. S. Ladislao f., S. Cordata v. m.
23 Quarta. S. Joao Capistrano f., S. Servando m.
21 Qmota. Ss: Fortunato e Evaristo mm.
125' seau. Ss. Chrispim e Cbrlspiniano Irs. mm.
26 Sabbado. S. Rogaciano ro., S. Rustico b.
27 Domingo. S. Elesbo, S. Capitulina m.
PREAHAR DE HOJE.
I Primeira as 10 boras e 6 m. da'manha.
[Segunda as 10 boras o 30 minntos da tardo.
PARTIDA DOS VAPORES CO&TEIROS.
Para o sal at Alagoas a 14 e 30; para o non*
at a Granja a 15 e 30 de cada mez; para Fer-
nando nos das 14 dos mezes Janeiro, marco, mai9
julho, setembro e novembro.
5=
PARTE OFFICIAL
MlM*Ti:itiO DA FAigEXBA,
DECRETO I. 3,977 DE 12 DE OUTUBRO DE I8l)7.
Regula a cobranca do imposto sobre os ven-
amentos.
Hei por bem decretar que, para a cobranga do
imposto creado pelo art. 22 da le n. 1,037 de 26
de setembro ultimo, se observe o segmole :
Art. 1.a Sao obngadas ao pagamento do imposto
de 3 /, creado pelo art. 22 da le n. 1,307 de 26
de setembro ultimo, todas as pessoas que recebe
rem, por qaalqner titulo que seja, dos cofres pbli-
cos geraes, proviociaes ou rauoieipaes, aiuda que
por substituiso ou exercicic uterino de emprego
ou commisso, jubilar >, aposentadona e peoso
vencimentos de 1:000$ ou excedentes de 1:00J$
por anno, excepto os reformados e pensionistas de
tenca, mel sold e montepo, que pagiro 1 por
cenio.
1.' A disposigo do presente artigo extensiva
aos vencimentos que accumulaJos peiQzerem.....
t:000J ou delle excederem, devendo cobrar-se de
cada urna respectiva quota na razao estabelecida,
conforme a sua natureza.
2.* Sao isentos do imposto os vencimentos das
pragas de pret de ierra e mar e dos militares em
campanba, bem como es que se abonam a titulo de
jornal a servantes e operarlos, e outrosqueno
jotrara na catbegoria de empregados pblicos.
Art. 2." A quota do imposto sera' calculada so-
bre os veucimealos que efleclivamenle se abona-
rem, attenddos os desconlos legaes por motivo de
licenga, montepo ou qnalqner ootro.
Art. 3. No caso de emolumentos, costas, direi-
'.03 paroebiaes e e^iscopaes, ou qualqoer outro
rendimento annexo ao emprego, mas pago pelas
partes, as estacoes flseaes proceJero logo, depois
de colherem os precisos eselarecimentos e adminis-
trativamente, a lotago do vencimento provenien-
te dessa ongem para a cobranga do imposto.
L* Feitas as lotagoes, sero immediaiamente
communicadas ao tbesouro e tfiesourarias de fazen-
da e s partes interessadas : da lotago bavera
reenrso na cortee provincia do Rio de Janeiro para
o miaistro da fazeoda e nas outras provincias para
as thesourarias de tazenda, destas para o mesmo
ministro, no prazo de 30 das, sempre por interme-
dio da estagao ou repartigao riscal, mas este recur-
so nao tera' efTeito suspensivo.
2.a As lotagoes compelem :
I." A's recebedonas nos municipios onde as
bouver.
2. A's estacSes de arrecadago nos outros mu-
nicipios.
3.* O rendmento que for lotado, accumular-
se-na ao ordenado, grilibcago, congrua, sold ou
posto na forma do artigo seguiute.
Art. 4. A cobranga do imposto sera' teita no
acto do pagamento dos vencimentos, calculando-se
nas reparligoes geraas a Importancia dos que com-
peiirem ao contrlbuinte, e a da quota do imposto
nas proprlas folbas de pagamento, aflra de que seja
satisfeita a quanlia liquida ; levando-se aos balan-
ces respectivos, em despea, a somma integral dos
vencimentos, e em receila, a do imposto.
nico. Os balancos das repariigSes pagadoras
nai subordinadas ao ministerio da lazenda deverao
conter os eselarecimentos precisos para se coohe-
cer a importancia do imposto pertencente aos ven-
cimentos effectivos de cada emprego.
Art. 5. Se o vencimento consistir sraente em
porceolagem, e no Ara do exercicio se recontiecer
que nao completa 1:000*, o empregado, no ultimo
pagamento que se Ihe fuer pjr conta do mesmo
exercicio, sera' indernulsado do que se houver des-
contado.
Art. 6. As repartieres provinciaes e rauoicipaes
arrecadara tamoem o importo, ua conformidade
dos artigos antecedentes, no acto do pagam nto dos
vencimentos que abonarem por seos cofres; de-
vendo porm conservar em caixa a respe, tiva im-
portancia para ser recolbida mensalmente.
1." No municipio da corte ao tbesouro.
2. Nos municipios da sede das thesourarias de
fazenda a estas repartieres.
3.* Nas outros municipios s estagSes de arreca-
dago.
nnico. A entrega sera' eita impretenvelmente
sob as penas da le, al o dia 10 do mez seguiote,
acompannada de urna retalo nominal dos empre-
gados contrlbuintes, contendo a declaraco do ven-
cimento abonado e da quantia em que importar o
imposto.
Art. 7/ As estacoes de arrecadago que recebe
rem a ccntribuiQo pertencente aos funeciooanos a
iaem se refere o art. 4' e aos empregados provin-
ciaes ou municipaes, farao entrega da respectiva
renda ao tbesouro ou thesourarias de fazenda nas
apocas estaoelecidas para a remessa das outras a
seu cargo.
Art. 8.a Pela cobranza deste imposto nao se
abonara' porcsptagem as reparticoes que a effec
tuarem. X
Art. 9 o A cobrVca comegara' desde j&, deflu-
zindo-se a quola di imposto dos vencimentos do
corrente mez, e noi
deate decreto for fei'
se-ba no primeiro p
empregados, a importancia
sadas.
Art. 10, As davidas que suscitarem-se a respeno
da arrecadaco deste Imposto, entre as reparticoes
encarregadas da cobranga e os coolribuintes, serao
decididas na edrte e provincia do Rio de Janeiro
pelo tribunal do thesonro, e nas outras provincias
pelas thesourarias, com recurso para o mesmo tri-
bunal.
Zacaras de Ges e Vascoucello?, do meo conse-
Iho, senador do imperio, presidente do conseibo de
ministros, ministro e secretario de estado dos ne-
gocios da fazenda e presidente do tribunal do the-
sonro nacional, assim o tenba entendido e faga exe-
cutar.
Palacio do Rio de Janeiro, om 12 oe oulubro de
1867, 46 da independencia e do Imoerio. -Com i
rubrica de S. H. o Imperador-Zacaras de Goes e
Vasconcellos. vy
3*. O aiodante-general remettera' o mesmo indi-
viduo, com aquella nota, ao commaodante do de-
posito provisorio, para este venficar-lbe-praga, de-
pois de examinar e recoohecer pelos signaes e oir-
cumstanclas Indicados a sua identidade.
Se, porem, bouver alguma dnvida a este res-
peito, dar' pane ao offlcial encarregado do alista-
mento, o qoal devera' assistir ao acto de assenta-
mento de praga.
VeriQcando-se que com effeito os signaes e cir-
cumstancias sao diversos, o offlcial eommunicara'
logo ao ajudante general, para este providenciar
convenientemente e responsabltisar o autor ou au-
tores da troca do individuo.
6.* Qjando o offlcial encarregado do alistamen-
to julgar conveniente, podera' remetter ao quartel
general, aQm de ser inspeccionado pela junta mi-
litar de saude o individuo que ttver sido examina-
do pelo medico adjunto.
7.* No caso de ser o individuo julgado iacapaz
do servigo do exercito, sera' logo despedido; se do
mesmo parecer fr o offlcial encarregado do alis
lamento, salvo se fr recruta ou guarda nacional
designado, e nesie caso Acara' a' disposigo d>
ajudaote-general, que o devolver' a aotoridade
que o houver remeltido.
8.* Na disposigo -lo art. antecedente nao se
comprehendem os substitutos e libertos que forem
remedidos com praga das provincias, a respelto
dos qnaes o ajudante-genaral dar' conta circoms-
lanciada a esle ministerio.
9. Os individuos que forem apreseotados a jun-
ta militar de saude, depois de Inspeccionados por
esta sero devolvidos ao otflcial encarregado do
aiistamenio com o respectivo parecer, ai n de pro-
seguirle nos termos nlteiiores.
10 Quando fr liberto o individuo julgado capaz
para o servigo do exercito, alem da nota de qoe
trata o art. 4 devera' acompaoha-lo a carta de
sua liberdade, a qual Bcara' archivada no quartel-
general.
11. Se individuo fr apresentado como substitu-
to, antes de proceder-se a inspecgo, o offlcial en-
carregado do aiistameolo verificara' se o mesmo
esta' nas coodicgdes legaes para poder ser aceito
nesta qualidade, exigindo ao mesmo tempo docu-
mentos que comprovem o seu bom procedimento.
12 Logo que se apresentar qualqoer substituto
ou liberto, o offlcial encarregado examinara' se o
mesmo ja' foi escusado em inspecgo anterior, e
no caso afirmativo, reconhecendo que houve pro-
posito de illudi-lo, dar' parte ao ajudanle-general,
a cuja ordem prendera' o autor ou autores de se-
melbanie abuso.
13. Diariamente subir' a directora do pessoal
urna relagao dos Individuos apresentados com de-
claraco de todas as circumstancias occorrtdas.
Urna copia desta relagao, rubricada pelo ajodau*
te-general, sera' ignalnaenie remettida ao gabi-
nete do ministro da guerra.
14. O quartel-general remettera' todos 03 dias
ao gabinete urna relagao especial de todos os re-
crutas que receber com declarago da proceden-
cia dos mesmos.
15. O offlcial encarregado do allslmento proce-
der' a exame nicamente nos individuos qne Ibe
forem apresentados por ordem escripia dj al-
dante general, na qual se devera' declarar a qua-
lidade em que sao apresentados
Aos substitutos deverao acompanbar os reqoe-
rimentos com o despacho respectivo, os qoaes se-
ro devolvidos depois de extrahidas as competen-
tes notas pelo offlcial encarregado do alisiamento.
16. Havera'quatro livros alphabetlcos, sendo:
Um para os recrutas e guardas naconaes desig-
nados.
Um para os voluntarios e guardas naeionaes
designados que promptamente concorrerem.
Um para os substitutos.
Um para os libertos.
Nestes livros, conforme a sua designadlo e na
letra competente, se langario, dia por dia, os no
mes dos individuos relacionados, com todas as cir-
cumstancias qoe Ibes disserem respelto e decla-
ragoes proscriptas nas presentes inslrnccSes.
17. O ajudante general prestara' ao offlcial en-
carregado do alistamento os empregados de que
esle necessitar no des'empenho de sua incumben-
cia.
18. O referido offlcial percebera' vencimenlos
de commisso activa.
19. Finalmente, o mesmo offlcial propora' as
medidas que Ihe dilar a sua experiencia do servi-
go militar para o bom desempenbo da commisso
de que se acha encarregado.
Dens guarde a V. ExcJoo Lustosa da Cunha
Paranagua'.Sr. Joo Frederico Caldwell.
ro a recoobece-lo, tenlo-lr.es eu ordenado a maior
eeleridade nessa operaco, que llnha tambera por
Qm bater a torga que guarnecen i tomar o gado e
cavalhada inlmiga que contava all existir.
c Das partes inclasas que tenbc a honra de pas-
ar s mos de V. Exc. se depreheiiem as Imrflbn-
sas difflculdades que liveram de vencer para pro-
ceder a esse reconbecimeoto, qui comegou s dex
horas da manha por om Ierre 10 onde pooco se
interrompem as lagdas, matos, ca|>oelras, altas ma-
cegas e amadores, dando passagen por estretlissi-
mas picadas onde um so homem i ifflcilmente pode
passar, perdendo nos na primeira picada, em qne
o inimigo presentouse em numero de 160 bomens,
o alteres Jo> Valentim dos Santos. Do Inimigo
flcaram dous monos, fuglndo elle sob tenaz perse-
goico de nossos soldados, que Ibes tomaram seten-
ta e tantos cavados ou egnas, qu isi todos ensilla-
dos, e cima de dutentas rezes.
Ao ouvir para o lado da povoai ao do Pilar tiros
de canbo qoe indicavam a ebegida naquelle pon-
to do general Hornos, fu iromedi; tamente seguir a
brigada provisoriamente organissda dos corpos 1
e 21, sob o commanao do coronal Gamillo Mercio
Pereira, e marebei a' urna hora da tarde mais ou
menos, dando ordem ao tenente coronel Hyppolito
Antonio Ribeiro com o corpo de seu commando se
apressasse em alcangar ao corono! Gamillo Mercio
Pereira, e ambos forgassem su;, mareba, aQm de
se prem o mais breve posslvel < m communicagao
com o general lloraos, a quem participariam que
promptamente me acbaria com elle. A's 4 horas
da tarde, quando comegava a Can-por a extensa
planicie que por esse lado leva a' villa do Pilar, vi
em retirada segoindo paralellanente a direcgo
que en levava a columna do general Hornos,
qual ja' se bavam incorporado ai torcas a que ci-
ma alludi. Mandei Imfnediatamenle participar ao
Ezm. general minba ebegada qcelle pooto, pedin-
do me dsse suas ordens aQm de saber como deve-
ria regularme com as torgas di meu commando,
qoe entretanto seguiam a fazer jenego com a sua.
A resposta de que S. Exc. ia ac; mpar, tomei a di-
recgo do estero Ibaby, odde ac opei as 4 e meia
horas da tarde. Den-me ento R. Exc. selencia de
que proceder ao reconbecimet to da citada-villa
toman lo um pnsioneiro, e que por sua parte Jal-
gara concluida nossa missao.
c Nao me parecendo, porm, satisfeitas as ins-
trnegrjes com que V*. Exc. hoorou-nos, resolv con-
sultar as opinides dos commandintes de batalb5es
e corpos, a foram comigo accordes em que deva-
namos tentar algum ataque qu* dos dsse conbe
cimento exacto das torgas qne guarneciam a villa,
bem como de todas as suas circunstancias locaes,
para que levara eu em minba ^mpanhia os dis-
tinctos engenheiros major Rufino Eoas Gustavo
Galvo e o 1 tenente Bernardo de Sena Madura-
ra. Em consequencia, tendo dessa resoloco dado
coobecimenlo, como me cumpri;, ao Exm. Sr. ge-
neral Hornos, qoe me anxiliou com om esqoadro
ao mando do coronel Corri, dirigi-me com 100
pragas de cada um dos eorpos 6o, 7, 10* e 11* e
com o 21* a' villa, que se acbava fechada e aban-
donada. Por f. rgas do 10* e 11 ao mando do le-
nente-corooel Manoel Rodrigues de Olivera man-
dei que fosse ella occopada, Jeveudo o coronel
Correa ficar-lbes de proteego. Ao coronel Joo
Niederawer Sobriobo e ao tenente aoronel Manoel
Cypriano de Moraes ordenel que reconbecesem o
passo do arroio junto da villa, e tendo conh -cimen-
to da ditliculdade que offerecia para se transpr e
sabendo pelo tenenie-coronel Manoel Radrlgues de
misso francisco Rodrigues da Silva e Silverlo
de Aodrade e Silva, cirurgfoes-mres de brigada,
e Joa ceuiico atieres Antonio Eslevo Marcoodes de
Gouva eo capello alteres padre Amaro Theoto-
nio Castro Brasil, pelo zelo, dedicago e bumanl
Tuyn-Co, encontrando-se com o visconde ao co-
megar da peleja, loda a brida voltou para aqoelle
I acampamento, o qne fez crer a todos e mesmo ao
I general que alguma torga dalll viria no intuitr d i
I cortar a ret'rada ao inimigo. Esperou-se, porm,
, em va >, e como nlnguem apparecesse, recolheram-
c Reconhecendo entretanto que elle nao se,atrj-
via a sabir do abrigo das suas trinnbeiras para
traoapor o Estero, onde permanecemos mais de
urna hora, erdenei de novo qoe a torga se reco-
Ihesse a esle acampamento, o que se realisou as 2
horas da tarde.
c Ficaram sobre o campo muitos cadveres do
inimigo, devendo ser grande o numero de feudos
-1 qoe teve. Pela nossa parte s me consta al esle
oras oa tarde. momento a sensivel perda de 6 offlciaes monos,
Booora nos batessemos vantajosamente contra Da0 podando calcular o numero dos feridos.
,0S..Sr IgrtVar JnneiIHS; nS&tff0 ^meas d todas ?,s "" cem f "** <>oaes comtudo se acha, anda que leve-'
alteres d > o* corpo de 7 batalboes e 3 eorpos de cavallana de cerca de meute por om caco de granada na cabega, o hri-
cagadores ac vallo Jos Joaquim de Andrade Ne-1200 bomens eada um, nao excedendo toda a ntssa adelro Alexandre Manoel Albino de Carvalho
.nae/,|rPparr|anra'i ni 'T^ttJxTl1! i n ^.St* 2'0j0.Dornens-1aP" d0 8raade *, que nao obstante continuou a mostrar o seu san-
mestre general Carlos Lqiz de Andrade Neves, do | qne sofjreu o inimigo, bem caro cusiounos esta
3 regiment de cavallaria ligeira, meu ajndaole jornada, visto como tatnbem livemos seosiveis per-1
d'ordens, se portarara com a maior Intrepidez, cal- das.
m e bravura, acompanhando me sempre em todos ] Tivemos 19 pragas moras e 8 offlciaes; feridos,
os pontos da lioha ; assim como o capito Jayme. 20 offlciaes e 220 pragas; contusos, 8 offlciaes o
da Silva Tollas e o alfares do 6 corpo Francisco '. 37 pragas; e extraviados, 4 offlciaes e 139 pragas.
de Piula Aodrade Neves, que desenvolvern! mu-1 Entre os offlciaes morios temos a lamentar o va-
la activiide na transmisso de minbas ordens a j lente e impetuoso major Vasco Pereira, irrao do
par do muita distiucta bravura. Nao posso deixar coronel Astrogildo, que no comego da lua cahio
dade coa que se portaram. Igualmente tenho de se os corpos a este acampamento. Soobe-se mais
reaommendar a V. Exc. o capnao do esladp-maior larde qoe o Sr. marquez de Caxias 'Inba pariido
de 1* classe Jos Simeo de O iveira, assistente do essa manbaa para S. Solano, de onde voltou s 2
deputado <~o ajudante general, qne como ja' dlsse
a V. Ele. multo concorren para o bom xito da
operago ; o tenente Je
meu ajudante de campo
cagadoresa cavallo Jos
ves Jnior, eseripturano da ropartigo do quartel- i a torga a 2,000 bomens, e apezair'do'g'raude estrago qeno bstVnte'conTinnou
i Lando Andlrade Neves, do | que Sijffreu o inimigo, bem caro cusiounos esta gue fri0 e sereno valor a frente das torgas at que
ella se reenlben a este campo.
Apooas receber dos diversos commaodantes
as respectivas partes offlciaes, terei a bonra de fi-
z las chegar a presenga de V. Exc, com men-
guo honrosa daquelles que se portaram com dis-
tioeco.
t Dos guarde a V. ExcIilra. e Exm. Sr. ma-
rechai do exercito, marquez de Caxias, comman-
em sileneio os nomes dos primeiros sargentos do morto ao lado do visconde, por orna bala de canbo
6* corpo Salvador Alves dos Sanios e Jos Francis- que levou Ihe o crneo ; o teneoie coronel Lyra,
co Meadas, e o 2o sargento do II* corpo Malhias; commandante do 28* de voluntarios da patria ; o
Jos Guiiberrop, pelo valor com que ellas se porta- capilo Francisco Pinto da Molla, valente e inirepi-
ram aquella junto minba pessoa, traosmitlindo; do Rio-Granden-e, que foi varado por urna bala no
as minbas ordens, e estes pelos servigos e denodo peito, quando a' frente do seu esquadro, que fazia
com que acompankaram os corpos a que perten- a testa do 3. corpo de cagadores a cavallo, diriga
clam nao felizes rargas que fleram. Ao coronel carga ao inimigo, tendo expontaneameute se apre-
Caetano Googilvis da Silva incumb a direegao da; sentado ao general pouco antes, abandonando o
danta em chefe de todas as torgas brasileiras em
operagoes contra o governo do Paraguay.Viscon-
de de Pi rto-Alegre. >
, Na carta que publicamos de nm do> nossos
! correspondentes do exercito encontraran os leito-
| res nma narrago mais clrcum-tan^iida deste (ei-
to de armas, com indlcago dos offlciaes que na-
] huella jornada derramafam pela patria o sen san-
- gue. Esta narrago dispensa nos de transcrever
forga que de reserva mandai deixar no acampa- conseibo de guerra, de que era merabro, logo que das folbas do Rio da Prata outras que nao leem
ment, sendo todas as ordens por mlm dadas pon- oavio o primeiro tiroteio: o capillo Werneck, vindo cerlamente o mesmo interesse.
tualmente por elle cumprldas, approximando-se ha pouco da corte ; o capitao Rodrigue de Lemos,
com ellas ao lugar m rvlo enceiMo-e recebdu para iss ordem. teve o cavallo morto. ffcabiqdo no raeio do inimigo
Nesse bnltaole cmbate, em qne urna torga ae ioi massacrado antes que poae^sero acuuir-me seos
400 a 503 honuns das tres armas foi completamen- companheiros ; o altores Joo Fortunato da Silva,
tebatidas.flcanm mortosnocampo 4offlciaes, eoter commandante do piquete do visconde, victima de
elles dous captes, cima de cem-bomens, tendo sua bravura nexcedivel; e tantos outros valentes,
quasl igual numero morrldo afogado no arroio em ] cojos nomes ignoramos, e sero publicados nas par-
que foram langados e tentaram passar, cahindo tes offlciaes.
anda muitos nonos ou pristoneiros m oulra mar- E itre os feridos contaraos o brlgadeiro Alexan-
gem do arroio em que os aguardaran! as torgas ao dre Albn-, levemente na cabeoa, por nm estilba-
mando do leoenle-coronel Manoel Rodrigues de |go, e o coronel Vasco Alves, que teve nma das co-
Oliveira ; fizeoos setenta e tantos prisioneiros, eo-' xas varada por bala de fuzil.
tre os quaes se achara quairo offlciaes, achaodo-se | Os raais corpos deste exercito, durante o com-
22 feridos entie elles, tent deixado gravemente bate, conservaram-se a poslos, na extensa linbff
eridos 10 Parguayo3, cujo trasporte multo se que guarnecem, aQm de prevenirem qualqoer ata-
fifflealtira. que que porventara tivesse em mente o inimigo fa-
Tomamosmais ao inimig) 220 rezes, sendo 31. zer simoltaneamente por ootros ponto:.
bols, 60 cavalbs oueguas, 50,000 cartuxos de in-
famara em doas grandes carretas, 10-. 12,000 di-
tos qne se acha vara em deposito, cen0, i cantos de
animarla caljbe 4, um instrumental de msica,
78 langas e 1(8 armas de Infamara tomadas no
caxipo, e lat na praia onda se atiraram os fugiti-
vos, 5 caixSet com plvora sola, 1 chala grande
que mandei incendiar, na quil se eonlinham 13
sjrross de charque, que mandei destrlbuir pela
Nos, que vimos as grossas columnas inimigas
qna da sua extrema direla corriam a acudir aos
seas, quando, derrotados, e-am levados de roldo
para jooto de suas trincheiras; e que sabamos
qne pouco mais de mil bomens tinha nestas II-
obas, estamos profundamente convencidos, que
Lpez tioha indo disposto para atacar-nos ao mes-
mo lempo por outros pontos, e que ao raallogro da
tentativa sobre o comboi, a' necossidade de acud'
tropa e o resto laucar ao rio, 4 canoas que mandei aos seos derrotados, e a' aiiltude imponnto que
Inmutar, 5 eaix5es com papel em branco, roanus
crip npresso, assim como 2 estandartes toma
dos impo, os quaes me foram
pele .>. joel Niederawer, e mais 4 encontrados no
deposito da. villa pelo teaeate-coronel Manoel Ro-
drigues de Oliveira.
tS depois da tomadada villa pudo completar as
iosiruccoes no qne dizia respeito ao recoobecimen-
to da posigo do Tag, para onde segoio o 6 corpo
provisorio aeompauhado pelos engenheiros Galvo
goardon esse acampamento, nao obstante aquelle
aiaque, devemos o nao termo-nos visto a bragos
apresentados \ com orna batana geral.
Desengaase, porm, o cacique, que nunca h
de sorprender o 2 corpo.
em Tayo-Cu, 23 de setembro
Oliveira que urna chata e dous vapores carregados e Madureira, que (orara zelosos no curaprimento
de torgas inimigas .-ubiara o rio e j se achavam
prximos a' villa, ordenei que o tenenl-coronel
Manoel Rodrigues all se conservasse tiroteando os
qne esta vam alm do arroio, oppoodo-se ao desem-
barque dos que vinhara nos vapores, cerrando mais
o fogo logo que visse que eu tioha tempo de acbar
um outro passo que noticiaran -me existir a meia
legua cima Abi chegando mandei qne o meio es-
quadro de vanguarda, comoundado pelo lenle
Joao Baptista Pinto Porto, proenrasse passar o ar-
roio que eslava de nado, o que effectuou langando
os cavalios a nado, sendo o referido tenente o pri-
meiro que com a maior bravara ebegou ao lado
opposto, sendo immedialameme seguido peto i*
sargento Antonio Bolate da Silva.
Em seguida ordenei ao major Isidoro Fernn-
EXTERIOR.
Tuvoty, 11 de setembro de 4867.
Acabamos de saber (ao meloda) qoe as tres bo-
ras fecha se a mala, qoe ser levada boje mesmo
pelo Atice, e como temos duas importanlissimas
noticias a dar aos leltores, varaos s pressas alinha-
var esla carta.
TTm* a* A primeira do mais brilbante feito de armas
ugares em que a pblicagaajda ^^ cm|laria ns vj|,a do pllarj a 2o do cor-
steriormenle, ePc*nlr*'"' j-ente mez, sob as ordens do intrpido e multo r-
enlo que se eflicioar aos x br(jadeiro Andrade Naves, coja parte oblive-
cla das pretengoes air*- ^q. pQr cf)f){i e envlamoSi para qne seja publica-
da, e por si possam os leitores aquilatar o mere-
cjimeoto dessa memoravel jornada. Isto dispensa-
nos commentarios; todava, seja-nos licito ponde-
rar que o brlgadeiro Andrade Neves executou urna
ciperago que o temerario general argentino Hor-
nos jaleara icpossivel sem o concurso de infanta-
r*a earulharia, a ponto de se deixar flear no acam-
Itmento em qnanto o seu collega, apenas confiado
Ma bravnra de seas soldados, investa contra art-
haria e infantaria, abrigada dentro de cercados de
industria preparados para ampara-las contra a
fentilridade de um ataque.
Nada resisti ao impeto dos nossos soldados, que
at cooseguiram tacar a chata aprisionada, verifi-
cando assim mais nm desses episodios rarissimos
da guerra, e^qae primeira vista parece impossi-
vel, de a cavallaria aprisionar barcos.
Apressamo-nos a oftoreeer a parle de feito tao
el-ia
mwisTEaiojA Gymn*..
Medidas sobre o alistavtmti to pragas no
exercito.
Gabinete do ministro-Rio de Janeiro, em 9
de ontubro de 1867.litro, e Eira. Sr.Para bem
regular na corte o servigo de alistamenio de pra
^as do exercito, cumpre que V. Exc faga observar
o seguiote:
1. O servigo do alistamento de voluntarios, en-
gajados, recrutas, substitutos e libertos ser in-
cumbido a nm offlcial superior do exercito, addi-
do ao quartel general.
2.* Servir como adjunto om medico, qae ser
especialmente encarregado da inspecgo dos indi-
viciaos qae se hooverem de alistar.
3.* O servigo da lospecgo e do alistamento ser
fditoem urna das salas contiguas ao deposito pro-
visorio.
4. O individuo apresentado para servir no exer-
cito sera' relacionado immedlaUmente, declaran-
do-se se recruta, voluntario, substativo ou liber-
to, seu nome, naturalidade, dade, flliagio e sig-
naes caracteristicos ; em seguida proceder-se-ha a
inspecgo de aude linda a qaal, se fr o indivi-
duo iulgado apio para o servigo do exercito, sera
remettido ao ajudaote-general acompanhado de
ama nota contendo os necessirios esclarecimenlos
des de Oliveira, que passasse o arroio com as tor-
gas do 6 corpo que liaba a seu mando, intelligen-
ciaodo-o do lugar oode deseobrisse o inimigo e seu
numero. Sendo avicado de que torgas superiores
a 400 bomens de montana e cavallaria se appro-
xiraavam, flz logo passar o 1* corpo, o 7' e o 21 e
segui rpidamente com elles a oceupar a mesma
frente em que se acbavam os do 61; enirincbeiran-
do-se o inimigo em um crcalo, mandei o corpo
21* apear-se e ataca-!o pela esquerda, e os 1, 6* e
7* mandei carregar pela din ita ; ordens que fo-
ram execntadas com aquella Dravara, propria de
nossos soldados, sendo a Infantaria completamente
derrotada e langada sobre o arroio e abi anda per-
seguidos e morios, cabrado em nosso poder duas
pegas dearlilbaria, qne apenas tiveram tempo para
fazer tiros sobre nos, no que adianto fallaremos.
< Ao tempo em que derrolavamos o inimigo na
margem direita do arroio, procuravam soccorr
lo os que vinham em sua proteceo, os quaes des-
embarcados, foram completamente batidos e dis-
persos pelas torgas ao mando do teoente-coronel
Manoel Rolrlgnes de Oliveira. apezar da protec-
eo qoe Ihes davara os dous vipores e chala com
sua antillana, sob cojos fogos combatram. Tor-
oam-se altamente recommendaveis, pela intrepi-
dez, denodo, bravura e penen, com qne se porta-
ram os coronis Joo Niederfwer Sobrinho e Ga-
millo Mercio Pereira, que, com quanto ebegasse
j meio tarde, entretanto prestou relevantes serv
go> com intelllgencia e bravura ; tenentes-coro-
neis Manoel Cypriano de Moraes, qae com arrojo
levou as pragas do seu corpo e do 6* sabr as pe-
cas de artilba'ia tomando as, e Manoel Rodrigues
de Oliveira, qae na esquerda do arrolo, carregou
impetuosamente sobre as torgas qua desembarca-
vam e vinbam em protecco, e trineo Jos
Topasio, que com* seu corfio avaogoo sobre a
esquerda e derrotou a infantaria ; os majores Isi-
doro Fernandos de Oliveira, los Lonrengo Vieira
Sonto e Vasco Adolpho da Pontoura Cnanaaeco
que com bravura conservaraoo-se sempre na fren
te de suas torcas, concorren lo para a rpida to-
mada da arttlbaria;. Manoel Amaro Barbosa qae
INTERIOR
do que Ibes incambi.
Passando s mos de V. Exc. as nclnsas par-
tes dos commandanles de brigadas e corpos, rogo
a V. Exc. se digne tomar era cousidergao que me-
recen) 03 offlciaes e pragas que mencionan) com
lonvor, pedindo en licenga para enviar urna copia
dessa parte ao Exm. Sr. general baro do Herval,
commaodante do 3 corpo de exercito, e aproveito
a opporluoidade para agradecer a V. Exc. a honro-
sa commisso que se digoou cooferir-rae.
c Dens guarde a V. ExcQuartel general do
commando da 2' divisao de cavallaria.Acampa-
mento junto ao Tuyo-eu. 27 de setembro de 1867.
Illra. e Exm. Sr. marecbal de exercito marquez
de Caxias, digno commandante em chefe de to-
das as torgas brasileiras em operagoes contra o go-
verno do Paraguay. -Jos Joaqulm de Andrade
Neves, hrigadeiro.
Nao deixaremos esle assumpto sem fazer sentir,
que a gloria do feito ; nossa, exclusivamente nos-
sa, visto como o coronel Correa, que com urna for-
ga argentina seguio do acampamento de Hornos
com o brigadeiro Andrade Neves, levou apenas
um esquadro, o qual licou na villa, eomo de ;--ro-
tecgo a Manduca Rodrigue^, e durante o eocarnl-
gado combate se entreteve a fazer visitas domicilia-
rias s casas do Pilar, em cuja villa nem ao menos
Hornos bavia antes entrado.
Ao norte e multo prximo della faz barra no Pa-
raguay nma sanga, invadeavel por causa da repre-
za do rio, a qaal d para elle esgoto s aguas do
banhade de Nbumbuc, O seu porto na toz dessa
sanga, em cojo ngulo superior estava o inimigo
fortificado quando foi batido.
Dous sargentos paraguayos qoe a 23 se passa-
ram no Tuy co, referirn) que Lpez ficoa furio-
so ao saber da derrota do Pilar, assim como ficra
no dia 6 em que mandn fusilar os offlciaes e
qiotaro seu infeliz corpo 21 de cavallaria, nesse
da derrotado, principalmente pelo valente major
Chananco.
Era, pois, de ntoicao, que algores procurara
desforra, para morallsar snas tropas abatidas, e
lemorou-se, sem duvida, do combm que a 24 de-
via seguir daqui para Tuy-cu, levando comsigo o
bailo.
Suppomos que o (Ilustre visconde adevnboo-lbe
o pensamoolo, porque desde o amanbeeer desse
dia redobrou de cautelas, reforgando a escolta do
portentoso ,
c Illm. e Exm. Sr.Em cumprlmento s ios.
trucg5es que V. Exc. dignoo-se conferir-me acom- conservou-se valeniemente tm seu posto nas for-
panhando o officlo datado de 18 do correte, mar-
ebei ao anoitecer do mesmo da e fui acampar nas
ImraedlagSes da estancia de S. Solano, para onde
tamben) se dirigi a colomna argentloa, ferie de
800 bomens ; eolendendo-me na madrugada do
da seguiote, 19, com o Sr. general D. Manoel Hor-
nos sobre o momento de sna partida, qoe devena
preceder da torga sob mea commando, composta
do 1* corpo de cavallaria da guarda nacional, do 21*
da mesma denominagao armados a cagadores, rea-
nidos aos da 2* diviso de cavallaria formando om
total de 1,500 borneas.
c A's seis boras da manha comecei minba mar-
cha a rumo do passo da ponte do arroio Fondo,
mandando para a vanguarda om esqoadro do 11*
corpo, que depois de meta hora de marcha encon-
trn ama guarda inimiga, dando sobre ella alguns
tiros e perseguiodo a, sem consegair aprisinala,
pela rapidez com qoe evadio-so para dentro do
mato qoe iamos costeando.
t Al boceado Potreiro Ovelka seguimos sem
iolerrapgo a marcha ; estaciooaodo ea ah com o
grosso da torga, lazando retroceder o 9* corpo a to-
mar posigao no arroio Fondo, em quanto os tenen-
les-corooeis Manoel Rodrigues de Oliveira e da-
--- r---h*a de "'">rae se internaram pelo potrei-
1110 DE JANEIRO
10 de ontubro de 1867.
Entrn honlem do Rio da Prata o transporte
Vassimo, com folbas de Buenos-Ayres at 3 e de
Montevideo al 4 do correte.
Do Ibeairo da guerra lemos noticias delalbadas
al 27 do passado. No dia 24, tendo os Paraguayos
gabido a atacar nm cotnboyo nosso, quo ia do
acampamento de Tuyuty para o de Tuyu-Cu, tra-
von-se um renhido combate, que assumio propor-
lSes conslderavels, tendo o inimigo irazido a' pe-
seja uns 4,000 homens, em quanto os nossos nao
passa-vam de 2,000.
A cavallana paraguaya que, protegida por nma
pega de campanha, guardada por alguma infanta-
ria, veio atacar o comboy, de pressa foi repellida,
segoindo este intacto para o seu destino. Os nos-
| sos a foram aeossando at perto das suas trinche!
ras; all, poim, encontraram grossas raassas de
infantaria inimiga, diaote da qual forgoso Ibes foi
retirarem. Durou algumas horas o combste, em
qne Ovemos uos 400 homens monos, feridos e ex-
traviados.
A respeito desta acgo, era que os nossos solda-
dos, pelejando com deoodo, mais urna vez Ilustra-
ran) as armas do imperio, consegulndo o fim prin-
cipal, que era por a salvo o comboyo, encontramos
nas tolhas do Rio da Prata, vertida para o hespa-
nbol. do qaal a tornamos a traduzr, a seguate
parte offlcial do visconde de Porto-Alegre :
t Commando em chefe do 2* corpo do exercito
Qoartel-Reneral em Tuyuty, 24 de setembro de
1867.Illm. e Exm. Sr.Como j o tioha parteci-
pado a V. Exc. o tenente-coronel Jos Carlos de
Carvalho, deputado do quartel-mestre general, jun-
to desie commando em chefe, que chegava d'ahi
ao ponto onde se renma parte do comboyo, apre-
seniou-se hoje, a's sete horas da manha, 400 bra-
gas do Estero Rogars e em .frente ao referido lu-
gar, ama torga de cavallaria ioimiga qne calcule!
ser de 800 900 homens, com ama pega de artl-
Iharia.
c Ordenei ao brlgadeiro Alexandre Manoel Albi-
no de Carvalho atravessasse o Estero com as torgas
s suas ordens, compostas de quatro batalboes,
dous corpos de cavallaria e doas pegas, e qae
eslavam emboscadas para proteger a passagem do
comboi : e com effeito, pouca distancia das trln- comblo, e avangasse em columna de ataque, le-
cbeiras deste campo, ao p da estrada de Tuyu-co,
foi descoberia nma grossa columna de cavallaria,
que apoiada n'uma bocea de fogo fortemente guar-
necida de infantaria, ameagava interceptar a mar-
cha do comboi e do baldo, travaado forte gaerrilha
com a nossa cavallaria. '
Mandn marchar daqui o general mais alguns
batalhoes e cavallaria, e cnbrlodo a mareba do
comboi maliogrou.o intento do inimigo ; ordenando
vando nos flancos os dous corpos de cavaban* e
tomando posi;o no centro e na retaguarda a ajrii-
Ibarla, at urna posigo qoe Ihe fleava em frecte, a
600 bragas pooco mais oa meaos.
c Teado este movmento obrigado o inimigo a
retirarse, e nao me parecendo conveniente man-
dar avangar mais perseguindo-o, para nao expOr
as nossas torgas aos fogos da artllharia da trin-
chera inimiga e alguma emboscada que podesse
gas que combateram na nargem esquerda. Os
capites Francisco Fernandas, Praoeisco Melto,
Manoel Lonrengo Santos qut com sea esqoadro
tomou ,a pega da direita tornando-se digno de es-
pecial meogo o tenle Praoeisco Marques Xa-
vier, do 1* corpo, o altores Leoncio Fraaeisco
Googalves, do 7; tambera se tomara reeomoen-
daveis pelo seu valor os capites Ssraflm de Cas-
tro M'acieira, Joaqnim Verissimo Pioheiro e Urba-
no Rodrigues das Chagas, que ferido no principio
do combate oella se conserven al o fim; capites
do 6* corpo Cbrlstovo Bauoi, que depois de ferido
gravemente anda se dengo ao esquadro que paralleto estrada, onde tomaram posigo
commandava, ordenando-iba nma carga ; Jayme
da ilva Tilles que combaten a mea lado com a-
mator intrepidez e acom pan iou (ambem a Infanta-
ria; tenles Vicente Ferrelra da Silva, Joo Bip
tista Pinto Porto e Israel de Lemos Piolo se acha-
rara sempre juntos as forgis qne eombatlam ; os
Srs. engenbeiros Rufino Eoas Gustavo Galvo e
1* tenante Bernardo de Senna Madureira, qoe co-
rajosamente cumprram a ardua taref \ de qae fo-
ram incumbidos, o
< Me summameote grato recommendar a V.
Exc. os oomes dos distioctos Drs. Polycarpo Cesi-
riode Birros, cirargio-mr de diviso de com-
ao brigadeiro Alexandre Manoel Albino de Carva- haver, e tendo alm disto passado ja' o comboio,
Ibo, qae o desalojasse daquella posigao, visto eomo,' mandei ordem ao referido brigadeiro que se ret-
pela volta do camioho por onde seguir o comboi. rasse para este campo, deixando om corpo de ca-
er posslvel qae elle aioda teotasse Ir mais alem [ vallara no lagar onde se conserva todo o dia, para
exeeutar o que all oio podera. proteger as nossas eornmunicagoes. Vendo, porm.
Avada mate esta vez coobeceram os vndalos qae! o inimigo qoe se tinha retirado para junto das suas
absolutamente nao podem resistir ao impelo dos oos-; triocheiras, qae all fleava aqaelle corpo de caval-
sos soldados, pois que foram levados por diaota,! laria, maodoo avaogar sobre elle a sua cavallaria
deixando aps si ama esteira de cadveres, al' protegida por ama torga de iofaotara, qoe calcu-
periode saas triocheiras, onde os nossos qoeima- lei em mais de 2,000. Ordenei inmediatamente
ram-lhes algias ranchos. Abi, porm, sahlram- que tornass a avangar a forga cuja retirada tinba
Ihes de erottusge doas grossas columuas de infan- ordeoado, e qae fra eogrossada com mais dous
taria, a torc foi eolo qae nossos bravos se bates- batalhoes, e ella sem hesitar passon ontra vez o
sem em reinada al repassarem austero, qae corre' mencionado Estero, e formaudo a cavallana com
parallelo estrada, oode tomaram posigo, prole-1 om corpo mais a direita da infamarla e em frente
gidos pola nossa balera qoe, sem descanso, fulmi-' ao inimigo, mandei que aquella carregasse sobre a
nava o ialmigo : este nao onsou traospor o estero., cavallaria inimiga, qoe ameagava pela sua parte a
Desde as primeiras guerriibas at o fim do com- { oossa, quando a infantaria avangasse.
bate, por qao realmente o fot e dos mais eocarotga-' O ataque execuioa-se com intrepidez, e car-
dos, deeorrer.m mais de 5 boras; e todava a di-, regando a nossa cavallaria a do inimigo obrlgou a
viso argentina, qae faz a esquera do graude exer- iofaotara desie a tormar qoadrado para defender-
clto, acampada a pouco mais da meia legua donde se. Pareca, pois, pronunciada a sna derrota -
elle se feria, na julgoo opportuao accodlr ao cam-
po da peleja, erobbra" podesse faze-lo a geito de cor
lar a retirada, oa pelo meaos atacar de flaneo o
inimigo.
O lente-*oonel Carvalho, deputado do ju. i
mas
nao soccedeu assim porque apresenlaram-se duas
fortes columnas raals de infantaria, que sabiram
das trincheiras Inimigas para proteger as ootras,
ob-igaodo assim a retirada as nossas torgas al re-
passarem o ja' mencionado Estero, ende miodei
.
te-general da commando em chefe, que vinna de. fazer alto e esperar o inimigo.
Na mesma carta se encontrara igualmente Ints-
ressanlissimos pormenores sabr a expedlgo a
Villa fifi Pt3r om tina o tf\mt* la*****" ,* -- -.i *
rm commandadas, como erroneameuie se diss,
pelo brigadeiro Menna Brrelo, mas pelo briga-
deiro Andrade Neves, cuja parte offlcial se acha
transcripta no mesmo lugar, provando ter sdo
exclusivamente brasileiro aquelle brilbante feito.
Para melbor conhecimento dos Qns quo os adia-
dos se propunbam com aquella inenrsao em terri-
torio inimigo, coroada de om xito qne foi talvez
alm do que se esperava, addicionamos aqu a
parte offlcial do Sr. marquez de Caxias ao gene-
ral Mitre, e as instruegoes que a expedlgo le-
vava :
i Commando em chefe de todas as torgas brasi-
leiras em operagoes cootra o Paragoay.
Quartel general em Toyi
de 1867.
i'Illm. e Exm. Sr.Em coosequsoca das los-
trnegoes de V. Exc. e das qne, oe conformldade
com ellas, dei ao brigadeiro Jos Joaqulm de An-
drade Neves, seguio este ao amanhecer do dia 18
do corrente, indo acampar nas immediagoes da es-
tancia de S. Solano, donde panto na madrugada do
da segointe em direcgo ao potrero Ovello, oede
ebegou a's 10 da raanba, mandando reconhecelo
pelos tenentes-coroneis Manoel Rodrigues de Oli-
veira e Maaoel Cypriano de Moraes, os qoaes se
iniernarm nelle, havendo urna torga de 150 ho-
mens que defenda a picada da estrada.
t Desse lugar, en> que se vio obrigado' a demo-
rarse por ter que prolongar o reconbeciraento por
toda aquella extenso, qoe comprebeode raais de
legua e meia de pessimos terrenos, corlados por
lagas, cobertos de bosques de nogueras e outras
arvores grandes, seguio em direegao ao Pilar, a
coja planicie chegon, entrando all com o Sr. gene-
ral D. Manoel II irnos, a cojas torgas se haviam en-
corporado os corpos provisorios 1, 10* e 21*, ar-
mados a cagadores, qne por sua ordem sabiram do
potrero Ovella a marchas, forgada*, qnando se sen-
liram os primeiros tiros das pegas do Pilar.
t Pernoitando no estero Itaty, dirigi se ao Pilar
na manha seguinte, levando corasigo 100 homens
de cada um dos cprpos 6, 7, 10*, 11, 1 e o ccr-
po 21 armado a cagadores, e ordeoou ao tenente-
coronel Manoel Rodrigues de Oliveira qae oceupas-
se a vilia, devendo o coronel Corre), com as torgas
argentinas, postar-se em sna prjtecgo para cha-
mar-lhes a atiengo em qnanto elle subia a procu-
rar outros passos do arroio qoe Ihe facilitassem o
ataque sobre o inimigo.
i Passando o arroio, meia legua mais cima da
villa, atacoo e derrotou completamente a torga ini-
miga que se calculou em 400 a 500 bomens, flcan-
do em nosso poder duas pegas de calibre 4, 220 re-
zes, entre as quaes 31 bois e 60 cavallo?, duas car-
retas contando mais de 50,000 cartuchos de ibfan-
larla, 10 a 12,000 cartuchos de infantaria que se
achavam em deposito em csixas de cooro, cento e
taotos cartuchos de artllharia de calibre 4, nm ins-
trumental de mosica, 56 langas, 69 lomadas no
campo de baialba e 156 oa praga para ende se
precipiton o inimigo, 5 caixas de plvora soda e
ama graode chala carregada de charque. Cah-
ram alm disso em nos o poder mais de stenla
prisioneiros, dos quaes 22 feudos, e caram no
campo mais de 100 morios.
t Aproveiio esta occasio para remetter por co-
pia a V. Exc. os interrogatorios que mandei fazer
aos qoe fossem mais inteligentes, entre os quaes se
acham quatro offlciaes.
c Remetterel brevemente a V. Exc. os mappss
enea negados aos engenbeiros.
c Deas guarde a V. ExcMarquez de Caxias.
Illm. e Exm. Sr. general Barlbolomen Mitre
commaodante em chefe dos exercitos alijados.
c Instracgoes sobre os fias da operago que se
coofla aos generaos D. Jos Joaqulm de Aodrade
Neves e D. Maooel Hornos, e dos movimentos e
medidas qne devem tomar para o seu melhor
xito.
f 1.* O fim da expedigo dominar na marcha
toda a lioha do arroto Hondo, abracando alm des-
te arrolo ama ion* qne envolva no movmento os
Desmochados e o Omb, lomando por ponto de par-
ida a posigo de S. Solano, e por objectivo a villa
do Pillar.
i 2. Para esse fim, a expedigo se pralicar em
doas columnas qae iolciro o seu movmento de
S. Solano. A da esquerda se compora de 1,200 a
1,500 bomens de cavallaria brasileira commaudada
pelo general D. Jos Joaqnim de Andrade Neves, e
a da direita de 800 bomens de cavallaria argentina
pelo general D. Manoel Horno*.
c 3.* A columna brasileira da esquarda atra-
vessar o arroio Hondo pelos passos que tem pela
sua frente, onde fr mais conveniente, tratando de
sorprender ao avangar as guardas paraguayas que
a vigiam, o adiantaodo a sua mareba cobnr o passo
da ponte eom urna torga de observago que melhor
assegore a sna retaguarda.
4.* A columna argeotioa se internara o mais
prximo possivel s nascentes do arroio Hoodo para
encobrir o sen movimenlo, e abraoger a zona de
terreno conveniente, deixando a pcvoaco de Pedro
Gonzales o Desmochados direita na occasio de
iniciar o movimooto.
5. O fim acctsiorio da columna brasileira
ser sorprender ou bter as guardas paraguayas
do arroio Hoodo; mas o principal ser explorar o
potrero Ovella na margem do Paraguay, batendo a
torga de 150 homens de cavallaria paraguaya, qne,
segundo notician), existe all guardando o gado do
consumo de Humait, e apoderar-se desse ga-
do. Feito isto, quer se encontr tu nao torga oa
gado, continuara o recoohecimenio parallelo ao rio
Paragoay al ao passo Tay, que deve ser minu-
ciosamente estudado, levantando se orna planta do
terreno e dando ama iotormagao especial sobre a
posigo, e para esle fim o general Aadrady'Naves
dever levar pm engenheiro intelligenlaf Dpois
desse reconhccimento.a columna brashfflra se diri-
gir at ao Pilar, oode dever eocoofar-se com a
I columna argentina, que teta wmpjlido o seu me.
M


V


Mario de
mbnco Ter --------------fr------_----------------.---------r|-.,^...v-----------------------------,-------------
cimento oelo flaneo oopoeto, devendo eieetuar-se feria,-tara o aarga de befe da polMa>eUtv se algum dos doas, oa trabo? os getteraes que se: 6 M, pUrsi tratar de sos sadde nestt eorl
i taeorncrucao de imbM M columnas aquea do! cia di Babia. ditlam graveaeole doeoies. -''a"*10 *'' "Wo < infantaria Anana-
arroio Nbeauued. O juiz de dlrelie Joo Floreotloe Hetrs: de Vas- Deus guarde a V. ExcIlla, e Exm. Sr. come- j tas Ii7r*aiixas e ao 2. cajete 2.* sargeul
eoncelras, pan o ear|o da coate de polica da pro-
vincia do Geari.
O baeharel Jos Maraes de Olivelra Isaby, jau
uruntetpal e de orpMos do terfiao da Lagaa; W
proTiicia de Sanu Camarina.
O biubuml francisco Vicenta Vianaa, juiz au-
apal da. 2* vara do termo 4a capital da prora-
cia da BaWa.
F baebarel Francisco Liberato de Vatios Pilbo,
jaii mnuicif al e de orphos do termo de S. Fran-
cisco, na provincia da Babia.
Ocapitao Severlano Rodrigue? Coelbo de Hace-
do, aajor ajadanle de ordens do eommando sope-
arroi,..
c 6.- u lia da conrama argentina sorprender,
perseguir o bater todas as guardas paraguayas
que existe desda a altura de Pedro Gongalez,
Desmochadas e Laureles at a villa do Pilar, -as
quaes, segando noticias certas, constam de tres
partida* de W a harneas, e atgMM atoarles sai
tos de cinco boaens que se esleaiea ata, ttaiy ta
margem do Paran*, Emprehendeodo iiH' cenla-
ra' todo o gado qne encostrar oo seu transito. Bm
seguida procurara' iocorporar-se a* columna bra-
silera na altara de Nbembucn' oa one fr mais
conveniente, segundo o detoratuado uo arugo au-
7* Arabas as columnas procurarlo calcetar rir da guarda nacional dos municipios da Boa-
auas marchas e operagees segnodo as distancias, Vis e Ourlcury, da provincia de Peruarabuco.
para efTectoar a sua reunlo oo ponto conveuien- O Iteres Jos Alves de Barros, capitio secrta-
te de modo qne em uenboo caso haja ntate! de- rio feral do aesao eommando saperier.
more pors isto poderla fazer mallograr o golpe de j O capito Laiz Pereira do Lago Jnior, tenante-
mo sobre a villa do Pilar. Seo terreno o peralt- cerone comaandaote do balalho de infamarla
tir, procurarlo tnanler coaauuicagces freqaentes n. 33 da guarda nacional da provincia do Mara-
por seus fliocos dentro da tona qoe tragaren bao.
em sen mov meato, participaodo-se mutuamente o ; U major fos Maria Vianna, tenante-coronel coa-
qne occorrer eca urna e oetra columna, e para -se mandante do 3* batalbao da reserva da guarda na
Ib sir Or. Aff toso Celso de Assls Fi
nistro e secretario de estado dos negoe
uba.Joaqun) Jos Ignacio.
mi- SI.' a aetna artoa
da mari
poderem proteger on reunir ama a' entra em ease
de uecessidade.
c O aoviaento da columna da direita devera
preceder o da esqnerda, aflm de ver se possivel
cortar a retirada s guardas paraguayas que re-
coarem da margem do arrolo Boode, ao serem
atacadas pela columna brasileira.
i 8.* Reunidas ambas as columnas, na altura
do arroio Nbembocu' on p9nto que melhor convier,
avancaro at a' villa do Pilar, qae, seguido on>,
so tem duzentos borneas de infantaria de goarai-
elooal da mesma provincia.
Foraa reformadas:
Jerouyao Pinto Netto dos Reis, capltio quartel-
Suiciou se anta-h ratera de tarde, na casa da
praia do Rnssetl n. 43, J>vll Alves Feltosa, natu-
ral do Ceara', a mesla toe viera ara su curte
coa o "gusto de sargento em ra imstnte de vo-
luntarios da patria daquella provincia, e que lendo
depois Udo baixa aqu flcou residindo.
A resuelto deste trgico acoatecimeato e dos
motivos que levaram aquella Infeliz a dar Bm aos
seas das, commnnicon-nos a autondade compe-
tente o segoinle :
Jovita eoiretioha ha algara lempo reiacSes coa
Gailberme iNoot, eogenheiro da companbia Gity
lmprovurnauts, morador eom oatro engeubeire da
mesma companbia oa casa cima.
Tendo flnabsadu o tempo do contracto que Noot
tino* coa a companbia, e deveado elle partir au-
te-bontea para a Inglaterra, escrewa no domingo
a invita na bilbete em nglez, uo qaal despedase
participando Iba aquella sua iuteoeo.
Desceobaceudo a linba iogleza, e oa tupposlco
ue que aqnelle bilbete nao conlinba mal* do qae a
repetigo de cumpriraeotos, qae o raesrap Ibe.ba-
ridlio.
sadde nesta corte ao
Mar-
irgeoto do
Luis Aagaito da Silva Spe-
meatre do commaodo saperior da guarda nacional va roals de ama vez dirigido em outros osaripton
dos municipios de Cimpos e S. Joo da Barra, da
provmcia do Rio de Janeiro, ao posto de ma]or.
Oaijor do 6* batalbio de lofantaria da guarda
em ponugaet, lvica nao se dea presa eco proe
rar qoetn In'o tradazisse.
Aaie-boatem de aanbia, iodo algaem a' roa das
nio de Moraes, oo aesmo posto.
O teoente-coronel commaodante do batalhio de
Mfaolaria n. 19 da guarda nacioaal da provincia
JXlia'plligia TB cavallaria e algnns furecedo-'ua Prabyba, CaeUoo de Sonza Varjao, no aesmo
res de gado qae levam para Humaita' e segando .posto.
outr-s, t-m daes pecas de artilbana assestadas nos Francisco Manoel Das, coronel coramandaote
pastos do arroto immediato villa, advurtndo que !*uparior da guarda nacional dos aooicipios.de
segundo os vaqoeaoes o dito arroio pode ser aira- Lavras e Telba da proviocia do Cear, oo mesmo
naoioual da provincia de Pernambuco Aoacleto Ao- Hangaeiras n 36, onde aorava a infeliz, disse Iba
vessado por outros pasaos aais distantes do po-
voado.
c 9. Cbcgados a' vHIa do Pilar, procurara
aprisionar a tropa oa os borneas que'torea encon-
trados all, bateado toda a forja que Bzer resisten-
cia, tratando de apoderar se dos caoboes, se que
existera ; destrairo os depsitos de artigos do es-
tado qae all eocootrarem, respeiundo as casas
particulares e as familias, sea 1azer-lbes dura no
algum ; destrairo a eslaco do lele^rapbo elctri-
co, e feto Isto, se retlrareo em urna on mais co-
lamnas at a'altara do arroio Hondo, onde deve-
rio fazer alto e mandar a parte, eslabeleceodo-se
provisoriamente nessa linba at receberem navas
ordens.
10. Os generaos Jos Joaqola de Andrade e-
ves e Hanoel Hornns tomarlo por si todas as me-
didas convenientes para a direcco das as res
pectivas columnas, entendendo-se previamente, e,
ama vez reunidos, proceder ea todo de cea-
mam 'ccordo, Qcaodo confiada a' experiencia, va-
lor e recouhecidas apiiddes militares de ambos e
cada uno delles a adopgo de todas as medidas nao
previstas nestas iostracuoes.
f QaarH general, Tuy Cae, 18 de setembro de
1867.-Hure.
Acharaos tambera publicados muitos actos de de-
clarares fellas por traosfoea, que nao reprodo-
zimos pela quasl nenbuma t que mereciam.
A esqoadra permaneca nos mesaos pontos, ten-
posto.
Foraa comaotadas ea gales perpetuas:
A peoa de morte imposta ao reo escravo Aodr
Avelioo dos Sanios, pelu jury do termo de Gurupa,
da provincia do Para.
A pena de morte imposta ao reo escravo Bene-
dicto pelo jury do termo de Araraquara, da pro-
vincia de S Paulo.
Fez-se mercd a Laiz Goncalves Pereira Franca
da serventa vitalicia dos offlcios de 1* tabeilio do
publico, judicial e notas, e escrlvo da provedoria,
capeiias e residuos do termo da capital da provin-
cia defSerglpe.
Por decreto de 9 do correte foram concedidas
as honras do posto de capitao do exercito, em at
teogSo aos relevaotes servicos prestados na guerra
actual contra o governo do Paraguay, aos capites
Fredenco da Gama Cabral e Polycarpo Ferrelra
Campos, este do 24 e aquello do 47* corpo de vo-
luntarlos da patria.
Si cooformidade das disposlc5es do $ 1* do ari
9 da le n. 618 de 18 de agosto de 1832, fui refor-
mado ocapitao do 22" batalbao de infantaria Pan
10 Hauoel Lopes, visto soffrer molestu incuravel
que o torna incapaz de continuar no servio
do sido rrconbecido por lodos os ofOciaes, senio
- *". -_ "' *-. -* m/ n\ naa _
nenhuma pr p ircao entre os riscos e as vaotagens
provav>-is da pperatjo. Eotretanto cooliauava-se
a bombardear^ a fortaleza pangoaya, qae nao po
da retribuir os estragos que recebia, e as comma-
nicacdes entre as dnas tJUMUes, encoora^ada e de
madeira, fanara se eada vez com mais facilidade,
tratndose ltimamente de explorar orna lagd
qae perrainina fazer por agua qaasi todo o tra
jecto.
As folhas do Rio da Prata anda se entrelineara
a disi-utir a paz, e algumas, como Lis Noticias,
'cootiouivam a publicar oovas propostas; masem
geral o asuropto passava por gasto e estafado.
Pareca averiguada que Lpez retirara a prop su
de deixar o governo e sabir do paiz, e que au-
tbentica a nota de Caminos, publicada pelo Pue-
bl. Tanto peior para lies.
O secretario da legago ingleza em Baenos-Ay-
res, chegra a Montevideo a bordo o Fattimon,
para onde se passara da Dottorel, qae encamara
abis i de Goya, tendo o mesmo secretario apenas
conseguido trazer comsigo algumas malheres io
glezas que Lipez Ibe entregaba.
O coogresso argeotioo fui prnrogado pelo tempo
qne fase preciso, para vutar o ornamento e algu-
mas aut>risac5es de crdito.
As n fcias do Interior fallam de novas invasSes
de revoltosos. Dizia-se qne Vi lela eslava em Ca-
ric com mais de 4,000 borne is armados e orga-
nisados para Invadir pelo passo de Planchn a
provincia de Mendoza, onde o general Paaoero ti-
nha apenas 700 homens de torcas regulares, nao
podeodi contar eom as milicias.
Resumindo dizia-se qoe eram as as noticias
das provincias de Cuyo. O general Arredondo
para alli marchara cora alguna geote, e Paonero
talvez voltassn a Buenos-Ayres.
Era Sania-F tinha bavido um tumulto provoca-
do pelos parochos, por cansa da lei qae eslabele-
ceo o casameoto civil.
Em Cordova tambem havia grande agilaco, em
consequencia da urna ordem para prender os re-
voltosos.
Cnrnava a fallarse da misso de am enviado da
Republici Argentina ao Chile.
Dos paizes do PaciQco nada se retare de impor-
tancia.
Por d-creto de 30 do.passado marcon-se o 2.*
uniforme do e-quadro de cavallaria n. 19 da
guarda nacional da provincia de Pernambaco. que
constara d* blusas de panno aznl ferrete, gollas e
carcellas escarlates e b raes a Cavalgnac de panno
atol com galio escarlata
11
S. M. o4mperador, acompanhado dos seas sema
ros, visitua bootem as oficinas de machinas di
arsenal de marrana, a nova barca de agu movida
a vapor, os monitores em constrncco e as serra
rias a vapor oa ilha das Cobras, o asylo da invadi-
dos da ilba do Bom Jesos e o qaarlel do corpo
policial da provincia ao qaal passon revista, des-
embarcando as 3 horas da tarde no arsenal de
guerra.
Por cartas imperiaes de 9 do correle mez de
oolubro foram naturlsados cidados brasileiros :
Os sabinos porlaguezes Joo da Silva e Tde-ido-
ro Jos Coeihq, a o subdito italiano padre Jos Se-
raphira de Riggillo.
Por decreto^ da mesma data foram nomeados,
em atteoco aos -relevantes servicos prestados em
relaco a guerra com o Paragoay :
Comraendador da ordem de Cnristo, o Dr. Jos
Pereira Reg.
Giratendadores da ord'ra da Rosa, o Dr. Amo-
nio Jos Gougalves Fontes, Antonio Carlos Cesar
de Mello e And rada e Manoel Jos Rodrigues; offl-
ciaes da mesma or Jera, o Dr. Fran iaco Prxedes
de Andnde Pertence e Laiz Quinao da Rocha
Werno k; e cavaileiro da mesma ordem o Dr.Jio-
norio Augusto Ribeiro.
Teve mercado tro de fldalgo eavaibeiro daeasa
imperial < marocha! de campo reformado Manoel
Modiz Tavares
Fai coocedida a peoso de 30 aeosaes, sea
prejuizo do meio sold que eompeur, a B. Raymaa-
da Laura de Araojo, ulna legitima do fallecido ca-
pito do 7* balalho de iafaotana Joio Antonio de
Araojo.
Esta penso*foi concedida por servicos prestados
na guerra c mira o Paragoay, e depende da appro-
vacio da assemnia geral.
Por decretos de 28 de setembro e 5 do crrante
loi der-iarado de oenham efteito o decreto de 13 de
jaibo ultira >, qae nomeoa o baebarel Hauoel Fran-
cisco de Paula Buieueourt para o lagar de Juiz mu
oicipal e de orphos dos termos reunidos de S. Mi-
guel e S. Sebasuao da Foz de Tijoeas, ua provincia
de Santa Catbarina.
CoDctderam-se as exouaracSes qae pediraa :
O juiz de dlreito Caetaoo Vicente de Alaeida
Galeio, do cargo da chafe de polica da provincia
da Babia.
O juiz de dlreito Sebastio Gingivas da Suva,
do cargo de chafe de polica da provincia do
Caula.
O baebarel Antonio de Araojo Arago Roldo,
do lagar de ja>s auuieipal da Ia vara do termo da
capital da provincia da Baha.
O baebarel Ju> G >aes de Sa' Btrreto, do lugar
de juiz municipal e de orphos do termo de Patos
da provincia da Parahyba.
Fol desloada a comarca di [guape, de l* eo-
traoea, tar Bella ter eiercieio o juiz de direito
Caetano Vicente de Almeida Galno.
Fot reconidodo o Dacharel Francisco Antoolo
doteraodeluja*, na provincia de Minas-Ge-
raes. \
Foram nomeados :\
O jai; de direito PraokHo Amerlco de Hanezes
tf
O transporte Itaptcuru', entrado bootem, trooxe
dalas de Santa Camarina at 6 do corrente. Nada
occorrera de importancia.
Pelo telegrapbo elctrico bavia alli noticias de
P.irtr. Al-oro IIP 3 imiilu > """'U As de
maior inter^sie ao estas:
A assembla provincial approvon hontem ,25)
o requcrimento do Dr. vida para representar-se
ao governo imperial contra o adiameoto das elei
COes nesta provincia. Nao hoave discussio calo-
rosa.
< Rompeu bootem 26 oa assembla provincial a
oppusicao ao presidenta. A minora compoe se
dos Srs. Nery, Drs. Bmeucourt e Barros e duem
que tambem do Dr. Femantes Pinneiro; 20 de-
puiados liberaos apoiaraa e defendem o Dr. Mar-
COfloeSf
Em flaqni umi quadrilha de iidrSes aprlsio-
nou o estancieiro Jos Hilario e sua muiher, e rou-
bu cerca de 30:000,j;.
t Val sabir a 6 o vapor Protecqao para o Rio
Grande e lava ->i deyulados Drs. Avua e aues de
Miranda era corarais.-J> da assembla, para resol-
verem algumas davidas, adm de s- r decretada a
coostruccao do caes de (erro do Rio Graade.t
O vpur Galgo, sabido do nossos pjrto, chegara
a Santa Catbanda no da 1.
Commaodo em chefe da finja naval do Brasil
em opera^des contra o goveruo ao Paraguay.
Bordo do vapor Brastt em frente a Humait, 16 de
setembro de 1867.
lum. e Exm. Sr.Tendo aqai chegado o tnrci-
lio Dtas, fago seguir o Vassimon a' disposieo de
V. Exe.
A esqoadra canserva as mesmas posicSes ; hon-
tem tii substituir pela primeira a terceira diviso,
que estava ea proximidades de Curupaity. Os na-
vios de madeira acharase era Curui, d'oede diri-
gen] seus fogos com a dlvtso de eocoara(ados que
iii'S Oca p. uco cima, sobre as foriificacdes da-
quelle lugar. Ah agora principiara a resuonler
com um mortelro, ao que parece que ltimamente
coliocaram os iniraigos perto da poma da bar-
ranca.
As commaoicacoes pelo Chaco vo-se tornando
meujs morosas, e mais facis : ha esperaos de
muiio aporfeicoar o servig qae all se faz.
ianameaie bombardeio Humaii.
Quasi iodos os uros ao aqu aproveilados; os
qne nao rahem sobre as baleras ou edificios de
Humana, que as oossas vigias veem desmoronar,
vo ter ao acampamento paraguayo ; portanto,
incomparavelmeote mais protoao do que o de Cu
rupaity. Tudas as chahs sobre que se apoiavam as
tres uu quairo araarras qoe (echara o passo de-
apparecerara ama o'eitas, porm, toi eocalhar rio
abano, perto do Baha, logo a desaocalhamos, ta-
pou-se-lbe os rombos e estt' quasi prompta a ser
uu Usada.
Teji-se desenvolvido a bordo do Lima Barros
ama molestia a qae do o oome de eoioiicac >
paludosa; ama iocbaco qae comeca pelos
membros inferiores, sobe ao eora^j d mata em
puncos das; maudei este navio para junto do aa-
coraduuro do Chaco (a que dei e uome da Elisia-
rio), dando ordem ao cuele Alvira para fazer des-
lulecu-io, e fazer com qae a uaraico tivesse al-
gum exerciciu em Ierra, noioa se que a geole
applicada ao corte de lenha era a qae mea^s
adoecia.
Houveram ltimamente algnns casos tambem
pronunciados de cholera ; mas os mdicos os de-
clarara espordicos. Quanto ao mais, reputa se
bm o estado sanitario.
spero poder demorarme no loga em que es
toa ; uSi descere! seoo guando por falta de re-
cursos fr a isso forjado, o qae tslizmeate espero
nao aconttga.
Deus guarde a V. Eic. llim. e Eim. Sr. coose-
Iheiro A ir q: j Ceisi de Assis Figu^iredo, mioistro
e secretario de estado dos oegoctos da marrana.
Joaquim Jos Ignacio, coramandante em chxfe.
Commaodo em chele da turca naval Qj Brasil
em operagdes contra o governo do Paragoay.
Burdo do vapor Brasil, em frente a H imana, 26
de setembro da 1867.
Ilim. e Exm. Sr.Depois de 16 do corrale, di-
ta do raeu ..tibio a. 291 a V. Exu dirig lo, nada
ba de nmavel para duar a V. Exc. sanio o que
passo a expr.
A aolesua qae tinha apparecido a' bordo do Li-
ma Barros, eedea aos meras bygiealcos alli enr-
gicamente empregado, depois le se ter feto reti-
rar para o bospial de Corrientes as pracas que
apparecerara affectadas. PJ^, portanio, couli
uuar a considerar-se boa o estado sanitario da es-
quadra.
que Noot bavia partido ua paquete iugi*z Oiwd-i,
noticia esta qne causn Ihe sorpresa e desasocego,
laes que aaa raalber que com ella morava, teman-
do aigum desatino da sua parte, procurara t.-an-
quillisa-la, dzeodo-lbe que talvez nao fosse var-
dade.
Porn, depois de 2 boras da larde, tez iewta
chamar na carro, a, vestida coa todo o esmero,
nelle entrn, mandando que a condazissem a' casa
indicada na praia do Russeil, onde chegando esa
beodo de urna preta que eca efleito Noot bsvi
partido e qae sea companbeiro nao se achava em
casa, entroa no quario que tora habitado por
aquella a quem procurara, e, lendo pedido am
enveloppe, nelle meltea algans papis com direc;ao
a Noot, eutregou-o a' preta com a recommendao
de remit-lo ao sea destino, e sentoa-se na cana
que all havia, retirando-se a preta.
A's 5 'i horas, vendo a preta qae a moga aioda
se conservava no quarto, alli peoetroa, e eacoo-
traudo-a deitada oa cama com a mo direita so-
bre o coraca: e parecaudo preza de algum ataqie,
teutou reanima-la chegaado Ibe ao nariz nm vtero
com agua de colonia, depois do qae procurou le-
vanta-la e vio eniSo que a mao collocada sotre
o coraco apena va um panhal nelle cravado ateas
guardas.
Fe ento chamado o Dr. Peganha, subdelegado
da Gloria, o qual ajadado pelo respectivo aedtco
venfleador dos bitos, Dr. G raan, procedeu.a aa
topsia no cadver, verificando ter o puonal pene-
trado na regiio precordial, entre a V e 3* costella,
terrado ligeiraaeote o bordo do pulmo esqoerdo,
e iodo peoetrer oa cavidade esquerda io coraQo.
No bolso esquerdo do vestido da suteda toi eo-
contrad um bilhete por ella escripio, declarando
que nmgaem a havia uffendido, e qae matava se
por motivos que .- dalla a de Deas erara noobe-
cidos. Ao sahir de sua cisa Jo"ta ^espeJira-se
da mnlhiT qu i o.ioa Ha moravS, dizetHo-the :
Adeus, at mais nunca
- 12-
S. M. o I operador, acompaobado de sem sema-
narios, ebegoa hontem as 8 1|2 boras da nanna
ao arsenal de marrara, dirig>se ao qa.rtel da
compaobia de menores e exaniooa lodo ostabe-
leeimeoto
Em seguida embarcou Sua Magostada oa galeo-
ta imp-nal, fot a' fortaleza de Santa Cruz, e ten-
do-a percorndo toda subi a' do Pico, onde tam-
bera examnoa todo
Soa Magest horas da tarde.
Por decreto de 7 do correte fol traosferido da
1* para a 2" classe o t -n-nt #a rmala Jos
Aotomo Lopes, de conforraid ide com o 'laeiitpda
o art. 7 da le o. 1,20i de 13 de malo de 1864.
Por outro decreto de 8 coocedeue a graduacao
de capiao-teotote aj escrivio de dasse lo cor-
po de fazenda da armada, Jos J laqaim da Rocha,
de cooformidade com o que disp5-" o art. 3*do de-
creto d. 1,940 de 30 de juoho de 1857.
Em 10 do correte foram expedidas as sigoin-
tes ordens : i,,
Ciouedendo tres raezes de llceoca, eom saldo
etapa, para tratar de ..sua saade, a' vita do ten
de inspecQio a qae foi sabaetudo, ao brigaieiru
graduado do Ia regiment de cavallaria ligeira
Augusto Frederlco Pacheco.
De i'-us mezes dem, ao alteres de commisso
Aff raso Pedro da Foaseca Lessa.
Por portara de 11 do corrate fol oomeade com-
maodante la 2" companbia de operarios militares
do ars-nal de guerra da corte o capitao reformado
Cyriaco J.is d. Silva.
Na mesma data expediram-se ans as segniotes
ord>ras :
Exoaeraodo do servico do exercifa o capillo do
31* corpo do voluntarlos Domingos Ignacio Branco
e Silva e o lanme do 23* dito Manoel Bqeno Fer-
naodes, qae se acham na provin ta d Paran.
Coni-edeolo as segnintes licengas:
De 6<) das com venc mantos, para vir a' corta
tratar de oegocio de seo lateresse, ao teoeote ho-
norano do exercito, empegado oo deDosttj) de re-
cruias da provincia de Pernambaco Hiracto Pires
Galvio.
Para residirem : na provincia da Rabia, ao alfa-
res d*cjmra>ssao e 2 sirgenlo reformatod)exer-
cito Jjs Nicolao de Oveira; ua cilade de Pitan-
guy. provincia de Minas-Geraet, ao sargento re-
formado Fraocis o de Assis Pereira da Pranga ; a
n* corte, ao soldado, tambem reformadj.Praacisc
Barbosa de Cerque.ra.
'joaceleado as seguint^s licencas, a' vista do
aesmo terrau da lospeegio :
De doas mezes com suido e etapa, a contar dn
dala deasoeccao, ao capito do I* baialho de ar-
Ulharia a u Napoleo Aogast-i Muuiz Freir.
Dedous mezas dem ao capito do 4* carpo de
cagadores a cavallo Joo Candido G miarle.
13
Em 11 do crranla foi expedida a segrate cir-
cular s aresi lencas de proviacus:
V. Exc. oo ignora qae ama da< maiores ue-
cessidades do servigo publico, principalmente na
poca que atra'essamos, a mais rigorosa fiseall-
sagao nu dispendio dos dinheiros pblicos. Com-
penetrado como V Exc. deve estar desla necessi-
dade, nao duvjlo qae emoregari lodos os aelos a
sea alcance flra de nao ant irisar, n-m reqaisltar
do governo imperial senio o pagaa*oto das despe-
zas, caja absulata necessidade Ibe fr cabalaeote
demonstrada.
< O goverao imperial emende qae o orgamento
serve apeis para marcar o limite das despetas, o
que oo o dispensa de esmerar-se oara flear
aqam desse limite, e esperar ser eficazmente
coadjuvado neste euipenbo pelos seus delegados
uas provincias.
Ba bem entendido qne nio devea por este
motivo deixar de aerea euaprldas as previdencias
decretadas em favor da pobreza, nos caaos de ol-
leaias oa de calamidades publicas, deveodo-se
apenas veUr para qae em tae< eircamstanciis se-
|am attanddos aquellas que dellas realmeate ne-
cesitara, i
Por decreto de 2 do correle foi desligado do
batalbio da Infamara n. 15 da provincia de S.
Paulo, a guardanauaaM perteoaeuta ao munici-
pio de S. Unto e Sapacahy-mirim da mesma
provaciav e uns etta creado am batalbio da 10-
fantaria coc qiatro compaabias, e a designagio
de 45 do servico activo, o qaal ficari subordinado
as coamauda superior de pindamonhaogaba a a-
nelos.
Por decretes de 9 do corrente:
Foi aposentado o jais de dlreito Joaqaim Ferrei-
ra Carnero, no referido lagar, (.ora as bouras de
desembargador, sem ordeaado algum.
Foi exonerado o jais da dlreito Felina Manri-
ques de Almelda do cargo de ebefe de polica da
provincia de Pernambuco, por asslm o baver pe-
dido.
Foi demitiido Aogelo da Fojoz Carrea Cesar, do
eargo de tbasoareiro da secretaria da polica da
provincia da Parabyba.
Fol removido o juiz de di relio Antonio Buarque
de Liaa, da comarca da Boa-Vista, de 1.a entr-
ela, para a de Caruar de 2.*, ambas na provin-
cia de Pernambuco.
Pai daslgoada a comarca de Itamb, de 2* en-
trela, oa provincia da Parabyba, para nena ier
exerclcio o oiz de direito Peiiuto Heurlque de Al-
aeida.
Foram nomeados :
O conselbeiro Antonio da Costa Pinto, desem-
bargador da relaco da corte, para o lugar de
presidente da aesaa relago.
O jaiz de direito Pedro Francellino Gaiaaries
para o cargo de obele de polica da provincia de
Peroambouo.
U jaiz municipal Epaainondas de Seuza Goova
para juiz de direito da comarca de GeqaiUhy, de
1.' eolrancia, na provincia de Miaas-Geraes.
O baebarel Francisco Antonio de Carvalbal para
o luitar de juiz municipal a de orphos do termo
do Porto-Segur-), na provincia da Babia.
O bacbarai Pelro Uiysses Pono para o logar de
juiz municipal a de orphos do terao de Patos, oa
provincia da Parahyba.
Jos da Silva Neves para o cargo de ibesoureiro
da secretaria da polica da provincia da Parabyba.
O capito Augusto Joaquia de Carvlbo para
major ajadante de crdeus do comaando superior
da guarda nacional da capital da provincia do Rio
Grande do Norte.
O tenente-coronel Antonio Joaqaim de Sonza
Roiira para coronel commaadante saperior da
guarda nacional dos maoiciplos de Lavras e Te-
Iba, da proviocia do Ceara'.
Fui reformado :
O teoeote-corooel commaodaate do batalbio de
iofaataria o. 34 da guarda nacional da provincia
de Pernambuco Manoel Pereira de Carvlbo Bel-
fort, no mesmo posto. j.
Fu am designados :
O capito Luiz Jos de Mondonga, para exercer
as funega* da major do 1* batalbao de arlilbaria
da guarda eaciooal da provincia das Alagoas.
O capuo Mauoel Bezerra Gaedes, para exercer
as fancedes de major do 1* batalbio da reserva da
guarda nacional da mesma provincia.
leve merc da serventa vitalicia :
Antonio da Canba Lima, dos offlcios de tabel-
lio do paoheo, judicial a notas, e escrlvo de or-
phos, ausentes e mais annexos do termo da villa
do Jardlm da provincia do Rio Grande do Norte.
A nova moeda auxiliar de 200 rs. qae bootem
entroa na circalago recommenda a casa da moe-
da no paiz
Constitnem o anverso destas moedas o retrato do
(mpTador oo campo, a inscripgio pethus ii d. g.
const. et perp. bius. def. na cucuuoferencia ; a
ara ao exergo.
' O exergo determinado pelos ornaos segnin
les : do lado esqoerdo a esphera armlllar, do di-
reito a cruz de Consto. Estes ornatos lembram a
poca da descoberia do Brasil.
Formam o reverso da mesma moeda as armas
da nago no campo, e embaixo destas o valor, se
guido da palavrarls.
Antes do valor v-se o emblema do commercio,
e depois da palavrareso emblema da justiga.
Estas moedas tra peso e to jue determinado por
lei a modelo mareado por decreto.
No da 15 aafraro em circulagao tambem as
moedas de 500 rs com gravara inteirameote se-
melhaole as de 200 rs.
O abridor destas moedas o artista brasileiro
ihnsiiaoo Lusier, que sendo ja bem conhecldo
alas soas medatbas, provoa ag.ra ser tambera
uom gravador de moedas.
*. MirdVTrazBre*v8raln e Sirva, vnm
do capitao do 35/ corpo i voluntarios da patria,
Abaciato Pereira Bueno, 60*000 mensaes.
A D. Dulcina Mana de Moraes, viuva do tenante
io vuluBtaries da patria Delvitro Correa de Moraes,
42*000 meosaes.
A D. Harioba Candida da Silva Braga, viuva do
tenante do 1*/apunlo 4* cavallaria ligaira Feli-
cisslao Pialo Braga, 21*000 aeosaes, sea prejoizo
do aeto sold.
A D. Mara UabeliDi das Wgeos, ail do alteres
de voluntarios da patria Marcellrao Barbota Leal,
fallecido ea carapacha, 36*000 aeosaes.
A D. Hara Joaquina de Ol.veira Barros e as
menores Maria a Evangelioa, viava e Albas do ca-
pito do corpo fixo do Amazonas a major de com-
misso do 38.* corpo da voluntarios da patria, 27*
meosaes a viava, sem prejoizo do aelo sold, e
27*00 tambem aensaes, reparadamente, as doas
referidas menores.
Aos soldados do I.* batalbao de infantaria Cosme
Ribeiro de Carvlbo, a do 18.* corpo da cavallaria
da guarda nacional Sebastio Cardoso de Lima, in-
vlidos da por ferlmeotos reeebidos em combate,
400 rs. diarios cada nm.
Palo patacho Monleiro I eotrado hontem recebe-
mos datas de Rio Grande at 1 do corren.
A mesa da asseabia legislativa provincial, qne,
segando noticiamos, fura rastallada no dia 16, fieou
assim composta :
PreaidWo, Or. Jaiqnini Vieira da Cunta ; vice-
presdenie, Werna Bils.eio; 1.* secretario, Pedro
Mana Amaro da Silveira; 2.* secretario, Dr. Flores
Filba.
O presidente da proviocia e o secretarlo cade-
rara a quarta parte dos respectivos ordeoados em
beneficio da f-senda nacional.
TiQbam chegado a Porto-Alegre "indos de S. Ge-
raido os marobeiros qae se sablevaraa em Itaqai.
Acbava-se preso um escravo do Sr, Jos Rieardo
Ribeiro, como autor do roubo feti na casa de ne-
gocio dos Srs. Kelteaburg & C, no Rio Grande.
Da barra desta cidade escreveraa em 44 ao
Diario :
t Teado Ido tazar agua um bote do patacho
Mercar, voltava a' vela para bordo trazeado as
quartolas mal arrumadas, de forma que correado
a sotavento tomboa a embarcaco, pereceodo o pi-
loto e um mannbeiro, cojas cornos oo foram en-
contrados, salvando o bole da Waxf am mogo qae
pode suster-se am poaco em cima d'agaa. >
Fallecer na cidade de Pelotas o capito J>o
Nunes Baptisla.
O Artista de 27 noticia :
c No lugar Cerni d'Oaro, oo da 2 do aez pas-
sado, foi assassioado um mogo de oome Jos de Je-
sos Vascoocellos, qae deixou urna peraa na tata
Iba de 24 de raaio, pelo seo prente Joo Gaedes
de Lima Sobnnbo, por pretextos frivolos.
t O assassino coosegnlo evadirse ; porm a po-
lica segne-lbe no encalgo. >
t Em Itaquy, onde exercia a profisso de me-
dico oa corandeim, foi preso e recolbido a' cadea,
o bespaubol Jos Lopes, como suspeito de tenlar
assas-inar o delegado di polica daqaelie termo o
Sr. Quinao da Silva Bacallar. >
I'formara nos qae o Sr. ministro da fazenda or-
deaoa qae diariamente se cunbea de cinco a seis
cotos da ris destas aoedas.
Espera-se que tambem nos primeiros raens do
oovo anuo, comece a cunbagem da moeda subsi-
diaria da bronze.
- 15
Sua magesude o Imperador acompaobado dos
seas semanarios, chegoa ao arseoal de marioha
hornera as 9 1|2 boras da raaoha, percorreu as
oficinas de machinas; emba cando na galeota im-
perial visitn o transporte Leopoldina que saino
hontem com 20 pragas que se vo reunir s nossas
em operagSes uo Paraguay. D'alli seglo sua ma-
gesude para a ilha das Cobras onde examnoa a
serrana a vapor e os monitores em consiruego e
depois, oo Mocaogo-peqoeoo, o dique qae alli se
esta' fazeodo, vollaodo ao arsenal de marloba, onde
desembarcou s 2 boras da tarde.
E' a mesma a poslco qaeoecupamos : oossas
eomiouaicagdes pelo Chaco tornarae aais facis
Se nio eobrevier algara revez (que nada felizmente
faz esparar) Doleremos asieutar a laportaullssl-
raa posico que conservamos ja' ba quarenta a
dons das, embora o< forjadores de noticias, oo
antes aqueltes qua desejaa ver aniquilada a es-
cuadra brasilera, a dam como em postgio mano
critica, posigo, porm, que, oo meu entender, o
crdito das armas do Imperio exige que se nao
abaadone, posigo da qual vistvelmeote estamos ti
raudo em resultado a desmorouago de imait e
a demoralisago de seas defe sores, qae oossas
baDbas vo diariamente reiuzrad).
Apaahmos a aelbor das ehatas da correte ;
estava arrumbada por ama bomba aossa, cuja espo
lata foi eoeoolrada a' bordo ; acha-se concertada,
a vai Hervir de deposito no ponoElislario.
Em Gurnpaiiy oo me consta que se tenham fe-
to obras novas, parece apeoas que deram a' arli-
lbaria oulra direcco.
Hootem, pelas 7 boras da maoha, velo para
b>rlu um paraguay) fgido da balera da ar-
rate, o qual se apreseaiara do lado do Chaco, oo-
de ebegra, viodo a' nado, a- goaroicSes que alii
enontrou cortando lenha. Junu envo a V. Exc.
o interrogatorio a qae se prucedeu, o qoal da loz
sobre canos pontos da qae aio libamos noticias.
Humaita esteva bontera da baodera a meio pi
desda o amanhecer at as 8 oras. Talvez atorres-
Em att-ncao aos relevaotes servlgos prestados
oa goerra actual contra o governo do Paraguay
pe individuos abaixo meocioaados Ibes foram
conced las por decreto de 12 do correte, as boa-
ras dos postis militares do exercito, qoe tambam
van abano designados.
De capito : aos capllies, do 12/ corpo de vo-
luntirios da patria Antonio dos Santos Rocha, e
do 18.' corpo dito Lrao Tbiaothee de Araojo.
De alte as : ao ex alfares de commisso do 4 *
oaialho da infamara Francisco Antonio da Ol-
veira.
Na coaformidade das disposigdas do | 1.* do art.
9 da lei o. 658 de 18 de agosto de 1852, foi re-
formado por decreto de 12 do crrante o cap lio
di 4." carpo de cagadores a cavallu Leopoldo Alves
Barran, visto soffrer molestia locura val qae o lor-
aa incapaz de continuar uo servico.
Em 12 do corrente foraa expedidas as segua-
les ordens :
Coacedeodo doas mazas de licenga, eom sold e
-upa, para tratar de sua saude o proviocia da
Babia, ao I.* cirargiao do corpo de sale do exer-
cito Dr. Firmo Jos Dona.
Approvando as segmates licengas:
De dous mezes, com sollo e etapa, coocedida
pela presiden'la da provincia da B.hia, ao capi-
to do corpo do estado maior de 2.a cla*se e secre-
tarlo do corara ao lo das armas li dita provincia,
Peinberto Augu-to da Sonza, para tratar da sua
sale, como foi julgado em laspeegio de sale.
De doos mezes, eoncedlda pelo commando das
forca em operagoes io sol da proviocia de Matto-
Por caria imperial de 12 do correte mez, fol
oomeado seoador do imperio o consetheiro Jos
Aotoob Saraiva.
Por canas Imperiaes da mesma data foram na
turalisados os sanditos portuguezes Maooel Garca
da Rosa Terra e Francisco Severiano Machado, e
nomeadocavalieiro da Rosa o subd'to da mesma
nago Juo Antonio Liberal, em aUengo aos serv-
gos que prestoa em relago guerra actual contra
o Paraguay.
Por decretos da mesma data foram nomeados, em
attaoco aos relevantes servigos prestados oa pro-
vincia da Parabyba a bem da iategridade do impe-
rio e honra nacional :
Cominea dador da ordem da Ros, teoente-coro-
nel Joo de Sa Cavaicaoti de Albuquerqne.
Ufflciaes da mesma ordem, baro de Mara, te
oente-coronel Antonio Qulnno de Sonza, major Heo-
rique Cesar da Valga Pessoa, Dr. Epamiaoodas de
Souza Gouva e Jos Bnto Jareraa.
Cavalleiros da mesma ordem, Dr. Antonio Gon-
calves da Justa Araojo, Dr. Cbnspim Antonio de
Miranda Heunques, capito Laiz da Gama Porto,
Joaqaim Patricio da Rocha Albayde e Rufo Correa
Lima.
Cavalleiros da ordem de Ciri.-t >, lenles coro-
neis Targrao Candido das Naves, Jos Fernando-
de Carvlbo, Luiz -io Rago Toscano de Brlto, Clau-
dico do Reg Toscauo da Brlto, Joo Cavalcaali de
ojMbuquerque Vasconcellos a Antooio Jos Googal-
es Lima, major Jos Gomes da Silveira, capito
Laiz Mauricio da Gama, padre Eiaardo Marcos de
Araujo, Joaqaio Oumes da Silveira a Simplicio
Narciso da Carvlbo.
Pelos masaos servicos prestados na provincia do
Ceara', e por decretos da aesaa data, foram no-
meados :
Comraeodador da ordem da Rosa, baebarel Joa-
qaim Jorge dos Santos.
Offlciaes da mesma ordem, bario de Me -.ejana,
baro do Grato o tanaote-coronel Antonio Ttieodo-
rii o da Costa. |
Cavaiseiros da aesaa ordem, lenenles-coroueis
Antonio Pereira de Bnto Paiva, Maooel de Jesos
da Conceigo Canba, Fraocisco da Cruz Neves a
Joaquim da Cunta Freir, capites Franci-co Coe-
Ibo da Foncaca, Jos Varonil Bezerra de Albaqaer-
que, Zsfenno Duteroil Ferreira da Silva, Vicente
Gargel do Amaral a Antonio Joaqaim de Oiivelra,
bacnarel Laiz Jos de Medeiros e Joaqaim Bezerra
de Meaezes, e Dr. Hyppolito Cassiaaa PaaJloaa.
Cavalleiros da ordem da Cbnsio, teoeotes cor >
nels Antonio Joaquim de Souza Holln a Custodio
Ribeiro Gmmares, Drs. Ruuc Aoluaes de Aleo-
car, Joaquim Antonio Alves Ribeiro a padre Anto-
nio Pereira de Aleonar.
Fez-se aere do ltalo de conselho a Domingos
Jos G ragaives de Hagaluies.
Foram nomeados cavalleiros de Avlt o capitao-
lente Joi) Goaies de Faria Jniora o prlmeiro
teoeote Jos Hanoel de Araojo Cavalcaati de Albu
qu-rqae Lias.
Fui promovido a comaeodador da Rosa, por ja'
ser oficial, o Bjr. Frakiio Aaanco da Menezes
Dona, Ueaudo sea enfilo o dacrato de 5 do c Tren-
te, que ibe coneedea esta altitna condecorago.
, Por decretos aioda da 12 do correnta foram con-
cedidas as seguiuies pensos, em aiteogo a servi-
dos presados na gaerra, com dependencia de ap-
provaco da assembla geral :
A O. BTeuice urea Ribeiro do Cont, mil do
apito do 54*eorpo de voluntarios 'a patria Pe
dro Autopio Ribeiro do Couto, fallecido de moles
ni adquirida em lampatjb, 60*000 mensats.
DIABIO BE PERNAiUBCU
Dos portas do sal d) Imperio chegou hontem o
vapor nacional Cruzeiro do Su/, trazendo joroaes
do Rio de Janeiro al 15, da Baha at 19 e de
Alagoas at 20 do correte.
Sb as rubricas Parle Oficial e Interior vio
por extenso as noticias mais imp irUales, alera das
qoaes apeoas encontramos as que seguem.
RIO DE JANEIRO.
Pelo ministerio na justiga foram expedidos es
dous segrales avisos :
t Em data de 5, ao Dr. chefe de polica da
corte.
a S. M. o Imperador, a quera fol presente o ofi-
cio de V. S. de 19 de agosto prximo passado, vis-
to o parecer do conselbeiro consultor dos negocios
da justiga, bouve por bem mandar declarar que
procedeate a davida qae leve o pnmetro delegado
de polica em aceitar o primeiro promotor publico
da curte como advogadu da parle qoeixosa em um
processo. qae por enme de injurias verbaes corra
por aquella delegada.
< s avisos, citadas pelo primeiro delegado n.
328 de 21 de oovembro de 1835, o. 330 da 31 de
omubro de 1859, e 130 de 5 de juao de 1862 re-
sol vera a quesUo, e mostram a lacompaiibihdale
do promotor publico para exercer a prossao de
advogadu em cansas crimes.
Nao havendo acto do goveroo, qua permita ao
promotor publico, empragado de justiga, a advoca-
da criminal, oo proceden) bem os juues adrail-
tiodo-o a procurar em causas sujeius a' mesma
junsdicgo sob a qoal fuocci raara.
< Em 8, ao presidente de Mioas.
c liira. e Exm. Sr.Foram presentes a S. M. o
Imperador algumas representagSas de diversas ca
niaras moncipaes deisa provincia sobre o dispos-
to oo art, 3* 6* da le o. 1.237 de 24 de setem-
bro de 1864, e oo art. UO 1 do regulamento
respectivo.
E o mesmo aagosto seabor, tendo se confor-
mado com o | arecer da secgao de justiga e estran-
geiros do conselho de estado, bouve par bem deci-
dir por sua imperial resolugao de 2 do corrate,
qae a oova le oo obnga os thesooreiros das cor
poragdes de mo aorta a prestarem flaoga, apeoas
ouservou e maolave a bypolheca legal que as
mesmas corporacoes ja' untura, impondu-lhes, po-
rm, duas condigdes para que assa bypuiheca le-
gal podesse valer contra terceiru, isto a insrrip-
gio e a especialisagao, as quaes sao Uculuiivas, e
nio obrigatorias, como resumen do espirito da
dita lei : o qna eoramonico a V. xc. para sea co-
ahecimealo e assim fazer constar as cmaras, ca-
jas repre-entai'Ses turara a eslj ministerio iraus-
uiitudas por V. Etc..
No dia 13 do correte foi iaaugarada, oa
corle, a parle da estrada de ferro de Pedro II,
coiopreheodida entre as estagoes da Parabyba do
Sul e Eotre-Rios.
Ficava no porto, a barca Iranceza Gaspard,
em viagera de Cadix para Valparaizo, coadunado
2 capites, 3 teoeotes e 126 pragas chilenas, qoe
foram apnsloaados oa ultima guerra, a qoe vo
ser restituidos a' sua patria.
Fallecen, Ba corte, Laonaoo do Espirito
Santo, com 110 anuos de idade.
Seguiram para o iheam da guerra os trans-
portes Warneck e Leopoldina, coodazinlo petre-
ebus bellicos e 200 pragas para o exercito ; a de-
vta partir no da 15 o transporte Kasjwuon.
Coma lar fallecido, no Rio da Pi ata. o pri-
meiro teoeote da armada Pedro Ferreira de CMi-
veira, de febre. paludosa.
Lemos no Jornal do Commercio :
i L-se no Tettgrapho Martimo de Montevideo
com dala de 3 do crreme :
Aos qae eaaaeramos ha das produzid^s pelo
alilmu temporal, temos a accresceotar a perda o-
lal do bergaoiim harabargoez Adler, ao p rio de
Mal donado, oa ooite de sexta-feira passada.
-v Pelo propno capito que cneguu bootem de
urde em diligencia recebemos esta noticia e o-
purmenores sobre a peraa do seu navio.
< Fondeado no pono de Maldooado, sobrevol
ibe na ooite do saprautado da um ferie e repen-
tino temporal, qae, apez*t de todos >s es(orcor*m-
pregados pelo di lo capito e pala iripolago para
evitar o naufragio, laogou o oavio a' costa.
< Salvou-se toda a iripOlagao. >
O transpone brasileiro Itapicurii qoe havia
sahido esu minna cora desuno ao Rio de Jauei
ro, regressea poaco depois para trazer a' corveta
oahiana aviso de adiarse eneaihado na Ilha Ter-
d-ira (ilba das Flores) o yapor de guerra brasilei-
ro Amazonas, procedite 'lo Rio.
c O raesrao transporte tornou depois a sahir
para prestar-ibe soccorros, e no meio da setairam
cora o mes-no Um os vapores de guerra ingl-z-s
Spttefal e Dottorel e os transportes Atice e Vas-
simn.
sabemos que o Amatnos, a' ultima data, ji se
achava safa.
ti S. PAULO. i
Na esjrada da Lavrraha, perto do Ho Paraby-
ba, foi encontrado o cadver d'um maseate de
atnuutas.
I- No da 30 do passado, as 11 horas da ma-
oha, urna quadrilha de salteadores iovdio a fa-
zeoda de Joaquim g. d-* Carvlbo, a exigi tola
do dmneiro, joias e eradnos; o que conseguirn)'
PA1AH.
No mez de setembro renden a alfandega....
9:4031408 rs.
Fallecer em Paranagua' o portagaez Anto-
nio Luiz do Nascimeato.
Corra ter pedido sua exoneragao o vice con-
sol da Portugal.
Dea a* cosU, oo baoco da barra, o brigue
brasileiro Lifuiro, qae la de Paraaagua para G ja-
rataluba; salvando, apenas a iripolago.
# MlNAS-aatlAES.
Do Diario de Minas transcrevemos o se-
grate :
< Na anoragadi da da 14 io as: passaij wa-
segulram evadir se da eada do Pomba seis presos
nada recolhides, dons dos qaaas vnttaram das de-
pois a entrega re rn-se de nove a' prlsflo.
c Da cade* de Bagagem eooe/oiraa evaiir-se
os presos Flix de Sonza Bastos, Jos Ferreira de
Aguiar, Jeronyrao clno da Silva, E las e Ma-
ooel, escravos, na ooite da 5 de agosto passado.
A 24 de agosto ovttma, iodo Joaquim d-. Aran-
]o Tostes, cidado paertco a trabaftauor, do arrsial
do Pairoetuio, terao da MurieU, para a fazenda de
Joo Angosto Carmo, foi em earaibo accorametli-
do e brbaramente assassioado coa oa tiro de,
pistola.
t O delegado de polica qae se achavam perto do
logar onde se deu o delicio, apenas delle leve co-
nbecimeoto pardo sem demora a dar as providen-
cias, prendeodo como indiciados autores do crime
a Jos Tnxelra de Ollveira, Jo- Ribeiro de Oli-
veira a Joaqaim Elias da Onveira.
t Na nolte da 28 de agosto ultimo, no logar de-
nominado Fazenda da Quilombo meia legua
distante da oidade da Fnrmlga, indo o inspector de
qaarteir&o Floreocio Ribeiro da Silva, ja' ao che
gar a fazenda, ao abrir ama portelra, foi asfaltado
levando doas tiros de bala qae Iba atravessaram
o cora gao e cahio iamediaiamente mono. Os as-
sassino, prendendo doas escravos da victima ue
se achavam na casa, nelia peoetraram, saquean-
do-a. Cooslando qna os reos acharase as imme-
diagdas da mesma fazenda, o respectivo delegado
de polica trata de soa captara e do competente
processo.
t No districto do Bramado, termo de Qoeloz,
no logar denominado Lava-Oraos, .Francisco Ma-
noel assassinoa sua propria muiher dando-lhe re-
pelidos golpes de tonce separando-lbe a cabega do
corpo.
BAflIA.
Renava as costas da capital mo tempo, que-
tnba demorado a sahida de signos navios.
Fallecer, de nma apoplexia fulminante, quan-
do orava janto se altar do Sohor dos Milagres, D.
Maria Rosa Ferreira Alves Rrbeiro, vlnva de Fran-
cisco Jos Ribeiro.
Tambem fallecen o aotigo negociante Isidro
Teixeira'Lopes.
Depois de pequea demora, segaio para o
Japo, com escala pelo Rio de Janeiro, o vapor de
guerra ja pone i StonewaU.
Ficava no pono a fragata de guerra ameri-
cana Guerrie e.
O cambio regolava: sobre Londres 21X d ,
sobre Pars 445 rs., sobre Hamburgo 820 rs., e so-
bre Ponagal 145%
Lemos no Jornal:
< Recebemos de Valeoga a segninte noticia, qoe
nos remetteo am estimavel amigo. E' a jostlga
divina vragando pelo t-mpo a inercia e fraqueza
dos agnotes da justiga humana.
Um faci bem hornoroso, que leve seus vislum-
bres de certeza, na pouco mais on menos de cinco
mezes, acaba de se manifestar com toda a eviden-
cia no da 9 do correte da raaoeira segoinle:
c Quarta fera de trovas, on quiota-feira santa
do correte anno, sahira Manoe.Ld" Soma, morador
com sea sogro Romualdo Jos da Costa, do sitio
chamado Olno do Bul, perto d'Ara, com doas
cargas de caf para vender nesta cidade de Valen-
ca. No carainho encontrn um sea conhvcido,
Jos cigano, cabra, nnme est. que Ihe do nao por
ser cigano, mas porque sempre desde pequera,
acompauhou a ciganos arranchados; e este como
vioha estrada abuso, segando se deprebende
adame ou de proposita, acompanbou a Hanoel de
Souza na cooduegio do cal, como fura visto na
exteoso de 12 legua* de estrada.
f No lira de 11 das, nao veodo o sogro Romual-
do voltar seu georo Maooel, resolveu seguir a es-
trada at Valeoga, indgando pelo camloho se
tiuoam vlsio seu genro, e os que os conbeciam,
diziam, qoe passara, ha das, com Jos cigano com
doas cargas da cafe, e ebegandu a Valenga diri-
gio-se s casas de sua freguezia, e todes respun-
deram, qae elle, ba maito alli nao linba appareci-
do. Eato o sogro disse, qu suspetava, que sen
georo tivesse sido assassmadu pelo tai Jo- cigano,
ou qae se iives*e dirigido para a Lage ou N%a-
relb, e que voltava para baver mais indagagoes
oestes lugares.
< Voliuu Romualdo caminho cima, tornando se
mais minuciosa sua Indagacao, e logo em Aldea de
S. Fideiis, a orna legua de Valeoga, soube do por-
tagaez Jos Narciso, oa Jos em p por aicuoha,
que J>- cigano uraa noute alli traba apparecido
com doas cargas de cat, e Ib'as traba vendido, e
depois sa retirara estrada cima, sem qae com elle
viesse pessoa algnma : seguio Romualdo para o
Guerro, e fazendo lodagagSes nada p le colher,
pirque Jos cigano, se all pa'soo, fui alU nonio,
porque dista 3 leguas de S. Fidelis; subi at a
Lage, e all soube e verificou, qae Jos cigano tinha
vendido os 2 caraiba de Manoel de Sonza, que
urna muiher liana guardada urna haela, que J-s
cigano Ihe dra, a qual viudo a pieseoga do so'gro,
elle reconbeceu ser do georo, e desembrolbada,
estava toda cheia de saogue. Nao havia duvida,
que Maooel de Suiza liona sido mono por Jos
cigano para Ihe roubar 2 cargas de caf, 2 caval-
lus e 60* em dmneiro, que trazia para comprar nm
colar. Dizetn, que o sogro lora de Nazareth um-
bera em procura do georo e de Jos cigano, e lodas
as autoridades dos logares so beram do (udo e
oo se deu urna so providencia para a captura de
Jos cigano I
c O sogro procurou por toda a parte o ca Javer
do genro; p re n debalde. Ficoa ludo Isto no si-
lencio al ao da 9 d i correte, em que apparece-
rara os vestigios, ejs provas evidentes do assas-
sioato.
i A nm quarto de legua de Valeoga no logar
da estrada chamada Santa Luzia, n'ura arra-to ve-
Iho, 50 pas-os dentro do maito, am individuo pro-
curaodo jra aoiraal, que sa liaba perdido, eocoo-
trou a ossada de una cadver, soube-se logo disto
e o subdelegado de Valeoga mand >u logo o inspec-
tor e guardas, buscar todos os ossos e objectus,
que se encontraran), e chamados dous peritos para
examinaren) a ossada, a encoolraram luda perfeiia
a excepeo do creneo, que e-tava dividido na soa
pane mais saperior na entenso de 7 polrgadas,
por um corte de instrumento cortante, qae teria
penetrado oo cerebro mais de 2 polegadas em pro-
f io .ida le, encootroo-se mus um correo de cintu-
ra e pegado a este urna bainha de faci com tres
palmos e urna cabacioha para plvora, nm cabo de
relho ou chicote de pao turado n'ama extremidade
algnns cabellos conidios e lizos, a farrapinhos de
algodo trancado azul.
i Foi declarado pelos peritos, que a ossada per-
tence a individuo do sexo mascolin, denota ter 20
anuos, pooco mais ou menos, de idade, de esta
tura de 60 a 65 polegadas de altura, de edr br rica
ou muitu disfargada em cunsequencia dos cabellos,
e que vinha com ama camisa oa caga aznl: a
vista da declarago dus peritos, affirnia se, qoe sao
estes os sigoaes do assassioado, e como o procura
o sogro. Fez-se, auto de luda e j se man ou cha-
mar o sogro para' recoohecer os accessono da
ossada.
c Veremos as providencias das autoridades, as
quaes devera ofBciar aos subdelegad- s d'Ara para
cima, e para todos os lados da Amargosa, tlm de
ser capturado Jos cigano, qae, segando consta por
pessoas da Matia, ja (ora preso para rerruta duas
vezas, fugindo da primeira a dando 100* a um
lusuector, da segunda vez para o da xar fugir pots
oinguem soube por la dos precedentes havtdos
coni*a elie, que, prsucou o enme as irevas, e
vultoil logo para traz a vender o caf *
ALAGOAS.
^Comegou no da 15 a eleigo de deputados
proviactaes. Arada oo era conhecido o resultado
dos collegios.
PEHWXWBCO
REVISTA DIARIA
Foram comeadas 1*. 2* e 3* sapoleotes da
subdelegada dos A toga dos os Srs. Paulino Rodri-
gues de O-iveira, Joo Joaqaim de Figaeiredo e
Hanoel do Amparo C-jii
Sr. t neme Ju) Praneiseo Lapa fui no-
meado recrotador oo municipio de Olioda.
Um dos marobeiros do brigue barca llama-
raed, por occasiio da ultima salva, fiem com o
aoierago esquerdo q-ieimadu, perdendo igualmen-
te o respectivo dedo miulmo, ea razio de baver
disparado uraa pega inesperadamente.
Deolre as propustas apra-enladas ao goveroo
para orgawsago de ama esta.isuca da provincia,
foi prelenda a do Sr. Dr. Jos Joaquim lavares
Beifuru
O Sr. capito Caetano Cyriaco da Costa Mo-
reir, toi t aosferido do primeiro batalho de ani-
mara para o primeijo de infantaria, ambos' do
municipio do Rcife,
Concflderam-se llcepga: de dons mezes ao
Jait municipal de Cimbres, Dr. Joio Vieira >
Araojo, e de tres mezes ao ubetlio de notas de
Limoeiro, Luiz Francisco Brrelo de Almelda.
. Pv .2o Anta praaUda jor&tceBt: a: tittf e
.
HaataHBvl


fclra t Ouiubr 4c 1867.

marcado os sapplenles do joiz municipal deQiyan-
na.S. Etc. oSr. presidente Ja provincia resclveo,
de eouTorroidade com o ari. 7' jj_3* do decreto u.
06S de 4 de novembro de 1857. designar para
8* >* lofares o 4* a S* sapplentes, e nomear pa
ra 5* e 6, qaa (team assioi vagos os cidadaos se-
Distes:
5.'Joao Alves Praaoa.
6.a Joaqaim Jos de Mello Seoior.
A pre*iieocla da provincia perraillio a per-
mota das respectivas cadairas, aos prolessores pu-
buco? Clandrao Lopas Castalio Braoco e Victorino
Aotooi > de Alcntara, aquella do Cabo e este da
Floresta.
Foi naroeado delegado Iliterario de Buiqae,
Tbomaz d'Aqu do Gavalcmti, par haer sido exo-
nerado Manoel Camello Pessi Cayaicautt-
Pastarum para a reserva, o capito do bata
Ibao d. 16 da guarda nacional Bernardina Barbo
sa da Silva e e alfares do 6* Alexaodre Ferreira
dos Saatos. -
ue Corrientes escrevem-nos em data de 22
do passado o segniote :
O leo ote-coronel Francisco de Albuquerque
Passageiros entrados do Rio de Janeiro no
vapor Cruzeiro do Sul:
Eira. Sr. Dr. Lili Felippe de Sonta Leao, soa
familia e 4 escravoa, Eim. Sr. Dr. Pedro Franca
Ittftt 'is sent Ion purWea o peoumaato, loroan-
do-se por esta arte o Uvro em aegao, onde a fami-
lia ral encontrar desenvolvidos toda os sedimen-
tos de religo, virtoda e crenca, e onde o bomem

'
Joo Pedro dos K pe Santiago de Almeida, Joao Cyrillo de Lima, Jus-
tino da Silva Cardoso.Jos Francisco Taboca, An-
tonio Emilio Bastos, Jos Matoeus da Silva, Doar-
te Joo Claudioo, D Carolina Leopoldina, Antonio
Bezerrr Montenegro, Manoel Angelo da Silva,
Isaac Esoate, Joo, preto liberto, 2 cadetes e 13
pracas invalidas.
Segoem para o norte.
Exm. baro do Cralo e um escravo, Exm. Dr.
Aotooio Epaminoodas de Mello e 2 criados, Exm.
Dr. Jos Avelioo Qurgel do Amaral e sua familia,
Exm. Dr. Belforl Duarte, toneoto-corooel Victo-
riano Augusto Borget e su familia, eapitio Julio
Cavaicantl Marauha, predeole do cons'elho'de Casar da Fonceca, alfares Francisco Moreira de
guena brasilelro em Corrientes; este nosso ami-; Lima, Ladulao Araoba, D. Auna Mara Mello it-
Bo e corapanheiro, ja nao existe; accommetiido de. v^ira, alteres Antoolo de Msalas, 4 migrantes
polmcn-a a 1 do corrente, desappar*eo a 14 da1 *
lino, soa familia e 3'criados, Dr. Tuaophllo F.- dos val conbeeer quanto poderosa a voatade de Deas,
Santo, Jos d* Mutas Polycarpo, D. Heoriqujta favoredendo a aquellos qaa triihanj o abrnROeso
N O. Brlto, 3 Sitios e 3 criadas, Alfredo Sergio |camiuba a wrtude. e dando-Ibes oo n>n da'joroa-
Ferrelra, Paaliao D. Fernaodes, Lodo Jos da Cu- .da do roartyrio a wrde palma da gtona.
nba, Joo Bom Caplstrano,eapliao Manoel Joaquim Varao- concluir daodo dauovo oseados embo-
Machado-, Domingos J.o da Cooba Lage, Joo La- ras ao Sr. Coimbra, e tediado ao panMnao
mas. Vicente Parada, Geminlano Gomes da Conbs,' deixe de ir ao msso iheatro, apreciar i
trra por nm leve sopro da Providencia 1 Ella as-
slm o qniz : sua voatade esta' feita.... I
Abatido pela dor, que poderei en dizer que
signifique em toda a soa inteosidade e magoitode
o meo seotimealo 7
c Nadaporque nao ha expressSes que fallero
como as lagrimas silenciosas o mudas que sabem
do coraco.
< Uro lusido concorso de amigos, e no qnal se
acbavara muitos medios, directores de diferentes
repartieses militares brasileiras nesia cidade, e
pessoas gradas do paiz o acompanaaram ao cemi-
terio da cruz onde ibe fizerara as ultimas despe-
didas.
i A 20 do correnta urna columna de cavallarla
brasileira ao mando do gaoeral Menna Brrelo,
ebegon a villa do Pilar de N-mboco, que se en-
coutra 7 leguas cima de Humayta sobre a carta
paraguay.
Apossoa-se do lugar, cansn, depois de pe-
queo fogo, a'.gumas mortes ao inimig >, e lbe apre-
sionuu oulros, tomando duas pecas de campaoha e
algnmas rexes, mas leve depois de retirar-se em
vina ie do lnlmigo vir com torca superior auxilia-
do com alguos vapores de soa esquadra.
< O ponto vaotajoso para o loimigo porque
poe-o em directa commaoicaco com a cidade de
A-sumpcao, e para nos melbor anda, porque lbe
ortavamo> essas commuoieage* e o fecbavamos
no cerco.
Estou que ebegaremos a esse resollado qnao-
do la' volarmos mais prevenidos, e com outri
qulidade de forrea, visto como nao com cavallos
que se bao de fortificar barrancas para p las ao
abrigo da metralba de urna esquadra inimiga.
< No da 24 pela manha ama torga nossa de
tras baulbdas que descia de Tuy Cu com os pri-
sioneros do Pilar, escoltaodo um comooyo, foi ata-
cada por nma forca superior triplicada, tornndo-
se depois to serio o combate que foi preciso for-
jas superiores para lomarem parte na aecao.
O resultado foi perdermos dos ujssos cerca de
quaii-oeoutos entre morios e feridos, sea lo que
aesse numero se acba o vtienta m dense Vasco da Costa, o qual foi s-pultado boa-
tem ao cernU to publico de C)rri"uie-.
i Os prlsioaeiros pod^ram al^uns evad.-se e o
coioboyo em graade parte se saivou.
Por emquaato oo temos outras noticia', es-
peram-se os promeoores a cada instante.
A esquadra conserva-se tranquilla em frente
de XI jmaya', apenas deixa ouvir de quando em
vez o ronco de sua arlilberia. >
Segundo diz o nosso collega do Jornal da
Bihia, o Exm. e Rvm. Sr. bispo do Para, em va
gem da Europa para a corte a bordo do Navarre,
foi portador da commeooa de S. Gregori Magno,
concedida por S. S. P>o IX aos Srs. Drs. Pedro
L-a> Velloso e Abilio Cesar B^rges.
Aioda o collega ootica que, a bordo do Pi-
tariie, da Hoha de Marselha, vleram 21 (rales
raui iscanos, menores obseroantes, que vio para
um convento <-tceme em Boeuos-Ayre?.
-- u vapor Cruzeiro do Sul trouxe do su! para
a nossa prada 2:4004 era dindeiro, e leva para as
tlt) n re 13:6064.
A' Bi.lo desse vapor fj roubado 1:V)34 que,
do Ri' de Jtneiro vinha para o Sr. Antonio Mooli
MacAado Jnior, aqu resideole, como carga do
vapor. Apexr das diligencias fetas, nao foi posa-
v l descobrir o ladro.
Do Correio Mercantil, da corle, trauscrevemos
o segniote :
c Em consequencia de grandes correctezas oe
vasaoie acbavam-se a 29 do passado na barra do
Hto Grande do Sul, esperaodo mongo de sabid3,
-o sfiuioies navios :
Bu cas : Pambinha. uortueuezas, Ari
Fucorila.
f Logares
guen^e Swaten.
lingos : O, Mauricio, Mensigeiro, Arrow
Grande, Firma, Siqvetr*, Almnit II, Mirquezde
Utwl'i, francez Zeli, Frandtt MatkiUle; tngleies
Morntny Star, Barrielte e Jane THumpson.
t p;idca : Pelotense.
Pdttcbo : Dous Amigas, ilmteiro I, Agona,
\i\ilsz-is Marin, Alteia, Ke, Tu n.'iQj iV'CO/d, n--sp-innol Tnemotheo 11, harabur-
2\>".i. Ha'V Ueydorn, dinaraarqo- AViui, bolsiel-
ne?. lhatia, a >iauo Nikotay, iialiauo Afana Fian-
cesa e telga fiw Granle.
. Escunas : lugiezas Eogle, Jane Gardner, bal-
tan l Waif, Blanche, hinoveriam Wufc. dinamar-
queza Mercur, bullaodeza Jantije Nantnya.
AliO deste baviam outros cojos nom^s gao-
ramo'. ..
E-o via^em do porto para a barra, aquella
data, e-t.vara cnais os navios porlugaez-s expe-
riencia, iiiglnia Alara, prussiano Ca(Aaiina e na-
c .ma-s Palma e a."(irfi?s
^- Do Jornal do Commercio, da corle, trauscre
vemos :
O Sr. d sembargador chefe de polica da corle
r inmt-adoa aos delegados e subdelegados que
exercam a maior actividade na repres-o do abu^o,
q teosa terse iniroduzdo nesla corle, de emis-
sao de vales, feita por algumas casas de commer-
cio, eontra o disposto no ait. 1* 3 10 da lei n. 1,083
de ti de agosto de 1860, exigiudo qaa sejam-lbe
i- ;. vi' 1 '11- os nomes dos infractores atim de
tmfa elle proceder-se na cooformidade do de-
creto o. 3,323 de 2i de outubro de 1864.
americanos e 32 pragas invalidas.
Casa de detenco.Movimento da casa de
delenco do da 20 de outabro de 1867 :
Existiam presos 289, entraram 10, sahiram 4,
exisiem 295: a saber, naoiooaes 203, mulberes 5,
estrangeiros 37, molber i, escravos 48, escrava
1, total 295.
Alimentados a costa dos cofres pblicos 210.
Movimento da enfermarla do da 21 de outubro:
livera.ii alta :
Francisco Ignacio de Amorim-
Joo Jacinto de Salles.
Gamillo Jos de Oliveira.
Tiveram alta :
Amonio Mamas Barbosa.
Jos, escravo sentenciado.
Cimiterio publico.Oblario de dia 19 de
utubro de 1867.
Seuborluba Maria de Meodooca, Pernambaco, 35
annos, solteira, S. Jos ; introcolite.
Francisco Barbosa Camello, Pernambaco, 29 an-
nos, casado, Santo Antonio; palmonlte.
Francisca Maria Tbereta d'Assnmpcao, Per-
nambuco, 35 annos, solteira, Boa-Vista; tubrcu-
lo pnlmonar.
Francisco, Pernambaco, 14 mezes, B)a-Vista;
gastro tente.
Victoriana, Peraambuco, 34 annos, escrava,
SaoU Antonio; bepatite.
20 ,
Joao Rodrigue? Vic nte, Portugal, 70 anoos, ca-
sado, Becife; tataoo espontaneo.
como ba maitos tempos nao tem apreciado.

C.
COMMERCIO.
PRAGA DO RECIFE 21 DE OUTUBRO
DE 1867.
As 3 X Horas da tarde.
Cambio sobre Londres-90 d/v 21 1/4 4. por
14000.
Cambio sobre Portugal 60 d|v 143 0/0
Silvelra,
Presidenta.
. Macedo,
Secretario..
Novo banco de Peraambuco
EM LIQUIDtCftO '
Os Srs. accioDista do doto banco podem
receber o 2 dividendo de 46 por cento do
capital em apolices da divida publica, que
tem de ser averbadas d^ tbesouraria de
fazenda desta provincia, em tempo de se-
rem admiitidas na folba dos juros do cor-
rate semestre.
As acc5es de baaco devem ser entregoes
para se ioutilisarem.
EM LIQ HDftgftO
Novo banco de Pernambuco
Sao convidados os Srs. accionistas a re-
ceberem o primeiro dividendo (em moeda
correte) de trinta por cento do capital, tra-
zendo as accSes para irem sendo annnl la-
das ; nos dias uteis das 10 horas ao meio
dia.
/arropara ierra loras, pesando 20- libra*, valor da
libra 133 n.
1 embrollo n. 127, letrelroMaooet F. Ferreira,
cociendo litros" impressoa brochados, pesando 4
iteras, nlor.de libra 14.
i cana n. 162, marca H S di C, cootondo 121
libras de bcies de seda, valor da libra 24666.
40 libras de bolOes de linno, valor da libra
f|33l
: 1 aabrnllio, letrelro S A de Axevedo, conjendo
4 libras >le pirana', valor 44-
1 caixa, letrelro F. A. Carvalho, contando en-
commendas, valor 104.
1 caixa ni 528, marca C A, contando 2 libras de
cigarros de palba, valor da libra 14666.
71 libras de fumo picado para calimbo, valor da
libra, 1#.
1 embrullm n. 503, marca Mechlembeog & C,
cooteado nm Iivro com capa de papelao forrado
deonr, pesando 2 libras, valor d libra 1450U.
1 caixa n. 1, marca II N, conteodo agua mine-
ral, posando 144 libras, valor 244-
1 embroltio n. 269, letrelro J. A. da Silva M.,
contando amostras s- I embrulbo o. 1,346, marca J. E. Dias, conten
do nm palitnt 104-
1 embrnlbo, letreiro Maaoel Pererra da Silva,
contando iivros impressos brochados, pesando 4
[ibra, valor da libra I
S volumes com amostras sem valor.
16 cortes de colrtes de velboliaa de seda e al-
gooio, parte da caixa n. 203, marca A L, recolhi-
da ap armazem II a 104.
1 caixa com 235 libras de sal retinado, valor da
libra 200 rs.
JI'Tcadorias abandonadas pelos direitoa.
4 caixa, marca L H F n. 601, contendo 27 du-
zias de fras:os com agaa de ebeiro, peso broto 448
libras, valor da libra 14333.
26 caixas com fogo da Cbioa em bom estado com
286 libras, valor da libra 750 rs.
2t ditas avahadas com 218 libras, valor da li-
bra 375 rs.
i dita n. 42, marca II 1, contendo 70 donas de
frascos com agaa de colonia, pecando 369 libras,
valor da libra 14333.
1 caixa n. 43, da mesma marca, contendo 240
garrafas com agua de colonia, pesando 234 libras,
valer da libra <4333.
Alfandega de Pernambaco, 21 de ootabro de
187.
O escriptarano
Eutyclno Mondim Pestaa.
THEATRO
DE
Publicares a pedido
- Theatro.
A emprea Coimbra, levou na ooite de 19, pela
seguoda vez, a sceaa, o drama A Rainha Santa
Isabel; e se aa primeira o desempeobo foi completo,
na seguoda, se pode dizer sem mado da errar, que
foi cabal.
A rapidez das mutacSes e o bem combinado do
macbiaismo foi tao perfeito, que umitas vezes os
expectadores Qcaram como qu sorprendidos, ao
encanto e trausmuUcSo das passagens.
O trabaibo artstico oo foi meaos perfoo ; por
i|ue quasi lodos os actores se pozeram na altura
dos personagens, que o drama eommemora, e tra-
duzram perfeiiarnente os coslumes saos daquella
poca de moral, de religio e de respeito.
Realmente, quem foi assislir ao drama Santa
Isabel, vio o seu desempeobo e preparo, e se lem-
brar desses lempos heroicos em que os Portugue-
es erguiam as froates orgultiosas, aioda eognaal-
dadas palas Odres eolbidas aos campos de Siota-
rem, con a espada do iramortal Aff.nso Honriques,
e depositadas em ramainetes ao p do altivo pen-
do, oa le as quioas tremulavam aos ventos da Ibe-
ria, que repercuiiain al aos acampamentos moo-
riscos o som dos danos de Saocbo I, terror dos
invasores das campioas do saudoso Mondego ; nao
pode deixar de recoobecer, que empreza alttuma
leria melbor desempeabado esse liado trabalho, ao
qual a arte se coograssa com a historia, e que pa-
ra tal deseraoeubo erajj precisos nao pequeoos sa-
cnttcios, aos quaes o Sr. Coimbra se oofurtua.
Q leo uSo se recordara da fermosa G>imbra,
Novo Banco de Pernambuco
Era liquidadlo.
O novo banco paga o 19. dividendo de
5#00 por aeco, nos dias uteis, das 10 ho-
ras ao meio dia.
Caixa filial do banco do Brasil
em Peraambuco, aos 26 de Ja-
lao de 1869.
De ordem da directora se taz selente aos Srs.
accionistas, qne o thesonreiro esta! aotorisado -
pagar o 27 dividendo das acc5es do banco do Bra
sil, inscriptas n'esta^axa, a' razo de 124000
ciO euarda-Uvros
Igoao Nones Correa,
ALFANDEGA.
endimento do da 1 a 19........ 433:657J911
dem dodi 19................ 36:342*79%
Volumes entrados com fazendas...
i c gneros....
Volumes sahidos com fazendas...
t c gneros...
63
362
------425
Deacarregam boje 22 de oatobro
Escuna prnssiaoa Ernsf Augusf mercadorias.
Vapor inglezO/indadem.
Patacho inglez A L. Palmer.gaz.
Bngue nacional -utmda charque.
ImportaeSo.
Vapor nacioul Cruzeiro do Sul, vindo do Rio
da Jineiro e pirlos intermedio!, m3nifest)U o se-
O Dr. Trislao deAlencar Araripe, oficial da
imperial ordem da Rosa, e juiz especial
do cOmmercio nesta cidade do Recife de
Pernambuco e sea termo po? S. M. Im-
perial e Constitucional o Sr. D. Pedro
II, a quem Deus Guarde, ele etc.
Faco saber aos que o presente edital virem
e.delle noticia tiverem que no dia 14 de nc-
vembro do corrente anno se ba de arrematar
por venda a qoem mais der em praca publica
desle juizo a parte do engeutio d'agua de-
nominada Dous Irm3os, sito na freguezia do
Poco da l'anella com casa de vivennda, sao-
zalla, casa de purgar, e mais utencilios per-
teDenls ao fabrico do mesmo eogenho, ava
liada dta para por 3:032^1*2, a4u<.i M
penhonda por execuco de Jos P< dro de
Alcntara contra Joaquitn Jos de Abreu e
sua mclher.
E nao bavendo lancador que cubra o pre-
. co da jvaliacao a arreraataco ser feita pelo
---------preco da adjudicaco na forma da lei.
47^|0004703! E. pra (jlW c|iegUe ao conhecimento de
" todos nandei passar o presente que ser
publicado pela imprensa e affkado no lugar
do costume.
Recife l de, outubro de 1867.-Eu be-
cundino Eliodoro da Cunha escreyente jura-
mentado o escrivi.
Eu Manoel Marta odriues do Nascimen-
to, escrivaj, o subcrevi.
Trislao de Aleticar Arraipe.
SANTA ISABEL
EMPREZA-COIMBRA.
Bm conaeqoencia de ter se qne. reparar algomai pecas do macbiaismo, a espectculo tpra Jugar.
QUARTA FEIRA 23 DE OUTUBRO DE 1861
A guara represeotac do drama-sacro de grande espectacolo em $ actos e 8 qoadros, orna-
do de msica, transformador, visualidades, fogos etc., etc., Intitulado
Original do Rvm. Dr. Soares Franco, conege prebendado e capitular da S d cidade da Gua-o
da em Portngal
TTULOS DOS QUADROS.
Qoadro !.O pactc com o diabo.
Quadro 2.* Risas i ?iobes.
Quadro 3.*A mendiga da Skrra.
Qoadro 4.* O juramento d < cko.
Quadro 5'A jstica divisa.
Quadro 6.^ A voz hatermal.^ -
Quadro 7.O diadema da gloria.
Quadro 8.Apotheo-e da sarta.


V
^2M? d)\ "., aparador, 1 guarda louca, mesas de sanio, 12
.^*~J "^d cadelras v 1 fa' de sala- de jautar, 2 apparelbos
Relacao das Cartas registradas existentes oe luoga para *ha", 1 dito para jamar, catnpotei-
na administrae3o do correio. desta provincia ras, garrafas, copos, caiixes-de crystai. garios, ra-
para os Srs. abaiX'i declarados. XM.e cln8rd,i' nariinbeira, irem de cosinha e
r\- K\nr.r.-nA t__s i j i 1 mais obiectos-perteocentes a oasa de familia.
Dr. Alcoforado & Irmo, Antonio de Al- Dm fjque,rda prata do Pono com garlos, fa-
metaa e Silva, Desembargador Francisco Do- cas e coloeres em nma cala.
mingues da Silva, Francisco Lucas de Souza Uma orna de eiectro-plaie, orsaao ilia defaia
Rangel, Jos Francisco do Amparo, Malheos e Qma machina eoiiu'
Alves da Rocha, Manoel Igna:io de G. Men-' 1*u A j
on,a No segundo andar do sonrado-da roa estrs-
!!&& Sffif da tbesouraria1 0 Dr. ^l^^^^.,,, .de reti.
de fazenda desta provincia manda fazer pu- rar.sedesla provincia, fara1 leiiopor iotervenCaC
bliCO que acba-se autorisado a vender apo- | do agente Piato, dos movis e mais objetos cima
lices no corrente semestre ao preco de 88 mencionados, existentes em casa de sua residen-
oor cento cia rua esUl!lla ao Bosario n. 41, onde se eflectua
*^.. __> ra' o leilao as 10 horas do da cima dito.
As pessoas, a quem coovier, deverao com-
parecer na referida thesouraria.
Secretaria da tbesouraria de fazenda de
Pernambuco, em2l de outubro de 1867.
Servindo de offi:ial maior.
Manoel Jos Pinto.
Correi geral
As malas que o vapor Cruzeiro do Sul, tem de
cooduzir paraos poitos do norle, sero fechadas
boje (22) as 3 horas da tarde, os jornaes at meio de nm empregado da >lfandpga para este
dia e as cartas admittidas
d* UH
a registros at 2 horas
De 8 fardos com 87 pecas de "lona
caixas com cnocolate.
D. Modesto de la Part eapitio da barca hespa
nhola Isabel eocalbada na liba de Fernando, fara'
leilo por coota e risco de quem perteocer e por
iolervencSo do agente Martio?, com anthiorisaQao
do Sr. vice-coasnl de Hespanha em sua preseoca e
fin no-
AVISOS martimos
141 1
373
------514
guinte :
50 rolos e 15
Pombinha, portuguezas,
: inglezes Nundteps, Alarm, e noruj-
v ti m j sceuario do seguud > acto, que representa Mjnteiro Jnior.
uie dos arrabaldes dessa potica e valente cidade,
uode o Mondejo orre em nm leito de Qoas areias,
adjimecendo em suas margeos, es*a bellas d-i la-
i,e cautaOdS p-o pico pjrtu^nez 7 Quem oo se
recordara dessjs lempos neroi:os veudu a barraca
jo principe D. P-dro em frente dos arraiaes dos
seus apaniguado? Ella recorda perfeiiarnente es
gas courtruccGes qaa-i mouriscas que tanta voga
imnam nos tejidos das cjaquistas ebristaas na pe-
iii)-u a Ibrica.
latas fumo ; a Francisco Alves
; a Antonio Lotz da Onveira Aze-
274 rolos dito
vedo & C.
20 latas e 24
vaes.
30 rolo> dito ; a J. J. d^ Lima Bairao.
Encomraendas : 2 caixas a alfandega, 1
a A. D Carneiro Vianna, 2 barricas a Manoel
Luis Viraes, l volme a F.-rreira Araoj>, 4 di-
to- a Ch ux & G.sl-r, 1 dito a Ju-j W. de M^dei-
gueira de Souza, 2 ditos a L*i
roles dito ; a J. F. da Silva No-
dia
ros,
i dito a Jis N gueira de Souza, 2 ditos a
Desta vez, aioda a Sra. D. Falco elevou-se a al-! Ihacar & G., 1 dito a Leideo Weidman & O. 2 M
tur, do seu papel, e demoostrau todo o seu taleoto! tos a Bravo & G, 1 dito a J. L. Gjn^alves rerret
arti-tico. Ella traduzo perfeilnueote o combate ra & G, i dito a Maaoel Alves Barbosa, 1 dll ao
moral que soffria a linda detcndente de Amadeu, baro da Soledadr.l dito a J. J. G.n?alvesleiirao,
1 dito a J is Antonio Gomes, 1 dito a Vi-ente ter
reir da Costa & Fiiho, 1 dito a Jayme Eocas Go-
mes da Silva, 1 dito a lisses i'ernaubocaao de
Millo, 1 dito a J P. de A. Araripe, 1 dito a Do-
mingos A. Malheus, 3 ditos a J. F. da Silva No
vaes, 1 dito a ordem, 1 dito a Manoel J s de Arau
jo, 2 diios a Meron & C, 1 dito a FI.;uer* &
Filhos.
CONSULADO PROVINCIAL
Recdimento do da 1 a 20....... 'IIoSm
dea do dia 21 ............... :a92#)67
e de .'elaio, temendo nao seguir as virtudes de
seus ant"pa>sad >s, e quando ella nessa luta disse :
ptlre eu sou um t grande peccadora, traduzo to
em esse receto, que pareca ser a herona que*
Itvdm. Dr. S. Franco lembrou-se de trazer a scena.
Sana por dernals enfadonho, e nao o esta am nossa
altura discrever todo u trabalho da Sra. D. Falco,
todava aluda lembraromos os rasgos de genio que
ella apresentou. Ni dual do secundo quadro, quan-
do depois de ter soffndo o dissahvr de saber dos
erios de seu marido, e ver a infeliz Mrria de Gos-
mo suecumbir ao peso da miseria e da loucura,
elia tocou ao sublime, quando disse ao re que
quena aceitar u fimo da mendiga, as segumtes
palavaas : o pltio abandonado nao lempai. Desjja-
v^mo-i poder fazer urna uescnp54o do trabaibo da
Sra. D. Falco ; mas conhecerao nos pequeo, e Q-
nalisaremos dizenlo que a Sra. D. Fako se deve
orgulnar do trabaibo que Um apresentado oo dra-
ma Sania Isabel; por que ooabuma d-s melhores
artistas que teem vindo ao nosso theatro (se algu-
ma lhe tem sido superior, o que duvidamos) nunca
o tena executado com tanta perfeicao e arte.
O Sr. Toomaz ainda desta vez elevou se a altara
do sea papel, desempenbando-o da melhor forma
possivel, e nem orna s vez deciinoa da attitude
que lhe era propria. O Sr. Thomaz artista, e tem
gosto para o estudo dramtico; nada deixou a de-
.DEGUBJMO&.
do ars.nal de euerra
RECSBEDORIA DE RENDAS
GER4SS.
Rendimenlodo dia 1 a 19.......
dem do dia 21..........
24:3554780
JNTMUNA
.. 3:266SS93
.. 5:491* 5
D cunselho de compras
precisa rom rar o s-guiote :
30 arrota de plvora ffcia e 100 varas de brim
pardo.
As '.>esso;>s que quierem vender ditos arti?os,
apresenlem suas propostas na >ala do conselho, as
il boras do dia 22 do corrente.
Cmselho de comnras do arsenal de paerra \1
de catabro de 1867.-Jos Mara Ildefonso Jacome
da Veia Pessoa deMeilocoronel, presidente.
0~clsellrde compras do'arsenal de gera
le guerra p-ecisa comprar o seguate:
Plvora b\i par Canuxaaie de iDfantaria, 30
arrobas.
Oleo de ohaga, nm barril.
Brim.pardo, 100 varas.
As pe-soas que quizerem vender ditos objectos,
apresenlem suas pr .postas na sala do ronselho, as
11 hora< da manba do dia 22 do cerrente mez.
tionselho de compras do arsenal de guerra 18
de outubro de 18G7.-J is Maria Ildefonso Jacome
da Veiga Pessoa de Mollo-coronel, presidente.
O administrador da recebedona da rendas
intoroas geraes, em comprimento a circular o 36
do ministerio da funii de 39 de setembro nlti-
declara qu? Il.-a m-.rcaloo prazo de 60 das,
para o racaty
pretende seenir nesiesoito dias com a carga qae
tiver o palbahote Joven Arlhnr, tem parle de seu
carregamento a bordo, e para o resto que lhe falta
trata-se com os seus eon-igoatarios Antonio Luiz
de OUveira Azevedo & C, no sen escriptorie rua
da Cruz n. 57.______________________________
i'ar.
Seguir' com a possivel presteza para o indica-
do porto o veleiro_e bem conhecido brigue escu-
na nacional Grafa, capito e pralico Jos Ma-
ra Ferreira : (f c alguma carga qae lbe falta
tratase com o oP .Igualarlo Antonio de Almeida
Gomes, a rua da Cruz n. 23, 1* andar. ______
Vara
Vai em direitura o hiaie nacional Linio Paquete,
capito Francisco Ribeiro Barros, tendo ja. paite
da carga ; para o que lhe taita trata-se com o res-
pectivo-consignatario Aotonio de Almeida G^mes
oa roa da Cruz n 23, Io andar._____________
Para
0 palhariote Novaes segu com brevida-
de, tem dous lergos de carga engajada, para
o resto, trata-se com o consignatario Jo5o
Francisco da Silva Novaes, Travessa da Ma-
dre Deuos a. 5.______________________
PARA,
Para o indicado porto pretende sahir com mnita
presteza o patacho Paraense, por ler mal* de doos
tercos de se j carreganieoto : para o pouco que lhe
falta tratase com o consignatario Joaqaim Jos
Gonjalves Beltrao, rua do Trapiche n. 17._______
meado das fazendas cima parte do carregamento
No armazem n. 8 da alfandega, as 11 horas do
dia._____________J__________________
LEIL40
DE
Hoje -11 de outubro.
Angosto C. de Abreu continuara' o sen ledo de
fazendas ioglea- e francezis, por intervenga j do
agente Pestaa: boje 22 de outubro as 11 loras
da manha em posto, em sen armazem rua da
Cadeia. ________^^___^^_____^__
Trasferencia de leilo
O le 13o da padaria, refioagao e confeitarla das
roas da Cincordia n. 9 e da Palma n. lo a qae
se refere os annaocios dos das 14 a 17 de grande
leilo, no Jornal do Recife ns. 237 a 240 fioa trans-
ferido para quiata-fcira 24 do corrente, podendo
se separar ludo o que pertence a confenari', se
assim coovier aos compradores. E mento torna-se recoramendavl pela sna raagolta
de e pode ser examinado em todos os das e a
qoalquerliora. 0 leili sera' procedido pelo agen-
te Pestaa, no indic do da quinta-feira 24 do cor-
rente as 11 horas da manbaa no mesmo eslabele-
cimento.
Para'
41:7575818
'MOHMEITO 110 POETO
K o tuna disso, chamamos desde ja a atteagao ,. .
d- qoem compete, par o aso que vai appareceudo
dos taes vales eatre nos.
__O agente Martins faz hoje leilo de 8 fardos
d lona e 192 caixas com chocolate hespanhol,
pirte do carregamento da oa'ca hespanbola Isabel,
eunlhada na tlba di Fernando.
latera. A que se acba venda
a 4*.\ a beneficio do patrimonio dos ,or-
phost que corre amaoha. j
18
Iepabtiqao da polica Extracto da parto; do
dia 19 oe oatobro de 1867.
Porara recolbidos a' casa de deten^o no
do rorrenle:
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica; Fe-
lippe CavalcaDle de Lima, como sentenciado, viu-
do d i presidio da Femando. '
A'orlem do subdelegado do Recife, Fifederico
1j-, afrieaao livre, a reqalsi{o do coosuhMe Por-
tugal. /
A' ordem do de Santo Aatoa'o, Mojrs Ucboa
Sar:>iva e Ziferiao, escravo de Joaquim do Espiri-
to S.nio, por brlga.
A' ordem do do Peres, Aotooio Peretra de Lima,
por suspeito fm crime de roabo; e Antonio Gomes
4os Santo--, para reernta.
O ebefe da 2' seccio
/. G. de Mesquita.
Rbpabticao da polica. Extracto das par-
tes d i das 19 e 20 de outubro de 1867.
For un recomidos a casa de delenco no lia 18
do correute :
A ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Jos
Joaquim de Barros, pronunciado em crlme de mor-
le nj termo de Igaarass; a ordem do Dr. dele-
gado des i capital, Joao, escravo do Dr. Augusto
de Souza Leo, requerimenlo deste ; a ordem do
sobielegidj do Recile, Diooisio, escravo de Jos
Gjn-Mlves de Azevedo, a reqoeriroeoto deste, Laa-
rentioo Fraociscodos Santos e Adolpho Pedro para
correcco ; a ordem do de S. Jos, Francisco Cor-
rea da R cha e Eslevao da Cuaba Mello, para cor-
reero. jo
A ordem do subdelegado do Recife, Roberto
Fraocisco dos Sanios, para correcta ; a ordem
do de Saot'Atoaio, Jlo dos Saotos Lopes, por
por embriaguez; a ordem do da Boa-Vista, Char-
les G dioim. por embriaguez, Antonio Paulo, Fran-
isco Chinex, Francisco de Soaza Ferraz e Manoel,
scravo de Gmoveva de tal, para correcto. -O
".....- i n J Utinitln
oa, osympatbico da nossa plateia, alo
da revel u mais urna prova do seu talento, quer
o> parte da D. Affioso, quer na do barqueiro, des-
empeonando a ambas com perfelco e gusto.
O Sr. Peregrino, se na primeira repiesenta^ao
trabalhoabjm, na segunda ainda trabalboa me-
lhor, apoderoa-se bem de pensamento do autor, e
traduzo com preciso.
O Sr. Jordain, nao Qcon inferior a seus collegas,
em trabalho. Gustamos de ver elle mostrar a par
da gravidade do sacerdut", a docora e hondada do
pastor caiholioo. Eslava perft lamente a carcter.
A Sra. D. Antonia, cada vez nos vai mostraodo
mais, a somma dos seas tlenlos artsticos ; o sea
trabaibo na mendiga, foi c .mo poderia ser, exprl-
miodo com perfeicao essas dores e seasaedes re-
peuliaas qae alquebram as aculdades da raulher
lapcada na miseria p9la deslealdade de nm bomem
poaeroso e sednetor. A sna crise de delirio quando
iulgou ver o pbaotasma de sua mai moribunda foi
lao (terfeita qaa nao soubemos diffireuc>r i era
um >r;isu, ou urna mulber allacinada pelo soffri-
mento-, quera exprima as dores da soa alma.
O Sr. Lacerda, leve ama parte em qae nao po-
da trabalhar, maito inferior ao seu taleoto ; corn-
udo mostrou-se artista.
O Sr. Raymaodo, apezar da peqaenhez da sua
parle, ainda desta vez, rorroboroo o coaceito de
que goza, sabio ae como era possivel a nm artista
da spa forca sabir de lao mesqainbo papel; ahio-
se muito bem.
O Sr. Texeira, ainda lodobroa de trabaibo, e
coosegaio lado quanto era possi-el, no desempeobo
do criado intrigante e ambicioso ; era am verda-
deiro contelheiro, qae qaeria subir seja l por que
nietos.
o Sr. Santa Rosa, trabalboa bem, sabia o sea
papel e agradou summamentej
Em Qm, toda a companbta credora aos enco-
mios publico ; por qae toda ella, esteva na aliara
das saas torcas.
O drama a Rainha Santa Isabel, cootinaa a ir a
scena, e tem tido muita concurrencia, estamos cor-
tos que continuar a ter; oio s pelos esforcos qae
fez o Sr. Coimbra para o levar a scena com toda a
pompa qae elle reqaer, como tambera por qae
lio exempliOcanle e tao moral, qae a pureza dos
costuraes, os actos de vrrtaie, os exentlos de ab-
negarlo resaltara das saas sceoas, a Nato o perfu-
me paro das Odres, e se vai inocular as. creucas e
coslumes das familias.
Temos apreciado a salisfaco cora qae os espec-
tadores acolhem a esse complexo de belleza e rao-
I ral, qae inebria a alaa, satisfaz ao* cutate, de-
Navios entrados no dia IL
Rio de Jioeiro e p-rtos intermedioodias e si
horas, vapor brastleiro Cruzeiro do Sul, de 111/
toneladas, commandante Joaquim de P. G. Aleo
forado, equipagem 65, carga dfl-trentes gneros.
a Autouio L. de O. Azevedo & C
Barcelona e Malaga41 das doprimeiro porto,,ib
do ultimo, polaca bespanhola Sorpreza, de 2al
toneladas, capito Jos Fontanello.e.joipagem 13,
carga viubo e oatros gneros, a Rabe Scbaraet-
tau & C. ,.,..-
Aracaty10 dia, biate hrasileiro Ntcolau 1, de 47
toneladas, capito Joaiaira Jos da Silva Rales,
equipagem 7, carga algodao, a Prente Vianna
&C
Coquirinbo61 dias, barca ingleza Henry Bath, de
490 toneladas, capito Crae J., eqaipagem 17,
carga cobre; a Sauders Brothers & C. Veio
refrescar e segu para Cork.
Observacao.
Nao hoaveram sabidas.
IDO, Vawvi *|^ > -- -
contados da publicado deste, para a cobraD^a da
laxa dos escravos no correte exercicio, indepen-
der da multa de 6 por cento do art. 30 da le
o. 1507 de 2 do re.Vndo mez, a qual taxa foi ele
vada a 8* pelo art. 18 da citada le. Os colletados
que a pagarf.m oimpj-to dete exercicio deverao
atisfaz-r tarohem livre da multa no mencionado
pmo a difJereoca entre a nova lata de >>J1 p^r
e-cravoea qne se achava esUbelecida (4^00)
Fiodo o praso sera' cobrado o imposto com a IBi>
cada multa.
Recebedoria de Pernambaco 15 de outubro de
Manoei Carneiro de S;u'.a Lacerda.
De_ofde"ro~do~llra. Sr. iuspector da thesouraria,
de fazenda desta provincia se faz Pnl,B2'.TJac.?a
sea venia na mesma thesouraria a 7*600 i>s.
curia ext-molar, a collerjao das leis e decisoss de
i QCfi
As' pessoas a qaem coovier devero dirigir-se a'
referida thesouraria. ___
Secretaria da tbesouraria de fazenda de Peroam-
baco, em 21 de outabro de 1867.
Servlado de offlaal maior.
Manoel Jos Pinto.
Segne em dir'itura ao indicado porto o patacho
nacional Fofnnf?, tPQdo grande pirte da carga ja
engajida, para o resto irata-.se com o sea consigna-
tao Antonio de Almeida Gomes, a rua da Cruz
n. 23 primeiro andar. ^^^^^ _____
fiuioILAO
111. JA GIRO
O rancho Lealdade pr> t-nde sahir para o Rio
de Janeiro com aquella brevidade qne lhe for pos-
sivel, segnndo a cmcurre-.cia da carga que bou
ve* : quem ne'le qaize: ca regar, pode dirigir-se
aos consignatarios Marques, Barros & C, no larg(
do Corpo Santo n 6, oa ao respectivo capito An-
tonio Joaqaim Fiuza.
A SABER :
Roberto, crioulo, 28 anuos de idade.
Domingo?, Angola, 30 annos de idade.
Luiz, Angora, 35 aunos de idade.
Camilla, mulata, 8 annos de idade.
Urna escrava qoe cosinha, lava e engomraa.
A armagio, bal cao, beztrro, cordavo, eouro de
cabra, sola, Bo, borzeguins, sapalos mais i bjec-
los pertencentes a loja de sapateiro a' rua d-. Cruz
n. 31.
Quinta-fcira 24 de outubro as 10 horas
em ponto.
O a;ente Pinto far-' leilo procedida a compe-
lente autonsaro, nao s da armado e mais ob-
jectos da toja da rua da Cruz n. 31, como tam-
bera dos escravos cima unuciooadus, lito as 10
horas do dia cima iodicado na rt-ferida toja-
PORTO.
Pretende sahir para o Porto, cora a maior bre-
vidade possivel a barca portugueza Hamildadeo,
tendo ja meta de on qnasl dons tercos do seo car-
regamento engajado. Para a carga que lhe falta e
passageiros que g 'Zram all de excellentes com-
raodos, tra'ase com os o,asignatarios Marques,
Barros 4 C, oo largo do Corpo Santo n. o ou com
t capito Carlos Ferreira Soares._________
-_-
EDITAES.
rio rtttiai umt-
Pela administraio do correto desta cidade se
taz publico a qeTn Interesar posa, que nao se
demorando os vapores da companbia Messaaenes
Imperiales oeste porto em sen regresse do Rio de
Janeiro o lempo pr-ci-o para se fazer a expedicao
das malas com dir.ccio a Europa, dando assim lo-
gar a qne deixem des-r devianenle processada,
lem resollido qae d*ora em) diante as malas se fe-
as 6 horas da tardado dia anterior ao da
ebem
De ordem do Illm. Sr. inspector da alfandega
se faz publico qoe no dia 24 do correle, depois
do meic dia sero levados a basta publica, livre de
direitos, os segamles objectes :
Mercadorias comprehendidas as disposfeoes do
cap. 6 til. 3 do regulamento de 19 deteteanro de
1860.
Armazem n. 4.
1 embralho marca Tbomaz E. Adeforth, 1 lino
impresso com capa de couro, pesando 2 libras, va-
lor da libra 1 *300.
Armazem n. 5.
1 embrnlbo n. 905, letreiro Manoel dos Santos
Costa Jnior, contendo objeelo de massa, valor
1 caita o. 502. letreire Almeida & C, contendo
ama garrafa com robs anticlfilitlco, pesando o
libras, valor da libra l#3i3.
4 vldros e >m xarope medicinal, pesando 3 libras
valor ta libra 833 rs.
16 caixinhas de papelo com in)ec?ao de qnal-
quer ootra qualidad*, valor de ama 14-
5 libras de pasltlbaa modiclnaes, valor da li
i,?caixa n. 264, marca D. Blandy, cenlendo
libras de papel de peso liso, valor da libra 300 rs.
4 libra anvelopes, valor 800 rs.
3 calas n. 45, marca R C, 34, marca H P 3214
marea C A B, contendo 37 pratos de lonca de po
de pedra n. 1, pesando 30 libras, valor 2
i etabrnjlw, marca I R S, eoatendo prego* da
chegada de s mesroos vapores.
AdminUtraco do correio de Pernambaco 21 ae
oaiaroro de 1867.
O administrador,
Domingos dos Passos Miraoda.
-------
cohheio mu
Relacao das cartas registradas vindas do
sol palo vapor Cruzeiro do Sul, para os Srs,
abaixos declarados.
Antonio de Monn Rolim, tenente-coronel
Antonio Seraftan de Souza Ferraz (Flores-
ta), Carlos Augusto Lins de Souza, Gandido
Alberto Sodr da Motta,*Duarte Pereira* G.
Domingos Ferreira das Neves GuimarSes,
JeroQvmoJoaquim Fiuza de Oliveira.D. Joan-
na Flor nda da G. Lobo Vital, Dr. Joo Fer-
reira da Silva, Jo3o Rodolpho de Miranda,
Jos Angosto Barbosa Coelbo, Leandro Joa-
quim do Sacramento, D. Mara do Amparo
Barreiros, Dr. Marcelino de Moura e Albu-
querqiK, Dr. Manoel do Nascimento M. Por
tolla, Dr. Paulino R>drtgoes FeroandesCha-
ves, Satisti-ino L Tenorio, Tbomat Fernan-
dos da Costa, Vicate Macbado Frere Peret-
ra da Silva.
CMPAMHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do norte espera-
do at o dia 31 de oufobro o
vapor Paran, commandante
o capito de fragata Santa
Barbara, o qnal depois da de-
mora do costme seguir* para
os portos do sul.
Recebem-se desde ji passageiros e engaja se a
carga qoe o vapor Doder coodozir a qnal uevera
ser embarcada no dia de soa chegada, enccmmen-
dE.s e dinhelro a frete at o da da sabida, a x
horas. Nao se recebem encommendas se nao o*
iectos de pequeo valor e que nao excedam de
duas arrobas de peso oa 8 palmos cbicos de me-
dico, lado o qae paasar, destes limits devera ser
embarcada com carga. Previne-se aos Srs. pas-
sageiros que suas oassageas. s se recebem nesta
agencia rua da Croz n. 57.
liba de S- Miguel.
Para o porto cima segae o patacho portogoez
Jorgease de primeira marcha, para carga e pas-
sageiros trata-se com o consigoatario,. Joao do Re-
g Lima, raa do Apollo n. 4;

De um piano de armario, 1 mobilia de Jacaranda,
2 jarros, 2 figuras, jl cama franceza d* jaca-
randa, 1 comanda, 1 toacad.r, 1 nrtbiiu de
amarello, 1 lavatorio, 1 mesa para janlar, 1
aparelho de loug* para jaotar, i dito para aimo-
c i, 2 fructeiras e 2 garrafas de crystal, l guarda
louca, I aparador e oatros objectos de casa de
familia.
Sexta-feira 25 de oatobro
No principio da rua do Pilar sobrado nu-
mero 85.
O agente Pinto fara' leilo por conla de atm fa-
milia que mudou de residencia, dos objectos ci-
ma mencionados e existentes no sobrado da roa
do Pilar o. 8o, aoode se eff ctuarV o leilo a 10
horas do dia cima._______________
De urna mala de *lgeaa com r-OHua e
otros bjecUs.
Sexta-feira 25 de'oulut-o a 1 hora da tarde,
O agente Pinto levara' a leilo por ordem do
Illm. Sr. cnsul de Fraora, urna mala com ronpa
usada e mab objectos per-tencenles ao Bspolio do
ftoado Julio Ulivier Yetay, a I hjra da tarde do
da cima dito no sobrado da rua da Pilar n. 85,
onde havera' leilo de movis.
AVISOS DIVERSOS.
LEILOES.
Grande leilo
De movis, louc, rystaes e prata.
A**ABER :
Dm piano forte (ie am dos melbores fabrican-
es), 1 cadelra de piano, orna mobilia de Jacaran-
da*^ eom i'^ofa', 1 consolo* e 1 mesa redonda com
lampo de pedra, 2 cadeiras de braco, J de ba-
lan5oe 18 de gnarnigao, jarros para flores, ana-
ro eom gravaras, 1 mappa geoirapbioo Aa i pro-.
radeiras. 1 n .P.ra^ipWHo.^d* Jj
Instituto Archeologicoe Gec-
graphieo Peraambucaao
Haver sessSia ordiaaria qaarta-feira. 24
do corrent outabro, pelas lt boras da ma-
nhSa.
ORDEM DO DA
Relatnos, pareceres emais trabalbos de
commissoes; .
Leitura. de tu Memoria histrica e cri-
tica sobre a fundacao do recolbimeito da Glo-
ria, na qual se molrar que o deo Araojo
Gondiii nao fra o seu verdadeiro fundador,
pelo Sr, Dr. F. M Raposo de Almeida. so-
cio efectivo do lostituto.
Recife, at de outubro de 1867.
J Soares de Azevedo.
Secretario perpetuo.

Suqufs
Joaoaim Jos Gooc>lves Bilirio sao
boa 8 Porto : ra do Trapicha *. 17.



Hurl peniMb^ _rer tellr i i 4 utubro de 1867.
W
CASA DA FORpA !
Aos e.oooflv"
BILHE1ES GARANTIDOS.
A'ra do Crespo n. 3 e casas do costme.
O abaixo assignado veideo nos seos muiu feli-
es hilheies garantidos da lotera que se acabou de
extrahir a benettcio das familias dos Toluotarios
da patria os segnioles premios : '_..__-
N. 37*7 doos quintos com a sorte de :WWj
N. 3985 doos quiotjs com a sotte de l:W#.
N. 3418 Dm dbbo com a sorte de W#- ,
E outras maitas sortes de 100#, 40# e w#.
Os possaidores poden vir receber seas respecti-
vos premios sem os descoolos \% leis na casa da
Fdrtoni rna do Crespo n. 23-
Acbam-se a venda os da V parte da lotera a
benecio do patrimonio dos trpbaos (41a) qoe se
extrabira' quarta-feir. 23 do corrente.
Preco.
Bilhete.....6*000
Meio......3*000
Qoloto.....1*200
Em porco de 1005 para cima.
BlIDete.....3*500
Helo......2*730
Quinto.....1*100
Manoel Mariins Pinza.
Precisase da urna ama ae leite : no primei-
ro andar do sobrado o. 40 sito na roa lama do
Boario._____
Ama de leite
Paga-se bem a urna ama qoe tenba boca leite :
na rna da Roda n. 38.
Fogo do ar
Receben) se encomoendas de fogo do ar para
deliro e (ora da provincia : no armaiem da bola
amarella no oito da secretarla da polica.
Etglish Bank
OF
Rio de Janeiro, Limited
DESGONTA letras da praga de prazo cur-
io, a 8|0 e de prazo maior a taxa a conven-
cionar.
RECEBE dinheiro em conla correte e
prazo fixo.
SAGA vista oa 4 prazo sobre as cidades
priDCipaes oe Europa tem agencias na Babia,
Bunos-Ayres, Montevideo Newyork, Ne-
va-Orleanssemille cartas de crdito para os
mesmos logares.
______7 L Furtaram no da 19 do crrenle, na cidade
da Baha, doas notas do thesooro do valor de
500*000 cada ama da i* serie 4' estampa, ns
1713 e 1714, assigoadas por Jos Procopto Pereira
Porte. Roga-se a qaaiqaer pessoa a qoem (orem
dadas em pagamento, oa pira trocar nessa provin-
cia, as apprebendam e dem disto ccnhecimenlo
ao Illm. Sr. ccmmendador Joo Baptista de Castro
Silva. _________________________ ______
Fugiram do eogenho S. Bento, sito na fre
guezla da Luz, no du 12 do correte, dons escra-
vos, sendo nm de boa altura, seco do corpo e do
rosto, barbado e ja' piolando, tendo falla de dea
tes, tnoito ladino e cortez, e ootro tambem creou
lo, altara e corpo regalar rosto am poaeo largo,
pooco Barbado, porem de barbas brancas e falta
de deotes, a barba pintando, falla branda e riso-
nbo, tendo os ps monos fetos e os dedos polle-
gar oa grandes torios para dentro, sendo o pri-
me iro de aome Mrcos e meare de assacrr, e o
segando de oome Antonio e carrelro ; quem os
aprehender leve-os ao relien do eBgenbo oa a roa
do Calderelro, ao Sr. Francisco Qaiuiino Rodri-
gues K-teves, que sera' generosamente recompen
sado.
Precisa-se de ama mulber para o servico in-
terno de ama casa de familia : a tratar na roa da
Cadma do Recife n. -4, 3 andar.________
~~Escrava coslnhelra
Precisa-pe de ama preta cosioheira para casa de
bmiiia : na roa dos Pires sobrado n. 35.______
Em resposta ao annoncio do Sr. Custodio
Jos de Oliveira publicado bontem nesta folha, o
abaizo assignado obrlgado a declarar que falso,
por qoanto o debito do Sr. Custodio foi contrabido
a muito lempo, e qnando Ihe tlrei a coota dzla
que nao poda pagar de orna so vez, e sim em par-
celias, tanto quo endo a coota de .6*710, recebi
primer* vez 5*, segunda .*, por coosegninte res-
ta-me 19.710, mas esta diminota quantia, como
diz o Sr. Custodio, nanea me pr jcuroa para a pa-
gar, &o nao fosse o abaizo assignado ver nesta fo-
(ba o rnesmo anounclando que nada devia, por isso
apresntei-me para receber o que me devia. mas o
Sr. Custodio respoode-me aue s no flm do corre-
le me/, poda paga' a dita coota de t9*710, mas se
o abano assignado qaizer receber logo s se fosse
com abatmeato de 7*. para flear em 12*710, mjvw vj mrmwijwi. $&. J?;10- J.?:?s.6-
pender a qualqner annoncio que publicar o Sr.
Custodio, que em juizo competente provarei o que
allego.
___~__________Luiz Ferrelra de Almeida.
Ao publico.
Previoe-se qae ninguem compre a casa n. 8 do
pateo da Penba, porque ja se acha tratada e paga
por papel particular com promessa de ser passa
da a respectiva escriptura, quem quizer verificar
a vt-rdade de que se expe dinja-se a ra da Praia
n. 24
Alaga-se
o tercelro andar do sobrado o roa de Agoas ver-
des n. 68, mnito fresco e bastantes commodos :
quem pretender dirlja-se ao segundo andar da ra
dos Mariyrlos n. 4.
Aluga-se
O 3 andar a ra da Cadeia do Recife n. 27, com
commodos pafa f. mi lia, concertado e pintado :.
ponen tempo : a tratar no 2 andar das 9 horas da
roanba as 3 1|2 huras !H_MKttil Hupil
O l)'-. Guilhrui.e Niegell, UieOlCu, jgS
consultas lodos es das das 8 horas as 10 2|
da manhae da* 3 aso da ta'de na sua HJl
residencia ra Nova o. 15, especialidade -
rr>"lpsiia~ dos nibo*. \0j
offlCMet r_fl
mm
A uirtccn du Club do Rt-cife tem resolvido
que a nartida do corrente mez tenba lugar na nol
te de 26.
O secretario
Joaquim Leocadio Viegas.
LINDO PHESENTE
PARA
espora e noiva.
Pelo paquete inglez ebegado a 26.do pr-
ximo passado mez, recebemos Dova remessa
de bem feitos e delicados alfinetes de ouro
de lei com peri las, esmeraldas e robins
verdedeiros, para coilocarem-se retratos.
Aind-* temos alfinetes simples de ouro do
lei par grvala e para peno.
Os precos sao mui raoaveis. Na Pholo-
grophiaVt\\e\a roa do Cabug n. 48, en-
trada pelo paleo da matriz.
Criada
Na ra de S. Francisco n. 72, preclsa-se de urna
criada portugueza ou escrava, paga-se Dem agra-
dando.
Preciase de urna ama para o servico inter-
no de urna casa de pouca familia : na rna do Hos-
picio n. K8.'
~l!H-if
O li li.,i el .\! ii .-i oc a i- Si u/.d, a
v gado, reside em Pedras de P tem >ea escriplorlo e pude ser procurado
para os mysteres de sna proflsso, en-
c rrega se de qaalqoer cobranca co cau
ga judicial tambem as cidades deGoUn-
D ePihr.
CABELLEIREIR
GRANDE
Pedido
O ceg Joaquim de Soaza Oliveira pede por ca-
ndada a todas as pessoas e especialmente aos Srs.
inspectores de qoarteiro dos suburbios desta ci-
dade o favor de prenderen) e levarem a rna da
Uoio n. 42, o seo limo Antonio Furtado Ferreira
conbecido por Aotonfcc, menino de 12 annes. bran-
co, magro, cabellos loaros, rosto nm pooco oa-
do, esse sea guia fogio fajando a segointe rou:
pa : camisa branca, caiga preta, paletot de cor es
cora e oem compndo, bonoet azul, tsse menino
costuma quando foge a dizer que orpbo e que
nao lem quem o trate.
Advogacia
O lachare! Jos Roberto da Cunba Sa- jgj
i les, do voita de sua estada na comarca de g2
*2 Garanbuos, tem abeito por ora o sea es- 22
J cnptorio de advo:acla a' rna Direita n. |
| 88, primeiro andar, aon.de pode ser pro- SM
2 curado para os misleres da sua profissao S
91 das 9 horas da manba em diante.
mmmmm--*M m mm mmmm
M*. -haoo Aa _*>.o do Ouro, o. la
do direito, offerece-se urna ama para cozi-
nba. .
Joao da Cuoha Soares Goimaraes convida aos
seus amigos e parentes para asslstlrem urna mis
sa memento que pela alma de sua presada ca
nbada Adelaide Carolina Gaspar, fallecida na pro-
vincia da Baha manda celebrar as 7 horas do da
26 do correte na matriz de Santo Antonio.
M________________________________________MW___r
D. Tb'ereta Gongaives de Jusus Aievedo, seas
filbos a genros agradecem sinceramente a todas as
pessoas qae se dignaran) < de asslstir as exequias
de sua multo presada mal e av t, Francisca, dos
Sanios Burges,
-______________________________
41A
Aloga se orna ama para o servico de casa de
omaso pesoa : na ra do Torres n. 14, 2 andar.
Na rna do Crespo n. 5, precisa se alugar ou
comprar um escravo de boa conducta.
Precisase de urna ama que saiba cosiohar
para casa de rapaz suiteiro ; na roa da Cadeia
o.o.
.Y praca da ludeueudoucia o. 31, toja de ou-
i ives, se d ra' qnem pncisa de orna ama para co-
zinhar e engommar.
Trocara se
as nota do banco do Brasil e das caixas filiaes-
tlom descont muito rasoa oendencia n. 22.
Alaga-se a metade de nasa para pouca fa-
milia D Agencia de passaportfes e por-
tarlas.
Claudico do Reg L ticao da.oolicia tira pagsaportes para dentro e fura
do imp-rio por comroodo preco e prstela : na ra
da Piaia 1* andar n. 17.
U Si Eupieuio
macbinista, faz saber ao publico, que se encarre-
ga de qualqner obra de eocanamentos, como eolio-
car gaz e concertar, tambem bombas para eollocar
e concertar, de todos os systemas-, como lelbados
de cbapa de ferro, zinco e ebnmbo : a residencia
do oachioista na roa Bella n. 13. "
Na roa das Agoas verdes n. 46, precisa-se
de orna ama de leite que nao leona lfio e oulra
tara ctsinhare eogommar.
Atten^o.
N. 2 Boa do Livramenfo N. 25
Deposito de tarnaicos e calcado nacional da fa-
brica da roa do Jardim n. 19, de Jos Vicente Go-
oinbo, tanto no deposito como oa fabrica se apromp-
tam todas as porefies de calcado o mais barato
pessivel. esta fabrica tem todas as machinas pro-
prias para os calcados ja bem acreditados pelo
grande numero de freguexes /rne daqoi so fer-
neceo.
Precisa se de urna ama para cesiuhar e la-
var : na ra do Sebo n. 29.
Attengdo.
O abalxo assignado declara que tem loja de pin-
tor p e'ourador de imagem na rna da imperatriz
n. 82, e previne o respnuvel publico que (s a nos
das imagecs, que lem em sua loja, bajam ce vr
receber, puls ja eslo promptas desde o mez de Ja-
neiro al outuDro do correte anno, e pprevioerD
com data deste ann> em dianle, com o przo al 8
das nesta praca, e (ora sera'at 15 das, se nao
procurarem soaa imageu-, sero vendidas para pa-
gar o importe da encarnarlo, e perderao lodo o
direilo a ellas, e com esta advertencia o aballo
assignado nao Qca responsabilizado por rcflexao
alguroa.
Recife 21 de outubro de 1867.
Manoel Ignacio de Oliveira Martlns.
Festn em Iguarass.
Tendo de festejar-se no da 27 do corrente os
Santos Cosme e Daroiao no dito lugar, acha se
promplo o vapor Cumatagibe para larg.r no rnes-
mo da a's 5 horas da mautia, condonado passa-
geiros mediarte a quanlia oa 3^000 per ida e
vulta : as pessoas que quizerem c.mprar pas-
sagem dirijim-se ao e.-criptono da Companhia Vi-
gilante de R.boque. no largo da Companhia, seo-
do das 9 joras fia manha a's 4 da tarde.
Advocada.
Clavo Crupo, advogado provisionado pelo supe-
rior tribunal da relago.em o seu escriptorio oa
villa do Buique. desta provincia ; e encarrega- e
de qualqu-ir aejao crlme, Clvel, commercal.e ec
clesiastica, nao someote nos teirnns desta, como
em todas as comarcas das proviocias 'Alagoas
Parahyba, Rio Grande do Norte e Ceara'.
Recife, 28 de ontubra de 1807.
Um mogo ebegado de tora habilitado enfer-
meiro, sangrador e dentista e o" mals que pertenc-
a sua arta deseja se empregar em algum ensenbo
ou em algnm hospital ou ra-a administrar alguma
fazeada : qoem precisar inja-ss a ra das Cru-
zes n. 36, luja.
- CJLB~DORECIFE "
A partida do corrente mez, ter lugar na
noite de 26 e previne-se aos senbores so-
cios, que se acbam atracados no pagamento
de suas mensalidades, que n5o podem tomar
parte nos divermeotos da casa sem que se
moslrem quites com a sociedade, visto assim
o baver resolvido a direcc3o em virtude do
disposto no artigo 6o dos respectivos esta-
tutos.
O secretario,
Joaquim Leocadio Viegas.
N. 6,ra do Queimado primeiro andarN. 6,
MO Ulitis CABELLOS BltAUCOS.
- Tintura instantnea para enegrecer os cabellos em um minuto sem offender a pelle t
Gabinete reservado e desente para tingr cabellos
com perfeico, presteza e mdico preco.
Turne i
nico preservativo de caspas e calvice.
PREMIADO PELAS EXPOSIQOES DE PERNAMBUCO E RIO DE JANEIRO.
Sali para cortar e trizar cabellos, e fazer barbas.
BEM MONTADA 0FFIC1W BE CABELLEIREIRO
11400C
8*00
8*00C
n oo
3*5
2*000
7*000
7*000
8*000
1*000

onde com esmero e gosto se manufacturara, quer para a provincia, qoer para fra della, todas as qualidades de posticos |>^
modernos e de apurado gosto, accresceodo a grande difterenca de ser O OjO mais barato que em outra qoalquer parte. gj
7\a
i:\plentIldo sorlmento de ca ellos, em eres e em eomprimento,
].6. RA 1IO QlTEIMiDO _VG.

G a 5<
B a?
T3 OJ o ss
-1 O
o s
O "T a
B CD
2# as' O CA ai.

m* o -1
-i ct>
Bf o
S -
O <
B o
ce s?
"
o y: o oa

^2
a
CB
3
a
o
Tendo de se liquidar a loja de calcados da roa
do Imperador o. 32 .-
Borzegurs de Melll......
Ditos de Sazer.......
Ditos de diversos fabricantes. .
SapatSes de bezerro Suzer.....
Borzegoms para meninos e meninas'.
Ditos ditos ditos.......
Borzegoms de lustre para horneas
(Sazer).........
SapatSes Helli.......
Bo'zeguins cordivio. ... .
Botas para montarla.
Peroeiras e gaarda lama.
Sapatos de tranca para meninos. .
Sapatos de coaro de lastre com salto
para senhora ...... 2*000
3anoel Power Jonuston & (iempankia
Ra da Senzala Nova n, 42.
AGENCIA DA
Fnndlciode Low Moer.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavados.
Moendas e meias moendas para engenho
Tanas de ferro coade e batido para enge-
nho.
Arreios de carro para nm e dons cavallc
Relogios de ouro patente inglez.
irados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
|p/ Motores para ditos.
' Machinas de costura.
f-^~i>
SB __l
Aluga-se
A casa da roa das Aguas-verdes n. 25 : a tratar
na roa Bella o. 45.
Precisa se de nma ama para casa de peque-
a familia preferiudo-se escrava : na roa do Cres-
po n. 7.
Fedegoso de Pernambuco
A planta, conhecida eotre nos sob a de- i
nominado de fedegoso, e no Rio de Janeiro S*fff>*flP
a pro incias do sut deste imperio pela de[W JJ ErJ 5_S_do?4?S5 1
crista de gallo, e o tiaridtum utilissimum l$8 imperatriz. m
ou tiandium etonaalum de Schum, e o he- WMMMS^K^^&MMW^M
liotropium citroisadium de Mart., pertence j Nl secretarla da Saota Casa d, M.ser.cora
a familia das boragineas. | do Recife precisa-se fallar a S. Leandra Carnei-
0 fedegoso considerado, na therapeoti-.ro de Onveira.
ca pernambucana, como urna das plantas
mais recommendaveis por suas virtudes cu-
rativas, e applicado interoa e externamen-
te, como calmante do systema nervoso, na
paralysia, asthma, tosse convulsa ou coque-
luche, tosses recente? e antigs, suffocages,
catarrhos pulmonares, etc., e em geral con-
| tra todos os soffrimentos das vias respirato-
rias ; sendo nm exceliente unitivo para
aquel es que padecem de phtisica pulmonar.
Sua i licacia contra o ttano ou espasmo
incontestavel, e ninguem ha que a deseo-
abeca.
Mo ignorando nos o que acabamos de di-
zer, e esforcando-nos por ser til humaoida
Companhia fidelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Janeiro
AGENTES EM PERNAMBUCO
Atuuio Luiz de Oliveira Aievedo & G.
competentemente autorisados pela
directora da companhia de seguros
Fidelidade, tomam seguros de na-
vios, mercaduras e predios no seu
escriptorio ra da Cruz n. i
Aloga se para passar a festa ama casa em
Olinila com muitos bous commodos para familia :
de soffredora, preparamos o qoeabaixo indi- !>onUa S*1? e mQit0 fresca a t _ r _.r _*.- .nn.Wrin inr.tr. a G* haIaIIikIa* lk-
camos, pondo a disposicao dos distinctos m-
dicos, e dos doentes desta e das outras pro-
viocias deste imperio nossas preparacoes,
que sao:
Alm do grande sortimento das melhores machinas, americanas para descarrocae
algodao, de .0,12,14, 46, 18, 20, 22, 23, o, 35, 40 e 50, neste estabelecimento sr i
encontra mais o seguinte:
A JLRtll_EIML
em extracto alcoollco, emplas-
tro, oleo, tintara, pllulas, xa-
r pe e vinbo.
A JUHUBEBA urna das substancias me-
dicam^ntosas que pertencem ao reino vegetal
e emram na classe dos tnicos e desobstru-
entes, sendo empregada com vantauem con-
tra asfebres intermitentes acumpanhadas de
engi-rgitamento de ligado e bago.
Ella tem sido aplicada ora incontestavel
proveito contra a anemia ou chlorose, hy-
drope>ia catarrho da bexiga, e mesmo para
excitar a menstruacSo difficil, resultante da
mesma anemia ou chlo.-e.
o arrobeTeetal
Es muito superior aos xaropes de CUISI-
NIER, e de LARRUY. De faci'digesto, a-
tradavel ao paladar e ao olphal, elle cura
radicalmente, srm mercurio, ioJjs as affec-
coes da pelle, impigens, alpo-cas tumores,
ulceras, sarnas degeneradas, esen fulas, es-
corbuto. E' sobre ludo poderoso as moles-
ti s rebeldes ao mercurio e ao iodurcto de
po.assi.
XAROPE DE SALSA IMRRILHA DO PARA'
ou
DEPURATIVO DO SAXC17E
USADOS N-S MOLESTIAS DE PELLE. IMPIGENS,
DORES RHEUMATICAS EULCERAS VENREAS
PILULAS AH'TI PERIDICAS
Contr asfebres intermitentes, on seioes
Concordiajonto ao Sr. solicitador Abren.
ss ;. &-ssi:g
o 2 <
ar i
fi9
- -
n -^
s r s
Mlta"
"2 S-S S. '2 2fflc
E q
S o _. a 9 i
a
O
O
en 2
S?
M
73
9

oa a
S 1-9
B 3 S o-
er _, g
g S! _. 3 9 &_! *
4?gi-ilisr_;
.?"8I"t_t K
S Eg,ia>*-I>
03 5 !_. S
F2 5- -, 5 ga p
^ 53
o 5
5-
O
3 5 es
Vi 03
7.
-
-'
l

33.--U
* Sil
a p -g
o. w
o
* er

>

>
1
o
a
g p
8 _. S.w
"8 _?2._*
S ? P .M
* a -,
3 5"
m 2 ca _J
a, S -1 -5 o
o a ". "
ji "< a>
o. 5
o 1 S: Sa
<" S S- a
_ o o
I Lt
C 3 :
S ffl
H
a^enho
Arrenda-se oa veode^se muito barato os eoge-
obos S. Boaventura. moenle e corrente, novo e
com mullas malas, distante meia lopoa da estajao
da estrada de ferro, do RiOeirao : bem como o en
genbo sacco em Ipojuca, b>-m conhecMo por soa
bondade : os pretndanles dirilam se a ra do Li-
7ramenio o. 19.
Morada barata.
Aloga-se a frente de ara primeiro andar de nm
sobrado em boa ra. com 1 sala, 1 gabinete e -
guarios, com agua e gaz oa escada : dirija se a
roa estrella do Rosario o. H.
Precisa-se de ama ama para engommar, co-
s obar e eompr.r : na roa de S. Bom Jess das
Cralas n. 41.
Azeite de espermacete propria para machi-
nas dc-iodas as qualidades.
Vapores de forca de 3 a 4 cavallos.
Serras avulsas para machinas.
Manc5es e todos os mais pertences para as
mesraas.
Carros de mao para aterro.
Cyliodro para padarias.
Debulhadores para milho.
Arados americanas.
Escadas de madeiras americanas.
(arrinhos proprios para armazens.
Moinbos para refinacoes.
dem para m'lbo.
Machinas para cortar capim.
Rombas para regar ardas.
Vaquetas para cobertas de carros,
Camas de ferro sortidas.
Rombas de Japy.
dem americanas.
Ferros a vapor para engommar.
Vassouras americanas.
Baldes americanos para compras.
Tioas de madeira.
Ballams e cestas de verguinhas.
Guarda comidas.
Peneiras d'arame para padarias e refinacoes.
Correntes para almanjarras.
Machados e faces americanos.
Caixas com vidros der todos os tamanbos.
Catinos de chumbo de todas as grossuras.
Folba de cobre dem dem.
dem de lato idem idem.
Folha de Flandres.
Ferro de todas as qualidades.
Aras de ferro.
Latas com gaz.
Trens de porcelana para cosiuba.
dem estanhadus para dita.
Bandeijas Gnas.
R-ilani;.is americanas.
dem rovervaes.
Taixas de cobre.
Estanho em vergoinhas.
Folhas de ferro de todas as grossuras.
Correrles de ferro sortidas.
Espingardas de todas as qualidades.
Revolvis de iodos os modellos.
Ferrainenta para ourives.
Iiem para tanoeiros.
dem para ferreiros.
aiai_?i a flna.ioir!
0 MULUliU' tem accSo directa sobre os
centri s nerv .sus, e por isto faz dormir sem
determinar aflluenria de sangue no cerebro
como o opio e substancias simples que delle
se extrahem, peln que o somoo tranquillo
e reparador, olma a tosse as bronchites,
e modera os accessos de astiima e de toss
convulsa.
TODOS ESTES MEDICAMENTOS SAO PREPARADOS
POR
Joaquim d'Almeida Pinto.
PHARMXCEUTJ. O EM PERVAMOcia..! -
Roa l^rga do Rosario N. 10113 4
________Juta ao ijDai'lelile p HU
Hrccisa-se alocar urna escrava na roa a
CooceiQo n. l, na Boa-vis qoem tiver pode d-
rigir-se a referida casa.
Aluga-se urna casa com 4 salas a cosinlia
fora por detraa da refloa^ao do Monteiro : a tra-
tar no caes 2. de Novembro n. 26, e mais 4 qna
fleam na frente da refinacao.
Precisase alugar urna escrava ota criada pa*
ra o servico de cosinbar e lavar : na roa Pormosa
d. 15, 1* andar.
Quem preeisir de orna pessna para caixeiro
dfl eseripturaco annuoele 00 deixa carta uetta
15 pograpbia com a Inlciaes A. B. C
s: S A -Ra do CabagW. 8 A
Agostinho Jos dos Santos # C
Acaba de chegar a este estabelecimento um esplendido sortimento de
joia do ultimo gosK perfeicSo artstica e modellos enteiramente novo; como
seguem: aderemos com rubim, esmeraldas e perolas finas, pulceiras, broches
pira retrato, aunis, botSes de punho, brincos e cassoetas com letras, etc..
etc., etc. Saiviis de praia do Porto, faqueiros, pallteiros, cal'X de mesa t
fructeiras, eujos precos sao incompetiveis, pois qoe os proprietarios desta casa,
recebendo seus artigo*, directamente da Europa, podem servir vantajosamenta
aos seos freguees. Compraco-sebrilhantes, podras finas, ouro e prata, page
se bem, tambem se incumben, de fazer concertos.
Preria-?e alonar um sito na ex-
'er^ao da linba frrea a Apipucos
luem fver algum dirija se ao escrip
lorio d. 4, a ra do Crespo.
Ama de leite.
Precma-se de ama ama de leite
Corpo Santo D. 17. 3* andar.
DaeT:000(iOO a premio
por cento, dando-se peobor
na praca do
de um e meio
de ouro ou prata ;
quem pretender dinfa-se ao paleo do Carmn ao
Sr. Jos Juaquim da Silva Guimares qae elle dir'
quem tem o dinbeiro para o contrato.
Precisa-sa de am criado para casa de pooca
familia, prefere-se escr.vo ; ua ra da Imperatriz
n. 3, loja.
Precisa-se de ama criada para casa de poo-
ca familia : a tratar na ra do Impeador d. 32,
loja. ________
Precisa se du 2 000*000 a 2:5003 a premio,
com bypuihera em csa terrea ediOcada a moder
na, oa fregoezia da Boa-vista : dlrijam se os pre
tendeles a travessa do Oavidor, casa de Corrlelro.
Da-se W#f00 mensaes pelo .sfT*i$o de nma
escrav qae ctlobe e ensaboe ; a ra do Rao-
ia__ia___a--a^^^
Joaquim Jos Gon^alves
Beltrao
RA DO TfUPlCUE N. 17 i 4SDAR)
Sacca por todos os paquetes sobre o Bancc
lo Minho em Braga, e sobre os gaintes lugs-
era Portugal,
aber:
Lisboa.
Porto.
Valenea.'
Goimaraes.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famelicao.
Lamego.
Lagos.
Covilbaa.
Vassal (Valpassos.)
Miraodella.
Beja.
Barcellos.
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabeleci-
da nesta praca, toma segaros martimos so-
bre navios e sen carregamentos, e contr
(ogo em edificios, mercaduras e mobilias :
a rna do Vigario n. 4, pavimento terreo
m_n
m
Leciooa-se a solfejo e a tocar varios
instrumentos daBdo se as llcSes particu-
lares em soas propria casas, das 5 ho-
ras da tarde at as 9 horas da ooite : a
tratar na roa Augusta d. 30 oa nesta ly
pocraphia.
O ab.iiu a-signaou laz publicu gue o Sr. Li-
baoio Presidio de Carvalbo desde o da 30 de s-
lembro fol exonerada do logar qoe oceupava
caueiro de sna casa eommerrul
Recife
?, 16 de Dombro e 1867.
x


ft
larlo de rfernMibBen Terca lelrt
867.
N. 2 D ^ N. 2 D*
P*" CORCEO DE URO. ^&

iSS^SSSHF
ea so
da obras.
dlm.nmo^pr^^e^^n^mjwerno^a^^ ^ mnp/DQ aoUo oaae 0 eocontrarao no coragao d.
ouro) voltas de ouro com -
nubllco avallando o dselo qoe deve ter o propietario de nm novo eslabelecimeD-
poDiico viiuu m oon,n,ar
ta emadreperola obra de moderno gosto (o qoe o eocontrarao no coragaci oe
complate crusinba ricamente eufeitada pelo pequeo prego de12* br n-
Uo por oo mdico prego, cassoletas, traoeaItai. Plce^ ,f S^JE.
, o?HtorottemoCorcaodeOnronnieoiDpleloe bem vanado
2S tatosotra Dnnbos com diamant, rublos e esmeraldas obra esta Imp
. ..5 IXenbo. brincos a forma dadelicada maoslnha de moca com
tratos e
ment, no
dito para casa-
sortiraento de diversos
unte ja' pelo seo va-
pingeote contendo es-
mesmo Rosto, reto-
nfe&al^^^^
gios parasennoracravados de pe^a* prensas -d *f"J6^ ""om letras, cacoleta de
noito gosto, crosmhas de rabws esmera Jas, pero lase JWJJJ J .Sernrba Ja e qoal-
rystal e ooro descobem {^SSi^^ que os pretenderes en-
quer jola, para MNMH^J"* E3JS52 oda a amabilidade aos concorrentes delxando-
contrarao no Coragao de Ouro Q s cD?erY* J (desculpem a maneira de fallar diiendo-se
se de aqol mencionar precos de. certos *g^S^gSSEr qoantia a vista do sea valor,
prego talve !. 2"JSonK prata e pedras preciosas, e tambem recebe-se concer-
"^^oft S^aX SS e'dao-se'dbr.s 5 amostra com peobor-, conservando-*
e Coragao de Ooro,aberto*"*^}A de Oaro nao se podera'engaar com 8 casa, pois
0222LHL^Slwtd^pQdo de araarello, alem de outrd qae se nota em um
^ffXSSSS^SSSS^ tar!. ia' a.gamas pessoas engaado com outra casa.
M HA IM
ATTENCAO
,Vo armasm ce fazendas de
Santos Codhpttua do Quei-
mado n 19.
Bou e barato
Lansinhas Poil de Chvre a U o*covado.
MadapolSo enfestado a 8$ a peca*
Cambraia de cores matisadas finissimas a
800 a vara.
dem braocas transparentes finas de 44,
5J000, 00, 70, 80 e 90000 a peca com G
jardas.
dem branca tapada de 80 e 90 a peca
com i 2 jardas.
dem branca franceza muito larga a 90 a
pee com 8 varas.
Baldes de 35 e 40 arcos nesgados para
senhoras, a 40500.
dem de mursulina nesgados a 50.
dem de crochet a 50.
dem de mursulina para meninas 30 e
305oo.
Saias bordadas a 50.
Cambraias' admascadas para cortinado a
120 a peca com 2o varas.
dem para forro a 30 a peca com 10 jar*
das.
Cambraia de liho muito fina de 60 e 90 a
vara.
Madapoloes finos de 60, 70, 80, 90,100,
110 e 120 a pega.
Platiiba de algodao superior fazenda para
saias a 30200 a peca com la varas.
Cobertas de chitas de ramagem a 206oo.
Lences de hamburgo fino a 20400. 'de dos freguezes e a sea capricho.
dem de bramante muito fino a 30200. Existen sempre promptos no deposito in-
Pannos adamascados para cobrir mesa a dicadonarua Nova n. 38, um completo sor-
4500. mento de obras solidas, bem construidas e
Guardanapos de linho adamascados a 401 a precos rasoaveis, como sao alambiques.
prador.
ue um elegante estojo para viagem
CONTEMDO:
1--20 cadernos de papel braoco, pautado, beira donrada, mareado com as iniches do com
Fabrica e fundicao de bronze
e outros mttaes, Caldeireiro,
laloeiro, e funileiro, situada
a Soledade, iua do Prin-
cipe n. 3, e com deposito na
ra Nova n 38, da cidade
do Recife
DE
BRAGA & SAMPAIO
Fabricam-se neste importante estabeleci-
mento todas as obras concernenks as artes
respectivas como sejam:
Alambiques de todos os tamanhos em
feilios, os mui acreditados aparelnos de
Derosne com as dimences delicadas dos
fabricados em Franca.
Fabricam-se avulsas quaesquer -pecas des-
apareaos, como sejam o dilatador, ratifica-
djor e condensador, ou esquema garapas,
resfriador, serpentinas interiores.
'" Fabricam-se bombas de todas as dimen-
ces e qnalidades, pelo systema francez ou
americano, simples, de pressao, repuxo, e
com especiaiidade a estanca rios assim -&p
nominadas pelo enorme volume de agua
que absorvem calculada em 100 pipas por
hora, e das quaes algumas esto promptas a
serem experimentadas.
Existem bombas por este systema, me-
nores, para regar sitios, garantindo-se nao
s sua duraclo como a grande quantidade
de agua que fornecem pelo que sao cons de-
radas boje as primeiras bombas conhecidas.
Todas as mais obras se fabricam vonta-
Jyal sem segundo.
Ra do Queimano n. 4-fl.
Qocr acabar coa as fazendas abats
mencionadas.
Queiram vir ver o qae bon e baralissiLO.
labynntho com bico, fazen

J (00 envelopes brancos.
3100 penas de ago (m>rca langa).
Vi caixa obreias de gomma.
5I tlnteiro de vidro com tampa de metal.
6*1 arieiro dem dem.
7i pjo de lacre.
8-l caivete de doas folhas.
9i lapis.
Mo\ a?objeeioa reunidos, dentro de um bonita caixa. Mtt para este .flm, custam apenas

RS. 6W00
unmm mum*
Ra larga do Rosario n. 37
ontinua-se a alugar-se espacosas salas e quartos mobiliados, recebem-se penciouis
\as para servirem-se comedorias com asseio, e leva-se tambem ao domicilio.
Ha para vender coose^utivamente de noiie, excellente e variado sorvete, e a toa a
hora verdaeiro e fino chocolate espanhol.
5-
Na roa Nova n. 46 deseja se fallar ao Sr.
Anuncio, esiaflante do quarto aaoo.___________
~ CntiT>am fgidos os meas escravos segntn-
te : Jjo Sos, crionlo, alto e aeeo ; Pedro, tera'
45 aDnjse idada, fifgido em 1831 ; Tnemoiheo,
Africano, estatura regular, cheio do corpo, eoxo,
representa 60 aanos de dade, fgido em 1858i
Am*rj, Africano, alto, seco, representa 60 gapa
de iJaae, tagiao em Bes Ob setembro de 1866 .
oram todos escravos do ngentio d'Agua, do Talk-cido Herrrique Poppe Giro villa de Igaarass boje pwtenneoi ao Sr. Or. i
francisco Jos Carn-ire da Cunta : quem os
prender podera' le.va-lo< ao meo sino na estrada
Jos Vital de Negreiros, com taja e
oficina de oarives a ra do Imperader. n.
30, previne ao respeitavel publico qnie se i
acha com grande sortimeoio de jolas novas,
de variados gustos, o que est vt-ndento por j
todo o preco qua o^ freguezes queiram, as-;
sira como concerta oda e qualquer obra por
mais inatltisadas ^ue estejam, cujas precos]
convidaio, garantindo-se a presteza e segu-!
ranea do trabalbo:
Coocertis em trancens e cordes
co n cor........1 '000
Bit- em pulseira, al reles e rosetas
fieando obra nova.....liSooo
Dito em ailis, dedaes, leques de-ma-
dreperola ou sndalo .... 1<5ooo
Cravar brnhantes ou diamantes. 0oeo
LTJia pedra qualquer.....o32o
Limtia se baixellas completas por ooou
Pecas avulsas, 12 colheres para cha ou
sopa* por........>i>00
Urna salva para um copo. f53-o
Urna dita para dous dito. 0'ilo
Dita para tres ditos. ..... I&X'O
Aimel em ponteira de espumma. 23)00
Compram-se
com premio moedas de ouro e de prala'nacieoaes
e eslraogeiras : na ra da Cadcia do Kecife o. 16
armaiem de Adriano, Castro & C.
Cjojprase por mais duque em ooira qual
quer parle, prala brasileira e estraojjelra, libra
Rbterlinas, moedas de 95 e 16* portugutzss, d
53, 10* e tO brasileiras 'e >e trocaui sdala
das canas filiaes do Baen bo Brasil : Da ra da
Cadera do Recite n. 58, leja de atnlejo.________
sadia que coziohe e
a duzia.
'Amainado adamascado com 7 1/2 palmos
de largura a 20 a vara.
dem adamascado de linho com 7 1/2 pal-
mos de largura a '-S a vara.
Algodao enfestado com a mesma largura
a 1 :Mm a vara.
dem trancado de algodao a 15600 a vara.
Toaluas alcochoadas de linho lisas all
a duzia.
dem de algodao felpudas a 130 e 14
a duzia.
Colchas de fustao a 60.
Leucos de cambraia brancos finos a 10800,
20 e 20500 a duzia.
Lencos de cassa flmssimos a 30200 e
306Ou a duzif.
Fil de linho liso a 8oo a vara.
dem com salpicos a 10ooo a var
Grosdeoaples preto bom a 108oo, 20 e
208oo o covado.
Morantiqoe preto superior a 208oo o co-
vado.
Flanella de todas as cores a 800 rs. o co-
vado.
Tarlatana de todas as cores a 8oo rs, i
vara.
Bramante de linho com 10 palmos de lar-
gura a. 20500 a vara.
dem de linho com 5 palmos a 102oo a
ara.
dem de linho com 3 1/2 palmos a 8ooa
vara.
Riquissimos basquins a 250000.
Assim como outras muitas fazendas que I
Compra-se urna escrava
eogomnre : bj ra da PcBfia o. 23, te andar.
Moedas de ouro.
Nacionaes e estraogeiras assim como libras
esterlinas: campram-se na roa do Crespo n. 16,
pmmerro andar^_________
Compra-s ouro e praia em obras velbas :
ea praca da fndepen',"r::a u. ti.__________
serpentinas, taxos, passadeiras, repartide-
ras, escumadeiras, cocos, candeias, e muitos
outros oteuc'lios prepnos para engenhos,
como sejam mancaes de bronze, parafuzos
para rodas de agua e outros.
Cavilhas, machos para lemes, pregos de
todos os tamanhos e para o forro de cobre
de navios.
Aprompta-se tudo quanto diz respeito as
obras de lalo torneadas e polidas com toda
a perfeicao.
Vlvulas para tanques de banho, torneiras
de todos os tamanhos e qualidades, assim
i omo todos os ornamentos para militares,
botoes para farda, aparelhos para barretina,
nmeros, espheras, espadas, cornetas, alam-
padas turbulos, caldeirinhas, uavtas, aimo-
farizes, perfumadores.
Obras de folhas de (landres de todas as
qualidades, babs, bacas, bules e outros
utencilios domsticos.
Lampies para gaz para engenhos, folha
de flanres em caixas, folhas de cobre e la-
tao, tubos de chumbo para encaoamentos de
todas as dimences, folhas de zinco, estanho
em barras e verguiuha, lances e barras de
chumbo, vidros finos pira espelhos, de co-
res, bordados, e opacos, e outros para vi-
dracas, diamantes para cortar vidros, cadi-
nhos ordinarios e de patente, rea para mol-
dar, folies para ferreiro. lavatorios com ba-
cas e jarros, trra podre e outros ioumeros
olijectos proprio de taes estabelecimeotos.
Sendo todas as odms inspeccionadas e
feitas sob a direccao do socio administrador,
Jos Baptista Braga o qual se acha de novo
1

MOEDAS
owo e prata
Cempram-se moeaa de ouro nacionaes e estra-a-
piras,"t'm como pataeoes des diversos conhos r
era casa de Adamsoe, Howie & C, ra do Trapi
che-nov "Moedtis de prata
nacienaes, assim como patacoes portogueies i
tiespactes, compram-se com premio : na ra do
Crespa n. 1C, prrmeiro andar. ___________
Com multa ranagem.
Com^ra-se por mais premio que em qualqoer
outra parle moedas de prala e ooro; a ra do
Crespo n. 19, toja.
Comprase
Cobra, lati e chumbo : no arms7.em da bela
Alaga-se para passaoieolo de festa, wliam o.tao_dajecretiria da polica.
urna casa no lugar da Capuoga. acabada de j Ma0f Vnta^6m
novo, cora frente guarnecida de azulejo,; 0 cora$o de oaro raa do Cabug n. 2 D, off-w-
com porlo de ferro ao lado, cacimba, tan- cee -ea compra das moedas de uuro e prata.
que, algrete e um pequ. no sitio murado, --------Bomba
a qual ofiVece commodos sufcientes para j Nl ^j 6i i^peralri )U|a o. 8. comrn-a-se om*
uma familia : a tratar cora Paulo Jos lio-, bomba de cacimba, yt esteja em bom eiKado.
ra nova de Santa Rita n. 13.
SS e Ee ^trasdeTur1" ^ especialmente incumbido da gerencia oe t
l^e istras oe tuno,-------------importante estabelecimente, isso uma ga-
ranta pela sua longa pratica, qoe tem os se-
nhor.es freguezes de que sero servid is a
contento, com prumptiSoe preco commo-
do, pelo que os propietarios me sero agra-
decidos.
Miudezas baratas;
LOJA DE SOUZA SOABES & IRMAO
Una \ova a. i
Rosetas de cores, em
a UoOO.
VENDE-SE
Motores americanos para doos cavallo.
Dito dito para quatro cavallos.
Mucbmas para descarogar algodao de !*,
18,20 30, 35 e 40 serras.
l'rencas para enfardar algodao fazendo os sac-
eos coro 6 palmos de comprimento com o peso dt
150 e 200 libras, vindas ltimamente da Americi
oo armazem de Henry Forster 4 C, no caes P&
dro II n. 2 jonto ao abineie'Ponuguez._______
Vinh" puro
Cbegaram barris de quinto com puro vinbo do
juro, garaotiodo se qanao tem confeicio alita-
rriaaescep^o de um bocadinho de agoardente
que Ibe bularam para poder resistir a viagem,
U>te genero e o melhor qoe tem vindo ao mer-
cado e muito proprio para osar as horas de o-
mida e vede-se por preco em conla : na l~ja e
armazem do Pavo ra da Imperalriz n. 60, de
Gama & Silva.
timeiiio
Vende-so cimento Poriland no armazem de
Vicente Ff rreira da Costa & Filho, ra da Madre
de Deas n. 22, ____
caixinbas de uma duzia
ARROZ M CASCA
^^500 : no iri-
Vende-se em saceos grandes a
piche do Conba.__________
mes,_
Ferante o senhor juiz de paz do 1
districto da freguezia da Boa-Vista, devem
ser arrematadas no dia 23 do crrente, 12
cadeiras de mogno, duas ditas de bracos, 1
sopli, 2 conslos e l meza redonda erna
tampo de peoras; penhoradas Olympio
Ferreira daSdva; ultima p'aca, por exeerj-
Cio de Marques,Gimes &C. k
Ao jangada,
Pede-se-lhe como director que da S, R.
T., luja de tratar osS....., 6om mais deli-
cadeza, pirque bater o p nao proprio da
sua capacidade.
Na pra$a da ^dependencia n. 33, toja de
ourives, compra-se^onro, prata e pedras preciosas,
e tambem te faz qualquer obra de encommenda e
lodo e qualqoer coacerto.
Uomprai-sc escravos
Silvino GaUherme de Barros, compra, vende e
joca effectivameute escravos de ambos os sexos
-de todas as Idades: a' roa do Imperador n. 79,
erceiro andar.
VENDAS
COMPRAS
I* rata
Compra-se nacional ou estrangelra com maior
premio de qoe em ooira qu^qoer parte : na pra-
ca da Independencia n. 22.
Ouro e prata,
-M>edas de ooro e prata eslraogeiras enacionaes
de todos os valores ; compram-se o loja de oorl-
ves ao Arpo de No-sa Seob-Ta da Conceicao da
ponie do Recife, assim como ooro e prala em obras
velba, bri'baotes e diamantes, pagando melhor do
qoe ero nnir qnalqner paita.
Couip arase 5U a-cns da caixa filial
ama rio Traoiche Novo n. 26 em casa de
Pal ha de. Oorcory
?ia ra da Prala o. 33, eslabelecimenlo de Cas>
tollo Braoco & Horeira, veode se pelo mais com- ,
moilo prego palba do Ourlcuiy. fazeodo grande J gjje garj do Livramento d. lo.
dlferenra a quem comprar porgo.________
A ttencao.
Vende se nma mulata, a qu-l engomnia, cose,
coztnha e lava cutn perfeigo : a tratar na roa da
Cruz n. 22, botica franceza.
Vinbo soperier em caixas de orna duzia e
tem para vender Antonio Lniz de Oliveira Azeve-
do & C, no seo escriptorlo roa da Croz n. 57.__
= Vndese um caroeiro graods e muitu gordo
proprio para criancas montarem por ser multo
manso : qoem pretender dinja-se ao largo da ma-
triz da Escada, a fallar com o sactrisiao.
Carnauba
Vende-se cera de carnaoba em saceos, sendo de
-uienor qualtdade : na loj> dn Pavao roa da Im-
peralriz n. 00, de Gama i Sdva._
Fundicao da Aurora
Taixas de ferro cuaflo, bom sortimeoto e qoall-
dade snperior________________^__^
Vende-se
saceo* cora farinba d mandioca, pelo baratisslmo
pre > da 3*200, assim como outras de melhor qaa-
lidade, qoe 'ista di pre^o os preteodeotes nio
eixarao de comprar; no Forte do Mallos, trapi
Brincos a Lalo de coresduna a 1{6C0.
Grampas com cabega de vidrudazia a 160 rs.
Agalbe.irus de metal, sonidosduzia 4'iO rs.
Ditos de madeira, piotadi*duzia 2i0 rs.
BiSes de. mnelioba dourados para punbo du-
zia do pares 1900.
Ditos de maoreperola para camia-grosa 5C0rs.
Ditos de a?o para caiga-a grosa 2iO rs.
Libras de lioha. piiroeira qualidade em novel-
Ios sonido, a 23500.
Libras de dits, seeuada qualidade, em novenos
sortidos a 2 e lioO.
Caixas de dita com 50 novellos a biO rs.
Duas de dita do z com 40 novellos a 600 rs.
Ditas de dila de marcar a 240 rs.
Ditas de dita branca com 10 novellos grandes
a560rs. M .
uzlas de carros de llnha de 100 jardas a
Dozias de ditos de linba de 200 jardas a ISiOO.
Dozias de cartoes de dita preta e branca a
Miadas de linha de rorlz a 150 rs.
Caixiohas com soldados de chumbo a 120 rs.
Espelhos com moldura dourada a 120 rs.
Penies de la?o dourado para coco a 500 rs.
Dilos de lago liso para dito a 440 rs.
Ditos dourados com lloresduzia a 2*400 rs.
Ditos de blalos muito bons para alisardazia
" Ditos de cbire, faieoda boaduzia 1*100.
Dedaes amarellos e prateadosamia i40 rs.
Altioetes em cartas de 14 pentes a O rs.
Duzas de calimbas de clcheles a 640 rs.
Dozias de carlSes de dilus a 600 e 900 rs..
Espoletas verdadeiras B. B.caixa a 100 ?s.
Pegas de uta para coz, larga com 10 varas a
Ditas de Uta de seda c % com 8 varas a 260 rs.
Cadago branco para soroulaspega 50 rs-
La de todas as cores para bordarlibra 5*800.
fino, sortl-
LOJA DO GALLO VIGI-
LANTE RA DO CRES-
PO N. 1.
Os proprietaros deste muito bem conhe-
do estabelecimento tem a satisfago de levar
ao conhecmento do respeitavel pnblicoqne
acabara de receber pelo ultimo vapor da Eu
ropa om grande e variado sortimento de ob-
jectos de inteira novidade, dos qnaes se li-
mitam a mencionar apenas um peque o nu-
mero fieando o respe tavel publico na serte-
za de que neste estabelecimento sempre en,-
conlrarao um c mpleto sortimento de arti-
gos de gosto e inteira novidades como sejam.
Cintos
Os muitos desejados cintos com pontas,
bordados a vedrilho, fazenda de muito gosto
e completa novidade, respeito a estes ciotos
n2o fazem observares c sim dei&amos a
apreciado d s esclarecidas freguezas isto s
no Gallo Vigilante na ra do Crespo n. 7.
Loque**
Muito Irados leques d'osso, madeira, sn-
dalos, e madreperola ; pretos, brancos e de
cores, e muito se tornam recommendavei
pelas bonitas paisagens.
Flores
O melhor que se pode desejar neste arti-
go as quaes parecem naturaes assim como,
tambem recebemos uma pequea porco to-
das pretas e se vendem na loja do Gallo
Vigilante ra do Crespo n. 7.
Capellas
Mui lindas grinaldas brancas e de cores
aquellas para noivas, e estas para bailes, ca-
samentes e baptisados.
Lavas
Luvas de todas as qualidades para se-
nhora. hnmpm. mp.n na*. Pnrlil dP alCOdO. ,
fio da escocia, seda e pelica muito fresca e
do fabricante Jouvin, paree -nos que nao ha-
ver qnem ignore que por todos os vapores
da Europa o Callo Vigilante, recebe grande
quantidade desie artigo e por isso sempre
tem sortimento a vontade do comprador, e
tambem n5o se valle da falta o seu prego
sempre o mesmo.
Pentes
Muito bonitos pentes de tartaruga para
coque e alisaros cabellos, assim como para
arregagar os mesmos e muitas outras quali-
dades.
Escovas
Grande sortimento de escovas, para roupa,
cabellos, chapeos, deutes e unbas, sendo de
osso, bfalo, baleia, marfim e madreperola.
Xa v ai has
Superiores na/ajhas pequeas para bar-
ba sendo cabo de marfim, tartaruga e ou-
tras qualidades, as quaes o fabncaute ga-
rante a boa quabdade.
Abotuaduras
Chegarara as aui lindas guamices de
botoes para colle es faen la de gosto, assim
como graude sortimento de botoes para pu-
nhos.
Melas
Variado sortimeoto de meias de seda,
fiosda escocia ealjodao, sendo para senho-
ra, hornera, e menina, assim como de luvas
para os Kvds. sacerdoies.
Beogallas
Finas bengallas cora castes de marfim,
ossos, madeira e baleia, etc., etc. assim como
para meninos.
Ti'iiq ufabas
Touquinhas ricamente enfeitadas para bap-
tisado, ditas de ponto,de crochet proprias
para recemnasctdo as quaes se tornam re
commendaveis.
Binculos
Superiores binculos de marfim, chagrera
e outras qualidades, tendo todos elles bons
vidros.
Fitas
Grande e variado sortimenlo de fitas la-
vradas, lisas e achamaloladas, larga e es-
trella, tudo a vontade do pretendente.
Hit os e lleudas
Superiores bicos e rendas de seda, verda-
deiro linho e algodao, brancos e pretos.
Trancas
Muito lindas tragas de cores e pretas com
vidrilhos e sem elles para enfeites de ves-
tidos e basquinas.
perfumarlas
Grande e variadissimo sortimento de finas
perfuma! ias dos melhores fabricantes ath
o presente conhecidos.
Croas e Tercos
Lindas croas e tt-rcos de couquinhos en-
grazados com fio de prata e cruzinhas do
mesmo metal, e sao mu delicadas.
Llvrlnnos
Lindos livrinnos com capa de "tartaruga
Toalbas de
da boa a
Carreteis de linba com 100 jardas a .
Grvalas pretas e de cores multo finas a
Caixas de obreiu de massa muito noval a
enfladores para espartilbo de cordio a
Ota a..............
Carreteis de linba Alexandre com 400 jar-
das a .............
Sabonetes moito finos a 60, 160, 200 e
Ditos de bolla mnito finos a 240 e .
Miadas de lioha froxa para bordar a .
Varas de cordao para espartilbo a .
entra volteados para regacar cabello de
menlras a............
Frascos de macaca' oleo moite Abo, a .
botoadoras moito finas para colletes a .
Candes de lioha branca e de c5res a .
Libra de ara preta superior a.....
scovas par falo, fazenda boa, a
Varas de franja branca de linho para
toalba a.............
Pe^as de bico estrello com 20 varas mnito
bonito a..............l*m>
Varas de papaflna de dlffeientes largu-
ras a 120,160 e..........
Caixas de palito balao a........
Caixas de palitos de segnranea sem ea-
cbjfre a.......'.....
Sabonetes de familia a 100,160 e
Grosas de botoes de madreperola para
eamisa a.........
Cariilha de dootrina chnsia a
Latas com superior banba a......
Qaadernos de papel pequeo superior a -
Duzia dB baralbos francezes superior
Groza de pbospdoros muito superiores .
Coxis a retalho do- mesmos.....
Caixas de phospboros de vellinba contendo
500 velllnhas moito superiores a
Reamas de papel almaco moito superior
Resmas de papel pautado superior qoa!i-
dade................
Dozias de meias para bomem.....
Dozias de melas cruas molla superiores
3*000
30
500
40
(O
MO
320
320
SO
SO
320
120
508
JO
61
iOO
200
40
60
240
500
320
200
20OTt
ib
160
2#b'0O
3600
4JQO0
GRANDE BAZAR
RA NOVA N. 20 E 22
Machinas para descarocar algodao. do me
Ihor autor que tem apparecido na Amrica
E' tal a execucao do machinismo, que o al-
god5o sahe quasi 15o perfeito como o de bu-
landeira. Recommenda-se a atteogo do3
Srs. agricultores, estas machinas.
Vende-se na loja la pvaca
Independcneia n 39.
Capellas mortoarias para serem coliocadas em
tumbas, catacumbas e sepulturas no cemiterio pn-
blico para o dia 2 de iroverobro (finados) das es-
crii-cSes segointes :
Meu pai.
Minba mai.
Meo esposo.
Minha esposa.
Meo filho.
Minha fllha.
Saudades.
Uma lagrima.
Amizade.
Meu amigo.
Meu irmo.
Minha irmaa.
Na mesma ioja ambem tem
marmore obra prima. ________
Vede-se on aloga se um grande sitio na
alto da ladetra do Barro, freguezia dos Alojados,
o qual tem duas moradas de casas e mollas (roe-
teiras, coniu sejam jaqueiras, maogueiras, ci.qui-
ros, cajueiros e outras, e moila itrra para plaua-
5I0 : a tratar na ra da Senzala velba n. 84.

capellas de nedra
Vendera-se eaibros mullo baratos
das Barreiras o. 9.
no becic
Vende-se um sallim ioglez com seus parten-
ees : na roa estreita do Rosario p. 16.
Pechincha
Vende-se a armacio s-6 ou com 03 poneos gne-
ros que tem ; oss Cinco I'ootas o. 68, a praso ou
a dlobeiro ; pechincba.
Veode-s ora piaoo im bou estado J| #ma
machina de costura muito forte ; na raa no Impe-
rador n. 50, i andar.__________________
Horros
Vendem se tres .borros moito bons; para ver
nos Remedu, sino do Tenorio ; para tratar na
ra do Crespo n. 16. I.- andar
Pataca da Rossia
E' a que se vende por prego o mais barato por-
que a mais nova qoe existe nn mercado clrcums-
laocia essenclal qoe este artigo demanda para pro-
dozr o t-ffeito deaejado, A vjpta que aprsenla a
barrica qoe a conim conUrma o ter chegado ao
mercado mais recenteroenle- possivel : no arma-
zem deasocar de Jo- da lla Lnyo Filbo & C.
Veadese um cabrMet dn 4 rodas e um ca-
valio soperor t a tratar na roa do Crespa d. lo
Attenco
Cal. e Lisboa nova, a ultima ebegada.
Men. irlo.
Loona da Rossia.
Cabos de liobo.
Liabas.
Vinbo do porlo em barris de O e em garraias
Pospboros de segoraoca.
Na roa do Vigario n. 19, prlreiro aodaiv____
Directorio paro cha i
ou
NovUstoio manual dos parochos
obra atilissima aos parocbos, saos coadjutores e
es sacerdotes em geral.
Um volme prego 6.
Vende-se na nvraria Econmica ao p do arco
de Santo Antonio._________'__________^__
Vende-se ama casa com 2 quartos, 3 sala?,
cozinba, quintal e cacimba, Uta de novo : a tra-
a r narpadoPadrPion>nnrK7L^^_____i^
Vende-e uir terreno em Caebanga' com
frente pafa a estrada que segne para a Varzea (co-
nhewda por estrada d'agua frrea) cujo tarreno
tem 90 palmos de frente e 150 de fondo ; a .tratar:
na ra do Amorim o. 37. armazem.
Veode se um;t cama de ferro, de casado, bas-
taite larga: na roa Nova o. 8, ioja de trastes,
Garante-se sincerldade e barateza nos precos.
ALMANACH
DR
LBMB BAMBAS
LlSO-BKMLKlRJi
Para 1868.
POR CAST1LH0.
Vende-se na livraria Econmica defronte do arco
de Sanio Antonio.
Farinlri de mandioca
inal a da Muribeca, tem para vender no
seo escriplorio Jnaquim Jos Goocalvas Bel-
tr5o : ra do Traptuce n. 17.
muito proprio para as Eims.* senhoras, isto
so na loja do Gallo Vigilante ra do Crespo
n. 7. ___
Pecas com 10 varas de laby'rioto
memo estreno a 1*300. ,en I para missa contendo finissimas est mpas,
PBusphnros de cera em eaixiohas-auza dno rs., r______
Ditos de pi encerado sem cbelro duzia de cai-
xinhas 360 rs.
Cartilbas da doutrioaUhrlstaa a 320 rs.
Ubrelas de colla em caulnhasduzia 320 e
Sabonetas finos para tolosdozia 800 e 1*000.
Facas egarfos, cabo Je ossodozia tiSOO.
Fivella para cilos, pulselras. perfumaras de
todas as qualidades, traocas, meias, etc^ etc., e
tudo o mais qoe seja tendete ao sortimeoto Je
miudezas, lenageos, qoinquilharias e candieiros a
Vinho de pura uva sem
composiclo
Caegaram algons brris de.~te delicioso vinbo e
veode-ee nicamente oa rna da Cadea do Recife,
armazem de Ferreira i Uatbeus, ena raa do Amo-
rlm n. SO, armazem de Joaquina Francisco da Silva
Jaoior.
ao.
Vende-se superior alg"do da Mala, proprio par;
roopa de escravos: na rna do Vitarlo o. ?6.
Veode se orna machina a vapor de f.irc '>
seis cavallos, de perfelia ronstra<-ca<>, com ti)da_i
ferragem precisa para mover varias macbmas ri:
descarnar alrr, lea
do a proprledade de ser fcilmente condolida pr-
estar montada sobre rodas. Vndese igualnipnt
por preco muito barato para liquidar om moto
americano para doos cavallos com iodos os perier
ees para o mesmo Jim, nma prensa d enfarda
algodao de systema moderno, e de moita torca
alguns tooeis do 5 e 6 pipas de capacidade, pri
prios para destilacao de engenbo ou depo-iios c
mel : a ver e tratar na fabrica da travessa do C:
rioca n. 2, caes do Ramos. |
__Vende-se por prego commodn por carecer c
alftuos reparos o coter nacional Erna, que i
acba aocorado defronte do Caes do Ramo: a ir."
tar oa roa da Concordia, casa nova derroi-te <
sobrado n. 15, oa na Prara de Pedro I', hvrar
da lolancia. ___^^___
Vende-se orna mulata qae cozinha. lava
engomara, e faz lodo o servico de casa, muito fie
a pessoa qoe qalzer, procure ne-ta typograpbi
qoe se dir' quem veode. ______ -
Calcado barato
Borzeguios de pellica para bomem a 7#.
Dito de bezerro para dito a 6*.
Dito de seobnra a ki.
Dito de menina a 2*.
Na praca da Independencia n. 37 e 39.
"VEMDlvSE
uma tarcaca nova, construida o noo i.as>do,r
rega 36 caixas, e arha-se fuodiada na escadiol:
quem a pretender dinja-se a roa do Crespo n
que achara' com quem tratar.
Carro novo
Vende-se um carro de 4 rodas sem ser
e torrado : para ver e tratar na ra do
n. 22.
pini
Jas
Ctiegou atinal
A. pomada galopean
para cara rpida e compela dos callos daros.
VENDE-SE NA
Botica e drogara
Da
Barfholomen A C.
34Rui larga do Reaarie34
Cal de Lisboa
Cal de Lisboa nava a 4f
Apollo o. k
barril: ra d*
Terrenos
Antoflio Botelho Pinto de Mesqnlta coolinta
vender terrenos no seo sitio do foodao, antes o*
checar em Beberibe, abrtodo nma estrada no mea-
mo sitio, qoe a trawaaa o rio de Bebenbe, segu a
lo eneaoameoto da, aoas qoe vio forneci ea
Olinda; no mesmo sitio achara com qoem tratar,
nos domingo e das olis, oo no Recife, raa 6
Cadea, loja de fazendas n. 54 A.
Veode-se por prego commodo nm escravo de
40 aooo, boa Bgura, robusto, e proprio para
qoaiqaer servigo : a tratar na travssa do Carioca
' d. i, caes do Ramo?.
Vende-se nma taberna das melhores da
Jos na roa do Noguelra n. 49, propria para j
gresso e commodo* para grande familia,____
Vende-se ama armacio de taberna
(o barato para qualqoer principiante :
na roa Imperial n. 117, taberna.______
por
a ir
Bren
a 21 a arroba e em barrica por moilo menos
armazem d bola amarella no oilo a >ecre
da polica.
2;000
Vende-se breo a 21 a arroba e em barrica
moito menos : oo armatem da bola amarell;
oiiSn da secretaria da polica.
- Na senaria da Boa-Vista lugar oroumi
Pinte velh, vende-se tabuad) de amarello e
oor baraiissimo prego, tanto em porcdss i
retalho, o amarello tem de comprmeme ma
30 palmes.
T


Urlo de Pcriuikei... vtr<* felra til de mtmkro de ,867.
DO
DR. SEVIAL.
Para o traiamento e cara rpida e completa da moleatiaa syphiliticas, eris-a-
las, rheumatismo, bobas, gota, debilidado do estomago, mflaoimacSes chronicas do figado
a baco, dores sciaticas, cephalalgias, nevralgias, ulceras chronicas, hydropesias, pleuri-
08, gonorrheas ohronicase em ge al todas as molestias en* qae setenta em vista apu-
rifieaco do systema sanguneo.
ConalderaeSes geraes
A saude um bem inapreciavel, cuja importancia e valor s est reservado to:6nt
ermo o avalia-lo.
iocontestavel que o homem nesle mundo constantemente, e por todos os lador
atacado por urna infinidade de agentes morbficos que todos tendea dadas certas e deter-
minadas circumstancias, a alterar o regalar exercick) das funccoes orgnicas, resultanbo
pesse desequilibrio o que se chamamolestia.
A molestia nao mais do que a desvirtuado das toreas vitaos, occasionada,- d,
gando as investigacoes e experiencias dos mais abalisado mestres da sciencia, pela depra-
vado dos humores geraes, consequencia da accao maligna desses mesmos agentes mora e
Seos introdundos no organismo pelo acto da respirado, pela via digestiva, pelo contacto
inmediato etc. etc. etc.
A syphilis infelizmente tem sido a partilba da humanidade, e como fra da dun-
da que esse terrivel Proteo da medicina urna molestia hereditaria, ella tem sido obser-
vaba em todas as idades, e debaixo de todas as suas formas Uto variadas, enfraquecendo
cofistituicoes robustas, produzindo mutilacoes, e cortando ainda em flor da idade vidas
preciosas.
Eliminar da economa esses principios deleterios. e purificar a massa geral dos
aumores tem sido desde tempo immemorial o fim constante da medicina, e os purgati-
vos flguram em primeiro lugar para preencher esse desiteratum ou fim.
O Elixir depurativo do Dr. Sevial parece merecer a preferencia sobre todos: os
mmensos successos obtidos pelo uso deste salutar ageie tanto na Allemanha, como em
Franca e Italia, o tornam o companheiro inseparavel de quasi todos os doentes.
Sendo as melestias, como cima dissemos, devidas s alterares dos humores, o
Elixir depurativo do Dr. Sevial pode ser empregado vantajosamente na syphilis, erisy-
pelas, rheumatismos, b&bs, gota, debilidade do estomago, iafiammagSes chronicas do
ligado e baco, dores sciaticas, cephalalgias, nevralgias, ulceras chronicas, hydropesias,
pteorisias, gonorrheas chronicas etc. e em geral em todas as molestias em que se tenha
em vista a purificaeio do systema sanguneo; pois que orna pratica constante tem feito
ver que elle indispensavel nos casos gravissimos para minorar os soflrimentos, e pre-
parar o doente para medicac3es superiores ; as meaos graves a cura a\ conse-
quencia do sea uso, convenientemente repetido.
As substancias que entrara na composiejo do Elixir depurativo do Dr.' Sevia
ertencem todas exclusivamente ao reino vegetal, e grande cathegoria das substan-
cias depurativas e antisyphiliticas; assim, ao passo que este remedio depara o orga-
msmo, elimioando os principios nocivos saude, pelo mecanismo natural das evau-
aces alvinas, neutralisa ao mesmo tempo o virus syphilitico quando este virjem.
iem feito erupcao ao exterior debaixe de suas multiplicadas formas; e previne taui
nem os estragos dessa terrivel molestia, quando por ventura se ache ella ainda no
astado de encubando, isto ', sem se ter manifestado sob formas externas.: beneficio
mmenso, taato mais quanto neste estado os individuos ignoram completamest se es-
So contaminados por este terrivel inimigo.
O sabor agradavel d'este Elixir convem a todos os estmagos, a sua acc"o so-
-StJ#Jf? 1?HSnal ,suave e benigna, e de nenhuma forma Droduz molfl*tas tnft-
.amentosas, como acotece ao purgante dito Le Roy, que na sua qualidade de drs-
tico rorte irrita a mucosa intestinal, e consecutivamente a seroza, resultando deste es
.ado, muitas vezes, hydropesias, que quasi sempre terminam pela morte do doente.
Assim_pois esperamos que o uso deste remedio justifique cabalmente as nos-
ms asseveracoes, porque sendo um medicamento to simples na sua composicao, a
pratica tem confirmado sua ulilidade.
nico deposito em Peraanibi.
Na botica e drogara
DE
VfiNZA
Ao respeitavel publico pernambncaao pede-se
320, 300, 800 e U s no
AUengo
lanteiga ingleza
ar
II: i se acba vista.
Manteiga franceza
em horas 560 e 640, em barris se far differenea.
Banha de porco
em libras 320 e 380, em porco se far differenea.
Fructas
em calda Pera, Pecego, Rainha Claudia, Alperxe e outras muitas 800 e 640 a lata.
Portuguesas 640, francezas 900.
Fumo
em latas do Para ede albaneqae, lata, 10 e 14200.
omina de nallho
em pacotes, dita da trra 100 e 2001 libra.
VlBho
de Bordeaux em caixa a duzia 50, garrafa 500, dito de

NEL
Vnde-sa mal a ra do Ap3lo a. i.
rU4RM tCI i
DE
Joaquim de Almeida tinto
Ajurubeba contra o ingorgi
tamento do figado e do baco
Em extracto a I en ol ico, emplas-
tro, oleo, tintura, pllulas,
arope e vlnho
Oax
em lata de 3 gales e mais pequeas a vontade do comprador, em garrafa.
Alpiste
.40 e ie o a libra, paioco a 400 a libra.
Azelte
em garrafas a 800 e 10.
CHARUTOS
ene>caxa de 50 por {&, ditos Delicias, Trovadores e Parisienses em caixas de 100, ditos
da Exposic3o caixa 50, ditos de Regala caixas com 100 a 20500 e outras muitas marcas
que s na presenca dos compradores.
PREZUNTOS
de lamego em barril, ditos de fiambre o melhor que ha no mercado por preco aue faz
admirar!! r *
a **n ,. D0CE DE GOIABA
caixoes de 560 fino, dttos de 10500 que parece marmellada, dito om latas muitofloa
qualidade a 10200.
BOCETAS
com doce secco a 10 e 20.
QUEUOS
do Alentejo em latas chegado pelo vapor Oneida, ditos Flameagos e Pratos dos mais novos
que ha no mercado.
AZEITONAS
de elvas como no mercado n3o temos
melhor.

Barthotomeo Companhia*
34-RUA DO ROSARIO LARGA-34
; PREPARAgOES FERREAS-MANGAHICiSi
aPPROVADas PBLS ACiDBlllA BB MBDICIHA
DE BURIN D BUISSON
rtarBictalie, tamo stla ladtcia e E*feM O tu
tSfTtUSSS'SHfi ? nhima *<*> e sen Tralaio de Tkera-
/"Z^Lrit^L**?^? ^e **** POT causa o empobrec men-o
peutica
rSSST Penl0?'JsemPre "ticamente unido com o ferro.
J^jssxsxtr $e",fo -sr"Medicos' cijamtMe ua tefl^
1 POS ferreS maDganiCOS tSt, ^mente nma agua, acidalada,
econ..!, ,, faZ0M-' 6radvel, subsUtuiodo com vanueem
X- ^^ mineraes ferruginosu. ""^w
2 flalas c larope de iedureto de ferro e de mmm inalteraveis
222d*.nma cinc, r? de iednreto de ferS mancanico indicadas
Io firages de lactato de ferro e de Baisanese 1 "ceiudts, 22Umwt
o n:i_T- J. i i ? VBV J P chloros, a aae-
rmias e cartmnato Terreo raanuanco v fry?** ***
Jj^nur u. du. prepara, di ZlEZ miST "** U
c*i^ZVTan *** obwr. d,,ert<, Pe* i* rbliee nefr a
d1s^ald^eX.Tpar,a"'|iW, ****** P^^^^
y th Pvn***, i Hntt gKt Uamtw t g>t ph.na.^ti^ n a duzia, 800 a garrafa, dito a I
140 a dazia, 10200 a garrafai dito do Porto a 80,120,180, 240, caixas de dozia, assiml A jorubeba orna das substancias medi-
como flgueira caada 30500 e 40, puro J A A Lisboa 20800, 30 e 30500 a qualidade camentosas que pertencem ao reino vege-
convida. tal, e pertence a classe dos tnicos e desobs-
truentes, sendo empregada com vantagem
contra as febres intermitentes acompanhadas
de engo gitamemo de Ogado e de baco. Ella
tem sido applicada com incontestavel pro-
veito contra a anemia ou colorse, e hydro-
pbesia, catharro da bexiga, e mesmo para
combater a measiruacao difficil, resultante
da mesma anemia ou chlorose.
Depesilos genes
Em Pernambuco, ra larga do Rosario
o. 10, Ro de Janeiro, pbarmacia do Sr.
Deurado, Rio Gran le do Sol, em casa dos
Srs, Casco & C, Macei, pbarmacia do Sr.
Claudino, no Havre, pbarmacia de Mr. Ma-
rica!, em Lisboa, na pbarmacia do Sr. Feij.
i mu mmmm mmmm mm 3
^Pharmacia especial horneo
pathlca do Dr. ablno O.
jg L. Pluho.
Cha de Ia sor te para oso das
8 pessoas que se tratam homeopathi-
camente.
y0 Vende-se em pacotes de libra a
>M 352OO rs.
Ra Nova n. 43.
mmmmmmmm mmmmm
0 eordeir providente
Na antiga loja de miadezas a ra do Quei-
mado n. 16.
Teodo sempre em vista alo roabar o tempo aos
seas reguezes com exleo^os aoouacios ; mas
tambem oo querendo qae os mesmos [regaezes
Ignorem o que de novo tem elle recebido, por Isso
resumidamente o dir': chegando assim ao co-
nhecimento de todo<< qae a diti loja do Cordeiro
Providente, ra do Quemado n. 16, recebea o se-
guate :
Bonitas e doradoras ligas de pellica para meias,
taato para sentioras como para meoinas.
Leques de diversos e molernos gostos.
Pentes com eafeites doarados e nao doarados,
para meninas.
Coques simples e enfellados, moldes inteiramen-1
te novos.
Bom papel em calxiobas liso, paatado donra-'
qae mea- I
qae se ven -:
ro Previ-!
a 10 a lata, em barris do Porto a 10 como nao ha

Em liquidadlo.
O proprietario destes dons estabelecimen-1 Pnnna fafn oa^a1
tos tendo muita fazenda em ser e desojando! ^^upd lOIld U8C1011 liquidar para vender mais barato que pos-' ven sivel na ra da tmoeratriz lojas earmazens 8<5. Poetas ditas de meia casimira a 10600
da Arara, ns. 56 e 72. Ie 30- ditas de brim pari a 10600, 23400
Alpacas admascadas para vestidos de senho-1? Pf?; di:,s,b"ncas. de linbo a 3^00-
ras 500 e 720 rs *0 e50: palitots de casim ra preta e de co-
Vende-se alpacas de assent. branco com' Smin a % %^S Francisco Jos Qennann
fRA NOVA N. 21,
acaba de receber um lindo e magnifico tor
timento de ocnlos, lunetos, binculo, do al
timo e mais apurado gosto da Europa e oes
los de alcance para observa&oes e;par
martimos.
Fundigao dAurora em
Sanio Amaro
Completo sortlmentc de tanas batidas e fundi-
da*, alambiques de lodos es lmannos e fundos de
ditos, moesdis de todos os lameobos de superior
qualidade, crlvos e boceas de foraaib, o qae tade
se vende por coromodo prego.
Vapores.
Vende-se em casa deSaunders Brothers A C.
o largo do Corpo Santo b. 11, vapores patentes
om todos os perteoces proprios para raier mov.
es nn inatro machina para descansar alfodio
Pars, 36, Rna ViTtoM, V
CHABLEmedecinspcial
AS E.NKKHMIDAHAS DES SEXUAJSS, AS AITIC
- rilTANEAS, E A '..TE&ACOEfl 00 SAKOE.
SO.OOO caras du impingtnt.
puituUu, kerptt. toma,
rsSMMM, aerwumia, sl>
ler(ou,mciotcu dotanau4\
_ i>in, alterafou do a*
e iXarope vetiutal wni mercurio). S>(>araeac
egiiM:iiAKa toaito-se dov
por semana, segu:ndo o tractameato Depurativo: "
Mprtgartd as mesbas molestias.
Este Xarop*Citrctodt *s;
de (UlAIII.E, cura immedi.-
umente qualquer purou ao,
relaxafao, e deoiliaaae, e
igual Diente os /tusos /toree
iiancn a^ mulheres. P.st injeccao benigna tav
ircia-so te lampe de Ciliado de ferro.
ue POMADA ANTIHERPETICA
Contra: o-r./fecfOM cutneas comixou.
PILLAS VEGETAES DEPURATIVAS
<-. f cbavbie, cada fresco Tai aceoaipaat4o A
AVISO
OEPURATIF
SA1VG
ecmHu
AOS SRS. H8IC0S.
''Ufa CQtarrho .'--ii'*
ronnrluche* rrrir.;.<)**
nervms *u ChtO* e totiut um ii*rr;<;a*
lu pato; !>ft>U Jn) loKllt
UrO||fl D' KOHGSt
hr. roias^B em Paria, mm Vlvi*eaot* "o
A venda na pharojacia de P. Maurer f
e C, era Pernaraboco.
i'iiiha dt-
Ditos 160 o covado. 1 i fi da Ifflp8ratrz loJas da Arara
Vende-se ditos em retalbs a *60' rs. o' Organds de eres a 640 rs a vara
covado, ditos em peca a 200 rs. o covado : Vende-se cassa organdis de coras a 640
retalhos de caca preta a 120 o covado: re- e 70a vara: talatana de cores a 800 rs a
talhosde caca decores a 200, 240, rs o co- vara: ra da Imperatriz lojas da Arara "
vado : retalhos de laasiohas a 160, 200 240 36 e 72.
rs. o covado: roa da Imperatriz lojas da Madapoloa 4^000a peca.
Arara ns. 56 e 72. Vende-se pecas de madapolao com 20 va-
Bnm pardo transado a 560 rs. a vara. ras a U, 50, 6jl, n, sle 10,?: ra da
Vendse brim pardo com peqneno toque Imperatriz loja da Arara ns. 56 e 72.
de mofo a 560, 640 rs. o covado: roa da Casimira emfestada a 1$ ocoviro.
Imperatriz lojas ns. 56 e 72. i Vende-se casimira enfestada de duas lar-
Laazinhas a 200 n rnvzn 8Dras a #* 1-5600 e 3a o covado nannn 'sea}pre D0 ,D8lbur esUdo de P,rl^0> a^" po's
uMuuut, a zuu o COvarJO. nonreto a 600
Vende-se Iasinhas para vestidos de se- 3. i **', >?&M0' Wel#: ra
nhora a 200, 240, 280, 320, 340 e 400 rs da ImP.efat"z loJas daA0rKara ns. 56 e 72.
o covado : na roa da Imperatriz lojas da Ara-1 Van*lg 8m,- Z* e 4 a Pe?a
ra n 56 e 72. |. Jeode-se algodaosinho a pecas de 3,5, 45,
X5-5 faltaai llores,
O Cordeiro Previdente a ra do Quaimado n. 16
tem constantemente um lindo sortimeoto de ti
as e booias flores, por isso quando algum* ha.
bilidosa joven gulzer preparar qualqaer enfeite de
-lio RO>to deve logo lembrar >e qaa ba dita loja
OS. do Cordeiro Providente, a roa do Queimado n. 16,
: nao faltara flores.
a* ara u I vejar os denles.
O cordeiro providente a ra do Queimado n. 16
recebeu do bm cinbecido fabricante Joob Gos-
pel] di O. urna ptima qnalidade de pos para den-
tes aromatisados com canfora que realmente tem
merecido tolo c. nceito parque nao s alveja pe,r-
felaiiiente os dentes como tambem cooserva-os
TEBDDEIRO LE RO
de IIBieitl, Doettur-Mdacln
Ru do 8elne>, SI, a\ PARS.
m cada garrafa, ral, entre a ralba e s papel a
que lea a meu sinete, um rotulo impretso era sms-
reUocOB e Sillo Iuphal do sotzsno wntcrt.
N.B. Vtmel-
tendo-teemiiettra
dr 800 franrot so-
krtParli.acelUrel
S 60 dlat de vista,
es Rmlmo,iroza-i
do abatlmrnto
auicr deacoaio
risti
za-el
'tof
to. f
CbiUs francezas largas a 240 rs. o covado.' ^Ar5 li MlTii ^ lm*enUiz 'Ja;
vm/Io-m. k;^ -~___i____ : a Arara ns oo e 7z.
Depo.Mio ua pnarmacia deP. Manrey
C. em Pemamhoco.

m
Veaie-se na pharmacia de P. Maarer 4 C, raa Nova.
HITO GOSTO
,,'S SmJ'"^at0 d9 ****** cnaPos e chapelinas de seda, de
- 'Qii ir* e m6aia4.
fa 'nturae aieaiaa.
. e de patita de Italia,
Superiores tiras, bDrdadinbose entre melos bjrdados em cambrala tapada e transparente.
m leja das columnas a roa do Crespa d. 13
DE
Antonio Correia de Vasconcellos & Oompaahia.
aovo DEPOSITO

Vende-se chitas francezas largas a 240, i
2S0, 320 e 400 rs. o covado: ra da Im-
peratriz lojas da Arara n. 56 e 72.
Mosambique a 400 rs. o covado.
Vende-se mosambique com palmas de se- j
das para vestidos de senhoras, a 400 rs. o I
covado: e vareja de listas para vestidos de
senhoras, a 280,320 rs. o covaio.
Sedas escosseza com quadros para vestidos
de senhoras, a 280 320 rs. o covado: roa
da Imperatriz lojas da Arara ns. 56 e 72.
Arara vende as saias 30500.
Vende->e saias bordedas para senhora a
3)5500,45, 6)5 e 7(5, saia bal5o oo crkolinas
de arcos a 2,5, 20500 30 e 30500: ra da
Imperatriz lojas da Arara ns. 56 e 72.
As sedas da Arara 10.
Vende-se sedas de quadrinhos e cora lis-
tas a 10, 10200, 10600, 10800 e 2f o co-
vado : popelinas de sed.i com palmas saltos
para senhora a 106( 0 e 10800, grosdenaples
de cores a 10800 e 20, dito preto a 106'jO,
10800 e 20: ra da Imperatriz lojas da Ara-
ra ns. 56 e 72.
Bramante a 20400 a vara.
Vende-se bramante de lO palmes de lar-
gura a 204OU e 20500 a vara: ra da Im-
peratriz lojas da Arara ns. 56 e 72.
AlKoiio enfestado a 10 a vara.
Vende-se algodao enfestado de duas lar-
guras a 10 a vara dito transado 10280 a va-
ra : ra da Imperatriz lojas da Arara ns. 56
e 72.
Cassa franceza a 240 rs. o co-raJo.
Vende-se cassas de cores para vestidos a
210, 280 e 320 o covado, vendes-se cortes
de cambraia decores e com barras a 20500,
30 e 30500: s as lojas da Arara, ra da
Imperatriz ns 56 e 72.
Cortes de laa de 14 covados a 30.
Vende-se cortes de 13a para vestidos de
senhora com 14 covados o 30, 30500, 40,
40500 e 50, vende-se corles de caigas para
homem a 800, 10, 1?200 e 10600, colari-
nhos de linbo para homem 400 e 5< 0, ditos
de papel a 500 rs a duzia, golinlias para
senhora a 200 e 320 rs. por estes precos as
lojas e armazens da Arara, ra da Impera-
triz ns. 56 e 72,
do Cordeiro Previdente, ra do Qneimado a. 16
Eafeites com pontas.
U Cordeiro Prevideute reotea um lindo sortl- ,-.,,, DT --------------
ment enfeiles cm pontas para vestidos, tanto toratuiLliU
de seda como de laa qie cnmbioam perfritamen i Vendem-se magnficos pspartilhos france-
ie com os ciutos modernos do mesmo formato, por zes e inglezes, na loja e arroaz, m do Pavo
a,laM,fler eDfei,Iar-se C0(D o?10 q"inw.roa da Imperatriz n. 6o, de Gama & Silva'
vestido indispnsavel comprar-so ditos enfeites; tt "u,a'
As rDm^iras do l'avao
Chegaram as muio ricas e muito m^der-
DE

MACHINAS
Paia i)ESCAROCAR ALGODO
Manoel Bento de OKveira Braga.
53Roa DI relia n___53

Neste estabelecimento se encontrar5o a
verdadeiras machinas americanas chegadas ultima-
mente, as qnaes slo feitas pelo mais afamado fa-
bricante da America, por isso avisa a todas as pes-
soas que precisarem comprar, de se dirigir a este
estabelecimento qae comprarSo das mais perfeitas
oeste genero, assim como mais barato do qne em
ontra qualquer parte, por isso que se recebe por
conta propria, bem como cannosde chombo e moi-
nhos para moer atisbo, e grande sortimento de fer-
ragens e raiudezas en grosso e a retamo.
Pacas de cabo branco de meio balanco a 0
[a dozia, limas finas de todos os tamanhoslproprias
detrabalhtxJeeacnltrjra.
TRAJA MENT o CHABLE, u PARISl
aviso aos doentes. s^::r n- ;
amere te I
e.4aSt,<"' c0l?,lo?,ur e bus<~> le wn graude numero de uumeau
enrar ea> 4 Sua, e eton anda mais bentes
Co Mloi ca-
rado, tomei Cu
bebs, Copabiba
sob tedas as
toncasen opia-
to, ceselas,
eooieJloi, lacho
ertoauajo per-
. Catmrrle 4 seatjf,
inflmmatoria i essas doeotM sexeees,
:. para parar esaaa sffeeeoes, eeeear
para sesear meu excellente xabopb a citbato b

- MAIS 90 VWOS
ll%T*Z,i C-rand0 prm'm 'I'"'" "flaumatoria
rZ\ l1 r, Mlr0' ^t """suanvo do saHocK. para parar
r WST.in?-^ r^del Aoa -" ceUent.
o mesmo trstamento. (Fi
f^^.^ ?y000 DONTES CURADOS
darofrtUssesto depurativo de aane. At *r~i s mait mottmromt u,
- Vtate. T^L ^uTL^0*^* e "* ^omanaaV ajrri-auaTve**
na mesma loja do Cordeiro Previaente, a raa do
Qutiraado n. 16.
Chapeliiias de seda
Modernas e bocitas ehtpeimas de seda para se-
nhora receben o Cordeiro Prevideate ruado Quei-
nado n. 16 e por ser pequea a quanlidade re-
cebida, quem pretender ama moderna e bonita
cliapelina deve aprecar se em candar compra-la
ora dita loja do Cordeiro Providente a raa do
Queimado n .16..
CaIXIXHAS EXPEITADAS.
Estas muito desejadas caixinbas vasias e enfi-
ladas com posto, qae tanta extraece tem tido e
que realmente servera para diversos flus, existem
na loja do Cordeiro Providente a ra do Queimado
n. 16 um completo sorumento de ditas caixiahas e
sao vendidas por precos to rasoaveis, qae o expe-
riente Tregaez nao obiectara' em compra-las em
dita loja de mlnneaj do Cordeiro Providente a rna
do Queimado n 16.
PONTEIRAS E CHARUTOS.
O Cordeiro Previdente, ra do Queimado n. 16,
tem ora bom sortimento de Boas ponleiras para
ctiarotos, sendo lisas e com Apuras em a:to rele-
vo ; e para que os seus fregueses nao se Incom-
modem em comprar cbarnios em algamas das lo-
jas de cbaroteiros, receben tambrm nm bom .drti-
mento de fios charutos do afamado fabricante
Furtado de Simas; assim, pois, enconlrarao os
apreciadores um bom sortimento na dita loja do
Cordeiro Prevideme, raa de Queimado n. 16.
sasdira-
e
\ I
MAURER 4 C.
Para off cras no hosplal por-
tugueM.
Bonitas cestinhas com frnctas de cera, obra de
muila perfeicao e bom gosto.
Para cortar moldes e eo>brolbar fazendas
Vndese papel Dardo folna grande.
Para lustrar calcados.
Vende-se superior grata econmica.
Vende-se papel para matar moscas.
A loja do cordeiro presidente
Ra do Queimado n. 16.
ella acharao os pretendemos um grande e va-
riado sortimento ae perfumaras tinas, tanto ingle-
sas como francesas, sendo:
Pinos extractos para lencos.
Baobas e pomadas para cabellos.
Oio pbilocome e baboza para dito.
Pos hygienicos para dentes.
Ditos camphorados para ditos.
Opiata ingleza e fraocea para ditos.
Pacotes com pos de arroz.
vasos de porcelona para ditos.
Sabooetes para mi e barba.
E moitos outros objectos qne serlo presentes
ao comprador qae se dirigir a roa do Queimado
n. (6, loja do cordeiro providente.
Bandeijas pequenas.
Vendem-se na ra do Queimado o. 16. loja do
cordeiro providente.
Ciaritos
da acreditada fabrica de Jos Furtado de
Simas.
Vendesn-se na k>ia|do cordeiro providente a rna
do Qoeioeado o. 1
| as romeiras de merino com differeotes co-
res sendo elegantemente enfeitadas com lia-
das filase bordadas com vidrilbos. sendo cir-
culadas com um ric > bico de gnipnre qae
tem palmo e meio de largura, garante que
neste genero nao ha nada melhor no merca-
do e vende-se por preco rasoavel, na loja e
armazem do Pav5o, roa da Imperatriz n 6o,
de Gama & Silva.
Sedas lizas
Chegou o mais lindo sortimento de sedas
lizas com difluentes cores, sendo cor de
rosa, azuL J^rio, haraoa, "cinza, bunina e
rauca as quaes se venden por baratissimo
CO. na loja do Pav3o, ra da Imperatriz
6o, de Gama & Silva.
Casaq tibes de renda a 12S
Vende-se os muito modernos casaqoinhos
etos de venda ou cuipure sendo os mais
mbdernos que tem vindo ao mercado pelo
barato preco de 1 (51, s na loja do Pavao,
roa da Imperatriz n. 6o. de Gama Silva.
Cassas francezas cavado a 300 rs.
Vende-se nm elegante sortimento das
mais boni as e finas casas francezas com ele*
gantes padrfies em listras ou flores sendo
todas as crs fixas e vende-se pelo barato
preco de 3oo rs. o covado ou Loo rs. a vara,
na loja e armazem do Pav3o, ra da Impe-
ratriz u. to, do Gama & Silva.
Loja das seis portas em fren-
te do Livramento.
Vende se para acabar chitas Boas, escoras e cla-
ras, pelo dimionto preco de S80 rs. o covado, pe-
cas de bretanba de rolo a 34400, madapolao fino
com 30 varas a 5* e 6$, Omssimo bramante de li-
oho largo a 3J300 a vara, organdys de listas e Do-
res coloridas a 300 rs. o novado, Onos lencos bran-
cos proprios para algibeira a 200 rs. e dozia a i?,
gangas francezas proprias para roupas de meninos
e palelots e caifas de homem a 360 rs. o covado,
organdys brancas de listas e qnadrosa l a vara,
eamoraias brancas transparentes tendo 9 vj-ras
com 5 palmos de largor a 5*500, tarlatanas de
todas as eres a 800 rs. a vara, e do-se amostras
com penbor.
,, CASTRO NUNES
Grammatica nacional.
Sexta edicio
. 000
Livraria franeeia.
Vende-se om cavallo alasao, novo e fortes
proprio para carga, por pre^o commodo : para ver
tratar oa coebeira o Sr. Ribeteo, roa da Roda
Wm
f
w



lar! 4c rtrmtmmtm Ter^a tetra t't de OtUal
Collares Royer
Oa doiIUbs electrices magnetitas
Deposito acreditado
Lo;a da aguia branca raa do Queimado a 8
Ape^r aluda os prodigiosos eteilosdos
Collares Royer j nao eoftiuar ou oottai
ntrodazir Bondades, r^dj***ia.iIo*ei
Tacia tm-s* tanto steoddo, e os seos
lizas resaltados a ka! altura elevado, qae
>je rara a pessoa quo por experiencia
opria, ou par intermedio de seus amigos
partits, ignore ou desconhe:a as virtu-
h desses seoapre apreciaveis 6llares
syer.
A aguia branca porm se gloria de coficor
c para um Ufo justo flm, se n5o por ou-
:o modo ao minos por 1r sempre, econs-
antemente um completo srtimeoto desses
ol iris mgneftios/quB beta se pedem cha-
ar salva vidas das- criagas.
Resta anda que os senhores pais de fa-
niha se facam convencer (deque convem
3o esperar que as crianzas sejam atacadas
o mal, e por isso necessario ou conve-
ieoie que com antecedencia se deite na
rianrja um desses collares para asslm estar
Ha preservada das cpnvnlcSes e se contar
're dos rigores da denticSo.
A aguia branca ra do Queimado n. 8
'ntidua a receber por todos os vapores
ti -ezes a quntidade que ha contratado e
r isso acha-se ella sempre provida des ver-
deiros colhres Royer eletricos magu-
is.
Chapelinas modernas,
ifeites de flores, capelias finas para noivas,
tas brancas e cor de rosa para meninas,
aixos e ramos de flores finas e botoes de
-osa de diversos tamanbos: na Aguia Bran-
roa do Qoeimado n. 8.
Meias finas para meninos.
A Aguia Branca ra do Queimado n. 8,
ecebeu meias mtii Boas para meninos, e
st vendendo as de cores a 5-SOuO duzia,
raneas a 50500 e cruas a 65000.
raneas de vidnlhos, brancas e pretas, lar-
gas e estreitas.
A Aguia Branca a ra do Queimado n. 8,
icebeu novo sortimenlo das trangas cima
tas, e como sempre vende-as por procos
immodos.
Fitas novas
ArmazGm de fazendas finas para grandes toilelts e uso
ordinario para todas as classes.
na do Crespo n, 9 A. esquina da do Impera
DE

Custodio Jos Alves Guimai'Ses.
O proprietario deste importante estabelecimento avisa ao respeitavel publico
e aos seas amigos o freguezes que acaba de receber pelo vapor francez Ouienne, di-
versos artigos de moda, os qoaes sao de completa novidade para este merctdo, e apro-
ximndole o dia da commemoracao do anniversario do Hospital Portagoez, por isso
apressa-se em vir avisa-los do que ba de mals moderno em seu estabelecimento, como
sejam:
Riquissimaschapelinas com coque. Lavas de Joavin preta, branca e de cores.
Ditas sem elle. Lindos cortes de 13a com barra.
Lindas chapelinas de palha da Italia. (Re-J Riquissimos cortes de transparent dese-
commeuda-se moito estas chapelinas por se- da para vestido de senhorastambem novi-
para carias de hachareis e a irmaadade do
Bom Conselho.
A Agoia-Braoc?, a ra doQaerraado n.8, receben
-",1< litas acharoalotsdas para ambos os lado?,
ai "ncorpada e toda de seda, com viva o agrada-
U cor, e ejmo sempre, vende por prego mullo
soavel.
Bonitas bonecas
>m rosto de cera, olbos fixos e movedices,
A aeuia branca a ru* do yueimado o. 8, rece-
a am oovo sortimento de bellas bonecas com
Rio de cera, olbos fitos e movedigos e como
mpre vende-a por pregns commodos, reculando
tes em elacao aos differentes lmannos de qae
compon o sortimento.
fer'iir denlifric e odoitalgico.
A agnia branca a roa do Queimado n. 8, rece-
la de novo esse apreciavel elixir cajo aso ne-
sirio para conservado das geoglvas e acabar
mo balito proveniente de deotes armiados,
ada frasco costa 2,5.
Isla tudo remediado em qoaato a la-
Tas d" pellica.
Porque a agaia branca por intermedio de am
egociaote de n>ssa praca maodoa contratar com
un bom e acreditado fabricante de ditas, para
iste Ibe fati-r remessas directamente por todos os
apores, sendo a primeira a qae agora acaba de
begar. O fabricaate promette manda-las sempre
a melhor pellica e oa verdade as qae vieran
essa vez confirmara o sea dizer, e pelos differen-
s eufeites qaeell.s trazem da' elle roais a conbe-
r o aparado goslo e perfeicao de soa ob'a. Bes-
pois que os bons e constantes freguezes conti-
tem a favorecer a agola branca em qaanto ella
i se livraodo dos mos que com seas fiados a
m depenando.
imisinhas bordadas para baptizados
A aguia branca a ra do Queimado n 8,
cebeo novo sortimento de camisinhas bord-
adas, sapatinhos de setim tambem bord-
is, meias de seda e chapeosinbos de setim
ifeitidos, tudo para bapt'sados.
Bihasiohos cbenos de comas
A aguia branca rna do Qoeimado n. 8,
icebeu bonitos babasiohos cobertos de con-
is, e cestinhas bordarlas a froco, objectos
;ses de novidade e gosto, (e proprios para
Tertas no leilo que ter lugar no hospital
ortuguez.
cabam-seamasfchegam otras, cor-
reles de bo>ra ha
A agnia branca que nlo se descuida de sua
>a freguezia, tem coost^otemente mandado
iscar essas bonitas e modernas correntes
> borracha, que servem nao s para voltas,
ni.) .mesmo para outros difierentes enfeites
Gomparecam pois os pretendentes que
harito bom sortimento de ditas correles
toja da aguia branca roa do Queimado n. 8.
ntus de marroquin com livellas de
ac par meninos
Vendem-se*a ra do Queimado, loja da
na branca n. 8.
s-ros preprios para frisar babadiohos
V-nd"n se na ra do Queimado loja da aguia
aura n. 8.
ouitas e modernas voltas pretas com
pingeiites.
Vendem-se narna do Queimado loja da agola
ranea n. 8.
rem intenamente novidade).
Riquissimos cintos de seda, rom matames
ebineza, ultima moda.
Lindas saias de 13 com bordados, proprias
para as excellentssimas senboras trazerem
por cima do baiao, oltima moda em Pars.
Lindos cortes de seda para vestidos.
Moireantique branco, azul e preto, firzen-
da inteiramente nova.
Grosdrinapoles de todas as cores.
Ditos pretos.
Leqoes de madreperola.
Ditos todos de sndalos.
Ditos de sndalo tendo no centro um qua-
dro de seda, inteiramente novidade e ulti-
ma moda.
Chapeos de sol para senhora.
Ligas de seda p-ira senhora.
Ditas para meninas.
Espartilhos para senhora.
Riquissimos enfeites para senhoras, intei-
ramente novidade.
Bales para senhoras e meninas.
Touqniohas ricamente enfeitadas.
Coeiros bordados.
Toalhas de labyrintho muito ricas.
Ricas fronnas de labyrinto.
Riquissimos lencos de dito.
Rendas, bicos da ierra e grades para lencos.
Um rico lencol de labyrintos.
Riquissimas basquinesde seda preta, bor-
dadas com gosto.

dade.
Lindos cortes de l com listas de seda.
Riquissimas fivellas para cintos.
Fil, de seda e de linho.
Riquissimas camisinhas para senhora.
Riquissirtas saias bordadas.
Pnnhos e gollinbas para senhora.
Riquisr-im s manteletes de cores, inteira-
mente novidade.
Peitos de linho bordados com gosto pro-
prios para camisas de noivos.
Collarinhos de iinho lisos e bordados para
homens.
Lindos veos e mantas de blonds.
Riquissimas vestimentas para baptisados
contendo cbapeosinbo, sapatinho, meiasinha
e camisinha com lindos borda.os.
Riquissimos chales de touquim.
Grvalas de seda branca para noiva.
Ditas de cambr ia de linho com bordados
as pontas, novidade.
Chapeos de sol de seda com castio
marm.
Ditos de outras qualidades.
Chales de sena.
Ditos de cachemira.
Chapeos de seda preta para hornero.
Ditos de phamasia para homem.
Casemira preta muito fina.
Ditas de cores inteiramente novidades.
Cambraias, 15as, chitas, madapoloes e ou-
tros moitos objectos.
MOTAS FAZEWttAS
NI
LOJA E ARMAZEM
DO
Pi
fin da I'yperatru i.
AMA SILVA.
Tendo os donos da te grande estabelecimento resolvido liquidar a maior parle das
suas fazendas resolveram vender com grandes abatimentos em precos, assim como teem
receido ltimamente urna grande porcSo de fazendas novas tanto inglezas como fr ancezas,
alem3as e suiss^s, teem destinado venderemnas mais barato que em outra qualqner parte
afim de apnrarem dinheiro, dando de todas ellas, amostras deixando ficar p< nhor, ou
mandam-nas levar em casa das exeellentissimas familias pelos s-'us caixeiros; assim como
as pessoas que negociam em pequea escalla, oeste estabelecimento comprarSo pelos mes-
mos precos que compravam as casas inglezas; ganhandu-se apenas o descont.
le BaI5es a 46, 3)9500 e 3
Vendem-se um grande sortimento de cri-
f ortlnado* para camas e ja
las a 10;>, 16f>, 20(9 e 254
Vendem-se um grande sortimento dos -nonas ou baies de arcos para senhora pelos
melhores cortinados bordados que tem vin- baratos precos de*)?, 2#5oo e 30 por haver
do proprios iara camas e janellas, pelos ba- grande porgo, na loja e armazem do Pa-
ratos precos de io<5, G5, 2o,> e 250 cada v3o, ra da Imperatriz n. 6o, de Gama d
par sendo neste genero o melhor que tem PANNOS PAPA CADEIRAS
vindo ao mercado: assim como pecas de Venlem-se um grande sortimento de
cambraia adamascada proprias para o mesmo pannos de ero h proprios para cadeiras,
flm. na loja do Pavao, ra da Imperatriz sofs, cadeiras de balancos, para almofadas
n. 6o, de Gama & Silva. para cobrir presentes, e vendem-se por
corss granadinos para vestidos precos muito baratos, na lo a do Pav3o, ra
Cbegaram o mais bonitos cortes de or- da Imperatriz n. 6o, de Gama & Silva,
gandy Granadinos tendo lo varas cada crte, Cassas atlo r. s o pavao.
sendo 7 vraslistradas para a saia e 3 varas Vendem-se bonitas ca-sas inglezas de co-
lisa para o corpo, tendo n3s mesmas 3 varas res tixas pelo barato preco de 240 rs, o co-
enfeites correspondente saia para enfeitar vado, ditas francezas fazenda muito fina com
o corpo e mangas tendo entre elles mu tas padrSes listrados e de flores, assim como com
trancas com listas pretas como actualmente pa'minas miudas proprias para meninos a
se usa e vende-se pelo batato preco de 60, 3oo rs. o covado ou a 5oo rs. a vara : pe-
anicamente na loja do av3o, ra da Impe- chincha na leja e armazem do Pavao roa da
ratriz n. 6o, de Gama & Silva. Imperatriz n. 6o de Gama 4 Silva.
Tiras bordadas e Babadlahos Cassas de ama s cor a 44o
toe.
RIVAL SE1 SEGUM
na do Queimado a. 49, loja de
mlndezas
DE
Jos Bigodirino
Yiras de Lacada bardado do Porto a .
Cirreteis d teiroi preto com duas oitavaa
Parriteis de retaox de todas a&cows a .
rYatces d'ode Cotoataaraito uoertor a
Frascos de o eo maito fino a......
Dnzla de tesonras pequeas a.....
Frascos d'agua para liropar denles a .
Redes pretas risas para segurar cabello a
D jzs de pennas de ac moito 0na$ a .
Caizas de liona do gaz de 30 novellos a .
dem de palitos de sugoranca a .
Garrafas de agua Florida verdideira .
Syllabarios com estampas para meninos a
Memento da roopa de lavar a ..... .
Daxlas de meias Anas para senhora? .
A?albas francezas a balo (papel) a .
Pi;cas de fitas de laa de todas as cores a
Grozas de botdes de porcelana praieadcs a
Calas com alfinettes Irancezes a .
Cutas de 100 envelopes mnlto finos a .
Resma de papel de peso branco liso a .
Frasco com superior tinta a.....
Pares de botSes de pnnbo mnlto bonitos
Lmbas em cario de 200 jardas a .
Caiza de superior linba do gaz com EO
dov ios .............
Talberes para meninos a......
Masso com superiores grampos a .
Bonets para meninos a........
Puntes com costa de metal a......
Realejos para meninos a ___%

H
.

de
O dono deste importantissimo estabelecimento contina nolouvavel proposito de
querer vender muito e gannar pouco, sujeitaodo-se a tirar em suas mercadonas um lucro
rasoavel, para assim poder melhor agradar aos sens numerosos freguezes.
"GAIElOViliAl-
AUGUSTO PORTO & C.
11Ra do Queimado11
Este estabelecimento acaba de receber e vende por commodojpreco as seguintes
fazendas finas:
Vestidos de bond para noiva com manta e capella.
Ricos vestidos de tambraia branc i bordadas i qne ha de melhor.
Cortinados bordados e admascadns para camas de 2(i9 a 801J.
Dito- bordados e admascades para janellas de 9$ a 2o#.
Colxas de seda e laa e seda para cama de noivas.
Basquinas modernas de moito gosto de 200 a 5o#.
Toaibinhas de croch para cadeiras e sofs, e colxas de croch para camas.
Chapelinas de crpe branco, e chapeos de palha da Italia para senhora.
Moir branco e preto, grosdenaple preto e de todas as cores para vestidos.
Camisas para homem francezas e inglezas de linho, e de algodo.
Guardapisa de crinofine para fazer mais elegantes os v stidos e 15a e de seda
a 32o rs. a vara.
Superiores saias bordadas de linho, camisas e camisinhas bordadas e lencl de
cambraia bordada para senhoras, ricas toalhss brdalas com muito gosto, e lindos ves-
tuarios para baptisados com o respectivo enxoval.
Las com hstras e seda de varias cores a que ha de melhor.
Chapeos brancos de castor e ricos chapeos do sol inglezes para hornera.
Malas de diversos tamanbos para via-ens.
Panos finos e casen iras pretas e decores e outras muitas fazendas que se ven-
dem baratissimo.
Este estabelecimento contiDa a receber as melhores.
Esteiras e alcatifas para salas.
11 Ra do laciniadoi 1
a ibUii in
Este estabelecimenio acaba de receber lindas
apelinas para senhora, ricas calzinbas para eos-
ras, ditas para joias, pentes doorsdos para coco,
reas mito ricas, as*irn como cintcn e poiswras
i ultima moda de Pars, entremeos e babadiohos,
mitos. : me adores donrados e de Jacaranda, cape-
os escossezes de diversos tamanhos e ricos cani-
lles para sepbora, voltas para peseoco, gravan
i;ts, bico de seda, dito de algodo, labyriiMbo, e
mitos muros objectos de apurado gosto, que se
>rna enfadonbo mencionar, tuno por precos mui-
) commodos: a' raa da Imperatriz o. 70, na loja
a Lealdade.
Aos agricultores.
Saanders Brathers & C. acabara de receber
e Liverpool vapores de for^a de 3 a 4 cavallos
oqj todos os pertences, e moi proprios para faze*
em mover machinas de descarocar algodo, po-
endo cada vapor trabalhar at cora 140 serras,
imbem servem para enfardar algodo, oa para
airo qaalqaer servico em qae osam de trabalhar
jm aoimaes. Os Imesmos tambem tm a* venda
lacbmas americanas de 35 40 serras.
0< protendeotes dirijam-se ao largo do Corpo-
aoto o. II. ____________^^^_
"C^l virgem
Exceliente cal virgeaj da LUbO em barris ar-
ae^dos de ferro, tem para vender Antonio de
iraeida Gomes a raa da Cruz o. 23 primeiro 'mais
aratoqoe em qoalqoerootra parte.
m m gaz
Chegon ao antigo deposito de Henry Forster &
i, ra do imperador, um carregamento de gaz i*
irimaira qaalidade.o qual se vende em partidas
reulho por meos prero do qae p outr* c-u?
pier parte.
POR CAUSA DE DOUS MOTIVOS
SITISFAC VO l\l)ISIK\SiVEL
A o respeitavel pub tico.
O Veado Braaco declara mui francamente e sem rodeio algum que tem de-
morado a publicacio do seu terceiro annuncio por duas poderosas e impurtantes razos.
1* o trabalho insano que tem tido de estodar o meio de virar o S da Fragata
Amasonas da ra do Que>mado
2o. O Jesejo de estampar neste Diario o seu interessante retrato e oflerece-lo
a todos os seus benignos freguezes e amigos sinceros.
Sendo impossivel ao Vea lo a consueocSo do seu primeiro desejo, elle pelo pre-
sente incumbe dessa.iarefa ao habel Sr. Dornelias, pintor, orrendo. porm. por conta
dos dignos pilot s da referida Fragata, a importancia dessa pequea despeza.
Agora quanto ao seguudo, saibam todos que protilema cuja incgnita j foi
achada, gragas a pericia do distiocto Sr. padre Azevedo. Assim pois brevemente dar o
Veado muitas coptas de ti esperem os amigos.
Agora duas palavras.
Ao Oordeiro Previdente
A vos que viestes augmentar o numero dos animaes domsticos que negociam;
Mes eomfrlinenCs
Si a cousa for em progresso brevemente ser esta cidade urna perfuita arca de
No.
Anda bem que o Veado nao esl s....
Atteugol Attenc&o! AttenpfloII
As ordena do respeitavel publico se acba o amavel Veado Braaco com o seo
importante sortimento de tudo que diz respeito a molbados.
Os precos, que por de mais s5" razoaveis, devem convidar a quem unta vez nego-
ciar com elle a ficar satisfeito e a voltar sempre que for ne^cessario.
Para as pesadas qne s3o estabetecidas com casa de negocio Cora da cidade b um
magnifico o escolhido sortimento proprio de fazer conta aos raesmos senhores.
Assim, pois, o Veado Branco conta que cada dia ser augmentada o numero
de seus bons freguezes, tamo do centro como da cidade.
Venham conveocer-se da bondade de nossos gneros e de soa barateza quem ainla
o3o qniz honrar o nosso bello esiabelecimento.
lA HIREITA
N. 16 ESQUINA QUE VOLTA PARA O PATEO DE S.-PEDRO N 16.
TfEM MA PORTA A FlCIRi;
DO
VEADO BRANCO
NIMGUEM SE ENGAE COM O BALIZA
Quem quizer fazer boa compra de tiras
bordadas ou babadiohos, achara um grande
sortimento para escolher e por reg muito
mais barato do que em outra qualquer parte,
na loja e armazem do Pav3o, ra da Impe-
ratriz n 6o, de Gama & Silva.
Fazeodas para lato na loja do
Pari
Vende-se setim da China com 6 palmos de
largura proprio para vestidos a 25 covado,
tSazinhas,pretas lisas, alpacas com listra bran-
ca a 1(5 o covado, cassas brancas com listras
pretas a 5oo rs. a vara, ditas pretas lisas e
com s Ipicos vara a 56o rs. ditas francezas
com listras e ramagens vara a 8oo rs., me-
rino preto, alpacas e princezas, mais barato
do que em outra qualquer parte, na loja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 6o, de Gama &
Silva.
CHITAS PRETAS A 2oo RS.
Venie-se chita preta ingleza com paltni-
nhas a 3 iO rs. o covado ou a peca por 75
tendo 38 covados, ditas lisas a 16o rs. o co-
vado ou a peca 65, ditas francezas de todas
as qualidades, Da loja do Pavo, roa da Im-
peratriz n. 6o, de Gama & Silva.
PALITO'S DE PANNO A 65
Vendem-se palitos de panno preto saceos
a 65, ditos sobreCo3acos a Io5, calcas de ca-
semira preta a 65 e 75, dita muito finas a
95 e loa, fluissirnos sobrecasao s de panno a
2o5 e 255, calcas re castmira de cor a 75 e
85, um rande sortimento de coletos de toda
a qualida e e outras mui as qualidades de
roupas qu se vender mais barato do que
em nutra qualquer parle, na loja e armazem
do PavSo, tua da Imperatriz n. 6o, de Ga-
ma & Silva.
CHALES A BENOITON A 55 E 65
Vendem-se os mais modernos chaes a
Beooilon pelo barato preco de 55 e 65, di-
tos de merino liso a MSoo, ditos de crpon
a 75 e 85, ditos de merino com barra a 25
e 255 o, na loja e armazem do Pavo, roa
da Imperatriz n. 6o, de Gama & Silva.
CASAQUINHOS DO PAVO A 185, 2o5
255 E 3o5
Chegaram o mais modernos casaquinhos
ou jaquetas d grs preto, ricamente enfei-
tadas sendo uns com c-ntura e outros soltos
conforme se usa ltimamente e vendem-se
pelos baratos precos de I8i, 2o5,255 e 3o5,
na loja e armazem do Pavao, ra da Impe-
ratriz n. 6o, de Gama & Silva.
B loes dec mda
Vendem-se as mais modernas crinolinas
ou bales proprios i-ara vestidos de cauda,
sendo melhores e mais modernos que tem
vindo ao marcado, e por p ecos muito ra-
soaveis, na loja do Pavo, ra da Imperatriz
B.i6o, de Gama & Silva.
Para saias a i $000 1*280 e l.siiOO,
Cbegou para a loja do Pavo urna grande
porgo de nova fazenda branca especialmen-
te para saias, tendo a largura a altura sufii-
ciente de urna saia com um bonito bordado
de um lado ou urna bonita ordem de pregas
deforma qne com 3 1|2 varas se faz urna
saia de um s pao o, e vende-se pelo barato
preco de 15. 18o e 155oo rs. a vara; oa
loja e armazem do Pavo ra da Imperatriz
n. 6o de Gama & Silva.
Vestidos hraocos e de cores a 4 o O
Vendem-se bonitos cortes de cambraia
branca com bonitas barras bordadas as-"un
como com barras de cor pelo barato preco
de 45oo rs. na loja do Pavo roa da Impe-
ratriz n. 6o de Gama & Silva.
GRANDE PEUHINCHA
Vestidos a *gouo
Vende sh ama grande porgo (te cortes de vesti-
dos de cambraia rrnspoareute seodo todos brancos
e c mi liadas barras de c&res pelo barato preco de
H o rerle, send faieoda qo'a sempre se venden
por mono mat diobeiro hqutda-se por este preco
na Iota e armaiera do Pavao a roa da Imperatrlt
O. t)0 fiRXDG PECHISCHA
Vestidos a 25500
Vende-se am benito .nrumeoto de cortes de ves-
tidos de rarobraia- transporte com mana feotatia,
seado brancos e d rflres eooj bonitas barcas, pela
barato preco de 24500, sendo fazenda qoeaempra
m vendnu por 65 e 74, e liquida-se na loja e ar
maiem do Pavao a rna da Impuratri% n. 60 de Gama
(141108 PECHl^HA
Cartea de I i a 4#00
Veode-se um* grande porco dos mais booitos
cortes de la com lindos favores roattisados, tendo
5 ovados cada eerte e vtnl cada am em tea
papel, pelo barato pmco de 15 o c irte, oa loja do
Pavao a raa da Joaperatm n. 60 de, Gama 4
PEC0IHCH1 i *0 RBII
Murculinas de la
Pelo ultimo vapor ch^on om graode sortimento
das mais liadas murcoilnas d lia, sendo de urna
s cor, porm cora as lioda core atol, magenta,
bonlna, roxo ete., tendo Untara de ehita franela,
e vende se a 640 ris o cova-.o na I'ja do pavo a
roa da ImperiiTir d. 60 e Gima & Silva.
rs.
a vara.
Vendem-se modernas cassas francezas de
urna s cor seBdo azul, roxo, cor j3e lirio,
verde, cor de ganga, cor de rosa e encarna
da sem deleito algum pelo baratissimo preco
de 44o rs. a vara, por haver graode porco:
na loja e armazem do Pavo ra da Impera-
triz n. 6o de Ga i a & Silva.
L..izlahas matisadas a 28o ra. o
covado.
Vendem-se bonitas lazinhas matisadas,
de cor fixa e ditas de um* cor s, tendo en-
tre ellas cores escuras e de muito bom gosto
pelo barato preco de 28o rs. assim como
bonitas bareges de la transparente com
quadrinhos pelo barato preco de 32o rs. o
covado : s na loja do Pav5o ra da Impe-
ratriz n 6o de Gama A Silva.
CHITAS A 28o RS.
Vendem-se bonitas chitas de cores e ditas
roas com pequeoo toqrje de mofo qne se
garante largar logo que se lave, sendo de
cores fixas pelo barato preco de 28o rs. o
covado paia acabar: na loja do Pavo ra
da Imperatriz n. 6o de Gama < Silva.
CHITAS DE UMA SO COR A 28o RS. O
COVADO.
Vendem-se bonitas coilas lisas, sendo cor
de gaoga, cor de havana, lirio, rosa e outras
cores, pelo baratissimo preco de 28o rs. o
covado, ditas chinezas com as mesmas cores '
e com palminhas pelo barato preco de 3oo!
rs. o covado, na loja e armazem do Pavo
ra da Imperatriz n. 6o de Gama & Silva.
GRANDE SORTIMENTO DE CHITAS
A 32o E a6o SO O PAVO.
Veoem-se chitas de cores fixas com de-
senhos inteiramente novos e com os pannos
mu to encorpados pelos baratsimos precos
de 32o e 3fio rs. o covado, ditas claras pa-
dres grados e miudinbos proprios para
roupas de meninas a 32o e 36o rs. para
vender barato: na loja e armazem do Pavo
ra da Imperatriz n. 6o de Gama & Silva.
chitas Para obertas a fio rs.
Vendem-se chitas largas para cobertas
pelo barato preco de 28o rs. o covado por
serem padroes um tanto escuros na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. 6o de Gama &
Silva.
LAZINHAS A 400 E 500 RS
Vendem-se as mais bonitas lazinhas ma-
t zudas e de 1-st s mais modernas e mais |
bonitos desenhos pelos precos de 4oo e 5oo
rs : oa loja e armazem do Pavo ra da
Imperatriz n. 6o de Gama & Silva.
ALPACAS DE COTES A 500 RS. O COVADO.
Vendem-se as mais bonitas alpacas de cores
enfestadas era bonitos desenhos mi udi olios
tendo entubes de todas as cores pulo barato
prreo de 5oo rs. o covado, ditas lisas escu-
ras e claras sendo todas de cores modernas
e 64o rs. o covado, ditas lavradas, as melho-
res e mais modernas oue teem vindo ao mer-
cado : sendo havana, lyrio, verde, azul e
outra cores, que imitem a seda, pelo barato
preco de 8oo rs. o covado, pecbincba: na.
loja e armazem do Pavo ra da Imperatriz
n. 6o de Cama A Silva.
P01L DE CHVRE.
Chegou neste genero o melhor que tem
vindo ao merca lo para vestidos com lindas'
listras de sedi ou com bonitos lavores da
inesma que se vendem pelos baratos precos
de 8 io, 15ooo e 1528o rs. o covado: na loja
do Pavo ra da Imperatriz n. 6o de Gama
& Silva.
VESTIDOS DE FANTAZIA A 85ooo E
lo5ooo RS.
Cbegaram os mais bonitos cortes de ves-
tidos de faotazia muito proprios para passeto
e soires, por terera lindas barras de seda
s vendem-se pelo barato preco de 85 e lo5
cada um na l ja do Pavo ra da Imperatriz
n, 6o de Gama 4 Silva.
alas a 3#000 rs.
'Vendem-se booitas saias escaras p.ioprias
para uzar em fe-rapo de vero por canza da
poeira e principalmente para quem for pzs-
sar a festa no ra ato, pelo barato preco de
35ooo cada urna, ditas brancas ricamente
bordadas tendo 4 pannos cada urna pelos
precos de 55, 65, e lo5ooo rs.: na loja do
Pavo rna da Imperatriz u. 6o de Gama &
S'vtva.
Vestidos braaeos a 94#ooo.
Chesaram os mais lindos cortes de cam-
braia branca transparente ricamente borda-
dos que se vendem pelo baratissimo oreen
de 245"oo rs. na loja e armazem do Pavo
b. 6o de Gama & Silva.
Novas bareges de seda a -too rs.
Che'tu urna grande porco de iindissi-
simas bareges de seda com (H mais delicados
gostos sendo fazenda muito propria para
passefas, partidas, etc. Vendem-se pelo ba-
ratissimo preco de 4oo rs* o ovado na loja
e armazem do Pavo ruajda Imperatriz c. 6o
do Gama & Silva.
GRANDE BAZAR
rua Nova n. 20 e 22
Machinas pa a costura do autor Wbeete'
A Wilson, chegadas ltimamente da Ame
rica; as qoaes pode cozer-se com don
pespontos, toda e qualquer fazenda, emb
inhar, frangir, bordar e marcar roupa; tud;
com perfeicao. Sao to simples, que con>
prehende-se fcilmente a maneira do traba
lho e a pessoa tendo pratica de coser em ia
rbinas, pode fazer por da o servico quo fe
ciam 3o costureiras.
Cbama-se este estabelecimento a atten
C"o do publico, visto que elle se acba com
pimamente sortido de objectos de goste
como bem leques de madreperola e de san
dalo, fivelas, fitas para cinto, cokes perfo
maria e etc,
Na rua nova n. 20 e 22. Carceiro Viaii
na &C.
Feijo moito novo a 5$ o saca
No armazem do caes 22 de Novembro n. 2fV
Escravos fgidos
Pugio no dia 2 do correte mez o ecravo de
nome Manuel Ralla, crlooio, id de de 35 riw
pouco mais oa meos, altn, bm tallaote, ero M
la de om oa daos denles Da nvnte, beicos frrrusnf,
choto do corpo. cor preta, tem sido visto oo Bar
balbo, Torre, Afogado e Recite : qoem o pegar f-
veo ao eogenho Cordeiroqoe ser recompensado.
Aviso
100#000 de gratificado.
Contina a estar fgido o es
cravo Simio.
Fagio no dia 2t de jalbo do correle aoao,
casa do abaixo assigoado o escravo de Dome
mio. com os -ignae segoiotes : de a biqoe, id-.de de 40 aooos, pooco mals oo meos
alto, semblante carregado, com falla de deotes
frente, cor fola, com talbos em circulo redond}
ao p das orelnas, sem barba, levoo vestido ealg
de casemira de cor, camisa de algoda* branco,
chapeo de meia ma?a qovo ; este escravo foi com-
prado ao Sr. Ji.se Vicente Lindoso, morador o
proviDda das Alagoas, por seo procurador J6|
qoim Cavalcaoti de Alboqoerque M-iiu, moradeV
no termo de Barreaos. Sem duvida segnio al-
gum daqueiles logares : roga-se a todas as aotorl
darles assim como aos capltes otcampo, tanto des
ta provincia como a das Alagoas a apprebeosto
do dito escravo, eotrega-lo do Becife, roa Dimita
o. 30, qoe receber a qoantia cima, protesta 3*
desde j eom todos os rigores das leis do imperio
contra qoem o liver acootado.
Beroardioo Antonio Pereira Bastos.
ES KAVO FGIDO
Rs. IOOjJOO
O abaixo assignado da a gratiScaco de rem rsi!
ris a qoem apprefieoder o seo (seruN de nome
Antonio, coios sigoaes sao os seaolntes: preto, es-
tatura regular, corpo grosso, nariz cbato, martas
de bexlgas pelo rosto, idade de 19 a 20 aoooa. Eva-
dio sd na madrogada de 12 do correnl do entena)
Riteirio, levando diversos objertos rotUdos, e
entre ootros um cavallo alazio peqoeno, caljadj
dos doas ps, sellado e enfreado, em o qual sabp
montado. Presume se com certeza 'er-se elle dirl-
do para a cidade do Becife, onde mono eonhed-
do; e foi escravo da Exma. Sra. D. Aona Mar
nbo. Becommenda-se a todas as otr loaoes po-
liclaes e capi-'s de campo a apprebeosao do refe-
rido escravo, que dever ser eotregoe ao abai'xjo
assignado na estaca o de Brbelro, oo na cidade, if
Sr. Jos Antonio Soares de Azevedo na roa DireiO
n. 14. Eogeobo Riblro, 13 de outubro d
1867.
Coriolnno Velloso da Silveir*.
50S
de gratificago
a qoem capturar o preto da Costa de norxe tetith
ih., idade 38 anoos, esiatora pooco meos de r
guiar, tem talla de denles, bem cerno talbos rio
rosto bem salientes, as peroas boas, ttc, fogio ejto
29 de setombro prximo passado, levando venida
calca e camisa branca, chapeo de copa baixa e de
aba.* pequeas. A primeira vez que se evadi I
titcilavase como forro de nagao, e erupr^gava'Ss
em servente de pedr-iro e em nutro* Ideotieoa *.
rogase, pois, as autoridades policlaes e a qoa'.ine*
paiticol&r a captora de dito escravo, a ser entf-
goe a sen seobor Joio da Silva Leite, na ra da
Gadeia do Rrcite o. 10, qne sera' paga a gratilca-
cao cima.
---------------------------------------
Escravo fgido
'Contina estar fgido desde odia 20 de .
do correte aoao o escravo TTcebie, por atd
Gaagalba, idade 40 aonos, pood' maii oo meno,
altura regalar, seeco do corpo, perns floas e ar-
qo?adas, sendo orna mais do qu ootra, rost > c
pndo, ponca barba, bastante ladino, e Intunij
de forro, uza camisera de algdoilobn por ci
das Micas, chapeo de fellro pardo, guarda sol (
seda ja velho : recommenda se as aoiorjda"
liciaes a captora de dito escravo, grat'tie!.H.
eoaveaieatemente oa roa d Cdela do Beeif
t, V andar._________________ .
Pugio no da 12 do correte a preta crym
de nome Maria, cooriecida por Benedicta, Idadw
tonos, mas oa meaos, altor) regular, magra,
voi vestido de chita escara e chale encarnado, cT
la na trazer orna correotezinha de ferro em o
dos pnnhos -. portanto pede-se a qoem a apprebeft-
der leve-a a praga da praga da Boa-vUta n. 17.
qne sera' gratlflcado.
i
.. i


Diario de PeraanbMe*
Terea letra t* de Ontofer* de 1867.
.---------------------------Mi.-------
ASSUKLfiA 6ER\L.
numero snfflciente bre-se a sessSo, sendo Hda e par proioogomento di approvada a acta d'a anterior. acol' P<" a89W ? Pri"e prolutma-' concedidas ao maior do 15o batalaSo de in- cientes para resolver este problema.
lo* a que se refere que'le proieclo oso sao liabas
decretadas, como o do Porto-Novo do Gaoha.


CAMRV DOS SRS. DKPHTADOS.
SB-SAO-DE 5 D SETEMBHO.
PRESIDNCU DO SR. SILVBtaA LOBO.
(Contlnuaci1.)
Onda esta' a duvlda ? Oode esia' o Blhaslasmoe
e a preelpitagao da roaioria T Segando as disposl-
toes etpressas da constituicao, e o qae acabo de
expor, o privilegio e romanidades dos depotados,
quer os que Hadara, queros que couiecam o man-
dato, priucipiaro e terminara n'uroa poca na e
acobertada coro a con'HiuisJo do imperio, a malo-
ria qa-r roanter os privilegios e immuoldades dos
dpado?, nos termos claros da consiitulcao, a
opposlc^o, sem enlbosiamo, cora a raiSo fra e
calma, qner destruir esses privilegios e immanlda-
des I (Mullos anotados).
m se. Depotad: : A opposl{o nao ; nm
meirttiro da opposico.
O Sr. Epaminondas :O terceiro fundamento da
accusaco do parecer, Sr. presideate, que o po-
der judiciarro )a havendo tomado conta deste ne-
gocia, maguera mais se pode introroeiter. Dou-
><-ioa extravagante (amitosapoiados), absurda, con-
traria a todas as praticas coostltucionaes, a todos
os principios de direito publico I (Numerosos a-
poiados).
9 Sr. Abacio VasconcblLos :-E perigosissima
-.1 .HoiaiiiK nie a minora.
O Sr. Epaminondas : -A nos compete zelar, de-
fender e conservar estas immunidades ; a todos os
mai? poderes compete respeita-las.
(Crat m-se apartes; o Sr. presidente relama a
aliacn)."
O Sr. Epaminondas :-Ea combato este terceiro
fundamento debaixo-de dous pool >s e vista : !,
considerando a questo como conflict >, se porven-
ion se pode dar conflicto, entre as aitribuic5es do
poder judiciario e as da assembla geral, que sao
de naiureza differente e da carcter poltico.
Neia hypoibese nao careca qae alguem recia-
raasse e recorresse, como fax o Dr. Felinto : bas-
tava que qualqaer tribunal se arvorasse em querer
decidir sobre nma questo era que eslivesse envol-
vido um membro do parlamento, e este tacto fosse
coanecido, para que a cambra respectiva, ex-offl-
ci, providenciarse, indo em soccorro das iramu-
lidades de seos membros, das snas prerogativas
coosUtacoBMR, aflm de qae nao ficasse aro repre-
seHianle da nacao perseguido e opprimido por
qaalqoer poder do palz. (Moitos apoiados.) Nao era
preMM que o processo viesse priraeirameoie a ca-
(aara. nm que a relacao ou outro qualqaer joiio
ou tribunal dsse primeiro a ratao do seu pro-
ceder.
Sr. presidente, ainda necessario em segundo
lugar, considerar a questo debaixo do ponto de
vista do nosso dreito publico escripto ou positivo,
-.m relacaa hypothtsa do Dr. Felinto, isto se a
relacao, comecando a tomar conhicimento de um
.'acto que debaixo da aleada do poder jadiciario, e
depois conbecendo que este faci tioba appncacao
-. um diputado, pronnnciando e decidindo qae nao
luvia lal privilegio, podia algam outro poder in-
tervir oeste acto do poder juliciano e dar urna e
dar urna nova direcco.
Pr inim oo sf.ffra a menor duvlda, nao soffre
a menor cootestagao, que a cmara pode avocar u
proeoaso. E?la opinio daduz-se naturalmente do
art. 28 da constituicao. O facto eslava debaixo da
aijada do poder jadiciario, mas desde qae, inicia-
do o processo, chegou ao ponto de entender ou en-
contrar se com o exame da existencia ou nao da
immunidale que perteuce aos membros da cma-
ra, abi cessou a jarisdiCQo di poder Jadiciario.
Nao se pode dizer qae ha jarisdicgo preventa
genio quaado ha competencia legal ; sem compe-
tencia legl na> ha prevencao de jurisdieco : para
que a jonsdicco eslivesse preventa pela relajo,
o para qae niaguem mais podesse intervir, era ne-
cessario que a ella competisse decidir e resolver
;obre o caso da immunidae dos diputados. Ddsde
]ue ebegou a esse ponto, nao h> mais jurisdieco
trevenia, e necessariamente o processo-. deve ser
femettido para a cmara, adra de Jalgar a bypo-
ihese. Porqaanto s a' cmara compete decidir de-
finitivamente se ba ouno a immuoidade.e se ain-
* esta' em vigor na poca do acto e Jo sea pro-
cesso.
Por -sias razoes entendo qao nao procedem as
objecco.is do nobre dedutado por 8. Paulo ; que o
parecer de ve passar tal qual esta' exposto e redigi-
;o, e que a cmara opportuaameola deve ter mui-
la em consideradlo esses actos do poder judiciano,
favor Je qu<-ra lodo o mando levanta as suas vo-
es, aQm de que elle se conserve na sua idspenleu-
-.:ia, mas sera nunc invadir a nossa, nem atacar
os nossos privilegios. (Apoiados.)
T-uio cuocluido. (Multo oem ; muito bem I)
(O orador felicitado por rouitos dos Srs. depu-
lados.i
Niogaem mais pedindo a palavra, e pondo se a
votos o parectr, approvado unnimemente.
ORDBM DO DA.
Procede-se a' votafo da primeira discnsso
do projecto que autorisa o governo a conceder um
auno de licenca com todos os seas veacimentos ao
..erojmetra da alfandega do Maranbao Joo Vilj
da Suva Ciqueiro, para tratar da sua sade oode
(he convier.
O Se. Vieira da Silva pede, e a cmara con-
sent na dispensa de intersticio para qae o pro-
jecto seja dado para a ordem do da segrate.
Procede- pnj'Cto declarando qne a resoluto da assembla
pruviucialde Pernambuco.de 13 de mar^u de 1856,
approvando o coaipromiso da irmandade das Al-
mas da freguezia de S. Lourenco da Ma.U da mes-
ma proviacia, deve ser sanccionada, visio nao otTen-
der dsposi(io algama cooititucional.
Procede-se a' votago do projecto approvando
privilegios a Charles Pradez e Wilbam F. Jones,
para empregarem madelra no fabrico de papel, e a
Jos Botelbo de Araojo Carvalno para usar do
kaoln eoutras argas no fabrico da louca ; ap-
provado, e remedido a' comraisso de redaecn.
Procede-se a' volacao do projecto que autorisa o
governo a readmillir ao qnadro do exercito o te-
neme reformado Raymondo Nonato da Silva, no
casj de ser jalgado apto para todo o servico de
paz e guerra, a approvado para passar a' segn'
ila discusso.
O Se. Vieira da Silva ped >, e a cmara con-
sent na dispensa de intersticio para entrar o mes-
too projecto na ordem do dia seguinte.
Procede-se a' volacao do projecto que autorisa o
goveroo a aposentar o secretario da presidencia de
Mallo Grosso, Joaquim Feliclssirao de Almeida
Lonsada, e approvado e remanido a' commisso
de redaeco.
Procede-sa a' votacio do requerimeoto de ada
ment offerecido ao projecto declarando qae o tem-
po da demora de qae trata o final .do art. 3* do de-
cieto de 20 da dezembro de 1830, nao esta' coa
prebendido o praio qae o mesmo decreto concede
aos magistrados para apreseotarera ao snpremo
tribnaal de justica documentos comprobatorios des
seus exerci-ios e posses, o qual serlbes-ba con-
tado em snas antiguidades, fleando assim declara-
do o citado decreto.
Os Srs. Olegario e Silveira de Souza fazem
consideracoes.
0 Sb.Horta de Aral;) (segondo secretarlo) :
Sr. presidente, sobre esta questo regimental sos-
citada pelo nobre depulado por S. Paulo estoa, em
parte, de accordo com o nobre depulado que ocen-
pava bonlem, a' ultima hora, a (cadeira da presi-
dencia da cmara.
Quando o nobre depulado por S. Paulo sujeitou
bontem a' apreciacao da cmara o reqoerimento de
adiameoto, qae anda boje objecto do debate,
entendea o nobre depulado por Sania Catbarina,
vce presidente da cmara, qae, sendo apresentado
o requerimeoto de adiamanto, e nao havendo Da-
mero para vuta-lo, uso nao prejadicava a discus-
sao da materia principal sobre a qual versava a
adiameaio -, Ocando, porm este prejadlcado.
Eu entendo, porm, qae essa discnsso conti-
na, mas que nio Bca prejadlcado o requerimeoto
de adianaenlo della....
O Sr. Silvbdu de Souza : -Nem en dlsse isso ;
pelo contrario.
O Se. Horta se Araujo :Eniao estamos de
acedrdo ; parecenme qae 0 nobre depatadoen-
tenda qne o reqoerimento fleava prejadlcado,
Naste caso eston de accflrdo com o nobre depnta-
do, porqaanto minba opinlo qoe no dia segnin-
le, antes de propor-se a" volagSo o projecto deve ser
submetudo aos votos da cmara o reqoeriniento da
adiamanto. '
0 Su. Presidente faz algomas observacoes.
Nmgaem mais pedindo a palavra, e indo proce-
der-se a' votacio, reconbece-se n5o haver nnmero
legal, pela que o Sr. presidente declara encerrada
a discossao.
Dada a ordem do da, levanta-se a sesso as 3
horas e um qnarto da tarde.
commubicaco e consiguaoao dos meios e hados.
Qae a decretado da I aba perfelta e completa,
a' vista da le de 26.de ; aobo de 1832, decretos de
9 de raaio de 1858, e de ti de jatho de 1861: |ul-
ga que olnguetn dnvida, nem o proprio Sr. depa-
tado que impuguoo o projecto.
Qut quanto aos meios, embora a le de 1852 s
SESSA0 Eli 6 DESETEMBRO.
PRESIDENCIA DO SR. SILVEIRA LOBO.
As li 3|4, feiW a chamada, verifica-ie
bavir
0 Sr. Secretario dea coota 4o sefainte
EXPEDIENTE :
Um offlcio do.mlnistar.o do imperio, declarando Y Negando o peoplnaou que o omno tenba u-
era resposta, qne communleara ao da fazenfla que Hfcrisaeio p,ra a coostroco. o orador faz a diatlne
os emoramento< qae devem sor pagos por ttulos 1 ci entre a decrelagao da otilldade de ami vi de
oa apostillas qae se pagaren aos empregados des-
la cmara e por certid5es a pedido das partes,
cora as respectivas buscas,.s*rao recebidos na es-
ta^o competente pela raeMa tabella porqae sao
cobrados os que pertenceram secretarla de esta-
do daqaelle ministerio.Inteirada.
Outro do mesmo ministerio, enviando as epias
dos decreos pelos qoaes Sua Magesiade o Impera-
dor houve por bem conceder pensSS a diversas
pessoas.A' commisso de pens5es e ordenados.
Outro do mesmo ministerio, coromunicaodo qae
Sua Magestade o Imperador so digoa de recebar
no paco da cldade, nma hora da tarde, a depu-
taco desta cmara qae tem de ir comprimentar o
mesmo augusto senbor no dia 7 do corrente, an-
Diversarlo da independencia do imperio. lotei-
Mda.
Dous do secretarlo do senado, participando qae
pjr aviso do ministerio do imperio e da instiga,
coastoo ao mesmo senado que 8. M. o Imperador
consente oas resoluc5s approvando varias pen-
sos e autorlsando o governo para conceder um
anno de licenca com todos os vencimentos ao des
embargador da relagSo da Baha Antonio Ladislao
de Figoeiredo Rocha, e ao jniz de dlrelto da co-
marca da Feira de Saoi'Anna, na mesma provin-
cia, Luiz Antonio Pereira Franco.Inteirada.
uons do mesmo secretario, participando qne o
senado adoptoo, e vai dirigir a santero imperial
as resolucSes approvando varias pens5ss. Intei-
rada.
Um reqoerimento de Sergio Eostachio Ferreira
de Oliveira, pedindo ser matriculado no anno
medico da corta, obrigando-se a fazer acto do 1*
atino depois de fetos os exames que Ihe fallam.
A' commisso de inslroccao publica.
L-se,jolgam-se objecto de deliberaco, e vao
a imprimir para entrar na ordem"dos trabalhos
os projectos com qae coaclaem os segaintespare
ceres :
PensSes a diversos.
c A comraisso de pensSas e ordenados exami-
nou as copias dos decretos de 21 de agosto deste
anno, e de parecer que seja adoptado o seguio
te projecto :
c A assembla geral resolve :
Art. 1. Ficam approvadas as seguintes pen-
sSes concedidas p>r decretos de 24 do mez pas-
sado.
L-se, jnlga-se objecto de deliberado, e vai a
imprimir para entrar na ordem dos irabalnos o
seguinte projecto :
t A assembla geral resolve :
Art. 1. Fica creado nm collegio eleitoral na
freguezia de Quebrangulo, provincia das Alagas,
omposto dessa mesraa fregaezi, que Oca para
esse flm desmembrada do colleglo da Assembla,
a que partencia.
t Arl. 2. R*vogam-se as dlsposlQSes em con-
trario.
t Sala das sess5s, 6 de setembro de 1867.
Aristides Lobo.Arobrozo Machado.
L-se, dispensada da mpresso a pedido do Sr.
J. Madureira, e em seguida approvada, a redaeco
das emendas fetas pir esta cmara proposta do
envArno que llxa a despeza e orea a receita geral
do imperio para o oxercicio de 1860 a 1807.
Eatrara successivamente em discusso, e sao
approvadas sem debate, as redacees da prop ata
sobre cmisso de papel-moeda, e dos projectos
concedendo isenco de di re tos de inporlago a
varias companbias e privilegio exclusivo a Zuimo
Barroso e Jobo James Fosler, que foram a impri-
mir na ultima sesso.
ORDEM DO DIA.
Procede-se a volacao do requerimeoto de adia-
ment offerecido ao projecto declarando qoeo lem-
po da demora de qua (rata o fim do art. 3* do de-
creto de 20 de dezembro de 1833 nao esta' com-
prebendido o prazo que o mesmo decreto concede
aos maeistrados para apreseniarero ao supremo
tribunal da justiga documentos comprobatorios dos
seus exercicios e posses, o qual ser-lbes-ha conta-
do em suas antiguidades, fleando assim declarado
o citado decreto, e rejeitado.
Contina a discusso do projecto ; e oiuguer?
pediado a palavra, posto a votos, e passa a 3*
di.'cussao.
O Sr. Bezerra justifica e manda mesa o se-
guin'.e reqoerimento :
t A assembla geral resolve :
Art. uoico. O governo flea autoriado a emit-
tir bllhetes de 80 a iO res, ou a dar corso legal
aos sellos qae servem para portagem das cartas
emqoanto hoaver escassez de cobre.S. R.Be-
zerra de Meoezes.
E' dispensado da mpresso pedido de sea au-
tor, e remettldo commisso de fazeoda reque-
rimeoto do Sr Baptista Pereira.
Entra em 2" discossao o projecto n. 130 viodo
do seoado, applicaodo prlnceza imperial as dls-
posiedes do artigo da le de 23'de dezembro de
1841.
O Sr. Baptista Pereira fundamenta e manda a
mesa o seguinte requerimeoto :
Requeiro que o projecto em discusso seja re-
meitido a commisso de constituido para dar seu
parecerS. R.Baptista Pereira. >
O reqoerimento apoiado e posto em discossao.
O Sn. Barros Pimentel impugna o reqoerimen-
to de adiamanto.
Julga a questo multo estada da e conhecida pe-
las discosoes do senado ; a questo constitucio-
nal esia'resolvida.
Desde qae all se decedo que s se trata da mo-
dificar a le ordinaria do conselho de estado nao
se deve levantar dovidas sobre iotelligencia da
eonititaieio.
O adiameoto nao consentaoeo com a dignidade
da cmara. Se o projecto bom approve-se, no
caso contrario seja rejeitado.
O Sr. cooselheiro Pereira da Silva acha o pro-
jecto coaveoienle, de simples e fcil discossao, po-
rm ama vez qae algoos membros da cmara
mostrara desejo de que elle seja revisto e estadado
por urna commisso de sea se o, nao encontra mo-
tivo para ser impugnado o requerimento em dis-
cnsso. Portanto vota por elle.
Posto a' votos o adnmeoto, approvado.
Os Sns. C. Ottoni e Barao de Prados declaram
qae votaram contra o adiamento.
Entra em discossao o projecto do Sr. C. Olton',
sobre o complemento da constraego da 3* secgo
da estrada de ferro de D. Pedro II.
Toma a palavra o Sr. Viriato de Medeiros.
S. Exc. emende qae o projecto parte de premis-
sas nao verdaderas : elle sappe qae o governo
tem autorisaco sem limites para fazer a obra por
administracao.
O orador mostra que nem pela lei da decretado
da lnha, nem pelo decreto ae encampaco do con-
trato feito com a companbia da mesma estrada, o
governo pode se jalgar com poderes aflm de utili-
s ir-se da alternativa proposta pelo Sr. Ottoni.O
governo pelo facto da encampaco apenas fleoo
com os encargos da companbiaPara emprehen-
der a obra preciso emiuir apolices a manos do
par e o governo nio o pode fazer sem permisso
do corpo legislativo.
Julga qae o autor do projecto nao elcaloo exac-
tamente o costo da constrauco da liaba desde Eo
tre-Rios at Porta Novo do Caoba, pols qae orcoa
em 3,500:0004 qaaodo nao podera' despender se
menos de 4,606 contos, pois qne s-ra' das mais
dispendiosas essa parte da estrada pelas difflculda-
des do terreno.
Esse dinbeiro poderla ser melbor empregado em
ontra parte da grande arteria do caminho de fer-
ro ; mas palo projecto vai-se apenas favorecer os
interesses de localidades em detrimento do syste-
ma geral da va frrea qne deve procurar o rio S.
Francisco, o Mississipi do Brasil.
A porcao de qne trata o projecto apenas um
ramal, e em regra os ramaes prejadicam a estra-
da geral.
Mas deve-se examinar se este rende. Dando por
provado qne assim seja; pergeniara' qual a raxo
por qae ama eompannia nao se encarrega de lva-
lo a efleito ?
O governo s deve animar as emprezas, e porqne
a qae se tem referido o Sr. Ottoni ba de querer
meiier na algibelra do governo os lucros qne po-
derla auferir ?
O orador avena a idea te se de*e dar garanda
de joro oa nao a' emprez e termina fazendo con-
alderacoes geraes e mol lo jadlciosas acerca da;
vaotageni da estrada de ferro no Brasil, e lame
lando qne no senado tivesse cabido uro projecto
sobre esta materia.
O Se. Ottoni levanta-se para responder.
S. Exc. julgava a ntlUdade do projecto to bem
demonstrada,- qae peoson nao soffreria debate na
1* dUeossao, mxime por ter sido aceita pelo mi-
nisterio; pelo qne velo desprevenido de documen-
tos e apontameotos qae Ibe seriam otis.
Estima porm qne se levantasse discossao, e por
pesse a competente; porqoe dahi s pode provir
maior esclarec ment da materia.
NSo er qae o adumento no senado do projecto
faotaria Jo3o de Souza. Fagandes e ootros. Por sua parte governo tem procurado
Inteirada. lobter estados a este respeito; engeabeiros
Um requerimento dos empregados rJaJr-'mat competentes, tae3 como os Srs. Gaba-
mandade de Nossa Senhora do Rozario, na glia, Neat-t outros, trn apresentado traba-
villa de S. Fidelis de Sigmaringa, comarca nos e pareceres (algoos d03 quaes j4 foram
de Campos, provincia do Rki de Janeiro, i por mim lidos) imwr tan tes sobre o estado
pedindo para possuir bens de raiz.A' com- actual do porto de Pernambnco, os seas me-
misso de fazeoda. | Iboraajeotos possiveis, e, anda mais, o aog-
Lm-se, e vao a imprimir para entrar na' meDto progressivor dos embiracos que an-
mente admittse 1 consirueco por compaahias, a! ordem d03 trab ilbos, as redacees que se nualmeote surgem, e que tendem em um
prazo dado talveza inutihsar aqaelle porto.
fundos para a continuacjio das consirucces, modi-
coo um tal estado de c josas.
Concorda com o preoiiioante em que a encampa-
co foi Ilegal; mas nota que sustentando essa opi-
nio em 1866 acbou-se 'ulraraado e coberto de im-
properios, o menor dos juaes era a palavra despei-
to. Mas que boje nao mais tempo de liquidar
tal illegaltdade, tendo sido o facto aceito por todos
os poderes poblicos.
0 ministro de ento disse qne na clausula do res-
gate se bavia reservado ao governo o direito de
sobslitoir-se a' companhia, argumento qne ento
Ihe parecen sopblsma, mas qae se jatga obrigado
a aceitar boje, em consequencia dos actos legislati-
vos posteriores que citou.
Que para a conslruccjio por companhia ningoem
nega, esteja o governo intorisado. E quando oo
o esteja para construir por conta do estado, o pro-
jecto proposto o aatorls 1 visto qae consigna fondos
para esse caso com a (lausula se o governo julgar
conveniente. Sustenta que nada ba de exagerado
oaavaliacoem 1,500:0 )0 pelo manos do augaen-
to de renda que a' estrada de ferro deve provir
daqaelle desenvolvimento.
Qae se parecen a estimagao exagerada, qae
suppuzeram o orgameoto de reoda especial do trao
silo pelo prolongamento, quando o producto das
laxas em toda a lioba (40 leguas) da avallada pro-
dueco qua sem aquellas 9 e mala leguas segue-
riam como boje direcco diversa para os portas do
recoocavo.
Qae se o goveroo cedesse toda essa renda, sem
daviia acbaria capitaes para fazer dez oa viole es-
tradas semelhantes se as bouvesse; mas qoe isso
seria zelar moito mal os interesses do tbesoaro.
Sustentando o orcameoio de 3,500 contos, declara
que foi calculado por meios tecbnicos pelos Sr. W.
EllisoD, e Dr. Penna anbos moito competentes, e
qoe a comparaco com os termos medios qne cita-
ra ba das, foi smenle um argumento que parecen
mais aproprlado para ama assembla qoe nao se
compon da proflssiooaes.
Que verdade ser a linba mais onerosa do qoe
cima de Eatre-Rios, mas quanto aos novos tunis
de qae falln o preoploaote, os estados ltimos do
a esperaoga de qoe pela maior parte podem ser
supprimidos.
Cr baver eogano na ioformago qoe exige a li-
nba manas pontes de grandes vns, visto qoe ella
oo atravessa corsos d'agua notavais se nao o rio
Parabybuna; sendo certo qae desde Eatre-Rlos al
Porto-Novo do Canba nao entra no Parabyba pela
margem esqaerda ootro rio qae tenba aome aa
geograpbla, e smente ribeirdes.
E qae se algum destes atravessado ao p da
confluescia com u Parabyba, ou por meio de ponte
viadactk, jue traosponba tambera o valle prximo,
estas eondigdes technicas podem ser modificadas.
Nao admilte qae este pequeo deseavolvimento
prejadique o grandioso projecto do S. Fraocisco,
o -m er que, applicada a este a peqnena quanna
de 3,500 cootos, Ibe fosse de utlidadealguma, por-
que, a lo grandiosa idea, lodispeosavel coosig-
nar moito maior capital.
Esustenta que esta prolongamento, enriquecendo
a actual estrada, Ihe d' forgas pira poder empre-
beoder aquella maior coramettimeoto.
Allega para evitar quaesqaer ciames, qae a es-
trada pedida nao como bem disse o preopinante,
ama estrada miaeira, pois apenas pe corre 9 leguas
parallaias e prximas a' deviso da provincia.
Que a maior parle da prodoegao, qae se vai ser-
vir, da provincia do Rio de Janeiro.
Que porm coosidera a qaesto, oo fluminense,
nu mioeira, mas questo ecoajraica e do grande
interesse para a estrada de ferro para o thesooro,
iotaresse que considera com o de nma nao pejoena
circumscrfpgo territorial abrangendo parte das
duas provincias.
Que o caf daquelles lagares paga boje de 1SOO
a 2^400 por arroba de frele al a corte ;e que
lem-sa dado casos de nao bastar o producto de urna
carregago para cobrir as despezas, tendo o pro-
ductor de pagar o dficit.
Que esse mesmo caf, viodo pela estrada de fer-
ro, pode aqu chegar com ama despeza de 660 a
iU0'J ris por arroba sendo a economa assim
reaiisada nos transportes verdadelro augmento de
riqueza publica.
Combate o argumento de que sendo a liona to
iromttiedora, deve ser oulorgada a nma compa-
nbia qua a administra em separado. Primeramen-
te, os fazendeiros uo podem einpregar capitaes em
outras industrias alera da soa produegao agrcola,
e se otlerecem o capital dnraote a consiruego,
piecisam ser reembolsados del les para solver seus
ampeohos. Dcpoi?, chegarem os irens a Entre-Ros
e baldear as cargas para outros trens sob diversa
administrago, servigj to oneroso que seria gra-
ve erro lulara-lo : seja o estado, seja companhia,
quem pague, sempre perda para o paiz.
Que demais, lando oiovorno a idea de vender a
estrada de farro, precisa de fazer a acquisigo do
prolngamelo para o mesmo Um.
Nao se deve exir.mnar que os fazeodelros offa-
regam o captia', e desejam entretanto o reembolgo;
lera ellas de pagar 12 % dos fundos por cujo era-
prego pedem ao governo 6 % i miS sero larga-
mente Indemnisados na reduego dos fretes.
Affirma que eotre os interessados ha prodoctores
de 50,60 e 80 mil arrobas; e porqoe todos poapa-
rao oos fretes, lermo medio, t por arroba, dabi o
seu lucro futuro.
Que o fazendeiro de 50,000 arrobas lucrara' por
anoo 50:000, mieresse que bem se concilia com
o de estrada de farro e do thesooro.
Cita os nomes dos Srs. T*ixeira L-nte, Leogeai-
bar, padre Francisco Marcondes, marqueza de Pa-
ran' e outros fazendelros grandes, e apona para
a verificago das loformacas as casas dos coosig-
dalarios de caf nesta corle.
Explica o projecto que formolou de urna* com-
paobia, qae nao como se tem sapposto ama cora-
paahia coocessionarla de estraia de ferro, mas
ama companhia de emprezarios de construego
qne em ailengo a's circumslancias do ibesouro se
propuzera tambem a adiaolar os fundos. E decla-
ra que nao tem a peito a encorporago della, mas
muito e moito a coosirncgo da estrada, dasejando
qne se o governo fr lo descrate, e descuidado
que abandone interesses lo serios, oo acha des-
colpa na falla de autorisaco legislativa. .
Termina declarando que se falln cora desordem
e diffoso, porque jolgaodo que s oa i" discus-
so baveria dbale oo codrdenou apootameotos, e
por isso nao leve tempo para ser breve.
Ao terminar o SrOtuoi recebe felicitagoes geraes.
A discossao Mea encerrada.
Entre em discusso os seguintes projectos :
Em 2a, os de ns. 159 creando collegios eleitoraes:
125 concedendo liceoga nos stereometra da alfan-
dega do Maranbao; 127 sobre bens de raz : 149
fazendo extensiva a dispcslgo do decreto de 30 de
agosto de 1834 a' Francinco Gomes da Silva, e 74
approvando o decreto de :!o de malo de 1866; e em
Ia os de os. 164 maodaodo resutoir a Liberato Lo-
pes e Silva aqaantia de 4:9262z4; 168 marcaudo
o lempo de jabilago dos lentes das facultades do
Imperio; 169 coocedendo um anno de Menga ao
desembargador da relagiio da Babia Luiz Antonio
Barbosa de Almeida, e 170 melborando a aposen-
tadora de Caeuno Pinto de Veras.
Nao havendo quera pega a palavra fleam encer-
radas ae discussas. ,
0 Sr. Presidente da' a ordem do dia e levanta
a sesso.
SESSO EM 9 DE SETEMBRO
PRESII'ENCIA DO SR. FARIA (vicf.-PUESIDENTE)
Ao meio dia, feita 1, chamada, veriliea-se
baver numero suficiente, abre-se a sesso,
sendo lida e approvada a acta da anterior.
0 Sr. 1.* Secretario, (la conta do seguinte :
EXPEDIENTE
Um officio do ministerio do imperio, en-
viando a copia authentica da eleic3o de elei-
lores a que se procedeu no dia 3 de feve-
reiro ultimo na freguezia de Morrinhos, pre-
sidida pelo I.0 juiz de paz Loarenco Jasti-
niano Dias de Soaza.A' 3a commisso de
poder s.
Dez do secretario d<) senado, participan-
do que o mesmo senado adoptou, e vai di-
rigir sanccSo imperiil, as resoluc5es auto-
risando o governo a mandar matricular va-
eacampagao da estrada, ja'saocciooada pelo corpo acham publicaias n7 jornal de 10 do cor
legislativo, qae em tres annos consecutivos votou rgrjte,
O Sr. Presidente declara que vai-se offi-
ciar ao governo aflm de saber-se o dia, ho-
ra e lugar em qae S. M. o Imperador se dig-
nar receber a deprita$So que por parle des-
ta cmara tem de apresetar ao mesmo au-
gusto senhor o decreto da assembla geral
autorisando o governo para emittir o papel-
moeda, ou para fazer operacas de crdito;
e noma para a-mesma depuiaco os Srs.
Baptista Pereira, Lourenco de Albaquerque,
Pedro Leit5o, Barros Pimentel e Mello Ca-
valcaoli.
O Sr. Buarqe, obtendo a palavra pela or-
dem, declara que a deputac5o encarregada
de felicitar a S. M. o Imperador no dia 7 do
corrente, pelo anniversario da independen-
cia do imperio, dirigira-se ao paco Lora
designada, e que abi, em presenta do mes-
mo augusto senhor, pronunciara, como ora-
dor della, o discurso, que publicamos tm
nosso numero de 24 de setembro.
O Sr. Presidente declara que a resposta
recebida com muito especial agrado.
OBDEM DO DIA.
Submette-se votarlo os seguintes pro-
jectos : -
Do Sr. Christiano Ottoni sobre o prolon
gamento da estrada de ferro de D. Pedro
II.E' approvado em Ia discusso, e dispen-
sado do intersticio para entrar na ordem do
dia 10 a pedido de seu autor.
N. 123 de 1867, autorisando o governo a
conceder um anno de licenca com todos os
vencimentos ao stereometra da alfandega do
MarannSo.E' rejeitado com as emendas.
N. 159, creando um collegio eleitoral no
Brejo Grande provincia da Bihia.E' appro-
vado com as emendas em V discus"s3o, e dis-
pensado do intersticio para entrar em 3a, a
pedido do Sr. Candido Torres.
N. 127, permillindo a irmandade do Sa-
cramento da capital da provincia da Para-
byba possuir bens de raz.E' approvado
com as emendas en 2a discusso e dispen-
sado de intersticio para entrar em 3a, a pe-
dido do Sr. Meira de Vasconcellos.
N. 168, marcando o tempo para a jubila-
Cao dos lentes das faculdades do imperio.
E'approvado em Ia discusso e dispen-
sado do intersticio para entrar em 2a, a pe-
dido do Sr. Baptista Pereira.
N. 164, mandando restituir a Liberato
Lopes e Silva a quantia de 4:928#224 im-
portancia de jaros qae individamente Ibe fo-
ram exigidos.E' approvado em Ia discus-
so e dispensado do intersticio para entrar
em 2a, a pedido do Sr. Fialbo.
N. 169, autorisando o governo a conce-
der ao Dr. Luiz Antonio Barbosa de Almeida
um anno de licenga com todos os vencimen-
tos para tratar ae sua saude.E' approva-
do em Ia discusso, e dispensado do inters-
ticio para entrar em 2a, a pedido do Sr.
Buarque de Macedo.
N. 170, melborando a aposentadora do
ex-porteiro da alfandega de Pernambuco.
E' approvado em Ia discusso e dispensado
do.intersticio para eolrar em *\ a pedido
do Sr. Correa de Brito.
N. 1-49, fazendo extensiva a disposigo
do art. Io dj^decreto n. 23 de 30 de agosto
de 1834 ao bacharel Francisco Gomes da
Sila.E' approvado em 2a discusso.
N. 74, approvando o decreto de 2o de
maio do corrente anno pelo qual foi decla-
rado que devem ser entendidas semprejuizo
do direito an meio sold ou monte pi as
penses concedidas s viuvas, tnis, Albos
menores, frhas dos offieiaes do exerciio e
da armada qae na actual guerra contra o Pa-
raguay teem fallecido em campanha.E'
approvada em 2a discusso e despensado do
intersticio para entrar em 3a a pedido do
Sr. Souza Carvalho.
Entra em Ia discusso o projecto n. 202
de 1864 mandando pagar a Jeronymo Jos
Tabres a quantia de3:6700.
Oram os Srs. Correa das Neves, J. Madu-
reira e Baptista Pereira, o qual manda
mesa o seguinte requerimento de adiamento:
Requeiro que o projecto v s commis-
soes reuuidas de just^a civil e fazenda para
reconsidera-lo.S R. Baptista Pereira.
E' approvado.
Entra em 3" discusso o projecto que au-
torisa o governo a contratar o melhoramento
do porto de Pernambuco.
Vem mesa, sao lidas, apoiadas, e entram
conjunctamenie em discusso, as emendas
que se acbam publicadas.
. O Sr. Macedo:Sr. presidente, julgo o
projecto e a emenda, ba pouco offerecida, da
maior importancia ; pens mesmo que se re-
ferem a servic/is de que o paiz pode tirar
nota veis resultados.
Eniretaotoa disposigode sensivel trans-
cendencia, especialmente as circunstancias
actuaos.
Por melhores que sejam as minhas dispo-
sigues para votar a favor do projecto, besito
em faz lo antes de ter a opinio do governo
a semelhante respeito.
Questoes desta ordem nao devem ser vo-
tadas, principalmente na situaco em que se
acbam o paiz, sem que o governo se pronun-
cie franca e decididamente sobre a sua ma-
teria.
Eu peco, portanto, ao nobre ministro das
obras publicas que tenba a boadade de pro-
nunciar-se sobre o assumpto para esclare-
cer-me, porque eu sint cada vez mais de-
sejos de votar com S. Exc.
O Sr Dantas (ministro da agricultura):
Sr. presidente, "o melboramento do porto
da provincia de Pernambuco tem sido sem-
pe a aspiraco da provincia e de seus dig-
nos representantes. As dilliculdades natu-
raes daqaelle porto inluem muito no desen-
volvimento do commercio e riqueza da pro-
vincia. Nao smente ella prejudicada, o
Estado tambem o ; a renda publica soffre
com os embaracos que existem naquelie por-
to, Emqaaato ellos Do forem removidos.
se a tempo o governo nao Ibe acudir.
Eu tive de ler estes trabalbos porque al-
gomas propostas me foram offerecidas com
respeito a este objecto e a sua dca.
Tudos os engenbeiros tem reconhecido a
possibilidade dos melboramentos de que se
trata. Os estados, as plantas levantadas para
a Inglaterra ao eDgenheiro Hawksbaw, vis-
tas por elle, e devidamente apreciadas vol-
taram com a opinio dessa autoridade euro-
pea. O governo tem os esclarecimentos ne-
cessarios para julgar da necessidade do me-
lboramento do porto de Pernembuco ; mas
v-se no embaraco de por si emprehender
esse melhorameoto.
Emprebonder por si, sem recorsos ex-
traordinariamente creados pelo corpo legis-
lativa, o melhoramento do porto de Pernam-
buco nao possivel.
E' certo que annualmento vota-se quantias
para alguns melhoramentos nesse porto ; ha
barcas de excavaco empregadas nesse ser
virgo qud tem consumando centenas de con-
tos de reis; mas tudo isso palliativo, nao
resolve a questo, e colloca o Estado na
obrigago permanente de continuar urna des-
peza sem a esperanza de obter o melbora
meato dj porto lo completamente quanto
indispsnsavel. (Apoiados.)
Cumpre sabir deste estado; e como sa-
bir ? Ou o governo fazer por si, por sua
conta emprehender as obras em grande, ou
aceitar propostas, com o Am de incorporar
urna companbia que levante capitaes e que
tome a si esse melhoramento.
O projecto consulta este pensamento. e
melhor que o projecto ainda a emeuda que
foi hoje offerecida por alguns Srs. deputa-
dos. Eu tive cmheeimento dessasemendas,
os nobres deputados tiveram a bondade de
conversar comigo a este respeito, e eu io-
diquei-lhes a conveniencia de deixar ao go-
verno o arbitrio de fazer por si a obra, ou
incorporar urna companhia mediante vanta-
gens suficientes para levantar os capitaes.
N i digo que as emeadas, como foram
aprsenla las, contenham tudo quanto pos-
sivel desejar na materia que e las nao pos-
sam ser susceptiveis de alguma modificago
que a sabedoria da cmara porventura julgar
conveniente para acautelar melhor os iate-
resses futuros do Estado.
Em relago ao porto de Santos digo a
mesma cousa; a importancia commercial
que elle tem nao pode deixar de merecer a
mesma attengao do governo.
Sr. presidente, eu nao sou daquelles que
entendem que, porgue o paiz se acha a bra-
cos com urna guerra, devemos parar em tu-
do quanto melhoramento publico ; e com
projundo pezar que nao vejo parlilhada esta
opinio por todos que tem a nobre mis sao
de promover o bem do paiz.
Respeito a opinio contraria, isto a opi-
nio daquelles que dizem que as dispezas,
ainda quando productivas, n'uma occasio
como esta, nao devem ser feitas, nem auto-
risadas.
Nao posso : minha intelligencia acanhada
nao co uprehende a sublimidade deste prin-
cipio ; Do sei, portanto, se a sorte deste
projecto, em seus tramites regulares, ser a
de outros que se destinavam a providenciar
sobre grandes mellnramentos, e foram ou
rejeitados, ou adiados, ou inutilisados; mas
isto nao impede a mim, nao impede ao go-
verno, nem aquedes que entendem conve-
niente, no meio mesmo das grandes dirflcul
dades publicas, no meio do soffrimento geral
de urna guerra prolongada e desastrosa, nao
esquecer o desenvolvimento material do paiz,
o qual nao se consegue voltando o rosto a
toda a ideia de melhoramento, simple-meo-
le porque traz comsigo a necessidade de urna
despea.
Esta despeza nao seno um adiantamento
sobre o futuro, e esse adiantamento nao po-
de ter como resultado seno o engrandec
ment do paiz, epor consequencia a sua pros-
peridade. (Muito bem 1 muito bem!)
O Sr. Gavio Peixoto:Sr. presidente,
o nobre depulado pelo municipio neutro,
exigindo que o governo se pronuncie a res-
peito do projecto que est em discusso nao
o i npugnou : e nem eu pedira a palavra
pelas reAexes que S. Exc. fez. Mas o hon-
rado Sr. ministro da agricultura, na respos-
ta que deu cbamou-me a terreiro, porque
8. Exc, para justificar a acetaco do pro-
jecto por parte do governo, qae exclusiva-
mente oceupou-se com o porto de Pernam-
buco, e s accidentalmente fallou no porto
de Santos, na produca de S. Paulo.
O Sr. Ministro da Agricultura :Nao
apoiado. ,
Um Sr. Deputado:E o porto de Per^
oambuco mais importante que o de
Santos.
O Sr. Gavio Peixoto :Nao contesto
que o porto de Pernambuco seja ao presente
para merecer a attengao do governo, e 0^
favores concedidos pelo projecto que se dlsV
cute.
O Sr. Ministro da Agricultura : -A
Apoiado.
. O Sr. Gavio Peixoto :O porto da
Santos, Sr. presidente, a sabida natural
para os avallarlos productos dos mais ricos
manicipios da provincia de S. Paulo, e tam-
bem para as do sol da provincia de Minas-
Geraes.
Por onde quer que se procure apressa-lo,
ou se attenda ao valor dos gneros exporta-
dos, ou se atienda ao commercio de impor-
tago, ba de reconhecer-se a sua importancia
presente e o sea futuro promettedor.
(Apoiados).
As toneladas dos navios entrados e sabi-
dos j sobem a 14o,oo por anoo. Nao obs-
tante carregam com grandes despezas e es-
to sujeitos a taes deiongas qae esmorecem
o commercio..
Pego a attengao da cmara para a tabella
extrabida de dados offieiaes, ministrados pelo
o commercio e o desenvolvimento geral da registro do porto, por ella se v o accresci-
provincia bao de resentir-se deste mal. j mo e desenvolvimento progresivo do com-
0 governo, qua attenae para as necessi- mercio da cidade de Santos dos ltimos 17
dades publicas e sabe que a primeira neces-1 anoos, sendo de esperar qae continuem em
sidade talvez da prov ncia de Pernambuco escala ascendente,
o melboramento do sea porto, nao pode ter! O numero de toneladas de navios entra-
outra opioio seno a que em todos os an- i dos, qae no anno de 1848 era apenas de
nos, por todos os representantes de Pernam-! 29,096, elevou-se qaasi ao duplo em 1858,
buco, tem aqai sido manifestada, no intuito e em 1864 approximou-se ao triplo. Maior
de, oa por meio do governo, ou incorporan-' numero de transportes demandariam aquello
porto, e maior seria o accrescimo daquellea
algarismos, se houvessem mais facilidades
nos despachos e mais cmmodidades ao
commercio.
O valor dos dous principaes productos da
provincia de S. Paulo, caf e algodSo, que
sahem pela barra de Santos, pode ser com-
putados annoalmenle (termo medio) para o
caf em lo,ooo:ooo a 12,000:0000J, e para o
algodo em cerca de 8 ooo:oo j, n5o iocloin-
do os productos da provincia de Mmas-Ge-
raes.
Qaanto aos gneros de importago o map-
pa dos difeitos arrecadados pela alfandega
daquella cidade no de;ennio de janbo de
1855 a junho de 1865 ainda prova a im-
portancia do sea commercio, sendo que nes-
se decenaio ba annos em que os direitos
arrecadados elevaram-se a mais de.....
l,ooo:ooo,$, como no anno de 1861 a 1862,
qae importaram em 1,147:11220436, e no
de 1864 a 1863 em 1,241:4855169.
Assigoalarei mais dous factos, Sr. presi-
dente, porque estes fallam por si e fa lam
bem alio. Os vapores encarreirados para o
porto de Santos nunca mereceram o menor
favor ou auxilio, e entretanto conservam-se
na carreira, navegam com a maior reglari-
dade, e do resultados vantajosos aos pro-
pietarios ou interessados.
Mesmo ago a qae. encoutram vanlajoso
emprego nos servigos do Estado, cooser-
vam-se naquella carreira dous excellentes
vapores, iguaes aos melhores de todas as
companbias brazleras.
A estrada de ferro daquella provincia
precisa de grande augmento de trem rodan-
te, que j solicitou, para dar transporte
enorme quantidade de productos que a de-
mandam.
O Sr. Ministro da Agricultura : E'
exacto.
O Sr. Gavio Peixoto : E entretanto,'
Sr. presidente, o porto de Santos vai-se
obstruindo e arruinando cada vez mais!
Paragens onde havia fundo sufficiente para
navios de grande porte hoje nao tm agua
necessana para embarcagoes de pequeo
calado.
Nao ha muilos annos que a descarga se
razia as pontes existentes ao longo da
praia: este servigo executa-se actualmente
por meio de compridas pranchas com que
se procura evitar que as embarcagoes fiquem
em secco ;meio difficultoso, mas imposto
pelo eslado do porto.
Alm das causas ordinarias, como sejam
aras trazidas pelas chuvas torrenciaes, des-
pejos que se fazem as praias e outras, a
obstruegao do porto de Santos devida em
parte ao grande aterro que fez a companhia
da estrada de ferro, ao leste da cidade, para
facilitar o expediente das embarcagoes que
conduziam o seu enorme material.
Esle aterro veio augmentar a tendencia
que havia para o deposito das aras, desvian-
do a corrente na encbenle e vasante das
mares, e reiirando por consequencia toda a
soa influencia e benfico efleito da parte
principal do porto. A materia em suspen-
so, qualqaer qoe seja o ponto de partida,
no momento em que fica sob a influeocia
desse aterro, encontrando aguas moras,
precipita-se e deposita-se immediatameote,
e pouco a pouco faz elevar o leito do canal,
diminuindo a profundidade das aguas, mas
sensive mente em frenie da cidade.
O finado e honrado antecessor do Sr. mi-
nistro da agricultura, caja perda o pais
tanto deplora (apoiados) e que durante sua
admioistrago portamos ttulos se fazere-
dot da estima e considerago publica (apoia-
dos), informado das difficuldades e sacrificios
que pesavam e ainda pesam sobre o com-
mercio de Santos pelo mo estado do porto,
para resolver com pleno conbecimento quaes
as obras de maior urgencia, encarregou dos
estudos tecbuicos ao illostre e distiocto en-
genbeiro o Sr. Augusto Coimbra.
Este dislincto engenheiro, depois de es-
tudar perfeiamente a localidade e os inte-
resses do commercio e do fisco, organisou
dous planos e apresentou os ao miuis erio
da agricultura com os respectivos orgamen-
tos umpara 1,693:5405 e outro para....
3,580:000$. J vai decorrido mais de um
anno e al boje nada se fez, e nada se far
se o governo nao fr estimulado pelo pro-
jecto que te discute.
Em um porto onde a par da seguranga
nao se encontrem commodidades e facilida-
des para o commercio pouco ou nenhum
resultado se alcntara.
A Inglaterra, Sr. presidente, compene-
trada desta verdado, nao possue boje porto
algum por menor que seja, onde nao exis-
tam as facilidades e commodidades reclama-
das pelo commercio, sem prejuizo dos in-
resses flseaes. Os Inglezes laogo mo de
docas e bacas e cuidam em memorar seus
portos e barras, e desta maoeira se conser
vam como nago coinraercianto frente das
outras nagoes.
Em Liverpool, por exemplo, a receita das
taxas impostas sobre as embarcagoes que
frequemavam as docas nao produza a prin-
cipio mais de 20:0005; com os melbora-
mentos feitos posteriormente montou gran-
de somata de 2,000:000^1 no espago de 50
annos.
Em Glasgow a falta de agua impedia qae
o porto fosse mais freqaenlado : bavia nelle
a profundidade apenas de cerca de 3 [.es e
s podia ser demandado pelas embarcagoes
de 30 toneladas para menos. Actualmente
navios que calam 20 ps entram francamente,
carregam e descarregam directamente sobre
os caes qae contornean) a cidade ; mas para
isto fizeram-se grandes obras e melbora-
mentos, com os quaes dospenderam-se na-
da menos que 15,000:0000 al 1859.
Mas os sacrificios desta ordem sempre sao
productivos, e por isso a receita augmentou
na proporgo seguinte. Os direitos da al-
fandega, que no anno de 1811 se limitavam
a? 3,121, subiram em 1823 a 29,929,
em 1836 a #389,702,
ram-se a s 631,305.
e em 1846 eleva-

O projecto qoe apresen!amo?, Sr. presi-
dente, nao obriga o paiz a sacrificios. No
art. Io autorisa o governo a contratar com
um emprezario ou companhia os melbora-
mentos que exigem os portos de Pernam-
baco e de Santo, e s se o governo julgar
prefervel tffectuar as obras por admiois-
trago e casta do Estado Ibe acarretar
grande dispendio ; mas nesta hypotbese,
qae a do art. 2o para resarcir-se da des-
peza j Ihe fica bypotecada a renda prove-
niente das taxas sobre os navios e os ser-
vicos das doeas.
(Gonimmr-se-hq.)
T?. DO DIARIO-RA DAS ORUZES N. 44.
f


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2VOMKR32_PNLEMF INGEST_TIME 2013-09-05T01:11:54Z PACKAGE AA00011611_11400
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES