<%BANNER%>

Diario de Pernambuco ( Tuesday, July 23, 1867 )

Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/11323

Material Information

Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Tuesday, July 23, 1867

Subjects

Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:11323

Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/11323

Material Information

Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Tuesday, July 23, 1867

Subjects

Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:11323

Full Text
rwf
*
I
*.
<
ANNO XLM. NUMERO 166*
PAR 1 A CAPITAL IJO IBES OXDE SE NAO PICA POBTE,
Per tres hmm diantie'es., *.............. 6*000
Por seis (lites Uem.. .1 ! ,j .< .1 ,j .. .1 .: .: .j .1 12)9000
Per a anas Me*.. .; .1 .j .j ., , . .1 *\ .' 24SJOOO
Cali muere aris .]..,,........\ 320

TERCA FEIRA 23 DE JLHO DE 1867.
rA*A B FOBA A PBOTOCIA.
Per tres Mies seitiUies.. -. m r,,
Por seis ditas idea. ';-
Per dot ditos id era... ,
Per m idea., m............ .. ." .". ." \\ .'. .... ."
' t .
r .,
e ,

W750
13,5500
2W250
271000
A88UWDi\81l IDI PHILmUIUBVMD RD iatl01PV(&lI(D 0)1 mASJDII* millimtDia ID im.M VfflMM>8 Qilts IPMIPa!KW\M ENCARREGADOS DA SUBSCRIPgAO.
Parahyba, o Sr. Antonio Alexaodrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marqaesda Silva Aracaty,
oSr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. Joaquiai
J os de Oliveira; Para, os Srs. Gerardo Antonio
Alves 4 Pilhes; Amazonas, o Sr. Jeronymo da
Costa; Alagoas, o Sr. Francino Tavares da Costa;
Bahia, o Sr. Jos Martius Alves; Rio de Janeiro,
o Sr. Jos Ribeiro Gasparioho.
PARTI* D"CS f? Olinda, Cabo, Escada e esta?des da Ta Terrea at
Agua Preta, todos os das.
Iguarass e Goyaooa as segundas e sextas reirs.
Santo Anto, Gravat?, Beterros, Bonito, Caraar,
Altinho, Garaohans, Baique, S. rJento, om Coa-
selho, Aguas Bellas e Tacaratti, oas tereas-feiras.
Pao d'Albo, Nazaretb, Limoeiro, Brejo, Pesqoeira,
Isgazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa-Vis-
ta, Oarieary.Salgneiro e Ex, as qoartas feras I
Serfnhera, Rio Formse, Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
felras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNABS DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Helai-ao : tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s f0 horas.
Jalzo do commercio : segondas as il horas.
Dito de orpbos : ercaa e sextas s 10 horas.
Primeira Tara do arel: tercas e seitas ao meto
dia.
Segunda Tara do mal : qoartas e sabbades a
1 hora 4a tarde.
EPBEMERIDES DO MEZ DE JLHO
1 La no/ra as 6 h. e 30 m. da t.
8 Uuariflfcresc. as i h. e 39 ro. da t.
16 Luatoia as 6 h. a i m. da t.
24 Qaartotang. as i'i b. e 54 m. da m.
31 La nota a 1 b. e 02 m; da m.
DfAS DA SEMANA.
22 Segunda. Santa Mara Magdalena.
23 Turca. S. Apollnario b. m, S. Libanio b.
24 Quarla. Santa Cnrisiioav,S. Francisco Solaoo f
23 Quinta. S. Tniago ap., S. ChristovSo m.
26 Sexta. Ss. Sympbronio e Olympio moa.
27 Sabbado. S. Paotaleao medico, S. Sergio m.
28 Domingo. Santa Anna mal da mi de Dens.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 6 horas e S\ m. da machar.
Segunda as 7 horas e 18 minutos Ja larda.
PARTIDA DOS VAPORES COsTEIROS.
Para o snl at Alagoas a 14 e 30; para o noru
at a Granja a 15 e 30 de cada mez; para Fer-
nando nos das 14 -.los metes Janeiro, marco, mab
Jotbo, setembro e novembro.
INTERIOR
RIO DE .1 A\KinO
11 de julho de 1867.
A cmara des depntados approvou hontem em 2*
discussao, sem debato, o projecto do senado decla-
rando qoe a pensao de 400 ris diarios, concedida
por decreto de 28 de ja: bo de 1865 ao soldado do
12* batalbo de infamara do exercito Maximlano
lGdrigues Nery, e approvada pela resolugo n.
4,372 de 23 de setembro de 1866, sera' paga desde
a dala do mesmo decreto.
Approvoo, tambem sera debate, era nma s dis-
cosso, com varias emendas, o projecto que auto-
risa o governo a conceder um anno de licenga
com todos os seos vencimentos ao desembarga lor
da relacao da Babia Antonio Ladislao de Figueire-
da Rocha.
ContinooQ depoiso a 2* dis tossao do art. 1 da
proposta do governo que flxa as (oreas de trra
oara o anno flnancelro de 1868 a 1869. Orn o
Sr. Jos Avellno.
Continuoa em nltimo lugar a 2a discussao da
oroposta do governo sobre crditos. Oraram os
Srs. Lau Velloso e Pereira da Silva.
Ambas as discussoes Qcaram adiadas pela hora.
Entrn hontem do Rio da Prata e portos do sal
do imperio o vapor Geenle.
De Montevideo temos folbas de 2 do corrente.
Relativamente aos sucessos do tbeatro da guerra
nada se sabia all alm dos telegrammas dados pe-
ias olbas da tarde da vspero e qoe ja' transcreve-
rnos. Os jornaes do dia apenas referen) como no-
ticias transmitidas pelo telegrapbo de Buenos-
Ayres, qoe corra o boato de ter rebentado orna
revolucao na provincia de Cordova, e qne o Dr.
Paz hesitava em assumir a presidencia da repbli-
ca com o actual ministerio, pelo que ja' Bao-son
renunciara a sna pasta.
No congresso apresentra Manoel Quintana um
projecto declarando a cidade do Rosario capital da
repblica, e Osando para all se conslruirem os
edificios necessarlos o praso de deas anuos, du-
rante os qua-s as autoridades naciooaes se con-
servaran] em Buenos-Ayres.
A respeito da tentativa qoe noticiamos de fazer
voar o palacio do governo era Montevideo l-se ro
Siglo de 2:
c Ante-bontera a' noito divolgou-se a noticia de
ter a autoridade deseoberlo urna mina que levava
a' casa do governo, e bootem logo de raanha cedo
a muilido enebia o sitio indicado, procurando sa-
tisfazer a soa cnriosidade.
< A boca da mina esta' na ra PrimMro de Maio,
n'nma casa que all se acba em constraegio. Esta'
no compartimento que deve servir de sala e que
esta' assoalhado apezar de nao ter tecto, e urna
porta que se ajusta perfeilamenle encobria a obra
subterrnea.
< Estas circunstancias e o facto de se trabalhar
secretamente de nolte, sem se cavar a superficie,
como teria sido natural e mafs commodo, basta-
ran! para convencer o mais incrdulo de que
aquella excavaco subterrnea que se dirige a'
casa do governo, alravessando o cano real, tlnba
um fin) criminoso. Alera disto, porm, ha provas
evidentes qoe impossivel recusar.
c A autoridade fui avisada, segoodo parece, por
um dos trabajadores. A' ti;ra indicada,postaram-
se varios agentes da polica disfamados; das 9
e meia para as 10 horas da noite deu se o sigoai,
cercou-se o edificio e fui preso nelle pe.o ajudaote
do corpo de serenos Bartholomeu Quioleros, o en-
genheiro allemao Paulo Neuraayer. E encontrn-
se um apparelho elctrico arranjado para determi-
nar a explosao, vanas ferramenias, velas e dous
grandes barris de plvora, que bastariam para fa-
zer voar a casa do governo e os edificios imme-
diatos.
Presomindo se qne alguii individuo livesse
Meado no subterrneo a (avor da escurido, depa-
rara se sentinellas a' entrada. Hontem de tarde
abrio-se um buraco na ra, entraram por elle va-
rias pessoas e achoo.se um bomem que dava evi-
dentes signaes de terror. Eslava sem chapeo, com
ama camisa crtma, e averigooo-se ser primo do
mencionado eogenbeiro. Foi levado a cadeu. Ti-
oba estado naquclle sitio 15 horas, com ri-co de
-ir aspbyxiado pelas emanar-oes do cano.
Sobre a extenso da mina Do temos dados
certos, mas assevera-se qne ja' traospnnha a casa
do governo, teodo-se aproveitado para.alli penetrar
a circunstancia de formarem arcos os alicorees.
Nao se tioham descoberto ainda os cmplices,
que sem dnvida existen), pols, como observa o
mesmo Siglo :
Este crime nao pode ser emanacao de um sen-
tmenlo pessoal, pols se o fos3e ootro meio se teria
empregado, tratando-se nicamente de arredar um
individno, sobretodo om que esta' em to elevada
posico e recebe poblieainenle quantos querem v-
lu. Deve presuoir-se, pois, que o alienta do fruc-
tos de urna vasta macbinaco qoe tarde ou cedo
ha de descobnr-se, pelas mesmas declaragoes dos
ruinados ou indiciados que se achara presos.1
Um crime tramado eom lao infernal perversida-
'.le, nao tendo havido escrpulo de envolver os
empregados das secretarias e os moradores das
casas visinbas na catastropbo que prepara va para
ontros, eneben de horror a populacho de Montevi-
deo. O governador Flores foi objecto de sinceras
felicitacSds de todas as classes, e o abortado crite
nao poda deixar de augraeniar-lne a popolaridade.
O ja* citado Siglo concluoas suas reflexoes :
E' preciso estar privado de todo o sentiinento
de humaoida ie e baver perdido a consciencia para
nao tremer a' s idea de tornar-se responsavel
inte a justga divina e humana, pela heftatorobe de
seres inofiensivos que teriam deixado ontras tantas
familias na pobreza e na orphandade.
c Ha, pols, alto interesse poltico e social em
Jescobrir as ramiOcacoes do atteotado, e levar as
pesqnizas al ao ultimo extremo, para se saber
sobre quero deve recahir o anaihema dos homens.
< Para nm partido qoe o boave-se premeditado
tal crime seria orna nodoa indelevel, de que nln-
uem jamis poderla lava lo.
As datas do Interior sao : Perto-Alegre 30 do
passado, Rio Grande 8 e Santa Catharina 7 do cor-
rente.
As noticias sao de pooco interesse.
O presidente da provincia de S. Pedro do Sol
continoava a providenciar para que as frooteras
fossem beta guarnecidas. Tinhara chegado a S.
Borja e a Sant'Anoa diversos contingentes, e con-
lavase que este servijo ficana completo em pooco
tempo
Do 3* corpo de exercito escreveram ao Jornal
do Commercio de Porto-Alegre:
< Ha poneos das Ibe escrevi noticlando-lhe o qoe
sepassava por estas regiSes; entao dlsse-lhe qoe o
Portinbo e soa divisio deviam aqoi flear, e dei-lbe
as razSes dessa minha opinio.
< Agora vejo que pensava bem a' respeito, pois
o marquez, apezar das instancias do baro do Her-
val, resolreo qae elle a^oi ficasse, fazendo o mes-
mo servico de qne eslava eocarregado. Esta reso-
luto nao agradou ao Portinbo e a muitos de seos
coinmandado, roas, soldado como , e muito su-
bordinado, esta resignado.
< Nao concordo com esse general sobre o modo
tiorqoe considera esta commlsso, qoe julgo muito
onrosa e de sabida importancia ; mas conhego
qne tem razao para queixar-se de flear s com
1,000 bemens eocarregados das cavalhada magras
do 3* exercito, carretame, bagageos, orna'enfer-
marla com perlo de 200 doeotes, e alera disso
auaroecendo urnas piucas da leguas de costa no
Paran-
1 t J esta diviso, quando seglo o 2* corpo de
i exercito para o Paraguay, deo dous corpos erao-
; des com 800 pragas, e agora ainda se 1 he tira mais
1500, quando o servico qoe tem a fazer maior, e
I por conseguirte quando o seo pessoal devia ser
i augmentado I
c O raeu amigo deve lembrar-se que os nossos
I adiados desta provincia nao nos podem merecer
confi 05a, e antes serios codades, pois por duas
vezas tratar..m de reunir gente para bater o Por-
tinbo, e creio mesmo qoe com pretengdes de au-
xiliar Lpez, e se desisiiram desse Intento foi por
qoe vieram os batalhes 35" e A8 de voluntarios
da patria reunlr-se diviso. V, portanto, qoe
Portinbo tem razo, e que, posto seja bravo,
; enerRico e subordinado, nao pode fazer impossi-
veis.
< O governo que olbe com altengo para isto, e
recorde-se qoe esta diviso foi creada, orgaoisada
e disciplinada por este chefe, que sempre tem es-
lado separada do exercito, lutando com difficulda-
des, como seiam o alrazo de suido de mais de dez
mezas, e faltas de fardamentos e maita outras
cousas, e, finalmente, qae esta torga a qoe me-
nos dispendiosa tem sido para o estado, at mesmo
: em remoneragSes.
I t O coronel Pederneiras reliron se do exercito :
este digno official, que exercla o Importaote cargo
ve ajudaote-generai do 3 corpo de exercito, e qae
deio expressamente para ajudar o baro do Herval
a orgaoisa-lo, deixa vivas saudades pela soa corte
zia, loteHigencia e illostrago, sem duvida nada
mais tem aqu a fazer. Fago votos pela soa felici-
dad e boa viagem.
c O Mello Brabo 00 dia 31 do passado aqoi che-
gou com cento e tantos homens, fez mais do qoe se
esperava!
O exercito s espera orden) para marchar.
S. Cardoso, 4 de jonho de 1867.
No dia 30 do passado fura langada a pedra
fundamental do novo edificio para o bospilal da so-
ciedade de Beneficencia Portogoexa, eslabelecida
na capital da provincia.
A 18 um suarda da mesa de rendas de Bag
apprehendra na mesma cidade a diligencia do
Serr Largo, qoe conduza fazendas por contraban-
do no valor de 1:0004000.
L-se no Diario do Rto Grande de 8 :
1 De Santa Victoria chegou bontem o estafla,
adiantando-nos datas at 1 do corrente.
< No dia 24 do passado all ebegara a noticia de
ter encalhado um vapor na costa, no logar deno-
minado Coronilha, no estado Oriental, seis legnas
distante da fronteira de Chuy.
< O Sr. tecenie-coronel Serafim Ignacio dos Ao-
jos, coromaodante dessa fronteira, immediatamen-
te mandn ao logar do slnistro indagar do occor-
rdo, afira de prestar auxilios.
Soobe-se ento qoe era om vapor de guerra ita-
liano que hava encalhado, e tendo conseguido sa-
far na dia 25, seguir viagem para Montevideo,
deixando em Ierra oitsnta pn gas de soa guarn-
gao, que por ierra segoiriam tambem para Monte-
video.
f
A cmara dos depotados approvoo hontem, tem
debate, em primaira discussao. o p"jto qne au-
torisa o governo a mandar passar caria deciaauav
braMIeiro aos estrangeiros qoe tiverem domicilio
no Brasil e reqoererem.
Contlnooa depois a segunda discussao do art. 1'
da proposta do goverao, que flxa as fer>as de tr-
ra p ra o anno linanceiro de 1868 a 1860. Orou o
Sr. C. Ottoni.
Oeoupou-se depois com a discussao das nter-
pellagdes anaunciadas na sasso de 8 do crrante
pelo Sr. 'lavares Bastos ao Sr. ministro da fazenda.
Oraram os roesmos senborea.
Ambas as discussoes acarara adiadas pela hora.
Forara presentados os seguales projectos :
1 A assembla geral resolve :
* Art. i. E' prohibido conservar abanos nos
domingos e das santificados quaesqoer eslabeleci-
mantos comraercaes, officinas e fabricas.
c Exceptuam-se :
i. Aquelle onde sa venderem gneros alimen-
ticios de primeira necessidade.
< 2. As boticas, cochelras e depositosde carros e
objectos fnebres.
< Art. 1* Os miradores pagarlo a molla de 35
a 501, qoe Ibes sera' imposta pelos meios estabele-
cidos as leis em vigor, e o dobro na reinci-
dencia.
t Art. 3. Flcara revogadas as disposicoes em
contrario.
t Pago da cmara dos depntados, em 22 de jo-
nno de 1867.L. Antonio Viera da Silva.Fran-
cisco Garios Brandao.l-idorovJansen Pereira.
Fonseca Vianna.-Gama e Abita.S. O. de Mou>
rS.-A. P. Pinbeiro.
< A assembla geral resolve :
Art. i.* Sera' considerado ingenuo, e como
tal gosarV de todos os direitos de cfdado inge-
nuo, independente de onira qoalqoer prova, salva
a de id-ntidade de pessoa, quando seja exigida, o
liberto, cidado brasilelro que tlver obtido :
< 1." A nomeagode cava 11 e-i ro de qualqoer das
ordens do imperio.
< 2. a matricala de negociante.
3. As ordens sacras.
< 4.* O grao de hachare! em lettras, bacbarel
00 tiootor de qoalqoer das academias do imperio
ou estraogeiras.
< 5.* Em prego civil, cu jo litlo seja expedido
com a asignatura imperial.
6. Proviso para advogar.
7. Proviso vitalicia de professor publico.
< 8. Eleigao de vereador, quando effeclivamente
tenba exercido o lugar.
< Art. 2.* Ficam revogadas as disposigoes um
conirario.
Pago da cmara dos depotados, 6 de jalao de
1867.L. Antonio Vlelra da Silva
Poi offerecida a seguinte iodicago :
< Indicamos qne as seses desla cmara coma-
cera s seis horas da tarde.
f Fago da cmara dos depotados, 11 de julho de
1867.Tavares Bastos.Souza Carvalho.Villa-
boira.Andrade Machado.Gama e Abreu.Das
da Cruz.Jo- Avellno.
S. M. o Imperador, aeompanbado de seos sema-
narios, chegou bontem s 9 horas da maohaa r.o
arsenal de marinha, onde examinoo as offlcioas
de macbioas
Embarcando aili na galeota imperial, foi a' Ar-
mago, e depois de ter visitado o asylo provisorio
de invlidos da patria, dirigi se a' ilba do Bom-
Jesus.
Soa magestade d'alli foi desembarcar ao arsenal
de guerra, e tendo percorrldo as offlcioas oaqaelle
estabelecimenio, retirou-se as 2 horas da tarde.
Por decretos de 10 do corrente :
Foi elevado ao titulo de visconde com honras de
grandeza o bario de Arary.
Foi nomeado baro de S. Fidelts o capiio Anto
nio Joaqnim da Silva Pinto.
Commendador da ordem da Rosa, pelos relevan-
tes servicos prestados em relago a' guerra com o
Paraguay, Joo Caldas Vianna.
Cavallelros da ordem de S. Bento de A viz, o ma-
jor do segundo batalbo de iofantaria Jos Ferrei-
ra de Azevedo Jnior, o capito do 14* da mesma
arma Antonio Luiz da Cuaba, e o capito reforma-
do do mesmo bat.lho Carlos Maria de Oliveira.
Foram concedidas as seguintes pensoes :
De 42A mensaes, sem prejoizo do meio sold que
lhe competir, a' D. Henriqaeta Dias de Moura
Garcei, viura do raajor do primeiro corpo de caga-
doies a avallo Jcao Antonio de Magalh! G-ro',
fallecido m Caruztl de molestia adqairida em
campaoha.
De 394 mensaes, sem prejoizo do mel sold
qoe Ihe competir, a' D. Emilia Mooran da Silva
Caria, vluva do teuedte do 16* batalbo de iofan-
taria, commissionado no posto de capiio do sti-
mo corpo de voluntnos da patria, Jos nos Santos
Caria Juuiur, mono no combate de 18 de julho
de 1866.
De 214 mensaes, sem prejuio do meio sold
que lbe eompetir, a' D. Theotonia Rita da Muta,
viuva do tente do oitavo batalbo de iofantaria
Luiz Antonio Ferreira da Motta, morto em consa-
quencia de ferimento recebldo no combate de 2 de
maio de 1865.
De 214 mensaes, sem prejnlxo do meio sold
que lbe competir, a' D. Porcia de Alboquerqoe Ma-
ranho, viuva do alteres reformado do exercito e
teneole de commiaso do 11* corpo de vola otar ios
da patria Antonio de Albuquerque Maraoho, mor-
to em consequencla de molestia adquirida em ser-
vico de caropanba. v
De 364 mensaes, a' D. Auna Rozendo Maciel
Borborema dos Santos, vio va/do alfares do 21*
corpo de voluntarlos da patria, Jos Hygino dos
Santos, morto no combate de 24 de maio de 1866.
Do 364 mensaes ao menor Jos; Qlbo legitimo do
atieras do 5.* corpo de voluntarios da patria, Jos
Mara da Costa Mallos, fallecido no alaqne do forte
de Curuz.
De 500 rs. diarios ao cabo de esqoadra dol*
corpo de volootarios da patria, Matbias Jos Xa-
vier dos Santos.
De 400 rs. diarios aos soldados do oitavo bata-
lbo de iofantaria Joaqoim de Almeida Moura
Coutlnho e Pedro Marcolino dos Sanios, do 21*
corpo de volootarios da patria Jos Leo Cardoso
e do 32* Clemente Marqos da Cruz.
De 1414 aonuaes aos imperiaes marinbelros
Jos Joaqoim Barbalbo e Raymuodo Ferreira Can-
dido de Almeida.
Por decretos de 6 do corrente :
Foi exonerado o jala de direilo Antonio Augusto
da Silva, do cargo de chefe de polica da provincia
das Alagoas.
Foi recondatldo o bacbarel Joo Goozaga Ba-
callar, no lugar de joii municipal e de orpbos
do termo do Cabo, na provincia de Pernambaco.
Foram nomeados :
O bacharel Jos Antonio Gomes Netto, juiz de di-
reilo da comarca de Maracas de primeira enran-
cia, na provincia da Babia.
0 capito do segundo batalbo de arlilbarla da
goarda nacional da provincia de Pernambaco Ma
noel Teixeira da Molla, tenente-coronel comroan-
dante do mesmo batalbo.
Capito, Joaqoim Bernardo de Sa' Brrelo, teen
te-coronel ommandante do batalbo de infamara
n. 18 da guarda-nacional da provincia do Rio Grao-
de do Norte.
Concedeu-se aos tenentes-coroneis commandan-
tes dos batalhes ns. 99 e 40 da guarda-nacionas
da provincia do Maraoho, Alexandre Alves Cota!
e Frederlco Ferreira de Goova Pimental Belleza,
qne permuten! entre si os comuundoe.doc.respsc-
rlvos corpos.
Hontem nao boave sesso no senado por falla de
numero legal para deliberar.
A cmara pos depntados approvoo hontem, em
umas discussao, com varias emendas, o projecto
que autorisa o governo a mandar passar carta de
cidado brasileiro ao subdito portugoez Manoel
Francisco Moreira, residente em Itaperairlr, pro-
vincia do Espirito Santo.
Occopou-se depois com, a discussao do parecer
da 1.* commlsso de poderes sobra as eleigoes da
provincia do Amazona?. Oroo o Sr. Moreira, tiran-
do a discussao adiada pela hora.
Por caria imperial de 10 de jolho corrente foi
naturalisado cidado brasileiro o subdito portugoez
Manoel Joaqnim Gomes dos Res.
Por decretos da mesma data foram concedidas
as segoinles pensoes :
De 364 mensaes a D. Anna Carolina da Silva
Porto, viuva do alteres do 31* corpo de volootarios
da patria, Domingos da Silva Porto, fallecido em
coosequeocia de ferimento racebido em campa-
oha.
De 500 rs. diarios ao cabo de esqaadra do 2 re-
giment de cavallarla ligeira Generoso Joaqnim
Rodrigues.
De 400 rs. diarios ao soldado do 2* batalbo de
iofantaria Francisco Barroso de Souza.
Por decretos da mesma data:
Foi perrriitido qne permniassem as respectivas
igrejas os padres Joo Rodrigoes Sarment Aca-
lman e Loorenco Candido Ribeiro de Unto, paro-
cbos collados, este na igreja parochial do Senbor
do Bomfim da Chapada, na provincia do Mara-
nbo, e aquelle na do Senbor Bom Jess da Gnr-
gueia, na do Pianby, ambas da diocese do Mar-
nbo.
Em 12 do corrente foram expedidas as segoio-
tes ordens:
Concedendo 4 mezes de licenga, com sold e
etapa, para tratar sua saude na provincia do Rio
Grande do Sol, ao teoeote do 3* batalbo de iofan-
taria Francisco d Lapa Trancoso.
Concedendo permissao ao lenle do 26* corpo
pe volootarios Deocleciaoo Aorelio de Meoezes, pa-
ra gosar na provincia de Serglpe a licenga de 4
mezes que obteve em 6 do corrente para tratar de
sua saude.
Nomeando a Mariano Jos da Silva para o lugar
de mestre da oficina de serralbeiros e ferreiros
do arsenal de guerra do Para.
Em virtode dos termos de inspecgo a que pro-
cedeu a junta militar de saude em sesses n. 873
e 874.de 3 e 5 do corrente :
Concedendo tres mezes de licenga, com sold e
etapa, para tratar de sua saude, ao comraandante
da 2a secgo do corpo de borabeiros Dionysio F-e
derico Koff; e tres mezes dem, para o meamo Qm
na provincia do Para, ao tenle do 11 ba(alho
de iofantaria Sebasiio Antonio do Amara!.
- 14 -
A cmara dos depntados occopoa-se bontem
com os seguales requeriroento?, cuja discussao li-
coa encerrada, depois de oraren os Srs. Martiobo
Campos, ministro da marinha, C Ottoni, Fontenel-
le e ministro da Jusiica.
1 Reqaeiro que se pega ao governo intormagdes
acerca do desenvolvimento do escobarlo ms tripo-
lages da esqaadra >raliselra em operaedes no Rio
da Prata, sendo estas loformages acompanbadas
das commoolcages officiaes do commandaote da
esquadra e dos chefes do servigo de saude a tai
respeito, fazendo-se raengao das providencias acn-
sainadas e tomadas para restabelecer e conservar
a sande dos nossos bravos marinheiros.
c Raqueiro igualmente copla da ordem do da do
commandante da esqaadra, de 20 de fevereiro do
torrente anno, eoogratolando-se com a esqaadra
pelo convenio de 20 de fevereiro, aceito, mas re-
provado pelo governo imperial. >
c Requelro qne se pega ao governo copia do
contrato do casamento de S. A. Imperial.tuarti-
nbo Campos. >
Por portarla de 8 do corrente mez foi conferido
o ltalo de imperial ao Instituto Medico Fluminense.
S. M. o Imperador, acorapauludo dos seus sema
oarios, visitn hontem a fortaleza de S. Joao, onde
assislio a exereicfos de artilharia.
Sna Magestade chegon ao arsenal s 9 hora da
manba, e fetiroo se para S. Chrlstovo s 3 horas
da tarde.
- 15 -
Por decretas ns. 3,096 e 3,097 de 6 do correnlo,
ereoo-se ara) eomraaodo superi r de guardas naci-
naes nos municipios de Lavras e Talha, provincia
do Cear,Jfdividi se em duas secedes o batalho
de artilharl* n. i da guarda nacional da provincia
da parahyba. >
Com data de 1 tambem do corrente, expedio-se o
seguinte aviso .
A S. M. o Imperador foi presente o oficio de V.
S. de 26 dajabril do anno passado, submettendo a
approvago- do governo a recommendago desse
tribunal aos! conservadores do commercio, para que
se absiivesaam de mandar registrar contratos de
! sociedades enramerciaes, por oo achar-se sema-
lhante attrlbuigo comprebendida no decreto n.
1,597 do l. de maio de 1855, e provir o procedi-
i ment desss conservadores talvez o erro de im-
presso do referido decreto, por que, devendo estar
l escriplo noifioal do 3.* do arl 12Salva a dis-
posigo do art. 6.* i.*, acba se 5.*-erro lypo-
graphlco, que traz comsigo um cootraseoso da le,
pelo qae o registro das sociedades aoonymas nao
pode deixar de ser feito pelos tribooaes do com-
mercio. E o mesmo augusto seohor, conforman-
do-so com 9 parecer do conselhejro consultor dos
negocios da jostlga, boove por bem mandar appro-
var a recorameodago feita por esse tribunal, por
isso qne esta est de conformidade com as disprsi-
coes do decreto n. 1,597 do 1.a de maio de 1855.
0 qoe commonico a V. S. para sna fotelligeocia.
Deas gafrde a V. S.Martim Francisce Ribeiro
de AndradSr. presidente do tribunal do com-
mercio da oi te.
Expedio-se o seguinte aviso, com data de 12 do
correla :
Illm. e Exro. Sr.Commonico a V. Exc, para
os fins convenientes, que foi nesta data proferido o
seguinte despacho no requerimento em que a com-
munidade evangeliraallema de Petropolis, apresen-
lando os setas estatutos, pede qoe se Ihe permita
continuar qo excrclcio de suas fonecoes :
O governo Imperta', em solugo ao requerimento
da communho evanglica allema, da corte, pedio
do approvjcio dos respectivos estatutos, lia itou-se
a declarar que poda aquella comraunidade conti-
nuar no exercicio de suas funcgtJes, salvas as leis
do imperio, sem interpr juixo sobre os ditos esta-
tutos.
Applicando-se essa deciso communidade evan-
glica allema de Petropolis, pode a mesma comrau-
nidade condonar no exercicio, de soas funegoes,
sem prejoizo das leis do imperio.
Por estaoccaslo declaro a V. Exc. qoe em re-
lago forma exterior da casa em qoe a referida
commonidade celebra as suas raonloes, deve man-
ler-se o preceito do art. 5* daeonstituigo,como se
proceden quaoto casa em que se rene a com-
mnnidade evanglica allema da erte.
Dens guarde a V. Exc.-Jos Joaquina Fernandas
Torres.8r. presidente da provincia do Rio de Ja-
tro. i ,,
e lima das raptadas qoe coosegaio evadir-se qoe valor
referi estes pormenores. >
S. Paulo.=Em Jundiahy dea se o segoiote mo-
tim :
O presidente da provincia mandara aquella ci
dada, com carta braoca para recrotar e recolher
cadda os recrotas, o Sr. capito Pimeota.
De facto, j linba este mandado agarrar doos obtem pregos mais vaotajosos, o assim bem
mdividoos e retioba-os presos na cada, quando o prestar-se alguma attenco ao que flea dito.
povo am )tinou-se e exigi era altas vozes a soa sol
do algodo d'arquella machina comparada
coro o algodo de bbkmieira, de aorta que tam-se
ltimamente pago aqu mais. 14000 14500 por $
do preparado o'esta.
c E* esta, pois, ama cousa que deve ser alterna-
mente considerada pelos plantadores.
O algodo bolandeira tero melhor sah'da,
vai
de hontem foLno-
vce-presidente da
forara nomeadoa :
Por carta Imperial datada
ra irado ; ----------
Joo Francisco Doarte, i.*
provioria das Alagoas.
Por decretos da mesma data
Commendador da ordem na Rosa, o coronel An-
tonio Googilves de Carvalbo ; oficial da mesma
ordem, Manoel Moreira Duarte Mallos, pelos servi-
cos prestados em relago guerra contra o Para
guay.
Cavalbero da mesma ordem, o teoente do 18."
batalho de iofantaria Jos Pedro Domingues do
Cont.
Cavalheiros de S. Banto da A viz, o capito do 2.'
regiment de cavallana ligeira Marceilino Ferreira
de Azevedo, e o primeiro teoente da armada Pedro
Ferreira da Oliveira.
Fez-se merc do foro de cavalleiro
casa imperial, ao padre Luiz Marinho
Cont, parocbo collado da s do Para.
fidalgo da
de Azevedo
Em altengo aos servigos p estados na guerra
acttfal contra o governo do Paraguay pelo teoeote
secretario do 3.*-corpo de volootarios da patria An-
tonio Rodrigues Dornellas, e pelo alteres de com-
misso do2* batalho de iofantaria Joo Barbosa
das Naves, foram coocedidas por decreto de 13 do
corrente, a este as honras do posto do alfares, e
aquelle as de tenente do exercito.
Na cooformidade das disposigoes do i.* do arl
9.* da lei n. 648 de 18 de agosto de 1852, foram re-
formados igaalmeote por decreto de 13 do correo-
te, o cirnrglo-mr de diviso Jos Antonio Marti-
obo e o teoente do 3.* batalho de infamarla Amo-
nio Leopoldo Pereira da Cuoba, visto sotfrerem mo-
lestias incuraveis que os tornam incapases de con-
tinuar oo servigo.
DIARIO BE FERNAMBUCO
Pelo vapor TocantltiJ, chegado dos portos do sol
do imperio, recebemos jornaes da corte al 15, da
Babia al 19 a de Alagoas at 20 do correte.
Ro de Janbiro.Foi exooerado de vice-presi-
deote da provincia das Alagoas, o D.. Galdino Au-
gusto da Natividade e Silva. >
Corra seguir em breve para Roma, em mis-
sao especial, o Sr. senador viscoqde de Jeqoitiobo-
nha, para tratar com a caria, a questo do casa-
mento civil a ootros assnmptos relativos ao clero.
Entrara no da 15 a fragata ingleza Golatha,
trazendo o prncipe Alfredo da Gra-Breanha.
No da 10 do correte, suicidou-se o allemao
Matheus Alberto, morador ra da Lampadosa.
Estava louco.
Lemos no Diario do Rio ;
c A escuna hollandeza Hermn Albert, em via-
gem de Fraybenios para Falmouib, cerden-se a
150 mllbas de Montevideo, lodo a pique na torga
do temporal, fallecendo o capito Poltgewatb. O
brigae aostriaco Palinuro, qae la de Bordos para
Montevideo, salvou os nufragos; porm, este na-
vio leve tambem a infelicidade de naufragar na
poota do Indio, salando-se a tripolago, assim co-
mo a viuva do capito bollandez com doos Albos.
O cambio regalava : sobre Londres 21 i/4 a
21 1/2 d. a sobre Paris 450 res.
As apolices de 6 */. vendiam-se de 87 1/2 a
88 /..
Sahio para Pernambucc, oo dia 14, o pata-
cho Carteado.
Matto Gbosso.Acerca desla provincia encon-
tramos as segoinles noticias no Diario de Minas :
< Temos dalas de Gayaba at 30 de abril. Havia
all noticias do distncto militar de Malto-Grosso.
onde constava qoe em Saota-Croi da Serra se pre-
paravaro torgas bjiiviaoas para iovadir aqaelle
dislricto; esta ooticia, porm, carece de confirma-
cao.
' < A rennio da assembla provincial fot adiada
para 2 de jolho por falta de numero de seos raem-
bros, qoe, sendo em grande parte officiaes da guar-
da nacional, acharase em servico da guerra.
c No dia 24 de abril foi denunciada polica da
capital a existencia de om quilombo as immedla-
g5es da serra de S. Jeronymo, que dlzem contar
4,000 habitantes entre prelos ogldos, desertores e
ludios. Coaata que essa gente tena urna cidade e
urna forma regular de governo, assim como orna
erga eacarregada da policia da cidade, a que te-
rana o nomo de Rio Manso.
Havetvdo alli falta de malberes, tomaram os
iaabianie* d.o Rio, Manso a resolpya te rouba-la?,
Na povoaco de Tresladeiras, termo de Igoa-
rassti, fo morto a ooite de 19 do correo e com um
tiro o Sr. Alexandre Jos Tavares, em cajo cada-
ver proceden o respectivo delegado o competente
corpo de delicio no dia posterior.
Coraj iudiciado neslo crime, foi recolbido a ra-
deia daqoella villa Jos Joaqoim de Barros.
Rameltera-nos o segoiota sobre um. facto pas-
sado ante-hontem na ra das Croles, o qual reve-
la da paria de sea autor jostrados bem maos :
Chama-se a aitengo das aul.rldades policiaes,
para ora facto que dizem fdra praticado por urna
meretriz moradora oo primeiro andar de om sobra-
do na roa das Cruzes perteuceote a ordem lerceira
de S. Fraocisco. Hiotera pela manbaa podamos
lamentar grandes prejuizos e dasgraga-, occaslona-
das por uin incendio, ou no sobrado" da ordem ler-
ceira, ou na venda do Sr. Joaquim da Silva Costa,
porquanto essa saobora, segaolo afirmam varios
viziohos, tocara fogo em um gato ensopado enigaz
e o deixara assim ardendo sabir pela ra, at en-
I trar na referida venda, onde felizmente poderam
! conseguir que elle nao penetrasse para o interior
! da mesma.
< Actos desta ordem devem encontrar prompu
punjgo, para qne se nao reproduzam, nao s pela
sua perversidad*, como pelos graves prejuitoe que
podem acarre! t.
< A ordem ;. rceira que torae tambem em con-
sidoiago o pr <-edimeoto desta sua inquiiina.
Repartico da Polica.Extracto das parles
dos dias 20 e 21 de juibo ae 1867.
Foram recoiidcs a casa da deteofo no dia 19
, correnie :
A* ordem do subdelegado do Recite, Aolonio J -
, s de Almeida, para correcg", e Cypriaoo, escra-
vo de Joo Fraocisco Cavalcaoli de Albuquerque,
I requerimento desla. A' ordem do de S. Jos, Tra-
jaoo, eseravo de Joaqoim Pires Caroeiro Mootelro,
por crime de furto.
I 21
i A* ordem do Hita. Sr. Dr. chefe de polica, Can-
Pela presideocia foram saneci..nadas as segua- dido Jos Barboza Romanzeira, por ser criminse ;
tes leis ltimamente votadas: Manoel Joaquim do Nascimeoto, Virginio Francisco
A de n. 765, que autorisa ao governo a contra- dos Santo-, Alexandre Jos dos Santos e Manoel
lar a coltocagao de carris de ferro, que partindo Pedro Barretto, como recrotas. A' ordem do de S.
de urna das ras d'esla cidade, e seguindo pela Pas- Jos, Pedro Celestino Bazerra, para correeco. A'
sagem, Caxaog, Varzea e Pares, vo termioar oa ordem do da Magdalena, Rosa, escrava de Vicente
povoago de Saolo Amaro de Jaboalo ; Pinto, por sospellai de andar fgida. A' ordem do
A de o. 766, qae autorisa a construego de urna do Pago, Jos Francisco de Miranda, por ser deser-
ponte, que ligue a fregbezia de S. Jos pela ra tor da'armada.Ocbefeda 2* secgo, J. G. d Mes-
Inperial a da Boa-Vista pelos Coelhos ; bem co.no quita.
braa OUn sobre o rio de Sermbaem em Pao-San-1 Amanla (24) effe.ctoara o ageote Pialo o
g2'a o _^ i ,eil* de novis, piano, louga a cbystaes, por conta
A de n. 768 que determina dever ser a aposen- e ordem de nma familia que retirou-se para Euro-
ador i a dos col lectores e seus escrivas regulada pa, no sobrado da rna do Apollo n. 1. osa de
tora.
No mel do tumulto, deram-se gritos de morra
o capito Pimentel I coja vida com effeito Do dei-
xoo de correr perigo.
Inlerveio no barulho o commendador Queiroz
Telles, com o fim de apaslgaar a agitago popular.
Os dous individuos presos foram postos
era liberdade por ordem do delegado de policia.
Baha.Arribara, no dia 13, a galera logleza,
Maris-Sphre, que ia de Aoklaod para Loodres,
para refrescar Tem este Davio sea bordo 317!
pragas e 17 officiaes.
Fallecer o tabellio de S Jos de CariDha-'
oha, Jos Marqoes Pioto.
O brigae escuna Tonelero sabira em commia-
so, para os Abrolhos, no da 15.
O vapor americano Reglalo/; procedente de
Pernambuco, chegra depois do vapor francez Na-
vane.
O cambio regulava : sobre Londres 21 1/4 a
2i 1/2 d., sobre Paris 440 rs., sobre Hamburgo 795
rs. e sobre Portugal 135 /..
Sabio para Pernambaco, a 18, a sumaca bes-
panhola Ro$a.
Ficava carga para Pernambaco, o palbabo
te Protector.
Ssrqipb.Pol coovocada para o dia 1* da margo
futuro a abertura daass-mbla provincial, devendo
a eleigo dos deputados ter logar no da 15 de
agosto prximo.
A' alfandega renden al 5 do corrente
723493a.
Alagoas Foi nomeado inspector interino da
thesooraria provincial, o Dr. Lonrengo Accioli
Wanderley Caoavarro.
PERNAMBUCO
REVISTA DIARIA.
pelas lea ns. 486 e 365, art. 4. tendo por base o
termo medio das poreeotagens recebidas no ultimo
qninqneunto, do qoal termo duas tercas partes
f jrmaro o vencimento do aposentado; a final -
mente:
A da o. 769, que determina car a cargo da Ihe-
sourara provincial o pagamento da collocago dos
apparelhos a das annuidades, qae tara da perceber
o emprezario do asselo e limpeza d'esta cidade ; o
qual pagameoto sera falto semestralraeote e as
pocas determinadas no respectivo regulamento ;
para o qne sera' elevado o imposto da dcima ur-
ban na proporcao correspondente ao prego da col-
lecago dos apparelbos por uina s vez e ao das
annuidades, segundo as tarifas estabelecidas no
contrato.
A' tarde ae hootara readen a alma ao Crea-
dor, depois de longos padeciraeotos pbyslcos ca-
pitulados pela silencia de hypertropbia, o Sr. Joo
Falque, subdito fraucez, estabelecido a' roa do
Crespo desla cidade.
O finado veio do seu paiz natal para asta Impe-
rio ha carca de 20 anoos, iodo eoto para a com-
paobia de seos tos, ricos fabricantes de.cbapos
de sol na corte; d'oode traosferio ao depois soa
residencia para esta provincia, estabelecendo-se
entre nos com o mesmo genero de negocio.
Neste trafico apreciou toda esta cidade as suas
excelentes qnalidades psssoaeg ; e sobre um trato
lino, reuna elle a excelleocia de om coragio esco-
Ibido, que sabia ser amigo e aoiobava em si senti-
meotos generosos, notaodo-se entre estes o de re-
conbecido amor ao paiz em que vivia, sem esque-
cer todava aqaelle em qae vira a luz do dia.
O Sr. Falque, apezardos cootratempos qoe sof-
frera em sua vida commercial ba uns tres annos,
foi probo e exacto curapndor sempre de seas tra-
tos ; e a religio da paiavra leve nelle tambem
sempre om dedicado sacerdote em toda a sua vida,
quaesquer que fossem as relages desta.
E, assim, gosou elle, em doce compensagao, de
merecidas e raaes sympatbias de todos que comsi-
go tiveram negocios.
O Sr. Falque era casado ha 16 annos com orna
senbora, cojos dotes a finalidades lbe amenisavam
a vida nessa troca de anelos e da nma nnlo In-
tima e santa; mas desta nao delxa frncto algum;
assim como se a soa inconsolavel viuva lega pc-
eos bens de fortuna, deixa-lbe todava a opolencia
de om nome honrado, a riqueza de ama estima
verdadeira.
Nos qae tivemos a dita de entreler relagSas da
amisade com o finado, nos que o apreciamos sob
diversas relaces do homem social, tiremos occa-
sio esoobemos avtliar sempre a distiocgo do sea
carcter; e por Isso, neste momento solemne da
esquina,
seal.
e que da para o largo ou praga do Ar-
Moje as to horas se extrahir a S* i>arte da 8'
lotera beneficio do theatro de Santa Isabel (29)
sendo o maior premio 6:0005.
O ageote Pontoal, far hoje leilao, em sea
escriptorir, a roa da Cruz n. 62, de diverses
escravos a mobilias, e muitos outro- objectos, as
12 horas.
-
3
FJ I
I 3
2
>
g
1 2 1 w r 1 s i i 1 Masculino. I SI \
X 1 i* 1 ^i *. . 00 tu Feminino. 1 c
s A i* CO Masculino. M co -i M 85 i
* l w es Feminino.
1 o . 1 - M. -a Masculino. en O SO
?fc A - - 1 Feminino. i 1 % 8
so 1 a i < Masculino. I , si >
ce a * e 1 Feminino* '
J 5 S 5 Masculino. * >
-D 1 S> 1 CO ae i Feminino.
2.
2
i*
00
TOTAL.
E
-o
9K
Oo
OS
ADVERTENCIA.
Na totalidado dos doentes existem 218, sendo 122
homens e 96 malhieres.
Foram visitadas as enfermaras estes dias :
saparago derradelraj era que a morle ae interpSe I * "2>6 "2>6 1"'6 * 9 4'2' 7 l>*> Pe, Dr-
a vida, mais sentimos o sea passameoto, roais nos; A-s \0 ,0 10 u ,0 Dr> s,rinen|0-
de a soa morte. | paueteram
A' ioconsolavel viova, Exra.* Sr; D.^Virginia Manoe,a U| d coacto, ferimentos physicos.
Falqoe, offerecemos a expressao dos nossos senil- Mjnoe, Francisco ^pT ;
meotos; e ao mesmo lempo enMarxos aos cos Marja do'Ro8arlo, pneumona.
r-2PJlClmTnDm Vthtf^f k D-H>IM, StTO iOteite.
go, qoe de commom ora choramos ,! Joao Marques de Souza, abeesso.
Ao professor da escola normal o Sr. Miguel Antonio Maria dos Prazeres, febre typboide.
Arcbanjo Mindelo foi concedida a granhcagao de- Lnizg feDre typhoide
terminada ern^tei aoa professores, que se distiu-1 lu1i nerstin, anazarca.
goem por mais 15 annos no magisterio. NoDaU Mirll da Conceicao, lobercolos palmo-
No sabbado foi approvado em acto do 4.* ao- nares,
no na Faeoldade o Sr. Octaviaao Xavier Colrim, Lniza, bexigas.
qne em tempo deixara de faze-lo por ler seguido,! Joaqoim Jos de Saota Anna, gaslro interite
como capito de voluntarios da patria, para a cara- i Bernardina Marta da Conceigo, tubrculos pulono-
panba. ; nares.
Um distiucio commerciante estrangetrp desla Maria, dysenteri .
praga, sob a pseodonymo de um comprador de' Passageiros entrados no paquete Toeantms,
algodo, envia-nos o segoiote : > do sal.
c No estado critico em qoe se ach o algedo,
importa todo envidar para fazer eessar tal estado, Lio., .
nao oraitlindo-se qoalqoer meio que possaaogroen- Cannan, Manoel Floriana V. Pessoa, Francisco a.
lar o valor desse genero em provelto dos respecli-: C Goncalves, Lolz J. da Silva, c*P'I?i^a ''
vo plantadores, mxime quando esse valor se os- 6. Sooza, tenente Manoel de C P. d Aoaraae, c-
tenla em decrescimenio pela qaeda do prego, que-! puao Felipe Maniva, Jos da O. viten, Loareng.i
da ioevilavel, ainda que pessa ser gradual por al- B. a. Marapho, Qulteria, escrava Kapricio B. -A.
goos mezes. Gloria. Bras Manoel do Bomfim, capiUo Candido
Ora, a pratica tem demonstrado,que naoconvm j J. C. de Honra, Francisco Sino, Mare Racco, Ma-
o uso das machinas de serrote, qoe ora sao empre- ria, escrava, Jos t or, Val
gadas em grande escala oo amanho da la, apezar
Maooel Jos Fernandas, Dr. Manelaa dos Santos
os, Antonio Jos Santos Serrim, Horatins Jos
Moreira
me Augusto, Manoel B. da Cosa, Deloncrie, Mi-
noel Jos M. das Naves, Adelo Jos de Mattos,
Felippa P. de sooza Almeida -Flix P.'de Soo>a.
Joao Jos da Graga, desombargador Luiz Aoiom
da promptido do servigo das mesmas, e da quasi
necessidade delias, resallante de soa satra maior a
eolher. E oo convro, porque taea machinas,
gans da
oresu.1;
tavelmenie cortada a fibra da a*--
pot coueqteoci a grande, itffejgnoa obwuda no1 Jo:-* da Vascm-ellos, Jos .Anonio d A'roetdo
ap'dan7asteie maior Barbosa da Almeida, Eustaquio Gomes, Joo C.
faciiidada de trabilbo, do ^resallado de sah.r oo- de tiitva ta, daserohargador Jos C. Pootes Verg*-
Kdao; o qo- Ura 'ro, DorD?os Jos Franco, Jos Portatla, Joaquim
ran ohprvad no' Jo.- * Visr. jocelios. Jos Autnnio d'A'iietdo G'U-





^

maraes, Francisco D. J da Silva. Melcrvaes Y.H Ai *m reanlo a soa vida tutuca em
Muniz, Pfro dcAjcaniara Muniz, li Pr*sa5.inva.- pci.uejr. nuatuenuid do tuzado
lidas.

BlarL de rer**^* jere
i'anna
Segu para o norte:
Dr. Ednlrto da Silva Rabilloe saa famili,"Jo<6
Anionio Nguelr, capilio Jo*-FroaodBS de OU
vpira, Dr. Augusto Cesar Marques, tenente Ale-
jandre Magno Rudrigue?, c*#ttio Salastitoo 6.
da Luz, Alferes Sabino Heorique a Luz, capilSo
Jesuino P. do Naseimeefo, BeOS* loto B. de d*A-
raujo, D. Rubina Araujo.-Dr. Jlo Olimpio Rasgal,
teu-nit- Sebastiao Antonio do Amaral, Miguel B.
Sea'.ra Mello e soa familia, Raymundo Gomes Jo-
nior, 30 pracas invalidas, Dominges Henriqaes
Carlos R Pessoa de Lacerda, Dr. Jos Qoeiroi da
Costa LiSo, sna fennora, 5 Htbos e 2 eseravas, Dr.
Epatninonda? 9. Gcuvaia, Jos da Siita Coeltio,
Jos Claudio Perreira, desembargador J. C. Piolo
Vesgueira, Jos Joao Ribeiro, Affonco Tasso e Joo,
Pietro Morasso G. Pierresse, Francisco Alves de
Souza Cont Jnior e. i oscra^o, Jeronyme Joa
qnim S. de Oliveira.
J- Passageiros lindos no brlgae nacional Adt-
laide.
Jos Benlo Ferrelra, D. Maria de Ovelra Cob-
eeico, D. Umbeltna Mara da Conceico, I escrava,
e trajane Porfirio da Costa.
ckmitsiiio publico .-Obituario do dia 17 de
jnlbo de 1867. '
Silvina Mana.Correa do Nascimento, Pernambuco,
14 annos, solteira, Roa-Vista; molestia cbronica.
Anna Mari* Thereza, Pernambuco, 30 anuos, aol-
teira./B Vista ; febre lypholde.
Loira, Pernambuco, I das, S. los ; espasmo.
Joaqairo, Perriimboco, 5.amos, Ba-iVista; cama
ras de sangue.
LeopoldiBa, Pernaaabueo, Umezes, escrava, Boa
Vista; convolces.
Joaqoim Arehilo da Silva, Pernambuco, 21 a
nos, solteiro, Boa-Vista ; anasarca.
-li-
jse Looreoco da Silva, Pernambuco, 63 Minos,
casa*>, Retie-, nterite.
Manuel Bapblo de JClivefra, Pernambuco, 26 an
nos, easado, Santo Antonio ; peneumenia.
RiU de Cassta Nenrjes, PcrnamLuco, 31 annos,
casada, Boa-Viste; iqdigestao.
Luiza, Afrira, 30 annos, solteira, Ba-.Vista; fe-
bre typboide.
Jos, Peruambueo, Sanio Antonio; congesto ce-
rebral, jr
Felippa, frica, 40 anqos, escrava, Boa y Ato r
luoerculos pulmonares.
- 19 -
'. Maria Leonor Lamenha Lins, Pernambuco, 1
- annos, casada, Bj- vista; febre pibisica.
Pranceltna Vulpiana da Silva, Pernambuco, 23
anno?, ?olteira, Santo Antonio-, toberculcs pulmo-
nares.
Houuu Mtia da Cnoceicao, PernamJjuco, 25
annos, solteira, .Boa-vista-, tubrculos pulmooa
res.
Mana Uamiana, Percambut, 60 anuos, viuva,
Santo Antonio: elopor.
Luiza, Peruarahuco, 20 annos, solteira, Boa-vis
te ; Bexigas.
Luiz Ooerstio, Blgica, 42 annos. solteiro, Boa
vista ; anazarca.
Joaquina, Pernambuco, 6 mezes, Boavista ; con
VOl$0>S.
Ana, Peinarubuco, Santo Antonio ; convul
*" 20 -
Joanua Francisca de Jesbs, Pernambuco 86 ao
nos, viuva, Santo Adohio ; amolecinitnto cbro-
ico.
Adriana Maria do Sacramento Bandeira de Mel-
lo, Pernambuco, 77 annos, viuva. Sanio Antonio ;
febre perniciosa.
Anua da Silva, Portugal, 45 annos, casada, Sjb-
to Autopio ; bepatite fhronica.
Sevefiano Francisco Ferreira. Pernambuco, 34
auno?, solteiro, Santo ABtonio ; gastro bepatite.
Joaquim Jos de Santa Anna, Pernambuco, 50
annos. soltero, Boa-vista; astro intente.
Maris, Peramburo, \ asnos, Boa-vista: c vuicoe.
Pedro, Pernarabnco, 7 da?, Santo Antonio; es
pasmo. i
Sophia, Pernambuco, Smto Antonio ; asthima,
escrava.
Jos Ignacio, frica, 52 annos, escravo. casa de
deteocao, Santo Antonio ; gastro bepatite.
Aooa Joaquina AOdrade Sanio, Pernambuco,
61 annos, casada, S:Jo ; toberculcs pulmonares.
Thereza Bufina de Souza, Pernambuco, 8 anuos,
Santo Antonio; desinleria.
-
Comomiiicados
Liflcira auuljse do Cap. 1." da defeza dojuii
municipal de Gojanaa.
I
Em captulos dividi o Dr. Lucena i sna defeza,
em relaQo aos actos em que se baseon o presiden
te ., ir. ocia para o suspender do exercicio de
juiz inuoicai de Goyanoa.
Analysaiemos esses captulos, resumindo em
poucas palavras o contendo delles.
No capitulo primero occnpou-se exclusivamente
de sua pessoa, quer em carcter particular como
poltico, quer no de juiz municipal, lugar que oc-
cupa ha mais de cinco annos.
Nao juiz poltico, por que : nao qoiz no prln
cipio da liga trabalbar para ella, apezar dos convi-
tes do finado conselheiro Paes Barreto; de reitera-
dos i edidos do Dr. Jos Joaquim Firmino, e uonse-
Ibos de amigos liberaes :esleve em boas relac5es
de amizade Com Gregos e Troyanos da comarca :
fol'jecdnduzido antes de Andar o seuprimeiro qna-
triennio: nonca deu sentenca injusta oa errada (11):
nao se despenbou nos abamos de procedimenlo
sysiematicamente criminoso, que as paxSes parti-
darias iospirnm : foi arbitro escolbido pelos part
dos de Goyanna para decidir as qoe^oes polticas
por occdsio do conflicto nglez no Rio de Janeiro :
foi eleilor progressisia apezar da saa independen-
cia, e vote u em candidatos do partido opposto.
Nao juiz poltico porque nao protegeu a can-
didatura do conselheiro Lope:-. Netto, sen amigo, e
hospede, e nem to pouco a do Dr. Urbano, nao
obstante as sedocc5es de ambos: pronuncioa o es-
crivao, apezar, da caria da recomtnendacao do Dr.
Urbano.
Anda prosegue sustentando que nao juiz poli-
tico porque merecen elogios de amigos particulares
progressistas, como o Dr. Jobo Floripes, Dr. Luiz
GoccalvfB e ootros: foi o anjoda paz em Goyan-
nana ol'ma eleicao que aili teve lugar, como pro
vam varios documentos, altestados e informaces :
que victima finalmente de odios polticos.
E i ara evitar duvidas no resumo desle primeiro
capimio elle mesmo o resume do segninte modo :
< Eis-me, portento, para resumir, em mais de
omquatriennio de xerelelo, abstendome inflaxl
velmente das lulas polticas, conciliando os parti-
dos, merecend* a gratido dos progressistas, nu-
trindo bons relacies com o Sr. Dr. Firmino e com
todos os sens amigos, mereendo a connanca do
Sr. Dr. Gongalvrs da Bocoa, que em suas cartas >o
Sr. baro de Villa Bella, por elle mostradas, cba-
mava-me espontneamente (nanea Ibe ped o elo-
gio) m juit modelo ; eis-me ainda geralmente
a ao ctos, que a nossa residencia ra da
t*t .MtposBillita de tratar com a
guotiremos smente si,por que um ju|z.#roc4eu de. A amisade, qae conse-vi .
'o ponto mallo bem, nao pode oale mesmo estreiteda palo reoonbecimento
Ai
jou pnr matlvrjs particnlare enuda-cas de peo- lstingnem este amigo, explica
sr proceder de um medo dWepso T # *pre nelle depositamos.
Estes actos de bom comportemente so sen pri-
meiro quatriennio serio prova?, de que nao violn
o Dr Lacena i Constituicao no acto de prepoten-
cia praticado eonira Braga, apprehendeodo cartas
particulares, qae se acbjvam no lar domestico da-
qoelle cdado?
Por certo riqguemdir que no capitulo analys.a- > joar na calada os seus licoes
.do ha vislumbre si qser.de defeza* o acto de vio- i-*nhi ..*. -
3 de fall de 1867.
30
#bV W VHIWi 9D* i i .. ' .!' i w*mi
Becife, 21 dejulbo de 1867.
Viscoode de Caaragibe.
BirJmdeMurinea.
Acrstico.
jjenj durinho, bigede retorcido
lencia Imputado ao Dr Lucena.
Veremos depBjsKse aoi segando,* teroejro ca-
ptulos ho]e pubtcados, foi elle-mais feliz.
Recife, 20 de julbo de 1867.
"aioinlia o nosso bere embeveeido
"^ij dua*. a fazer tres estacSe.
"a, o chapele como a furto
SSR
ira, de amor um beijo enva
nosso bacorao, de bico curto.
Publicares a pedido
No Jornal do Reafi de boje, vm um acnuncio
do chamado secretorio da irmandade de Nossa ;e-
nbora da Ba Viagera, sclentificando a todos os
irmos da referida irmandade que, uina-elra 2o
do crreme, ha reunio de mesa geral, com assis-
ttncia do Sr. Dr. provedor de capellas. Parees qae
s muito de propesito- foi. escolbido um dto;de Ka- \
balno afim de nio coaparecer grande numero de
irmaos, vijto ojie s.e.udo ,qu,asi todos moradores no
f Recife, e cada -nm occof ado em sens atazeres,
provavel qae nao coaparec,an>.
E' praxe seguida em todas.as irmandade?, fazer
convocacoes Je mesas geraes nos domingos ou das
santos, e na Boa Viagem sempre assim acoateceu
at cjin.as mes s regadoras, no enlaulo que ago-
ra o coqvile fejlo, para am dia de trabalpo sem
que baja u .geacia.
Houve convocaco de nus geral para o. domin-
go 7 di. crreme, estivrram presentes vinte e sele
irmos,. faltando o juiz e.,os procuradores, negan-
do so a tomar assento o chamado secretario e o
ibt's-'iireiro ; pelo que ili'ixou de baver elclQao de
secretario 'jue se acba se/ola a ,mais de tr.s me-
zes. E-u' provado que os irmos nao sao omissos.
omissos.sao aquellas que tem oais poroo-de deve-
res a cumprir.
Perguma-.se que motivos ha para o Sr. Dr. pro-
vedor de capellas assistir a semelbante mesa ?
Por coate de qoem correr' .as despeas a fa-
zer-se?
(Desde ja' protesta ,-e por qnalquer.despaza, por
conta da irmandade.) |
Se o irmo iaiz, quizrsse rennir mesa para que
a ella comparecesse os irmos que Ihes siprouver,
j o poda ter feito as duas omingas depais do
dia 7.
Piorado esta' quena* ha urgancia, a vontade
do runo juiz que quer dominar.
Qnerera' o Irmo jnlz, orovar na presenea. do
Sr. Dr. provedor de capeUas (se nao comparecer
naraerosufflciente de irmis) que eUes sao omis-
sos T parece que o nio podera'.. fazer, porque na
mesa geral para a eleicao este anno, oompa ece-
rao. quareota e quatro, e na de 7 du corrente vin-
te e sete.
Dizem que se deseja urna administraco ir-
m nJaJe, ella que venba, com lauto que nao seja
corupoatBfide irmos pronctores, que moram por
preeos eommodos, no patrimonio da irmandade
ii fazem fe-tanjas com avultadas quanlias e al
eneseot'. m quti se tomo tarrea do patrimonio.
Se fdr a admlnistraco sabida d'entre aquelles,
que tem prestado relevantes servicos a' igraja e a ]
seu patrimonio (um delles esta' no desembolso de
mais de tres contos rte ris ba anuos) que appare-,
ca, porque de coraco a desejamo?. Espera-se to-
da^a rectido e jstiga.
Um irmo que nao pode comparecer por ser dia de
trabalho.
D'VMA
Molestia Ulce
Curada.
dissolvido em ijjaa picaral ventre corrente, e as orinas desembara
bastante assucar em nm grande f edas.
usturar com um papeliimb dosf o modo de asar-se e regnlar-se Tai des-
geraDtes para tomar, j^m Vende-se anicaioente oa botica da roa
Direita n. 88 de
Rocha Paranhos.
Lenha em aejus.
Toros -.
Tdps aquolles que so acSo ga^ifoe eof-
frer uiplestiss scrofulosae, ulceroe*s( pu sjphl-
Uticas, ainda mesmo as reputadas .-de pelar
natureza, apenas nec.-smtSo de lcro segninte
. taso marvillioBo, para que se sinti Uiteira-
, mente convencidos que a siw propria cura,
no s msraniente poesivel mas ,Blm abeoj
tamente certa.
Joio J<)Sfe F^aumniA Paubo^, reaideae
na Oidade de Marauho. tinha todo o sen
rorpo ci.burto de cLa^as ujcerosae, e duxn}e
algunos anuos se a chava debaixo do trataciento
de madicos oe mais afamados, tendo osade
iuraatu todo aa-.e lempo quaei.toda a apele
Je nn.-decinaa que era laes casos empregada
pela,/acnldade medica, porn- debalde aern
obter < menor beneficio ou alivio: achando-ee
po>3 ein laes apuros elle finalmente resolvea-
fazer uso da
m-

Os b.uffss psrUienfs.
Acaba de s,er represen'.ada no Saoteisabel, com i
sati-faco do publico, a opera cmica em.2 actgs e'
2 quadrosOrpno nos'Infernos."
Multo ja se tem dito desta opera, quer como tra-'
balho litlerario, quer como tcu-ical, e por isso
nos limitaremos a diaer apenas algumas palavras
acerca de .-ua execucSo.
O desempenho Toi saiisfaciorio, por quanto os
- rtitas na mxima parle reproduziram bem os '
eus papis.
Vi Sr.. Peiya e Noury, este no papel de Jpiter .
e aquelle no de Arlsteo e P'utao, nada deixaram a j
Jezej.r, pois, como sempre, se conservaram na
HrJra do seu talento.
O Sr. Femad, compreheudeu e foi satisfactoria-
mente bem, no papel de Orpho, que Ihe coobe'
fazvr.
.Hdame Poppe, desempenbou dqos papis, o de
OpimSo publica e o de Venus, lendo porfim
mais agradado no desempenbo do primeiro.
Madame Guillemet, no papel de Diana, nao can-
tou mal.
O Sr. Salvador, no John Slyx, procurou satisfa-
zer o publico, apezar de nao Ihe ter sido bem des-
tribuido semelbante papel.
Madamoesele Bluette, por-cffeito ia exageraco
mo gosto com que desempenhou o papel de Ja- Plithtsica
no, sacrifleon-o ao ponto de torna-lo ridiculo. n v^r^^r, .ik^s. j im -
km compensaCao pprm, de algumas pequeas ]aroPe .elDeno de velame Por nim pre-
faitas, houve o perfeito e cabal desemp-nho des parado muiio tem aproveitado aos que sof-
papes de Eurydtce e Cupuio, por madamoiseiie fretn desta trolestia e de lamentar-so, que
Adle Lenormand, -esta sympathica e dsiincta o obituario desta cidade a maioria dos que
afS,noSucVmtoTmadaloiSifAPd^ de tubrculos pulmonares, sem
couberam os papis de Eorydice e de Cupido, em procurarem 0 recurso do pratico e do expe-
cujo desempenbo, essa rainha do palco conservou jrieote, que ibes podem encamihar 0 meto
se radiante da altura em que o seu bello talento a q sua salvacao.
16 A su'Tslea ealtracllvos sao mais um dom!^.0.?'-- Brgacom loja de ferragem na ra
com qae a natureza a qoiz mimosear. Direita, foi desengaado por dous habis
A sua voz doce e mavbs, extazia e arrebata a {me jicos, acha-se boen COm 0 tratamentO por
todos quantos a escutam. rnitu prescrito
Os seus ademanes, a elegancia e bom goslo das ^ Jamnvmu Mara Ha PanrAr-n
toilleles, com que jerapre se aprsenla em scena,! A *r- Jeronyma Marta da Concedo,
e a distineco com que sabe pizar sobre o palco, moradora da trav9>sa do Mont'iro n. 10,
dio ibe nm realce tai, que, em abono da verdade, achaade-se desengaada, tambem mim
bem p-.ucas a podero imitar. 'recorreu e acba-se restabelecida.
papel de Eorydice, incontestavelmenle o! .rj
de mm>
No todo elle apena cliegou a tomar Cine
3arrafas.de Susaparrha quatro frascos du
Pilulat VeyetOe* AwicaracUtt, e o resoltado
Coi qlle obter una completa e perfeitajiura.
Os.Sere. FEnEiriA .& Cia., Droguistas de
Maranhito. foro qiiem supprirSu os medica-
mentos, e scho-st perfeitamente ao faetn
dV'ste.caso, e os meamos Senhoree, nao a se
acbito promptos confirmar o mesmo, como
'umbum em fornecer o acta! adtosso do Ser.
Ba;oza, toda e qualquer pessBa que por
ven'-uiae.OJ^j informar da verdude.
Recoraminda-se mu ]rticularmente aot
Do<-ates que tenliao o maior cuidado na eecolnc
deete ertellse remedio, nao usando outro i
nao t a Genulna Salsaparrilha de Bristol,
a qual excluaivameot preparada por
IANMAN & KEMP,
De NOVA YORK,
todas as mais sao inefficazee de sea
iwistimo
accommettimento da febre, e pela
jnQ|fth|n o xarope etberico de veame. ..Tenbo
"**".ado,- qnc facam tisq de vegetes de
acida, como laranjas, limoes, pi-
r uvas, etc.* e appcja^es de plantas
ysas, que fortificani o estomago e ser-
o me.'mo tempo para desrplr e ipiti-
garande.
A Sra. D. Joaquina de S Parwio, t^ujo
urna soa escrava fallecida desta molestia,
s^bmett^da jta trata,mento de. seu. medico,
resolvu proetfrw-me para tratar de um ou-
tro escravo-, que tofiria da mesma enfermida-
4e,j)rescrevi-lhe o xarope de veame, tem
melliorado coosideavelmente.
A senhora do Sr. Antonio Francisco Ho-
norato foi desengaada por babeis mdicos
desta cidade, esteve prostrada, e nos lti-
mos paroxismos da morte, foi com o xarope
de veame salva, como se. v da carta impres-
sa no Jornal do Recife de 9 de fevereiro de
1863.
O escravo Emilio, do Sr. tenente-coronel
RofApipjao Joo Bawta.de Almeida, foi tam-
bem desengaado por habis mdicos, e.com
o xarope de veame ajjha-se completamente
res|abelecido, CQfbo se v .tambem g^a carta
impreca rjo ,mesmo,Sr. tenenle-coronel no
mesmo Jornal do Recife.
Nao dtixarei de advertir ao publico, que
as mifljias .prepararles de veame sao reuni-
las cqq tenlo obdo.ptimos resultados : nao se en-
gae or mesmo pblico com ou tros que per
abi se a'nnnhciam, cujas prepararles ign'oro,
assim como o aproveitament abi enfermos,
a qoem poi'ventura tenliam sido applicados;
cada um responde por si,, e en afirmo com
verdade o qe.aqui tenbo relatado, cojos
mediciim^fltoi nesta provincia sp v_endo em
minba botica na ra. Direita n. -S8.
Jos da Rofha Paranhos.
Naweth do Cabo,.7 de setembro de (863.
(nini. Sr. J se da-Rocha Paranhos.Com
| o maior prazr levo ao conbecimento de V.
s., que o doente que V. S. acha-se adminis-
trahdo-lhe ra'medios, acha-se no ,lodo es-
, tabelecido.portanto nada sent, tendo des-
I apparecido do todo a tosse, tem muita dis-
posigao comida e acbl-se nutrido. Deixou
j de tomar os ultjmjos r.e'njedios que V. S. re-
ceitou no k. 30 dopassado, resta agora aV.
i S. nandar-nie dizer qual a dieta que o doente
i deve conservar e por quantos tempos. men-
| (oleando as comida que dever usar daqui en
din e.
Resta-me agora agradecer a V. S. o cui-
! dado que tombo no tratamento do mou so-
[b.n.Dho, abaixode Deus, devido o seuresta-
j beleciment a pericia de V. S., e por isso
pode JV. S., sempre contar com os meus di-
I minutos prestimos, e desej ri em todo o
I tempo dar urna prova do meu reconheci-
' ment.
Dezejo a V. S. todas as venturas, por ser
: de V. S. milito respeitadbr e obrigadissimo
(Cfiado.Francic Beringuer Cesar de Me-
nezes.

COBIMEfiGIO.
--------------1-------,
JtfLHO
i i} n
.... cen
.....
Linhas e estees...... *
Mel ou melaco...... caada
. arroba
nm
qunal
um
urna

PRAfA DO RECIPE ii DE
D 1867.
H3 ^ Joras da Urde.
Cambio sobre Londres96 d/v 21 d. por 1JO00.
ilveira.
fraiHHAte.
Hacerlo,
Secreurio,
' baueo de Pernambuco.
O novo banco suspeaJe do ultimo de=le mez
deiunh) em dianle os juros a's qusntias, qiie ptr
conta corrente permanecen! no bat>ce.
molho
cento
Milbo
Papagaio
j Pao Brasil.
I dem de ja
1 Pedras de i
,H$n de filtrar"".
(fdein de rebolo......
Pias*va........'
onrou cafres de vaccas ou
i nvilhos ....
Wigg te.Wo dem'de louro ....!'.
Rap......, .
, Sabao.........
Jal
Salsaparrilha......
Sebo emrama .. >
dem em velas...... >
Sola em yaquela..... uma
Taboas de amareljo .... duzia
t diversas...... >
SJSOO
11*000
6000
160
2*000
3*000
-6*000
5*000
900
800
1*000
ICO
3*800
um
Tapiocas .......arroba
O novo bsneo de Pernambuco descooU letiras Tatajuba ......quintal
de 10 a 12 por cento aoaono. conform os pratos. Trabes.........urna
------ Unhasdeboi......cento
u novo banco de Pernambuco paga o dcimo Vassoras de de piassava
otavo dividendo de 6*300 por aeco. Ditas de timb .......
Dtus.de.rnaui ....... >
Vinagre.........caada
42D:aS5881; Alfandega.de Prn^nuco, 20 de jolho de 1867.
,?0 #31*839 ADITAMWEEHTO-
--I Cera, de carnauba . arroba
-^l1!*7!^ i CasseiraA,de iacarand. duzia
ALFANDEGA.
Rendimenlo do da 1 a D......
..Id.emdo tija 22...............
20*000
10*000
libra 1*000
i 160
alqueire 400
arroba 25*000
5*0C0
7*000
2*000
140*000
87*000
3*000
2*000
6*000
380
10*000
8*000
6*400
800
.Yolumes entrados.i;om fagendas... 194
f f t gneros.... 183
yojomes sabidos com fazendas... 91
| , .gneros----- 464
Descrr^am boje 23 de albo.
Vapor fuslez-O/mda^-mercadorlas.
Hlate inglezOceno -mercaorlas.
Br gue inglez-rC^anamercadorias.
Patacho prQssianrjilfenj dem.
Barca nacionalFutwira charque.
Patacho hanoveranoAtlantedem-
Patacho nacionalTa/eureidem.
Patacho nacionalGuWfterminalem
Brigue porluguez N. S. daConceicao -ide,m.
Polaca nacionalS. Pedro-dem."
importacao
.Brigue.inglez Qctama, entrado, de .New .Y
-*^
No
Desempenbon-o perfeitamente, desde a primeira
scena, em ifue sorprehendida por Orpho, na
cabana de Aristeo, al a scena derradeira, em
lado do Ueus -laceo, en'.Oa os seguale
qae, ao
verso :
t O" re! -
a O' Bacco divino,
Pols qu o meu deslino
i Na terr. foi (erino,
Tua-hoje sou I Divino re,
Recebe, eleetrisa
< A sacerdotisa,
Que se inmortaliza
< Em la grei t >
bemquistoe respeitosameiit" allepdido, qoando me Lenormand, oa ella o verdadeiro amor.
collocava junto s autoridades policiaes para man
ter a ordem alterada por occasio da elei^o de 3
de fevereiro,de um momento para outro, por-
que foi estorvo a nma jnstiQcacao falsa, parque as-
sim convelo a ioteresses partidarios inctmpaliveis
com a minha dignidade, convertido em fautor de
desnrdens e torpezas eleitoraes, e descriplo copio
ceg e ralvoso partidario 1
O juiz qne em mais de quatro annos de exer-
cicib nao den lagar a' ama queia de quem quer
qne fosse, que era tido e proclamado como activo,
independenie e integro; o juiz que pode ser recon-
dazido pelo governo progressista antes de pedi-Io
on requerer, tres mezes antes de flndar-se o primei-
ro quatriennio; o juii que pode pro.var grandes
principal.e o mais difcil da opera, madarootselle ^ sobrinho do Sr. professor de Naza-
Adle Lenormand, nao encontrar fcilmente nma, retn do Cabo, acha-se bom, como se ve de
competidora. I sua carta abaixo transcripta, alm de outros
fados, que poderia aqui mencionar.
A phthysica a desIruicSo e a magreza
de todo corpo em consequencia de chagcs,
tubrculos e concrecclo dos bofes e de em
pyema, atrophia nervosa e outras molestias
que viciam os humores, como escorbuto,
alporcas, gallico, asthma, bexigas, saram-
po, eic.
Na phthysica, chegando ao estado degra-
! vidade, o jque mnito pode concorrer para a
l salvacao do doente e ajudar os medicamentos
: , o ar do campo, exercicio conveniente e
I dieta, a qual n3o deve ser de nenhuma coli-
sa quente, ou de defficil digestio; e a be-
bita cumpre que seja de natureza branda e
fresca.
Todo o seu aljpento se ha de dirigir a
moderar a acrimonia dos humores e a nutrir
e susler o doente, para o que preciso re-
duzi-lo ao uso de vegetaes 6 leite-
Toda comida e bebjda, que se tomar ha
de ser em poucas porches, para evitar que
o excesso do chyo resco opprime os bo-
fes e acelere maito a circulado do sHgue.
ituitos doente desta molestia se teem en-
tregue ao uso do oleo de ligado de bacallao,
No mimozissimo papel de Cupido, vimo-la tao
bem metamorpboseada, qne espontanea e intima-
mente balbucamos : nao madamoiselle Adela
Perinitta-se-nos pois dar aqu os nossos para-
bens a madamoiselle Adle Lenormand, pelo sen
bello talento e por mais essa conquista.
Acetalos, pois, madamoiselle Adle Lenor-
mand, ac i tai os por qne sao sinceros.
Eis aqui o nosso franco jnizo, acerca do desem-
penbo da opera Orpho nos Infernos
Acreditamos qae com nosco concordaro todpi
quantos acha/am se no Santa Isabel por occasio
do espectaculp, e assim paramos aqal.
Recite, 2a de julbo de 1867. ^
Um.seu admirador.
,-' e outras preparacoes de resinas e.balsamos,
lm. Sr. Joaqoim de Almeida Pinto.Os sem que deltas tenham tirado proveito; e
servicos ao termo, e especiaiissmjos e desvelados, meojyjadecimentos do figado e do baco, e alguns expositores de medicina combatem
maco o aistameoto de voluntarios, e qoe depoi! Ja "onam prodoztdo em mim e em todos.; B' costme carregar o estomago do doeo-
da quadra de entbosiasmo organlson nma cbmpa- que me viam acerba convicio de ser em te com medicamentos oleosos e balsmicos;
nbia de 112 pragas, sendo ltimamente condecora breve pasto dos vermes, quando por lem-|porm estes em vez de tirar a causa au-
ues (ob i lempos!), po/ijue nao qoiz ser com ;JurtrDeba e do emplastro preparado por S.mo tempo que^t'iram o apetite, relaxam 08
pllce de alstdades, arrojado pelo tufo de odios
polticos de sua posicSo offlcal triste sitaacao de
reo, privado de todos os recursos de defeza, inju
riado como nio ha idea de q aigoejt

do, e v* o sen nome, que taalc se ^porgoa por
manter poro e honrado, aoonciad e repelido
pelas cem tabas do governo com o honroso labo
de prevaricador e de coocassionario em prejuizo
dos orphos, dos orpp^os'qne tanto Ibe deveml
\ pSA COXCLSlo
A parte a modestia e praumpcao da defeza, nem
uma palavra si quer em rlajao aos actos que de-
ram logara saa suspensao e fondamenUram a de-
i'iso da presidencia'
S. e fui tao feliz com essa lembranca que solidos, e s5p de toda sorte perniciosos,
gracas a Deus me acbo bom, em vista pois Tudp que se fizer para extinguir a tosse,
venho dar a V. S. os parabens por ter des- alm do exercicio e rgimen aprdpriado de-
coberto esse lenitivo a humanidade afflicta, vem ser remedios de natureza acida, deter-
e offerecer-lhe o meo pouco prestimo. gente e calmante.
Sou de V.' S. atiento venerador e criado; Os cidos possuem a vittude de Droduzi-
Jos Thomaz de S Gavalcante. rem bons efeitos' nasa enferroidade, por
Racife t de jolho de 1867.
Julgamos do nossn- dever declarar, qne para
verdade lado quanto affirma o tenente-ccronel Nrl
Ferreira em sen cammunicado uj Diario de 11 do
correte, relativamente ao obseqaio qae sempre
que, nao s contribuem a apagar a sede
quando accommettera a febre ethica, mas
tambem a refrescar o sangue.
Aos doentes desta enfermidade, quando o
seu estado de gra vidade tal que a febre
Xarupe tnico refigeraote de veame e de
ferro preparado pelo pharmaceutico Jos
da Rucha Paranhos, estabelecido na cida-
de, do Recife provincia de Pernambuco,
ra Direita n.88.
Este xarope, que d tom ao movimentq
muscular por soa qualidde frrea, *' ao
mp.smn tAmpo mirg^ivn rjela parto do va-
lame que encerra, e refrigerante pela parte
acida alem da precisa para perfeita solufao
e combinaco de ferro ; este alacado pelo
acido tica em extrema diviso, e assim o
mais soluvel que possivel, de sorte que j
nao to dependenle de ser digerico pelos
cidos fracos, que se acham no suc 'o gas-
trico durante a digesto. Os expositores
de medicina sao de opinio que o ferro e
todas as suas preparares gozam das virtu-
des eminentemrnte tnicas, que aproveita
em todas as molestias que sao caracterisa-
das por fraqueza; e com effeito acho exac-
to essa opiniao; n5o mas dado o ferro em
substancia pelo mo resultado que tenbo
observado, (e que j fiz publicar) em certas
e determinadas molestias: por exemplo :
anemia, e fe!:res intermitentes, terminara'
moitas vezes por anazarca, qoe accomu-
laco de serosidade no tescido cellular (agua
'quando est estre a pelle) e depois ascite
ou hydropesia do ventre, que accumula-
Co de serosidade no peritoneo.
E' sabido que o ferro um dos agentes
mais importante psra que o sangue se pre-
pare e aperfeicoe devidamente, e por con-
seguinte o mais proprio para impedir o
desenvohimento destas molestias : mas sen-
do elle um eflicaz excitante, sorbente e se-
cernente, clafo que s associado como se
acba neste xarope, pode dar o resultado
que se espera, e a experiencia me tem de-
monstrado sem risco de offender as entra-
nas.
O efleitos dos incitantes, s5o : promo-
ver as-secreces, e absortoes, augmentar o
calor jatural, e remover aquellas dores que
nascem da falta dos movimentos irritativos.
Os sorbentes sao tambem aquellos agentes,
os qoaes aogmentam os movimentos irrita-
tivos, qoe formam absorcao, e os secernen-
tes aqoelles qoe augmenta ni os mmimentos
irritativos que cootiluem as secresoes. As-
sim, pois, v-se qoe sem a precisa combi-
naco e modifleaco oo pode ser elle ap-
plicado indistinctamente. Muitas vezes o
pratico deixa de fazer applicacjlo do ferro
por conhecer sospeitar qoe o figado, o
)ofe oo polmio, e orgo esseni ial da res-
piraco, oo oolra entranha est oendida ;
entretanto que? se se tivesse applicado em
tempo se poderia ter evitado o desenvolvi-
mento da molestia.
Assim, pois, o xarope preparado como
tica exposto se pode osar sem risco por
nao offender as entranhas. As molestias
contra as quaes o xarope tnico refrige-
rante pode ser applicado com proveito, sao:
as amenon heas, oo suspenco do floxo
menstrual das mulberes, anemia, ou dimi-
nuirlo da massa do sangue e sua consis-
tencia alterada, dores de estomago, debili-
dade dos orgos digestivos, fastio, floxus
mace sos, flores brancas, chlorose, molestias
do sexo femenino, caracterisada por lan-
guor geral, aeclorisaco paluda da cor ou
esverdi.nhada, empobrecime to do sangue,
enfartes-ehrooicos das visceras abdomraaes,
alporcas ou escrfulas, escorbutos, opilaco,
paHiiez, eos estragos produsidos pelas mo-
lestias syphiliticas: asthnia oo falta de tor-
cas ; fraqueza geral: e ha hydropesia ana-
zarca e asoites; teodo'se o coidado de ob-
servar nestas duas ultimas molestias prin-
cipalmente, e em todas as oolra>, qoe om
:k,
asignado a J. Paier & C, manifeston o.egiuuie :
SOcaixas gaz, 51 barr?, breu ; a A. Dumont
50 ditos dito; i S. i II.
13 volumes candkiros e ieitences ; a Roldat
Kaiuzbam & C.
30 barris breu, 2 caixas corladres < capitu ; a
C. & Rodrigue?.
6 ditas dTlos de dito -, a J. C. da Silva Quveira.
1 fogo; a. Forster&C.
3 caixas facas ; a Oler Telles 4 C.
40 ditas agua-raz, 100 Jila- gaz, .30 barricas
breu, 5 ditas graxa, 7 caixas salsa parxiiua, 3 di-
tas canella, 10 saceos pmenta, 2 volume?, & rollos
de graxa ; a Moreira 4 Irmo?.
241 turril breu, 35 ditos pregos, 214 caixas ge-
nebra, 1 dita cartas e perlences, 3 aa moiubos
para machinas, 1 da-JO'doziasde pas, 1 dita 3
ditas de macbadinhos, 3 b,rricas bombas, 30 du
zias de baldes de madeiras, 10 lernos de linas, 1
dita de baledores de ovos ; aordem.
30,000 aduellas, 22,000 arcos, 2901 rnei s t-rn
de barricas abatidas, 100 bolacha, 200 barr qui
nha* bolacbinba,.3O0 saceos farello, 33 caixas ,sal>a
parnlha, o ditas agua florida, 2 ditas tnico para
cabellos, 2 ditas anacaibola de Kemp, 1 dita plalas,
23 barris alcatro, 100 ditos pixe ; aos coosigua
tario?.
Hiate nacin! Dous Amigos, entrado do Ma-
raoho, consignado a Tasso & rmjs, mantleslou
si-guinle
930 sjccos farioha de mandioca ; a ordem.
Hite uacional Nicolao I, entrado de Maco,
consignado a Prenle Vanna & C, manifestou o
seguinte :
225 alqueires de sai, 200 m >lnos de palba de
carnauba; a ordem.
Vapor americano Havana, entrado de New-
Y ;k, manifestou o segninte :
15 barris banha, 8 di'.os mantelga ; a ,H. Fors-
ter & C
1 caixa cigairos ; a G. Lailbacar & C.
Brigae hanoverano Amilte, carregou para
o Canal : 2,916 saceos com 14,580 $ de assucar
mascavado.
Patacho braiileiro Invenctvel, carregou para
o Rio da Prata : 1,471 barricas com 11,398 (> 19
S d- assucar branco, 189 ditas 1,591 () 1.' -rf i
dito mascavado.
Escuna prussiao i Elmira, carregou para Bar-
celona : 700 saceos com 3,599 $ 8 S de algndo.
Lugar prrlujzuez/tifio, carregou para Lisboa.
1,050 saceos com 5,250 (|) de assocar branco. 1715
ditos 8,873 ($ de dito mascavado, 400 ditos 624 al
quelres de farioba de mandioca e 450 meios de
sola.
Hiate nacional NovoInvensioel, entrad.) do Ara-
caty, consignado Silva & Alv?s, manifestou o se
gninte:
460 esteiras de palha de carnauba; Linc de
Panas & C
390 ditas dita; Joo Ferreira dos Santos J-
nior.
1,750 Jit s dita, 24 couros salgados, 122 caixas
135 arrobas 25 libras de velas de dita, 25 saccas
100 arrobas de cera de dita, 432 meios de sola. 94
sacca? 493 arrobas 24 libras de alsjod'o; a ordem.
36 saceos 138 anobas de carnauba, 5 ditos 18
arrobas de gomma; Gomes de Mallos & Irmo.
PAUTA DOS PBKCOS DOS GNEROS SIEITOS A DIREITOS
DE EXPORTAgAO. SEMANA DE 22 A 27 DO MEZ
DJ JULHO DB 1867.
Mercaddrias. Unidades. Valores.
6j3cm:>
950OOO
1)5500
160
240
800
20COO
800
i Enchameis......nm
Esteiras de carnaoba. uma
377jOssos........arroba
Palha de carnauba molho
a55!Peona de ema . . libia
Sapa tos de cooro branco. par
Era ut supra.
Approvo. Afandega de Pernambnco 20 de ju-
Iho.de 1867.- A. Eutalio.
Asslgaados. O 1. conferente, Uanoel Peregsi
uo da Silva.
0.2. conferente.Jodo e f^m Barrboza.
Conforme.0 3.o escriptorario, Eutyclio Mondm
Pestaa.
^RECEBEpORtA DE RENDAS INTERNAS
GERSS.
ttendimento do dia 1 a 20........ 24:825,8575
dem do da 22................. 7:11889i
* 31:944^466
CONSULADO PROVIN SAL.
Rendimen.to.do i a 20........ 90:693A43r
do dia 22................. 5:1273i.9
95:820*195
dem
MOYIMMTG DO PO&T
iVuoio 'iiratio no da 22.
Rio d Janeiro e porlos intermedios 6 das, va-
por brasllatro Tocantins, de 700 loaeladas, com-
mandjnte o capito teneute Jos Ravmundo de
Faria, equipagem 50, carga dillerenles gneros ;
Antonio L. de O. Atevdo & C.
Navies saludos no mesmo dia.
Piti e portos intermedios-vapor brasilelro To-
canlins, commaodante o apito-tenente Faria.
BarcelonaSumaca hespaohola Ptompta, capito
Maretany, carga algodao.
Para-Bngue nacional Adelatie, capllo Jacintho
N'uues d j Co>ta, carga dilerentes gneros.
DECLARADO!
cento
caada
>
t
i
i
arroba
>
*
*
>
caada
1
i
arroba
-1
>
Nao coniesuremos as proposicdss do Dr. Lace nos prestoa d iocambir-se nesti praca, de neg- etbica os accommette. prescrevevJhe o soco % dos effeitos salotares deste xarope ter o' ipecacuanba (raz)
Abanos.........
Agurdente de cana ....
dem resillada oo do reino .
dem caxaca.......
dem geHebra ...
dem aleooLon espirito de agua-
ardente .......
Algodao em caroco ....
dem em rama ou em laa .
Arroz com casca .
dem descascado ou pilado .
Assucar mascavado.....
dem branco.......
dem refinado......
Azeite de amendoim ou raendo-
bim ........
dem de coco......
dem de mamona ....
Batatas alimenticias ....
Bolacha ordinaria, propria para
embarque.......
dem na ..........
Caf bom ........
dem escolba ou restolho. .
dem torrado......libra
Caibros......^ um
Ca..........arroba
dem branca ....
Carne secca (xarque) ... '
Carneiros ....... nm.
Carvao vegetal..... arroba
Carvenas de sicupir oma
Cera de carnauba em bruto. libra
dem idem em velas ...
Cha..........
Charutos ....... en10
Cevados (porcos)..... um
Cocos (seceos)..... cento
Colla........ libra
Couros de boi, salgadosj. .
dem idem seceos espichados .
dem idem verdes. ....
dem idem cabra cortidos .
dem idem de onca. ....
Doces seceos......
dem em gela 'on massa .
dem em calda......
Espadadores grandes .
dem pequeos ....
Esteiras para forro de estivas
de na va....... cento
Estopa nacional ...... arroba
Farinha de de mandioca alqueire
dem de aramia. ; arroba
Feijao de qualquer qudlidade
Freehaes........ om
Fumo em rolha, bom .... arroba
dem ordinario on restolho. >
dem em rolo bom.....
dem ordinario on restolho
Gallinhas........ ama
Gomma......... arroba


nm
libra

j
nm
i
2J5O0
900
800
400
880
900
3*250
13*000
1*300
2*600
2*300
3*^00
4*000
2*300
1*300
13400
1*300
3*000
7*000
7000
6*500
440
360
400
580
3*800
4*000
1*600
3*500
320
500
2*000
3*000
15*000
4*000
660
165
260
UO
380
10*000
1*000
360
520
4*000
2*000
16*000
2*000
3*000
5*000
4*000
5*000
15*000
8*000
10*000
8*000
1*000
3*000
25*000
Sania Casa de Misericordia.
.A lilma. junta administi-.uva da Santa Casa de
Mi ericordia, em sesso de 25 do corren'-, pelas 4
horas da larde, reoebe propostas, d -. quem por me-
nos zer o fcrnecimento de pao e ulcba que pre-
cisarem o collegio das orpbaas e o hasnatio de alie-
nadas em Oiinda : recebe para isto proposlas na
sala de suas sessoes pelas quatro horas da tarde de
18 do corrente.
Secretarla da Santa Casa de Misericordia, 19 de
julbo de 1867.O escrivo, Pedro Rodrigues de
Souza.
Pelo 1* dislrict) desta subdelegada da re-
gu-JZia dos AfogaJosse f.z publico que o: cavallo*
que se acham rec"lbidos a deposito, um de cor
ru;o pedrez e outro mellado baio foveiro : quem
se julgar com direito aos mesmos compare.Qam,
que provandou seu dominio Ihe serio enlregoes.
Subdelegacia da freguezia dos Argados 20 de
ju!h, d= 1867
O subdelegado,
_______________Dr. Carneiro Momeiro.
Capitana lopoil.
Tendo-se de proceder M con erto da coberta e
outro- n.cessarios ao edificio desta capitana, con-
vida se as pessoas quesequeiram encarregar de
ditas oora?, oreadas em 716*800 rs., a apreseota-
rem suas propostas no da 6 de agosto prximo fu-
turo, ao meio dia, examinando previamente dito
orcameoiu, e as cundieres das mesmas obras.
Capitana do porto de Pernambuco 32 de iolbo
oe 1867.
O secretario,
_______________Deci de Aquino Fon seca.
Saata Casa da Misericorda
do Recite,
lllma.iunia administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife manda fazer publico que
na sala de suas sessoes. ao. dia 25 do corrente pe-
las 4 horas da tarde tem de ser arrematada; a
quem mais vaniagens olTereeer as rendas dos pro-
dios em seguida declarados :
Hslabelecimentes de caridade.
Ra do Padre Floriano.
Casa terrea n. 49.......182*500
dem idem o. 17.......186*000
Roa do Fagundes.
Casa terrea n. 32....... 156*0;o
Travessa de S. Jo.
Casaterrean.il.......154*000
Ra dos Pescadores.
Casaterrean.il.......216*0C0
Ra das Calcadas.
Casa terr- a n. 30.......175*000
dem idem o. 38........158*000
Ruadas Cinco Pootas.
Casa terrea o. 70.......218*000
Roa larga do Rosario.
Segundo andar do sobrado n. 24 .
Terceiro andar dem dem .. .
Roa da Roda
Casa terrea o. 3........
dem idem u. 7......
Becco do Qoiabo.
Casa terrea n. 8.......144*000
Ra do Encantamento.
Sobrado de dous andares n. 3. 401*000
PalriuMMo de
Roa das Larangeiras.
Casa n. 17........: 192*000
dua do Rangel
Casa terrea n. 36.......301*600
Rpa da Lapa.
Casan. II.........196*000
Ra da Moeda.
dem u. 47....... 351*000
Roa do Vigario.
Primeiro andar do sobrado n. 27. 181*000
Ra do Pilar.
Casa n. 99...... M6*00O
idem n. 103.........200*000
dem n. 94....... 101*000
Sitio n. 5 no Forno da Cal. . 150*000
dem. n. 105. ''-, 144*000
As arrematares serao feitas pelo tempe deom
anno, devendo os licitantes virem acompanbados
de seus fiadores oo munidos de cartas destes.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia de
Recife 41 de julbo ie 1857-
O escrivo,
________________Pedro Rodrigues de Sooza.
Tem de ir a praca no da 23 do corrente as
10 boras do dia na porta do >uiz de paz respectivo
da freguezia de S. Frei Pedro Goncalves, os bens
que foram penborados a Jos Antonio Soares Rosas,
que sao os seguintes:
2 bancos de marceneina completos, 1 dito gran-
de de aceniar, em bom estado, I serras, sendo nma
grande em bom estado e orna pequea em aao
estado, 2 Galopas, em bom estado, 1 barrolele de
ferro, lOcadeiras, seodo ama de* balanco, todas
em mo esiado.
300*000
301*000
96*000
96*000
4
* !
v
*-


y
-
*

tarlo de PemmfcBeo Terca felra tS ie Jalho de 867'
-------------1-------:-------------------:---------------------z________________________
3

Santa Casa de Misericordia
do Reeife.
O Illm. Sr. commendador Jos Pires Ferr ira,
thesoarelro da Si tila Casa, de Misericordia d Re-
cita no da 2) do corrent'-j pelas 10 Wat roanuh
o sallo da casa dos expelo fara' pagamentc&das
mensalidades de**Brit- f janfco Sido, as amaso e
se apresntarera cem as Wtoai qoe-tomaram pa-
ra amamantar.
Secretaria d Sania Casa de Sfberifrdia do
Reeife, 8 de ja!no de 1J67.
O eeerf**
Pedro Rodrigues de $eiiz& ,,
ser embarcada bo da de soa chegada, encom
meadas e diqheiro a freie at o da da tbida as
2 horas. Prevtne-se sos Srs. passageliosj que saae
.assageris sd si receben oesta agencia roa da
Cruz n. !, escrtpiorio de Anfcnio'Laii 'de Bliveift
Azevedo i C. ,
No armasen da roa d Imperador o. 16, as 4)
horas de da.

m
Lisboa.
amiiiiii i
IowtWS^
O tribuna d&tmmercio do Perra
buco em vista do qoe^dspe trart, 0,ado
decreto n. 863 de i 7 de nrjvembrd dHBrjl
faz publica a vaga de um dos "oCQci'o Je in-
terprete de commercio desta'praca, e marca
o prazo de 60 dia coatads de3to que acuelles que se acharem habilita 1oS
aprsente oa seus requerimentos instruido -
com os documentos de qae trata o art. 6.*
4o mencionado decreto.
E para constar maodei passar o presento
que ser public&d nos jornm devnier t ir-
calacSo, o qual va i por mim assignado nesta
secretaria do tribfl do comm'rcio de P8r-
nambuco aos 4 dejutho de 1867.
S) secretario,
_________ ^OsrMarcellmodRosa.
Santa Gasa de Mise ieodia
do Reeife
Pela secretaria di Santa Caa de Misericordia do
Reeife., se faz'scieote aos ioguilinos das casas abai-
xb declaradas, que se do prazo improrogivl de
15 das niffTierein r8#}var* O arretfdanjeifiQ' das
mesmas casas, serio delta*' despejados juUielal
mete, conforme deliberoa a illm.* juma adminis-
trativa.
Roa do Padre rtrfanb, cssS-n.v 49.
Roa dos Pescadora, dft n. i i.
Roa das Caigaflos, drta-u. 30.
Becco do Q' A>>, dita n. 8.
Roa do Encantamento, sobrado de 2 aojares
n. 3.
Roa das La rasaras, dita o. 17.
Roa da Lapa,'R* o*. II.
Roa da Mo^da; ditao. 49.
Roa do Pilar, dias os. 99 91 e 103.
Sitio do FoCoo dVCa; n". :.
Secretaria da S-.m'Ca-df"5Merieordla doJte-
ci fe 19de jolito itflWtf
O e*crfvao,
IV.ir.) R ..n\ies de Souza.
Segneem poucos dias n brlgae porluguet Cons-
tanle II! para carga e passageiros trala-se com
Oiifeira Filbos & C*, largo doCorpo Saato o. 19,
oo com o capito oa Praga do Comnweio.
Mhtou mwmem
Navegacln costein por vapor.
Parabyba, Nata!, Maco. Aracaty, Cear*
Aearac.
cfyMifwe prata
SABER:
Ujj piano forte de Blandel (om dos m-lhore),
orna m .bilia de sala de visiti . Luiz XV, 8 qoa-
dros daarados graodes o com Unn gravuras, ea-
deiras de bHaagd. 2 candieiros a g", 4 vasos pa-
. [riTSfrftfr gflFda vestido, I garda ropa, 1 e-
jpelbo grande, 1 toillen, I marqo-za, 14 cadelras,
; l'apara ler, l'gaarda looga, I mesa elstica,
'atpaftlrie de*lo0{a'par almoco, um dito para
|dra*gVffasfc9po, carree.-, a mpoteiras, garios,
ficas e c liberes, 1 faqoeiro de. prala do Port,
ff 2 lavatorios, 2 mesa de engomando, 2 bancos,
2 ja-ras e eotros perlences de ca** de familia.
PHtTWMPHI
laffrmxximtsrir. 18,
5" "---
SEL'
_ N.2 D ^ "T. 2 D.
IfrtF** CttRiCAO IH3 OURO.
i
O aBr Parakyba, coas- Qwrta-fira 24 de julbo
maodnttMello, segoe paras rjrj sobrado da'rffa do Apollo n. 4 (emr-
os poyos cima lodicados oo cente-a ar*Mal * marinha )
da 3&do cffeote as 5 horas n ow ao arseiw* (te marmna.;
da tarde. Recebe oarga at a|f*B-,s r,n,f,ri le,,ao Pr COD,a e orJem
oarga
o dia 29, eocommeodas, pas-
sageiros. e diohwo a frete at as '3 hoffls da taide
do dia da sabida : escrptoViVoo- Forie do MatosJ
"fiOWPllHlTPfRlfillWBlJlli
DE
Navegagtfrtfosteira por vapor
Peflflo em direitara.
O vapor Mamanguape, com-
maodaote Cosa, segu para o
pe rio cima indicado do dia 25
do crreme pelas 5 horas da tar-
de. Recebe cafga at o da 24 ;
oTnrendas e'dinbefro a frt aW
sabida : escriptorio
de ama familia que ret uu se de.-t* prviocU dos
movis e mais objeelos cima raeociooados exls- ^
ebles oo sobr.ido da roa do Apoib o. 1, no da -Wfvopma
EftTRAOA PELO
PATEO 0A MATRIZ.
eMlrieimeoto pbotogr?phico
'errrdT'eom todos os melhora-
to& e progreasoi qoe m Amrica du
pa na Europa se consegue- na arte
e para alcaacarraos tal fioi
junca pWpmiMC dllpfizas nem sacrificios,
dBabit qTJ7*osKrit)SlsTjs numerosos freguezes
PodaaBWSjflftiiz'a de que sempe encon- ,
UHBfc: l0K5Ti P^l com P8r'tos btilhantes, esnWaldas, rubios e perola ; verdaderas em ij
^Jtf9
to a arte e a
Hayo e ve!
moda offerecer de boa, no
aos amflltes da pho-
A loja D. 2 D int i talada Corago de Ooro na roa do Caboga, acbVse d'ora em diante offe recen
do ao respeitavel poblico com especialldade as pessoas qoe honrara a moda os objectos do nltimo gos-
to (a Pars) por menos 20 por cento do qoe emontra qoalqner parte, garanlittdbse a qoalidade e a so-
idez da obras,
O respeitavel pTnblioo afaliando o desejoqoe dVe ter o* pTrrierarto de om novo estabelecimen-
de ooro a comprar
agarras, modernas pek
passifeiYos
as 3 horas da tarde de da da
oo Forte do Malos o. 1.
COMPANHIAPERNAIYIBUCANA
Santa CaiS de Misericordia,
do Reofe.-
A Illma. juo'a administrativa da Santa Cfsa A*
ra a Baha
PrMt^oWe sVgoir'cjin: mulla brbvlda'le a velleira
^Misericordia de Reeife, recebe novas propostas d mtmm oacioo) Hortencin, tem pare de seo car-
sala das soas se?so-, pefas 4 horas da tarde do Iregameoto prompto,,p*ra o resto que Ibe falta ira-
da 25 do correte, para a arremaMeao .uem ta-secomos seos consignatarios Aoiooio Loiz de
or meos flzer da poHlica?o V sos aoonncios Otlvlra AieVb'&C, n se escriptorio, ra d'e
* espedieot?, servmdo de base a' qoaotia de 250^ Grz o. K
DR
Nvegaco eosteira por vapor.
Macei e Peoedo.
O vapor Ipojvea, command^nte
Martin-, segu para os portos^ aci-'
raa Indicados oo da 29 do cor-
rete pelas 5 horas da tarde. Re
cebe carga at o dia 27 ; encom-
rrtpndar, passageoe e dinbeir a rete ate as 3 lio-
ras da tarde do dia da sabida : escriptorio so ForV
te d_o_Malos o. 1. ^
Paro o It lo de Jaueiro
pretende seguir com moitabr-vidade o patacho na
clcoal Bebtribe, tem parte de seo carregaraento a
bor'dn. e'para o re.-to qtte Ih'e falta e escravos a
fr-^, para- o qn*s tiV er trat sm com os seos- c a*tfdat JeOljveira Azevdo & C, no sea e- r'j.ioriu m*
da Cruz n. I.
qnarta-feira 24 do correte.
O lel:u prioeipiara' as 10 horas.
.
dtBtBDto preoe-de 10, brincos modernos de ooro e oora patti rrTt'n pWb' nj^o de' 3, maracii de
prata com cabos de orarBm e madre pe rola obra de moderno gsto* (o que' o ebeontrarto no coracao de
oftroX voltas de onro com a eottpetante erusinba ricamente eofeitada peto pequeo preco de 12#, brin-
cos" dum traflSho peVfeit por uatmodec pre^o, flassolelas, t'ranwlts, prj1cejra=, alfloetes paa re
De um rico piano, ama serafloa, ama mibilia
candelabro e serpentinas, vasos para flores, fiaos
crysiaes, mesas, cadeiras, 1 santuario, papel para
' acejSorios de- n a ca-a
Jt^mmP^impnVr^nA^^mpKurit ^"^ e 0alT*Kdel?S ,ad tfS ",b osl. e proprios para br cabello e Arma, dito "pafa" oasa-
rwseper toao o nocessarro ment, no arHto roseta lem o Coracao dOuronm completo e bera variado sortimento de di*#so3
Pwa^imwnlWBno.-amados carle-album goslos, butoes para ponhos com dibmante, rubins ^esmeraldas, obra est importable ja' peto sea va-
Este genero de retratos ltimamente io- lor ia.' Pr e0**0 s desenbo, brioce a forma da delicada mosloba de mbCa com piogente conteni es-
ventado na Americano Norte' rbidamente *1*a'' rnbins, brilhantes, perotas, o gpsto snbHtoe, alfloeta para gravita' %o mesrao gosto, elo-
e piopjuiju [ra rnoTaterra o Franca aonde ?!??-P^r*-e,,-1!-** rT*dos de_peras_ praci goza
noito gosto, efJisinhas de rnbios, esmerildas, peroras e rJrilhanleg, aneis com letras," cacla* de
actualmeote-d todo o favor da moda, trystal e oor ftscoberla para retrato (a iogleza) brincos de franja, ditos a iraperairiz toda e%al-
A cartfcafQHnt se faz por dzias como 0* jpyjoia, para secohocarretra1os*'e obras de cabeftbf e ootros muitos objectos que os pretenttofcfreo-
f*rrod'-sa|i e rrfals acesSorios de n > a ca-a do SffTgf^ScSfffs d visita Btrarao no fracad de (ioro qae se conserva-comitoda a amabilllade aos coocorrentes deitasdo-
ttasiiK, Nd-lWftawsi trnArum n nrvmo Ao rar# se de a Qjia.*r*-i4 do- corred**. alh T^ l V Dr^ telve; |ue' f? -*o joirt da obra, por se iffo Uiminnta ojiantia a vista do seu vatw.
Por intervengo do agente Pinto, na rnado Apol _._ _" .vf r"*"'9ia'era 6 OS ingleses Na mesma loja-compra-se, troca-se ouro, prata e pedras preciosas, e tamben recebe s cobaer
lo sobrado o. t.
' Q^srt.i-felr 24 a ama hora da Urde vio a lei-
lao na ra de Horras casa-n. 22, oiovei*' e sn-
toario do espolio oe Aoiouio J .'ajotra 'V Mrllo.
i-'J_____uw^aai ii nilfil" tiwi
AVISOS DIVEASS.
Para
aanuaes, orTerecIda por um dos- Ifcltantes.
As propo:tas d.vtro str apre-snUdas em car-
tas febada-, nao s- adm-itindo as qoe nao irouxe-
rem preco fls j.
Secretarla da Santa Casa de Misericordia do Re-
cite, 19 de jolho da 1887.
O escrivo
Pedro Rodrigues de Sjuzav
----------------------------------------------1-----------------------------)--------:i-----1------------!* -------1- -
Vai a praca terga feira 23, perante o Sr. Dr-
Juiz roonicipal da 1" vara, diversos escraVos ner-
lencentes ao inventario da tinada ft. M"aria Rosa
de Jesos, escrivao Cunta : qaem nos mestftos qi-
zer tancar, ccrapar horas do costme, raeio dia.
Pela sobdelegacia do ! districto' da-fregu
zia dos Afogados se taz publico que foram appre-
-hendido'. e recolhidos ao deposito dos cavados,
om mellado balo o oulro esrdao peqoeno: quem
se jolgar com dneilo aos rbesmes, comprela', qae
pruvaodo o seu do'iiiniu, Ibes sero entt*gaes.
Sobdelegacia da ireguezia dos Afogados 19 de
julho de 1887.
O sobdolegado
Ur. Carueiro Montsiro.
< ~ - -"
A adminlstraeo do crrelo desta cidade pre-
c.i9 engajar Horneas para oseY'vico de camlnbei-
ros-rqaem fstiver neslas coodicjHs a se quizer
encajar" dirija-so a mesma com documentos que at
;eHem saa conducta,
Para
o Aracaty
Sgae em poucos das o bem conbeoido e vellel-
ro palhabole nacional Oou Amigos, tem parle di
su carreg"amento prmptb, para o esto qao Ibe
ralfrtra'a se cita o seu co:ivrgTararft>'Oftnio Lai'z
a Azevedoi^JC, no seu escrjptono, ra
THEATRO
DE
de Olivei
:da Cruz ji-. 1
Para o A*-, segoe por estes- 4 das y velro
caler Equador, com a carga que h> na ra do Vigjrio n. 13.

v,
h.-ji
Segu com a possivel brevidada* o brigoe esca
na GRACIOSA, capito Ratis, tocando no Mar-
nho s eoi ultimo cas^, para alguma carga qoe
Ib falta trata se com o respectivo consignatari'
AOtooiode Airaeida Gjraes, a' ra da Craz n. 23,
P andar.
Acaracti" pelo Cear
a escuna Georgtan, pretend" seguir com brevl-
ade. para carga trata-se com Tasso Irraos.a' roa
' Quintal.
D-se diahelads a jucof-: Da ra da C incor-
dia o. 5, ofrle se dir qnaes as garantas que.se
qaf. 2l
- A!ua-s-'a casa" terrea n. 26 da raa do Forte
(Balrhis-&.ios) d2a'meb Nova- it' 5-) prtoiwro andar, das 7 <5-IO horas-do
dia o a da 3 tu 6 da tarV.
A(vf- npra .e comida o-a tra'eotn todr c
a-s-m e yroioplido, daodo-se ii-uc^a liua e latbWH).',
usam enca-xilbar estes retratos em qoadros
e*peciaes para com elles foaiar galeras,
cWfr>qte! orrraT'seos gabinetes. Recebe-
mos urna certa quantidade d taes quadros,
os- quae- cederBmos pnr barato preco aos
rtossos- freguezw.
As pessoas qoe quizerem ver specimens
dos retratos chamados carie lbum, j fei-
tos em nossa officina sao convidados a vis1-
tar o nosso estabeleeinvmto.
CARTES DE VISITA A 90000 A DZIA.
Em consequoota d not genwo d* re1-
tratos chamados cafte-albitm, diminuimos
o preco dos amigos cantos di risita, o
quaes de hoje em di nte ficnm reduzidos
ao preco de
tos, por menos do qae earooira qoalqner parte, edio-se obras a amostra com penbor, coaservadb-se
e Coracao de Ooro aSbrto at as 8 boras da noile.
Qualqaer pessoa ijue sa dirigir ao Corajao de Ouro nao se podera' engaar com a cas3, pois
nota se aa sna frente*ara coracao pendnrado pintada de amarello, alero d oarto que se nota eis um
rotlo (isto se adverle em conseqnencia de terem jff algcmas pessoas engaado com notra casa.
e as coroi ^a> maito bem preparada com looes os
adbb-.s uece'ssri'K ; rhvt^firVnjiif v.otarra de
se mjuUr \t.\ r um oast qn- ,u. :-:i a- miras
m^icad^s sem haver taita etc.- A*3>pe-oas que
quizerem, diniam.aea maestre u do Misario k 19
prirneiry andar, por cima da loja de uoileiro.
O emprezario dramtico do theatro de Santa
Isabel, a'tendendo nao sd as despeta?, qa-> fe Mr.
N'iiuy; oirec'or da-coaJpaaW ris Bou fes Pan
si-nt's parvle-sr a scenfe o 0--^W*wir /fHj^rs,
coo>j umbera i citcuflistaoo;-. d* oiu haver arada
a dRa 'omp-nbia completado o :ia;.ero da r^pre-
seritafie-, qi Im-'nci- n-t dar: e atl-u'leodo inda
ao les--;., |'ii' o pntilico te i mo Kaffi de apreciar
por tn*tialjstimas vezes a" aaRfllrtt* Hedor, f.,i l--v-.,, a-ced^r a-Mi-. .Vmty. u th
de Saa hahel durante os u/antxu del d:as Ou
coTrent!,vnez.
A-im. pois, tenciona o memj etnirez: no eonn-
noar os irlnh)S da-companMa- dtft#*te do da
3 de aposto em duote, (azvuiio subir ceaa> o
drana Jo Sr. Cesar de Lacerda') UouarcaSias
Coxilhascr.mposiga brllnante, qu uiiis urn
titulo .lia opiuiao, em que o publico bra.-ileiro
lem
pela primeir.t duzia, sem que por" causa
desta diminuiQSo de pyefi, ueixemos-"diares-'
mer0p*n-.*o no30"tfrliHho^-cnuui seiavre
loi njsso cotume Alm disto, continua i
naos a dar os eames de visita em cartees
de luso, Bristol, ou porcelana, dourados ou '
lithographados para o que temos unra vrie-;
dd'dfe llmodelns, a esqua de:qown's* I
retratar.
E?" VA GOMO PIIEVENCO.
Apezar"(ftf nossri tr-baHio ser mirto co-
Dhecido nesta cidade, aonde irabalbuMjs^ a:
12 atnfs, cTjrn'tiidvi fitfgMMjl de no^so d-
ver iliwr boje o seguinte:
Nos retratas fe t*s em nosso estabeleci-
mento emprega-se toda a cautela pwa' o5-
ferecerse a pnr da belleza do tiabalho', as
inelliores corriicSes de doraco'. Doursr-!
mos e fixamos os nossos retratos sem olhar-
mos a economas, e ltimamente pa^ibes'
rimathurgo podermos dar urna lavagem mais ampia1
e segura, contratamos com a cornpanhfcPde''
Ctfvng*X. J Ja
Agostinho Jos dos Santos v G
Acaba d^clwgap a este estabelecimento am esplendido sortimenta de
joias do o'tim-i qmv-, perficao artistici e mode los enteiramente no os; como
seguem: a lerecos ooor rubim, esmeraldas e- perolas finas, palceiras, broches
para retrato, annr$ bDtes le ptinho. brincos e rissolet^s com letras, e;.,
etc etc. Salva* $i prata-.Jo Porto, faqueiros^ pi.iteitus, cal .i iln a.esa. &
fructeiras, cujos preeos sao incumpetiveis, pois que os propri larios desta casa,
recebendo seus artigo directamente da Europa, podem servir vantajossametite
aos seus freguezes. Compramse brilhantes, pedras finas, ouro e prata, pag
se bem, tambem se incumbem de fazer oqneertos.
do Amorim n. 35, oa com o
LEL'SiT
COMPAGNIE
DES
BOOFFSS PaSSIERS
Anjjard hui, lomli, 2o de jaiet de 1867.
3." i pre-pnlatiuo
ORPHBE AX ENFERS,
opera bouffon en qoatre actes, de Mis. Hjctor Cr-
mieux, musiqae de acfa* Off-*nbach.
1 acte La mort d'Eurydice.
2.' > L'Olympe.
3.' L boudoir de Platn,
Uu roi de Beolie.
4. Les enft-rs.
PERSONNAGES.
Jpiter, roi des dieas....... Mr. NotfV*
Ari-te, berger d^Albies)
Piulo, rokdes enfers )"" '
John Stix.................. >
Orpbe, profes3eur de l'Or-
pli.-n d'Atboes........ >
Eurydice, sa femme......... M
Oi.ioe, desse de la chasse...
Juno, reine des dieux........
Venus, desse de la-beaul.
L'opioioo publique...........
L'amour.....................
Minerve, desse de la sagesse >
Emi-hilMe, desse de lamer", t
Flore, desse des fleurs......
Mercure, dieu du commerce.. Mr.
Pe va
Salvador
Feraud
A. Lenormand
Guillemet
Bluette ,
Matbilde PoppV
Adele
C. Thierry
Alberline
Claire
Erne-t
Jean
Emile
Gouron
Salvador
Antoine
Ganymede, cbaosondesdieax
Zephire'......................
Baccnus, diea des baveurs... >
N-ptune, > de la mer..... >
Veriume, > desfruns......
Pao, diea des cornes el de jar-
dn......................
B.I-, dieu des vents.........
Vuicain, dieu des forgerons..
Mar, diea de la guerre.....
Morpbe, dleo da sorameil...
A? ilion, dreu du joar.......
Ereb-, desse de i'^nfer..... M" Josepbide
Saihirniel, demon........... Mu* Valentine Pope
Fosphoriel, .......Mr. F. Bemardelli
Gardes de l'opinloa publique i Pleuras
fiemi-dieai, demons.
On commencera 8 heures.
Berlin
Louis
Joseph
Leclerc
Alfred
Valaire
LEILAO
De luobias. escravo^, velas e amitos
ooIpos i'jectos.
O agete Pootaal vender' em leilao por coma
dequem-perteoceT ama nmttia de mogoo maci
qo, s dilas d amarello sendo urna rauito boa e
forte, 123 libras de velas pira carro, 3 escravos
com habilidades,! moleque de annos de idade,
ama porgao de spartilhos, ctsavoques de fasto,
flvelass 4 caisas de solapara guardar chapeos, loo
chapeos de sol de panno com forro azul, 4J Jnzias
de jogo de loito.
HOJE
No seo escriptorio a' ra da Craz o. 62, Io u%
dar, as 1 horas.
com muita justi?a o dlstiocto
poitoguez.
Wt*amTv^eMoSm^Mb som^sS^e B^** a,ffl'1 l1en'na' ''*8*a; Os nossos' Eirop^ diversa quaiidades de* fazendas do das a 4, 5$, 6, 7fi, 85 e 10,5000:
25S*.?? Ji'!lta_s3;-verJdade''!as_Fh^t? 3ne faz ver ao respeitavel publico, vende; estes prajtf s na Ama rrs. 36 e 72.
ya o
desenhir com boa perspicacia os costume* d-. II.
Gratde du sui e enloar um hymno datan ao'au-
plea fraternar, em que tanto se leuiili:am o-
tlrios da ganosa L^sia e da vasta e ris>nha trra
da Santa Cruz. '
E-tilo correnta e elegante, linguagern pomposa a

Lmirefi^o Pereira leudes Guinaraes.
Pfoprietario das tojas earmaznrda ; 16,5, *85, ao*, %W, do ultimo gosto : ra
Arara, ra da Imperatriz da lmperatriz ns. 56 e 72.
ns. 5re 72. *adapol3o de 24jardas a 4,5000.
Tendo recebido pelos ltimos vapores da.; Vende-se-pepas de-madapolao M 24 jar-
por
graphias, que nao preciso de retoquen do- b'arato s alim de apurar dinieiro, como
pintor para ib desfargaeeitf o? dfefettos, e nenham ootro.
convidamos a qoe-m quizer a passar sobre
elles urna e-ponja mol bada em agua, ou a !
Chttas a 160 rs o eovado
Vendem-se cbitas em retalbo a 160 rs. o
seoftarem alteraco sero recebidos pornS" covad.
e pagos pelo duplo do que tiverem cus- Ditas em peca a 200 rs. o eovado: ra
tado. ff Imperatriz tojas da Arara ns. 56 e 72.
Continuamos a fazer retratos por todos os \ Panno preto fino a 1^600.
systemas photographicos at hoje conhed- Vende-se panno fino preto para caiga e
pura sem ser guindada, caradores perfettatnente deixa-los mergulhados por es7ia?f> d boras
SStl0?; ?alii9Jl?}'' esce,Qaa< se'npro em agua, ou em espirito de vinho : se apre-'
aurrflaTJa? taes sao as virilW nao vuigres, qu^,
nesta feliz concepcSo, oryalham e lornam seropre
filosas ffrUbrca daxurOi, que grangearam ao
disflceto eserfptorarti.-ta as^My>tenos sociaes,
Joias de Familia, Probidade foatras composigSes
proprias. y
O emprezario do Santa-Isabel.cerlopns do ac-
Ibimeuto e aprego do publico nao hesitaTr um
Qtant? em promover o bri;haotis Adgodaosinlio- a :t^ a peca.
Vemde-se pecas de algodaosinbo a 3, 4(5,
5^, 641. e 7i5UOO o mais barato que se pode
vender: na ra da Imperatriz ns. 56 e"72.
Gotim e castor para calcas a 800 o
corte.
Vende-se cortes de cotin e castor para
caigas- de-hornera a 8<>0 e 1. ditos de brim a
13-J80 e l$WO-,- diio de brim pardo liso a
1(5200 e 1,5400 : ra da imperatriz lojas da
Arara ns. 56 e 72-
dos em photograpbia. O nosso sortimeito palitots a f(600,'2<5, 25500 e 3s5000 o co-1 Bareje eom listas a 32o.
de' caixinhas, quadros, passe-pTT-taxrts, e* vado, cortes de casimira preta para calcas a VenoV-sp hareie mm lisias nara vptriri LEtua
DE
ida
Velas Rearmas avanaaas.
HOJR
O agente Pestaaa tara' leilao por coota e risco de
quem pertencer, em presenta do lllm. Sr. consol
de Hamburgo, de marca D R A, 40 canas com ve-
las stearioas viadas de Hamburgo no patacho sch
leswig bolsteineti-e Etmira, capito Brandt e ava
riad.sd'agua salgada a bordo do mesmo navio :
o lellSo lera' logar na terga-feira 23 do correte,
na porta do armazem do Annes defronte da alian
dega.
LGILIO
DE
HOJE.
O agente Pontaal vender' por conra de qnem
pertencer um escravo mogo sadio, excellente pe-
dreiro. 2 ditos mogos pro,riospara qualqaer serv-
Qo, 2 ditos de meia idade e urna mulata.
No seo escriptorio a roa. da Cruz n. 62, Io an-
dar as 12 horas.
Iba
Fogio oo da 20 do crreme mez, o escravo.
Vicente, nagao Angola, ldado 40 annos pouco mais
oa menos, com signaos segulntes: altura regular,
secco do corp) pemas arqueadas sendo urna mais
que oulra, bastante ladino, barba raspada e tambem
acibera, per ter estado a poneos das ua ca-a de
detengo; usa camisola de algodo br.ueo por
cima da caiga; levou chapeo da fellro pardo, gaar-
da sol e ama ttouxa, sapp---e and'r em Olinda,
Cich.-.nga ou Beberib-f. Paga-se a quera o pegar
e leva-Mu a ra dar Cadeia do Reeife d. 27 segando
andar, ge se gratificar.
Precisa-se alugar urna ama livre de boa con-
ducta que saiba cosinbar e fazer o mais servigo para
casa de duas pessoas : e ra das Trincbeiras
o. 46 seguudo andar.
o mais completo, variado e abundante qtrc
existe nesta cidade.
1^1 g
Q W "~ w *
Cj m V5

g =o
. o
-J 'i
93
-a
a)
fr-
eo
es s o
StUKi
(osiuheira.
Precua-so de urna escrava cosinbeira
aluga-l oj ra do Pires sobrado n. 3o.
por
LEU
Deaaia m credi 24 joillet 1867
Represeotation extraordinaire
Beaeflee de Mr. Noary.
ORPHE AUX ENFEJRS.
O director daoooipanlli* es Bou/fes Par-
tenses tem a honra de prevenir ao publico, qae as
r-"(.r--e-otagSesda cempaohia devsa terminar a 31
4o rorrete mea.
Orph-'O a m enfermos nao sera representado sd
nao por mais algu-vas o .ates, e as pessoas que
iuizt.rem apreciar esta obra priawro** devem s
dar -res-a a comparecer.
msm
>_
AfSOS MARTIMOS
De um sitio de trras fortiro na estrada de Joo
de Barros com o n. 7 lado do nascente, eom 100
palmos de frente e 900 de fundo, tendo casa de
pedra e cal com 31 palmos de frente e 43 de fun-
do, de porta e 2 janellas e uro terrago na frente,
cozinba fura e copial oo fundo sobre pilares.
Um dito dito na me>ma estrada e do mesmo la*
do, com casa de viveoda de pedra e cal, tendo 30
palmos de frente e 73 de fundo, com 3 janellas na
frente, urna porta e 2 janellas no oitio do lado de
norte, e 3 dilas do lado do sal, 4 qoartos, 2 salas,
cosinha ao lado, cacimba e algn? arvoretfos.
Ties terrenos contiguos ao sitio n..., om na
estrada de Joo de Barro* com 30 palmes de fretc
te cada cm. morado, fundo irregular e ja' cat-
alcense para se edificar e passa na frente os (ri-
los para Olinda.
Tres meia aguas no becco da roa do Principe
de ns...
O agente Hartins fara'' lerlo competentemente
autorjsado dos sitios, terrenos e meia-agaas acta
em lotes.
Qnarta-feira 24 du correte.
No armazem da ra do Imperador n. 16, as 11
heras do da cima.
O abaixo assignado leudo enegado ao seu co-
ohecimeuto no dia 17 do crreme a corresponden-
cia mandada publicar pelo Sr. Anlooio Jos do
Nateimento, morador na Colonia Militar Lepoldi-
na, vem pelo pre.ente declarar que nada deve ao
mesmo senhor, viste ter pago em 13 do correte
ao procurador do mesmo seohor. O abax-i assig-
nado est convencido qae a publicago feta pelo
retendo senhor s teve em vista Jescooceitua-lo
part como publica.
Estevao Rodrigoes B-.racho.
Offfrece-se um mogo de nago france/a para
professor de liogoas, ransica1 e piano, em urna fa-
zend-, tem a sea favor boas recommet.dag5-s de
pessoas fidediguas desta cidade : quem precisar
pode deixar cana fechada nesta typogrwphla com
as iniciaes C C C.
Precisase de 8lK, dando-te por M-guranga
urna escrava que laa bem o cozmha : quem liver
anuuneie.
------------------------------;----------._____
Ana.
Continua se a precisar de alugar urna escrava,
oa uioa am. forra para o servigo de muito poaca
familia : oa ra da Conoordia n. 34, sobrado do'
armazem do sol.
g a.-
.^ '-
3 S M
Sj'.S -a
- A
n j. o
i. re a
a? o \-*
"I S sf t
***

a
9
E>
s

o =
o >
cr a,
V
- o
"3 a--
y
da Arara, 11.586% Lasinha escocesa a 280.
' Vende se Sa n?va WeSfcom nalmas VeQde"se ,5asinhas escocezas *" vestiJos
vende se ama nova ta/.enda com palmas de seDhora. a 280 3u e 4()0 ,
de seda por nome mogamto.qne para vest-;da Imperatl-Z loj' e arfflazem da ^
56 e 72.
ra da
dos de senbora a 400 rs. o eovado
Imperatriz lojas ns. 56 e 72.
Baldes -a 20000.
Vende-se baloes de arcos de todos os l-
mannos a 2:5, 33 e 3^5 O: roa da Impera-
triz loja da Arara n 56 e 72.
Laazinbes a 200 o- eovado.
Vende-se lasinhas para vestidos de se-
ns.
nhora a 200, 240, 280, 320, 400 rs.
vado: s na ra da Imperatriz ns.
72.
Caitas francezas finas a 240.
Vende-se chitas francezas lwgas a
2*0 e 320 o envado: ra da Imperatriz
lojas da-Arara a. 56 e 72.
Chales de merm a 2<5ooo.
Vende se chales de rairin estampadas a
20, 20500; ditos de 15a a 10000, dito.-: de
Roupa feita nacional.
Vende-se palitots de panno fino, saceos
fraques, a 50, 60, 80 e 100 ; ditos de
casimira de cores a 40, 50, 60, 80 e 100;
coletes de casimira ai 30; 30600 ; calcas de
brim pardo a 10600, 20; dit-ty brancas de
o co- linho a 30500 e 40; cerOolas a 10, I06OO
56 e e 20; calcas de castor a 10280 e 10600.
] Palitots de alpaca branca e de cores a 40,
40500, e pretos a 3;:, 30500 e 40. Palitots
240, de brim a 20, 20500: ra da Imperatriz
ns. 56 e 72.
Cobertas de chita da Arara.
Vende-se cobertas de chita a 10800, 20,
20500; ditas de daaasco a 40 ; ditos de
fustSo a 60 e 65500": ra da Imreratriz lo-
phantasia a 10OOO : ra da Imperatriz lojas jas da Arara ns- 56 e 72.
da Ar ra n. 56 e 72.
Basquinas a 140000.
Vende-se basquinas ou casaquinhos de
Grosdenapoles preto para senhora a 140,
Vende-e bramante* pan lences a 203OO
e 2080 i o eovado ; muitos outrus objectos
que seria enfad< nho* mencionar.
Ra da Imperatriz ns. 56 72.
'Inmradade de N. & daBoa-
Yiagein
Convido aos carisslmos irraiJos a reunirem-se
quinta f-ira J5 do corrreoie a> 10 horas da ma-
nb? gar a mtsa ger^i co n asslstencia do Sr Dt. pro-
vedor de capellas.
O sefcteUiiio interin,
A. D. Pinto Jnior.
Offerece-se
ffeteceijer am .mogo de nagao fraocez para
professor de lloguas, msica e piano, em urna fa-
zenJa, tem a seu favor beas recommendages de
pessoas fidedignas desta cidade, qaem precisar po
de deixar cari* fechada n'esla typographia com as
imeiaes C. C. C. _.
Urna eserava
Precisa-m"alajar uma*escrtva q h saiba coz-
nhar e eogommsr para Alta de nma -eobora es-
iraogeira, pagase Dem : a tratar na ra da Senza-
la-velha a. H, 1* andar.
Preclsa-se de ama molher forra qoe se quei-
ra encarregar do tratanento de ama menina de
am anuo ja .t-esmunada, em casa da propria fami-
lia : a tratar na ra da Cadeia do Reeife n. 24,
2 o 3* anffar.
Precisa se de nma ama para casa de peque-
a faiiia : oa rui dasCruzes n. 41 A, taberna
da poita larga. __________________
PtKCia-se de urna ama qoe saiba cosinhar e
tgommar e fazer todo servigo d'casa : na rna
Dreieao.M.
_________--------------------------------- i________ -
Pergunts se.
._ Se pra'le o s ha alguni dlsTosigo con#a-
Hr Attengdo!! Aencao.
Um* pesso* sofflc'enlemente habilitada, offerece-ll**0 iiaidado, venAsodWo rresm por meio de
C0P4\H1A BB.VSILEIRA
D*
Paquetes a vapor
ff eiperado1 dos peftps do notte
at o dia 29 do corrale o vapor
^ Guar, commandante'o prlmeiro!
^.45aaAaE[ ten-ote Pedro Hyppolito Duarie,
" *Bm W o qual depois da demora do cos-
ame etgalra para os portes do sol.
Beiiiarscebdra-se paacagelros ao|ai-sea
eara joe o vipAr poder coidazlr, a qai deef i
Df. oai casa t-rrea sita aa travs
* I nteiro ao lado do tiitsiaetra
O geate Martin** levara' novamtote a le- pvt
despacho do Illa. Sr. Dr. jutc.espeeel do eom
mercio a casa terrea sil.-na travess* do Moa.iro
ao lado do Gazometro, perlencente a massa fallida
de lrin:> Janaario ds Olivelr, tendo dita 2"salas
espagosas, diversos qartos, grande qniotl fHnt.
do e por'Sfs de ferredas lais.
Qasrta feira 24 o correol*.
se para ensioar primeira.. lettras, arithmetica, geo-
grapbia e francez, em casas particulares, por pre
50 muitissimo rasoavel, ligSes todos os dias. Pro-
ntelte iodo zelo cabivel no ezercicio de' seas deve-
res, de modo aadeaagar o maior adiantameato pos
slvel da parte de aeoe dtaciputos oa Mscfpalas
A horas serio coovencionadas, isto , das 11 00
dia s 9 da naite. Em casa* onde honverem mais
de am di* palo o pre? dlnainoiar, Poder ser
procurado on na rita do Scgo ( Campo-Verde )
0. 54, oa na roa daCoowdla n. lga.
Offere-se para cafteire de taberna um rapaz
portuguez de 14 annoxte idade, com bstanle pra-
tic de negocio : qaem pretender dirjase a roa
de-S. Jos n. i, taberna.________^^
~ Preeisa-se de ama prata escrava para ven-
dr na rna : oa rita do Trapicha n. 36, sagttdo
aadir
ropa-ias em carta fechada.
,:_______________ATseoOnella dos expieos.
' Aluga-se ora raaatnn de"i3 aunis proprto
para criado: qaem pretender dirjase a roa d
jMperatrz a. i. Ni nv*sma casa, precisa-se de
ama sroa para lavar e eUgmmr piTdendo dor*fr
em -u cm, pag*- e betn.agradando
Jos do* Saeto Ritcoes deOireira avisa a
pOClico cem especlalidade ao corpo do comioercio,
qoe send > bem conhecdo -anto nesta praga con
fa'dllfpa' JOsV ifai aastg^ar-ae-ba <*?" boje
m dfante por Jos Wm Ramos de Ullveira.
Alaga-se aaaaaioMBte oa para passar a fes-
la, am sitio em Beberibe contiguo a povoagao,
pom casa de talpa, algamas arvores frectitaras,
baixa da capim e passand no fondo nao sd o rio
orno com tambem o Bebarbe; a tratar nv jui
a gusta b. 43.
frf
Preclst-se oe um caix-iro para tomar coola de
um es!a!)-!-riment., avie d Bad-r a su i c.'nducta,
qaem m>id caso e-tmr orneare ni ra do ngel
n. Si qtl ss dfr oc le .
D. Helinquela Ycix ira Lo|i.- da uva, son a
pressao da maL acero* ddr, vem peto presHe;
agradecer a todas as pessoas qoe se dignaran)'
acompanhar a cemiterio publico o cadver de sen
esposo Jos Lonrenco da Silva e de novo roga-lhes
o caricioso obsequio de ass-iirem a miss* o sti-
mo da que por alma da mesmo fatteeide manda
4-r oa terga-eira 23 do correte as 7 horas da
maobaa na matriz do C >r?o Santo, assegoranV
Ihes que por mais esla pr*a de amizade sera' du-
plo o sea receBieefrneoto.
^BaBaBKMiBMBaaHaBaBBaaBi
M.anoel da Silva Jacome Pessoa manda celebrar
na (jinia-feira 2o dj crrenle s l|t horas da
raanhij aa igreja da Santa Cruz, um* 'misaa por
alma da Exm>Sr.' D. Mirii Leonor Correia L-
ostiba'Lms.e part essa *efo de reHgio convida
todos os prenles da finada e amigos- do inromola
vel viuvu o distiucto acadraicw Adolpho Lameoha
Lias, eos -.eis proprios amigos.
'-......iiaoawaMai*aeaaaaaaaaaar
Pedro Milfano da Silvelra Le.sa, Uaooel de Bar-
ros Franco Mello, Ignacio Ferrelra Tmudo Lessa,
Adriana Prancelraa de Azevedo Lessa e Francisco
Oom.'Bgos de Barros L-s-a, hlhose nelo do fload;
Ignacio Ferrelra de Helio Lessa, agradecem aos
Srs. Quinisiro 4 Agif as>issas e memento que
se dignaran mandar rezar no dia 8de correte pe-
lo reponsoeterno desea presado pai e ave. Eoge-
nho Gravat 16 d Jolno de I86T.
aaaaaaBaaaaaaaVBaBVaaaaaavvaHB
Alagase a loja do sobrado da ra da Impe-
ratriz o. 39, com bstanle faodo, ladriload de pe-
dra, forrada, com seis bicos de ga*, e proaria para
qaliji9r estbe!eeim*nto commefml
na ra Aogasu o. 43.
Qo'ti prVtt p.nra hrthrlre, ou crid-a oir u-mn .< qn^m di-
rigir se m fr*nn-i> n. :<, u> achim com qnem
trar.
Joaiyiim: Jos (joucalves
Beltro
RA D TRAUCRE $. <7 V A\AR)
.-8acca por todos os paquetes sobre o Banco
loMinho em Braga, a sobre 0$ guite* luga-
em Portugal,
aber:
Lkeboa.
Furto.
Valeoca.
Gaima'ra'-.
Co* robra
Chave=.
Viseo.
Villa do Gu*
'reos de Vai de V;;
Zianna do Csstelio.
reme do Lima.
Vla.Real.
Villa-Nova de Raaeilcao.
Lamego.
Crri-
V*s*! (Valpassos.)
Ujrandeira.
Beja.
Barcellos.
Trocain se
ola- do banco do Brasil e das
a..iraiar'doa desento mnito rloavel,
oeodeaia 0. i.
Clisas funes-
\ li Inle
-.
-





Diario de reraaartme* rerv* letra SS de Julbo de 1867.
Ps de coqueiros
a 500 rs, se a compra fr mais de IQQL ar-se-ba
oin abatimeato
45-Rua DlrefU-*
C4S4.
de commissfto de escravos,
Na casa de commisso de escravos roa do Im-
perador ti. 45, :i- andar, receben) se e-cravos pa-
ra seren veudidos Unto da prafa, tomo do roao,
e 4s senhores de eogeohi que por qoalqoer moti-
vo (|nefram desfazur-se de algam nao lera mais do
que remllelo ao abano assigoado que garante o
hom tratamenlo e prompia venda, nao se poupan-
<5o exforgos aflm de era todo satisfazer as pessoas
qoa o quizerem honrar com 9 sua conUaofa. Nes-
a casa ha sempre para vender escravos de ambos
os sexos.
Antonio Jos Vielra de Sooza.

5'

a.
3
: as
o.
o
ce
i
3.
o
en
S i W
B B g
S
"O o o,
3- 1 fi *
B g. 3 ."S
S?
w> S
A directora do collegio de meoioas
de Nossa Senhora da Conceico, ootr'ora
eslabetecldo a' Tamarineira, e a mais de
dons aoocs transferido para a rna dos
C>:bos n. fi, ledo entrado no decimo-
qoarto aono de sua fandaQo, garantido
a todos os respailo?, ja' pelo pessol de
seu n agiterlo, Ja' pelo resoltado de seos
esforcos; vem aviventar as honrosas a
preclacdes dos pais de familias de Per-
naroboco, com qne sempre brindaran)
este collegio, e sendo qne,em observan-
cia dos respectivos, estatutos tem'ensl-
nado doDtrioa christia, calhecismo de
Monlpelller, primeiras letlras, gramma-
lica portoEue'a, aritbmetica prttica, lin-
gaa franct-za, geographia, Historia Sagra-
da, Historia Universal, chronol gia, pia-
no, desenbo,danga, bordados de todas as
qualidades. A directora, em prova do
apreco ero qae considera o progresso das
ideas civilizadoras do paiz, tfferece am-
pliar a in?trucco das meninas com o en-
sino da lingoa inglez, a lingna Italiana,
o canto, a pintora, a aquarelle, a la gua-
che, estas subordinadas ao dereobo, Ad-
res, e demais obras de cera. \ direc-
tora espera, sam vaidade, e despida de
estudado fanatismo e hypocrisia, spgura
as garantas que possue, ser attendida e
acreditada. Recite, 20 de jnlho de 1867.
5
I
o
a
o
2
Q.
I
a>
o
a
o
o. a
* o
S a
o. S
S
E a
g* B
n> .
O,
a
a
ce-
O.
O
C
8-
S"
>
o
a*
w
^
J

C6
3
C6
1 I
I 2
o
I t

Socieda DE


o C*
0% -t
I" 9
-
*?
2. -4
o
a s
-* Ci
*. a 9
A, -c
a s
<
CAEOBA
PREPAMDAA FRO
iNa roa da l'rala o. 34, se. .fferece meiade dos
mteresses qne se possam fruir em negocio de car-
ue secca a quem ss presta com a scfcieoie pra-
i tica e Dador idneo de soa r-ondneta.
Deseja->e lugar un sino com estribarla t
l planta de caplm, as proximidades da cidade a
o,uem o tiver dinja-se ra do Crespo n. 16, 1--
andar.
POR
AUGUfUTE CAOR
Pharmaceulico pela escola de Paris e successor nesta cidade
Na rna dj Imperador n. 73, egnndo andar,
precisase alogar urna cozinheira Ja' de idade.
Preci>a-se saber noticias de~Antooio AI ves
nalnral de.Paco de Spota, lugar de S. Looreoco
em Porlugai, qee veio para o Brasil entre os.anno
de 1828 e 1832, desconna-se que a' morto pe
falta de noticias qne teem os seus prenles all,
rogase por isso a qoem possa dar algamas rafor-
macSt-s o favor de dirigir-s<> a ra de Apollo n. 20
sechptorio de Carvalho 4 Nogueira.
DI
Aristide Saisset e J. Soum
22.------Rna da Cruz------22.
1
-4
Ce
RA DAS CINCO PONTAS N. 86
AO GRANDE ARMAZEM
DAS
Prccisa-se de um escravo de meia idade, de boa
conducta e habilitado para tojo o servico de orna
casa de pooca familia, assim eo^o do urna enera-
ra que eosinne e engorare bem, ensabda e faga
todo o mais servico proprio de orna criada : qnem
llver e quizer alugar diri a se a' ra da Aurora n.
70, 2* andar.
m
re
SCAS{
m
a
B
casa ue mm
26 Pateo doCarmo26.
Neste estabelecimeoto tao im-
portante para a saude e asseio
do corpo, acbam-se montados 20
banheiros, qae sao servidos com
a ordem e asseio qae para de-
sejar-se. Quatro destes barjhei-
ros s5o especia'mente reserva
drs para seiiboras e por isto
acham-se collocados em lugar re-
servado, aonde s tem entrada
as pessoas de orna mesma fami-
lia.
PEEgOS DE BANHOSAYLSOS.
1 baubofrio, momo ou de
chovisco. 3oo
l ditodecboque. looo
I dito de farello. i?ooo
4 dito aromalisado. l^ooo
PREQOS POR A&SIGNATURA.
30 baobos por mez trio,
ii orno ou. de chovisco.
li banbos un cartOes
para os mesmos. .
41 ditos ditos ditos. .
i2ditosdtos decboqae.
12 ditos ditos de farel-
lo. ...... .
O eslabelecimeDto estar aber-
to os das otis das 6 horas da
manliaas 10 danoule, nos das
santificados das 5 as 5 horas da
tarde.
m

Sempre barato

lojooo
1 oooo
5ooo
lojooo
lojooo

* i
IW
*;.; i",.
AtlfiAM-SK
duas casas terreas ns. 32 e 34 sitas na Caponga,
rna da Ventnra, junto ao porto denominado do Las*
ser, caiadas e pintadas da novo, e com commodos
para familia, tendo caimba, senzala, estribarla,
alm de nm grande quintal morado ; qoem preten-
der dirjase a roa do Trapiche n. 3. I* andar, qoe
achara' com qoem tratar.
Ka praca da Independencia o. 33, Toja de
ourives, compra se onro, prata e pedras preciosas,
e tambem se faz qoalqoer obra de escommenda e
ledo e qoalqoer concert. '.
LOJA
DE
llantelga
Ingleza flor a 10, a libra e a Soo rs. soffrivel e propria para tempero a 32 rs
dem fraoceza a 56o rs. a libra.
Cb
De primeira qualidade a 2#8oo e proprio para negocio l#oo a libra.
Blscoitoa
Ioglezes pearl, nic-nac, oval, cracnel, e outros superiores a l#lo a lata.
Figos J
A 24o reis a libra.
. .ominas
De milbo branco a ico reis a libra, de araruta verdadeira propria para alimen-
tar eriaocas a Soo reis a libra e cax'mhas com 4 libras por menos, gomma do MaranbSo
a 16t rs. e tapioca sag a 24o a libra.
Chocolate
Superior a 10, a libra.
Doces
De goiaba em latas a l#5oo em caixa de 4 libras, muilo fino a 108o, em caixes
de 2 libras a 5oo e 32o.
Petse
En latas a l^ooo reis a libra, sortido em qualidades.
Ostras
America a 8oo rs. a lata.
Balites e Vassouras
Americanas a 8oo reis cada peca.
Touelnho
De Lisboa a 320 reis a libra. *
Tomates
Em latas a 6oo rs.
Sal
Refinado em lindos postes por ooo rs.
Rirshs de Wasser
A 2ooo a garafa.
Veruiouth e Afossutho
A Idooo a farrafa.
Bltter
A Ijjooo a garrafa.
De bordeaux superior, Saint Estephe, Saint Julien, Saint Etnihe a 7ooo a du/ia
e 64o rs. a garrafa.
VIUDO
Do Porto fino a 140ooo a duzia e 105oo a garrafa e magnifico tamhem em bar-
ril a 8oo a garrafa.
Duque do Porto
Adamado e outras marcas a 9oo rs. a garrafa e lofl a duzia.
vinho da Flgneira
O que ha de melhor a 40, a caada de Lisboa a 30 e 40 a garrafa.
Vinagre
De Lisboa a 2oo e 28o rs. a garrafa.
Farello de Lisboa
Saceos com 9o libras a 405oo.
-CerTeJa
Franceza em gigos de una duzia a 60.
Inglesa
Bass verdadeira a......T. e Victoria e Alssop a Soo res a garrafa
Tratamento paramente vegetal sem mercurio, iodo, onro, nem outro qualqne
mineral.
Verdadeiro pnrificador do sangue sem azougue.
Especial para a cora de todas as molestias que tem sua orrgem na impureta do
sangue, como sejam as molestias boubaticas, sypbiliticas, escropbulosas, darthrosas, quer
venham ellas por hereditariedade, quer sejam adqueridas pelo contacto com pessoas in-
feccionadas dos diversos virus qne contaminam o sangue e os humores.
A caroba um remedio prodigioso, usado desde remotas eras pelos indios
do Brasi). e passando seu uso de geraro em geraco, bojo um dos remedios mais co-
nhecidoscomo proprio para combater as molestias mais hedion fas, entrando nesse nume-
ro a morpha ou elepbantiases-, pra cujo'curativo os nossos sertaoejos consideram a
caroba como remedio espeeifico.
A moito tempo entrou a caroba nos formularios como preparado magistral
sob a forma de eleictuario, anda hoje lembrado as pbarmacopas com o nojne de seu
celebre aotor Jo5o Alves Carueiro : n3o ella portanto remedio noto nem desconhecido.
O ungento de caroba da mesma sorte preconisado desde tempos immemo-
riaes como o mais apropriado para o curativo das boubas e ulceras syphiliticas srdidas,
e era pregado com proveito depois de improficaa applicacio de muitos outros agentes
therapeuticos enrgicos e de aso quotidiano.
Muitos dos nossos mdicos de consideracao e entre elles o muito distincto pratico
e observador o Sr. Dr. Pedro d'Atbayde Lobo Moscoso, tem confirmado por meio de ex-
periencias repetidas, o que diz a fama das benficas propriedades da caroba no trata-
menlo das boubas, das diversas formas sob que a syphilis se aprsenla e moito especial-
mente as que teem sua sede na pelle, e poderiamos relatar alguns casos de data muito
moderna obsarvados pelo mesmo Sr. Dr. Moscozo em que a caroba produzio admiraveis
effeitos, depois de innteis e prolongadas applicaces de salsaparrilha, mecurio, iodo, ou-
ro e seas preparados, etc., etc.
Nao era possivel que urna plaa lo notavel por suas inappreciaveis virtudes es-
capasse a perspicacia e investigagoes dos mais abalisados pralicos europeos, que se ap-
pheam com especialldade ao estudo e tratamento das molestias syphiliticas e herpejicas
e para prova abi csiSo os Srs. Drs. Caseoave, Schurfer, Ricord e oatros dando as mais
lisongeiras ioformaces sobre as propriedades curativas da caroba e pieconisaodo-a como
remedio poderossimo para o tratamento das empopes cutneas, seccas ou suppurativas,
darthros de todas a qualidade, ec-emas, ulceras de diverras naturezas, tumores, osseos
e"orjlfas muitas molestias de natureza sypbiiitica ou boubatica.
Por. ter-se generalisado muito o uso da essencla da caroba que ea pre-
paro e pelas instancias de varios med ais que desejam continuar em suas observaces,
deliberei-me a ter promp'a urna qoantidade da mesma essencia, obtida sem a accSo do
ogo, para n5o prejudicar as propriedades medicamentosas; e d'ora em diante encon-
trar-se-ha na minba pbarmacia sempre e em porgo suficiente para todos os pedidos a
ESSENCIA CONCENTRADA De CAROBA, e o ungueuto da mesma penla para que nun-
ca fallem aos Srs. mdicos qaequizerem esperimentar to precioso agente medicinal.
Reci'fe de Parnambnco, 17 de outubro de 1866.
AUGUSTE GA0R3.
Aos &8. bgueteiros
na botica da roa larga do Kosaiio a, 34
Vcude-se
Salitre refinado de i* qoahdade.
Enxofre em cvlindro dem.
Limalha de ferro (muito nova.)
dem de a$o dem,
dem de pona d'agolha idem.
, Utensilios typogrphicos,
Acabam de chegar de Franca e esto a ven-
da na ra do Imperador n. 15 defronte de
S. Francisco: ricas escovas para lavar for-
mas, ditas para tirar provas, compOnidores
de diversas largaras mui modernos, tinta
para impress5o fina, linbas e eotrelinhai e
differentes qualidades e pontas. A mesma
casa continua a ter testamentos de differentes
animaes; e folhet-is de Porcina, Magalona
etc., assim como cidade de Deus, Horas da
Semana Santa, Manual Encyclopedico,Ripan-
sos, Caminbo do Co. Horas Portuguetas,
Marianas, Imitaco de Christo. Escudo Admi-
ra ve I etc.
W
MM SEMIOM DA COaCI iO
Para edn^a^So d sexo masculino
Director Manoel Alves Vianna .^
O collegio da Conceico, mudado oltimamente para o bairro de Sanio Ab- p^
ionio, raja de S. Francisco, casa n. 72, contigua estacSo central dos trilhos %j0
urbanos dos Apipocos, contina a funecionar regularmente, recebendo alum- r^m>
nos externos e internos, tanto para as aulas primarias, como para todos os :-1 \
preparatorios necessarios matricula de qualquer faculdade, sendo os seus r\-^
respectivos professores pessoas moralisadas e de um concito magistral j (gj[|
bem firmado nesta cidade. '?.'
O director deste novocolegiocontiuuandoa empregar toda a sol.:ilude no SfcK
desempenho de seu mandato, espera fazer-se mais digno da confianca com |^
que o v8o honrando os senhores pais de familia, confiando-lhe bondosamente }*jjj>
os seus filhos. s JM
Os estatutos do collegio, assim como o franco ingresso em todas -as suas '^)
dependencias, esto sempre a disposicjEo de quem possa inleressar. ' *.;
JARDIM DAS DAMAS
NOVA
36
Loja de fazendas
Ra da ImperaIriz 36
Imperalriz
DE
Guimares Silva
c& pruprietarios deste bello estabelecimeoto
partecipam ao respeitavel publico, e a seus dig-
nsimos fregoezes qne encontrarlo no elegante
jardim das dama? fazendas todas novas modernas
de divetsas qoalidades e ricos desenhos, indo o
qne ba de Lora e barato a sali9facao de todos o*
(regoetes, que nos quelram brnrar com sua pre-
senta, a saber : seda?, lias, linho, algodo, vas-
quinas, ntremelos, babadinbos, camisas francezas
de linho e algodo, seronlas de lmbo, camisas fla-
nella de cor, ludo de diversas qoalidades e gostos;
assim como om completo sortimeoto de roopa
feitas, tanto franeezas como da Ierra e por medida,
todo com brevidade e perfelcao, com o proposito
de agradar a todos, tanto em agrados dos Jardine-
ros como a melhor boa f possivel na classiflcac&o
de nossas fazendas, por isso parteclpamos a todos
em geral dirigir-se ao elegante jardim das Damas,
verificar-se da verdade.
i- c a =
i 22-3
_J 9-9
S 8

I
o> O
E
a
n
re

ai
o -
fe re
O
a


raen
^4
4 NACIONAL
S3
"O _
afasia
7 -5-3 a' o
.a S
i13
s -5
w
BO- a5
re - o
o
o
a
03
t4
S
5
-s
s
5
re
- re
KELOJTOCIIRO
DB
Vctor Grandin
40 Roa da tadeia do Recife, N. 40
O proprietarto deste etabeleci-
roento, premiado com a nedalha
da exposicao universal de Paris no
aonode 1865, tero expsslo a venda
em sna loja, om grande sonimento
i de reloglos para algibera como se
jjam: deooro e prata.sf ndo dos me
ih res fabricantes, de patentes ioglezes, snissos e
risoolaes, Tambem tem orna grande qoantida-
de de relogios para parede, e qne batem horas, di
ios para embarcantes, e para cima de mesa, lo-
dos estes relogios sao dos mais bonitos modelos.
uesmo concerta relogios de todas as qoalidades
existentes, assim corno tambero concerta enroo-
metros de algibeira e martimos : recebe sempre
por todos os vapores, om completo sorlimento de
correte* e trancehos, sendo iodo de oaro dt lei,
e de modellos os mais modernos.
;\ i un a-.se. um irmazem grande na rna da
f'raia o. 33, proprio para carne ou outro qoal-
qoer negocio : a fallar no mesmo.
fiRAMIE HOTLL CENTR4L
Offerece-se urna criada para casa de bomem
soiteiro: a tratar na rna de S. Francisco n. 43.
Photographia italiana
Roa d* imperatriz n. 14.
J ka Firpo director d'esta importante offleina
l*m honra de participar ao respeitavel publico
:<; todas as cbapas feitas pelos Srs. Sub & C. &
Len Chopen esto no sea poder e qae as pessoas
qoe aaizerem ter reprodaeco das ditas cbapas pelo
casto de 4000 a dozia podero apparecer qae se-
rio promptamente servidas.
v'itis Alaga-Te-nara ama de leite orna parda moga
cohi oous metes de parida, sem fllho e de bons
nes: no pateo do Paraizo, segando andar de
poNdoacongoe
Rna larga do Rosarlo *. 37
Alugam-se espacosas salas e qoartos mobilbades, servem se comedorias
rado gosto e asseio e recebem-se pendonistas por precos commodos.
a toda bura com apa.
Attencao.
X. 2i-Ba do Liviarueotr-.W 25
Deposito de tamancos e calcado naelonaes da fa
brica da roa do Jardim n. 19, de Jos Vicente Go-
dinho, tanto no deposito como na fabrica se
apromptam todas as porcSes de calcado o mais ba-
rato possivel, esta fabrica tem todas as machinas
proprlas para os calcados ja' bem acreditados pelo
grande nnmero de fregoezes que daqnl se for-
necem. _______________
Precisa se de om calxeiro para padaria : no
lareo da Santa Cruz o. I.
Kiisiiiiniiif
Ensino de msica

. 75, 2o andar, rna do Imperador b. jj
T, i" andar.
Lecciona-se por solfejo ea tocar va- ^
ros instrumentos; dando-se as li- M
cOes das 5 horas da tarde as 10 da W
noite em casas ou em suas residen- |
cias. U
Oompanhia geral hespanhola de seguros sobre
a vida
AUTORIS^DA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
BANQE1R0S DA COMPANHIA
9 Banco de Hespanha
DIRECCAO GERAL
Madrid : Rna de S. Agostloho
B.IO
Sltaaeo da companhia em 15 de jnlho de 1866.
Apolices 19:700 Capital Rs. 127:144(5670 .ou moeda brasileira
Rs 12,714:476,5000
A Nacional abraca toaas as conbinaces do seguro de superTivencia e n'ella pode
fazer-sesabMrip?5) de mido que em nenhum caso se perca o capital imposto nemos lu-
iros coErespondentes.
maaflanca depositada.nos cofres do^estado, garante a boa administrado da com
panhia
Os fundos da companhia se invertera em ttulos do estado e se depositara no ban-
oc de Hespanba com intervenco do delegado do governo e do conselho administrativo.
A companhia estranha toda a empreza ou a spiculago perigosa.eos ttulos em
gne se invertem os fundos imp s na rmesma, nlo-se correr o menor risco, pois estilo
garantidos pelo governo, podeatoaacao da a tor p.eizosd
- i fl os
t o: om a o
i s
g a -
O-gJN
a ~
50

-i

ce
33
o
o o
CU .5
~-
-

a a
-I KZ
tSc

>
>
o esc
T3 CO
gs
-*$*>
**
S-o
o. 3
* | C a S
Hltfi
o >
ce
re M
lio
" ^H
o > 5
2 <
C c ai
n os o.
re O Cd
s 2
1 w
.2 o
3
s
re
o
fe
O.
e
O
O.
a
cu
Qoem qoizer comprar um guarda-loaca em ;
malta boro estado, dlrip-se a' roa Augasta n. 51,'
qae dir-se-ha quem vende.
- Afogare para ama de leite nma parda roo^a I
com dons mezes de parida, sem flibo e de bons;
eostumes : no pateo do Paraizo, segunda ca-a de-1
pois do acouKue.
Caaa para alagar
Aluga-se o 3 odar do pradio d. ra da Cafieia I
do Beclfe n. 87 : > tratar no ahdar.
-se de urna senhora que saiba J
ensinar a ler, escrever, grammatica portu-
gueza, franceza, msica e piano, para en-
sinar a doas meninas em nm engenho na!
freguezia da Eescada, nma legua distante;
aa estacSo, paga-se bem : a tratar na rna'
doCabogn 11, 2'andar, com Francisco:
Antonio de Britto.
Escrava para comprar
Pietende-se edificar urna casa
devora servir para nm asylo pi : 4 tratar
com o solicitador Barroso, ra da Concordia
n. -i't, o qual apreseotar a d'scripcp e or-
camento respectivo. As propstas sarao
eivijdat em carta fechada.
alugar
ou
Precisa ss de nma escrava que coliche, por
compra ou lagael : na rna da Cruz, armazom n.
10, das 10 oras da auobaa as 4 da (arde. ., .
Xa rna do Fogo o. 87, sobrado ! J
*e-see eogomroa se am aseu f proi
Precisa se de orna seohera qne se qaeira en
carregar da educaco de 4 meninas em nm eogei
nbo perto, com tanto qrf saiba o franeez, poriu-
i guer, msica e plano o trabalhos de agolha : quem
itar dirija se ao efcriptorio de Do-
trteu a roa do Yigarb n fi.
Aluga-se o sobrado da ra da Madre
Dos n. 36, com lastantps aommodoj
tratase na ra de S. tt*acaci collegio da
Conceico.
A'uga-se urna escrava, que engomme e cozi'
nbe o ordinario de orna casa : na rna da Aurora
n. 86, primeiro andar.
i Residencia e consultorio i
Medico cirurgico
DO '
Dr. Antonio Uarte
Na praca da Boa-Vista n. 21 onde
pode ser procurado a qualquer jj
hora. M
Especialldade
Doencas do peito, e de meninos, i
D consultas das 7 s 10 horas da i
i manha.
V*6?l**-**
Pernota se nm engenho d'agoa de fater as
snear, sito na fregoez'la de Serinhero, disunte da
via frrea roela legua, moente e corrente, com
mallas, logradoores, e tido o mah acccessorlo, por
predios n'esla cidade :-qoem pretender dirija- se
ao largo do Paraizo n. J6 a filiar com o Sr. Pelix
. Francisco de Souza aaglbee?.
NOVO DEPOSITO
DE
MACHINAS
-AttA i>ESCAROCAR ALGODO
Manoel Bento de Oliveira Braga.
53Rna ni relia .53
Neste estabelecimeoto se encontrarlo at
vertiadeiras machinas americanas chegadas ltima-
mente, as quaes sao feitas pelo mais afamado fa-
bricante da America, por isso avisa a todas as pes-
soas que precisarem comprar, de se dirigir a este
estabelecimento que comprarlo das mais perfeitas
neste genero, assim como mais barato do que em
oulra qualquer parte, por isso que se recebe por
conta propria, bem como cannosde chumbo e moi-
nuos para moer milho, e grande sortimento de fer-
ragens e miudezas em grosso e a retalho.
Machinas americanas para moer caf, de
[vono systema, proprias para refloacSo,
i \vx'vtea* para mrlho.
Ra da Imperatriz n. 14, pri-
meiro andar.
Retratos a oleo.
Ditos em Cnctypo.
Ditos em verdadeiro esmalte sobre por-
celana.
Len Cha,el i o, pintor e pbotograpbo, convida
ao mostrado publico a visitar a sua galera, onde
se acba ama coileccao de retratos a oleo de alga-
mas pessoas desta cidade, aQm de fazerem nm
jalao imparcial sobre a. seroeibanca e desempenbo
d'arte.
Outro sim, garante ser elle o unios artista nesta
provincia, qne trabalha no systema de esmalte so-
bre porcelana, ina.teravel, por ser vitrificado ao
fogo; retratos esses proprios para al&netes, bu-
loes, ea6Sole(as, aooeis, etc., etc.
Acbando-se em preparativos da viagem, Len
ChapeUm, roga as pessoas que destsjarem possuir
om peifeito retrato por qnalqaer des systemas ci-
ma ditos, aproveltarem esse pouco lempo qne pode
dispr, ce ros de que ficaro completamente Satis
feito?.
N'2 RUADO TRRESE 2.
Caf e lunch
Cocontra se a qnalqaer hora.
Aceitam-se assignantes qne vecbam almocar e
janlar a este estabelecimento e ignalroeote se for-
necem para fora comedorlas adas e bem feitas.
NSo se tratara' bem os fregoezes so nos pn-
metros dias : o tratameuto sera senpre o qae se
conveacionar no principlo-regolar-bomou ex-
cellenta, conforme o qne cada nm qalxer despen-
der, os precos sero razoaveis.
M. t-Rna do TerregM
Foglo em dias de fevereiro de corrente anno
do logar da Estancia o escravo de nome Joo, Ao
gola, de idade de 35 a 40 anuos, balxo, grosso,
barbado, calvo no meio da cabeca, emblgndo, ps
apalbetados e grossos ; protesta-se contra quem o
tiver acontado, e qoem o pegar leve-o a roa do
Queim do n. 13, on no sillo de S. Jos da Romana
uo Mangninbo, qae sera' gratificado.

Precisa-se de orna ama para easa de pequea
faoilia : na roa das Orates n. VI A, taberna da
porta larga.

'


Diario e pernaaibnco Terfa fera 8 de antha de 8o7.
Z1
-
1
Satisfeito o invencive Veado Braaco, comasmaneiras silenciosas ora que
foi acomido pelo respeitavel publico desta briosi provincia a poni Jo que muitos a por-
fa desputaram a satisface) deserem os primeiros a compraren! era su importante arma-
zem, se desvanece em declarar com toda a lealdade de que capaz, que est cida vez
mais animado, nao s pelo beDigno acolbimeuto que tem recebido, como pelas torcas de
quedispde porque at hoje nao careceu ainda dos preparados de jurubeba, nem do
xarope alcoolico de veame.
O Veado Braaco, declara a qoem ainda o nao conhece que n;io un
desses bicharocos intrataveis que por ahi vivem cora figura hu nana ; domesticado no
ameoo paiz onde aanwel Aquia Branca vio a lu do^astro bemfeitor, elle partidario
desse invejavel agrado e sin'ceridade que com tanta grvida ie se desprende do su
bico encantador.
O Veado Branco, como lodo o bomem civilizado, ama a sociedade dos
bons, gosta do centro do mundo elegante, usa do tnico de Jayme. para previnir quelhe
ponham a calva ao sol, vai a companhia des Booffes Parisiens e no raeio do partido do
madame Adelle, elle tambem atira-lhe o seu lindo bouque'.
Digae-se o benigno leitor de jurar as palavras sinceras do sincero Veado
Braaco, e venba prover a sua dispensa do que melhor se pode encontrar n'um estabe-
cimento de molbados.
A modicidade dos precos, comparados cora a boa qualidade dos gneros e o
bora modo com que se recebe os senhores compradores, deve certamente convidar as
pesoas que ainda nao vieram nossa casa a f :er part
__
dos amigos c ffeguezes do nosso
BELLISSIMO ARMAZEM
DE
OLEADOS
CONHECIDO PELO NOME
EstabelecWo ra Direita u. 16.
Esquina da travessa de 9. Pedro.
Josepha Maria dos Peeres e Silva declara
ao Sr. Joo Guilherm; de Mello qu-; o aono de
toro do eugenbo Queimadas, que o mesmo man-
doa pagar em 2 de malo de 1867, vencido em 21
demaiode 1865, e nao era 21 de maio de 1867,
como por eqalvoco foi declarado no racibo passado
ao referido da 2 de malo ; e como nao leoha sido
us-v3l tazer se irosa dos referidos recibos, faz
sciehle pelo presente a quem interessar possa,
aQm de evitar duvidas para e futuro, bem que se
iraraj a vista dos laucaiuentos e documentos exis-
ente?.
Precisa-se Je urna ama para servio de casa
de pequeu > familia : ua roa do Hospicio u. 63.
"CSJl Oft FQBTUNA.
los 6:000#000.
iiSihetes garantidos
A RA DO CRESPO N. 23ECASAS DO COSTUME
O abano assignado venden nos seas multo (eli-
tes billietes garantidos da lotera que se acabou
de extrabir a benecio das amlss dos volunta-
rios da oatria, os segaiates premios : I
N. 2881 no) raeio com a sorte de 2:000,$.
N. 2980 om meio com a sor'.: de 60(>. ,
X. 2616 um meio com a sorte de 300.
S outras maltas sortes de 1005, 403 e 203-
Os possuidores podem vir receber seas respec-
ivospremios sem os descontos das leis, na casa
d* Fortuna a' roa do Crespo o. 23.
Acbam-se a venda os da 2a parte da 8a lotera
do tbeatro de Santa Isabel, qae se extrahira' ter-
5a fera 23 do crreme.
gPreeo.
Bilbetes.......... 63000
Meios............ 33000
Quartos.......... 13500
Pra Is pescas que compraren de 100^000
. para cima.
Bilhetes.......... 53500
Meios............ 23750 [
Quartos.......... 13375
Maooel Marti'-" Fiuia.
&niBit Os pareotes e herdefro dos MsS fallecidos
Besla capital dse,ara saber por coma de qoem
foram sepnit dos os seus cadveres, se por euuta
da rouuieipalidade, ou caridade publica, ou se por
conta de particulares, que boje reclaman por ts
tes actos de caridade condecorabas do governo
da Blgica,
GRiNDE BAZAR
RA .NOVA N. ^0 E 22
Club Pernambucano
\ partida do corrente me?, ter logar naj
noite de 25._______________________
ttengo.
Elias Baptista da Silva declara que Joaqun de
Souu Pinto, deixoa de ser sea c.iixeiro dese esta
data. Recife lo de julbo de 1867.
Precisa-se alugar urna araa de
tar na roa do HVpicio n. C8
leiie : a Ir*
Ao Sr. capu&o do 2o batalliSo de ioantaria
Igoacio Pinto dos Santos Sases pedf-se o favor de
se dirigir a roa do Imperador n. 18, aflra de con-
cluir negocios que o ~ mesuro senhor nao ignora
Igual f .vor pede se ao Sr. Francisco Roitrtges dos
Santos Carioca.
' OESTUBANTE do * anno Jeronyoio Lou-
renijo de Araojo, venba a ru das Crnzes 8. 3o, pri-
melro aadar. a egocio que nao ignora. _____
Precisa-sede i:0003 a 3:0005 a jaro*, dau-
do-se por g-traalia urna propnedade denominada
Tres Ladeiras eu um engeuo : quem qnizer farer
.-le negocio anuncie por este Diarte, nara ser
pro:arado. oa valar na roa da Praia n. *7.
Binlieiro a gremio.
Na travesa da roa da Concordia n. ttS, sobrado,
e dir' qnem -da'. ________
a qoem tiver cebado um papagaio de um p ale-
jado e urna corrente no injsoo p, no feecco dos
Ferreiros, no da terga-feira, as 7 Poras, qoeira ter
a bondade de4raze-lo na ruada Imperatriz n. 40,
V andar, que recebera' a quantia cima indicada
atm dos agradec raentos.
Para eseriftorio oa rapaz soteiro
Aluna se orna excellente sata e alcova com mais
dons pequeos quartos ao 2* aodar do sobrado
amarello na esquina do pateo do Ccllegio, com ja-
neas para os ouus lados : a tratar no 3* andar
OU na ra do fmi*er.irior n. 81.
Precisa-se de um .una < leita que sej
forra sadia : na roa Direita o. 45.
CUB 00 RECIFE
A partida deste mez, ter lugar na ueite
4e 27 (sabbado)____________________
Atten^o
Preoi&a-se de urna ama para o servido interno,
para casa de poaca familia ; a tratar aa ra da
Roda n. 1
Joaqui Baptista .Nogneira, ciaado poriu-
gu PrMta, em dlreitura a' Barcelona despede-se de
seo* amigos por este meio^__________^^^^^
No dia 18 do corren de Olioda, no logarAgua-friaum caballo me-
lado, espaotando-se,. tomara a corda da inao do
condoctar, desembesira e se desencaminhara :
rog-* a'* pAMoas qae o a pan na rara o levem a o
Dr. Cosom 4i i Peralta, no Rueie, qw serao re-
oropensadaf. .
O Sr. Jos Marques da Costa S oares
(negociante no Recife) queira vir a esta typo,
graphia negocio.
Saoe) Pewer Joni6tonNA litBfnhia
Roa da SenzalaNova n. 42.
AGENCIA DA
Fttuditae eLow Moer.
Machina* a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias morodas para engenho.
faixas de f9rro coade e batido para enge-
-iho,
A.rrelc d.i carro gara om e dona cavallo
Melogios de our palate inglez/
Arado americanos.
laehinaEpara defearojar algcdo.
Motore* para ditos.
Haohina de coMnrai
Machinas para descarocar algod5o. do me-
lhor autor que tem apparecido na America.
E' tal a execucjio do michinismo, que o al-
god5o sahe quasi tao perfeito como o debu-
tandeira. Recommenda-se a attenc5o dos
Srs. agricultores, estas machinas.
Bernardino Jos d Medelros e baunano I'a*
eheco do Gonto, fazem scieota ao respeitavel pa-
blicj e com especialldade ao corpo do commercio,
qne nes
ciedad* que tioUam na liberna da roa de Hurlas
n. 39, que mrava sob a firma social de Medeiros &
Cooto, iioando o ex-ocia Couto oa posse exclusi-
va do mencionado estabeleciraento, com ledos os
fundos nelle existeates, e otirigadn a nq"uidavao
do aotvo e passivo da extinu firma social, como
nico responsavel o retirando-se o ex-socio Me-
deiros, uagoe satisfeito do sen capital e lucros,
ix-ife, 16 de julbo de 1867.
Beroardino Jas de Hedeiros.
L'.-jn;in Pacheco doConto.
Pede-st ao Sr. Ern-sio Alviui da Silva, fsiQ-
doate do tercerro anno jaridieo, que teora a bon-
dade vir pasar o qne deve ; oa ra das Agua*
Verdes n. 22.3 andar. _________
Dffereceseurna stmhora portugueza fura o
servido de casa de bomem solieiro : a 'tratar na
ra da Roda n. 52.________________________'
Frecisa-se de ua ama *ara mnoonolteia
refere-so de idade : a roa B Aluia-se um mulallnho de l3annos, para criado: qoem pretender dinja-se a ruada
Imperatriz a. 2, na mesma casa precisa-sede urna
anva para lavar e eogomroar, pudendo -ir dormir
em sua casa, paga-se bem, agradaudo.
Offerece se ;para alxeiro de tabbrna ra ra"
paz por.Cag&ez de 11 aanos de -idade, com bacante
pratica do oegocio: quem pretender dir;ja-se a
roa de S. ? o. 2 taberna.
Jjs des Santos fiamos de Oliveira, a>isa ao
publico com especialldade ao corpo do coromercio,
qae sendo bem coobecido, tanto oosta praga como
r i della, por Jos Bom, assigoar-se-ha de boje em
diaote por os Bom Ramos de Oliveira.
Prenisa-se do urna ama que saiba cozmhar,
ensommar e fazer todo o servico de casa : na ra
Direita n. %.
GRANDE BAZAR
ra Nova n. 20 o 22
Machinas pa a costura do autor Whecler
t Wilson, ebegadas ltimamente da Ame-
rica; as qoaes pode cozer^c com dous
pespontos, toda e qualquer fazenda, emba-
inhar, frangir, bordar e marcar roupa; ludo
com perfeicSo. Sao to simples, que com-
prebende-se fcilmente a maneira do traba-
Iho e a pessoa ten do pratica de coser em ma-
chinas, pode fazer por da o servico que fa-
riam 3o costureiras.
Ghama-se este eslabelecrmenlo a atten-
co do publico, visto que elle se acha com-
pletamente sonido de objectos de gosto,
como bem leques de madreperola e de sn-
dalo, tirelas, Atas para cinto, cokes perfu-
mara e etc,
Na ra nova o. 20 e 22. Caroeiro Vian-
na & C.
Precisa-se de 3:0003 a premio por lempo que
se convoncknar, com hypotheca em urna graaJe
casa, olaria, sitio com frocteirase viveiro, nos so1
burbios desta cidade, cuja propnedade acha-se de-
sembaracada, como se mostraran': quera tal ne-
gocio qnizer fazer, procure na Bjavista, ra da
Conceicao n. 33, que se dir' qnem quer.
Precisa se de 8003 a joros sobre liypotueca
em urna escrava moca e ama cria do 2 annos :
tratar na rna Imperial o. 215,
Ernesto Alvim da Silva, em resposta ao an-
nuncio iosprto no Diarto de boot^m em qoe o Sr.
Antonio Bizerra da Hucha Moraes. esludante do 1*
anno da faculdade de direito (caioiro) o chama
a.' ra das Aguas Verdes o. 22 segundo andar para
satisfaer urna divida ; declara que nao se consi-
dera devedor do raesmo Sr. Bizerra, e sent pro-
fundamente que ama com* to mesqninha qoanto
ridicula tivesse impellido esse estonteaJo mojo
a' calumnia-lo publicamente.
OlRLIQUiM
Jornal satyrco illustrado,
Publica-se todos os domingos no Rio de Janeiro
e assigna-se por 183 rs. por anno, na livraria fran-
cesa ra do Crespo o. y.
L gitinios charutos e cigar-
ros da Ha vana.
Acabare do chegir a livraria fraoca,
Boa do Cr spo u. 9.
Na 10a do Ranpel n. 9 precisa-se aiugar nm
prelo para iraiar de cavallos.
Jos Marques di Costa Soares, ex negociante
matriculado ua cidade de L'sboa, tendo constran-
gidamenie dissolvido sua casa naquella cidade
para tomar conta do infeliz casal de seu pai o co-
ronel Antonio Marques da Cista Soares, cujo car-
go acs viota e cinco raezes depols do allecimenio
d3 dito seobor : declara pelo presente, que por
haver um Mitro de igual nomo (intitulado nego-
ciante do Recife) assignar-se-ha d'ora em diante
Jos Marqaes Soares.
Gabinete Portnguez de Lei-
tura.
De ordem do Ira. Sr. presidente subsiHutj, con-
vido aos brs. wmselheiros a rennirem-se qointa-
feira 25 do ucrrrenle pelas 6 horas da larde.
ecr,e!aii,d'j coselho deliOerativo, em 22 de
jullio de 13W.
Jos Rilwiro da Fonseca,
Secretario.
A {Tofessoia da 4* cadeira de Santo Antonio,
ltimamente creada, faz publico que a matricula
de soa aula se acna aberta dem o dia 22 do cor-
rente, na ra da Penha n. 1 prlmeiro aodar.
llival sein, segundo.
Rna do quelaaaBon. 41.
>uer acabar com as fazendas abaixt
mcncionaflas.
Qurrim vir ver o qae bom e barall&ino.
oa ibas de labyrinlho com bico, fazenda boa a
3|3fJ0.
Carreis de liona com 100 jardas a 30 rs.
; Grvalas pretas e de coree ninto finas a 500 rs
-lxas de o'jreias de massa inulto novas a 40 rs.
infladores para esriartilho'de rordo e lita a 6" j
ris.
Carretels de linha Alejandre com 100 jardas a 20t
rs.
.esreas de pail almaco multo hom a 23500.
Fraseado oleo babosa a 320 e 500 rs.
Jilos de dito bigienique verdaieiros a 13000.
Ditos dito Ulso'a 800 rs.
Ditos demacaivr pen.la ; 200 rs.
Jabneles ramio fios a 60, 160, 200 c 320 rs.
Oitos de bolla mullo finos a 240 a 320 rs.
Zaixas para rap com bonitas estampas a 100 rs.
yiadas.de lioba froxa para bordar a 20 rs.
Varas de cordo para espartilho a 20 r.
frascos cora tinu roa uiuito boa a 250 e 32u i. i
Pectes volteados para regacar cabello de menina I
. a 320. '
j Frascos de macaca' oleo rauita fleo, a 120 rs.
Abotoaduras muito Unas para col leles a 500 rs.
'iirt5es de tmha branca e de eflres a 20 rs.
-ibra de ?ra preta sapanor a 100 rs.
scov pan tato, farenda boa, a 500 rs.
Varas de franja branca do llnho para toalba a
100 rs.
Pecas de bico estrello com 20 varas mnito bonit.< a
13000.
Varas de papaflna de diff'reotes larguras a 12'*,
160e200rs.
Ciias de palito balao a 40 rs.
Ca xas de palitos de seguranca sem eoclutYe a
60 rs.
SaT)ontes de familia a 100, 160 e 2W.
Grosas de boioes de madreperola para camisa a
600 rs.
Caixas com soldados de cbombo para meninos a
120 rs
Carlillia de doulrina chrisla a 320 rs
Latas com superior banba a 200 rs.
Ver da deiros
Collares Royer
Electro Magnticos Anodinos
Ou Collares Anodinos, para facilitar a den-
ticSo das enancas contra as convulsoes
das mesmas, a estes collares nos escuzado
fazer qualquer recommendacao, visto a
grande utilidade que tem produzido quelles
pais que os tem applicado em taes circum-
stancias pois nos parece que nao lia ver um
s pai ou mai que por este meio nao quei-
ra por termo a taes soffrimentos de seos
filhinhos visto ser um mal que tanto os
flagella, pois a estes collares acorapanba nm
folheto que eosina como se deve applicar, e
vende-se na loja do Gallo Vigilante, rna
do Crespo n. 1, polo preco de 40000, 50
e 6.JOOO.______________________
Vende-se ama casa terrta sita na estrada no-
va do Caxang, com 37 palmos de frente e 83 de
fundo, 2 salas, 1 saleta para engommado, i quar-
tos, cosioha fra, 2 quartos fra e 1 telbeiro pro
prio para estribarla e agasalbo de vaccas, cacimba
e algomas larangeiras, sendo todo murado cora por-
tao de ferro ao lado dlrito : qnem pretender ileri-
ja-se ao abalxo assignado morador na estrada dos
Afnelos.Candido Jos dos Santos.
lURKCI
DE
Joaquim de Almeida tinto
A jurubeba contra o ingorgi
lamento do figado e do bago
Em extracto alcoolico, emplas-
tro, oleo, tintura, pllnlas,
xarope e Tlnho
A jurubeba urna das substancias medi-
camentosas qoe pertencem ao reino vege-
tal, e pertence a classe dos tnicos e desobs-
truentes, sendo empreada com vantagem
contra as febres intermitentes acompanbadas
de engo gitamen;o de figado o de baco. Ella
tem sido applicada cora incontestavel pro-
veito contra a anemia ou colorse, e hydro-
phesia, catharro da bexiga, e mesmo para
combater a menstruacao dil'ficil, resultante
da mesma anemia ou chlorose.
Depsitos serr.es
Em Pernambuco, ra larga do Rosario
n. 10, Rio de Janeiro, pharmacia do Sr.
Dourado, Rio Grande do Sul, em casa dos
Srs, Casc5o & C, Macei, pharmacia do Sr.
Claudino, no Havre, pharmacia de Mr. Ma-
rical, em Lisboa, na pharmacia do Sr. Feij.
4
Neste esUbelecimeolo a' roa da Imperatriz n.
70. encontrara' o respeitavel publico um lindo e
variado sortimento de miudezae, perfumaras da
sociedade hygienica Lnbin, Piver e Condrai, lavas
de Jonvin. cbapelinas, coques e enfeltes para ca-
bera, ir-jertoa de modas de Pars, qoe recebe de
so-, 'ouia e por esta razao vende por menos qoe
en, outra qualquer parle. Os Sn. consumidores
uo necessitam 1er encommodo de irem ao bairro
de Santo Antonio e Recife para se proverem do
qoe precisaren), pois na Lealdade acharao indo
do melhor gosto e por Dr^C"' nna'to rnrnmndns.
-- Vende-se um sino a mariieui do rio apiba-
riA, tratn.se na ra do Queiraadi o. 18 A
NOVENAS
D. Henriquea Teixeira L pes da Suva, sob a
presso da mais acerba dor, vem pelo presente
agradecer a {odas as pessas que se dignarara
acompaobar ao craiteno publico, o cadver de
cu esposo Ji.- Lourengj da Silva, e de novo ro-
ga-lbes o caridoso obsequio de assislirem a mssa
do stimo dia que par alma do mesmo tallecido
maada diter na terca-feira 23 do corrente as 7 ho-
ra, da manr, oa matriz do Corpo Santo, assegu-
rando-lbes qne par mais esta prava de amlsade
sera* duplo o seu reconhecimeoto.
Precisar de urna raulber forra qae se quei-
ra encarregar..do irattmento de ama menina de
nm anno, ja' desmamada, era casa da propria fa-
mi ia : a tratar na roa da Cadeia do Recife n. 24,
2o ou 3* andar. ______________._
Irmandade do S8. SS# da
matriz do Corpo Santo,
Nao se lendo podido proceder a elelgo da nova
mesa, qoe tem de reger a irmandade no anno de
1867 a ,1868, no da designado pelo compromisso
convidla todos' os irmaos a eamparecerera no con-
sistorio da mesma matriz no dia 26 do correte as
4 horas da tarde, aQm de se proceder a dita elei-
cao.
Recife, 30 de julbo de 1867.
O ecrivo,
Jos Joaquina da Silva Gome?.
Aona Joaquina da Silva, herdeira de sen-fl-
nado fllho Jos Antonio Ferro de Figaeredo, ven-
do no Diarto di Pernambuco de sabbado 20 do
cerrante anonadado para o da 34 do corrente, pelo
agente Mariios, o lellio de predios e terrenos per-
tencentea a heranca do dito sen filbo, vem pelo pre-
seDte fazer pablieo, que csses bens eslSo litigiosos,
por tsso que a aoounciaole appelloo d partiiha, a
qual sendo reformada como espera, Ira* ella haver
esses beos do poder de qoem os tiver; assim como
declara que os mencionados bens esto sugeilos a
acgo de sonegidos que a annonciinte pretende
propr depeis da deciaSo da prtiiha. Aannun-
ciante faz esta declaracao para ',ne ninguem depois
ailegue ignorancia___________
PreclM-se de um menino poringue? para cai-
leiro de taberna, qne tenha bastante pratica de
molbados de 13 a 14 annos ue idade : qaera qai-
ut dirija-se a ra dci Pires defronta da mangaei
r jupie t^ 4;opiUl militar, n peBoJliroa casa.
Otar* e prata.
Snobras vi*rs : -compra-sena prca "da lo
d^pendencio o. 22 (oia de bilhete
MeeQas de ouro.
Sacionaes e etraogeiras a.ssic cor&3 libras
i---;erliDdS: camprara-se na rna do Crespo n. 16,
pvimclro aadar.
Compra-so inoedas dt^urTde"2i764riO*i
e *J> a roa de Uruz n. 3.
ii&DNftl se paiacies e prata brasileira li-
bras esterlinas inoedas, de 9, de 105, de 163 e
99 por malor preco do ue ero outra qualqaer
parte: na roa da Cadeia loja de fazen^ n. 58.
Moedasde prata
oacienaes, assim como paiaedes poriognezes e
hes-panbes,-coapram-se com premio : na ruado
Crespo n. Ifi, .primeiro andar.
25SOO"
praa moedas nacianaes de 3Q1 : na rna do Crespo
n. 16. pnrueirn andar.
Libras esterlinasc
Comprara se com bom premio : na praa da lo
dependencia o. 32. .
Compram-sc esefavos
S/-.ino Guimerae de Barros, compra, vende t
troca efectivamente escravos de ambos e de (odas as idades : a' rna'do Imperador o. 79,
erceiro andar. /
Libras esterllaas.
corapra Oliveira Azevedo & C, ra da Crrn. 1.
Ouro e prata.
Moedas de ouro e prata nacionaes, estrangeiras
e de todos os valores se comprara na loja de ouri-
ve junto ao arco de Nossa Senhora da Conceicao
roa da Cadeia do Recife, assim como oaro e prata
nm obras vellias, brilhautes, diamantes, e se paga
bem.
DE
N. S. do Corroo e Sant'Anna,
Estao a venda as novenas de N. S. do Car-
, mi) e da Senbora Sant'Anna; na ra do Impe-
rador n. 15 defronte de S. Francisco.
Xarope e pasta de Seiva
DO
Plaheiro martimo
B
E. Lagasse
Prfpracfesjuui preconisada^ pebis sabios mec-
eos de Pars, com as melhores at ho|e discobertts
para a cora certa de todas as molestias do peilo,
bronchites agudos e cbrouicis, asihma e ainda das
affecgoes das vas urinarias.
DEPOSITO ESPECIAL
34Rna larga da Rosario3 i
Pharmacia de itarthoiomen 4fcC.
Farinha superior
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Ate
vedo & C, no.*<>u escrintorio. roa da Cruz o. I.
Compn
. ^a-se
orna eserava preta qoe tonba bonita ligura e com
habilidades ; na praca da Independencia nmeros
13 e lo.
Pataces
Compram-se patacSes bespaobes, portogoeies e
brasilelros de enoho anligo, em casa de \ iamson,
Henry & C.,jna d i T;apiche-novo n. 40.
Compra se cobre veibo e lalao : na ra Nova
p. 23, loja.__________________ -^
Caes de Apollo, armazem n. 85.
Comprase om opeiro de 14 a 16 anuos, e om
prelo qoe sirva para tratar da dous emtl*?.
VENDAS
VENDE-SE
cera de carnauba a 104400 a arroba : na roa Di-
reita n. 35 ; e tambem se vendem velas por 12#
a arroba^__________________________"
Vende- se ama casa terrea na roa dos Cipi0
res n. 9 : a tratar oa rna Estrella do Rosara1'
n 16.
.ccaj v'odo das
* Farinha
os aamaitns da Madre de Dos n. 22 e da es-
eadinba defronte do arco da Conceicao vendem-se
saceoscooa Cariaba de mandioca de sspenor qua
lidade, maisem conta do q #arte.
- "
Na rita do Trapich n lo
nctiam-se os sea'uintes dettotito*
De R. Bruoiagtians eiu Xnis.
Bourgogne. -
Tipbo Pommard tinto. -
Cortn tinto.
Santo (Jeorges tinto.
Cbambertio tinto.
Rlcnebourg tinto.
Clos de Vongeot tin o.
> Cbablis branco.
Del A.Woefeni FraucfeM:
Rhuno.
Geisenbeimer.
Liebfraamilcb.
Uarcobranner.
Em casa de Tbeod Christiansen, ra do Tria
piche-novo n. 16, nico agente do norte do Brasil
ds Brandenburg freres, Bordeaux, encontra-se a
tsetivamentedeposito dos artigo*, segaintes:
St.Joiien.
St-Pterre. _-
Larose.
Cbateaa Loviile.
Cbatean Marganx.
Grand yin Chatoau Latine (868.
CbatealTLaGtte.
Haat Santernes.
Cbatean Santernes.
Cbateaa Lataur Blancbe;
Cbatean Y quem.
Cognac em tres qualldades.
Aseite doce. Precos de Bordeau.
Terrenos para edificar
Vende-se terrenos no Caxanza, mnio alio?, e
proprios para ediOcego. Quera pretender dirjase
a rna do Apollo n. 32.
Loja
DAS
. ATTEN
ZVo armazem d fazendas de
Santos Coelho, ra do Quei-
mado n 19.
Bom e barato
Cambraia de cores matisadas Gnissimas a
800 a vara.
dem brancas transparente Onas ds 4$,
H, 6d, 71, 8tf e 8,$500 a pe?a.
BalSes de arcos para senhora a 2#300.
dem de arcos de cores a 30500.
dem de arcos brancos nesgados a 30 e
3500.
dem de mursulina a 5$.
dem de mursulina para meninas a 30 e
30800.
dem de arcos para meninas 10600 e 20.
Cambreia de salpicos branca a 40500 a
[jeca com 8 1/2 varas.
dem admascada pua cortinado a 120 a
peca com 21) varas.
dem para forro a 30 a peca com 10 jar-
das.
Retondes de fil a 60.
Chales de fil a 50.
Lencos de cambraia brancos finos a 10800,
.0 e 20500 a duzia.
Lencos de cassa fimssimos a 30200 e
3060o a duzia.
Cambraia de linbo muito fina de 60 e 90 a
vara.
Madapoles finos de 70, 80, 90,100,110
3 120 a peca.
dem entestado muito fino a 90 a peca
com 20 varas.
Platilha de algodSo superior fazenda para
saias a 30200 a peca com 10 varas.
Cobertas de chitas da India, muito grande
a 20600,
Lences de hamburgo fino a 20400.
dem de bramante a 30200.
Pannos adamascados para cobrir mesa a
10500.
Guardanapos de linbo adamascados a...
3500aduzia.
Atualbado adamascado com 7 1/2 palmos
de largura a 20 a vara.
dem adamascado de linbo com 7 1/2 pal-
mos de largura a 30 a vara.
dem trancado de algodSo a 10500a vara.
Algodao entestado com a mesma largura
a 10100 a vara.
Toalbasalcochoadasdelinboa 110a duzia.
Idee cura, pello a 130 e 140 a duzia.
Fil de linao liso a 800 a vara.
dem com salpicos a 900 a vara.
Grosdenaple preto superior de 10800,
20 e 20500 o covado.
Morantiqoe pretosuperior a 20800 o co-
vado.
Flaoella de todas as cores a 800 o covado.
dem branca a 600 o covado.
Bramante de linbo com 10 palmos de lar-
gura a 20500 a vara.
dem de linbo com 5 palmos a 10200 a
vara.
dem de linbo com 3 1/2 palmos a 800 a
vara.
Assim como outras umitas fazen.las que
>e vende por menos que em ou'.ra qualquer
carte, e d-se amostras de tudo,
Vende-se uma cadeinoha de arroar e em
multo bom estado e bem lorie: tratar na roa do
Imperador, sobrado n. , entrada pela roa de S.
Francisco.____________._______________
sangiiesnas
Vendem-se as melhores saogaesugas de Ham-
burgo a retalbo, por preco mnito diminuto : oa
rna da Cruz n. 50, 1* andar.
Vende-se arroz pilado em saca
A'so> n3 mi da Situada Veirn n
84.
di
Bastos
Vaquetas de lustre propras p'.ra cobertas de
carros, muito novas e da melhor qualldade pos-
sivel : vendem-se por preets razoav*|s oa rna da
C4fH i.lfi
Farinha de mandioca a 34800 o saeeo : no
armazem de Candido Alberto Sodr da Uatta n?
travessa da Madre de.Dos o. 14.
Vende-se urna casa na rna do Amparo do
Oiinda, na quina do becco da padeira n 40, e os-
tra na rna de Agois-verdes do Recife o. 49 :
quem qnizer dirtja-se a roa de Saota Rita, sobra-
do n. 27.
De padaria
Um balcao, comme il faot, ama masseira, pesos
I baliaoca e tendedeira, vende-se por todo o preco,
I na roa do^Hospicio n. 33 ou da Cadeia n. 87.
Vende-se ama rotula de araarello, em mnito
i bom estado; na roa do Pires sobrado n. 35.
Vende-se ama escrava crioula, de idade de
! -0 ptjos; estrada de Joao de Barres n. 4.
Perfumaras finas.
INGLES DE GOSNELL d C.
E FIIANCSZAS lE E. PENAUD.
A antiga e bem condecida loja de miude-
zas ra doQueimado n. 16, c Btinua a
estar provida de tinas perfumaras do diver-
sos fabricantes acreditados como Gosnel e
Penaud, sendo deste, excellente extractos
para lencos, agua de Colonia, oleo, barj,
cosmetique para cabellos, opiata e pos para
: dentes, sabonetes para maos e barba, etc.,
etc.; e daquelle, superior agua de Colonia,
opiata ingleza e pos para dentes. Alm dos
i mencionados objectos ba moitos outros que
_por suas boas qualidades e bonitos vasos,
agradarlo completamente aos apreciadores
i do bom.
Fivella* e fitas para cinto.
Na anliga loja de miudezas ra do Quei-
mado n. 16, encontrarlo os pretndenos
nm bello sortimento de fivelas e fitas pajf
cinto, sem que esqueca os lindos pentes
prateados, com fitas pendentes e sem ellas,
serapre a contento do expedente freguez
que se dirigir a dita loja de miudezas:
roa do Oueimado n. 16.
iMfferentes objectos
espostos a npreciaco dos esclarecidos fre-
guezes que os quizerem comprar; na ra
do Queimado n. 16.
Bonitas caixinhas de madeira com flecha-
dura, proprias para costura.
Outras ditas com arranjos para costura,
Sapatinhos de setira e merinos para bap-
tisados.
Meias de seda para d tos
Tocas e cha; eosinios para ditos.
Tercos de raadeira, osso,- cornalinas, ohras
mui pe foi tas.
Alinetes de osso com benitos moldes,
obras de gusto para peito de senhoras.
Ditos pretos para luto.
Meios aderecos de madeperola.
Porte jope ou suspende saias.
Lencos bordados para senhoras.
Brincos pretos, pulseiras e alfineles com
camafeo, tudo para luto.
Froco grosso de 15a, para differentes fins.
Bonecas mansas e choronas para creau-
cas.
Cestinhas proprias para creancas e bo-
necas.
Bandejas pequeas para copos. *
Benitas e mrdeni s chapelinasdeseda
para senhoras
Na loja de miudezas ra do Queimado
n. 16 vendem-se bonitas cbapelinas de seda
mui bem enfeitadas e por precos rasoavei6.
Enfeites de flores a imitatao de cbape-
linas
Vendem-se esses bonitos e modernos en-
feites de flores a imitafao de cbapelinas: na
rna doQueimado, loja de miudezas n. 16.
UiffereDles objectos
Vendem-se na ra do Queimado, loja de
miudezas q. 16.
Gravatas brancas de cambraia para noivos.
Gravatas brancas de setim para ditos.
Rosas Camelias, ramos e cataos de flores.
Papel para rosas e folhas p-ra ditas. *
Lencos de cambraia fina com barras de
cores, sendo
Para hompns a 3#600 a duzia.
Para meninos a 800 rs. a duzia.
Vendem-se na ra do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
Collerinhos de linho
obras de ultimo gosto.
Vendem-se na loja de miudezas; ra
rln Queimado cuJ6.
CABIDES PDKTATLiS
TORNEADOS E ENVEBNIZADOS.
Vendem-se na loja de miudezas: ra
doQueimado n. 16.
Caixinlias
com pastilbas de cheiro para
qaeimar-se em lugar
de incens.
Vendem-se na ra do Queimado ; loja de
miudezas b. 16.
PASTILHAS OHORIFMANTES.
Essas cheirosas pastilbas sao serapre
apreciaveis, e com especialidade no corrente
mez, porque ser vem para perfumar os ora-
torios ou altares em que se resam ou cao-
tam louvavelmente o Mez Mariano, es-
tas vendem-se na loja da Aguia Branca:
ra do Queimado n. 8._______________
PASTILHAS
VERMFUGAS
DE KEMP,
JOVA YORK.
DE COR CHEIRO E SABOR AGRADAVEIS
Infinitamente mais efficazes do que todos
os mais remedios perigosos enawseabundos
que existem para a expulsao daslombrigas.
Nao causam dores e prodozem sea effeitr-.
sem precisar logo depois de purgante ne*
nhum e toincitantes em apparencia e deli-
ciosas em gosto, que as chancas estao-
promptas a tomar mais do que marca a re
ceita.
Uteis como um excellente meio de fazer
remover as obstruccoes.do ventre, mesmo
no caso de n PAST1LHASVERMIFUGAS DE KEMPS S50 prODip
tas einfalliveis na soa operacao e por todos
os respeitos dignas deconfianca e approv-
{5o de todos os paes de familias. Prepa-
radas nicamente por Lanman 4 d,
Nova York.
A' venda as drogaras de A. Caors, Bra-
vo & C. e P. Maurer & C, e em todos os
estabelecimentospharmaceuticos do imperio
VENDE-SE
Um carro inglee de patete e de qnitro rodas
doos assentos, bem construido e lirpo para eom-
modo das pessoas; os pretndanles dlrijam-so a
coebei'a de piolara oa ra do Aragao, e para tra-
tar de 3f a ajuste na roa da Cideia do Heeifi, es-'
criptorio n. 21. _________
Vende-se nma escrava ^toa do matl-.: ai
raa Bella n. W.

i


-* m *m'

111 '*L fe"
^ ***>
V|pk^pWB*Mk^HcIMI
l ." '
ti
lar!o 4c Per mame rerca feira 13 de fulho de i8H7.
AC IB BRU11 tf. 33> /
0 proprietano dente eaUbeleerinetUo deseja cltaraar-a- atlencSo dos senberero-
prietanos para os acreditados mecbanisoaos que coatfona Morneeti*; os> quaes g^nte
ser comosemuro. da nelhor quaMde possivel:
Machinas de vapor
forca de um cavallo para cima. As menores sSo mui 'prpifras parir mdtorede
camentos de aljodlo ; ellas viajam armadas e podem trabaihar dentro dft2Twras,
Ao ropeitavel publico pemaiiibiiciiio pede-se
A l ten cao
Manldga injileza
Loja do Gallo Vigilante
DE
fnimres PrettM
RA DO ChESPO N. 7.
Os donos deste bem conhecido estabeleci-
mento, tem a honra de amar ao respeitave.
publico, e com especialidades as seus nu-
merosos frguezes, que acaba ai le receber
um completo sortimento de onjectos d8 mui-
to gosto e de completa novdde oeste meT*
cadQ ejjueps tendo recebido emdireitura, os
de cnegarem no lugar. J&as Icvam tuda geranio preciso para-o tfSfwfto; e drVersos'so- 320, 300, 800 e 15 s no armazem se acha vista,
brecellentes. As machinas maiores s3o propria para a moagea descame, el
que podem anta e separadamente moer canna e de-fcr'ocar. EHas podem-se af
iear a
em libras 320 e 38
Mantei#,i franceza'
q"_aiquer menda j existente semotra muda^ Z&* a'subtUulo du rodas da atelan-em horas 560 e 640, em barris se Jar differenca.
jarra, ha tambem com'moenda jauta. Ellas teta deposites-" d*^i ewetro dTetro, e oanha de porco
aio precisam para seu assentamenlo de obra alguma, qur de carapina, qur de alveaaria.
O tempo para assenta-las nSo excede de deze das ao mais, e em casos de mortes de am-
maes ou arrombameotos de acodes, etc., garante-se o assentamento em oito das. Todos
estes vapores sSo simplissimosnaceustracc-o, e se regem|or quilquer pessoa inteliigeute,
a facilldade da condcese seodo especialmente considerada, tanto quenSoha lugar emqoe
nlo se possam conduzir, qor per trra, qur embarcado.
Leabra se aos seohores de engeoho que a veada dos animaes e o servieo da
gente oceupado no su tratamento os-bio de recuperar da maior parte da d^speza do
vapor, deixmdo-lhes a vaotagem de urna moige_| certa e. accelerada ; e acabando com a
desposa da compra continuada de novos animaes, e com os desgosts do traba'no que se
tem cmeles.
em porcSo se fara- differenf a.
eructas
em calda Pera, Pecego, RaiBha Claudia, Alpere'e entras
lr-vhas
Portugnczas 640, frncezas 90.
Fumo
em latas do Para e de albaoeque, lata ift e I2<>0.
Ciomma de mllfao
em pacotes, dila da trra 100 e 200 a libra.
Vinho
de Bordeaux, mtiTfa^SJ" e 'TO a laia.
Francisca Jojs tiermaim-
RJA NOVA N: 21,
acab'a de receber"uMiraWma^HIo *r-
timento de oculos',Ijns&oi; bihdcu'^'tt-
poderao vender por menos djue'd'trt) qual- tmb e"mas agrifado gtfsto d Europa e oto
,.,r>- I 1 < l__l'__ _"___ k_f_b r, flan- A
quer.
P.tqissmos leques de madreperoa
branca.
Requissimosleques de madreperola preta.
Lindos leques de sndalos para seiihora.
Ditos de sndalos para meninas.
Leques de faias muito Irados.
Ditos de ossos.
Lindos port-bouquet cota cabo de madre-
perola proprios para casamentes e bailes.
Lindos cintos para senhoras com fi ellas
. flvellas.de differentes qualidade^e gosto.J^ffSJSt!r,2<58i.-n,
Requissimos eofeites com coques e-,senr^G?..s de'.es'de 0!s6'pr:cj?a % WO r?.
elle. \ EypBlo!i doradfe oMJtfo flnbs afiOfW;
Luvas de iouvin. inteiramente novas, bran- t'xs com imtia^erior para marcar a 240 rs.
cas, pretas e de cores.
Luvas de seda, fio da escocia, algodSo e de
los de alcance para SsaH-cSei e par*
mantjmos^^-----^------^.^------1
[UVAL S SKbM
ana do anelMadA u. 4, loja dt
anludezas
m
Jbs Big'hrinv
Varas de babsdo birJa'do do Porto a!S00 rs.
Carrets de relroi preto com'dtls oitavas proptto
para machinas a 500 rs.
C3rrilis de re.teoi.jia' todas as cores i 80 rs.
Frascas d'agaa deCofcniamaito superior a 500 r$.
Frascos de e'eo mnitofloo a 500 rs.
Ser talvez dsnecessario lembraraos compradores de vapores a vantagem que lhes J!*D"rIj^ax^20raVarra^ aktt outras quilidades para senhora~e homem.' Ps'de'wc J dearaT" 60 rs.
resulta de comprarem suas machinas garantidas em urna fabrica, tendo artistas cotape- "* a J"^ JJ a ^S^e 4/ or^o J A ^^USklS^mi^SS' Lindas trancas pretas e de cores c >m ve- gA. ti e tesn, a^ m rs
teutes para asseotar as mesmas e ensinar a maoeira de trabalhar com ellas, e ja prea- ^J*061"1 canada J*dU0 r **' puro J A A Lhhm mm' m e 3"ms a 'laMlle driiho e sem elle, assim como lindissimas^FrMC0S d" *ara liroP"deD,es a m "
radas para arremedir qaljer dsarranjo; facilidades estas que jamis podem encon-(
trar comprando as aos soples negociantes, os quaes por fafta de conhecimento na ma-1^ |ata dfl 3 ga|_eg e mais p(!(rI(?n3s tV)SfelW io ^{yn !o^eW^irffJ?
teria nem se qur pJdm garanti-los de que as machinas que vendemsejam nroprias'ou
iufficlentes para o trabalho em que se qeira empreg-las, e no caso de desastre q5o"'po-
dem prestar Ibes soccorre algum; sendo que ainda quando venham s fabricas para con-
certar as machinas alheias, torna-se-ha preciso fazer repentinamente moldes novos, etc.
Alpiste
140 n; i 0 a libr a, pai'nco a 100 a libra.
Azeite
em garrafas a 800 e 1HIL
para as pecas estragadas. J numerosas vezes estes vendedores tem representado seus
vapores.como sendo de forca mu superior ana actual[eJ^Q!^?LT/Z em caixa de 50per 1*. ditos Delicas, T,adrese Parisiense, em-aixas de 100, ditos
este que alo s engaa ao comprador acerca ^W^W da Expsito caixa J^, ditos de Regala caixas com 100 a "25300 e outras muit.s marcas
tambem da lugar ao pagamento de um preco excesSivo, a-vista da forca real da ma.nina ,r i.p.aon, Hnj c.nmnr,i(^rJ
guarniges para enfettar basquines e^/Otoes
para os mesmos.
Reaes pretas lisas para segurar cabello a 3-0 rs.
Diks de peti'a de a^o mullo floas a 60 rs.
Caixas de liha- db gaz de SO novellos a 600 rs.
Lindas touiuinhas e sapatinhos ricamen-" Ma tejaJBwfc aoforanca ay rs.
Mfat. lugar
que compram.
que s na presenca dos compradores.
PREZJfTOS*
Tambem ha sempre prompto rodas ^^^^tW,!; de lamego em barril, ditos de fiambre o Sor que ba no mercado por preco qu.faz
resmas moendas de canna de todo o tamanho, rodas de ?spora e angulares, parees ou admirar8 ^ v 4
joches para receber o caldo, criVos e portas de fornalba, taitas de ferro batido, fo'uddb e
de cobre, formas de ferro galvaoisads para purgar assuear, bomban simples e de repu-
cho, alambiques de ferro, eixose rodas de carro, arados, grades, enchadas a cavallo e ou-
tros instr-jmeutos de asriculiura, m'oinhos e fo-nns para fazr farinhae ttulmete toio o
obj-ecto de mechansm d"que se costuma precisar.
a fabrica se fazem obras novas encommenda e concertos', com a m'ror presteza;
D( (E DE GUIABA
caixoes de 560 fino, dioS de 15500 ja& p.-ire:e minael'.atii.
qualidade a I200.
io:ktas
com doce secco a l^e 2^.
QEIJOS
lito em lata-s muito fina
to eneitados proprios para bapti*ados
Meias de seda para o mesmo fim.
Bengallinha para menii.os.
Lin jos pentes de tartaruga, massa e ouiras
rauitas qualidades.
Muito boas escobas para de.ites, chapeos -
roupa, cabellos, unhas e para limpar pentes.
Superior linhas para crochet.
Agualbas para o mesmo fim.
Lindos agulheiros e dedar de madrepero-
la eraarfim, assim como de metal.
Lindas guarnieres de botoes, para colis,
piiiv.os e colerinhos.
Ricas capellas para ooivas.
Meias de seda para senhoras.
garrafas de'agua Florida verdideira U0(0.
Sbados do- Porto de todas as 'rgeras e lodos *
procos.
Sylabarios epni estampas para mwnos a 320 r
Hemeoto da rnpa de lavar a lOIrts.
Duzia- de meias muito flas para seahora a 1 00
Agulbas (rancezs a''balan (papel) a 60 rs.
Pares de sapatos de tranca e tapete a 1500.
Pegas de Otas de la de-todas as cores a 300
Grozas de boloes d porcelana prateados a 160/
Caixas com alfineites trancezes a 80 rs.
Caixas de 100 envelopes muito Anos a 500 rs-
itesma de papel de peso braoco liso a 2.
Frasco com superior tinta a 100 rs.
rosas de pbosphoros de gaz a SjDOO
Pares de bot6es de pnobo muito boits 80
Linn.s em carlao *. 200 jardas a CO.
*>%\ de superior nisa do gaz com' o nova'ioi
Superior thesouras p?ra unhas, costura, ^.TOrs.
Pl, ,.,'.JiV, ato ate I Taeres para miniaos a ?40 rs.
asodz. O granJe de W& depeCas e nbiectos habilitam-na muimpara te '6 Alntejem-lal,.s clfegido pe ^"todZd.tosFlameng4ePrat-,s do; vais nevos W%* &"**. - etc:
O proprietano sera sempre mu feu de poder dar nioruiacoes ou esclarccimeit- tf, ^^(fTSSV^cIro. Fmas navaiha^ cano de tartaruga, marm
aos senhores qae se servirm de seu prestimo.
D. W. BOwscan, eogeDheiro.
.....1---------:- - *-........
msi'--
qu' bnd 'm'Vcd'f
^ AZE1T0NAS
de elvas como no mercado nao temos a 15 a lata, em barris dq Pono a 15 como nn ha
melhor.
DE
""
AZETEDO efe FLORE
RA DA CAflElA N. 47
Madapificin) du baldo.
Superior madapolio camiseiro que val 8"> a 6$.
Dito que val 7# a 50.
Cintas do balo
Bonitas chitas cores fixas e panno fino a 3oo e 32o rs. o-cuvado.
Baldes de cauda.
Os mais modernos oaISss de arquinhos finos, que por isto se toraam recommen-
iaveis ao bello sexo.
^ < Ceroalas e Cmisas.
Ceroulas de bramante frncezas a 106oo.
Camisas de pregas largas que valem 30 a 25.
As metas inglezas do baldo.
Superiores meias cruas para homem que valm 90 a 70.
Rou a feita do balo.
Sortime-nto de calcas, paletos, colletes de brim, panno fino de casemira, tudo por
oreco commode. _
O BALIO
iode muitos oatros objectos e por insignifiantissimos pecros.
MUTa ATTr-N
Kua larga do Rosario n, 27.
Os Dous Alliados convidam ao respeitavel publico irem apreciar o bello sortimento que re-
- nram pelo ultimo paquete ebegado da turopa, assim como outres mufos viudos de eonta propria
da corte do imperio como sejam caf da exposic, tapioca, massas 003$-, sendo aletria, macarro, ta-
arim etc., pelo diminuto prego de 500 rs. a libra.
PILULAS
Jaropee Tlnho ferraglao* de
jurubeba eom pyrophosphato
de ferro.
::!orcs9, aaemia, eserofertas, racbitfsmto, blennor-
rriagia, leaeorrba. fferes lUterraiteBtes e ame-
Gor'rha (monstraco doloros' e" trregu'ar)
etc., etc.
Ha mcHto que tkAaiios en' vfs a*"sociar o ferro
aossas preparac5es de jurubeba : mas levamos
2p? a experimewt qual a priaracld fer^ogi-
a s, que mais conviria ao organismo humano,
ij por m a decidirnos peto pYrophospbato
ii i ferro, com o qual podemos prepara' r os nossos
s.irope e vinho de jar abena ferruginosos.
Ten; >s .\ r.bservar, porn, que o oso dos radi-
':jmenios ie jurnbeba com o pyrophosphato de
T-r.-o nunca pode occa-ionar pbtysica ia Jtes-
iiiuia as mais delicadas, como mnitat venes
a onecido at a pessoas robusta?, qae se taao
s:">ido do mesmo melicamento preparado com
oa .ras substancias ferragnosas, po'. fssd gue o
p:i >sphoro debaixo da frma de pyrophosphato.
ii : m o prophylatro reeonnecido in'fallivel con
.. i esta lerrivel affecoio.
As preparares de jurubeba, a que faaveinos as-
ido o pyropbospfiato de ferro; sao mui provei-
: ---.s no t atamedfo das nfletia? das* stanbti,
t,-- como a chlorbBe, arjeoria etc.
Est?s molestias manifestata-M com os sympto
r..- seguintes :Deseoramento geni da pelle e
di-m n;branas mdcosas, magreza, in^bacao dss
- e Jas pernas; excfta$9o nervosa, hysterfs-
<: melancolia, debldade musculafy doras te-
"' cicas,- pulso mais frecuente dn qne no estado
alor ftbril, pelle seeea, ppatites de-
I'., vmitos, p'riso de venire, mentrOjcSo
.'. t egalar, poned a'buodSflte. das'eorada,
nal' >. froriT brancaj, aTntnorrhagia e fnfeconi-
dade.
Dsi >Uitj efiiosff, altas llf ordiuariam ote
recoabecid-j entre o< em crescldo numero d se-
nnoras,-i'^ppn'pr. prepa-^Q" irim
L'i''> deposito destes mecmerilos
p rmacia de J A. Pinto, ra larga do'Ro
n 10, em Pernambuco.
TRATAMENTO oir C1SABLE, de PAflSl
Medico especial, conaultacoes, a O, ra Vlvtenae
AVISO AOS DOENTES.^VS? "fu,m "* "
NIo Mton cu-
ndo, tome C-
befea, Copabib
ob toda ai
termas em opia-
to, capsulas,
ceifeitos, tenho
O estomao per-
dido e nao estou.curado? Usei e abusri de uiu fraude numero de iiijbccaoki, que itr 1nmn
corar em A dias, e estou linda mais docntes. ,
MA n.!N SO AWVOS *
?dp caro radicalmente sem m-ahidas, Cotrtmenlos, RelaxafAo do canal, Catturho i* btxiga,
tria* Mminaet, curando primeira a causa virulenta inflammatoria d'essas doenc.as texaaes,
eom algums yidros do roeu depurativo do satigcb para parar essas affeccos, seecar o
canal e lhc tornar a dar sua regidez dou para acabar mcu excellente xarope a ciTkato de
ferro et miuha injiccao. A cura radical, as senhoss para os fluxoi brancos, leguem
o mesmo tratamento. [Vejase a noticia explioativa.)
40.000 DOENTES CURADOS
Verdadeiro tratamento depuratiTO d Hnpe. At herpet ai maii envetaradtu, trrMpcbtt,
pmridoi, rirut, chaaai a affccpei venreas, humores, e todas as doencas qae alterio a pureas
do saugie sao curadas em poico tempe por meu xarofe depurativo do iancub omus
BA.NHOS MIMERAES, DnbaS P1I.ULA DEPURATIVAS t minha Pommada A!Tl-DAmTOSA.
Veja-se a maneira de tratar-se. k noticia que seda gratis no deposito de meas medica-
mento. Este excellente tratamento maoxontem mercurirf, sua superleridad* kesa ssniwgil
nao ka uau so caa que mm cosbo &MKm"m'mr ?" om4 i* con*.
*-. /.<*. ummuikmn m eumfir ChahU # for eorretponiencieu.

F1LLAS de BLANCARD
,ao mduixto di nano inaltibatxl
Approvadas pela Academia de Medecina de Paria'
AVTMNAMI PELO eOHBSUO MXMCAL M U-ntSSMMW
jKXrFlJIlIHIADAS NOS H0SP1TAS DB PBANCA, DA BRLGICA, Di IRLANDA, DA TTJBOOTA, 1TC.
Mtncoie konroit nat Expoiieoii Univerfaii di Rea-York, 1858, i* Parit, 1855.
Esta Pilula enrolrldas n'nma carnada resino-balsainica de urna tenuidade excessita, tem
avantagem de serem InalteraTeii, tem labor, de um pequeo volme, e de Dad cansaren) os
orpas digestivos. Goxanda das propiedades do Iodo e do aTsma\0; ellas coorem princi-
palmente as affeccos CMorotieas, Seerofutotat, tmttreuloiat, Cantrouu, na leueorrkta,
amenorrkta, anemia, etc.; enfira, ellasonerecem as pralicos urna medicacadas maisener-
[cas para modificar as consUtuicoes lymphatUat, fratae oa debilitada*.
J * iodureU de Ierro Impuro oa alterado um medica- ,,
ment infiel, irritante. Como prova de porexa a de aatbencidade da SeS 1
veraadelra* Flalas de Blaueard, deve -je exigir dosso salo de
prata reactiva e noss.i Orma, aqu reproduiMa, que seteba na parte
inferior de um rollo verde. Deve-s de*eonfirdas (abifieaeoee.
Aehanm -se em lodaa a* PkarsMClas. PkarmaeetHe, n* onaparte, M. Parii
....i
Ma--.- rtmi sm*rtOa*ea garuaue a. 30 rs.
rosas de peonas de ac muito Sna> a 32 rs.
e OUlras qu lidades. Bonets para meDiao? a 13.
Suspensorios de seda par* homem. jantes com costa de metal a 400 rs.
Ditos de algodao para homem e meninos.! Real*J.0S P3" meninos a lob rs.
Requissima caixas c m msica coutendo
o necessario para costura, proprias para um
decad presente.
RequisaosiivTiafls- para missa.
Lindel ititspinsaveis pra meninas lu
escola!)
Fmo's aderezo* pretas para luto.
Grande sorlimenic ue finas (jerfuaiarias
dos melhores" fabricantes ale h )je conlie-
cidtW
E irfmtos'outros oojectos qui impossivel
seria m'witffta-los e que se eoonlrarSo na
ojajlo Vigante, ra do Grejpo n. 7.
YERDADEIRO LE ROY
dt sir.XRCT, Doeteur-MeXerln
Ru de Seino, 51, tx PARS.
mnmiiiaai i ........
l vara 800
randeh/aifizem de tin-
tas medicamentos etc.
fina- do imperador n. 22.
Productos chimicos e pharma-
ceuticos os mais empregados em
medicina.
fintas para todo o genero de pin-
tura e para tinturara-.
Prd'nctos iodtistriaes e tintas
para ffofes, cto botes de flores
erarjdelos em gesso para imitar
trNWIas e passaros c'o^ o comp-
leme desenlio.
Productos cbhmcos 9 industriaes
para photograpWa, tiWuraria, pin-
LjL tura, pyrotecnia etc.
Montado H gYanB escala e sup-
pfide directttenie de Paris, Lon-
Sdres, Hamburgo, Anvers e Lisboa
pode offerecer productos de plena
con&anca e satisfaz^r qualquer eo-
eommeuda a grosso. trato e a rota-
j lho e por precu commodo.
Fariaha de janJioca >aperi r.
A tralsr co Taso Irm|o.', .oov no irspich? Ba-
rio do Livramenti 6? ?afM
GRANULOS ANTIMONiAES
Du Docteur PAPiLLllD
Noto medietca para curaca das molestias do coraca, da asthma, do
molestias do coracao,
da tsica, etc.
catairho, da coqueluche,
GRANULOS
Para a curaca* da anemia, da
ANTIMONIO
chlorosis, da amenorrhea, dat nerralgias,
escrofulosas, ate.
FERREOS
dts molestia!
GRANULOS ANTIMONIO FERREOS AO BISMUTH
Pata a curacao dat molestias, nervosas, das ria digestTas, dvpepsias, etc
FRANCA i Plumada de E. MOUSNIER, a Saujon Charente-Iufrieure).
!Rm W Em Pernambuco, P. MAURER et C, pharmacia, ra Non.
Em Maceio. FALCO OH AS, pharmacia imperial.
mmm iovvs
para as feslas de S.A'ttonio, eS. J)o
nro armszca do PTo'rtla da
Impcrflftrlz a 60
DE
GAMA & SILVA
Uectbero-se pelo ultimo vap,r da Euro-
pa as mais novas fazenJas com* sejam:
Bonitas cassas de listas grana- j
unes.
Ditas castelhanas.
Ditas da Italia.
Ditas transparentes com os mais moder-1
nos e mais,delicados gostos vara ars610. ]
Ditas de diversas qualidades com novos
gostos o covado a rs. 240, 280 e 320.
GorUs de med'ina sendo urna bonita fazen- 'c.
da transparente com lindas palmas e qua-
ros de seda tendo cada corte 19 cuvados a
rs, 240.
Ricos cortes de vestidos brancos com lin-
das barras bordadas em alto relevo a 24$.
Ditos brancos tambem bordados a rs, 5 e
6a*.
Rm.-aii.i-wr.-.f.i. ral, ittrr a'rWWV*) papel sril
que lera -i m*u :nci'. um rolnla ta^lrOan na uri.
relio com o .Sillo Imissih *a aa^fcixl) r*.\\t r..
K '. .-i .i.
trn^ v ':- n' "" !
ir Sis. Hmil ....
brrt'Hrs. ^r.:ia- r|
sin yaH'it t ,'a
aom-xinri.i:./.!-,.
di sf llf .' !-.
alrt.- .i'ki-o:.:f.
eii coin o e: :
n.et PrtARMACIEB J
Deposito ra. pharmacia
em Pernambuco.
XAOPE DBPT
de P. Maurer a
O i
A1IV
DE CASCA DE LABANJAS AMAHGAS
COM IODURETO DE PTASSlO
DE
? P. Laroze.
pharmaeeaiieo un Parts -
iduretodepotassio um verdadeiro al-
Cortes de poil de chvre com 18 covados | teramej um (,epur!,dor de ntontestavel efE-
a *: caoia; combinado com o xarope de casca de
Modernissimas va reges tapadas e transpa- i;ir, -as, atura(lo (.er(ubac5
rentes com as ma.s delicadas cores e^m bo- alguma ,os lemperaaientos os m frs<
nitas listas de seda covado a640, 800 e lf sem a|lerar as fun 5ts do ^^ As d
Alpacas lizas eufesta jas com as coresma.s se. malhematicas que elle contem ermittem
aos mdicos de receital-o pan todas as com-
adres grau- piejgoes, as affeccos escrc fulosas, tubercu-
y< nde-se na ra Nova n. 25. pharmacia franceza <'<-.
>. MAUhER i
O.
-i-i-
A loj-t das Collumnas
Lindos manguitos co goHinhas.
Grande variedade de olinhas com pdo'hos, de cambraia.
De bretaDha e de esgui5o.
GravaliDhas de cambraia de muito g^sto para senhora.
Ricos peplumde grosdenaplepretoeAfeKadti. o que tem vinio de melhor,gesto a
Pernambuco.
rna do Cresp >n. 13 de Antonio Cirreia de Vasconcellos & C.
no
a:io*.
-,------a-
~ --!' -
tQQ d MliHo
mq canS.t'
So >rmeos de T*ao l'mto
4 arr:BW.
je
O novo proprietario da loja de calcado da ra da
Cruz o. 21 vende a diolviro vista eperiores bor-
ze^ols eneitados e lisos para senhora, menina
menino, pelo barato prego de 1JSO0, 2*000, 34 e
----------------------------" .M_______________________________________
Esteivas para salas
Aqgpato Porto & C, na /o dt Ooelmad* d. !l,
reeeberaro o m betlo ArtlitMto s tlWtmns-
seirars par forrar satas, es mais riM veitK!* de
blonde p^ra noivas, opUmi panno verde largo
para .rrar billur, que veneai pelos prejos mais
-mdicos po?siveis.
Loja (k conseiencia
Ra das t'rnzex a. 30.
Neste eetabelecimeolo enconiraro os fcegaees
om completo ortimeou de avjaraentos proprios
para calcado por prego- moito commodos, bem
como om variado e escolhtdo sortimento de caiga-
do para hornern eomn sejam :
Borzegnin fraacezes de la?tw para homem a
75O0
Dilos ditos de bewrrfrpara di a 8>S00.
EMsico de seda para borzegnins a vara por
lW00.
Pimpas frarireta- chapeadas pira homem a 44
Ven1e-9$ oleo daTna era IiU de 30 libras
'na roa 4a (ideia-velha a. I. no tfgaado anddf

Ditas enfestadas com lindos
dos e miudinhos covado 560.
Bonitas alpacas lavradas com os mais mo-
dernos dezenhos covado a rs, 800 e 1$.
Ricos cortes de vestidos de tilo eneitados
a 30^1.
Poupelina de quadrinhos transparentes
com os mais apurados gostos e quaze a lar-
gura de chita franceza covado a rs, 640.
Ditas mais estreitas porm muito bonitas
covado 500.
Sedas de cores com- 4 palmos de largura
covade 2$.
Ditas estreitas lizas de stras covado 2)$.
Grande sortimento de grosdenaple preto
;. vadoars, U600,10800, 20, 20500 e 30.
Ricas sedas lavradas.
Saias com quatro pannos ricamente bor-
dadas a rs, 50, 60, 70, 8$, 100, e 110.
Tarlatanas brancas e de cores vara a rs.
800.
Fil branco lizo vara a rs. 8 0.
Dito de oros para vestido vara rs. 640.
Outras muitas diversidades de fazendas
que se mandam tambem levar em casa das
Exmas, familhasparaescolheremou d5o-seas
amostra Jeixand- Star penhor no armaze-a
do Pv2o ra da Imperatriz n. 60. de Gm
ma 6c Silva-.
Bordados do Pavao
Entremeios largos
Babadiohos estreitos
Babadiohos largos
Entremeios estreitos
Tapad s e tpansjrentes
Gama & Silva receberam urna grande por-
cao dos mais 5n>s babadinhos e entremeios
tanto largos como estreitos, sendo tapados
e transparentes com os verdadeif&s borda-
dos a alto relevo tendo de todas as larguras
e desenbos, grande porcSo igual para qual
quer obra, que assim possa ser preciso, e.
garantem que podem vender por menes 40
ou 50 por cento, do qoe em outra qualqoer
parte, attendendo a grande porcao que tem
no seu armazem do PavSo : ra da Itnpera-
FizD. 60, deGam 4 Silva
losas, cancerosas e nos accidentes intermit-
ientes e terceiros; alm d'isso, o agente o
mais pod .-roso contra as doencas rheumaticas.
Deposito em todas as pharmacias e casas de
drogaras no Brasil.
Expedicoes, em casa de J. P. Laroze, ru
des Lions-St-Paul, 2, Paris.
A' venda na pharmacia de P. Maurer &.
C.a, ra Nova n. .25.
Rotondas
Vendem-se rotonda-de fil :i.a na du Livr
ment n. 26, a 25000.
Pars, 36, Ra Vivienpe. D*
CHABLEmdecinspc.al
DAS ENFERMIDADAS DES SEXAES, AS AFFEC-
CQF.S r.QTAfrEAS, E ALTEtACOES DO SANGUE.
30,000 curas das imiingent,
puitulas, herpes, tama,
comixoes acrimonia, e a-
lercoe, viciosas do sangue-,
tina, e atteracoet do san-
gue (Xarope vegetal sem mercurio!.' a>cpuratiTaus
veselaea uavuos mi\i K.ti h tomao-se doas
por semana, seguindo o traetameoto Depurativo: i
empregado as mesmas molestia*.
Este XaropeCltractodefarr
de CttABLE. enra immediv
tamentequalquermiroacao
relaxacao, e debilidade, i
igualmente es ftuxos e fiorm
brancas das mulheres. Esu injeccao benigna aaa>
prega-se coa o Xarope de Cifrado de Ferro.
Hemarroida, Pomada que aa cura em tres dias.
.. POMADA ANTIHERPETICA
Caatra: aas affeccou omUmmm < comixoei.
PILULAS VEGETAE3 DEPURATIVAS
Uw Casa**, ca4a fraao tai imiwiisisi da
DEPURATIF
du SAIVG
DI IIC nr
COPAHU
AVISO A08 SRS. MDICOS.
Car* emiarrhoi, louei
coijuelachii flritacee
nervosa! tas dbi bron-
ehite e lodos ai doencas
do ptito; basta aa doento
urna coltte rchdea uete xarope IV Porgt.
Dr. (hibli esa Paria, rssav vivicante, aaV.
A venda na pharmacia de P. Maurer p
e G., em Pernambuco.
Sirop du
D^PORGET
Escrava
Yende-ee ama negra av, perfeiu cotinheira,
fl.Qostareira r na roa da
, engommadeira
oorwro 47,
G \Z GAZ GAZ
Ghegon ai* antigo deposito de Henrj Forsier. A
C, roa do Imperador, am oarregamento de gaa di
. jr-meira qaatidade.o qoal se vende em partidas
Cadei,, \ reuiho por manos prego do qija. $r$ rj^y qMi
1 ,or parta.
r



i
<
'..,.- t " ,<, "-



- r--.-~-^---~>~<----------------------------------------.....- - '

frfsrlo 4ereriwkr.t tferea felra tS c Jlk 4c 1887.
*
.
i\
v
fcpedios do Qr. J. tj. Ajer, ex-lwtt
iiHi*eraidi4 tfe Peas vi va ata, iat
l8tados*0ni Eslraeto e*tafosi de aisa-pa*
rllha le Ayer.
Pekoral de cereja.
LeanetHo para esees.
Fllulas catear ticas.
O deposito ceRtraJ para as ^rorineias
Pernambnc,o, Al aguas, Parabjba e Rio-
Grande do Norte, destes remedies t5o a-
voravelmente conhecidos e" acolhdr-s en
todas as partes-da America do Sal e d(i
Xorte, acha-se em casa de Theotl Chri
tfajnaen, 16 ra do Trapiche ec
Pernainbuco.
Os precos do
33)5 por duzia de estrado de salsa-parrllh
I7|j por duzia de peitoral de ceneja.
*7 por duzia de remedio para sezoes.
70 por duzia de plalas catharticas
se entepdem diaUeiro vista, con
o descont de 5 por cento em quantidade
de 6 a 12 duzias, e de 10 por cento em
cuantidades superiores a i2 duzias.
f A aguU branca : ra do Qejmado o. 8.
acaba de rebeber algumas amostras de pea-
tes de tartaruga paca senhoras, todos de oo-
vos moldes e bons gostos, s( bresabjndo en-
tre .elles alguos
Wi iimmi

GRANDE SORTIMENTO
DE
FAJ^JtfB&S B BIT AS
,5A
LOJA E ARMAZEM
DO
Sodas largas
A 2 o covado
So aa loja di. Pavo.
Vendem-se sBoderoiSHmas sedas com largara
de chita franeeza, sendo com padt5es modernos,
. tendo entre ellas cocas proprias para quem esta de
loto : Tende-se pelo tralo preco de 2$ o covado
ateodaoAdemi00Ara!e !t!f ^""*1* Mbioas^amerieanas para descarrocar
oootra maiVo&Sb4.M*' *' .-^>.. * 50, oeste es&e.eoimento 1,
segrate:
Azeite,de.espe.rmacete propm para.maohi-
nas.
Vapores de torca de 3,a 4 cavallos.
Serras avuigas para machinas.
Manejes e todos os mais pwiences oara as
mesmas.
Carros de m5o para aterro.
cu^as novidades em -mol- cJdindro para padarias.
des, e perfeiclo de obra os tornam recom- Oi>ulhadores para milho.
mondados paca quni aprecia o bom ; assim Arados americanas.
como recebeu igualmente outros mui forni-j (;arrinhos proprios para armazeas.
dos e b*m feitos para dse baragar e outros' Moiohos para refinacao.
com eixo paradebrar e proprios para barba. dem para m'lho.
Xambem,,fec.Qbeu oulcosde metal pratea- Escadas de inadeira americanas,
dos-eduurados, que de ul njv-Jde sao es pri-
meiros que app rece os quaes com o semi-
crculo que fazem sobre o coque torcam-os
mui bonitos.
Orapucas bracas
Vieram muito boas, e por Uso vendem- a i-500 e 20 na loja.da aguia branca : ra
do Queimado n. 8.
Babadklws eres pos
O novo soi tmenlo que acaba de chegar
contiuua a ser vendido como daates 205OQ
e 35 a peca esempre na roa do Queimado
leja da aguia branca n. 8. -
Peotes eufeit :s papa memoas
Vendem-se pa Joja da aguia branca: ra
do Queimado n. 8.
Bol'as de ail
Vendem-se.na loja da agina branca :rua
do Queimado n. 8.
Botiibs.port-relgios
Vendcm-se na loja da aguia branca : roa
do Queimado o. 8.
aj*a mesas
Galhet'.iras para azite e vinagre.
Saleiras.de vidro e palitekos de porce-
lana.
Veudem-se fea loja da aguia branca: ra
Quenmdo n. 8.
Levas 6 peluca p?eta.
Caisas com vidro--sor.tid<'S.
-de todas anualidades.
Bombas de-japyz.
dem americanas.
EerO*.par*.angommar a vapor.
Vassouras americana?.
Baldes americanos papa compras.
Tinas de madoira.
Ballaios e cestas de. vegjiiona.
Guarda comidas.
Peneiras d'arame para padaciag erefiBacbefl-
Correntes para almanjarra.
Machados e faces amer'naoos.
Barricas com milho brinco americano
grande.pechincna : na loja e'armazem do Pavo,
ra da Ioperairix n. 60, de Gama & Silva.
Cortes brancos
ASOOrs.
iuw? k b0Dl!?8 ?,^te, de feraia branca com
bonitas barras bordadas e leodo tambem alenns
f^r^'!l"arra8 d.e.cores' ve^e se e, ara-
te preco de Sf na loja e armaiem do Pavo, roa
da Imperatrli n. 50, de Gama & Silva
Alpacas de cores .
grande l^S^^lZ^S^S^^ 7*5^S** ****** S>" >^^ d-cores para
or nr^ haraiioc.^^ .a i ae 15a, hnho, algodSo eseda, as quaes vendem ** cwn dsenos miados e raudos, tendo
precos baratsimos, afim de aurarem dinheiro, dando de todas ellas amostras larora e chiu franceza, e vende-le pelo*tar2
Roa da Iirperafrli o. 6k
GAMA s ILV.
por
ueixantjo flear um peabor oa maDdam-nas levar em
preco de 500 rs. cada eovado ; grande pecii:o-
w comprarao pelos mesmos precos
apenas o descont.
qae se comprara as oasas inglezas, ganhando-se
C^eiftiras pretns ofeotadas i 6oo.
J* loja do Pavao vndese soperior casemira
laalada pneu para-ealcas A^alstepelo barao
Pfpgo de(tSoO ,0 -cavado ou a ^800 cada c re
de calc^, dita .mtiilo -maU flna, covado a-31200
o o co^e a 8500, ditas muiio finas sem serem
enfesiadas a i&M, *OG0"e 9|^00 cada covado
oajoja e-acrnaaem d;Pavio
n. 0 de, Gama 4r-Sjla.
na ra da Imperatriz
& Sva.
inderno neste mercado. Como sejam :
Riquissimos cortes de seda
^
Chegaram para a loja da AguTa-Branca ; a rna
do (Jaeimado n. 8.
Ramos de floies par; c qoes
A aguia branca acaba de reetber um nico
eartao com ramos de llores para coques.
A perfe<;5o e delicadeza dessas llores tem
satisfeito a todos que as tem visto e com-
prado a 53 cada ramoisso naN-ua do Quei-
mado, loja da aguia branca n 8.
Paca fivorde 1er
nrra sabor o que de novo chegou na Aguia
ui auca a ra do Queimado o. 8.
Trancas preUs de'vidrinhos com pingeu-
tes, e sem elles.
Botes pretos e de cores, enfeitados com
vidrilhos tendo com pin^entes e sem elles.
Alamares pretos para basquines.
Novas e bonitas guarnieres pretas para
ditas e vestidos.
Coques de bonitos moldes.
Ditos de sndalo e seda.
Ditos pretos para luto.
Erieites de flores obra de bom gosto.
Pentes de tartaruga obras modernas, e
apurado gosto.
Pentes dourados e praieados, moldes no-
vos e bonitos.
Bonitos e modernos ga'.es de seda, de
cores para vestidos.
Bicos de seda e guipure.
Leques, todo de madeperola e sndalo.
Ditos de faia, os quaes azem quatro
vistas.
Ditos todos de sndalo, e ssndalo e seda
para meninas.
Bonitas cestinhas bordadas a froco para
meninas.
I Escovas de cabo de marfim, e ma'drepe-
/ rola para dentes. .
Abotoaduras bonitas para coletes.
Brincos de corrente de borracba, voltase
pulseiras de dito.
Aderecos pretos para lulo.
E rauitos outros objectos que ser5o pre-
sentes aocomprador que se dirigir a dita
loja d'Agoa branca a- ra do Queimado n. 8.
Agora jm
A cabana-se as moscas.
Porque a aguia branca acaba de receber
porco de papel mala moscale continua
a venJe-lo como d'antes a 40 rs. a folba,
com pare gao pois os pretenden tes e se ro
servidos na loja d'Agua Vanea ra do
Queimado o. 8.
Nova remessa
De correntes de boracha.
Aag.iabranca a raa do Queimado n. 8
recebeu nova remessa das desojadas corren-
tes pretaz de borracha, e continua a vende-
as como d'antes a 3$ a vara.
Agua mineral
ferrujjiosa, acidulada, gaioia e urbana
OHKZZA.
O uso d'agua de Orezia mol particularmente
reeoroniendado pela escola de medicina de Pars,
para todas a? afeccSes do lubo digestivo, ingorgtla-
mento das vicaraa abOominies, e geralmeue todas
as molestias provenanles de frqneza orgnica, ou
pobreza de sangoe.
DEPOSITO ESPECIAL
Una braja d* tmtU
Pharntaela de Bartholomemfcc:
Boias
Vende-se na fundicio da Aurora m Santo
Amaro, 2 boias de folba ,de ferro de 3[8
grosura, con fundo segispherico e altura
cnico, tendo 48 4|i palmos de alto e 6 3|4
ditos de dimetro com olhaes matiilhas 2
balas de ferro fundido par amarracSo, etc
Yapares.
Yenda-Mam casa de Sannders Brothers & C
no largo do Corpo Santo n. 11, vapores patentes
com todos os perlenees proprios para fazer mover
, pelos
baratissimos precos ie4B0, 305 e 35?.
Cortes de blood para nota, trazendo cada
corle saias de setim, capella e veo.
Ditos de dito com pequeo toque a 40(5
ra do Crepo n, f a. cscjniaa fa *i Imperador
DE .
Custodio Jos Alves Goinati 5es.
HW-J!? recebido em direilura pelo vapor francez Estremadure, um variadissimo
sortimeotodefazendas finas e da ultima moda em Paris
S. Joao, S. Pedro
e
moderno neste mercado.
para vestido Ditas -de algedo de difireme* qualida-
i L\t J,J' ? ?' e. 9% des ePre P31,3ho!aem' *><>" bancas,
rtes de foulard de seda, pelos Lavas de tedas as qualidades.
^!adapol3o francezo que de melhor
no marcado.
Organdy brao comlistas.
Dito de urna s cor e cum listas da mes5
ma cor.
Moireantique branco, azul e preto. Chapeos de seda para hornera.
rroli 237 !Td0$ d-e noivas- Dilos de ^m^ Para bomem.
Grosd aples de todas as cores. Casemira preta muito fina.
P**1 ***** de Mda Pn. br-! Ditas de cre= inteiramente novidades.
Chapeos de sol com lindos castes.
Toaihas'de labyrintho muito ricas.
Ricas fronhas de labyrinto.
Riquissimos lencos de dit;.
Rendas, bicos da ierra e grades pan lencos.
Urna requissima toa I ha toda aberta de la-
byrintho o que ha de melhor ueste genero.
Peitos de jinbo bordados para camisas de
noivo?.
Collarinhos de linho nteramente novi-
dade.
As aseguras-do-Pavao corte a 3^500.
vendem-se.bopiis:corrK!8.^),cas^mi*s de cores;
etcoras proprios p;ra o te^upo de jvwo, pep
barato preco de 3*500, ou b covado a 2J00fX sen-
"o eorestadas, assim como bonitas meias caseml-
ras.escuras oom msela de ou 23240 o cortp.de.e3lga*rS4ndO'a;eoda *ti muilo
prppna par.a o^ meninos que frequ.entam a escola,
istQ na lpla.e armazem do ,Pavp ua ra da Inope-
ratriz n. 60 de Gama & Silva.
Gek-ias para saias
4 oa loja da> pavo.
\ endem-e pe^a* .de celeeia de algodaou sendo
adiamalofada, e.muito propiia paria,saias o onlra
qufilqoer especie de roupa branca, pelo barato pre-
go de 4O30 rs. a pega com 10 varas, on retalba-se
a 440 rs. a vara: na loja e armazem do Pavao;
ra da Ircpeijtim n. 60-o"e Gama SAI AS ECONMICAS A 3J200.
S a loja do ''afo.
Cnegsu m.grandfi sortimaoto destas ovas -ai.is
esenra* pr^prlas para tempp de ia.verqo sor evia-
rem c\i as s'aias brencas cem que ums seniora pelo barato preco de 2*0 e 240 rs
Para camas de nolras.
Vende o Pav5o.
Ricos cortinades bordados a 8*000, tOi, 16*
iti e '2o* o par ; assfm como os masmos tambem
serveyi para janelias; ditos adamascados a 10* 8
12*; bonitas
ratriz n. 00, de Gama & Silva.
Bramante a 2$.
Vende-ae superior bramanle de linho alvo eom
lO.palasosde largura, peJo barato preco de 2* a
vara.: na Joja e armazem do Pavo, ra da Impe-
ratriz n. 60, de.Gama ,& Silva.
Algo fio avaiiado
Vende-se pecas de algodio largo muito encorpa-
' P.!. 'ii^zPT'C0.'* s*sw a P'e5 : na >'A e
lilas pecas de qassas adamascadas.para o awaVna do Pavo a da!to0Vrim5 m Pr 6
mesmo effeito; bonitos damascos de la de-orna aiTSu "" D- b0. le Ga-
a du largura?, proprios para colebas, assim oo-, "vw-
ao bonitas colchas de croch : tufo isto se vende RCT1D0S
pas 'barato do que em autra qualqaer parle, na ' 'Veada-se urna poroso de reulhos de.chitas e a-
loja.do Pavao,. --- J- T ------
ra da Imperairiz ,n. 60, de Gama " preUs, por preco barato, na loja e armaiem do
Pavao, ra da Irope,ralriz q. 60, de Gama & Silva.
Cascas .decora 24o rs. Seas a 3?0.rs, o covado
Verderse nm bonito sortimento.de cassas de Vndese nm b:nllo sortimeoto de sedas de lisias
cores, pelos barails?imos precos de *W, 280 e qoe empre se venderam per amito mais dinheiro
4W,te. o aovado, assim romo am bonito sor- e liqnidaa-se pelobaiatiseimoprefo de 320 rs o
ment do.cassas ffancezas com lulas larcas a 800 ''8do, so.para acabar : na loja e armazem do Pa
rs a va a, flnissimo organdys matisados a 1* na v> rna:cU Imperatriz n. 60, de .Gama & Silva.
loja e armazem do Pavo, rna da [mperatriz n.
60, de Gama A Silva.
Organdy a 1*0<>0.
Vendem-se bonitos cortes de organdy
sendo com listra* todas braxcasou oom lis-
tras de cores tendo oito ?aras cada
pelo baratT preco de fe|,
Souz'd Soares & IriMo
28.
e
corte,
pechincba: na
loja e armazem do PavSo ou da Imperatriz res,
n. 60 de G'ma e Silva. Di
CMtas a 200 e M n.
Vendem-se chitas inglesas de cores txas
vae composia nao se soje de lama ao-roesmo tem
po sao muito bonitas per terem indas barras como
se usa ltimamente na Europa evendem-se pelo
barrio nre.o de.3200 cada u
o cova-
rua da
dadas cora gosto.
Lindos cortes de la com barra e de ulti-
ma moda tendo cada corte o sen figurino.
Riquissimos corles de mita, la comlis-
tas de seda para vestido, esla fazenda re-
commenda-se muito por ser inteiramente
novidade___
DitE da mesmaqulidadepormem pecas.
Requissimo transparent de seda para ves-!
tido de senhorastambem novidade.
Riquissimas gravati/ibas para senbora.
Ditos cortes de barege e de laa para ves- i
tidos.
Punlios e golinhas para senbora.
Riquissincas saias bordadas.
Lindas capellinas de seda para senhoras. Riquissimas camisinhas para senhora.
Ditas ditas de dita para meninas. Cassas muito hoas e inteiramente novida-
Chapeos de palha para senhoras. des.
Riquissimos chapeos de sol para.ditas.
Requissimos enfeites com coque e sacata-
iateiramente novidade.
Riquissimos leques de madreperola.
Ditos ditos de sndalo.
Lavas de Jourin preta, branca e de cores.
Chales de seda.
Ditos de cachemira.
Riquissimcs manteletes de cores, inteira-
mente novidade.
Riquissimos cintos para senhoras.
Riquissimas flvellas para cintos".
Riquissimas cobertas de ponto de crochet.
Meias d,' laias para padres.
Difas de la para padres.
Ditas de seda para senhoras.
Ditas de dita para creancas.
Riquissimos veos e mantas de blond.
Ditos chales de toquim.
Fil de linho, liso e de salpicos.
Fil de seda, dito e de ditos.
Espartilhos para senhora inteiramente no-
vidade.
, Liiilo bailes de la para senhora,
Ditos de dita para nicnuiis.
Ditus de Dtucuiina para senhora.
Riquissimas vestimentas para baptisados
cometido, chapeosiuho, sapatinho, meiasioba
e camisinha i carnete bordadas.
Coeiros bordados muito finos.
Um rico lencol de labyritho, proprio para
casamento.
Chitas, cambraias, madapoloes e muitos
outros objectos, que se deixa de mencionar.
Espartilhos.
Vendem-se magnficos espartilhos [rancezes e'.
ingieres na loja e armazem do Pavao, na ra da
Imperatriz n. 60. de Gaioa SH-va.
PANNOS DE CHROCHE*.
Vende-se um grande sortimento dos mais boni-
tos pannofi de chwch> proprios para cadeiras, so-
[ihas, cadeiras de balance, parabais;o/adfs;* para
cubrir msenles, e vendem-se por precos baratos
na loja e armazem do Pavo, roa da Imperatriz
n. 60, e Gama & Silva.
FAffiSNOAS PARA LUTO.
Lja do Pavo.
Vene-se setim da Ctiua preto sendo nina la-
lenda muito leve esem lustro com 6 palmos de
largura proprio para vestidos e ronpas p. ra ho-
mem pelo taraDpreQo de 2*000 o eovado meri-
no preto entestado muito bom a 1*600, superiores
bombazinas predas a 1*600, 1*800 e -000 rs. o
covado, superior cantao a i*i00, lanzlnna. preta
lisa a 400 e 500 rs. o covado, um grande sorti-
mento de alpacas enrincezas prelas que se ven-
der mais barato qu em cu Ira qualqner parte, na
loja e armazem do Pavo, ra da Imperatriz, n
60,e d Gama & Silva.
Bramante de linho.
do : ns loja e armazem do Pavo
Imperatriz n. 60 de Gama e Silva.
nefas Inglezas a #<><>?> a
dnzla.
Vendem-se meias inglezas para bomem a
55000 a duzia, ditas para senhora a 40000 :
na loja e armazem do Pavo : na ra da
Imperariz n 60 de Gama e Silva.
Chafes baratos
20, 3,5500, 60 e 70000.
Vendem se chales de merino estampados
a 25, ditos lisos a 3^500, ditos estamp-dos
finos a 50500, 60, 60500, ditos crepon
cora listras de seda a 70500 e giJOO,
pechincba : na loja e armazem do Pavo,
ru da Imperatriz n. 60 de Gama e Silva.
As 10 mil varas de cambraias"
Covado ,300 rs. vara 500 rs.
S6 o Pvo -.
Vendem-se fraissjm cambraias france-
zas ce m listras miuda_ e graudas e com
lindos desenhos de flo'es e palmas, sendo
todas com as cores mais modernas emais
lindas que tem vindo ao mercado, pelo ba-
rato preco de 300 rs. o covado ou a 500 a
vara, grande pechincha attendendo a
grande porco que tem, seno seria para
Roa .\ova o.
Vendcrn :
Gaz em latas de 8 galSos *.
Dito em latas.de S.4|S-ga 8es.5*.
Bilo em garraas 400 ,rs.
Pbosphoros tfe segnranca. em caixas, duz S00
Ditos de cera em cairas de folba duzia 1*200.
Dilos de .cera em eaix&s pequea duzia 30.
Agua Flotlda verdade r?. em narrats la
Tnico orienta! de Kemp frascos 1.
Oleo philocoojc verdadeiro, frasees 1*.
ExtractosInglezes mnito Onos, fra*quioho 1"KK)
Agua de colonia iagleza, Irascos *.
Linba Alexander carros de 100 jardas, juna
1*150.
Peneiras de aram- para padaria 3*500.
CALLOS
PomadaGalopeanpara a extracgSo e cora r-
pida e completa dos callos daros,sem a menor dor,
vende se na
Ptiarmaeia e rogtria
DE
Bartitefomea Compaahla.
34 -RA LAUCADO ROSARIO31
nico deposito.
***** IIKM!
. ao armazem de tintas rna da Impera-
dor n. 22, vep.de se :
Salitre refinado arroba 6*500
Eoxofre arroba 2*800
Vende-se superior bramante de imho com dez muito masdioheiro : isto na loja e armazem
S^BT SK VJerTor^Soo- dlffi PaV^ ^ i ***** D" M de Gama
proprft para lenges, toalhas o .sereulas, pe- &liva-
lo barato preoo de 610, 700 e 800 rs. a vara, pe-' Chales de reoda a 4$.
Qas de Hamburgo de linho muito superior a iO*, I Vendem-se bonitos chales pretos de rend che
H* e 13*, algodoyoho.infestado liso muito eu- gados-nltlmamente pelo barato prejo de 4*: Da
>'enges a van a i*, dita en- loja e armazem do Pavao, roa da.Imperairlz n. 60
0 dono desle importantissimo estabelecimento contina nos proposito de que-
rer vender muito e ganhar pouco, para o que sugeita-se a ganhar nicamente o descont.
A( LOJA DEFAZENDAS DE AUGUSTO PORTO i L
11Ra do Queimado11
Augusto Porto A C. ac1 am de receber da Europa superiores cortes de 56
bailes e casamentos.
Ricos cortes de blond c;,m manta e capella para noivas.
Cortinados bordados para camas de noivas e janelias de 7* a 80* cada am.
Colxas de seda e oatras de fia e seda o que ba de melhor para camas de noivas.
Toalhiolias de croch para oadeiras e sotas, espartilhos a saltana para aenboras, camisinhas
com manguitos bordados e lindos encbovaes para baptizados, e baloes de musselina e de reos par,-,
senhoras e meninas.
Lavas de pellica para hornera e senhoras e superiores chapeos de sol de todas as qualidades.
Lia para vestidos baratissima bonitos padrdes o covado a 280.
Tapetes grandes para so, ditos para piano, ditos para cama e pequeos para, portas e janelias.
Moir brinco e preto superior para vestidos de liados .desenos, grosdenaple de todas as cores
seda de qo.adriub.os, cambraias brancas da umitas qaalidades, ditas de cores e (odas percales.
Basqaiues de seda preta alttma moda, chales e reunas de guipare, vende-se barato.
Camisas para bomens franoezas e inglezas de linho e de algodao 8nas e seroalas de linho sn
perfores.
Capas de borracba, sobretodos e perneir&s as melhores e mais elegantes.
Malas grandes para viagens, ditas pequeas e saceos de tapete e cauro.
Bramante branco de 4 largaras a 2*500 a vara, pannos pretos e azues, casemiras pretas e de
cores tndo bom e barato.
Neste estabtlecimunio basempre nos completo sortimento de boas fazendas tanto para a praca
como para o centro da provincia e superiores objectos proprios para -casaotentoscomo sejam capetlas,
mantas, vestidos de blonde e de moir branco, cortinados, colchas, vendendo-se ludo mais barato e
lamber as melhores
Esteiras e alcatifas para orrar salas.
H Ra de Queimado11
----------- ii | ii i | || i | ,| 11 !, |
''! '1
I
' Ba do Imperador lf. 23,
Defroute de S. Fraacisco, le andar.
Acaba de receber de Pars um rico sortimento de ornamentos e objectos de
bronze, prataadose dourados, proprios de igrejas ecanellas, tees que : candelabros,
casticaes, custodias, turbulos, lampadas e crrjzes de dirersos gostos e tamanhos. Os
re on qnatro machinas para oescarocar aigodio. [ Prec<>s desses eneros 83o commodos, edevemser aproveitados.
V.
corpado propr'io para lences a var
trancado muito superior fazenda com a raesma
largoraa 1*200 a vara, assim como mais un in-
fioidade de fazendas brancas que te vendem mais
baratas que em outra qualquer parte s com o ti ai
de apurar dinheiro, na loja e armazem do Pavac,
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Lcocas brancos
a 2^000, *&?8oo e 3#2oo.
Vende"-se um grande sortfment) de lencos de
cambraia hranca pelo? baratos pre?os de 2*000 e
d*80-J a duzia, assim como ditos com lista de co-
re Qxes em volts, tamo proprio para bomens co-
mo para meninos, que se vendem pelo barato
prego de 3*200 a duzia, ditos grandes de cassa fi-
za que se vendem a 500 rs. cada um, na loja e
armazem de Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Mailapo o ,.ecliiuclia a (J>
Vendem-se pee. is de madapolo sendo fa-
zenda muito superior com 24 jaldas cada
peca pelo barato preco de 60*, dio muito
mais superior a 6&>O0 e 7, assipi como
dito Qnissimo a $6, grande pechincha : na
loja e armazem do Pavo ra da Imperatriz
n. de Gama A Silva.
As chitas baratas
Pia ioja do Pavo a 240, 280, 320 e
56O rs.
Vendem-se urna grande porco de chitas
finissimas. com pequeo toque e mofo, ten-
do miudmbas e gradas, que se vendem pelo
barato preco de 280 rs o covado, sendo fa-
zenda que val muito mais dinheiro, ditas lar-
gas e escaras sem defeito a 240 rs. o cova-
do, ditas preclaras escuras e alegres a 30 e
360 rs., tudc isto pechincha na loja e ar-
mazem do PjvSo : ra da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
Para caigas
Vendem-se meia casemira mnito encorpa
da e escara pelo barato preoo de 320 reis o
covado on a 10120 reis o corte de calca,
sendo fazenda propria para calcas, paletos e
coletes, grande pechincha na loja e arma-
ze r, do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Chilio p etas a 160 e 200 rs.
Vendem-se chitas pretas inglezas eom sal-
piquinhos a 2'_0 rs. o corado, ditas lizas a
160 rs., no armazem do PavSo : ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Atoalhodo.
Vende-se superior atpatbado de algodao ada-
mascado coa cito palmos de largura, vara a 2*.
dito trancado sm er adamascado vara a 1*800,
dito superior de linho adamascado vara 2*800 e
3* gnardanaDOs de linho cr que sio os mais
econmicos a 3* a dnzla, na loja e armazem do
Pavao, raa da Imperatriz n. 00, de Gama & Silva.
Chitas coa ato a 280 rs., m l*jo do
Pavo
ese um grande poreSo de ehitas
franczas com mortos bonitos deseabas, pelo
barato -preco de 280 rs. o oovado, pop ter
umtwTJenotoqtrede naafo, sendo da cres
segaras e garantindo-se que soltam o mofo
logo trae se la vem e a nao terem este pequeo
deleito seriam para 400 rs. o covado, esta
pechincha acha-se nicamente na toja e ar-
mazem do Pavo : roa da Imperatriz n. 60,
de Gama A Silva.
de Gama & Silva.
Xovos Testidoa a 6000.
Na lo>a do Pavo.
Cbegarara os mais modernos e bonitos cjase
de organdys para vestidos, tendo 10 var>s rfla
corle, send. 7 varas listadas para saias e 3 varas
: sem listas, mas com eufeite para o orpo (on ca-
' ssquinho) garante se neste genero ser o mais m
dernc que t-m vindo ao mercado, tendo tntre el-
les rauitos brancos com listas e enfeites pretos, e
vendem-se pelo barato prego de 6*, onieamente
no armazem do Pavao ra da Imperatrii n. 60, de
Gama & Silva.
"VENDE-SE
Motores americanos para dons cavaflos.
Dito dito para qoatro cavaHos.
Machinas para dfsearocar algodao de 14, 16,
18,20 30, 33 e 40 serras.
Prencas para enfardar algodao fazendo os sac-
eos com 6 palmos de comprimento com o peso de
130 e 200 libras, viadas ltimamente da America
no armazem de Henry Forster & C, no caes Pe
dro II n. 2 jonto ao Gabinete Portnguez.
Vendom-se doos lindos molequinbos, nm da
9 annos e outro de 11, o mais veibo cera principio
de sapateiro : na roa do Queimado n. 9, secundo
andar. 6
Escravos fgidos
Contina a estar fgido o escravo Luciano
crioulo de idade pouco mais on menos 29 a 30
annos, baixo e erosso do corno, rosto oomprido *
carnudo, nariz chato, cabellos carapinbos, beigos
grossos, barbado, as veres usa s de bigode.olhos
pequeos ; muito ladino, trabalba de sapateiro,
assim como no campo: con:-ta qae transita em
Trombeta, Collonia de Pimenteiras Lepolpina e
nos engenbos Candato e S. Benedicto : quem o
capturar leve-o ao sea Sr. o oapiho Jos Capdido
das Neves no eogenho Papagaio, termo de Porto
Calvo, on no Reeife na rna do Apollo n. 32, que
era generosamente gratifleado.
Fugio no da 4 do corrale do enge-
nho Macaco, o escravo Jos, crioulo, com 40
annos de idade pouco mais ou men.-s, cor
fula, pouca barba, altura regular, o umbigo
muito grande, pernas acambetadas, e com
marcas de ftidas, pes grossos e feios, quem
o pegar leve o aoreferido engenho Macaco, da
freguezia de S. Lourenco deTijucupapo a seu
Sr. Henrique Olyoapio Tavares da Rocha, ou
oa cidade do Reeife a seu correspondente o
Sr. Joao Pereira Moalioho, que ser gene-
rosamente recompensado.
(Miares Royer magnticos
Medallias e palseiras magnticas.
A Aguia Branca recebeu nova remessa dos pro-
veitosos collares Royer magnticos, ja sommamen-
te conhecldos para preservar as convolsdes e fac
litar a dentiejio das crianzas.
Com esses alis collares elctricos magntico-
tamtrem nao pequeas quantidades de medalbas
e pulseiras elctrica} magnticas caja utilidade
tem sido aproveilada por quem soffre do nervoso
bypocoodic>, tremores as mos etc.
Assim como os collares Royer estao ganlmente
coohecidos e acreditadas aelos effleazes efleilus e
bons resultados que tem colbido as pessoas qae
deltas tem nsado ; assim tambem ebegaram a ga-
nhar to alta reputarn essas apreciavei medalbas
e pulseiras magnticas, ama vez qae o aso deltas
or se estendendo a ledos que dellas necesstem- A
Aguia Branca contina a receber por todos os va-
pores Irancezes ama determinada quntidade des-
ses sempre precisos e estimados collares Royer
magnticos e pop Isso fique na lembranoa de todos
que es acbaro constantemente em dita loja da
Agola Branca, ru* do Queimado o. 8.
XAROPE FERRUGINOSO
DE CASCAS DE LARANJAS E CASSA AMA10A
Com iodureto de ferro inalteravel
De df. P. Laroze, pharmaeeiltlea
em Parla
E sob a forma liquida quemis fcilmente
se assemeltia o ferro, e isto, sem produzir
perturbaco alguma; n'esta forma, tambem,
prefervel s pilulas e pastilhas em todos
os casos em que sao proscriptos os ferri,,
nosos. E o melhor auxiliar de oleode"
gado de babakio, porque contejn o
de cascas de laranjas amargas, tao gi
mente appreciado, para a cura das dores de
estomago, digestoes difficeis, inapp^tajaia,
etc"
Deposita em todas ^s pba macias a casas
de drogaras o Brasil.
fixpecoes, em casa de J. P. Laroze, rae
des Lions-St-Paul. 2, Pars.
Deposito em Pernambuoo, pharmaoia de
P. Maqror & G, raa mow n. 29.
O oleo de figado de ba;alho desinecta
de Chevrier, caasarva as qualidades o pro
Gratificado.
GraliGca se a qnem apresentar ao Dr. Joaquim
Baptista Moreira, morador a' rna da Saudade, o
sea -scravo, de nome Augusto, natural do Pana',
idade de 25 annos, estatura regular, cor (na, o
qoal anda com ronpa de servigccaiga, camisa e
chapeo de feltro nsado, trazendo alm disto a oa-
beca atada com um lengo, por t-la raspada, lo-
cuca-se forro, para andar ganbando dentro da ci-
dade ; pois desde sabbado, 13 do corrente, qae se
ausenten, e (oi visto no bairro de Santo Antonio a
fazer carretos. Recommenda-se, outroim, a's au-
toridades poliefaes a sna captara, bem como pro-
testa se proceder contra qnem fbe prestar ac uta-
anto. ______ t ______
Irtenco.
Contina andar fngido .do poder do abaixo as-
signado, desde o dia 12 de'marco do corrente anoo
o sea escravo nardo claro, de nome Cyriaee, com
os slgnaes segointes : representa ter de idade 40
annos, rosto redonda, e am tanto envergado, olbos
empapujados e fnndos, bocea grande, beigos gros-
sos, barba fechada e roiva, pes e mos grossos e
carnudos, peitos vermelbos e cabelludos, cabellos
crespos e avermelhados, costnma andar armado de
faeo e um bayoneta n'um pao, gosta de lomar
cacha?, e qnando nca bebado da' para poeta, e
regris a : roga-se, portento, as autoridades poli-
efaes e capitaes de campo a apprebenso do mes-
mo, e *m-to fea senhor, n abaixo assignado, no
engenho Pedregulho, em Nuaretb, qae sera' bem
recompensado.
Jos Ignacio Pereira Tcrres.
oos
4# gratifica gao
Contina andar fgido o escravo do abaixo as-
signado, molxto, por nome Dionizio, com os sig-
naos segnintes : idade 22 annos, estatura regalar,
falta de dons denles na trente do lado superior,
olbos am pouco aperlados, tendo os dedos mnimos
dos ps mais altos, costana a trazer o chapeo ca-
hidu sobre os Idos, tem nm nome escrlpto em nm
des bragos, e consta qae esta' trabalbando no ofi-
cio de sapateiro ; e o abaixo assignado protesta a
qnem U ver o asme acontado denle ja', conforme
a lL~Joa *3onolves de Azevedo.
~Fogfao engenh* Csith, na freguezia de
ipojuca, nm snnlato de nome Joaquim, idade 30
annos, cabellos estirados, qnefxo fino, e com mui
ponca barba, cor mnito dar, altara regular, per-
' as grossas malOiia*, pea rnndes e tambem
." malfeilos, tem oficio de sapateiro, mnito tallador
pnedaaes reconbectaas ao oleo de qgado de # DMatiroao, uaz carus apadnnbando-o, aUiumas
bacaiho ordinario; o seu cheiro goato vasas incaica se forro. Dito esrtvo foi do Sr. Ma-
sso muito agradaveis, eadigestaol-sa^^^.^^o ^^^
cnmeme. (coaaecalo : qoam n pegar e levar a roa de Apollo
Deposito em Pernambueo, casa de P. Man- n. 8, oa ao referido engenho Caitb, sera' muito
rer & C, rna Nova n. 18. bem recompensado.



Diario de Peroaabueo - Tera tetra a de lulk de 18G7.
J Uma Voz : -Est presdeme da provln-
, ca |
O Su. Martinho Campos: -E' de direi-
to, teve promoco, pois que a provincia
do Rio de Janeiro nao deve ser coliocada
em p de igualdade com as ouiras do Im-
perio, no Rio de Janeiro at o vite-presi-
dente ta de ser estranho!
O Sr. Macedo:Apoiado !
O Sr- Martinho Campos:Mas a minha
reclamaco esla e a ella me limito hoje:
eu nao disjeDocumento extorquidodis-
seDepoimento extorquido-e disse dpoi-
muito intencionalinente: _
..ojuido o arrancado, a um misero urna guerra de tal magnitude e importancia,
ida dekraripe e * suas duas limas meno- guarda nacional, preso no hospital e sob o pleito eleitoral devia correr livremenle, a
res, viuvi e filhas do capito Cbilderico Ci- j, ameaca de prompto embarque.. vontad do povo devia expressar-se em toda
CAH4BA i>0S SNIORES DIFVTalMti.-
SES?AO EU 4 DE JUU10 DE 1867.
PRESIDENCIA DO SR. MLVIKA DE SOUZA,
(VIC-PHI8WF-NTE.)
.Viit3/i, feia a cnamaja, veilfi-a-se bsw
Dtmaro safflciente, abre se a teas&t, ten-lose e
>P|.rovanij se a acia da aatecdf me.
O Sr. 1* iecretano da coala do seguate
EXPEDIENTE
Um oflicio do ministerio du imperio, en-
viand i o autographo da resolucj que ap- menj0 "extorquido,
prova a penso concedida a . Rum-na Cau- so extorquido e a
O Sr. PresidentI:Tem a palavra oSr.
Souio.
-Q Sr. Souro pronuncia um discurso que
publicaremos depeis.
Indo'passar-se segunda parte da ordem
do dia, o Sr. Horla de Araujo requer que
continu a mesma discussio.
Cousullada a cmara, resolve affirmativa-
mente. i
Contina, poisj a diicosso do parecer.
O Sr. Junqueira -(Aitenco):Sr. presi-
dente, be;n disse o meu aobre contendor
que acaba de sentar-se: no estad) actual da
poltica do pak, estando nos a bracos com
cero de Aleucar Ararip, na qual S. M. o q gR" c ttoni: At negaram a exis-
ImperadorconsenteInteirada, officiando-se lenca eSse faci.
a sua amphtade: mas, Sr. presidente, as
discusses bavidas nesta casa tm assaz de-
0 Su. Martinho Campos: . se ar-'monstrado que assim nao saccedeu.
ao senado.
Ijis do mesmo ministerio, communicando ranjariam pravas de falsidade contra briosos
in resposta, que se. expedir ordem anm e dignos officiaes da guarda nacional da.corte
de que tejam exactamente cumpridas as de- e provincia do Rio de Janeiro !
cisoes desia cmara acerca das eleicoes a Sustento e repito: nao disseDocumen- nal fosse enviada a esta casa, nao se man-
Eu lamento que as criticas circunstan-
cias em que estamos, quando se teve de con-
sultar a urna afim de que a vontade naci-
qoe ltimamente se procederam as provn- l0 extorquidodisseDepoimento extor-
cas de Goyaz, Matto-Grosso, Io e 3o distric- qu0 ^que cousa mas grave aioda, que
tos da de S. Paulo.Inteirada. um aDUS0 8 autoridade arrauca-lo de
Dois do mesmo ministerio, enviando com uma victima, de um infeliz guarda nacional
os olficios das presidencias das provincias S)rj a violencia e presso to manifesta.
de Miuas Geraes e do Paran as actas das A[iaSj Sr presidente, eu dou parbaos
eleicoes piimarias das parocliias do Pairo- a0 D'0Dr'e ministro, e me congratulo com S.
c.nio e de Hatos d 7o districto eleitoral da- Exc^ esta vez sinceramente, pelo acto-de
quella, e de Gudratuba, d'esta.A: 3a com-! gener0Sjjade .. eatimaria dizer-de justi-
mis.-o de poderes. a_ , mas, vista das discusses da .:ami-
Ojtro do mesmo ministerio, commonican- ra> u%0 p3S0 dizer de Justina, sem contra-
do prevalecer o decre.o de 17 de novembro | rar 3 opinio do nobre miuistro; por isso
do anuo passado, que concede a peuso de \g0 pei0 act0 e generosidade e benevo!en-.
60D rs. diarios ao cadete Manuel Amaro da
Silva, ficaudo sem efieito o de 29 de selem-
uro do mesmo anno.Inteirada, officiando-
se ao enado.
Outro da" presidencia da provincia do
Piauhy, enviando dois exemplares do seu
relatorio.A' archivar.
Um requerimento de Hermenegildo Jos
retara d Silva e ouiros, pedmdo soluco
is soa peticao rc-raettida a esta cmara em
i' de jnlno do anno passado relativo jgual-
daJe de vencimenlos dos seus collegas da
secretaria da guerra.A' commisso de
pjnsoes e ordenados.
Ouiro ae Francisco Moreira Lima, alteres
honorario do exercito, pediodo o sold de
jtferes da patente, que pelo goveruo nao
lia podia ser concedido.A' commisso de
inariuba e guerra.
Oatro d-, Ji ao Pereica Moateiru Jnior,
pediodu para fazer acto do t anno da facul-
ila ie de direito de S Paulo, depois de pres-
tar exame dos preparatorios que Ibe faltam.
A' comaiisso de instrueco publica.
Previlegio a Z. Barroso e J. J. Postor.
Le-se, jalga-se otijecto de deliberacao, e
va a imprimir para entrar ua ordem dos
raballios, o proje'cto com que conclue o
seguinte parecer:
tA cummissao de commercio, industria e
artes, tendo examinado a copia do decreto
o. 3,689 de 24 de agosto de 18i6, de
>arect-r que seja adaptado o seguate pro-
jecto:
A assembla geral resolve:
t Artigo nico. Fica apifrovaao o decreto
u. 3,689 de 24 de agosto de 1866, que
concedeu a -Zosino Barroso e Jobu James
Foster, privii gio exclusivo, pelo tempo de
SO anuos, para construcoo de um porto na
euseada do alucuripe, da provincia do Cea-
r, e de uma estrada ligando-o capital da
mesma provincia; revogadas as disposices
e.m contrario.
Paco da cmara dos depulauos, em 2 dd
jullio de 1867.Espendio de Barros h-
mentelJ. de Barros Panentel.*
Matricula de estudante.
L-se, julga-se objecto de deliberacao, e
vai a imprimir para entrar ua ordem dos
trbateos, o seguinte projecto:
tA assembla geral resolve:
Artigo nico. Fica o goveruo. autor isa-
do para mandar matricular e fazer acto o
estudante Jos Pereira Mata, qoe frecuenta
como ouvinie o Io anno da facaldade de di-
reito da cidade do Recite, ama vez que seja
ap pro vado no exame de philosopbia que
Ihe .falta fazer ; fioand i revogadas as dispo-
sicoes em contrario.
Sala das sesses, 3 de julbo de 18b7.
Toscano de Brito.Amrica Braiieme.
Correa das Neves.Meira de Vasconcellos.
Arago e Mello.
Achando-se na sala immediata o Sr. Joaoj
cia praticado para com esse guarda nacional,
a quem consta-me que dera dois mezes de
licenca para tratar-se em sua casa; felicito
a S. Exc, reservando-me o direito de dis-
cutir os seus actos quando S. Exc. o julgar
conveniente.
O Sr. Affonso Celso (Ministro da mari-
nlia.Peia ordem.): Sr. presidente,nao fiz
a!t'trac5o alguma, quer no meu discurso,
qcer nos apartes com que fui honrado, nem
jamis 0 Qz em tempo algum. Na"o m lem-
bro mesmo que o nobre depatado por Mi-
nas-Geraes me desse o aparte a que se re-
ferio.
O Sr Martinho Campos := Mo est no
discorso de V. Exc, mas do nobre depata-
do o Sr. Dias da Cruz.
O Sr. M'nistro da Marinha : Ento que
reclarnac5o tinha V. Exc que fazer contra o
tceu discurso?
O Sr. Martinho Qampos: As que a casa
onvio.
OSr Ministro di Marinha:Publiquei
alguma cousa que nao houvesse dito aqu ou
que dissesse differentemente? -
O Sr. Martinho Campos :No sabbado me
explicare').
O Sr. Ministro da Marinha : Aguarda-
rei entSo que V. Exc. o faca para responder-
me...
O Sr. C. Orrom: -Mas
esta semana?
O Sa. Ministro da Marinha:Devo en-
tretanto protestar contra duas proposices
enjillidas pelo nobre deputado; S. Exc. en-
tende que a umacenomeu ludosefar rus-
ia casa I
Isto nao exacto, Sr. presidente, e o no-
bre deputado lanca por esse modo uma in-
juria co traa maioria da cmara...
O Sr. Martinho Campos: NSo apoiado.
O Sr. Ministro da Marinha :N5o du-
vido, e mesmo natural, que os meus ami-
gos condescendamcom um pedido meu, mas,
que obedecam aos acenos de quem quer que
seja, cousa impossivel de dar-se, e contra
qual protesto com toda a forca. (Muitos
apoiados).
A outra observaco do no.re deputado
contra que devo reclamar a seguinte: S.
Exc. disse que poderla provar com o meu
proprio testemunboque o vice-presidente da
provincia do Rio de Janeiro era capaz de
extorquir documentos!
Senhores, tambem isto nao exacto: mas
eu c )mprenendo a que se refere o nobre de-
putado, e veu diz-lo cmara.
O Sr. Dr. Pindabyba exerceu o lugar de
ebefe de polica da minha provincia, e nessa
qualidade praticou alguns actos que me pa-
recem menos justos e acertados. Hostilisei-o
por isso, fi-lo mesmo com alguma energa,
porque esse o meu costume quando me
persuado que defendo a causa do direito.
Minba divergencia era com a autoridade.
Jos Barbos de Oiiveira deputado e eito pelo nao com o individuo; esqueci-me della des-
.1 di&tricto eleitoral da provincia da Baha,
mtroduzido com as formalidades do estylo,
presta juramento e toma assento.
O Sr. Martinho Campos (pela ordem) :
Sr. presidente, no Supplemento do Jornal
do Commercio de bontem, esl impresso o
discurso do nobre Sr. ministro da marinba
e o do meo collega o honrado deputado
pelo municipio da corte; eu tinha algumas
reclamaces a fazer cerca do discurso do
aobre ministro da marinha, mas, tendo ne-
cessidade de que ellas sejam um pouco ex-
tensas, espero que S. Exc. me dar repara-
cSo da injustica (para n5o dizer oulra coasa),
com que procedeu para commigo, trazendo
para um debate em ijue eu nao tinha possi-
bilidade de fallar a discussao qne eslava tra-
vada entre nos acerca de actos do seu mi-
nisterio, discussao que s depende da von-
tade do nobre ministro, contiouar ou nao
(apoiados da opposico).. porque s depende
da sua vontade poder continuar a haver sab-
bados em uma ou mais semanas, ou em
qualquer outro dia. (Apoiados da opposi-
cio).
Mas, nao podemos agora entrar na apre-
ciaco de varias proposices do nobre minis-
tro, me limito a restabelecer um aparte que
se encontra no discurso do nobre depatado
pelo municipio neutro.
Ahi o nobre deputado, reieno-se a um
documento do chefe de polica de Nitberohy,
o Sr Pindabyba de Mattos, contra o guarda
nacional Evaristo, e vem como aparte meu
o seguinte Documento extorquido a esse
suarda nacional pelo chefe de polica. Eo
restabelego o meu aparte como exactamente
^Eu podia apoiar-me na autoridade do no-
bre ministro da marinha, atribuindo ao ac-
tual chefe de polica e presidente da pro-
Tincia .lo Rio de Janeiro este depoimento,
porque uma das bellezas desta situado
ver-se, por exemplo o actual chefe de poli-
ca da provincia db Rio de Janeiro, delegado
do nobre ministro da marioba !
O Sr. C Ottoni :-Ora 1 illas s3o tan-
tas I
O Sr. Martinho Campos.Mas .eu nao
disseDocumento extorquido comquanto
jnlgue e eotenda com o nobre ministro da
marinha que o chefe de polica actual da
provincia do Rio de Janeiro 8 capaz disio.
de que cessaram os motivos que a determi-
ram, e nem se segu que por me parecer
inconveniente o seu procedimenlo em Minas
eu o julgasse incapaz de proceder bem em
outra qualquer posicao. (Apoiados).
E, declaro-o com franqueza, assim como
hostlisei o chefe de polica de minha pro-
vincia, son o primeiro a reconhecer que o
vice-presidente do Espiito-Santo, cargo que
logo depois exerceu o Sr. Dr. Pindabyba, fui
am administrador zeloso e de muito tino e
imparcialidade. *
OSr. Fleury:Apoiado.
O Sr. Ministro da Marinha:Portanto,
o juizo que fiz de alguns actos desse magis-
trado nao era uma barreira erguida entre
nos, em nada prejudica a confianca que hoje
me merece. (Apoiados).
O Sr. 1. Secretario, obteDdo a flalavra
pela ordem, procede leitara de um oflicio
do ministro do imperio communicando que
S. M. o Imperador se digna de receber no
dia 6 do crreme, ma hora da tarde, no
paco da cidade, a deputacSo desta cmara
que tem de a^resentar ao mesmo augusto
senhor a resposta falla do tnrono da presen-
te sess5o da assembla geral.Fica a cama-
M 'segunda parte da ordem do da.
tivesse a estricta neutralidade para que ne-
uhuma cucums.ancia que nao fosse legitima
e,convenente pudesse pesar sobre a vonta-
de popular. (Apeados di opposieSo)
Mas, senhores. um dos exemplos mais fri-
santes de que a eleico o5o correu com a
calma, com a liberdade precisa, nos temos
na eleico do 5o districto da Baha. (Apoia-
dos). O parecer da ilustrada commisso
considerou-me entre os tres representan les
que o 5* districto daquella provincia tem de
enviar a esta casa; considerou-me, Sr. pre-
sidente, entre os tres representantes, a; ezar
de tirar-me cerca de 200 votos.
Neste ponto eu digo ao meu nobre con-
tendor, que S. Exc. fui de uma injastica fla-
grante para com a Ilustrada commisso. Se
alguem se devesse queixar della seria eu qoe
vitirarem-se-me *1 votos das fregueziasdo
Campestre e do Bom-Jesos, p lo pretexto
de que nc estavam aqu as actas da eleico
primaria; ea que vi cabirem as eleicoes le-
gtimas de Lenfes e do Urub diante do
nimio escrpulo, que a 2* commisso de in-
queritoteve. Portanto, meus senhores, fi-
que bem liquido que se alguma queixa le-
gitima se podia levantar contra a 2* com-
misso, essa queixa legitima dea partir
do humilde individuo que ora se dirige
cmara dos Srs. depulados.
Mas disse o meo alustrado contendor que
o 5* districto da provincia da Babia nao po-
dia mais aceitar a minba candidatura, e que
aceitou a de S. Exc-. Sr. presidente, o meo
nobre contendor representou o t districto
eleitoral da' Rabia; represntame daquella
Ilustrada capital e tendo por si o favor do
govern:)...."
O Sr. Barbosa de Ogivcira d am aparte-
O Sr Junqueira : Eu respoiiderei a isto
.... e tendo por si efavor do governo, nao-
vejo razo por que quizesse emigrar" para-
aqueiie districto que duas vezes- me tinha
haver sabbado ji enviado a esta cas-i Mas, Sr. presiden-
1 te, para demonstrar a- sem razo- do meu
-ilustrado contendor basta compulsar os pa-
pis- que foram presentes a comnssOj pa-
pis que (jpalquer dos nobres deputados
pode examinar.
Ahi se ver que sobre 874 eteitores et*.
tive cerca de 520 votos-; e despiezadas as!
eteicSes onde bouve doplicata, desprezadasj
arabas as eleicoes de Lencoes, dfcsprezadas
ambas as de Urub, approvada a eleico pre-
sidida pelo i< joiz de paz da ViHa da Barra,
adiados os voto* do ampesire o dq^ Boaa-
Jesus, anda pude resistir e fiquet na lsu dos
tres. k -
Por consequencia quem teve esla votado,
qnem teve amigos que pleitearan! em lodos
ou em quasi todos os collegios,. e em vista
da lula que se trawu no 5o districto, fica
muito cima dessa supposico O meu con-
tendor nao pode diaar que eu. nao tinha. ali
raizes, que a minha candidatura nao era fun-
dada as inQuenciaa daquelle districto. E'
uma proposico por demais- audacia, Sr.
presidente, eu oo-sei se o meu. nobre con-
tendor a podria sustentar seriamente.
Meus senhores* o mea aobre antagonista
disse que os meus amigos.recorreram as im-
moralidades das duplicatase aos bacamartes,
A cmara considere que eu, para ter um
assento neste secioio, to preciso dos col-
legios em que se deram duplcalas, mas o
meu dever sustentar aquellas eleicoes que
eu emendo que sao legitimas, que sao a ex-
presso verdadeira do voto popular.
E se eu quizesse fazer uma reconvencao'
tinha o direito de dizer ao meu nobre con-
tendor que o bacamarte nao foi empregado
pelos meus amigos, veio dirigido pelos agio-
tes officiaes; que o sangue derramado no
Bom-Jesus e nos Lenoes cahe ioteiro e
completo sobre a cabeca desses agentes. (Re-
clamacbes e apoiados).
Ea fallo para o pz, fallo para a provin-
cia da Babia, que sabem destes fados. As
scen >s do Bom-Jesus foram dirigidas pelo
subdelegado.
OSr. Espinla:O presdemele apoiou
a Y. Exc, diz o contrario.
O Sr. Junqueira:V. Exc. tenba pacien-
cia ; eu ouvi com uma calma evanglica lu-
do quaoto disse o meo nobre contendor:
permita qoe eu, tendo talvez de fallar pela
ultima vez nesta legislatura per.mte esla c-
mara, porque infelizmente, Sr. presidente,
comquanto confie muito em alguns caracte-
res de que me vejo aqu rodeado, todava s
vezes a- justica poutica um instrumento
cgo, que nao procura discutir e bem acer-
tar; permiltque euusede inteira liberda-
de de tribuna, porque preciso dizer a minha
opinio, guardadas as frmulas decavalhei-
rismonecessarias e deres;eito ao regiment
afim de Lvrar a acta, esta razo extrema-
m nte ritivel.
Diante da objeceo de que nao poda ser
verosmil -cinchante procedimenlo, visto
que tudo era a favor de meus amigos, se
disse :, Ketiraram-se para que os contra-
rios nao espiassem ( a palavra textual) a
eleico. Ora, meus senhores, pode-se
aimillir que um partido, que tem todos os
elementos de victoria, que est seahor da
eleico, que a est coocluiado, v inquina-
la de vicios, unicumenio para nao ser
espiado, isto , observado pelos seus con-
trarios ? Isso um>cousa inverosmil, nao
resiste ao simples enunciado -. pois , Sr.
presdeme, a razo pela qual se procura di-
zer que a eleico do Campestre nao pode
ser approvada.
E, senhores, a m f desta objeceo ainda
mais se reconbece quando se considerj que
no collegio do Ri de Contas a primara ob-
jeceo levantada contra oseleitores do Cam-
pestre foi que ellos nao podiam volar oa-
quelle collegio porqae urna le da assembla
geral do anno passado tinha determinado que
elles" fossem volar no collegio de Leoces-
Os eleitores fkeram um protesto, que esl
entre os pape s, e a mesa respondeu com
um celebre contra-protesto, em que se diz
que esses eleitores deviam votar nos Lin-
cees em vista de um numero do Jornal do
Commercio, jornal que elles chamamoulcial,
e por uma publicado feita por dous juris-
consultos ; cousa que nao entend).
Mas immediaiaajente reconbeceram que
iam caminho errado, reconbeceram que o
decreto uo foi communicado pelo presiden-
te Ja provincia, como juntei documento que
abi est entre os papis; que o presidente
da provincia, autoridade administrativa com-
petente e nica para enviar o decreto aQm
de ser executado, tinba cahido nessa omis-
sj, e que demais em iguaes circumslaocias
eslava os eleitores de Santo Agtonio da
Barra, que foram votar no collegio de Ce-
tele, e que aoo^avam tambem esse collegio
fvoravel ao$ meus nobres contendores; en-
to recuaranj; Fallando, pois, esta razo,
procuram uma oulra, a qual foi esta nao
serem espiados pelos seus contrarios. Isto
Fisivel I
Agora, Sr. presidente, entrarei ua el -i
cao do Bom Jess, que a commisso tambem
adiou. Couheco que este debate teres-
sanie ; mas que o paw est em circumstau-
cias to graves, carece de medidas to im-
portantes, que um candidato mal pode apr-
senla* aqu a exposico- de seus direiios- em
respeito cmara dos Srs. deputidos e ao
povo que o etegea, porm sem. querer fa-
zer urna arguuaentaco detalhada. Em re-
laco ao Bom Josus se allega nicamente que
houveeluso de sangue-; exacto, lamen-
tavel, houve effuso de sangue; mas ahi
esto documentos, aHi esl a argumentado
a meu ver victoriosa, da Ilustrada commis-
so quando coftsidera eleico o-diz :
c Sei como os contrarios allegam nos do-
cumentos, a parcialidade da opposico na
paroebia do Bom Jess tinba todos os ele-
mentoede victoria, se a eleico kr correado
regularmente, como qpe esta parcialidade
vai empenhar urna luta-de morte-com seus
contrarios ?
Nao est saliando aosolhos que aqullo
qae os documentos diiem, isto- , que o
subdelegado Manoel Jos de Carvalho Bas-
tos, homem nomeado ad hoc no dia 7 de
Janeiro deste anno, sendo exonerado o ami-
go serveniuario deste lugar, linba por ais-
sao nicamente fazer a eleico, e se nao pu-
reilos dos adversarios ; em 2* lugar, que
as actas ex'isliaca no archivo da cmara, do
contrario e. despacho %a outro, devte ser :
Nio existindo aqu semelhantes acias, nao
tem lugar a certidjio ; em 3o logar, este
fado demoostra que as actas nao contera em
si o menor vicio, porque se o cootivessem,
o presidente da cmara, adheso a parciali-
dade dos meus nobres competidores, bava-
se apressar em dar o documenio pedido, afim
deque acamara dos deputados pudesse manante supe ior ? Tinha
conbecer com facilidade que essa eleico nao comraettido alguma falta '
O sn. JuNQfjHHA :'Nao eslou dsculndo
a resposta falla do throno porque nao tive
iogresso nesta cmara; senio havia crregar
a minha pequea pedra; porm estou dis-
cutindo t (actos qae com mo ferrenha fo-
ram pralicados pelo governo, que procurou
com sua manopla de ferro esmagar os meas
e os direilos polticos dos meus amigos.
(Muito bem.)
Por que razo se aispeodeu^aquelle com-
por veulura
Nao ; e se a
podi ser approvada ; elle que negou esse tivesse commettilo o governo anteriormente
documento, implcitamente declirou que as o teria arredado do seu cargo ; mas guar-
aotas esto legaes e completas, qae nao ha dou-se para faze-lo as vespiras da eleico/
razo para se adiar essas eleicoes. E sao meus iliastres contendores que re-
Eu deixo sobre a mesa estes documentos, cebera semelhantes favores e que ousam di-
afim de que pos-am ser examinados. i zer que nio liveram em auxilio de suas can-
Mas, Sr. tresidente, disse-se que o go-1 didataras a dedicaco offlciaf! ?
verno nao tinha procarado influir na eleico Portanto a eleico de Lencoes, cota o
e eu .vejo mesmo no voto em separado al-
guma coasa de censura ao ex-presidente da
minha provincii.
O Sr. Bittencourt Sampaw : Nao
apoiado.
O Sr. Ji'nquejra : Os meus competi-
dores como qui quizeram perante a com-
misso dar a entender que nao foram Suf-
ficientemei.te apoiados pela adminstfacp.
Sr. presidente, por uma dessas singula-
res aberraces, eu me vejo neste momento
collocado na necessidade de defender o Sr.
desembargador Ambrosio Leito da Cunha I
Eu, que se n'o fosse a intervenco de S
Exc. em favor dos candidatos officiae nao
precisara estar debatendo na tribuna o meo
direito, porque a minha eleico fo:se con-
siderad! a liquida e cima de toda excep-
co.
Eu fallo para o paiz, repito, fallo para a
provincia da Babia e desafio a meus Ilustres
adversarios- a que me contraren : basiam
dous actos qne S. Esc. praticou para prova
do qoe acabo*de dizer; se S. Exc. os nao
tivesse praticado nao bavia Iota possivel no
5o districto da Babia.
Se o delegado de polica do termo do
Rio de Contas, o dstincto bacharel Estevo
Vaz Ferreira, que servia ha dez annos, que
[;occupo8- esse cargo em todas as adnwnistra-
Ces, nao houvesse sido- demittido na ves-
psra da eleico, e se o oeiemerilo comraan-
dante superior do municipio de Lences, o
Sr. coronel Antonio Gomes Calmon, nao
houvesse sido suspenso na vespera da elei-
co, a lutado 5o districto nao se tinba dado
na proporcao que se deu.
O Sa. Espinla >-Isso em nada iaftuio
na eleico.
0-Sii. Junqueira :Oh senhores I Qae
quer dizer deraittir-se pouco dias antes da
eleico um delegado de polica* contra o qpal
nao se fez a menor accusacO'? A denws-
so deste delegado as vesperas da eleico,
se nao tinha por imdar ganho de causaaos
meus adversarios, um acto insensato que
nao nha razo de ser ; elle servio por es-
paco de dez annos, e nunca foi a acusado de
praiiear acto algnm pelo qual podesse sofirer
a deuisso.
Mas esl na mante e intuico de lodos
que foi medida eleitoral, e p proprio Sr.
desembargador Leito da Cunba confessou
qpe nao pode resistir s solicitaces-que Ihe
erara feitas.
O Sr. Souza Carvalho : Ento est c-
cusando-o !
O Sr. Juntura :Eu respondo ao dito
espirituoso do nobre deputado por Pernaa-
buco, que nao venbo fazer a apotheose-do
Sr, desemba*gador Leito da Gunha; venbo
defen Je-lo de certas aecusaces, reclidcando
desse faze-la, perturba-la, porque elememos -
para faze-la nao tinha t A provincia inteira os tactos ; mas nao quero cndeosa-lo, ara
PENSOES A DIVERSOS.
Eotro successivaraente em discussao, e
sao approvadas sem debate as redaccoes of-
ferecidas na sesso de 2 do correte, con-
cedendo varias pensos.
O Sr. Morta de Araujo requer urgencia
para ser discutido de preferencia aparecer
da commisso de poderes sobre as eleicoes
do 5o districto da provincia da Baha.
Consultada a cmara resolve pela afflrma-
tiva
Eleico da Babia (5o districto).
Entra, portanlo, em dtscusslo o parecer
da 2 commisso de poderes, com voto em
separado e emendas, sobre as eleicoes do 5o
districto da provincia da Babia.
O Sn. Presidente :Tem a palayra o Sr.
Junqueira.
O Sr. Jhnqueira :Se ba algum dos meus
nobres contendores qne queira fallar, eu ce-
dere, porqae o parecer, considerou-me de-
putado, e eu devere fallar depois que algnem
o impugnar.
O Sa. Souto -.Peco a palavra.
Sr.presldente^acompanhando o meu no-
bre cont ador na analyse que elle fez, eu
comecari pela freguezia do Campestre: pe-
co aos nobres depulJdos qae me attendam
porque eu nao darei ama palavra de mais,
eu nao me demorare nesta demonstraco.
Em Campestre, Sr. presidente, freguezia,
coja eleico foi adiada pelo voto da illstrada
2* commisso nesta freguezia, pela confis-
so dos meus nobres adversarios, os meus
amigos lioham todos os elementos de vic-
toria : naia lhes faltava, mesa, qualiflcaco
ila Babia sabe disto, ahi esto os docu-
mentos, abi esto as justilicaces juradas.
E, Sr. presidente, se fosse licito a qual
qoer parcialidade vencida, a qualquer par-
cialidade da minora, perturba;- uma eleico
por essa forma, ento eslava descobarto o
meio da polica vencer sempre as eleicoes ;
era uma especie de brevet dlnventionv Os
francezes do brevet d'invenlion seragaran-
tia do governo ; as este seria um brevet
d'inventwn com garanta do governo. Nada
mais faca do qne-, vendo a eleico perdida
mandar-se dous ou tres capangas provoca-
ren! uma desordem ; apparece sangue e es-
t a eleico viciada.
ueste modo ea duvklo que um unieo
represeatanleda opioio adversa possa ter
entrada nesta casa : os poucos que aqoi es-
t" haviam de ficar nos humbraes della,
sem ter meios de penetrar neste recinto, se
por ventara passasse em julgado, que a
desordem, que o saogae derramado n'uma
parochia, anda mesmo pelos agentes offi-
ciaes, pudesse inquinar de vicio semelbante
eleico. (Muito bem.)
Mis, Sr. presidente, eu tenbo ouvid>
apartes a dous Ilustres represeniantes da
minba provincia que dizem que o governo
nao procurou intervir nesta eleico; antes,
porm, de locar neste pomo, e j que eu
tii uma resenha rpida das duas eleicoes do
Bom Jess e Campestre, que foram adiadas
pela commiso, nao pelas razoes prodozdas
porque foram victoriosamente aniquiladas,
mas pela falta das actas, eu tenho de offe-
recer dous documentos que provam como
se riega justica aos adversarios.
D'aqui do Rio de Janeiro, sabendo eu que
as actas nao tioham vindo, escrevi para o
Rio de Contas afim de que me as enviassem
ou me mandassem certido dellas...
O Sr. Espinla : Certido /
O Sr. Junqusira : Certido, acto na-
tural, muito legitimo e que o digo face do
paiz, assim como pratico todos os meus
actos.
No requerimento que se fez pedia-se uma
certido cmara da acta qoe devia estar
em seu poder ; esse requer raento teve por
despacho o seguinte : Nao pode ser de-
f r do por nao ter a cmara actualmente se-
cretario I
O Sn. Espinla d um aparte.
O Sr. Junqueira : Eu explico: nao
seafadigoe o nobre candidato, eu ouvi com
paciencia evanglica o meo nobre adversa-
rio ; eu preciso demonstrar com alguma
clareza esie ponto, afim de que a cmara faca
a justica devida; apezar da descrenca pob-
pessoale al diz-me o nobre contendor tica, eu ainda nao desen da justica dos ho-
nK^VsTd'Cdo1 d.^T'X.r^taoo^iflo.-l. despacho, que a
quetiamLSapou^
que se fez naquede districto ha um anno a d.nir.a e que es lando prjseme um vereador
ua narte- hpm Sr Dreddaate, ama o Sr. Aurelio Jastiniano da Rocha, queser-
porque razo se haviade fazer uma eleico a resposta foi anda a seguinte -Confirmo
plesmente quero demonstrar qoe, se nao fos-
se a sua intervenco, a eleicfvdo 5. distric-
to bavia ser outra.
@Sr. soma Carvalho :Nunca rae de-
fesda assim.
O Sr. Junqueira. _ Espero em Deus nun-
ca, defjnde-lo porque o nobre deputado ter
muitas outras pessoas que tornera esse pesa-
do encargo, tendo tantas adheses e influen-
cia como tero.
O Sr. Souza Carvalho :Tenho- a mes-
ma esperanca.
O Stt. Junqueira Portanto, Sr. presi-
dente, eu digo e repito que foi urna immo-
ralidade a suspenso do commandanie supe-
rior de Lences ; esse cidado foi o que mais
se distingui na acquisico e romessa de vo-
luntarios.
OSr. Fernandes da Cunha:-'Apoiado.
O S. Esmnola .Estimo bem que V.
Exc. diga agora isso.
O Sr. Junqueira :Nunca disse o con-
trario, nunca poda fallar seno bem daquelle
cidado; mas o nobre candidato quer por
forca cortar-me a palavra, nao o conseguir.
Sr. Espinla : Pelo contrario, faco
com que V. Exc. brilhe.
O Sr. Junqueira :Nao posso brilhar,
nao tenho os talentos do nobre candidato,
mas hei de dizer at o fim o que tenho ten-
Co de declarar cmara.
Digo, Sr. presidente, que a suspenso do
commandanie superior de Lences que de
uma vez trouxe capital 250 voluntarios
arranjados por elle, e que apreseotou mais
por outras vezes, foi uma immoralidade, foi
uma iniquidade.
O Sr. Fernandes da Cunha: Apoiado.
O Sr. Espinla : Nao teve nada a eleico
com isso.
O Sr. Junqueira :Portanto, repito, se
uo fossem esses dous actos officiaes, alem
de outros muitos secundarios, que vieram
em auxilio das candidaturas officiaes, ellas
nao podiam ter razo de ser, e a luta nao
seria possivel no 5. districio.
Sr. presdeme, suspeodeu-se aquelle com-
mandante superior, o qual tendo-se distin-
guido como nenhum outro na provincia na
apresentaco de voluntarios, nao teve ne-
nhum habito ou coodecoraco; ao cootrario,
foi suspenso e depois reformado!
Vede, senhores, qae iDjustca I Parece-me
que estamos na decadencia de Roma t Pare-
ce que regressamos aos tempos calamitosos
da anarchia mexicana. Como procede assim
o governo ?I
Como que um cidado daquelle quilate,'
um homem que apresentoa tantas pravas de
patriotismo, e quando ba um decreto que
considera relevantes os servicos semelhantes
aos que elle praticou, riscado da lisia dos
benemritos, suspenso e reformado ?
Como queris que se acredite em vossa
palavra e lealdade ? At onde queris ar-
rastar comvosco nessas rasiituicoes ? E'
deste modo que se ha de fazer com que o
povo brazileiro possa acreditar na palavra
ter-se arredado da posico condigna aipjelle
Ilustre cidado, e vendo-e frente da par-
cialidade hamada-goveroista-o proprio
governo, porque oo o. districto tudo se fez
em no mu do poder publico ; e abi esto s
proprias pecas apresentadas pelos meus con-
tendoras, em qae se diz que quando a oppo-
sico se achavade umlado, do ootroestava
o governo ; era a luta eatre este e aquella,
e V. Exc. sabe que neste paiz, como em
quasi todos da raca latina, a lu'a entre a op-
posico o governo uma lula ingloria, qoe
quasi nunca traz resultado feliz para aquella,
o governo ha de vencer sempre (apaindos);
e por isto que auguro talvez (desejo
ser mo propheta) qae o nosso systema1 nao
pode prodozlr todos aqoelles beneficios que
a mente do legislador coostituinte teve em
vista quando decretou o pacto fundamental.
O Sr. Arbtides Lobo :Que o partido de
V Exc. sanecionou e desenvolveo com a le-
de 3- de dezembro.
(Ha outros apartes)
O Sr. Junqceira :Nos Lences ha via um
forte .destacamento de polieaa e cbomou-se,
alut disto s armas uma graode forca de
guarda nacioual; ahi erci o documento em
qae se mosira que um grande numero de
guardas nacionaes foi destacado; alen da for-
ca de polica.
O delegado do termo de Lences; o ba-
charel Americo. Pinto Barreto, era conh&cido
como partidario frentico por parte do aaeus
contendores e inimigo do S*. coronel-Cal-
mon, que capitaneava o lado da opposico.
O plano dos amigos dos meas contendo-
res foi que a opposico nao podesse pene-
trar na matriz ; emo para este fim cerca-
ram a igreja com forca armada ; ahi estn os
documentos irrefragaveis. (Apotados da op-
posico.)
E ns> s isso - procarou-se fazer com
que os volantes qua nao moravsm na cidede
le que tivessem de vir para ella na vespera
da eleioo, para estarem proraptos no dia
seguinte, nao podessem entrar na mesmH.e
mandou-se para esse im patrulbas destaca-
das pelas estradas, at que em um lugar cha-
mado Marco houve- um oeuflicto ou mais,
porque os testemunhos sao contradictorios,
porm bouve pelo menos uma morte e qui$a
alguns ferimenU'S.
Mas, Sr. presidente, para que V. Exc. fi-
que coueceudo como foi feita a eleico- de
Leoces, basla lancar uma rpida vista de
olhos para es -es documentos. Deiles consta
que o delegado de polica Pinto Brrelo nos
das 1 e 2. de fevereiro recrutou e remeiteu
ao presidente da provincia oito individuo-
(apoiados), os quaes ehegando -capital-* (e
nesie ponto devolouvores ao Sr. Ambrosio
Leito da Cunha) foram inqueridos por esse
presidente em pessoa, segundo o costme
que adoptara, declarando ento esses rasm-
ias que tinham siao presos nos das 1 e 2
de fevereiro nicamente por serem da parcia-
lidade do Sr. coronel Calmon.
Entretanto, tinham sido remettidos-como
voluntarios quando foram presos como re-
crutas dos dias da eleico.
O Sr. Esmnola :Nao apoiado. Nem um
s foi recrutado: foram presos era llagrante
com as armas cas mos.
O Sr. Jbnqueira:E remettidos- como
voluntarios. (Hilaridades Attenda a cmara
a essa consso.
(Beclamacm do Sr. Espinla.)
O dilemm completo :: ou era crimino-
sos e fura, o presos comas armas, as mos,
ou eram voluntarios.
rrregular, porque razo havia deaerem- o despacho j V^^^^ d0 seu goserno qae deve ser solemne e gra-
pregada a forca ? Na discussao oral que secretario effectivo da cmara compete pas w i ie _u^,_naa {nnrr^s
ti vemos perante a commisso, a nica razo j sarcertido f dnpnmnti ar
que se deu, pela qual se quiz provar qoe, Aqu. entrego este J^fueDlf0*
o juiz de paz no 2 ou 3o dia da eleipo se criterio da cam*y. po elle* \e i ,
tinha retirado para a sua casa com os papen opposico que se faz a todo quanto sao di
ve como sao graves e solemnes as funecoes
adminislratvas ? (Muito bem\)
O Sr. Aristides Lobo :Esta discutiqdo
a respoeM falla do throno?
O S&. Espinla:Uma e outra cousa.
Eu explicare i.
O Sr. Junqdhra :Eis ah descoberto. o
que se julgava impossivel: simul esse et
non esse. Eram voluntarios, e criminosos, ao
mesmo tempo 1
Foi assim que se procurou naquelle p'n-
to violentar o direito poltico dos cidadlos
E'.assim que a eleico presidida pelo l. juix
de* paz, eleico favoravel minha causa, foi
perturbada desde o principio.
A esse i." juiz de paz, o dignomajor De-
raldo de Brito Gondim, competa presidir
a eleico. Dirigio-se matriz* e animado
da sua congna civica pode romper at ao
interior por entre as fileiras, de bayonetas.
Mas vendo qoe os seus amigos Do podiam
acompanha-lo, que a eleico era uma baria,
uma farca, declaroa-se coacto e retirou-se
para a'igreja do Rosario.
Quer ver a cmara at onde chegou a in-
tervenco das autoridades.daquelle lugar ?
O delegado de polica, abasando da boa f
do juiz de direito que ali chegra, levou-o
at igreja paraajuda-lo arrancar q juiz de
paz da presidencia da eleico.'
Uma eleico como a que foi presidida
pelo 1 juiz de paz foi annullada pela cora-
mi -sao: se algoem se tivesse de queixar, cer-
tamen te devia ser eu, porque essa eleico,
que me foi favoravel, tinha lodos os carac-
teres de legalidade. Entretanto a commis-
so aonulla, nao s essa eleico, como a de
Urub e a da Villa da Barra-
O Sr. Fioueiredo de Almeida : E' bom
discutir esta. ...,..,
O Sr. Junqueira : Eu poda discuti-la.
O Sr. Figueiredode Almeida :Ptco:lbe
que dis uta.
O Sr. Junqueira; Nao pense qoe re-.
ceio a discussao.
Perd mais, segoodo o parecer, os votos
das freguezias do Bom Jess e do Campes-
tre ; a apezar desses cortes de quasi duzen-
tos votos fiquet dentro da lista.
(CoM/imiar-s-Aa.)
**.
%>

>
TYP. DO DIARIQ-RUA DAS CRUZBS N. .
+.'-