Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11354


This item is only available as the following downloads:


Full Text

i
ANNO XLIH. NUMERO 197.
& Ol0J. >* 0
PIRA A ClPITtL E UtAUEIj^DE SJE SIJl PAA.rOT.
Par IreaojeitfiuUdei.,. .............. WOOO
Por iim
---------------,------------------------------- -'mwm..... -n Bwi -
iwei ifiuliiti.,. I.............. W00O
MdU.. .-, .i o .i .-, ... v tl .t-.I .... ftOOO
ieiOa>.. .i .i .] .i .j ,j -.3 .3 -ji .; .i..... 000
ft.iTilM .:.-...........-..... 320
DE
*v*i %h m*i*i
QUINTA FEIRA 29 J)E AGOSTO DE 1867.


**A*A MinM E PORA DA PROVINCIA.
Por tm wm dlutani. r rn rr .. ,., [r -., v rsi .v v ...
Porse.sdiio.lde. rr?..............................
Por nove ditos idea...........
Por uuit idea., r.- .. ....
,B '. OS 00 00
6750
IW5O0
2W250
870OOQ
tama*** w vwatmvw w JtovmwM* si mmw> wwmm& i wmt muros, ana minuBm&os.


|ENCARREGADOS DA SBSCRIPgAO.
o>
Parabyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal,-o Sr. Antonio Marques da Sirva Aracaty,
o Sr. A. deLemos Braga; Cear, o Sr. Joaqun)
i os de Oliveira ; Para, os Srs. Gerardo Antonio
Alves 4 Filhes; Amazonas, o Sr. Jeronyrao da
Costa; Alagoas, o Sr. Franci.no Tavares da Costa;
Babia, o Sr. Jos Marlins Alves; Rio de Janeiro,
o Sr. Jos Rfbeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Oiinda, Cabo, Escada e estaces da va frrea at
Agua Preta, todos os das.
Igaarass e Goyanoa as segundas e sextas feiras.
Santo AntSo, GravaU, Bezerros, Bonito, Caraar
Altinoo, Garanhuns, Baiqae, S. Beoto, Bom Con-
seibo, Aguas Bellas e Tacarat, as lergas-feiras.
Pao d'Albo, Nazaretb, Limoelro, Brejo, Pesqoeira
Isgazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa-Vis-1
ta, Onrieary,Salgaeiro e Ex, as quartes feiras I,
Serfnhem, Rio Pormoso, Tamandar, Una, Bar-1 Primeira vara do civei: tercas e sexta ao meiol
reros, Agua Preta e Plmenteiras, as quintas I dia.
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Rela?ao : tercas e sbados as 10 horas.
Paxenda: qu/ntas s O horas.
Jnlzo do commercio : segundas as 11 horas.
pito de orpbos: tercas o sextas s 10 horas.
I Segunda vara do clvel
1 hora da tarde.
EPHEMERIDES DO MEZ DE AGOSTO
7 Quarto cresc. as 4 b. e 17 m. da m.
13 La cbeia as 7 b. e 43 m. da m.
23 Quarto ming. as 6 1|2 b. da t.
39 La nova a 10 b. e 13 m. da m.
DAS DA SEMANA.
26 Segunda. S. Zeterloo b. m., S. Consnela ro.
Aer,Q" R.Qf ^B Sl Liceri0 "> s- Euthala v.
28 Quarta. S. Agostlobo b. e dontor, S. Pelagio m.
29 Qulnia. S. Adolpho b., S. Sabina v. m.
3'J Sexta. S. Rosa de Lima v. f. americana.
31 Sabbado. S. Raymnodo Nonnato card.
1 Domingo. Nossa Senbora da Penba.
PREAHAR DE HOJE.
Primeira as 0 boras e 30 m. da urdo.
Segunda as 0 boras o 54 minutos da manba.
PARTIDA DOS VAPORES COiTEIROS.
Para o snl at Alagoas a 14 o 30; para o norte
at a Granja a 13 e 30 de cada mex; para Fer-
nando nos das 14 dos metes Janeiro, marco, mai
Jalbo, setembro e novembro.
PARTE OFFICIAL
\'
HIKISTEBIO DA GUERRA
Qaartel do commando do 1.a batalbo proviso-
rio de infamara do 2.a corpo era operagdes ao snl
da provincia na villa de Coramb, 14 de junho de
1867.
ORDK.M DO DIA N. 7.
O teneate-coronel commandante, congratulndo-
se eom os Srs. offlciaes e pragas do batalbo pelo
triampbo alcanzado bontea), ao por do sol, na to-
nada obstinada da praga fortiticada desta villa,
guarnecida por seis boceas de fogo e fuzilarla,
eom a mafor satisfagan que, loavando esse taito de
armas, elogia ao Sr. eapitao fiscal Joaquim Jos
de Pinno pela coragem e bravura eom qno dirigi
a ala direlta do batalbo no assalto da face e trin-
chete da ortifleago entre os tiros de artilbaru e
azlaria qns contra sua torca os inlmigos dirl-
gam e. no renhido combate por mas de tres horas
at termina-Io.
O Sr. capito da 1.a companhia Joaquim Cravei-
ro de S, offlcial valente e destemido, portou-se
no combate mallo bem, sendo por isso digno de
elogios.
O Sr. eapitao da 5.a companhia Joo de Oliveira
Mello, commandante de urna grande diviso en-
carregada do debellar a goarngo dos vapores
Anhambahy e Apa, dea provas da su* reconbecida
bravura a pericia militar, pelo que se torna cre-
dor de elogios.
Os Srs. capitaes da 2.a companhia Manoel Peixo-
to de Azevtdo e da 6.a Angosto Correa da Costa, o
Sr. tenente Antonio Rodrgaos de Sampayo, com-
mandante interino da 4.* companhia, eom qnaoto
nao sejam militares, desenvolvern) todava urna
energa e coragem tal que sao dignos Je elogios
pelo modo por que se portaran) dorante o combate.
Semejantemente sao dignos de elogios os Srs.
tenontes Joaquina Ferreira da Silva, Delphiao No-
nato de Faria, Manoel Eugenio Barbosa e Antonio
Mara da Molla pelo valor que manifestaram at
alcancar-se a victoria, comprovando o Sr. tenante
Barbosa a sua bravura ja conbecida.
Os Srs. al/eres Hartando Augusto de Seixas
Coatinbo, Amarice de Albaquerque Portaearrero,
Felisberto Henrlqua Bueno Descbamps, Jos Pe-
xeira dos Galmares, Antonio Carlos Pereira, Lino
Jos de Pinbo e Bento Aprigio de Mattos dislln
goiram-se no combate, portando-ee eom coragem
os Srs. alteres Manoel Nonato da Costa Franco,
Randolpho Olegario de Figueiredo, Antonio Felip-
pe Fernaades Ganabarro, levemente ferido -, Fran-
cisco Paes Rodrigues Pinheiro, Indalecio da Silva
Rondio e Egydio Xavier Rlbeiro.
Os Srs. alfares Antonio Dias Lemas, Joo Capis-
rano de Oliveira e Urbano Bueno Carreira, qae
nao assistlram ao combate por se acbarera os dous
prlmeiros commandando a guarda avaucada, pros-
uram boas servidos nessa commisso aprisionan-
do o primeiro immigo qae procarava evadir, e o
tarceiro estando encarregado da bagagem do bata
lho em lugar distante e seguro consegaio all
masmo capturar nm inimigo qae fugia espavorido.
T? digna de elogio a coragem e dedcalo do Sr.
Dr. 2. crurgio Carlos Jos de Soaza Nobre e
pharmaceutico Damio Jos Soares, por qaanto,
nao sendo precisos seas servicos antes da aeco,
entraratn em combate as Qleiras, das q'aaes s se
retiraran) qaando snas presencas eram reclama-
das. Tambem digna de louvor a coragem do
vd. capello, contratado, padre Francisco Bue-
no de Sampayo, pois qae estave sempre em com-
panhia do teoente-coronel commandante em todas
as emergencias perlgosas at conclnso do com-
bate.
Os Srs. 2." cadetes sargentos-ajudantes Antonio
-Anaibai Alves Pereira da Motta e Luiz Pinto de
Miranda, o 1. sargento Augusto Alves de Araujo,
e os 2.'ditos Francisco Pessoa da Gima e Jos
Fiorian: Paes distiogairam-se em aeco, sendo,
por tanto, dignos de elogios, procedendo semelhan-
rnente o Sr. 1.* cadete 1.a sargento Alberto Luiz
4a Cuaba e Cruz, o 1.* sargento Manoel Bibiano de
Oliveira e o Sr. 2. cadete 2.* sargento Antonio
Joo de Souza. Os demais offlciaes, inferiores e
pracas nao mencionados portaran-se bem, mos-
trando coragem, sendo notavel a dedicago do sol-
dado Claro de Almeida, qae eom tanta diligencia
e boa vontade ajudou o tenente-coronel comman-
dante no servico de ama das boceas de fogo que
atirava contra os vapores, e o patriotismo acryso-
lado dos cidados Manoel Alves Lisboa, B-rnardo
4e Souza, Joo de Sonza Benevldes, Manoel Gomes
da Silva, Antonio Deltino Peixoto e Joo de Arro-
da e Cunta, qae voluntariamente se offereceram
para entrar em em operacao eom o batalbo, dis
tagulnd i-se o primeiro, apexar de soa ayancada
idade. To assigualalo triuropbo, que deve cau-
sar admirago aos que tm conhecimento de es-
trategia militar, roubou-nos a vida do distincto e
bravo capito Luiz da Caaha e Croz, do 2.a cadete
sargento qaartel mestre Manoel Antonio de Piono
e de seis pracas, fleando gravemente feriaos treze,
o levemente o alfares Antonio Felippe Fernandos
Cayabano e sete pracas.
Sao trophos desta victoria a bandeira do bata-
lbo n. 27, a bandeira da praga, seis boceas de
ogo coa toda a palamenta e muoicao, multo ar-
mamento e eartuxame, espadas, urna eaixa de
guerra, daas cornetas o grande qaanlida&e de
(erramonta. Dos niraigos foram raortos em com-
bate ura coronel, m major, um commandaoto
do vapor e tan Inmediato, qae s acbavem em
trra, deas. tenente, tres alteres, nm capeiUe, can-
to e qninze praga?, vinte e site prisionairos quaii
todos ferldos, entre os qoaes um offlcial de mari-
oba, ao todo cento doeoenta e dous bomens.
Assignado.Antonio Mara Coelho.Conlorme.
Antonio Analbal Alvos Pereira da Motta, V cadete
sargeato-ajndante, servindo de secretario.
1* BATALHAQ PROVISORIO DI INFANTARIA.
Relarao dos dfficiaes $ praQas feridas no combte
do dia 13 do corren!-.
Alteres Antonio Felippe Fernandes Cayabano, do
batalho n. 50 de volMUarlos da patria.
2a sargento Salvador da Costa Fernandes, Idea.
Furriel Manoel Pedro Paes, idem.
Anspegada Joio Pinto de Figueiredo, dem.
Soldados Jo Marinho da Silva, Manoel Rodri-
gues de SKjuelra, Sabino da Silva Prado, Domn-
eos Nobre Pereira, Maaoel Joaquim Soares, Vielo-
xiano Podrose de Almeld, Gabriel Paes de Ollvet*
ra, Joaquim Antonio Ferreira e particular Francis-
co Xavier Goniagi. idem-, Antonio Joaquim Delga-
' 4o, Joaquim Jos da Silva, Enublo Jos da Silva e
Joaquim Manoel Ferreira do Naseimeoto, do 5a ba-
talbo de artilbaria; Joo da Silva, do batalbo
u. 19 de infantaria; Feliciano Jos Hyapolyw e
Joo Ramos, do 3* corno do guardas naclonaei des.
tacados.
Corneta Felippe Jos Fratoisco do-Nasdmento.
do batalbo n. 19 de Infantaria.
Cuartel do commando do 1* batalhao provisorio
de infantaria do 2a corpo em operacSe ao snl da
provincia, na villa de Corumba 14 de Junho de
1S87.U tenente coronel Antonio Mara Coelbo,
commandante.
RtlagBtt ios ofjteiaet e pracat -mortot no combale
do (Ha 13 do cor re ni 0.
Capito Lnlt da Cunba e Cruz, do batalbo n. 19
de infantaria.
2a cadate sargento-ajndaott Manoel Antonio do
Plnbo, do batalbo o. 50 de voluntarios da patria.
Cabo Candido Jos da Rocha, dem.
Soldados Pedro Paulo deOBveirti Benedicto Ro-
drigues, Manoel Tftomat, dem: Manoel Joaquim
Gontalvea,dolatamo u. f9 da infantaria, e Joio
Antonio Francisco, do 21 de infantaria.
Qaartel do commando do Ia batalbo provisorio
de Infantaria do 2a corpo em operagoas ao sol da
provincia, na villa de Coromb, 14 de junho de
1867.O tenente-coronel Antonio Mana Coelbo,
commandants.
Palacio do governo de Mato-Grosso, no acampa-
mento volante dos Dourados, a' margara do rio
Paraguay, 21 de Junho de 1867, as 10 horas da
noHe.
Illm. e Exm. Sr.Commuuico a V. Exc. qae a
praga de Corumba', assaltada no dia 13 do corren-
te pela vanguarda do 2.a corpo de operagdes desta
provincia, cahio em aosso poder, e eom ella :oda
a fronteira do baixo Paraguay brasileiro, menos
Coimbra.
A guarnigo paraguaya morreu qoasi toda em
desesperada resistencia, inclusive o commandan-
te desta praga, o coronel paraguayo H^rmogenes
Cabral.
Os vapores Anhambahy e Rio Apa conseguiram
evadir-se, eom muita perda, depois de soffrerem o
fogo combinado de daas pegas raiadas e de nossa
infantaria.
Todo qaanto eslava em poder do immigo cabio
em nossas mos: grande qaantidade de armamen-
to, oitJ canhoes, deposito de vivares, e, o qae
mais precioso, cerca de qalnhentos patricios nos-
sos, que ha qaasl tres anuos all soffnam os tratos
do mais doro captiveiro
Esto vingadas eom o singue inimigo as morios
por lanceamentot, e depois de agoutes, qae all sol-
freram nossos compatriotas, eom barbarldade qae
deshonra a bumanidads.
Nao tenho lempo para entrar em mais detalbes,
porque julgo urgente reforgar aquelle ponto para
evitar alguma tentativa do inimigo contra a van-
guarda, que esta' solada, e, emquanto a torga cpm
que aqni estoa acampado esteja cansada, porque
temos viudo a marchas forgadas, comludo, como o
rio esta' agora desembaragado, eu aproveito a nol-
te para seguir Ja' eom a fijilba, rebocando 1,000
horneas, e amanba estar! am Corumba' eom
quatro navios de guerra, de sete bocas de fogo
para as da fiolllha, e 2,000 bomens dispostos a
vingar a honra uaconal, to gravemente compro-
medida nesta provincia, e a quem a recenta victo-
ria deu consciencia ca soa forca.
O governo imperial deve tomar em toda conslde-
rago o patriotismo, dedicago e energa do com-
mandante da vanguarda, tenente-coronel de com-
misso Antonio Mara Coelbo, dos distinetas offl-
ciaes que o acompanbaram e dos bravos soldado-
que depois de urna rpida marcha atravs de oi-
tenta e qaatro leguas de rio, expostos ao cru
zeiro inimigo, e sessenta leguas de pantaoaes, res-
tauraran) a integridade do imperio e a honra desta
provincia.
Dos guarde a V. Exc Illm. e Exm. Sr. con-
selbeiro ministro da guerra L. J. V. Couto Ma-
galhes.
INTERIOR

RIO DE JANEIRO
9 de agosto de 1867.
Entrn bontem de Montevideo e partos do sol do
imperio o vapor Gerente.
As datas que trouxe do Rio da Prata sao ante-
riores a's que recebemos anie-Jiontem peb trans-
porte Presidente.
As do interior alcangara : Porto-Aligre a 30 do
passado, Rio-Grande a 3 e de Santa Catharlna a 5
do corrente.
O presidente da provincia de S. Pedro do Sal
nomera ama commisso composta dos Srs. L~>po
Gongalves Bastos, Jos Ferreira Porto e Manoel
de Arasjo C. Raraalho, para examinar as carnes
preparadas pelo Dr. Ubatuba, que tm de ser ex-
portadas para a Europa.
O Dr. chafe de policia pronunciara como indi-
ciados no assassinato de Francisco Ferreira Bas-
tos o capito Vctor Baptsta Orsi e Gabriel Galson,
e julgra improcedente a queixa contra D. enha-
rina Backs e os capitaes Anionio Ferreira Tavares
Leria e Joo L'arenco T.rres.
Por decretos de 7 do corrate mea foram con-
cedidas, eom dependencia da approvago da as-
sembla g*rl, as seguales peosdes por servlgos
prestados na guerra coaira o Paraguay :
A D- Leopoldina Mara de Saai'Anaa, viuva do
alteres de commisso Lzaro de Oliveira Lelto,
fallecido no hospital de Corrientes, a 36000 man-
saes.
A D. Anua Francisca do LivrameoO e Mello,
viuva do alteres do 9a batlno de infantaria Jacio-
Ibo Corri de Mallo, fallecido no dito hospital, a
18$ mensaes, sem prejaizo de meio sold qae por
le Ibe competir.
A D. Vicencia Gomes da Silva Tavares, viuva do
capiio da guarda nacional Juliao Jos Tavares.
mor'o em eombate, a de 305 mensaes, sem pro-
juzo do meio odo que por lei Ibe competir.
A D. Laurioda Etelvina da Silva Gomes, viuva
dociplio de voluntarios Joo Vctor da Caoba
Gomes, fallecido no acampamento do 2a corpo do
exordio, a de 60 mensaes.
Por cartas imperiaes da mesma data foram na
luralisados os subditos ponogaezes Antonio da Cu-
nba Mendes e Antonio Luiz de Oliveira Azevedo.
Por decreto de 30 de Jolho ultimo joi reformado
o chete de divisad graduado Francisco da Silva Lo-
bo no posto de ebefe de eequadra e eom o respec-
tivo sold, por eonlar mais de 40 aunos de servigo
1 a .. ,
Soa Magestade o imperador, aiiendendo a eons-
taecia e ao valor eom que, nao obstaate as priva-
edes soffridas, se houveram as forgas expedido
narias em operagoes ao sol da provincia d Malte-
Grosso, batendo vigorosamente as columnas para-
guayas, em os combates qae eom eljes travsrram
em territorio inimigo, honve por bem conceder-
Ibes o aso de urna medalba; e peles relavantes
servlgos prestados na guerra actual contra o go-
verno do Paraguay polo tenente Joaqafm Silvio
Ribeiro e pdo alteres Amonio Mara Fragoso, eato
do 27a o aqoelie do 33a corpo de voluntarios da pa-
tria, honve por bom S, M. o Imperador, por decre-
to de 7 do corrate, conceder ae primeiro as hon-
ras de tenente e ao segando as de alteres do exor-
dio.
Na eonformidade das dispdsigSes do Ia do art. 9a
da le n. 648 de 18 de agosto de 1852, foi, por decreto
de 7 do corrente, reformado, o captlao do 10 ba-
talbo de Infantaria Manoel Pereira de Soaza Bu
rity, visto sefirer molestia iacuravel que o terna
incapaz de continuar no servigo, a por ouiro de-
creto de Igual data, na eonformidade das dlaposl-
c&ss do I 3a do art. 2a da tai n. 260 do i* de d-
zembro da 1841, e de inmediata e Imperial reso-
tacao de 3 do presente mes, tomada sobre consulta
- conseibo supremo militar, te tamben relar-
do
Exonerando do servigo do exercllo o tenente de
33a cirpo de vojuntarlos da patria Joaqaim Silvio
Ribeiro.
Conondendo qaatro mozos de Ilcenga, som sold
e etapa; para tratar de sua saude, ao tenente ad-
dido ao 21a batalbo de infantaria Ernesto Belizi-
rio Tito de Ti ledo.
Por decretos de 3 e 7 do corrente foram no-
meados :
O bacharel Jos Antonio de Carvalho Janior juz
maolcipal e de orpbos do termo de Guaratioguet,
na provincia de S. Paulo.
O bacharel Francisco Xavier de Sa juiz munici-
pal e de erphos do termo de Sabara', na provin-
cia de-Mnas-Geraes.
Francisco Ferrio Castello-Branco major com-
mandante da secgo de batalbo da reserva n. 12
da guarda nacional da provincia de Pernambuco.
Foi reformado Luiz Pereira do Lago, tenente-co-
ronel commandante do batalhao de infantaria n. 33
da guarda nacional da provincia do Maranbo bo
posto de coronel.
Fez-se merc a Manoel Lonrengo Alves dos San-
tos da serventa vitalicia dos offlclos de partidor e
contador do julzo municipal e de orpbos do termo
do Passo de Camaragibe, da provincia das Atagas.
Foram declarados vagos :
Os offlcios de tabelllo do publico, judicial e no-
tas e escrivo de orphos e ausentes do termo da
Carolina na provincia do maranbo, por n*o ter o
respectivo serventuario Francisco Alexandre Pi-
nheiro entrado em exerclcio dentro do prazo legal.
Os offlcios de tabelli do publico, judicial e no-
tas, e escrivo de orphos e ausentes, eapellas e
residuos do termo do Codo, na provincia do Mara-
nbo, por nao ler o respectivo serventuario Anto-
nio Fabio da Sllve Plnbelro entrado em exerclcio
dentro do prazo legal.
- 16-
Sua magestade o Imperador, acompanhado dos
seus semanario?, visiten bontem as oficinas de ma-
chinas do arsenal de marinba, os navios em con-
cert Belmonte, Apa, Aragnary e Amazonas, o di-
que imperial, a serrarla a vapor e os monitores em
constrnegao na ilha das Cobras e a liba do Bom
Jess.
Sua magestade chegon ao arsenal as 9 e meia ho-
ras da manba, e all desembarcou as 2 e tres quar-
tos da larde, segundo logo para S. Chrlstovo.
Em 9 do corrale expediram-se as seguintes or-
deas :
Exonerando do servigo do exerdto, por iocapa-
cidade physiea, o alteres d 80.a corpo de volunta-
rlos da patria Joaquim Jos Dias de Siqueira Ja-
nior, e o lente do 31' corpo dito Manoel Tbomaz
Asselino dos Santos.
nado o alteres' do 8a batalhao de iafaataria dato*
nlo Severluo Valporto.
fens d cor*nu brMD P***as as scateles
Concedeado dotm mezas de liceoca eom sold o
lana, para tratar de saisaad*, a* vista do termo
de inspeegao n que procedan a. tonta militar de
ande, em sessao n. 8S0 de 17 de jult Undo, ao
eapilie do 41a corpo de voluntarios Amonto o O'
Almeida.
dem tres meses Idem idem ao alteres do 49a
dito Iudo Vx da Patii.
E em drade do tormo do insoeego de saude
o. $7 4o 2 do corrate
Hontem receben o governo a seguate communi-
cago telegraphica, qne Ibe dirigi o presidente de
S. Paulo:
Da Jnndiaby acabo de receber carta do baro
de Villa Maria, confrmaudo a commuaicago tele-
graphica de bontem sobre a retomada de Corumba,
viada por um proprio do presidente, que traz as
partidpagdes offlciaes. Corumb fieou guarnecida
eom 2,000 bomens.
Coimbra j estar em nosso poder a esta bora.
0 Paraguayos, alera de multos morios e fondos,
perderam o sen coronel, nm tenante e um padre. >
12
Por decreto de 7 do corrente :
Teve mare do Ululo de baro de Boa-Viagem o
capito Francisco Jos de Malos Pimenla.
Foram comeados:
Commendador da ordem da Rosa, o tenente-co-
ronel J.jo Jos de Magalbss, em attengo aos re-
levantes servicos qne tem prestado em reluci a
guerra contra o Paraguay.
Offlcial da mesma ordem, o Dr. Ignacio da Cunha
Galvlo, em altengio aos relevantes servigos que
presin na commisso de que (o encarregado, de
providenciar a respailo do estabeleclmentos de co-
lonos no imperio e de inspeccionar colonias j exis-
tentes.
Foi concedido o' habito da mesma ordem ao 2.a
cimrglo Dr. Alfredo da Rocha Basto?, em sabsii-
tuigo do habite de Cnristo, que ja lioha qaando
foi este novamente conferido por decreto de 23 de
junho proxino passado.
Por decretos de 10 do correle foram aprsenla-
dos]:
O padre Antonio Marques de Castilho, na igreja
parochul do Saotissimo Sacramento de Sanio An-
tonio da cidade do Recite, da diocese e provincia
de Pemambaco.
O padre Joo Jos da Corta Ribeiro, oa igreja
paroenial de S. Jos, das referidas cidade, diocese e
provincia.
O,padre Antonio Manoel da Assumpgio, na igreja
paroebial de S. Pedro Goncalves, das mesmas cida-
de, diocese e provincia.
O padre Satyro Jos Barbosa, na igreja paroebial
de Nossa Senbora da Conceigo do Limoeiro, aa
mesma dioeese, e provincia das Alagoas.
O padre'Francisco de Paula Mello Cavaleanti,
na igrej < paroebial da Nossa Senhora das Noves,
da cidade da Parabyba, da mesma diocese, provin-
cia da Parabyba do Norte.
O padre Pedro de S. Bernardo Peixoto, na igreja
paroebial de Nossa Senbora Mal do Povo da Jara-
gua, da mesma diocese e provincia das Alagoas.
Foi permiltdo aos padres Mariano Martins Gon-
galves e Jos dos Reos Villa-Verde, parochos colla-
dos, este na fregueaia de S. Francisco Xavier do
Eogenho-Velbo desta corte, e aquello oa de Santa
Maria Magdalena de Cantagallo, da diocese e pro
vincia do Rio do Janeiro, que permuten) entre si as
respectivas fregoslas.
Foi nomeado cavalleiro da ordem de S. Bento de
Aviz o major reformado do exercito Francisco Jos
dos Res Alpolm.
Foi condecorado eom o habito da ordem da Rosa
o tenente da 5.a companhia do 8." batalbo da guar-
da nacional da provinda do Rio de Janeiro, Manoel
Marlins do Como, em attenco aos servigos qae
tem prestado, eom relaco i guerra contra o Para-
guay.
|3
Em 12 do correte foram expedidas as seguintes
ordens :
Concedendo licenga de 2 meses, eom sold e eta-
pa, para tratar de sna saude, a contar de 6 de ju-
nho dudo, em que fot Inspeccionado, ao capito do
37.a carpo de voluntarios da patria Damio Jos de
Sean Gainutoa.
De J mozos, Idem, eom sold simples, em proro-
gago da eom qne aa aena na provincia do Paran,
ao capito do 14.a batalbo de infantaria Antonio
Jas Mane Bandeira.
' Para residir aa provincia do Maranbo ao 2.*
sargento reformado Dnrval da Cosa Pinto.
Approvando a licenga de tres mezes concedida
pela presidencia da prwiada de Mioas-Geraes, em
date da 29 de junbo Ando, para tratar da sna sau-
de, ae capito reformado ajadante de ordena da
dita presidencia FaMppe Hennes Fermtades Trigo
da Loorelro ; a a nomaacao do tente, lambsm re-
formado, Gaspar Jos Menaa Brrelo, para exercer
laterlnamente aduaUe lagar.
Exonerando do servleo do exarcito o alfares do
38.a corpo de volantarlOB Frandsoo Pereira da Maia
Sobrlnto, por reapaddade pbystea.
*or decreto de 7 do crrante : -
Foi declarado de nenbum etleito o decreto de iu
de abril desta ando, qne nomeou o baooarel Ben-
lasata Fraoklin do Oliveira e Mello para o lugar de
iniz municipal a do orphos do tormo do rejo aa
Ar, na provincia da Parabyba, por nao ter Mil-
i lado a retarida aomeago. -
[- Conceden-so ao bacharel Adolpho Harenlano Ma-
riano Falco a demisso que pedio do cargo de juiz
manicipal e de orphos dos termos reunidos de S.
Jos, Goyanlaha e Flor, na provincia do Rio Gran-
de do Norte.
Foram nomeados :
O bacharel Raflro Tavares da Almeida, juiz mu-
nicipal da segunda vara do termo do Rio Grande, na
provincia de S. Pedro do Rio Grande do Sul.
O bacharel Ivo Magno Borges da Foneeca, juiz
manicipal e de orphos do termo do Brejo da Ara
tu provincia da Parabyba.
O bacharel Marcolino Ferreira Lima, joix muni-
cipal e de orpbos do termo de Plane, da mesma
provincia.
O bacharel Antonio Jos Lopes Filbo, juiz moni
clpal e de orphos do termo de Ega, na provincia
do Amazonas.
O capito Joaqaim Bezerra de Menezes, tenente*
Coronel commandante do corpo de cavallaria n. 4
da guarda nacional da provincia do Cear.
. O tenente Gregorio Pereira Pinte Calou, major
commandante do esquadro de cavallaria 0. 2 da
guarda nacional da mesma provincia.
O major Antonio Rodrigues Pereira Sabr, tenen-
te-coronel ebefe do estado-maior do commando su-
perior da guarda nacional dos municipios da Man-
ga e Pass?gem Franca, da provincia do Maranbo.
\ O major Jos Manoel Pacheco, tenante-coronel
nommandaote do batalhao de infantaria n. 29 da
guarda nacional da dita provincia.
11-
Embarcaram hontem no arsenal de marinha
para os transportes Vassimon e Galgo 820 pragas,
sendo 700 do exerdto, 80 fusleteos navaes e 40
imperiaes marinheiros, que vo reunlr-se s nossas
torgas em operag3es no Paraguay.
No Vassimon vio tambem alguna offlciaes da
armada que aqni se acbavam eom lieeoga e alguns
mdicos e pbarmacenticos ltimamente contrata-
dos para servirem no corpo de sade do exercito.
S. M. o Imperador, acompanhado dos seus sema-
narios e do Sr. ministro da guerra, assistio ao em-
barque.
-14-
Hontem, meia bora depois do mel dia, S. M.
o Imperador, acompanhado dos seus semanarios e
do director do hospital militar, visitn o imperial
observatorio astronmico, retirando se depois de 1
o meia da tarde.
Por portarla de 13 do corrente, teve licenca para
residir na provincia da Peraambnco o alteres re-
formado Alvaro Conrado Ferreira de Agolar.
Na mesma data concedeu-se dons mezes de ticen
(a eom sold e etapa, para tratar de sua sa ie, ao
primeiro crurgio capito Dr. Antonio Manoel de
Medeiros. JK
Por decreto de 31 da julho, foi elevada a' cate-
gora de batalbo eom quatro companhia?, e desig-
nago de 3a, a seeco de batalbo da reserva n. 7
da guarda nacional da provincia do Maranbo.
-15-
Em 14 do corrente foram expedidas as seguintes
ordens :
Dispensando do servigo do exercito o major em
commisso do 13a corpo de voluntarios da patria
Sezefreflo Atalib? Gal vo o o alteres honorario Mar-
colino Francisco Cardoso.
Concedendo s seguales I icen gas :
De 3 mezes, eom sold simples, em prorogago
da eom que se acha, para tratar de soa sade na
provincia das Alagoas, ao alteres do 6a batlno de
infantaria e teneate de commisso do 42a corpo de
voluntarios Francisco Jos da Silva.
De am mez, em prorogago da eom qae se acha
para o mesmo tira na provincia de Peraambnco, ao
tenente do 9* baalhao de infantaria S^cundino Ay-
res Velloio de Mello.
16
Por decretos da 1 i do corrente tveram merc
dos ttulos de bari de Uaa, Jos Antonio Lopes, e
de baro de Cascalbo, Jos Farras de Ctmpo?.
Foi nomeado commendador da ordem de Christo
o tenente-coronel Joo de Souza Mallo e Alvim, em
attengo aos relavantes servigos que prsstou ao
estado, como presidenta da provincia do Cear'.
Foram nomeados offlciaes da ordem da Rosa, os
Drs. America Braziliense de Almeida e Mello, Po-
lydoro Cesar Burlamarqua e Jos Pereira da Silva
Moraes. em attengo aos relevantes servigos qae
prestara ao estado, o primeiro como presidente
da provincia da Parahyba, o segoodo da do Para-
n', a o terceiro da de Serglpe.
Foi nomeado offlcial da mesma ordem o tenan-
te-coronel da guarda nacional de Itapicur-mirira,
provincia do Maraohae, Raymuodo Janseo Serra
Lima, em attengo aos servigos que prestou eom
relagao a guerra contra o Paraguay.
Foram apresantados:
O padre Sebastio Jos Ribeiro Pessoa, na Igreja
paroebial de Nossa Senbora da Penba da Taquara,
da diocese de Pernambuco o provincia da Paraby-
ba do Norte.
O padre Genuino Gomes Pereira, oa igreia pa-
roebial de Nos Senhora da Conceigo de Serin-
.aera, da diocese e provineia de Pernambuco.
O padre Jos Roberto da Silva, na igreja paro-
ebial do Nossa Senbora das Gragas do Muricy, da
mesma dtocese o provincia das Alagoas.
O padre Maaoel Paulino de Souza, na igreja pa-
rochial de Saut'A.noa do Serid, da mesma diocese
e provincia do Rio Grande do Norte.
Por carU imperial da mesma data foi nomeado
cavalleiro da ordem da Rosa o subdito francos Sa-
muel Eduardo da Costa Mosquita, em attengo aos
servigos que tem prosudo ao imperio.
"~ "~
Por decreto de 14 do corrente, foram p remo vi-
dos por actos de bravora ao poste de maior os se-
guintes offlciaes :
Para o 18a batalbo de nfmtaria.O capito do
qeario batalbo Jos Tbomaz Gongalves, major
de commisso commandanie interino das torgas em
operagdes ao sul da provinda de Mato-Grosso.
Para o 19a batalbo dito. O capito do mes-
mo batalbo Antonio Maria Coelbo, tenente coro-
nel do commisso commandante da vanguarda do
segando corpo em operigoes na provinda de Ma-
to-Grosso, o que acommettes o tomn a praga de
Corumba.
Par decreto tambem de 14 do eorrente foi trans-
ferido para o 10 batalbo da Intentarla o major do
19a da mesma arma Aegasto Cesar da Silva.
Em ttengo aos servigos prestados na guerra
actual contra e governo do Paraguay foram con-
feridas as seguate* honras de posto do exer-
cito :
De capito.Aos capitios: do 5a corpo de vo-
luntarios da patria Domlages Francisco da Almei-
da, por decretado rO do correte.
Do 8a dito, Damio Jos di Soasa Galmares,
dem.
Do 1* batalso ie artilbaria da guarda nacional
do Para' Antonio do O' de Almeida, por decreto de
14 do corrate.
Do 46a corpo de voluntarios da patria, Manoel
Faustino de Oliveira Kook, idem.
O tenente-coronel Jos Gomas da Oliveira Lima
olteraceu gratuitamente para o servigo da armada
10 libertos.
Era aoma deS. M. o Imperador agradeeeo-se
esta prova de patriotismo.
. 47
Pelo brigue Festonea, entrado bontem, recebe-
mos dates do Rio-Grande do Snl at 6 do corrente:
Na noute de i para 3 eoealbara no lugar deno-
minado Marisco, 9 teguas ao sal da Barra, a bar-
ca italiana Antonieta, capito IVictorlo Immanue-
[o La va re lo.
* Este navio diz o Commercial, sahido de Mon-
tevideo eom earga de cinzas de ossos eom destino
a Falmoutb, abri agua, o, apezar de todos os es-
forgos da tripolago, nao dando as bombas vaso
torga d'agua que tezia, e estando a dita tripolago
extenuada de forgas, resolveu o capito, para sai-
var sua gente, encalbar na costa, o qaa fez no la-
gar cima mencionado.
? Consta nos que era navio novo e de Ia classe,
de 1,200 toneladas, e que eslava seguro em cem
cootos de res.
Por eommunlcago do censal, o Sr. Antonio
da Silva Ferreira Tigre, ao Sr. Dr. Alahyde, ins-
pector da alandega, dea S. S. immedlatamente
todas as providencias para arrecadar ( qae se po-
desse salvar da mesma embareago.
Por carta imperial de 14 do correte mez de
agosto foi naluralisado cidadSo brasileiro o subdi-
to belga Dr. Jallo Luiz Parigot.
Por decretos da mesma data foram concedidas
as segaiotes pensSas, por servicos prestados na
guerra contra o Paraguay, as "qua.es despenden)
da approvago da assembla geral.
De 36J mensaes, igual ao sold da patente de
alteres, a D. Maria Gelrudes de Brito, m do al-
fares do 24a corpo de voluntarios da patria Jos
Messias de Araujo, fallecido em consequencla de
terlmentos recebidos em combate.
De 600 rs. diarlos a Mirla da Gloria da Con-
ceigo Araujo, viuva do corneta-mr do Ia corpo
de volantarios da patria Joo Soares de Aranjo,
fallecido em consecuencia de eufermidades adqui-
ridas em campanha.
Por decreto de 11 do corrente foram recooda-
zidos:
O bacharel Joaquim Ferreira Bandnira no lu-
gar dejis municipal e de orphos do termo de
Campo Largo, na provincia da Babia.
O bacharel Joo Baptista do Amaral e Mello, no
logar de juiz manicipal e de orphos do termo de
Nazareib, na provincia de Pernambuco,
Foram nomeados :
O bacbaret Benedicto Marques da Silva Acauan,
juiz manicipal e da orpbos do termo de S. Jos
d'El-rei, na provincia de Minas Geraes.
O bacharel Claudino Bezerra Cavalcante, juiz
municipal e de orphos dos lermos reunidos de S.
Jos, Goyaninha o Fidr, na provincia do Rio-Gran-
de do Norte.
O eapitao Tiburtino Lete Pereira de Souza, co-
ronel commandante superior da guarda nacional
dos municipios de Souza e aunexos, da provincia
da Parahyba.
O lenente-eoronel Dr. Luiz Jos Corroa de Sa"
ebefe do estado-maior da guarna nacional do mes-
mo commando superior.
Joaqoim Jos de Sonta, tenente-coronel com-
mandante do batalbo de infamarla n. 24 da guar-
da nacional da provincia da Parabyba.
Prxedes Rodrigues dos Santos, teoente-coronel
commandante do batalbo de infantera n. 28 da
mesma provincia.
O tenente Clemente Lniz de Soaza Netto, tenen-
te-coronel chete do estado-maior da gnarda na-
cional do municipio de S. Bernardo da provincia
do Ceara'.
O capito Lzaro Antonio Vieira, major com-
mandante da secgo de batalhao de iorantara
activa da guarda nacional da provincia do Mara-
nbo.
O capito Honorio Jos Nones Bonaa, tenente-
coronel chete do estado malor do commando su-
perior da gnarda nacional dos municipios de Cam-
po Maior e Uaio da provincia do Ptauhy.
O capito Jos Joaquim de Lana, major eom-
maadaate da secgo da batalbo de iafaataria n.
& doservigo activo da guarda nacional da provin-
cia do Para',
Foi designado o estado-maior da guarda nacio-
nal da capital da provincia do Pianhy para a elle
ficar aggraegado o leme coronel ebefe do esta-
do-maior do commando superior dos municipios
de Campo Maior e Uaio da mesma provincia,
Florencio Alves da Foneeca Mandas.
foi exonerado o capito Cornado de Souza Mar-
tos, do exerclcio de major designado do 6a bata-
lhao de infamara da guarda nacional da provin-
cia do Pianby.
Foi aceeiu a desistencia que Francisco Antonio
de Castro e Silva, faz da serventa vitalicia do
offlclos de tabellio do publico, judicial e notas, e
escrivo do civel e crima do termo de Quixerarao-
bim, e de offlcial do registro geral das bypotbecas
da respectiva comarca, na provincia do Ceara'.
S. M. o imperador, aitendendo aos relevantes
servlgos prestados na guerra actual contra o go-
verno do Paraguay pelo tenente do 32a corpo de
volantarios da patria Manoel Tbomaz Antonio dos
Santos, houve por bem, por decreto de 10 do cor-
rente, conceder Ibe as honras de tenente do exer-
cito.
Por portera de 6 do corrente foi nomeado te-
nente-coronel de commisso o major do 18a bata-
lbo de infantera Jos Thomaz Goagalves.
Na mesma date foram expedidas as seguintes
ordens:
Approvando a licenga do tres mezes concedida
eom sida o etapa, a 21 de |unho fiado, pela pre-
sidente da provincia da Pernambuco, ao alteres do
9a batalbo ce infantera Francisco Genuino Si-
moes, para tratar de sua saude sendo considerado
como em prorogago da eom qne se acba na dita
provincia.
Teve hontem lugar a experiencia da machina
da transporte nacional Marcilto Dias, sob o com-
mando do Sr. Ia tenente Jos Maximlano de Mello
o Alvim, depois dos importantes conoertos execu-
tados pelos Un. Joba Maylor & C. em sea estabe-
lecimento.
Aehavam-so a bordo os Srs. capito de fragata
Heorique Baptista, capitao-tenente Braconnot, di-
rector das offiomas da machinas do arsenal de
marinha, o Antonio Gomes de Mattos, socio ge-
rente do estabelecimenlo dos Srs. John Maylor
C.
O navio per cor rea em 3$ minutos, unto na ida
tamo na volts, a distancia de Santa Crhx a liba
Rasa, o qne corresponde a veloeldade de 14 1|2
milbas por bora. 0 machinismo fanedoaou sem-
pre perfeitamente.
1S
S. M. o Imperador, acompanhado dos seus se-
manarios, visitn bontea aslofflclaas de machinas
do arsenal de marinha, a fragata Amazonas, o asy-
lo di Armagao e a ilha do Bim Jess.
Sua Magostado ch#gou no arsenal as t 3|4 ho-
ras da manba o rellrou-seas 3 3(4 da tarde.
Em 17 do crreme foram concedidos qnatro me-
zes de licenca, eom sddo e etapa, para tratar do
soa saude, ao tenente do 8a batalbo do infamarla
Francisco do Reg Barros, em vista de termo de
laspeego a qae proceden a junta militar de saude.
Como haviamos noticiado, foi bontem laucado ao
mar dos estalelros da liba de Cobras o monitor
Rio Grande do Sul, all construido, e cojas dimen-
sdes sao as segaiotes : eomprlmento 120 ps, boc-
ea 28 ps, calado 5 pos.
A machina do flw Grande do Snl de alu pros-
sao, da terc> de 30 cavados e de hlice danta, e
funecionou logo.
A couraga tem 4 pollegadas de espesan e a ar-
tilbaria consta de urna pega ralada de calibre 70,
eolloeada em una torre giratoria-
S. M. o Imperador assistio ao laucamente, e em-
barcando depois no navio segnio este a experi-
mentar a machina. Estiverm urabem presentes
os Srs. ministro da marinha, inspector do arsenal,
encarregado doqaarlelgeneral o alguns ontros of-
lices da armada.
Fallecen hontem, e sera' neje sepultado no ce-
rn terio de S. Francisco de Panla, o Sr. marques de
Itambaem, senador pela provincia de Minas.
O honroso cargo de tutor do Imperador e do
suas augustas irmas foi occapado at a maiori-
dade pelo Ilustre finado, que no desempenho des-
sas honrosas faocgoes mereceo sempre o respelto
e confianga do palz.
O Sr. marqaez de Itanbaem era gentil-bomem di
cmara de S. M. o Imperador, seo estribe!ro-mr
e grao-cruz das ordens de Cbristo, de S. Januario
de capoles, da Legio do Honra de Franca, de S.
Maurieio e de S. Lszaro da Sardeaha o commen-
dador de varias outras ordens.
- 19
Por decreto de 17 do corrente concedea-se trans-
ferencia para a 3a companhia do 4a batalbo do
infamara ao capito do 10a da mesma arma An-
tonio Jos Baptista.
Na eonformidade das disposigSes do art. 2a 1,
motivo primeiro, n. 2 do decreto n. 160 do Ia de
dzembro de 1841, e por decreto de 17 do coren-
te, passaram a aggregados a arma a qae perten-
cem o capito Luiz Thaumaturgo da Guerra Ma-
chado, e o alteras Luiz Jas de Souza, este do 9*. e
aquelle do 12a batalbo de intentarla.
Attendendo aos relevantes servicos prestados oa
guerra actual contra o governo do Paraguay pelo
ex-alferes do 14a corpo de cavallaria da guarda
nacional do Rio Grande'do Sul, Gustavo Doador-
U, a pelo alteres do 6a corpo da voluntarlos da pa-
tria Antonio dos Santos Medeiros de Agniar, Ibes
foram eoneedtdaa, por decreto de 17 do corrente,
as honras uo posto da alteres do exercito.
Na coaformidada das disposig*? do { Ia do art.
9a da le n. 6'.8 de 18 de agosto de 1852, foi re-
formodo o capito do 13a baulho de infantaria
Gastavo Chrlstiano Desousart, visto soffrer moles-
tia iacuravel que o terna iaeapax de continuar no
servigo.
- 20
Amanheceu bontem tundeado oeste porto o trans-
porte Altee, qae, viudo do ul trouxe-acs noticias
do tbeatro da guerra at 5 o tenas de Buenos-Ay-
res e Montevideo at 9 e 10 do corrente.
No Paraguay, segnndo podemos colllgir das de-
ferentes correspondencia?, ficavam as coosas pouco
mais on manos, no seguate estado :
u gros.-o dos exercius adiados s ordens do
marqaez de Casias, marchando na forma que de-
signa a ordem do dia iaseru na correspondencia
que em oatro lagar publicamos, consegoio contor-
nar nteiramente o flaneo esquerdo do inimigo, en-
contrando apenas aqu e all algnmas partidas
ragnayas que fo-am.f.icilneole batidas, e pos-
tn-se em Tayu-Cu, tendo a vanguarda em Sao
Solano. Dalli se avigiava a menos de daas leguas
de distancia a fortaleza do Humaita; ioterpunha-
se, porm, ama liaba de trlnebeiras, que forma co-
mo qne o quarto lado de um quadrilatero, sendo o
primeiro Humana e Curupaily sobre o rio Para-
guay, o segundo as linhas de Rojas, o o tercolro o
Estero Bellaco, que se prolonga entre ellas e as no-
vas agora encontradas pelo exercito expedicionario.
Con la va es la latvez 30,000 homens e 120 boceas
de fogo, e estendendo as snas liabas nao lardara
a faenar Humail pelo lado do norte. Accommet-
lendo entao por all ao lempo qae o viseonds de
Porto-A legre cora os 12,000 homens qoe Ibe li-
nbam ficado atacasse pelo sol, mal poderlam os
Paraguayos accuJir a todos os pontos, e rotas as
suas lionas seria Curupaliy tomado por trra,res-
tando por ventura Humaiu apenas.
All os Paraguayos dlffldlmente se encerraran)
todos, sendo mais provavel que apenas deixem urna
guarnigo para defender a forUleza emquanto pu-
der. Mas, urna vez removido aquelle obstculo, qua
atacado por trra e por agua lea necessarlamente
de ceder, o resto das operagdes devla ser compara-
tivamente fcil.
Nao ahincamos que todo seja exactamente como
deixamos descrlpto, mas assim se nos augura a si-
tuago vista das noticias qaa recebemos. Quando
o exerdto occuponTuyu-Cu vleram os Paraguayos
eom alguma cavallaria e infantera fazer urna es-
pecia de demonstrago, disparando de longe alguns
tiros. Sahiodo ento duas divisdes de cavallaria
nossa, fcilmente puzeram em debandada o inimi-
go, qae deixoa no campo 100 morios o 10 prisio-
neros, tendo nos apenas nm soldado morto e 14
(eridos, entre os qnaes um capito.
0 general Mitre tinba reassumido o commando
geral dos exercilos adiados. O marqaez de Caxias
apenas soobe da chegada delta a Tuyuty dirigir-
Ibe o seguinie ofilcio :
c Commando em ebefe de todas s forgas brasi-
leras em operagdes contra o governo do Paraguay.
Qoartei-general em Negrete, 28 de julho da
1867.
1 Illm. e Exm. Sr.Ao Exm. Sr. general D.
Joo A. Gelly y Obes devo o favor de haver-mo
communicado a feliz chegada de V. Exc. ao acam-
pamento de Tuyuty, pelo que eu e os exordios al-
nados nos felicitamos, esperando as ordens que V.
Exc. quera transmittir-me como general em ebefe.
para exeeota-las como me compre.
c Entretanto levo desde ja ao eonbedmento de
V. Etc. que tendo emprebenddo a minha marcha
i frente dos. exercitos adiados no dia 22 do corra-
te, dirigi-me ao passo denominado Tio Domingos, e
vadeando naqoelle ponto o esteiro Rojas seguimos
paralelamente eom elle buscando a esquerda do
entrlnoheiramento inimigo, onde me parece ter-se
reconcentrado, sem baver cocotudo at agora op-
posto obstaealo algum nossa mareba.
< A posigo que hoja oceupamos a de Negrete,
qoe como V. Exc. sabe dista do esteiro Rojas e do
passo Pirls nma legua apenas, mantendo-se, per-
ianto, anda livre a commumeago eom a nossa
base de operagdes. Qoer isto dizer qoe, se V. Exc,
satisfaxendo o desejo dos exercitos sitiados, resol-
ver vir honrar psio campo eom a sna preseoca, o
poder fazer eom a maior soguranea.
c Mni grato me ser, Exm. Sr., a noticia de que,
apezar dos incommodos que de ordinario acompa-
nbam as viagens, neabuma alteraeao soflreu V.
Exc. na sna preciosa saude.
t Aproveito a occasiao, etc.Do V. Ene.Mr-
quez de Caxias. 1
Recocido osle offloio, o general Mitro eserevea
para Bueuos-Ayres:
t Quartol-geaeral, Tayuty, 30 dojolho do 1867.
Exm. Sr. viee-presdente Dr. D. Marcos Paa.
Amanba, s 4 boras da madrugada, parte para
tomar o commando do exerci expedidonario.
Junte envi tradnuda a ola patequal o ew-
qnez de Caxias so poe s miaras ordoas
i Por aqu ludo val bom. O miraigo <*.
sentn at agora mais de 1,000 horneas docavalla-
ria, dos qoaas tendo-se destacado um arnto
foi atacado o balido por ootro do os 3 U ca-
vallara, delxando seis morios defront* do esteiro
de S. Solano. __
, a nossa eommuaieagao eonserva-se branca en-
tra asta campo e o exsratto em marcha, adund-
se este acmalaenta em Tuyu-Co, o a ana van-
guarda a vista de S. Seteno, posicio qne, segando
ou avisas altima hora, foi abandonada pelo ini-
migo, qaa a ineendion.
Brovemeate comsounlcare aotidas da impor-
tandaBartholomeu Mitra, 1
O general Mitre pos-so efleetifamante a eamlaha
eom urna escolta para reunlr-se ao exordio em
mareba.
I
l I' 'i'1".'
w
as


MMMMMBM
'"^HIHHlHlHMBHBHHMpBMin^B^^iB

*\
vr o/1 r* ~ lili K'

ATKuy

Refercm algomu cartu qa*l*se W "
no trajelo o general efte*e a ponto de mW**II
sioneiro dos Parageayo*, qae c eeoB"* !
cfaefaade a lomar I* a oarwu U va ose, tenao
iba aliie ama (orea de cataH.rU W\
dio a lampo da pelo a farro do *<&**2Z
eanSbT^faotdbiof". P**"^'1??
homa das correspondencias .ae coat
blieadas aas tomas do Wo da Prata.
Soade aeteral que aa> lalam ** .
todo* oa perseaore* daa ia**sos qa* usisdai-
xamos occiaumenle eee*t*e, iranecreveremes,
alm da nossa propria correspondencia a que ja
nos referimos, os trechos qae ios parecem mu
lete.essaates na; que pODlream aa lolhas argenti-
as e oriental :
< Corrientes, I de agosto da 1867.Como dina
na minba ultime correspondencia, a marcha atre-
vida e perigosa e secutad pelo exercito alliado de-
baixo da iniciativa do marquez de Caxias dea o
resallado ineviuvel de obrlgar o Inimigo a concen-
trar-so em Humaiii.
i'TJrtU os Paraguayos a 31 de jnlbo abandona-
do a trinctaelr da saa extrema esqaerda, o Kera'
Mitre aproveitou-se desla circurastancla adm e
por-se em mareba para reunir se ao grosso do ex-
ercito, sena vr-se obrigado a rodear o Bstero-Bei-
Tendo sahideis 4 horas da maoba, niote
tardn oovlr na dlreegio qoe tinba **"
forte canhonada e nm violento rogo de """'*
Este nio tardn a extiogolr-se, porm o eanhonaao
cootinaoa a troar. Grande era a anxiedade em
Tuyuty ; suppunba-se que, tendo-se o presidente
extraviado do caminho, trra eneoBlrade algn
forte columna inimiga, O general Porto-Alegre fez
partir u'um momento um regiment de cavallana
brasileira para sustentar a poaca tropa qae acom-
panhava o general Mitre.
Tendo, porm, ebegado a duaa leguas, a ea-
vallara encontrn os Argentinos acampados, e re-
ceben ordens do presidente de voltar, levando pa-
ra Porto-Alegre ama carta em que se anounciava
qoe a canhonada qne se oavlra era na nossa van-
guarda. No mesmo da Mitre estava reou do ao
exereito. .
t A 31 as tropas do Osorio apoderaram-se oe
ama balera iuimiga que se eocontrava a noroeste
de Humana ; o inimigo loombaleu violentamente .
de 156 bomens que a guarnecum, 150 se deixa-
ram malar jaato das pecas ; os outros 6 W P"-
sioneires esuvam no simples trajo de Venas ao
sabir do banbo. ,
Declarara elles que Lpez nao tem mais ae u
a 11,000 bomens, os quaes teem ordem de se rel-
rarem sobre HamaiU, levando a artilbana que es-
t as posic,5es de Toyuty. A perda dos Brasllelros
nesu brilbante jornada toi de 60 entre mortos e
feridos.
O exercito alliado oceupa ama magnifica pos*
rao ao noroeste do Humait.
i De feito a base de operagSes de Lpez val ncar
corlada, e elle ae encontrar cercado.
Nao possivel que Lope teuha podido con-
centrar muilos viveras em HuajaiU, e entao o si-
tio nao ser longo. No caso contrario, as bombas
nio tardar.no a viaita-lo. I
Hontem a asquadra estava em ordem de mar-
cha a esperava o slgnal de subir al Humana ; as-
segurara me que este movmento deve executar-se
boje ao mesmo lempo que o exercito, debaixo das
ordens do Porto-Alegre, avancar sobre Tuyuty e
Carapally para obrigar ao inimigo a retirar-se
completamente sna Sebastopol.
E' sabido que Humait nao esta' abrigado do
lado da ierra senao pelas trinebeiras, que teem, ai-
zem, ama extenso de daas leguas, a
i Tayu Cu, a' vista de HamaiU, 30 de jolno
de 1867. _
Depois de sete das de mareba ebegamos u-
nalmente a esle panto. d'onde sa vm perfeitameo-
te as torres de Humana'; creio que amanhaa se-
guiremos para eoiloear-uos de modo a estabelecer
um bloqueio vigoroso ; sjmos senhores de toda a
a campanba, pois a dominamos com a nossa nume-
rosa cavallana ; conbece se que o inimigo asta
muito desorganisado, porque em toda esta mareba,
multo perigosa e trabalbosa por causa do campo e
dos esteiros, oeuboma de suas pardas se lem che-
gado a tiro, comqnaoto nos sigam avista, e justa-
mente boje renniramse cerca de 1,000 nomens
que nos vieram guernlhar, mas foram corridas por
um regiment nosso, o Sao Martin.
A tarde fai visitar a pequea povoagao oa ai-
deia de Tuy Cu, onde esta' o general Osorio ; ha
alii urna booia capaila, maior que a de Itapiru, e
varios ranchos grandes de bonita e forte coostruc-
go, que formam um quadro em redor da eapella;
ludo queimaram os barbaros antes de se relirarem,
menos a eapella, qae destelturam. Achava-me all
sobre o tecto da igreja, quando o Paraguayos co-
mtcarama oaabonear-nos de um Wraojal do outro
lado do esteiro ; langaram-nos uns 50 projectls de
eanbio e fugeles, mas tao mal dirigidos que, ape-
zar de acbaram-se a meio tiro de canbo varias
torcas de eavallaia, artilharia e infamarla brasi-
leira, nao soffreram estas a menor perda ; parece
poi, qoe elles nao teem mais a firmeza de d antes;
o que mais desejamos approximar-nos de Humai-
' para estrenar o cerco, porque conseguido islo e
se a esquadra poder subir, ludo se reduzira a urna
qaeslode lempo como em Uruguayanna ; o mi-
migo creio qae as>im o comprebende, e por Isso
quer erguer o espirito dos soldados com patacoadas
como a que retiro.
Epera-se o presidente a todo o momento ; ve-
remos se eom saa presenca tomam as coasas mais
actividada, oa se cootinaaremos com a calma ha-
bitual, tao contraria aos intoresses do todos nos.
t Estranhara' qae miabas cartas sejam curtas,
mas, alm de nao haver nada de vallo, as commo-
didades para escrever sobre a' perna sao poucas,
e por isso me desculpara'.
f Hontem deviamos marchar para aos approxi-
marmos do Hamaiu', mas como chovesse loda a
noite.foi necessario deixar a marcha para boje, e
para eli? nos estamos preparando.
P. S.Apenas moveu-se a vanguarda brasilei-
ra teve um encontr com o inimigo, acotilou-o por
lodos os lados tomando-lhe alguus prisioneiros e
ma ando bstame.
c u Inimigo perden cerca de 200 bomens e ai-
gamas estativas de fognetes; os cavallos erara pes-
simos, a ponto que os cavalleiros apeavam-se para
meihur fagir, eu all eslava e multe rae ri; em se-
guida a van. araos e tomos recebidos com um forte
canboneio da trioebeira, pois estavamos a pooco
mais de meio tiro de caabio; dizem os pnsiooeiros
qoe Lopet esta' accuraulando provlsdes em Hamai-
ta', que hontem a' tarde tara all foi com a Lioch,
qne por este lado a fortificaco so lem dous fossos
de tamanho mediano e alguma artbilaria, creio ea
qne bastante, pois boje nos faziam fogo com 10 ou
ii pecu da todas os calibres.
< Nata momento estamos acampados em frente
a* iinba iaimlga, entre o sen acampamento do pas-
to Puco" o Humait', em frente ao paseo Canoa;
creio qne logo que efaegar o presidente marchare-
mos pan cercar llumaiu', pois do contraria sera'
va nanea acabaj.
c Acampamento no passo das Canoas, 1 de
agesto.
Remeti ama carta relatando o que havia de
mais notivel aa mareba desie exercito.
Hontem ebegou o presidente Miltre, e reeebeu
boje o commando do exercito alliado, passoa o da
em observaodaa e a lomar conhecimetto das u-
Iraaat grasa* cotana** iaHOMitaria e cavallarla., deraveis ratoes, eom o fo*a iUlclr t Ae A(*Mto le 1867.
. *y-fl /rrr. ujz=.
n
QrIKA
I
Chegon a noiie sem nevidade- ~(k iras torpo I cpjapriawnio daquella elaejtnt* ae
de exereito acaran ear Hila paraHefa, fldo a aaT *m relacio directa ciaj* MaUM* (ata,
frente ao i*imlgo. parmne, parado Iludir. D'ahi pTMte e aaetMe m
30.Ao amanheeer tivemos ajrans troteto*. otWMmenta se tem notado na impnasa m
O laimigo troaxe algama cavallarlae iolanlarU claMos dous governos ; a iiieriyniajajBM,
naneswiva do foSetes. "Beos morios e eioco ei^dlplomatiut, oa agoures de^ grferra, qu. oio
ellicitad* que ella merece. N*goclac.das offi o eooirt, mas nio favorece a eanaelpacio dos po-1
ves ; que esta se acha ligado por nm traudo so-
da deonUda
as cata*,
dexam de se faedar, ae laclo urantmiafl d*
preparativos bellicos, tadlantament) de amprehen-
diaientos tmbtuenan, priacapataiaate da parte Aa
Prassla,
O ioaaerador Napoleio, aoatt, gosta de ostentar
amor le paz, e qne coutriboe qaaoto pode para a
continuar. O Moniteur francs dasmente atas ru-
mores de camp4leac5es diplomticas qoe possam
alterar u Boas retacees entre a Frasea, e at mais
Baf5ss, nafa que baja preparativos militaras, asse-
feridos do iolmiga
BUmoa a obra de ama legaa
lariatiaa, dfrwmnai-se-lbe os
os qnaitels e aa nroraibas. m____
Ao sal i-rtmatns os acamparaaotea de Tuyaty
e a primeira liaba do Inimigo pela retaguarda.
c Paasamos o dia em recoobecitaento* de tantos
esteiros e algnns bosques. ,
t A's 4 approximaram-se algamas ^t gas eom qaatro pecas volaates e daas estimas e
dispararam tiros, alguns dos quaes ebegaram a
povoaco de Toyn-Cu, onde esto varias cola ni-
nas oossas.
< Algumas pega? nossas respondern) at ene-
gar a noiie, em qu* iodo cabio em silencio.
c 31.Ao raiar do dia sa.blo o corpo de exercito
sob o commando do bario do Herval (Osoro), e
em seguida o exereito argentino. A cavattaria oa de fazer presso. Us jornaes prussiauos sos
bastn para despejar toda a (rente, e fez ama cor- tentara qae a Pranca, aso tem direito de Intervir
rida um tanto seria, pois qae acarea no campo as oegoc>c3es entre a Prassla e a Dinamarca.
uns 130 Paraguayos mortos e 12 prisloneiros, re- Ditem de S. Petersburgo qoe o governo rasso
sudado do mo astado das suas cavalbadas, qae se tem pronunciado em favor da Dinamarca, nesta
nio podiam galopar. Nossas torgas foram at as | controversia,
trinebeiras ioimigas, o qae oio deixoa de ser ama
Imprudencia, posto qae (inmediatamente regressa-
fcpptfadar Tbeodoro nio offerecem i saanor esp*-
jraaea da successo ; mu o ministre exaJicou as
dMaaalades de orna expadlcio mtMdiata.
O governo tomn a resolucio da esperar que
Mverpo da India possa anviar offlela*a Adea coa
aaissao de abl, pala sua proximldade examina-
*aa anal sera' a meloer vta para sa Matar ama
cpadlco a' Abyssinia. Lord Suata; Btnabtira
at asi in contneali *maaibjii latTngaaltiii
eortat aaapretiandimrato.
0 adoistro padeantralaato, a espera que epar-
lataento delxe com conflaaaa o negocio ou mJjs
do gabinete, oa certeza de qoe elle aade lar boa
conta da si. Lord Stanlay ato d atis explica-
coas.
Ditem algons jomas* inglesa* que InJeHzes
Estamos em (rente da iinba qae v*i at Hu-
maiu' peto lado do ste. O inimigo esta' muito
aaaustado; falunos fechar cerca de legua e meia
at cima HumaiU', acara entao compieumen-
I* cercado o tyranao Lpez, e contaodo eom uto a
aajajadr* deve sabir.
As nos*** cavallarla* sao muito superiores a's
do Inialgo; hontem, ojaaade andaato* di campo,
trateaee de xpariatanur algamae columna* *a
cavabaiia apa tbaoot a frente, a, como raslsti-
ram, uns regtmentos de cavallana brasilntlr* ibes
atwasa ama carga, de qae resalla* fiearea 1)0
Paraguayos mortos no campo e 14 prbioaeiros, os
aja a aarvaraaa gaaharam as suas Irincbeiras;
este lado fleoa completamente despejado; boje te-
nos de correr qoaotas partidas se eacenuarea
aoratada legua e meia qae taaos at Tayuty.
Denira de dos oa ires das eaUra'Lpez encerra
da en Hoa*ita' e ha da lbe costar eixar tesa
.icateasaa. Em *7 de auto de 1612 loteemecada
esta (ortasezA segaaao as doeaments qae teoio
ecoatrado.
ram a todo galope, para se livrarem da canhonada
inimiga, qae comegou a trabalbar.
eesos exercHos erto posados formando lioha
em (rente a's trinebeiras qo, cobrara Humait'; se
bem oos (alte 1 e meia legua para passara os ci-
ma de Hamaita', creio que nao lardara' esU ope-
ragao; assim Qcara' totalmente sitiado o tyranao
Lpez.
Seguodo deelaraedes dos prisloneiros, anaou
bontem Mme Llnch percorrendo a boba n'uma egua
muito gorda (a Iinba artilbada) e Lpez (oi para
HumaiU'; all estar' elle contemplando o caminho
por onde deixara' aquella tortaleza, depois de tan-
tos aonos < a 17 de maio de 1812 (oi o da que
principiou a sua coostraecio, segando documentos
que temos encontrado).
c lloje estamos em communicacao com Tayuty ;
a pooco mais de una legua, nao se atreve nenbuma
partida inimiga a approximar-se-nos veremos
mais tarde.
t Cbegou a noite; ouvem-se algons tiros de pega
da lioha inimiga.
A's 6 e raeias da noita cbegou o general em
chefe D. Barlbolomea Mittre.
Agosto 1*.As descoberUs, sem novidade ; o
inimigo em forma, esperando o ataque.
c Hoje assomio o commaodo dos exercilos aina-
dos o brigadeiro general D. Barthotomau Mitre.
t Afana'-se o inimigo em assestar pegas alm
das que lera a liaba que leva a HamalU'; prova-
velmente esta' tirando algumas das que tem defron-
te de Tuyuty. As columnas dos trabajadores (a-
zem-se noUr pela sua extensa Iinba.
Poneos Uros se ouvem a' ultima hora; por
conseguinte, estamos em calma, isto por hoje.
Um (alegramoja de Buenos-Ayres para Montevi-
deo, assegura que lioham all reapparecido alguns
casos de cholera-morbos.
As provincias argentinas, sempre agitadas por
guerrilbas, tinbam sido ootra vez invadidas por
JuaaSaaa' frente de algumas torcas n regulares.
Segundo as ultimas noticias o general Arredon-
do marebava contra Felippe Varella, e Paunero ti-
nba ebegado a S. Juan.
Com referencia a estes raovlmentos (allava-se
sempre em actos suspeitos da parle de Urquiza.
Assegurava-sa agora que elle lioha convocado as
milicias de Eotre-Rios para o i* de setembro.
As noticias do Pacifico apenas referem qae no
Per o dictador Prado sancoionou a lei pela qual o
eongress prohibe ao poder execativo oavir pro*
postas da paz em Hespanba, e na Bollvla o general
Melgarejo conseguio levantar um eroprestimo de
150,000 pesos, laucando se ao mesmo tempo um
imposto de 30 centavos sabr o eaf posto a' venda
ou exportado.
Um lelegramma da ultima hora afrma que no
Chile tinbanavido demonslracSes ofDclaes pela no-
va invaso de Saa em territorio argentino.
S. M. o Imperador, acompanhado de seus sema-
narios, visilou hornera as offlciuas de machinas do
arsenal de raarioba e o navio escola, onde assistie
aos exames do segando aano.
Em 17 do correte expedlo-se portarla conceden-
do quatro raezes de licenga, com o respectivo or-
nado, para tratar de sua sadde, ao repetidor da en-
cola central Dr. Maooel Moateiro de Barros.
Em 18 do corrate foram expedidas as segulntes
ordens :
Prorogando por dous mezes a liceaga com que se
acba o capito do 21a batalho Fernando Ferreira
de Abren.
Por decretos de 14 e 16 do correte :
Foi exonerado, a seu pedido, o juiz de direito
Firmo Jos de Mattos, do cargo de chefe de polica
da proviocia de Matto-Grosso.
Foi designada a comarca de Cuyab, de primei-
ra entrela, na provincia de Matto-Grosso, para
nal la ler exercicio o jmz de direito Firmo Jos de
Mattos.
Foi removido a sen pedido o juii municipal e de
orphaos Antonio Ferreira Garcez, do termo de Pe-
lotas, na provincia de S. Pedro do Rio Grande do
Sul, para o de Parabybooa, ca de S. Paulo.
Foi reeonduzido o hachare! Agostinbo da Silva
Vianna no lugar de juiz municipal e de orphaos do
termo de S. Gabriel, na provincia de S. Pedro 4o
Rio Grande do Sol.
Fot reformado ao mesmo posto o coronel com-
mandante superior da guarda nacional do munici-
pio de Goyanna, da provincia de Pernamboco, An-
tonio Alves Viaona.
Foram aomeados:
O bacbarel Jos Jorge de Carvalhal, juiz munici-
pal o de orphaos do termo de Pelotas, aa provucia
de S. Pedro do Rio Grande do Sul, fkando sem
effeito o decreto de 5 da jonho deste aono, que o
nomaou para o termo da Parabybuoa, provincia de
S. Paolo. *
O bacbarel Antonio de Hollaada Cavalcact da
Rocha Wanderley, juiz municipal e de orphaos de
termo de Passo Fundo, na provincia de S. Pedro do
Rio Grande do Sol.
(i bacbarel Joao Pereira da Cunba Bel trio, juiz
municipal e de orphaos do termo de Mar de Hespa-
nba, na provincia de Minas Geraes.
O teneate-floronel Beato Jos Ferreira Rbelto,
coronel eommandaote superior da guarda nacional
do municipio de Goyanna, da provincia de Par-;
aambnco.
O lente Francisco Cavalcaoti de Albuqoerque,
tenente-coroaei eommaodante do batalho de in-
fanttha n. 38 da guarda-nacional da mesma pro-
vincia.
O capito Danto la Cesta Villares e Jos Gomes
Passoa de Albuqueraoe, majores sjodautu de or-
den* do commaado soportar da guarda nacio-
nal do municipio de Albandra, da provincia da Pa
rahyba.
O tenante" Antonio da AUmqoerqae Mello Mon-
te-negro, capito sacratano geral do mesmo coso-
mando superior.
Alias* Das Machado, capito quartel mestre do
dito commaado superior.
Raymnndo Jes* Pereira Leite, coroaal eomotan-
dance saparier da gaarda-nacioaat des uonicipiot
de Casca val e Aquuai, da pr ovineia do Cear*.
O eapiti* Joaqoim Carlos de Saboia, tnsate-
coronal ebefa do estado taiar da sesmo commando
saperior. .
I Concedea-se as honras
Do patio de majar, ao bario de tteoejaaa, capi-
to da quaru compaodi* do kalalbte de ltan-
la ra da guarda naeioaal da provincia de ara>
Foi parda**.! Joio Antoaie da Silva Moa, prese
na adela da capital da proviaaia da Parabyba,, o
tempo qae lbe falta para camprir a pena de um
aaao da erisao a maiu,a qae fot oaBeomado em
daQowmero de ua* oroiiato patsado.
i
verando qoe a"Franca, nemtequer tem pensado na prisioneros do imperador Tbeodoro haviamcon-
(ormacio de acampamentos em suas (ronteiras. seguido fugir refugindose no campo dos losur-
0 daitt-Tegroph assevera qoe o ggvernc (rao-' gentes, feu oio acrtditamos aa veracidade da a*-
cez em nma nota mais recente ao gabinete de Ber- ticia.
Ii, assegora explcitamente, que, exprimindo as Disse-se na lempo qne o govaroo ioglez entrarla
saas ideas sobre o nagocio do ScbUswig, nao tem em negociacoes com o vict-rei do Egypto, vmnho
a menor ioteocie de insistir com espirito de vexar da Abyssfnla, e do qaal o Gro-Negus inimigo
'por causa de am territorio martimo qae a ambos
eonvem.
O conde de Bissoa, viajante, ascreveu a um jor-
nal de.Paris, nma correspondencia multo impor-
tante, sobre este assumpto qoe ulvez mais urde
cbame a attencao de todo o mando :
ItecorJa o conde de Bissoa qae em oatubro de
1866 dlspondo-se o governo Ioglez a enviar urna
segunda mlsso ao imperador Tneodoro, eollocara
a' (rente des*a missao, o Sr. Fiad, ministro protes-
tante suisso, e o coronel Mereveatber, e faz acora-
Depois do ultimo despacho do gabinete de Pars,
e do discurso do imperador an eommlssarlos es-
trangelros na exposigo universal, em qae Ibes
diste qiw as eaees tivilisadas teedeav* eeastUnir
ama s familia, e que (azia votos pela paz do mn- .
do, a imprensa prassiaaa tem modado de lingua-' panbar essa missao de nm presente oo valor de
gero, dlrlgindo pbrases llsongeiras e delicadas ao | nm milbao de (rancos, eonstaode de machinas, que
acreditar as suas
eipia V> oaarcae, resera atis o* socoesaot dea ab-
tiajotdiaa
m do jalau-Ao aaeie da as aossM avanga-
du ebegaram a Tuyu-Cu em S. aoaao; eacop-
iruaas eqoeima-
Qoe M***^ta*fapoderlam aeraos atis..
' laobOavel qae Lpez se oaceatra eom as
*) ha** au tdnraadiat.
u^"|i1iaa' l bata eatre Negreta e Vicente
Hermoso, a daas leguu e meia de HumaiU'.
c Mtawai.amt.'s niitaaw* algam rntu
^.A>0?9t0dla taaatada**IUattsro8rf
cotnjtaawuwga, ana sarttiraa trocadosalaun*
tiros entra os piquetes. *
< Temos a' rita o lio
(nado HotMUa', e na
governo (ranees, e mostrando
iotencoes pacificas.
Sao evidentes os desejos pessoaes de boa harmo-
na, e pde-se ver de ambas as partes a conscien-
cia da presente InbablliUgio para a gnerra. Affir-
ma-se que a raiaha Victoria intervem con os seus
pedidos pessoaes em favor da paz ; e assegnra-se
ter sido este o objecto principal do convite feito
por aquella soberana a' imperainz Eugenia para a
entrevista que ja teve lugar em Wiudsor.
Nio se deve por em duvida a maoi(estago das
menges pacificas dos gabinetes de Berllm e da dart, o Tines e outros,
Paris, mas a par destas circumstancias convm to-
mar em liaba de coou os preparativos, os passos
realisados para engrandecimento, as tentativas e
proposias de alliancas, n'uma palavra os (actos qae
promovem as susceptibilidades e descoonaega.
Quando se pede a' Prussia a execugo do art, 5o
do iratado de Praga, o governo prussiano, illudin-
do-o, maudoo formar na baha de Kiel ao p de
Edirbeck, um porto de gaerra para armamento,
construeco e reparagio de navios.
Afflaoca-se a existencia da negoclacie de am
convenio militar ealre a Prussia e a Russla, e ac-
cresceaia-se que chegra agora a Berlim um dos
membros do gabinete ru;so o Sr. de Walnzoff.
A Gazea da Allemanha do Norte diz que a si-
toagio do urlente toma eada dia um aspecto mais
ameagador, e que a Insurreigo da Bulgaria se
apresenta muito mats grave de qoe os movimeotos
losarrecciooaes lsolados de qce a ilha de Canda
Iheatro. Nao se iguora que essas losurreigSes sao
fomentadas peh governo de S. Petersburgo, com o
qual se afflrma achar-se alliado e de Berllm. Tem-
se reiterado a noticia de haver o coverno russo
ajustado am contrato eom a fabrica Bellanoa para
a eonstroccao de cem mil fuzis do modello Berdan.
Desde o 1 de Janeiro tem o governo prosslano
comprado, s na Hungra, tres mil cavallos. Os
jornaes raBcetes mtorera qoe em breve se verifi-
cara" um convenio militar entre a Baviera, o Wur-
temberg e o grao-ducado de Bade, com vontade oa
sem ella, no sentido das exigencias de Berlim.
O governo francez, do seo lado procara fortn-
car-se pacificamente no meio dos seus protestos de
paz.
O Imperador Napoleio deve ir ao campo de Cha-
los, e passado o dia 15 partir para Salzburgo,
oode tera' lugar no da 18 a entrevista com o im-
perador Francisco Jos.
Dizem de Paris que o Imperador d'Austria paga-
ra' esta visita lodo eocootrar-se com o imperador
Napoleo era Chalons. Annuneia se tambera como
cerlo que o imperador Napoleio prometiera ao
sultao fazer-lhe uma visita em ConsUntinopla para
o flm do voro, e accrescenta-se que a mper>triz
Eugenia, aprovoitando a occasio, realisara' o pro-
jecio que ha muito nutre de visitar a Syria, Jerusa-
lem e o Egypto. Nao mencionaramos estas visi-
tas, se se nao podese tirar dellas uma certa signi-
Qcagao de equilibrio poltico, como sendo (ellas a
alliados naturaes.
A imperatrlz Eugenia na sua visita a' rainha de
Inglaterra ia acomp^nhada por seus sobrinbos os
lilhos do duque de Alba. A imperatriz viveu n
maior intimidado cora a rainha Victoria, guardan-
do o mais completo incgnito.
O temporal contrariou no canal a viagem da im-
peratriz, qne entretanto cbegou sem maior incom-
modo a Cberbnrg no da 28 de julho. Em Pars
era esparado oa gze pelo Imperador Napoleo, o
rei D. Lulz de Portugal.
Dorante este aono visitarara a corte das Torne-
ras e o palacio da exposigo os seguintes sobera-
nos, principes e prlncezas:
O re e rainha dos Belgas, o imperador da Rossia,
o re e a rainha da Prussia, o re Luiz da Baviera,
o rei Luiz II da Baviera, o re do Wurtembsrg, o
rei e a rainha de Portngal, o sullo, o rei da Grecia,
o rei da Suecia, o conde e a condessa de Fiandres,
o grao duqae herdeiro da Rossia, o gro-duque
Wadimir, a graa duqueza Mana da Russia, a prio-
ceza Eugenia de Leocntemberg, o doque de Leuch-
temberg. o daqae de Saxonia Weimar, o principe
e a prineeza real da Prusla, o principe e a princeza
real da Saxonia, o duque de Saxe-Coborgo-Golha,
o daqae e a duqueza de Saxonia, o principe Al-
berto da Prassla, o principe e a prluceza Carlos da
Prussia, o principe Humberto, o daqae e a duqueza
de Aos:a, os tres principes de Oldemburgo, o gro-
daqne e a graa-doqueza de Bade, o duque deCoim-
bra, o principe beideiro da Turqnia, seu Irmio e
o filho do sullo, o prncipe de Hjhenzollern e seu
8lbo o principe Leopoldo, o principe de Giles, o
pjincipe Alfredo, duque de Edimburgo, o principe
Artbur, o principe Osear da Saecia, o vlce re do
Egypto, o gro-duque Mecklemburgo Schwerm, o
principe e a prineeza Adalberg de Bavrera, o princi-
pe a'urange, o doque Gallberme de Wartemberg,
o conde de wurtemberg^o grio-duqae Constanti-
no, o principe Reuss; aSodo 58 soberanos prin-
cipes, prmcezas, etc., etc., entrarando oeste nume-
ro 7 res, 1 imperador, 1 sultao, 3 raintas, 6 prin-
cipes reinantes, 8 herdeiros presumptlvos e 1 vi?
ce-re.
O ex re da Grecia Olhon morrea em Munich,
em censeqaeocla de ama grave enfermidade qae o
accorametteu. Era tio do rei da Baviera Luiz II
Effectuaram-se no dia'iim Paris as eteigSas
para os cooselhos geraes obtendo a opposigo ele
ger 21 em 600.
O lonitevr confirma a noticia de hiver 0 almi-
rante francer Clgranere tomado posse, sem res s-
tencia da tres provincias occidentaes da batxa Cu-
chinebina, com a adfaesao unnime das popula-
g5es.
Foi abolida em Franga a prisao por dividas, sen
do abenas em virtade da lei oltimamoate sanecio-
naaa as portas ae Clicby. B diflcil descrever o*
tranapertet at aaagria can qae (oi rtcebid* esta
noticia; os presos eram 60.
*t> Na Inglaterra a cmara dos lord* Mi per-
idando aaopiolio depaiz e antige prestigio qae ti-
nha adquirido. Esse graada esplendor esvai-se-lbe
na rusa da soa resistencu u exigencias pupula-
res a* indieagoes da modero* civilisago. Aquel
la cmara aeaba de regeiur por graada meioria
um Ut qoe a usara dos comamos liaba adopta-
do, abollado o jarameos au aniversidadtapara
taraa-la* aecetervaii a toaos os alomaos sem dls-
tinego do callo.
Ettt resolaco, pereceada de poaca atenta
comtado muito sigoificaUv, porque exprime ia to-
lerancia no smSo es aa* pruaieea* uleradoia
eram acompaobadas de doze contramestre mecha-
nicos ; o Foreign Office contava eos* successo
completo do presente enviado ao inflexivel Negous,
consideraodo-o eomo resgate dos prisioneros ingle-
zes; mas como a disUncia grande e o* relato-
ros eram am tecldo de falsidades, era ioevltavel
cair oo erro, em qae cabio o governo ioglez.
O conde de Bissoa recorda os avisos e adver -
teucias qae durante a saa residencia em Londres,
dirigir ao governo Ioglez, e qoe se acbam archi-
vados nos jornaes inglezes o International, o Sran-
e, diz qae Derecera para
fazer restituir os presos com uma uoica eondlgao
Diz mais o conde de Bisson que recebera noti-
cias de Gondar:
U Negos acba-se ao p do Debrachabor com
quarenta mil bomens; mas as suas tercas activas
sSo maiores. Outros corpos de Iropas teem repri-
mido alguns cheles insurgentes, cuja influencia
esta' asss reduzida, depois da derrota do total do
exercito de Goueessi. Uma diviso de vinte mil
bomens esta' concentrada entre Gondar e Mata-
raah ou Galabat, e o Tigre tambem se acha ocu-
pado por um numero s emelhante de soldados fu-
sileiros. O imperador Tbeodoro suppSe que a In-
glaterra prepara ama expedigio contra elle, e
comtado espera-a com bravata, sem terror e sem
que mostr temel-a. Tem dado ordens para defen-
der vigorosamente todos os destiladeiros, destruir
os caminhos j detestaveis, incendiar as grandes
e as pequeas povoages, corromper as correntes
d'agua com cadveres de animaos, (azer desappa-
recer as llores us, a' (erro, e a fogo, ceder sempre,
combaleado sem se engajarem no combale, e fa-
zer diante dos invasores mais do que um deserto,
um verdadairo monto de ruinas.
Na Abyssinia nio ba capital, porque o impera-
dor assim o quer, e tomo ao existem pragas (or-
les, (alta inteiramente o objectivo pira um exarci-
invasor. O imperador o nica praga (orle, a
capital, a Abyssinia, todo. O resto:roche-
dos, Ierra, e arvores; nada mais.
Em roda da barraca do imperador, em nma noite
levanta se ama diada poderosa ; e n'um momento
e um acceno do ioperaeor, a Improvisada cdade
torna a desapparecer. O imperador delxaado
c transparecer em seas volumosos labios, esse sor-
t riso africano cheio de finara, diz aos seas cor-
t tezios isiugieiet verooque nunca cirm:
t urna capital phantasma I Esle espectculo vale
c bem a pena de faietem a longa viagem I
A lctica que o imperador tem adoptado, e que
se evidencia dasinstruoges qae tem dado aos seos
generaes enraquecer, dlzlmar o exercilo in-
glezpelas privagoes, doengas, marchas forgadas,
calor, ataques nocturnos incessantes, e nao aceei-
ur baUlba, seno quando muilo bem lbe conve-
nba.
Em todas as igrejas, as pragas publicas, se an-
nuneia que vera o inimigo para destruir na Abys-
sioia o sagrado culto da santa Virgem Mara, qoe
os mussulraanos sao os alliados do inimigo, e que
iemne r ms que ambos acctUaram o faeto cotuum-
modo, mu nao querem provoca-to, qae seja o me-
to : raspeito ao poder espiritual des papas, su
abalar p podar tesparal aimigo eterao e im#lca-
?al ( Unguagem do manifest wotuctonario) da
lber dad e e do progrt sso, assegorar a Boma o
logar qae ib* tot destilado pelo parlamento ita-
liano, -a
Diz mais o citado maaKssto qoe aos Sgllum
e aos conclMafealos da carta romana necessario
responder eos a apdaeia e eom tactos.
As*gara<** que o anooaeiado Concilio Ecum-
nico sera' coavocado ellcaaleaaote para o la 8 de
dezembro, e ejoa e aaato padre eoavldara'os *>-
beraaos da Europa, irem a Roma usistir aquella
solemnidad*.
A cmara dos depotados italiana approvoa
P*T grande materia o projacto de liquidago dos
baos ecelesiasllcos. NoU o memorial italiano qoe
toda a fraegio da cmara chamada catholca vota-
ra em favor da lei, ao passo que muitos depotados
da fraegao Rleasoli volaras contra, e que este
estadista te absteve de votar.
Logo que o senado tetha votado esta lei, o mi-
nisterio aonunclara' a venda d'esses bens, e abrir
a sobscripgao para os novos ttulos de qootroeeoios
. mimoet. Esta sobscripgao tem ja' o apoto de acre-
ditad casas bancarias. Havera' pois duas opera-
c5es successivas : a eaussio das obrigagSes al
quatroceatos milbCes, e a venda dos bens em ques-
to. Depois de votados os melos flnanceiros, o
parlamento suspender' os seus trabamos at 15
de oatubro. Neste intervallo sera' nomeado o no-
vo ministro da fazenda que dizem sera* o Sr. Ca-
pellasi Della Collomba.
Um telegrarama de Roma aoonneia-nos ter fal-
lecido naqaella cdade a rainha Mara Thereza de
aples, viuva do rei Fernando IL
O re da Prussia assignon uma deelaragao
referendada por lodos os ministros, de que, em vir-
tade das clausulas da constituigio federal do aorta,
votado pelo respectivo parlamento, acceita, para
elle e seu9 successores na eora da Prassla, os dt
reilos, competencias e deveres qae a mesma coos-
tltnigao federal Ihe coolere.
O governo prussiano Qrmou m tratado militar
eom a eldade livre de Hambargo.
Na Austria o Sr. de Beosl aonuncion que a
lei de responsabilidade ministerial estava ja' sane-
eionada pelo imperador. A cmara reeebeu esta
communicacao com applausos unnimes. O minis-
tro da (azenda aonunciou que pelo projecto Qoan-
celro do governo (leara coberto o dficit sem erir
os credores do estado.
Tendo sido eleito deputado, em Hungra o amigo
ebee da revolugo Kossuth parece que elle nio
aceita o mandato, declaraado que explicara' o mo-
tivo da sua absteogao, em um manifest qae pu-
blicara' dentro em poueo tempo. Nao concordan-
do eom a trausaegio da Hungra, em relago Aus-
tria, nao qaer parm entrar em opposigo activa,
fazeodo assim o sacrificio da saa opiaiao as aras
da pairia.
O Sulio visitoo o Imperador d'Austria ao dia
27 de julho regressando depois a Coostantinopla
no da 7 de agosto. Foi nma visita de afflaidades
polticas que parece nio ter occorrldo ao Sultao
senio depois da soa chegada a Londres.
A visita deste soberano a Londres coincidi cem
a que imperatm Eugenia fez a' rainha Victoria.
Os embajadores de Franga, Russia, Italia e
Prussia, tem insistido com a Porta em que se ve-
rifique uma comraissio iaternaeional em Canda ;
porm Ali Pacbi, para evitar responsabilidades
tem pedido que se espere o regresso do SoltSo.
Lord Stanley declarou que o governo ottomano
lbe ha va annunciado que seriam severamente pu-
nidos os excessos commettiios flm Creta por subdi-
tos turcos. O ministro ingles disse que o governo
ottomano desejt sinceramente obstar e reprimir to-
dos os excessos.
Diz-se que os insurgentes refugiados as altas
montanbas de Sphakia, ah tinbam repellido nm
ataque das torces torcas, causando-Ibes per-
das eonsideraveis; e attnbnem s tropas de Omer
Pacha grandes craeldades comme'.tidas sobre os
vencidos.
Um despacho de Alhenas diz qae o governo gre-
go fat grandes preparativos multares, e qoe se a
questao de Creta se nao resolver no sed de setem-
bro, a Grecia declarara' gnerra a' Turqua.
O Moniteur de 7 de agosto publica um des-
pacho do representante francez no Mxico o Sr.
Dao, datado de 8 de julbo ; at aquella data an-
da ao tlnba chegado a' capital o presdeme
Jurez. -- /
Os jornaes inglezes asseguraram que o Sr. Dao
esta' detido no Mexlo. eom todo o pessoal da lega-
------ i": >HI"~ '
Em Portngal, annunciava-se o auno terrlvel para
es pobres, pe* eereatia do pi, flevida a eseassez
du comeltu liiireeitlfTiTitT, ceso no de Hes-
panba. ImporUnlet radaegiee oa direito de en-
tradas dos eereaet ettrangetro* liabas sido feitas
pelo govaroo ponorbez, par attennar a crlse ali-
menticia.
Contlnuava em
e aayle do* pebres
Graada
sabido para Paris para
nacional.
la melhor presidant*
la a subscripgao para
de distioeeao lioham
a exposigo nter-
de conselho ; ainda nao
iinba voltado de Fruga atinistro dos'negocios es-
traaceiros, oSr. Casal RaMro.
*ea>
tjJ Abyssinia deve escolber entre o combate e a
aposusla. 'Por lio hbil tctica obteve altrahir o -cao francesa, emqmmto o gorerno francez nao pa-
i.._-S _. ___.._ .___.:____i. .un nij.m.i,,.,,, Aa KA milhi"\a lia ffanCOS
BIAJHQ DE PEMAMBPCO
Da Eoroea eaegeu tontos o npor lagls Seim,
Umaetpaeta da diario, como UloJe Ptrte* dt com datu de Hambargo at C, de Paris at iataleraacia que
dessidentes, e excitar o (aoatismo do seo povo.
Os padres estam com o monareba e sustentam-
uo em seus sermoes arriantes. As mximas destas
predicas sao: guerra,ao Inimigo,guerra sera
qujrtel,guerra de exterminio. Aos bravos que
suecumbirem na balalba, o paraizo, e rimmor-
lalidade. Para os que sobreviverem, a victoria.
Aos cobardes, se os bouver, a maldigo eo in-
ferno >
Tal o grito qae UvanUm os pregadores con o
crucifixo oa mo.
Para oceupar em taes coadigoas a Abyssinia,
oao bastaran! clncoenu mil estrangeiros; querer
alemorisar Tbeodoro por um ultimtum, seria
loucnra ; era nao conhecar esse bomem petrifica-
do de coragem, de audacia e de vonUde. A ex-
pedigo mallograr-se-hia. Deve-se acreditar que os
presos inglezes sao cada vez mais maltratados. E'
de crer que a primeira columna que ponba o p
na Abyssinia, sera' o signal para a execugo dos
presos. A resoloco de Tbeodoro irrtvogavel. A
expedcao britanoica nao aicaagara' senao um re-
sultado : a carnificina dos intelizea presos.
Tal o resumo da carU do conde de Bisson que
termina por esUs paUvras : E' o que sel, e o
que por bumanidade ainda, fago saber aos con-
seibeiros da rainha Victoria. >
Em consequeucia dos aclos do partido de ac-
gio na llalla o sammo PeWiflce, segundo se an-
nunciou, pedio expcag5es aos embaixadores das
potencias catholioas. S. Saotldade desajava sabsr
qual seria a allitnde de une respectivos goveraos
no caso de consegairem saccesso as teolalivas
contra o poder temporal; ejner do exterior, quer
do interior dos estados pontificios, ou em ambas
as bypotheses. Por falu de iasiroceoes os repre-
senlntes estrangeiros, nao podendo responder de
prompto, s poderam prometler, eo casa dt alga-
ma erise prxima, a ana proteegao pessoal.
Parece qne os governos demoraran) ama res-
posta s explicabas que o governo pontificio iinba
provocado, pois sa anaancia actnalaataea asa.cir-
cular do mesmo governo s crtes calbolicu sobre
assumpto quasi idetico, Nesta circular o goyer-
no romano amplia as explicacoes, chamando a' al-
teego sobre os debates, qne tem bavido ao parla-
memo italiano, e coasi*aando que a attilude do
governo iullano contraria va as caaveoces firma-
das peu Santa S, e meoeieaa tambes os prepara-
tivos do* veiaatarios italianos.
O coverao Italiano tosa medidas ostensivas para
o enmprimeato da ceavaaoao de setembro, com o
fim de Impedir qualquer ataque de italianos sobre
u pr*vietas tajeKaa ao peearno pontiaaio. Da-
se a esquadra lUiana eoamaadada pelo contra'
almirante Riboty, tinba ebegado s aguas de Civi-
ta Vecchia, e que por ordem de siaistro da ma-
rinha, ontros navio* tinbam deixado at agaas da
Leer, Geoova a aples, para irem angmaatar
as urca* do commaaao do menetonaav conua-al-
mirantti.
O governo italiano tem, segando se afflrma, ap-
prebendldo grande quaodade de armu em Ve-
aeza, Padna, Vieanz, Tr*ve, a Udlne; em Ro>
vigo, alm d'oma consideravel remtssa d'armas,
procedente de Breaeia, 1*1 apaaabtaltfl* ns* caixa
eos viole mil francos es (kaheiro.
Ditera de losa qne te renairas ao p de Vel-
letri deselo* honaeo* para aa apoderarem das tr-
ras de alguns proprieUrios, mu atas tjantasento
e sobretodo oo aeio de um povo ene se oegulha dispersou-se. TaS-M (ais aaaltt priBia*. idealoir.Teeeeaal,
em declarar-u modello de soberanisso e aade st Dizem acba estabekcida a liberdaie eoascineia Oa
cultos.
Deas* sodio s* a ca ara dos lord alo qoer qne
as nmveniaaaas da Grta-Biasab*ie(raooa*em
senio aos suUbeat brtuatnieb* qa*pre(estem a re- testo.
Hgtao aagltoaa*. a jad bmo pareoe qoarer, *
aproveiur a occasio de santer as tradie*** de
palle.
Hoove em Hyde-Park os novo settiog de mais
ftafcaaVlsi
toral.
7, de Leadru at 8 de Lisboa at 13 de cor-
*. hodv* em Hyde-parx
Nemes oi Usaos das tase* eacrattomaito acerca a 10 stt paueaa Ht sv*r
de complieaedes ioteraaetoaaes, especialmente ea- '
le* a Franca a a Piussia. Lord StaaMy, retpon-
aeado a osa iaterpellaedo anlrsoa que bavia aa
vardade observaeea da Fraaga ao governo pras-
ttaao rea*ni o lebsetirif-septeatrieaal, e qi
neste assumpto tambem baria commomeagdes eos
a Iagklerra, du ooeu aaaaelle moataatt nao po-
dta dar sfaatuaiet, porqae a aa taraza deHas acn-
seiba va toda a reserva. otl-
A Araofa, que, segando onlsf* do Sr. de
[Bita**, iatervalo par* t inserir no asada de
aquella aaga* teiltmeal* re-
. /. >t> i
da reforma elai-
A cmara dos lords vetea ama senda de lord
Rasteil, eeatoriado drrato Nltenl aos locata-
rtouq* panaas 10 Ubtaa tterlaus, as vez de II.
A questao da Abessinia os do* objeetos qne
pretettatema oatt tam eccapado a *plaiio na
Inglaterra. h avciq si >'
O gabinete recoatmttda que tebre-esteja na saa
)oata ufipeeteaa* ua csj)aaera propria.
- *s prep*tte/d* lord Saasour con o fis *
eonsecair a lberaadedM oaditos .tetases presos
Praga o art. 5*/Ulive a' questao da Scbteawlfde a Abyasiai*. staittra atanJey reapisaa ae o
porte, parece qoe lem insistido por diversas t pao- governo eiia' examinando quesie cosa toda a
gar uma ludemoisagao da ij raalboss
pelas espezas da guerra.
Afflrma-se que Jurez confiscara todos OS con-
ventos e fiera sabir os seus habitantes.
Um despacho de Nora-York de 23 de jnlbo diz
que lioham sido fasillados 16 generaes iraperialis-
us ; torna a negar-se a execugo do general Sao-
U Anna qae nio val incluido nessa conta ; anda
nao tinba sido preso o geueral Marques.
Escobedo e Ortega apresentam-se com Jurez
candidatos a' presidencia; mas parece sigura a
reeleigo de Jurez.
Dizem que o corpo do infeliz Maximiliano bavia
sido entregue ao representante da Rossia.
A imperatriz Carlota foi couduzida de Miramar
para Bruxellas pela sua cunbada a rainha dos Bel-
gas ; a sua insania parece incuravel, e dizem que
resultado de um envenenameoto, que antes da
infeliz prineeza partir para a Europa, lhe tora mi-
nistrado no Mxico.
-* Nos Estados-Unidos o conflicto enlre o parla-
mento e ojpresldente Jobnson val produzindo suas
coosequenelas. Diz-se que o general Sheridan de-
mittlra o governador civil de Texas. O general
animou-se a -proseguir no seu procedlmento (pois
foi elle quem bavia destituido o governador civil
da Luiziania, que deu origem ao conflicto), depois
de saber que o eongresso tinba votado sapplemeo-
Urmente, apezar do veto de presidente, a lei que
autorisa os procausules militares no sal a den tur
fuaecionarios no sul e a sabstitui-los per ereataras
saos.
O capricho do eongresso em annullar a potinca
conciliador* do presidente relativamente aos esta-
dos do snl equival a proclamar que estes estados
sio territorios conquisUdos, qoe jasis (ario parte
da oaie (ederal.
Afflrma-se que tem grandes probabilidades o
xito da eaudidatora do general Grant para a pre-
sidencia dos Estados-Unidos ; atiribuem-se-lbe
planos transcendentes sobre o Mxico e o Ganada.
O governo de Washington bavia entrado a al-
guna tempo em negociagdes para a acqulsicio das
libas de Sandwich, no arcbipelago da Occeania.
Confirma se o boato de aooexacio futura destas
ilbas. O traudo de commercio concluido com o
governo harriano assegura aos Estados-Unidos o
exclusivo do trafiro martimo destas ilbas; e com
o auxilio de certas clausulas elsticas deste tratado,
sera' (acil aos ambicanos exercer um protecto-
rado qaasi completo sobre aquellas libas.
Dizem de Nova York ooe no principio de
agosto se deve reunir em Lima am eongresso,
aflm de se considerar o Mxico, Venezuela, Co-
lombia e outros esudos besp'ano-amaricaoos a en-
trares no systema de allianga Iniciada pelo Per.
Tomar-se-ha tambara nesta reuniao am accordo
relativamente a' intervengan da America na guerra
hoje sustentada pete Brasil, Buenot-Ayres e o Pa-
raguay, uaiudo-se aos Estados-Unidos para a me-
diacao pacifica na guerra do Rio da Prau.
As noUcus do Chile dizem tero ministro da
gotera doctorado na cmara dos senadores qae o
leverao reputara terminada a guerra com a Has-
panba; qae a-Mirada da.tMaadra bespaabola
para as AnlUau ao seu ateadei'd10" ''
lucao da nio tornar ao Paciftco'. Em coaseqoenda
dooue ia'o governo chileno hava determinado
vender diversos navios da esquadra que, parece
adeauados para a guerra, cauuvam ao estado um
ooas maito orl A cesara dos senadores isba,
que (avoaaael a
Dos portes do norte do imperio ainda cbegou
bontem o vapor Parani, com datas do Amazonas
at 11, do Para at 18, do Maraal ai zO, do
Ceara' al 24, do Rio Grande al 26 e da Parabyba
al 17 do correte.
AKAZeNAS.
Pele presidente Ja provincia foi reformada a
tbesooraria provincial e creada asa recebedorla
da rends.
No dia 9 do crreme teve lagar em Manos
a colloe&cao da primeira pedia da colamna, que
deve ser erguida es commemoragio da abertura
do rio Amazonas.
rana.
No da 4 deeerrenie foi itrtattada a assem-
bta provincial, cuja mesa se cmpoe dos Srs. :
Dr. Moraes presidente, Dr. MaMber vice-dito, Drs.
Amenco e Miniase secretarios.
A alfandega renden del !fj171:388*477.
MABANHO.
Segando participacoes do Dr. chela de poli-
ca, que se acbava em Vuona, acbavam-se em
paz e traoquillidaJe as localidades vineras; Jes-
apparecendo as supposigoss de noves ataques por
parte dos quilombos.
O commandaote superior de Passagem Pran-
ca oflereceu a presidencia da provincia uro con-
tingente de cem guardas nacionae?, para o servigo
da guerra.
Acbava-se no exercicio de^overnador do bis-
pado o Sr. conego arcediago Antonio Lobato de
Araujo.
A alfandega renden de I a 1930:6915045.
Lemos no Publicador'.
t Moje, pelas 11 horas da manh3a teve logar o
embarque do nesso prelado diocesano o Sr. Dr. Fr.
Luiz da Conceigo Saraiva, como noticiamos.
< S. Exc. Rvma. desde o paco episcopal at a
rampa do palacio do governo (oi acompanliado pe-
lo cabido e mais clero regular e secular, pelo prior
do convento do Carmo e mais contrarias, e pelos
estodantes dos seminarios de Santo Amonio e das
Mercez. Acompanharam tambem a S. Exc. o Sr.
D, Luiz, mallos desembargadores e demais autori-
dades judiciaes, e grande naoero de cidadaos dis-
tinctos.
c O povo em massa apertando-se beijava coa o
devido respeito o annel do nosso virtuoso prelado,
qae prestndole attengio, o abengoava.
a Aates de embarcar toi S. Exc. Rvma. i Igreja
caihedral, onde (ez oragoes. Dabl em diante en-
rossou-se o acompaubamento com as corpora-
g5es das repartig5es de fazenaa e do thesouro pro-
vincial.
c Ao ebegar S. Exc. Rvma. defronte do palacio
da presidencia o Exm. Sr. Dr. Franklm Doria, se-
guido do sen ajudante de ordene e dos empregados
da secretaria do governo, sabio ao sen- encontr, e
accmpanbou-0 at a rampa, e d'ahi bem como mili-
tas pessoas gradas, at a bordo do leronu.
t Foram muilos os escales que seguiram o que
levava o Sr. D. Lulz, e em um delles ia a msica
dos educandos artfices.
t A' S. Exc. Rvma. toram (ellas as honres dev-
das sua elevada posigio-
P1MJHT.
Fallecen em Paranago o respectivo rigario
Jos Mauricio Lustosa.
A presidencia da provincia marcoa o da $
de coverabro prximo, para a elelco de depula-
dos provincias para o bienuio de 18681869.
CKAR.
No dia 8 do crreme bouve a reuniio do par-
tido conservador, para a elelgo da direcgo do
Gremio lonservador, qoe flcou assim compo.-ia :
Dr. Manoel Fernandos Vieira presidente; coronel J.
A. Machado, major Joo S. Ribelro e Dr. Jguaribe
vice-ditos ; Dr. Paulino Borges da Fonseca e Gus-
tavo Gurgulino secretarios; Antonio Gongalves da
Justa tbesoureiro ; Drs. Goncafo Bastos. Joaquim
Mandes, Joaquim A. A. Ribeiro, Manoel S. da Silva
Bezerra e Antonio D. da Silva, padres Bezerra e
Justino omingues, e Jos Maximiaoo Barrozo con-
seJbeiros.
O vapor Pirapama, da companhia Pernam-
bucana, segulo no dia 19 do crreme para o Para,
onde vai assistir abertura do rio Amazonas.
No vapor erme chegra o bispo do Mara-
nhio, qae se acbava hospedado no palacio epis-
copal.
Nesse.mesmo vapor vieram da Earopa duas
pontes de ferro, uma para o rio Maranguapinbo e
outra para o Pacoti.
Ficava no porto a canhoneira icgleza de guer-
ra Sharpshoster, que anda cruzando.
RIO GRANDE.
A presidencia deu um regulamento ao servi-
go publico medico.
PARAHTBA.
Continaava a funceionar a assembla provin-
cial.
O consulado provincial rendeu at 23 do cor-
reme 9:717*363,
Un* da unio de*
fraego soderada; e dos mais
cea a vaneada, les tnfeUondp ctoaaetPnaaiente
sea boietts, e tnxou maraseos a seui '
-aa. bnavoKjqA
A mata evtta declarar palles aaiamiat** oe
ae prepara para rulisar a emprenaa, prasus. bel*
coatrario animares roaaeaos, o^xando-ss a mi*-
lio aa a levares aa so urse.
Us corresaoadeaMrosea dkqts-ataaasada
pepalaoaq romane, taada- par ^ft
pacifica da qaeiti a* s*e>oa: tsibBjvaast^
Mes* por capis!: aqs)Tdra* paSInVanja-
reea ltceafs** laease d rra.
enrgica do gabiaate Rasui dote tar diaataiido o
cemmite romano, de aae-ell* nao pode esperar da
goveroo iuliano, aes conaathes aem oeeorre* ma-
ttriaas,
A jota di* ao tea tnasfealo qoe tper* omito
do valor dot resaaos ; qae evetao itaMaM o*
ws abaadoaado a il usnaos; que peores M *
saa qaieugao nio les sido ladiflereaca, San ai
sua lentidio eovardu ;. diplomacia, peo do gorerao iuliano; que aquella
Ainda depois desses vapores ebegou o Santa
Cruz, dos porlos do sal do imperio, qae j era
esperado ba sete dias. A soa demora toi devtda
transferencia de 15 para SO do corrale, de sua
sabida da corte, por ordem do goveroo. As datas
de que (oi portador alcaagam: do Rio de Janeiro a
20, da Babia 24 e de Alagoas a 27 do cor-
rente.
Alm do que damos sob as rubricas Parte Offiai
e Interior, coibemos mais u seguintes: 4*
RIO DE JANEIRO.
Eras esperadas todo* ce momentos noticias
importantes do exercito, em continuago das rece-
idas, e qoe damos es oniro lugar.
No dia 11 do crreme (oi inaugurada a nova
estacao da estrada de (erro de Pedro H, na Para-
byba do Sal, eos a assistencia de SS. MH.
Imperlaes.
O cambio sobre Londres regalava 21 i. por
IJOOO.
S. PAULO.
_ Devia ter logar no das W e 20 do corren-
te a deeza de theses do bacbarel Paulo Egydio de
Carvalbo.
PAR AH.
Fallecer em CoriUba o Dr. Jos Mathias
Goncatves Guimaries, qoarlo vicepresidente da
provincia,
MlNAS-GBRAtS.
Na aporaco, faita pela cmara anticipa! da
eapiul, obteve materia davsespara depeudo
provincial, as snbsbtoicS* o conego Besaea que
aecea, o Dr. Jos Fraaoteeo Notto.
G0XA2.
. Ne dia 2 do paisado sabir* da capital para a
cOrle, o ex-presidanbs da provincia Dr. Augusto
Ferrsir* Franca. ^,J
tb

imod***^Sj*ao-. > ao eonlrario do CbOe. ao Paril contiaoa o espi-
rito boetil a Metpaana, o a impreae* pera-Nane, es
toando da chilena mostrase suil* assusovda eos a
aotieia da qae a esquadra heepanboia torna va ao
Paelnceye adeueas ao governo hespaahol de qoarer
aanuoar a hostilidades ao Panifico ; mu dirigio-
de eau atasart'dapol* de tar e parUmealo e o pr*
attiaasliaatiad o aaccioaado a guerra contra a
tbspaaae, parece qoe nao -deT*u acbar razio fun-
dada para Unta queixa, oes podes allegar qne
aaaaaal ss4osada de sorpreu.
Suu altezas o Sr. duque e duques de iexe
sitas es *rtedoras da eapiul, sabr, Cintra e
eetivaras ao Porto sao Buseaee. Es toda*.**'**
r*p*idas demonslraeoes de aTeeto a respalt*1
(MMMidwaeeo tem neo otrado "jW".?!
da rs regenta de Portugal o Sr. D. Fernando II, lio
de sua alteza o principe de Coburgo. :
O Sr. D. Laiaoaa partido a 11 ru,
A companhia (rabeen des Bovffes Hrisiens
Iinba comegado seas trabamos,- qu* iam sendo
muilo applaudidos.
Tinbam estado no porto a fragata encouraga-
da bespanbola .Vurnancio, o vapor ioglez de gaerra
Trifon, e a corveta da sesma nago Eesk, que
seguiram para a Europa.
Tambem tocara o vapor Rio Uruguay, qua
se destina a transporte de pusageiro* *m Boenos
Ay",Fallecra o Dr. em medlclt* TI A*ii<>
Ra bello.
re-
5T'SS^SSSSSL -8... .. o talaate
D. Aofutto es acompanhao sen irmio.
Dr.es
-- S Esc Rva- Sr- arcebiaoe benzen, no da
9? rhnin e rincoiOU altares porUleis.
22, rtW e cmcoan^ ^ pr0Tncia (oi noaleada
nma cosstsaio, cosps* Sr*- t*neate-coronel
toad Xswf frrekt dt Ca valbo, coronis Nicolao
antor,\ao e Joaquim ltente Cartas^ e
ttSiaa* Jovioo Cesarda Silva e Joao de Camibo,
J, patio ae Saaipe, para dirigir u esXjos popu-
lares, ao recebara* aaetlcJa da victoria do pesio
"* Arribara, com agua berta, o brigue JfannAo
UU que ia ds Paruasbuco para Boenos Ayres.
O cambio rguUva : sobre Londres 21X d.,
sobre PansUO ra. obre Hambargo 835 rs., e
sobre Portugal 1!
fdraassass!
da Silva, no dia 24
mulher chamada "
i
I
i
* dr-
1 o negociante Joao Antonio
1 crrante, no Pilar por nma
aria Cabocla.
L
* Ii



1
i
*** Feru.b., --M*. felr, 19 itJLt-UM 4-a.;
PERMM8UC0
REVISTA DIARIA-
o aimoas n-
Passaram beatena, da Earopa para o Rio de
Janeiro, a' bordo do vapor ioglez Serne, SS. A A.
o Sr. daqiw doqaesa de S*u. \ f 1 i
Apenas fundeoa o vapor, S. Eic. o Sr. presiden-
ta ae provincia. M prttoto iee, uber as .
112?? "*" ** waU P V. *efK, aeompanhantfo-aeeom nm dos bllhe-
causado mao tema* a laau. tes lie visita de V. Retina. maatrestando lae na
f JS?^*^''' 8R rw^BJiT3SSL. teMn,a 0CCMi0 os os de amii.de que
VSffSSS Tuff^SS*Pai5u a> jLJ?T"*l!?fnP?JeTe Para eoi elle, o qual I
fortaleza doBram e o brigue barca lamarae de-
ram- ama sahra de 21 tiros.
Reooese hojeo Instituto Arcbeologieo e Geogra
pblco Pernambneano am mato ordinaria.
pre cravado nos hoswtse ambulantes, sempre tto, Jo> Cor/ele da OUveira, Vicente SiaaoeaJ?!
perto da cana dt eofe m< bnoaaidafe, sempre, ensota # Francisco Jos da Fonseca.
eroflm, com os nosso* paridos, amadoa e apteoia Segaem para o sai ;
dos BfaaUetee, qoalener f ieeja a grafio, i j. i, fc ,rt jM|, praQC|3oo a.
provincia, a cor, o costme, < retalio e a edn- AmooJ.llortlfaMas, c. l*eee>.A*emo
fio. ______ lt FerreiraDomingos Ferreira Janete. Aoionlo Soa-
Apreveltando de o sargento allenrio, proles- Me, Joao de Cesta, Amonto lose a-ftlve, Domln-
taete, ene iselecWsei, agora ueepbito, coovktai ao gos-r. fleabalfea, Manoel de Aievedo, FraoelW
Exm. Sr. vlsoonde de Porta-Alegre para assistir Dnarte, Jos Dinli, J. G. de Alerta Barro, Jo*
ao aclo. porque atada nio Uoha sido por mim can- Ferrelra Leite, Jos Joaquim dos Santos, Joio JSao-
vidado, edalpelaprlmelrateaes lembrancas de des de Camino, Joio J. Pareira, Vieifnt"eotiSa1
^^^nmentose obsequios ." A pi kf^i*^S^rtSSSmj9Mk &- ffi? 0. U% 'r*:* "'
tieeo^lvee-gertor^Bav^b-iBOdalOper raides. B. A. Reqoira, J. A. d Barros, C. Parea t1 <*> *>* OT STjtOTrtrrxr rjrrc*rente armo, T)an
coreesee*eemets d*Tinat>.--------- nsiannar Parala, t. rumi R>itn< i s Rr*Beo. j. Go- o entrara eoe liauidaclo.
corre o* campes daTuyeo; peeeeade; peto qaee
ttR* ?<** a freete de eseroilo, pe-
la r divlsio, peb batalLl.
No concurso qae deve ter lagar, aOm de pre- neeio do bospiUl central. Faziam alas os da i
encher si ama vaga de amanuense existente na se- pAvfsib, eeta vetas.
cretarla do arsenal de mariuha, loram Horneados
examinadoras os Srs: _
Proressor Miguel Arcbanjo Mindello, em liogua
naclanaL-
ttr. Angosto Carneiro Moaiewe da Sirva Santos,
en ar temtica e sus appltoeodw.
Dr. A. Witruvlo Pinto Bandeira e Aceioli de
Vasconcelos, em escriptnrasao mercantil por par-
tidas djbTadas.
Pede-se o Exm. Sr. presidente dprovincia
e ao director das obras.publicas, que lancera suas
vistas para o misero estado da aua4a de'Caxang,
qae esta' intransilavel.
Tamos a satisfago de noticiar o restabeJeei
manto do nosso amigo o Sr. Dr. Heraegenes Sjcra-
tes Tavaras de Vascoacailea, ]t de direito do
Grato na provincia do Ceara ; o qaai, eoa caru,
escripia-a 9 de correle raer, a ooiseoMaigo aqal
residente, dii ter sido atacado en 5 de janBo ulii*-
mo de urna febre tfpboide, cajoseariaBeenoe otiri-
Saram-no a se retirar para Barbalbo, oede traiao-
do-se convenientameote, boje seacna m convalaa-
cenc>-
O descont regiulava u< pravas- da Earopa :
Banco de lo^Uterra-. ti/i
Banco 4s Frange..... 2 t/i
Baoco de Uespatib*.. SO/0
Banco de Francfort.. 3 1/2
Banco Himborguez.. 3 a 2 i/i
Banco de Bramen.... 3 0/n
Banco deHoiranda... 2 i/
Os fundos bfasileiro.- erara cotados em Lon-
dres :
4 1/2 -O/o im-58-60.... W 3/4
4 i/2 0/j 1863............. 64 i/2
5 0/oefl........71.3/8 e-74 1/t
Bjnds* 100............... 75
Entrara em Lisboa a 1S a' noite, o vapor
francei Suvarre, precedente do Brasil.
Ch^garam: Lisbia a 28 UIIU OdHWI!
// do Piii,,ea2 barea Ptreira Borget de Per-
nambucj ; ao Porto a 10 brigue Triumpho de
dito.
Ficavam a' cifga os navios: Deifique II,
Mara di Gloria e Constante para Parnambuoo,
Anglica I para o MarantiSo, Lmdi e Belim para o
Para, em Lisboa ; Humiliade para Pernambuco,
Amazonas e Aidaide para o Para, no Porto.
Ei o; telegrammas commerclaes recebidos
em Lisboa a 13 do crreme :
< Londres, ii s 10 boras da noite.
< Algodo.Ha indicios de melnoramcnto.
t Vendas 22,000 sacca?. Cotacoes de hoja :
i Peroambaco mediano.. 10 3/4 d.
< Maranho .. 12 a 13 1/2 d.
Babia > .. 9 3/4 d
< Macelo > .. 10 1/2 d.
Asucar.Offerecam-se doos carregamentos
no mar. Ltacoas de boje :
Babia branco e louro....... 22/0 a 26 1/2
mascavo............. 18/0 a 22/0
c Pernambuco branoo e louro 23 1/2 a 26 /l
mascavo..............211/2*33/
< Havre, 11 ae agosto as 5 boras da tarde,
t AlgodaxManiera o mesmo preco.
i Pernambuco, fraco, a (r. 140
t Cacao.Mercado calmo. O do Pari conserva
as coiacflas de fr. 75 a fr. 76.
a Bbrrscha.9 mesmo preeo da fr. 6,13 no-
minal.
Caf.Mercado firme. Cotacoas de boje :
< Rio ordinario de fr. 31 a fr. 36.
good first de frl 57 a fr. 62.
t Assocar.Mercado calmo, mas os precos sus-
tentam-se.
S porto : a 19 o patacho Gloria, e a 18 o brigue In-
vencivel.
Acliava-se bastante enfermona c6r senadorferrelra Peana.
O vapor francez Guienne devia partir da cor-
te no da 21, e o americano North America no
dia 23.
O leilo de movis, louca, vidros e 2 barros
anounciado pelo agepte Martins ficen transferido
para boje, om raza do mo lempo qae fez
Contera.
(.olera.- A que se acha a venda
a 35a, a beneficio da igreja de Nossa Se-
nhora da ConceicjSo dos Militares, que corre
depois d'amanbSa.
Receb ;raos da corte a sentida morie do nosso
comprovinciano.e amigo o Sr. major Birnardo
Lue i-'.-rreir Cesar Loureiro, qoe all snccnmbie
ura ai s j'j j apopltico, no dia 14 do correte
mez, lorrge de sna provincia natal e na ausencia
da espo-a querida e dos filhos estremecidos; que
assim, guando meaos o peosavam, acharase face a
face cora a vinvez e a orpbandade, dupllcameute
penosa pala carencia de recursos em que tica essa
familia digna por certo de sorte melbor.
Victiiin do dever, cuja rellgio sempre venera va,
deixa o li .J j major Loureiro urna memeria inde-
level na fii>t >ri.i do patriotismo.
Ainda ha pouco, vimo-lo todos nos, depois de bre-
ves das na regaco da familia e de residencia nesta
cldade, vo'tar denodado a' corle cora ura novo
conting^ni de urnas 300 pragas, afim de seguir
para a campanha, onde ja' tinna un'nome con-
quistado de brioso e valeute soldado ; oade Ja' il-
nha ama estada de 22 mezes de servicos relevantes
notados com louvor ; onde ja' tinba adquirido por
asslgnaiamento de bravura a condecorado do
Cruzeiro, qae Iheoraava jastamente o pelto.
E nada lhe arrefecia o animo varonil,aem as
adigas, nem o afn pesado da guerra, nena o peso
da idade, o finalmente, nem o pesar de ver no
passagc'O) de Cuevas cabir fulminado pelofuzil da
inimip') om filtro, qae ensaiando sgalr-lhe as paga-
das, deixa um nome honroso na lisia dos distincios
filhos do Brasil, que pala patria deram o que do
melhcr !;ih;m.
A este ardor, porm, pz termo a morte, fechan-J
lo umJuiJhante cyclo de dedicacao ao paiz e de
veneraco aos bros nacionaes, porque elle pugna-
va sera aencao a consideraco alguma.
Nada possuindo de bens de fortuna, tinba toda-
va a h jnra de nm nome distlncio e o cabedal da
servi^s reaes ao paiz; urna e outro lega elle a
sens iii.
Bem modesta por um lado esta berM{a, deixa-
na a ooia esposa e tres filhos menores de 18
annos, que se acbam *s nrtos com a penuria de
matos. 1 subeistencia mas per ontro ella id*-
ile, parque o governo imperial vira snpprir
dando assim testemunho da que sabe
ves, Antonio DeBm Mentelro, Slanotl F. de WwB'
da & Bretber, Antonio Joaqeim de Urna, Antonio
Rogeri Lopes, Maooel Gonealvu, Joao Jos* Vara-
Cruz, R. W. Barnetl, C. Molcharick, H- Hackay. J.
I.RefstftrteMb, .Bernartes j Ifiebet. J. G
Calxa Ollal do banco de Brasil
em Pcrnambnro. aos 26 de Ju-
Iho de 1969.
De ordem da directora se fax solate aos Srs.
accionistas, que o ihesooreiro esta' anlorlsado -
Pifar* 17* dividendo das acedes do basco de Bra
sil. itseilptM n'asta caixa, a' razie de 12*000.
ciO goarda-livres
gneo If unes Correa,
Novo banco d Pernamfraco
P|rTOnhci!lierjto dos interesstdos a di
refcejo do novo banco delara que-a part1*
158*000
300*000
301*000
96*000
96*000
Par/aria,. A. Caaafes* Beatos, J. S. Braewo, A Go-
mes y Abal, A. Lepes, E. li. Nugeot, M. C Coc-
batalho de engenheiros, e o qoeteaui, A. Grant, J. Jograud, A. E. Bascill,
Gregory, 3cbildren J Servani. J. Dngnid A-Ser-
vaoi, C CeraascW, P. Oobeny, D C ScMnaifeidi.
Quatro onaoiees cerregivem o bonito e eafei- 1 Sislere & Brethar, W. G. Martindale, Nancy
Udo andar oom ata* a independencia do im Wade, A. G. Rn, W. Webster, R Do va, J. P.P.
peno. Fre Fldelis, mestre de ceremonias, os t Cerdefra, L. C, Alkaine, cbild & Ser'vant, A. F.
Revms. pad/es Kortunato a Saraflm, es doos nos- Cerdefra, J. R. del guila, L. Alonso, AlfrWE.
ottejpintelros de trabtlho, com roquetes canta- Tarrow, StanlslM SalencW, John DoWaley, Car-
vara os psataas, e ea leeewe a rMiejnu te Mees ios Aegosto Silva, L. Heerique de Silva Ai i enana rti
Senhora debaixo do pallio, cojas varas assegnra- Passageiros do vapor bresleiro Ptran', vis- Vdnfies
mm os mais graduados do exercito. A (ffleiah- do do Para' e nortee interatedios : *
dade com mdicos de casae* ienvam na mi Dr. Ignacio de Sooza Leo, sua senbora, 1 albo,
lampeos de Vidro, qae a ^ visan fex construir i criado e 2 escravas, Jos d* Brtto ingle)', Vicen*
no ooaanereto, ae tnafias e o t senhora, 1 liiho e 5 escravos, Loiz Antonio Pereira
de Agolar, Aoooio lefio de Araaral, Antonio
TMtMXnnWtm, Rsjee**>s Cavalcanti, Joo An-
tonio Cavalcantl, Firmioo Candido de Figueiredo,
MMtoet Jo da gilva Jower, Laii Atitooio Cordei-
ro, Anteojo Xn*nes Maelel de A'ragao, Joo Ro-
gpiam a longa proclssio. Mais de 2 horas durou,
retirando-se depois a' capella d Noas Senhora
oes Afllictos, auxiliadora do asylo dos ia valias.
Logo prsguei um sermao anlogo a' fasta de Nossa
Senhora da Batalley cojo tlluki den-nw occaetio
para infundir no espirito4o soldado aquella f na .
rtligio, aquella cjnaeca ni Mana,*(helleamor drigaec Mofl*, ManOM atodeato Pereira do Lago,
patrio, que'constituem u'ro forte motivo pera- al
cancar ama segura victoria, e por consegoinl a
to desejada pax do paiz.
< Fiz depois a exposieio de- Saalissimo Sacra-
mento, eaolando-ee o Tantum Ergo e Pangelingua
em msica, a acabando coa santa bencao. Ka ca-
paila de S. Fidells, no dia 11, i norte, tefe lagar
teve
ubi solemne TeOeum pela tralada?ao dos ossos xefrt Leite, Gebrlei Arehaageto Rodtig
de S. Beoto,patrra*a. Poi pera e>fteaqe1ier-aor- Joee Vicenteia Sil* Aranha, padre i
Maneei M. t?. de Lago unior, Francisco Felippe
la Foeseew'Tikotov Rietro-J*iniho de Abren Ra-
po, Antonio Xavier da Silva Mello, Alexaodriuo
Jea-Raptise de V*tcoseello, Maatoei Francisco
rtica, Antate Marcelino Goedes, Joo Mariins
Nofoeira ioeaMa, Leonardo A. A. Werber, Ao-
touH dos Santoi, Gncato Pinto a Suva, Jos Tei-
J" ues Mello,
guel Ame
dm benedicna representada na.pessea de- Fre_rico P S Matblas Tavars de Almeida," Jos dos
'Carneiro, o qoal pregando proveo a sympathta dos, Santos Castro, Francisco Jorjf Martins Botelbo,
cipncbobos com a sua ordem, e em diversos fac- Hanriqne Castro Gaimaret, Joo Jos de Almelda,
tos da vida do santo patriareba o espirito de todos Antonio Baptfsta Roaflg&es, Felleiano Jos da Ca-
of justos, de que elle era ebeio. O babll prega- nha, Boaventara da Rocna, Fr. Fructuoso da Sol-
derpmrotPsVaTaTlo as nossas capelas com ser- dade Sigismundo, Francisco JsTtibelro Braga, 2
tnoes edificantes. presos dajostica e 6 prajas de escolta, Manoel Ro-
Nao podemos deixar de agradecer a S. M. tTflfnee^a Svlva, Samuel Henrique Hardman, Dr.
Imperador (D. G.), o perpetuo defensor do lcape- W. RietriBatHi u 3 escravos a entregar,
no, e ao Exm. Sr. ministro di guerra, um teta SerteeW ettao sul :
primara que lira em perguntar sempre da safl> Dafleatatenfl H AffoAs C de Negreiros Lobato,
uoa capncblnhos do-campo, qae rogam por ette e UmtmHne Gtf de Mello, sua senhora, 4 filbos e
sea real familia, e ouiro por facer meocto no seo-: 1 criado, AlWpao E. Atrahaos-; *u* seohor e 1
eloquente rotatorio dos nossos traeos- trabalb^s firao-Tnerrer, O. Aona Tbeodora Gomes e 1 criada,
nesta guerra da sacriio de paiz. V. Revma. eo--Ignaeo Jos GodinhO, Ricardo Alve de Carvalho,
to yisitando-os Ibes manifest os nossos gratos Li*fee A: da Silva Aranha, Dr. Joo Antonio da
senlimeotos, e o bom desejo que temos em aeom- Rocha Viaona e i eseravo, Joo Baptista Carneiro
panliar os Brasileiros at ol, qoer nos perigos, da Cimba, lente coronel Jos Luiz Rodrigues e 1
qaer cas combates, quer as outras peripecias da 'eseravo, Dr. Fernando Al ves He Carvalho, capillo
guerra, f jraando elles os temos ob;ectos do nosso Jall) Cesar da Fonseca, Jos Custodio das-antus,
corajo.e como prximo e como Brasileiro, dignos Joaquim Caben, Dr. Tpom Morelra Cavalcaati,
filhos de ama trra grata e correspondente. Francisco Theotonlo de Cahralho, Vicente Ferrer
( Ao distincto, ao querido nosso velbo bemtei- Tbaotonio de Carvalho, 102 pracas para o exercito'
tor, e affeicoado noso Exm. tenente-general Po- e 17 eseravoa a entregar,
lydare, a qoem dirig orna rainha carta de pira- Passagelres do vapor brasileiro Santa Cruz,
bens pela posto qae occapoo, d por favor V.
Revma. infiaitos agradecmenios e eternas lera-
brancas pelo bem que faz e qae diz dos pobres
capaohiabos do caupo e do imperio, come V.
Revma. me declara na sua carta. A' bencSo, pois,
qae nos da" o Eim. e Rvm. nosso pal o internun-
cio apostlico, respondo com urna carta que Ibe
envo. Ontro illasir e distincto personagem pre-
cisa que V. Revrni. eonbeca, o Eim' e bravo mV
rechai de exercito Bittenoourt, ptimo pai' do dig-
nissimo comraandaute de engenheiros, o tenente-
vindos do Rio de Janeiro pales portos de norte
Bellarmino Baptisia de Soma, Tbomaz (africano),
Francisco Gatlort, arfaras Ovidio Hermano Cardoso,
Luiz da Sonta Maia, D. Julia Candida de Mallos,
Antonio de Mallos Froitas, Jas de Olivelra Freitas,
Carina Novelma, 3 ex-pracas da armada. Raymnn-
do Honorio da Silva, Antonio Borges da Sllveira
Lobo, Francisco Moreira de Carvalho, Joo Vas
Lordelto, Felinto H-rariques de Olivelra, Jos Can-
dido Moreira de Sa, sna senhora e 1 escrava, Joo
Moreira, Gnilberme Parcel, Antonio de Oliveira
coronel Conrado Marta da Silva BitteBCOurt, que! Costa, Franoiseo Afostinho, Fraaeisco Jrusepp,
lautos obsequios me tena prestado neste acampa- Irmae Franco, Jie Vctor Al ves Matheos, Pascual
ment, a quem comoao seu pai dediqnai os. meas Joo do Espirit Santo, Pedro AvQllno dos Santos,
servicos. Jos Barroso de Araujo, Manoel Joaquim de Mene-
< Lhe diga ebto qae respoadi a sua querida'aes d'Amorim, Antonio Tbomax Moreira, Francisco
carta e a de sen pequeo. Pois ea nada fiz de Fontoura, Antonio Pereira Prado, Boaventura de
o entrar era liquidado.
Recite 28 Je agosto de 1867.
. +_____ AUAITOBGA.
Rendrmsnto flo da I a 27........ 510:i4J*008
144*000
176*000
168*000
242*000
Ideo do di 28....-.^a*......... "47:444*781
^udfcea entradorOORl'Rataas...
i fetetos....
sabidos com fazendas.. -
e*t rwws....
{37:886*789
84
324 i
------408
93
501
599
' Descarregam boje 29^6 ag isto.
arca porloguezaGroftdo-^ diversos genSr's.
Escuta holiandeza--Kfrnui*-idem.
Brige adjriaeolieo'sep'pina Francisafarnba
taViat.
Patadw eaciotet-Joa Hiaia^nacionaN^ojttAwiooaL-dlversM-teneres.
^'^anaullli.fiiinur-^barqne.
MlRnWDORIA DB-MBDAS INT*R\AS
.. Rna das Calcadas.
dem idem n. 3.. ...
a Rna larga do Rosario.
Segnndo andar do sobrado n. 24 .
Terceiro andar idem dem .
Ra da Roda.
Casa larrea n. 3........
dem idem a. 7 -.....
Becco do Qoiabo.
Casa terrea n. {8. .... .
Ra das Calcadas.
Casa terrea n. 36......,
Rna do Padre Floriano.
Casa terref-n. 47......
Roa do Nogaerra.
OkM terreara. 17'..'.....
Pitrimii le orphos.
Roa das Larangeiras.
Casan. 17. ,. ... .
rtua do ftangel
Casa terrea o. 6:,.....
Rna da Lapa.
Gs o. IL.....\ .
PHrt, i ^*t.i0. V,*ri0-
t-iiinairu andar do sobradan. 2T .
ilSStSf- :::::::
Sitio n. 5 ne Fornb da Cal. .
dem. n. tm ... ." -'
As ayjwmatacSea s%ro fqitas.peo tempe de nm
antto, dtvtWdo os licitantes vlrem acompaahedos
de seos fiadores on manidos da cartas destes.
Secretarla da Sania Casa da Misericordia do
Recite 22 de agosto de 1867.
O eserivM,
Pedro Rodrigues de Sooza.
192*000
301*000
Das artigas t eseripUria e do arma-
zera fallida de i\ ft. Breber CM sac-
cessores.


GERAE.
RendlesenHo fo da- r a-27......
dem a 28................
30:562*424
76aS868
31:328*292
CONSULADO PROVINCIAL
Rendtmento do dia I i 2*...
Idem do di 28
44:344*846
689*754
46:034*600
MOVIMMTO DO POETO
JY Southampton a portos intermedios1S das, vapor
inglz Seme, de 1700 toneladas, commandaate
wooleoot, equipagem 130, carg- diff rentes g-
neros ; a Adam-oo Ilowie dt C.
Pari e portos iotaraiHosiO das, vapor nacio-
nal Paran, de 850 toneladas, commandante o
capitao de fragata San'a Barbara, eqnipagem 60,
carga differenlee genros : a L. A. de I1. Azeve-
, do A C.
Rio de Janeiro e portos intermedios8 dlaa. vapor
nacin il SaniaCraz.de 999 toneladas.comman-
dante Gnilberme Waddigtoo; eqnipagem 55,
carga differentes gneros; a A. L. de Oliveira
Atevedo & C.
Navios sahiits no mesmo da.
Mo de Janeiro e BabiaVapor iogl Sene, com-
mandante Wooteo*.
LiverpoolBrigoe ioglez John Hillimah, capitao
Willemn, cargt algodo.
Rio Formoro-Vapor brastieiro Mmtngu'ape, com-
mandante Costa.
' i i ii i M ,
!....._,_ i
EDITA ES
bem, como elle me diz, ao seu fliho, commandante
Conrado. S preste! os meus servicos aos cbole-
netfs de seu batalho, e os presto, todava, como
sou obrigado pelo men ministerio apostlico. Fre I
C Azavedo, Jos Antonio "Almeida Guimares,
Vicente Al ves de Aguiar a 1 eseravo.
Segeab para o norte :
Alfonso de Paula Albuquarqne, alfares^ Ignacio
Fidells, emOm, qoer que eu siga o exercito, lendo I Albaquerqne Maranho, Francisco Gomes da
sabido antes que me qoertam no quartel-ganeral,
para seguir com o Eira. Sr. conselheiro. Elle
coucordoo com esta Idea. Ea vou cora gosto, co-
mo Beata com prazer, porque em ambos os caeos
a obediencia me gulava. Ja estonerranjaolo com
parafusos urna capella porttil, como elle arraajou
Silva, Pedro Lipas da Azevedo, Francisco ttodri
gaos de Barros Barcellos, sua senhora a 2 escra-
vos, Ignacio da Cosa Miranda, Miguel Francisco
do Amaral. Aureiiaao Martins Lupereio Francisco
da Silva, rsula Machado, altere- Francisco Can-
dido de A. PerdigSo, Joo Victorino de Aodrade,
leado me administrado caraplna o Sr. commao- i Praoeisco Tnomaz da Agolar, D. Jesuina Lulza Ca
valcanti de Mallos (menor), Betnardo F. Carvalho
de Madureira, Jos Luiz Cavalcanti de Olivelra,
Angelo de Bardl, Sebaetio Rodrigues de Barros
Barcellos.
'iante de engenheiros, ella ser coberta de lona.
c Estamos anda parados por cansa das chuvas,
principiaran! desde os principios de Julho, e tara
bem pelas cbservacSes do balo, pois ellas sao
imperfeitas pela escurido do ar. A primeira vez
que sabio os Paragaayos Acarara desesperados,
todos correrara a se abracar s pecas de artllharia,
atirando bombas e balas de artilharia. No da 12
alacaram neste emquanto, a' nossa liara, matando _
SLnl^^^liTviSi Para o meretissimo tribunal
ca, nos bracos, e lhe foi cortada com unta espada
meia mo.
Publicantes a pedido
esa lacuaa.
aquilatar o mrito dos boas servicos.'
*. e assim qae os governos se colloea na ver-
-!. i,t"ara1ao "es compete, e recompensando
3? c -5,S seri'Li?os P0'3' S8 Mai interprete fiel
?..' 1 lbes est conada de distribuir jos-
tiga e premiar o mrito. ^
Nao i uto ora reclamo aogeverno imperial, mas
a expressao da conveniencia qae tamos de uue
asslra Obrara elle em adjutorlo da famlfla de nm
bom servidor, familia qae cerece de recursos nara
subsistir hoaestamente. t u,m"'"*
Cora bastante prazer transcrevemas do ]<.
nal do Cmmerao, da corte o segalSte-:
Era uraa carta dirigida do theatro da guaira
em 15 de julho nliimo so Rvm. padre commlgga-
rio capnchinho por um missionario empregado to-
rno capello as forcas em operacoas l-se te-
galnte :
t Entre as mais cartas espero qoe Ibe chegue
esta tambera, como tenbo eonfianca que j Ibe le-
nham ebegado aquellas das quaes quererla suas
respostas, para mim multo queridas e desfijadas.
< Urna sua, com data de i
principio d Borren* mez.
i-a pw achar-ie de boa. saode on os
irmae d
dalis'
grai
do commercio ver.
Viva o 9. de infamara, qae repellio o inimi-
go persesoindo-o at a soa Ilnba com morte de
aigans delles e feridos qae forara carrejados pelos
Paraguayos nos cavallos. Ja chegoa a iofantaria e
artilharia montada do Exm. nosso barSo doHer-
val, o qual ha de enejar entre boje ou araanba
ao acampamento de Tuyuly. Nada sabe-se nem
do lugar para onde ba de se marchar, Bem do
lempo, nem do dia do combate; mas quanto se diz
a respailo tado conjectar das pessoas que qne-
rem fazer castellos no ar, planos de guerra e ua-
nar-se de tctica militar.
c 03 planos sao mysteriosos para o exercito, e
learos para o Exm. Sr. marques, Argolo, et., que,
quaes militares velbos, bem sabem a tarefa diffi-
cuitosa qoe Ihes confoao governo imperial. Hoje,
depois do toque da alvorada, disse missa para o
lllostre marquez e sea estado-maior, que me maal-
festou o prazer que tem para que en tambera siga
com o exercito. Acabo a bem comprlda carta,
que crelo nao d fastio a V. Rvma., visto ea Ibe
dar noticias puras e verdadeiras relativamente aos
negocios do nosso Brasil, de que V. Rvma. zela o
bem religioso.
< Nao se esqueja dos catfaecismo que sempre
lhe ped para os protestantes do exercito, cuja ins-
truccao religiosa tomei a mea cargo, sem porm
coarciar a liberdade de suas consclencias, mas dei-
xando-as pelo contrario sempre livreroa escollas,
persaadindo os s com a evidencia daquelles prin-
cipios que acharase sement na religio cathoiica.
O Exm. Sr. marocha! de campo Andreas volioa de
Curuz, e esta' comnosco. Lh brancas e recebe a sna-apreciavel carta.
c Elle lamben* vindo-nos visitar achon proapta
a proeissao, e assistlo a'-mesma. O Eim. Sr. mar-'
que, Argolo, Porto Alegue, Fonseca Costa, e Ba.
tildo, meus especiaos amigos e confessados, etc.,
Iba dao muftlssimas lembrancas com os mais nos-
sos: amigos do exercito. .D lembrancas ao meu
reverendo e venerando, d-me noticias dos meus
compenheiroe. Beljo-me emflm as ralos. >
P. S.Ter -esta Dura reoebido das maos
do Sr. major de engenheiros Dr- Francisco Doarie
Nenes diversas moedas, que se destinan) ao asylo
de invlidos da patria.
Toado felto a competente entrega no tbesouro
nacional, o Rvm. Fre Caelano de Measina obteie
segeinte recibo :
O Rvm. Fre Caetano de Messina entregpo nes-
ta tbesouraria geral 138 soberanos, 20 moedas de
16*0rjri 17 ditas de 9*000, 3 ditas de 108009,
e 127 di las de 20*090, qae os Rvms. missiooarlos

dos.' Taesourarfa geral do tbessnro nacional, 14
de agosto de' 1867.B. M. Carrosedo, conselheiro
tbesoereire- eral.
Ao cimbio actual eleva-se a 8:8f7*000 esselm-
Porftnte doeairvo, obtide pelee religiosos capuohi-
. -fRwASTigjiS da poLicia,-BitraetcHlns parles
dos rliai eo du ajuaio.-----
* F2!? *?nw' a asta de aetetfcttj o aa 2?
do ewtebte*
^^^^mjffjmo RtfCfre,J*S
132?' "LW?iS,ida6''epnrtW-b
Ser conforme lei que seja cocea-
do interprete publico um estraogeiro
Dio natnralisado 7
O lagar de interprete'alo ama prossSo cmo
a de commerciaote ou artista, mas um emprege
publico.
Se livreao estraogeiro entre n exercer aquel-
las, a eonstiiuico nao consenle que possa oceupar
estes.
Se o estraogeiro nao pode ser corretor nem
agente de leudes, como sustentar-se que pode ser
interprete publico. -
Para ser interprete, diz o decreto n. 863 de 17
de novembru de 1851 art. 5, requerem-se as mes-
mas qualidades exigidas para ser commerciaote, e
contrectmenlo praMco de llnguas estrangeiras, e
segondu o arl. 6 do mesmo decreto, a pelieao para
uomeaeo deve declarar a natafalidade- e domici-
lio do impotrante e a praca em qae pretende exer-
cer o offlcio, e ser instruida com os seguimos do-
cumentos :
1. Certidode i dade.
2.a Atlestado ou liloio de residencia.
3.* Atlestado da direccao da praca do commer-
cio do Rio- de> Janeiro, pelo-qnai mostr ser versado
em lingual estrangeiras e qdaes estas sejam.
Ore ae o estraogtlre podesse oceupar o lagar de
interprete, nao teria a lei lambem exigido que elle
mostrasse ser versado na lingua nacional para a
qoe lem de tradnzir os eseripios, contractos e pa-
pis commercies nue forera apresenlados 1
Se a le nao eaige esta prova porqae sappe
nos iodividnos que preteoem o lugar de ioterpre-
te o conhectnrenr-^lessa tregua, o que nao pdde
ter lugar seno para os cldados brasileiros.
Para os estrangelros, ao eoBlrarlo, a snppost?o
razavei que a nio conhecero.
A questo seria, pois trata-se de direltos e
fnnccCes poblicae que nao devem ser barateadas
sem discernimento.
O Brasiiro.

Chegoa a esta cidade no dia 26 do crreme com
sua Etm famia e ossO amigo o Dr. Francisco
Bernardo de Carvalho, viudo da comarca de Inhad-
ms, Q*rjinB" jutrdedtrelto, para tratar de sua
saude. All estove por mais de 8 annos, e com de-
sejos de mais nao voltar, unlcamenie por ser lugar
(alto de reeuraos. e d'em :cllma exeessivameule
queme, sonde elle e sna Exm* consorte offrersm
consideravelaente de soa saude. Damos-Ibes os
capochinbas agenciar na 1.a e V divlio dd parabene Mr* feliz vlagem, e que o governo em
exercite em epera?es a' favor do asylo de nval>/ aitencioaos boa servi^oe se Iembre de remove-io
A cmara municipal desta cidade tendo de
contratar a obra de sed 'pa^, faz,publico que o
plano d'esse edlflcroacb-se expcrsto'em sua secV-
tari por espado de 13 das, onde pode ser exami-
nado por aquelies que pretendrm concorrer a
arramatace, findo o qual sera* anounciado o dia
em que deve ir a praca semelhante obra; sob a
baze de 160:000* j offereclda por toda a obra de-
corada e prompia, aoaunciando-se lambem as con-
dicoes do contrato e sea pagamento : aqnelles qae
pretenderera licitar nessa arrematado deverao
mariir-se de fianza idnea que a garanta, sem o
qoe nSo podero ser admfttidos.
Paco da cmara municipal do Recife 14 de
agosto de 1867.Luiz Jos Pereira SimOes, pro-
presidente.Francisco Canuto da Boa-viagem, se-
cretario.
o gente Oliveira fara1 ietiao a refnerimenlo do
oeposaiario da dila massa e por mandado do illra.
rfL.L.,Q,I.es?ec,l ao commercio dsta cidade,
r^f2.Ll,eTeellen,.e bn,r de ftr WDOHfc
na mssma eonformidade, i secretaria el lirvato-
rio de roegno, estantes pira cartas a ouiros miste-
rej.eadelraadegnarnlcioe de bracos, laoarona
e 1 pregalcosa, repartimemos de amarell e ou-
tras roadeiras, armarlos, lavatorios, prateleiras de
196*000 pmho grande; e pequeas, marqneza, bancas de
Jacaranda, de anglco e outras, carteirai e grades
de amanllo, jarros para gea, lampees, eanAet-
ro a gaz, ca.-ticaes de metal com e sem rnaagae, 29
resmas de papel de peso e paYa copiar, 25 boroes
de tinta preta4 e ainl f/aw escrew. (rrensas, e
veneilKnas. 2 ma'ppas geograpbicos, aseada 4b pi-
nho, tiatelros e arieiros e diversidad de obtetios
miados
Sabba6 31 do corrale
tabeleclmemb. I rmt da Ooz n. 4.
,T- PIANO.
Um ptimo piano de pouco oso sera vendaj na
mesma occaslo.
1811000
AVISOS MARTIMOS
LEILVO
-a
rOSPANHIi PERMill lliM
DE
Navegaco costeira par vapor.
Parahiba, Natal, Maco, Aracaty, Cear e
Acarara'.
Segne no dia 30 do corren-
te pelas 5 horas da tarde um
dos vapores desta eompanhia.
Recebe carga at o dia 29,
pasfageiros, encomraennas e
dinheiro a frete at as 3 ho-
ras da tarde do dia da sabida : escriptorie no
Forte do Matos n. 1.
COMPMHIft PERNIMBUCANA
DK
Kavegaea costeira por vaper.
Maci e escalas e Penedo.
O vapor Ipojuca, commandante
Martins, segne para os portos ci-
ma no dia 29 do crreme pelas
i boras da tarde. Recebe car
ga at o dia 28, passageiros, en
commenas e dinheiro a frete at as 3 horas da
tarde de dia da sabida: eseriptorie no Forte do
Matos..o. 1. ----- ., .._ ..............
Sebeado 31 do corrent*, as 11 bcras, sera ven-
dido o sobrado de uta aodar.de n. 39 da roa Di-
reFU, cb5o proprlc, rend. 400*'nnoaIriAteV jftft
quintal e pho cm sabida para "a ra da Assott
ci, sera effcwadb r mesmo predio.
_____________ _________a _____________
AVISOS DIVERSOS.
i
0 flr.Jal Baplst GtfsaMgl"-
pode ser procurado a qaateoe'r tofa .eto
seu consultorio homeopathco largo da
, matriz de S. Aloni n. 2.
No mesmo c insaltorio tem sempre graoie sor
amento de medicamentos d homeopalhia de WV-
bere Catellan, tanto em globales como em tintura,
assim como tem om sortlmenio da forree de tt
rnrgia em carteiras e avulsos do afamado Cbar-
rler de Paris.
DECLARA50SS.
ii ii
Companiia americana e bra-
sileira de paqiletes a vapor
At o dia Io de settrmfSro esperado dos portos
do sol o vapor amerrabo IfoYfh Amrica, o qoal
depeis da demora do costme seguir' para New-
York tocando no Para' e S. Tnomaz, para frites e
passagens trata-se com-os agentes Henry Forster
& C rna do Trapiche n. 8.____________
COPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegaco costeira par vapor'
Para* Fernando de Noronha.
Segu n da de setembro
prbi>tnbj ao meio dia, o vapor
Mamanguape, commandante Cos-
ta. Recebe carga at o dia 3.
Eacommendas, passageiros e di-
nheiro a frete at 10 boras do dta da sabida : es-
crlplorio no Forte do Matos n. 1. _
Rio de Janeiro
Pretende sabir com muifa brevidad para o In-
dicado porteo veleiro patacho Goilbermina por
ter a maior parte de seu carregamento engajado,
para o resto que lhe falta e escravos a frete trata
se com o consignatario Joaquim Jos Goncalves
Dellrao, ruado Trapiche n. 17.


O bacbarel Francisco Machado Pedrosa convida
os seus paremos e amiros a irem na quinta-feira
29 do corrente palas 7 horas da manbaa a matriz
de Sito Antonio ouvir urna missa qae manda ce-
lebrar pelo repoas eteroo d'alma de saa'mtifto
presada mil a finada D. Candida Mara da PWfce-
ea Pedrosa.
Aodre. Avelino Sobreira de Mello, neto e fi-
lhos do nado advogado Jos Narciso Camello i
nhoradbplo mais sincero reconheclraento
por meta deste agridecer a todos Os amigos a
nado e dos msmos que se dignaram assistir eos
ltimos sufragios que se Qzeram ao tinado a os
convida a asslsUrem a missa do stimo dia que
tem logar quinia-feira 29'do.cotfute as 7 hi)ras
da mannSa no couyebto do Carme desta cidade.
artJiaiaitf.........aaiaaii*a^aaaaaaaaair
.'. Olor.', do *ip. Arch.*. do
UOI.'.
O abafzo assignado penhorado pelo mais sin-
cero recenbecimento vem por meio deste agrade-
cer a todos os Meran.-. da Aug. e Sub.-.
LoJ. Cap. Segr. e Amor da Ordem que se
d gnaram assistir aos ltimos saffragios que se B
zewm ao floado advogad) Jos Narciso Camello,
Memb.*. daquellaSob.-. Off.. e de novo os
convida a assistirera a missa do stimo dia quin-
tafeira 29 do correle as 7 horas da manhaa a
qual tem lugar no convento do Car rao desta cidade.
Aodr Avelino Sobririi de Mello : G.\ 3.-.
Companhia do Beberibe
A directora de9ta companhia faz publico
para conbecimento das pessoas a qoem in-
teresar, qa quinta feira 29 do corrente s
tres horas da tarde man Jar feixar o enca-
namento geral desta cidade em consequencia
de "SSK pdeP?,tr S.1gf 'Si? Man m Promp.
ficar suspenso
Para o Rio de Janeiro.
Para o Rio de Janeiro deve seguir o mais
breve possivel o patacho nacional Valent


peza
dos Pires: pelo que ficar suspenso o for-
necimento da mesma em todos os cbafanzes
e pennas d'agua desta cidade a partir da dita
hora; abrindo-se de novo" o encanamenlo
para os chafarizes e pennas d'agua no dia
seguinte 30 do corrente s 6 horas da ma-
nbaa.
O secretario
Dr. Prxedes Goales de Sonza Pitanga.
No dia 29 do corrente, depois de Anda a au-
diencia do Sr. Dr. jult de paz do i' dislricto da
Boa-vista, se ba de arrematar em a porta da soa
residencia no Corredor do Bispo as & boras da
tarde os objectos s^gointes : 6 cadeiras de ama-
relio no valor da 18&0O0, urna marqoeza de ma-
delra angico por i0090, urna mesa redonda de
amareilo por ti003, orna mesa dsps tornlados,
por 0,5000, um par de'lanternascom ps de me-
tal por 2,3000, cajos bens forana penhorados a
Francisca Lnciaha do Reg Calfsto, por ef PCd$So
de Antonio Constantino Monteiro.
' Parante o Jntzo municipal do termo de oTin-
da se ba de arrematar por venda no dia 31 do
corrnte, pelas 10 horas da manbaa, porta da
casa das audiencias, por ser a nllima praca, os
bens saguio/tes: nm sobrado de om andar por
1:600$060, dus casas terreas por 1:5005000 cada
urna, e ootra dita cora solio por 2:0005000, todas
sitas no pateo de S. Pedro Apostlo da mesma ci-
dade, e urna omra mais tambera terrea, sita na ra
das Cateadas da cidade do Recife por 2:500*600,
eertencentes ditos bens ao espolio do finado cene-
go Joo Baptista de Albuquerqae, tendo j Sido pu^
biieado por, este jornal.0 respecll vo edita!.
Santa Gasa de Mise icordia
ta para a que anda Ibe falta, e escravos a
frete, trata-se com respectivo capitao, ou
com os consignatarios Marques, Barros 4 C.
na praca do Corpo Smto n. 6 2" andar.
do Recife
para nma ontra eomarca de melbor cathgorla. I
Redfe 28 de agosto de 1867.
A Illnv junta administrativa da Sama Casado
Misericordia do Recife, na sala da suas sessoes,
petas 4 beras da larde do dia 29 do corrente, re-
cebe propostas pira contratar com quem por me-
nor prego fuer, a obra do encanamenlo d'agua pa-
ra 0 1* e 2o andares do hospital' Pedre II, a saber :
colloeaoao de- urna bomba patele com dous cylio-
dros, 3i2 palmos de canos grossos para coniluir
agua' ate e* "aSrtfo edificio"," rSir palmos "dO
faeeemes para o eslabelecimento de fcmaespar* as
lan-lnas, 9 torneiras, 1 deposito para comer a agua
condolida.
ideales para melhor escliretimento po-
ao* refer
PaitfeiM eatraets no vaper inght^Snue t 'Cambio sobre Porta
Weenniw*MirMit*eH, Cert-Baaerioetfier,
Margare! Drummond, JamesRanketn,
mlL
GOBOataaRGIO.
|T--..., ,.-. l
el._
HaasauVCsa.'
I seeretarina'Sanu
cifet3 de agosto' de li
i & n t
pkaCADO re
ACCSO
.
...'aditaraaV
moniem.;
Leadfee- W-tv'A0 3t4 a^kir

Gaobio jabre Looj
franco.
5- .TI
br.
ee-&ieeiq WI
M
taennmH
Prendeant)
.-ae (
4-
ttosplrafOd a'secreta-
re MsrtctJMii B-'
WiWtt,
ues o
''%*",
do Befer
para Porto.
Segne nesles oito dias o brigue portuguez Umao,
por ja' ter sua carga engajada, para o resto e pas-
sageiros^trata-se com os seas consignatarios Tbo-
maz de qaino Fonseca & C a roa do Vigario n.
19,1* andar.
Rio de Jan iro
Para o referido porto saTair mpreterlvelraecte
at o h'ra do correte mez o palbabote portuguez
Dezenove de Junho, qoem nelle quizer carregar
pode tratar cora o consignatario David Ferreira
Balear, roa do Brura n. 66 ou com o capitao a
bordo.
LSILOES.

LEInLAO

A socledade benedeente Segredo e Amor da Or-
dem convida a todos os seos membros para a mis-
sa de rquiem qae manda celebrar no convento
do Carmo desta cidade qninta-felra 29 do corren-
te mez, as 7 horas da manbaa em suffragio do fi-
nado advogado Jos Narciso Camello.
Jos C. Viegas,
i Secretario
mm
No dia 20 do correle useniou se da casa de
sua mai o menor Manoel, de idade 12 annos, par-
do, cabellos crespos ruivos, a olhos atues ; levou
vestido calca de riscado, camisa branca, paletoi de
riscado, chapeo de palba amarilla e sapatos de
tranca : pede-se a qaalqaer pessoa que o encon-
trar, leve-o a' casa de sua mi, ra da Matriz
n. 28.
0 agente Pontual vender* erJf leilio por taxi
de quem pertencer, os escravos segointer:
1 moleque pega de 10 annos, 1 raulatioho lindo
de 12 annos, 1 uegrinba d 10 arlaos, 1 moleqae
de 21 snnos, 2 negras, 1 mulata, e 2 negros sen-
do um da Costa
fffrJE
. No ano escripiorio a ra da Croa o. 62, 1*
dar, as II boras.
an-
e orna casa terrea com solea na roa das Per
narabacaeas (Gaponga) esquina da ra :da Amiza-
d'o's e de um terreno jumo 1 contando dito terreno
82 palmos de trente e90 ditos de fondo, sendo
que a casa tem 2o palmos de trente e o mesmo
fundo qoe o terreno inclusive ama meia agua,
rendando a eaea e meia agua 400 ananaes.
UnrsUm'oa estrada de J0S0 de Barros deronte
dd capetla, com casa de pedra e cal, 1 salas, 6
craartos, oslbrra fora e um quirt* pari pfetos, er>
pWr.'eteetW'aftorWos, t*rf*n proprio, tebdo na
rente 833 pafmos e 60 poueomals de fanfiti.
O agente Mariins fara' leilao dos predios cima
-no arlnazul da ra dolmperi'aor'fi. 16, as II ho^
ras do- da cima-
instituto Archeologico e teographico
Pernambucano
Haver sesso ordinaria qninta-feira, 29
do corrente agosto, pelas li horas da rna-
nha.
ORDEM DO DIA
Relatorios, pareceres e mais trabalhos de
commisses: .
Leitura de urna Memoria sobre o estabe-
lecimento, permanencia e extinccSo dos je-
sutas em Pernambuco, pelo Sr. Dr. F. M.
Rapozo de Alrneida, socio efectivo do ins-
titulo;
Leitura de varios doenmentos de valor
histrico, pelo Sr. major Salvador Henrique
de Albdquerque, socio efectivo do insti-
tuto.
Recife, 26 de agosto de 1867.
Jos Soares de Azevedo,
Secretario perptrio.
Preeisa-se d offictat eabeHeireiro
babeiro em casa de Gustavo : ra da Cadeia
do Recife p. 5;j.____________________
Precisa-se de um molqoe para distribuir
po, de o as 9 horas da mauhia : quem se acbar
oeste'tas 3 pod' diflgit-e a roa larga do Rosario
n. 16, qae achara' cora quem tratar.
Al lima
Miserfftrdla
nnjeerl'w suas sessRfes, vtoli 9 So crreme pe-
^ArV*iP'iorfM^ho,llda-tttila ^? ^ an*'ttaaaltnaa--a
wo/T js.715 .tt\ a. f^^ miis vanttgens oaereeer ai readas dos pre-
dios m seguida deelaraJo|r
1 Cada'teerw o. 4.......
rnm" dem ax17i >. i
.^ mrmfaanrar
aterfe*. li.......
1
O apene Pontual tora W**WvUi*J*
IsafMO- MK0> em letras e 1gestante em ma de "W
l9*** '- NoaeneaerfS ST6, !' aa
A



Ausenlou-se da casi de su'senbor, raa Imperial
n. M2 (aterVo dos Afogadfcs) a esc-ava Raymunda,
que representa ter ai anuo de Idade. bem preta,
altara regular, sena do eorpn, dente amados e
aivOs, pacha pela perna direlta apaado anda, tam
urna marca de talfio cima o olho eioerdo, e1 m-
timi-aa fo.va : roga-st. oorumo,ujmMM^
poficlUs pUesae campo ou .fl"1
sol a apprebensSo da mesma, e

.
lita casa
a tm snner' abiixo assrgitadp, satobteVco'mpeasado.. >e jl proiwu-se con-
tra aueta llvraetmfto.
^.ria PlabJ^
vaipa
cldadl
o pottagnez.

>;aodt
mosco
Juga-se
:-
QeflTl#i-ee os Srs. socios a emiWMeerem a
sesafliinraijrdiariie.aetera' lngat sabbalo 31
io corrente, pelas 6 i 2 boras da tarde.



II 1,11 f ir II I II I I

r
Urftft Hrifi -'flllla lelri* t1 ^-s

a.
i

.rii
PHOTOGRAPHIA
TIIEIIA
ROA DO CABUGA N. 18, ENTRADA PELO
PATEO DA MATRIZ.
0 nosso estabelecimento photographieo
est sempre em dia com todos os roelhora-
mentos e progressos qoe na America do
Norte, oa na Europa se consegue na arte
photographica, e para alcangarmos tal m
nunca poupamps despezas nem sacrificios,
de sorte que os nossos numerosos fregueses
podem ter a certeza de que sempre encon-
trarse em nosso estabelecimento todo quan-
to a arte e a moda offerecer de bom, no
novoe velhc mundo ios amantes da pbo-
tographia.
novidade photographica:
Acabamos de receber todo o necessario
para fazer retratos chamados carte-album.
Este genero de retratos ltimamente in-
ventado na America do Norte, rpidamente
se propagou na Inglaterra e Franca aonde
goza actualmente de todo o favor da moda.
A carte-album se faz por duzias como os
amigos carites dt mita.
Na Inglaterra trocaram o nome de carte-
album pelo de retrata-gaieria 6 os ingleses
usas eocaixilhar estes retratos em quadros
especiaes para com elles formar galeras,
com que ornam seus gabinetes. Recebe-
mos urna certa quantidade de taes quadros
os quaes cederemos "por barato preco ao.s
nossos freguezes.
As pessoas que quizerem ver specimens
dos retratos chamados carte-album, ja rei-
tos em nossa officina s5o convidados a visi-
tar o nosso estabelecimento.
0ART5ES DE VISITA A 90000 A DTJZIA.
Em consequencia do novo genero de re-
tratos chamados carte-album, diminuimos
o preco dos antigos cartes de visita, os
quaes de hoje em diante ficam reduzidos
ao preco de
oooo
pela primeira dozia, sem que por causa
desta diminuirlo de preco, deuemos de es-
merar-nos no nosso trabalho, como sempre
toi nosso costume. Alm disto, continua-
mos a dar os candes de, visita em cartes
de luxo, Bristol, ou porcelana, dourados ou
lithographados para o que temos urna varie-
dade de 12 modelos, a escolha de quem se
retratar.
t!r *VA 60M0 PnEVENCO.
Apezar do nosso trabalho ser muito co-
nhecido nesta cidade, aonde trabalbamos a
ti annos, com todo j oigamos de nosso de-
ver dizer hoje o seguinte:
Nos retratos feitos em nosso estabeleci-
mento emprega-se toda a cautela para of-
ferecer-se a par da belleza do trabalho, as
memores condices de duraejio. Doura-
mos e fizamos os nossos retratos sem olhar-
nios a economas, e ltimamente para lhes
podermos dar urna lavagem mais ampia
e segura, contratamos com a companhia de
Bebiribe nma penna d'agua. Os nossos
cartes de de visita sao verdadeiras photo-
grapbias, que nao preciso de retoques do
pintor para lhe desfarcarem os defeitos, e
convidamos a quem quizer a passar sobre
elles urna esponja molhada em agua, ou a
deixa-los mergulhados por espaco de horas
em agua, ou em espirito de vinbo: se apre-
sentarem alteraco serio recebidos por nos
e pagos pelo duplo do que tiverem cus-
tado.
Continuamos a fazer retratos por todos os
sistemas photographicos at hoje conheci-
dos em photographia. O nosso sortimento
de caixinbas, quadros, passe-par-tauts, e
joias de ouro para a collocacSo de retratos
o mais completo, variado e abundante que
existe nesta cidade.

:
-


Curso de preparatorios
Obaebarel Ernesto Adolpho de Vasconcellos
Chaves, residente na roa da Madre de Dos n. 36
(Recife) tem aberto em sua casa corsos dos se
cumies preparatorios:
Lingaa latina
(ranceza
Pbllosophla
Kecebe tambera alomos internos em pequeo
camero e sob condiccoes raroaveis. Pode ser pro
corado a qoalqoer hora do dia.
Trocam se
as notas do banco do Brasil e das calzas filiaes-
dom descont moito rasoavel, na praca da lnde,
oendencia n. 11.
Escrava para comprar
ou alugar
Precisase de nma escrava qoe cozinbe,por
compra ou alagoel: na roa da Cruz, armazem n.
10, das 10 horas da manhia as 4 da tarde.
Ama de leite
precisa-se na roa da Pona Velha casa n. 4, de-
fronte da serrana.
Lava-se e engomma-se com moita perfeico e
promptido; na roa dos Prea n. 3, taberna, se
dir' quem faz. Tambem se dir' qnem tem ama
eicellente escrava para ge alogar.
Para a festa
Gaiiberme Selte, alaga a casa com grande quin-
tal qoe esta acabando de construir na ra da S.
Miguel, nos Afogados Ionio a igreja : a fallar na
roa da Imperatrlz n. 45, t* andar.__________
0 Sr. Jos Marques da Costa Soares,
que mora na ra do Vigario, queira vir
esta typographia, a negocio que nao ig-
nora.
i
Attenco.
o
Ningoem contrate com o Sr. Carlos Antonio Ven-
der Linder a compra de ama distilacio no locar
Doas Barras, visto a mesma distilacio se acbar by-
poibeeada ao abaixo asslgnado desde 14 de feve-
reiro de 1865 (carlorio de Si); e para qoe pessoa
alguma se chame a ignernncia se faz o presente
aviso. Recife 28 de agosto de 1867.
OoUherme Jorge da Molla.
Cideia do Recife n.
comprara
No armazem da roa da
8 preclsa-se de nma boa eriada para
cozinhir, paga-se bem.
Perdeo-seamacarieiri com as letras iniciaes
de Bento Jos Domingas* coto a nanita de S63J,
sendo doas sdalas de 501, duas da 20#, doze de
101, nma de i* e orna de 1J, desde a casa do fi-
nado Gobson al a casa forte (lato no mnibus):
quem a acbar paga-se generosamente, a entregar
ao Manaainho. _
Continoa-se a cozinhar para fra coto aceio
e promptidio, com a vantagem de se mandar levar
as casas qoe quizerem : na' roa estreita do Ro-
sario n. 19, primelro andar por eima da loja de fu-
nileiro.
Gil Braz de Santilhana
Este inimiUvel romance de Leaa#e, tradu-
2do potMBooagvVend- par bro-.;
xura, e 50 encadernado: na livraria Econo- !
mica, ra do Crespo a. 2 defronte do arco
de Santo Antonio.
Na loja do sobrado n. 12 da roa da Impera-
triz se dir' quem vende por barato preco om car-
ro com vidraca (calexe) em mallo bom estado.
ODr. A. S, Pereira do Carmo (medico)
est morando no sobrado n. 12 da roa da
Imperatrlz.
Para o excellentissimo mi-
nistro da Justina ver.
O abaixo assignado detido na casa de de-
tenco desta cidade de Pernambuco ha tres
annos, e processado nos termos de Flores e
Buique, nao lhe tem sido permittido res-
ponder ao jury, nico meio de sua defeza,
como lhe faculta a constituido do Imperio;
tendo sido requistado pelos juizes daquellas
comarcas por mais de seis vezes. Chefe de
numerosa familia, e hoje sobrecarregado de
E>rejuizos inclusive suas despezas durante o
argo esdaco de tempo que tem absorvido, a
pouca fortuna que de seu trabalho possuia;
e protesla reclamar at ser attendido.
. Joio Manoel Frazao.

GAZEOL
DE
!
Burrin du Buisson
Liquida voltil preparada por Smllose, repro-
duziodo cblmicamente os vapores qoe se soltam
em volta do aparelbo purificado do gaz carbnico,
empregada com o mais seguro soccesso contrr
a coqoelocbe, a phlisica e todas as molestias chro-
nicas dos pulmoes
VENDE-SB NA
Bjlica e drogara
DI
Knrtholomen efc C.
34Roa larga do Rosario34
No Caes do Apollo n. 55, compra-se
urna escrava que tenha boa conducta e saiba
bem engommar; e um preto para servir
em um pequeo sitio; paga-se bem agra-
dando.
Quem achou
. Urna pnlseira de ooro, gosto antigo, com
as iniciaes gravadas no ceatro. C. F. S. C,
perdida nanoite de 25 do curente, desde o
toilette at sali do Club Commemal; faz
o favor de manda-la entregar (se quizer) aa
ra da Cruz n. 60, 1. andar que ser ge-
nerosamente recompensado ?
Far-se-ba este favor ?...____________
ATTENCO.
Os caradores fiscaes da massa fallida de Southall
Meilors & C, lazem scienle ao respeitavel publico,
qoe autorisados pelo jaiz do commerclo, elles
constitulram Eduard Bemfield seo procurador bas-
etani, para receber e passar quitaejio por qual-
quer qoantla devida a' mesma raassa.^
"^"Na raa'de Hortas n. T, loja, compram-se jor-
naes a i000 a arroba._____________________
Satisfeito o invencivel Veado IIrauco, comas maneiras attenciosas com que
roi acolbido pelo respeitavel publico desta briosa provincia, a ponto de que muitos a por-
fa desputaram a satisfago de serem os primeiros a comprarem em seu importante arma-
zem, se desvanece em declarar com toda a jaldado de que capaz, que est cada vez
mais animado, nao so pelo benigno acolhimento que tem recebido, como pelas forcas de
quedispoe porque at boje uSo careceu ainda dos preparados de jurubeba, nem do
xarope alcoolico de veame.
0 Vcado Brame, declara a quem ainda o nao conbece que nao um
desses bicharocos intrataveis que por abi vivem com figura humana; domesticado no
ameno paiz onde a amavel Aguia Branca vio a los do astro bemfeitor, elle partidario
desse invejavel agrado e snceridade que com tanta gravidade se desprende do seu
bico encantador.
0 Veado Branco, como lodo o bomem civilisado, ama a sociedade dos
nona, gosta do centro do mundo elegante, usa do tnico de Jayme, para previnir qoe lhe
ponham a calva ao sol, vai a companhia des Bouffes Parisiens e no meio do partido de
madame Adelle, elle tambem atira-lhe o seu lindo bouquet.
Digne-se o benigno leitor de jurar as palavras sinceras do sincero Veado
Branco, e venha provera sua dispensa do qoemelbor se pode encontrar n'um estabe-
cimento de molbados.
A modicidade dos precos, comparados com a boa qualidade dos gneros e o
bom modo com que se recebe os seuhores compradores, deve cortamente convidar as
pessoas que ainda nao vieram nossa casa a fazer parte dos amigos e freguezes |do nosso
BELLISSIMO 1RMAZEM
MOLHADOS
Kesiden cia eraj^itorio"
mico cirurgico
CONHECIDO PELO NOME
i".
DK
VEADO BRANCO
n so




Estabelecido ra Direita n. 16.
JEsqnliia da travesaa de 8. Pedro.
s
DO
Br. Anteiie Darte
wa praca da Boa-Visu n. 21 onde
pode ser procurado a qualquer hora.
Especial Idade
Doencas do peito, e de meninos. .
'"MI K
Gabinete medico cirurgico
DO
Dr. Ignacio Alcibiades Yellozo
Pode ser procurado a qoalqoer hora do dia cu
da norte preslando-se aos chamados Tora da cida-
de, com toda a promptidio. Pratlca qoalqoer ope-
racao. Oa' consultas das 6 as 9 horas da manba :
roa da Imperatrlz n. 86.____________________
O Sr. Jos Miioel de Sooza Maealbas qaei-
ra comparecer a' secretarla da Santa Casa da Mi-
sericordia, que se Ibe dessja tallar.

CASA DA FORTUNA.
Aos 6:000,5(000.
BHhetes garantidos
K RA DO CRESPO N. 23ECASAS DOCOSTDME
0 abaixo assignado tendeo nos seos moito fli-
tes bilhetes garantidos da lotera que se acaboo
de extrabir a beneficio da Santa Cata de Miseri-
cordia, os seguales premios :
m ?M!2 me, tota 80r,e de 8:CO0#.
N. 1069 om meio com a sorte de i:zO0.
N. 119 um molo eom a sorle de 5001.
E outras moltas sones de 100$, 40J e 20$.
Os pssoidores podem Tir receber seos respec-
tivos premios sem os descootos das leis na casa
da Fuona a roa do Crespo n. 23.
Acbam-se a venda os da 3* parte da I lotera
a beneflcio da igreja de Nossa Senbora da Concei-
ao dos Militares (35a
1 tdo crreme.


-
.

I
~
O abaixo assignado, morador no povoado dos
Montes, declara que nada deve nesta prca nem
no mato, a excepcao de 69S$0O0 a seo sogro o Sr.
Manoel de Souza Silva Serodie, por transaecao tej-
a nesta praga ; portanto qoem se jolgar sea ere-
dor aprsente soas contas no praso de 13 das, a
contar deste, e declara qoe seos beos achara-se Ja
desembarazados de qoalqoer onos. Recife 27 de
agosto de 1867.
Cleraentlno Accioly Lins.
Attengo.
Na roa estreita do Rosario n. 26 ha nma pessoa
qne lava e engomma com perfei?ao por mdico
prego e com moita presteza._________
Precisa se de orna ama para
pateo da ribeira n. 7, taberna^____
cozinbar : no
Trocam-se notas do banco do Brasil e
soas caixas liaes; na roa da Cadeia n. 81
de
HEL
Vende-se mel: tratar a ra do Apollo n. 4.
Precisa-se de nm caixelro de idade de 12 a
18 annos, e qoe seja portagoez: na roa das Cro-
zes n. 41.____________________________^_
i O abano assignado declara qae vendea a
soa taberna da roa do Nogoeira n. 29 ao Sr. An-
tonio Marques de Oliveira, livre e desembarazada
de debiios oo outros onos. Recife 26 de agosto
dei867- ... ,,
Francisco Pereira de Meirelles.
Gabinete f ortuguez de
Leitura
De ordem do lilm. Sr. presidente substituto do
conseibo deliberativo, convido aos Srs. conselhei-
ros a reuoirem se em sesso qointa-feira 29 do
corrente, as 6 horas da urde, aflm de ser empos
sado o novo conselho deliberativo,
Secretaria da conseibo deliberativo do Gabinete
Portagoez de Leitura aos 27 de agosto de 1897.
Jos Rlbeiro da Fonseca,
Secretario.
Retratos historeos,
Na PHOTOGRAPHIA VILLELA. a roa do Ca-
bog entrada reto pateo da matriz, encomram-se
os seguales retratos :
Do archiduque Maximiliano, ex-imperador do
Mxico. .
Da princeza Carlota, ex-lmperatrtz do Mxico.
De Jurez, ebefe da revolta, e qoe ordenoo o
(azilamento de Maxiliano.
Preco 800 reis. ______________
O Dr. Francisco de Paula Soares, medico
modoo se da ra Direita para a das Cinco Pona?,
n. 86, 2* andar, onde contina no exerciclo de
sna proQssao.
Precisa-se de nm escravo de meia idade, de boa
(ondacia e habilitado para lodo o servico de orna
casa de pooca familia; qoem tiver e quizer alagar
dirija-se a' ra da Aurora n. 702' andar.
Sabonetes de alcatro
O oso destes sabonetes tem apreseniado os mais
benficos effeitos contra as impingens, sarnas, li-
ona, caspa, comlcboes o.todas as demais molestias
de pelle
VNDESE NA
Botica e drogara
DI
Bartholomeu & c oaapanhla.
URaa larga > Rasario34
Ao Sr. capitao do 2* batalh3o de infamarla
Ignacio Pinto dos Santos Sases pede-se o favor da
se dirigir a roa do Imperador n. 18, aOm de con-
cluir negocios qoe o mesmo senbor Dio ignora
Igual favor pede-se ao Sr. Francisco Rodrigues dos
Santos Carioca.
Os abaixo assignados fazem scienle ao res-
peitavel publico e eom especialidade ao corpo do
commereio, qoe dissolverana amig: velmente no da
19 do corrente a sociedade qoe tinbam em om
armazem da carne secc na rita da Praia n 80, o
qoal gyrava sob a firma de Antonio da Silva Mai
& C.; julgam arta dever, mas se algoem se jol-
gar eredor, aprsente seos titolos legaet no praso
de tres dias. Recife 24 de agosto de 1867.
Antonio da Silva Mala.
K Domingos Francisco Alves Ferreira
A 17 do correnU fortaram do Foco da Pa-
ntlla na cavallo russo pombe, pande, capado,
magreiro, porem, bojodo, velho, andar de baixo
a malo, bom g^lopeaior, topa e ca as vezea das
miot do qoe tem slgoal nos joelbos, tem calos no
Mpinhaco, i ossndo, dinas e cauda bem compri-
das, pelo groco por ardar sempre no campo, i
moito conhecido no Recife e sea* arrebaldei, per
andar o sen done seapre nelle por estes logares e
j o postas a altos annos, dase boa graUOeacio
a qoem o descubrir oa o troaxer, nao se qoer sa-
ber qaem o fortoo, s se qoer bnvsr o cavallo.
Eustaquio Jos das Chagat no Poco da Panella.
Na Passagc m da Magdalena n. 24, precisa-se
de om boleeiro a tratar at as 9 da manba e das
3 da tarde em diante, on no pateo do Carmo n. II
casa de Gabriel Antonio. ______.
Fogo. do ar
No armazem da bola amarella no oito da se
cretaria da polica recebers-se encommendas de
fogo do ar para dentro o fora da provincia.
Attenco.
Desappareeeo na nolte do dia 28 do corrente, da
fabrica do gaz, nma canoa de carreira, julga-se
qae fra de rio abaixo por se ter partido a amar-
raco : a pessoa qae a tiver aebado queira ter a
bo&dade de leva-la i mesma fabrica, qoe sera'
generosamente gratificado.
Preelsa-se da qoantia de 2:300*000 a joros,
offereceodo-se bypolbeca em orna casa de pedra i
cal, cita em om dos melbores arrebaldes desta ca
pital a roa Direita n 19 i" andar.____________
Precisa se de om criado forro cu captivo
na roa estreita do Rosario o. 28.________^^^
Alloga-se oa escravo para copeiro de cata
de bomem solteiro no Corredor do Bispo n. 18 na,
mesma casa vende-se a banna especial de tirar
caspa e fazer nascer os cabellos mesmo cabido
por algoraa ferlda oo molestia._____________
Foi ronbado de casa do abaixo assig-
oado nm ebronometro ioglez de ouro oh
berto e todo liso, com orna pequea mola
ao lado para o abrir, tem mostrador, pon-
teiros e signaos de ouro, tem o n. 1,091,
de repetirlo o do abricante Freocb. Cbeap-
side, London, rogo aos Srs. relojoeiros e
oorives a quem fdr offerecido de o appre-
hender que saiisfarei qualquer despera.
Recife 28 de agosto de i867.
Luiz de Muaofomuter.
Pede-se a qoem forte* o cavallo rosso, de
Eostaqnio dot daa Cnagu no Poco da Panella no
da 17 de corrente, qnelh'o nuide entregar qne
ser graUfcaela, pagaada-ae o saesmo qoe pedera
aekar por elle, e fWMlM IM^^_r ^
s st qner nattr o wallo, aa lhe tu falta e pre-
cia deile.
'-* Na roa do pttefW* *i*e Wlar ao
8r. Pesaos, qoe es8ve na Parabyba hospedado no
boM do Sr. Liso.
Ama de leite
Precisa-se de urna ama qne tenba bastante
leite para amamentar nma crlanca : na ra
das Cruzes n. 44^___________________
~- Jos Fsrraz baltro, cordealmente ar*dece
ao ditiincto corpo acadmico as provas de sympa-
thia e dedicacao qne dea ao sao desafortunado fi-
Ibo Joaqnlm Ferraz Da Uro, morto no dia 14 do
corrente na Capoaga por oecaiiao de bantrar-se;
ao mesmo tempo convida ao cono acadmico para
assistir a orna mista qoe pretende mandar cele-
brar no trigsimo dia de san passaawnio na ma
trie da Boa-vista.
Mareouno de Sotua Travassos, hiveido peK
dido a sna caderneu de creder qoe i, da massa
de Amorim, Fragoso, Santos & C., avisa aos se-
nbore administradores que nio pagnem os divi-
dendos qoe Iba competir em rateio, senio a sna
propna pessoa, visto esur provando semelhante
perda no jotro competente.
MSLk
Precia-se de orna asan livre oo entrara qne co-
zinbe e compre para casa da nma. patjteaa
lia : a tratar na roa da Senzala-velha n. 84.
Alaia-se a padaria do Gaz da rea da Con-.
eerdla n. 6i: a tratar na roa Direita n. 99,
N. 2 D ^ N.2D,
^^ CORACAO DE OURO.
A loja n. 2 D intitulada Coracao de Ooro na rna do Caboga,aeba-se d'ora em diante offerecen
do ao respeiuvel poblico com especialidade as pessoas qoe bonram a moda os objectos do ultimo gos
to (a Paris) por menos SO por eenlo do que em eoira qoalqoer parle, garantindo-se a qualidade e a so
idez da obras. .
O respeiuvel poblico avaliando o desejo qoe deve ter o proprielarlo de am novo estabelecimen-
to qae qoer progresso em seu negocio deve chegar imrcediatamente ao coracao de ooro a comprar
aneis com perfeitos brilbantes, esmeraldas, rubios e peroia ; verdadeiras em agarras, modernas pel
diminuto pre^o de 10, brincos modernos de ouro e coral para menina pelo preco de 3$, maracas de
prata com cabos de marfim e madreperola obra de moderoo gosto (o que o enooatrarao no coraclo de
onro) voltas de ouro com a competente crasinba rieaineote eofeitada pelo pequeo preo de iti, brin-
cos de um trabalho perfeito por um mdico preco, cassoletas, iraoealms, polceiras, alnetes para re-
tratos e ontros modelos todo de alto gosto, aneis proprios, para botar cabello e firma, dito para casa-
mento, no rtico roseta tem o Coracao de Ooro nm completo e bem variado sortimento de diversos
goslos, butes para punhos com diamante, robins e esmeraldas, obra esta importante ja pelo seu va
lor ja' por gosto ds desenbo, brincos a forma da delicada mosloha de moca com piogente contendo es-
meraldas, rubins, brilbantes, peroles, o gesto sublime, alfinete para grvala no mesmo gosto, relo-
gios para senbora cravados de pedras preciosas, ditos para hornera, diversas obras de brilbantes de
moito gosto, crusinbas de rubins, esmeraldas, perolas e brilbantes, aneis com letras, escoletas ae
trystal e ouro descoberta para retrato (a inglesa) brincos de franja, ditos a imperatrize toda e qual-
qner jola, para secol'iocar retratos e obras de cabello, e outros muitos objectos que os pretendentes en-
contrarlo no Coracao de Ouro que se conserva com toda a amabilidade aos concorrentes deixanao-
se de aqu mencionar precos de certos objectos porque (desculpem a maneira de fallar) dlzendo-se
preco talvez alguem faca mao juizo da obra, por ser tao diminuta qoanUa a vista do seu valor.
Na mesma loja compra-se, troca-se ouro, prata e pedras preciosas, e lambem recebe se concer-
tos, por menos do que em outra qualquer parte, e do-se obras a amostra com penbor, conservando-ss
e Coracao de Onro aberto at as 8 horas da noile.
Qaalquer pessoa que se dirigir ao Coracao de Oaro oo se podera engaar com a casa, pois
nota se na soa freote om coracSo peodorado piotado de amarello, alem de ootro qae se noto em
rotulo (isto se adverte em consequencia de terem ja' algumas pessoas engaado com outra casa
I rv.co jyyr JSOrt gar, (ftr\ ,/ppo JjB*\

N: S ARa do CabagM. 8 A
Agostinho Jos dos Santos # C.
Acaba de ebegar a este estabelecimento um esplendido sortimento de
joias do ultimo gosto, perfeico artstica e modellos enteiramente no*os; como
seguem: aderecos com rubim, esmeraldas e perolas finas, pulceiras, broches
para retrato, anneis, botSes de punho, brincos e cassolelas com letras, etc..
etc., etc. Salvas de prata do Porto, faqueiros, paliteiros, calix de mesa c
fructeiras, cujos precos s5o incompetiveis, pois que os propietarios desta casa,
recebendo seos artigos directamente da Europa, podem servir vantajosamenta
aos seus freguezes. Compram-se brilbantes, pedras finas, ouro e prata, page
se bem, tambem se incumben de fazer concertos.
Sedulas do banco do Brasil
e suas caixas no Mara-
uho, Bahia, etc.
Trocam-se effeciivamente no sobrado da travessa
da ra da Concordia n. 13.
HK MKIW
>K No armazem de tintas roa do Impera- V
dor n. 23, vende-se
Salitre refinado arroba 6{5O0
Enxofre arroba 2*800
Attenco
p
Antonio Jos da Costa Araujo^erenle do estabe-
lecimento de Rernardo Alves Piobeiro, na ra lar-
ga do Rosario n. 17, las seiente aossenbores veade-
|h5es e ao publico em geral, qne tem nm grande
sortimento de ebarotos fabricados dos melbores fu-
mos vindos de conta propria, e por precos moito
baratos avista de sua boa qoalidade.
~ Na praca da IndependeneU n. 33, loja de
oaves, compra-se ooro, prata e pedras preciosas,
e tambem se faz qoalqoer obra de encommenda e
todo e qualquer concert.
Atten$o.
N. 25 Raa do Livnment N. 25
Deposito de umaneoe e calcado nacional da fa-
brica da rna do Jardim n. 19, de Jos Vicente Go-
diabo, tanto no deposito como na fabrica seapromp-
tam todas as por(5es de calcado o mais barato
pessivel, esto fabrica tem todas as machinas pro
prias para os calcados ja bem acreditados pelo
grande numero de freguezes qne daqnl se for-
eeem.
Precisare alogar nm moleqne on negra pa-
ra vender; na roa das Agoas Verdes o 40,8* andar.
Brasil Histrico
O primeiro nnmero do segundo anno desta Re-
visto acaba de ebegar; eom elle principia a po-
blicac2o da revoloeio de Pernambuco de marco de
1817. Assigna-se por 1S* por anno : na llvraria
rancea. roa do Crespo n. 9.
Preclsa-se alaear am moleqae oa am preto
qae enlenda de cozlnha e mais servico de casa :
na rna de Hortas n. 17, armazem. .
Na ra de Hortas a. l, 2* andar, precisa-se
A atoa amanara nma pessoa.
Preclw se alogar orna ama forra on eaptiva
qne saiba eosinbar e comprar: na roa dos Pires
on Caixa d'Agna n. 60.
on
SEGUROS
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e mobilias:
na rna do Vigario n. 4, pavimento terreo
THESOUKO MACONICO
Acabam de* ebegar EocadernacSo Pari-
siense, ra do" Imperador o. 71, as seguintes
publicacoes :
Le Monde Maconnique : Revista das lejas
de todos os ritos: riquissimo deposito das
maiores preciosidades maconicas, desde a
origem da ordem: centenares de discorsos
dos mais distinctos oradores da Europa e da
America nos diUereotes templos maconicos
de umi e outra parte do mundo : 9 volu-
ntes in 8..
Uma coixEcgAO de 15 Ritaes de todos os
ritos, para as ceremonias de recepejo, de
inaugurado, de estas equinoxiaa e solsti-
ciaes, de Banquetes, de pompas fnebres, etc.
Um cobwdob gebal completo, guia indis-
pensavel para todos os macons, tanto sim-
ples memoros da ordem, como autoridades
ou officiaes de templos.
Estas duas ultimas publicacoes em 3 gran-
des volumes in8..
Ao todo 12 volumes.
i') qne se extrahira* sabbado

tara ai

Pre$e>.
anheles.......... 6*000
Meios....:....... 3J080
Qnartos.......... ijsoo
pesseas qneeemprarem de 100,5000
paradoja.
Bilhetes.......... 5*500
Meios............ 27H)
Qnartos.......... 1J375
Manoel Martis Finia.
Os Srs. abaixo assignados queiram vir a ad-
mlnlstracao do correio geral desta cidade afim de
receber cartas qoe ibe sao dirigidas com recom-
mendaoio : Dr. Agesilio Pereira da Silva, Ale-
iandre Jos da Casta Valento, Adriano dos San-
tos Pereira, Anselmo Gaudino de Qoeiroz, Antonio
Jos de Soaza Carvalho, Antonio Leonardo Rodri-
gues (l), D. Cesarla Candida Nobre de Gusmio,
Domingos Rodrigues Guimaries, Francisco Joa-
enini Pereira (1), Francisco Cleto Tescano de Bri-
to, Jalio Cesar Pereira da Rocha: Jos de Asevedo
e Silva, Dr. Raymnodo Joio de MoraeiiBeftj, too-
maz do Santos ieterra. Conato deWrnambw
M de scaato eVlMT.________
-' Prett-ie almiar nma escrava qoe saiba ce-
sinbar a ew*niarpelo lempo de sois mezes: na
rna de S. Francisco n. Se.
-Monte-pio Portuguez.
A directora provisoria jalga conveniente pabM-
car os seguintos artigos dos estatutos :
Art. H. Sao deveres do socio :
Promover a entrada de socios e quaes-
qoer donativos a bem da associacio.
Art. 15. Os donativos oo servidos de certa
ordem prestados por subditos portugueses, sejam
oo nao socios, serao galardoados da maneira se-
gu o te :
I I. Com a qaallflcago de benfttores da so-
ciedade aos socios que offertarem quaotia nao in-
ferior a doremos mil reis, ou algum dooativo equi-
valente a essa importancia ; oo aogariarem pelo
menos trinta novos socios, em clrcumstancias de se-
rem admittidos, e que realisem o pagamento da
respectiva jola.
i 2.* Com a qaalfBcago de benemritos da so-
cudade aos que contriboirem com a somma de um
como de reis, oa aogariarem cem novos socios as
mesmas condicSes do paragrapbo antecedente.
Vejam-se mais os artigos 16,17, e 18 dos estatu-
tos, coneernentes a esta materia.
Em referencia a entrada de novos socios, a di-
rectora chama a attengo dos actoaas para o ar-
tigo 9 dos estatutos : para facilitar esto servico, a
mesma directora mandou Imprimir propostas cum
os competentes diteres, que poderlo ser pedidos ao
secretario da sociedade, a ra da Cruz n. 23, pri-
meiro andar, ou ao empregado externo, o Sr. Joo
Fernandes da Silva Oliveira.
A directora commuoica ainda aos senbores as-
sociados e a qaem mais tiver interesse em o saber,
qoe desde o principio do corrente anne, ha presta-
do soccorrosaos socios que os tem requistado, e
a elle se mostraram com direito, segundo os esta-
tutos, como de todo dar conta na prxima reunio
da assembla geral, sendo :
Soccorros a soeios desempregados.
Soceorros a soccios impossibililados de trabalbar
por doenca.
Soccorros a socios presos, cojo livramento con-
segulo.
Soceorros a socios que por doenca grave preci-
savara relirar-se para Portugal ou para entra loca
lidades.
Soccorros a viuva desvalida de um socio.
A directora provisoria pretende convocar a as-
sembla geral dos senbores associados para o se-
gundo domingo do mez de ootobro vindoaro, afim
de Ibe prestar contas da sua gerencia desde que
teve a honra de ser elelta, devendo ter lugar a
eleicao da aova directora, conseibo fiscal e com-
missdes de contas, no subsequente domingo do re-
ferido mez de ontubro, em conformidade com os
artigos 22 e 25 dos estatutos; e dar asslm por ter-
minada a sua mlssao.
Secretaria do Monle-plo Portuguez em Pernam-
buco, 20 de agosto de 1867.
Jos da Silva Loyo.
Presidente.
Joaquim Gerardo de Bastos.
____________ Secretarlo. _______
Attenco
A mesa regedora da irmandade de N. S. do Ro-
sario da fregoezia de Santo Antonio do Recife ten-
clona no mez de outubro prximo viodooro expOr
patente aos fiis a igreja da wesma senbora, e nes-
ta oceaslo celebrar as heneaos das santas ima-
gens e sinos por estar a rbra da dita igreja acaba-
da, em quanto ao essenclal, e o resto parausado
por falta de meios pecuniarios; por esse motivo
roga a mesma mesa regedora aos fiis nos coadjo-
vem com soas pas esmolas aflm de se poder dar
fira ao restante da mencionada obra.
Vctor Antonio do Sacramento Pessoa.
Escrivao.
Aluga-se uma casa no Barbalbo a margem
do rio defronte do Mooteiro, tendo dita casa 6 sa-
las e 8 qaartos, casa para prelos, estribarla, ter-
reno para se plantar, ter vaccas de leite e orna
peqoena baixa de caplm : qoem pretender dirl-
ja-se a rna Augosta casa terrea com portas d
ierro ao lado. ________^_______
Joaquim Jos Gongalyes
BelWo
RA DO TRAPICHE N. 17 Io ANDAR)
Sacea per todos os paqoeles sobre o Baoco
do Minti em Braga, e sobre os gaintes luga-
<; em Portugal.
aber:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Guimares.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Vina do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vtanna do Castelle.
Ponte do Lima.
Villa Real.
VIHa-Nova de Famellcio.
Lamego.*"
Lagos.
Covilbaa.
Vassal (Valpassos.)
Mlrandella.
Beja.
Barcenos.
ihia fidelidade de segaros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro;
OZITXXS KM PIRIUIOUCO
Antonio Lniz la Oliveira Aasveda & C,
cootpetezrtosaeate aotoriaados pela direc-
toria da oeeapaabia de seguros Pldelida-J
i de.tomam seguros de navtos, mercado-
i predios no sen esertntoria ma da
ceV: "
'
.*4Lttt



I
/
r
Dluu de peruime *nlntt fe Ira t o de Agorf de 10fe*m
MtTtI<

.(
*w
CAROBA
PREPARIDAA FRI
POR
COMPRAS
*** Al UST CAOBS
Pharmaceutico pela escola de Pars e successor nosta cidade
DI
Anshde Saisset e J. Soum
22.-----Bu da Cnu-----22.
Moedas de'ouro.
Nacionaes e wtfaogelras asslir corno 1 raras
esterlinas: eampram-se na roa do Crespo n. lo,
primclro ailar.__________.^_____
Compra-se moedas de ouro de 30$, 16*, 105
e 9* a ra da Cruz n. 3.____________
Moedas de prata
cienae?, assim como paiacdes portuguezes e
bespanbes, eompram-se com premio : Da roa do
Crespo n. 16, pnmeiro andar. .
Libras esterlinasc
Corapram-se com bom premio : na pra-a
dependencia n. 21
da lo


ii-fcii9 m I
mineral.
Tratamento paramente vegetal sem mercurio, iodo, ouro, nem oatro qaalqae
. '
Verdadeiro purificador do sangae sem azougae.
Especial para a cura de todas as molestias qae tem saa origem na impureza do
sangue, como sejam as molestias boubaticas, syphiliticas, escrophulosas, darthrosas, quer
venham ellas por hereditariedade, quer sejam adqueridas pelo contacto com pessoas in-
feccionadas dos diversos virus que conlaminm o sangue e os humores.
A caroba um remedio prodigio, [usado desde remotas eras pelos indios
do Brasil, e passando seu uso de geraco em gerac3o, boje um dos remedios mais co-
nhecidoscomo proprio para combater as molestias mais hediondas, entrando nesse nume-
ro a mprpha ou elephanliases, para cujo curativo os nossos sertanejos consideram a
caroba como remedio especifico.
A moito tempo entrou a caroba nos formularios como preparacSo magistral
sob a forma de eleictuario, ainda hoje lembrado as pharmacopas com o nome de sen
celebre autor JoSo Al ves Carne i ro : nao ella portante remedio novo nem desconhecido.
O ungento de caroba da mesma sorte preconisado desde lempos immemo-
riaciiComo o mais apropriado para o curativo das bonbas e ulceras syphiliticas srdidas,
e enfpregado com proveito depois de improfica applicaco de muitos outros agentes
therapeuticos- enrgicos e de uso quotidiano.
Mufos dos nossos mdicos de considerado e entre elles o muito distiocto pratico
e observador o Sr. Dr. Pedro d'Atbayde Lobo Moscoso, tem confirmado por meio de ex-
periencias repetidas, o que diz a fama das benficas propriedades da caroba no trata-
ment das boubas, das diversas formas sob que a syp'uilis se aprsenla e mnito especial-
mente as que teem sua sede na pelle, e poderiamos relatar alguns casos de data muito
moderna observados pelo mesmo Sr. Dr. Moscozo em que a caroba produzio admiraveis
efleitos, depois de inuteis e prolongadas applicacoes de salsaparrilha, mecurio, iodo, ou-
ro e seos preparados, etc., etc.
Nao era possivel que urna planta lv notavel por suas inappreciaveis virtudes es-
rapasse a perspicacia e investigacoes dos mais abatisados praticos europeos, que se ap-
plicam com especialldade ao estudo e tratamento das molestias syphiliticas e herpejicas
e para prova ahi esio os Srs. Drs. Casenave, Schurfer, Ricord e outros dando as mais
lisongeiras informaces sobre as propriedades curativas da caroba e preeonisando-a como
remedio poderossimo para o tratamento das erupces cutneas, seccas ou suppurativas,
darthros de todas a qualidade, ecemas, ulceras de diverras naturezas, tumores, osseos
e outras muitas molestias de natureza sypbilitica ou boubatica.
Por ter-se generalisado muito o uso da essencia da caroba qae ea pre-
paro e pelas instancias de varios mdicos que desejam continuar em suas observaces,
deliberei-me a ter prompta urna qoantidade da mesma essencia, obtida sem a acco do
ogo, para nao prejudicar as propriedades medicamentosas; e d'ora em diante encon-
trar-se-ha na minha pharmacia sempre e em porcSo suficiente para todos os pedidos a
ESSENCIA CONCENTRADA De CAROBA, e o ungento da mesma plenta para que nun-
ca fallem aos Srs. mdicos que quizerem esperimentar Uto precioso agente^medicinal.
Recife de Pornarabuco, 1T de outubro de 1866.
Atooste Caors.
Deposite geral de todos radjd so apeos
Botica e drogara
34Ra larga do Rozarte34
Uompram-sc escravos
Sil vino Guiluerme de Barro?, compra, vende e
roca efectivamente escravos de ambos os sexos
de todas as idades ; a' roa do Imperador n. 79,
e-rceiro andar._________________" ______
Pataces
Corapram-se pataces bespanhes, portogneies o
brasilelros la cnnho aoligo, em casa de Alamsoo,
Henry & C, roa do Trapiche-novo n. 40. .._
24$000
Compra-se na Ioja de joias do
a. 2 D, roa do Cabuga, moedas
coracSo de ouro
nacionaes de SOS
Ouro e prata em moeda
Compra-se por maior prego do que em outra
parte : na roa Nova n. 31, lo]a de ferragens.
ouro e prata
Moedas de ouro e prata nacionaes, estraogeiras
de todos os valores se compram na Ioja de ouri-
ves janto ao arco de Nossa Senbora da Conceico,
roa da Cadela do Recife, assim como onro e prata
em obras velbas, brilbantes, diamantes e se paga
bem.________________________________
Compra-se onro e praia em obras velbas :
na praca da Independescia g. 22.
Compram-se
com premio moedas de onro e de prata naclenaes
e estrangairas : na ra da Cadeia do Itecife n. 16,
armazem de Adriano. Cistro & C._____________
Antonio Jos Rodrigues de Soma precisa
comprar orna casa terrea qae custe de 1:600000
a l:90j : a tratar na ra do Crespo n. 15, ou na
roa Nova n. 5Q-
Compra-se sempre por mais do que em ou-
tra qualquer parte, prata brasileira e estrangeira
(pataces) libras esterlinas, moedas de 95 e 16*
portaguezas, de '*, 105 e 20S brasileiras, oncas
oa outra qualquer qualidade de onro, e se trocara
sdalas do banco do Brasil e caixas filiaes de ou-
tras provincias : oa roa da Cadeia do Recife n.
58, luja de azulejo.___________._!__.
Compra-se
cobre, lato e chumb) : no armazem da bola ama-
reila no oitaoda secretaria da polica.
Na roa do Crespo n. 13, 1* andar, compra-ie
um cofre de ferro que tenha bastante seguraos.
Ouro em moeda
Paga-se mais do qae em outra qualquer parte ;
na ra do Crespo o. 19, Ioja.
0\\\
Loja do (Mo Vigilante
DE

VENDAS
Mil
DE
NOSSA SEM0.4 DA eOMl(lO
Para edneacSo do sexo masculino
Director Manoel Alves Vianna

Piano,
Vndese um bom plano forte de tres cordas: a
tratarna roa da Imperatriz n. 60, loja.
" Hadelra de slcnplra.
Vendem-se 155 paos de slcnpira, qae se aebam
depositados no estaleiro do Sr. Joaqatm Antonio
Rodrigos, na raa do Bruro, onde podem ser exa-
minados pelos pretendemos; a tratar na travessa
da Madre de Dos n. 11.
No trapiche do Bario do Livramento
no Forte do Mattos n. 15, continua-se a
vender saccas com farinba de mandioca aos
precos de 3^500 a 50, sendo deste ultimo
preco, farinha muito especial, ella antes
que se acabe. ________^^^
Pallia
O collegio da Conceico, mudado altimamente para o Dairro de Santo An-
tonio, ra de S. Francisco, casa n. 72, contigua estago ceir al dos trilhos
urbanos dos Apipucos, contina a funcciooar regularmente, recebeodo alum-
nos externos e internos, tanto para as aulas primarias, como para todos os
preparatorios necessarios matricula de qualquer faculdade, sendo os seus
respectivos professores pessoas moralisadas e de um concito magistral j
bem Armado nesta cidade.
O director deste boto collegio contiuuando a empregar toda a solicitude no
v desempenho de seu mandato, espera fazer-se mais digno da confanca com
^^ qae o vio honrando os senbores pais de familia, conGando-lhe bondosamente
Os estatutos do collegio, assim como o franco iagresso em todas as suas
dependencias, estao sempre a disposicSo de quem possa interessar.
Na roa das Crozes n. 25, cenfronte padarla
vende-se palba para cadeira, a melbor que ba no
mercado, e mais barato que em outra qnalqner
parte.
m
fmmmmmffm
A NACIONAL
Companhia geral hespanhola de seguros sobre
a vida
AUT0R1SADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
BANQUEIROS DA COMPANHIA DffiECCO GERAL
Madrid: Roa de s. Agostinhe
anco de Ilespanha
n.lO
SHoaeSo da companhia em 15 de jnlho de 1866.
Apolices 19:700 Capital Rs. 127:1445670 ou moeda brasileira
Rs 12,714:4764000
A Nacional abraca toaas as conbinacSes do seguro do supervifencia e n'ella pode
fazer-se subscripcSi de modo que em nenhum caso se perca o capital imposto nemos lu-
cros correspondentes. .... ,
Umaafianca depositada'nos cofres doiesdo, garante a boa administraco da com
panhia. J .
Os fundos da companhia se invertam em titulo* do estado e se depositan no ban-
oc de Hespanha com intervenc5o do delegado do gowrno do conselho administrativo.
A companhia estranhatoda a empreza ou 5ospiculac5o perigosa,eos ttulos em
gue se invertem os fondos imp s na rmesma, no-se correo* o menor risco, pois estao
qaraatido* pelo governo, podeatonacoo da a tor puiiEOsd
^%.%1,\^

Vende se ama escrava moga perfeita cosinheira
boa enpemmadeira, para ver e tratar na rna Di-
reita n. 8<, 1* andar.
Ar.idos americanos
Samuel P. Jjbnfton C. tem para vender supe-
riores arados americanos: a ra da Sen'ala Nova
o. 42._________________________________
Fundicao dAurora em
Santo Amaro
Completo sortimento de talxas batidas e fundi-
das, alambiqaes de todos ee tamaoboi e fondos de
ditos, moendas de todos os tamanbos de superior
qualidade, crlvcs e boceas de fornalba. o qae tudo
se vende por commodo pre^o. _______
Poassa da Russia.
' Verdadeira potassa da Rossi*, em barrfs e meios
ditos, ebegada Diurnamente pela escuna prassiana
tVernus vende-se na raa do Trapiche n. 5 arma-
sem de L. J. Silva Golmares._______________
Vende-se um preto possante e moco : na rus
rna do Rangel o. 9, oa troca-se por nm qae sej
cozinheiro.______________________________
Vende-se um malatiabo de idade de 13 an-
uos. Jinda figura, bom copeiro, babitaado ao servido
de casa, sem vicios e bem educado : roa do Hos-
picio defronte da casa em que foi o gymnasto na
penltima casa unto ao canal; os pretendentes
podem ir vello das seis as nove boras da manba,
o das tres as seis da tarde.
Vende-se duas cabras com babelidades de
21 a 16 asnos, um moleqae de 7, um cabrinba de
8 e um mnlatinho de 11 : na roa do Fogo n. 9.
Veuiem-se dons calxllbos novos envidraba-
dos e dous portaea: na ra do Sebo o. 42.
POTASSA DA RUSSIA
A 200 rs. a libra,
de muito superior qualidade : vende-se no escrip-
torio de Ohveira, Filbos & C, largo do Corpo Sao-
too. 19; __________
Vende-se ama flauta de bano em bom esta-
4o; nesta typographia se dlra' gota vende.
Breu
Vende-se brea em barril e a retalbe, moito ba-
rato : oo armarem da bola amare! I a no oiuo da
gecreurla da polica. ______
|DE
VIGNES.
55. -RA DO IMPERADOR 51. 55.
Os piano* desuaota fabrica sao hoje asss conbecdos para qae sej a necessario insistir 8 obra
su toparioridade, vantagen* e garantas qoeolTerecem aos compradores, qoalidades astas incontestt
vals qaa alies tan deflnltivaaiente conquistado sobre todos oa qae toa appareeido nesta praca ; pos
Blindo am teclado aBacBiniamo aae obedecem todas as vonudes etaprichos das pianistas, sea
nnea ralbar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ultimamento elhoraaMatot Importa
*nm para e eltaa aeeta pala : qoaato s voiea, alo metodioaas e flautadas, e por mo mnito agrada-
aaia aaa oBvidae dm apr adadora. J
Faxem-se eooforma u enconmodas, tanto nesu fabrica aomo n do Ir. Blondal, de Paria, socio
aomspondente de J. Vina, em sala eapital *nm sempre premiados aat todas as expoaieSaa.
No meamo ttfeeleclaenlo se achara aempro no explendido e variado sorUmento de mnscas doa
albores autores da Europa, assim emo barmonlco ? pUnof baraoaieot, sasdo todo Tendido por
' urooaveii.
AVISO
f f V* i
ATTW6
No armazem de fazendas de
Santos Coelhotrua *do Quei-
madon' 19.
Gnimaresi Freitas
RA DO CRESPO N. 7. .
Os proprietarios deste bem conhecido es-
tabelecimento tendo em vistas a boa vontade
com qae toda generosa populacho desla beP
le cidade coocorre com a sua coadjuvafo
para o basar de prendas que costumam es-
tabelecer no dia da commemoracao do anni-
versario do Hospital Portuguez de Benefl-
cencia, cajo producto applicado a bem
daquelles qae baldos de recursos, e no Jeito
da dor ali procuram melhorar seus soffri-
meotos e aproximando-se o~da dessa gran-
diosa festa por isso apressam-se em avisar
ao respeitavel publico do que ba de mais
moderno em sea estabelecimento, alm dos
quaes tem variedade de, outros, que a serem
para um fim tao justo bs vederam por pre-
cos moi rasoaveis.
Riqoissimas caixas com msica con tendo
o necessario para costara, proprias para um
delicado presente.
Riquissimos livrinhos com capas de tar-
taruga para missa.
Riquissimo lbum com capa de tartaruga.
Porta joias, dedaes e relogios e nestb gos-
to orna iafnidade de objectos.
Vasos, calungas e palliteiros de porcelana.
Bonecas que chamam papai e mamSi.
Finissimos lencos de cambraias de linho
com disticos.
Gaixinbas com perfumaras.
.Bengalas de canna com lindos castes de
marflm.
Riquissimos enfeites com coques e sem
elle inteiramente novidade e ultima moda.
Lindissimos cintos para senboras.
Fivellas lindas de moito gosto.
Lindos porl-bouquet com cabo de madre-
perola proprios para casamentes e bailes.
Riquissimos leques de madreperola.
Lindos leques de sndalos para senhora.
Ditos de sndalos para meninas.
Ditos de sndalo tendo no centro um qua-
dro de seda, ultima moda.
Leques de faias muito lindos.
Ditos de os so 5.
Lindos pentes de tartaruga, massa e outras
muitas qualidades.
Luvas de jouvin, inteiramente novas, bran-
cas, pretas e de cores.
Ditas de seda.
Meias de seda e aigodSo.
; Lindas trancas pretas e de cores om ve-
drilho e sem elle, assim como lindissimas
guarnieres para enfeitai* basquines e botos
para os mesmos. .
Lindos indispensaveis para meninas das
escolas.
Bengallinbas para meninos.
Suspensorios para meninos.
Lindas touquinhas e sapatinbos ricamen-
te enieitados proprios para baptizados.
Meias de seda para o mesmo fim.
Muito boas escovas para dentes, chapeos-
roupa, cabellos, unbas e para limpar pentes.
Superior liabas para crochet.
Agulbas para o mesmo fim.
Lindos agulheiros e dedaes de madrepe-
rola e mar fim, assim como de metal.
Lindas guarnices de botes, para colotes,
pannos e colerinhos.
Ricas capellas para noivas.
Meias de seda para senhoras.
Superiores thesouras para unhas, costura
e cortar cabello, etc., etc.
Suspensorios de seda para bomem.
Ditos de algodao para homem e meninos.
Finos adereces pretos para luto.
Grande sortimento ae finas perfamarias
dos melhores fabricantes at hoje conhe-
cidos."
Grande sortimento de Otas de todas as
qualidades,
E muitos outros objectos que impossivel
seria menciona-los e que se encontrarlo na
loja do Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Vndese nm escravo crionlo com 20 annos de
idade, sadio e proprio para todo sertfc.3 : oo pri-
meiro andar da casa n. 81 da roa dos Pires qne
fas esquina para a roa do Sebo.
9
Cintos pretos
e de otras ctres. com franjas d vi-
drilhos braicos e pretos.
. A agnia branca, na roa do Qaelmado 8,.reaa*
bea d'eses modernos cintos de pontas, com iran-
ias de vidrilbos braceos e pretos ; dttpafefaar,
pois, o? pretndeme?, que acbarao sortlmeotoa
contento.
Rival sem segundo.
Ra da Quelmanon. 49.
Quer acabar com as fazendas abaiit
mencionadas.
Qoeiram vir ver qae bem e baratissims.
Toalhas de labvriotho com bico, faienda boa a
timo.
Carreteis de liona com 100 jardas a 30 rs.
Grvalas pretas e de coree moito Anas a 500 rs.
Caixas de ooreias de massa mnito novas a 40 rs.
infladores para espartilbo da cordao e flta a M
ris.
Carreteis de liaba Alezandre com 400 jardas a 10
ris.
Frasco de oleo babosa a 320 e 800 rs.
Ditos de dito bigieoiqae verdadeiros a lf 000.
Ditos dito falso a 800 rs.
Ditos de macacar peroia a 200 rs.
Jabonetes muito unos a 60, 160, 200 e 320 rs.
Ditos de bolla muito Anos a 240 e 320 rs.
Calzas para rap com booitas estampas a 100
Miadas de liona froxa para bordar a 20 rs.
Varas de cordao para espartilbo a 20 rs.
Pentes volteados para regacar cabello de menina
a 320.
Frascos de macaca' oleo moito fino, a 120 re.
Abotoaduras multo Bnas para cohetes a 509 re.
Cartdes de haba branca e de cores a 20 rs.
Libra de ara preta superior a 100 rs.
Escovas par tato, rateada boa, a 500 rs.
Varas de franja branca de linho para toaiba a
100 rs.
Pecas de bico estrelto com 20 varas mnito bonito a
1*000.
Varas de papafioa de diferentes largores a 120,
160e*rs.
Cazaa de palito bailo a 40 re.
Calzas da palitos de segnranca sem enebofre a
60 re.
Sibonetes de familia a 100, 160 e 240.
Grosas de botdes de madreperola para camisa a
500 re.
Carcas com soldados de chombo para meninos a
190 re.
Cartilba de doutrina cbrislaa a 320 rs
Latas com superior banba a 200 rs.
guadarns da papel pequeo superior a 20 rs.
osla de baraibo frenceaaa superior 2*.
j e barato
Cambraia de cores matisadas finissimas a
800 a vara... l#|#
dem brancas transparentes finas d i,
OOO, 65,7^1, 8J e 90000 a peca com 10
jardas.
dem branca tapada de $& e 90 a peca
com 12 Jardas.
dem branca franceza muito larga a 9$ a
peca com 8 varas.
Balues de 36 e 40 reos nesgados para
senboras, a 40500.
dem de 35 40 arcos com ferrogem a
20500.
dem de mursulina nesgados a 50.
dem de crochet a 50.
dem de mursulina para meninas a 30 e
30800.
Saias bordadas a 50.
Cambraias admascadas pira cortinado a
120 a peca com 20 varas.
dem para forro a 30 a peca com 10 jar-
das.
Cambraia de linbo muito fina de 60 e 90 a
vara.
Madapoles finos de 60, 70, 80, 90,100,
110 e 120 a peca.
Platilha de algodSo superior fazenda para
saias a 30200 a peca com 10 varas.
Cobertas de chitas de ramagem a 20600.
Lences de bamburgo fino a 20400.
dem de bramante muito fino a 30200.
Pannos adamascados para cobrir mesa a
40500.
Guardanapos de linbo adamascados a...
30500 a duzia.
Atualhado adamascado com 7 1/2 palmos
de largara a 20 a vara.
dem adamascado de linho com 7 1/2 pal-
mos de largura a 20 a vara.
Algodao enfestado com a mesma largura
a 10100 a vara.
dem trancado de algodao a 10600 a Tara.
Toalhas alcochoadas de linho usas a 110
a duzia.
dem de algodao felpudas a 130 e 140
a duzia.
Colchas de fustSo a 60000.
Retondes de preto a 60.
Chales de fil a 50.
Lencos de cambraia brancos finos a 10800,
20 e 20500 a duzia.
Lencos de cassa finissimos a 30200 e
30600 a duzia.
Fil de linho liso a 800 a vara.
dem com salpicos a 10000 a vara.
Grosdenaples preto bom a 10800 e 20
o covado.
Morantiqoe preto superior a 20800 o co-
vado.
Flanella de todas as cores a 800 rs. o co-
vado.
Tarlatana de todas as cores a 800 rs, a
vara.
Bramante de linho com 10 palmos de lar-
gura a 20500 a vara.
dem de linho com 5 palmos a 10200 a
vara.
dem de linho com 3 1/2 palmos a 800 a
vara.
Riquissimos basqnins a 250000.
Assim como outras muitas fazendas que
se vende por menos que em outra qualquer
parte, e d-se amostras de tudo,
PILITAS
Varopce vluho ferruginoso de
Jurubeba eom pyrophosphato
de ferro.
Cbloroee, anemia, escrfulas, racbitismo, blennor-
rbagia, leueorrba. febres intermitentes e ame-
norrna (menstruaco dolorosa e irregular)
etc., etc.
Ha mnito que tiobamos em vista assoclr o ferro
as nossas preparacSes de jurubeba ; mas levamos
tempo a experimentar qual a preparacao ferrogi-
oosa, qae mais conviria ao organismo humano,
vindo por fim a decidir nos pelo pvrophospbato
de ferro, com o qual podemos prepara r os nossos
xarope e viobo de jurubeba ferruginosos.
Temos a observar, porm, que o uso dos medi-
camentos de jurubeba com o pyrophosphato de
ferro nanea pode occasionar a pbtvsica as pes-
soas ainda as mais delicada;, como mnitas vezes
tem a-ontecido at a pessoas robustas, que se hao
servido do mesmo medicamento preparado com
outras substancias ferruginosas, por isso que o
pnospboro debalzo da forma de pyrophosphato,
om mel propbylatieo reconbecido infallivel con-
tra esta terrivel afecejio.
As preparaQes de jurubeba, a qae bavemos as-
sociado o pyrophosphato de ferro, sao mui prove-
tosas no tratamento das molestias das senboras,
laes como a colorse, anemia etc.
Estas molestias manifestam-se com os sympto
mas segoinies :Descoramento geral da peile e
das membranas mocosas, magreza, inrhacao das
faces e das pernas ; ezeitacao aervosa, bysteris
mo, melancola, debllidade muscular, dores ne-
vralgicas, pulso mais frequente do qae no estado
de sau.de, calor febril, pelle secca, appatites de-
pravados, vmitos, priso de ventre, menstruac2o
dolorosa. Irregular, pouco abundante, descorada,
nulla, flores brancas, amenorrbagia e iofecondl-
dade.
Dste estado espantoso, alias tio ordinariam'nte
reconbecido entre nos em erescldo numero d se-
nhoras, desapparece so com o prudente nso das
preparares cima.
nico deposito destes medicamentos:
pharmacia de J. A. Pinto, rna larga do Ro-
sario n. 10, em Pernambuco. ___
Novidade do Pavao.
Alpacas a 1280
Cbegaram as mais brilbantes alpacas de
seda para vestido, sendo neste genero o mais
bonito que lem vindo ao mercado tacto em
novidada de dezenbos como em flores, pois
urna nova fazenda que saconfunde perfei-
tamente com seda tendo entre ellas aigomas
todas brancas com os mais lindos lavrados
e vendem-se a 1280 reis, o covado, na loja
e armaiem do Pav5o, rea da Imperatriz n.
60. De Gsma & Silva.
Os casaqaiohes de pa va o
a 180, 200, 250 e 300.
Cbegaram os mais modernos casaquinhos
oa jaquetas de grs preto, ricamente enfei-
tadas, sendo uns com cintura e outros sol-
tos con'orme se usa ltimamente e vendem-se
pelos baratos precos de 180, 200, 250 e
300, na loja e armazem do Pav5o, rna da
Imperatriz n. 60. De Gama S Silva.
As alpacas do PavSo
para vestidos a 10.
Chegou um grande sortimento das mais
bonitas alpacas lavradas, de cores que se
vendem a 10 o covado, ditas a 800 reis,
ditas lizas de todas as cores a 640 reis, que
se vendem oa loja e armazem de Pav5o, roa
da Imperatriz n. eO. De Gama & Silva.
Vestidos brancos
a 40, s o PavSo.
Vendem-se bonitos cortes de vestidos de
cambraia branca com bonitas barras tendo
entre elles tambem com barra de cor e ven-
dem-se pelo barato preco de 40 cada um,
na loja e armazem do Pavao. ra da Impe-
ratriz n. 60. De Gama A Silva. .
< runde novidade
Vestidos a 60
si na loja de Pavie.
Se vendem os mais ricos cortes de organ-
dy branco com elegaDtes listas largas, pre
tas tendo 10 varas cada corle com os com-
petentes enfeitos para o corpo sendo neste
genero o que tem vindo de mais novo ao
mercado, pelo barato preco de 60, s na
loja e armazem do Pavao, ra da Imperj;riz
n. 60. De Gama & Silva.
GRANDE
Este esiabeleMmenlo acaba de recebar nudas
cbapeiinas para senbora, ricas caixiohas para cos-
taras, ditas para jotas, pentes dourados para coco,
(veas muito ricas, assim como cintos e pulseiras
da ultima moda de Pars, ntremelos e babadinbos,
bonitos toucadores dourados e de Jacaranda, espe-
Ibos escossezes de diversos tamanbos e ricos cani-
veter para senbora, voltas para pescoco, gravati-
nhas, bico de seda, dito de algodao, lit.yni.iho, e
muitos outros objectes de apurado gosto, que se
torna eofadonho mencionar, tudo por precos moi-
to commodos: a' ra da Imperatriz n. 70, na loja
da Lealdade._____________
Grande liqaitlaco de 'mstroiuentos de
msica de tedas as qoalidades.
50Ra Nova relojoeiro50
O dono querendo acabar com este artigo resel-
veu vendar todos os seos sortimenlos de instru-
mentos moito mais barato que as entras casas,
avista da fazenda e dos precos ningnem deixara
de comprar._____________
A Aguia Branca ra do Queimado n. 8,
recebeu de novo os seguintes objectos e
est vendendo-as por precos rasoaveis.
Modernas fivellas.
Modernas fivellas de madreperola, lavra-
das e lisas, guarnecidas com en'eites de
prata dourada, vendem-se na foja d'Aguia
Branca ra do Queimado n. 8.
Leques
todos de sndalo, outros todos de sndalo
com bonitos desenhos que representan*qua-
tro vista, outros de sndalo e seda, cutros
de faia tambem com desenhos que formam
quatro vistas; vendem-se na loja d'Aguia
Branca, ra do Queimado n. 8.
Luvas finas
de camursa, brancas e amarellas: vendem-
se na loja da Aguia Branca ra do Quei-
mado n. 8.
Latas com banba fina
vendem-se na loja da Aguia Branca, roa
do Queimado n 8.
Cbapeiinas modernas,
enfeites de flores, capellas finas para noivas,
ditas brancas e cor de rosa para meninas,
calxos e ramos de flores finas e botoes de
rosa de diversos tamanbos: na Aguia Bran-
ca ra do Queimado n. 8.
Meias finas para meninos.
A Aguia Branca ra do Queimado n. 8,
recebeu meias mui finas para menino.-, e
est vendendo as de cores a 50000 duzia,
brancas a 50500 e cruas a 60000.
Trangas de vidrilhos, brancas e pretas, lar-
gas e estreitas.
A Aguia Branca a ra do Queimado n. 8,
recebeu novo sortimento das trancas cima
ditas, e como sempre vende-as por precos
commodos.
Labyrinthos
Chegaram a roa do Crespo n. 8, esquina qne
volta para S. Francisco novos e lindissimos lencos
assim como riqoissimas fronbas de labyrlntbo do
Ceara', cojos objectos se vendem por meaos preco
do qne em outra qualquer parte._____________
Vendem-se dous methodos para apreoder a."
tocar piano dos maestros H. Rosellin e Heort
Her : quem precisar dirija-se a praca da Inde-
pendencia os. 13 e 1J qae all achara com quera
tratar. _________
Cal de Lisboa
Vene-se oo aroraxem de David Ferreira Bai-
lar roa do Bram o. 66.
Vende-se 6 bracas a 6 palmos de terreoo de
marinba em frente a roa do Alecrim cantados no
aliohamecto desta roa qae devaJcar a quem do
caes nrojeetado em continuacio da easa de deten-
cao para os Afogados, tendo de fondo tanto do la-
do do norte como do sul 50 bracas e 5 palmos
OQDiprehendldos nesta estcelo 6 bracas-ane deve
ser retfervada para dita rna : quem preteoder di-
rlja-se a raa Angosta cata pon oo portfo de
ierro ae lado.
5
Tendo de se liquidar a ioja de calcados france-
zes sita na roa do Imperador n. 38, previne-se ao
respeitavel poblico qae a mesma liqaidaco tera
somonte logar de segonda-feira JO do corrente mez
em diaote, e para se dar orna idea da baratez,
abaixo se traoscreve os precos:
Borzegoins de Mellier verdadeiros. 114000
DitoSozer dito........8#000
Dito do mesmo fabricante de diversas
qoalidades..........81000
Dito do fabricante Fanion e Lavergen .. 8000
Dito da diversas fabricantes de 5'0 a 7JO00
Sapatdes de Suier qne ea vendiam por
5J000 a........... 3*500
Borzegoins para menino de varios fabn- ,
cantes de Sf por .......... 3*000
Botinas para meninas idem idem a .. 3*500
Ditas para senhoras idem idem Jolly 3*500
Sapatoea para meninos de diversos fa-
bricantes.......... 3*000
Perfamarias do fabricante Labio e Piver, sorti-
mento variado de diversos extractos e agua da Co-
lonia. -
Camisas para bomem.
Bengala*, grvalas, cbarnteiras de mbar, pen-
tes de tartaruga de diversas qoalidades e mode-
los, emflm ama iaflnldade de artigos de laxo e
bom gosto. ..
Aos Srs, consumidores do
gz
A direccSe da empreza do gaz convida respet-
osamente aos Srs. consumidores qae por acaso
possam ter qaeizas por falta de gaz, oo oatro in
dooveniente qae possa sebrevir, qoeiram dirigir
suas reclamagoas ao escriptorio da empreza n. 31B'
rna do Imperador, aonde reoeberao immediaia,
prompta attenefo. _______._____________
Vendem-se dons burros mansos e de boa ra-
Si : para ver na ra da Roda coebeira de Jos
uarte e para tratar na rna do Crespo n. lf, pn-
meirj andar. .
._ ,^0_ Vende se
azeite de peixe mnito novo a 500 rs. a garrafa : n*
roa das Crozes n. 84. _________
""- Veode-se om aillo m aargau do i lo Capiba-
oibe : a tratar na 'na do Qaeimada n. s A.
osacco : no
4a Mona n?
Farinha de mandioca _
srmaxem de Candido Alberto Sodr
travessa da aladra da Peca n, la.
- Venae-ae m lerWnaj* ** %$
Principe, com 30 palmos tllftata **JJJ
tendTdbel-aguasde podra imi.**;ft,
modo : os pretendentes .pod*" ndSlr ,M
de Joto Fernaudes Vielra taaaman. 38.
-----CbocmUte ato 0et*rlere
purgativo de magnesia.
R' o chocolau de desbriere o melbor purgante
id asara cortaelda a de granda aceitaco em Pa-
r's. onde w i* mnito applicado no hospital
Hotel Dteo patea professores Trousseau e Pidoax
eom o melbor resaltado.
Por na acco laxante porga sem fatigar o esto-
mago e os intestinos, e apresenta ptimas resalla-
dos como dorivaUvo, abrvente, anitiverooso, et-
frescante e denorativo.
Deposito especial
34-Ra larga do Rsario-34
Botica de Bartholomec & G.

mmmmmtk
m


- .-
6
i**j9 4*r*iMmn~h**^wm.***Aw*k4+w*il+

RUA DAS CINCO PUNTAS N. 86
AO GRANDE AKMAZEM
DAS
ftlitl
Sempre barato
Manelga
Iogleza flor a l&, a libra e a 5oo rs. soffi-ivel e propria para tempero a dio rt m
dem fraoceza a 56o rs. a libra.
Cha
De primeira qaalidade a 208o e propro para negocio i6oe. a libra.
BhKWttos
Inglezes pearl, nic-nac, oval> acnel, e ootros superiores a \M< a lata.
A 24o reiaalibra.
fiNMMI
De milbo braaco a loo reis a libra, de aramia verdadeira propria paca alima
yggygjggSt fif to* C"4 UM Pr menS' 90mma d MaraBUftf h o Para e de albanew, lata, t* J
Chaealate
Superior i i/f, a libra. |
. de Bordeaux em caixa a duzia 50, carrafa 500, dito de 8Jr a dua, 800 a garrafa, dko a
de 2 Uhraatfil S ^ ^ ^ u* a dozi'' a ga^a&' t0 *> Po% k m, W, 240, caixas dednzia, assim
de 2 bbras a 5oo e 32o. ^^ flgueira canada 3^ e ^ pwQ j A A Lsfa0Jl ^
_ .. .... rene convida.

Eui latas a liJooo reis a libra, sortido em qaalidades.
(ras
America a 800 rs. a lata.
Baldes e Vassanras

:
1
-








Americanas a 800 reis cada peca.
T0eiabe
De Lisboa a 320 reis a libra.
Tomate*
Em latas a 600 rs.
sa!
Refinado em lindos postes por 5oo rs.
Hlrsks de Wasser
A 24ooo a garata.
Vermoath e Absswtho
A ifjpo a farrafa.
-HHtor
A l^ooo a garrafa.
De bordeaos superior, Saint Estepbe, Saint Julien, Saint Emie a 74oo a duzia
e G4o t&. a garrafa.
Ttaho
Do Porto fino a 14|ooo a duzia e Ifiooo a garrafa e magnifico tamben em. bar-
ril a 800 a garrafa.
Tiuque do Porto
Adamado e outras marcas a 9oo rs. a garrafa e lo# a duzia.
V Inho da Flgueira
O que ba de melhor a 45, a caada, de Lisboa a 35 e 45 a garrafa.
vinagre
De Lisboa a 2eo e 28o rs. a garrafa.
Farello de Lisboa
Saceos com 9o libras a 455oo,
Cerreja
Franceza em gigos de urna duzia a 65.
lagleza
Bass verdadeira a,.....t. e Victoria e Alssop a 5oe reisa

i
garrafa

INJECTION BROl
hr
.'uluni,kwdm,,..L
que esta i
sMhaaH
mmi iiiiiiiiiihihi
PREPARARES FRREAS-MANGAKICA
iPPROVADAS PILA iCADBMU DB HBDIClrU
DE BURIN D BUISSON
rhmatetfet, tetad* pela academia de It&iu de Para
O eminente profetsor Trcl'Ssbau, na ultima edicto de sea Tratad de Thera-
peuttea Maltria medica, recenhece qae os ferruginosos simples s8e muitas
vezes inefficaies para curar as molestias que teem por causa o empobrec menlo
do sangue. Muitos mdicos dos mais dislincos attribuem esse ra o xito aosencia,
n essas preparacoes, do manganese, que se acha no sangne, eomo o tem reconhecido
es chmeos os mais peritos, sempre intimamente unido cora o ferro.
E pois, prestar-seum verdadiro servico aos S*" Mdicos, oefcamar-se saa attencSa
sobre as preparacoes sepintes.
f
2

dando immediatamente nma agua, acidulada,
gazoza, agradavel, substituiado com vantaeem
econoua as aguas mineraes ferruginosas.
Plelas e Xarope de iodoreto de ferro e de mangan ese inaltcraveis
eontendo cada urna cinco centigramos de iodoreto de ferro manganico indicadas
particularmente as molestias Tymphaticas, escrofulosas, e as chamadas ete-
rosa* e tuberculosas. -
recetadas especialmente
ara a chlorosis, a ane-
mia, a leucorrhea, a ane-
norrhea. A indicacio de
Iqffla;
Ao mvOm pblico pernambncaBO pede-se
1)90M



A ttenco
Baoteiga ingtaa
320, 500,800 e 1.4 s do atmaiea se acha vista.
Masateiga franceza
em ltDras 560 e 640, si barris se far difierenca.
Baha de porco
em libras 320 e 380, em porcose fart fferenca.
Fructas
em calda Pera, Peeego, Rainba Claudia, Alperxe e oatras muitas 500 e 640 a lata.
ErrHhas
Portuguezas 640, francezas 000.
Faina

conwta de ilbo
era pacotes, dita da trra 100 e 200 a libra.
Yluho

PH4RMtCU
DE

convida.
em lata de 5 gatftes e mais pequeas a vontade do comprador, em garrafa-
Alpiste
UO e te 0, libra, para*) a OOalibxa.
em garrafas a 800 el*.
CHARUTOS
em caixa de 50 por l& ditos Delicias, T/ovadores e Parisienses em caixas de 400, d'Uos
da Exposicao caii.^ ditos de Regala caixas com 100 a 20500 e oatras maita* mareta
qpe s na presencados compradores.
PREZUNTOS
de Iamego em barril, ditos de fiambre o melhor que ba no mercado por prego qae faz
>mV" DOCEOEGOWBA
caixoes de 560 fino, ditos de 1 1500 que parece marmellada, dito em latas muito fina
qaalidade a 10200.
. BOCETAS
com doce secco a 15 e 20.
QUEOS






. .

do Alentejo em latas ebegado pelo vapor Oneida, ditos Flamengos e Pratos dos mais noves
que ha no mercado.
l^ AZEIXONAS _____"'.,______.
de elsa&como no mercado nao temos a 10 a lata, em barris do PortoTT* como n5o*ha
lew
O proprietario destes doos estabelecimen-
tos tendo maita fazenda em ser e desojando
Em liquidado.
liquidar para vender mais barato que pos-1 Q/ ende-se caicas
sivel na rna da Imperatriz loias e armazens! 8*f Pretas -,ta? .
Roupa feita nacional.
Vende-se calcas de casimira a 50, 60 e
arar 3' *' Prelas ^'ta8 ^e meia casimira a 10600
a Arara ns. 56 e 72 e %& ditas de brim pardo a 10600, 20400
iin^^.'.im,.,^^ -- ,, 3 e 20500; ditas brancas de linho a 30500,
Alpacas admascadas para vestios de senho- \ e J :'palUots de casim;ra preta e de co.
ras 5U e 720 rs. res a 5(J) 6^ 8# e i0#. ^mis de meia
Vende-se alpacas de assento branco com casimira a 30, 30500 e 40: palitots de al-
listas e flores lisa o admascadas proprias
para vestidos de senhoras a 500, 720 e 800
rs. o covado ra da Imperatriz.lojas da Ara-
ra, ns. 56 e 72.
Ditos 160 o covado.
Vende-se ditos em retalbos a 160 rs. o
covado, ditos em peca a 200 rs. o covado:
retalhos de caca preta a 120 o covado: re-
talbos de caca decores a 200,240, rs. o co- vara: roa da Imperatriz lojas da Arara ns.
vado: retalhos de lasiDhas a 160, 200 240 56 e 72.
rs. o covado: ra da Imperatriz lojas da
Arara ns. 56 e 72.
Brim pardo transado a 560 rs. a vara.
Vende-se brim pardo com peqneno toque
de mofo a 560, 640 rs. o covado: ra da
Imperatriz lojas ns. 56 e 72.
Lazinhas a 200 o covado.
Joaquim de Almeida Pinto
A jurubeba contra o ing&rgi
tamento do figado do bmgo.
Era extracto alcoollco, emplas-
tro, oleo, tintura, plalas,
HBUM e Ttaho
A jurubeba nma das substancias medi-
.30 e 30500 a qualidade carneo tosas que pertencem ao reino vege-
tal, e pertence a clasee dos tnicos e desobs-
truentes, sendo empregada com vaotagem
contara as febres intermitentes acompanhadas
de engorgitamento da Ogado e de baco.
tem sido applicada com incontestavel pro-
ve to contra a anemia ou chlorose, e hydro-
phesia, catharro da bexiga, e mesmo para
combater a menstruaejio difcil, resaltante
da mesma anemia ou chlorose. \
Deiisilos geras
Em Pernambuco, ra larga do Rosario
0. 10, Rio de Janeiro, pharmacia do Sr.
Deurado, Rio Grande do Sol, em casa dos
Srs, Cascao & C, Macei, pbarmacia do Sr.
Claudino, no Havre, pbarmacia de Mr. Ma-
rical, em Lisboa, na pbarmacia do Sr. Feij.
Sedas largas
A SX o covado
So 1 leja di Pava.
Vendem-sa moderaissimas sedas com largura
de chita franceza, sendo com padrees moderaos,
tendo entra ellas cores proprias para qoem est de
loto : vende-se pelo barato preco de 2 o covado :
e grande pecnincba : na loja e armazem do Pavo,
raa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cortes braacos
A 500 rs.
Vende-se bonitos cortes de camferaia branca com
bonitas barras bordadas e tendo tambera algons
com benitas barras de cores ; vndese pelo bara-
to preco de o, na loja e armazem do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Alpacas de cores
ASOOrs.
Cbeiaram as mais bonitas alpaes de cores para
vestidos com desenhos miados e graados, tendo
largara de chita franceza, e vende-se pelo barato
preco de 303 rs. cada eovado ; grande pecbin-
cha : na toja e armazem do Pavo, .roa, da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Bramante a 2?,
Vende-se superior bramante de linbo alvo com
16 palmos de largara, pelo barato preco de 21 a
vara : na loja e armazem do Pavo, ra da Impe-
ratriz o. 60, de Gama & Silva.
Algo Sao a vanada
Vende se pecas de algodo largo muito encorpa-
do, pele barato prego de 35500 a pe;a : na loja e
armazem do Pavo, raa da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Retalhos
Vende-se ama porcao de retalbos de cbitas e ca-
cas pretas, por prego barato, na loja e armazem do
Pavo, roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Sedas a 320 rs. o covado
Vende-se um bonito sortimento de sedas de listas
qae sempre se venderam par muito mais dfnleiro
e liqnidam-se pelo baratsimo preco de 320 rs. o
covado, s para acabar : na loja e armazem do Pa-
vo, roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
I
paca de cores e branca a 35300 e 45: palitots
de brim decores a 2^500, 3$ e 20: serou-
de algodSosinho de linho a 15600, 25,....
2#300: ra da Imperatriz lojas da Arara
ns. 56 e 72.
Orgaodis de cores a 640 rs. a vara.
Vende-se cassa orgaadis de cores a 640
e 720 a vara : talataoa de c&res a 800 rs. a
Francisco Jos 6ermann
IRA NOVA N. 21,
acjba da receber nm lindo e magnifico wr
timento de ocnJos, lelos, binocnlca, do al*
timo a mai| aparado 40*10 da Europa o ocn
tos de alcance aaraobajrrac5e8 e;pan o
martimos.
RIVAL SEN SEGIXD6
.4..i-j.-i4,..j.a.
Jos Bigoamho
Varas de babado bordado do Porto a 200 rs.
Carrctei de retro* preto com daas oitavas proprk.
para machinas a 800 rs.
Agolhas para machinas a 2JO0O.
Pntm frMeezes de todos os Umanbos a 2i0 rs.
Grozas te boioas de osso para calca a 200 rs.
aafmi moito Ins a 1*000.
Calzas com llnha superior para marcar a iO rs.
Carriteis de reteoz;de todas as coras a 80 rs.
Frasees d'agna de Colonia muito superior a 500 n
Frascos de oleo moito nao a 500 rs.
Pecas de tranca branca de caracol a 60 rs.
ana, de teaonra* pequeas a 480 rs.
Fraseos d'agna pan tratar denles a 500 rs.
Redes pretas lisas naca segurar cabello 320 rs.
pilo Dolas de Mimas de ac malte finas a 00 rs.
Calzas de liaba do gaz de 30 noveilos a 600 rs.
dem de palitos de seguraa a> rs.
Garrafa* de agua Fleiida verdadeira iJOCO.
Babados do Parto de todas as larguras e lodo ai
pregos.
S'laarlos cora estampas para meninos a 3 n
emento da roopa de l*ar 100 rs.
Duzias de meias moito finas pata, aenhora a 4.00
Agolhas francezas a balao (papel).a 60 rs.
Pe^as de fitas dfl taa de todas as cores a 600 r;.
Grozas de botSes de porcelana prateados a iOOr j
Caicas com alBneltes franeezes a 80 rs.
Caizas de 100 envelopes nreiio ana a SOO rs.
Resma, de papel de pea* brauso liso a ta.
Frasee com superior tinta a 100 rs.
Pares de botCer de punho moito bonitos 80
Linhas em carto de 260 jardas 100.
Caixa de superior llnha do gaz cora 80 mt*Um
700 rs.
Talheres para meninos 240 rs.
Masso com superiores grampos a 30Ts.
Grosas de pennas de a^o nratto-flims a 310 ra.
Bonets para meninos a til.
Pentes com costa de metal a 400 rs.
Realejos para meninos a 106 rs.
Madapolo a 4000 a peca.
Vende-se pecas de madapolo com 20 va-
ras a 40, S0, U, 70, 80 e 100: roa da
Imperatriz loja da Arara ns. 56 e 72.
Casimira emfestada a 40 o covado.
Vende-se casimira eofestada de doas lar*
YEHDADEIRO Lff R9T
1 ist
Rus do Soin
8i,
r-dMln
* PA1RIS.
Irtes de lactato de ferro e de maDganese
Plelas de carbonato frreo manganico
alternar estas duas preparaees di os memores resaltado*.
0 $ inrin dn Buitson desejando oktcr a adkealo compleu do pabilo medico i
cerca do valor de sau preparacoes, previa* qte ee a* pee gratnitamonto a su
dispotieae, dirigendo-se ; Jl_____..^..
No Pernambuct, a sea agente geral, Jffewre* O"-, pharmaceaeo*, raa lfovo.

nuniiiii
guras a 10, 10600 e 30 o covado panno fi-
no preto a 10600, 20, 20500, 30 e 40: rua
,iJS? wr.WSrWWlft* ^Se* da Imperatriz lojas daArara ns. 56 e 72.
nhora a i0> 3 e 40 rs-1 Algodaosinho a 30 e 40 a peca.
Vende-se algodaosinho a pecas.de 30, 40,
Rl MR) -;
Vende-se na pharmacia.de P. Manrer C., ra Nova.
.
---------
o covado : na roa da Imperatriz lojas da Ara-
ra n. 56 e.72.
Chitas francezas largas a 240 rs. o covado.
Vende-se chitas francezas largas a 240,
280, 320 e 400 rs. o covado: ra da Im-
peratriz lojas da Arara n. 56 e 72.
Mosambique a 400 rs. o covado.
Vende-se mosambique com palmas de se-
das para vestidos de senhoras, a 400 rs. o
covado: e vareja de listas para vestidos de
senhoras, a 280,320 rs. o covado.
Sedas escosseza com quadros para vestidos
de senhoras, a 280 320 rs. o covado: ra
da Imperatriz lojas da Arara ns, 56 e 72.
Arara vende as saias.30500.
Vende-se salas bordadas para senhora a
50, 60 e 70 a pega ra da Imperatriz lojas
da Arara ns. 56 e 72.
Bramante a 20100 a vara.
Vende-se bramante de 10 palmos de lar-
gura a 20400 e 20500 a vara: ra da Im-
peratriz lojas da Arara ns. 56 e 72.
Algodo enfestado a 10 a vara.
Vende-se algodo. enfestado/ de duas lar-
guras a 10 a vara dito transado 10280 a va-
ra: ra da Imperatriz lojas da Arara ns. 56
e 72.
Cassa franceza a 240 rs. o covado.
Vende-se cassas de cores para vestidos a
240, 280 e 320 o covado, vendes-se cortes
de cambraia de cores e com barras a 20500,
de arcos a 20, 20500 30 e 30500: roa da''
Imperatriz lojas da Arara ns. 56 b 72.
As sedas da Arara 10.

Imperatriz ns. 56 e 72.
Cortes de 15a de 14 covados a 30.
Vnde-se cortes de 13a para vestidos de
senhora com 14 covados o 30, 30500,, 40,
Variado sortimento de modernos chapeos e cbapelinas de seda, de fil e de palha de Ralla,
para sac'ijrae menina.
Superiores tiras, bordadinbose entre-melos bordados em cambraia tapida e transparente.
Na loja das columnas a roa do Crespo n. i 3
Antonio Correia de Vasconceljog fc Oompanhia.
-----------M"tnunmi
-
-
NOVO DEPOSITO
-



Vende-se sedas de quadrinhos e com lis- 40500 e 50, vende-se cortes de calcas para
tas a 10, 10200, 10600, 10800 e 20, o co-homem a 800, 10, 10200 e 10600, colari-
vado.: pupelinas de seda com palmas saltos 1 nhos de linho para hornera 400 e 5G0, ditos
para senhora a 106COe 10800, grosdenaples' de papel a 500 rs. a dozia, golinhas para
de cores a 10800 e 20, dito preto a 10600, j senhora a 200 e 320 fs. por estes prego na6
10800 e 20: rua da Imperatriz lojas. da Ara- lojas e armazens da Arara, rua da Impera-
ra ns. 56 e 72. triz ns. 56 e 72.
_____.
eup.
------------------:___

_

PR
el

.OJl
em?sm &B
OCAR ALGODO i^los^ii
KA i)ESCA4i
3-H^i>|jrltj|||._53
' ,-
Ift11 OllVAlfa fWm> ,I,n>! k did0 e nao ?tou CBrad0? Usei e abe!*OJh grande numero de waoi
VUYira UingBLS'" wod *b oynr-^ddiaaaeatoBauda.inaidoaatPs.-
t
- OitOt
D cpinsai tiaa
...... -
'.sel
Neste estaleecimanto, ge encoirt/arajQ a
?erdadeirifcFJaachinas .americanas.chegadas ultima-
mente, asqnaes sao feitas pelo mais afamado fa-
^iwaante da Araeriea, por isso avisa rtodas as pes-
8as que precisarem comprar, de so dirigir a este
estabelecimento que compraro das mais perfeitas
neste genero, assim como mais barato o
ootra oajqner-parte, -. por isso qw* *
coata fa^jr", ^" "mm naanng di rhna,
nhos paraimper.ajHllO, trMfi orWwntO
ragens 9 mitdezas ota groa*),* ajiotaiha
Fafan-*rfahn hTfmf^i^linin JHllilHi l-itjH
a duzia, limas-finas M to&awtiaaiaw proprias
oo trabalho deoscaltora.
r. ;..:;.;
muta***

-------
_______
e^pearssn
TRATAMENTO v CIIABLE, H PARS
Medico op..p!nl, con.uiracei., B, rn.'viMm* r
AVISO AOS DOENTES. SffJl
JO, i-u Vivlenw
m\V$? ****** **-
:
bu
*
8&C
canal "Jie tornar a dar sua c*g^.dnoparae*ar^eraeenen^i^oi
40.000 0dNTES CURADOS
verdadiro tratameato depuratiTo do mq(0< As kerpet ai mait MeMrl
pnw( sjaMmajrlVaA mlnha Powmad* um-iin
BANHOa
a aottala *as a* da fratia a*
a eoatea aatrcarufr, saa 10;
nriSSr
Wlo eiroa tot
lo. tomei Ctf-
Copahrt
o toda
formas em opia-
to. eapsulas,
toa/eitoa, tenbo
oeatoa*3o
Aviso agradavel.
Sonza Soares & IrmSo.
Rua Nova n. 28.
Vendem :
Linnas muito superiores em novellos sortida a
25U0 e 2^50.1 a libra.
Dita mais inerior a 100 e lo00.
Dita do gaz, preta, branca e de cores, em cai-
xas de 40- novellos, 800 reis.
Dita em caixas de 50 novellos, branca, a 7
reis.
Dita em caixas de 10 novellos grandes, a 540
reis.
Dita branca e preta, em canoas, a 160 reis a
datia.
Dita de Alexandre, carros 200 jardas, 1,5200
a duzia.
Dita em carros, com 80 jardas, a 360 reis a
duzia.
Agnlbas de fundo doarado muito fina?, oaixa
220 reis.
Ditas inglezas, sortidas, milheiro 700 reis.
Grampas com cabera de vidro, duzia a 160
reis.
Ditas lizas e crespas, maco 30 e 60 feis.
Colxete em caixinhas, duzia 640 reis.
Dito em carloes, duzia 600 e 900 res.
Espoletas verdadeira?, B B, caixa 100 reis.
AISnetes enj carias grandes a 140 reis.
Ditos em carta* menores, 100 res.
Ditos em caixas com meia libra, 320 res.
Botoes de madreperola para camisa, grosa 460
e 560reis.
Ditos da osso para calca, grosa 200 reis.
Ditos de lonca, grosa 160-e 220 reis.
Ditos de moedinba para pnnbos, a 1$600 reis
a duzia.
Pentes para alizar, dazia 1,5100, 2J200 e 3000
reis.
Ditos muito superiores para bixos, duzia 2000
reis.
Ditos para cc, dotia 1#500, i*S00, 2J400
3400 reis.
Pbosforos de cera muito superiores, duzia de
eaixinbas 320 res.
Baralbos franeezes omito Anos,- 200 reis.
Ditos portuguezes muito boos a 120 e ISO reis.
E-pelhos en quadro doarado a 130.
Trangas lizas e de caracol, pega a 40 SO e 60
reis.
Pila de la para debrnm, vara 100 reis.
Dita1 de algodo branca, peca 240 reis.
Dita de linbo, pega 40 reis.
Lia de todas as cores para bordar, libra 60000
reis:
Garante-se cineerrdade e baratissimos pregos
RA OVA N. 28.
Emradn garrafa, ral,
que lji ojnru nnrlr, um rW
ralba *!<' tiul
relioHB e mi.lo Iiil t>.
rk> u-jir ?m tu '\j,-
<*A rncr.
,v rt ......
trlid- m -i.ili.-Vl
ir A II 1 :: |,, w
l>r1'.T >. er'ta<
DOCTEUR-MDt
VET PHAR
\ o.-. .< .- -
Deposito na pbarmacia
C. em Pernambuco.
de P. Manrer
XAROPE DEPURATIVO
DE CASCA DE LARANAS AMARGAS
COM IODURETO DE P0TASS10
DE
I.P. Laroze.
pbarmacenlieo em Pris
Oiodnretodepotassio um verdadiro al-
terante, um depurador de incontestavel efi-
cacia; combinado com o xarope de casca de
laranjas amargas, aturado sem pertrjbacSo
alguma pelos temperamentos os mais fracos,
sem alterar as funeces do estomago. As do-
ses mathematicas que elle contera permittem
aos mdicos de receital-o para todas as com-
pleicSes, as affeccSes escrofulosas, tubercu-
losas, cancerosas e nos accidentes intermit-
ientes e terceiros; alm d'isso, o agente o
mais poderoso contra as docncas rheumaticas.
Deposito em todas as pharmacias e casas de
drogaras no Brasil.
Expedirles, em casa de J. P. Laroze, rae
des Lions-St-Panl, 2, Pars.
A' venda na pharmacia de P. Maurer 4.
C.*, rua Nova n. 25.
gUHO prmrrmpmimitafir
Ptaaraaacla especial horneo-^
pathlca do Dr. Sabino O.
li. Plnho.
Cb de Ia sorte para uso das
pessoas que se tratara homeopatbi-
camente. f
Vende-se em pacotes de libra a
30200 rs. j^^
Roa Nova n. 43.
naaaai
: Vende se na* linarias da rna do Imper.
A d. 73 (Acadmica) e n. 79 (do Rvm. Sr. paire
naci) e na da rna do Crespa n. b. 2 (o Sr.
Ideira) a obra Intitnlada'Prelecgo de DireRo
lpternacional,' com referencia, e appllclgo do
sens prlneiplos as leis partlenlares do Brasil, al
180^, pelo Dr. Antonio d11fa]jcoBcellos Mene*
Fafis, 36, Rua Vlvlenne. l>
CHABLEMEDEClKSPtCIAL
DAS B.NFEKS1HJAUAS DES SEXUAKS, AS FFBO
TAtiF.kSJJ '.TERACOES DO SANGUE.
~ 30.000 curas das impingem,
jmatnla herjie*, lar,
cnmixoes. acrimonia, e al*
lercoet, vicilas do sangui\
_ i-i*u. 9 a!tn-acor* do san.
Bue (Xarupe vegetal < mrmirio). Bepurotirac
*B>ik<- r.iviion iv>.vr-n.i.i toroao-e do
por semtna. sp^uindo o traciamcnto Depurativo .-
tmiTtP(tqnna rn-:naf mnlestia-i.
F.ap X-.T(>peCHractodef*rrt>
..'. l'.IUIII.K.'oiiraimmedia-
1 :i -iipm ii-|iialqnor jnmi/trao,
irlaxitciio, drl'iKiadi,
ll.llir.WhltM) t\*3tWlf)rn
rrnncax d< maillera*. SU 'iijoccon hngna tm-
4,-se C>R* Xartp^ d i'i'ficto ilt- f-Tro
UW>nM. hlftWOHHl* t* fcOH -ni Irf v dita.
POWlsa- ft'rTWEtfPttlCA
.-.Battrai:: r* i-V-.-ir, eWiKM"il soncroAi.
f 'HLOGAS VEGETAB DEPURATIVAS
- 1 laVtar cUilrito.ri innmnbM'di ill
AVISO AOS SRS. MDICOS.
-
irop du
'rsRfilT
n-n
coqueluches irritucti
nervosas sos dos bron-
cktoi e udas sa doencas
ito ptiio; hasta au iloentt
de Drommond. _
utCttfit'S
amertcanas
tnt* 11 '..i
**"*** Pbirmaciato,. d,
ti* Jjlarf itUk, .ir*, j.irop*- l>' Foaccr.
1. ll;.l>; rirr Varii. ru. tlilciM., av
A vend na pharmacia da P. Maurer p
0 C, em Pernamboco.
GAZ GAZ GAZ
Chegon ao anti
SO. nu ^dlm
rimelra qu'
retamo por
Fannlia
deposito de HtfJorater _
T, om carrefamento de g*t da
,0 qnal se vende em partidas
preen do erne-'em- wiiip qual
eraBWsWa*' ym
?edo &? o tea ecriptorio, rua da Crot a. 57.


---'tf;n.n
<
\
r
i
*
!
.
I
*
&
_
Ua^**ttltt I ll' frjaWg Mr. f^
1867.



1 i
)
""
rlllM**A

0 deposito central para as provmoaa
PeraamlHK, Aligoas, Parahyba e Rio-
Brande do Norte, destes remedios t*> &
voravelmente ooohecidos e acmhidna em
todas as partes da America do Sal e do
Norte, aeha-se em casa de Theed chr I
tlaaeen, 46 na a do Trapiche en
Os procos de
J30 por dona 4o ostraoto de salsa-parrltha.
li por dozia de peitoral de cereja.
170 pordozia de remedio para seaoes.
70 por daiia de pimas catharticas
M entendem ft dlahelro ft Ylsta, coa
o descont de 6 por cento em quantidadei
do 6 a 12 doas, e de 40 por cont em
quantidades soperiores a 12 dorias.
GRANDE SORTIMENTO
FAfcESTDS BARATA
TU
LOJA E ARMAZEM
DO
Leja
DAS
1......
A gula branea.
Antes de avisar soa boa freguetia de que de
vo ha receblde. val primeiro lrigfr eos cum-
BOVO
primelos e agraecineoto belo Viado branco
pelas maoeiras agrada veis com que elle a ba tratado.
e assim tmpnudo esse dever, deseja loe tambem
qne apar da eootinuaco de soa robustez tenba
ereseido augmente de bons frogneies, e mals que
com aquella hgeireu de qae dlepde-se litro-seda
poatana aquellas que a pretexto de amolra le-
vara os objectos, e pelas suas immeosas oecopaces
nao volum mals- ^^
Jn v, pois, o bello Viad braneo que a agola
aprecia o seo bondoso tratamento, e Ibe deseja um
feliz porvir. Assim dito e feilo, val a aguia bran-1 ^arisifl
ca satisfacer a soa boa fregoezia, pei obrigacao 2Li
em qae esta' de continuamente scieoiifica la do
qae de novo receben-, pelo qae avfsa-a, de qne aca-
ba de chegar para a toja digula branca, a raa do
Qoeimado n. ,8: o seguate :
Coqaes novos de linios e variados moldes.
Enfeites modernos e bonitos para senboras.
Cintos de postas eofeitados com vidrlbos.
Cordoas grossos, pretoa e de cores com vidrilbos
para eofeites de vestidos.
Trancas pretas e de ootras cores, larabem com vi-
drlbos para o raesmo fim.
Gnarnicoef pretas para basqaines, vestidos ele.
Trancas e galoes de seda para o mesma
Dita dita de lia e aigodo.
Fitas de velludo de cores, lisas e cbamalotadas.
Bicos de seda.
Alm do grande sortimento das melhores machinas, americanas pan descarrocar
algodao, de 40, 12,14,16, 18, 20, 22 23, 30, 35, 40 e 50, oeste estabelecimeoto se
encoatra mais o seguinte:
Azeite de espermacete propria para machi- Caixas com vidro sortidos.
oas. de todas as qnalidades.
Bombas de japyz.
dem americanas.
Ferros para engommar a vapor.
Vassooras americanas. 4
Baldes americanos para compras.
Tinas de madeira.
Ballaios e cestas de vergoinha.
Guarda comidas.
Peneiras d'arame para padarias e refinacoes*
Correntes para almanjarra.
Machados e lacras americanos.
Barricas com milho branco americano.
Vapores de forca de 3 a 4 cavallos.
Serras avalsas para machinas.
Mancaos o todos os mais pertence* para as
mesmas.
Carros de m5o para aterro.
Cylindro para padarias.
Debulhadores para milho.
Arados americanas.
Garrinhos proprios para armazens.
Moiohos para refinacao.
dem para m:Iho._
madeira americanas.
lia da taperatrii 6h
SE
CAMA SILVA.
. ^8 proprietarios deste grande estabelecimeoto acabam dereceber da Europa um
granae sortimento das melhores fazendas de 12a, linho, algodao e seda, as quaes vendem
por precos baratssimos, afim de apuraran dinheiro, dando de todas ellas amostras,
xmioo ficar om peohor o mandam-nas levar em casa das Exmas. familias pelos seos
caixeiros, assim como as pessoas qoe negociam em peqnena escala, neate estabelecimen-
10 comprarlo pelos mesmos precos qoo se compram as casas inglezas, ganhando-se
apenas o descont.
fe
latM
?tqoetas de lastre prcprtas pira eebertu s
carros, multo novas da melhor qoalrdade pos-
Mvel: vendem-se por precos razoaveis na roa da
Cadeiat.sex.
Fitas de borracha para cintos.




Ligas de seda para senboras e meninas.
Eotremeios e babadinoos bordados.
Golliobas e punhos bordados para senborai.
Collerlnbos para bomens.
Abotoadnras de diversas-qnalidades e presos para
coletes.
Ditas ditas ditas para pachos.
Bonitas correntas pretas para reloglos.
Aguia Branca a* roa do Qoeimado a. 8, re-
ceben :
Cai si olas com dous barataos fraocexes, de colo-
ridos Unos, entermeados com donrados, papel en-
cornado, lustroso e opaco, obra muilo boa.
Ditas om tentos de osso, marflm e madreperola
para voltarete.
Pentei de marflm com chapa e sem ella, para
impar caspas e tirar bichos.
Ditos finos d'osso e tartaruga para o mesmj
fim.
Ditos de osse baleia e tartaruga para desemba-
razar. <
Ditos, de ditas dita para barba.
Ocnlos de peneira para quem soffre da vista.
Outros de differentes graos e cores, com arma-
coes d'aco fino.
Outros tambem de armacao fina, vidraca de co-
res.
Lonetos oa pincenez com armacSo e aro, b-
talo e tartaruga, vidro* brancos e de cores.
Eovelopes peqnenoi bordados.
Dito ditos opacos e grandes para officios. >
' Frasquinbos com superior tinla carmim.
Stereoscopos e vistas.
Acabale ehegar um nevo sortimento e eonti'
nuam a serem vendidos por precos eommodos.
Meias
Pretas de lia e laia para padres.
Brancas de 13a para bomens e senhoras.
Ditas de borracha para quem soffre insa^io as
per as.
Barretos ou carapucas brancas de algodao.
Essencia de ail, e bolas de dito para en-
gommado.
Vdoem-se na loja d'agaia branca, na raa do
Qoeimado n. 8, sendo a essencia em frasquinbos a
500 rs., e as bolas a 6 rs.
Lencos de cambraia brancos e de cores com
barras de cores fixas
J nao a primeira vez qne a aguia branca ven-
de desses lencos da marca BBB, isto bous, bo-
nitos e baratos, por isso approveitem Ddos essa
nova occasio de se proverom desses sempre pre-
cisos lencos, coja commodidade de prego anima a
fazer-se gasto ; custam elles 3J600 a duzia, e os
pequeos para-meninos a 800 rs. a dozia. Quem
se dirigir a loja d'aguia branca na ra do Quei-
mado n. 8, conbecera' qne taes lenc.es tem as qna-
lidades cima ditas.
Novo sortimento de- albuns de 50 a 200
retratos.
Vendem-se sempre por preeos eommodos; na
ra do Queimado, ioja d'aguia branca n. 8.
Bolas de Borracha para forln-
incdos.
Vendam se na roa do Queimado loja da agnia
branca n. 8.
Carretela de retroz para ma-
ehioas.
Vendem-se na roa do Qoeimado loja da aguia
branca n. 8.
Papel paquete.
Vende se na roa do Queimado loja da agnia
ranea n. 8.
l'Kll I
Armazem de fazendas finas para grandes toiletts e uso
ordinario para todas as classes.

..... i

ra do Crespo a, V A. esquina da do Imperador
a ira
:


Na ra do Trapich n 16.
acham-sevs stauintes devositot
DeR.BrBBiughausemNiiits.
Bourcoene.
Vinbo Pommard tinto.
Cortn tinto.
Santo Georges tinto. mu
Cnarabertw tinto.
Ricbebonrg tinto.
Clos de Vougeot tln o.
Chablis branco.
BeI.l;WtefcPrtcftrt
Bheno.
Geisenheimer.
>
i
i
>

Lebfraomtlch.
Marcobruouer.
iiiii ii ,ni. ,
Em casa de Tneod Cbristiansen, ra do Tra
Mche-novo n. 16, nico agente no norte do HrMl
, d Brandenburg frres, Bbrdeanx, etitmn-t*
*,T*E?1llelepostto dos'arifgos senil tes:
Cbatean Loville. tup'
Chatean Marganz.
Grand vin CbatMtn Laflanifiurjds &0
Cbatean LaiUe. W"
Hant Saoternes.
ieL ckoq
t
Chatean Sauternes.
CbateauLataorBlatcbe.
Chatean Yqown.
Cogc em tres qnallia
Aaeitedoce. Precos da
191 iti
lina
DE
Custodio los Al ves Guiarles.
O proprietario deste importante estabelecimeoto avisa ao respeitavel puklico
e aos seas amigos e fregnezes qoe acaba d receber peto vapor francez Guienne, di-
versos artigos de moda, os (Juaes sao de completa novidade para este mercado, e apro-
ximando-se o dia da commemoracao do anniversario do Hospital Portuguez, por isso
apre3sa-se em vir avisa-Ios do qne ha de mais moderno em seu estabelecimento, como
sejam:
Riquissimas chapelinas com coque. 1 Luvas de Jourin preta, branca e de cores.
Ditas sem elle. I Lindos cortes de 15a com barra.
Lindas chapeljnas de palha da Italia. (Re-fl Riqoiasimos cortas deHransparent dese-
commendarse muito estas chapelinas por se- da para vestido de senhorastambem novi-
rem inteiramente novidade).
Riquissimos cintos de seda, com matames
chineza, nltima moda.
Lindas saias de la com bordados, proprias
para as excellentissimas senhoras trazerem
por cima do balito, nltima moda em Paris.
Lindos cortes de seda para vestidos.
Moireantiqne branco, aznl epreto, fazen-
da inteiramente nova.
Grosdenapoles de todas as cores.
Ditos pretos.
Leqaes de madreperola.
Ditos todos de sndalos.
Ditos de sndalo tendo no centro um qua-
dro de seda, inteiramente novidade e ulti-
ma moda.
Chapeos de sol para senhora.
Ligas de seda para senhora.
Ditas para meninas.
.
Espartilhos para senhora.
Riquissimos enfeites para senhoras, mtei-
ramente novidade.
Bales para senhoras e meninas.
Tooquinhas ricamente enfeitadas.
Coeiros bordados.
Toalhas de labyrirftho moito ricas.
Ricas1 fronaas de labyrtnto.
Riquissimos longos de dito.
Rendas, lricos da trra e grades para lencos.
Um rico lencol de labyrintos.
Riqoissnnas basquines de seda preta, bor-
dadas com gosto.

dade.
Lindos cortes de 15 com listas de seda.
Riquissimas fivellas para cintos.
Fil de seda e de linhe.
Riquissimas camisinbas para senhora.
Riquissimas saias bordadas.
Punhos e gollinhas para senhora.
Riquissimos manteletes de cores, inteira-
meme novidade.
Peitos de linho bordados com gosto pro-
prios para camisas de noivos.
Collarinhos de linho lisos e bordados pira
homens.
Lindos veos e mantas de blonds.
Riquissimas vestimentas para baptisados
contendo chapeosiobo, sapatinho, meiasinha
e camisinha com lindos bordados.
Riquissimos chales de toquim.
Grvalas de seda branca para noiva.
Ditas de cambraia de linho com bordados
as pontas, novidade.
Chapeos deso de seda com castao de
marSm.
Ditos de outras qualidades.
Chales de seda.
Ditos de cachemira.
Chapeos de seda preta para homem.
Ditos de phantasia para homem.
Casemira preta.muito fina
Ditas de cores inteiramente no
Gambraias, las, chitas, madapoloes e ou-
tros muitos-objectos.


0 dono deste importantissimo estabelecimento contina aoloavavel proposite de
querer vender muito e ganhar nouco,.sujeitandosea tirar em snas mercadorias um lucro
rasoavet, para assim poder memor agradar aos seus numerososfrogueaes

-i
m i<)
criiJiiqmor)
DE FAZENDAS DE AUGUSTO PORTO l C.
11Ra do Queima^:11
Une ; mt
Juqmo Porto A C. acabam de receber da Europa superiores cortes de seda de cores pira
bailes e casamentes.
Ricos corles de blond com manta e capella^pafl nerta*. at Cortinados bordados para camas de noivas e janeflas de H a mt cada na.
,
Collas de seda e ostras de lia e seda o qu* ta de milbor pava camas de noivas.
/UaltMataadeorecbparacadeirase soia, epavujo a smitam para lenboras, eamisiabas
com manguitos bordados e lindos eachoves para baptisades, e baldee 4 asnsseima
senhoras" e meninas. P .' '*'.
Luvas de pellica para homem e senhoras e soperiores chapeos de sol de todas as qaahdaes.
Laa para vestidos beratlsstaia bonitos padrees o covado a 380.
v i :$ipnCHi.|rindeipra sola, ditos para piano, ditos para cima e pequeos para porUs e janeilat.
Moir brinca e preto sjperior pira vestidos de litaos atanbos, groeenaple de todas as odres
seda d ouadrinbos, cambraias brancas da mniu qaaWidw;ditas de eos e liadas percales.
~-isrruines de seda preta ultima rcoda, ebates e retoniw de ipare, vsndese barato,
camisas para bomens franceta's e nflelas de I libo e de alfodBe finas e seronlas de linho so-
_.i i i .trfo'i.'cn 1
Capas de borracha, sobretodos a perOiris'M nielWefnBaaieteletnt^ ftiw obeiveo |. ,
Malas grandes para vlagens, tfl pqttbia* MBl M ameM OMO. M
ofiqo c tWwiala brinoepo 4lafgw*s a SJWOO i vara, panMrpwm eane, casaanira pntas e a* u,
CMiBint pretas eafestadas a { 6o.
Mfa, |j* do Pavio vndese superior casemira
estada preta para calcas e paletos pelo barato
preco de !50Q 0 covado ou a S800 cada c rte
ae calca, fliu muito mals fina, covado a 2200
oo o corte a 3#S00, ditas muito finas sem serem
entestadas 11*800, JOOO e 2*500 cada covado :
- J$ ahnaiem d Pa'So na ra da Imperalrii
n. 60 de Gama Silva.
Espartilhos.
Vendem-se magnficos espartllbes franceies
ingieres na loja e armazem do Pavao, na ra da
imperitriz n. 60. de Gama <5 Silva.
PANNOS DE CHROCHE'.
v ende-se um grande sortimento dos mais bonl-
k*pw,bos de ebroch8 proprios para oadeh-aa, se-
pnas, cadeira? de balanco, para almofadas e pira
cobrir presentes, e vendem-se por precos biratos
**'3a armazem do Pavao, rna da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
FAZENDAS PARA LUTO.
Luja flft Pavao.
Venffe-se setim da China prelo sendo nma fa-
zenda mnilo leve e sem lustro com 6 palmos de
largura proprio para vestidos e ronpas para ho-
mem pelo barato preco de 2*000 o eovado meri-
no preto entestado muito bom a 1*600, superiores
bombazinas pretas a 1*600, 1*800 e 2*000 rs. o
covado, superior cantao a 1*200, lanzlnha preta
lisa a 4C0 e 500 rs. o covado, nm grande sorti-
mento de alpacas e princezas pretas qne se ven-
dem mais barato que em otra qualqoer parte, na
loja e armazem do Pavao, roa da Imperatriz, n
60,e d Gama & Silva.
As 10 mil varas de cambraias
Covado 300 rs. vara 800 rs.
f o pavao
Vendem-se finissim cambraias france-
zas eom listras miada,, e graadas e com
lindos desechos de flo"es e palmas, sendo
todas com as cores mais modernas e mais
lindas que tem vindo ao mercado, pelo ba-
rato preco de 300 rs. o covado ou a 500 a
vara, grande pechincba altendendo a
grande porreo que tem, senao seria para
mnilo mais dinheiro : isto na loja e armazem
do PavSo, roa da imperatriz n. 60 de Gama
Silva.
Chales baratos
2f, 3#S00, 0 e 74(000.
Vendem-se chales de merino estampados
a 2?, ditos lisos a 3500, ditos estampados
finos a #>00, 6& 6o00, ditos crepon
com listras de seda a 70500 e 8)5000,
pechicha : na loja e armazem do Pav3o
ruu da Imperatriz n. 60 de Gama e Silva.
Votos vestidos a 6$000.
Na loja do Pavao.
Chegaram os mais modernos e bonitos cortes
de organdys para vestidos, tendo 10 varas c da
corte, sendo 7 varas listadas para salas e 3 varas
sem listas, mas com enfeite para o corpo (ou ca-
saqninbo) garnteseneste genero ser o mais mo-
derno qne tem vindo ao mercado, tendo entre el-
les muitos brancos eom listas e enfeites pretos, e
vendem-se pelo barato preco de 6*, nicamente
no armazem do Pavio rna Oa Imperatriz n. 0, de
Gama & Silva.
Para camal de noivas.
Vende o Pav5o.
Ricos cortinados bordados a 8*000,10*. 16*,
20* e 30* o par ; assim como os mesmos tambem
servem para janeas; ditos adamascados a 10* e
12*; bonitas pecas de cassas adamascadas para o
mesoo effello; bonitos damascos de la de nma
e dpas larguras, proprios para colchas, assim oo- do 2i jardas cada nma pelos baratos precos de
ojo bonitas colchas de croch : tugo isto se vende 6*, 6*506, 7* e 8*, ditos francezes fazenda muito
mais barato do que em autra qualquer parte, na soperier em pecas ou a retalbo, algodao multo en-

vestidos ae tantazia a 60 e 8*.
Vendem-se bonites cortes de vestidos de
fantazia com lindas barras e enfeites de seda
pelo baratissimo preco de 6# e 8f na loja
e armazem do PavSo ra da Imperatriz n.
60. De Gama & Silva.
Pannos de linho.
Vende-se superior panno de linho puro
para lences e ceroulas a 640, 7C0 e 800
reis, a vara na loja e armazem do Pavao ra
da Imperatriz n. 60. De Gama & Silva. ..,
Bramante de linho a 20 20400, MfiOOrefrf^E?*50; ..S5 o .simples, quecom-
a vara. | Preende-se fcilmente a maneira do traba-
Vende-se soperior bramante de linho'?e a Pateado praticade coser emma-
com 10 palmos de largura proprios para ? LP fazerPor diaoseivico que fa-
leoces, pelo barato preco de U, 20400 e i Ci3?hZ costoreiras.
280O reis a vara, na loja e armazem do' ,ama"^f. ale estabelecimento a atten-
Pavio rna da Imperatriz n. 60. De Gama Publico, visto que elle se acha com-
GRANDE BAZAR
ra Nova n. 20 e 22
Machinas pa'a costura do autor Wheeler
i Wilson, chegadas ltimamente da Ame-
rica; as qoaes pode cozer-se com duus
pespontos, toda e qualquer faienda, emft-
mnar, frangir, bordar e marcar roopa; tudo

Algodosinho enfestado a 10 10290 reis a
vara.
Vendem-se superior algodSosinho ameri-
cano enfestado que a largora delle d a lar*
gara do lencol, sendo liso a vara a 10 e sen-
do trancado a 10280 na loja e armazem do
PavSo roa da Imperatriz n. 60. De Gama
Suva.
Punhos e goHnbas a 10000 o par,
SO 0 Pav3o.
Vende-se nm grande sortimento dos mais
bonitos e modernos punhos com golinhas,
sendo de esgoiao de linho bordados a 10000
o par, ricos manguitos com gollinhas de
cambraia tapada e transparente a 20000 o
par, E' pechincha ; na loja e armazem do
Pavo roa da Imperatriz n 60 de Gama A
Silra.
Calcinhas pera meninas a 640 e
800 ris.
Vende-se calcinhas bordadas para meninas
que andam na escola pelos baratos precos
de 640 e 80Ors., manguitos para as mes-
mas e para senhoras pelos mesmos precos,
na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60,
de Gama A Silva.
Baldes de cauda.
Vendem-se as mals modernas crinolinas on ba-
loes proprios para vestidos de cauda, sendo os
melbores e mais modernos que tem viudo ao mer-
cado e por precos muito razoaveis : na loja e ar-.
mazem do Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
E/aas transparentes.
Chegaram as mais modernas barejes on ISasi-
nbas 'transparentes com bonitas listas de sede,
vendem-se na loja e armazem do Pavo rna da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Casaqnlnhos para senhora
Chegaram os mais modernos casaqoiBbos on ja-
qaetas pretas ricamente enfeitadas sendo com cin-
tura e sem ella, pelos precos mais mdicos que em
ontra qnalqoer parte : se vendem oa loja e arma
zem do Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Balos a 28. 5oo e 9$.
Vndese nm grande sortimento de crinolinas
on baldes de arcos para senhora pelos baratos
prejos de 2*, 2*500 e 3* por baver grande por-
gao : na 'oja e armazem do Pavio ra da Impera-
triz n. 60, de Gama & Silva.
ladapolo e algodao
Vendem-se superiores pegas de madapolo ten-
pletamente sonido de" objectos de gosto
como bem leques de madreperola e de san-
aaio, Hvelas, fitas para cinto, cokes perfu-
mara e etc,
Na ra nova n. 20 e 22. Carceiro Viao-
na & C.
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
t Silva.
Orgaudy a 1OOO.
Vendem-se bonitos cortes de organdy
sendo com listras todas brancas ou com lis-
tras de cores tendo orto varas cada corte,
pelo barato preco de 40, pechincba: na
loja e armazem do Pavo raa da Imperatriz
n. 60 de Gama e Silva.
Atoalaados para meza a^20OOO, 20500 e
30000.
Vende-se superior atoalbado de linho
adamascado alvo com 8 palmos de largura a
30 a vara; dito adamascado pardo a 20500
rs.; dito alvo de algodao a 20000 rs.; dito
trancado alvo, sem ser adamascado a 10600;
guardanapos econmicos pardos a 30 a du-
zia ; ditos alvos a 30500 e 40000: isto na
loja e armazem do Pavo rna da Imperatriz
v ATTBWCAO.
Vendem-se-as casas terreas ns. 7 e 9 da roa de
Motoeolomb, tende cada urna 2 salas, 3 cuartos,
cozona fra, cacimba, e nm pequeo quintal mu
rado e chaos proprios: a t atar com, o agente Mar-
tins, rna do Imperador n. 16.
fabrica
na
CERVEJA NACIONAL
De llenrique LeiVn
O proprietario deste estabelecimento n5o
poupando esforcos nem dinheiro para agra-
dar ao respeitavel publico e seas numerosos
freguezes acaba de installar para commodi-
dade e interesse dos mesmos.
m deposito g ral oa raa da Impera-
friz n. 32
Aonde encoatraro sempre nm variado
sortimento quer em grosso quer em relamo
dos gneros segnintes :
Cerveja nacional branca e preta.
Vinhos finos e outros de Franca A
manha.
Ab?yntho Snisso.
Kerschenwasser.
Cognac.
Vinagre branco e tinto de superior qua-
lidade, tambem tem deposito de agoa e li-
monada gazoza da fabrica do Sr. Jules Gros-
jean.
outros de Franca e Alie-




n. 60 de Gama Silva.
Casaquinhos de fil.
Vende-se os mais modernos casaquinhos
oo basquinas de fil preto pelo barato pr-
Co de 100, chales e retondas de renda preta
na loja e armazem do Pav5o ra da Impe-
ratriz n. 60. De Gama & Silva.
Cambraias largas com 8 Palmos de largura a
corpado pecas com 20 jardas a 3*500, C* e 6*100,
dito muito uno que serve at para camisas a 8* :
na loja e armazem do Pavo rna da Imperatrli n.
60, de Gama & Silva._________________
VENDE-SE
Motores americanos para dons eavallos.
Dito dito paraqoatro eavaflos.
Machinas para descarocar algodao de 14, 16,
18, 50 30, 33 e 40 serras.
Prencas para enfardar algodao fazendo os sac-
eos com 6 palmos de comprimento com o peso de
150 e 200 libras, viudas ltimamente da America
no armazem de Henry Forster & C, no cae Pe
dro II n. 2 jnnto ae Gabinete Portnguez.
Collares Royer magnticos
Medalnas e pnlseiras magnticas.
A Agota Branca receben nova remessa dos pro-
veltosos collares Royer magnticos, ja snmmamen-
te conheeldo8 para preservar as eo&vukoee e faci-
litar a deaticao das crtancas.
Com esses otis collares elctricos magnticos
tambem nao peqWnas qnantidades de maiatbas
e pnlseiras eleetrleas magnticas coja otiliade
tem sido aproveKad por qnem soffre do nervoso
hypoeondieo, tremoregnas mios et& ;
Assim como os collares Royer esto geralmente
conhecidos e acreditados palos efflcazes effeitos e
bons resoltados que tem colbido as pessoas qne
E tudo sem differenca no preco que se
fechou na fabrica.
Qualqner encommenda que fr enviada
ao deposito ser immediatamente aprom-
toda e remetlida ao domicilio do comprador.
- Fugio na noile de 25 do correte e>crava
crloula, Benedicta, natural desta provinca, de
45 anuos, foi comprada a Jos Josquim Lopes Pe-
reira Guimaraes, em Janeiro de 1866, morador em
Tigipl, esta preta venda p3o, agua e lavava roo-
pa ; tem o signaes saguintes: altura regular, cor
fula, alguns cabellos brancos, olbos pequeos e
brancos, nariz chato, bocea grande com fal;a de
denles, rosto curto, ps cbato metiendo para dentro
qoando anda : quem a pegar leve a ra da Con-
cordia n. 40, qae sera' recompensado.
Escravos fgidos
t 1280.

Vende-se cambraias largas da Escocia ten-
do 8 palmos de largara que falicita fazer-se
um vestido apenas com 4 varas pelo bara-
to prego de l$e 1280reis a vara pechi
chana loa e armazem do PavSo ra da Im-
peratiz n. 60. D G ima A Silva.
delesiem meo; Mm umbem chegaran^a ga-
nbar tio alta Mpolaco essas apreclavels madaito
e pnlseiras magnticas, nma vez qoe
farseestendendeatodesqoeiMaiiMcessitem^A 1 aratlcafo
Agola Branea contina a receber por todos es va- 9"/*^
ores francezes urna determinada qaantidade des-
ses sempre preciso' o estimados collares Rojr
magnticos e per hwo qu na lemtoranca e todt
otaros" teirlo eensiwtemeute e dMata|o
Ajtafa- Branca, rna do Qnetoado a.-8.
Cambraias escocezas tapadas e transparentes.
'J^jEMide-se um magnifico sortimento de fi-
nissiMas cambraias brancas para vestidos
d arcos para tendo mais de vara de largura pelos precos
de *0& 120, 13|, assim como nm grande
Itl'fifcn^.fle ditas mais abafio de 40, S0,
ftK$P"8JI# gafanlBdo-se aos comprado-
res qu* neste geaero nao podero comprar
melhor enoutra qoalqner partee s Mio-
ja do PavSo rna da Imperatriz n. 60. De
Aos m
Sannders Brothers di C ac
UJerpooi vaporea de fer
todos os pertenees e ffl
nt machinas de desi___________
la vapor trabalbar ate ea* efcFanwafc imM
servem para enfardar algodio oa para oniro qtui-
Ser servico em qne ntao trabalbar com nlmas.
mesmos tambem tea a Vm mtchras ame-
ricanas de 35 a 40 serras : os pretendenles dlrl-
>m-n ae larga Gorpo Santo n. 11. -^
Vapores,
rr j8
IB JoOflb
rnpSr" 'JJSL
es on qnatto machinas para descarocar algodao
cores tndo bom e barato.
Neste estabelecimento ha sempre um completo
os mi
o Un
de bowfaceidu tanto para a praca
ensopara o centro da provlnelsuperiores objecto profrio* para enmaHamcmow^m encellas, fjo ao mertaa^ rjm g cor e de dua
va P-fiimcfeaWmos, de largara a 20500, ditos
de urna s iargira 1800 reis, na toja do Pa-
b 9t;p a __________,
.'
.iijoji.
T. dos Santos &
malsraTorife
ecrvem aoqeiie porto.
oiUaJ. .. o-
\<}bu* eop io';st* mvi
isel eb t;n>ri.
- -yfc
: /.;
amfemftcalchas a50, 20500e800 rs.
'-seo mais superior damasco eom
fe,lJJtjura-proprio para colchas
~ oms bvQrtos qne tem vin-
_'B>J tu 6 obouqs
l*ar4>*bmravaVMllo MblitiiM:
dntl o qnalqoer deposito, a todos os tvi i
A contratar neeta com Domingos Alves Matbeni.,!
m m da peratriz rr. 60. Dr Gema *
cuya 'a 1V
' Osas de urna s coi i M ^cMp
ios* 6h"Ki m C:OOVMO. .m mu ca
T tende-se botita^eams de amt cor s.
n mfgk drrM e asql, ckr de lyrio, rox,
1*5
GRANDE
RA NOVA N. IB

Attenco.
o
Mugoo*.
Contina andar fgido do poder do abado as-
signado, desde o dia 12 de marc do correte anno
o sen eseravo pardo elaro, de nome Cyriace, eom
os signaes segnintes : representa ter de Idade 40
annes, rosto redondo, e om tanto enverga do, olbos
empapujados e fundos, bocea grande, beicos gros-
sos, barba fechada e roiva, ps e raaos grossos e
carnudos, peitos vermelhcs e cabellados, cabellos
crespos e a verme I hados, costoma andar armado de
facao e orna bayoneta n'nm pao, gosta de lomar
cachaca, e quaodo fica bebado da para poeta e re-
grista : rog-se, porunto, as autoridades policraes
e capiles de campo a apprehensao do mesme, e
leva-lo a sen senbor o abaixo assignadn, no en-
geaho Pedregnlbo, em Nataretb. qoe sera' recom-
pensado com a gratificafio cima.
________ Jos Ignacio FerwdraTorres.
-------1
MacMnwpradewaroeralodio, dome
arecido ^iwwcav.
Contina a estar fogido o eseravo Simee.de na-
co Hocambiqne, idade de 40 annos, tem os sig-
naos segnintes: sem barba, eom lalbcs em circu-
lo redondo ao p das oreibas, alto, falta de dentes
ira frente, semblante earregado, levon catea de ca-
semira ne cor em bom estado, chapeo de maga
novo, camisa de algodao branco : este eseravo foi
comprado em abril de 1864 ao Sr. Jos Vieenle
Lindonso, morador na provincia das Alagcas, por
sen procurador o Sr. Joaquina Cavalcaatl de albn-
qnerque Melto, morador no termo de Barretros,
por isso tilvez qne dito ercravo tenba Msatdo al-
guns daqoelles logares; roga-se as aotuiidafles
polieiaes a-soa apprebens, assim nm aos ea-
pltes de campo, leva-lo a sen senhir Bernardina
Antonio Pereira Bastos, na roa Dfreita n. 30, no
Rgclfe, qne dar.' a gratigeaco cima.
Aasenlod-se desde o da 17 de marco
46 correte ano^ do engeaho Bosque^ fre-
gaezia da Escada o escraro crioolo denrme
Jos, de 28 a 30 annos de idade, pono bar-
ba no queiiO, mais apapagatado, derites aoer-
MH; alfa regular, <*f>ota*o. p*f e m**
rejfedos, cospe a modo; pacbolae nso-
nKao mesmo ftrnpo mb^se ^bosias-
4^to": tevou chapt de coorp 6.jggj de
alodSo ; recommenda-se as aotondaeav aos
' e. Afumar noswt rcapittra do
verde e cor de-onaa, pato barato preCP de Veade-ienariu
aMffdrd* umt o covado: loja armazem doTZS*^***!!!>
) sane quasi lie pereito como o debo-
ira. Reeoameoda-ae a atleo$3 dos
altores, estas maemnaa
Vende se na ra do Amoitem. 48, travw ,
r imorriMsj rrr de
*rar do
' PavSo rda da Imperatru n. 80 o>Gama *|r^,t^"'d^tnA^artto:"diaoo-
Sitoa. das, por prejo commodo qne admira.
macbmismi. qj 0 & ZL a? Manoel do Carmo Rodrigues E^te-
S!mo eeife aos So. fnatm .Ooiniino
nTrirtoies ftterv,. m do CaMweiro. 42,
wrKda"Sva", roa do wrTe 35,
A^unio Caldas da Silva, ra da Concordia
n. 10, qualquer que for dito ascrave en-
tregue pagar cem gneTO^dadeM despezas
que fofem feitas.
-T-r


r

8
DUrlo de ********** QuI.U lelr t de Agosto c 1867.
l*
ASSEBLV GER4L
CAflAR*BSSE!WORlS REPUTADOS.
SESSAO EM 24 DE JULHO DE I8R7.
PRESIDENCIA BO SK. SILYIIR*. OE 80U i A (VICI-
fltESlDKKTE )

(CoQttBOac,a>.)
Ora, o voluntarlo do TjQs^e trata, e e*o 3 a
()..e aliado, lm da reforma de 90 rs. diarlos, ob-
tt ve por decreto de 10 de deiembro de 1866 ama
iieoso de 400 rs. tambem diarios.
Ja v o ojbre depotado que este benemrito, a
favor de qaem o nobre depotaio a'rou soa vor,
nao foi lo desconsiderado palo governo. Alao. do
sold da reforma, que sendo elle voluntario devra
ser igual ao dobro do de tropa de lioba, teve urna
penso.
Talve elle e ignore, mas reconlieca o nobre de-
pmado que o governo auda adiante dos seas dese-
jos ; q a ando se trata dos que se expSem a defen-
der a honra e a digoldade do paiz o governo cos-
luma tiear aquem dos des*j >s dos diai3 patriotas, e
oao tein seao de appJaadir-se todas as veies qae
aigama voz generosa como a do nobre deputado,
cau>a dos defensores da patria, qae alus iw jq o
sea melbor advogado no proprlo governo.
E a esse respeito direi ao nobre deputado qae o
governo nao tem sido descoidoso, como Ihs pare-
' cao, para com os nossos bravos inulilisados para
o servico, e tem procurado sempre faciiitar-lbes
o mais posslvel o pagamento dos seas veoci-
meotos.
O nobre epatado comprebende a dilBculdade
qae ha em attender-se e poder occorrer-se oppor-
tunamente aos pagamentos de individuos qae v-ii
o theatro da guerra.
Ha n'uma batalha tridos mUbares de homens,
pjstos fra do combue, descem aos h)spitaes, ons
morreen, oulros memorando recolbem-se a patria,
mas a estes nos bospitaes nao se [ole expedir a
guia, que so deve ser passada a vista dos assenta
memos, cuja escrlptaraco (eita nos corpos; vem
portanlo, ellas sem guia e com saas coalas por se
ajustaren). Como effectaar-se o pagamonlo do que
mes devido T Como saber exactamente de quan-
to a divida ?
Entretanto, attendendo en e nao podendo deixar
de ser seosirel a untos soffrimentos, a lio gran-
de numero de qaeixas, em falta de guias tenho aj-
rnillldo ontros documentos para remover a difflcul-
dde do pagamento, denancio-me de urna irre
guiariJade, sojeitaodo-me as suas conseqoencias,
porque se fol commettida teve por nm attender a
sorte de tantos iofelizes -, e enlo na ausencia des
se djcumtnto, que o legal, tenbo admittido as
.Lurraago's, os aitestados dos offlciaes dos respec
Uves carpos, quando asseveram leram as pracag
qae serviram sob suas ordens deixado de ser pa-
gas desde tal oa tal tampo, e em vista dessas in-
. rm roes o pagamento tem sido logo feito. Man-
4ei ujeino relacionar os que estavam em seme
Ihactes circumslaocias, fez-se esse grande trabalbo
oo quartel general, e umitas centenas de indivi-
duos, qae se fosse a attaeder ao rigor dos ragula-
jmenlos sao poderiam ser pagos ; o tem sido me-
diante as informacoes que se obtiveraoi aiiwJJ...
S nao admittessemos a-te recurso, as queixas
ars rii 1 todos os lados, as Increpares contra
o governo serian) immensas e at ceno ponto jus-
tificadas.
Ainda o ministro da gaerra acensado porque
soldado Joaquim Jos da Trindade nao tem po-
dido oblar soa reforma e venclmentos qae reclama
debaldt; o nobre deputado por Minas Geraes
quem o dir.
Se o nobre depntado fosse algnma vez s miohas
audiencias, por certo nao acreditara ser en sardo
as reclamares de.-u natureza, porque observara
a paciencia com que ooco a todos os militares, des-
de o offlcial at ao soldado, e o coidado com que
trato de inqnerir e providenciar sobre as saas rc-
itamacdes. Uuc o a lodos com a maior paciencia, e
a paciencia da parte dos qae governam, assim co-
mo da parte daqueiles que administras) justica, ja
melada da mesma jostra.
Sempre oavi a todas as pracas com a maior at-
lencao e benevolencia, embora se Qgare ao nobre
deputado qua caprichosameote desatiende s peti-
ijoas a mim dirigidas, indelerlndo a soldados da
reserva que reqoerem a saa baixa em condicfos
de a oblar, e ontras eouzas desla ordem, que o
nobre deputado, meu amigo, nlo quiz precisar
declinanda os nomes das pessoas a quem se re
orem.
Sabe o nobre depntado o qae occorre a respailo
de Joaqaim Jos da Trindade ? Ea vou Ibe dizer :
Joaquim Jos da Trindade um cabo de esqnadra
do 2 corpo de voluntarios, que regressanda do
campo sem a respectiva gula, pedio pagamento de
vencimentos atrazados; uao bavia na corte um of-
ficial do sea corpo qae atlestasse sobre as suas al-
legaedes, a petico eslava distiluida de toda e
qoalquer prova ; era apenas a declaracao da par-
te interessada que se apresentava reclamando cer-
ta quanlia.
V e nobre deputado qae m taes circamstan-
cias ea nao obrara prudentemente como ministro
se manda.se fazer esse pagamento sem prova al-
gama, porqne entao o ihesouro nao cb-garia para
attender a outras mnitas reclamares no mesmo
caso ; pois a justica nao comportava que se alten-
desse somenie a Trindade e nao a oatros. (Apoia-
408,)
E, pois, em 23 de abril exigio-se do general
cemmandanie em chefe do exercito a respectiva
guia, e nao hoove grande demora na decISac, por-
que, sendo ebegado aquello doeumenlo, (o a di-
rectora dj pessoal e a directora fiscal, aQm de
ser processado, e a 13 do correnle mez expedio-se
a competente ordem para o ajuste de cuntas e pa-
gamento i praca em favor de quem fallou o nobre
depntado.
O Sb. Lima Duarte :Estimo mnilo.
O Su. Ministro da Guerra :V o nobre depn-
tado qae estavam ja satisfeitos seas destjis, antes
mesmo de ter chegado ao man conbecimento o pe-
dido que bontem fez; nanea deixamcs de attender
ainda aos oais pequeos qae nos reclaman) o seu
direito, rarmeute quando ellas se tem engrandeci-
do nos combates (apolados) -, flque certo o nobre
deputado, que a melbor recommendacao qae para
mim tem qaalquer iudivldoo apreseniar-se com
aquellas insignias qae a tedos nao dado possuir,
com aquellas cicatrizas gloriosas qae se adqairem
na dtfeza da patria, (Muito bem )
O Sit. Lima Duarte :Quiz s cbamar a atten-
co de V. Ezc.
O Sr. Mwistbo da Guerra :A minba attencao
astava dispertada, v o nobre depntado qae nao me
echn em falta e qae todas as providencias se
echam dadas.
Noto qoe ja vou readqoirindo, oerecendo mais o
conceito do nobre depotado.
-O Sr.Lima Duarti :Sempre me merecen.
O Sr. Ministro da Guerra : E quando eu tlver
consciencia de que a nao mereco, pondo de parle
as necessidades da opposiciooista que obrigam o
nobre depntado a aecusar a minha administrago,
poi que a opposico tem acessldades, s vetos
bem penosas, como a de aggredir sem causa Justa,
por desencargo de consciencia, deixarei de pecu-
liar esta cadeira, porquo considerarei a opinio do
nobre depntado a este respeilo coma a opiniao do
paiz, opiniao com a qaal nicamente estarel no
poder, a sem ella nem um s dia.
Dissa mais o nobre depntado : Team bavido
muitos abusos no recruiamento. >
Senhores, isto um ihema de todas as opposlcdes
e de todos os tempos; e portanlo nao admira qoe,
qaando as necessidades da gaerra obrigam a nsar
em mais larga escala do recurso do recrulamento,
saja esta materia anda mais explorada pela nobre
opposico. Acbo que ella asu' no sen direito, e
at presta um servico ao governo para qae
possa elle mostrar o contrario do qae aqai se tem
dito.
Team bavido muitos abasos no recrulamento, dii
o nobre deput >do ; retratas querem se aproveitar
do favor da le, offerecem 6001000 para se eximi-
retn do servico militar a sao indeferidos. Aqu
tem razo o nobre deputado ; mas nao sa lembrou
S. Exc. que o regularnento da 32 de selerobro de
!8o9 no art. 14 diz em tempo de gaerra as sabsti-
tuiQoes e as iseocSss s tero logar a arbitrio do
governo.
Ora, se fossemos a acceitar os 4001000 qon a !ei
permute aos individuos darem para eximremse do
servico de gaarra, nao. consegairiamos mandar
esses vlnte mil e taas homens qae nem marcha
do para o tbeiiro da gaerra de setembro em dian-
te. (Apoiados). ;
O nosso exercito nao se cbaria no p em que
esta' actualmente. de simples miaicao : pre-
cisa-se mais de gente do que de dlobeiro. Se sea
Jinheiro nao se faz a gaerra, moflo menos se
pode (ate-la sem soldados. Se estes qoe vo dis-
putar passo ao inlmigo, bate-lo e desaloja-lo das
sns poslcies.
O dlnhtiro necessarro para sosteotar a |aer-
i; 1Ber"' W**, a 'ti wm os bomMi. (A-
potados).
O poder miniar de ama nacao mede-se pelo nn-
mero de homens, que em ama occasio dada poda
tetta por em p de guerra pira sustentar a saa in-
dependencia e a soa boira. {Mnilo bemi.
V bem o nobre denotado qa nao era posslvel
que se facllitassem essas isencOss mediante a mo-
! dlca qaantia a gae, aliad.
! Ja o honradn-TJaputalo fel provincia de Minas,
collega de districto do mea nobre amigo, observou,
e a mea ver com algnma razo, qae devoramos ter
elevado aquella qaaotla a 1:20; e se o honrado
deputado mandar urna emenda nette sentido, em-
bora parta da opposico, eu a aceeftJrei.
O Su. M. Campos :E' certo qua a nao manda.
O Sr. Ministro d^Guema : Nio julguei Indis-
pensavel o augmentada qaintia de que trata o 3o
artigo da'proposta, porque semprn-ntendi qae nos
momentos supremos, qaando a necossidade de forca
patente, o governo cumpre o seu dever nao con-
sentindo, qae o individuo, em circunstancias de
poder pegar em armas para defender a pa-
' tria, exima-se mediante ama qnantia qaalqoer.
(Apoiados). ^J
A constaico diz qae todos os cidados brasi-
| leiros sai obrigados a defender a independencia e
: integridade da naci. Aquellos qae tiverera oolras
isengdss, qae devam ser attenJidas na forma da
le, se reclamaren) o sao direito, nanea deixaro
de ser attendidas; mas de todas as sen^des a mais
fraca a do dinheiro. (Apoiados).
i Disse o nobre deputado qoe nao se acceita.ro os
690JGO0, e exige-se am liberto em substituido do
individuo, qoe qaer ezimir-se do servico militar.
Nao exacto s se acceitarem libertos, e sim accei-
ta-se como sobstltoto qaalqoer indivilao qae esteja
por si iseoto dessa obrgaco.
Se o individuo por si obrigado a prestar ao es
tado seos servicM como soldado, nao pode ser ac
eeito como substituto de ontro qae Ibe da' ama
certa qaantia. Quem uao encherga que, se pelo
contrario se procedesse.a forca seria reduzidacou-
sidaravelmente ? E' obvio que, havendo dous indi-
viduos obrfgados ao servico militar, e poendo nm
dallas dar o outro por substituto, bade diminuir
grandemente o numero dos qae devem engrossar
as fileiras do exircito.
E' por Isso qae o nebra depntado sappSa que s
se acceltam libertos como substitutos. Mas isto
nao e exacto ; nma praja ja iseata do servlgo por
ter concluido o seu tempo, oo am individao casa-
do, oa qae tenha oaira IsencSo qualqaer, esta' as
mesmas clrcamstaacias, o apresentando-se o go
verno aocaita, assim como acceita o que se liberta
para tal fim.
Portanlo, o que disse S. Exc. a respeilo de am
guarda da reserva da sua provincia, qae, qaerendo
dar substituto, foi indeferido, etigindo-se-lhe que
dssa um liberto, nao passa de algum equivoco.
Sem davida offerecea elte algum individao qae es-
lava por si mesmo obrigado ao servico, para o qaal
era offerecldo em nome de ootrem. Sa o nobre de-
putado Hzesss o favor de declinar o nome, estou
certo o satisfara, assim como tenho satisfelio s
outras suas observares.
O Sr. Lima Duarte :Assis Aranjo, de S. Joo
de El-rei.
O Sr. Ministro da Guerra : O nobre depntado
sabe que nestes oegoeios procedo sem paixo : ad-
ministrei urna provincia como a de Pernambaco, e
nanea deixai de attender a todos qae mostraran)
ter em seu favor algama das isen(5es legaes; pode
ser que algnma gazeta tivesse dito 4e mim borro-
res em sentido contrario; mas mnguem acreditou
em tal, todos me Qzeram justica.
O Sr. V. da Silva : -No Maranho V. Exc. pro-
ceden ptimamente ; folgo de reconheeer e sempre
reconhecerei.
O Sr. Ministro da Guerra :Procnrei comprir
sempre o meu dever, urna rellgiio que professo a
do dever; gosto de pautar meas actos pela lei;
nanea me serv do cargo para satisfazer qaalquer
paixao. Portanlo, se algama reclamaco (andada
me fosse apresentada por esse guarda da reserva,
eu nao deixaria de atlende-la ; obro nestes nego-
cios com algnm rigor, verdade, m's sem odio e
sem prevenco.
Sr. Lima uarte :V. Exc. esta' responden
do a nma aecusacao qae nao apparecen.
O Sr. Ministro da Guerra :os contingentes
vio ios de Minas aota-se, disse o nobre deputado,
am grande numero de enfermo:, qoe, sendo seo-
tos depois da mspeccao, s servem para onarar os
cofres pblicos com despezas inuteis de viagem a
as f-sitas em qaanto esto ret los e se examinam.
Nao ba davida que um mal, am grande inconve-
niente, a remessa de re rutas oa guardas incapa-
zes. Neste sentido tem-se feito aos presidente re-
commendages terminantes, as qnaes tem sido at-
tendidas pelos mesmos presidentes, tanto quanto
posslvel.
O Sr. C. Ottoni :A cmara votoa um requeri-
mento pediodo Informar, Tua' llara occasio
para liqaldar-se isto.
O Sr. Ministro da Guerra :O qae observoa o
nobre deputado acontece principal mente na saa
provincia ; alli os retraas, os designados e volun-
tarios, pela maior parte, nao passam pela capital,
onde o servico medico deve estar melhor organisa-
do ; pode acontecer ento, qoe nao sendo elles
convenientemente inspeccionados, o sejam aqoi, e
se reconbegam incapazes em maior numero.
Alguns abusos teem se dado, sai inevilaveis, e
nao duvido qae na provincia de Minas, pela cir-
cunstancia a que aliudo, isso tenha soceedido.
Em materia de substitatcs alguas abasos teem
bavido, que tenbo procurado corrigir, dispensando
os substitutos e fazendo vir os substituidos.
O nabre deputado comprebende qne, nao poden-
do o governo estar presente em toda a parte, tendo
de (azer execotar suas ordens por una infioldade
de agentes, e posslvel que em nm oa ontro lugar,
oa mesmo em muitos lagaa, se commettam erros,
abasos, etc.; mas qaando abasos, se os ha, chegam
ao conhecimento do governo, elle tem sido solicito
em providenciar; a em qaanto o nobre depoiado
nao me demonstrar que o governo tem (altado a
seu dever, nao procurando dar opportaoamenle as
neesssarias providencias, as censaras do nobre de-
putado ficam sem razao de ser, nao nos (azem mal;
e ento at agraden ao nobre deputado suas ma-
nfestafGas opposicionistas, porque, reconbecida a
sua improcedencia, approveilam alias antes ao go-
verno.
O Sr. Lima Duarte : -Tanto procedem que o go-
verno reeemmendoo aos seus delegados.
O Sr. Ministro da Guerra :Mas muito antes
das censuras do nobre depaiado; sao recommenda-
coes qoe o governo sempre tem feito aos seus de-
legados as provincias, e que estes paiacumpri-las
lm envidado todos seus esforcos, mas pode ser que
soa accao nao tenha sido efflcaz como (ora para
desejar.
O Sr. C. Ottoni :-N'o apoiado; ba ordens de
presidentes qoe prodozem oecessariameote abasos.
O Sr Ministro da Guiria:E o qae dira o
nobre depotado se esses euferm ,s oa incapazes qae
neo esto as circunstancias de prestar o servico
do exercito, nao fossem convenientemente atendi-
dos na corta am vista de nma inspeceo rigorosa 7
Aqoi sim.
O Sr. C. Ottoni : -Perdi; contra V. Etc. nao
oavi qaeixa deste genero.
O S*. Mwistrjda Guerra :_Bem; ea agradeco
ao nobre depntado esta manifestado, propria do
sao carcter.
U Sr. C. Ottoni :Mas nada do qne se disse rere
o carcter de V. Etc.; collocar a qnesto neste ter-
reno pr-nos em coaccio.
O Sr. Ministro da Guerra :Nao colloco a ques-
i3o neste terreno, nao a estabeleco no campo das
personalidades, nao; mas as coasas se acham lo
ligadas a's pessoas qae nao posslvel ama discos-
sao toda abstracta.
OSr. C. Ottoni :E* verdade qae a's vezes sa
diz: < Qaem nlo qaer ser lobo nio Ibe veste a
pella; mas ningaem qalz ferir o carcter de V.
Exc.
O Sr. Ministro da Gvirra :Flqae certo, por-
tanto, o nobre depotado da qoa nio ( os julgaios
incapazes lm sido dispensados, mas tambera os
qae tem conseguido provar alguma iseugao legal.
Da provincia de Minas teuho dispensado a muitos
por terem comprovado o tan direito; nao delxo
de eovir as autoridades, porque, comprebeode bem
o nibre denotado, preciso ouvir as parles; aiuda
mesmo qaando as petgoes sao instruidas de doca-
mentos convm sobre ellas oavir a aatorldade para
morallsar oa doeomentos, verificar sa boave abaso,
e tambem para nao priva-la do relio de defeta
dos saos actos. Assim, pois, amitos individuos da
provincia de Mina?, Como a ontras, tem sido at-
tendldos pelo governo; e alo tambem as respecti-
vas provincias, qaando reeorrem aos presidentes,
dos quaes ainda ha am recurso, qoe o governo
geral, e este recurso nanea mes iwn faltado.
E' posslvel qae pela urgencia das clrcamstaacias,
atienta a neeessidade qoa ba de enviar contingen-
tes para reforcar as flleira do nosso exercito, nio
se podendo admiuir grandes detengas, teoham Ido
algnos, qae dever8o ter sido dispensados; mas o
governo logo qoe reeoooeee a tempo a preceden-
cia das reclamares, <|Q M^* flearam pendentes
qnando os individuos seguiram para o theatro da
gaerra. tem mandado ordem para alies regressa-
rem do exareito. j: V
O qne maa pede mear o governo, qae assim pro-
cora ooneiliar as necessidades poblieas com os ln-
teresses dos individuos T Parece-me que este pro-
O S. Ministro da Guiria :-<.... isto p Je ser
qasMfea Udo inga; no priaeipio da guerra,n,aan
do o arvico aantlnistraoia militares nao teaeba-
vanveojaVenjaVeanf regaladas; mas boje, com
a flscallsacio severa desenvolva pelo henrado
marqaez de Caxias, com essa ^fevfdencia e tino
celmento 4 o pautado pelas r'gras do dever aTDm
governo, que lm de attender ao desempeo* da
ralssao sagradla elle incumbida.
Censuroa tambem o nobre depntado o ultimo de-
creto qoe, chamando certo numero de guardas na-
ciones ao servico da guerra, ordenen qae mar-
cbassem com as respectivas officlalidades os corpos qoe a nada falta, curando da todo opportonamenle,
das capitaes e dos municipios vlsinhos. tiflkilimo poder dareBR.-eej)s netos a que o ne-
ja' o mea nobre amigo, depntao pela provincia bre depntado allndio. ^
de Parnambuce, demanstrou completamente a con- Consta qne quando o nosso exercito ainda eitava
venieocia de ama tal medida. A neeessidade or- no territorio da Coofederacao Argentina,na occasio
gente de enviajr foapas para o theatro daguerra da levantaremse os acampameatos, umitas armas
exiga qoe os contingentes da guarda nacional se Qeavam espalhadas pelo cbio eos moradores visi-
reunissem promplamente, e ento forcoso era de- nhos apanbaram-as e vnderam as.
terminar-se qua seguiasem os corpos das capitaes Mas isto era em um exercito qoa se organisava
e monlciplos visinhbs; nesses lugares, comosaba em marcha, nio eslava affeito a'vida militar, e
Mas, oovtndo o nobre depotado,
zade ma desvaneca.....
O Sr. LimX Duarte : E desvansca-se.
OfR. Iinistrd da GunsRA : -.....ormolar
essas censaras vagas, em qae me pareceu revelar-
se, perde-me que Ibe diga, alguma malevolencia
de sna parte
O Sn. Lima Duarte : Pelo amor de Deas, Sr.
conselheiro I
O Sr. Ministro da Guerra : .... esperel qae
o nobre deputado espeeiflcasse em que sao pelores i ,_. _*_ ~,r
os contractos faltos pela reparlico meu crgo.|'ato Pa O Ubi*** Oipsulas, COtmO para
~ O Sr. Lima Duarte : Ea dissejue me cons- o aa espoletas de fncfo.
' pedido pelo laboratorio pyrothechaico [do
Campinob. tra sido feitas para a Europa, e
le ra vem directamente para o ministerio da
guerra. O qae existe-MWetfeotl desta pro-
odD6it,^t6 Mandril rnWirecoifaido aos
armazens porquartt *tetsiok1 pessivel
pesa-lo e aireck-rf \ tonto eate piren,
de boa qualidife-e de eapessura propria,
o nobre depotado, a guarda nacional tem ama tal
oa qaal disciplina, os soldados conhecem seus of-
ciaes e vice versa.
Determion-se tambem qae os corpos viesstm
com saas respectivas organisa^'3. porque creava-
se mais am estmalo, um ioceativo para os guar-
das se apreseotarem, o qae fariam promptameote
ama vez que vlessem a' frente seas offlciaes.
(Apoiados). Muito mais fcilmente os guardas
marebam eom aqaelles em qoe confiara, do que
vindos guiados por estranhos, oa como se fossem
meros recratas. Entendemos que esta providencia
devia prodozir algara resaltado; e com effeito da
Babia, das Alagoas, do Maranbao, Paran', Piauby,
Rio Graode do Norte, ultimameote de Pernambaco
os contingentes vieram com seos olflciaes.qua mar-
cbaram oa foram dispensados.
Mas disse o nobre deputado qae havendo am nu-
mero de offlciaes soperior a's necessidades do ser-
vico, era intil a sua viada das provincias. Eu j
djsse ao nobre deputado que os offlelaes foram cha-
mados para com mais facilidade poderem reunir
os guardas, para traze-los e servirera mesmo se as
necessidades exigessera.
Ora, teodo o geoeral em chela, como tem, auto-
rlsaco para dispensar aqaelles qae alo forem ne-
sessarios oa qae nao tiverem a aplido precisa,
esta' visto qae o mais qoe dahi pode resallar al-
gara augmento de dispeza; mas nao sa (az gaerra
sem despezas, e despezas onerosissimas; por mais
dominado saja o governo do espirito de economa
nao pode leva-la a tal ponto qoe se preoecupe mais
com poopar despezas do qae com o servico qae
tem de desempenbar,e argeote qae desempeobe,
porque ao contrario tarde tera' de arrepender-se.
Portanlo ja' v o nobre depntado qoe o acto do
governo perfeilamenle justificado.
Diz o nobre deputado qne por este decreto, as-
sim como por am deerelo anterior, expedido qaan-
do ea ainda ocenpava a pasta da justica, exigio-se
da provincia de Minas 3,000 guardas naclonaes.
OSr. Lima Duarte:Por daas vetes.
O Sr.Ministro da Guerra :E qae entretanto
distribuiram-se 200 a 300 guardas por municipio,
o que darla em resaludo cerca de 6,000 a 7,000
guardas.
Nao duvido qoe o nobre presidente daquella pro-
vincia exlgisso um contingente maior de cada mu-
nicipio, contando que, apezar de todos os esforcos
e delligencias das autoridades, nio podesse ser elle
preenchido em todos os lagares.
Eatretanto, o que todos os sabemos que a
provincia de Minas nio a qne mais razo de
qaeixa deve ter a respeilo do reeraiameato e dos
guardas nacionaes chamados ao servico da guerra;
esses veximes, pois, e soffrimentos a qae se refe-
ri o nobre depotado creio nao podem ser extraor-
dinarios, porque a provincia de Minas; com orna
popaiaco de nm milbao e tantas mil habitantes,
evidentemente devia dar um namero de soldados
muito superior ao que tem dado para a guerra.
(Apoiados.)
Se devlam os 300 oo 3J0 guardas naclonaes
chamados a servico de guerra em cada am dos
diferentes municipios elevar o eontingenle da pro-
vincia a 6,000 on 7,000, o que certo qoa da
provincia de Minas, de ontabro para ea, tem vindo
ponco mais on menos 1,600 homens.
O Sr. Ministro da Marinha : Com os que es-
to em caiainbo, 3,000 e tantos.
O Sr. Ministro da Guerra : Com os qae es-
to era camioho, pode ser; mas reliro-me aos qoa
lm vindo sao 1,600 guardas mais ou menos, sen-
do nn terco dispensado do servico em vista das
inspeccSis de saade.
Perianto concordara' o oobre depotado qoe nao
ha razo de qaeixa a respeito da conlribuicao da
provincia de Miaas por esses soffrimentos a que
ailadia.
Pactos gravissimo? foram tambem referidos pelo
nobre depuiado com relami ao barBo de Serr
Alegre, commandanie superior do municipio de
Bag; dizeodo S. Exc. qne Felicio Nogaeira Pi-
caneo e o Oriental de nome Pampbiel toram, o
primeiro estaqueado tres horas de maoba e ou-
tras (antas de tarde, e o segando tambem esta-
queado oa amarrado at (aliar o portogoez, e
qne pessoas de consideracao tm sido lujuria-
das e mal tratadas por aqnelle commandanie su-
perior.
O governo nio tem soticia de semelhantes (ac-
tos ; e nao i Ja, sem provas acreditar qoe elles se
dessem; as declarares do nobre aapolado serv-
rao todava de base para o governo se informar
opportonamente, e estou bem certo qae o honrado
presidente daqaella provincia, o Sr. Homem de
Mello, cuja inteligencia, fllaslracio, zelo e mora-
lldade sao assaz conhecidos desta cmara (muitos
apoiados), onde tem amigos e pessoas qne sabsm
apreciar a nobreza e elevacao de seu carcter
( mullos apoiados), nio deixaria de indagar e de
dar providencias a respeito de taes fados, se com
effsito elles se derara.
O Sr. Lima Duarte : Eu disse isso mesmo.
O Sr. Ministro da Guerra : E desde que o
nobre depotado nos disse em sen discurso estar
cerio de qae o presidente da provincia bavia de to-
mar provincias e tlnha visto n'um jornal daqaella
provincia, qne S. Exc. j bavia (eito algama cousa
naqaelle sentido....
O Sr. Lima Duarte : Sira senbor : mas qua
julgava o facto lo grave que devia chamar a atten-
(io do governo.
O Sr. Ministro da Guerra:.... onobrede
potado ha de concordar qoe semelbante revelaco
nao importa ama censara ao governo; a denuncia
da maior gravidadt, mas muito antes de vir
tribuna o nobre deputado, ji o delgado do gover-
no bavia, como assevera S. Etc., providenciado
como convinha para verIQcar a existencia dos (ac-
tos. At aqu, pois, nao ba censura.
O Sr. Lima Duarte : Nem eu censnrei.
O Sr. Ministro da Guerra : Disse o nobre
deputado que sao estes (actos to graves que en-
tenden dever chamar a attencio do governo para
dar promptas e energleas providencias.
Essas providencias, Sr. presidenta, o governo
aonca deixa da dar, ba de da-las; mas ellas,
esloa convencido, serio nesia bypotbese desnetes-
sarias.
E aprovelto a occasio para pagar am tributo
de merecido ioavor aquella distincto funciona-
rio, o Sr. Homam de Mello, a todos os respeilos
digno da maior estima e conflanca do governo im-
perial....
O Si. Alvm i outros Senhorrs : Apoiao.
O Sr. Ministro da Guiara: ----- um eida-
do qoe tem desempeohado muito bem.o importan-
te cargo para qoe foi nomeado, a prestado servicos
da maior relevancia a tidos pato governo na maior
consideracao.
Vozas : Muito bem.
O Sr. Ministro da Guerra : 0 nobre depu-
tado prosegaindo as saas censaras disse qoe,
descontenumeaio lavrava aeaxercite, porque bra-
vos offlciaes em campeaba tinbam sido preteridos,
no entretanto oatros existentes aqu aa corte, a
qne daqai nunca sahiram, tra lide grandes l-
ceseos.
Bsta* mal informado o nobre depntado;;offlciaes
fra do servico de eampanba, poneos (orara pro-
movidos, somanta aquellas, que por sua antigoida-
de tiqbam Ineoolaitavel direito a'.acces&o ao pos-
to unmedialb; aoseuefes de elasse segundo l le
de promoco, em alguns postos sopariores, e pela
maior parle, dei a gradoace do posto immadlsio,
attendendo tambem qae qaasi todos lm servicos
relevantes, mallos des quaes prestados na actual
guerra.
Nada mais doloroso, como bem disse o nobre
deputado, para o militar do que orna preter cao,
ou ama ojastija, e por Isso procnrei tazar a ulti-
ma promoeo Informando-me antes sobre o mere-
emento dos que estavam nai cirenmsiaacias de
tere aeeesso, e apreciando seos servioes ,a actual
guerra palas ordens do oia, i ooiros documentes
existentes na secretaria da guerra.
O nobre deput ido looveu ao govnrMo' por baver
dado soldada ao commando do exercito.
O Si, Lima Duarti : Aenp qae jm tambera
M censara? _
O Sn. Mikistro da Guerra : Bsjoa tendo
qne o nobre depotado eeneansse ote do gafar-
no asa motivo da loovor ; a se record agora esta
drenmetapeit para afflrmar, qae nlo to moito
O Sn. Lima Duarti : E' o que sem aa cor-
respondencias.
nao conbecia ainda a disciplina, onde'o ser vica nao
estava convenientemente organisado.
Portanlo ha om aoacorooismo, pelo aen js, as
acensare* do nobre depntado. (Apoiados.)
Disse ainda o oobr.a depotado qae no quartel
general se dio grandes abasos no qae diz respeito
a substitutos, exigindj-se quantias para se os dar,
ijuantlas qoe sao recebidas e os substitutos nao
marebam, on nio se aprsenlas).
O Sr. Lima Duarti:V Etc. dame liceocaque
eu explique T
O Sr. Ministro da Guerra:Pois nao.
O Sr. Lima Duarte: Ea ni* disse qae davam
se esses abusos no quartel-general, mas qae na
guarda nacional da corte, as vistas do governo
elles se tintura dado : qae guardas naclonaes per-
seguidos, a qaem se tiaha exigido substitutos, qoa
os baviam comprado e apresentado, e qae depois
os substitutos nao marcharam.
OSr. Ministro da Guerra:Alada bem, por-
que a honra dos funcionarios quo compem aquel-
la importante repartica \ o quartel general, nio
pedia estar de modo algum sob o pase de urna ae-
cusacao to forte...
O Sr. Alvim e outros sENHonas :Apelado.
O Sr. Ministro da Guerra :...ara que o mi-
nistro da guerra nio poda consentir e qae o ca-
rcter do chafe daqaella repartido repelle.
O Sr. Alvim e outros senhores:Apoiado.
O Sr. Ministro da Guerra:Quando se consi-
derar qoe o geoeral Caldnull, esse bravo, cojas
cicalriies e am braca perdido ea eampanba aties-
tan) os relevantes servicos prestados ao paiz (mui-
tos apoiados), qua esta testa daquella reparti-
do : quaodo recordamos que o servico das Ins-
pecrejs feito pelos distinctos Drs. Sonta Ponte,
Aleixo e Bastamaote, niagaem podera' por em
duvida a regalariade da laes trabatbos. ( Muitos
apoiados.)
O Sr. Lima Duarte : Mas nio me referi ao
quartel-general.
O Sr. Ministro da Guerra: Como pareceu-me
que e nobre depotado sa refera ao quartel-gene-
ral quaodo iratoa da qaeslo de substitutos, ea
nio poda deixar de fazer um protesto enrgico
contra qaalqoer nsiouacao atlrada aquelles que
bem servem. (Mailos apoiados.) A honra do (une-
cionario tamnem um patrimonio do estado.
Voz es: Muito bem 1
O Sr. Ministro da Guerra:... e o dever d'a-
quedes que eslo as mais altas regides vir em
auxilio des seus subordinados quando bem ser-
vem e merecem saa iateira conBanca...
Vozes:Muito bem I
O Sn. Ministro da Guerra: ... porque assim
podem e devem contar cem o seo zelo e dedicacao
(Mailos apoiados.)
O Sr. Lima Duarte:Mas ningaem os accasoo.
O Sr. Ministro da Guerra:Bera ; mas decla-
re qae a esse respailo estou per(altameote habili-
tado a dar quaesqaer informacss, que o nobre
depotado precise.
O Sr. Lima Duarte: Nao Qz accasacao alga-
ma ao qaartel-geaerai.
O Sr. Mimistro da Guerra: Tome! este apon-
lameolo, porm estime muito que o nobre Jepa
tado declare nao lar aecusado o quartel-general.
O Sr. Lima Uuarte: Digo mais a V. Etc. qae
ningaem mais escrupuloso em atacar a probida-
de de qaalqoer faocciooario do qae ea.
O Sr. Martinho Campos d om aparte.
O Sr. Ministro da Guerra: a defeza sagra-
da (apolados), e o nobre depotado deve conceder
me toda a libar Jada, embora ea seja ministro, se
uio psra defender-ae, ao meaos para defender
aquelles que ajudara ma a bem servir ao paiz.
Muitos apoiados.)
O Sr. Lima Duarte : Apoiado ; mas quando
sio aecusados.
O Sr. Ministro da Guerra.Disse o noble de-
putado qne os contingentes, quando segaem da
corte, vao accumulados a bordo dos transpone, e
dabi vem a causa porque as pravas ad>ecem e
morrem no camiano ; os contingentes chesam ao
sal desfalcados dando em resultado, como dzem
os correspondentes, estar o exercito no mesmo pe
am que eslava em setembro do anno pastado.
Nada disto exacto; contra o que diz o nobre
deputado, apoiado em informares sem davida sus-
peitas (apoiados), posso responder com o maa tes-
temaobo, qae nunca foi posto em davida pelos ho-
mens de boa f. (Muitos apoiados.)
Tenho assistido constantemente aos embarques
das contingentes (apoiados), ainda nao se fez am
s dorante o mea ministerio m qae nio fosse ea
c bordo dos traasportes, descendo a todos os com-
partimeotos e fazendo minucioso exame em tado a
posso, pois, asseverar que nunca se dea o (acto ;
que se referi o nobre depuiado de serena os con-
tingentes accuaulalos de sorte a nlo lerem as
pracas logar onde se deitarem, e irem adoecendo
e morreado pelo carainho.
Os vapores qae bao coodazido os coaliogentes,
e qaasi tados os das partem do nosso porto, tem
capaeldade para levarem moito maior numero de
pracas; teoha tido n'sso o maior coidado, a quan-
do lemos tido grande numero de pracas dividem-
se, e tem acontecido nimias vetes sahirem doas
transportes no mesmo dia para nao irem accumu-
ladas n'um s. (apoiados.)
O Sr. Martinho Campos:Entretanto o Sr. Dr.
Sodr disse que a sua molestia se aggravou por
esls motivo.
O Sr. Ministro da Guerra: O Sr. Dr. Sodr
veio da Bania em am vapor estraogaire e as arca-
sacoes referemse aos nossos transportas qae da-
qai tem sabido, sobre (acto qne als aio se tem
dado; sou testemnnha oceular de qae as pracas
embarcadas vo, stnio todas debaixo de cocera
sufflcieotemente accommodadas, nanea expostas
s intemperies e rigores das estaros.
O Sr. La Duarte:Nem ea dissa Isso.
O Sr. Ministro da Guirra: Se as correspon-
dencias dzem que boje temes n mesmo namero
da pracas qua tinbzmos em setembro, nao sei;
mas o qoe vejo na altima correspondencia de Bue-
nos-A y res no Jornal da Commercio o segaille:
t Trazida ao Passo da Patria a (orea que ainda
la' restava, e i' corpo deexereito veio acharse
totalmente reunid, e a asta hora confundido tai-
vez com o 1a, formando am total de 33,000 h-
meos, se nio erro em meas clcalos.
f 33,000 soldados brasileiros reunidos facto
que anda nao traba precedente, mesmo oasta
guerra. E esse numero sobe alada a 40,000 te
computarmos as (oreas do bario do Hrval, que
esto a tres marchas de distaocia I >
O Sr. Alvim:Logo ha mais.
O Sr. Ministro da Guerra: Segnodo disse o
nobre deputado, reterrado-se a correspondencias,
o exercito esta' no masnto p em que se acbava
em setembro; entretanto, da bem escripia cor-
respondencia, da que acabo de ler om trecho,
consta jastaaente o contrario.
V-se qoe o exercito esta em am p em qae
nanea esleve, por effeito das providencias incas-
sanies qae o governo tem lomado e das altas qaa-
lidades qae recommendam o Ilustre general em
chela, o qaal nao repousa qaando algama coas*
Ibe resta a fuer, porque antas, e cima de ludo,
om brasllelro amante da sna patria, e qae se
emprega com todo desvallo e premio em organi-
sar os elementos de qae dispe preparar os solda-
dos qae nos assegarem ama prximo e esplendi-
da victoria. (Muitos apoiados, mnilo bem. .
Afflrmoa tambem o nobre depntado serem os
fornecimenlos do exercito de qaalidade a preci
menos ventajosos do qna os fornecimentos faltos i
marinha.
Onvindo astas palavras do nobre depotado, Q-
qiel triste, se bem qae nao posea ler clames do
mea nobre amigo e coliega da marinha.
O Sr. Ministro da Marinha : Nem eu posso
aceitar elogios qua V. Ble. nlo eomparulBO.
O Sr. MimsTBO ba GusaRA : Alea do eolio-
enlamo, alm da boa harmona em qne temos vi-
vido constantemente, sem a menor qoebra.......
O Sr. Ministro lu Marjhha : Apoiado.
O Sr. Ministro da Guirra : .... seca ama na-
vem seqnr qae encubra a diminoa a forca dos
sentimenios de reciproca estima, qne nos oren-
dea.... .....j.
OSr. Ministrot>a Martnha : Aletee.
O Sa, inistho da Guerra : ..... ou o pri-
meiro i dar e mais alto apreco aos tlenlos a
aura qne os fornecimentos para a marinha eram
melliores em prego e qualldade das fazendas, a que
proposias iguaea nao tinhm ebegado ao cenbecl-
awnto de V. Exc.
U Sr. Ministr) da Guerra : Els aqulilo de
qae ma queixoj E' desse vago, do < consta .
O nobre diputado assim restriege-meo'direio
da defesa. Em frente do meu particular amigo, o
Sr. ministro da marinha, posso dizer que p>W re-
partlcao da gaerra se tem feito contractos lio van
tajosos, lio excellenles, que o mea nobre collega
me tm pedido .o proporcienar-lbe malos para fa-
zer Igoaes.,
O Sr. Ministro da Marinha :Apoiado.
0 Sr. Ministro da Geira :Talvez que
alguas desses boas contractos, a que o nobre
deputado alludio, sejam 05 que fez o nobre
ministro da marinha mediante as informa-
CSes por mia) ministradas,
O Sr. Ministro da Marinha :E' exac-
to : por exemplo, para a compra de farda-
mento.
O Sr. Ministro da Guerra: E' yerda-
de, o contracto para compra de fardamento,
por meio do qual se obteve fazenda muito
melbor e mais barata. O nobre deputado
para formar o seu juizo devia ter rista os
termos de comparado; a encommenda feita
para o exercito e a destinada para a mari-
nha. Mas, o nobre deputado teve em mente
s a que fez o meu nobre collega.
Nlo podemos proscrever os foruecimen-
tos ordinarios, que se contratam no paiz,
n5o tanto a industria nacional, senJo para sa-
tisfazer de prompto a necessidades, que nao
podem ser adiadas.
Portanlo, o nobre deputado nao teve ra-
zo na sua censura'. Nao s em preco como
em qaalidade foram igualmeate excellentes
as encommendas feitas tanto pela repartido
da guerra, como pela da marinha: nao bou-
ve a menor differenfa. A este respeilo fol-
go de achar-me a par do meu nobre collega
damarinba, que desejo ver sempre a meu
lado.
O Sr. Ministro da Marinha :Muito agra-
decido.
O Sr. Ministro da Gcerra: Outros mui-
tos contratos eu poderia citar, mas dizem
que louvor em bocea propria vituperio.
Nao est nos meus hbitos ostentar o que
fago em bem da causa publica, porque ser-
vi-la bem dever de todo o fuoccionario.
N5o gosto de apregoar esses pequeos ser-
vicios pelas cem boceas da fama, nunca man-
dei tecer-me encomios.
Nao os desdenho, quando apparecem es-
pontneamente, como reconhecimento de
servico alguma valia.
Eolretanto poderia lembrar ao nobre de-
pntado algumas economas por mim feitas.
(Apoiados).
Os fornecimentos da marinha sao mellio-
res 1 Com isto o nobre deputado pareceu
dar a entender que da parte do ministro da
guerra bavia descuido, seno desidia.
O Sr. Lima Duarte :V. Exc. nao atten-
deu s miohas palavras.
O Sr. Ministro da Guerra :Apresenta-
rei eatretaoto um facto. Tive de fazer urna
encommenda de capoles: a ultima compra
havia sido contratada a 105-200 cada um;
mais urna encommenda de 20,000 da mesma
qaalidade foi por mim contratada por 9f 400
havendo assim urna economa de 800 rs. em
cada nm e de 16:000)$ no total. Nao fieou
nisto : precisando-se de mais 20,000, abr
concurrencia entre varias casas importadoras
e comprei-os a"803OO. Houve a economa
de 30 e tantos contos. De sorte que s
neste artigo ponparam-se de 50 a 60:000)5,
em relarao s ultimas compras, que tinbam
sido feitas pouco antes da minha entrada pa-
ra o ministerio da guerra e com economa
em relaco as anteriores.
Ainda mais. Achei pendente um contrac-
to para a conducco de cargas para Matto-
Grossoa 2 2# a arroba. Pareceu-me muito
nao quiz assgnar, por que a responsabili-
dade era toda minha desde que o subscreves-
se: obtive um outro contracto com urna re-
ducejio de 7# por arroba, e sendo muitos os
volumes a economa raontou a 30 contos.
S nessas tres addicoes esto perto de
90:000$ em poucos das.
Como estes ba muitos outros factos que
ficam atrs dos reposteiros da secretaria, e
que s sabem luz, como agora o faco, pela
neeessidade da defesa.
Quando tratarmos de contractos para fre-
tamento de vapores, ver o nobre deputado
nao ter tido a mnima razo as suas censu-
Ver que nao s nao onerei os cofres
seno economise centenas de con
reumetape a pera afirmar, qae bao tao mniw ") ^^.IT ">^A a. ,-,
provaval, o. et por 3. Exc. referidos a respeito admlnnfretlvo qoe tera revelado^ <*
do abandona em qne h estar o armamento, adra- nbecer que ci noore^ministro lg''"
depal.pralHdeCaWantes..... doselogcs;o nobre f*^^*****"
sabem apreeiar sea
mrito, (Apoiados.)
ioeonlestavel o verdadairo
ras.
pblicos,
tos.
O Sr. T. Bastos :E' um procedimento
honroso para V. Ele.
O Sr. Ministro da Guerra :Nao recelo,
antes desejo que estes factos sejam trazidos
ao debate, assim como lodos os actos da mi-
nha administrarlo. Durmo tranquillo por-
que vivo sempre em paz com a minha con-
sciencia. (Apoiados).
A cmara e o paiz conhecem os meus h-
bitos. (Muitos apoiados). Conlento-me, sa-
bendo accommodar-me, com a modesta me-
diana em que sempre tenho vivido: este
o segredo da minba forca. Diante de quem
quer que seja posso fallar de viseira alfada.
(Maitos apoiados). Nunca desmaiei no cum-
primento do meu dever, nem empallideci
na presenca de nnguem; e, se tivesse a des-
graca de algum dia temer urna insinuaco
qualqaer, qae me pudesse desairar, nesse
dia quizera deixar de existir. (Apoiados ;
muito bem).
Se nao sou rice de talentos e llustracao
(o5o apoiados), tenbo a fortuna de ver que
todos reconhecem d3o me faltar aquella mo-
ralidade, que deve ser o esteio daqueiles a
cujo cargo est a direccSo dos negocios do
Estado. (Maitos apoiados; moito bem, mui-
to bem \)
O Sr. Pedro Lkitao : E' esta a opinio
a respeito de V. Exc.
0 Sr. Ministro da Guerra :A propo-
sito de fornecimentos accrescentou o nobre
deputado, que um ornecedor, nao sabendo
o destino a dar a urna grande qaantidade. de
chapas de cobre, as envin ao arsenal de
guerra, que apezar de nao as baver pedido,
comprou a bom dinheiro, e que alli se
acham adradas pira um lado.
Ainda neste jonto foi llaquiada a boa fe
do nobre depntado. Posso assegorar a c-
mara que desde 1865 o trsenal de guerra
nlo tem comprado urna s chapa de cobre :
todas a encomraapdas de semettiante artigo.
Proseguindo pergunto? o nobre depotado
se ainda existe a commaso fiscal de Mato
Grosso e se teve noticia o governo de om
roubo que neila se deu e quaes es provi-
dencias lomadas. Para mim ume novidade
semelbante facto; mandei saber na repart-
cao fiscal, a cuja testa esta o integerrimo Sr.
conselheiro Galazans e caja inteligencia e
zelo geralmenle reconbecido ; diz elle o
seguinte:
< Nunca ouvi fallar de semelbante roubo.
Um official lema i0O:O0O para a thesou-
raria da fazenda, e na confuso de levantar
acampamento, nao sei em que lugar, des-
noitiou-se o cargueiro em que ia aquella
somma. >
Talvez seja este facto a que o nobre depu-
tado se refere:
Mas, tendo depois apparecido, o mes-
mo official depositou o dinheiro na caixa mi-
litar, e posteriormente determinou-se qae ti-
vesse esse destioo, isto qae fosse conside-
rado como supprimcnto mesma caixa. >
Nao consta a existencia de semelbante
roubo. En estimara bem qoe o nobre de-
potado precisasse melhor os factos. Com-
prebeode bem que com ladres b3q se tem
consideracao, e delles nao se deve "ter com-
miseraco, a este respeito sejamos todos
inexoraveis...
O Sr. Lima Duarte :Ha de chegar ao
seu conhecimento.
O Sr. Ministro da Guerra :E V. Exc.
pode ficar certo de que as providencias para
reprimir o crime se nao ha de demorar.
Continuando em suas censaras, disse o
nobre deputado qae se fretou o vapor Guar
por 20:000)5 !... E' verdade, e foi ento
urna boa acqnisicSo. Ilavia chegado corte
am luzido batalhio da Baha, commandado
pelo bravo teneote-coronel Joaqaim Mauri-
cio Ferreira ; e algumas pracas existiam no
deposito ; formava tudo am contingente de
seiscentas e tantas pracas, que era mister
mandar logo para o sul sem demora, e nao
tinharaos um transporte para satisfazer essa
instante neeessidade. Offereceu-se-me o va-
por Paulina pelo preco de 22:0000, me-
diante um contracto por seis mezes. Nao
annui a isso. achava-me n'uma verdadeira
colliso. Urgente era a neeessidade de man-
dar aquelles bravos, vindos da heroica pro-
vincia da Bahia, anciosos para auxiliar aquel-
les dos seus irmos qoe dos campos do Pa-
raguay levantavam suas vozes e seus bracos
chamando-os em sea soccorro.
Ento recorr companhia brasileira,que
pz logo minba disposico o Guar, de
iguaes, seno maiores, proporces que o
Paulista, mediante o fretamento de 2O:O00,
sendo o consamo do car rao saa costa. Foi
um contracto como poucos se tm feito, des-
peza de 20:0000 e por urna s viagem, quan-
do o outro exiga 22.0000 mensaes e por
seis mezes 1 Do que deixo dito v-se que
eu providenciei do modo mais coaveniente
e menos oneroio ; portanlo, a censura do
nobre depntado nao pode prevalecer, e S.
Exc. (parece que leio em sua alma) ha de
estar alli pensando comsigo mesmo, que foi
injusto para com seu amigo ministro da
guerra.
Contractos de vapores de 9 a 20:0000!
disse o-nobre depulado.
Senhores, a verba relativa ao servico dos
vapores tem sido avaltadissima, isso attra-
bio a minha attencio, e muito tenho conse-
guido na renovaco dos respectivos contrac-
tos, pois consegu diminuir o prego porque
estavam ; e tenho tomado outras providen-
cias dando em resultado urna grande eco-
noma.
Logo no priaeipio da guerra tivemos va-
pores fretados a 42:0000 por mez, bem
como o Princeza, Oyapock por 30:0000,
Cruzeiro 30:0000, etc., algum dos quaes
foram depois comprados pelo governo. O
vapor Imperador, hoje Lima e Silva, estava
frotado por 13:5000 por mez, e hoje esta
contractado por 10:0000, tendo passado por
concertos importantes.
O vapor Presidente tambem estava fretado
por 15:0000, hoje est por 14:0000. O va-
por Jaguaribe, estava por 15:0000, foi re-
dnzido a 13:0000. 0 Mrquez de Caxias,
estava por 15:0000, est hoje por 14:0000
em virtude de novos contractos que man-
dei celebrar. O Teixeira de Freitas, que
estava por 16:0000, reduzio a 15:0000, e
assim outros. Mas isto o meos, pelo
que o nobre deputado vai ver adiante. As
comedorias conslituem ama verba importan-
tissma no servico dos vapores, e tem feito a
fortuna de muitos commandanie*.
Pagava-se por cada official 40 diariamonte
e por cada praca de pret 10. Eu redazi a
30333 o preco das comedorias dos offlciaes, e
ainda assim ganbam maito os commandan-
les, e a 666 rs. a das pracas de pret. O
nobre deputado sabe que se pie calcular
um movimento de 50,000 homens de ida e
volta, e que ainda se pode avaiiar em mais;
esse movimento em 20 dias d a economa
de 347:3200, o que fcil de ver-se, por-
quanio 334 rs, a economa feita as come-
dorias de urna praca de pret, e 667 rs. a
produzida as dos offlciaes e cadetes ; as
50,000 pracas devemos orear em 2,000 of-
flciaes e cadetes, e em 48.000 as pracas de
pret; do por conseguinte as primeiras a
economa diaria da 16:0320 e as segundas
a de 1:3310, sommando teremos 17:3650
para a economa diaria, o nos 20 dias tere-
mos urna economa na importancia daqaella
quantia de 347:3200.
Os abusos a que o nobre depotado se re-
ferio, de demoras nos portos e consamo da
carvo, tudo isto est providenciado, e se o
nobre depotado me tivesse feito a honra de
1r meu relatorio, poupava-me este trabalbo.
Entreunto, como a aceosafSo ha de vir no
seu discurso, tambem a defesa deve appare-
cer no meo, para o que transcrevere aa ms-
trueces qne se acham aunexas ao relatorio,
e s5o estas:
l As comedorias qae em de abonar-
se aos commandantes dos transportes de
guerra oo fretados serio de S0333 para os
passageiros de r e 668 rs. para oj de con-
vz oo de proa.
_______J r'ConffiMMir-ie-ea;.

nt,
i ti
i
tAW6-afrs das chuzes ..

-,---------
sa.
-.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ECYSJ6CS9_I06V7D INGEST_TIME 2013-09-05T01:32:39Z PACKAGE AA00011611_11354
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES